Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11974


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLV. NUMER 242.
t
it
..
FABA A Ckfftl t 1UCA OIPE IAO Sf JACA ?01TE.
^rire3JW**jhjUdos.......... .,._,
'Por sais ditos ida............. ...... #S
Por um aano id. ,#.............. |*J0O
DIARIO DE P
SHT* FM 22 OE OUTBRb DE (td.
PABA DEJffBO E FOIA DA mWQH.
Por It s mena* a*anwA,lS'
Por sda ditos idS.
Por no\ i ditos dem .
Por uoi auno. .
.sss
iOtl
71
MU
t>
Propriedade de Manoel Fig-ueira de Faria & Wkos.
tisSrs. Gerardo Antonio Aires A FHhos, no Par; Gon?aIvesd Pinto, no Maraiihio; Joaqaim Jos de Oiiveira, no Cear; Antonio de i>ns Braga, no A
lerena d Almeida, em Mamangnape;^Antonio Alexandr/no de Lima, na Parahjba; Antonio Jos Gomes, na Vi/a fjwna; Bearmi
em Nazarei; Fnncioo Ti vares da Costa, em Alagtos; Dr. Jos Martins Ai ves,
LracalK Jo3o Mara JaJia CHaves, noAss; Antewo Marques da Silva, no Natal; Jos Justina
ino dof Sairtos BoJcarj, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
e Jos Ribeiro Gasporinbo, no Rio de Janeiro.
PARTE QUICIAL.
tfra da provincia.
Expeduotte ash;nai>. pelo exm. sb. dr. manob.
IK> KASCimatTi) U.XCHABO PORTELLA, VICB-PRES1-
K.VT6 DA nAVWCIA, BU 26 DE JULHO DE 1869.
l*secro.
N. WaPortara ao Exm. Sr. gaaeral eoinmao-
1:iii'i- das armas.Tendo por defheracao desta
Jo?} Ignacio de Medeiros Kego Momeiro, paraexer-
cer itarinamenlj o lugar de ajudanle do director
do arsenal de guerra ; assim commuuico a V. Exc.
para son eonhecimento, e afim de que o faja cons-
tar ao mmieado.
X. JHO.Dita ao mesmo.Mande V. Exc. apre-
sentar au Di-, tefe de polica, para dar-lite o des-
tino que julgar conveniente, o recrata de nomo
Manoel Nunes do Xascimento, que foi juigado in-
capaz do servicu do exercito como consta do ter-
mo de inspeecaj annexo ao seu offlcio de !W do
-crreme, sob n. 431.
-V 921.Dita ao director do arsenal de guerra.
Tendo em vista a sua informac) de 23 do cor-
rente, sob n. 140. acabo de recommendar ao des-
euibargadnr provedor da Santa Casa de Miswicor-
tado uacompanliia de aprendizes menores desse
arsenal, o educanJi. do collegio dos orphos de
orne Francisco Antonio do Monte ; o que lhe de-
ciara para sea conlcimaflto e fins convenientes.
X. 941Din ao mesmo.Tendo por delibera-
van desta data r. .meado o capitao reformado do
i'xe.rcito to Ignacio de Medeiros Reg Mouteiro,
para exerrer in'eriiinmeiile o lugar de ajndante
dessa directora ; assim o communico a V. S. para
i sen euahecimento e flus convenientes.
X. 923. Dita ao inspector do arsenal de mari-
nha.Tendo a vi u o que V. S. representou em
seus olhVis de 2 e 26 do corrente, resolv por
deliberadlo des!.i data Suspender a Andr Aveli-
oo de Mello Galvi, do exercicio do lugar de por-
leiro desse arsenal ; o que coiumunico a V. S. pa-
ra sen eonneeimento e direceo.
X. 921.Mito ao commandante do presidio de
Fernando de Xurjia.Remolla Vine. cj>m a pre-
cisa seguranea, na primeira oeeasid, a serem
apresentados o chefe de polica os sentenciados
Manoel llulino de Carvalho c Jos Vicente de
Arrud, que .-e ncl'.aiii nesse presidio, e que pe-
dem licenca para rirem nesta capital cunstiiuir
(irnrurador e prever aos seus direitos.
X. 925. Delil'craciio. O vicepresidente da
pruviaeut atlcndendo anqae requeren o capitao
de eslad'j-Miaiir de artilbaia Tibnrck) Hilario da
S;va Tavares, e tendu em vista a informajao do
Cttnraandanto Jas armas, datada de 21 do corren
le, cenej nos tennus do arl. 4o i do decreto n.
3,379 de 3 de jaseiro de 1860, pan tratar de sua
ifi le nesta provincia.
X. 926__Dita'.O vite-presidente da provincia
:lve nouicar o eipitao jeumadj do exercito
Ignacio de Medeiros Reg Monleiro, para
'xeiver iuteiinamcue o lugar de ajndante do di-
reci r do arsenal de guerra.
N. 927.Dita.-4} vice-presidente da provincia
leude a vista o que representou o inspector do ar-
senal de niarinlia, em ofllcio.-, de 23 e 26 do cr-
lente, resolve suspender a Andr Avelino de Alcl-
10 (Salvan, do lutar de porteiro daqucllo arsenal
at que o guverdo imperial, a cujo conliecimcnto
vai ser levado n faeto argid> a csse empregado
resolva a respeHo.
2J seeca.
X. 928.Portara ao Dr. chefe de polica inter-
ti'.Ao general conunandante das armas deter-
niici que munasse apresentar a V. S. o recruta
Man>e Xunes do Xascimento, afim de Ihe dar o
destino que julgar conveniente, visto ter sido jui-
gado incapaz do servicn do exercito.
X. 92!'.Dita ao ommandante superior interi-
nn di guarda nacional do Recite.En respost ao
rdieie de V. S. de 19 do corrente, sob n. 135, te-
uno a dizer-lhe que, segundo informou o chefe de
polica em ofikio n. 1,090 de 23 deste mez, a 19,
fui posto em liberdade o guarda do 81 batalbao
Manoel Joaqun) de Sant'Anna, a que allude o seu
dito sffleio.
X. 930.Dita ao mesmo. Expecji V. S. suas
ordens para que seja dispensado do srvico activo
11 gcutraa nacional, emquanto eslivor empregado
n i estrada de ferro do Recite a 8. Francisco, o
gir.Tda do 3" ba'alhao Jiis Cecilio (Jarneiro Mon-
teiro, visto assim o haver solicitado o engenheiro
al da mesma estrada em offico de 23 do cor-
reate, WA n. 186.
X. 931 -Dita ao commandante raperterda guar-
da naeional de Itauib.Em respost ao oflicio de
V. S. de 18 doi-orrente, teulio a di:'.or-lbc que en-
ve na forma do disposto no art. 38 do decreto n.
1,332 de 18 de Teverero e art. Io 8'- do de n. 1,354
de 6 de abril de 1851, o ornamento da somma pre-
-. e limitando superior para o couselho de revista,
i'iui de poder aatorUar a entrega da importancia
delta ao capitao quartel meslre geral desse com-
maudo superior en a quem V. S. para isso auto-
risar na forma do art. 43 do primeiro decreto su-
pracitado.
X. 932. D-liberacao. O vice-presidente da
provincia allendemlo ay que lho requercu o juiz
do orpbaos e ausentes desta capital, bacliarel
l'ranciseo de Carvalho Soares Brandan, resolve
< meeder-llie oito dias de lcencaom venementos
oa fruii da lu para tratar de sua ude, frades
le municipio.
3a seceo.
X. 934. Portara ao inspector da thesouraria de
fiunsi Tondn nesta data nomeado ocapitaoire-
(urmado do exercito Jos Ignacio de Medeiros Re-
:o, para exercer interinamente o lugar de ajudan-
te do director do arsenal de guerra visto ter obli-
uoi mez ile lcenija para tra'.ar de sua saude o
capitao Tiburcio Hilario da Silva Tavares que o
1.1 urcil. assim o commuaico a V. S. para seu co-
uliecUnenlo.
X. 935.Dito ao mes:).Tendo por delibera-
rlo desta dala suapendido a Andr Avellino de
Mullo tiaivao do enercicio do cargo de porteiro do
arsenal de marnlia, assim o communico a V. S.
i ira sen eonhecimento c direegao.
X. 9:iii Dita ao inspector da thesouraria pro-
viicial.Declaro a V. S. para seu eonhecimento,
e devidos elfetos que nesta data conced a auto-
risacio que silictou o chefe interino da reparti-
cao das obras publicas em oflicio de 23 do cor-
rente, sob n. 269, para mandar fazer em continua-
rao das obras que esta) sendo execntadas por
adininistraciio na ponte dos Caminos, as obras
>applementares de que anda precisa a menciona-
da ponte, e constam do ornamento junto por copia
ua importancia de 2:288000.
N. 937.Dito ao mesmo.Tranmitto a V. S. a
conta junta em duplcala, da despeza feita com o
fornecimento de luz e agua para o quartel do des-
tacamento da cidade de Xazareth, durante o tre-
mestre de abril a jun'.io deste armo, afim de que
6oais de liquidada essa despeta, seja paga a sua
imporunca pela collectoria d'aquella cidade ao
alf rerlas Ignacio Sebra, oonorme solicilou o
el efe de polica com oflicio de 23 do corrente, sob
u. 1084. ^.
X. 938. Ditvjo mesmo.Pode V. S. nos termos
de sua inforraacno de 23 do corrente, sob n. 424,
mandar por em arrematado os reparos urgentes
de que precisa a ponte do Aojo, servindo de base
rcainento jnnto por copia na importancia
:f 70#, que ren)ettea o chefe da repartlcSo das
obras publicas com ofeto n. 225 de 14 de jontao
deste anno, e fui approvado com a data de hoie.
X. 930.Dita ao chefo da repartigao das obras
publica*.Concedo a autorisaeao que Vine, soli-
cilou em seu offlelo de 23 do corrente, sob 269,
para mandar faier era continuaeao das obras que
estao sendo exeeutadas por admioistracao na pon-
te dos Carvalhos, as obras supplemcntarcs de que
anda precisa a mesma ponte, as uuaes constam
do crcamento qae na importancia de 2288 3 veio
annexo ao citado offlrio que ftca assim respondido.
N. 940.Dita ao mesmo.Xesta data recom-
mendo a thesouraria provincial, que ponha em
arrematacao os reparos urgentes de que necessita
a ponte do Aojo, servindo de base o oreamento
que, i.a importancia de 2:6704, veio annexo ao
oflicio que Vmc. me dirigi em 14 de juuho ulti-
mo, sob n. 225, o qual fica assim respondido.
4.* seccao.
N. 941.Portara ao dsembargador. provedor
da Santa Casa de Misericordia.Pode V. Exc.
mandar apresentar ao coronel director intrao do
arsenal de guerra para ser alistada na companhia
de aprendize* menores daquclle arsenal, como so-
licilou om oflicio de 16 do corrente, sob n. 2005,
o educando do collegio dos orpbaos Francisco An-
tonio do Monte, deixando de ter o mesmo deslino,
odenome Francisco ctoreira de Araujo, nue se-
gundo autorisaeao desta presidencia de 2* deste
mez, de ve ser entregue ao vigario Gamillo de Men-
don^a Furtado, como reelamou conforme consta
de outro oflicio de V. Exc. de 23 do andante mez
sob n. 2015.
N. 942.Dita ao mesmo.Pode V. Exc. decon-
formidade com a sua informacao de 9 do corrente
sob n. 1985, effectuar com Manoel Antonio de Al-
cantara o arrendamento por nove annos do sobra-
do n. 8 sito a roa Direita, perlencentc aos estabe-
lecimentos de caridade medanle o aluguel an-
nual de 8002 c obrigando-se o contratante a fazer
a sua custa no referido sobrado as obras iddica-
das na predita informacao. e a participar a quem
e qttando tiver de sublocar o mesmo predio.
X. 943. Delberacao. O vice presidente da
provincia, em vista do oflicio do director geral
interino da nstruccao publica de 23 do corrente,
sob n. 224 bis, resolve remover o professor publico
interino Antonio Pires Ferrara da cadeia de ins-
iruccao primaria de S. Jos de Ingazcira para a
do povoado de Santo Antonio de Mamla-Saia no
termo do Rrejo, creada pela le n. 786 de 11 de
abril de 1868.
EXPEDIENTE ASSIGN'ADO PELO Sil. DR. JOAQUX COnnEA
BE AltAUJO, SECRETARIO DO GOVER.NO, KM 25 DE
ILIIO DE 1869.
1" seceo.
X. 944.OfBeio ao Exm. general commandante
das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-pres-
Jente da provincia, declaro a V. Exc. para sen eo-
nhecimento, que por despacho desta data conce-
deu-se 15 dias de prazo ao recruta Joo Quintilia-
no l'ereira para provar isen^o legal.
2'seccao-.
X. 943.OIBcio ao Dr. chefe de polica inlcrino.
O Exm. Sr. vice-prcsidenle da provincia manda
declarar a V. S., que 'transmiltio a thesouraria
provincial, para o fim indicado em seu oflicio de
23 do corrente, sob n. 1094, a conta que em du-
plicata veio annexa ao citado offlcio, o qual fica
assim respondido.
N. 946.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia, manda declarar a V. S. que
fica inteirado pelo seu offlcio de 23 do corrente,
sob n. 1053 de seguir V. S. nessa data para Ara-
tangil em cumprimento de ordens da presiden-
cia, deixando encarregado do expediente da re-
particao em sua ausencia, o delegado do dis-
tricto desta capital.
X. 947.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda communicar a V. S. para
o seu eonhecimento e fins convenientes, que nesta
data se ordenou ao commandante do presidio de
Fernando de Xoronha, queenviasse para essa ca-
pital com a precisa seguran?, e a ser a V. S.
apresentados, os sentonciados" Manoel Rufino de
Carvalho e Jos Vicente d'Andrade que o reque-
reram, para aqui constituir procuradores eprover
seus direitos, devendo ambos regressar para
aquello presidio logo que tiverem feilo taes procu-
ra coes.
N. 948Dito ao commandante superior interi-
no da guarda nacional do Serinhaem e presidente
do conselho de revista do dito termo.O Exm. Sr.
vice-presidente da provincia manda declarar a V.
S. em respost ao seu oflicio de 23 do corrente,
que fica inteirado dos motivos pelos quaes nao se
pode reunir o conselho de revista da guarda na-
cional desse municipio.
N. 949.Dito ao juiz municipal da 1* vara do
Recite.O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda communicar a V. S. para o seu eonheci-
mento e fins convenientes que, nesta data se expe-
dio ordem ao rommandaute do presidio do Fernan-
do de Nuronha, para fazer remetter para esta ca-
pital com a seguranea necessaria a ser apresenta-
do ao chefe de polica os sentenciados Manoel Ru-
fino de Carvalho e Jos Vicente de Arruda, que
assim o requereram, para nesta capital constituir
procuradores que tratem de acautelar os seus bens
e direitos, devendo regressar logo que lizerem taes
procuraijoes.
N. 950.Dito ao presidente e membros do con-
selho de revista da guarda naeional de Ipojuca.
O Kxm. Sr. vicepresidente da provincia manda
declarar a Vv. Ss. que fica inteirado pelo seu offi
ci de 20 do corrente, de ter funecionado o cpnse
lho de revista da guarda nacional do municipio de
Ipojuca, de que fizeram Vv. Ss. parte, de lo a 20
deste mez conforme consta da copia da respectiva
acta que enviaram.
4" seccao.
N. 951.Offlcio ao engenheiro fiscal da estrato
de ferro.De ordem de S. Exc. o Sr. vce-presi-
dente da provincia communico a V. S. em respost
ao seu offlcio do 23 do corrente, sob n. 163, que
nesta dala se expede a conveniente ordem para
ser dispensado do servico activo da guarda nacio-
nal, em rinanto estiver empregado nessa estrada
ile ferro, o guarda do 3* batalhao Jos Cecilio
Carnciro Monteiro de que trata o sea citado
offlcio.
N. 952.Dito ao director geral interino dains-
trnegao publie.S. Exc. o Sr. vice-presidente da
provincia tendo por dehheracao desta data e em
vista de sea offlcio de 23 do corrente, sob n. 224
bis resolvido remover o professor publico interino
Antonio Pires Ferreira, da cadeira de instrnecao
primaria de S. Jos de Ingazeira para a do povoa-
do de Santo Antonio Manda-Saia no termo do Bre-
jo, creada pela le n. 786 de 1 i de abril de 1868 ;
assim o manda communicar a V. S. para seu eo-
nhecimento.
Jos de Souza Barro"?.Nao tem lugar o que
rsquer vista das informacoes.
Mara Adelaide de Barros e Silva.Dirija-sc ao
Sr. inspector da thesouraria provincial.
19 -
Sachare! Ayres de Albaquerque Gama.Remet-
a se ao Sr. Dr. director geral da instrnecao pu-
l ica para dar parecer, ouvmdo o conselho di-
rector.
Antonio Augusto de Oiiveira Quintal.Ja esl
prvido o lugar a que allude.
Baro do Livrsmento.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Francisco Gomes da Costa. Conceda-se sem
\encimentos.
Francisco de Pnho Borges.Informe o Sr. ins-
fector da thesouraria provincial.
Fehppe Pedro Cavalcauti. Expcja-se ordem
rara a baixa requerida.
Fraucisco Antonio de Castro. Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Helena Rosa de Jess.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincial.
Juviao Carlos da Silva.Conceda-se tres mezes
com vflcimentos na forma da lei.
Joaquim Pereira Bastos.Conceda-se.
Leopoldmo Domingucs da Trindade.Concedo o
praso pedido.
Manoel Luiz Salgado.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Tenente-ceronel Manoel Dionysio Gantes do Re-
g Cavaleanti.Certifique se.
Umbelina Mara dos Prazeres. Informe o Sr.
general commandante das armas.
Repartlcao I; polica.
2" seccao.Secretaria da polica de Pernambu-
o, 21 de outubro de 1869.
N. 1526. Illm. o Exm. Sr.Levo ao conhec-
nento de V. Exc. que, foi hontem recolhida a casa
d) detencao :
A' ordem do Subdelegado de Santo Antonio, Is-
b -Ha Mara da Conceicao, por disturbio.
O delegado de polieia do Ex, em oflicio de 3
deste mez, oiumunieou-mo que das 19 para 11
h iras da nonte de 29 do mez 'passado, sendo fe-
rido por um tiro de pistola a praca do destaca-
mento daquella villa de nomo Raymundo Barbosa,
dentro da casa em que se achava recolhido, por
urna oulra praca do mesmo destacamento, (orara
tiio acertadas providencias que dera para a cap-
tura do oflensor, que poude consegui-la ja, lican-
do este rccdlhido respectiva cadeia para ser
processado na forma da lei.
O mesmo delegado, em offlcio de 2i de mez
passado, cominunicou-ine que leudo sabido no
da 18 d'aquella villa com todo o destaca meato,
afim de coadjuvar ao delegado da villa do Jardim
no empenho de capturar o criminoso de militas
niorles Jos Barbosa e dcixado a cadeia guarne-
c da com paisanos, sueeedeu que das 11 para as
12 horas da noulc d'aquelle mesmo da se eva-
disscm os presos de nomes Manoel de Barros Ma-
mo, Mauoel Luiz, leniarduo, 1'eJro X, Simo
Gomes do Oiiveira o Pedro Rodrigues, pela grado
ds pao que guarnece a sahida do edilieio qual
taes horas poderant quebrar forca de bracos ;
sendo que na distancia de del leguas consegura-
s) capturar aos dous ltimos dos referidos cri-
ninosos.
Detts guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Xascimento Machado Portella, vice-
presidente da provincia. O chefe de polica
l'ranciseo de Assis Oiiveira Maciel.
EXTERIOR.
DESPACHOS DA VICE-PRE.SlDENf.IA DO DA 18
DB OUTUBRO DE 1869.
Alexandre Jos Pereira.Informe o Sr. desem-
birgador provedor da Santa Casa de Misericordia.
Baro do Livramento.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincia!.
Candido Emygdio Pereira Lobo.A' vista das
inforntaedes nao ten lugar o que requer.
Francisco Freir da Costa. Junio este ae re-
quertmento anterior do supplicanlo, informe o Sr.
inspector da thesouraria de faaenda.
Felisberto ferreira de Oiiveira. Volte ao Sr.
coronel comirraodaite superior da guarda nacional
do municipio do Recifo para indicar o batalhao a
jue deve o supplicante ucar aggregado.
Galdino Manoel da Costa.Concedo o praso de
IOiWss para o'suppticante provar iseaeao legal.
nicamente aadoatrnas catbolica participando dos
prevlegos d que goxaui os oohVgios da lodas
as oulras eAHssGes.
(6) Q id as honras e emolumentos universitarios
sejam posto* dwjmaMo dos eatolicos assim co-
mo dos protestamos.
(c) Que o* exames e ros detallas universi-
tarios sejam completamente liliertos das influen-
cias hostis ao- seniiments dos catholicos, e qae
neste fim o ejgpwilo oathotteo sejasnfhVientemen-
ic representa* ao senado oa no outro eorpo su-
premo da uafversidade por pessons possuindo a
conlianca do bispos, padres e populacdcs catho-
lcas da Irlanda.
8. Os Usos declaran que os cathoircos da Ir-
landa toem o dlreito de participar em ama justa
proporco d. Tirados pblicos at este mntenlo
destinados ao ensino das escolas reaes e das ou-
tras dotadas.
Os bispos deelaram, alm disto, 'que um regula-
inunto ilaquesti da uuversidaile para ser com-
pleto e ao mesmo lempo barmonsar-se com os vo-
tos do povo cathnlieo da Irlanda, deve compre-
hender a reonuisaca dos oollegios da rainha,
segando o principio confcssion.il (denominatio-
nel.)
9.* Finalmenie, os bispos de Irlanda, sympalh-
sainlo proftuidameHle com os solfrimcnlos dos
seus fiis, creetn que a soluc/io da quesiao predial
essencal pira a paz e hem estar do reino-uni-
do. Elles reconheim os direitos e os deveres dos
propretarios predaes.
Elles reclaman) no mesmo espirito os direitos,
assim como elles reconhecem os deveres dos fo-
reiros; cr^n quo a escassez comparativa, e o
descontontajiiento cluonco e a desanimado do
povo de Irlanda devem nesia poca da sua histo-
ria ser mata attribuda a falta de solucao desta
qnestao, entt conforindade com os principios leaes
o equitativo*, qoo a toda a outra causa.
Em c insiiqBencia, no interesa* de todas reli-
itioes, elles ieein a viva esperanza que os conse-
da poputaco compoe-se de officiaes da guarda na-
cional.
Reunidos os empregos civis, judciarlo, pol-
cioes c eeclesiasticos, os offlciaes da guarda nacio-
nal reformados e eflectlvos da activa e da reserva
pA>-se nflirmar, qae o nosso bom e amavel Bra-
sil um trra cujos habitantes masculinos, livres
e meninos pene .cent em geral classe de empre-
gados pblicos e da guarda nacional.
JTesta boa cidade de Belm, com* diz un cor-
respndeme d'alli, nlnguem da um passo sei en-
contrar pek menos um alferes.
Em regra, quem no Brasil qner ser delicado
para com e homeni desconhoCido, deve fazer-me
ama barretada dizende : .
Sr. eapilfto !
E se quizer dizer lado de urna s vez, deve ac-
crescentar :
Meus eumprimentos ao Sr. commendndor.
ESTATSTICA.O exercito activo da Rsela
consta de 827,350 ho.nens ; as reservas elevam-
se a 410,427, e as tropas irregulares que princi-
pal menle combaten na Asia a 229,000. Os solda-
dos russos servem 20 e anda 25 annos, isto ,
3uasi toda a vida do homem. A grande dilicul-
ade era mover e concentrar estas massas a
Russa, porm, tem-se adianlado muto com as
grandes tinhas de caminhos de ferro cmpreliendi-
das no imperio.
METEORO.A appariQao de um meteoro limi-
to nolavel na noite da Itt de setembro, chamava
vivamente a attenco dos habitantes de Cordova.
Serian oito horas quando, no meio das nuvens
mais densas, comecou a Huminar-se a atmosphe-
ra, adquirindo em pouco tempo propon-Oes gigan-
tescas ; a cor roxa que apresentava foi causa de
que por alguns se considerasen com um ve/tete
I produzid por um grande incendio as cerca mas
> da cidade.
A's uove horas dcsappareceu compli*jmente,
as
reapparecendo as dez porm com menos viveza,
BhawSaMdo iinuco deiios. X.ii pudendo Sur ctassifl-
\r% "teT4 'a coroa1tomariW c,n co-n?,-J eaXentre as auroras borea* lano pelo ponto
doraran inime*aia esta unportantissima questao, e asua
que proporo ao paiiamento as medidas "de natu-
reza a restahelecer a cunfianea", estiuiular a in-
dustria, auynenlar os rec irsos nacionaes e con-
dnzir iiai.io, ao conteatamento c fecidade de
todos.
Estas resolatoes cima mencionadas, teem sido
adoptada- em nina reunan da todos os arcehispos
n hispes da Irlanda celebrada em Maynooth em 18
de agosto do presente anno de 1869."
7 P.m, cardeal.Callen, presidente.
IIILA\A
MANIKKSTO DOS DISPOS CATHOLICOS.
Os arcehispos o bispos catholicos de Irlanda,
reunidos no collegio de S. Patricio Mainooth em
18 do agosto de 1869, dehaixo da presidencia de
sau sanfdade ocardeal Cullen julgant dever con-
signar nesta crise importante as rosoluaoes abaxo
tianscriptas relativas as quesioes do ensino ea
propriedade predial :
1. Renovara elles a sua condemnacao do en-
sillo niysto, primario, intermediario ou universi-
ttrio, cmo seria e interinsicamenle perigoso para
u lei e moralidade da mocidade, e declarara que o
ensino dos catholicos nao pudo ser seguramente
cuidado sen;io a catholicos e ebaxo da veritica-
50 suprema da igreja. Em todas as cousas ten-
da reanlo com a f e com a ni ira I, contando in-
ti.iramenle sobre a alT-;it;ao que os catholicos da
Irlanda ten sempre tido pela sua anliga f, e so-
bre a obediencia filial que elles teem sempre ma-
11.testado anto os seus pastores, os bispos convi-
dan o clero e os seculares dos seus rebanhos res-
petivos a combater por todas as vias constitucin-
naes a extensao ou perpetuadlo do systema mysto,
S3ja pela creagao de novas instituicoes, seja pela
conservacao das antigs, ou fazendo do collegio
ia Trindade em Dublm um collegio mysto.
2." Ao mesmo tempo elles reconhecem o direto
' ssim tambem como o dever dos pais catholicos de
(leligenciar procurar, tanto quanto o possivel para
os seus futios as vantagens de urna boa educaco
secular. A justiga exige que .1 mocidade catholi-
ca goze de dotares e do todos os outros privile-
gios em termos de igualdade perfeita com a mo-
itdade penencente a oatras crenfas. Sem a igual-
dadeem materia de educacao a gaaldade religio-
sa nao poder de nenhum modo ser proclamada
existente.
3. Os bispos, sem nenhum pensamento reserva-
do de se ntrometlcr nos direitos das pessoas de
duTercntes denomiuacoes, pedem para os catholi-
cos a educaQao catholica, que so compativel com
os seus principios religiosos.
4. Os prelados reunidos, saliendo qae a in-
encao dos conselheiros actuaes da rainha, fazer
icis para a Irlanda, de coucerlo com os votos do
povo (o se apressam em o assegurar) tem conflan-
ea em que o di-tinelo homem de estado actualmen-
te testa do governo, com a assisteocia dos seus
habis collegas, dar aos catholicos rlaudezes um
completo systema de educacao secular bascado so-
bre a religio, porque ella s pode estar em har-
mona com os sentimentos e exigencia da vasta
maioria da nacao.
5. No que concerne ao ensino superior, os
protestantes deste paiz teem urna universidaiie ha
300 annos e a tem anda; a populacao catholica
da Irlanda tem pois o direto doler a sua univer-
sidade.
6. Mas se o governo de Sua Magedade nao
quizesse augmentar o numero das suas uni-
versidades neste paiz, os bispos deelaram queja
igualdade religiosa nao poder realisar-se se nao
se permute aos catholicos obter 03 graos, as dota-
coes e outros privilegios de pue gosaui os protes-
tantes.
A njustica qae honveem recusar-Ibes a vanla-
gem, impondo-lhe para as obter sacrificios de prin-
cipios e capitulacoes de eonsciencia, se aggrava
anda por este fado que, mesmo contribulado para
os gastos dos estabelecimentoj de educacao, de que
elles nao aproveitam, preciso anda que despen-
dan dinbeiro para fazer educar seas Ribos nos
collegios e na enisersidade de sua religio.
7.* Se apraz ao governo de S. M. o remediar
estos aggravos des catholicos em materia de edu-
cacao e de estabelecer una universidad* nacio-
nal neste reino para o exame dos candidatos edis-
tribnicao de grais, a populagao catholica da Irlan-
da pede :
(o) Qae nesta universidad a jauto della, naja
am callef particular, em. qjie sejaa professanas
PERNAMBCO.
REVISTA DIARIA.
TRIBUNAL DO JRY.-Dex.,u hontem de func-
cionar, por falta de numero suiflciente de juizes
de faelo.
.FERIlEVXO.vXa noite de 29-de setomhro, na
casa que serve de quai-H d-> destacamento da
villa do Ex, foi fcrido levemente com um tiro de
pistola, a praei Rayniando Barbosa, por um seu
companheiro. Tendo logrado evadir-se na occasio
em que eommettea o crimo, foi preso logo depois,
e e*t;i sendo processado.
EVASAf) DR PRESOS. Api-veitando-se da
ausencia do destacamento, que fora villa do
Jardim auxiliar a captura do celebre criminoso
Jos Barbosa, e de achar-se a cadeia guarnecida
por paisanos, conseguirn) arrombar a grade d'uma
janella c evadrem-so da cadeia da villa do Ex,
os criminosos Manoel de Barros Harina, Manoel
Luiz, Bernanlino, Pedro X, SiinSo Gomes de Oii-
veira, e Podro Rodrigues. Ao voltar, o deslaca-h,
ment captaron os dous ltimos, dez leguas antes
de ch'-gar villa.
mSTITTO HISTRICO F. PIIILOSOPIHCO.
Reuni se hontem esta sociedade. sob a presiden-
cia do Sr. Alhuquerque Barros. Sendo lida e ap-
provada a acia da anterior, o I- secretario inte-
rino leu duas propostas para socita cITeetivos que
foram mandadas a commi.ssao de syndicancia.
Foi approvado, em terceira dscussao, o regi-
ment interno ; e continuando a dscusso da
these adiada, falbram sobre ella os Sr*. Feliciano
Prazeres, Siiaplcio do Carvalho, e Silvcira Garca.
Sendo Hdo o parecer da commss', sobre a
legaldade da cleieo, falln contra elle o Sr. Bol-
laida, c em sua sstenlacao o relator da referida
eommissao; depois de algura debate entre os Srs.
Hollanda, Bandeira e Simplicio de Carvalho, foi o
parecer approvado.
Estando mu adantada a hora, convocou a mesa
urna sessao extraordinaria para effectiiar-se a pos-
se da nova directora, e o encerrameiito dos tra-
balhos electvos do primeiro anno da mesma so-
ciedade, que ter.i lugar amanlia s 6 horas da
larde.
OBJECrOS DARTEO estabelecmento delou-
ca do Sr. Antonio Jos Ferreira Monteiro, ra
larga do Rosario n. 32, junto pharmacia dos Srs.
liartholomeu & C, acaba de recebar um rico e
variadissimo sortlmento de objectos de ierra cota,
entre os quaes figurara as estatuas de homens ce-
lebres na litteratura, sciencia e armas, como Senil-
ler, Gothe, Shakespeare, Atila, Esculapio, Hygea,
Merovez.Vicor Emjnanuel.Garbaldie um sem nu-
mero de adornos para salas c mesas, dignos de
inerecerera a aitencao dos litteratos e homens da
sciencia.
RIO PURUS.O vapor Madeira em sua viagem
de experiencia esse rio, ha pouco realisada, lo-
vou um carregamento de mercad iras nacionaes e
estrangeiras de importancia superior duzenlos
contos de res, indo igualmente seu bordo 180
passageiros.
Disto v-se, que com a facilidada da navegacao
augmenta-se o raovimento progressivo d'aquellas
paragens e a riqueza publica particular acompa-
nha a essa ascencao, vendo-se homens, que nada
possuiam ha uns seis ou oito annos, gyrarem hoje
com capital maior de trila contos, adquiridos
sombra da seringneira, ou, como lbe chama a
gente do interior, mo-moedi.
Pela extraecao da gomnia elstica faz o indivi-
duo do 10 a los por dia ; e em que paiz do mun-
do, sem empregn de capital outro que o proprio
trabalho se coin um tal e to grande resultada ?
O Amazonas e seus tributarios sao nesta parte
um vasto Ekloraaoj e o rio Negro, our"ora aban-
donado o quasi despovoado, attrahe agora a con-
currencia do coramercio, visto possuirera as snas
margens immensos e facis seringaes.
PROVINCIA DO AMAZONAS.En 17 annos de
existencia poltica d'essa provacia, segundo dados
esUtislcos, foram commetldos 671 actos, que a
lei classiuca de criminosos sob diversas classiu-
cates.
No anno undo de 1888, a estatslica criminal
aprsenla a cifra de 33 crmes perpetrados em
toda a provacia ; o que representa um crime por
1302 habitantes, sendo isto urna demonstraco li-
songeira da boa ndole d'aquella populacao.
As-rendas da provincia vo em prospero aug-
mento ; as despezas provinciaes pagam-se ora da,
e mnitas obras eato em andamento na capital,
sendo estas a nova matriz, o palacete, a capeila
dos Remedios, o lvceu, ea rampas, praca> da Im-
peratrit, o cano do esgoto d'oeu praca,.o posos
d'afna poUvel.
E* CURIOSO.A respailo da guarda nacional
ha urna estatistica, de que resulu qae,, excluidas
as manieres, escravos e indios, cerca de metade
ua apparico, iliinninaeao diversa e nonhuma
influencia que exerceu sobre as agnllvis magneti- '
cas, nao dexou de ser om phenomeno curioso
que assustou sem fundamento alguns espritus
apoucados.
O ALFINETE.Eis mais urna desillusan, que
cae no occipicio dos presu mocosos modernos I
Os sabios da nossa poca eslavam persuadidos
de que os modernos havam inventado o alfinete.
Pois enganarani-sc redondamente. O alfinete, e
muito bera feito, era j conhecido ha mais de tres
mil annos. A prova dissn, quo vinte e cinco fo-
ram agora collocados no Houvre, no masen de
Carlos X, em a sala de marmore, n'um mostrador
3ue est em frenlb da porta do museu seramico
o Napoieo III.
Esses alfinetes fnrartl'fecenlemcnte encontrados
nos bypofeo' de Tbebas. A anliguidade do alfi-
nete nao deve admirar, urna vez que o velocipede
j eraconhecido pelos assyrios, 587 aunos antes
de Jcros Chrislo, quando Xabucodonosor II inva-
di o reino de Jud, daetrnto JermUfcm e leve*
sea ultimo re, Sedecias, com o resto da nacao,
captivo para Babylona.
O uso de velocipede, que julga-se modernss-
mo, querem agora alguns eserptores que fosso o
nico passatempo permltido aos hebreus durante
os setenta annos do captvero, que se seguiram
quelle acontecimento.
DESCOBERTA.Urna sepultura de antigs eras
acaba de ser descoberta pelos operarios que a
municipalidade de Schiltighem emprega para cons-
truir urna estrada de grande communicaco no
antigo caminho, cuja sombra nada protega o
viandante desde Strasburgo al esta aldeia.
A' um metro e vinte centimeiros de profundi-
uade, acharara-se os ossos de um esqueleto quasi
inteiro.
A cabera Jatia deitada, tendo as rbitas dos
olhos viradas para o sul, e ao seu lado direto,
um vaso de barro de vinte centmetros de altura.
Urna segunda urna de faianca, e pouco mais ou
menos da mesma dimenso, eslava collocada aos
ps do esqueleto.
A |iarte esquerda do peijo supportava o ferro
de urna hacha do armas de onze centmetros de
largura e de li centmetros de coinprinenlo.
Esta temvel lucha de armas, serva para indi-
car um guerreiro de origem germnica. Talvez
que se podesse ver ueste esqueleto um d'esses al-
tivos allemes, que soh o imperio de Julio, vieran)
inundar a Gauha. Talvez achasse a morto na f-
gida dos seus, no proprio campo da batalha, antes
de ter atlngido o braco do Rheno, que as aguas
di III oceupam hoje.
Urna joia lho oruava o alto do peito. Como nao
navia conductor de traliirll.os, os operarios venda-
rain-n'a a um mercador ambulante, que, por acaso
all passou ; o soube-se depois que este homem
a vendeu pelo triplo ou quadruplo do dinbeiro
que havia dado por ella.
LOTERA'.A que se aeha venda, a 12''
beneficio da matriz de Gamellera, que corre no
dia 25.
CEMITERK) PUBLiCO.Obituario do dia 19 do
corrente.
Joo Baptista Gomes, Portugal 28 annos soltei-
ro; Recite; preumonia.
Mara, Pernambuco, 8 dias, Recife ; espasmo.
Jos, Pernambuco, 2 anuos, Rcife; convulcoes.
Mara do Carmo da Trindade, Pernambuco, 38
annos, viuva, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
Antonia Maria da Conceicao, Pernambuco, 36
annos, solleira, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
20
Manoel, Pernambuco, 6 das, Santo Antonio;
espasmo.
Delfino, frica, 90 annos, soltera, Recife
Ihice.
Basilio, Pernambuco, 3 mezes, Boa-vista
pasmo.
Jos, Pernambuco, 6 mezes, Recife; preumonia.
Vleira da Suva; appellada, .1 ;us[i;a.X^fa
processo. Appellanle, o promotor; .ippellado,Pau-
lino Seraflm da Costa.Imprucedeole.
PASSACENS.
Do Sr. dsembargador Gitirana ao9r. dsembar-
gador Guerra.A|)pellaco civel : apfiellante, Aa
lunio^ Jo# de BUencourt; appellado. Candido Cor*
rea Gomes.
Ao Sr. desembnrgailor l-ourengo SantSagaAp-
pellacio crime: appWlaHM, Luiz Jos de OTJve
ra ; ajipellado, <> juiao.
Do Sr. desemliatigiulor Lourencu Santiago, ao
Sr. dsembargador Auneida Albuquerqne. Ap-
l>ellaco civel appetlamVs, Jos Gomos Rodrgoes
e outros; ahpellad*, os eseravos Manoel Mara e
onlro. App.41neoeser4iws : appellanle, Francisen
Joaquim'd SHva; aptx-llada, a justica. Appel-
lanto, o promotor; apturiladiH, Jos e Pedro esera-
vos. Appellanle, o jaira; appellado, Joao Jos de
Oiiveira.
Do Sr. desemlwrgaiir Aliada Alhuquerque ao
Sr. deseinhargador MnitaA|>))!ll.icoes civets: ap-
pellanle, D. Joanna Benedicta Vieira da Silva ;
appellado, Joo Vieira P. de Lcenla. Appellantes,
Clementino de Hollanda Luna e outro ; appellado.
Jos Pacifico da Costa Caraca. Appellacoes cri-
mes: appellante, o Jntan; apjtellado, Ignacio Jos-
de Oiiveira. Appellante, o juio; appellado, Pau-
lino Jos de Miranda. '
Conllicto de jurisdiirii entre o juiz de direto e
o juiz municipal da comarca de l'orlo-Calvo.
Do Sr. desembargado* Molla ao Sr. dsembarga-
dor Doria.Appellaro atvel: appeliantes, o juizo
eJManot-l Gtmcalves Ferreira & Silva; appellada,
Caetano Pereir.i fioncatves da Cunba. Appellaeao
crime : appellante, Antonio Caatano Colho da Sil-
va ; appellada, Xarcisa, eoarava ile Alexandre
Vieira de Mello.
Ao Srs. desembargailor D^mingnes da Sil-
va.Appellaeao civel: appellanle, Juo Baptista
da Cosa Colho; apfeHadas, Anna Ignncia, seus
e netos.
Do Sr. dsembargador Doria ao Sr. dsembar-
gador Bomingue da ?lr*i "unJirt) do jurisdi-
co entre o juiz moaieipal do termo do Brejo e o
juiz inunii-ip.il do termo de Cimbres.
DoSr. de-emVirgadur Rwgneica Osla ao Sr.
dsembargador Sihuu Lean.Appellacoes civeis.
appellante, Jos Lourenca da Silva ;' appellado,
Joao Mauricio Caldoso. Appellante, 1). Ilenin-lin-
da Maria da Conceicao ; app<.-|lada, D. Clara So-
pha Fiiton. A apellante, Jo.- Antonio dos Santos
Oiiveira; ppellado, Francisco Severiano de Mo-
racs Correa.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
fetos:
Appellaqoks civf.is.App-llante. Miguel Anto-
nio Jnior; appellado, llanoel Dultra de Sou-
za. Aupellante, Manuel Thomaz de Alhuquerque
Maranhao; appellada, a viuva e herdeiros doDr.
Jos Mamede Alves Ferreira. Apellante, Jos'da
Lemos Vasconcellos; appellado, Bento Correa
Lima.
Appellac5ks crmes. Appellante, Franesco
ias Chagas Maciel; appellada, a justica. Appel-
lante, u)eo; appell.ut, Paulino Seraflm da Cos-
ta. Appellante, Bernardo Vieira da Silva ; appel-
lada, a justica. Appellanle, o juzo; appellado,
I Benvenuto Paulino de Oiiveira. Appellante, o
juizo; appellada, Anna Custodia de Jess. Appel-
lante, ojuizo; appellado, los Pedro da Silva. Ap-
pellante, o juizo ; appellado, Jos Bernardo de
Souza. Appellante, o juizo ; appellado, Valentni
Vieira da Costa. Appellante, o juizo; appellado,
Jos Peroandes Perrelra. Appellanle. o promo-
tor ; appellado, Jos Mnnli Ferreira. Appellante,
o promotor ; appellado, Jos Be/erra da Silva.
DaUGMQUS.C-iin vista ao Sr. dsembargador
promotor da justica.-Appellacfn-s erimes : appel-
ante, Lourenco B da Silva; appellada. a justi-
ca. Appellante, Joanna Florencia Canteante; ap-
pellado, o juizo. Appellau'i-, o juizo; appellado.
Domingos AITonso Ferreira.
As 2 hora da tarde encerrou-se a sessao.
ve-
es-
CHRONICA JUDiriARIA.
THIIII/VIL DA IIKL.U'.IO.
SESSAO EM 16 DE OUTUBRO DE 18G9.
PRESIDENCIA DO KXM. SB. CONSELHEIBO CRTAMO
SANTIAGO.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. desem-
oargadores Gitirana, Lonrenco Santiago, Almeida
Alhuquerque, Motta, Doria, Domingues da Silva e
Regueira Costa, faltando os Srs. desembargadores
Guerra procurador da corda e Souza Leao, abrio-se
a sessao.
Passados os feitos, deram-se os seguintes julga-
mentos: v
Recubsos crimes.Recorrente, o mizo; recorri-
do, Joaquim Elias de Oiiveira.Relator o Sr. ds-
embargador Domingnes da Silva, sorteados os Srs.
desenabargadores Regueira Costa, Gitirana e Mot-
ta.Improcedente. Reccoaqpte, o joixo; reoeor-
rido, Pedro Bezerra de Oiiveira Cabral.Relator
o Sr. dsembargador Doria, sorteados os Srs. des-
emhargadores Gitirana, Loureace SaaUago e Mol-
la.Improcedente. Reccorrente, o juiao; reecor-
rido, Dr. C de B. Cavataante.Relator o Sr. ds-
embargador Motta, sorteados os Srs. desembarga-
dores Doria, Almeida Albuquenque e Lourenco
Santiago.Improcedente.
Arwu.Le5Es crimks.Appellante, Francisco das
Chagas Maciel; appellada, a ustin.Nao toma-
ran) eonhecimento. Appellante, Lui Ignacio de
Oiiveira Maciel; appelUda, a justica.Proceden-
te. Appellante, Joao Alves de Souza; appellada, a
justica.Improcedente. Appellaoie, Bernardo
SESSAO EM 19 DE OUTUBRO DE 1869.
PllESIDEN'CIA DO EXM. SR. C0.NSELIIEIR0 CAETANO
SANTIAGO.
As 10 horas da manhaa, pn>st mes os Srs. des-
embargadores Gitirana, Guerra procurador da
eoroa, Lonrenco Santiago, Almeida Alhuquerque,
Mo||a, Doria, 'Domingues da Silva e Regueira
Costa, faltando o Sr. dsembargador Souza Lea,
abrio-se a -csso.
Passados os feitos, deram-se os seguintes julgi-
monlos:
Recursos crmes.Reccorrente, o juzo ; rec-
eorrido, Manoel Goncalves Hezerra.Relator Sr.
dsembargador Gitirana, sorteado! os Srs. desem-
hargadores Lourenco santiago, Regueira Costa c
Motta.Improcedente. Ruccunvnte, o juizo; rec-
corrido, Jos Ferreira da Silva.Relator o Sr; dos-
embargador Loaromja Santiago, sorteados os Srs.
ileseinbariadores Motta, Doria e Giliraua.Impro-
cedente. Reccorrente,ojuizo; reccorrido, Manoel
Florentino de Carvalho Bombo.Relator o Sr. ds-
embargador Almeida Albuiprque, sorteados 1 s
Srs. desembargadores Domingues da Silva, Re-
gueira Costa e Lourenco Santiago.Improce en-
te. Reccorrente, o juzo; reccorrido, Ignacio
Bento A. Cavalcante.Relator o Sr. dsembarga-
dor Molla, sorteados os Srs. desembargadores Do-
mingues ila Silva, Lourcngo Santiago e Regueira
Cosa.Improcedente. Reccorrente, ojuizo; rec-
corrido, Marcelino Baptista Alves do Xascimen-
to.Relator o Sr. dsembargador Gitirana, sor-
teados os Srs. desembargadores Domingues da
Silva, Lourenco Santiago e Almeida Alhuquer-
que.Improcedente. Reccorreule, o juizo; rec-
corrido, Antonio Carlos de Miranda.Relator
Sr. dsembargador Regueira Costa, sorteados os
Srs. desembargadores Molla, Doria e Domingues
da Silva.Improcedente.
Aggravos.Aggravante, Alberto B. Gherry; ag-
ravado, o juzo.Relator o Sr. dsembargador
Motla, sorteados os Srs. desembargadores Reguei-
ra Costa e Almeida Alhuquerque.Negou-se pro-
vimento. Aggravaute, Joo Marques da Silva
Continuo; aggravado, o juizo.-Relator o Sr. ds-
embargador Doria, sorteados os Srs. desembarga-
dores Regueira Costa e Motla.Negou-se provi-
mento. Aggravante, Jos Faustino do Lemos; ag-
gravado, o juizo.Relator o Sr. dsembargador
DomiBgues da Silva, sorteados os Srs. desembar-
gadores Guerra e Doria.Xo tooiou-se eonheci-
mento.
Appellacoes crmes.Appellante, o promotor ;
appellados, Jos e Rosa, eseravos.Improceden-
te. Appellante, o juizo; appellado, Joo Jos de
Oiiveira.A' novo jury. Appellanle, Francisco
Ignacio, da Silva; appellada, a justica.Mandoa-se
dar vista ao reo. Appellante, o juizo; appellado.
Antonio da Silva Nogueira.-*No lomou-se eonhe-
cimento. Appellante, Vicente Ferreira de Araujo
Lima ; appellado, o juizo.Procedente a appella-
eao absolvendo o reo. Appellanle, Laurentin
Jos de Araujo; appellado, Joao Baptista 'Alves
Peixolo.Nullo o processo.
Appellacoes ovkis.Appellante, Jos Francis-
co de Oiiveira ; appellado, Domingos Branda de
Barros.Conrmada a sentenca. Appellanle, Ma-
noel Tliomaz de Alhuquerque Maranhao; appella-
da, a viuva e herdeiros do Dr. Jos Mamede Alves
FerreiraConfirmada a senlanca. Appellante,
Francisco Jo- Leite; appellado, Joao Baptista Go-
mes Pena.Reformada a sentenca.
PASSAGKNS.
Do Sr. deeombargador Gitirana ao Sr. deaetn-
bargador Guerra.ApMU^o civel: appsltaate,
Feliciana Mara de Ohvera; appellado, Jas Fer-
reira Colho.



-


HEfWEI


I
'.Mi'



38, ao
1
IB JQ K Aflldl
^H
Pernanibuco
Sexta feira
22 de Outubro de 1869.

Do Sr. desembargador Guerra aO 6r. dt**Bb*r~
sadoclaurenc > Santiago.AppellaeSes civels: ap-
pella0ft,fc***mnel do-Almeida Lopes; >amel
MniWMin.> 1-Yreeira. Appellante*, Manoel
MvtUMpit* C.; appollada, D. Mana L
r>. Aaateite, Bispo Correa Luna; appella
viuvSTrwr\Piroi do' finado Omito Casado do Oii-
eira Appcllanto, o carador fiscal da massa do
Amaro Gonnalvos donatos; appeHado, Jo*ioa-
quii do Miranda. '
Do Sr. desi'ibjTflad ir I*oureiieo Santiago ao Sr.
^esciittrgador j8meid-*ILn(|ucique.Appella-
<-5o civel: appellante, o pard* Matlieus, por seu
curador; appead, Jos de Barros Wau-
derley. .
Cunflicto d jorhdicao ontrc ojaii municipal e
o jui de direilo da ciliada da Fortaleza.
dem entre o juu manteipat e o promotor ua
mesma cidiije.
Do Sr. desembargador Almeida AJUnquerquo ao
Sr. desemliargador Molla.- Revista cnrao: roe-
errentes, Francisco Lopes e Joao Antonio da Cos-
ta ; reccorrido, o mizo.
Do Sr. desembargador Motta aoSr. deserabar-
ador Doria.Conflicto do jurisdicao entre oJlMi
luuukipal e o juiz de direilo da comarca de Lnn-
Do Sr. desembargador Dimingues .da Silva ao
Sr. desembargador Regueira Costa. -C inflicto ue
junsdicao entro o jui/. municipal do termo do Uro-
jo e o do termo do Cimbres.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao.
desembargador Souza Leao. Appellacao civel:
apucllaule, Manoel Cassimiro Lucio de Souza ; ap-
peWados, os herdeiros de Pedro Vieira da
Cruz
Assignou-se dia para julgamento dos seguales
AwellaqSes r.imir.s. Appellante, Francisco
Ignacio da Silva; appellado, o iuizo. Appellante,
o iuizo ; appellado, Joao Gomes de Obyeira. Ap-
pellante, Jos Luiz de Obveira; appellada, a Jas-
mri tra o Dr. paire Gregorio Lapporone.Intuirado.
Oulro dd mesuro, commmncando ter BoaaMc*
Sant'Auna iafriagido o' disputo no i i.
ilo art. i.' iras do 2 de maio de lSos, om
vista do uno o oOUsiderou ineursu no monclonauo
artigo. nteirado.
Oulro do ttscal da freguezia dos Aogaaos,10-
mellendo o conliecimenw da quantia de lUU
aparado da rreMaTafio do gado saino apreliw
dido na mosoia freguezia em o dia 2i de seleinoro
ultimo, oque nicolheu ao cofre da San: i (.a-a ae
Misericordia desta eidaile.A
O Sr. Dr. Manuel de Barro reqttBa e loi ap-
provado, que o engenlieiro llzesso o orr.utH
dos colicortos urgente de que necesita a ponte-tu
Maduro. ,
Foi approvado um parecer da commisaao '
edillcaeao, a qual, reombecenddL* utijidae i:
Saapp'ropriaflfo da asaMIr "* ,a d.!
Santa Cruz, pertcncente a Antonio Cardoso, Ji;
veira, observa que nao oxistindo no orcamefl
gente verba suiuciente para aemeltaalar*
propriacao, nao podo ella ser elTecluada *acWaw
mente, entretanto reverendo o proprielario licen-
ca para reedificar a frente da mosma casa, opten
le que nao deve ser negada, urna vez que aa obn
gue elle por meio do um termo a nao receber di
cmara na occasiao da desappropriacao mais da
que a quaolia de 2:000WOO, prego porque f
comprada em 1861. .
Mandou-se remotter ao engenbeiro para infor-
mar, o olficio do juiz de paz do 3. distrito da tre-
guezia dos Alegados, addiado na sossao passad;,
coinmumcando que um grupo de 400 pessoas pen-
co mais ou nieuos se dirigi ao lugar do loto
para desobstruir o rio Tigipi.
Voluraes sahidos com fazendas
dem tdam cora genere i
Doaearregara hoje 2!
Barca inglezallermionemor
Barca ingeza Fciiic/i H
Escuna iorle-allema.,
Barca portuguezaGiai
Barca jjertc
Barca naci
Han-1
cadri
rkcisb;
Rend
dem
171
265
------ 436
ontubro
Corro.
e cafvao;
orias.
itendimcnto do'dia
dem do dia 21.
PROVINCIAL
.):o6058(I6
2:576*486
58:137/382
r Pela secretaria da cmara municipal 'Mm
cldirde se faz publico que nao tendo sido arrema-
tados no dia 13 do corrente, os Impostes de-80 rs.
pot carga de farinha e outros logumas vendidos
nos mercados pblicos, de 500 rs. por cabeca de
gado raorto para oconsumo das froguezias de tora,
o beiii assim os alugueis do talhos'fS. 10, II, Re
13 do acouguc publico da ribeira da freguezia de
S. Jos, lado d stil, ootUiwias em ^a^a bos
aias 20,' We 27 do andante mez : aqaelles que
pretndanla arrematar, liabilitemw na forma da
ii, para poder ser admitlido licitar.
Secreliada cmara municipal do Recife 19 de
outubro 1869.
Francisco Canuto da Boaviagero,
Secretario.
tica.
Revista.Com vista ao Sr. desembargador pro-
appel la n-
A I bora da tarde encorrou-se a sessao.
Comparecen no principio da sessao o Sr. yere.i-
dor supplente Ignacio l'essua Esleves da bilva, e
prestando o juramonto do estylo, tomn asscnto.
Mandou-se remetter a commissao do petu.-ot >
um requerinienlo de Claudio Dubeux, juntando
um documento para provar a posse que tem em
um terreao da ra Imperial.
Forant aprescnUadas dnas propostas, nina ao ti.
C de Paula Monteiro, incumbindo-so de fortien-r
os objectos precisos para o expediento da secreta-
ria, c oufra de Feliciano Marques Vianna para o
fornec i monto do tijotlo e areia para o cemitena
publico, as quaes determinou-so que fossem r 5-
meltidas a coinmissao de polica para dar seu pa-
recer. .
O Sr. presidente nomeou novas commissoes que
flearam compostas da segninte maneira :
Policia.-Of Srs. Dr. Manoel do Barios e Dr.
Moscoso.
Ediflcacao.Os Srs. Dr. Manoel de Barros e Dr.
Pitanga.
PetiqdesOs Srs. Gameiro e Dr. beve.
Sadde.Os Srs. Dr. P.tanga e Dr. Seve.
Matadouro publico.Os Srs. Dr Moscoso e Son;.a
Macalbaes. .,
Ccmiterio da cidade.-Os Srs. Dr. Moscoso e Dr.
Bento.
Arborisar;,ao.-Os Srs. Pessoa Estoves e Souza
Magalbaes.
Cemiterios de fra da cidade.-Os Srs. Dr. Bea-
to e Gameiro. .
Presin juramento de cidadao brasileiro. em
vista da carta de natnralisacao quo apreseatoa
Joo Jo dos Santos.
.Mandou-se ordem ao engenheiro para le
Despacliaram-sc as pencos uo Amonio an
Res, Antonio GouQlavcs da Silva, Antonio
Gonalves, Antonio da Silva Ferre;ra, Antn
Cunhi Soares Guiraarass, Andr de Abrea
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO EXTRAORDINABIA DE 13 DE OUTUBRO
DE 1869.
PRESIDENCIA DO SR. DR. SOUZA LEO.
Presentes os Srs. Dr. Moscoso, Gameiro, Dr.
Costa Jnior, Dr. Barros Brrelo, Dr. Pitanga, Dr.
Seve e Souza Maalbaes, abre-se a sessao.
Foi lida e approvada a acta da antecedente.
Lu-se o seguinto
EXPEDIENTE.
Um offleio do Exm. vice-presidente da provin-
cia, de...do corrente, re<'ommendando acamara
que remella at o dia 31 de dezembro prximo
futuro, "e de conformidade com a le do 31 de ou-
tubro de 1831, as Matas e balance de sua recoda
despeza no exereicio prximo lindo, bora como
o remenlo do exereicio de 1870 1871, que.
derem ser animalmente presentadas a assembla
legislativa provincial, acompanbnnlo-as ama ex-
pnsi-.ai das necesidades mais urgentes do muni-
cipi afim de ser tambera presente a mesla as-
sembla.Que se cumprisse.
Ostro do mesmn, de 1 do corrente, rommmcn-
dando a cmara que, om vista do aviso de li de
dezembro do anno passado, o de conformidade
com o art. 7. da lei n. 387 de 19 de agesto de
1846, d a? Docenarias providencias, aflm de que
se rcunam as juntas qualitieadoras das froguezias
dece municipio na 3.* dominga do mez de Janeiro
prximo vindouro, havendo o maior cuidado para
que se faca regularmente todo o proeesso da qua-
liticacao, e se observem todas as disposiedes da se reaMsou naqoello c
tegislacio em vigor.Inteirada, fa^am-se as eom-
municacois.
i -Oulro' do mesmo, de 8 do presente mez, decla-
rando a cmara em resposta ao seu offlelo de 20
do setembro prximo lindo, sob n. 8i, que appro-
va pela quantia do 12:800*000 e por tempo do
um ann>, a arremataba) do imposto de afericao
de pozos c medidas.Inteirada, faea-se o termo
de contrato e mande-se lavrar a escriptura de by-
pxihfca.
Outr di juiz de pa? segn lo votado do l. dis-
pete da freguezia de Sforibeca, participando nao
s que se ada no exereicio do cargo, por impe-
dimento do primeiro votado, como tambera que
attofldendo a requisicSo da cmara, j convocou
os eleitoros que teem de votar nos das 26 e 28
de novembro prximo futuro.Inteirada.
Outro do enjenheiro cordeador, informando so-
bro o que pede Fortunato Ribeiro Bastos, tem a
dicer (ue Dada se Iho ofJforece a oppr acerca da
eonstruccao da soten, e quanto ao muro o porta.)
date so dar a competente cordeaeao.Mandou-se
aordear.
Outro ili mesmo, informand > sobre o reqin:ri-
menlo do bao de Una, tem a dizer, que as obras
que Jos Jeoate Tasso est construindo, acbani-
se de conformidade com a planta da cidade, o, elle
nao tem tomado nenhum terreno ou servido da
cmara, e por consecuencia nenlinma proviilencia
tem de dar contra o dito Tasso.A commissao de
edifica y,ao.
Outro do mesmo, informando sobre o requer-
meato de Manoel loaqulm Rodrigues de Souza,
eorapre-me dizar que nada tem a oppdr, urna vez
le o mosmo oxente as obras de conformidade
im as postaras, o se Iho d cordeaeao.Mandou-
se corlear.
Outro do mesmo, informando o requorunento
de loio Francisco do Rogo Maia, declara que na
da tem que opp'.r a prelcncao do supplicanto.
Conceden se.
Oatro do mesmo, informando o reqnenmento
de Mara Senhorinba do Livramen'o, diz que nao
Jia Inconveniente era se conceder o que pede o
supplioante. Conceden-so.
Outro do mesmo, informando sobre o requer-
monto do Machad!) Moura, cumpre-lho dlzer
que as portas acunes do pavimento terreo da ca-
sa n. 1'2 da ra do Cabug, sao amito designaos,
una tem um metro de largura, as outras um me-
tro e dea centimtros, o predio nao admitte collo-
ear as tres portas com as dimensoes exigidas as
postaras, mas como a mudanca que preterdem
fazer melhora semero o edificio, parcce-lhe que
nao lia nconvenierttr'em se conceder o que pe-
dem.Concedeu-se, de confonnidaJe com a in-
firmac2o.
Outro do raesrao, informando o requenmento
de Rodrigues & Irmao, cumpro-lbe dizer que o
sobrado est marcado na planta da cidade para
recuar uns tres quatro palmos, porcm como as
obras que prctendem fazer siio de pouco valor,
parcce-lhe que se pode conceder.Concedeu-se,
asignando o proprctario termo pelo qual se res-
ponsabilizo a nao exigir indemnisacao pelo exc s-
so de obra que vai fazer.
Outro do mesmo, informando o requenmento
de Antonio da Silva Campos, declara que nada se
Ihe offereco a oppor a pretcnsao do supplicanto,
devendo o telheiro que vai fazer (car pelo menos
arredado da estrada ciucoenla palmos.Lonce-
den-se. .
Outro do mesmo, remetiendo o ornamento aa
pintura das portas o caixilhos da capella do ce-
miterio, do porlao e grades, assim como das dnas
casas da entrada do mesmo cstabelecimento, e da
caladura das ditas casas e das catacumbas, na
importancia do 383JO0O. Autorisou-se a eommis-
sao do ccmiterio para mandar fazer.
Outro do flseal da freguezia do Recife, dizendo
que tem somonte dous guardas ao servico da mes-
ma freguezia, visto como dos tres delta, um foi
mandado, do ordem da cmara transacta para a
de S. Jos ; sendo precisos os servicos delle n'a-
"iiiella aflm do que com mais facilidade so pos
impedir a continuacao de lan^ar-se varreduras e
lixos nos caes, requisita a volta do mesmo guarda.
A commissao de polica para deliberar.
Outro do mesmo, remetiendo tres termos dejn-
fraecao as postaras, commelttda por Tasso Irmaos,
companhia Pernambucana e Joaquina Lniz Vieira,
sendo dos primeiro3 e terceiros a quantia de 15*
cada um e da segunda a de 305000.A procu-
rador.
Outro do fiscal da freguezia da Boa Vista dando
a nformaclo que Ihe foi exigida por despacho de
15 de setenbro ultimo no requerimento do capitao
Trajano Alipio do Carvalho Mendonea, represen-
undo contra a existencia de urna fabrica de fer-
reiro e ao mesmo tempo de caleinacao de ossos,
movida a vapor, na roa da Ponte Velha, casa
n. 8.A commissic de sande.
Outro do mesmo, communicando haver multado
a'Fructuoso Jos da Silva Ol veira por ter infrin-
gido as disposirSes dos artigos 2 e 3 combinados
com o 17 das posturas de i de maio de 1806.
Iateirado.
- Outro do mesmo, informando o requerimento
do Antonio Jos Bitienconrt vetativamente a_ esta-
cada j>rovi*iria qae pretende fazer no oito de
seu sofrado n. 1 sito ra da Ponte Velha ; diz
MOVIMENTO [Q PORTO.
^A Navios entrados no dia 21.
RtoH Janeiro20 dias, nansa portugueza Fefiz
Unido, de 551 toneladas, capitao Manoel Joa-
quim Goncalves,. equipagem 14, em lastro ; a
Tasso Irmaos.
Aracaty12 das, hiato brasileiro Graciosa, de
85 toneladas, capitao Joaquim Antonio de Fi-
gueiredo, equipagem 7, carga varios; a Bar-
tholoineu Loureneo.
Uio de Janeirolidias, bri gue inglez Lotiro, de
174 toneladas, capitao E. Conchj^uipagem 8 ;
5em lastro a ordem.
Rio de Janeiro11 dias, patacho inglez William
. Aan/e de 177 toneladas, rspilao E A. Hill, equi-
pagem 8, em lastro, a ordem.
Navios sahidos no rmsmo dia.
Rio da Prata-patacho brasileiro Gloria, capitao
Bernardo Rodrigues d'Alineida, carga assncar.
ParahybaBarca ingleza linogene, capitao D. G.
Down, em lastro.
LiverpoolBrigne norte allemo W P. Knepp, carga algodao.
GoyannaMate brasileiro l'rol)dad,; capitao Ma-
noei Marques da Paciencia, carga varios g-
neros.
O)YIT(I'VTo.
Suspondeu do lamarao para a Parahyba,
barca norle alleinaa Hansa. capitao Riefec, com
mesmo lastro que trouxe do Rio de Janeiro.-
ARREMTACiO
Na sexta feira 22 do corrente na sala das au-
diencias, lindas a do Illm. Sr. Dr. juiz do orplips,
se hade arrematar a terca parle do sitio o casa a
ra de Bemfica na Paisagem da Magdalena, ava-
hada em 3:6100o0 rs., vai a praca a requeri-
mento dos herdeiros de D. Nima Senborinha de
Atmeida.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife se faz publico qne o Illm. Sr. tbesoureiro,
commendador Jos Pires Ferreira, no salao da
casa dos expostos, pelas 9 horas da manha do
dia 23 do corrente, far -agameuto das niensali-
dades vencidas de julho setembro Qndo, s amas
que se apresentarom com as criancas que lhcs fo-
rano confiadas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 20 de outubro de 1869.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.

Ro de Janeiro
Para o referido por.to sbila com toda a bri
dade o" lugar nacional Francisco I, recebe. c _
a fretc: quem nello quizer arrogar pode enten-
der-se- com seu consignatario David Fflrrefra
Bailar, ra do Bruno n. 92, ou com o capitao do
dito navio^ ^ ^_ -
COSFANH1A I'ErANA.MBUCANJ. *
na
Navegando, costara por vapor.
Porto de Galliuhas, Rio I'niraose e Taman-
dar.
O vapor Parahyba, commandante Mello, seguir
para os portes cima no dia 31 do correte,
meia noite. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros, e dinheiro a frotes no escriptorio do Forte do
Matt s n. 12.
.*ffff'-' t.T.ti: ;
do Illm. Sr. Dr. juiz do eapeUas o residuos,
generse armrteao da taberna cima :
Segunda-feira S do correnie
na mesma taberna,-as-111|2 horas do dia.
os

IILI1V.
DE f
Salitre refinado
icfl
BAHA
O palhabole Garibaldi, capitao Custodio ^Jos
Vianna : a tratarcmiTassO limaos. _________
Rio de Janeiro.
Para o indicado porto pretende seguir com mui-
ta brevidade a barca portugueza S. Joo por ter a
maior parte de seu carregamento engajado, e para
o resto que ihe falta, trata-se cora o consignatario
Joaquim Jos Gonca ves Beltrao, ra do Commer-
cio n. 17.
EOITAES.
THlilTl DI M
C0MPAN1IIA DRAMTICA.
Domingo 24 de outubro de 1869.
Grande e variado espectculo em beneficio dos
actores
GIL BRAZ E ANTONIO JORGE
Subir scena o lindo e magnifico drama em
tres actos, do deslindo escriptor Mendes Leal, de-
nominado *
ABEL E CAIM
LEILOES.
A 28'do corrente.
Shaw Hawkea & G. la rao leilSo por intervenca-.-
do agente liveira, e por contt de quem portencer,
de coica do'21'Datris de sallre retinado ;
Segun do corrente, as 11 horas da manhaa, em seu ar-
mazem sito rna da Cr.nzn. 4. __________
de um sobrado na ra da Aurora n. 4, cun
grande silio com 13o palmos do frente, mar-
gem do rio Capibaribe c cerca Be 2,000 palmos
de fundo (Santo Amaro), com_arvoredos e vi-
veres. Tres casas terreas na ra da Paz ns. l'i,
16 e 18, nos Afofadoi.
Segunda-feita 25 do crtente as il horas,
por irttcrvetiCuO do agente Pinto, em seUj escripto-
rio ra da Cruz n. 38.
LEIL10
Para liquidapao
De urna mobilia do mogno, 1 dita de faia, 1 dita de
seregeira, lavatorios, commodas, guarda vesti-
dos de mogno com cspelhos, 1 secretaria e mui-
tos outros movis, os quaes sero vendidos pa-
ra fechar contas por sereno restos de urna fac-
tura.
HOJE
No sobrado da ra do Imperador, por interven-
cao do agente Pinto Principiar as 10 horas.
a planta onde se, achara as sepulturas reservada?
e communs do ccmiterio publico, o remelle-la, ai-
rando nina copia para ser atreguo ao re#pectt"o
administrador. loco
Achando-se terminado o exereicio de 1608 a
18ii9, no qual a presidencia autorison a cmara
a despendor pela verba Desappropnacoes a
quantia de 2:000a para a desappropnaeto -lo
terreno do quintal da casa n. 39 da ra da lmpo-
ratriz, neecss;irio para o prolongamento da na
dos Ferreiros ao cae* do Capibaribo, a qual nao
no presente
do 1869 a i87i) lera lugar, deijoerou-se pedir n
conlirniacao daquella autorisagao, boin como a
despender o excesso na quantia do 8iJ0j>, vi -to
como a le vigente s designara para dosappio-
priaQoes 1:2K)S.
O-Sr. presidenle commissioiiou aoSr. Gameiro
para rubricar tres livros para o ccmiterio pubh ;o,
um para o matadouro publico, o quatro para li-
versos i-npostos.
Eativerara era praca, o naforam arrematados
por nao haver licitante, os iinpostos de 80 res
por carga de Carila e outros legamos venamos
nos mercados pblicos, o imposto do $00 rs. por
cabeca do gado, morto para o consumo das rro-
goezias de fora da cidade, c os alugueres dos la-
Ihosns. 10, 11, 12 o 13 doquirieira do-iado du
sui da ripeira da freguezia do S. Jos, detofiniu. u-
se que taes impostes o alngueres conlinuasscm om
praca nos das 20, 23 e 27 do corrente.
Despacliaram-sc as pciicocs do Antonio More ra
-"onio Pinto
\ntonio da
Poi to,
Antonio Joaquim Lipes de Carvalho, Antonio Joa-
quim do Oi i veira, Antonio Carlos de Almeida, Be-
nedicto Jos de Sanf Anna, Domingos das Nevos
Teixeira Bastos, Eduardo Devi, frei Fidelis Mana,
Fortunato Riboiro Bastos, Florinda Francisca da
Concoio'n, Francisco di Barros Correa (i), Fe-
lippe d Santiago, Flix Lins Cavalcanti. Francico
Manoel da Silva Tavares, Ignacio Juso de Cont,
Joaquim Jos Martins, ido Hachado Soares, Jiao
Cesar de Mello, Jos Ignacio Avila, Jos Jaeome
Tasso, Joao Francisco do llego Maia, Jos Antonio
Gumoares, Jo3 Xavier Codlho, Joaquim Tavares
llodovalho, Joaquim Rodrigues Tavares de Mello,
Jos Francisco de Menezes Amorim, Jos Bnarque
Lisboa, Joaquim Luiz Vieira, Joaquim da Silva,
Reg, Joaquim Bernardino da Cosa, Joao Pecio
Bautista, Jos Jaeome Tasso, Luiz arlomar Cape-
leville, Luiz '.andido Ferreira, Luiz Jos da Costa
Amorim, Lourenco Riboiro da Cunha Olveira, Ma-
noel Cypriano Ferreira Ribeiro, Manoel Fruetucso
da Silva, Mara da Conceioao' Figucirdo, Ma-ia
Domingas de Josus, Mara do Rosario, ManoelI Joa-
quim Rodrigues de Souza, mesa regodora da ir-
mandade do divino Espirito Santo, Manoel Ferr ra
Antones Villaga, Manoel Jos de Oliveira Lima,
Manoel Ferreira de Andradc, Podro de Alcntara
Velloso, Rulino Manoel da Cruz Cousseiro, Seven-
na Francisca da Costa, Thoduro Bcn/.ern, Vicente
Jos de Oliveira (2), Valdivino Ribeiro da Silva,
Vicente Fore:ra da Costa,' Vicente Herculano 'do
Lemos Duarle.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a subscrevi.
Ignacio Joaquim de Souza Imo, pro-presidente.
Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscozf.Josv Ma-
rta Freir Gameiro.Flix Francisco de Souza
Mugalltaes.tor. Joao Alaria Seve.
4.* seceo.Secretarla do governo de Pernam-
buco, 21 do outubro de 1869.
EDITAL.
Pela secretaria do governo sao convidadas as
pessoas que qnizerem contratar o previlegio da
abertura e canasacao do rio Goyanna, nos ter-
mos da lei provincial n. 878 de 23 de junho do
corrente anno abaixo transcripta, a apresenlarein
suas propostas em carta ferbada ao Exm. Sr.
vicc-prcwdonta da provincia no dia 21 do dezem-
bro prximo vindouro.
LEI N. 878.
0 Dr. Manoel do Nascimento Machado Portella,
vire-presidente ila provincia de Pernambuco.
Fago saber a todos os seas habitantes que a As-
sembla L-'gislativa Provincial decreten e cu
sanecionei a rcsolnco seguhte :
Art. l. Fica o presidente da provincia autori-
sado a contratar cora Manoel Polycarpo Morcira
do Azevedo on com quem rnellmres vaniagens of-
ferecer, a abertura on canalisaeao do rio Goyan-
na sob as seguintes bazes :
8 I. O contratante ser obrigado a abrir e ea-
naisar o rio Goyanna de modo a dar ingresso f-
cil o commodo aos vapores da companbia Per-
nambucana e outras emb.ircagSes de igual calado
devendo aqaelles e estas cliegar al a ponte da
cidade, onde deva ter lugar um embarque, tanto
das mercaderas, como passageiros, rcalisando-se
este coma maior commodidade possivol.
2.*A abertura e canalisaeao far-so-hao se-
gundo a planta da directora das obras publicas,
sondo toda a obra inspeccionada pela mesma di-
rectora.
3." O tempo para cornejo e conclusao das
mencionadas obras, ser estipulado no contracto
de conformidade eqm a opiniidglla ^liraaioria das
obras publicas, devendo o contratante ser multa-
do na quantia do quatro contos de res so nao
principiar e concluir as mesnUs obras dentro do
tempo'que Ihe for marcado.
Art. -2." O contratan!.; gosar do previlegio pelo
tempo de 30 annos, de cobrar a quantia de 40 rs.
por cada sacca de laa e 20 rs. por outro qualqucr
volumo que teuha mais de 15 kilogrammas de
peso.
Art. 3." Fcam revogadas as disposicSes em
contrario.
Mando por tanto a todas as autoridades a" quem
o conheimento e execucao da presente rosolucao
pertencer, que a eumpram o facam cumprir lao
inli'iramento como nella se contera.
O secretario do governo dosta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo do Pornambuco, aos 23 do
junho do 1869, quadragessimo oitavo da inde-
pendencia o do imperio.
L. S.
Dr. Mrnoel do Nascimento Machado Portella.
Sellada e publicada a presente roaolucSo nesta
secretaria do governo dg Pernambuco, ao 23 do
junho de 1859.
O secretario
Dr. Joaquim Correa de Araujo.
Registrada a folha do livro de le!s provineiaes.
Secretaria da governo de Pornambuco, aos 23
do junho de fl869.
O ehefc da i." secgao
Francisco de temos "Duarte.
O secretario do governo
Dr. Joaquim Correa de Araujo.
PERSONAGENS
Joao do Mello......
Dr. Manoel da Cunha .
Francisco de Mello .
Conselheiro......
Jos Evaristo......
Marcelino Pessoa ....
Miguel Anluncs ....
A baroneza do Ainonral
D. Julia
ACTORES.
O Sr. Gil Braz.
Jorge.
Braga.
Henrique.
Santa Rosa.
Emiliano.
Antunes.
A Sra. D. Olimpia.
D. Joaquina.
Scgue-se pelo Sr. Gil Rraz una linda poesa de
agradecimento
GRATIDO E SAUDADE
Depois ser excculada pelos Srs. Gil Braz e
Emiliano a scena dramtica
(VMOt:S E O J iu
Subir a scena o lindo o magnifico drama em 3
actos, original francez denomiiiado
1II W.I) I. FILIAL
PERSONAGENS ACTORES.
Raymundo, velho capitao refor-
mado ............Jorge.
Paulo, sargento de cagadores. 'VA Braz.
Eduardo, proprielario......Braga.
Roberto, amigo de Eduardo Emiliano.
Gervasio, droguisla.......Henrique.
O Dr. Anselmo, medico.....N. N.
Um escrivao do juiz de paz Marques.
Magdalt-na. filba de Raymundo D. Olympia.
Luiza filha de Gervasio.....D. Joaquina.
Cumecar s 7/2 horas.
E' este o espectculo quo'os beneficiados apre-
seniam ao respeit-ivel publico deste pevoado, es-
perando sua valiosa protecgSo, pelo que desde j
seconfessara summamonte agradecidos.
LEILAO
DE
movis, louca e vidros
A saber:
1 piano forte, harmnico, 1 mobilia do Jacaran-
da, casticaes o mangas, jarro e vazos para llores,
1 cama franceza, 2 guarda vestidos, 2 guarda rou-
pas do amarello, 1 toile 1 oslante, 1 meza els-
tica, 2 aparadores de pu torneados, cadeiras de
jacaranl, 1 aparelho do porcelana para jantar,
louga para aliimgo, copos, garrafas c conipotoiras
de vidro ; quadros, espelhos, figuras o muitos ou-
tros objectos.
iioji:
Sexta-feira 22 de outubro do corrente, as
11 horas.
Por intervengao do agente Pinto no sobrado da
ra do Imperador n. 29.
Principiar as 10 horas.
1MVIBI.IS
Ia importancia de 40:49150
rts
Quarta-feira 3 de novembro de 1869.
O agente Pinto levar lelo, s 11 horas do
oia cima dito, por autorisaco do liqudalario da
exlincta firma de Southal Mllors & C. as di idas
na importancia de 40:i37Io0 rs., sendo........
31:187310rs. de conformidade com o mandado
de pebora contra J. de Siqneira FerrO, e......
9:249ji8i0 rs. de conformidaJe cora dous manda-
dos contra A, Pinto de Lemos ; o leilao sera
effectuado no dia cima dito, n > escriptorio d"
referido agente, ra da Cruzn. 38.
AVISOS DIVERSOS.
Precisase de urna ama para o servico de
duas pessos : na ra Angusta n. 74._________
LEILAO
DE
H pecas de papel e 75 ditas de guar-
niijo para forro de sala : no sobrado da
rua do Imperador n. 29.
HOJ3.
Sexta-eira 22 de outubro do 1869, s 11 horas
em ponto.
Por intervengao do agento Pinto. Principiar as
10 horas.
Pede-se ao Sr. Jos Mariano Carneiro da Cunha.
estudante da academia do Recite, Manr.ci Pereira
Magalbaes, procurador de cansas, e Bernardina
Osear Freir, o favor de apparocerem na rua das
LarangCiras, hotel eommereia!, a negocio de son
interesse.
v-v

^*.

%'" "
^
COMMERCIO.
AVISOS MARTIMOS.
Para o Rio Grande do
Sui
Cora a possivel brevidade pretende sabir para o
referido porto o brigue portuguez Adelina, recebe
carga a frete, para o que pode-se tratar cora seu
consignatario David Ferreira Bailar, rua do
Brum u. 92. ______.
Rio Grande do Sui
Pora o indicado porto saldr em poneos dias o
briguo brasileiro Tygre, e recebo algnma carga a
frete : a tratar na rua do Vigari n. 1, Io andar,
escriptorio de Bailar, Oliveira & C.
COMVANH1A l'EHNAMBUCANA
M
Xavcjavo costera por vapor.
Macei em direitura a Pnedo.
O vapor Poteng, commandante Pereira se-
guir para os portes cima no dia 22 do corrente
as 4 horas da Urde. Recebe carga at o dia 21,
encommendas, passageiros e dinheiro a frete at
as 3 h'iras da tard do dia da sabida no escripto-
rio do Forte do Mattns n. 12.
Leilao le fazendas
Hoje 22 de outubro
Augusto C. de Abreu, continuar o seu leilao
de um esplendido sortimenlo de fazendas inglezas
e francezas por intervengao do agente Pestaa ;
boje 22 de outubro, s 11 horas, da manhaa em
seu armazein rua da Cadcia. ______________
"lELO
DE
UO caixascom ceblas e 100 com figos.
BOJE.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertencer de 30 caixas com.cebolas e 100
caixas com ligos em lotes, hoje s 10 horas da
manha no amasen defronto da alfandega, as ce-
blas na escadinha.
BEDLARACOES.
COMPANHIA
DO
n
qne nada tem a oppr.Concedeu-se.
Oulro do laosa, communicando uavor leiw la-
PRACA DO RECIFE 21 DE OUTUBRO DE 1869
AS 3 1/2 BOBAS DA TABDE
Assucar bruto americano 3200 por 13 til.
Algodao de Pernambuco 1" sorte 15021 rs.
por kil.
Couros seceos salgadosooJ' rs. por kiL.
Cambio sobre Londres 90 d/v. 19 3[l d. por
1*000
Frete de algodao da Parahyba para Liverpool3/4
d. e 5 OrO
Frele de algodao daqui para Liverpool o.8 e
3 OrO
F. J. sil veira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Sociedade bancaria em corn-
mandita
Theodoro Simn
Compram e vendem por conta pro-
pria metaes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontara letras da trra e outros ti
tulos commerciae9.
Ecarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaeces, da cobranza de letras da
trra e de outros ttulos commerctaes.
Recebfn quaeFquer quanlias em dei9-
sito, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7
# C,
ALFANDBGa.
Rendimente do di 1 a 29 .
dem do dia 21.....
702:83411134
44:222*197
747:050|')3I
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volunws entrados com fazendas
dem dem com generes
------1.00
A
que
administrado desta Companhia vendo
nenlinm resultado l'm pro'luzido os
annuncios feitos nos jornaes desta cidade
acerca do atrazo do recebimento do pro-
ducto de pennas d'agua declara ao publico
ter resolvido que taes pagamentos serao
feitos por trimestres, fazendo-so effectiva
a cobrau?a da qninzena do 2 semestre fin-
dos os quaes ser suspenso o fornecimento
d'agua, nao se admittindo reclaipacoes.
Declara mais aqaelles senhores que se
achata alrazados que vai fazer effectiva a
deliberac de'cortar as pennas d'agua e
fazer a cobranca judicialmentecomo foi
annunciado no Diario de Pernambuco de 9
de abril d corrente anno.
Escriptorio da Companhia do Beberibe,
21 de outubro de 1869.
O secretario,
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
Alllraa. junta administrativa da .Santa Casada
Misericordia do Recife precisa contratar com quem
se qneira enearrogar de fazer sua casta as obras
de que ntcessit o sobrado n. 37 da rua da Moe-
da, concedendo ella, alem de outras vantagens, o
arrendamento por grande numero de annos.
Recebe para isto propostas em cartas fechadas,
na sala ae suas sessoes, deveudo os pretendentes
examinarem as obras de que carece o predio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de setembro de 1869.
O escrivao,
___________Pedro Rodrigues de Souza.
Perante o Sr. juiz de paz do 1
freguezia da Boa-Vista, se ha de arreo
30 do corrente, as 4 horas da urde '
tes e urna pequea poreao de Ion
a Mar anna Iscbel Jaooy, por execui
Gomes da Silva.
COMPANHIA PERNAAMBL'CANA
DE
Navegado costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarac e Granja.
O vapor Ipojuca, coiniiiandantt
Moura, seguir para os portos
cima no dia 30 do corrente as 5 horas
Ja tarde. Recebe carga at o da 29 encom-
aiendas.e passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida no escripto-
rio no Forte do Mallas n. 12.
COMPANHIA BRASILElRit
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o da 28 do corrente o vapor
Paran, commandante J. S. Mo-
raes, o qual depois da demora
do costume seguir para os
portos do sui.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga flue o vapor poder conduzir, a qual deveri
ser embarcada no dia dosuachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
jua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a 1
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
lo.
Tudo que passar destes lmites dever ser
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
geus s se recebem na agencia rua da Cruz n. 57.
l andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
Liiui
Em continuacao.
De completo sortimento de mindens, per-
fumarias, papel, raeias, culilcrias, e de
numerosos oulros artigos,
Hoje.
Mello, Lobo, t C, la rao IcilSo por intervenciio
do agente Oliveira, do mais perfeit sortimento dos
arligos supra mencionados, todos proprios do mer-
cado.
Sexta-feira 22 do corrate.
A's 10 horas da manha em seu armazem
rua da Cruz.-
do sitio denominado -Quatro Le ina rua de
Joao Fornandes Vieira n. i, com urna grande
casa, um andar e solao coi.i mullas accommo-
modacoes. quartos fra, eoeheira e estribara
cacimba com excellente agua, tanqne para ba
nho e terreno, chaos proprios.
Segunda-feira 2o do jrrente.
O agente Pinto far leilao, procedida a compe-
tente autorisaco, da casa cima indicada, cuja
venda se torna recommendada, .i por ser dita
casa edificada em chaos proprios, como por ser
perto da cidade ; o leilao ser annunciado s 11
horas do dia cima dito, em o es:rptoroo do re-
ferido agente. ^^____
LEILAO
de um silio uo areado do Giqui (primeiro do la-
do direito ao sahir da bomba, com 478 palmos de
frente e fundos at a boira do no, com boa casa
de vivenda com 5 janellas de fronte, e accom-
raodacoes para grande fomilia. quartos fra,
grande estribara, bem perto do embarque, 2
viveiros e muitas fruteiras.
Segunda-feira 25 do corrente as 11 horas.
Por intervengao do agento Pinto, em seu escrip-
torio rua da Cruz n, 38. -____________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
\Taregaco costeira por vapor.
Fernando.
O vapor Coruripe commandante
Silva seguir para o porto cima no
dia 6 de novembro ao meio dia Rece-
be carga at o dia 5, encommendas, passagoiros e
dinheiro a frotes, at as 10 horas do dia da sa-
hida ; no escriptorio de Forte do Mallos n. 12
3L
LEILAO
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacdo costea por vapor
Goyanna.
0 vapor Paraliuba, commandante Mello, segui-
fra o porto cima, no dia 2B do corrente, as 9
da noite. Recebo carga, encommendas, pas-
as e dinheiro fretos. no escriptorio de
do Mattos n. II.
de urna casa terrea n. 11 sita i rua de Santa The-
reza, na cidade de Olindo, com 81 palmos de
frente e 88 de fundo, com urna mei'agua pelo
lado do sui. com 177 palmos do frente e 23 de
fundo, com outra meiagua uo lado do norte, com
um pombai no mesmo correr cora 66 palmos,
quintal grande todo murado, o um grande vi-
veiro.
Segunda-feira 25 do corrente.
por intervencao do agente Pin".o, em 9eu escrip-
torio rua da Cruz n. 38. -
^ -'
Em tempes modernos nenhnm descobri-
mento operou maior revolufSn no modo do
corar .anteriormente em Hipa do que o
raiTORYL DE AUCiHlllTA
TANTO NO TRAT^.n-NTO DA
tosse, enero,
ASTHMA, TUISICA,
ROUQimO, RKSFRI .MEMOS.
MMHfCHtTBS,
TOSSE CONrTLSA,
DORES DB I'KIFO, l
CXPKCTORACO DE BANJJE.
Como em toda a grande serie de cufemii-
dades da garganta, do peito e dos okgaos
da nKsptiuoo, que tanto alormentam e l'a-
zemsofl'iera hnmanidade. A maneira an-
tiga de curar consista gerala tena appli-
cafo de vesicatorios, sangrias,sarjar ou aj>-
plicar exleriormente ungentos fortissimos
compostos de substancias vesicantes, alin
deprodiizirempollias; cujos diflorenlesmu-
dos de curar, nao faziaro 6enio enfraqoe-
cer e diminuir as for?as do pb.re doente,
contribuindo por esta torna i'unia naneira
mais fcil e certa para a enfermidade ades-
truico ineviiavc! de soaiictiraa Quem dif-
ferente pois o efieito admiravel do
PEIT01LU. DE AMCAIUITA !
EM W.7. DE RUTAR, MORTlflCAR E C.VUZM!
INAUDITOS SOIKIIIMKM"- \0 DOENTE,
CALMA, MODUICV E SCAVIZA ADOR.
ALL1VIA A tr.lll'l'A'.:O
DESE.UVOLVE 8 KNTI.M)!MEMO,
FORTIFICA O COHPO
e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da rufVrraidade. Os
melhores votos cm medicina 3 Europa (os
Lentes dos Coliegios de Medicina de Berlhn)
testificam seren exactas c vordadeiras estas
relaees analgicas, ou alcm "issoja experi-
encia de militares le pessoas da America
Hespanliola, as quaes foram curadas com
este maravilhoso remedio sao mais que
sufficientes pata sustentarem a opinio do
PEITORAL DE ANAGAHUaTA!
Dcvc-se notar que este- remedio se ada
inteiramente izenlo de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, en quanto que porcm,
alguns destes ltimos, e [-rticularmenti!
aquelles que sao dados sob a 1 nna de Ojii'
e Acido Hydrocianico. formam a Lase da
raatorparte dos Xaropes, cornos quaes tSo
fcilmente se engaa a credtiiidade do pu-
blico. A Composiro de Ana-ahuita^Peiln-
a acba-se linda e curiosamente engarrafada
m frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma colher pequea: basta ge-
ralmente a applicacao d'um ou dous frascos
para aeffectuaco de qualqaer cura.
Acha-se a venda nos estabe'ecimentos de
A. Caors, J. daC. Bravo* C, P. alamor
4 C, M. A, Barbosa. Baiibolomeu & C, o
em todas as principaes boticas lojas do
dragas.
LEILAO
DA
araM$So e gneros da taberna
ella na raalamperlal a. 181
O agente Pontual vender ero leilSo por ordem
Francisco Jos Gomes* agradece cordialmenft a
todos os seu8 amigos que se dignaran as?ij|tr aos
ltimos suffragios/jue se flzeram ao mi muilo
prezado irmo Joao Baptisla Gomes; e de nov,
os convida e aos do finado, para a-)islirem a mis-
sa do stimo dia, que ter Inga;-' na matriz do
Corpo Santo, gonda-foira 85 oe cerreo, as 7
horas da manhaa.
Precisa-se de um caixeira brasileiro para
taberna na rua Imperial n. 31.

>
i
I
c


!>
trate
Aluga-s
Hilades par
Monleiro:
ft Cari
fallar com
negocio de
praca do
mk
Diario de Pernambuco Sexta
feira 22 de
Outubro de I8G>

WBfe>isSi "e'sfid! com oairrro-
gande familia, na pcivoaco do
d^Annlbi il. \._________
da G
I ia da Costa Carvalho- a
i heranca : na
\ FOllA
Aos 4:00O#
Billietes garantidos.
A raa (1q.Crespo a. 23 e cas.is do coslume.
O abaifc psignado. l.-odo vetaiio alm do mi-
-orh'i, itan inteirn n, 4*71 Hi i:0005 da U
Una qne se acabou de exlrabir ;i benclicio da
Sania C-isa de MiscnnirdiMptJt) reenvida ans
possuidoroa viren receber, na eonfarraidado do
ooMumo tem descont algnnt
Acham-se a venda os bilhetcs da 2" parle da
lotera, euedrio da matriz tle Xossa Senhora da
l'enba lo Gamelleira (lii*), une se oxirahir se-
gunda-feira 2j do correle mea.
Precos.
Os do cosame.
Manoel .Martina Fiuza.
distrito |
r as iRole*^* la pelle
nas, eonriojies
pero, sr-m ocrasio'i.ir ac'eden-
tea; deafaz^as manillas do curpo-paqnop, rdas,
slabefcae a cof nattinl, quanti a otis/secca,
gross airiarMet.Ioeifloniftdofcof Ilguma
enfermidade, o con desinfectante epreventivo
das molestias contagiosas.
NICO DEPOSITO
Uotioa do Pinto, ra larga da Rosarion. 0, junio
___________no qnarli'l de poliria. ^^____
II deque.
Precisa-se de mu mi>leque de 11 a 16 annos
para Tender jolas en una taboleta : na ra do
Cabu Ja. ..-.,
EMPRSTITO SOBREt
Joanna Mara de Freitas Gamboa e Izidoro de
Freilas Gamboa, mulbere Blho do fallecido Fran-
cisco de Freilas Gamboa. cordialmenl%jrrndecem
aos amigos de sea fallecido marido e pai, aTSon-
dade i|ue tiveram de ass.-lb/ao sea funeral o acom-
panharem o seu cadver at ao cemiterio publico;
o de novo os convida para assislircm a missa do
stimo da a ruial lera hipar na matriz da Boa-
Vista no dia 22 do frrenle (sexta feira) as 7 ho-
ras da manhaa. pHo q*0 anda gratos ficaro por
este acto d'-. oaridado e religiao.
(SKM LURTE.)
Na travessa da na
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-so qual-
quer qtianlia sobre ouro,
prala c podras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condices de ga-
rantir a transaccao que se fizer em
srja casa, prometiendo todo e zelo
e considera-To s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compm-se ouro,
ta e brilliantes.
Precisa-se de um criado para todo serviro
de hotel, paga-se bem, pref*re-se iscravo : a tra-
tar na ra estrella do Rosario n. 11, hotel Lisbo-
nenso,
Quem qniziT aluiiai^esegundo andar do sobra-
da n. 40 silo ra da' Cadeia do Recita, o qual
est perfeitamento pinlado. forrado a papel e es-
teirado, tondo aem dis-to gaz, dirija-se ao escripto-
rio da compaas Pernainbucana, no Forte do
Mattoi n. 12, que ahi adiar com qnem tralar.
O festamcnloiro do fallecido subdito francez
Juao Ygm.'s, convida aos devedorct do finado a
saldaren! seus dbitos amigajeimente, do contraro
serao njuizadns sem excepcao algtima.
Na ra da Moc-da n. *>, 2" andar, escriptorio
de Manoel Alves FVjrwtrt & C, vndese Mo
i verde superior cm bar s, ancoretas com vinho do
Porto superior e malvazja braneo.
Joaquim l'r.uicisco Lavra tendo de mandar ce-
lebrar urna missa na matriz da B ja-vista, segun-
da-feira 25 do corrento, as 8 horas da manhaa, por
ser o primeiro anniversari) do pa*samento do seu
prezado eaobado e amigo lernardino Jos Montei-
ro, fallecido em Lisboa, convida a seus prenles e
pessoas de sua annzade e as di fallecido para as-
istirem a esle acto religioso, dando com isso ama
prova de quanto apreciavam as snas boas quali-
dade., e como un ultimo tributo d suas cinzas.
A lusa-se
nina casa em Beberibe : a tratar com J. I. de M-
llego, ra do Coonuereio n. i.
Luiz Manoel llodrigues Valonea, como pro-
curador de sua mulliT o competentemente auto-
risado pelos de mal* nordeiros dos fallecidos capi-
to Antonio Gomes Pessoa e ia malher, o outros
consenhores, representantes de mais de 3/3 do va-
lor do engenho Tabatinga, sito v. freguezia de Ta-
cuara, termo da Parahyba, seis legoas distanto de
Goyaana, contrata qoalqaer arrendamento sobre
dito engenho, ou ven le ditas partes : para escla-
recimenlos e tratar, na ra das Trlndiciras n. 50,
1* andar, ou em sju djraicilij ra do caes de
Detenco n. 3.___________________________
Attenpao.
U-sc dinheiro a juros : na ra da Palma n. 57
se dir as condices. ____
VMA
r
__ _- W I IB
Precsa-se de una ama para todo servicio de
nina senhora : oa ra de S. Bom Jess das Crou-
las n. 8.
CAA DA FE.
Aos 20:000^000.
ra do Cabug n. 2,
fillietrs do Bio venda
vende Vioiro & Redrigues.
Precisarse de urna ama que saiba bem cuzi-
nhar para casa de familia: no Corredor do Bis-
po n 23. ^______
Ama.
Precisa-se de urna ama para todo o servlco de
urna so pess a : na rna da Conceicao n. 7. >__
CAPELLAS
PARA FIMAHO
Na ra estrella do Rosario n. 35 lem capcllas
de cravos e de saudades, proprias iwra o da de
finado, e faz-se tamben) de perpetua-<, sendo en-
commendadas tres das ames, tudo por muito ba-
rato prego.______________________________
AosSrs.professores
homoepaticos
Urna pessoa mandando vit de Pars para seu
uso, da pharmaca de Collelan Je Weber, dro-
gas e objectos liomcepatTco, sucoedeu vireni al-
guns sbresedenles, por issn dispde-sc a sede-Ios
mediante a um pequeo ganho sobre os juros do
dinheiro. viudo a wode-los multo em coma.
Assevfera-se serem preparados com todo o esme-
ro e cuidado, alim de prndnzirem os elTeitos dese-
ados na moleslias que se applicar, pos foi mau-
dados vir de proposito : taes sao ditos medicamen-
os,lendo a grande vantagem de serem nao fe cui-
dadosamente preparados, como novos, e vndo
nesra rcente viagem do vapor Navarre.
Urna pbarmaci com 150 tubos dos princpaes
medicamentos.
Urna dita de 125 frascos com tintura niatre.
Urna dita de 150 frascos com tintura na dena-
misacac qne tem yrodazido effoitos maravilho3os.
Glbulos saccarinos inertes de superior qua-
lidade.
Alcool de 05, e 60 0/0, encommenda especial
para tinturacao.
Tubos serados para glbulos com rolhas.
Rolhas de cortira de printeira qualidade para
frascos e tubos.
Vorladeira rnica montana em tintura malrc,
vnda directamente da Suissa.
Jaflltas de arniros, especalidade ne^le genero.
Frascos sonidos com rolha a esmeril esem ellas,
recommendaveis por serem vindoe da pharmaea
liomoepathJca.
ASSIM COMO:
Una rica carteira cinirgica para algbeira com
lodos os ferros do melhor fabricante, contend
mais de 36 ferros, lancetas, agulhas, etc.. argulhas
B ninsas de prala lina.recommcndarel pela sues-
nftoiiliiUfl-i V'p u irilir fu-i rlne CU CRBAINI
Ha para alugar um mole.|ue ; lia 15 annos
na praca do Cupo Santo n. 17. 'i* andar.
Ama
Precisa-se il? urna ama f-jrra ou captiva (|ue
sirva para engommar e lavar ;...:\i duas pessoas :
na ra das Cruzes n. 7.
Ah;..
Precisa-se de una ama de mea idade para tra-
tar da casa de una pessoa : ua ra da Roda n
16, Io andar. .;?
AS ALPACAS 1)0 PAVAO A UiO RS. O COVADO
Vende-sc um grande sortimento das mais boni-
tas alpacas lizas tendo de todas as cores, mais no-
vas que tem vindo ao mercado e vendem-se a 640
rs. ao covado.
ALPACAS BRILIIANTES A 640
Na loja do Pavao vende-se as mais bonitas al-
pacas lanadiuhas, tendo Ai todas as cores que se
vendem a 610 rs. covado.
ALPACAS BRANCAS LAVRADAS
Chcgou para a loja do Pavo um grande sorti-
mento das mais bonitas alpacas brancas lavradas
e de eordo sendo n'este genero o melhor e mai
lustroso pue tem vindo ao mercado, tem algumas
to linas e tao bonitas que servern para vestidos de
noivas e vondom-se por commodos precos.
LAZINHAS MODERNAS .NA LOJA DO PAVAO
Chegou para esto estabelecimento um grando
sortimento das melhores e mais modernas lazi-
nhas para vestidos, sendo tapadas e transparentes
de todos os precos e qnalidades que so vendam
mais barato do qne em ontra qualquer parte.
APACO O GORGRAODE LAA A 800 RS.
Na loja do Pavao vende-se o mais bonito alpa-
cao de cordao tendo de todas as cores, sendo fazen-
da bastante larga a 800 rs. o covado.
COLCHAS DE FSTAO
Na loja do Pavo vende-se um grande sortimen-
to de colchas de fostao sendo brancas e de cores
ditas do croch para camas de noiva, assim como
bonitos damascos de la para colchas.
CASSAS BARATAS
Na loja do Pavao vende-sc nina grande porcao
de cassas francezas de cores sende com padroos
miudos e graudos pelos baratos precos de 240 e
300 o covado, ditas finissimas a 800 rs. o otro
e bonitos organdvs de cor a 360.
AGRACIANAS 1800
Chegou para a loja do Pavao um bonito sorti-
mento de lindas agracianas para vestidos tendo de
todas as cores e 6 pecbincha.
rom listras de seda a SOO rs. o
covado
Na loja do Pavo vende-se as mais bonitas e mo-
dernas azinhas com listras de seda sendo miudas
e gradas a 800 rs. o covado.
CORTF,S DE CHITAS
Na loja do Pavo hquida-se urna grando porcao
de chitas finas de cores lixas e bonitos padoes es-
tando todas ellas em cortes de 10, 11, e 12 covados
para nao deixar flcar retalho faz-se o preco de 320
o covado, fazenda que em oulra qualquer parte nao
se vende per menos de 400 rs. isto grande pechin-
cha.
ALPACA BRANCA A 640
Na loja do Pavo vndese alpacas brancas lisas
muito finas a 640 o covado.
tanguitos coiu golfas a l:BOO
Vendo-se bonitos pares de manguitos com golli-
nhas sendo de cambraia transparente a 14600, di-
tos de cambraia tapada a 2*000, corpinhos de
cambraia bordado; a 5-5 e "5000, camizinhas de
cambraia bordadas de varias qualidades.
pecialidade. Ver e tratar ra dos ssos, onde
est o hospital de Sante Thercza, casa ns. 22 c
24, a qualquer hora.
Venera vol Ordem ter-
ceira de N. S. do
Carao
Tendo a meza regedora de prestar as
suas contas at o da 26 do correnle, e
prdendo acontecer que por esquecimento
deixem de ser contempladas algumas
dellas, convido quem se julgar credor,
baja de apresentar a sua conta dentro do
prazo de tres das.
Secretaria da Veneravel Ordem tercei-
ra do Carmo 20 de outubro de 41)68.
Ja-oni/mo da Costa Lma,
Pro-secretario.
.flfrr rrrmrrrm
mmwwtmmm uwu
IT
FOLHINHAS
Ard venda
A *
LIVRA.RIA FRANCEZA
nuu Ho Crespo, T O.
u t,*m',m Folhiihii
E
PARA 0 ANNO DE 1870
IPREcpO .s
l**.*4.+4.*.t*4~4*~*
AMA
Precisa-se do urna cosiuheira
Joas, rna do Cabug n. 4.
no Musea de
Oompanhii ilos trhos urbanos
doRecile aOliiula
Por ordem da directora sao convidados todo os
senhores accionistas para no dia 26 do correte,
as 10 horas da mauha, no salao do Club Pernam-
hucano, se reunirem em a-.sembi'ia geral, segundo
<.;tabc1ee o artigo 13 dos e=tatutos da companhia.
Escriptorio da companhia i' de jutubro de 18C9
O Io secretario,
Jlo Joaquim Alves.
Aos 20:0003000
CASA DA FEL1C1DADE
'--Pracada Indepei.denca-39
Verx^ & Barbcdo tem exposto a venda os
seus felizes bilbetes das loteras 297 e 298, das
quaes vena as listas da prmieira pelo Cruzeiro do
Sul que esperado at o dfa 21 do crreme, e a
outra pelo vapor francez de 30 do mesmo.
Os mesmos cima venderam alm de nutras
sortea a de 8005.000 no n. 2604. e a de lOOOOO
em 3435 da 296".
Precisa-se alugar urna escrava para engom-
mar e cosinhar : tratar ra da Cadeia n. 34
segando andar.
ATTEE
O Sr. Sebastio Jos Peixoto (charuteiro), nqui-
lino da casa n. 4 da ra dos Acouguinbos, queira
declarar por este Diario se sua merc est no lu-
gar das Areias ou da Imbiribeira passando a festa
na primoira casa depois da segunda taberna (oili-
zeiro), visto a casa da ra dos Acoiguinho? estar
fechada, ou tenciona voltar para a mesma casa :
quem sto quer saber quem pretende alugar a
casa.____________________
I erguuta-se a quem
competir, se pcrmitiido tapar-se um becco de
muito transito para fazer, como publico, um pe-
queo armazem, oa para tonda de barbeiro,-cujo
becco, segundo nos dizem, no qnarteiro que vai
da ra de Apollo para a ra da Guia ; isto nao
somente prejudica ao publico como aos propriea-
rios que all teem predios alugados.
Um prejudicado.

O fabricante a proprietario da lalirica de tmea
da villa do Cabo, ratifica seu annuncio do I* ou
correnle, em que fez ver nao sabir de sua oflicina
louca em remessa que nao seja para seu deposito
nesta praca, rua das Cruzes n. 2, em Santo An-
tonio. Alli acharan os regiiezes um variado sor-
timento que satisfar ao respetavcl publico mes-
mo na commnnidade de precoe l'acilidade, livre do
quebras e carretos com mu diminuta dilTerenca,
segundo a qualidade e porcao, nao s a retaliu
como por gi osso. Os pretndentes alli acbaro
pessoa habilitada que satisfaca cabalmente, inde-
pendente de oppinioes mesquinhas que nSo invol-
ve no negocio. Urna vez assim declarado, parece
imprudencia ou positivo, repetir exigencias, de
remessas desta oflicina, para se formar mosjuizos
de seus annuncios; o fabricante acha-se indepen-
dente de compromisos para com qualquer oulra
pessoa, e s para com seu deposito nesta praca
responsavel. Villa do Cabo 20 de outubro de 1809.
O fabricanteJoao Travasso.
Preeisa-se
De um cosinheiro ou de urna cosinheira para
ma casa estrangeira : a tratar na ra da Cadeia
n.36. ____________________________
Alaga se o segundo andar do sobrado da ra
Nova n. 58.________________________
Lavase o engomma-se com toda a perfeico
por eommodo pre?o e garante-se : na ra de Bor-
las n. 43.
Prorisa-so de um menino do 12 a 14 annos
de idade para criado de una casa : quem pre-
tomter flrt|agft a ra Augusta n. 96.__________
Aluga-so um bom escravo e moco par.* co-
peiro e bolieiro : quem precisar dirija-se em
Santo
glez.
Amaro ao sobrado junto do cemiterio in-
. Os senhores credores do .fallecido Antonio
Ferreira Gomes, queiram dentro do prazo
de 8 dias (os que ainda o n5o fizeraro),
apresentar as suas contas ao seu testamen-
te i ro Manoel Ferreira Pinto, praca da
Independencia, para serem verificadas, e
pagas do que llie tocar em raleio.
llecife 21 de outubro de 1869.________
Aluga-se urna casa para pausar a festa, na
Passagem ao Caldeirciro, a buha do rio Capibari-
be, confronte ao Sr. Dr. Alcoforado : quera pft-
tonder dirija-se ra do Pavsand, no Cajueiro,
n. 19.
Precsa-se de urna ama para comprar e cozi-
nhar para urna pessoa : na ra eslreita do Rosa-
rio n. 2, 2o andar.
ATTENCAO
O abaixo assignado declara que Pica de nenhum
effeito a procuraco que passra aos Srs. Drs. An-
tonio Borges a Fonseca e Bento Borges da Fon-
seca tanto em relaco aos seus negocios de Ma-
mangnapc e casal de sou fallecido pai Joaquim
Francisco de Alom, como de qualquer outro. Re-
cite 20 de outubro de 1869.
Manoel Jos de Alcm.
Fugio do euaonfio Local do termo ae Pao
d'Alho, o escravo de nome Aeton o, earreiro, de
idade 23 annos, pouco mais oa menos, prete, cri-
oulo, de boa llura, corpoleoto, nariz e beieos
grossos, bem feto de p, c com algumas marcas
no cogote qnem o pegar e levar ao referido en-
genho, eu no 3" andar do sobrado n._36 da. ra
das Cruzes, receber 504 de gratincacao.
AVISO
Fugio segunda-feira, 18 de outubro, o escravo,
Antonio, preto crioulo, idade 30 annos, pouco mais
ou menos, de estatura regular, falla de denles na
frente, quando anda um pouco corcovado para
diante, levou vestido calca de mira pardo, camisa
de estopa, e chapeo de paiha ja velho : este es-
cravo veio j ha tempo do Rio Pormoso, e sup-
pOe-se ter para alli seguido : quem o pegar le-
ve-o a ra da Concordia n. 8, rellnaco, que ser
bem gratificado._________________________
Aluga-se um moleque com 16 annos de ida-
de, para hotel ou outro qualquer servigo : ra
do Imperador n. 50.
Precisa-se de urna ama
no pateo de S. Pedro n. 3.
de leitc sem lilno
Precisa-se de um caixeiro que tenha ortica
de taberna para tomar cuma de urna taberna na
ra das Cruzes n. 24, dando fiador de sua con-
duela._______
Alugam-se
duas casas terreas sitas no Manguinho, a margena
do rio, reoommendaveis pela va frrea : a trataa
na ra do Vigario n. 31.____________________
""Casa para alugar
Aluga-se para passar a fe>ta ou por anno, urna
casa na ladeira da Misericordia, em Olinda, com 3
salas, 3 quartos, cozinha fura, terracos com assen-
los de pedra e. cal, na frente c atraz, e bom quin-
tal cercado : a tralar no largo do Terco n. 11
Joaquim Jos Gon-
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os seguD-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
GuimarSes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde-
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de}Famalica"o.
Lamcgo.
Lagos.
CovilhSa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Ooxarope Vegetal Americano spccialidade de Bartholomco&C.
34.RUA LARCA DO R0SARIQ.34.
Nol costnmamoi procurar Itettidos para icrediur Vegetal Americano, de sua composico. fiando _M
tebera bastante doenle de una constipante, que
tomn completamente rouco e que trouxe Dina fortt
tosse, e me impossibilitou de cumprir os meas detere
de cantor da empreza lyrica, tou agradecer-Ibes atea
completo reslabelecimenio, qne obii?e com au so ridr
do mesmo .tarop, depois de liaver recorrido muito*
tratamentos. Oesejarei que outros como eo recorran
lo seu jarope para se Terem aliviados de ti* lerriiet
iucommoilo, lio fatal oeste paiz. Com malor conside-
r*;ao contino a ser de V. Ss. aliento, Teneredor
obrigado. Luiz Cremona. Recite 25 de Miembro
de 1868.
lllras Srs Bartholomeo _C0 xarope Vegetal Ame-
ricano qne Vt. Ss. ta exposto a venda de toda efi-
cacia para o curativo d'aslbma, cantorme observei ap-
plicando-o a men Ulbo Joaquim, menor ele qnatre
annos; victima d'esse flagello, qne at enlio por espaco
excedente a dous annos havia resistido a onlros xaropes
de grande nomeada. Queiram pois Vt. Ss. aeceilar o
expressAo altamente sincera de mea reconbecimenio *o
meritorio servico qne Ibe prestaran) com o indicado
xarope, acreditndome para sempre de V. Si. criado,
atiento e obrigado. Americo etto de Sindonos.
Kecife 2 de outubro de 1868.
nosos preparados, e deixamos qne sua applicaclo e os
resultados oblidos peles pessoas que se dignaran) acceita-
los. Ibes deera crdito e vogs ; porque sao sempre os
Atestados considerados gralnilos, e deiles qne lanca
mao o charlatanismo; mas ni qnerendo offender as pes-
soas qne espontneamente nos olTereceram, os que abaixo
vio transcriptos, os tazemos publicar manifestando-Ibes
nossa gratidlo pela altenco, esperando qne venbam
lies corroborar o conceito, e scceilacAo qne lem mere-
cido nosso xarope. Sar'AoIomeo k C.
amanos.
lllms. Srs. Bartholomeo & C. com a mais subida
salitfacio qne declaro ser o xarope Americano de nma
eficacia extraordinaria, pois qne soffrendo ha dias de
intensa tosse, A ponto de nio poder dormir a noiie a
despeilo mesmo de medicamentos qne tomava, a elle
recorr e na lercetra colher fui allimdo, e de todo me
ache boje reslabelecido com o nao sement de quasi
meio frasco.* grato pois i esse resoltado manifest a
Vv, Ss. men reconhecimento. De Vv. Ss. amigo, ve-
nerador e obrigado. Manoel Antonio Viegas Jnior.
Sna casa 20 de abril de 1868.
lllms. Srs. Bartholomeo l C Peohoradisslmocom
o favor que me lizaram de aronselhar o nso do xarope
y
Possi
I ESCROI
I Falta
-lhea
N. B,
Irritanh
MBm
k nosso
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCARD
COM IOOURETO 00 FERRO INALTRAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do lodo et do ierro, convem especialmente as Affeccos
ESCROFtjlosas, a Tsica no principio, a fraqwsa de temperamento e tambera nos casos de
7alta de con, amenorrhea em que precisa reagir sobre o sangue seja para restituir
Ibe a sua riqueza e abundenca normaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
Jf. B. O iodurelo de ferro imparo ou alterado um medicamento infiel, S?S
irritante. Como prora de purera e de aulliencidade das TeraMlelrsui Pi- /fjfajy,
_ le BiHiri, deye-se exigir nosso etlo pratta rM*Nva tpsfWQ
nosso tUaviai, aqni reproduzida, que se acha na parte inferior de nm
rtalo vert*. Deve-se desconfiar das faUificacos.
_ todas > f*r_!. PkarnacnUico, ra Bonaparle, 40, Porta
:RU1
IDO |
C\BUGi
esquina
| da ra larga do
Rosario.
ANNEL DE
_0ifM_L _)_ JOMAS
RIJA
EO
CABUG B
esquina
Este importante estabelecimento no seu genero, !tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. a ^a jar??a 0i
L vista da qualidade e do prepo dasjoiascada um pder-se-ha convencer daverdade. 8 I
Gaante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e podras finas por preqos muito ele-
A loja est aberdfe ) horas darnoute. t^^^ ,. .___
ai__ii__iLje____ acaMLJUJLJU^U-JUJUvJP________
Rosario.
i:


Diario de Pernambuco IWu feira ^ <** Outubro de 1869
DOURADO
*
Nova loja de calcado
JOA(JfflH MAS DOS SANTOS C. jcabam de abrir um estabelecimento de cal-
cado estmgtfro a ra Nova n. 30, onde o publico enconli ara ludo o qne nesle ge-
ero de commerao ha e melhor e de mais goslo etn Pars e Londres.
Por todos os vapores transatlnticos rcceberao ellos constantemente remessas de
calcado novo, pelo que lera serapre o estabelecimento o que a respeilo se pode exi-
gir. Ao publico en geral c a seus amigos em particular, pedem a cooperacao, qo
Ihes possam dispensar, cortos le que serSo s nidos com lealdade.
*

Mikroskope achroma-
tiseben. ObjetivLin-
sen.
Barometre e termo-
metre. Centgrado
e reuumeure.
OaJHi sdmiinrTin,
Mas ti5o se pode duvidar ;
No Mein hiiit-'pemlencia
E' onde se pode comprar.
FniNLUlllll ,
Joos deste importante e magnifico armazem de seceos e molbados sito ra -do Rangei
n. 3, julgando nao aceitarem concordata alguma com os seus colegas resoSveram der
nominar o seu armacem ~INBEPENDENCIA, asstm como o sew fim nao *eja illudi-
ao respeitavel publico deixnro de annunciar, sem o que o mesnw o julgue -e admire...
Mas como nos potitos da viafcrrea, j se tem calido e aprendo a-realeza e impos-
sibilidade a ver qem vende gneros tao barato.* norsta nwfto que anmmciamus pin
que todos tanto 4a praea como do mallo acreditara que ne*e assevenmi e aquelles
que ainda nao aos teiiham honrado com ss fregtwasas, .poderlo ding*r-seao mesmo.
sertas dequevorio ravada a sinceridad* wHliodo de negociar muito Tranco sem qu3
iiecessitcmos debate twaia noite {tetes Matas las mittriffes jiguran<8o-no* por bons
demonios ue sesmo na frente da msica com o yemlo na mao feitebalisa.
FEREEIRA & IRMAO,
Ra do Raagel n. 3, armazem da Indepen-
4 dencia.
DE
ICIilS niKEHIEK
E crystal de rocha do Brasil.
F al eruiano, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
Joe- ooroue, eom este;, vidros, a visa descansa, fertifica-sc e no a canea como com
os vdros ordinarios. Urna vez escomido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
aue, com osaros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e oster
ida vez mais grossos, o que altera o crystalino do olho e determina quasi sempre do-
res decabec*. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do o ho, e,
todas as ve que o objedt es** mais perto ou mais loage, os raios que expelie sao
nwi conven-entes ou mu divergentes e a vislo nao preiia. Um grande numero de
r*ssoas teta o defeito de facer convergir muito de sorte qae a visio nid aistinctt.
Van a appiicacao de meus vidros nde-se vencroslas difficuldades Para os que tem
a vista carta e cuio crystalwe fiui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
hace), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affcsta-se o ponto de
vista -o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as ootras vistas. Qoan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem melhor de longe que de perto, e nao enxergam senao
m ncvoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
tio distinctamente como na idade de 15 annos. Servindo-se desles vidros quando e
viste principia, eufraqueoer, previne-se o mal.
P J. Cierna encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos otaos, a es-
oolher/a primeira vista, seja qual for a idade egro de vista, oculos propnos para
qualquer pessoa, -
Para que sao fabricados estes vidros 7 7
i l.A JU
CVHBLLlilHEIRO
3 A" Una do Oe>po1..' andar 7 A
RWiiTllAU-SE-tlA seatpw ueste est;ibeecimciita um variado e bonito SOrti-
oento a |>rrluniarias fi-aucozas e inglesas cuja lila darnos aos leitores.
'l;VyVS Marca garaflda d! 30UVI?J. ,
EXTRAGTOS.Oe SBperiw- qiiulidade marcas LUI>IN A GOSNELL.^
1JTOS FINOS.em frasquinhos proprios para presentes Lubin & Gosnell.
POMMADASBanha lina de *awos choirosLubin.Gosnelle, SocietHyginique
SAliONETKS.finos para toilette."Lubin d- Monpelas.
SA DENTH-'tlGi. agaa para limpar denles-^Societ Hyginiqne Lubin d P.
fierre.
WflUIANTINA.para lustrar a barba os cabellosLybin.
SGDA HI-: GOLONIIA.Marca verdaddra de :Joo Marina Farica.
eOSMEPGO.cheit-osoLatn.
POT DE AilROZ.ditoLabiiu
flIl-E DE SBNTEUUOleo para-oonservaco dos cabellosSociet Hyginiqoe
ESOOV/Ifi FINAS.para cabellos, denles e uiihas,
MIAIRIL\U.l'incel para baiba.
ORANPOS.para cabellos.
BEDES INVISIVEIS para cabellos.). -
HRAVATAS LINOI^SIMAS.do melhor xrosto.J
UNGAT.AS.de phaniasia, faro passeio o de diversos lmannos ele, etc., etc.
A la pjuTuiuerie^arisienne.
7 A RA DO CRESPO 1. ANDAR 7 A.
Para a vista myope, (vista curta).
Tara vista que se cabr de nuven's.
Para a vista qne por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que s olhos sao desiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
Iho e a leitura. /
Para a vista presbyta (vistagalrr).
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras estad cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o ontro presbyta.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
NAO FOI PRECISO AGUA BEATA
O demonio mudou-se por sua livre cexponUnea vontade
YIVA 0 DA DE S. BARTHOLOMEli
Agora ninguem presuma que /m um demonio qualquer, foi.
0 BOM DEMONIO
Mas nao sabio da Boa-Vista
CHEGOU-SE ATE PARA INAIS PERTO DA MATRIZ
Sea dominio est hoje assentado, onde foi botica,
ESQUINA Di RDA Dd ARAGA l 32
YEMIIA9I Vfi-IiO
Como garboso se ostenta
Como lepido se mostra
E as diabruras que faz!!!
Negra tranca no eolio lhe ondeia
Sola briza ao mago desdem :
Deita a fronte n'am peito e conhece
c Quantas maguas o seio contm.
Esta linda e gentil creatura tambem _______ _____
Queijos, manteiga e caf,
Vinho, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
De Nantes boas sardinhas.
Tudo barato
Para agrada", *
Venham freguezes
Qne bao de gosUr,
N. B. Brevemente ser annunciado o (lia, em que este importante armazem de ma-
lhados ter principio a pratica de certa diabrura.que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da ra do Queimado. Por ora venham os freguezes visitar o nosso es-
tabelecimento, comprar os nossos superieres genen s por precos muito rasoaveis.
Manteiga ingleza flor a 1)51300 por 500 Vinho bordeaux em caixa, 7|000.
Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinbas de J:TereDtes mricas.
10400.
Fosphoros de seguranga, Jiasso 500 r.
Banha de porco a 720 por 500 grammai.
Vinho do reino, garrafa a 10000.
Charutos do Lima a u> e 05 a caixa.
Sabo de massa a 240 rs. por 500graaa-
mas.
Latas comameixas a !#, 1)5500, 280
e 8(5500.
Ditas de manteiga a 2d$00.
Ditas juliana a 1-5 por 500 grammas.
Frascos com maclas seccas a 2)5000.
Serveja de differentes marcas, duzia 6
Tapioca do Maranho a 240 rs. por 500
grammas.
Farello em sacca com 21 kilos por 5.
Ditas s de pegos maiores a m rs. a' Liguicns e paios a 800 rs. por 500 graiD-
grammas.
Dita dita a 1)5200 idem.
Dita dita a 1 5000 idem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a 100 rs. idem.
Cha fino superior a 3i500 idem.
Dito dito a 3)5200 idem.
Dito dito a 36000 idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf d carogo a 200, 240 e 280 rs.
idem.
Milho apista a 240 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a 400 rs. idem.
Vellas estiarinas, masso 720.
Potes com sal refinado a 400.
Ervilhas franceza em manteiga, 900 rs.
a lata. i
Fructas portuguezas em calda a 600 rs.
a lata.
mwimw
'i0 1 ' ja OlSO.I'M
'i0 lo ss||
'. 3 :13IO>W 1||
ti./mi
j!Mtr-rj
'sunj ap tmatpjt* ?p jvunlmi
viuupvjy w]pd topnaoudo uwjoJ toiu,wto.itjr*u yjs.i -ihiraip.mi i*p eiinnpwy
Bjad sopKAoarfc Enonod p "W ' ^-?Hia3a 30 OVH1V3V8 3a oavou sa 03i0
*SI V t3P ^VP c" 'JBtucr up'Awtmsa cu scpeiuoi majas imihI sk i:;|[as
-U03B BiiiiiitiujHi *p upi9J as uia m:.i*(iai .ich.jojd o "lj;,l'.l '-m
P KliM.a3d3Hi 30 VIOM3SS3 3C tVIOMM l-1*l StpMIIO Of |CJ38
ma SGS0A.I3U sainp 9c stpi a 'oijriro 'mXor(mo) 'RntcpA se ouion 'swi
-toi msa.p tut ioiui y 'VQ|X3& VO SVI1S3TOBI
ouniKil) a;> oiejpis on ofisrs
-ai aiii si:.-!inn sa.iqaj ot buiq -apacs b biio. c |>ihss,vi<1i! o MAm s.j|
-opuep 'satt'.TMnjrAi!o so ajqos f -aj\l sajo'ii'in Hp non j 'ajiiBjsuoo epiiicji:d n osiwoduioD Bfno soauod
sop w 'oipiu aisa -vibuuMqD-i P wniNinO 3a ohnia
sc:i!|O0 im
-q utas (JjimI -fib |3Apj nnmiiii| ttwo i^yfi w wl mtUtp tiwwl)
oiaui iuo oj nisap oosr^ mn jax|iM4(> ijsag "330y 3Q Od
Tiltil auiou o u|ii:vi\nui iuaj K|ni!.I <-T op.iiii^i.i .H'^ian o mor ^uffiuquM onluios uvs-soouiSujj.ijop uSa.i(luis
op iui iiswo.ni anb sojtiiuiiuos o a j|3Q|17fVd V '\f!N3NV
Sortimento de binculos
para tbeatro, e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem gcande sortimento de relogios para parede, que d3o horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para agibeira, de ouro, prata, prata
; dourada e foleada, ieglezes, suiesos e orisoirtaes dos melbores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua fjovaN. 21.
COWEITARIA DOS ANANAZES
16 RA Di CRUZ 16
Ha dia ament sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
calda, etc.
Incumbe-se de encommendas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
111 :1j (IP M3H13 8VTOH3d iiipd aiuaiimpnliM scptdis
-siposaoto.jjesBsia iSVRnHA3M 8VD3n>VXN3
swiiiitiI na no ihI uia 00113a 10 ovauvo o|ad seip soanod nio mnj
-OVVdlXSMOO '0SrVIOlS3.lrS0XK3IMtUiJ0S
aesn
XA R O P C
VEGETAL AMERICANO
ESALIDADE
BA T MOLO M L O &
ftw i cun certa u Iwi ulifas e recentfi, calarrhM pilmonar, isllioi; tona conviki, eatarrbw
kmebiai, m goril contra tato as sofriamos iu fm respin lorias.
DEPOSITO ERAL
BOTICA SS DROGAHIA
34, RDA LARGA DO ROZARIO, 34
PERNAMBUCO
lata.
Tijolo para facas a 120 rs.
Chocolate espanhol a 1(5000 o masso.
Frascos com conserva a 900 rs.
Ditos dita de mustarda a 800 rs.
Latas com carne de porco a 800 rs.
Sardinhas de Nantes em manteiga a 8001
rs. a lata.
Copos finos, para agua, duzia 4#800.
mas.
G*z, Uta a 8(5500.
Dito em garrafa a 400 rs.
Latas de peixe a 800 rs.
Bolaxinhas beato Antonio a 1 5200 a lita.
Latas de p5o-de-! a 900 rs.
Biter em garrafas a 800 rs.
Licores finos como coracol, amisade, e
outras umitas marcas a 1 oOOO rs.
Garrafas finas para meza, o par 55OO0. Estrilinhas para sopa a 800 rs. por 5*
Cognac engarrafado a 800 rs. grammas.
Azeit francez engarrafado a 15000. Marrasquino de zeroa 1)5 a garrafa.
Presunto em barril a 480 rs. por 500 Massa de tomate a 720 por 500 gram-
grammas. mas.
Os proprietarios garantem tudo quanto cima est especificado, adverte a todo*
que.n3o conhecem o peso de 500 grammas, mais de urna libra, e se evpcar quelle*
que nao entendem.
samentos, a saber:
Pecas de nougat.
Ditas de po-de-iot.
Ditas de tmara de ovos.
Ditas de caramilo.
Bandeja com armaco de assucar.
Pies-de-lot enfeitados.
Bollos idem.
Pratos de doce de ovos.
Tortas folhadas de crme e carne.
Empadas.
HOTEL CENTRAL
BE8TATJMNT A LA CARIE
DE
Francisco Garrido
Entrada geral ra larga do Rosario 11. 37 e para familias ra
estreita do Rosario n. 4 A.
Este vasto e acreditado estabelecimeuto sem duvida o que aderece maiores
vantagens nao s em precos mdicos como por sa tornar o mais prximo possivel das
eslacao dos caminhos de forro e ser beira mar "do caes Vinte e Dous de Novembro, que
tambem se presta ao embarque e desembarque dos passageiros que vem de outras pro-
vincias e da Europa, e que preferirem essa accommodaco menos despendioea nos trans-
portes da bagagem.
Os hospedes acharSo todas commodMade em grandes salas e asseiados quartos.
Ha sala para leilura de jornaes nacionaes e estrangeiros; na mesma ha um
magnifico piano para recreio. <
Ha urna outra sala para jantares particulares.
Come-se a mesa redonda a la carte c manda-se domicilios.
Os vinhos mais finos do mercado acham-se no estabelecimento.
A' noite hasarwte e refrescos, caf, cha e chocolate a toda a hora. Tem mag-
nficos, buhares de mogno para divertimenta.
Falla-se hespanhol, francez, italiano e inglez.
A tbertpeatici dii ditwui molesiis do peto,eid
birjmgile m mal da garganta al a tubercula^o
rulmonar.paasaodo palas dirersas bronchites catarrbaaa
empbyMau acaba de aer enreqoeeida con nuil
medicamenio, qae loaari a primeira ordem enire
lodo ate boje coiheeidaa. 0 laropa Vegetal Americano,
(uanlindo po-, menle vegetal, oto contm em n*
lompoicio nm sA alomo de opio, e sim gmenle anc-
ees de plintai indigenaa, cajas propriedadea benefleai
M cura 4a metaUu qae perteatcem aoa orgaai 4* res-
j>rca Ibram por ns ebaerradas por longo tempo,
com oplimoe reaallaAoe cada rea mata crescenies; pelo
fne noa julgamos aatoriudos a.compor o iiropa qae
agara apreuntamoa. a oflerece lo aoa mdicos aa
* blieo. Praamoa cam aa alicatados akaixo q* la.
Jo* cClo.aajMaaMa.ojM emeaito Aa m A ton
e laropa VegeUl Amanean* creeceri de dia a da,
(ciando muito apea 4a ai todoe aa pattatMs ata toga.
Illas. Sr. Barthalaaaaa a C.-0 ropa Vegetal Ame-
ricaao, preparado aa mi coneeitnadlssima piarmacia,
A nUl remedio pora eomkoter A terrhol aeibma.
S< fra oa aejaella aioliolla tu qaatro neus, sem alada
iercola^oaimajiiaMiaaiiio^UaaatomBrMH
ow tifola antintaM m m* proatoa-por i dita, aad,
MfAm toa atlmgrooo uraaa. toaModo apa*i trae
SaifcaUMo aroanM oto falda doto atacado. PraM
aoAPHpea aaa reaMiMMcMo por noa toj. Besdo-
lhe, pois oa mena acrdecimentoi por me ler aliriado da
Uo borrivel mal. Com a mais aigniflcatiTa gratidio,
snbscraTO-me deVmca. affectaoso e reconbecido criado.
ScwrMO fluttria.-Sua Casa 1A de ferereiro de 1868.
Illma Srs Barlaolomeo C. Depoia de qoasi aeis
merea de soOrimeato con ama toase ineessanle. fastio
extraordinario, aspectoracAo de em catarrho aruarella-
do, o perda total das torcas, qae o menor passeio
me fatigara completamente, canudo de tomar mais oa*
tros remedias sem resaludo tire a felicidade de saberqua
Vaca. prepacaTaas jaropa Vegetal Americano, e com
elle, {Ticas a Deas.aaeac&o reaubelecido ba mais de
dois mezaa, a robaste cerno se nada lireaae sofTrido. A
cratidAO ala {ateaa esM4acUraAyaja* podero V'mcs.
lazar o ato aaw aaiiaraa toa aan estima de Vmcs.
maitot reoaemdor a criado. enlomo Inaqutm di
Cutr o 5i/ra. Becife I 4* ferareiro da 1868.
Atiesto qaa naei do tarop Vegetal Americano, dt
eomnoaicAo Aoa Sra Barlaolomeo A C para cora de um
forte deflujo qaa me trouie ama roaqaidao, qae me nie
feria edleader, iaflammacio a dar aa gargaata. tost,
araaaia faan aaaaphav*. a aMaai aoatplataaaente rea.
iabakcida cata aA tidra a aMaaw jarope; peta
aa Ibes prataato atara* graUdAa. Becife 10 de ja-
tMiro do 188. /oagam ftnH ii4*Ht*Jmkr. -
ElUo ioco&bciaoa.
A' ra do Cmpo-a, 20 A, esquma da ra das Cruzes.
Alvaro Augusto '.Vhuaida C. partecipam ao respeitavel publico, e com es-
pecialidades Exmas. Sras. que o seu ntigo e acreditado estabelecimento ra do
Crespo n. t A, de peqtjeno que era, acaba de ser transformado em urna bonita e vasta loja
de fazendas finas oatNgpeU ua localidade e amplidao, o publico nao s ter todas as com-
modk}a4es paafceCT sn#i-.caft'.pras, como acha-lo-h3o desde j prvido de um variado e
escolhido sortimento de fazandas^inas e grossas, o que ludo se vende por procos mo-<
Jico*.
Este estabelecimento, anejar de estar j bastante cenbecido, os seus proprieta-
rios tem resolvilo ento1a4o por LOJA DOS ARCOS, para evitar equvocos, e torna-lo
-por esta maneira ainda mais popular. Encontra-se neaia loja
Ricos cortes do blond e de seda branca para noivas.
Ditos de seda de cor e pretos.
Brochad de rtda, fazenda inteirwneot nova.
Foulard idem idem idem.
LSas de muito gosto.
Cortes de eambraiae chita Mara Antoineite. ^
Sai* bordadas, camiznbas, eiparlilhos, balloes, basquinas, ficJwt sombriahas
luvas de pellica, chapeos tc. -
Ha unbem coaitaotament am c< Helo sortimento de asteiM |tara
forro de salas, aiaiai eoao alcatifa, tapete, capada o rauitos outros artigi i por
demais mencionar.
>

>



l
;
Pemambco Sexta feira 22 de Outubro de 1869.
5
A ESMERALDA
L0J4 DE JOIAS
DE
IC.
CAPELLAS
Veiule-s
liara di.v de finados (i de novembro), na loja de
Antonio Augusto dos Santos Porto, na praca da
Independencia, nico deposito nesta ridade, ricas
capollas para se enllocaren) as cataramibas e t-
mulos, no cemiterio publico c as igrcjas, com
;is inscripccs segnintes :
Mu pal.
Miulia mai.
Meu esposo.
MinliE Moosa.
Mea Albo.
Minba lillia.
Meu amigo.
Saudade.
Urna lagrima. ____
*-- Na prava da Independencia n. 33 so da di-
Wleirosobre penhnres de ouro, prata c pedias
pnriosas, seja qn.il lar a quaulia ; e na niesnia
casa se compra e vende objectos de miro e prata,
e igualmente se faz toda e qualquer obra de en
comnienda, e todo e qualquer concert tendente
i mesma arte.
itjvm
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado le novo, est as condi-
coes de servir vantajosaraente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
exalendido sortimento de obras de onro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, cujos pregos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate.
N. 5 RA DO CADUCA N. S
SAO BARATOS
Superiores cortes de percalle com barra, para vestidos a "| cada corte,
Lindos cortes degaze de seda com 18 a 20 covados. pelo baratissimo
preco de ,>000 cada corte, na loja das collumnas, ra do Crespo n, 9, de An-
tonio Correa de Vasconcellos.
AS BOUBAS CURADAS
E
Todas as molestias syphiliticas.
PELO
ELEXIR DO DR. SEVIAL
nico depurativo sem mercurio que tanta aceitacao tem meieudo no Bra-
sil, as repblicas do sul e na AHemanha especialmente para cura das boubas,
sarnas, rheumatismo, todas as molestias syphiliticas e em geral todas aquellas
provena da empureza do sangue.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Bartholomeu A C.
34Una Larga lo Rosarlo34
OLIVEIM & CARVALHO
SucGessores de Reg &Moura.
24-Ra Nova U
Os proprieturios (leste novo estabelecimento fazem scicnte ao publico, que
a'.abaude receber nm perfoik) e variado soi tmenlo de pannos tinos, caserna as, brins e
outra* militas fazendas de gostos modernos, as quaes vendem por pregos razoaveis.
i mesmos scientiicam que temi admittido para sua ollicina de alfaite, um artista hbil
no desempenho de stias fimccSes, recebem qualquer encommenda de roupa por medida
prometiendo satrsfazerem, cem ponlualidade c presteza qualquer pedido neste sentido.
Armacao de tumulosje cata-
cumbas.
Na ra do Imperador n. ), coxeira de
carros fqnebres, ha urna pessoa que se en-
carrega de armar, e dar os necessarios
arranjos para o dia 2 de novembro, dia de
limados, armando catacumbas e jazigos,
lud'' por prego conmodo._____________
Festa.
Arrenda-sc ou vende-se o pequeo recreiozinho
de prnpriedade do abane (asignado com alguus
i'dinmodns para pequea familia,. Para venda
acha-se livre c desemharacado di! divida?, est
situado no lugar denominado Chacn, um dos mais
nenos para o pagamento das testas, contendo-a
pequea distancia o rio Capibaribe, assim como a
respectiva estaro para se tomar o trem : trata-sc
ia casa de bandos do Recite.
Ciitnl/nn G. \s**n.
Fragata Amazonas.
Tendo de se confiar a nm procurador a cobran-
y& de algumas dividas mais antigs desta casa, do
lempo da exmela lirma Marques, Silva ^ C, e
algumas ainda anteriores a esta, c hoje pertenecn-
es aos abaixo assignados, roga-so a->s senbores
devedores mais atrasados o especial favor de vir
paga-las quanto antes, para se evitar maiores des-
ezas com cusas, que s serio feilas em prejuizo
dos mesmos devedores.
Teixeira, Marques & C.
O Sr. baehai ei Joaquid Cordeiro Coelho (Cin-
tra t[io ira apparecer na ra do Hospicio n. 8i
negocio.
ATTENQIO.
Joao Goncalves Forreira Seve declara pelo
presente, que vendeu sua taberna sita na povna-
jo do Barro, freguezia dos Afngados, ao Sr. Ma-
noel Julio da Silva, livre e desembarazada queni
ce julgar seu credor, po praso de oito dias apr-
sente suas contas. Recite 18 de outubro de 1869,
Alug-se para a festa ama casa no Poco e
reta do Rio, com commodos para familia : na ra
de Hortas, sobrado n. 48.
Precisa se de um caixeiro de idade de 12 a
16 annos, que tenba pratica de taberna ou pada-
ria : no pateo do terco n. 63._______________
= Precisase alugar urna escrava que saiba
arar, engommar e cozinhar para familia de tres
pessoas: a tratar na estacao das Cinco Poetas
com Joaquim V. da Costa,
Precisa-se alugar urna escrava para casa de
pequea familia : ua ni Nova n. <<.
100$ a quera der noticia de urna caixa n. f, marca L.
F. A., contendo 130 chapeos de diversas quattda-
des, a qual foi roubada do corredor da escada da
casa n. 44 na roa Nova no dia 19 do eorreute, as
5 horas da tarde pouco mais ou menos.________
Monte Pi Popular Pernam-
bucaiio.
De ordem do Film. Sr. director, sao pelo presen-
te convidados s Srs. socios effectivos para com-
parecerem domingo 24 do corrento, s 10 horas
do dia, aflin do proceder-se a eleien dos mem-
bros do couselho administrativo d'csla sociedade.
Secretaria do Monte Pi Popular- Pernambucano,
21 de outubro de 1869.
O Io secretario interino,
HfHMto fos de Menezes.
Omnibos para Varzea
e Caxang
Do Io de novembro prximo futuro em (liante
havera mnibus para os ditos arrabaldes ; o da
Varzea, pane do Recife as i e meia horas da lar-
de e (ia Varzea para o Recife as 7 e meia horas da
manha; e o do Caxang, parle do Recife as 4
horas da tarde e do Caxang para o Recite, s
7 e meia da manha.
taL
Precisa-se de nm eaixeiro com pratica de
na : na ra do Bruoi n. 63.
RETOMO ICIICO CIERGICO M
Malaqliias Antonio Goncalves, doulor Q
em medicina pela faculd.-ide do Rio de a
Janeiro, tem seu eonsultorio medico c-
rurgico, na ra da Cruz n. ?6, 1 andar.
Consultas das 10 a. 1 hora.
Chamad* por escript.
Preisa-so da um creado para iodo serviro
de hotel, paga-se bem, pieferc-se eseravo : a tra-
tar na ra estrella da Rosario n. 11, hotel Lisbo-
nense.
C02INUETOA.
Precisa-se alugar urna oscrava que seja boa co-
zinheira : na na do Crespo n. 2:1.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e
engommar: na roa di Praia n. 53, 3" andac.
ALUGA-SE
o sitio da Mangaheira. em Olinda, confronte ao
jardim, com commodos para grande familia, tendo
.1 lojas, .'1 salas em Trente, 7 quartos e 1 para la-
tilwi, sala para jautar, cozinha fura, boa agua que
se vende acerva do 30 pof inez s em lempo de
verao, com militas frucleiras : a tratar iiaajcadi-
nha. armazem n. 3.
Pnicisa-se de um homein tjue saiba ler e
osorever, para distribuidor do>tc Diario 1 a fallar
na typograpliia.
Na pharuiacia do Pinto ra
Larga do Rosario 11.10
junto aoquratelde poli-
ca.
Aham-se conslantemenle promptas a
serem salisfuilas, as prescripcoes dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enl'er-
mos, as especialida-les da mesma pharma-
cia, cotnposta de medicamenlos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
peito
Xaropcs de fjdeg.-o, rabo de tat,
Agrio, pao Cardozo.osc, mulung!, mu-
tamlia, etc., ele, ja
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetar, xarope de salsaparrilha
do Pata, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de sicupira.
Docneas do fijado c l;ani. ane-
Hia. opilado, ele.
Emplasto, oleo, pommada, tintura, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sczftes ou Mres intcrmilcntes
As pilulas aii-periodicas de Pinto.
nico deposito desles medicamentos ua
pbarmacia de seu autor na larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quariel do corpo de
polc.a. ______^^^^
0 muzeo de joias
Na ra do Catinga n. 4 eoupra-se ouro, prata
: pedras preciosas por piceos mais vaotajosos do
pae em outra qualquer liarte.
Manuel Duarte llodrignes, ra do.Trapiche
n. 20, compra accOes do banco do Brasil e caixa
filial.
ESCKAVOS
Compram-se e vendem se diariamente para lora
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, cunl tanto que sejam sadios : no
iurciiro andar d i sobrado n. 36, ra das Cruzes,
freciiozia de Santo Antonio.
.' "! '
VENDAS.
Carros de passeio
\'.'ii.lcm-si' dous carros de passefo, sendo um
muilo maneiio, bonito e de excellentes molas.com
pouco uso : a tratar na rna do Imperador n. 83
3* andar.
Vendem se rolos de sicupira para obras de
carrocas : na estrada do Arraial, primeiro siiio
com poria.i pintado de encarnado c laucas bran-
cas, de Marcelino Jos Lopes. ______
na rus
LOJA
Ao publico.
Lava-se e engomma-se com prfeicao e proco
commodo : no um da ra da Concordia n. US.
' Aluga-se o primeiro ardar do sobrado da
fu das Aguas-Verdes n. 86 : a tratar na ra
das Cruzes n. 9, sobrado, primeiro andar.
0 MUSEO DE JOIAS
OD

zn
;
GOMES DE MATTQS IRMftOS
tendo feito completa mudanza em sen antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUGA II. 4
onde encontraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desojar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS RUBINS
de noyes gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trooam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem'
a qualidade des objectos rendidos.
Imperial nmipanlua de Londres
Por seus agentes nesta praga
Samuel Putwr, Johnston fe C.
Roa d Senzalla Nova n. i.
Faz publico que toni aberto urna agencia nesta
praca de seguros contra logo.
Os agentes estao autoiisados a emittirem apll-
eos, ficando assim os segurados desde logo segu-
ros contra qnaiituer prejuizo-, que possam solTrer
cansado pelo fogo.
Os ageules e=iaj autorisados a averiguarem
quaesquer reclamacoes e depuis de competente-
mente examinadas a saldarem (como j.i tem feito)
por meio de qnes sobre a companhia em Lon-
dres ao cambio do dia.
A companhia proraette prompta vcrificaeo de
qualquer reclaniagao, assim como promplo paga-
mento, concluida que seja satisfactoriamente taes
verificacdcs.
As pessoas que quizerem effoctuar qualquer
segn) bastaro remeiter a esta agencia urna nota
indicando somonte a ra e numero do predio que
desejarem segurar ou em que estiverem deposita-
das as mercaderas, assim como as qaantias.
Samuel Power, Johnston <5t C.
Agentes.
Rua da Senzalla Nova n. 42.
Irmandade de N. Senhora do
Ter#>.
Nao se tendo reunido numero legal de irmaos
no dia 17 do eorronte, para se proceder a eleicao
do 1869 a 1870 dosta irmandade, sao de novo
avisados todos os nos*os irmaos para so reuni-
rem no consistorio da mesma irmandade domin-
go 24 do corrente as 10 lx ras da manha
Consistorio da Irmandade de N. S. do Terco, 20
de outnbro de 1869"
O societario
Ignacio Pessoa da Silva.
Precisa-sede um homem para servico de en-
genho : a tratar na rua Nova n. 60, 2" andar. Jf
O Sr. baeharel Allino Rodrigues Mmenta que
formou-se na cidade.do Hocife, e rctirou-se para a
da Baha, naja por obsequio de dar camprimaXo
ao que est obrigado em sitas cartas, relMivo ao
aluguel da casa dos Coelhos desta cidede.
Precisa-se de urna ana de leite sem fllho
na rua da Palma n. 57.
Manoel Jos Alves tem para vender 200 sac-
eos com |farinba da trra : na rua da Praia nu-
mero 38.
< evada
Vende-so cevada milito nova de Lisboa
Direila n. 30, a :)S20O a arroba._____________
ITERDADE
55Rua do Quehnado55
A VERDAuE tendo em deposito grande
qiiantidadt deuiiudezase perfumaras, e de-
sejando apurar dinheiro e adquerir boa fre-
iiezia est rssjlvida a vender muitissimo
barato, ; por essa razo convida aorespei-
tavel publico a vir competentemente muni-
do a sortr-se du bom e barato. Pois quan
do a yerdade apparece, tudo mais des-
apparoce....
Grande sortimento de bonecos de cera e
massa as mais lindas posareis vestidas a ca-
racle:-.
Bicosglobos para candieiro de gaz a
Cnaniius a.......
Grande sortimento de objetos do
loucapara brinquedo de meoiuo
Garrafa com linla a.....
Dita cora agua florida verdadeira a
Dita cora dita dita a .
Prasco com oleo do babosa a 500 e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Garrafa com agua divina a. .
Frasco cora extractos finos a .
batos pequeas com banh.i muito
lina a lil'e......
Sabonetes de diversas quali lades a
80, 160,240 e......
Finas escovas para dentcs de 120 a
Lindos coques modernos a. .
Pavios para gaz, dazia a 240 c .
Escovas para facto a 5C0, 600 e
Ditas para cabello a.....
Peiilcs para tirar piolho a 160 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pegas de tranca de la com 8
varas por.......
Oleo para macbina de costura,
frasco a........
Penuas d'ago linas caixas a 800 e
Dita daco Peny, caixa a. .
Galao de algodao pega ....
Lindos babadinhos e entremeios
pega de 500 a......
Boles de madreperola, groza a
Ditos de louca muito fino a 120 e
Ditos para caiga a 160 e. .
Caixa cora papel amigado a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa com agulbas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 240 e
Caixa com linba de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carreteis d linha Alexandre de 70
at 200. .,,"....
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a .' .- .
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2^200 e .
Papel almaco c de peso, resma a
3400, 3^500 e .
LSa muilo fina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum de
sapatos, pega a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, pega a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a ........
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Caivetes grandes com molla a .
Ditos para aparar penna a .
Cartes com colxetcs a .
Bosetas pretas, par a .
Tranga de laa de caracol pega a 40 e
Fita de coz pega a 480 e .
Alfinetes de lati a.....
Sapatos de la para menino a 240e
Ligas para seuhora, par a. .
Grvala de sedas de cores a .
Calgadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha por
tOOrismim
Na verdade rua do Quelmado
a. &&
Precisa-se de urna ama para tratar de una!1
meninas : na rua da Pehha n. 23, Io andar.
Quera precisar de urna ama de leite sem fl-
lho, chegada ba dias do mallo, dirija-se defronte
do arsenal de Marinas n, 8, que alii se indicara.
1,$800
320
10(>
800
idooo
10010
720
500
1,5500
15000
200
32i-
600
2^300
320
700
500
240
200
80
600
10000
10400
400
10500
600
200
240
700
480
40
280
160
500
280
500
100
800
15400
30000
40500
607OC
160
480,
320
800
32f
100
40
100
100
560
100
800
160
200
80
DO
GALLO VIGILANTE
Rua d* Crespo u. 9
Os proprtetarios deste bera eonlienV e^tafeete-
cimento, alm dos muitos objectos ipje imtarte*-
postos a apreciaco do rcspeitavH pulilico, wan-
daram vir c acabara de receber pelo ultimo ivper
da Europa ara completo o vanado sortiruest 4t
finas e mu delicadas especiali-.lades. as qturc rs~
tio resolvidos a vender, como de --,; ctt-tmwv
Sor precos muito baratinhes e cimnodos jira tc-
os, com tanto que o Gallo....
Muito superiores lavas de pellica, f retas, bra-
cas e de mui lindas ci es.
Mu boas e bonitas goltinhas e ptnih-? para so-
nhora, neste genero o que ha de mais moderan.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lidos o riquissimos enfeites para cabecas das
Kxmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores con *!rt-
Ihos e sem ellcs; "esta fazenda o que ine liavtr
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leqr.es de nwrepenfel
marflin, sndalo e osso, sendo aquclles tranct*
com lindos desenhos, e esles prclus.
Muito superiores ineias fio de Escossia p*ra se-
nhoras, as quaes seinpre se venderam puf J'JWK)
a duzia, entretanto (pie nos as vendemos par 20,
alm destas, temos tambera grande rthni;* Oe
ontras qualidades, entre as qi.aes atgwiiae mojto
linas.
Boas bengalas de superior .Mina da Jodia e
casifiode marlim com linda-; e enea'Hadttr.".* %i -
ras do mesroo, neste genero 6 o mw d.- umlbar s
pode desejar ; ali'in desta* inmis fatiit-em graoiB
3Bltdt de oJlras qualidades, wmi -<.. .;. |H
eir, balcia, osso, bonaclia, ele. ele. ttr.
Finos, bonilos e airosos cltiijlitili< de cade e
de ontras qualidades.
Lindas e superiores ligas 4* seda o I.: rae ha.
parasi'gurar as meias.
linas meias de seda para scnlMira e para larsi-
nas de I a 12 airaos de idade.
Navallias cabo de marlim e larlarupa para fincr
barba ; sao muito boas.e de mais a mai- ao |a-
rantidas pelo fabricante, e nos por .ssa w : lam-
liein assegurams sua qualidade e dulieadeu.
Lindas e Iwllas.capcllas para noira.
Superiores agulhas para machina epsra cmx.
Linha muito boa de peso, frouxa, paia emhi r
labyrintho.
Bons baralhos de carias para vollan le, Mil
como os tentos para o mesmo lim.
. Grande e variado sortimento das nnJbores per-
fumaras e dos melbores e mais eonbecidot pc-
fumistas.
COLAIVES DE ROER.
Elctricos magnticos conira as cenvuboe, e
facilitara a denticuo das innocente> efiangas. So-
mos desde muito recebedores desies piudMosos
collares, e continuamos a reeel.e-los por lodos ut
vapores, alim du que nunca falfei;i no mercado,
tomo ja tem acontecido, assim pois pmleria aquel'
les que delles precisaren), vir ao deposito do yalo
vigilante, aonde sempre enconlrarao desle vera -
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao Ira
para que sao applicados, se vendero con um mu
diminuto lucro.
Rogamos,pois, avista dascbjectns q-'e deiiMMS
declarados, aos nossos fregnezes i amigos a vi rem
comprar por precos muito razoaveis leja do gallo
vigilante, rua do Crespo n. 7
i'
Alaga-so par passar afesis-orna boa casa na
povoacao do Montetro com stbida para o rio : a
traiarna rua Sova n. 5, 2 aadar.
WHkflITlWOS

e wm w jom
n
CONTRI FOGO. ,a
k Companhia Indenmisadora, estabelecida
aesto prapa, toma safrjrosniaBtaios sobre
navios m seus carregamentos e contra fogo
en edificio, mercdorias e mobilias: a
rwtdo Vifrarion. 4, pavimooto, ter eo
Vcnde-se urna boa taberna na freguezia de S
los, bem afreguezada tanto para o mato como
Sara a praca a tratar no armazem n. 5 defronle
a escadlnna no Recife, com A. J. S. Gunnares.

Attengfto
Joaquim Rodrigues lavares de Mello!
tem para vender no seu escriptorio, pra
ca do Corpo Santo n. 17 primeiro andar,]
potassa da Russia ltimamente chegada
cal de .Lisboa e vinho Bordeaux de supe-]
rior qualidade.
Vende-se ama escrava boa cosinheira e en-
gommadeira: a rua do Hospicio n. 4, casa conti-
gua ao quariel general.___________________
C0MPRA&
! Cora muito' teair vamagem compram-sc
moedas do ouro efrata: na foja de jola* do Co-
f)racSode.Qftro<..a f), Ttta 'orapram "se- nieeds de ouro
dos os. vBores,,oura prata em obras
f bnlhanies e mais pedras praoioaas :
1 ourives do arco da Conce4c, no Recit.
Musselinas a 5J&00 a peca
con 33 corados, cora toque de avaria : no arma-
lera da estrella, largado Paraixo n. 14.
0 \M DAS MID.1DES
Nova loja de rniudezar
lcitos 50 L do qualqiiei* pnru
Henrique de S Leitao parleci|ia ao respeilard
publico, com especialidade ao sexo aniavel. (lie
tem aberto rua da linperalriz u. '',() um ^:: eimpoitant*' estabelecimento di' miudezas cun o
titulo de-VAPOR DAS NOVIIIADKS i.i.de n p;i-
blico em geral encontrar cnnslanl m'ni" nm
completo sortimento de todo qnaMn h deimiie
moderno e de mais gosto nos | Hiwipaes pai-
tes da Europa, lendo para este lim um vapor es-
pecial com o titulo cima indicad.
O propriclaiio adiando muito eufadonho, mi no-
tes por assim dlzer qnasi que impossivi-l incitrin-
nar pelos seus uomes e preeos ns i b|i rtw de poste
existentes em seu eslabeleciiiwntn, por -mi a
tentase apenas em mencionar aquclles iue jtiljca
mais recommendaveis nin s pela sua bei!-va *.
elegancia como tambem pelos precos i\w sao ven-
didos, dei.xando os outres que estao i xpistos fin
seu estabeleciinenlo para serem-admirados peMa
proprios compradores.
Vejam o que Lom :
Lindsimas camisinhas bordadas e entestadas
com lindos e elegantes enfeiles, proprios para as
senhoras de bom tum: vende-se por precos muitas
commodos.
Lindos coques a initacao de cabellos que *B>
outra qualquc* parte vendem por 3oOO, vende s-j
por 25000.
Guepur branco e preto cora lindos n delicados
padroes, a 1500, 2O0, OSSO, 3iO\ e 'OM
o melro.
Leques de alta novidadeem Pars, sendo de mo,
osso e seda, sndalo e seda s, e oulros salpirada^
de lantijoilas, ditos de oadreperda c seda o ina*
elegante e moderno possivel, ditos de niaili irh,
sendo lisos, arrendados, e outros guarnecidos cfnn
ricas palmas; ditos brancos rom Uoies donradar,
ditos de osso e seda, ditos brancos e proprios para
noivas; ludo por precos to diminuios que s o
fregaez vendo a qualidade e deganeia peder dar
crdito.
Verdaderas meias fio da Escossia para senho-
ras, sendo lisas, bordadas e arrendadas, o melhfr
?ue possivel baver para tapatinbus razos; Bit
recos commodos.
Ditas cruas mbem para senhoras, fazend.i
muito lina.
Ditas lio da Escossia com lisias de cores, (.ai a
homens.
Verdadeiras meias inglezas para homens, fazrn-
da muito tina ; a 8 e 10* a duzia.
Ricas chapeinas para senhoras, chegada* reren-
temente e guarnecidas de ricos e elegantes enfei-
les desetim e tlores linissimas.*
Lindos Itucos de cambraia de linho, bordados a
agulha ; pelo baratissimo preco de 1A500 e 500O.
Ditos de cambraia lamber bordados a 800 rs.
Lindos cachos de flores (ranelas o mais nu.!ei-
no possivel e de melhor gosto, sendo : n s: s. o-
loes sollos e botooes em caclnis de lindas cores,
pelo baratissimo preco de 14500 n cacho.
Fitas largas proprias para cintos da ultima
moda, de muito lindas cores c por piceos omito*
baratos.
Completo sorlimento de neos e elegante; eofei-
tes de seda o mais moderno possivel : como sejaio
Escossczes e de ontras qualidades, cslao consfan-
teQieule a venda rua da Impcratriz i). 36. ndo
as Exmas. senioras poderao eseolher a \i:
bu mandaren) buscar as amostras, setslo rodo b
mais barato possivel.
Lindas bonecrinhas de loura pelo lar-ti-im >
preco de 110.
Grande sortimento de escolhidas fias proprias
para bordados, a 7 a libra.
Latas com superior banha franceza a 100.
Filas de velludo pretas alia peca.
Gollinhas bordadas a agulha a W.
Agulhas para crochel a 1(50.
Lindos boles de setim para enfeitcs de vestidos
de lodas as cores, a 400 rs. a duzia.
Grande qnantidade de flnissimos calungas q: :
se vendem cora grande abatimento.
Alm dos objectos cima indicados cxisteni mui-
tos outros que s a presenca dos Fregueses pod. -
r5o aValiar differenca dos precos e da ipialida:
que faz dos de outva qualquer parle.
O proprietario convida a todas as pessoa- i
geral a yisitrem o sen cstabelecimeu;o o qual
acha aberto desde as 6 Iwras da manha at<;s >
da noite, certo de que as ditas pessoas enc> mr; -
r5o no proprietario e as mais pessoas d
lecimenlo o raaior agrado e sinceridade em iodo *
qualquer negocio.
Loja do Vapor das Jiotidades.
Rna da Iasperatrlz :i
Mkonovo
m saceos graBdes, a 9**00 o sacco : no arma
era da estrella, largo do Paraizo n. |4J_______
JUgeam^o
Vende-se..BavEua de Apollo lA, Ugedo para
calcadas e ajcmaz^ns.
Vemse-M wn lefreoo de esquina una de-
nominada haeoo, na fregoezia do Pofe.da Pa-
pella, confronte .a airada do. SaniAnna,_ contendo "
Martias Gomes dj
Pinho. ao entrar da casaron*
l
no. annadbn d OafTl
"ifi._
laberaa FP>r <


i$BBF*.*3
HIErtH


B
Diiutajde -Pciuaiuluco -.SeMa feira ,22 Je Qulub^fle^lSG).
rrr
0 prnprietario do armazn do sondas denominado ARARA, ra da Impera-
triz n. 72, declara ao respeitavel ptiblicu o sous frvgutuo, que est liquidando odas as
fazendas e rotipas f'rtaj que tem-em seu cstabeleankMto cuino se poder ver no seu
aununcio e preco ubaixo uii'i:;io:iados,
Chitas fraacezas inasailas i j Algodo cafcsado OO rs.
J$23> rs. i y.;'!e-sc alpndao cnfeslado propriopara
Vende-se ilutas fraiiw/as escuras matiza; ,enC(-,es e l0;llhas' 900 rs> 0 melro dit0
as a 320 re. o aovado por esie preco sona ^^q a i-s, melro.
Chales de raera 2.
Vende-se dalos de merino estampados
a ij, chales brancos e de cores a 10000
cun mu.
CORTES DE BHIM CASTOR PARA CALCA
A 6i0 R*S.
avde-se una grande porco de cortes
de brira castor para caiga-de liomem, 'GiO
rs. cada uin.
{rnede porco de retalhos
Vcnde-se grande poiva<) do retalhos de
chitw .- c'j.is pretas a 100* 00 rs. o
coyi lo, rtaiiod de casias, laa e chitas de
cores baia'issimos.
LIQUDAM A ROPA FEITA
V^nde-se palitots do brim de cores a 2$,
ditos de alpacas de cores a2#, dios de
mei:i casegaQi a 2$ e 200. ditos de pan
das
loja da Arara, ra da Ifljperatriz n. 72.
L.UZ.NHASAMMIS.
Vende-se laazinbas paia vestidos de se-
n/iora a 240, 280, 320 e 'iO0 rs. o co-
.aiio.
BAREGES DE LAA A 500 RS.
Vende-se baragos de la coinlistras para
'stidos de senhora a 500 o 010 rs. o
. ,.\ado.
Alpaeas de Bistras a 500 rs.
Vende-so alpacas de liaras para vesti-
dos de senhora a 5(D rs. ti covado.
CUITAS FRASCEZAS A 2d9 US.
Venie-se chitas francezas cis.'asa 280rs.
o c ivado.
CORTES DE LA PAIU VESTIDOS A
fcJlQO.
Vende se cortos : la para vestidos de
se tboras i 2giOG cada mn,
PERCALES A iifi RS. COVADO.
ISales moderaos do (odas as
cores.
Vende-S'hiloes moderno sbranco e de co-
res a 46, 4)jB00 e5|.
tXWERTORES DE ADGODO A 1-5300.
11-RA DO QUEIMA1O--11
'Chegaram da Europa pelo ultimo vapor loja do Angosto Porto & C. ricos
cortes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidtaproprios para bailes e casa-
mentos.
Grande variedade de sedas de listras de diveros procos todas de lindas cores,
gorgurao de seda preta, e grosdenaplc de varias qualidades e gorgurao de seda la de
dilerentes cores. '
Novos vestidos brancos de blond'iwrn noivas, lindas colxas de seda para camas,
ditas de 15a e seda, cortinados-bordados para camas e janellas, fronhas e toaluas de
cambraia de lindo bordadas.
Luvas novas de Jouvin.eelegantes sombrinhas de sedas de cor para senhoras.
Esparlilhos de 55 at 30#, lindos bournous de cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e prelo para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e moninos.
Soi timento de muilas fazendas de lia, linho e algodo todas por presos muilo
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapates o de alcatifa para
forrar sales tudo em quantidade; e vendem semprepor menos que cm oulra qualquor
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
LOJA DAS ACHINAS
(os,
IEWO
londe-st
Grande c completo sortimento de maekinas para
descarocar algodode nova OTencjio cbe|ada uW
limameute em direitura para a loja do Manoel
enlo do Oliveira Draga & C, Da ra Direita n.
53. Garante-so que a mclhor qualidade que at
o |*TBiente tem viudo ao mercado : aclinia-se em
expoeico aos compradores as de 10, 12, 14> 16,
18 e 20 seria--.
?Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
grammos de mellior comprehensSo dos que lem
vindo at o presente, assim como mareos de lalao
at meio grammo pelo mesmo systema, balances
de latao de torca de o a 20 kilogrammos, metro?
do madeira e de lalo para medir fazendas, alm
de
D0- no prel-) bom a 8,-J e l;>, calcas do algu-
Vende-so percales ii.u.10 unus para vis- d5i, ,1Z| .., cCravn, a i0 |S- dila3 de
t;!os de senaora a 440 rs. o covado, mur-
.as brancas finas, a oO s. o covado,
brilbantinas do cores, a 140 rs. o covado.
algodode istias a 800 c lf5, camisas de
rscado de listras a SOO rs. cada urna, cole-
tos de b:im o fuslao de eres a l^eliJiiOO,
cuides dii cesenra decoies a (J500 e 3$,
e outras muitas qualidade de ronpas feitas
que so vendo por baratsimo preco.
Algoilo de listras a 3M> rs.
Vende-se cobertores de algodo a 15500, j vendo-se algodo^do'liSras para roupa
cobertas.do chitas a 15600 e M cadai;ma,!de escrav,s a 00 re. o covado.
GANGAS PARA CALCA A 330 US.
Vende-so ganga para caloa a '-10 o cova-
do, brim de cores para calcas de luunem e
meninos a 400 rs. o covado, cascniiras de
coros para calca c pilols a 25O0 e 3;?,
o covado, mojas casemiras o.ifostadas para
l'ECA DE ALCOOaO A 4^E>.
Vendem-se pecas de algodo i 4)5000,
500, Gi000e7|, para- liquidar.
Raides le arcos 1-35O.
Vendo-se bales de arcos para senhoras
.ACHINAS amef canas de serrote de todos os tamaitos para descarocar algodo, do
nraito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
ACHINAS dffcw, tambera de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
godUo du autor New York Cotton Gin.
ACHINAS ditas e todos os tamanhos, de carreta de forro e mais toda a machina.
ACHINAS ditas de ftoller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodSo-
MACHINAS de faca do fabricante Platt B. & C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estos machinas sao de superior qualidade e as melbores que \tm
rindo ao mercado ; e para a soa apreciaco convidam-se os senhores agricultores 2
riresa a exposiico das mesiaas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
jncontraro meis o segoiue:
e palitots a hS o covado, brim pardo'pelo baratissimo proco de fjftOO cada um,
de todas as qualidades e brim branco le
todas as qualidades na ra Ja lmperatriz
c. i.
Alpacas lizas a 4 rs.
Corles de cambraia barra
a S000.
Vonde-se cortos de cambraias barrea- a
12$ e 2$ cada um.
vende se alpacas do trera Inas linas aj LENCOS DE SEDA A 040RS.
O.Ors. ocovano, tartaiar.as do coros a 320; wj *i ., .^ A
v o metro Vendo-se lencos de seda a 640 rs. cada
' VDAPOLO ENTESTADO A 3;>300. Uln|)a,a U,[[Mar-
Vende-se pocas do madapolo enfostado| CAP.TEIHA PARA VIAGEM A i#.
a 3^00, pecas de madapollo inglez de 2i I Vomlo-se carteiras para viagea l&
jardas a 5$, 6f5iOO, 7->, S*S e 10> a peca. cada urna.
Assim como vende-se ehas para coberhs, a 240, 280 e 320 rs. o corado,
as antes que se acaben todas mais fazendas e roupas feitas. e que pelo preco que
vai vender ou liquidar, poucos dias poder durar, o quem se quizer sortir de fazendas
e roupas feitas para a esta pete proco que lhe agradar, se poder dirigir a rea da
lmperatriz armazem da ARAKA, que estar abertu todos os dias uteis, las 6 horas da
jnanhaa, s 0 horas da r.ortc.
72. Ra da lmperatriz. 72.
APPROVAOO PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARIZ
0 Qniniam Labarraque, eminentemente tnico e febrfugo deve ser
preferido todos as outras preparares de quina.
Os vinhos de quina ordinariamente empregados na medicina preparam-se
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; a yrU disso, em razao de seu modo de preparacao, estes vinhos con-
tem apenas vestiarios de principios activos, e em proporgoes sempre variaveis.
O Quinium ?_abarraqu, approvado pela Academia de medicina, con.
stitue pela contrario um medicamento de composicao determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
0 Quinium .abarraque prescripto com grande xito s pessoas fracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotamento, soja por antigs molcs_
tias; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem diffi.
culdade em se formar e desenvolver; s mulhercs depois dos partos; aos velhos
enfraquecidos pela edade on doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cores plidas, este vinho um poderoso
auxiliar dos ferroginosos. Tomado junto, por exemplo, com as pilulas de
Yauet, produz effeitos maravilhosos, pela sua rpida accao.
Deposito em Pars, L. FRERE, 19, ra Jacob
Rio-Janeiro, DUPOfiOlELLE; CHEV0L0T. Pernambuco, MARER et C
.I-ai efim
:,' 4

OebuSiadores pora railho.
Cyndos para padarias.
Irados americanos.
Carrinhw de mao-.
\Iachinas- para corear capim,
Cannos de chumbo-,
Sombas d Japy.
Oitas americanas,
relbas de terro galvaoisadas.
Polhas de ziaco finas.
Ditas de cob?e e late.
Ferro de todlw as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
tfachados americanos,
faces ditos.
Batatos e cestas de vergoinba.
Vassouras americanas.
Folies de todos s tamanbosv
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outras* artg
liversidade seria enfadonho ennumera-Jos,
liento de Oliveira Braga 4 C.
COGNAC.
De superior qualidade da mu accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch &C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Tb. Just. roa do
commercio n. 32.
BAZAR UNIVERSAL
Rna Mora99
Carneiro Vianna
rste BAZAR en sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Cm
MU
AME N. 27.
to \oad*-se sellins^e
de todas as qua;iduda do mclhor
podo fabricar no paia, aakn como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, trariceiros, caixi-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecimento garante a poitnalidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho; portanto pede ao
rcspeitavel publico sua proteccao, qoeaffiao-
Ca vender tudo pelo mai* barato possivel,
e por menos do que era outra qualqoer
parte.____________
3 cordeiro prevdente
Rna do Qiiefmafto n. 1.
Novo e variado sortimento de perfumara*
finas, e outros objeetos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que electivamente est provida a
loja do Cordeiro Prevdente, ella acaba de
receber um outro sortimento qne se torna
aotavel pela variedade de objeetos, iperiori-
dade, qualidades e comrnodidades de pre-
?os; assim.pois.oCoideiroPrevidenle pede
s espera continuar a merecer a apreeiac5o
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conlfecida mansid3o
d bar a toza. Em dita loja encontrariio s
preciaclore8 do bom:
Agua divina de E. Coodray.
Dita verdadeira de Rtnrray A I^amman.
Dita de Cologne inglea, americana, fran-
jeza, todas dos melbores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpe, e vilete para toiet.
Elixir odoutalgico para conservaclo do
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qoalidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, roaiores e menores, om
pomada fina para cabello.
Fraseos com dita japoneza, transpam-te
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americano* e
Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas linas.
Trens completos para cozinha.
Penetras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para ahmnjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engomnaar.
Moinhos para reSnacoes.
Azeite de espermacete, proprio para maebi-
nas de todas as qualidades.
Serras avusas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertenecs para as
mesmas.
Latas de gas,
oepertenceotes- lvoura c artis, que pei
,o
m mi
adoptados na America e approvadas na uf- Essene:a?mpenal do fino e .gratad chet-
tima exposieao servifos- a electos para almo-
CO e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
eo de viofsta.
Outras eoncentradas
e de clieiros- igual-
sase
senhoras.
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
batervos, ditas para amassar farinliar ditas
para fazer mapleiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crian?, bercos, cadei-
ras longas para-viagem, ditas de balance,
espelhos de todos os tamanhos, moldaras
para quadros, gaa, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para- criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e u esa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta> capachos de
Sparto e coco, objeetos para- escriptorio e
muitos- outros artigos que se encontrarse
venda no mesmo estabelecimesto e que vale
a pena ir examinar^__________________
GAZ G4Z GAZ
Chegoo, ao autigo deposito de Henry Forster
u., ra do Imperador, um carreg;imento de ea;
de primehxnjualidade^oqual se vende em partida; I qualidades tambem para denles.
Extracto 'oleo de superior qu^ldade
am escolbidos cheiros, em frascos b diffe-
rentestamaahos.
Sabonetes em barras, aaiores e menores
paa mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de menines.
Ditos muilo finos em cabemba para baria.
Caixinhas esm bonitos sabonetes imitando
(nietas.
DHas de madeira inverniiada contendo fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditasjle papefo igualmente bonitas, tam-
bem de"perfuBiarias finas.
Bonitos vasos de metal aoloridos, e de
moldes novos e elegantes, son p de arroz
9 bonaca.
Opiata inglesa e franceza>para dentes.
Pos de cam^liora e oilras differentes
e i retalho por menos preeo do que em outr qual
quer parte
Grande armazeo de f-mwm e roupas feiu nr da beperatrr?
n. S2, porla larga, de Paredes Torio.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel puWico um< bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3& 35500 at 0f>. Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos-a 5J, 6^, 85-e IOS, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e-ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 30500 a 5$00Q. Calcas de brim de cor finas e- ordinaria, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de eascniira
de cor e preta de H, H, 6#- a 15l. Golletes d* todas as-qualidades e preeo muito
barato. Completo sortimento de camisa* francezas- de algodo e de iiubo de -2> at >;)
urna. Sortimento de seroulas francezas-de algodo, de linho e bramsie a 2^ e 25500.
Grvalas (mantas) novissimo go6to a todos os-precos. Meiaa-sortimeato competo a 3#,
45 at 7.* a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de qoaesquer obras de ensommenda- tanto para homem, como
para meninos, e con brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas do
todas as qualidades tanto em easemiras como brs> panncfrfinos e- outras auitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de i palmos de fcirgura a 1^800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda- de gosto a 120
Basquines de guipure enfeitadas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 30& e 300-as
Madapolo fino a 65^00, U, 85 e 95000.
Algodo peca com 20 jardas a 45300, 55500 e 65000.
Peea de algodo largo a 75500.
E outras umitas fazendas que ser enfadonho aenciona Chegue roapa
etla que se est liquidando na loja ra da lmperatriz n. 52 QudAo- loja de ourives)do
GPP3ESSAO SOFFOCAJAQ
A PcroV-% *': o(J r-ocTon Ci.'iitab apj tov das pela AlMienil imperial
d medicina di Paria hh gnosl sempre iiisiaui tneamente os juques d'asiua,
i ,,,, g : ii ct>ni(. as dores de cabera c enxaquccas. suffi-
,: nte mi ocrasio pparecer o mal, o engaHtf-se twna ou duas perolas
Mili :> n lica d'ogfl i. K com certeza o medtcaraaafo mais fcil de turnar para
e=te genero de docr.^as.
\n pppota a iiirtmilifcM no Doutoi CiERTAi sao imprecadas diariamente
com grande xito para, a cura das nevralgiae, rheumalismo,' sciatico e catarrlios
da bexiga. Estas perolas foram sempre recomnieitdadas por um grande numero
' de mdicos e especialmente pelo Doutor Trousseau. que indica este medica-
mento couio o mais eliieaz. conveniente tomar de 4 at 8 na occasiao das
comidas. ,_
A approvacSo da Academia imperial de medicina esm duvida a melbor
garautia da boa preparacao d'estes medicamentos e de sua efficacia.
Cepo.ito cm RwJi-wmo, DuponcheVc; Clievolot. Ein Peiixisdlco. MaurerkC".
A VERITABLES
BAQUES
ftE. ;
LEAO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
E.ECTR1QUE
ROY

4> C"
e "f
Ot verdadeira* OOIXAKIB nOTIB, m nicos ipprovidos pe*
i Academia de Medicina, tem assim como os mee* outros productos
attraMdo a cupidei dos falsificadores, que para Cscililar sua criminla
iadusuianao sepjao, nem receiad maliciar vender falsos Collahm
Eb previno as ramillas para Interesse de seus filaos
que, para evitar falsficaeAes, evem exigir, que meas CoxiAUB lhe*
sejao vendidos em calas de tamba de encalle e corrediai cobertas
por a ettiqaetu com minhi marca de fabrica e encerrando na
prospecto circunstanciado, e selladas por ama medalha com o lettreiro.
COLLAR ROYER, Re St-lartii, 225. Pars.
Machinas vapor de
forja de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar algodo.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Ubit-
Qeld.
Prencas para copiar capas.
Fogao americano patent
Scbmete de alcatrdo.
SI
BRACO
Ra do Imperador n. 26
Neste estabelecimento se encontrar diariamen-
te um completo sortimento do pastelaria do todas
as qualidades para lanche e sobre-mesa, ele, etc.,
bolinnos de todas as qualidades para cha, presun-
tos de fiambre, bolos inglezes, pudins, e finalmente
ludo rrae consiste entuma boa pastelaria, cora o
maior asseio e esmero, cha hyssoo, preto e roiudi-
nho do melhor que ha no mercado. Nesla casa
tecebem-se encommendas para casamento?, bailes
rbaptisdos, compremettendo-se os dorios do es-
a belecimento a ser? ir o melhor que for possivel
a vontsde do freguez, dispondo para esse lim de
ara cotnpleto pessoal. Recebe-se avulso toda e
qualquer^ encommenda, como sejam, bandejas,
bolos o paes-de 16 decorados, doces d'ovos, seceos
e de calua c crystalisados,
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t5o boa
acceitatfo tem merecido n'esta provincia,
muito se reconimenda para a cura ceru
das impigens, sarnas, caspas e todas a*
molestias de peQe.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu & C,
34na larga do Rosario34.
Vende-se nma casa terrea na ra da Concei-
c5o n. 19 : a tratar na rna da Aurora o. 131 A,
com o agente Euzebio,
fructas nacionaea e es-
trangcfs, amendoas confeitadas, um completo e
variado sortimento de caixinhas de todos os gostos
e preces, para mimosear senhoras ; estas caixi-
nhas recentemeale chegadasde Paris, sao de pri-
moradoBo to, offerece molas aos galanteadores do
bello sexo, pois nellas acbaro um digno e serio
presente para as donas de seus pensameBtos, lico-
res, virrhos finos de todas as qualidades, conservas
lamlhos em latas. Os donos desle estabelecimen-
es nao so poupando despezas, fazam todos os
otorcs'para servir o respeitavel publico o me-
h or que for possivel, e sendo principiantes e lu-
eando coa todas as difflculdades, esperam a con-
correncia do respeitavel publico desta capital, na-
cionaes e estraageiros. Pechincha : legitimo vi-
nho muscatel ero calxas, que se vende por commo-
do prego para particulares e para negocio.
Loja d miudezas de FERRIS A DA Cl-
NHA 4 TEMPORAL, esto quintando por
lodo preo venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me-
ninos de 210 a i$.
Linhas em novellos de 400 jardas a
.60 rs.
Pecas de tranca de todas as eres- a M rs.
Latas com superio banha 120, 1-60
e 2,->00O.
Frascos com olee- baboza a 240, 320,
400 e G00 rs.
Ditos de extracto 1G0, 320, 300 e
640 rs.
Ditos com banha. 320, 5(*>e 1)5200.
Ditos de agua do Colonia 320, -400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portuguezas a 420 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimenlo de sabonetes 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos- com duas folhas a 210 rs.
Linha de 200 jardas em carretel ^dozia) a
10200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320 400 rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
3^800
Ditas de ditas para senhora a 45500.
Garrafas eom a verdadeira agua florida a
1^200.
Ditas com agua divina 1,5300.
Frascos com sndalo a 15200.
Pecas de enlremeios a 500, G4 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
5000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pceles a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
24000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs. '
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 1500, 2^000 e 3(JOO0 ao par.
Jogos pjra vispora a 200, .240 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
x-Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento no-
Tender
Tnico oriental d Kemp;
%ii Um entro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com nlets de vidrilhoj
e alguns-d?ellea ornados de flores e fitas.
estSo todos expostos appaeiacao de quem
os prelenda comprar.
G0LLINHA8 E PUNHO& BORDADOS.
Obras-de miatogoto e perfeiro.
Fivellas e filas para el utos.
Bello e variado sortimefito de taes objec
ios, ficando a boa escclha ao gosto do com
Drador.
Semeutes
de hortalico nogadas no vapop de l't do crrenle,
e esl venda na ra da Cruz n_ 13
T'endein-se diversos escravos pecas, prupria-
para armazem on engenbn, *iidos do Cer, a;--
sim cuino algumasescravas can* hbilidndes e sent
ellas : na ra da Cruz n. i5^> andar.
Bartholomeu & C.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Jo5o
artins de Barros,
NANgA onde contina a
pelos baratos preqos de seu an-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanqa.
Ra do Queinado u. 3.
Attencao
Na praca do Corpo Santo n. 17, i
andar, vende-se mais barato do que em
outra qualquer parte
qui
potassa da Russi da mais nova
cal de Lisboa e
no mer
cado, assim como vinho Bordeaus de su-
perior qualidade em caixs e garrafas.
VEJfDE-SE
urna vacca de leite por preco oomiap4o U3 ra
da Cruz n. 13.
Vinho, PfuitAS.XMoPE e Tintura
de jurubeba simples e ferruginoso
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & CA
Pharmaceuticos-Drosuistas
PEILI-AMBICO
A Jorobaba : esta planta e boj rtconhecid
como o mais paderoso tnico, coio o aaalbat
desobitrneate, e como tal ajijilicaik n os padeciaMstos
do ligado* baco, bepalias, durveas, tumorw inter-
nos e especialmente do otero, bjdropesias, etrai*
pallas, etc.; associada ao ferio til du pallidas
cores, chioroses e taita de oiMtr.rnacio, desama-
os do estomago, etc., o qar, disemas allamOo
innmeras carta importantes obtidas oom dossos
preparados ji bam tonbecido, e asados pelo* mais
disiinclos mdicos do paja 'i'ortogal. Em todos os
aosso depsitos distribai'jios gratis folbelos aa*
melbor lasen caakacw a Jorobaba feos resaltados
* spplicacaa.
- -
CADET
CUBA
em TRES DIAS
. Denaii
par i s

l
st



Diario de Prianibiico Sexta feira 22 de OuluLro de I8G9.
---------

7.
-----------------r, -------------_------------,-------------.--------------------*----------,
Nfco nm cabelles brancon.
z.i paj'a tin^i' os cabillos
dmiitida
Kxpoe. I, por li-r sido rcco-
nliccida si'pnior .1 lotls as prefwcac&esat
boje exis di aWrar ; sade.
. Vendo-*; a 1 '000 cada fraseo na
Rna a Cada n. 52,
$. andar.
Vernizes.
Vendo---': r.o escrtptodo de Juaquira Gerardo de
Ilas!os ryri da Ygarin n. 16, prinifirc andar, *
seguales vfrnizes era atas de t e 9 libras, do
acreditado ; .brieanlo do Para, Caeteno Antonio
dos Santos Lisboa :
Voi ni?. uro.
Dite dito C:aro.
Dito dito e.-.vru proprio para oirs defolha de
l'landie.-.
Dito cor de PttCP <>u d.mradlhn.
Vendem-se qnalro escravas de 18, 20, 2>
30 anuo?, toda" cum habilidades, un bom prcto de
JOnnw" pe lamiera eozhii a : na ra de Heras
n. %_________________________
Vend-so on aluga-sc una canea meiau,
propria par.. eondncejo de grendt- familia on para
ctnduzir captan : a lr.it.sr na na Nova i. 48, cu
na rna Direita dos Afosados n. 48. '
:?
( f
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
PAVAO
DE
FLIX PjERIBIIIA 1A SILVA.
0 proprietario d'estc grande estabeldmento, vendo que se est aproximando o fin-
do anno, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; nao fallando em
avalladas encomrnendas que lhes est5o obligado todos os dias, tera rcsolvido liquida-
las por preco rauito mais baratos do que em outra qualquer parte ; so com o fim
de diminuir o deposito c apurar dinheiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVO, avultado sortimento deias^ndas de luxo e modas; assimeomo de primeira
necessidade. As pessoas que negocian em pequeua escala n'esla loja podero surtir-
se vendendo-se-lhes pelos presos que compram, ms casas inglezas; assim como as ex-
cellentissimas familias poderlo mandar buscar as amostras do todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberto das 6 horas da manhaa s 9 da noitc.
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. CO
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento nos me-
Ihores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
Acha-se este grande estabelecimento cora- dem a 12,5000 rs. cada par at 25)5000 rs,
pletamente sortido das melhores roupas, isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
sendo calcas palitts e coletes de^casemira, Pereira da Silva.
de panno, de- brim, de alpaca, e de todas BALI2S .MODERNOS E SAJAS DE LA
as mais fazendas que os compradores pos-! Na loja do Pavo vende-se os mais mo-
sam desejar, assim como na mesma loja demos bales reguladores tanto de musse-
tem um bello sortimento de pannos casemi- lina como de la de cor, e as mais moder-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer as saias de la enfestada, mais barato do
qualquer peca de obra, com a maior promp- que em outra qualquer parle,
tidao vontade do freguez, e nao sendo SULTANAS
obrigados a acccita-las, quando nao stejam Chegou para a loja do Pavo um grande
completamente ao seu contento, assim como sortimento das mais lindas sultanas, para
n'este vasto estabelecimento encontrar o vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
Vespeitavel publico um bello sortimento de com listas de seda o os padres mais novos
camisas francezas e inglezas, ceroulas de que tem vindo a esle mercado, vendendo-se
linho e algodao e outros rauitos artigos a 15400 o covado, na loja de Flix Pereira
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-ihe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. GO, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1,5800
Chegou para a loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. GO, urna grande porco de
pecas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpli-
mento de um tened, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama do casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato prego de 1SS00 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicacoes para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais- barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 30. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais benitas muselinas de
Ores a '00 rs. o covado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
eitios mais novos que tena vindo ao merca-
do e vendem-se muitocm corta.
FAZENDAS PARA LCTO
Na luja do Pava.
Encontrao re.-peiiav.;! publico neste estabelecl-
monto uva grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as finalidades, uzeada de laa de
toJas que tem vindo, proprias para luto, cerno
sejam, laazinhas, alpacas torradas e lisas, cantao.
borabaziuas, marino, etc., que udo se vende por
preco barato.
NOVAS CASQUINAS COM CINTO.
Chegaram as mais inviernas basquinas de pros-
eanpM preto, ricamente cni'eitadas, sendo dt um
:';:io inteiranuote novo, com ricos cintos largos, e
vendem-so por preco razoavel
CASSAS PRASCEZAS.
Vende-se um elegante sortimento das maislinas
..o mercado, sendo com padrGee miudinhos e
andes, e vendem-se por precd muito em eonta.
AS SEDAS BO PAViO
"Mr.'.s n nidadas.
Pelo ultimo vapor chegaram para a, Io;a J) Pa-
vLo, que vende mais baralo do quo em outra qual-
que- part-, M sedas segniotes: ponpellnas on
gergnrSes de IeIio e seda, com os mais delicados
padres, sedas de lis'ras, padres lotatnmente
novos, groz de todas as corea, sondo verde, azul,
'vrio, rosa, cincento, etc., Ktins, braeco, azul,
verde, rxo, lyrfa ele,, etc., assim como um gran-
de sortimento de grosdenapiea iretos de todas as
uJaiKs, e superior gorgurao preto de seda
par* vestidos e co! leles.
AGRACIANAS.
Cbegon esta nova rateada e m o non de Gra-
cianas, sendo de ama s cor, lyrio, roxe, verde,
aznl, ete., etc., e-muito encorpada, com lustre pro-
ptiamaate de^da, sendo inelhor e mais moderna
qie este anuo lem vindo para vestidos, e vnde-
se pelo barato pre$o de i o covado.
ALPACAS LAVRADAS
Na l'/Ja do Pavio.
Cbegoa pelo ultima vapor um grande sorthnen
todas maic moderna-: amis bonitas alpacv la-
nadas ;vara vestidos, tendo entre ellas algumasque
faxem a ((a propriatoeote de sed?, e vendeui-se
por pre'.oi muio em centa.
GRGL'RiO PRETO.
Cbegoa para a loja do Pavio o mats encorpado
rgurio de seda preto para venidos 8 S.illetej,
qie se vendemais barato de que em oulra quil-
quer parte.
AD.VPOLAO FRANCEZ
A 7i>K), s o pavao.
Vendem-S' pee^s de niadap'lao fraaeez em 22
metroa, pelo barato preco de 70U0, dito entestado
Mu 20 jardas a 7000, assim nomo tinissimos nia-
dapotoes frauc<:ze e inglezes, ditos de jardas, (|ue
se vendem mais barato do que em outra qualquer
fe$ $1MA*6
A AGUIA BRANCA tem convicclo de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo gprlimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitacSo de seus^precos, est5o na op^n5o do respeitavel publico
em geral, e na de suaboa freguezia em particular ; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepcSo d'aquelles objectos que esto alm do commum,
como bem sejam:
jirte, ^ior havor grande pon\io
AS C.^SAS DO PAVO
Coviio a 300 rs.
Yendein-se tinissimas cassas franeezas com lia-
dos deseBhss e cores fixas-a 300 rs. o covado.
CHITAS BARATAS
Na ioja do Pavio
Vende-se pma grande percao de chitas escuras.
e claras, da coree fixas, por preces que admiramn
BIULHANTES BAREOES A 400 RS.
' S o Pavo vende as mais delicadas ba-
reges da pura laa, semitransparentes com
os mais delicados desenLos, de quadrinhos,
listras elizes, &e,:.o n'este. artigo o mais
delicado que tem vindo ao mercado, e
vende-se pelo baratsimo preco de 100 rs.
o covado,
PELERINAS A 4^000
Na ioja do Pavo vende-se as mais mo-
dernas romeiras ou basquinas de croch,
pretas enfeitadas com verde e outras cores,
pelo Mri^^Mi'Mi^'' um, pe-
ctncti.
da Silva roa da Imperatriz n. GO.
ORGANDY 13RANCO.
Vende-se o mais moderno organdy braneo para
vestidos com listras largas o miadas, assim como
una grande poreo de cambraias brancas, tapadas
e traa-'parentes, "tendo das mais baixas dei^OOO a
peca, al as mais finas de 10 ou 12.8000, todas
estas cambraias se vendein mais barato do que em
outra qualquer parte.
COLCHAS DE FUSTAO.
Vendem-se colchas de fuslao brancas e de cores
por preco muito cm eonta, na loja do Pavao.
ORGANDY DE COR
A 3G0 rs. o covado.
Vendem-se bonitos organdys de cores com bo-
nitos padrcs e fixes a 3(i rs. o covado.
CAMISAS PARA SlNIMRA.
Vendem-so finissimas camisas francezas borda-
das para senhoras, na Ioja do Pavo.
AS CELEZ1AS DO PAVAO. -
Vendem se a? mais linas eelezias, esguioes e
bretanhas de linho por preco muito cm couta.
FUSTAO BRANCO PARA VESTIDOS A 6i0 RS.
Vende-se fustao braneo, com lista c lavradinhos,
muito proprio para vestidos e roupas de meninos,
a Gi rs. o covado. y
COLLERINHOS PARA SENHORAS.
Vendem-se Qnissimos eolterinnos do e^guiaode
linho [iroprios para senh ras c tainbem para me-
ninas a a duza.
ALPACAS DE CORDAO.
"fendenv se 3s mais In ilhantes alpacas de 60-
daozinlio para vestidos, tendo as mais lindas cores,
como Ilismark, lyrio, rxo, ganga etc. etc., pelo
barato preco de 1 i rs. o covado.
TARLATANAS.
Vende-so fmissima tarlatana branca e de todas
as cores, assim como fil braneo lizo a 800 rs. a
.ALGODAO ENTESTADO.
Vende-se superior algodaozinho com duas lar-
guras, proprio para leuces, sendo lizo e en tran-
cado, e vende-so por preco muito rasoavcl.
METAS PARA MENINOS A 3^300 RS.
Vendem-se duzias do meias superiores para
meninos e menina?, pelo barato preco de 3'0O a
duzia.
BASQUINAS DE GLTPZE.
Chegaram as" mais bonitas e modernas basqui-
nas pretas do guipuze, que se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte; assim como a*
mais delicadas romeiras ou pelerinas de croch
pretas, enfeitadas de verde e ontras cores, que se
vend muito em corita
CHAPEOS DE SOL
Vende-se tira grande sorliini-nto de chapos de
sol de soda e alpaca que se vendem muilo ba-
ratos.
LENCOS BRANCOS.
Vendem *o bonitos lencos brancas o decores
com barras o abanhados, pelo barato preso de
3300 a duzia, ditos de linto abanhados a 63 a
duzia, dilos de esguiaa para varios preco?, ditos
de algodao a 25 e 1C00 a duzia.
A 33000
Na loja do Pavo vendem-so modernsi-
mos chales do fil prcto com lindas palmas
do seda, pelo barato preco de 50030,
pe chincha.
BASQUINAS A I2,>000
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes do guipure,
pelo barato preco de I5000 cada urna.
PARA ESCRAVOi
Na loja do Pavo vende-se estamenha
de algodao mesclado para vestidos e roupa
de moleques a 200 rs. o covado, na ra
di toperatriz n. 60 de Flix Pereira
Silva.
Papel para entfernlho.
Compra-so papel para cmbrulho : na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 00. do Flix Pereira
da Silva.
FOSTES BRANCOS PARA VESTIDOS A
400 RES.
Na loja do Pavo vende-se um grande
sortimento de bonitos fostes brancos, pro-
prios para veslidos e roupas de creancas,
assim como tambem para rou;as de ho-
mens por serem de iavores miudinhos e
Uantaute eneorpados, e vendem-so pelo ba-
rato preco de iOO rs. o covado nicamente
na loja n. (50 da ra da Imperatriz.
CORTES A 8-3(000 DE VESTIDOS A 8000
CORTES A 8^000 COM DUAS SAIAS
Chegaram para a loja do Pavo os mais
bonitos cortes de la com duas saias,
S'-ndo neste genero, os de mais gsoto que
tem vindo ao mercado, e cada um em
seu carto, coro o competente Hgurino, e
vendem-se pelo baratissimo preco de 1 800,
so'na loja de Flix Pereira da Silva a ra
da Imperatriz n. GO.
CORTES DE SEDA A 20,11000.
Na Loja do Pavo, vendem-se bonitos cor-
tes de seda para vestidos tendo 15covados
cada um, e com quatro palmos de largura;
peen india na ra da Imperatriz n. 60, de
Flix Pereira da Silva.
CHALES DE CHACHEMIRA A 60, 100 E
125000.
Na loja do. Pava vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, com os desenos mais modernos, a 65.
10 e 125000, .muito barato na ra da Im-
peratriz o. 60.
Bonitas caixinhas de raadeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
piando abertas.
Ojtras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rla para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com musia.
Estojos ou carteiras de couro com nava-
lhas. e os mais necessarios. para viagcns.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas, dentes, cabello e roupa.
O.itras de bala com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, cscovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Yoltas de grossos aljofacs de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pro-
genies para o pescoco.
Outras cora aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botocs com ancora, e P. II. para fardas
e coletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 55.
Boles de cristal, cncastoados em prata,
para punhos, 15 o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
Ihor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
M3as de la para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de inchaco as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, braneo e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadoros de
'pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulha e alGnetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plu8ullra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das inlelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundaro
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria seno impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e amiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Quemado n. 8.
JI
FIO DE VEEl
Barbante
Em casa de Rabo Schmetau & C. Corp
Santa n. 15.
SHESRY 0L0RGZ0.
Gelo seal.
COGNAC HEKXESgYfi
Em casa de Rabe Schmcttau & C. Corno
Santo n. 15.
CAHMPANHA
SUPERIOR.
Roussillon, carte Llanche.
Em easa de Rabe fcchuiettau A
G. Corpo Santo a. 15.
VINMO
DE
BORDEUX SUPERIOR.
CIIATEAU LA ROSE.
CUATE AU RAUZA3T
Em casa de Rabe Schmettau & C. Corpb
Santo n. 15.
O Campos da ra do Imperador n. t> tem para
vender o seguinte:
Quedos londrinos, pratos, flamengos a de Minas,
todos muito frescos e de boa qualidade.
Presuntos para Hambres e para tempero, palos,
salames etc. etc.
O verdadeiro bacalho de Noruega.
Latas com lagstas e ostras.
O verdadeiro caf Mucha.
Especialidades
Grande remessa de cigarros de diversas quali-
dades, viudos da provincia do Ilij de Janeiro, no
vapor brasileiro Paran.
A saber:
Cigarros ao duque de Caxias.
Ditos ao Maurity.
Dilos aes (enles do Uiabo.
Ditos Uarbacenas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos de S. Paulo.
Dilos do llio-Novo.
Temos de medidas para seceos, segundo o novo
systoiua (mtrico fraaeez), no artnaz.ua do Cam-
pos.
As mais adoptadas e mais facis tabellas para
de prompto se reduzir i' e 9. a kilgraamas e ao
inverso esto se acabando por i.^so i ecommenda-sc
los cslabelecitnenUis que ainda nio tem, que ve-
nliain seus donos munir-so des-e to grande, agen-
te dr> commcrcio, pois que, com a safra que est
porta, torua-sc lilas tabellas indispen?aveis.
2H-TUD0 NO ARMAZEM DO CAMPOS-2S
Cabriolet.
Vndese ;;m exccllenio eabriulel in^ilez para
qnairo pe?so's dogfart) com lodiis os penaneen,
tudo em hr-ie estado e por prcro cumntod tar na coc eir do RaUbazar, na rna da Guia n. 1,
onde i ule r examinada
Cabriolet.
Vendse i ai caori-ilel de dons quatro men-
tes, o que 'a neior neste genero, epan fcom
cavallo e arre;.' -. n'i -em !lo : tm ra de San'o
.Amaro, cocfceiia deThninnz Una.
Bichas baaiboi^oezas
Rita da Cadia n .'ii.
Xe.'te novo ileposito rrci-bo-se por lodos os pa-
quetes mfxitlantiea*, hachas de qnalidade kup>'-
rior ; vende se eaicaisa on pjircin mak peqnonr,
o mais bar:.l'i do que em inalquer nutra |rie :
na ra da Cadei n. 51. 1" andar.
Venle-se um eserav.j para lo tu survicji: a
tratar no pate do Carne n. I.____________
Venden*-se cinfiu escravoa U'(;as, iie I- a io
auno?, sondo nm dotes mnlato Be li ola Rgnra,
proprio para pagetw. tendo u officio de inarcincria:
na rna d" Queiinado n. 11, I'andar.
iSCBJiVOS FEESEBS.
PORTLAND.
Vende-se no armazein amarello de Vieenle l-'er-
reir da Costa & Filbo, defronte do arco da Con-
ceico, em barricas grande*.
aos
gos
N. 23Largo do Terco.N. 23.
SIMIO DOS SANTOS & C.
Os proprielarios deste bem sortido armazem de secco e molhados, parlecipam
seos numerosos reguezes, tanto desta prar^a, como domatto e igualmente aos anu-
do bom e barato, que teemum grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
dorias o as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
menos prego do que em outri qualquer parle, por ser maior parte destas mcrcadorias
compradas por conla propria, por isso quera comprar al a quantia de I00, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
armizem.
620 rs. o kilogrammo, em porgo ha aba-
timento.
BOLACIIINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 13 e 13400 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 280, 400 e 5G0 rs. o raasso,
35>20b e 05500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACH1NHAS
DE MUITOS TAMANHOS 3^500, 5io00
elija libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e ero caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50800
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS &
BELL, 800 rs. a garrafa e 93 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10300, 10200, lije
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 73 e 63 a frasqueira, e 500 rs. o
ff3SCO.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
113 a frasqueira e 13 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
33, 23800 e 23400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 113300 por
14 kilogrammos. ___
CHA FINO, GRACDO E MUDINHO os
melhores que ha no mercado, 33 e
33200 a libra, "3080 e 65i0 o ko-
Fngk) no dia SO do me/, de Ktembru prxi-
mo passadj a oscrava cabra de nome Seve ina,
natural da cidade d i Araeaty, com os -ighr.es se-
guintes: ii!.n; SO anuos, altura regular, rheiado
corpo, falta de denlws nfrenle, leta ectretta,
oIIio peanenns,beieosla-tante lrrs, lemodtdo
minimo da n." i esquerda um punco dbrad ; ira
a pal a da n ao. ::n o and ir uu penco empipado
para a fren!.'. f.>i rostida com nm vostlo de chita
escura com palmas brancas,'anda novoj rli.ile de
lia j;i vellio v dt boatoa, e am oatro
bastante vribo, scivindo de rodha, cum nm cbo-
lelro oo ti ui':. -, lev a i:ais tuna irona contendo
dons vestidos, ata de chita bobi lislrns encarnadas
eoutro cor de cinza ; af~- nfla-se que ella esteta
oeeulta em ..! ama casa ni lo que wprod
ira a pessoa que a tiver em sua casa, c n ga-se s
autoridades en : id i ".-.- s que a apprelicndan c
a levem rna fl A* nm n. ;.'. on roa do Ros-
picio n. 17, ijoo sergea r *m ate reeafftpen-
sados.
VHAO
GAZ AMERICANO u 93 a lata, a 400 rs.
a garrafa e G0:> rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FGUEIRA 560 e
640 rs. a garrafa, a 43500 t) 43800 a cana-
da, a 70e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
a 400, 450 e 300 rs. a garrafa, a 33 e
33500 a caada, 600 e 650 rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a ":> a caada, e 13340 o litro-
VINHO BRANCO DE LISROA a 600 rs.
a garrafa, -J500 a caada e 900 rs. o litro.
vinagre verdadeiro de lisboa
200, 250 e 320 rs. a garrafa, 23200,
13800 e 13400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
WANTEIGA INGLEZA FLOR I 5440 e
13230 a libra, 33140 e 23800 o kilo-
grammo.
DEM FRAKCEZA 960, 900 e 830 rs.
a libra, e 2*160. 13980 e 13870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, I3500 o kilogrammo, era porgo se
far abatimento.
BANHA I)E PORCODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 13520 o kilogrammo, em
por<;ao se far abatimento.
ARROZ DO MARANIIAO E DA INDIA
121' e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo o 3.3800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo, e 03 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 63 e 63500 a arroba,
200 c 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SARAO MASSA 200 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa ha
A PRECO F1X0 E MDICO
SOMBRINHAS de setim verdeultima no-
vidade para senhoras, a 18 e 253.
LINDOS cortes de tarlatana orvallada, pro-
prios para bailes a 103, 133", 153, 173
o 225000.
ESPECIAL sortimento de coques enfeitados
e lisosultima modaa 23500,
33500, 43, 40800, 53 e 6?.
GRANDE o bello sortimento de chapeos de
paiha da Italia, elegantemente enfeRados,
para senhoras e meninas a 153,14fi 133,
Il3e93.
TRANCAS E CACHOS imitafiSo de ca-
bell, para senhoras, a 13800 e 800 rs.
GRANDE e agradavel sortimento de ui-
pure ou croch preto, em pegao metro
a 23, 33500, 43 e 60.
DITO braneo a 2*500, 33 C 33$ .
LINDO FIL de seda braneo com ramagem
o me.tro 55500.
LINDOS e ricos aderecos de pie lis Ja-
bles, com brilhantinas, rubios, esmeral-
das, perola, e camafeos ; mo ha diffe-
renf'a do ouro de lei-e conserva por lon-
go tempo a sua cor natural, vende-se a
153, 185, 305, 453, 003 c L203.
prcro menor ao feitio de qualquer peca
verdadeira. do mesmo trabalho.
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
para relogios, a 03, 83 e 105, no
BAZAR DA MODA50RA NOVA
abatimento.
MASSAS PARA SOPA. MACARRAO, TA- grammo.
LHAR1N E ALETRLV, 800 rs. a libra e DEM PROPRIO;P.\JL\ NEGOCIO 23700,
13750 o kilogrammo. 23500, 25200 e 23 a libra, e 53450 c
SEVADJXIIA E SAF 280 rs. a libra e 43180 o Kilogrammo.
Assimeomo ha outros muitos mais gneros, viuho em ancoretas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguicas de Lisboa, inarmelada, con-
servas gela de marmello, pcego, ervilhas, peixe era latas, sardinhas de Nanies,
vinio verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoge, cominho, pimenta, grandes
mohos de sebolla 13500, finalmente muito raais gneros que enfandonho
menciona-los.

Gratifica so rom 1005000 por cada un.
Do engrano Soledade, em Porto C;.': fegiran
no dia 27 do mez pa-=.-ad^, dons cscrvw; cojos
?gnaes*io os soguiiies : Ubi do niane Fi iippe,
idado 23 anno?, natural do toar, cor caba, nm
poneo discorado, tem os rfibeBos carapioliad t.
pouca barba por balxn doqoclko, estnftira bateo
regular, u corpo ta.nbam rcgnlar, as pernas gros-
fas e cabelludas, o e ps l>en) fe*, oBms
grandes o vivo, ralla de um dente na frente, fcl-
| lando claro e desembaracado. 0 onteu de nome
Manoel, lmbem cabra, natural do Rio Grande d:>
Norte. iem :M ann de dado, os cabello- tarasi-
olindps, rosio cutio, ol^os e bocea um tent po-
queno!', inri/, pequen i o um tanto gross, :... na
alt i da cabrea nina cicatriz que su !e-ee! i go-
parando o cabello, na > tem barba, 6 de estatura
mediana, espigado, bracos o pernas linas, e pee
regulares eswg amb >s limpos de costas e nade-
gas, viste nV) lercm seflrido castigo alguni : ro-
sa-sc, portento, saujondades poitejaes, eapitaes
do caaipo, ou a qnalqucr pessoa ^m es encontr,
capturar, e leva-Ios ao mOBCwoadn engenho
Soledade, no lenao de Porto Calve, oa nwte pra-
ca no eseripterio de Joqtiim lludtgu^s Tavares
e Mello, larjio de Cor|.i Santi n. 17. 1 an.'.ar,
pelo que em qualquer das parljs rcCebeva a gra-
tifleacao cima promollida. -\_______
4 ti % I
Vendem-se libras steriinas: no eseripterio di
Leal Iteis, ra da Cadeia u, 40.
Asssicar ha3ieaud.
O assucar [c ruginoso deCliautear.J
;lid0
pela associaeao do oxido de ferro mtiiramqnie i-
luvcl com o' assucar cuidadosamente purificado.
Este assucar, de urna bella apparenria crystaltaa,
lem o simples oslo mui agradavel do assucar,
sem o menor sabor adslringente : ni) tem aecao
irrtente sobre a mucosa do estomago o enteftinos,
e c rpidamente absorvido pelo appare!!:: digest'
vo sem causar as eonst;>ac\s do venir\
E' boje o preparado do ferro de mais aceitteae
para a clilorose atena dos orgaos, perdas hran:as
menslruacoes difOceis, ele, o tem a se favor o
juizo auiorisado da escola de medicina de Paria,
e dos cbimicos os mais nutaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Uarlboiomeu & C, roa taiga Jo
Rosario n. :i.
RCATOA (LOKI1 \. .i
Olaria ilo Fuudao.
Ha seinpre nesia olaria grande sortMnento Je
materiaes, como-tijolos de ahenaria banda, I
Iho, quadrado de 8, 9 e mais pollegada?, tcas e
telhoes, lijlos de tapainor.tos. O proprietari) des-
te olaria garante a bandado e barro de tts .),.'.>
riae-, comotenibem vendo-se nuis barato d
em outra qualquer parte.
Temporal na Bonanija
A ra do Livi amento n. 6, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o Este estabelecimento acaba de receber um eom-
mlhor vinho verde at hoie vindo a esto P mir.,,i. as memores que tem vindo ao mercado; a3 agu-
mtreauo. Iba tem o dirtinctivo do TEMPORAL.
--------------------_____.___----------------------- Previne-se a todas as familias que quando man-
C. _. -^___ ^-_^>.--. darem comprar estas especiaes agulhas que veiam
! % i i IIK 1 i I M Kll /% no "papel o distinctvo do TEMPORAL.
L Faco esua observaco para que as familias nao
sejam engaadas pelos meus collegas aposentan-
do outras agulhas o dizendo que ;o as que cu
annuncio.
S onde ha estas agulhas n3
LOiA DA BONA.NCA -N. fr
preco de cada papel 100 rs.
E
POTASSa DIRUSSIA
A mais nova no mercado, a proco raioavel: nc
armazem de Manool T. Basto, ni do Commereic
u. 13.
LuManoel Hodrigoes Valeoca, con., pro-
curador do sua mnlhtr e compelfiit ute-
risado pelo* demais herdeiros dos fall cidf.capi-
lao Antn > Gomes Pessoa e i i jnulhcr. e ouirw
consenhiivs, representantea do mais ite 3 do
valor do engenho Taba tinga, sito na lu i ;. i de
Taquara, termo Ja l'araliyba, sois leg'ta ui.-lau!e
de Goyanna, CO! > < \i Iqnur arrendamenlo so-
bro dito engenho, ou vende ditas paites; para 0*-
clarooimentos o tratar, na rea das Trinceira
50, Io andar, ou cm seu domicilio ra do caes
do Detenerte n. ?<.__________- .
o dia 25 do fctembro dp corrente-nne,
(ugio di engenho Parnaso do tato de AguaPw ta,
umescravodc nomaBoavontora, tendo is sifr
naesseguimos: crioub, com ) anno- de Ufad?,
pouco mais ou t. nos. estatura regular, rdr prete,
sem barba, tem no rosto algumas marcas fle be-
xigas ja pouco visivo!, tem no fallar nm t o peco a
especi de gagaez, rendido da ama virha, mos-
tr carroiro, no fallar com aIguem,tem a vista
baixa. Lcvnu vestida cal a c caini.-a de algodao
de saco, cbapeo do baiila usado e i-ohnrter de
bata verde ; presume se que tenha seguido para
o engenho Tlma da freguezia de S. Lourcnco
da Muta, por Vr afil lia 0 mais parenos. O
balso as-isjnado pedo aos ea,iitaes de campo,
e as autoridades policiaos, a captura do dilo P-
cravo, devendo ser cunduzido m referido engenho
ou na capital, escrlptorjo do Sr. Alfredo Alvcs da
Silva Freir, ra da Cruz n. V:, onde se gratQca-
r com generotida4c aos conductore-.
Jos Uns de Barme.
Fueio do ilio da Sapucaia a 11 d" corrente
mez, o esciavo de uome Jos, preto, idade mais ou
menos 30 anno-, ;.'.o. secco, caa rusgnsa, pea e
ralos grossas. bom .Calante o ladino, castnma em
suas enrsois ir para a nutaaca, ribeira, servir te
arniceiro, ou gaobar as ras da cidade do Re-
cite Roconmieiida-so a sua ciplura as autorida-
des poJivl'aes. c capiiaesdo campo, mediante a co-
pefente i-! mnNaeao do trabalho. _____
ti
Re3ta venda um escolhdo sortimento de ob
ledos de marcineria, cont sejam, mobilias de ja-
^rand. mogno eamareilo, obra nacional e estran-
jeira, d apurado gosto e porpr3^)' razoaveis:
a ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
asa fazem-se coin perfeico todos os trabamos df
Mlhinba, como sejam, empalbamentos de lastros
jara camas, cadeiras e sopbs.
Veude-se urna cartoira para eseripterio : na
ra larga do Rosario ii. '21. loja de calcado.
Attenc^o.
Na taborna do largo Jb Parazo n. 20 voa. se
manleiga inglnza flor a UiOO, 15200 e 900 f a
libra, carne do serlio nova a 320 rs. a libra.
50:000
Grati-ia-se com a quanlia cima a qium lie-
gar o preto Joao, condecido per loo maitineiro.
o qual aiKoalou-se da casa do seu soulior ha Ifi
dias, levando calca e camisa do algodio aza.,
.; ctapa de palba, elle barbado, magro e de
idade do 10 anuos, ftiHoo o sabe o oOicio de
marcnero ; do suppor que ando por Punte Uchoa e Capunga : quem o aopruhender devo le-
va-lo a roa U'n\ita.iu 133.
Uo engenho Jacobina, comarca do C
fugio na noute do dte 11 para 12 do correnta,
escravo crioulo de ome Antonia, levot ca
de algodao azul nova o ceroa'.a do alg-dao ame-
ricano, .hapo de palha j volbo e mais alguna
roupa, tem os sgnaos segrales :
po o lem as juntas dos ;
este esi'a.o fui vinil
se desconfa tef s
policiaes e ca_'"
ma.ro
mente.


mam
Diario de Pemambuco Sexta feird 22 J Otubro de lS6d.

kWA 8Li GER1L

C4I\M 15S SIS. D5PUI1D0S
SESSO K.VI 2G DE SETEMBRO
f RESIDENCIA na SU. NEMAS.
(Ontinuaco)
Dir-se ha tambem que n proje;to de re-
voa^in conlm dispnsires que ja foram
valladas por usta cmara ; mas nio isto
motivo ba-t me pura argir a resolucao de
ui&jg^filucionil. A cmara voloo urna le
videncia solwt diversos ramos do servido
publico ; nao simples lei de despezas ixas,
utas tambem contcij lo dspo aa rnmmercio estradas o mitras medidas.
No se turnio psperanra de obter esta le
ampete, resumea-se no projecto de rew-
I Ki nicamente aquellas liso isicoes que
saiisfacara o cumprimenlo do dever consli-
fbcijfld. a ti\.ic3o ilas despezas annuas, e
impreseiiidiveis. addti-.ioiwndose medidas
ftaaesque s > meios deque governonio
pode prescindir do I." de janeiro em diaote:
a resolucao conten apenas o que absolu-
tamente preciso, o que urgente, urgentis-
simo.
E o his da votaco das mesmas medidas
por esta cmara nao pode ser motivo de
laconstilocionaiidade, porque tem-se dado
o* de votaro sobre disposeoes que cons-
titeen lei* (Io paiz. como a lei que regula a
guarda nacional. Tendo a cmara votado
um projecto de reforma, resolveu que na
redaecp s^ comprehende.-sera as disposi-
Ces vigentes e nao alteradas, para assim
codiSear todas as disposices sobre a guar-
da nacional; de serte que o voto da cma-
ra em grande parte recabio sobre leiden-
te, e nem isto servio de obstculos para
que o prujecto assim redigido fosse votado
no senado.
Arguro 'Htaado de maior para menor, se
um projecto assim redigido, contando dis-
posh;es vigentes, nao loi obstculo para
que. lete votado no senado, como o poder
ser a rircumstanca de conter o projecto de
teseiucle que se discute, disposicoes ape-
nas votadas na lei do orcamento, que pen-
de no senado, e ainda nao lei do paiz ?
Tilvez presuina-se que sta resolucao
pode trazer perda de forra moral para a
cmara dos deputados perante o paiz, pre-
tendendo-se prestar-lhe feicoes de urna
transacro.
De minba parte, repillo semelhanlo quali-
ftcicSo. (Apoiados).
A resolucao nao foi. nao nem pode ser
urna transar<;o. (Apoiados). Nao aceitamos
a iniciativa dos adversarios renitentes da si-
tuadlo ; neulmm accordo me consta que
uuvesse rom elles; apenas aconselhados
peta prudencia e desejosos ie procurar to-
4eo os meios que estivessem na esphera
constitucional de nossas attribiiicoe?, para
que o paiz, nao fleasse sem lei do orcamen-
to, julgamos acertado o meio do projecto
de resjlurao, que se discute, para conse-
guirse aquelle resultado.
Nem sempre necessario, e mesmo acer-
tado afTiontar as grandes montanhas e abrir
tunis no Genis e Serra do Mar, mu tas
vezes preciso e preferivel, seguindo os
conselgos da sabedoria e prudencia, vencer
grandes asperidades, evitar-se decliveis por
meio de rodeios. Acerta-se quando, para
obter o neeessario o urgente, diante de
grandes dilculdades, se adia o que depois
se pode conseguir. E quando o projecto
de resolucao fosse frustrado pelos esforcos
da minora no senado, o que nao 6 de es-
perarse, teriamos conseguido mnito na
flpinio do paiz, levando toda a evidencia
que aquelles que em ludo cnxergo dicta-
dura, nao trepidaram cm collocar o governo
do paiz ern to dificil posicao, que ouhavia
de eizar dissolwr-sc a sociedade poltica
eo, compenetrado da gravidade da siluaco,
bata de usar de em meio extremo, embo-
ta se teaomioasse dictadura, e dessa dicta-
dura s;:ri:m elles os responsaves perante o-l p|0 que, alm d
pt:/.. (Mudos apoiados).
Portento, o projecto da resolucao um
tentaran |d 'pa.ido rnsino niio seja co-
rlo de osito, merecer a approvacao do
p;iiz (apoiados), e nos dar na opinio pu-
blica os foros de prudentes, e pora bem
patente nossa intencio de procurar e*ilar o
meio extremo que nossos adversarios cha-
mariam dictadura, dictadura que elles se-
r acensados pela opinio de terem pro-
vocado, se persislrem no proposito de cm
baratar a adopeo do projecto de resolu
Cao, visto as diflBculdades que oppoein
adopeo da lei do orcamento no senado.
Se porventura, iodo osla resolucao para
osenado.dopendendo para que estese cons
ttua em numero legal da presenca de al-
guns tnembros da opposico, elles recusa-
rem comparecer, ou abusarem do direito
da disciissai). e dercm causa, para que o
par nao li \m sem Ici do orcamento, i urna
medida extrema, eslaremo' justificados aos
olos do paiz. (Apoiados).
Nao possivcl que a minora opposicio-
Hista no senado proceda como o juiz de
faci ingl.jz, bastante maduro para resistir
amrtes e dia3 fome e sede.
Exigindo, para ter lugar a imposico da
pena de (norte, a legislacSo ingleza o voto
innime do jar)-, um jurado, bastantemente
forte, recusou votar por aquella pena, con-
tra a opinio de todos seus collegas, e con-
servndole tres das e tres noules na mes-
raa resolucao, os outros jurados viram se
aa neeessidade de ceder do voto pela pena
de orle, para que n3o a soffressem pela
fome e pida sedel
Seria digna da maior reprovacSo do
paiz, se a minora do senado qoizesse le-
var nos a um estado extremo ; sendo pre-
ciso seu concurso para constituir numero
lega! alim de que o senado fuaccione, nao
de esperar que imite o procedimeoto do
jurado inglez; e deste modo a miooria de
um dos corpos legislativos se arrogue o
direito, contra a verdade de nosso systema,
de dar a direcejo que Iba approuver po-
ltica que deve reger os destinos do paiz,
em contrario daquella que julgam conve-
niente e a cmara dos Srs. deputados, a
nuioria do, senado, o poder executivo e a
epiailo publica i (Apoiados).
Seraelhante procedimeoto, quando a
mnima no senado seja pertinaz, deve ficar
bem patente e manifest para que o paiz
couliera de que lado esto aquelles que,
bradaram contra a dictadura, por seus actos
provocara
Q9 bradando contra a dictadura invidam
todas os esforcos para evitar mesm> as ap-
reacias della. E deste modo tenho enun-
ciado raeu pensamento.
Vozes : Muito bem I mullo bem I
O.Sil. ARAUJO GOE: Conbeco, Sr.
ros entrar ueste de!te, talvez o
iiiiportiute que so lo.n suioiiaJ) nosl i
sesslo. porqae nem esloj na altura de oi-
go do partido- conserva lor (o3o apoiadoi i,
e nem poseo coostiluir-ow interpreto da
casara dos Srs. deptitad >s (no apoiados)-
faco poltica por miaba conta e risco. 15,
pois, sobminna responsabilida le individud
ouso oTereCer pequea; considerac^es
cmara a respeilo do assumpto em disco i-
sib.
Primeiramente declaro a V. Exc. que niio
acho conveniente discutinnos ou dirigir-
mos-nos pessoalrainte a atgaus honrados
cavalberos membros di ontra camiraaf^-
to-me deste terreno, porque rreonliefo-o
demasiadamente perigoso. de ms couse-
quencias para a causa publica. \j a* dis
cossao entre ambas as cmaras sjna o i
failivel precursor de males incalculaveis
(apoiados); cumpre que baja mituo c fe
ligioso resp1 ilo.
O Su. Hk.njanim : V vi li publica do
liomera publico est sujeita discuso.
O S. Andbadi: Fioeihv : A ficcio
do nosso system/ cada uor das o maias
ignorar o que se passa na putra.
X) Sa. Araljo Ge es : Apezar das in-
vectivas que alguns membros daoppcii-
Co do senado...
O Sn. Andbade FiGUEin.v: Um abuso
nao autorisa outro.
O Sn. Ar.vujo Ges : Sm seobo- :
pens da mesma forma. Apezar das m-
i no* fremo^dernmg^cllo'emp'W^Wtefl W, Sr. presidente, se 3o bonve con-
e ittnal ha de vir a disperso d: cbavo algnm entro o gabinete e a minora
casas do parlamento. Em taes ctreoms- de -scoado, qual entio a otilidade do
tancias n3o resta outro- ffMrao senJo o da proiacli qae ora se diyute ? (Apoiados.)
resolacio oOeredda ptl MMtra corarnisao Sorprendei-me; Sft infidente, a argo-
lle fazen di. menlcao que acaber e*i*ir. Especial-
Sr. pjtonte, em aparte ouvi que esta
resolucao era o reottad', qa talve qne
presidenta que n3o devia ser dos primei- te sem altmar-se a 2* discusso, pelo me-
vectivasque alguns
c3o tem dirigido contra esta cmara, a pim-
o de sermos qualificados de commissarios
da polica, e...
O Sn. Pinto de Cacos : Mas nio
podem chamar-nos passados.
O Sr. Araljo Ges : ... e designa-
dos, apezar de se dizer all que o orcamn-
to, a lei principal do estado, eslava sei do
aqui tratado, e confeccionado sabe Deus
como ; apezar de tudo isso, resollado das
exageraces partidarias, eu hei de respei-
tar a outra casa do parlamento, e tratare
com toda a cortezia a inalqncr de stus
membros, sem usar de represalias, para o
que alias, poderia julgar-me autorisado pulo
pernicioso cxemplo que dalli parlo.
Sr. presidente, o que disse o nofore ex
presidente do conselbo de mnistn>s o Sr.
Zacaras a respeilo do modo porqoe esl iva
sendo confeccionado o orcamento insta
casa, exprimindo-se pela mancha queja
notei, foi a guarda avallada para a lo iga
e enfadonha discusslo do mesmo orcamen-
to no senado, sob o pretexto do livre ejer-
cicio de um direito de exame, como l se
tem dito, e foi asseverado na impronsa,
a:crescentando-sc que o governo est farto
de concessoes fetas pela opposic>.
Mas, Sr. presidente, onde eslo citas
concesses ? Quem na > ve nesse ampio
e livre exame a mis calculada protellaco,
acobertada com o manto da utlidade pu-
blica e da conveniente fiscalisacao Pro-
cedimenio contrario, Sr. presidente, leve
a opposic3o conservadora no senado du-
rante a dominacao que acabou a 40 de ja-
lao do anno pass3do : ella apezar de c;tar
em maioria, nao alongava os debates, c
muito menos recusava a lei que babiliiava
a adminislraco a faerdespezas e a cobrar
imposlos (apoiados geraes), dando assim
irrecusavel testemnnho de seu acalamento
aos principios governamentaes, s regras,
e realidade do systema representativo.
(Apoiados.)
Eu pensava, Sr. presidente, que o sys -
tema representativo entre nos j era urna
realidade ; mas boje tenho mnhas duvidas,
e muito serias a tal respeto. No cerpo
do Direito Romano, Sr. presidente, ba um
Ululo que inscreve-se De verbas dubiis :
parece-me que em nosso direito constitu-
cional tambem devemos ter um titulo com
i mal nscrpco, visto que pretende-se ion-
testar e por em dunda a aeco legitima c
legal da maioria sobre a minora : a oppo-
sico na cmara vitalicia nos d um exem-
perigoso, vicia o systema
representativo em sua base. A minara
nao pode impr a maioria : a realidade do
systema nao se obter nunca por seme:
Ibantes meio?. (Apoiados.)
0 Sn. Aoraos Ficueiha:Availa-
gem deste systema a dis -.usso.
O S Akaujo Ges : Mas a discuisao
tem limites : vai muita distancia enlre dis-
cusso lucida e ntemperanca de linjiua;
entro discusso no interesse publico e pro-
tellac3o, a ponto de sahir-se da casa para
se nao votar. (Apoiados.)
Sr. presidente, estamos collocados em
urna siluaco embaracosa, c cumpre explo-
rar meios de sahirmos della de modo que
nem as prerogativas, nem a dignidade desta
cmara, nem as prerogativas e nem a d gni-
dade do governo soffram a menor quebra,
o mais leve desar, garantidos tambero os
direitos, a dignidade e as prerogativas da
opposico constitucional. (Apoiados.) Qaacs
s3o esses meios ? O orcamento ordinario
l est no senado servindo de tbema a urna
dscuss3o lal que promete nao se acabar
to cedo, e em manifest detrimento da
causa publica. (Apoiados.)
O Sn. Bknjam'u : WscussSo prote-
ctora.
O Sr. Arauo Ges : De que ro dos
o gabinete deve anear mo, c o corpo le-
gislativo, afim d ter os recursos indispen-
saveis para a marcha da adaanistrai;ao ?
Na constiluic3o e as pralicas do sysi cma
encontramos esses meios, entre' os quacs
avalla o de que trata o projecto de leso*
loc3o offerecido a dbale, prorogando o
orcamento vigente at o fim do crranle
anno fiuanceiro, a exemplo do que se tem
feito por varias vezes em oulras pocas
nao muito remotas, quer sob o rgimen
conservador, quer sob o liberal (apoiados);
um cecurso legitimo, e que talvez a pro-
ve te. ..
O Sr. Andrade Ffgueira : O recurso
constitucional prorogar-se a sess3o at
que o senado voto a lei, ou a rejeite.
(Ha outros apartes.)
O Sr. Arauw Ges : ... cortando a
discuss3o, e tirando os pretextos de livre
exame e fiscalsac3o, visto que tratase de
ampliar por mais um prazo a lei que vi-
gora al o fim de dezembro deste anno.
A prorogaclo da sess5o sem divida
um recurso constitucional, e que pode ser
empregado al cerlo ponto, alm do qual,
porm, n3o se pode passar. Devenimos
estar aqui at s (calendas grogas, espe-
ra que cessem os caprichos e appare<;a o
causace dos paladinos da opposico,que tem
consumido sessoes inteiras no senade tra-
tando de assumptos alheios ao orfameato ?
All at j tratou-se da verificaclo de po-
deres desta casa J estamos qua.i no
fim da segunda prorogac3o e ha de fie dar-
era
v.esse a produzir os mesmos effitoi
iransaeces e de convenios. Se tai juizo
eu formasse, declaro a V. Etc. Sr'. prosi-
denle, que desde ie momento retirava a
uiinha confianza ao actoal gabinete e nv:
pronunciara etn a^pjisigS >, estando con-
.'cncido de qire n3o ftcaries, (Apoiados.)
Transacco o convenios sem quem ? Com
a opposic3) do senado ? Ella tein Jcrtrt fi-
reitos, e nos lamben} temos os nosso* ;
ella tem devores assim com v nos.-.
O Sn. Andrads Ficukuu : O nosso
dever esperar quo o senado vote, qae
tome nina n:soluco.
O Sr. AaADfO Ges : O que ella nao
deve querer, o que nos igualmente nao
devemos qqerer, e n ni tolerar, iwe se
consagrem abusos, pretendenJo a minora
impr a maioria, o esta violentando aqueda
(apoiados) ; excrca-se a acc3o vivifican te
de cada nm lestes elementos imlispensa-
veis ao governo representativo, porm den
tro da espera constitucional (apoiados),
ludo marchar regularmente, sem transac-
Ces e sem convenios ; o systema admil-
t-os, mas em oulras condic.'S, que actual-
senadores da opposi- mente se n3o verificam.
O Sr. PEiinico Mai.heiho : Declaro
que a resolucao ol) tem origem era irn
saeco ou convenio, e foi por isso que as-
0 Sr. Arawo Ges : Eslou certo
dislo : por miiiha parto eu tambem veri-
iquei esse fado de tanto alcance, quer
agora e quer uo futuro, porque zelo a dig-
nidade do gabinete a quem apxo, e...
O Sn. Perdioo Malheiro": da c-
mara.
O Sr. Akaujo Ges : ... e da c-
mara, dizia eu tambem indepeudenlemenle
de ser prevenido pelo aparte do nobie di-
putado. Verfique, e estou convencido,
Sr. presidente, de quo a honrada commis-
so de fazenda nao tem motivo algum me-
nos decente que sobre ella actuasse, afim
de a presentar-nos a resolucao que se dis-
cute (apoiados); a nobre commisso pro-
curou, por esta forma, evitar que o paiz
ficasse sem lei de orcamenlo para o 2 se-
mestre do correntc anno financeiro, nao
dirigindo-S por adheso a qualquer idea
de transaa;3o ou convenio.
O Su. MiMsnio uo Imi'erio : Nao bou-
ve c nem poda haver transacco alguma.'
0 Sn. Aiiaiuo Ges : Kstou certo
disto, ej o linhadito, nao pudendo alle-
gar-se como exemplo no caso presente o
fado ltimamente occorrido na Inglaterra
entre asduas casas do parlamento, por oc-
casio da questao da igreja, na Irlanda,
porque all era a maioria da cmara dos
lords em antagonismo :om a dos commons,
e cnto, para removerem os embaracos,
chegaram a um accordo, promovido e rea-
lisa Jo por um arbitro como representante
dos wiqhe, e por outro em nome dos con-
servadores, torios, mostrando com isto a
Inglaterra que a lberdade bem entendida
resolve as quesloes mais arduas e difficeis.
(Apoiados.)
Kntre nos o caso muda de figura, e
muilo dilT.-rente. O gabinete sustentado
por toda a cmara temporaria e pela maio-
ria do senado ; mas a opposico da casa
vitalicia quer inutilisar ludo isto, aniquillar
a aeco legitima da maioria do parlamento,
expresso do paiz : aqui nao ha transac-
co possivel, excepto com grande desar e
completa desmoralisaco do gabinete, da
maioria do senado e desta cmara. (Apoia-
dos.) Pdra isto eu n3o concorrerei por
forma alguma : preferirei antes retirar-me
da vida poltica, e condemnar-me obs-
curidade em que tenho vivido.
Feilas eslas breves consideracoes, eu
concluire, Sr. presidente, que voto pela
resolufo como um meio de obviar o risco
de (car o paiz sem a lei de orcamento. Se
este recurso falhar, a constituico ainda
encerra outros que podein ser empregados
utilmente no interesse da causa publica.
Todos nos estamos em nossos postos
(apoiados), e grupados com. o gabinetee a
maioria do senado ao redor da coostituicSo,
havemos todos unidos conjurar a tormenta
soprada do lugar onde elle deveria ser
mais acatada. (Apoiados; muilo bem.)
O SR. TEIXEIRA JNIOR : Nao abu-
sarei, Sr. presidente, da attenro da cma-
ra em urna questo que por sua natureza
j est preparada para ser votada porque
ella nada mais do que a consequencia
lgica da conducta que tem tido esta au-
gusta cmara apoiando unnimemente a
acual situaco que ella propria representa.
Trata-se de um projecto que em saa es-
senca apenas urna fraccio do projecto
da lei do orcamento, j aqui largamente
discutido e approvado, que ora pende da
discusso da outra casa do parlamento.
A cmara, portante, comprebender
perfeilaiueote qual o motivo porque eu me
julgo dispensado de apreciar estas dispo-
sices, e porque prescindo do exordio po-
ltico que em taes ocasies a pratica tem
consagrado. O meu nico fim explicar o
voto que pretendo dar sobre a resolucao
de que ora se trata, para que a minba in-
tenco possa ser devidamente interpretada.
E quando tal procedimeoto nao tenha outra
vantagem, ter sempre para mim o mere-
cimento de constituir' um protesto perante
o paiz contra a illaco que se pode tirar
da adopeo deste projecto.
Disse-se, Sr. presidente, e repilio-se em
todos os ngulos desta cidade, que nm
conchavo, combinaco ou transacco se ha-
va celebrado entre o gabinete e a minora
do senado para a separacSode dous addi-
tivos do projecto da lei do orcamento que
aili se discute : um relativo ao augmento
dos vencimentos dos magistrados, e ou-
tro s corporacoes de mao-morta.
0 Sr. Aaacjo Ges : O artigo fra-
deaca.
O Sr. Tkhsha Jcnior : Preteadsu-
so que o gabinete, aceitando essa separa-
Co, a opposico por sua parte prescindira
da protellaco da discusslo, e votara o
projecto.
A cmara, porm, sabe perfeitamente
que este ajuste ou conchavo a3o podia ter
lugar (apoiados), porqae a elle se oppora
nio s a dignidade do governo imperial,
como a desta propria cmara. (Muitos
apojados.) E foi com grande satisfcSo
que ouvimos o aparte do nobre ministro
do imperte, quando orava o nobre deputa-
do pela Babia, declarando que nao bouve
nem poda haver tal conchavo. (Apoiados.)
mente o nobre depnlado pola Baha, que
preeedeu me, coja lgica, sempre incon-
cusa, faltn dflga juz ao seu rigor, quando
S. i; m que a adopeo deste
projecto podia corta? a protellaco da mi-
norii do senado !
O 8r. Arai.-jo Ges : Pode.'
O ga, ffancma Ju.nk af- OaAo ? .
Se a demora que h* na nscusso do so-
niik) nao mu*- legitimada pelas necessi-
d/de* da elucidacao do assumpto o da se-
vera liscalisaro da dospeza publica, e pal-
sou a ser nm meio tte protellaco para
impedir a votacao da loi, afim de que fal-
tem ao governo" os meios indispensaveis
para poder constilucioialinente salisfazer
as necessidades punlcis ; so essa demora
, como asseveram os nolires deputados,
apenas um meio faccioso de que se serve a
minora do senado para crtibaracar o go-
verno do paiz abusando desse modo do di-
reito da discusso : entio, senliores, o que
se segu que a resolucao que ora discu-
timos ir necessariamente encontrar as
mesmas diUiculdades, os mesmos embara-
cos que est soffrendo o projecto de or-
camento pendente da deciso daquella c-
mara. (Apoiados e nao apoiados.)
Se a discusso tornou-se all urna pro-
tellaco para dlcullar a actual situaco
poliiiid ; se ha nm plano para demorar a
le do orcamenlo, evidente que esse
plano, embora Ilegitimo e faccioso, ser
ainda empregado quando all entrar em
discusso a presente resolucao. a menos
que nao baja o conchavo bu transacco a
que aliudi...
O Su. F. Beli.is.vrio : Nao ; tira-se a
prova.
Um Sn. Depltado : Esl tirada.
O Sr. Teixeira Jnior : Nao preciso
esperar a prova de um faci que nl> pode
dr-se, porqae imcompalivel com a digni-
dade desta augusta cmara. Mas neces-
sario nao autorisar urna tal supposicio por
meio deste projecto, cuja eficacia man-
resta...
O Su. Capz Maguado : E n3o ganda-
mos na opinio do paiz em tentar todos
os meios lcitos ?
O Sn. Teixeira Jnior:Nao por certo;
porque este meio importa a procrastiuaco
da saliifacao das necessidades publicas,
quo s attendiam no orcamento, cujo adia-
menlo consequencia neeessaria da reso-
lacio que ora discutimos.
(Ha varios apartes).
OSr. hiKsntENTE : MteoeSo !
O Su. Teixeiua Jumos : Eu peco aos
nobres deputados que nao me obriguem a
prolongar o meu discurso, pois desejava
ser muito consiso.
Disse-se, Sr. presidente, que se ia tirar
nao embarcar a adopcao da le d< orca-
mento. Nio isto um meto legitimo, e
nem poda ju*tificar-se com semelbante
motivo o adiamenlo da satsfacio de ne-
cessidades publicas j roconheddas...
O Sa. Cruz Machado :V para fazer
passar as que sao mais urgentes e neces-
sarias.
O Sa. Teiveoia JuNron :E porUnto ha
de explier-se como urna transacco tacita...
ji Sr .Deputado : Corta-se o plano
restringindo o projecto a um s artigo.
O Sn. Teixeira Jnior :Corta-se seno
fr proposito da opposico embaracar a
lei do oiVamento, mas sim obter o adia-
menlo da adopeo dos addilivos que ella
combate. Nesse caso estou certo de que
cessar a protellaco. Mas no caso con-
trario, nao; ser igualmente protellada
a discusso, e seria injustica loquacida-
de da Ilustrada minora do s nado suppr-
se que o fado de conter o projecto um s
artigo pudesse nullilicar a vontade de
protellar.
Um Sr. Depctado :Havemos de deixar
o paiz privado dos recursos de que pre-
cisa ?
O Sn. Teixeira Jnior :Nos j os vo-
tamos.
O Mesmo Sn. Deputado : Mas cumpre
remover o embaraco.
OSn. TeixeiraJujjior : Privndose o
paiz de innmeras medidas cuja urgencia
j foi reconhecida ? Ou estamos conven-
cidos de que os artigos addilivos consti-
tuem a soluco de necessidades publicas,
ou nao esta a convieco da cmara.
A alternativa nao admissivel; e por-
tante se os addilivos sao a exprcssSo de
verdadeiras necessidades publicas, deven)
ser adoptados...
O Sr. Cruz Machado: Agora inverta o
argumento ; deve procurar meios de fazer
passar aquellas medidas que sao indispen-
saveis e muito urgentes.
(Ha outros apartes).
O Sr. Teixeira Jnior:Os meio3 sao
os mesmos que foram consagrados pelo
systema que nos rege; e e procedimento
irregular de urna opposico facciosa nao
deve demover-nos da sua manutenalo. O
paiz acompanha aquella conducta, que ne-
cessariamente tem de terminar pela vota-
Cao do orcamenlo.
Sei bem que quando circumstancias im-
periosas exigem que se abrevie ou se adi
a adopeo de urna lei, cumpre aos poderes
do estado salisfazer ao interesse publico;
assim como comprehendo que quando se
reconhece a insuIBciencia de tempo para a
discusso regular de urna lei como i a do
orcamento, os estylos tem consagrado o ex-
pediente de adoptar-se medida idetica ao
projecto que se discute.
Mas quando se reconhece, pelo contra-
rio, que a demora da discusso apenas
urna protellaco facciosa, cnto o ad
da lei ou medida de que se trata i
i urna transacco inaceitavel. Nao mei
prova, mas quanlo a mim assevero desde! que em idnticas circumstancias, e
ja, que a opposico representada pela mi-
noria do senado obleria um triumpbo com
a adopeo deste projecto (apoiados), se
fr elle aceito por esta cmara tal qual se
acha redigido, como passo a demonstrar.
A opposico na impossibilidado de poder
negar ao governo a lei do orcamenlo, nao
aspira a maior triumpbo do que o de de-
morar e procraslinar a sua adopeo, c
para esse fim emprega, segundo asseveram
os nobres deputados, o meio faccioso de
protelar a discusso.
E' evidente, portante, que, offerecendo
esta cmara um projecto do qual ilumina
a maior parte dos arligos addilivos da-
quella lei, e especialmente os dous sobre
que maior opposico se espera, e que
foram os iniciados para a separaco, vai
por esse modo adianto dos desejos dos
seus adversarios, facilitando o nico tri-
umpbo a que elles podem aspirar, qual
a demora, o addiamento da realizaco das
medidas contidas na lei do orcamonto,
que pende da deciso do senado, o que
foram iluminadas do projecto que ora dis-
cutismo.
Um Sr. Deputado : Para evitar a pro-
tellaco
O Sn. Teixeira Jnior : Proceder aca-
mara por tal modo quando est conven-
cida de que essa demora nao mais do
que um meio faccioso para embaracar o
governo, por certo sanecionar urna pra-
tica abusiva, que importa flagrante vio-
lac3o das regras do systema represehta-
ftivo, porque em ultima analyse imputa a
preponderancia da minora sobre a maioria.
Os a Iditivos iluminados deste projecto,
o que ficaram adiados, constituem a.con-
sagraco de urgentes necessidades publicas
que esta cmara procurou salisfazer.
Acquiescer, pois, ao seu adiamenlo, porque
assim se facilita a adopeo da lei do orca-
mento por parte da opposico, 6 curvar-
se a ama imposico incompativel com a
dignidade desta augusta cantara! (\poia-
dos e n3o apoiados).
(Cruzara-se apartes).
Um Sr. Deputado :Frusta-se o plano
de embaracar a lei do orcamento.
O Sr. Teixeira Jnior : Mas por que
razo a Ilustrada commisso, estipulando
tantos paragraphos, creio que 12 ou 14,
noincluio os dous sobre que versou a
projectada imposico ? E' a minba questo.
Um Sr. Deputado Para evitar difficul-
dades.
O Sr. Teixehu Jnior (com forca) T -1
Mas esse meio da evitar difficuldades im-
porta nada menos do que ma transacco
tacita, e a cmara dos deputados est
muito altamente collocada para sujeitar-
so s exigencias de orna minora facciosa!
(Apoiados).
Esta augusta cmara tem bastante digni-
dade para repell* e supplaotar as imposi-
C5es que a opposico em seus desvarios
pretender fazer-lhe 1 (Muitos apoiados).
Pela minha parte, Sr. presidente, o hon-
roso mandato que recebi tem por condicio
muita independencia e abnegaeo, pera que
eo possa resignar-me a ver mereada por
esse modo a dignidade desta cmara I
(Muitos apoisdo). Nao, senhores; eu nao
rasgo o mea iiploma, e hei de mant-lo
na altura de representante da naeo I Nao
admiti qae para evitar difficuldades da
opposico se concorra para falsear o sys-
tema representativo aceitndose a prepon-
derancia da minora, como acontecera se
esta augusta cmara recuasse de sua pri-
meira deliberaeo...
UmSr. DMJTAeo: Nao recua tal.
O Sr. Teixeiua Jnior :... se demo-
rar, ao sujwai-se ao adiamanto...
O Mesmo Sr. Deputado : Islo sko.
O Sr. iBunt Jnk>r : ... exigmdo
pela opposico come condioo para elta
imento
nporta
consta
endo o
icacao
do se-
, que
menos
do se-
e que
? Urna
isso
orca-
depu-
seus
pro-
propo-
neem
56 d-
governo imperial em seu apoio c de
de urna cmara unnime e a maioria
nado, se laneasse mo deste recurso)
importa urna transacco, ou pelo
urna grande concess3o a minora
nado.
E de urna cmara conservadora
ha de partir este funesto exemplo
tal transacco n3o possivel.
O Sr. Cruz Machado :Nao existe tran-
sacco, porque nao bouve iniciativa,
accordo.
O Sn. TEixEin.v Jmnior: Mas conblue-se
tcitamente pela procrastinaco e adia-
manto das medidas que a opposico hos-
tilsa. E nao 6 pequeo triumpho qbter-sc
o adamento de urna idea que se combate.
(Apoiados.)
OSn. Cruz Machado:E' melhol
do que o paiz ficar sem lei do
mente.
O Sn. Teixeira Jnior :O nobre
,tado tem-me acabrunhado com o
apartes (hilaridade), e obrigou-me
longar e meu discurso.
OSr. Cruz Machado:Nao dardi
apartes.
O Sn. Teixehu Jnior :Fiz o
sito firme de ser ouvido, e contento-
demonstrar que s o projecto que
cate n3o importa urna transacco tacita, en-
to intil e inefficaz. (Nao apoia-
dos).
E' contra essa illaco que eu pro-
testo.
Se, portante, a Ilustre commiso ti-
vesse comprehendido entre os ndnlerosos
paragraphos do projecto os dous artigos de
que tratei, eu naa tena a menor duvida de
votar pela sua adopeo, porquo esse. facto
bastava por si s para salvar completamente
a supposico de que se pretenda transigir
om a minora do senado.
Ainda me occorre outro reparo, e que
o projeclo manda continuar a vigorar o or-
camento vigente durante todo o exercicio de
18(59 a 1870, repellindo assim a ponsibili-
dade de obter-se o Orcamento dorante todo
o decurso deste exercicio, circumstaneia que
desperla a idea de urna transacco. Para
sanar este inconveniente eB indicarei um
meio, que me foi lembrado pelo honrado
deputado representante da provincia do
Rio de Janeiro, meu Ilustre amigo, o Sr.
conde de Baependy, cujo meio constte em
limlar-se cxpressamenle esta prongaco
al adopeo da lei que ora se dis:uleno
senado. (Apoiados).
O Sn. Conde de Baependy:--E' muito
mais regutar.
OSr. Teixeira Jnior :Alm lo ser
muito mais regular, tambem um protes-
to contra a idea de urna concesso, porque
ento a demora ou protellaco da jpposi-
Co nada obtem alm do triste espectculo
que esl dando ao paiz ; e esta cam ira nao
saneciona o adiamenlo das necessidat es pu-
blicas, cuja satisfacSo consagrou na lei do
orcamento.
OSn. Cruz Machado:Assim j esl
pro rogado.
O Sn. Teixeira Jnior Mas esl limita-
damente.
Tal qual se acha redigido o projecto eu
nao posso dar-lhe o meu voto; porlae pa-
mons-
illaeo que
a qdesto
rece autorisar a
trei.
O Sr. Cruz Machado :J
de formula.
O Sr. Teixeira Jnior :Nem de outra
cousa, pois apenas se trata de incluir mais
dous paragraphos ou artigos do proprio or-
Camnto j votado por esta cmara, e de-
clarar expressameote que esta resojoco vi-
gorar smente at a approvacao da lei do
orcamento, que pende do senado.
Acreditando na sinceridade das leclara-
C<3es qae foram feitas na^casa, quflir pelo
rnai
honrado ministro ilo imperio, quer pelo
bonrado mombro da coimwtoso de o.C.1-
menlo, a qaesto ofo pMe tfer seno de
formula...
OSn. F. Bimraojo; Eolio o prttesio
refere-se smente a ama pequea com.
O Sr. Teixeira Jnior:Deste modo.
se fr inoflicaz a medida para obviara pftj-
tellaeo. ao menos excluir a idea de tran-
sacco. (Apoiados).
Mas sem este correctivo eu nao com -
prebendo a utilfflade do projecto; e se a
opposico o adoptar a porquo v nelle urna
transacco, e portante um triumpho da
sua protellaco...
O Sa. AMnnADK Figuwra :E' urna emen-
da previa, que a cateara manda ao projecto
que se combate.
O Sr. Teixbira Jnior:Justamenter e
releva notar-se qoe, so nao fr aceito como .
ama transacco, ento s servir para alar-
gar os recursos da protellaco. A cmara
sabe que o simples facto da apresentaco
deste projecto na outra cmara vai estabeje-
cer urna discusso preliminar sobre o adia-
menlo do orcamento que l se discute, sem
o que nao pode ser este decidido, e s
aquella discusso d larga margem i pro-
tellaco, sem contar a do proprio projecto.
Assim podem consumir-se um ou dous
mezes na reproduceo estril das mesmas
reci iiniaaces, j tantas vezes repelidas pa
-discusso do orcamento, e por esse meio
se pretender mysticar o paiz. Em am-
bos os casos, portante, seria agradayt^
minora do senado esta diverso, se nio lr
definida, porque ella facilitara um trium-
pho -----
Um Sr. Deputado : Triumpbo que nos
vamos proporcionar-lhe.
O Sn. Teixeira Jnior :... visto que,
tendo sido o seu castello a separarao dos
addilivos, a cmara dos deputados nos
offerece um outro projecto sem aquelles-
artigos, e, o que ainda 6 mais, manda vigo-
rar urna tal resolucao durante todo o exer-
cicio de 18G9 a 1870.
E' contra essa mystiicaco que eu pro-
testo previamente, porque se tal facto se
realisar aulorisar urna illaco desairosa,
contra a qual seriam impotentes todas as
denegaces.
O gabinete, a c miara, o paiz todo com-
prehende perfeitamente que, embora um
individuo ou urna grande turba saia roa
em pleno dia e v gritar na praca publica
. noitc, nem por isso so incumbir a
realidade do tempo, a evidencia da luz !...
Os traseuntes ouvi rao admirados, mas sem-
pre convencidos de quj diaseguirn o
| seu caminbo. (Bisadas geraes).
Assim, pois, Sr. presidente, se o projec-
to for adoptado tal qual se acha em dis-
cusso, e se for aceito ou tolei ado pela
minora do senado, debalde se protestar
contra a existencia de um conchavo ou tran-
sacco. O paii proceder como os traseun-
tes da praca no exemplo que figurci.
E' levado por essa convieco que pro-
testando coutra semelhanie illaco, desejo
evita-la. E rcspeiando todos os caracte-
res e salvando as albeias nieaces, apenas
quero declarar a cmara e ao paiz que nao
sere dos myslificados.
Votarei contra o projeclo se for maotido
como se acha formulado. (Muito bem!
Muito bem !)
O SR. PEREIRA DA SILVA :Em nome
da commisso do orcamento, e como seu
orgo autorisado, declaro a cmara que a
resolucao que ella offereceu a sua conside-
raeo, e oceupa actualmente os seus cui-
dados, nao procede de transaeo alguma
(apoiados), nao exprime nem urna idea de
sesso de principios (apoiados). Mas apro-
veilo igualmente a occaso para declarar
que nao constitue tambem nem urna provo-
caco ao senado ou a opposico no senado.
(Apoiados).
Ao apreciar a siluaco c a marcha dos
negocios pblicos, entendeu a commisso
que Ihe cpnvinha, por zelo, suscitar ama
idea nova, que solvesse as difficuldades do
momento e fosse ummeo de sahirmos to-
dos, governo c opposico, e honradamente
do passo melindroso em que nos adiamos
collocados. Esse meio foi o de olTereccr a
cmara a presente resolucao. *
Senhores, eu pens que sendo obrigaca
do corpo legislativo votar animalmente os
orcamentos da receita e despeza do impe-
rio, convria executar- .fielmente a conslitui-
Co, deixando-nos do resoluces prorogan-
do orcamentos, o que sao verdadeiras ex-
cepces, e como taes devem ser raras e s
fundadas em extraordinarias e imprevistas
circumstancias (apoiados); pens que foi
sempre mu precedente em vez de orca-
mentos annuos votat prorogaces, porquo
nao s prova esse So que nao execuia-
mos nossos deveres...
Uma Voz : Nao a cmara dos depu-
tados.
O Sn. Pereira da Silva :Fallo em ge-
ral, em these; que nao ejecutamos nossos
deveres, como que o servico publico se faz
irregularmente, dando-se razes a aberturas
de crditos extraordinarios e supplemeota-
res, e de transferencia de verbas, por quo
diversas sao as necessidades do anno, e um
orcamenlo s applicado ao exercicia para
que se vota. (Apoiados).
Mas, senhores", as circumstancias actuaes
o que fazer ? O senado est to atrasado
na discusso do orcamento 1 Acha-se an-
da na 2a e falta toda a 3a discusso. Na-
quell mesma tem apenas decidido os or-
camentos dos ministerios da juslica. impe-
rio, marinha e eslrangeiros.
Faltam-lhe os ministerios da guerra, fa-
zenda o agricultura. Resta-lhes ainda a re-
ceita. Devem occupa-lo nda 30 a 40 dis-
cusses de outros tantos arligos additivos
que se annexaram ao orcamento, e que, se-
gundo o regiment do seuado, soffre cada
um de per si um debate particular e pro-
prio. Ora, a 21 discusso comecou alli a
12 de Agosto. Continuando como vai,
quando poderemos prever-lhe o termo f
(Apoiados). Eis," senhores o facto que temos
dante dos oiuos, situaco real e verda-
dera...
Uma Voz :Prorogue-se o parlamento.
O Sr. Pereira da Silva :E' fcil due-
lo e faz-lo, mas diflicillimo executa-lo.
(Apoiados). J a sesso ordinaria e legal
de qoatro mezes chegou a seu termo; ji
soffremos uma primeira prorogaco; corre
e est afiodara segunda. Vira terceira, qear-
U quiote, e baver meios de ter partameaWT
Mutas Vozis:-Ha, ha, todos aqai arta-
remos.
O Sa, Psmaa Silva :E so baste a
cmara? Os aaeioos do senado podem1 re-
sistr a laato trabelbe ?
fCemtinuar-u-ka.)
ttr. Wttiiw-iv-iDiSfiwti* '<
i
/
,!
f
^^^ftiatapoaMp*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENM0BBZ98_HFVW1O INGEST_TIME 2013-09-13T22:18:16Z PACKAGE AA00011611_11974
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES