Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11987


This item is only available as the following downloads:


Full Text

r
XLV. NUMEflO 255.
Hlft'I 1TCAKS 01TOI IAO S& PACA
5tt 14 FEHU 8 DE NOVEMBA D Iftft.
'*'"
KAIA UITB0 X RU DA F1IT1KA.
POrtrcSfiW
Por*ttf1osklem.
Por o\t dte* atan
Por ma anno
>
4 i
i
Propriodade de Manoel Pgneira de Feria &
O* Srs. Gerardo Antonio Atas 4 FUioj, no Para; GoncalvesA Pinto, no
AO BOTES
Pereira d'Almeida,. em Maaangnipe; Antonio
Kl^iifiK?0/- 'M^'1 *yo O/veira, no Cear; Antonio de temos Bra^a, no Aracaiy; Jlo Mara Julio
Z Si^rV 1' n' *****&; Ant0D' *** Gome. Da v'"a dj> Penha; Beiarrnino dos Santos Butta,
Chaves, no Asan; Antonio Marques da Silva, noJbUI; Jos
PARTE OFFICIAL
tm N2^>l*^TiZ,i." r.;.^TT/ ^ n ^I^2,ei, .. a WD; Be,ana,no dos s>tos Jtalefe, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em rvazareta. Frandoo ft vares da Costa, em Alagdns; Dr. Jos Martfns Alves, na Babia; e Jos Ribeiro Gasparmbo, no Rio de Janeiro. ^
reenni,
offlcio.
como soleitou V. Esc. em seu citado oa
Termo da provincia
MENTE AS6IGNAD0 PULO EXM. SB. DH. MANOEL DO
N MCIMENTO MACHADO POBTKLLA, VtCK-rRKSIDENTE
OA mOYIHCIt, EM 13 DE AGOSTO DE 1869.
i* seeco.
N. 9.Portara ao Ezm. Sr. feaeral com-
mandaiue das armas. Mande V. Exe. por era 1-
berdade o recruia Joo Quindlie Pereira, visto ter
trovado iseaco legal.
H. 400.Dila ao director do arsenal de guerra.
Mande V.S. concertar e por fechadura na caixa
*.nadeira do registro do gaz do deposito de re-
tratas, no cartel da Soledade, con gotieitou o
eoramand inte das armas.
T. 40t.--Deliberacao.O vice presidente da pro-
vincia atteadendo ao que Ihe requereu Seraflm Al-
*? ^'l Rcna Basto*, e tendo em vista as informa-
<:ipt do inspector do arsenal de marinha o caplao
do porto, resol ve coueeder-lbe hceuca para no
praao de ei meies, tirar ortocenlos paos de st-
cupira as maltas dos cngentwa. Mega de Baixo e
Gnyanna Grande, o primeiro da fregoozia de S.
fjnurenco de Tejncupaeo e o segundo Je Noasa Se-
f'.T-il -?5?ia\ "** d"a *GF"'- o sea offlcio de 31 de marco ultimo,Vaioi
f^^Tm^^m^ ''^ ^ lM-* *> ^anhun
2* seceo.
N. 402.Portara ao presidente do tribunal do
vommerrin.Itemeito a V. Esc. em original a in-
tosa .representa cao que Mala data me dirigi o
cnsul francez, alim de que com a precisa urgen-
ra informe V. Exc. sobra qne elle me refere.
X. 403 Dita ao juiz da dimito da comarca de
Santo Anlo. Nao tendo al hoje os juizes e
jwz dos distrctus de SaMo Antao, e os do s.-gnndo,
tercero e quarto da Encada, assim como os sub-
delegados dos primeiros dos referidos distrelos,
remecido os seas mappas para a eoaatisUca judi-
ctaria, reci.mmendo a V. S., ote baja de actva-
lo- no cumprimenU) desse deW.
N. 401.Dita ao commandanie do corio provi-
sorio de polica.Mande Vane dar baixa ao solda-
do do corno sob o seu commando, Evaristo Perei-
ra da Costa, de que trata o sea olcio n. 359 de 11
-cvico.
N. 405.Dita ao subdelegado do distrcto do
ivres.Para a estatisiira que se est liquidando,
vjmpre a Vine, remoller um mappa dos crimes
eomiueltidos o anuo prximo passado, (do r* de
Janeiro ao ultimo de dezemhroj com > exige o res-
petlTi) rrgulamcnto. Por essa raaau devolvo o que
ciimpaiiliuu o seu oflficio de 10 do correte, allm
da voltar sem o equivoco de que se resent", refe-
riuJo scao anno aorOMe
3* seceo.
N. 406.Portara ao presidente da Associacao
Gonoaarcial UeneflcentcTenlio presente o offlcio
le lionteni datado, em que V. Exc. representa
contra o procedimento dos cslivadores de navios, e
em rcsposia cabe-me dizer, que em virtude de ro-
rrricwUiao idontica Ja capitana doprte j^aun-
lein provi iencit'i a csse respeito pela forma cons-
unta da copia junta.
N. 407.Dita ao inspector da thesouraria de fa-
/.end.i.Transnittu a V. S. para os flns con ve-
nientes copia daresposta, que honlem dei a cap-
-i iiaa du purto sobre o servifo de estiva por indi -
vi lur.s nao matriculados na incsina capitana.
SI 408.--Dita au mesmo. Expeca V. S. suas
rdeus, aQm de que Beata thesouraria se ajuste
.' is e se p.isse guia de snecorrimento ao tenen-
> i carpo de eacadores a cavallo Thomaz Au-
gasto iie Vasconcfllos Coinibra, que renunciou o
13sto da licenra que obteve para vir a esla poviu-
espera do norte.
N. 409.Dita ao nsprctor da thesouraria pro-
social.Providencie V. S. para que em vala dos
MI mus annexos ao incluso requerimento seja
! guidada c paga a despeza proveniente do gaz con-
anaii lo eoa a illmninacao publica desta cidade du-
ranU o niez de junhodeste anno.
4* seceo.
N 410. OfD|io ao Exm. Sr. presidente da pro-
ia do lliode Janeiro.Comoodli-iode V. Exc
de ti le corrente, recebi dous excmplare?, si-ndo
i:m do relatorio com que o Sr. conselheiro Benve-
unid Allgoato de Magalhaes Taques, passou a V.
Exe. a adminisliaco dessa provincia e outro da
< illeeeio das leis do anno prximo passado.
.V. 411.Dito ao Exm. Sr. presidente da provin-
cia d Matto Grosso Inteirado pelo seu offlcio de
-i de m*io ultimo.de haver V Ene. nessa data
prestado juramento o entrado no exercicio dos
cargos de presidente e commandante das armas
dessa provincia, para os quaes fui nomeado por
'arta imperial de 25 de jnlho e deeaeto de 30, tu-
llo do anuo prximo passado, tenno a dizer a V.
Exc. que serei solicito no curaprimento de sitas
ordena, quor tnndain ellas ao servco publico, quer
ag seu particular.
N. 41 .Portara ao engenheiro Antonio Vicen-
te do Sacimento Feitosa, encarrpgado das obras
eraes.Para enmprimonto do aviso expedido pe
lj ininisti'rio do imperio era 30 de julho prximo
indo, inCorine Vmc. com o competente ettanntWo
i' clausulas respectivas, qnal a despeza a Eaxor-se
rom a remoco da enfermara e lazareto do Pina
! ,i;ni ilha de Santo Aleixo, entendendose para
csse (i a com o Dr. inspector da sado do porto e
o proprieta rio da inesnia dha. ,
N. 413.Dita ao gerente dacompanhia Pernam-
bacana.' -O Sr. gerente da companhia Pernamtm-
eaBI mande dar ama pawagera de estado a re no
vapor Pirapnmt at Maco, ao agente fiscal do
lorreio Manoel Liberaiino Ferreira de Carvalho.
ff. 414 Dita aos agentes da companhia Bras-
ileira de paquetes.Us Sr?. agentes da companhia
Hrasifoira de paquetes mandein dar transporte pa-
ra corle por conu d > ministerio da gu rra. no
r Paran, que se espera do norte ao tonentc
l-i l1 corno d>3 caradores cavallo ThomaiAu-
; de Vasconcellos Cunba.
N. 41.'. Dellberagao. 0 vice-presidente da
provincia aitendendoao que requereu o professor
pubVicu da cadeira de instruccao primaria da fre-
r-uezia de tiamarac, Possidonio da Rocha Perei-
ra, o teado em vista a infonnacao du director ge-
ra interino da instruccao publica de 6 do corren
i sol. 145, resulve conceder-lbe tres mezes de li-
enea com ordenado smenle para ti atar de sua
-aiide.
KPEWRTE ASSIGHADO PELO 8B. DR. JOSQUIM MIRRA
DR UUtVK, SKCRETAKIO DO GOVKRNO, KM 13 DE
K&lSlIt DE 4*09.
1" seccao.
>. 416Oficio ao Exm. Sr. general comman
tama das armas.Be ordetn.de S. Exc. oSr. vi-
'e-presidoute da provincia, declaro a V Exc. em
T-wspu'tt a seoi aflicio de ii do eorrente, sob n.
479| que icam expedidas as convenientes ordens,
nao s-) a thesouraria de fazenda para ajustar con-
-H e soasar fnia de wieeorrimeoto ao lenle d<
1* Corpa de caladores a cavallo Thomaz Angosto
de VaseoncWI >s Golmbra, como tamnemaos agen-
fes da companhia Brasileira, para darem trans
porto pira a rrtt un vapor Paran, qae se espe-
ra do.norte como V. Exc. solieitou em sea citado
.4MU
NitT.Dtono mesmo.De ordem de S. Exc.
'. Tiec-presidetite da provincia, declaro a V. Ex-
' m Iff:P"*,,, rea oVio de II do eorrente, sob
i. V>% 'qne ftca expedida a ordem necessaria ao
iflrUjifir Interino do arsenal de goerra. para raan-
llr' ioacrur o por fechadura na caixa de ma-
**m do regMtniltgai do |ilel da depoillfl de
* seccao.
N. 418.OBeie ao Ju.it de direilo interino da
comarca do Cabo.O Exm. Sr. vice-presidente
da provincia mandadoelarar-lbe que ficou inteirado
por sen offlcio de 7 do corrate das providencias
por V. S. dadas quanio ao exercioio da vara mu-
nicipal e de orpbaos do municipio du Cabo.
*.,*%^DSto >ene.eorauul Joao Correia
Brasil.-O Exm. Sr. t -presidoote da pruviueia
manda aecusara recepcao do oficio de V. S. de
15 do mer findo. era que participa ter nessa data
aiMinriuo e-tommando do batalhao n. t de infan-
taria da gitwda nacional do municipio de Gara-
nhuts.
It.UO.Dito ao bacharel Joao Gonzaga Bacel-
lar juiz municipal e de orphos do Cabe.O Exm.
Sr. vice-presidente da provincia manda declarar
a V. S. que Rea inteirado pelo seo offlcio de 10
do eorrente. do baver nessa data reassumido o
exercico do seu cargo, que dexara a 21 de julho
ultimo, por motivo de molestia.
N. 421.Dito ao juiz municipal da t" varado
Recifo. -De ordem do Exm. Sr. vice-presidente
da provincia transmiti a V. S. a guia junta do
sentenciado Manoel Cabral de Mello, de que trata
' 3 marco ultimo, a qi foi re-
juiz municipal
era offlcio de 22 do mez Ando.
3* seccao.
N. 422.OIBcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar a V. S. para os davidos flns. que
segundo participarlo do juiz municipal e de or-
phaos do termo do Cabo, bacharel Joo Gonza-
ga Bacellar do 10 do crrante, nessa data cn-
trou ello no exercico do respectivo cargo, qne
dexara a 21 de julho ultimo, por incomraodo de
saulo
N. 423.Dito ao mesmo,S, Exc. o Sr. vice-
presidente da pruviueia manda transmiltir a V. S.
para os devidos fins os 4 uclusos requeriiiientos
OanvenienteojoQte despachados acompanhados de
urna procuracao, um ttulo e duas plantas era que
os berdeiros de Joo Uals Aine pedem perraisso
para ceder o dominio til dos terrenos de mari-
nha ns. 9 e91, sito3 na ra da Aurora desta ci-
dade.
4." seccao.
N. 424.Offlcio ao desembargadar provedor da
Santa Cusa de Misericordia.De ordem do S. Exc.
oSr. vice-presidente da provincia remeti a V.
Exc. o incluso requeriraanto e documentos em'
3ue Manoel Antonio de Alcntara pedio o arren-
amento da casa do sobrado n. 8 sito ra Dire-
ta, perteucente aos estabelecunentos da caridade e
a que se refere a informaco de V. Exc. de 9 de
junho nltimo, sob n. t85, cuja entrega solcita o
referido Alcntara.
EXI'KIEXTE ASSIS.VDO TELO EXM. SR. DR. MANOEL DO
NASC.lME.VrO MACHADO PORTELLA VICK-PRESI1BNTE
DA PROVINCIA, EM 14 DE AGOSTO DE 1869.
1." seccao.
N. 4ti.Portara ao general commandante das
armas.A vista do que informa o inspector da
thesouraria de fazenda no offlcio incluso por co-
pia, datado de 11 do eorrente, sob n. 554, nao po-
de ser satisfeito o pret que em duplcata acompa
nhou o offlcio de V. Exc. de 27 de julho nlti.no,
sob n. 436, tirando a uifferanca do sold, que
compete ao soldado invalido Marcelino Gomes de
A adrada
N. 427.Dita ao mesmo.Para cumprmenlo
do aviso da repartico da guerra de 2 do corren-
h;, faca V. Exc. inspeccionar o coronel Hygino
Jos Coclho, que pede ser reformado, o remeta-
nlo o resultado da inspeccao para ter o conveni-
ente destino.
N. 428. Dita ao inspector do arsenal de ma-
rinha. Auloriso V. S. a mandar ali-lar na
conipanhauhia de aprendizes artfices desse arse-
nal, visto estar as conlicoes legaes o menor
de mime Joao Ferreira da Hora, de que trata o
requermento que devolvo, de Rita Mana da Con-
ccicao, e sobre o qual versa sua informaco n.
1808 do 13 do eorrente.
N\ 429Dita ao mesmo.Antonso V. S. a
mandar alistar na companhia do aprendizes art-
fices desse arsenal, visto estar as eondiedes le-
gaes o menor de uome Jcs Silvano de quo trata
o requerimento que devolvo de Anna Ignez da
Conceicao, e sobre o que versa a sua informaco
de 13, sob n. 1807.
N. 430.Dita ao Sr. consnl da Franca.Res-
pondendo ao offlcio quo com data de h< ratera me
dirigi o Sr. Osmin La porte, cnsul de Franca te-
nno a dizer que a vista da informaco inclusa por
copia do presidente do tribunal do rommercio nao
pode o agente de leiloes Ignacio Pinto ir asonar
as funecoesdo seu cargo na provincia do Rio Gran-
de do Norte e ne>sc carcter proceder all ven-
da em hasta publica, dos salvados do navio Alphon-
$ine porque fui por aquelle tribunal indeferdo o
requerimento em que o mesmo agente solicitara
para sso autorisaco. Aproveto a occasio para
novamente assegurar ao Sr. cnsul de Franca a
minha perfea estima e distincl* considerncao.
4' seccao.
If. 431. Portara ao commandante superior ip
guarda nacional do Bonito.Communieo a V."8.
para os devidos fins, que segundo c>>n-la do Dia-
rio Pfltciul n. 183, houve por bein Sua Mage-iade
o Imperador por decreto de 28 de julho ultimo,
reformar no posto do leowto-coronel, o major
commandante do 4o esquadrln de cavatlana desse
municipio Vicente Ferreira Padilha Calnmbi.
N. 432. Dita ao commnndanle- superior da
guarda nacional de Flores.Cminnnico a V. S.
para os devidos lins, que segundo coiwta do Dia-
rio Offieial n. i85, hoove por bem S. M. o Impera-
dor reintegrar por decreto de 28 do mez Hudo o
lenente-conmel Antonio Jos de Campos Barbosa
no commando do 1 corpodecavallaria desse mu-
nicipio, licando sem elTeito o decreto de 30 de ou-
tubro de 1867, que o rebramo.
N. 433.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio do polica.Tendo por defineracao desta da-
ta nomeado ao eulado Paulino Teixeira de Car-
valho capito da t companhia do corpo sob o seu
c mimando, assiiu o communieo a Vmc. para seu
coaliociraoutu.
N. 434.Dita ao mesmo.No easo de ser pre-
ferida por melhores eoadicoes a proposta que pa-
ra o forneciinedto do faraamento do corpo sob o
sen commando anresentar Paes Mello & C, sobre
cuja peticae iMbrmon Vmc. em offlcio n 362 du
43 do correle, concedo aos ditos concurrentes o
o praso de sessenla das para roalisaretn o forne-
cimento.
N. 435. Deliberado. o vice-presidente da
provincia resotve nomear o cidado Paulino Tei-
xeira d' Carvalno para o posto de capito da 2'
companhia do corpo provisorio de pulida vago
por fallecimento de Luis de Franca Mello J-
nior.
3" seccao.
N. 436.Oficio ao Ewn. Sr. ministro da fazen-
da. N. 39. Passo as mos de V". Exo. o requeri-
mento documentado em que Manuel Jos de Al-
meida Soares pede ao gnverno imperial % graca de
ser reeutregado no lugar de offieial de descarga
da alfandega desta nda le, do qual fdra demando
por deliberacilo do V., Hxc. de 30 de marca do
correte anno, communieada era portara n. 51 do
17 de abril, reOre-me- as ioirmagdes ministradas
pelos nspeciot du Ibesouraria do fazenda o
doqoettu popsrkcao, juotn por copia.
M. 437 Porlurta ao apeetor du thesouraria
Ido-fcaanda:uquk a V. S. pasa seo e*nhn-
cmwub', que segauda conste de aviso da repart
o drafrieultura. comraercio o obras publicas
de 5 do carrate, foi approvada a deliberaco qije
toinou esta presidencia de abrir sob sua responsa-
bilidade um ere* snpplementar na irapoftaacia
de 1:5794006 para pagamento d >s venementos
don empregados. da estrada do ferro desta provin-
cia, visto acnar-so extinelo acredito votado no
exorefeio de {868 a 1859, para as despezas cora a
verbaObras- Publicas Genes.
W. 438.Dita ao mesmo.Communieo a V. S.
para sen conhecunemo e dirccio que segando
ceusu de avisa do mUtelorlo da woiMut de 4 du
coi rente, foi dcmitlido Andi* Avelino de Modo
Galvo do lugar porteiro do arsenal de mari-
nha.
S. 439Dita ao inspector da thesouraria pro-
vt ca!.Em viste da informaco ministrada em
86 di julho proxiiro lindo, pelo llscal da collecio-
ria de Itamb, approvo o pronos Jtristo Jos da
silva Lima, pelo collector da mesma para seu
agute, o que a V. S. declaro em resposia ao seu
otlcio n. 362 do 4 d junho ultimo.
Y 440.Dila ao chefc da repartico' das obras
publicas.Remello por copia a V. S. pira seu
conhecimenlo a inclusa deliberarn desta dala,
p=l;i qual resolv approvar a modilicacao fete na
planta primitiva para a direccan -da linha dos tr-
Ibo urbanos para a cidade dejjlinda na parle
entre o Salgadlnho c o povoado Mos Arrombados
com as condic^es constantes da mencionada deli-
beraco.
N. 441.Delberacao.0 Exm. Sr. vice-presi-
dente da provincia, attendendo ao que requereu
A X. C. da Cunba, eserivae da colloctoria da
comarca de Itamb, e tendo em vista a informaco
do inspector da thesouraria provincial de o do
eorrente sob n. 457. resolve coneelcr-lhe 30 das
de licenca para tratar de sua sade, sendo substi
tai lo em seu empodimento pelo respectivo aju-
daute.
4." seccao.
*{ 443.Dito ao Exm. presidente da provincia
da Baha.Com as inclusas copias dos contratos
celebrados para o asseio e lirapeza desta cidade,
satHfaco o pedido de V. Exc. constante do seu
offlcio do 16 de julho ultimo!
N. 444.Portara ao Exm. Sr. desembargador
profedor da Santa Casa da-Misericordia.Aceito e
agradecu o convite qne V.KXu sedignou fazer-me
era seu offlcio do 13 do correte sob n. 1070, para
assislir a festa da Padroeira dessa Santa Casa, que
se lera de celebrar amanhfia naigreja de Noasa
Senliora do Parazo, e comparecen a esse acto se
nao houver inconveniente.
N. 443.Dita a cmara municipal de Olin-
da.Remello |>or ce|iia a caiiiamnMinclpal de
OJinda para seu conhecimenlo a Wasa delibera-
cao desta data, pela qual resolv approvar a modi-
licifio feita na planta primitiva da linha dos tr-
Ibo urbanos para essa cidade na parte entre o
Salgadinho e o povoado dos Arromtiados cora as
cuodiccs mencionadas na mesma delberacao.
?i. 446.Dita ao engenheiro fiscal da estrada de
ferro.Remello por copia a Vmc. era resposta ao
ferira a um irmo d'esle e nome Francisco Jos
da Fonceca e Luz Carlos Frasio, como um dos
autores do homicidio de A(exaadrina de tal, qae
leve lagar no mesmo termo cm dias de agosto
nltirao, os quaes forara capturados pelo delegado
do termo de Plores, a sua reqoisieaQ e se acham
prooessados.
O delegado do termo do Llmoeiro, por offleio
datado de 2* do mesmo mez, comraiinicon-nit
que cliegara ao seu conliocimento, por parte-
eteacao do subdelegado do 2.- dtslricto do Bom-
terdim que no dra 27, no lugar denominado Sapos
do referido deslricto, Pedro, oscrava de Francisco
J de Castro, ferio gravemente com urna faca a
da seu senhor moco, de *3 a W anoos de idade,
ttcara em perigo de vida, o nao foi logo eap-i
do jwr se ter evadido immcdiatmnente; e bom
que o respectivo- subdelegado proceder a
eorptdo delictb na pesa do offeadidb, e trata va
de capturar o delnguente.-
Em data de 3 do correte, participen o subde-
legado do distrcto de Oarsuipe que, tendo 'tordo-
lina Mara da Trindade, no dia-31 do-mez passa-
do, r,.|to offenss physicas -loves,-como mi veriflea-
do no auto do corpo deiMeto i- qne se-proceden
om Maria Francisca-dt Coneeico, foi preso em
flagrante e ia ser devidamente processado.
Deus guardo a V-. Exclni. -e Exm. Sr. so-
nador Frederico do Almeida o Allniquerraue, pre-
sidente da provincia. O- cliefe de polica. Fran-
ateo de Assu Olitetra Matiel.
um pamphleto contendo o discurso recitado* na
PERWAMBUCO.
seu oflci.' de U (iujunho prximo lindo, as inclu-
sas inlbrniacoos ministradas pelas thesouraiias
REVISTA DIARIA.
CAPTURA DE CRIMINOSOS.Pelo delegado do
termo de Flores fora-m -presos os criminosos Ber-
nardo, escravo; conliechlo por Joao Praeiro, qne
assassinou a Joo Jos da Fonceca e ferio um
irmao deste no anno de-1867; e-Luiz Crrlos Fra-
sao, um do autores do homicidio de Alexandrna
de tal, commettido nw mez de agosto-ultimo.
FERIMIiNTOS. NJ logar Sapos, da'fregueaa
de Bom Jardim, a 27 do passado^ Pedro, escra-vo
de Praneisco Jos d Castro, ferio gravemente
um lillio de *u senfiorj de 15 16 airaos, pondo-
se em fuga. ,
No dia 31, c no fogr Carsuipe, CordoBna
Mana da Trinda le ferio loVemele'a Mana Fran-
cisca da Conceicao, s'oudo presa em continente.
FESTIVIDAD^..Domingo prximo ser cele-
brada em Olindaa festa de Xossa Senhoca do Gua-
didupe, com toda a pompa e brilhanlismo do cos-
tume.
TRILHOS URBANOS DE OLIXD.X. Comecam
hoje os trabalhos materaes desta linha.
.FACULDADE DE DlRRITO.-^-Fizcram aetoao
da 6 do eorrente:
1' unno:
Josquim Jos dos Res Jnior, nlcnamente.
mente.
Antonio Pereira Castro, idem.-
2- nnnn.
simptat-
namentc.
Francisco Pedro da Goso Mureira. dem.
Joo Pereira Lagos, dem. -
Manoel Ribeiro Brrelo do Mcnezes, dem.
Joaqnim Xavior de Lima Miranda, dem.
Jos Ferreira No!re Pormiga, dem.
3> anno.
Amaro Guies Cirnciro Beltri, plnameii;c..
Ignacio da Silva Coolho, dem.-
Joo Polycarpo do Figucredo, dom.
f' AF Jos ht'''* 1Vs in.cipal deOlui- Jo;i(|uim Cavalcanti Perreira Mello-dem.
H-rente, resol ve + anno
pela
geral e provincial em 23 daquHle mez e em
crtente, relativamente ao pagamento ann
importancia de 3:0735610, que a companhia da
estrada de ferro faz dos impostos constantes da '
nota qae acompanaou o seu citado offlcio, assump.
imn"n-l d-i?? resSeV"0 conl,ed,ocu, d own* ^0 Bezerra Cavalcami de Albuqucrque. pie-
iui|ii-ii.m p.u.i iLsniver. namenln.
W. 44/. Dita ao inspector geral da? obras pu-
blicas no Ro de Janeiro.Remeti a V. S. o in-
cluso rocibo dosobjectos que para serena entre-
gues ao engenheiro Raphael Areltanjo Galvo
Fillio, V. S. m'envioii com o seu offlcio de :t0 de
julho ultimo sob n. 205.
y. 448 Delberacao.O Exm. vice-presidente
da arovincia. altemicndo ao que requereu a com-
puabia dos trilbus urbanos desta cidade a de Oln-
da, o Kndo cm viste as nformacoes da repartir
das obra* publicas a da cmara uninici
da de 24 de julho ultimo e ti do cor
approvar a modilicagao feita na planta primitiva
j approvada na parte entre o Salgadinho e o po-
voado d'is Arrombados, licando a mesma compa-
ohi. obrigada, nao so a fazer a ponte que lem de
con truir no mesmo povoado dos Arrombados com
a largura sufflciente para dous pastelea lateraes o
as devidas cntelas para scguranci dos viandantes
como tambera a remar o muro do eollegio de
Sania Tiiereza do lado da Estrada-Nova, alim de
dar espaeo ao transito publico.
BXPBDIEMTE ASSIU.'iAUO PELO SR. OR.JOAQl'M COnREA
DE ARAUJO, SECRETARIO DO GOVERKO, EM 30 DE
AGOSTO DE 1869.
31 seceo.
N. 449.Offlcio ao inspector da thesouraria do
fazenda.S. Exc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia, manda transmiltir a V. S. a inclusa ordem do
tribuaal do Jhesouro nacional sob n. 107, em que
dec.ara que pelo prximo paquete brjsileiro serio
reo ettidus os 500 cuntes de ris am notas de H e
10.
fi.450.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-pres-
den e da provincia, communieo a V. S. para os
dev dos lins, que por delberacao desta data foi
Bornalo capito da 2" comimnhia do corpo provi-
sorio de polica, vago pelo fallecimento de Luz de
Franca Mello Jnior, o cidadiio Paulino Teixeira
de Camino.
1 451.Dito ao procurador fiscal da tliesoura
abertura do seminario de linda no corrate auno,
pelo Rrm. Sr. conego Joaquim Ferreira dos Son-
tos, lente d*sse estabelecimento, a refutacao que
Ihe fez o Exm\ e Rvm. 'Sr. blspo do Para, e a res-
posta dada por aquelle Rrm. conego ; e acha-se
venda na llvrarla franeeza.
PIRA PAMA Chegou bontera este vapor da
Companhia Pernambucana, da Granja e portes in-
termedios.
Na capital do Cear era conbecido o resul-
tado dos colegiosde Miranguape, Aquiraz, Ctsca-
vel, Aracaty, S. Bernardo. Baturt, lm,ierairiz, S.
Francisco, Sobral, Canind, Granja, Vicosa, Aca-
rac, Maria Pereira, Ipv Quixeramobm, S. Joo
do Principe, Tc, Lavras, Pereiro, Tema, Crato,
Rarbalha, Milagrea, c Janlim, na eleico de sena-
dores ; sendo os mas votados os Srs.:
Conselheiro Jos de Ahincar 1,118
Desembargador Jagtwribc 1,043
Dr. Manoel Fernandos Viera 1,042
Desembargador Domingues 987
Conselhiro Figueirai dt Mello 981
Dr. Araujo Lima 959
Dr. Tristao Ararpe 672
O yapwr iuglez Paraense sabio para Liverpool
no da 30 do passado.
Acbava-se no exercico de governador do bis-
pado, o Rvm. conego provisor Hvppolto Gomes
Brasil.
Urna carta do Crato, dirigida da Cearense,
rtarra o seguinte curioso faelb :
Um celebre maldito, residente n'este Crato, a
Iuem a voz publica denuncia ebefe dos ladrdes
3 cavallos, inventou o systema inais legitimo do
furtar animaos.
Pronunciado como ladra) de besla e por
urna autoridade de seu partido, v que os meios
de que se servir, Ihe havam sido funestos, des-
cobrio um systema mis commuiodo e legitimo
mesmo.
Arranjou ura ou dous cercados no sitio
Ponte, e espalnou de porta era porta que linha
rucados, pasto ou commodos a atogar para ca-
vallos.
O pavo do Crato conbecia bem o maldito
mas- os sertanejos qno vem aqu procura das
rapadura e dos generas alimenticios cahram e
caem na raioe ra:
Alugam o cercado, pagam caro, e no da se
na pro vinel al.S. Exe. o Sr. vice-presidente da
provincia, manda transmiltir a V.S. a inclusa o-
pia do aviso expedido pelo imnisterio dos negocios
ebtngeirus em 21 de julho ultimo sob n. 7, con-
forme solciou em seu offlcio de 11 do correte
sob n. 30. *
4* seeciio.
H. 481iOfflcio ao director geral interino da 1"
seccao da secretaria de estado dos negocios do im-
peiio.S. Exc. o Sr. vice'-presidente da provincia,
manda acensar recebido o titulo de Ignacio Pereira
do Valle, que V. S. remelteu com o sea offlcio de-I|
do correle sob n. 82, para ser entregue depois de
panos os respeclivns direilos a quera se mostrar
competenti'inonte autorlsado para receb-lo.
i1*. 453.EdRal.Pela secretaria do governo se
deelara ao Sr. Ignacio Pereira do Valle, quo existe
na mesma secretaria para ser-lhe entregue depois
de pagos os wnpealww direitos o seu tituto de
naturalisaco de cidado brasileiro.
Cassiano Bornardino dos Rcis e Silva, plena-
mente.
Joo Lius de Albuqucrque idenr.
Jos Ildefonso Cy-neiro, dem.
Joaquim Francisco Vieira da Mello,-idem:
Herculano Bandeira de Mello, idem.
Anstides Penalva de-Furia; dem.
S anno.
Francisco Gomes Pinto de Campos, plenamente.
Manoel Francisco de Barros Reg, dem
Jos Ajres do Nascimento, idem.
COLLEGIO DAS ARTES.Lista dos estudanles
chamados exaaie de geographa e historia no
dia 3 do eorrente :
Plenamente
Simplesmente (i
^eraulou-se i
Somma
ii
Da i-reograpbla
Plf amen o
Siniplesmenje-
Reprovados
Levanlou-sc
1
I
6
1
12
RepatlfSv polica.
!* sccQo.Secretarla da potcia" de Pernambu-
jo, 6 de Dovcnibro de 1869.
N. 1588. litro, e Exm. SrLevo ao conhecU
monto de V. Exc. que, em vista das partlcipaejSes
rebebidas n'este repartico, foram hontem rfleo-
Ihidos a casa do detencao, os seguintes indtvi-
luos :
A ordem do subdelegado do Recifc, Mana Feliz
da Silva, por disturbios.
A ordem do de Jos Antonio, eseravo, de Ma-
ntel Ferreira din Santos, por sor encontrad de-
p< is de (J horas da nonio sem btlhele de seu se-
nhor.
A ordem do dn Boa Vhta> Joaquim Jos Pereira,
por embriaguez; Jo' Eleutom da Panto, nr
Uno de armas prohibidas; e Bernardo, eseruvo da
boruneu du Ipojuea, a requerimento de son ae-
nllora.
CommoRiceu-iM-M IX. Jim muoiopal delga-
do do termo de Cwnhre* por oIBeio de 23 mn
ti ido, quo no dia 16 tfiqtMn ia ftrtsa tUtoH-
d is a cadeia, snaoadtatoa irtTiiawmni Bernar-
do eseravo, oum*oi btmlura al sm tSft? a h&k la fi..... 4
guinte passam pelo veixame de contar cora 2 ou
3 animaes extraviados.
Nao tica' n'sto m'i o logro : o malvado lera
geito para ludo; obteni urna procuracao bastante,
recebe sempre algum dinheiro para tratar, diz
elle, de haver os animaes furlados.
E depois justihea-se quando accifsado e diz
se tenho% frara vistos estes ou aquellos animaes
em mea poder, por que os seas danos conti-
lairam-mc seu procurador bstanle : eis aqu
meas documentos, procuracao ele. etc.; lea-os.
- Afina I nnnea mais o legitimo dono v seus
animaes, e o maldito ri-se sardnicamente como o
dialio de Methismopheles quando deitou na per-
dico a pobre e innocente Maraarida.
No Rio Grando do Norte as nofleias viudas,
do centro da provincia, diziam Iterera corrido
placidis as olecoes de eleilores para senador.
Nada occorreu na Paralaba que mereca
mencao.
PASSAGEIROS.Sabidos para Liverpool na po-
laca nustriaca Francisca :
Thereza Rainers.
'Sabidos para Fernando no vaper brasileiio
Corurpe:
Joaqnim Rodrgaos Maia de Olvcira. Joo los
da Fonceca, 23 setonciados e tropa qno os acom-
panha.
Vndos da Granja c porlos
vapor brasileiro Pirapama:
Dr. Jos Nicolao Tol-ntinn do Carvalho, sua se-
nhora c 1 criado. Luz de Franca da Silva, Alpo
N'apoleao Serpa, Manoel Carnero Lima, Sebastin
Antonio de M. Reg, Olyrapio de S Boylind, Cos-
me da l. Bezerra, Jos Antonio de SLeito, Maria
Lnurenea da Conceicao, Pedro Paulo Vieira de
Mello Jnior, Antonii") Francisco Gimes, Dr. Bniz
C. do R. Barr >s, Io tenentc Pedro Lopes da Con-
ceico, Francisca T. de A. Jiuiior.'sua senliora e
2 criadas, .fos4J. do Nascimenlo, Manoel M. Dan-
tas Cavalcanti, Agostinho L. G. da Silva, Francisco
Ahtonio da Silva. Francisco Xavier de Menezes.
M. J. Maciel Primeiro, Palmerco A. Soares, Vital
de S. Ruliin, Manoel Cassiano, Jos T. M Machado,
Claudino F. da Fonceca, Frederico A. de Carvalho,
C. de G. "Nogueia, Jos P. F. Maia, Silvestre Gil-
Braz e sua familia, M. J. de Araujo, F. A. Brre-
lo, Carlos Brunel, Ignacio Alves Ferreira, L. J.
Florencio, J, Cordeiro e 1 cri'ilo.Christovo J. V.
Barros, Dr. Elsea de Souza Martina, sua firailia
e 4 escravos. Antonio A. P. de Alencar Maria do
(irmo da Conceici, Mara A. do Nascimento,
Luz A. Machado Leal, D. Joanna Amelia de Miran-
da Veras, Pedro J. de Freitas, Vicente Sabino,
Manoel Ruorigues de Sampaio, 4 escravos a en-
tregar.
cordo que receben os embargos tefriasattaa;
embargante exejuente Benjamn Tuete, tro-
bargado executado Augusto Colho Lefc; joko*
os Srs Res Silva, Silva Guimares. Rosa,, e Mi-
randa Leal. Porara receidos os embargos com
o vol do Exm. Sr. presidentes, sendo votos Vete-
cidos os Srs. Rosa o Mranda Leal.
Jjuzo especial do coinmereio : embargaots au-
pellaute autor Andr Abreu Porto, omoaegaow
appeltedos reos Joaquim Ferreira Vateute e ootr*.
ilutes os Srs. Accinly, Silva Gblraares, Mlraod-
Leal e Bnro de Cruangy. Despresados os amh
bajgos, sendo voto vencido o Sr. Miranda LeaL
Appellantes Bresthelraan & C., appellado JfetP'
Francisco Taboca; appellanle Juo Pinte de tu-
mos Jbnior,^ppellado Manoel Alves FetTcka.
Addiados a pedido dos Srs. deputedbs.
rASSAOE.NS.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. des-
emJiarBador Aecioly: appellante o lqudataro da
Caixa Plial do Banco do Brasil nesta cidade, a^.-
pelteJo Joo Carlos Bastos do Oliveira ; aupeDau-
tes Oliveira Filbxis & G, appellados Eduardo Burlf
& C, appelaute Jos Carlos Teixeira, appellados
Oliveira Flhos & C.
ACCRAVO.
Jiu'z especial- do rommercio : aggravanJcs o*
curadores da-massa fallida de Anloufo PWnv tte
Mello, aggraradbs os depositarios da mesma.
O Exm. Sr. presidente negou provimente.
Nada mais hoove, e foi encerrada a sessi
1 e hora mea da> tarde.
IHRONiTA jrDMlARI
TRIBUNAL. DO lOHHERtiO
SESSO JUD1QARIA EM 4 DE NOVEMBRO DE
1869.
PKESIDENCU DO EXM. SR. DESESmARfiADOU A. F. PE-
nwrri.
Secretario, Jitlto Guimares.
Ao meio da declarou-se aberia a sessa, estando
reunidos os Sr*. deseinbargadores Silva Guima-
res, Res e Sirva,- Acefob o deputados Rosa, bo-
rio de Cruangy e Miranda Leal, fallando com par-
ticipacao o Sr. Basto.
Lida, Xoi approvada- a acta da precedente sessio.
O Exm. Sr. presidente oruVnon que se remeties-
se para o cartorki coinpelenle os autos viudos do
supremo tribunal- de jn-lica entre partes, recur-
rente o administrador da massa fallida de Antonio
Jos de Figueiredo, recorrido Antonio Pereira de
Carvalho.
O escrivo Atbuqnerqac registrn o ultimo pro-
testo de letra a 2JHdo mez findo sob n. 1876 ; c o
C,
Somma
ESCOLA NORMAL.Fizt-ram examesabtadoos
seguintes alumnos-mostres:
8 anno......
Aareiiano Mamede Gordeiro, plenamente.
Itnocencio Memles L-ipes de Mendonc. idem.
Antonio Basilio Ferreira Barros,- idem.
Manoel Gregorio Vieira-Llmaj dem.
Benedicto Marques Vieira,- simplesaientO:
Joao Chrisliano de OKveira-, idem.
Prediliano Gomes Ferreira-, idem.
PROCLAMAS.Foramlidos hontem na mairtz
da fregnezia de Santo Antonio us proclamas se-
guintes : .......
i.' (JennnciacSo.
Manoel dos Passos" Mtrafiua, com Anna Carolina
do Araujo.
Jos da Silva Reg Braga, com Isabel Maria da
ConeeicS i Sanios. .
Jos" Antonio, Saraiva, .com Cundida Rosa de escrivo Aires do Brito a 30 do dito mez s
Albuquerque Mranho. 1666.
Pedro Advneula de Almeida, com Anna Joaqu-: accoruvo assiosado.
na Correa de Almeida Sarjuti. Appellantes Augusto Octaviano de Sooza &
Antonio Floripes Raposo,.com Joaquina Maria appellado Augusto Frederico de Oliveira & G.
da Conceicao Bolelho. nxr.AupTos.
2." dcuuociacio. Embargantes embargados, simultneamente e
Galdlno Augusto P"es Ferreira, com Valeria vuva e herderos do Manoel Goncalves da Silva e
Mara da Concmcao. ... B. Claudina Senhorinh Viera de Carvalho. O Sr.
Dr. Ermiro QtVaY Contmho, eotn Joaquina Vle- Rosa Juroa saspeico por motives supervenientes, o
loria Pereira Siinoes. nao estando presente o Sr. Basto nao se podo fazer
3.' denmvcteojlo. o sorteio.
Manoel Franeheo de Paula, com Emilia Fran- Juizo municipal e do commercio, da cidade da
cisca Bodrigueo. Areia, provincia do Rio Grande do Norte : em-
Alexandro Jos do Pontos com Leopoldina Pe- barganto 3ppellado reo Joaqnim Jos Pereira dn
tolo Macai Cmtt, embargado appollamo autor Kroneisoo Fer-
Eminanoet Carrol, cobo O^'rapia Augusta reir Novaos; juteee o< Srs. Ra e SHva, Aecioly,
Vieira. harn de Cruangy o Miraada Leat. Despresados
Jos" Fdjfc da Tfindade,. com Maria PergeuHna os embargos, senda voto vencido o Sr. desemoar-
de Soult Teixeira. gador Acwtili.
Sevwmno Ferreira de Souza, com Eulalia Mo- Juno especial do coownercte : embargantes ap-
desta do Urna. pollantes embargantes terceiros Alireu & Veras,
O bacharel Gaetano Maria do Farias Noves, coro embargados apneiteites oxequentes Augusto Porto
Mar a Josopbiua'Uoba. fc C.; juizes os Srs. Res e Slv*, Accioli, baro
' Bonte tus de Mello, com. Candida Maria da A Cruangy e Miranda Leal.Foram despresados
Cim otqjii. ... os embargos.
' MnoMid Ateas da Silva, com Virginia Harte da Ai>pelteMo a companhia Vigilante par son ge-
Cfle*"- rente, i apollado aaquira Jos GoacMves Boltrio.
qtwliiw Antonio Barceltos, com Anna Francisca Nao fuiproposto por se nao tobar presento o Se.
tdo Livranvnto. I Baste.
' PUBLICACO NOVA.--Acaba do ahir i lwl tato espewti do cotnitorctQ: embargos ao ac-
. C.-lIffAR.I MUNICIPAL.
4.' SESSAO ORDINARIA AOS 3 DE NOVEMBtttT
DE 1860.
PRESIDENCIA. D I SI. DH. SOOZa LBAO.
Presente* os Srs. Dr. Barros Ba: reto, Dr. Plteu-
ga, Souza Magalbe, Dr. Hoscoso e Gameiro, ftd-
lando cora causa os mais seuhores, abrio-ee a
sessao.
Foi lida e approvada a acta da antecedente
Lu-se o seguinte
taktttm.
Um aviso expedid pelo ministerio do imper*-
de 23 de outubro ultimo, declarando que Sua Mh-
gestide o Imperador monda coramunicar a cma-
ra municipal desta capital, paraos flus conveoten-
*. Que houvo por bem conceder, por decreto du
20 do mesmo mez, a exonerar que pedio o con-
de de Baependy do caiyo de presidente desta pro-
vincia e nomear poreart-i imperial de igual data
o senador Frederico de Almeida e Alboqueriiuo
para o substituirInreirada.
l:ra fflcio do Exm.'vicepresidente da provin-
cia, de 29 do correle, atit->risanlo a cmara, em
vi-la do que a mesma espite cm outro oficio do
20 do dito mez, sol) n.- 90* a conceder peta verba.
Eventuaesurna gratificaeo de trinte rail reb
mensaes aos fiscaes du* fregiiezias dos Afogado e
Poco da Panella, e de-vnte mil res aos do S.
Lourenco, Varzea, Mu ribera e J iboatao, aQm do
que possam ter ura cavallo para percorrerem as
suas freguezias, e cumprirem es deveres ou Ihe
aj uiherentes.Que se facom as coinminicaciesv
declarndose ao procura iur e contador qae dte
ter comeco da data en que foi solicitada a nato-
risa cao.
Otro do mesmo, de-30'do eorrente, approvan-
do o orcaniento da qaanta de 2:t!7OOO, que
acompanhou o offlcio da cmara de 26 Jo correa-
te, sob n. 92, para a consinic.-ao de dez pares du
catacumbas para adultos e ootns tantos para p;ir-
vulos, do que necessila o cemiterio publi a>, auto-
risa a mesma cmara a despender a referida
quantia com semclliante obra.Que se ponia cm
praca pura o dia 17 lo eorrente.
Ciri abaixo assignado, com despacho da presi-
5 no Cenca mandando informar, no qual drerms pro-
prietarios desta cidade repre-enlara a S. Exc so-
bro a existencia da postura de 13 du setembra
prximo presado.As commissous de peticoos e
do o lilicacoes.
Outro do Dr. chefe de polica, de 29 de outubro
ultimo, acensando o-ufflcio que a cmara Ihe diri-
gi cm 27 do mesmo, cummunica haver B'aquelta
data solictalo da presidencia a expedico de snas
ordens para que a guarda da riheira da freguexia
de S. Js seja elevada a numero de dez iracas
de polica, inclu ive o inferior commandante, anm
de coadjnvarcm o respectivo fiscal na repres-ao
das freqUenteS defraudacoVs praticadas peles ta-
Ihadores do carne c pidos mercaderes de gneros
alimenticios.In'eirada.
Outro do mesmo, de igual dala, acensando o.
qne a cmara Ihe dirigi em 27 do dito mez, de-
clara que acaba de providenciar convenientemente
para qno no dia 2 do presente mez. era que leo
de ser celebrad no eoiniterio publico ura ofltcio.
era snffrago as almas ds que all eslao sepulta-
dos, se aprsente no mosmo reimlerio urna forea.
de vinto pracas de poHciaaflm de manter a or-
dem dnranie a concurrencia que ha n'a melle dia.
Inteirada.
Outro do subdelegado dn Magdalena, accosan-
do o offlcio que Iho foi dirigido em --i d mex-
passado, observa que a despeza le dez mil rjs
que mandou fazer com o enterramento de un eu-
vallo que se achava mor na e-lrinh, embwu-
carato ^transito publico e infectando a atmopM1-
ra, nao dve ser paga pela polica, mas ^ra pela
municipalidade, com se \ lo an. 5." do T fe *.*
das postnras de 30 de jmiho do 1849 ; conrJue
esperando qne a cmara mande pagar a p->s~da
que foi encarroada de fazer aquelle entrramete
lo.Que se responda ao subdelegado que a c-
mara reconhoce os seiis b os serrieo*, mas onpn-
do quo pelo seu cofre nao de ve ser paga topen,
alguin.i que nao seja ferT.i pelo* sent agotare e
com sua anlor-acfi.
Outro do procurador, dando a nforraacao qae
Ihe Id exigida relativamenie ao pagamento da
quantia lie 25OOO que pede Hernciiio Constanti-
no de Paula Monteiro. Man*m-se pagar.
Outro do engenheiro cordeador, corommucaadu
quo o concert dt estrada que val 4or ao lugar
da-Torre arBa-so concluido, o foi fieerutad ite
conformidade com o orcimento. Mandon-se pa-
gar a quantia de 906000 a Bento Jooqnim Givuet
que o exerulon.
Ouiro do mesmo, remetiendo n iTiimintt j|t
concertos do que precisa a ponte do Madur, na
iaqxrUueia d 517-SftOO.A* roramistao dn ediH-
cacoes.
Outro do mesmo, informando o requarimeate
de Manoel Gyraco de FiguerCln, lera a dizer qae
a casa so. tem dous metros ou rovc palmos de
largura na frente o tres metros e 8 ecusimetros
u 14 palmos de altura, e foi construida t>o fundo
da igraja do Livramelito, < por que a, pretencjta
do supptcanto raelhora o predio, par^ee-lhc- tjoo
-o pode conceder, levantando tile a trenta na al-
tura das posturas. Coivcdeu-se.
Outro do mesmo, nfirraando sobre o reqoi'r-
menlo do Sabino Bruno do Rosario, declara que
nada tem que opi>oT, urna vez quo a obra seja
Hxeuulada de conorniidado com as posturas.
Conceden t#e.
Outro d i mesmo, informando o rcqucriuieote dt
Joaquim Antonio Pereira, procurador de jirifi
tes Fragoso, cumpro Ihe que nao ha nconwttt-
te na conoesso que pede.fjineodeu-**.
Outro do uiesrao. inforiiumio o requerioaette d|
BermtnVi J >s da R iclu, teiu a d'uor que natefct
t tfptr.Concede-SP. ^
Outro do mesmo, inforoiando a roa**
Manuela Maria da Conneici, cuoipr
pareee-lhe pode/ so cote'a>r a *^M
Bieiro, aa> seqdo.clj V
r
reqiiei i
I1HVH
lili


'

I
de Noveinbro de 1B69.
m mi
\F*'
alo de
i ler a
mstruir
_____ na Tnosmo aliuhamen/
lo 5 utras.Concodeu-se.
Oatro do mesn, inlor
HnMisca Leopoldi
ada ha a oppr, lazei
pala os arredada do a
airo do mesm>, informanlo o req/d-Timato de
Gaeasa Jos dos Sanio Gallad,' tem a di/.er que
nada ha a eppr a prMeasao da suplicante,sen-
4otelo o muro no raasrao aknhamento do ja co-
macado.Coneop- W
Outro do ni !?, re nettenlo o nream^to pro-
sanativa das deJpezis a lazar se con o servico a
liapuza da etdade e romoea do liso A comrais-
sao da polica. .
Ootro do fiscal da freguczia do Recite, inior-
na lo o requerimento do Cardoso & Irmao, deca-
iqae nenhum inconveniente ha e;n se conceder
o u nnil-" -pf "-< -
Oro do lls-al da fregnezia do Poco, pedrada
aaa temo do p sos para poder por ello conferir os
4a aaercado da mesma freguosla, solicita anda a
cmara que su dqjte providenciar afl.n do que all
se ertabeleca tima praca para a venda de arinha,
Bfto e outros gneros, visto como a populacho
est soflVendo grande caresta de taes gneros.
Oantaprra.'ira;parto, mandou-se satistazer, e
iioaBo- a sci,in-U, que indique urna casa quo te-
uha a prop.ircoes^ara e lira exposto.
Ortrodo administrad ir da eemiteno da frogue-
ria ite Jaboat.), cornmunieanio nao ter encontrado
iim-b se qaelra sujeitar a fazer o servio do esta
bScimento pfcfa quantia do 2i0100 annual.-A
coramssao d >s comiterlos de fora da eidade._
F approvnh tira parecer da commissao de
eiCcac, in li>uHo, as condtedos que por parto
da minara devem ser impostas a Andr do Abreu
Parto eao IV. jferine Tinto dn Almcida, ou a
qofim contratar a empresa de carris na cidale.
Om ueste sentido se olHciassa a presidencia.
Foi igoalnnnto approvado outro parecer ua
mesma cprtjmiss >, declarando ser do npraiao que
fosieindeferido o abaixo assignado aprevenalo
por diversos moradores da po.voac.ao j Minteiro
contra Antonio Pinto de Barros.
Mandou-se remetler as commissocs de editica-
ca*,, de Detienes o de arborisacao, tres requerimcn-
tai saber, un do Salusliam Augusto Pimenta de
Sanaf Prez, nm le Pedro Americo da Gama u-
arto* outro d; Sliuod Alvo* G:i;rra.
Becoraineulra-so ao fiscal da freguczia da BOa-
vota que tom isse as inform upes necessanas altjn
da mandar proceder contra o proprietario de
diversas casas de taba construidas no lugar junto
a faodicao do Starr om Santo Amaro, sea licenca,
e era opposic) ao disposto as posturas em
Deipacharam-se as peticScs de Antonio Duarte
deFiguoiredn A C. Antonio Lniz de Alr.ieida Fu-
maca: Antn:,.Fosardo do A mor ni & Irmao, A-
gostinho ibeiro da Silva, Amela Mana da Aii-
nWipcao, Bernardo lose da Rocha, Beajamim Di-
onisio dos Santos, Custodio Alvos Rodrigues da
Costa, Francisca Manela da Cista, Francisco Xa-
vier Borges, francisco Simos da Silva Marra,
Francisco AIvim Mascarenhas e outros, Firmin.
Autnai, R'iii-'uos, Francisco Forrot Bailar,
Gregorio Fian ; > de Jess, Heracho Lonslanimo
dePaulaMmteiro. Heroienegildo l'andidi Fonceca
Soana, Joaquim J .s Alvos ,1, Albiiqucrquo, Ja-
ciato Alm-o da Costa, J.a> Tnom de Jess, Ha
noel Modesto de Moraes, Man .el Ferrara da i/ista,
llanoel lgna. das Caadma, Pedro I.hS Man-
Hho, Pedio X.gueira de Olivoira e levantou-so a
Miran. .
En Francisco Canuto da Boa-Viagm, secretan,,
asnbscrevi. ,
Jdnnnel dt Dmro Brrelo, pro-presidente. Dr.
Tedrodi Athamk 1/>'io Mo$CMO.Jos Marta t,n
re Gamtiro.Or. Prxedes Gomes de Souza Pitan
9aFlix Francisco de Souza Uagalk8e$.-rUr.
Joo Miina S
!* ociedad}
Man-|Ors. Felippo de 1 uotroa Faria, i<-
formaram a 3- Bxj. sof vantajosa a acqaHB
De oud sefve,' porm, isio ? a lAtratjamm
sea empoiWio de cm lado ^dutienar a
so importou at do alienar do seio do
Dr. Silvio Turquinio VlllafcfloA9. d|-
s para nierecar Beae-ao. ^ria metaos,
o Liberal trata assh, o que
versarios?!... } .
rrarmJ^V- n|a ^a providencia*
Leal aeve
acrctano.
baucaria em ci
mandita
Tkeodoro Simn fy
Komrnum
lus urna ca
lumoia aue s' p lo ser assacada por gente \M
moralisaft, que tom tanto horror ao crime, que
s toleran fossa feitor do delolegado de 1-oi-
renco 0^ dobaro de Villa Bella) ooon4emna-
do--fWs Antonto Ganos r~-n~
O Sr. Dr. Portella recomiuendou constantemen-
te a perseguicio o prisia dos criminosos, deu to-
das as providencias ao seu alcance, eral>r5** *>"
iLs os esforcos para que o crime fosse panroo.
Quaes sao os criminosos de Verlentes T onde
esli ell Porquo uo o declara o Liberal f
En Varenles oslevo o celebra criminoso San-
tos ; mas desde multo d'ahi ausentou-se, inconlos-
tavelinenlc porque a polica cumprio o seu dever
persoguindo-o, e dili-.-enciando a sua captura, co-
mo lhe foi ordenado por S. Exc. .
Aecusa o Liberal S. Exc. por ler dtixado vim
em ampia liberdatle o condemnado Heinelerto Joie
Velloso dn Silceir*. antiao cliente de S. Exc.
O Sr. Dr. Portella *m 18">3 foi advogado de Eus-
taquio (o nao Uoineteri,.) Jos Velloso da bilveira,
,]ue fugio da fortaleza do Bmni no mesoio anno
de 1858. Ha 11 annos, portento, que elle esta au
sent sem saber se o lugar em que osla oceulto,
sendo por is'so que nonliuma diligencia loi teita
para sua prisSo, nem mesmo nos cinco anuos om
que os amigos do Litera/ govenuram a provin-
cia. O que nio foi censurado aos presidentes ao
entao, nao o deve ser a, S. Exc.
S. Exc. adminlstrou a provincia durante
PRAGA DO RECIFE
! NOVIMUKO DE 1861), S 3 IKMU DA T.UIDE.
Glftaio.Sobre Londres negu: > 3/i d.
Sendo o total dos saques eTeCtttMos de
ALaoD.vo.O de Pernainbuco escolhido o regu-
iS \U a 1M l- arroba ^SS^^S^k^i
, ". >--------7-
Coelho Montciro da Franca, Dr. Jo
fra de Agular (VIH
4o3o Jadutho. I. afliii
Jos Mandes Vioira, ln>an A
noel Cesar de S, M ;es do Mello, Mil
loaquim Pessoa, OPiveir Pilhos A i',., l'a^H
Beltro, Pedro Pama Ro^a, S
n icl
raua-
giras, letr
v-rnoe do
Descontaljptrs
talos. cooTinePiaes. c^
Entarregam-se por coala alheja ds
aias transvicOes, da cotyanga de letras da
tirra e d outros titulos comffierciaes.
Recebara quaerquer quaniias em depo-
sito, 'cr^contja correrte, or a prazo xo. r
Largo do Pelourinho n. 7
raneo venden
rado bruto'do
de S60) a
a3si30 por
tario da directora do imperial Instit
cano, Tobas Barrete de Menezes, V
maragbe.
ALFANDEGa.
deudimento do da 1 a '> .
dem do dia O.....*
181:196*690
219:3G2*iJC
Kf
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
rofume8 entrados com faienda
dem dem cora gneros
/olumes saludos com fazendas
dem idem com genoros
600
------10W
171
28
------ 399
:;>TE.~VenJeu-se de 2|70O a 2*800 a
Aanoi.OrWdo da India vendeo-ao de 3|000
a 3050os ISbli.grnmmaa.
AzKiTB-Dd88.-#-Vondeu-se o de Lisboaf a i 3
o galao, e o'flo'Estreito a 4#2O0.
Cacalho.Em atacado Tendeu-se a 195 e a
retalho a 203 por barrica.
BAlAiASc-Vendeu-se, a 900 jis o gitfo

do. 33
H< je 8do cori>nle,.as 4 horas da tarde, pa-
rante o Sr. juia-de paz do 2' distrietn>da fregu-
ala da Boa-vista, se bao de arrematar diversos ob-
jeetos penhoradosa Olimpio Fefreira da S Iva, d>-
quaes depositario llinoel Pinto de Queirot, par
ser a ultima praca, por execosio do Candida Tia-
go da Costa Mello.
___________________
*]
Doscarrogain hoja 8 de ontubro
Barca francezaSolidemercadorias.
Barca hespanliola-Cwt/ro de Exportacao vnoos
Patacho hospanholPor/o/Zii varios geutro3.
Barca porluguezaPe -eir Bergei aal.
Barca ingle8ar/uc/u)metcadorias.
dous mozos am que funecionou a asseinbla pro- t r,VBELL,V dos pre.; dos oeseros sujetos a nj-
vineial, e ah suente urna voz so ergueu contra rkito de exportado. semana de a ij de
S. Exc, sendo para notar quo nao foi ella des-
pertada por espirito poltico, e sim por interessc
de familia, com o qual nao se liga por certo o
interesse do L'berul, orno bom o deixa ver o
Tribuno. .
Em sua aliiini3tracao foi ta) moderado o sr.
Dr. Portella que sonante en um nimaro so o-
cupou comalia o Liten/, cutregmdo-se ao silen-
cio logo que foram respondidas as aecusacoe all
feitas. Esta verdade cncontra apno no proprio
n. 3 d. Literal, quando confessa que a opposi-
ctio guardm pira com S. Exc. a mats extrema
mo :eracao, ou para melhor diser, quasi que nao
lhe tez opposicao alguna.
E nao foi .-omento o Liberal quem reconheceu
modrala a administrado do Sr. Dr. Portella. 0
Sr. marquezdeOlinda como tal qualillcou-a no
sealo, accrescentan lo que os amigos do gover-
no nao estavaai satsfeitoi com S. Exc.
Honra, pois, ao Litera/ pelo seu loucacel proco
dimento, dirigndo contra S. Exc todo o seu reper-
torio de calumnias e tajaras no d:a segrate ao
emqnt deix.u a cadeira presidencial I Ate lion-
te.n S. Exc foi moderado; baje, partidario pol-
tico ido exiliado, com o mais exiliado que se
le.m sentado na cadeira presidencial.
Basta. Com algn tempo voltaremos ao as
sumpto, seo Liberal em Imgnagem comedida ar-
gir q.ialquer acto de S. Exc.
Na injuria o calumnia lhe cedemos a palma.
1
Valores.
900
KOVEMBRO DE 1869.
Mercadorias: Unidades.
Abanas......... du,z,a
Vlgodio em caroco..... k'l08-
idem era rama ou em la.
Carnciros vivos. ..'.... um
['orcos idem........ *
Arroz com casca...... kilog.
Idem descascado ou pilado >
Assucar branca.......
dem inascavado. .....
Idcra reflnado.......
Gallinhas......... urna
("apgalos.......
Vzuitc-do amcndoiin ou ruen-
dobim......... litro
Mein de coco ....'.
dem de mamona......
Batatas alimenticias. .... kilog.
Baunilha......." *
Bebidas espirituosas o formentadas:
Agurdente eachafa. .... litr.
dem de canoa......
dem genebra .....
COMMUNICABOS.
O E\M. SU.
DR. Jt.VNOKI. DO .\.\SCIM:.M0 MA-
CHADO i'onri:i.i.A.
tNao nos serpr. n'l.'ii o juzo emittido pelo Li-
tera/ raspeiu lJ a I n'misiracao do Sr. Dr. Vi
noel PvriolU ; i espar.WWI >s que elle so prouuu-
ciass,. c ,ira :'v-. ,: a rizio des,, uoss. peonar
snapl isTo i uc ,i'- poifeitainate oa seos dtg-
Mas rod.ieiore-, m quaes procura il desvirtuar o-
actos (irahc .t, p j- seos adversarios, p >r oais
qn- a pr ,pr.a i ras > mcia Ihes lar i so.mr a Con-
faf.ui l.t-io dWles eoai u justo o lune-to.
Si .i ; lija s:oar:g) di redaceai publicado n.
Uberal do 6 di c .rente, l i-se o noticiario desse
jornal do mes no dia, e tod is se convencerte de que
ao Sr. Dr. Portella sa auribnidos factos que nao
sadora u. sa> diritfi las aceusaves, quo com pro-
T.jtt.- p.lu'ii ser fuilas ao. proprw 7i'joi
dj Liter-rf,'4*Mi.lopormfelieidado deste paz din-
fir.ra >i- ae >ci >s pblicos.
.,4nluiUi de r.i/.or crer que funesta i mim-ir.h-i do ir. Dr. Portella, diz o Liberal qu
S. Exc. n i< mputos em n'jar jatitca, e
dare'peilar OS d;reh a d cid il l l.
\o Exm. Sr. Dr. J. t. C. de O
E' dooo, grato ver na madrugada
As varias flores no vergel gracioso.
One ostentando belleza, b odoroso
l~eifuiuo dao a brisa congelada.
Encanta da donzella idolatrada
Ouvir o eaato msigo 6 sonoroso.
Que recorda o amor fido, cslremos) t
Do quo ola so confessa avassallada.
Enlova tuda aqu'ilb que Natura
Aapres Ut o prometa dadivosa...
l'oreiu hus do que tudo d ventura.
O ter urna ulna, presta preciosa,
Q.io retale na face melga o pura
A esposa mais ik-1, mala extremosa.
Roe i fe, o de mveml.ro de 1803.
Parisio 4t Valladares.

Qi.i f .i, |. T ii, a | lelle que qoeixou-so de que
L &. nio i w fez ustica e ilesrespHrtoao seu di
reilo ? E' ju Un ii e o que 0 Liberal devera de-
clarar, mas |n: oii o faz, porqio nao o pode. O
Liberal aborrece a verdade, a s cultiva a menti-
ra e acduinnu, que tanto presa.
Para ni i-lrar quanto S. Exc. so esmerou no res-
pe.ti devido ao direilo do cdado e na fiel obser-
vancia da le, provocamos o Uberal a declarar
rl foio recruta que, allegando iseiicjio legal, nao
aliendidu. Todos >alk-m com quo proveito nao
aaraiii os ni mes cun a terrivel armado re-
CT.il miento o da designago de guardas naci-
naes; l.. los sabera ,|ue muitos cidadaos casados,
com iseiic. legal exuberantemente provada, re-
clamara ii o seu direiio e erain dosattendidos pelo
valioso indivo, pela razao'legal de nao uerleuie-
jvui ao proijresso. de nao allierirem a elle, poni
emduvidi qie nao so podia nada requerer com
caneza de >-er deferido sem commuogar a mesina
renca do governo.
P*saraoi--c os lempos, e vio-se que na auton-
dade superiora encontrava abrigo o direito do ci-
dadao, que a ella recorra ; na,) seguio desta pro
vineia para o sul um so recruia quo provasse
iseacao legal, nao foi indefetido um s requeri-
nento pedindo praso para prova-la ; o nao obs-
taste o Liberal diz quo o Sr. Dr. Portella negou
jusiica. desrespeilando o direito do ridadao E
muit>i cvnismo, s pmprio da redacto do Liberal.
Felizmente, porin, o Sr. Dr. Portella e conheci-
do na provincia; todos apreciam os seus nbres
senlimentos, o seu amor jostica, o seu incancavel
celo pe eupiprimento da lei.
Se quiessemu-i analisar urna urna as accosa-
Ca3es d,. Liberal, f .cil nos seria; julgamos, purera,
Sreferivel entregar algumas ao despreso, porque a
tesa importara dar importancia ao que nao
tem; quanlo nutras daremos ao publico, a ia>
smeoit! por amor verdade, conliecimento pxj*o
da que occorrou, para|ae,desiiiascarado o calum
mador que tan i.usadu se apresenta, possa >er jul-
f ado como procede o Liberal, orgao intitulado de
dhi partido, que lauto suspira por aisumir a di-
rm-caii do pata Mod Deus nvertat Brilhau S.
Exc. nn pagamento (sem verba ou lei) aos mis de-
fensores na imprenta os Srs. Figueiras.
Mu j..rnal a quem succedeu o Liberal, e que
se denomina va tainbem Liberal, foi o Sr. Dr. Por-
tella argido nao s por ler ordenado este paga-
mento, como por ter demitiido o promotor de Pao
d'Albo, do quo lambem falla hoje o novo Liberal.
que continua cscripto no mesino gusto do an-
terior.
E*tas accu-aeijes foram completamente refuta-
das cm artigos publicados nesto Diario. Quanlo
primnira o correspondente liberal d'aqui p Jtrnal do Conmercio reconheceu a procedencia
da ivsposla, coofessando que em verdade eslava
anlorisado o pagamento as leis do orcamento
do airaos de 1867, 1868 e 169. E entretanto
alada hojeo Liberal a repet.-, porque pensa que a
teca le reiietir far erer que verdadeira tao
f Aa aecnsacao.
Quanto de nissao do promotor de Pao d Alho ;
se Liberal nao convenceuse da que era proce-
dente a resposta sua aecusa^o, o que certo
que ealoa-se, abandonando os direitos e a d-
jala do seu amigo, digno por certo de nwlhor
*Mlr.
talo de mendicidnde. S"bre a compr de um
redi" em qu i fuuccionar brevemente o asylo de
awndicd i le minifesta-se o Liter,z, cen.urandi o
Sr. Dr. Portella por ter autorisado semelhante
compra.
Mis saiba o Liberal so bouve alguma ine,mvo
ayeoeia naaciuisicao do predio, deve respon salir>* ella seu distinctos amigo* bario da
i wmroeolador Jos Joaqou de Moraes
A Ilustro redacS do Liberal duranto ;i
admiuistra(;ao doSr, Dr, Portella consurvou-
se Bropre. silencios acerca dos acl-'S <1i
mestnfi adrainislragao, Atm d algumas
razos do c invMneocia, esimcia' mesiui
redacto, teria ella muitas outas pa.aassiia
proceder: entretanto em geral se pensava
qut a .tilministraco agradava a propria op-
liosico a algumas desuas voses mais auto-
risa as lizeram votos pela conservarlo d"
Sr. Dr. Portella.
Agora, porm, que c tempo de manifes-
tar o seu juizo critico e postliumo sobro
mesma administragJo, a redacto do Lib^
ral a tira-se sobre S. Exc. cornjm desamar
que p ideria incommodar-so om oTOdalsi'e
um outro sentunento qiw n5o quero qual'-*
licor, o mencionando e invertendo tK
que seesqueceu de registrar opp >rtimameii
te em suas columnas, procura envolver en
suas censuras S. Exc. a minlia obscura i i-
dividualidade, dizendo no numero 3 do Li-
beral :
Falla-soque sob esto ponto de vis la
(advocaeia administractiva) nm concunhi-
do de S. Exc. tambem advogado ueste
foro, leve algumas felicidades f
A illnstre redacc3o est mal imf-rmai1a.
Nunca me incumb da soliciUic3o de ne- j
gocios paralares perante a presidencia ;
e se a Ilustre edaego sabe do contrario,
provoco-a solemnemente a apontar om s
acto meu neste sentido, sob pena de pau-
sar por calumniadora e absynoria e de
perder o coneeito que deve procurar obter
ant os horaens honestos urna opposigao se-
ria e moralisa ia.
Recife 7 de noverabro de 1869.
Olympio Marques da Silva.
A differenga entre a vida e i\
morte.
Esta a distinecao entra a Salsaparrilha de
Bristol, e todos os medicamentos mercoriaes; estes
envenenara o sangue, aquelle o purifica_e vigorisa.
Quando as semenlee da morte se teem iniroduiido
as veas com o uso das beberagens minoraos na-
da pode deter a marcha da victima at quasi as
bordas da sepultura, no ser e3le antidoto en-
tra esses venenos. O mesmo acontece quando o
virus d'uraa molestia nutural, trabalhando no sys-
teina venoso, se dosenvolve debaixo da forma de
ulceras, escrfulas, cancros, tumores,, carbunclos,
inamacoes brancas, absessos. erupefles, o todas
as demais terriveis enfermidades exlernas ; |>ui*
este grande remedio opera chiinicamente sobro -o
sangue viciado a sobro os mais fluidos anim tos,
tran>furmando-os quasi mnagrosamenle em cor-
renles puras e nutrictivas, levando a saude o
vigor todos os orgos por on le circulara.
Acha-se a venda em todas as partes do mur do,
em todas as priocipaes boticas e lujas de drogas.
dem restilada
Idem alcool. .
Idem cervoja.......
Ideravinagre.......
dem vinho de caj......
Bolacha lina, comproheudidos os
liscoit s...........
dem ordinaria, propria para
embarque. ,......
Caf bom.......
dem esculla ou reslolho .
Idem torrado ou raoide.
Cal branca........
Idem prota.......
Carne secea ( xarque ). .
Carvao vegetal.......
Ora amarella.......
Idem de carnauba era bruto. .
Idem idem em velas, ....
Cha.........
Cocos seceos .......
Colla..........
Cauros de boi, seceos salgados.
dem idem espichados....
Ideraidcm verdes.....
dem de cabras curtidos .
" Idem de ouca.....
Doces em calda ....
I lera em golea oti mussa.
Idas soceos.......
Bspanad .ros de peonas grades .
dem pequeos......
lera de pajha......
Esleirs de carnadba ....
dem propria para forro ou estiva
de navio........
Estopa nacional......
Parraba de araruta .....
Idem de mandioca.....
Feijio de qualquer qualidade. .
'umo charutos .......
Idem cigarros......
Idem em folha bom "
dem era folha, ordinario ou res-
lolho ........
Idem om roloe en latas bora .
Idem, ordinario ou restolho.". .
tap........
Corama de mandioca, (polvilho).
Ipecacuanha ( raiz ). .
.ngico (toros)......
Caibros ........
Boxams.......
l'Yeehaes........
I ac randa (coucoeiras) .
Lenha cm achas......
Id,'iii em toros......
[irritas e esteios......
Lour s (prancbSes). .
Pao Brasil........
.
kilog.
23000
68
177
:20
210
436
H000
SOOO
937
673
oii
10
'iioO
195
* 390
330
3(10
337
Q00
300
GCO
"76
ibrns.
C\r.dem de 5j sftlf50O& wro
Cn\.dem de 2*200 a 25600 a libra.
Cerveza dem a 4J-300,3J200 o 8a duza de
garrafas ou botijas.
Lohca ^ iangleza vondou-se cora 430 por cento
He premio obre a factura.
Manteio.v.A ingleza vendeu-sa a 14 a liura>
e a franeeza a 920 rs.
Mas6ab.Venderara-se a 83 a caixi. __
Olbo db linbaca^dem a i$ por galao.
Passasdem a 8*000 a caixa.
Presuntos.dem a 185 os 15 kilogrammasv
Quenas.Os flamengos venderam-so do 2*500
a 2J800 cada um
SabSo.O inglez vndense a 170 rs. a libra.
Tocinho.Vendeu-so o de Lisboa a 9*500 os
13 kilogrammas.
Visagrb.0 de Portugal vendeu-se de 123* a
130* a pipa. "
Vinho___Os de Portugal venderatn-sc a 230*
e o de outros paizos a 190* por pipa.
Velas,O jiacote de 6 velas do composicao
vendeu-se a 630 rs..
Descont.Durante a semana regulou de 10 a
12 por cento ao anno.
Fuetes.Do algodao, carregando desto para o
porto do Liverpool, a vela 5/8 d. e 5 /0; a va-
por 3/i e 5%; o-para o de Ilamburgo a vela
3/4 e 5 % Do assucjir idem para o Canal 40/
sem capa, e para Liverpool 157 e 5 % Do algo
dao do Ceara para Liverpool 3/1 d e 3 %
AmOS MARTIMOS.
Rio de Janeiro,
Para o indicado porto, pretende seguir cora mui-
ta breVidade a barca portugueza S. Joo, por ter a
maipf parte de seu carregauento engajado ; e
para o re natario Joaquim Josf Goncalves Delirio, ruado
Comuicrcion. 17. _____
Para Lisboa
essaprx
lo da 13 v :>era-so da Eu-
ropa o vapor fraoecz o qual depois da
demora do cos-taine sofuir.i pare Htenos- yrts
tocando na Ilahiaj Mo Jeatieiro-e Montevideo.
Para eondieoaJ^Btea^wassagens trata-so, na
agencia ra do Coffltncrci n. 9v -.
LEILOES.
LEILAO
A barca portugueza Pereira Borges devora se-
guir brevemente para Lisboa, j tem a bordo par-
te da carga, o para o resto trata-se com Oliveira,
Filhos & C., ao largo do Corpo Santo n. 19, i
andar, ou com o capitao na praca. __________
Porto.
Segu com brevidade a velcira e nova barca
portugueza Istlina, para carga o nassageiros,
para os quaes tem excellentes commodos, trata se
com os consignatarios Antonio Lua de Olivoira
Azevodo & O.; rua da Cruz n. 57 1 andar.
Porto e Lisboa.
Segu para o Porto com escala por Lisboa, a
barca poatugueza Safra : para carga e pasto-
geiros trata-se com os consignatarios T. de Aqul-
m FonsecacC. ; rua do Vigario n. 19 ou com o
capillo na praca._______________________________-
da armacSo, balcSo e gneros, da tabemj
do Gaminlio Novo n.^7i
Segynda-feifa 8 de novembro as 10 horas.
0 agente Pinto far leilao requerimeuto de
Tasso Irmao, o por mandado do Illin. Sr. Dr. juiz
especial do commercio, da armacao o genewi da-
taberna do Caminhi'Novo n. 47. arrestada a Fran-
cisco Jos da-Gasta o Silva a de conforStldado
com o mandado existente em poder do .mesmo
agente, devi ndo o leilao ter lugar as 10 horas do
dia cima dito na referida taberna.
MiTMENTO DO PORTO.
cnto
kilog.
. utn
>
. kilog.

. duzia.
cento
kilog.

i
centro

kilog,
>
>

>
duzia
ura

i
duzia
cento

um
>
kilog.
Idem de jangada...... om.
Quiris ,........ duzia
Vinhatico costadinlio de 28 a 30
millimetros de grossura. .
Idem prnnchdes de dous costa-
dos at 50 millimetros de gros-
sura.........
dem taimado de menos de 25
millimetros de grossura duzia
Taboado diverso......
Tatajuba.....^ k'lg-
Travs......... un
Varas para pescar. du ia
'Idem para aguilhadas .* <
dem para canoas urna
Cavernas de sucupira(em obra)
Eixos da cicupira para carro. par
.VNaco ,,....... Kog.
Mal de abelha.......
Milho. '.........
Ossos......,
Palha do carnauba..... molhos
Pecliury......... kilog-
Pedras de amolar.....
dem de filtrar......
dem do rebollo *
l'ennas de ema. ...".. *
Piassava......... molhos
Pontas ou chifres de novilho ou
vacca......... cento
Sabio......... kilog.
Sal. ... ,......
Salsaparrilha ....
Sapatos de eouro branco
Sebo on graxa cm rama
dem em velas. .
Sola e vaqueta .
Tapioca.
204
476
' 442
959
39
27
238
1(58
442
436
763
45360
4*000
1*438
553
640
370
330
105000
1*133
784
25I8TJ
8*000
2440
12*000-1
16*000
12*000
136
681
92
27z
3*000
320
ISO'JO
613
6S1
.'.10
2*180
I7U
1*70-1
60*000
360
1*5!I
5*00; i
93*000
3*000
12*000
6*000
10*000
. 10
5-OOO
6*00
Navios entradas no dia 7.
Ro Grande do Sul pela Bahia-28 das do 1.', o 7
do 2." porto, patacho nacional David, da 2-4
toneladas, capilao Agostinho da Silva Neves,
oquipagem 10, carga 10650 arrobas do carne ; a
David Ferreira Dallar.
Granja e portos intermedios II das, vapor na-
cional Pirapama, de 312 toneladas, coinman-
dante Torres, equipbgem 30, carga algodao e
oraros gneros; a Campanhia Pcrnambu; i na.
Araealv5 dias hiale brasileir. Deus le guarde,
de 95 tonelediis, capitao Manocl C. da Cosa,
oquipagem 8, carga 714 sacras com algodao, e
oulros generes; a Bartholoincn Lourcnco.
Navios saludos no mesmo dia.
arcelonaDrigue hespanhol Burtliolomeu, capitao
Manoel Paredes carga algodao.
Rio da Prata-r-Barca brasileira Aurora, capitao
Jos Joaquim Gomes dos Santos, carga assucar
e aguldente.
Observando.
Funlearam no lamaro qualro barcas inglezas,
mas nao liver.im comrauMpaqao com a lena.
Apparecc ao n irte una, que uio icou baudeira.
CMPANH1A PERN.VMBUCAiNA
ra
Viwesaco coselr.i por rapor.
Macei em dircitura a Pncdo.
O vapor Giquia, commandante Aze-
vedo, seguir para os portos cima no
"* dia 8 do corrente as 4 horas da lar-
carga at o dia 6, encoramendas,
LEILAO
sita a
Da armagSo e pertonces da taberoa
roa Imperial n. 181.
O agente Pontual vender era leilao a ama00
e pertences da taberna cima a qual acha-so pur-
feitamente nova. Previnc-se aos Srs. pretendeiite*
que quizer em arrematar a arrancio quej. pro-
prietario garante nao elevar o preca do 25* men-
saes, por quanto achava-se alugada a dita taber-
na bem jfpjs.o a fazer arrendatuento por algn
annos.
HOJE.
Na mesma taberna ter lugar o leilao as II
horas.
de. Rol
passagens e dinheiro a frote at
larde do da da saluda
dn Matlos n. 11
as 2 horas da
no oscriptorio do Forte
ura 16*000
20*000
1442000
96*000
33
6*000
2*400
6*000
1*000
3*500
16*000
50
2,' secgio.SeVetaria do governo de Pernam-
bnco, 3 de novembro de 1869.
Pela ecr.'taria do governo. se coinmunica aos
vSrs. Augusto Cesar da Cunln, bacftarel Bernardi-
iio de Sena Dias Jnior, bachnrel Joo Los t'.aval-
canli de Albuquerque, J-iao Elysio de Figueiredo
Cruz, Jos Polvearpo de Frelta, Jovn Epiphanio
da Cunlia. LeopoMno Antonio da r,.n-eci, Ma
noel Jos de Santa Anna Araujo e Manuel Btillno
dos Santos, a irein ou lo.uidarcm roparticao do
c uni pagar o p rio dos rosp.rtivos roquenmen-
tus, para que possam ler o conveniente destino.
O secretario,
Dr. Joaquim Corren de 1r/r')
- De 01 drill, do litan. SU. Ui. curie ui: |. -..i,, 14
interino da provincia, per la seentana avisa-
do o Sr. Joaquim Ferreira da Cruz, residente n,*ia
capital, para que va ou mande reclamar peanle
a d.lcgacia do termo de Santo Anta>, mediante
documentos comprobatorios de dominio legal, a
entrega do eseravo de norae Clemente, que all
foi apprilipndido em poder do negociante Ferrei-
ra, e declarou pertencer ao nvsmo Sr. Cruz.
Secretaria da polica de Pernarabuc, 4 de no-
vembro de 1869.
No mpodim.-nto do secretario,
Jos Xavier Faustino fiamos._____
Perante a creara innmeiinl desla ei4a4e estara
era praca n H dias 10, 13 e 17 d corrento para
ser animalada puf quem menor preco nBVrecer a
obra di con-lrncci> do dez pares de catacumbas,
pala adultos e nutro* tonto* p,ra prvulos, de que
n'CHssita o cemiterio poBmu.urfada na qumtia de
2:497*000; aquellas pessoas que qni/.ereni arre-
matar a dita obra. Iial.ilitem-e na forma da lei,
a coinparecam no Paco municipal no? dias refe-
ridas.
O orcamento da obra aeli.i-se na secretaria da
mesma cmara onde ser facultado aos pretenden-
tes a arremataran.
Pa?i da caraira municipal do Recife, 3 de no-
vembro de 1869.
Ignacio Joaquim de Souza Lao.
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Btaviagem.
Secretario.
4.a soego.Secretaria do goverou do
l'ernambuco 5 do novembro de 1869.
ED1TAL.
Pela secretaria do governo se faz publico
quo S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
dar audiencia em todos os dias uteis a 1
hora da tarde.
O secretario,
Dr. Joaqujm Carrea d'Arauje.
CMPASIA BIUMEIltt
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 12 de novembro.o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante J.
P. Guedcs Alcoforado, o qual
depois da demora do coslume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se i
carga que o vapor poder conduzir, a qual devora
r embarcada no diado suachegada. Encommeu
das e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas senao ob
icctos de pequeo valor eque nao excedam a dua>
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica,-.
Tudo que passar destes limites de ver ser embar-
ra lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens s se recebem na agencia a rua da Crin
n. 57 primeiro andar, escrptorio de Anti nio Luiz
do Oliveira Azevcdo & C.
LEILAO
Da armnc5o e. gneros da taberna da rua
do Chora Menino n. junto a ponto
pequea.
O agente Marlins far leilao a requerimento do
Araancio Francisco Mondes o por despacho d>
Illra. Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara da arma-
cao e gneros da taberna cima a qual foi arres-
tada a Luiz da Molfcf Silva Ptmentcl para -paga-
mento de alugueis.
HOJE
As 11 horas do dia na mesma taberna.
OTAX11IA BiMlLEHU
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperad(
t o da 9 do corrento o vapor
Gtuu'4, commandante o Io t-
sente P. H. Duarte, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para OH portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
varga quo o vapor poder conduzir, a qual devers
ser embarcada no dia de suachegada. Encorainen
las e dinheiro a frete at as duas horas do dia di
ua sahida.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jetos de pequeo valor e que nao excedam a
irrobas de peso
cao.
Tudo que passar destes
mbar'-.ado como carga.
Previne-se aos Sr.s. passageiros que suas passa
ens s se recebera na agencia rua da Cruz n. 57
I- andar, escrptorio de Antonio Luiz de Oliveir-
Vzevedo A C.
ou 8 palmos cbicos de medi-
limites dever ser
LEILAO
De 35 fardos com flo de vela.
HOJE.
O agente Pestaa far leilao por ordom do
Illm. Sr. cnsul de Italia e cm presenta do mes-
mo de 2o fardos marca G V .N ns. 73 a ('7 com
fio de vela avarados d'igua salgada, vinlos de
Genova na barca tal ana Rosa, os quaes -erao
vendidos por conta e risco d quera pertencer na>
scnunda-fera8 do corrente as 11 huras da ma-
nha no armazem dos Srs. E. A. Burlo & C.,
rua da Cruz._______
ijovas.
COMPANH1A PERNAMUUCANA
DI
Navegando costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formse e Tanjan-
dar.
O vapor Pnrahijba, commandante Mello, seguir
para os portos cima no dia 10 do corrente,
meia noite. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros, e dinheiro a frete no escrptorio do Forte do
Matt s n. 12.
16
15000
817
3
1
34
-M790
160
COMMERCIO.
PRACA DO RECIPE 6 t* NOVEMBRO
l)g 1869.
AS 3 1/2 HORAS Oh TARDE
Algodao de Pernambuco i* sorte 939 rs. oor
kil.Jhoje).
Algodao do Jlamanguape 919 rs. por kil. (hon-
tem)
ilgodo da Parahyba sorte 1*008 por lei:
oosto a bordo, frete da 'ir* e S 0(0 (boje).
Uunmo sirt>re Londres 0 d/v. 19 3|i sor
1 000 (boje).
1.1. silvetra
Prndente.
par
kilog.
3*8
10
2*Ol:i
800
340
470
1*200
201
.180
7158
1*200
960
DECLARACOES.
O administrador da recebedoria de rencas
internas geraes faz certo aos cuntribuintes do im-
posto pessoal do exercicio corrente de 1869-70,
residentes as freguezias desla cidade e as dos
Afogados, Vanea, Poco da Panella, Muribeca, Ja-
boato e S. Loureoco da Malta, que nesto mez de
novembro Bnda-se o praso do pagamento sem
mulla do 1" semestre do referido imposto, depois
do que ser pago com a multa de 6 0(0
Recebedoria de Pernambuco 2 de novembro de
1869.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
nhas de boi.......canto
Vassouras de carnauba duzia
Idem de piassava..... >
Idem de timb *. *
Alfandega de Pernambuco, 6 de noverabro de
1869.
01." conferente, Manoel Caldas Brrelo.
O 2." dito.Jo*) t Preitas Barbota.
Anprovo. Alfandega de Pernambuco, 6 aV
nnvem'TO de 1869.PoJ de Andrade.
Conforme.Joaquim Tertuliano de Medeiros.
KFCEItEDOHIA DE RBNDAS INTttH.NA.
RAES DB PBftNAMBUGI%'
Rendimemo o dia 1 a 8 M, 13898*387
Idem do dia 6........ 1:317*010
18:013*397
CONSULADO PROVIHC1AL
leadimento do dia 1 a 5 16 6878873
dare do dia 6....... 1:288.818
17:958*691
Consulado provincial.
Pela administrado deslo aramlado marca-seo
praso de 30 dias, contados da data do presente,
aflin deque os possnidores de escravos de ambos
os sexos existeHles nesta cidade, que nio foram
pregados no servico domestico ou em fabricas,
vcnhaui dalos inscripcao para proceder se ao
respectivo lancainenu, relativo ao anno frrente
da 1869-70, e effectuar-e a percepcao d imposto
!* 5*000 por cjida eseravo, volado no 38, art
48 da lei n. 891, dovendo os rontribuintes faze-lo
por malo de nina nota declarativa do nome e qua-
lidaile do eseravo, bem como de quem seja o seu
legitimo proprietario.
Consulado provincial 8 i" novembro de 1866.
O administrador,
A. Carnfia Vacharto Ros.
COMI GERAL
Relacjto das caitos registrudas vindas d^ norte
p*o ^)pr co teiro e da* asistentes na admi-
nislrici i do correio desta cidade para os senho-
res abano dei'larados :
AndrA Atvt-s Gama, Dr. Antonio Joa inlra Bnar
que Nazareth. Antonio Lopes Braga, Antonio Luiz
i is Santos, Bemixinin Constoneio <1h Moura,
Hilorisno Eglei'io, KeliiPernira da Silva, Fmnris-
m Rodrigues Mom-or, Francisco VWra Perdigan,
H.. L agranite, H,-rmenegil I o Pirmino d Lamo,
Honri-pie da Silva Ferreira Rahello (Pao d'Alho),
JiMiiuioi Antonio Twxi-ira, coronel Jnaqnim Ber-
nardo de Figueiredo, Dr. Joaquim Graciano de
Para Maco do Ass
A barca nacional Flecha, capitao Joao Augostu
de Pinho Victoria, seguir Dar o porto cima In-
dicado nesles oilo dias, recebe a frete a carga que
lhe apparecer : a tratar-se com Marques, Barros
& C, no lanzo do Corpo Santo n. 6, 2 andar, ou
com o capitao a bordo. _______________^
COMPANHIA PERNAMBUCAiNA
DB
jNavegagdo costeira por vapor
Goyanna.
O vapor Parahyba, commandante Mello, segui-
r para o porto cima, no dia 6 do corrente, s 9
horas da noile. Recebe carga, encommendas, pas-
sageiros e dinheiro fretes, no escrptorio do
Forte do Mallos n. 12.
COMPANHIA PERNAAMBUCANA
DB
tfavegacio costeira por vapor
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
*g^y O vapor Pirapama, commandant
fu Torres, sogulr para os portos
Bai cima no dia 15 do corrente as S hora.'
la tarde. Recebe carga at o dia 13 encona
nendas,e passageiros e dinheiro a frete at a*
t horas da urde do dia da sahida no escrpto-
rio no Porte do Maltes n. 11 _________^^
De fazendas
A 8 do corrente.
O agente Oliveira far leilao para fechar cen-
ias de diversidade portadas, Consislindo em baieges de, la e sedl
chitas claras c escaras, rroton de lindos padroes,
casas pintadas, alpacas matisadas, firhus ca-ror-
e palitots de grosdennple pelo e de fi! para se-
nhoras, camisinhas de cambria p;ira drtas, ca-
semiras enfestadas p^r.i palilets e entras de l
superiores, luvas de pelle e de c-Ja brancas e
de cores, chales o lencos do militas quilid.idr,
linimento de lonas da Hti-sia o divema outras
fazendas pn.prias do mercado que seri vendi-
das a dinheiro, porm a piceos raziaveis.
'egnnda-feira
as 10 horas da maiiha, no ainiazem do Sr. Mo-
reir Dias, sits
Boa da Crii' n. 20.
03 barr* com toucinho de Lisboa
Sejzunila-feia ? (lo ciirreUi.
O agenl Pesl na fara leilao p,r conta o risco
de quem pe temer d- 03 barr* '"arca cruz rom
toucinh de Lisboa desembarcada ha poucus das
os quae sorao vendido- em um u mais lotes na
segunda fcir 8 do ranete as Iz horas era pim-
o da raanhaa no armasen n. 19 na r
gario. _________^^
rua do Vi-
UilLIII
De cerca de 80 caixas cora conservas ew
frascos, diffi'rentfS rolos de rame gal-
vanisado, diversas obras do alabastro,
constando de ricos jarros e end-es pa-
ra cima do mesa, pedra mannore o
moitos ontros objectos de gusto.
Terca-felra 9 de nove*bro
as 14 .horas em ponto.
Por ntervencao do agente Pinto, no armazem
da rua do Imperador n. 87, (utr'ora a mazeni
Allianca.)__________________,
LEILAO
PARA O PORTO.
Sahir com a pnssivel brevidade o palhabote
portuguez F/to Plr, tem parle da-carga tratada
para o resto que lhe falla pode eotender-se com
David Ferreira Bailar, rua do Brum n. 92, ou
enm o capilao a bordo. ^^^
COMPANHIA TPERNAMBUCANA
DE
Navegacao costeira por vapor.
Mamamgiiape.
O vapor Mandaba, commandante Julio, seguir
Cara o porto cima no dia 12 do corrente as 6
oras da tarde. Recebe carga, encommendas,
passageiros e dinheiro a (rete at as 3 horas da
tarde do dia da sabida escrptorio no Forte do
Maites n. 12.
Porto.
Vai sahir breve a barca Laura ; para carga e
passageiros, trata-se com os consignatarios Carm-
ino 4 ogneir. na rua de Apollo n. 20:_________
Parao Porto
segu coro brevidade a veteira e nova barca por-
tuguesa Isolina ; rara earga e passageiros, para
os qnaes lem excedientes comroodos, > trata-se rom
o* consignatarios Aotonfo Lniz de Oliveira Aleve-
do & C, rua da Cruz n. 87, I* andar.
DE
una boa casa, sita na estra-
da de Joan de Barros- .
O agente Pontual, competentemente autorisado,
vender em leillo uina exea lente casa acabada
de construir ha poucos mezes, tendo todas as na-
redes dobradas, 3 sala-, 6 quartos, cnzraba e des-
pensa tora, calenda em roda da ca-a, caeimba com
excellenta agna, tendo a casa 3i palmos de frente
a 60 de fundo, e o sitio 100 palmos de frente c
20 do fundo, solo proprio, sendo todo o sitio aer-
eado e pertencrate ao Sr. Manuel Perreira Pinto
de Araujo, distante o ns 400 a 800 passos da e4a-
cao que se tem de fazer no becco do asftafcein
dos irilbos urbanos do Recite Olinda. OsSr.pe-
tendentes poderao examinar a casa o osISoo
concorrerem ao leilao:
Terca-faira 9 dn crrante
no primeiro andar do sobrado o. 61 rna da C
primeiro andar.
AVISOS DIVERSOS.
AVISO
Nin sendo exacto o aviso snresenudo peto
Jos Lean Pereira de IMIo, aiwa das cwMft
de arrandamenU' no enfenh" Li*". a *.
do-sa ne-ta cidade uk-u animo e conif
ionio Goncalves da Sil'a, poco qnn ,
penda seu julM at que vf nha .< |*rprij
pooder a< inesiiH'Sr. Jtise Ulo.
Na rna do liup>
de urna ama de Inte de nm criado
rietartly-
v
-1
1

^
i
I


}
Diario de
__m
Pernambuco
Segand
jl2
leirn 0
de~ NoTemiiro de 1IK59.
I Hn ]
H HHBB

j Alujr.vsr umetitinlieiro o um cnrnpii
tenlu praliea do, Direia n. 21, andar.
Eso el
! un
nos
THItHOS URBANOS
DO
REIF A OMVDA.
ir otffert 'Atrortiirh icenvtrtados/is'-Srs.
accionistas, para no pRWo o- Aii das coninrln?
tfo cKa 5 thr crreme cffcrinarem a 5* prc*tarr>
de imaa acges na razao do 10 % e recebaron)
nessaoecasii'i os respectivos tialo*.
Para oso Un ser encontrado o Sr. Ihesonreiro
das II horas da inanhaa s 3 da tardo de Indos
os clias ni) c-criptiirin da companlua ; ra Nova
ti. lo Io andar, entrada pula ra. das flores u. 14.
ftecife, 3 do tovembro ilo 18C9-
1 srrrrMrK
Jowi Jaaqnim Alces.
Convite esprcial.
Fructuoso Bartins Gomes, vem pelo presente
aviso eertiliear todi:s n snf bem*nns amigos e
fregneies, qno lionlem rccfoeu da Europa Din
iiovh sortimento do balaios l*W os oruulu,
inuito propriis para os ii)steNa,d*s caras de fa
inilia. O nossu deposito do pilo e ckw ra lar-
iin do Rosario, oItciv empo essas obras de na-
ihaem abundaneia e por prests raioaveis,'
que nosso inai >r interese vender innio (lacran-
do pouco). Limtiamo-RiM a mencionar ueste aviso
somonte os desojados berros votante.*, baiaiiM d*
meninos aprenderem a andar, maracas, estilitas
fina* de mrDians d" esol;;<, raJtelras de Time
liranco, :estas para rompras no mareado, conde-
cas brancas e di cores, aeftrtes idem idom, b.v
iaios coni pe para por fruira u. tesa, tios de
depositar nos csenpii.no- o papel rastrillo, dilos
grandes para deposito (Li ivups? jwrvlda^^^rw'
Pinitos balaios existem a -1;: i a dUyosicao de fofdus,
assiui como cera branca de pavio c rollo lino para
acend'T lu/i < nas igrejas o casas particulares :
temos mais de 2(10 varas do estepa emendada,
pecas de ,'JO, 40 o 30 varas muito proarias para
os Srs. prensarios encapar saetas de ra," a vara
a 280 ris.
com -trastos:
PMMc de nina ama livre ou escrtva que
eoiinhe-eera porfeico : tratar na ra da Soma-
ta-velha n. 84.
~ W*^^PB\*
Pcde-se ao Sr. L. Guimaros Jnior, rc*MHr
da parte, littmria do Curti PeiSwinbucaw. de
passar na na do Imperador n. 32, a negoiUo o,uo
nao devo ignorar.
Aluj
ga-se
dnas casas com bastantes commodos, na cidade
nova de Santo Amaro, e vende-ae tima : a tratar
onoi Antonio Jos Gomes Jnior cm Santo Amaro.
Na prnea da Independencia n. 33 so da di-
iieiro sobro penhores de ouro, prata o pedras
phftot, soja qtial for a qnanlia ; o na niesma
cosa se compra e vende ubjcclns de ouro o prata,
e uialincnlo so faz toda c qualqncr obra de en
eonunenda, o todo e qualquer concert tendente
[niesma arte.
(J Sr. acadmico Francisco l'ires tem tuna
jnrl.t viuda da IJ;!iia, a na Nova n. 1G primo ro
;n lar._______________________^^
" "'AMA~
Precisa so de urna ama que cozuiho, para fami-
lia pequea : na rna Novan 48, 8" andar.____
O abis*) asignado taz scicnlo'A quem pro-
tender arrematar a cas que "se arha amiunciada
pelo agento Pnntn.il, na estrada de Joao do fanos.
! pertencenje ao Sr. Manoel Ferroira Pinto 6 A-
: raujo, i|i| Aita casa se acha hypotliecada ao an-
nunciante.
^ Precisa-so obzinhar para las pessoas de familia : na Ca-
pulina, ra da Amizado n. 21.
Aluga-se o 3 andar s.;tao do sobrado n
3iJ, sito na praea da Uoa-vista, tendo commodos
pira grande familia : a tratar na ra do Alecrim
n. 30.
Prnn-o do um caixeiro
ra no mato, com pralica, o .
duela : a tratar na rna do Ene
Precisa-so ,de u
loias, ra do Cahug n.
Jaan -se
a casa em rieberibo : a tratar com J. I. do M.
Kgo. ra 'lo fip-jwngi-cio n. 3k
SALSAPAftHBA W. BWSJT'OL
%uvida-sc
cnlioradSj'inajor idade, quo tivesse t(do ?em-
bons MiigAt.c.s, para sen'if de_ companlua a
_ oulra senbora ca-ada conj mullo p-'quena
i'ia, (hndo-sebonrtratamento : ai fallar na ra
r ija do c
!-- Al I!:.
Gasa para alugar
A1tiga-se para pssar a fusta ou por anno, urna
asa na laddra da Misericordia, emOlinda, com 3
aalss, 3 quartos. coziuha fura, terracos com asswi-
.os de podra o cal, na fionto o atr, c fiom qoin-
\\ cercado : a tratar mJargo do.Tlfcw n. 11
Sabo de aleatro

l!*.ii'a<*tii'.ti'.iM molestia^ la pollo
lies comoompingenp, dnrthros sarnas, comiches
e mais molestias do pelle, seni ocensionar acciden-
tas ; desjsz as manchas do eorpo, pannos, sardas,
restab leee a e'fir natural, quinto a cutis, socca,
frossa e amareilenta, oceasioanndo por alloma
cnfcrniidade, e como desiQeelantqj-e preventivo
Jas molestias contagiosas.
NICO DEPOSITO
Ilotica do Pinto, ra larga do Kosnrio n. 10, junto
ao quartel de polica.
EMPRESTIMO SOBRE
tima boa casa
mfm na cidade de (Unida, rna
Pin a pretender dirija-so aoWt"fcj S n. 11.
"~so passar a
Quatro Cantes:
Criado
Precisa-sc de criados; no club Pernambucano.
AMA
~..^
Precisa-se de urna para cosinharj a Iralar na
rtia do Viga rio n. 18. 3- andar.
Avisa-se a qualquer vendedor o comprador
de escravos, quo nao vendan nem comprom o os-
tmvo I'rancisco, crioulo.de mais de-*) annoii, qire
est na posse de Francisco Xavier Carneiro da Cu-
nba de Miranda, e depositado en mao de Francis-
co Xavier Carneiro Lin, porque alem de estar hy- i
pothecado base sequeslrado pelo j'uizo de or-
phaos, sendo de mais a mais de d-nu senhoros,
como consta do um auto do partilbas, eserivao
Faeando
.Xo Pavilti i i i! i Aurora, ru i da luiperatriz
n. 2, picsase de bm< offlciaea de alfaiate para
odas as co-turas^_________________________
Aloga-se urna luja propna para negocio : a
tratar no sobrado n. 5, no largo da ribeira da fre-
guezia de S. Jos.
ATTIMO"
o
No dia 17 do corronte fugia do engenbo Bom
Jardim da freguezia da Encada, o escravo Manoel,
cujos signaos sao os seguimos : cor fula, secco do
corpo. estatura regular, bem fallante, tem falta de
um pedaco da orelba direita do lado de cima, j
foi snrrado por outro senlior que o possuio, levou
chap y do bata e diversas roupase em sua com-
panlua urna mulher forra, a qoal baixa, do cor
preta ; este osera ful comprtdo ba pouco lempo
nesla praea ao Sr. Pedro Jorge : quem o pear e
levar a sed senlior, no mencionado engenbo, ou
uesta praea Itodrigues Almeida & C, ra es-
treita do Rosario n. i", ser generosamente re-
compensado.
- Alugam-sc dnas casas terreas sitas no .Man-
giiinho a margom do rio, rccommendavei-- pela via
terrea : a Irata'r na rna do VjipfR) n. 31.
Precisa-se do um offlcial do cbapeleiro : a tra-
tar na praea da Independencia ns. 4 ? 6
Precisa-se do Uiiiaama imiv iraiar do urnas
meninas : na rna da Penha n. 23 2* andar.
Casa a alugar-se na
povoacao de Bebe-
ribe.
Aluga-se urna excellentc e nobre casa sita a
margem do auino e pitoresco rio Beberihe, sendo
de eonstruecao mo lerna, e teolo ptimos commo'
dos, consislihilo em 2 salas frescas, 5 quarto<, des-
pensa, departamento para engommar," espacosa
cozinba, accommodacSes para escravos ou criados,
cocheira, estribaria, galinluiro, quintal literalmen-
te murado com granlJ porta) a entrada, termi-
iando margem do rii por um excellente e com
modo banlieiro coberto di tdlia etc.; a casa se
ach convenientemente mibiihala com movis de
Jacaranda, mesa elstica, camas, etc. etc. Mesas
conlices tai vaa'.ajosis, quem pretender passar
o presente verao conrirtavolmente, e quizer ala-
gar a sobredita casa, dirija-se ra do Hospicio
n. 53, ou ao Porto do M utos, armazem n. 7, de
Jjao Francisco Antunes Irmao.
O abaixo assiguado vio civn sorpreza no
Diario de l'ernim'inco ib; 2 de outubro, entre os
dospachos do Sr. vicepresidente o seu mino com
acresc.mo de Cavalcanti, declara que semelhante
nene nao Ihi pertence o en nada' ibo honra e o
repelle com iodigaaco, o nao v nisso motivo para
servir dedebiquo e pralinhos a certos entes dege-
nerad h dcOlinla, qie so se oceupam dcouvir e
apptaudir, baixa e servilmente aos actos violentos
e despticos de certo individuo aimntado pela opi-
niao publioa como devasso, libidinoso, immoral e
negrereivo, de urna conducta lao m quo queren-
do entrar em urna igreja em occasiao de novenas
foi-lbe fechada a porta na eslanhada cara com o
dasproso que merece lio abjeeto e asqueroso
ente.Mao icl Dionizio G unes do Reg.
Attncao.
Perguntei familia do Sr. B..... aonde exista
o seu baptisterio da sua fldalguia, nao dizer a
quem comnelir, pois s-i que nao nao pagaos, e que
desde 1830 at 18a!)jo-tou convencido dos seus
tronco*, p i< nunca foram lidalg.s, nao sao, o nem
ein tempo algum ha de ser ; e nao declaro porque
a safra tem mais verg >nha nos pos do que o se-
nlior na cara, como dizer que sao bem conhecidos,
sao como insolentes de Bebenbe, como assassinos,
pois me quiz assa^smar.
Aluga-se urna sala com dus quartos do 2'
andar da ra do Ioiperador n. 75 : a tratar no
ineomo andar, da* \< hora* da manliaa._____
I'recisa-sc iIm ii o rrm l> opiima cnZiulitsira :
na rna da Codo'a do Recife n. 37.____________
Precisar*
de um im Jeque de 14 a 16 anuos pora vender
joias cm urna taboleta: na ra do Cabug d. 7
A, toja.__________________*______________
Protesto.
Lucio Jos da Carvalho vem pelo presente pro-
testar, como protestado tem ja pelo juizo especial
do commercio, contra o leilao de sua taberna, sita
na ra da Esperanca, annunciado pelo Sr. agente
Pinto para boje as 10 horas, visto como nao res-
ponsavel pelo que deve o Sr. Francisco Jos da
Costa o Silva aos Srs. Tasso & Irmaos._________
MDANC4
FLIX FRANCISCO DE SODZA MA-
galhaes iransferio sua residen-
cia para o 2o andar do sobrado
n. 58, sito ra Nova.
ii wi 11...... ni mm
Urnas amigas da fallecida I). Mara Margarida
de Freitas Barbosa, do saudosa memoria, mandam
ntt no dia 'I do correte, pelas 7 horas da ina-
nhaa, na igreja do Carino, urna missa pelo repon-
go eterno de sua alma ; e convidam aos prenles
e amigos da mesma finada assistirem a esso acto
de caridade.
AVIS
Nous pn'ons instament nos abones de
ti'-us faire parv^ni1- leurs ordres de rencu-
vellement de journanx, potir l'anne 1870
Le catalogue complet des journaux tran-
cis, anglais, allemands, portugais av. c
les piix d- coodittons d'abonnement est
la disposition de loute personnn qui nous
en fera la demande. Pernambuco S no-
vembro 4869.
l)c. Lailhacnr & C.
9RU DU CRESPO0.

Precisa-so de um portauaez que cntenda de
hortabsa : na ra da liloria n. 89.
Findando-se em 31 de dezembro oroxi-
mo as assignaluras de jornaes de Europa
do anno de 1889, convidamos pois nossos
assignantes de determinar-nos se pretendan
eoutinuar para o aino de 187o, com as
mesmas folhas c mais escolher algum outro
peridico.
Neste im temos offereccr quem pre-
cisar o calhalogo ou lista-do jornaes franco
zes. inglezes,, allemes, portuguezes, etc.
indicando os presos e condiges das assig-
naluras. Pernambuco, fj de novvmbro de
1869.
De Lailhacar & C.
9-RUA*P0 CRESPO9_______
_ O Sr acadmico Augusto Cario* do Mello
L'Araistre, ante de se retirar para o Para, quei-
ra cumprir a obrigacao que eontrahio em 21 de
outubro do anno prximo passado, do contrario.....
I
(SEU LIMITE.)
Na iravossa da ra
m das Crozcs n, 2, pri-
|| meiro andar, da-se qna!-
1 per qnanlia sobre miro,
| prla e pedras preciosas.
0 dono desto eslabelecimento,
|g competentemente autorisado pelo
governo, est nas cond&oes de ga-
rantir a transaeco que se fizer em
sua casa, promettendo todo e zlo
e considerarlo s pessoas que so
dignarem de honra-lo om seu esla-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
CrUde.
No caes do Apollo, armazem n. 71, precisa-sc
ii: um cria o para compras o algum servico cm
um pequeo sitio.
Attentfio.
Ilontem as 2 horas da lardo foi recoihido um
ca vallo quo vagava pelas ras dcsta cidade, co-
cheira do becco do Ouvidor : o sen dono podo
procura-lo, que dando os signaos e pagando as
despezas, Iba ser entregue. ._________
fio mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para tingir os cabellos
di cabeca e da barba, foi rtmka admiltida
Exposifo Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparaces at
boje existentes, sena alterar a sade.
Vende-se a *080 cada frasco na
Rna da Cada n. 51,
1. andar.
Na ra da atoada o, 5, andar, eseriptoro
do Manoel Alves Ferreirs & C, vendo so vinho
verdo superior cm barris, ancoreta? com vinho d.i
Porto superior e malvazia branco.
l'rceisa-sc do um eriado para ludo servico
do hotel, paga-se bem, prefere-se escravo : a tra-
tar na ra cstreita doltosario n. 11, hotel Lisbo-
nense.
Alugam-sc duas casas dos Arratonados, para
feala, tendo cada urna commodos para grande fa-
milia, quintaos murados e cacimba meieira. e ba-
n 10 ao p de casa : a tratar na ra das Cruzes,
stgund andar n. 21.
Preeisa-se do um cozinheiro ou cozinheira
li'.ro ou cscrava, o boa conducta, para o hospital
dos lasaros : a tratar com o Sr. merdomo ae mez,
ou com o regento no mesmo hospital.
Ama
Prccisa-?e alugar urna prela cscrava para o ser-
vido de coziuha : na ra do Oueimado n. 12, Io
andar.
O Sr. profossor de msica Jos Coe-
llio Barbosa, tem urna caria nesta typogra-
phia.
AMA
Precisa-se do urna ama para tratar do meninos,
que tenha boa conducta : a tratar na ra da Lan-
gucia n- 4.
Alnga-se urna grande ca cimba com boa agoa de beber, outra dita mais
pi quena, perto da povoacao da Vanea e do rio
Capibaribe: na ra do Hurtas n. 2, Io andar.
Aluga-se a casa n. 3 da ra do Caes que
segu da Detentan, com 2 quartos, 2 salas, quin
tal e cacimba, por 12J0OO mensaes : a tratar no
sobrado contiguo con o Sr. Valpnca.__________
A irniaiidade das almas da matriz do Santo
Antonio precisa de um capelln para celebrar as
missas da madrugada nos domingo c dias san-
tus, a eomecar no 1." de novembro prximo : o
Hd. Sr. sacerdote que se quizer encarregar dessa
capellana queira ter a bondade de entender-se
cim o Bv. Sr. vigario, na matriz.
Consistorio da irmandade 2o de outubro de
1869.
'O eserivao
Manoel Camello Pessoa.
Precisa-se de um creado para todo servico
de hotel, paga-se bem, prefere-se escravo : a tra-
tar na ra cstreita do Rosario n. H, hotel Lisbo-
nense. ,
Alnga-se um sitio no lugar do Cahleireii-o.
JUo ao sitio do Illm. Sr. l)r. Alcoforado, cora cosa
a Hucleiras, tendo no fundo banlio : quem o pre-
tender dirija-se ao c.-criptorio do Illm. Sr. I)r. Al-
oAirado, ou no mesai i sitio, sendo o alugnel pelo
tejnpo do fo-ta, hreftre-so a pessoa soltcira, ou
que tnha ponca familia.
Vvcofaa-sc
alugar um niolequn de I i a 1G annos de idade :
a tratar na ra da Mi eda n. 17.
-----
OLINA.
AlugS-se o 2o andar do sobrado do Varadonro,
Uofrone do porto das canoas: a tratar So i an-
dar da ra do Imperador n. 16, prximo a traves-
a do O.ivfdor. *
Srs., nuMade.
Responda quem souber as perghntas seguintes :
I* Quem c o exiuirtador do iinmensq jumera
do crioiilas que entran^ no arluazem OU trapiche
administrado pelo honestsimo Sr. L., urna vez qric
tomos certeza de qno a mnloria das casas expor-
tadoras recommendam a seos agentes on correto-
res eraos que nao facam com as mesmas tran-
sac^ilo alguma.
2' Seos algodoes que con tem aquellas crioulas
letn boa ou m origen, c se finalmente sao das
espeluncas.
5* Quem o rosponsavol pelas reclamacocs qu
ton ehegado dos mercado* da Europa, em dis-
eredito do nossa provincia nao sendo as referidas
crioulas trocadas nos actos do embarque pelas
sertaneja?, trazenno assim prejuizo certo a um e
lucro inimediato o vantajoso a outra, que depois
as vende como partidas boas. Se responderem
com lcaldade nao rollar mais
______ O inimigo da hypocrisia.
casa, sita no largo de
com os soguintes con'
modos : salas, 1 gabinete ao lado, o quartos, 1
ospacoso copiar, coziuha fra, casa para feitor c
pelos, c um grande tanque para deposito d'agoa,
tendo bastante terreno, todo cercado para plan-
tacfs, com embarque e desembarque no fundo
que vai at o almhamento da rna da Aurora :
dos liegos, casa n.
cavallaria, na es-
trada que v.'ii para Olirnla.
Aluga-se urna grande ca
Santo Amaro das Salinas, con
quom pretender dirija-se ra i
.defronte do anligo quartel de
L'm socio pergunta a directora provisoria do
Monte Pi Portuguez qnando pretende convocar a
assemlija geral, nesla exigencia eremos estar com
a opiniao geral dos socios ; so nao formos atlcn-
didos de mo agrado nosso, rodaremos ao as-
sumpto.
Precisa-sc do urna ama que saina comprar
fl coz!nbar : na rna larga do Rosario n. 21.
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnsadora,estabelecida
esta pra^a, toma seguros maritimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercaduras e mobibas: a
rna do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Precisa-* alugar una ama ewr&va qno co-
zinho e engomme, para urna casa de lamilla de
dnas pessoas, e paga-se bem ; na ra Direita n.
12 Io andar.
ESTABELECIMENTO EM 1832
Salsaparillia de lrislo!.
LEGITIMA E ORIGINAL
EM FRASCOS GRANDES
OGMNDE PRIFICADOR DO SANGUE I
Esta excellente c admiravel medicina, c
preparada d'uma maneira a mais scientifi-
ca por Chimicos e Droguistas inui doutos e
d'uma instrucfo profunda, tendo tid mui-
tos annos de exjMriencia ao par d'uma lon-
ga e laboriosa pratica.
A sua composigo nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sinr,
composla d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, c folhas, possuindo to-
das ellas, sua virlude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teerrt sede
ou essento, no sangue ou nos humores;
c estes differentes extractos vegetaes, achara-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservarem em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, produzida nas Honduras, a que
nos wanios nesta preparaco, sendo a qna-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimara. Na composic3o da ttalsa-
parrilha de Bristol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
n5o encerra em si cousa alguin?, qiic pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, 6 ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparaces,
as quaes debaixo do nome de Salsapan-
Iha, sao accondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mu diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
Jvetto e vantagem alcancado por aquelles
(fflt acondicionara sua preparaco g|gai'-
g^s pequeas. Cada um dos frascos da
ngsa ^ajbaparrllha de Bvifiol
oonteerji^ajijessa quantidade igual porco
Mntidajjjmjellas garrafas pequenast^lm
disso, possue awda muito mais ^gca c
virtuda^ndicinat do que aquella, qwj por
venttirt se possa acbar winlida dentro de
seis ga'iTals de peiiueao tamanlio., l'or-
lantii mu ira tura I, pa aijucllesfSc se
achatn.uajjados-em pmarar e venueras
suas producroes, era mirra fas pequea,
munnuTem e gritem lowra os tujsos fras-
cosgraies: proclamando', (pen uyssa ^al-
saparrilbii de llrlgtol na. possue a
menor virlude ; portn mio efectivamen-
te sao elles postos em silmicin, quamlo indi-^
caraos, ou simplesmentc referiino-nos para
com essas centenares do certlcs t: les-
temunlios authenlicos, porn-s tecebidos
do todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARIULIIA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pr-
enos agentes naquelles lugares aonde as
difl'erentes raizes, drogas, henas, e plan-
tas de que so compoem as nossas medicinas,
sao pioduzidas, que nos habilita exer-
cer aqueje constante cuidado e disVcllo na
minuciosa escolba; e o que assegura e ga-
rante unifonnidade de cxcellencta.
Em quanto que, por outro lado, nos nao
nos poupamos nem dinbeiro, nem dili-
gencias; afim de alcancarnios o melhor
e nicamente o melhor^-de cada um artigo
ou ingrdiente que entra na sua composi-
(;o; pois levados e compenetrados da
mais firme c persuasiva conlianra; que po-
demos al'outamente dizer aos doentes de to-!
das as naces, e de todos os paizes, que na
Malsaparrillia de Bristol. possucm
um remedio mais efficaz e seguro: do que
nenhum outro, que vos tenha sido olTere-
cido at hoje, e o qual por certo nao hade
tnallograr vossas expectalivas, na prompta
e effectiva cura das seguintes enormidades:
tf ORO wxIH d wW
calvW^el
RA DaXBAPIGHE N. 17, Io
Sacca Bodos os paquetes sobre
co do MioW,-em Braga, e'sobre os
tes logaros! cm Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenfa.
Guimapfcs.
Coimbra.
Chave?.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do CasieDo.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova du^t'amaKcao.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Em casa de THEODORO QIRIS1
VNSEN, ra da Cruz n. 18, encxintraiiM
efectivamente todas as qualidades de vir
Bordeaux, BouiL'otrne e do Rheno.
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Ftidas Ulcerosas,
Tinba,
Syphiis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre c Sezocs
Biliosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupcies,
HeiT)es,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remitientes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
lempo das nossas mui valiosa plalas
regetaes assiicaradas de Brlstol,
tomadas em doses moderadas em connec-
co ou conjunctamente com a Salsaparrilha;
ellas fazem remover e expellir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprenden! e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; o
por esta forma facilita a volta o o exercicio
normal das operaces funecionaes,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. jfravo A C, P. Majajn
C, B M,& A.arbosa, Bartholomeu C d-.
Na pharmacia do Pinto ra
Larga do Rosario n. 10
junto ao quratel de poli-
ca,
Aham-se constantemenle promptas a
serem satisfeitas, as p escripcoes dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfer-
mos, as especialidades da mesma pharma-
cia, composta de medicamentos, tanto in
digenas, como estrangeiros.
Tosseoe molestias do
peito
Xaropes de fedeg.-o, rabo de tat,
Agrio, pao Cardozo.osc, mulung, mu-
amba, etc., etc., ja
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Pai, pillas e xarope de veame, tin-
tura e xaroede sicupira.
Doencas do ligado c ba#o. ane-
mia, opilado, ele.
Emplasto, oleo, pommada tintura, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sozops on febres intermitentes
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia de seu autor rna larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quarlel do corpo de
polica.
11ASSA e XAROPE
DE CODEINA DE BERTHI
Preconizado por toi'ns os mdicos contra o I
8EKLX0S, CATHAliROS, K TOD.iS ASI
IBITACOES DO PEITO.
ti. B. O Xaropt de -'iid.ino que irtrceto I
honra, alitu bem rara entre u> ilciUcomtHtot
novoi, de ser rcyisb ado tomo um dos medie-1
ment* o/liciae* do Imperio Francet liujwn*]
qualquer elogio.
AVISO. Por causa da reprchcr.v< I fsl*i
Cracau que Irm $mcil5--lo o folii r<--ill.i Xarope e masso do Qurlhti oiii"> (";'* *|
lemlirar queeniismcdicaufilos lajii-'ao*le
conceluaik)< t se ^*~*
Tenem em caixin- ^^ (
has a asi|;iialiira ra C l^rff'- \.L3~- \
tntih: ^**
46. /(-.- dtt totet, e :n Ptonnaciu 'tunKal
de Kranra. 7, Km >- /';.. /'", e loda>.asl>liaiuiac;as piinr-ii.es Ji.!.. -


POS DE ROG
Approtados pela Academia imperial
de medicina de Pariz
Cm frasco do Ptfa de Roji, di$solvido
em urna garrafa d'agua. da urna limonada
agradavcl, que purga rpidamente c de
um modo certo, sem causar a mrnor
irritado como acontece cora a maior
parle dos outros purgantes. Oa Pd 4m
Bog, sao inalteraveis por isso empre-
gara-se fcilmente em viagem.
. j em tlK>-JiiBo, Dnponeltete: Ckcnhtt.
Ot}fm ( tm pnL,4liK,COi Maurer Ift A
RA
DO
CABUG
esquina
ANNEL DE OURO
RA
EO
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
, e vende por prpos que nenhuma outra casa pode vender. L^ larffa do
da rna larga ao ^ ^sta da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.1 "
Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele- Rosario.
Rosario.
Oarante-se ser tudo de lei.
vados.
A loja est aberta atA As 9 bor.w da nonti.


Diario de Prmuubuco Stguuda feira 8 de Novembro de 1869
fc.
I
=22:
-**
Mikroskope acbroma- %
tiaehea. ObptivLin-^^^ \3
sen.
Barmetro t term-
metro. Centgrado
e reuumeure.
nuscmcis
le calcado
JOAQUIM DAS DOS SANtOS a'c. aeabam de abrir nm eatabeleeimento de caj-
eado oilrangeiro a.ia Nova n. 30, onde o pfftaVD enoooiwrt tWM ( Beato f*-
oero de commercio ha de melhor e de mais gwto em Paria e Londres.
Por todos m vapores transatlnticos receberSo elles constantemente remessas de
calcado novo, pito qw tert sempre o estabelecimen*) o<|ue a respailo s pede t
gir. Ao poWico em g*ral e aseus amigos em particular, pedem a coopera$ao, |ft
Ibes possam dispensar, certos de que serto aemeo com leawade. -y________-
E crystal de rocha do Brasil.
w J >rBi.ua. recommenda ao publico, seua vidroa periscpicos aperfeicoa-
dn<- roroue comesteb vidios, a vista descanca, fortifica-se e nio a canea como om
o^ vtrTordinaiSsW vez escomido um vidro, pode durar dez anuos, emquanto
Suom os vid os ordinarios se esta obrigado a mudados todos os. annos eoster
Jada ornis crossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre d6-
rlrd^clSc gOacanceq ordinario dadista -perto de 30 centunetros dodhoe
[odas avezes que o obiecto est mais perto ou mais looge, os ra.os que expelle s5o
^cSg&& 3 divergentes e Jvisae nao P^^^"*; SS
npssoas tem o defeito de faxer convergir muito de sorte que a vi?ao filo 6 distmcta.
Co^a aScacao de meas vidros pde-se vencer estas difficuldades Para os que tem
a v?sta curta e* cojo crystalino mui convexo o que faz ver bem de perto, e mal de
fonie? o"oe se chama myope, por meio de um vidro concavo affasto-seo ponto de
So JeLdSr os objetos e deia ver to longe corno as outras v,stas Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade
o que se chama presbvta, vem melhor de longe que de perto, e nio enxergam seno
umnevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
to disnctament como na idade de. 15 annos. Servindo-se desles vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal. _______ .. M ..
F 9 ermann encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olbos, a es-
colher.'a primeira vista, seja qual for a iade o grao de vista, oculos propnos para
qualquer pessoa, # j O 1
Para que sao fabricados estes vidros f f
Para a vista myope, (vista carta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
j de fraqueza.
Para a vista que os olhos sodesiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
llio e a leitura.
Para a vista prcsbyta (vistagalon ).
Para a vista que nio supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista quo as palpebras estao cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Sormento de binculos
para tbeatro, e oculos da
alcance para o campo e ma-
riuha.

r
>
O
*>
\
ra


,
Popos tubulares instantneos de patent*
Estes pocos foram espalhados na Euro-
pa, tanto que, qualquer duvida do seu
grande valor pratico deve desvanecer vis-
ta das grandes vantagens.
Militares de exemplos mostraram que
elles sao de grande utilidade aos industriaos,
agricultores c particulares; at em todas
as expedicoes militares dos ltimos tempos
foram usados para procurar sem demora
agua fresca e pura, e tanta quanta se pre-
cisa va.
Km todos os lugares, onde mn poco ca-
vado ou furado (pelo_ systema antigo) daria
agua, pde-se empreg'ar os pocos tubulares.
Elles facilitara achar agu^muito mais
depressa, mais cristalina. &s fresca e
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfeita-
mente pura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias athmosphericas.
Por meio de urna machina muito simples, consistindo d'um macaco, impelle-se para
dentro da trra um tubo d ferro, cuja extremidade inferior est furada e munida
Turna ponta d'aco; c logo que a sonda mnstra agoa no mesmo, deve-se atarrachar
a bomba e faze-la funecionar. Ao principio a agua ter substancias arenosas e terreas,
4M)im logo se clarifica, e em pouc'i tempo sahir agua perfeitamente lmpida.
unirs vantagens que apivsenta este systema sio:
Pi imeiramente, a promptidY com quo se execula toda a obra do assentamento, qHe
mitas vezes nao leva mais de urna hora, sem remojo alguma de trra:
H Segundo, a commodidade que elle offere-ce do ser nao somento collocado fra da
, como tambem dentro da mesma, com nao menor facilidade :
Terreirn, a farifldade cora que se lira para fra da trra o poco sem o estragar
para o collocarem noutro lugar:
gharto, a grande quautidade d'agua que elle pude dar*:
Quinto, a possibilidade de tornar, uteis com pouco trabalho, por meio delle os po-
4pos cavadas que foram estragados pela arel ou por outras causas.
PrecJsaado-se do ama grande quautidade d'agua pde-se introduzir na trra di-
versos tubos unidos una aos outros por meio d'um apparelho muito simples.
Em lugar das borato* aspirantes geralmente usadas, pde-se forneccr bombas de
PPpress3o para elevar agua e coaduzi-la aos andar-s superiores.
O emprego dos pocos tubulares sobre bulo proveitoso aos fazendeiros, que em
^aiqner campo onde o gado pr-cisa d'agua, os podem collocar e arranca-Ios para se-
wein collocados onde melhor Ibes .convier.
E' tambem de. grande utililidado aos fabricantes de ceneja, aos distilladores a
lodos os fabricaates em gera!, c com especialidade aos empreiteiros, archHectoti, en-
jeiilii'iros e todos aquellos que precisara de qaantidade d'agua por tempo determinado.
Este methodp o nico para obter em qualpuer parle agua, que seja livre de par-
telas nocivas, pilo tambem proveitoso aos proprietarios de casas e jardins, tanto
-para o uso diario como para regar as plantacoes e capim.
Pedimos aqivlles que nos qui/erem bonrar com suas cncommendas de nos
xommunicar: 1. era que profundidade se acha a agua, o que fcilmente se pode verifi-
car nos pocos ou cacimbas visinlias ; 2 de que especie s5o as carnadas da trra da su-
f jericie at a carnada que contm agua ; 3o em que especie de carnada se acha a agua
fciaifielle logar: l." finalmente a quanlid.id d'agua quo se pede, por hora.
A collocacao d<> poco lica por tonta do comprador offerecendo-seporm a empre-
sa a emproshr o apparelho de assentamento mediante urna retribuicSo a convencio-
Mr, aqud s regular pelo tempo que se achar fra.
Tambem nfarr.-ga-se de mandar urna pessoa habilitada na collocacSo d'ess'S pe-
scas, W)i.-:i:,l i o i imprador alm do sustento e despezas
.mn\df\>,', uniente convencionado.
Para ancmi{nv*Ddas c pais esdarccimcntos a respeito
Gitmann: puaNoVa n. 21.
Lunetas, pince-nez e
face--mam, onro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sormento de retogios para parede, que dio horas e para
cima de mesa dos mais lindos modero Helogios para algiheira, de oaro, prata, prata
domada cfoleada, inglezcs, suissos e orisontaes dos melhorcs e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas cm grosso e a retalho. Em Pernamboco.
N. 21=Rua jgovaN. 21.

e torna-lo
do viagem (ida e volta) um
a tratar na loja do Sr. F.
ABATOS
Superites cortes de percalle com barra, p>ra vestidos
Li'idos rvrips dog;i7.e de geda com M jtO royados
prec de S^OtO ca :a cone. na lujadas cohumnas, roa do Crespo
CA'rr-a de VaMane&IIns.
a 5 pelo baratissiino
ni 3 de Aa-

V

m
m
m
A' ra do Crespo n. 20 A, esquina da ra das Cruzes.
Alvaro Augusto d'Almeida t C. partecipam ao respeitavel publico, o com es-
pecialidade s Esmas. Sras. que. o seu antigo e acreditado estabelecimen-o ra do
Crespo n.20 A, de pequeo que era, acaba de ser transformado em urna bonita e vasta loja
de fazendas finas aonde pela sua localidade eamplido, o publico nao so ter todas as coui-
modidades para fazer suas con.pras, como acha-lo-bao desde j prvido de um vanado e
escolhido sortimento de fazendas finas e grossas, o que ludo se vende por precos mo-
d'c08' ... ^ .,
Esteestabelecimento, apezar de estar ja bastante conbecido, os seus proprieta-
rios tem resolvido entitula-lo por LOJA DOS AKCOS, para evitar equvocos, '
por esta maneira ainda mais popular. Encontra-se nesta loja
Rices corles de blond e de seda branca para noivas.
Ditos de seda de cftr e pretos.
Brochad de seda, fazenda inteiramente nova.
Foolard idem idem dem.
L3as de muito gosto.
Corles de cambraia e chita Maria Antoinetle.
Saias bordadas, camizinhas, espartilhos, bailos basquinas, fichus, sombrinhas
luvas de pellica, chapeos etc. ....
Ha tambem constantemente um completo sortimento de esteiras da Indra para
forro de salas, assim como alcatifa, tajte, capachos e muilos outros artigos, que seria por
demais mencionar. -
C0NFE1TM4 DOS ANANAZES
16RA DI CRUZ 16
Ha diariamente bollbbos para cha, bollos inglezes, p5es-de-l, presunto, dito
fiambre, superior cha Hisson, dito preta e miudinho, zaropes refrigerantes, vmhos en-
garrafados, doces em calda, ditos seceos e crihtalisados, figuras para^andejas (phantazia
e noivado) caizinhas com amendoas para preco commodo.
Uecebem-se cncommendas para bailes, baptisados e casamentos, as encom
mendas para fora sero bem acondicciondas.
Plun pudding.
Apre cot. puld. Warranted superior qualite. _______________________
FABRICA DE PIANOS
DE _______
J. Rhigags, Bcessor
55Rua do Imperador55
Nesta -anega e bem Mohecida casa, encontrar-se-ia comooutr'ora grande sor-
timento de pianos construidos expressflmeute para o clima deste paia, e Mr. J. Rliisass
lendo trabalrrado mui toe trinos na constifio de pianos em Paria, acha-se habilitado
a preparar os pianos qUe vende com lOdoa os acressorios iodispensaveis nio 6 sua
solidez, como i sua durado. Todos ostfR^nos sin garantidos.
Tambem ha ueste- estabelecimejito, graude varkdade de msicas novas e dos
melhores auUires, tanto rindas de Paris mdm) do Rio de hae'm, que se vemle mais
barato do qiw era outra aijalquer j>arta 1. assim como ha igualmente ;i venda todos o-
ohje-itos necessarioa *trRflc3o de piales. Os cofleertos e afhtacoes de pianos serio
feitos com o maior zelo e cuidado. -
,____ 11 iii i i
C4Nt D% FE.
Aos 200004000.
rua do Cabug n. 2,
Bilbft** do Rio 4 venda :
vende Viein & Rodrigues.
Ama.
-^

Prerisa-w de orna ama para foztabar e *npnm-
mar, i>ara eaa da p>ar familia : na tua nova de
Santa Hila o. 63, 1* andar.
PrccUa-sc.
B#n Mkto*hr.viliro de *8 a W anna
idad>'; que tenha ou na 1 pralica de u I terna :
rua dos PeMadore- n. 43.
Attenpo
Prw*a-sp df mu* rinda |xtrtn?npia ffoe flrtoa
r*m enfmnmar ft>iB prlbl(->, e sirva ears lomar
rojita dn-nma caa to familia, paga se bem : na
va. du Hosuieio n. 54.
p^


:\
ANDR DELSUC
CABELLE1REIR0
s7 A Eua do C^e^po1. andar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre neste estabelecimento um variado e bonito sorf>-
ment em perfumaras francezas e inglezas cuja lista damos aos IcKores.
LUVAS Marca garantida de JOUVIN.
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LBIN & GOSNELL.
DITOS FINOS.em.frasquinhos proprios para presentes Lubin & Gosnell.
POMMADASBanha fina de varios cheirosLubin.GosnelIo, Societ Hyginiqoa
SABONETES.finos para toiletteLubm A Monpelas.
EAU DENTIFRICG agaa para limpardenlesSociet HyginiquoLubin4P.
BRILHANTNA.para lustrar a barba e os cabellos-Lubin.
AGUA DE COLONHA.Marca verdadeira de Joao Marina Farrea.
COSMTICO.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
HUILE DE SENTEUROleo para conservaco dos cabellosSociet Hyginiqn
ESCOVAS FINAS.para cabellos, denles e unbas.
BLA1BEAU Pincel para barba.
GRANPOS.para cabellos.
REDES NVISIVEIS para cabellos.
GRAVATAS LINDISSIMAS.do melhor gosto.J
BENGALAS.de phantasia, para passeio e de diversos tamaitos etc., etc.,ete.
A la parfumerie^arislenne.
7 A'RUA DO CRESPO ---- i. ANDAR 7 A.
fierre.
CASA FELIZ
Aos 20.000^000
!Va Itccic arco da ConeelcSo n. 2
Os abaixo assignados tendo-s habilitado na
forma das leis, toiii exposto a venda os sens feli-
ze- bilhetes das loteras do Rio de Janeiro, na casa
cima, aonde se pagaro as sorte3 que sahirem
nos inesmos bilhetes, com o dcscdBto soment"
da lei.
PltEgOS.
Pilhete inteiro SiiOOO
^ Meios It jlWO
Quartos 6iK)0
E de 1003 para rima a 52J o Itilhetc.
FiRueiredo & Lei te.
AMa
Precisa-.eo de urna ima quo saiba eosiouar: na
travessa dos Pires n. 20 sitio de Jcriquiti.
ANA
Precisa-se do urna ama para cosinhar e
fazer o mais senvico de urna casa de-pou-
ca familia, pr fero-se cscrava; trata-se na
rua Nova n. 40.
Um muco de idade de 17 anaos, rom'-muito
born talhrt de letra, bendu rit^metica, traduzir
IVnnrez e'tnjrlrtt, "ffrrere se i emprepar-se em al-
mua casa de rmiitrcio, dando Cad'Ta sua n n-
danta, a for prenso : a"em prr,cir dirija-ae
i oh da M.itriz d.i Bo*iate n 20, 1" andar, onde
c dar inbrniacim a rpspeito, du aununciopo
esto Diario para's-r procurado.
Madanc
@ O Dr. Francisco de Paula Soaros, m
fn 4iro, mndou-se das Cinco t'ontas para
S tua Augusta, sobrado n. i 16.
AVISO
Attenco.
Prrra ru captiva qne
aibalavar, rnpnmmnr o coj-inhar para casi de
familia : a tratar no largo do Curpo Santo n. 6,
2* andar.
Roga-sc ao lllm. Sr. Ignacio Vieira de
o/crv o o favor de no iras* 4c 15 das vir ou mam
rua de Imperador n. 18, para concluir ai
negocie, que ba & annoft ja foi por este mom
nal (-llamado para o concluir, e qne arudU]
aquelle annuncio as e de Diivn c>(|ueceu-J drfle O anuunciai
pera que S. S. o disnensara-do vir ainda aoj
p;ir este fim, mas e for a isto obrigado por
ser preoiso explicar a ratao deste chamadoj^o
parece ao^noanciaote Ihe nao lear airas* tal pu-
blicar.ao. Rerife 4de outubre de 186.
Piirtarain do cngenbo Pereirinha, terani
Agita-Prcla. dous qitarUM c signx
les : am rugo, pciiu.'no, \"efno, com dea
hiHMt dr, nda a pusan, e tamhfm velho; amb s
dos, tend'i sobre a anca a marcaPer
hein que tanto ntineta, com tud* ainda
vel; cre-se que <>s c Banw'is ou h>rto-i j!ve : rofi-w
a atH'rciicnco d -me O Sr. Dr. G>rnelic Pern
tem urna earu ia roa lar| do Baarte a. 44.


I
Diario de Peniatibuco Segunda eh* 8 de Novembro de '1809;

I
I
1 i
/

r
L0.ll DE JOIAS
DE
U
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado de novo, est as condi-
$oes de servir vantajosamente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
exjlendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, cujos precos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate
5 m DO e.lHG.4 N. s
OLIVEIU ftCARVALBO
SucGessores de Reg &BIoura.
- 24-Ra Nova 24
Os proprietarios deste novo estabelecimento azem sciente ao publico, que
acabara de receber um perfeito e variado sortimento de pannos finos, casemiras, brios c
cutres militas fazendas de gosts' modernos, as quaes vendem por precos razoaveis.
s mesmos scientificim que tendo admitlido para sua ollkina do alfaite, umfrtista hbil
ao desempenhodo snas hncenos, recebem qualquer eneommenda u* raupa por meiikla
prometiendo satisfazerem com ponlnalidade e presteza qualqucr pedido nesle sentido.
Aviso ventajoso pa* bssa-
nkores de^engenho.
N. B.Pratica paciencia, o tfwtBmennto
em poucos lempos.
Ufh estrniigeiro com pratica mals Atia an-
nos de ter j ensinado era algnns engenhoe desta
provincia, se offercce a qualquer sonlior de enge-
nto para ensfoar nao s as primaras letras como
t> franeez cora pe feleao e era poueos tempe :
((aera pretender dirija rarla fechada eora a sna
i evidencia, na ra das Trincheiras n. 50, eom as
iniciaea R. A. B.______________
Aviso.
O abaixo assignado, saneado que o Sr. Antonio
("encalves da Silva pretende vender o engento Li-
mao, sito na freguezia da Escada, faz publico,para
s enca dos inleressados, o seguinte :
Que dito engento fui, por eserlptura publica,
arrendado ao abaixo assignado, por oito annos,
ejfn a cornudo expressa de nao poder ser aliena-
do durante ete lempo;
Que o mesmo Sr. Antonio Goncalves reeebeu
atantada a maior parte da importancia total do
srendamento ;
Que pela iiialienabilidadc temporaria que se est-
[ nlou, nao pode o engento pasar a quatqunr com-
prador, senao com o onus do arrendamento, que
o abaixo assignado protesta farer effeetivo por to-
dos os mcios que as os lhe garantem, eainda
r ramo quando fuese preciso, o qe nao iaaean-
de miio do ultimo recurso permhtido pela Ord.
liv. 4o tit. 9o i l:
Engento Liinao, 2 de novembro de 18G9.
Jos Ledo Pneira de Helio.
Ama
Piceisa-se alogar orna ana, que saiba
bem cosinbar e comprar, para urna casa de
duas ou tres pessoas. ltequer-se que seja
do muito |bons costumes e diligente. Se
ti ver estes predicados, paga-so bem. Diri-
dir-se ra Bella n. 30, sobrado de |2 an-
dares. ______
"Precisa pe de orna ama para casa de poura
f. milia : a tratar na ra cstreita do Rosario n. 36,
2. andar.
Ptecisa-se dfl urna ama para comprar
ecorirtliarem umacasa de pouca familia
ra de lortnsn. 1.
Precsase de una ana para cozinhr e fa -
O abaixo assignado partecipa ao respeitavel
corpo do commercio, que nada deve nesta praga,
pirm se alguem se julgar seu credor apresente-
se no praso de tres dias para ser pago: oulio sim,
a ata lata em di.into nao se rcsponsabilis por de-
b to feito em seu nome a nao ser o abaixo assi;-
mdo ou seu priraciro procurador o Sr. Joao Mar-
tins de Barros.
Reclfe, 5 de novembrode 1860.
Custotlh Jos ile OUrtira.
ATTENCiO
Na ra Dtreita n. 16, sobrado, lava-se e engom-
ma-se tanto para hornera como para senbora, por
commodo preco.
Joaquim Ferreira dos
Simios
nrofessor de dansa, natural de Portugal, rliegado
a pouca da-Europa cora sua esposa esta provin-
cia, lera a honra de participar aos seus illustres
hibtantes e mni principalmente aos pais de fami-
lia, que contina a leccionar em dansas com todas,
asregra, as Ierras e quinlas-feiras, das 5 horas
da tarde s 10 da noite, era sna casa na ra es-
livila do Rosario n. 31, 2 andar, o nof domingos
d manhaa para todas as pessoas quo nao podein
vir nos uniros dias, sendo a licao aos domingos a
noite geral para todos. Tambera se promptifica
ir aos collegios e casas particulares nos outros
das. _________________
Feitor e cozinheiro
Na ra Nova n. 12, ou na roa do Ouro n. 30,
precisa se de um feitor que saiba tratar de um si-
tio, assim eonn de um bora cozinheiro, preferrado-
so estrangeiros. ________
Se vivo.
\S BOIJBAS CURADAS
E
Todas as molestias sypliiliticas.
PF.I.O
nico depurativo sem mercurio que tanta aceitacao tem meteilo no Bra-
sil, as repblicas do sul c na Allemanha especialmente para cura das boubas,
sarnas, rheumatismo, tudas as molestias sypliiliticas e em geral todas aquellas
provm da empureza do sangoe.
NICO DEPOSITO
KA
Pharmacia c drogara.
DE
Bartholomen & C.
34Una Larga do Rosarlo34
Engomuiadeira.
Era S. Jos do Maufuinlio, casa n. 2, paga-se
bomalugoel por un esciavaquc entenoa b-m do
Na ra da Senwla-tova n. 38, escriutorio,
eeatrtta-se orna pessoa habilitada para fazer a es-
criptado urna easa de noy ocia
Precisa-so de urna "anta que saiba cozinh.tr c
engsnimar para casa de poora familia : a tratar
no sobrado da roa do Vinario n. 9, 3o andar.
Aloga-ie um excelleilte sitio em Saifto Ama-
ro, pouco adiante da estadio do Sr. Slarr n. 41 :
a tratar na ra Augura n. 33.
Aioga-St)
para escrJptorio o 1" andar do sobrado da ra
larga do Rosario n'. 60, ewtnlna da ra estreita do
Rosario : quem o quizer ver dirija-so loja do
mesu, que ah encomiar i a cbave^___________
o PAvintto i

zar compras para casa de pouca familia
doPujs n."t$.
na ra
Aluga-se o quarto andar do sobrado
roa do Imperador n. 54, com boa vista,
fresco, e commodos para grande familia :
tratar.i'i rtia do Rangel n. 54.
Qnem quizer possuir urna boa e pren-
dada escrava, com um casal de crias (ilhos
desta; o motivo por que se vende, dir- e-ba
ao comprador : ra do Rangel n. 51, se
poder tratar.
Vflodv-s^ a relinar>> da ra d< llorlts u. 7
a qual vende para mais de 30 arrobas de assucar
diariamente : quem pretender dirija-se ap paleo
do Paraizo n. 2. _J_____________
"morORTUNA
Aos 4:0005
Bilhetes garantidos.
V ra do Crespo n.23 e casas do costumr.
abaixo assignado, tendo vendido alm de ou-
tras sorles, dous quartos n. 3288 com 4:000^ da
lotera que igreja de Nossa Senbora da Soledade do Recite
(12o*), convida aos possmdores virom receber
na eonformidade do coslume sem descont alguin
Achara-se a venda os bilhetes da 1" parte da
lotera beneficio da itrreja de Nossa Senhora do
Guadelnpc de Olinda (Ufi ), que se extrahir sab-
bado 13 do c rente mea.
Preps.
Os do coslume.
4 Manoel Martina Fiuza.
11L\ M 1MPERATBIZ N. 2
Esquina da rna da Aurora
Defronte do Caf Imperatriz.
Ncsi! novo e fiimptiinsii estabelecimento de fa-
zendas, caxontrario asExmas. familias tndoquan-
lo possam desojar, tanto em arlaos do rigoY>iso lu-
xo, como em todas a* mais qualidades do faiendas
do sedas, blonds, alpacas, merinos, lias, cassas,
mOsatHinas, chhas, madapoloes, algodcs, etc., de
modo .1 sabir bem servido desde o mais rico o
exipcnU' aiuaiue d moda e do luxo, at o mais
modesto pai de familia. Alora de se acharem pr-
vidos do que melhor so encentra neslo mercado,
inendaram o proprietorios tate estabelecimenlo
vir_directamente o que em artigos do modas e de
mais apurado gosto se encontra era Paris.
l'nia moifi-fa e-pecialmeute oceupada nos traba-
mos dq PAVILUAO DA. AURORA, executar
promplamcnle o com toda a perfeicao qualqucr
trabalho a capricho, para o que se acha babilia-
da com ludo quanto mister para o bom desem-
penho de sua missao, o que urna grande vanla-
geiii para o bello sexo, que assim vai encontrar
em um s lupar ludo quanto pode desecar, isto
fazendas do melhor gusto, modista para per-
feila execucao de qualqucr trabalho, perfumaras,
chapeos, efciles, luindezas, luvas de Jouvin o
tudo quanto a moda pode exipir.
Aos lavallieros igual vanlagem se offerece, por
ter o estabelecimenlo o mais completo sortimento
de fazendas para fados, c praprias para todas as
estacos, o nmliabil alfaiale enearregado de exe-
cular com prumptidjio e meslria qualquer encora-
menda.
Os proprietarios do PAVILH.VO DA AURORA
nao tendo pnnpado des|M'zos para dotarem esta
bella cidade de nm estabelecimento digno delta,
conliam nos seus esforcos e no bom gosto d seus
habitantes, garanttindo a maior cireumspccao c
modicidaie de precos.
Com a possivcl hrovidade e em vista da prolcc-
cao que se dignaren) dispensar-lhe, este estabelc-
cimeuto trar militas nutras vanlagens, primando
entre ellas a publicacSo de nm jornal gratuita-
mente distribuido aos seus fregueze*, o qual se oc-
cupar exclnsivatoeata di descripgao das modas,
acompanliado dos ltimos figulinos ; vaulagem
que at hoje anda nenhum estabelecimento offe-
recen.
Concluind.', c na impossibilidade de descrever o
rico e variado sortimento que possuem, os pro-
prictarius do PAVILUAO DA AURORA respeitosa-
mente convidara as Exmas. familias a visitar este
cspaoso e rico estabelecimento que, alm de lu-
do, est dotado dd pessoal necessario para vender
c levar amostras s casas que as pedirem.
Pelo ultimo vapnr baa de receber ricos cortes
de vestidos para casamento, luras de pellos ricas
i'hapel'iili.ts para senhoras c diversas fazendas
modernas.
Aberto das 6 da manhaa' s 9
da noite.
TRILHOS URBANOS
DO
Eecife Apipucos.
Por ser a actual tabella inconveniente a partida
dos trens, do da 7 do corrente em diante ser re-
gulada por urna tabella nova,.que pode ser pro-
curada as estacoes dos Reclfe, c das oflMiias
desde j.i.
Escriptorio a corapanhia Sdcnovembro de
1869.
W Rawlinson,
Gerente.
DO
Prelonde-so saber so existe nesia cidade ou
fura d'ella, Custodio da Costa Guimares, sobri-
nlio de Antonio Joaquira da Costa Guimares, que
foi e3tabelecido nesta Cidade com urna loj.i de fa-
rsndn?, por Bgooiu de suu itaresso. e com elle
se tratarsobrobensque lhe pert>-cem ffrC"irjrtrt*- -j
lia de S Jutiao do Callendario em Portugal; quera
d'elle poder dar noticia, ou de seus herdoiros,
queira dirigir-se ao escriptorio de Prente Vianna.
&: C, ra ila Cadea n. 57.
Joaquim ereira
Santos
dos
ATTENCAO
Na loja de funifaria da porta larga a rna da
Imperatriz n. 6o, tem um grande sartimento de
candierosSclampariuas para gaz, do lindos gestos.
o obras de funileiro, tendo 1 santuario de gosto e
bem acabado, assim como vende bombas, tonel-
ras, etc., e encarrega-se da cncanacao d'agoa para
qualquer casa, ou e.-tab*iormento, tambem vende
um bonito e modera) fogao inglez, nao s cozinbs
(oni lenha como com o carv5o. Na mesma Ij3
concertara-so todas as obras de encanamento^e
machina de costura, asseverando que acharao
empre prorapto a servir bem os seus Ireguezes .
a tratar na mesma loja a qualquer hora, quo ser
atendido._______________________________
O teslamenteiro do fallecido subdito franco2
Joao Vignes, convida aos devedores do finado a
saldaren! seus dbitos amigayeimente, do contrario
icrao ajuizados sera excepcao algnma.
teneate do 2" batalbode infmtaria precsase cora
de so lhe Uldr-a^negr co de seu interes-
1 ra da Marfrfl de Dm< n. 16.
Atteii^ao.
Precisa-se alugar ama ama de leite : na ra
do Imperador n. 45, Io andar.
r
ZT)
r
i
GOMES DE WATTQS IRHlOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o flm de
dar-lhe madores propor ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a compareceris pessoalmente
das 6 lloras da nianbaa s 9 da noute na
RA DO MBUGA N. k
onde encontraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQQS BE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de uovos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Comprim e trocara cjualquer joia ou pedra preciosa e garantem
aqualidade dos objectos vimdidog.
' Compram se moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata*em obras lootilisadas
brilhantes c mais pedias reeiosas : na loja de
onrives do arco da Conceicao, no rtecife.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. i compra-se ouro, prata
i podras preciosas por procos mais vanlajosos do
que era outra qualquer parte.
\H E \l
Compram-se e vendem se diariamente para fra
o dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, cora tauto que sejam sadios: no
terceiro andar di sobrado n. 36, ra das Cnues,
fregueaa de Santo Antonio._________________
Com muito maior vantagem eoinprain-se
moedas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
racao de Ouro n. i D, ra do i 'abug._________
Compram-se sedulas de 1J, 2 o 5090 : na
ra Nova n. 7._______________
Compra-sc urna casa pequea de pedra e
cal, na Capunga ou mitro qualquer lugar porto
do Recite, no pateo do Paraizo n. 8, se dir quera
compra.
VIDAS.
Por 3 nos, peclruncha : na ra do Hurlas n. %.
-til ti
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. 9
Os propnetarios dcste bem conhecido estaboie-
cimento, alm dos amitos objectos que tinham ex-
postos a aprociaco do respeitavel publico, man-
daram vir e acabara de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
linas e mu delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvdos a vender, como de seu costume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, cora tanto qne o Gallo....
Muito superiores luyas de pellica, pretas, bran-
cas e de mu lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, nesle genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos o riquissimos enfeitus para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores iranias pretas e de cores com vidri-
ll.os e sem elles; esU fazenda o que podo haver
de melhor e mais bonito.
Superiores c bonitos loques do madreporola,
raarfin, sndalo e usso, sendo aquelles brancos
cora lindos desenhos, e estes pretns.
Muito superiores meias fio de Escossa para se-
nhoras, as quaes serapre. se vendern) por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20S.
alm destas, temos tambera grande sortimento de
oiitras qualidades, entro as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marlim ctim lindas e encantadoras figu-
ras do mcsuiii, nesle gento 6 o uue do melhor se
nde desejar ; alt'in ilc-tas temos tambera grande
quanJpde de oatras qualidades, como sejam, ma-
deira, haleia, oseo, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotnhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as ineias.
Boas meias de seda pira senhora e para meni-
nas de 1 a l annos de dade.
Navallias cabo de marlim e tartaruga parajazer
barba ; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelyjjjbriciinte, e nos por nossa vez tam-
bem assegunBr-'S sua qnalidade e delicadeza.
Lindas e bellas capillas para noiva.
Superiores ajrulhas para machina e para cmx.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
lahvrintho.
lons banilhos do cartas para voltarete, assim
como os tontos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das roelhores per-
fumarias e dos melhores e mais conheciios per-
fumistas.
C0I.ARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitara a dentc-ao das innocente* c.riancas. So-
mos desde muir rerehedores destes prodieiosos
collares, e continuamos a recehe-los por lodos os
vapores, afira do que nunca fallera no mercado,
tomo j tem acontecido, assim poi? poderao aquel
les que delles precisaren), vir ao deposito do gallo
vigilante, aondo sempre encontraro, destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fin>
para que sao applicados, so vender com um mu
diminuto lucro.
Rogamos, pois avista djscbjectos que deixamns
declarados, aos nossos freguezes amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, na do'Crespo n. 7_______________
A VERDADE
55Ruado diidmado_55
A VERDAD* ten.Jo m de^.w graiid
quanlidade dcmiudease perfumarias, e de>
sejando aporar dinheiro o adqueilr bfta fr#-
guezia est rssolvida a vender iiiitisioo
barato, ; por essa razo convida ao respei-
tavel publico a vir competentemente.muni-
do a sorlir-se do bom e barato. Pois quan-
do a Yerdade apparece, todo mais des*
apparece...,
Grande sortimento de bonecos de cra.-a
massa as mais lindas possi veis vestidas ao
racter.'
Abotoaduras moderuns para col
letea.......
Espelhos donrados pepnenos. .
Agulhas de oso para crox a .
Pentes para rcga<; com esntas a
Ricos globos para candieiro de g3z a
Cbamins a.......
Grande sortimento de objetos de
loara para brinqnedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida icrdadeira a
Dita com dita dita a .
Frasco com oleo do babosa a 500 e
Dito com agua de Colonia a J e
Garrafa com agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
Latas pequeas com baubj muito
fina a 42i>c......
Sabonetes de divergas quali ladts a
80, ICO.-iOe......
Finas escovas para denles de 1:20 a
Lindos roques modernos a. .
Pavios para"gaz, duzia a 10 e .
Escovas para fado a 5oO, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolbo a 160 e.
Brincos de cores, bonitos a -160 e
Pecas de tranca de 15a com 8
varas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Peonas d'aco Cnas caixas a 800 e
Dita d"aQo Perry, caixa a. ...
Galo de algoo peca ....
Lindos babad'mbos e enlremeios
peca de 500 a....... 1^500
Ditos de louca muito fino a 120 e 200
Ditos para calca a ICO e. .
Caixa com papel amizade a. .
Ditas com envelopcs a. 480
Ditas com obreias a..... *0
Caixa com agulhas fundo dourado 280
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 2-iOe 500
Caixa com linha de marca a 280
Linha de cores em novcos (li-
bra) a........
Carrch is de linha Alexandie de 70
at 200........
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a......
Cartas porluguczas, duzia a .
Ditas francesas a 25>OO e .
Papel almaro e de peso, resma a
36400, 3-580Q e .
ua miiiio fina pata bordar, libra
Fita de algodo para -debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, peca a .
Penles finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 2't0, 30 e......
Ditos para aparar peona a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de la d*caracol pec-i a 40 e
Fila do coz petja a 480 e .
Alfinetes de lato a. .
Sapatosde 13a para crianca a 400e
Grvala de sedas de cores a .
(hlcadeiras a.......
Gratule sortimento de rendas das Imas.
Um par de suspensorio de borracha por
lOOris! !!!!!!
\a verdade rna do eluiad*
n. ..
30
320
16800
320
100
800
15300
loro
720
500
f:S500
1:>000
160
32*
600
2*000
320
700
500
240
ZOO
80
400
1-5000
1*400
400
500
100
ffif)
l400'
35000
4*500
6*5CC
160
480
320
600
100
100
100
560
100
800
200
80
VENDAS l GROMO
A PREGO FIXO E MDICO
NO
muito proprio para barcacas e hiates ; vendem-se
no annazem de David Ferreira Bailar, ra do
Brum n. 91
0 MUSEO BE JOTAS
rPEHfflCHA
Os baldes do Pavao a 21000,
Cheg u om grande sortimento de baloes
ou crenolinas do feilio mais moderno muito
proprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 2*000 ca
da um grande* pechlncha
AS CAMBRAJAS DO PAVAO A 4:500 RS.
Vende-se ma grande pon.ao de pecas
de flnissim i.i brajas brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com'mais de vara de
lanrura pelo'-barasfluiQ-preco de 4*500, a
(te?a sendo fazenda -<}e -nnnea se vendeu
por menos dc-RWOO, grande peehincha.
AOS PALITOTS DO PAVAO A 18,? o
^. 20:5000.
. Vende-se um bonito sortimento de ptnto-
ts francezes sendo, sobrecasacados e pr.w
priamente s(*re*casacos. que se vendem
.feriados de alpaca a 184000 e forrados de
serla a 20*000. pedtvha. ^___
CEWENTO
ronTLANn.
Vende-se no arm.i7.em amarelln de Veente Fer-
reira da Coela & fiUm, defronle do arco da Con-
ebico, em barricas grandes _______
Vemlrm-se divt-r-n< esciavns peeas,pmprias
para arniazeni ou engenhu, viudos do Cear, as-
sim eornaafnnjascscravas eom h bilidndes e sem
ellas : na ra da Cruz n 53,3o and ir.
Bichas haoibiirgii zas
Ra da Catata n. 51.
Neite nqvo depeello reaube-se pr todos os pa-
qtaetea tranBtlantine, birbas de qnalidade supe-
rior ; vende sr emvaixa ou porfo mais poquena.
e mal* barato do que em qaMqoet outra parte :
Ufe na da fadfia n. SI. I" n.lar.____________
Vende-se una carien a para os, nplorio *. na
rea larga do Rfesari' w.tl. teja ^ eali?*
Sna Nova
Linda9 cassas fnn-cza? e organd.ts d.' cfttrs. pelo b'indisfitno pnco de 0O11 rs. o aietre,. qw eorrespoirde i 320
covado: oa loja das Columnas, na ra do Crespo n. 13, de Antonio Correa dt Vasconcellos.
oSntenrtWesdeuina reflnaSn de amuear, taelio?,
caldelpalHirtiapas de fcrro fundido para f-irnalha.
' caxoVpat deihiiiio de assuear. e tudo que *
pos'ivel para urna reflnaca trabalhar : quera
pretender dirija-se rna do Bru-n, funlica" de
m un
* ubi
l.irloso & Irma", que l achara eom mera tratar.
Tambera se veudenn aparados esie nfijerto*
TI seMKWRi. r
VHndora#B na roa da Gru n. 13, dinVrentf'
quaii4ii4-de hormlira, romo sejam. fnf'tira p*ira
rtrm c enMi^s d- jarfim. bv*to< d dalt^, d tas
'le angeticas sncena?, Tofelras de differeates qua-
lidades.
Para quem qaizer ter um ii iidunetito de 8*
a lo* por da.
Vende.?' un) sitio di e-tr.da bova de Bebenhe
com IODO patraos de frente o 1.200 Tundo,
maior parle de-te terreno est plantaan de eatnm,
epor i-wb'dtma WMnrlu para qiwqi o \m-u-n-
der : a tratar na ra larga do Uosano n. 22,
lid*.
ESPELHOS em quadros doorads de Vi */3
Vi '/ V % a dona 4*000, *2*00,
24400, 16900 e 1*300.
LAFIS finos a groza 2*200, 2*600,3*000,
3*400 e 46500.
DIT0S com caneca de osso para carteira,
a greza 4*800.
DITOS muito superiores para carpina groia
2*600.
DITOS muito finos com duas cores a groza
145000.
FIVEtLAS d'ago pulidas e envernisadas
para alca e collete a groza 1*500.
OCULOS aro d'aco. vidro de grao a dozia
3*500. S*000 e 9*000.
LUNETAS OU WNCINEZ dem dem a du-
ria 9SO0O.
E inuilos outros artigos que s com a
vista podem ser apreciados tanto as qua-
lidades como nos resumidissknos precos
por qne tudo vendido.
Alm ditt'j faz-se os abatimentos na razao
seguinte :
Compras de 30* a 100* descont 5 %
t deln0*a500* 10 T
de 500* para cima 15 */
PAGAMENTO BEALISADONA-MESMA DATA
em letra de 30 dias menos 2 '//
em de 60 -8 /
Jos da Souza Soares 6 C.
Vende-se por menos de sr vafur a meude
da rasa da ladeira do Varador, era Olinda, n. 16,
quefi dosInrdeirns de Joaquim Jernnynmi Serpa,
garantindo-se aehar-se desembaracada : a tratar
jar eom o leiloeiio Martins, ra do Imperador nu-
mero 16.
r
_ Vend'-<'' in-il.ua n'-ri'a nizinh'-in e en-
[ommadeia. sadia e e:n defeltos : a tratar na i*
unitaria franceza.
Gaibrolet.
Vende-se nnural.ri>! >! de d-uv- e qnairo MW*
tos, o que ha de inel' r peTero. mm Imw
.avnU-1 e arrei *"* : na ra de Sanv
\intro. f>eheira d Thoraai t.ins.___________
_ Ven i r,,ri 'i11!1
n. f64: quera a quizer dirija-se a mesm.
A ra do Livramento 8. continua a W
er para wndiT per precos ras.-aveis, 0
mi'ilior vinho terfle at bo$ vfcds a st
iieirailr.
, Ha |>ara vemler-^Uma boa eacn
inii'-s di- idiid"1 ma de ti a-
ru d
TZ"
Hh<|ii"i.
Wliiletu-"
Ni
M) airaos, que tambera codo : na roa de
IIEGM
> -i. i


I
I
M
tmm
wufrnpo PqaH^H.iMffi^ -<*** ^iMHffn^^^f^Wftia

LtQBIDAO
proprietario do armazem de fazendis denominado AllAlt.V, rua da Impera-
triz n. 72, declara ao respeitavel publico, c saus IrepizesJ pie -esti liquidando rodas as
fazendas e ronpas feitas que tem em sea esla'iel.vimento como se poder ver no seu
annuncio e preco ahaixo mencionados,
Chitas francezas matizadas
3O rs.
Vende-se chitas francezas escuras nnti/.n-
3asa320 rs. o covado por esto preco sna
toja da Arara, roa da imperatriz n. T2-
LiAZINHAS A 240 RS.
Vende-so I5nzinlias para vestidos de se-
nhora a 240, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
1UREGES DE LA\V A 500 RS.
Vende-se b.treges de laa com lislras para
vestidos do senhora a OO e 040 rs. o
covado.
Alpacas le ttstras a 500 rs.
Vende-se alpacas de lislras para vesti-
dos do senliora a 500 rs. o covado.
CHITAS FRANCEZAS A 289 RS.
Vende-se chitas francezas claras a 280ra.
o covado.
CORTES DE LA PARA VESTIDOS A
25400.
Vende-se cortes d i la para vestidos de
seahoras a'2$400 cada um,
PERCAtJiS A 4i(i RS.O COVADO.
Vende-se percales multo finos para ves-
tidos de senliora a 440 rs. o covado. mur-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
bri'hantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Baldes moderaos de toda? as
cores.
Yende-84 baldes moderno sbranco cdeco-
rosa 4. M300e5?.
COBERTORES DE ADGODAO A 1:5800.
Vende-se cobertores de algodo a 1 $jOO, i
cobertas de chitas a 15600 c 25 cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de hamcm c
meninos a 400 rs. o covado, casemirns de
cores para calca e palitots a 25500 e 3#,
o covado, meias casemiras enfestadas para
calcas e palitots a 15 o covado, brim pardo
de todas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na rua da Imperatriz
o. 72.
Alpacas lizas a OJO rs.
Vende-se alpacas de cftres lizas finas a
640 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLO ENTESTADO A 35-iOO.
Vende-se pecas de madapolo enfestado
a -'15500, peras de madapolo inglez de 24
jardas a 5#, G5400, 75, 85 e 105 a peca. cada urna.
AS IVAS
11-RTJA DO Q
Algodo eafestado h OOO rs.
Vende-so algodlfo onfestado proprio para
lencos c toalhas, 900 rs. o metro, dito
trancado a 1 $, metro.
Chales de merlu 2 A.
Vcudo-sa diales de merino estampados
a 25, chales braacos c de cores a J5000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 040 RS.
Vciide-sc u:na grande porco de cortes
de brim castor para calca de horaem, 640
rs, cada um.
Uraade porco de retalhos
Vende-so grande porco do retalhos de
chitas e cassas pretas a 160 o 00 rs. o
cava lo, re albos de c issas, la e chitas de
ores baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vencle-se palitots de brim de cores a 25,
ditos de alpacas de cores a 25, dios de
meia casemira a 25 e 25;00. ditos de pan
no prelo bom a 85 e 105. caifas do algo-
do azul para csciavns a G40 rs. ditas de
algodo de lislras a 800 e 15, camisas de
lascado de lislras* a 800 rs. cada urna, cole-
tes do brim e fuslo de cores a 15 e 15500,
colotes de cesemira de cores a 25500 e 3-\
c outras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de llstras a O rs.
o corado
Vonde-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PEGA DE ALGODaO A 45-
Vendem-se pecas de algodo 45000.
O5200. 65000 o 75, para liquidar.
Ralcs de arcos 1$500.
Vcndo-se bales do arcos pan senhoras
pelo baratisstmo preco de 15500 cada um,
Cortes de cmbrala barras
a 3-SOOO.
Vende se corles de cambraias barrsa a
25 o 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liqnidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 15-
Vende-se carteiras para viagem 15
Chegarrm da Europa pelo ultimo vapor loja'de Augusto Porto C. ricos
cortes das mais linda sodas do mimosas cores para vestidos propros para bailes o casa-
mientos.
Grande variedade de sedas de lislras de diversos preces todas de lindas cores,
gorguro de seda preia o grosdcnaplo de varias qualidades o gorguro do seda la de
diflerentes coros.
Novos vestidos braacos deblond pan noivas, lindas colxas de seda para camas,
ditas do la e sede, cortinados bordados para camas e janellas, Croabas c toalhas do
cambraia de linho bordadas.
. Luvas novas de Jouvin, elegantes sdmbrinhas do sflJas de cor para senhoras.
Esparlilhos de 55 at 05, lindos bournous de cachemira de cor para sabida
do baile, basquinos de renda prcta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grando variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento do nanitas fazendas de la, linho e algodo todas por precos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano c camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar salees tudo em quantidade; e vendem sempre^por menos que em outra quakjucr
parte.
Esteiras da India de 4.5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
DAS MACHINAS
CACHINAS americanas do serrote *dc todos os tamanhos para descansar algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Colton Gin.
vfACHINAS ditas, tambera do serrotes o de todos os tamanhos para descarocar, al-
godo do autor New York CottoQ Gin.
vfACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
vlACHINAS dRas do Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
ACHINAS de faco do fabricante Platt R. & C, Obdhan PatcntLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade o as melhores que tm
/indo ao mercado ; e para a sua apreciaco convidam-se os senhores agricultores "
?irem a exposico das mesmas na rua da Cada do Recife n. 56 A, loja do Rastos, onde
contrario mais o seguinte:
72. Rua da Imperatriz. 72.
JM
Lourenco Pereira Mendes Guimares, proprietario do armazem de fazendas
denominado GARIBALDI, tem a honra de pirticipar au respeitavel publico que tendo
recebilo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
novas encommendas que de ve estar aqu at o da 15 de novembro vindouro, e vendo
que nao tem tempo antes do bataneo de vender tantas fazendas de encomuendas p isso resolveu fazer urna liquidacao para ver se da' maior, estracao por isso em vistas das
ciicumstancias vender tudo mais barato do que em outra qualqucr parte, na rua da
Imperatriz n. i6.
MADAPOLO ENFESTADO A 35500. | CHITAS PRETAS A Ifft
Vende-se urna grande porco de madapo- Vende-se urna grande porche de chitas e
lo enfestado de 12 jardas a 35500, assira cassas prelas em realho a 160 o covado
com) p-cas de madapolo inglezes de 24 lambem tem retalhos de chitas e la de c-
jard;,s ou 20 varas a 55. 55-i00,65,0,511)0 res que se vende barato.
75000. 85, 95 e 105000. angas para calca a 390 rs.
Corpinhos a 200 rs. Vendem-se urna grande porco de gangas
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500 para calca de h >m m e menino a 320 o
Vende-se pecas de cambraias victorias covado, curtes de castor para calca a 640
Qnas a 55500, 65 e 75. Brilhantina bran- cada um.
ca tina para vestidos de senhoras a OO Brlu de cores a -f OOrs.
rs. o covado I Vende-se urna gr.nde porco de duas
ALGODO A 45000 faces para calcas, palitots e cohetes de ho-
Vmde-se urna grande p 'rco de algodo mera e menino, fazenda inteiramente nova
todo do t>oa qualidade e 45. 55. 65, 655 0 Brim pardo liso a tt 0 rs. o metro, dito
75. e 85, a peca de 20 jardas ou 24 trancado lino a 800 o 15000.
Jebulhadores para milho.
]ylindros para padarias.
irados americanos.
]arrinhos de mo.
Machinas para cortar apira.
Pannos de chumbo,
tambas de Japy.
Ditas americanas,
reinas de ferro galvanisadas.
Rodas de zinco Gnas.
Ditas de cobre e latao.
?erro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
?olha de Flandres.
Machados americanos.
7acdes ditos.
alaios e cestas de verguinha.
/assouras americanas,
bolles de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
tiversidade seria enfadonho ennumera-los.
Foiha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Ternos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinaces.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais perlonces para as
mesmas.
Latas .de gaz,
ospertencentes lavoura c artes, que pela
varas.
ADMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chama lotes a 560
Vender chamalotede cores, dealgol *
para vestidos de senhoras a 5W o covado.
%lpacas Usas a 500 rs.
Vend-i-se alpacas lisas para vestidos de
cores, para senbora, a 50 > rs. ditos matisa-
da fiuas a 720 o covado. Dita* lisas mui-
to largas a 640 o covado.
Grande liquidaco de chapeos
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca om
pequeo defeito a 25 e 35000, ditos finos
de liastes a 45500, ditos d* seda finos
de 8 astes a 7550u, 85000, ditos de 12 e
16 astes a 1050OO, para liquidar.
Chitas para cobertas a JO rs o
covado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
iTTWKll 10 Llifl
Grande armazem de fazendas e ronpas feitas rua da Imperatriz
n. porta larga* de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 35. 35500 at 65. Ditos dt
merm, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 55. 65. 85 e 105, do panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 35500 a 55000. Calcas de*T)rim de cor finas c ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 45. 55, 65 a 155. Cohetes de todas as qualidades o preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linho de 25 at 55
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho c bramante a 25 e 25500.
Grvalas (mantas) novissimo gosto a tolos os precos. Meias sortimento completo a 35
i;) at 75 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com-brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de M palmos do largura a 15800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 15200.
Basquines de guipure enfeitadas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 65500, 75. 8* e 95000.
Algudo peca com 20 jardas a 4550U, 55500 e 65000.
Peca de algodo largo a 75500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
feta que se est liquidando na loja rua da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives)do
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porlo.
Machinas vapor de
forqa de 3 e 4ca
vallos.
CORTES DE PERCALES A 6:000 240. 320. 340, e 380 o covado.
V-den-se urna grande porco de cortes CASSAS l'KVNCE-AS A 240 RS.
de nervales de duas saias para vestidos de Vende-se cassas frano-zas para vestido
senliora, de mnito delicados gostos com
16 /i covados a 65 75000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
VMide-seuma grande porco de cambraia
(isa de todas as cores para vestidos a 600
rs. i> metro*.
Orgaabys moderaos a 00 rs.
Vonde-se organdys de cores para fazer
festid-is. de duas saias, agora modernos, a
800 r9. a vara. i
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
cares a 80. Ditis matisadas escuras a 320
dit-'s escuras escocezas a 3R0. ditas alco-
xom'Is a 360, ditas garibaldinas a 360 o
covado. Sortimento de chitas como tem o
Gai haidi ha poucas lojas que compitam.
FSTOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
V nde-se fusto de coras para vestidos a
400 rs. o covado :-
COBERTORES A 1:400
V--nde-se cobertores de algodo a 15400
cob.-itan de chitas ( ita a 15600.
V mli'-se grande porco de corpinhos a
64(p q30 20 e 400.
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
a*sim como percales finas para vestidos a
440 o covddo,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias croas para homem a
35500, 45. 55. e 65000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 355n0 e
45000, ditas para senhoras e meniuas a
35500 45, e 55, a duzia.
BALOES DE ARCOS A 1:500
Bales de arcos a 15500, ditos modernos
a 45000.
ATTENCO
Tem-se para vender urna grande porco
de roupas feitas de brim ede casemira, de
todas as qualidades nao se menciona por
er enfadonho. garante-se ao comprador ven-
der mais barato do que em outra qualquer
parte, isto s se pode conhecer com a pre-
senca do comprador e a vista da fazenda
que se pode conhecer como est liquidando
por barato pre$o, o general Garibaldi, roa
da Imperatriz n. 56.
Chales de mcrloo a tAOOO
Vende-se chales de Merino de cores es-
tampados a 25000. ditos lisos a 35500. di-
108 estampados finos a 55. 55500 e 65000.
Motores para 2 cavados.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar caras.
Fogo americano patent

BRACO
\
Scbonete de almtrdo.
DI
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tao bo>
scceitaco tem merecido n'esta provincia
nuito se recommenda para a car cert
das impigens. sarnas, caspas e todas a
molestias de pelle.
Deposito anico,
Pharmacia de Rartholomeo C,
34rua larga do Rosario34
Vende-se nm o ierren ni rua da Conoei-
cin n 19 : a tratar na na da Aurora n. 132 A,
caos o agente Euzebio.
Rua do Imperador"n. 26
i* Neste estabelecimento se encontrar diariamen-
te um complrto sortimento de pastelaria de todas
s qualidades para lanche e sobre-mesa, ele, etc.,
oolinno de todas as qualidades para cha, presun-
tos do fiambre, bolos nglezes, pudins, e finalmente
Mido que consiste em urna boa pastelaria, com a
nalor asseio e esmoro, cha hysson, preto e miudi-
nho do melhor que ba no mercado. csta casa
iecebem-s.> encommendas para casamentos, bailes
rhaptisados, compreineltendiwse os donos do es-
* belecimento a ser ir o melhor que for possivel
a Tontade do fregu, dispondo para esse fim de
um completo pessoal. Recebe-se avulso toda e
_. I pialquer encommenda. como sejam, bandejas,
^- :bolos e pies-di' l decorados, doces- d'ovos, seceos
ode calda e crysialisados, fructas nacionaes e es-
trangt'iras. amendoas confeitadas. nm completo e
narrado sortimento de caixinhas de todos os gostos
* precos, para mimosear senhoras ; estas cixi
tihas rec.enternenie chegadas de Pars, sao de pri
morado go to, olTerece molas aos galanteadores do'
illo sexo, pois nellas acharan nm digno e serio
(msente para as dona- de seu* pensamentos lieo-
re, vinhns finos de toda" a-< qualidades, conservas
Urudlhos em latas. Os donos de jg n5o se poupandn dspei*s, farem todosos
'torcos para servir o respeitavel publico o me-
t v que htr pussivel, b sendo principiantes e la-
entido com todas as diffli-.'ililades, esperam a con-
orrencia do respeitavol publico desta capital, na-
innaes e estrangeiros. Pechincha : legitimo vi-
Wi mawa'el wn caixas, ijue se vende por commo-
I profii para partirniari- e para negocio.
Grande c completo srjrtimonto de lofcfcinas para
descarocar algcdaodo nova inven cao clicgadas ul-
liinamentc om direitura para a" loja de Manoel
liento de Olivcira Braga & C, na rua Direita n.
oJ. Garante-so que 6 a melhor qualidade que ate4
o presente tem vindo ao mercado : acham-sc em
exposicao aos compradores as do 10,1% t, 10,
18 o 20 sorra?.
Systema decimal.
Grande o completo sortimento de pesos kilo-
grammos da melhor comprehensao dos que tem
vindo at o presente, asim como marcos do latao
at meio grammo pelo mesmo syslema, balancas
de latao de torga do 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira o de latao para medir fazendas, alm
de grande sortimento do miudezas o baragens de
todas as qualidades, tudo por precos que s a vista
faz crdito : na rua Direita n. 53, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C.
COGNAC.
De superior qualk ade da mui accredita-
da fahrica de Bisquit Dubouch 4 C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. rua do
commercio n. 32.
BAZAR UNIVERSAL
*Rua Novatt
Carneiro Vianna
Neste BAZAR cncontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que*se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposicao servicos a electos para almo-
co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima demesa,
parede e portal, mangas, tubos c globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagcnvditas do bataneo,
espelbos de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento do cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto.
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e efteo, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontraro
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar. ____
m HAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Porster 6
<1, rua do Imperador, um carregamento de ga,
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a reulho por menos preco do que em outr qnai
quer parte. _______ _______________
CIMENTO
Vende-se verdadeiru cimento; na roa da
va ir de D''i>s u. 21, aroNzem de Jo5o
Martina de Barros.
Loja de miudezas de FERREIRA DA CU-
NHA & TEMPORAL, cstao quimando por
todo preco venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de2i0 a lv
Lindas em novellos de 400 jardas a
60 rs.
Pecas do tranca de todas as cores a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 2^000.
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 500 e
640 rs.
Ditos com banha 320, 500 e 1,5200.
Ditos do agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portuguezas a 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 c 240 rs.
Grande sortimento do sabonetes 80.
120. 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
1.9200.
Lindos port-main 240 rs.'
Pentes de travessa para meninas 200,
320 e400 rs.
Duzia de meias inglezas muito. finas a
30800
Ditas de ditas para senhora a 4550O.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 1200.
Pecas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros do velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pents braocos finos para alisar a 240 e
3>0 rs.
Macos com grampos 30 rs.-
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 10500, 20000 e 30000 ao par.
Jugos pra vispora a 200. 40 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nanca onde contina a vender
pelos baratos preqos de seu an-
tigo* estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanza.
lina lo Quelmado n. 3.
i~~
Attenpo
Na pratat do Corpo Santo n. 17, l'l
andar, vende-se mais barato do que em
outra qualquer parte cal de Lisboa e i
pnlassa da Russia da mais nova no mer- M
cada, assim como vinho Bordeanz de su- 1
lor qualidade em caixas e garrafas. !
gratos,
[VRAATO N. 7.
me-se seltins'e
Is quaHnbs do melhor
i wscjurTIOTSbrfcar no p'arf,*flssim como os
mais arreios pertenrentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, traviceiros, I-
ntas com almofadas, prmias para ranfini
levar para aula. O prhpnetario destella-
belecimento garante a punta!idade, ejUW-
ro e zelo de seu trabalho ; porlanlo pecypKi
respeitavel publico sua proteccao, qaeafi-
Ca vender tudo pelo mais barato posswel.
e por monos do que em ontra qualquer
parle. ___________ .-
3 cordeiro providente
Rna do inclinado n. 18.
Novo e variado sortimento de perfumaras
linas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfti-
marias, de que efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdcnte, ella acaba de
receber um outro sortimento que se toma
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
iade, qualidades e commodidades de pre-
sos; assim,poi3, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a mereoer a apreciaco
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n5o se afas-
tando elle de sua bem conbecida mansidao
a barateza. Em dita loja encontrarJo o
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Laminan.
Dita de Cologne inglez3, americana, fran-
eza, todas dos melhores e maisaereditadoi
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontlgico para conservaco do
sseio da bocea.
Cosrcetiques do superior qualidade echd-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coa
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
i outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
nenie finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade.
com escolhidos che ros, em frascos de difie-
ren tes lamanhos.
Sabonetes cm barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transpar^ptes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos cm caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bero de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
s boneca.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de eamphora e outras differentea
nialidades tambem para (lentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais roques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filete de vidrilhor
a alguns d'elles ornados de flores e fitas,
stSo todos expostos apreciaco de quec
s pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHUS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Flvclla e Mas para dato*.
Bello e variado sortimento de taes objec
-os, ficando a boa escolha ao gosto do cono.
orador.
prego commodo : na rna
urna vacca de telte por
da Cnu n. 13.
Bartholomeu & O,
ViNHO, PlLULAS, XaROPE E TlNTURA
de jrubeba simples e ferruoufoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da misma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & CA
Pharmaceuticos-Droquistas
IIKttNBKO
A Jurabcb : edi plaau boj*
como o miif psderuo lomeo, como
ilesobsiroenle.e como til jpplic.li oos f
do Ggido e baco, bepatile, duren, ni
nos e especialmenle do ulero, bjdropwin, trpt
pellas, etc.; e issocud ao tarro mil ana palltaai
cores, cblorosea e falla de ancnslraacao,
ios do estomago, etc., o qne d
ooamera* cara* importantes obudaa
preparadoa j bess eoobecidoe asada
distioctoa medico do paix Ponapl. Eai
bohos depsitos dlstnboimos (ralis '
BMibor fiseo coabecer a Jarabak* so
aapplicacA.
VERDADEIRO LE ROY
al* sj|*a !**, D*ctrafwai4aalaj
Ru da Saino, 61. & PARS.
Emrad.i garrafa, *aj. rain a ralban n ,_,
qiie Ira rocu s at>, ua) nrtul* ssaprna na -
rcllttoai o a*no launaiA m c*tf > >%x% a
batfjna.aaiUnl
JTE*

*'
*

fl



*.'
A
i
Diario' "tfe Prnaaitaco Seguua fera 8 de Novenbro "Je 1869.'
.t
*- .....H ^ ""!'
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEi
DO" -^
DE
FLIX SnSRIRJL A SILVA.
0 proprietario (Testo grande estabelaeimento, vendo quo se est aproximando o fin"
do anao, o tendo etn ser um grande deposito deposito dofazendas ; nao fallando ero
avultadas encommendas que loes cslSo obrigado todos os dias, tem resolvido liquida-
las por preco muito mais baratos do que em outra qualquor parte ; 80 com o firo
de diminuir o deposito o apurar dinheiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVAO, avultado sortimento de azadas do luso o modas; assim como de primeira
necessidade As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja podero surtir-
se vendendo-se-lhes pelos presos que compram, Q eelleotissimas familias poderSo mandar buscar as amostras de todas as fazondas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aborto das 6 horas da manha as 9 da noite.
Esplendido sortimento de Naloja dopav5A05vSem-semodcrnissi-
rOUOlS feitlS mos chutes de fil preio com lindas palmas
NA LOA DO-PAVO A RA DA de seda, pelo barato proco de 3,5000,
MPERATBJZ N. 60 pe chincha.
Acha-se este grande estabelecimento com- BASQ1 AS A I
pletamente sortido das melliores roupas,
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
sendo calcas palitts o coletes de casemira, deruas basquinas ou manteletes le guipure,
de panno, de CE, de alpaca, e de todas EftiteJUSfeS pSvvfstidos A
oo mQc fa,anHa nuA n rnmnr.iilnrfiS. nos- IOSTOhS BRASLOS PARA VLbIlUU> A
400 RES.
as mais fazendas que os compradores pos
sam desojar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer j
Na loja do Pavo vende-se um grande
sortimento de bonitos fostes brancos, pro
qualquc7^deobra7com'a maiorpromp-! P"os para vestidos e roupas de creancas,
tido vontade do freguez, e nao sendo assim como tambera para roupas de bo-
obrigados a acceita-las, quando nao stejam mens por serem de lavores miudintios e
completamente ao seu contento, assim como bantanto encorpados, e vendem-se pelo ba-
n'este vasto estabelecimento encontrar o rato preco de 400 rs. o covado nicamente
respeitave, pg. m*> sorthmen* de na ^"jg* JSffS^J^
camisas fraocezas e inglezas, ceroutas ae Yende_?e nm grando or,mento das mais bom-
linho e algodo e OUtros muitos artigOS as alpacas lizas tendo de todas as core, mais no-
proprios para horaens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outraqualquer parte. Na ra da Jmpera-
triz n. 60, loja c armazem de Flix Pcrci-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcSo de cera de
' carnauba ora saceos por preco mais barato
do quo em outra qualquef:'na loja do
Pavao ra da Imporalriz n. 30. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeiiavel publico neste estubeloci-
meuto un grande sortimento do fosendaa pretas,
como sejam. lassas francezas inglezas, ebitas
preus de todas as qualidades, lanada de laa de
todas qiiM tem vindo, proprias para luto, cima
sejam, ISaainbas, alpacas tarrada* e lisas, cautao,
toomhazinas, merino, ce, que ludo so vende por
preco barato.
ALPACAS LAVRADAS
Na luja do Pavao.
Chegou pelo ultimo vapor um grande sortimon
o das~mais modernas e mais bonitas alpacas la-
vrada- para vestidas, leudo entre ellas afumas que
fazem a vista propriaraer-le Je seda, c vendem-se
por procos muito em cunta.
AS o \ssas do PAVAO
Cofd a ;i,)n rs-
Vendem-se finissimas cassas francezas enm lin-
do- dMWihns) a cores Usas a 3(10 rs. o covado.
Madapoliio francez a 7&000 rs-
Vende-se pecas de madapoln francez
com 2-2 metros pelo baratissimo preco de
7(5000a pct;a, pechiocba.
TARLTANA
Chegou nm ramle sortimento de larlata-
nas brancas o de todas as i-Ares, assim
como fil brinco liso o te salpico, que se
ven le mus barato do que em outra qual-
quer paite.
Alias BfttiMes em sedas
Cheg. >u un] grande sortim nto das mais
moder ias [i>)U|ielinas ou gorgoritea le seda
8 liuho com os mais ciegan es padies que
tem viudo a este mercado sendo, miudos e
grau los, nulo em cortes p ;im vestidos como
para vender em covado,' as im como um
bonito sort'iui'nlo das mis bonitas sedas
listeadas que se vende tudo muito emcwita
Grostlenaples Je coros
Chegou nm grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos que w von lem tnuito mais barato
do que em outra qualquor parte. 4
CHAPEOS DE RIUM A 2*000 TtS.
Cb<*g<>u urna grande porcio de chapos
de bnm para cabera qu se vende pelo ba
ratissimo preco de 2r>i>00, por terem che-
gad<> com um pequeo toque de mofo,
pichincha.
GRANDE PECHINCH A A ."5:000 RS. PECA DE
Uretaaha
Vende-se pecas de auperor bretauha de
algodS leudo quitro palmos de largura
com 20 varas ou 2 metros cada peca, esta
fazenda seria para costar 85000, a nao ser
orna gnnde compra que se fez, e liquida-se
a 5O00, cada peca.
Cortes de chitas
Com 10 covados a 3:20 .
Com 1 i covados a 3:520.
Com 12 covados 3:840. _
Vende-se superiores chitas de padres
claros e esotros pelos presos cima men-
cionados sendo fazenda que se fosse vendi-
da a retalho nao se venda por menos de
400 rs. o cevado. isto pechincha,
Cierguro para colletes
Vede-se o mais superior gorguro preto
com diversos padroes p^-lo barato preco de
6#>* o cortrt de collete.
Admiravel pechincha
ALPACAS A "400 RS. I
UE FURIA Q)RES A 400 RS,
ALPACAS A 400 RS.
Vend^-se um grandf sortimento das mais
brilhntes alpacas de fui ta cores com as
mais lindas o mais modernas cores imitan-
do perfeitamente as sedas de furia cores
sendo nestH artigo o mais novo que tem
vindo a. mercado, para vestidos, muito pro-
pria para as senhoras que forem passar
fe>ta no camp, por ser urna fazenda de
muiti fantasa e pelo barato preco de 400
rs. o covado.
Bretaaha de rolo a *SOO a
peca
V^nde-iie superior hretanba de rolo ten-
d 10 vara ou IJ metr-s com 4 palmos
da larjfora pelo barato preco de 25500,
peebii
&* CtlMA^
A AGIA BRANdV tem conviccao de que a abundancia de objectos de novidade-
em :$e constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a supenoridas
de de qualidades, e a limitacao de seus precos, est50 na op ni5o do respeitavel publico
em eral, a na de sua boa freguezia em particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever selentificara todos, da recepto d'aquelles objectos que estao alm do commum,
comj bem sejam :
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas o os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
vas que tem viudo ao mercado o vendeni-so a 6i0
rs. ao covado.
ALPACAS BRH.HANTES A 610
Na loja do Pavao vende-se as mais bonitas al-
pacas lavradinhas, tendo do todas as cores quo se
vendem a 6i0 rs. o covado.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegou para a luja do Pavao um grande sorti-
mento das mais bonitas alpacas brancas lavradas
e de cordo sendo n'esto genero o melbor e mais
lustroso pue tem vindo ao mercado, tem algunias
lito linas e tao bonitas quo servein para vestidos de
n 'ivas p vondom-se por commodos procos.
LAZINHaS HODEdNAS NA LOJA 1)0 PAVAO
Ch. gou para eslo cslabolecimcnto um grande
sortimento das melliores e mais modernas laa/.i-
nbas para vertidos, sendo lapadas o transparentes
de todos os preces e qualidades que so vendam
mais barato do me em nutra qualquer parte.
APACAOOU GORRAODK LAA A 800 RS.
Xa loja do Pavao vende-.-e o mais bonilo alpa-
cao de eoMao tendo de todas as core?, sendo fazen-
da bastante larga a 800 rs. o covado.
COLCHAS DE Fl'STAO
Na laja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de colchas de ustao sendo brancas c de cores
diias de croch para camas de noiva, assim como
qanitos damascos de lia para c debas.
ALPACA BRANCA A CW
Ha loja do Pavao vende se alpacas brancas lisas
omito linas a ti'tO o covado.
CHALES DE CliACKMIRA A 65, 10$ E
JjQOO,
Na loja no Pavao vendein-sa os mais
bonitos Chalos de veniadeira cachemira de
cor, com os desanos mais modernos, a (#,
10 e 126000. muito barato na ra da Iu>
peratriz n. 60.
Oi^andvs a 300 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com pad-oes miudos egraudos. sen-
do lodos de cores Rxls-, pelos baratos, pie-
ros de :?0) rs. o c.ova lo.
CAMISAS PARA SENHORAS
Chegou mi grande .-o tmenlo de cami-
sas fraocezas para senhoras, sendo lisas e
bordadas, assim comotim grande sortimento
de corpinbos de cambraia bordados, cami-
nnbas e manguitos com gollinhas que se
vende muito em conta,
\LPACAS DE CORDO
Vende-se as mais honitas aipacas de cor-
do, leudo detodad as cores, as mais novas
que tem viudo ao mercado c vendem-se
mais barato do que etn outra qualquer
parte.
Os setius do Pavo
Vende-se os mais bonitos selins de cores
e mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversa* cores.
ALGODO ENTESTADO ;
Vende-se urna grande porcao de aigodn-
sinho americano com 8 palmos do largura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trrucado que se vendo por preco muito em
cunta.
anos de linho
Chegou um grand sortimento de pecas
de panno de liuho do Porto que se vendem
de 700 rs. at 15000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ha nada me-
Ihor, nem mais proprio para lences e toa-
lhas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou nm grande sortimenio dos me-
hores chapos de sol de seda, ingiezes ten-
do nesle art go o melhor que tem vmdo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de indas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em oitra qualquer parte, por liaver
grande porcao.
i,euros braucos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos brancos para homem, sendo a duzia a
1(5600,2*KX) o 30O0, ditos abanhados
muito tinos a 45 e 65000 a duzia, ditos de
esguiao fazenda muito superior a -j, 65 e
75000,
CASAQUINHAS DE FIL
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos casaquinnos de fil preto sendo o
modcllo mais moderno qne wm viudo ao
mercado e vende-sn pelo baratissimo preci
de i.5000 cada um, assim como um boni-
to sortimento dos mais modernos basqui-
nas ou rasaquinhos de grosdenaples prelo
ricamente enfeitados que se vende de 205 a
355000.
Pechieha en easenlras a 4:o
Vende-se finissimas casemirasde cor enm
lislras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preC"
de 45O00 o covado ou 75000, eada coi te
piando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras macbetadas, com Ihesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
senta, tendo algumas com musiija.
Estojos ou carteiras de ecuro com nava-
lhas, e os mais necessarios paraviagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas. dentes, cabello e ropa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para denles, caetas,
didaes, brincos, alftnetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes do cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botoes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventurino com o p de
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Rendado bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com sal picos.
Pequeos e delicados espanadores de
peonas coloridas, proprios para piannos,
oratorios/etc.
Ronite's passarinhos de metal prateados,
Sara segurar costuras, tendo almofadinhas,
e velludo para agulhas e alfinetes.
Tbesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas Ara frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligetTtes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de t3o bom
em tal genero, e ainda assim cqsta cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abflndar5o
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuado a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
escrever minuciosamente por seus no-
infinidade d'objectos
pra dourada, para colletes, cada um 55- mes e qualidades a mnn.uaae uoojecius
qne constantemente se acham a venda na
loja da Aguia Branca, seria sen3o impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
Bnloes de cristal, encastoados cm prata,
para punhos, 45 o par.
Camisas do flanetla para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creancas.
- Dilas de dita, terido de borracha, para
quena soffre de IncbacSo as penias.
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de sen agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Queimado n. 8.
Assucar:e oxido de ferro de
C'bante.md.
O assucar fe uijinoso doChanteaud obtido
pela assciaQaO do exido de ferrp tnlcii
lurel coin
Esto assncar, (W^m Bella- apparencia trxti
lem o simples costo mili sgradavel do assucar,
sem o menor sabor adslriagente : nao tem aefio
irritante sobre a mucosa do estomagu c ent^tin.is,
e 6 rapidamonti 1 pelo apparelho digesti-
vo Sem causar as c>msii|>acos do ventre.
E' hojo o preparado de ferro do mais aceitado
para a colorse atona dos orgios, perdas brancas
menstruacoes difficcis, ele, e tem a seu favor o
juizo aulorisado da escola de medicina de Pars,
e dos cbimicos os mais notarais.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia do Bartbolomcu & C, ra lai ga do
Rosario n. 34.
O Campos da ra do Imperador n. 28 tem para
vender o segninte:
Queijos, londrinos, pratos, flamencos e de Minas,
todos muito frescos e de boa qualidade.
Presuntos para fiambres e para tempero, palos,
salames etc. etc.
0 verdadeiro bacalho de Noruega.
Latas com (agostas e 6stras.
O verdadeiro caf Mocha.
Especialidades
Grande remessa de cigarros de diversas i|uali-
dades, vindos da provincia do Rio do Janeiro, no
vapor brasileiro Paran
A saber:
Cigarros ao duque de Casias
Ditos ao Maurily.
Ditos aos tonentcs do Diabo.
Ditos Darbacenas.
Ditos Papel pcitoral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Rio-Novo.
Temos do medidas para seceos, secundo o novo
systi'ina (mtrico francez), no armazora do Cam-
pos.
As mais adoptadas e mais facis tabellas para
de prompto se reduzir Q o.* a kilogrammas a ao
inverso estao se acabando por isso recommenda-sc
aos eslabelecimentos que ainda nao tem, que ve
nbamscus donos munir-se desso tao grande agen-
te do commercio, pois (me, emu a safra-que est
porta, toma-so ditas tabellas indispeusaveis.
28-TUDO NO ARMAZEM DO CAMPOS-28
IMl 111 \
FIO DE VEL1
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau & C. Corpo
Santo n. lo. *
SHERRY 0L0E0Z0.
Gelo seal.
COGNAC HENMBSSir.
Em casa de Rabo Schmettau & C. Corpo
Santo n. 15.
HU A FESTA
Veiide-se por menos de 10, 20 e 30
SO' NO
H. 23Largo do Ter BE "*r*--
SIMM) DOS SANTOS & C.
Os proprietarios deste bem sonido armazem de secco e mnlhaaos estao re-
volvidos a lazare urna grande diminuir- de precos as suas mercaduras, como so apro-
xima a festa e sempro se fizem atollada* compras para o centro c praca, por
isso previnemao ranaitaval pubiUSO em geni, que mande fazer suas despenca* e cer-
lus de que vero a grande I.ITerenrn em precos mais do que em outra qualquer pane
M ganuitindii-so as si porras qualidadi-s.
C
Elle um preventivo seguro e certo contra
a cal vire,
Elle d e restaura forra e sankladc a pella
da cabera,
Elle de prompto faz casan; a queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os bellos en
qualquer forma c posi^o que se deseje
n'uin estado formoso, liso e macio,
Ele azerescor os cabellos bastos e com-
pridos,
Elle conserva a pello e o casco da eaheca
limpo c livre de toda a especie de caspa.
Elle previne os cabellos de se tornaren
brancos.
Elle conserva a cabera n'um estado de fsai
cura refrigerante e agradwreK
Elle nao demaziadauente oleoso, gordi*-
rento ou pegadiro.
Elle nao deixa o menor cheiro desagra-
davol,
Elle o melhor c o mais aprasivel arlig>
para a boa coiiservai.ao e arranjo doscr.-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio pata o pen-
teado dos cabellos c barbas dos genito-
res,
Nenhum toncador de seuhora se pode con-
siderar como completo sea o
O CABIXLO.
Tnico Orieuial
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
Aclia-se a venda nos eslaticlecimentos do
A. Caors, I. da C. Rravn A C. I. Mtapw
A C, M. Barbosa, DarUtolenteu A C, c er.
todas as piiucipaes lajas de pertaaari
e boticas._______________________
FlTFIPIIi ir
M
RWA AAriOWLDA BADIA
D
Tciwira UUhinco <3' C.
Acha-se venda este optiaN nao, nico (jac
pode snppru- (alta do prinecza de Lisboa, |*r ser
do nuii aitradavol perfume, viajado, e a i>;
mais mdico posMvel; e p-.r i: so lera sido
acolbido nat pracas da Bail, do Iti > de Jam-iro >i
em outras do imperio : no ofcripUn > d.- J.iaquiat
Jo^ OmnaWos Ueltro, a ra do GmnBcach nu-
mero 17 .. ..
s
SPEKBORt
Itoussillon, carie. blanche.
E casa de Biabe Schmetau *
G 'os'po San n. 15.
A tenorio
dad'
GAZ AMERICANO ).*>()0 a lato, e 440
rs. a garrafa e 60 rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FIGE1RA fiiiO
agarrafa, e ioO a caada e 80*> rs o li-
tro.
DEM DE LISBOA das melliores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 2AH00 e
3(52o0 3 caada, 660 e 7i rs. o litro.
DEM ItRANCO DE LISBOA a 45000.
a caada e JtO a garrafa,.! e>40 rs. n litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, i#400,
1>800 e 25200 a caada.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
a-urafa, e a 7,5 a caada.; 15340 o litro
MXNTEIGA INGLEZA FLOR 15400 o
15280 a libra, 35000 o 25780 o kilo-
grmmo.
DITA FRANCEZA 0G0, 900 e 850 rs.
a libra, e 25100, 15980 e 15860 o kilo-
gramrao
DITA PARA TEMf-ERO 560 rs. a li
bra, 15220 o kilogrammo, em porcao se
far abatimento.
BANIIA DE PORO) DE BALTIMOOR a
SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
020 rs. o kiloraiiuru>.
FARINH\ DE ARXRTA VERDADEIRA
OO a Obran 1A4 BOLAXINHA 1NGI.EZ\ MLITO NOVA a
100 rs. a hhra e 8-0rs. < kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 7<8 rs. o
massn. em caixa ha atiatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCA. 2SO. 4 35200 8 055(10 a gnoa.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMVNHOS 15280. 25500
35500. 4-J5UO. 5550o a lata e a retalho e 15
a l'bra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso. n em caixa ha ahatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se ahatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS. VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CIIATKAU KAU2KAM
Em casa de Rabe Schmettau i C. Corpo
Santo n. 15.

Joaqmm I! idripucs Tavarcs d; Scll
|@ tem para vinder no seu escriptoiio, pra-jB
^t ga do Corpo Sant-i n. 17 primeiro andar,.
2, potassa da Rnssia ultimamenic c\v a da,,'?..,
P{ cal de Lisboa c vinho Doidt-aux de supe-i1;:1]
B rior qualidade. vf\
ATrENrAO^!
A propagaroin homeoptica.
or mezios SO sorceafio
Esta-se veudendn os restos dos medicamentos
hiimcopatieus vindn no vapor Navnne de casa de
Wi'her. IWtatha-w a vontade do comprador, como
sejam: plibnUs em inb'ts, vidros rartidos, ;:lclm-
los ineiti's rnica, tintara matre,dita dvnamitade,
etc.; medicamento esle, todo especial e novo anda
no paiz. PnrtaMp. bom ser aproveKar a opnor-
tnnidado para |iBlcrem-se de remedios de plena
oonftanea e cura.inaravilhosa.
22 e 24--Ra dos Ossos-22 e 24
Confronte o hospital di Santa Thoreza.
AOS SENIIORKS MDICOS OPfcUADOHISS.
Queris possnir un,a bella carteira enurgica
de Loor, com 30 ferr.* f Id.: .1 ra dos 0-
ns. 22 ett, iroo acharas urna por nec .mmo-
do; tambera retalna-so nnesma avoottie do
comprador.
SCiAVOS FII6SC0S.
720 rs. a libra, o IdSUO o kilogrammo, em 800 rs. a arrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 7($ e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
dem de laranja doce aromtica,
i-l a frasqueira e 15 o frasco.
kilogrammo. e 6*0 a arroba. | -Sfi*%j>\ S^ofem^lfhTab'i?-
CAF EM GRAO 65 e6500 a arroba, 3S"0 25800 e 25400 em caixa ha aDau
200, 240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o ^eaU)-
porcao se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo o
35400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
Botica.
Vende-se a botica da ra Direita n. 12, a qual
flea defronte do oia< do Livramento, enm poueas
drogase est pruprw para qualquer principiante,
e so vpnde por piveo commodo : os pretendentes
podero dirigir-se mesma botica, que acbaro
com quein tratar.__________________
Mercurio
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MASSA 20 ^ 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LIIARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
!520 o k logra tumo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, hura como parola bri-
Ihante.combination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-nac. a. n, c, e
soda a 15000 e 15400, cada urna lata. ,
Assim como ha outros muitos
loju e armazem do Pavo ra da Imperatri n. 60.
TOUCINIIO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogramme,
e 1155<0 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO a 15000 rs. a lata.
CHA FINO. GRAUDO E MILDINHO i
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000,
25200 e 15800. rs. a libra,
gneros, vinho em ancorlas, azeitonas,
Vende-se miis barato do que em outra parte :
na na da Cadeia-vclbi n. 1, Io w 2a andar._____
RA lA LORIA %. 5
Olaria do Fundo.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
materiaes, como tiiolos de alvenaria batida, ladri-
Iho, qoadrado do 8, 9 e mais pollegadas, telhas e
lelhoe*. lijlos de tapamentos. O proprietario des-
1% olaria garante a bondade c barro de taes mate-
riaes, como tambem vende-se mus barato do que
em onira qualquer parte.
esappareeeu
hontem as 7 horas da noite da ca do sbaixo a--
signado o sen e*eravo Hilario, idda 2" a 2:1 an-
uos, pivto; altura ri'."!-, clicio do corpo | ron
marea* de be^iga no n--i -, o mosmo v->-v.. rto-
giio no niez passadudo Uaranba fonda Ui-
i;.l: paga-so generosamenle a qaera o apprer.on-
der e leva lo a ra da Crn 0.
Uccife 28 deoulabro de l61>.
I>i-. Maaqaius A Goufalrn.____
Cratifica-so com 00i por um, e mais, cot.iunmi a is-
taacia em que forem capiu-
railos.
Do cnu'cii'.M S iledadc, em Porto Calvo, foidran
junto? n'Mi.r-7'l n- I -.'Uj.
'ianaesso 1 j eeuintes: nm 1 I
dado i itajnr&l doCfar/coreabra,*
um pom-o dis rndo qnandn fi io, lem t# eat* II .3
carapiihad is, 1 '.'-. \ 1 ;.. I a e viva?, I Ka I
dente na frente, rosto nimpridu rcgolar. p
barba por baixo do qteixo, estatura roenlar. I
felo d......rpo, pernas grossos, pea | eiananMi e
bem foitos, c 111 maica de na a i.-rida em runa Uj
urna das Caneas das pernas, e falla e!an >-
embaracad. Oootro 'le nome Mannrl, tan
cabra, tti SKI annoa de idade, na : il ia Na
Grando do Norte.estatora mediana.
barba ncnhnmi, ro.-lo curio, 0II11 e
vivos, w>m [equ 'ii i, rutilar pra tro sura, d.-;ii. s
1 1 eitos e alvos, tir;
t pernas unas, p; r^n-
lares, sabe U5r o turrevcr, loca vk la e tanta de
improvisa, foi munido de blsos dWumentos.
los foram comprados nesta citado da ltrifeao
Esm. Sr. barau de Nazaretli. o prinu :." <<> juthe*
do 1868 e o segundo rm julbo do correa >n-
no. B!a>o a "bos limpo laa e naaVana,
por nao terem sefTrido i-aslifm algum. M.fBi tu
portanlo, As autoridades policiacs, earaaV de
campo, ou qo>lquer peasoa que os encontr, do os
capturar, o leva-Ios a seu remhor, Fran<-ir.. de
Paula Cnvalcanlo de Albuqnerquo M ivaaMa
engenim Soleiiade. no termo de Pullo Calvo, oj
nesta praca ao Sr. Joaquim Hodrigues Tavarcs
de Mello com escriptorio 110 largo doCorio-S-nu
n. 17 Io andar, peto que em qualjner das partes
se dar a gratificacao cima prometida.
23 de ontnbro de 1869._______
Krrif..-
P.
AVISO
Fugio sepunda-feira, 18 de outubro, o escr.w,
Antonio, prfto crioulo, iiladc 50 annos, pooco a au
ou menos, de estatnra regu'ar, falla de eawr m
frente, quando anda um pouco corcovado para
diaute, levon vestido cal^a do brim pardo, nansa
de estopa, e chapeo de padia ja vplbo : esle -
cravo veio ja ha tempo do Rio Pormoso, e snp-
p5e-sc ter para alli seguido : quera o pegar Ib-
ve-o a ra da Concordia n. 8, rcflnaf.o, que sen
bem gratificado.________________________
lito novas, passas figos novns, cbarutos de livorsas marcas, marmolada. feila pelos
melhores conservemos em Lisboa, gela de marmello, poego. ervilhas, em latas, por-
tucu^zas e fran.ezas, vinho verdi engarrafado a retalho, \m\ em Utas, bem com,
pescada, lainba, pargo. goraz, lula, corvina vewgu. cavalla. sarda e sanbnhas de .Nan-
tes Canella. cravo. ervadoce. cominho, pimenla, grandmb dhos do seblla a OOUU.
Finalmente mu lo* outros gneros que enfaodoimo menciona-los.
22 Ra Nova n.
Machinas para costuras
A este acreditado estabelecimento, che-
gou tiii riqoissimo sortimento do machinas
para costura, de todos os auctores; as
quaes se icbam cm cxp<>si{5o no mesmo
estabelecimento. O progresso deslas ma-
chinas maravilboso I o seu servico equi-
vale ao de 30 costuraras diartas I Os
seus trabadlos s3o pespunto, bordar, fraD-
zir, e outras muitas qualidades do costura,
como se pode vor no mesmo esiabeleci-
mento
Garante-se a sua boa qnandade-, como
bem o concert de qualquer machina quan-
do seis preciso; e tambem se manda ensi-
nar, at que a pessoa esteja bem pra-
lica. ______
r
CHoor pura o -angue can radiest
t^pinhas, os PaaniM, ne
i IfiJECCAO CADET
VMua, 7. B* Deaaia,
1. I l (Uk.Li).aajBBBBBHHaaa1a^Ba^a
Baat ailMiliil
i,-|.uraiio mu
nmei anal mer-
urio, iodo o
iicoi ua>
;.uono aodii-
Hffaadeji'i e, ta*- como |.ra, aimpi|p,Bi.aae?|as),ia
diriaminle cllf refreara a aua do udkoc cconsolida o
Cura f 8 diai o> corriBwnlo anligw
oe Bale efeetaM.
t i i
n
ilUliliil
Resta 4 venda um escolhido sortimento de ob
lectos do marcineria, como sejam, raobilias de ja-
vurano, inogno eamarello, obra nacional e estran
tetra, d apnrado go>tn e por praco* ramaveis:
ai na estreita do Rosario n. 31. Nesta meami-
sa fatein-so com pwfeicao iodo" os Uibalhos dt
Mlninfca, como sejam, einpalharaentoa ito lastro
wr sarnas, cadeiras e ophs.__________
Veodo-so a taberna Flor -da Paltr*u;a: n*
roa da Palma n. 37.
o bom conhecido Jos Coto, por ter um s krafo,
escravo da padaria alleina, em Santo Aman., na
noite do dia 22, levado pela forca da cachaca, 101
cahir em algum arrabalde, lavou nm balaio 11a
cabeca, quo tal vea o perdesso no giro : quena 9
capturar ser recompensado.________m
Fiici.1 no dia 31 do m-z prximo naaaajn, la
Sant'Anna, o rabncloManocl, oseravr. dr Pr
oe Jos da Silva Ralis, natural do Ceara ear*ia
em p, desdentado, beicos grosacs, e falla moi
fanlioso, tem bigode e pera, servio por minios an-
nos ao Sr. 11. F. Borges, tendo andado eti'barrafto
ibnito tempo, inculea-se forro i podo ser cn,,r,'J"
na companhia Pernambttona ao Sr. B. Cmuiir.
Branco da Rocha, que recompeMar.__________
Fuirio no dia 12 de setaaabr do rorrea M
anno a eserava Roza Maria i'lado 40 ann-w .j
urna cicatriz no braco e peitns, provemen" iiueimamiras, foi comprada ao Sr, Or J-** "r
Hoscoso da Veiga Pessoa foi vista em. Cattana,
consta ter seguido para o engenho Cawvila. do
memo Dr. Moseoso, na comarcaa de Naure',
onde lem urna fillia por nome Perfeita ^ nm liHio
por nomo Capimdno. quem a apprehendif leve-a
a ra dos l'rareres n. -'iQ qno seri graiilVad..
Fnsio do sitio da Sapeaia a H ifc-j-irr^i
mez, o escravo dt* muM Jos preto, idi
menos 60 anno*. alto
lilaos grossas, bem falai
sua? cnrsSes ir |iara
carniceiro, ou panhar ^^
cife. Reromineiida-s
des policiaes e a|dla #
pe-ente indemnizado do traiaWa.




I
CAMABA DOS SB
EM 13 DEOUTBRO
ntamcNO* do ul xa** as
(Cotinuacn
i Art. 3." Revogaru-se as disposiges
em contrario.
Sala das eommissss em i i de outu-
bro de 18ii).Jl. F. d Araujo Lim%.
A. A. C. de AzamtbHJa.F. Misario S. de
SoNza*
* A eommisslo do pensos o ordenado?,
tondo examinado a capia do decreto do 29
de eetembro de 1869, de parecer que so
adopte o seguate projecto:
A assemWa eral raso I ve:
Art. A peuso de 360 mensaes,
concedida por dcreto de 13 de maio de
?* ao alteres do 3t* corpo de voluntarios
da patria Joao de Soma Meneies, deve
ritender-se emae ce* :edida ao alteres do
mesmo corpo Jo* de Souza Menezes, con-
forme o decreto d 29 de setembro de
m.
Art. 2. Esta penso devora ser pa-
ga da dala do decreto de 13 de maio de
4800.
t Art. 3. Revogara-se as disposiges
era contrario.
Sala das commisses, em I 2 de ou-
lubro de 4860./?. F. de Araujo Lima.
A. A. G. de Azambuja.F. Beluario S. de
Souza.
ORDEM DO DA,
Contina a 3.a discussao do projecto
viudo do senado declarando que os assentos
tomados na rasa da supplicacao de Lisboa;
tem terca de leiem todo o imperio, com.
a:j emendas apoiadas.
Cedendo na palavra o Sr. Duque-Betrada
Tai eir, e procedendo-se votago do pr >-
jecto, approvadt e rcraettido commsso
de redaego com a emenda do Sr. J. de
Ateocar, que tambem approvada, sendo
rejeitada a do Sr. Alencar Araripe.
Entra em 2* discussao o projecto vindo
do senado, autorisando o governo para con-
ceder garanta de juro de 5 /o a0 cap'13'
addicional da companbia da estrada de ferro
de Pernambuco.
0 Sn. Pkreiiu da Silla (pela ordem):
A materia do pcojecto do senado ora su-
jeito deliberago da cmara da maior
importancia e gravidade. Exige um exame
circunstanciado, um debate largo e esluda-
do. Carece do um solugo tomada com
criterio, completos esclarecimentos e perfei-
to conhecimento do assumpto.
Tratase de Gxar urna garanta de juro
annuo ao capital addicional qno allega a
companbia da estrada de ferro do Recite a
S, Francisco haver demais despendido na
construego da obra do que fra oreado e
es comprometiera o governo brasileiro.
Esse capital addicional monta a s....
485,660 ; o juro annuo que mais se exige
do governo soba 24,283 novo eucargo
que tem de sobrecarregar o tbesouro j to
exbaurido; e nao questo de obra nova
productiva, de novo molhoram^nto ou pro-
gresso para o paiz ; sim de nina construc
cao j feila, que foi tratada pelo governo
em IHi por 875,125, que por favor foi
elevada em 4853 a 4,000.000, e que
agora de novo se pretende fazer subir a
4.485,660 a pretexto de indemulsago
equitativa..
Pretende se que algum ou alguns minis-
tros se comprometieran!, e pie por isso nao
deve trepidar o corpo legislativo em cum-
prir a palavra do governo, tornando assim
aquella subordinado em- as>umptos de di-
nheiro, c em dispendio subordinado a este,
quando seja exaelo o compromettimento do.
governo.
V a cmara quantas. questes importan-
tes se develo ventilar e solvento presente !
Gataarenende elle consideraces econmi-
cas e financeiras, e de ordem administrati-
va e poltica.
E quando se qner que tratemos de as-
sumpto Lio transcendente? Nos.dous l-
timos das de sesso da cmara, depois de
mais de mais de nm mez do prorogago,
apns urna sesso legislativa trabalhosa e
loriga (apoiados). no momento em que
cansados eslo os espirites, e menos aptos
para questes serias c meditadas. (Apoia-
dos.)
Porque se nao trouxe a tempo e debate
est queslao ? Porque s nos dons ulti
mos dias ? Porque se fez no senado tratar
do as-umplo nos derradeiros intanjtes da-
queila rasa do parlamento, para ser al
appr vado o projecto s pressas, sem dis-
enssio ? Apoiados.)
S.) o governo lomava a peitQ decidir esta
questo. porque nao a fez disentir no sena-
do no principio da sesso, e aqui chegar ha
mais de quinze dias ?
Accresce que este assumpto foi discutido
emlHCl; depois disto nenhum ministerio
a no
issima
j amf
ver ?
Nao exige ella estudes e eximes ? Qur
do tempo que senos da para i
reclama luilurade documentos oflkiaes para
se reconhece-la o apreciada devidamento, c
onde eslo elles f Que dos qu o sen
relatoiio nos proraetteu o Sr. ministro da
agricu tura como annexos letra L. que
anda nao foram aqui distribuidas, que de-
putado nenhum vio, e nem pode ler ?
O relatoro do Sr.-ministro, fallando des -
O Su. J
por que f<
VIO-
o ajattl
fa contal elfir.
...esta ca
gabinete wo
mprgou esforcos par
de gibinete, obter osmais'r
Porlanto, que neo ios de pre-
cipitar esta materia-? e mandamos
as commisses asqudMBu afttiais-aimptes.
as penses, as loteras, as licct^as, as pe-
queas concessies, llwemos ^petorh' estas
formulas e as disposiflap-do efluento para
decidirmos agora es6 quesUor- pierqiu *e
trata de um grande numero de libras es-
ta queslao sem a desenvolver envia os re-1 terlinas e porque se resolver necessana-
presentantes do paiz para o annexo letra L.
e at boje aqai nao appareceu semalbante
annexo? (Apoiados.)
Como se pretende, pottanto, que disco
tamos e maduramente, e com criterio e
consciencia resolvamos a queslao? t^P0'*"
dos.)
Creio que nada perdo olla em esperar
para maio do 4870, ouvindo no ctanlo.a
cmara duas das suas commisses a rw-
peito, que no intervallo poderlo esclarce-
la para deliberar com sabedor. (Apoia-
dos.)
Tomo por tarto a liberdado de ouerecer
um adiamento, pedmdo que se remella o
projecto vindo do senado s commisses do
fazenda e obras publicas. (Apoiados.)
Vem mesa, lido, apoiado, e entra era
discussao, o segunte requerimento :
Requeiro que se remella o projecto s
commisses reunidas de fazenda e obras
publicas, aflm de nterporem sou parecer.
Pereira da Silva.
O SR. FERREIRA VIANA faz algumas
consideraces.
O ^R. JUNQUE1RA : Sr. presidente,
eu sinto divergir do Ilustre deputadopelo
municipio neutro. Me parece que em urna
queslao desta ordem, tao grave, as aflic-
tivas circumstancias em que est o thosouro
nos n5o podemos votar o projecto que
est sujeito ao debate lo de chotee como
quer o nobre deputado. (Apoiados).
Sr. presidente, eu tambem desejo man-
ter bem ella a palavra do governo do meo
paiz, e muito mais a pa'avca empenhada
por um ministro do gabinete de 46 de
jillio, a que tenho prestado todo o meu
franco apoio. Mas o adiamento preposto
pelo nobro deputado do Rio de Janeiro de
nenhuma maneira vai de encontr a esse
nosso desejo.
Meus senhores, o compromisso que por-
ventura tomasse o nobre ministro-da agri-
cultura, de fizer decidir pela parlamento
com brevidade esta queslao que se tem
agitado ha cinco annos, esse compromisso
nao pode ter a latitude quo lhe quiz em-
prestar o nobre deputado a quem respondo:
esse compromisso era para trazer a queslao
ao parlamento nesta sesso. como trouxe;
mas nao era para dar um passo avante,
porque para isso nao tinba podjr nem fa-
culdade.
O que fez foi sujeita-la nossa aprecia-
Cao, e havemos resslv la pelos meios or-
dinarios marcados no regiment e aconse-
jados pela praxe desta casa. Esses meios,
quan lo se trata de uina queslao importante
faz-la estudar polas commisses ; e
isso que prope o nobre deputado pelo
Rio de Janeiro. (Apoiados).
Como, pois, decidir de chotee urna qu?s-
lio destas, rompendo pelo direito mais que
assista ao governo de manter o contrato
que celebrou com a estrada de ferro de
Pernambuco, e fazerrnos urna doaffo, sem
ao menos um estudo cabal a respeito s
por se lhe querer dar um carcter que
ella i 5o tem, chamando a questo interna-
cional, urna queslao completamente mer-
cantil, de libras esterlinas ? (Apoiados).
Eu julgo que esta cmara saber manter
sen posto, decidiudo a queslao s ou conra
com a mesraa di^nidade quo a tem ca-
ract -risado at boje (apoiados), sejn saltar
por cima de todas as consideraces, sem
preterir o regiment, as formulas e as
tradices dessa cai-a. As salutaros formu-
las c iradices desta casa sao estudarem-se
as questes pelas suas respectivas commis
sjs. (Apoiados).
Sr. presidente, nao esta urna questo
internacional, nao vejo ueA vislumbre de
semelhante coisa; se eu visse a honra do
meu paiz empenhada. eu abaixariaacabi-ca
e votara para salva-la; mas nao isso que
vejo, vejo apenas orna queslao mercantil, e
no terreno do direito urna qucstSo jurdica,
a da apreciaco por contrato.
Portante, que nucssidade temos de pre-
terir todas as formulas ? A palavra oo
governo imperial est cumprida ; a questo
est snjeita ao debate, decidamo-la, mas
nao de afogadilh ; deliberemos que as il-
lostres commisses tragam-o sen parecer,
porque sendo quasi toda a cmara de de-
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
B6MANCE
por.
Paulo Fval
Segunda parle
TRB PAT &S
XYIU
drama
(Conlinuaco do n. 253)
Foi ora lance ttoeatral admiravel. Aquel-
te nS> o inventara Mauricio.
Os nossos cellajboradores sobresaltaram-
38 ambos, e a peana cabio das mos do
Kstevo, que fijou trem lo. Mauricio,
mais vleme, pozei a- e de p e fazia j
frente ao inimije.
O miinigo era duplo. Havia dous po-
tos rtiabos d p defrooto da porta, que
se abrir e fecMra semeslrond. Echaloi
e Similor, qmn os sapatos de ourelo
davam i>s de Ha ; Echalot trazia s cos-
ta o Jdidim, Similor caminhava livre e
diwwTibaycadVde eslrvos ambos soffri-
baenie arrr^a4s na apparencia, mas
tii pnminha de atrapalhaeio,
vldos, de chapeo na mo,
e a visu erraol.
Ecnatot pudloii ma os hombros a crean-
ca, wmiselfcfa lila, paraassmnir
gravidade. Com quanio a dbil creatari-
rha n'aque! e momento nao togisse nem
mugiste, deu-lbo ordem de estar quieto.
Similor tossio ceceo e alto.
Bii-nos I dsse, dando voz a pos-
nwnle contra o thosouro, que 6 quem paga
as cuitas ? (Apoiados).
Que me importa que um ministro de um
gabinete transado livesse nosta materia
teji um compromisso meaos pensado,
qnando os estrang-iros que nisso intervie-
ram devem saber quo o Brasil regido plo
governo parlamentar e que um ministro
em mateiii semelhante nao pode ter ini-
ciativa e dociso final, porque a questo
de undos e do merecimanto da cansa deve
ser resolvidapeloparlamonto 1 (Apoiados).
Porlanto, supponhamos que houvesse mi-
nistro que livesse compromitiido a palavra
do governo de que se haviam fazer taes ou
taes concess5es, esta cmara est no sen
direito de apreciar a queslao como en-
tender, porque o-governo. do Brasil re-
presentativo, e isto sabem todos os povos
o os commcrcuntes que contrataram a es-
trada de ferro de Pernambuco. (Apoiados).
Assim Sr. presidente, par estas breves
consideraces que teo, e coherente com
o meu papel do 486i. em que me debat
nesta tribuna contra esta cmcesso.ou peco
cmara quo nao precipite a questo, que
a Tacamos estudir pelas commissss para
depois resolv-la com calma c como critrio
preciso. (Apoiados). O crdito do paiz
"nao se pertte por este estudo e a estrada
de ferro de Pernambuco tambem n a se
perder por esse mesmo estudo, ao con-
trario, ser muito melhor apreciad se nao
ter precipitada urna questo lio impor-
tante. (Muito bem).
O 8R. ANTO (ministro da agricultura):
Sr. presidente, eu comego por dizer que
nao iniciei esta questo, que os compro-
missos nao fura ai tomados por mira que
os acliei, e que assim como os tinba adiado
os aprsente.
O Sn. Fomom A'iann.x: Apoiado.
O Sr Mi.nistho da Agricultura : A
queslao no de um ministerio, nao dos
ministros anteriores ou do actual ministe-
rio, a q.iosto da solidariedado que tem
os governos.
O Sn. FunnEinv Yianna :Isso que eu
desejo saber.
O Sn. Pi:m-n.apaSilva :Manoel Feli-
sario nunca se compronetteu.
OS. Ministro da Agricultura :Esta
questotem sido assim entendida, eeu
nao posso dizer hoje que 6 urna questo in-
dividual ; urna queslao em que a digni-
dade do governo esl empenhada atcerlo
pi nto.
O Sr. Andr.vdk Fiiueira :-No apoia-
do ; a honra nacional nao est empenhada
em semelhante questo.
O Sn. Ministro m Agricultura :A ques-
to, meus senhores, tem relaco com inte
resses externos, por isso que ha promes-
sas a urna companhia estrangeira. .que -iem
solicitado o seu cumprimenlo.
O Sn. Pereira da Silva :O governo
nao se compromelten senao a trazer a ques-
to ao parlamento.
O Sn. Ministro da Agricultuiia :Quanto
a mim o compromisso nico este de fa-
zer que se discuta e decida oUa questo.
Mas nao me redro a este, rero-me a pro-
messas positivas dos governos anleriin-
res.
O Sn. Andhadi: Figcf.ira :E' um mal
procedente.
O Sn. Ministuo da Aricultura :Esses
compromissos que acamara deve apreciar
no seu bom senso; cu nada mais -fiz do
que dar resposta ao oificio que me dirigi
o nobre ministro em Londres, acompanhado
de urna carta do director da companbia, e
pego licenca cmara para ter essa caria,
e ver os termos em que est conce-
bida.
O Sn. Barros Barreto:E' mais urna
especularlo da companhia.
O Sr. Maman da Agricultuba :
(lendo):
i Londres 25 agosto de 48G8.Tive a
honra de -eceber o memorndum,.-Jb& V.
ExcM especificando o.estado do pfBJKdo
para garanta do cap tal addicional d* com-
panhia de estrada de ferro de Pernambuco
perante o senado, o agradeco-vos a bondad
do ministrar estas raforinaces, que habili-
taro os directores para explicar aos accio-
feMCr a poico em que etfes
achani.
(>?inioiaterio passado parece ter-ae es-
tercado muito hoarostmente para efectuar
o que nd-eoKilacraBins como urna obri-
ga^io nacional; e sa etle |iim**.rparmane-
rido na adminiatraelo, n5o poeao duvidar
que em breve teriamos recebido noticia da
conduso u um negocio que est pendente
ha tantos annos, sobre o qual &e tem fixa-
do a attenco publica, o que paraos
accibnislas de importancia vital.
Recetando que na prosocueio da guerra
e ms administrae/o dos grandes negocio i
do impejio se lenba perdido da visia cbm
esta mudaaca de ministerio, o nosso nego-
cio comparativamente insignificante, rogo a
V. Exc. se digne de chamar de novo a at-
tenco do governo imperial para elle, e do
representar-Ule a urgencia de sua prompta
cciso.
Em 7 do mez fiado dirig a V. Exc.
urna carU neste sentido, e julgando poupar
Incommodo a V. Exc. e "1eg*C5o, ou o sug>
gerir quo so envi para o Rio de Janeiro
copias daquella carta acompanhada desta,
o suppondo que approvareis e?ta minha
suggesto, remetto a inclusa copia da men-
cionada carta, e bem assim copias em tri-
plcala de ambas ellas.
Agradeco-vos de novo muito sincera-
mente a grande cortezia que tendes tido a
brandada de dispensar-me; tenho a honra
de ser do V. Exc. fiel e obrigado servo.
ttobert Benson.\. S. Exc. o Sr. ministro
brasileiro.
Re.abcndo esta carta com ofllcio do nosso
ministro, respondi-llw pela maneira por que
j enunciei-me, que o governo na.o deixa-
ria de promover a deiso desta questo,
para sua ulterior deciso...
O Sn. Pereira da Silva:V Exc. tem a
bondade de ler o seu aviso?
O Sn. Minisero da Agricultura : E* do
7 de outubro: o transumpto que appare-
ce, que foi ha pouco annuncialo pelo illus-
tre deputado.
E a le que ha pouco me reten no meu
aviso de coratnumeaces a anteriores, idnti-
cas, que linham sido teitas pelos meus ante-
cessores, havia apenas annuuciado aquillo
mesmo que elles baviamteito, quando a di-
rectora da estrada de ferro de Pernambuco
tinba exigido a resoluco desta questo.
O meu antecessor disse que esta ques-
to eslava dependente do senado, que nao
podia ser resol vida seno pelo corpo legis-
lativo ; que s depois disto poderia ento o
governo tratar de resolver definitivamente a
questo.
(IIa diversos apartes).
Agora, senhores, se preciso para mos-
trar como nos nao podemos deixar de lo-
mar urna soluoo a este respeito eu tomarei
o trabalho de ler os diferentes avises em que
se fixava a quanlia que doveria ser garantida
sivel firmeza. O Ecbalot e cu somos dous
mor;os pouco telizes, chema de encargos
proroptos para ludo que nos conduza nina
posico mais feliz que a nossa... nse
ao nosso (ilhmho. J l ai o tempo em
que coramettiaraos as fallas propiias da
mocidale, amoricos, frescatas e oulras
a-meras. Cousas imprudencias da idad-s!
Desejnmos, porui, mudar de vida, e os-
lamos ambos decididos a lrabaihar s or
deus dos senhores at morL; !
Eis-nos I repeli.+:ch dnt nobromen
te. E cala-te, Saladim, garotio U
XIX
Tereeira- c13uhosilor
Eslevo c Mauricio estavo liiioralraente
embatucados. Contemplivam boqmaber-
los aquellas duas almas dainadas, que
diviudade que preside aos melodramas Ibes
enviava para acabar com a mulher, aquel
les dous macbalins da farra parisiense
aquellas duas caricaturas impossivis.
aquellas dnas singulari ladi s que sdpodiam
ser encontradas n'estas profundidades da
selvageria civilizada. (iiiim a imagiaao
Ibes devaneara to extrawdinaria oilice.
Similor recobrara a bella serenidade (fue
era lo d'elle. Mmiinlia-so lirmc; nvolto
no famoso sobrenado peiio te rola, o nor-
ria complceme, do alto do pescocinho de
barbas de baleia, s eloipienlt^ palavras
queacabava de pronunciar. Echalot, re-
nos enfatuado da sua pessoa, baixava ido-
lestainenie os olbos e mova oa (Mdafaros
por baixo do sen avontal de tintinan. Sa-
ladim, o triste boneco de papeflo, rros-
trav4 a cabega feia o arruivada por. cima do
/
himibro esquerdo do aut.go pratcame de cura pareca,
pbarmacia.
Jumera Saladim aos grep
represerrtam Castor e Polltrx, e tcrlo ma
fraca idea do quadro que forraavara.
Vendo que se demoravam em resp"n-
der-lliQ, Similor tomou de novo a palavra
cpm mais amabilidade.
Quanto a sorprendermos os vossos
segredos, senhores, proseguio, divldindo
orna vista de olhos finorfa pelos doif^col-
laboradores, effeito de um acaso involun-
tario, em prcmeditaco. Nem Eflbaloi
nem eu somos capases- de esoatar s' por-
tas I Echalo1,. este mancebo qae $* en
earrega rio fructo das -minhas lOHlks. por
q/ie tudo na-amizarte- cemnamar^ Desd>-
a infancia que nos -conhecemos ; respornlft
por elle como pela mmha propria honra.
emquanto fidelid de para tollos os jura-
mentos que prestamos. Como ia dreeudo,
vinha ver de passagem se os senhores te
riam alguma precisio de gente, antes d*
rbe deilar, o dar ae Sr. Miguel a respecta
de orna incumbencia confidencial. Queri
tambem apresentar Ihes o meu coltega,
para o caso de appareeer obra. Foi sim
quo oovimos a seaha, e como vimee- qbe
aqui pertenoiam censa, disse en os
meus botows : A andac favorita difor-
tuna 1 Ofterecamos os nossos servigostwm
coragem e fidelidad.
Havendo assim orado, oanligo
de danga arqueo u as suberba* pe,
manto Echalot se drama com ar
nos delgadsimos fusoe, qu; support'
um tronco deathleU.
Ha bandidos gnkescos. mas que faawn
tremer n'urfli tp'mienti dadOr.tego^l^r
ssm de fazer r\ Ma era taso.
e Snnilf imiagam da certo os
oque a
'Jm
flzessetn jamis
s sensivel. Don
pon
O Sn.'Pereira da Silva:Sa V. Exc.
promette mandar boje os annexos do n. 7,
eu estou prompto para retirar o adiamento
e continuar a discussao do projecto.
O Sr. Ministro da AciticcLTru :Eu
vou ler ao nobre deputado o aviso do Sr
Domiciano Leite Ribeiro, o ultimo que veio
sobre o assumpto, o com o qual vieram
lodos os annexos para esta casa, onde fo-
ram mpressos, em que se fundava a deci-
so deste senbor.
O Sr. Domiciano Leite Ribeiro dirigi
cmara dos Srs. deputados, em 23 de fe-
vereiro de I8B4, o seguinie:
t Direcloria das obras publicas e nave-
gagoi" secgo.Rio de Janeiro.Minis-
terio dos negocios da agricultura, commer-
cio e obras publicas, cm 25 de fevereiro de
18G4.
' Tendo os directores da companhia da
estrada de forro de Pernambuco encami-
nhado presenga de S. M. o Imperador urna
representaro (documento n. I) pedindo,
mediante as razes allegadas concesso de
garanta de juros para o augmento do capi-
tal que effectivamente foi empregado na
execugo das obras da estrada, mediante os
exames e revis w que fossem necessarios,
o governo imperial, afim de po ler resolver
a queslao, ordenou que, nao s em Lon-
dres OMM tambem em Pernambuco, se pro-
cedessa. um inquerto sobre o emprego
que leve o capital garantido companhia.
e todas as suas contas (doc ns. 2 e 3). D
posse o governo imperial desses documen-
tos, verilicou nao esiarem as commisses-,
quanto ao de resultado seus trbateos, de
perfeito accordo; entretanto canvindo desde
logo manifestar companhia qual o pensa-
mento do governo a respeito de urna qnes
43o de sua nati-reza grave, nao s para ella
como em relaco aos interesaos do estado,
um dos meus antecessores dirigi ao res-
pectivo superintendente M Rramah, o offi
ci incluso por copia (doc. n. 4) no qual
mostrou as benvolas disposices em que
eslava o governo imperial de conceder o
augmento da garanta pedida mediante os
fazer mal tinham elles, no intuito de se go-
wrnarera e adquirirem airosa abastanza ;
refukia, porm, to cavalleiresca simpleza
por entro as suas fialdades de lodo o pon-
to parisienses e gemeas, apezar da dilte-
renfa do formas e de pellos I tanta can-
dura, tanta graca, to milagrosa toleima
Ihes exprimia.o os olhos I paredaa to bem
creados e deilaios ao mundo para nao
apunbaterum pessoa algama, quo afinal elisio freduido por elles nos aossos dous
.lramaturgts>/m embryo, foi um3 con
valsa e kresistivel hilaridade.
-r- Queras cmicos disse primeiro o
Mauricio, quem o riso suffocava.
Ahi esto dous lypos I respendeu o
Estevo com as mos as ilhargas.
ora a qual se toreesse mais !
Echalot e Similor nao riam, bem pelo
rontrano, estavam coanndidos perante
aquella alegra intemiaesiiva. Os rostes
einbasbaoados ditem quanto eHes haviam
contado com a sua entrada. Todo o pa-
risiense aetor. Echalol e Similor tinham
prumettid si propriosom divertimentoeoai
o Itioueatuddo. tinham visto no tbea-
mtinidadede lances semelhantes, cujo
extt era sempre milagroso.
Fallavam em coaapfar punbaes prego
desalav^m i r !
Ambos elles eram arrojados, cmsmo,
pouco segures: t> loJavia nem sequer Ibes
irreu a idea de se zaagarem, tanto a
watfhtcSo Ibes quebrava a altivez. Um
!to serio, n bem. resvalaria talvez
mu. MMari'taj O pundonor nos
alais singular e"
boje ae'| bovoestrados e exinee da materia tjuel
a indi eram precisos. Esses oslados defi-
nitivos foram feitos (doc. m. 8 O e 7) e
por elles conueeido qual o exeewo da M|
peza feita bom fide com as obras di afl
da, e em que prop irglo o capital primitiva-
mente garantido poda ser augmentado, re-
sol vira o governo inperial conceder com-
panbia da estrada de ferro da provine* de
.Pernambuco um augmento de garanta na
razo de 485,680, nao s de confonnida-
de com os contratos subsistentes, como nos
termos finaos do officio de 21 de julho de
118ff2 (doc. n. 4). O que communico a V.
Exc. para que, levando ao conhecimento
da cmara dos Srs. deputados, se digue
ella habilitar o govaroo imperial com os
meios precisos para e efteclivo cumprimen
to da resolugio tomada.
Deus guarde a V. Exc. Domician
Leite RibeiroSr. Io secretario da cmara
dos Srs. deputados. >
Nio sei, vista de urna resolugo toma-
da por um gabinete, annunciada solemne-
mente no officio que ello dirigi tambera e
communicada a urna companhia que est
na persuaso intima de qoe sobre isto nao
ha veri a contestago.
O Sr. Andhade Figieira : Nao deve
estar nesta persuasao, nao pode dispor da
fortuna publiea.
O Sr. Ministro da Agricultura :
eu devia dizernao senbor, nio corcordo:
nao ha solidariedade neste ponto ?
O Sn. Andrade Fioukira d um aparte.
O Sn. Ministro da Acticcltotia : A
vista de urna deciso do governo imperial,
assim roanifesta, pergunto eu...
O Sr. Pereira da Silva : Peco a
palavra.
O Sk. Ministuo da Agwcultura :
poderiamos rMxar interminavel esta qnes-
to ? Nio se deverla dar tima deciso
qualquer ?
Eu rae opponho ao adiamento e, conti
noando a discussao, ou lerei todos os di-
versos avisos do ministros, estabeleceudo
este quantum determinando esta somma.
O Sr. Andrade Figueira : Sempre
com reprovago nossa.
O Sn. Minisiro da Agricultura : Se
en Iratasse da questo pela primeira vez
havia de estudar todos os seus elementos,
e havia de ver se era ou nao admissivel ;
mas, desde que eu nao posso deixar de
aceitar as promessas teitas pelo governo
do meu paiz, nao posso aceitar o adia-
mento.
O SR. ALMEIDA PEREIRA faz algumas
observages.
O SR. PEREIRA BA SILVA : Sinto
nao poder assenlir ao desejo enunciado pe-
lo nobre ministro da agricultura, de resol-
vermos j, e toda a pressa. a materia do
projecto vindo do senado, e que nos est
actualmente offerecida em discussao. De-
sejaria marchar seu,pre de harmona com
o nobre ministro, sou tergado todava na
hypothese vertente, a sustentar o adiamen-
to que tive a honra de apresentar, porque
elle que me parece a solugo mais regular
e mais digna da cmara dos Srs. deputados.
(Apoiados.)
Fique certo o nobre ministro da agri-
cultura que, exprimindo-me por esta ma-
neira, sou com ludo, e serei o primeiro a
promover com afinco a execugo plena da
palavra, ou compromisso do governo do
meu paiz, qualquer que elle seja, de amigos
ou de adversarios polticos, logo que a hon-
ra e crdito do paiz se acbem ligados ao
desempenho dessa promessa. (xpoiados.)
Quer porm na presente questo esclare-
cer-me. apreciar bm se Ira esse compro
misso, se foi justamente tomado, quan Jo
seja exaelo. e se o corpo legislativo o deve
sanecionar de modo honrse. (Apoiados.)
Eis-ahi os fundamentos lo adiamento
que submettia considerago da cmara.
Mas o proprio nobre ministro declaren
que o nico compromisso lomado pelo go-
verno era o de promover a solugo deste
negocio pelo corpo legislativo. E nem po-
dia ser outro, senhores, porque o governo
nao pode conlrahir por si e sera autorisa-
gao do parlamento obrigages pecuniarias,
(apoiados) como esta. (Apoiados.)
Nma o ministerio actual e nem os seus
antecessores tomarn o compromisso de
pagar a recamago formulada pela compa-
nhia da estrada de ferro de Pernambuco, e
s um ou outro, islo o d; j meiro de
1864, o o actual Sr. ministro prometteram
que a fariam resolver pelo parlamento. Eis
um ponto j adquirido pela discussao.
(Apoiados.)
Esse compromisso ou promessa, pois.
est cumprida. Passou urna resolugo no
senado, e veio para a cmara A questo
pois, j outra (Apoiados.) O nobre
ministro exige que a cmara decida j,.e
eu pens anula que a cmara precisa de
tempo para estudar e decidir com ma-
dureza e sabedoria. (Vpoiados.)
Quando a cmara entenda adiar a ques-
la mai
8 etiji,ab n
lo para so!
do rtj>
pense poi.^
faaVqi
>o do pai
atente acreditar (apoiado
presso sobre nossos
dos.)
Goiloeada assim a questo no
dadeiro terreo...
O Sn. Anohadk Figueira ; MfiStfbem
este que o terreno verdaueiro di ques-
eo. (Apoiados.)
O Sh. Pereira da SCva : ... con-
tino a pensar que o adiamento neceasa-
rio para que a dedsio Of cmara leve gra-
vado o cunbo da sabedoria, qualquer que
seja a sua resoluco. (Apoiados.)
Como uestes dous dias ltimos de sessaa
depois de um mez de prorogago, com os
esphitos cansados do trabaw insano de
quasi seis longos mates conlinoados, em
urna cmara de deputados novos, em urna
questa importartiss'ima, qoe joga cota
(mangas, com poltica, com o direito civil,
com considerages da mais alta esphera,
tratar a resolver um assumpto destes ? E
vem esclarecimentos, vem dados officiaes?
O relatorio promelte apenas sobre a gnesr
lo um annexo do documentos sob aletea
L, osses annexos al boje o Sr. ministro
nos nao apresenlou! (Apoiados.) For-
nega-oos ao menos, boje, esse anooexo,
para conbecermos a questo, e en declaro
que retiro o meu adiamento e amanba
discutiremos o profeca. (Risadas.) Que
desse annexo L ? Significar a letra L a
| palavra logro ? (Risadas.)
A cmara nao pode decidir nem saber,
e o qne desejo 6 qne se lhe de com tempo
todos os esclarecimentos, Ootro quifcpjer
procedimento sen a desconceituar perante
o p-xiz.
O Sr. Andrade Figueita : Muito bem,
apoiadissimo.
O Sn. Pereira da Silva : Se o Sr.
ministro da agricultura quera fazer solver
a questo na presente sesso, porque a n3o
promoveu com tempo no senado ? Por
que a nao fez vir para a cmara ha 20 on
15 dias ? Como s hontem nos ebega eRa
e jhoje a de-emos solver quando desde
1864 nao ouvimos della fallar, quando o
governo no-la nao annunciou com antece-
dencia, e nem nos ministrou documento
nenhum a respeito, e |nem os do famoso
annexo L. que c aina nao chegaram ?
(Risadas.)
Eu ouvi, senhores, vos todos o deveis
ler ouvide aecusar a conslrucgao dessa es-
trada de esbanjamentos, malvers,ages e
al roubos...
O Sr. Barro* Barreto : Apoiado.
O Sn. Pereira da Silva : Al se
provara com a leitura de relatnos de
commissarios nomeados pelo governo para
examinar ostrabalhos. (Apoiados)
Como, pois, sem recorremos a urna dis-
cussao pausada e pensada portemos votar ?
Como s pressas, scarreiras, sem esefa
reclnenlos nenhiins, de modo que o pu-
blico saiba os fundamentos que nos move-
ram e determinaran! ? (Apoiados.) Como
sob a presso de exigtncia immediata da
companhia? (Apoiados.)
Nem tanta impaciencia, senhores, nem
tanto agodamento I Isto que prejudica
o credilo da cmara peranle o paiz, e o
crdito do paiz e do governo perante o
estrangeiro. (Apoiados.)
Parece me, senhores, que nao podemos
proceder de outro modo ; a cmara decidi-
r porm se se considera j habilitada para
entrar no debate. Por minba parte perse-
vero em votar pelo adiamento. (Apoia-
dos.)
O SR. JUNQL'EIKA : Sr. presidente,
desejo smente-azer sentir cmara quo
desmeessada a pressa com que-procara
fazer volar esto projecto: nao oprovellar
para a resolugo da questo.
Traia-s de fazer efteclivo o pagament
de urna garanta. Mas desde que os fun-
dos nao foram decretados no orcamento.
nao pode o governo fazer o respoctiro pa-
gamento. Por tanto, nao ha inconveniente
em que fique a questo adiada. Ser nes-
se caso melhor eslud ida ; e no orgamenia
que dever ser votado no anno vindouro se
incluir a decrelagSo dos fundos :ompetec-
tes.
Parcce-mc islo obvFo, ainda mris consi-
derando as ultimas palavras do projecto.
Vou. portante, mandar nm addilamento
afim de que o governo infrmese ha fundos
para esse excesso de garanta ; desde qne
se declarar que nao ha fundos a votagio do
projecto desde j ser somente a preteri-
go da ineditago e do esludo em materia
lo grave.
Vem mesa, lido. apoiado, eeplraj
conjuntamente em discussao, o segointe a ditamento :
(Continai'U'ka*.
t
m
i
j
i
)
arrtil
di?aaw|o[uma curiosidad^
sinto ao mais minucioso observador que
pinte com mais ou menos parecenga sse
a monteado de caprichos monstruosos,
onde a simplicidarle da nfanciae a desfagalez
jubilada formam, segundo as diversas pro-
porges chimicas, milhares do comhinages
disemehantes. A fe i gao principal seta-
pje a mesma : msela crua do bem e do
mal, muidos ao acaso no ral da nossa
barbaria; quanto, porm, difter. m os pro-
ductos f
Echalol o Simi lr eram dous d
velhos creangas. Filhos dos nossos lagos
de lodo, mostramo-lh'os taes quaes, sem
retocara pega vasada nos ntoldes da nalu
tnroza. Quera liver visto dous iroquezes
de ribeira, que nao sejam .positivamente
Similor nem Echalot, ha de dizer que in-
ventamos. Perante Dense perante os ho-
mens, jjramo* nos, todava, que nao raro
Ihes tem ebes offerecido cadeias desegu-
ranga no boulevard de S. Martnho.
Amadeu, marraurou entretanto Echa-
lol, has-me de pagar o teres acairelado
comigo para semelhante passo.. Cala-te
Saladim!
Descanga, homem, retorquio bran-
lamente Similor. Urna pessoa tem a pa-
iavra para explicar o. seu pensamentQ.
N'isto nao ha offensa, continan ello
com dignidade, dirigindo-se aos dous mo
gos perdidos de risot Juhjuei que nao
ilesgostariam de ter um camarada de mais,
pao m**smo prego e iguaes facilidades oV
pagamente parados seis mysterios. Nao
l por gesto que a .gente se re sol ve a f
Serter e sangue dos seus semelhantes, ni
bavendo at ao da de befa jamis d
Framadqj,^
isso f dyirou o Mai
Ideal ideal balbuciou o EsfevaOg
quasi jubilo.
Que entretanto urna pesso,i nao fl
nenhum preto do beigo, para f.izr rir
si impunemente, proseguio o Similor, o
faces coraram levemente. __ ^M
F. que se quizerem, seus OTaoolas,
pelinlres, que nao lea onde cabii-uwflus,
mostramos-Ibes j e j como so-,cama,
aqui. ou na ra, come q zerera I
E ao mesmo tem no lirou de Saladim
com gesto violento, metteu-o deliaxo da
urna eadeira, e esf/egou energiatumato as-
maos no p do sobrado.
Similor mal te ve tempo de iafaiof
corpo a corpo, para i rape di 4o fty*r
como um leo.
Modera a loa colera, segnHH
Elles troca, mas nos temo-tes i
pelos seos criminosos protectos.
Entretanto Saladim. acordado
i|ue,sollou um vagido de pessai
parecen producir no seu pai JL
efflto de um clarim.
Acabo j com ambos, disse
rauco, debatendo se.
Mauricio, imprudente I
rinde ; o EsieviQkpnrm, I
no, reingiava-sej d-
e oinguem poileria dizer qu
lace ia ter essa sceBa lio a
mecada, quaolo a ent
uaaam mudou c
L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG0JSSMZ8_092SR8 INGEST_TIME 2013-09-14T01:26:48Z PACKAGE AA00011611_11987
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES