Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11980


This item is only available as the following downloads:


Full Text
junio i< mi 2tt.
i
> 4
i
IV
>
\
~t & ?of"n.
i dem.
ooo
fcOOO
S4.0OO
IB
SEXTA FEIBA 29 DE OUTUBR DE 1881
*ARA MITRO B WBA BA fROVWCU.
i?ur Ir..: mczcs*anlaios.
ror seis ditos idom. .
Porto? ditos idem
Por un anuo,

Figuera
mam AUF^TKU:
IVazare>' *wn **** <* Corta, m Alas; Dr. Jos Hartos Alve, na Baha; e Jos Kibeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro. g '
em
PAWEOrFTCIAL
naos aiem das quatro mand;
nw comedidas ds estabele
arras 4a provlnela.
WMWEXTi: ASSlOXAnO fLO EXM. SU. Cn. U.CfOKL
** SASl.iyeVN IUCHA14 PORTKLLA, ViCE-FBGSI
KXrK A HlOVUHaA, X 2 l)t: AGOiTU DE i8ge\
'* Saecfio.
*-*.Portara aodireator do arsenal de gao*
Mande V. S. fornecer ao quartel mestre ao
I* hatallia i de artHiaria da guarda nacional dcste
nmafeieio, o corrame, necessario para a msico do
esa,o que segando informa o eomraand&nto
"petior interino em officio n. 1*3 do 31 do mez
< nio Ihe tei atada fornecido.
! t* ecoAo.
S.XPortara ao.-i*i.-inmandanta superior inte-
wm da guarda naeionsl do Recite Em vista da
wel-Matao de V. 8. em officio do 19 do mez flodo
< que expoz o Dr. chefe de- polica no de 19 do
afee mee, soli 1,421, exped V, S. as snas ordens
iwra a,ac os guardas caeionaes do servico da re-
erra, Moradores na freguezia do Poco da Paaella
v prstem ao servico das rondas, sompre que
mraalc forcm chamados pelo respectivo subde-
legada
t l-W ao i (wsjo Tendo raechido hojo as
tet horas do dia, o eBrif do V. S. do 30 do mez
En*, soh h. 4, feka por isso do ser expedida
* pem para se passar revista de mostra .10 i
MlaihaO de, infaatarrt no dia e hora por V. S. in-
4eadas <%i dito Jaetc, e siro para e dia '1 desle
.pelas oilo horas (la rnanba ; o que Ihe com-
wmumv nra o sea>: HMM.
V .Vii'.a ao mesmo.Tendo *Jo acecho o of-
*-r-raRl que fe/ Manoel Muniz Tavares Cor-
**, de iroi liberto pan o servico da guerra,
!>>< seu eiiliado Jo3o lavares Cordeiro, c)in o lltn
*.? yocar esto das var.tasens do decreto n. 3,513 de
I* dejadlo de 1865,' cumpro quo nos termos do
h-,smo eVerelo, fique sent do servico da guarda
<- Tf.il o mu ofBeio de 'i de joIIhi ultimo, sol) n. 123,
t nual veio aflnexo o icqueiimenio qao dcvolvo
4> Mencionado (k>rdciro.
'C .I*iia ao fHBrusndanlo superior interino
*iguarda nacional dos mnnicipio do liirreiros e
<^a Prrta.ltespnnd'. ao oRIcio dos?) eomman-
* superior de 20 de j:llio prximo Gn lo, diiea-
4^-tfce que nao pode ser approvado o alvitre que
?toa V. S. de nomer.r a tim alferes o un pkra-
waeetico para con^ fea) a junta de saade di
le JraU o decreto 3,lM de 8 de julbo de I8fi>.
f raMVim.r lleve esto ser suIwtUnido nos tormos
4iar?. 10 il 1 decrete, n, t.:"i -*a i : abril de
fui, e aa falla ou tffipedrawnto de< eirrririoes de
eatftR dm-e proceder-so de (..iif-irmidnde como
-4f0 dpSe o art. 2 danuelle decreto o. 3/k% de
V. 7.Hila ao c suparior da guarda
x-iiisal dos mu'iieii'io (l1 t'..4)4-iibj e E*.II --
(nadendi ao nlBcio de V. S. de S do mea fin 11,
bvu dlr.'i Ihe que a falla de ronfianca uo p
de WW de fnndameoto para a reforma de um
j.f*eal,c que seo de que trata o sen ruado offl-
ar.Mjiem sido nmisso n" eu nprim ntu de setts de-
.x. K.- iiitrt a 1 iuii de dtreilo da segunda vara
da It^' i.'' l.'iid 1 por deJiberac ilunta por copia
4e*S d: jiilho nllinn. sn-p"niiii d exercieiodas
uer.>< de p Mlmrii il ars nal do marinha a An-
it> iveUioo c M I 1 Galvo, pe i facto erimino-
*-, r .tirado t consianto do offieioqua
*m 23 do mez lindo dirgio-mo o raspee! du
tmiii ars miM o (113 i', icmcntos a elle aanexos,
'la ^ue lamben reinett copia, reeommendr a V.
S. v r.,Htra o referid Gatao proceda na forma
-taleL
x. i>ia aosjuizes da direito, loao Francisco
t\ 9:a Braga, Q tintine los do Miranda, Felinto
ItewiMe de Almeida, Um.....1 C irra di Cmara
faarlado, i 5 rRodrigues C.liavis. Transmiti a
V S a portara junta do consellieiro presidente
Jo soprano tribunal dojostiea, datada de li du
a-'z fiudit, para que nopraio por elle mareado, res-
y\ la s.ibie a reelamacao de antiguidade do juiz
Knit Antonio liareanc Nanea Gun$alve*.
X. 10.Dito ao juiz de direilo da comarca iIj
'nasna.lnf.'iiiie V. S scoG" snpplent do juiz
aiaaicipl dease termo oao Alvos Pragana, pros-
mijanuteatu peanle e-sc jotro dentro do prazn
api.
K ti.Dila ao Jniz de direito de Nazarctli.
Ftco de M>ae do oficio de 2" do mu Bndo, coin
^iie V. remellen-me os manpaa das appellacSes
eedidits por esse jaizo, e oa dos julganicntos do
jarj', dest.s devolvo incluso os snppietorioB para
aes:itistirt de 1838, 18f>(> e 1867, para que ve-
aatn igualmente orftaisados pelo mesma model-
?.uliii. li, como fot o da eslatisttca do anuo pro-
\mb pass (o, que .aquelles acompanhou.
S lDita ao commandanto do corpo provi-
<^rio de pnlina.Autoriso a engajar no cora >, sol)
I eowaiando, ios paisanos Candido J s da
*lva e Infl Ve tor Hamos Soarcs, de que trata o
rtaSBrto n. :i26 do 31 d 1 meando, toado dles
3 precisa moralidade.
3' seeeio.
N. 13.Porlaria ao inspector da tlinsouraria de
anaada.Exprca V. >. 10 IVdees para quo n"
disido crente, pelas oito horas da niimaa se
i-ass! revi-ta de mostra ao 2^ batalhao da guarda
mr H. li.Oitaao mesuio.Rxpaea V. S. sas or
4es, para qne em vista da loma c prct, juntos
mi duplii- .ta, que me remellen o comiuand.mte
-uperior dette municipio, rom officio de boje, sob
n. ili, snjam liquidados os voncinientos dos uffl-
iaes c pracas do 2o bataUo de infantaria aipiar-
teflado h Hospicio e dos contingentes a elle addi-
4)5, sendo oa dos oficiaes relativos ao mez de ja-
Hm ultimo, e os das piaeas a segunda quinzena
h> mesmo mez.
>'. io. Hila ao uiesino. Ao capital Joaquim
Swtk de Suuza, mande V. S. pagar, depois de
iiquidados, em vista da folha junta em duplcala,
pie me remellen o eoinmandante superior da co-
oarca iiSimo, sob n. 61. os vencimentos relativos aos
>aes de maio e julho deste anu>, do alferescom-
isuiadaotedo destacamento de guardas naricnaes
rxH3eates na villa de S. liento.
H ti Dita ao inesmo.Bnvio a V. S. pora os
ims convenientes as nolasdogaz consumido nos
laarteisdo Hospicio, Solcdade, deposito especial de
iastnicca i e na enfermara militar, nos mezes de
u'.ubr > do anno prximo paesado a junho nltim >.
N. 17.Dila ao Besmo.fiepois de liquidados
-*a vista da fviba e prot juntos em duplcala, qutt
me remeuHi o brlgadeM*o eommandante das ar-
mas n oficio de boje, sob n. 4i8, mande Y. S.
pagar os vencimentos dos offlelaes, pracas e calce
meaapregados no deposito de-ncrutas. sendo os
los ueiaes e calcetas relativos ao mez de julho
UiaK), e os das pncas a segunda quinzena do
oessan mez.
N. 18.Dita ao Riesmo.^Transmiti a V. S. a
bdhaepret juntos em duplicnta, quo me rometlou
brifadeiro coiomamlautc das armas eom ofhVi.i. r.^ogjiiwje.
le Aoje, sub 449, afimde po detutH de liqni-
MM, awiadi! pagar os vtnciit*ulos do fflcal en.j
regado do deposito dos ptdoneiros de guerra-
pvagugos, dos mena :pMi)RHims, sendo iw,
lfcficiih relativo*, ao mea dejatiio ultimo e os des'
'as* funda qninzeaa do mesav> mez.
% 13.Cita ao inspeclor da thesouraria pro-,
iacial.Fm vista do qne rae foBderou. o desatu-
bargador provedor da Santa Casa do Misericordia
em officio de 8 de julho ultimo, sob n. 1,890 e de
que informou V. S. e o tltesoiireiro das loteras em
lo e 28 daquelle mez, autorisei nosta data ao
mesmo thesoureiro a fazer exirahir ditas partes
mais da lotera concedida ao patrimonio das or-
Ohos alm das quatro mandadas correr pelo g
iio rigente, visto s pc~
4* secco.
N. 31Oficio ao director geral interino da tns-
truexo publica.S. Kxc. o Sr. viro-presdeote da
provineia tendo por dHiberacao desla dala em
vista do resultado do concurso do quo MMIjMu
para preenehimento das adeiras vagaa dMlayac.-
cio primaria do sexo remenino, e do partWfc V.
S. ouvido o conselho diuctor resolvido nomear
ni sms parta para serem. profesaras as Sras. mencionadas na rolacio indosn,
^J.-correole, o saw das loto- assim Ih'o manda communicar para scu conheci-
8 concedidas aos estabelecimentos pos a cargo -
da Santa Casa de Misericordia de que Irata o g !
do citado art. 62 ; o que commanleo a V. S. para
sea conhecimonlo.
N. 2.-JiDiio ao mesmo.Autoriso V. S. a man-
dar pagar de cooformidade com o parecer da con-
tad oria.dessa thesouraria a que se se refere a sua
mformacaode 20 de julho ultimo, sob n. 440, a
importancia do gaz consumido com a illuminaeao
publica desta capital, duraute os mezes de novem-
bro e dezembro do anno prximo passado, o para
esse Um devolvo o requerimento que acompanhou
a citada informacao t.o qual vao annoxos os do-
cumentos comprobatorios dessa despesa.
4' seccao.
N. 21.Portara ao desembargador provedor da
Santa Casa de Misericordia.Em rtsta do que V.
Exc. ponderou em seo oficio de 9 de junho ulti-
mo, sob n. 980, e do que informou o thesoureiro
das loteras e a thesouraria provincial em 15 e
28 daquelle mez autorisei nc-l thesoureiro a fazer exirahir duas partes mais da
lotera concedida ao patrimonio de orphaos, alm
das quatro mandadas correr pelo g 2o do art. 62
da lei do orgamento vigente, visto s poderem ser
dcstrihuidas em 6 panes para serem extrahidas
no exercieio crreme os saldos das loteras conce-
didas aos eslabeleeimentos pos a cargo dessa San-
la Casa de que Irata o g. l do citado arl. 62 ; o
que Ih'o communico para seu conhoelmento e em
rcsposla ao sen citado officio.
N. 22.Dita ao thesoureiro das loteras.Em
vi vedor da Santa Casa de Misericordia em oficio de
8 de junho ultimo, soh n. IS80, e do que infor-
mou Vine, e o inspector da thesouraria provincial,
em 15 c 28 daquelle mez, autoriso-o a fazer ox-
trahirduas partes-mais da lotera concedida ao
patrimonio dos orphaos, alm da* 4 mandadas cor-
rer pelo g 2' do art. 62 da lei do orcatnento vigen-
te, visto so poderem ser desirbuidas em 6 partes,
para sorom extrahidas no exercieio eorrenlo, os
saldos das loteras esneedidas aos estabeiecimeo-
tos pi? a cargo da Sama Casa de Misoricordia.
de que trata o g i- do citado arl. 62.
N. 23.Dita ao gorenle da compaalia Peinam-
bucana0 Sr. gerente da compauhia Pornambu-
cana mande dar urna passagem de estado a proa
do i vapor que seguir para o presidio do Fer-
nando a Jos Hara do Espirito Santo.
N. 24.Deliberar*)-O vlce-presidente da pro-
vincia tendo em vista o resollado do concurso que
ase procedeu no dia 17 de junho prximo lindo
para preenehimento dascadeiras vagas depstruc-
eaopriinfiiiadojsexo feminino,c bom a-siin cpare-
cer dodireclor geral interino da iii-truc^opublica,
ouvido o conscfno director, resolve nomear pro-
fessoras as seguimos Sras :
Luiza Eudoxia Baplistn, para a cadeira da villa
da Boa-Vista."
Auna Monteiro de Lima llego Valenga, para a
da villa do Ouricnry.
Jesuina Alexaudrina- de Carvalho Pedrosa, para
a da villa do S. Bento.
Mara Adelina de Soma, para a da villa do Bom
Conselho.
Idalma Eseohsliea Guedes Alcoforado, para a
da villa de Salgneiro.
alariannn Lins de Albuquerque, para a da villa
de IngHzeira.
Mana Leopoldina, para a da villa do Granito.
Domingas Paulina Ayres, para a do Buique.
Lisbella do Albuqucrquo Mello, para a da Villa-
Bella.
ESKMBHTfl ASSIGNAOO PKI.0 SR. DR. JOAQl'IM COtt-
REA 0K ARAUJO, SECRETARIO ni) GOVgRRO, EM 2
W. ACOST DE 1869.
2-1 scegao.
N. 21.Officio ao Dr. chelo de polica interino.
O Kan, Sr. vice-presideuto da provincia manda
declarar a V. S. que nesta dala se expolio oulem
ao ominandanle superior desto municipio para
determinar que os guardas naeionaes do servico
da rag va, moradores na freguezia do Poco, se
prestem ao servico das rondas sompre que para
elle furcui chamados pelo respectivo subdele-
gado.
N. 26.Dilo ao commandante superior interino
da guarda nacional de*t) municipio.O Exnt. Sr.
vice-presidenle da provincia manda declarar a
S. era resposta ao seu oficio n. Ii3 de 31 do mez
lindo, que nesta dala se expedio ordem ao dilector
do arsenal de guerra, para mandar fornecera)
quartel mi stre do Io bala bao de artilharia da
guarda nacional desle municipio o corrame,
de que trata o seu citado ollleio.
N. 27.Dito ao commandante sni>eror interino
da guarda nacional do Limoeiro.Nesta data au-
lonsou-se a thesouraria provincial a pagar a Jo-
s Maria Ferreira da Cunha os vencimentos, cons-
tante do pret, que veio annexo ao oficio de V. S.
de 8 d' julho ulimo, o qual Tica assim respondi-
do, de ordem do Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia.
N- 28. Dito ao commandante superior da
guarda nacional de Garanhuns.S. Exc. o Sr.
rice-preridente da provincia nianda declarar a V.
S. em resposta ao seu ofllciode 16 de julho ultimo,
soh n. 61, que a thesouraria de fazenda tem or-
dem para pagar ao capitn Joaquim Silverio du
Sou*a, os vencimentos constantes das folhas que
em duplcala vieram annoxas ao citado officio.
N. 29.Dito juiz de direilo da comarca de Ga-
ranhuns.O Exm. Sr. vire -presidente da provin-
cia, manda acensar o recebimenio do officio de V.
S. de 23 do mez findo, cir que participa ter con
voeado a 1* sessao do jury de Buique, para o da
23 du corrente, ineumbindo ao re-peciivo juiz mu-
nicipal de proceder ao -orteio do* 48 jurados,
quo tem do servir em dila sessao, do que tica in-
leirado.
N. 30.Dito ao bacharel Joao Alvares Pereira
dr Lyra, jniz municipal e de orphaos do termo do
Breju.-itfBxm. Sr. vice-presidenle da provincia
manda dertarar a V. S. que tica inteirado por seu
oftich) de 20 Jo'mez fliido, de ter V. S. nesta dala
reassumidn o exercieio do seu cargo.
N. 31.Dilo ao Sr. Francisco Manoel de Soitza
oiiveira, juiz municipal supplente de Serinhaem.
O Bxm. Sr. rice-presidenta da provincia manda
declarar a V. S. em resposta ao seu oficio de 31
do mez Ando, que fica inteira lo de haver nes-a
Jal*entrado em exercieio do cargo de juiz muni-
cipal do termo de Serinhaem como 6" supplente
do respectivo juiz.
N. 3i.Dito ao ten-nle Antonio Manoel Pereira
Vianna.-^O Exm. Sr. vic**-pre*idente da provine
uirtnda-nceuaar n rerebimento d" officio do V. S.
oe 2rt4ivjunbjoHtitimi), em qne eoiiiinunica tereni
no dia 20 dease moz itiialisado us irabalhos do
consdlbo'ie rvMo (te quuldleaei ida guarda na-
cional da freguezia de Grvala, do qualfui V. S.
ment devolvendo-lhe as provas escripias que
acompanharam o seu sfflcio de 2 de junho prxi-
mo findo, sob n. 196.
DES*ACH0S DA VICR-rRESIDECIA DO DIA 26
DE OUTl'RRO DR 1869
Augusto Jss Goncalvcs Lessa.Informo o Sr.
commsndanle do brigue-barca Itamarac.
Autonio Jos Vieira da Cunha.Inforine a c-
mara municipal da villa do Brejo.
Domingos Jos da Cunba.Informe o Sr. enge-
nheiro chefe da reparlicao das obras, publicas.
Guilhenne Cordeiro Colho Cintra.De para o
supplicante sroente r.
Jos Honorio Bezurra de Menezes.Certifi-
que-sc.
Dr.' Joanoira Antonio Carneiro da Cunha Mi-
randa.Informo o Sr. iaspector da thesouraria
provincial.
Telesforo Marques da Silva iunior Coajoda-se.
Repatlfiv 4a pocia.
2' seccao.Secretaria da polieia de Pernambn-
co, 28 de outubro de 1869.
N. iSBI.Illra. e Exm. Sr.Levo ao conheci-
monto de V. Exc. que, segundo consta das part-
cipaoTws rceebidas n'esla reparti^o foram hon-
lem recolhidos a casa de detengan, os soguintes
individuos:
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Maria, osera va do Antonio de Amorim, por f-
gida.
A' ordem do de S. Jos, Sano Francisco Reges e
Joao Manoel do Sacramento, por desorden); c
Thereza, eserava de Maria Joanna, por fgida.
Participen -me o subdelegado do fdstricio dos
Afogados por oficio de Itontcm datado que, tend >
noteia de que no lugar Lucas do mesmo districto
se asna va liomisiado J0S1 Jos de Araujo, corilie-
cido p>r Joao Grande criminoso processado como
incursn as penas do art. 193 do ondigo criminal,
para all seguir inimediatamente coin 6 pracas
de cavallaria, o pOsmil do respectivo destacamen-
to e alguns paisanos que pode reunir, conseguio
a captura de tal criminoso, nao olxian'e haver ell
opposto forte resistencia disparando sobre a forra
dous ou tres tiros de rewoiver que felistnento "a
ningiiem ofTendoir. _
Na occasiSo'de ser preso ainda eslava Joao
Grande armado com urna faca de pnnta do que
teria feito uso, so nao fra a energa di toda
forra.
A auloridado respectiva ra instaurar o contra
elle o competente proeesso.
Deas guarde a V. Exclllm. e Exm. Sr. Dr.
se OTadissom para as selvas. Transpostn o limiarl corte, o Exm. Sr. senador Frederico de Almeida
Ippararam com ires crneos, sendo! e Albucpierque, presidente nomeado para essa pro-
vincia.
* S. Exc. veio dar ordem a seus negocios do-
msticos, e deve seguir com sua excellentissima
o dnMosMa o de sua companheira, c onlro quo
** jnlgt de un assassinalo feito por esses barba-
ros sjn|M3 na Paran-Pfxana.
k !t .Jf11 m* cnroim amilacao do infeliz Mesquita, que todos contad.) importante cargo, quo merecidamente
roram artecadados, e condnztdo para o barracao. Ihe conhou ogoverno imperial!
p,3R.rer,''03 Pe,r bar)iros mais un homem Faco votos para que odistincto administrador,
e oiM-Mwner, que atirando-se ao rio poderam es-1 seja apreciado pelo heroico povo perna'-obncano
capar a urna morie inevttavel. Escapou tambera I do modo que de esperar de scu patritico ei-
"ainorteioeaixeiro de Mesquia; pode occu!tar-se vismo.
alais de um bshri com auxilio' de algumas fa-
roadas.
* O asjrago e.vnsado pelos selvagens em objec- E:
tos de eaauierrio, cspcTalmcnto vidros'o barris, se
aMjiado em miis de 1:0iX).
O Despertada- contina om sna gloriosa lare-
fa, analysando seu gelto o relatorio que o
Exm. Sr. Dr. Venancio Lisboa, apresentou a as-
! sembla provincial.
Dns columnas edictoriaes, passou para os
o s*. subdelegado conduzo para esta cidado bauza-, a guisa de semsaboiwo folhetim, sendo in-
2"* e m,ls i^gmentos das victimas, Icumbtdo desseimportante trabalhoo impaga-
que servni de dolos nos barbaros fostins dos vel lente tabomieado de philosophia do Lvcco
Jumai, dtcctos qne estn sob a aecaa da polica.
O Br. Antonio Manoel de Aragao e Mello entrn
no exercieio de juiz de direilo da primeira vara
da capital, para que fui ltimamente nomeado.
No dia 16 do correte eucerraram-se os ira-
balboa^djtassembla provincial.
Macera, na capital, o 2." conferate da al-
fandegaae Man.ius Jos Alvos Cnerra.
En urna de suas ultimas sesaes, a assem-
hla proripcial votop orna snbvenrao de 44:000-5
a compaaW fluvial do Alto Amazonas.
O faaor Paraenir, da linda /{..' Cros*, le-
vou para a Europa um carre?amento do valor
offlcial da #77:07335>3.
O eanrtpo regulava : sobre Londres 20 d.,
sobn.- Pa*i.4.9ti res. sol.re ll.tmburco 8il. reis, e
sobre Portea I I7." a I8(i
A alfandcga renden de 1 a 16 do corrente
141:7331017.
HMumao.
Hara na praen grande falta de dinlieiro.
Boalsou-se o naufragio do brigue portagoaz
Soberano, salvndose a tripolafao, menos tres
pessas. n navio baten SO milli ts ao sul do por-
to de S. Lab, e submergio-se oni continente.
A alfmdeg emprogava todos os esforcos para
recolher os salvados que lioiass ;n.
No dia 31 do corenlo devia ser inaugurado
o Hospital Porluguez da sociedado Primeho de
Dczembm.
Tendo onlooquocido bi'irdo do batc ame-
ricano Chorl.-* R. Mooig, coi viagem de New-
York para o Para, o Sr. Marinno Jos da Silva,
(joe ali tinli.i ido dedic.ir.-so ao estado da engo-
lillan, morrea elle no mesmo navio no dia 17 do
passado, no porto d> Maranhao, para onde o na-
vio i rafia carga, e eslava desca regando.
- Ataommissao da praca d i commereio diri-
gi ao ^enverno imperial tima eepresonafceSo, po-
duidrt qao seja habilitado o porio da Parnhyba a
recetor navijs em franqua, de r.mformidade com
o art, 316 do regulamento de l'J de selembro de
IMM.
-is-camnio sobre Lofldms regulava 20 1,i d.,
A vrasanca, por demasiado mosqulnho, 6 digna
de seu autor, e, .qnicj, o rediculo que procura
atirar por cima ao justiceiro administrador, nao
recaia sobre sua iu lvidoalidade....
O' futuro no-lo dir.
A discossao que se susciton na impreosa lo-
cal, acarea do commercio de
da loca o chefe liberal, sob
tura.
? E como nao havia de ser assim, se o adminis-
trador do consulado, den extraaos a autora
presidencia do Exm. conseMieiro monseobor Muir
iva/bs. com assislencia dos Srs. Drs. Joaquim
Porzlla c Soares de Azevedo, o dos 8rs. coronel
Leal, padro Lino e major Salvador.
E" lida o approvada ,t acta da .inlocedeole.
O sr. secretario perpetuo menciona e mrqMO
cxpediculr :
m oficio do Exm. Sr. barao de Villa-Bella,
aceitando e agradecendo a jua eleicio d soei(v
honorario.Inteirado.
Outro do Sr. Bellarmino Carneiro, olTertand
ao Insiiioio diversos nmeros dos jomaos Aurora
o Cearense, onde ven impressua um seu discurso
{ido na i lista I la cao da sociedado Emancipadora de
Naxaretb e urna sua poesa a J.)s Bonifacio.lu-
leirado, mandou-se archivar.
Outro do Gabinete Pbrtuguea de Leilura, con-
vidando o instituto se fazer representar em toa
festa anniversara, e en seguida um Te-tmt,
em acc.Io de grabas pelo anmversario de S. M. Fl-
dehssuna el-ret D; Luiz no da 31 do cerran-
te.Inteirado. .
O mesmo Sr. secretario perpetuo d canta das
segrales offertas: Varios nmeros do Diario de
Pcrnantbuco, pelo consocio Dr. Pigaeiroa; dous.
wiYo Pt ?); um5"'flr*.^JV..c/o o, pda respectiva re-
*ua orara?K siVn2 1aT: ama noUe,a btographica de Andr Vidal
sua propt.a asigna- ()e Ncgr(!iri>> ofTerlada p.-r seu autor o socio cor-
respondente Dr. Joao Joaquim Pbnaeea do Albu-
querque ; um retrato do padre Antonio Pereiia
Manoel do Nascimento Machado Polilla, vine- sobirP.urs 4TO rcis, 'sobo Porftrgat 170-/
presidente da provincia. O chefe de polieia
Francisco de Assis Olivek Maael.
DIARIO DE PERNAMSUCO
3" seecio.
ti. 33.--onVio ao inspector thesouraria de fazen
da.O E*M.'Sr.vee-presidente dMtgtffcrar a V. S. p ira os lins convenieuies que se
girado mco do juiz municipal do Brujo, Joo Al-,
vares Piteira de Lyra, de 20 de jumo ullimo, re
assnaMo ello o exercieio do seu cargo.
RPCIFE, 29 DE OUTl'RRO DE 1869.
NOTICIAS DO NORTE 1)0 IMPEKIO.
Clieg..u honiem d'essa procedencia o vapor Pa-
ran, trazendo jomaos do Amazonas ato 11, du
Para at 17, do Maranhao al ti, do Cear at 21,
do liio Grande at 26 e da Parahvba al 2S do
corrente.
amazonas.
Aehava-so concluida a eleico de um deputado
asseu bla geral, pela provincia, sendo o ele'to o
Sr. Leonel Marlini ibo de Aiencar.
Ni eleirai de mmnnrug da as-embla pro-
vincial, ia tendo volaeo quasi unnime a caspa
aprcseiitada pelo gremio con-ervador.
A presidencia da provincia noraeou urna cora-
missao, rumposta dos Srs. Drs. Alfredo Sergio Fer-
reira, Manuel Nogueira Burgos da Foiiseea, e J .s
JusUuiano Braule Pinto, para examinar a escriplu-
ragao c estudar os im-ios de melhorar as rendas
da camar i tnaniriual du capital
A oflicialidade do Corpo provisorio offerecen,
na noule do i0 do corrente, um baile ao seu res-
oecnvo commandante major Innocencio Eustaquio
Ferivira de Araujo.
Ai:hava-se estacionado, as aguas do rio Ne
gro, o vapor de guei ra Pura, do commando do
Sr. Anionio da Cosa e Olveira.
Aflu de e-Hacionar no rio Madeira, n > porto
de Santo Amonio do Grato, seguir a i do cor-
rente una das chalas monitores, di esquadrilhado
Amazonas, sob o commando do capilo reformado
Alvaro B itelho da Cunha :
Lomos no Comi de Mano* :
t O padre Jesuando Machetti, vindo de.Bohvia,
d-no noticias exactas da morle do nosso infeliz
amigo Eiras.
Sendo elle acrommettido polos barbaros e fle-
chado ; nao resistindo tanta barbaridade, lancou-
se ao no sem que mais apparecosse.
Das depois vio-se n'um remanso porcJlo de
urub*, o suppSe-so ser o corpo do infeliz Eira*.
O sen criado est vivo, tendo recebido alguns
feriineiilos.
O Sr. Machetti vio-o e esteve na igaril dos
feridos
Alm do Sr. Eiras, foram mortos dous, feri-
dos gravemente seis e levemente tres.
O accommetiimento por parlo dos indios, leve
lugar a l'J de julho.
O Sr. Eiras liavia-so adiantado duas horas
das de'tiais canoas quo acompanhavara, por estar
botn tripulado.
t Alguns das depois, no mesmo lugar, ataca-
ran) entra canoa viuda da Exaltaran, v morios tres
dos 'ip'dantes. >
t Ni. lugar Jacar as immediacoes de Batas
no Maileira. fui assassinado Basilio de tal e ferido>
gravemente mais dous seos cenpanheiros, por al-
gn* fot agidos que all andam.
i Em seguida dirigiram-se barraca do cap liio
Daniel Ferreira de Souza, lannaram fogo n'olla
ferrado anda mais um homem.
SuppbV-se serem os autores desses faetos, al-
guns criminosos que para all refugiaran!-se.
t N:is Araras, no Rio Madeira, fui assassinado
Fnlel Joao Porfirio, no dia 5 do passado, por Flo-
rencio Antonio Rolim.
O criminoso fui pre*o e confessou o crime,
que di i elle o levara a praticar ama tentaco. >
hemos ainda no Amazonas :
Cliegou do Purs o respectivo subdelegado, o
Sr. Mauuel Francisco da Hucha Thury, trazendo
a triste noticia do assassinato do infeliz subdito
porluguez Cosario Jos de MesquiU e de urna inu-
iner q ic com elle vim em estrellas retadles;
pelo- radios bravios Jumas, borda anthropophaga
e nmada que invadi o barraeao da infeliz victi-
ma no dia 2 de selembro ullimo.
a N) dia 7 chegou ao conheciraento do subdele-
gado o triste suecesso, sio desde logo reuni
CKAKA
Era conhecido o rastillad d i* collegios elci-
tnracs da capitel, Marangoane, Aqoirar, Casravet,
Arac.ty. S. Ilerna-do, 'll.iturit-, Imperalriz, S.
Francisco, Sobral, Ca ind, Grarja, Vicos*, Acara-
c, Maria Peroira, Ip. Qulxeramobim, Chcuoelra,
S. Joo Ui PriBcip, Ico, Lavras, Pereiro. Telha,
Crato, Barbalha e Milagro.
chavam-sn mais vota ; para senador os Sr*.
13 ou 16 homens
gio-.-e ao Jabur,
ahi chBgando,
l^iidtxi o
infeliz assassinado,
horneas noel
parar eom a
tenaz retistenria. toa
i ia porlnguezes, diri-
anha desgrana, e
_ rrirae.

Consolhejjy Alcncar ."......1,074
DesemliaTgador Jagtiaribe....... 999
Dr. Manoel Pbrnandes......... 098
Deseinhargador Domingues....... 987
Desemban.'ailor Figneira de M -i!o .... 937
Dr. Araujo Lima........... 912
Dr. Tristn Araripe.......... 628
Pela lei provincial n. l i de 8 do corrente,
fi eievad.i ;i eaiegor'u de villa a poveacao de
Paalnba.
Falleceram, na capital, Malhias Jos Pache-
co, com 711 anno* de idade : e no Saboeiro, o ca-
pitao Ignacio liento e Luiz Ferivr: ambos mem-
bros do partido liberal.
Na Pacatnha, no dia 10 do corrente, Fran-
cisco C'ielho das Chaga* ferio ni utalmente sea
sogro Francisco Coolho da Si va, por causa de
ieriawlligeneias provenienieatos do* mos tratos
quo dava aquello sua niullier
A alfandega renden de julho a sctctnbr.)
No dia 19 do correnle che.iou do Maranhao,
em viagerr para a Europa, o vapor ttglez Pa-
raense.
Escrevcm de Limoeiro, Rnssas, Constitu-
cao o seguinle :
a Existe nos arrobadles d'est; povoarao um ho-
mem de nomo Antonio Ferreira le Mirara que con-
ta a avaneada idade do 105 a 110 anuos.
Antonio Ferreira foicsad) e leve 20 fillios
dez deum sexo, dez d > outro.|c miando hoje, ama
progenie soperinr 500 almas.
Admira ver o modo de robustez com que An-
tonio Ferreira aioda trabalh.i om seu ollleio de
torneiro, que ltimamente tem preferido ao de
carpina de que tambera u*ava, que deixou por
-er-llie neressario maior emprego de tercas. Po-
de muito bem vi ver ainda vinie ou trinta anno?,
pois para isso tem a precisa robustez
L-se nc Pedro 11:
Domingo 10 do corrente recobeu S. Exc.
Rvm., bispo desla diocese, em matrimonio a Ma-
nuel Francisco Morera nrpbjo de pai, educado
no exmelo rollego dea cJucaudos, e GertruJes
Nones dos Sumos, orphaa de pai e mi educada
no eollrgio de Nossa Scnhora da Concelco, regi-
do pelas irinaas de caridad*.
c Parece pie S. Exc. quit ser o ministro desle
sacramento, por sera primeira orphaa deste colle-
gio estaboleeido por elle que sae para casar-se.
Ambos os conjoges tinham feito suas conflssoes
para o casamento e para o jubileo. S. Exc de-
po* do casamente fez Ihe uin pratica toante e
instructiva doste par feliz.
t Beceberam o dote de 2005000 e o enxoval no
valor de 101)4000 que Ihe deu a casa, e tiveram
donativos do diversas pessoas caridosas desta ci-
dade.
KIO-ORANDK.
A eleican primaria para eloltores de sena-
dor, corra tranqnillamente em todos os lugares
da provincia do onde baviam noticias.
Em S. Jos de Mipib, pprm, foram ostrabalhns
adiados pelo juiz de psz presidente da mesa, por
ler se apresentado a nppndeAo com forra armada,
disposta a commetler toda a casta de violencias.
fARAHTBA.
Escrevem-nos da capital, em 27 do correnle :
< Caraeem de importancia as noticias que tenno
de transmittir-lhe por este paquete.
Os negocios de Capina Grande e Inga ebega-
ram sen termo; a comarca tica em paz, achan-
do-se preso o eabepa do mitin. A cousa era
muito menor, do que pintrraui principio. En-
tretanto alo houve espalhafacte, nem paiaceada
as proridiafas qne so deram O Exm. Sr. Dr.
Venancio Usboa andn perfeitamente nesie nego-
cio, cdnVloda prudoiia cdlscrUplo.
\ assetnhla provinell coi tnua a dar sutos;
pout lem fsito aa preante ss;4o. Espera -se qus
sala deste marasmo, com a tiMoasto dos con-
traetes do Exm. Sr. Dr. ftionnio Maehado, para
a r&minafao gaz e abas*ri)Beafcx d'agua
capital.
VMMMa o mons pattmiets.
cnpacnlade da pnmei
beca liberal desta trra de botocudos, em objecto
to vulgar e defeiluoso, incorrer na excomunko
maior, e accarret ir sobre si o stygma de todo
orbe catholico, mourisco c judoo !
Desia descihid'i iranca o.Sr. Rosario se ha de
justificar...
O que. porcm, causou m:io olfato aos narizes
de milita gente, foi a baforadu de mi gpsto, com
que, o celebre pugirnm doclarou quo nao desvia
responder ao nosso amigo !
E' que o alto personagem j se osquecoa do
certo estudate pinga, que ahi se formou por
subscriproes, trazendo os supatos com tombos, e
cotovellos rolos, mendigando as sopas de seus col-
legas acadmicos !
-< Tmpora mulaMur el nos miitamur ni illis.
Contina a honrar-tne com sua symp.ithica
atiencao, o periulomjo correspondente do seu col
iega da larde.
O nosso Simplicio Agassiz da qne o bpede
de natureza dos gafanhotos, rom a differenea so-
monte dos ventos, que estes insectos noo usam.
Cada vez me conveneo mais, que o homem
anda s tontas, quanto aos negocios polticos des-
ta trra.
Agora d a chof inga do partido conservador
ao Exm. Sr. conselneiro Antonio Jos Henrique*,
Sic ha d izo anno* esti -iiizente 8a provincia, que
e den o ser I N3o esta mal achada.
Bem aviados estaran) os conservadores se li
vessem de esperar a palavra, alia* aojorisada, de
S. Exc, para resolverem os inipnrlanie* negocios
de seu parti !
.4/* t Coridnn, Condn, qaoil icmnl\ capeai !
O disliclo con BttU'iro multo ha-de apenar a
ilhargas na corte, qnando lr essa quarlata de
meu sympathico Cyrinrn.
< Siiigneui melhor do (uc eu eonhoce e apre-
cia o* serviros de S. Exc. o os mereeimentos dos
priociiaes meoibros de sua familia residente en-
tre nos; portante i intriga n3s pgn, o meu ca-
bnon para c MR rfe cnmnilio...
' A votac.o do gremio conservador, qnando or-
ganisou a direccSo do partido, manifestou ao Im-
perio quaes snas principar* influencias, na pro-
vincia, o quaes seus directores.
' E' exru*i 1), poi*,o meu sympalliico oshofar-
se, para mysticnr um fado ta'o publico e sabido,
no mundo poltico.
O distinelo c msellieiro jamis externon, para
seus amigos da provincia, semelhanle pretendi ;
e, seria duvidar do nqjn sonso, ,pie todos Ihe re-
eonhecem, se lal o hzsse, visto a incompallbili-
Jade que, sna resldenria na corte, Ihe aceareja-
ria para bem oceupar lo importante carg .
E' falso -jtio os direclores do paridlo conser-
vador, em eujo numero se conla o Sr. Dr. Leo-
nardo Meira, prestimoso irmao do Sr. conselheiro,
se opponham prelen-oes do su* familia na pro
vineia, do modo ano refero o articulista.
t- A chapa de montados provineiaes, que aca-
ba de organisar-se para o futuro biennio, prava
exuberantemente o contrario, visto como nVlla
acham-*e incluidos tres membros da mesma fami-
lia, um d.is quaes formado ainda nao ha um aono.
Se nao foi a grande influenciado Dr. Leonar-
do, junto aos seus collegas, di direrlorio, quera
obteve a inclusa) d'esto seu sobrinho na chapa
elle que poneos serviros aio latein feiioao partido,
nao sei entao a qunm dev.a atlrbuir semelhante
facto.
k Como explicar esta charada o meu dafruc-
tavet cahrion ?
> Nao entro na questan da cadeira de philoso-
phia, para a qual quer conduzir-mc o tal missi-
vi*ia d'agua doce, porque no desejo andar na
"trilha das inconveniencias, que elle percorreu
sem arreios e freo.
Direi apenas, que dada apresentaeao do Rvd.
Dr. Meira ao concurso da mesma cadeira, seria
difDcil, senlo impossivel, quo outro qualquer o
preterisse ex-vi da* hahiltajoesde candidato.
Pretender-se o contrario seria refinada estul-
ticia, senao rematada toncara.
Passo lambem, como gato por brasas, sobre a
apreeiaeao que faz o correspondente do meu esti-
mavel amigo Sr. Jos Maria de Carvalho Cesar,
cujos mereeimentos Individuaos sou o primeirb a
elogiar, dando como devo o seu a sea dono.
Estou certo, porra. quo elle nao prec*a dessa
encomistica ladainha, para spr apreciado pelos
seus amigos; portando, quera Ihe encomraendou
o sermio que Ihe pague.
Quanto as pilherias quo o meu inpagavel ca-
bnon dirigio-me, sao amtfos do Mnimo mal cria-
do, que despreso; porque cada om d o que tem
t E, por boje, sobre este assumpto, basta de
palestra.
O nosso mercado de godo tem sido snppn-
do com entradas regulares, eotando-se na aspee-
cao de ffj&OU a i39^or arrdba.
Des|charam-so esta semana os seguintes
narios :
Em 21, para o OnaL patacho ingtez Kitten,
e.nm 3, 15,000 arrobas.
Em 26, para Liverpool, patacho* hollandez
Ebenkmuer, manifestando 5i0 -acras de algodao.
Em %7, idom, barca ingleza B, com a oarga
de 1325 saccas dito.
Fieam carga nesle porto : para Liverpool,
os narios Stermann, Deodata, litogene. Feliz
U*{*>, Ilm*n Lnura, e para o Canal Laura.
BHio entrados de CahedeDo para carregar
os navio* Mire fl-/. S'im'i Rnrriet. o
REVISTA DIARIA.
ImWTO ARCHROliOaiCO eSSOGRAfHl-
s Che|o aa OrorrM *t 9^, precedMfe 4a 1.*WnIo-sa honient esta sniedadc, sob a
Nao bavendo mais na li a tratar, levanta-so a
sessao.
EX AME DE UAWUTACAOi-Por portara d>
Sr. Dr. director geral da "in-n uceo pnblica, fui
de novo transferido para 10 de novembro prxi-
mo, o exame do habilitarlo par o magisterio tio.
sexo femenino.
APOLICES,As apoees da divida publica ven-
dem-so na thesouraria de fazenda a Si por cento.
IMPOSTO} GERAES.-<:om o presente mez ter-
mina o prazo para o recelHin.iito, s- ni a multa do
6 por ceoio, dos impostes geraes de industrias o
proflssoes.
Este imposte snbstitutiv i da impasicao de 20
por cento sobro tojas, rasas de descont* i '.. etc. ;
e assim abrange em sna contpreheosao iodos os.
eslabeleeimentos de commercio, qualquer que sej;t
a sna denominarn, e-rackisivainente aV escripto-
rios deadvogads, medico*, solicitad.'ivs o tolas
as offlcinas.
GABINETE POI!TUGUEZ.-Por occasiao da res-
ta anniversaria da installacao d'esse e.-labeleci-
niento, no domingo 31 do corrente. estar elle
franqueado visita do publico das 9 horas da ma-
l ha ao lira da sessao magna, o da- 6 a* 10 horas
da noite.
PASSAMEXTO.Deu Itenlom alma ao Crmor,
apo* longos paladnenlos, a Esaa. Sra. D. Maria
Mirgarida de Freitas Barbosa, irmaa dos Srs. Freitas
Barbosa, propnelarios da t> |iograplia do Libei ai.
Era senbura de distindas qualldades, o de al-
guuia illustraco litterara. A' sua inconsolavcl fa-
milia damos nos-os sinceros pezanu s.
LEGADOS.Ten lo nos homem pnblcadumas
nota, que nos foi oh o puosamente offerecido "loa
legados deixados pelo Sr. Jos Ferreira da Sliva,
Magalhaes, acabamos de ser informados do res-
sentir-se ella do algonis inexactides, devidas
talvez pressa com que tomn o no*s> informan-
te : e sendo instados pela publieacao em lolum.
da* verbas testamentarias, damo-las om segui.la :
Ao Hospital Porluguez 2:000500
A' raen ir Maiiauna. Illhi do Sr.
Manoel Luiz G mcalves 2.0005000
Para aHorria de escravos de 1 a 3
annos 2:00000
Ao Sr. Jos Joaquim di Costa Leite 2:000*Jt
A' vnvas e orphaas pobres das \
freguezias do Recifo 1:600400
Ao Sr. Jo- Joaquim da Cosa Ivite 1 :oil'lil)0f)
A' llelarmina Maria da Coiv.vie) l:20i>5i!O
Missas por sea* paes, uila* na ma-
triz de Monean 1:00000
Ao convento d l'nln l:0O5(!O
A groja do E-piriio Santo 600j|il0n>
Missas por sua alma, ditas no con-
vento da Ptnha a .1501)0 ftOOsOOO
Ao Sr. Manoel de A/evedo Pontes 600500
A> Sr. Francisco da Silva Boa-
Vista 60040110
Ao Monle Pin Porluguez 500*000
A irmandade da Senh ra Miie dos
Homens 500100
Ao Sr. Manoel Miranda da liosa,
morador em Ipojuca {i005(XK>
Esmolas do 1S000 no* dias do scu
enterro, o no 7- dia 5004000
A seus lios moradores em Mmicao
que na caso de serem fallecidos,
ser applicado a missas por al
mas del les 400*00
A Antonio, escravo, do seu 1 les-
tamenteiro IOO5OOO
Masas por sua alma, no 7o dia,
20'i<) 100*00
Deixou mais os remanescentes, inclusive a he-
ran^a paterna o maierna quo tem a liquidar, aos
Srs. Jos Joaquim e Joao Joaquim da Costa Leite.
O fallecido era natural de MoucSi, donde veio
de tenra idade para esta provincia, cmpregamlo-so!
sempre no commercio de fazendas relalho, ten-
do sido caixeiro do diversos eslabecimentos, e l-
timamente o era do arraazera do Sr. Manoel Lua
Gonc.nl ves.
DINHEIRO.-O vapor Paran trouxe as Segnin-
tes qaantias :
Para a Bahia 2:607*040
. Rio de Janeiro 125:496*364
ESRAVOS.Vieram do norte, para serem na
Rio de Janeiro vendidos, 22 eaftavos, no vapor
Paran.
PORTOS DO SUL.Tira a mala hoje, as 3 ho-
ras da larde, na aluiinisirago do correso, o vapor
fttraa.
COMPAXHIA PEBNAMBUCANA.Mojo onhi-
1110 dia em que recebem carga os vapores Ipofuctt
e iflounrifte |ra os portes do aorta o sal confor-
mo o annuncio da mesma cotnpantiia.
MRaPaMAEsto vapor, da companhia Per-
nambucana, *eguio da Fortaleza para a Granja no
dia 23 do crrante.
TERRIVEL ANNUN(^.-Trenjo-aoe a mao ao
escrever o terrivri annuncio com qao depirarabs
no Jornal de FramfoH, annuncio qoobUvex mui-
10* dos que ehoram a roorte dos aws' achem
natural.
Eis o texto:
Por ordem superior se taVjdtheo a qneuv
solicitar o lugar oe carrasco, (jae-f ara exorca
es*as funceees ireeisa aprsentar dbas certinca-
dos, um de qualquer executor quo tttOBlai^M o
requerente reeeiie.u ensino pratica, e Nitro qne
iMHtenha a corti.iao da sua liabilidade. fcses do-
euiuentos seao snbmetlidos ad sapran tribunai
quo uomeir um commissario para examinar a
postulante. O fxame versara soorn" letora o as*
cripta, devendo o 1 eferente
1 Primo : descrever o supop" fl0Ct cw"
gar do pescoco qne o verdugo devo fcrir pan qaa

\
"!

i
aH~n
---------------------TawiMaMajanMMMMMMaaaaaaaaaaManaaM P


Pernambuco Sexta feira 29 de Outubro de 1869:

I

*
morte
ctelo.
RBU.VIAO DE 6EMHORAS.A associawMfl
senttoras para o progresso das ciencias se^H
teve a sua segunda sossSo ultimamonte ^f
Bristol.
Na sala d 15 conferencias estiveram presentes1
cento e fcineoeiita merabro), notando-sc cairo
mis Carpcnter o militas outras. seuh ira*, q 10 ja
e tem unearregaC de Irabalhos Tmp rante a ti
eomzressos dos annos precdeme*.
O orad ir principal do dia (pi miss BsibelU
Blaekweil, da Nova-York, que na America cxerce
Samedici na mu virtude de diploma de d nitor.
Miss Hla'-kwll fez ura I miro discurso sobre a
utilidade do estado da modicin polas mullieres, c
sobre a aptufto dellas para praticar essa arto.
Ha 20 annos que exorce a medicina era Nova
York, onde, com o concurso do sua irmia, mis*
Emiily Blackwell, que tambera adquiri o diploma
de d tutor, funiou uin hospital par mulberes.que
todos os anuos recehem, termo medio, sele mil
doentes.
Miss Blackwell declaren que a America tem
agora a experiencia do bom xito do estad a
da medicina pelas mulheres; c qiip o mime
to das discipular augmenta constantemente, cora
quinto no principio a npposiciio 10 exercicio da
-medicina por mulheres fosso all mais enorgica do
que em Inglaterra.
A conferencia duron tres horas.
NOVO CHIME EM PANT1N.A localidad* que
se tornu clebre pelo drama sanguinario que ha
pouco all foi representado acaba de ser theatro
de um n iva/rimo. Eis o que se l no Sicle, jor-
nal dH Pr(s :
us consumidores, que erara em nao pe-
inero s 6 horas da tardo, n> estabeleci-
^Mfr Sr. M, taverneiro, achavam-se Jo- G
o Nicolao L.
Estes dous homens. nprovcilando-se do mo-
mento em que o dono do ostahelori monto cstava
inuito oecupado em servir seus froguezes, apode-
raran-se de urna peina do carneiro, que um dei-
los ocrullou debaixo da blusa o retiraram-se de-
pois do lerem pago o que haviam consumido.
Um tal Julio B. linha visto a aecao que os
dons liavia n praticado, o sabia lo ao mesmo tem-
p*. que lies, disse-lhes :
Ola, amigos, a ceia osla nonte nao vos ha
de cusiar cara.
Porque diz voc isso ?
. E a perna de carneiro que tocos acabara
deroubar?
Ab I tu dste f disso, tu... Deixu estar
"que nao o has de dizor a iiinguein.
E inmediatamente os >m* individual proel*
pitara n-se sobre Juli) f., que procura resistir e
grita por soccorro. Algnns dos consumidores que
tinli i-n finado na tawrna acodera logo e ebegam
no momento ora que Julio B. cabe no chao, dizen-
do com voz ronca
Ai, que me mat.iram !
Os roce n-ehegados apnderara-se dos dous as-
aassinos e seguram-nos ; Julio I, levantado do
solo, coliorto de na e vd-se que e'le tem na garganta, enterrada
at ao cabo, urna faca, que tratara do Ihe tirar.
Sao {inmediatamente chamados dous mdicos,
que difli uniente consegnem fazer cessar a he-
morrlli.'ia, o Julio B., u'um estad) extremo de
fraqueza, transportado a sua casa. O foriraon-
to dos ni ais grave*. Segn lo o parecer do me-
so Julio est em grande perigo de vi la. Na i
pode inliear qual foi dos dous o que Me cnterrnu
a faca ni garganta.
t O* dous criminosos entregues jnstiea na i
negaram o ronbo da perna de carneiro, mas ac-
custm-se reciprocamente do crime coramettid u
contra o infeliz Julio B.
Koran entregues jusca orno acensados do
roub) seguido de te ilativa de h uuicidio.
IIESPA.YIIV. Dimos em seguida a circular,
3iij n general Prim dirigi aos capues generaos,
epoU.da promulgacaj da lei que autorisa a sus-
pensa i das garantas :
Exm. Sr.Autorizado o governo pela lei des-
ta data, para declarar em estado do guerra aquel-
la liarte do territorio da Pennsula, que jnlgar
conveniente ; e sendo indisneusavd dictar legras
em virtude das quaes po-sam as autoridades pro-
ceder com a anidada de arelo lio necessaria em
riiorii-tincias extraordinarias, sua alteza o re-
gente d i reino, de aceord com o conselho de mi*
lustros, arrio-so resolver o Reglate :
i. Pablicar V. Ese. o estado de guerra era
ledo o Mirto do disirict) do seu mando, qumli
se levantarem partidas armadas ou se declare em
rebeilio qualqner porco do sen territorio.
. 2. fi.....mo bando indicar V. Exc. um
praso de i8 boras, para que os meiiibros dos pat-
udos in^urienlos entreguen! as armas, (lanlo, se
o verificaron) dentro do citado praso, indultad is,
menos os chefes, ;ios quaes s se garantir a vida,
e os qne tenham eommetlido delirios eom-nuns.
a ).' Cuno consecuencia da deelar'Cao de es-
talo de guerra, asstimir V. Exc. toda a jurisiie-
rao em quanto se retira ordem publica, e m id *
julgad w pelos conseliios de guerra todo* es reos
dos delirios de rebejl "10 e sedeao, ilelinidos n i
capitulo 2., titulo 3 do livro 2. d-i cdigo penal.
4.* Com referencia ao que previne o ultimo
paragrapho do art. 31 da constituijao, ans reos
nao militares se Ibes applicar pelos coiisellios de
guerra, as nonas marcadas no cdigo penal, e aos
militares as indica las na ordenanca do exercito.
5. Su-oensas as garantas consignadas nos
arta. 2, 5.* e 6., e paragrapbos priineiro, segun-
do e terceiro do 17." da coiistiluico do estado, a<
sutorid ides militares dos declarado* ponUs un es
lado do guerra usaran das facilidades de que
licam revestidas, segundo o exijam as circuns-
tancias.
0. Contando eora o bom espirito e entliusias-
iii i de une se aeham animados os voluntarios da
liberdade, as anturidadea militares dos pontos em
-que os luja, por-se-ho de aecordo cora os# res-
pectivos alcaides, aflra de que aquolla b-nemerita
instituir i, com o su acreditado patriotismo, con*
tnba dentro da sua locaiidade para a eooderva-
rie da ordem.
Da acci enrgica e decisiva das autoridades,
e do rpido e aevero castigo dos culpados, depen-
do o prompto restabelecimentn da ordem, contra
a qual icaban de aUostar, appellando para o in-
mdi', para a dostrnijao das vus de curamunica-
cao, e para outros meaos reprovados o criminosos,
os que, era reduzi lo numero felizmente, se. levan-
tarara contra a soberana das cortes constitninles.
Sua alteza o regente do reino,'-qu-. conhece
os distinctos dotes de valor o intellisoncia de V.
Exc, espera que sabrr responder urna vez mais
cnnfi mea, que era 5. Exc. tem depo-itada, e
que prestar as presentes circumstaneias novos
s relevantes servicos causa da ordem e da liber-
dade. ,
D?us guarde a V. Exc. por muitos annos. Ma-
drid, 3 de outubro de 1863. Prim. Sr. capito
general do...
LOTERA.A que se ach venda, a 123' a
beneficio da igreja de Xossa Scnhora da Sol .
PASSAGEIROS.O vapor Paran, vinlo
Para e escalas, irouxe os seguintes :
Jos Tliomaz de Aguiar Pires Ferreira, 2 Hlhos e
-i criados, Jos ionijalvi's dos Res, Joaquim Jos
Ta vares, Andr Rosa. Joo Capistrano Honorio de
AAmu, Branciscp de Oliveira Cabral, Rxra. bispo
do C-ar, padre* Pedro Ch valier, frei Constantino
de Santa Maria das Anjos Jos Carlos Figueira de
Maboya. Inlio Cosar Paes Birreto, Govorinio Bolrai
de Vasconcellos, Samuel do Espirito Santo C,
Or. Antonio de Sonza Carvalho e 1 filho menor,
Manoel Maria de Seixas Borges, Geurge Biley.
Jolra Me. Kenry, T. B. Summerson, Manoel Gon-
cilvcs dos Reis, Jos Luiz Mach ido, Henriquo Al
ves Pereira de Maced >, Vctor Sauvage, Nicolao
Floren ca no. Angelo Vardy, 1 escravo a entregar
Gustavo Olympo de Miranda Fontoura, 1 dito ao
finir Pedro Chevalier.
Segunra para o snl :
Raymund<> Pedro Duarte Sonto, Josepha Mara
Coitinho, Dr. Juaqim Miguel Ribeiro Lisboa, Luis
4e Oliveira LodK, eapito Sebasliao Antonio do
Amaral, H y nundo do" Xasciraento Pereira,
ioiu flaptisiade Almeid Cousseiro, Bernardo Al-
ares Vianna, Francisco Joao S., Santero Alves dts
Santos, padre Francisc de Assis AJves Mues Mo-
reira, 1 cadete e 3 recrutas para o exerclo e ma-
rrana e II escravns a entregar.
O rapor Giqni, viudo do Aracajii por Pe-
nedo, troupe o* egurates :
D. Anua D"lm na da Sili" Borges, D. Maria do
Nasrimeoto da Silva Borgo*. D. Mara Calharina
de Oliveira o 1 fllha-, Dr. Eugenio do Barros S ra-
ra. Antonio d'Alnieida Gnicalves, Jo Martins,
Martirio M. M. Murky. Dr. Antonio Jos d'Alco-
via, sua senhora e 1 fl'lho.
'JJRurador d:. cqra,
o, Mi'ta, Diria, D):ninaiios da
lista o ouza Le-i), faUano o Sr.
Aluuida Albuqucrquo, abtio-so a
CRfados os feitos, deram-so os segurates jutga-
montos:
RRcunsos crimes.Recrreme, o juizo; recorr-
na.Mandou-se desoor para deligencia. leccor
renle, o juizo; reccorrido, Jos Antonio Man icl d
Monte.Relator o Sr. desembargad >r I) irla, sor-
teados os Srs. desembarga lores Souza Liao, Re-
gueir* Costa e Molla. lio proceden te.
II.vbbas corpus.Da Jacfutho Jos do Aorada,
negou-se a ordem.
ProhooacIo de iNve.\TAnio-*-De Jos di Cruz
Santos, cuneedea-?e.
Appellacirs crisiks.Appellante, o Julio; ap-
pellado, Maooel Fiancisco da Silva.A' novo
jury. Appellante, o juizo; appcllado, Juai Fran-
cisco Alvos.A'novo jury. Appellante, o juizo;
appcllado, Fragoso G. do QieirozA' novo jn
ry. Appsllante, o juizo; appcllado, B.;iedicio,
escravo.A' novo jury. Appellante, o ju zu ; ap-
pellado, Manoel Antonio Alves.A1 novo ju-
ry. Appellanto, Jos Galdno da Silva; app-dlada,
a jtistica A' novo jury. Appellante, u juizo;
appcllado, Mauool Tlieodoro da Silva.Iiaproce-
deute.
ASSAGENS.
Do Sr. deserabargador Gilirana aoSr. do-embar-
gador Guerra.Rovistacivel: reccorrenle, a San-
ta Casa da Misericordia de Santos; recenrridos,
Antonio Lourenco Dias e nutres.
Do Sr. deserabargador Guerra ao Sr. desjmbar-
gador Lourenco Santiago.AppeaSescivcis: ap
liollante, Luiz por seu curad .r; appellad-, u Dr.
Francisco Pinto Pessoa. Appellanto, Jos de bra-
za Nunes Braga; appellalos, FranciscoGuncalvos
Silveira c oulros. Appellante, Antonio da Cruz
Ledo; appcllado, Andr Maria da Conoet;;o.
Do Sr. desemhargador Lourenco Santiago, ao
Sr. desembargador Almuida AlbuJiiorque. Ap-
pelUn;oos civeis : appella-ito, Jos EpipnaiMO Do-
rio; appellada, a junta da Santa Casa da Miseri-
cordia. Appellau es, o curador da raassi fallida
de Amaro Goncalves dos Santos e CLiudi) Dou-
Deux ; apiiellado, Joaquim Jos de Miranda.
Do Sr. dcscuibargador MotU ao Sr. de:embar-
gador Doria. Appellacoesciveis: appellante, o
Dr. curador gcral; appellado, Manoel Joaquim
Baptista. Appellante, Joaquim Salvador Pessoa de
Siqueira Cavalcante; appellado, Jos Dommgue-
Vlaia. Appellante, Jos Felippo B. de M uiezes;
appellado, Andr Pereira Visgueiro de Arau-
jo. Appellantes, Mariao seus lilhos; appellado,
o tenento-coronel Joo T. Filgueira.
Ao Srs. deserabargador Djiningues da Sil-
vaAppellacao civel: appellante. D. Bonedicla
V. da Silva ; appellado, mo llbeiro P. de La-
cerda.
Do Sr. deserabargador Doria ao Sr. desembar-
ga ior Douiingues da Silva.Appelhcoos srjmes:
appellante, o juizo; appelIxLvBeriiardira.Mana
do Souza. Appellante, Anl/fio Caet.iuo C>olho da
Silva ; appellada, Narcisa, eserava.
ConOielo de inrisdicSo entre o juizo do direito c
o juz municipal da comarca de Porto Calvo.
Do Sr. desemoargador Domingues da Silva ao
Sr. deserabargador Uegueira Costa. Appellaca i
civel : ajipcllaiile, a parda Angola Mana por sen
cura Ior ; appelladJ, Domingos Virginio Fernaadcs
Farreira.
Ao Sr. deserabargador SouzaLeao.App Mlacoes
civeis: appellanto, loan Baptista da Cuaba Co-
Ib o ; appellados, Auna Ignacia e seus Bllina. Ap-
pellante, lenento-a ronel Luiz de Albuqaerqoe
Mar.mbao; appellado, Gervasio Jos da ^ta.
Do Sr. deserabargador Souza Leao ao Sr. d''s-
eiubargadorGilirana. Appellac,i.i civel: appellan-
te, Joaquim da Silva Costa; appellado I'iriniano
Jos Rodrigues Ferreira. Apuellacoes crimes:
appellanto, u promotor; appellado. LuitRodrignes
de Souza. Appellante, o juizo; appellad >, Jacob,
escravo.
Assiguou-so dia para julgaracuto dos seguiates
feilos:
Appkllacoes civbis.Appdlante.Franciico Aca-
cio Wandorley; apiellado, Manoel M. M n ten ogro
Pessoa. Appellante, Cleraentmo de II. Lima ; ap-
pellado* Josi1 Francisco da Cjsta Caraca.
AppbllacSss crimes.Appellante, o juiao; ap-
pellado, Paulino Jo- do Miranda. Appellante, o
: appelladns, Antonio Goduy do Va-concollos
e outr.i. Appellante,oprouiotjr; appellalos,Jos
Vicento Ferreira e uulio.
Dbligbmcias.C >m vista ao Sr. desemoargador
promotor dajustica.Appo(iac5cs crimes i ipael-
lante, Jos Francisco Lima; appellada, acsti-
ca. Appellante, Ioiu Pachaco; aopellad i, o Ju>ti-
i)a. Ai|iellanle, o juizo; appellado, Ilenediclo
Alves Mouteiro.
A' utna hora
lessio.
e meia da larde encorrou-se a
Relatorio.
CHROMC* JUMCURM.
SESO EM 21 DE OUTUB'IO DE 1869.
rauaoBNeu dj ex. sr. coxsBLaeao caetano
SANTUOO.
A* horas da awoljaa, prsenles 08 Srs. desem-
APBBSE5TAD0 A' ASSKMBLKl CSRVl. DOS AGCIONIS
TAS DA COMPAXIHA DOS TRtI.H IS URBANOS DO KE-
CiFE A OLI.NDA E 0EBERIDE, NA SUA REINIO DR
26 DE OUTUBRO RE IS9, PEO) SEU l'ni:3lDBNTB
JOS JOAQUIM A.VTUNES.
Srs. accionistas. Determinando o art. 13 dos
estatutos que nos regem, acnnvocat-ai da a-sem-
bla geral nrdinar a, sempre n >s niezos de abril e
outubro, fo esta reunio deliberada em seso da
directora de lo do corrents para satisfazer o pro-
coito do reforidj artigo.
Cumpre-nie, perianto dirigir-vos a palavra ex-
pirado com franqueza as occurnneias que se tm
dado, e o estado dos negocios da companbia que
nos estn confiados, desde 17 do agosto prximo
passa lo, data do raeu priraeiro relatorU.
Pela exposioai que vuu fazer observareis que
foram religiosamente ejecutadas as deliberacoes
que accordastes em sesean e traordiuaria de 3 de
setembro ultimo, comraunicadas por ollitio do Sr.
I* secretario, directora em dada de 4 do referi-
do mes, sendo:
a l1 que fosse a correspondencia dirigida para
a Inglaterra em portuguez e assignada por toda a
directora.
c .2o que se Oxease elTectva a (lauca exigida
pelo artigo 30 do contrato.
t 3' que fosse nomeado um guarda livros.
< 4 Analmente, que se eslabelecesse n escrip-
lorio no baii'jo de Santo Ant mi.
"DIRECTORA.
Foi chamado em 23 de. agosto c tomou posse era
28 do mesino interinamente, do cargo de director
em substituco ao Sr. Manoel Jo- Damas, o Sr.
Manoel Martina Fiuza, em cumpmncnto deiibe-
racao lomada na assembla de 17 do referido mez
de agosto; e, em coinequencia dademlwao dada
em otTJcio de 2i do setembro, recehiJo a 28
do raesino pelo Sr. Tbeo. Just.. no qual ofQcio,
apresenta seus votos do gralidao aos Srs. ac-
cionistas, que a elegeram pela c.nnUanca que
nelle deposilaram e pede perniisso para oc-
cultar os motivos que o cqagiram a derailtir-se
dando-se cuinprnicnto ao que dispoe ) art. 32,
dos estatutos, foi chamado para substituido, o Sr.
Jos Marcelino da Rosa, e declarando por ofTJcio
do 30 de setembro, quo aceilava, tomou posse em
o do correte ; espero, pois, que approvtis.
Assini, ficou a directora coraposta dos Srs. :
Jos Joaquim Antones, presidente; Manuel Mar-
tins Fiuza, vice-presidente; Joo Joaquim Alvos
I secretario; Jos Marcelino da Ro?a, 2' secreta-
rio ; e Jos Baptista Braga, thosoureiro.
A directora tem recomido aos cofres da com-
panbia as respectivas acco-s, satisfaieiido o que
dispoo o art. 20 dos estatutos.
ACaONISTAS.
Tem sido rcalisadas, as transferencias de 221
accoes, nos livros da companbia, e os cesionarios
figurara j na lista que se acha annexa.
Requerendo o Sr. Dr. Pedro Barba bo Ueha
Cavalcante para effectuar o pagamento das 2' e 3*
prestacoes de suas cinco acedes, motivan lo a sua
falta por ausencia no Rio de Janeiro, foi-lho defe-
rido, pelo que tendo enectuado estas n*estacdes,
ficaram smente compreheudidas as disposiges
do art. 8 dos estatutos 63 accoes, das ques sendo
realizada 1* prestacao de 50 % revertou em fa-
vor da compama 660J, que se acha na verba com-
rasso. Estas 65 acodes sendo annunciadas ven-
da, como deliherastes, foram vendidas, a diversos,
e anda est a reahsar a importancia ao 30, por
se acharem ausentes os compradores; nq entre-
tanto, posso garantir-vos que ser realis;do o pa
gamento n' Constara nutras tranferenc.as mais, portm nao
se tendo annexado o documento de venia.com o
ello nacional pago, ainda nao se legal i son nos li-
vro* da companhia essas transfereticas, d fien isso
oo figurara os e*> Foi pedida a 4* prestacao, de 10/. de 5 a 15
de eU'mhro prximo passado. e foi reeolhida
nesse periodo marcado, menos a importancia re-
lativa as filiad is 65jccCos, sendo logo recibida
ao Eofrlish Bank of Re de Janeiro Lnnilad, parle
de sua importancia, o a outra parte ap Jicad 3
despeas. ,
Acham-se pmmptas as aegoes e est se prce-
dendo a devida entrega. T.ces !oeie sid
assignadas polos actuaos s da directora
n data de 30 de >, at o a.
ii2-i, as 272 restantes vao qBninr--o. teri
demorado istoalim do /rollas (mnouie dos ces-
slonarios o levaro prov mdmenl a dala de 30 do
corrente. quando poderao ser assign3das.
N0ME^BS
Foram noi pregados :
J ao Martius ilo Andrade, parao cargo de guar-
da-llvf.
Jos Soares Pinlo Correo, para o cargo de deje-
nlina.
(liudin o Lopes do Ovoira, para o argado mes-
iro de trillns; sundi estes dous altiraos noraea-
dos polo Sr. BupoTintendonte.
SUPKRINTBMDKXCIA.
Contina este cargo a ser desemppnhado pelo
provilegiado cedente, Sr. Andr de Abren Porto,
satisfazendo sempre os preccitos do Io art. 30
dos estatutos em sua integra. As contas conti-
nan) a ser examinadas por utna comiaissao de
membros da directora.
CONTRATOS.
Os contratadores de 4,000 sollpas a 13600 rs.
as Cinco Pontos, Magalbaes Bastos c C., nao ten-
do querido sujelar-se a assignar contrato, de-
pois de torera fornecido 2U, participaran) que
quo nao ihss eonvinha forneccr mais por tal pre*
co, porque tinham prejuiz 1; finalmente, quo po-
dan! forneeero rosto a 1J800 rs., as Cinco Pon-
tas, ou a f#900 rs. na ra d'Aurora. Perianto,
acceitaram-se as quo se tinham reeebido, pagando-
so 397^809 rs.; sendo 234 a 1*700 rs. no arma-
zn), o G sem valor.
Resolveu-se abrir de novo a concorrencia para
4,000 s >lipas; at o priraeiro terrao cslaltelecido,
apenas concorreu Spi'ridio Barb-jsn da Silva, offe
recendi 3,f>K) ali'so) r-. pistas no armazem ;
at o segundo termo, pie liodou effl 40 de-te mez,
concorreram mais Adolpho M.eisrTt (;.. offerocen-
do urna quantidade uno nao dever ser inferior a
2,000 a preco de 1^800 rs. postas, porta do ar-
mazem : em sossu do 22 do rorteife. nomeou-se
urna coiuinissao composta dos Srs. Fiuza e Braga,
ouvido o superintendente, para tratar de fechar a
compra das solipaa necossarias, com esses dous
concorrentas, e na falta d-j quantidado sufllciente
se dever contratar o resto com Magalb3e3 Bas-
tos & C.
OBRAS.
A importancia despendida adiase demonstrada
110 moviraento dacaixa, aniiexo.
Alm do armazem da ra d'Aurora, estaquea-
uienlo de quasi toda a linha, trabadlos grapbicos e
estudos preparatorios, nada mais se lera podido
realisar, a despeito dos csforrus qne se teem feito,
por motivos que nao vos serio inteirainente estra-
nhos. No entretanto devendo ser assignada em 28
do corrente a li.inc.a que o prcvegiado-i'edenle se
comprometteu prestar de c mformidaue cora o art.
30 do contrato que elle celebrou com o governo
provincial, j seaclu em ariema'ai.-o a ponte dos
Arrouibados oreada em 8:051*1187 rs., cojo praso
se i'a de Andar a 30 do corrente, achandose tam-
bera j prompto o ere-amento das pequeas desa-
propriaooos 1 fazer, e enc.iria-gados.de tratar de
effectua-las os Srs. Alvos e Braga.
Vamos tratar agora das desappropriacoes dos
terrenos da rna da Aurora, sobre un dos quaes,
o quo pertence ai Dr. Manoel de Bwros Brrelo,
te a a directora urna caria do prapretario em
resposta a urna nutr que liie dirigi o Sr. thosou-
reiro, pedin 11 90*000 por palmo corrente, (acui-
tando ao mesmo lempo a permuta no ca-o de
convir isto directora, cora lantu que so Ihe d
ura terreno de esquina.
Desdo o dia '21 do corrento que Se acto) paga
lio. uja da cmara municipal para se aasentar os
11-1II1 os as mas da eidade o es-.iada-, permaneu*
teniente, e logo quo a direelnria tenia reeebido
certido da lianza, se dar coraeQj aos irabalhos
cora toda a actvidade.
Nada mais se tem podido abantar, nao s pela
demora que houve no ultirai despaeho do Exm.
Sr. vico-presidente da provincia, na prestacao da
flanea, 111 u tamlioui ,ielo que se dou na expedi-
eide encomraendas para Inglaterra.
Km raza) da ,iltor.n;ai qu! alllma. cmara mu-
nicipal fez era parte do projoelo da linha, fui essa
aiieracio subm-ltila appMvaco do governo
provincial era 5 do jun'io prximo passado e'des-
paciada era 2 do corrente, o quo soubem is a 5 do
referido moz, depois de t-r v litado o Hojelo cora
essa klloracao a [lima, cmara tresvezes e nutra-
tantas a direclona das. bras publicas, onde soffreu
aQiial urna outra alleraco pie ni polo convir
aos nleresses da companhia. T'nho esperana-
>le ver reformada tal desnaeb alteotowjo direilo
quo nos assisie. \
lista alteracao consiste m d.-shiriafao de ponto
de partida, 11,i 3. quarioiao |i detraz da ra da
Aurora, quandi se requeren anuas a appTOWCi
do trajelo pola ra de Santa Isabel da B >a Vista,
trajelo que a lllraa. cmara qtunicipal designo 1 I
("usta a acreditar que assiin so tenlia embaraza
do o audamenio de orna emprVia de tanta utiiidi-
de publica o engrandeeiment da provincia ; un-
os factos que provara csses embaraces ahi estn
bem patente-.
Finalraento, da maneira em que est concebido
o despacho, observa-so quo, para a machina che
gar ra da Aurora (annde poder tomaros p is-
sageiros) dever entrar antes na estacan que oVve
ser no lugar designado para poni de partida,
para fazer a mudanca c assim conduzir o trom de
frente ; no quo ha grande inconveniente, nao s
pelo terapo neeessafio para essa evoluco, cuino
porque desse modo nao podendo o macbiutsta d;-s-
cobrir a linha pode acontecer que os desa-tiv-
sejara com fjrequeneia, por mais habilitado e vi-
gilante que soja o inacbiiiista.
Por isso (eremos ainda de replicar, o igualmen-
te porque, pela decisao de S. Exc. nao peder a
empreza passar com a linha para o bairro de San-
to Antonio, como Iho c>t marcado, licando assi n
multo prejudicadee os interessea futuros da cora-
panba.
Os embaracos oppostos fianc-a, terminaran!
em 21: do ve ella ser assignada era 28 do cor-
rente.
A demora na expedicao das enconimendas, o
recebniento, era 27 do prximo passado, da carta
de il do agosto ultimo, q 10 o ex-ageaie da com-
panhia Baiduin von Bartles de BradfordYork-
sbiro, dirigi raosirando-se sentido por nao ter
sna disposieo em Londres, a importancia aprox-
niada de todas as cncorameodas, o informando-que
apenas tinha contratado com Manning Wardle
& C., de Leedsurna inacliina'por 930e que
depois do Ihe chegar novas reme-sas contratara os
Irilhos quando j estavatn dous crditos na caixa
matriz do Kuglis B.mk of Rio de Janeiro Limited,
n 1 importancia de % 3,500para Ihe ser en-
tregue depois'de embarcadas as encomraendas e
devintamente seguras; isto pois, fez-no* tomar a
resolucao de retirarlhe as ordens o da Tas res-
pelavol casa Jos Prs. Samuel Power Johnston & C,
0 que se levan a elfeito era 29 de setembro prxi-
mo passado, dando logo ordem para ser aquella
sorama do i, 3,500 entregne casa chefo de Li-
verpool dos Srs. Samuel Johnston t Ce mais
de 1,500que seguio por meio de um outro
crdito, pelo vapor de 15 desto mez, com ordem de
poder osta casa saccar sobre o referido Banco.
A commisso estabulecida de 7 1/2 por cento
peja imporlanea que se pagar aqui e*> por cento
peto que se pagar em Londres.
A directora assignou um dr-cumento be respon-
sablidade por 20:000000 sem o caracler de di-
rectores, cada um dos membros por si, ou um pop
todos.
ltimamente em 12 do actual, receberam-se I
cartas de B. von Bartles de 22 e 93 de setembro,
avisando ter contratado 300 toneladas de trilitos a
7,16, e que fleava contratando mais 200 tonela-
das a embarca' em 5 do correte ou at este dia,;
rcspondeu-se-lhe que se eniendesse com os Srs.
Samuel Johnston c C, do Liverpool sobre as en-
comraendas da companhia; inaadando-se-lhe pa-
gar a commisso a que elle tivesse direilo pelo
sea trabalbo.
ENCOMMENDAS.
Apenas so mandaram aproinptar mais duas ma-
chinas n is condict,-5os da priraeira, aguardando os
fabricantes a chogad aqu da priraeira para se
observar se ha alguma att-raco a faser-fe n'ellas.
Tambera so mandaran) vir os sobresdentes io-
dispensaves oara essas machinas.
TRABALHOS JDICIAE8.
Nenbum outros se teem feito, alem das prepa-
rativos para a prestacao da Cunea.
BALANCETE.
O que esta annexo fechado mista data, aprsen-
la a sorama total de 325 650*000 de acuno e igual
nomina de passivo ; o moviraento da caixa apre-
vena recebida sorama de 93 0504000 e tendo-se
despendiao de 88:871*130 resuda um saldo em
caixa de 4:178*870 em moeda corrente.
A infinfdade de obstculos que nos teem ante-
posto, nao nos faz esmorocer; ao contrario cada
vez nos aninurfio mais ao cumprmento do nossos
deveres."
Teaho terminado a exposico qne me incumbe,
far.r-vos na|nalidade de pret-idenle da directuru
sobre o estado dos negocios da companhia ; e nio
comportando a natureza dcste ira bal hi
viincuto de maiores dotalhes; de botn
iarei na presetr.0 reunio, quae-quer ii
qne careeerdes, para apreciar bem os faeti
consifnados, i' melhor esclarecer vosso juizo acerca
da marcha administrativa que elles revelara.
Pernambuco, 86 do eutubre do 1869.
Jos Joaquim Anluncs.
rf^wr Presidente.
BALANCETE EXTOAHfDO DOS L1VR03 D.V
lOHPANIIIA DOS TRiLHOS URBANOS DO RE-
CIFE A LI.VUA E DESBEBE.
ACTI
Accionistas.
Saldo desta conla..... 177:800*000
Privilegio.
Importancia desta opn-
la................ 36:800*000
ralas corren tes.
English Bank of Ro
de Janeiro Limited,
di ni io i 10 era deposito. 68:702*930
Andr de A. Porto, su-
peritendente: dnhei-
ro para despezas.... 909*911
Conta de conslruccao,
dinheiro despendido. j.430*660
Mauool Luiz da Veiga,
solicitador : dinheiro
para despozas...... 810*000 75:244*501
Despezas Geraes.
Importancia desta con-
ta................ 6:555*029
Utencilos.
Importancia desta con-
ta................ 871*000
Depsitos.
Valor nominil de 25
acedes despostadas
pola dirwloria...... 25:000*000
Caixa.
Saldo em moeda cor-
rente....,......... 4:178*870
S. E. dt O.
Capital.
Importancia do capital
subscripto.........
Direcioria.
Valor nominal de 25
accoes depositadas..
Commisso.
Importancia da 1* pres-
tacao, de 5 % rela-
tiva a 65 accoes. ...
S. E. A O.
PASSIVO.
325:650*000
300:000*000
2o .000*000
050*000
325:650*000
llecife, 26 de outubro de 1869.
Joao Martin t de Andrade.
_____________Guarda-livros, da conipanhia.
PUBUCACOES A PEDIDO.
CGMMHIR

PHAU4 DO BJSC1EB 23 DE OUCUORO 1
DE 1869.'
AS 3 1/2 BOTAS DA TAnOK.
Assucar bruto americano3*200 por ISkil.
Assaearda Paraliyba 225 r. por kil. posto a
bordo.
Algodao de Pernambuco I" aorte 959 rs. por
kil.
Alguaio de Pernambuco sera inspeccSo885 rs.
por kil.
Algod&t da Parahyba rom inspeceo 1*014 por
kil. posto a bordo, frote 3|4 d. e 5 0|0
Camino sobro Londres 'JO d/v. 19 5|8 d. por
1*000
Descont de letras10 010 ao anno (hontcm).
Dito de ditas11 c 12 0|0 (boje).
tf. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secrotario.
Socedade bancaria era com-
mandita
Theodoro Simn f C,
Compram e vendem por conta pro-
pria melaes, mooda nacionaes, e eslran-
gi'iras, tetras do cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontara letras da lena e outros ti
tulos commtrciaes.
Encarrtgarn-se por conta alheia das raes-
mas transaeces, da cobranga de letras da
trra e de oulros ttulos commerciaes.
Roceb m quaerquer quaniias cm depo-
sito, em conta corrente, e a prazo liso.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEGa.
Rondimento do dia 1 a 27 .
(dera do dia 28.....
904:3714103
48 414*537
953:785 640
fc Regueira Ramos, Jos Bei Dr.
^eopomlno Antonio da Ponscca, Dr. Malaqnias An-
tonio Ouncalves, Manoel Cesar de S.i, Manoel Ma-
.ria Rodrigues do Nascinunto, Odnrico da (amara,
Palmeiiarfi Bellrao. I'anlo i.y> de Oliveira (2),
Severino Rdieiro C. Monteim, Tboraaz Carvalho,
Tarpino Silveira do Sonza Magalbaes, Vicente I,
'da tsta Carvalho, Or. Virent" Pereira do Rejo.
lanpe^co lo arseul de
mnrlaiha.
* Taz-se puilico que a commisso de peritos,
examinando na forma determinada no regulamenlo
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, o casco, machina^ caldera, apparelbo,
mastreacn, velartie, amarras o anearas do va-
por Mandub: da companhia Pernamburanadena-
vegacao costera, achou lodos estes objectos em
estado de poder o vapor navegar.
Iuspeccao do arsenal de murinba de Pernambu-
co 27 de outubro de 1869.
O inspector,
______________H. A. Birbosade Almeida.
Correio geral
Pela adn.inistracao do eorroio desta cidado se
faz publico a quem interessar pocsa, que nao se
demorando os vapores da corapanlua Mes-ageries
ne-te porto em seu regresso do Rio de Janeiro, o
tempe preciso para se fazer a expedicao das malas
com diVccan Europa, tem resolvido que as ma-
las se fediein as C horas da larde do dia anterior
ao da chegada dos mesmos vapores.
i
0*r. Antonio CJozneuXetj e
.Hatermis K Respondcndo a declarando do Sr. Antonio Gomes
.Vello publicada nesto Diario de 26, conllrmando
o me escrevi a 21 c foi publicado em data de 83
do correte acerca da propriodado, cojos singue-
res me asilo adjudica los, e o Sr. Gomes Nette
vendeu ao governo da provincia. Nao fui inexac-
to, o Sr. Gomes Xelto !
Inexacto, e milito inexacto o Sr. Gomes Xotto
alardeando ter deposita o aquantia em questao,
antes de realisar essa venda, .d quantia em
iiiietto importancia da execucao, superior a
rs. 2:000*; o Sr Gomes etto deposiloii smente
a de rs. 1:738*250 (segundo diz o escrvo), que
alias est subordinada a deducao de porcentagens
do deposito, e assim diz haver feito a 23 do cor-
rente, dous dias depois do era que eiitregnei uieu
annuncio ao prlo, era consequenoia di leilura da
Ikvtsta Diana de 20, e do Jornal do Recife do dia
21 noticiando a venda dessa propriedade ao go-
verno da provincia pela quantia de 25:0.K)3.
Se liouvo pois inexactiiiao esta me nao (leve ser
attribudi, cumprinlo cntretann advertir que ao
ler a declaiaco do Sr. Gimes Xelto dirigise o
mea procurador ao cartorio alliii de verificar se
essa uiesnia inferior quantia achava-se depositada,
e nao encoiitrou us autos o respectivo conheei-
inento de deposito.
Alera de que, o Sr. Gomes Xelto nao reqnercu a
oiit.igein dos autos; fieou abaixo da importancia
da execucao, c como falla era deposito da quantia
en) quc.-tao ?
E' ser demasiado exacto. Em ultima analvse.
ignora va que o mou devedo-, ex-socio do Sr. Go-
mes X 'tto, bouvesse traspassado a ete aquella
propriodado. obrigando-so o Sr. Gomes Netlo ao
pagamento de cus dbitos, e por isso liz penhorar
os ren Jim uitos da mesma propriedade, os quaes
conf irme ja o aisse mo'foram afraal adjurados.
Agora, porm (pie o Sr. Gomes Netto vende a
propriedade ao governo c embolsa a quantia de
25:000* i.o Ihe de corto airoso o del uigar o
pagamento de ura deblo a que est obrigado pela
propria esc iutura que exhibe para provar o seu
direito de proprietario.
Sirvatn-se, senhores redactores, de dar publici-
dado a estas trabas do seu assigaante venerador c
criado
M. Lenz.
%sseiubla provincial
Os nonios que infra escremos, es;."to no caso de
merecer os suffragios do 1 districto.
Exm. bar.io de Mu ribera.
Dr. Ignacio Joaquim de Sonta Leao.
Dr. Francisco Pires Hachado Portella.
Ur. Francisco Loop ildino do Gusmo Lobo.
Dr. Joaquim de Aquiuo Fonseca.
Dr. Francisco Teixeira de S.
Dr. Manoel Arlhur de Hollanda Cavalcant.
Dr. Cypnano Fenelon Guedes Alcoforado.
Dr. Miguel Jos de Almeida Pernambuco.
O abaixo assignado leudo no Diario de Pernam-
buco do da 27 de outubro corrente, n. 2i6. o an-
nuncio de Jos Vieira Goncalves Guimaros, pre-
veuindo aos seus credores, que nao pagnem conta
alguma ao abaixo assignado, depois do dia 12 de
agosto era dame, dia era que dexou de sor cai-
xeiro da casa ; avista, pois, do um tal disparate
ou contrasonso do annuncante, parece que nao s
quiz desmoronar a reputacao do abaixo assignado.
como mearan parece querer repetir a eohranca de
seus devedores, que porventura tenham j pag >
suas cuntas, depois do dia 12 de agosto prximo
passado para c ; visto que, tendo o mesmo abai-
xo assignado procuracao bastante do annuncante
Jos Maria, por ella'tem reeebido algumas quan-
lias, como anda n(> dia 4 de setembro ultimo Ihcs
entregou a quantia do 143*380 res e Ihe den con-
ta de'il devedores que pagaram, e como nao se
peja do dzer que nao levar em conta qualqner
recibo passado pelo abaixo assignado depois do
d a 12 de agosto ? Ou o Sr. Jos Maria Goncalves
Vieira Guimaries perdeu a cabeca, ou entilo est
dispo-to a ouvir as censuras, que o mesmo pu-
blico queira formar de sna pessoa ; cuja procura-
Cao cima Ihe foi remedida pelo abaixo assignado
no da 21 de outubro corrente com 23 contas por
liquidar, em virtude de sun exigencia, por sna car-
b. de 80 domesrao cratitbro andante, como se de-
monstra pela sua propria carta que abaixo vai
transcripta, para que o mesur respeitavel publico
avalie a almdade com qiu< se arrnjou o annun-
cante trazer ao publico um annuncio infamante
snente para si proprio ; quando todo e qualquerl
recibo, que porventura baja passado pelo abaixo
assignado desde o dia 12 de agosto at 20 do ou
tobro corrente, esto validos e legalmente passa-
dos, e era seu intero vigor, para aquellos devedo-
res que tiverem pago ao abaixo assigoao etc.
Segue-se a transcripto da caria do dia 20 de
outubro corrente :
Sr. Joaquim Goncalves Vieira Guinares.Per-
nambuco, 80 de outubro de 1869.Faca o favor
d< inmediatamente entregar-me as contas quo Ihe
entreguei para Vmc receber, e a procuracao que
Ihe passei, e prestar-me contas dos dinhriros que
lem reeebido at hoje, pois nao me convm mah
estar d'esla forma, pois j vio dous mezes que
nao me d conta do recebimento nenbum. Nao
d'esu maneira une se procede ; espero que nao
llavera demora de prestar-me contas, e souDe
Vini. venerador e erado, Jos Maria Goncalves
Vieira Gumaraes.
(Est reconhecida e sellada.)
J v o respeitavel publico, ou quemar inte-
ressado saber da verdade, o despeito com que ou-
sadaumnte etc___
Recife, 98 de outubro de 1869.
Joaquim Goncalves Vieira Gumaraes.
Pede ftovio de Hollanda Caval,
canli inora v ih* Canoa ou sitio do Meio-
ino de fi; i mi ;. nu de Barreiros, qu<* di*
a a esta cap;' '.. ;< ea-a nade exL-te ura filho
a tratar de i. *. is sobre elle: sendo que
nlopossa nra portador especial.
aflm de Jho mandar njsa carta demeastrando o que
M0VIMEXTO DA ALFANDEGA
Vol umes entrados com fazendas 300
dem dem cora gneros 800
* ------1100
Volnmes sabidos cora fazendas 196
dem idem cora genoros 200
------396
Descarregam hoje 29 de ontubro
Vapor inglezt-Amazonfazendas.
Barca inglezaHermionemercaderas.
15area porluguezaGratidodera.
(tarca portuguezaSapphirndem.
Rriguo portuiiuezColeledem.
Barca nacional Adelaide tabeado.
Uarca inglezaC< rutnrut haealh\
Barca heapanholaCentro de Exporta3a~-vlnhos
ItfiCEBEUHlA DE RENDAS iNTElUlAS fc-
RAES DE P'.CitXAMBL'CO.
llendiraento do dia 1 a 27 94:7384271
dem do dia 28..... 5.619*348
10O:3576l9
CONSULADO PROVINCIAL
dendiraento do dia 1 a 27 81:039*5%
dera do dia 28....... 3:889*146
84:9283742
MOVIMEHTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 28.
Para e putos intermedios--8 dias, vapor brasilei-
ro Paran, de 8 0 ton I idas, comuiandante Mo-
mea, equipagein 62, carga varios gneros; a
Antonio L. de O. Azeved i A C.
Penedo eportos mtermedios4 dias, vapor brasi-
leiro Cequia, do 218 toneladas, eommandaote
Azovedo, e*|nipag)rai 89, era lastro; a compnnbia
Perniuibiicana.
Navios sahidns no mesmo dia.
CanalBrigne inglez Gtaucus, capitn Pe(er Cur-
rier, carga assucar.
Havana- Sumaca hespanhola Prompi. capitn R.
Rodrigues, com a mesma carga que trouxe de
Montevideo.
CanalBrguo inglez Phanton, capito William
Maslers, carga as-ucar.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda desta provincia manda fazer publico que em
virtude de ordem do Ibesonreiro se.io vendidas
nesta thesouraria dora em dianle as apohees da
divida publica, a 82 0|0,
Secretaria da thesouraria de fazenda do Per-
nambuco 26 do oulubro de 1869.
Servudo eollical-niaior,
Manoel Jos Pialo.
Peante o3r.jo.iz de paz do Io districto d
Ir.-giiezia da Boa-Vi-la, se ha de arrematar no di
30 do corrente, as 4 horas da la- le, diversos Iras
es e urna pequea porfi do lonca, penhurados
Marianna Is bel Jauey, por execucao de Antonio
Romes da Silva.
Paco constar a quera eoovier quo o llana
Sr. Dr. director geral uterino tera espac-ado para
o da 3 de novembro prximo futuro, o exame. de
habilitacao para o magistc/io primario que devia
ter lugar no da 25 do crreme. As scnhoia-
que qnizerem fazer diss exame devero Bserever
se nesta secretara at o dia 2 do me-mo.
Secretaria .la instruceo publica do Pernambu-
co, 23 de outubro do 1869.
1 O secretario,
______________Aureltano A. V. de CarcHio.
Conselho do compras
uavaes.
0 eon.-elho contraa no da 29 do corrento mez
sob as condiccSes do estylo o a vista de propostas
recebidas at as II horas da manha a compra
dos objectos seguintes:
24 leixe- do arco de ferro para pipa de 2/8 a
8/8, 2 bules de ferro estn hado 12 libras de cera
era arenles, 10 arrobas de cebo era pao, 1 peca
de cabo do como do 3 pollegadas contend 60 lira-
Cas 120 bracas de corrente do 1 1/2 pollpgada
reforcada, 20 arrobas do estopa de algodao,"$ ar-
robas de cstanho era verga. 20 pelles de marro-
l'iiin encarnado, 8 arrobas de merliin, 8 ditas de
mialhar branco. 400 ps do mangucira do sola
crayada para bomba de incendio, 10 libras de
obreias francezas, 2 oculos no alcance, 2 pecas
de tapete, 6 tinas de baldeacao com 3 1/2 palmos
de altura, 3 1/2 de dimetro na bocea e 3 de dito
no fundo, sendo os arcos fortes, 2 terrinas de fefro
estanbado, 20 tira-Irahas, 1.000 tij. los de fogo e
20 arrobas de zarco.
Sala das sessdes do conselho de compras navaes
26 do outubro de 1869.
O secretario
_____________Alexandre Rodrigues dos Anjos
Faculdade de Direito
do Recife.
De ordem do Exm. Sr. director interino faco
nulr'c), que no dia 3 do vindouro comecaro os
exames" preparatorios, e desde j est aberta a
nscrpcao para os pretendenles aoe mesmos exa-
mes.
Secretaria da Faculdade de Direilo do Recife, 88
de outubro de 1869.
O secretario,
^^^^_______Jos Honorio B. de Meuezes.
GORREIO GERAL
Retacan das cartas registradas vindas dr. snl
pelo vapor Cruzeiro do Sul para os senderes
abaixo declarados :
Antonia Barbosa de Freius, Antorio Maria (Fer-
nando), Antonio Pinto B de Atevwn, Antonio Pi-
res Ferrelni, Domingos Antunes ViBaca, Francis-
co Antonio Vieira da Silv, tenenle csroiwl Heme
leo Jos Velloso da Silveira, Justino dr. Silva
Boavista. Dr. Joaqun) H. de Arauj, Joaquim Jos
Goncnlves lleltrao (2), D. Joanna P. Seve Navarro,
Joo Baptista Guimaiios, D. Josepha Francisca
AVISOS MARTIMOS.
COMPAIMI1
DAS
Messagcrics imperiales.
Ate o dia 30 do corrento mez, esperase dos
portosdo sul o vapor francez Navarre, comnan-
dante Masseuche, o qual depois da demora do cos-
tume, seguir para Brdeos, tocando em Daker
(Gove) e Lislioa.
Para conducoes, fretcs e passageiros trata.se na
agencia ra do Cororaereio n. ',).
CUHPAIIA B&WE1H
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do ul esperado
t o dia 9 do corrento o vapor
Guar, commandantc o Io te-
nente P. H. Duarte, o qual de-
pois da demora do coslume se-
guir pira os luirlos do wu
Desde j recehem-se paSfieiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada nu dia deuntchegada, Encommen-
las e dinheiro afrete at as dr.as horas do dia da
sua sahida.
Nao se recebom.como cncommendas seno ob-
lectos de pequeo valor e qne nao excedatn a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
cao.
Todo que passar (lestes limites dever ser
embar-ado como carga.
Previne-so aos Srs. passageiros que suas pas^a-
ens s se recehem na agencia ra da Cruz n. ;7,
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
\zevedo & C.
)
Compauhia americana c brasilei-
ra de paquetes a vapor.
Al o dia, Io de novembro esperad dos por-
Ina do sul o vapor americano Notlh America, o
qual dermis da demora to co-tnine, seguir para
New.-York| Para e S. Tiloma--; para frotes e pas-
sagens, trata se com os agentes Henry Forster
& C, ra do 'lommercio n. 8.
COMPANHIA
1-ERNAA.MBUCANA
DE
\avesi5o osteica por rapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Ccar, Acaraci e Granja.
*jji O vapor Ipojura, commandante
_^fl M tura, seguir para os portos
raHHaf cima no dia 30 do corrente as 5 horas
la tarde. Recebe carga at o dia 29 encom-
nendas.e passageiros e dinheiro a frele at as-
uraras da tarde do dia da sabida no escripto-
rio no Forte do Maltas n. 12._________________
COMPANHIA PEHNAMCAA
DR
VaTegacSo eMteir por vapor.
Fernn rio.
rjl Silva seguir para o porto cima no
aannB'lia 6 do novembro ao meio dia Rece-
be carga al o dia 5, encommendas, passageiros e
dinheiro a fretes.-ni as 10 horas do dia da sa-
hida ; no escriptorio do Forte do Mattos n. 12
BAHA
O palhabote Garibaldi, cap'tao'ljBjBtodio Jo*
Vanna : a tratar r >m Tasso Irmaos.
Para o Porto
segu com brevidade a veleira e nova barca por-
tuguesa Isolina ; para carga e passageiros, para
os tpiaes (om excellentes comrandos, traia-se com
os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C, ra da Cruz n. i17, \ andar.
PARAO
sahir com a possivel iirnjJH
luguex Via far; ten
nara resi
David P altar, roa ao
o caplfio a bord
Mil I
Issl
H
f
I

COMPANHIA PERNAMltCANA
ni:
\avcgacao cosleia p>r vapor.
Macei escalas c Penedo.
O vapor Jmjitarioe, comman-
dante Guilberme. sesruir para os
porto? cima no dia 30 do corrente
as horas da (arde. Recebe car-
pa at o dia 29, encomraendas,
passageiros e dinheiro a frote at as 2 horas da
tarde do dia da sabida : escriptorio no Porto do
Mallos n. 12._______________________________
COMPAMA BRMKDL.
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 12 de novembro, o vapor
Crnttira do :"/, commandante J.
P. Guedes Ale.dorado, o qual
depois da demora do custurae se-
guir para os portos do sol.
Desde j recebem-se passaseros e engaja-se a
sarga aneo vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no diado sua chegada. Iracommen-
las e dinheiro a Brete at o dia da sua sahida as 2
doras.
Nao se recebem como oncommendas seno ob-
lectos do pequeo valor oque nao excodam a duas
irrob,asde peso ou 8 palmos cnbieos de medican.
Tuuo que passar destes limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Prevne-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sngr-ns s se receben) na agencia rea da Cruz
n. 57 primeirn andar, escriptorio de Anh nio Luiz-
de Oliveira Azevedo & (].
Rio de Janeiro
Para o referido porto sahfi com toda a brevi-
dade o lugar nacional Francisco recebe carga
a freto : quem nelle quizer carregr pode caten-
der-se cora o sen consignatario David Ferreira
Bailar, ra do Brum n. 92, ou cora o capo do
dito navio.
<
\


t
' -
r"~"
7
Ata
Porto de Gafi!
dar.
O vapor Parakyba, coramandahte
para os portes cima ne da 31 do corro,
meia noile. Rec cncuminenda*. passagra-
ros, e dintteiro a fretes no cseriplorlo do Porte dn
Man s n. 12.________ .
Rio do- Janeiro,
- Para o indicado porto, pretende ( eguir rom mu-
ubrevidadea barca porluguea S.JoJ, por ter a
maior parte de fea carregainento engajado ; c
para n resto que Iho falta, trata-so rom o ct
nataro Joaquim Jut Gonealves Beltrao,
Commereio n. 17.
Sexta feVa 23 de Qulubro ie I8C9
3
*

ra do
Porto e Lisboa
Smn para o Pwrtn eom c cala por Lisboa a
barca pnrtnguaia Saphra; mr carga o passa-
geiros tratase com us consignatarios Tiiomaz de
Aquino I'onscca & C. i na do Vigario n. ID, ou com
o apit) na praea.
LE1L0ES.
Armafjiio e gneros existentes na
taberna sita ra Imperial n.
181, era diversos lotes.
O agente Puntual competentemente autorizado
pelo llltn. Sr. Dr. juiz municipal de re-id:os c ea-
pellas, fondera em leilao ajmac.lt o g-'iieros da
taberna acuna, sendo o leilao om diversos lulos;
notndole une a tobera* adiase bem surtida e
os gcuoros sao todos botos.
hoj:.
O leilao devera ter lugar na mesma taberna s
10 horas.
-
LE1L40
Da armado, gneros, feragens e miude-
za do tuna Liberna sita nos Apipneos.
O agente Martins far leilao por despaeho do
illm. Sr. Dr. juiz Je orplos, da annacao, gone-
ros. ferragen* e miodeza* pertenecntes ao espo-
lio de bifloro dos Anjos da Porciuncala.
HOJE
No mesmo estairelecimeato as 11 horas do dia
na povoaci d is Apipucos.___________________
t*
tn\'d ule, as 10
lia, no palacete do pateo de S. Pedro,
iflm do traiar-se de assuinpto previsto pelo 'artigo
3 3- e 9
Secretaria da assombla geral da sociedade Be-
neflcei.tc Dezesele de Janeiro 27 do outubro de
1869.
Alvaro Caminha Tavaros da Silva.
Io secretario.____________
Da-se l:ti0)300i) a> juros de 2 0|0 ao inez
sob bypotheca : a tratar na ra do Mondego, ota-
ria n. 13.________
"*" PEDIDO A' POLICA.
Commvcndo um crime
Ausentou-sc o nicu cscravo Lauriano, conheci-
do por Mi, erioulo, com itlade de 39 annos, de
bigodo, seeco, canelltf Moas, alto, i caiador o ca-
noeiro, tem pai forro de nonio Francisco e mora-
dor na Estrada N iva, lenu orttdo calca de estopa
o paletot preto, deve ter mudado de roupa, o cun-
duzio ain Hlho de nomo Laurentino, forro, que es-
lava em mea poder aprendeado o ofllcio do sapa-
toiro, tem 12 anus de idade, com es pos muito
a tal helados e becuS grandes, cahido o de baixo,
devem e-tar asilados em alguna risa, mi seguirn)
para o mato, o:i em alzuma barcada como forro,
e protesto proceder contra quem os liver asilado :
ruco a polica e aos capitaes de campo do os ap-
prehender, que pagare] o irabalho ; e leva- os a
cidade do Weeife, ra d Mondego, olana n. 1J.
Marcelino Jos Lopes._______
0< proprielarios da imperial fabrica de cor-
veja pa do Sebo n. 25, pedom as possoas que
possuem vales emittidos |.elos abaixo assignalos.
oquivalentes a urna garrafa de cerveja cada om,
de virem receber sua Importancia ou troea-lo< por
novos vales al "o llm A> corrente anno, do contra-
rio flcarao sem efteito laes vales daquella poca
em dianie.
Henry Leiden t.
Irtnaudadc de Nossa Stfuhora Mai dos
Homens, erecta na greja da Madre de
Dos.
Pelo ur-sente sao convidados todos os irmaos a
compareccrcm no consistorio desta igreja domingo
31 do curenle, as i boas da manha, parase
proceder a eleicao da nova mesa regedora._______
Sr. Vietono Bornes Jnior, engenheiro do
vapor Jagnaribe, tem urna carta na ra larga do
Rosario n. 44. __________^_
^Bito-:- m lo provino aun
blico juo ninguem contrate negocio aim.'o com
os bensdeixado por fflleeimento de Mino Ani-
zio de Paria, e do sua rnullier Delllna dos Praze-
res Li na ; tambem fallecida ; cojos bens soacham
em poder de Manoel Caetano Cyriaco e sua mu-
Iherlf nez de tal, moradores na cidado do Goyan-
na, isto por constar ao annucianlo ter o dito Cy-
riaco "endido a oscrava do casal, de nome Lau-
rehtioii, a Antonio Poreira dos Santos, morador
nesta eidado do Becife, cuja venda milla como
val piovar. r
Bayn lindo dos Prazcrcs Lima.
Hotel Uniao
I1UA DO HOSPICIO N. 81.
Esto novo estabclccimenU) contina a fornecer
commedorias com promptido o asseio, tanto para
lora cuno para dentro do dito estabclociinento, as-
sim. pois, o proprietario espera do respcitavel pu-
blico ii dos seus numerosos fregnezes toda concur-
rencia o proteecao, nao so poupando o propaeta-
rio en. servir bm a todas a* pe>sas que II f|ui-
zer honrar com as suas presencas ; no mesmo
hotel precisase de um moloquo para o servico do
mesmo.
Precisase de tuna ama p ira cozinhar e fa-
zer compras para casa de pouca familia : na ra
do l'l -e- n. '.
Mofina!!!
Clwmamos a attencSo do lllm. Sr. Dr. director
das libras pub!; om
i|ue la de Olinda,- eoinprebendi-
do enlre ajomale dos Arrombados e a da laca-
runa, visto Ojj._Jiao se fazer j os reparos que
precisa, miwbt'eve Reara en poior estado do
que es o intransitavcl, poniendo com este aban-
dono o governo com grave prejuizo dos morado-
res a'H. Isto pede
Um nlindeuse.
utas das risas liliaes do banco do Brasil,
trocam-secom mdico descont, na lola de Manoel
Soares Pioboiro, nrae i da Independeaeia n. 22.
Alnga-ae urna casa para pausar a festa, na
Passajftn do Caldeircfro, a betra do rio C.apibari-
be, c. nfronte ao Sr. Dr. Alcoforado : qnem pre-
leodei' dirija-se a ra do Pavsand, no Cajueiro,
n. 11).
Alnga-se a casa terrea ra de Agoas-v.-r-
des n. 94, pelo proco de 25 mensaes : a tratar
na roa do Imperador n. 7.", escriptorto, ou n. 38 da
mesma rua._____________________________
Hrecisi-se de um caixeiro para urna paria-
ra no mato, com pratca, e que afiance sua con-
ducta : a tratar na rua do Encnntamentfrn. 11.
Precisa-so de un otUciai
beccoda na de A.'ollo n. 1.
casa da mam
Aos 4:000^
Bilhetes garantidos.
V ro do Crespo n.23 e casas do costame
O Uaixo assignado, tondo vendido alm de nu-
tras sortes, um inlciro n. 4i5o com 4;OOOj5 da lo-
tera que se acaban de extrahir a beneficio da
matri'. de Nossa Senhora da Penha do Gamelleira
(124*,, convida aos possuidores virem receber,
na conformidade do costume sem descont algum
Aciam-se a venda os bilhetes da 2" parte da
loterii, beneficio da igreja de Nossa Senhora da
Suledadfc do Ueeife (12o') que se estatuir quiuu-
feira 4 do mez vindonro.
Progps.
Os do costume.
Manoel Martins Fiuza.
Aos 20:000^000
CASA DA FEUCIDADE
39--Pi'aacudcncla-39
Veras i Itarbedo tem espoato a venda os
seos felizes billirtes da 10." lotera da casa de de-
tencao (130") cujas lisias sili esperadas al o dia
30 do corrente.
Os mesmos cima vendaram o bilbete inteiro n.
78a premiado com 10:0005000 e o dito n. 4312
com 800.5000 ambos da 208' lotera e bem assim
diversas sortes de 200*000 c, lOOSOOO iU 207* as
quaes pndeni M po-sudores dos referidos bilhe-
tes vir receber na casa cima.
Preces :Intuiros.. 245000
Meios... 12S0O0
Quartos. GJOOO
E cn quantidade malor de 1005000 na razao
de 225000 imr bilbete.
Vapor at Sergipe.
Pede-se ads acadmicos que assignaram a pc-
ticao dirigiiki ao gerente da companhia Pernambu-
cana, pediodo para mandar mn vapor al ao Ara-
cajri no dia 30, a bondade de ir comprar suas pas-
sagensala vospera da sabida du vapor, para en-
tao ser antimlclada a partida do mesmo.
av,is :
para
a tra-
Alugat-se duas casas em Beberibe, n Por-
ioda Madeira, curt i sala?, i quartos, eodoto
Tora, muito resras e a Letra do rio : a tralar na
rua Direita n. 69.
Kvd. Sr. sacerdote qne se quizer encarregar des<|
capellana queira ter a boadade de etitender-se
com o Bvd. Sr. vigario, na matriz.
Consistorio da iruiaudade 2."i do outubro de
1869.
!0 escrivao
Manoel Camello Pessoa.
Aluga-se
urna casa com 4 quartos, 2 salas, e cozinba, no
Monteiro junto ao rio : a tratar no largo da al-
fandega n. 2. '
1 Aluga-se urna casa terrea com solea, pro-
pria para estabelecmento, tita rua do PajwaB*
d, com os >egnintes conimodos : a solea com 2
grandes salas, 5 quartos e cozinba fura, tendo <
navimento terreo tambem 2 grandes s las, 1 (piar-
lo, cozinba fra e quintal murado : a tralar con
.Manoel Antonio da Silva Bios na estrada do Ca-
sitio n. 1.
Aluga-se urna casa na Capunga com com-
modos para familia : a tratar no mesmo lugar,
rua dss rmalas n. 5. _________________
COZINHEIKA.
Precisa-sc alugar urna oscrava que soja boa co-
zinheira : na rua do Crespo n. 29. ______
Escrava.
Preci>a-se alugar urna prela escrava ainda que
seja vclha, para o servico interno e externo de
amo casa de pouca familia: a tratar na rua da Cruz
n. 28. ______
Varita do Vigario n. 22. > andar, precisa-
se de urna ama forra ou escrava.______________
Gabinete Portuguez de Leitura
EM
Aluga-se-t!0 sitio Chacn nina casa com 4
quartos, 2 salas e cosmha, defronto do rio e porto
da eslaeiio da Casa Forte; outra ca^a com urna
sala e 2 quartos ; trtr.-se no dito sitio, ou na rua
da Imperatriz, venda n. 39.____________
Na ra.i
ama para cozinhar pira qtn
m
mas
Precisa-s.
animare oturrpara coz-
casa de pouca familia, prefei
lar nttnS do Imperador n. i/. ynd
A innandade das almas da matriz (!e San|o
Antonio precisa le um capelln para cetebr.-w 11 fr-_ Vrp...,..s,.
missas da madrugaa nos domingo a das esa- -ft ... ;' ;
ts, a comecar no !. de novembro prximo : o f,m'"a na r"a

de urna
i de urna ama para casa de pouca
roa das Trincheiras n. 24.
j ueiro,
. Na loja do funilaria da porla larga rua da
Imperatriz n. 65, tem um grande partimento de
candieros e lamparillas para gaz, do lindos go-tos,
e obrad do funileiro, tendo l santuario de gesto e
liem acabado, assim como vende bombas, toraei-
ras, etc., e encarrega-se da encanacao d'agoa para
qualquer casa, ou e^(5belecimell!o, tambem vendo
mu bonito e miidern i fogao inglez, nao scozinha
com lenha como com o carvao. Na mesma loja
concertam-se todas as obras de encananiento e
machina de costura, asseverando que acbarao
sempre prompto a servir bem os seos Ireguezee :
a tratar na mesma loja a qualquer hora, qu sera
."Hendido.
de funileiro : no
T
De 130 caixas cotn I
0 ndos de rame _
de alabastro.
DE
Por intervoneao do agente
da roa do Imperador n. -'^7.
)S de conservas,
dtOerentes obras
Tinto, no armasen
Kll iuiitoi'tancia le l ilIS-"* 150
res
Quarta-feira 3 ilu novembro de 1860.
O agenle Pinto levar leilao, s 1| horas do
lia cima dito, por aulorisac.ao do liqudataro da
oxtincta lirma de Southal Mllors & C. as di idas
na importancia de 40:4;i751*W rs., sendo........
3l:t874310rs. de conformidado com o manaado
de DHoiora contra J. de Siqueira Ferrao, e......
9:2495810 rs. de conformidaJ! com dous manda-
dos contra A, Pinto de Lomos ; o leilao ser
efectuado no dia cima dito, no escriptorio do
referido agente, rua da Cruz n. 38. ._____
De S barrls coiu vinlio do Por-
to e de Metiibal
QUARTA-PEIRA 4 DE NOVEMBRO.
O agente Pestaa f^r leilao por conla e risco
de queiu pertencor de 9 barra do H' com vinbo
do l'.in>, 10 ditos de I0J com dito o 69 ditos de
-i* com vinho tinto de Setubal em um ou mas lo
tos a vonUule, no dia cima dito quirta-feira 4 de
novembro de 1869, no trapiche do Cunta, as II
horas da manira no Porte do Mallos.
Aos laboriosos.
Concci tam-se.
sob fianza, machi-
nas de costura,
com perfeeao t
presteza, fazen-
do-se mesmo
qualquer pega
que por ventura
y se quebr ; assim
S como machinas a
!'-<> vapor, cilindros
*\X-'d Jsotro qualquer ma-
iiinismo tenden-
le a industria do
~~ paiz, sob as mes-
mas condeoes cima : na rna dos Patos n. 8 ou
rua Direita n. 64 loja. -________
Irmailad das almas to matriz do Corpa
Santo.
Sao rogados todos os irmaos desta irmandade
para comparecerom em seu consistorio no da 1"
de novembro do corrente, anno, as 10 horas da
manha, para que congregados cm mesa geral,
possam eleger os novos funceonarios para o anuo
futuro de 1870.
O cscrr.ao,
I. I. Lima Bairtn.
Jos Mara Gonealvea Viera Guimaraes par-
ticipa ao respcitavel'publico e principalmente as
pettoaa nue devem s casas da rna N iva n, 49 o
rua ta Cadeia do Recife n. 6i, armazens de louga.
que nfio-pagiiein aoseu ex-caixeiro Joaquim Gon-
calves) Vieira Guimaraes, visto que desde o dia 12
de agosto est despedido da casa ; por isso previ-
ne-*c que ninguem pague cunta alguma ao mesmo
sem ]ue seja o caixeiro da casa, e que nao se
1 vaia em cunta reeiboalgum d'esla data em diau-
le. tceile, 26 de outubro de 1869.
Jos Mara Gonralves Viera Guimaraes.
Prccisa-se de um molequc para todo o ser-
vico de rua em urna casa do familia : rua es-
treili do Rosario, sobrado n. 35.
l'recisa-se de tuna ama para tratar de urna
pessia: na travessa do Campello n. 4, segundo
andar.
A
Dcordem da directora scienlilica- enbores assuciado-, que lendo-sc de proceder a
decoracio dos saloes do Gabinete paja sulemnisa-
i-ao do w anniversario de abertura, fica suspenso
o expediente desde o dia 27 do corrente at o dia
4 do vindouro mez inclusive : roga-se, pois, aos
senhores asociados o obsequio de recollierem ao
Gabinete as oliras pertcncentes ao mesmo, que ti-
verem em sea poder, as quaes so rcccbcro al o
dia 29.
Secretaria da directora do Gabinete Portuguez
do Leitura em Pernambiico 21 de ouuibro de
1860.
Joaqiiim Xavier Viera Ligo,
Io secretario._________
Aluga-se
por um anno, ou somonte 'para passar a festa, um
sitio com- casa de grandes comniodos para familia,
tendo a vantagem de o rio passar pelo fundo do
sitio, em Beberibe (porto da Madeira): a tratar na
rua da Cadeia do Recile n. 56, ou na rua do Qnei-
madn, loja n. II.
CAN.4 DI VE.
Aos 20.000^000.
Bilhetes do Bio venda : rua do Cabug n. 2,
vende Vieira & Rodrigues.____________________
CAFETEAS
PAR FIMA1IO
Na rua estreta do Rusario n. 33 lm capella;
de cravos c de saudades, proprias para o dia de
finado,* faz-se tambem do perpetuas, sendo en-
comm ndadas t^ dias antes, tudo per muito ba-
rato preco.
O tesiamenteiro do fallecido subdito franctz
Joo Vignes, convida aos devedmvs dn finado a
saldarem seus dbitos amigaveimente, do contrario
sero ajuizados sem excepcao alguma.
AVISO
Precisa-se de urna ama
no pateo de S. Pedro n. 3.
de leite sem titeo
ATTENCAO
Quem quizer alugar o segundo andar do sobra-
do n. 40 silo rua da Cadeia do Recito, o qual
est perfeitamente pintado, forrado a papel e es-
teirado, tendo alem di-to gaz, dirija-se ao escripto-
rio da companhia Pernambucana, no Forte do
Mattoi n. 12, que ahi achara com qnem tratar.
Aluga-se por anno ou por festa urna casa ua
rna dos Miiagres, em Olinda, recommendavel por
ser mu porto do mar, com 4 salas, 5 quartos. co-
zinha e quintal : a tratar na rua dos Ossos ns4|
e 24, a qualquer hura. ^^^^^^
Precisa-se de tuna ama que saiba engoin-
mar bem : a tratar rua do Imperador n. 63, 2o
andar.
ATTENCAO
Deparando-se no Diario de hontem n. 244, com
um annuncio em que o Sr. Dr. Joo Ferreira de
Alm?idn Guimaraes diz ter justo com o Sr. Manoel
de Souza Pereira a venda do sobrado de 2 anda-
res, sito a rua da Guia n. 31 ; faz-se publico que
este sobrado pertence a Jos Antones Guimaraes
e na ao mesmo Sr. Dr. como all se diz.
Precisa-se de um caixeiro
do Brum n. 34.
na fabrica da ru
CONSULTORIO MEDICO CIRRGICO
Malaquias Antonio Goncalves, doutor
em medicina pela faculdade do Rio de
Janeiro, tem seu consultorio medico c-
rurgico, na rua da Cruz n. 26, Io andar.
Consultas das 10 a 1 hora.
Chamades por escripto.
M.
Precisa-se de um creado para todo servico
de hotel, paga-se bem, prefere-se cscravo : a tra-
lar na rua estreila do Rosario n. 11, betel Lisbo-
nense.
Attenpao
Precisa-se de um menino de 12 a 14 anuos para
casa de pasto : no pateo da Ribera n. 9.
AVISOS DIVERSOS.
114
Precia so de urna que saiba ensjnhar
v. ssa dos Pires n. O sio do Giriquiti.
na tra-
Criado
Precisa-sede rlm criado na rua das Larangei
ras n. 29, hotel Commercal.
AVISO
Irmandade das almas, erecta na matriz do
SS. Sacramento da freguezia da Boa-
Vista.
De ordem da mesa regedora da mesma irman-
dade convido a todos o- nossos irmaos para eom-
parecerem cm nosso consistorio no dia segunda-
reir Io du novembro, pelas 11 horas da manha,
afim de reunidos em mesa geral, proceder-se a
eleicao da nova mesa regedora que tem de reg
a mesma n* futuro anno de 1869 a 1870, como
determina osarts. 2 e 23 de nosso compromisso
que nos rege.
Consistorio da irmandade das almas, erecta na
matriz do SS. Sacramento da Boa-visla 26 de ou-
tubro de 1869.
O escrivao,
Antonio Fernandos das Santos.
Aluga-se
urna casa terrea com \ salas, 0 quartos, cczinha
fra. quintal e cacimba, na rita do Destino ns. 2 e
i : trata-se na rua do Hospicio n. 28.
iwiiihiwhm !! Tnrm
Joo Antonio .mirto Jnior, cordialmenteagra-
dece a lodos os seus amigos que assistiram aos
uitimos suffragios o acompanluram ao ceini'erro
publico os restos mortaes de sua presada mulher
Lttiza Gonzaga Duarte Lima, e ruga aos mesmos
e aos parentes da fallecida a touvirem a missa do
7'dia na igreja de Xo*a Senhora do Carmo, as
7 horas da manha do dia sexla-feira 29 do cor-
rente mez, desde j se confessa eternamente grato.
Bogase ao lllm. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
Mor* o da cidade de vazareth desta provincia,
o favor de no praso de 15 dias vir ou mandar a
rua do Imperador n. 18, para concluir aqurlle
negocio, qie ha 4 ann.is |a foi por esto mesmo jor-
nal chamado par o concluir, e que acudindo a
aquello annuncio as*everou realisa-lo em 30 dias
de novo empiecen-s delle I O anunnciant es-
pera que S. S. o dispensar de vir ainda ao prelo
para este fin, m is o fr a isto obrigado por S. S.
ser preciso explicar a razo deaie chamado, que
Earece ao amartelante Ihe nao flcir airosa tal pu-
licaco. Recife 16 do outubro de 186'.________
Offereee se u ni ama de leito sem titeo :
quem precisar dirija-se rua do CalJeireiro nu-
mer 86._________________
Precisa-se M urna ama para c izinhar pira
asi d h .m-m viavo : na roa da Cruz do Recito
B. 13, 3* andar.
Monte Pi Popular Periiim-
buciino.
Nao tendo sido possivel reunir se nos dous do-
mingoi antecedentes, jiumero legal para haver
eleicao do couselho. que tem de administrar esta
sociedade no seu dcimo quarto anno social, sao
convidados os socios eltoctivos a se acharem do-
mingo 31, s 10 horas da manha, na sala das
sesses, certos de que a eleicao se far com qual-
quer numero que se ^presento, como dos esta-
tutos.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambucano,
27 do outubro de 1869.
O 1 secretario interino,
Ernesto Jos de Menezes.
Precisa-se ue um caixeiro com muita pratica
de mudezas, quem estiver nesta circum^Uincia
pode dirigir se rua larga do Kosario n. 38, que
se dir quem precisa ; promete-se um botn orde-
nado.
Alugain-se duas casas dos Arrooibaibis, para
festa. tendo cada urna coinmodos p ira grande fa-
milia, quintaes murados e cacimba mcieira. o ba-
nho ao p de casa : a tratar na rua das Cruzes,
segi.nd andar n. 24.
liabinete Portuguez
de Leitura.
De conformfdaile com o disposto n. 2i do ar-
tigo 68 dos estatutos, a directora do Gabinete Por-
tuguez de Leitura solemnisar o 18 anniversario
da sua installaco, franqueando o estabeleciment >
convenientemente adornado concorrewia publi-
ca c celebrando sess i magna no dia 31 do cor
rente, as 10 horas da inanlna, linda a qual a di-
rectora mandar celebrar um Te-Deum em ace/m
do gracas pelos fclizos annos de S. M. F. o Sr. D.
Lu'- I, na igreja matriz de Santo Antonio.
Pelo presente sao, pois, convidados para assis-
lire n aos referidos actos os senhores sucios de
india as classes, todas as corporacocs Iliterarias
scicntilicas c beneficentes, o distinco rorpo aca-
dmico, e e n geral, todas as pessoas que se digna-
rcm abrlhantar estas solemnidades com suas res-
pe^veis presencas.
?a impossibilidade de fazer tao avultado nume-
ro ir. conviles individuaes, a direcioria prevalece-
te dete meio, certa de que o seu convite ser be-
nvolamente attendido por tndes aquelles que se
int^ressam pela prosperidade e brilhanlisino do
Gallineto. .
A directora ruga a todos os ditinctes cavallet-
ros que se dignarem conowrer para o esplend'-
da sesso masna, recitando discurso^, poesas, ete
etc. o especial obsequio de inscreverem sus no-
me meia hora antes da abertura do sessao.
O estalmleciincnto estar franqueado ao poblien
de; de as 9 horas da manha al ao lim da sesso
nigna, c das 6 da tarde at as 10 da noite.
ecrelaria da directorio do Gabinete Portuguez
de Leitura aos 27 de outubro de 1869.
Joo do Reg Lima,
Director.
Joaquim Xavier Viera Ligo,
Secretario.___________
Desappareceu
hontora as 7 horas da noite da casa do abaixo a*-
signado o seu e ni s, preto, altura regular, cheio do corpo e com
marca* de besigano rosto, o mesmo-escravo che-
gnu no mez passado do Maranh d'onde natu-
ral: paga-se generosamente a quem o appreheu
dnr e leva lo rua da Cruz n. 26.
Armado de tmulos e cata-
cumbas.
Na rua do Imperador n. 0, coxeira de
carros fnebres, ha urna pessoa que se en-
carrega de armar, e dar os necessarins
arranjos para o dia 2 de novembro, dia de
tinados, armando catacumbas e jazigos,
tud por preco commodo.
Qnem quizer vender urna escrava moca, que
saiba lavar, cosinhar e engomar, annuncie, que
ha qnem chegne por ella o inelh.tr prego._______
Nesta typograplna se dir quem vende um
moleque de 17 a 19 annos de idade, sem vicios
nem achaques, c proprio para criado e para ser-
vico do campo; a-sini cino una negra de 4o
anno9,frin forte, sadia, e boa cosinhiira, OfW-
inarhgomadflra, tambem sem vicio. ________
Precisa-se de una ama de leite sem
na rua da Palma n. 57.
lilbo
Pede-se aos scguinles senlmres, queiram ap-
parecer rua das Cinco Ponas n. 82. ou annun-
c.iem as snas innradw para serem procurados :
Manuel Pereira de Azevedo.
Manoel Pinheiro de Mello.
Bernanlmo Vieira da Silva.
Jos Luiz da Silva.
Joaquim Manoel Cordeiro^______
Precisa-se de urna ama para todo o servico de
nina casa de familia : a tratar na rua da Cadeia
n.46._________________________________
a qual engomma *'
pretender dirija-se
Aluga-se urna escrava,
cozinlia perfeitamHnte : quem
a rua da Alegra n. 46.
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
nheiro sobre peohores de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual for a quautia ; e na mesma
casa se compra e vende objectos de ouro e prata,
e igualmente se faz toda e qualquer obra ile eo-
commenda, e todo e qualquer concert tendente
mesma arte._______________________ ~;
Imperial fabrica de
cerveja.
Em breve rhegar urna porejio de batatas novas
dessecadas vapor da fabrica de nossos parentes
Dressler & Bendcr, Mayence.premiados na receav
ts exposicao de Aliona, jiresidida pelo conde de
Bismarck Schoenhausen da medatna de ouro de
primeira classe, e favorecidos pelo mesmo ministro
do fornerimento da marinha norle-allema, assitu
como j ellos foram honrados do mesmo forneci-
ment pelas tres expedi^oes ao polo norte. Estas
batatas cunservam-sc por annos, e um kilo equiva-
le a mais de 10 kilos, batatas frescas. E' de ama-
grande vantagem pela marinha e nos paizes qnen-
les, aonde militas vezes este alimenio falta no
mercado.
AMA
Precisase de urna ama para andar eom urna
menina e fazer o servico interno de una casa de
pouca familia, pode ser" nacional ou estrangeira : a
tratar na rua Nova n. 22, loja.________________
Um 111050 de idade de 17 annos, cun muito
bom lalho de letra. >abendo arWimetica, traduzir
francez e inglez, offerece-se empregar-se em al-
guma casa de commerco, dando fiador a sua ecu;
docta, se tor preciso : quem precisar dirija-se
rua da Matriz da Boa-vista n 26, 1 andar, onde
se dar mformaQoes a respeto, ou annuncie por
este Diario para ser procurado.________________
- Precisa-se de urna ama para o servio de
duas pessoas: na roa Augusta n. 74.___________
TRILHOS URBANOS
DO
Recife Apipucos.
Do dia 2 de novembro prximo em dimite, sera
regulada a partida dos trens por urna tabella, que
do dia 30 do crrenle mez en diante, pode ser
procurada na estacan do Becife.
Adv.-rte-se especialmente aos passagetros, qae
os trens que partem a tarde d> Recife Apipucos
nao parata nos pontos iutermediari>s seuao de
S. Jos em diante. h lo Reeito de meia em in.-ia hora, para accommo-
dar os passageiros at S. Jos.
Os pa-sageiros que tomaren o tretn em qual-
quer ponto intermediario com destino alm de S.
J.s, lero de passar a outro quo segu para
Apipucos. .
Escriptorio da companhia Si de outubro de
1869' W;Rawlinson,
Gerente.
Tra-passase o alugnel do 1 andar.de um
sobrado sito n'uma das rnas mais concurridas da
Boa-vista, com mu os rommodos, mesmo para
grande familia, boa cacimba com excellente bom-
ba, um grande quintal muito bem plantado com
flores, legiimes e fructeras, finalmente quasi um
sitio :' trala-se na rua Nova n. 39, loja de torra-
gpns.
Ama
Coatiarla de Nossa *eahora do
Llvrameuto.
De ordem da mesa regedora sao convidados to-
dos os irmaos desta contraria a se reunirem em
mesa geral no dia 1" de novembro prximo, as*
horas da manha, alim de tratar-se da conversao
da irmandade em ordem terceira e de outros ne-
gocios de alta importancia para a mesma con-
Secretaria da confrara de N. S. do Livramento
28 de outubro de 1869.
O secretario,
Jos Ribeiro da Conceicao.
ALUDA-SE
o segundo andar o snlo do sobrado da rua da
Cadeia do Recito o. G0, com bastantes commodos
e muito fresco : a tratar no armazem da cxposi-
5o de Londres.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva quv
na> rua das Cruzes 11. 7.
CASftTEUZ
Aos 20.000^000
%n Recife arco da Conceicao n. 9
Os abaixo as forma das leis, tem exposto a venda os seus feli-
zes bilhetes das loteras do Rio de Janeiro, na casa
cima, aonde se pagaro as sortes que sahirem
nos mesmos bilhetes, com o descomo somente
PBECOS.
Bilbete inteiro 24*000
Meios !200
Quartos 64000
E de 100 para cima a 225 o bilhele.
Figueiredo 4 Lei le.
Sociedade Liberal Uuiao Be-
neficante.
Por delberaco do conselho administrativo sao
convidados os cidados que se acham approvai-s
socios effectivos, conforme j foram-offlciados, pa-
ra comparecern em assembla geral ordinai ia.
na ultima dominga do mez corrente, as 101 horas
lo da. no edificio da rua do Vigario n. 18, alim
de tomar seus respectiva assenlos; assim como
todos os associados que se acham compn heiuliaos
no* arts. 9,10 e II dos estalutos. tratar d
ledas que urge a bem da sociedade.
Secretaria da Sociedade Liberal ntao
cente 25 de outubro de 1860.
1. Secretario,
Theophilo Pedro do Botarto.
Mudanza.
O Dr. Francisco de Paula Soares, me-
dico, mudnu-se das Ctoco Ponas para a
rua Augusta, sobrado n. 116.
Est para aluga. um primeiro andar na ru
do Padre Floriano n. 94, sobrado.
A preta Justina
Fucio na tarde de 25 de outubro de 1889 a pre-
ta Justina, rrioula, de idade de 30 annos, estatura
regular, muito magra, cor bastante preta, oltios
encarntoados, sem dentes na frente, muil fal-
lante, bebe, consta que anda mesmo aqu na cida-
de, tem sido vista na ribera de Santo Antonio :
quem a pegar leve-a a rua da Imoeratriz n. 20,
ou na rua da Cruz n. 6, que ser bem recompen-
sado. ________^___
Criado.
Precisa-se de um criado que d flanea a
conducta : na rna nova d.' Santa Bita n 59.
sua
Bcnefi-
Precisu-se
c ama cozinheira : na rua da Cruz n. 16.
Amassador
amassador de padaria : na
Precisa-se de iim
rua do< Pires n. SO._________________________
"__Precis-se de una ama pnra cozinhar fazer
e servio. do casa : na rua da Imperatriz, loja nu-
mero 9.
da festa de Nossa Senhora uo Terco na
igreja matriz de S. Jos.
Domingo 31 do corrente, ter lugar a festivdade
de N. S. do Terco na igreja matriz do S. Jos,
orando na festa padre mestre l-eonardo J. Gre-
oo, e no Te-Drmm o pregador da capella imperial
padre Lino do Monte Carmello Luna. Tocara no*
intervallos da festa e Te-Deum a msica da socie-
dade Nova Harmona, que a isso se prestou gra-
tuitamente. Convida-se, portante, .'ios charos j
oaos para que comparetam uo da cima,
de mais abrilhantarem a festividad^.
Consistorio 28 de outubro le 1869
Ignacio Pessoa da Silva
Secretaria.
Precisa-se
de um bom enzinheiro : no betel Cei
ga do Rosario n. 37.
CAMBA
\ esquina

\
Este importante estabelecmento no sen genero, !tem sempre nm sortunento sem igual,
esquina
. e vende por presos que nenhnma outra, casa pode vender. da ra largado
da rua larga do : visto ^ qualida([e e pre(?o das joias cada um pder-se-ha| convencer da verdade.
1 *___~4.~ ^ ^ +a~ a* i; nnrtnniHi-ao nnrn nmto a nfidras finas por precos muito ele- Rosario.
B
I
Rosario.
1
Garante-se ser tudo de lei.
vados.
Compra-se ouro, prata e pedras finasj por presos muito ele
A ioj& est aberta at as 9 horas daVaoute.



I*
I s
|*.
i -
i'

PeFtifttntuc Sexta feira S$ de Outubro de 1869

3 c
-
ti. :^f
f*8lfi3f
a 0^2 w
" 3 O
-8
ro -i
..illl-l
s.s.p'S f
r o 2.3
o
59
9 o S r. i
lilil
o o
"" C o B
2 S
5.
5'


OJ
C
ir; *
5 3*211
D C ? B -3
= S ""
lt|t?
"> ^ C C3
> a i:. S 3 C
.c3s

=
e> n u b c a
I!
i.! lilil
;lllifll
o =
o o
j-
:5?
_ ;=. -> c = S
I 3*2.8 f rl
} Sffi.* S1
-3 o i> r!|il|f"'
* 5'2 -'"2 "3 f
-i a: ta 2 *
>"-=. 3 re 3_
es
O fS ^5
Q Ct CD
2 M
= ,; => a, a.
< re rj E.
8 < M ? o
=3 2
% : ST s 3
ifffr-fffji
o
p '/ Vi
;r ^ 5" = ST _,
~ ^ "1 '__, ^
S,#3 5" so
R-ra
_
g 3 o
- m 5 s =
!_f8g 3
H
5
<
Mikroskopo achruma-
tisehen. Ohjeliv Lin-". ,
sen. 4***
Barmetro e term-
metro. Centgrado
e reuumeure.
QCULOS IllUCIf IKIS
E crystal de rocha do Brasil.
V. *9. derniauo, recomraenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
los; porque, com este. vi.lros, a vista descanca, forlifica-se o nao a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez.escomido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
(jue, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de cabera. O alcanco ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
lodas as vezas que o objecto est mais perto ou mais looge, os raios que expelle s3o
mu convergentes ou nui divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numero de
pesseas te o deleito de fazer convergir muito de sorle que a visto n5o distincta.
Com a applica.;ao de meus vidros pde-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta c cujo crystalino mui convoxo (o que faz ver bem, de perto, o mal de
longe), o que so chama royo pe, por lheio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deia ver to longe como as ootras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyla, vwn melhor de longe que de porto, e nao enxergam senSo
um nevociro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
lo dislinctamente como na idade da i annos. Servindo-se destes vidros quando e
.isla principia eufrequecer, previne-so o mal.
F. J. eriuaun encarrega-sc pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a primeira vista, seja qual for a idade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoo,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
MIW1I DOMADO
Nova, teja ie calcada
JOAQIIM DAS DOS SANTOS & C. acibam de abrir vm estabeteciraent& tf ta-
ado.ostrangeiro a ra Nova n. 30, onde 0 publico encontrap todo o qne aeslt &-
Qero de commercio ha do melhor e de mais gosto em Pars o Londres.
Por todos os vapores transatlnticos recebero eltes constanttmmle rentan* As
tallado novo, pelo quo ter sempre o eslabelecimer.lo o qne a respeito se pdati-
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedem a ooperacjiBk -^
Ihes possam dispensar, certos do que sero servidos com lealdade.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nveos.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista quo as palpebras ircmem
de flaqueza.
Para a vista que os olhos sao designaos.
Para a vista que se lurva com o trabar
Iho e a tafeara.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que n5o supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista quo as palpebras es3o cer-
cadas do sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar Analmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Fopos tubulares instantneos de patent.
Soriime:iio de binculos
para theatro, c oculos de
alcance para o campo c ma-
linlia.
Lunetas, pinec-nez e
face--man, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, que d3o horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
; domada efuleada, iuglezes, suissus o ortuntaes dos melhores e mais afamados fabri-
! cantes.
Vendas em grosso e a reUlho. Em IVrnambaoo.
N. 21Ra govaN. 21.
-
-f.i f.
Estes po<;os foram espalhados na Euro-
pa, 4;into que, qaalquor duvida do seu
grande valor pralico deve desvanecer vis-
ta das grandes vantajfcns.
Militares de ezempios mostrarara que
ellos sao de grande ulilidade aos industriaos,
agiicultores e particulares; at em todas
as expedigoes militares dos ltimos tempos.
foram usados para procurar sem demora
agua fresca e pura, e tanta qnanta se pre-
cisava.
Em lodos os fugares, onde um poco ca-1 s-amentos, a saber:
vado ou furado (pelo systeraa antigo) daria! Pecas de nougat,
agua, pode-so empregar os pocos tubulares.
Elles facitam adiar agua muito mais
depressa, mais cristalina mais fresca e
mais barata de quo por meio dos pocos
cavados.
O syslema des pocos tubulares o ni-
co pelo qual so possa obter agua perfeita-
mente pura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias athmosphericas.
COWEIMLl DOS MRIAZES
16 RA DA CRUZ16
fla diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, o Hisson preto, e miudo, o melhor qot
se pode encontrar no marcado, amondoas coefeitadas, xaropes refrigerantes, doces dt
calda, ele.
lncumbe-se de encomendas para grandos janlares, bailes, baptisados e ca-
DHas-de po-de-lot.
Ditas de tmara do ovos.
Ditas de caramilo.
Bandeja com armaco de assucar.
Paes-de-lot enfeitados.
Bollos dem.
Pratos de doce de ovos.
Tortas folbadas de crme e carne.
Empadas.
CENTRAL
Por meto de urna machina muito -imples, consistindo d'um macaco, impelle-se para
entro da trra um tubo d* ferro, cuja, extremidade inferior est Curada e munida
"n,:i Pon!a a ac; e lego que a sonda mostra agua no mesaio. deve-se atarrachar
a bomba e faze-h nnecionar. Ao principio a agua tora substancias arenosas e terreas,
porni loga se clarilica, o em pouc. lempo sahir agua perfeitamente lmpida.
Outras vaiiLigens qu*.jipresenta este systema sao:
Primoiramente, a proaaptidrM. con que se executa toda a obrado assentamonto, que
muitas vez. nao leva mais de urna hora, sem remocao alguma de ierra:
Segundo, a-commodidade que elle ofl'ere-ce de ser nao somante collocado fra da
^asa, como tmbom dentro da mesma. tom nlo menor facilidade :
.::n-m. a facilidade adi que so tira para fra da trra opaco sera o estragar
para o collocarem aoutro lugar :
Quinto, a possftilidade de tornar, uteis com pouco trabalho, por meio delle os oo-
.;os cavao^g qti loran estragados pela arta ou por outras causas.
Preci^ndo-so do urna grande qiiaiiiidado d'agua pde-se introdozir na trra di-
wm tunos muU> uus aos ^uilrus pru-.meio d'um apparellio muito > impies.
fc lugar das bombas aspirantes eralnonte usadas, pde-se forneccr bombas de
ttirafresaao para olivar agua o couduzi-la aos andar- s parioivs.
O eniprego os.pe^os tutHilares e sobre ludo preveiteao aos tazoadeiros, que em
.)ualqu,,K-,;,mpo onde o gado ,*r cisa d'agua, os podem cbllocar e arranca los ,wra se-
ren < .ll-.r.-irt-.s onde melhor Ibes onvier. '
-, a F ^bem ^ gmde ot''llade aos fabricantes todo* os .alineantes en feral, e com especial.dade aos empreiiros, a c cos' en-
^ ollos aqun que precam de quantidade d'ag.a por lempe deSSuedu
tudas no-was, elle taabem nrovoitoso aos proprietarios de isas e jardins Unto
para o uso dtario como para Ifyar as planiacoes o capim
Pedimos aquellos que nos quieren honrar com suas cecommendas de nos
coo^mo.noar: J.o e que pr..fuddede se acha a agua, o que totoSmm^iJZ
ZSS [T lcI,rata, *,S",1W 2 perttaj a e a u^nnfDi agua; 3 em que especie de carnada se acka
oaqueUo lo^r: i froanhneu-e a ,,,Hlldad dagua que se podo por hora. ^
Abollo, acie^e pocof.ca por coma do comprador offerecendo-se porm a emnre-
iJ nrl;'r je*1**** ^''HDWto odiante urna reibu a oooS-
flar, aqual s regular pelo tempo qne se echar fra Ta.ahem emarrega-se de mandar urna pessoa habilitada Mcoiloeado 'd'eee s do-
tVS' COmpmhir ^"' 0 susteot e d "W'm (da e volt) Sm
joi-nal previainonte convencjiHwdi. v ;
I. ftiaU*rruXaMn. 21?^ eSC,/"'ecimento8 a rei^ a tl'atar "oj. do Sr. F.
BE8TARMT A LA CARIE
Francisco Garrido
Entrada geral ra*-larga do Rosario u. 37 para familias ra
estreita do Rosario n.4 A.
E6e vasto o acreditado esUboleciuiouto sem duvida o que offerece maiores
vaatagens nao s em pilcos odeos co.lo por s^ tornar o mais prximo possivel das
estacodos cammb(s de fewo e ser beira.mar do caes Viute o Dous de Novemfero, que
tambera se presta ao embarque e deseinbarqno dos passageiros quo vem de outras pro-
vincias e da Europa, e que preferirem essa accomm portes da bapagem.
Os lospedesacfearolodas commodi ade em grandes salas e asseiados quartos.
Ha sala para Id tura de jornaes naoionaes e eslraogeiros; na mesma lia um
magnifico piano para r^freio
! Ha unta nutra sala para janlares particulares.
Come-ee a mesa redonda a la ca lee manda-se domicilios.
Os vinhos mais finos do mercado acham-se no estabeJecimento.
A' noi^ hasrve nficos, buhares de mogno para dvertimeiito.
Falla-se besp nhol. francez. italiano e in#lez.
H
mn prt^, hminu muta. I RufIP a
* tonr a aec. toar* u,u. na.
TON BROU
* ). (I* wm nkute;, Psnt> m"u*
A' ra do (ispo ri. 20 A, esquiaa da ra das Cruzes.
Alvaro Augusto d'Almeida dr C. participara ao respeitavel publico, e com es-
peciabdad- s Exmas Sras. qu-- o seu amigo e ai^redUado estabeleoratwo ra do
*iapo n.20 A. de pequeo que era. acaba desertranefioflMlo em uma-lw^eita e.vasta loja
do ^zondas finas aonde pela sua fcn-alidade eampidao, o publico nao s'ter b*daeee com-
' labilidades para fazer suas cm, pras, uno acha-lo-hao desde j prvido de um variado e
gesoibido sormwjto de toutud** finas e grussas, o pHud&46 veod por-, preces o-
Retoesubeieeimenuvap^zac de-estar jbaatauteeabeoido, os seuerapneta^.
nos tem resrdvidentitniadn por LOM DOS ARCOS, para evitar equvocos, e- torna-Jo
pvresta aoHira atmta aaiepupujer. Euceetra-se neslaloia %
Rirrts cnes de blrnid e de seda branca para noivas.
Ditos de seda de er e preto.
Brochad desella, fazenda inteiramenteDOva.
Foiilard idem dem dem.
L5as do muito gosto.
Cortes de iimhraa e hite Mara Autnineite.
S^ias bordlas, camizinhas, espartillios, batle-, basquinas, fichus.'sombrinhas
va. de pollic.i, chapos ole.
Ha tambem enra1
forro de salas, .ts.sim como

> i
C>D

c
^
l
ANDREELSC
CABELLE1REIK0
^7 A Eua do Cre>poL' andar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre neste estabelecimento um variado e bonito sortt*
alent em perfumaras francezas o inglezas cuja lista damos aos leitores.
LUVAS Marca garantida de JOUVIN.
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LU81N tlOSNLLt.
DITOS FINOS.em fra.squinbos proprios para presentes Lubin POMMADASBanba fina de varios cheirosLubin,Gfisnelle, Soeiet Hvg'OiyMr
SABONETES. finos para toiletteLubin & Aieopeias. '
EAU DENTIFRICE.agua para limpar denlesSpcict Hyginiqne Labia ft.
BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabellosLubin.
AGUA DE COLONHA.Marca verdadera de Joo Marina Faric,
COSMETIGO.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
HUILE DE SENTEIIROleo para couse vacao dos.uh*fl>.-:Societ Hvf1aiq*
ESCOVAS FINAS.para cabellos, denles e uahas;
BLAIREAU.Pincel para barba.
GRANPOS.para cabellos.
REDE* INVI8IVEIS para cabellos.l
GRAYATAS LINDISSIMAS.-do melhor gosto.|
RNGALAS.de phantasia, para passeio e de diversos- lanianhosetc, ete.,etc.
A la parfumork'^ansieime.
7 A RA DO CRESPO ---- l. ANDAR 7 A.
-
rterre.
Roga-sc ao liloo. Sr. Jgnano Vieira e Vello, es-
i-rnao da maule 4 Waryh 4*#* proviocia,
lav.ir.de no praso de ludias vir ou mandar i ro
Oo lmpra >|ii ha qaalm annos j fui por este niesrao innukV
samado para o concluir, e que accndimlo aquel-
te annunno asjeverou roalia-lo em .30 dias, e Je
novo PMuece.i-se delle I O anounpimte espera eaw
S. S. o disp' nsar de vir anda ao preto para eue
njn, ma< se for a isto ebrgado por S S. sera ore-
Wst explicar a razao doste chamado, que parecea*
nnnncianic Ihe nao ficar airosa tal publiracioi

Aos Srs. professores
homoepaticos
Urna pessoa miujdaiid.Vvir da Pars para seu
uso, da pliannacia do Coltelan 'mo Weber, dra
gas e objectos hunimpaticos, succedeu virem al-
gnns sobrasantes, pur isso dispoe-se u sede-Ios
mediante a um pequeo ganho sobre oa juros do
dinbeiro, vindu a vende-lus muilo em ma.
Assevera-se wm preparados cora lodo o esme-
ro e cuidado, afini de produzirem os efleitos dse
jados as nn)lesti,is que se appiicar, poiaioi man-
dados vir deprop'isit : taes s3o ditos iseiHcam^ii-
los, tendo a gramb' vanlagem de seren ae s eui-
dadosamenti parpa rados, como novo, c viado
nesta rerante visgem do vapor Nararrt.
Urna paarniauia com 130 tubos dos principis
medicamentos.
Uro.dita de i frascos com tintura matre.
Urna dita de 150 fraseos com tintura na dena-
akisafao<|06 tem ? duzido eft'eitos maravilbwsos.
Glubulos saccarinos inertes de superior uua-
lade. **
AJcool de P3, e 60 0/0, enaommenda espeoial
para linturaca.
Teboeiii(lnt para ftobtilns eom rolha*.
Rolhas de eort.ca a primeira qualidade para
frascos a tiuW.
Vertade4ia anijra montana en tintura tMttre, M**mmm~ val
viuda reclmenle da 8nis*a l^*Fru m HA FIMaU.
JaSiatt de mic.*. espreiadado ne*te genero. | A Companhia IndeMUldort nfilhnloiUn
nm* sonidos eom rollia a esmeril e em ellas, ^ste praga toma segUTOS taritmoe 80a
K35S ,WrWei" P M^M s(,,,' cargamentos e cootra'
/
AJfA
Precisa-o do urna anta que i.-.iba cosiutax: aa> J
travessa dos Pires o. Oisitto eVJeriquiti. f
MJWITIMOS
V
ASSIJI COMO:
em edificeis. mercadorias e mobitias:
[domis meucionar.
Urna riraartiira eirorgir.r para algiheira wm rna do Viparion. 4, pavimento ter eo
litdus os fj-irm rio lui'ilior fi.*rirante, i,oiiii,mii -'------- /--------------------------
miw d M U*f~. lan**, ajrt.'h *. '"^ aapiHaM Ra o*a de THEfnK)R<> CHMH
cmisiantpmeriie nracompletosortimenbde esleirs da India para IS8!**^'* firi.nnMnm.m.HwHae^ lNspj na ila Crui i 8 eo.mirJH
Wmo alcatifa, tapete, capachos e mirtos outros artigos.^ue seria^r S^rSJTfL!^^^ ^^ todS
SU, a qualquer bora.
'dordaux*. Ruurgogue e yo i.ueno.


I-
'-'
LO.ll DE JIMS
&C
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado le novo, est as condi-
qo8s de servir vantajosamente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, ;iijos procos sao os
inais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate.

VMA
Precisa-se de urna easialMjp,
Joias, ra do Cabugrn. 4.
Utoea de
Lava-se e engomni i-se eom toda a perfcie.au
por commodo precio o garntele : na rna do Bor-
las n 43.
jlugam-se
duas casas terreas sitas no Mr-ngoinho, a margem
do rio, reeommendaveis pela via forrea : a trataj
na ra do Vigario n. 3i.________________
Casa para alagar
Aluga-se para passar n festa on por anno, urna
rasa a ladeira da Misericordia, om Olinda, com 3
salas, (piarlos, cozinha fra, lerracos com assen-
tos de podra e cal, na frente e atrs, e bom quin-
al cercado : a tratar no largo do Terco n. 41
" MSICA"
A abaixo asignada, da compnnhia lyriea, lera a
honra do avisar ios respeitavei. scnhnres. que gos-
tam da boa msica, que recebe urna poican dot
niais afamados autores italiano?, para piano, a
duas e quatro maos, ,iara canlcria, para qualquer
instrimento, o tambero msica para igreja, dase
muilC' em c.mta por a pessoa querer so retirar :
as pessoas que quizerem ier a honra oo visitar,
dirijain-sc a ra Bella n. 2o, das 9 horas da ma-
nhaa al as i da tarde, que achara com quem
tratar Tambem encarrega-se de copiar, Irans-
pnrtar o nrranjar qualquor musiea para orches-
tra o banda militar.
Anna Albioola.
A FLOR DO IMPERIO
Imbrica de cigarros
5 Travessa do Queimado 5
O propietario desle estabelecimcnti
participa no respcitave publico que rece-
Iwu gelo ultimo vapor e vende barato ns
seguintos gneros: cigarros denominados
duque de Cnxias, cncouracados. de Daniel
do Rio Novo, peitoraes, orientaes, poulis-
las, gondons e barrigudos; charutos dos
molhores fabricantes da Havana, Rio de Ja-
neiro c Rahia, fumo de diversas qualidades,
pouteiras de diversos gostos e bolsas para
charutos o cigarros.
a
n
Jkl
N. 5 MA DO
Mffin
rxfl
Precisa-so de una ama livreou nie.-nio oacrava,
que cozinhc com perfeicao o diario do urna easa,
e que afiance sua conducta : a tra'ar na ra do
Vigario n. 5, 3o and ir. ____
Gozinheiro.
Xa ra larga do Rosario n. U preeiia-sc de un
hbil eozinheiro. ______________Wj
Sabao de alcatro
Para curar as n^lcslla la pelle
taes ornoetnpingens, darthros, simas, comiches
o mais molestias de pcile, sem oecasionar acden-
les ; cesfaz as mancha* do corp-i, pannos, sardas,
rcsiabelrce a cor natural, o/nnto a culto, secca,
grossa o amarcllunta, urea.-ion.indn por alguma
enfertnidade, e como desinfectante o preventivo
das molestias contagiosa*.
r.MCO DEPOSITO
Botica do l'inlo, rna larga do Rosario n.-10, junto
ao qnarlel de polica.
BpKtHM S0BRE1
Vende-se
para dia de finados (9 do novembro), na loja de
Antonio Augusto dos Santos Porto, na praca da
Independencia, nico deposito nesta cidade, ricas
(apellas para se rollocarem as catacumbas c la-
mulos, no cemiterio publico c DBS igreja-, com
as inserlpoBos seuuinic- :
Meu pai.
- Minha n.ai.
Mru esposo.
Minl.r. c Mea liibo.
Minha lillia. .
Meu amigo.
Saudade.
Urna lagrima.____________
Xa roa da Mueda u. o, andar, csi-ripiuri
da Manuel AI ves Ferrara 4 C, vende se vinho
verde superior em b.irris, ancorelas com vinho d i
Porto superior e malvazia branco.
Urgencia
Quem so julgar eom diiviio ao terreno que flea
nos fundos da casa n. 6 da ra de S. Dent, per-
tencento a Sra. D. Sovefina Mana do Cora cao de
Jezus, cnio terreno v.ii al a casa do Sr. Jorge
Ti so, na ra de Port Seguro, o qnal pertence a
mesrna seuhora, ; o so ha quem s mesinas tenha
a allegar alguma dnvida, apresenle-se ao Sr.
Tassocorfl os competentes tilulos, ou ra d
Imperador n. 9, uestes tres (lias, poto que passadas
estes se efiVctnar a compra de dito terreno.
Precisa-se de urna ama para coziulwr 8 com-
prar para casa. dj pouca familia : na ra de
Hurlas n. i.
22 Ra Nova n.
Machinas |wra costuras
A esta acreditado estaheiecimenio, che-
gou om riijuissiino sortimento de machinas
para costura, do todos os auctores; as
quaes se fccbanj em expsito no mesmo
estabelecimento. O progresso destas ma-
chinas inaiavilhoso! o sen servido equi-
vale ao de yo costuraras- diarias 11 Os
seus trabalhos sao pespunto, bordar, fran-
zir, e nutras militas qualidades de entura,
como se pode ver no mesmo estabeleci-
mento.
Garnnte-sc a sna boa qnaudade, como
beru o concorlo de qualquer machina quan-
do soja preciso: tambero, se manda ensi-
llar, at que a pestes esteja bem pra-
liea.
utllU\i.ini
Resta venda um escolhido sortimGnto de ob
lacios de rasraneria, como sejam, mobilias de ja-
arand. mogno oamarcllo, obra nacional e estran
{eir, de apurado gusto e por pre*;o- raznaveis
a rna estreifa do Rosario n. 32. Nesta mesrna
asa fazem-secom perfeicao todos os irabalhos *
oalhinha, como sejam, empalhamenlos de l.-isim-
jara camas, eadeiras e sophs.
ttenco.
Xa taberna da largo do Piratan n. 20 vende-fe
manteiga,ingb-za flora tiloo. H20e.KH)rs. a
libra, carne do sena. nova a 320 r. a li'ra.

1U1 xlW 1IV1
Alaga-so para passar a festa una boa casa na
povnacao do Moniciro com sabida para o rio : a
i tratar na rna Nova n. i.i, 3 andar.
Fucio do silio da Sapuraia a II do curreule
mez, o esclavo de nomo Jos, prcto, idade mais ou
menos .?0 aimoa. alto, ceceo, cara rosgosa, ps <
maos gramas, bem raante e ladino, estama eni
mi.is ciBfttfies ir \i:v::\ a matanca, ribeira, servir de
eainiceiro, ou gauhar as roas da cidade do Be-
eift. Reciiiomeiid.'i-se a sua captura as autorida-
des policiaes e capiaesde campo, mediante a com-
petente indt'iiini-aeao do Irahalho.
RtfA~IA' gXoRIA 5
(Mara do FundSo.
Ha sempre nsta oJaria grande sortimento de
niateriaes, como lijlos de aivenaria batida, ladri-
Ino, (uadra.lo de 8, 9 mais pollegadas, telhas c
lelho*. lijlos de tapamontos. O proprietario dal-
la olaria pranle a ixmdailc e bur de tais malo-
riaos, como tambera vende-se iiis barato do que
em entra qualquer parle.
Sementes
de hontalico chegadan no vapor do t- do crrenle,
e esl.i a venda na ra da grtli n.. 13
SAO llliilTOS
Superiores cortes de percalle rom barra, para vestidos a Hft cada corle,
Lindos cortes de gazo de seda com 18 a 20 covados. pelo baralissimo
pre.'o de 53000 cada corte, na loja das coliunmas, ra do Crespo nl3 de An-
Iod ) Correa de Vasconcellos.__________ .. ........
0LIVEIR4 a* CARVALHO
SucGessores de Reg &Moura.
21-Paia Nova 21
Os proprietai ios deste novo ctabelecimento fazem scicnle ao publico, que
ajeaban de receber um perfoito e variado sortimento de pannos linos, casemiras, brins e
oulrs muitas fazendas de gustos modernos, as quaes vendem por preco9 razoaveis.
Os tnesmos scientiPicim que tendo admittido para sua ollicina do alfaite, um artista hbil
no desempehho de snas funeces, recebem qoalqour encommenda de ronpa por medida
pnvit.'.'iil. -ntisfazorem. com nonlualidade e presteza qualquer pedido neste sentido.
0; : tifflW*i
I
i
^ili
illli
/
VS BOUBAS CUBADAS
Todas as nivlestiss sypliflitcas.
PEI.0
ELEKIRD0DR.SEV1AL
&
m
i
i
L.iico deparaUvo scminii.;irio quotanta aceiaco lem iv.aci.lu ao lra-
, as repblicas do ;.! e'na .Vil ma iha para cura das boubas,
.as, r'^umasm! to^.is as mustias sypiiicaa c em jora! todas aquellas
LTS1 ') DI !0S1T0
NA
f l4h,ss aiac*: c Irosas*!.
w.
Qartholaineu & C.
i4- *fc* i rita 4 das
na
pri-
(SEM LIMITE.)
Iravessa da
Cnizcs n, 2,
iiiiro andar, da-se qna!
qncr quanfia sobre ouro,
prata e pedras preciosas. 1
0 dono deste estabelecimento, ^
competentemente autorisado pelo S
governo, est as condices de ga- ffi
rantir a transaego que se izer em
sua casa, prometiendo todo e zelo |
e considerafo s pessoas que se s
dignarem de honra-lo erasen esta-
* belecimento. s
Na mesma casa compra-se ouro, i
M r rala e brilhantes.
mmmmmm mwm mwm
l'recisa-se de um eriado para todo servido
do holel, paga-se bem, prefere-se escravo
C3MFRAS.
Compram se moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata em obras inntilisada-,
brilhantes e inais pedras jireeiosas : na loja de
ourives do arco da ftuireieao, no Recife.
0 miizeo de joias
. Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prau
a pedras preciosas por procos mais vantajosos d i
pe em nutra qualuucr parte.
Vernizes.
Vende-se no cscriptorio do Joaquini Gerardo di-
Bastos, rna da Vigario n. 16, primeiro andar, os
seguinies vernizes em latas de ti e 9 libras. di>
acreditado fabricante do Para, Caetano Antonio
dos Sanios Lisboa :
Vemiz copal escuro.
Dito dilo claro.
Dito dito escuro proprio para obras de felha de
Flandrcs.
Dito cor de ouro on donradilho.
Lagea ment
Vende-se na ra de Apollo n. i, lagdu para
calcadas c aniuumw.
Compram-se e vendem -se diariamente para fra
e denlro da provincia escravos de todas as idades,
eores c sexos, com tanto que sejam sadios : no
lereeiro andar d i sobrado o. 36, ra das Crnzes,
friguVzia de Santo Antonio. _______________
Uim muilo manir vaniagcm compram-se
moedas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
racaode Ouro n. 4 D, rna do Calinga._________
lar nr, ra estreita do Rosario
nense.
a ira
n. 11, hotel Lisbo-
A luga -se
urna casa em Deberibe : a tratar com J. I. de M.
Rogo, ra do Commercio n. 3i.
Attenco.
Da-sedinheiro a juros
so diri as condices.
na ra da Palma n. >7
i-^^^araKS mmm mmgmmmmm
Deapparcceu hontem, 26 do crrente,# as 9 ho
ras da noite, da camoda do Chora-meninos, um
boto de 13 ps de comprido, pintado de branco
com urna listra verde na beira, e abano desta
urna dita encarnada mais estrella, lendo na popa
o norie Olindense, sondo eslas letras gravadas na
niadeira : roga-se a qualquer pessoa que o livi r
encoiitrado ou delle souber. a dlrigir-se ao Chora-
I meninos, sitio n. 3, que ser gratificada._______
Aluga-se urna sala com 3 quartos, do se-
gunda andar da ra do Imperador a 75 : a tratar
no mesmo andar.
--------------------- j ^
Comprase urna carroca em x-gunda inao : no
armazi'in da bola anurclla no oilo da secretaria
da P"li',ia.
VENDAS.
Vendcm->e quatro eseravas de 18,10, Si e
30 anno?, toda-- com habilidades, um bom pelo d
30annos, que lanibcm Cozinlia : na ra de Hurtas
n. 96.
A VEBDADE
55Ruado Qurimado5#
A VMWADE lendo em deposito gr.tn4*
t|uantidado demiudezase perfumaras, e d#>
sejando apurar rJinheiro e plquerir boa frt>-
imezfa esl resolvida a vemler ti.itr^^0|a>
barato, ; por essa razSo convida ao respes
lave! publico a vir oompcienlimi'iie muni-
do a sortir-se do borne barato. I'or ifiai-
do a Verdadc apparecc, tutlo mais def-
apparece....
Grande sortimento de bonerns Ao cr*
massa M mais lindas possivtis vestitlaa a ca-
rcter.
Ricos globos para candi iro de gaz a I ;'RQ&
Chanupis a....... H2fl
Grande sortimento do objetos de
louca para brinquedo di ineiiinn lOft
(arrafa com tinta a. -^ 8)9
Dita com agua Heridaerdaeii a :i I '>' i:>
Dita com dita lita a I 'Ort
Frasco com t leo do babosa a ;(.'() u ~i.
Dito com agua duCol'Mia a :*> B 5tfc>
Garrafa com agna divina-a. I.59B>
Frasco com extractos-iinws a 1-HHXl
LaUs pequeas tom liotil muilo
tina n I3e...... 2011
Sabonetea e diversas jnali 'a 80, -ico, Vo..... :t*
Finas escovas para denlos ile'fSd a (it?8
Lindos t-oques modernos a. -.'smo
Paos para gas, luzia a i o 34i
Escovas para fado ;i '), 0O0 IM
Ditas para cabello a..... <
Puntes para tirar piorno a V'O r. iO
brincos de cores, bonitos a f(H)e Sfi9
Pecas de trsncn de laa eoint
vartis por....... 8
Oleo para machina de cocina,
frasco a........ <;00
Peonas d'aco fins raixas a 800 o I ."'
Dita d"a;o i'erry, eaixa a. i
Galao de algodSo peca .... U4
Lindos babadinhos o eiilrcimi..s
pe;a de 500 a...... ".i K
Uotoes de madrepcrola, grua :i ftOp
Ditos de lenca muilo lino a 120 e 09
Pito; para cali-a a lc.0 e. 36
t'aixa com papel amizarle a. 70
Dilascom envelopes a. If
Ditas com obreas a..... 8
Gaixi comSguihas fundo ourai'o 2W8
Ditas de ditas ditas a..... <0
Thesonra par-a costura a 2M)0 RO
Caixa com iinha de marca a 288
Linba de cures em novellos (li-
bra) a........ B08
Carreteis de Iinha Alesatulre rtc 70
at 200. .,,'.... i'M
Grampos milito linos com piRla-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2->200 e .
Pa^elalmaco e do peso, resma a
3;5400, ldSOO o .
Jbi muilo fina para bordar, libra
Fita de aJgndo para deb m
sapatos, pei;a a.....
Dilas de IHa para debrum de ves-
tido, pega a ......
15!*!!!* **?."!!S !^!!lf!? halai finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 20, 320 e......
Caivetes grandes com molla a .
! Ditos para aparar peona a .
Caribes com colxctes a .
para armazem ou engrnho, viudos do Oar, as
sim como alguuiasescravas com h; bilidndes e sem
ellas : na ra da Crnt n. 55,3o andar.
Vende-se urna boa taberna na frcgueza de S
Jos, bem afreguezada lano para o mato conm
para a Braca a tratar no armazem n. 5 defronic
da escadinha no Hecife, eom A. J. S. Guunares.
A ra do Livramento n. 6, contina a ha-
ver para vender por presos rasoaveis, o
melhor vinho verde at boje viudo a este
mercado. _____
AT HE IINKOA
PQTASSADARUSSIA
A mais nova no meirade, a pr;o rai"avel : n<
armazem de Manuel T. Basto, ra do (]uramerci(
a. 13. ________________________
A tea0o
Joaqun) Rodrigues Tavjres de Mello?
tem para vender no sen eseripb rio, pra-i
ca do ixipo Sant > n. 17 primeiro andar,
aolassa na llu-sia ulliinamenle chegada,,^..
Cal de Lisboa e vinho Bordeaux de (Ope-Jj I Ya Verdade
rior qualidade.
Itoseas pivtas, par a .
Tranca de laa ib caracol peca i 10 e
Fila de coz peca a 480 e .
1 Alfinetes de latao a.....
1 Sapatos de 13a para menino a 240e
| Ligas paa senhora, par a. .' .
' Grvala de sedas de cores a .
! C:lcadeiras a -. '."." ." .
I Grande sortimento de rendas ras Illas
. Um par de suspensorio de borracha
| lOOreis! !!!!!!
rna do cscMadi
n. 55.
'SO
::?-,.
00
vo
loo
100
:.i0
100
809
166.
308
m
\>irf
fitt-l
|"
EO DE JOIAS
z/3
'
GOMES DE MATTOS IRMftOS
tendo feito completa mudanza em s en antigo e
acreditada estabelecimento de joias, com o flm de
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da nonte na
RA DO CABUGA
onde enoonlrarao um completo sortimento do que hi de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubiiis e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREC&S DE BRILHMITES, ESMERiLOftS E RUBtNS
de novoa gostos, ansim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para titulas iu.re.jas,
Coiapram e IrtaMMii qualquer joia ou pedra prtciosa e aarantem
a qualidade doobjemm vendido!*.
Cabriolet.
Vende-se um cabriolet do dous e qnatro a?sen-
tus, o que ha de melhor neste genero, com bom
cavallo e arreios, ou som elle : na ra de Sanio
Amaro, coehetra de Thomaz Lina.
Esteiras de carnauba
de Mossor.
Vendem-se na rna Nnva n. 22 esteiras vindas
de^le lugar, pnr pr'-p milito mdico.'________
Vende se a Hiberna da ra larga do Rosario
tt. 3. c prop ia para principiante, por ler punco*
funu.is ; ipiein pretender dir^a-se a menma qne
achara cmi ipieni tratar_____________.______
Vende e um boi de rarroga, novo o gordo :
noaiti da vinva VtUH-w*m, na Kslrada Xova.
M
Bichas hamburguezas
Ra da Cadcia u 51.
Neslc novo deposito ivcrbe-se por iodos os pa-
piele.- iransatlanliciis, bichas de qualidade snpe
rior ; vende se ern caixa ou porfi mais pequen
DO
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. %
Os propnetarios deste bem rimhwidittfatabrl^
e mais barato do qne em qualquer outra pane : ,.imente, alm dos muitosobjecta-; que linbam ox>-
ua ra da Cadcia n. fil. Io andar.___________
Vende sk una crnica cmn pipn para caire-
garagm; a ver e tratar na ra do Janliui n. 27.
CEMENTO
POHTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filbo, derronte do areo da Con-
ceicao, em barricas grandes.
M\l\ \\\ I tt
Jl
Vendem-se libras sierlinas : no cscripterio di
Leal Ccis, ra da Cadea n, 49.
VEAS EM (Mil
A PREQO FIXO E .MDICO
IVAS
a OVO rs. n libra: ni ra da Gadp.ia n. 53
armazem Un3 muito proprio par barracas i niales ; xendem*e
no armarem de D.iviJ Ferreir Brilaf, ra do
Brhni n. 92. .___________
Veite-M a uberna Flor a-Palmeira: di
ra da fatma n. 37. S^
Nilo mat cabello braneqs.
A tintura japon-a para Ungir os cabellos
la cabera e da harba. fui a nica adtniltida
tirposic Universal, por ter sido reco-
nhecida superiur a todas as-preparacoes ate
tuqe existentes, sem alterara saflde.
Vende-se a t^OiO cada frasco na
Rna da Cada n. 51,
1. andar.
0 Mlj'SKO
ItlIAS
**&**
Precisa-M- de nina aiia' df tette :
no -iibrait-i ita pa 'I*- fin"* n lu.
a iratur
Baratissimo
V-nle-s arcos eom fisjit <. a pn>ci rommodo :
no armazein (Ja compauhia IVinambuean.
Sua Nova
ESPELHOSem quadros douradosde lJ '/3
i V* V Ve V. a duzia 4,?000, 2;^Oi-.
iiOi, Ii90ie l^3l0.
LAP1S Unos a roza 00, 2.5600. 30( i.
3iH DITOS coro ealieca de osso para; carteira.
a groza 458oO.
DITOS muito superiores paracarpioa groza
2,5000.
DITOS muito finos com duas er* a gruz
4400 FLVELLAS d'aco pulidas e envprnisadas
para caifa h ctlete a gritfa 15500."
OCLOS aro dXo. vidro degiu a duzia
35 XUNETAS OU PlN'lVEZ ideto idem a du-
zia 9d00.
E trruitos otrtros arligos <\* so com a
vista podem ser apreciados lamo nns qna
lidades como nos re>uiuidissiuiu prev-s
por alie tudo vend'do.
Alm dista faz-se os abatimentiw na razii"
geoisoie:
CiirripiIfS de 50 a 1K:3 descont 5.7
d.- ItfMaJMMW IOa/->
iIh 50i5 para rio. i 15
PAdMIENTfVHBALIS VtK) NA MESMA HAT V
-em l.-nadi-3idinSineUus '/'V.
em de. O i 5 /.
M Swza Soares fe C.
imstos a apreciacao do respoitav,! publico, man-
daran *r e aranam de receber prf olfmo vap r
ila F.nropa umcomplelvtevari.nl;' sortimento d*
linas e mui delicadas especialidades, as unacs e*-
tao residvidos a vender, como de m eostum-^
ir precos muito haratinhos o commodos paraste-
is, com tanto que o (jallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, irarv
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gulliiilias e pannos para sa-
nhora, neste genen o que lia de mais mudernQ.
Superiores pentos de tarlamga para coqftes.
Lindos e riquissrdos enfeit .s para eabr d
Exmas. senhoras.
Superiores tranca pretas o de core.; c n
ihos e sem elle, esta foseada o o que pode hawjr
ile memor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de madnrp^roli,
uiarlim, sndalo e osso, sendo aqwltes brallc
com lindos desenhos, e estes pretos.
Mnito superiores mcias lk> i i se-
nhoras, as qnaes sempre so vonderai <^ >
a dn/ia, entretanto que no as vendemos p
alm doslas, temos tambem grande som
nutras qnalidadas entre as qu< : >
linas. i
Boas bengalas de snperfor twina da tmihi n
casiao de marftm com lindas o i Uranlad feR;
rasdomesmiK neste genero p ute de eutlhur
jHd.' desejar ; alm destas temos .
itu.inlid?de de oatras qualidades, ci.'iio deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. e.
Finos, bonitos e airosos ekienrthof de i Bd l a
de uutras qualidades.
Lindas e *uperores ligas de w d:, ? bw r
para segurar as mia.
Boas ltelas de seda para senho e [ara nicui-.
uas de I a ti annos de IdajSe. .
Navalhaft cabo de raarfiw e tirtaru.^o p:aa
barba : sao muito hoji.se de mais a oii <* >
rantda-s p'lo rahricjmte, e nos por nws:i ..- i
bem assf-gnrTMn-s sua qualidade r. .delira.!
Lindas e Ma- apellas pai"a noiva.
Supii'WttAlplta-',para mael
Linh muniiti..* di peso, flWrtva. pao
labvrintho.
B.ms haralbiM de cartas para vnltarou,
romo os lentos para o mesmo Hu.
brande e variado sortimento
lui.utrias **> iraowe,iyjf^
elctricos nwgniWios crrh af>f.-
fR.iWam a deiU.i;4)inm'ii. ora<
un desue omito i rerebilortw
.-..llafw, e i-nntuu*inos 3
vaimies, aliiii di- '|ue minca'ral't'ii. n-mH-o,-
vniiio Ja tem amnii-rid, asiin |m- |>ler
i.k que dellus piecisarein, vif as.
vi|iilanie, anude Miipre encoBtr;
itoims stlaiW. eos quaes alt
para iiif s* npiifteMiius. s<: ves
lu.imito lucro.
U'l|IIIIHM, \ff,\ *VI*-]
divlaradiM, aA inmum I
i-i.OlpPN
vi)rilaiiie. n
ra larga <
nEdm l

>
f>
V
N I

I
m


*





,\
Vv
6
PemaibuC* St-xU fcirtV & e Outbro de 180$.
LiQiro
EMI6UAL
0 proprietario do armazem Je faaendis-def.jniiado AR.iR.Y, na da Impera-
triz 0*72, ib-cl.ira ao rcspeitavl publico oscus fn^neze, que est li.jn daiiilo /odas as
fazendas e roupas feitas quo lera cm seu estaDelecimcnto como se poder ver no seu
annuucio e proco anaixo mencionados,
Chitas ffraueez;v* saaIzadas
?0 rs.
Vende-sc chitas francezas escuras matiza-
das a 320 rs. o covado pop esle preso sna
toja da Arara, ru.i da imperatriz n. 22.
LA YZINHAS V 2.0 US.
Vc-nde-se lazinhas pa-a vestidos de se-
niora a 210, 280, 320 o .00 rs. o co-
vado.
BARRGBS DE lk\ A uOJ US.
Vende-s i barbes de la co:n listras para
v-jsti I >s de senhora a iiOO e O rs. o
covado.
Alpacas tic listras a 500 rs.
Ven le-se alpacas de listras para vesli-
di s da senhora a 500 rs. o covado.
CUITAS FRANCEZAS A 281) US.
Veude-so chitas fraacezas claras a 280rs.
o ovado.
CORTES DE LA PARA VESTIDOS A
S 00.
V;:nle-s) cortes dj 13a para vestidos de
-seahoraa a 2>W0 rada mu,
PERCALES A IM ItS. COVADO.
Vende-se percates m.uio linos para ves-
tidos fte senhora a 40 rs. o covado, mur-
solott lii ancas finas, a 500 rs. o covado,
brilhanlinas de cores, a 440 rs. o covado.
-Baldes modernos le todas as
cores.
Vende s halos moderno sbranco ede co-
res a %6. 14300 e 5$.
C0BEHT0UE5 DE ADGODO A I 500.
Vendse cobertores de algodo a I500,
roberas cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 320 US.
Vende-se ganga para ca'ca a 320 o cova-
do, britn de cores para calcas de hamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para caifa e palitots a 25500 e 3;>,
o covado, m 'as casemiras entestadas para
calcase palitots a 1$ o covado, brim pardo (
de todas as qualidades e brim branco de
Unas as qualidades na ra da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 40 rs.
Vende se alpacas de cores lizas linas a
640 rs. o covado, tarlat.ir.as de cores a 320
rs. o metro.
MVDAPOLYO ENTESTADO A 35500.
Vndese pecas do madapolo entestado
^ :;5500, pecas de madapolo inglez do 24
jardas a 55. WiOO, 75, 85 e 105 a peca.
72. Ra da Imperatriz
Algotlo enfestado OOO rs.
Vende-so algodo cnfeslado proprio para
toncos c toaluas, 900 rs. o metro, dito
tr,i. pado a l>, melro.
Chales de suerhi '$.
Vende-Se chales'de merino estampados
a 2-1 chales traucos e de cores a lf>00
cada om.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A CO ns.
Vi? .de-se urna grande porco de cortes
de brim castor para calca de" bornea, 040
rs. e.ida um.~
fti-amle porco le retalhos
Vende-se grande porco de retalhos de
coilas e cassas pretas a 100 e 200 rs. o
cova lo, relatos de casas*, la e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAN A ROPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 25,
d./s de alpacas de cores a 2#, dios de
ni':} enseinira a 24 e 2d;/O0. ditos de pan
no preto boffi t 8.5 c 105, calcas de algo-
do azul para esclavos a (i40 rs. ditas de
algodo le listras a 800 e 15- camisas de
iscado de Nstras a 800 rs. cada urna, cle-
les de brtoe fusia de cores a 15c l|800,
coletea de crsemira decores a 25500 e35-
e outras moitas qnatiriads de roupas feitas
que se vende por I.arirtissimo preco.
Algodo sc listras- a JOO rs.
o eova*
de (tras para roupa
de escravos a"20t rs. o covado.
PECA DE ALGOD.idtA ty.
Vendem-se peras de algodGo' 1 45000,
55200 65000 e 75, para liquidar.
aloes de araros I$OO.
Vende-se baloes de arcos pan senhoras
pelo baratissiino preco de 15500 cada um,
Cortes dccaiDferala barras
a 3.$ Vndese corles de cambraias barrsa a
25 fl 35 cada um.
LENCOS DE SEDA V 640 RS.
1--RTJA DO QUEIMAD0-11

. im da Kuror^^^HB^vopor toja do AuguMPftto & C. ricos
c tes das mais linda sedas Wmltnosis cores para vestidos proprios para bailes e casa-
mentes.
Grande variedade de 3das de nstras de diversos precos todas de hndascores,
gorgurao de seda preta, e grosdeo3ple do varias qualidades e gorguro de seda la de
dif renles cores.
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas colxasde seda para camas,
ditis do la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas c toalhas 'de
cainbraia de linho bordadas.
Lavas novas de Jouvin.eelegantes sombrinhas de s-las de cor para senhoras.
Espartilhos de 55 at 105, lindos bournotis de cachemira do cor para sahida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade do camisas bordadas e lisas para bomens e meninos.
Sortimento de militas fazendas de la, linho e algodo todas por precos milito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapates o de alcatifa para
forrar sales ludo em quantidade; e vendem semprc^por menos que em outra qualquer
paie.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
MACHINAS
al-
Vende-se algodo
41lCINA$ americanas de serrote de todos os tamanbos para descarocar algodo, do
Hbto conhecido fabricante Eaglo Colton Gin.
CACHINAS cStas, tambera do serrotes c de todos os tamanhos para descarocar,
gtjtio- do autor New York Cotton Gin.
vIACHINAS diw de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
VfACBINAS dita de Rollcr Gins, de cujo Irabalho faz obter mais 2.000 em arrolla
de atyodo.
VIACHCTAS de faeSa do fabricante Platt B. C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas e;>tas m;>chinas sao de superior qualidade e as melhores que t
/indo ao mercado 'T e para a
Graodc c completo sortiraento do machinas para
descarocar algodo de nova iiivcncaf. ebegadas ul-
timanieiilc em dret!)ra para a toja do Manoel
Uento do Oveira Braga & G.. na ra Dircila n.
i)3. Garante-sc qoo a mclhor <|ualid.ide que ate
o presente tim vindo ao mercado : aeham-M em
exposicao aos compradores as de 10, 12, i>, 1C,
18 20 serrar.
Systeraa decimal.
Grande e completo sortimenlo de pesos kilo-
grammos de mellior comprehensao dos juo tem
viudo at o presentp, Msioi como marcos de tallo
at meio grammo pelo mesmo sys'.em:), nalanca-
do latao de torca de [ila 20 kilugrammos, metro*
do mailcira e de'latao para medir fazendas, alm
de grande sortimenlo de miudezas o Terragcns de
wdas as qualidades, tudo por precos que so a vista
faz crediin : na ra Dircita u. 5.1, toja de Manoel
Uento de Oliveira Braga & C.________________
COGNAC
De superior qualidade da mu aecredila-
da fabrica de Bisquit Dubouch C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o cousummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Tb. Just. ra do
commercio n. 32.
Sellins baratos,
N. 27 KLA DOLB'RAMENTO N. 27.
Neste estabelwmW. \ende-se sellins'e
silhes, do todas as qoa'idr.dcs do milbor
que se pdc fabricar no f>aiz, assim como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, "traviceiros, caixi-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprielario deste esta-
belecimento garante a pontnahdade, esme-
ro e zelo de seu irabalho ; portanto pede ao
rcspeitavel publico sua protecc3o, que aflfian-
ca vender tudo pelo mais barato possive!,
e por meuos do que em outra qualquer
parte.___________________

t\e suda-a GiO rs. cada
Vende-se lencos
um, para liquidar-
CARTE1RA PARA ViACEM A 1,9.
Vende-se carie iras para -.iagem r
cada urna.
-72..
BAZAR
uil
a es)osico dse mesr na ra da Cada do Reeife n. 56 A, loja do Bastos, onde
iDjontraro mais o setruintc:
*#
3ebulhadores para mnho.
]jlindros para padariae.
Vrados americanos,
iarriobos de asao.
\f;ichinas para; cortar a;;in!.
Pannos de ebembo.
lombas de Japy.
)itas americana-,
relhae de ferro- galvanisasSt3.
7olha de zinco finas.
)itas do cobre e lato.
?orro de todas a quadaes.
VVcos de ferro.
?oha do Flandres.
tfjchados americanos.
?acoes ditos.
fcaios- e cestas deverguinba-.-
/assouras americanas.
?olles do todos os tamanhos.
Tornos e safraspana ferreiros.
Finalmente muitos-outros frtSg
liversidade seria eafadonho eanumerantos.
92Ra Vera**
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimenlo de todos os artigos que se ven-
soa 7precar3o',con vidam-se os senbores agnsultores Z dem por precos commodos como sejam: Um
A eomplelo sortimenlo de machinas pan cos-
tara de todos os ajstemas, mais modernas
adoptados na Ameriea e appravadas na ul-
tima exposico servicos a electos para almo-
co e jantar, salvas, bandejas, tabt>liros, bol-
sas e malas para viagera, indispensaveis para
senhoras, cantteiros parasala ecimndemes.
parede e portal, mangas-, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas-para amessar farioha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianea, bercosr cadei
ras tongas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todo os tamanhos, molduras
para quadros gaz, baldes araericanos, gu r-
da comidas, brinqwedos para criancas* um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e n esa, tapetes para sala, qoerto,
frente Sparto e coco, objsctos para escripiorio e
muitos oulros artigw que se encontrara
venda ne-mesmo estabelecimento e que *ale
a pen ir examinar^_________________.
Folha de ferro.
Balanzas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Ternos de bandejas finas.
Trens completos para cozinba.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados. .
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinaces.
Azeite de espermacete. proprio para mae'^
as de todas as qualidades.
Senas avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para a
mesmas.
Latas de gaz,
osperlencenles- lavosra e arte^, que pela
i;\z 1TTBH1110 LE AO
im\k ai'inazifli de fazendas c mpxs feilss raa da Imperalr-
n. Ivl porta larga, de Paredes Porto.
Neste eslabelecimunto encontrar o re.*peitavel publico om bonito sortimenU
ce roopas de todas- as qualidades, palitots de alpaca a 3#. 3doOd at G. Ditos *
r.ierin, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 5i>. 8*. 8 e 10(9, de panno pret>
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos do alpaca branca
decores de 3A300 a 5)5000. Calcas de brim de cor linas e ordinarias, ditas-' rato a' saber:
Chegon o antigo deposito de Heory Forster fi
-I, ra o Imperador, nm carregainento de m
de priineiraqualidade; oijual sevcneem partida'
e a reulho por menos preeo do que on> outr qua
aner par*.
Loja de miudezas de FERREWA DA CU-
NHA A TEMPORAL, eslo quitnando por
todo preeo venham ver o que bom e ba-
di.-mminadoGAHlllALDl, tem a
, ecebi lo diversas facturas de fazendas, de novo g?sto, para a losta. esu
IOvas encommendas que deve estar aqu. ate o da 18 de u^m H
oae nao tem lempo autos do balado de vende, antis fazeodas d* e
na>ra da
Lourenco Pereira Mondes Guirnar3es, proprietano do rmnazem de f^ndns
honra de pirticipar ao napeitawi publico rfte teodo
festa. estando a espera de
lindouro, o veedo
. encomaendasp r
?: o rSoTveu S urna quidacao para ver se da maior estrac o por ,sso n v
cirOTflBtancias vender todo mais barato do que em outra qualqoer parte
[moeratriz n. 5B.
MADAPOLO ENFESTADO A 31500.
,- Venf,,T\,,T^^ZT3flt.rassm cassas' preUts"em "retalbo- a 160 o covado
^de^S UCMS ta.nb.Jlem retalhos de chitas e lia de co-
ardas im 20 varas i 55. 55-.00, H, 655UO
7-5000. 8>, 0> e 105000.
Corpinhos a 200 rs.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 5:500
Vende-s* pecas de cambraias victorias
s a 53500, C* e 75. Brilhantina bran-
ca fina para vestidos de senhoras a <>0O
CUITAS PRETAS A 100
Vende-sc urna grande porcAo Vi chitas e
i. o covado
ALGODAO A U000
res que se vende barato.
Gangas para ealea a 3 rs.
Vendem-se urna graude porco de gangas
para calca de friOQ m e menino a 320 o
ci.vado, cortes de castor para calca a 640
cada nm.
Brim do cores a Olrs.
Vende-se urna gnnde porcan de duas
faces para calcas, palitots c ceibales de ho-
m e menino, fazt>nda intcuaraente nova
10 %r sus**. *" s u'*>u"a 6uc'e ,6oou
todo
75, e
^ A0M1REM-SE DO QtE E' BARATO
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
(iecr o preta de 4$, 55, 66 a 155. Golletes de todas-as qualidades e preco rnuik
barato. Completo sortimenlo de camisas franceaas de algodo e de linho de 25 at 55
urna. Sortimento de seroulas francezas de algoio, de linho e bramante a'2# e 25500.
Grvalas (mantas) novissimo gosto a. tolos os precos. Meias sortifliento coptelo a 3>-
\4 at 7ti a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS*
Encarrega-se de rjwaes'qiier obras de encommenda tanto para hemern, coan*
para meninos, c com brevitbde, por isso que tem um benito sortimento de fazendas d*
tt>da> as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos Anos e outras- muitas a
eaee.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a 1/5806 o metro.
Cambraias de cor e branea.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil de-chvre com lista de seda fazenda de> gosto a W200.
Basquines de guipure enfeitadas a 185000.
Sortimento de chilas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 65500, 7k 85- e 95000.
Algodo peca com 20 jardas a 4#50o, 55500 e 6^000.
Peca de algodo largo a 75500v
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Clieguem roop*
t&at que se esl liquidando na Idja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) di
LEaO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Chamaloies a 560
Vende-e chamalotede crs. dealgod'
rara vestidos de senhoras a 5W> o covado.
Alpacas Usas a SO rs.
Vend -se litaras Usas para vestidos de
cores, tiara senhora. a 50 > rs. ditos nusa-
da* finas a 7 o covado. D.ta< lisas mul-
to taiga a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
Vdense una grande porvSo de crtjs
de penales de duas saias para vestidos de
senhma. de mnito delicados gostos com
16 Vi covados a 65 740(0.
CAMBRMAS LISAS DE CORES A 600
Vende se urna grande porco de cambma.
lisa de todas as cores para vesdos a 600
rs. o metro.
rgauby* eroos a 80 r.
Veinte- organdys de cores para
ou 2 tranc
Grande liqsiitaca de chapees
le sol
Vende-se rbapos de sfd de al pasa com
pequeo defeito a 25 e 55000, ditos finos
de 12astes a 45500, ditos dn seda finos
de 8 astes a 75501, 85000, ditos de 12 e
16 asies a 105000, para liquidar.
Chitas para cobertas a 4 rs
covado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
1240. 320. 340, e 380 o covado.
CASSAS FK\NCE/.AS A 240 RS.
Vendrt-se cassas fram*zas para vestido
a 240 o covado, ditas milito finas a 400 rs.
a 440 o covudo,
GR\NDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
35500, 40. U, e 6(5000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 35i5iiO e
fazer '45000, ditas para senhoras e meniuas a
duzia.
Machinas vapor de
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavados.
Arados americanos.
Machinas de acao e serrotes para desca-
rocar algodo.
Bataneas para armaiem e balcio.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez o de Ubit-
tleld.
Prencas para copiar carcas.
Fogo americano patent
:t',ratrUaS8'aa8'a80ra m0dern08' a '^BALOES^E ARCOS A 1:500
ou rs. vard. ___mtc,vnttto Baloes do arcos a 15500, ditos modernos
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS 4W00
K BARATAS PARA A FESTA ATTENCAO
Vndese chitas francesas muilo finas^de jem-se para vender urna grande porco
cores a 280. Dit s matisadas escuras a 320 de ro(ipa8 fo,a8 e brim o de casemira, de
ditas escuras esencezas a 30. ditas ateo l|)(jas as qUa|(]a,j(.s nao se menciona por
toadas a 360, dis garibaldinas a 360 o erenfaj ,n|o. garaHte-se ao comprador ven-
c, va'M. Sorliinenlo de chitas como ten o der mais baiai0 (\0 qUe em outra qualquer
parte, isto so se pode conhecer com a pre-.
senca do compadore a vista da fazeo
Garibaldi ba poucas tojas que coupium
FUSTOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
V^nde-se fusilo de cores para vestidos a
400 rs. o covado
COBERTORES A 1:400
Vende-se cobertores de algodSo a 1*400
cobertas Vende-se
200,240, 320 e 400.
que se pode conhecer como esl liquidando
por barato preco. o general Garibaldi. ra
da Imperatriz n. 56.
Chales de merla a !<
Vniide-se chai -s de Merino de cores ps-
a lampad,* a 2SO00. dft li*s JiMWKM.
nQ ios stampado finos a 55, 5*500 e b/>000.
Scbonete de alccttrdo.
DI
Antonio Nunes de Castro.
;Este acreditado preparado, que to bot
airceitacA" ^m merecido o'esta provineja
mnit se reeommenda para a eara ceru
das impigens. sarnas, caspas e toda
molestias de pede.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeo A C,
\\roa tarja Ao Rosario34.
t-tti- um casa ii'ik;;i Da rila da l'/mw;
a iraiar na ra da Aurora ^, j3 a,
Ra do Imperador n.26
Neste esiabelecimentd se encontrar diariamen-
m um P(nnplti 8rtmeato de pastelaria de todas
is qualidades para lanche e sobre-mesa, ele, etc.,
uulinnos de todas as qualidades para cha, presun-
tos de fiambre, bolos inglezes, pudins, e finalmente
udo que consiste em urna boa pastelaria, com a
oaior asseio e esmero, cha hysson, preto e miudi-
nho do melhor que ha no morcado. Nesta casa
iHrebetn-se encommendas para casamentps, bailes,
rbaptisados, coinpremettendu-se os donos do es-
i belecimento a sor ir o melhor que for possivel
i vontade do frejuez. dispondo para esse Itm de
um completo pessual. Recebe-se avulso toda e
IHalquer encommenda, como sejam, bandejas,
ilos e aes-de l decorados, doces d'ovos, seceos
i de calda e crystalisados, fructas nacionaes e es-
'rangeiras, ainendoas confeitadas. um completo e
vanado sortimento de caixinhas de todos os giwtos
iirecos, para mimosear senhoras ; estas cam-
illas recentemenle chegadas de Paris, sao de pri-
morado go lo, oftVrere muas aos galanteadores do
nt'llo sexo, pois nellas acharan um digno e serio
iiresente para as donas de seu* pensamentos l?c<>-
res, vi.ihua finos de tillas as ijualidades, conservas
i.i.nolhos em latas. Os donos deste estabelecimen-
^s n5o se ponpando 4 despeis, faxem todos os
turcos para servir o respeitavel publico o me-
t or que for possivel. sendo principiantes e lu-
eando com todas as difllculdades, esperam a con
orrencia do respeitavcl publico desta capital, na-
ionaes r esirangeiros. Pechincha : legitimo vi-
.lio muscaiel en editan, que se vende porcommo-
|n prec" para partlcatares e (tara negocio.
_ V-ii
gao n. 19
com 0 6eu*e Euzchio.
CIMENTO
Vpnde-se verdadeiro cimento ; na ra da
Va Ir de Deoa n. ti, armazem de Jo5"
Martins de Barros
Lindo* hrinqnedos magnticos para me
nios dt 2i0 a 15-
Linhas- em novellos de 400 jardas a
60 rs.
Pecas de tranca de todas as cCres a 40 r*.
Latas com superio banha 120, 150
e 25000.
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 690 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 500 e
640 rs.
Ditos com banha 320, OO e 15200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portnguezas a 120 e
Itfrs.
Ditos francezas ;' 200 e 240 rs.
Grande sortimento de saboneles 80.
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
15200.
Lindos port-raain 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
30 e 400 rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
35SOO
Ditas de ditas para senhora a 45500.
Garrafas com a verdadeira agita florida a
15200.
Ditas com agua divina 15300.
Frascos com sndalo a 15200.
Pecas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
55000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
000 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonels de panno para menino a
5000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
30 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 15500, 25000 e 35O0O ao par.
ligue p*ra vispora a 200. 40 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nanca onde contina a vender
pelos baratos precos de seu an-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanqa.
lina lo Quelraado o. S.
%mmmmmm&m
| AttenQao |
Na praca do Orpo Santo n. M, t j
fH andar, vende-so mais harato do que em K
ontra qualquer parle cal de Lisboa e f%
potassa daKussia da mais BtOM no mer- -^
1 cado, assim como vinh^ Burdeanx de su- gg
| perior qualidade em caixis e garrafas.
a*i wmwm mmmm
nma vacca de leite i^ preyo cornuiodo ; ua ra
da Cruz n. 13.
J cordeiro prevdente
una do QiEclinado a. 1.
Sovo e variado sortimento de perfumarlas
linas, e oulros objeclos.
Alm do completo sortimenlo de perfu-
maras, de que effectivamente esl provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
loiavel pela variedade de objectos, superiori-
lade, qualidades e commodidades de pre-
sos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
i espera continuar, a merecer a aprcciafto
io respeiiavel publico em gera) e de sua
boa fregnezia em particular, nao se afas-
tando-elhrde sua bem conhecida mansido
i barateza. Em dita lojo encontraio o
ipreciadfcres do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamroan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
eza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgia) para conssnaco dr>
tsseio da bocea.
Cosmeliques de superior qualidade e chei*
-os agradareis.
Copos c latas, maiores e menores, com-
pomada lina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
i outras qualidades.
Finos extractos isglezes, americanos e
fracezes em frascos simples e-ei.feitados.
Esencia toperial do fino e agradavel ebei-
o de violeta.
Outras concentradas e de cheiros iguala
nente finas e agradavei3.
Oleo- philoeome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade
jora escolhidos cheiros, em frasee de difie-
ren tes tamanhos.
Sabonetes cm barras, aiaiores e menores
jara mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em cairinba para barba.
Caixinhas-com bonitos saboneles iaaitando
fractas.
Ditas de uadeira invernijada contando fi-
aa perfumarias, muito proprias para pre-
Ditas de pape'.so igualmerie bonita-r, tam-
oem de perfumarias finas.
Bonitos vases de metal toloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
i bemeca.
Opiata ingiera e franceza para dente&
Pede caropbora e outias diffe?ente9
nialidades tambem para dentes.
Tolico oriental'de Kemp.
Aluda mais coqcs.
Um- oulro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filis de vidrilhos
a alguns d'elles ornados de flores e fitas,
;sto todos expestos apreeiaco de quero
is pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNIlOS SOItDADOS.
Obras de muito gosto e perfetcao.
Fi-vella c Olas para el.-;los.
Bello e variado sortimento de taes objec
ios, ficando a boa escolha ae gosto do com
orador.
Bartholomen & 0,
VlNHO, PlLULAS, XaKOPE E TlNTUIU
de jurubeba 8imples k perruotnoso;
Oleo, Pomadas Emplastro ba mbsma
planta preparados por
BIRTH0LOME0 & C
Pharmaceutico8-Droguistas
PEIUiA.HBI.rO
A Jurubeb : esta plaou t boje reconbeciil
como o mil poderoso lomeo, cuino o melhor
desobsiruente, e como tal applicaila uos padecimenlot
do ligado e baeo, bepatiles, danesas, tumores inter-
nos e especialmente do ntero. bydro|wias, eryai-
pellas, etc.; e assocud ao ferro e otil oas pallieUa
cores, chloroses falta de meonlroacao, desama.
jos do estomago, etc., e o qoe di.eujus ailealia
innmeras coras aporunles obtides Mil nosao
Srepara loa j bem contwcidos e asados peloa mal*
istinctoa mdicos 4o pas e Portugal. Ka lodo o*
nossos deoesiUM diflhbaimos gratis, folbewe m
melhor rMM cMheeu Jimba* mo resoiUo*
e applieaaie.
TEROADEIRO LE ROY
de ilfiXtBCT
Ru de Soina,
i Dnctaur-Wwlta
51, Em end'i grr ifs, i. h !re \
giic I. a oioi'u s iirii, um ruluio ,, pina-
relio como saux* ImtaiiAi do jviio ra
H..~ craat-

/
l
P
w
ilegH


Duro de Pernanibuco Sexta feira 29 de uluCro de 18(59.
*=f
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
i
w-aoa E>a sapaaaraja-a m
DE
FEIIX PEREIR-l. DA SJDLTA.
O prtfprietario d'este groada estabelaeimento, vendo quo se est aproximando o Bu-
fo anno, o leudo em ser ui grande deposito deposito de fazendas ; nao fallando em
avultadas eicomiuenJas que lhes estao obrigado todos os das, tem resolvido liquda-
las por proco raudo mais baratos do que em outra qualquer parte ; so com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase oeste estabelecimenlo (Jo
PAVO, avultado sortimer,to de iazuidas de luxo e modas; assim como de primera
uecessidade. As pessoas quo uegociam em pequea escala n'esta loja podertio surtir-
se vendendo-se-thes pelos pre$oa que compran, n s casas inglezas; assim como as ex-
ceUentissimas familias podero maudar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mai-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento
acba constantemente aborto das G horas da manhaa s 9 da noitc.
Explendido sortiniento de,
roupas feitis
NA LOJA DO PAVO l\\\ DA
IMPEilATRIZ N. 00
Acha-se este grande cstabelecimeato cora-,
pletamente sortido das melbores roupas,
sendo calcas palitts o colotes de, casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sara desojar, assim como na mesma loja
fiBU
*0 tyttlMA**
A AGUIA BRANCA tem convicio de que a abundancia de objectos de novidadc-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limilac3o de seus precos, est3o na op mo do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas ainda assim ella julga do seu
dever scientificar a todos, da reccpcSo d'aquelles objectos que esto alcm uo commum,
.se
A 360 rs. o covado.
Wndem-se bonitos organdys de cores combi-
niws padroes o lixos a 360 rs. o covado.
CAMISAS PARA SENIL 'UA.
Yen.)eiu-se linissimas camisas franeczas borda-
das para senhoras, na luja do Pavo,.
AS CELEZIA3 DO PAVAO.
. Vendem se a> mais finas eclezias, MgnHSea c
bivianhas do. hubo por preco inuilo om cunta.
FUSTAO BRANCO PARA VESTIDOS A CO R5.
Vonde-so fuslao blanco, com lisia e lavradinlics,
muio proprio para vestidos e roupas de meninos,
a GiO rs. o covado.
COLLERINHOS PARA SENHORAS.
.em um bello sortimento ^J^^^'J^^^^^^^ff
ras, bnns, etc. ote para se mandar fazer tnas *a ^ a duzia.
qualquer peca deobra, com a maior promp-, ALPACAS DE COiiDO.
tidao vontade do freguez, e b3o sendo Yendem- se as mais brilhantcs alpacas de cor-
.k^uiM o .,,:!, inc miinrn n5n mninm aiiataho para vestidos, tendo asmis lindas cores,
obngados a accuia-las, quanio nioesc ^^ ^ > ^
completamente ao seu contento, assim como h.u,l!4.im.0 de h rs. o .-ovado.
n'este vasto estabelecimento encontrar o tarlataNas.
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas franeczas e inglezas, ceroulas de
linlio e algodo o outros muitos artigos
proprios para bomens e sonhoras promtt-
tendo-se-ilK! vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na na da Impera-
triz n. (58, loja e annazem de Flix Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENCOES COM (0
PALMOS DE LARGURA A 4-5SOO
Chegou para a loja do Pavo, ra da
Imperatriz u. GO, urna grande porco de
pecas de bramante com SO palmos de lar-
gura, sendo a largura da felpada o cumpri-
menlo de, um lencol, o qual so faz cem um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco do 15800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras mailas ap-
plicacoes para arranjos de familias, sendo
grande pechiucha pelo proco.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se ama grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do quo wn outra qualquer: na loja do
Pavio ra da Imperatriz n. oO. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELIKAS DE COR
Vendase as mais bonitas musselinas de
cores a fiOO rs. o covado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaquinlins de seda
pretas ricamente enfeilados, sendo com os
feitios mais novos que tem viuda ao merca-
do e veodem-se muito em con la.
FAZENDAS l'ARA LUTO
Na loja do Pasa >.
Enconira o respeitavel publico ueste c.-tabcleei-
nenio om ."aile softimeatu do feaendasprelaa,
como sejam, eassas francezas e inglezas, chitos
pretas de todas as qutliJades, l.tzenda do laa de.
todas (pie tem vindo, proprias para luto, eomu
sejam, laazinhas, alpacas lavradas e usas, cania i.
bombaiiaaa, merino, ele, que ludo so vende por
preco barato.
NOVAS lASQUIN AS 00* GWFO.
Che^ai-am as mais nwderuas basqainas de gro-
denapte preto, ricamente eul'eiuda-, sendo dt um
eitio iotoramento novo, cos ricos cintos largos, e
veudem-se p cassas f;.\m:ezas.
Vende-Be um elegante sorliiin;iilo das mais Jias
i mais muderoas cassas frincezas que tem vindti
.10 Merca*), sendo eon padrSes miudinhos c
zrandes, e veadeoi-se por preco omito eai cotila.
^VS SEUAS-IK) PAVAO
w ^Allas nnidades.
Pelo ultimo vapor chcgaraiaQara leja do Pa-
,ao, que vende mais barato do que em outra qual-
qoe parte, as acias seguinles : poopeUpas ou
gorgliroes de linlio c seda, coin os mais delicado*
padroes, sedas de lislras, padro-s inteiramenle
novos, gmz do todas as cores, sendo verde, aiul,
ryrio, rosa, eiaieato, etc., sefin-, branco, azul.
verde, roxo, Ivrioetc, etc., assim como um Bran-
de si.rtimento de grosdenaples pretos de todas as
..jualidailes, e superior goi'guco prcto de seda
para vestidos e colletes.
^ AGRACIANAfi.
Chegou esta aova fazenda c ni o nome de Gra-
cianas, sendo de urna s cor, lyrio, xo, verde,
aul, etc., etc., e muito cncorpada, com lustre pro-
toriamenle de sed, sendo mellar o mais moderna
fiae e*te annn tem vindo para vagidos, e vnde-
se pelo Barato prceo do i o covado.
AI-PACAS LAVRADAS
^_ a luja do Pavao.
CMgoo itelo ultima vapor um graoda aortlmen
to das itiais modernas o mais bonitas alpacas la-
vrada< para vestidos, tfiido entre ellas algomasqae
fazein a vista propriamente de seda, c veadem-se
por prefija lauito em coiila.
GURGURAO PRITO.
hegou para a loja do Pavao o mais encorpado
cwaiirao de seda preto para vestidos e colletes,
qw se vende mais oarato do fluo cm outra quil-
4BW parte. MADApoLj0 mNCEZ
A 7/000, s o p;*vao.
Veadem-so pec.v de aiadapnlo francez eom 22
ineuo, pelo barato prec/> de "009, dito enfestado
coia SO jardas a 7#000, aim como finissimos ina-
dapole* rancezes e inglezes, ditos de jardas, que
se vender mais barato do que em ttra qualquer
parte, por baver grande porco
A& CASSAS DO PAVAO
ovad i a 300 rs.
Vendem-se flossimas cassas francezas cora lin-
dos desenlios e cores fin* a 300 rs. o covado.
CHITAS BARATAS
a toja do l'avo
Vende-se orna grande porco de chitos escoras.
aras, de cores flxas, por precos que admiran
BKILHANTES BAKEES A 400 HS.
W S o Pavio vende as mais delicadas ba-
reges de pura 15a, sendot ransparentes com
as mais delicados desenos, de quadrinhos,
i tras e lizos, sendo n'este artigo o mais
delicado que tem vindo ao mercado, e
vendB-se pelo barat3imo preco de 400 rs.
o covado,
PELERINAS A 43000
Na nija do Pavao, vende-a* as mais mo-
dernas roroelfas' ou basquinas de croch,
pretas eoetiadas com verde e outras coras,
peto twaw pre^o de 44WOO cada om, pe-
cbiacha.
Vende-so fitiissima lartalana branca c de todas
as COKS, asalta como Al blanco lizo a 860 rs. a
vara. _
ALGODAO EXFESTADa
Vende-se superior algodaozinbo com duas lar-
guras, proprio para l^neoes, >endo lizo e entra 1-
cadu, c vtiude-se por preco muite rasnavel.
ME1AS PARA HEIMOS A 3*300 RS.
Vendum-se duzias de metas superiores para
im-niios e meninas, pelo barato preco de 3o00 a
duzia.
UASQIMAS DE GUIPZE.
Chegaram as mais bonitas e modernas basqni-:
as pretas de guipuze, que se vendem mais bara o
do que em outra qualquer parte; assim como as
mais delicadas roowiras ou pelerinas, de croch
pretas, enfeitadaa de verde e ontras coros, quo :e-|
vende muilo cm corita.
CHAPEOS DE SOL.
Vcnde-sc um grande sorlinn-nto de chapeos le
sol de seda e alpaca que se vendem muito ba-
ratos.
-LENCOS BRANCOS.
Tendem so bonitos lencos brincos e de cures
com barras e abanhados, pelo barato preco de
:t|T00 a duzia, ditos de linho abanhados a ti-;, a
duzia, ditos de esguiao para varios piceos, dilos
de algodao a 2# c 1600 a duzia.
A 5,5000
Na loja do Pavao vondom-se moderniss i-
mos diales de fil prelo com lindas palmas
de seda, pelo barato prepo do 50U0,
pe chincha.
BASQUINAS A 18*000
Na loja do Pavao vende-se as mais-mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipare,
pelo barato prepo do 124000 cada urna.
PABA ESCBAV04
Na loja do Pavo vende-se estamealia
Se algodo mesclado para vestidos e roupa
de moloques a 00 rs. o covado, na ra
d ImperaaSz n. 60 do Flix Pereira .
Silva.
Papel para citsbi'iilho.
Compra-se papel para embrulho : na loja do
Pavao, ra da [uiperatril n. 8*. de Flix Pereira
fostOes bbancos para vestidos a
400 RES.
Na loja do Pavao vendo-se um grande
sortimento de bonitos fost6s brancos, pro-
prios para vestidos e roupas de croancas.
assim como tambera para ron las de h<>-
mons por serom de lavoros miudinhos e
baulanto encorpados, e rendem-se pelo ba-
rato prego de 400 rs. o covado nicamente
na loja n. GO da ra da Imperatriz.
AS ALPACAS 1)0 PAVAO A 6i RS. O COVADO
Vende-sc um grande sortimento das mais boni-
tas alpacas lizas tondo de todas ascore-, mais no-
vas que tem viudo.ao mercado e veadem-se a 6';0
r. ao covado.
ALPAGAS BMLHANTE8 A 640
Na loja di Pavao vem!e-se as mais bonitas al-
pacas lavradinbas, teodo de todas as cores que se
vendem a GiO rs. o covado.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegou para a loja do Pavao um prande sorti-
mento'das mais bonitas alpacas brancas burradas
e de cordo sendo n'este genero o meibor e mais
lustros*, pue tem viudo ao mercado, tem algumas
lao tinas e too bonitas que servem para vestidos de
nnivas e vondom-se par couunodos precos.
LAAZWlAS MODERNAS NA LOJA Dli PAVAO
Cliegnu para este estabelecimento um grande
sortiiiienta das melhores c mais modernas la/.i-
nhas para vestidos, sendo lapadas o transparentes
de todos t,s precos o qualidades que so vendam
mais barato do que em outra qual uer liarle.
AI'AC.OQU GOUGCHAODE LAA A 80!) RS.
Na loja do -Pavao vende-se o mais bonito al|
cao de cordao teodo de todas as cora, sendo faa-
da bastante larga a 800 rs. o envado.
COLCHAS DE FSTAO
Na loja do Pavao vende-se uoi grande sorlimen-
lo de colchas de ui*iao sendo brancas c de cores
ditos de croch para camas de noiva, assim como
aonios damascos de La para colchas.
AGRACIANAS 1 800
Chegou para a loja do Pavao um bonito sorti-
mento de lindas agracianas para vestidos tendo de
todas as cores e 6 pechiucha.
foiu Ostras de seda a SO rs. o
covado
Na loja da Pavo venle-se as mais bonitas e mo
dernas laaziiihns com listras de seda sendo muidas
e eraudas a 8U0 rs. o covado,
CORTES DE CHITAS
Na loja do Pavio liquida-so urna grande porcao
de chitos finas de cores flxas e bonitos padoes es-
tando todas ellas em cortes de 10, II, e 14 covados
para nao deixar flear retalho faz-se o prego de 320
i covado, fazenda que em outra qualquer parle nao
se vende por menos de 400 rs. isto 6 grande pechin-
cba.
ALPACA BRANCA A 640
Na loja do Pava vende-se alpacas brancas lisas
milito liuas a 640 o covado.
Manguitos eom ollas a l:ttOO
Vendo-se bonitos pares de manguitos com gnlli-
nhas sendo de cambraia transparente a IJ600, li-
tes de cambraia topada a 84000, corpinlios *
cambraia bordados a 53 e 74000, camizfnhas de
cambraia bordadas do varias qualidades.
CHALES DE CHACHEMIRA A 6, lOJjl E
lXKJ.
Na loja oe Pav5o vepdem-se os mais
bonft"S chales de terdadeira cachemira jfl
cAr, cois e* desenhos mais modernos, a i\ft,
10 e l2t>K), muito barato na ra da Im-
peratriz u. 60.
como bem sejam:
Donitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
mando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeigo, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algnmas com musi;a.
Estojos ou carteiras de couro com nava-
Ibas, o os mais necessarios para viagens,
ESGOVAS DE MARFIM
Para unbas. dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques,, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, al finles etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de bj-im, com elstico para se-
nhoras.
Voltas do grossos aljofaes de cores,
para circalar os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentcs para o pesenco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Rolos com anosra, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventnrine com o p de
prata donrada, para colletes, cada m S5.
Dotoes de cristal, encastoados em prata,
para punlios, 55 o par. .
Camisas de flaneila para homem, a me-
Idor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quom soffre de incbacio as pomas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalbas de labyrln-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadures de
peanas coloridas, proprios para pianuos,
oratorios, etc.
Bonitos ^ssarinhos de metal prateados,
Kira segurar costuras, tendo almofadinhas,
Se velludo para agulhas'e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, qualro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGLIIAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
Al agora nada se tinha visto de tae bom
em tal genero, e ainda assim cusa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a ponco abnndarao
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras conlinuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrcver minuciosamente por seus no-
raes e qualidades a infinidade d'objcctos
que constantemente se adiara venda ua
loja da Aguia Branca, seria senao impossi-
vel ao monos nfadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia. e pede aos que de novo quoiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, qae nao se
esqnecam de comparecer loja d'Agnia
Branca ra do Quoimado n. 8.
Nova lega de miudeza?*
Henos SU *k do <|iic em ontra
4i:i-.tlciier parte
Itcnriquc de SJ.MB* partecipa ao respcBcl
publico, com especialidad,' ao >e\o a!iiavelB|6'
(em aberto a ra da Imperatriz n. -1G nm gi;i
e mporlant" estaticlccmaiito de miudezas *om o
titulo deVAPQH DAS NOVIDAIIKSonde o pu-
blico cm gcial encontrar constantemente nm
completo sorlimeiito do ludo quanto ha de mais
moderad o do mais gosto nos [.rinclpcs pai-
tes da Europa, lendo para este Uta um vapor es-
pecial com o titulo cima indicado.
0 proprielario adiando muilo onfadonho, ou an-
tes por assim dizer quasi que hnpossivel n.encio-
nar pelos seus nomos c pre?os os i bjeelos de gusto
existentes em seu eslabelccimenlo, por .-so con-
teota-se apenas cm mencionar i.quelles |U juljta
mais recommendaveis nao s pela sua belleza e
elegancia como tambem pelos precos qHe sao ven-
didos, deixando os outres que estao expi t:os em
seu estabelecimento para serem admirados pelos
proprios compradores.
Vejam o que bom :
Lindissimas camisinhas bordadas e enfeiladas
com lindos e elegantes enfeiles, proprios para as
senhoras de bom lom ; vende-se por precos muitos
commodos.
Lindos coques a milaeo de cabellos que em
ouira qualquer parle vendem por 33"00, vende-se
por 2S0O0.
Guepur branco o preto com linios e delicados,
padroes, a 1 jOO, 2000, 23300, :JiO00 e 4.50O
o metro.
Lcqucs dealta Dpvidade em Taris, sendo de o?o,
aso c seda, sndalo o seda s, e oulros salpicados
do lanlijuilas ditos de madreperola e seda o mais
elegante c moderno possivcl, ditos do madeira,
sendo lisos, arrendados, c muros guarnecidos eom
ricas palmas; .ditos brancos com llores deliradas,
ditos do osso e seda, ditos brancos c proprios para
noivas; ludo por precos to diminutos que soo
freguez vendo a qualidade e elegancia peder dar
crdito.
Verdadeiras mcias fio da lscossia para senho-
ras, sendo lisas, lindadas c arrendadas, o melhor
* .
________PARA A FESTA
Vende-se por menos de 10, 20 e 30 [o
W. 23
VAT
Larg^d-Terpo.N. 23.
DE
DOS SANTOS fr C.
que 6 possivcl baver para sapatinhos razos por
precos commodos. *
Ditos cruas tambem para senhoras, fazenda
muito fina.
Ditas fio da Escossia com listas de cores, para
horneas.
Verdadeiras mcias inglezas para homens, fazen-
da muito fina i a 83 o 103 a duzia.
Ricas chapclinas para senhoras, chegadas recn-
temele e gaamechw de ricos o elegantes eni'ei-
tes desetim e flores liuissimas.
Lindos It-nQOs de cambraia de lintio, bordados
agnlha ; nlo barasshno preco de loOO c 23000
Ditos de cambraia tambem bordados a 800 rs.
Lindos rachas de floros Irancesis o mais moder-
no possivcl e do mentor gosto, sendo : ros?s, bo-
toes sellos e bot io em cachos de lindas ores,
pelo fearalissimo prec< de -1->o00 n cacho.
Fitas largas proprias para iolos da r.ltinia
moda, de muito toldas cores c por precos muitos
baratos.
Completo sortimento de neos o elegantes enfei-
tes de seda o mais moderno possivel ; como sejam
Er-cossczes e de oulras pialidades, estao constan-
temente a venda ra da Imperatriz n. 36, onde
as Exmas. anhoras poerao escolhcr a vonlade
u mandaren* bu-car as amostras, sendo ludo o
oais barato possivel.
Lindas bouccriiihas de lauca pelo baralissimo
preco de -liO.
Grande soi limento de escolliidas lias proprias
para bordados, a 73 n libra.
Latas com superior ban'na francoza a ICO.
Filas-de vcllndo afetos a 1 j a peca-
ftillinhas bordada! a agolha a 2'0.
Agnlhas para eraehel a 160.
Lindos buioes .1 selim para enfeites de vestidos
de todas as cores, a iOO rs. a duzia.
Brande qnaatade de Qnissimos calungas que
se vendem com trande ahatimeotn.
Alm dos nbjeetiis cima indicados existom mui-
tes uutr-isque st'i a presenta des frefacais pode-
rito avahar a diferenca -los preces o da qualidade
qniefazd'is de nata qualquer parte.
O proprielario convida a todas as pessoas em
geral a visitarcm o seu estabelcciinento o qual se
Mba eberto desde as 6 horas da manhaa at as
rlo no proprielario e as mais p.- lenimcnto o mainr agrado e silMeridadO e:n todo c
jUHlqni'r negocio.
loja do Vapor das Navidades
sacna ia isnpcvatrlx n. Si
Em lempos modernos ncnluim desoobrt-
mento operpu maior rcohicao no modo de
curar anterionnonli1 em voga do que o
remmi de a^acahuta
TANTO NO TIIATAMENTO DA .
tossi:, chopo,
astiima, th1sica,
not'QnnAo, i;i:sir,iA.\n:MCS.
ii!iONCiini:s,
rtMBB CO.NVULSA,
i oar.s ui:: arto, "
F.XI'lCTL'BArAO DK SANUK.
Como em I oda a grande serie de mfci. .-
dades da galganta, do peito e dos oa i
n.v nr.sPin.vrAo, que Linio ttoi iiicntam e !;--
zem soffrer n liuivnnidadc. A manaifj
liga do curar consista geralmente na applt--
caco de vesicatorios, sangrias,sitjar i ap-
pUcarexterionnente nngWDtos wtismos
corapostos ile substancias sicantea^alto
de produzir cmpollias; cujos iliii'iertUsmo-
dos de curar, nao faziain senao enfoque-
ccr e diminuir as foirns do pobre d*e6,
contribuindo por esta "forma d'uma maneira
mais fcil e c ila para a enfermidada a des-
truirlo inovavel de sua victima! Que de-
ferente pois o effeito adHMi*avel do
PElTOitAL Di: ANAfiAUliHA b
F.M VEZ DE UlIUTAn, MOlUll-'Ii.MV B fiAOZAR
INMjniTOS SOmtlMENTOS AO DOEN'IK,
.CAIMA, v.OiFICA R Sl'AVlZA A DOH.
I.1.1VIA A limirACO
tUsr.MVOl.VK a i;\";m.mento.
Kor.TiFiov o ooaro
e, faz com qae o systema
Desaloje d'nma maneira pronipta eiapi.ia
at o ultimo VestgtQ d enfennidade. Os
melhoresvotfts em medicina da Europa (o:;
Lentes dos CoHegfos de Medicina de Berlira)
a garrafa, e 4;5500 a caada e 800 rs o li-
tro.
DEM BE LISBOA das melliores marcas,
;i 400, 440 c olio rs. a garrafa, a 800 e
3{$ii0 a caada, GlJOe 7*1 rs. o litro.
DEM BRANCO E LISBOA a 45OOv
a caada e 360 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VEBOABEIRO DE LISBOA
200, 240 e 3-20 rs. a garrafa, 40400,
i:S800 e 25200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA -900 rs. a
garrafa, o a 7; a caada, e 15340 -o litro-
MANTEIGA JNGLEZA FLOR 1,5400 e
-IA'280 a libra, 350GO 2^780 o kilo-
graramo.
DITA FRANGEZA 960, 900 e 830 rs.
a libra, e 210O, IA980 e 1^800 kilo-
gi ammo.
DITA PARA TEMI-ERO A 560 rs. a li
testificam serem enaetas e vwdadeii'SlB esta
rlacQes analgicas, onatin dtsao'a experi-
encia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as qnacs raram curaa com
este maraxilhoso remedio, sao mais que
suflicientespara sustentarema oiinl5 do
PEIT01UL DE ANACAillITA I
Devo-se notar que esto remedio-se ac!-a
inteiramente izento de venenos, tanto mino-
raes, como vegetes, em quanto que porm,
alguns d'estes u'.iimos, e pnricularmen'c
aquellos que s:11 dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrotanico, forman abase da
maJor parte dosXaropes, cornos qtics to
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composicao de Anacnlmia Peito-
aacha-se lindac curiosamente engartrafedaa
m frascos da medida de crea de meios
quartilbo.cada um.c como a dose que se to-
ma so dtuma colherpeqaena: BaMa g<-
ralmente a appliCa?5o d'um ou dous frascos
para a effecIiincTo de qiialqucrcuia.
Libras slerliusw
Vende-se nnhotel de nivers, qnarto n. l,pr
meiro ?> dar.
Os proprietarios deste bem soitido armazem de secco e motoaaos esto re-
solvidos a fazere tuna grande diminaico de precos as suas mercadonas, como se apiu-
xima a fusta o semore se fazom avultadas compras para o centro e praca, poi
isso prevtam ao respeitavel pubhco em geral. que mande fazer suas despnele ctr-
tos de que vero a grande difereoca em precos mais do que em outra qualquer pane
e 2aranUntu-se as superiores.qualidades. nnn ...
GAZ AMERICANO 9*50* a lata, e 4401 SEVADINHA E SAG a 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 600 rs. o litro. 620 rs. o ktlo^raiiniio. .
VINH0 VERDADEIUO FlGLElRA 360 FARINIU DE ARARUTA VEUDADEiRA
640 a libra e 16400 < kdi^ramiuo
BOLAX1NHA INGI.EZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 8"0 rs. n kilogrsmmo.
VELLAS DEESPARMACETEa 70rs. o
masso. em caita ha abatimenio.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEG-
RANG-A, 280, 400 e 508 rs. o masso,
35200 e 63500 a groza.
. AMEIXAS EM L\TAS E CACIHNIIAS
DE MUiTOS TAMANHOS a 1280. 23500
3.^500. 43500, 55500 a lata e a retalho e i#
a libra. ,
GOMMA DE MOJIO AMERICANA a 400 rs
o masso. e em catxa ha abatimiento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA 11 55G0
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS &
una. nina luircmu _. fl(vj _, a ir-irrafa fi 9S a duzia. dades, viudos da nr
hra, 1,5220 o kil^rammo, m porgao se ^'n no^
far ahmenlo. 1 I>H0 DO PORTO ENGARRA* ADO DE A ^\K,r .
DIVERSAS MARCAS 16500, 13200, 16 e
800 rs. a arraCa.
GENEBRA DE HOLANDA E IIAMBUR-
GUEZA 73 e 6tjl a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
i 116 a frasqueira 16 o irasco.
QUEUOS DE DIVERSOS VAPORES,
3*000, 23800 e 200 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISROA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
Assiicar (Se oxido de ferro de
Chantcatid.
O auucar fe mg-noso de Chaotcand obtiilo
pea assiiciaciui do exido de ferro tuteirainenU so-
/ / como assarar cuidad isa nenie parilicado.
K^te assucar, de tuna bella apparrnria ciyslalina,
tem o.simples posio mu agradavel do assucar,
Dea 0 menor sabor ad-lringenle : nao tem &C$Si>
irritante sobre a iiiu/osa do i Stnioago e eatlinos,
e rapidamenie abserrido pe apparellin (i;:. i-ii
vo sem causar as eonMlpacwa dj venlre.
E' huje o preparado do ferro de mala aceitaco
para a chlorose alonia dos orgos, perdas hraucas
mensiruacoes difflceis, etc., c tem a sen favor o
juizo aulorisadn da escola d" medicina de l'ans.
e dea cliiinicos os mais Dotareis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Dai tbolomeu t C, ra lai ga do
Rosario n. :ti.
far abatimento.
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOB
720 es. a libra, o 16560 o kilogrammo, em
porco se ara abatimento.
ARROZ DO MARANltO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
33400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra o 440 rs. o
kilogrammo. e63iOOa arroba.
CAF EM GRAO 63 e 63500 a arroba,
200,240 e 260 rs. a libra. 440 o 520 rs. o
kilogrammo em saeca se far abatimento.
SABO MASSA 4 240 e 200 rs. a libra.
O Campos da ra do Imperador n. 28 leni para
vender o segumlo:
QneijiK loniliinos, pratos. flamencas o de Minas,
lodos muito frescos e de boa qualidade.
Presuntos para fiambres o para tempero, paioi,
salames etc. ete.
0 verdadeiro bacalho de Noruega.
Latas em lafAstas e slras.
O verdadiiro ca' Mnekn.
lspeciadadlea
Grande remessa de Cjtarr> de diversas quali-
dade?, viudos da provincia do Rio de Janeiro, no
ana
520 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa se e 116500 a arroba.
laz abatimento. NGUICAS FMAS PROMPTAS EM LA-
MASSAS PARA SOPA. MACARRO, TA- TAS 13000 rs. a lata
LIIARIH E ALETRIA, 360 rs. a librare! LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
!3i*-*0 o k'loffranimn TO a I ^tJOO rs. a lata.
BLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-1 CHA FINO. GRAUDO E MIUDINIIO
SAS QUALIDADES, bem como perola bri- 36200 e 26800 a libra, e 63100 o ferio
litante,combination, Francv-cracynel, mixed grammo. _______ m*nM'e.. a(nm
Britania. Mdium, Fincy-nic-nac, a. b, c, e DEMPROPRIO PARA NEGOCIO 2,5090,
soda a 1,5000 e 16400, cada urna lata. 23200 o 16800, rs. a libra.
Assim como ha outros muitos gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas-marcas, marmelada, teita pelos
melhores conservaros em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervilhas, em latas, por-
tuguezas e francezas. vinho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo. goraz, lula, corvina, vezugo, cavada, s^rda e Mro'8.*
tes. Canella, cravo, ervadoce, cominbo, piraenta, grandesmolhos de sebolia a ioou.
Finalmente muiloi outros gneros que enfandonlio menciona-los.
Eite admirare!
|Hc|iuralivo uuo
cnntemeniliiier-
funo, iodo ou
larspoicei USi
Ivijioro modifi-
cador parans ami.i'" moiMliasclepeHe,ha cnme u-pra, asimpig.ns. s,herpw. o
e.pinb.5, os Paiwo, ete. Emprendo i****** "* *tmn "* wWa o a_Mt. j
A IJECGAO CiDT ^.tUS1"mmmm
Cigarros ao duque de Casias
D Dilos aos loneuies do Diabo.
Diios Barbacenas.
Ditas Papel pcitur.il.
Dilos de S. Paulo.
Dito* do Itio-.N'ovo.
Teriios de mi dida* para seocos, sapeado o novo
systema (melrico fraocez), no armazem do Cam-
pos.
As mais adoptadas e mais facis tabellas para
de pranpt se reduzir a c t a kilogrammas o ao
inverso e^lao se acabando por isso rccomnienda-f e
aos eslabeleciinentns que ainda nao tem, (pie ve-
nham seus ilotlOS nmnir--e ilesso lao grande agen-
to do cummeroio, pois que, com a safra que esl a
porta, torua-se ditas tabellas indispensaveis.
28-TUDO NOAHMAZEM DO CAMPOS-28
INJECCAO CADET
Vabiis, 7, 1- Dnalo, n
Na ra do Queimado n. 40.
Fazendas avariadas
Fazendas limpas baratas
Chitas nercalias muito finas com avaria
covado a 240 rs. o
Cansas francezas do core?, covado a 240 e
Chitas de eofW lisas, modernas,.covado
Cambraia lisa branca lina, peca
Lazinhas com lislras do seda, covado
a 800 r?. c
Ditas lisas e de dnadrinuos, finas, covado
Alpacas Invradas do cores, modernas, co-
vado
Ditas lisas do cores, covado
E'partillins superiores
Cambraia* brancas tapadas a transparentes, di-
tas de cores, padroes noves, percalias o chitas
maito finas, toalbas para mitos, pnardanapns, bra-
mante de 4 larguras, e outras mailas fazendas ba-
ratas : na ra do Queimado n. 40, defronio da
b iiio nova ^^______^_ ^______^_^__
a rvatla.
Vende-se cevada omita nova Je Lisboa ; Jia ra
Djreita n. 30, a 3*200 a arroba.
280
280
440
3^000
(40
640
tOOO
fion
8*000
Pogio no da 2;i do iik-z de -ciemhro prxi-
mo passade a enerara cabra de neme Seveii:;.,
Batatal da cidade do Arncaly, eom os .i.ia.T's sc-
guintes : id ele 10 anoos, altura regujar, ele ia de
rnrpo, falta ijc donl w ua (rente, teta astri
lh-is i'.cijiunos. beic > bailante rorlKS, tem o dedo
iniiiini da mSo es pierda um p neo dobrado para
a pal a da rnao, iem n andar nm ponen empinado
para a frente, Id vestida com om vestido de eaita
escura com palio:'- brancas, ainda novo, chalo de
laa ia ve!l i cor de borrina, a nm oulro d cores,
bastante wllio, ser.iodo do rodijia, eqm um tabo-
k Iro de llmdres, levou mais urna troDsa ooeti
dous vestidos, nm de chita com li-lras encarnadas
c nutro cor de einza ; deseonfla-se ijue ella r.-teja
necultaem algnma casa, pelo que se protesta ron-
ira a posoa que a ti ver em sua casa, e Nfra-sc a
autoridades e n ais posoas que a aypiebeadain e
a l.-vein rua do Amurim n. 39, ou ra do Hos-
pieio n. 47, que scrfr generosamente recompeo-
sados.
ni 200 por cada
s, cgjiforme a dis-
r^ue furem captu-
Gratifica-ie
tim, e
Lancia
rados.
Do encuboSoledade, em Por'o Calvo, fugiram
junios nodia27doinez passado,dous e.-rr;.vos,cujos
idadn 28 anona, natural do Ccar, cor cabra, eslava
um punco discorado quandn fngio, tem os cabe
carapinhados, olh is grandes e vives, falla do um
denle na frente, rosto comprido reputar, po'.'.a
barba porbaixo do queixo, esi lar,!
fcilo de corpo, pamas prossas, p* pequeos o
bem feos, com marca de urna renda em cima de
nina das canellas das pen:as\ c lata claro 8 li -
embaracad >. O mitro do nome Manuel, tambem
cabra, leu 23 annos de .ra r'o Ilio
Gramil! do .Y i;\ e.-t.itura meiteini. csmlmI i, barba neiihuina. r -lo cuiHfno'fcos pequeos i.
vivos, nariz, pequeo, regular cm grossura, dente
perfeitos c alvus, bracos e peinas finas, ps reg -
ares, sabe Idr c esrrcvcr, loca viola c cania e
improviso, fo munido de falsos di comentos. Am-
bos foram comprados tiesta cidade do Reeifc ao
Kxm. Sr. baro de ^'1^11!, o primeiro em julho
do I86f> e o n'+ vt\n julho dr> coTrente an-
no. Estao a ns limpos de cosas e nr.ib
pornaotercm scffrhlo rastrgo algum. Roga-se
portante, as auUiridadea pollrtaes, caidiaes de
campo, ou qualquer peasoa que os encontr,de os
capturar, e bvalos a seu senhor, Francisco i.'o
Paula Cavalcanio de Albnquerqne no referido
eBgenho Soledadc, m lermo de Porto Calvo, ou
nesta praca ao Sr. Joaquim Itodrigues Tavare
de Mello com escripiorio no largo do Cor|.o-Santo
n. 17 1 andar, pelo que em qual pier das parres
se dar a sralificacao cima promettida. Beeifc,
23 do outiibro de 1R69.
iVISO
Fugio segunda-feira, 18 de ntuhro, o escr
Antonia, preto crionlo, idado 50 annos, pouco mau
ou menos, de estatnra regular, falta de denles na
frente, quando anda um pouco corcovado para
dlante, levon vestido calca de 11 im pardo, cami-a
do estopa, e chapen de patita ja v. lho : este es-
crav velo j ha tempo do Rio Formoso, e sup-
poe-so ter para all seguido : quem o pegar le-
ve-o a roa da Concordia a. 8, rellnacao, que acra
bem gralitlcado._______________,_______i____
Acha-se fgido o escravo cabra, de nome
Rufino, alejado de urna tno, onpado da cor, mo-
co, sem bartia, escravo do Sr. Austree.lino de Cas-
iro S Barreto, senhor do engenho Pop, em Agoa
Prea : quem o pegar leve-e rua da Braia n.
43, taberna, que ser gratificado. Julg
se o mesmn tiesta cidade, d'itnde
o bem Conlioci
escravo da
noile do di
caivirem j|
capturar *

s 1
- I
\



HMN
.
Peruanibuco S ira 9
180.
a ni
m
U GSRIL

tur

.



CMARA DOS SUS. D2PTAD0S
' SESSAO Eli i f)E" OUTUBHO
PBKSIftUNCIA BO St\. NEB AS.
(ClWlilXIIOl)
k atribuir! ilada aos Mbanaos jdT-
aterios para legislar 6 u ido contra o principios do regimeuies-
nbelecido e jurado pelos Urasileiros :
una subdivisHo do poder legislativo, o qual
tiii rleste modo a eonwrer cnmnlaliva-
tte n.m o poder judicial ra conl'ecro
fe* le s. No enlrclanio a lei fuadajaimlal
fia nossa sociiid ede creou iSSM poderes
, pava Has diversos, e os quz mdepeudentos
COK aUiadtuces difi.i'ules ; cm deve
tet i le, outro applieal. Kstabelecer
eousa diversa desrespeilai' essa mesma
k' funl.imental e ermtraia-W cm ponto
aportan1, issim e capital : a providente
d^MWf.11 du art (.i' di constituco. que
sstab leca a divisan dos poderes polticos
orno pi i ripio conservador dos direitos
do eidadio e raeio seguro de fazer efocti-
*a< as garantas sociaes, dosappareceria da
IBiM organisaco oolitica.
A consli^iiclo no art. l dispe que
aos juizes p.lencf- aplicar a le ao fado :
st> a foucefto d> juiz ; arroda lo dahi, e
,aVvauta-lo em legislador, 6 por cerlo
vioi.ir essa artigo, que nao estabeleco este
principio sania para dar rcalidade gr?nde
mxima 011 axioma do art. O" cima citado.
IV priBOipiu aceito, que quem faz a lei
p!o a deve applicar; no entretanto o pro-
jM t nresucita este principio, e formal-
Hie.ite o roriiraria, mandando qua O pro-
. jno juiz faca leis para elle mesmo appli-
i las O poder judicial o ministro da
#;i, n) deve ser autor della ; os juizes
afewm ser os seus rgidos observadores,
e nada uns.
O caracterstico c essencial do,pod8rju-
dicial coisiste cm que esh so dspe
km de contestar/tes acttiaes, resultan-
tes de ttm direito litigioso, ou de um facto
prejuriicial a alguem. de maneira qua as
d v;sY s do magistrado iinportam directa-
teale ao cidado-offendido, e findirecta-
wnte a sociedade romo interessada na
erdera publica, a tespe.ilo da qual portera
s decises judiaras influir com maior
ii m 'iiiir inteosidade
Sdiiudo lestes principios trados p.'lo
jhss legislador consumite, conferiremos
aos magistrados um poder que ello Ibes
codiu. nem I lies qniz dar, porque o nao
roante a oatureza da ju1 --atura. (Apoia
Sos).
Dir-se-hi que 6 licito conferir ao su-
prema tribunal da juetica a'faculdade de
interpretar authenticanote as leis nos
casos oceurreates, se assim enteodermos
inveniente e til pausa publica, usanl
de um peder, que temos como legislado-
ra. Pens, porem, noe errnea seme-
ntante doatria, em vista da li ainslitu-
ci.-nal.
Ella diz no art. 178, que constitucional
todo aqitillo que 6c refere as atUibaicoes
c ts podres pntilieos, e preceitua que
S8MS altrili!i(fi;'.s s poderfa ser alteradas
j.ir umi ass;.oblea revestida de fai-nldid^s
extrjor linaria.- nos termos do art. 170
Ks u.i i.-mii essns (acaldados, p>iquees-
ta tn is em orna lrgisl pnr conseguate nao pjdjmos alterar as
attriboc3ei> da un dos poderos polticos.
como o po ler legislativo. Logo e claro
ajue, embora se provasse ser til o pro-
I cUj em discusio nesta casa, c j appro-
ado no senado, nao p deriamos aceila-lo
sem infra icio do supraciado art. 178.
O J:i: PasiinBxrK: V. Kxo. e-ti sus-
tentando fi adiamento ?
OS:i. AuatCAn .\ii\mpr.: Kston com-
bHendo- mostrando' que a materia lao
clara, que q3j preciamos do a liamento
para a esuidarmos, eaesolv-la. Duvidar
do muss lin positivas, e sujeita-las a de-
longas ia Improlicuos exames urna vi-r-
dadeira iuiitilidadc. Susteatoo-se ser no-
eessario coiifisrir au supremo tribunal de
jusci a faculdadede interpretaras leisj
civ:>. i-omiDrciasjs criuinas, t|oaodn'
ri efciicSu l irrem duvilas ma-
ifttsLid.ii por jolgam'ntos divergentes
gor.j'i;, a-i i o s1, esta!);leceria a indispen
sav.}| iiijif.ir ilas en ent-indt>4s53l uniformidide se
9o conseguir ; be ni pe o contraro ha vera
motivo pira n ivas questoes, como surce-
dla com o regimea anterior ao aosso go-
verno renre-eniativo. quando a casa da
rr-
I >
Esse poder outorgad^a
caciode Lisboa e rdlafao
FOLHETIM
OS CASACAS PMTAS
EOMANCE
NB
Paulo Fval
Segunda, parte
rauti iMTt
(ContinuacaZ jo n. 24i)
XVI
Orgia Iliteraria.
Riam embora da Irapeira ; por mais que
a esc-irii'tc i n, contina ella a cuopriro
*eu dever, abrigando aqui e alm formo-
tora, valor e, genio. Di pessoas BOJ eu
qun na > p. lem olliarsam sorrirein comino-
vidas pan Sms jan lluiiiis que se anrem
por ei i d i< tolbados. D iminam Has Pa-
rs : isso un symliolo e um presado.
Ni i hi do corto ablua necessidad*d
jue um bomem insigue pigu; aos vint.-
jnnos dy.oit) francos do roada mensal.
l)iin-.se vi -i i preclaros varos que desd- o<
>eu priiicipii babitaram moradas esctl-
loatttl ; si. exctp?5es. Nao tenliam des-
prezo 04:0 receio, sorrian para a Irapeira
ta> cautidi pedos poeas, e se. erguenlo
os oitio.s, dvisarem algmn semblante me-
lancolie^., ios-ahindo pira a turba vistas
pensativa*, .de.'era para Dtus projwicios
voios, pitra D -us. que chama si os m -
aiO'M. i n ser do a'Uj da a'-votv.
que o< hus oscellentes frnctos to-nbim :
os frue.i,, ,,. vi) Baratan lo o s cim is da
oreiu i.r.sie-jse deliciara n > raras ve-
zes o | il 11 ir i,) roon^ mteir.i.
fie .mi otira o ijiiirt.) innligm ao
do ii n-. i m M^oel. Em ra ib liido por
ijm i,,.-, (< ,|, pi; neis caloras, urna,
oomn>l> tu 'ignda, qi cVn part^> i''.;hh de emh ni 1H d i picona
dow arVn>s e un clo^nuiida. era
*
capa da suppli-
i do Porto uunca
obstou a divergencia dos judgados, sendo
os asstfltos tomados pur esses ti bunaes
occasiJo para coaplicac-se as qucslBes.
surdirem novas duviila!, o vacillar o di-
reito como danles, ai:o:ilecendo tomarcni
os mesmos triosnaes diversas decises
'sobre o mes no ponto controvertido.
Isto observa-se n >s a alimentos e materia testamentara. Niki
obstante as repetidas interpretarles es
tabelecdas pela casa di suppucacio, pise-
guirao as duvidas, e jamis lirmou-s e a
desojada invaiiabilidade as de;isueS fo-
renses.
A UMformdade dos julgados, Sr. pre-
sidente, nao procede Jas frequentes alte-
laroes do direito, mas sim do estnild e
sciencia dos juizes, que doutrlnados no
principios da jurisprudeinia pxloro fazer
a uniforme applicacio das leis, que. por
cerlo com esses principios se couforraam
Dc\ exacto conbecimento das regras iuridi
cas despendem os bons o acertados julga-
menlos e a sua consequente uniforniidade.
para a qual bastam as disposicoes legisla-
tivas emanadas do poder complanle.
As kh applicam-se com discernimenlo,
sogundo o seu espirito ; e nessa discer-
nimento consiste a sej^ocia do magistrado.
as duvidas do sentido da lei o devenios
compreheiwler pelo que relac! i tiver cora
o seu objecto, e mais se c.mforinar com
a intenclo do legislador : ludo isto des-
cobre se, na phrase de um nosso famoso
jurisconsulto, pelas diversas vistaS da na-
tureza da lei, e da sua relacao comoutra>.
leis ; assim revela-se o seu espirito e sen
tido ; assim applicam-se as leis com uni-
formidade.
As leis constituem tbeses geraes ; ex-
po-las a constantes altenuT.es a titulo de
nlerpretaco trazer a iicerteza, c a con-
fuso na jurisprudencia.
Sei mui bem iue quando a le na i 6
certa, isto quando o seu sentido nao 6
claro e conhecido, nem jista polo repu-
tar-se; mis nesse caso convein promover
a sua declarado pelos matos regulares e
competentes ; rocorra-se ao legislador, nao
vamos porem investir de fin.ces helero-
geneas a ura dos ramos dos poderes p-
blicos, ao qual a lei, e as regias da boa
organisaco social arredam de taes
funecoes.
O nnbre deputado por minha pi'ovincia,
a quem em principio me refer, disse que
da adopro do projecto resultara grande
vantagem, porque oj pomos duvidosos da
legislado patria se esciaivceiiam, e teria-
mos jurisprudencia cons intrnente unifor-
me ; e. para dar-nos id i desst resultado
lo ambicionado, trou-nos o exemplo dos
Romanos, cuja legislacao permiltia nao s
a cer.os nagistrados, como a certa classe
de jurisperitos lirmar por s-ias decises s
intelligeneia das leis davidnsas.
O exarae desta materia leva-rae a pensar
diversamente.. Era vez de vanlagens para
a le.gislaco romana, e-ta s collieu de ta
systenu a conirariedade e a confuso. Sob
esse melbodo de legislar, o corpa de di-
reito romano tornou-se um cabos, o to
valumosamente creseeu, que j era in-
possivel ao mais alilado o iuiiigivel espi
rito compulsarla e compreiiemlj-lo. Bn-
cliiaiu-se em pauco tempo osUmmm biblio-
llu'as C'WQ os voluaes das leis imprtaos:
donde velo ister chistosamente um aniig
escriptor, que a legislacao romana forma-
va espaotogo acervo de volamos, os qoaes
constitoiriam a carga de muilos camtllos:
nmltortim c im'llwum onus. Njs, que j
temos u.na legislacao bera complicada e
voium isa, cm imzjo da faculdade que teni
o goveroo imperial de espedir avisos, e
dar regu'ainenlos...
O S:t. Couio Romigues :Neg.
O Sa. \i.i:m:ais AiiAniPF.: .. nao de-
vemos c nicorrer para que essa multidao se
augmente o cresea, coastiloindo mais urna
micalna de fizu- leis.
A inlarpretacafl aiitiimtici conten em si
iii ontesta smente tina faculdade legisla-
tiva. .
O Su. GaLHO Bohir.rES:Ejtts est in-
terprefdri, eujua p. O S. AlkNcaii Araiui'e:... s pode
interpretar e explicar qual a vontade do
legislador o proprio legislader.
O Sa. Couio Hodriguks :Apoia lo.
Su. Ai-encau AuutieE:A uiterpreta-
p3o dootnnal, essa sim, compete aos triou-
nies; e e la Instante para que esses mes-
moa tribooaes cumpram a sua missao, e se
vez de pndula, no panuro dafogio. Pen
dente de prego hara algum falo. Nao
eram roupas sumpluosas.
A mesa supporlava umescrivaaiaha. ca-
chimbos e dous cjpos junio do urna gar-
rafa de agua pura. Urna nica vela alu-
miava sobriamente aquelle austero ban-
quete da intellige domada as paredes, nem pinturas precio-
sas no torta, nem n fri sobrado era alca-
tifado por algunia alfombra turca ; au-
sencia completa de colgaduras que cabis-
sem em esplendidos cortinados em volta
do leito e defronte das janellas.
N'aquella simples decoraclo, que qual-
quer llieatro poda dispr sem se entregar
despezas que o levassem a* fallencia, alli-
gurein-se Ibes dous mocos, ambos de cerlo
oarisienses. se bem que ambos bouvossem
nasiido as Hurgeos do Orne ; nao ha pa-
risienses era Paris: dous potas, dous
eleiius do porvir. O primeiro, vestido
com varonil garridice, cruza sobr a croula
as numerosas pregas de um chambre de
cachemira estampada, ao qual aera sequer
i restam remiuisceacias de ter sido apreseo-
tavel ; o segundo temenfiada urna camisa
de cor por ciraa das calcas, a qual atada
na cintura por nina facha' de fanjas pratea-
das, reliquia di baila de mascaras, for
muido conlio de cinto.
Primeiro mancebo, vate aanos, cabellos
loiros, bera tratados e fiaos, feices deli-
cadas, um tanto effdraioadas, mas do mais
fe.!5 desenho, bonita palidez, olhos graa-
des e noel, ao mesm lempo traquinas e
sondad iras. Cachimbo, de espuma
Segundi mancebo, cachimba de porce-
lana, cabellos castanbos claros, levemente
Hucrespidos, cabera redonda, pesaoco ro-
oust i e breve, nariz um tanto' arrebitado.
ilhiH. vivsj| bcca singalla, vate dous
linios, birBi PdriBet-Leolerc, que Ibe nao
i a bem, cliuni-se Estevio.
O miro M i'ircii, e o baco que mal
lesp-nt i. flca-lhe a mitar.
Forma a Eslevo e Mauricio om par de
amigos como Gohalot e Similor. O melo-
a^segum
dado. y jan
decdirem com acert e sciencta do du
as suas decises terao valor e daro aorm
le jurisp^udaucia para os juizes mforiores,
o i quaes, aedero vendo nessai decises o
cunho daz5o c a orca flBHKl da l-
gica.
Nao osla nterpretaco, jioreai, a.e que
trata o projecio i clie d auloridade de-
ois i do tribunal; na) e.slabalece a iiiter-
pretac) djutrioai, mis sima ioterpreiaco
autbenlica, linnnlj ii:n acto legislativo
(apoadosj, e c-imra asta $Iq legislativo,
que en mptoaancio.
Os povos, que aJniitlOiii o pj i t da in-
terpretar aiitheiUicaraenla fora do pider
soberano, tora conseguido como Irucio de
tal syslema a confuso o incongruencia da
sua legs|ac3o; entretanto, que aquellas que
arredam-se dessa pratca errnea ho man-
ld i mais simples, o mais regulares a? suas
leis.
O a ibro deputado, meu comprovinciano,
esforcu-se por ilustrarnos como bom
tjjcorapio a pratca dos imperadores roma-
nos, qiiai o conferiam aos seos protores e
aos seus jurisconsultos o poder de esiab;-
lecer ragras de direito piraos cisos du
vidasos; o que rcalza.va:se nos chamados
edicto perpetua e responso prudenium. Mas
com isso o que obtiveram ? Coafuadiram a
sua legislado lornando-a verdadeiram:nte
monstruosa. Creseeu tanto o callos, que
repelidas vezes esses meslRos imperadores
lvaram de providenciar sobre tamiaho
mal.
EjqueomM ilustrada edlega \\i>
exhibi a coniemplaco da lagislaoao do ura
povo anligo, permittir-me-lia que cu a
confronte com a Ijgislaro de ouiro pavo
da anliguidado para notar a d-fforenea das
respectivos melbodos de legislar.
Em Alhenas so o povo logislava: alm
delle nioguem di lava a lei. aqui resul
lou que a legislacao atlieniense guard ju
sempre certa parciuionia e unilormidade,
sem amontoar cssa profusa a de decises
regras que denotara vicio na sociadada, e
pouco criterio no legislador. O direito so
era alterado pelo pavo em suas assemblas,
mas nunca por osses assossores, ou copar-
licipaates do poder soberano.
0. Sn. Cotuo RomuiiUEs:Em Rima o
adjucanii, suppkiuli. vel corriyendi jttrii
propter ulilitalcm p'ibcaiH levou a legis-
lado a urna complicado monstruosa.
O Su. Ai.K.vcut Ahviui'E : All em Athe-
aas vigorava o prinripiu, que entre nos tam-
bera vigora, isto aos tribunacs compela
desde que reeonheciam obscuridade, ou la
cuo3, ou aulinomia na lei, dirigem-se ao
poder competente para suRprir a lacuna,
ou e.sc'arex'r a obscuridade, ou resolver a
antinomia. Seis cidadnos liuham o encar
go de examinar annualmentc as leis da re-
pblica, e propr ai povo as novas despo-
sii;es, que convinlia estabelecer para re-
gularsar essas mesmas leis. Este pruden-
dente alvtre, exijculado com Qnneza, deu
em resultado a judicos i iegislaeao, que va-
rios escriptores elogiam como singla e
razoavel: ao passo que o sysleraa, que
rompa a nndado do legislador, produzio
a confusa e numerosa legislacao romana, a
qual nunca simpliMiu-se, apazar dt have-
ram alguas imperadores codinoado e re-
sumido essa legislacao : inelhorasa cm pou-
co com a codilicaei, mas em breve espa-
go all vitib) tumulto e a desordera as
decises-de varias origeai.
Se, pois, o resultado do metliode que
pretendemos adoptar este; se vemos que
da inullipliclade dos legisladores segun-se
a prejudicial abundancia de leis, claro nao
devermos aceitar apparenlemente Jpro
menttedora desposico do projecto.
Entre nos mesmos j ti vemos lico que
nos dispensa de aliie.as apreciaees. e deve
[iremunir-nos contra semelliante pratca. Ti
vem "S tribunaes judiejarios investidos do
poder de interpretar authenticamente as
leis. Sub o dominio portuguez a casa da
suppeaco de Lisboa c a relacao do Porto
possuiram a prerogaliva de resolver as du-
vidas occurrent--s em direito, firmando
regras de proceder.
Basta ler a colleccao dos numerosos as-
sen'os tomados por esses tribunaes. para
convencer-so que de tal faculdade uo re-
sultou vantagem. Se um assenlo resolva
urna questao, logo esse mesmo asseatodava
assumpm a novas duvidas, c novo assento
declaratorio ah vnha a titulo da solv-las.
Sirva-nos de exemplo o que oecorrcu em
relago faccao testamentara. Embora
rep-tidos assentos se' tomassem. esses
pontos de direito mais se pertubaram, e
drama, flagello de Paris, cravou -Ihes os
denles to cruelmeate. como nos dous pro
lectores do pequerrucho de papelllo,"Sa-
la lin, mas de maneira differenle. Sao
papa-moscas de ordem superior; lem a
honra de ser aspirantes autores e poeni
a imagmaco tratos para descobrir urna
d'essas inoocentes tramoias de cordel e
chourico de sangue, que fazem todas as
noules soiucar, no bazar das comaioces
hybrdas, os mais cultos selvagens do uni-
verso.
Oh I bem dilficil omister, mais didi-
cil anda qua o de gendarme. Tem, po-
rem, graca seu modo, milita memoria e
pouc i seaso commura : cora tacseondicoes
deita-so ao longe no theairo, se a lunasta
idea da escrever em linguagem se- nao
vem atravessar no caminho I
A nica porta que commuuicava com o
quarlo de Miguel era pintada de.'scaro,
forman'do pedia do-escrever. N'ella le lia,
escripto giz, este arrebatador titulo do
primor de arte em coastrucco :
OS CASACAS METAS
E por baixo :
Persoitagem da pe$a
Olvmpia Verdier, 95 aoaos ;
Sophia, 18 aaaos ;
A marquesa Gaeana. idada ad libum ;
Alba, ingenua. 15 a 16 unos, filha de
Olympia Verdier;
O Casaca Preta ;
Verdier,. recem-rallonario, marido de
Olympia, pronuncia alsaciana ;
O Sr. M.doc, papel importante e curio-
sissimo ;
Eduardo simplesmente, de 20 a 25
a anos.
Comparsas.
J nlo pouco lar assim um titulo e
persaaafsns. O resto ba de vr, e Deus
quizar.
No momento era qua tomiraos a liber-
dade de penetrar ueste saatuario, empre
gafam-se os oossos dous autoras a febri-
citante animacao, devida mais ^sacrosanta
^t'r-
m dUso
assentos lom
observar-
nados Iti
tra varios. 3m
lo; firma\
sim direito no
i esclarerdi, como
ram os jtilgamentos a
attentamente esses
de interpretar, e
aes commissio-
de concedida:
taCo era protex-
interpretaro, mas
mais um inconve-
nienle e um parigo dessi delogaeo de po-
der da legislar, o abuso do dilegado.
Assim nao anim ulor o exoaipo (loque
em aosa casa se pissou; ronv.n nao re-
petir a experk'ncia <| 10 nao se abona por
seus resultados.
Pelas principios do governo absoluto era
fcil compreliender como possivel a delega-
rao do poder lagsjat'o confer la aos tri-
bnnaesju lcia.'ios. O re todo poda, ludo
l'azia; ludo emsua pesson se concetitrava,
e uenlium principio elle infriugia, quando
por si e por oulreni praticava um acto de
soboraua. As garantas sociaes eslav^m
no seu prudente arbitrio e criterio, c no
W dastruini. quando elle resolva obrar
directament- ru par vii de entidades inter-
mediarias.
Nos patees de rgimen constitucional
assim nao succede : a deegacao legislativa
feili por nos altentaloiia d is principios
dasse rgimen, o aaiqailt garantas cssea-
ciae?, que fundara se na separacodo exer-
cicio dos poderes polticos.
No system do poder absoluto, quando
os tribunaes delegados nterpretavam urna
lei. ou excediam mesmo a faculdade uter-
pivlatixj, o dahi podiam proceder funestas
consequeiicas, quer era rvlaCo a ordem
poltica, quer cm relacao a segurauca dos
direitos privados, inmediatamente o re
poda obstar o mal pela proniala revogaco
do acto do tribunal. No regiraeu repre-
senlalivo, como o nosso, islo nao poderia
acontecer, porque a lei passa por tramites
demorados, e assim nevitavel em muitos
casos seria o mal. Esta circurastaiuia nos
a:onse!lia a ser mais cautelosos na aceita-
cao da doutrina do projecto. No Brasil a
confcixo das feis. e sobretodo das leis de
objacto grave, morosa ; e podando o su-
premo tribunal de justica, sob pretexto de
interpretar as leis caris, commereiaes e cri-
mnac.s, tocar tas leis polticas, pela con-
nexo em que mutuamente se achara todos
os ramos de ama legislacao, j;i se ve que
nao 6 sem pongo serio que confiamos to
mportane poder a esse tribunal, o qual,
embora respeitavel, sujeiio ao erro c ao
abuso.
Nao so por cerlo os tribunaes judcia-
lios os ni ais c impoteoles e idneos para le-
gislar. Alexis de Tocquevifie na sua obra
uritulada Democracia na America faz urna
obsorvacao, que juigo cabivel ao caso ver-
laut!. Kilo diz. que os hoinens legistas nao
sao os mii- apios para as fuoeces legisla-
tiva ;. || ibluiadas s formas do estricto u-
reito na constanto applicagu das leis aos
lacios, ellos pmilem geralmente essa am-
ptilau de designios, que assgnala o legis-
lador, s rapio largo em suas vistas, e tor-
nara-so por essa modo os menos idneos
para generalisar as ideas que se dovem tra-
duzir as leis.
O Su. Cociaio Bojmuoveb :-Parece que
Toi;qiiovillo refere-so alti a attribuica i, que
lem o podar judciaro nos Estadus-L'nulos
de declarar a lei constitucional.
O Sil. Ai.r.N.ui Aii.vttii'.:: Na passagem
a que allud-i ella ro/ere-sc ao habito do
magistrado e do advoado de ater-se a letra
da lei, acanhando assim certa ordem de
ideas, que coarta) ao espirito d legisla-
dor. Posta observaro do eximio eserip-
lor francez eu coucluono ser acertado con-
ferir attribuices legislativas a tira tribunal,
onde s magistrados deoidem.
O grande objecto da justica substituir
hil do direito idea di hrca : c osle o
limitado, posto que aobillisstmo, ofiicio do
juiz : a espbera do legislador muito mais
ampia, a sua missao mais complexa. Os
dotes do juiz nao sao os do legislador: o
juiz habita se a inflexb.'idade (liante di
lei impassivel: o legislado- amo'da-se, aos
fados em presenca das circumstancias va-
riaveis.
Clarissiraa a natorexa do officodojuiz;
cabe-llie decidir do direito, m>s nao esta-
belec -r regras desse direilo, e recordando
as palavras de um sabio, dire: leminis-
se dt'benl jndices mn muncris mi jus di-
cere non aulem jus dure; kan inUrprela-
ri, non dar.
Vs a funeco do juiz : arroda-lo dahi
desvirtuar a sua missao que consf-te em
declarar aquillo que acba estabolecido, e
paixo da arle do qua ao conleudo da
garrafa. Discutiara com farsa e firmeza ;
qualquer profano recejara caiastrophe.
burlesco f disse Mauricio, o mais
bonito dos dous.
O que I burlesco ?
Burlesco dos bicos dos ps at ca-
beca I Sustento o que disse. -,
E eu digo-to, exclamou. Estevo
agarraado aos puahados a ncarapinhada
liuufa, que apec.a est luda n'isso. Urna
peca de cal e areia Um monumento thea-
iral I Urna calhedral I
Mauricio encoibei os hombros, mur-
jjntirando :
Sabes l o que dizes/
Em resposta, Estevo levantou o p di-
reilo com furibunda energa ; foi, porm,
para o poisar commodainento em cima da
mesa, entre a escrevaninha c a garrafa.
Palavra, replicou em lom condoido,
que me diverles com os teus ares de sa-,
bicho... E tu anteados mjis da cousa
do que eu ?
Assim o creio, meu lilho.
*- Onde apTr-ndesle eatlo o oflQcio ?
Nao foi na mesma escola que tu ;
claro. Mal Iba vs a ossada...
E tu, nem isso I
Depois de assim ter fallado, sollou Es
levo urna exclamacSo, e de um pulo se
pez em p, como se a cadeira subtaraente
o beliscra.
Urna idaf berrou elle, deilando para
traz os cabellos revolutos.
Mauricio fez quaalo pode para oceultar a
curiosidade; sio, porm, as criancas sem-
pre batidas a'essa (uta, e a curiosidade
irrompeu.
Que idea ? roiirmurou mal descer-
rando os labios, rosados cora os urna
donzella.
Estevo dava ares de inspirado.
Facamos cora que a Sophia seja ir-
raa do Eduardo I pronunciou solemae-
meata.
Dapois, caolinuado cora imueto :
Mais aiada, porque as ideas refer-
coaio diaem os pr.ixislas. prou itod
inviiit. a func;.lo de legislidor lite nao
compete: as leis constitociooaes o vedara e
a natureza do au encargo o repugna; por-
laato jamis devemos aceitar o projoclo que
converta os juizes em legisladores, confun-
dido cousas quo devem estar separadas.
(Apoiadosj
Determina o art. Io do projecto, que. os
assentos tomados na casa da suppeaco de
de Lisboa, depois da crearlo da do Hio de
Janeiro, at a poca da independencia na-
cional, so considerem com Carea de le.
nao estando j revogadps por legislacao an-
terior.
Disse-se ueste augusto recinto que o ci-
tado artigo era necessario para arredar loda
a duvida acerca do valor, que entre nos de-
vem ler os refiridos assento?. O nobre
deputado pela Baha, to versado as mate-
rias jurdicas, j discuti este ponto, qoan-
do impugnou o projecto em sua totalidade,
e o fez com aquelle acert e criterio com
qne sempro discursa ocsta casa...
O Sn. Aiuno Ges :Muil obrigado.
O Sr/Alencaii Arahipe: E' tributo
deudo ao mrito do nobre deputado,
dislinclo por seus conhecimeutos jur-
dicos.
Mas disse-se, que era necessario o artigo
porque os ass.nlos tomados pela casa da
suppeaco de Lisboa nao eslo cm vigor
como parte da legislacao paliia em conse-
queaca de um assento tomado pela casa de
suppeaco desta corte, o qual deelarou-os
iasubsstentes.
Apenas reflee irmos sobro scraelhante
assmnpto, conheceremos ser falsa esta opi-
nio : a snpposcao de invalidada dos ante-
riores assentos desamparada de solido fun-
damento. Vejamos.
A casa da suppeaco, quer a de Lisboa,
quer a do Rio de Janeiro* tinha poder para
interpretar aulhenticaraeiiKj as leis nos casos
occurrenles, mas nao para decretar novas
leis nem revogar as existentes, Na.hypo
thesa varente o acto da casa da supplicago
do Ro de Janeiro foi exorbitante e ilegiti-
mo ; nao podia atacar urna legislacao nu-
merosa a aniqoila-la de um golpe. Inter-
pretar a lu declarar o seu sealido occul-
to, dar-llie vigor : revogar malar a lei.
Para sto nao tinha aleada a casa da sup
pcaco em caso algum. Logo irrita e im-
procedente foi a docis, que cassou os as-
sentos anteriormente tomados. Nem sei
se o allndido asseuto authentco ; uo o
encontr as condicas respectivas.
Seja ou nao seja aulbeutico o assento, a
questo nao sa modifica, e o certo que
nunca enlrou em duvida o valor dos de-
aias assentos, incorporados na legislacao
hrasileira.
A intelligeneia das leis ac'na-se nos anti-
gos e nao interrumpidos estylos; estes
firmam por constante serie do julgados o
sentido da lei, sendo o uso o melbur in-
ternete della, comodizem os juristas.
fComltuuar-se-ka.)
VARIEDAE
CRIME HORRIVEL. ASSASSINAT DE
MA FAMIL1V INTUIR. COMPOSTA
DE SETE PESSOAS. DESCORERT\
DjASSASSl.NO.
(Omcluslo)
Ilontem. pos, e boje, as investigares
desviam-se um pouco de B illwiller, para se
aproximar por Ollwiller, de Cernay e d esse
tiiio chamado o castalio de Wallwder, que
sao as ruinas de um anligo castalio de que
algumas partes se amara applicadas a alo*
jmenlo de pedreiros montantes.
Querendo pasear a manhia, fui visitar
inadame Troppman e sua filha, inademoisel-
le Francisca. Madimoisella Francisca re-
cebeu ha cinco das urna carta com um i
estampilha do um cntimo, nao assignada,
mas vnda do norte da Franca ; esta caria
coulinha apenas estas palavras: So seu
irniFto fr condemnadi morte, cu failare,
eu llie farei jusiical Sao muitos os cump-
ees; vinganea tei rivel
Esta carta foi logo entregue ao jnia de
paz.
O arranjo domestico d'esta mal aventu-
rada familia anda muito aceiado, nao
obstante as injis circumstancias a que se
a-ham redondos. Troppman pal tinha sa-
ludo pela manba para o Irabalho em casa
de um sn alheiro da porta Tli.i-io.ondo elle
anda ; porem cora o lerrvcl vicio de beber
que n'estes ltimos teinpos conlrabio, lica
mudas vezes no caminho mullido palas ta-
bernas ou pelos cafs.
Madama Troppman and a p, mas ote
em foitas; cns urna cadeira da
bracos ao p de mademoiselle Francisca aw
costura assentada junto da janella, a qaa
apenas se interrumpe para chorar.
Eitas pobres senhorasourram ilizer aaa
sea lilho Edmundo, o raachinista de mirislm
eslava muito doenie; isto aflige as alada
mais, porque filho raclhor do que aquelle
uo ha. Avaliem por essas deas carias de
que me serv, principalmente da dala, para
demonstrar que esse mancebo tinha teda a
razo na sua magoa.
Carta de Edmundo Troppman a sua irmSa
Francisca.
Cherburgo, 21 de setembro de 1869.
Minha pobre FranciscaJ nao has de
ignorar que lerrivel dasgraea nos acaba d*
acontecer. Juo Daptista que anda ha
quinza das parti de nossa casa, e qae
tanto desgoslo vos tem j causado, acabe
de ser preso no Havre e condozido i pri-
so de Paris. Escrevi p.ra Mulbouse au
Jos para ir ioformar-sc de tdo ; elle en-
contrar todos os pormenores d'esta abo-
minavel attenlado no Petit-MoniUur l'ni-
vfisc!. Fazei o que elie vos disser a ido
para onde elle vos levar, porque na Abacia
nunca mais vivereis era socego.
Eu nao sabia nada de todo este lgubre
drama ; o Joo Baptisla nlo me dissa taai*
nada se nao o que vos escrevi ; tomn nasa
resoluco lerrivel para nos salvar e preci-
pitou se com loda a familia na mais profun-
da desgraca que aos podia acontecer.
Eslou prompto a dar a miaba vida para
mudar tudo o que aiada seja possivel naav
dar-se. Teu irrao que muito te quer.
E. Troppman.
P. S.O nosso capito fallou-me boje ;
deseja conceder-me tudo quanto lite teja
possivel. D-me, se eu quizer, orna H-
ceoca de 30 das. Dsse-lbe que ase-
ria escrever ao ministro pa/a que elle sao
d urna licenca prorojavel por seis saezes.
em recompensa do irabalho que nosso pai
leve para fazer a sna peca contioua e a
sua espingarda. O capillo ha de fallar
n'isso ao coronel que me ajodar eolio a
obte-la: disse me porem que era melhor
que fosse meu pai qiu fizesse esse pedido
a que elle accrescentaria enllo com o co
ronel tudo o que fosse preciso para m'a
fazer obter.
Carta de Edumundo Trop)man a ten ir-
mao mais evito, eslabelecido em Mti-
Ihoust.
Cherburgo 28 da setembro da 1869.
Meu pobre irmo A mais borrivel des-
graca que jamis tera .'crido alguem acaba
de sabir como o raio sobre a aossa fami-
lia. O Joo Baptisla, que parliu ha quioxa
das, acaba de ser Brasa por ter c ennicitid
o borrivel assassiuaio de urna familia Li-
ten a de Roubaix.
Anda ha oilo das eu vos c.>u>i>lava pea
partida d'ellc, porque nunca semeHian?.-
idea, to borrivel como me pas>ou pe a
lembraca ; parecia-mc ter a certeza de que
elle, comotb, procurava conseguir-n -s por
meos hont-ados una posir.o melhor; mas
lendo o jornal anlc-honlem, vi c >m horror
que ella tinha commeldo nm crjme hor-
roroso, que tinha sido preso no Havre i*
con luzido para a priso em Paris. Tinta-
se escapad o das raaos do gendarme c ala-
rra-se agua para se afogar, mas t raram-o
de l forca. Julga do lerrivel gdpe pm
eu receberia ao taber esta noticia e do
golpe mais lerrivel anda que ba de furir
nossa nifii se ella o sabe. 0!i de certo
morra Pelo amor de Deus, nao Ibe di-
gas nada. Sa anda for Umpo. se ella ain
da nao tiver conbecimento da lerrivel ver-
dade. dz-lhe. que recebcsle a :erii l.de
bito, quo elle morreu n'mn safe que
naufragou na Maaeha, quando se Oirigia
para I.iglaerra, e afasia de la l .da sgan-
le que possa dar-lhe a Bahar a verdade,
porque se nao ella moriera.
Dexai todas, se for possive, a Franca;
ide para AHemanha, e procurai l ganhar
a vosea vida ; o nico meio da salvar
anda nossa pobre mi da mora e toda a
familia da mais horrorosa miseria.
Eu verei se posso obter lieeii;a e irei
ter comvosco.
Concilio a minha carta cheio de dr ;
golpe que nos fere bem cruel : e iaa que
esmagain : ma somos iMeas, tratemos
de nos mostrar como laea,V
Acceita um aperto da mao do Ter ir-
rao E. Troppman.
vera-ma no cerebro. Fagamos com quo o
Eduardo seja tillio da Olyinpia Verdier.
A Olympia nao tera idade para isso,
objecin Mauricio.
Qual, historia I Ve l a tua ta Sch-
wartz. Condeces muitas mulheres de vin
te e cinco anuos que sijam mais novas do
que ella ?... E com ludo...
Ouvo. inlarroinpeu Mauricio, qua as-
sumio ar grave, a arla nao reside ah, mi-
sero amigo. Em quanto abstrahires da
arle...
E onda vais tu busca-la ? rugi Es-
tevo desesperado.
A' natuTeza.
Teus com que jantar amanilla!
Nao se trata d'isso...
Essa melhor I en'o de que se tra-
ta ? Tomara qne a la arte te enforque 1
Enforcasse I emeudou M rancio.
Pois seja enforcasse, meu recta-pro-
nuncia I... Queres fazer nm drama ?
Dize, queres ou nao quares ?
Mauricio empuiilmu o copo e meneou-o
graciosamente, como se eslivera cheio de
champagne.
Eu quero a gloria, replicou, chegan-
do-lhe a vez da inspiracao, a gloria, esplen-
dida grinalda com qua hei de cagir a fron-
te de minha prima Branca. Quero os ap
piamos do muudo inteiro. para qua ella os
nuca. Quero lod is os laureis da trra
para com elles Iha alcatifar o chao que
pisa. A vietnria, i-uves ? para Ih'a depAr
aos ps 1 Nao sou poeta por ser poeta, e
anda menos o son por attrahir, algns
luizes de o uro para a minguida bolsa.
Que necassidada tenho eu de ouro ? u
vivo da raocidada e de amar. Sou poeu
para amar, para ser amado, poeta para
cantar o meu culto, poeta para incensar a
jeu dolo adorado I
Pensas qua brincas T ialerrompeu Es-
tevio. U a i tirada d'essas, em situaci),
levantava a sala em peso I...
Faco-tn vinie ifuaes par da, disse
noblemente Mauricio. Faso cem, se qoi-
zeres...
Pois faze mil, e vai-te mu Deus...
O que nos falla alebr... mlho tu-
mos nos da mais.
Vulgarissimo bicho !... pronun ioa
Mauricio cora indisivel expresso de dcs-
Oem.
Paspalhlo I replicou o Estavqw Vol -
la para o collegio, para ganbaies toda a ti-
da o premio de linguagem. En por mim
s tenho imi vista a scena. Drama, quer
dizer acclo : olha quo anda nao me esque-
e do grego.""Deixa-me, pois, estabelecer
a aeran, para teres occasio^e (bscursar !
O que nos faz falta c umaiweco forte ;
seria1, capital...
O que urna situ3Qao? pergualoo
Mauricio.
Urna situacao ... espera...
Ficasie a nadar.
Nao lique... Suppe a S"paaVar-
dentemenle apaixooada pels Eihiarda, e
sabendo de sbito que 6 irnrta d'eN...
Que te paree-) ?
Ora I
Ah lens ama situacio.
N'esse caso, um socco n'um oBm
urna situacao ?
Bravo I a primeira vez na tua
vida que percebes urna cousa. San, aaaa
velhinho, um murro n'um olno bem pa-
chado orna situacao... a urna situacio
um murro...
N'umolho... Neg... Una-at-
tuaco a lua dos acootecimentoa centra "
os caracteres...
* Quando o immortal Shakespeare poa
em scena..,
Eslas aaJadoobo.
Faze tumbar orna carruagam, com
geitoe tempo...
Setibor Qaus, misaricordia 1
Pois eail, damos coaRco aaaa
comedia, viste qae te deu agn para os
caracteres. a
(Coaiawr-ae-*a).
IVf. |ia LUtW-IUftAJJ CMZOi. 4.
0
i

naai
UEGfHI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPZBYQHRU_AVHVSO INGEST_TIME 2013-09-14T04:02:28Z PACKAGE AA00011611_11980
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES