Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11986


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 254.
-
fAltA A ttTTL E tTCAWS IDE WO Si ?ACA POBTE.
Por seis ditos Ukm. 1 .' .*...............
S*** : : : ::::::::......
I2000
DIARIO DE
i i> ore
SABBADO 6 DE NOVEMBRO DE Ioo9.
PARA DITEO E FOBA DA PBOVUTCIA.
Pnr trs metes adiantados.
Por si is ditos idem. .
Por no\ i ditos idera .' .
Por um auno.....
750
13#B0
20#W
271000

Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhog.
---------------------1-------------;-------------------------------------------------------,-------r---------1-----------
-

NAO AGEOTBB:
Os Srs. Gerardo ^^^^^^^ij^^f nto, nojkmhU; JnqnimJos de Olvete, do Ceart; Antonwde Leaos Braga, noArautj; Joio Afana Julio Chaves, no Ass Antonio Marones da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d Almeida, em Mam^guape; Aalonio AJexandnno de ;Luna, na Parahjba; Antonio Jos Gomes, na tilla da Penia; Belaroimo dos Santos Blt3o, ert Stnto AntSo; Domingos Jos da Costa Braga,
PAKTE OFFKIAl.
em Nasirela; Juanea Tavarea da Costa, em Alagas; Dr. Jos Martins Alfas, a Bahia; e Jos Bbetro Gasparinbo, no Rio de Janeiro.
Co verne. da provincia.
KWKtNHKTB A*SIOX*Bt PELO KXtf.'-SB. DR. MANOEL
00 KA.sCMKtrfO MACOABO POHTEIXA, VIT.e-PBBSi-
1869.
provenenteda despeza falta wm a illummacio. do S. Exc. o Sr. viee-presidente da provincia.
HITE DA tBOVINOIA, EM ll DE AGOSTO DE
1" seclo.
N. "294.Partoria ao Exm. Sr. general eom-
andante das armas.Inteirado de ler V. Exc.
antuca do urna eomraissao para examinar vHMae
rr< carines que existan no arsenal deguerraeuiu
m archivos dos hatalhdes mencionado! no seu ul -
*(uo n. il7 d.H0 jne aodirector Interino do arsenal de guerra ac-
' *o Jo iautt constar Uso-para os -lio* oonvonienlas
N 393. -Dilaao mesmaDevenduS. A. aPrin-
yvi R. Leopoldina, com seus augustos esposo e
iuu soguir para a Europa nn vapor agtez que
saperad* nesta provincia no dia 13. ou li do-cor-
rete, experi V. Exe. asrdeos necessaras, para
( i fortaleza do Drum d por essa occasiao as
lakas do estylo, e (|uc forera dovidas aos augus-
's viajante*.
'N. 288.Bita ao director do arsenal de guerra.
Tendo o brigadairo comraaudaate das armas,
4iA'.tuir urna eommissao para examinar vinle i
lee* c.iixoes existeutes uos aruiazens desse arse-
**L c mlendo os archivos dus bataHides 4* de ar-
'ifcaria a p, 8* 9* e 16* de infantaria dos extrac-
tes carpos de guarnioao, oomoanhia de cavallaria
i l" liatallian do caca dores; assim o communico
i V. S. para o seu cormecimento e flns conve-
iK-utes.
N. 297.Bita ao commandanle do briguo barca
UtmirmeA. Dwendo S. A. a princeza D. Leopol-
im i. e )in wus augustos esposo a lilho, segnir pa-
rsa i; irupi no vapor inglez que esperado nesta
'iri'vi:icia no dia 13 ou li do corrale, previ leu-
a Vi iic. qe por css;i occasiao, o briguo sob seu
-".minando d as salvas ilo eslylo, e quo forein ds-
; V. MU.DiU ao commandante do presidio de
1 *.; ii-ind).F.-i^a Vine, regressar para essa capital
s nlfcrei do corpo de polica Manoel LuizSi-
llteiri, o |uqI sefnodo oflL-io do juiz municipal
< priman vara desta data, que assim o requisi-
i. p .uiipli'ou a p;:ia que ah eslava cumprindo.
!f. 99.Bita ao mesirio. Rcmetto a Vmc. as
inclusas guias dos dozc sentuciados dejos-
cita inficionados na re I a cao n. I, que agora sc-
gmeiil para eua presidio, deixando de ir osenten-
-i.lii los Francisco do l'aiva,-por j.i lar sido pa-
ra x".i reniptlido. Euvio igualoienle as quinze
pt dos scnlenciadus, ipte j alii se acham sein
i e jos n'iincs va mencionados na rela-
- -i o. i.
ii'liirm n y.Antonio Salle* Correa, Antonio
le Freitas Bezcrra, Amerito Amancio do N:\~ci-
mcnl.i. Jos J laquim dos Santcs, Joaquim Alves
la .V:i.i;ir.icntti, Joaquim Ferreira da Silva, Manoel
vjal dos Pasaos, Maria Rosalina da Conceicao,
Vfartinlm Gtnas Vidal, Romo Jos de Carvafho,
los Fratii'i-co de Paita e Balbino Joaquim.
(elcirdi >. 2.Benigno Carvalho de Oliwira,
Dominis Casiano, Jo> Delno Barbosa, Jos La-
Ji:!* Casar, Jo* Pereira dos Santos, Jos Targe-
o, los, Joo Alves da Silva, lsrari Rodrigues da
Silva, J li XarciiO de Motn, Jlo Baptista do
(eimonto, Joao Padilha Paes, Lcodoro Francisco
Jos Santos, Manoel Francisco dos Santos e Ma-
noel.
N MO.Hi'Iibera<;io.O vice-presidente da pro-
ua attandendo ao ijuc requereu Jlo Francis-
"a io Soiiza, resolv conceder-llie licenca para
satharcar paia o presidio de Femando, sercm
illi entregaos a Francisca Candida de Jess, os
rosconstaste* da relaco junta, assignata pe-
la 'ntario do govcrui, nao poilendo, porm, ef
ieeluar o desembarque dos referidos gneros, sem
^ue >:tr parle do coin;n:inJanle dii inesmo presidio
<: proceda a exaine, a.n de ver se ha aguarden-
re ou ostra qualquer bebida espiriluoza. Ditas
ignaes, com a diffwenc.t someala de serem ntre-
os groaros Manoel Kodrignes do Xascimen-
.0, <: .i Fiamisco Magalhes Onito.
K. :!')!. Dita 0 vice-presidente da provincia
ill '.'. loado ao que requereu Jos Lopes All irn.
Ir conccdcr-lhe licenca, para embarcar para
i presidio de Fernando de Nonmlia no vapor Cu-
'tupe da coinoanhia Pernainbucana, os gneros
n! .ntes da relaeao junta, assignada pelo secre-
'fluli governo,nao podendo, porm, efecluar,
aeM |ne por parle do commandanto do inesmo
ircviilio se proceda a exaine, allm de ver se lia
irdanta ou nutra qualquer bebida espirituosa.
N. :!). Hila.O vice-presidente da provincia
itfMUlmdn M que requereu-Jos Antonio de Mo-
tes-, ivsolvo coiuv ler-llie licenca para ir ao pre-
4i de Fernando ne vapor Cortiripe da compa-
tilia l'eruainbucana.
i* seccao.
9L :i i -Portara ao Dr.-chafa de polica interi-
m. i; im a inclusa copia da nformaco da the-
mitraiia de fazenda de o do crreme, sob n. 538,
p.-p mlu ao oIRcio quo V. S. me dirigi om ii de
;Uli: i ultimo, n. 1,098, acorapanhado dos docu-
mentos quo incluso devolvo, relativos as despezas
pda delegacia do termo de S. Bento com o
yansporte para a comarca de Flores, do vivere*
iestiaados a soccorros dos desvalidos, oamprindo
,uk sejam aireonlados novo documentos com-
V.: I ssa< despezas, pji,qno os de que
eini i s.i tr.itaj nao satisfazwn o llm |iara que fo-
rain solicitados, como se v da citada mfnrinaca.
N. 391 Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
..-ii i- Miheciuiento u afnn de que o faca constar a
fue::i c,in)i-tir, que attendendo ao exposto em
sita infi*maCo de 6 do crrente, sob n. 1,181,
oiin referencia a do delegado do turnio de liara-
t, arerea dos presos pobres da respectiva cadeia,
icabu Je re;ommc.vlar ao inspector da thesoura-
ria provincial a expedico das convenientes or-
den para qne as despezas feHas com o sustento
*e que'i lera i. em vista de cenias competenlemen-
cli'i:-lsadas, apresouladas pelo refewdo delega-
4o. u auto ao foi^eciinento de luz e agua para a
*piadit ee!oi.i, deve ser teit,|lpla caiuai'a-aill-
*iri)i:.l.Mio de lei.
.N. ::;>.Dita ao coramandant superior iiitori-
d. A. a Sra. priuceza B. Leopotdina com seus au-
gustos esposo- lilhos, stjgtlf- para a Europa no
apir ingles qiw esperado nest*.provii*cia nodift
13 "*u li do correte, e podendo acontecer.que
^esembpr^ttem asvisitar eatidade, expeea V. S-
-,uas eiMen?, para qne a*s augtwtos viajantes se-
jain pela guarda nacional sob seu commandosn-
uarioc feilas as honras que sao devidas.
S. 30o. Dita ao commaniiaslo do corpo provi-
sorio do pocia.Faca Vine, apresentar na casa
\t li-'tofie, pelas 8' horas do (ka do amarmaa,
mu malta de vinle pravas e imii oflteial do cor-
po sol sea cominvsdo. afim de guardar at o
'residi lie Fernando de .Noronha, us senteosia-
4o> que para all seguera no vapor Corurif*.
N. afJT.-DitfiMirnefln. -> mate V*<\. reco-
i iher o quartel do iwpp sob seu commando, as
prapis do !: ba^liio de arJilliarja-da.guarda oa-
-iaitalrdeatii inuoipipio, o.naijflo forem presos a
Mulo, pjmo solicita o respactiv ominandanle su-
'cperior em icio de hoaloi datado.
a'jw^o.
N.,.30^.Portori ao. iMpeclor- da thes.otiir.iria
4a fazeafa.Providamie f. S. pajar que *P* v,s,a
4i.cuntajujila un Japlicata,,, palacio da presidencia, nos mezos do junho a julho
desde anuo.
N. .'W9.Dita ao mesroo.Recomraendo a V. S.
que depois de liqaidad ii 'ininaf juntos em dnplicata, os vencimentos rela-
tivos ao inez de julho ultimo, do. ofucial e praeas
da guarda nacional destacadas na villa do Brejo,
mande V, S. pagar a aua importancia a Jeronymo
Pereira Marios ou a Evaristo aleudes da Cunta
Aaevedo, conforme solicilou o commandante supe-
rior daquella comarca em ofttcio do 1* do crlen-
le, sou n. 4.
h. 311.Dita ao mesmo.Em visl do incluso
requenmonto docuatanudo, qtie me remetleu o
chefe de polica interino^ com oilicio de hontem,
sob n. 117o, manda V. S. liquidar e pagar a des-
peta feta pelo sulideleiado de Pauellas com trans-
porte at a villa d> S. Bento de vveres destinados
pelo governo a soccorros d>s desvalidos no inte-
rior da provincia.
S. 311 Dita ao inspector da lliesouraria pro-
vincial.Providencie V. S., para que em vista das
duas inclusas tontas que se refere o oluoio do
-superintendente da estrada de ferro do.Recife a
S. Francisco, datado de bontem, seja paga a quan-
lia i|H' justamente se dever, proveniento de trans-
portes dados por conla da provincia nos trens da
mesma estrada, durante o mez de julho ultimo. -
N. 312.Dita ao mesmo.Dovolvendo V. S, a
folha c pret juntos em duplcala, que vieram a-
neles ao seu cilicio de 16 de julho ultimo, sob n.
399, correspondentes aos vencimentos no mez de
julho d'este anno, do officiai e guardas nacionaes
destacados na villa de Iguarass, lenho a dizer em
rososla ao citado oilicio, que, em vista da infor-
inacio constante da inclusa copia ministrada pelo
commandante superior da comarca de Olinda em
7 do crreme, mande pagar nao obstante a im-
pugnacao feta pela contadoria d'essa tassouraria
a importancia de laes vencimentos, como se re-
commendou em 3 do precitado mez de julho.
S. 313.Dita ao mesmo.Em resposta ao offi-
cio de 31 de julho. ultimo, sob n. 446, em que V.
S. me pariieipon lia ver a contadoria d'essa the
sonraria impugnado o pagamento do aluguel re-
lativo ao semestre de Janeiro a junho d'este anno,
como se ve da conla que devolvo, da casa qne ser-
ve de quartel ao destacamento da freguezia do
Poco da Panella, tenho a dizer quo mande eiTectuar
esse pagamento, em vista do que expoz o chefe de
polica na informaoao junta por copia, datada de
hontem, n. 1(76, com referonoia ao do subdelega
do daquella freguezia tambem junta por copia.
N. 314.Dita ao mesmo.Devolvo V. S., com
peteutemente legalisada, conforme solicilou em
seu offlcio de 0 de julho ultimo, sob n. 4-13, a in-
clusa cenia da despeza feita com o sustento dos
presos pobres la cadeia da villa do Cabo, a contar
de 21 de abril ao ultimo de junho d'este anno.
N. :!l.'i Dita ao mesmo.Ao tenento Manoel
Antonio Soares Jnior mande V. S. pagar, depois
ile liquidados, em vista da folha e pret juntos em
duplcala, que ne remetteu o commandanle supe-
rior do municipio do Rio Formse, com offlcio de
1 do correte, os vencimentos relativos ao mez de
julho ultimo, do offlcial e praeas da.guarda na-
cional destacadas naquella cidad.
- N. 346.Dita ao mesmo.Attendendo ao que
expoz o chefe de polica interino em sua informa-
[co de 6 do crrante, sob n. 1161, cora referencia
do delegado do termo de Itainb, acerca dos pre-
sos pobres da respectiva cadeia, recominendo a
V. S. que, uos termos do seu offlcio de 18 de ju-
nho ultimo, sob n. 335, expeca as convenientes
ordens, para que as despezas felas com o sustento
dos mencionados presos, sejam pagas pela collee-
toria d'aquelle termo, em vista das coalas apre-
sentadas pelo respectivo delegado.
N. 317.=Dita ao mesmo.Autoriso V. S., nos
termos de seu oilicio do 13 lo julho ultimo, sob
n. 398, a mandar pagar smento a quautia de
405 em que, segundo o parecer da contadoria
dessa thesouraria, importa o aluguel vencido des-
de 18 de agosto do anno prximo passado at 17
de abril d'este anno, da casa quo serve de cadeia
no termo de Papacaca. Assim fica respondido o
citado ofticio, que vieram annexos os documen-
tos que inclusos devolvo.
N. 318.Dita ao mesmo.Hccommendo V. S.
que, era vista da folna e prel juntos om duplcala,
que me remetteu o commandanle superior da co-
marca do Olinda, com offlcio de o do crrante,
nande liquidar e pagar os vencimentos relativos
ao mez de julho ultimo, do officiai e praeas da
guarda nacional destacadas na villa de Iguarass.
N. 319.Dita ao mesmi.Depois de liquidados
em visla do pret nominal junto era duplicata, os
vencimentos relativos ao mez de julho ultimo,
dos guardas,nacionaos destacados na villa da Es-
cada, mande V. S. pagar a sua importancia Deo-
medes Francisco das Chagas, conforme solicilou
o commandante superior nterin; da comarca de
Santo Anlao, em oilicio de 6 do corrento.
4"seccao.
X. 321.Portara ao engenheiro Antonio Vi-
cente do Nascmento Feilosa.Declaro Vmc.
para seu conheciment), que nesta data solicito do
Exm. Sr. ministro da agricultura, coramcrcio o
obras publicas, a necessaria antorisacao para des-
pender a quaniia do l:37o com os reparos dos
caes da escadinha, os quaes, ssgundo consta de
seus otucios do 14 de julho ultimo e i do corren-
te. se tornam de argente necessdade.
N. 321Dita ao gerente da companhia Per-
aambbucana.O Sr. gerente da companhia Per-
narabucana faca receber c transportar para o pro
selio de Fern indo no vapor Corurip por conta do
ministerio da guerra, os objectos constantes da re-
latan junta assignada pelo seeretario do governo,
comprados pelo corrector geral Francisco de Mi-
randa Leal Seve pnr conta da fazenda nacional.
N. 323. Dita ao mesmo.O Sr. gerente da com-
panhia Pernambnejna mande receber e transpor-
tar pira o presidio de Fernando, por conta do mi-
nisterio da guerra, no vapor Cruripe, os guardas
nacionaes do priineiro batalhao de artilharia que
para all destacara, de nomes Angelo Thomaz. de
Aquina e Ludgoro do Scnna Barbosa^ que vao Ten-
der a dou< guardas do mesmo batalhao.
N. 324.Dita ao mesmo.O Sr. gerente da com-
panhia Pernambucana mande dar urna pa?.sagem
a r das que dispoe o governo, no vapor Cruripe,
qne tem de seguir amanhaa para o presidio de
Fernando, a Jos Antonio de Moraes.
N. 323.Dita ao mesmo.O Sr. gerente ^a
companhia Pernambucana faca receber e trans
p rtar para o.presidio de Fernando, no vapor Co-
rnripe, por coma do ministerio di morra, os ob-
jectos pertencentes sentenciados militares e men-
cionados na relago jnnta, assignada pelo secretario
do governo.
RrlnrSo que se refere a portara supra..
Tres bahs, tres corJdes, dous relies co'htndo
travesseiros e manas de la, dous pares de a-
patos.
EXPEDIENTE ASSIONADO PELO DTI. J0i\QJJlM CORREA DE
ARABIO, SECRETARIO DO GOVBRNO, E 11 DE AGOSTO
D1U869-
l' seccao.
manda declarar a V. S. em resposta ao sen ofll
ci de hontem. qne a thesouraria de fazenda tem
ordem para pagar as despesas feitas pelo subdele-
gado de polica com o transporte al a villa de S.
lente- de vveres destinados a soccorros dos des-
validos.
N. 28. Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vce-pre-
sidene da provincia, manda declarar a V. S., qne
o coniBundaute do corpo provisorio da polica tem
orden para t'azer apresentar amanhaa na casa de
detencio urna escolta de unte praeas, para o lira ufficio aVfr)r. chefe da olica h. (l 18 desta
soliciado em sou offlcio n. 1180 desta data.
pelo rafalr da gerr,i em 7 de jqll prximo
Ando aclarando que as nitiflcacoes marcadas
polo dqcreto hi. 3403 de 11 le levcrerode 186.
devein ser consideradas como suhstulivas das do
exercicio, e mandando que o ompregados desse
Presidiu resliluara as que cumulativamente com
aquellas houvereai recebido.
V. 317.illiM BMsiii i. Era addilamento ao
licion o Sr. OsmiuvJdporte cnsul de Franca, em
N. 329.Dito ao commandante superior interi-
no da guarda nacional do Bscfe.Do ordem do
Exm. Sr. vioe-presidente da provincia, oommuni-
co a V. S. que nesta data fot anterisado o direc-
tor do arsenal do gnerra, a trocar as armas quo
Hu forera apresontadas por parte do commandan-
te do 3 baialliao de infantaria da gnarda nacio-
nal se b seu commando superior, ea fornecer ao
inesmo commandante oem armas e duzontos cor-
reames, alm das que trocar, como tudo soliciten
V. S. eiu officio de 9 do crrante.
N. .130.Dito ao mesmo.Da ordem do Exm.
Sr. vice-pre,ideule da provincia comuiuBico a V.
S., que nesta data recommendou-sc ao comman-
danle do corpo provisorio de polica, qua rece-
besse as prisdes do respectivo corpo as praeas
do 1J batalhao de artilheira da guarda nanionl
quando forem presos a noite, como solicilou V. S
em oilicio de hontem datado, ao qua) acompanhou
o do commandante do referido batalhao de 4 do
crrante,
N. 331.Dito ao commandante superior da
guard nacional deOhnda.S. Exc. o Sr. vioe-
presidente da provincia, manda declarar a V. S.
em. resposta ao sen offlcio de o do crranle, quo a
thesoc.raria provincial tem ordem para pagar os
venc rnentos constantes do citado offlcio.
N. 332.Diro ao commandante superior da
guarda nacional de Sant'Anto.Declaro a V. S.
de nn in do Exm. Sr. vicepresidente da provin-
cia o om resposta ac seu oi.co de 6 do crrante,
que insta data autersou-se a thesouraria provin-
cial a pagar o Deomedes Francisco das Chagas
os vencimentos constantes do pret, que em dupl-
cala \eio annexo ao citado oilicio.
Ni 333. Diio ao commandante superior da
guarda nacional do Rio Formse.O Exm. Sr.
vice -presidente da provincia, responden Jo ao oili-
cio do V. S de 4 do correlo, manda declarar,
que a thesouraria provincial tem ordem para pa-
gar ao lente -Manoel Antonio Soaros Jnior os
voncinientos.'coDstantes do citado olhcio.
N. 334. Dito ao coinmand me superior dar
guarda nacional lo Brejo.O Exm. Si. vice-pre-
sidente da prpvincia, respondondo ao oilicio de
V. S. ilalad > do 1" do correute, esob n. 4, manda
declarar que a thesouraria de fazenda tem ordom
para pagar a Jeronymo Pereira M irins, ou a Eva-
risto Meados da Cunta 'Azevedo os vencimentos
consta Hes do citado offlcio.
-\. 333.Dito aojuiz municipal da vara do
KecifeO Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarara V. S. em resposta ao seu cilicio
desdala que acaba de expedir ordens para que
a esta capital regresse o ex alteres do corpo de
noticia Manoel Laiz de Siquira, por ter comple-
tado a pena de prisao que eslava cumprindo em
Fernando.
N. 36.Dito ao mesmo.O Ex.n. Sr. vico-pre-
sidente da provincia, ipanda declarar a V. S, que
llcaui expedidas as ortens para Icreni o conve-
nient destino, as guias e-sentenciados do juslica
do que Irata o seu offlcio de hontem datado.
N. 317.Dito ao promotor publico da comarca
de Iianli.O Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia, manda declarpr a V. S. em resposta ao seu
oilicio de 22 de junho ultimo, que nesta dala ex-
pedio-se ordem a thesouraria provincial para quo
as despezas i'eitas com o sustento dos presos po-
meu ojfcfode hontem declaro a Vmc. que dena
ra esso presidio por doeite O cuten-

de se:
ciado fnafio Jos do'Camine, segundo consta do
dato.
N. 348.Dita ao mesmo.Envo a Vmc. para
os flns ceawoientes a inclusa cipia o termo dos
objpoios cmnarcados to vapor, Cruripe da com-
panhia Pernambucana, reuuuidos pelo arsenal
cora destino a esse Presidio.
-V 349. Dita ao eonsutraacez. Accei lando
com satisfaeao o convite ipie em olflcio de 10 do
cor.-ente mu diriiji o Sr. Ornan L-ipor^e, cnsul
de Franca" para assistir a 13 deslc mez a urna hora
da larde o Te Deutn que-tutu le mandar celebrar
na igreja doParaisj, acabo de (rinsmiitir csse
convito as diversas autoridades' ivia c militares
d'esla provinoia, e expedir orden) para ser aiire-
sentada a guarila do honra, como solicilou o mes-
rao Sr. cnsul, a quem renov os protestos de
minha perfeita estima c di.-iinc'.a considoracao.
N. 330. Dofiborapoo. O vice-preslilenle da
provincia, attendendx-ai) gociantes desla praca Mirques Carros-dr 0.,'e ten-
uo ert vista o que a csse raspalo iutormou o Dr.
chele ile polica uterino em oficio do hontem sob
n. ll, resol ve conceder-lhes Peaoea afim de re-
inetter para o presidio do Fernando em ara dos
vapores da companhia Peraaiiibueana, o escravo
Manoel que devera seral eiitreguea Joaodo Sou-
za Dias Valladao.
2" seccao.
X. 331 Portara ao chefo d> [wKcii interino.
Por parte do brigadeiro coin.n mdante das armas
Ihe serio apresentados dous cernas de nome
Franciseo Valeriano do llego, e Jos Antonio Ma-
noel 9v Monte, os quaes forain julgados incapazes
para#ser\iij) do exercjto, afim de que V. S. llies
d ifaestino que julgar conveniente.
N. 352.Dito ao inosuio. De cooformidane com
o qiw me solicitou o prcsidento das- Alagas era
offlcio de 2 do crreme, expeea V. S. as sua3 or-
dens as autoridades do termo do Bm Consellio,
itim de que Dao embaracem e antes facilitem a
ae :j
ira da
I captura dos guardas designad.1.daquella provincia
que ali so vao refugiar.
N. 333.Dita ao inesmo. Mande V. S. como
solicitou o coronel commandante superior da
guarda nacional deste municipio em oilicio n. loo
desla d.a, por em liberd ide os guardas naciunaes
do batalhao de artilharia Jos Pedro du Nasc-
mento e Plorindo Paulo da Rocha, recrutados pelo
subdelegado do distrcto da Miiiilale.ua, o de que
trata a^sua informicao n. 1191 de boje datado. _
N. 334. Circular aos presidentes da relaeao,
tribunal do coramcrcio, desembargadores, chefe
de polica, jnizes de dirito dos eitos da#izenda e
especial do eoiiimerCo, juizes de direito o muni-
cipaes da l1 a 2* varas, comiuandaale superior,
seu eMa-lo maior, e coinmandane de cornos, pro-
tnoto|-pilblieo. juz jc ujiiii,,,*, commainlaiite do
corpo de polica c sua omcialidnle. Amiunindo
ao que soUctou o Sr. Ostnin Laporte cnsul da
Franca om oilicio do 10 do concille, convido Vv.
Excs. para asistir na groja do Panizo o Te-
Deutn (jac o mesmo cnsul tem de mandar cele-
brar alli a 13 dosto mez a 1 hora da tarde.
N. 333. Portara ao eommandante superior in-
terino da guarda nacional do Itecife.Sirva-se V.
S. de dar as suas ordens, al'un le i|ue urna guarda
seja pesiada -em freute da igreja do Panizo no dia
15 do correnle ao meiu da pan assistr ao Te-
Dcuin que o consol da Franja tem do uiaudar ali
cantar no mencionadn dia.
N". 33i Dita ao juiz do direlo de Caruar.
bres di cadeia dessa comarca, sejam pagas pela Sin ten>lo o uiz municipal dease termo remclUdo
respectiva colleeloria, em vista de cuntas eompe-
tentenente legalisadas, aprosentadas pelo delegado.
3.a sec;ao.
N. 338. lcio ao chefe da repartico das
obras publicas.Nesta data aulorisuii-so a the-
souraria de Alenda a pagai ao maquinista Vicen-
te Jos de Oliveira, a quantia de 324 constante
da conta que cm d-iplicata vcio annexo ao offlcio
de V. 3. datado de hoje e sob n. 282, o qual tica
assim respondido de ordem do Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia.
4.* seccao.
N. 1:39.(Inicio ao superintendente da estrada
de feria).Pela secretaria do governo so dudara
ailllui. Sr. superintendente da estrada de ferro
do llecife S. Frandsco, em resposta ao seu oi-
licio d-s hontem. qne iransroiltio-se as thesourarias
geral e provincial, para os ilns convenientes as
conla* que vieram annexa ao citado oilicio.
EXPEDIENTE ASSIGXADO PELO EXM. Sn. DR. M.VNOEL
DO N.VSCIMENTO MACHADO PORTl-:l.l.A, VICK-IIIKSI-
DENTE DA PROVINCIA, EM 12 DE AGOSTO DE 1869.
1" seccao.
N. 3 40.Portara ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.Mande V. Exc. apresentar ao
Dr. cliefe de poMoi-inlerine, os 2 recintos Fran-
cisco Valeriano do Reg e Jos Antonio Manoel
do Monte, visto terem ido julgad m incapazes do
servico do exercilo.coma consta dos tennis que
vieran annexos ao seu otflcio de 11 do crrante
sob n 473.
N. 3i I. Dita ao mesmo.=Tran3mitto a V. Exc.
para seu conhedmenio copia do aviso espedido
pelo ministerio da guerra em 27 de julho prximo
lindo, declarando que as gratiflcai^cs marcadas
pelo decreto n. 3403 de 11 de fevereiro de 1865
devem ser consideradas como substitutivas das de
exercicio rastiuindo-so as que cumulativamente
com iiquellas houverem sido per*b N. 342. Dita ao uiesrao. Xotmindo ao que
solicitou o Sr. Osmn Laporte, cnsul da Franga,
em lucio de 10 do crrante, convido V. Exc. para
assistr na igreja do Paraizo o Te-Dtnm que o
niesn oc o-ul uitn demandar celebrar ah a 13
do crranle a l.hora da tarde. Iguaes ao direlor
do arsenal de guerra, inspector do arsenal, de ma-
rrana, capillo do porto, commandante do brigue
barca Itanuricde engenheiro das obras militaros;
mutatis mutandis.
N. 343.Dito a director do arsenal de guerra.
Tendo nesta,data auojisadp o in.speclo'ua the
sonraria de fazenda a designar o priineiro confe-
rcnle da alf.iu-Iega d'ostacapital, Manoel Rogerio
da Silva, para servir da vogal ido uommercio de
compra. desse ai.-enal:1em .sulutuuig.io ao priinei
ro conferenle op Jus Heiiriques quq por diente
tem ileixalo do coitiparecer as sessoes'do raesrno
/jonstIh'n, as*lm o communico a V. 9>. para seu
conhecimento e em resposta ao seu oilicio de 7 do
corn uto, syb n. 156.
.V. 3i. Dita, au mesmo. Mande V. S. com
urgeicla concertor urna,das argollas que susten-
tara n ferrolho da grada de -ferro -do xairet de
recriilas.no quartei *a Sotedade con*) uiicibiu o
coinoiackluuu)d,isat'Jju* oiu-*Ukio d'esla.d*U. son
com dtfcto de h-k^aob n-W^ aeto.pga.*xmai
chlBista'.Vicsntf -fos de(^elra.Tqitajjlia dell
N. 326.-=llkio ao Exiu. Sr. genpral ,com.tuaii-
danle das armas.De nrdem de g. Exc. pSr. vye-
prasidjjito da provincia, declar a V. Exc, em
resposta as snas bfflcjos d'esta dpUrsob ns. 408 e
469, que fleam expedidas as eorepipnles orden*
au gerente da-companhia Pernambucana, para, fa-
! i^i'nsportar para o presidio d Fernando no
o inappa de execuroes da, s;ntoiicas criimnaes
por falla de modelo, romo se t do sen oilicio, qu*
icouipanlioii o de V. S. do 4 6) corrente, incluso
remello o dito modelo, ali ni de que o referido juiz
repare cun brevjdade aquella falla.
N. 357.- Dilaao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Mande Vine, eliminar do corpo
sob seu commando, o cabo Ubaldo Anlero deSouza
Res, e soldado Joaquim Francisco da Silva, a que
so refere os seus offleios ns 355 n 337 do 10 e II
do crranle, visto que o fui julgad. incapaz de
servico e a 2' tendo completado -eu engajainento,
nap quer continuar a servir.
N. 338. Dita ao iiusjui. Em addilamento a
portaria desla presidencia de '28 do mez tln'to, e
em vista do que expoz Antonio Jos do Andrado
cm sna pet5ao,.seja o in< sjno iddtdo ao corpo sob
o seu enramando no poste de c.ipiao.
N. 339Dita ao mcsiiio.Pode Vmc. dpslgar
do corpo sal ten caminando os segundos sargen-
tos Rouiao Populo do Andrade o Jo.- Mariano de
Barros Cavalcante, do que trata os seus oflicios
349 e 330 do 10 do corrente.
N. 360.Dito ao mesrao.Approvo o engaja-
mento do corneta Antonio dos Piazeres, para ser-
vir no corpo sob seu commando, cm visla do que
Vine, expoe era seu offlcio n. 332 de 19 do cr-
reme.
N. 361.Dilaao mesmo.Mando Vine, iluminar
do corpo sob seu commando, o soldado Joao Ma-
Biel Ijns Wanderley, deque Irata o sen oilicio n.
334 de 10 do crrante, visto ter sido iulgudo in-
capaz de continuar a servir pur-niofestin.
N. 362. Delilxrasao. O vieo presidente da
provincia attendendo ao que the requereu Joao Al
ves Tragona, restdye. c>uicedcr-llw a exoneracao
Jo car;:o de 5 snpiilenlc do juiz municipal e de
orpnaos do termo de (o\anua
3* seccao.
N. 362. Portara ao.inspec.ur da thesouraria
de fazenda.e conformvlade com a sua infor-
macao de 10 do crrante sob n. 550, podo V. S.
idesjgaar o Io conforento da ii!andega MauoeiiPc-
ragrinoda Silva pura servir di .vogal doconselha
do compras do arsennl de guerra era substituigao
ao Io rof(>rente Joo Jos Henriques, que pordoen
le nao ptijo comiianwor as sossoe* do mesnio con
salho.
N. 36.4.Dita, ao., mesa. Cnnforuwndo-fle
com o parecer do contadoria Jessa thesouraria a
que su refere o oicio de, V. S. n.449 du 1 dv-nor-
rente tenho a dizer-lhe ijue sejam abonada* a al-
las que deu o juiz inuiiicipal e de.orplios do-u-r-
mo de Agua-Prot oaobarl Redro (iauuianp.de
Rales e Silva Jnior..pravando elle te-las dadn-por
raoteslia o ter-so colmado em dito twrao.
N. 365.-Dita'ao uiesmo.Anwpado aa-q+iCO'
n.A7K"'
K. 34
343.-Dita ao apitao do .porto. I3n. vista
do i| w consta de setutUlcio n. 106 do 10 do eor-
raniti pode V. S. h*ibHu pfpvisoriauenie at a
Ultima deliberaco (lue.ipdividuos Qo.dnairkula-
.*'fttsa repartivi.) se.erapregueiji uo.servlc.iile .
AuiYaxum lkeneii d'essa capitana e da alfandaga eoua*UH> Pk, dvalo ,n, 3i4li|r*.Ati d|aim'i
e,HMdipute o satirio que convencionarem com os ro,,do.4863, ao* era)ir^4> do-Bfiesrti'*; d*J^r-
iBWHIMUL,, fcanjp lodavia jeitos a todos os B^Atoft>cu^dMNi-.sr-omHiiritotomm-
porieoeenies aos. scf^pnea^a meares. N 34trtDua w.mm**m.4*. ^^.MM^^^mm^Am.rm^mMViA *WU**
' /m. \2*f^ a 1.1 ^niodijf-^a"iiwttiii v& Papu aw-l^yy^,^ua^aailatJwHwiM-
N. 3S7-OfflpM T- etoMepotkHa.iataiiooi inJiapi:
offlcio de 10 do corrente, convido a V. S. para as
sialir na igreja do Panizo ao Te-Deum que o mes-
mo cnsul tem do mandar lfi celebrar a 13 dfttfe
mez a 1 hora da tarde Igual ao da thesouraria
provincial, ao administrador do consulado provin-
cial, ao administrador da meebedora de rendas
internas e ao chefe da repartieao das obras pu-
Micas.
S. 388.Dita ao inspector dh thesouraria pro-
vincial. A Jco Lins de Alraeidh Ribcro mande
v. Si pagar itepefs da liquidadas em visto d san-
ta jnnta om dnplicata qne me remette-i o shife
de poficia com cifflph) de honteinv sob n. 1184, a
imp-n toncia da despeza feita durante o mez de
jtrtho ultimo com o forneciment > de lur. e agua
para o quartel do destacamento di villa do I cria-
rais A
N. .'{69 Dito ao mesmo.Devotvendo a V. S.
os documentos que vieram annexos a sua infor-
macao de 3 do correnle. sob n. 458, relativas ao
i'i rneeimenlo de luz e agua para o quartel do de>-
lacameotu da cdade de Olinda nos mezos de marco
a maio deste anno, tenho a dizer que proceda a
este respeito do conformidade cora a citada infor-
madlo, mande pagar smente a quantia de 373040
ra. era que segundo o parecer da contadoria dessa
thesouraria importa tai despeza por ter de abater-
so a de 2S760 n. correspondente ao fornecmen-
te de luz feito aoxdrez do mencionado quartel
e ao desiai^mento de Bcberiae, que nao fui anto-
rsad, devemk) outro sim ser restituida a esn*
thesomari.i a somma de 335600 r. que kidevida-
raente foi paga de Ignal fornecimento nos inezes
de novembro do anno prximo passado a feverei-
ro ultimo.
4" seccao.
N. 372.Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia da Parahyba.Accuso recebido com o ofll
co de 7 do correnle sob n. 3363. dous exomplares
do relaiorio con qnie o 1* vice-presidente Dr. Sil-
vino Elvidio Carneiro da Cuhha, cntregou a V.
Exc, no dia II de junho ultimo a administracao
dessa provincia bem como o offlcio de 16 de abril
prximo (indo dirigido pelo t. vice-presidente pa-
dre Francisco Pinto Pesada, aquello ao passar-lhe
a mesnia administracao.
N. 373.Dito ao Exm. .Sr presidente da pro-
vincia do Oar.Ne*ta data'c de. conformidade
com o que V. Exc. solicilou em otlleio de 22 de
junho prximo lindo sob n. 18 cxp;o a conveni-
entes ordens aos azentes da companhia Brasileira
de pmiuotes, alim do darem transporte para essa
capital por coma do dessa provincia ao lachygra-
pho Carlos Ernesto Mesquita Falcao.
N. 374.Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia das Alagas.Communico a V. Exc em
resposta ao sen offlcio de 2 do corrente, que nesla
dato racommendn ao Dr. chefe de polica a expe-
dico das neeessarias ordens atlm de que as auto-
ridades do termo de Rom Consetho desla provin-
cia nao embaracem eantes facilitem a captura d.s
giurdas designados que alli se vo refugiar.
N 373.Dito aO'Exm. Bvm. bispo.Annundo
ao que solicito o Sr. Osmin Laporte cnsul da
Franca om offlcio de 9 do crrante, convido V.
Exc. Rvma. para assistr na igreja do Paraso ae
Te Deurx que o mesmo cnsul tem u mandar"ce-
1ehr;r all a 13 deste mez a nina hor da tarde.
igu%$ mutatis mutandis ao dosembargador pro-
vedor da Santo Casa de Misericordia, a junta ad-
miuislr.iUva da mesma Santa Casa, regedor do
gyranasio provincial, cmara municipal do llecife
commissario vaccionador, director da instrucQo
publica, dito da escota normal, administrador do
crrelo, engenheiro fiscal da estrada de ferro e
inspectoras da sade publica e do Porto.
N. 376.Portara aos agentes da companhia
Brasileira de paquetes a vapor.Os Srs. agentes
da companhia Brasileira de paquetes mandem dar
transporte para o Cear por conta daquella pro-
vincia no priineiro vapor que passar para o nor-
te, ao tichygrapho Carlos Ernesto de Mosquita
Falcan.
-\. 377.Dila ao gerente da companhia Pernain-
hucana.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cano expeca orden afim do que sejam transporta-
dos do presidio de Fernando para esta capital por
conta do ministerio da guerra os objectos constan-
tes da relaeao junta assignada pelo secretario do
governo, e pertencentes ao capilao do estado maior
de artilharia Tiburco Hilario da Silva lavares que
alliexerceu o lugar de major da praca.
N. 378.Dila ao mesmo.O Sr. gerente da com-
panhia Pernambucana, man lo receber o transpor-
tar para o presidio de Fernando por couta do mi-
nis'erio da guerra no vapor Cururipe, os guardas
nacionaes que vao all substituir a outros no des-
tacamento ao mesmo presidio o constam da reta-
can junta assignada pelo secretario do governo.
N. 379.Dita a directora do thealro de Santa
Isabel.Provdoncietn Vmcs. para que a Jos
Amal ou ao seu procurador bastante G. Marinan-
gel, e no; termos do contrato o regu'amunto res-
petivos, soja entregue o thealro do Santo Isabel
para o doseinpenho das ohrigacoes contratadas
pela empreza lyrica.
X. 380.Dita ao administrador do theatro de
Santa Isabel.Tendo nesta data offlciado a direc-
tora do theatro de Santa Isabel para que a' Jos
Amat ou ao sou procurador bastante G. Marinan-
geli, seja entregue o inesmo theatro para o des-
empenho ikis obrigaees contrahidas pela empre-
za lyrica, recoimendo a Vmc. a observancia do
art. 18 do contrato celebrado com o referido
Amat.
N- 381.O vice-presidente da provincia, atten-
dendo ao que requeren o presidentf. e secretario
dasociedade denominadaChib Popularinstitui-
da nesta eidade, usando da antorisacao que Ihe
cniferetn ns decretos ns 1083 de 28 de agosto de
1860 c 2711 de, 19 de deaembro do mesmo anno.
resolvo approvar os estatutos da mesma soeiedade
conceder autorisacao para qHe possa ella Rmceio-
nar devendo declarar na repartiro da poficia o
local om qpe.liouver de reunir-se e recolher a
mesnia repsi1Sao nm exemplar dos referidos
estitntos.
EiPKDIKPiTE ASSIC.5AB0 PF-LO SR. DR. JCAC'IM C0R-
RJ{? DE ARAUJq, 5KHFT'.I0 DO COTSWO, EM 12
DE ACOST DE 1868.
1* seccao.
N. 382.Ofticio ao Exm. Sr. general eomman-
dantes das armas.De ordem de Si Ext. o Sr. vi-
co-presidente da provincia, declara a V. Exc. em
resposta ao seu offlcio desta da La sob n. 475, que
se.autorisqu ferente da corapanhia Perpambu
cana para fazer transportar para esta capital, per
conta do mihstork> da guerra, a bagagem do capi-
to do eslado-tnaor do artilharia Tiburco Hilario

otrantia de 143310 consume do offlcio de *$.
datado de bontem e sob n. 1184, o qual fica sate*
respondido de ordem do Exm. Sr. vice-presidente-
da provincia.
N. 388.Dito ao commandante superior ntaiBUr-
da guarda nacional do Recite.O Exm. 8r. vim-
presdente da pruviecia, manda declarar a V. K,
que neeto dhl* m exptdiu ente ao Dr chal *
p8el pwwpor eitt8hrMadn -- j-irtii rtlilBr
du r>ftatoMb d artilnm Joae Pedre do Mm-
memo. a Pforiadnoti> da Rocha, do que trato
seu offlcio n. 1.3W sido recrutados.
N, 387.Dito ao- commandante supeior dk
guarda nacional de ORmia.S. Exc. o Sr. tee-
presidnnle da provincia, manda declarar s VS 8.
para sei? conhecinp(ut<> < levidos eBeites^i
luitu-o bcigaMico eixninandamo das armas u da Silva lavares, que alli exerceu o lugar de eia-
oflcio dataiW.de h.Atoiusub a..47lj raoomranudo ir..d_Pra5
a-V. S., que en vi-da. dopretjuto ni dupliata
mande liquilar e pagar os veivciraenliis qu*op-
purtunamonto doxaram de rei-"cber4:*soldauua-in'
i^/i C*ud#ii Jos Ferreira o M Uacto. dys
Santos, nqiioltai do,corno iv Si, eow dp-d, W,
du viilu,iu*rio Vpatna, ppr so*m- fef|jl>
dy &iobre*ewu jifiiis>*o dapiasidanoto aJiiu.u>
ospotiir.aUi suts t>axas ou rrfcaimaa i
K, 366.Dita, ao -inesift.--Jr8aito a-V. ^
para s-'u co expedido (>ela romi-terto d.i sf rftd* i? du j
#roimo Budo, iteWaranuo. (ef *. aiiScas
N. 383.-4)ito ao mesmo.De oidem de- S. Kxc
o Sr. vice-presilente da provincia, declara a V.
Exc. qu noam expedidas as convenientes, ordens
ao gereeie da companhia l>ernanwucaaA, para
Iransporie dos guantas nacionaes, que seauem
hoje para o presidio de Fernando no vapor atra~
ripe e de,que tratara os offleios desla dan ns. 447
448. ,
N. 384.Dito ao mesmoDe ordenada S. Bxc.
o.Sr. vie-presidenie da provincia, detam a V,
Exc era resposta ao seu offlcio desta data so
n. 474,' n|.da-|iterra, para mandar.coneeitor foresto
que fecha a grade de ferroalo xaioea iwiwtoi
domo V. Sao. jiieitouam seu uew. ja ritode.
2* seccatv
nm.+mAi a Be oUefc ^8e paKoia interif
naNesta dala autorisaa^ae, >ei-iti|iaNrlapcbi
viarial a pagar a Jefe l*i d AaneMa Ribeiro ^
acaba de racomraendar a ihe^onraria proviewl,
3ne de cnnfiirmidado co a sua informacSo do 5
o corrente sob- n."438, mande pagar somonte a
qnantia de 574047, em respectiva contadoria importa a despeza feta oa
o fornecimento de luz e agaa para oquarhddo
destacamento d'essa eidade nos mezos de otorgo e
maio deste anuo, por ter de rebater-se A db
254760 correspondente ao tbrnecimente. lai
feito so xadrez do mesmo quartel c inUtotiri
ment de Beberihe. que nao foi autorisado, devana-
do outro sim recolher-s* a mesma thesouraria a
somma de 33.S600 que indiviitomente foi paga de-
igual fornecimento nos inezes de novembro du
anno prximo passado- a levereire nltimo.
N. 388.Dito ao juiz de direito da comarca de
Caruar.O Exm. Sr. vice-presidente da provtat-
ca, manda declarar a V. S. qcc licou interado
pelo seu oilicio de 28 do mez lindo de haver sido
convocado a l1 sessao jinliciara ih> jury do tensa
de S. Bento para o dia 9 deste me* a de ir V. 8.
presid-la.
N, 389.Dito ao presidente o mentaros do eon-
selho de revista da guarda nacional de Caraa-
r.0 Exm. Sr. vice-presidente da provioci.
manda declarar a V. S. em resposta ao sen oflieiu
do 1 do corrente, que tteoii iiiteir.-ido do neae
dato ter concluido os seus traballms o eonsellio ate-
de revista da guarda nacional do municipio da
Caruar.
3J secreto.
N. 390.Offlcio ao inspeclor da thesouraria da-
fazeuda.S. Exc. o Sr. *iee-prasidenle da provin-
cia manda communivir a V. S..para seu conbeei-
ment o lins convenientes que o eniienhein) fbcat
da itrada de ferro do Recite a S. Francisco par-
liepou em ofticio de 10 dcoirente, haver nouiea.-
do nessa data a Francisco liel-irniino dos Santos
Frailas, para exercer o logar de escrivao d'aquel-
la repartieao ora a graUliraoo annual de......
6004000.
N. 391.Dita ao inspeitor da thesouraria pro-
vincial. -Em addillamenla a.r raen offlcio de 28 de-
jullvo ultimo, declaro a V. S. de ordem de S. Bxc.
o Sr. vice presidente da provincia quo nesta data
se expedio ordem ao commandante do corpo pro-
visorio de polica para addir iiaqii'-lle corpo no
posto de capilao ao capitao honorario do- exereito
Antonio Jos do Andrade.
N. 392.Dte ao mesroo.Em oilicio de hontem
datado participoii-mc o thesoureiro das loteras
Antonio Jos Rodrigues de Sonsa, haver nessa di-
ta entrado no goso da licenca de 2 inezes que Ihe
loi concedida pastando o exercicio d' aqnelle ear-
go durante sua ausencia a son irinao Ji.se-Rodri-
gues de Soiizo, o que a V. S. communico de or-
dem de S. Exc. o Sr. vire-presidente da prniiineia.
N. 393.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
Sresidente da provincia manda communirar a V.
. parasen conheciment i que cm oilicio de 11 de
corrente parlie pon Jos Rodrigues de Souca lurer
njaquella date entrado no exercicio do cargo de
thesoureiro das loteras durante a ausencia dn res-
pectivo proprielario, que obleve 2 meaes de licen-
ca para ir ao Itio de Jaueiro.
.Y 394.Dito ao mesmo. Participando o cen-
sor do gymnasio provincial em nUlcio de 11 do
correnle haver nessa data a-sumido o exerric do
cargo d regedor uterino daqti> lie eslabeleeinien-
to pur se achar anojadoo respectivo pioprietario,,
assim o communico a V. S de ordem de S. lie.
o Sr.viee-presiilente da provincia, para seucoahe-
cimento o lins convenientes.
4.a seccao.
N. 295.Olflcio ao regedor interino do Gymna-
sio..S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia,
(cando interado pelo seu offlcio de !0 te, haver V. S. naquella dala assumido o exerci-
cio do cargo -de regador interino desse estahetoci-
mento por se adiar anejado o respectivo proprie-
tario; .assim Ih'o manda coinmuracar para sen
cuuheei ment.
N. 396.Dito ao engenheiro Bacal da esfcada
de ferio do Recife a S Francisco.S. Exc. oSr.
vice-presidente da provincia, fleando iiiteiradii
pelo seu aflico de 10 do c.-.rrenl*, haver V. S. Bo-
rneado naquella data a Francisco Bellarmino dos
Santos Friitas nara exercer o lugar de e-cravente
dessa repartieao, com a gratifaaco n ensal d
604; assim li'o manda communicar para o seu
conhecimente.
. 397.Dito- ao thesoureiro las telenas.8.
Exc. o Sr. vice-presidente c!a provincia,, manda
declarar-lhe para seu conhecimente qne-pelo sint
nicin de II d corrente, lcju interado de haver
V. S naquella. dala entrado ao goso da licenca. de
dous mezes que Ihe foi concedida, passando o
exercicio do sen cargo durante sna aivencia n sen
irmiio Jo- Bedrigues de S^ua.
.\. 398.Dito a Jos Rodrigues de-Souxa.S.
Exc. o Sr. viee-prcsidei:-ie oa provincia, manda
declaraivliw para seu coiUwciuieulo, q^e prltAJW
offlcio do- tt do corrente, ir.ju interado de haver
V. S. entrado no exercicio do carao de thesourei-
ro das loteras darante a cnsenua de respectivo
propretario.
DESPACHOS DA VICR-PUKSIDF.NC.I.. M DIA 3 OC 1W-
VEMKftO DK 1868
Cunselheiro Felippe Lopes rsotto.Pagos os d-
reilt1* devidos, como- requer.
Francisco Alves Moretra.Seja posto em liber-
dade.
ranci$co,Fcrr)ra Horges.Expeea-se ordei.
no-sentido <|U0 requer o supplicaule.
Fielde'u Brothsrs.D.riji-se ao Sr. inspector dfw
thesouraria de tezenda.
G. Marinaii?eli.-Dirij;v-se ao Sr. inspector ih.
thesouraria paovinejat, a. quera so expedio ordom
para ajustar ontas coia a empresa.
G. Marinaagel.Dtija-so tu Sr. inspectar \
thesouraria, provincial, que tem ordem para aj i- -
lar coalas tora a etr4>rcza.
Juvenak Xavier Torces.Reqfleira ao eagieaiio--
ro chefe n repartieao das obras publicas.
Jo venal Xavier Torres.informo o iS. ao*t-
nheiro chefe da separtiea das nMres ptablkiaa
Baekaral Joao uonzaga Bvicelltir.lutonop a Sr.
in*petof da tnesoureria ao faaenda.
J-.s Soaros Monteiro.Informa o Sr. jssytjBtar
da thesouraria de fauada.
Captao Jos. L\urufliiuJ de Aaeyedo.-.QipMa-
roentoque r*|Uer esdependente da sprasoqo-
cao da relaeao nominal dos presos que I
inentad-xs para o exaiflo d^ P
Leonel Kapbael de Melbas
Mara da Conceifae. luute.corL
raonjo.
Socedade dos Aricas Jlcehaaicoa U*orja
noel Pereira de HnUj|J|.
Thomnj l*MEmt^^}^&
mrorm.acBp^.|aui,(Mr MP* 4W-
'>
\

liitiihH
T i


1869.

Ilepatico la poliei
><(. J-Sfrretara da polica da Pernambu-
tttlti le ,869-
lllim o Exii. Sr.Levo ao eonhei-
taenlode me, cm vista das participares
racebidas 'parlirao, foram hontem reeo-
lhidos a Casa'- M detencao, os seghmles
A* rtnha nrdom, Jos Pedro Rodrigues, viudo
de luarass bu bo criminoso de mojrlV.
A* ordem do subdelegado do Rtrife, Thoodoro
ib Rota, Stavus Albania e Antonio \ epicolex, aus-
tracos, a re.i|:ii-'-rv'> do respectivo censa!.
Itoroffio datado do 30 don* passadft, coro-
murocou-mo o delegado do polica do tormo de
Saxarelli, que r'negando a o seu coBliecimenlo que
eoroneMuft" [Mas Continlio de franjo .Pereira,
aenhor do emje'uho Gaoavietra onde rcsidv, Im*
leride eom duuv Carne. de chumba pela b Hora
da manliaa daq elle dia, na Frente de unta das ex-
tremidades de sna casa, em consecuencia do _dous
tiros contra elle disparados, por dous individuos
que conseguiram evadir-so. para all se dirigi
launediatameule, aflm do proceder a corpo de de-
licio na pes>a do nT.mdido, e dar as providencias
precisas para seren descobertos os autores de sc-
fnelhante crime.
Deus guardo a V. EscIllm. e Exm. Sr. se-
ador Frederlco de Almeida e Albuquerque, pre-
siieute da provincia. O chefe de polica, Fran-
cisco de Assis Oliveira Maeul.
i mmm
Franci -co Manoel Wanderley Lina Jnior, plena-
mente. ...
Geroncio Das do Arrjida Falvw. idem.
Antonio Bezerra da Rocha Moraes, idem.
Felftt d Figiictra 'Parta, iderh.
'indivi- partan Al*ert0 da enseca ''ima- ldem- '
4' anno.
Maruuode Freitas Vioira de Mello, plenamente.
Alfonso los de Mendonca UchiJa, dem.
,l so Ferreira do Nova, dona.
\uionio Ferreira liaUhar Filho, dem.
Frilnclsco Jos Meira Sobrinho, idem.
sidi'oatO-'Lydio de Oliveira Magaltes, idem.
CHtOiMCA JUDIGURM.
mim* ir i> comusncio
\CIA DA SJSS.V) ADMIN'IsrrtATIVA DE 4 DF,
&OVEBilO DE 18G9.
PR*SroENCI\ DO BXM. SR. DESBUIURGADOB ANSELtfi
FIUNCISOO PEBETT!.
As 10 horas da manilla, reunidos os Srs. depu-
tados Rosa, Miranda Leal c bario de Gruangy,
faltando om causa o Sr. |!''^IVisVSr. |re-
sidente leclarofl alwrta a *--
Fo lida e approvada a aiCta da scsso de 28 de
lnhi-u
DIARIO DE PERNAMBUCO
*
I V
RERIFK, 6 Di NOVEMBRO DE 1860.
PRESIDENCIA' DA PROVINCIA.
,j Swanle % IVma. cmara municipal d'esta cula-
da e em prc mea de um eseolhido e numeroso
aoncnrso de cidadaos, prestou hontem juramento,
I hora da larde, e lomou posso das redoas admi-
iivas da provincia, S. Exc. o Sr. senador r-re-
, d'Almcid i e Albuqoorquo, presidente. uo;
pan IVmimbuc por caria imperial de 10
i itulmi pr. unin lindo. ..
S E\c nao administrador novel; ja desem-
aoohou eom sabido eritero em oulra provincia
do norte a> altas f.inccos de presidente; o o go-
vorno imperial, conlland i-lho a administrante de
Pernambuco. andn Iwin avisado porque, diflicil,
qffWff cesta provincia, de ser governada, oque
nulhor Ihc conven? na alta posicao de presidente
,j mn homcn prudente c enrgico, quo saiba se
ooHoeai- a.iino das intrigas partidarias o dostribuir
lica todos sem ulliar quolles que a sollicitam
a'inboc una das raais valiosas joias d"
mas (vpinHSes peaam sempre vantajosa-
Wti balan.-a pilitira, e pr isso mesmo sua
~ tracao ti na-se mals diQkil, nao obstante
a-d.wii.dado do carcter do scu povo.
Cuinponotr.>., pois, S. Exc. o Sr. Almeida e
Albuquertiue de-la vordado, e siga os passos de
a primeira aJnini-trac., ten.lo sempre como
normas a lei o a justica; que, alm de um bom
servir presta fo ao -eu paiz, conquistara inaior
renoioe para -i cu.n i administrador Mloso, recto
o iulclligente.
Fiados n Feus honrosos precedentes, na.iirc-
pidamos em diier que nos achara S. Exc. sempre
atotenspara ajn la-L>, qnalido na sua ardua tarefa
tiver carencia de auxilio na imprensa: dovemos,
porm. oonfessar que seremos dos primeims a er-
gucr a censnra, quando neccasaria, oque lazemo<
vows para q! na) se di*, at os actos da sua ad-
Watracao, se ella so afastar das praticas estabe-
toei.Ia- pelas n issas leis e pela justica.
Com isto (|ierenos diaar simplesmente, o mais
ama vez, que nos reservamos toda a lilierdado do
apre^iaci','-oore os actos administrativos, Pin-
bora sejainos amigos daquelles que buje dingem
O negocios d'i pa/.. .
Rfpeumos, qne nzemos votos pela boa admmis-
iraeo de S. I"xc. u Sr. senador Fredericod'Alinei-
da Albuquerque, para quein pedimos aos ceos
aquella eUrru de visU*, que tanto deslmguio os
administrad'i a do povo de Deus.
A ArMl.M-l'UjAO do, rx\i. Sn. dr. uanoel do
Ui i ':\criM).o ronrian.
Chegou a necsiai" do in.inicstannos o nosso
tato acerra d. adminisiraeio do Exm. Sr._ Dr.
Portella. S. Exc. nao tcm niais em suas maos o
cofre dos fav res nao >e acha mais sentado na
cadera do presidente, e ninguem podera nuer
que. a boa i ioi.V) qae dclle lizcnnos seja um
calculo, un i. i armado s suas boas grapas :
podem Em 6 mnzes c 2-r) das em que o Sr. Dr. Por-
tella exereeu a adniiiiistraca, nao ilescuidou-sc
de enoaminh..-o- mais urgentes melii-ramentos
materiacs de que caiccia a provincia, tundo sem-
proem alienco a -ua< incas pecuniarias, que
nao penrttnni grandes empiezas ; fui sempre
iobn.nc ira coiisideracocs e-ti aunas a morah-
dadee aodever; fejasucasem dbara* pes.-oas.
o, posto qne moderado em todos os eos itk,
shoo todava imprimir neiles o cunho da loca
moral.
As obras publicas mais urgentes nvreecram
particalar attrtK"1 de S. Exc. quo reali>ou di-
5a auno.
Manael Gomes Vkgas kmior, plenamente.
Manuel Messias de Gusmo Lira.
Angelo Piros Ramos, dem.
CONFERENCIA DO CLUB RADICAL. -No 4
7 do crreme ha conferencia no salao douun
Pernambucano as 4 horas da urde. E orador o
Dr. Leonardo Augusto de Almeida, que tom
discutir a these-Policia electiva.Coovida-io a
todas as pendas que quizerem assistir, visto como
o ingresso 6 franco,
ESCOLA NORMAL.FUeram hontem exame os
seguimos alumnos-mestrcs :
Ia anno.
Seis reprovados.
3" anno.
Luii Carlos do Carvalho Pacs de Andrade, plena-
menle.
Luiz Felippe de Carvalho, dem.
Uanoel Lupos da Paz, idem.
Tertuliano Ernesto de Moraes Carvalho, dem.
Manocl Clemente da Costa Safios, dem.
Alexandre Gomes do Oliveira..idem.
Lonreneo Laureotino Cesar do Meneze?, simple-
mente]
SENADO. -Chamamos a attenpao dos lcitorcs
para o discurso, pronunciado no senado pelo bi.at.
8r. conselheiro Cunlu c Figueireflo, explicando
actos seus como presidento da provincia do Para,
o qual traascrevomos buje em uossa oitava pa-
gina.
COMPANUIA PERNAMBC.iA.-0 vapor G-
otHubro.
3 F.xi'i'.oiEsn:.
Olcio doJjf. juiz de difrtto ospe-ial dofom-
mercio, CMprounicaudo h.iVer, em daintolde
outubro uhlm assunijii o cxofcloio de sfeu car-
-o.Acense
Oficio fl'presidente o secretario da junta dos
-corrores, firmado de 30 do dito mez, aprosen-
tando o bolelim coranorcial da semana prxima
nassada.Ao archivo..
7 nmeros, do iornnl Ofliotal.Ao archive.
'Aos Srs. deputadus foram dstrlbnidor"W sc-
gumtes livros;Diario e C piador de Antonio
Pereira da Rocha, Copiador de JosJjaquim de
Oliveira do Macei, Copiadores (i) de Amonio. Ir
cinllio Borges, Rernar.lino da Silva Santos, Cosme
Jos dos Santos Callado, Custottio Aires Rodri-
gues da Casta, Francisco Antunes Ferreira, Fran-
Ci-co Jo- do Araojo, Inooceeio R)lri'*u?- Lima,
fjoai 1.1 arenco Pereira da Costa; Jo^io;do Rog Barros Falcan, Jos Ignacio Avila,'Jos Xavier
Colbo, Joaquim Antonio Pereira, Marcellinp Jos
Goneilves Fontes, Manoel Jorge de Souza, Manoel
Anselmo Careta de Figneirdo, Maooel Fructnoso
la Silva, io de Una, Vicente da Silva Ribeiro,
o levatitou-sM sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
* subseiovl.
laUti-o Jonquim iIp Suiza Is'lo, pr-presiden-
te.Dr. Pedro A'. .Vhii a Freir Qamtiro.lijiwcio PestSi di Silva.
0r. Pnt.cedtt Gomes de Sonzt PitaiiQa.Flix
Francisco % Souza Mwallwcs.Dr. JoOo Mana
dem
.------r~----
cora gneros
.516
=r=r
Descarrfigam hoje' de ontubro
V^por inglez^-^lm'iJOHmflrcljrra.'
Barca franeexaoliile-*:nercadorins.
Barca hespanliola.-(<>/iro de Exp?r'"v7o-rvmhos
Patacho fv-spanholJ'oriol/'iivarios gneros.
IVEGEBEDIUA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PEtWMBUCU.
DECLARACOES.
-T
Rendimonto 4o dia i a 4
Idem do dia 8 .
CONSULADO
Kendimento do dia tai
dem do dia 5 .
O administrador da recebedocia de reas
internas geracs faz c. rio ao. coolribuiqtes do im-
pdstopessoal" do"exerciclo crrente de I8W-70,
residentes as freguezias de-ta cklade e as dos
AfMltfos, Vanaa,* hnatio c S. Lonreneo da M.itta, que dIHB
I0:1M*I7'i nuverobro llnda-ae" o praso do paganNHo .aam
;i.567*213 n,^^a0 i semeltre do referido imposte, depois
-------T-Z7. d qae ser pago eom a niultt dc.6 0|0
13.096A387 neeeqedoria de Pernambuco 2 do novembro >
===- (Ogn
PROVINCIAL Manoel Cafneiro de Sou7a LaWda.
ll:771*lo'.'
1:895*711
lG:6a787:i
maos & C., Diario e Copiador de Joaju.Utt|Jaio. teU-an o saguinte
;.!.>., ,0.a-, Aa ]'. -li i A, C. %
8.' SESSO ORDINARIA AOS 29 DE OUTUBRO
r ., HTI8CL.-J. AlftKn
rntsioEMCiA Baaa dh. s6za ueo.
Presentes os Srs. Dr. Sevo, Souz>Magalhaes,
Dr. Pitanga, Gamoiro e Dr. Moseoso, faltando eom
cansa os mais senhores, abrio-se a sessai.
Foi lida e approvada a acta da antecedente.
oii desta compenhia seguir para Maceiojjm di-
reilura e Penedo, no dia 8 do correte as o horas
da larde, sendo hojeo ultimo dia em que recibe
carga conforme o annuncio da mesma companlna.
ALFORRIA.O Sr. major Marcelino Jos Lo-
pes acaba de conceder por titulo gratuito a liher-
dade urna sua cscrava parda, de idade de b an-
nos ; a qnal logrou baptisar-so j como hyre,, (en-
do seus padrinhos os menoros Jos c Havia, nios
do mesmo major.
E" aeto meritorio, quo em ?i mesmo trar o ;lo-
de que c redor.
versos cnntft, de modo vmtajoso provincia,
os qunes d'-verao i..,. v.Miieuto pr.nlu7.1r todos os
seus efi oto-. -...,.
a^yl" de Bundicidade, cuja creacao foi idea
*j xe em -. quan'o membro da assem-
blca-nrovmrii. pareca, despeito dos recursos
que tinha. Pon l.'iniiado a permanecer imit enptr-
Mtrr; ?7? annexa ao koxpitnl Pedro I;
ihas acaba d ler cabal execueo, cmpprando-
se casa a|o-..liada, c por pre^o rasoavel, ondi
brevemente funcelonar.
Embi.ra a m voniade de alguns adversarios,
o asvlo de mendicidade ahi flear como attestado
ptrnianente do importan'e spi vicn,^ que <> Sr.
Dr. Parclla prestou aos seus concidadaos Infel'ies.
Sai carecemos emramerar os actos de S. Exc,
para ver-se que elle foi di-svellado em fazer sua
frovineia o quanlo Ihe era possivH ditrnnle urna
almi'sirac'io cuna o emprestada ;ellcs estao pa-
tones, e ci'mo vestigios viv. s des-a administraeH
toio do flear os mclhoraiuentoa o bonelkios que S.
Exc. encetou.
O Sr. Dr. P.otella, escrupulosoeinvestigador, ja-
sis conteni irisou eom as injuslic-i?, jamis auto-
risou violencias, nem tolerou abusos.
Bem pouco val.in as aggrcss5es que n-je me
laiem os jornaes da opposio, sen ore injusta e
apaixoBa|a ; a consciencia publica tara a devida
ioslici quel qae, trilhando a senda da modo
?>, P0d manter Ma harmona eom a as-
semblJit provincial adversa, sendo ate elogiado
pela maoi i a de seus pmembros.
Que encontr S. Exc. na vida privada, a que
tolla, o repouso dos encommodos qne soffreu, as*nn
como na sua conciencia e n3 d'aquellcs quo im-
Darcialmente apreciaren! a sna administracao tem
eomvensacao as injusticas que so Iho tem feto.
gio,
TRILHOS URBANOS DE OLINDA.-Pela res-
pectiva directora exge-se dos accionistas urna
nova entrada de 10 por cento, no prazo do l
das, a contar de hontem, recebendo os mes nos
accionistas por cssa occasiao os compeontcj t-
tulos.
^NOMEACAO ECCLESIASTICA.-0 Rvm. padre
inestre Lino do Monte Carmello Luna, foi nomoado
promotor do juizo ecclesiastico d'esta diocese.
B 5fW0 POR ESCRAVO NESTA CIDADE.Para
elYectuar esta receita provincial votada pela le d>
orcamento do corrate anno de 1869 a 187J n
891 no 38 art. 48 convi.la o consnlado preffn-
cial aos'scnhores do escravos a ir dalo?, no ora
zo do 30 dias, inscrlprao alli.
Sao lentos da impnsicao os escravos emprega-
dos no servido doniestico" c em fabricas.
PARAIIYISA Escrevom-nos da capital d'esta
provincia, em i do eorrenle : .
c O vapor Parahijbn, da companhia costeira,
transporta para essa epMI o Exm. Sr. sonador
Frederico de Almeida o Albuquerque. e sua (Ilus-
tre familia. ...
S Exc. vai tomar eonta da administraran
d'essa provincia, que Ihe foi merecidamente con-
fiada pelo governo imperial.
c Faco sinceros votos para que o meu illasuv
comprovinciano desempenhe a sna ardua m ssao
enm a eapacidade o criterio que todos Ihe reco-
nhecem.
Desojo, pois, que faga urna encllente viagem,
e quo ahi cliegue, eom sua Exm*. familia, sem a
meinr nceurrencia desagradavcl.
Esta provincia contina a gosar do paz e
tranqnilli lade. Segundo as ultima- noticias, licava
completamente extincto o movimMo de Campia
Grande o Inga. A comarca permanece no mais
profundo sncego.
- Attribue-se a agitar-ao que houve, ao zelo
pharlsaieo dos collectorcs da thesouraria do fa-
zenda, na classific.-ipio dos noyos imposlos, a co-
brarem-se do anno futuro em diante.
As instrncedes quo esta reprtigadMirig'o aos
seus agentes subalternos, sobre esse ipiporlante
assnmpto, foram de tal sorte' redisidas o compre-
hendidas por elles, qne tidos torrtam o Sr. M^nde-
Pereira responsavel pelas desagradaveis occirren-
cias que se deram.
t |' le s o- que haja milita severdade neste
juizo, que aqni reproduzo ; mas lal a olieccao
quo leva a ins-a pri eir e-tacai fiscal, que nao
lia meio de attenua-lo na nninisb publica.
J atfnei eom a' ogerisa que me vota n cor-
respondente do sen collega da tarde, constituindo
-o meu cabryon. para deprimir os princfpi es di
rectores do partido conservador nesta capital, ao
passo que, de thurinulo om punho, incensa, i mais
nao poder, a familia do Exm. Sr. conselheiro A.
J. Hcnriqnes I .....
i E, o certo que nao deixa do ler raziio laa
sen modo ; o menino foi burlado na pretengao
que mais acariciava ; quena ser depulado r>rovin-
ral; o apezar de protegido pela polica e das
svmpathias da referida familia, nao oinseiuio do
tal phontam* qne chamaquineumviratodas
inargens do Paul, a sua inclusao na beinavt ntura-
da chapa I
E como mo julga parte intesrante d aquelle
todo, sem influencia nem importancia na |)MvD
cia, faz o meu individuo responsavel pela forqui-
Iha quo levou, o atr.i-so sobre mim cono cao
damnado.
t Perde o emiguinho seu tempo, tanto a res-
peilu das pessoas quein se refero, s q aes s
inspira tedioeaversao,como d'este sen cralo,que
esl mui acostumado a haver-secom seirelhanle
Ramos, idem idem de Rocha 4 C.
O livro da correspondencia foi achado esenptu-
rado regularmente at n. 206.
DKSf XCH'.lS. .
Requerimento de P. Maurer t C, esUbelecido
eom pharmacia e armazein do drogas nesu cida-
te, para certiflcar-se-lho se se acba ou naoTegis-
trada a nmneaco de seu caixeir. Joao Sorbonio
Madeira de Maltos, bem como qual o capital de
sua sociedade.Como requereni.
Do Antonio Alves do Miranda Sobrinho, atim
de reg|strar-se-lho a procnra0o bastante em que
constitue Alves de Miranda Guimaraes. Registre-so.'
Do Archias Lindolphn da Silva Majra.. submet-
tendo registro a noineaco de seu caixoroLM-
rindo Pereira da Cmeeie.o.Hegi-tre-se^^^^
De Francisco Antonio Pereira 4 C.
submettehdo registro a de seus caixeirosiTTaa-
cisco Amazonas .lo Lcenla. Felippe Lipes ref-
reir o Jos dsJteis Gome* Jnior.Registra se.
Do Belarmfn da Cunha Cortes apreseniando a
registro a de scu caixeiro Agostinlio de TalIp-
forme-se o supplicanto do noine do sen caixeiro,
pois desigoando-o por Agostinho de Tal denota nao
saber esse nome, o qual entretanto devo ser lau-
cado por intelro no registro.
De Jos Manoel Baptista, cidadao brasileiro, re-
sidente cm Macei, rbquerendo o registrle sen
contrato de socio liule i-^mmanditaria eom Manoel
Joa.juim di Silva Leao.Vista ao Sr. de.-embar-
gadr fiscal.
'De Epaminondas Jos da Silva o Jos Mana de
Vasconcellos, estabelecidos na villa do Pilar, eom
commercio de hiendas, aprescnlando reglsiro o
respectivo contrito social.Vista ao Sr. desem-
bargador fiscal.
De Dionisio Rodrigues de Mello Castro e Deodv
to Affoaso Moreira, domiciliados na sobredita vil-
la, tambem apresentando para o mesmo flm o seu
contrato social. Vista ao Sr. desembargado^ seal.
De Antonio Carlos Ferreira da Silva, apresen-
tando para ser regi-tr ido o couhecimeuto justifi-
cativo do pagamento do imposto do sua profi-sao
de interprete do convnercio etlc.ctu.ido en 28 do
mez prximo passado Registrado seja cnlrTgue.
De Silva Leao A C, submett.'iido registro o
seu distrato social.Vista ao Sr. desembargador
ti-a-al.
De Manoel Moreira da Costa Passos e Candido
Moreira da Costa, commerclantes que fadliram na
cidade do Goyaurta, pediudo ser reliabilitlflos.
Antoadi^peln amanuense Dr. Villares, One servi-
r de escrivo, d-se vista ao Sr. desemb t-gador
fiscal.
Rehabilitacao comniercial de trineo Jantiano de
Oliveira. (Adiado por o tribunal nao estar com-
pleto.) ;
COM IN-PORMACAO 00 SR. OESMBVnGADOn FI=r;.\L.
Do Manoel Jo- de Li na. Mantel Racellar de
Araujo Moraes e J.o Antonio Baccllar, contrato
ile sociedade.Regstrese.
De Manoel Jos de Lima o Nstor Jos di Fon-
seca tambem ontratn social.Registre si'.
!) Custodio Antunes Guimaraes e D. Cle.nonti-
na Theodora da Silva, contrato de sociedade.Sa
tisfacain o parecer Dseal.
D. Joaqum Ferreira Diniz, como procurador
bastante do Jos Raymundo Borges da Costa, Ray-
mundo R irges da Cota o J >s Joaqum ISorgos da
Cosa, pitido o registro do Aiiirato social da
firma deJos Rayniu'ndo Burgos da Costa & Ir-
mo.Salisfa?am parecer fiscal.
Nada mais havendo despachar, foi por 3, Exc
o Sr. presidente, encerrad i a essad as oflzfl ho
ras o meta do dia. '
RXTED1ENTK.
Um ofllcio do eiigetmoiro cord*ttior, informando
o requerimento de Lu Jos da Costa Amorim,
cuinprc-iho dizer que nada tcm a oppr.Conce-
den-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento
do Custodio Alves Rodrigues da Costa, tem a di-
zer que nada se Ihe offoreee a oppr sobre a pre-
teneao do supplicante.Concedcu-se.
Outro do memo, informando o requerimento
da Manoel Jorge do Souza, cninpre-lhe dizer qne
nada tom a oppor nina vez que o snpplieante col-
loquo cano enterrado na parede. -Conceden se.
Outro do fiscal da freguezia da Boa-Vista, eom
municando que ha wiile de 23 para 24 do cor-
rente foram desplantadas dezoito ardores das exis-
tentes no caes do Capibaribe, damnificadas com-
pletamente, e bem assun as gailasque as cerca-
vam, nao pudendo anda descobnr e autor ou au-
tores de semelhant procedimento.Inteirada.
Outro do mesmo, remetiendo o termo de infrac-
cao que mandou fazer contra Antonio Joaqnim de
Souza Ribeiro.Ao procurador.
Deliberou-fo qne novamente se manlasse por
cm praca para seren definitivamente arrematados
uo dia 10 do correte os talhes nmeros 10, 11,
12 o 13 do lado do sol da ribeira da frcguozia de
S. Jos. ,
Entrou em discussao o projecto apresentado
pelo Sr. Dr. Moseosn em sessao de 15 de setembro
ultimo para regularidade do servieo do matadou-
ro publico o dos apougues estabelecidos nesta ci-
dade. mas nao foi concluido e nem votadopor
falla de tempo.
Despacharam-se as poticoes de Bernardino de
Sena Ponlual. Francisco de Alcntara do Nasci-
monto, Francisco de Paula Correa de Arsujo, Joa-
quim Antonio da Silva, Joiio da Silva Ferreira,
Jos Jacome Tasso, Manoel Ribeiro Bastos, o le-
vantnu-sc a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a subserevi.
nuncio loayuim de Souza Ledo, pro-prosidentc.
Dr. Pedro na h'reiiv Gameir.Mnnoel de Bairos Barreto.
Dr, Prxedes Gomes de Souza Pitanga.
MOWMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia 4.
Parahyba10 horas, vapor brasiloiro Parahyba,
de lOi toneladas, coinmandauli Mello, equipa-
gem 13, em lastro ; a companhia Pernambu-
cana.
Vario entrado no dia .
Genova60 dias. patacho itajano Margherita. de
215 toneladas, capidi Angelo Gherse, equipa-
gem 13, carga inatsas e outros gneros ; a E.
Burlo cfj C.
Navio sahido no mesmo dia.
LivemoolPatacho dinamarquez Uelge, capilio C.
Ankorsen, carga assucar.
ArrexmtatfV
Vai praca n Aa 6 do ewwnK, um andar c sotao n. 3o, sito ra do Hospicio,
freguezia da Boa-vista, em cbo foreire marmna
eom 32 palmos de frente e 74 de fundo, tendQ dito
sobrado 2 salas, 3 quartos grandes e 1 pequeo,
um soto eom 1 sala grande e o quartos, sendo i
pequeos, casas no pavimento terreo cor? | salas,
2 quartos e 1 pequeo, eom casinha fora e 2 qnar-
tos mais ao lado, quintal para loja e lamban para
o sobrado, eom 2 quartos e cacimba propria, fis-
ta do estado em qne se acha, .vahado em rt:WM;
rujo sobrado vai i praca pelo juo municipal da
2o vara porexeaieao de Eleodoro de A quino Pon-
seca, contra a viuva e herdeiros de Joao Rufino da
Silva Ramos._________W '

ECITAES.
2,' seccio.Secretaria do governo de Pernam-
buco, 3 de novembro de 1869.
Pela secretarla do governo se communica aos
Srs. Aoguslo Cesar da Cunha, bacharel Bernardi-
no de Sena Dias Jnior, bacharel Joao Lins Caval-
canli de Albuquerque, Joao Elysio de Figneirdo
Cruz, Jos Polycarpo de Freitas, Jovino Epiphanio
da Cunha, Leepoldino Antonio da Fonseea, Ma-
noel Jo de Santa Anna Aran jo e Manoel Rufino
dos Samo?, a irem ou mandaran i reparticaodo
correio pagar o porto dos respectivos requerimen-
tos, para que possam ter o conveniente deslino.
O secretario,
Dr. Jonquim Correa de Arnujo
Consulado provincial.
Pela aflimntlrajJo dosb! con miado marea-Feo
praso do30 dias, contado da data do presente,
afui de que os possuidores de escravos de ambos
os sexos existentes nesta cidade,. que nao. oran
eropregaans no servieo domestico ou em lubricas,
venham da-los inscripcao para proceder se ao
respectivo laocamenio, relativo ao auno corrente
de 1869-70, e e(IecUiar--e a percepcao do imposto
de : jOOO por cada escravo, votado no g 38, art.
'8 da lei n. 891, devendo os contribuintes faze-lo
por meio de orna nota declarativa do nonae e qua-
lidade do escravo, bom como de quein seja o sea
legitimo propriourio.
Consulado provincial :> do noronbro de 1866.
O administrador,
A. Carneara Machado Rios.
De ordein do lllin. Sr. Dr. chele de polica
interino da provincia, por esta secretaria avisa-
do o Sr. Joaqum Ferreira da Cruz, residente nesta
AVISOS MARTIMOS.
Rio do Janeiro,
Para o inditado porto, pretende seguir eom mui-
capital, para quo v. ou mande reclamar perante la Drevdade a barca portugueza S. Joao, por ter a
a delegacia do termo de Santo Anto, mediante i major parte de seu carreganiento engajado ; e
documentos comprobatorios de dominio legal,aa parao re.|0 que Ihe falta, trata- PBLI6AC0ES A PEDIDO.
**
i.
asU de bickos, do modo a faso-los arrepender do
PERNAMBUCO.
EETOTADIABIA.
AUDIENCIA.S. Ex*, o Sr. senador Frederico
de Almeida o Albuquerqne, d audiencia todos o
dia* urna hora da tarde, no palacio da presi-
dencia.
TIROSAs 6 horas da manhaa do dia 30 do pas-
sado, na cidado de Nazareth, foi ferido levemente
eom alguns crneos de chumbo, o Sr. coronel Joao
Dia* Continho de Aranjo Pereira, proprietario do
angenho Cannacieiras, estando elle dentro de sua
casa. Os dous assassinos, apenas dispararam as
armas, pozeram-se em fuga. A polica proceda s
competentes syndicanciasr
PE8TA NAVAL.Amanhaa, s i horas da tar-
de, tera lugar a trasladacao do estandarte de Jim-
Mi Senhora ds ffivpganles, da casa da jniza; na
Pas-agem da Magdalena, para a igreja do Pilar O
acto ser celebrado, como de costume, coin toda a
solemnidade pelo rio Capibaribe.
A feia ser celebrada no dia 21 do corrente.
FACULDADB DE D1REITO.Pizeram acto Do
dia 8 do correte:
1> anno.
francisco de Castro Rebellv, planamente.
Estril Cirneiro Cavalcauti de Albuquerque La
cerda, idem.
Orjfnpnxia Silva Costa, idem.
Francisco Leal de Miranda, idem.
JoSo OoocalTri* de Azevedo, idem.
io3o Marino o Carneiro de Albuquerque, Idem.
y anno.
francisco d> Paula Lei le OitWca, plenamer.
Edgardo Pires Bamos, idem.
XM|iiil GwUdo Ferreira IXwa. dem.
^K Danta- Pilln, idem.
rre lo Sva, idem.
j^^B PorW, .dem.
>ua on-ailia
Fico nlsto, por eraquanto, at quo sej.i torea-
do a entrar em certas apreciares, que, por agora,
me flcam no tinleiro.
Quein eom militas pedras ble, arri ica-se a
que alguma Ihe caia na cabera.
i A nossa asscmhla provincial contina no
mesmo grao de pasmiceira, que j Ihe de-crevi
na minha antecedente.
a Espera-s, entretanto, que a cousa tsquenle,
eom a discussao apregoada dos contratos da illu-
mnaQo a gaz e abaslamento d\agua d'esta capi-
L.l, leis de flxacao da for^a poficial, orinien-
tos, etc. .
t Aguardme para apreciar o santo oatnotis-
mo dos dignissimos. na occasiao opportuna, fazen
do Ihe a minha reseuha do costume.
t As-isti, no dia 30 do pas Cassino Parahyhanoque nsievo brilhantemonte
coneorrida do bello sexo, e servida comme il faut.
Dou os roeus emboras aos respectivo* etarrega-
dos pek) hon dnsempenho de sna missSo.
< O nosso mercado de gneros para ei.portacao
continua cora regalares entrla. O algoda cota-
so na inspe.-eao de 121500'a 13<, e o assucar
nasra'vn brutp de 2*00 a SA-lOO por ar.iiba.
Em 29 do passado, desptrhou.se para Liver-
pool a barca Hermann, eom 1612 saccas do algo-
do. c em 30, o brigue Deodota, eom 1029 saccas
de dito. /
Fieara carga neste ane/>radouro, para o
mesmo porto, as barca* beliz Unido, Hansa e mo-
gene, e pmmptns a receber carga c&m, igual desti;
m os navios Hatriet, Sanua o AJyce Roy.
t O brigue Catn foi tambera frotado para Li-
ver H, aS/8 d. e 5 /. de capa, para carregar
algodin. ,
PA8SAGEIROS.-0 vajwr Parahyba vuwn da
Parahyba troaxe o* segnintes : O Ex n. presi-
dente Frederico de Almeida e Albuqutrque.sua
senhora, quatro filhos e cinco criailos.
LOTERA.A que se acha a venda 126" a be-
neficio da inreja de Nos*a ahora do Guadalupe
de Otinda que corre no dia 13. ...
CEM1TBRK) PUBLICO Obtnano de da 4 do
eorreme.
Jos Lzaro da Silva, Bahia, 20 annos tubcrca-
los palmonares.
Ernna, Pernanobueo, o annos, Rews; tnber
calos pulmonares.
M triaca Veneranda da Silva Buarqne, Pernam
bono, 74 amos, viuva, Santo Antonio ; d geneincia
rom carosa das glndulas.
Maria, Pernambuco, 10 horas, S. Jos ;*onvnl-
a*crava, AMca, 42 annos, selMtra ;
CAMAB-1 MUNICIPAL.
SESSO ORDLWRA AOS 28 DE Ob'l'URRO
. DE 1869.
PRESIDKXCIA DO SB. DB. KKKA LG\0. '
Presentes os Srs. Dr. Moscoso, Gameiro, Dr.
Barros Brrelo, Pe-isi da Silva, Dr. Pttanga <
8 tiza Maalhaes, fallando eom causa os mais se-
nhores, abre-se a sw&k
Foi lida e aoprovad.i a acta da antecedente.
Lu-se o segniote
EXtnWPNTB.
Um ofileio do Dr. chefe de polica de 27 do cor-
rente, coinmuiiicaudo quo temi sillo preso a sua
ordem e aehando-se e n processo, o taliador d
carnes do ac/iuijue da ribeira de Jos, Jacintho
J..s de Andrade, ,ie|i facto de conserv.r em uini
das conchas da batanea um pedaco do chumbo
pregado eom cera, ronbando issim aos comprado-
res quasi ovia libra de carne em cada pozo que
fazia ; e constan lo-lho nao s pe. depoimenlo d
nina das tnstemiinhas do processo junto por co-
pia, bin como do nfnrm>c>v* aliwule. qcw alm
do ref-rido Jacintho Jode Aodrad. outros mui-
tns talhailores d'.i (uolle acoiig.io praticam ignae~
dofraudacoes. eom grave do rmenlo o prejuizo
dos consuoiidores, quo sao desso modo constante-
mente rouba los ; anvssa-so cm fazer Hogar o
ex posto ai conhecimento da caraira, rogmdo-lhe
qne '0 digne adoular 3S providencias quo enten-
der convenientes.Que se ooiniminiqaa ao fl-'iwl,
o se responda ao Dr. chpfo de polica que a c-
mara temi de tomar algumas prvWe"aa n re<-
peito do exposto, j havia em dati da hoiiu-m Ihe
offlciado peiiindo quo elevasse a dez pravas o Ho-
mero das que se acham na guarda da ribeira d
fregupzia de S. J >s.
Ouiro do eng.-nheiro eordeador, dando i infor
macao que Ihe f i ordenala, relativamente ao fac
to que se den no Ingir do Tot, e que foi flora-
Sinim cuique tbuere.
Venho hojo do alto da tribuna universal render
preito e homenagem s excellentes qnalidades c
s eximias virtudes, quo ornam ao bemfazejo e
mspintn Exm. Sr. major Umbelmo de Paula de
.onza Leao ; cidadao preslunoso, amigo sincero e
Verdadeiro, patriota desmteressado, caridoso por
exeeilenci a, poltico por convieco.
Pi'Qo desculpa por ter offendido a sua modestia,
pateoteindo ao respeitavei publico as gratas e su-
perabundantes emoefies, que o men limitado cora-
co j nio pode eonter, sem fazer explosao.
Si o, esse bemfazejo senhor boje na heroica
villa do Cabo e amparo da pobreza, o arrimo dos
desvalidos, o protector nato dos oruhos o das vul-
vas, o defensor da religio, e o baluarte inexpng-
navcl do gran le partido conservador, vereda que
sempre trilhou desde os seus mais tenros annos,
o hoinem emiim que o mais sympathico, o mais
osiimado eo mais considerado pelos seus comr-
caos de um o outro lado poltico c que pela sua
iliaaeza, pelo sen fino trato, pela sua amena con-
versaeao e pelas suas virtudes cvicas o religiosas
tem sabido conquistar a estima e considerar?* ge-
ral do todos os habitamos d'este neo e imprtame
rinco.
Como presidento da cmara municipal tem de
tal sorte c eom sacrificio possoal, curado o lelido
os intereses dos seus muncipes, qoe lioje tem a
mamcipalidade os fun los cessarios para acudir
as suas mais urgentes precisos e importantes mo-
Ihoraraentos.
Como comoiandanie interino do balalhao n. 39,
tem envidado esforcos para elevar esta parte di
nAssa milicia cidada o nacional um grao "
brdhantismo e garbo tal, que almira, roueihand
o amenisando os seus deveres eom affabdidade e
cordialidade, de sorte que entre os seus subordi-
na los nao conla um s desaliado.
Finalmente osse constante lidador d) gran de
partido conserva ior.peU sua elevada iiosicii social
e independencia agrcola, pela sua firmeza de ca-
ra-ter e polo afierro s suas ideas conservadoras
torna-so digno o merecedor do pelos altos poderos do estado.
entrega do escravo de nomo Clemente, que alli
foi apprehendido em poder do negociante Ferrei-
ra, o declarou pertencer ao mesmo Sr. Cruz.
Secretaria da polica de PerHarabuco, de no-
vembro de 1869.
No impedimento do secretario,
Jos Xavier Faustino Ramos.
O Dr. Manoel Jos da Sjiva Neiva, juiz de direito
da segunda vara do prime, e sub-tituto do es-
pecial do eommereio emoxeecicio nesta cidado
do Recife de Pernambuco e seus lermos por.Sua
Magestade Imperial o Constitucional o Sr. D.
Pedro II, a quc.n Deus guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem c
d'elle noticia tiverem, que no dia 29 de novem-
bro do corrente anuo, se ha do arrematar por ven-
da, quem mais der, em praga publica d'este jui-
zo, depois da respectiva audiencia, o seguinte:
Lina casa terrea sita na Capunga, ra das Per-
nambucanas n. 17, a qual feta oarte de
pedra e cal, parte de taipa, coin duas janellas e
urna porta na frente, duas salas, tres pequeos
quartos, cozinha na sala de delraz, quintal em
aerto eom alguns arvoredos de fruc.to, sendo o ter-
reno foreiro em que se acha situada dita casa, ava-
hada por 1:200., a qnal foi penhorada por exe-
cueo le Guilherme Jos de Souza, por ri e como
cessionario de Jos Joaqum da Cunha coutra Jos
Gomes de Souza.
E nao havendo lanculor quo cubra o prego da
avaliago, a arrematacao ser feta pelo prego da
adjudicaran, na forma da le.
E para que chegoe ao conheciincnto de todos,
manda passar o presente, que ser afflxado
nos lugares do costume e publicado pela im-
pren-a.
Recife 22 de outubro de 1869.
Eu, Manoel Mana Rodrigues do Nascmento,
escrivo, o subserevi.
. Tristo de Alencar Araripe.
Peranlo a cmara mun.cipal desta cidade estar
em praga fi* dias 10, 13 e 17 do corrente para
ser animalada |Hir quein menor prego offcreeor a
obra da COO*lrdcg&i do dez pares de catacumbas,
paia adsltos e outros tantos para prvulos, de qne
uecessita o cemitero publico, oreada na quantia de
2:4970000; aquollas pessoas que ipuzerem arre-
matar a dita obra, bailtem-:'e na forma da lei,
e coinparceam no Pago municipal no? dias refe-
ridas.
O orcamento da obra acha-se na secretaria da
mesma cmara onde ser facultado aos pretenden-
tes a arrein.iiae'io.
Pago da ea nira municipal do Recife, 3 de no
vembro do 18H9.
Ignacio JoaqaitH de Souza Lodo.
Propraidente.
Francisco Canuto da Bwviagem.
Secretario.
natario Joaqum Jos Gongalves Beltro, ra do
Commercio n. 17. ._______

Para Lisboa
A barca portugueza Pereira Borges dever so-
guir brevemente para Lisboa, j trm a bordo par-
te da carga, c para o resto traU-se coin Oliveira,
Filhos A- C. ao largo do Corpo Santo n. 19, 1*
andar, ou eom o capilo na praca.
Trabalhos de prestidigilaqao.
J nao s o Sr. Hermann que nos pode ma-
ravilhar eom suas passugens temos entre nos o
insigne artista o Sr. Jos Gongalves da Silva que
hbilmente nos deleita coin seus trabalhos de
prestidigilaco. Maravilhou-nos ver no sabbado
e domingo ultimo as escoluidas sortes que apre
huIou o Sr. Jos Gongalves da Silva no salo do
paleo do Carino, a limpeza em seus Ira albos na-
da deixa a desejar. Esperamos que o magHM
lirasiloiro continu a dar-nos mais algumas norte-
le agradavcl divertimento.
Alguns
de seus admiradores.
nnnieado pelo juiz de paz do 3." districto da fre-
guezia dos Afogados.hiterada.
Optro do mesmo, informando sobre o qne pede
Gregorio Francisco do Jess, cnmpre-lha dizer
qne nada tera a oppr a pretencao d> suppi ante,
coa- truindo elle a ca-a cincoeuta palmos arreda-
da da cerca.Goncedeu-se.
Outro do mesmo. informando sobro as' obras
que esl construindo Antonio Jacintho Borges no
lugar dos Remedios da freguezia dos Afogad >s,
d as dimeasdes dolas, e o estado em .po as
achou, o conclue declarando q le, em vista d
art. l. das posturas em vigor, e do quo so tem
esub*4eeid#, foi regular' a irap-wicao das multas
In leferio-so a petigo do referido Amonio Ja
cintho.
Outro do fiscal da freguezia do Recifo declaran-
do ser verdade o que diz na petico junta o Bscri-
vio da subdelegada da mesma freguezia, Vicente
Heiculano de L>*mos Duarte, pois quo qurado dis
se qne o escrivo nao se quena prestar a lavrar
os termos de infraecao, referia-e ao do juizo de
paz, & qem Ihe parec cu'njirir tal ervigo, e
que talvez houvesse entad equivoco do sua parle,
eonfuiidindo o iepit coin o da polica, equivoco
que den jugar a ista reclamacao do supplicante,
o qual, em (alta 'aquelle, se tem prestado a la
vrar os referTdis termos.Qae se officie ueste
sentido ao Dr. chefe de polica.
Foram pprovados dous pareceres da ceramis-
sao de e4tfeagde9, o 1." no sentido de ser indem-
nizado Manoel Ribeiro Bastos da qnantia de i&H-
impirtancia do vnlor do terreno do boceo do Fal-
can, ama vez que ah mtitindo diversas servido" *-
particulares, nao pode sor fechado.O f.*, que
seja indeferida a "netlgo do baro de Uta, por
qnanto eom a servidao particular de pie trata o
supplicante, a cmara nada tera que Cazar.
Foi a cmara intimada da -entonga de appella
gao que no superior tribu 'al da rea gao nMvera n
a en favor Thom Fernandes da Cunha etitro
ontra a inesina <*a*nara, bar do Livramenfci e
the*ourari4 ir.vracial.--Man lou-se dar disto'seien
cia a> sota-itador.
A iwiu-riinento ilo Sr. Dr. Barros Brrelo foi
nomea-la urna c.nmiss5o pari rever as postura',
e inMear at que lonalidade" M municipio se pode
eon truir caa* e fuer mitra obras eom Ifoene.
aquella onde pode ser mpesi la e Ude. A romiDi*n ficou campista dos Srs. Dr.
B.rros Horreto. Dr. Pitanga oGamem.
LWnacharanf as petJfSe* de AntoniOriosj
de Akneid a, Antonio Jos da Costa, Antonio Ja
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE S UE NOVEMBRO
DE MU.
AS 3 1/2 ROBAS DA TARDE
Assucar bruto amencano 33100 por 18 kil.
(hontem).
Algixlo do Pernambuco 1* sorte 989 rs. or
kil
vlgodd da Parahyba 1" sorte 1*008 por kil.
posto a bordo, freto de 3(4 e 5 00
Uunbio sobre Londres 0 d/v. 19 S|8 d. por
1*000 (hontem).
Dito sobre dito90 djv. 193|4 d. por 1* (hojp).
Cambio sobro Pars 90 d|v. 490 re. por franco
^^ f. J. Silveira
Presidente.
LealSeve
Secratano.
Sociedade bancaria em eom
mandila
Theodoro Simn fy C-
Gompram e vendem por conta pro
ra mataes, moedas naciooae, e estran-
^iras, letras de cambio, sedulas'do go-
veroo e do banco do Bsasil.
Desconlano letras da trra e outr o* ti
tolos comme.rciaes.
EnoarregamTse porcoota alheia das mes-
aas transaccoes, da couranca de letras da
cerra e de outros ttulos commerciaes.
Receb m quaerquer qoamias em depo-
oto. en corita correte, e a prazo fixo.
Uirgo do l'elouriaho n. 7
ALPANDBOa.
tendlraento do dia 1 a 4
dem do dia 8 *
149:183*930
32012*78'.
181:198*699
MOVIMEYTO DA ALFANDEOA
folumes entrados eom fazendas 800
(Asea idem eom gneros
-----550
Volumes sabidos eom fazenda S16
0 Dr. Trtstao do Alencar Araripe, ollieial da im-
perial ordo.ii da R uta c juiz de direito espe-
cial do commercio d.'.sta cidade do Recife e sen
termo capital da provincia de Pernambuco por
S. M. Imperial cou.>.tilucional a quem Deus guar-
de etc.
Faco sabor aos que o presento edital virem e
delic noticia tiverem que Francisco Ferreira de
Novaes, me dirigi por seu adv.gado a seguinte
peticao -.
Illm. Sr. Dr juiz de direito especial do commer-
cio. Diz Franci-co Ferreira de Novaes que Jos
Pereira Copque Iho devedor da quanlia de....
1:2293730 importancia d tres Miras cada urna
do 1:409*910, alm dos juros estipulados na me-
ma razo de um e nudo por cont ao mez, ven-
cidas urna em 9 de dezembro do 1864 oulra no
mesmo dia e mez do anno seguinte do 1861, o outra
no mesmo dia e mez do anno de 1866.
E para que so nao rt-abse a prescrpcao de no-
nhuma das referidas letiras, quer u supplicanle
protestar nos lerm-is do art. 453 3." lo cdigo
commercial, pelo que requer a V. S. sirva-se man-
dar lomar por termo o seu protesto e ntima-lo ao
supplicado por carta de editos na forma da lei e
do estylo visto arhar-se o supplicado au-ente em
lugar incerto e nao sabido, o que requer a V. S.
sirva-se adiiulti-l a justificar.
Pede defer nenio.E receba merc.
Recife. 28 do outubro de 1869.Costa Ribeiro.
Eslava a respectiva estampilha do valor de 200
ris. Na qu-d dei o seguinte demacho :
Sm, justificando no dia 30 do corrente mez s
11 horas da manhaa.
Recife, 28 de outubro de 1869. Alencar Ara-
rpe. .
Em vrtude do qual fora a mesma petieao des-
tribuidaao escrivo doste juiz Manocl Mana Bodn
gues do Nascraento o qual lavrou o seguinte ter-
mo de protesto.
TEnno tor. PROTESTO.
Aos 28 de ontubro de 1869 nesta cidade do Re-
cifo em meu cartorio apareceu o supplicante Fran-
cisco Ferreira do Novaes, por seu bastante procu-
rador o solicitador Jobo Caetno de Abreu e disse
perante mim o as testeraonhas iura assignadas
mo roduza a protesto o contedo de sua pelicao
retro o qnal oft-recia como pane do presente que
floa sendo; o de como assim o disse e proteMou
lavret e-te termo no qual depois do lido sa firmn
eom as ditas testeuiunhas:
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o esserevi.Joao Caelano de Abreu, Anto-
nio Machado Dias e Joaqnim Jos do Abr-u.
E tendo o supplicante prodnzido sns testema-
nhas sellados o preparados os autos subirn* a mi-
nha conclusao e neiles prefer a seguinte sen-
tenca :
Hei por justificada a ausencia, e mando, qne o
supplicado ausente seja citado por e ditos de 30
das, na forma requerida, pagas as cusas ex
causa.
Recife, 3 de novembro de 1869. Trstao de
Alencar Araripe. .
Por torca da qual o referido escrivo fez passar
o presente edital pelo qual chamo, alo, e hei por
intimado o referido supplicado liwAreira Copque,
para que coinpareca nesta iuiso dent do indica-
do praso aflm de allegar o fr de justica.
E para .%ne cnegoe ao conhermonto de todos
inamiei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e afflxado no* lugares do costume.
En M.noel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivo > sbserev.
Reeifa, 4 de *vembro 1869.
Trittao de Menear Araript.
Port-o.
Segu eom brevidade a velcira e nova barca
portnguea Isolinn, para carga e passapeiros,
para os qnaestem excellentes eommodos, trata se
coin os consignatarios Antonio Lniz de Oliveira
Azevedo & C.; roa da Cruz n. '>! 1' andar.
Porto e Lisboa.
Segu para o Porto eom escala por Lisboa, a
barca poatugneza Safan : para caras a passa-
geros lrata- n i Fonseea &C.; ra do Vigario n. 19 ou eom o
capilo na prai;a.___________________;______
COMPANHIA HSRN.iMUUUANA
lR
Vavega^So costeira por vapor.
Macei em direitura a Pnfrlo.
^*l ?- 0 vapor tuquia, commandante Aze-
1 Li VC('0' seguir para os portos acuna no
^akag^ dia 8 do correte as 4 horas da iar-
do. Recebe carga at o dia 6, enoommendas,
passagens e dinheiro a frote at as 2 horas da
larde do da da sabida ; no cscriptorio do Forte
do Mallos n. 12. _
IWA1IA DuASlLEllln
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 12 de novembro.o vapor
Cruzeiro do Su/, commandante J.
P. Guedcs Alcoforado, o qnal
depois da dem jra do costume se-
guir para o? portos do snl."
Desde j recebem-se passa^eiros e engaja-se a
arga que o vapor poder conduzir, a qual devera
las e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas sonao ob-
icctosde peipieno valor e que nao excedam a duas
irrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medican.
Tudo que passar destes limites devera ser embr-
calo como carga.
l'revine-se aos Srs. passngeuos, qne suas pas-
sagens s se recebem na agencia a ra da (Iruz
n. 57 primeiro andar, escriplorio de AnUnio Luiz
de Oliveira Azevedo & C
MM BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do snl esperado
t o dia 9 do corrente o vapor
Guar, commandante o Io t-
enle P. H. Duarte, o qual de-
pois da demora do costume se-
uir para o* itortos do noria.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
arga que o vapor poder euaduzir, a qual devera
er embarcada no dia desnachegada. Encommcn-
la< e dinheiro a frele at as duas horas do dia da
na sahida.
Nao se recebem como oneommendns senao ob-
toctos de pequeo valor e que nao excedam a t
irrobas de poso ou 8 pahnos cbicos de med-
ea ... ." '.'..
rudo que passar destes limites devera sor
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
ens s se recebem na agencia ra da Crnan. 57,
! andar, escriptorio de Antonio Lnii de Oliveira
Kzevedo A C. ___________________"
COMPANUIA PEKNAMBCANA
DE
\avegaguo costea por vapor.
Porto do GaHiohas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor Parahyba, commandante Helio, seguir
para, os portos cima no dia 10 do corrente,
meta noite. Recebe carga, enoommendas, passagei-
ros, e dinheiro a frete o cscriptorio do Furto da
Malt s n. 12.
Para Maco do Ass
A barca nacional Flecha, apjtao Joao Angasto
de Pinho Victoria, seguir Mr o P"'rto acuna In-
dicado oestes oRo diifcwcebe a freto a carga que
Iheapp^recer; a twBWfcgwn Marques. Barros
& C, no largo te.Gwfb Sblto n.6, 4 andar, ou
c>m > capio a ^"^to ^Bfr
COMPANHIA r^mlpJCANA
bB
Nnvegacdo costeo por vifiy
Goyanna.
O vapor Pnrahaba, commandMte MeiK sefui-
r para o porto cima, no dia 6 do correg, as 9
hora* da noite. Recebe canga, encmmendaa, pae-
sageiroe e di iheiro frates, eacnptor do
Forte doMattos n 12. ________ ;, ,
-----COVIPANHIA PERNAXMBUCXRA
S*vez*< otelra por por
Parahyba, Natal, Maio, MMaor, a
caty, Cear, ManMabii. Acaraeo e
Granja.
O vapor Pirapama,
Tures, seguir para
cima no dia 15 do errontoa
Recebe carga at* li if"J
nendas,e paag- linhetro a I
t horas da tarde do dia 4a sabida 00
rio Porte do MatUMO. 11
la i
Vi

w
%


' 5
1
^
J




Y
Para o
utuita br.
i re

t. pf.>r !
qAJHparf
com
a
a
fe
i trata-se
Guacal ves Htjlfui a r
PARA 0 PORTO.
im a pnssivel brevjdadc o palfiabote
Pi/to WA-, tem parto da carga tratada
non Ihe falta pode entender-sa con
altar, ra do Brura n. 92, on
ordo
AN1IA PERNAAIBUCANA
ur.
navega? eostelra por vapor.
Mamaraguape.
O vapor Manda/t, cominaminntc Julio, seguir
para porto cima m> dia 12 d'i corrento as t
titira* da tarde. Heeelw carga, encummcndas,
pawageirus ednlieiro a froto al as Sfcwaa-da
tardo do dia da sabida escriptorio no Forte do
Maitos n. 1?.
Porto.
Val salur breve a barca Laura ; para carga e
passagairw, i rata-so com os courigaatnrios Carva
tho & jfrijneir.s, na ra d Apello n. K.
Para o Porto
segu com brevid.nio a veleira c nova barca por-
tuguesa [sniiwi ; para carpa o passageiros, para
o qaaos tcm excelentes cominndos, lrata-se cora
os consignatario Antonio Luii de Oiiveira Aleve-
do C, ra (taCrru n. ">7, I" andar.
03 barris com\toucinh de Lisboa
Segunda-reir H do corrate.
O agent Pest na fara leilo por eonta e risco
de quem perlencer d 63 barris marca erui com
toucinb de Lisboa desembarcada ha poucos das
os quae serao vendidos em um on mais lotes na
segunda-feira 8do corrate as 12 horas em pon-
to da manhaa no armazem n. 19 na ra do Vi-
gario.
Do cerca de 80 caixas com conservas em
frascos, aiffcrentcs rolos de rame gal
''vanisado, diversas obras de alabastro,
- constando de ricos jarros e enfeites pa-
*ia cima do mesa, petlra marmore e
minios ontros objectos de gosto.
Terra-feira O de novembro
as i 1 boras m ponto.
Por intorvencao do agento Pinto, no armasen
da 'ra do Imperador n. 57, (ouir'ura a mazcm
Alianca.)___________________
C(MIPVfHII
DAS
Hessagerics imperiales.
At o da 13 do eorrente mor espera-se da En-
rofffl tt vapor fraocez Gironde. o qual dopois da
demora do Mstame seguir para nenos- yr s
locando na Rabia, Itio de Janeiro Montevideo.
Para eoDdicooi, froios o fTasfcagens trata-sc na
agencia ra un Commcrcio n. 9,
---------- 1
LEILAO
LEILOES.
LEILAO
da armacao, balco e gneros, da taberna
do Caminho Novo n. 47.
S*"gunda-feira 8 do novembro as 10 horas.
O agente Pinto Tara leilo requerimento do
rasso Irmau, o por mandado do lllm. Sr. Dr. juiz
especial do commcrcin, da armaran e gneros da
taberna do CarninluNovo n. 47, arrestada a Fran-
cisco Jos da Costa e Silva e de confonnidade
com o mandado existente em poder do mesiao.
agente, devi ndo o leilo tor lugar as 10 horas do
dia cima dito na referida taboras.
DE
urna boa casa, sita a estra-
da de Joflo de Barros-
O agente Puntual, competentemente autorisado,
Rudera em leilo nina exco'leutc casa acabada
de construir ha poucos mozos, tendo todas as pa-
Mfle3 deliradas, 3 sala-, G quartos,, cozinha e des-
pensa lora, calcada em roda da casa, cacimba com
excellente agn, tendo a casa 34 palmos de frente
o 60 do fundo, o o sitio 100 palmo* de frente e
420 do fundo, solo proprio, sendo lodo o siiio cr-
calo o pertencente ao Sr. ala noel Ferreira Pinto
do Araujo, distante uns 400 a 500 passos da esta-
can que so lem de fazer no bereo do cspiibeirn
dos trilitos urbanos do Reeife Olinda. s Srs. pro-
tendentes podero examinar a casa e o sitio e
concorrerem ao leilo:
Tcrca-feira 9 do eorrente
no primeiro andar do sobrado n. ti ra da Cruz
primeiro andar.
j
Precisa-so de una ama que eoziube, para fami- irrita n. 21. 1 andar
lia pequea .jw ra Nova n 45, a- andar. ____ ~fr*H,.,odePm calxei
i-se ora cozinheiro o um carapina: na ra
ro para utna pad
O abaixoasignado faz menta a q&enhnro- a no aiaio, com pratiea, o que aance sua coa-
tender arrematar a casa quo se acha annuneada^iucia : a tratar na ra do Encamamento n. lln-
pelo agento Ppntual, na estrada de Joan de Barros.'
pertencente ao Sr. Manoel Ferreira Pinto d< A-
raujo, que ita. Casa so acha hypoJhecada ao an-
nuncianfe.
Precisa-se ue urna ama para engommar e
;ozinhar para duas pessoas do familia : na Ca-
punga, ra daAmizado n. 21.___ ____
Caixeiro
Precisa-so de um oaixeiro que tonha pratiea de
taberna : na ra do Urum n. 65.
Beberibe,
Alnga-so na povnaeio uma casa com traites :
na ra da Imperatrizn.Jfi.
Precisa-se de nma ama livre ou escrava que
TOzinhe com perteicao : a tratar na ra da Scnza-
ia-velba a. 84.
S assim.
Pede-se ao Sr. L. Gomaries Jnior, redactor
da parto litteraria do Crrelo Pernambucaao. do
passar na ra do Imperador n. .12, a negocio que
nao deve ignorar!
Aliisra-se
duas casas eom bastantes commodos, na r.ldade
nova do Santo Amaro, e vende-so una : a tratar
com Antonio Jos Gomes Jnior em Santo Amaro.
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
nheiro sobre penhoros do miro, prala o pedra?
preciosas, seja qual for a qnantia ; o na mesma
asa se compra o vende objectos de onro e prala,
o igualmente so faz toda e qualquer obra do en
eommenda, e. todo o qualquer concert tendente
a niesma arte.
AMA
Precisase de urna co-inheira
Joi*,'.rua do Cabug n.
no Muscu de
Casa para alugar
Alnga-so para passar a feta ou por anno, urna
casa na ladelra da Misericordia, om Olinda, com 3
sal.tl, 5 qaartos. cozinha fra, terracos com assen-
to d|K'dra o cal, na fronte o airar, e hom quin-
al cercado : a tratar no largo do Terco n. 11
Sabo de alcatro
l*.tra curar as molestias da pello
taes corno empingons, ifartliHos, sarnas, corhichdes
e mal*molestias de pelte, sem occasionar acciden-
tes ; desl'az as manchas do corpo, pannos, ardas.
reslabclece a cor natural, quanto a cutis, secca,
grossa e amarellents, ocasion.mdo por nlgnma
enfermidde, e como desiafec tanto c preventivo
das molestias contagiosas.
NICO DEPOSITO
Botica do Pinto, ra larga do Rosario n. 10, junto
ao quartel de polica.
Precisa-se
alojar urna esenm ipwmba eozinbar o engom
mar : na ra das Cinca Puntas n. "'
*fc. Aluga-so a casa n. 3 da ra do Caes que
segu da Dctcncao, com 2 quartos, 2 salase ffuin
lal e cacimba, por 12000 mensaes : a tralaj no
sobrado c'napio com o Sr. Valenca. Cj
A rrmtMemdo das almas da matriz o Sanio
Antonio precisa de nm capello para tMeluar as
missas da madrugad* nos domingo e dis.t san-
tos, a conjecar no 1. de novembro prximo : o
llvd. Sr. sacerdote que se quizar cncarregat dessa
capellana quaira ter a bonSno de entender-se
com o Rvd. Sr. *garo, na mati'iz.
Consistorio da irmaudado 23 do outuiro de
I86J.
'O esrrivao
Manoel Camello Pcssoa.
Precisa-so de urn creado para lodo servico
do hotel, paga-se bem, prefero-se esrravo : a tra-
tar na roa estreila do Rosario n. 11, hotel Lisbo-
nense.
-. A fuga-se
urna casa em Beberibe : a tratar com J. I. de M.
Reg, ra do Comoiercio n. 34.
Precisa se de um caixeiro nacional -ou os-
trangeirr., do 15 a 16 anuos, com bastante pratiea
do taieina e que d Mador a sua conducta : na
jravessa das Barreiras n. 10, so dir quem pre-
atsa.
OITereee-sc una senbora portugneza de bons
ronstnmes, engomma o coso com nerfeico, para
asa do pouca familia; tratar no pateo de S.
1 'edro n. 3 luja.__________________________
O Sr. acadmico Francisco Pires tem uma
carta vinda da Babia, a ra Nova n. 46 prime r
indar.
PRESTIiWO SOBRE;
Festa naval.
AVISOS DIVERSOS.
r-
LEILAO
sita a
Da armafo e pertences da taberna
ra Imperiul n. 181.
O agente Puntual vender em leilo a arma cao
o pertences da taberna cima ji.aual acba-sc per-
feitamente nova. Prcvine-seas-brs. pretondentes
que quizer em arrematar a armacao que o pro-
prietario garante nao elevar o preco de 55* men-
saes, por quanto acbava-se alugada a dita taber-
na bem como a fazer arrendamento por alguns
UXtDOS.
Segunda-feira 8 do crrenle.
Na niesma taberna lera lugar o leilo as 11
horas.
LEILAO
Da armario e gneros da taberna da ra
do Chora Menino n. I, junto a ponte
pequea. I_.ft
O agente Martin i far leilo a requerimento de
Amancio Francisco Mendes e por despacho do
lllm. Sr. Dr. juiz municipal da vara da arma-
cao e gneros da taberna cima a qual foi arres-
tada a Luiz da Motta Silva Pimeotel para paga-
mento de alugueis.
Segunda-feira 8 do__5orrente.
As II horas da dia na niesma taberna.
~LEL10~
De f A fardos com fio de vola.
Segunda-feira 8 do corrate.
O agente Pestaa far leilo por ordem do
lllm. Sr. cnsul de Italia e em presenca do mes-
mo* 25 fardos marca G V N ih. 73 a 97 com
e le vela araados d'agna salgada, vitdus de
Genova na barca ilal ana Rosa, os quaes serai
vendidos por cunta e risco d" qnem pertencer na
seiiinda-feiraS do eorrente as 11 horas da ma-
Bhaa no armazem do Srs. E. A. Burlo C,
ra da Cruz.
De fazenclas de le novas.
A 8 Jo corenle.
O agento Oiiveira far lenK para fechar con-
las de diversidade de bisadas recentemente im-
portadas, consistindo em bareges de la e seda,
chitas claras e escuras, crotn de lindos padroes,
easaas pintadas, alpacas matisadas, fichus ca-acos
e palitots de grosdenaple preto e de 111 para se-
nh.iras, camisinhas de cambraia para ditas, ca-
semiras entestada para palitots e oinras do la
superiores, luvas de pellica e de seda brancas e
de cores, chales o lencos do maltas qnalidades,
sortimento de lonas dh Russia e diversas outras
fazendas pruprias do mercado que serao vend
das a dinheiro, porm a proco razoaveis.
seuunda-fcira
as 10 horas da manhaa, no srnjazom do Sr. Mo-
rcir Dias, site
Ra da Cruz n. 26.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
eche: a9 oimm>t.
Por ordem da directora sao, convidados os Srs.
accionistas,, para no prazo de dez dias contados
do da 6 do crrente effectitarcm a >J prestacao
do sitas accoes na razao de 10 % e receberem
nossa occasiao os respectivos ttulos.
Para esse lim ser encontrado o Sr. Ibesoureiro
das II horas da manhaa s 2 da larde do todos
os dias no escriptorio da campanilla ; ra Nova
n. 35 Io andar, entrada pela ra das Flores n. 14.
liecife, 3 do novembro do 1869.
Ia secretario,
Joao Joaquim Alces.
Precisase de uma ama forra* ou escrava
para cozinbar e engommar : na ra do Imperador
n. 71, 2" andar. _____________^^^
Convite especial,
Fructuoso Martins Gomes, vem polo presente
aviso certificar ludes os seus benignos amigos e
freguezes, que hontem recebeu da Europa um
novo sortimento do balaios de todos os frmalos,
milito proprios para os mistores das casas de fa-
milia. O nosso deposilo de pao o cestas ra lar-
ga do Rosario, offerece sempro cssas obras do pa-
llia em abundancia o por preces razoaveis, visto
3uo nosso maior interosse 6 vender muito (lucran-
o ponco). Limiiarno-nos a mencionar neste aviso
>monte os desejados bercos rolantes, balaios de
meninos aprenderem a andar, maracas, cestinhas
finas dd meninas de escolas, cadeiras de vime
branco, cestas para compras no mercado, conde-
cas brancas e de cores, agafates idem idera, ba-
laios com p para por fructa na mesa, dilos de
depositar nos escriplorios o papel rasgado, ditos
grandes para deposito do roupas servidas. Outros
maitos balaios existem aqui a disposicao de todos,
assim como cra branca de pari e rollo fino para
acender luze* as igrejas e casas particulares :
temos mais de 200 varas do estopa emendada,
pegas de 30, 40 c 50 varas muito proprias para
os Srs. prnsanos encapar saccas de la, a vara
a 280 ris.
Irmandadt do ossa Senhora Mal dos 11o-
mens, na Madre de Dos.
Pelo presente sao convidados os maos da ir-
mandade de N. S. Mi dos homens, comparece-
re i ii no consistorio da igreja da Madre de.Dos no
domingo, 7 do. crreme, as 10 horas, alim de se
i leger a nova mesa que tem de reger osla irman-
dade no futuro anno de 1870.
O esenvao,
.
J. X. Vieira Ligo.
Criado
Preeisa-so de criados; no club Pernambucano.
Avisa-se a qualquer vendedor o comprador
de escravos, que nao vendam nem comprem o es-
craro Francisco, crionlo,de mais de 20 annos, que
est na posse de Francisco Xavier Carneiro da Cu-
nda de Miranda, e depositado em mo de Francis
co Xarier Carneiro Lin*, porque alem do estar hy-
P"thoesdo acha-se sequestrado pelo juizo de o'r-
phos, sendo de mais a mais de duus senhoree-,
como consta do um auto de partilhas, oscrivao
Facundo______________________
Aluga-se uma grande casa e sitio, lendo ca-
cimba cmn boa agua de beber, nutra dita mais
pequea, porto da povoaco da Vanea e do rio
Capibaribo : na ra de H>rta n. 2, 1" andar.
Aluga-se urna loja propna para negocio : a
tratar no sobrado n. 5, no largo da nbeira da fre-
guezia de S. Jos.
Na ra da Palma, taberna n. 37, precisa-so
de um caixeiro de 14 a 16 aunos de idide, com
preferencia portuguez.
na
pri-
No domingo 7 do eorrente mez, lera lugar atras-
adaeao da bandeira da augusta padrocira dos Ma-
rtimos, da ro idencia da Exma. Sra. juiza (na
l'assagcm da Magdalena) para o Reeife, com toda
pompa c brillianiismo como do costme, cuju
frestiro seguir do caes da esiaeo do iwrto das l',a-
nas do Recife, pelas 3 horas da larde, para que
convidase a todos os Srs. devotos commandantes
d js navios de guerra o mercantes, nacionaes o es-
trangeiros, e suas respectivas ofcialidados a coni-
parecerem em seus cscaleres ccmbandeirarem suas
e nbarcacoes para maior brilliantisiiio dessa fesii-
vidade, devendo acharem-se as horas cima no re-
ferido caes para formar-so o conejo naval como
di costume, frente a galeota, que tcm de cundu-
zir a oandeira da augusta padroeira, dopois os cs-
caleres das autoridades a pz estos o das msicas
o devotos em uma ou mais linlia conforme a lar
gura do rio.
Chegando-se a Passagein da Magdalena, desem-
barcar para recepcao da bandeira o brilbante so-
l ailo, do onde rollaro pelas i 1|2 horas da laido,
desembarcando logo que ebegar ao Recife no caes
do arsenal de marmita, o seguirao. pela rua do
Pilar a recolherse na capella de N. S. do Pilar,
d onde saldr para ser basteada em sua festivida-
de, conformo o programla que tem de ser publi-
cado.
A direccio aproveita occasiao para seicalificar a os
Si-s. devotos que foi transferida a festa para o dia
21 do eorrente mez aedido dos mesmos Sis.
Recife, 4 do novembro de 1809.
O secretario.
G. Leitc.
Attenpo.
Precisa-se de ama ama forra ou captiva que
saiba lavar, epgommare cosinhar para casa do
familia : a tratar no largo do Corpo Santo n. 0,
2* andar.
Precisase alagar urna ama para casa de
penca familia, qne saiba rozinhar e lenha boa con-
ducta : a tratar na i na do Crespo n. 18. ___
Coiifeitaria dos aaanazes
No estabeleciinento acuna precisa-se de um mo-
a; para aprendiz.______________________
Precisa-se de uma ama de leile ; na rua do
Qneimado n. 12. 3a a miar._________________
Na rua da Cadea n. 50 A precisase de um
ama que saiba engommar e cozinbar com perfei-
cjio, paga-se bem.________________^^^^^
Na rua Dircila n. 120, 2 andar, ha para
vender ama escrava crioula, bonita figura : quem
precisar dirija-so a mesma, que echar com quem
tratar._________________
" Preci,sa-se de uma ama para casa de pouca
familia : na rua das Trincheiras n. 24.
~ Precisa se de ama ama secca para o sen-i-
co interior de uma casa com pouca familia : a
tratar na Capunga, rua da Baixa-verde n. 14, ou
a rua doQueimado n. 35, leja da Boa-Fama.
Aluga-se o 3 andar e svlao do sobrado n
32. sito na praca da Boa-vista, tendo commodos
para grande familia : a tratar na rua do Alecrim
n. 30.
AMA
Precisa-se de uma para cosinhar ; a tratar na
rua do Vigario n. 18. 3o andar._______________
- Alugam-se duas casas terreas sitas no Man-
fuinho a margem do rio, reeommendaveis pela va
errea : a tratar na roa do Vigario n. 31.
Ouzinheiro
na rua do
Precisa-se de um bom cozinheiro
Imperador n. 32._________________________
Precisa-se.
De nm menino brasileiro de 13 a 14 annos de
id ule; que lenha ou nao pratiea de taberna : na
rua dos Pescadores n. 43. .
da rua da Imperatriz, becco dos Ferreiros at a
estacao dos trunos urbanos na rur da Auror, na
sexta-feira, nma cadea de onro e chave para re-
kgio : quem a liver a-hado e quizer fazer o favor
do entregar a seu dono, dirjase rua da Impera-
triz n. 64,'que ser generosamente* recompensado
Ama.
Precisa-se de uma ama para cozinbar e engom-
mar, para casa de pouca familia : na rua nova de
Santa Rita n. 03, 1 andar.
(SEM LMITE.)
Na travessa da
das Cruzes n, 2,
iiieiro andar, da-se qual
quer ijiianlia sobre ouro,
prata c pedras preciosas.
O dono desto estabelocimento,
competentemente autorisado pelo
govemo, esta as con diroes de ga-
rantir a t ran sao gao que se izer em
sua casa,-prometiendo todo e zelo
e consideragao s pessoas quo se
dignarem de honia-lo em sen esta-
beecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
^ prata o brhantes.
trade.
No caes de Apollo, armazem n. 71, precisa-se
do um cria o para compras e a|gum servico em
um pequeo sitio.
Ama de leite.
Na rua da Praia n. 38 precisa-se do ama ama
de leitc o paga-se generosamente.
Jfrdinei'O.
Offorecc-sc um b.imeiii porlugaez para dirigir a
sua arto de jsrdineiro. pan o que tem as com-
! ptente* habilidades: quem delle precisar anuuu-
cic por osle jornal para ser procurado._________
Tj5nvi(a-se
uma senhora de maior idade, que livesse lido sem-
j prc bons costnincs, para servir de cnmpanhia a
I uma ontra senhora casada com muito pequea
familia, dando-so hora traiamento : aiallar na rua
I do Cabug, loja do cera.
Aluga-se nma boa casa para se passar a
i festa na dilade de Olinda, na dos Quatro Cantos:
j quem a pretender dirija-se ao oto da S n. U.
Precisa-se de um menino brasileiro do 13 a
14 aunos de idade, que lenha ou nao pratiea de
taberna : na ma do Pescadores n. 43.
Aluga-se um sitio no lugar do Caldeireiro,
i junto ao sitio do lllm.Sr. Dr. Alcoforado, com casa
I e Iructciras, tendo no fundo br.nho : quemo pre-
I tender dirija-se ao escriptorio d<> lllm, Sr. Dr. Al-
coforado, ou no mesmo sitio, pendo o alngncl pelo
, lempo de festa, preferc-se a pessoa solteira, ou
qne tenha pouca familia.
0 Sr. L. que negociou a taberna do patio
I da Penha, quera fazer o favor de mandar
[dizer. alguma cousa de um meio bilhete
'dorio que foi socio, Da mesma taberna.
" ATffiNCAO-
Rspondo-so a porguota feita pelo safra das
pancadas, que a familia do Sr. Boa... bem co-
nbeeida, e se quer saber so os seus filhos f^ram
ou nao baptisadoa, requeira, a qqem competir,
rertidao de baptismo, o ver a resposta.
O perito.
- Atteii$lo.
Honlcm as 2 horas da tarde foi recoihido um
cavallo quo ragava pelas ras desta cidade, co-
cheira do becco do Ouvidor : o seo dono pode
procur.t-lo, que dando os signaes e pagando as
despozas, Ihe ser entregne.
Nilo mais cabellos broncos.
A tintura japoneza para tingir os cabellos
da cabeca e da barba, foi a nica admiitida
Exposifio Universal, por ter sido reco-
nhooMa superior i todas as proparaces at
hoje existentes, sem alterar a sajde.
Vende-so a lr)000 cada frasco na
Rna da Cada n. 51,
1. andar.
Na rua da Moeda n. 5, 2 andar, escriptorio
de Manoel Alves Ferrcir* A C, vende se vioho
verde superior em barris, ancorctas com vinho do
Pono superior e malvazia branco.
Precisa-se de um erind para todo servico
de hotel, paga-se bem, prefere-se escravo : a tra-
tar na roa ostreita do Rosario n. 11, hotel Lisbo-
nense.
Alugam-se duas casas nos Arrumbados, para
tosa, tendo cada uma commodos para grande fa-
milia, quintaos murados e cacimba meieira. e ba-
ldo ao pe de casa : a tratar na rua das Cruzes..
segund andar n. 24. ______________
Nocledadc Recreativa Nova
tlalo.
O conselho administrativo em sesso de 3 do
eorrente delib*rou quo se convocasse a asembla
geral para proceder-s a eleicao do conselHo ad-
ministrativo e dos doze directores que teem de
funecionar do novembro crrente a ontubro de
1870, do confonnidade com o artigo 33 aos esta-
tutos. Nosie sentido, pois, convido a todos os se-
nitores socios comparecerem na casa desta so-
ciedado no dia 7 do rigente mez, as 10 horas da
manhaa, para o fira exposto.
G. de Amorim.
GUERRA GUERRA 11
Sensores socios da Jurentudo, o presidente nos
conrida uma assembla gcral para amanhaa, e
sem duvida para formular quotas, e como desde
que pagamos tres mil res mensaes, estamos sen-
tos de assignar quotas ; declaramos-1 bes guerra
de merte, e espero que cessar csso abuso.
Um nosso consocio.
Precisa-se
alugar um molequo de 14 a 10 annos do idade :
a tratar na rua da Mi eda n. 17.
Desappareceu huntem (20) do eorrente, as 9 ho
ras da noile, da camba do Chora-menino, um bo-
to de 13 ps de eomprido, pintado de branco, com
ama lislra rerde na beira e abaixo desta urna dita
encarnada mais estrena, tundo na popa o nomo
OIndnsesendo estas letras gravadas naraa-
deira : roga-se a qualquer pessoa que o tiver eu-
eontrado n dalle souher, a dirigir-se ao Chora-
menino, sitio n. 3, a Ernesto Papf, ou a rua da
Cadea n. 30, ao Sr. H. Carto.
Proeisa-se de um cozinheiro ou cozinheira
livre ou osera va, o b dos lasaros : a tratar cora o Sr. mnrdomo ae mez,
ou com o regente no mesmo hospital.
Ama
Precisa-se alugar uma prela escrava para o ser-
vico do cozinha : na rua do QueimaJo n. 12, Io
andar.
OI.INDA.
Aluga-so o 2" andar do sobrado do Varadouro,
defronte do porto das canoas : a tratar no 2* an-
dar da rua do Imperador n. 10, prximo a trares-
sa do Oiividor.___________________________
Srs., matdade.
despeada quem souber as perguntas seguntes :
l* Quem o exportador do immenso numero
do crioulas quo entram no armazem ou trapiche
adroJnislradopelohonestissimo Sr. L., uma vez que
temos certeza de qne a maioria das casas expor-
tadoras recommendam a seus agentes ou correto-
res geraes quo nao focara com s raesmas tran-
saccao algama.
2* Se os algodoes que eoutni aquellas crioulas
tem boa ou m origein, e se finalmente sao das
espeluncas.
3* Quem o responsavel pelas reclamaees que
lem chegado dos mercado da Europa, em dis-
credito de nossa provincia nao sendo as reft-ridas
crioulas trocadas nos actos de embarque pelas
sertanejas, trazenno assim prejuizo certo a um e
lucro immediato e rantajoso a outro, que depnis
as vende como partidas boas. Se responderem
com lealdade nao voltar mais
O inimigo da hypoerisia._____
Um socio pergunta a directora provisoria do
Monte Pi Portuguez qnando pretende convocar a
assembla gcral, nosla exigencia cromos e-tar com
a opnio geral dos socios ; se nao tormos alton-
didos do mo agrado nosso, voltaremos ao as-
sumpto.
Arcadia P rnambucana
Em nomo di Arcadia Pernambucana convida-
mos o publico desta capital assistir a sesso f-
nebre que esla associag'Io celebra bjeifi), as 7
horas da noite. en honra Memoria do Teophilo
OUuni.
A coinmssao.
Barros Pimentel.
IMysses Vlanna.
Se Albnquorque.

Attenpao
Precisa-se de uma criada portugneza quo saiba
bem engommar cora pertoicao, e sirva para tomar
conta de uma casa de familia, paga-se bem : na
rua do Hospicio n. 54.
Aluga-se uma grande caa, sita no largo do
Santo Amaro das Salinas, oom os seguntes com-
modos : 4 salas, 1 gabinete ao lado, o quartos, 1
espagoso copiar, cozinha fra, ca*a para feilor e
prelos, eum grande tanque para deposito d'agoa,
tendo bastante terreno, todo cercado para plan-
tacoes, com embarque e desembarque no fondo
que vai at o alinhamento da rua da Aurora :
quem pretender dfrija-se roa dos liegos, casa n.
2, defronte do antigo quartel de carallaria, na es-
trada que ra para O inda^__________________
A pessoa encarregada da festiviiiado do Se-
nhor Bom Jesos dos Pobres Afflirtos da igreja de
S Gongalo, queira apparecer na rua do Rosario
da Boa-vista n. 7, atlm de receber um contingen-
te para a mesma festivi lade, que por promessa
foi feito.
WAHmiO
Em Pernambuco, P. Maurer d C, e 41
Macei, Paulo Jos da Costa Araujo.
I
MARTIMOS
CO*TRt FOCiO.
A Companhia ndemnisadora, estabelecidJ
esta praca, toma seguros niariiimos sotm
navios e seus carregamentos e contra fof
em edificios, mercadorias o mobilias: 'a
rua do Vigarion. 4, pavimento ter ea
Precisa-se alugar urna ama escrava qne ea-
zipko o engomme, para urna casa do lamiiia ma'
duas pessoa, e pag<-se bem ; na rua Diroila n.
12; Io andar.
Na pharmacia do Pinto rua
Larga do Rosario u. 10
junto ao quratel de poli-
ca.
A'liam-so conslaniemet.le promptas t
serem salisfeitas, as p'escripc&es dos Sr.
facultativos, e as necessidades das enfer-
mos, as especialidades da mesma pb.irnMK-
cia, composla de medicamentos, /tanto n-
digenas, como eslrangeiros.
Tosse e molestias

peito
Xaropes de fedeg.-o, rabo do tat,
Agr5o, pao Cardozo.osc, mnlung, mu-
amba, etc., ele, ja
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetil, jarope de saisaparTrlha
do Pai, pilu|as c xarope de \elame||in-
tura e xarope de ajeopira.
Doenras do Osado e baro, ane-
cie.
una, oji.'i 11,1
Emplasto, oleo, poinmada, tiiil'ir.i, pi-
llas, xarope e vinlio da imtag-jsa Juru-
beba.
Sezircs ou febres inlermitCBtes
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia de sen autor roa larga do Ro-
sario n. \Q, junto ao quartel do corpo *e
polica.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, l. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sbre o Ban-
co do Mioho, em Braga, o sobre os seRim-
teslogares em Portugal:
Lisboa.
Porto. .
Valenca.
Guimares.
Goimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova do]Famaliclo.
Lamego.
Lagos.
CovilhSa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Em casa de THEODORO CHR1ST1-
ANSEN, rua da Cruz n. 18, encontraiM
electivamente todas as qnalidades de vate
Bordean x. Bonrocu?'1'- p do Rheno.
RIGADD
M U4|aMo niHtndiP |
dc4r
rrlaltUa do caballo*.
Em olio das o mais,
tem o imprego de nen-1
hum ouln substincia,
fu com que o cabello
torna i sua cAr primi-
i ira ten manchar a
pelle nem sujar a roupa
e tem apresenlar o me-
rperl|o.
0 Colorifjeneo difiere
iDteiramenle de todaa
a< tlnclnrai ten de por j
haae o ai trato de prata e |
3ne requerem o imprego
e dnat ou tro substan-
cias liquida* divertai.
lfianea-ae o suecesso |
eii|indo a aisignatura.

G
C
CABUGA
esquina
da rua larga do
Eosario.
wjo^a. de ioias i CA1U0A
Este importante estabelecimento no seu genero, !tem sempre um sortimento sem igual, esquina
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. L
vista da qualidade e do prepo das joiasqada um pder-se-ha cpnvencer daverdade,! raa Iar8ftdo
Garante-se ser tuda de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele- Eosario.
vados.
A loja esta aberta at as 9 horas da noute.
1


de PeraoiWco &bbado 6 de Nviiibro de
1869
' '">
* "
Mikroakope achpoma-tOVxB^^
tsenen. Objetiv Lin- ^^ ND_
Barometre e termo-
metre. Centigrade
e reuumeure.
OEIILOS HIKCHIEIS
E crystal de rocha do Brasil.
F. <*. CcrnMH. recornraenda ao publico, seas vidros periscpicos aperfeieoa-
dos; porque, com este;, vidros, a vista dcscanca, fortifica-se e nSo a canea como cjiti
os vidros 01 dinarios. Urna vez escoftido um vidro, pode darar dez annos, emqaanto
que, com os vidros ordinarios se esCT obrigado a muda-Ios lodos os annos e os ter
cada vez mais grosso, o que altara o. crystalino do iho e determina quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais long*, os raios que expelle slo
mui convergentes ou aui divergentes .e a visad n5o perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a vis5o nao distincta.
Com a applicacao de meus vidros pde-se vencer estas dificuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
vista, que faz divergir os objectos e deixa ver t3o longe como as outras vistas. Quan-
do o'crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem melhor de longe que de porto, e nao enxergam sean
um ncvoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergara"o
to distinctamente como na idade d* 15 annos. Servindo-se destes vidros quando e
vista principia enfraquecer, previne-se o mal.
F. #. Germana encarrega-se pela su experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a primeira vista, seja qual for a iade e grao de vista, oculos proprios para
qualifoer pessoa, #
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Nova loja 4 caljado
JOAQl'lJt-DIAS DOS SANTOS & C. aeabam de abrir tim e9Ubelewwnqafc ?ade estraugeiro a ra Nova n. 30, onde o publico Cnconirar tudo e> qne wete ge-
nero de commercio ha de melhor e de mais gflto em Pars e Landre*
Por todos os vapores transatlnticos receberio lies constantemente reBM
calcado noy, pelo que ter sempre o esiabeleeimento o que a respeito se f
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedem a cooperis
Ibes pssam dispensar, certos de que serao servidos com lealdade.


Para a-vista myope, (vista curta)
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos s3o desiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
Ibo e a lcitura.
Para.*; vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nao snpporta os raios
solares nem grande elardade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras estSo cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Pocos tubulares instantneos de patent*
Estes pocos foram espalhados na Euro-
pa, tanto que, quaiquer duvida do seu
grande valor pralico deve desvanecer i vis-
ta das grandes vantagrns.
Militares de exemplos mostraram que
olliis sao de grande utdidade aos industria s,
agricultores e particulares; at em todas
as expedios militares dos ltimos temeos
foram usados para procurar sein demora
agua fresca e pura, c tanta quauta se pre-
:isava.
Km todos os lugares, onde oa poco la-
vado ou furado (.polo systema auligo) daria
agua, pode-sc empregar os pocos tubulares.
Elles facitam acbar agua muito mais
depressa, mais cristalina mais fresca e
mais barata do que por meio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfeita-
mente pura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias atbioospbericas.
Por meio de urna machina muito simples, consistindo d.'um maxaco, impelle-se para
da trra um tnbo d ferro, cuja extremidade inferior est finada e munida
ponta d"aco ; e logo que < a sonda musir agua no mesmo, devinta atarracliar
iba e faze-la funecionar. Ao principio a agua ter substancias arenosas e terreas,
uta logo se elurilitvi, e em pouc tempo shir agua perfeitamente lmpida*.
Otilias vanfagens que aprf arpia, este systema s|o:
PrimeirameiWn. a pi.*nptiri&<. com qne se ejecuta, Uta, a obra, do assentaiqeBtft qne
: pitas veaes nao tova rwts de,uroa lora, sen remota alguma de, tenia:
Segundo, a vnimodidade. >pje elle ofTere-ce de ser neo somonte collocade fr da
r*a. romo tambem dentro da mesma. com nio menor facil.idade:
Terreirn. a facilidadp rom-qoese tira para fra da tena o poco sem o estragar
iira.0 coHotarem noutro lugar:
Ruarlo, a grande qnantidade d'agua que elle pode dar :
Quinto, a posfiMidadu de.tojnar, uteis com poueo traballio, por meio delle os po-
rta cacados que, foram es4r3/nd|>s,pelfl rea qu u*>r outras causas.
Precisnm'
tubos ui
liiRar da* UmlJ?is a^tj-jnle* ocalmente usadas. poV-se foroecer bomba* de
tprvstaln pan J-or a+uja e condj./i-la aos andar, s superiores.
pmfigo.t*^o?Bl.iburrJs sob.e tudo proveitoso aos fazendeiros, que em
4aiqu.Tcampo onde o gado pr. isa d'agua, m podwn coligar c arranca-Ios,rara-se-
rfn enllocados nime melhor (lies convier.
E' tambim de grande nfililidade aos fabricantes*de cerveja. aos distilladore> e a
KfUs^os fabricantes em gcral. c com espeafityle aos empreiu-irns, ard|Hetos. m-
g^icims i; fo.los aipHes qne prerisam de quaiitkl.idu d'ua por tempo determinado.
Este methodo j o nico para obter ^qualpuer parle agoa, que seja liwe de par-
liad-w norivas, cile tamliem uioveit|io aos proprietarios de casis e vdm, tasto
-pfjrao uso diario como para regar asplaataces e capim.
Pedimos i aqu.-lles que mis qu7.qrMft honrar om suas eiic smiini.-ae : t. em que profundidad* le.arha a agua, o que a-ilante se pide vtriH-
< pocos ou cacimbas vi t ate a eqnadi que ro;aru agua ; 3* em ,que eaperie d carnada su ada a agua
* : Imaolmeiile a qtiandad d'agna que se pede por bofa.
A a emon-slar o npp^.relfin de ass.-ntamnt> meliante urna relribuicao a Mvencio-
a qual s regular:! pelo te.mpo que se actor fra.
N^
es
Sorjieaio de binculos
para thjktro, e oculos de
alcance ^ara o campo e ma-
rinha.,
Lunetas, pince-nez e
face-a-mam, onro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem^mbcm grande sovlimehto de retogios para parede, que do, horas e para
cima de mesa dos.nujis lindos moelo Reiogios para algilieira, de ouro prata, prata
dourada ofuleada, iuglezes, suissos e orisontaes dos memores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. m Pernambuco.
Ii 21=Rua govaN. 21.

t
>
Precisanda-*e do,iuna,"r^fi|iti.q|jaritidade,d'agua pode-se introdnrir na trra di-
h.Ii^ igi^ajts qutros por meio d'um apparellin muilo >imples.
A' ra do Crespo n. 20 A, esquina da ra das Grazes.
Alvaro Augusto d'Almeida & C. partecipam ao respeitavel publico, e'cora es-
pecialidade s Exmas Sras. qu- o seu amigo e arredilado cstabelecimen'Q ra do
Crespo n.20 A, de pequeo que era. acaba de ser transformado em urna bonita e vasta luja
le fazendas finas aonde pela sualocalidade eamp)id3o, o publico nao so ter todas as coin-
modidades para fazer suas co. pras, &>mo acba-lu-lio desde j prvido de um variado e
escoibido sortimento de fazendas finas e grossas, o que tudo se Vende por precos m-
dico?.
Jste estabelecimento, ape.zar de estar j bastante conhecido, os seos proprieta
rios tem resolvido entitulado por LOJA DOS ARCOS, para evitar equvocos, e torna-to
por esta reaneira anda mais popular. Eucontra-se nesla loja
Ricos corles de blod e de seda branca para noivas.
Ditos de seda de cr e pretos.
Brochad de seda, faxenda inteiramente nova.
Foulard idtm dem dem.
LSas de muito gosl'i.
Corles ile cambra e chita i Mara Antoineite.
hias bordadas^ camiziubas, espartilhos, bailos basquinas, fichas, sombrinhas
luvag de pellica, chapeos etc.
Ha tambara constantemente um completo sortimento de csteiras da India para
forro de salas, assim como alcatifa tapete, capachos o muitos outros artifes, que seria por
demai6, mencionar. "-__________________________
EITAMt DOSHIT
16- RA D CRUZ 16
Ha diariamente bollinhos para cha. bollos ing'ezes, pies-de-t, presunto, dito
fiambre, superior cb Hsson, dito preio e raiudinbo, xampes refrigerantes, vinbos en-
garrafados, doces em calda, ditos seccoj-c (Tibtali.sado?, figuras para^Jandejas (phantazia
e noivado)-taixinhas com a.mendoas paa prepoc*>mmido.
Rerebem-se enonmmeiirtas para bailes, baptisados Q caumeitos, as encom
mendaspa'a fura sero bem acondiccionadas.
Pino pudding.
Apre cot. puld. Warranted snper4or qualite.
ANDR DELSUC
CABELLEffiErRO
11 A Ba do Cmpo]. andar 7 A
ENCONTRAR-SE-IlA sempre neste estabelecimento um variado e bonito sort-
mento em perfumarlas francezas e inglezas cuja lista damos aos leitores.
LUYAS Marca garantida de JOUVIN.
EXTRACTOS.De superior qnnlidade marcas LfJBIN & GOSNELL.
DITOS FlNOS.-^em frasquinbos proprios para presentes Lubin & Gosnefi.
POMMADASBanha fina de varios cheirosLubin.Gosnelle, Sociel Hvgini!}>
'^AIWNETES. finos para toiletteLubm d- Monpelas.
SAU DEiNTIFRIfiE.agua para limpar denlesftbeiut Hyginique Lubin *!*-
ierre.
A pjl
*.
' t""h"ni ene d.- mandar timmuisiui*haWiad* n^kwfrifrmsW
npfador aim do susteirii e despezas d viagem (ida e votta) un
opiiii previamente cniwncHinado.
Paca eficoniTOnn-Jas e mais esclarecimcBtos a
J. ii-rmam: rnaNiva n. 21.
respeito a tratar na loja do Sr. F
*- ,___
I. Rhigass, supce.ss r
584Ehi* do Imperador
55
Nwa anUga e bepo c ment de ptawuu i^truiflW pn^samente pam clima eswpaiz. e M. Jrflmvas>
tendo trabahiado muilospannos na conrtijircjo de pi.iu^ nn Pars,,ai'ba-se. li^lulitad<<
-tp/epaifit us piaioawSbde com lodo > -"-T-nin< indi-pi njWmirnll BJS4! W
BBILHANTINA. paia lustrar a barba e os cabeiwi Lubin.
AGUA DE COLONHA Marca verdadeira de Jla9krim Fruir*.
COSAtETlCO.cheirosoLubin.
POZ DE AROZ.ditoLobin.
?U^ DESENTEUR-OJeapara WHser\Tc5o dos cobeHosSoejeti Hygiwq-
SCOVASFLNAS.para ctolfes, danles e untos.
Bf^liKA.Pincel para torto.
GRANPOSi.para cabellos.
RE >ES 1NVISIVEIS para cabellos.
GRAVATAS UNDISSIMAS.do meibor gosto.l
RNGALAS.-*dephantasia, para passein e de diversos tamankosetc, el:. Wt
A la parfumeriear8enne.
7 A RA DO CRESPO CANDAR 7 A.
CASA FELIZ
Aos 20.000^000 J
.% nmutiv Mida '
Os attue aMfii<1t-s tendu-^e hsbliilato i
inni !. l*s em eTpwt a tmr ie* billceteg das latenan d Rio eiui&r>i, na ras*
^Pinia, aoPI se pagaran as surta qM sahircm
nos nessata billiutes, com o flatconi.soiiieiii'
1 le. .
PRECOS.
BMbete inleiru 84*000
m*.s iutm
Qimrtns )00
K de-* |*ara rima a 2i hilhete.
FiBueirtHlifc^Leia.
Presa.e de nina aiB*qlie saiba tosiahar:
travesea dos Pires n. O sitio de Jeriqwti.
ambem ba neste estalieleciinfuto, ranile xarlifide de msica-* qovas^ d/
fMI|oriMi|lpn/3|^|#fa|4^e.ifM^ rio R|- rig. J.i..-iri, qie "' v.iuk mal-
barato
Vi'mla huios o
Si|..'rioiPs corles de penalle com baira. pra vestidos a '$ cada corte.
Li-.iIn ivir'es degaze de s da com 18 a 20 ovario* pelo baratsimo g
de ff|$000 ea a rorie. na loja das cditinjnas, nw Crespo n!3 de An- S
p.-rrea de Viwronri'liiw.
-i
lo qii-i em omia^qiial.pier-p.rb-; a>8hn c.iio lu igu iliii -nii. ..
bje los neces.sari.is>*a>pMf^r rieqfoffc Os ^Hmi fetos com o maior zeio e cuidado.
' ^ "1W !.. ii .,; ri**">'l*tl'' Mil *s
e%t n% re.
i Preeisa-e de duna ama para cosinhar f
f i/.'T o mais erviej) de nina asa Je p^u
va familia, pr lero-ie osera va; traanle iu
na Nova n. 46.
l%l%0*l!L'lt----*f f'fl---->'ff
Aos 2OO0Ot000.
ra d> Cabula n. i.
Mjxbilia
Bilhi-ifH il.i Rio venda
vende Vieire St Rdripues.
L-X'ii
Caixeiro
fevifiilsa-iK mi't)ln^ ik indis -i q'ialidadr :
no paleo iitC-iriw n. |7, e m.us em cuuu qnt em
i|Uili|ner parte.
r~:-----r
1
T
^Cf'tVU.
* roa > 8. J
irn n.ni fira'ie A^I^Hp
a eua conduela.
dando ctnliocMuen-
iw>acaaiJ|Jou'
o. 28.
lia osoraa,^i
in' ri.< n tlo4'Ht> *
tratar iu rua da Crui
Alt
IVci-u-se
feQrt^al^l>od#Wad-d^i IVai:|lflWfls, qoiH*-
,i pralMM d l burna oa padaria : no paleo do
*4|iviHi - um inmp te U\isl\r il* iT'inih'.'mS nniiln
^
nnQa.
0 Dr. Franrisco de Paula Stwre. me-
dico, muduu-se d Cinco Ponas para a
rua Augusta, sobrado n. 116.
AVISO
Roga-Fa ao IUni. Sr. Imtm
si-civ o da rnlmie'iio ia%W
>fa>r le nuerasdIS
rita d Iti|ter*Pir n. 18,
nepri.i,.qiie ha 4 ann is \ r>H p
ni miniado para o nnirluir, e
aipedle annuni-io aKMf^9^MW# em 30
nKIUiM' #aNiiiinmnlP
que
e de nnVo esquecer
pifa .pin s. s. o dHpMram dtf'vir >Mh
tlW'a w(4'flin, mas e f3r a ito ^>njfado
' "tr prfL->,explirr>a.-P#f doataftam
parece qMmHfri*So faPafc
bljia^au. Recile 16nV nulirbrn de 1%
Jtaftaran lo <^i^vitn Pereiftaa, ter
lili" les : in*i rugo, pejli'n's vellio, rom dente
b'im talho friiirez i- lnjrl'-i, "rT.re.-H se einpi. ^ar-se en*l-'if',4rti!i a pa irimi rasa de riimiii.rrio, dando flad-T a sua fi n ilu., imi. subn a aura a marraPVrrn
duna, -e for pm-iso : qocm pn-r^ar dirija-sr bem niellanWxii'iria, rnm Indo ainda
ivua da Matrii d. Boa-vnia n 2li, andar, onde vel; rre*e que os rmiduzi'mi naraje
i iiitor.w.i.'es a re^rf..r ou- mmmm p Omr*Wm* 1nm-na>to :r%
-le f) ario para >r procurada. a minj>inr5M
le rhaqelp*?fue O Sr. Ir. Canrli.' Frrrrir;.
tem orna tarta oa rua taifa la Marta a. HL
lV*ri-a-e de um ifflrmT
enitnda de sua arte : na rua da Cadeia u. 53.


'

T
Diario de Perttotabuco SkMMd 6 de Nombro de 1869.

s


ESMERALDA
s
LOJA DE JllltS
MORENA OUARTE & G.
Este antigo estabeiecimento. completa-
mente reformado le novo, est as condi-
Q03S de servir vantajAsamente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de onro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, sujos precos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate
X 5 ll'A DO CIBII \ 5
Aviso vftntaj'oso para os sa
nhores de ngenho.
N. B Praiica, paciencia, e adinfitaraenrt
cm poucos terrinos.
Um eslrangeiro eom prntiea. mais ilo dez an-
nos de ter j ensiuaJu un) algiins engullios desta
provincia, se oflerece a malquer tennor de engo-
lino para onsinar nao ? as priineiras letras coun
j francez com pe feica.i e em poocos lempos:
|uem pretender dirija caria recitada cura a sua
osidencia, na ra das Trincheiras n. '0, eom as
inlciaes R. A. D._______________________________
Aviso.
O abaixo assignado, snhendo une o Sr. Antonio
i Juncal ves da Silva pretende vender o engeobo Li-
i.iiu, situ na freguezia da Kscada, faz publico,para
seiencia dos inieressados, o legaiuto :
Que dito engenho fui, por escriptur.1 publica,
arrendado ao abaixo assignado, por oito anuos,
eom a condicao expressa de nao poder ser aliena-
do durante e.-te tempo;
Que o mesmo Se. Antonio Goncalves receben
adiantada a maior parte da importancia Jolal do
arciidaini'Dto ;
Que pela in ilienabilidade temporaria que se esli-
puliitl, nao pdu o engolillo passar a .'.lalou-r coi-
jr.idor, suio ewn u onus do arrendaon-nlo, que
i abaixo assignado protesta fazer effeclivo porto-
Jos os meios hm as leis Ihe- garantem, e ainda
nosmo qoandn base preciso, o (\m nao laucan-
do iniio do ultimo recurso permitudo pela Od.
liv. i til. 9" %\. '
Engcnho I.imao, 2 de nnvembro de 1869.
Jos Ijoo Peieira de Mello.
O abaijio aspnado, tendo tirado do boleo para
lazer um troco, um embruiho com sedlas, onde
-e. acbav um bilhute ioleiro da lotera n. lo Bu
Rio de Janeiro com o numera 3831, esle-dosenra-
ininliouse, tendo o mesmo billiete por socios as-
ignados no ver-o Chagas & Leito e Arroda e
Mello: ruga-sc ao Sr. tbesourciio e ao Sr. Plaza
que o vendeu, de nao pagar sena ao abaixo as-
signado qualqucr surte, fjuandu purr.nlura tenba
du ser premiado.
Francisco Antonio dasChagn*.
OLIVEIM 8: CARVAUTO
Suceessores de Reg &Moura.
24-Ra Nova 24
Os propiieti,ikw,jile novo estabeiecimento fazero soiente ao oublico, que
icabam do receber um perfelto e .variado sortimento de pannos finos, casemiras, brins o
flottvs militas fazendas de .gustos modernos, as quaes vendem por precos. razoaveis.
Os-iacsraos seienlilicun que leudo admiltirto para sua o8h:ina rie-alfaite, um ulista bnhil
d desempenho de sua_ unccOes, recebeio qualquer encomn_eiida.de roupa por medida
pros-tleiulo salisftzeron., cora ponluaWade o presteza qualquer pedido ne*te se Rudo.
VS BOBAS CUIaDAS
sil
E
Todas as molestias sypliiKtum
PELO
ELEX1R DO OR. SEVIAL
tnico depurativo sem mercurio que tanta aceilacan letn meie-irto d Bra-
r.as repblica* do Mil c na Allematiha especialmente para cura das boobas,
sarnas, rhaumatismo, tudas an molestias sypliliticas c em gera! todas acuellas
prevm da empureza do snngne.
NICO DEPOSITO
tu,
T*harmacla e drogara.
DE
Bartholomeo <_ C.
34'Roa l.arga du Robarlo34
MlL-JjL .....n i i .....
A mesa regedora da irmandade das Almas,
roela na matriz do Santissimo Sacramento da
tk'w-Vi-ila, convida a indos nossos raos c aos
prenles o amigos do liuado nosso irmiio procu-
rador da masa remedla actual Antonio Jacinlho
de Mellu Jnior, para onvircm una inissa no sti-
mo dia do eu falleeimento. que a mesma mesa re-
gadura manda celebrar pelo repozo eterno da al-
ma do mesmo rmio, aabbado i do corrento, as 7
huras da manilla, na matriz da Boa-Vista.
O escrivao,
Antonio Finlands dos Santos.
(i in i nanan
Joiiqiuiu Ferreira dos
Santos
profess.ir de dansa, natural de Portugal, cliogado
a poucoda Europa com sua esposa 041a provin-
cia, Icio a honra de participar aos seus Ilustres
habitantes e mni principalmente nos pais de fami-
lia, que continua a leecionar em dansas com todas
lis regra as tencas e quintas-feiras, das 3 lluras
c'a tarde s JO da.onite, em sua casa na ra es-
tregado Rosario u. 31, 2o andar, e no* domingo>
de manbSa para todas as pe?s>'as que nao pndem
vir nos outros dias, sendo a lirao uos domingos a
nuite gcral para todns. Tainbm *e prumplica
ir aos collegius e cusas particulares nos oulros
das._________________________________________
Feitor e cozinheiro
Na ra Nova n. 12, ou na ra do Onro n.30,
precisa se de um feiir que saiha tratar de um si-
lo, assim como de um bom cuzinbeiro, preei indo-
so estrangein-s.
Eagomniadeira.
tm S. Joc do Manguinho, casa n. 2, paga-se
bom aluguel pur urna cscravaoueenicnda bem de
e^onjnjiao. ^_ ** f___________
Na 111a d.i Scnzalanova n.M, escriplorio,
conlra'Se una pessoa hibilitada4ara fazer a es-
criptade urna'caga de negocio.
11
Precisa-so do nina ama que.sailia eosinbar
ngomuiar para cafa de ponca lamilia : n tratar
no sobrado da ra do Vicario n. !, 3" andar.
Aluga- ro. poncu adianto da i-iacao do Sr. Siarrn. 41 :
a tratar na ra Augusta u. 33.
Preclsa-se de una ama para o servico de
urna casa de pequea familia : a tratar na' ra
larga do Rosario n. 34, i andar, (entrada pela
esc*'!.: da casa n. 3<>)
Aiima-so
ra eseriptorio o t. and ir do fobradn da ra
fa do Riisbrio n. .10. esquina da na c-trcila do
sario : queni o quizer, ver dirija-so loja do
nym|twi
ue ahi encontnr a chave.
Ama de leit,
Quem prcieniler urna ama escrava com innito
ixmi lfii*e |)or i*r mari'!o a enanca ao naseer, di
rij*-se ra do. Qiiennado n. 18."
------------------------------------------------
Sociedade Eecreativa
Juventude.
De ordeni do Ilhn. Sr. presidente convido os
senhores socios a se reunirem em st-s-.i > extraor-
dinari de assamWa gerai, domingo 7 do corren-
te, as 10 i|2 horas do dia, no edificio de-la socie-
dade, aflm do tralar--e do assuiaptos Importantes
Secretaria da sociedade Recreativa Juventude 3
de novembro de 1869.
tYlomeno Peixoto,
l- secretario.
Soredad
Trasppssa-se ou assocla-se h'om estabeiecimen-
to do casa de pasto, on mesmo tamhem de taber-
na, que nlei'HV vaiitagem a iuem j lenha algu-
na pratiea; trata se na ra da Guia n. 8.._______
Precisa-^e d*'. urna ani;: que aaiba comprar
e cozinljar : n? ra larga do Rosario n. 21. ____
Piecisa-se de uina ama para comprar
e cosinhar em urna casa de pouca familia
roa de Hwlasn. 1.
Precisa-se de urna ama para coiinhar o fa -
zer compras para casa de. pouca familia : na ra
do Pires n. 5.
Aiuga-se o quarto andar do sobr>do
ra rio Imperador n. 54. com boa vista,
fresco, e commodoa para ^laude familia:
tratar ;i 1111 du Rangcl n. Bft.
Quem quizer possuir una boa e pren-
dada escrava. com um casal de crias lilb"S
lista; o m ao comprador : ra do rVngel n. 51, se
poder tratar.____________________
Yende-st a rellnacao da roa d Hurlas u. 7
1 qual vende para mais de 30 arrobas de as>ucar
diariamente : quem pretender dirija-so ao paleo
do Paraizo n. 2.
m
Se^ivo.
Prelende-se saber .fe existe nesta fidae 011
lira d'ella, Custodio da -osta luknarae?, obri-
1 lio de Antunio Joaqun) da Costa Guimaries, que
f a ejlabeli'Cidu tiesta cidada oom urna lnja le fa-
?endas, para negocio de m ijiteres-o. e com elle,
tratar sibre bens que Iha part-ncmn oa fregiifl*
jia de S Juliao do Callendario em Purtutal; uuem
tl'elle poder dar noticia, ou de seus herdeiros,
queira diriii'-se ao eseriptorio de Prente Vianna
A C. ra da Cade n i>7.
TVTTIiCAO
m
Na luja do fuaiiaria da pona larga ra da
mperatnz n. 6J5, tein um grande sartimento df
immtfwriB elamparinas para saz, de lindi s gotns,
e obras de fnnileim, tendo 1 santuario de -gusto e
lioin acabado, assim como vende bombas, turnei-
, etc., e encarrega-sn da encanaqao ifagoa par*
qualquer casa, 011 o tabetecimeiuo, tambem venlf
um bonito-e'mndt'rn > fojo inglcz. nao ? cozinha
eom lenhn cinw onirro rarrao. Na mesma hq'a
eoucrriam-so todas a* ubras de encanamento ^
machina do costura, asseverando que acharao
etnpre promplo a servir bem os sens Ireguezes
a tratar na mesma l'ija a qualquer hora, qu8 ser
altendido.
O lestanieiiteiro do fa I lindo subdito franre
loo Vignes, convida aos llevadores do tinado a
.ildarein seu< dbitos amigaveimento,do contrario
serlo 3juiz3dos setn excepeo algn.
CASA DA
Aos 4:000*
Bilketes araiLtidos.
\ roa do Crespo n. i'.] e casas do costom'.
O abaixo assignado. tendo vemlido alem 'lo nu-
tras surtes, dons quartos 11. 32*8 eom 4:0O0 da
Meria que ^e acabii de exirahir a beneficio da
reja-de No<-a Sonliora lia Soledad*- do Recite
I coitid* ana possintrcs* a virem receber
!(or(i.lade do cuatuiue son descont algum
ofcam-ae a veida ns bilhetes^a I' parte da
brS*eni|lieiQa ifivjj-de -Nii^i Senhora do
Guaelii|M do Olina (lil1'), que se extrahira =ah-
tiadd t;{ *j corrale mee.
Prficos.
Os do-cosime.
Manoel Martms Fiuza
IiOJA
DO
GALLO VIGILANTE
la d Crespo a. 9
Os proprictarios deste bem coiiliectdeestabe>~
cimento, alm dos muilos olijectos qae tinrjam ex-
bostos 1 ajifeciacao do respeitavel pnbKco, nn-
daram vir e aeanam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finas e mni delicadas especialidades, as qnaes es-
tau n;.;'j|vidos a vender, como de sea costume,
por precos rauito i.aratinlios e commodos para to-
dos, coiii tipto quc/o Gallo....
Mito superiores Invas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mu: boas c bonitas gollinbas e punhos para se-
uhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos.e riqusimos onfeites para caberas da>
Exmas. seuhoras. v
Suporioros trancas pretas c de cores com vidri-
Ihos e sem ellcs; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
Qiarfim, sndalo e osso, sendo aquclles braucos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Moito superiores meias fio de Escossia para se-
uhoras, as quaes seinpre se venderam pdr 301000
a duzia, eulrc'anto que nos as. vendemos por 20.
alm destas, temos tambem grande sortimento de
mitras qualidades, entre as quaes algamas muito
finas.
Boas bengalas do superior canna da India c
castiio de niarfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desojar ; alm destas temos tambem grande
3uanlid?do de oatras quididades, corno sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos o airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades. ?
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Roas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 anuos de idade.
Navalhas cabo de martiin e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegijramus sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Boas baralhos de cartas para voltarele, assim
como os lentos para o mesmo fin.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos imgncticos contra as eonvulsoes, e
faeilitam a denuedo das innocentes enancas. So-
mos desdo muito recebedores destes prodigiosos
coliares, e contintaraos a recebe-los por lodosos
vapores, afim de que nunca fallera no mercado.
tomo j tem acontecido, assim pois podero aquel
les mo delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigifante, anude, sempre encontrar deste verd 1-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao app|cjdo9, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista doscbjer.tns que deixanv
declarados, aos uosso freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gall
vigilante, roa do Crespo n. 7.
A VERDADE
3oRuado Queimado__5o
A VKROADE trndo em deposito grande
quantidade demiudezaae pe funiaiia^. ede-
sejando apurar dinheiro e adquerr boa ft"e-
uezia est rssolvida a vender niuitis|ino
barato, ; por essa razao convida ao resjei-
tavel publico a vir competentemente roupi-
do a sorlir-se do borne barato. Pois qiuo-
do a Verdadc apparet, tudo mais dfis-
apparece___
Grande sortimento de boneros de cfa t
massa as mais lindas possi veis vestidas a'ca-
racter.
Abotoaduras modernas para col
letea .......
Espedios donrados pepnenos.
Agullias de osso para crox a .
Pentes para regae rom caulas a
Ricos globos para candieiro de gaz a
Chamii's a.......
Grande sortimento de objetos de
lotiea pasa brinquedo do menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida votdadeira a
Dita com dita dita a .
Frasco comoleo de babosa a OO e
Dito com agua de Colonia a JOO e
Garrafa com agua divina a. .
Frasco com exilados linos a .
LaUs pequeas com banh i muito
lina a 1%*' e......
Sfemeles de diversas quali lades a
80, 160.2106. .
Finas escm'us para denles de iOa
200
.120
320
800
io
16Q0
720
JPO
14300
1*000
D50
32v;
COO
Resta venda um escolhido sortimento de ob
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
sarand. mogno eamarello, obra nacional e estran
a* ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesm
jasa fazem-se com perfeieao todos os trabalhos d
jaihinha, como sejam, empalharaentos de lastro-
mra camas, cadeiras e sophs.
' Vendem-se diverxis escravos pcea-, proprias
pa,ra armazem ou engeiih, vindos do Car, as-
sim como algumas escravas com h; bilidndes e sem
ellas : na ra da Cruz n. .Vi, 3o andar.
DE JOIAS
GOMES DE NlinOS IRMlOS
tendo feito completa mudanqa em seu antigo e
acreditado estabeiecimento de jolas, com o fim de
dar-lhe maiores proporqoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
&tts. de bom gosto a comparecerem pesstflmeiite
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUGA H. 4
oncte encontrarfio irtn Pornpleto serrtimerrto do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se ptWle destejar.
ftOEREQOS i* BRILHMITES, ESERbLOAS E RUBINS
de novos gostos, ;t*im como grande variedade de salvas e paiteiros de
prata contrastada e de gosto aiuda nao visto, e completo sortimento ofejectos de prata pfera uso das igrejas,
Compran a trocam qualquer jota ou peda bfeciosa e aarantem I
aqualfdade TRILHOS URBANOS
DO
Becife Apipucos.
, Por ser a wtnal cibelta im'sinveninte a partida
dos treas, do dia 7d* eorrent.- em gulada.por urna tabella nova, i|bo nodo ser pro-
curada as estafes dos Recife, e das ofllcinas
desde j.
Hitriptorio da companhia 3 de novombro de
1869.
W Rawlinsoo,
Gtvmlf:
hO
J
32 Ra Nova n. 22
Machinas para costuras
A este acreditado estalielechiienlo, die-
go, um riqnissimo sojiimefcto de machinas
para costura, de todo os auctures; as
quaes se acharo em xdom;2o no mesmo
ostabelecimenio. O^rogresso destas ma-
chinas maravdhosul o seu semen equi-
vale ao du 3o costureiras diarias I! Os
seus trabalhos sao pespunto, bordar, fran-
zir, e outFas tilintas qualidades do costura,
como se pae ver no mesmo estabeieci-
mento
Garante-so a sua boa qnaiidade, como
bem o concert de qualquer machina quan-
do seja preciso; e tambem se manda ensi-
llar, at que a pessoa esteja bem pra-
tiea.
Lindos roques modernos a. 2#KKi
Pavio8 para gaz, duzia a 240 e .
Escovas para tacto a 5i 0, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolho a i'O e.
Brincos de cores, bonitos a 1K0 e
Pecas de tranca de 13a com*
varas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Pennas d'aco finas caixas a 300 e
Dita d'aco Perry, caixa a. .
Galao de algodo peca t .
Lindos habadiuhos c eDlremeios
peca de 500 a......
Diios de louca muito fino a 120 e
Ditos pata calca a D0 e. .
Caixa com papel amizade a.' 4
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obrcias a.....
Caixa com agulhas fundo dourado
Ditas do ditas ditas a. .
Thesoura para cosluia a -lue
Caixa com linha de marca a .'
Linha de c&res em novellos (li-
bra) a........
jarretis de linha Alcxandre de 73
at 200. .,,....
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a......
Carlas portuguesas, duzia a .
Ditas francezas a 2jl200 e .
Papel almai;o e de peso, resma a
3f5iOO, 86300 e ....
.,5a muito fjna para bordar, libra
Fita de algodJo para debrum de
sapatos, peca a .
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes Gnus para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 210. 320 c......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a
Tranga de lila decaractd peoa'a 40 e
Fita de coz peca a 480 e .
Alfinetes du lat*o a. .
Sapatos de la para enanca a 400e
davala de sedas de Tores a .
Clcadeiriis a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de. borracha por
100 ris I !! I!!
Na verdade na do Uueimad*
n. ...
Theatro de Una
Heposta
O auonynvi qwe.t^ve a ine^uioha lmbran^a de
publicar as cidumna/ de>tc ctncruado Diario
n>4 docorrent sbreos pnrtiilaiw dsie theatn
e assi($io* prejndicadus talvez-aeja elle o v.-r-
dadeirn prej'-dimulo, 9 se oiwer pasar p>r
esiupido o-vil eaWimniadnr.-Queira declarar o seu
nome, ti'i* "e'B tUeatro os partidarios nada de-
v40* ela+M'ioa, V tjue.-lh" afirma
O imparcial.
Joaq^im Pereira dos
Santos
letele <*t* fcitfih" CoHnf .W:*ia jivm-bb com
urgencia df s>> Itie fallir a nepf rio de seu interes-
I so,'4aia-4a>lla Isa delVo* n,- *6t
320
700
500
240
200
80
600
16000
I 00
400
HoOO
200
240
700
480
40
280
160
,100
280
500
toe
toe
:)00C'
465)0,.
50C
60
t8(:
390
500
400
100
100
560
100
800
20(1
. 80
Bichas Itiuiihurgiitzas
Ra da, Cadeia n 51.
Neste novo deposito n-rebe-se pnr todos os pa-J
miele* iransallanlicis, bichas de qualidade supe
riiw ; vende s> em caixa o\i purc'io mais peniien*
e mais bacaln di, uiie em qual|Uer oulra pane
iiniiua da Cadtia n. 51. Io amlar.
A PBELO FIXO E MDICO
NO
Vende-Mi upia carien* para es npjoriu
ra larga do Ronari" n. 21. leja de calcado
na
COMPRAS.
1^ Compnim -e moedas de our o priita de to-
jo* os valores, ouro e |>rat3 em libra? mirtri*ada*
orillMmwseiruiS podras 511.-: na loja de
Mirives do arco da ftmretcTi', m Kecife.
Omuzeo do joias
Na ra do-F-iuij a. 4 oompra-so ouro, prata
* p*aras-Vreciosa.*piir (iremos mais vantajosos d\>
^ue em outraijual|uer parle.
1-------------------------------------------------,.. 1. 1--------------1 1 1 :. 1 1'
P.Mii 'IJBVf 'tLm
(HIBUIM
Para quem qaizer tar um r> B'hiueuto de 85
a i'<4 por dia.
Vende-se um sitio na estrada nova de Beberihc
com IOUO.pab110-.de frente .1 1.200 de fundo,
maior parte de-d terreno-ti plantado de catim,
epor-bi ttma peulmicbn para quem o preten-
der : a tintar an ra larga do tWsrio n. 22,
'i*- '. V .._________yj
Bnrea;a para vemler.
Urna barraca do 4B caixas para vender, em bom
estado, quasi-nuva, ruin U>d orden! : difijam-se agencia geral u. 21, praea
do'Corno Santo. ______
Vendeiue quairo wirran le t8, 20, 21! e
:I0 annee, l->da- com habilida^tes, um bom prelu de
!0 annos, que lamben coonna : Ba ra de Hurtas
11. P6 __________
*
Compnim-se a"Silain se di ^^dentrl>,^liir^>r''^'SBJa osefavos de l'das ot idadn.
fes e sMW>, com tantiiniiue sejam salios : BJ
'eitciro andar oVwanlo n. 36, rtia dw Cnues.'
fr-imezi de Sa
UMSilHlto
>m.
Hniiedas de oun1
raco de Ouro iy i
Hiaior- ^fffi^tmu,,
i ; na loj* de jotas do G>-
ctanraiiM*!!
fiia d
-
'lUnjra.
'w
WHMW
4
Linda ra*as tr.m*m c nrgai..ls (! cores, pelo birr-li^imo pr.ro 1H 50r r*. ir>mMiw/<4|hr^rr*DtMlde #'3S0
ft^ vado: oa ivj as Coliimtias, ia ra do Crespo n. 13, de AdIobo Cortea da Vascoucello '
Omiiira ii-**^*IjIas d>
SiSH.n 7
II. U eSAOX):
*
_ Vende-se a inlwrn* *Ur 1U Palmeiia: 11
ra da Palia.n. 37. ^^^^^^_^_^^___r^,^.
Tflcivurio
Vwnte.se mi na ra d 1 (/ VeiKb-.-e u.in >u tala pania cozoiheira e en-
ptmmadeira, ada e >n deteiloa : a tratar na
padaria fianceza. ______^
dua escravas, .mdo uoi 1 muala de bn* (tura,
de IdadedUmmos "S"*11 ate.eng.rtiv.iaCejra. e>r
linhebra, e a natr de t anno< tamhwn do boa
llpnra eit.mi p> ioeiido de b^bflida les : na nal das
TndrMfafi-ik.' aMar.
Ena Nova
ESPKLHOS em qiiadros dourados de '/ lh
'A V1/-1/. a rtwia 4*000,. 2(^00,
4tM, i&0ii e 1^300.
LAP1S finos a j?roza 25200, 2*600,34CCO.
34(iO e 45500.
DITOS com cabeca de osso para carteir*.
a groza458t'0.
DITOS muito superiores para carpina groaa
2dHO.
DITOS muitoi finos com duas cores ajgrqza
14(MKi.
FIVELLAS 4'aco pulidas e envfriuaadias
para calca e collete a groza 1^500.
OCULOS aro A'sco. vidro de grao a dniia
:idiO. 5*1,00 e 9,JOOO.
LUNETAS OU 1'LNl.IiNEZ idm idera a du-
zia 95000.
E muilos oulros artigas qu^ s6 coma
vista podem ser apreciados tantonas qua-
lidades como nos resumidissjuiys, presos
,por que ludo vendido.
Alm dibtu az-se os anatmnt a ratlo
seguinte:
Comillas de 505 a 1005 d*wnto *%
de Ki05 5005 M V
de 50(b para rirn 15 V
PAGAME-VT0 BEAUSAOONAalEfflliyOAm
em letra de 30 das meos* -V*7
< em de 60 t ?U
Jnxfidp Snnza Snnres Cabriolet.
Vndese ui^cabridet de d-ns e .maten assen
1 .s, o que ha d<" nalhor -iiMUte (pum-m, oun bmi.
. ava-lbfl ativios, ..u s.m elle : na ra de Sanl.-
\niai". i- ..di--irt T*i"i"ar I in_______________
Ginipra:m ala-rmn pepena d prilra <
cal, na(ipinira Mi-Miir ^uaqier Intra'r prt
do Reci'e, no pai*' do Parala, n. 8, se Jira quem
mpra.
LILJJJU____Lll__L-l__L J-JLJ-g
afe
______
V'NBAS.
_a_____.Uil---------!' --
----
-"F.'^irfljtMM'wfi.b - ||^f, pacbiiK-ha : "a f.oa '" H *>* >. *W_______
rniW nrprioJ iara tArratja e tlta'e< : vertUMn-w
rum n. 91

. 1
PIT^3_E.S
DE.VALLET

rttnii*- Waiirt. aoprovada pela
AtuoVmi- iiniwrial de uMs-kc-ia da Paria.
saA lii^nvaiU iwm o manir _g|^^
es.i ;!, ir-r a Hiloraat, '
e fortii-ar a cuusihk-N.,
fiara Nunca esle ternui-
ih.so wnifjiivie o> dente.. ^^^^^
Para a garanta da sua teK'enlirid.daJ.
n niw do Mtimier vai^fav__o em .a-Ur
_i"_ite cwi<>!ranrenr.
. ai.. Cm-J.BB... ilf$irtmUt; _**__
""" I l'i ,,.. II, >rr. '>
Vend.-s_|i.,r infaus a^M:|B>l<)Jh_k#-
daeasa da l.Uwa do. V;tfdr, e,iu Ot,idi, n. 18,
que f,.i do* beideiros de Joaquim ler.viymo Serpa,
(taanimdo-se adiarse dtwembaranida : a iralar
lar com o ledoeiio Martins, ra do lupd.ti-n-
inoru 16.
A ruado Lfrraimmtn-B..1Lfla^tnn ->*
ver para wnder por -fr*cH wmpfr*'-*
iaeilMH vjumv vwda'-pk-ibi'itiiiiiii^M**'-
(ii.H'.-*Ui. ________^ _______
H. liara van-ler- e nra* j__.f**5__**^!'
.os d- idacArt|Bf f k*--'B"
rila do H-^oici" -~~
,,_< i trian- : a -*-*-. ** |f^rie-
larto no uiel do Cabo.



~p

Diai;i)e3feB ety/m&WW. -tf,
1-------- ~
LIQUIDACiO
O proprietario*do armazem ilc fazendas denominado AIUIU, ra da Impera-
triz n. 7_, declara ao respeitavel publico eseus frogiipzas, que est liquidando todas as
fazendas c roupas feitas quo tcm cm sou cslabolecimento como so poder ver no sea
mnuncio c preco ahaixo mencionados,
Chitas fra acaza? 111:11! izadas a Algoilao entestado OOO rs
:i0 rs.
Vende-se chitas francezas escuras matiza-
das a 320 rs.o covado por este preco sna
toja da Arara, ru.i da imperatriz n. 72.
LAZINHAS A 240 RS.
Vende-se ISazinlias para vestidos de se-
nhora a 210, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
. BARBGES DE LA A 500 RS.
Vende-se bare-ges de 13a com listras para
vestidos de senhora a 500 c 610 rs. o
covado.
Alpacas de listras a &OO rs.
Voae-se alpacas de listras para vesti-
dos de senhora a 500 rs. o covado.
CHITAS ['RANCEZAS A 28 RS.
Ven lc-so chitas francezas claras a 280 rs.
o COViido.
cortes di: iaa para vestidos a
uwb.
Venda-so corte; d Iaa para vestidos do
senhoras a _->M)0 cada um,
PERCALES A 440 RS.O COVADO.
Vende-se percales murto finos para ves-
tidos de senhora a 440 rs. o covado, mur-
solihas brancas finas, a 500 rs. o"covado,
brillantinas do cores, a 440 rs. o covado.
Uales modernos de todas as
odres.
Vende s1 hales moderno sbranco c de co-
res a*& 10300 elf.
COBERTORES DE ADGODAO A I "00.
Vende-se cobertores de algodifo a I 300,
cobertas de chitas a IA000 o 2. cada una,
GANGAS PARA CALCA A 320 OS.
Vende-se panga para calca a .*I20 o cova-
do, brim de cores para caigas de hamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
odres para calca e palitots a 2^300 e 3 ?,
o covado, molas casemiras enfestadas para
calcase palitots a 1# o covado, brim pardoj
de todas as qualidades e brim branco do:
todas as qualidades na ra da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 040 rs.
Vende se alpacas de cores lizas linas a
040 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLO ENTESTADO A 3?300.
Vende-se pecas de madapolo enfestado
a *V>500, pecas de madapol3o inglez de 24
6*100,70, 80 o 105 a peca.
Vende-se algodao enfestado proprio para
lenros c toalhas, 900 rs. o metro, dito
trancado a 1,?, metro.
Chales de merino a 2.%.
Vende-so chales do merino estampados
a 23, chales brancos c de cores a 1,5000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A. 640 RS.
Votide-se uma grande porco do cortes
de brim Castor para calca de hornera, i 640
rs. cada um.
Grande porco de retalhos
Vende-se grande porco de retalhos de
chitas c cassas prctas a 160 o 200 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, la o chitas de
cores baratsimos.
LIQU1DAM A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 2*.
ditos de alpacas de Ves a 2->, di'os de
meia casemira a 2$ e 300. ditos de pan-
no preto bom a 8/5 c \0$, calcas de algo-
dao aznl para cscravos a 640 rs. ditas de
algododo listras a 800 o 10, camisas de
ciscado de listras a 800 rs. cada uma, cole-
tea de brim c fustao de cores a ifie {500,
coletos de cesemira de cores a 2*500 e 3*.
o outras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por haratissimo preco.
Algodt de listras a 900 rs.
o corado
Vende-se algodao de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 4*.
Vendem-so pecas de algodao 4*000,
5*200, 6*000 e 7*. para liquidar.
anies de arcos f 500.
Vende-se bales de arcos pan senhoras
pelo haratissimo preco de 1*500 cada um,
Cortes de cmbrala barras
a 3&000.
Vndese corles de cambraias barrsa a
2.$ o 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 1*.
Vende-se carteiras para viagera i*
cada uma.
AS IVAS SEDAS
11-EUA DO^UEnTADO-ll
Chegaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto & C. ricos
cortes das mais linda sedas do mimosas cutos para vestidos proprios para bailes e casa-
mentes.
Grande variedade do sodas do lisjras de diversos procos todas de lindas cores,
gorguro de seda preta, e grosdenaplc de varias qualidades e gorguro de seda la de
d,flerentes cores.
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas colxa? de sOda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
cmibraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.eelegantes sombrinhas do solas de cor para senhoras.
Esparlilhos de 5* at JO*, lindos bournons do cachemira de cor para saluda
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco o preto para senhoras.
Grande variedade do camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Soitimento de muitas fazendas de la, linho c algodao todas por precos muilo
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pec,as de tapetes o de alcatifa para
forrar salos tudo cm quantidade; e venden sempre'por menos que em outra qualquer
pu-te.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
do
al-
j ardas a <>>,
72. Ra da Imperatriz. 72.
LIQUIDACO
NO
Lourcnco Pereira Mendos (taimarles, proprietario do armazem de fazendas
denominado GARRALDI, tem a honra de participar ao respeitavel publico que tendo
rectalo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a fasta, estando a espera de
novas encommendas que deve estar aqui at o dia 13 de novembro vindouro, e vendo
que alo tem tempo antes do bataneo de vender tantas fazendas de cncomuendas p >r
uso resolveu fazer uma liquidacao para ver se d maior, cstracopor issoem vistas das
lircumstancias vender tudo mais barato do que em outra qualquer parte, na ra da
'TlSoLAo' ENFESTADO A 3*300. I CHITAS PRETAS A 160
Vcnile-se uma grande porco domadapo- Vende-se uma grande porcto de chitas e
lio enfestado de l jardas a 3*300, assim cassas pretas em retalho a 160 o covado
como p-c-as de madapolo ingleses de 24 tambera tem retalhos de chitas e la de c-
janlas ou 20 varas a 3*, 3*:i00,6*, 6*500 res que se vende barato.
7*000. 8*, 93 c 10*000.
Corpinhos a 200 rs.
ACHINAS americanas do serrote de todos os tamanhos para descansar algodao,
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
dACIIINAS ditas, iambem de serrotes e de todos os tamanhos para dcscarocar,
godo do autor New York Cottorj Gin.
MOHNAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
CACHINAS ditas do Roller Gins, do cojo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
VIACHINAS do faco do fabricante Platt B. C, Obhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade o as melhores quo tm
/indo ao mercado ; o para a sna apreciaco convidam-se os senhores agricultores *
irem a exposico das mesmas na ra da Calda do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
mcontraro mais o seguinte :
Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
lebolhadores para milho.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
!arrinhos do mo.
Machinas para cortar sapim.
Cannos de chumbo,
ambas de Japy.
[titas americanas,
l'elhas de ferro galvanisadas.
j'olhas de zinco Anas.
Citas de cobre e lato.
Ferro de todas as qualidades.
Vrcos de ferro,
"blha de Flandres.
V'achados americanos.
?ac5es ditos.
'alaios e cestas de verguinba.
v'assouras americanas.
j'olles de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
jTrens completos para cozinha.
"Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinaces.
Azerte de esperraacete, proprio- para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
Gangas para eal?a a 3SO rs.
Vendem-se uma grande poreo de gangas
para calca de honv m e menino a 320 o
de castor para calca a 640
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vuiide-s pecas de cambraias victorias covado, cortes
Gnas a 55500, 6* e 7*. Brilhaotina bran- cada um.
ca fina para vestidos de senhoras a 500! Brim de cores a 400rs.
rs. o covado I Vende-se uma grande porco de duas
ALGODAO A 4*000 faces para calcas, palitots e colletes de ho-
Vt nde-se uma grande p rco de algulo mem e menino, fazenda inleiramente nova,
todo de r,oa qualidade e 4*. 5*. 6*, 665 0. Brim pardo liso a 5(.0 rs. o metro, dito
1&. e 8*. a peca de 20 jardas ou 2* | trancado fino a 800 e 1*000.
Grande liquidaeao de chapeos
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
pequeo defeito ae 3*000, ditos finos
de 12 astes a 4*500, ditos dn seda finos
do 8 astes a 7*500, 8*000, ditos de 12 e
16 astes a 10*000, para liquidar.
varas.
AMIREM-SE DO QUE E' BARATO
Chamalotes a 560
Vende- para vestidos de senhoras a 5tto o covado.
Alpacas lisas a ftOO rs.
Vcud-.-so alpacas lisas para vestidos de
cores, para senhora, a 50i rs. ditos matisa-
da> finas a 720 o covado. Ditas lisas mui-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
V--den-se urna grande porco de cortes
de percales de duas saias para vestidos de
senhora, de mnito delicados gostos com
16 V covados a 6* J50O0.
CAMBUMAS LISAS DE CORES A 600
Vende-se uma grande porco de cambraia
lisa de todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
Orgabys modernos a SOO rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
vestidos, de duas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
cores a 280. Ditis matisadas escuras a 3.0
ditas escuras escocezas a 3K0. ditas aleo-
xoadas a 360, Atas garibaldinas a 360 o
covado. Sortimento de chitas como tem o
Garibaldi ha poucas lojas que compilara.
FUSrOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
V-ude-se fusto de cores para vestidos a
400 rs. o covado.
COBERTORES A 1:400
Vende-se cobertores de algodao a.1*400
cobertis de chitas frita a 1*600.
Chitas para cobertas a 4 rs o
covado
^V^nde-se chitas francezas para cobertas a
25. 320. 340, e 380 o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vende-se cassas franwzas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
a*sim como percales finas para vestidos a
440 o covado,
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias croas para homem a
3*600, 4*. 5*. e 6*000 a dusia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 35500 e
4*000, ditas para senhoras e meninas a
3*500 4*, e 5*, a duzia.
BVLESDE ARCOS A I:u00
Bales de arcos a 1*500, ditos modernos
a 4*000.
ATTENCO
Tem-se para vender uma grande porco
de roupas feitas de brim ede casemira, de
todas as qualidades nao se menciona por
^er enfadonho, garante-se ao comprador ven-
der mais barato do que em outra qualquer
parte, isto s se pode conhecer com a pre-
senca do comprador e a vista da fazenda
que se pode conhecer como est liquidando
por barato preco, o general Garibaldi, ra
da Imperjtriz n. 56.
Chales de merln a t0O0
Vende-se chales de Merino de eores es-
4TT11SH LU
lrande armazem de fazendas e roupas leitas roa da Inperalri?
n. S2, porta larga, d& Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico ura bonito sortiraenti
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3*. 3*500 at 6*. Ditos d<
raerin, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 5*. 6*. 8* e 10*. de panno pretc
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
(i do cores de 3*500 a 5*000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 4*. 5*. 6* a 15*. Colletes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodao e de linho dte 2* at 5
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodao, de linho e bramante a 2* e 2*500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a tolos os precos. Meias sortimento completo a 3*
4* at 7* a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encomraenda tanto para homem, como
pira meninos, e com brevidade, por isso qu tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e ootras muitas fa-
zsndas.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 1*800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poilde-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 1*200.
Basquines de guipure enfeitadas a 18*000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 c 360 rs.
Madapolo fino a 6*500, 7*, 8* o 9*000.
Algodao peca com 20 jardas a 4*500, 5*500 e 6*000.
Peca de algodao largo a 7*500.
E outras muitas fazendas- que ser enfadonho mencionar Cheguem i roupa
feita que se est liquidando na loja ra da Impieratriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LEAO da porta larga
DE
Paredes Porto.
V- nde-se" grande porco de corpinhos a' lampad. a 2*000. ditos' l> ^dm.ii-
*i40p,q3o 20 e 400. J08 estampados finos a 5*. 5*500 e 6000.
Machinas vapor de
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rgar algodao.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar car*as.
Fogo americano patent
BRA-CO
Scbonete de alcatrdo.
DI
Antonio Nunes deCafctro.
Este acreditado preparado, que ti tot
ai ceitaco tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura ceru
das impigens, sarnas, caspas e todas a>
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Rartholomeu i C,
34na larca do Rosario34.
Vende-se ama casa ierres n rua da Conoc-
er> n. 19 : a tratar na roa da Aurora, o. 132 A,
aun o afate Euzebio,
Rna do Imperador n. 26
Neste estabelecimento se encontrar diariamon-
e um completo sortimento de pastelaria de todas
s qualidades para lanche e sobre-mesa, etc., etc.,
)olinnos de todas as qualidades para cha, presn-
os'de fiamhre, bolos inglezes, padins, e Analmente
indo que consiste em urna boa pastelaria, com o
naior asaeio e esmero, cha hysson, preto e miudi-
nho do raelhor que ha no morcado. Nesta casa
(ecebem-si* encommendas para casamento?, bailes
rbaptisados, compremettendi>-se os donos do es-
a belecimento a ser ir o melhor que for possivel
a voDtade do freguez, dispondo para esse ilm de
um eomplelo pcssoal. Reeebe-se avulso toda e
lualqucr encomraenda, como sejam, bandeja*,
bolos e paes-de l decorados, doce? d'ovos; seceos
> de calda e crystaJisados, (metas nacionaes e es-
iraogeiras, amndoas confeitadas, um completo e
variado sortimento de caixinhas de todos os gostos
a precos, para mimosear sentaras; estas caixi-
nhas recen temen te c negadas do Pars, sao de pri-
motedo'go to, offerece mutas aos galanteadores do
rteff sexo, pois Deltas aeaario um digno e serio
presento para as donas de seu< pensamentos. lico-
reij'inhi* finos de todas as qualidades, conservas
lamamos em latas. Os donos deste estabelecimen-
-snio se poupaudo dopeus, (azem lodosos
.tonos para servir o respeitavel publico o me-
t or que for pnssivel, e sendo principiantes e lu-
eaodo com todas as difflculdades, esperam a con-
orrencia do respeitavel publico desta capital, na-
ion? e esirangrtros. Pechineha : legitimo vi-
ibo muscaiel em caixas, que ae vende por commo-
lo preco para particulares e para negocio. |
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na
va 1re de Dos n. ti, armazem. de
Martins de Barros,
da
Joo
=3C
49. 27.- OLI\
siliaOB P(
que sepoae h icar m
Grande c completo sortimento de machinas para
descarocar algododo nova inven cao cliegadas l-
timamente em direitura para a loja de Manoel
Cento de Oliveira Braga & ('.., na rua Direita n.
b'3. Garante-sc que a melhor qualidade que at
o presento tem viudo ao mercado : acliam-se cm
exposico aos compradores as do 10,12, ti, 10,
18 o 20 serras.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
grammos do melhor compreheusao dos qno tcm
vindo at o presente, assim como mareos de latao
at meio grammo pelo rnesmo systema, balancas
do latao de forga do a a 20 kilogrammos, metros
de madeira e de lato para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas e ferragens de
todas as qualidades, tudo pof precos quo s a vista
faz crdito : na rua ireila n. oit, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga dt C.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Ditboucb d C, em
cognac uma das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. rua do
commercio n. 32.__________________
MZARMVERSAL
* Rua Movat
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se ura completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dera por precos comraodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposico servicos a electos para alrao-
C0 e jamar, salvas, bandejas, laboliros, bol-
sas e malas para viagera, indispensaveis para
senhoras, eandhiiros para sala eeima demesa,
paredee portal, mangas, tuboe globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, di4a6 para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bereos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balance
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comid;, brinquedos para criangas, um
completo sortimento de cestinha, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janefla o porta, capachos de
Sparto e cco, objeetos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encootraro
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar^___________ ______
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster e
_, rua do Imperador, um carregaraento de ea;
de primeiraqualidad*1; oqual se vende em partida.'
e a retalho por menos preco do que em oatr qnal
quer parte.______________________________
A NUICi
Leja do miudezas do FERREIRA DA CU-
NHA < TEMPOBAL, esto quintando por
todo preco venham ver o quo bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de 210 a 1 >.
Linhas em novellos do 400 ardas a
60 rs.
Pecas de tranca de todas as cores a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 2,500,
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto ICO, 320, 500 e
640 rs.
Ditos com banha 320, 500 e #^200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portuguezas a 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folbas a 240 rs.
Linda do 200 jardas era carretel (duzia) a
1,5200.
Lindos port-maini"' 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320 e400 rs.
Duzia de meias inglezas muito linas a
3#8O0*
Ditas de ditas para senhora a 4500.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina t300.
Frascos com sndalo a 1200.
Pecas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pentes brancos Anos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 10500, 20000 e 30000 ao par.
Jogos p^ra vispora a 200. .*40 e 320 rs.
Linba de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado era seu estabelecimento bo-
nanc/a onde contina a vender
pelos baratos preeps de seu an-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanza.
Rua do Quelnado n. OS.
rmmum mmmt& -ais
Attenpo
Na praca do Corpo Santo n. 17, i
andar, vende-se mais barato do que em
outra quatquer parle cal de Listjpa e
4>iitassa da Russia da mais nova no mer-
cado, assim como vioho Bordeaux de su-
perior qualidade em caixas e garrafas.
liarais,
iVRAMfiWTO N. 27.
nio vende-se seltns4e
sill_Sj (qualidades do melhor
que^epoTin__ReaFno paiz, assim como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, travicciros, caijff-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. 0 proprietario deste esta-
belecimento garante a pontuahdade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; portanlo pede ao
respeitavel publico sua proteceo, queaffian-
ca vender tudo pelo mais barato possivel.
e por menos do que em outra qofquer
parte.________________________]_
3 cordeiro previdente
Rua do inclinado n. 10.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objeetos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objeetos, superiori-
lade, qualidades e commodidades de pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Providente pede
e espera continuar a merecer a apreciaco
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando ello de sua bem conhecida mansido
s barateza. Em dita loja encootraro os
jpreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
eza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservac do
asseio da bocea.
Cosmctiques de superior qaalidade e dtei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, cem
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
i outras qualid-des.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em fraseos simples e enJeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel che-
"o de violeta.
Outras concentradas e de cheirea igual-
Tiente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade.
com escolhidos cheiros, em frascos de diffe-
reutes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para- mos.
Ditos transparente, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos era caixinha para barba.
Caixinhas com bonitas sabonetes imitando
fnietas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem d Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
o boneca.
Opiata ingleza e francsia para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kenp.
Alada mais ceqnes.
Um eutro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes cora filets de vidrilho*
s alguas d'elles ornados de flores e fitas,
osto todos expostos apreciaco de quen.
os pretenda comprar.
GOLUNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Flvellas e filas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objee-
tos, cando a boa escolta ao gosto do com-
orador.
Bartholomeu & C,
VlNHO, PlLULAS, XAROPE E TlNTURA
de jurubeba simples b ferruginoso
Oleo, Pomadas Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEU & C
Pharmac 2 uticos-Droguistas
PEH14MBLCO
A Jorobaba : eala planta boja recoabecida
como o man fderiao tnico, como o BMlbor
desoblruenle, e como tal applicada oot ptilecmtMM
do ligado a baco, nepatites, duresas, tumores iater-
dos e especialmente do otero, hidropesas, erysi-
pellas, etc.; associada so farro til as paludas
corea, chloroaes a falta de menairaacao, desarran-
|oi do eatomago, etc., a o qna diaeass alleatio
mnnmeraa cora Importante obtidas 001 domo*
preparado j bem eonhecidos osados palos saaif
distinctoi medico do paiz a Ponagal. En lodos os
nossos depsitos distribaiaos gratis foliotes oot
melhor fasea eo-baesr a Jambaba seos resaltados
tapplicacaa.
8
8
S
8
orna vacca de leite per prey) CQ(p_iodQ ; na roa
da Crui n. 13.
VERDADEIRO LE RO
de SIC.V.RET, patlsar-MdecO
Ru do Soino, Ot, *. PAIUS,
En cada garr. que lira oacu s.ntte, um rotulo imprnso
rallo coa sillo lariaiu do cot** f W's_U-
PmM, tflld-iei
f.tn-^-> a. amjfraawossa,
r3*s.sx__i
n illpa nV #a
so aii a imajpiaa-at
d'ialiMia>_|Ds(
,
!
gsW


Diaria t; Pernanibtico Sabbado46 de Novembro d' 1869.
7
=
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DE _,
FEJLIX PERKIBA 1*1 SlftVA.
** $tttMA6
Assucar de oxido de ferro de
Chanteaad.
0 auucar fe- ruginoso deClianteaiid 6 obtida,
pela associacjio do exido da ferro tuitivamente so-
luvel com o assurar cuidadosamente purificado.
Este assucar, de una bolla apparenria crystalina,
tem o iroples gos!o mu agradavcl do assucar,
sem o menor sabor adslringoulo : uio tem aojan
irritante sobre a macoca do estomago e ente? tino?,
e rpidamente absorvido pelo appiicilio digest
vo sem causar as eonstipacfrs do ventee.
E' hoje o preparado de Cirro do mais nceitacao
para a chloroso atena dos ergio, perdas brancas
menstruaroes dilflecis, etc., o tem i seu Kvor o
juizo autorisado da escola de medicina de Taris,
e dos chimicos os mais nota veis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartbolomou & C, ra lai ga do
Rosario d. 34.
----------------------------------------------------------
O proprietario (Teste grande cstabelacimento, vendo qno so est aproximando o fin"
do anno, e tendo etn ser um grande deposito deposito do fazendas; nao fallando em
avultadas encommendas que lhes esto obrigado todos os dias, tem resolvido liquda-
la por preco muito mais baratos do que em outra qualquer parto ; so com o flm
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVO, avultado sortimento deiazuidas de luxo e modas; assim como de-primeira
necessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja podero surtir-
se vendendo-se-lhes pelos procos que compram, m casas inglezas; assim como as ex-
>ellentssimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ba levar pelos caixeiros da mesma loja em snas casas; o estabelecimento se
acna constantemenlo aberto das 6 horas da manba s 9 da noite.
A AGIA BRANCA tom convicco de qnc a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante o completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitarao-de seus precos, estSo na op nio do respeitavel publico
em geral, e na de sna boa freguezia em particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da reeepcSo d'aqetles objectos que esto alm do commum,
como bem sejam:
A 000
Na loja do Pavo vendem-se modernissi-
mos chalos de fil prcto com lindas palmas
, de seda, pelo barato proco de 55OO,
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60 Pe chincha.
Aoha-se este grande estabelecimento com- BASQUINAS A 120000
rttetamente sonido das melhores roupas, Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
sendo calcas palitts e coletes de casemira, dems basquinas ou manteletes de guipurc,
dfl nnno, de brim, de alpaca, e de todas pelo barato proco de 125000 cada urna.
J Si? fazendas que os compradores pos- FOSTOES BRANCOS PARA VESTIDOS A
sam deSSiar. assim como na mesma loja
tem ura bello sortimento do pannos casemi-
400 RES.
Na loja do Pavao vende-se um grande
ns etc te. para se" mandar fazer sortimento de bonitos fostes brancos, pro-
rtualauer eca de obra, com a maior promp-1 prios para vestidos e roupas de mancas,
tid5o vontade d freguez, e n5o sendo assim como tambera para roupas de ho-
~ZT'\'. !-L:t- i,k nnanHn nao fateiam mens por seren de lavores miudmhos e
^^iS^SS^S,^ ban.arte encepados, e vendem-se .pelo ba-
3e vS estabec^l^^tr^-Q-i^F^^ 40 rs" }v,do T*
SSJTILSS. nmhniin sortimento de na loja n. 60 da raa.da.Imperalriz.___
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parto. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja o armazem de Flix Perci-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcao de cera de
carnauba em saceos por prego mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra ra Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
lomo sejam. casas francezas c inglezas, ahitos
pretas de todas as qualidades, fazenda de laa de
todas que tem viudo, proprias para luto, como
sejam, la iznbas, alpacas lavradas e lisas, cantao,
botnbazinas, merino, etc., que tudo se vende por
preco barato.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavao.
Chegou pelo ultimo vapor um grande snrtimen
to das mais Diademas e mais bonitas alpacas la-
bradas para vestidos, tendo entre ellas algumas que
azem a fisto propriamonte do seda, e vendem-se
por precos muito em conta.
AS CASSAS DO PAVAO
Covado a300rs.
Vendem-se finissimas cas-as francezas com lin-
Ana desenlio*,. cores fixas a 300 rs. o covado.
Madapolao francez a 7 $000 rs*
de madapolao francez
AS ALPACAS DO PAVAO A Ci RS. O COVADO
Vende-se um grande sortimento das mais" feoni-
t as alpacas lizas tendo de todas as core*, mais no-
vas que tem vindo ao mercado c vendem-se a iiiO
rs. ao covado.
ALPACAS BRILHANTES A CO
Na loja do Pavao vende-se as mais bonitas al-
pacas lavradinhas, tendo de todas as cores que se
vendetn a G'tO rs. o covado.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chcgou para a loja do Pavo um graude sorti-
mento das mais bonitas alpacas brancas lavradas
e de cordao sendo n'este genero o mellior c mais
lustroso pue tem viudo ao mercado, tem algumas
lo finas e fio bolillas que servem para vestidos de
noivas e vondomse por commodos procos.
LAZINIUS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Chegou para este estabelecimento um grande
sortimento das melhores e mais modernas laazi-
nhas para vestidos, sendo tapadas o transparentes
de todos os precos e quaiidadcs que se vendaui
mais barato do que rra outra qualquer parte.
APACO OU GORGURO DE LAA A 800 RS.
Na loja rio Pavo vunde-se o mais bonito alpa-
eo do cordao teud-i de todas as cores, sendo fazen-
da bastante larga a 800 rs. o covado.
COLCHAS DE FUSTAO
Na loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de colchas de fusiao sendo brancas o de cures
dilas iie croch para CMBM de iioiva, astu COflM
(lonilos damascos c la para colchas.
ALPACA OltA.NCA A 6i0
Xa loja do Pavo \endc so alpacas brancas lisa:
milito linas a C'iO 0 covado.
CUALES DE CHACHEMIRA A 65, IQ E
li-jOOO.
Na loja o*. Pavao vundem-se os m;i:
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, com os deseohos mais modernos, a 65,
Vendo-se pecas com 22 metros pelo baratsimo preco de 0C|.;llrz r, (i0
TARLATANA lM'^??S!U\S JO 1S.
Cbegou um grande sortimento de tarlata-
nas brancas e de todas as rres, assim
como lil branco liso e de salpico, que se'
vende mais barato do que cm o'.itra qual-
quer parle.
Alias navidades em sedas
Chegon um grande sortimento das mais
moder ias poupelinas ou gorgures de seda
e buho com os mais elegan es padries que
tnm viudo a este mercado sendo, miudos e
graudi, tanto em cortes para vestidos como
para ven ier em covado, as im como um
bonito sortimento das mus bonitas sedas
listradas que se vende tudo muito era canta
Groadenaples de cores
Cbegou um grande sortimento dos mais
bonitos gro vestidos que so vendem muito mais barato
do que em outra qualquer parte.
CHAPEOS DE BRIM A 2#000 RS.
Chegou urna grande porco de chapos
de brim para cabera que se vende pelo ba
ralissimo proco de 2000, por terem che-
gailo com um pequeo toque do mufo. E*
pichincha.
GRANDE PECHINCHA A 3:000 RS. PECA DE
Hretauha
Vende-se pecas de up-rior bretanba de
algoda tendo"quatro palmos de largura
com 20varas ou 21 metros cada poca, esta
fazenda seria para distar 85000, a n3o ser
urna grande comora qu se fez, e liquida-se
a 33000, cada peca.
Cortes de chitas
Com iO covados a 3:20 '.
Cum i I covados a 3:520.
Com 12 covados 3:810 _
Vende-se superiores chitas de padroes
claros e escuro pelos precos cima men-
cionados sendo fazenda que se fosse vendi
da a retalho n3o se vemlia por menos ue
400 ra. o covado, isto pechincha,
argurio para colletes
Vede-se o mais suiwrior gorgurao preto
com diversos padrn pelo barato prego de
60Oi>o o corle de cutete.
Admiravel pechincha
ALPACAS A 400 RS.
DE FURTA CORKS A 400 RS,
ALPACAS A 4 Veode-se um grand- sortimento das mais
briluantHS alpacas de futt cores com as
mais lindas e mais modernas'cores imitan-
do perfeitamente as sedas de furta cores
send neste artigo o mais novo que tero
?indo ao mercado, para vestidos, muito pro-
ria para as senhoras que forero passar
?ta nn campo, por ser urna fazenda d-
muiU fantasa e pelo barato preco de 4iri
rs. o covado.
Bretaahas de ralo a 94&00 a
peca
Vende se superior bretanba de rolo ten-
d iO varas ou (1 metr-.s com 4 palmos]
de tafgara palo barato preco do 24500,
pechincha.
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
[liando abertas
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras roacbetadas, com tbesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com musha.
Estojos ou carteiras de ecuro com nava-
lhas, e os mais necessarios paravtagens.
ESCOVAS DE MARFLM
Para unhas, dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
drcperola para os mesmos ins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, c com pin-
gentes para o pesenco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Bolees com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
. Abotoaduras d'aventurine com o p de
prta-dourada, para colletes, cada uraaS.
Boioes d8 sristal, cncastoados em prata,
para punhos, 4^0 par.
Camisas de flaneila para houiem, a me-
Ibor qualidade que tem vindo a este mer
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
crcancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, pira
quera soffre de inchac3o as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalbas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com sal picos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprio% para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de-velludo para agulhas e alfinetes.
Thcsouras de duas, tres, quatro e cinco
peritas para frisar babadinhos.
AQLHAS NON-PLUSULTRA
Jal a qualidade d'essas agulbas, que
m'ereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Noipplusultra, merece a Aguia Branca as
hbajas d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das inteligentes senhoras, a de vida
estima por sua apreciavel qualidade.
Al agora nada se. tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarlo
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuado a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mos e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria seno impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
:-fta-tta constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede" ai que de novo queiram
reconhecer a commodidaite-de seus precos
o a cinceridade de seu agrado, que Rao se
esqoecam de comparecer loja d'Aguia
ffranc ra do Quuimado n. 8.
PARA A FESTA
Vende-se po menos de 10, 20 e 30 i0
SO' NO
SIIWTITI
. 23Largo' do Ter?o.N. 23.
O Campos da ra do Imperador u. 28 tem para
vender o seguin'.o:
Queijos londrino?, pratos, flamencos e de Minas,
todos muito frescos c de boa qualidade.
Presuntos para fiambres c para tempero, palos,
salames etc. etc.
O verdadeiro hacallio de Noruega.
Latas com lagstas e ostras.
0 verdadeiro caf Mocka.
Especialidades
Grande remessa de cigarros de diversas quali-
dades, vindos da provincia do Rio de Janeiro, no
vapor braaijeirb Paran
A saber:
Cigarros ao duque do CaxiM
Ditos ao Maurity.
Ditos aos tonentcs do Diabo.
Ditos Barbacanas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Hio-Novo.
Tornos de medidas para,scccos, segando o no\o
systema (mtrico fraucez), no armazem do Cam-
pos.
As mais adoptadas c mais facis tabellas para
de promplo se roduzir .$ e s a kilogrammas e ao
inverso cstio so acabando por isso recommeuda-sc
aos eslabelecimentos que ainda nao tem, que ve
nham seus donos munir-se des*e tao grande agen-
to tft commercio, puis que, com a safra que est
porta, torna-so ditas tabellas indispensaveis.
28-TUDO XOAllMAZEM D0CXMP0S-28
NOVIDADE!
A FRAGATA AMAZONAS, recebeu e ven-
de por precos muito raznaveis. urna bonita
arbdade de capinlias de guipare de supe-
rior qualidade, com lindos enfeibs, e dos
modllos mais modernos: assim como
urnas bonitas c muito airosas
MANTIllIAS BRASILEIRAS
de fil preto de seda que sao cm duplo en-
feite para o coupo e para a cabera, qne
supprem com muita vantagem os veos.
Qualquer um destes artigos muito pro-
prioe desente para se ir a missa ou a qual-
quer acto religioso: assim como para visitar
o cwTiUeri.Q no prximo dia do finados.
Na mesma casa ba agota wis i_ue nunca
esplendido e variado sortimento de (agen-
das de toda a qualidade para senhoras e
para homens, cuja ennumeraco seria longa
e as quaes eslaro sempre pat-ntes aus fre#
guezes que as quiserem ver, quer no esia-
belecimento, quer em sitas casas onde su
mandarao sempre que forem pedidas.
Ha sempre lusas de pellica frescas Joiin
brancas e de cies. roupas feitas e de en-
commendas. chapeos e chapeliiius. ele.
Elle um pteventiW) segara o corto contra
a cal vico,
Ellede roManra forra e su.idade a pelle
da cabeca,
Elle de prompto fazce*sar a queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos cm _
qualquer forma e posicSo que se dtseje '
n'um estado formso, liso e mano,
Ele faz crescer os cabellos bastos e com-
pridos,
Elle conserva a pello o o casco da cabeca
limpo e livre de toda g tsperfo de caspa,
Ello previne os cabellos de se tornaren
brancos,
Elle conserva a caber* n'um estado de fso.t
cura refrtpfertfnte e ait-adavel,
Elle nao demaziadamente oleoso, gordu-
rento ou pogadicb-,
Elle nao deixa o menor Cboiro desagra-
da vel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artijio
para a boa conservacao c arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o tnrieo artigo propwo para r> pen-
teado dos cabellos e baritas dos senho-
res,
Ncnbum^jucador de seiiliora se podeltt-
siuerar como completa sen o
0 CABELLO.
Tonieo Oriental
o qual preserva, limpajortili.-ae aformosea
Acha-se a venda nos estabolecimentos de
A. Caors, I. da C. ISravo A C. P. Manrer
-C, M. Barbosa, Bartliolomeu.cv C, o em
todas as principies lojas de perfumara*
e boticas.
DA
FABRIfA WCIO.WL DA BAHA
ii
DE
Vende-se os ruis bonitos organdys d.'
cores com pad oes miudos egraudos. son-
do todos, de cores lixas, peles batatos pre-
cos de 301) rs. o cova o.
CAMISAS PARA SENHORAS
Cbegoo um grande .-o lmenlo de cami-
sas francezas para senhoras, sendo lisas 3
bordadas, assim como um grande sortimento
de eorpinhos de cambras bordados, cami-
sinhas e manguitos com gollinhas que se
vende muito era conta,
VLPACAS DE CORDAO
Vcnde-se as mais nonitas aipacas de cor-
dao, tundo de toan as cores, as mais novas
que tem vindo ao mercado o vendem-se
mais barato do que era outra qualqutr
parle.
Os setins do Pavlo
Vende-se os mais bonitos selins de cores
e mais encorpados proprios para vestidos
leudo de diversas cores.
ALGODO ENFESTADO
Vende-se urna grande pircode aigodo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para lenees e toalhas tendo tiso e
trincado que se vende por preco raaito em
cunta.
'anos de linho
Chegou um grand sortimenio de pecas
de panno de liuho do Porto que se vende m
de 700 rs. at liJOOO a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho n5o ha nada me-
lhor, nem mais proprio para lenees e toa-
lhas.
PECHICHA EVf CHAPEOS DE SOL
Chegou um grande sortimento dos me-
cheros cbap'os de sol de seda, iugiczos ten-
do nesle artgo o melhor que tem vindo.ai
mercado assim como urna grande porcao de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem pur pre^o muito mais bai alo do
que em o Ira qualquer parle, por aver
grande, porcao.
i.eaeos brancas
Vende-se um grande sorlimento de len-
cos brancos para hornera, sendo a duziu a
if96iM,rJtiOO e 3'KK), ditos abaubados
muito ios a U e GOD a duzia, ditos de
fMruiao fazenda muito su_jeriqr a 50, ti/ e
' CASAQUINHAS DE FIL
Cbegou un grande sortimento do3 mais
bonitos casaquinhos de fil preto sendo o
inod.'lio mus moderno que u ni vi ido ao
mercado o vende-se pelo baratissimo preco
ne USOOO cada um, assim como om b. ni-
lo sortimento dos mais modernos base ni-
nas ou casaquinhos de grosd^naples pr**Ui
rtmente enfeitados que se vende de 2Q5 a
355000
Pecaicaaem casenalrasa 4:0M>
VHtide-se tini8;m-m ca.semirasde cor cmn
liras ao lado, tendo duas larguras e com
a* rres mai* novas e mais bonitas que turo
viudo ao lawcadt*, peto bar lissimo.pref
de 4#Q0 e covado ou 7MJO0, cada corte
de calca.
SIMO Di SANTOS ft C,
Os proprietarios deste bem sonido armazem de secco e molhados estao re-
solvios a fazere urna grande diminuico de.p-ecosnassuas mercadonas, como se apro-
xima a fusta e sempre so f r/.ein avnltaaas compras para o centro e praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em geni, que mande faz.-r suas despenca* e cor-
tos de que verlo a grande differenca em preQos mais do que em outra qualquer parte
e erantindo-se as superiores qualidades.
lllli!
TAITJJ
!ilI i 11/ I u
FIO DEVELA
Barbante
Em casa de Rabo Schmetaa A- C. Corp(>
Santo n. 15.
wmi oLoiozo.
Gelo seal.
CO&UL& BIE3VX' ESSY.
Em casa dr- Rabe Sebmettau & C. Corp<>
Santo n. 15.
DE
Teixeira Uldwtco j" C.
Actor-so venda pste optlrrio n. ..', nnien qu
pi'.c snpprir faifa do prinwea Be LislM, puf w
do mol' agradavel effnme; viaj:1. !>, e i pi
imiis mdico pf ivcl ; c pw s letil sido
iuHilliidn na- j>i .hj.'.s da ftaMa, do lo da Ja ro e
em Miiras dy mperiii : rto i^crltorio ' J.'a;|uim
Jo (idnralvc- Beftrao, rua (n OitnitKfriu nu-
mero 17.______
AOSSENHORES MEDIIS Ol'i'IUDO.ES.
Queris poMofr u na hciln tvhmn (-irnigica
de LuiT, con '!!> ferrjs 1
Id.; a rua dua Q-*t
ns. 2 a it, Q(4%-*diaitis una por |>rflft>BUB6-
do; tamlieui rotalha-so aTntw.?. a Noitado d-<
comiiradcr.
(I 1 lllll IIIIM IHII !!
_. ESCBAVpS FOSIDOS-
Desappareceu
licnicm as 7 hora da atrita da casa do abis i a -
agnado o sel) c
an-
cnr-1
GAZ AMERICANO 9500 a lato, e 4i0
rs. a garrafa e 660 rs. o litro.
VINIIO VERDADEIRO FlGUEIRA 560
a garrafa, o 4,51500 a caada o 800 rs o ti-
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 800 0
3 DEM BRANCO DE LISBOA a 4000.
a caada e 560 a garrafa, a 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISROA
-200, 240 e 3-20 rs. a garrafa, 1 iOO,
I 800 e 2200 a caada.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, o a 7? a cariada, e 16340 o litro-
MANTEIGA INGLEZA FLOR t400 o
16280 a libra, 3060 c 26780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 26100, 16980 e 16860 o kilo-
grammo
DITA PARA TEMI'ERO 560 rs. a I i
ora, 16220 o kilogramrao, em porco se
^BAnia" DE PORGO DE BALTIMOOR a DIVERSAS MARCAS 16500, 13200, 16 e
720 rs. a libra, o 16560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa. ____
porcao se far abalimento. GENEBRA DE HOLANDA E IIAMBUR-
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA a CUEZA 76 c 66 a frasqoeira, e 500 rs. o
120 e rs. a libra, 260 rs. o ktlogrammo o <-fra*"(* .__,_-_. nnre DnATir
36400 a arroba. mW PDE FRANJA DOCE AROMTICA.
ALPISTA 200 rs. a libra o 440 rs. o 5 *^nnT^F'nVFRSOS3VAPORES
"SIS tSSSt &*% arroba, fflPSSo" 1^1^
200.240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o ment.
kilogramrao em sacca se far abalimento. | TOCINIIO DE LISBOA MUITO ALTO
SABO MASSA 240 200 rs. a libra, .400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
520 m 440 rs o kilogrammo, oa caita se'_;e 116500 a arrolla,
laz abalimento. V LINGICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA- TAS I#000 rs. a lata.
Lll \RIN E ALETRIA. 560 rs. a librare LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
I620oklogrammo. ,TO a 16000 rs. a lata.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-' CHA FINO. GRAUDO E MILDLMIO
SAS QUALIDADES, bem como penda bri- 36200 e 26800 a libra, e 66100 o kilo-
Ihante.combination, Francy^cracynel, mixed gramrao.
Britania. Mdium, F-mey-iiic-nac a. D, C, 6
suda a 16000 e 16400, cada urna lata.
- SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
C20 rs. o kilogrammo.
FARINIU DEAR\RTA VERDADEIRA
640 a libran 164 BOLAXINHA 1NGI.EZA MUITO NOVA a
iOO rs. a libra e 8"0rs. n kilogrsmmo.
VELLAS DE ESl'ARMACETE 70 rs. o
masso. em eaixa ha ahatimento.
PIIOSPIIOROS DO GAZ E DE SEGU-
Jft.\NgA. 280, 400 e 560 rs. o masso,
36200 e 5500 a groza.
AMEIXAS EM UTAS E CACHINIIAh
DE MUITOS TAMANHOS 16280. 26500
3i&S00. 46500. 56."0i. a lata e a retalho e 16
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso. n em raita ha abalimento.
BATATAS NOVAS DE LISROA 60 rs.
a libra, etn caixa faz-se ahatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 56500
a duzia e 50Q rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 96 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
CAHMP
SUPERITE*.
Koussillon, carte bltuiche.
Era casa le ESahe Kcfionctlaii S
G Corno Wat> a. 15.
, mi m-mi
DE

DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 26000.
36200 e 16800, rs. a libra.
Assim como ha outros muitos geueros, vinhp em ancoretas, azeitonas,
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas uiarcjs, maruaelada. feita pelos
melhores conserveiros etn Lisboa, gela de marmello, pecego, ervilhas, em latas, por-
tugn zas e francezas. vinbo verde engarrafado i rolalho, peixe em latas, bem coum
iiescada, tamha, pargo. goraz, lula, corvind, vezugo, cavalla. sarda e sardinhas de. Nan-
tes. .'.anella. cravo, ervado?e, cominlw), pimenta, graudrtsmulbos de sebolla a l(?oO.
Finalmente mu lot outros gneros que enfandoobo menciona-los.
CHATEAU LA ROSE.
CHATEA RAUZ.1N
Em casa de Rabe Scbmettau & C. Corpt>
Santo n. 15.
A tencHo
|s Joaquim Rodrigues lavares de Mell"S
SS tem para vender no seu oscriptnrio, pra-jgjjj
^ ^,a do Corpo Sanli n. 17 apineiro andar, fc
S'potas da Russia ltimamente chepada,
cal de Lisboa o viuho Bordeaux de supe-
fiS rior qualidade.
nevada.
Vende-se cevad milito nova do Lisboa : na rua
Direita n. 30, a 1200 ;i arn^a._______________
ATrENgA'!!!
A propaganda homeoptica.
Por meaos 30 por cento
Esta-so veBden;li> os rwtos dos medicamentos
horaeiipticos vind.i no vapor Xavurre de casa de
Weber. Retalba-so a vontade do comprador, qmro
ejam: glbulos em tubos, vidros sonidos, glbu-
los inertes rnica, tintura inatre, dita dvnamizade,
etc.; medicamento este, todo especial e novo anda
no paiz. Porlanlo, bom ser aproveitar a oppur-
lunidado para proverein se d remedios do plena
.un-inca e cura maravilhosa.
22 e 24-Rua dos Ossos-22 e 24
Confronte o hospital de Santa Thereza.
nos,preto, aluna I r P
marca' de bexiga un rusl i. o n^mo eserave
'.ii no roei passado dn Marantiia d'octle i t
ral: paga- 'aineiile^HHioni o sppeheii-
do c li'Valo i rua da uz n. iC.
[.. -ii'oiS deuul throdo 1869.
IV. ilalmi'iins .1. fia ; rices.
Gratificri-. i- (iii 20.0|! por cada
iffli,' c-fii:iis. rotilorif D is-
[aitci:i em que !'..ren) caplii-
irados.
D.i.cnp- nltu S'ito !! '
juntos nodiaiTdim'/. >.i- _i : -
-ignaessiiii os v.'.'iiiiiM : I"ii DOBM" Mip|
id'ado 25 aiirn.-, natural do Gir, cor cabra,
m iiouco discorado qnantlw og_, lew ns e ll"~
cjirapiobad>s, olhos granitos e vn->-, flta '. ni i
denlo na frente, rosto.cutiipridn regular, punca
barba por ItolMi do qm ix". estafara repula". I
fe.ito de corpo, peinas (jr -.-a.-. pequeiud
bem feitos, com marca de ama ferida om eim
una das canellas das pernas, o falla ca/"
embarazado. O nutro de rime MaiiiH'l, ti aibem
cabra, tem 23 annns i!.1 Hade, natural do ni"
Grande do Norte, estatura mediana, i .Se*
barba uenliunia, rosto eurt, ot e
vivos, uaii', pequea; regalar em grossara, dentes
i-id'iUis o ilv. ?, I,reos r peroas finas, p- regu-
lares, sabe lor e esc rever, toca viola e cauri d !
impioviso, fni munido de falsos ilocument >s. Am-
bos l'oram comprados nostu cidade do Rrrlfl a,
Exm. Sr. baii de Nazaiclh, o primeiro c j.iliio
do 18(56 e o segundo cm jnllio do cnente an-
no. Estilo a olios liin:ios de costas c RMras,
i.or nao terem se.ffrido castigo nlgum. l]o?rn-!e
iiortanio, s aotnndades polirui.s, caeille- de
campo, ou qualquer pessoa que os incontro.de os
rapturar, o lvalos n sea seunor, Praort" do
Paula Caval-ante di- .\!liit|uen|ue no relfridn
enaenlio Soleilade. no termo de Porto Calvo, ou
ne'sta praca ao Sr. Jnaqoin RodrfgHN Tavire-
de Mello com escriptoiio ihi largo do (-or o-Santo
n. 17 Io andar, pelo que eiq qual uer das panel
se dan a gmlifiracan ."cima promettiJa. Recife,
23 de otitubrn de Wft
i
iVIS
Botica.
Vende-se a botica da rua Direila n. 12, a qnal
tica defronte do oitao do Livramento, coiu pnuctk>
drogas, e est prnpria para qualquer priheipiante,
e se vende por pre$o (Minuiodo: os preteiidenles
podenao dirigir-se mesma botica, que acharao
rom qun tratar.
Fngio segunda-Jeira, 18 du otiUrfiro, o rscr.w--,
Antonio, prelo crnalo, i Jado oO annns, pnuco nai.'
ou menos, do estatnra regtrar, falta de denles na
frente, quando anda um piiuco corcovada para
diante, levou vestido calca do brim pardo, cinusa
le estopa, e chap.) de padia ja velbo : esiees-
cravo veioj ha tempn do Rio Pnrmoso, e suu-
poe-se ter para all seguido : quem o pegar l-
ve-o a na da Concordia n. 8, reunarao, que sota
bem gratificado.
1110
Este odoraTel
[litpuraitoo mu
ieeniiineT-
uiio, iodo ou
rsenico | nm
awoso modl-
ca4nrpmonMimi*Mrar4ieiimtiMik|)rlie,tkvt fome.upr, aimpura*.Mkr|M.ai
spinh, _o__P*M_, el* Enpw_ado dtariamenit elle.re^pc a nassa do soogoc a consolida, o _*. ]
liliilif
i IHJEGCAO GADCT
Fau*. 7. B* Oeaatak
a mi \ Ifyt o* corrimento amigo oa
CEMENTO
. POKTLA.ND.
Venase no armazem amarelln da Vicente Fe-
reira da Costa A Pifhn. defronte do arco da Con-
eeicao, aro harneas grande.
fH lll GLOBU4 X. 5
Diaria do Fuudao.
Ha scopre nesta otaria grande sorlime.nl
naterlafs, Como tiiolos de avenaria batida, ladri-
iho,*|uadra lo de 8, mais pnllfudas, telbas e
lelhoes. lijlos de tapamectos O pnorietario dos-
la oangarante a b-n-tadee barrn de tes mate
B__e_, com? tambem endo-se mis Uaralti do qi<_
otfcirtra qualquer pane.
o hem conheeido Jos Coto. pWf ter um : braco,
escravo da padaria allemaa, em Santo Amaro, na
noite do dia 22, levado pela forca da cachaca, oi
caliir em algum arralialde, lev.>u om tia_ai<> na.
caliera, qu" tal vea o perdese uo giro : quem o
capturar ser recompensad".
Fligio no dta 31 do m-a, prximo iiassado, de
Sant'Anna, o rabudo Manocl, escravo de Pratata-
en Jos da Silva Itatis, natural do Ceari cabello
em p, decentado, bdftni grossos, e falla mato
fanhoso, tem bigode e (H-ra, servio por muiros ao
nos ao r. F. F. Borges, tendo andado on barcado
muito lempo, inculc-se forro : pede *vr W't<*e
na compauhla Pernambuean ao Sr. B. CasteUo
Branco da Hocha.que recoaea*ar.__________^_
Fusiono da 12 do setembiv du no revio
anno a eserava Roza MSria idade 40 mm* coro
nina cicatriz no braco e peitos, proveno-nt.- do
iiueimailnras. fui comprada Ao Sr, Dr J' se Mara
Mocoso da Vrga Pessoa foi r*t em CaXKBg,
consta ter seguido para o eogenho Canceila, do
inesino Dr. M scoso, na ri>imrraa dn .Nazaieh,
onde tem urna tliha por noina Perfeiti um 'Uno
por nomi'Canituiino. quem h appreheod. i i.ve-a
a roados Piateres n. SOqTo sarygraiiit al
Fiiffio dosillo da Supuesta a II d
mez, o i-cravo de nomo JiisJ preln, i
mebos 6o anuos, alto, seo
.naos grossas, bem Cal.
-uas rursoes ir para
carniceiro, on ginl
,l6,. RerMniMMlttM ; amadaflAra
les poiwia *** I.W^'lft <"'*" *
fenlo in*~

''albo.
r4a-
c)#l




ASSEMBLA SSR4L
SENADO.
Decraso pooovNCiaoo pki.o Ex. Su r.o\-
SEUicmo (kw Bi.nto M Cunha k Fh
CrKIBEW^ Sia slssao DK II WE OUTIBHO,
r--"- ros dk si'\ administrar
n> Parv.
O SB. CUMIA FIGli'lHEDO :-Sr. pre-
sidente, nao desejo dar o ineu vol sym-
btAko tiesta questao : porqw entendu qn<
elle devrser explcito, para que no futuro
earoao fique preso, quando pretenees
desu ordem hajam de apparecet\ de novo
a*s4 casa.
Priendo votar, Sr. prosidento, pela pro-
psito-; roas'nao o faro levado por um
priu<-ipo d-s rigorosa justica ; porque a
eompanhia tinha obrigaro de calcular bem
a 'luspyaaa. da empresa para se poder
flxartfB*afimo do capital garantido (apoia-
dos); senao o fez dev-so queixar de si,
$Sbi imptiteiur. Depois de lixado, como
fei o mximo d > capital garantido, creio
que o que deve prevalecer a letra, Des-
pinto do contrito, e este nao favorece a
potencio. (Apoiados).
J.t vi-, pois, o sonado que o raen voto
significa por mu lado bil i nd;mnidade.
e por outro um acto de equidade, e de
eontenieneta publica relativa.
O goveiMo mandando orear o excesso
das despezas da estrada de ferro, nao
olistaiite achar-se fixtlo o mximo do ca-
pital, e prometiendo attender a esse ex-
cesso, como que contrado urna especie
de comprn.'iiisso com a companhia, com-
premisso que foi por assiin dizer ratifi-
cado pe!n officio do nobre ministro em
Londres. _
O S. Zacaras : Qual o dlfcio do
ministro ?
O Sb. Cuxha Fiueiurdo : Aquello que
prometieu que seria altendido esse afceres-
eimo de despea, aquello em qie se dei-
xava una esperance (\a ser attendida a
pretenro, depois da soluto das cmaras.
Esse effleio de certo modo importou um
oomproinissn tomado pela governo, que
nodeve licar mal... Aqui, portanto, vai
um biil de indemoidnde.
Agwa, a razio de equidade, e de conve-
niencia publica relativa, est cm que nao
des 'jo que a estrada de ferro de Pernam-
buco fique em peiores condires do qne
as estradas de ferro de S. Paulo e da
Babia, como indubitavelmentc lia de acon-
tecer, senao passar a resoluco. Eis os
fundamentos do meu voto.
Como esteja cu com a palavra. Sr. pre-
sidente, permitlir V. Exc. e o senado me
dar licenra para que cu aproveite a occa-
sio afim fe pralicar um nsgo de corte-
zia para com o nobre senador pelo Para,
actr; de cortezia que at agora nao tenho
podido exercer, porque esperava pedir a
palavra. na discusso do ornamento da fa
xenda ; mas como me parece qne ella n5o
tora mais lugar...
O Sh. Sii.veuu da Motta : Porque ?
O Sn. fmnr* Fiuleihedo : Est me
parecendo assim, e por isso quera preva-
lecer-me Juste ensejo, visto como devo
milita deferencia ao nobre senador. Se
V. Exc. perroittir-me, oceuparei smente
a attenclo do senado por dezr minuto s...
Vo/.ks :Vae entrar o orcamento do mi-
nisterio da agricultura....
O Sb. Curo FKii'EinF.no : Pois bem ;
guardarei para enl3o o agredecimento que
d-sejo dar ao nobre senador pelo Para
em consequencia da maneira benevolente
com que S. Exc. tratou o presidente da-
quella provincia. Mas cmfim nao quero
retardar a votacifo da resoluco. Espero
pelo orea ment
da agricultura.
503:0095000 vrs ou menos; ms
e. t Sido ats4iva-W eoositadtf'-ft* boato
Mau, ganhando 6/0 p a provincia e
mais 6 ,/" para o banco, que dava dinheiro
a mais de 12 /. Ilaviam, porem, sido
decretadas pela assemblu provincial al-
gamas obras de interesse, o de necessidade
para a provine! i, as quaes estavam entre-
ao esquecimenlo' a pretexto de obsta-
gues;
culos 'que se considei-avara invenciveis,
quando eslava convencido de que podiam
ser superados. Nesta3 creumsiancias con-
cebe o $euado que eu nao devia deixar
continuar no jogo cambial o produeto das
contri buffes, que sao cobradas para ontroa
flus ; entenda que a pr. vincia nao era ca- nao sao exactas.
Pe >dra 1er
queno trecho lo rdatoriu com que
administrado so vice-presidente, e noj
derei responder melbor do fOc
q'io ento disae, o por onda o
nliecer como proced, dando do
ao governo,-*? forma do meo
p'irqiH n.lo governo para mim, non
as niens camwadas, mas para u
e pelo joveoo, a quem. nada occolt
o nobre senador me tive*s; feito a-h se informarle mim si-bre o aaauwpt
O SR. CNHA FIGUEIREDO :Sr. pre-
sidente, o nobre senador pelo Piaahy. meu
amig, consi lerot os membros da maioria
em debandada, a linda por isso a corrente
sesso, t pelo fado 'de haver eu me que-
riilo idiiiitar. aproveilandoa occasio para
fazr -,!m campaneoto ao nobre senador
pelo Para ; mas rteva dizer ao nobre so-
nador que nia teiilio certeza de que as
aeatf ig d 'ixem d" continuar para dtsculir-
uoa o urcaneato, principalmente se a
nobre opj.osigao nos ajudar...
O Sb. Pabanagu :Tanto nao h5o de
conlinuir as sessoes que j se apresentou
boje a redaccao de garanta de juros da
estrada de ferro de D Pedro II.
O Sb. Cuxha Figueibeuo :Se ta! acon-
tecer porque as bieiras tanto da maioria
e que aHo sem uns comoem oulros bancos
lia bastantes ciaros...
OSb. Pakanaou -.Rarinanlesingur-
iifi m*t0,
O Sr. C dmm Figueibedo : Portanto
aerolito que todos estaremos aqui em-
quauto bouver prorogac5o. Mas vou, Sr.
presidente, salisfazer o meu desejo, que
o de cooaprimentar ao nobre senador
pelo Para; e n5o screi impertinente, Dor-
qae o negocio de-que vou fallar interessa
de alguma forma ao ministerio das obras
publicas.
O nobre senador, em urna das sessoes-
passadas, no seo constante zele pelas finan-
cas do paiz, rhamou a attenco do nobre
ministro do imperio, na presenca do nobre
presidente do consellio para a excessiva
prodigalidad, sern imprudencia do presi-
dente la provincia do Para, que, encon-
trando no ihesouro prwiocid um saldo de
503.-O00, haWa despejado o cofre, nao
Ihe deixando u* viutem, emprehaodeodo
obras collossaes, s pelo de-ejo de pare
cer um grande administrador, ou, como
depois S. Exc. disse, para encobrir urna
admini^iraco estril,
OSa Sah.mba:V. Exc. gosta de grandes
obr.'g uso vena ie.
O Sk. i.mi a Rkl'kihko :Ora, Sr. pre-
idente, em urna nonjunciura, m que mesmo
oo recinlo dos aocioes, as discusses se
ho tornado oimUmenle severas, para com
os Bfcjmbros do^abiete e seus delegados
aas provincia*, oa nao posso deixar de
dar mudos agredecimentos ao nobre sena-
dor pea urbaBJdatle com 'qne se dignou
traUr-me, reduziado a rauipoucas as"cen-
aoras q io houvo por bem dirigir-me.
O Sn Sm ik FRAPfco: Reduzi muito.
OS. Cv.vha Pjcueibedo :J estou, Sr.
presideaie, acosiuinado cora a gauerosjda-
de do nobre iMM4or desde o t-mpo era
10 elle andouil pela montanba da cmara
Sis. 4ep douie dj \lf&ti ; all sempre S. Exc.
o tratou caA certa benevolencia qne me
apraz recordar. 6 que anda (be agradeco
E' verdad qiui, cbegado a provincia
do Porioclifli-o saldo de 40Q:000 a ....
piulista oo banqueiro.
O Sb. Silvsira da Motta :Apoia lo;
nisto tem muita razao.
O Su. Cumia Fiousanoo :O proprio di-
rector do banco \!au, ctvartborrt distincto,
amiga dos melhoramentos o sen paiz, re
conbecia que em verdade sjmelhante pra-
lica era anormal: e tanto mais anormal rae
pareca quanto V. Exc, que tem experien-
cia deslas cousas, sabJ parfetafn3Srto qual
. a cubica daquelles que fitam os olhos no
tbesouro, quando lobrigam nelle saldo dis-
poniveis: nao faltam reclamantes de toda
a especie, a quera mutas vezes n3o podem
resistirs assemblas provinciaes : e a ver
dado que esse saldo que antes da minb i
chegada linlia sido muito maior, eslava bem
diminuido sem que a is se tivesso com-
eado alguma das obras ha muito decreta-
das ; no entretanto que se fazia grandes des-
pezas cora urna reparlicao de obras publi
cas, que conservava alguns cinco engenbei-
ros vencendo bons ordenados, sem torera
muito que fazer.
Assiin, pois, julgue que devia secundar
s vistas patriticas da assembla, que se
acbava atordoada com requerimentos de
reclamacoes, de subvencoes c de outras
exigencias do interesse privado. No Para
tem muita voga as subvencoes; e creio que
semelhante vzo resultara dos saldos que
desafiavam as pretencoos cubcosas. Se
pois, houvesse eu esgolado o cofre pro-
vincial, nao teria feito seno executai os
decretos da asamblea provincial; mas o
certo que o nao despejei totalmente como
pareceu ao nobre senador; quiz alliviar
apenas o banco era favor das obras de re-
conliecida utilidade da provincia, deixando
ainda um bom resto de raaior quantia,
como o senado vai ver.
OSn. Saraiva :E V. Exc. tem pesar
disto?
O Sb. Cuxha Figueibedo : Sm ; pezar
de n5o ter acbado muito mais dinheiro na
provincia para fazer aquillo de que ella pre-
cisa para se engrandecer como muito me-
rece.
Vejamos, porm, quacs foram as obras
que empreueiidi, e que o nobre sonador
fcharaa collossaes.
Mandei levaniar um palacete, isto con
lnuar urna boa casa que o meu antecessor,
\) finado senador S e Albuquerque, de
saudosa memoria, hawa comecodo para
nella installar diversas repartinjes, que se
achavam ou em casas alagadas pjr bom di
nheiro ou emprestadas. Cun esa obra do
palacete linba-se gasto ji i Ii:O0W,. so-
mente com alicerces; entenda que dev a
aproveitar esse dinheiro, alm da quaiifa
que se era obligado a pagar ao doho do
terreno em que o palacete fui edificado.
Era urna obra reclamada pela necessidade
publica.
Ilavia necessidade de casa para a thesou-
raria provincial, para a cmara muni -.pal,
pira a assembla provincial e outras re-
particoes, para as quaes s destinavao edi-
ficio, que mandei conslrutr, com applansos
de gregos e trvanos...
De que outra obra fallou o nobre sena-
dor ? Do theatro. Esta obra eslava tam -
bem decretada, havia muito lempo. Na
lei do ore amento que saneconei acabava a
assembla provincial de recommjndal-a de
novo dando 70:000^000 para desapropria-
cao do terreno necessario para sua edica-
CSo; acabava de dar mais 20:0005900 para
manter e reparar um velho theatrinho de
propnedade particular: o que fiz eu ? Ap-
pliquei esses 70:000, e mais os 2(hO0O$.
que nao quiz dar para remendar o thea-
trinho, appliquei-os para a Constancio de
um theatro publico, regular e condigno de
urna capital civilisada e opulenta como a
cdade de Belra; dispensando dasapro-
priaces de terrenos, e aproveitando urna
excellente pracaque se acha no centro da
populado, isto entre o bairro novo -c o
velho.
Qual a outra obra ? O encanameato das
aguas potaveis; ste encanaraento oi ajus-
tado por via de contrato, mediante garao-
ranlia de juro, na forma tambem decretada
pela assembla provincial. Julguei dever
assim proceder em urna cidade onde so be
bia agua de pocos quasi immundos, agua
m, e to maltratada que as pessoas mais
abastadas, e talvez o nobre senadjr quando
all estove, mlndavam procurar meihores
fontes a urna ou dnas leguas, fra da ca-
pital ; nao se pode comprehender como em
urna cidade to adiantada se tenlia suppor-
tado agua to pessiuia.
Tenho de fallar no calamento.
O nobre senador sabe qual o calca-
mento da cidade de Bal;n ; 6 exoessiva*
mente deploravel; feito de pedia vermelha
que, triturada pelos carros, destaz-se em
p mu subtil, e serve mo bem para em-
poaa os transauntes, proJuzindo at moles-
tias pulmonares, ou nao sci que oatras. A
verdade que um tal cal-.'amento fui sem-.
pie considerado como anti-hygienieo.'
Mas n5o mandei fazer todo o calamento,
como disse o nobre senador! Nao; man-
dei proceder a urna experiencia, .comecan-
do-o por partes. Houve com cffeito
urna arTematac5o de todo o calcamente;
mas fui urna sorpreza, olo quero dar ou-
tro nome: sorpreza que o mu digno
vice-presidente -^iSo deixou passar ira-
pune.
Certo individuo pretendeu o cal-am^uto
todo, e era um bora dia fez-se a-arjeraata.
cogeral; maso vice-presidtnte qe sa-
bia quaes tinham sido a- minhas ofdens,
corlou o abuso, anaulUni oa, nao appro-
vando o acto da arremtala) geal, para se
proceder ootra parcial; afln*Ue se poder
conhecer o melhor systoma a seguir, e o
raeio mais commodo de manjar xir os pa<
rale'lepipedos, etc., ex.
Urna outra obra que, o nol^e,. secador
-apontou eom admiraeo, i.que-o^mou
segundo caes, que mandei construir era
frente da cidade; o oubre scnaar ponsa
que as despezas desse caes eslooorreodo
por cunta do dinheiro da provincia, WaA
assira: est sendo ediGcado particularoi.
** t'iuvt
Mas le;i o m
jog c >m as rifias...
\ Franco :Eu jogo cora os
com ascdVas
FiGOwnl oo com
-----V. t* ir. Souza
usa das cifras no algaris-
a I garramo, nSo briguemos
connuirei ditendo : que tenli >
do d i haniiro, que joga com osalga-
sempro aterrad i com o phanlasm i
semelhanca do a vrenlo, que jul-
que se trata, eu Jiie teiia satWWte, e#ta- Iga qm o dinbeiro s tem valor quan lo
do-lhe o trabalLo ,d.t wwura, convencen-[se acba enferrolhado, c ($ve -rtceiando urna
do-o de que as infnnufflfcs qms ihe .deraf
o
-#\
Dizia eu ao vice-presidente (le):
* O actual caes da marinha, imperfeito
0 carcomillo como se acn, toilavk urai
obra depfiaieira necessidade para o com-
merci. O rpido augmento da nave^eco
II iviali a-dotii;ioniia de predios ou arma-
zoos proprios para recolher as mcrcidoi ias
en lugares prximos ao' desembarque,
ludo concorrra para que fessem, pedidos por
a ora me uto os torreaos do raarinlia, fron-
teiros ao dito caes : mas esses pedidos par-
ciaes trariam provavtlmente a desorllem
n) trafego e economa do porto, porque os
particulares nao edificaran! seno con o
arbitrio de seus uleresses, sacrificando e
destruiudo a symitria do caes antigo, sem
proveit > gerar do lo lo o commeivio, e em
detrimento do aformoseamento d eoinmo-
didade do porto.
Depois de ter sido atormentado por
a'guns pretende otes a esses tenenos, man-
dei reunir lodos os requeriinontos, o con
cehi a idea de satisfazer a todos sim. mas
tendo a mira no interesse- da provincia.
Incumb ao engenbeiro Tiburcio de levan-
tar urna planta e orcamento_ de um npvo
ees geral desde 0 Sacramento ati'i o lagar
do Ver-o-pcso, conteni 781 metros de
largura, em que se poder edificar sute
nevos qnirteiroes que podem rebeber
boas casas de commereio.
i Feito essi plano e orgameuto, convi-
dei a praea do commereio e a todos os
proprietarios de predios freotelroe ao an-
tigo caes, pana doclararem se queriara.ftcar
com os terrenos com a obrigaco de faze-
rem -sua costa o novo caes e seu aterro,
pois que de oulro modo eo no os conce-
dera, documento n. 10.
A praca do commereio e os proprie-
tarios annuirara ao meu convita, e com-
prometteram-se, nao a fazer a obra, mas a
p.igaiem i.OOOji por braca corrente, de caes
e aterro, quq o governo raaadasse fazer por
eeos engenheiros, documentos ns. IJ a 21, pubcos, c arranjar oscamaradas.
Sendo o orcamento de o^36d| por brava cor-
rente, nao hesitei-em aceitar a proposta, co-
mo v;tRtajosa em muitos sentidos, a saber:
em ter-se um excellente ces sem dispendio
dos cofres pubicos; um terreno extenso
para ediicaco, de que deve resultar boa
reedita, tanto pan a provincia como para a
fazenda geral; logares ampios e apropria-
dos para armazens e pon tes de desembar-
que ; melhor aceoss i para as descargas dos
navio*; c finalmente a conveniencia de
nao_entregar ve:ieklado particular edili-
ea^es que contendem com a frente da ci-
dade. Resolv portanto mandar aforar os
terrenos de toda a linhu do projectado caes
nos termos dos documentos ns. 2 c 23,
c a lanrar no da 2 lo corrente a pedra
fon lam>;nhl dessa importanlissima obra,
que se considerava insuperavel seno fa-
bulosa. *
E fabulosa fui com effeto o titulo que
1 he deram, por ser considerada de impos-
sivol esecuco diante da forca dos cofres.,
nao calculando os incrdulos com os meios
de que pretenda servir-me para realsa-la:
era cora os recursos dos particulares que
eu contava: e nao me enganei, como me
nao havia engaado em Pemambuco co n
o caes da alfandega e outros, que consegu
levar ao fim cora o valioso auxilio dos pro-
prietarios c do commereio : o que produ-
zio excellente resultado. Aconteceu a mes-
ma -cousa a respeito do novo caes do Pa-
ra ; toda a populaco da capital, inclusive
alguns prenles do senador a quem me
refiro, entraram na empreza, e esto boje
contentissiraos, porque a obra vai-se cons-
truunlo bellamente, e promette um futuro
lisongero provincia que tem de ganhar
dinheiro em lugar.do dispende-lo ; o orna-
mento d um resultado raui favoravel;
tendu os particulaies de pagar 4:000d000
por braca corrente, fica um lucro a favor
da provincia, alm das outras vantageus
que apontei. J v V. Exc, Sr. presiden-
te, que o caes esta s ndo feito com dinheiro
dos paiticolares; da parte do cofre pro-
vincial nao ba senao avance provisorio e
isso ao principio, emquanto se prepara
cada lote de terreno que deve ser entregue
ao respectivo coni^ssiou; rio, medanle in-
demnisace proiapta.
Eis qual a nica obra colrossa! que n2o
fui decretada pela assembla provincial;
todas as outras o foram, como por exem
po o theatro; a populado mostrava-se
ansiosa por um centro de distrac), que
me pareceu poder ser tambera urna fonte
de renda; e por isso mandei construir o
theatro, e nao me arrependo.
Todas essas obras, Sr. presidente; foram
enhladnsam'e.ite oreadas e arrematadas, de
modo que n5o podesse desiqnilibrar o or-
camento da provincia ; l est o honradii-
sim) vice-presidente contnuando-as sem
se piexar de dficit.
Atteria mais o senado, qne tendo eo
ceflelfdo fsses cotitratos e'manado'fazr
algups avanzos senador, assegwar a exeeucSo debes, d-
xei ainda nos cofres da provine a 6 saldo
de 457!i7Mo%'4f, inclusive 300:00&fi0u0
no Banco Mau, como se poder! ver do
reatorie que tenho- as mos, e queqwsao
olfcrecor'ao nobre senador pelo Por*.
Logo n> esgotei os cofres; mas Be o fi-
zesse, estara muito satisfeito por ter-ob-
servado os dictaojes da assembla proviii
cial: e taraiem jwrque atoa certo que
se a; obras' forem continuando com apro-
deocia, eom a eaoteda necessaria, ao Anafe-'
cas. la provincia nlo h* ae fondo; tanto
nwii qne tenho, como o nobre senador
tem, bastante f nos mi agres do calor -fe
da humildade, (liilardade); e o ealnr e i
humild ule no Para sao de urna exhubfran-
cia espantosa : isto quer dizer, que aqelia
proviQcia vai por diante, ba, de dar conta
de todos- os seos compromissos, atienta t
sua maraiilhosa uberdade.
Sn. praaidente, no me molesto comceov
sora.>. feitas pelo nobre senador; ado que
elle lurapre seu dever cisgaodo us prejjrJassegucaj- a V. Exc.,3r. i
deuUi pMdeebaratam o imbeiro puMie; nobro senodor qoe se emprehendi essae
Deusfluftira..qpe ontros-o appbquera meV jibfas, nJo.Joi cora vistss djia/ecer^raiad#
Ihur lo que eu, e do que o pnn.oaom administwdor; ato **<** iq*c4
das .'toks de quem fallou tambem o no* essa nugacidade, es***Wad*; fo.ijracai
Kibrczi eveiitiw!. nlo feth;t escapar viu-
tem, ainda que c**1 vfn'tjm luja de produ-
zlrutfilics...
Sei que o nobre senador pelo Para nao
dessa escola, sei que tem muita conian-
ca na circnlaco dus capilaes, sei une co-
nhece muito bem, que quando as despezas
publicas sao feitas productivamente, o di
uhero desppndido qnasi sempre retl.;e
para os cofres, depois de ter servido a in
duslria, e alimentado os operarios.
O Su. Soi:z\ Franco :E palacios e os
theatros a cuitado governo...
O Sr. Cumia Figi kibedo :Mas para
o governo e reparlcoes publicas o pa-
lacio, para o povo o theatro; porjue o
povo tambera quer distraeco, tom direito
a ellas-----
O Sa. Cansanso de Simmii :fT quem
menos gosa.
O Si. Cunh.v FiuueiBKDi):Portanto,
espero que o nobre senador sabendo qual
a vanlagem da circulacSO dos capitaes,
e tundo, como tem, muito patriotismo e
muito amor ao seu Yafmi nata!, ha de f i-
zer-me justica posthuma, lia de fazo-la
quando a provincia do Para estiver em
nios habis, que sej un da vontade e. esco-
ma do nobre senador, como mni sincera-
mente desejo.
Por ora ooOteoto-mq cora o que fiz. e
i com o que me disse o nobre senador. Es-
tou j muitr acoslumado, senh >res, com
censuras, cuja injiistica o futuro se etiearre-
g de demonstrar.
Essa censura que rao fez o nobre sena-
dor c seus amigos no Para, fo-me feita tam
bem quando fui presidente das Alagas e
Pornambuco.
Sinto que nao,estoja na casa o n.brcse-
nador pela Baha, o Sr. Saraiva, quizera
ob.er seu testemunho. Quando ebeguei as
Alagas havia um saldosilo de cem contos
doris, de data immemorial, c e,r.t conser-
vado, sabe V. Exc, Sr. pacsidente para o
que? Para,-pagamento dos empregados
Na lei
do orcamento na> se conhecia entao quota
para obras publicas; mas fui mandando
fazer sob miaba responsabilidad*, as obras
que l est2o. O nobre senador pelas Ala-
gas (referindo-se ao Sr. Sinimbti) sab)
que deixei aUi alguma cousa acabada e co-
mecida, e que est dando fruclos...
OSr. CansamcAo pe Siniwu; :Sem du
vida.
O Sr. Cumia Fiuukikedo :Pois bem,
com esse pequeo saldo, que nwndc lar-
gar na circula?ao, fui que lia obras que se
chamaran de luxo. Dizm se : Pois as
Alagas pode ter um edillcio deste para a
assembla provincial, quando a assembl i
geral nao tem urna casa ? Entretanto.
salo da provincia quatro annos depois. de-
xando o uiesmo saldo, c isto, Sr. presiden-
te, no tempode calamidades no lempo da
febre amarella, no tempo de guerra civil e
de insurreicos. O Sr. Saraiva foi o m u
digno successor, o nao me deixar mentir.
Fui para Pernambuco e continuei no meu
syslema de esbanjamento na oomi9o do
n ibre senador pelo Para ; durante os tres
annos de minlia administrado fizeram-se
obras que naochamarei colossaes, mas qu-
l estao servindo mui bem a provincia: de-
ram se calamidades, taes como a febre ama
relia, chole a-morbus, endientes dos ros
ou iaoodocoes do Capeheribe, que arrui-
naran! as pontos, as estradas, etc. etc., Indo
licou reparado, e deixei saldo igual ao que
tuilia adiado.
Em Minas a praticando a mesma cousa,
como V. Exc. sabe, Sr. presidente-----
Pois s no Para que ho do falh.ir meus
clculos, no Para onde ha tanto calor e hu-
millado ? Nao possivel.
Fique o nobre senador descansado que,
se bonver economa, fiscalisaco c boa von
tade, essas obras colossaes se hSo de con-
cluir sem arruiuarcm as linancas da pro-
vincia.
Agora mesmo tenho a agradavel noticia
de que todas as pivtoncos exageradas de
snbvenpoes, de reclamacoes de diversas
naturezas, cahiram na assembla provincial,
e porque, ? porque o cofre est fieando mais
vasio por causa das obras...
E foi por est razia qne as Alagas dei
com um desfalque de f 1:000$ no cofre
provincial. O saldinbo, que estova bem
guardado para os empregados foi dni
mundo, quando mandei fazer essas obras ;
e fieando mais magro o cofre, aquellos que
costumavara fitrnecer dinleiro para figurar
no bataneo, nao qulzeram continuar a pres-
tar-se... de modo, quedando eu de sor
preza urna revista no cofre encontrei des-
falque ....
O Sn. Zacaras : Ento tambera l ha
thesooreiro...
O Sr. (Suma FwuKineoo :~-N5o, senhor,
era um homen de bem ; homcm muito hon-
rado. ..
O Sb. Cvnsaxsvo de Simmb :Muito
honrado.
O Sr. Cuxha Pigueireoo :No sci como
aquillo aconteceu ; mandei pronde-lo eom
dr no meu coraco ; nao foi eile-o mal-
verior___; mas ti ve necessidade deenm-
prir o meu dever...
O St\. CAiWA^^AooESmjjej:Hoje sa-
be-se quem foi.
Su. Cunha, Fioueihf.do :Era tradicio-
nal a honestidade daquelle homem. i
Mas, como ia dizendo, Sr..presidente, a
assembla provincial do Paita est indofe-
nndo com desembarazo certas pretencoos,
urque diz : < Queremos obras, queramos a
navegaco doAraguaya, nao temos mais
compadres nem c/.madras ; por isso
teem cabido os reqoermenlos, e o dinheiro
ha de ebegar.
Mas, seja quo fr: posso ter errado,
e.peco ao nobre senador pelo Para, que
ate dejculpe, nao cahirei em outra....
O Sn. Souza Franco : \ assembla te
tttlutando com u#jfaf do 800:000 4000
O 8.' ^MNu-FMMwnBoa: -NSo raecoos-
itae oera ha rafre paca isso r o qoopooso
r''i-.-. \ mhn mana Al Wlbw.
Sr. prosideivMh.iau3.de u 'ipio que
talvez seja falsos : qoe considero ais
proveitoso chamar a affetjgSV da popolaviG
para os molhoramentos nteriaes da"provin-
ia, que sao abase dos raelhdramentos mo-
raes, do que entretel-a com artificios pol-
ticos, porque entendo que us effeitos di po-
ltica artificial nao sao senSo epheiaeros.nio
produzem scu2o dissenebes at entre faml -
lias; do que muito nocessitamos de raora-
liilade poltica, de moralidade social, de
amorao trabalho. Com este meu syslema
tenho unido mutas familias, tenho feito al-
guma cousa til...
O Sr. Sha'eir dr Motta: Paiiem et
circences.
O Sn. Zacaras d um aparte.
O Su. Cujiha Fiueiredo :Prnsa V. Exc.
que no tenho feito alguma cousa por este
lado? Tenho feito boa* eousas cora mis^-io
narios. Ahi esta ofamoso Caetano deMes-
sna. com quem flz em Pernambuco obra
physiea e obra moral; as Alagas conse-
gu muito com misionarios quo levoi daqui.
E ho Para ? Mandai para o Para missiona-
rios, seuhoros; bons racionarios..:
OSit. Souza Franco : NSo os lev-
para ta.
O Sn. Cunha Figueiredo :Maudai para o
Para inissionarios cathequstas. -Oh! se-
nhores, parece quo o nobre senador nSo
su lembra de sna provincia...
O Sn. ParanaguA: E'a que mais care-
ce de miseionarios.
O Sr'Cijnha Figderirdo: Temos esta-
do juntos tantas vezes e nunca S. Exc. con-
versoik comigo sobre a grandeza do Para ; o
que sinto bastante, porque teria prendido
muito eom S. Exc Depois que chifoei ao
Para, Sr. presi-tente, perguntoi a rrtim mes-
moao ver aquella magnfica provincia : como
sahio daqui o Sr. Sooza Franco ?
O Sn. Zacaras : Ninguom 6 profeta
em sua torra.
O Sr. Cunha Figuhrbdo : N5o tanto
assira: tomara eu missionaros p.ira o Ama-
zonas, para, o Puros, Tapajoz e todas
aquel as famosas regios.
Se o governo quizesse poda obter all
muitos bracos. No sou muito amigo da
colontsaco com cslrangeiros, quando vejo
que nao se cathequisa nossos conterrneos.
Ha no Para grandV namcro de borneas de
um robustez invejavel, intelligentes, capa
zes de trabalhar tanto no mar como em tor-
ra ; o nobre senador sabe de todo isso.
Quera conbece aquelles indios de figura
alhletica, fica envergonhado comparando-os
cora os chins raquticos, que para aqui nos
trazem.
E' porisso. senhores, que eu digo: man-
dai missionaros para o Para Colonisai os
indgenas, e taremos bracos robustos cacli-
matados.
O Sn. Souza Franco : Bas'ava V.
Exc.
O Sr. Cunha Figueiredo :V. Exc. gosta
mais de tanger os algarsmos, quando devia
residir com mais proveito na sua provincia,
e ser nella o primeiro propagador, o pri-
meiro cathequsia. (Ililaridade.)
O Sr. Souza Franco :J tarde.
O Sr.Zacaras:Est muito velho.
O Su. Sii.veiba da Motta :E muito do-
ente.
O Su. Cunha Figubiredo : Acbo que se
o nobre senador tivesse esgotado no Para
sua eloquencia, aquella que conheci na
montanha da cmara dos doputados, teria
feito prodigios no sentido da cathequese e
do raelhoramento do sua provincia.
Nao ire adianto, porque creio que S.
Exc. nao tocn seno nestas obras : theatro,
en anamento das aguas, o palacete, e esse
caes que com effeito urna obra giganetes-
ca, mas que ser levada ao cabo com dinhei-
ro s particulares: talvez o propria nobre
senador contribua para isso, porque l tem
suas casas na frente do cae?,
O Sn. Souza Franco :Nao lhc feo obr-
gado por isso.
O Sn. Cumia Figueiredo : Nem espero
que me fique obrgado. Peco ao senado
que me perde ter lomado seu tempo pre-
cioso, e ao nobre senador torno a agradecer
sabir da com looV
om>nlio 413^B*' >r remover.
Tenho gralS orno creio
quo a lera lo.. sinceros do
aystema quo nos* regefMi prxima a
approvaco da cmara dos deputados
emendo vinda do* senado para o mu de
habilitar o govopjp a satisfazer dividas sa-
gradas. C'Wiverlia em lei a r'solocio, os-
membros destt casa, recollieodo-se a soas
provincias, icro do apreselar-s a seos
coristituintes, nao na potifo desanimadbra
figurada pelo nobre deput ido pelo mooi-
cipio neutro, mas para dizer-hes : entre
os serviros que a actual cmara dos di-
putados prestoa ao paiz avulta um, o
de empragar o ultimo esforco e tomar,
ainda com o sacrificio que impoem repe-
tidas prorogares, todas as medidas a seu
alcance para nao sahrmos do terreno
constitucional no dia I de Janeiro de 1870.
(Muito bem, muito bom).
Ninguem mais pedndo-a palavra, e pon-
do-se a votos a emenda, appronaffoe
remettida commisso de redaccao.
O Sn. Io Secretaiiio, obtendo a palavra
pela ordem, procede leitura da redaccao-
do projecto, conjuntamente com a emenda
do senado ha pouco approvada.
O Sr-. Pereiha da Silva requer urgen-
cia para que, dispensada impress3o, seja
submeittida votaco a referida redaccao.
Sendo consultada a cmara, approva a
urgencia, e em seguida a redaccao, a qnal
vai sancho imperial.
L-se, jul^a-se objeclo de delibora-
co, e vai a imprimir cora, o voto era se-
parado, o projecto com que conclue o pa-
recer sobro a estrada de ferro de Petro-
pofis. /
L-se, e vai a imprimir para ser \o4
mado em consideraco com o prejeetp/,
que se refere, o pnrecer sobre aposeta-
doria dos magistrados, quo se acha ja p-
blicado.
Levanta-se a sesso urna -hors e mmo
da tarde.
----------'/"
Nos dias 10, II e I nao houve scssJo,
a bondade com que me tratou, o que nao
pouco.
CMARA DOS
SESSO EM
Bemsakio : E l tora-so gasto
SRS. DEPUTADOS
7 DE OUTBRO
PRESIDENCIA DO Sil. NEBIAS.
(Continuacao)
E' por culpa da cmara que nao est
votado o orcamento, mandado para o se-
nado em principio de agosto, muito antes do
termo ordinario ?
O Sn. F.
doos mezes a discuti-lo.
OSr. Correa:Era 1867, a ultima lei
de orcamento foi remeltida em setembro,
um mez depois, e votada no senado dentro
de poucos dias.
O Sr. Silva Nunks: Cora a opposigSo
em maioria.
O S^, Correa :Como se pode dizer
boje que, se o orcamento nao est votado,
porque larde o approvamos ?
O Sr. Silva Nunks : E' porque levaram
dous mezes a discutir seto artigos.
O Sn. Correa:Nlo podemos ser .res-
ponsaveis por falta que nao nossa (muitos
apoiados); cmara nao cabe censura por
nao estar votado o orcamento. (Apoia-
dos). Desgarraos todos que passasse antes
o orcamento do que a resoluco (apoiados);
mas, na alternativa d ftcar o governo sem lei
que autorse branca dos impostos, ot,
de approvarmos a resolufao, nao podamos
hesitar. (Muitos apoiados),
Urna cmara respeitadora dos principios
constitucionaes nSo pode ver ehegar para o
ministerio qoe Olla sustenta o afflictivo mo-
mento de ser constrangido a effecluar, sem
lei, a cobrabtja- dos impostos antes de ha-
ver esgotado por, sna parte o ultimorecnr-
so para olistar a essa deploravcl contin-i
gencia.
S depois de assim preceder, poderla
dizer ao gobern, no caso de ter do rea-
lizar-so aquella evei.ilualidade funesta :
nao sendo 'possivel interromper a mar-
cha do servieo pabiieo, parausar a adtai-
nistracSo, compriro vossodever. (Apoia-
dos).
Mas esta situaclo era altamente ralis-
mavl ; nem o paiz nem a cmara pode-
riara nella consentir- senJo em ultima ex-
tremidfde IWaitos apoiados).
Para evita-la, nSo hesitamos em votar;
Drimeiro urna resoluco prorogando o
^reamente-dorante-seis mezes dq^feiteotej
exercicio depois a lei do orearaento, e,"
por fim, vendo que esta lei esta va, como
anda ost -no seoado em segunda- dwfajs-
sao*mo>m'^5iByvavia, ia -prBsmRo^rosofooajo
como Oftba solac*) consfltolonal para
SKSSAO EM i:jDE OUTUBUO.
PRESIDENCIA DO SR. NEBIAS.
Ao frieia dia-teta a chemada, verificahao
haver numero suflicicnte, abre-se a
sessao.
Lm-se e approvam-se as actas das an-
tecedentes.
O Sr. Io Secretario d cunta do se-
guinte
EJPEDIENTU
Um oflicio do ministerio ao imperio, en-
viando as authenlicas da eleico a que se
procedeu em agosto ultimo nos collegios
eleitoraes da capital, Alhadora, Maman-
guape, Pilari Inga, Independencia, Arfia.
Alaga Nova e Bananeiras, dol" dstrict
da provincia da Parahyba, alim de preen-
eber se a vaga deixada nesta cmara pelo
baro de Mamanguape, que tomou asseul"
no senado. A' Ia commisso de po-
deres.
Outro do raesrao ministerio, enviando
officio da presidencia do Kio-Grande do Sol.
de i do corrente. transmitlindo a auth.entica
da eleico primaria a que se procedeu em
setembro prximo pnssado na parochia da
Cachoeira.A' 3* cemmsso de poderos.
Outro do mesmo ministerio declarando
que se expedir aviso presidencia da
provincia de Mnas-Geraes sobre a deciso
desta cmara relativa eleijo primaria,
c qo julgamento fra adiado, da parochia.
de S. Jos do Paraso, pt-rtencei te ao cd-
legio de Ilajub, do 3o districto eleitoral
da mesma provincia.Iuteirada.
Outro do mesmo ministerio, enviando
o ollicio com que a presidencia da pro-
vincia das Alagas transmute a forroaco
prestada pelo delegado de polica do tormo
de S. Miguel dos Campos sobre a elejco
prijiaria a que se procedeu na parochia
do mesmo nome A' quem fez a reqoi-
sico.
Outro do mesmo ministerio, enviando o
officio com que a presidencia da provincia
do Cear transmitte a authentica da. eleico
primaria da parochia de S. Bernardo das
Rnssas e presta iiformaces cerca da
qualificacao do eleitor padre Francisco Ri-
beiro Bessa.A quera fez a requisicao.
Outro do mesmo ministerio, enviando a
representadlo da cmara municipal da ca-
pital da provincia da Bihia, sobre a ncons-
litucionalidade da resoluco pela qual a
assemba legislativa da mesma provincia
elevQu o ordenado do administrador de
raatadonro publico.A' commisso de as-
semblas provinciaes.
Outro du I" secretario do senado, cora-
municandn tor cqnslado ao mesmo sena-
do que S. M. o Imperador cnsente na
re.oluco que concede isenco de diretto
de importagao aos raachinsmos, appare-
Ihos, utencilos e mais objectos necessa-
ros para a illuminaco- a gaz carbnico
e para canalisago das aguas e dos esgotos
s emprezas que sa propuzerem a n-a-
lzar taes melhoramentos as cidades de S.
Paulo e de Santos.Inteirada.
Dous do mesmo secretario, participando
que o senado adopteu, o ai dirigir i
sanego ioiperal, as resoluces da assem-
bla geral que approvam diversas pens5es.
Inteirada.
Outro di cmara .municipal dtill|-Bella
da Imperalriz, enviando todo o processo
eleitoral da freguezia de Anuir, da pro-
vincia do Amazonas.A' commisso do
poderes.
Lm-se, jul^am-so objeclo de denlje-
racao, o a requerimento do Sr. Diogb Ve-
lho dispensa-se a impress2o para eatra*-
r.-m na ordem Jo da de amanha, os pref-
jectos com me coucluora os segun.tes pa^-
receres :
A commisso de pepsoes e ordep:>dos.
te'ido examinado a copia do decreto de^ff
de maio-do 1868, rectificando, '
ooucedlda a >a Ho/ojo do
tu, de parecer que se adopte o egipT
projecto: */-
A.assemUla ^praj resolve:
Art. 1. A pensjo do 500 rs. .diarios,
a que Fui elevada a de iOO rs. por'de^el
de 7 de maio de 1868 ao ampiada f
3' batalbSo de oraBlaria Jos omo
Sacramento, deve ser considerada cot
concedida ao raesaiio nspecada, sende
rra do 8' cupq' do. voluntarios da pa1
Art, 2. Esia.penso sr pag3 da ,
4o decreto drW de abril de 807, m
llie foi concedida a pensao de 400 rs i

-
4



S1

Lb
H


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOSFBYCAF_33C95P INGEST_TIME 2013-09-14T00:22:30Z PACKAGE AA00011611_11986
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES