Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11977


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLIf. NUMERO 245.
TUCA FEIRA 26 DE OTUBRO DE 1865.

\L
h
fAU A CAfttt K t&CAKS ODE IAO *6 FAGA POBTE
Por tres mezes aliataG.oa. ....
Por

ura

Oda numero avtso
64000
12000
24*000
#20
-*r
PAU SE* ) C FOIA DA MOVKCIA.
i tA.i

'
^
>
DIARIO DE
Al ACEtrlM
em Nazaretfa; Francioo Tavares da Costa, em AJagas; Dr. Jos Martin?
Propriedade de Manoel Figiieiraa de Faria & Filhos.
O Srs. Gerardo ^0o Alvfs 4Filhos i>o ParjGoocalws 4 Pinto w Jaranflo; Joaqnim /os de OKveira, no Cear; Antonio di temos Braga, no Araca*; Jlo faria Jobo Chaves, no Assn; Antonio Marera a Silva, no Natal; JbsAistiao
Pe en a d Almcda, em Mamangnape ^Antonio AtenndH^de Lima, .na Partbjb; Aritonio Jos Gomes, na ViliJa Penha; Beiarmino do Santos JtafcSo, em Santo AntSo; Domingos Jos da eSta Braga,
Aivesiiaa Baha; e Joa Riheir* Mparinftff. no Rio de Janeiro.
DIARIO DE PERNAIWBUCO
nr.ctFF., Soroutimio D3 1859.
NOTICIAS DA EUROPA.
CJiegoa hnntem < 5 horas da tarde o vapor in-
glea Oiwro, portador da mata de Southampton, e
quo rtava tnnunciado para 27"do corren, cau-
sando verdadeiro atropello ao rommercio o aos par-
ticulares, sobretodo pcJa hora iueommoda cm que
hegou. Mas que se tmporta o eommaadante do
vapor cdiii na atropeta* que cansa, qnando elle
pduc galibar urna ou duas aposta*, o obter gloria
degrade navegador I!
Aleaocam, as .Lilas de qne foi parlador : de
ll.iinburgo a 5, de Pars a7, de Londres a 8, e de
Lisboa a l da corenle.
Tendo saludo de Lisboa antes desto vapor, o
Aimzo-i, da linha lie Liverpool, foi elle portador da
inissira de anesa correspondente de Lisboa, bem
cuuw do resumo niinnciosn a veridi.-o das noticia!
da Hoapaaha o romo eme vapor fnudcou un
pouco tarde, deixcti de mandar a mala para a
Krra; pelo que amantiia daremos aos leilores o
complemento da quizena noticiosa.
II-cvmiv.4 inuirreico repblica3 tem sido
reprimida em vnsi lodos o< pvit.s. A* desor-
iI-'hs em MwiriJ foram de ;i mm importancia.
Fj declarado o estado de sitio en oda a Hes-
> iii'i'i. Foram presos pela cottunna do funeral
H'itdrick sen'eii-i'i.li- e fnzUaos onze l,s fu-
srcente! que com a-tteram o; aun tsmitos, uns
e-ia-ln r tiques dJ Valls. Ilouce nesi-itoc-a'iii
d* *m ramfat* entre tu 'tnsnrnentes da Rea* e
'i< forcx do n mi. se.vlo Hipirs I a quemlha
ti ('n) n utaali < mirlo* e ftrot. Sipsru-
-1'irln n i prc-iwn rf.' Mitayo as i '.errith-i* de
Wral 8 iieofch i c Z in'oni Fa litptr$a4e au'-irilli d'- Mr.i. que sntlentoa rnUii lata
i- m n< trop u io peerno, hattndo fiarlo*, fer-
rf'rt prisin-'i-i-*. Maza fot preso em Yalver-
'!>. llon'im'i-i n narrir-rao il Valsada espe-
- ".i-/* ns ihOk (/o Q'i'rrrno n u^.-Ha r.idatl-:
jorros p-ira n-irir n liudos. Ett milito
-i'ra ttni Vir'nr MiuPtrteo emtfHta i f-nnlin do
ilm/iie dtfnnott pnl-m rom> cand-pUt, qnx n
>'''.?) di* cvn i/'di ser mtl/kt.i "porm-io do
iiir'iisrto. o i-i- -o rtqHioeL A iKSHrrei^So
-ihoiii ihainua-a eoiihtdm-(vtielm.n,e. tHilr-
P-i'iiIm // 'or" /}() /) iii i s hbrrd nl-s :! qie IPWJ '/ 11)1 )tt. Priill
pnmetlt i lo i t* a i irforM i< n l muistratic u e
l'bt'rdi.'l possii s.
i'ii WTJ\. .lili/',' i t-j n i'-rrhiri d p irlom 'H'.O
pira i/ d-- n"i,i''.ii. A loip-r.i'r.z Eaq-ia
-irin i ni na na'j-.ii en rscJa ao Orien-
te../;.'./ i\. \tic^nplelnme%l( di i;-li tt pen-
itencia tntrt o Snlliloe o tice-rei iEgnto.
... i.i.unvm..t a'>erura do pirlanunto aiAUe-
.Xiirinha do m-, '. Piscarse ao ni Gnilhe.rm<- da
PriLuiapacifico. A*ptrac3es da Dinamarca a
rercnmprtd) traMe 4t'Praga em relnco ao
Sililriv-j. Aattartta nos d'scnssoes dos direitos
y nrochteiaes 'h atutrico, eespeciaim ate ni Gal-
i"'sia.
Iinu e [tama.Prrji iratii\i< n:-. o concilio;
ronltnita a oppouco ii< leii -ii concord-ita
instriiirt. Pr.mra'e Italia mntentem que. os
..k. hispas facam p irte do concilio, reservndo-
se reSfUar ns decisoes que. g'io ds encontr aot
d'reiti io astado eas leis d) reino.Rfortnj-
sanio di ten rnnrt int :ontnbnie5es
-'r--iiu* ni fulia. Vai-teproceder a tlsjitid-i-
i, ,11 divid' e*lado da ', a ':-' pertenee Italia,
reo w.Ci. alar diplo natit i. Carla do os-n
si corresponde le.
M8SPAKII l.
As ultimas ii:.icms de Itapanha, davun-nn
ivaotameato, do grito de* Repblica, federal !
'. urna grande mole &.\< provinci is hespanfe ilas;
i grito porem rao foi seennd;tdt, orno se ante
via, e pan ce iac a subleva 'ao i :i sid i buIjcj -
ila pe i- loicas do overno :
o geti-tral Pritn disse no c m.;"--1 que a si-
tu.ico lo paiz era prave, em L'onseqaencia de
- tereui snUevado em dilTerentes pontos os qm
onamim refutbiicaaot feieraes, cortando a>
liiiliis rerreas o lefegraphcas; que o goferuo
i-.lia a< corles a suspensa> da^ garantas indi-
idu.ie> com i'i-'.ca- -i artigo .'l da roitsti-
luiga >, promettendo que nao Ira abun do estado
o guerra, n nio entrar n i eami i!i i da raaoQio.
usr. Sagasta leu o projeeto s lei do tsus-
peuse lio garamias.. U congrosso deetoron-se
em sasso permanente at votar a ispensio |das
garantas, com opposicait da minora rcptrWieana.
O* deputdos repultica"nos retirram-sc (lasca-
ni iras Bfolestando, contra o? tetas de governo
alientatorios das liberdades publicas,...
( general l'iim passon no ota ; revista iuar-
nieao di capital em forja de 14 mil baBiew. _A
ni3 d Madrid lera estado de prevencao.
O geeral Espartero oseroveu ao regente ina-
i'i'chal Serrano ndo-lheos seus serviros
i caso de netesdade.
A Garita pnbSta urna circular de l'rim aos
i-.i|riii generae^, relativa quedeve
i r a I'i que suspi'ii loas garantas ronstucionaes.
O ministrodn reino disse as cortes tjue apesar
iii- garantas serem saspensa? os jormes po-
i tratar todas as qnestes polticas, o que
nao p-xlum pwem atacar a- nJtltuic/tts esta-
! tacidas. Teui porem sidosaspeasesalgunsior-
A oamara appruvon um projeelo de lei, aulori-
saudo o governo a enviar em tommifjfo para as
provincias os deputdos que entender conveni-
entes para angtiarem na paciftcne^o do reino.
0* delegados do governo, porem, rao serSo
iidiados.
Aiuda nio lia perntenores a respeito do san-,
i: linolenio cmbate de Valls apenas se sabe que
- pc-rdas das tropas do governo nao cliegim a
ti hoinons, pastos fora de combate, c que os ln-
s'irgenii": de Ueus tiveram 80 mortos e 309 fe-
rioa. Os insurgentes tomaram a fuga em di-
.rao l l'Vrragona.
As guerrilhas de Saragoea foram dispersas o
a- Je Valcneia tem sido milito perseguidas o
viamsc quasi vencidas.
Submettcrain-se ao general Baldrich 1800 in.
-urgentes de Reus e de Drioto
Em Valladolid liouve uin conflicto entre a
Hopa o os vo ntanos: destes foram presos
. ota "
Foram dorrotadas as guerrilhas de Salnocha e
! Paul na Audalnzia, c a de Noguero (deputado)
i, i Aragio. Restaboleccu-se a ordem cm Rejar.
Em Castella a Vellta levantou-se urna guerri-
Iba que perseguida pelas tropas do go\-erno.
Os bandos da Cilalunb receberam propostas
-Jo finio dos carlistas que cstao em Franca.
O brigadetro Scteli bateu of insurgentes do
Orense, etirou lites as autoridades, que levavam
presas Esta guerrillia ia fuglnd-) em dirgcc i a
laringal, onde tem entrado alguns emigrados, que
t:n siio4iternados.
A partida de Acusa dissoleen-se e o chele re-
f ,giou se rom d.r. Iiomens nos monja de floseil.
Oescarrilliou um trom junto de (Hflk de que
ultoii um otcial e dous soldados mortos,
0 insurgente inceodiaram o qrartelda guarda
ct*44-de-arohna, naprovincln djB Granada. Os
tuai&is oivia foram leitos presionaros depols de
gira resistencia. O governo tomn medidas
para se. rostaeeleeer a oro%n
=
poz a frente da insnrreicao ctala por ndicacao
dos Sijus collfgns da minora das cries. A sua
guerrilha deixou etn MartorelL 158 presioneiros.
Esto ja mettidos em processo 17 deputado? que
se insurgiram.
__ Os insurgentes de Levida em numero de 500
sao perseguidos activamente por urna columna
compuso de 2 btameos.
A noticia que a ultima hora nos dava o nosso
cui resjiondente de Lisboa, sobre a sublevaeo de
Madrid nao leve a importancia que os telegram-
mas primeiramente recebidos Ihe davani.
Na noite d; 8 algums [iossoas de Madrid
intentaran faier soliar pelos aros a ponto dirl^B
queno ribeiro Abronigal que tica, a tres kiloma-,
tres de Madriu, na entrada de Ajago ; e corta-'
ram o telc-graplio de Alcal.
Quanto as bombas atiradas em Posta do Sol
na me>ina noite do 8. dizia-se rjue eram o signa I
combinado fiara os volntanos republicanes
sahirem de Madrid, e marcharen) formando guer-
rilha para os montes do Toledo. Apesar do se
di/.er que liavia muita genio comprometida, ni
se formn tal guerrilha. Dizia-se .porem quo a
tentativa revolucionaria fora adiada.
Cliegaram a Madrid alguns chelos republica-
nos.
Alem do assassinato, de que demos noticia em
um dos iiossos nmeros anlorioros, do secretario
Reyes, parece que algumas guerrilhas tem com-
mettido excesses altamente condomnaveis. Em
Valls entraran, segundo se diz ; em um convento
de religiosas onde izeram cousas repugnantis-
simas queimaram 15 a 20 casas, assassinaram
dez hbilantes, alem de deslruirem os archivo
muniuipae-, e a- llvros do registro de hypolb^cas.
A guerrilha de Aj la (em Saragoea) apresentou-se
em Luna, onde reclaman urna grande quanlia
aos habitantes ameacando-os com a morte se nao
qnizossem drr o dnheiro exigido.
Ra povoaco de Almarchar (Andaluzia) foram
assassinados o alcaide edous vereadores.
0 chefe republicano Corvaial foi fnzilado cm
fie.
As ullimas noticias dizem i|ue dePerpignan
entraram cm Hespanha carlista^, e que tambem
vo entrando pela fronteira dos i'yrinos.
A pena de m>rte que f iram condemnidos al-
gn? do! implicados na coaspiraca) carlista de
Pamplona, ser eommuoda na iminediata, segun-
d> se julgs.
0 iiiarechal Prim, respondendo as corles a
urna intiTpellacao, declarou que nem o governo
conectivamente, nem os ministros em particular,
nem alto rmpregadu diplomtico algum offerecem
a corda di- Resnanhl a S. M. el-rei D. Luiz, ou
S. M. el-rei 1>. Fernando.
IJma cana de Barcelona diz que os fundos su-
biram (piando llics correu o boato de haver sido
proclamado rei o duque de Montpsnsier, porque se
via nosse acto urna proinpla garanta do restabe-
leciuiento da ordem.
Quanto candidatura di duque de Genova, pa-
rece eucttlrar serias difflculdades. nao s em
IFesnanba, mas entre os membros di tamdia do pe-
queo duque.
O rei Vctor Emmanuel declara nao poder dar
j o sen consenlimento, para nao compromeiter
directa oa indirectamente o senpattn'uma poUtiea
de intervenfao, que varios perigos podem offe-
recer. O rooselho de familia do duque de Genova,
declarou que em caso algum o duque de Genova
ira para ttespasba antes de ter chegado sua
inaioridade (foi em 8 de fevereiru prximo 16 an-
uo?.i Ate cssa data, isto porespaco de mas de
dons annos, n Hespanba seria governada por um
regente que devora empregar os seus esforcos
n restabelecer a ordem. A familia do Juque nao
aceita como definitiva a votara) das cortes e p5e
como eondlco que seria ratificada pelo suffragio
universal.
Beta nltima condicao considerada, como ir-
realavel.
O principe Tu 'inaz de Saboyo,duque de Geno-
va, 6 sobrinho de Vietor Emmanuel, tem 15 annos
e 8 mezo-, de estatura mediana, dotado de ca-
rcter fr*co, limido e um tanto esquivo ; foi edu-
cado em Turin at aos 13 unnos, sb a direegao
do principe de Carignan, em seguida sentou praca
e loi par?. Inglaterra, aonde est completando a
sua edncacSo multo chcia de praticas e devocoes
-1-
VMREICA DO N01ITE.
O principe Xapoleao respondeu nos ttmos se-
gaintes felicitado que Ihefoi apresentada pelos
Americanos re-dentcs em Londres pelo seu dis
curso no senado :
Senhores.Boeabi pelo rase presidente a felfci-
lacio que me envlaatas a proposito do meu ulti-1
ni i discurso no sealo, (Ico-vos muito reconho
cid). Vor-me rompreheodkio e approvado por ci
l-ul.Ic.s de um paiz livre, que tem dado tamanhos
exemploa ao mundo, c utna recompensa lison-
ge ra.
Na aurora da libordade, desde os primeiros
da eunneipacao reciproca dos nossos dous
paizes, a America e a Franca teem sido amigas, e
tem-se amparado a allianca com os Estados-
Unidos da america tem o rar-i e quasi nico privi-
para i de estar as tradicoes e nos votos
d-.- diuerenles partidos que nos dividem.
Tenhu i rovavelmeflte tradicoes que me pren
dem aos E-tados-Unidos; 'o fundador de nossa
dymnastia foi sempre vsso amigo. Nao foi -elle
que, considerando a roorle de Washington como
nerda para a humanidade, fez tomar a Franca o
lulo pelo nosso grande cidado? Nao combatemo-
junto; pea LlurJaledos mires ?
i Trabalh .r no desenvolvimenlo das liberdades
saas, -faticas nceessarias e cooperar para a har-
mona de pnvos livres, entre os quaes vos sois
dos priinein s.
t Essa analoga do (im do ultimo seculo conti
nua-se nos nossos lempos. Na occasio em que
nos procuramos fundar urna democracia liberal,
vs satis apenas de urna lula de gigantes,
sustentada para destruir a m instituico da es-
cravalura, que deshonra a vosa repblica.
Os nossos meios sao differenies, appropriados
ao genio dos nossos dous povos ; mes o nosso fim
o mesmo ; com ajuda de Dos esperamos teu
bom oxito, provaremos que no artigo, como no
novo mundo, a Mberdade.pode e deve desenvol-
ver-se, emaucpando-se dos estorvos do passado,
vem se precipitar ew utopias nocivas ao pro-
gresso.
A liberdade constitucional eslabeleecida em
raftKOA.
A imprensa franceza deixott de fallar n dnenca
do imperador, paro fallar nos assasinatos de
Panlem. ...
O corpo legislativo francez foi convocado para
W do novembro. .....
A Preste diz que Xapoleao-ao-abrir a sessao le-
gislativa paWicor um monifesio fazendo conslar
que as grandes potencias se pozeram de accordo
para o desarmamento dos seus ejrcitos.
O Sr. Tallegrand que-era embaxador em S. Pe-
.tersburgo, foi nomeado senador.
r- Apezar de -ter sWc abandonado o prejeetc
s nanifestaces-proparadas pelos membros da
esqnerdado corpa loaistavo,. em presenca da re-
srjfuiao tomada |>elo-mi^rMihr S"bre a convoea-
co d'aqnella assemWa; o- estado poltico ero
Prar.ca continua ser penco seguro.
Em Rimoase-lienve um grande meefing
promovido pelos fabricantes mas importantes para
protestaren) contra a renovacao do tratado do
commercio entre a Franca e a Inglaterra.
Na frica franeeza"mai%5t(m-e novamente
a foine as provincias de GonstanlHia-e Argel.
Incenniaram-se es eslaleinjs de Bordos
oonsvuidus junto do porto. As perdas sao calco
lada.-. em um milho de francos.
Ha graves desordens em -Avignon.
A imperatriz Eugenia sabio de Pars, visitou
Milao e Veneza, onde fot receida pelo rei Vctor
Einmanucl; viaja com o titulo de eondessade
Pieriefonds, guardando o mais rigoroso incgnito.
Parti de Ve&eza no y..tch imperial com direc?5o
Grocia, onde teneioava demorar-so alguns das
visite ndo o rei dos lidenos ; embarcando depois
no Preu para se dirigir a ConstanMnflpta.
O saltao pas.-ou um firman especial para que
o yaich imperial pessa eninr nos Danlanellos. A
receiicao em Constantinopla prometi ser sump-
tuos;. Est preparado o palacio Beylerley, e a re-
sidercia imperial de Djlma-Bac-Teli para o caso
da i nperatriz preferir alojar-se em casa do
sultao.
Es a quasi coni>lelame;itc resolvida a pendencia
oDtre a Porta e o Khed'm?, granas mediacao,das
grandes potencias. Apenas subsiste um pntefdc
divergencia que brevemente desapparecer.
Reunio-se a cmara em Athens, A corte j
regressou de Corfu. Diz-?e que o governo cs'
decedido a entrar na senda do desenvolvimentn
material e das reformas polilica?.
AI.LEMANUA.
Abrio-se o parlamento da Allemanha do Norte
no dia 6. 0 rei da Prussia pronuneiou o seguin-
discurso :
llluslres, nebros e honrados membros da-
duas casas di paHamento :Na sessao que hoje
se abre baveis de ser chamados a tomar parte
em xbalhos iinportantes no ponto de vi promcridade da "monarchia e do desenvolvimento
da legislacao.
omquanto a cenfianca na conservaban da
paz n o remltado gcralmentc favnravel tivessem
autorisado a esporaiifa de ver o mowuanta pro-
gres-tvo das receitas relouiar o sen curso natural
anterior, asituacao financeira do estado ainda nao
melhoroo de manetra sencivei.
O exame dos documentos para o orcamento
retal vos aos resoltados do exercicio de 1^68, do-
cumentos que todo'! vos serao apresentados, mos-
trar-vosha que so nao pode evilar, de am lado
as recortas Rcnram analto dos clenlos do orca-
menfb, e que de ontro lado, as despeas do mes-
iii i oreamento excederam-ee, atiendendo a que os
recn -sos dispomveis nao poderam faxer face com-
pletamente s despezas nceessarias.
Sin presenca Vestes resultados e da situaeo
do o'camento do anno precedente, os esforcos do
ter e coas
relacoes
o perigo di
dos por (
Con lio i|(j
rgida por
mos remit
das relam
prestigio e
SenhoK
o recetoer i
vas de (Ido
[essionara
No esa
es ton no
de-eiivolvic
Adiva
to em tu Jo
tinte prcoc
O xito!
I>cnevulenti
primo coni
til felicH
esta sessM
Os jorena
a paz c garantir ts nossas boas
orencias estrangeiras, contra fodo
"ib, foram, grajas a Den-, coYoo*
=
ituro a pnlitMt strangdra d^-
re-te sentido conduzir aos mes-
TeHze^, que sdo estes : continuacao
DCHIeas esirangeiras, garantado
i pendencia da Allemanha.
me dado n-'estes uKiiuos lempos
litas provincias do raau reino pro-
no e de affeicao que vivamente im-
o meu coraran*.
8 do paasado e 4 do correte que o rei de Por-
inifal /Jira mal aeonselhado quando resolvea os-
crever aquella carta (a de Mafia) om re-post s
assereoes apoeripims que a agencia Havas por
mera especwlacao nV agum dos verdadeiros pre-
lendenies cora do Hespanha, linha publicado,
agora vista da sen) ceremonia do general Prtm,
ficitran compleomeota eon\"encidos de que mu-
to- de fove andaram os aeonselhadores do sobera-
no- portugoez,deixando qne o desmentido real to-
masse ot forma e trouxesse pessoatmente o rei
I para o campo de urna discusso pooco agradavel
11-, menos attenciosa.
que inspram essas raanifestacoes, j *iteve a culpa de seimr esse passo in- Mo,
> do encontrar nova garanta do considerado, foram os pseBdo-patnoias comas suas S,KLiii, i2.
Ifo continuo e f nz da nossa patria. | fervoncas de mettar o rei na lluma, efnae-lo entrar S"f/ff8S l53&
,mais que pudor esse desenvolvimen- na beriimla, quando nao oxista documento offieial i nZ^* ,,?,, ,P S t
sonaos, tal lem sido a miuha cons- nem pretexto (lepjo.uatico quo doteriiHnasse plau- 2.*" fi *TT -'"^
H.*- i veliitentaa necessidade de um desmentido oflkial.' ^J^^^^. f^^L
deiwndoutn; grande parte da vnsea E quando mesmo fosse preciso desn>entr a en
poracc coro o meu governo, e ex- i conunendaa fbula da agencia Havas, eslava o
azor a eifafianea que essa coopera cao | presidente do cooselho de ministro para respon-
d paiz, mo me faltar durante der. Mas atessa mesma assgnatura seria doina-
siada elevado
projecte'rto'Porto para pelir contas s anlorkta-
des pea- alludida negligencia.
Aindli nao apparecea a reforma do taksUkt
do reino. Dlz-se que sao creadas duas direeAe
urna para a instrwco puWic i e ootra para de
negocios rtvis e politicos. A i eparti*5o do cbnfa-
bilidade parece que ser dividida em dOis- see-
5des, urna pura- cada dlreeco. Di a na oiio-
contos den*annmse de economa.
Ainda nao fi publicada a /efrma ti escata
normal de LisbAa.
Afflrma-se que o ministro dos negocjoaaWe-
siasticos e de judien (Sr. Luciane de tastro)eta-
luintshMes
caihegoricaiteutu qiiatnuer
priissianos desmontem
idea de reconciliacao
cnirc a Prutsia e a Austria, e dizem que a uniao
rad vez mls intima tntre a prmeira 'aquellas
potencias ea Russia am facto consummado que
noiihuma intriga |>ndcr destruir, sendo alm dlsso
impropria que a lUissia on a Prussia facam qual-
queq alliancit Com a nac'io vencida em Sadowa.
O governo prussiano lenciorta apresentar as c-
maras um projecto de ki tornando obrigatorio o
casamento civil.
O gKim-duqnc lierdeiro da Russia vao fazer
una viagom a Vienna ao mesmo lempo que o prin-
cipe rem da Russia.
O di do Reichtaz manifest a esperama da in.iorporacao
dos dinamarquezes do Shleswiz na Dinamarca ;
espera tambem que as apreciares dinamarqnezas
prcvalecendo lambcn em Berlin causaro urna
derradeira reconciliara) entre a Dinamarca e a
Prussia.
A Prussia cigi disposta a impedir por todos os
meios ao sen alcance que a delegacao dos habi-
tantes do Sfhleswiz v a Vienna pedir a Austria a
oxecucao do Halado de Praga.
eleijir de llcssc, um dos soberanos alie
mes despoAdos, que a Prussia ainda nao pode
conquistar para a sua causa, acaba de renovar o
prolesto que fez em I8i>x contra as leis de reques-
trac.o promulgadas pelo rei Uuilherme.
Na Austria cuntinuam as delilracoes dos
didas provnciaes tofi mais ou menos agitacao
conl'-iinc os paizes. A Gadzia l'azse sempre no-
tar pela ouladia das suasideias e o partido revolu-
cionislas lem feito todos os esforcos para fzer
Iriumphar as suas resolacSes.
A principal consisle cm nao tornar a mandar
deputdos ao Rcichsrat, gnvernando so a Grllitzia
s corn a Dmta acabando por conquistar completa
autonoma. K" este o prograMn do partidn, mas
ii 'sor d is sen manejos, o partido conservador e
constitucional conserva a mai-irl na Diela e a
Gallitzia como at aqui rgandar os seus repre-
seotantas ao Reicftratli.
irAiia r: ROMA.
Attribne-se ao cordial Antonelli e ao papa a
inlencao de fazer eom que o concilio ecumnico
condemne a ullinu ropard ita austraca.
Pela sua parte a Austria dispoo-se a responder
Sania S com a exputsi dos jesuitas e a sup-
preso dos conventos.
U governo franco- envin aos seos agentes
diplomticos urna circular em que os informa que
est Ormemente resolvido, por ms sympathias
resoivido, por mas
meu governo tendern) a fazer com que fosse pos-' que Roma Ihe inspira, a rejeitar todas as decisoes
sivel um albvio nos encargos fe joraes da Prussia. di concilio que possam ser contrarias ao direito.
publico e pohlic da Franca.
O governo Italiano antorisou os btsposa irem
ao concilio, reservand i porem o governo as suas
uheriores docisoo- relalivamenre aos accordosque
possam ser contrarias s fots da reino e ao; di-
reilos do estad i.
O ministro de fazenda italiano acaba de re-
organisar o systema do coniribuicoes directas com
o lim de facilitar S cobranca.
O director da divida publica receben ordeno de
sair para Roma com o lim de fazer a liquidaco e
accordo da divida dos estados da igreja.
Prepara-so emRoma urna exp-icao interna-
cional dos objectos de culta catho'.ieo, que se tem
usado desde a naseenra. A exposicao durara tres
mezes.
POUTl'GAt.
O ministro dos negocios e-trangeiros dirigi
urna circular diplomtica a lodos os representantes
do reinnos paizes eslrangiros, expondo o pen-
samente do governo nadireccao do paiz, quer sob
o ponto do vista comiiiercial. agrenla indus-
trial e poltico, lzas" em geral que o fim oc-
culto desse documento e desvanecer as deconlian-
cos e reparar o descrdito que o gabinete anterior
oble ve para o reino.
Nosso correspondente e.srrevcavnosera 14 do
corrente :
t Publicaran) os jornaes urna carta intima es-
cripta de Pars pelo duque de Saldante ao sen
amigo visconse de Pinheiro. Ei-la:
c Paris, 3 de outnbro do 1859 Men querido
Miguel.Acaob de l.-r a tuafarta de i O ten
verdadeiro inleresse por nrim. nunca desmentido,
e o dbil oslado da ma sade, foram de. ceno as
causas que produziram no ten animo a impresso
ioaastifoa urna prodamaoio em qati dir que se djrtn# cattaslasmo.
Franca pora os nossos senlimentos polticos cm la
bom accordo, como j estao os nossos interesses
de toda a especie.
Ohrigado, Srs., por tertm visto no raeu dis-
curso a expressio dos sentimentos liberaos, demo-
crticos e moderados que nelles podem assegurar
o fim que procuro :a allianga do impttfr.com a
lberi-idei
t Aperlo-vos cordoalmcnte a mo Jer-
nimo Napoleao.
O general Caballero do Redas, governador de
Cubaparticipen ao seu governo que se julgava
haver varios corsarios as aguas da ilha, e que
tinhara apparccido forjas do insurgentes, com-
manlades pelos principaes chefes em Vuelta
Abojo.
A iusurreicao diminuta na parte oriental da ilha.
'A matar paite dos insurgentes depoe a armas,
as proveces entregan)-se com cnthusiasmo ao
caonma-general.
Gameeavr.ni a entrar em Cuba os reforcos en-
viadeipta metropofo, qne eram nsoebidos con
pelo augmento das receitas proprias da confede-
ra ca da Allemanha do norte.
Estes eslorros nao conseguirn) o resultado
espe 'ado. Foi pois impossivel restabefocer o equi-
librio uotre as receitas e a) despozas no orcamen-
to do prximo anno, que vos ser apresentada t i
depressa soja possivel, c todava as despezas
foram reducidas o mais que podiam ser sem pre-
judicar os interesses importantes do paizs
Por consequeuca, o meu governo \--se na
necessidade de recorrer a um augmento de im-
posto para cobrir completamente as despezas do
orea meato.
o reslabelecimento e a eonservaeao da ordem
as flnancas sem conlradiccao indispensavel
para o desenvolvimenlo feliz e fecundo de todas
os iiisiituieoos do estado. Nao temos pois direito
para retardar esse reslabelecimento.
Ds sacrificio* que esta necessidade reclaman)
nao icvem taer-nos reeoar. Quanto mais tar-
dos ferem, mas pesados se tornaran para o paiz.
Na eonviccao de que vos seris d'esta mesma
opin ao, cont com toda a confinca que nao re-
cusareis a vossa adhesao s propostas do meu go-
verno.
i3a de ser-vos apresentado um projecto de
lei tendente a modilicar as djsposicoes legaes re-
lativas ao estaboleciinento do imposto por classes
sobre o rendimento. Este projecto tem por fin
assegurar melnor de que no paasado a appUea-
i;o uniforme d'essa lei.
t Tambem vos ser igualmente apresentado um
projecto de Id relativo a urna nova organisacao
dos circuios, especialmente as seis provteetas
orientaos. Esle projecto comprehono>r una
propostade importancia geral do ponto de vista do
conjueta da ad|iiinislrar5o civil Esta proposta
nao se limita modifieaco das disposicSes actual-
mente em vigor na organisacao dos crculos c qu
mui as vezes teem sido designadas ao meu pover-
no ( reconhecidas por elle como susceptiveis de
nidhoramento.
Alm da transformacao do rcgulamento rela-
tivo s reunios dos crculos, eso proposta acon-
selha a formaco d'orgaos de artminstracao pelos
cire los o pelas communas, que nao s ter por
fim verificar o assegurar a participaoao dos habi-
tantes dos circuios n'essa administracao, mas tam-
bera oermittir quo se deixe propria poputago
urna parle dos negocios que at agora estavam na
aleada das autoridades civis.
Urna vez que este principio de autonoma seja,
em grando escala applicado nos circuios das pro-
viucias orientes, volvida em centro da vida com-
mnnal, elle se estender s onlras partes do terri-
torio, onde encontrar o natural desenvolvimento.
t Na conformidade dos votos queche foram e.\-
pressos, o meu governo apresentaVum projecto
de lei encerrando reforma completa de todas as
partos da legislacao acerca do on-ino, segundo os
niel nodos cuja experiencia tenha demonstrado a
supenoridade.
Sero continuadas as dellbeaces principia-
das na precedente sessao com o nm de operar
um.i reforma completada legislacao, relaliva pro-
pritdade movel.
O meu governo trata constantemente da aug-
mentar cm toda a escala possivel es reenrsos ffnsn-
ceiros, e de proceder no interese dasnPeiaqdes
geraes construccao de estradas e caminhos de
torm.
i Mas a pezar seu vio-se condrangioo pela in-
suficiencia das receitas do esiadij a fnzer tambem
reduccoes n'este capitulo.
A soUioitodnMa' men goaeznmpdMteeoraa
coi isln teniente at| ricultnra cata iirafaasao
de pequeas pai
satsfatorios as
pot iris ou ajudadaa
Os serios esforcos 4o
que manifestas pela publieaeao de urna correspen-
para contradizer anonymos quanto
mas a assiguatura do nm rei !
Veiam se o duque de Saldanha nao tamou a
carta Havas como injuriosa, pois o suppunha ca-
paz de um aero infame O duque nao veio des-
mentir eifensa; pcrdooueomocalholico a injuria!
a E'de crer ipie a carta do duque de Saldanha,
e os desdens de Prim sirvan) de lcao a quem
esl ao p do rei para o aconselhar bem, e nao
para o aconselhar mal, ou menos discretamente.
Acha-se doento de cama o general Maldona-
ao, ministro da guerra. Peiorou com a ida a
Tiiomar, onde liona tido urna recepcao explen-
dida.
Tem causado coosternacao ( pois gera luien-
te estimado, o tenente-coronel de nfantaria l,
Luiz Augusto Pimeniel, deputado s corles,) ter
tomado urna poroju dopo para suicidar-se. To
dos os jornaes hntom derain cono do caso, e re-
ceiava-se que ao digno militar sobrevlesse urna
congeslao cerebral. Dormio 29 horas seguidas e
foi preciso quo viesse o medico para o despertar
da letliarga. Ha motivos de corto melindroso e
que anda nao sao do dominio publico quo leva-
ra m a lio triste resoluca. o bravo official.
r Foi nomeado o marquez de S da B mdeira
presidente da commisso do monumento (|ue se
esl erigindo no Roci a memoria do Sr. D. Pe-
dro IV, cm lugar do fallecido conde de Farrobn.
A commsso ha dias lancou na sua acia um vol
unnime do sentimento pela perda do Ilustre li-
beral.
No da 15 parte para Madrid o Sr. Joao de
Andrade Corvo, novo ministro de Portugal naquel-
la corte.
t Decdi-se que vai a corveta Eslephania
commandada pelo contra- almirante Jos Baptisia
de Andrade representar a marinha porlugueza ao
isihmo de Suez por oecasiao de inaugurar-se o
canal. Vai o conde de Avilo, presidente honorario
da empreza e representante de Portugal.
Foi publicado na folha official de onte-lioi-
lem um decreto nomeando a commsso que Je-
ve examinar e rever a legislacao que regula as
contribuires vigentes. No rotatorio que precede
o decreto expoe o governo os seg iotas a I vitrea
para atenuar ele promplo a profunda despropor-
eo que existe entre a receita e despera do tlie-
souro : reduceao as despezas publicas ;
melhor organisacao das contribuicoes existentes ;
da creacao de n ivas fontes de receita e como
ultimo recurso, reforma c simplillcaco de servi-
cos, corle uas despezas superfinas, rigorosa lisca-
lisacao dos dinheiros pblicos melhor destnbui-
cao c mais fcil arreeadacao dos impuStos que
pesam sobre o pah etc. A laxa predial, indus-
trial e pessoal das contribuicoi.'s vigentes, d o
mesnie doeumento, sensiretmenle diminuida.
A popniacao tem cre-cdo. Largos Irados de ter-
renos, outr'ora de.-apr.ivetados, foram eiitregues
a cenara.
As exporlacies da industria agrcola, que em
I8e4 nio excediera 0,524:0005, foram gradual-
mente subndo a mais I0,.'i75:000 i cm 1801, e em
1307 a 11,800:0003. O producto do Imposto de
registro que era de 582:000$ em 1862, oresceo a
7S8:690| em 4860, e se. diminuto nos annos se-
guimos, foi somonte em consequencia das vanta-
gens que o desenvolvimento do crdito predial
trouxe propriedade.
Entretanto o actual gabinete consultando e
enviudo lao grande numero de commis.-oes, dis-
eretameata escolhidas, prora a sua boa ventada,'
c prepara-se para so apresentar ao parlamento
com as gastas rocheiadas de projectos importau-
lssimos.
i'ublicou o Diario do Governo a estatisliea
do rendimenlo das alfandegas. Ddla se ve qne
em setembro de 1869 a alfandega de L-boa ren
dea 301:9083170 rs.. tendo rendido 3l2:692fio9
rs. cm setembro do anno passado ; que a alfande
ga do ''orlo no mesmo mez desie anno- renden
221:7903007 rs. e o anno -passado 150:8 23909
ris.
Que a alfandega municipal renden este anno
ca de Paris, na qual se diz que em urna conferen-
cia (que nanea existi) eu me havia comprometti-
do a suffocar per meio do exercilo qualquer rao-
vimento popular que entre nos se manifeslasse
contra a uniao ibrica '
t Se nao obstante a minha tao notoria vida pu
blica e particular, entra no animode algum dos
meas patricios a idea de que no fim da vida eu
esta va disposto a commelterion acto infame, como
catholico de todo o coracao Ihe perdo a offensa
sem quo a sua inju tira me cause o menor abalo-
No estado actual, mil vidas dara para sustentar a
nossa autonoma.
Teu amigo verdadeiro, Saldanha.
t Depois do desmentido do Sr. D. Luiz I, o da
carta do marquez doNiza.faltava a do duque de Sal-
danha para a completsima negacodas assereos
da celebro carta publicada pela correspondencia
Havas sobre projectos ibricos,-de que opportuna-
uiente Ihes dei noticia.
. A 3 deste mez, no congresso constituale hes-
panhol D. Emilio Castellar impntava ao governo o
facto de envergonhar a Hespanha com os otlere-
e mentes da coro a priucipes que a recusaran)
com grande desaire para o paiz, e alludindo as
recusas d'el-rei D. Fernando e de el-rei D. Luiz,
disse o general Prim ministro da guerra e pre-
sidenta do ecmselho de ministros.
t Tambem disse S. S. (o Sr. Castellar) quo el-
rei D. Fernando de Portugal repellio a candidatu-
ra -coroa de Hespanha que Ihe loi oflterecida, o
que agora a regeitou Ignalmente sea fllho D. Luiz.
E por ventura devia S. A. emlllir esta aecnsacao
sem inteirar-se se o governo ou algum ministro
em particular havia feito esse ollereciineiilo ?
c Nem o governo conectivamente, nem as mi
nistrm em parliculf r, nem algnm alto emprega-
db diplomtico flzeram, nem como gnvernoy nem
como mjnlstfos, nem como diplomatteea, simi-
tanta offerecimento ; seo rei de Portufot j'-
fou tmcenientt ttereter cerlaaga^ttas.miktD
ande teem sido patatras stnrr9o tempesta nv^w P-
ao. Se algom dos ntftses Wtareeme ndan
da a razan qaandA Ifr moelrel, nw eiiaba
que o parlamento venda a ter que discutir algu-
ma propo3ta de lei sobre esis- ponto importante e
do qual pode provir grande -eco noriia.
Asseveram algurs-jrnaes que o Sr. Lobo d-
Avila (ministro das obra* publicas) trabalha acti
vamente em reformar o servim da engenhana ci-
vil que o Sr. Calheiros, meiHbro do gabinete
transado destruir e desoiganisara.
O governo belga tuandou peelir informarctes
ao governo portuguez acerca dos Juguetes de guer-
ra doSr Tavares. Aqui expermenudos, fizeram
parte do material e inuni-jVs- qne acompanluva a
expedicao de Zambzia.
Parece que o Zarco vai para o Brasil reodor
o Duque da Terceira que am esta quasi ha dezoito
mezes.
Assegura-se que o Incaasavetmioistro da pis-
HQa pensa na dotacao geral e!o' eforo com a eco-
noma de mil contos para o llicsouro. As bases
para chegar a este resoltado sao a desamortisa-
cao de lodosos bensJadecrelad e o arrodonda-
mento das parochias. Jniga-se ipje do rendiraeii-
to dos bi ns desamortsados se peder pagara to-
dos osparochosuma congrua de 600, termo me-
dio, a cada nm, alm do pagamento das congruas
dos bspos. Snppoe-se um remanescente de oito-
centos contos, que jaulas aos duzentos contos que
desapparecem do (.reamento d em resultado 06
mil contos com que o Sr. Luciano de Castro con-
t dar um bom golpe no de/Irl.
Tal vez baja cxaggerefcio no cabillo do valor
dos passaes e bens das mitrase collegiadas. Mas
ainda assim se o referido ministro poder fazer
dessappareeer de todo do orcamento- geral a verki
com as docesesdo reino c pno'hos as dhas, tei
iniiiorlalisado o seu nonio, pirque se distanciar
enormemente de todos esses reformadores que nos
ltimos lempos temos visto.
As matrize- que cm 1800 apenas oreavam o
rendimento celleclavel de 15,0011:00^3001)* foram
successivamente calculadas na soinma de 20 mil
contos de res om 1865 c de 22 mil contos cm 1868.
Se estes dados nao provassem o progressivo aug-
nieiito da riqueza predial, um trbame reafisado ha
pouco sobre crescido nuiieroilo propriedade-, pro-
va que todos estavam inscriptos uas matriz os. com
um rendimenlo inferior ao que devora ser calca-
fado, n'alguns 4 o 5 veaes menor do que o valor
real, e que outros representando 12 ou 13 por
cenlo da roraraa total dos predio?, nem tinham
sido arr.didos.
Na contriliuicao industrial e pessoal n&Vi sao
menores as irregularidades;outros impostes an-
da que recadera quasi exclusivamente sobre as
classes menos favorecidas, podem e deveffl ser
transformadas em proveilo dos contribuintes e sem
prejuizo do thesouro.
A comm-so ter de resolver, pois, osle grave
assumplo o propr as muililieanVs que possam
inmediatamente sor adoptadas para incinerar este
sorvico a que estao ligados os interesses mais vi-
taos do paiz a surte e o bem estar dos povos.
A eominis-o compuso dos Srs: -minfelr i
da fi/.onda (presidente) Miguel BJuardo Libo d.-
Ouihes (secretario) Antonio de Serpa Frailes-,
da SilveiraMoreia l'ionLuiz Antonio No-
giie'.nr inarqui z de SonzaManoel Vaz Prieto f-
raldesHenrique de Hacedo c Joo Antonio San-
tos Silva.
Commissoes Gnanceiras e das mais competen-
les nao tem faltado. Assim ha ja a coragem pre-
cisa para dar execucao os alvilres que resulta-
rein do seu esludo c foebrafOes.
Coragem, digo, para arcas o enm os mteteases
iiaeat boje tem evitado os rigores do imposto, pois
d'ahi nasce o mal Nao e-t o caso em vechar os
pequeos contribuales ou fazer grossa e atroz
mentara nos empregados pblicos, que o minisie-
rjo transacto poz por portas com a sua tabella de
redliccdes, teto quando a alta das stibMsteueas re-
clamava elevadlo de ordenados.
Parece que un> ires ou quatro bispos portu-
gnezes pediram licenea ao governo para irem to-
inar parto no concilio. O governo conrcdcu-Hfa,
mas nao Ibes di-u sobsido para a viagom.
a Deve partir deniro en piuco para Roma o
conde de Lavradio, nosso plenipotenciario n'aquei-
la corle.
laiera progresaos
governo, nara.wn-
enisdembro 96:1783985 rs. e o anno passado
85:7213727 rs. t
Finalmente quo no trimestre oecorrido o ren-
dimento oreado foi de 1,987:003,83 <3 rs. e o co-
brado o anuo passado 2,115:7713527 rs.
Cumpre explicar esta differenca principal-
mente de adianlamentes que o governo transacto
Coreada pelas cirenmstancias, pedio sobre os di-
reitos do labaco no Io trimestre do Ano econ-
mico passado.
i Fui nomeado director da casa da moeda o
Sr 1> Jos Saldan'ia, chimco habilissimo c que
linha sido director interino d'aquella casa. E fl-
lho segundo do conde de Rio viaior.
Corre em Evoca que fora indigitado para ar-
cebiepp d'aquella diocese o Sr. D. Jos Mara de
Almeida c Araujo Correia ije Lacerda, deao da
S patriarchal, eminente em letras o bemqnisto
de todos por seus dotes pessoaes.
Para pairarcha de Lisboa contina a fal-
larse no Sr. D. Jo Chrisostomo de Amorim
Pessoa, arcebispo Se Ga, que se ada agora oes-
la capital.
O duque de Saldanha i requereu pelo mi-
nisterio das obras pblicas Ilcenca para ostbele-
cer nm caminho de Trro pelo systema Laman
jat entre Cascaos e Pero Piohero.
i Votou-se em conselho de ministros a junecao
das duas alfandegas a de Lisboa, e a municipal
dest mesma cidade.
c Pelo ministerio da fazenda lavrou-se um decre-
to unindo a liscalisaco do tabaco das alfan-
degas.
Parece que os testamenteiros do conde de
Ferreira estao elaborando um rotatorio para re-
mettrem ao governo, justificndose das aceusa-
coos que Ihes tem sido fettas, pelo modo porque
tem dado cumprimento ao testamento do mesmo
oonde. Espera-se qne o governo mandar publi-
car o rotatorio.
O Sr. Jos de Azevedo David, por cuja ini-
oiativa so reallsou ha lempos, no Porto o notavel
meeling para pedircontas aos testamenteiros do
conde de Ferr ra, dirigi se ao Sr. Vieira de Cas-
tro qne est em Lisboa, pedmdo-lhe que llzosse
scnifrao governo a inCfliia das autondades em
tal aasompta.
9 8r: V. de Castro dlngfo-se ao Sr. Jos Lu-
ciano, de Castro (mifrs.ro da jostica) qne so pros-
MBi-a participar ao dnqtm de Lale a cotomuni-
ta-iwtea> de !^trrp>f}ear additttO o novo micio qne sel
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
INSTRCCCO PUBLICA. Reassumio hoolem
o exercicio de director geral da ioatrueeio publi-
ca, o Sr. Dr. Joaquim Pires Mantuda Purtella.
EXAME DE HAR1LITACOPor deliberaeao
da directora geral da insliiiccu publica, foi
transferido, para 3 de novembro prximo, o exa-
me de lubilitaco para o magisterio primario do
sexo femenino. ,
ARSENAL DE GUERRA Assumio hontem o
exercicio de director desse eslabclocimento mili-
lar, o Exm. Sr. Dr. Francisco Raphael de Melfo.
Reg.
FERIMENTO LEVE.No .da 23 do correnta
no Giqui, freguezia dos Afiogados deu-se um con-
flicto entre Manoel Pauta Concilves do Espirito
Santo e Manoel dos Santos Faria, do qual resnl-
tou o ferimento levo doprmeiro pelo segnndo.
O criminoso foi preso.
OBRAS PUBLICASA eslrada do Atierro.do
Afogados reclama alguns reparos ; o seu jeito esta
se tornando do da para dia menos iransitavel.
BARREIRAS.O encarregado da cobranea do
imposto de -barroira na Passagem da Magdalena,
lem o mo habito de eclur a entrada da ponte
depois de meia noile. de forma a fazer parar os
transente* e vebiculos, al que elle acorde para
dar vol ao cadeiado. E' preciso quo, quem de
direito, impon! o correctivo esse aboso.
TELEGRAPHO ELCTRICONosso corrospon.
dente de Lisboa escreve-nos o seguinte om 1* do
corrente:
Vae ser apresontado aos govenws portugnea
eao brasileiro, um proposta para o ostabeleeL-
menio de um -cabo telegraphico submarinho ontre
Lisboa e Pernambuco. Dou os parabens aos seas
compatriotas, por esse grande melhoramento. A
proposta feita por urna poderosa >mrantna>
cuja fronte se acha Mrv a|ek.ler de B
DOUROEste vapoK tira a raajrhejt para o
Rio de Janeiro e Batum ao mei dftlo.
SEMINARIO DE.OUNBA.O Rvm. S. redor
acaba de roeeber os segnintes oootaa prn
obras de e^aJelesjMN*to : -^-"
Da ttq^44m*v*tni*i l >&
H


Terca (ein 26 e Out
p^^ftes sahidos cora fazendas
dem idoia cora genero
n-
\\
.foaqui"! ]..-''
Livino miteto de Hnlland Otteon,e>
Joo Telesphoro da .Silva I
Amonio Clodoaldo de Souia, lem.
Brax Berna Tavares, idea.
Carlos Emilio de Andradoftixoto dem.
irttU. i
Jote Lomelno de Menezes Vasconcellos de Dram-
moad, plenamente.
Agostinho Mximo Nogueira Penido, dem.
Jos Alvo* de Lima Jnior, dem.
Jos Cavaldaoti de Albuquerque Uchda. dem.
Alexandre Rodrigues dos Anjos Fillio, idem.
audinp Eudacio de Brito, Mein.
Graciliano Augusto Cesar Wanderley, dem.
ra reprovado.
3a auno.
Jos Mana da Rocha Carvalho, plenamente.
Jeronymo vLourcnco do Araujo, idem.
Manoel Jeronymo Goncalvcs, idem.
Jos Augusto Barbosa Colho, idoiu.
4 anuo.
Gaspar Ferrcira Frazio de Menezes Vascon-
celos de Drummond, plenamente
Luiz Rodrigues Ferreira de Menezes Vasconcelio>
de Drummond, hiera.
Angelo Jansen de Ostro e Albuquerque, dem.
Francisco Jos Monteiro, idem.
BenvcuuloAlves de Carvalho,* dem.
5' auno.
Alexandre do Son Pereira do Carrao Jnior,
plenamente.
Jos Antonio de Almeida Cunha, dem.
Jos Furtado de Mendonca, idem.
APOSENTADORIAS PORCADAS.-Na sessiio de
9 do eorrente, da cmara dos depntados, ro Iiuo e
mandado imprimir o scguinte parecer :
Forara presentes s commissoes reunidas ac
eonstlluicao e poderes e de pensilesie ordenado*
os decretosde 30 do dezembro de ^.aposentan-
do diversos magistrados, o o projecto assignado
pelos Srs. depntados Ferreiro Vianna, Cruz Ma-
chado. Junquoira e Penido, declarando sem ellei-
toas aposentadoras ordenadas pelos referidos de-
Cr Os citados decretos fazem dependente da ap-
provacao da assembla geral nicamente os orde-
nados cora relaeo ao tempo de servieo dos magis-
trados aposentados. Vieran) os referidos decretos
desacompanhados de qualquer documento ou es-
clarec ment por onde .se conheca-o fundamento
das anos-ntadoria-.
Contra o acto do governo reelamaram os apo-
sentados. vend-Be retirados de suas unecoes por
forma nao antorisada na lei.
Contra os aposentados allcgaram-so vaga-
mente malversares que, a serem prosadas, os
lornariam incapaz.*, por indignos, de continuan-m
no sacerdocio da justica, de que se achavam per-
petuamente investidos. Scmelbanto prova, porem,
nao se deu ; nao leudo ao menos havido denuncia,
queixa ou outra inciaco de qualquer processo
Foi decerto attendendoa essa falta do prova,
reeUmacao logo feita pelos magistrados empel-
lidos d >s trbunaes onde tinhain assento, e a re-
pugnancia manifestada pelo onlo presidente do
supremo tribunal de justica, no cumprimentp e
execucao de um decreto que sua consciencia me
diziaser manifestamcntc- Ilegal o inconstitucio-
nal, que os hnralos depntados signatarios do pro-
jecto de que se traa o ormularam o firmaram,
declarando sem effeito essas aposeniadonas.
o A constiluicao do imperio terminante e cla-
ra cstabelecrndo a independencia do poder judi-
cial art 151), a perpetuidadedosjuize de direito
(art. 153) c portanto dos dosembarg.ulores e mi-
nistros do supremo tribunal de justica, e a sua
garanta e seguranca quanto ao lugar que exer-
cem. e qual s podem perder por sentenca (l
151)
Nem outras poderiam ser as disposicoes cons-
titucional urna vez aceito o principio de indepen-
dencia do poder judicial, o consagrada perpetiii-
dale da magistratura de accordo cmn a lejpslacao
dos.povos civilisadas, como garanta a mais efllcaz
dosdireitoj que o estado reconhece ; porque a
apacentadora a livre arbitrio do poder execiiiivo,
nullilicando a independencia do poder judicial flet-
xana merc do primeiro a perp.-tuidado da ma-
gistratura, com grave damno publico, manifesta
inv iso de um poder as atlribuicSes de outro, o
invi-rsao dos prin inios que consagran) a sua ais-
tinecao e independencia, burlando a perpetuidad.
de hncenos que s urna sentenca cm processo re-
gu'ar pode interromper. .
. Os decretos nao podem por falta de 1
2 5/3
ii
13
11 3/|
II l/l
11 7,8
11 i/1
12 1,8
12 1/8
11 1,2
12 5,3
12
13
12 1,2
11 7,8
12 3/4
12 1,2
12 1,8
12 1,8
ment legal ser equiparados a sentenca ; porque
nem ao menos sao pmanacao di poder judicial; e
poiLioto carecen) de competencia
Em face destas consiJuraeocs, que a eorn-
niis-a. reputa capitaes, nenlium pc*o da as razoes
secundarias, de ser defectiva a lei do respmsabi-
liddo dos membrus do poder judicial, o anda
menos a conveniencia de actos abusivos.
Se a lei que temos nao aderece garanta con-
tra as malversacoes dos magistrados, o que obst
que o governo use do direito que tem o cumpra
o dever que imperioso Ibe corre, de iniciar e pro-
mover a adopcao de imdidjs legislativas, que re-
movam o mal notorio e facatn da repressao dos
crimes urna realidade ?
Quanto conveniencia, nenhuma reconhece
a comuiiss > que esteja cima da fiel observancia
da onsiituica > do estado, qiie expre.-samente con-
sagra a divisao e independencia dos poderes poli-
ticos. i> a perpetuidad^ dos magistrados, dogmas
que furam atacados pelos decretos de 30 de dozem-
bro de 1863, que, por issn inesino nao podem pro-
duzr efTeito, sendo exorbitantes das attribuicoes
tln poder cxeculivo, que por ellas quebrou a har-
monia dos poderes polticos, postergando as ga-
rantas que a constiiuieao ..len-ce.
t A' vista do exposto sao as commissoes de pa
er que se discuta e approve o mencionado pro-
Jecto submeltido ao -en exame.
Sala das commissoes, em i de outuhro de
1869.. A. da Silva .\uties.-J. 31. F-queirn de
Mello.A. A. G. de Azambuja.F. Beluario Soa-
res de Souza.
ARCADIA PERNAVIBUCANA.- Para procede,
eleico da directora, que deve funcci.mar aV
outubro correte a abril de 870. rcunio-se na
quinu-feira esta a-sociaco titteraria em sessao
exf aordinaria, bemeomo para encerrar os traba-
ln..s do anno lectivo.
Sendo presente, pelo thesoureiro, o balan co de
fnndos, foi approvado.
Foi unnimemente approvado um i-equTinienta
propondo um voto de louvor do socio cffectivo Jo-
s Leandro Mrtms Searas, pelos bons servidos
que frestou nos cargos que exerecu.
Anda foram approvadas, pir nnanmidado de
votos, duas prepostas assignadas por diversos so-
cios, indicando para socios benemritos o,< Srs.
Luiz Henrique Pereira de Campos, Jo^ Leandro
Martins Soares, Luiz Ruarte da Silva, e Joaquim
Simoes Daltro, que concluiram o scu tirocinio aca-
dmico.
A|k>j alguns discursos pela ordem, c a cleieao
da directora, encerrarara-se os trabaluos desle
ISST1TLTO HISTORCO E PHILOsdPHICO.
Sabbado, as 7 horas d;i noute, encerrou esta so-
ciedade os seu? trabalhos, son a presidencia do
Sr. Albuquerque Barros.
Lendo o Io secretario da sociedade o relatorin
dos trabalhos do anno, tomn posse a nova direc-
toria, orando acerca da sol-mwidade s Srs. Sil-
veira iiarcia,Jos Ana Albuquerque Maranhio, Mello Gomes, Godofredo
Autraa, Argomiro Galvao, Carneiro Leo, Castro
Vilella, e recitando urna poesia este ultimo senhor.
AV 9 horas da noute foram declarados encerrados
os trabalhos do crreme anno.
LOTERA Por nao havor chegado no dia an-
aunciado pela agencia o vapor do sul que levara
os bilhetes do norto foi transferida com aut.n isa-
da preidencia a exyaccao da lotera 124 para
boje.
KEPLER.Este vapor, da linha de Liverpool,
em viagom para o Rio de Janeiro, arrbou a Lis-
boa no dia 8 do eorrente, c un avaria na machina
afira de reprala e deixar dou? machinlas que
Acarara todos qncimados na explosao d'uma das
vlvulas.
SALADU.Este vaporada linha de Liverpponl,
ra esperado em Lisboa de J a 27 do correte,
em viagem para o nosso porto.
SAVIOS CHEGAD03.-^A' Lisboa /-tyfe Ventu-
ra a 30 do Para, Constante II a 12 d Pemam-
nuco.
WAV) isboa Auguttint (va-
por) para o Coara, Maranhio e Para, a 6, Ugttro
para o Para a 11.
NAVI0 A CARGA.-tm LWwa, Florida,
CoMlanU I. Relmpago e Marwma II para Per-
i imbuco, Linda o JUgeiro para Para; do Por-
to Seguraba c mumph para Pernambuco,
W lU(Hr
De Pernamb^^^H^
dem 2.*
lem roda
Da Parahyba i*
dem 2. ^
Da liaia 1.a
dem 2."
- DeMacei I.* roda
dem idem machina
Idem 2.'
Do Maranhao, machina !
dem idem 2."
dem roda
Do Rio Grande, machina
dem idem 2.*
dem roda
Do Cear
Do Rio de Janeiro
De Santos
O assuear igualmente froiiio aos preces le 20/
a 28/ o branco e do 18/. a 24/ o raascavado.
HOTEL NACIONAL.Completamonto reforma-
do, abri se de novo hontein A concorrcncia pu-
blica o hotel Nacioual, ra da Cruz n. 1, onde
ha bons commodos para viajantes, ptimo -ervico
e mesa que satisfaz ao gosto mais exigente.
LITTERATRA. O /orno! do Commei co, da
corte, d;i a segrate noticia :
t Sob o titulo-geral As victimas algozes, acaba
o Sr. Dr. Joaquim Manoel do Macedo de publicar
tres romances, dictados pelo mesrao pensamentn,
mostrar que a escravidao c urna pesto e qje nao
podem vir della senao Iructos pecorthentos. Avilta
e desmoralise o cseravo.e este vingasc cxercenJo
a seu turno porniciosa influencia obre o senhor
e sua familia.
-* No prologo o autor expoe sera embage; a sua
idea escrevendo estes romances. Parte ello do prin-
cipio que oRrasil nao~poder conservar-so inuil.
tempo nico paiz com oscravos, e que a cmanci-
pasan irremediavei, infalhvel, est fatalmeme
decretada. A emancipasao immediata c al soluta,
porm, pona em convulso o paiz, e para evitar
este mah nao ha senao um mera, preparla cm
tempo e realiza la gradualmente. Para facilitar
esta operacao convm vencer a opposisao t ue por
costuine e interesse os enhorna de escravos farao
aacsao do estado, e o meio de conscgoi-lo con-
vencer esses proprieUros da qu- o seu verdadei-
ro interesse nao est era contrariar, mas cm au-
xiliar na grande obra o mesmo estado, pois que os
seus maiores e mais perigosos inimigos os tm
elles nos seus proprios escravos.
Foi, portanto, no intuito de mostrar nos se-
nhores os perigos que a escravidao Ihes [.repara
em uas proprias casas-e no seio das suan fami-
lias que o autor nestes tres romances trasau com
a adestrada penna que o publico Ihe cmih >ce va-
riadas scenas da nossa vida domestica las re-
lacoes habituaes o continuas entre senhor o os-
era vo.
> No primeiro, Simeao, o crioulo, mostramos
como o cscravo criado com carino, quasi como
fllho, apenas a idade l!ie breos olhos sobrs a sua
ver.l.idcira condicao, se torna rancoroso inimgo
de quem o enchera de beneficios. No segundo, Pai
/n/n!. o feiticeiro, temos o quadro ttrico da mal-
va.leza do dous cscrav .s a espalhar desgracas, e
cavar a ruina de urna familia inteira. No lerceiro
finalmente, Lucinda, a mucama, vemos a escrava
depravada e devasta dada por serva, qnasi p
companheira fllha familias, perverter o ;oracao
Casto da donzclla.
. J se v que, alm do interesse qup podem
inspirar simplcsmento como romanees, tm esles
trancedente alcance social. Debaixo desle duplo
ponto de vista, serao, pois apreciados pilo pu-
blico.
AMAZON.Este vapor, da linha de Liverpool,
chegado hontem, traz a seguinte carga de Lisboa :
7 barris vinbo, 28 ditos Uiucinho, 2G cai:;as azu-
U|os, 40 ditas genebra, 38 ditas fruclas, 4 ditas
calcado, 39 ditas conservas, 3 ditas mass.i de to-
mates, 274 ditas figos, 6 ditas stearina, 165 ditas
cebollas, 4 ditas drogas, 30 ditas batatas, ')3 dita-
v.lia de ceta, 3 fardos c 13 barricas cera em pao
eem grumo, 10 saceos alfazeina, 40 ditos alpista
123 volumcs pa sas.
LOTERA.A que se acba venda,- 6 a 124a a
beneficio da matriz de Gamllcira, quo corre
boje.
P SSAGEIROS Vndos de Mamanguapc no
tapar nacional Mandah:
Dr, Augusto Carlos Vaz do Oliveira, o IDO cria-
do, Daniel Filgneira de Menezes, Joo Filgueira de
Menezes, Mizael da Costa Lira, Joo Polet., Fran-
cisco Autonio Cassula, Vicente Chico, Jo-e da Sil-
va Loureiro, Luiz da Silva Loureiro, Justijo Fur-
tado da Silveira Mello, Felzardo da Silva Fr_aga,
Kermegildo de Soma Lobo, Manoel da Coala Lima.
Vndos no vapor inglez Douro.
Kruekemberg e sua senh-ra, A. Christan e 1
irmao, Tliomaz Me. Caimn, Luiz Ziguago, H. Can-
nan, Woliam W. Broad, Joseph Lattiam, sua se
nhora, 2 IMios e 1 criado, Isabel M.-rrilields, Ed-
wio A. Jimmis, A. Polter, Henrich Vogeljy esua
M-nhora, James Brasson, F. A. Caris, Jos da Silva
l.oyo, sua senbora e 2 lilhos, Ignacio Jos de Toro
Avi'linu dos S.mto-, Francisco M. Pinto Barbosa.
sua senhora, 1 irma, 2 filhos e 1 criada, Antonio
Ferreira di Silva Maia, Manoel Jos Monteiro e
sua cunhada, JeMan, Manoel Pereira da Silva,
Dr. Jo J-.s Pinto eseu filho, Pedro Tinoco. Luiz
Pereira Goncalves da Gunha, Joaqoim L .p. s de
Almei.la e 9 "meninos, Jo>> llaptista Vicira Ribei-
im e sua senbora, Joaquim Mauricio G'.ncalve<
Rosas, sua senhora e 4 filhos, A. A. di Sunca
Aguiar, Jos Peres da Cruz, Jos Antonio de Sou-
za Basles, Antonio Loil de Dliveira Azevedo o 2
filhos, Francisco Ignacio Tinoco le Souza e 1 li-
llio, Francisco Gomes de Miranda Leal, .'oaquim
dos S uitos Souza, sua senhora e 2 filho, Claudio
Dubui'X Jnior, Jos Angosto odrigues, Antonio
Morcira Viulias G. Pereira Magalhes, Jo Cr-
i.i. Giuseppi Limangi, Luiz de Morac- Gomes F,
sua senhora e 3 "filhos, Bernarda A. Pnhe ro, Ma-
noel Bibciro Fernandos, sua senhora e 1 criada,
Delphim Francisco daS. Malhias Gomes d;. Fonse
ca, Antonio Fernandes Vieira, Alipio Rotado de
A. Oliveira, F. M. y Alvares.
CEMITERIO PUBLICO.Obtuano do di 24 do
eorrente.
Antonio, frica, 46 anno, Boa-vista ; aepatite
chronica.
Antonia Maria do Espirito Santo, Pernambuco, 47
annos, solleira, Boa-vista ; gastro interite
Joo, Pernambuco, 7 annos, S. J..s ; hepat.te.
Maria do Rosario, frica, 70 annos, casada, Boa-
vista ; interite chronica. x
Francisco de 8 >uza Velho, Portugal, 40 anuos, sol
teiro, Boa-Vista ; ictericia.
Maria Datoazia da Conceisao, Pernambuco, 23 an-
nos, solteira, Boa-vista; tubrculos pulmo-
nares.
Olegaria Maria da Concecao, Pernambuco, 24 an-
nos, solteira, S. Jos ; entere eolito.
Maria Theodora da Costa Pires, Pernambuco, 73
annos, casada, Poco ; gastro interite.
res as ma
t fra-
gotavel, ra&Hno
.osta uina prolnga-
lo. Neste respeito elia se
agua da colonia- de Faria, e
foda America do Sul o as Ami-
as, nao obstante o valer e custo dbarado daquel
outro'p^HK
57
340-
397
d
A PEDIDO
Poqos" tubulares instant-
neos, de patent, inventa-
dos nos Estados-Unidos.
Estes pojos fonun espalhados na Euro
pa, lana fjue, qualquer duvida do sed
grande valor pratico deve desvanecer vis-
ta das grandes vantagens.
Milhares do excmplos mostraram que
elles sao de grande utilitlade aos industriaos,
agricultores e particulares; at em todas
as expedicSes militares dos ltimos tempos
foram usados para procurar sem demora
agua JVesca e pur.a, e tanta quanta se pre-
cisava.
Em todos os Uigares, onde um pogo ca-
vado ou futido (pelo systema antigo) dara
agua, pde-su empregar os po$os tubulares.
Elles facitam adiar agria muito mais
depressa, mafis cristalina mis fresca e
mais barata do que por msio dos pocos
cavados.
O systema dos pocos tubulares o ni-
co pelo qual se possa obter agua perfeita-
mente pura, livre de todas as substancias
nocivas e preservada de todas as influen-
cias alhinosphericas. .
Por meio de urna machina muito simples,
consistindo d'ura macaco, impelle-se para
dentro da trra um tubo d ferro, cuja ex-
tremidade inferior est furada e munida
d'uma ponta d'aco; e logo que a sonda
mostra agua no mesmo, deve-s atarrachar
a bomba e Caze-la funecionar. Ao principio
a agua ter substancias arenosas e terreas,
porm logo se clarilica, e cm pouco tempo
sahir agua perfeitc mente lmpida.
Outras vantagens que apiesenta este
systema sao:
" Primeiramente, a promptidao com que se
exeeula toda a obra do assentaraento, qHe
umitas vezes no leva mais de urna hora'
sem remoco alguma de trra:
Segundo, a commodidade que elle offere-
ce de scryno somento collocado fra da
casa, como tambem dentro da mesma, com
nao menor fcil idade :
para fra da trra o poco sem o estragar
para o collocar em outro lugar :
Quarto, a grande quantidade d'agua que
elle pode dar :
Quinto, a possibilidade de tornar, uteis
com pou;o trabilbo, por meifTdelle os po-
cos cavados que foram estragados pela ara
ou por outras causas.
Precisando-so de urna grande quantida-
de d'agua pde-se introduzir na trra di-
versos tubos unidos uns aos outros por
meio d'um apparellio muito himples.
Em logar das bombas aspirantes geral-
mentc usadas, pde-se fornecer bombas de
compresso para elevar agua e conduzi-la
aos andar s superiores.
O emprego dos pocos tubulares sobre
ttulo proveitoso aos fazendeiros, que em
qualquer campo onde o gado pr.-cisa|d'agua,
os podem collocar* o arranca-Ios para se-
rem collocados onde meltior Ihes convier.
E' tambem de grande utililidade aos fa-
bricantes de cerveja, aos distillado^ e a
todos os fabricantes em geral, e com espe-
cialidade aos empreileiros, architectos. |en-
genheiros e todos aquelles que precisam de
quantidade d'agua por tempo determinado.
Este methodo o nico para obter em
qualpuer parte agua, que seja livre de par-
tculas nocivas, eile tambem oroveitoso
aos proprietarios de casas e jardins, tanto
para o uso diario como para regar as plan-
riacoes o capim.
Pedimos aquelles quo nos quizerem
honrar com suas encommendas de nos
communicar: i. em que profundidade s>
acha a agua, o que fcilmente se pode verifi-
car nos pocos Ou cacimbas visinlias ; 2 de
que especie s. as guiadas da ierra da su-
perficie at a carnada que contm agua ; 3o
em que especie de caad i se acha a agua
naquelle logar: 4.3 inanlmenle a quantida
do d'agua que se pede por hora.
A collocaco do poco fica por conta do
comprador offerecendo-se porm a empre-
za a emprestar o apparelho de assentamen-
to mediante urna retribuido a convencio-
nar, a qual s regular pelo tempo que se
adiar fra.
Tambem encarrega-se do mandar urna
pessoa habilitada na collocaco d'ess s po-
cos, pagando o comprador aim do susten-
to e despezas de viagem (ida e volta) um
jornal previamente convencionado.
Para encommendas o mais esclareci-
mentos a respeito a tratar na loja do Sr. F.
i. Germann; ra Nova n. 21.
Desearregam hoje 26 de ontubrd
Vapor inglez.-Inwzonfazeudas.
Barca raglezai/7memercaduras.
Barca portuguezaGratidoidem.
Barca perluguezaSapphiraidem.
Brgue parwwuezColttedem.
Barca naeoaal Adelaietaboado.
Gscnna ingtezaJessiebacalno.
Brlgue portuguezLrn'a vario gneros.
DOS GNEROS SUJBtTOS A M-
EMANA DB 83 A 30 DB
Unidades.
. duzia
. kilog.
.
. um
>
. kilog.
.
. urna
litro
kilog.
Valores.
300
258
963
43000
2S000
68
177
320
210
436
UOOO
53000
937
6731
523
102
3450
, 195
390
330
300
337
600
300
660
476
(Testa repart-1
comprehei
titulo 3" do re-
PUBLICACOES A PEDIDO.
Antoni Gomes Netto declara quo nao
exacto quanto diz o Sr. Maternus UiQZ no
seu annuncio que fez publicar no Diario
de Pcrmmbuco de hoje. respeito da casa
do annuKiante sita em Santo Amaro, e nem
corre execucao alguma contra elle, e sim
contra outro individoo, mas antes do o an-
nunciante ter realisado a venda da casa tinha
requerido e depositado a quantia em ques-
lo, pela penhora dos alugueis do predio,
mal e indevidamente feita.
Recife 25 do. outubro de 1869.
Agua de Florida de Murray
e Lanman.
Que os poetas erabera fallem dosares 'klorife-
ros da balsmica Arabia.porm apesar de ludo
pude se muito bem por em duvida, se jamis al-
gum desso florescente bosques de eaiinellt.-rasou
laranjaes produziram ou derramaram incens e
perfumo mais refrigerante o deleitavel. .lo que
aquello delicioso o delicado aroma que exhala e
dimana desta admiravel cssenca.coiliida dos cam-
Sos virginaes de Flora. A atmosphera,a qu.l ron-]
a e divaste a fragraacu qua i todas as mais
afoas clieirosaa, partro projjzir bem pouco efici-
t,a sobre a ^'l^mummWmW-^ arara, a qual
>
>
a
cento
kilog.
kilog.
duza.
cento
kilog.
i

i
centro
>
kilog,
>
>
>
duzia
um.
duzia
um

kilog.
um
duzia
um
CGMMERCIO.
PRACA UO UBCIKE 23 UE OUTUBRO
DE 18B9.
AS 3 1/2 HonAS DA TARDE.
Algodao da Parabyba sorte 1^062 por kil.
frete de 3|4 e 5 0|0
Algodao do Rio Grande do Norte 1* sorte-1*063
por kil.
Cambio sobre Londres 90 d/v. 19 3[4 d. por
i 3000 (sabbado o boje).
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Sociedade bancaria em cora-
raandita
Theodoro Simn dp C,
Comprara e vendem por coota pro-
pria metaes, moedas nacinaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontara letras da trra e outros ti
tulos commerciaes.
Encanvgam-se por conta albeia das mes-
mas transaeces, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Receb^m quaerqner quamias era depo-
sito, em conta eorrente, e a prazo flxo.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANIEGj.
rtendimento do dia 1 a 23 802:6824140
dem do dia 23 ,.....41:4233696
TABELLA w>s precos
UMTO DI BXI'onTAC.VO
ouTLinioK 18G9.
Mercadorfe:
Abanos ........
Algodao ip aroco .._...
Idem em rama ou cm lia. .
Carneiros vivos......
i'orcos idem. +jr .r.
Aroz com casca......
dem descascado ou pilado .
Assucar branco......
idem mascavado......
dem refinado.......
Gallinuas..........
Papagaios.......
Azeite de ameailoUa ou men-
di.bim..........
dem de coco .'....
dem de mamona......
Batatas alimenticias. ....
Haunillia.......'
Bebidas espirituosas e farmentadas:
Agurdente cachara. .... litr.
dem de caima....... >
dem genebra......
dem restilada......
dem alcool........
dem cerveja.......
Idemvinagre .......
dem vinlio de caj...... >
Bolacha lina, comprebendidos os
biscoit s....... kog.
dem ordinaria, propria para
embarque. ^ >
Caf bom.....'.
dem esculla ou restolho ... >
dem torrado ou moide. ... <
Cal branca........
dem preta........
Carne secca ( xarque ).....
Carvao vegetal........
Cera amarella.......
dem de carnauba em bruto,
dem idem em velas, .
Cha.........
Cocos seceos ......
Colla.........
Couros de boi, seceos salgados,
dem idem espichados. ...
dem idem verdes.....
dem de cabras cortidos um
dem de onca.......
Doces cm calda......
dem em gela ou massa. .
dem seceos.......
Espanadoees de pennas grndcs .
dem pequeos......
lem de palha........
Esleirs de carnauba ....
dem propria para forroou estiva
de navio........
Estopa nacional......
Fariuha de aramia.....
dem de mandioca.....
Fejao de qualquer qualidade. .
Fumo charutos......
[J*i cigarros ..:...
dem em folla bom ..-..
dem cm follia, ordinario ou res-
tolho ........
dem em rolo e en. latas bom .
dem, ordinario ou restolho. .
Rap .........
Gomma de mandioca, (polvilho).
Ipecacuanha ( raz).....
Angico (toros). .....
Caibros........
Ensarnes........
Frechaes........
Jacaranda (coucoeiras) .
Lenha em actas......cento
Idfm em toros......
Lnlias e esteios......
Lour s (pranchoes).....
Pao Brasil ........
dem de jangada. .....
Quiris ,........
Vinhatico costadinho de 2o a 30
inillimetros de grossura. .
dem pranchoes de dous costa-
dos at 50 millimetros de gros-
sura .........
Idi-ra taboado de menos de 25
millimetros de grossura .
Taboado divarso......
TaUjuba........
Travos.........
Varas para pescar.....
dem para aguilhadas
dem para canoas.....
Cavernas de sucupira(em obra)
F ixos d- cicupra para carro. .
M"laco.........
MhI de abelha.......
Mlho..........
Ossos......, .
Palha de carnauba.....
Po-hury.........
Pudras de amolar .
Idem do .filtrar......
dem de rebollo .
Pennas de eraa. ...'..
Passava.........
Puntas ou chifres de novilho ou
vacca.........
Sabao .........
Sal...........
Salsaparrillia.......
Sapatos de couro branco .
Sebo ou graxa em rama ,. .
dem em velas. ......
Sola e vaquela......
Tapioca.........
L'nlias de boi.......
Vassouras de carnauba .
dem de passava.....
dem de timb......
Alfandega de Pernambuco,
18G9.
01." conferente, Joaquim Aurelio Vanderley.
0 2. dito.H. Cesar Octoni.
.Approvo. Alfandega de Pernambuco, 23 de
ouln-ro de 1869.Paes deAndrade.
Conforme. Joaquim Tertuliano de Medeiros.
RE" EBEDORIA DE RENDAS INTERNAS UE-
RAES DE PEHNAUBUCO. ,
Rendiraento do dia 1 a 23 82:131*271
(dera do dia 25..... 3:488*327
20i
470
452
959
39
27
258
168
442
436
763
4*360
4*000
1*438
.'.','
640
370
350
105000
1*133
784
2*180
481000
24*000
12*000
16*000
12*000
136
681
92
272
3*000
320
1*090
613
681
54S
2*180
170
1*703
fiOfOOQ
360
1*500
3*000
95*000
3*000
12*000
6*000
10*000
102
.l^^^Bk n.
io, os
do L,
ulamenlo de 19 de soteorbo de 1860, os seus do-
nos ou consignatarios deverao despacha-las no
prazo de 30 din- a de, flndo -lie, serem
vendidos por sua conta, sera que Ibes Oque com-
petinda allegar contra os cffetos desta venda.
Bastos.Una lata York na barca americana Caico, ontrada no Io de
dezembro do 1868, ignora-se o contedo e con-
signaos).
Corn-a Zenba 4CUm embrulho sem numaro
vindo deLivi-rpijl na barca ingleza Wetcke of Ihe
Fetsca, era 19 do dito inez, idem idem.
A. M. di Cm dito n. 1, vindo de Hamburgo
no briguo inglez Leinor, em 29 idem, com amos-
tras, Otto Bohres.
M. B. A- Cb'm dito u. 151/200, vindo de Liver-
pool na barca ingleza Supli, entrada em 16 de
Janeiro de 1869, ignora-se o contedo o consig-
nara..
Candido A. S. da Motta.Um dito n. 50/130,
idem idem.
Prente Vianna A CUm dito n. 231, vindo de
Southampton no vapor inglez Im Plata em 26
idem, cora amostras, a Prente Vianna.
P. T. V.Dous pacotes ns. 3/4-78, vndos de
Hairiburgo no patacho norte-allemo Apollo, em 28
idem idem.
I- N. -Um embrulho n. 61, vindo do mesrao
porto na escuna norte-allemaa Latliarina, entrada
em 4 de fevereiro, com amostras, a II. Nocnroyer.
E. J Um dito n. 4012, idem idem, a Rabe
Schamettau & *
B. E.Urna caixa n. 1323, vinda do Havre na
barca franceza Coligm, cm 22, com quadros ltho-
graphicos, a Th. Qirisliansen.
OUo BohresUm embrulho sem numero, viudo
de Hamburgo no brgue inglez Proilieze, em 8 de
marco, ignora-se o contedo e a consignara).
P. PUm dito n. 73/'7 Mein idem, com amos-
tras, a Pbpps Brothers & C.
X. L tt CUm dito n. 1/2 idem idem, a Car-
valho Zrnha A C
K. & CUm dito n. 383, vindo de Antuerpia
no brgue inglez Aune Belte, em 13, amostras, a
Keller A- C.
" K. A L.Um dito sem numero, idem idem, ig-
oora-se o contedo o a consign icao.
5. L. A.Urna caixa s^m numero, rinda de Li-
verpool na barca ingleza Ftoting C. em 2 de
abril, amostras, a Henrique Wilmer.
Henry Wilmer.Um embrulho sera numero,
vindo do Havre na tarca franceza Solide, em 3
dem, ignora-se o contedo e a mnsignacao.
Diamante N. E.Um dito n. 56/60, vindo de Li-
verpool na btfea ingleza Levante, sntrada em 9
do dito nuz, idem idem.
P. 1\Um dito n. 68/72, idem idem dem.
Alfandega do Pernambuco, 22 de outubro de
1869.
O uspector interino,
Luiz de Carmlho Paes de Andrade.
. ra da M
i vantagens,..
-reo^^H^^Hhn >)c anuos.
ra cartas rechadas,
a sala'Arwas pretendentes-
examiuarem as obras i predio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de seieifcbro >48M.
O e-c'ivao,
Pedrtftodrtgue* de Souza.
Arrematapo
No da 27 do eorrente. depois da audiencia do
juizo municipal da 2* vara, ten .le se arrematar
em praca o engtnbo denominado Santo Andrc,
sito na freguezia (le Muribeca, com suas Ierras,
casas de vi venda, de porgar, do caldeira, sen/alia,
snas respectivas mattas, pastos, loeradouros e mais
pertences, com quatro casas em diferentes sitios
pertencentes a mesraa propnedade, por 40:000*,
por execno de Tiburcio Valeriano Baptista con-
tra o capitao Antonio de S Albu-Tiorquee outros,
? servao Santos.i
^mf^mmmmmmtmM^ggjgg^
Club Pernambucano
O concert de Annbal Rapoleao, annunciado
para odia 27 de outubro, Oca transiendo para o
da 3 de noveir.bro mpreterivelmente. O pro-
gramroa ser anteriormente aununciado.
AVISOS MARTIMOS.
-
COMPAIHIA
DAS
Messageries imperiales.
At o da 30 do corrento mez, espera-se do>
pnrtosdo sul o vapor francez amare, comsian-
dante Alassenche, o qual depois da demora do cos-
tuiner seguir para Brdeos, tobando em Dakci
(Gove) e Lisboa.
Para condugoes. fretes e passageirOS Irata-sc na
agencia ra do Commercio n. 9.
Para sciencia dos coiitribuintes das diversos im-
postas a cargo desta repartiejio, se faz publico
a portara do Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial abaxo mencionada.
O inspector da thesouraria provincial recom-
menda ao Sr. administrador do consulado a aspe*
dicao de suas ordena para qjie secobre os impos-
tes a carga de sua reparlcao, nao se dando tro-
co para pagamento de quamias inferiores a 100*
embora fleam parto de dbitos superiores, visto
que as sedulas de grande valor iuipossibihtam o
pagamento da despeza-quo cm grande pai te
de pequea Importancia.
Thesouraria provincial, 23 de outuhro de 1869.
Jos Pedro da Silva.
Mesa do consulado provincial, 25 de outubro
de 1869.
Antonio Carneiro Machado Rios.
Administrador.
DECLARACOES.
Perantc o Sr. juiz de paz do Io distrcto da
treguezia da Boa-Vista, se ha de arrematar no dia
30 do corrate, as ': h .ras da larde, diversos tras-
es e urna pequea p..rcao de lou^a, penhorados
Marianna Is .bel Janey.'por execucao de Antonio
Gomes da Silva.
6*000
16*000
20*000
844 103*836
MOVWialO DA ALFANDEGA
rolara*? entrados eem faxenda
dem dem com gneros SU
duzia I4M000
B 9G*000
kilog. 33
urna 6*000
du-ia 2*400
6*000
urna '1*000
> 3*500
par kilog. 16*000
50
x 320
08
16
molhos 1*000
kilog. 817
31
18
i 34
c 4*796
molhos 160
cento 2*800
kilog. 348
i> 10
c 2*043
par 800
kilog. 340
476
15200
i 204
cento 380
duzia 768
> 1*200
960
23 de outubro de
87:619*798
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimeuto do'da 1 a 2;
dem do dia 25
65:2675599
8:023*115
73:290*714
M0VIMENT0 DO PORTO.
Navios entrados no dia 25.
Mamanguape14 horas vapor, brasilero Manda-
h, de 222 toneladas, commandante JuIio_ Go-
mes da Silva, equipagen 14, carga algodao; a
Companbia Pernambncana;
Govanna48 horas, hiate brasileiro Probidade,
de 48 tooeJBjfas, capitao Manoel Marques da
Paciencia, antiipagem 5, carga assucar e cou-
ros, ao mesmo capitao.
Rio de Janeiro13 das, rpataeho hollandez Dirk
Heindrick, de 160 toneladas, capitao A. Prins,
eqnipagem 7, em lastro ; a Johnston PalerA C,
Aracalv10 das, hiate brasileiro Nova Esperan-
za, deS tonfla.hi8, capillo Jallas, eqoipagem
6. carga algodao e eutros gneros ; a Bartok.-
meu Lourenc".
Sowpthampton e portng intermedios15 dias, va-
pr inglez Douro, de 1,833 toneladas, comman-
dante w. W.ndevard, cqupagem 118, carga fa-
zendas e outros gneros ; a Adamson Howie
& C.
Nmdm JMidos no mesmo dia.
Rio da Prnta-4Hpa hollandeza Cito, capitao G.
L. B. Mori, carjBfassurar.
Portos do Iba*Vapor hrasletaBJrvzcit'0 do Sul?

Companhia americana c brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia, Io de novemhro : esperado dos por-
tos do sul o vapor americano Ncrth America,
qual depois da demora do costme, seguir para
New-York, Para c S. Thonia'; pm fretes e pas-
sagens, trata se com os agentes Uenry Forster
& C., ra do Commercio n. 8.
COMPANHIA PEKNA51CANA
DE
Vavega^o costclra por Tapor
Macei escalas e 'cnedo.
O vapor J.hj.iaribe, comman-
dante GnUbermo, ^e?uir para os
portosacmauo da 30 do eorrente
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 2", encommendas,
passageiros e dinheiro a frote al as 2 horas da
tardo do da da sabida : escriptorio no Forte do
Maltes n. 12.
A admD8tra$3o desta' Companhia vendo
que nenhum resultado tm prodtizido os
annuncios feitos no- jornans desta cidade
acerca do alrazo do recebimento do pro-
duelo do pennas l'agua declara ao publico
ter resolvido que taes pagamentos serao
feitos por trimestres, fazendo-so effectiva
a cobranca dentro o trinta dias do 2o se-
mestre, lindos quaes sera suspenso o f<>r-
necimento d'agua, nao se adinhtindo recla-
maroes
Declara mais aquellea senhores que se
acham atrazados que vai fezer effectiva a
(l.'iib 'racau i! cortar as prunas d'agua <
fazer a cobranca judicialmentecomo fin
annunciado no DiVin'o de Pernambuco de )
de abril do crrente anno.
Escriptorio da Companhia du Beberibe,
21 de outubro de 1869.
O sec oL-rio,
D r^Prxedes Gomes de Souza Pitanqa.
Para o Rio Grande do
Sul
Com a possivel brevidade pretende sabir para o
referido porto o briguc portuguez Adelina, rece!..-
carga a frete, para o que pode-se tratar com sen
consignatario David Ferreira Bailar, ra do
Brnrn n. 92.________________________________
Rio de Janeiro
Para o referido porto saliii com toda a brevi-
dade o lugar nacional Fi-aniU:-.: I, recebe carga
a frete : quem nelle quizer carrejar pode enlen-
der-se com o sen consignatario David Ferreira
Rallar, rna do Brum n. 92, ou m o capito do
dito naTio.__________________ ____________
COMPANHIA PEKNAAMBUCANA
DE
.laTega^o costclra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, "Mossor, Ara-
caty, Cear, AcaYacrj e Granja.
**>. o vapor Ipojuc, commandante
\AJL Meara, seguir para**, os 'portos
xtk-'mi aeima uo dia 30 do orreote ano horas
la tarde, liecebe carga at o dia 29 encom-
nendas.e passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da tarde do dia da sabida no escripto-
rio no Forte do Maltas n. 12.
--anta Casa da Misericordia d<>
Kecife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Rectfc manda fazer publico que na
sala de sua* sessoes, no dia 28 de outuhro, pela.-
matro horas da tarde, tem de ser arrematadas
iuem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
i tres annos, as rendas dos precios em seguida de-
clarados :
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anno 2i|600
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 10 ................ 1465000
dem n. 98........................ 203*000
dem n. 90......................., 202*000
Sitio n. 3 no Forno da Cak.......... 1301000
Os pretendentes deyerJio apresentar no acto da
arromatagao as suas Bancas, ou comparocerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re
cife, 4 de outubro de 1869.
O cscrivao,
Pedro Rodrigues drSmiza
~Iaspeceo do arsenal do
inarinha.
Faz-so publico que a coramissao de peritos,
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 3 de fevereiro de
1834, os cascos, machinas, caldeiras, apparelhos,
mastreac5cs, velames, amarras e ancoras dos va-
pores Ipojuca da companhnPJernambucanadena-
vegacao c,mleira,Camaragibe c Moleque da compa-
nhia Vigilante de reboque, achou todos esses ob-
jectos em estado do poderem os vapores continuar
no servico em que se empregnm.
Inspeccjio do arsenal de marinha de Pernambu-
co 23 de outubro de 1869.
O inspector,
H. A. Birbesade Almeida.
m
Paquetes
'W'IIU BRASILEliLl
DE
a vapor.
Santa Casa de Misericordia
du Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife. na sala de suas s"sses,
e pelas 4 horas da tarde do dia 21 do eorrente, ar-
renda pelo t3mpo do um a tres annos o terreno
nue posw o patrimoniodo3 orphaos, na eslrada
de Aana-Fria sob n. o qual divido com os sitios
de D. Jlaria Rita da Cruz Neves, e o dos herdei -
ros de Henrique'Gibson, pela quantia de 240*000
annuacs, pagando mais 400* pe* malta que all
existe.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 22 de ootnbro de 1869.
O escrivao,
U2L
Dos porl-. -; -o norte esperad' >
at o dia 28 do Brrente o vapor
Paran, commandanle J. S. Mo-
racs. o qual dpois da demora
do costunw- sr^uir para os
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
^rga que o vapor poder oonduzir, a qual devera
*er embarcada no da do sua eL< -].ida. Kncommen-
las e dinheiro a frete al as dos horas do dia d3
'ua sahida.
Nao so recebem como eneominendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que r.-o excedam a i
robas Je peso on8 palmos cbicos de medi-
?ao. .
Tudo que passar destes u:.itos devera ser
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passaaeirr^ -jne suas passa-
l" andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira.
Azevedo A C.
COMPANHIA PERIAMBCANA
DE
.Vavegaco costelra por vapor.
Fernando.
O vapor Cortm
Silva seguir para?
__dia 6 de novemhro
be carga at o dia S, encomm.1
dinheiro ,v*etes, at as 10 '
hida ; no escriptorio de Fort i
&
commandante
rto cima n.
io dia Recc-
ssageiros n
dia da sa-
tos n. 12
COMPANHIA PERNAMi
DE
Navcgaco costara por vapor
Goyanna.
O vapor Parahyba, commandante Mello, segui-
r para o porto cima, no dia i i do eorrente, s 9
horas da noile. Recebe carga, encommendas, pas-
sageiros o dinheiro fretos w escriplorio do
Forte do Mallos n 12.__________________\
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Navegagdo costara por vapor.
Porto de Galknhas, Rio Formse e Taraan-
dar.
O vapor Parahyba, coimnan J.,nto Mello, seguii .*
para os portos cima no dia 31 do corrento, '
meia note. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros, e dinheiro a fretes no escriplorio do Forte do
Matt s n. 12.
BAHA
O palhabote Garibaldi, capitio Custodio Ju
Vianna : a tratar c im Tasso Irmos.
Para o Porto '
segu om btvidado a velefra o nova barca por-
tugueza IiHm i para carga c paiwgeiros, para,
oa qoaes ten exccllentes commodoa, trata-se
itonio Luiz de Weira Awvc-
57, 1^ andar.
fO 0 inspector inv
doBec
)U administrativa da Sal
^Kdia do Mee* predaa co^H
jncarrefarelaaarastw
a PORTO
^^H, possivel brevidade o Battial.
; tem parte da carga tratada, -



David
o capitiio .1
Outubro _e ,1869.

LBLOES.
lSTULTO AltCHSet06IC0 B 0Gt\flHC0
Hawra i quinta-feirn 28
do corrento outubro, pelas II horas da
manhaa.
ORDEM DO DA
e mais trabalhos de commis-
Gabinete Portuguez de Leifora
EM
chrUaes

do
rua
Em continuadlo.
A 26 do corrcnto
DE
Loocas, porcellanas, vidros o
bem sortido estabslecimeto sito
da Cadea n. 6. ,....,
O agente OKveira continuara o tettl
..ionads irtigos supromenetooaaos
,nndl' IIOJE.
As 10 boros da maooS, 'no indicado estabcle-
lllOntO.
Pareceres
s5es.
Secretaria
de 1809.
do Instituto, 25 de outubro
Jos Soares de Azcvedo,
Secretario perpetuo.
men-
e presos com-
O abaixo assignado previne ans herdeiros
da fallecida D. Joanna Facunda Prente do Uno
e a quem mais interosssar possa que o sitio da
mesma finada, no lugar do Barro, freguczia dos
Atropados e~t sujeito ao pagamento das despe-
zas do enterro e mais debito.
Hecife 26 de outubro do-18G9.
Jos Antonio Fernandos Fradique.
AO
15 barrlscommaDeljalnglea
HOJE
publico.
irmandade
Nos^a
Nossa
Antonio
o agente Pestaa tara tedio por tonta e risco
de quem pftteocor, de IS barrw coro mante.gam-
t sabida bootem da alfarotega, em I no mata
Jotes a vontodc dos licitantes; Meso II hora da
manida no armazom defronte iraKandega._____
Tendo a commissao da irmandade do
Senbora da Boa luxa erecta na igreja de
Senbora > osario do bairr do Santo
de festejar sua excelsa padroeira no da 1/ ou 24
de outubro, como se tinlia marcado, acixanao. ae
fazerse a dita festa por motivos justos ficando
nara nuando fdr annunciado. _.__.
' (ion-i torio da commissao de N^sa Seubora
da Boa Hora 2i de outubro toB
O esenvao interino,
Jos trineo Itodrigncs da Annunctocao^_
PRItWlBlCO
A cjmmissao central, cncarregada dos toteas
do 1- anniversario do GabinetePortaamid.Le-
tura o uual dove ter lugar no da 31 do coi rento,
assim como d. Te-Deum, que. em*
dos a anos de S. M. F. o Sr. D Lula IVtem de
mandar celebrar nesse mesmo da, nai matnde
Santo Antonio, convida a todos os senhoresocos
effect vos, que foram nomeados para as eorain-
soe* de deeeracao e recepcao a reun.rem-se nos
saloe* da biblioteca no dia 27 do corrente as. 0
horas Ja tarde, afim de se deliberar o que for mais
conveniente. _.
Secretaria da commissao central aos 25 de ou
tnbro de 1869.^^ ^ ^ ^^ Ycras
Secretario.
Deordem da directora scientilica-e a todos os
enhores associado*, que tendo-se do proceder a
decorarlo dos saldes do Gabinele para solemnisa-
cao co 18* anniversario de abertura, tica suspenso
o expediente desde o dia 27 do corrente at o da
4 do vindouro mez inclusive : roga-se, pois, aos
senhores associados o obsequio de recomerem ao
Gabinete as obras pertencentes ao irosuio.jroe u-
verem em seu poder, as quaes se reeeberao al o
dl Secretaria da directora do Gabinete Portuguez
de Leitura em Pernambuco 21 de oumbro de
l869' Joaquim Xavier Vieira Ligo,
l secretario. ____
CASA BA Wlffltt
Aos 4:0001
Bilhetes garantidos
k roa do Crespo n.23 e c "oston
O abaixo asaignado, tendo ve m de on-
trassoflos, utn inteiro n. 4472 com PfQO da o-
uiria que se acabou de exirahir a beneficio da
Santa Gasa de Misericordia (!23-)j convida aos
possuidores virem recebor, na conformidade 80
costume sem descont algnm
Acham-se a venda os bilhetos da 2' parte da
lotera, beneffcio da matriz de Nossa Senbora da
Ponha do Gamefleira (124"), quo se extramro se-
gunda-feita 2J' do-corrente mez.
Preces.
Os do costume.
Manoel Martins Fiuza
CA8 A FK.
Aos ftflOO^OOO.
Bilbtesdo No a 'venda : ruad
vondo Vieira & Rodrigues.
Mi
Precisase do moa-ama ime saiba benm*-
nharpara casa rte-familia : no Corredor uoe-
pon 2.1 ___
oias
Mofina!
! f f

lEmPREST'lmO SOBRE
Ama. i
Precisase de urna ama para todo o servico-de |
urna s poss a : na rrm da Gonceieao n. 7. ____
CAPLLAS
PARA F1WA
Na rua estreita do Rosario n. 3J tcm capellas
de cravos e do saudades, proprias para o da de
Uado, c faz-se tambera do perpetuas, sendo n-
comm ndadas tres dias antes,, tudo por mmto ba-
rato preeo.
por
tas

Musen de
oicau
na roadelor-
100
DK
caisas com
li^-os novos.
\s 11 limas da mamola no mrsnwarmazem, o
note Pestaa por conia e risco de qoem porten,
cc, vender m Icilio 100 caixa3 com cxcellentcs
figOS ROVOS.
linio
DE
Fardos coni rolhas.
HtWE. .
O agonto Pestaa para liquidar, vender cm ie.-
lao saccas com excefientes reinas, e serao ^ndi-
das por conta c risco de qnem pertence. as ii
horas da manilla de boje no armazem defronte da
jlfandrua.
Muamos a altenco do Illm. Sr. Dr. director
da obras publicas, para o estad) lastimoso em
Su, se acha a estrada de OI i..da, comprel.e di-
do enire a ponte dos Arrendados o a da Taca-
runa, visto que a nao se fazer ja os reparosi que
precisa, rotulo breve licar ero pe.or es ado do
que es e intransilavel, perdido con este aban-
dono o governo com grave prejuizo dos morado-
res a'alli. Isto pede
Uro nlmdf nsc
_ Contina ainda andar fgido desde o dia 13
de abril ultimo o escravo Ubaldo, molato oro,
com ulade do 24 annos, o mesmo annunc.ado no
Jonm/ do Hecife de 9 do se.embro ultimo,j ob os
os 207, 203 o 209, e sens signaos sao os segu n-
toS lem quasi no alto da caboca junto da orellia
direita duas cicalrizes de apostemas 'lue.cstao es-
condidas dos cabellos, o por isso que nao os cor-
ta; da mesma forma oulras dms nn canela es-
querda jnnto a bocal da calca, mbas do vnIgo de
dez ris novo, mais ootras duas anda mais pe-
quenas, urna na cabeca do oy g ******
n direito, c mitra no do esquerdo, olhando urna
para a oulra, tem mais urna costura d
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na rua
Nova n. 61,1 andar. ..________________
Amas
atra-
Precisa-sc de duas amas, urna para lavar e en-
aommar c mitra para cozinhar c comprar para
easa de pnnea familia, prefere-se escravas
tar na nv do Imperador n. 17. 2 andar.
"Z. a irmandade das almas da matriz de Santo
Antonio precisa de um capellao para celebrar as
missas da madrugada nos domingo o das san-
ios, a comecar no 1. de novembro prximo o
Kvd Sr. sacerdote qne se quizer encarregar des a
capellana queira ter a bondade do entender-se
com o Itvd. Sr. vigario, na m3tnz. ...
Consistorio da irmandade 23 de outubro de
1869' O scrivo
Manoel Camello Pessoa.
(SEM LIMITE.)
Iravessa da rua |
das Cnizcs n, 2, pri- I
meiro andar, da-se qual- g
quer qnantia sobre onro, s
prata e podras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condigoes de ga-
rantir a transaeco que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e considerarlo s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
AosSrs.professores
homo&paticos
duas casas ierre,
do rio, recommen
na rua do Vigario n. 31.
^lluqnm-sc
a margen
' a tralaj
Casa para alugar
uga-'e paca passar a festa ou n ladeira da Misericordia, em Olinda, com 3
Paris para seu
o Weber, dro-
al-
talbo
Aluga-se
urna casa com 4 qnartos, 2 salas, e coznba no
Mnteiro junto ao rio : a tratar no largo da al
fandega n. 2.
Precisa-se de um criado para todo servido
de hotel, paga-so bem, prctere-se escravo : a tra-
tar na rua estreita &> Rosario n. 11, hotel Lisdo
nense._______________________
Di:
1,307 l.'oiL's de lotica vidrada
Hoje.
O mote Pecana far leilao do 1,367 bojoes do
|,.ua vidreda proprioe para as vendas serao o-
ffl m um ou mais lotos, hoje no armazem do
Anuos as U horas da mcnliaa.
~ Precisa-se de um caixeiro para taberna com
pratica ou sem ella, dando fiador a sua condu
a Iralar na rua do Hospicio n. a
26.
Do 80 baixas com figos novos.
Hule a? 10 horas da manhaa.
U aconte Pestaa far leilao de 80 caixas com
Utos por conta 8 risco do quero pertcncor c serao
vendidas em um ou mais lotos, hoje 00 armazem
la viuva do Paula Lopes d.'irouto da escadinha
da aifandega._______________________________
LILAO
isa taberna de fos Joaqun
. Dia. s rua da Cosa-Forte.
O a-ente Pontual. vender em leilo, por man-
dado do Ulna. Sr. Dr. juiz do coromercio, a arma-
v.io c gneros da taberna cima.
Quarta-leira 27 do corrente.
Na mesma taberna dever ser effectuado o
l;\o as 0 1|2 horas do dia.
or todos bem conhecidos, porque alm de terem
Cello frangido, como se tivera sido queimados,
n d Los o'dedo mnimo do p d.re.to,edo
esquerdo a melado, scudo que as unhasdos ou-
S dedos sio, alero de serem bastante ca ai
chicadas, sao faxiadas, tudo proveniente de de-
ms ada ni antidado de bichos que teve em peque-
nTat dado de 18 annos. tem cabellos preto e
solios, estatura gigantada, coroo secco, rosto con-
Pr do beicos dobrados, denles rfesie******;
riz afilado, olhos protos, grandes e bonitos palpe-
bras compridas e grossas, sobranceras nretas o
arqueadas, pescoco bastante compr.do nao tero
Minal signal de barba mais do que a do bu jo, e
bem fallante, fuma e apaixonado das musiLas 6
boro cozinheiro e copeiro de M^jnlilniM
bem de pedreiro, bolea c entende de remar, conc-
ia ter conhecimento de alguma leitura, responde
o que se Iho pergunta, tanto cm francez como em
inglez, o que mais cominum
Aluga-se
por um anno, ou somentc para passar a Testa, um
sitio com casa de grandes commodos para fanuna,
tendo a vantagem de o rio passar pelo fundo do
itio. em Bebenbe (porto da Madeira): a tratar na
rua da Cadea do Recife n. 56, ou na rua do Quei-
mado, loja n. 11. *_________________
Alu_a-se
nma casa em Beberibe : a tratar com J. I. do M.
Reg, rua doXbmmcrcio n. 34. ______
Attenqao.
Da-se dinheiro a juros
se dir as condicoes-
na rua da Palma n. 57
Urna pessoa mandando vir do
uso, da pharmacia do Cnltelan
gas e objectos homeopticos, succedeu virem
imns sohreselentes, por isso dispoe-sc a sede-Ios
mediante a um pequeo glibo sobre os juros do
dinheiro, vinJo a vende-los mmto em cont
Ascvera-se serem preparados com lodo o esme-
ro e cuidado, afim do produzirem os efTeites ese-
lados na* molestias qiw se apolicar, pois foi man-
dado* vir de proposito : taes sai. ditos medicamen-
tos leudo a grande vantagem de serem nao se cni-
dadosamento preparados, como oovos, e vrodo
nesia recente viagem do vapor Jararre.
Una pharmacia com 150 tubos dos principes
medicamentos.
Urna dita de 125 frascos com tintura niatre.
Urna dita de 150 frascos com tintura na dena-
mlsacac que lem produzido effeitns marayilbows.
Glbulos saccarinos inertes de superior qua-
1 i il tii*
Alcool de 95, c 60 0/0, encommenda especial
para linturaca.
Tubos sonidos para glbulos com rolhas
Rolhas de cortica do primeira quahdado para
fracos e tubos.
Vcnladeira rnica montana em tintura matre,
vinda directamente da Suissa
Jaultas de arelos, especiabdade no-te genero.
Fracos sonidos com rottia a esmeril e sem ellas,
recommondaveis por serem viudos da pharmacia
hommpathica. ^ ^.
Urna rica carteira cinirgica para algibcira com
lodos os ferros do melhor fabricante, contend.
mais de 36 ferros, lancetas, agulhas, etc.. argulhas
o oinas de prata fiia.reeommendavcl pela sua es-
pccialidade. Ver o tratar a rua dos Ossos, onde
esta o hospital do Santo Thcreza, casa ns. 22 e
i\, a qnalipier hora
ala* 5 qnartos, cozinba forn, tci
tn< de pedra o ral, na frente c airaz, e b>m quin-
tal cercado : a tratar no largo do T>reo n. ti
()> abaixo assignados pravinem ao respeiU-
vel corpo do commercio e qncm possa roteres-
-ar ooe tendo-so desencaminhado do seu poder
urna lei'ira de rs. 1:211-026, seu sagoo, aoceWa
de Antonio Rastos Pinto, de f.i.yauna, e garantida
por um negociante d'csta praca, a vencer-se era
25 do corrente, que nao fawm coro ella tramac-
eio alguma, visto que s elles saccadores leem di-
reiio ao recebimento da referidr lettra.
Recife, 22 de outubro do 1869.
Barbota & C.
Attenpao
Precisa-se de urna criada para casa de familia,
qne cozinhc bem e engorrone, cuja rnula consiste
ero quatro pessoas : quero pretender dinja-se *
rua Augusta n. 96, sobrado. Na mesma casa pre-
cisa-se de um menino para criado.____________
Precisa-se de una ama para comprar e co-
zinhar para ea Q ieiinadi n. 23J____________________________.,
MSICA
A abaixo assignada. da companhia lyrica, tem a
honra de avisar aos respeitaveis senhores que gos-
tam da boa msica, que receben una porreo dos
mais atamados autores tbanos, para piano a
dua* e quatro mos, para cantona, para qualuuer
instrumento, n tambero msica para igreja, da-se
milito em cunta por a pessoa querer se retirar .
as nessoas uno qnizerem ter a honra oe visitr,
dirijam-se a rua Bella n. 25, das 9 horas da ma-
nhaa al as 4 da larde, qne acharan com qnem
tratar. Tambero cncarrega-se de copiar, trans-
portar e arranjar qualqner musir para orehes-
tra o banda militar.
Anna Albinnla.
- Cosiuheiro
Aluga-se um excellente cozinheiro c um bom
nfcial decarapina : na rua Direita n. 21, prroiei-
ro andar.________________________
de urna casa se
praticar^prque'j'fra criado.de ambos Este es
cravo pertence ao mosteiro do Carino de Ol.nda,
her-
, Aluga-se
urna escrava que saiba perfeitamente engommar e
cozinhar : na ras Aagusta n. 69, pagase bem.
lei-
Xalnporianelade40:_l*l&0
rls
Quarta-feira 3 de novembro de 1809.
do
O agente Pinto levar leilao, h II horas
ia cima dito, por autorisacao do liqmdatano da
.xtincta tirina do Sootbat Mellors &. as di idas,
na importancia de W:W7*loO rs., sendo.
;il87s.'110rs. do conrormidad; cora o mandado
de'pMihora contra J. de Siqoeira Ferrao, e......
VH9_8M> rs. do conformi lade com dous roanda-
dos contra A, Piulo de Lomos ; o leilao sera
offectoadq no dia cima dito, no esenptono do
referido agcnti^rua da Cruzn. 38._____________
1EL/V0
DA
Armaqao e gneros existentes na
taberna sita rua Imperial n.
181, em diversos lotes.
0 agente Pontual competentemente autorisado
pelo Illm. Sr. Dr. jui municipal de residios e ca-
pellas, vender ora loilaj a arraacio e gneros da
taberna acinia, sendo o lilao em diversos lotes ,
iiotando-se que a taberna actaa so bein sortida c
os gneros sao todos novos.
Quinta-feira 28 do corrente
O leilao dever ter lugar na mesma taberna as
10 horas.
que foi reivindicado em 1863, do poder dos
eiros do finado coronel Jos Claudu.o Le.le q e
ropposto nao conste elles llie tenba.n l^miUJdo
apuio todava o escravo ja beodo das providen-
cias para o tiro de sua captura, consta por alguem
elle ter ido na procura da protoccao de uro dos
filhos bastardos do refrrido coronel que o mora-
dor entre a villa do Bonito o colonia de Leopoldina,
de nome Sipiao Leile, pois foram wtados joirtos
e o escravo presumo ser irmao do duo por pane
paterna. Consta mais quo este escravo segu fe o
caininho de ierro, e como nao tenba pressa nesla
riasm, val passaudo as diversas estaces, como
seja na villa do Cabo, onde consta ter sido encon-
trado, Escada, Gamelcira, a chegar cm loa, lw-
vendo certeza delie se demorar mais na Gamclei-
ra norque ahi mora a mai do dito _ipiao,_ do no-
me Calharina Francisca Bezerra, conhecida por
CatiU, porque foi quero o criou, alem do que ja
fra tirado do podtr della urna escrava perU;neen:
te ao patrimonio de Olinda, e o mesmo Sipiao ja
de urna vez quiz seduzir da estacao daqui uro
utro escravo. Porlanto roga-se as autoridades
de taes logares queiram usar das suas acostuma-
da iusticas e enrgicas providencias pera o hm
dPstacBpiurac.au: e do igual forma se recommen-
da aos Srs ca pitaes de guernlhas facam .-s mes-
mas averiguacoes, que de seus trabalhos serao
cenerosamente recompensados, logo que fream
entrega do escravo ou no convento do (.armo do
Recite ou ao de Olinda, d'onde 6 elle pertencente
H .i \\ TJ
Ama
Precisa-sc de urna ama Torra ou captiva que
sirva para engommar e lavar para duas pessoas:
na rua das Cruzcs n. 7.______________________
CASA FELIZ
Aos 20:000i lolo Recife arco da Concelco n. a
Os aboixo assignados tendo-se habilitado na
forma das leis, tem exposto a venda os seus Mi-
re, bilhetes das loteras do Rio de Jane.ro; na casa
acima.aondesepagaraoas sortes que sahirem
nos mesmos bilhetes, com o descomo somente
da le'- PRECOS.
Bilhete inteiro 21-1000
Meios I2500
Quartos 65000
E de 1005 para cima a 225 o bilhete.
Fieueiredo & Leitc-
Precisa-so alugar una escrava para engom-
mar e cosinhar : tratar rua da Cadea n. A\
segundo andar._____________________________;
Precisa-se do urna ama do leitc sem llino :
no pateo de S. Pedro n. 3.____________________
Precisa-se de n na ama
rua da Lingoela n. 4.
par
cozinhar : na
m
AMA
Precia-se do urna ama livre ou mesmo escrava,
que cozinhc com peru-irao o diario de urna casa,
e que afiance sua conducta : a tratar na na do
Vigario n. 5, 3" andar._____________________
Precisa-sc de aro caixeiro para padaria, que
tenha pratiea da mesma e afiance sua conducta :
na rua da Senza-velha n. 8^_________________
Precisase de urna ama de meia idade paragra-
tar da casa de urna pessoa: na rua da Roda n.
46, Io andar. _________,--------,
ArmaoitO de tmulos e cata-
cumbas.
Na rua do Imperador n. 9, coxeira de
carros fnebres, ha urna pessoa que se en-
carrega do armar, e dar os necessanos
arranjos para o dia 2 de novembro, da de
finados, armando catacumbas e jazigos,
tud< por prego commodo.________
Aluga-sc para a festa urna casa no Poco e
rua do Rio, com commodos para familia : na rua
de Hortas, sobrado n.48.__________________
e o se-
- Aluga-se urna sala com i quartos,
gundo andar da rua do Imperador n. /o : a tratar
no mesmo andar.
Aluga-se o sitio do Caldcireiro junto a casa
e sitio do Illm. Sr. Dr. Alcoforado, pelo lempo de
festa tein bastantes fructeiras, baixa com cap.m.
asa'boae pintada, tombo no fundo do sitm pro
rere-se pessoa que se a soltera ou que tenha pou
caramilia: quero pretender dinja-so ac.me mo
sitio, ou ao escriptono do-Illm. Sr. ur. aic-
fo'rado.
-IHJfiBlJ
Furtaramna noile de 21 para deste mez,
das 11 horas s 3. de sobre urna carrera qne so
achava dentro do porlao da casa n. I da rua
UealdoManguinbo,um tab de f-dta P'-todo de
escuro, coro o fundo de madeira d amarello de
cinco palmos de comprido, para mais, che.ci de
roupa quasi toda de senbora, sendo : salas lisas e
bordadas, camisas enfeitadas con, rendas pregas
o bordados; vestidos differentes, e entre elle? a -
gnns por acabar c outros em corte loncos de labr-
finthoVe bordados; alguma roupa demeninoenm
bahusinho de tartaruga com algumas j.oas.eou ros
objectos que nao lembra-me na oecaMao..--orna
cadclra do mogno, o alguma roupa que eslava
emjima trxa da qual escolhera.n a n eltar. De
nuasi todos os objectos furtados haem casa iguaes.
1869.
Na rua do Livramento n. 6, precisa-se de urna
ama quo seja perita cozroheira, para casa de ho-
mem sol le i ro.___________________________ -
Cozinheiro.
Na rua larga do Rosario n. \\ precisa-se de um
hbil cozinheiro.____________________________
' Precisa-se do una ama forra ou escrava
nara casa do urna familia, que saiba cozinhar e
comprar, lavare engommar : na rua Augusta nu-
mero 49.______
" Notas das caixas filiaes do banco do Brasil,
irocam-se com mdico descont, na loja de Manoel
Soares Pinheiro, prac.a da Independencia n. 22-
Attenpo
precisa-se de um caixeiro na taberna da rua da
Soledade n. 46.______(______________________
Nicomedes Maria Freir, embarra para o Rio
do Janeiro e sua escrava de nome Marciam^^
'^Ty^^^^Sr&KsMAaterWxto; para a
loja na rua da Lingota n. 14 do Mr. Banr-r.
Quem quizer vender ama escrava muga, que
alba lavar, cosinhar e engomar, annuncie, que
ha quem chegue por ella o melhor prego._______
Nesta typographia se dir quero vende um
molcquo de 17 a 19 annos de idad, sem vicios
nem achaques, e proprio para criado e para ser-
vico do campo; assim como urna negra
Mudanza.
O Dr. Francisco de Paula Soares, me-
dico, mudou-se das Cinco Pontos para a
rua Augusta, sobrado n. 116.
22 de outubro de
Precisa-so de urna ama de letle : a tratar
no sobrado da rua das Cruzes n. 9, loja.________
Precisa-se de urna ama para o serviop de
duas pessoas : na rua Augusta n. 74.
" Precisa-se de uro caixeiro que tenha pratica
de taberna : na rua do Brum n. 65.____________
Precisa-so do urna ama para cozinhar e com-
prar : na rua de Hortas n. 1.
"_ Ainda estar por alugar o sitio ja auuuociado
nos Remedios, com bons banhos. cuja casa al m
"omuito fresca, tero nutras condiccoes agradave.s
asessoas quequerem commodo e libertado na
rua da Honcorda.armazem de matenaes
do 45
Aos 20:000^000
CASA DAFELICIDADE
--Praca da ludeieadeucla-
Veras & Barbedo tem exposto a venda os
seos felizes bilhetes da 16.' lotera da casa de de-
tencao (130-) cujas listas sao esperadas ale o da
30 do corrente. ,.,, _. _
Os mesmos cima venderam o bilhete inteiroi o.
785 premiado com 10:0005000 e o dito n. 12
coro 8005000 ambos da 298' loteriae bem assim
diversas sortes de 2005000 c 1005000da 29/ as
quaes podem os possuidores dos referidos bilhe-
tes vir receber na casa cima.
Precos :Inteiros.. 2**000
K Meios... 125000
Quartos. 65000
E em quantidade maior de 1005000 na razao
do 225000 por bilhete.
annos, porin forte, sadia, e boa cosinluira, pti-
ma eneomadeira, tambero sem vicio.
_ Manoel Barbosa Bibeiro Taz sciente ao res-
ncilavel publico e com especialidade ao corpo do
commercio. que na presento data vendeu ao Sr.
Francisco Goncalves Bastos c Sa, o seo armazem
de seeros sito roa da Madre dcDes n. 12, li-
vre e desembaracado do dbitos e de qualquer
onus. Recife 2: de outubro de 1869._________
AVISO
Ro"a-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello, es-1
crvio da cidade de Nazareth dcsta provincia o
ravor de no praso de 15 dias vir ou mandar a rua
do Imperador n. 18, para concluir aquello mjocto
que ha quatro annos ja foi por este mesmo jornal
chamado para o concluir, e nufaccudmdo aquel-
lo annuncio asseverou reahsa-lo cm 30 das, c du
novo esquecea-sc delle I O annunmntc espera qne
0S oXiymsora de vir anda ao prelo para este
Ora mas se for a isto obrigado por S S. sera pre-
ciso tortear a razio deste chamado que parece ao
^gjgni^the nao ficar airosa tal pnbhcacao.
AMA .,
Precisa-se de urna ama quo saiba cosinhar: na
iravessa dos Pires n. 20 sitio do Jenquit..
Antonio da Costa Mello tendo de re rar-se para
a Europa, pretende vender sua nadara e.. asa,
ue tcm no povoado dos Montes, l.vrc e desemba.
recada, propriapara algnm principiante. Tambe
se-faz negocio a preso : a tratar coro o mesmo
AMA
Precisa-se de urna ama para todo ^rode
nma casa de hornero soltoiro : na praca da Boa-
vista n. 7. segundo andar._____________________
Cozinheiro.
Precisa-sc de um com algnma pratica de casa
ac ,)ai;to : narua Velha de Santa ttilajKj.____
Toda attn^ao.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite
Hospicio n. 38.______
na rua do
Aluga-se urna casa na Capunga coro com-
modos para familia : a tratar no mesmo lugar,
rua dss Crioulas n. 5.
daStva |ulher
e filhos, mandam celebrar no dia qutnta-feira 28
corrente. das 6 7 horas da manhaa na matriz
da Boa-Vista algnmas missas, por alma do sen
finado filho Secundiano Jos da Silva Guimaraes,
1 anniversario de seu falecimento, convida uois
aos seus prenles o amigos, a comparecerem a
osle acto de caridade, que Ihes serao gratos
Pedra finas de raarmore, lijlos
para li ni par faca3 e enxofre.
A 28 do corrente.
O agente Oliveira rara leilao por conta c risco
do quera pertencer, de cerca do 82 pedras tinas
de marmore grandes e pequeas e ontras e01""
pridas inclnsive 27 soleiras. e de 8 pedacos de
pranches, 17 barrios de tijolos para hmpar facas
o 10 barricas de enxofre.
Quinta-feira 28 di corrente,
s 11 horas da manhaa em ponto, no trapiche Ito-
rao do Livramento. no Forte du Mallos._________
LEIliO
DE
Missas em sufragio de D. rsula
Paulina das Virgen
Antonio Climaco Moreira Temporal, convida a
todos os senhores sacerdotes, regulares e seculares
para celebrarem na quarla reir 27 do corrente ,
urna raissa, e responso pela alma de sua finada
me. como anniversario de sen passamento no
convento do Carino, das 6 horas em diante, rece-
bendo ahi a esmola de 3*000, sendo que o res-
ponso seja sob o tmulo da mesma.
Frei Ludgcro do.Santissimo Nome de Mam,
convida aus* seus prenles e amigos o os do na-
do sen tio e padrinho Andr Alvos da F^seca,
para asalstirem a missa do stimo da que lera
Ingar na igreja do convento de S. Francisco n
dia quarta feira 27 do corrente pelas
manhaa.
AMA
Precisa-se de urna ama para todo servico de
urna senhora : oa rua de S Bom Jess das Crem-
as n. 8.___________________
ma.
Precisa-se do urna ama para comprar
nhar para urna pessoa : na rua
rio n. 2, 2o andar.
e coa-
estreita do Rosa-
7 horas da
ATTENCAO
do
O agente Marios ar V.iao por despach
llim Sr Dr. juis de orphJws, de madapoloes,
rMu cambraiaA,algdaozinho, por5o de roupa
p":..,d. calcas^camisas, cetele easemira
! ,|ei,riro, jaquetasdedite i
pi'lleni
ios da P.nriuofuli
J Q.nto-I l,rente* .<
ero da rua d, i
i
l mandade das almas na ma-
triz de Santo Antonio
De ordem do Sr. ioiz sao convidados todos os
irma.>s desta irmandade tiara se rnunirem em roe-
Aluga-se por festa ou p>-lo lempo que conven-
conar-se, urna boacasa e mobilhada, napovoaQao
de Beberibe, com banbo Bo rio perto de casa:
qoera pretender dirija-se ao andar do sobrado
n. 2 da rua do Queiroado, das 9 horas da manhaa
s 5 da urde. _______________
Precisase de urna ama que saiba cozinhar
bem para casa de homem solteiro : a tratar na
rua Imperial n. 41 ---------
Na pharmacia do Pinto rna
Larga do Eosario n. 1.0
jnnto ao quratel de poli-
ca.
A'bam-se constantemente prompfs a|
serem satisfeitas, as prescripcocs dos Srs
facultativos, e as necess.dades dos enfer-
mos, as especialidades da mesma pharma-
cia, composta de medicamentos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros. ^
Tosse e molestias do
peito
Xaropes de fedeg.-o, rabo de tat,
Agrio, pao Cardozo.osc, mulung, mu-
| tamba, etc., etc., ja
Eheumatismo emoles-
tas syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilba
do Pai, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de sicopira.
Doencas do ligado c
ma, oDilacfto,
ntcm desappareceu da prensa da trave^a do
arsenal de guera n. 3, um molequo do cor de
S Wade 10 annos pouco mais ou menos,
nemas finas, cabellos caraplnl.os, vcsiido de ca-
mue serou a de algodao branco, e diz ser forro.
Se" ou ba o o dias do serfao, sendo de presumir
achr-se aqu na cidade, ou ter procurado vol
iar quem o approhender, traga-o ao mesmo
ponto, que ser recompensado.________________
~_rMims-so urna casa na iravessa do Peixoto n-
f,8 com Sanarlos. 2salas, cozinba fora quintal
mradie Simba: a tratar na rua da Concordia
n. 152, taberna._______________i------------
Sabo de alcatrao
Para curar as molestia* la pelle
taes coroo empingens, darthros, sarnas, comichees
e, mais molestias de pelle, sem occas.onar acciden-
tes ; desfaz as manchas do corpo, pannos, sardas,
restabelece a cor natural, quanto a cutis,, sesre,
dasra0,eSlM"SS DEPOSITO a. ,
Botica do Pinto, rua larga do Rosario n. 10, junto
ao qnartcl de polica.__________
AVISO .
Ouom qnizer alugar o segundo andar do subra-
,n Wsitorua da Cadeia do Recife, o qual
est perfeitamente pintado, forrado *PMe;
teirado, tendo alem di>to gaz *rija-se ao esenpto
x\q da wmpanbia Pernambucana. no burle
Mallo, n. 12. qne ahi achar^cjmij^njMtar^
-_Tol^a_entro do Sg^!
joao Vignes, convida aos devedores do tinado
satdarero ses dbitos amigaye.menle.do centrare
serao ajuizados sero excepcao algnma.
110
111
O Sr Manoel de Souza Pereira (conhecido por
Manoe Sboclo) tem justo e contratado.o co-upra
das tres narlos do sobrado sito a rua da una _n.
Aluga-so para passar a testo ama boa casa na
povoado do Monttiro cora saluda para o no a
tratar na rna Nova n. 4->, Ia andar.____________
SEGUROS
MARTIMOS
, an-
ete.
Emplasto, oleo, pommada. tintura, p-
vinho da milagrosa Joru-
wnd nartrtlMtfM a0 csn,)li0 de llidoro d0* An' sa i"1 no ^Pect'vo consistorio pelas 4 horas da
1 a P,o ciimeuto. Ltarde do dia 28 d. corrente quinto feira afim de
"como deleimina a secr^a.. 1.' capitulo 3. do cmn-
nromissi, eleger->o a moa reged ira. que tem de
servir no foluro anno de iR6*9 1870
i/.nsif.orio da IrmaniJaile IS de outubro de
AVISO
tolas, xarope e
Mes ou febres intermitentes
As pilulas, anti-periodicas de Pinto.
nico deposito distes medicamentos na
pharmacia de seu autor roa larga do Ro-
sario n. 10, junto ao qaarf- do corpo de
p^lica.
hVrreira ne Aiuiciu.i uunu".-, i -----__ <
roo oranca, que por morte de seu sogro o Sr. Jos
rltocRrlnhos, Ihecoube no nveotario : por
?an quero so jnlgar com direito a mesma, apre-
Se sT no prasS de tres dias contodos desto
dato Recite 23 de outubro de_lB69. __
Treclsa-se de um caixeiro : na fabrica da rua
do Brum n.54.
'consultorio medico cibdrgico
Malaquias Antonio Goncalves, doutor
cm medicina pe acaldado do Rrooe
Janeiro, tem seu *^^L.m^x^
rnrgico, na rna da Crui n. 26, 1 andar.
Cnnsoltts das 10 a inora.
ido para todo ser'
COMXRAFOGO.
A ComS indemnisadora estabeleads
esta prega, toma seguros martimos sobre
olSs e seus cargamentos e contra fogo
em edificios, mercadortas e mobas. a
rua do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Imperial companhia de Londres
Por seus agentes nesta praca
Samuel Power, Joknston t C.
Rua d Senzalla Nova n. ** ^^
Faz nuhbco que toro aborto urna agenwa nesW
PXdgSUesOoCSnX a ***"*:
causado pelo fogo.
Os agentes esto autons.
um creado pl
servico
O indrr IMsnc, < '' rua do Crespo n
7 \ I'andar, fas M-ie ,,ro,......raro,, ro.....-artista francez
,. o-Jil qualquer fn-
lar na rua estreita do Rosario n. II,
nense.
hotel Lisbo-

i'.scrtto
(meti Pessoa.
! |Mlt<".
fitr., ii pial lira *'

iialhos
i.i-w do uma ;
i.iwrd qne
-san. it
de cabellos,
eira.n !
itC !
seja boa c,
, praca da Independencia- o. M se da di
nheir> sobre penhores de ouro, prata o pedras
JSi.as, seja qual for a qnanna ; o na roesroa
U o igoalmrnte se faz toda e inlqoer bre d
., o todo c quabH" Woeerto
ito.
a averigusrem
tendente
Mangabeira. P"i Olinda,
_
eunfronte ao
nilia, tend"
ra i-a
l agua que
ipo,Je
- Pi>cis-8C d
Pelma n. !>".
nma ai i de loiW sem
lllho
quaesqer reclamaeBes od^ojje compMMl^
mente examinadas a ^ro(tnmo a tem tato
por meio do saques sobre a companhia em uon
^^htarS P^mpta verijeac^dc
verideacees. .
As ppssas qne quizerem r*'
-cguro bas'..irao remetter a
inuicando somonte a rua
desojar -m segnrar ou em
rtercadorlas, assim r
Samuel P
nalqufi
ma notx
'aro ap-
ou nnun-
v_ p",i,-se a is segninlr
,r>.-er a' rua d*s Croco I
,s rooradw par ira(lus
'.reir de .\ze-
'ioheiro de M'-lt'.
lino Vieira da I
. i da Silva.
"m Manos! Cordc '
Ra da Senzalla


IftTaTel

idLco Terqa eira 26 de Gutubro de 1869
*t
Mikrokope achroma-
tisehcn. Objetiv Lin- V ,y N>^
sen. *'*_>-'-
Barmetro e termo-
metre. Centigrade
e retiomeure.
ocdlos niiscimu
E crystal de rocha do Brasil.
F. *. GenJiaun, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; poique, cora esteo vidros, a vista descanija, fortifica-sc e nao a canfa como om
os vidros ordinarios. Urna vez escolbido um vidro, pode dorar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obligado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de cabera. O alcance ordinario da vista .perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as,vezcsque o objecto sta mais perto ou mais loogs, os raios que expelle s3o
mui convergentes ou mu divergentes e a visito n3o perfeila. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a visao n3o distincta.
Com a appiicaco de meus vidros pde-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bm, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo alfasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deia ver t3o longe como as outras vistas. Qnan
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem meihor de longe que de perto, e nao enxergam sen3o
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergaro
to distinctamente como na idade da 15 annos. Servindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraqoecer, previne-se o mal.
F. al. Ciermauu encarrega-se pela sna experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a primeira vista, seja qual for a idade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobro de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voarar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a vista que se turva com o -truba-
ho e a leitura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que n3o supporla os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esio cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Sortimenio de binculos
theatro, e oculos de
lcance paia o campo e ma-
ntilla.
jara
Lunetas, pince-nez e
face--main, otiro, prata,
tartaruga, buTalo, ac,
etc., etc.
Tom
tambera grande sortimento de relogios para parede, que do horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de oro, prata, prata
dourada efuieada, iuglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua govaN. 21.
COIX'FEITARI i DOSANMZES
16RA DA CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
16* qualidades, vrahos (Je superior qualidade, cha Hsson preto, e miudo, o meihor qut
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces d
calda, etc.
Incumbe-se de enoommendas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
samentes, a saber:
Pecas de nougat. Pes-de-lot enfeitados.
Ditas de pao-de-lot. Bollos idem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de cierne e carn.
Bandeja com armacao de assucar. Empadas.
lOmCENTRL
REBIAURaNT A LA CETE
DE
Francisco Garrido
Entrada geral ra larga do Rosario n. 37 e para familias ra
estreita do Rosario n. 4 A.
Este vasto e acreditado estabelccimento sem dnvMa o que offerece maiores
vantagens nao so era preoos mdicos cono por sa tornar o mais prximo possivel das
eslacSo dos caminhos de ferro e ser beira piar do caes Vinte e Dous de Novembro, que
tambem s presta ao embarque e desembarque dos passageiros que vera de outras pro-
vincias e da Europa, o que preferirem essa accommodaco menos despendiosa nos trans-
portes da bajtagem.
Os hospedes acharan todas commodi lade em grandes salas e asseiados quartos.
Ha sala para lulura de jornaes nacionaes e eslrangeiros; na mesma ha um
magnifico piano para recreio.
Ha urna outra sala para jantares particulares.
Come-se a mesa redonda a la cartee manda-se domicilio?.
Os vinhos mais finos do mercado acham-se no estabelecimento.
A' noite ha srvete o refrescos, caf, cha e chocolate a toda a hora. Tem mag-
nficos, buhares demogno para diverthnento.
Fltese lesf>nhol, francez, italiano e inglez.
Nova loja de calcada
JOAQUIM DAS DOS SANTOS 4 C. acabam de abrir m sfatefeametio de cal-
cado estrangeiro a roa Nova n. 30, onde o publico "nconirar todo o qne neste ge-
nero de coinmercio ha de meihor e de mais goslo em Paiis e Londres.
*or todos os vapores transatlnticos receba,) elles constantemente remessa9 de
aleado novo, pelo que ter sempre o- esl:\Yjlccimer.io o que a respeito se pede exi-
gir. Ao publico em geral e a seus amig^j em particular, pedem a cooperado, que
Ihes possam dispensar, certos de que serao servidos com lealdade.
>
\.
\mm delsuc
CABELLEIKFJKO
7 A Rua do Cmpo1." andar 7 A
ENCONTRAR-SIMIA sempre oeste estabelecimento ton variado e bonito sorti-
mento em perfumaras francezas e inglezs cuja li^ta damos aos leitores.
LUVAS Marca garantid? de JOl'VIN:
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas Ll.'iHN & GOSPSLL.
DITOS FINOS.em rrasquintos proprios pan presados Lulrin Gosoeil.
POMMADASBanlia tina de varios cheirosLnhinflosnelle*. Societ Hvini me
sAHONETES.finos para toiletteLubm A Monpeias.
TAB DEFITIFWCE.agoa para limpar dente*Sin i(.'> Hyginique Lubin & P.
fierre.
f AS BOIJBAS CURADAS
f Todas as molestias ayphitiea.s.
PKLO
. ELEXIR DO OR. SEVIAL
UnK depurativo sem mercurio que tanta aeeitacao tem meiecido no Bra-
J."3 sil, as mpnWtcas do sul e na Alidinariha espncialmente para cura das boubas,
fcj sarnas, rbeumaiismo, todas as molestias sypiiliticas e em geral todas aquellas
i da empureza do saogue.
NICO DEPOSITO
NA
Pnirnuiela e drogara.
DE
Bartholomeu A C.
34Rua I,ara d Kosarlo-34
A' rua do Crespo n. 20 A, esquina da rua das Cnrzes.
Alvaro Aogwto d'Atmeida 4t O. partecipam ao respeitavel publico, e com es-
pecialidad* as Exraas. Sras. que o seu amigo e acreditado estabelecimento roa do
Crespo n. 20 A. de pequeo que era. acaba de ser transformado em urna bonita e vasta loja
de fazendas finas aondepela sualocaiidadeeamplid3o, o publico nao s lera todas as com-
modidades para fazer saas compras, como acha-lo-h5o desde j prvido de om variado e
escolhido sortimento do fazendas finas e grossas, o que ludo se vende por oreos m-
dicos. ^ F *Tf
ate estabelecimento, apeaar de estar j bastante conhecido, o* seos proprieta-
hos tem resolvido entilte lo por LOJA DOS ARCOS, para evitar equvocos e torna-lo
por e6ta maneira anda mais popular. Encontra-se neste loja
Ricos cortes de fetend e de seda branca para noivas.
| Ditos de seda d cr e pretos.
Brochad de seda, fazendl inteiratientenova.
Foulard idem idem rdem.
L3ag de mito gesto.
Cortes decaifcfrraiae chita Maa Anteweite.
'ac* ^tilhos, bali5ey, Jaqaaas, chus, sombriobas
suvis de pilca. ctiap.
Ita fambem eotutf-mot* tito cmprete sortimento de esteiras da India paral
for-o de salas, rssim como alcatifa, tapete, pachos e muilos oifs artigos, que seria non
neniis mencionar.
BRILIIANTINA.para lustrar a barba e os cabeltos- Lubin.
AGUA DE COLONIIA.Marea vandadeira de JbSrt mri Farica.
COSMTICO.cheimsoLubin.
POZ DE ARROZ.dito-Lubin.
HUILE DE SENTEUROleo pira conservaco (towaWItosSociet HvKiair.ur
ESCOVAS FINAS.para cabellos, deates c nidias. '
BLAIREA.Pincel pnra haiba.
GRANI'OS.para cabellos.
REDES INVISIVEIS para cabellos."
GRAVATAS LINDISIMAS.do meihor gostn.J
liENGALAS. de pliantasia, para passeio e de diaorsot lamanhosetc.. etc.,, te.
A la parfumeriej^nrisienne.
7 A RUA DO CRESPO I \ NDWi 7 A.
VEGETAL AMERICANO
ESAMDADE
BA RTNO LO ME O C
Pr i con eei in tmei hjm e rectotri, eaU'rbM palomar, uihma; totu cwth aUrrkt
kronehiji, o em goral contri lados os ffriniDlM das tu rtipintorli.
DEPOSITO GERAL
34, RDA UKJA DO ROZARIO, 3*
PERNAMBUCO
a: tbmpeatici dai dirtr;. molMilMdo Mito, de)*
t Dturjngile ou mal da garganta atea tuberctilacl
pulmoBar, paasando pelat dirersaa bronchitts catarrtfM
t BphyMma acaba de ser enrtquectd* com ms.e
este Mdicaaxnto. qw tonara a primeira erdem entra
todo tte boje conhecido. O tarop VegUlTtfnerktno
giranlindo paraeacnte vegetal, oo cowem em ana
=onpon.-ao um s alomo de apio, e e eostente nc
co da plantas indgenas, cuja propriedade braeOcaa
aa cure da molsnas que perteBcem ao* orfles da rea-
piracao foratn por nos obseitada por leiaiga tempn,
co ptimo retallado caria tu mais cresceoies; pele
ftt mi jala-amoi autoritarios a compor laraae Mt
igora apreseotaaos. aderece lo aos awiea* a ae
pawtoo. Prafafcoa con ae alicatados abana a ate le-
natoa dito, a conumna que o conceito de aa ) Mea
a iarapa .Vegetal americano crescera da da a di,
JaiaaaV ttaito ap4 de t todoa o* peitorae aa aoft.
. "aHtMiWMiaC-0 larop* VeaMl^H
ricaoo. pnparaaflNIHO ca*vitodiim priaWrart
, om til reeedio i eomkater a lerrivel ailbmt
[ Sofra ea aaaaMa molestia lia quaira mete*, tem aiada
* maaaaea ao liabat exta oIihdo
i que m-prataa) por 8 akaa, aael,
-----,-
Ow, na as ja raaiajalaud pw va m, ~
Ihe, pois se mea agrdeeimeato mar me ter ejeMado .!
1 L ID,,' Coa >' paiHe'* gratid, >.
labaeraao-me da Vmee. alfectaoaa a Ti'Utuaattda crlaiic.
- Satnao )iKirie.-8eia Caaa U dafetareiradelaVt.
illma Srt Bartholomeo IC. tenor da naai
meiea da MrrrWMMa cata ama toa** leMeaaaata, baln
exuaarfraario. hpacloraoao datata eatatra* ataaretl. -
do. a parea total daa breaa. ama o aaaaar paaaaia
me fatigara eompletamenta, cansad daUaaar tala ae-
troa remeriiae tem retaliado tire a felicidad de aaberqa*
vmca. preparaiam o xaroM Vegetal Atoaricaao. a ao.
elle, grac.a a Deta. toe aelaf reaiabeleciaa ha mai* >
don mean, a mbuito como aa nada tiraeaa aaaTrido. *
Slidio aaa torca a eala declaraeao, qao poderio Vasa.
ir a aaa ae qttamm.9oa coa i llama de *mn.
mnrto reaaettaanr a criado. ---------------
Cmiroaa. H^
naaat i
Bde Ikaaratra d IK8.
rafa Vegetal Aairrieano, <)
*r7^
pfmaml
aa*aatrt rearrm> y, <**< mm* ,7
tacida com aaa a* tMro do mesmo n
qae llie.s proieaio eterna gratida*. ftaetta ll
ariro de 1R6K /caqium Ptrtkn Afmttt$*hmm. -
Laaaa


)
I
biaiio de Pmambuco Ter^a feira 26.de Outubro de 1869.
Veude-se
para da de finados (2 de novembro), na loja de
Antonio Angosta dos Santos Porto, na piara da
.Independencia, tnico deposito nesta eidadr, rica>
cap-lias para se collocarcni as enlrtetiiiilms e la-
millas, no rerr.iterio publico e as igrejas, com
as incripc,5c seguinlcs :
Meu pai.
Itinha mi.
Mea esposn.
Minhr. e*a.
Met Mili-.
Miuha lilha.
Mea amigo.
Saudade.
Urna lagrima.
Os sonhores credores do fallecido Antonio
Ferreira Gomes, queram dentro do prazo
de 8 dias (03 qoo ainda o nao fizeraro),
aprsenla!' as suas contas ao se testamen-
teiro Manoei Ferreira Pinto, a praca da
Independencia, para seren verilicadas, e
pagas do quij Iho tocar cm ralei.
Kccifo 21 de oirtubro de 180!).
Alagase una casa para passar a fosta, na
Passagem do Caldeirciro, a beira do rio Gapibarv
be, confronte ao Sr. Ur. Alcnforado : quem pre-
tender dirjase 111a do Pavsand, no Cajueiro,
n. 19.
Na roa da Motila n. 5, 4" andar, escriptorio
4k M woel Alvos Ferreira (",., vende se vinho
vente superior em bu lis, ancorelas com vinho do
Porto superior c malvara branco.
COMPRAS.
Compram so moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata em (dirs i n 11 ti usadas,
brillantes e oais pi'dras preciosas : na loja de
uotvbs do arco da Coneeicao, no Recite.
. 0 muzco de joias
Na raa do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por procos mais vantajosos di
(pie em nutra qualijncr parte.
111-1 li 11
1 > IlYO
Gompram-se e vendem-sc diariamente para ra
e dentro da provincia osrravos de todas as idades,
ores e sexos, com tanto cpje sejain sadios : no
terceiro andar di sobrado n. 36, ra das Gnes,
freguetia de Santo Antonia_________________
Com muito maior vantagem compram-se
moedas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
rarlo de Ouro n. 2 D, ra do Cabng.
V1NDAS.
(evada.
Vende-so retada milito nova de Li.-boa : na ra
ireita n. 30, a 3i209 a arroba.
Vndese una callona para escriptorio : na
CVS larga do Rosario n. 21, loja do. calcado.
Vernizes.
Vende-se no escriptorio de Joaqnim Gerardo de
itabos, a roa do Vigario n. 16, primeiro andar, os
seguintes verni&s em latas do 8 e 0 libras, do
enditado fabricante do l'ar, Gaetano Antonio
doa Santos Lislia:
V.'rnir copal escura
Dito dito claro.
Dito dito escuro proprio para obras de fuma de
Klandres.
Dito cor de ouro ou douradilbo. >
Vendem-se .tinco escravus pecas, de 12 a 20
annos, sendo din elles mulato de bonita figura,
nriprio p.ira pagem. tundo o officio de marcineria:
na roa do Qnetmado n. 13, I-andar.
Predio nov.
Vende-se urna casa terrea em solo proprio, e
edifcala 111 derna, o bom construida, frente de
tres lijlos, cacimba (imito ba, na freguesa da
Boa-vista : a tratar com Alejandre dos Santos
(tarros lolaria) ra do Moudego.oa beccodas Bar-
reir* n. IJ>.
I
lT
Vendem-se (80 .ceos rom farinha de inandio-
*a 0|K>r proco muito borato, cojos saceos acham-
se 110 trapicho denominado BarSo : a tratar na
na do Codorniz n. 8.
Vendem se ro!( s de sieopin para obras de
cariocas : na estrada do Arraial. primeiro sitio
com porta pintado de nearnad o Saneas bran-
m.19, de Marcelino Jos Lupes.
Lngeamento
Vende se na roa de Apotll n. 4, lagdu para
ralc^idM e aniiai<*ns.
Futi do sitio da Sapucua ,1 M do corronte
inez, o eseravo de nome Jos, preto, idade mais ou
menos 50 annos. alio, saeea, cara rusgos, ps e
inios gressas, bom Calante e Ladino, eostuma em
suas rur*5as ir pasa a malaera, riboira, servir de
earnicoiro, ou gairttar as mas da eidade do Re-
cife. Roeommenda-se a na captura as autorida-
des pnliciaes e cptales de campo, mediante a com-
peteate iudcmni Vendem-se qualro eseras-as de 18,20, 25 e
30 annos, tadns enm tnmtidade*, um bom preto de
!')aunos, que Uuibea cornba: na. ra defJortas
.11.96
Seiaees
de bortaliee negadas no vapor de 14 do correte,
e est venda na rao da Crt12.n1. 10
-r Vndern-se diversos para armazem ou eng'nho, viudos do* Cear, as
omo al pumas esura vas oiii h^hiiidndes e sern
ettas: na na da Grnz n. 55,3 andar.
Venda-se um torreo eamalieenee* para urna
.boa casa, quem o pretender comprar dirija-so a
ruado tartholomeu u. 67, ija, que achara com
*uem trar.
Na raa do Queimado n. 40
Fazenda* avariadas
Fazendas Jimpas baratas
Gliilas p'icali.s
280
2804
-40i
muito liua com-avaria
eovado a 240 rs. e
Gasaas franceus de cores, covade a 240 e
ditas de cores lisas, modernas, ovado
Gimhraia lisa branca final, peca
laazintus com listras do reda, covado
a 30>rs. e
Ditas Ihh e de 'inadrinlios, finas, covado
Alpacas lavradas do core?, modernas, co-
vado
Ditas lisas de cores, covado
Espartilh is superiores
Gambr.iias brancas tapado e tran*parent8s, di
tas de cures, padres novos, perealias e chita*
muito fina para maos, gnardaaapos, bra-
maato de i larguras, e ootrs moitas faxondas ba-
ratas : na roa do Quenia* av 40, de fronte dai
botica nova. "
FASOOllD^S
A DINHE1R0 NA LOJA E ARMAZEM
D3
di:
FEIIX i'ERESIM DA SILVA.
0 proprielario d'ifito grande esiabelacimento, vendo quose est aproximando o fin-
do anno, e leudo ein ser um grande depo silo deposito de fazendas; no fallando cm
avultadas eneommendas que lhes estilo obligado lodos os dias, tem resolvido ijuida-
las por proco muito mais baratos do que em outra qualqoer parte ; so com o flm
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encentra se nesto esiaheleciraento do
PAVO, avuliado sorlimento deiaz^ndas de loxo e modas; assim como de primeira
necessidade. As pessoas que negociam eir pequea escala n'esta loja poderlo surtir-
se vendendo-se-lhes pelos prerjos que com|iram, n s casas inglezas; assim como as ex-
oellenlissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-lia levar peloscaixeiros da mesma loa em suas casas; <> estabelecimento se
ai-ha constantemente aberto das G horas d manlia s 9 da noite.
Explendido sorlimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
1MPERATRIZ N. 60
Acba-se este grande estabelecimento com-
pletamente sonido das memores roupas,
sendo calcas palitts e coletos de'casemira, fustao iHA.xr.0 PAMA
depanno.de brim, de alpaca, e de todas gS&
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
lera um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualqucrpeca do obra, coma maior promp-
tidSo vontade do freguez, e nao sendo
ObrigadOS a aCCCita-laS, quando nO Stejam d.ozinlio para vestidos, l.nlo asmis lindas cores,
completamente ao sen contento, assim como gg*-fi- .Jft ^^ ^ ~ pdu
A 300 rs. o collo.
'.'enJem-su bonitos orj;.ind\r de cores com bo-
nitos padrees e lixes a .'itiO rs o covado.
CAMISAS PARA SUXBUBA.
Vendem-sc linissimas cnni das para senhoras, na luja do Pavat
AS CEI.KZIAS DO PAVAO.
Vi'iidcm se as mais linas cetethis, esgniSes e
hretanhas de linbo por preco muito em conta.
PAIIA V EST1 DOS A 040 RS.
con lista e lavradinhos,
roprio para vestidos e roupas de meninos,
a 6W rs. o covado.
COI.LER1N1IOS PARA SENHORAS.
Vcndem-so Hnissiinos eoileiinhos de e.-guaode
linbo proprios para seuli ras e tambem iara me-
ninas a 3 a duza.
ALPACAS DE GORDAO.
,'ondcm- se as mais brilliantes alpacas de eor-
640
6i
1J000
60"
SOOO'
Veude^iie|^H
lireitt a. W7; a trafa
o. 31.
de bu sobaado na rrA
^^fas Larangeiras;
n'cste vasto estabelecimento encontrar o
respcitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linbo e algod5o e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-llie vender mais barato do que m
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
tiz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENQOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A I5800
Chegou para a loja do Pavlo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porc5o de
p Cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento do um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 13800 jis cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras militas ap-
plicaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcao de cera de
carnauba om saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 30. De Flix
Percirada Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas musselinas de
cores a 800 rs. o novado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Cbegaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeilados sendo com os
feitios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-so muito em conta.
FAZEXDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontr o rcjpeavel publico ueste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, eassas franeezas e injtlezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de laa de
todas ipie tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, cantan,
bomhazinas, merino, etc., que tudo se veade por
preco-barat.
NOVAS P.ASQUIX VS COM CINTO.
Chegaram,as mais modernas basquinas de gros-
denaple preto, ricamente enfeitadas, sendo de um
feitio inleiramente novo, com nco3 cintos largos, e
vendem-Fc por preco razoavel
GASSAS FRANGEZAS.
Vende-se um elegante sortimento das mais finas
e mais moderna* eassas francezas que tem vindo
ao mercado, sendo com padrees miudmhos e
grandes, e vendem-se por proco muito em coala.
AS SEDAS DO PAVO
Altas n ividades.
Polo ultimo vapor ehezarani para loja do Pa-
vo, que vende mais barato do que ein ontra qual-
quer parte, as sedas seguintes : ponpelinas ou
gorpnrries d>' tinho e seda, com os mais delicado-
padrees, sedas de listras, padrees inteiramentf
novos, groa de todas as cores, sendo verde, azul,
lyrio, rosa, cinzento, etc., setins, branco, atul,
verde, roxo, lyrioetc, etc., assim como um gran-
de sortimento de grosdenapls psetos de todas a>
qualidades, e saperior gorgnro preto de sedti
para vestidos e ealletes.
AGRACIAN AS.
Ghegou esta nova faienda c m o nome de Gra
ciasas, sendo de ama so cor, lyrw, rxo, verde,
azut, etc., etc., e muito encorpada, eom lustre pro-
prianente de seda, endo melhor e mais modorna
que este anno tem rindo para vestidos, e vende-
se poio barato preco de 23 o covado.
ALPACAS I.AVIUDXS
Na loja do Pavo.
Ch's^u pelo ultimo vapor nm (zrande aortimen
todas mais modernas emais bonitas alpacas la-
vradas para vestidos, tt-ndo entre ellas 8lgumasqn,
faz.'in a vi-ta proplamete de seda, e vendem-sc
por proejas muito em conta.
URGRO PRETO.
Ghegou para a loja do Pavo o mais encornad i
gurguro de seda preto para vestidos e eolletes,
tjuo se vende mais barato do que em outra qaa
ouer parte.
MADAPOLAO FRANCEZ
A 7,8000, s o pavao.
Veadem-se pecas de madapoln franeez eom 22
meU'os, pelo bara'to prego de 7000, dito enfesUda
eom 90 jardas a 7J000, assim como finissimos ma-
dapoioe raucezes o ingii'zes, ditos de jardas, que
se venden mais barato do que em outra qualquer
parte, por ha ver grande porco
AS CASSAS DO PAVAO
Ctivad a 300 rs.
Vendem-se finissimas ca9*a* francezas com lia-
dos desenhos e cores flxas a ^100 ra. o covado.
v CHITAS BARAT.fS
Ha loja do Pavo
Vende-se urna grande porco de chitas oscura .
e claras, de eres fljeas, pnrpncos que admiraran
BWLHANfES BAREGES A iOO RS.
S o Pavdo rendo as mais delicadas bf-
reges de pura-'3^ endotf amprenles com
os mais delicados desenlio, de quadrinbo?,
listras e lizos, sena'o n'este artigo o roa;s
delicado que teui v^odo ao mercado, e
vende-so pelo baratissii.no preco de 400 rs.
ocovaiv
kERINAS A W000
N:r.s^H vn>le-4^ as mais mo-
dernas romeiras ou ba^|inas'; 4lo ernch,
i tmhtum Htoerd o o tras core j.
:.mo preto de 4O0O cada UflJ' *P'!"
chincha.
** ^IMA*6
A AGUIA BRANCA tem conviccSo de que a abundancia de objectos de novidade-
cm sen constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a lratac3o de seos pre?os, estao na op ni5o do respeilavel publico
em geral, e na de suaboa freguezia em particular ; mas anda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepcao d'aquellcs Objectos que est5o alm do commum,
como hem sejan :
TARLATANAS.
Vende-so finjssima laiiatana branca c de todas
as cores, assim como fil raneo lizo a 800 rs. a
vara.
AGGODAO EXFESTADO.
Vende-so superior algodaoainfao com dias lar-
guras, proprio pata leiieoes, sendo lizo e entran-
cado, c v.mhIe-se por proco muito rasoavel.
MEIAS PARA MENINOS A 35500 US.
Vendem-se dnzias do meias superiores para
meninos e meninas, pelo barato pre^o de 3o00 a
duzia.
USQUl.NAS DE GIPUZE.
Cbegaram as mais bonitas e modernas basqui-
nas pretas de guipuze, que se vendein mais batato
do que ein outra qualquer parte; assim como as
mais delicadas rouieiras ou pelerinas de croch
pretas, enfeitadas de verdu e entras cores, que se
venda muito em conta.
CHAPEOS DE SOL.
Vende-se um grande sortinn-nto de chapos de
sol de soda c alpaca quo se vendein muito ba-
ratos.
LENCOS DKANCOS.
Vendem se bonitos lencos brancos e de cores
enm barras e abanhados, pelo barato preco de
3-iooo a duzia, ditos de liaba abanhados a G a
duzia, ditos de esguio para varios precos, ditos
de algodaoa 2 e 13600 a duzia.
A 5*000
Na loja do Pav5o vendem-se modernissi-
mos diales de fil preto c^m lindas palmas
de seda, pelo barato prtro de 55000,
pechincha.
BASQUINAS A U)000
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manlcletes de guipure,
pelo batato preco de ldOOO cada urna.
PARA ESCRAVO*
Na loja do Pavo vende-se estamenha
de algod3o mcsclado para vestidos e roupa
de moleques a 200 rs. o covado, na ra
d Imperaxiz n. GO de Feli.v. Pereira ^
Silva.
Papel part ciubrnlho.
Compra-se papel para cmhrulho: na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 69. de Fclix Pereira
da Silva.
FOSTES BRANCOS PARA VESTIDOS A
400 RES.
Na loja do Pavo vede-se nm grande
sortimento de bonitos fostoes brancos, pro-
prios para vestidos e roupas de creancas,
assim como tambem para rou tas de ho-
mens por seren de lavores miudiHhos e
banlante encorpados, e vendem-se pelo ba-
rato preco de 100 rs. o covado nicamente
na loja n. GO da ra'da'Imperatriz.
AS ALPAGAS Di* PAVAO A 6W US. O COVADO
Vende-se um grande sortimento das mais boni-
tas alpacas lizas tendo de tildas ascorc, mais no-
vas que tem vindo ao mercado e vendem-se a 640
rs. ao covado.
ALPACAS BKILHANTES A 6\0
Na luja do Pavao vende-se as mais bonitas al-
pacas lavradinhas, tendo de todas as cores que se
vendem a 6W rs. o covado.
ALPACAS WIANCAS LAVRADAS
Chegou para a loja do Pavo vna grande sorti-
mento das mais bonitas alpacas brancas lavradas
e de cordo sendo n'este genero o aielhor e ma6
lustroso pue b^n vindo ao mercado, tem algnraas
to linas e tao bonita* que servem para vestidos de
noivas e vondom se por commodos precos.
LAAZfHAS MODERNAS NA LOJA DO PAVAO
Chegou para este estabelecimento um grande
sortimento das nielhores e oais modernas laazi-
nhas pai vestidos, sendo tapada e transparentes
de todos os pnjeos e tuaiiii.ades qno se vendara
mais barato do que-em ontri qualquer parte.
APACOOU G0RGDL\0 DE LA A 00 RS.
Na loja do Pavo vende-se o mais bonito alpa-
ci de cordao tendo de -todas as cores, sondo fazen-
da bastante larga a 800 rs. o covado.
COLCHAS DE KU9T0
Ka loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de colchas de fusto sendo brancas e de cores
ditas de croch para canias de noiva, assim -eomo
qomtos damascos de la para colchas.
AGRACIANAS T800
Chegou para a loja do Pavao um bonilo sorti-
mento de lindas agracianas oara vestidos tendo de
todas as cores e pechincha.
Com listras de sel* a 84H rs. o
ovad*
Na loja do Pavo vende-se as mata bonitas e rao
dems laziuhas com listras de seda sendo miudas
e gradas a 800 rs. o covado.
CORTES DE IMITAS
Na loja do Pavo liquida-se nina grande porcao
de chitas finas de cores Usas e bonitos padees os-
lando toda" ellas em cortee de 10, 11, e 12 covados
liara nao deixar flear retalho faz-se o preco de 320
o covado, fazenda que em outra qualquer parte nao
se vende por menos de400 n. istoe grande pechin-
cha.
ALPACA BRANCA A 640
Na leja do Pivio vndese alpacas brancas lisas
muito finas a 610 o covado.
Bonitas caixiebas de madeiras envernisa-
das, contendo tiavalhas e os mais neeessarios
para viagem, servindo ellas de carleira
uando abortas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senl toras.
Outras machetadas, com thesouras c os
mais necesarios dourados e do madrepe-
rola para costura, obras de apurado gasto
e perfeii;o, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com nv.isha.
Eslojos ou carteiras do couro com nava-
Ibas, e os tnas necessarios para vtagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas. denles, cabello e roupa.
Outras de balea com machelados de ma-
dre perola para os mesmos fin?.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leqnes, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capcllas com veos para noivas.
Cintos de brim, cora elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente boniLis, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
sclin dourado.
B'jloes com ancora, c P. II. para fardas
e cohetes.
Abotoaduras d'avenlurine com o p de
prata dourada, para cohetes, cada um 5??.
Boles de cristal, encastoados em prata,
para pnnhos, 4$ o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado, -
Meias de la para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de nchnco as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipar, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Peme&oa e delicados espanadores de
peonas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, de.
Bonitos passarinbos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinbas,
de velludo para ugulhas o alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas par.i Irisar babadinhos.
AGULNAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
merecen ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusulira, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intclligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
Al agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a ponco abnndaro
.isfalsilicail'.s para serem vendidas barata-
mente, porra as verdadeiras continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrevcr minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que constaiilemnte se achara venda na
loja da Aguia Branca, seria seno imposs-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queirara
reconhecer a comraodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Quemado n. 8.
VATIVO
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
SIMAO DOS SANTOS t C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados, parlecipam
aos seus numerosos freguezes, tanto desta praca, como domatto e igualmente aos ami-
gos do bom e barato, que teem um grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
doria? e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
menos preco do que em ouln qualquer parte, por ser maior parle destas mercaduras
compradas por conta propria, por isso quem comprar al a quantia de 100$, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido desle
armazem.
Joaquim Red
tem para vender
ca do Coipo Santo n. V,
potassa o"a Kossis nJlie
cal de Lisboa e vinho Bferdcatit te-
nor qualidade.
Bichas hanitarguezas
Ra da Cadea ti .'i!.
Neste novo deposito reecbe-se p>r t'nVts m *-
queles transatlnticos, bichas de itiialidad? >>F**
rior ; vende se cmcaixa ou pnr{n mais prifarB.
e mais barato do que era qualqu- r iHitra pan* :
ua ra da (^nb>ia n. tt.'f aoilar.
Mifbo novo
em saceos grandes, a 940O o aet >: m
zem da estrella, largo do rVaiw n. Q
0 Gimpos da ra do 1iiih :,i lor n. i! i teja pora:
vender o segninte:
Qneijos lomlriiios, pralos, Qtim ; e de uaa*.
todos toiiito frescos a de ha njnnlulaftlfc.
Presuntos para Itaoibres e pntsi teMfien% DMOS.
salames etc. etc.
O verdadeiro baeallio do NuT
Latas eom Ugostes e Asina.
O verdadeiro cal Uocka.
lisjieclalid.tdes
Grande remessa de cigarros de di.vr-.a* i)Da-
dades, viudos da provincia do llio de linim.a
vapor hrasileiro Paran.
A saber:
Cigarros ao nquo de Cex*.
Ditos ao Maurity.
Ditos aes lonenles do Dialio.
Ditos Barbacana*.
Ditos Papel peiloral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Hio-Novo.
Temos de medidas para secco?, scvanidn o non*
sysleina (mtrico trance/.), no armazn do !iiw-
pos.
As mais adoptadas e mais l'aeeis lakvUae rwra
de prompto se redn/.ir $ e 8 a luIngraaManf e *
inverso estao se acallando por isso rttrommea-e
aos esiabelecimenlos que ainda nao Inn, i|*Wrr-
nhain sfiis dones manir-se dcs.-e t. > p >> agen
te do commercio, pois que, com a safra QJM est a
porta, torna-se ditas tabellas indi-pciisavei-.
28-TUDO NO AIUIAZEM DOCMPOS-Oft
CEIETO
POItTI.AXI).
Vende-se no armazem amarello de \"n: :.ir Fer-
reira da Cosa & Filho, defrunle do arco da Gm
ceigo, era barricas grandes.
NO
GAZ AMERICANO 90 a lata, a 400 rs.
a garrafa e GO rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 560 e
610 rs. a garrafa, a 45500 e 4(800 a cana-
da, a 70 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melbores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 3)5 e
30500 a caada, 600 e 640 rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o>litro-
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, >5O0 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VEBDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 20200,
10800 e 10400 a caada, 300 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR a 10440 e
10280 a libra, 30140 e 20800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCESA a 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 10870 o kilo-
graromo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 10400 o kilogrammo, em porcao se
far afoatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR fras(.|iera
720 rs. a libra, o 10578 o kilogrammo, em g/EZA 70 e b0a frasqueira
porc3n se far abatimento.
ARROE DO MARANHOE DA INDIA
120 e 1*0 rs. a tihra, 260 e 800 rs. o ki-
logrammo e 30800 a arroba.
ALPISTA i 240 rs. a Itora e 920 rs. o
kilogrammo. e 65 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 60 e 8,5500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABO MASSA 260 6 200 rs. a kbra,
570 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa ha
abatimento.
Manguitos eom gttltm a i:
Vend.i-?e bonitos pares de manfoltm comgolli-
nhas sendo de eambraia transparente a 1360o, di-
to de eambraia tapada a SMM, corplnhos d-
eambraia bordados a 5| e 7#8, eamizinnas de
mferaia borOadas de varas (fotidades.
CHALES DE CHACHEM1RA A 60. 100 E
ttflOOOJ
Na loja ro Pavao \enden*se os mais
.bonitos chales de verdadeira cachemira de
cOr, com os desenhos mais modernos, a 60,
1*0 e 120000, muito barato ni roa da Im-
peratriz n. 60.
620 rs. o kilogrammo, em porco ha aba-
timento.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 10 e 10400 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 70 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PH0SPH0R0S DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 3 280, 400 e 560 rs. o masso,
30200 e 60500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 30600, 50500
e 10 a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e em caixa ha aba-
tmenlo.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-e abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a dnzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AliBUR-
. e 500 rs. o
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
130, 20800 e 20400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
1 TOUCINIIO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs; o kilogrammo, e 110500 por
14 kilogrammos. ____
CHA FINO, GRADO E MIDIHO os
melhores que ha no mercado, 30 e
30200 a libra, 70080 e 60540 o kilo-
Hall K'iM 191
VENDE-SE
A PRECO F1X0 E \f'.)D!U
SOMBRINHAS de setitn verdehIiui n#-
vidade [tara senhoras. a 1S b 23$.
LINDOS cortes de larlatana orvallad,!, pro-
prios pura bailes a 100, 130, 15#, 17-'
e 220000.
ESPECIAL sortimento de coques enfra \m
e lsesultima modaa ^r>"i(H>, :;->XH.
:10OO, 40, 40500, 50 c 60.
GRANDE e bello sortimento e chaptom
paiha da Italia, cleganlemenie enfenama\
para senhoras e meninas a 150,1 '! 130,
110 90.
TRANCAS E CACHOS imitacao de ca-
bello, para senhoras, a 10800 e 800 i?.
GRANDE o agradavel sortimento de ;"ii-
pure ou croch preto, em peca--o metro
a 20, 30500, 40 e 60.
DITO branco a 20500, 30 e 30800.
LINDO FIL de seda branco com ramagein
o metro 50500.
LINDOS e ricos adeiecos de placte w-
Mes, com brilhantinas, rubn, esnwra-
das, perola, e camafeos ; nao ha diffr-
renca do ouro de lei e conserva por lon-
go tempo a sua cor natural, venor-M *
150, 180, 300. 450, 900 e 1201.
preco menor ao feitio de qualquer pera
verdadeira do mesmo trabelio.
BONITAS CORRENTES do mesmo meU
para relogics, a 60, 80 e 100. no
BAZAR DA MODA50-RUA NOVA
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA- grammo
LIHR1N E ALETMA, i 800 rs. a libra e DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20700.
10750 o kdogrammo. 20500, 20200 e 20 a libra, e 50450 e
SEVADtttt'K SAF 5 280 rs. a libra* 40180 o kilogrararao.
.Usim como ha trtros muitos mais gneros, vinho em ancorlas, azeitonas,
passas, figr novos, chaRitos de diversas mareas, hngnicas de Lisboa, marmelada. con-
servas gela de raarmelo, pcego, ervilhae, peixe em latas, sardinhas de Nantes.
vinho verde engarraadOr^onMJa canefla, eravo, ervadoce, cominho, pimenta, grandes
molbos dff sNwlla 10600, finalmente muito mais geoeros que -
meneiona-los.

Vendem-sc libras sterlinas : no escripterk 0>
Leal lei-, ra da Cadeia n, 19.
Assncar de oxido de ferro d
Chanteautl.
O assucar fe ruginoso de Chanteaud c oixii'o
pela associacao do exido de ferro inleiivmmtt -
Intel com o assuear cnidadosamente puriradi.
Este assucar, de urna bella apparencia cry.-taiina,
tem o simples gosto moi agradavel do assaer,
sem o menor sbor adsiringcnte : Ha km scri
irritante sobre a mucosa do estomago e anlAStaa*,
e rpidamente absorvido pelo apiarclho digesti-
vo sem causar as conspaofl's do ventre.
E' hoje o preparado de ferro de mais ae*ifarir
iiara a chlorote atona do? orgos, perdis Naatcaa
menstruaedes difflecis etc., e te D r i
juizo autorisado da aseda de medicina de !
e dos chimicos os mais notaveis.
DEPOSITO ESPECML,
Pliarmacia do Bartaolomeu A d, rua bij-J *
Rosario n. 34.
enfandonho
Nlo mais cabellos brancos.
A tintura japon-za para tingr os cabellos
da cabeca e da barba, foi a nica.admrltirh
Exposifo Universal, pot ter sido reco-
nheclda superior todas as preparacoesaA
A raa do Livramento n. 6, continua a ha- noje existentes, sem alterar a sade.
ver para vende* "por presos raswnaBls, o
melhor vinho verde at boje vindo-a este
mercado.

Rir 1 GLORIA *.
()laria do Fuidat/.
Ha sempre nesta olaria grande > A
inatenaes, como tjieto de alvenaria batUti, la
Iho, ^adrado de 8, 9 e mais pollegaoV, Mltaaw
ielhde<, tijiilns de tapamentoS. O prvpro
ta (dara garante a bimdade e barro de taes urttfr-
riaes, como tambem vende-se mkis barato do t\;
ein oulra qualquer parte.
A mais
armazem de Manoel
n. 13.
OMHtlA
ido. a enna razoavel
ac
Vende-se a 10060 cada frasco na
Rua da Cada n. 51,
1. andar,
Cabriolet.
aa^t> um de dmn e naiatrn assm*
le peiteiM. >m Ikiim
cav'dto e arn i'K, mi phi i rua d>'
Amaro, eoch- oa de Tumaz i
Resta a venda ilm escolhido sortimento de ot>
fictos de m.*emerta, une sejam, ninliilu- d to-
arand, mogno e amarello, obra nseohnr e -:--a*
(eir, d apaado ga?to e por proco < r
a roa esireka do Rosario n. 'i. -t
w4 Oim-M co*(i perairSo todos os trabalhos de
lalhinha, emfo sejam, emparhameot de laulM
lannaajaaaj^deirias e aophs. ^____
Atfceti$lo.
berok do largo do Paris o..
$** fr-ra 1*400, I4*W
libra, carne do serian nova a 3-
11
MM

"
>,



___

__i.
Peiinibuco Ten;a fera 26 Je O
im.
AS
I de fazcnd;
irlz i,, blico csens i
i.'LKon quo lera em sen eslabj
annuucio e preco abaixo mencionados,
C hitas Ira aeezas niaLfadas a
:i0 rs. I
Vende-se chilas francezas escaras matiza-
das a 320 rs. o ccvario por cs!o reco sna
loia da Arara, ru.i da imperatm u. 72.
LAVZ1N1IAS A 240 RS.
Vende-se fiazialias para vestios de se-
nhora 240, 280, 30 e 400 rs. o co-
vado.
BAREGES DE LA A 800 RS.
Vende-se bareges de la com listras para
vestidos de sonhora a 500 o 640 rs. o
covado.
Alpaca:1* de listras a so rs.
Vende-se alpacas de listras para vesti-
dos de senhora a 500 rs. o covado.
CHITAS FRANCEZAS A 380-RS. -
Vende-so chitas francezas c!a.-us a 280 rs.
o covado.
CORTES DE LA PARA VESTIDOS A
2;>O.
Vende -so cortes d i la para vestidos de
senhoras a 2$ 100 cada iim,
PERCALES A 410 US.U_COVADO.
Vende-se percales milito linos para ves-
tidos le senhora a 410 rs. o covado, mur-
, .olinas brancas finas, a OO rs. o covado,
brigantinas de cores, a 410 rs. o covado.
Balitas modernos de todas as
cores.
Vendes batesmoderno sbrancoedeco-
resa4i5. 4;5"iOe 5.
COBERTORES DE ADGODAO A 1^500.
Vende-se cobertores de algodo a 41500,
cocerlas tU cltitas a I $600 c 2) cada urna,
GANGAS PARA CALCA A :!0 US.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim do cores para calcas de liamem c
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
rires para caifa e palitols a 2#500 o 3#,
o covado, meta casemiras entestadas para
alease palitots a l o covado, brim pardo
de todas as qualidades e brim branco de
lodas as qualidades na ra da lmperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 64 rs.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a
640 rs. o covado, larlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLAO ENTESTADO A 35500.
Vende-se pecas de madapolo enfestado
a 30500, pecas de madapolo inglez de 24
83 e 105
denomiuido ARARA, ra da Impera-
-i;'i liqofdando odasas
rito corlo si
" -*,.
ver no sea
I
Algodo enfestado a 1eo rs.
Veode-se algodo enfestado propriopara
tonres e toalhas, a 900 rs. o metro, dito
trancado a I >, metro.
Chales de merino %.
Vi nde-se chales de merino estampados
a i$, chales brancos c de cores a I$060
cada iim.
COHES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Y>-,. de brim castor para calca de homem, 640
rs. rada um.
brande porcao de re sinos
Venderse grande porcfio de retalhos de
chitas e caesas pretas a 160 o 200 rs. o
eova lo, retalbos de cassas, 15a e chitas de
coros baratsimos-.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 2#.
ditos de alpacas de cores a 25, di os de
meta casemira a 1f> e ft|$00. ditos de pan
no preto bom a 85 e 105. caigas de algo-
dio azul para escravns a 640 rs. (Blas de
algediiode listras a 800 e 10, camisas de
i?cado de listras a 800 rs. eada urna, cole-
les de brim e fuslo de cores a 15 e 15300.
coletee de cesemira de cores a 20500 e 3$,
e outras militas qualidades de roupas feias
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a 999 rs.
o covado
Vende-se algodo
de
U-BUA DO QUEIMADO--11
Chegaram da Europa pelo oltimo vapor loja de Augusto Porto 4 C. ricos
otiles das mais linda sedas Je mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
msntos. i *-* *-,>
Grande variedade de sedas do listras de diversos preces todas de lindas cores,
gergoro do seda preta, e grosdeuaple de varias qualidades e gorgurao de sedajaa de
dierentes cores. .,,,.
Nevos vestidos brancos deblondpara noivas. lindas colxas de seda para camas,
(lilas de la o seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
ermbraia de linho bordadas.
Lavas novas de Jouvin.e elegantes sombrinhas de se Jas de cor para sentioia*.
Esparlilhos de 53 at M, indos bournous de cachemira de cor para saluda
d3 baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento de rauitas fazendas de la, linho e algodo todas por preces minio
rr.odico. ,.P
Tapetes grandes para sola, piano e camas, pecas de tapates o de aleadla para
forrar sales ludo em quantidade; c vendem scropre;por menos qne em outra qualqner
purte. _
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODO
L0J4 DAS MACHINAS
BASTOS
a',
Grande e completo sortiinento (Je machinas para
desenrorar algodo de nova inu'DeTio chegadas l-
timamente em direitura para a loja do Manoel
Hento do Ohveira braga A C. m roa Direita n.
53 Garante-s qne a melhor qoaMwle que ale
o presento lem viudo ao mercado r aehnm-so em
exposirao aw compradores as de 19, li, i".
18 e 20 sena-, % %
Systema decimal.
Grande e completo sortlmenlo do pea kilo-
grammos de metlior comprehensao dos qtw tem
vindo at o prseme, as^in) como mareos de- lato
at meio orammo pelo ineumo syslema, balanzas
de latao de forra de 5 a 20 kilogrammoa, menos
domadeirae de lalacpara medir fazendas, a*m
do granito sortimenU de miudezas o ferragens di!
todas as fiualidade?, ludo por precos (|ue s a rIM
faz crdito : na ra l>-cta n. loja de Manoel-
liento de Oliveira Braga & C_____________
Sellins bara
N. 27.- IIUA DO N. 7.
cslabele^^^^^^p-sc sellins.e
sllhSes, de lodas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tamben, tolxoes, traviceiros, caiii-
nbas com almo'fadai. propriis para meninas
levar para aula. O proprielark) deste esta-
belecimento garante a pontuahdade, esme-
ro e zelo de sen trabalho ; portanto pede ao
respeitavel publico sna proteceo, que afflan-
Ca vender todo pelo mais barato possivel,
por menos do que em outra qoalqoer
parte. _______________
COGNAC.
arroba
rfACHINAC americanas do serrote de todos os temanhos para descaroear algedSo, do
muito coahecido fbricante Eagle Cotton Gin.
t'\CHINAS ditas, tamliem de serrotes e de todos os tamauhos para descargar, al-
gtdo do autor New York Cotton Gin.
vRCIFNAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a macbr*.
ACHINAS ditas do Roller Gros, de cujo trabalho faz obter maio 2.000 em
da algod5o--
VL\CIW^S de faco do- febrioante Platt B. & C, Obdhar PatentLiverpool.
Todas estas machinas- sao de superior qualidade e as raelhores que tem
de listras para roupa I ,mdo ao- meteado ; e psra a si apreciaco cenvidam-se os senhores agncultorss-
irem espoco das meemas n rm da Cada do Recife n. 56 A, loj* do Bastos, ende
jicontraro mais o seguidla-"
Do superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Duboudi A C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de 7b. Just. ra do
commercio n. 32._____
escravns 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A tf.
Vendem-so pecas de algodo 4.000,
5.200. 0*000 e*;>, para liquidar.
Rales de- arcos a l^MO.
Vende-so bales de arcos par senhoras i
pelo baratissimo preco de 15500 eada um, |
Cortes de eamfcrala barras
a :I4 Vende-se corles de cambraias boirsa a
2> e 3 cada um.
LENCOS DE" SEDA A G40 RS.
?ende-se lencos d seda a 040 r&. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PMA VIAGEM A I*
Vende-se carteiras para viagem 4?5
cada urna.
,ardas'a -% 6AA00, 7* 83 e 105 a peca
Assim como vende-se chitas para cobertas, a 240, 290 o-320-rs. o corado,
ellas antes que se acabem lodas mais fazendas e roupas feitas-; e que pelo preco- que
ai vender ou liquidar, poucos dias poder durar, e quem se mizer sortir de tondas
e roupas feitas para a festa pelo preco que Iho agradar, se poder- dirigir a rw
tmperatriz armazem da ARARA, que estar aberto U)dos os dias-uteis, das
maohla, te"9 horas da noite.
72. Ra da lmperatriz. 72.
da
6 bera* da
lebullia^res- para milho.
:;ylindroe para pudarias.
\rados-americanos.
^arrinho de mo-.
Viachinas para cortar capim.
'annos de chumfo.
bombas rte J6py.
jifas- americanas.
remas- de ierro gavanisadas.
boinas- de zinco fitaas.
~ i tas- de eofepc e btao.
?erro-d6 todas as qualidades..
Vrcos-de-ferro-.
Orna-de Ftandres.
Vlaebados americaivos.
Faces-dilos.
?ateios- e cestas do verguinha.
Vassouras americanas.
i'odes de-todws os tamanhos.
''ornos e safras para ferreiros-
Finalmente muitos. atros art'g
liversidale seria enfadonho enouraera-los.
Folba de ferro.
Balanoas americanas.
Tinas "de mndeira americanso.
Ps de ferro dHas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos- para cozinha
Peneiras para podaras.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almsnjarras
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinacoes.
Azeite de espermecete. proprie-para macbi*
as de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
BAZAR UNIVERSAL
9 *llua .Uova*'*
Carneiro Vianaa
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todo os artigos qoe se ven-
dem por precos coramodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas-para cos-
tura de todos os ystemas, mais modernas
adoptadas na America e approvadas na ul-
tima exposicao servi?os a electos para almo-
CO e jamar, salvas, bandejas, taboteiros, bol-
sas e mates para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e ciroademesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para- fazer caf, ditas para
bater vos> ditas para-amassar fariaha-, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e enanca, bercos, cadei
ras longas para viagea ditas de bnlanco,
espelhos de-todos os-tamanhos, molduras
para quadroSigaz, baldes americanes5 gu r-
da comidas, brinquedo6 para criar-cos, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e a esa, tapetes para sala,, quarto,
frente de soph, janella-e porta, capsbosde
Mancaese todos-os mais pertences parasolSparto e efleo,.objectoe- para escripjorio e
muitos outros artigos que se encoEtrarao
mesmas.
Latas-de gaz,
ospestencentes
avnura e artes-, que pe
venda no mesmo estabelecimento o que vale
a pen ir examinar.___________________
ATTIiiO i
m l.\Z GAZ
de nrimeirqualidade; o joal se vende ei partida.- i pialldsdes tambem paro denles,
e a retalho per menos praee do que em oulr qua>
quer parte.
J cordeiro providente
Una do 4|aeima_lo n. 1
flow e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alero do completo sortimento de perfu-
maras, deque efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Providente, ella acaba de
receber xm outro sortimento que se torna
aotavel pelrrariedade de objectos, superiori-
lade, qualidades ecommodidades de pre-
;os; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
i espera continuar a merecer a apreeiaco
lo respeitavel puWico em gerat e de sua
boa freguezia em'particular, n_o se abas-
tando elle de sua bem conhecida mansidaV
i barateza. Em dita loja encoirtpar_o a
tpreciadores do bem:
Agua divina de E. Cendray.
Dita verdadeira d Murray 4 Laraman.
_>ita de Cologne ingleza, americaaa, fran-
jeza, todas dos melfeares e mais acreditado*
fabricantes.
DHa de flor de larangehraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Eli_rir odontalgico para consenac3o do-
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e _tei-
ros agradaveis.
Copes- e latas, maiorss e menores, tot
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japeneza, transparente
i outras qualidades.
Finos- extractos ingleses-, americanos o
francez3- em frascos simples eenfeitados.
Esseiioia imperial do fino eagradavel chei-
'o de vieieta.
Outras concentradas e de ebeiros igual-
tnente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Extracte d'oleo de superior qualidade,
om escolhidos cheiros, em frasees de diffe
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, moioreee menores
para roaos.
Ditos traasparentos, vadendose em figu-
ras de metimos.
Ditos muito finos em eaixinha para barba.
Caixinbas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas da madeira inverriifiada sontendo B-
aas perlumarias, muito propria para pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente benitas, tam-
bem de perfumaras fians;
Bonitos vasos de metal catoridos, e da
moldes aoves e elegantes, com p de arroa.
boneea.
Opiata ingleza e frar_e_a para dente.
Pos de camphora e outras difirante*
S3_>
LIOIDACO
NO
de fazendas
Lourenco Pereira Mondes Guimaraes. proprietano do armazem
denominadoGARIBALDI, tem a honra de participar ao resratovel.Pb^ 5.nj?
,-eoebi lo diversas facturas de fazendas/de novo gosto, para a festa, es ando > espera de
novas encommendas que deve estar aqui at o da 15 de novembro *
,..,_ ta.n lomnA ant,., rio halanco de vender tantas fazendas de enconmenda. p a
jue nao tem tempo antes do balanco de vender t
so resolwu fazer urna quidaco para ver se da ma.or estracao por isso em vwtos das
circumstancias vender todo mais barato do que em outra qualqacr parte, na toa da
lmperatriz n. 56.
ADMIRLM-SE DO QUE E' B.VRATO
Chamalotes a 560
Vende-m chamalotede cores, de algo d'
para vestidos de senhoras a 560 o covado.
Alpacas Usas a &0 rs.
Vend -se al|acas lisas para vestidos de
cOres, para senhora, a 500 rs ditos matisa-
da> finas a 70 o covado Ditas lisas mui-
to laigas a 640 o covado.
CORTES DE PERCALES A 6:000
Vden-se urna grande porgo de cortes
de percales de duas saias para vestidos de
senhora, de mnito delicados gostos com
16 Va covados a 6,5 7*000.
CAMBRAIAS LISAS DE CORES A 600
Vende-se urna grande porcao de cambraia
hsa de todas as cores para vestidos a 600
rs. o metro.
rganbys Moderaos a ** rs.
Vende-se organdys de cores para fazer
vestidos, de duas saias, agora modernos, a
800 rs. a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE CHITAS NOVAS
E BARATAS PARA A FESTA
Vei'de-se chitas francesas muito finas de
Gangas para ealca a3O rs.
Vondem-se urna grande porgo de gangas
para caiga de hom-m e menino a :i0 o
covado, cortes de castor para calca a 6'tO
cada um.
Brim de cores a 400rs.
Vende-se urna grande porco de duas
faces para caigas, palitots e colletes de ho-
mem e menino, fazenda inteiramente nova.
Brim pardo liso a 500 rs. o metro, dito
trancado fino a 800 e 15000.
Grande llquldaco de chapeos
de sol
Vende-se chapos de sol de alpaca com
pequeo defeito a _d e 30000, ditos finos
de 12 astes a 4,5500, ditos de seda finos
de 8 astes a 7*80u, 8(000, ditos de 12 e
16 astes a 100600, para liquidar.
chita para cobertas a 40 rs o
covado
Vende-se chitas francezas para cobertas a
240, 320, 340, e 380 o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vende-se cassas francezas para vestido
a 240 o covado, ditas muito finas a 400 rs
lramte atuiazem de taads c ronfas feitas ra daHriperatr
n. S2, porta larga, dfrParede<eHo.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimeato
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3& 3^500 at 6& Ditos dt
merino, ditos de casemira de-cores bonitos gostos a 5;>, 6& 8& e 100, de panno proto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos d alpaca branca
3 decores de 30500 a 50000. Calcas debrim de Gr finas e oidinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fine e ordinario, ditas de casemira
le cor e preta de 40, 50, 6^ a 150. Colletes de todas-as qualidades e prego muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodSo e de linho de 20 at 50
urna. Sortimento de seroulae francezas de algodo, de- linho e bramante a 20 o 20500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os-precos. Meias sortimento completo-a 30.
40 at 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENIN0&
Encarrega-se do qpaesquer obras de encoramenda tanto para homem como
para meninos, e com brevidade, por isso qpe tem u.bonito sortimento de faaendas de
todas as qualidades tanto era casemiras como brins, pannos finos e outras muUas fa-
zendas.
FAJENDAS
Bramantes de ti palmos de largura a 13800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 6_0 rs. o cavado.
Poilde-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 1026i
Basquines de guipure enfeiladas a 180000.
Sortimento de ehitas escuras e claras a. 280, 300 e 360-ra.
Madapolo fino a 60500, 7& 80 e ^OOO.
Algodo pega com 20 jardas a 40500, 50500 e 60OOCv
Peca de algodo largo a 70500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
feita que se est liquidando na loja roa da lmperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LEaO DA PORTA LARGA
SE
Paredes Porto.
Machinas a vapor de
forqa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Ubit-
field.
Prencas para copiar carcas.
Fogo americano patent
1
DO
rS^uraHaO J. como percle, B_S p.ra ves,ids a
coi es a 280. DitiS .uaM___u_ .-._.-_
ditas escuras escocezas a 30. diUs aleo- 440 ocQvado,
xoadas a :!60, ditas garibaldmas a 360 o
iio. Sortimento de cWkascomo tem o
Garib^ldi ha poucas lojas que compitam.
FUSrAES PARA VESTIDOS A 400 RS.
V-nde-se fusto de cores para vestidos a
400 rs. o covado.
COBERTORES A 1:400
Vende-se cobertores de algodo a 10400
GRANDE SORTIMENTO DE MEIAS
Vende-se meias cruas para homem a
30500, 40. 50, e 60000 aiuzia, ditas pan
meninos de todos os tamanhos a 305uO e
40000, ditas para senhoras e meninas a
30500 40, e 50, a duzia.
BALES DE ARCOS A 1:500
Baloes de arcos a 10500, ditos modernos
cobeilaa de chitas frita a 10600. a 40000.
Chales de mcrloO a 1 | ATTKNQO
VVimY-14! -halesde Merino <1e otros es- Tem-se para vender nina grande purga
tamp.diH i _5000. dim ius a 30500, di- de roupas feitas __ s fln<.s a 50 5-500 e 60000.
!TAS PRKTAS A 160
10.;
tudas as qualidad
rer enfHd'in__._rar.'; ipradO
Scbonete de alcatrdo.
Antonio Nuaes de Castro..
Este acreditado prnparado, que to bn>
'-ceitacSo tem merecido n'esta provincia
'imito se recomme.iida para a cura certs
impigens. sariins. caspas e todas a>
ca:i>
Uu*b
lina grande pory o di
^ em retalho a 160 o COV
r.tallios de chit e la de
ende barato.
grande purclo v- corpmbfi
iOe 400.

imeu c C,
-S4.
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste estabelecimento se encontrar diariamen-
te um completo sortimento de pastelaria de todas
as qualidades para lanche e sobre-mesa, ele, etc.,
bolinnos de todas as qualidades para cha, presun-
tos de fiambre, bolos ioglezes, pudins, e finalmente
todo que consiste em urna boa pastelaria, com a
maior asseio e esmero, cha hysson, preto e miudi-
nho do melhor que ha no mercado. Nesta casa
tecebem-s^ encommendas para casamentes, bailes
rbaptisados, compreraettendo-se os donos do es-
a belecimeoto a ser ir o melhor que for possivel
a vontade do frepuez, dispondo para esse fin de
um completo pessoal. Reeebe-se avnlso toda e
jualquer encommenda, como sejam, bandejas,
bolos e paes-de l decorados, doces d'ovos, seceos
e de calda e crystalisados, fructas naciooaes e es-
trangeiras, amendoas confeitadas, um completo e
variado sortimento de caixinbas de todos os gostos
e precos, para mimosear senh.iras ; estas caixi-
nhas recentemenie chegadas de Paris, sao de pri-
morado go to, offerece molas aos galanteadores do
helio sexo, pois aellas acharan um digno e serio
presente para as donas de seu* pensamentos lico-
res, vinhos finos de todas as qualidades, conservas
lamlhos em latas. Os donos deste estabelecimen-
'S nao pulpando despezis, fazem lodoso*
iturcos para servir o resp^ilavel publico o me-
h nr r|iii fur possivel. e sendo principiantes e lu-
eando com todas as difficnl udes, esperam a con-
-i>rrpni-ia il<< respeitavel imlilicn desta capital, na-
ionaw e eiir.ingfiros.' Perhincha : legitimo vi
hi> iiiiisra'el i-m caixa*. que w vende porcommo-
|,. pn-i; |iit.-i |irtirulaiv e n;ira negoi-in. .
Loja de miudezas. de FERREIRADA CU-
NHA A TEMPORAL. est3o quimando por
todo precu venham ver o que O bom c ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de 240 a !&
Linbas- em novellos do WO jardas a
OOrs. __,_
Ieeas de tranca, de todas as eres a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
o 20000. *
Frascos com oleo baboza 2i0, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extoacto 160, 320, 500 e
Ditos com banha 320, 500 e 10200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs-
Baralhos de cartas portuguezas a 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes a 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 2W rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
10200.
Lindos port-main 240 rs. _
Pentes de travessa para meninas 200,
320 e 400 rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
30800
Ditas de ditas para senhora a 40500.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 10200.
Pecas de entremeios a 500,640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira doorada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pentes brancos Anos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
eitractos a 10500, 20000 e 30000 ao par.
Jogos para vispora a 200, .40 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nan^a onde contina a vender
pelos baratos preqos de seu an-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanqa.
Roa de Qnelnaado n. 3.
Tnico oriental de Kemp.
Alada niafeee^nes.
Um outro sortimento de cuques de n*
vos e bonitos moldes eom fitas de vidrlbo
e alguns d'elles ornado* d flores e Ata*-
to todos expostos apteciatao de que
os pretenda compras.
GOLLINHAS E PNHOS BORDADOS.
Obras de mnito gosto e perfeifao.
Vlrellas e fita para elatM*
Bailo e variado sortiHK'nto de taes okjoc-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do-caa,
prdor.
Bartholomeu & C,
VlNHO, PlLULAS, XaOPB I TTOTOaA
de jurubeba simples k fbrrvounmo;
Olko, Pomadas Emplastro da misma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & C
Pharmaobutico8-Droouiot_
PEMAHBl'CO
A Jurubebi : eelt pliMa koj*
como o mtit poderoo torneo, cmm
clesobslrneou. e cobo Ul pflkaJ* bm |
do ligado* baco, hepatiut, dr, liwtl
nos e especialmente do otero, kjnfttlatj *
pellas, ele; associsds ao farro e aul |M
corea, chloroses e falu i Hnaae^ 4aoai
jos do estomaga, ale., o *ja* duiaaaa Ma
inaomeru caraa i_paruta* aUrfaa aaaj
Sreparado* J htm eonbeci^M *<* pWI
iitiocios adioaad* paia Panagal. Km M
mhm itfMum iialiih-a frats UT
malkor haea eMhacw t ItnkA nm i
aappUeafft*.
i prpeo. v
da lu n. 56.

C1MIM0
de
[iti
verdade' to; na roa da
>s n. i em de Jo5'..
Barros.
VEEOADEIRO LE Rfl
IIGIMIT, Dlctct 'Utmn
Ru da Saine, Cl, A PA.ni.
1
ti SSJR* ba
Attenq&o
Na prara do diipo Santo d. 17, 1
andar, vende-se nial? barato do que em
onira qnnlqiwr par1(, ,. ,| de Lisboa o
i>utat>sa da Hussia ,<
radi>, assim rom1
P'-riur quali4rj_ e|
I
I
iiitm n



,', :vi

Diario de Pernambuco Ter^a fera 26 de Outubio de 18(59.
A ESMERALDA
LOJA DE JOUS '
DE
&c
Este antigo estabelecimento. completa-
mente reformado de novo, est as condi-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, ujos preqos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate.
&
19
SAO
l!f,A 15

Superiores cortes ile percoll com barra, para vestidos a i-> cada corte,
Lindos corles de gazc de seda com 18 a 20 covados pelo baralissimo
pnvo de 50000 cana corte, na lojadas colmmnas, ra do Crespo nl3 de An-
tonio Correa de Vasconcellos.
i*=n -

MHi
0*
0LVE11.({CAMAL[I0
Successores de Reg &Moura.
24 Bmi Nova 24
Os prnprietarios deste novo eslabeli'cimento fazem scienleao ublico, que
acabamde receber um perfeito c vaiiado ontr s militas fazend.is dr g-stos moderna. ;is quaes wndem por precos razoaveis.
O nn'Siiios scientilieun ipii-: i-.idoaiimitlido para sua ollicina de alfaite, um artista hbil
no desempenlio de snas runn;oes, recebe-m f|'Mlquer eiicunirnenda de roupa por medida
prouieltcado satisfazeran, com pontualidade e presteza qualquor pedido ueste sentido.
A VERDADE
55Ruado Qeimado55
A VERDADE tendo em deposito grande
quantidade demiudezasc perfumaras, e de-
sojando apurar dir.lieiroe adquerir boa (re-
guezia est rssolvida a vender muitissirno
barato, ; por essa razo convida ao respei-
tavel publico a vir competentemente muni-
do a sortir-se do bom e barato, Pois quan*
do a Verdade apparece, tudo mais des-
apparece-----
Grande sortimento de bonecos do cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Ricos globos para candieiro de gaz a
Chamins a.......
Grande sortimento de objetos de
louca para briqquedo de menino
Garrafa com tinta a. .- .
Dita com agua florida verdadeira a
Dita com dita dita a .
Frasco com oleo de babosa a 500 e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Garrafa com agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
Latas pequeas com banha rauito
fina a 12 e......
Sabonetes de diversas quali lades a
80,160,2406.....
Finas escovas para dentcs de 120 a
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, dezia a 240 e .
Escovas para factor 500, 600 e
Ditas para cabello a......
Pentes para tirar pioliio a 160 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pecas de tranca de la com 8
varas por.
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Peonas d'aco finas caixas a 800 e-
Dita d"aco Perry, caixa a. .
Galo de algodao peca ....
Lindos babadinhos e entremeios
peca de 500 a......
Botes de madreperola, groza a
Ditos de louca muito fino a 120 e
Ditos para calca a K>0 e. .
Caixa com papel amizade a. .
Ditas cora envelopes a. .
Ditas com obreas a.....
Caixa comagulhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 240 e
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200. .......
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a......
Carlas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2#200 e .
Papel alinaco e de peso, resma a
3#i00, 3,5500 e ., .
j5a muito fina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, peca a .' .
Pentes finos para segurar ca-
bello a ...:...
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 210, 320 e......
Caivetes grandes, com molla a ,
Ditos para aparar penna a .
Cartes com colxetes a .
Rosetas prttas, par a .
Tranca de ISa d-caracol peca a 40 o
Fita de coz peca a 480 e .
Alfinetes de lat.'o-a.....
Sapatos de 13a para menino a240e
Ligas pa'a senhora. par a. .
Gravata de sedas de cores a .
Calcadoras a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha por
100 ris !!! t! I
loOOO
320
100
800
l>30n
M o
720
500
11*500
!#000
200
82v
600
2(5(500
320
700
seo
240
200
80
600
fJOOO
'yiOt
400
a #oo
600
200
240
700
480
40
280
160
500
280
500
100
9fi\
1^400
:Jj3000
4(9800
07OC
160
480
320
50^
3u
100
40
100
100
560
i 00
80d
160
260
80
LOJA
!AM 1
DO
GALLO VIGILANTE
Una do Crespo n. 1
Os propnetarios deste bem conliecido estabele-
cimento, alm dos muitos objectos que linuam ex-
postos a apreciadlo do respcitavel publico, man-
daram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finas e mui delicadas "especialidades, as quacs es-
tao resolvidos a vender, como do seu coitume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas c de mui lindas cores.
Hu bas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques do madreperola,
marfim, sndalo c osso, sendo aqueltes bramos
com lindos desenhos,e estes pretos.
Muito superiores mcias fio de Escossia para 86-
nuoras, as quaes sempre se venderam por 30J000
a duzia, entretanto que nos as Tendemos por 20<5,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras cualidades, entre as qiues alf urnas muito
finas.
Boas bengalas de superior cama da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o qae de mofhor se
pode desejar ; alm dess temos tambem grande
quantidade de oatras quatidades, como sejam, ma-
deira, balis, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, benitos e airosos chicetinhos de cadeia e
de. oRtras-qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda o borracha
parasegerar as mcias. *
Boasmeias de seda para-senhora epara meni-
uas de 1 a 12 anuos de idae.
Navaibas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.-e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, -e nos por nossa ve: tam-
bem asseguramus sua qtialidade e delicadeza.
Lindas e bellas cabellas para noiva.
Superiores agultias;ara machina epara crox.
linha muito boa Se peso, frousa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltrete, assim
cono os tontos para o mesmo lim.
Grande e variado-sortimento das melhorespor-
fumarias e dos memores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnficos contra as convulsoes, e
facilitan) a dentioSo das innocentes crianras. So-
mos desde milit" recebedores destes prodigiosos
collares, e contincamos a recebe-los por tridos os
apoma, aflm de que nunca Caltem no mercado,
orno ja tem acontecido, assim pois poderao aquel-
tes que delles precisaren), vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encoritrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-sc ao fim
para que sao appHcados, se veoderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dasebjectos que dcixamos
declarados, aos bossos freguezes e amigos a vircm
comprar por precos muito razoaveis toja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.'
0 NNK DAS
Nova loja de mmdezal
Meaos fto % do que eit'onra
qtmlquer parle
Henriquc do S Leito paitceipa ao re-p.;Ur|
publico, com especialidadi: ao sexa a
tem aberlo na da Impcratrii n. M um grande
e importante eslabelecinientode miudezas como
titulo deVA-Olt DAS KOVIDADKS-lde n pu-
blico em geral uoontror con cmplelo sortimento do tudo quanto ha deiinis
moderno e do mais gosio nw principies pai-
zes da Europa, leudo para este im um v .p.r es-
pecial com o titulo cima indicado,
O proprietario adiando muito eufaddnho, ou r.n-
tes por assim dizer quasi que linpossivd mencio-
nar pelos seus nomes e nregus os ibjcctosde josto
existentes em seu estabelecimento, por isu cun-! al 1 ^i ".lad<.- 1. \i que a pprtL_
tenla-se apenas ora mencionar aquilles tji julga | a |evcm \ rua (i \r.M,nm r.:, on n *>
a pal n i! "
para a
la ja volii
baslanl
Iciru de 11 ma trrnxa >iMiKki
(!.:U- vesli :' eistm:^
e outro cui irta-st qoe tti*
neculla ''ni; i^ui'.ia cas.i. pd-J qt .- pn* 11a a po.-sca iji'.e a liver --'ui sna casa, e ni$t-f*x
mais rticommendaveia nao s pela sua bolleca c
elegancia como lanibein pelos prec^is qae sao ven-
didos, dcixando os oulros que estn expi t'.js oni
seu estabelecimento para serein alminCus polos
proprios compradores.
Vejam o qup c Lom:
Lindsimas camisinhas bordadas e en fritadas
com lindos e elegantes enfeites, proprios para as
senhoras de bom lom; vehdo-se por pfeeos muitos
commodos.
Lindos coques a imitaciio de cabellos que em
outra qualquor parte yenuem por :)^iQ, vmda-se
por z3OO0.
Guepw branco e prelo com iin.los o delicados
padres, a i3o00, 2^000, 2#5CO,
o metro.
picio n
sado.
I". <.rc >eiM tnirauotute
Gratiticn-se con 200> por nula
um. r mais, conforme a tancia em quo torem capUk.
rados.
Do engenhoSoledadc, em Porto CsIto, krki.n
juntos no da 7 do mez pas;>lo, ikms e^crav*. ra\
signaes s3o o scculnle* : imi de 1 "^<.
idado > anr .. nalnral do'>ar3,r'i'rabr3,fra
! um pout'o discorado qu.inild :pi'>. tem nsrabrlns
\K>0 e i#OO0 j carapinlnd '- olhos grandes c mm, bita V wn
, j denle na frente, tMlu ctnaprid 1 r\fo.r. [fi
Leones dealla novidadeem Pars, sendo do osso, arn;, ()-,r Dasn ^0 ,,,,,; ,_ estattm 'repnlv. ilb
osfo seda, sndalo o seda s, e or.lros salpicados I feto de, rorro peni:.-; ari^a, [ tffn**r c
delMttijuilas, ditos de madreperola e seda o mais j,em feW( Cl.., marea lJe llMJ fl.r.,;,n rm rj^, ,>
elegante'e moderno pos.-ivd, ditos de madeira,
sendo lisos, arrendados, c ouiros guarnecidos cun
ricas palmas; ditos biauces com flores do'.iradas.
ditos de osso e seda,diiosbrancos e proprios para
naivas; ludo por preoa lo dimiiintiis que s o
(reguez vendo a qualidade e elegancia poder j dar
crdito.
Verdadeiras mcias fio da Escossia para sonlio-
ras, sendo lisas, bordadas e arrendadas, o mellior
que possivel haver para apalintios razos; por
preQos commodos.
Ditas cruas tambem para senhoras, fazenda
milito fina.
Ditas fio da Escossia com listas de c .'re?, para
homens.
Verdadeiras meias inglezas para homens, blon-
da muilo lina ; a 83 e 101 a duzia.
Ricas chapelinas para senhoras, chegadas rsfen-
(emente e guarnecidas de ricos e elegantes enfei-
tes desetim e llores linissimas.
Lindos Uncos de cambraia de linho, bordad
agulha ; pelo baratissimo proco do l OO o O>X)
Ditos de cambraia tainhem bordados i 00 rs.
Lindos cachos de llores francezas o mais modei-
110 pnssivel e de mellior gusto, sendo : ros?a, lio-
tes solios e botones oni cachos de lindas cores,
polo baralissimo jireco de 15300 o cacho.
Filas largas proprias para cintos da liltma
moda, de muitu lindas cures e por presos muitos
baratos.
Completo sortimento de ricos o elegantes enfei-
tes de seda o mais moderno possivel ; como soj.im
Escossezes o de outras qualidades, estSo Constan-
ATTENCsO
Vende se urna escrava mulata, recolhida, de 27
annos, sabe com perfeicao engommar toda quali-
dade de costura,borda faz labyrintho, urna criou-
la de 30 annos, perfeita engummadeira e cozinhei-
ra por l.OUO, quatro dias com ludas as habilida-
des, um escravo para todo o servico de 26 annos.
una escrava mulata de 30 annos, "ptima engom-
madeira e cozinheira por l:000 : na travessado
Carino n. i
Vende-se uina casa acabada ha punco lem-
po, na patrada nova de Bberihe, tambem tem
urna pequea armaran de taberna na mesma casa,
e est muito afreguezada : as pessoas que prelen-
derem dirijam-se ao lim da estrada, ou ra do
Borlas n. 7, reflnaeio.
Panno do algodao da Baha, proprio para
roupa de esrravns e saceos para assucar : vende-
'se""no"serptrio do Antonio Luiz de livcra Azc-
vedo & ()., ra da Cruz n. .'>7, I" andar._______
V'ende-se um sitio no Campo Grande, que
faz frente da estrada que vai para Olinda, cujo
siiio tem S'iO palmos de largo e 1,680 de fundo,
com bstanle- arvoredos de fruetu e alguns [es
de coquoiros, ma nao lejn casa, porm muilo bnm
terreno de plantacao etc., : quein pretender diri-
ja-se a ra do Imperador n. 54, loja, quo so dir
com quem pode tratar.
Garante-s a casa.
Vende-se a taberna sita no sobrado n. 27 ra
de. S. GoiMjil", com alguns fundos ou Unios ca
competente armario : quem pretender drija-se
mesma, ou nu becco das Barrenas n. lo.
anuda* cao aa daspemis, c fcll? rtordn>-
embaracatki O outro !; noine >l;.nfl, lamben
cabra, tem 33 annos de i-Jade, uaural de
Granito do Norte, catatara m" liana, espigado, ser
barba Benbr.r .-. r rto i'orto, incmn
vivos, nari? p !' u reg'ikir m ,, ^ura,
pcrfeit'is rtp>
tares, ?abe I r o i i ,, mea sb '-. a RriMa Jr
Improviso, i mnnidii deh?tb*i Aj.
l)os foram cntupriid'is n*-ta ciIs Exm. 8r. barau de ^a/jretH, o printtfoeaa jaRki
de iHi'i c nrneej a-
00. E-I.O I I lillljl? i
pornSoteri FcTriibi ca-ti,'i ai/oan. Ib^a
portanie, :.s poKriues, ra-1
campo, un i i |M m Bi nti de -
raptomr, e leva-lu i ssii oubi-r. Kmnrise-
Paula Cnvaleanle d
engenbo Sol dad : i le] i Catru, <*i
nesta prara S i Sr. Jon ; ,; u H
de Meii, ci.-. ccripl iii w. iarp d C ty
n. 17 1 andar. p* <] :m pi! I ''' pettas
se dar a gratiflcarSii i -i' i ;:ivi. I
23 de ontnbni de 18W.
i NM
Do MgfIlO .'
ragio na noittedodia II pa a \i iu rermet.
'. xav i crbiul i de ni.me Aabw i i i raes a
de alg dio an I nova e cereata di- ato
rieano, chap de pilha j veWw i mab alcun^
ronpa, l>;i : ihi;.;. ; ; i
po e tem ;- [unas d un pa.c, grnejes,
este escravo fiivinJo :; Pao d'Alb. para'i-;
.. escravo :< i vindo i
teniente a venda ra da Imperatriz n. 30, onde so dis nisii i r seguido ; ;. ;.s an: ,d..c
as Exmas senhoras poderao HftiUiflr avitade I ooliciaos e eapitaes decampo, i captura i f*i
ou mandaren) buscar as amostras, sendo todo o esrravoe, lera-lo ao sen souhor rn^-nlx.i ac-
mais barato possivel.
Lindas boneerinbas de louca pelo baratssi n i
preco de lO.
Grande sortimento de eseolhidai las proprias
para bordados, a 73 a libra.
Latas com superior banha franceza a 16-1
Fitas de velludo pretas a 15 a peea,
Gollinhas bordadas a agulha a 2i.
Agnlnaa para crochet a 160.
l.inos bornes de selim para enfeites uo vos.idus
de todas as cures, a WO rs. a duzia.
Grande quantidade de Dnissimos catangas que
se vendciu com grande abailmenio.
Alm dos objectos cima indicados existen] mui-
ma ni icioii ido, que o rceojip
mente.
ATTENCVO
No din I d o ; i igie du engei I fi*n
Jai Jim Ji fregin ta la .' :a la, o<
cujos signacs sio os ; ,- r *. i... srnV
curpn, estatora repniar, bem falii, a M i
um podaotvda orelha duvtU de l,i'i. d m\ .
fui surrad. i leMunr |e > iv-i
chap i d > i i i-a~ ronpa, r i
tos oulros quo so a presenca dos freguezes pode- i pauhi.i orna intrllier n a i wm fe r. I n
rao avallar a diSerenca dos precos o da quafyladc
qnefazdos de outia qualqner parle.
U proprietario convida a todas as pc-so.i- 'i
geral a visitarom o seu eslbelecmenlo o qual se
acha aborto desdo as 6 horas da nianhaa at a; 0
danoiie, certo de que as ditas pessoas encontra-
rlo no proprietario e as mais pessoas do
lecimenlo o maiur agrado c sinceridade em lodj e
qualqner Begocio.
Loja do Vapor das .\ovidades
Hua 'a SaE!po';ar!z b. j .
preta, esl-3 e i ceooprado a raen leaq
nesta ; .. Pe !, i Jurga, i| i,.
levar -
nesta pi i \| o la & ('... .
lr> Ha d < !'.
uiopcons: lo.
'.I, -..j | .. -
fi
IV ISO
VENDE-SE
urna escrava para o mallo, sabe cozmlur, engooi-
mar, rozo, lava : na roa da Concordia n. 13, i.;
6 as 8 horas da manliaa, a tarde das ;i as u.
Vende-se a taberua Flor da Palraeira: na
ra da Taima u. 37.
["o; ra?,
i Antonio, ,i. i*i I i^ji-
on meo -, do ,:-,:i ra ri 5 r.i
frente, nm pe; para
diante, ral^a .lo hriin panto, tarafn
: de est. pa, le piha J 1 Ek mu '*
ciavo vi aja Ka tei
' pde-so ler para alli f ido 1 ra h 7 ''
vo-u a roa da Coi rardia ::. ., refiu ->t
I bem gralitlcado.
V.*l Wi^V,-M{!f\Efrt
AQUE
APPROVAOO PELA ACADEMIA CE MEDICINA OE PARIZ
O Qsiniam Labarraque, eminentemente tnico e febrfugo deve ser
preferido i todas as outras preparaedes de quina.
Os vinhos de quina ordinariamente ernpregados na medicina; preparam-se
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; parte disso, en-raza o de seu modo de preparacao, estes vinhos con-
ten apenas vestigios de principios activos, e cm proporedes sempre variaveis.
O Quinium 7 abarraque, approvado pela Academia de medicina, con.
etitue pela contrario um medicamento de composicSo determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentcs podem sempre contar.
O Quinium Labarraque prescripto com grande xito fis pessoas fracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotamento, seja por antigs moles_
tas; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem diffi.
culdade em se formar e desenvolver; s mulheresdepois dos partos; aos velhos
eniraqaccidos pela edade ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cares plidas, este vinho ulh poderoso
auxiliar dos ferroginosos. Tomado junto, por exemplo, cora as pilulas de
Yaixet, produz effeitos maravilhosos, pela sua rpida accao.
Deposito em Paria, L. FRERE, 19, ru Jacob
RhkneiTO, DPONCUELLE; CBEVQLOT. Pernambuco. MAURERet*
COM IODURETO DO FERRO INALTRAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
PoMolodo as propredades do lodo et do ierro, convera especialmente as Affeccos
nackorutoaus, a Tsica no pnneipio.a fraqueta de temperamento e tambem nos casos de
Falta i* Cor, amenorrtiea, em que precisa reagir sobre o sangub teja para restituir
Un a w nojuosa e abundencia normaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
H. O tederMo de ferro impuro on alterado um medicamento infiel, y?/
Ma. Ooaa> prora de pureza e de aulh^ncdade das TerteMraa P
*, dve-e exigir dosso ella 4e rrmim rracUvs
aqoi reprodaxida, qa se acha na parte inferior de o
'-. Dere-se desconfiar da* falsificacos.
^*^l**y**e* PharnuKutco, ra BonaporU, 40, Ptt/i
^r*M* wtrr
A
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARUACEUTICO, 2, RU OES LIONS SAINT-PAUL, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
C*m
DE CASCAS DE LAUANJAS AMARGAS
IODURETO de l-OIASSIO
0 Iodurcto de potassio um verdadeiro altrame, um depurador de incontestavel eff-
cacia; combinado com o xarope de cascas de laranjas amargas, e atorado
sem |icrlurbi(o alguma pelos temperamento" os mais Iracos, sem alterar as funcedes
do estomago. Asdosesmathcmxticas que elle i-ontcm permitlcm aos mdicos de reccitai-o
para todas as complicardes as al'fcrcO' s escrofulosas, tuberculosas, canee
rosas e nos accidentes intermitientes e terceiros; alm d'isso, o
agente o mais poderoso cintra as doenoas rheumaticas.
XAROPE TNICO ANTI-NERVOSO
de cascas de laranjas amargas.
35 annos de sticcessos aitesto a sua effi-
caca para curar: as doenoas nervosas,
agudas ou rhronicas, as gaslrites', gattraU
gias; e facilitar a digestio.
XAROPE FERRUGINOSO
de cascas de laranjas qoassia amara;*.
E' sob a forma liquida que mais fcilmen-
te se assimila o ferro; n'esla forma prefe-
rivel as pilulasc pastilhas en todos os casos
em que sao prescriptos os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QUINA, PYREtHRO E
Elixir dentirrcio, para a alvura e con-
scrvaco dos denles, curando as dores
causadas pela caria ou prodazidas pelo
coutado do calor ou do fro
GAIACO
1*6 dentifrico, com, base de magnesia
para a alvura e conservacio dos denles,
proveuiudo a descarnadura, provoeando o
trtaro de que empede a reproduco.
Os verdadeiros COIIAMS BOTZH, os uracos approraaes stb
a Academia de Medicina, tem assim ccr.o os meos oulm proonctoa
atirahido a ciipidei dos falsificadores, que para fjoilitiir soa enaiu
industria nao sepejao, nrm recciafi annunciar vender til-ojCoi
coas mb fose. En previno as familias paia uternte de anu filhos
que, para evitar ralsificaO'?, deven: exigir, que meus Coixaaas saca
sejao vendidos em canas de tamb:-3 de encaiie e corred* ceberta
por i ettiquetas com a minha marca de fabrica e enrerramlo
prospecto circunstanciado, e selladas por urna medalba com afetireiro.
COLLAR ROYER, Roe St larlii, 225. Pari.
iaa
Deposito em /lio de Janeiro, E. Chetolol; c'm Pernambuco, r Maurer e C"; em Haceio,
ralea Das; em Pelotas, Antera Lelvaa; em Dali'.a. Da Racha; em Porto Alegre, Jaa
Brlle; em ilarmhio Prrrrlra e C*j en Ouro Preto, C. i. V Welrraea) em Sania Catka- i
l nna. s. Sebatel\ em Montevideo, O. Initeert em Bucnot-Ayret, Eirhrvarrharda )

CARVAO DE BELLOC
PARS
Approvado recormnendado pela Academia imperial de medicina de Pai para a
cura da gastralgia e em geral de todas as doencas nervosas do estomago e dos intestinos.
egiukneBte e remedio por exceliencia contra a retencio de ventre Finalmente em
ruto de suati yropriedados abterventes, recommendado como verdadeiro remedio dos
_________fe duterina. earvao W Befloe f^^^^^HUao das comidas
MDALHA A EXPOSIQAO UNIVERSAL DE 1867
Para a Superioridado d'a
PERFUMERA J3R1ZA
BCi^gBaTVSSBI
IiTeBtidi por LE GR AND, Perfamisia do Imperador dos Fraacezes,
PARS. 0?, Rus) Snlat-Hoaor, 09. PARS.
REME ORIZA
DE NINON DE LENCLOS
Para dar freteura ;.e>, detruir ai rvgai da cara,
eoiurrcar etcraamtni* a bellex da juttnlude.
OR.I55A. LACTE
LE1TE ANTEP1IEI.ICO
ara refrenar, hramitiear e atufer o r**, (alenda
denppiricer ui nodone ai sarta.
SABAO OltlZA....... D'uma massa excesivamente suave e d'um perfume dos mais delicados.
OHIZA-C. EAM soi'ssiKse. Massa especialmente preparada pnra os baiilios e a barba.
OltlZA-KI.L'iD........ Pomada fnrt lira ule e nutritiva pora coiiservariisrabelloscciiipiilusiliqHfbiareui
ORIZA PHII.OCOME.. Teinno de bol e oleo de avda com base d' qti OHIZA-OII........... Olio (inissimo perfumado pnra luHMMr. cabellos empedos de quebrarrm.
ORIZ v-BRILLANTINE. CritlsUbade eran vilela, para dar brilliu as* cabe lose a sarita.
ORIZA FLOWERS.... Asua iiuomp^iavcl de um perfume nov- e di licado, para foriificardo la pclle.
OpiZA-ACIDLINf.... Vinarra do toucodor, amn e antepliil ,o
lvSSi;.\Ci;-URI/A..... I'iiTuiho coneentradi' para os lenriis pn.ilucln multo ridicaaVx.
ORIZA-1.Y8.......... Prrfuiue do bnm lom e da nlt sociiilaile pata os laico*.
ORIZA-I'OWDKRS.... Klor de nrroi da Carolina para a cara r a bcea da pclle.
ORIZA-IlRNTIFRICK.. I'ara otvtjar os denles e conservar as avagltat
ORlZA-i)KNTAIRE ... Nnva DMSta para alvrjar os drilles sem iie
AGUA TNICA DE QUINA E POMADA DE B
Pin lpsu t uliisriiW da titira, i.-Ji.'a m wbe lea, ts t*rti::'.
DEPOSITO GERAL ao Caza de
em Caza de todos Per ful
E TANN
SOFFRIMENTOS D'ESTOMAGO, CONSTIPACAO.-
Cui-a em poucos das polo cabvao oe belloo em K" ou cm pa.^til'
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. btasa>ta*jte>stss>
sipadas rapuk-.M cute pctai PEROLAS D'ETHER D' CLLATA3.
ANEMIA, A PALLIDEZ c os saftWjjicntcsqne neccsit-imdo
empregodo? feiTugino--os sao ?cn.prc cuinlatido com o melhor resottaa*
pelas piluiAS di vallet. Cada l'ilula tem i^raveA o uome Vi!:.
PO DE ROuE. E:sta dissolver um fraKO d'estt po cm meie
garrafa d'aguajnra se obter vina limonada fradavel qne purga sem l-
ser clicas.
VINHO DE QUINIUM le t/barrr.q.,t. r%te visto,
poneos enj inc garadlida constanu, ': orna d^s meHior. -parar&cs de qiiinino, ??m sccSo notavel sobre os ccnvalessenfas, dnls*
Ihcs forcas c apressande a rolla a saude. Otra as fe! res antigs que re-
sisti ao sulfato ce quinino.
- MOLESTIAS DA BEXIGA. A matar parte dess Moles-
tias, como as sciaticas, iombagjs, caiairos, e todas as dores nervosas en
geral sao curadas pelas PCROLAS OE ES8ENC1A DE THERCB NTINA da
Dr. Clertan. O profissor Tronsf eau em sen Tratado de foerapeuiica acos-
sclUa as para screm tomadas na oecasiao do j&ntar, na dse de 4 a 12.
OLEO DE FIGAOO OE 8ACALHAO OE BERTH-
Gonntido puio e de primara qualidade, un) Aos poucos aprovados pela
Academia de medicina
AVISO.
fes medicamentos f&r*yn aprovados pela Academia
imperial de- medicina de Pars.
I>. 1TBERE, 10, roa Jacas
) Pernambuco. tu


esa*!


H
CAMkU DOS SRS. DEPUTADOS
SESSO EM 27 DE SETEMBRO
h-sioxcu do sn. neb \s.
(Gmtinmcuo)
0 fti:f HRinA ba Silva requ. urgencia
pira que, dispeasada a impn rio, seja
hweHia votaco immedia: nenie a
ama redaeco.
Gusultada a cmara, approva
lugo era segada a referida
-L-se. e vai a imprimir
1 ordun dos trabalhos, a
Diario de Pernambuco Ter^a feiru 3t> de

f.
du
urgencia
rodaccSo.
p3r,i mirar
redacta do
mandando admitir matricula
luJ* ihi do curso medico de qualquer
fealdade de medicina do I nperio a Feiippe
Bafcie Cardoso Pues.
O Sa. 81000 Veuio reqnar urgencia para
q. dispensada a impresso, soja sub-
ateiiidj imm 'di itam 'rite votaco a mesma
mdaecS'-
CmtiuP'ula y cmara, approvda tamo
"i traenria, como a emenda da redaeco
O S. BENJAMN justifica e manda
m-at 9 seguate ruquerraenlo :
Refariru que seja remetlida a esta
asura por intermedio do guverno copia
*is Maniates documentos :
l." lia ropresentacao que contra o
jaz de direHo Julo Braulio Mohnos de
Viiht>a iirigin ao goveruo imperial Manoe
femara de Brito.
< I* B dacite dos guardas nacionaes de-
jados cernejudos pelo ex-commandante
' mt>n>,r du termo do Juiz de Fura, Jos
tantn Rodrigue* Horta.
3 '- OpM do pmeesso. instaurado ao
tmrmei Jos Haetisl 1 de Figueredo pelo
-cfaefe de polica de Minas por Manoe!
J. Gomes Uabello Horta.
Saia das sesses, ^7 de setembro de
19S9.---f^niamm.
Dada a orden do dia, levanta-se a
sesso s quatro horas da tarde.
na das 2, 29 c 30 de setembro, e
Ai oulubro nao liouve sesso.
i"
SI->S\OE\I* EOUTURRO.
lili:silK>CI\ DO SU. NEBIAS.
\s 7 fioras da tarde feita a chamada, ve-
&aa I.ave." numero suficiente, e abre-se
a anasift
L-se a .ippr^va-sc a acta da aitece-
kuie.
O Su. Ia Sb-cuKTAiuo, d conta do se-
jpiiule
HflTBWTTTf
Lm oiieio do ministerio do imperio, eo-
auo o autographo da resoluto da as-
ae-obla geral creando varios collegios elei-
teraes em diversas provincias do imperio:
aa qual resoluele S. M. o Imperador con-
eae.V archivar, ofliciando-se ao se-
nado.
<>ulro do mesmo ministerio, enviando,
ew additamento ao aviso de 1 de julho ul-
timo, as copias das consultas da seceso dos
utjerios do imperio do conselho de estado
sobre os autos da presidencia da provincia
do Ccara, pelos quaes foi suspensa a pu-
btcaco das leis provinciaes que consta
do referido avi 0.A* commissao de as-
erablas provinciacs.
Dous do mesmo ministerio, declarando
ju se expedir avisos as presidencias das
provincias das Alagas. S. Paulo, Baha,
Piauh) e Sergipe, c-rca das decises desta
own sobre varias leiees feitas as re-
feridas provincias.Inteirada.
'Jj'.ro do ministerio da fazenda, trans-
Mittiudo o autograplio sancionado da roso-
Jtico da assembia {.'eral, que autorisa o
governo a conceder a Antonio de Lacerda
cacao de direiios para as materias e oh-
aefas ne ssarins einprexa de que con-
cesmeaariu o capital da provincia da Ba-
fea. A aivin\ar, olliciando-se ao se-
na
Oiir. lo mismo ministerio, transraiUJodo
o ificiu lo juiz de orpliiofl e ausont-sda
c;t e a relara 1 e autos a ue o dito juiz
re ere, estes da aueadaco dosbensdo
eii; Jastiniano JardiiD e outros,
.occ.-->. s de airecadacao dos
eos |i'.-ii'iicc!ites a olliciags e pracas da
arviada nacional fallecidos no decurso da
-r3 do Paraguay. A quem fez a requisi
Jalro do ministerio da Justina, remetien-
do a n)pia da commuuicacao da vice-pre-
aid*cia da provincia da Bahii-, declarando
que o juiz d; direito Casimiro de Serna
M 'm-eira aceita a comarca do Teixeira, na
provincia ua Parahyba.A' quem fez a re-
^liiciiii.
tlut) do ministerio da guerra, remetien-
do o roquerimenlo no qual o capillo refor-
ta:.Uy du -excreiio lose Antonio Marinho r
Qaeinu pede ser dispensado da restitu -
^ii> do sold de sua reforma, que recebeu
durante o lempo em que, como fiscal do
cor} do polica da provincia da Balda,
rwiiou Berwjo no e\''rcito em operaces.
A'cmmisso de marinlia e guerra.
O;itro d ministerio de estrangeiros.
participando ter enviado legaco de S. M.
Fidtilissima, para que remeta ao governo
portugus, copia do parecer da commissao
de diplomacia, relativamente aos agradeci-
naiias desta cmara pela maneira honrosa
purque se dirigiram A naco brasileira as
cmaras dos pares o diputados de Portu-
gal, etn con suplencia dos triumphos alcan-
caios pelas armas do imperio contra o dic-
tador Lpez. Inteiroda.
tro do Io secretario do senado, en-
viando, afim de que se faga afijevida recli-
licac>, copia (lo oflkio do Bnisterio da
Nuerra em que declara que o coronel Jo3o
gisderaeur SobHnhj morrea no combate
A; Avaby o nao do Iloror, como vem exa-
ad* em urna prop)siefw desta cmara,
qjto approva a pensio concedida viuva e
* do dito coronel-.A' commisaio de
edaccio.
Omito do mesmo secretario, participando
que o senado adopten e vai dirigir sane
*> imperial a resolufao da assemWa ge-
raL ^ue concede isenco de dircitos de im-
f uraco dos machinismus c mais objeclos
cijceusaiios para a illuminaclo a gaz carbo-
mk4 para a canalisaijaoibts aguas e esgotos
* prezas quu se propuserom r" realizar
UtL melheramenlos as cidades de S. Paulo
degautos.Inloirada.
Quatro do mesmo secretario, participan
da^pe o senado adoptou, e vai dirigir
&racflko imperial, as resolucQes da assem-
If4eajferal approvando varias penses, e con-
cedaido dez loteras ao Imperial Hospicio
d')Staiuro.Inteirada.
Em requcrimoto de Vieira Ferrii
I
Sao u (
Oatro de Lutz Frederico Codoceira, pe-
dindo metricular-se no 1' anno jurdico do
ftecife, faiendo antes o esamn de pbiloso-
phia.A' commissao de instrucco pu-
blica.
Le-se, c c dispensado da impiessao,
um projecto concedendo dez loteras do
valor de 120:000;$, para a reconstrucc.ao do
theatro de Santa Isabel, em Pernambuco.
LCm-se o v5o a imprimir dous
projectos auiorisando naturalisaces, e con-
cedendo loteras.
Achando-se na sala immediata o Sr. Jj>'>
de Almeida Pereira, depuiadu eleito pelo 2"
districto eleiloral da provincia do Rio de
Jaueiro, iniroduzido com as formalidades
do eslylo, presta juramento e toma as-
sento.
0 SR. COSTA PINTO E O SR. MINISTRO
i)0 IMPERIO oram largamente sobre pol-
tica. (Estes discursos j publicamos no
Diario de 16 e oulubro).
ORDEM DO DHL
Entra em Ia discusso o projecto ap-
provando pensoes concedidas a Jos Luiz
dos Santos e a outros.
O Sn. Diogo Veijio pede e a cmara
consente que 0 projecto tenha urna s dis-
cusso: na qual entrando, approvado
sem debate, e remeltido commissao de
redaccao.
Entra em 3a discusso, conjunctamenle
com parecer da commissao de c.onstituico
o projecto fazend > extensivo ao bacharel
formado na/aculdade de direito de Pariz,
Francisco Gomes da Silva, a desposico do
arl. i" do decreto n. 23 de 30 agosto de
1834.
Ningueiv pedindo a palavra, e in lo pro-
ceder-se votagao, reconhece-se nSo haver
numero legal; pelo que o Sr. presidente de-
clara encerrada a discusso.
Enlra em 3* discusso o projecto
(vindo-do senado), declarando que o as-
sentos lomados na casa da supplicaco de
Lisboa tem (brea de lei em todo o impe-
rio.
0 SR. ARAUJO GES:-Sr. presidente,
realmente um lauto desanimador ocjo-
par a altencao da cmara depois de urna
discusso importante como a que acabou,
e em vista de urna debandada (liilaridade),
segundo se tem presenciado ; entretanto eu
me animo a fazer algumas observante*
respeito deste projecto, porque elle envolve
materia grave, que nao presto mea humil-
de voto.
Sr. presidente, este projecto f.ti indicia-
do no senado no anno de 1837, discutido
em I8il,e ltimamente pasaou all por urna
tonga discusso.
Os nossos jurisconsultos mais nolaveis do
senado dividiram-se em dous grupos, une
eombatond a idea, e outros adoplatido-a,
e, apesar da viva opposico que o projecto
sollreu, passouem primeira, segunda ter-
ceira discusso, e boje vem pedir o p/uret
do outro ramo do corpo legislativo, para
ser convertido em lei. Associo-me ao gru-
po que combateu a medida.
Comprehendo qbe a minlia posiro bas-
tante critica, oppondo-mo un projecto
que veio do senado, pausando por tantas
provacoes, e tendo consumido tantos anuos
at estar em 31 discusso, o que indica,
sem duvida, a gravidade que llie inheren-
te: dahi vem os embaracos e acaubamonto
mulo natural em que eu meacbo. Entre-
laglo 0080 exporos fundamentos do meu
voto em sentido contrario.
Sr. presidente, primeira vista o projecto
parece aceitavcl; mas eu o contesto em toda
as suas partes.
O arl. Io diz. (L).
Sr. presidente, a primeira duvida que cu
opponho logo este artigo, porque para
niim nunca live llovidas respeito dos
assentos da casa da supplicaco de Lisboa.
Ellos constituem leis do paiz, em virtude
da de 20 de outubro de I82:i, que man-
uon adoptar no Brasil toda a legislar,) por-
tuguesa; c os assentos da casa da supplica-
co de Lisboa faziam parte integrante da
legislacao adoptada.
At a lei de 18 de agosto de 17G9 a casa
de supplicaco de Lisboa eslava na posse de
tomar assentos sobre a inteligenciadas leis;
depois delta os assentos, que tinliam sido
turnados at enlo, e os que se lomassem
d'ahi por diante passa am a constituir le-
gislaclo de Portugal, em virtude do 4 da
lei citada de 18 de agosto, sendo que ato
pelos estatuios da universidade deCoimbra
eslabeleceu-sc que O lente da historia do di-
reito civil patrio se oceupasse lambem da
parle relativa aos assentos, visto que t
nham a mesma.forca de lei, fa/.endo parte
da legislaco.
Por conseguinte, para que vem o arl. Io.
estando essa legislaco admiit da pela I 1
de 20 de outubro do 1823, determinar que
esto em vigor disposicoes adoptadas por
esta lei ?
Se diz que foi por causa d umassento da
casa da supplicaoSa do Rio de Janeiro; mas
este assento nao podia ser tonudo contra o
preceito da lei cita la de 20 de outubro de
1823, que mandoupr em vigor entre nos
a legislaco portugueza ; por conseguinte,
para mim nunca foi objecto de duvida a for-
Ca obligatoria dos assentos da supplicaco
de Lidwa, que nao ostiverem revogados por
leis nossas.
O Sn. Ai.KNe.Ati Ahaiupk :Apoiado.
O Sb. Ficlkik v de Mullo : Nao apoiado.
O Sn.AR.vrjo Gns: Modo aprecio o
apoio do nobre deputado que agora est
direita de V. Exc, porque jurisconsulto
e muito habilitado. Se o honrado collega
(para o Sr. Figueira de Mello) nao concor-
da com esta opiniao, eu desojare! ouvir 1
contestarn, sendo que...
O Sa. Fkueiha de Mello : Eu mos-
trarei.
O Sb. Arajo Ges :... j estou con-
tente, vendo que a rainha opiniao adop-
tada por um de tinelo magislrade, como o
honrado deputado quem reliri-me.
O Sr. Figeiiu de Mullo :E" j reco-
nhecida por urna das corporaciies do esta-
do a nacessidade da medRa.
O Sr. Araujo Ges:Te.nboo direito de
discordar disto, o o honrado deputado ex-
hibir as razes em que se funda para des
truir a mnha argumentaco, que repetirci
A clsa de supplicaco do Rio de Janeiro
nao poda tomar um assento revogandr
aquellesda casa de supplicaco de sboa,
porque j constituam parte integrante di
legislaco civil do paiz, mandada observar
pela lei de 3 de oatobro de 1823, como \
ame
Sr. presidente, a pratica de tomar assen*
tes explicando leis omissas, obscuras
te 17(J.
ah aquella poca, diante, Uvos-
sein forca obriga mtinnando a casa
) supplicaco de Lisboa nesta pratica at
2S de marco de 1823, ocoasioem que, de-
pois de proclamada a eenstituiclo em Por-
tugal, ella cntrou em duvida se potera
sabsistir seinelhanto pratioa, segundo se
v6 do seguinte assento que passo a ler:
Em 28 1I0 marro de t8i2 em mesa
propz-seque era necessario examinar,
antes de resolver-se sobre qualquer assento
1 lomar, se ainda continuavaa mesma aw
toridade de lomar assentos em vista .las
niudancas potilicat por que tinlia passado o
nio ? So ainda o tribunal (tasa ite$up-
plicarM) tinha a attribuico de dar inter-
pretacao aulhentica s leisfaeuldade (ex-
pressdes ib asseitlo) que Ihe fftra delegada
celos Srs. reis. Porque como taos assen-
li)s constituem parte da legislaco, claro
' ue sao da competencia do poder legisla-
tivo.
Que so at onlSo o tribunal tomava c
expeda assentos com os elTeilos obrignto-
rios de lei, era s por forca da faeuldade
ene os reis haviam delegado nos termos da
Ord L. I tit. 5o 5o e lei de 18 de agosto
de 1749 i 4", corno lites era licito, visto
cue reuniam todos-os poderes.
Hoje (contina o Assento) as consas
eslo mudadas, a naco exerec o poder le-
gislativo por meio de seus representantes,
reassumindoo em toda a pleniUi le e inle-
tridade, tantooa parle reservada pelos reis,
i.omo na que ellos baviam delegailo i 011.ras n
iHtorldades, sendo portanto evideute que, a


cessando a autoridad* do delegante, cesso o
igualmente a do delegado, porquj sem
(onstituintc nao ha constituido, e resultando
ile tudo que em presenca das cortes esom
nina detegacfu expi-essa nao poderia conli-
uuar a pratica de interpretar auiheniica
mente as leis por vi 1 de assentos.
Por imanimidade resol veu-se que, s-
pois de moa nrdem do cousas, a mesa Ma
podia continuar a tomar asuntos com o Jim
referido sem urna noca delegamo do po-
der legislativo. Note-se bem, que o As-
iente reconhece a delegaco.
Este assento que acabo de ler acha-se na
encllente obra do nosso collega, destincto
jurisconsulto, oSr. Candido M. de Almeida,
que realmente merece da casa, de todos os
bomens entendidos na' materia votos de
louvor pela publicacTio do Auxiliar Jiiri-
dico (apoiados), pelos servieos que tem
feito as letivr patrias. Eu at diria ao hon-
rado Sr. ministro da justic 1 que tivesse em
vista aquelle destincto juris^nsulto para cn-
carrega-lo de trabalhos importanles. E'
preciso que nao se peream essas vocaces
para o traballio, porque no paiz islo nao
muito oi-dinario: cumpre al anima-las.
(Apoiados).
Picoa, portanto, em vista do assento que
li reconhecido pelo tribunal de LisDa, que
at ento exercia a faeuldade dd lomar as-
sentos sobre leis ambiguas, omissas ou in-
sulTuientes, que nao podia continuar no
exercicio dessa attribuico, porque a inter-
prelaco aulhentica de exclusiva compe-
tencia do poder legislativo.
O art. 3o, que confere ao supremo tribu
nal dejustica a faeuldade de tomar assen-
tos assim diz. (L<: o artigo).
De sorte que, as causas fura da aleada
dos tribunaes e juizes de Ia instancia, o sb-
premo tribunal de justica n3o pode tomar
assentos, sem duvida porque as decises que
proferir as quesles, que forem ao seu
conhecimento em virtude da revista, cons-
tituirn assentos ou explicaces da lei mal
applicada especie.
Has pergunto: com o nosso systema ac-
tual essas decises, proferidas pelo supre-
mo tribunal, em causas que subirem por
via de revista, que forca tem? Nenhuma,
por que os tribunaes revisores conformam-
se ou nao com decises d3 supremo tribu-
na!, militas vezes apartam-se dos motivos
porque foi concedida a revista, julgam em
sentido contraro aquello que foi reconhe-
cido pelo supremo tribunal.
Assim, pos, as decises do supremo tri-
bunal, em causas excedentes da aleada dos
tribunaes e juizes de l* instaucia, estando
sugeitas isso, os assentos viro a limitar se
aos casos em que os tribunaes e juizes jul-
garem dentro da aleada; os quaes, sem
duvida, sd de menos importancia. Se
necessario tomar assentos sobre pontos am-
biguos, omissos ou obscuros da lei, essa
necessidaie abrange tanto as causas deci-
didas pelos tribunaes de Ia instancia den-
tro da respectiva aleada, comoaqu lias que
subirem ao conhecimento do supremo tri-
bunal, por excederem-a.
Para que as decises do supremo tribu-
nal produzissem o eleito de obligar nos
termos do artigo, seria preciso que entre
nos se adoptasse a pratica da Franca, da
Blgica o de Portugal, isto urna segunda
revista, que obriga os tribunaes revisores
jnlgamento do accordu com os motivos
manifestados pelos juizes da segunda re-
vista. Mas, entre nos, os tribunaes reviso-
res decidein conforme entendem, e nao
existe semelhanle obiigag5o: a decis3o do
supremo tribunal como que nao passa da
opiniao de urna corporacao Ilustrada, e de-
pendente de Htn juizo ulterior dos tribji -
naes revisores.
Em outra occasio, na discusso do or-
camento, eu chamei a altencao do honrado
ministro da justica, que me ouve, para a ne-
cessidade de urna reforma desse nosso pri-
meiro tribunal, afim de que suas decises
tenham outro valor, nao sejam equipara-
das, como j ouvi, a meros conselhos de
advogados Ilustrados e velhos.
u j li o assento da casa da supplicacio
de Lisboa, em virtodo do qaal est reco-
nhecida a delegaco que Ihe era conferida.
a qual depois da constituyo nao podia con-
tinuar.
Sr. presidente, V. Exc. sabe qu as leis
entre nos passam por um processo moroso,
sendo iniciadas na cmara dos deputados
vio ao senado, ou vice-vorsa, a alinal tem
de subir saneeo do poder moderador, que
as examina e decide.
Passando as leis por est.< tres provacoes
inspirara miis conliaiica Mis no suprem>
tribunal de justica i>a;sn: por urna
simples prop)slide um mini>lro O tribu-
nal ha de tomar um assento, que vira a ter
forra obligatoria, com sarwrlo previa, e sem
passar por esses diversos eximes que ex-
perimentara eisas I.
Desta maneira o supremo tribunal so cons-
tituir em uiais urna fabrica tic leis; e
assim, dentro* em poueo teremos de in-
eorrer naquelh defeito que Tilo Liyio e
Tcito censuravaui na antiga Roma. Tito
Livio dizia: In inmenso ttliarum super
alias avernatarum legum cunwlo fom
omnis publid pricalique erai jm : o O
profundo Tcito em poucas palavras ex-
primi urna grando verdade : corruptis-
tima repblica plurimae bys*.
O Su. Andrade Figueira : E' 0 nosso
caso.
O Sn. Au.uo 06 :Sr. presdeme, a
legislaco por decisao juliciacia tem o ca-
ra -ter de posterior ao laclo qr.e fr
pplicada, dooiiiia tanto o
ten, pmulo
Ha urna
isos par- que voto contra o projecto
suas partes, por inconstitucional,
niente e ate pe igoso.
O Sn. Andr.wt FigWira:
emenda.
O Sr. Abajo Gdw: Vejo aqui urna
emenda ao projecto, assignada pelo hon-
rado deputado que dignamente occopa a
cadeira de ministro da justica.
Se fosse possivel, eu requereria que o
projeco e a emenda fossem remetlidoss
commisses de coostuigao e jusliea, para
darem seu parecer respailo da materia
(apoiados); n3o sei, Sr. presidente, so
admissivel que um projecto vin lo do se-
nado ainda passe por este cadinlio: V.
Exc que o regiment vivo, o dir.
O Sn. Vice-Phesidente : Como a 3a
discusso, preciso que o requenmento
seja apoiado por um terco na casa, o n3o
ha numero legal.
O Su. Araujo Gdrs : Ento o farei
em outra occasio.
Vem mesa, e lida, a seguinte emenda,
nao sp. apo.ando por falta de numero legal:
Supprima-se o arff 2*. salvo o 3.
Menear Araripe.
OSR. FIGUEIRA DE MELLO faz algu-
mas consideraces.
A discusso fi -,a adiada pela hora.
O Sr. Io Secretario, obtendo a palavra
pela ordem, procede leitura de urna redac-
Co sobra penses, a qual vai a imprimir
para entrar na ordem dos trabalhos.
Dada a ordem do dia, levanta-se a sesso
s oaze horas da noite.
SESSO EM 4 DE OUTURRO
PRKSWENCIA DO SR. NENIAS.
Ao meio dia.feita a chamada, verificndo-
se haver numero sufficiente, abre-se a
9
antece-
mssado com
futuro, tem, pmulo, o eleito re-
troactivo, segundo diz Bonthan, e assim
neorre ueste grande defeil".
D mais, Sr. proidente, nnn dec'^so es- sesso.
pecial |Mi-a un ficto cerlo u determinado, Leso
nao pue de fnni aiguin- suimic o dente,
carcter de generalidade para sor appl- O Sa.
cada todos quant.is caios se parecam guinte
semelhanles ; o Oft se diz de um indivi- !
do nao so pode applicar uniwrsidade; J m officio
as reiaces individoaes, ainultiplicaeo de : remetiendo V autographo da resolucao da
varam, assemb'a geral, autorisando o governo para
e approva-se a acta da
i* Secretario dconla do se-
logo impu >mr loda a idea de demora na de-
im assumpto, que dispensa mais
dolido exarae.
Pens ser clara a ipiestao, j asss venti-
lada no senado, aonde a materia deliateu-se
cora proddencia ; e aqu nesta augusta c-
mara na sess3o ultima, dous nebro* orado-
res dissertaram judiciosamente sobre o ob-
jecto proposto i uossa doliberaco. Assim,
desdo j pederamos volar sem dependen-
cia do adiamento requerido, o qual apenas
trar detenga sem provoito. Adiar as ques-
les nao o melhor meto de resolv-las:
se o projeclo convm, seja appiovado; se
n3o convm, como me parece, o regeite-
mos j.
A questo para mim simplicissima.
Temos de apreciar dous pontos; I*, so
convm que o supremo tribunal de justica
tenha a faeuldade de interpretar autntica-
mente as leis: 2, se esta attribuico pode-
Ihe ser dada pelo poder legislativo em legis-
latura ordinaria Ambas as qnestes em
ana fraco pensar resolvem-se peremplo-
ramente pela negativa : nem 6 mil, que os
tribunaes de jastica legislen, nem licito
conferit/lhes poder'lio alheio a sua essen-
cia c natureza.
Emquantu a ulilidade na sesso, a que
me refer, o meo nobre collega, deputado
pela minha provincia, procuran demonstrar
com tal empnbo e eflteacia, que, se eu ti-
vesse de drigir-me smente peias impres-
ses de suas palavras, e se a cogilaclo me
n3o levasse a miis aprofuadado pensaineu-
to, eu nao hesitara em acompaohar o voto
de lao destincto magistrado, encanecido em
proveitoso estudo de jurisprudencia.
Reflexionando, porm, com madureza,
cheguei a decidir-me por id bem diversa
jda do Ilustre representante pete BMislric-
10 do Cear, e persuado-me
EXPED1EMTE.
do ministerio da
agricultura,
interesses. todas as circumstencias
e urna, por menor que teja, pode iewair
mulo na decisao, na applcaco d) di-
reito. Damoulin assim dizia :In jitdici-
tis mdica dicersilas facti magnam in-
ducit dirersitatem jnris: qttire periculo-
sinii est il is atare, el non exemplis sed
le.gibus jitdicandum.
As leis sao a guia nica e mais segura
para o juiz. O juiz que tem duvidas traa
le estudar a lei, de aprecia-la, de inter-
pretada, e nao se limita a ser mero c-
tador, referendario de daeisoes proferidas | ,]ar o seu consentimento, a proposico qi
1 \ _______ ------------- ,...,., ,..,...-, l,,i> li.'iirii'
gera.
conceder ao bicharel Rento Jos da Costa
Jnior isenco de direiios sobre os objeclos
de que trata a condico do contrato por elle
celebrado com a presidencia da provincia de
Pernambuco para a construeco de urna 1-
nha frrea da cidade do Recife povoaro
doJaboato; na qual resoluto S. M. o Im-
perador consente.A archivar, oIRciando-
se ao senado.
Outro do Io secretario do senado, divol-
vendo, por nao ter o mesmo senado podido
~ue
ha poco flwe, e anterior lei de (8 d(
J eu disse, Sr presidente, que investir
o supremo tribunal da attribuico de tomar
assentos, explicando e interpretando authen
ticamente a legislaco do paiz.era conferir-
Ule o exercicio do poder legislativo, o que
contra a constituido 8 arl 15, era dar
attribuico de legislar entidades que eslo,
na expresso de Benthan, fora da inspeccSo
do povo, cujes representantes immediatos
sao competentes nicamente para isso; os
juizes sero legisladores de nova especie, e
cujo mandato n3o pode ser revogado.
O poder judicial com o carcter de legis-
lador vai exarcer um peso muito grande na
balanca poltica, mentindo sua mUso,
que applicar as- lei aos casos oceurren-
tes. E nio poder invadir, e atacar a in-
dependencia dos outro* poderes, destruindo
assim o equiJjbrio e harmona que devem
reinar entre elles ? A sciencia do legisla-
dor difiere da do juii: MMtfHa consiste em
* ;ada materU os principios fa-
veis ao bem comrnum; a sciencia do
msuflkientes, antiga em Portugal, come juiz consiste em dar accao estes princi -
DiO:
mnifica-los e este ade-los. por ama
por outros. (Apoiados).
O Su. Andradc FiuuEiRA: Isso e
quanto ao aresto e nao qnanto ao assento.
O Sn. Araijo Gi:s : O assento esta
no rarsmo caso : vai lirmar a intelhg'.n-ia
do direito e.n relaclo fados que f'Tim
jugados.
O Sn. Andrade Fioueir v : Nao senliOf,
a lei em thse.
O Sn. Araijo Ges : Entao nao com
prebendo o que seja assento.
O Sr. Andiiuu: I'igueiiu : E' sobre a
inlelligencia da le.
O Sr. Araijo Ges : Os assentos
da casa da supplicico, tolos elles ou
quasi todos, tem origem em fados que se
julgaram de modo differeute em vanos
Irihunaes: tenho tido diversas occasics
de verilicar islo.
(Trocamse apartes).
Essa a origem dos assentos: pren-
dem se factos que motivaram julgamen
ios opposlos, e a raz3o de ser delles lor
na-se mjiito especial, inappicavel, per-
ianto, como regra absoluta e invariavel,
que s pode acbar-se as leis, porquanlo
j disse que o juiz deve ter em vista es-
tuda-las, e applica-las conforme a saacon-
vieco, deixanrlo de parte os exemplos.
Justin. dizia no L. 3 cod. de pul. mi:
Cum non exemplis sed legibus julicandum
sil. Sed omnes judices reritatum el legin
el justitice sequi vestigio sancimus.
J antes de Josttniano, o imperador Se
vero, receiando a precipitaco nos jura-
mentos fundados em exemplos, recoaa-
mendava como indisppnsaveis, perustua e
constante conformid ule e absoluta seme-
Ihanca na especieRpriim perpetuo simi-
liter judicatorum auctoritatem... 1. 38 leg. Os assentos nao sao mais do que de-
cises, que ligam-so julgamentos sobre
factos especiaes, que podera ter sido en
carados sob dilTjrcntes aspectos, c per-
ianto nao devero constituir urna regia in
variavel e absoluta.
Rcconhec-o, Sr. presidente, que as desi-
Ces judiciarias constantes sobre um facto,
e dada a completa samclhauca, assumcm
um grao muito elevado de Importancia,
e podem servir de templo,, dados os
dous requisitos perpetuo el similitcr
sigam-se, nao como lei, mas como urna opi-
niao antorisada, e adoptada muitas vezes :
assim, teremos a uniformidad desejivel na
jurisprudencia e urna especie de direiio
honorario, conforme tinham os Rom:-nos,
fundado nos coslumes seguidos, as deci-
Ces dos pretores :tos pretorium sen ho-
nor arium.
Ora, ser diffieil que o supremo tribunal,
tomando um assento sobre algum caso
que tenha occorrido. este assento possa
ser applicado exactamente casos futuros,
revestido- de circunstancias especia-5 c
differentos.
Por ultimo o systema de tomar assentos
explicando leis obscuras, tem ainda um
grande defeito para mim, vai animar a
preguica dos no39os juizes, abafar os es
tercos que cada um deve fazer no intuito
de entender a lei: aquelle que acha-la in-
terpretada pelo supremo tribunal, bem on
mal, ir lavrando logo a na sentenca, e
dizondo: esta lei est interpretada pelo
assento tal er a sua applicacao esta ;
sendo, entretanto, cerlo que por amor da
verdade e da justica cumpre que os juizes,
excavando as leis ambiguas e obscuras o
terdadeiro sentido mediante a confrntaco
das claras com as obscuras......
O Sn. Figewa dk Mn.i.0 : Isso em
relacao ao sentido.
O Su. Araujo Gks :...fa$am a dvida
applicacao. A regra a seguir parta do le-
gislador, autoridade competente, que pela
constituido a nica ericarregada do fazer
leis, de interpreta-las autnticamente :
os tribunaes s tm a faeuldade de inter-
pretar, a lei doorinal e grammaticalmente.
fra disto urna aberrado (apoiados),
seretn investidos da attribuico do legislar,
o que desnatura o poder judiciario, e Ihe
dar grande preponderancia sobre os
outros poderes polticos.
por toio islo, Sr. presidente, concluirei
autorisa o governo
para conceder lieenca,
com todos os vencimenlos, ao Io confuien-
te da alfandega da corte Lucidio Jos
Candido Pereira do Lago e outros.In-
teirada.
Tres do mesmo secretario, communican-
do ter constado ao senado que S. M. o I n-
perador consente as seguintes rsoluces
ila asseinbla geral: I" mandando abonar
ao Io conferente da alfandega de Pernambu-
co Joo Jos Henriqoes todos os vencimen-
los de seu emprego durante o tempo de li-
eenca que obteve do governo ; 21' sentan-
do os edificios das pracas do commercio
do imperio do imposto da dcima addicio
nal creada pila lei n. 1507 de 2l> de setem-
bro de 1807; 3a. autorisando o governo
para mandar matricular na faeuldade de
medicina da corte o esludante Manoel
Rodrigues do Carvalho Breas.Intei-
rada.
L-se c vai a imprimir para ser sob-
mettido votaco cinco dias depois, na for-
ma o regiment, o seguinte parecer:
Nada constando con Ira a eleigo pri-
maria feita no dia 31 de Janeiro do corren-
te auno, na paroebia de S. Jos do Paraso,
collego de bajaba, do 3* districto eleiloral
di provincia de Minas-Geracs, de parecer
a 3' commissao de poderes que seja appro-
vada a mesma eleigao, reconhecendo-se os
eleitores e supplentes respectivos.
Sala das commisses, 2 de outubro de
1869.Sotpa Reis. R. da Silw.-F. Ue-
lisario. Borros Brrelo. -- Lamego.Si-
/titira Maules.
Entra em iliseusso e approvada
sem debate, a redaccao, que foi a imprimir
na sesso antecedente, concedendo diversas
penses.
ORDEM DO DIA.
Procede se votaco do parecer d
i" commissao de poderes sobre a elcico
l'eila na parochia de Nossi Senhora da Pie-
dade de Cabreuva, do collego da c'ulail'de
It, pe tencente ao 1' districto da provincia
de S Paulo, e approvado.
Procede-se igualmente votaco do
projecto, fazendo extensiva ao bacharel for-
mado na faeuldade de direito de Pars,
Francisco Gomes da Silva, a disposc3odo
art. Io do decreto n. 23 do 30 de agosto de
1831, e appovado e remeltido com-
missao de redaeco, sendo reg itadas as
emendas offerecidas em discusso na
sesso de maiode 1867.
Entra em Ia discusso, e approva-
do sem debate, o projecto autorisando o go-
verno para mandar extrahir, dentro do pra-
zo de tresannos, dez loteras para ser o seu
beneficio liquido applicado recofislroccao
de theatro de Santa Isabel na capital da
provincia de Pernambuco.
O SR. PORTELLA pede, c a cmara con-
sente que, dispensado o intersticio, o pro-
jecto entre iramediatamente em 2* dis
cussao.
Vem mesa sao telas, apoiadas e entrara
conjuntamente em discusso, as seguintes
emendas:
Igual favor provincia do Para para
continuaco do theatro da capital.Siquei-
ra Al ndes.
Igual favor para a renovarlo do de
Porte-Alegre, capital do Rio Grande do Sul
Bittencourt.
Ninguom pedindo a palavra, e pondo-sea
votos o projeeto, regeltado, fleando preju-
dicadas as emendas.
Contina a 3' diefltKSJte do projecto
(viudo do senado), declarando que os as-
sentos tomados na casa da supplicaco de
Lisboa tem torca de ..lei em todo o im-
perio.
L-se e apoia-se a emenda do Sr. Alencar
Araripe offerecida na sesslo antecedente.
Vem a masa, lido, apoiado e en-
tra em discuasio o seguinte requerimento :
Requeiro que o projecto e as emendas
sejam remettidos t commisabes de consti-
tnicSo, justica civil e crimioai. Araujo
Ges.
O SR. ALENCAR Alt^H 'ido
votar contra o prejeclo, Blor-
que o julgo iiioti- ^pro-
poe-se o aea ad_____________
que a facalda-
de.legislativa conferida ao nosso supremo
tribunal de ju.-tca nao c urna concesso
prove tosa a causa publica : ella pelo con-
trario trar inconveniente* de grande peso.
Figura-se essa faeuldade como ineviiavel
meio de uniformizar a jurisprudencia nos
julgados; mas assim nao ; a mediaco
nos faz conbecer que a verdade nao esta-
as suppostas vantagens, como mostra-
remos.
Mas para mim o pont 1 principal e decisi-
vo nao este. Eu emendo que o projeclo
essenciaimente inconstitucional, e por
so merecedor da nossa immediata 10-
jeicao.
O nobre deputado pela Rabia, que erce-
tou este debate, j tocou nest-i ponte : e
embora as suas demonslraces se oceupasse
mais extensameule cum o ai t. 1" do i>ro-
jecto, todava as consideraces feitas so-
bre o art. 2o provou que o mesmo projecto
envolve manifesta infraccio do nosso pacto
fundamental, ao qual somonte ii"s cabe res-
peitar e raanter em sua integridade. Base
das nossas delibcraces, cumpre-nos nao
violado jamis.
Isto posto, parece-me que a questo do
adnenlo fica resolvida.
Pela constituico poltica do imperio o
poder do interpretar as leis compete
assembia geral com a snncco do im-
perador ; e este poder consume una de-
legaco, como expressamente o decla-
ra essa mesma constituido no art. 13.
Ora, tima delegaco nao pode ser dele-
gada ; portanto, a assembia geral da na-
cSo nao pode autorisir a corp^raco sl-
guma, ou a qualquer individuo no paiz
para legislar, que tanto vale interpretar
aiuhenticainente as leis, como pretende o
projecto.
O art. 2" do mesmo proje to estabelece
que, lomados os assentos pelo supremo
tribunal de justica, estes sero obrigato-
rios, e nao podero mais ser alterados pelo
mesmo supremo tribunal. Isto certamen-
te conslilue lei, c assim investe-se a um
tribunal judiciario da faeuldade legislativa,
o que nao podemos fazer sem contravir
aos nossos deveres e aos saos principios
de orgauisado social.
Ser temeridade de minha parle assim
fallar, pronuciando-me de maneira to po-
sitiva e terminante contra adoutrina de um
projecto, quando sobre ella j nterpoz o seu
voto o sabio respeitavel corpo do senado
onde bomensto abalisados teram de opini >
favoravel a essa doutrina, como ilustre e
mui assignalado jurisconsulto brasi eiro o
Sr. conselheiro Nabuco de Aranjo. E- ver-
dade que a impugnaran! outros jurisconsul-
tos destnelos, entre os quaes mencionarei
o nome do Sr. visconde de S. Vicenta, cu-
jo parecer aatorisado e mui competente,
apatrocina o meo modo de pensar, e me
anima a contrariar o projecto.
Convencido de que o projeclo fere a lei
fundamental do estado, eu nao devia calar-
me ; e assim abalancei-mo a vr tribuna
enunciar o meu voto, nao me limitando a
da-lo symbolicamcnte em questo que re-
puto grave e mui ponderosa.
Lendo-se a coustituico do imperio, nao
preciso grande forca de intelligencia.
nem apurado exame para recnhecer que
ha inconstitncionalidade na providencia, que
pretendemos adoptar. Evidente que Ho
smente s cmaras legislativas com a sanc-
Co do imperador pertence a faeuldade do
interpretar as leis: transferir para o su-
premo h ibnnal de pisti^a ossv facutuai
.violar um precedo constitucional,
que delegamos aquillo que nos. foi delegado:
fazemos mais, desnaturamos e poder judi-
cial, addinde-IHe altribaicoes mcomptiiveia
com as funeces desse poder e eshbelo*
cendo um novo, modo de legislar com I
suppressao d saoccSo imperial-
Para que as cmaras legisla: nter6
pretem urna lei duvidosa, eflae reselvomi
e a sua reeoted1 vai al
dar a. conToetenie sanee!.
a resollad1 ** conferida
iudiciaitt^BHpHIMe mtotweM^
quer o prrjjp
sancco, IkrWrtt M' Sem
assembia gerat, e do poder moder* J-
que essencial, como se v
constituico poltica as dis
8 S
outro meto de fazer lei senao |
concurso: mas o projecto est
meio extraordinario, an-oonatituc ooa|
por isso reppovaft.


- >
f
*"'*' **' *''='*5*i*/.-4||i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZY4RG6SC_8KJDGY INGEST_TIME 2013-09-14T04:07:54Z PACKAGE AA00011611_11977
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES