Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11978


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XIX NUMERO 246.
asm
MA A mAl E ITOMS MH lio S .AC POlT.
*'' s adiantados......... IL
...... opOOO
I
Oda numero avul : ; : : : ." i ; ; [ ; ; ; ; ; ; ; ; s,
or *eu ditos idem..........* ........
Por U ano Ran............. 120000
OUTUBRO DE 1869.
Por tres meze* aoitlados
Por 3i s ditt tkm.
Por no\ 1 utos dem .
Por amanso.....
PARA MITBO E FORA DA PROVUCIA.
X
n

DE PEMAMBUCO.
Propriodade de Manoel Fignaeirta de Faria & Filhos.
M
J.
[1
SAO 44iK\TK :
0 Sr*. Gerardo An!^ioAlvesd Filhos, no Para; Gonces A Pinto no Maran.Uo; Joaquim Jos do Oiiveira, no Cear; Antonio de Lemoa Braga, no Aracaty; Jo5o Mara Julio Chave, no Aas; Antonio JUaroues da Suva ao Natal Jos***
Pereda d Almoida, em Mamangaape;i Antonio AJexandrino te Lima, na Parahyba; Antonio /os Gomes, na VJa da Penba; fleiarmino dos Santos Blelo, em Santo AntSo; DomingosJml Costa BratT Jos/09too
_______________. em mwm; Francino Tarares da Costa, em Aiagdas; Dr. Jos Martina Aiw, na Bahia; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro. '
P1ITE OITICIAL.
WlalrtcH 4o Imperio.
AVISOS.
Km <9e Janeiro, cm 1." do mitubro de. 1861*.
Mea. Exm. Sr. -Jim offlcio de 4 de agosto ni-
'iw, subiuelleu V. 1' .o, i deciso do governo ni-
nerial a seguinle consulta .
Se ao cidado Henriquo Joo Cordeiro, que,
toado sido nomoado inspector da lliesouraria de
1R6, declaro a V. Exc, em resposta ao referido
offlcio, que o fundamento da decisao nteiramen-
te conforme com a disposicao citada, e, portanto,
o goveino julga insubsistente a eleico do Codo, e
ri'comnienda a V. Exc. qne d as ecessarias or-
dens para se proceder a outra, nos termos da le.
Deus guarde a V. ExcPaulino Jos Soares de
SoHza.-^-Sr. presidente da provincia do Maraaho.
Rio do Janeiro, 10 de outubro de 1869.
Illm. e Exm. Sr.Em oflicio de 28 de Janeiro
^ ( ultimo, eonsultou o antecessor de V. Exc, se po-
>w*i\ dessa pnmiicia, aeeMa e tonwu posse do id,a riu-Or da barra dessa capital exercer o
-*tg* depois de otlo jniz do paz om Mimbro do ?"f" j?e procurador da cmara municipal da vil-
y
Mi lindo, tendo estado al enlo cm omu.issao
*ssa provincia cono o:r,preado de azonda da do
Vara, c |t|iicavel a c iusuL 6. C, > irt. (J. das
lastrucroes de ,'!| de Jeemnm8o mesmo auno.
Iva resposta declaro a V. Exc. que, tendo esso
-jilada aceitado o novo cargo de fazenda, depois
de eleito jaiz de par. (l'ixando por esta forma o
toe, anteriormente exercia na oceaso da elcie),
j llie pude ipwm'far a segnpda parte da refe-
rid* clausula, poisque lite :i(jplicavel a priiueira.
Dea* guarde a V. Kxc.Pattliuo Jota Soares de
*>:. Sr. presidente da provincia do Amazonas.
n, de futuro. Din \ de outubro de 1809.
IHiH. <. Exm. Sr. Dr. Manoel Jos Marinbo
ix Cunbn, preidentv da cmara municipal da Pa-
rahyba di. Sul e J." substituto do juiz municipal
4a respectivo termo, oiarcou para a ti'iveira ses-
i'< rtrdiiiaria da numa cmara o dia ."i dj jiallio
ttltinii% e scndo-llie passada a vara munici|ial no
4ii t. roseahuu a V. Exc. se !li; era prmiuidi
*j:.ir pelo oMiiviric di- presidente da cmara, e
p<>:tr a jnrisdirclo nuinicipal ao substituto im-
MKliatii.
Ivh respaila a esta consulta declarou V. Exc.
\a<; a faria du ttposttt no avi>o n. 1*8 de 16
de jiillit do \H\S>, cuja doulrina applicavel ;iby-
pi4bese presente, o s-ubstittKo do juiz municipal
hirante o periodo da- sessoi^s di enmara munici-
pal, di- que laembro, se considor.ir.i impedido
para Mr '' c-xertlcio d'aqaelle cnr^.i o pasa-
r,, a jurisdkrJlo ao stil>strtate linrnediito.
O f'iVen imperial approva a deeisio do V.
"Kxc^ e que tlie conmiunico em respostt ao offio
ie O de julln ultimo.
leu-: pnard a V F.x:Paulino lo,' Siart* da
^i*->r i i lenl da provincia d > ttio de Ja-
neiro.

fin de Janeiro, em 'i do outuuro de I8,i9.
film, e Exm. Sr.Transmittlnd* na as acia* di
aua eloican do-juize-de paz, a que se procedeu
i II dejulho do corrente annu, rm parochia de
?lsa rahora da Piedade de Ipiabas, do mnnici-
l-. de Valeoea. em raiao de ter sido annn'lada a
fue se cffectura na mosma parochia em setem-
hn do anno findi-; p mdera V. Bxc. era oflcio de
2-4 de agosto ultimo (ine. para forma.>> di mea
liaroriiial cir,-., i :n i;;.i 08 eletMres o supplentes
la lerislatnra linda, uuando j installada a cama-
ra Hat desata I > em maio, o ann.all.ida a elciclo
ia eJettores da referida parochia feila em janc'iro e a liverem no delicio, a que se refere a cma-
ra do Espirito Santo, para o qual fra nomeado.
Em resposta declaro a V. Exc, que nao sendo
por sua nalareza incompativeis os referidos car
gos, e por tanto nao devendo ser accumulados
pelo mesmo individuo, smente qnando Pste nao
puder exercer satisfactoriamente as fanecoes de
ambos, ao ministerio da marinba e cmara mu-
nicipal incumbe providenciar se p funecionario
qne Ibes sujeito nao comprir convenientemente
pela accumulacao de outre emprego os deveres
d'aquelle, cujo desempenho Ihe interessa.
Deus guarde a V. ExcPaulino Jos Soares de
.Sonsa.Sr. presidente da provincia do Espirito
Santo.
R.) de Janeiro, em 11 de outubro de 1869.
Illm. e Exm. Sr.Informando sobre o ollicio de
15 de fevreiro uhini". Sin que a cmara munici-
pal da villa de Santa Maria Magdalena consulta a
este ministerio romo ha de proceder para elTec-
tnar a cobranca de um recibo da quantia de
462(H)0, retirada de seu cofre cm 1863 pelo en
tan vereador Amaro Jos Gomes da Silva, nao sa-
liendo se a responsabilidade desta falta deve reci-
bir sobre o dito ex-vereador, que se acia em ra
posicao de fortuna c reside actualmente em oulro
municipio, ou sobre o procurador de ento, que
tambem se acha em circunstancias anlogas, pon-
dera o antecessor de V. Exc. em offlcio de lo de
marco ultimo :
Que ociosa semelhantc consulta por ser
manifesta, alni da responsabilidade criminal, a
civil tanto do vereador que se apmpriou da refe-
rida qivanlia, conforme o reciba pelo mesmo as-
signado, como do procurador, que a entregou in-
il" vi da ilion lo, oo.dos clavicularlos do cofro de que
trata o art. 48 da lei do 1. de outubro de 18J8,
sendo que, nos termo? do art. 80 da mesma lei,
pelo procurador responde seu dador, e nao o ha-
vendo, os vereadores que o nomearam o afflinea-
ram. Pelo que uVvom ser demandados pela c-
mara os diios devedores, ou responsaveis, salva
sua defesa perante os Iribonads competentes, e na
execucao se verifieai se os ro lin ou nao meios
para o pagamento. pi>r quanto releva que seme-
liante abuso nao Oque em silencio, convindo mes-
^iiio ordenar ao promotor da comarca que proino-
va a responsabilidado criminal dos culpados pelo
desvio de diithM4'i> publico. >
Hecommendando a V. Exc que providencie rio
sentido de tornar effecliva a responsabilidade dos
J
I
nltioK*, OS sito ruladans inmediatos em votos ao
pik de paz mais etade competa a atirilmic) de
rganisar a mesa, Dostcrm03do irt 2. do de-
erota n. I,81i de de agosto de I806.
Km resposta ao referido offlcio declaro a V.
E\r>, me f md i nsanavel n irregoiaridado argi-
da, tilo podo subsistir a eteijo de jojzea de paz
reitaeiBjumo uliimo, na parochia de Ifossase-
nlutra da Piodkdc Je Ipiabas.
Campre, purtanto, que Rx:. mande proceder
*l nova oleioo.
Deas auarde .i V. Exc.PanUno Jos Suaves de
Suizo. Sr. presidente da provincia do Mi de Ja-
noin.
II
ra municipal da villa de Santa Maria Magdalena,
observo, para que V. Exc. faca sentir mesma
cmara, que na/ pode ella corresponder-so direc-
tamenlo com este ministerio, mas deve faze-lo por
intermedio de V. Exc, na forma do art. 1." do de-
creto n. 6U2 de 27 de agosto de 1849.
Deus guardo a V. ExcPaulino Jote Soares de
Soaza.Sr. presidente da provincia do Rio do Ja
uciro.
avisos ns. 300 de 30selembrode 1836,94 de 18 de
fevereiro de 1860 e outros que o dito juiz de paz
renunciara o cargo por tr aceitado o posto de of-
fic; I da guarda nacional. A segunda irregulari-
dad!! nao por si s bastaute para determinar a
annullacao da eleico.
i. uanto a eleigao presidida pelo 4 juiz de paz
coocorrem para invalida-la os segualos defetos
que se referem a preceitos essenciaes :
I" A incompetencia deste juiz para a presiden-
cia dos trabalhos eleitoraes, vsto que o mais vota-
do achavaseno exercicio- de suas altribuicoes.
!! Infracco do art. 8- e parte final do art. 10
do decreto n. 1812 de 23 de agosto de 1836. Nao
tendo comparecido os eleitores e os supplentes
para a forma cao da mesa parochia!, convidou o
dito juiz, para representarem as respectivas tur-
ma:, os dous cidados menos votados na ordem da
votiicao para juiz de paz, o quaes por sua vez
con .ida rara dous outros e com elles constluiram-
se membros da mesa parochial.
Deus gnarde a V. ExcPaulino Jos Soares de
hmtMiSr. presidente da provincia do S. Paulo.
Kio de laneiro, em ti de outubro de I8U9.
IMm. e Exm Sr.Em ollicio di 18 de Janeiro
bMsbo,' parliripofl V. Exc. que a cmara moniei-
P i da etlade de Anlonina rec.nra deferir jura-
iHcnio do cari." de !. supplenfi do delegado de
'ii do termo da mesma el Jado a Francisco da
Silva Aveleda, sera que previamente provasse a
.ulidado do tidadi brasileiro, sob pretexto de
ser ello f Isa:. ate c nsiderado tal. porque, era-
ban exercesse os direttos de cidalao brasileiro,
prestado juramento constitniclo,
. ser anda tqooor n i p a da indeaondeneia,
p laeiii junta por epia ao solo o lito offlcio. Km
i--p -i-ia a referida cmara, ordeoon-He V. Exc
pie defers! i ftreleda |nraranl i 11 cargo para
<|ue fra ptflwado, o obsarveu o l '-'ulnle :
I." 0;ie, confi san 11 a dita eamara atnr Fran-
rasea da Silva Av I -da na pesse dos direitos de ci-
ladic lira-ileir na poda don ir de reeormeeer-
llie *jit' (ach n nari iiialidaih por l-:;!i que, se-
sinlo o di-,i -:; ii i art. ,"i." do decreto n. 500 de
16 da i vereiro d Iht i de lies direi-
hl j'i lii ."i.enti; pre-iimir a nacionalidad)*.
MiKpioi'.o na o prodiizida prova em contrario.
t* Qne oslando Aveleda aeataeaso, nlolinua
iccessidade de pravar a nacimalidadc, e nem j
.amaras muiur[ a es compete decidir esta questao.
i.' t*nc o< Porlnguezes, que na poca da inde-
pfjd d r rasii, nao precisavam prestar juramento
.. cm-tituica para serem reconheeidos cidados
lira-il 'ir no art. ti.0 4. da
mi i-"ti-titu!,~i ; nao importando portante pa-
r o casu a r loiiinsUinoia do de ver sor Aveleda
; menor iflade r. auuella epoea.
Em do mesmo mez de Janeiro
aeres > Exc. que, tfiado Aveleda repre-
M-ntadu contra c iroeeliinen'.o di cmara o exhi-
bido documi3.it oomprobatoros de sua naturali-
lade. i Silvio V. Exc. enviar taes papis ao juiz
-.i lreil da n.marca de Paranagua, para que
procedsse na orina da contra a mesma c-
mara.
Em resposlA aos referidos offtcios declaro que
acdrtada foi a da hastio de V. Exc, porque, se
par un lado a posse dos direitos de ciuadaa bra-
-ileiro faz presumir om Francisco da Silva Avele-
iitcio da cam .ra e das razies expendidas por V.
lsf~, por oulro lado nao ba na lei orgnica das
amara-* municipacs disposico alguma que lhes
exwlira a attribuicav de onhecer de tal objecto.
Don* grde a V. Knc-Paulino Jos Soares
Ae Son:a.Sr. r,residenle da provincia do Paran.
Uto do J.u.t o em 8 de ootabro de Jtf^k'
III. c -Em oOicio de tt
iltime parlicipL-u o antecessor de
jurado dd 11 do dte mez, resolver,
^eicio de vereadores e juizes de _^
;)rocedeu em sefembro do asno findt. na
de. Santa Hita e Santa Pbilomena do Codo" por ter
tecarnilu na mesma eleico, entre ontras, a se-
suinlc irrcgolaridade substancial :
-N falta dos eleitores, qne nao compareceram
para a firmaco da mes parochial, convidou o
juiz de paz presidente um ctdadao para represen-
tar norma r**r*cw, quandn, ni %nm do art.
*. Jo deereto r. 1,814 da f de agosto de 1856,
deria ter chantado o *lmediato em votos na
ordem ii p:in jaiies de pan, e se este
nao compareei c ate o J segninte pelas 9 ho-
e assim por
aire nao poda
,r, anda que
irida eleico,.
Ii- da parl
de agosto de
Rio de Janeiro, em 9 do outubro de 18G9.
Illm. Exm. Sr.Toado concorrido para a for-
macao da mesa parochial, na eleico de juizes de
paz a que se proceden em juoho do cfrente anno
na parochia do Andera, dj municipio da Villa
liella da Iuiperalrz, pseleitores e suplentes oriun-
dos da eleico primaria all feila ltimamente, an-
tes do eonheeida a docsio da cmara dos diputa-
dos que a annullou ; resolveu V. Exc a vista do
preceito assira preterido do art. 2o do decreto n.
1812 de 2 do ag is) i de 18)6, declarar nulla a
referida eleico como participa em oflco de 7 de
agosto ultimo, com o qual submelteu o acto ap-
provaco do governo.
Ve-se dos documentos que acorapanharam o
ofir-o du V. Exc que a cmara municipal da Villa
liedla julgando milla a dita eloIcS vista da fal
silicaco que Ihepareceu ter-se'dado no lvro das
acias, deliberou nao expedir diploraas aos elcitos
e enviar copia das acias ao promotor publico da
comarca para proceder na forma da le contra os
membros da misa parochial, procedimento que,
porm nao prosegoio porque, tendo V. Exc man-
dado fazor'exa.ie judicial no dito lvro, neste
nao se achott corpa d > pretendido delicio de fal-
sidade.
A' vista disto deelarou V. Exc dita cmara,
em portara de .'!0 de agosjo :
1 -Que competindo ao governo imperial, c pro-
visoriamente aos presidentes do provincia, nos ter
mos do art. 118 da lei n. 387 de 19 de agosto de
1816, conh.-cr-r da validado das eleicfies de veroa-
dores e juizes de paz, nada liona que deliberar a
cmara sobre este objecto, cabendo-lho lo smen-
te trazer ao conheciraento da auloridade cornpe-
lente quawqueriatormajcoese esclarecimentos que
Ihe livessein chegado sobre a eleico.
2o Qne regularmente proceder anda a cmara
enviando copia das actas ao promotor publico,
porquanto o arti 58 da lei do 1 de outubro de 1828
s autorisa as cmaras municipaes a dar parte ao
presidente da provincia e assembla provincial
da.s infraceoes da constituicao e das prevarica-
Coes ou negligencias commetiidas pelos emprega
dos.
3o Que dependendo da approvaco do governo
imperial o acto relo qual fura annullada por .
Exc a dila eleirao, nem um procedimento admi-
nistrativo ou judiciario poderia tea lugar contra
os membros da mesa parochial antes da deciso do
mesmo governo.
Em resposta ao referido offlcio communico a
V-. Exc. que o governo imperial sustenta o acto
da annullacao da eleico da parochia do Andera,
atienta a rregularidadc mencionada, que viciou-a
em sua essencia; e approva a decisae de V. Exc
relativa ao procedimento illegal da cmara muni-
cipal da Villa-Belta, cumpriado que V. Exc. pro-
videncie sobre repressao de tal procedimento ;
se, como parece a V. Exc, obrou ella de m f e
nao te ve ou ro Cm seno vexar os cidados mais
conceituadoa daquella parochia.
Deus guarde a V. ExcPaulino Jos Soares de
Souza.Sr. presidente da provincia do Amaso-
as.
Ro de Janeiro em 11 de outubro de i889.
Illm. e Exm. Sr.Em resposta ao oIBco do 1-
de fevereiro ultimo, em que o antecessor de V.
Bic. presta infermacoes sobre as duas eleicSes a
que, para vereadores e juizes de paz, se procedeu
em siembro do anno lindo na parochia de Len-
ces, ama sob a presidencia do 1 luis de paz, e
outra presidida pelo 4o ; declare a V. Exc. que
pelo governo imperial foi julgada valida a priasei-
ra, e nulla aseguada das ditas eleicSes.
Nao Invalida os trabalhos da eleico presidida
pelo 1 juiz de paz o tocto alias irregular, de ter
|a mesa parochial dexado de inserir na acta o
protesto apresenUdo pelo cidadao Jos Emydio de
Alpjeida Cardia, e bem assim cootado-eeminassado a
cdulas antes d coaclodo o sea reeonheciroento.
A primeira Calta nao tem alcance no caso vertente
por nao ser relevante a materia do protesto, no
qual s aStegon unkameuie, estttra a dratrina dos
((verno da provhieia.
DKSPACHOS DA VICR-PRKSIDENCIA DO DIA 22
DE OUTUBnO DK 1869
Abaxo assignalo moradores na travessa da Ponte
de Ucha.Ficara expedidas as c-rdens no sentido
que pedem os supplcanles.
Autonio Eugenio Alve-" Perreira.Conceda-se
dous mozos cora ordenado.
. urea Gemnia da Cruz Ferreira.Conceda-se
sei mezes nos termos da lei n.887 de23 dejunho
do orreute anno.
Camilla do Carino Torres.Indeferido.
JJeoeleeiano Ferreira dos Santos.Est prvida
a cidera de que trata.
Deoclecano Ferreira dos Sautos.A cadeira
pan que pede remoco nao pode par ora ser pro-
vida.
Francisco Carlos da Silva Fragoso.Est provida
a ciddra a que allude.
CiOOSelbeiro Felippe Lopes Netto.Junte esto ao
reqoeriiMMO o papis anteriores informo o Sr.
inspector da ttiesourara de fazenda.
Ilinedina Floresta dos Santos Cordeira.A ca-
dbira de que traa niij pode ser por ora pro-
vida.
Henrijueta Amelia de Menezes Lyra. Indefc-
rid i.
I launa Escolstica Gucdcs Alcoforado.As ca-
detas de Abren de L'na o Santo Aalao estiio pi'o-
vidi-.s e a de Nazarelh do Cabo rao polo ser por
ora prvida.
Iyncz Feliciana Pereira de Lyra.Indeferido
vista da infomiaco.
Juma adminisii'aliva da Santa Casa da Miserl
c o- lia. Vi i pode ser por ora provida a cadeira
de pie trata.
Jos Ayres de Mello Velloso.Informe o Sr.
ns lector da thesonraria de fazenda.
Jjaquini de Almeida Pinto.Aprsente o suppli-
eac.se a obra de que irata a commissao nomeada
paia examinar, composta dos Drs. Sarmeolo, lla-
mse Francisco Jos da Silva.
Padre Julo Vicente Gucdes Pacheco.Dirija-se
ao Sr. aspee! ir da lliesouraria provincial.
Eacharel Jos Rodrigues do Passo Jnior.In-
eferido.
Jos I, nirenco da Silva.Informe o Sr. Dr. chofe
do polica.
D. Jueepha Amelia de Godoy Vasconcellos.In-
deferido.
Leonel llaphael de Moracs SilvaInforme o Sr
inspector do arsenal de marinba.
Luiz Cyriaco da Silva.A pelica de que trata o
supilicante est i.a secretaria e leve o seguinte
despacho, o disposto no art. 28 da le n. 598 de 13
de naio de 1834.
Manoel Thomaz d"Albuqtierquo Maranhao.Em
vista da informcSo da lliesouraria provincial, di-
rija-se a ella em oeeasiau opporluna.
Maria Leopoldina.J esl provida a cadeira
que requer.
Piulina Marcelina de Almeida.Passe-se porta-
ra removendo a supplieante para a cadeira de
San o Anto.
Raquel Adol|i6a Cavalcante Ferreira.Lavre-se
delil eracao removendo a supplicarile.
Lisbolla de Alliuquerque Mello.J est provida
a caileira da villa de Agua-Preta u a de Nazarelh
do Cabo nao pode ser por ora provida.
Sebastin Jos do Reg Barreta.Me tem lugar
o que requer em vista do aviso da ministerio da
gue-ra de 28 de jullio ultimo.
Tnomaz Lias Ribeiro Guimariies.Conceda-se
um mez de liecnca sem vencimentos.
Maria da Paixao.Conceda o praso de quinze
digs,
Antonio Joaquina de Mello.Por edital de hoie
mu dei abrir concurrencia para o contn.to do
iral.alho de que trata o supplicanle, nos termos
do : rt. 2- da lei n. 900 de 2o de junho do corrente
.anno.
Luiz Goncalves da Silva.Como requer.
23
Antonio Joaquim de Mello.Ao Sr. inspector da
lliesouraria provincial com os requerimentos aule-
rior e parecer da commissao respectiva acerca do
merec ment das obras de que se trata, para en
lendi*r->e com o supplieante sobro o proco o de
mais condigoes, e efteciuar o contrato de compra
antorisado pela lei proviacial n. 831 do 22 de maio
de 1868, subuiettendo-o a approvaco desta pre-
sidencia.
Adolnho de Almoida GueJes Alcoforado Con-
ced-se um mez com ordenado.
Anlonio Augusto Maciel.Entregue-se passando
o supplieante recibo.
Antonio Augusto Maciel.Certifi pie-se.
Abaxo assignado moradores da ostrada de Joao
do Harros.Informe o Sr. engenlieiro chefe da
rep;rtcao das obras publicas e fiscal da Ilumina-
gao a gaz.
Padre Francisco Virssmo Bandeir.Passando
recibo, como requer.
Coronel Francisco Alves da Silva.D-se.
Julo Das Jinto Alabeo.De-se.
Bicbarel Joaquim Jos de Carvalho llqaeira
Valejo. Encaminhe-se.
T nente-coronel Maneel Dionisio Gomes do Reg
Cavalcante.D-se.
Man el Gomes de Miranda Leal.Indeferido a
vsti da informacao.
Imbelina Maria dos Prazeres.Prove a suppli-
eante que lera vivido honestamente aa ausencia
de :eu marido e declare o nome deste na peticao
que dirijo ao governo imperial.
B:rnurdino de Sena Puntual.Dirija-se ao Sr.
enginneiro chefe da repartlcio das obras publi-
cas.
Galdine Manoel da Costa.Informe oSr. inspec-
tor do arsenal de marinba se o navio para cuja
con 'trnecu foi o supplieante contratado j est
concluido.
kianoel Joaquim BeHo.Indeferido a riela da
inferraco.
Irmandado da Ordem Terceira do Carrao.fjomo
requer.
Manoel Ferreira da Costa.Passando- reelbo,
como reqaer.
liarla Adelina da Silva.Passe-se portara re-
mo rendo a supplieante para a cadoiaa da povoa-
cio de Vertentes.
\i'-toriano Jos Marinho Pahaws.Qoaseda'-se
ceir vencimentos na forma da lei.
Fraocisco de Piano Boraes.endo sido rosee
didti o ciiarraeo do supplieante por dellbaracio de
3 d' masco do correte armo, seja exonerado da
resiwnsabUidade do excesso dodespeza proveniente
ila execuejfa da obra, de que se trata, feta por
aJininjstraCo, subsstindoporm a multa imposta
ao mesra supajicanle.
Pranci^B" de Pinito Borges.Tevo nesta data
dfspaeho o roqnefimento a que alinde.
Jos Augasto de .Iranio.Sellando o suppliean-
te a petejay na frma 4o regulamento u, i:Qi de
17 de abril do corrente ana, d-se a esfido que
pede.
Jos Rodrigues de LimaInforme o Sr. fenen-
te-coronel eotnnsandanto do corjio provisorio de
polica.
Jos Aup-usto de Araojo.Sellando o suppliean-
te a peticao na forma do regulamento n. 4351 de
17 de abril do correte anno, d-se a certido
que pede.
Jos Auaisto tle Araujo.Sellando o snpplican-
te a petio na forma do regulamento n. 4334 de
17 do abn
pede.
Jos Augusto de Araujo.Sellando o suppliean-
te a peticao na forma do regulamento n, 4334
17 de de abril do corrente anno, d-se a certido
quo pede,
Jos Augusto de Araujo.Sellando o suppliean-
te a peticao na forma do regulamento n. 4334 tle
17 ilc abril do correte anno, d-se a certido que
pede.
pedernrdo e mais ferozes, o direito de defesa ; e
fama que at sanguo innocente corren naquella
carnicera, crifne que, nao s est impune, mas
at premiado como um mrito, e com o qual des-
honraran! awsos governantes a revolacao de se-
lembro.
O paiz liaba direito a esperar no, com urna
poltica chamada democrtica, a vida, o lar, a li-
bertado dos cidados, se veran a salvo das arbi-
trariedades que esgotarara sua paciencia- e causa-
ran! urna revoiuco necessaria. Depois de inaugu-
rar urna nova pjea de liberdade tmha-se escrpto
I o ttulo prineiro da constltmco, no qual estSo
consagrados os direitos fundaroeutaes humanos, e
assegurados contra asarbitrariedades o desvarios,
do poder.
guardar os direitos da jusllca universal; ejaa t"
de ou cedo castiga os poderes soberaos. Parm
desojando dar urna ultima prova de saa Miada11'
ci, j esgotada, se presentar assembla co1*
a acta de aecusago na iua>).
E se esta at^oaaco se nao ad miste ; se as
cortes consonlem que os direitos individaaes seja ni
violados ; a coiisliluieao deseonbecida ; a liberda-
de suffocada ; o puder convertido- em artRrtrie-
dade insensata ; os ministros sennor de legislar a
sen capricho; os goveroadores arbitros de oossas
faculdades mais preciosas : o municipio na agen-
cia do poder ; a minora republicana s retirar
da assembla, e entregando se a urna absleneao
acmiseitiada pela sua digndade, comecar Unta
Mas desde o da em que o cdigo fundamen- '^"f ra!l'hixiaJ)ara os nom **??' qM '
Ui so^promulgon, tramonte contra eile^STon- \^^rS^STcZrit^VSS
mraco no o.bpi-ii, i.niiipa-.. ,, Mi r i '"e m".r-'o angos e cunipnr:e-ns)o a mi,
talvez mais breve, as
jtiracao uo governo, eonjuraeao que comecou por
de correnlc anno, d-se a certido que adultara-lo para concluir por destruido. Varios
governadores,
DIARIO DE PERNflMBUCO
aaeirE, 27 de outubro de 1869.
NOTICIAS DA EUHOPA.
Damoacm seguida o minucioso resumo sobre
os ltimos tuoviaientes hespa:ih:s, que nos re-
nielleu nosso correspondente de Lisboa :
a Rcbenjou a grandj itwurrcieao republicana
federativa.
Continnam interrompidas as linhas telcgra-
phieas, e corlados os caininhos de ferro.
Recebeu-se a milicia de que a iiolavel cidade
ile Reus, a segunda povoaco mais" importante da
Catalunlia se" sublevou ao grito deKi'pa a re-
pblica federal^
Nuioapsas tropas partiram para aquella ci-
dade para'sulfear a nsurreic.io.
O nnloo da usorreico t na parte de Mau-
resa e MonserraL
Na cidado de Man rosa est esiabelecdo o
quartel-general do denotado Juaristi que quein
conimanlaas forcas sublevadas ; as foreas elTecli-
vas de Juaristi saa oreadas em ilous mil bomons.
Appareceram algns grupos de republicanos
federis no Arago.
Ha manos bandos republicanos na Catalunha,
e a Andalona esta agiladiastaa.
Dzia-se quo Priin so col' icaria frente do
exercito de operaces na Catalunha, mas por ora
o goveruq, espera suff-icar a insurroi :"w su nonio
cora as f.wfcis da Cattlunh i.
Em 3abadll onlraram if>0 republicanos ca-
pitaniados pelo rico proprietario l'alel; reuni-se-
Ihe bastante gente e no dia 29 demanha tinham
marchado para Castelleai aatmorode 700, onde
se Ihe juntaram mais 200 hom^ns.
Dizem as partes oflicaes, <|uo a brigada de
Palacios, depois de tata evacuar Esparraguerra
pelos nstinvccionados, dandi) liberdade aos vo-
luntarios que haviam sido cercados, seguio para
Olesa e Marturell onde baten as forcas sublevadas,
commandadas polo d-mutado D. A-lolpho Juaris.
Os sediciosos evacnaram Marloroll, leudo lese
morios e cinco fcridos gravemente. Tomou-se-lhes
nina bandeir e variar muniodes. Cinco columnas
commandadas pelos coronis Novillas, Pieltain,
Casalis, fosarme, e !". males Benga, de combina-
cao com oliriga Tiro Palacios, p;%rse8nem os m-
sitrrei'ci- nailos da proviucia de Rarci-llona.
Os voluntarios di liberdade de Seriena pro-
ntuiciaiaai-se ao grito doViva a repblica, iuter-
eoutando as linhas forreas leiograpiicas. Urna par-
tida em Bi'jar prenden, aos gritos di*Viva a r-
publioa Meral o governador civil de Salaman-
ca, o primeb/o alcaide, um depalada provincial o
um amuregad > do governo, que pouco depois fo-
ram postas em liberdade pi la milicia da cidade.
o brigadiro Palacios receben om tiro na lula de
Esparraguerra. A columna do seu cominando leve
outro encontr com as forcas de Juaristi/havendo
bastantes morios do parle parle.
- Todos os comits republicanos de ll'.spanba
contrariando o espirito o desconhe
cendo a letra da cvuslituco, declararara o cdigo
fundamental ndscutvel. O ministro da governa-
co prohibi os emblemas eseriptos tas bauderas,
e os vivas com que em lodo o lempo expri-
mi o pevo seus votos e revolou sua con-
setnela. Urna lula continua se eoSpennou entre
o novo, que se julgava amparado na manfestaco
pacifica de suas opiraes pela eonsltuico, e o go
j verno, que legislava e anda persegua taes man-
! feslacoes por meio de seus agentes, pondo com au-
I dacia sem exemplo, sua auloridade administrativa
sobre a naco ; sua polica obre legisladores ;
seu capricho sobre aquellas faculJadss pritn ir-
dines superiores a todas as lesmo que, a titulo de
rodil: fundamental da natureta humana, tinham
passado a ser, pelo voto da revoiuco sanecionada
as corles, os fundamentos da nova soeiedade de- i
inocratca levantada sobre as ruinas das instilui-
Coes monarcliicas que per tanto tem opprmiram
e degradaran! o povo.
Nestes ltimos das procurou o governo pre-
texto em um delicio coininum para acabar de des-
truir a eonsltuico e aniquilar os direitos indivi-
duaos. Commcttcu-sc na pessoa do secretario do go-
verno civil de "Perragona um d'esscs horriveis ni
aes contra os que bastara os tribunaes do paiz e a
torca das leis communs.
< O partido republicano unnimemente repro
vuti desde seus clubs, desde seus periodicos.aquelle
attentado, radcalinoute contrario todas as suas
dunliinas e onposlo toda a sua conducta ; cri-
nas isjlado, que nao pudo mancRan' a limpa histo-
ria de tira partido, o qual em lodo o lempo pregou
a inviolabilidade da vida humana, e inlerveio com
sua auloridade c seu prestigio para evitar a elTu-
so de sangue. Se alguma reprovacao faltasse
esse rame, nos gravamos aqu a nossa nnanime,
profunda, como nascda de consciencias que ja-
mis transgiram com nenbum principio nem ne-
nhum facto que podesso parecer tima negaco das |b d
temos inolelado'
eternis leis do pfogresso,
contra as quaes nada podein o*ses goveroo que,
esquecidos de sua origem e julgando-se irrespon-
saveis, desconheccm lodos os direitos ; porque se
nao encontrara o merecido castigo na jnstica a aa
lei, o encontram, tarde ou cedo no tribunal olmo.
a que nunca appellam em vao os oppriinidos, bu
Iriliiinul ras rvvnlnei}**.
Madrid, 28 de setembro.Jos Maria Orease.
E. Figuoras.Emilio Ca>telar.Femaado Gar-
rido.Jos Cristbal Born.P. Bisa Quintero.
Joaquim Gil Bcrgues.Benigno Rebullida.Juan
TillanFrancisco Suner eCapdevila- Ruberto Ro-
llen. Frederieo Hubio.P. Moreno Rodrigues
Buenaventura Abarzuz.Jus Toms Salvany.
Santiago Soler.Vctor Pruoeda. Easebie Gi-
meno.
A jnola superior revolucioaatja de Bareello-
na publicou a seguidle proclamante :
Catales. as dfliceis circumstancias que
alravessamos, qnando a honra e a digndade da
patriase acbam gravemente compromellidas, pela
impialiflcavel conduela de um punhado d indig-
nos ambiciosos, o comit provincial de Bnrclona,
alguns membros do qual esto encerrados, sendo
o resto perseguido, inspirndose no 'patriotismo
mai< puro e impulsado pelo rdeme desojo de nao
deixar abandonados os sagrados interesses do nos-
so grande partido,que Ibes esloconflados, delcgmi
emns as suas facilidades, rncarregando-nos a di-
rei'ro do poderoso movimenio revolucionario de to-
da provincia, que a apoi.lr com todas aa suas
forra?. A conjurarn do actual governo contra a
liberdade que tantos sacrificios cuslou ao pove, 6
clara e patente. j- ,
A falta do enmprimento em suas promessas^a
violaeo dos direitos consignados iia"'onsliiaco,
iiue elle mesmo dictou, rorrompendo o suffragio,
direitos calcados e escanveidos al ao ponto de
rednzir prisao dtgaissimos depataies, como Pi-
errado c Serraclara, e Bnnlmeni i o iojustificavel
desarma ment da milicia cidada, salva-guarda
sio que demonstran! at a
ideas humanitarias pelas quaes ,.,..* i.*! [evidencia, que so nos quer levar, de arb.lrancda-
9em?ire l0"**0"*":1*' "lu, conw teji,HM-aie em arWtWdade, at ivnrao TTisi^panto-
versaos de nossa vida.
Porm o quo nao podamos acreditar, nem
se quer imaginar, que o governo levasse sua
demencia racionara at imputar-nos esse crime,
o fundar sobre lo calumniosa iinpnlaco a min-
guada poltica que atienta a todos nossos direitos.
E isto qnnndo r Quando anda esl fresco o san-
gue de varios alcaides republicanos, assassinados
pela furia dos parlidos tnonarchicos. E isto, por
quein ? l'or um poder que vio 'opassivel maltra-
tar e deixar por morios em suas rodaccoes a es-
eriplores, que com mais orj menos razio, porm
com perfeilo direito, exerc'iam sua critica sobre
o governo, sobre a assembla. sobre a consli-
tuico, como cidados hespanhes a quem as lis
garanliam a ahsuluta liberdade de seu pensa-
mento.
E' una aleivosia insultar assim, desde as re-
gios do poder, que doven ser serenas, na Gazda
Oficial sustentada por todos os cidados, com
diatribas calumniosas, a parlidos que formam urna
grande parte do paiz.
Se nos qulxeramos usar de represalias ; se
nos procurassemos na historia sangue que arrojar
a nossos calumniadores, o coraco de Basas, mor-
dido por seus saeriQcadores ; os nomos de Can-
lorrac de San Just, as sombras dos celebres as-
sassinos da ra de Luna, bastar,un para diz;r a
partidos que leein essas negras paginas na sua
loria quanto arriscara aoquererem arrojar im-
putacoes infundadas sobre um partido que nao
preparara os seus elementos para, voz dos che- lera nenhuai remoran por um crime. cuja perpe-
es do partido, se poram em campo combatendo o iracao s encontrou um grito forte de reprovacao
governo mao armada, e aproveitaud i todos os em sua clara e inflexivel consciencia.
auxilios. Porm o certo tute fundado cm um crime,
O niovimenio fetal ser apressado se as cor- a cuja severa repressao somos os primeiros a con-
tes nao drem saiisfacao condigna as aecusacoes1 vida-lo, porque nico a que tem direito, o go-
que os depniados republicanos dirgem ao go-1 verno por deshonrar e opprimir o partido repu-
verno. Ncsse caso ser cumprida a promessa feila blicano, escreveu a circular publicada na faie/
no protesto da malora republicana de que aban- de 26 de setembro^e contra a qual prote.-ta una-
dona*i'i logo a assembla cnsluinte, poudo-se nimemente toda a minora republicana, por con-
sid-ra-la um attentado aosdirejos individuaes, que
testa do movmeiito.
t Espartero, iluque da Victoria, dirigi urna car
la ao regente manifestando a mais completa adbe-
so causa da revoiuco de setembro que elle
s\ nibolisa, e offerecendo a sua cooperarn para
sustentar em caso de necessidade a orden'i e a li-
berdade conquistadas eusta de lamanhos sacrifi-
cios.
t Eis o prcto-to da minora republicana das
corles coulr os actos-do governo c limito espe-
cialmente contra a ultima circular do ministerio
da governaeo, redgida por D. Emilio Castellar.
Os deputados republicanos que em Madrid se
encontrara, eis ao mandato imposto por seus elei-
tores de conservaren! todo o custo a ntegridade
das liberdades fundamenlaes e o respeito nos di-
reitos individuaes, conquista suprema da revoiu-
co de setembro, se apressaiu a protestar com
toda a energa do suas consciencias contra a serie
interminavel de atlentados que um governo .arbi-
trario, dictatorial, praticou, violando os arligos
irincipaes da consiiiuieo a titulo de ampara-Ios,
e desconhecendo a soberana das corles a titulo de
serv-lo e defend-la, sem deter-se nem a idea de
que inaugura urna reacQo, a cujo termo eslaria,
se o povo hespanlul nao a evilasse, a ruina de
todos os partidos lberaes a vergonha e a deshonra
da patrra.
c J qnand i nos flns do julho comecou ama
sublovaco carlista, contra a qual s se nacessita-
vara os efflcazes procedimentos da liberdade, o go-
verno que nos rege usurpou a soberana da na-
co ; desconlwcea o direitos fundamenlaes ; vio-
lou o cdigo que acabava de promulgar-se, e, sem
sombra de auloridade para -so. publico a lei de
funesta recordaco, que doslila de cada um de seus
artgos sangue liberal, como que loi o punhal ota
dido contra nos pela dynaslia dos Bmirbons.
Ento prolestamos", sim, protestamos, citando
um por um os-arligos da constit-iieao violados, o
promettendo que nodia da eontinnacao das sessoes
das corles apresentariamos em defez do direito
meditada acta de accusacSo contra unv governo
casas: de restaorar aexecravel poltica qne*o- paiz
julgava destruida para senipre com o anngo
thtDho.
A le de ahril emaprio-se o> ma manera
tal, qne veio demonstrar ao mondo eootavaqui os
aovemos mudam sem (fie mude aarbUalriedade,
as revolucoes veem em que deearreigaetr. os
seculares costumes da iseantiia. Oofm so
aio dato ministerial. Intolhws,. oojos nwties todo o pair
reoord, foram assassiotkas-nss cam pos de Ca tn-
loaba. Nao se idwtlusram suas pessoae ; nao se
WvestigoaffluRelietoi; nao se hVs permittlo nem
soquee o dirwtoxnhimo das'Siminows mais em-
eslio cima de todos os poderes.
Nos nao podemos reconhecer ao governo fa-
culdades para por sua auloridade administrativa
sobro a autordade da naci.
Nos nao podemos reconhecer a competencia
do governo para limitar a seu capricho as essen-
ciaes faculdades humanas.
Nos protestamos, pois, conlra essa circular,
que julgaraos encaminhada a destruir toda a obra
capital da revoiuco de setembro. Esse funesto do-
cumento, que parece urna verdadeira provocacao,
ousa serciar o direito de reunio e de associaco;
limitar a facnldade illimilavel de exprimir o pen-
samento human0 ; amearar de suppresso as reu-
nioes polticas ; lanc-nr fora dalegalidade todo um
partido como nos tempos mais tristes da nossa his-
toria ; por seus prefeitos e seus agentes de poli-
ca sobre a eonsltuico ; afogar as manifestacoes
publicas em que a opnio se expressa e iniciar
essa serie de escndalos, a cilios principios est a
abstenco dos tio iniqna e infamemente persegui-
dos, porm, a cojo termo nao eslo das necessa-
ros como o de 29 de setembro, e castigos lo me-
recidos como o que fundi no p um thnno de
quinze seculos.
E perqu se faz tudo sto f Porque se prohi-
ben! as manifestacoes pacificas f Porque se afoga
a palavra na garganta dos povos ? Porque se vio-
la descaradamente a inviolabilidade parlamen-
tar f Porque se snpprimem municipalidades no-
meadas pelo suffragio universal, e se snbsttuem
por municipalidades nomeadas no ministerio da
governaeo f Porque se desconheeem os direitos
individuaes ? Porque se prohibe discutir cons-
tituico ? Porque se arraneam as armas aos vo-
luntarios da liberdade ? Porque se escreve a ulti-
ma circular que coroou todos os desacertos do go-
verno 1 fi',tiac*8sari que o saibao mundo civili-
sade para que deixe esta siiuaeo reaccionaria ao
vacuo ende asflxiou a antiga dynastia. Procede-se
lo brbaramente para matar a opino publica
ao pas. mtenta-ae malar a opwio pnblioa pa-
ra faxer Mumphar urna indigna conjaracao diplo-
mtica, e traier-Bos utn-rei ectrangeiro, coiAi
qual,- se nlo ficassem hespanhes era Hospanha,
protesuriam as podras dd. nnssas immoriaes cMa-
dea, a totmtamtmnw ossos dos Jaarlyres da in-
dapandsncia que- ha remoados desde as plantees
de Yietoria at os maros de Cdiz.
republicana seria rnmplied deslas
____ por mate tempo se callasse. N5o
I
sa e desenfreada.
> O dever, pois, exige imperiosamente do noMa
palriotismo, do patriotismo de todos os hespanhes,
porque nao isto queslo de partido, que todos
juntos marchemos para o mesmo lim, que faca-
nios um esforeo supremo, e salvemos a nossa des-
venturada patria do monslro da reacen qne
ameaca devora-la.
t Catales, presta i todo o vosso afOto a Nta
junta revolucionaria conveneci-vos de que iin-
pos.vel permanecer um instante mais ao estado
de prostraeco e envilecimento cm qne nos adia-
mos luje, e as mimas todos, pois quando a patria
perlga dever de todos derramar por ella at
uloia gota de sangue. Se assim o BteraHr1, II
panha, a heroica Hcspanlia lomar a oeeapar o
posto que Ihe perlence, collocando-se freate do
todas as nacoes da Europa. CatalSes, viva a lies-
panha com honra, viva a soberana nacional, viva
a repblica democrtica federal.
O presidente, Adotpho Joaristi; Jos fhomax
y Si Ivany, Paulo Alcna, Jos Anselmo Chv, II I-
doniero Luslau.
t Reabrise no Io de outubro assernut.i
consllunte. presidente da eamara pronnnciou
um discur-o annuncando os projeclos que se de-
veo disc.itir na nova legislatura : as leis Se e -
coes municipaes, dos tribnnaes e de ordem publi-
bliej. tan difflcil de resolver, segundo se exprcsot
o presderte, deverao ser objecto das di libera)
das cortes juntamente com a queslo econmica.
O presidente falln da prisao denra denotado,
e d.i resolacio que sobre esle ponto tomara a com-
missao permanente. O Sr. Figueras disso ina* nio
.- aro deputado preso, mais flote, es Srs. lier-
rad e Serraclara, que o pruneiro nao foi preso em
flagrante, e o segando o fra quanto ia apasiguar
ns revoltosos de Barrellona.
t Accrcscenlou qne, conforme a havia dito no
prote-to dos republicanos os deputados dosse par-
tido haviam contrahido o romproraiss5) de acensar
o governo, c que para isso precisava as acias da
commissao permanente : O presidente oegnn-lhe?.
e propoz que depois da votado das eommiseOes
se elegesse a commissao que ha-de dar parecer
sobre a prisao do general Perrad. Pigneru bbm
que as immundades dos deputados haviam sido
violados pelo governo.
t O ministro do reino disse qtia alguns correli-
gionarios do Sr. Figueras haviam sido presos as
barricadas com as armas na mo c que outros es-
lo combatiendo mo armada as nstiiuicoes do
paiz. Deelarou qne o governo eslava prompt a
responder s aecnsacoes que se Ihe dirigis-em, o
que bom que se saiia que os partidos republica-
nos destrulram as linhas frreas c pontos de gran-
de valor, e as linhas telegraphicas e que sao diri-
gidos un- deputados republicanos.
t Diz a correspondencia Havas que o partido
da nnio liberal resolver dirigir ao governo as
cortes as seguintes perguntas:
t 1.* Se o candidato apresentado polo governo
nbtiver os votos da inaioi ia da unio liberal, ser
inmediatamente recOBfcecido ?
t t." Tem n governo a certeza de que esse can-
didato aeceitar, e nao se estar axnosto a nma
allronia como a que recebeu de D. Fernando de
Portugal ?
t 3." Sendo o duque de Genova eleito, vira
(inmediatamente, e voir-se-h5o logo as leis org-
nicas
4." Ser declarado maior ou tera urna re-
gencia?
t 5." No caso de regencia ser ella de urna, tres
ou cinco ppssoas equera se propor s corles para
faier parte della.
6.* Ter a regencia todas as altribuicoes da
realeza, ou ser como actualmente?
< A importante posicao deste partido faz roccar
pelos resultados da vofacao do candidato cora.
1 Tem sido muito bem receida, em Portugal e
por toda a imprensa europea* caria de el-rei D.
Luiz de Portugal, desmentido o boato de tor en-
trado em cotabnaecs que tivessem por Orna sua
el rao ao thmno de Hespanha.
Este periodo da sua tarta, foi de mgico ef-
feito:
Se aPreriJjeneia tem reservado das de dotorosa
provaoao >minha patria, espero connado ao amor
do paiz e na allianc sincera da liberdade resistir
a arana umem*is eventualidades.
de-lioara ao lado da asean, lei-ae |
sa?
aem pede considerar lefitiraa aaaatwta deveres que o amor das inmittii.
"-iqoe setonjR no stasaaio da abassio patria me madera. Katei
easa-
as-rataas dos diaeltos BSdiridaaes. Sea pri-
?mpulo toi esorevar este proteste entra a I cb-----------------------------
H^risabr. da trotea da aefernscaa e | goado, ^ud es **> um* *"*
giMzanero nam
!


de Pernambuco y- Quarla feira 27 de Outubro de 1869.
*
amo, mas que o nerigo itn
recordara r I"1'1'1* ""p,
pruna pezarde hrillianle>-victoria de
Langiil*,'<> venerando rei Jorge V, se vio ex-
,>ttri^^^Ht; throno, o.o povo hanpvorjanno leve
a tarta HSr parto da monorchia prusiana !
" JfTWrffi declara qrfe o governd froneez 6 ex-
iranho as eomb'macoes em que falla o rei de Por-
tugal, o declara qu o governo.trance* persiste na-
politica' de nao mtervoncao qoe at hoje tein so-
cuido. .
A poca diz qoe apezar dos despachos do lis-
boa as correspondencias dirigidas do Madrid as
provincias ainrmam que a candidatura do-el-re
1). Luiz ser urna das apretinadas cm prneiro
Trn jornal portuguez depois de exudar a ques-
tao, dando mais importancia ao telegramma que
dixia ter-se concordado em urna candidatura que
hada de ter contra si a imprenta da pennsula.
do que carta forjada pela agencia Fabra, diz
que o que ha de verdado relativamente a planos
ibricos o seguintc: .
t Prim e Olozaga tiveram cm Pars urna confe-
rencia com o duque do Saldanha. Aquellos deca-
-Taram que nao era possivel ontro candidato a
croa de Hespanha seno el-rc D. Fernando, asso-
urando que a Franca, llalla o Inglaterra appro-
vavain esla eombioacao. o quo elles traballiariam
para que s cortes a votassem o o escroto suslon-
taase a votaco. Consta que o duque de Saldanha
participen isto mesmo para Portugal, o consta quo
el-rci D. Fernando nobremente recusou; sua ma-
gostado quer ser nicamente porluguez.
< Houve em Paris urna reuniao dos centro car-
lisias que recoberam aviso de urna das juntas car-
listas de Hespanha, e dos miguelistas para prapn-
rem a candiilatura de D. Miguel, em lugar da do
a Carlos ; e que a bandeira peninsular tera tocio
u apoio do Cabrera.
A Naco nega terminantomente un telegram-
raa da agencia Fabra, dizendo que a mugue
cedan no amor di patria c o zeto pela sua Mdc-
wfHCltHCttl. *
Os progresistas estao de accordo sobre a cari-
dtdatura do duque do Genova; os accionista ama
na ebegaram a accoido algum ; os demcrata;.
eombati-m-na. ... A r ,,-.
A Patrie diz que a familia do duque de Geno-
va responder as novas propostas do governo lies
panliol que o principe s tccelara a cora, no.ca-
soda votaeo das curtes reunir a seu favor as duas
tercas partes dos votos.
Vaase generalisando a idea entre mullos de-
piiUdos. que antes da eleicao do munarenae ini-
prescindivel consolidar a ordem no paz para evi ar
ao novo rei as dificuldades que do principio Ihe
possam snscitar o esla lo actual de erises e a hos-
tiltdade de determinados partido* Esta e tamben
. visitar i
O parla*
11 de aainbro
lemnidp
A Prussia qu
mil contosde
Una.
:no devia
ou assislir
abrir- >o a
PEMAffiBUCO.
um emprcstiiup i.e
meeda.

Entrn ui nwa>p*
ate
a opiniao dos republicanos nao so porque
r.im .|ti tamboin doipjain a ordpUL mas porque
assim se dilata mais a constituidlo d.i uwnarcnia,
D.z a poca quo toda a candidatura do prin-
cipo italianos mi nglozc desopparecem e u go-
verno trata do converlrr o accidental em normal,
prolongando o periodo da regencia; que a wagein
do presidente do eonsellio, general i'nm. a 1 .iris
foi uma grande o quaso definitiva derrotada cau-
sa laonarclca em Hespanha, c accrescenta picos
republicanos estao agora como desejain, o pongo
que julgavam imineJiato est boje to remoto ou
mais que nunca ; que nao lia candidato ao ttarono,
nt-m desejos de o procurar; que mostraran! p me i
juizo os republicanos, se, tendo emsua mao o sem
cstarco o possam lograr continuando suas procis-
soes e sua propaganda as corte?, na imprensa o
uis clubs quizereo confiar o son provir a una
batalha; que por outra parle seria oecessario que
o general Prn obrasse sem plano nem reflexao,
ou que conftassse dcinnsiadameuto na sua estrella
para que tasador hoje una batalha aos r publ-
canos con) quem o capricho da sorto ou a torca
ilos acnntociinentos o podisrao unir amanha.
Diz-so que o general Serrano insiste no pro-
posito de se retirar vida privada lugo que for
eleitj o monarcha.
t A impronsa liberal do Madrid abri uma sus-
crpcao para a famUia do secretario do governo
de Tarragona. .....
t Os republicanos regulan a responsabilidad!!
d.uj'ielle assa-inito.
A' este resumo accrescentamos as sogumtcs
noticias, que colhemos n'uma segunda revista dos
jomaos que recebemos :
ESTADOS-UNIDOS.
*ls ib'spachos dos Estados-Unidos sao mais li-
nanceiros do que polilicos. O premio sobre o.on
ro esievc nestes ltimos dous anuos de 131 a 13o
por canto ; mas no da 2i de setembro cm c ise
quencia de manobras de especuladores o miro
sabia rpidamente a 163, mas o ministro das fl-
naneas Bou(\vell, que por uma Ici rcenle, esla
autonsaJo a on-ervar a actual laxa do papel
federal, laucando ao mercado o onro que as alfan-
def as prodoze n, Teudeu cerca de 13 coatoe de
numerario e comprou 13 milhoes de ftourfs, em
obrigacao do estado (115 por ceuto).
O mercado voliou logo laxa ordinaria, ao IJ-'
com piuca difhrenea. As outras coavencoos re-
publicanas da nia voiaram de accordo con o
general Grant, ene-gicas resolucoes a favor do
pagamento em ouro da divida nacional, e da ue-
i'e.ssidadede'maiiterassim o crdito publico.
O governo americano nao insiste nos seus offe-
recimentos de mediacao entre a Hespanha e o in-
surgentes de Cuba, a nao ser que a Hespanha nao
aceite ou proponha novas bases de negociacoes.
O governo do Washington tcncionava propor a
Hespanha que conceda ilha de Cuba uma auto-
noma seminante a do Canad, isto que se con-
fiasse aos cubanos o governo da ilha, sendo nica-
mente da incumbencia da metr*pole a nomeacao
do capito general e dos altos empregados do
excrcilo c da armada.
Parjcc, porat, que emquanto os insurgentes
nao tiverem deporto as armas, o governo hesp.v
nh-il na < est inclinado a fazer concessoes algu-
m.s, piis nem asna dignidadeih'o permitte, nem
aquellas terian bom resultado.
Formou-se em Madrid um centro de accao para
se entender com os chefes da insurreiil-ao cubana
a propjr um meto conciliatorio para dar im a
lucta de Cuba sem preju>so do ninguem.
Publicou-se na G;i:ea de Madrid, um decre-
to estabelecendo a liberdade religiosa as Anti-
Ihas hespanholas.
As ultimas noticias de Haity confirmam a
noticia de Salnavc ter sido mortalmente ferido
por occasio do ataque que houve em Cayos.
FRANCA-
A impjratriz Eugenia partiu no dia 2 de utu-
bro para Veneza donde so de ve dirigir a Consian-
tinopla e a Suez.
Na fronteira italiana ha de ser recebida pelo re
Victor Emmanuel, quo a acompanhar durante a
sua permanencia na Italia.
O imperador Napoleo va i passar o invern a
ISice por conselho dos med'cos.
O principe de La Tour d'Auvergne, ministro dos
negocios esirangeiros em Franca, dirigi uma
circular aos agentes diplomticos franceses,^ com-
municando-lhes a decisao do governo .lo nao en-
viar representantes ao concilio de Roma.
Attribue-se nomeacao do general Fleury para
embaucador francez na Russia uma grande sigm-
tcacao poltica. Uns qaerein ver nesla nomea-
c5o um accordo completo entre a Russiae a Fran-
ca na questao alleinaa e accrescentam que o im-
perador com esus duas alliancas certas, Austria e
Russia obrigar a Prussia a sujeilar-se as obri-
gaces do tratado de Praga.
Segundo a opiniao do ministro da guerra, de-
- e ser licenciada a gendarmaria da guarda.
Tero causado profunda sensaco cm Paris o
brbaro e mysterioso assassinato de uma familia
completa emum lugar nos arrabaldes de Paris.
A polica prosegue as indagaedes. Alm do
cadver da me (de 32 annos de idade) e de cin-
co creancas menores, enconlrou-se um cadver
que se suppoe ser o do pai. Falla o fllho ma.s
velho, a quera ao principio se attribaia e mais ao
pai o brbaro assassinato.
AU.EUANHA.
Produziu grande sensacio o discurso pronun-
ciado pelo grao-duque de Badn que depois de
azer a apologa da confederacao nortc-allemaa,
manifestou a esperanca do que o grao-ducado de
Badea forme parte da dita confederacao e confia
em que uo haver necessidade de empregar a
forca armada, mas recouhece que odispensa-
val sustenta-la.
O Conttitucionel oceupando-se deste assurapto
diz que a Franca respeita a soberana nacional, e
os actos lllltos da espontanea vontade dos povos,
mas que nao est confornae cora organi^acSes pro-
duzidas por uma agtacao ficticia. O Gaulois diz
que a annexacao do grao-ducado de Badea seria
considerado como catut belli.
A Patrie dcmente a e>isieaei de ama nota
do governo fran>rez ctmtra a annexacao de Badeu.
A Correspondencia daMlemanha do Norte, diz
uae a entrada do gr-ducado de Badea na con-
federacao oorte ailcrna ios indetenidamente ad-
0 principe herdeiro do Gri-dacado dewedio-se
do ro e d rainha cu Pnusia, para se dirigir a
!TE.
j^ppcmleucia ture)
eolio em i
car as exigencias e mnstra-so ivsolvi.1
nar varias das con.licaJes f innuladas
nota do gtao-vizir, e principaluMle a quaa
fere a questao fmanecira. ,
Os emprestimos e ohriga?oes contraliiuas
hoje pMo viro-rei nao sarao deMeitas, e os mtjll-
ses de tereciro nao erooffendidos; mas de rom
ro os orcaraeutoi do Egypto os projectos cm
prestmo e oul--flk do mesmo genero serao sub-
mettidos ao exame da Turqua, na^ao suzerana.
Tem-se por cerio quu j pendencia cara termi-
nada e rcsuibelecida as boas relai-ocs colrp a rns-
sia o o Egypto. -
Tuaram-se. as barrelras dos Lagos-am:.rgo>,
e o vapor Lesneps percorreu directamente o canal
desde Porto Sald ate Suoz em 15 horas.
A Turqua csu fazendo um acampamento ue
20,000 horaens om Scbumla; cr-se que Turqua
quer conservar a ltouminia era rcspcito so se
manifestar um conflicto no occi lente da buropa.
O priucipo Carlos de oumania e esperado em
Paris, c pergunlou se o gabinete frjncex estar
disposto atrata-lo como ao viccre Eg*rpU>,
que foi apresentado em todas as recepcoes offietes
pelo ombaixadr ottomano. O governo franeet
responden qoe sabia dcsiinguir o principe do mcc-
roi, quo o principo Carlos fOra eleito pjla nacao
rouniana; e que a sua successao eslava segura
por tratados interoaeionaes, aa passo que o vi.c-
rei do Egvpto devia o seu lailo e a sua successao
a um llrm'an revogavel, pnssadopelo suliao.
E' pois certo que o principe Carlos scraroccDi-
do em Paris-orno soberano.
Estn se fazendo preparativos em Varsoria
para a recopcao u>czar da Prussia, que chegara
i quella cidadono dia 10 docorrente p.z-fque
dar urna amnista para varios seus polticos e que
serao adaptadas algumas reformas na sentido fa-
voravel Polonia.
P.1R1C.\I>
Nosso correspondeate de Lisboa escreve-
uos em 9 do crrante : .
Foram no dia 30 de setembro polas II horas
da manhaa as exmatas solemnes eras, vwenii
de Fra pelo fallecido palriarcha db Lisboa P. ->ia-
noel Rento Rodrigues. __.
Asisti cl-re D. Luiz, o corpo diplomtico, a
corte, a clerezia da capital, ofliciaes generaos, e
grande numero de cidados.
A tropa da guarnico de Lisboa, formn em
parada e polas 3 horas, quando o fcrrtro w;
do entravTnojazigo do patnarchas lisbonen-es,
deu as doscargas do eslvlo. Numero considera-
ve I de pessoas de todas as jerarchias, e ara la das
de mais humilde condfccao tinhura do visitar a c-
mara ardenle o^orpo do tallecido prelado, que
all se ochava exn8l0, a veneraeo do pov.. Para
mais de 13,003 pessoas lizeram aquella devota ro-
maria. .
Foi eleito pelo cabido, sobre insinuacao do
governo conego Dr. rnerico do; Santos Silva
para goventar o italriarchado at que a s metro-
politana tetina novo prelado.
O digno conego irraSo dos Srs. Sanio?, si-
cios da respeitavet casa bancaria desta prac toa-
seca, Santos e Vianna. ... A
0 ministro dos negocios ^eclesisticos e de
justca, (o Sr. Jos Luciano do Castro) apiweiiou
c bem, a occasio para reduzir a verba com que
se remunerava animalmente o palriarcha do_ Lis-
boa, bem coma fez nutras rodneedes quanio aos
ootros bispos, o que todos sojutiieain no luminoso
relatoro que precedo o decreto com forjado lei_u.-
timamonte promulgado, o que s comer a vigo-
rar do Io de Janeiro de 1870.
t Os ordenados passam a ser os scguinles:I a-
triarchas 6:000. arcebisnoa 3:000.3, bispos......
i:'M5, presidentes dos bem das mitras sera de-
dtizido na dnlacp dos prelados, devendo e^tes re-
ceber pelo thosouro somonte a differenca, piando
haj, entre esse reudimento e a congrua hxada
r C.ntinua a dizer-so que ao Sr. D. loio Chri-
sosiomo d'Amorun Pessoa actual arcebisoo de
Goa o Primaz do Oriente, foi offerecida a mitra
patriarchal. Tambera se tallo* em quo o governo
I se entendera com a Santa S para que a archi-
dioceso.i. Lisboa tivo^se areebtspo e alo palri-
archa como ante de el rot D. Joo V, mas pelo
decreto snpractado, lixando as congruas epiSCO-
paee, v-se que em I d se nao nonsou muito se-
riamente.
Em ordem do oxercto, das man recentes ro
publicado um decreto amnistiando es implicados
as tentativas de inoliui e BUblevacao militar U i-
tos na noute de G para 7 de maio do crrente an-
Se por uma parle bom que os rigores
no. t>o por urna pane e uom que u '*}.'
nao sejam s p.ra us pequeos e dosprotegidos,
por nutra preciso nao confundir a iudole das
amnistas, nem haralliar actos de insubordinado,
com efforvescencia politice, Bom foi porem que
sahisse o decreto de amnista, pois a provena a
pequeos e humilles qui por ventura foram mal
aconselluulos por quera devia ser-lhes o exemplo
0 Diario Popular de honlcm pubhcou urna
caria do marques de Niza, sobre a celebre carta
que a Correspondencia de Hespanha inserir so-
bre phantasiadas combinaces ibrica*, e que o
Sr. D. Luiz I aliudia na sua caria ao duque de
Loul, publicada no Diario do governo c repro-
duzca por toda a imprensa nacional e estrange'i-
ra. Pela mala do Navarre Ibes de conhecimento
textual da calla d*el-rei e da outra da (.'ores-
1>ondencia.
a Eis a do mar juez de Niza, um dos nomos
que se invocavam na tal caria, visivolmente for-
jada por algura personagera hespanhol para que
estas declararles porluguezas apparccessem e
servssera indiroclamente a intriga que traba da-
do origen a toda essa fbula:
Madrid, 1 de oulubro de 1869Sr. redactor.
Na sua Mha de 23 do correte, empraza-me v.
cora quanto saja nos termos mais delicados e cor-
tezes, para que diga alguma cousa em retaca i
iraaginosa carta de Paris, era que o meu noine
ligura, e que foi transcripta pela Corresp n ten-
d e mais algumas folhas hespanholas.
c Part do Lisboa faz hojo um mez, c constan-
temente teulio estado oceupado cora negocios de
mleresscs completamente estranhos a pol lica.
c Passando por Paris, ti ve a honra de ser con-
vidado pelo dislincto emhauador de Hesp.nha ao
jantar com que S. Exc. quiz festejar a presenca,
n'aquella cidade, do presidente do conselho o do
ministro dos negocios esirangeiros do seu paiz.
Foi osla a nica reuniao a quo assisti.
t Nao ostive em Vichy. Nao me associei a com-
binaco alguraa, tendente a offerecer a cora de
Hespan a a el-rei o Sr. D. Luiz.
o Nao tenho nem o mais leve conhecimento de
sementantes deligencias. Creio mesrao poder asse-
verar que depois da negativa d'el-rei o Sr. D.
Fernando lo tornaro os homens immraentes
que estao frente do governo hespanhol a fazer
tentativa alguma para chamar ao throno do sea
paz oenltum principe da casa de Braganca.
As palavras francas e amigaveis que o ma-
rechai Prim ten por varas vezes pronunciado,
em referencia nacao portugueza, os votos quo
pelas suas venturas tem sempre feito, dovetn ser
para nos segura garanta de que o Ilustro geneJ
ral nao quena levantar um conflicto entre sis
dous povos da Pennsula, pondo em perigo a na
prosperidado, que s poder medrar ao abrigo
da paz, da liberdade e da tolerancia. Dcveraos
corresponder confiando nobremente na sua leal-
dade.
t V. fez-me justica contando com a rectido
do mea procediraento, nem por isso devo deixar
de Iho derigir os meus mais sinceros agradec-
mentos.
'a Peco a publicacao deslas liabas e sou de V.
etc.Mrquez de Niza,
Est resolvida, segundo se afllrma, a emis-
so do emprestimo. J era tempo.
> Foi apresenlada ao gaverno portuguez uma
proposta do Sr. Gruiz para a adjudicacao de car
reiras a vapor de frica, Acores e Algarves.
t No dia 29 de setembro, uos edificios da bol
sa e do consulado brasilero, no Porto, estiveram
cadas as bandeiras portugueza e brasilera, era
signal de regosijo pelas excellentes noticias via-
das recentemente acerca da guerra no Brasil.
. t Acna-se em Lisboa o dislincto lente substi-
tuto da faculdade de direilo era Pernambuco, o
Sr. Dr. Me Jos Pinto Jnior, que veio icompa-
nbar sen pal, o Sr. Dr. em medicina Joio Jos
Pinto. Este respeitavei ancio veio a Europa
protfttrar alivio a amigos padecimenloe de que se
acha*depois de operado em Lisboa, muio mais
restabeleeido. Regressam estas eavalbair** a Per
nambnco, a 13 pelo Douro. A affabi'Jade do
sea tracto, a variedade, a profndela dos neos co-
e a franqueza do sea earac er tor-
preciavel a conviveaciu bom o
qae tue aqoi a fortuw, 44 co-
EEVISTA DIAUMA.
CAPTURA.Pelo delegado de polica do termo
do Bonito, l'oi capturado o crimiduo Qiintliano
Je Mello, conheeidg p ir ioaqqn .1-: Ca njW<
Belcbior, que 0 afl 1 a Manoet d ;
tal, no 1 ti t.almva resid.nl)
ha algum lempo.
IN'STlTro A!b' 11Vmiu'ia ron,
nc-seosse corp b 1 sessa'i ordina-
ria.
GABINETE P.')\T D.minio prximo
vindouro lora lugar a fasta annivecsaria da instaf-
lacao do Gabinete PoTluguoz de Lilura cesta ci-
dade, tendo l:.ir na m 'smi da um 7V-D*a, na
matriz desta fregu/, a do Santo \ntoii-, era com-
memoracao d natalicio de S. M. F. o Sr. D.
Luiz 1. .
EXPEDIENTE ENCERRADO.*-De hoje at o
dia 4 de novembro prximo inclusivaiiienie oacer-
ra-so o expediente do Gabinete Portuguez, cuj^s
salos tem de ser decorado para cnebracao da
solemnidade do 18* anniversario.
ESTRADA DO CEMITfSKIO.O ejtadode gran
de damnlicacao era que se acto esta parto di
vanlo publica, reclamara prompta o completa
providenca, mesmo por que tal intrasilabilidade
coraecaudo da propra roa do Hospicio, vai as
portas qaasi daqueila necropole.
E' necessario enearecor a no&ssi'tade da pro-
videncia para que instamos, visto oslar ella vis-
ta o experiencia d) grande ao pequino, da pri-
ineira ultima a aulorldado, uma vez quepoucos le-
ro deixido de passar pela hora iououiiujda de
uma viagom ao coraiterio, quer soja ella a p,
quer a carro.
Uom olTeito, si da primeira fc'n-.na o trajelo
fatigante pola areia; da segn la ojta'o monos
pelos solavancos, qacfas cxcavaoes proJuzom
com estrago desses venicnlos ; os quacs sendo
sujeitos imposcois. temos respcotvos donos
direito a dar-se-lhes tramito l'.icit.
Chamamos, pois, as vistas providentes das au-
toridades para o estado dessa parte da viacao pu-
blica, e contamos que se n) negligoaciar a me-
dida que o caso exige.
DINIIEIRO.O Cruzeiro do Sal levou ante-hon-
teni as seguimos ipianlias :
Para a Parahyba 9i: 100*000
, o Rio Grande 76:000*000
, oCear 15:400*0 W
o MaranhSo tl:54O000
, o Para 14:1003000
JUIZ DO COM.MERCIO. O Sr. Dr. Trislao de
Alencar Araripeentrou em exercicio da vara espe-
cial do coramercio dcst capital.
COIIPAXHIADOBEBIRIBE.Assentou a direc-
tora dossa eompanhia, quo o pagamiito das peli-
llos d'agua seja d'ora em diante ralisado pelos
concesionarios por trimestre, fazsn 3o-se effectuar
a cobranca dentro dos 30 dias do 2o trimestre,
co: suspensfio lo f^rnecimento d'agaa. qaelles
qae nao camprirom essa exigencia.
SXTUPLO ASSASSINATO.-Sendo de palpi-
pante iul-res.se a narraco da gran le peripecia,
passada em Panlin, prximo de Paris, no tira do
mez do setembro ultimo ; e avahando o desejo pu-
blico pela leilara de todas as cireurast mcias que
precederam e cerenram o enme ; interro;ii|ienos a
publicacao dos trabalhos da cmara dos deputa-
dis, aflin do dar em oossa 8' pagina ludo quanto
encontramos nos jornaes sobre o fado. Dando
comeco em nt>sso numero de boje, chamamos
paraahraatfenco dos leltores.
FACULDADE DE DiltEITO.Fizoram acto no
dia 26 do corrente :
1 anuo.
Ifaooel Pessoa de Siqnoira Campos, plenaniele.
Francisco Barbos Aranha da Franca, idera.
Luiz Demetrio Dias Simdes, idea.
Bnas de ArroxeHas Galvio, dem.
Augusto Emilio da Fonccca Galva, Sem.
Gentil Augu-to do Moraes Bitteacourt, idom.
2HA '.
Feliciano Ensebio Das dos .'raz-res, plenamente.
tfartinho Cesar da silveira Garcez, idera.
Seineo de Faro Mendonca, dem.
Elv lio Clemenlno de Aguiar, dem.
Goncalo Vieira de, Mello, idera.
Jos Leandro Damas do Alraeida. dem.
Sergio Hvgiuo Dias dos San >s, i 1-m.
Adolpho Teroira de Burgos Poncc de\l.eoe, iddra
,' .'; 'linio.
Raymundo Mendos Martins, plcnameale.
AlminiO Alvares ATonso, den.
Joaqun Lopes do Alcntara Bilhar, idera.
Placido de Pmho Pessoa, dem.
4- anuo.
Primitivo de Miranda Soasa Gomes, plenamente
Antonio Sabino do Monte, dem.
Jos Mariano Carneiro da Cunha, idein.
Candido Vieira Chaves, idem.
Cimillo Gorreia Dantas, idem.
5o mino.
Candido Valeriano da Silva Freir, plenamente,
arolino de Luna Santos, dem.
Cornelio Fiirreira Franca Filho idem.
CLUB RADICAL.-Hoje s 6 horas da tarde ha-
ver sesso ordinaria do Club Radical, no lugar
do coslume.
BILHETES OFFERECID03. Numeracao do-
bilhetes da lotera 124* offerecidos pelo thesoureiro
das loteras para auxilio das espezas da guerra
Bilhetes ns. 41 a 2150.
Producto dos bilhetes oiTerccidos at hoje......
7:7703200.
LOTERA.A qae se acha venda, e a 125* a
beneficio da igrreja de Nossa Senhora da Sole-
dade do Reeife qoe corre no da 4.
PASSAGEIROS.O vapor inglez Doro condu-
zio pura os portos do sul os seauintes :
M. J. Goncalves. B. A. de Carvalho, E. L. de
\raujo Pilho, E. Tanlozzi, C. Fantozzi, A. Felippe,
G. M. de C. Lima, J. E. Pate.
Sabidos no hiate Sobralense para o norle :
A. G. da Silva o J. B. dos Santos.
dem do patacho iV. S. Joaqun Rodrigues F.,e C. B. do Menezes.
Entrados no vapor inglez Amazon vindo da
Europa :
A. Ozonne. "
Seguem no vapor Cruzeiro do Svl, para o
norte :
Joo Jos B. de Magalhaes, Geraldo Thom, Pe-
dro Moraes de Santiago, Raymundo Pereira Cas-
tello Branco, fre Fortuoso da Soledade, Gustavo
T. A. Bibeiro, Antonio S Pexoto, Jos P. dos
Santos, soldado reformado Antonio F. P. de No-
ronba, senador Frederco'de Almeida e Albuquer
que o um criado, Dr. Otavianno Cabra I Raposo
aa Cunara eum criado, Commeny Leous Victor,
FrancscoAffonso Ferreira.
CEMITERIO PUBLICO.Obtnano do da 25 do
corrente.
Antonio da Silva Brrelo, Goyanna, 18 annos,
solteiro, Santo Antonio ; dethimenterite.
. Atina Thereza Mauricia Campello-,~Pernambaco,
84 annos, solteira, Boa-Vista; apapleaia.
Maooel, Pernambuco, 4 meses, S. Jos; copvul:
soes.
Joo, Pernambuco, 20 mezes, Santo Autonio ;
inflamacao.
ydos, Pentambuco, 2 mezes, Sanio Antonio;
fdencao.
Bonifacia, frica, 7o annos, solteira, Boa-Vista;
retonco de urina. 1
Mana, Pernambuco, 1 mez e meio, S. Jos;
espasmo.
ter>rctes do eomnercio d;sta pra^a-pora alo o
nlti.ni dia dj orreute mu. aofesentarem o co-
nheeimento de terem pag> o i.npista de proi
Foram distribuidos aos taJoi 03 s-
------_
=3F*
guintes livr. Diario e CipiaJJr de Bezerra A >-
nira, idom idera do Franciscsifiracilves Bastos e
S, Diario de Joaqun Gerardo de Bistos, Diario
o Copiador de Joaquim d Silva Bia-Vista.
DESPAcnes.
Rotoerimcnto Jo Mtnoel Jequira Ramos e Sil-
va e Antonio Lopes Ridrigues, pidiftdo o registro
ial qi: juntan.Vista ao Sr. de-
serabafgador fiscal.
Do Pedro da Silva Nava & C, paliad' o regis-
tro do seu contrato, social, bem cora o da procu-
raco bastante que rtefam a Joaqun J.x Gon
calves Belttiaut irisan loo a re pierer dito re-
gistro.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De Diogo Jos da Silva, commer-iairo mitncu-
lado o ostabelecilo na praca do Cear, apresen-
lando para ser registrada a nonmeo d: seu cai-
Xero fgaio Fortuna Possoa.llogistrc-so.
Da Francisco Gomes de Olivcira, apresaatan 11
o conhecimento do ter pazo o imposto annuo de
seu olllcio de agente d leudes. Registre-so.
De Manoel Modesto de Moraes, ostabelocido com
taberna no pateo da Paz, freguezia dos Afogados,
subraottendo registro a nomeacao do seu caixei-
ro Joio Baptista de Moraes.Registres;
De Jeaqnim Dias dos Santos & C, subraottendo
tambera a registro a do seu caixeiro Luiz Carlos
Brando.Hegistre-se.
De Joaqun Gerardo de Bastos, ciJadao pirta-
guez, de irinta annos de idode, di.miciliado nesta
eidado c estabelecido ra do Vigirio o. 16 era
commercio de ommissSes c cooto propria, pe lin-
do ser admittido matricula.Assgnaram o re-
querimento, co.ijuntainente com o peticionario,
Jo- da Silva Lofo, h.-nio do Livramento e har)
do Campo -Verde.Vista ao Sr. desembargador
fiscal,
coa inf.)iim\c\o no sn. D>:sGMn\na.\noB FISCAL.
De Bezerra & Moreira, contrato do socieJade.
Registrse.
De Antonio Jos de Meira o Silva i C, coalra-
D tambim de sociodale. Regstro-se.
Di Companhu Rccife, Drainoge/lmiled, regis-
tro de seus estatutos e da escriptura o outo de
sua incorparacao.Satisfaga o parecer fiscal.
Do barao do Livramento, Antonio Luiz dos Sm
los o o Dr. Jos Bernardo Galvio Alcoforado, re
gistro tambera dos estatutos d 1 C impanhia Brasi-
lian Street Ralway Comoany limite.Satisfac un
o parecer fiscal.
Da Companhia Liverpool and LonJon Globo I11-
surrance, igual registro.Satisfaga o parecer
fiscal.
Do Ivo Antonio de Andrade Luna & Sobrinho,
contrato social.Registre-se.
Do Jos da Silva Loureiro Jnior (adiad das
sessoes prximas passados) pedido de matricula.
Como requer.
Autos de rehabilltacao de Joaquim Jos da Cos-
ta Faj.izos Jnior o Jos Laurentino de Azcvedo.
(Foi denegada a rehabitacao impetrada, sendo
vencidos os Srs. Rosa o Basto.)
Nada mais havendo despachar, o Exm. Sr.
presidente encerrou a sesso as 11 horas e meia
da manha.
Corrigendo.
E' do Antonio Jos de Meira e Silva & C, c nao
Antonio Jos do Muraos e Silva & C, como se
disse na acta da sesso prxima passada, o re-
querimento em que so pede o registro do contrato
social do dita firma.
iho CoaeelcXo, quando s? effectuou o c<
011 le foi prese dios depois, rocolhido a-caileta e
posto a dispsico do delegado. ...
Assini se ilou o o e o Jo.
acto n Irotive a menor intancSb d molestar o
capilao Ignacio; ne.11 to poueo ex3tein-preven1
goes contra o a ihor, orno quer inculcar
o J. O capillo ChrJala.'iiM [iiviurieL^u limuro-
phe do rafJi'lNgo.i 1- firoprie lados
estao demarcadas, e entre elles nao ha, e 11.10-a
houve a menor contestagao, antes pelo contrario
o capital Christovo se fcresta sempre com milito
gosto ao bou que delle pl' preciar o seu vi-
sinho; e tant elles vivem na mais porfe'ila ntel-
ligencia, que al se combinara nos actos polica,
como se ter da caria aboxo transcripta.
Basta a simplos letara desta carta para so com-
preiondar, que os daos visinhos vivera em com-
pleta armona, e se attontonms p_ira os mutuos
protestos de estima e sincera affeico que elles se
fazo n, cora oa tenho por vezes ouvilo de a ubis,
enio pode-sc asse'vcrar que s at muito ligados.
O J s aventaron uma protsica) exacta, o
quo o capilo Ignacio moroco a estima goral da
imaiorca ; todos Iho tributan respailo pela puresa
do seus Costamos e a mais nihre elevag do ca-
rcter ; cora o seu espirito justicciro eu o tenho
ouvdo por rauitas vezo fazer repetidos loivores
ao seu prente Cliristovio, apreciando devidameu-
te as qualiJales quo alomara o seu bell1* ca-
rcter.
Nen ao capilo Ignacio ceg o espirito do par-
tido, era o capilo Chrstovo dexa de resucitar
suas ideas, nao aproveito, pois, a ntriguinha do J,
e nem ha o menor obstculo para marchare.11 de
accordo, e bora sig un ideas oopasus; e de mais
o partido conservador abraca 1:1 estreitaraoule1*1
capito Ignacio, c 1.1 i se elle I >sso j nosso alba
do, tai certa est q E, portanto, sendo ambos altamente considerados
pelo partido ooosorvador o i > ciitrelacado*, nao
do mircliar junios, emora collocads, u 1 ao
lado es |uer I >, outro ao lado direito, do caminlio
que seguem.
Nao dexarei passar desapeivebida outra aecu-
saijo anda menos fuala, foila ao uosso mu
digno e respeitavei amigo.
Usando alguns moradores do districto ue sua
freguezia do armas dcl'ezas, elle os jn.mdpn ad-
vertir por seus inspectores, afn de nao continua-
lem seraelliantes abusos; c sendo toes adnoesta-
coes desatendidas em menospreso a autoridad,- e
cora nfracga da tai, foram toma tas aseas armas,
cumprindo-se nisso mesrao uma ordem do cliefe
de polica.
Nessa pane sao ainda mais inlelizes os accmi-
dores do nassi esforcado amigo j Sr. capitao
Christovio de II >!I inda Civalc.iu'.i.
Fique, pois, ceno o J e as vosea que repetem
seus embustes, qoe .nao provalecerao contra o
meu amigo infundaJas aecusaces; e que com o
seu silencio jamis ser) smcoionadas pela opi-
niao publica.
Joab.
o tornar-se
do di re 1
: modelo
reir c desatinos
virara tal
a-sm sp
saliendo
9* o com-
SESSO JUDICIAIA EM 23 DE OUTBftO DE
18G9.
r-WiSIDENCIA DO EXM. SO. OESEMU\UGADOn A. F. PK
RETTI.
Secretario, Julio Guimardes.
Ao meio da declarou-se aborta a sesso, estando
reunidos os Srs. desembargadores Silva Guima-
res, Res e Silva, deputados Rosa, Basto, Miranda
Leal, baro de Cruangy e supplente Candido Al-
coforado, fallando com participago do doeule o
Sr. Acciol.
Lida, foi approvada a acta da sesso anterior.
O escrivao Albuquerquo rogislrou o ultimo pro-
testo de letra a 22 do corrente sob o n. 1870; e o
escrivao Alvos de Brito a 19 do mesrao mez sob o
n. 1833.
ACORDAOS ASSIGNADOS.
Embargante Jos Alvos de Fario, embargado
Jos Pereira de Araujo ; embargante a jnnta ad-
ministrativa da Santa Casa de Misericordia da ci-
dade do Recita, erabargato Antonio Martins do
Carvalho Azevedo.
JULGAMRNTOS.
Juizo especial do cemraercio : embargantes ap-
peliantes autores Guimares A Oliwira cm liqui-
dacao, embargado appellado reo o liquidatario da
Caixa Filial do Banco do Brasil ne-ta cidade;
juizes os Srs. Silva Guimares, Res o Silva, Mi-
randa Leal e Candido AlcoforadoForam recebi-
dos os embargos seudo voto voucido o Sr. Mi-
randa Leal.
Juizo municipal e do commercio da villa* da
Barbalha provincia do Cear: appellante reo Co-
sario Deodalo de Pontes Franco, appellado autor
Salustiano Ludano de Pontes; juizes os Srs. Silva
Guimares, Res e Silva, haro de Cruangy e Mi-
randa Leal.Foi confirmada em parto a sentenga
appellado e em parle reformada.
Juizo especial do commercio : embargante ap-
pellado autor Mano-I Montero da Cunha, embar-
gados appellantes reos Antonio Lourcngo Texeira
Marques e outro; juizes os Srs. Silva Guimares,
Reis e Silva, Rosa e Miranda Leal.Foram despre-
sados os embargos com o voto do Exm. Sr. presi-
dente, sendo votos vcmidos os Srs, Reis e Silva e
Miranda Leal.
Embargante Benjamn Tuckens, embargado Au-
gusto Colho Loite.
Adiado a pedido, de um dos Srs. deputados.
Nao tendo comparecido o Sr. desembargador
Acciol nao foram propostos os fetos addiados as I
sessoes anteriores, entro partes, embargantes Abreu
& Veras, embargados Augusto Porte & C. ; appel-
lante a companhia Vigilante, appellado Joaquim
Jos Goncalves Beltrao; embargamos a vava e
herdeiros de Manoel Goncalves da Silva, embar-
gada D. Claudina Senhorinha Vieira de Carvalho ;
embargante Andr de Abreu Porto, embargados
Joaquim Fe reir Valente e outro; embargante
Joaquim Jos Pereira da Cunha, embargado Fran-
cisco Ferreira Novaes.
DESIGNACAO DE DIA.
Appellantes Brosthelman & C., appellado Jos*
Francisco Taboca ; appellantaJoao Pinto de Lemos
Jnior, appellado Manoel Alves Ferreira.O pri-
meiro dia til.
AGGRAVOS.
Juizo especial do commercio : aggravantos Ma-
noel Joaquim Ramos e Silva & Genros, aggravado
o administrador da massa fallida de Pedro da
Silva Reg; aggravante Luiz Moreira d'Almeida
Leal, aggravados Joaquim Jos Goncalves Beltrao
e outro. O Exm. Sr. presidente negou provi-
raento.
Juizo especial do commercio : aggravante Anto-
nio Gongalves de Azevedo, aggravada D. Antonia
Joaquina de Mello.O Exm. Sr. presidente deu
provmento.
Juizo especial do commercio : aggravante Mi-
guel Archanjo de Figueiredo, aggravado o admi-
nistrador da masssa fallida de Manoel do Amparo
Caj-o Exm. Sr. presidente jurou suspoiso e
foi o feito apresentado ao Sr. desembargador
Silva Guimares.
Nada mais houve, e foi encerrada a sessao
meia hora da tarde.
Engenho Bonito 29 de setembro de 1800. liba.
Sr. primo e amigo.Em primero lagar raoitohH
do apreciar sua sau le com as felicidades que de-
soja, assim como a Exma. Sra. prima a quem res-
petoso nos recommendamos. Hade ter sabido que
na noulo de sabbado para domingo fnrtaram
daqui de dentro do mea cercado i quarlos com
2 cangalhas do engenho, sendo ditos qu arlaos cas-
tanhos Camodes ambos castrados o minio bous,
cora b meu ferro da tazenda qae I. L. X. e esta
noute sabendo os ladros qae Simplicio eslava
fura, esleve um vulto de preto de local na que
foi depois visto e sahio-so por debaixo da porteira
sem duvida de tucalha para levarera o cavallo de
Simplicio; e assim aehn'conveniente so por alguns
piquetes as estradas, que Ihe convindo, seria bom
sua ordem aos inspectores para ditos piquetes.
Aqui dentro de meu cercado este o primero
que solurta e talvez queiram continuar, que se
laga percusa eu botar una muda ou espa arma la
mesmo pelo meas eseravos que do lado Ihe com-
munico, que a iniudo me mande sua resposta
para me saber determinar, visto como sempre es-
tuvi proinplo a obrar o qua for justo, e de seu
accordo etc.
Aqu sempre me achira prompto ao que Ihe
possa prestar, por sor com sincera estima
DeV.S.,
Primo, amigo, venerador c obrigado
jii'uio Xavier Caraeiro iAlbuqaerqnf.
pr
B lal. I de outubro de 1834,
art. 3o 5 8-, o digno vice-pre.udcnte, vendo prova-
a prWtwtao d^TWtrado, cuvwo esas-
ililoll-o. _,
Mas, isto foi iim golpe n lo Sr.
Joao de S: o M. que JW servia veio a Ihe fa-
zer falta : os a fattsa da grita. En Uto S. Ese. co-
1 ser rn.il, a ser tudo <|ue ha de mao !
(ih cogueira da pai\o...
Mas os arligos accu-aiorios tem a sua refutacAo
no osgnatura que os subscr'eveu.
I'. ijuandoS. Exc. nao livesse outra def-za ; esti
Ihe bastara.
Recita, 2i d outubro de 1869.
Os abusos se multiplican
No-dia 19 do corrente o pnblico vio na ra do
Arago u.na arbitrariedade semelhonte a inuitas
outras que se praticom todos os .lias o qoe a fal-
ta de exeeutores da le c por desgraea desie paiz
jamis encontrarlo paradeiro.
Um guarda nacional do :!' batalii.io, esfumado
de enconlraiquein iiegasso para guarda nacional,
eucontrou na ra do Aragao um menino chama-
do Olymoio c deilou-se a elle como a tara a sua
presa o disse-lhe :
Est preso para o batalhio.
Algumas pessoas de enten lim-
proceier indagarom-lhc a orden
proceda, o se o preso j era gu:
que nao hovia nem ama nem oatra
pa Jecendo-se dos grilos e choro do enanca, c hor-
rorisados con tratanunlo estupil), grosseiro e
nmunal, uzoram q:to o tal roo do polica a
I usse ir era paz som mais encommodo alm da
roupa estaqueada e os pontlps dfl (Bte elle bavia
silo vctima. Opio do ol'e.idilo reunindo-so a
alguns expedidores dirigi-sean Dr. subdelegado
fazendo sciente o occorndo sendo para lastimar a
ignorancia do nomo d > cri.nihoso-. A antoridade
ouvindo atlenci isaraenlc prometteu faz er ju*tig:i
exlgindo smente o nomo a os afgnaes do malva-
do. Cndalo nesta promc-ssa o pobre pu tai ao
quartel para sabor como se ehamiva o tal indivi-
duo, e ah o Sr.tenente Benjamn Viraos uutra j
saben lo o fado, maltratou-o desapie I idamente e
depois de haver dirigido quantos improperios se
podo imaginar disse ainta em t-m de osearneo
meia volt 1 direila, dobrado, marcha j e ja por
aqui nao quero v-lo.
A nica rcspo*ta cabal a essfl aeto, era a pra-
ca de ara outro acio, que nao Iho ficasse qnera,
porra devondo attender a suo.la escalo em que a
oppressaose tora desenvolvido, o pobre pai baixou
a cabera e sem mais dizer nos-ae no andar da rnak
E de certo que nesta a lado 00 le qualquer esbir^*" t
ro prende um eidadao sem erime lem. ^L
por sua cunta c risco arrastando o dando panca-
das, nao bavia outra c rusa afazr seno a retira-
da, sendo victima do rabaUerno o do superior :
p nem o publico que o juiz infallivel de tolas as
consas para que faltara juizes apreciara esse
proceder lio improprio de um superior quan lo
ii uivo qneixaa de sen subalterno.
A guarnico do dia 2') tos iraaoh > 1 essa bar-
baria ; mas o Sr. Dtttra quo lica par agora im-
pune maltratar m s o oolr 1 q 10 nao sendo das
circumstancias do offendidoo.icnan lo- osuporvor a
elle o far victima de alguma estupl lez. O lempo
de quera mais podo e como ha quem pos-
sa mais que o Sr. Duira, nao podo se julgar ci-
ma de tudo.

f
*

Assem5f!; provincial
Os nomos qae afra eserevemos, esli no caso de
merecer os saffragis do l districto.
Exm. baro de Murbeca.
Dr. Ignacio Joaquim de Sonza Usan.
Dr. Francisco Pires Machado Pdrtalla.
Dr. Francisco Leopoldno do Gnsniio Lobo.
Dr. Joaquim do Aqoioo Fonseca.
Dr. I'rauci-co Teixeira de Sa.
Dr. Manoel Arlhur de Molan la C.avalcoii'..
Dr. Cvprano Fenelnn Guedes Alcofoi
Dr. Miguel Jos de Almeida IVrnanibico.
CHRONICA JDiriARIA.
I ISIltl \AI. DO COMMERCIO.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 25 DE
OUTUBRO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR, DBS BOTABA ADOR ANSELMO
FRANCISCO PBRETTI.
As 10 horas da manha,. reunidos os Srs. depu-
tados Rosa, Basto, Miranda Leal e baro de Cruan-
gy, S. Exc. o Sr. presidente declarod aberta a
sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao de 21.
EXraDIINTE.
Olllcio do Exm. Sr. vice-presidente da provin-
oia, do 20 do correte, mandando para ser infor-
mado o olllcio, que o acompanhou, era que o ca-
pilo do porto pode uma providencia qae obste
aos capitaes de navios naciunaes alterorem a ma-
tricula dos tripolanles nos portos estrasgeiros on-
de tocam.Qae se respondesse cora o qae se of-
ferecesse dizer i respeita
Ofneio do presidente e secretario da jauta dos
corretn, Orinado de 23 do correte, apresentan-
do o boletim commerctal da semana prxima pas-
sada.Ao archivo.
Foram a*sgnados 4 ofllcios, sendo pelo Exm.
Sr. presidente 1, e pelo Sr. secretario 3, para se-
ren enviados, ao Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia, informando-i sobre a materia do officio
da capitana do porto; ao secretario do tribunal
do commercio da capital de imperio, acensando o
recebiraoalo do officio de 1 do correnta, e aos in
PUBLICACOES A PEDIDO.
Findou o Jardineiro sua triste existencia, renas-
cendo de suas cinzas o J ; que est em perfeila
antithese com o Justo de quem tomou o nome.
Se da sua bocea s saba a verdade, enunciada
com sublimes inspiracoes de eterna sabedoria, se
com a mais edificante humildade e paciencia sonra
as dures acerbas das ulceras que dilaceravam seu
corpo, bemdizendo sompre o santo nome de Deus,
e exalundo-se cada vez mais em seu amor ; e.-ue
J endurecido no erro, cheio de'fel e amarguras
contra todos, blasphemade tudo, praguejanaosem-
pse a verdade. ,.
De suas palavras, solas com o maior disconxa-
vo de ideas, se colligem diversas aecusacoes, tai-
tas a amigos nossoe, sobre quem pesa a respousa-
bildude de actos pblicos ; e com o silencio em
taes casos importa implcita conflssao ; por mais
ftil e banal qae seja a aecusacao nao dexarei
passar sem defeza. Entre osses amigos foi aecu-
sado o Sr. capitao Chrislovo de Hollanda Caval-
canti, de haver cercado tres casas de moradores
do nugenho Bonito, na inlenco de offender o ca-
pito Ignacio Xavier Carneiro da Cunha I...
As casas erara distaotes da- edifleacues e cerca-
do do engenho, e tarara cercadas pir ordem do
delegado do termo para a captura de um guarda
nacional designado ao servigo da guerra, o qual
recnsoa-se a marchar, e consta va, que se occul-
tava as irarnediaooes das casas que foram cerca-
das ; sondo qae se bavia passado para terraa do
Eleieao dos juize e escrve
que ho archanjo S. Miguel, o futuro
aanodelSS.
Juizes.O
Os Illms. Srs. :
Tiburcio Valeriano Baptista.
Luir Antonio de Squeira.
Jos Joo de Amonio Jnior.
Juilas.
As Exmas. Sras.:
D llosa Candida Nevos Rgo, esposa do lilm. br.
Jos Francisco do Rgo.
D. Malina Fernandos da Cmara, esposa do Illm.
Sr. Odorico Baposo da Cmara.
D. Jovina Candida de Mello Guimares, esposa do
Hur. Sr. Joo da Cunha So tres Guimares.
Escrives.
Os Illms. Srs.:
Anselmo Jos Pinto de Souza.
Jos dos Santos Noves.
Severiano de Squeira Cavalcanti.
Escrivos.
As Exmos. Sras. :
D. Francelna Illuminata de Mello, esposa do Illm.
Sr. Lourenco Hibeiro da Cunha Oliveira.
D. Adelaide de Lemos Bastos, esposa do Illm. Sr.
Demetrio Accacio de Araujo Bastos.
D. Leopoldina de Mello Pacheco, esposa do U1111.
Sr. Francisco Augusto Pacheco.
Consistorioda veneravcl irmandade das Almo-,
erecta na matriz de Santo Antonio do Recita, 2i
do outubro do 1869.
Vigario, Amonio Marques de Castima.
\ suspeaso do juiz municipal
sexto supplente de lpojuca.
Lourenco Bezerra Alves da
uva.
A grita desenfreada levantada pelo Dr. Affonso
de Albuquerque, contra o Exm. vico-presidente da
provincia pelo fado da suspenso do juiz Louren-
cb Alves, nao mais que uma triste prova do de-
sespero em que est a causa do Sr. Joo de S.
Eis que do repente S. Exc. torna-se um protec-
tor de criminosos, um complico, ui reo, S. Exc.
que era to bom, to jsticeiro, tolrecto 1
Aos ho nens sensatos as algaravis do advogado
do Sr. Joo de S devem ter causado asco o nojo I
De repeote S. Exc. vilmente aggredido com
epithetos injuriosos e em eslylo indigno e ignobl
se discute um acto praticado coin justica, e se-
gundo as formalidades iegacs.
Felizmente ja foram publicados os documentos
3ne autorisaram a suspenso e se alguom tivosse
uvidas sobroa legitmidade o conveniencia admi-
nistrativa desse acto, quo tanto escanialisou ao
advogado da manuteuco, bem fcil seria recorrer
ao Diario em que tal publicacao so fez, e ver-se-
hia o desaso da aecusafo, a m ta e a fatalidade
della.
Nao foi seno com todo o escrpulo que b. nxe.
procedeu neste negocio.
Foi a tercera que recebeu contra o retando juiz,
e s depois de minucioso exame dos documentos,
que a instruiram, depois de exigir que por outras
se provasse alguma allegacao que nao vmha docu-
meotda, depois de ouvdo o juiz aecusado, e de-
pois de uvido o juiz de direito da comarca, que
e acto foi resolvido
Pedera fazer mais S. Exc. !
Aquelle cuja administracao nao tem sido auca-
da pelos correligionarios do Sr. Joo de S
aquelle cuja administracao os liberaos tora respei-
udo, sem duvida por acha-la boa o imparcial, pro-
cedendo da maneira que (lea dito, deoois de ma-
duramente estudodo e negocio, dopois de observa-
dos os preceilos da le, nao praticno, de aerto com
a suspenso do juiz Lourenco Bezerra, um acto
que podesse aalorisar a quem quer quo fosse e
menos ao advogado do Sr. Joao de Sa, aquellos
nnseraves insultos que se Inem nos artigos que
o Dr. Affonso de Albuquerque vai publicando no
Ioi-mI do Redfe.
Os documentos publicados, contra os quaes nao
publicou ouiros aquelle advogadofirmara a jus-
tica do acto: deltas se evidencia a prevnrtraclo do
juiz Lol Alves. Assessoriado nelo advogado do
Sr. Joo de S, subscrvendo a correspondencia
olBcial por aquelle escripia, expedindo mandados
de despejo incontinente, danto audiencia quando
seu as885or quera, e taltaodo quando elle faltt
va, dando despachos dictados, por elle; preegoln-
oesse da suspeicao raarebava cora regolaridade,
etc., o Jota da va todos os dias novan prnvaa de deu
amor e dedieaeio ao Sr. Joao de Si, qoe peranle
alta litgava, provava sua falta do escrpulo e
sea crirao.
PRAfA
DO RECIPE 85 DE OUTUBRO
DE 180U.
XS 3 1/2 HOI1AS DA TAI1PI-'.
Assncar do Ro Grande do Norte 3*471 por lo
kil. posto a bordo, fele de 2B| e o0(0 (hontenij.
Algouode Macei p eortel#Wi por Hit. posto
a bordo, frote do 3['v e o 0|0 (imiten),
Algod&o de Pernambuco 1" aorte 9 3 rs. por
kl. (hoje). n .
Cambios sobre Londres 90 d/v 19 3/*, d. por
S(KK) (hoje).
Cambio sobre Paris 90 d|v. 183 rs. por tranco
(hoje).
J F. 1. Silvoira
Presidente,
LealSeve
. Secretario.
*1 *
L
\
Al.FANDKfiA.
rtendimenlo do la 1 a W ^**
dem do dia 2G......2l.oi*08t
865:1S9#92(
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas
dem idem com gneros
Volumes sahidos cora fazendas
Idera idem cora gneros
300
900
------800
81
130
------ 231
Descarregam hoje 27 de onlubro
Vapor inglezA:onfazendas.
Barca inglezaHermionemercadonas.
Barca portuguezaGratidaoidom.
Barca perluguezaSapjihiradem.
Briguo BortuguejColeteidetn.
Barca nacional AiriaioVtahoa lo.
Escuna inglezaVwsiebacalho.
Brgue portuguezLata IvariosJtae<-
ItKt^EBEDOHIA DE HENAS IN1EK>A5
BAES DE PEBNAMBUCO.
rtendimenlo do dia I a 8:^?*HS
Idera do da 26....., 2:201*288
90:321*086-
GE-
CONSULADO PROVINCIAL
rtndiinento do da 1 a 2-S
dem do dia 26.
73:290*714
2:073*413
7."):36Wi27 ^
MOVIMENTO DO PORTO.
Naiiot entrados no dia 26.
Liverpool e Lisboa46 dias, do l" e 18 do 2-
porto, vapor inglez Amazo. do 528 toneladas,
comraandante John Corbishlcy, equipagem 2i,
carga fazendas e outros gneros; a Thomaz
Jeffenes 4 C
Terra-Nova3C dias barca ingleza Constante de
218 toneladas, capito T. Gardner, equipagein.
14, carga 3550 barricas com bacalho ; a Jlras-
ton Pater & C
rVocio sahidos no mesmo dia.
Assdpaucho brasilero JV. S. dat Netes, capito
Francisco L. T. Guimares ; carga differentes
genero?.
Mossor pelo Asshiato brasilero Sobralense,
capito Antonio Gomes Pereira; carga varios
generas.
Bio da Prata e portos intermediosvapor ingles
Douro ; cemmandante B. Woolevard.
ObservacSo.
Suspendern :
Para a Parihvba, barca ingleza Sarnia, capilao-
A. Gould, com o mesmo lastro que trouxe de
Montevideo,
dem idera, barca iogtoza Harnet, eapitao Kerr -
com o mesmo lastro que trouxo de Montjdeo.
dem idem, barca Ingl-za Atice Roy, capito Dao;
glas; cora o mesmo lastro quo trouxe de Moa-
te video.

EDITAES.
Para sclencia dos coptribnmtes das diversos im-
postas a cargo desta repartico, se faz publico
a portara Jo Sr. inspector da thesouraria pro*
vieta I abaixo mencionada.
O inspector .arara provincial rerem-
* aexpe-
|no tro-
m
monda ao Si
dco de sua* orden* para
tos a carga da sua repartc*
co para pagamento de quanti
rana provincial
cao, nao se dan
rjicn


^Bi^H

Diario de

?*
_
Quarta feira 27 de
.~-
Outubro de. 18
'.i,,, ur;.:n't

ITT
rio de dbil
pagamerft.0 da despt*
Thesom ji i>! ov^^^Hh
Mesa do ohsufado provincial, *i de outubro
de 1960.
Antonio Carneiro Machado R109. ,
Administrador.

Bl
4 seero.Secretaria do goveruo de Pernam-
buco, 22 de outubro do 4869.
EDITAL.
Pela secretaria do gorcrho sao convidadas as
pessoas que quizerem c.illeecionar as obras do
Uado frei I >:i jai.n di Amor Divino Cineca, seu
proeesso amo a eomralsso militar, e su defcx
cora urna introdcelo bographiai, njs trra >s da
le BTortaei I n. '.ni l T da junln do corrente,
abaim transcripta, a apresentar suas propostas
para o raspaetHra contracto aa Exm Sr. vico-pre-
sidente i provincia.
LE N. 000.
ODr. Mini'l do Nseimeiro Mchalo Portel la,
viee-pn si Ionio da provincia lo Pornambuco.
F.ic i sal) ir a todos os seas habitantes que a As-
i Legislativa Provincial dociliten c en
san1'-: mo a retolnco segu ita.:
Art. !. O pro diente da provincia mandar
eoMecaiouar a< obras d> ijluuro finad) frei loa-
qui.n d > A o ir Divin i Ganar i, sea proeesso ante
a eommissjj militar, sua deloza com una miro-
dueco biogcapbiea.
Art. 2." i) pn'silent' di ir iviicii contratara
amb.s jsse3 traballi>s com quom melhnres van-
Cagens olforoadL uode.ido dospjndor ato cinco
cont s do retlr^
Art. 3. Pcara revogadas as dsposices em
contrario.
Man 11 por tanto a todas as autoridades a quera
o eonheimento e execucan da presente resoluco
pertencer, que a cuinpran e tacara camprir to
nteiramente como nella se contota.
O sei-i'. ri i '11 joven: i desta provincia a faca
imprimir, publicara correr..
Palacio do governo de Pernambueo, aos 2* de
junlto de 1860, quadragessimo oitavo da inde-
penden,- a e d> imperio.
L. S, .
Dr. M Sellad i e publicada a pre-ehle resolucao iws
secretaria dn governo de Pernambueo, aos 25 de
junho de 1839.
O secretario
Dr. Joaauim Corra de iraujo.
Registrada a follia do livro de leis provmeiaes.
Secretaria da governo de Pernambueo, aos 2o
de juuho do 1869.
O chefe da 4.* sece/io
Francisco de temos Duarle.
O secretario do governo
Dr. Joaqun Corra de Aran jo.
i) Dr. Manoel Jos da Silva Neiva, juiz de
dircito da 2" vara do crime, e substitu-
to la do commercio desta Cidade do Re-
ctfe de Peroaabaeo e seu tormo por S.
M. I. f]tie Daus guarde etc.
Paco sab sr pelo presente que no da 28 do mez
de tatabro da correte auno, se ha de arrematar
por venda a quom mais der, em piara publica do-
puis da audiencia respectiva, os predios seguin-
les :
Urna rasa teitea n. 214 sita na Imperial fre-
guezia di: S. Jos, tendo duas poquenas salas, um
piarlo, eosinha fura, cacimba mecira, e quintal em
abertfl os nm lado, avahada por 1:*>00000.
Outra dila n. 134 sila mesma ra e freguezia,
cun duas s.ila>, don* quartes, co.-inha fra, c quin-
tal cm aiieito de um lado, avahada por 1:300*.
Outra dita n 19 sita ra da Praia do Calde-
reiro da mesma freguezia. tenJo dnas salas, dona
((liarlos, eosinha fra, quintal pequeo, e cacimba
itieeira, avadada por 3.0005.
Um pequene sobrado de um andar n. 73, silo
ra.da Palma da dita freguezia, tendo na luja 'as
sbs, tres quarlos e eosinha fra, e em cima dnas
salas, tres quarlos, eosinha fra, quintal murado
e cacimba meara, por 5:000S
Um sobrado de tres andares numero 59, sito
ra di Praia, leudo I" e 2- andar varandas de fer
ro, c no 3* trapeira, janellas, quatro salas e eosi-
nha ao lado da sala de detraz avahado por----
16:0001
Um dito n. 32. sito ra da Praia denominado
Caes do Ramos, bastante arruinado, de dous anda-
res, avahado por 6.000.
Os quaes vao praca por exeeneSo de Joao
liuson, cono administrador de sua inulher, contra
a viuva e herdeiros de Jos fligino de Miranda, e
na falta de lanzadores que cubra o preyo da
avaharan, ser a arrematarn feita pelo iirec^o da
adjndicae^O, coin o abatiinenio da le.
C para que chegue ao conhecimento de to niandei passar q presente edital que ser afllxado
nos lugares do coslunie e publicado pela im-
prensa,
Recife, 5 de outubro de 1869.
Bu, Manoel Maria Rodrigues do Nascimcnto, es-
crivn, oub>crev.
Manuel Jos da Silva Neiva.
DESLARACOES.
Perante o Sr. juiz de paz do Io districlo d
anda da Roa-Vista, se ha de arrematar no di
30 da corrente, as 4 bras da tarde, diversos tras-
es e urna pequea p ireo do tonca, penhorados
Marianna b bel Janey.'por execucao de Antonio
Oomes da Silva.______________ ^_______
Faco constar a quein eonvier que o llhn.
Sr. Dr. director garal interino tem espagado para
i lia 3 da novembro prximo futun, o exaino de
h'bilitacao para n magisterio primario que devia
t que qntzereai faxer dte exame deverae inscrever
se nesta secretaria at o dia 4 do me-ino.
.Secretaria da iiistrui'cao publica de Pernambu-
co, 23 de outubro de 1809.
O secretario,
Aiireliano A. P. de Carv*lho.
Coii33lh3 ds canpras
navaes.
O con^ellio contrata no dia 47 do corrate mez
sob as condicQes do estylo e a vista de propostas
receidas at as 11 horas da manha a compra
dos objectos seguintes:
24 feixe- de arco de ferro para pipa de 2/8 a
8/8, 2 bules de ferro estanhado 12 libras de cera
em trboles, 10 arrobas de cebo era pao, 1 peca
de eabrt de couro de 3 pollegadas contend 60 bra-
ca, 140 bracas de corrente de 1 1/4 pollegada
reforcada, 20 arrobas de estopa de algdo, 8 ar-
rubas de. eslanho em verga. 20 peiles do marro-
quim encarnado, 8 arrobas de nierlim, 8 ditas de
mialhar branc.o, 400 ps de mangueira de sola
. ravada para bomba de incendio, 10 libras de
. brias l'rancezas, 2 oculos de alcance, 4 pecas
do tapete, 6 tinas de baldeacao com 3 1/4 palmos
- altura, 3 1/1 de dimetro na bocea e 3 de dito
io fundo, sendo os arcos fortes, 2 terrinas de ferro
estanhado, 20 tra-liubas, 1.000 jc los de fogo e
9 arrobas de zar cao.
Sala das sessss do conselho de compras navaes
28 de outubro de 18C9.
O secretario
Alexandre Rodrigues dos Anjos
riptura ante-nupcinl celebrada entre Anto-
ilni Nuncs V.er.i,
irar ni eon n.'.nh d b:?ns
elle entra a-c intratante,
eiu dinbiiro, predios, escra-
SecMtacia do iribuaal do commercio de Per-
nambnco 14 do outuoro do 1869.
Pela mesma secretaria se faz publico que Mea
inscripta no livro competente a carta de registro
do hiato Probidade, de 42 toneladas, do qual
proprietario Bartholomeu Gomas de Albuquorque.
Secretaria 20 de outubro de 1869.
Pela mesma secrataria se faz igualmente publi-
co, que fiirara registrados :
O contrato de Francisco Fernandos da Silva o
Francisco Jos Pereira d> Valle, estabolecidos nes.-
ta cidado com taberna, sob a llrma do Fernandos
ambos.
0 contrato de los Fortunato dos Santas Porto
e Antonio Francisco dos Sanios Falco, estabele-
cidos nesia cidade com casa de commercio de fa-
zendas, sob a firma de Santo* Falcan 4 G., e o ca-
pital do 10:000 i fornecidj em commandita pelo
socio Porto.
Secretaria 23 do outubro de 1869.
O cfcial-maior,
Julio Guimaraes.
AVISOS MARTIMOS.
COmPAIHU
DAS
llessagcrics imperiales.
At o dia 30 do corrente mez, espera se dos
portosdo sul o vapor francez Navarre, comoan-
dante Masseuche, o qual depois da demora do cos-
tante, seguir para Brdeos, tocando era Daker
(Gove) o Lisboa.
Para conducoes, frtese passageiros trata-se na
agencia ra do Gommercio n. 9.
Companhia aoioi'ieana c brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia, Io de novembro esperado dos por-
tos do sul o vapor americano Nurth America, o
qual depois da demora do costume, seguir para
ew-York, Para e S. Thoma.; para fretes e pas-
sagens, trata se com os agentes Uenry Forster
& G.,rna do Gommercio n. 8.
COMPANMA PERNAMBUCANA
DE
\ivo2;ivSo costeira por vapor.
Macci escalas e Penedo.
O vapor Jagunrtbe, comman-
dante Guilhenne, seguir para os
portosaciraa no dia 30 do corrente
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 29, encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
Larde do dia da saluda : escriptorio no Forte do
Maltes n. 12.
Eio de Janeiro
Para o referido porto sahir com toda a brevi-
dade o lugar nacional Francisco I, recebe carga
frete : quem nellc quizer carregar pode enten-
der-se com o sen consignatario David Ferreira
Baltar, rita do Brum n. 92, ou com o capitao do
dito navio.
COMPANMA PERNAAMBCANA
DE
\ a ve a; :<;> costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mussor, Ara-
caty, Cear, Acarac e Granja.
O vapor Ipojucn, coramandant
Moura, seguir para os portos
cima no dia 30 do corrente as o hora.-
la tarde. Hecebe carga at o dia 29 encom-
nendas.e passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da tarde do dia da saluda no escripto-
rio no Forte do Matts n. 12.
&
LEILOES.
LEILAO
Da taberna de Jos doaqnlm
Dlais, aa na da casa-Forte.
O agente Pontual, vender em leilo, por man-
dado do Illm. Sr. Dr. juiz do coinmoftlo, a arma-
cao e gneros da taberna cima.
Quarla-fcira 27 do corrente.
Na mesma tabernardve ser effectuado o leie-
lao as ( 1|2 horas do dia.__________________
"TEILA
Para final liquidaqao,
IIOJE 27 DO COMIENTE.
O agente Oiiveira far leilao para liquidago e
sem limiiafao era precos, dos remanescentes de
loucas, Dorcelanas, crystaes, vidros e outros ar-
ligus do estabL'li'cinienlo sito
Una da C ideia n. 6.
E por isso convida aos donos do estabelecimen-
tos idnticos ou dos de vendas, assim como as
pessoas de familias aconcorrercm para sortinm-
se dos rligos indicados e indispensaveis para o
negocio, como para uso e adorno do casas parti-
culares, esperando que os precM baixos anima-
r o sobretudo a concurrencia.
LEILAO
DA
Armiigao e gneros existentes na
taberna sita ra Imperial n.
181, em diversos lotes.
O agente P.intual competentemente autorlsado
pelo lllm. Sr. Dr. juiz municipal de residios e ca-
pellas, rrader em leilo armarn e gneros da
taberna cima, sendo o leilo em diversos lotes;
notando-se que a taberna acha-se betn sortida e
os gneros sao todos novos.
Quinla-feira 8 do corrente.
O leilo devera ter lugar na mesma taberna as
10 horas. ___.
Pedias finas de marmore, lijlos
para 1 impar facas e enxofre.
A 28 do corrente.
O agente Oiiveira far leilao por conta e ri-co
de quem pertencer. de cerca de 82 pedras finas
de marmore grandes e n-quenas o outras com-
pridas inclusive 27 soleiras, c de 8 pedamos de
pranchf es, 17 barricas de lijlos para limpar facas
e 10 barricas de emeofre.
Quinla-feira 28 di corrente,
as 11 horas da manha em ponto, no trapiche JJa-
rao do Livramenlo, no Forte do Mallos.
[\STITLT0 ARCHEOLOGICO E GEOGRAPHMO
RRUHCm.
Havi'i sessao ordinaria quiita-'tera 28
do correoidj oolubro, pelas 11 horas da
manha.
Pareceres
soes.
Secretaria
de 1869.
onnr.M do da
e mais trabalhos
de commis-
O abafco
do Instituto, 25 de outubro
Jos Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
assignado previne .'ios herdeiros
da fallecidaJ). Joanna Facunda Prenle do Cabo
e a quem riuis interesssar n *sa que o sitio da
mesma lliuia, no lugar do Barro, freguezia dos
Affogados >t sujoito ao pagamento das despe-
as do enterro e mais debito.
Recite 36 de outubro da 1860.
Jos Antonio Fernandes Fradique.
Biofilia!!!
LEILAO
DE
IMXKXJMN
O agente Mart ns far leiao por despach do
Illm. S. Dr. juiz do nrphaos, de audapoloes,
chitas, cambraias, alg doziuho, poreo de roupa
feita sendo calcas, camisas, col etes de casemira
e de brim, jaquetas do dilo e muitas oulras fa-
zendas pertc-ncenles ao espolio de Izidoro dos An-
jos da Forriuncula.
Quinta-eira 28 do corrente.
No armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
horas do dia.
AMIA BoiSILEIM
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 28 do corrente o vapor
Paran, commandante J. S. Mo-
ris, o qual depois da demora
do costume seguir para os
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
;arga que o vapor poder conduzir, a qual devor
las e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
Nao se recebem como encommendas seno ob-
lectos de pequeo valor e quo nao excedam a 2
irrobas de peso ou 8 palmos cbicos de niedi-
clo.
Tudo que passar destes limites dever ser
embarcado como carga.
Prcvine-se aos Srs. passageiros que suas passa-
ens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57
r* andar, escriptorio de Antonio I.uiz de Oiiveira
Azevedo & C.____________________________
C.MPANH1A PBRNAMBUCANA
DE
Vavegaco costeira por vapor.
Fernando.
O vapor Coruripe commandante
Silva seguir para o porto cima no
__dia 6 de novembro ao meiodia Rece-
be carga at o dia 5, encommendas, passageiros e
dinheiro a fretes, at as 10 horas do dia da sa-
hida ; no escriptorio de Forte do Mattos n. 12
COMPANMA PEKNAMUUCANA
DE
Navegando costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor Parahyba, commandante Mello, seguir
para os portos cima no dia 31 do corrente,
raeia noite. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros, e dinheiro a fretes no escriptorio do Forte do
Matt s n. 12.
De panno, cabos e cadernaes.
Quinla-feira 28 do corrente.
O agente Pe-lana far leilo por -Conta c risco
de qu ni pertenec' de porco de velas, cabos, ca-
dernaes novos e usados, no dia quinta-f-ira 28
Jo corrente as II horas em ponto no largo do
Corpo Santo.
LEILAO
Da artaac^o, gneros, feragens e miude-
zas >te urna taberna sita nos Apipucos.
O agtnte Hartins far leilao por despacho do
Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos, da armaco. gene-
ros, ferragens e miudezas perlencentes ao espo-
lio de Ii.idoro dos Anjos da Porciuncula.
Sexta feira 29 do corrente.
No ificsrnn cstal.elecimento as 11 horas do dia
na pnvi aco dos Apipucos.
Chamamos a attenco do Illm. Sr. Dr. direclor
das obras'pnblicas, -para o estado lastimoso em
que so acha a estrada do Olinda, comprehendi-
do entre a ponte dos Arrombados e a da Taca-
runa, visto fane a nao se fazer j os reparos que
precisa, muito breve licar cm peior estado do
3ue es: ointransilavel, peraltado com este aban-
ono o govorno com grave projuizo dos morado-
res '. 11 i. Isto pede
Um olindense.
Contimla anda andar fgido desde o dia 13
de abril ulhmo o escravo Ubaldo, mulato claro,
com idade do 21 annos, o mesmo annnuciad) no
Jornal do Becife de 0 de setembro ultimo, sob os
ns. 207, 20$ e 209, c sens signaos sao os seguin-
tes : tem quasi no alio da cabeca junto da orelha
direita duas cicatrizes do apostemas que eslao es-
condidas dea cabellos, e por isso que nao os cor-
la; da meslna forma oulras d;i>s na canella es-
querda junto a bocal *la caiga, ambas do vulgo de
dez ris novo, mais outras duas ainda mais pe-
quenas, urna na cabeca do ojo do tornozello do
p dircito, e outra no do esqiterdo, olhando urna
para a outra, tem mai> unta costura de um taino
atravessado sobre o pedo do p esquerdo, e ambos
annal.com quanlo nao sejam desproporcionados,
sao causa de maior signal para visivelmente ser
por todos bem conhecidos, porque alm de teiem
aquelle frangido, como se Uvera sido queimados,
tem de monos o dedo mnimo do p direilo e do
esquerdo a melade, sendo que as utrhac dos ou-
tros dedos sao, alein de seren bastante leias e ar-
Mehicadas, sao faxiadas, tudo proveniente de de-
masiada quantidade d bichos que leve em pe ple-
no al idade de 18 anuos, tem cabellos pretoi e
solios, estatura giganlada, corpo seeco, rosto com-
prido. beijos dobrados, denles alvos c largos, na-
riz afilado, ollios prelos, grandes c bonitos, palpe-
bras compridas e grossas, sobran-ellias pelas o
arqueadas, pesceco bastante comprido, nao tem
afinal signal de barba mais do que a do bu jo,
bem fallante, fuma e ipaixonado das msicas,
bom cozinheiro e copeiro de sala, trabalha tam-
bera de pedreiro, bolea e entende de remar, cons-
ta ter conhecimento de alguma leilura, responde
o que se Ihe pergunta, tanto em francez como em
inglez, o que mais eommum de urna casa se
pratiear porque j fra criado de ambos. Este es-
cravo perlenee ao mosteiro do Carino de Olinda,
que foi reivindicado em 1803, do poder dos her-
deiros do finado coronel Jos Claudino Leite, que
supposto nao conste ellos Ihe tenham permittido
apoio todava o escravo j sabcudo das providen-
cias para o tira de sua captura, consla por alguem
elle ter ido na procura da proteccao de um dos
filhos bastardos do referido coronel, que mora-
dor entre a villa do Bonito e colonia de Leopoldina,
de nome Sipio Ceveriano Leite, puis foram criados
juntos e o escravo prezume ser inno do dito por
paite paterna. Consta mais que este escravo segu
pelo caminho de ferro, e como nao lenha prensa
nesta viagem, vai passando as diversa estaies,
comoseja na villa do Cabo, onde consta ler sido en-
contrado, Escada, Gameleira,a chegar em Una, ha-
vendo certeza delle se demorar Inais na Gamelei-
ra, porque ahi mora a mai do dito Sipiao, de no-
me Calharina Francisca Bezerra, conhecida por
Calila, porque foi quem o criou, alem do que j
fra tirado do poder della una escrava pertencen-
te ao patrimonio de Olinda, e o mesmo Sipio j
de urna vez quiz seduzir da est.ieo daqui um
nutro escravo. Nao sendo, todava., revogadas as
providencias e pesquizas nos lugares j roferido*
no Jornal io Rrcife de 9, 10 e 11 de setembro nl-
liuio. No* Rerfe as conipanhias de trafecos de
carvi de pedra e assucar, no corredor do Poin-
bal, Soledade, B"lm. Ro-arinbo, Estancia, Ponte
de Ucboa, ('.achanga c mais outros lugares onde
liver obra de pedreiro. Porlanto nga-se as auto-
ridades de taes lugares qrteiram usar das suas a-
coMumadas justiQas e enrgicas providencias para
o fnn desia capturadlo : e de igual forma se re-
commenda aos Srs capiles de guerrilhas fneam
as mesmas averiguacoes, que de seus trabalhos
sero generosamente recompensados, logo que
ficam entrega do escravo ou no convento do Car-
mo do Itecife, ou .ao de Olinda, d'onde elle per-
tencente.
abinele Portuguez de Leitnra]
*lt
A coromissao central, encarregada dos festejos
do 18* 'fnnlversario do Gabinete Portuguez de
tura, oflual deve ter lugar no dia 31 do corrente.
assiin como-deJe-Deum, que, em cnmmenior.awo
I i- annos de S^lPF. o Sr. D. Lniz I, tem de
mandar celebr"r nesse nie>mo da, na matriz de
Santo Antonio, convida a todos os senhores serios
eflecllvos, que foram notneados para as commls-
sc de deceracao e recepeo. a reunirem-^e nos
saldes da biblioiheea no da 27 do corrente. as 6
horas da tarde, aliui de se deliberar o que for mais
cimvenwnii
Secretarla da commissao central aos 23 de uu-
lubro-de 186?.
Antonio Alves de Carvallu Veras
Secret|fio.
Deordem da directora scientifira-se a ptbs os
enhores aaociaibi-, quo lendo-se de proceder a
decoraeao dos saines do Gabinete para solemnisa-
eao do 18" annivwsario de abertura, tica aospen-o
o expediento desde o dia 27 do corrente at o din
i do vindouro mez inclusive : roga-se, pois, aos
senhores associados n obsequio de recolnerem ao
Gabinete as obras pertenecidos ao mpsmo, queti-
vereiu cm seu poder, as quaes se reeeberao at o
dia 29.
Secretaria da directora du Gabinete Portuguez
de Leitura cm Pernambuco 21 de ouiubro de
1869.
Joaquim- Xavier Vieira Ligo,
1" secretario.
Ama.
Precisa-se de una ama para cozinhar : na ra
Nova n. 61, Io andar.
Amas
Precisa-se de duas amas, urna para lavar cjn-
gommnr e outra pira cozinhar e ..Mmprar |iara
casa de pouca familia, prefere-se escrvas : a tra-
lar naru do Imperador n. 17 2; nn^ir.
A rmandade das aloui.- na iiuit'M ue >muw
Antonio precisa de um capelln para celebrar as
missas da madrugada nos domingo c dias san-
tos, a comecar no 1." de novembro prximo : o
Itvd. Sr. sacerdote que se quizer encarregar dessa
capellana quoira ter a bondade de entender-se
com o Rvd. Sr. vigario, na matriz.
Consistorio da rmandade 23 de outubro de
1869.
O esrrivao
Manoel Camello Pessoa. -
Aluffa-se
urna cjsa com 4 qnarlos, 2 salas, e cozinha. no
Monteiro junto ao rio : a tratar no lar^o da al
fand.'ga n. 2.
VAHA D.% FE.
Aos 20;000OOO.
ra do Cabng n.
*
Bilhets do Rio venda :
vende Vieira & Rodrigues.
Ama.
Precisase denma ama para todo oservifo da
nma s pess a : na rna da Conceieao n 7.
CAPELLAS
PAR FIIAD9
Na ra eslreUa do Rosario n. 33 tem apellas
ile ciavos e de saudades, prnprias para o dia do
finado, o faz-se lainbem de perpetu*, seado en-
cnmiii ndadas tre.- dias antes, tudo por muito ba-
rato preco. _____ .
l'rerisa-si! de orna ama
no paleo de S. Pedro n. 3.
de leite Sem fTItto :
AMA
Plecisa-so de urna ama para todo servico de
una casa de hornera solteiro : na praca da Itoa-
vsia n. 7. seguado andar.
Toda attnpo.
Hontem desappareccu da prensa da travessa do
arsenal de guerra n. 3, um nioleque de cor de
taioea, idade 10 anuos punco mais ou menos.
peinas linas, cabellos carapinhos, vestido de ci-
ms.i e scroula de algodio hrauco, o diz ser forro.
Cbegou lia oilo dias do seno, sendo de presumir
adiarse aqu na cidae, ou ler procura Jo vol-
lar : quem o appreheiider,. *raga-o ao mesnt
ponto, que ser recompensado.
O Sr. Manoel de Souza Pereira (ronhecido por
Manoel Uaonelo) tem ju-to e contratado a compra
dad tres parles do sobrado sito ra da Guia n.
31, de dous andares, pertencente ao Sr. Dr. Jlo
Ferreira de Almeida Guimaraes, que receben co-
m i beranca, que por nmrte de seu sogro o Sr. Jos
da Hucha Paranhos, Ihecoube no inventario : por
tanto, quem se julgar com direilo mesma, apr-
senle se no praso de tres dias, contados desta
data. Relfe 23 de onlubro de. 1869.
TTECA)-
Precisa-se de um caixeiro para taberna con
pralca ou sera ella, dando fiador a sua conducta :
a Iralar na ra do Hospicio n. 26.
Ahif-se
por um anuo, ou somonte para passar a festa, um
sitio cora casa de grandes commodos para familia,
tendo a vantagem de o rio passar pelo fundo do
sitio, em Beberibe (porto da Madeira): a tratar na
ra da Cadeia do Itecife n. 56, ou na ra do Quei-
mado, luja n. 41.
olas das caixas tilines dn banco do Brasil,
trocam-se com mdico descont, na foja de Manoel
Soares Pinheiro, praca da Independencia n. 22.
LEILAO
DR
DIVIn
Ka ianportanciade IO I :i J 150
ri
Qufrta-feira 3 de novembro de 1869.
O agente Pinto levar leilao, as II horas do
aia acuna dito, por autnrisacao do liquidatario da
exlineu firma de Southal Mellors & C. as di idas
na imp irtancta de 40:437*130 rs., seodo........
3l:187,310rs. de conformidade com o mandado
de p*nrwra contra J. de Siqoeira Ferrao, e......
9:2498i0 rs. de conformidade com dous manda
dos contra A, Pinto do Lemos ; o leilao ser
effectuado no dia cima dito, no escriptorio do
referid) agente, ra da Cruz n. 38.
Cosiiiheiro
Aluga-se um excellente cozinheiro e um bom
oflicial de carapina : na ra Direita n. 21, primei-
ro andar.
Aliura-se
urna escrava quo saiba perfeitamente engommar e
cozinhaf : na ra Augusta n. 09, paga-se bem.
rreci-a-se^le um caixeiro
do Brum n. K4.
na fabrica da roa
^j)
' 'o -a
I A~4? fM
Armado de tmulos e cata-
cumbas.
Na ra do Imperador n. 9, coxeira de
carros fnebres, lia tima pessoa que se en-
carrega de armar, e dar os necessarios
arranjos para o dia de novembro, dia de
finados, armando catacumbas e jazigos,
tud' por prego commodo.______________
Aluga-se para a fesla
rita do Bio, com commodos
de Hortas, sobrado n. 48.
urna casa no Poco e
para familia : na ra
Attenpo
Precisa-se de um caixeiro na taberna da ra da
Soledade n. 46.
Nicomedes Maria Freir, embarra para o Rio
de Janeiro a sua escrava rmrd:> de nome Marciana
Precisa-se de um oficial de bareiro; para a
loja na ra da Lingota n. 14 do Mr. Barber.
Aos 20:000^000
CASA DA FELICIDADE
2'iPracndi lndependencla-99
Veras & llarbedo tem exposto a vnda o>
seos felizes bilhets da 16.a lotera (la casa de de-
tencao (130*) cujas listas sao esperadas at o dia
30 do corrente.
Os mesmos cima venderaro o bhete inteiro n.
783 premiado com 10:0005000 o o dito n. 4312
com 800*000 ambos da 298-' lotera e bem assim
diversas sones de 2005000 e lOOiOOO da 297* as
quaes poden) os po.-suidores dos referidos bilhe-
ts vir receber na casa cima.
Precos :Inteiros.. 245000
Meras.*.. 12.&000
Quarlos. 6000
E em quantidade maior de 1005000 na razo
de 22OO0 por- bilhete.
Quera quizer vender una escrava moca, que
saiba lavar, cosinhar e engomar, annuncie, que
ha quem chegue por ella o melhor proco.
Nesta typigraphia se dir quem vende um
moleque de 17 a 19 annos de idade, sem vicios
riera achaques, e proprio para criado e para srr-
vico do campo a-sira Cimto urna negra de 'io
annos, porra forte, sadia. e l>6a eosiohiira, pti-
ma engomadeira, tambera sera vicio.
Manuel Barbosa llibeiro faz scieute ao res-
peilavel publico p cora especialidade no corpo do
commercio, que na presente data vendeu ao Sr.
Francisco Goncalves Bastos e S, o seu armazem
de gneros sito rtia da Madre de Deiis n. 12, li-
vre e deserabaracado de dbitos e de qualquer
onus. Becife 21 de outubro de 1869.
JH CONSULTORIO MEDICO CIRURGICO
Malaquias Antonio Goncalves, doulor
jg era medicina pela faculdade do Rio de
S Janeiro, tem seu consultorio medico ci-
H. rurgico. na rna da Cruz n. 26, 1" andar.
Consultas das 10 a 1 hora.
Chamados por escripto.
mmmmmmmm mwm mmm
Precisa-se de nm creado para todo servico
do hotel, paga-se brin, prefere-se escravo : a tra-
tar na ra eslreita do Rosario n. 11, hotel Lisbo-
nense.
Precisa se de una ama de leite sem lilho :
na ra da Palma n. 57.
Pede-se aos seguintes senhores, queiram ap-
parecer ra das Cinco Ponas n. 82. ou annun-
ciom a- r-nas mnradis para seren procurados :
Manoel Pereira de Azevedo.
Manoel Pinheiro de Mello.
Berr.ardino Vieira da Silva.
Jos I.uiz da Silva.
Joaquim Manoel Cordeiro.
.11
Precisa-se de nma ama para lodo o servico de
urna casa d familia : a tratar na ra da Cadeia
n. 46.
Precisa-se de um caixeiro para urna pada-
ria no mato, com pralca, e que afiance sua con-
ducta : a tratar na rna do Encantamen[n"n n
T Aluga-se urna escrava, a qual engomma e
coinlta perfeitamente : nuera pretender dirija-o
a ra da Alegra n. 46.
para una s pes-
Precisa-se de urna ;>ma
soa : na rna do Vijrario n. 29.
Tra'passa-se o aluguel do 1 andar de uir.
sobrado sito n'uma das ras mai-; cancorridas da
Bia-vista, cora mui os commodos, mesmo para
grande familia, boa cacimba com excellente bom-
ba, um grande quintal muito bem plantado cora
flores, legnmes e fructeiras, finalmente quasi um
sitio: trata-se na ra Nova n. 39, foja de ferra-
gens. _________^__________________
Precisa-se
de una cozinheira : na ra da Cruz n. 16
Ama
Na ra do Codorniz n. 8, precisa-se de urna
ama para cozinhar pira quatro pessoas.
I
Arrematado
No dia 27 do corrente. depois da audiencia do
uizo municipal da f vara, tenido se arrematar
em praca o engenho denominado Santo Andr,
sito na freguezia de Muribeca, com suas trras,
casas de vivenda, de purgar, de caldeira, senzalla,
suas respectivas mattas, paslos, logradourose mais
pertences, cora quatro casas em differentes sitio-
perlencentes a mesma propr.edade, por 40:000i.
por execucao de liburcio Valeriano Baptista con-
tra o eapitto Antonio de S Albuquerque e outros,
servao Santos.i _____
Tribunal doommereio.
Tor esta secretaria se faz publico,, que em data
le 11 do corrente o Sr. Joaquim Lopes Machado
toi adraitlido matrcula, oa qnalidade de com-
rnerciantn de grosso trato, eslabelecido nesta ci-
dade.
Pela m israa se faz publico, que se acham re-
nto da soMedade de Jos Fortunato dos
>jrt>. Jos Bornirdo Menles e Antonio
dos Santos F.ilco, que gyron sob a flr-
i les, Fate-) <* G, licand i a cargo dos
uliimo* a liqaidaco da activo e (>a ito de loaquim Lopes Machado e Jos
11 ven Peuna Jnior, c4abel6eid<>s nesta
n casa de com nercio do impiatacao, sob
airm do J taquim Lupes Machado 4 C, e o ca-
pital de 40:0005000 fornecido pelo socio Machado.
Rio de Janeiro,
Para o indicado porto, pretende seguir com mui-
ta brevidade a barca portugueza S. Joao, por ter a
maior parle de seu carregamento engajado ; e
para o resto que Ihe falta, trata-se com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Beltro, ra do
Commercio n. 17.
Porto e Lisboa
Segu para o Porto com e barca portugueza Saphira; oara carga e passa-
geiros trata-so com os consignatarios Thomaz de
Aqnino Fonseca 4 C. ra da Vigario n. 19, bu cora
o capitao na praca.
BAHA
AVISOS DIVERSOS.
Precisa-se de um caixeiro com muita pratica
de miudezas, quera esliver nesta circumstancia
pode dirigir-se ra larga do Kosario n. 38, que.
se dir quem precisa ; promete-se um bom orde-
nado.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:0001
Bilhets garantidos.
\. ra do Crespo n. 23 e casas do costome
O aoaixo assignado, tendo vendido alm de nu-
tras si res, um inteiro n. 4455 com 4:0005 da lo
teria que se acabou de exirahir a beneficio da
matrir de Nnssa Senhora da Penha de Gainelleira
(124a) convida aos possuidores virem receber,
na conformidade do costme sem descont algum
Acl am-se a venda os bilhets da 2' parte da
loteri;.. beneficio da igreja de Nossa Senhora da
Soledade do Recife (123') que se extrahir quinta-
feira do mez vindouro.
Precos.
Os do costume.
Manoel Martras Pinza.
Frei LudKero do. Sautissiuio Nome de Mana,
convida ao3 sens prenles e amigos e os do fina-
do seu lio e padrinho Andr Alves da Fonseca,
para assistirem a missa do stimo dia que ter
lugar na igreja do convento de S. Francisco no
dia quarta feira 27 do corrente pelas 7 horas da
manha.________________
waHHHESHHEIBlHI^HHMIMBIlKHHHHHSBaL
I mandade das almas na ma-
triz de Santo Antonio
De ordem do Sr. juiz sao convidados todos os
irmos desta rmandade para se reunirem em me-
sa geral no respectivo consistorio pelas 4 horas da
larde do dia 28 do corrente (quinta feira) afim. de
como delermina a seceo 1.* capitulo 3. do com-
promiso, eleger-se'a mesa regedora. que tem de
servir no futuro anno de 1869 1870
Consistorio da rmandade 25 de outubro de
1869.
O escrvao
Manor 1 Camello Pessoa.
de
Ama
Precisa-se de urna ama
Hospicio n. 38.
leite.
de leile .
na rna Jo
Aluga-se urna casa na Capunga com com-
modos para familia : a tratar do mesmo lugar,
ra dss Crioulas n. 5.
f"

Jos Joaquirad Silva Guimaraes, sua mulher
e filhos, mandara celebrar no dia quinta-feira 28
corrente. das 6 1 horas da manha na matriz
da Boa-Vista algumas missas, por alma do seu
tinado Glho Secnndiano Jo< da Silva Guimaraes,
1" anuiversario de seu falecimento, convida nois
aos seus prenles c amigos, a comparecerem a
esle aclo de caridade, que loes sero gratos.
AMA
Precisa-se de urna ama para todo servico de
urna senhora : oa ra de S Bom Jess das Criou-
as n. 8.
.ana.
Preeisa-se de urna ama para comprar
nbar para urna pessoa
rio n. 2, i' andar.
e coz-
na ra estreita do Rosa-
0 palhabote Garibaldi, capitao Custodio
Vianna : a tratar o ^m Tasso Irmos.
Jos
Para o Porto
segu com brevidade a veleira e nova barca por-
tugueza Isolina ; para carga e passageiros, para
os quaes tem excedientes commodos, trata-se com
os consignatarios Antonio Luiz de Oiiveira Azeve-
do 4 C, rna da Cruz n. 57, 1 andar.
PARA 0 PORTO
sahir com a possivel brevidade o palhabote por-
tuguez Villa Flor ; tem parte da carga tratada, -
para o resto que Ihe falta, pode, enten ler-se com
David Ferreira Bailar, rna do Brum n. 92, ou com
o capitao a bordo,
Jos Maria Goncalves Vieira Guimaraes par-
ticipa aa respeitavel publico e principalmente as
pessnw nue deven 'i casas da roa Nova n, 49 e
ra da Cadeia do Recife n. 84, armazens de ntica,
que rao paguera aoseu ex-caixeiro Joaquim Gon-
Salves Vieira Guimare-, visto que desde o dia 12
e ag .isto est despedido da casa ; por isso previ
ne-se que ninguem pague conta alguma ae mesmo
sem que seja o caixeiro da casa, e que nao se
1 vari em conta reciboalgum d'esta data em dian-
te. r rifo. 26 de outubro de 1869.
Jos Maria Goncalves Vieira Guimaraes.
Precisa-se de um moleque para lodo o ser
vico le ra em urna casa de familu : ra es-
treita dn Rosario, sobrado n. 35.
Precisa-so de nina ama para tratar de urna
pessoa : na travessa do Campeilo n. 4, segundo
andar.
Na ra do Vigano n. 22, 3o andar, precisa-
se d( urna ama forra ou eserava.
Precisa-se de urna ama para cozinhar em casa
de homem sulieiro que tem pouca familia: na ra
do Crespo, casa n. 11.
ATTENCO
Deparando-so no Diario de. hentem n. 244, com
nm annnncio em que oSr. Dr. JoSo Ferreira de
Alraeid Guimaraes diz ter justo com o Sr. Manoel
de Souza Pereira a venda do sobrado de 2 anda-
res, sito a rna da Guia n. 31 ; faz-se publico que
este sobrado pertence a Jos Antunes Guimaraes
e ni ao mesmo Sr. Dr. como alli se diz.
Vapor at Sergipe.
Pede-se aos acadmicos que assignaram a pe-
lico dirigida ao gerente da comp nhia Pernambu-
cana, ptdiiulo para mandar nm vapor al ao Ara-
raj na dia 30, a honda lo de ir comprar sua pas-
sagens at a vespera da sahida de vapor, para en-
lii ser annnnriada a partida do mesinn>_______
Quem anntiocfou hontam querer urna escra-
va para os servico que di% para dentro do sua casa ;pp Carino n. 40.
AVISO
O Andr Delsuc, cobelleireiro, ra do Crespo n
7 A, Io andar, faz pernambucano, que ao distincto artista francez
Eduardo Millo, poder er dirigido qualquer en-
commenda de penteados, trabalhos de cabellos.
etc., etc., o qual Oca desde hoje inteiramente s
ordens da boa freguezia que frequente este salo
de Coifure,___________________
Alugam-se duas casas em Beberibe, no Por-
to da Madeira. com 2 salas, 2 qnartos, cozinha
fra. muito frescas e a boira do rio : a tratar na
ra Dn_ta n. 69.
Acha-se fgido u escravo cabra, de nome
Rttflno, alejado de urna mo, oupad > da cor, mo-
co, sera barba, escravo do Sr. Austreclino de Cas-
tro S Brrelo, senhor do engenbo Poco, era Agoa
Preta : quera o pegar leve-e ra da Praia n.
43, taberna, que ser gratificado. Julgase adiar-
se o mesmo nesta cidade, d'onde se ausentou.
Precisa-sede una ama para casa de pouca
familia : na ra das Trineheiras n. 24.
Aluga-se nina casa terrea com solea, pro-
pria para estabelecimento, sita ra do Paysan-
d, rom os seguintes commodos: a rotea com 2
grandes salas, o quartos o cozinha fra, tendo
oavimento terreo lambem 2 grandes s.las, 1 quar-
to, cozinha fra e quintal murado : a tratar com
Manoel Antonio da Silva Ros na estrada do Ca-
jueiro, sitio n. 1.
(110
COZINHEIRA.
Prerisa-sc alugaruma nscrava que seja boa co-
zinheira : na ra dn Crespo n. 23. _______
Escrava.
Precisa-se alugar urna preta escrava anda que
seja vclha, para o servico interno e externo de
urna casa do pouca familia: a tratar na ra da Cruz
n. 28._______
Precisa-se de urna, art que saiba engom-
mar bem : a tratar rna d>" Imperador n. 63, 2o
andar.
Aluga-se no sitio Chacn urna casa eom 4
quartos, 2 salas c csmha. defronle do rio e perto
d i estacan da Casa Forte; outra ca sala e t quartos; traja-se no dito sitio, on na ra
da Imperatriz, venda n. 39^_________________
fiera cozi -
o bem conhecido Jos Coto, por ter um s braco,
escravo da padaria allemaa, em Santo Amaro, na
noite do dia 22, levado pela forra da cachaca, ("i
cshir em algum arrabafde. levou um balaio na
cabeca, que talvez o perdesse no giro : quem o
capturar ser recompensado.
Aluga-se
um sobrado de um andar e loja propria para al-
gum estabelecimenlo, na passagem da Magdalena,
esquina que vai para o Hospital Portuguez, tendo
o sobrado 2 salas, 5 quarlos, cozinha fra e quin-
tal, e a foja 1 sala, 1 quarto, cozinha e tambera
Siiintal : a tratar com o proprietario na estrada
o Hospital Portuguez. sobrado n. 1.
ATTENCO
Na foja de fundara da porta larga a ra da
Imperatriz n. 6o, tem um grande snrtimento de
candiciros e lamparinas para gaz, de lindos gestos,
e obras de funileiro, tendo 1 santuario de gostoe
bem acabado, assim como vende bombas, tornei-
ras, etc., e encarrega-se da encanaeao d'agoa para
qualquer casa, ou estabelecimento, tambera vende
um bonito e moderno fogo inglez, nao s cozinha
com lenha como com o carvio. Na mesma luja
concertam-se todas as obras de encanamento e
machina do costura, asseverando que acharar-
serapre prompto a servir bem os sens fregueses :
a tratar a mesma foja a qualquer hora, que ser
a Hendido.
A quem vai para Europa
Recomntendamos o modesto hotel particular da
cidade do Porto, ra de Santa Calharina n. 135.
palacete bem dirigido, com commodidades par?.
homens e familias decentes, aoode so eooontrf
hora tratamento por mdico prec. j
O lesiamentoiro do fallecido suMH
Joao Vignes, convida aos devwforw
Precsa-s.j de urna ama que saiba
nbar para casa de familia : no Corredrr do Bis-1 saldaren) seus dbitos amiga'
po n 23 I sero ajuizades sem excepfto alguma.
francer
lina do s
rotrarfo

I



rio de Penyunbucq Qaarta feir ** &' Outubro de 1869
Mikroskope achroma-1OV^
tishen. Objetiv Lin- AtmtWJIU & \)
sen. '
Barmetro e tenno-
metre. Centigrade
e renumeura.
BC11LBS IlIISMfltBS
MIZEn DOURaDO
Nova loja de calpado
JOAQUIM DAS DOS S.\NT0S & C. acabatn de abrir om cstabeferimento Al ai-
fado estrangeiro a ra Nova n. 30, onde o publico encontrar tndo o pe* ueste ge-
nero de commercio ha de melhor e de mais gosto cm Pars e Londres.
Por lodos os vapores transatlsnticos recbenlo oiles constantemente remessas da
calcado novo, pelo que ter serapre o estabelecimento o que a respeito se p gir. Ae publico em gem e a seus amigos em particular, pedem a cooperara, qm
Ibes possam dispensar, certos de que serao servidos rom lealdade.
E crystal de rocha do Brasil
F. o. Germana, recommenda ao publico, seas vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com estes Airas, a vista descansa, fortifica-se e nao a canea como cora
os v dros ordinarios. Urna vez escolhido um v.dro, pode dorar dez annos, emqnanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-lo* todos os nos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do olho ^"ni quaii empre do-
res de cabega. 0 alcance ordinario da vista eperto de 30 cenioetros doho.e
todas as vezes qno o objecto est mais perto ou mais longe, os ra.os que pellesjo
mui convergentes ou mu divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numero de
oessoas tein o deeito de fazer convergir muito de sorte qne a vi sao nao e distincta.
Com a applicarao de meus vidros pde-se vencer estas difficuldades Para isla curta e cujo crystalino mqi convexo (o que r ver bem, de perto e mal de
lone), o que se chama myope, por-meio de om v.dro concavo afTasta-se o ponto de
vista o que faz divergir os objectos e deixa ver lo longe como as ontras vistas. Qoan-
do o crystalino milito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o oue se chama prcsbyta, vem melhor de longe que de perto, e nao enxergam senao
um nevociro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
tan distinctamente como na idade de 15 annos. Servindo-se desles vidros qaando e
vista principia eufraqoecer, previne-se o mal.
F .1. Germano cncarrega-se pela sus experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a prineira vista, seja qual for a iade egro de vista, oculos propnos para
qualquer pessoa, # _
Para que sao fabricados estes vidros f f
Para a vista que nao snpporta os raios
solares ncm grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
es-
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras Vremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a vista que so turva com o traba-
Iho e a lcitnra.
Para a vista prcsbyta (vislagalon ).
f :[:
',
Soru'men'.o de binculos
para thearo, c oculos
de
o campo c ma-
alcance paia
rinha.
Lunetas, ptnce-nez e
face--maia, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sorlimento de relogios para parede, que dao horas c para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada cf oleada, inglezcs, suissos
cantes. i i
Vendas ora grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua (ovaN. 21.
e orisontaes dos melhores c mais afamados fabri-
CONFElTAItU DOS t MMZES
16 RA DI CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
les quatidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces dt
Incumbe-se de encommendas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
samentas, a saber:
Pecas de noogat. Pes-de-lot enfeitados.
Ditas de p3o-de-lot.. B0II06 idem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folliadas de crme e carne.
Bandeja com armacSo de assncar. Empadas._______________________
HOTEL CENTRAL
RESTAUNT A LA CETE
DE
Francisco Garrido
Entrada geral ra larga do Rosario n. 37 e para familias ra
estreita do Rosario n. 4 A.
Este vasto e acreditado estabelecimento sem duvida o que offerece maiores
vantagens nao s em presos mdicos como por sa tornar o mais prximo possivel das
estaejo dos caminhos de ferro e ser beira mar do caes Vinte e Doiis da Novembro, que
tambem se presta ao embarque e desembarque dos passageiros que vem de oulras pro-
vincias o da Europa, o que preferirem essa accommodaco menos despendiosa nos trans-
portes da bagagem.
Os hospedes acharao todas commodi-iade era grandes salas e asseiados qnartos.
H sala para leilura de jornaes nacionaes e estrangeiros; na mesma ha um
magnifico piano para recreio.
Ha urna outra sala para jantares particulares.
Come-se a mesa redonda a la ca te e manda-se domicilios.
Os vinhos Mais firros do merrado acliam-se no estabelecimento.
A' noite ha s irvote e refrescos, caf, cha e chocolate a toda a hora. Tem mag-
nficos, buhares de mogno para divertimento.
Falla-se hesp-nhol. francez, italiano e inglez.
AS B0U1MS
E
Todas as molestias syphiliticas.
PKI.0
ELEXIR DO DR. SEVIAL
ti oios depurativo sem mercurio que tanta aceitado teas raeieddo no Bra-
sil, as repblicas do sui e na Allemaiiha especialmente para cura das boubas,
i'f sarnas, rlieumatismo, toda? as molestias syphililicas e em geral todas aquellas
rj la empureza do sangue.
OMCe DEPOSITO
HA
iPharmaeta e drogara.
ni?
Bartholnmeu i C
34Itua Larga do tlnsaro3 & g|
A' ra do Crespo n. 20 At esquina da ra das Cruzes.
Alvaro Augusto d'Almeida & C partecipam ao respeitavel publico, e com es-
pecialidade s Exmas. Sras. qn o seu amigo e acreditado eslaUeleeimento ra do
Crespo n. 20 A, de poqneno que era. acaba de ser transformado era urna bonita e vasta loja
de fazendas finas anude pela soa localidad? camplidao, o publico nlos ter todas as co-
modtdades para faer snas coupras, como acha-te-hSo desd^ j prvido de um variado e
escolhido sortimento de fazendas finas e grossas, o que tndo se vende por. precos m-
dicas,
Este etabelewmento, apuxar de estar j bastante conhecido, os seus propieta-
rios tem resolvido entitiila-lo por LOJA DOS ARCOS, para evitar equvocos, e torna-tn
por esta maiieira anda mais ptmolar. Encontra-se nesta leja
Rices cortes de Mohd e de seda branca para noivas.
Ditos de seda de cor e pretos.
Bmchad de sdaw azonda mteiranien,te nov.
Foolard Hevt klt* dem.
Lias d mi#o |pns.
Ortrtes de caaihrtfae chita -Marta Antoiwene.
Saias Iwrdada*. mminhn, pWttHkos, halKtes basquinas, fichus, sombrinhi..-
luvas de pMca. chapeos' eit.
Ha tambera conUantenwiite nompleto sortimento de esteiras.da India pata
fnrro de salas, assim como .\leatifa, tapeta, capachos e muitos outro artigos, qoe sera poi
demais mencionar.
-*-J. i..' .. -"'------l"i
jlWWH^
t?
ZS5
r:
ZS5
r*v.
^g3',"
ANDR ELSC
cabellkim:ii!0
-7 A Eua do Cre-po1." andar 7 A
ENCONTRAR-SE-lA s.mprc neste cstil^iccim.nto mu variado e benitosorti-
oaento em porfiimnrias francezns e inglezas coja lista damos aos leilores.
LUVA8 .Marca garantida de JOVIN.
EXTRACTOS.De superior qualidade miras LUBUf & GOSNELL.
DITOS FINOS.em frasqinrmoB pmprkn para presentes f.ebin & Cosneif.
POMMADASBanha una de varios rhi-irosLubin.Gosnelfe, Soctet Hjginino
sAIIONETESlin: s para toilette Lul-.m Monpelas. _
SAU DENTIFWC.agua para limp ir (lentessocit t llvgini ;ue Lu>:a & R.
fierre.
BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabellos- Lubin.
AGUA DK COLONIIA.Marca verdadeira de Jo5o Marina Farfca.
COSMTICO.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
IIUILE DE SENTKUR- Oleo para consena.-o (hweabeltes- ^y'iA-; IIJrgiaiin
SCOVAS FINAS.para cabellos, denles e urdas.
RLAIREAU.Pincel para barba.
GRANI'OS.para cabellos.
REDES INVMVEIS para cabellos.)
GRAVATAS LIND1SSIMAS.do melhor gosto.]
RNGAliAS. dephaniasia, para passiio o .le diversos lamauboseic, etc.e'c.
A la parfumeriearsienne.
7 A RFA DO TP FSi0 I n \ \DAK 7 A.
XA R O P E
VEGETAL AMERICANO
SAUDAOF

BARTHOLOM 10 C"
rara i cara certa at Wnc luiif u c raccotri, caurran paianotr, mImm ; lti< coinlra,
kroacks, o ero gfral centra Mes os selWmtntm dis fin reipirsteri.
DEPOSITO GERAL
BOTICA EB DROGARA
34, ROA LARGi DO ROZARIO, 34
PERNAMBUCO
A therapeniic das diversas rt*leiis do pililo,dade
arrogile no mal da garganta at > tutciT|U\lo
polmonar, passanJo pelas difersn bronchites calrrbacs
afkraBa acaba de sar nraqneeida cosa mais
sale medicamento, que tomare a priranra onlm eairt
todoa ate hoje conhei-idoa. O sirope Vegetal Americano,
garantindo pinamente vegetal, nao conlm em ana
composii;3o ni* sd alomo de opio, e aira somente an-
eos de plantas indgenas, cujas propriedades benficas
enreda moMsiia* qne pertencem ana orgS is de res-
ptneto foram por nds obsertadaa per leepo tempe,
can ptimos resoltado caita vea mata crescemoe; piro
joe dos jalgaroos sotorisaHos a cotipor e javas*' im
agora apresnoiamoa, e a oflrrnca le aae SMlietta e ao
publico, Proiamos com oa alienados abana qa* le-
raesos dito, untiisme que conceka ale qne je gosa
xarope fegdal Aoienrone creewe da d'a a da,
ieixindo mona apoa de ai todoa oa se iterase ib voga.
Illm. Sr. Baitfialomeo C,-0 lampa fagttal Ame
esifl
le. preparado m na concetlB
e aaai til rrentlia pera eombeier I awarver avrhma
mi ('farmacia.
rritet aavtMe
iialla molestia fea rreatre ewiea tea aiada
' Servia ea
tercombando naataqoea menean qae liaba ; i~fc- Diinjio
apa live fui firrlu-aimo qoe me prolea)por t da*, oeei.
Mram sen miraaroso larope, lomando spebas Ir
esas, a ate o presente nio fai de aovo atar ido Hrasa
eae, faw M I^ae raalabelecido por au ves. Rende-
Ihe, poie es mees agvdecimentos por me ter ovMo <
lio homvel mal. Com a mais sigaiBeativa gratadarv
aaeoerevoaie ae mea. sffsetaese s rreeabeeide arM*.
c-----'-- fnii-fi. jaa fana H J*f" ** *""
lllma Srs Banaeleaneo C. Depara de e*asi asm
Beies ds sorrrimeae con ama tosa* meeasante, Ua*
extraonHnarib. etpatloracao da om caTarrbo a artife-
do. e perd ttttf des tfreaa. oee o menor asjearts
se faHffTa ea^ieieaaeeiea, eaawadb Je tevear omvaem-
tros retned ios sea resaltado tire a felicidade de ulujoaj
Vmcs. praparavaaae sarape Veteral Americano, a eera
elle gracaa a Ilaaa. abe acho raaubelecido lio seaUdev
dois meses, e rubaaea esa se nada livaaaa aoffnde. 4
praliiHo sea fbrta s aeU declaracio, aae podnree Vmt.
fazer O netf ota eWatreot.- Son osee estime 4e Vex.
te.iHos respaiudof e erted. ~lMe h^mm- i
Coairo a Silr*. eaWT'
ftoeafc $ da fuvardbja de IMS.
Atiesto M efl *Jrarepe VagMal aavicasM.
composief dnam farrlroU.meo IC. para cera 4a a
forte (telase 1 ***"*>*"W**"^ ov *
fasia artlHfcaVr. is4a*eatao a IV *a a. aaaee.
rrande falte a>rsasanaiae. e ttaaei aow|ri
tabstesefc om ae a*ira> de araste* twore: aa
qae Ibas proteste eteVaa gralidaa. larili ttf de Ja-
neiro da WM. Jeasaim hrtin ireMar';,
EaOe rsiaabaciat.


Diario de Pernambuco Quarla fira 27 de Oulubro de 18(>9.
9
i
GAKLUK
Veiule-se
para dia de finados (3 de novombro), na luja de
Antonio Angosto dos Santos Porto, na praea da
Independencia, nniro deposito nesta cidade, rifas
e apollas para su eollocirem as catacumbas e t-
mulo, no "eomnYrto publico e as groja?, com
as inscripcoes sectales :
Meu pai.
Minha ma.
Meu esK9ci.
Minli nmm,
Met fimo.
Minha fillia.
Meu amigo.
Saudade.
Urna lagrima.
Os senhoros credores do fallecido Antonio
Terrena Gomes, queirara dentro do prazo
de & dias (os qno ainda o nao fizeraro),
apresentar as sitas contas ao scu lestaraen-
teifo Manuel Ferreira Pinto, i praca da
Independencia, para serem verificadas, e
pagas da que Iho tocar ero ralei.
Recite 21 de outiibro de 1860-_______
Alnga-se uina casa para passar a testa, na
Passagcm lo Caldeirciro, a beira do rio C.apibari-
fce, confronte ao Sr. Dr. Aleoferado: iiiicm pre-
tender dhija-se na do Pavsand, no Cajueiro,
n. 19.
Na ra da Mneda n. 5, i' andar, eseriptorio
de Mm>el Alvos Perra*ni & C, vende se vinho
veril superior em barris, aucoretas com vinlio do
Pona sii|Kjriore malvazia branco.
Imperial fabrica de
cerveja.
E:n b;;v.i ehegar urna parca de batatas novas
desaseadas vapir da fabrica de nossns prenles
1);- --! r & li "i It. i 'I iV'>m-i!,i>remi.id lo expoaico do Aliona, presidida pelo ronde de
ismirek Sefcoenhansen da medalha do onro de
primeara classu, o favorecidos |ie lo mesmo ministro
do fofneeimento da marimba norto-alleraaa, assim
eMmJettes foratn honrados do meJiiie forneri-
mento pelas tres expe lie/es M polo norte. Estas
ba'aias nmservam-se por annos, nm kilo equiva-
le a mais n 10 kilo-, btalas frescas. F." de una
grande vantagem pela m irinba 8 nos pai7.es quen-
lea, sonde umitas yezes. este alimento falla no
increada
AMA
Preeisa-se de urna ama para andar com urna
menina o fazer o servicu interno de uina casa de
(nuca familia, p4e ser nacional ou eslrangeira : a
tratar na na Nova n. ii, loja.
Precisa-so do una ama para eoxfobar e fazer
o servicu do casa : na ra da Impuratriz, loja nu-
mero !)._____________________________. '
Um moco de ida le de 17 annos, cun milito
I un (albo de letra, saliendo arithmetica, traduzir
(raacezo ingle;., offcrocesoompregar-se em al-
nnu casa de eommerci, dando Dador a sna con-
ducta, se for preciso : qnem precisar dirija-so
na da Matriz di Boa-vista n 26, 1 andar, onde
se ilar.i informacSes a respeito, ou nnnuncie por
oste Diario para sir procurado.
Precisase de uina ama para o servico de
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de taberna : na ma do Brnin n. fi3.____________
Precisa-se de nina ama para eozinhar e com-
prar : na ra de Huas n. I.
COMPRAS.
Compram so moedas de otrro e prata de to-
do.! os valores, onro e prata em obras inutilizada*,
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
orives ilo arco da i'onceicao, no Rerife._______
0 muzeo de joias
Na na do Cabug n. i compra-se onro, prata
e oedras preciosas por procos mais vantajosos do
que n outra qualquer parte._________________
mnwHi i
-
s
_H3'\J'Xrk r\ft
Oi.npram-se e vendem se diariamente para fra
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, eom tanto que sejam sadios : no
lertviro andar do sobrado n. :io, i ra das Cruzes,
freguozta-de Santo Antonio.
Com inulto Hwior vantagem conipram-se
mondas de onro e prata : na loja do joias do Co-
racao de Of.ro n. i D, ra do Cabng.
i iiii
evada.
Vende-se cevaiKl mtiHo Rovsr o>'Usboa : na ra
Direita n. 30, a :t-200 a arroba.
Vndese urna cailoira para esa iptorio :
roa larga do Rosario n. 21, loja de raleado.
na
Vernizes.
FAZEMDAS
A OINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
p AAq
DE
FLIX PEREKR1 DA IIiV%.
0 proprietario d'este grando esiabelacitnento, vendo que se esl aproximando o fin--
do auno, e tendo em ser um grande deposito deposito de Cateadas; nao fallando ctfi
avuttadas encoramendas que Ibes esliSo obrigado todos os dias, Um resolvido liquda-
las por preco muito mais baratos do qua era ontra qualquer parte ; s com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase neste t'st;rl)elecimento do
PAVO, avultado sorlimento deiaz^ndis de loxo c modas; assiui como de primeira
necessidade. As pessoas que negeciam ?m pequea escala n'csta loja poderito surtir-
se vendendo-se-lbes pelos precos que compram, n s casas inglezasj'assim como as ex-
cellentissimas familias poderlo mandar bu;car as amostras de todas,as fazendas, ou man-
dar-se-lta levar polos caixeiros da mesma loja em sitas casas; n cstabelecimento se
acha constantemente aberto das 6 horas da manhla .1s 9 da noite.
.Explendido sortimento de,
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATmZN.CO
Vndese ii esrriptorioito Ja,^niin Geranio de
Castos, roa do Vigar W, Mimeiro andar, os
seguintes vernizes em latas de 6 e 9 libras, do
acreditado fabricante b P3f*, ttefano Antonio
dos Santos Lisboa :
Veiniz copal escuro.
Dite dito claro.
Dito dito escuro proprio parj obras de folha de
Flandces.
Dito dr& oaro'oq'*enrad%Wf. ________
Vendem-se citco esrvB'6!c*>, (te 12 a M
annos, sendo mu delles mulato de bonila figura,
jir.ipiio pr* pagem. te:>*) a offieio ck) mdremeria:
im ruat-itn* Qneiitiaitry n.-4'!*f S*'9t4ar. _______
Predio nov .
Vende--e urna casa terrea 'm solo proprio, e
n la a ni derna, e bem construida, frenle de
tres lijlos cacimba innito boa, na freguesa da
jjiia vista : a tratar com Alexandre dos Santos
Barras (liria) ra do Monegfj ou becco das Bar-
i 'iras n. lo.
A .1G0 rs. o cavado.
Vendem-so bonitos' organdys de cores com bo-
nitos padroes e lixes a IO rs. o covade.
CAMISAS PAHA SENH"RA.
Vendcm-se linissimas camisas francezas borda-
das para senlioras, na luja do PavSn.
AS CEUiZIAS DO PAVO.
Acha-se este grande estabelectmenw coot-1 vendem so a^ oais tinas celezias, esgnioes e
pletamente sortido das melhores roupa:>, bretanhas de linho por preco muito em soma.
sendo calcas nalitts e coletes de casemira, PSTAO BflAfCO PARA vestidos a cwns.
,ta nsnnn an hrim tAalnaca p di> tnd,'s Vende-so fustao beanco, com lista e lavradmhos,
de panno, de ijnm, e alpaca, e nt mmi.s mnU) (( vi.tklS e n)n do mcDnof_t
as mais facendas que os compradores pos- a 6i0 r< n cova)ja
sam desejar, assim como na mesraa loja noiXEHiMios PARA srxiioras.
tem umbetlo sortimento de pannos caserei- Vendem-se Batoriums coHermfcos de c.guiaode
ras, bris, etc. etc. para se mandar fazor ^f^wj-i* c tambem para me-
qualquer peca de obra, com a maiorpromp- alpacas DE cobdao.
tidik) vontado ^0 freguez, e n0 sondo Tendcm- se as mais brilbantes alpacas de cor-
obricados a acceita-las, quando nao estojara daozinHo para vesiidos, te-nlu as mais lindas cores,
comcilet^ente um contento, assim como ^^ fc .SAST ClC- ^ *
TABLATANAS.
Vende-so finissima tarlatana branca e do todas
as cores, assim como fil manco lizo a 800 rs.-
vara.
ALG0D.V0 ENTESTADO.
Vende-se superior algedaoilnho com dnas lar-
guras, pro|uio para lennH's, sendo lizo e entran-
gado, c vende-so por preco muito rasoavel.
MEIAS PARA MENINOS A 35300 RS.
Vendcm-se duzias de meias superiores para
meninos e meninas, pelo barato prego de 3oi)0 a
duzia.
BASQUINAS DE GIPUZE.
Ckegaram as mais bonitas e modernas basqui-
nas metas de guipze, que se vendem mais barato
do ciie em ontra qualquer pane; assim como as
mais delicadas romearas ou pelerinas de croeb
piulas, enfeiladas de verde e ontras cores, que se
vende muito em cunta.
CHAPEOS DE SOL.
Vendo-se um grande sorlimi-nto de chapos de
sol de soda e alpaca que se vendem muito ba-
ratos.
LENCOS BBANCOS.
Vendem so bonitos lenijos brancos e de cores
com barras e abanliados,' pelo barato preco de
1500 a duzia, ditos de linho abanhados a 04 a
duzia, ditos de esguiao para varios precos, ditos
de algodao a 23 c tj600 a duzia.
A 50000
Na loja do Pavo vendcm-se modemissi-
mos chales de fil preto com lindas palmas
de seda, pelo barato preco de jJOOO,
pe chincha.
BASOIIN.VS A l,)0OO
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 125000 cada urna.
PARA ESCRAVOS
Na loja do Pavjo vende-se estamenha
de algodo mesclado para vesiidos e roupa
de morques a OO rs. o covado, na ra
di Imperatriz n. tO de Flix Pereira'^
Silva.
Papel para cmbrnlho.
Compra-sc papel para cinhrulho : na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 00. de Flix Pereira
da Silva.
FOSTES BRANCOS PARA VESTIDOS A
iOO RES.
Na loja do Pav5o vende-se nm grande
sortimento de bonitos fosles brancos, pro-
prios para vesiidos c roupas de creancas,
assim como tambem para roujas de ho-
mens por serem de lavores miudinhos e
banlante encorpados, e vendem-se pelo ba-
rato prego de 100 rs. o covado nicamente
na loja n. 00 da ra da Imporatriz.
AS ALPACAS DO PAVAO A 610 RS. O COVADO
Vende-se um grande sortimento das mais boni-
tas alpacas lizas tendo de* todas a cores, iriais no-
vas que tem vindo ao mercado e vendera-se a 610
rs. ao covado. ,
ALPACAS BRILHANTES A 60
Na loja do Pavao vende-se as mais bonitas al-
pacas I a vra di n lias, tendo de toirss as cores fe *s
vendem a OW rs. o covado.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chegou para a loja do Pavao um grande sort
ment das mais bonitas alpacas brancas lvradas
e de cordao sendo n'oste genero o melhot o mais
lustroso pue tem viudo ao mercado, tem alguraas
tao linas c tao bonitas qne servem para vestaos de
nnivas e vondom-se por commodos pregos.
LAZINHaS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Chegou para osle cstabelecimento um grande
sortimento das meHmres e tna'M modernas laazi-
Vendem-se 180 saceos com farinha de mandio-
ca e por proco muito barata, cujos saceos aeham-
sc no trapiche denominado Sarao : a tratar na
uia do Codorniz n. 8.
Vendem >e roles de sicupira para obras rte
carrocas : na estrada do Arraial primeiro sitio
com porta i piubido de encarnado o laucas bran-
cas, de Marcelino Jos Lopes. ___
bigeament)
Vende so na ra de Apollo n. i, lagedo para
calcadas c armazens,______________________
Vendm-e quatro escraw< de 18,20, 2* e
30 annos, todas com habilidades, um bom preto de
iO annos, que tambem cozkiba : na ra de Hurlas
n.96______________________________________
Vendem-se diversos tseravos pe^-, proprias
^>ara armazem ou engenbo, viudos do Cear, as-
sim como algumasescravaaeom habilidades e sm
Ras : na ra da Cruz a 85,3* andar.
Vende-so orna parte de nm sobrado na ma
. IMretta n. I7 ; a tratar na nta das Larangeiras
n. 31._____________________________________
Vende-se urna taberna em nuutu b-wi lugur.
por ser de esquina : na rea Direita n. 74_______
' Vende-se uiua canora nun pin i nafa catre-
saragua; a ver o tratar na rea o Jaruim n. 27.
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linbo e algodao e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras prome;-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
I outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 00, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A IS00
Chegou para a loja do Pavao, ra da
mperatriz n. (iO, urna grande porc2o de
p.-eas de bramante com 10 pa.lmos de lar-
gura, sendo a largura da fazendao cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 15800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras multas ap-
plicacoes para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-so urna grande porcao de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo roa da mperatriz n. 50. De Felis
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o covado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeiados, sendo com os
fcitios mais novos que tem vindo aO merca-
do e vendem-se muito em conta.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encentra o respeiiavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pelas de todas as qualidades, fazenda de 15ade
todas que tem vindo, proprias para luto, coma
sejam, lazinbas, alpacas lvradas e lisas, cantac,
lioinh.izinas, merino, etc., quo tudo se vende por
preco barato.
NOVAS BASQUINAS COM CINTO.
Chegaram as mais modernas basquinas de gros-
denaple preto, ricamente eufeitadas, sendo df nm
feitio inteiramente novo, eom ricos cintos largos, e
vendem-se por preco razotvcl
CASSAS FRANCEZAS.
Vende-se um elegante sortimento das mais finas
e mais moderna? cassas francezas que tem vindo
ao mercado, sendo com padroes miudinhos e
grandes, e vendem-se por preco muito em conta.
AS SEDAS DO PAVO
Altas nividades.
Pelo ultimo vapor chegaram para loja do Pa-
vao, qne vende mais barato do que em outra qual-
que' parte, as sedas seguintes : ponpelinas ou
gorgnres de linho e seda, com os mais delicado''
padroes, sedas de listras, padroes inteirament?
novos, groz de todas as cores, sendo verde, azul,
Ivrio, rosa, cinzento, etc., setins, branco, azul,
verde, roxn, lyrio etc., etc., assim como um gran-
de sortimento de grodenaples prctos de todas as
qualidades, c superior gorgurao preto de seda
para vestidos o cohetes.
AGRACIANAS.
Chegou esta nova fazenda c m o nome do Gra-
cianas, sendo de una s cor, lyrio, rxo, verde,
azul, etc., etc., e muito oncorpada, com lustre pro-
prianiente do seda, sendo nielhor o mais moderna
que. este anno tem vindo para vestidos, e vende-
se polo barato preco de 2 J o covado.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavao.
Cbeeon pelo ultimo vapor nm grande sorlimcn
to das mais modernas o mais bonitas alpacas l-
vradas para vesiidos, tendo entre ellas algumasqne
fazem avita propriamente do seda, c vendem-? s
por precos muito oni conta.
GURGUiO PRETO.
Chegou para a loja do Pavao o mais encorpado
gurgurao de seda preto para vestidos e eulletes,
ojue se vendo mais barato do que em outra quil-
quer parte.
MARAPnLAO FRANCEZ
A 7300>), so o pivao.
Vendem-se peca* de madapoln francez com 2
metros, pelo barato preco de 75000, dito entestado
com 20 jardas a 73000, assim como flrtissimos ma-
dapnloes frsncezes e inglezes. ditos do jardas, que
se vendem mais barato do que ero outra qualquer
par* per baver grande porcJo
AS CASSAS DO PAVAO
ftottfl a 300 rs.
Vendem-se flnissimas. cassas francezas "om Hb<
dos desenhos e cores Irsa a 300 rs. o covado.
CHITAS BARATAS
Na loja lo Pavao
Vcnde-ae um grande poreao de chitas escuras,
e claras,'Ite cores llxas. por breos que admira inri
BRILHANTES BAREGES A 400 RS.
S o Pavo vende as lois delicadas ba
reges de pura 19, s^nilnt ran^renles cois
iis ma delicados d senhp.s, de quadrinhON,
liaras e Iferw, sendo n'este artigo o ma *
delicado que te u viudo ao mrcalo, e
vonde.-se pelo baiMlis-imo preco de iO r;.
0 BT','\0,
PELIfiRINAS A 4.J00
Na iiij;i dn Pav3o vende-se af mais rR'
dornas ro neiras ou ba-qtiiuas de
pretas enfeitadas c.un v.-nln 'i^B^
b$ ^tlMAU
A AGUIA BRANCA tem convfcc3o de que a abundancia de objectos de novfdadc-
an seu constante o completo sortimento, a boa esculla no gosto delles, a superioridas
de do qualidades, e a Imiitacao do scus precos, esto na op ni3o do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freg :zia em particular ; mas anda assim ella julga de seu
dever setentiftear a todos, da recepcao d'aquelles objectos que esto alm do commum,
como lietn sejam:
Vende-se nma boa taberna na frejnfrfaie 5.
Jos, bem afreguezada tanto par. im*> Hi-i
para a praea a tratar no ariuaieiu 5 Jiftrtc
da eseadinba no Recife, com A. J. 8. (kimuitx
A1 tenorio
Joaquim Rodrigues Tarares dte
I tem para vender no en esertjrmtlo, pr
: ea do Ccipo Santo n. 17 priutnro awbr^
I potassa da Hu-ia iiliiniaim-nfe r
cal de Lisboa c vinho Bordcatis tfesi
ridr qualidade.
Bonias .;ii\inlus de madeiras otivernisa-
das, contendo na\ albas e os mais necessarios
para viagi'in, servindo- ellas- de cartera|
piando abei Lis
Outras conformo aquellas, proprias para
senhoras.
Outras adietadas, com thesouras e os
mais neerssarios domados e de madrepc-
rola para cintura, obra de apurado gosto
e peiiV(,o, proprias paro um bello pre-
sente, leudo argomas com musi;a.
Estojes ou cirtMrjH de ce uro com nava-
Ihas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARF1M
Para iinhas. (lentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machelados de ma-
dreperola para os mesmos litis.
OBRAS PE MAOREPEEOLA
Loques, cscovas para denles, canelas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Vollas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igual nenio bonitas, c com pin-
genles pata o pesco?.
Outras eom aljofares coloridos, e tran-
selin doui'.ilo.
Boles com ancora, e P. II. para faldas
e colletes.
Abotoaduias il'.ivftiluiiiio com o p de
prata dourada. para enRetes, cada um 5^.
Bolocs de cristal, cncastoados em prala,
para punhos, .-S o par.
Camisas de flaneila para homcm, a me-
Ihor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creaoras.
Ditas do dita, tecido de borracha, para
quem solTrc de fodtaeSo as pernas.
Panms de crochet para cadelras.
Novo sotiimento de toalhas de labyrin-
llto, para bapli/jdos. '
Renda e bico de guipure, branco e
preto.
Kilo preto, de seda, com salpico.
Pequeos e delicados espanadores de
ponnas coloridas, proprios para pianitos,
oratorios, t le
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulbas e alfinetes.
Thesouras de ditas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULUAS NON-PLUSLTRA
Tal e a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Xon-pliisultra, merece a A guia Branca as
honras d'uin annuncio, e sem duvida me-
reced das nlelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
Vl Sgoft nada se tinha visto de tao bom
em la! genero, e ainda assim costa cada
papel apens 200 rs.
Pwavclment d'aqui a pouco abundar3o
asfalsilicadas para serem vendidas barata-
Tnchto, porm as verdadeitas continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguw
Branca.
Dcsciever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que con.stanteiii-MUe se acham i venda na
loja da Agu'ta liranca, seria seno impossi-
vel ao menos iufadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia. e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cincel idade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca a na do Quimado n. 8.
Bichas hanibm^rrrzas
Ra da Cadeia n. 54.
Neste novo deposito reerbe-se ><-r !tfcs^-
qnetes transatlnticos, bichas de qnalMaaV upa-
rior ; vende-se emeaisa mi poreao oais pt*prtu,
c mais barato do qne un nna!Her oa*a fant
ua ra da Cadeia n. 51. Io andar.
JMlho novo
om saceos gra-.ides, a '.liOO n s.em : awafva-
zem da estrella, largo do 1'.. 1.07,1 n. l't.
it Campos da ra do luip> i.iJer
vend r o seguinte:
Qncijos londiinos, praos, ftiinpnyns t tW ftnas
todos uiiiito frescos e de boa ipiatidatte.
Presuntos para fiambres o para hnnyefav t***i
salames ele. ote.
O verdadeiro bacilo m .!' Noruega
Latas com lag.jsi.is e Asirs.
O verdadeim rale ilotka.
BSspeclal idadet
Grande remessa de cigarros de diversas qpa$-
dades, vindo da provincia do Rio de Jaertr, s
vapor brasilciro Paran,
A salier:
Cigarros ao dni|ue de Caxias.
Ditos ao Maurity.
Ditos aes lonenles do Diabo.
Ditos Barbacenas.
Ditos Papel peltoral.
Ditos de S. Paulo.
Dilos do Uio-Novo.
Temos de medida par., si tas, -;irr.li "?
sysienia (mtrico franco/.), im ariNay A>OAs-
pos.
As mais adoptadas o mais lacis laSeR;r
de prompto se reducir $ e a Irdnf mus*"*e a
inverso eslao se araando por isso reonnMMaH-
aos eslabeleciineniis que ainda *\m Una, ipaa
nliaiii seus linos iimiiir-si. deesa lio \p nA *JB -
te d" coinmercio, pois que, oom a safra <{r> ts a
parla, torna-se ditas tabellas udft>|IBHM*n*-
28-TrOO MAfmZtiM DO CAttPOS-t*
CEMENT
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vtcrctt fer-
reira da Costa & Filbo, defronte d arw tta tim-
ceico, em barricas grandes.
I
cp.^nss
-- SOci-0:;ACO
un tvrt': (SViticr oo noiToii Cliitai a;1: lovaili'.s pela Academia imperial
d" med< iua de l'ariz Icalmaiii (uasi sempre iii.-lant o.- ressMi, -olioeaeao. assim como as diin'-i de e..',oe.i o enxaquec.is. K sulil-
eieuto u i (r.'iisi;:o om que ,i>| aie'-er o mal, o egolii-Si' uina ou dnas perolas
i oMi *ni:i pouea d'afoa. K com certera o ineiiicuniento utaie tacil de tomar para
este genero de docr.cas.
ti, i'rma !c (erchendiina do uoeTOR CuaTaH so iiiipiegadas diui'iaiiioute
eom grande xito para a cura das nevralgias, rlieiimalisiiio, scialieo e calaremos
dabexiga, listas peclas l'oram seiuprc ncomniendadas por um grande numero
de iiiediv.es. e es|iecialiuciiU; pelo Doutor Trousseau, que indica este medica-
mento como o mais cl'caz. conveniente tornar de i ale 8 na occasiao das
comidas.
A approvacao da Academia imperial de medicina o, sem duvida a rnelhor
garaaa da boa preparacao d estes medicamentos c de sna efficacia.
Dcoo-.;io em t!o-J\.\rinn, fitponchel'e; Chemfot En
i-.\'iii'i;ro.
Wmurcr i C"
_j MF.NCAO DE HONRA
g i. m H
.? ^".'*'\ M L.'-^V-"i^*.CS-e^xvaKJi Vende-se cm frascos
: *:? de f:gadj frescos l balalAO *"
- :. *
fj r lares,pliiiimacU Iloc6,
: iz &T- ?*w-' )i,..iwa
7
. i
2, ra de Casi Igllone,
em Pars.

:>:ijik>?<-ics feitas com oros
.-; i i.mii i/ mqn-i ii. a ar.-ni. < jttnrfl lit-1, ihit h' it'mtt ,'nrrs prrtwlartt.
\. i'yBnllllB'ltH H, ilv |>..!.>..
; -I- !.'! I-
.. ,i. '< rti) -* --:' i" :'-" 'os p:;i-a .i;- .':..' fi> .-(- Omttim 'i- i'WiAon. WMMeiis c<.u.i.i'. i u s. i>5 ncnliuirii* su '
i* '-:.;: lui\o,eiii i|li 'I 4 oleo* de flgaitq lili b:ica!!ilu
wrtfc-i liiii irii' muio caro. iHloque pur.i ohtd-ial ftnx*-,jji <;i inisura compre ''X^rcer I
': ":.! "tv niidatlos im? pnpri I" "i. nwim cmno niaii'la faier i
'i-.ii i i v, f.rfn .l,j ^araii'itr f"^-il>.-io i ^" .--t. |.'- rmMi i.ic::i ^u:c!.:o i :.: railit .. i\.-:--ui una iit<>!r*Htis ilti pcilo, ax nlfe.-rats
igtin,c. t.n liifpir a nocivas o desloaes
-,-.. i
B a i
ll.i
;, ....
!H I I O'
.V..'.!.
VENDE-SE
A PRECO KIX0 E MDICO
S0MRR1NHAS de selim \cnle tfliims
vidade para senhoras. a 18 e 5^
LINDOS cortes de tarlatana onaluaifa, pn>
prios para bailes a 10 *\ US&, U>->. H|
e 22-30U0.
ESPECIAL sortimento de clanes erif.;
e lisosultima modaa 2^500, 3$UBb,
3f$a00, 4,51, 44500, o# e 0*.
GRANDE e bello sortimento do capM (i-.
palha da Italia, elegantemenie tfertaet,
para senlioras e meninas a I;>, Uk '3^,
TRANCAS E CACHOS imilacao ife ra-
bello, para senhoras, a 1=5800 c KttO n.
GRANDE e agradavel sortimento ? g*w-
pure ou croch preto, em pecao tm-tfo
a U, 3(5500, 43 e 6,5.
DITO branco a 2o00, 3tf e :};;800.
LINDO FIL de seda branco coro rasrtagwn
o metro 5)5500.
LINDOS e ricos aderecos de plaqus *-
bles, com brilhantinas, rubina, esamJ-
das, perola, e camafeos ; nao ha diSe-
renc'a do ouro de lei e conserva pr knt-
go tempo a sua cor natural, tende^ a
15$, 184, 30-3, 45-5, 90-5 e liO>. est
preco menor ao feitio de aualtju*rpea
verdadeira do mesmo tralwlho,
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
para relogins, a 63, 83 e 10-3, a
BAZAR DA MODA50-RA NOV*
:.
i:m
is
nfcas para veslWia, sendo taeada? e transparentes
de todos os prtjces e i|ualidcs qo se vendam
mais harato do que em ontra qualquer parle.
APACO OU GORGURAO DE LA A 800 RS.
Na loja do Pvio vend-ie o mais bonito alpa
cao de cordao teno de t idas as core?, sendo faen-
da bastante larua a 800 r-. o covado.
cfH:mm dbfustSo .
Na loja do Pavao vende-s i din grande sofiimea-
lo de colchas de ftlsTS -endo brancas o de cores
ditas de croch para camas de noiva, assfiB como
qonitos damascos de lita para colchas.
AGRACIANAS l00
Chegou para a loja do Pavo nm bonito sorti-
mento de lindas agracianas para vestidos tendo de
todas as cores c 6 pechincha.
Com listras de seda a OO rs. o
eovado
Na loja do Pavao vende-se as mais bonitas e Bo
dernas laazinhas om listras de seda sendo muidas
e gradas a 800 rs. o covado.
CORTES OE CHITAS
Na loja do Pavao liquida-se nma grande poreao
de chitas finas de cores flxas o bonitos padoes es-
lando todas ollas em cortes de 10, 11, e 12 covados
para nao deixar flcar relativo faz-seo preco de 3|0
o covado, fazenda qne em outra qualquer parte nao
se vende por rtenos de O rs'. ski 6 grande pechin-
cha.
ALPACA fiRANCA A 640
Na loja d*o Pavao veiie-SQ alpacas brancas lisas
nnito Hilas a'640 b covado.
angiilirvs emm Mila a I :MH>
V>nHo.fl'bonlt8S paree de mahorjltos tn\n nhas sendo de; eambraia transparente a f 5600, di-
tos de eambraia Hipada a ISTMO; enrpInlHrS de
eambraia lorfladw a $9 e 7|Wft, camirinlias de
eaiiibrin bordan de vartatt fptulMadw.
.CHALES WcnACrtEafiRA A 63, 10,$ E
oja n pgvfr. :-sd os lUain
; chales de ver4arri earhetnira A?
em os dest'tilios mais muderoos. a "3,
*1*- l?-i.,jj i imii
, ... m .: r n ':; .' ill-
i iKi >4 oi,'cau <
..... '-,.-. i. ly ... : O olti, n,' "V
., /'. .,'.!< IHIIi
1 '** 'i ''l..... r,-ti" r K.ilnr.
-*- -i. -...Le u- .i.-li mrn-lhfc
cri rte iprlr, ililirtiii'......:itr es outros leos poli *i
;!". *ii ^nrl'.i' :..!? il > ;l.
... ir*tdlH.i i-tnicos di FACUUMDE DE MEDICINA OE
{tlka fe U, Hnrfi eOHlnn vwn Irrfn porte ilr prfa-
' r mi aprUu >M n itk iMmtfHlmtH que te
que te.
n**S*
t'rrunri r ilon r>;''<.'< exrangel >-4.
-'" w.
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCARD
COM IODURETO DO FERRO INaLTRAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do lodo et do ierro, convem especialmente as Affeccos
escrofulosas, a Tsica no principio, a fracjueade temperamento e tambem nos casos de
Falta b6r, AMENORRHEA.em que precisareaCTB."^bre o saiGue sja pera restituir
lhe a sna riqueza e abundencia normes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
t. f. 0 Mrelo da ferro impuro ou alterado um njdieanunto infiel,
UnU. Coato prova de paraca e de sutbencidade das wtr^mii-itmm M-
a rJ, oVwm exigir nosso sella rrmf ri e
atao avava, int reavodaridfc que se acha Ba parte infe/ior de um
****! iwiStlU liiMeomlaf das falsificifof>
Vendem-se libras sterlinas : no
f.oal Res, ra da Cadeia n, 19.
Assnear de oxido de ferro de
ClMurteaml.
O assucar fe ruginoso de Chauteaml >-.M&
pela associa^io do exido de ferro mtth-irmnfr t-
urrl com o assucar enidadosamcnle >nrifira*>.
Este assucar, de urna bella apparenria rr y>laiic*.
tem o simples (tost mni agradavel iV asforar,
sem o menor sabor adstringente nao leu ar^u -
irritante sobre a mucosa do estomago e ep.fc.tiKts
e rpidamente absorvido pelo app.n elbo iifts*-
vo sem eausar as constipaco' s do ventre.
E' hoje o preparado de frrro do mais jiifafj
para a chloros atonta dos orgaos. perdis iTrar*
menstrua?ije? diluVeis, etc., e tem a sen Caar *
juizo aulorisado da escola de gnedieiu *- l-ar>a,
h dos cbimicos os mais notaveis.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Barthotomea & G., ma ter?a 8
Rosario n. 14.
'2
S
RA II1 OaLOBl S
(ilaria to Futidt.
Ha sempre nesta nidria grande -
oateriaes, com tolos de alvenaiia batida, tarta-
dio, quadrado de 8, 9 e mais pcllegad;. Hlfcas e
elboes lijlos de t.ipamertos O |rirJiei.;nles-
ra olaria garante a bondadee barro an ra aaaf'-
riaes, como tambem vendt-ao m*is baraio do .u*
em entra qualquer parte.
9lo oaratD prego de 4,3000 enda mn. pe-PO e 12$M". milito barato na roa d
chincha. I peratriz n. CO.
Xao mais cabellos brancos.
A tintura japn za para tingif os ttlbello?
,1a cabeca e da harl>a. fui a anicaadmiltida
Exposi(S6 Universal, por ter idn reco-
nhecltfa fitperor a todas as preporacbes atp
A rd do Li*tn^h(!iito r. C>. contina a ha- hi,j(i existentes, spbi alterar a sat'tde.
er para vender p"r pnvos rasuav.!is. o
merher vinho vfrdo at buje rinth) a este
tnercado.
.,------------------------------------------.. -----------------------------------------
lfi IIB IIWBOA
\tende-su a 1,-JOK) cada frasco na
Ra da Cada n. 51.
1. andar.
tiesta venda um escomido sorlii
ectos de rharcineria, cotao seja ia: Ar it -
randa, mogno eamarello, obra oai>nr.l r cifl
{ira, de apurado gOsto e por iP5o< raa*i
la ra eslreita do Rosario o. '3t.
asa fazem-se com pef fecao ton*'
jalhinha, com' sejam,' empalhavc m
iara sjDnas.canVirapa MQMX
POTJtSMttt MISSM
Cabnoiet.
A mu
rnia
n. 13.
i raz.oavol : nc
i rui do Coto
7wde-- ri'*t
tis, o q pavali o i ii
r0| c -i i

ttencHo.
Xa taberna do largo do Parai*3 i
mante'p ingiera flor a 14400. 'Ofirv
libra, carne dli serti nova a rt!0 r?




mbuco Guara feira

O proprietario do armazem de fazendas denominado ARARA, ra da lmpera-
triz n. 72, declara ao respeitavel publico eseus fivguezes, que est liquidando fodasas
tazendas e roupas feitas que tem em seu estabekcimento cuino se poder ver no seu
annunrio e preco aoaixo mencionados,
* i
Algodo enestado fl 00 rs.
Chitas francezas auntlzailas
38 rs.
Vende-se algodo enfeslado proprio para
Venrle-se dulas francezas escuras matiza- ienees c tonilias, 900 rs. o metro, dilo
das a 320 rs.o covarto por este preco sona toncada a IA metro.
loja da Arara, rn.i da imperatriz n. 72.
LAAZINHAS A 210 US.
Vende-se ISaznhas para vestidos de sc-
nhora a 240, 280, 30 c 400 rs. o co-
vado. i
BAREGES DE LAA A 500 RS.
Vende-se barajes de 13a com listras para
vestidos de senliora a >00 e Gft) rs. o
covado.
Alpacas de listras a 509 rs.
Vende-se alpacas de listras para vesti-
dos de senliora a 500 rs. o covado.
CHITAS FRANCEZAS A 280 US.
Vende-se chitas francezas claras a 280 rs.
o covado.
CORTES DE LA PARA VESTIDOS A
2*100.
Vende-se caitos d lila para vestidos de
senhoras a 2.-H00 cada um,
PERCALES A 440 1S. COVADO. .
Venderse percales milito linos para vts-
Udos de senhora a 440 rs. o covado, mur-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
brillantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Baldes modernos de todas as
cores.
Vende-s'biles moderno sbranco edeco-
res a 40. 45500 e 5$.
COBERTORES DE ADGODO A 4(5(300.
Vende-se cobertores de algodo a 15500,
eobertas de chitas a 15(500 e 2?$ cada urna,
GANGAS PAKA CALCA A 320 US.
Vende-so ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas dehameme
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para calca c palitots a 2,->3O0 e 3;$,
o covado, moias casemiras (infestadas para
calcase palitots a 1 o covado, brim pardo
de todas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na ra da lmperatriz
n 72.
Alpacas lizas a < 1 rs.
Vende-se alpacas de c&res lizas finas a
640 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLO ENTESTADO A 35300.
Vndese pecas de madapolo enfestado
a 3(5300. pecas de madapolo inglez de 24
Chales de sneriu a 8.$.
Vende-se chales de merino eslampados
a 2 5, chales brancos e de cores a 15000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Vo..de-se urna grande porejo de cortes
de brim castor para caiga de homem, 040
rs. cada um.
Ciraude poreo derefalhos
Vende-se grande poreo de retalhos de
chitas c cassas pretas a 160 e 00 rs. o
cov lo, retalhos de cassas, la e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 25,
ditos de alpacas de cores a25, dios de
meia casemira a 25 e 24300. ditos de pan
no preto bom a 85 o 105, calcas do algo-
do azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodo de listras a 800 e 15, camisas de
lisiado do hstras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de brim c fusto de cores a 15 e 15500,
colotes de cesemira de cores a 25500 e 35.
e mitras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratissimo preco. t
Algodo de Hstras a 300 rs.
o covado
Vende-so algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGOD.vO A 45.
Vendem-se pegas de algodo 45000,
55*00, 05000 e 75, para liquidar.
hales de arcos 1#500.
Vende-se bales de arcos pan senhoras
pelo baratissimo prego de 15500 cada um,
Cortes de cmbrala barras
a 33.
Vcnde-se corles de cambraias barrsa a
25 e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-so longos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 15-
Vende-se carteiras para viagem 15
cada urna.
<* s *;
jardas a 55, 65*00, 75, 85 e 105 a pega.
Assim como vende-se chitas para eobertas, a 240. 280 e 320 rs. o covado.
eias antes que se acabem todas mais fazendas e roupas feitas. e que pelo preco que
vai vender ou liquidar, poucos dias poder durar, e quem se quizer sortir de fazendas
e roupas feitas para a festa pelo prego que Iho agradar, so poder dirigir a ra da
lmperatriz armazem da ARARA, que estar aberlo todos os dias uteis, das O horas oa
maohia, s 9 horas da noite.
72. Ra da lmperatriz. 72.

LIQOIDACO
NO
Lourengo Pereira Mondes Guimares. proprietario do armazem de fazendas
denominado GARIBALDI, tem a honra de pirticipar ao respeitavet publico que tendo
recebi lo diversas facturas de fazendas, de novo gosto, para a festa, estando a espera de
novas encommendas que deve estar aqui ateo dia 13 de novembro vindouro, e vendo
que nao tem tempo antes do balango de vender tantas fazendas de encomn endas p *
isso resolveu fazer urna liquidago para ver se d maior, estragopor issoem vit-tas das
crcumstancias vender tudo mais barato do que em outra qualqucr parte, na ra da
Imperatri/. n. 56.
ADMIREM-SE DO QUE E* BARATO Cangas para calca a 3* rs.
Chamalotes a 560 I Vendem-se urna grande poreo de gangas
Vender chamalote de cores, de algo d' para caiga de honvm e menino a 320 o
para vestidos de senhoras a 50 o covado. covado, cortes de castor para calca a 640
Alpacas Usas a &0 rs. cada una.
Vend-so alpacas lisas para vestidos de Brim de edres a OOrs.
cores, para senhora, a 500 rs ditos matisa-1 \ende-se urna grande porcao de duas
das finas a 720 o covado Dita* lisas mui- faces para caigas, palitots e cohetes de ho-
to largas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
nvm e menino, fazenda inteiramente nova.
Brim pardo liso a 5t0 rs. o metro, dito
uuium u* rt.nxjAu^j, "" trancado lino a 800 e 15000.
Veden-se urna grande poreo de cortes _
de perales de duas saias para vestidos de
scnhoia, de mnito delicados gostos com
16 '/i covados a 65 75000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600-
Vende-seuma grande porcao de cambraia
Grande liquldaco de chapeos
de sol
Vende-se chapeos de sol de alpaca com
pequeo defeito a 25 e 35000, ditos finos
de 12 astes a 45500, ditos de seda finos
lisa de todas as cores para vestidos a 600 { 8 astes f500' 85000'.ditos de !* e
rs. o metro.
Organbys modernos a HOO rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
vestidos, de duas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vende-se chitas francesas muito finas de
16 astes a 405000, para liquidar.
Chitas para eobertas a 14 rs e
corado
Vende-se chitas francezas para eobertas a
240. 320, 340, e 380 o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vend-se cassas franc-zas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs.
corc3 a 280. Ditismatisadasscuras a 320 a ditas escuras escocezas a 360. ditas aleo- MO o covado,
xoadas a 360, ditas garibaldinas a 360 o
covado. Sortimento de chitas como tem o
Garibaldi ha poucas tojas que compitan).
PUSTOES PARA VESTIDOS A 400 RS.
V^nde-se fusto de cores para vestidos a
400 rs. o covado.
COBERTORES A 1:400
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
35500, 45. 55. e 65000 a duzia, ditas para
meninos de todos os tamanhos a 3550 e
45000, ditas para senhoras e meninas a
35500 45, e 55, a duzia.
BALES DE ARCOS A 1:500
Vende-se cobertores de algndSn a 15400 Baloe3 de arcos a 15500, ditos modernos
eobertas de chitas frita a 15600.
Chales de merino a 8000
Vende-se chalas de Merino de cores es-
a 45000.
ATTENCO
Tem-se para vender urna grande poreo
tampadog a 25000. ditos lisos a 3500, di- de roupas feitas de brim ede casemira, de
jos estamparlos finos a 55 56500 e 65000. todas as qualidades nlo se menciona por
CHITAS PRETAS A 160 ser enfad >nho. garante-se ao comprador Ven-
Vende-se urna grande porcao de chitas e der mais baiato do que em outra qualqucr
cassas pretas em retalho a 160 o covado paite, isto s se pode conhrcer com a pre-
tambeintem retalhos de chitas o lan de co- senca do comp>adore a vista da fazenda
res que ae vende barato. que se pode conbecer como est liquidando
Vid*-3e grande poreo de eorpinhos a por barato prego, o general Garibaldi, ra
XflULO, 320 e 400, da lmperatriz n. 56.
AS NOTAS SEDAS
11--RUA DO QUEIMAD.0-.il
Chegawm da Europa'pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto &J. ricos
cortes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
men
Grande variedade de sedas do listras de diversos precos todas de lindas cores,
gorgurab de seda preta, e grosdauaple de varias qualidados e gorguro de seda 13a de
diflerentes cores.
Novos vestidos brancos de blond para nciivas. lindas colxas de sftda para camas,
ditas do laa e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de Hnho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.e elegantes son.urinhas de s Jas de cor para senhoras.
Esparlilhos de 55 at 105, lindos bournous de cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e d:tos do croch branco o preto para senhoras.
Grjmde variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento de muitas fazendas de laa, Imbo e algodo todas por pregos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano o camas, pegas de tap-tes o de alcatifa para
forrar saloes tudo em qoantidade; e vendera sempre^por menos que em outra qualqucr
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
\aEgodao
loja das machinas
dACHINAS americanas de serrote do todos os tamanhos para descarocar algodo, do
muito conhecirto fabricante Eagle Cotton Gin.
CACHINAS ditas, tambera de serrotes e d todos os tamanhos para descarocar, al-
godo do autor New York Cottoo Gin.
dACHINAS ditas de todi os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
CACHINAS ditas de RoHer Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.00Oem arroba
de algodSo.
UACHINAS-de facao do fabricante Platt B. A- ', Obdhan PatentLiverpool-.
Todas estas maeliinas sao de superior qualidatte e as melhores (pie tm
/indo ao mercado ; e para a sua apreciagao convidam-se os senhores agricultores 2
rern a expsito das mesms na- ma da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastoe-, onde
mcontra-rao mais o seguinte r
Jetulhadores para milho.
2ylindro8 para padarias.
Arados americanos.
]arrini;os- de mao.
fachinas para cortar capim.
]anios tfe chumbo.
3ombas de Japy.
Ditas americanas.
Tellas de- ferro galvanisadas.
?olhas de- zinco Anas.
Ditas do cobre e lato.
?erro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
?olha de Flandres.
yfachados americanos.
?acoes ditos.
alaios e cestas de,verguinha.
/assouras americanas,
bolles de lodos os tamanhos.
Tornos'e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outroo artig
liversidaO* seria enfadonho ennumera-los.
Follia de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Ternoa de bandejas-finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados-.
Correntes de ferro para almanjarras-..
Espingardas e rewoh>ers!
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinafes.
Azeite de espermacete, proprio para- machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaos e lodos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavonra e artes, que pela
Grde c completo sortnento de machinas para
descarocar algodo de nova inven rao cliegadas ul-
limameiuo em direitura para a loja do Manoel
bento de Olireira Braga t C. na ra Dirtitan.
K3. Garante-se que a melbor qualidade que at
o presente lem vindo ao mercado : adiam-se em
exposicao aos compradores as de l, 12, li, 16,
18 e 20 serra?.
Systeina decimal.
Grande e completo sortimento de po?os kilo-
grammos de meltior comprchensao dos que tem
viudo at o presente, Meiffl como mareos de latao
at meio grainmo pelo mesino syslema, balanzas
de latao de forca de 5 a 20 kilog amuios, metros
de madeira e de laiao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miaderas e ferragens de
todas as qualidades, todo por preeosqne s a vista
faz crdito : na ra Direila n. 53, loja de Manoel
liento de Oliveira Braga & C.
Sellis baratos,
N. 27.- BL'A DOUVRAMENTO N. 27.
Neste estabelecii ende-se sellins'e
silhoes, de todas as qualidades do melbor
que se pode fabricar do paiz, assim como os
mais arreios pertcncehtes a mesmo, ven-
de-se tambem, colxSes, traTiceiros, caixi-
nhas com almfadas, proprias para menina
levar para aula. O proprietario deste esta-
bolecimwito garante a pontualidade, esme-
ro e zelo do seu trabalho j portanto pede ao
respeitavel^ublico sua proleegao, que afilan-
ga vender tudo pelo mais barato possive,
e por menos do que em ootra qualqner
parte.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch A C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o eonsummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Tu. Jost. ra do
commercio n. 32.
militl i Llifl
Grande armazem de fazendas e roupas feitas ra da lmperatriz
n. 52, porta larga, de Paredes Puto.
Neste estabelojimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimenk
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3$. 3,-K00 at 6. Ditos di
merino, ditos de casemira de cores bonitos goste* a 5, 6. 8^ e 10/5, de panno preti
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 35500 a 5*000. Caigas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brirn pardo fino e ordinario, ditas de casemir*
de cor e preta de U, 5, 6$ a 15#. Golletes de todas as qualidades e prego muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algod3o-e de linho de 2,5 at U
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 2 e 26500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a tolos os pregos. Meias sortimento completo a 3
40 at 7# a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para honem, cono
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fezendas de
todas s qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e ou!r:s muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 18;5000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 60500, 70. 80 e 90000!
Algodo pega com 20 jardas a 40500, 50500 e 60000.
Pega de algodo largo a 70500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Chegaem roupa
feita que se est liquidando na loja roa da lmperatriz n. 52 (junta loja de ourives) dn
LEftO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Machinas a vapor de
forqa de 3 e 4 c-
vanos. .
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rogar algodo.
Eiaiancas para armazem e balco.
Camas de ierro.
Cofres de ferro de Milnez e de hit-
field.
Prencas para copiar canas.
Fogo americano patent
Scbonete de alcatrdo.
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to bo
acejitaco tem merecido o'esta provincia
muito se recommenda parr a cura ceru
das impigens, sarnas, caspas e todas a
molestias de pe lie.
Deposito nico,
Pharmacia de Rartholomeu & C,
34ra larea do Rosario34.
Vende-se orna casa ierres aa ra da Coneei-
cao n. 19 : a tratar na ra da Aurpra o. 134 A,
com o agente Euzebio.
Ra do Imperador n. 26
Neste esubelecimento se encontrar diariamen-
te um competo sortimento de paste la ria de todas
is qaalidades para lanche e sobre-mesa, etc., etc.,
bolinnos de todas as qualidades para cha, presun-
tos de fiambro, bolos inglezes, pudn?, e finalmente
mdo que consiste em urna boa pastelaria, com e
nalor asseio e esmero, cha hysson, preto e miudi-
nho do melhor que ha no mercado. Nesta casa
lecebem-se encommendas para casamento?, bailes
rbaptisados, compreraettendo-?e os donos do es-
^ belecimento a ser ir o melhor que for possive
a vontade do freguez, dispondo para esse ftm de
um completo pessoal. Recebe-se avulso toda e
pialquer encommenda, como sejam, bandejas,
bolos e pes-de l decorados, doces d'ovos, seceos
i de calda e crystalisados, fructas nacionaes e es-
trangeiras, amendoas confeitadas, um completo e
variado sortimento de caixinhas de todos os gostos
e precos, para mimosear sentaras ; estas caixi-
nhas recentemente chegadas de Paris, sao de pri-
morsdo go to, offerece molas aos galanteadores do
illo sexo, pois aellas acbarao um digno e serio
presente para as donas de se\n pensamentos. lico-
res, vinhos Anos de todas as qnalidades, conservas
lamlhos em latas. Os donos deste estabelecimen-
-s nao se poupando despezas, fazem lodosos
itorcos para servir o respeitavel publiso o me-
ji nr que for possive, e sendo principiantes e ta-
cando com todas as difficuldades, esperam a con-
-orreocia do respeitavel publico desta capital, na-
ionaes e estrangpiros. Pechincha : lepimo vi-
iho muscatel em caixas, qae se vende porcomaH)-
ln preco para particulare- e para negocio.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
\fatre de Dos n. ii, armazem de jlo
AJartins de Barros.
BAZAR UNIVERSAL
a*ma Wova*1
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortmiento de todos os artigos q.ue se ven-
den por precoscommodes como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os ystemae, mais modernas
adoptados na America e approvadas- na ul-
tima exposicao servicos a electos paraalmo-
C0 e jantar, salvas, bandejas, taboleiros* bol-
sas e malas par viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecimadenesa,
paredee portal, mangas, tsbis e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater otos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanoo,
espellios de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cesnhas, oleados
para sala e n esa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, >anella e porto; capachos de
Sparto e coco, objectos para- escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarlo
venda no mesmo estabeleciraento e que vale
a pen ir examinar. ____________^__
i,u i\z m
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster *
i!, ra do Imperador, um carregamento de ga;
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos preco do que em outra qual
quer parte.___________
Loja de miudezas de FERREIRA DA U-
NMA & TEMPORAL, esto quimando por
todo preco venhara ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de 210* a i>.
Linhas em novellos de 400 jardas a
60 rs.
Pecas de tranca de todas as cores a 40 rs.
Latas com su pe rio banha 120, 160
e 2,5*000.
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, SOO e
640 rs.
Ditos com banha 320, 500 e 1$200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portuguezas a 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
1,5200.
Lindos port-maine 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320 e 400 rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
3*800
Ditas de ditas para senhora a 4*500.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
1*200.
Ditas com agua divina 1*300.
Frascos com sndalo a 1*200.
Pecas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
5*000.
Papel amisade beira dourada caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonels de panno para menino a
2*000.
Pentes brancos Gnos para alisar a 240 e
30 rs\
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
eitractos a 1*500, 2*000 e 3*000 ao par.
Jugos pira vispora a 200. <40 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabeleciraento bo-
nanca onde contina a vender
pelos baratos presos de seu an-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanca.
Ra do Quelmado n. 3.
rwmmm M&ttK
Attenpo
Na praca do Corpo Santo n. 17, 1*
I andar, vende-se mais barato do que em
K outra qualquer parte ral da Lisboa e g
_ potassa da Russia da mais nova no mer- ^
| cado, a^sim rumo vinhn Burdeaux de su- |
| perior qualidade em caixas e garrafas, i
* li
ma vaera de leite por preco comoiodo ,- na ruu
da Cruz n. 13.
J cordeiro previdente
Ra do Qncfiuado o. i 8.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
iade, quididades e commodidades de pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
i espera continuar a merecer a apreciac3o
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n5o se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansid3o
i barateza. Em dita loja encontrarlo o
ipreciadorcs do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Mnrray A Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
;eza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico. para conservaeSo do
isseio da bocea.
Cosraetiques de superior qualidade e ehei-
ros agradaveis.
Copos e tetas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos o
franceses em frascos simples eenfeitados.
Essencia imperial do fino eagradavel chei-
-o de violeta.
Outras conceatradas e de ebeiros igual-
ineste finas e agradaveis.
Oteo philocone verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
om escolhidos cfieiros, em frascos de diffe-
'entes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menore
oara mos. *
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras da meninos.
Ditos muito finos-em caixinha-para barba.
Caiainhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditse de madeira- invernisada contendo fi-
aas perfumaras, muito proprias para pro-
ven tes.
Ditas de papelSo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
[ moldes novos e elegantes, com p de arros
boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de caraphopa e outras differente
malidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com lilets de vdrilho
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
ist5o todos expostos aprecac3o de quem
os pretenda comprar.
GOLLJNHAS E PNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e porfeic5o.
Ftwellas e Atas para cintos.
BeHo e variado sortimento de taes objec
ios, ficando a boa escolha ao gosto do com:
orador.
Bartholomeu & C,
S?M/lA
de
vlnho, pllulas, xarope e tintura'
de juru8eba. simples e ferruginoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & C
Pharmaceutigos-Droguistas
I'IIIMMUI ( O
A Jarataba : esu planta boje reconbeeida
como o mais poderoso tnico, como o melhor
desobslrueote.e como tal aplicada dos psilecimentoa
do Ogado e baco, bepalitea, dorntai, lumores inter-
nos e especialmente do ulero, hidropesas, erysi-
pellas, le; e aasociada ao farro ntil as pailita
cores, chloroies e falta de meoatraaco, desarran-
ios do estomago, etc., e o que diaemoa a liento
innameras curas Importantes obtides oom noasoa
preparados j bem conhecidoa e asados pelos atis
disoctos mdicos de paii e Ponogal. Em lodo* oa
nossos depsitos distribuimos gratis folbttos ase
melhor fasem eestbecer Jurobeba seos reemltadee
e applicacte.
VERDADEIRO LE ROT
de lltiaiCT, Hotteur-sjilerln
Ru do 8elne. 01, s\ PAIttS.
3
Km ced gai Ma, tal. mti* a rnlha r (.
le lita o ujoh s ele, ir rol
rflIOtom f Blltt I! hbui no c.
t-



\v
. -
LOJA DE JOIAS
ni:
c.
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado le novo, est as condi-
9oes de servir vantajosaniente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei. assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, oujos presos sao os
mais mdicos que se pode encontrar..
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate.
\ 5 Mi
VHHRM
AMGA N. 5
wwmwm
m...
Superiores cortes de perealle com barra, para vestidos a 5 cada corte,
Lindos cortes de gaze de seda com 18 a 20 corados, pelo barassimo
prepo de 5000 cada corle, na loja-das coliumnas, ra do Crespo ni3 de An-
tonio Correa de Vasconcellos.
0LIVEIR4 & CARVALHO
Successores de Seg &Moura.
24 Ra Nova 24
Os proprietarios deste novo estabelecimenlo fazem scienle ao publico, que
acbamele receber um perfeito e variado sortimento de pannos finos, casemiras, brins e
ouRvs mukas fazendas de gostos modernos, as quaes vendan por pregos razoaveis.
Os mcsraos scientilicmi que tendo adfriitlido para sya ollicina de alfarle, um artista hbil
no (tesempetio de suas funccoe, recebem qnalquer encommenda de roupa por medida
prometiendo satisfazerem, com ponlualidade o presteza qiialqacr pedido neste sentido.
k VERDAfif
55-Hitado Queimado
A VERDADE tendo cm deposito grtmdt
quantidade demimlezase perfumaras, e de-
sejando-apurar dilieiroe adqoerir b fre-
fuezia est rssolvida a vender muitissimo
barato, ; por essa razao convida arespei-
tavel publico a vir competentemente mani-
do a sortir8e do borne barato. Pois quan
do a Ycrdatic apparecc, todo mais des-
apparece-----
Grande sortimento de bonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Ricos globos para candieiro de gaza 4i800
Chaminsa....... 320
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino (00
Garrafa com tinta a..... 800
Dita com agua florida vcrdideira a 1.^50
Dita com dita dita a \0- 0
Frasco com oleo de babosa a 500 e 720
Dito com agua de Colonia a 300 e 500
Garrafa com agua divina a. 400
Frasco com extractos Anos a 1J00
Latas pequeas com banba muito
tina a 420 e...... .
Sabonetes de diveFsas quali lacles a
80,400,2406......
Finas escovas para dentos de 420 a
Lindos coques modernos a. .
Paviosparagaz, dtizia a 240 e .
Escovas par facto a 500, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolbo a 460 e.
Brincos de cores, bonitos a 460 e
Pecas do tranca de la com 8
varas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Pennas d'aco finas caixas a 800 e
Dita d'aco Perry, caixa a. .
Galo de algodSo peca ....
Lindos babadinhos e enlremeios
peca de 500 a......
Butes de madreperola, groza a
Ditos de louca muito fino a 420 e
Ditos para calca a 4<0 e. .
Caixa cora papel amizade a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreas a. .
Caixa com agulhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 240 e
Caixa com Jinha de marca a .
Linlia de cores em novellos (li-
bra) a........
Cairelis delinhaAlexandrede 70
at 200........
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a......
Cartas porluguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2$200 e .
Papel almaco e de peso, resma a
3400, 3,5500 e .
ua muito fina para bordar, libra
Fita de algodo para debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de 15a para debrui de ves-
tido, peca a '. .
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 210, 320 e.....
Caivetes grandes com molla a
Ditos para aparar penna a
Caroes com colxetes a 40
Rosetas pretas, par a ... 400
Tranca de 13a decaracol peca a 40 e 400
Fita de coz peca a 480 e 560
Alfinetes de lafo a..... 400
Sapatos de la para menino a 240e 800
Ligas paia senhora, par a. 460
Gravata de sedas de cores a 200
Cslcadoiras a....... 80
Grande sortimento de rendas das llhas.
Um par de suspensorio de borracha por
400 ris IHIIII
2jfeO
320
700
500
240
200
80
600
4 000
40400
400
43500
600
**X)
240
700
480
40
280
460
500
280
500
400
i,400
31800
4 r>300
460
480
320
500
100
IjOJA
PALLO VIGILANTE
lina do Crespo u. f
Os pronnelarios deste lieui conhecido estabele-
cimento, alm do muito? objectos que tinbam ex-
postos a apreciarlo drr respeitavel publico, man-
daram vir e aeabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo c variado sortimento de
Opas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resotvidos vender, como 6 de seu costume,
por procos muito haratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas golliiihas e pannos para se-
nhora, neste genero o que lia de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores, trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode baver
de meiiior e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marlim, sndalo e osso, sendo aiiuelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias lio de Escossia para se-
nhoras, as qnaes sempre so venderam por 304000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por SO i,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas:
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim cum lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de rauluor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
3uanti>no de outras qualidades, como sejam, raa-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para sogarar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 anuos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para_ fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurams sua quaiidade e delicadeza.
Lindas e bellas cap-lias para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, rouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tcntos para o mesmo flu.
Grande e variado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos melhores o mais conhecilos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
facilitam a dentico das innocentes crianzas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j lem acontecido, assim pois poderlo aquel-
les que delles precisarein, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre enconlrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista das cbjectos que deixamos
declarados, aus nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Na ra do Queimado n. 40.
Fazendas avariadas
Fazendas 1 i ninas baratas
Chitas perealias muito linas com avaria
covado a 240 rs. e 280
Cassas francezas de cores, covado a 210 e 280
Chitas de cores lisas, modernas, covado 440
Cambraia lisa branca lina, peca 34000
Laazinhas com listras de seda, covado
a 500 rs. e 640
Ditas lisas c de quadrinhos, finas, covado i
Albaca* Uwadas do ores, modernas, co-
vado 1*000
Ditas lisas de cores, corada <)00
Espartilhos superiores 3400O
Cambraias brancas tapadas e transparentes, di-
tas de cores, padres novos, perealias e chitas
muito finas, toalhas para maos, guardanapos, bra-
mante de 4 larguras, o outras militas fazendas ba-
ratas : na ra do Queimado n. 40, defronte da
botica nova.
Vende-se um sitio no Campo Grande, que
faz'frente ^la estrada que vai para Olinda, cojo
sitio tem 550 palmos de largo e 1,680 de fundo,"
com bastantes arvoredos de fructo alguns ps
de coqueiros, mas nao tem casa, porm muito bom
terreno de plantario etc., : quera pretender diii-
ja-se ra do Imperador n. 54, loja, que se dir
com quem pode tratar.
o vama das wmm
Nova loja de miudezar
Meaos 5l> % o re ena outra
quaEqner parte
Henriquc de S LeitSo pailccipaao respeilavcl
publico, com efpecialidade ao sexo amavel, que
lem aborto ra da Imperatriz n. 30 um grande
e importante ftstiibelecimolito do miudezas rom o
titulo deVAPOR DAS NOVIDADESonde o pu-
blico era geral encontrar constantemente um
completo sortimento de ludo quanto ha de mais
moderno e do mais gosto nos r,rineipaes pai-
te* da Europa, tendo para esto flm um vapor es-
pecial com o titulo cima indicado.
O proprietario adiando muito enfadonho, on an-
tes por assim dizer quasi que inipossivel mencio-
nar pelos seus nornes e precos os ibjectosde gosto
existentes em seu estabelecimento, por isso con-
tenta-se apenas em mencionar aquelles qno julga
mais recommendaveis nao s pela sua belleza e
elegancia como tambem pelos precos que sao ven-
didos deixando os outros que estilo ex|Kt'os em
seu estabelecimenlo para seren admirados pelos
proprios compradores.
Vejam o que hom :
Liiidissiraa'.camwinlias bordadas e enfeitadas
com lindos e elegantes enfeites, proprios para as
senhoras de bom tom : veude-se por inecos muitos
commodos.
Lindos coques a imitacao do cabellos qne em
outra qnalquer parto vendem por 355O0, vende-se
por 2J0O0.
Guepur branco e preto.eom I i mos e delicados
padioes, a U500, 2iOOO, 2*300, 35000 e 4*000
o metro.
Leques de alta novidadeem Paris, sendo de osso,
osso e seda, sndalo e seda s, BITOS salpicados
de lantijuilas, ditos de madreperola e seda o mais
elegante e moderno possivel, ditos de inadeira,
sendo lisos, arrendados, e outros guarnecidos com
ricas pahuas; ditos bnoicos com llores donndas,
ditos de osso o seda, ditos blancos e proprios para
noivas; tudo por precos Uio diminutos que s o
freguez vendo a qualida'de e elegancia poder dar
crdito.
Verdadeiras meias fio da Escossia para senho-
ras. sendo lisas, bordadas e arrendadas, o melhor
que possivel baver para sapalinhos raaos; por
precos cominods.
Ditas cruas tambem para senhoras, fazenda
muito fina.
Ditas fio da Escossia com listas de cores, oara
homeds.
Verdadeiras meias inglezas para homens, fazen-
da muito fina ; a 8* e 10* a duzia.
Ricas chapelinas para senhoras, ehegadas recen-
tcmente e guarnecidas de ricos e elegantes enfei-
tes deselim e flores DniashiM*.
Lindos lingos de cambraia de linho, bordados
agnlha ; pelo baratissimo prego de 15300 c 2 J000
Ditos de cambraia tambem bordados a 8(10 rs.
Lindos cachos de flores francezas o mais moder-
no possivel e do melhor gosto, sendo : TOSM, bo-
tos sollos c botooes em cachos de lin las cores,
pelo baratissimo prego de 1*50!) o cacho.
Fitas largas proprias para cintos ultima
moda, de multo lindas cores e por presos muitos
baratos.
Completo sortimento de ricos c elegantes enfei-
tes de seda o mais moderno possivel ; como sejam
Escossezes e de outras qualidades, estao constan-
temente a venda ra da Iuiperatriz n. 36, onde
as Exmas. senhoras poderlo escoltar a ventade
ou mandarem piscar as amostras, sendo tudo o
mais barato possivel.
Lindas bone^rinhas de louca pelo baratissimo
prego de 140.
Grande sortimento de escolbidas lias proprias
para bordados, a 7* a libra.
Latas com siio.rior hanha franceza a 160.
Fitas de velludo relas a I a peca.
Gullinhas bordadas a ayulha a il).
Agulhas para crdbheta 10.
Lindos botoes de setim para enfeites de vestidos
de todas as cores, a 100 rs. a duzia.
Grande quantidade do (iuissimos ealungas que
se vendem com grande aba ti ment.
Alera dos objectos cima indicados existem mui-
tos outros que s a presenca dos freguezes pode-
rlo avahar a diferenga dos'prcgos e da quslidade
que faz dos de oulia qualquer parle.
O proprietario convida a todas as pessoas em
geral a visitarein o sen estabelecnentn o qual se
acna aberto desde as G horas da manhaa at as i
da noilc, corto <>, que as ditas pessoas encontra-
rlo no proprietario o as mais pessoas do estabe-
lecimenlo o maior agrado e sinceridado era todo c
qualquer negocio.
Loja do Vapor das Novidades
Ra da impci'atriz n. 36.
Panno de algodlo da Bahia, proprio para
roupa de escravos e saceos para assnear : vend-
se no escriptorio de Antonio I.uiz de liveira Aze-
vedo & C, ra da Cruz n. 57, 1" andar.
(a jante-so a c
Ven!
do S.
rnsina, on
Vende
ra da Palma n.
na
l'uaio do ?
mez, o escravo de '.
menos 50 anuos, alto, seco, cara n pos e
maos grossas, heni falauto o ladino, cos.'uma em
suas curses ir para a :na! um, ribe
carniceiro, on ganhar as ras !a t tlc-
eifo. Reci iiimedase a sua captura as autoriilj-
des policiaes e opilaos do campo, mediante a com-
petente indeinnisacao do ir.ihabo.
ESCUALOS FU6EB0S.
Fngio no ili.i 29 do mez do setembro prxi-
mo passado a esciava cabra de nomo Severinu,
natural da cidade do Araeaty, com os sgnaos se-
gnintes : idade 40 annos, altura regular, cheia do
corpo, falta de denles na frente, lesta estrello,
olhos pequeos, beigos I asante ruchos, tem o dedo
mnimo da ralo esquerda um pouco dobrado para
a pal a da man, tem o andar um pouco empinado
para a frente, fui vestida com um vestido de ebita
escura com palma brancas, anda novo, chale de
lia averno cor de boniua, e um oulro decoros,
bastante vciho, serviudo de rudilha, com um tapo-
leiro de II uniros, levou mais urna trouxa eontendo
dous vestidos, iini de chita com IKtraa encarnadas
e ostro cor de cinza ; desconfla-se que ella esteja
ooculta em alguma casa, pelo que se protesta eon-
ira a pessoa que >4ivcr > ;i sua casa, e n ;. -.-es
autoridades o mais pe.-sn;:s que a apprehendam e
a lavem ra do Anionin u. 39, on a ra do Hos-
picio n. 47, que seilo genirosamcnte recompen-
sados.
Gratiflca-se com 200S por cada
um, e mais, conforme a dis-
tancia em que forem eaptii-
rados.
Do engenho Soledade, em Porto Calvo, l'ugiram
juntos Dodia27domezpassado,dous e>cr:\.
sianaes nao os soguintes: um de nome Fclippe,
13 anno?, natural UoCear, cor cabra, esta va
um pouco ili.-i'.oi; ilo qnandn f gio. tem os eabtlor
carapinlid.is, olh s gi andes u vivos, falla do nm
denle na frente, rosto cumplido regular, punca
barba por balso di queixo, cstamra regular, beta
feito de corpo, poma; grossas, ps peqnenos t
bem foitos, com marca de un a frrida em enwi e
urna das ranoHas das ptrnas, 0 falta claro e dos-
embaraead. O oulro de nome Manoel. tambem
cabra, tem 23 anuos de dado, natural do l;o
Grande de Norte, estatura mediana, espigado, sem
barba nenlmma, roslo cario, olhos pequeos e
vv*os, nariz pequen", regular em grosMlra, deotes
perfcitos e alvos, bragos e peinas linas, pc's regu-
laras, sabe lr e cscrevi r. toca viola e cania de
improviso, fui munido de falsos di romentod. Am-
bos (iran ewnprados ne.-ta cidade do Hrcife ao
Kxm. Sr. bario do azareth, o prineiro em Jnlbo
de 18(iii e o segundo em julho do enrente an-
uo. Esto a nboa limpos de cosas o nadfgas.
por nao tercm effrido castigo algnm. Itoga-sv
portanto, as autoridades policiaes, espilles de
campo, ou qnalquer pessoa que os etienMre,do os
capturar, e lvalos a sen sonhor, Francisco de
Paula Garateante de A!b'iqanmue n i referido
engenho Soledade. no tcrino de Porto Calvo, ou
nosla praca so Sr. Joaquim Rodrigues Tarares
de Mello com eacriptoiio no largo Bu Corio-Santo
n. 17 Io a/fdar, pelo que em qcalqner das parles
so dar a gracaglo cima promettida. Recifc,
23 de ontobro de 1869.
Do engenlio Jacobina, comarca do Gibo,
fugra na nenie dodia II pa a \ do correrile,r
escravo ciiooli de nomo Antonio, levou camisa
do alg 'dio azul nova e cerunla de algudia ame-
ricano, chapeo do palh4j volho e nuil alguma
roupa. tem os signaos seguimos : alto, bom ci-
po e tom as tuntas dos >s um pouco grego^,
este escravo fei vindo de Paod'Albo, para onde
so desconlla ter seguido ; roga-se as aniorid:
policiaes i capillos de campa, a captura do dil i
ivooleva-lo aoseuscnhoV no engenho ci-
ma mencionado, que so recomponala generosa-
mente.
i
Sementes
de bortaliea chegadas no vapor de 14 do correnle,
e est venda na ra da Cruz n.. 13
Fogio segOBda-.feira, 13 de ootnbro, o escravo,
Antonio, prelo crioulo, idade .'JO annos, pouco mais
on menos, de estatnra reau'ar, falta de denles na
frente, quando anda um pouco corcovado para
diante, levou volido calca de briin pardo, camisa
de estopa, e chapeo de paiha ja velho : este aa-
cravo veio j ha lempo do Rio Forraoso, e sup-
poe-se ter para alli seguido : nuom o pegar le-
ve-o a ra da Concordia u. 8, relnacao, que sera
bem gratificado.
LISTA GERAL
2.
124
DOS PREMIOS DA > PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LEI PROVINCIAL N. 593, A BENEFICIO DA MATRIZ DE N. SENHORA DA PENHA DE GAMELLEIRA DE SERINUAEM, EXTR\HI)A E\I 6 DE OUTUBRO DE 1869.
S. PREMS. R8. PREMS. \S. PREMS. S'S. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PR] :ms. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. __-PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREM3./NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
3 44 270 42 548 84 759 44 1042 44 1224 44 1470 44 1648 44 1835 4* 2042 84 2313 44 2543 44 2827 44 3070 45 3327 44 3548 44 3768 4rf i 4038 44 4308 44 4484 44
a 71 49 44 62 43 404 27 73 52 37 43 44 14 45 32 71 28 49 ;o 45 17 85
10 75 _ 50 __ 64 46 44 31 75 54 46 47 30 46 3b 80 35 58 73 - 52 __ 18 90
u 76 61 71 52 34 86 Id 47 48. 32 47 38 94 36 62 83 - 59 __ 21 92 _
19 79 _ 62 78 55 36 88 60 51 55 34 50 4b 98 39 _! 69 90 1 62 __ 22 84 99 ^
34 . 98 65 80 62 41 92 63 60 62 37 59 53 99 55 71 94 4 1 66 404 29 44 4514 16 25 26 27
n 99 68 91 65 47 99 65 67 I 67 39 72 55 3100 57 73 ____ 95 71 44 33
45 301 _ 73 99 75 _ 48 __ 1503 69 72 89 43 84 76 58 16 61 80 __ 96 75 ^^ 38
51 3 _ 74 801 76 56 __ 4 71 74 85 44 44 80 60 23 66 81 3801 - 81 __ 40
52 8 __ 75 3 79 70 7 73 80 88 45 - 84 63 26 84 84 88 4 85 __ 44
57 12 __ 76 6 204 81 82 9 7a 87 95 47 ' 87 72 31 98 44 93 _ 12 89 ... 48 _ 23 .
64 16 ._ 83 8 44 83 83 23 76 92 99 49 97 73 42 3402 _ 97 ^ 18 4100 51 _ 37
66 28 ^_ 85 14 84 92 27 84 93 2103 __ 54 602 80 53 204 6 99 _ 35 4 55' 38
71 8# 41 ._ 88 15 90 1308 32 83 1904 9 # 55 4 89 57 44 9 i. , 3603 _ 39 10 58 41
76 41 42 _ 96 44 1100 12 36 86. 6 __ 11 p- 62 18 91 59 12 84 10 _ 41 17 61 __ 42 _,
87 44 ^^B 99 64 1 14 41 91 12 15 * 69 \ 35 " 90 65 23 44 11 m^ 52 26 _ 64 __ 44
90 47 __ 601 68 6 19 44 M 15 24 r~ 72 42 2904 71 26 14 _ 54 46 65 _ 58
92 52 __ 4 84 16 25 48 84 99 22 25 - 78 55 1004 11 74 30 26 _ 55 52 _ 69 __ 61
106 54 _ 12 85 29 47 49 44 1701 __ 23 204 35 _ 88 56 44 20 76 34 _ 28 8J 65 84 54 _ 76 62 ^_
7 57 .. t 900 _ 30 51 50 4 _ 24 4* 36 _ 92 58 27 87 40 .^ 30 44 71 44 63 77 __ 64
10 85 60 __ 3 ... 31 56 - 51 14 __ 30 38 i. 94 59 31 88 44 _ 43 _ 79 67 _ 81 65
11 40 65 --- 24 t _ 35 61 52 19 32 39 8 . 96 74 40 90 45 M. 48 84 87 84 68 _. 83 69 _J.
13 44 75 84 26 7 __ 47 63 57 20 42 40 44 2413 79 84 Al 41 3200 47 _ 49 44 89 44 73 mm 85 75
13 7fi 44 . 27 30 _ 48 71 67 . 23 44 55 15 87 49 9 49 _ 55 93 77 _ 89 78
15 '89 33 41 _ 49 74 69 26 47 84 59 18 91 ~~ 57 - 11 52 _ 56 mm 96 -r 80 92 . 81 84
16 90 M4. 37 44 Bl ... 77 72 29 __ 52 44 62 - 19 92 --- 64 17 58 ^_ 59 mm 3907 * 83 94 V- 86 44
17 . 93 --- 40 * 46 _ OJ __ 81 - 73 33 59 67 24 96 404 69 21 68 gta. 62 --- 21 83 96 87 --
21 400 42 49 84 N _ 88 75 36 70 .69 28 2702 44 78 22 72 __ 71 --- 27 4200 4400 97
29 * 10 --- 56 52 44 60 _ 94 78 204 39 __ 73 80 __ 29 3 79 26 78 ^_ 87 35 1 _ 14 ~ 1603 _
17 4 20 --- 74 57 63 __ 96 81 44 40 76 99 31 4 80 . 27 84 83 __ 88 42 4 _ 16 18 _
40 23 80 60 _ _,_ 67 ^^ 97 82 41 _ 81 2203 32 7 82 32 44 83 --- 91 49 --- 5 mm 20 ... 19 ^^
' Va 27 --- 84 204 66 ^^ 70 _ 1402 ___ 86 44 85 i 5 -*- 34 _ 10 84 48 86 --- 99 76 6 __ 22 _ 27 _.
T, 32 68 44 67 _ 71 6 __ 87 52 89 25 44 7004 13 90 50 94 3703 --- 78 10 25 30 ^
73 w --- 90 69 * ii 75 __ 7 __ 90 58 90 35 45 44 16 96 53 3501 4 , 79 --- 18 -m 26 31 mm
75 45 92 78 * 76 _ % __ 94 66 2001 43 58 8 19 _ 99 54 3 5 _ 81 22 29 33 204
es ^" M 95 84 87 10 _ 95 69 3 45 61 44 20 _ 3002 _ 65 6 9 89 32 30 37 4*
88 67 --- 97 91 --- 92 14 204 97 77 4 46 62 21 __ 3 70 7 13 --- 91 35 33 83 41
93 * 68 --- 701 92 93 24 84 1606 84 80 10 48 68 25 . 11 83 10 19 99 --- 44 --- 33 44 45 .^.
203 74 5 96 - 94 ^" 25 44 8 44 84 13 55 - 75 28 23 _ 86 18 22 --- 4001 --- 48 39 53 ^a
K 77 8 1000 99 27 14 90 _ 15 61 84 83 31 25 93 24 33 84 6 49 48 t 86 _
8 88 18 10 1203 31 a> 17 96 17 64 44 98 32 28 . 97 28 33 44 12 --- 52 55 4:0004. 58 w
a 90 23 - 12 7 34 25 29 98 20 71 99 37 74 29 3300 29 39 204 15 --- 56 --- 57 44, 69 -
13 500 - 27 23 8 40 1806 27 73 2501 40 , * 30 40 44 17 -T 58 59 - 68 _
M i _ 30 25 9 42 84 30 7 28 84 79 9 85 52 3 33 41 18 66 62 - 79
37 10 34 28 13 51 44 31 11 29 44 87 18 86 56 2024 4 36 46 20 77 63 - 84
46 _ ' J ^- 46 34 15 58 34 13 32 98 24 92 58 44 5 37 49 81 25 86 68 i M "
51 _ 44 __ tu 37 "~^ 18 60 40 28 34 2300 28 ,2801 62 12 38 53 44 26 97 . 78 1
J7 17 f>* 85 39 19 64 43 29 36 5 ' 35 - 10 63 16 43 -U 83 3i 99 --- 77 j 98
18 ' 32 4# 58 40 83 45 31 41 7 38 -' 23 69 17 46 . 64 35 4305 83 99


8
o de Pertiiubtd

*
**

CBIME nORKIVRL. ASSASSINVTO DE
CHA FAMILIA INTE1RA. COMPOSTA
'ttK SEi'E PfiSSAS. DESCOBERTA
DO ASRafiSK.
Pralicou-se nos Ins do rae?. da selern-
tira fcuflio, cas immediaces de- lis un
*.ipa\(sn crime. que ali produz. a maior
leroacao. Desojando intuir;1 is leito-
-.*-de lodos os pormenores, p--sanios a
dalaa afilados daa jornaes qu reeebe-
tmx f Europa.
P a 1< 8 horas di larde cr usara ai pelas
rea* ir faW* doas canos semelhaiiles aos
- arlmtl rih pivoaroes ruraes para a
dasrSu dos estrilases. Eram preeedi-
j.M da sal o* oii'i aaapregad os to rauoi-
r tra* ia* andada por u n sargento.
A natt, que furnia va umi massa mu
C9Mp*cl* ao passar pela ra do Rivoti, e
en ais numerosa ao aproximar-so da
.:4.a ta cmara, a irapressiunada seguindo
afielk mysteriosH comboyo. Os carros
in c.ih tos con bastas pretasj e fallava-
s da raas.'i.iilc de plvora e de anuas en
ucalraaa. Uem dopfasaa se reconheceu
<|Be carros se dirigiam para a Morgue.
llmyrom ?' enlu os soldados em alfas-
Ul a fale um miauto que os empregidos
M*r* uTaaorinc'i" mi os carros.
Tjraij.is os pannos pretos que os co-
jb. vjmji -se sais cadveres clieios de
>**-; a mutilados, a das elididos depois sobre as lousas.
* Margae achava-sn quasi toda occupada ; i
nao iraram sanio dous lugares vagos. 0
rmanecia contido a alguma
que niuictimis loriara fgido, afisTando-ss' o engao c prorompeujJ
um.is das tuteas.
Um vendedor de ferra montas de agricol
tura de Panlin declamo que um in lividu >
que pareca perturbado o qu; caminhava
apressadamenle llie comprara no domingo
urna p, cujo preco Ihe pagan sem rega-
tear.
Foram retidos dous inlividoos sn>p;
tos. A familia assassinada resida ni pro-
vincia e tinlia vindo a Pars. Diz se que a
noticia d'este acontecimenlo foi participada
telegraphicaraente para o marido di victi-
ma, o que prova que so p le conhecer f
identidade da mi e das eriaoca-t.
Hontem est>va estacionad i e:n frente d.
Morgue um gento mmiuso pan con'.em-
plar rom horror os ensangucntados cada
veres ; mas estes j se ni aeho i esp asios
ao publico, pois foram Iransporlados para
o amphilliealro, onde se I lies tai a- autopsia.
A desgranada mulhe;' assass'uiada com
sua familia estava grvida o linha um gran
de ferimento no vVntiv.
Posterioniiente eobUagam-sc os se
guiles esclart cimentos e presuuipcoes :
Seis dias antes do mine apresonl6fl*-st!
em urna hospedara de Pars, que tusa de-
fronte da estarn do caminlio de ierro do
. norte, um rapaz de uns 20 anooi; deollio?
pretos e profundos, que dizen-ln-so artista
de metai's em Roubaix, ciilade fabril pr-
xima da Belgha, e onde ha um anuo hou
\e grandes utas com os mineims de car-
vo de pedra.deu ao dono di hospedan.i
o nomo de Jo3o Kinck c disse qu preci
sava de um quarto para de dia, pais que
as noutes as passava no trabalho. Foi all
hospedado, almocava na nospedajia, dor-
mia um pouco de dia, pagava diariamenl;!
a du-speza, e retebia cartas do Rmbais,
que depois se vio fallavam so de negocios
fabri?.
le, ja a caaaiagem ^H_
No Havre tambein
aerassassinado.
A sceBa em presenta &^^^M
horrivel. Troppman, que totla a
veio silencwso, nomeou-os nm por
pcrsistin em suas declarajries nSo inte
mente completas c satisfacloria e nas quaesl
se rcconhece pro^re-sivamcnte o empenho
de liihii ir a sua intervencao m crime e de
se apres ntir como iostnioicnto do? planos
.bidos dunnti; inuil) lempo por.JoSo
Kinck pii, auxiliado de sen allto. Coufes-
sa porem ter comprado n pnmMv e a >,
(pie serviram pap abrir o obrir a eova,
ter lavada a mi ao lugar do criwe e haver
coalribuido para o seu assassinato.
Nada disto poifirt negar, porpje j o fi-
lloa reconocido o que Ihe vcndeu nqueRes
inslnimnii.'s, c porque os seos bracos, ros-
to o al h calmea tinbam as marca*; das
;nhas qieHieer.iv.iu a mulher ao dwfertdiT-
se, e sobretodo a ded-iider seos lilhos. Sos-
tenia poriO que o assassinalo devia limi-
tar-se i infii, o islo por. zuiof do marido;
mas que os meninos, ao wrrtin-na apear
do coche e dirigir-sc para o sitio rtn catas-
Iropli, quizcrain acompanha-la. o qe moti-
vou que, i vu-los, Joo Kinck lite clwmis-
se ii-til >r o dcseonasse dalle ; acrescenta
que nao foi elle, mas sim Gustavo Kinek
ijirun tro'.ixe ;m lugar da caiastropin'os un-
iros (res meninos, demorando a chegada
para quo eslivesse consumada a morte das
primeiras victimas: ilisse que na Ion em
<|uaa mi, forte, joven e robusta, se d;fen-
den atdesesperacao, cl'a arrancn" fica,
a s'ii marido, ferindoo em uta tu aro, ese
de 1866.
i
irmo de Joo Kinck,
edores de todo isto, escrkam a cu-
ada para Roobair; porm em lugar de
eaposta dila, Tirara ehegar no
dia 7 da alambro a Gueboiller seu so
orinbxr astavo Kmck. Este disse qae ti-
nhamsldo mandado pela mai para receber
o diofcefro; porm anda que era conbeci-
do pelo administrador do correio este, re-
ceiojopor U*d> o que se bavla passado,
pedio ao rer iptanto embaratjado estava o
rapaz nas suas respostis. que trouxesse
urna aulorisai;rio di) poi oo da mi. No dia
10, G slavo recaban este telegramma de
Paris: JooKinck a Gustavo KinckA
utorisaco para receber est ha mullo
lempo era tiueboiller. Vai ao correio e
'rrespond*. A aatorisaco estava effc-
ament, porm ; firma do tabeltio niio
acbava guisada e aquella nada pode
ceber. !*>.ife seguate receben outM
egramma para qu fuBsa immedialamente
aris.Jo5o, o pai. nuH-a estaw! eale
xSirao em Guebartler. O'que tomou o seu
nome diegoa m) dio SI de agosto o alojoo-se
na hospedara d'1 Cano#d'On1 t
Achando-se ae invesliga^? naste estado,
o magistrado qua^st formando o processo,
he urna iniporlantissima revehKo. J
dlsJems que noticia do crinw linha
^gnlo a Parlf di? cunhados d.ie"?|wsn
assassinada, rhamada Hortensia Rousell,
im irmo .W Jlo Kiwk edous primas ir-
os Tarares. A Visara, onde ningutWl o vio, a prtmiira
Xtiumi tm victima de urna IioittbI macbinarfio?
| Para isto neeassario adraUir que tenia
as anas cartas mnlher foram falsificadas,
a que elle qae leve o sao papel, o eslavo
representando durante mwz a maro eoteift-
fornal persevaranca e sea modo de er
descoberto.
No domingo ultimo 2G chegou a Paris
tres supposlos cualplces em toda asta tra-
gedia ; um Tindo de Lille e Belgka, os
outros don, entre ellos um de blusa,
procedentes do Havre, e que com Troppman
parece que ilevam embarcar se pira a
Amrica. O maior mysterio reinava sa-
hida de correio sobre estas prisoes.
Por ultimo, como em Paris ludo se
quer relacionar boje com o crime de Pantin,
pretendia-sc que um homem qnc appare-
ceu enforcado em urna arvore de um bos-
que inmediato, era outro dos assssinos.
Careca representar 45 anuos, porem nao
se Ihe encontrn o menor indicio, se bem
que linha um braco ferido e ensaoguen.ada
a camisa e o rollete. Deus ludo desco-
brir, pois impossivel deixar de er, re-
pelimos, a mo da Providencia em ludo
isto.' Um gendarme julga prender um ma-
riiiheiro desertor, a encontra-se aelle
Troppman. A m5i enterrada anda viva,
e ja debaixo de leve carnada de trra q>oe
i cobre, ao fazer uva supremo esforc/o
deixa assomar o braco, o que faz com
que um capones descubra a cova duas ho-
ras depois de consumado um crime pre-
parado com tant* precauclo !
Pars 28 de swunbro. Baria do tor
mos, um dallas soldailo. N> dia segwinte. lido ein um jornalqae o imperador man-
rhegoo u.-na tia de Juo kinck, mulher. j | dra a*w Iba ossem commatlicadas kora
-W8feo. cutir, sple contar o numero das UN,) domingo. W de selemhro pla, 0
v;.i.*as, ejulgou que estas procediam de horas da larde, depois de descerdo cami-
***m siaislcnToccasionado poralguma ex-1'
* v camiilio de ferro ; mas quando pode
apjrosiioar se e comprehendeuque aquellas
.'j as viciimas de um horroroso crime,
rftrjfrflilcu dieio do espanto.
Vm seis cadveres cobortos de forimen-
,{ p^nlial que li;avam depositados na
Kaigttti un era o de urna, inulher e os
rstala* de cinco meninos. A amar,
i Aui', tiulia o braca direito atraves-
saaU ur om i punkalada, cortada a vea
an/lida. c < rosto desfigurado pelas inui-
fcss pBilialadas quo havia recebido. Sem
danda o assassioo tova por fim desfigurar
vkiima de modo que nao podesse ser
wida.
A um lado achava-sc o corpo de um je-
que loria dezeis annos, sem duvida o
i velhf daquella familia. Dous horri-
veis fenmealos na cabera tinham-lhe cau-
sa4 a morte. O furor do assassino, nao
satteito anda, linha atado um lenco o
sca(o do joven com o fim de o estrangu-
lar. Parece que este infeliz procurou de-
feader ua familia com urna rara bravura ;
iSAsm o Caziam suppor as suas mos feridas
unbal que sem (Unida quiz segurar.
fm-ce depois outro minino de onze a
foteanflos, rujo rosto linha vinlo punha-
(adao, u cilios rasgados pelo ferro, o os
otaos do crneo quebrados a golpes de
azaftdio oa dealguma arma contndanle.
A juarti victima era um menino que
as contara seto annos. Este tinha
d merlo como um cordeiro. sangrado
;- ajo.
Seia-aa oulro menino dos seus qua-
li te annos ferido com tres punhaladas
FiaalaieMe (a pena escapa-se-nos das
los a sexto d aquellos cadveres per-
* a-lipa i ibre menina dequalr annos
irj/m um vestido azul e um hahoiro
o assassino tinha-a ferido uo
?;o;ti;i Tai descoberto este horroroso
- "
Paree i g i u n ivrador qua voltava do
-.. jM.v.i, perto do forie da Vuber-
l .o urna eslreila senda, cha-
le, tres grandes man-
Segnio para diante e
. iu nutra iqau ;. i de sangue e algn-
manos. Notou tambem que a
f j*uecia revolvida de fresco e lavrada
i r aHotoexpericntc. Escavou ento com
:v-.-: scobrio um lenco manchado
ms ao apaoha-lo observoo que
.'.,i af irado por urna m5o.
terror ao ver sabir da ierra om
ensangaeotada, relirou-se d'aqaolte
i a avisar a autoridade. .Me-
s, edmissadoa de polica o gendarmes
. r.ini immediatamente ao lugar desig-
i i -'.olavrador, onde foram encontrados
il cadveres.
\ miHier estava vestida de seda preta ;
O WO tr^jo era de uma aldea rica. Os
meni'ts traziam bonets com galao de ouro
e tinnam brinqnedjBB nos bolsos; parece
le um d'elles estava comendo um bocado
ie |M"> quando foi ferido.
Simando o parecer .dos mdicos, estes
assassioatos haviam de ter si lo commetti-
da4aa i para as G horas da manha, ou
na primairas horas do dia. Os emprega-
4ni.ia aseada da Pantin tiuham visto des-
??mba,rgar ala familia, que vinha de Rain-
cj, ao dia anterior tarde.
) ssassino servio -se, para perpetrar o
..fm-i, da nm pnnhal com cabo de pao
la, que foi adiado, e de nina arma con-
larneab1, que elle levou comsigo.
O motivo d'ostes assassinales nao foi de
certJ o r.tolio, pnrque as victimas conser
vavata os seos adornos e joias. Nao se
pide igoahncnte altribuir ao desejo de vin-
aii;* pusnio se conceb que tenha ini-
migos nma crianca de qualro annos. In-
ilabitavdniente o assassino podara ser
alga monomaniaco furioso ; tal vez o ma-
rido da ueulher assassinada. difilcil que
omi pe^6oa esleanha tivesso podido condu-
zr aqunlla familia s 4 horaa da manhiia a
um lugar to solitario.
O iavrador que descobrio os cadveres
.'V.ama-se Langlois o habita em La Villette.
M eamna nade aquellas foram encontrados
Hi situado a 20 metros das casas dos
fin. Ctnier Bresson, fiandeiros, e do Sr.
Dafcer...
O Sr Doael ftarcq foi ncarregado da
uttruccat do processo, c este magistrado
foihantam ao lugar do crime para colher
iodos os indicias da que se possa valer
[ara a suguipo do criminoso.
t> aa geralmcnte na comarca- que oa
fiiajprfs foram transportados para o mes*
snio onde foram encontrados, pois nio
k Bossivei assasomar aeis pessoas no meio
k > campo e em om pequen') espaco, por
uho de ferro do norte, que. como diss--
uios, fica defronle, chegou hospcdari:i
perguntando por Joo Kink urna mulliei.
a assassinada, acompanhada por seus cinco
filhos, que pareciam alegres e contente:;,
como crianzas cm um dia de viagem c da
(esta. Vendo que nao estava al, disseque
com eleito se tinha antecipado rtaas horaa
deixou um pequeo sae-o de viagem na
hospedara sabio s 8 para a eslaco, nao
querendo acceitar o convite de que lomaste
alguma cousa, pois dissa que nao sab a
onde quereriam leva-la a ella eaos meninos
para jantarem. Pedio para a man noute
dous quartos na bosped uia.
No caminho de ferro salie-se que s 9
horas uma senhora dea signaos dados to-
mou para Ligni -dez buhles de idj e vo!-
ta, viagem que se faz em u^ia hora, e como
s eram cinco os de que ella careca, poi-
a menina de qualro annos nao paga, en i
poe-se que outras cinco pessoas deviam Ir
com alies. Na estapao le fantrn viraio-
nos apeiar- se tambem a & >raer em um res-
taurante popular de RaWicy. s I Oda noi-
le, comendo em urna mfcsa immediata oo-
tros tres individuos que fallavam muit),
porm, que anda quando eonhecidos nno
deviam ter grande intimidada coma po-
bre fami'ia.
n50 fosse osen auxilio, tel-o i moVto. Por [do tiOnon^, e a qual dteclarou ao^utz que por bora
ultimo crmta" que at s 3 di m#higads
estevo ao lado da cova, que depois andaram
pelo campo vigiando, as 8 horas voltou
hospedara que-fica defronle da es-taco do
norte, onde tiulia estado debaixo to nonie ejpio ^v. saria este que- tomwa o
loo fcmok antes de casar linha fulo um
IjIIk> naiN-al que vivi, o mtal tinha ti ar-
nos, quo resida na Alsacia e quo se chama-
va io) Emilio Kinck. Penatni-so
Je Jomo Kiiiik. o no qual urna hora depois
receben a visita de GusUvo lillio. o qual
ibo disse que, tttdo eslava d 'se.ol;ii'> e que
era preciso fugir. All mudaram lodos de
ronia. deixamlo a que eslava ensangucnla-
da oa commoda. a com binara m reunir se
sll horas no Caf Parisiense, situado no
Builevard do Templo, onde eleclivainenla,
foi tambem Jolito Kinck, pai, entregando-Illa
300 francos ero ouro bolga, c as ascriptu -
ras de snas propredades, para que as
Troppmno. porm iiarece que ao, ainda
quo iO jlulg que elle esl envolvido ^nesti
horrivel cafcastiophe, quo a elte mais do
que a iiifltaKrm poda aproveilar.
No mtsmo' dia te ve lugar outna declara-
eao important-e. Al agora tnba-se refe-
lrJo o crime db om modo inverosmil. Sup-
punha-se pal dealaraco de nm-socheiro,
que agora o muito suspeito, que toado en-
trado em um carruageni todas as victi-
mas na estaejto-de Pantia,. as tinha levado
guardasse combinando os tres em parlirem pelo Caminho VFdo a uma distancia como
dala omliarcarem para a
para o II.vre para
America.
Como sabido, no da- seguint;
Troppman ncsla diroc,c>, accrescenaiido
a que pode In ve? desde a estacao de Ato-
cha at porta ;*e Alcal, por arrodores
parti ainda mais solitarios do que as cercanas de
:\bdrid. Que all o fillio Gust ivo linba-feito
todas as diversas pbases (]ue
apreanfc> este atlerrador e mysteroso
drama, e qua o prefeito de polica tem
ordein de acompanhar a informaao diaria
ao pi'in- sobre a potilica ouropa com uma fi-
nme de formaco dtaaia tarobi;m sobre o criino de
Ihntiii. 0^ que nao sao principas, mas
periencein a> todas as dem.ais classas so-
sMesi fazem mais do que isto, pois 9 cada
hora compran alguma das diversas edenes
que- fazem os imiomeravcis peridicos de
Paria-, muilos d'elles com gravuras ausi-
vas, e quando nao team novas emowes
na imprensa, \Tio busca-las ou Morgue,
ou a> capo d'.> assassinato, j chamado
campo da Morte. Ou porque a fatalidada
faca com que cada- da m novo succes3o
venta augmentar o inleresse, ou porque
os jornalistas saibem^ como nos mais ter-
riveis ramas e novellas deixar pendente
a curiosidado do esnaetador de um a oolro
ras segundo Ibe parec, o pai e o li- parar o carro, levando a mi e os doos fi-
lio, vendo-so perseguidos, devem estar em
P ris.
liste Troppman era taml^'m operario me-
chauio, natural da povoacSo de Cemay.ua
Alsacia franco-ailema, poroaeo iminedia-
ta a GneboilierJ .rido JS>fitf4Enek linha urna
proprieda le O" p ii de I'roppman vive bo-
je ern C-rnay. d'o.ide nao sabio. Sabe-se
pelos visinhos que os-negoe.ios mercan ti s do
lilho corriam muit*) mal, que elle se jul-
gava inventor d chanico com o qual devia fazer grande for-
tuna oquj havia inleressndo nos souspla-
Terminada a comida, a mi parguolou o ] -ios Joo Kinck, o qual, einutaa cart diri-
gida de Paris a sin mnlber; Iba falla de es-
labelecer urna arando industria na Alsacia de
caminho para ir estaca) do caminho no
ferro que de Strasburgo vai a Paris, e que
se faz geralmcntc em mnibus entro esta
linha e a do N irlo. U;n das horneas foi com
ella e os outros dous sabiram depois.
Nao se lornou a saber d'elles. Suppce-
se que os extraviaran! alravez dos eimpos,
que os conduziriam a alguma casa den;e-
mio preparada, qae os matariam all indos,
talvez cm quanto estivessem dorraindo e
que depois iransportariaai os cadveres
em algum carro para a cova j preparada.
Das pesquisas eitas resulta j que um
rapaz com os signaos de Joo Kinck. e cm
estado de grande agitacao, comproa s 8
da noute na Villette, povoai.o do cimiuho
de ferro de cintura de Paris um enxadao e
uma pi, rom as quaes deven abrir a cwa.
No seu quarto da hospedara de Paris o
em um armario encontrou-se tambem u na
camisa ensanguentada e um pedaco da
gravatacom que fot estraogalado o mus
velbo dos fjlhos, bem como um lenco igi al
aos que havia no sacco dcixado pela mil.
Parece, que Joo mudou de camisa., quan-
do as 7 da manha de segunda-feira, e se-
gundo o seu casame, voltou hospedara,
demorando-se n'olla irosamente alguus
instantes. Tres horas depois chegava Roubaix un telegramni <\ i Ib i era diri-
gido, dzendo : Bsparai, ainda > csa-
mo*frompto$. Nida anais se tem Ha-
bido.
E o pai c marido d'esta familia, onle
eslava ? Ser o assassino um herdeiro
que quiz at dar cabo de nma menina de
qualro annos? Os assemos nao podom
ser ladros, porque s etimas nada fal-
tan. Seguirem is a- phases d'esta dra-
matici e terrivel historia.
Porta 2U de srtembro. -Nao me admirei
de que em Hespanha nao excite o espan-
toso drama de Pantin o nteresse crescente
que aqu inspira. A nossa patria tem lira
Tarragona, 8 j antes, leve em burgos at-
tenlados quasi to deshumanos como este,
A que Ihe toeam mais de pe lo. Porm,
aqu, a al.'iins kilmetros do iheatro do
acontecimento, vendo passar (liante dorios-
sos albos victimas e assassinos, todas as
noticias que se referem ao successfl tomam
por instantes ura interesse que nao posso des-
crover. Nunca repito-o, acontecimento algum
impressonou de tal modo o povo, e boje
acompanhara-se as peripecias da tragedia
de Pantia com ms ancieda le do que as do
attentado^Orsini. Que far quando livor lu-
gar ojulgamento pelo jury ?
E' verdade que estas peripecias sao cada
dia mais extraordinarias. Na minha carta
de hontem deixavamos o assasino. Tropp-
man quasi s portas da morte no Havre,
onde tinha querido afogar-se, fazendo ie-
claracoes terriveis, e nas quaes lem perse-
verado al agora, e que comprometliam no
sxtuplo assassinato Jo5o Kinck pai o ijeo
lilho mais velho Gustavo. Troppman ape-
nas pode ser transportado sem perigo, foi
conduzido para Paris, pelo caminho de Ier-
ro do Havre, chegando hontem s 5 horas
datirde, enaoccasio era que en lae, iva
a minha carta no correio. A polica e ajus-
tica tinhara tomado grandes prccaucSes du-
rante a viagem e a sua ahogada S estacao
de S. Lzaro, onde havia dous dias era alie
esperado por immensa mullidijo da pevo,
que o quera despedafar. Vazndo-'o "s;bir
por uma porta falsa chamada porta los
morios, e levando-o em carruagem de lu-
guer, emquanto que as carruagens pira
presos estova em oulro ponto consegoio-
sesalva-lo. Quando a multido descobrio
capitulo- d'oslc espantoso (brama, a verdade.m b m[[ fc (dtavU| m (ma
que se deita a g^nla pensando cm. uma fer(ia.
angustia geral, Troppman aJwnla-se, di
algu.it passos por a ida, c os seus o los
cravanhse no cadver horforoM de Gus-
tavo, o filho mais velhT. Permite aquella
vista, que tanca por trra todo o seu sys-
tema de dettfi, conti alftin-so-lbes os ms-
culos da cara c escondo o rosto com om
lenco encarnado, prortnnrian lo estas |bra-
ses. Ah odisgeacado f...
O joz qinr aprovehara emo?o eawaj-
preza, e di/.-lhe:Reconheces essoaWh-
vor ?Sim, Gustavo.Postes vos qae o
assassinastes ? Oh! Bto.... deva ser seo
pai quem o assassinoa temendo que por
inexperiencia ou ralado palos remoraos, seo
lilho revelasse juslica o horrivel crime
que tinbam perpetrado. Depois da haver
ajudado o assassinato, accressenton aom-
pro impassvel e espairto>o, Gustavo foi
victima por seu turno.S os morlo* Mo-
fa Ham... Quem ettlvera em seu lugar
E callou-se. O jniz convdou-o a modar
de systema da defcza, pois o que havia
adoptado era ja msusteutavel. Sim, dias
entao o assass'mo, como fallando a si
mesmo, quera estar cm seu lugar!.,.
Em lugar de quem?-Notosilencio. Per-
guntaram-lbe em seguida se era verdade
-que no dia 30, dia do assasaioalo, etere-
vera a seu pai e Ihe mandar ainda dnbei-
ro. ConfessaH) com mus modos e diz :
nao me interroguis mais, porque nada mais
dir i. .Tenb> recoiibecido o cadver a
persistiio nas soas primoiras declaracoes,
Troppman foi da novo condiBidb prisao
Mazas. A confrootac5o havia durado Time
minutos ; a physonomia do assassino ape-
nas- demonstran emocao : estava-.fr sem
ser eynicau sempre senhor de si-j^aesmo.
As suas declaracoee-, feilas com voz mine e
sem TacillacS). E' mnii segiro ija en-
ipianto se n5o encordar o cadver do pai,
nada muis dir.
Algumas horas depois, a familia dos
Kinck, que augmenta adidos ds.memwixis.
e tem ebegado a Paria, foi -nduzid*
Morguo pura reconheoer o cftiver de
Gustavo. Alera dos dous irmaos da mi.
do irmo d>> pai, de dous primos, tinlf
chegado de iilie, onde fcm uma loja da-
modas, a unwa irma de1 Bortenca Rous-
selle de Kinok. \ scena foi espantosa : a*
irma de Hortencia por duas vasas calan*
desmaiada ; porem tanto ella como toda a
familia njconheteram o cadarer de Gusta-
vo. Reconhecou ta;i bem a irma os leticos-
como pertenceHes a mei;t duzia- d'elles
que de Lille li:dia mandado-'la prsenle a
sua irma mezca- antes, e quo eslao quasi
lodos cheios de sangue. Unr-estava alada-
havia
llios pequeos ao saeriflofo c, consumado : Troppman e accorda sonhand c in Gustavo
esto, e enterrados as cailaveres pelo pai e
sen cumpjice Troppman, voltando pelos
outros tres oienmoa, que teriam soSHdo
meiahora depois a mesma sorle. Bam m ;'-
ditada, esta verso aia absurda. C ie-
be-se qne umi familia'se divida para ir em
carreagem, por nao oaberem todos ; gw>-
rm ira irem a p roeia noute, nao sa
concebe que tres vo primeiro e quo os
outros-Ires esperem u* earmagem qne-os
primeiroa cbagaetIR para andarem logo a p
idntico caminho. A ra deixava-os om
poder de um cocha esconhecido em
vez deas levar asentado. O Sr. -Jubo
Herceliapresenlou-so perante o joi da
fundar una sucoiirsal em Pan de raides qrocasso, o declarou- que ao ir na noute te
sommas que esta empreza !ho Uia pr-
duzir.
lia a observar que UntO')o3o Kinck como
sua mulher, na sua mocidade tinbam sido
simples operarios e com o seu trabalho e
economa haviam em poneos annos reuni-
do 80:0(K) -francos, empregando as duas ter-
cas partes em casa e propredadjs rusticas.
Talv/. que um e outro fosseuv algum tanto
llomiivgu para segunda-fer de#anlin pora
AaberriJIiers, onde icm-uma fabrica,, vio a
familia Kmck, pelos signaes nuo Ibe de-
ram. Era meia hora e a noute estava clara
e de luar. A Sra. Kirnlc ia adianto e la-
vava nes bracos a menina pequea, qual,
para a garantir do fri, liaba cob-rto como
seuimpermeavel. Detraz, e a > lado, iam
os qualro meninos, e air; z desles tres ha-
ambiciosos, cousa frequenlo no esirangciro I mens eona.pfts fortes. Ei-am talvez os ru
cahindo-so as vezes no extramo opposto a
dssipi >. Troppm>n. que soguodoas s.ias
declaracbod se chama Joo Raptista. e
como tal foi bptisailo em Cernay em 1819
permao-'cau oa me/.es de junho e julhoem
viram a familia estar a comer e conversa-
ilin familiarmente com olla no restaur;;\t >
:ncy nao^uella iiMisma tarde A tcs-
rfa
Ramcy naquell masma tarde A
temunha julga reeohecaFiaimmediatamenle
um de !cs, em quem se fixou mais, e que
represeutava ter nns 3Sa iO annos. A. fa-
milia b>da, caminhainbvsilenciosa, ia a p
de Pantin a Aubervilliers, e em viatoda de
parece j signal feito por m dos- homens, a Sra.
Roubaix, trabajHiando algnraa vez com Joo
Kinck e vendo seu lilho Gustavo no caf,
aonde. nao obstante, esto concorria"pouco
o meiado de agosto, e isto ,
olficial, Joo Kinck aununciou uma viagem Kmck lomou o caminho-que a conduzw a
para a Aisacia, seu paiz natal, onde queria' cova. ^guindo-a os meninos e os homans.
estabaloccr-se. A m.ilher, quo era das c'r-;Tudo aqullo Ibe cansn espanto, porm
canias d) Roubaix, onde vivia fcontente, como ia tanta gente cera tarde, nao .quiz
tendo seus filhos no collegio raeosava-S"
mular do domicilio, o que dott lugar as
nicas questoes um tanto publicas que pa-
rece leve este matrimonio, quanto ao mais
havendo sempre a mclbor Iwrmonia, segun-
do pareca. O marido parti s pasaando
pela Rclgica, por ser a viagem mais barata.
Porm sua irma, casada na Alsacia com
um tal Mr. Iloller, tambem industrial, eque
tinha noticia dosta viagem, nao'chegoua
ve-lo, pois nao apparcceu na povoaco de
Gneboiller, onde tinha. a propriedade.
At ffns de agosto receberam-se em Rou-
baix varias cartas de Joo Kinck, a pri- com llortencia RouseHo, r.ascida em
meiradeseu proprio pnnho e lettra, s Tbiucoing, ao lado de Roubaix, a. J ci ;
outras escripias por outra pessoa, prova- jambo de 1837;. idade por laato 3 anuos. milliHB de
nomo, ffeste matrimonio nasceram, a 19 de junho i crime- astava
Kinck. Hontem o -Fgaro- dizia.eno
exageraco, que na Rolsa mais do que
de polilica, se oceupam de saber quanlos
sao os cadveres encontrados ; que nos
theatros, o publico, mais-do-que ao que
se passa em scena, allende aos episodios
mil \ezes> mais 'dramticos- quo trazem
porfa os peridicos da. noulo a que nao
ha omnibas no Ronlavard, nem carro no
bosque da Bdonha onde se nao vejara
to tas as pessoas lendo o seu jornal, qiiando
nao conversin sobre o crime. Esta cu-
riosidado, eslas indisaripaQes da mprensa
podem eiabaracar lalvez alguma cousa 8
juslica; porem a verdade qne a esta
exeitaeo o sentimento publico em ttida
n Franca se devem principalmaole as des-
cobertas j feRas. Mem disso toda a gente
aqu auxilia a justica a admiravel ver
ct>mo o povo em massa facilita a sna acfio
para descobrir todos os fio's dt> attentado.
Sabia-so que depois de descoberto o ca-
dver de Gustavo Kinck e o no'voeoxado
e p mais peq'enos que os priineiros en-
contivdos, a juslica resolver mandar la-
var o campo de Langlois para ver se a|h
pareca mais algum cadver. O dia de
hontem ora o designado para isto. Crea-
da o intaresse cora o boato falsd" 6a qne
Troppman tinha declarado que Kinck pa
estava enterrado tambem no mesmo sitio.
Fu piiz prsenceav aquelle espectculo o
corr ao lugar do drama. Nada exagero
dizcndo-lhe que na le na e meia qoo ha
desde o centro de Paris, era um cordo
de carros de duas, tros e qualro filas, em
quanto pelos passeios ia ou vir-.ia urna im-
mensa uiuldo a p. O sitio do crime
muito semelhance aos arrebatos da porta
Ao ver os muera veis feriir.cntos -e que
est ebeio o cadver da mai, pur certo ao
defender sua lilha, arma declarou quena
sua primeira juverkide, quaiflfln vivia em
'uwoing, onde ca*ou c onda seu pai ii-
r>!:ii- loja de Vnhos e comesliveia, era ella
nr,en> accomadava -jo beberres- nas ques-
ees i]c astas^iobM) entre si, lutando s
vezes com ellas, pe era robusU* e forte.
Comprehende-se a te desesperada conti a
os assaasinoai que caminhando atiaz, a ha-
viam- |K>r certo do ataear ir-cSo. Sen
pe -e sua mi vivera ainda em Tourcoing;
pomno-golpe que sieram foi 'o terrivel
qoo a juslica nao se atreveu a inandal-os
rir a-Pars. Era alan disso iojtil para a
ctu*a. J reclamaram os cadveres de sua
fila-e dos seis netos-para os enterrar na
ierra le seosjaws.
Sallemos agora de- outra familia quasi to
digna de lastima : a d assassino Troppman,
a qual vise em Cenia.\ na Alsacia, perto de
Gn'ebwiller, onde sabido que o pai Kinck
liaba runa ppooried ule. Essa familia com-
|ioe-se ilo pai. icoppr.yin. de i'!:-:de de >(
annos. i!auflljJU tres norias, .'.tns cisa-
da.-\.e dato* trmos. dos'quaes o mais
iioao 6 o hsstssino, (?ne se chama Joo Bap-
listl e S(V tem l annos. A mi, chamada
Francisca Froui, una sania iinilhtr, cujo
esladode sade inspira graves cusdados
desde que leve conlsecimenlo dos erflaes de
seu-lilho. Os irmo* sao operarios e um
marinheiro. gente contra qual nada ha que
.dizer. O pai, huinsm bastante forte, qoo
SVfaita o allemo, tinha sido um excellente
artista, inventor de uma porro de ma-
chinas, porm infelix nas suas emprezas e
especulacoos; pai a se consolr-r da sua
ruina tinha-se entregue s bebidas, e tem no
rosto e nos odios os vestigios dos estra-
dos un fazem as bebidas espirituosas. 0
a escolba at
satisazera'sua'curiosidadeedirigi-sopara de Alcal do lado da venda do Espirito
a sua- fabrica. Santo, mas niiis triste, poique o p da-
Ve-sequc pelo menos ha tres assassinos, quettas estrada mas esta negro de carvao; 8iajno imba fraqnaotado
e qoe a mi caminb.'.-va a altas horas da das fabricas prximas. Veodo-0 nao se r^ u nBU| Cpoca em qu* fez a sua pi i-
concebe como seie pessoas poderam ser Tii.a commnn|ia(>. Depois de estar como
levadas alli urna hora da noute e assassi- aprenrtii cm (UTerenU-s fabicas, sabio ha
que nadase ouvisso nas (im ^ Je c..rnay, para aao ser pesado
ia principalmente
naa^
dos campos com grande
noule e alravez
confianca. Era. a primeira vez quo ella e
sen* filos estirara em Paris e tinhara con;
sidi-rado a viagem como uma festa.
Kis aqui as ver-iaderas ida les de toda
esta familia. Joo- Kinck, o pai., nascido' Paris a Pantin em carro, a depois a pese
em Guoboillerf Alsacia, no 1" de abril de
tBd') ; dado, porlanto, Vi antie; casado
a 13 de selembro de 185-2, ha 17 annos,
r.ascida
nadas todas sem
casas bastante prximas.
fatal caniiiioque a
Bu segui todo oifa^ja po5 par0l.c ,.u
pobra-mai andou desde % ^ ^ e a uma nlft%
yelmente Troppman, que escrevia em
guida de seus filhos pelo camingo Venia
e pet campo, tendo tambem estado na
tend mi^-eravel em qna Troppman com-
pran a p e o enxado. A minha chega-
da ao campo, onde baa cem mil almas e
carros, lodo o terreno-, do
cercado de tropa a p e a ca-
Vaquelle. Em todas ellas se fallava do
grande negocio que ia fazer, e em uma pe-
dia mulher que immedialamente Ihe rain
dasse 5:500 francos, que tinha no Banco de
Roohaix, por meio d- uma,;Carta restada
em favor de Joo Kinck, em Guefceiller. A
mulher ainda que se oppozesso ao princi-
pio, nao deixou depois de condescender, o
no dia 30 do agosto foi expedida a carta re-
gistrada. Coincidhr com isto a partida da
lilho mais velho, Gustavo, de 16 annos e
meio, e nao 19, como se disse ao princi-
pio, ao que parece chamado por. seu pai.
Outro joven iinha-lhe~ trazido uma carta,
segundo pareca, do pai, dizendo-lbe que
fossa a Gueboiller. A mi deixou-o ir.
Esta pareca um boa mulher, porm vul-
gar, e que nao sabia ler ero, nscrever.
Sus filhos porm que liam as carias,
lizeram notar que as ultimas nao eram de
lettra de seu pai, e como ella Ihe fizosse
essa obsorvaco, rospondeu j de Paris o
escripturario que Jlo Kinck nao poda es-
crever em consequencia de ter torcido- o
brapo direito. Do filho Gustavo leve a
mi uma carta na sua passagem pela Bl-
gica.
Nos primeiros das de setembro tem lu-
gar um estranho acontecimento. Um jo-
ven, segundo parece o chamado Troppman,
apresenlou-se no correio de Gueboiller, e
dando-se por JoSo Kinck, pediu a carta re
gistrada, que contioha era notas do Banco
os' 5:800 francos. N5o podando identifi-
car a sua pessoa, recusaram entregar-lhe a
somma. Dahi a dous dias voltou com am
papel sellado, no qual estava escripto que
Jota Kinck, pai, aatorisava seu filho cha-
mado JoSo E nilio Kinck, qne logo veremos
da 18o3, em Tourcoing, Gustavo, o lilho
legitimo mais velho, que como se vi s
tinha 1G annos, ainda qne- represenlasso
jar 19, o que poi sua excellente cons-
uc, succedia a todos os irmaos.
f ste foi o que em agosta- disse q,ue fora
chamado pelo pai, o parliu para a Aisacia.
Emilio...nascido emRoabaixa 21 de agosto
de 1836, de 13 anuos. Henriqae, nascido
como todos os demais era Roubaix a 13
d abril de J859, por tanto 10 annos.
fhilles, nascido a 31 de dezembro de
(il, de 8 annos, Alfredo nascido a 31
dezembro de 4863, de 6 annos, e Mara
llortencia, que tinha 2 annos o um mez,'
Ijlvendo nascido a 3 (Jo agusto de 1807.
A mi, como j se disse, estava grvida
de outra manina de seis mezes.
-'Qucnjjr sao os autores do crime alem de
Troppman ? Sempre as raesmas duvdas.
Gustavo, o filho mais velbo, educado pelos
irmaos da doutrna christa, pareca tmido
e excellente filho, e comecam a desviar-s3
d'elle as terriveis suspeilas que nspiravam
alguns de seus actos.
. Muilos julgam que teria sido assassinado
antes, porem sabe-se qae no dia 16 de
setembro, quatro dias antes, viva e es-
tava na Alsacia .Em compensacSo apparece
mysteriosa anda a figura d'esse filho na-
tural dmconhecido e chamado Jo3o Emilio
KSnck, de 22 annos. Sobre o pai, iguaes
duvidas. Foi elle o director de todo este
drama horrivel, porem mantendo-SB sem-
pr na soalbra, valendo-se at para escre-
ver, de seus dous filhos, natural e legiti-
mo, sendo Troppman o seu' principal ins-
trumento no terrivel drama, ou- foi-elle,
ha um mez, quando pela Blgica passou
vallo, tres juntas bvraram fundamento a
torra, presidindo as. autoridades e no -a co
de urna agitaco indescrptivel, quo os
landos dos caes ugmentavam, apenaseu-
eootravara algum vestigio. Nada mais se
euconlrou alm do outro len^-o ensanguen-
tado e uma pequeua faca.
Passemos a prisao de Mazas onde est
vigiadissimo e at agora_principal assassi-
no. Mal quer comer, tomando quasi s-
raent; caldos. GoralmeDja esl sereno,
taciturno, ouU-as vezes chora, mais de-
pressa socega. Esto com elle outros
dou3 presos para ver se conseguem faze-lo
fallar mais alguma cousa do quo a justica.
Em uma das suas curtas expaosoes disse
que effectivainente tem outros dous cm-
plices, instrumentos como elle do pai
(pobre victima!), porem que basta que
uma s cabeca, a sua, caa no cadafalso e
que nao fallar. Sabe-se que no Havre
j tenteu suicidar-se com acido prussico.
N esta situacSo, e sem quesoubesse que se
linha descoberto o cadver do Gustavo
Kinck, entram na priso os joizes e a po-
licia e mettem-n'o n'uma carruagem. 0
preso julga que vai ser levado peranie o
tribunal, porem conduzera-n'o Morgue,
em presenca do novo cadver reunido aos
outros seis da msina familia. 0 povo,
apezar das grandes precauces que se ha-
viam tomado, em tdo esta traosito quiz
mato-lo, e n3o podando conseguido, pro-
rompeu em gritos terriveis contra o assas-
sino.-
A scona na sala da Morgue, depoito
de cadveres, collocados estes sobra mar-
mrea por onde corre a agoa, o-fechada
com vidraca, $ espantosa. No meio da
Com frequen-
cia tinham os paes sabadelle, j de Pa-
ris, j de Roubaix. j damulhouse, ou de
outros pontos, onda trabalhava. ta um
auno passou alguns dias cora sua familia,
dizendo a seu pai que, se tveSsc 1:500
francos, se faria rico, sousa que ambicio-
nava muito. Pur ultimo, sabio de Rou-
baix por ter dado com um martello em um
de seus companheiros. Era aasi.dissirau-
lado 'concentrado, nao contando a seus
paes nada do que Ma&
Em agosto e em setembro tinha voltado
a casa de seu pais, queixando-se primeiro
de nao ter dinheiro, e fallando depois de
grandes prajectos do fabricaco quo o ha-
viam de tornar rico. Um da, durante a
sua ultima estada em casa de seus. pais,
disse abe liia a Mulhouso, dondo voltou de
madrugada. Como a m3i Ibe dissesse que
aquella hora nao chegava Irem algum, res-
pordeu-lhe que havia encoutrapo em Gueb-
willer a pessoa que o devia ajudar em seus
planos, e qn tendn-llio dado algu a di-
nheiro, nao tinha lidonocessidade de ira
Mulhoose. Entregou eflectivaraentesna
mi 20 francos ara ouro, e pouco depois
parti. Suspeita-se que nesta epocba.
principios da setorabro, assassinara na Al-
sacia ou na Blgica Joo Kinck, au qual ha-
via inspirado uma caga onfianca, e fal ado
do grande* invaaees para fazer for-*
tuna.
Pelo mesmo lempo escrevou Sra.
Kinck para que mandasse os 5:500 fraocos
-e foi qaanda se aprpaentou no correio in-
tilmente para os reaeber. Depois, eonv> e
sabido, enviando u cmplice con recados
do pak- fez vir no dia 7 de sombro o fi-
lho mai velho Gustavo i Alsacia. Todas
esUs viagens entre Roubaix, Blica, Gueb-
willer, Ceroay, Paoua e Pans,- aao Tacis,
curtas o baratas palos caminho. de ferro
Jdo Norte e de Straaboqg, que -ae commu-
nicam e pjdem fazar nerder o rasto.
(G|minMar-a-Aa.)
TVP. IM) 0IAKI0-4IVaV49Mn8 H.
/.
^i
i
ts
t
IIEGIVR


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5RZJIOI7_EMELD7 INGEST_TIME 2013-09-14T00:53:50Z PACKAGE AA00011611_11978
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES