Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11973


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Bao
OBOI
ANNO XLV. NUMERO 241.
t)
iJ
RTRA 1 CAPIfAl E WGABES tJHDE IAO SE PACA "POETE.
Por tras n ,
T. .-..:::::::::; be
Por um almo em...... ..... *!w!
Cada numero ulso '. '. '. '. '. ', '. '. !. ......
....... ... #320
OUTUBRO
PA1A DiTft FOSA DA riOVIlCIA.
Por tras mexes aoiantados.
Por seis ditos iei. .
Por no\ t ditos idem .
Por um armo. .
40*71
ajuaras
SHOW
Proprieclade de Manoel Figneira de Paria & Filhos.
--------------------------------------------------------------------------------------------7------------^------------------------------------------------------------------------------------
-
Os Srs.
SAO A4ABMTES:
Gerardo Antonm Alves 4^^^J^^^^'l^fn^fo; Joaguim Jos do Olvete, no Cear; AntohkUm Braga, no Ar*xtj; Joao Ufara Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos*Justa
reren a a Anuoa, em Mamanguape, Antonio Alexandrmo do Lhw, na ParahyJba; Antonio Jos* Gomes, na m* da Penba; BeJannhio dos Santos Bulcao, em Santo AnOo; Domingos Jos da Costa Braca,
___________" N*** Francino lavaros da Costa, em Aagas; Dr. Jos Jtfartins Alves, na baha; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
PARTE 0FFHJIA1.
GJoverno da provincia.
fxrKMSXTE ASSlNAOO PELO EXM. SO. DR. MANOEL DO
XMOMSSTU MACHADO PoilTELl.A VICK-PHKSIDKNTK
DA MONXCU, EM 23 DE ICUhi UE 186'J.
t" soajio.
JS'. 812.Hila aocapitii) el) porto.Mande V.
S. probar un bote convenientemente equipado,
seawre que tar pedido por parto do inspector da
oadde do porto pira o servico da desenfocia dos
navio; que dell.t necessitarem.
2' seccao
X 843.Portara ao cheferie n tlieia interino.
{acedo a autorisaeao ptr V. S. podida em seu
offlcio n. 10S6 do 22 d) corrate, fara ue seja
atugida nata ca*a para servir dj eadeia na po-
vaacao do Capim do termo do Bivjo.
N. 8i. Circular i lodos os eommandantes
superiores.Transmiti a V. S. para sen conhe-
cimento e para fazer constar a guirda nacional
sob seu ominando superior o aviso junto por co-
(iia do ministerio da justica to do corrente re-
lativamente ao voto de (eiicitacao o reconhectnen-
o (tambem junto por copia) que a cmara dos
senderes epatados re-olveo fazer consignado na
neta de Mas sessoos, guarda nacional do impe
no que no; campos de combate no Paraguay tem
alranrad > para a patria gloria immorredora e
para-si renome e a gratidaodo paiz.
X. 813.Portara ao commandante superior da
C sarda nacional de SiTi;ilia->.-:i.fondo por dol
beraaao-dcsta dato, do conf-jiiiiidadb coma sua
infarta ira i d i I" nnio ultimo, sob n. 13, trans-
ferid i para o servico da reserva, -cando aggroga-
companhia d i batatuS-i n. il kfi Silveira Carnei-
ro da Cunta : assim o communi'o a V. S. para
seu coajiocimento e im conveniente.
N. 810. Qa ao jniz municipal de Flores. Ae-
ruso o recebiffl iato do offleio de 20 de junho ul-
timo, a que acompanham de mappas estatistieo>
dsso juizo, inclusive nm poli.-ia!. que nesta dala
otando remelter no chele do ponina. Nao leudo
v.ndo entre ellas s de n. lo, criminal, o. os de n.
13, 20 o il coratneiiaes, reoominaado-ihe que os
remetta co:i a ftossivej brevida I;
N. 817.Hila ao eommr.ndautt do corpo pro-
visorio Je poicia.Jfode Vine, encajar no corpo
sol o sr imuiaodno paisano .oinentino Goneal-
ves da Silva, de qnc trata o seu 'ieio n. ZO de
^1 do enrri'nto, caso lenba elle a necessaria mo-
ralidale.
N. 818. Deliberaci). O vice-presidente da
provmcia attondeado ao que requereu o eapito
^\^ i' couipanliia do aatalhf i n. 41 dag^wrda na-
cional do ::. i;iir.ip'i de "^erinltaeo Jao Sijyeira
Carneiro da Ciinna. e a qtto acha-sc elle incapaz
do saryico activo, segando veriii'a-?c do resalta-
do da isp,rc~u de saiiie, a que foi submctlido
nos termos d decreto a. 3*96 de 8 de jullio de
1865, eeolve de coufonnida lo cora a informaciu
'I- RMpectivu eoraiaMdante superior do t de niaio
rtinn, soo i. 13, o a v.su uo disposto no art. 69
i?, le n. 602 d i 19 de setembro ao 1850, resolv
transfer
ao n
N. 8.!
polica e delegado do termo de Agua Preta, em 16
'20 do correu/e, respondo ao offlcio que Vmc. me
dirigi em 4 d'este mez, solicitando a soltura do
trabalhador d'essa estrada de nome Jos Bezerra,
que foi recrutado.
N. 860 bis ita ao tbesoureiro das loteras.
Tendo nesta dala concedido FigueiraJdo 4 Leite
e Veras A Barbedo a permissao que pediram
para no anno flnanceiro de 186!) a 1870, exporen.
venda nesta cidade, bilhetes das loteras do Rio
de Janeiro, de|tois de rubricados pelo administra-
dor do consulado provincial e por Vine, nos ter-
mos do art. 2 da lei n. 399 de & de abril de 1857;
assim Ib.'o connnunico para sua intelligencia e
execuQao.
N. 861.DeliberacaoO vice-presidente da pro-
vincia resolve nomear o bacbarel Jos Elisio de
Carvalho Gouto, para exercer interin.mente um
dos lugares vagos de repetidor do Gymnask) Pro-
vincial, percebendo os vencimenlosquepor lei Irte
competirem.
N. 862. Dita.O vice-presidente da provincia,
em vista do offlcio do director geral interino da
instrucco publica de 21 do correte, sob n. 222,
resolve exonerar o cidada Bernardo Ifacicl de
Souuudo cargo de delegado litterario do dislrieto'
de Salgueiro.
N. 863.Dita.O vice-presidente-da provincia,
tendo cm vista a proposia do director geral inte-
rino da instruecao pnbhca, de l do crreme,
sob n. 222. resolve nomear o cidadao Galdino Al-
ves do Araujo, delegado iliterario do dislrieto de
Salgueiro.
N. 861Dita.O vice-presidente da provincia,
attendendo que Veras & Barbedo apresenlaram
conbecimeuto em forma de haver pago o imposto
de o000 dacretado pelo 23 do art. 48 da lei
provincial n. 831,de 2-3 do junho do correnleanno,
resolve conceder aos mesmoa- Veras & Barbedo a
permissao que pediram para no anno flnanceiro
de 1869 a 1870, exporem a venda nesta cidade bi-
lhetes das loteras do Rio de.JaneiTo e de outras
provincia-, depois de rubrcalos pelo admini.-tra-
ilor do consulado provincial c pelo thesoureiro
das loteras d'esla provincia, nos termos do art.
2 da lei n. 399 de 4 d>> abril de 1837.
X. 865. Dita.O vice-presidente da provincia,
attendendo ;i que Figueireilo & Leite apresenla-
ram conheeiiiientn, era forma de haver pago o im-
posto de 5:OO decretado pelo 23 do art. 48 da
lei provincial n. 891 de 2o de junho do corrente
anno, resolve conceder aos mesmos Figueirdo A
Lee a permissao que pediram para, no anno fl-
nanceiro do <869 a 1870, expor venda em sua
casa n. 2 sita no arco da Gonceicao d'esla cidade,
bilhetes das loteras do Rio de Janeiro e de oulras
provincias, -depois de-rubricados pelo-administra-
dor do consulado e pelo thesoureiro das loteras
esta provincia, nos termos do art. 2o da lei n.
399 de 4 de abril de 1857.
BXPEDl.VrjS ASS1G.\A00 PELO SU. DI!. JOAQIM COR-
REA DE ARAUJO, SECRETARIO DOGOVERKO, EM28dE
" JLHO DE 1869.
2a seccao.
X. S60 Offlcio ao Dr. ebefe de polica interino.
no offlcii
aguo l
me de
arg i de
l'reta, q
Lessa. resolve,
isse ii '>.
X. 850
i a reserva, fleando aggregado
I-i desse servido.
.Dita,O Exii. vice-presidente da pro-
viiiiia ei t vista do qoe expo o chefe de polica
i!. [OSO de 21 do corrente, quanto ao
avilo na pro) ata relativamente ao no-
li' Emiliano da Silveira Lessapara o
leieg.i lo de polica d i' iroio de Agua-
detia ser Pedro Miliano da Silveira
que corrijido o dito engao, se
i ao non] a! t.
Dita.0 Exm. vice-pivsidentc da pro-
vincia I' n-nfortiiitla- I i roposta do chefe
le polieii em offleio n. 1087 de 22 do corrente,
esolve exonerar por eonvenicneia ao servico pu-
fclic.t l.eJnitode Olireira Mello do cargo de Io
-oinpleiite do sobdelegal i do 1" districto do termo
d i Breiii la .U-Wre Dos.
X. 85lJDita.O Ext., vice-presidente da pro-
vmeia cJfiformaudi-se coto a proposta do chefe
solve Marear o capitao I 5o Mariano Falcao para
cargae.1' snppfente da subdelegado di 1" dis-
lrieto do Brejo da Madre Deas.
3.a seccao'
t. B32.|Portara ao iaspeeior da __ thesouraria
de azenda. Tomand c r. c nsideracao o que ex-
jtoz o inspector da sado do porto desta cidade,
no offlcio junio por copia, datado de 21 do cor-
reate, acabo de concedo! a aul iiisaeao para fazer
a ibepeza i I p naavel cora ata agente de phar-
nuca liabilitado para o servico de desinl'ecrao a
bordo dosjnavios qne vierem do"Bio de Janeiro,
vigde tem apparecido casos de febre araarella. O
pie declaro a V. S. para seu :ouheciuiento e flus
convenientes.
X. 8.)3.Hila aoinesmxDepois do liquidado
mande V. S. pagar ao gerente da companhia l'er-
nambucana que assim o solicitou no incluso rc-
rimentu documentado, o que justamente se
ever proveniente de frci-'s p passagensdadas por
. do muinterio da guerra, a bordo do vapor
tuquia na oljima viagem que fez ao presidio de
Fernando de Norontia.
X. 851 Dita ao inspector da thesouraria pro-
\incial.Ao negociante Manoel Ferreira Pinto,
i le V. B. pagar depois de liquidados, em vista
piel junto en duplcala, que me remelteu o
<-o:mnandii!c superior da comarca de Palmares
ira oTieio de 19 do corrente, os vencimentos re-
i nivos aos metes ddjolho ultimo dos guardas na
cjnaes de-lacado no ptvoaJo dos Motaa.
X. 83'i.Dita ao mesmo.Dovolvendo a V. S.
i atestado e documento, que vieram annexos ao
. o oH io de 2 do corrente, sob n. 3S0, tenbo a
lizer em resposti, que o mencionado altesiado.
reXere-se ao alugucl da casa que serve de quar-
le ao destacamento da povoacao dos Montes e nao
I i villa df Ago-Prcta, sendo que a referida casa,
indo c -'a da informacaa do chefe de polica
(je17 des'.e mez, n. iO.'i-', da la com referencia a do
, -delegado Pedro Ai.nso Ferreira. foi por este
.i!ugada a razao de lOOOO mensaes, para quar-
I da orca de polica, que esteve naquelle po-
vjaJo, o continua a presiar-se ao deslaeamenlo
>h guardas nacionaes. Em vista do exposto cunv
pre que V. S. mando pagar a Caclino Delfino
ISoaleiro de Carvalho, como se recomraendou em
1 de maio ultimo, a quanlia de 40000, proven-
,ite do mencionado alugucl, a contar de lo de se-
tembro prximo passado a 15 de Janeiro deste
auno.
S. 856. Dita ao che'e da reparti^ao das obras
publicas.Tendo o Exm. Sr. ministro da Justina,
liar aviso de 6 de agosto do anno prximo passa-
de.que trata a portara d'esta presidencia de 8
Ge setembro do mesmo anno, recommendo Vmc.
i ue o remetta com a raaior brevidade que for poe-
4 seccao.
837. -P.rtaria ao inspector da sade do por-
-Tomando em considerarlo o que Vmc. expoi
seu offlcio de .l do corrente, tenbo a dizer
respo: ta que concedo a autorisacao solicitada
j ara a despeza iasnonsavel com um agente de
(rharmauia habilitado (tara o servico de desinfec-
a das mivios procedentes do porto dapooviacia
/io Rio do Janeiro, certo de 4|ue a capitana do
riorto tem ordem paca prestar om bote, seatpr
'qpg OrydWo por parte d'essa tnspeetorta para
N. SKWa ao mesmo Com as raformacoef
i cutas per copia, ministradas pelo Dr. ebefe
declarar V. S., em resposta ao seu offlcio n.
1078 de 21 do corrente, que nesta data se expedio
ordem ao director do arsenal de guerra-, para Ihe
serem entregues as armas e cariuchos dt que
trata o seu dito offlcio, c que foram requisitados
pelo subdelegado do dislrieto da Varzea, para o
servico das rondas all.
X. 837.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vicepresidente da provincia, incluso remello
V. S. um mappa estatistico, que, por engao, Ihe
foi ministrado pelo juiz municipal do termo de
Flores.
K. 868.Dilo ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidenle da provincia manda transmitiir Y. S. o
tiltil i junto de nomeacao do cidadao Pedro Miliano
da Silveira Les*, para o cargo de delegado de po-
lica do termo de Agua Preta, ae conformidade
com o seu offlcio de 21 do correte, sob n. 1080.
N. 869.Dito ao mesmoO Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia manda transmitiir V. S. o
incluso titulo de nomeacao do capitao Joo Mari-
nho Falcao, para o cargo de primeiro supplente
do subdelegado d i primeiro districto do termo do
Brejo da Madre de Dcus, de conformidade com a
sua proposla cm offlcio n. 1087, do 22 do cor-
rente.
X. 870.Dito ao commandante superior da guar-
da nacional de Palmares.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia manda declarar V. S., em
resposta ao seu offlcio de 19 do corrente, que a
thesouraria provincial lem ordem para pagar ao
negociante Manoel Ferreira Pinto os vencuneutos
constantes do citado offlcio.
N. 871.Dito ao bacharel Joao Gonzaga Bacel-
lar, juiz municipal do Cabo.O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar V. S-,
que fica inteirado pelo seu offlcio de 21 do eor-
renle, de haver nessa dato deixado o exereieio de
seu cargo, por ineommodos de sade.
X. 872.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
mana declarar V. S. para os fins convenientes
que. segundo offlcio do juiz municipal do termo
do Cabo, bacharel Joao Gonzaga Bacellar, de 21
do corrente, nessa data deixou elle o exereieio do
respectivo cargo, por incemmodo de sade.
X. 87XDito ao mesiuo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vce-presideuto da provincia, transmiti
V. S. a inclusa ordem em duplcala datada de 30
de junho ultimo, sob n. 80, expedida pela repart-
rao do ajudanie-general.
X. 874 Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial. O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar V. S. para os fias convenientes,
que nesta dala se concedeu ao chefe de polica a
outorisacao por elle pedida, para alugar na po-
voacio oo Capm do termo do Brejo, urna casa
para servir de cadeia.
N. 875.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia,, por deliberacao d'esta
data, resolveu nomear o bacharel Jos Elisio de
Carvalho Couto.para exercer interinamente unidos
lugares vagos de repetidor do Gymnasio Provincia),
percebendo o vencimento qne por lei Ihe competir,
o que communico V. S. de ordeni do mesmo
Exm. Sr., para seu conhecimento c llns conve-
nientes,
. 4.* seecao.
N; 876.Offlcio a> reguder do Gymnasio Pro
assim o manda coinrannicar Vv. Ss. para seu
conhecimento.Igual mutatis mal'.indis ao admi-
nistrador do mesmo theatro.
EXPEDIENTE AS.SIG.NADO PBLO EXM. Sil. R. MAXOEL
DO NASCIMBKTO MACHADO PORTKLLA, VICE-PRRSI-
D!i>TE DA PROVINCIA BM 24 DE JULHO DE 1869.
1'seccao.
N. 831.Portara ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas. Para que se possa examinaras
cuntas do gaz consumido coma illumnacao dos
quarteis da Soledade, Hospicio e do deposito de
instiu;p.ao, bem como da enfermara militar, a
contai de oulnbro do anno prximo passado a
marco ultimo, fat-se preciso que V. Exc. d as pre-
cisas providencias, no sentido de serem remettidas
a thesouraria de fazenda as notas do mesmo gsz,
como em sido praxe, o me foi solicitado pelo ins-
pector daquella thesouraria em offlcio de honlem.
sob n. 496.
X. 882.Dita ao capitao do porto. Mande V.
S. aprosenlar ao Dr. chefe de polica, afim de Ihe
dar o conveniente deslino, o recruta Ora uliano
Francisco da Paz, visto ter sido julgado incapaz
do servico da armada, como consta do termo de
inspeccab que veo annexo ao seu offlcio de 23 do
corrente, sob n. 95.
X. 883. Deliberacao. O vice-presidenle da
provincia attendendo a'oque requereu Manoel Jos
de Souza Nones, resolve conceder Ihe licenea pa-
ra podsr trocar somenie com os sentenciados do
presidio de Fernando, gneros alimenticios, pelo
milho o feijae de producao da ilha, e bem assim
para poder embarcar para esta capital os roteadas
iegumts, devendo ser esta apresentada ao respec-
tivo commandante para a conveaiente inspeccao.
2J seccao.
X. 886.-*Portara ao Dr.' chefe de polica.Em
resposta ao offlcio de V. S. e 19 do corrente, sob
n. 1,062, tenho a dizer-lhe que nesta data deter-
mine! co commissario vaccinador, que siga para o
temo do Sermhaem onde est frassando com in-
teasida le a varila, eonvindo que V. S. o recopa,
meDdeao delegado daquelle termo, Dar que pres-
te o irtilio de que elle caroca.
X. 81-7.'Dita ao mesmo. -Por parte do capitao
do p:rlo Ihe ser mandado apresentar aiti de
llie dar o destino que julgar conveniente, o recru-
ta Gracib.Hio Francisco da Paz, quo foi julgado
-~
de 20.*/sda agurdenle consumida no municipio va acabar com nm eonflieto qne se travou entre
de Itamb cobrado pela respectiva collectona visto
ler ido a piuca 5 vezes sendo as dus ultimas oon
o abate de SfijOOO no prefo annual de 450000 e
nio haver apparecido solicitantes. >
X. 901.DeliberacaoO vice-prosidente da pro-
vincia attendendo ao que ex|K>z o inspector da the-
souraria provincial em offlcio de honlem, sol) n.
422, resolve abrir diversos crditos supplementares
na importancia de 7:11525i para a eonUnuaciio
dos pagamento* no exereieio de 1868 a 1869 da
despezas feitas por eonta das vertas da lei n. 852
de 3 de junt) do anno prximo lindo abaxo de-
clara* visto" terein sido insufflcienios os crditos a
ollas voladas, como se v das demonstraedos que
vieram annexas ao citado offlcio.
33. 1:358*440
i 2.-. 938*680
S 3". 839*599
8 5.. 83*403
42. 3:749*388
20. 125*041
7:115*232
4* seccao. -
X. 906. Offlcio ao E\u Sr. presidente da pro-
vineia da Par.ihylta.I'iespondciidoiafco oflk-o que
V. Ext. se servio dirigir-mc um 10 do correiuesob
n. 2982, rabe-me dizer que em vista do nrtcer
incluso por copia do mordno da Santa tasa de
Misericordia annexo a informaciu .do resp3ctivo
provedor.de 23 do corrente, son tis. 20 21, pode ser
admittklo no hospicio de alieiiatlos desta proviucia
o de que trato V. Exc em seu citado offlcio.
X. 907 Dito ao Exm. Sr. presdante "da pro-
vincia da Rabia.Nao pudendo o presidio de. Fer-
o portugnez Francisco Goncalyes Ferreira, segun-
do procurador do dono da' dita taverna, e Flix
Jos Serafm, cabo do 3" batalhao de infantaria
da gnarda nacional.
A cansa do conflicto foi o nao querer o portu-
gnez vender fiado urna garrafa de vinho ao cabo,
o qual licando por isso irritado, alirou-se ao a-
verneiro, com a baioneta (apezar de ja cutio Ihe
ter sido cedida a garrafa) o o ferio levemente no
poito esqnerdo ; aeontecendo que o ofeuddo em
sua defeza, (aneando por sua vez mao do urna
pistola, que se disparoa casualmente, como de-
claren no interrogatorio, occasionon aquello feri-
mento.
O portnguez feLpreao para ser punido nos ter-
mos da lei, roquisitando o subdelegado do res-
pectivo commandante a prsao do dit cabo.
Deus guarde a V. ExcIllra. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Nasci.nento Machado Portella, vice-
presidente da provincia. O chefe de polica
Francisco de Assis Okeira Maciel.
REVISTA DIARIA.
EXCANAMRNTO D'AGU.V POTAVEI. PARA
GUINDA. S. Exc. oSr. vicc-presidenlo da provin-
cia trmou honlem o contrato, celclarado com o
Sr. Justino Jos de So"za Campos, para o llm do
ser abastecida d'agua potavel a cidade de Olinda e
seus suburdios, cujo necessdade era em extremo
I; mediant
detenrio.
5>
i sensivel; mediante um privilegio por nnnrenln
" ZT^^J^IT. nnnos l,ela >"ocac5o de cinco cbafarizes, e um
augmento de tres aunos por cada um que ven'ia
a ser collocado.
liante e o Exm. general, commaiid.nitevds-armns
comporpr niaior numero de scnlenciado do qeo
all existeme. que sohr a 1,26 ;. r..go a V. Exc. se
sirva tfo nao consentir que por emquanto seiam
renicltido para o mesmo presidio sentenciado des-
sa provincia.
X. 908. Dita ao Exm. ilesembargador provedor
aa Santa Casa de Misericordia.Concedo a aut-
risacfw que pede V. Exc. e n sea offlcio de 22 do
correaje sob n. 2,013 para mandar entregar ao vi-
garoKamiilo Mehdonca Portado, o oducaudo do-J
com t|U2 V. S. reiiiclteu-me tres mappas eslatisti-
cos desse juizo, outro do municipal do termo de
Ipojuca.o osdosubdctegado"ejmzde paz do 1" dis-
uado da freguezia do Cabo. Nao tendo viudo en-
tre os primeiros do referidos mappas os de n.
10, 11, 13, 13 A, c 28, os dos motivos dos crimes,
o relatorio e informacao, que os devem acorapa-
nhar e entre os segundos os de n. 9 e 15 para a
eslatisti :a criminal, recommendo-lhe, que repare
essa falta. Havendo V. S. naquelles offlcios cora-
muuicado, que algumas autoridades deixam de re-
melter nappas por falta de materia para eocho-
O Exm. Sr. vice-presidentajia.-prwvineia manda ios, recommendo igualmente que declara juaas
incapaz para o servico da armada, segundo cons-1 colleg dos o pb.Vis Francisco Pereira de Araujo
ta do cilicio do respectivo capitao do porto do 23 qne tendo eomplelalo a idade de li annos re-
do corrente, sob n. 95.
X. 8:18.Dita ao juiz de direito da comarca do
Cabo.Rcccbi os dous offlcios do 19 do eorrente,
sao essas autoridades. Do- obreditos mappas des-
se juizo devolvo incluso um dos de n. 12 par con-
ter crimes de diversos annos : c a respeito dee
observe V. S. o disposto na segunda parle do art.
26 do respectivo regulamento, para o qual chamei
a sua al leucao em portara de 19 deste mez.
X. 883.JDia ao commandante do corpo provi-
sorio de polica. Mande Vmc. aprcsenlar com
urgencia ao Dr. commissario vaccinador Ernesto
Feliciano da Silva Tavares, una praca do corpo
sob seu commando, para ir em diligencia al o ter-
mo de Seiinhaem.
X. 899.Dita ao mesmo.Pode Vmc. engajar
no corpo sob seu commando, o paisano Antonio
Sergio Gomes de Assumpcao, de que trata o sen
offlcio n. 310 de 22 do corrente. se livor a neces-
saria moralidade.
3.a seccao.
X. 891.Portara ao inspector da thesouraria
de fazendaRecommendo a V. S. que em visla da
conta junta, que me remelteu o superintendente
da estrada de ferro do Recife a S. Francisco, com
offlcio de 10 do corrente,seja paga a quaatia de
83 que foi abonada a Vicente Ribeiro da Fonseea
para levar da villa do Cabo ao termo de Ipojuca.
um telegramma dirigido pelo chefe de polica ao
delegado daquelle termo, no seu engeabo Mercas.
X. JJ0d'.Dita ao mesmo.Inteirado de quauto
V. S.'expoz em seu offlcio do 22 do corrente, sob
n. 494, tenbo a dizer em resposta, que da qnan-
tia de 73, a que lem dimito Justino Eugenio La-
venere, proveniente da gratificacao que venceu, a
contar de 5 a 20 de junho do anno prximo pas-
sado, como encarregado da vaccina e do trala-
mento dis desvalidos atacados da varila na villa
do Bonito, mande pagar somonte 33*, para que
existe credtoficando o *reslante dependente de
ordem do governo imperial a quem vou offlciar a
esle respeito.
X. 896.Dila ao mesmo.Mande V. S. pagar
ao juiz de uireito nomeado para a comarca do Rio
Formoso, Dr. Marcos Correa da Cmara Tamarin-
do, a ajuda de custo de 850*000 qne Ihe foi mar-
cada por decreto de 10 de junho ultimo publicado
no Jornal Oficial do 20 do mesmo mez n. 148.
N. 898.Dila ao mesmo.Nesta data solicito do
brigadeiro commandante das armas as necessarias
providencias no sentido de serem remettidas a
essa thesouraria as notas do gaz consumido, deade
outubro do anno prximo passado at marco ulti-
mo nos quarleis e enfermara militar conforme V.
S. sociioii no seu offlcio de honlem sob n. 496, a
que respondo, quanto a 2* parte do citado offlcio,
tenbo a dizer que precendo-meexcossivo o consu-
mo do gz nos' quarleis de que cima se trata e
na3 reparoes geraes, expedi as convenientes or-
dens para que esse consumo seja verileada no
principio do cada mez em presenca de um erapre-
gado habilitado, afim de haver a precisa fi cali-
sacao. *
N. 899.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.-Com a deliberacao de boje pela qual re-
solv abrir diversos crditos suppleinentares naim-
portancia de 7:113*232 respondo offlcio que V. S.
mo dirigi hontem, sob n. 442.
N 900.Dita ao mesmo.Annuindo ao que so-
licitou o tenente-ooroneldo corpo provisorio de po-
lica, em'offlcio de hontem sob n. 312, recommen-
do a V. S. que mande entregar ao lenle quartel-
clamaeo pelo mesmo vigarin.
X. 999.Dita ao presidente da cmara munici-
pal de Seriaba nu.Respondendo ao seu offlcio do
13 do corrento tenbo a dizer-lhe que nesta data
determino ao Dr. commissario vacioador provin-
cial que siga para essa villa aliui de medicaras
pessas indigentes ahuciadas da varila que ahi
est gnwjndo, c eiviudo que Vine, preste o auxi-
lio de quo elle carecer.
X. 910Dita ao commissario vaccinador pro-
vincial.Em visto do que representou-me o pre-
sidente da cmara municipal da villa do Seri-
nhuera, rec muendo a Vmc. que.siga quanto an-
tes para all, ani de medicaras pessoas indigen-
tes afferta I is da varioia que esto grassando
it'ai|uella I lejiiJade. 6ul *-pr,-,.io ufliein l"fl.
inettirntna carteira homcepathico, e o commandan-
tido cotoo depolieia tom ordo n para fazer apre-
sentar a Vine a praca que o deve acompanhar
nessa commissao, eonvindo que me commuuique
o qne a respeito occorrer.
N. 911.Dita aos agentes da companhia brasi-
leira de paquetes a vapor. Os Srs. agentes da
companhia brasileira de paquetes a vapor mandem
dar transporto.para acorte por conta do minis-
terio da inarinba no rapar que se espera do norte,
aos refluas Manoel taqun de Sani'Aana, Lu-
ciano Julio do Espirito Santo o Antonio de Franca
Collio.
X. 912. Deliberacao. O vice-presidente da
provincia attendendo ao que requereu a profes-
MJr.i publica de insiruccio pri.o.uia da villa de
Barreiros Graciliana Fclbsissima Cabral, c Icndo
em visla a informacao do director geral interino da
Mtrueeo publica "de 17 do corrente, sob n. 218,
resolve prologar por30 das com ordenado somen-
le a h'eeuea que Ibc fei concedida para tratar de
sua nade.
expkuie.nt;: assicxado pblo su. dr. joaquim cor-
rea DB AUALJO, SUtUBTARI ) i 0 GOVERNO, EM 21
M JLLi d: 1869.
2" seccao.'
N. 913.Offlcio ao coimnaiidanlc superior inte-
rino da guarda nacional oe Serinhaeni.Nesta
data autorsoii-se a thesouraria provincial a pgal-
os vencimenlos conslanles dos prets, que em du-
plicata vieram annexos ao offlcio do V. S. datada
de 21 do corrente, e sob n. 23, o qual lica assim
respondido de ordem do Exn. Sr. vice-presinente
provincia.
N. 914.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica. S. Exc. o Sr. vina-presidente da
provincia, manda declarar a V. S. cm resposta ao
seu offlcio de hontem, sol) n. 312, que a thesoura-
ria provincial lera ordem para entregar ao lente
quarlcl-mestro desse corpo a quanlia de 50* cons-
tante do citado offlcio.
4' seceso.
N. 913.Offlcio ao superintendente da estrada
de ferro do Recife ao S. Francisco.Peia secreta-
ria do governo so declara ao Una. Sr. superinten-
dente da estrada de Ierro do Recife ao S. Fran-
cisco em resppsta ao seu offlcio de 10 do corre-
te, que as thesourarias geral c provincial teem
ordem para pagar as comas quo vieram annexas
ao citado offlcio.
N. 916.Ditojao presdante da cmara munici-
pal de Itamb. O Exmi Sr. vicepresidente da
provincia manda declarar a V. S. que foi sub
metlido ao conbecimenvdo governo imperial a
materia do offlcio dessa samara de 22 de abril ul-
timo relativamente ao termo do extincto vinculo
de Itamb, em que est situada essa villa.
vincial.S. Exc. o Sr. vTce-presden'te da provin-1 inestre daquelle corpo a quanlia de 50*000 prove-
ca, por deliberacao d'esta data, resolveu nomear o nienle das ajudas _de custo abonadas ao capitao
bacharel Jos Elisio de Carvalho Coulo para exer-
cer interinamente um dos lugares vagos de repe-
tidor d'esse estabelecimento, percebendo os venci-
menlos que por lei Ihe competirem ; o que a V-
s. communico de ordem do mesmo Exm. Sr., para
seu conhecimento.Igual ao director geral da
instruecao publica. ,
N. 877.Dilo ao mesmo.Tendo SfcExc. o Sr.
vice-presidente da provincia, em vista ae sua pro-
posta de 21 do corrente, sop n. 224, resolvido exo-
nerar Bernardo Maciel de Souza do cargo de
delegadoiitterario do districto de Salgueiro, e no-
mear para o substituir ao cidadao Galdino Alves
de Araujo ; assim o manda communicar .4 V. S-
para seu conhecimento, enviando-lbe o ttulo do
nomaado para ter o conveniente destino.
, 8T8.Dilo aos directores do theatro de San-
ta Isabel.S: Exc. o Sr. vicepresidente da pro-
vincia; tendo por despacho d'esta data concedido
perroHso Gil Braz Je Senna Santiago, para dar
nm espectculo no Oieatro de Santa Isabel, pa-
1 ( gando elle a qnantia devida em virtudc da porta
ra de"-4 de Janeiro ullimo, e marcando Vv. Ss. o
dia em que deve effeetuar o mesmo espectculo ;
Francisco Borges Leal, que seguio por Itamb e ao
alferes Pergenlino de Miranda Pimentel que foi
para Ipojuca sendo a do na importancia de...
30*000 e a do 4 na de 40*000.
N. 901.Dita ao mesmo^Concdo a autorisa-
cao quo V. S. solicitou em seu offlcio de 42 do
corrente sob n. 441, para despender at a quanlia
de 43QJ0O0 com a acquisicao do mais de um ar-
mario que se torna necessario para accommodaco
dos livros e papis do archivo dessa .M~
segunda consta do citado Pllicio aue fl
respondido. ~.
X. 902.Dita ao mesoExpeca V. S. suss
ordens para que em vteta dos prets nominaos jun-
tos em duplcala que me remelteu o commandante
superior interino do municipio de Serinienv, rom
offlcio de 21 do corrente, sob n. 43, sejara liqoid
dos o pag s os vencimenlos dos guardas aauwoa
destacados naquella villa, durantev os inaaet'
maio c .junho deste anno.
N. P3.Dito ao mesmo.lotsirado de quai
V. S. uxpdz em seu offlcio de honlem, sob n. 4
tenho i dizer em resposta. que approvo a prop
qu fe;: a,junto dessa thesouraria do ser o *
UcpariH'o da polica.
4' seccao.Secretaria da polica de Pernambu-
co, 40 de outubro de 1869.
X. 1522.Illra. o Exm. Sr.Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, foram hontem recolhidos a
casa de detencao os seguintes individuos :
A minba ordem, Antonio Ricardo dos Santos,
por crime de injuria.
X ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Francisca Goncalves Ferreira, para ser prpeessado
pelo crime previsto no artigo 401 do cdigo cri-
minal.
A' ordem do de S. Jos, Luiz Jos de Franca,
por disturbio ; o Joao, escravo do Jos Augusto
de Araujo, por suspeito de andar fgido.
A' ordom; da dos Allegados, fcente Muniz Ta-
vares, por embriaguez e offensas a moral publica.
Por offlcio de'nonem datado, communicou-me
o delegado de Olinda que pelo subdelegado do 2o
districto d Maranguape foi-lne partecipado que
no di i 17, no lygar Piabas d'aquelle districto,
rialLuii Jos, diseuttndo valentas e parUdos com
im Joagu n das Dores, assassinra com um tiro de
jespuigaia, a este, que recebeu 60 carosos do
cliumoo no pito esquerdo.
O sssasspo logrou evadir-se, nio obstante to-
rem alguns individuos presenciado semelhante nt-
tonlado, mais aquella autoridede licara dell-
genciando a sua captura e tratara do inslaurar-
Iho o compelente processo.
Em offlcio de hontem datado, pariecipou-me o
ImHuolLgado do districto de Santo Antonio que
as 4 borasrda, larde do dia ,^8, na taverna n. 7
da ra da fjadeu Noxa^eX.kvemente- ferido no
hombro direilo, por um tiro de- pistola, SimSo
fraucUce Guerra., na oceasiad em que urocuraj-
Fazemos votos pela breve realisacao de tai ini-
porlantc melhoramcnto, cujas vantagens para o
publico e para a empreza sao patentes, em vista
do augmento presente e futuro daquella cidade,
com a realisacao da estrada de ferro, e conlrato
da illumnacao gaz, o qual se acba em veneras
do ser tambem realisado.
Arabos esses melhoramen'.os milito facilitaran a
eonenrreucia, e mesmo a morada all, e por con-
seguale sendo o objecto da empreza do primeira
neeessidade, o sendo exclusiva a sua venda por
todo o lempo do privilegio, nao sopara os parti-
culares, como para lodos os estobob'ciinentos p-
blicos, parece-nos que a empreaa lio um fu uro
lisongeiro e animador.
Felicitamos ao Exm. Sr. Dr. Manoel Portella, por
mais esta occasiao que leve de ligar seu nomo a tao
ntil melhoramcnto; e'ao respectivo emprezario
tosejamos que sejam seus esforeos coreados do
mais feliz resultado, o que de esperar de sua dO"
dicacao e actividade.
E' o quanto sinceramente anhelamos com rela-
cao aova empreza.
AUTORIDADES POLICIAES. Por deliberacao
ila presidencia da provincia, de 15 do correte,
foram nomeados: 4 5." e 6. supplentes do sub-
OcIcgaUo Oe Tamauu.iie aiaooel riuiouiiiiu ae
Albuqncrque Maranhaa, Constantino Gomes da
Silva, e Joo Baptisto Castanha
GUARDA NACIONAL.Por dita de igual dato,
teve passagem para a reserva, o alferes do bata-
lhao n. 41 do municipio do Cabo, Francisco Mar-
ques da Silva.
ASSASSINATO.Xo lugar Piabas, do 2." dis-
tricto de Maranguape, Luiz Jos a sas-inot, com
un tiro de espingarda, Joaquim das Dores, com
o qual ti vera poucUi momentos antes reuhda dis-
eussSo sobre valenta o poltica. O assassino lo-
grou evadir-se no momento, apezar de lereni pre-
senciado o facto diversas pesoas.
DISTURBIO E FEltIMCNTO.-Xo da 18 do cor-
rente, as 4 horas da tarde, Siman Francisco Guer-
ra foi ferido levemente ro hombro esquerdo, por
casualidade, na taberna n. 7 da ra da Concordia,
da freguezia de Santo Antonio, quando procarava
acabar um conflicto suscitado entre Francisco
G mcalvos Ferreira, um dos encarregados do e,-ta-
belecimento, e o cabo do 3. batalhao d- infama-
ra da guarda nacional Flix Jo- Seralim, por
causa de recusar aquello vender fiado este una
garrafa de vinho.
Aflu de seren punidos, prendeu o Sr. Dr. sub-
delegado respectivo a Francisco Gsncalves Fer-
reira, c requistou ao ce malandante do batalhao
a prsao do cabo.
DINHEIRO.O vapor Ipojuca trouxe hontem
2:972*34') para o Sr. L. A. Sequeira, 2:0!)0* para
os Srs. Alfredo A C, 1:000* para os Srs S Leitao
A Irmao, e 200S para os Srs. Fernandos A Irtnao.
GOVERNO DO BISPADOS. Exc. Rvra. no-
meou, antes de seguir para a Europa, secretorio
interino do bispado, ao Sr. Targmio Silverio de
Souza Magalhaes, que cecupava o lugar de escrc-
vente da secretoria.
COMPANHIA PKRMAMBUCANA.0 por Cu-
niripe sae boje tarde para Mamanguapc, ex-
traordinariamente.
O vapor Potenoi desla companhia seguir
para Macei e Penedo rtb dia 22 do crenle sendo
lioje o ultimo dia em que recebe carga conforme
o annuncio da mesma companhia.
TRIBUNAL DO JURY.Por falta do numero le-
gal deixou de funecionar ante-hontem este tribu-
nal.
Hontem foi submettido a julgaimnto o reo An-
tonio Vicente de Souza Pereira, aecusado por cri-
me de estellionato, pralicado em abril de 1868 na
freguezia de S. Frei Pedro Goncalves ; sendo sen
defensor o Sr. Dr. Antonio Joaquim Ayrcs de Xas-
cimento.
Em vistas das respostas do conselho julgador,
foi o reo absoivido.
Hoje deve entrar em julgaraento o reo Joao Go-
mes do Espirito Santo, aceufado por crime de of-
fensas physicas em sua mulher Joaquina Mara da
Conceico"
DESHUMAXIDADE.Informam-nos que na ra
ua Camba do ('.armo ha urna pobre enanca,
que esbordoada diariamente por simples fu-
tilidades muitas \eza, sem se attender sua
idade, c sobre tudo ao vexame que sso causa
aos visinhos. O Sr. Dr. subdelegado respectivo
deve proceder, quanto antes, um minucioso in-
querilo sobre esse faeto, e punir devidamente o
delnqueme.
EXAME DE HABILITCAO.Tem lugar na se-
gunda fera prxima este acto cem relacao ao ma -
gsterio primario do sexo femenino.
BODOQUE. Alguns amadores d'esse insigne
folguedo vo-n'o entroduzndo entre nos, havendo
j na Boa Vista e aqu em Santo Antonio dous cir-
cos de boiaqwiros.
O d'esta freguezia lica praca da Independen-
cia, e nao seria mo que a polica o transfensso
antes para a dotenoao, afino de que se nio repro-
duza o que anda ante-hontem deu-se com o Sr.
Leal Res Filho, que estando a fallar com
d alguma oceupacao na casa de
tem a de hodogueirm.
CLUB RADICAL-Confercncia pnWtea *mm-
go 24 do corrente as 4 horas da larde ao saa aV>
Club Pernambucano. Orador o Dr. Leonardo da-
gusto de Almcda. These polica electiva.
PARAHYBA.Escrevem-n m da eapilal aaa 99
do corrente, peio vapor pojara :
< Apesar de ter-tbe esenpto pelo vapar T*tmm
tms, que aqu passou no il6. deixaaa *
ser importantes as noticias <#ip wnlio de rait-
rir-lhe nesta oceusio. .,
Cbegaram portadores V Campia Graada -
lng, do interior da provincia, noticiando a ram-
nio de alguns grupos, por aquellas iramedncjiai.
suiieriores a 100 pessoas, co d'abelha) com o lira de o||)reni-se a cohraufi
dos nnvos impostos.
O Exm. Sr. Dr. Venancio LMkan, lendj eara-
iniuflcacoes olliciaes nesle sentido das autoridades
locaes, deteriniuou que seguissem para aqotlle-
termos dous destacamentos, nm de gualdas naci
nacs dosta capital, comniaiid.,lo pelo nujor Braz
da Rocha e M-lio. e outrn de c,i> de polica, ao
mam!) do alferes Pernambuco, ambos com a uiis-
sio de dispersarem os mesmus grnpos.
E' provavcl que estas rpidas e enrgicas pro
videncgsjir.jdnsam o efleitu nesejad; rerto aV
que, se nao forem sufflcimti's, a presideDeU Mta
disposta a usar de todos os rerarun a sua dip.~
sieai para conler e punir M UBaanMnu.
Pens, e umita gente eoadau, ipie este movi-
menie tem sua origem a'aMa ranii.il, |>ois saad<>
que os homens do matto nao se atira a casas
empresas por si sos.
Se assim pessima latir de opposirji 11
Xingtiem ignora, que os planeadores ilo as-
-assinato do finado baro de Ijuarahim, de -aneV
sa memoria, e da sedico que lionve por oceasii
da lei do censo, ah esio sana e useorreitos, e que
cesleiro que fez um cslo, faz nm eenlo.
Caia-lhe a espada da ju-ticn. a que lem es-
capado al boje, cm cima do costado, que lorio se
acalmar, como agua na fervora.
Ha quera diga, que a gente da-oppoahjia pro-
cura, com estas fuscas, experim.-ntar n animo di
Exm. presidente; se tal o hlenlo mal .viudo*
andayam, pois ..'iiiiintram S. Ese careada rio lo
prestigio, e cora bastante energa para dar-ibes
una lirii.
Vem buscar la e bao de sabir tosqnearios.
A assembla piuvincia! i-onlim'ia cm ferias;
lem lido raras sessoes, e por era i...da tem fc-ito
de iniporlanle.
O Sr. padre Correa das .\Y\vs appresfnt >u
esta corpoiacao, una prlict de retarse c mira
o ael i da presidencia da proviocia, que appr.ivon
o coucurso feilo para preeiicbimenii. da cadein
de philosophia do liceo desl i eapilal.
OSr. padre quiz ser a loiitlido ao concurso,
mas nao pode ser deferida soa paueaa, pr ocen-
paT o cargo de procurador fiscal da iliesouraria
de fazenda, que o incom,>alibilisa para os etnpre-
gos provincial'-.
c Damipl i ili'i-jso da presidenci" ''""'' nr*
o sr. paire Correa das Rev*, par o fundan d.i
assemnla, esperando que Ihe dar reparara. da
semelhante iiijuttica.
t O Jornal da Paralii/ba, apreciando deviJa-
mente e->te procedimenl > do peticionarto, diz o
seguate : Desta surte a assembla provincial
consumida em tribunal de segunda insianeu,
para revogr os actos da presidencia da pro-
< vmcia, que figurar de tribunal de primeira
instancia ; porianto de ordem o rathegora inf;-
ror !
Estes Imeraes tem consas !
Elles sao capazes de revogar o aviso do mi-
nisteno da taaonJa, que derLrou me mi[alivfI
< o Ingar'dc procurador fiscal, que eecuuu o Sr.
padre Lindolpln, com o do pruiwaor do Licaw,
que elle pretenda !
E porque na i ?
A assembla provincial era qua ito dir rom-
f)"s,a de liberaes, tem attribnledei discrciona-
ras ; urna assembla c .iisminle, absor-
vendo e exercendo a soberana era toda sua
plenitiide.
Poder legislativo, execulivo c judiciario, ludo
< llie est sujeilo.
i Teve lugar, no domingo ultimo, a lesti *>
Sania Tiicreza, na Ordem Terceira do convento
de X. S. do Carino, pregando ao evanaouio, o
Uvm. Dr. Leonardo Me.ira ; lioalisou com ladai-
nlia a nJute, asssida de grande concurrencia de
Neis.
Sobre commerco nada lepan aeereseentar-
Iho ao que Ihe diese na moka aierior.
VI.\(;,\M.V TK.NXESSIAXA.Sob esse ltala
referem de flew-York urna bm rivel tragedia, n-
sai do circulo ordinario daqui-llas que oju:
LyiWh Jnlgava na primeira qnaliaude. Tratare-
mos de resumir a narrarlo que i-ucuulraraos es-
cripta, sem Ihe diminuir o intere>sU)^>,
Somos em primeiro lugar cintJMados a sop-
prmir ImplicitamenU' o qoe se podara abantar a
exposicO, ou antes o proli^ .da peca ; lato a*
causas' desta vindicta, narra.'a i qpc oecunauiu
columna do jornal JAralanrli de Me nphis, cun-
tentando-nos em dizer em poucas palanas, una
esta sede de vingaiica teve a sua ongem na lerri-
vel c longa lucia que se empenhon enireo Saleo
Xorte, o as differentes ton.iba- que i irara danra
tocto consequencia. Deste lado do Atlanlieo.j
promenores ntimos perderiam todo o en
e lodo o seu inh-resse.
O primeiro acto desta tragedfei repraaaatau-se.
ha muitos mezes, na casa de rampo do i
Thomaz Dickens, a poura distancia de
(Tennessee.) Quando o panno correa
acto, restavam na scena dous morios e rios frri
dos ; os aggressores linham desappareeido.
Eis aqui os toctos : Corra o mez de abril, eran
oito horas da noite, e preparavam-se para eeiar.
As pessoas que linham tomado lugar mesa rio
coronel Dickens, erara elle, m meiramente, depots,
um capitao chamado Creen NVilson, qne na fjer-
ra civil tinha feto numerosas vctimas as titi-
ras dos separatistas, e um joven, Roberto Huoi-
phrey. Urna rapariga de rwr, cbaraada Naary,
seYvta mesa.
Bate-se porto : Humpbrey levanta-so, o por-
gunta : t Quera ? De tora respondeat-Ust:
t Amigos. __
Abre-se a porto, e dous bomens, de rpwonars
em puntio entram no aposento. Hnmphrey fclo
primeiro acommeUide, e cabio grveme ais fariao.
Em seguida lancam por Ierra os candieiro*, apa-
gando as lazes ;' depois Groen W'ilson atacado, e
segundo a viva narracoo que temos preseas,
crivado de bailas para nunca mais se T~
Tentando fugir, o coronel Dickens, i
por duas bailas, urna pela parte superior do i
o a outra no braco direilo. A rapariga ai _
que tinha deseado para ebamar soccorro, anorta
cobardemente no momento de atravessar o paseo,
Esie ferriyel acto produzio naturalmente aaia.
grande commocio quando a noticia se espaanoa.
em Memphs. O sbcriff curry o ama esquMn de
Ij1 t i Itoia a ii ti*/ uuv *-nrt*ui\i fc... ~------ -------- ,w ^r.---.- T-----r---------------
pessoa n'aquella loealldade, foi sorprendido com policas partiram para aquellc ponto ;
um dos tiros do tal bodoque ; o qual apaobou-lho :~
urna das faces, onde fez-Uve um ferimento e gravo
contusao, e por fcltc^dade n3o Ocou com o olivo
direitayasado.
E" reprovavel senao altamente intoleravel, qoe
homens ettejam dentro da eidade a fldcliar ao?
transentes por modo lio brutal, psdendo d'ahi
resultar cousequencias bem fatoes para si e part
os otitroa. Assim, pois, (yvnpre qae a polica nap
dspreae a extstenom do? wes bulo f tetros; e Ihe
impossivol descobrir os assassmos, c so depois po-
deram encontrar algnns vestigios, atada aun va-
cos, verdade, dos assassmos e dos ue os auaasu
assatariado.
O scheriff conlinuou as anal tadagac^oes, a asa
mes depois foi preso aomo cmplice dos aojaros
deste duplo crime, a capitn Palterson, fooro d
fallecido Isa.c Bolton, poto seu lajiiasoasmm
sua (ilha, viuva do \Ji ilUiin,I^Ml de fas um
pai Tlioma Dickens,
1 ILEGlm
.-~



de Yetnaxakme Quinta feira

iterado parante os Suzes Hitt***\ afooaoloeal, cmi& Htstrtccaa doprocas iw durou meneode duas publieos, aniquila?** da infCi
semanas, dual em. prove te d
Tambern aaui somos obligados a resumir* pon- geradao jernidosa.
tos da o
dos eos turnes
as palavra os longos pormenores que
.tovlmtlu, quanto as testemonhas eaos-argumen-
tes WfRgadas; pouco interesse teriam para
os leitores.
Das testemunhas resalta qua o dupla assassma-
ta foi praticado por dous individuos chamados
John Morgan e James loman, comprados para
eonsummarem aquella ohra de sangue. Estabele-
ou-se claramente que Morgan e laman tioliam
deisado o pniz depois de eamprirem amella tarc-
fa, sendo por muito tempo mpossiwi encontrar
aonde se achavam.
Neste meio .lempo, o capillo solista Patterson
tinha tamben) sido apresentado como cmplice dos
doas assassinatos e chamado perante o tribunal
ddiatrcto. Emquanlo se instaurara o procosso,
foi posto temporariamente em liberdade, mediante
urna flanea de 10:000 dollars.
Haver una dous mezes que Moran e Inman
foram encontrados em Marin, cidade do Alaba-
ma, onde resida a mu de Inman. Foram presos
por suspeitos de alguns ronbos de, cavados ; mas
como se suppnnha geralmente n vsinhan$a que
elles esterara implicados n'aquelle fado, que tan-
ta impresso produzlra, um bando do cldadaos
arrombou as portas da priso, tirando d'alli os
dous preso?.
EsU gente conduzi-os para fra da eidade ; ue-
pos de certo, para se pouparem ao trabalho de
levantar um cadafalso, ou de procuraren! urna
arvore convomente, os amadores da doutrina da
Lynch, recorreram a um novo meio de execucao
eliminara, sem mesmo se darem ao trabalho de
simularen) un) processo.
Soltaran) os seus prisioneros no meio de um
campo, c como se fossem animaes bravos, porsc-
guiramnos a tiro de espingarda. Morgan cahio
mortalmente ferido, mas Inman, conseguio esca-
par, e foi refugiarse na floresta vi-inhi.
Em coasequoncia de urna minuciosa busca que
se deu em casa de sua mi. encontrou-se o relogjo
do coronel Dcken, que Ihe tinha sido roubado
na fatal noito de 4 de abril. Nao se poda, pois,
davidar que Inman fdra um dos dous assassinos.
Trataran) portante de o perseguir. Oonstou que
se havia renndo com seu irmao Ho.nderson In-
man, e que ambos elles tinham cstabelecido o son
domicilio n'uma profunda caverna no meio do
bosque. Deu-se parte desta dnscoberta ao coro-
nel Thomaz Dickens, e no da 20 de julho, seu ir-
mao, o Dr. Samuel Dickens, dirigio-se de Mcmphis
a Marin, acompanhados de Haberlo Humpheys,
aflm de conhecerem da idenlidade de James In-
man, por sso que na oecasio da terrivel lucta,
aquelle tinha Udo lempo do reparar na sua estatu-
ra c tal he, antes de se haverem apagado os cau-
dieros.
Tiveram o cuidado do se mun'rom de urna re-
quisieao do Mr. Scnterrc, governador do Tenncs-
see, dirigida ao governador do Alabama, para ob-
lerem a extradlcco de Inman.
Quando chegaram a Marin, o eheriff a um suf-
Ccienle numero de agentes, disp w-so a baler o
bosque, para descohrir o ponto aonde eslavam re-
tfrados o< fugitivos. Xo saboado segunto ao rom-
per do da, doran) principio sua obra, e pouco
depois encontraram-se ern frente da caverna, aon-
de iis dous taaos se havam refugiado, e inlrin-
cheirado.
Intimados para se renderem, recusaran), 0 eo-
nheceu-se que elles so preparavam para eppor
urna tenaz resistencia a -s que qncriam torear a
entrada do seu covil. E?peravam-se, pois, os acon-
tecimentos como se eos turna dizer ; mas estes nao
se fueran) esperar muito. Pasudos alguns minu-
tos, um irro de espingarda, disparado por James
Inman, parti da caverna. Felizmente nao ferio
ninguem. Os asfaltantes respondern), mas logo
que cessaram o fogo, James sabio da caverna pa-
ra tentar ftigr, esperando que nao teriam tempo
de carregar de novo as suas espingardas.
Infelizmente para elle, nao tinham todas sido
descarregada9, c apenas appareceu, cahio crivado
de mulas bailas no peito, as costas, 6 no braco
direito. Seu irmao que o segua, foi gravemente
ferid i, e nao se julga que possa sobreviven _
Reconhereu-sc o cadver de James, assim co-
ma a sua idenlidade, por parte de llumphrey, co-
mo um dos dous assassinos que tinha praticado o
duplo nssassinate em casa do coronel Dickens.
Foi conduzido para lemphis pelo caminho de fer-
ro de Memphis a Charleston. Mas nao se julga
que a vendida tenha dito a sua ultima palavra.
LOTEMA.A que se acha ;i venda, a 12- a
beneficio da matriz de Gamellelra, que corre no
dia 25.
movis, burros, urna carroa o um boi i ra
do Imperador n. 16, s 11 horas
Anianlia 22 elTecta o agente Pinto o loilio
de movis annunciado para o subrado da ra do
imperador, n. 9.
PASSAGEIROS. O vapor Ipnjiic:, vndo da
Granja e portea inlermedios, conduzio os seguin-
tes :
Joaquim de Gusma Colho, Frcdericn Maia e
sua senhora, abbade de S. Benlo e 1 criado,
fre Jezuino da ConceicJo, M. S., Julio Jakes, W.
M., Joo Pinto Rodrigue* Paiva, <',. F. do Castro
Graves, sua senhora, '! filhos e 1 criado, Jos An-
tonio Figueirdo, Vctor Inporta, Joo Pinto, Fran-
cisco AUlonio Frechina, Francisco de Paula Ro-
drigues, Antonio Joaqun) Nobre Cmara, Antonio
Jacimho de Olivara Caminlia, Manoel Francisco
de S. Correa, Joo Mara S. de Almeida, Joaquim
Rodrigues Ferrcra e 1 oscravo, Manoel Feneira
da Silva, Manoel Joaquim Nobre de Almeida, Jus-
tino Leopoldo de S Cavalcante, Alexandre Cle-
mentino de Frenas, Antonio Bernardino de Senna,
Manoel Joaquim Ramos, Pedro Jos da Silva, Dr.
Manoel da Costa Figueiredo e sua familia, Manoel
Vctor de Je.-us da Matta.
ALFANDEGa.
ilondimento do dia 1 a 19 69:342*492
dem do da 20......33:491*748
Chama Ugerada e perniciosa, nao porque
tenda asa! centralisaco que, Bsenla ,cui
sua verdadHra baso, som subordinar o mieresse
local ao gOnl; nem intorpecer esie. susunta o
poder t anidado Racional.. e o fundamento da
m, dajastiea e da liberdade ; mas si.n a que
entre nos vai saio praticada.
UI
VolUndo ao assnmpto de que mo necup-va, dj-
Jo jao a interferencia da autoridade na oeica
um mal, que campre extirpar, iracundo do ob-
termos a educara) poltica que nos taita.
Com as leis que temos, qu com outras e aem os
coslumes pblicos q mal persistir semp* com
mais ou menos ntensidade.
Nao sao, pois, Unto as les quanto os coitumes
que estao pedindo reforma.
Sem derramamento da instruegao por todas as
dasses; sem a frequencia de reunioes penticas,
que cria o amor da cousa publica ; melhor ad-
mnistracao da justica, emancipacao munic pal; e
para dizer ludo em urna palavra.sem a nt^ao do
direito e dodevor, que a alma da verJadeira li-
berdade, javnais os conseguiremos.
Infelizmente sao do tal ordem os obsUculos. com
que lucamos, que nao fcil veucel-os, sendo-nos
preciso tempo, antes do tndo.
Nao quor isto dizer que actualmente muitas de
nossas lei: nao precisen) de reforma; porm
confio mais na dos cosiumes o no tempo, do que
as reformas das leis fcas com eodamonti o sem
a previa educacao, propria de povos, que se re
gem por instituicoes livres.
Exerca cada um o seu direito de exama e de
weolha, e estou certo de que o poder n;o dir
sempre a ultima palavra, e o paiz ni) MiOsra,
nao lia de obrar e respirar sotnento aos in pulsos
desse poder.
IV
Fui mais longo do que pretenddia ; mas vendo a-
prnximar-se a poca, em que lemde ser essolhido
outro deputado pelo dislrido, a que parten:! esta
Ilustrada capital, sem que candidato algn *e te-
nha apresentado pela mprensa a eip4r sua: idea-;
entend conveniente despertar sobro este a himp-
lo o espirito publico, estimando ver descutidas es-
tas questoes de actualidade, que ahi esta) c aman-
do os homciis polticos arena.
Bem quizera ver transplaotadas para o noi--o paiz
essas praticas do verdadeiro systema representati-
vo, para que viesse a ser eleito aquelle qu fosse
esponuneamente escolhdo pelo corpo cleiloral; e
nao que a eleio-io continu a ser o rosulUdc de
conveniencias fallazos, sempre contrarias ;.o ver-
dadeiro interesse publico.
Vendo, pois, tao abandonado de pretendemos o
campo eleitoral, ouso ainda apresentar-rne i urna
candidatura, na qual j fui vencido, Ye'dade;
porm por outros mais dignos, e mais cnpszes de
desempenhar tao alto misso, e do que acabam
de dar na cmara tao exuberantes provas.
Apresentando-me de novo, quero dever inmha
eleicao tao somonte ao sentiinento, que por ventura
possam.minhas ideas inspirar ao corpo eleitoral;
porgue entendo que nella vai um julgamcnto po-
ltico. Desla fonte e da conllanca quo et i mim
fr depositada, e com a qual ainda mo lionram
alguns amigos, que daoutra vez j levaran) as ur-
nas meu humilde nomo, quepodeivi tirar forca
bastante para deseaipenhar to honroso quo dil-
cl mandato.
Recite, 20 de cutubro de 1869.
Uespontiendo ao artigo publicado no Bio-
rio de boje pelo Sr. Amante da Verdad-i
tenlio a dizer-Ihe que sendo da furto, e nao
de roubo o primetro ciime praticado no
arraazem do Sr. Antonio Marques da Costa
Soares, (o que pode ser justificado pelo ad-
ministrador do referido armazom o Sr.
Francisco Xavier de Sa Leito) e nao tendo
sido preso em flagrante o sea autor, nao
poda tor lugar o proeedimento oiBcial;
pelo que observei ao mesmo Sr. S Lei-
to, que se tornara indispensavol que
desse a sua quexa para poder le ento
lugar a instaurado do competente pro-
cesso, contra quero qur que fosse, se
l>cin ou mal proced, se respetei ot)
nao a lei assim procedend), decidam os
que para issoseacliam habituados, das
depois foi ento violentado o telliaiio do
mesmo armazem, onde penetraram o rou-
baram 3 arrobas de algudo, liz a compe-
tente visloiia, e estou tratando do cimli-
car o autor de scmelhanle roubo, a.lm de
processa-lo, conforme me ordena a lei.
Assim procedendo tenho consciencia de
qao compri cem o meu dever.
Subdelegada do Recife, 20 de o atubro
de 1809.
Jos Pedro dai nieves.
702:834*234
MOV1MENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com faiendas 300
Wom ideal com-gneros 500
_ 800
Volumes gahidos cora razendajC-r' 180
dem dem com geueros 10
336
arregam boje l do oulubro
Barca ln$9iA:-Jer/i%fommere iderias.
Barca ing eia Fniuch WUton ferro e carvo.
Escuna noi'le-allemw- A lelaid inareauoras.
Barca ioglezaJ-nim !.>m.
Barca jwrtuguezaQtattdaoideertrr
Barca perluguezaSappltiruden.
Barca ingkziImoqeiubacal Do.
Barca nacional .Wf/'ii'itabeado.
Baroa hespanholaCenln de Exptrtacamer-
caduras.
Barca nacionalAuroradem.
Briguc nacionalInfelizdem.
Importadlo.
Vapor brasileiro ipojuc.v, viudo da Granja e
portot intermedios, mamfestou :
30 aaeeas algodao ; a l'.halaca & Rabello.
807 ditas ditos, 11 saceos gumma; a Gomes de
Mallos & Irmao.
1 barrica sebo, 6 saccas algodao; a A. da Silva
Pontes.
100 ditas dito; a Rocha Leal 4 li ditas dito; a Joo Baptista de Oliveira.
I 26 ditas dito ; ao Dr. J. Anto de Senna.
; 5 ditas dito, 9 saceos gomma, If couros salga-
dos ; a F. J. de Barros Jnior.
14 saceos caf ; a J. J. Goncalves Bcltrao.
192 barricas vasias; a ordem.
1 caixo pennas, 1 dito cera amarella, 8 ditas
velas de carnauba, 30 meios de sota, 23 molhos
eourinhos; a Lino de Fara & C.
80 ditos ditos, 21 meios do sola, 22 saccas al-
godao ; a Viviano da Silva Caldas.
72 ditas dito; a Alexandre C. de Freitas.
98 ditas ditos ; a Justino L. de S Cavalcanci.
165 ditas dito; a L. A. Sequeira.
? 63 ditas dito; a Marques, Barros4 C.
116 ditas dito, 26 saceos gomma, 8 ditos feijo,
1 pacote pennas, 100 mllios couririhos, 21 meios
de sola; a S Leito & Irmao.
361 ditos de dita; a Jos Lopes Davin.
372 ditos de dita: a J. J. de Garvalho Moraes &
Irraio.
33 saceos milho : a Jos J. Dias Fernandes.
. 9 ditos gomma; a Bellro, Oliveira & C.
" 7 ditos e 3 barricas ditas; a Fernandes & Irmao.
UECEBEDOIUA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUOO.
Hendimento do dia 1 a 19 56:0464750
dem do dia 20...... 0:268*863
62:3lo613
CONSULADO PROVINCIAL
lados no dia 13 do crrente, os impostos de 80 rs.
por carga de farinha e outros logumes vendidos
nos mercados poblaos, de 600 rs. por cabeca de
gado raorto para insumo das fregpezias de fra,
e bem assim os alupueis de talhosn?. 10, II, 12 e
13 do acougue publico da ribeira da freguezia da
S. Jos, lado d sul, continuaro em praca nos
Oias 20, 23 e 27 do andante mez : aquellos quo
pretenderen) arrematar, habiliten) se na forma da
lei, para poder ser admitldoa licuar.
Secretarla da cmara municipal do Recife 19 de
oulubro de 1869.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
Parante o Sr. juiz do paz do Io dbiriclo da
Iregueria da Boa-Vista, se ha de arrematar no dia
30 do corrente, as 4 horas da larde, diversos tras-
tes e nma pequea porco de louca, penhorados
aiMarianna Is; bel Janey, por cxecuao de Antonio
Gomes da Silva.
Arrematado
No dia 23 do corr ;nte. depois da audiencia do
juizo municipal da 2' vara, teni do se arrematar
em praca o engenho denominado Santo Andr,
silo na freguezia de Muribeea, com suas tenas,
casas de vivenda, de purgar, do caldeira, sen/alia.
suas respectivas maltas, pastos, logradouros o mais
pertences, com quatro casas em differentes sitios
pertencentes a mesma propnedade, por 40:000,
por execucao de Tiburcio Valeriano Baptista con-
tra o capilao Antonio de S Albuquerqnc e outros,
iscrivao Santos.
iendimento do dia 1 a 19
dem do dia, 20.
52:451*216
3:099*680
:55:S30*896
PUBLICACOES A PEDIDO.
O bacharel C. Fenclon Quedes
.leoforado ao corpo eleitoral
do primetro dislrido.
i
E' dever de corteza apresentar-se o candidato,
que aspira a honra de urna cadeira na cmara dos
deputados, ao corpo eleitoral para solicitar-Ihe o
sultragio.
Digo que dever de cortezia to smenle; por-
que entre ns as praticas do systema representa-
tiva ainda nao chegaram sua perfeicao.
Solicita o candidato o voto de seus correligiona-
rio, em nome da mesma communlio de ideas, o
cora isto se ('.ontenta : outras vezes faz valer seus
servidos c, despindo modestia, seu merecimento;
eis tudo.
Ennmerar, porm, servicos e allegar mrito nao
tarefa quo deva caber ao candidato : ao corpo
eleitoral que compete aquilatar este, e julgar
d'aqutle-, para escolher o cidadao quo tem de
exercer to importante cargo, qual o de represen-
tante da nacao.
Quando muito (e o que so pratioa nos pai-
tes que se regem pela mesma forma do gover-
no) os candidatos so indirectamente deveriam so-
licitar esta eminente honra, expondo em reunios,
ou pela imprensa, suas ideas, sen pensamento
sobre os negocios publieos e as questoes de ac-
tuahdade.
Era assim que o systema conservara sua pri-
mitiva pureza, e a escolha do deputado, manifes-
tando-se com mais cspontaneidade, e por modo
que este honroso mandato precesso antes offcre^
cido que solicitado, elevara por certo o cidado
altnra de tal encargo.
E', todava, o contrario o que se observa em
nosso paiz. O candidato ou dudante-mito desgna-
lo; ou se limita solicitares, urnas vezes basea-
las as relaces de familia, outras as in luencias
lcaos ; e sompro sob a accao mais ou me:i )s direc-
ta do governo.
11
Acostumalo o povo"* esperar tudo do governo,
compraz-se na doce confianca de que, salvo o que
toca a seus interesses domsticos, tudo o mais ser
salisfeito pela solicitudo administrativa, deixando
nuiu vez que ella penetre at o slo do dominio
privado.
Panindo d'ahi, fcil ser aiuizar o grao de in-
fluencia, que vavcifita na eleicao os representaa-
:es de auctoridade.
Qual vem a fclloi'. a questao poltica, posU
assim ante o esefltinio t Nenhuma.
E de tal ordem de cotizas, e tal estado de educa-
rlo poltica, ff que resulta 1 Um mal enorme, mal
ru tem atrophado o nosso desenvolvimeuto po-
iitico, e vem a ser; accao decisiva do governo so-
ijre o lessoal eleitoral, stibjci^So do espirito politi-1
O preto Beucdicto Mazarcth.
Estou liberto I
E que maibr felicdade poderla attingr neste
paiz, onde por cumulo de sua desventura 3Xistcm
escravos?
Nasci captivo do melhor dos senhore?, do fina-
do Rvm. paire Antonio Joaquim Buarque, cuja
morte sempre chorarci.
Fui cscravo de seu Ilustre filho o juz ce direi-
to Dr. Antonio Joaqun) Enarque de Nizarcth,
desde seus estudos, e a quem acompanhei nos re-
vezes de 1848, as quadras calamitosas ile 1-56
e 1862, nos seus penosos trabalhoa de ehefe de
polica do Cear e da Parahyba, c finalmente na
dr profunda que o traspassou o falecimento de
seu querido pai, o amigo mais dedicado que te-
nho visto, e cujo cadver Uve a honra de condu
zir do quarlo em quo se achava para r ntregar
as sala aos amigo*, quo o deviam floadazlr ao cc-
miterio.
Nos prazeres daquelle desliado cavalheiro fui
sempre a seu lado no meu lugar de esclavo:
A virtuosa e digna espza dclle, a Exna. Sra.
D. Anna Ursulina Buarquo do Nazareth, umana
a toda prova para seus eserrvos, coraco bemfa-
zejo, caridose e chelo de verdadelros seniitneutos
ebristaos, vio-me pouco depois da morte do sogro,
que eu a ama va extremosamente, de accordo com
o nao menos caritativo e encllenle marido pas-
sou-me a caria de liberdade.
Sou preto, mas tenho alma Je braneo Ijoid,
aprend com elles a ser grato, e por sso de publi-
co venbo dizer a meus cx-senhores.
Agradece-1 lies a gencrosidade, que tiveram
para comigo : Deus os preniear, por que eu
t multo que faga, nunca me julgarei desonerado
de to mestimavel obrigaeao.
Viva a liberdade, c o paiz cont cora mis um
servidor.
Recife, 20 de outubro de 1869.
O preto Benedicto S'azanth.
COMMERCF
PRACA DO RECIFE 20 DE.OUTBRO DE 1869
AS 3 1/2 HORAS *DA TARDE.
Algodao de Pernambuco 1* sorte 1*035 r9.
por kil.
Algodao da Parahyba 1' sorte IJ06i por kil.
Dosto a bordo, frote de 3/4 d e 5 Q\0
Cambio sobre Londres 90 d/v. 19 3i' d. por
1*000
F. J. Siiveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Sociedade Laucara em com-
iuandita
Theodoro Simn ^* C,
Compram e vendem por con a pro-
pria metaes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descentam letras da trra e outros ti
tolos commerciaes.
Encarregam-se por conta albeia das mes-
mas transaccoes, da cobranza de lelras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaerquer quaniias en:, depo-
sito, em conta corrente, e a prazo G\o.
Largo do Peleurinho n. 7
MOWMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 20.
Granja e portos intermedios 8 dias, vapor bra-
sileir i pojuca, de 300 teneladas, eommandanto
Moura, carga differentes gneros; a compa-
nltia Pernambucana.
Babia 13 dias, barca brasileira Aurora, de
236 toneladas, capitn Jos Joaquim Gomes dos
Santos, equpagem \i, em lastro; a Francisco
R. Pinto Guimaraes.
Bio de Janeiro23 dias, barca norte-allemaa
Hansa, de 456 toneladas, capilao H. Beefer,
equpagem 12, em lastro; a Johnston Pater
&C.
Bio de Janeiro10 dias, brigue inglez Phanton.
de 249 toneladas, capito W. Master, equpagem
9, em lastro; a ordem.
Bio de Janeiro20 dias, sumaca hespanhola Pre
ciosn, de 104 toneladas, capito Antonio Page,
equpagem 10, em lastro; a ordem.
O'jservacao.
Nao houveran sabidas.
Santa Casa da Misericordia
do Eecife.
A Ulma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recite precisa contratar com quem
se queira encarregar de fazer sua custa as obras
de que necessita o sobrado n. 37 da ra da Moe-
da, concedendo ella, alem de outras vantagens, o
arrendamento por grande numero de annos.
Recebe para isto jiropostas em cartas fechadas,
na sala ae suas sessies, devendo os pretendentes
examinaren) as obras de que carece o predio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de setembro do 1869.
O escrlvo,
Pedro Rodriguen de Souza.
Santa Casa da Misericordia do
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Becife manda fazer publico que na
sala de suas scssOes, no dia 21 de outubro, pelas
piatro horas da tarde, tem de ser arrematadas ;i
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Cacimba.
Casa terrea n. 10.......
Ra ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anno .
Ba do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................
dem n. 98........................
dem n. 96........................
Sitio n. 5 no Forno da Cal........a..
Os pretendentes deverao apresentar
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
Vavcgaco costeira per vapor.
Macei cm direitara a Pnedq.
O vapor Potengt, commandante Perelra se-
gu ra para os portos cima no dia 22 do corrente
as 4 horas da tarde. Recebe carga at o dia 21,
encommeodas, passageiros e dinhelro a frete at
as 3 lnras da tard do dia da sahdi no escripjo-
rio do Forte do Mattos n. 12.
WLi
COMl'ANIIIA PERNAAMBUCANA
DI
Xa vega <" costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Hossor, Ara-
caty, Cear, Acarar e Granja.
m*?tb O vapor Ipojuca, commandant*
yflAJL Moura, seguir para os portos
MMfi cima no dia 30 do corrente as ahora*
da ttfde. Recebe carga at o dia 29 encom-
aiendas,e passageiros e dinhelro a treto at as
i horas da tarde do dia da sabida no escripto-
rlo no Forte do Maltes n. I?.__________________
COMPANHIA PERAABUCANA
DR
\avegavo costeira por vapor.
Fernando.
O vapor Corurpe commandante
Silva seguir para o porto cima no
_ dia 6 de novembro ao meio dia Rece-
be carga al o dia 5, encommendns, passageiros e
dnheiro a fretes, at as 10 horas do dia da sa-
hlda ; no escrlptorio de Forte do Mattos n. 12
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacdo costea por vapor
Goyanna.
0 vapor Parahyba, commandanle Mello, segui-
r para o porto cima, no dia 26 do corrente, as 9
horas da noitc. Recebe carga, encommeodas, pas-
sageiros o dnheiro fretes, no escriptorlo do
Forte do Mattos n. 12._________________
Rio de Janeiro
Para o referido porto sahlf com toda a brevi-
dade o lugar nacional Francisco I, recebe carga
a frete : quem nelle quzer carregar podo enten-
der-se com o seu consignatario David Ferreira
Bailar, ra do Bruin n. 92, ou com o capito do
di lo navio.
ECITAES.
O cidado Antonio da Rocha Accioli Lins, 3 juiz
de paz em exerclcio, no Impedimento do effecti-
vo, em virtudo da lei ote. etc.
Faco saber que pela cmara municipal me foi
rcmetlido o cilicio segniute :
Secretaria da cmara municipal do Recife, 21
de setembro do 1869.
Illm. Sr.Tendo o Exm. vice-presidento da pro-
vincia por offlfcio circular de 24 de agosto prxi-
mo lindo convocado a nova assembla legislativa
provincial para a futura legislatura que tem de
funecionar nos annos de 1870 a 1871, designando
o dia 28 de novembro prximo vindonro, para a
eleicao dos membros da > esma assembla, esta
cmara assim o communiea a V. S. para sua in-
telligencia, o aflm de que convoque tamben) os
eleitores dessa JYeguezia para o dia indicado, to-
mando em eonslderacao o que dispoe o art. 2 do
decreto n. 2633 do Io de setembro do 1860.
Deus guarde a V. S.Illm. Sr. Antonio da Ro-
cha Accioli Lins, 3 juiz de paz da freguezia do
Poco, em excrcico.
Manoel de Barros Barrete, pro presidente.
Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretarlo.
Em cumprlinento do referido olliclo, convido
aos eleitores desta f^gnezla, afim de que todos
comparecen) na igreja matriz de Santo Antonio no
da 28 de novembro prximo futuro, as 9 horas
da manhaa, para que procedan) a organisacao da
mesae mais actos relativos a eleicao dos membros
da assembla provincial, conforme determina as
leis respectivas.
E para quo cheguo ao conhecmento de todos,
mandei passar o presente, que ser alixado nos
lugares docoitume e publicado pela mprensa.
Freguezia do Poco daPanella, 20 de outubro de
1869.
Eu Manoel Francisco Coelho Jnior, escrlvo de
paz o e.crcvi.
Antonio da R-xha Accioli Uns.
O cidado Antonio da Rocha Accioli Lins, 3o juiz
de paz em exercicio no impedimento do effecti-
vn, cm virtude da le etc. etc.
Faco saber qne pela cmara municipal, me foi
dirigido o seguinte officio :
Paco da cmara municipal do Recife, Io do se-
tembro de 1869.
Illm. Sr.Tendo o Exm. vice-presidente da pro-
vincia por olliclo de 24 de agosto prximo lindo
declarado a esta cmara, que havendo o governo
imperial por aviso de 31 de julho ultimo determi-
nado que se procedesso a eleicao para um depu-
tado assembla geral legislativa pelo t* distrie-
to desta provincia, alim de prehencer a vaga que
se deu na respectiva cmara em consequencia de
haver prestado juramento e tomado ausento no se-
nado o Exm. Sr. visconde do Camaragiho, tinha
designado o dia 26 de novembro vindouro, para
a reunlo dos eleitores no edificio j indicado em
circular da presidencia de 19 de dezembro de
1860, (igreja matriz da freguezia de Santo Anto-
nio), pelo que a mesma cmara recommenda a V.
S. que convoque para a referida eleicao os eleito-
res dessa freeuezla, os quaes devem reunlrem-se
no mencionado dia para aquelle flm como lica
dito.
Deus goarde a V. S.Illm. Sr. Antonio da Ro-
cha Accioli Uns, juiz de paz em exercicio da fre-
guezia do Poe .
Manoel de Barros Barrete, pro-presidente.
Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario.
Em cumplimento do referido officio, convoco
os eleitores geraes desta freguezia para a reunio
do collegio no dia 26 de novembro prximo, aflm
de proceder--e a eleicao de um deputado que de-
ve dar este circulo, para preencher a sobredita
vaga.
Em consequencia do que devem comparecer os
eleitores as 9 horas do dia, na referida gfeja ma-
triz de Sanio Antonio, para este fim.
E para que chegue a noticia a todos, mandei
passar o presente, que.ser afflxado ao lagar do
costume e publicado pela imprensa.
Freguezia do Poco da Panclla, 20 de outubro
de 1869.
Eu, Madocl Francico Coelho Juaior, eacrivo de
paz, que o escrevi.
Antonio da Rocha Accioli Lins.
86000
2423000
146IOO0
203*000
2021000
1505000
no acto da
arremataco as suas flaneas", ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretarla da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 4 de outubro de 1869.
O escrivao.^
Pedro Rodrigues de'S-iuza
ARREMATACO
Na sexta feira 22 do corrente na sala as au-
diencias, lindas a do Illm. Sr. Dr. juiz de brphos,
se hade arrematar a terca parte do sitio e casa a
ra de Bonifica na Passageni da Magdalena, ava-
hada em 3:6103050 rs., vai a praca a requer-
mente dos herdeiros de D. Sima Senhorinha de
Almeida.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife sa faz publico que o Illm. Sr. thesoureiro,
commendador Jos Pires Ferreira, no salao da
casa d >< expostos, pelas 9 horas da manilla do
dia 25 do corrente, far pagamento das mensa-
dades vencidas de julho setembro lindo, s amas
que se apresentarem com as cnangas que Hits fo-
ram confiadas. >
Secretara da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 20 de outubro de 1869.
O escrlvo,
Pedro Rodriguet de Souza.
COMPANHIA DRAMTICA
Domingo 24 de outubro de 1869.
Grande e variado espectculo em beneficio dos
actores
, GIL BRAZ E ANTOMO JORGE
Subir scena o lido e magnifico drama em
tres actos, do deslindo escriptor Mendos Leal, de-
nominado
ABEL E CAIM
ACTORES.
O Sr. Gil Braz.
Jorge.
BraV
Henrique.
> Santa Rosa.
> Emiliano.
Antunes.
A Sra. D. Olimpia.
D. Joaquina.
DECLARACOES.
?ela secretaria da cmara municipal desta
cidade se faz publio) que nao tendo sido arrema-
PERSONAGENS
Joo de Mello.....
Dr. Manoel da Cunha .
Francisco de Mello .
Conselhelro......
Jos Evaristo......
Marcelino Pessa ....
Miguel Antunes ....
A baroneza de Amoural
D. Julia .
Segue-sc pelo Sr. Gil Braz urna linda poo'ia de
agrauecimento
GRATIDO E SAUDADE
Depois ser executada pelos Srs. Gil^Braz e
Emiliano a scena dramtica
1MES JE O JAU
Subir a scena o lindo e magnifico drama em 3
actos, original francez denominado
IIIIIlili DI \M FILIAL
PERSONAGENS ACTORES.
Raymundo, velho capilao refor-
mado '............ Jorge.
Paulo, sargento de cacadors. Gil Braz.
Eduardo, propnetarlo......Braga.
Boberto, amigo de Eduardo Emiliano.
Gervasio, droguista.......Henrique.
O Dr. Anselmo, medico...... N.
Um escrivo 9o juiz de paz Marques.
Magdalena, fllha de Raymundo D. Olympla.
Luiza fllha de Gervasio.....D. Joaquina.
Cumccar s 7/2 horas.
E' este o espectculo que os beneficiados apre-
sentam ao respeiUivel publico deste pevoado, es-
perando sua valiosa proteceo, pelo qne desde Ji
seconfessam summamente agradecidos.
AVISOS MARTIMOS.
---------------T-----------------------------
COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
.\'avega?So costeira por vapor.
Mamanguape.
O vapor Mandoln, comman-
dante Julio, seguir para o por-
to cima no dia 28 do corrente
as 6 horas da tarde. Recebe car-
_________ ga, encommondas, passageiros e
dnheiro a frete at as 3 horas da tarde do dia
da sabida : escrlptorio no Forte do Mattos n. 12.
Para o Rio .Grande do
Sul
Com a possivel brevidade pretende sahr para o
referido porte o brigue portuguez Adelina, recebe
carga a frete, para o quo pode-so tratar com sen
consignaurio David Ferreira Bailar, ra do
Brom n. 91
Rio Grande do Sul
Pora o indicado porto sahlra em poucos dias o
bngue brasileiro Tygre, e recebo afguma carga a
frete: a tratar na ra do Vigario n. 1, i andar,
esenptorio de Baltar, Oliveira & C.
charutos finos, 24 cartclras para eharafc (i
da Rnssia), l.berco, diversas raderas avala, aoa-
dros, rclogk* de rima de mesa, ealoaga*. e lew
assim 1 abereco de ouro de lei com penM e ra-
bins
HOJE.
0 agente Martn fura leilio do movis t aai
objsctos cima, por ordem de nma (aaaMa qar
jidou de domicilio, no armazem da ra do iape-
rador n. 16, a 11 Itoras de dia.
~LEILAO
De 99 cal xa* eom amcUii e
de outras eaiaa eom molho
Inglezes ____
HOJE
O agente Pestaa far leilo por conta e risco A
quem pertencer, de Meaas rom amoixas e eai-
xas com molhos inglezes, b"je as 10 horas da
manhaa, n) armazem defrontc da alfawleo>.
leTla
DE
Completo sortlmento de miudezas, p^ifumaria-,
papel, meias, culillerias e de nnmnrros oatros
arligus.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o da 21 do corronle, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandanle J.
P. Guedes Alcoforado, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do norte
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devora
ser embarcada no diado suachegada. Encommen-
das e dnheiro a frete at o dia da sua sahida as 3
horas.
Nao se recebem como encomfnendas seno ob
lectos de pequeo valor e que nao excedam a duai
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medice.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens su se recebem na agencia ra da Cruz
n. 57 primeiro andar, escrlptorio de Anh nio Luiz
do Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DS
Navegacdo costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor Parahyba, commandante Mello, seguir
para os portos cima no dia 31 do corrente,
meia noile. Recebo carga, encommendas, passagei-
ros, e dmheiro a freles no eseriptorio do Forte do
Matt s n. 13.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavcgaco costeira por vapor.
Mama nigua pe.
O vapsr Corunpe commandante
Silva, seguir para o porte cima
no dia 21 d crrante as 4 horas da
tarde. Recebe carga, encommendas, passageiros
2L
e dnheiro a frete at as I
dia da saluda no escriptorlo
n. 13.
horas da tarde do
do Farte do Mattos
BAHA
O palhabote Garibaldi, capilao Custodio Jos
Vianna : a tratar f''in Tasso limaos.
Rio de Janeiro.
Para o Indicado porto pretende seguir com mu-
ta brevidade a barca portugueza S. Joao por tera
maior parte de seu carregamento engajad, e para
o resto que Ihe falta, trata-se com o consignatario
Joaquim Jos Gonca ves Bellro, ra do Comnier-
eio i. 17.
C03IPAHIA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portes do norte esperado
at o dia 28 do corrente o vapor
Paran, commandante J. S. Mo-
raes, o qual depois da demora
do costume seguir para os
portos do sul.
Desde j recebepi-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual deven
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dnheiro a frete at as duas horas do dia ds
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos do medi-
cao.
Tudo quo passar destes limites dever ser
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa
gens so se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
1* andar, eseriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
LEILOES.
De eis burros para roda e nma
boa orea para carro.
ME
Pelo agente Martins, ra do Imperador em
frente ao armsem n. 16, as 11 horas do da.
LEILAO
DE .
urna carropa e um boi
HOJE
Pelo agento Martina, em frente do armazem da
roa do Imperador n. 16, ao meio-dia.
Mello Lobo & C. faro lilao |ior nlnrvenri, J..
agente Oliveira, do mais perfeilo sorlimento ilos
artigos cima sopra indicados, loba propri-
do mercado
Qulnta-feira 91 do corrate
s 10 horas da manhaa, em se:i armazem a na
da Cruz.
Leilo defzendas
Hoje2l de outubro
A. C. de Abren, far leilo por nteraorao d .
agente Pestaa, de um Cmplelo sorlimento de f;.-
zendas inglezas e francezas ; ho|u qninta-frira 21
do corrente, s 11 horas, cm sou armazem a ra
da Cadeia.
LEILAO
Para liquidaco
De urna mohilia do n.ogno, 1 dita de faia, I dita de
seregeira, lavatorio*, commodas, guarda vesti-
dos de mogno com espelhos, 1 secretaria e ami-
tos outros movis, os quaes seio vendidos pa-
ra fechar conUs por serem restos do urna fac-
tura.
Sexta-tera ;2 de outubro, s II horas
No sobrado da ra do Imperador, por interveu-
co'do agente Pin*.. Principiar as 10 horas.
LEILAO
DOS
movis, louca, crystaes, objectos de ouro e urna
porco de charutos, nma mobilia de Jacaranda,
uuii dita de ama relio, urna mesa elstica, um
guarda-louca, um guarda-vestidos, dous espelhos,
nma cama franceza com pouco uso urna commoda
de amarello, dous sofaes de amarello, usados, dona
pares de cadeiras de bracos, 18 cadeiras ameri-
canas, usadas, i bancas para jogo, 2 pares do
cousolos, usados, 1 apparelho de porcelana para
jantar, 2 pares de escarradelras, 1 temo de ban-
dolas, 1 reloglo com rodoma, 1 marquezo para
soltelro, 1 dito para casado, 1 par de cadeiras de
balanco, 1 lavatorio, 1 machina para costura, 1
sllim e seos pertences, 2 sofaes de Jacaranda, an
tigos, 1 candtiro de
DE
movis, iouca e vidros
a saber:
I pianoforte, harmnico, 1 mobilia do Jacaran-
da, caslicaes e mangas, jarro o v.izos para flores,
1 cama franceza, 2 guarda vestidos, 2 guarda rou-
pas de amarell >. 11 ,ile 1 estante, 1 meza els-
tica, 2 aparadores d.) pu torneado-, cadeiras di
jacaranJ, 1 aparelh) de preelana para janl.ir.
louga para aimoco, copos, garrafas e eompoteira
de vidro ; quadro", espelhos, ligara- c muilos ou-
tros objectos.
Sexta-feira 22 do oulubro do corrente, as
II horas.
Por intervfncT.o do agente Pinto no sobrado da
ra do Imperador d. 29.
Principiar as 10 horas.
"LElLAn
DE
111 pecas de p.-i;iel e 75 litis nico para forro de sala : no sobrado da
ra do Imperador n. 2.:.
Sexta-fcira 22 de o Uubro do W.?, s 11 hora<
em ponto.
Por ntervencao do agente Pinto. Principiar as
10 hora*.
do sitio denominad.)Quatro Leoesna ra do
Joo Fornand s 'eir o. !, com urna grande
casa, um andar 3 solao com multas accommo-
modaces. quaitoi fra, eocheira o estribara,
cacimba com excejlente agua, taaiuo para ba
nho c terreno, chaos proprios.
Sabbado 23 do coirenla
O agente Pinto far leilo, precedida a compe-
tente autorisacao, da casa cima indicada, coja
venda se torna recommeodada, j por ser dita
casa edificada em chaos proprtos, como por ser
perlo da cidade ; o leilo ser annunciado s 11
horas do dia cima dito, em o Kriptorioo do re-
ferido asente.
LEILAO
do um sitio no areado do Giqui fprimero do la-
do direito ao sabir da bomba, cora '78 palmos de
frente e fundos al a belra do rio, cora boa casa
de vivenda com 8 janellas de fronte, e accotn-
modaQes para grande fomilia. qu artos fra,
grande estribar! \ bem perto do embarque, 2
vveiros o muitas .rutclras.
Sabbado 23 Jo corrente s II horas.
Por inter-cncao do agente Pinto, va -eu escrlp-
torio ra da Cruz n, 38.
LEILAO
de urna casa terrea n. 11 sita ra, de Santa The-
reia, na cidade le Olinda, com -'! palmos do
frente o 88 de ando, com urna mei'agua pelo
lado-do sul. com 177 palmos do frente c23 de
fundo, com ontra .neir.gua no lado do norte,con
um pombal no .lesmo correr otn C<3 palmos,
quintal grande lode murado, e um grando vi-
velro.
Sabbado 23 do corrente
por ntervencao do agente Pinto, etn sen eserip-
torio ra da Cru: n. 38.
de um sobrado na ra da Aurora n. 4, com
grande sitio eom 13S palmos de frente, mar-
5era do rio Capibaribe e cerca de 2,000 palmos
e fondo (Santo Amaro), com arvoredos e vi-
veres. Tres casas terreas na ra da Paz ns. l,
16 e 18, nos Afogados.
Sabbado 23 do corrente s 11 horas
por intervenco do agente Pinte, era sen eseripto-
rio ra da Cruz n. 38.
LEILAO
DE
DIVIDAS
.\a importancia de lO 13*1 O
ris
Quarta-feira 3 lo novembro dfl 1869.
O agente Pinto lavar leilo, 5s 11 horas do
oa cima dito, por aulorisacao do Urjuidatario da
extracta firma de Soathal Mellors & (1. as di idas
na importancia de 40 437*150 rs., endo........
31:187*310 rs. da conformidado com o mandado
de penhora contri J. de Sique'ira Farrao, e......
9:149*840 rs. de conformidado eom dous manda-
dos contra A, Pinto de Lcmos : o leilo ser
efectuado no dia cima dito, no osripterio do
referido agantejirna da Qruz n. 38." _________
Precisa-se de urna ama para o$er7icod;
gazj 1 porco de alus de j duas pcssos: na rea Augusta n. : t.
)
i
i
\
!
t
.. )
1
1
ntri


Pmc un" colmar:
travesna na
Casa de campo
Aluga-30 urna graiie eaa e sitiu, com commo-
liJades para gratilj f.imilia, na povoacao do
Monteiro : tratar rua di? Apollo n. 4.
W Garlos Antonio da Costa Camino deseja
fallar com o Sr. Jos Bahin da Costa Carvalho a
negocio de scu intt-resse sotfpe urna heranca : na
praca do Corpo Santo n- fi._____*__________
O abaiio assign.vlo provino a todas as
pessoas que lectn ol.j ctos do tiro o prata,
dados era ponlioicm sua casa .tmcssa das
Cru7.cs a. 2, que, si iv> prazo de tres dias,
contar do hoje, nao vieren reformar
suas catitellas vencidas, pagando o respec-
tivo premio 01 resgalalos, serSo por or-
dem da autond.uk competente chamados
nominalmcn e pelos jormes desta cidade,
indicando-so sas morcitlias.
Recifo l'J de outubro le 1800.
N, I)U'ih"isser.
Ama.
Precisase de unja ama de roeia idarle para tra-
i de urna pessoa : na rua da Roda n.
if>, i" andar._____________________ *S
Compaiihia dos trilhos urbanos
doRecife OlincFa
Por ordem da directora sao convidados todps 03
senhores accionistas para no dia 26 do corrente,
as tO horas da manhaa, no salad do Club Pernam-
bucano, se reunirem cm assembla goral, segundo
establece o artigo 13 dos estatutos da compnhia.
Escriptoiio da compnhia 15 de outubro de 1869
O 1 secretario,
Jlo Joaquim Alvos.
Aos 20:000^000
CASA J>\ FELICIDADE
<8-Iracala Independencia-*
Veras & Barbado tem exposto a venda o*
seos felizos bilhetis las loteri;s 227 o 21)8, das
qnacs vem as listas da priineira pelo Cruzeiro do
Sul que csperailo at o dia 21 do corrento, e a
oulra pelo vapor francez do 30 do mesmo.
Os mesmos cima venderam alm de oatras
sortes a do 8004000 no n. 2601. c a de 100*000
em 3M5 ln 2fl
"CASA DA roUTBIU
Aos 4:0005
Billietes garantidos.
A rua do Ci espo n. 23 e casas do costme.
O abaixo asignado, lendo vontiido alm de na-
tas soiles, u n inteiro n, 1172 com 1:0003 da lo-
tera que se acab iu do exirahir a beneficio da
Santa Casa de Misericordia (12:]') : convida aos
possuidores u virein receber, na c mi'ormilade do
costume sem descont aiyum
Achara-se a venda os brinetes da 2> parte da
lotera, benjelicio da matriz do S >ssa Senliora da
t'enha de (ia eileira (liV), que se exlrabr se-
;unda-feira 5(5 do correle mez.
Precos.
O- do eoslnmc.
Manoel Martina Fuza.
EMPRESTIMO SOBRE
rua
pri-
CA*A BAFE.
I 20:000^000.
Bilhetf s do Bio venda : rua do Cabog n. 2,
vende Vieira & Rodrigues.
Alt a-sc a casa terrea n. 6 da irna Velha,
na Boa-v sta, com soffrivel commodo. fr-jsca o com
quintal plantado : na taberna da Primavera de-
fronte da caixa d'agoa.
_ Precisase de um caixeiro de ti annos que
enhaalgamapraticade loja de fazendas para ir
para Mamanguapo : a tratar na rua da Cadea do
Recife n. 88. _______
Para escriptorio
Alaga-so o primoiro andar do sobrad*
vessa do Corpo Santo n. 23 :
do niesnio.
da tra-
a tratar no armazem
(sem lmite.)
a travessa da
das Cruzes n, 2,
mciijo andar, da-sc qual-
quei quanlia sobre oiiro,
prala c pedras preciosas.
O dono deste .estabelccimento,
competentemente a j tensado pelo
goven: o, est na? condieoes de ga-
rantir a transaeco que se fizer em
sua casa, prometiendo todo o zelo
e considerarlo as pessoas que se
dignanm de honra-lo emseu esta-
belccimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata 11 brilbantes.
Precis: -se de um eriado para todo servico
de hotel, pada-sc bem, pretVre-M e.scravo : a ira-
tarnarua c=treita do Rosario n. II, hotel Li'sbo-
Li^5es de cauto, msica de-
senlio.
G. MARINANGELt. fu-ando sem meos do sub-
sistencia pela horrivel cataslropho acontecida no
tbealro de Santa Isabel, c nao querendo ser de
peso sx-iedade, propoese a dar lieftes de msi-
ca e desenho como ja. Hiera ha mais de vinte an-
nos em cinco collogios de ambos os sexos e em va-
rias casas particulares.
A generosa hospitabdade que elle ha rccebido de
todos, e a amisade que sempre Hu consograran)
as pessoas mais eslimaves desta cidade. faz-lhc es-
perar que desta vez tambern Ihe nao faltar ira-
balho, com qr?e possa sustentar sua familia, o pelo
que invoca a coadjuvacao de quantos o conhecem
no sagrado empenho em que se ada, no meo do
qual pora em a celo todas as suas f>reas para con-
tinuar a mostrarse digno da proleeco com que
sempre foi honrado.
Aspessas que so quizerem aprovcitardo seu
desvelado presumo, poderfio acha-lo na rua do
Sive (l'ha dus Ratos) em urna das casas do Sr.
Tiburcio. nerto de quatro coqueiros.
GIUL1A BELTBAMINI MARIXAXGEM, ds
emula do conservatorio de Milito, decidindo-se a
defecara carreira Iheatral c flxar a sua residencia
em Pernambuco, onde sempre recebcu tamas pro-
vas de eslima c svm.ialhia, pelas quaes conserva-
r eterna gratido, deseja empregar o seu tompo
em dar licoes de msica e canto, tanto de aper-
feicoamento como de principios.
As pessoas quequizercm-soullisarde seu pres-
timo poderao dirigr-se a rua do Seve (llha per-
dos Batos) em urna das casas do Sr. Tiburco,
to de quatro coqueiros.
Sabo de alcatrao
Para enrar as molestia* da pclle
laes como empingens, dartbros, sarnas, comichSes
e mais molestias de pclle, sem occasionar acciden-
tes ; desfaz as manchas do corpo, pannos, sardas,
reslabelece a cor nalural, qnanto a culis, secca,
grossa c amarelloala, occasonando por alguma
enfermidade, e como desinfectante c preventivo
das molestias contagiosas.
NICO DEPOSITO
Botica do Pinto, rua larga do Rosario n. 10, junto
ao quartel de polica.
Aos senhores relojocros e a qualquer pessoa a
qnem fui offerecido, roga-se a apprcheuso de um
relogio do ouro patente inglez deseoberto, mos-
trador t: mbcm do ouro, n. 61 8, do fabricante Jo-
seph Pmlington, de Liverpoil, com o neme do
dono Jchn O'Cmncl Doylo, gravado dentro da
caixa, cujo relogio foi furtado no domingo, 17 uo
corrente, do sitio da Capunga n. 17, no |wrlo do
Lassern;: quem o apprehendcr leve-o ao mesmo
sitio, on rua do Commerco n. 48, armazem. que
ser recompensado.
Alnga-se um grande armazem laJrilhado de
pedia e cal acabado osles dias, uo largo da praca
semicircular do caes de Apollo : a tratar na rua
da Cade. La n. 42. ^___
Al
Urna muiher de meia idade olTerece-so para
servico interno do casa de hornera %olteiro : a
tratar na rua do Cotovello n. 8.______________
Precisase de urna ama para cozinhar para casa
de pou( a familia : na rua dos Pescadores n. 10.
Piecisa-se de urna ama para casi de homem
solteiro prefere-se ser do mallo, que saiba cozi-
nhar c engommar, sendo moca, parda ou mulata .
dirija-so a rua da Aurora n. 56._____________
P-ccisa-sa de urna ama que saiba bem cozi-
nbar para casa de familia : no Corredor do His-
po n 2.____ _________
Ama.
Precisa se de urna ama
urna s pess a : na rna
i para todo o servico de
da Concecao n. 1._____
AeaM* de vahlr Iaib e aeho-M
* venda
FRANCEZA-
lln;\
Crespo,
as afaaids Folhioiai
TABA 0 ANN0 1E 1870
PRECO H.S 3*0
: ^-:
Precisase do urna cosinheira : no Musen de
Joas, rua do Cabug n. 4.
o. a "^
"" 2 o c
^ N X CU US
T- O a; aa
M s S
2.S s
re a.. CB =r
0>- tSl 05 6 a> EJ
mi*
eve-e

S. m
O H
-. ^-
55 e-ss^
S-3 ==
u>
o v
a>
Precsa-se de urna
n. 21, 3o andar.
AMA
ama de leite : na rua Nova
M'deque.
Prccsa-sc de um moleque de 14
para vender ioias em urna tabolela
Cabug n. 7 A.
a 16 annos
na rua do
Frederico Skhiner, tendo chegado do Rio Gran-
de do Norte, e sabendo da morte de seu muito
prezado amigo e mestre, Jos Antonio Alves Neiva,
roga a sua Exma. familia e aos membros da so-
ciedade dos Artistas Mchameos e Liberaes. c fi-
nalmente a todos os artistas que tiveram a felici-
dade de cultivar relagoes cmele, para assistircm
urna missa na reja matriz da Brta-Ysta, sabbado
vindouro, pelas 6 horas da manhaa.
Joqnim ancisco Lavra ten lo de mandar ce-
lebrar ama l afosa na matriz da Boa-vista, segun-
da-feira 2j a corrente, as 8 horas da manhaa, por
ser o primel 'o aniversario do passamento do seu
prezado cun lado c amigo Bernardino Jos Montei-
ro, fallecido em Lisboa, convida a seus parentes c
pessoas de sua amizade e as do fallecido para as-
sistirem a esto acto religioso, dando com isso urna
urova de qu:into apreciavam as suas boas quah-
dades, e colijo um ultimo tributo de veneraeao s
suas cinzas. 1 _^__^^_____
Diamcricb Augusto -1 > I!";o Rangcl. Franklin
do Rfgo Rangel (ausente, Joaquim Jos do Reg
Rangcl, UKses do Reg Rangcl, Jos Francisco
do Reg Ra sel, Maria Aogasta do Reg Chaves,
Paulino Bod igues Fernandas Chaves, rogam aos
seus parentes c amigos o caiidoso favor de assis-
tircm a missa que mandan) retar na matriz de
Santo Antonio, as 8 horas do dia 22 do corrente,
bosra.
Alosa -se
urna casa em Reberibo : a tratar cora J. I. de M.
Reg, rua do Commcrci > n. 3i.
Luiz Manoel Rodrgues Valena, como pro-
curador de sna malher o comoetentemente auto-
risa lo pelos de mais berdeiros dos fallecidos cap-
to Antonio Gomes Pessoa e s-.a muiher, e outros
consenhore, representantes de mais de 3/3 do va-
lor do engeaho Taba'.inga, sito na freguezia de Ta-
imara, termo da Parahvba, seis legoas distante de
Goyanna, contrata qualquer arrendamento sobro
dito engenho, ou vende ditas partes : para cscla-
recimentos e tratar, na rua das TnncUeiras n. 50,
1* andar, ou cm seud>m2lio a ruado caes de
Detencao n. 3.
de leite sem lilho :
Joanna Maria de Freitas Gamboa e Izidoro de
Freitas Gamboa, muiher e filho do fallecido Fran-
cisco de Freitas Gambda, cordialmente agradecem
aos amigos de seu fallecido marido e pai, a bon-
dade que tiveram de assistir ao scu funeral e acom-
panharem o seu cadver at ao cemiterio publico;
e de novo es convida para assistircm a missa do
stimo dia a qual ter lugar na matriz da Roa-
Vista no dia 22 do crtente (sexta Caira) as_7 ho-
ras da manhaa, pelo que anda gratos icarao por
este acto de caridade o religio.
Quem qnizer alugar o segundo andar do sobra-
ao n. 40 sito rua da Cadcia do Recife, o qual
est perfeitamento pintado, forrado a papel e es-
teirado, tendo alem disto gaz, dirija-se ao escripto-
rio da compnhia Pernambucana, no Forte do
Mattoi n. 12, que ahi achara com quem tratar.
_ O testamenteiro do fallecido subdito francez
Joao Vgnes, convida aos ddvedores do finado a
.saldaren! seus dbitos amigaveimente,do contrario
sero ajuizados sem excepcao alguma._________
Na rua da Moeda n. 5, 2 andar, escriptorio
de Maoca' Alves Ferreira & C, vndese vmho
verde superior em barris, ancoretas com vinho do
Porto superior e malvazia branco.
CAPELLAS
PARA FIMA m
Na luaestreila do Rosario n. 35 tem capellas
de era vos e de saudades, proprias para o dia de
finado, e faz-se tambern de perpetuas, sendo cn-
comm -miadas tres das antes, ludo por mulo ba-
rato preco. __________
ATTENCAO
Pre-sa-se alugar urna escrava de idade para o
servici interno e externo em casa de pouca fami-
lia : a tratar na rua do Socego n. 12, ou nesta
typogiapliia, as 4 horas da tarde. __________
Aos Srs. professores
homoepaticos
Urna pessoa mandando vir de Pars para seu
uso, da pharmacia de Coltelan Je VVeber, dro-
gas e objectos homcepalicos, succedeu vireni al-
guns sobreselentes, por isso disp5e-sc a sede-Ios
mediante a um pequeo ganho sobre os juros do
dinhiiro, vindo a vende-los muito cm conta.
As severa-se serem preparados com todo o esme-
ro e 'Mudado, aflm do produzirem os effeitos dese-
jados as molestias que se applicar, pois foi man-
dado: vir de proposito : taes sao ditos medicamen-
tos, tendo a grande vantagem de seren nao se cui-
dado'ament preparados, como novos, e vindo
nesui recente viagom do vapor JVararre.
Urna pharmacia com 150 lubos dos pnncipaes
med :amentos.
Urna dita de 125 frascos com tintura matre.
lima dita do 150 frascos com tintura na dena-
misa *aoque tem produzido effeitos maravilhosos.
Gl )bnl.s saccarinos inertes de superior qua-
ldade. .
Alcool de 95, c 60 0/0, encommenda especial
para linturacao.
Tobos sortdos para glbulos com romas.
Rdhas de cortina de primara qualidade para
fra?( os e tubos.
ViTdadeira rnica montana em tintura matre,
vinda directamente da Suissa.
JalBtas de arnicos, especialidade neUo genero.
Fiascos sonidos com rolha a esmerile sem ellas,
recomraendaveis por serem vindos da pharmacia
homcopatbica.
ASSIMCOMO: .
Urna rica cartera crnrgica para algbeira com
tod^s os ferros do melhor fabricante, contendo
maii de 36 ferros, lancetas, agulhas, etc.. argulhas
e pi isas de prala Ona.reconimendavel pela sua es-
pecialidade. Ver c tratar rua dos Ossos, onde
est o hospital de Sante Thercza, casa ns. 2*. e
24, a qualquor hora.
Veneravel Ordem ter-
O fabricante e proprietaro da labrica de I mea
da villa do Cabo, ratifica scu annnncio do 1" do
corrente, em que fez ver nao sabir de sua oOicina
louen em remessa que nao seja para scu deposito
nesta praca, rua das Cruzes n. 2, em Santo An-
tonio. All acharan os freguezes nni varalo sor-
tmenlo que satisfar ao respcitavel publico mes-
mo na commnnidade de preco e faeilidade, livre de
quebras e carretos com mu diminua dlTerenca,
segundo a qualidade c porcao, nao s a retalho
como por grosso. Os pretndentes all acharao
pessoa habilitada qn satisfar cabalmente, indo-
pendente de oppinies mesqninhas que nao invol-
ve no negocio. Urna vez assim declarado, parece
imprudencia ou positivo, repetir exigencias, de
remossas desta offlrna, para se formar niosjuizos
de seus annuncos; o fabricante acha-sc indepen-
dente de compromissos para com qualquer oulra
pessoa, e s para com seu deposito nesta praca e
responavel. Villa do Cabo 20 de outubro de 1809.
fabricanteJoao Travasso,
Precisa-se
De um cosinbeiro ou de urna cosinheira para
urna casa estrangeira : a tratar na rua da Cadeia
n. 36. _
Aluga se o segundo andar do sobrado da rua
Nova n. 58.
Lava-sc e engomma-se com toda a perfei?ao
por commodo prece o garante-se : na rua de nor-
ias n. 43.
Precisa-se de um menino de 12 a li annos
de idade para criado de urna casa : quem pre-
tender dirija-se a roa Augusta n. 96.__________
Aluga-so um bom escravo e bbom par;>
pciro e bolieiro : quem precisar dirija-se
Santo Amaro ao sobrado junto do cemiteno
glez.
co-
em
ii-
o
-5
-
-i w 2._ *" o o S
fiiliPs'
= S S S3 <' o
O f-1 O SS ^ i -5ro
i^C 5 2. .
g's'S'S s"e S3 g
S 5^- 3
So>5?=:S-sj3
a-c" 3
a s ffi C. 5
-i v
tei

u
3 2 9 O
/
CD
"^lo
2
c9|3
zsts srs es s^-0
(o ai c
r
o,- g." 5=g S o
CD
WS.3.
= 3
o
B O
3

BKBB = 1 og
a a Cu S'CO 2
E5 38 So !.
SoBoS n "3
~ u> a v O cu
i T g ? ? i 1 r
c 5. c a 2. o
re co 3 "
g.g-0. u -
i:iflf
3 -B" O W B
2 B si.fi a *-
Domingo noute, 17 do correnlc, desappa-
receu um cachorro galgo cor do caf com listas:
quem o achar e querendo entregar, dirija-so a
rua Nova n. 2o que ser generosamente recom-
pensado.
TT
l'recisa-sc de una anal
no pateo de S. Pedro n. 3.
CRIADO
la para alugar um moleque de 14 a 15 annos .
na praca do Corpo Santo n. 17, i" andar.
Ama
Preci*a-s* de urna ama forra ou captiva que
sirra para engommar c lavar para duas pessoas :
i:a rua das Cruzes n.
AMA
servico de
Iriou-
Precisa-se de urna ama para lodo servico
urna senliora : oa rua de S. Bom Jess das Cri
las n. 8.________________________________
Precisa-se do urna ama para cozinhar e en
eommar para casa de pouca familia
a tratar na
rua do Vigario n. 9, 3
Aluga-se o Io andar na rua da Imperatrir
n. 22, e o da rua do Rangel n. 33 : a tratar no
pateo do Ter?o n. 18.
ceirade N. 8. do
Carmo
Tendo a meza regedora de prestar as
suas contas at o da 26 do corrente, e
podendo acontecer que poresquocimento
deixem de ser contempladas alguraas
dellas, convido quem se julgar credor,
: baja de apresentar a sna conta dentro do
| prazo de tres dias.
Secretaria da Veneravel Ordem tercei-
t ra do Carmo 20 de outubro de 1&68.
I Jeronymo da Costa Lima,
Pro-secretario.
Precisa-so alugar urna escrava para engom-
mar e cosinhar: tratar rua da Cadeia n. Ji
secundo andar.
a
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de taberna para tomar coma de urna taberna na
rua das Cruzes n. 24, dando fiador de sua con-
ducta. '.________
Alugam-se
duas casas terreas sitas no Manguinho, a margem
do rio, recommendaveis pela va frrea : a irataa
na rua do Vigario n. 31.
Joaquim Jos Gon-
calves* Beltro
RUA DO TRAPICHE N. 17. 1. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
jo do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
GuimarSes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde-
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalic5o.
Lamego.
Lagos.
CovilhSa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
34.RIA LARCA DO B0SAM0.34.
Noi cosinmmo procarr llett*dos par acreditar
osos preparados, e deixaraos qoe toa applicato o os
resoltados obtidos pelas pessoas que ae dignaram acceila-
los, Ihe deem crdito e toga ; porqo sao sempre o
(testados considerados gniailot, delles qae linca
mao o charlatanismo; mas ni qoerendo offendef as pes-
soa? qneespoutineimente nosoffereceram.os qnc abaiio
to transcriptos, os filemos publicir mMifestiudo-lhes
nossi grildio pela itteno, espirando qne Tenham
lies corroborar o conceito, e icceitacao qoe tem mere-
cido nosso xarope. CariAolomto & C.
TTESTI0.
lllms. Srs. Birtholomeo ICE com a mais subida
atisfiDo que declaro ser o xarope Americano de omi
etflcicia exlraordioiria, pois qoe soffrendo ha da ae
intens tosse, i ponto de oio poder dormir i noitei
despeito mesmo de medicamentos que tomsva, elle
recorr e ni terecira colher fui alliviido. de todo me
cbo boje reslabclecido com o uso sement de quisi
meio frasco: grato pois i esse resallado manifest a
V, Ss. mea reconliecimenlo. De V. Ss. imigo. ve-
nerador e obrigado. Manoel Autonio Viegas Jnior.
Sua cafa SO de abril de ISC8.
lllms. Srs. Bortholomco k C. Penhoradissimocom
o favor que me lizeram de aronstlhar o uso do xarope
Vegetal Americano, de sna composiio, quando bm
ichera bislsnle doentc de urna constipaco, qn
tornou complelimente ronco e quo trooxe mu fort
tosse. e me iapossibilitou de cumprir os meus deierea
de cantor di emprea Ijrica, tou agradecer-lhe
completo reslabelecimenio, que oblire com um s Tidr
do mesmo xarope, depois de harer recorrido a muitos
tratamentos. Desejarei que outros como en recorrim
o sen xarope pira s verem aliviado de tae t*friel
incommodo, Uo fatal nesle piir. Com milor conside-
racio contino ser de Vt. Ss. tlcnlo, enera obrigado. Luii Ctemona. Recife 25 de setembro
de 1808.
lllms Srs Barlholomeo C.-O xarope Vegetal Ame-
ricano qoe Vv. Ss. tem exposto a-venda e de toda ertt-
cacia para o curativo d'isibmi, canforme observe ap-
plicando-o a men lilho Joaquim. menor de qnatra
annos; viclim d'esse flagello, que it entiopor espato
eicedente a dous annos bata resistido a outros uropes
de grande nomesda. Queiram pois Vv. Ss. acceitar a
espresso altamente sincen de men reconhecimenio m
meritorio servico qne lbe prestaran com o indicado
xarope, icre atiento e obrigado. Americo Nelto de Nendonca.
Hecife 2 de outubro de 18C8.
VERDADIRAS ^||
PILULAS de BLANCAR^I
COM IODURETO DO FERRO INALTERAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETOjl
Possuindo as propriedades do lodo et do -erro, convem especialmente as Arrt
escrofulosas, a Tsica no principio.a (raqwsa de temperamento e tambern nos casos fle
fTltam con AMF.NORRHF.A, em que precisa reagir sohre o sangue seja para res iu,r
-Ihe a sua riqueza e abundencia nomaes, ou para provocar e regular o seu curso penodip.
N. B. O iodnrelo de ferro imporo oo alterado um medicamento infiel, ^9S ,
irritante. Como rrova de porea e de autliencidade das Yt**m*t*nu n- yfJ/jjM/yf^y/l
lula de BU-e-rd, devS-se exigir nosso eJI. e Ert* t^/-UJ77m^^
nosso flnB, aqu reprodnrida, que se acha na parte inferior de um C Cr-
ralulo Terde. Deve-se desconfiar das falsificacos.
lEta^HeiiMlijiftenm! Pharmaceulico, rua Jonaporre, W, PoHi
RUA
IDO
CABUG
- esquina
| da rua larga da
Rosario.
40
de orne
OJit 1BE
UA
EO
Este importante estabelecknento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender.
CABUG
esquina
r. da rua larga do til
Fvisa iia^TTio"pro" da, joias cada um pder-se-ba eonvencer da^verdade jn
Garante-se ser tudo de Id. Compra-se ouro, prata e pedrs finas por precos mmto ele- Bowno. JU
vados.
m
A loja est aberta at s & horas darnoute.
I



m
Diario de Pernambuco Quinta feira 21 de Outubro de 1869
'

BORZEGKIN DORADO
Nova loja de calcado
JOAQWM DAS DOS SANTOS 4 C. acabam de abrir um estabelecimento de cal-
cado estrangeiro a na Nova n. 30, onde o publico encontrar Indo qne neste ge-
nero de comniercio ha de melhor e de mais gosto em Pars e Londres.
Por todos os vapores transatlnticos recebero elles constantemente remessas- Je
calcado aovo, pelo que lera serapre o estabelecimento o que a respeito se pode e -
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedem a cooperado, que
Ibes possam dispensar, certos de quesero servidos com lealdade.________________
*v*mi
Mikroskope achroma-
tiseben. ObjetivLin-,;^^
sen.
. MI FOI PRECISO AGUA BENTA
O demonio mudou-se por sua livre e expontanea vontade
VIVA O DA DE S. BARTHOL&MEll
Agora ninguem presuma que fot um demomo qmlquer, foi
Barmetro e termo-
metro. Centgrado
e reuumeure.
Causa admiraran,
Mas lo se pode duvidar;
No armazem Independencia
E' onde se pudo comprar.
ran\ k
t)
donos deste importante e magnifico armazem de seceos e molhados sito ra do Rangel
n. 3, julgando nao aceitaren* concordata alguma com os seus collegas resolveram '1er
nominar o seu armazem INDEPENDENCIA, assim como o seu fin nao seja illud-
ao respeitavel puWico duixaro de annunciar, sem o que o mesmo o julguc e admire...
Mas como nos pontos da va frrea, j se tem diseuiido o apreciado a realeza e mros-
sibilidade a ver quem vende gneros Ufo barato, por esta razfio que annunciamos para
que todos tanto da praca como do matto acreditem o que neste asseveram -e aqueles
que anda nao nos tenham honrado com suas rreguezias, poderao dirigir-se ao meso,
certos de queyerao gravada a siuceridade c mttiiodo de negociar muito franco sem qua
necessitemos de andar mcia noite petos oities das matrizes figurando-nos por bous
demonios nem mesmo na frente da msica com o pendio na ino feito balisa.
FERSEIRA & IRMAO,
Ra do Rangel n. 3, armazem da Indepen-
dencia.
OCULOS raiSEBNCBS
E crystal de rocha do Brasil.
F. J. Gerwaun, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com este.', vidros, a vista descanca, fortifica-se e nao a canea como cara
os vidros ordinarios. Urna vez cscolbido um vidro> pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e deterraiua quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perlo de 30 centmetros dooho.e,
todas as vetes que o objecto est mais pe lo ou mais loaga, os ratos qne expelle s5o
mu convergentes ou mu divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o debito de taer convergir muito de sorte que a visao nao distmcta.
Com a applcacao de meus vidros pde-se vencer estas difculdades. Para os que tem
a vista curta e cuio crystalino -mu convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe) o que se chama myope, por meio de um vidro concavo afasta-se o ponto de
vista, o qne faz divergir os objeetos e deixa ver lo longo como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muflo chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem melhor de longe que de perto, e nao enxergam senao
um ncvoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
to distinctamente como na idade de i5 annos. Servindo-se desles vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
p J. Germana encarrega-se pela sa experiencia, tendente aos olhos, a es-
coher/a primera vista, seja qual for a iade egro de vista, oculos propnos para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? 7
ANME DELSUC
CABELLEHIEIRO
^7 A Ba do Crespol. andar 7 A
ENCONTRAR-SE-IIA sempre neste estabelecimento um variado e bonito sorti-
mento em perfumarias francezas e inglezas cuja lista damos aos letores.
LUVAS Marca garantida de JOUVIN.
EXTRACTOS.De superior qualklade mareas LUBIN & GOSNELL.
DITOS FINOS.em frasquinhos prop ios para presentes Lubin d Gosnell.
POMMADASBanha fina de varios cheirosLubin.Gosnelle, Societ Hygini.iue
SABONETES.finos para toiletteLubin & Monpelas.
AU DENTIFRICE.agua para limpar denlesSociet Hyginique Lubin & D.
fierre.
BRILIIANTINA.para lustrar a barba e os cabellosLubin.
AGUA DE COLONHA.Marca verdadeira de Joo Marina Farca.
COSMTICO.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
HUILE DE SENTEUROleo para conservado dos cabellosSociet Hyginique
ESCOVAS FINAS.para cabellos, deutes e unhas.
BLAIREAU.Pincel para baiba.
GRANFOS.para cabellos.
REDES INVISIVEIS.para cabellos.]
GRAVATAS LINDISSIMAS.do melhor gosto.J
BENGALAS.de phantasia, para passeio c de diversos (amanboselc, etc., etc.
A la parfumere^arisieniie.
7 A BA DO OIlEGl'O ----- l.'ANDAR 7 A.
MDALHA A EXPOSIQAO UNIVERSAL DE I867
Pana a Superior idade d'a
Isitttlada por LEGRAND, Perun-is.a do Imperador do3 Frascexes,
IMHS. 207, Boa Saittt-Uouor, 207. PAHIS.
CRMB ORI2SA. ORI2SA. LAOT
DE NINON DE LEKC1.0S
Pura dar frncxnu A .tllr, detlruir al rugai da cara,
KOiertar ettrnameiile a telina dj jucenlule.
LKITE.ANTF.rilEl.lCO
Para rt'reicar, tranquear e aducer a pille, (tiende
dtejpp.xrtcer at nodoai e ai tarden.
SARAO O MIZA....... D'uma mssa cice**iv8inenle suave c d'iini pe fume dos mais delicados.
()..i/.A-ILL ID........ I'nmaila fnnilicaiilienuliilha para romrncrnsoiibcllosccnipalilosile quebraren.
ORIZA PIIII.OCOMB.. Tonino de boi e oleo ile uvrla com Inte k (tuina para os cabellos.
OlilZA-OII........... OU fiiissimo p"rfnniano para lilrar os cabellos ; euipnlos de quebraren).
OR/. \-l)i',ll.l,AMl.VE. CinI.iIIsikIo oin vilela, para dar brilbo aos rabe'.los c a barba. '
OI1IZA r'LOWRRS.... ARiia inconip:ravel de um perfun;c suave e d(lita*>, para forlicardo la pelle.
OKI/.A-ACIDLI.IN.. Vinagre do loucador, aroma e aulepliilieo.
tSSKNC.K ORIZA..... Perfumo cnncvnlrado para os lencos producto muilo delicado.
OK1ZAI.YS.......... Pirfuiiicdo bom lom c da Ha sockdade paia os lencos.
OIUZA-I'OWDKHS.... Klor de orroi da Carolina para a cara e a belleza da pelle.
ORIZ \-DF.NTlKIUCK. Para ahrjar os denles e conservaras genghns.
ORIZA-DKNTAIRK.... Nova RMM para alvejar os denles sew deslruir o esmalte.
AGUA TNICA DE QtfINA E POMADA DE BALSAMO DE TANNINO
Fin JiBieu t nkWiUit it rjkwi, h;ii'jii i ote lo, s t^init it uiii i m iuim tieistr ririUBal.
DCP0S1T0 CEILVL na Caza de
E em Caza de todos Perfumistas do Brazil.
MEXCAO-DE HONRA
Venda- aa em (nacos
DE EACALHO *> *o. tri.ngu-
lares, pliarmacia llocs,
2, ra de Castigliojie,
em Paria.
\* < iiilrafiM^rir, os olio i.ur.lo*. ,l'i..:i .-...:;, (uro, a mais coiiiposli;8es felfas rom leos
dv. p. i-.osrwnJD-iii, laes cooio -. o-jiic. a u.r.-.i, u pJtfnM, a lito, usoit"s Jvs a-mad.iret/.oaW',
.o o :l,. i. i .. Kui : teru '.''. lo Kt>wiltmo.||q E'<-.r-i-\.nu. L-u.; ulcaai con.iauus OU seos iifniliiiin i j^
i. ii<'.'-s na iiduii ria i prcroa mu b^ivos.cm qua.-uo ijue.o jenJadciro*teos do Agado e bacalbao'
fe* i le i..i uto caro, ilsto que pira olitcj-os fretr.ue e ser millKfq, cunipro exerear
fraii'l. vigilancia itr aviriaiorw cuidad*) nos prtprioa libares das peca, assim como manda fator
'I. ogR d.iMln o amMxie 1S0. Kstt oleo, puros de BaMlliAo d Tenn-Nova de llosa
; pruoso ucdicatuonio ui:ia fama univeraai na nwteeliaj Ho peilo, at affcrciet
,-trrty ilutase yiHpJiaikaS, a mai/ieta ^j, uii-cOo.
.Vi'a. 0 oleo tlr Woia e mu fr.r de digerir.-4isti:ignc-se ntfa os outros leos pela sua
r de paulado mo ciieiro sna.e e ddi ado, e seo.gnato de sardinlia fresca.
Os Terdadeirot OOXXAaVI B.OT*, os nicos approrados pela
Academia de Medicina, tes aasia asno o aaeos outros producto
aUrabido a cupidei dos falsificadores, que para facilitar sua criminota
industria nao sepjao, nem receiao annunciar vender falsosCorr.aB
ias asav noaia. En prefino as familias paia interesse de seus filaos
pie, para evitar alslncacoes, derem exigir, qne mena Oox**a Ibes
sejao Tendidos em cahas de tasabas de encalle e corredW eobertas
por a ettiquetas con minka marca d fabrica e encerrando na
prospecto circunsunclad, e selladas por tuna medalba com o leureiro.
COLIiB BOYEB, Rae St-Iirtii, 225. Para.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuveos.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos so designaes.
Para a vista que se turva com o traba-
lho e a leituta.
Para a vista presbyta (vistagalon.).
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o oulro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Mas ito sahio da Boa-Vista
CHEGOU-SE AT PARA MIIS PERTO DA MATRIZ
Sea dominio*est hoje ausentado, onde foi botica,
ESQUINA DA RA Di) ARAGAO N. 32
VEVIIAU VE-EiO
Como garboso se slenla
Como lepido se mostra
E as diabluras que faz!!!
Negra tranca no eolio Ihe ondeia
Solta briza ao mago desdem ;
Deita a fronte n'um peilo e conheco
Quantas magnas o seio conim.
Esta linda e gentil creatura tamben) ________
VEMDE
Queijos, manteiga e caf,
Vinlio, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
De Nantes boas srdinhas.
Tudo barato
Para agrada*,
Venhara freguezes
Que nao de gosiar,
N. B. Brevemente ser annunciado o dia, em que este importante armszem e
lhados ter principio a pratica de certa diabrura.que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da ra do Queimado. Por ora veaham os freguezes visitar o nosso es-
tabelecimento, comprar os nossos superieres gener. s por precos muito rasoaveia.
Manteiga ingleza flor a 1^300 por 500 Vinho bordeaux em caixa. "000.
*
fc
Sorlimenio de binculos
para theatro, e oculos de
alcance para o campo, e ma-
naba.
Lunetas, pince-nez e
facc--mam, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tsmbem grande, soilimepto de relogiospara parede, que dao horas e para
imademes.1 dos mais Hnuos' mfelo'Relogios para algibeira, de onro, prata, prata
dourada efoleada, inglezcs, suissos e orisontaes dos melhorcs e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso c a retalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua IJovaN. 21.
COMiMLl DOS ANA1ZES
16RA DA CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
les qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doce? de
calda, etc.
Incumbe-se de enccmmendas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
samentos, a saber:
Pecas de nougat. Paes-de-lot enfeitados.
Ditas de pa-de-Iot. Bollos idem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crm e carne.
Bandeja com armaco de assucar. Empadas.
HOTEL CENTRAL
RESTAURAN!!1 A LA OARTE
DE
Francisco Garrido
Entrada geral ra larga do Rosario n. 37 e para familias ra
estreita do Rosario n. 4 A.
Este vasto o acreditado estabelecimento sem duvida o que offerece maiores
vantagens nao s em precos mdicos como por sa tornar o mais prximo possivel das
estaclo dos caminhos de ferro e ser beira mar do caes Vinte e Dous de Novembro, que
tambem se presu ao embarque e desembarque dos passageiros que vem de outras pro-
vincias e da Europa, e que preferiremessa accommodacio menos despendiera nos trans-
portes da bagagem.
Os hospedes actarao todas coYnmodiiade.em grandes salas e asseiados quartos.
Ha sala para leilura de jornaes nacionaes e estrangeiros; na mesma ha um
magnifico piano para recreio.
Ha urna outra sala para janlares particulares.
Come-se a mesa redonda a la cartee manda-se domicilios.
Os vinhos mais finos do mercado acham-se no estabelecimento.
A* noiHihie refrescos, caf, cha e chocolate a toda a hora. Tem mag-
nficos, buhares de mogno para divertimento.
Falla-se hespsnhol, francez, italiano e inglez.
grammas.
Dita dita a 1^200 idem.
Dita dita a toOOO idem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a fOO rs. idem.
Cha fino superior a 3#500 idem.
Dito dito a 3*200 idem.
Dito dito a 3,5000 idem.
Arroz pilado a-tO rs. idem.
Caf d carofo a 200, 240 e 280 rs.
idem.
Milho apista a 210 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a 400 rs. idem.
VeHas estiarinas, masso 720.
Potes com sal refinado a 400.
Ervilhas franceza em manteiga, 000 rs.
a lata.
Fructas portuguezas em calda a 600 rs.
a lata.
Ditas s de pea gos maiores a 500 rs. a
lata.
Tijolo para' facas a 120 rs.
Chocolate espanhol a 14000 o masso.
Frascos com conserva a 900 rs.
Ditos dita de mustarda a 800 rs.
Latas com carne de porco a 800 rs.
Srdinhas de Nantes em manteiga a 800
rs. a lata.
Copos finos para agua, duzia i800.
Garrafas finas para meza, o par 55000.
Cognac engarrafado a 800 rs. .
Azeite francez engarrafado a 1$000.
Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinias de J:Terentes naneas, a
1#400.
Fosphoros de seguranca, masso 500 rs..
Banha de porco a 720 por 500 gramma.
Vinho do reino, g.irrafa a 15000.
Charutos do Lima a 55 c 65 a caixa.
Sabaode massa a 240 rs. por 500 grad-
inas.
Latas comameixas a I?, 15500, 25800
e 35500.
Dilas de manteiga a 25800.
Ditas juliana a 15 por 500 grammas.
Frascos com iriacSas seccas a 25000.
' Serveja de dTerenlfs marcas, duiia 64
I* Tapioca do Maranliao a 2i0 rs. por 500
grammas.
i Farello em saca com 21 kilos por 5*.
Liguicas c paios a 800 rs. por 500 gram-
mas.
G z, lita a 85500.
Dito em garrafa a 400 rs.
Latas de peixc a 800 rs.
Bolaxinhas beato Antonio a 15200 a lata.
Latas de p5o-de-l a 000 rs.
Biter em garrafas a S00 rs.
Licores linos como coraeol, amisade, e
outras muitas marcas a 15000 rs.
Estrilinhas para .'opa a 800 rs. por 500
grammas.
Marrasquino de zeroa 15 a garrafa.
i'
(
Presunta em barril a 480 rs. por 500 Massa de tomate a 720 por 500 graift-
grammas. mas.
Os proprietarios garantem tudo quanto cima est especificado, adverte a todoa-
que nao conhecera o peso de 500 gramma?, mais de urna libra, e se explicar quolle
que nao entendem.
?
N
"I
|
A' ra do Crespo n. 20 Aresquina da ra das Cruzes.
Alvaro Augusto d'AIrneida 4 C. parlecipam ao respeitavel publico, e com es-
pecialidad s Exmas. Sras. que o seu "ngo e acreditado estabelecimento roa do
Crespo n. 20 A, de pequeo que era, acaba de ser transformado em urna bonita e vasta loja
de fazendas finas aondepela sualocalidade eamplidao, o publico nao so lera todas as com-
modidades para farer sua8.coii.pras, c4mo acha-lo-bo desde j pravido de um variado e
escolhido sortimento de fazendas finas .e grossas, o qne tudo se vende por precos m-
dicos.
Zste estabelecimento, apezar de estar j bastante conhecido, os seas proprieta-
rios tem resolvido enlitolado por LOJA DOS ACOS.paeaevitar equvocos, 6 torna-lo
por esta maneira ainda mais popular. Encontra-se nesta loja
Rices corles de blonde de sida branca para noivas.
Ditos de seda de cor epretos.
Brochad. de seda, fazenda inteiraraente nova.
Fonlard idem idem idem. *
Laas de muito gosto.
Corles de cambraia e chita Maria Antoinette.
Saias bordadas, caraizinhas, espartilbo, balloo*. Ijasqwut, fiebus, sombrinhas
lavas de pellica, chapeos etc
Ha tambera constantmetj te um completo sortimento de esleirs da India para
forro de salas, assim como alcatifa, tapete, capachos e muitos outros artigos, que seria por
demais mencionar.
3>
>


H
Dierfo de Peruanibuco Quinta feira 21 de Outubro de 186.
s
>
?\A
CAPELLAS
Veiule-se
para da Je finados (2 de novembro), na U.ja de
Amonio Augusto do* Santos Porto, na praca da
Independencia, nico deposito nesta ciilade, ricas
Cpffias para se collocarem as catacumbas e t-
mulos, no cemiterio publico e as igrejas, com
as inscripoSes seguintes :
Meu pai.
Miaba uiai.
Meu esposo.
Minbc eoosa. "
Meu fllho.
Minba Blha.
Meu amigo.
Saudade.
Urna Ingrima.
Amas
Precsa*sc (toditas ama, urna pnra lavar e en-
gmala^ e outra para cozinliar e comprar para
casad* pouea familia, prejlre-sc cscravas : a
tratar na ra do Imperador n. 17, 2 andar. ___
Precisa-so de um caixeiro coin pratica de
taberna": na roa do Brum n. 65;____________
Peecisa-se de um caixeiro pequeo, brasilei-
ro, para urna taberna : na na Imperial n. 31.
lllili-il MHMSS
" CONSULTORIO MEDICO CIRRGICO &
Malaquias Antonio Guncarves, doulor rjg}
em medicina pola faculuadc do liro de |SS
Janeiro, tem cu coosultorio medico ci- sa
nirgico, na ra da Cruz n. 2G, i" andar figl
' C msultas das 10 a 1 hora.
Chamados por cicripto.
LIMA DE JOLAS
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado ie novo, est as condi-
(joes de servir vantajosauente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, cujos pre mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
3.h9,tp
U NA DO CABIJGA\ 5
Armado de tumulosje cata-
cumbas.
Na na do Imperador Q. 9, coxeira de
euros fnebres, ha tima pessoa que se eti-
carre'ga de armar, e dar os neeessarios
arranjos para o dia 2 de novembro, da de
uados, armando catacumbas e jazigos,
l id- por preco commodo.______________
~Festa.
Arrenda-se ou vende-se o pequeo rerreiozinho
d3 propriedade do abaiso assignado com alguiis
ommodos para pequen* familia,. Para venda
a tlia-^o livre 6 desembarazado de divida?, esta
situado no lugar denominado Chacn, um dos mais
amenos para o passamento das lestas, contendo a
! pequea distancia o rio Capibaribe, assim como a
respectiva estatu para se tomar o trem : trata-so
na casa de banhus do l'.ecife.
Ctitttliiin G. USM.
Precisa-ae de um creado para todo servico
de hotel, paga-so betn, preferc-so escravo : a tra-
tar na ra estreila do Rosario n. 11, hotel Lisbo-
UeilS". __________________________
Na pinga a Independencia n. Si so da di-
nheiro sobre penhores de ouro, prata c pedras
preciosas, seja qnal-for a quanlia ; e na uiesma
casa se compra e vcnito objeetos de ouro e prata,
e igualmente se faz toda e qualquer obra de en
cuiipenda, e todo c quabjuer concert tendente
i mesma arte.____________________________
COZI.XHEIRA.
Precisa-sC alugar urna osera va que seja boa co-
zinheira : na ra do Crep) n. 211.
ToIaTos
Fragata Amazonas.
Tendo de se confiar a mu procurador a cobran-
c* de algumas dividas mai< antigs deeta casa, do
lempo da extincta tirina Marques, Silva algumas anda anteriores a esta, c boje pertencen-
t3S 108 abato assignados, rogaba ane senbores
cevedores mais atrasados .o especial favor de vir
raga-las quanto antes, para se evitar matares des-
pezas com costas, que s serio feitas em prejuizo
dos mesmos devedores.
Teixcira, Marques & C.
Precisa-sc de urna ama que silia coxinhar e
engommar: na ruad) Praia n. 5.">, :'- andar.
ALu
ga*se
o 2o andar c slito do sobrado da ra da Cadeia
do Recife n. 69, com bastantes commodos c milito
fresco : a tratar no armazem da exposic/to de
Londres.
" o Sr. bacharei Joaquim Cordel ro Coelho Cia-
l,-a queira apparecer na ra do Hospicio n. 81
negocio. _________.
Veiieravc! contraria ".s*; Ic Cassia.
Por debberacao do irmad juiz convido aos nos-
sos irmaos a cmparecerem n > consistorio desla
confraria, as o horas da tarde do dia 21 do cor-
rente ('quinta- feira), afim de em mesa geral pro
ceder-se a-cleieao de um procurador c tres me-
saras da mesa que pedirn escusa.
Secralana 20 de oulubro de 1869.
C. Lima,
Esc rivao.
TLGFSE
o sitio da Mangabeira, em Olinda, confronte ao
jardim, com commodos para grande familia, tendo
afcjas, :! salasem frente, 7 quartos e l para i a-
nbo, sala para jantar. co'.inba lora, boa agoa que
se vende acerca de 303 per moz s em lempo Je
verao", com militas fiucteiras : a tratar naescadi-
nha. armazcm n. -I._____________________
^Precisase de um bomeni que saiba ler e
escrever, para distribuidor dede Diario ? a fallar
na lypoftTaphia.
Superiores corles de percalle com barra, par vertidos a 5-> cada corte,
Lindos cortes de gaze de seda com 18 a 20 covados, pelo baratissimo
prego de o.jOOO cada corte, na loja das coliumnas, ra do Crespo n, 9, de An-
tonia Correa de Vasconcellos.
'^tMWSSMMWMMW^W,W WM HHHafi
AS BOMAS CURADAS
E
Todas as molestias sypliiliticas.
ATTENCAO.
Jciao Goncalvcs Ferreira Sevc declara pelo
presente, que venden sua taberna sita na povoa-
c;ao do Barro, freguezia dos Afogados, ao Sr. Ma-
noel Julio da Silva, livre e desemharacada quein
se julgar seu credor, no praso de oilo das apr-
sente suas contas. Recife 18 do outubro de 1869,
Aluga-se para a festa urna casa no Poco e
na do Rio, com commodos para familia : na ra
de Heras, sobrado n. A8.___________________
Precisase de um caixeiro de idade de 12 a
.6 anno?, que lenha pratica de taberna ou pada-
lia : no palco do terco n. 63. ____________
= Precisase alugar urna escrava que saiba
tavar, engotnmare cozinhar para familia de tres
essoas: a tratar na estaca das Cinco l'ontas
;om Joaquim V. da Costa,__________________
Precisa-se alugar urna escrava para casa de
pequea familia : na ra .Nova n. 1
r
m ELEXIR DO DR. SEVIAL ,
nico depurativo sem mercurio que tanta aceitarlo tem meieudo no Bra-
4 sil, as repblicas do sul e na Allemanha especialmente para cura das boubas,
j sarnas, tiieumatismo, todas as molestias syphiliticas e em geral todas aquellas
(3 provm da empureza do sangue.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacta e drogara.
DE
Bartholomeu & C.
34Raa Larga do Rosarlo 34
i3$3WnVMMfll
7 ll
OLIVEIR/1 ft CARVALHO
Successores de Reg &Moura.
24-Raa Nova 24
Os proprietarios deste novo estabelecimento fazem sciente ao publico, que
acabamde rebeber um perfeito e variado sortimento de pannos finos, casemiras, brins e
otrs muitas fazendas de gostos modernos, as quaes vevlem por precos razoaveis.
Os mesmos scientificam que tendo admittido para sua ofllcina do alfaite, um rtista hbil
do desempenho de suas funeces, recebem qualquer encommenda de roupa por medida
prometiendo satisfazerem, com ponlualidade e presteza qualqucr pedido neste sentido.
100$ de gratificado
a qnem der noticia de urna caixa n. 2, marca L.
F. A., contendo 130 chapeos de diversas qnabda-
des, a qual foi roubada do corredor da escada da
casa n. 44 na ra Nova no dia 19 do corrente, s
5 horas da tarde po"">'"" '"cnos.________
Monte Pi Popular Pernam-
bucano.
De ordem do Illm. Sr. director, sao pelo prsen-
le convidados os Srs. socios eleciivos para cm-
parecerem domingo 2i do -corrente, s 10 horas
do dia, alim de proceder-se a eleicao dos mem-
bros do couselbo administrativo d'esta sociedade.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambucano,
21 de outubro de I8f>9.
O Io secretario interino,
Ernesto Jos de Uenezes.
Omnibos para Varzea
e Caxang
Do Io de novembro prximo futuro em diante
hovera mnibus para os ditos arrabaldes ; o da
Varzea, pane do Recife 4 c mcia horas da tar-
de e da Varzea para o Recife as 7 e meia horas da
mauuaa ; c o do Casanga, parte do Recife as 4
horas da tarde o do Caxang para o Recrfe, as
7 e meia da manba.
Na pliarmacia do Pinto ra
Larga do Rosario n. 10
junto ao quratel de poli-
ca.
Amam-sc constantemenle promptas a
serem satsfeita>, as prescripces dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfer-
mos, as especialidades dn mesma pliarma-
cia, composla de medicamentos, tanto in
digenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
peito
Xaropes de fedeg.-o, rabo de tat,
Agtiao, pao Cirdozo.osc, muiungi'i, mu-
tamba, etc., ele, ja
Eheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope do salsaparrilba
do Pata, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de sicupira.
Docneas do ligado e ba{o, anc-
" ma, o|Mlcio, ele.
Emplasto, oledppommada, Untura, pi-
lulas, xarope e \inho da milagrosa Joru-
beba.
Sezftes ou febres inlcrmilenles
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pliarmacia do seu autor ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica._____________________
A VERDADE
55Ra do Quemado55!
A VERDADE tendo em deposito grande
quanlidade demiudezase perfumaras, e de-
sajando apurar dicheiro e adquerir boa fre-
guezia est rssalvida a vender muitissimo
barato, ; por e*M razo convida ao respei-
tavei publico a vir competentemente muni-
do a sortir-se do bom e barato. Pois quan
do a verriade apparece, tudo mais des-
apparecei.'..
Grande soi tmenlo de bonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Ricosglobospara candieiro de gaza L($800
Chaini's a ; 320
Grande sortimento de objetos de
louga para brimjuedo de menino 10('
Garrafa com tinla a..... 80'
Dita com agua florida erdadeira a 4 r50-:'
Dita com dita dita a L^''
Frasco com oleo do babosa a 500 c 720
Dito com agua de Colonia a 300 e 500
Garrafa com agua divina a. 10500
Frasco com extractos finos a 1|$000
Latas pequeas com banba muilo
fina a 12Ue...... 200
Sabonetas de diversas quali lades a
80, i('.0,2i0e...... 32i-
F!ias*escovas para denles de 120 a G00
Lindos coques modernos a. 2o00
Pavios para gaz, duzia a 210 e 320
Esceaa para tacto a 5-0, GOO e 700
Ditas para cabello a..... 500
Penles pon tirar piollio a KJO e. 240
Brincos de cores, bonitos a 160 e 200
Pecas de lram;a de 13a com 8
varas por....... 80
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 000
Pinnas d'aco finas caixas a 800 e l#OO
Dita dago Pony, caixa a. 1)5100
Gallo de algodao peca .... 400
Lindos babadinlios e entremeios
peca de 800 a...... IAO
Botos de madreperol'a, gcoza a GOO
Ditos de louca muito lino a 120 e 200
Ditos para caira a lt0 e. .' 240
Caixa com papel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 480
Ditas com obreias a..... 40
Caixa com agulhas fundo dourado 280
Ditas de ditas ditas a..... 160
Thesoura para costura a 240 e 500
Caixa com tinta de marca a 280
tinta de cores em novellos (li-
bra) a........ 5fJ0
Carreteis delinlia Alexandre de 70 .
at 200. .,,.... 100
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a...... 2 Cartas portuguezas, duzia a i'iO0
Ditas francezas a 2->2O0 e 33000
Papel almago e de peso, resma a
3M0O, 35500 e 45500
ua muilo lina para bordar, libra 070C
Pita de algodo para debrum de
sapatos, peca a ..... 1G0
Dilas de lila para debrum de ves-
tido, peca a...... 480
Pentes linos para segurar ca-
bello a....... 320
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e...... 50<>
Caivetes grandes com molla a 32u
Ditos para aparar penna a 100
Cartees com colxetes a 40
Rosetas pretas, par a ... 100
Tranca de laa decaracol peca a 40 e 100
Fita de coz peca a 480 e 560
Alfinetes de Jalao a..... 100
Sapatos de laa para menino a 240e 800
Ligas pao senliora, par a. 1G0
Grvala de sedas de cores a -200
Cslcadeiras a....... 80
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha por
lOOrisl !!!!!!
Xa verdade ma do Quciinado
ii. ...
Ao publico.
Lava-se c engomma-se coiti pcrfeifSo c progo
commodo : no fim da ra da Concordia n. 148.
Aluga-se o primeiro ardar do sobrado da
ra das Aguas-Verdes n. 86 : a tratar na ra
das Cruzes n. 9, sobrado, primeiro andar.
SllitltO
Colleceo
EO DE JOIA!
zn
GOWES DE MATTOS-IMMOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe matares proporpoes e elega-ncia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a cmparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUG& N. 4
onde encontraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubinst e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desojar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de* no vos gostos, assim como grande variedade de salvaje paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objeetos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
qualidade dos objeetos vendidos.
Imperial cooipaHhia de Londres
Por seus agentes nesta praca
Samuel Potuer, Johnston & C.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Faz publico que tem aborto unta agencia nesta
praca do seguros contra fojjo.
Os agentes estao autorisados a emitlirem apoli-
ces, ficando assim os segurados desde logo segu-
ros contra qualquer prejuizo, que possam sottrer
causado pulo fogo.
Os agentes eslao autorisados a avenguirem
quaesquer rcclamacoes e depois de competente-
mente examinadas a saldarem (como ja tem feito)
por meio de saques sobre a companbia em Lon-
dres ao cambio do dia. .
A corepanhia promette prompta venfleacao de
qualquer reclamacao, assim como prompto paga-
monto, concluida que seja satisfactoriamente taes
verifleacoes. ,
A pessas que quizerem effectuar qualquer
seguro bastarlo remetter a esta agencia urna nota
indicando somente a ra e numero do predio que
desejarem segurar ou em que estiverem deposita-
das as mercadorias, assim como as quantias.
Samuel Power, Johnslon ft C.
Agente.
Roa da Senzalla Nova n. 42.
do varios reglamentos de impostos alte-
rados e creados
pela lei n. 1507 de 20 de setembro de
1867, comprehendendo
os de possoal, escravos, industrias e proflssoes,
sello (organisado alpbabeticamente, explicando
cada acto a quo sello est sujeito se se deve em-
pregar estampillia ou verba, no pnmeiro caso
quem deve inutilisa-la), transmissao de propne-
dade, dizima de chancellara, emolumentos, inul-
tas applieadas fazenda publica etc. etc., e em
appendice o do cofre de depsitos
pblicos
notadas com as
inslituices e decisoes posteriores
at a presente publicarlo
por
Francisco Augusto de Almeida
Io escripturario
da
recebedoria de Pernambuco :
acha-se no prclo e breve a ser publicado ; as-
signa-se na ra estreita do Rosario n. 12, por 3S
o volume ; depois de publicado custar 44 para
quem nao assignar. loma se de grande utilida-
de aos Srs. advogados, solicitadores, negociantes
e funecionarios pblicos, a acquisicao deste tra-
balho._________
COMPRAS.
Com muito maior vantagem compram-se
raoedas de ouro e prata : na loja de joias do C6-
racao de Ouro n. 21), ra do Cabug.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. i compra-se ouro, prata
9 pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que em outra qualquer parte._______________
Compram se moedas de ouro e prata de lo-
dos os valores, ouro e pracrem obras intilisadas,
brilhantos e mais pedras preciosas : na loja de
ourives do arco da Conceicao, no Recife.
illil I raiM
Attencap.
Na taberna do largo do Paraizo n. 20 vend-se
manteiga ingcza flora 1*400, 13200 e 900 rs. a
librta, carne do serlao nova a 320 rs. a libra.
Bichas hamburgnezas
Roa da Cadeia n. 51.
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes transatlnticos, bichas de qualidade supe-
rior ; vndese em caixa ou porcao mais pequea,
e mais barato do que em qualquer outra parte :
na ra da Cadeia n. 51, i andar.________^
Vende-se um escravo para todo servido : a
tratar no pateo du Carino n. 1.____________
Vendem-se cinco escravos pecas, de 12 a 20
annos, sendo nm delles mulato de bonita llgur,
proprio para pagem. tendo o oflicio de marcmena:
ama o Oneiinado n. 13, lan Compram-se e vendemse diariamente para tora
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto qoe sejam sadios: no
teceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio._________________
i Manoel Daarte Rodrigues, ra do Trapiche
n. 28, compra aceces do banco do Brasil e cana
flliai.
V1NDAS.
Carros d pasaeio
Venen^se dona carros de passeto, sendo u
milito maneiro, bonito e, de excllentes molas, com
-1ueo uso: a tratar na ros do Imperador b.
andar.
Vende-se urna boa taberna na freguezia do S
Jos: bem atreguezada tanto para o mato como
para a praca a tratar no armazem n. 5 defronte
da escadinha no Recito, com A. J. S. Guimaraes.
tteft^lo
Joaquim Rodrigues Taveres de Me
tem para vender no seu escriptorio, pra-
, ca do Corpo Santo n. 17 primeiro andar,!
f potassa da Russia ltimamente chegada,!
cal de Lisboa e vinho Bordeaux de supe-|
rior qualidade.
Vende-se urna esatava boa cosinbeira c en-
gommadefra : a, ra do^ospic'io n. 4, caa conti-
gua ao quartel general.
AOJA
/ no
GALLO VIGILANTE
lina do Crespo u. 9
Os propnetarios deste bom wnhecide alabea,
cimento, atora dos muitos objeco que iiith*nj.-
postos a a[ircciacao do respeitavel pobtieo, maj
daram vir o acabam de rfleober peto ultin vafer
da Europa um completo vanado soi:infeB>e'
finas e mui doeadas espociaUdaaos, as tftaua es-
to resohiilos a vender, como Je ron er-!tna*,
por prcros muito bar'atinhos e conunudo par to-
dos, com tanto que o Gallo...
Muito superion's taras de peluca, pretas, bran-
cas o de mui lindas "res.
Mui boas e bonitas golnha? e punlios para se-
nhora, neste genero o que lia de mafc moitorof*.
Superiores pentes de tartaruga para roque.
Lidos e riquissinios eufeites para cabeeas das
Exmas. sonhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com mm~
ihos e sem elles; esta fazenda o que pode l/XTer
de melhor e mais bonito.
Superiores o bouilos lequtt de n>arpjvm*,
marfim, sndalo e osso, sendo aquclles branrws
com lindos desunhos, e estes pretos.
Muito superiores meia; lio do Escossia para c^-
uboras, as qn;ies seinpn: so vanderaai por 3RjfllB>
a doxia, eiitraUMito que nos a- wjndwnas per 50#.
alm dcslas, temus t;.inbfiii grande >o:!ijwi*> *r
utas qualidade*, entre as qnaes algnunu ituia>
finas.
Boaa bengalaa do superior taimo da Ind" e
castiio de mnrfla com linda* e enniniadoKn tph
ras do nesino, neste geiu'io o iw ifc1 laeMf --
pode desejar ; alm desdas im > gnM*
(juairtiik'dc do o.itras qaali lad**, rimw ']sm, ma-
deira, batoia, osso, borracha, etr. ehr. el-.
Finos, bonMfH e airosos iim-oiniios da aaawiai
de miras qiiaidadcs.
Lindas e superior, s ligaa de seda a BWiatlaa
para segurar as oeias.
Roas meias de seda para sashora e paw um-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de mariiiu o l ;riarupa para F.it
barba ; sao muito boas.e u\; mais a iuai* s:i ga-
rantidas pelo fabricante, e na por m -a t .'au>-
bem aaseguramta sua qualidade o duliaadata.
Lindas c bellas capillas para noiva.
Superiores agulhas para ma.-liinn e para ms*.
Linha m-iito boa de peso, frouxn, paraeMBW
lahvrintho.
Cons baralhos de cartas para vomtete, areia
como os lentos para o mesmo lim.
Grande e vanado mrtimento das metnom }*r-
funiarias e dos mellu.res e n.ais conhecHos per-
fumistas.
COLAHES DE ROEli.
Elctricos ni?utiros contra as eonvuVsoef. e
facil'uain a dentirao das innoceiites criaBt,aa. Se-
rnos desde muito recebedores destes prod(tiM
collares, e continuamos a recehe-los i>or t. di'* r-s-
vapores, afim do que nunca Ufen no meraaan,
tomo j tem acontecido, assim poi? paderio aquel-
las que delles precisaran, vir ao dejKrsito ito jiatii
vigilante, aonde senipre encontraro destes veril >-
deiros cufiares, e os quaes attandeado-se at> 6r>
para quo sao applicados, se readerao asa um mas
diminuto lucro.
Rogamos,pois, avista discbjeaos .::!' deixaaaa
declarados, aos nossos fregucaes z amigos a lir^mv
comprar por precos muito razoaveis a luja do gatlt
vigilante, ra do'Crespo n. 7.
o \m m mm
Nova loja de miudezar
Meaos 50 % l <"i>c em oura *
qualquer pas-te
Flenriqne de S Leiiao paiic.ip.i ao repeilarrl
publico, com especialidade a c::o aniavrl, ..
tem aberta ra da imneratriz n. .0 wn prind-
e imporlanto estabelecimento ib' miadeza* .!>
titulo doVAPOR DAS .NOV1DADE9mt le i
blico em geral encontrar c. is!:.ut ;r> n:.- m .
completo sortimento de tudo quanle ha de;
moderno e de mais gosto ai* ii'nuip.es |
zes da Europa, lendo para este fim um fapor rv-
pecial com o titulo cima iodirado.
O proprieta rio adiando muito enfadonlto, nn an-
tea por assim dizer quasi tpie impwsivcl wt'i
nar pelos seus nomes e procos m i !.j. rius de $ >U
existentes em seu estabeteeimento. ;-or i-.-o rtia-
tenta-se apenas em mencionar nqnelles^ue jalga
mais recommendaveis nao f peia sua brlli
elegancia como tamben pelos pweos qao ^. i h-
didos, deixando -;s outros que estao expostos f ra
seu estabelecimento pafa seren adinii;uios j A. s
proprios compradores.
Vejam o que bom :
Lindsimas camisinbas bordadas a enfc-ad
com lindos e elegantes enfciles, prwprtos pan
senhoras de bom tom : vende-se por precoi Btit -
commodos.
Lindos coques a imitacao de r.'-.bena ijne i i
outra qualquer parle vendern per 3^500, vende
por 25006.
Guepur branco e preto com lindos o deh
padrSes, a 1/iiOO, 2000, 2*300, 3UCfl o '.O10
o metro.
Loques de alta novidado en Pars, send i i>e
oso e seda, sndalo e seda s, e oUtroi salpir;
de lantijuilas, ditos de madreperla e leda o i; a
elegante e moderno possivel, ditos u Btadi
sendo lisos, arrendados, e ouiros guarnecidos
ricas palmas; ditos brancos com llores deurai
ditos de oso e seda, ditos brancos e proprios f ara
uoivas; tudo por pre?os tao dimkuitns que i u
freguez vendo a qualidade c elegancia podera dar
crdito.
Verdadciras meias fio da Earossia para sr:-... -
ras, sendo lisas, bordadas o arrendadas, o mi.hor
que possivel haver para sapatiulios laaoa ; p>r
precos commodos.
Ditas croas tambera para senhoras, azenaa
muito fina.
Ditas fio da-Escossia com lisias da cures, p:.is
homens.
Verdadeiras meias inglezas para horneas, Cria-
da muito fina ; a 8J c 10 a duzia.
Ricas chapelinas para senhoras, chepadas re-f n-
tementee guarnecidas de ricos e elefantes evf.v-
tes de selim e flores liuissinias.
Lindos lencos de cambraia de Hubo, bordados a
agulha ; pelo baratissimo preco de 1 -OU e itW.
Ditos de cambraia tambem bordados a BfX rs.
Lindos cachos de flores francezas o mais moder-
na possivel e de melhor gosto, sendo ; rwrs, to-
ldes sollos e botooes em cachos de Uii'la** r&es,
pelo baratissimo prec,o de 16500 o cabo-
Fitas largas proprias para oiiiraif-di n!'
moda, de muito lindas cores e per preces mi ..
baratos. .
Completo sortimento de ricos e elegantes m tt-
tes de seda o mais moderno possicil ; com,. tejMit
Escossezes e de ontras qualidade*. estad ciawtan-
temento a venda ra da Imperad iz n. 30.
as Exmas. .enhoras podero eseolhcr a v.i
ou mandar'eni buscar as anostras, sendo tuu\> a
mais barato possivel. ..
Lindas bonecrinhas de louca peto tarauasam
preco de 440.
Grande sortimento de escolhidas laas propras
para bordados, a 7 a libra.
Latas com superior banha (raneen a liin.
Fitas de velludo pretas a li a peca.
Gollinhas bordadas a agulha a 2i0.
Agulhas para crochel a 160.
Lindos botos de setira para enfeites de vestioo
de todas as cores, a 400 rs. a duzia.
Grando quantidade de finissiroos calungaa que
se vendern coro grande abatimenlo.
Alm dos objeetos cima indicados existem .^ui-
tos outros que a presenca dos. rtcuezes i
rio avahar a dfferenfa dos precos e da quati
que faz dos de outra. qualquer parte.
O proprietario convida a todas a> pesso. (
geral a visilarem o seu cstabeleciracnlo o qu
acha'aberto desde as 6 horas da manlia:
da noile, certo de que as ditas pesa] i -
rio no proprietario e as mais pessuas do
lecimento o maior agrado e sinc.iidade em i
qualquer negocio.,
Loja do^ Vapor das toldados
Ra ihi imperatri* a. 3
Lageametio
Vende-se na-na de Apollo n. '*, lagd ;
calcadas e armazens.

Brum n. 92
Vend-
rs d Palma a. *l.
e ':.


Diaria de Peinaibttco '-t Quita ta .21 *
LIQUID
. O propnetano do armazem de fazend? denominado ARARA, ra da lmpera-
triz n. 72, declara ao respeitavel publico eseus fivguazes, que est liquidando udasas
razencias e roupas fcitas qae tem em seu eslabek'i-imento como se poder ver no sea
uaaoew c precoabaixo mencionados,
a
Chitas francezas EuaUzadas i
SO rs.
Vendo-se chitas francez.13 escuras matiza-
das a 320 rs.o covado por este prego sna
loja da Arara, lu da imoeratriz n. 72.
LAAZtXHAS A'O RS.
Vende-se ISazinlias para vestidos de se-
nliora a 240, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
IURE&B3 DJ LAA A 300 RS.
Vemle-se bareges de laa com listras para
vestidos de senhora a iO) e 040 rs. o
covado.
Alpacas de listras a 50 rs.
Vende-se alpacas de listras para vesti-
dos de soohora a 500 rs. o covado.
CUTAS i'IUNCEZAK A 289 RS.
'' m le-se chitas francezas claras a 280 rs.
o covado.
CORTES DE LA PARA VESTIDOS A
2-H00.
Vende-se cortes d laa para vestidos de
s 'ihoras a 2Si0f> cada um,
PERCAI.CS A 4i0 US.O COVADO.
Vende-se percales muito finos para ves-
t los de scnliora a 440 rs. o covado, mur-
sinas brancas finas, a 300 rs. o covado,
biilliantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Balos moderaos de todas as
cores.
Vende-s'haloes moderno sbranco e de co-
res a 40, 40500 p*.
COBERTORES DE ADGODiO A 14300.
Vende-se cobertores de algodo a 10500,
caberla* de chitas a 10600 e 20 cada urna,
CANGAS PAMA CALCA A 320 RS.
Vendarte ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de hamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras do
cores para calca e palitots a 20300 e 30,
o covad), metas casemiras enfestadas para
c-.Iras e palitots a 40 o cavado, brim pardo
tedas as qualidades na roa da lmperatriz
Alpacas lizas a OJO rs.
Vndese alpacas de cores lizas finas a
(i40 rs. o covado, Urlatanas de cores a 320
r. o metro.
MADAPOLaO ENTESTADO A 30500.
Vende-se pecas de madapolo -enfestado
a 30500, pecas de madapolo inglez de 24
jardas a 3>, 60400, 70, 80 e 100 a peca.
ASgodito cofestado 90 rs.
Yrude-se algodo enfestado proprio para
len oes e toalbas, UOO rs. o metro, dito
trancado a 10, metro.
Chales de merino ft 3.jt.
Vende-se diales de merino estampados
a 23, chales brancos e de cores a 10000
cada nm.
COItTES DE BRJM CASTOR PARA^ALgA
A 640 RS.
"\ e:^le-se urna grande porco de cortes
de brim castor para calca de hornera, CO
rs. cada um.
C;rande|>orco deretalhos
Vende-se grande porco de re tainos de
clubs e cassas pretas a 1G0 e 00 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, laa e chitas de
coros baratsimos.
LIQUIDAM A ROPA FEITA
Venderte palitots de brim de cores 3 20,
ditos de alpacas de cares a20, dios de
meta easemira a 20 e 20500. ditos de pan-
no [iretj bom a 80 e 100. calcas de algo-
do azul para escravos a 0*40 rs. ditas de
algodo de lislr.is a 800 e 10, camisas de
riscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tes de brim e fusto de cores a 0e 10300,
ooletes de cesemira de cores- a 20500 e 30,
e ontras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratsimo preso.
Algodo de listras a 199 rs.
o -ovado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 4&
Vendem-so pecas de algodo 4^000,
o2U0, G0OOOe70, para liquidar.
Ualcs de arcos 15 Vende-se baloes de arcos para senhoras
pelo baratissimo preco de 10300 cada nm*
Cortes de canilirata barras
a :;.%.
Vende-se corles de cambraias barre- 9
20 e 30 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se longos de seda-a 640 rs. cada
um, para liquidar- "
CARTEIRA PARA VIASESI A 10.
Vende-se carteira-s para viagem 4
cada una.
AS NOVAS SEDAS
11-RUA DO.QEIMADO--11
Gbegaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Pnrt0 & C. ricos
corles das mais linda sedas da mimosas-cres para vestidos proprios para bailes e casa-
menos. .
Grande variedade de sedas deJstras de diversos preces todas de lindas cores,
gorgorSo de seda preta, e grosdenaple de varias qualidades e gorguro de seda la de
diferentes cores.
Novos vestidos braacos de blond para nova$r lindas colxas de seda para camas,
ditas de 12a e seda, cortinados bordados^para -camas ejanellas, fronhas e toalbas de
canibraia de tinho bordadas.
Luvas novas de Jouvin,eelegantes sombrinhas de sodas de cor para senhoras.
Espartilhos de 50 at 100, lindos bournous de c.arhemira de cor para sahida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de'croch branco e prcto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas c lisas para homens e mminos.
Sortimento de muitas fazendas de la, linho e algodu todas por precos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano c camas, pecas de tapates o de alcatifa para
forrar sales tudo em quantidade; e vendem aempre^por menos que em outra qualquer
pare. 1
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
LOJA
ALGODAO
DAS MACHINAS
Grande e completo seflimente Se. m.teiiinas para
descarocar algodo de no** hivensaochegadas l-
timamente, em direitura para a tuja de Manoel
liento de liveir Braga & C, na ra Direita n.
53. Garante-se jte a melhe? qualidade que at
o presente tem vido ao mcrcario : acham-se em
cspowpo aos compradores af de 10, \t, i4, 16,
18e sorra-.
Systenia decimal.
Grande e completo sortimento pesos kBo-
grammos de tnelhor comprehensao o% que lem
vindo al o presente, asim como marcus de tarao
at meio grammo pelo moswo systema, balanzas
de latao de forca do 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira e de latao para mtdir fazenda?, alm
de grande sortimento de miudfezas c forragns de
todas as qualidades, tudo por pircos que s a vista
Faz crediio : na ra Direila n. .&, loja de Manuel
liento de Oliveira Braga & C.
ins luirals,
N. S7. BA DO LIVRAMENO N. 27.
Neste estabeecimenio vende-se sdlins^e
silhes, de todas as qualidades do melhor
qae se pode fabricar no paiz, assim como os
mais, arreios perlenccntes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxes, traviceiros, caixi-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aola. O proprielario deste esta-
belecimento garante a pontnalidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; nortanto pede ao
rcspeitavel publico sua proteceao, queafiBan-
Ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do tjue em outra qualqoer
parte.
COGNAC.
vfAfHWAS' americanas de serrote de todos o* tainairtios para desearocar algodo, d#
muito conhecido fabricante Eaglg Cotton Gin.
\IA FfflfcIS litas, tambem de serrotss e do todos os tamaitos pra desesrocar, al-
godo do autor NeT York Cotton Gia.
tfMHfNA* ditas de todos os Jaroanho3,de carreta de ferro e mais toda a machina.
VLNSHINAS ditos de Roller Gs, de eujo trabafho fa^ olAer mais 2.000 en arroba
de algod.
tfACHINAS- de faco dA> fabricante Ptatt. F. A C, Obdian PateatLiverpool.
Todas esta machinas- sao de superior qualidade e as melitores qi tm
?ind)'ao meresdo ; e pera a suai apreciado convidam^se os senhores agricultores 2
rev/t a expsito das mesraas na nw d Gada do llecife n. 5G A, loja de Bastos-, onde
jncoilraro mais o seguiste::
De superior qualidade da moi accredita-
da fabrica d Bsqit Duboucb & C, em
cognac urna das que mais aguaydente de
cognac, fornecera para o consemmo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa- de Th. Just, ra do
commercio n. 32.
Assim como vende-se chitas para cobertis, a 240, 280 e 320rs. o covado,*
ellas antes que so acaben todas mais farendas e roupas feitas, o que peto preco que
vai vender ou liquida,-, poueos dias poder durar, c quem se cpiizer sortir de fazenda*
e roupas feitas para a festa pelo preco que lho agradar, se poder dirigir a ra da*
lmperatriz armazem di ARARA, que estar aberto todos o&dias uteis, bs 6 horas d
manlia, as fl horas da noitc.
72. Ra da lmperatriz. 72


debilitadores psra milho
Gylirdws para pagaras.
Arados americanosv
Garrinho d mo*
\Iachinao-para cortar capim^
Cannjs do chumbe-.-
3ombas e Japy.
Oitas americanas.
Telh.is de-ferro garvamsaas..
,?olhas deanco-finae
itas de ct*re c lata*.-
?erro de Godas as cyodades.-.
Arco:? de ferro.
Folhii de Ffandres.
Vlachados americanesv
?acoes di3.
ftalaios e cestas de vergnmha.
Vassouras americanas-.
Folies de fados os taaiaahos.
Tornas e soferas -para ferreiros^
FinaimeRJe muitos nitros art>^
veisidad* seria enfadeaho enaranera-los. .
Folha de ferro.
Bafamcas americanas.
Tinas de madira' amencanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira' ditos-.
Ternos de bandejas finas-.
Trens completos para cozinha.
Pteneiras para pad'arias.
Baldes galvanisados.
Correiites de ferro' para amonjarras..
Espingardas e rewolvers-.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engoamar.-
Moinhos para refinacoes.
Azeite de espermacete, proprio para roera
nas de todas as qualidades-.
Sorras a-vulsas para machinas-.
Mancaos e todos oe-mais pertences pa-a-as
mesmas.
Latas degaz,
osperteneentes fevoura e arles, que-pela
Grande annazem de fa^ndas e roupas feitas rna (tetaperafch
i. 52, pwta larg^ de Pasedes Paflo.
Neste estahelecimento encontrar o respeitavel publico um benito sortimento
de roupa* de todas- as qualidades, palitots de alpata a U, 3^00 at- H Ditos (k
merino, ditos de easemira de ores bonitos-gostos a 50, 60, 8*e I0& de panno preto
sacn e sobrecasacc*. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos d* alpaoa branca
e de cores de 3#5O0 a 5!000. Calcas de-brim. de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as. qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de easemira
de c5r e preta. de 4& W.ffa a iH. Golletes do todas as qualidades- e preco muito
barato. Completo-sortimento. de camisas francezas- de algodo e do linbo de 20 at 5
urna Sortimento- de seroulae francezas de algpdo, de linho e bramante a 20 e 2#500-.
Grvalas (mantas> novissimo gosto a todjos os prefos. Meito sortimento completa a3
40 at-70- a doaia. *
CONVITE GERAL.
0 proprielario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra d>Imre-
riz n. rj(j, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
I* 'l i I
serre"'desejando"'diilnuresteVra^ Por Ieio d? um,a l'qadac5o que fin-
dar no .lia 15 ou 20 do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
se de boas fazendas, e por diminuto prego, a saber
CUITAS LARGAS A280rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 30 rs. o covado.
ALGODO ENTESTADO TRANCADO A
i0000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
leneoes a 1$000, dito liso enfestado a 900
o mitro.
CASSAS FRANCEZASA 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLAO ENFESTADO A 30300.
Vendem-se pecas de madapolo enfes-
tado a 30300, dito inglez de 24 jardas ou
22 metros a 50, 60, 70, 80, 90 e 100, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS k
200 RS.
Vende-se lanzinbas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5uO rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 10.
Vende-se sedas de cores para vestidos de
senhora a 10 o covado.
PORCO BE RETALHOS.
Vende-se urna porco de retalhos de cas-
sas, de la e sedas e de outras fazendas
por muito barato prego.
A' ell^s antes que se acabem.
JCI1ALY DE CORES A 800 RS.
Vende-se chaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 10.
Vende-se chales de cassa a 10, e de me-
rino a 20.
. CORTES DE LA A 20400 RS.
Vendem-se cortes de la de listra para
vestidos de senhora a 20400 rs. para aca-
bar.
ALGODAO APEgA40OOO.
Veodtt-se pecas de algodo a 40, 50, 60
c 70 a peca. E moitas ontras cousas que
[ |tga eiifadonlm mencinv.
CHITAS PARA COBERTAS A. 280.
Vende-se chitas francezas pana cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 30 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 20500.
Vende-se casemiras de co*es> a 2^00 e
35000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 30000, ditos de seda a 100 cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim do cores para caigas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
augas para cal^a a SSOrs.
Vendem-se gangas de cores para caiga e
palitots de homons e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lengos brancos a 20.
Vende-se lengos brancos a 20 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 10000, para aca-
bar.
JGRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento d que em outra casa: por
isso os pretendentes podero yir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
BALOES DE ARCOS A 10500.
Vendem-se balees de 20 e 30 arcos a
10500 cada um, ditos modernos a 40.
BRIM HAMBRGO A 80000 A PECA.
Vendem-se po^as.de brim lizo de Ham-
burgo a 80, vem a ser mais barato do que
algodosinho.
CORTINADOS A 140000,
Vende-se cortinados para cama a 140
para liquidar. Ditos.para janellas a 70.
Todas estas fazendair se vendem muito
barato na ma da lmperatriz n. 56
BOUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de eacommenda tanto para hornea* como
para meninos, o com brevidade, por isso que tem um bono sortimento de fazendas de
todas, as. qualidades tanto, em casemiras como brins, pacaos finos. % outras nanitas a-
zenis
FAZENDAS
Bramantes de ft palmos de largura a 1)800 .metro.
Cambraias do cor e branca-
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado*
Poil-de-chvre com lista de seda faaenda de gosto a. 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 18^000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs
Madapolo fino a 60500 70, 80 e 9000.
Algod5o pega com 20 jardas a 40500, 5.&00 e 60000.
Pega de algodo largo a 70500
E ontras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
feita que se est liquidando na loja ra da lmperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
BAZAR UNIVERSAL
aUna Aova--
Caraeiro Vianna
este BAZAR encontra-se um compteto
sortimento de todos os artigos que se ven-
demporpregoscommodoseomosejam: Bn
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na cN
tima exposigo servieos a eleotos para alrac-
go e jantar, salvas-, bandejas, taboliros, bol*
sas c malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecimademesa,
parede- portal, mangas, tubos- e globos de-
vidro, machinas para fazer cafa, ditas para
bater ovos, ditas para amassar frinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, selteiros e enanca, berros, cadei-
ras longas para viagem, ditas d bataneo,
espelhos- de todos os tamanhos,- molduras
para quadros, gaz, baldes americanos, gu r-
dacomidasi brinqueOs para crhmgas, um
completo sortimento de ceslinhas, oleados
para sala e mesa, tapetes para sala-, quarto,
frente de 3oph,janelae porta, capachos de
Sparto e eoco, objectos para es6riptorio e
muitos otaros artigos que se eneo&traro
venda nosaesmo estabelecimento-e que vale
a pen ir examinar.
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao aatigo depcito de Henry Forster
.;., roa do imperador, nm carregamaolo de ga
de primeiraqualidade; ocjual se vendera partida-
e a retaJho per menos prendo que era ontr qual
quer parte.
baboza i 240, 320,
160, 320, 50
LEO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Machinas vapor de
forpa de 3 e 4ea-
vallos.
Motores para 2 cavados.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
roca:.' algodo.
Balangas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Pioncas para copiar cartas.
Fogo americano patent
BRACO
Scbonete DI
^Lnlonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to boj
acceivago tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das .mpigens, sarnas, caspas e todas ai
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomen A C,
34rna lar^a do Rnsarin34.
Vende-se urna casa terrea na ra da Concei-
co n. 19 : a tratar na ma da Aurora n. 132 A,
I com o agente Euzebio.
Ra do Imperador n. 26
Neste estabeleciraento se encontrar diariamen-
te um completo sortimento de paslelaria do todas
as qualidades para lanebe e sobre-mesa, etc., etc.,
bolinnos do lodas as qualidades para cb, presun-
tos de fiambre, bulos inglezes, pudins, e finalmente
tudo que consiste em urna boa pastelaria, com o
maior asseio c esmero, cha hysson, preto e miudi-
nho do melhor que ba no mercado. Nesta casa
tecebem-se cncommendas para casamentos, bailes
rbaptisados, compremettendo-se os donos do es-
a belecimento a ser-ir o melhor que for possivel
a vwitade do freguez, dispondo para esse fin de
um completo pessoal. Recebe-se avulso toda e
qualquer encommenda, como sejam, bandejas,
bolos o pes-de l decorados, doces d'ovos, seceos
e de calda e crystalisados, fructas nacionaes e es-
traogoiras, amendoas confeitadas, um completo e
variado sortimen%) de caixinhas de todos os gostos
e precos, para mimosear senhoras; estas caixi-
nhas recentemente chegadas de Pars, sao de pri-
moradj go to, ollerece molas aos galanteadores do
bello sexo, pois nellas acharao um digno e serio
presente para as donas de sea) pensamentos, lico-
res, vinhos finos de todas as qualidades, conservas
laniolhos em latas. Os donos deste estabeleclmen-
es nao se poupando despeas, fazem lodosos
otorcos para servir o respeitavel publico o me-
t or que or possivel, e sendo principiantes e lu-
ando com todas as difUculdades, esperam a con-
comncia do respeitavel publico desta capital, na-
cionaes e estrangeiros. Pechincha: legitimo vi-
tino muscatel em caixas, que se vende por commo-
do preco para particulares e para negocio.
Vende-se verdadeiro cimento; na roa da
Madre de hus n. 22, armazem de JoiP
Martina de Barros,
Loja demiudezas de FERREIftADA CU-
NHA A TEMPORAL, esto quiraando por
todo pre?o venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magneticoe- para me
nios de 240 a 4(5.
Linhas em novellos de 460-jardas a.
60 rs.
Pegas de tranga de todas as eves a 40 rs
Latas com superio banlia -120, 10J
eS^OOO.
Frascos com oleo nauuza a u, ow,
400 e 600 rs.
Ditos- de extracto
640 rs.
Ditos com banha -320, 380 e l#200v
"Ditos de agua de- Colonia 320, 440 e
500 rs.
Basilios de cartas portaguezas a 420 e
160 fs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com dnas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
02OO.
Lindos port-raain 240 rs.
Pentes do travessa para meninas 200,
320e400rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
30800
Ditas de ditas para senhora a 4^500.
Garrafas com a verdadeira agua flurida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 10200.
Pegas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros do velludo para menina a
50000.
' Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
320 rs.
Magos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 10500, 20000 e 30000 ao par.'
Jogos para vispora a 200, ,40 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabeleciraento bo-
nanza onde contina a vender
pelos baratos precos de seu an-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanca.
Rna do Inclinado n. 63.
Mil mmmm mmm
Attenpo
Na pra?a do Corpo Santo n. 17, l*
andar, vende-se mais barato do que em
outra qualquer parte cal de Lisbm e
potassa da Russia da mais nova no ir.er-
<:ado, assim eomo vinho Bordeaux de su-
perior qualidade em caixas e garrafas.
Jcordeiro prevdente
Rna do Inclinado n. i .
fovo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, dei^ue ellectivamente est provida
loja do Cordeiro Prevdente, ella acaba de
receber um entro sortimento que se torna
aotavel pela vsnedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
os; assim, poi, o CordeiroPrevdente pede
e espera continuar a merecer a> apreciago
do respeitavel pellico em gsra e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua Sem conliecda nansid2o
a barateza. Em di* loja encentraro os
tpreciadores do bom<
Agua divina de E. Ceudray.
Dita verdadeira de Ifoay A Lammm.
Dita de Cologne ingina, americana, fran-
vza, todas dos melhores emaisacroditaios
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e viole para toiiek
Elixir odontalgico para conservas^) do
sseio da boeea.
Cosmetiqoes de superior fnalidade e-ahei
ros ajradave.
Copos e latas, maiores s- menores, com
pomada fina pwa cabello.
Frascos coro dita japonc; transparente
8 outras qualidades.
Finos- extrais inglezes, americanos o
francezes em frateos simples a^enfeitados.
Essen^a imperial do fino e agradavel chor-
ro de vi teta.
Outras concentradas e de sheros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo piritocome- verdadeiro.
Extracta d'oleo- de superior qualidade,
com escoMridos ebeiros, em fraseos de dille -
rentes tamanhos.
Sabonetas em barres, maiores--e menores-
para mos.
Ditos traosparoite, redondean em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinba- para barba.
Caixinhas-com boato sabonetas imitando
.Vuctas.
Ditas de madeira iovernisada sontendo fi-
oas perfumaras, rowto proprias- para pre-
sentes. '
Ditas de papeleo igualmente beatas, tam
feem de perfumariae finas.
Bonitos vasos da metal coleados, e d
atoldes noves-eolefaetes, com p6-de arror.
>boneca.
Opiata ingleza o foaoceza para denles.
Pos de csHiphora- e outras- differente
qualidades tambem para dentee..
Tnico ovienlal de Kemp.
Aluda afeis coqixs.
Um outro- sortimento de coques de no-
ws e bonitoa moldes com filetade vidrilhon
a-alguns d'etles oreados de 3ares e fitas,
esto todos expostee aprec'ucao de quem
os- pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS CORDADOS.
Obras de muito gosto e pepfeicSo.
Ffycllae Olas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes cbjec
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com
prador.
ISementes
deliortalicactiagada-i no v.i|r de ti doesyrento,
e est veedina raa da Cruz .. 18
Vendem-se diversos escravos pocas, propria<
para armazem ou engenho, vmdos do Gear, as-
sim como algumasescravas esm labilidades e sem
ellas : na ra da Cruz n. 55^3* andar..
Bartholomeu & C,
8
preco com modo;
nma vacca de Jeito por
da Crurn. 13,
na ra
Vinho, Pilulas, Xarope e TWtura
de juhubeba simples e ferruginoso ;
Oleo, Pomadas Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOKIEO & C*
Pharmaceuticos-Droouistas
I'lintMIIKO
A Jurnbeb : esta plano boje reconbecida
como o mais poderoso tnico, como o melhor
iktobjlruenle.o como (al applitada dos padecimenlo
do figadoe baco, bepalilea, dureut, tumorea inter-
nos e especialmente do ulero, hydropeeias, erjsi-
pellas, etc.; e associada ao farro mi nas pallidas
cores, chloroses e falta t merulruacao, desama-
jos do estomago, etc., e o que disemos altestao
innnmera.8 coras impartaoles obtidas oom bocsos
Sreparados j bem eonhecidos usados pelos mais
istinctos mdicos do paiz e Poru|al. Em todos os
nossos deposito* distribuimos gratis folbetos que
melhor fasem coahecer a Jorubeba seos multados
applcaeo.


s
\



p

it ^
I
Diario de Pemanibuco Quinta feira 21 de
DE
__F A 3EKSM JO AS
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DE
FLIX PEREIIM DA SILVl.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que se esld aproximando o f n-
do anno, e tendo etn ser um grande deposito deposito de fazendas; n3o fallando om
avultadas encomincndas que lites esto obrigado todos os dias, tem rcsolvido liquida-
las por preco muito raais baratos do que em outra qualquor parte ; s como .m
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase neste eslabelecimento io
PAVO, avullado sortimento de azadas de toxo e modas; assimeomo de primeira
necessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja poderlo surtir-
se vendendo-se-lhes pelos precos que compram, ms casas inglezas; asslm como as x-
cellentissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou nwn-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma. loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberto das 6 horas da manliaa s 9 da noitc.
Explendido sortimento de TmcmJiM
TOUplS IGltaS Vende-sc um grande sortimento dos me-
NA LOJA DO PAVO A RA DA i lhores c maiores cortinados bordados pi-o-
1MPERAIRIZ N. GO i prios para camas e para janellas, que se ven-
Acha-se e~ste grande estabelecimento com-1 dem a 12/1000 rs. cada par at 25,5000 rs,
pletamente sortido das memores roupas, isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
sendo calcas palitts e coletes de'casemira, Pcreira da Silva.
de panno, de brim, de alpaca, e de todas BALOES MODERNOS E SAIAS DE LA
as mais fazendas que os compradores pos-1 Na loja do Pav_o vende-se os mais mo-
sam desejar, assim como na mesma loja demos bales reguladores tanto de musse-
tem um bello sortimento de pannos casemi- lina como de la de cor, o as mais modor-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer as saias de I3a enfestada, mais barato do
qualquer pee-a de obra, coma maiorpromp-'queern outra qualquer parte,
tidio vontade do freguez, e nao sendo SULTANAS
obligados a acceiU-las, quando nao stejam Chegou para a loja do Pavao um grande
completamente ao seu contento, assim como sortimento das mais lindas sultanas, para
n'este vasto estabelecimento encontrar o vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
respeitavel publico um bello sortimento de com listas de seda o os padrdes mais novos
camisas francezas e inglezas, ceroulas de que tem vindo a es'.c mercado, vendendo-se
linho e algodo e outros muitos artigos a 15'*00 o covado, na loja de Flix Pereira
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
otra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENGOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 15800
Chegou para a loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
pegas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de* casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 15800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicaces para arranjos d familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
CEBA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba era saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas niusseh'nas de
cores a 500 rs. o covado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavao as mais
ricas basquinas de casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
eitios mais novos que tern vindo ao merca-
do e vendem-se mtiito em cunta.
FAZENDAS PARA LUTO
S loja do Pavao.
Encontra o rpeilavel publico ueste e-stabe'eei-
mento um gruido sortimento de fazendas pretas,
como sejam. cassas francezas e inglezas, cliitas
pretas de todas as quididades, fazenda de laa de
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, liazmhas, alpacas Iamda9 e lisa*, cantao,
bombazinas, merino, et., que tudo se vende por
preco barato.
XOVAS BASQUINAS COH CINTO.
Chegaram as mais modernas basquinas de gros-
denaple preto, ricamente enfetada% sendo di um
feltio inteiramente novo, com ricos cintos largos,*
vendem-se por preco razoavel
CASSAS FRANCEZAS..
Vende-se um elegante sortimento das mais linas
6 mais modernas caesas francezas que tem vindo
ao mercado, sendo com padroes miudinhos c
jrande*, e v-andern-se-por preco muito eiu conta.
ASSEAS DO PAVAO
"Utas nividades.
Pelo ultimo vapor .-hegaram para lo(a do Pa-
vao, que vende mais barato do que em outra qual-
quer parte, as sedas segnintes : pnnpeiinas ou
gorguroes de linho e seda, com os mais delicados
padroes, sedas le listras, padrdes inteiramente
novos, groz de todas as cores, sendo verde, azul,
lyrio, rosa, cinzento, etc., setins, braneo, azul,
verde, rxo, lyrio etc., etc.,- assim como um gran-
de sortimento de gnwdenaples pretos de todas as
jualidade?, e superior gorguro preto de seda
para vestidos e coUete?.
AGRACIAN AS.
Chegou esta nova aaenda c ni o nome de Gra-
cianas, sendo de urna s cor, lyrio, roso, verde,
azul, etc., etc., e muito encornada, com lustre pro-
piamente de seda, sendo melhor o mais moderna
que este anno tem vindo para vestidos, e vende-
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavao.
Cuegou pelo ultimo vapor um grande sortimen
to das mais modernas e mais bonitas alpacas la-
vradas para vestidos, tendo entre ellas algnmaafue
fazen avista propriameoto de seda, e vendem-se
por precos muito om conta.
gurgurAo preto.
Chegou para a loja do Pavo o mais encorpado
gargurao de seda preto para vestidos c cblletes,
que se vAiide mais barato do que em outra qual-
quer parte. ^_
MADAPOLAO FRANCEZ
A 7*000, s o pavao.
VenJem-se pecas de madapojao franeez com 22
metros, pelo barato preco de 73000, dito enfestado
om _0 fardas a 74000, assim como flnissimos ma-
dapoloes iViiu'ezes e ioglezes, ditos de jardas, que
-ae vendem oais barato do que em outra qualquer
parte, por haver grande porco. .
AS CASSAS DO PAVAO
Covado a 300 rs.
Vendem-se fin-simas cassas francezas eora lia-
dos desenlias e cores fixas a 300 rs. o covado.
CHITAS BARATAS
Na loja do Pavao
Vende-se urna grande porco de chitas escuras,
e claras, de. cores flxas, por precos que admiraron
BRILHANTES BAREGES A 400 RS.
S o Pavao vend as mais delicadas ba-
regesde pura laa, sendotransparentes com
os mais delicados desenhos, de quadrinhos,
listras e lizos, sendo n'este artigo o mais
delicado que tem vindo ao mercado, e
vende-se pelo baratsimo preco de 400 rs.
o covado,
PELERINAS A 4,51000
Na ivy do Pavao vende-se as mais mo-
dernas romeiras ou basquinas de croch,
pretas enfejtadas com verde e outras cores.
pelo barajo preeo de 400Q cada um, pe-
chincha.
bO $tj_MA->6
A AGUIA BRANCA tom convieco de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitaeSo de seus precos, estilo na opinio do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular ; mas anda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepcSo d'aquelles objectos que esto alm docommum,
como bem sejam:
da Silva ra da Imperatriz n. 60.
ORGANDY BRANCO.
Vende-sc o mais moderno organdy braneo para
vestidos com listras largas e miadas, assim como
urna grande porco de cambraias brancas, tapadas
e transparentes, tendo das mais baixas de!000 a
peca, at as mais finas de 10 ou t2000, tocas
er-ts cambraias se vendem mais barato do que em
outra qualquer parte.
COLCHAS DE FUSTAO.
Vendem-se colchas de fustao brancas e de cores
por preco muito cm conta, na loja do Pavao.
ORGANDY DE COR
A 360 rs. o covado.
','endem-se bonitos orgnndys de cores com lo-
nitos padroes e fixes a 360 rs. o covado.
CAMISAS PARA SENIMRA.
Vendem-se lluissimas camisas francezas borda-
das para sen horas, na loja do Pavao_.
AS CELEZIAS DO PAVAO.
Vendem se a? mais finas celezias, esguioes e
bretanhas de linho por pre-'o muito em conta.
Fl'STAO BRANCO PARA VESTIDOS A 640 Rs.
Vende-so fustao braneo, com lista e lavradinhos,
mnito proprio para vestidos e roupas de meninos
a GiO rs. o covado.
COLLERlNi'S PARA SEN HORAS.
Vendem-so fmissjmos collerinhos de cfguiaode
linho proprios para sean ra3 e tambem para nc-
ninas a '5 a duza.
ALPACAS DE CORDAO.
"endem- se as mais brilhantes alpacas de ccr-
daoinlio paraA-estidtts, tendo as mais lindas area,
cerno Bismark, hrio, rxo, g?ng.-t etc. etc., pelo
barato preco de 1 i rs. o covado
TARLATANAS.
Vende-se rmissima tarlatana branca e da todas
as cures, assia como fil brauco lizo a 800 rs. a
vara.
ALGODAO ENTESTADO.
Vendo-so superior algoilaozinho com duas l;.r-
guras. proprio para lencOes, sendo lizo e entra-
ado, c vende-se por prego mnito rasoavel.
MEIAS PARA MENINOS A 3>JO RS.
Vendem-se floxias' de meias superiores para
meninos e meninas, pelo barato prego de 3450) a
flua.
BASQUINAS DE GUiPZE. -
Chegaram as mais bonitas e modernas basqui-
nas pretas de guipuze, que se vendem mais barito
do que em outra qualquer parte; assim como as
mais delicadas romeiras ou pelerinas de eroch
pretas, enfeitadas de verde e outras cores, quo se
vende muito em conta.
CHAPEOS DE SOL.
Vende-se um grande sortimento de chapeos de
sol de seda e alpaca que se vendem muito t-
ralos.
LENCOS BRANCOS.
Vendem se bonitos lencos nraneos e de cures
com barras a abanliados," pelo barato preco de
3f300 a'flozia, ditos de linhoabanhados a OS a
duzia, ditos de esguiao para varios precos, ditos
de algodo a 23 e I iiiOO a duzia.
A 51000
Na loja doPavo vendem-se modernisSH
mos chales de l preto com lindas palmas
de seda, pelo barato preco de i-JOOO,
pechincha. '
RASQUIAS A 12)000
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 125000 cada urna.
PARA ESCRAV05
Na loja do Pavao vende-so estamerha
de algodo mesclado para vestidos e roupa
de mo'eques a 200 rs. o covado, na ra
di Imperatriz n. GO de Flix Pereira .g
Silva.
Pape! para emlirnlho.
Compra-sc papel para embrulho : na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 00. de Flix Pereira
da Silva.
FOSTOES BR.VNCOS PARA VESTIDOS A
400 RES.
Na loja do Pavao vende-se um grande
sortimento de bonitos fostes brancos, pro-
prios para vestidos e roupas de cranlas,
assimeomo tambem para roupas-de ho-
mens por serem de lavores miudinhos e
bantante encorpados, e vendem-se pelo ba-
rato preflo de iOO rs. o covado nicamente
na loia n. GO da ra da Imperatriz.
CORTES A 8000 DE VESTIDOS A 80O0
CORTES A S,>000 COM DUAS SAIAS
Chegaram para a loja do Pavao os mais
bonitos cortes de la com duas saias,
s^ndo neste genero, os de mais gsoto que
tem vindo ao mercado, e cada um em
Bonitas caixinhas de niadeiras enyernisa-
das, contendo navalhas o os mais necessarios
para viagem, eervindo ellas de carteira
mando abortas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rla para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com msica.
Estojos ou carteiras de couro com nava-
lhas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MABFIM
Para unhas, denles, cabello o roupa.
Outras de balea com machelados de ma
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentcs, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para rroivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, c com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, c tran-
selin dourado.
, Botoes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventurine com o pjle
prata dourada, para colletes, cada um 5#.
Botoes de cristal, encastoados em prata,
para punhos, 1$ o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tocdo de borracha, para
quem soffre de inchacao as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, braneo e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
pgnnas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, qualro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-phisultra, merece a Aguia Rranca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de t5o bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarlo
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as v^rdadeiras continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a inflnidade d'objectbs
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria sen5o impossi-
vel ao menos infadonho por. isso ella con-
fia na constancia de sua boa e amiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Queimado n. 8.
Lili EM
FIO DE VEIil.
Barbante
Em casa de Rabo Schmctau A- C. Corpo
Santo n. 13.
SHERRT 0L0R0Z0.
Gelo seal.
COGMAC HEMWESSY.
Em casa de Babe Schmettau & C. Corpo
Santo n. 15.
CAHMPANHA
SUPERIOR.
Koussillon, carte blanche.
lira casa de Biabe Schmettau t
ti. t'o'po auto u. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CIIATEAU LA ROSE.
CIIATEAU RACZA^
Em casa de Rabe Schmettau & C. Corpo
Santo n. lo.
Nao mais cabellos brancos.
A aturajaponpza para Ungir qs cabellos
da cabtv.i rba, fo a nica admiltlda
Exposipao Univtrsal, por Uf sido icco-
uhecida superior todas as preparacoos at
boje cxisUTil-.s. sem alterar a sade.
Vcnde-s 0 cada frasco na
Rna da Cada n. 52,
1. andar.
Vernizes.
Vende-se no eseriptorio do Joaquim Gerardo lo
Bastos, roa d' Vigario n. 10, primoiro andar, os
scguinles vernizes em latas fe 6 e 9 libras, do
acreditado fabricante do Par.i, Caetar.o Antonio
dos Santos Lisboa :
Vertrii copal escuro.
Dite dito claro.
Dito dito escuro proprio para obra; de fulha ito
Flandre?.
Dito eflr do onre on donradllho.
CEBLAS
al $000 o cont
Multo novas : i a ra da Madre de Doos Da-
mero 7.
O Campos da ra do Imperador n. 28 tem para
vender o seguinle:
Quedos londrinos, praios. flamencos e de Minas,
todos niuito frescos e do boa jualidade.
Presuntos para Hambres e para tempero, paio?,
salames etc. etc.
O verdadeiro bacalbo de Noruega.
Latas com lagostas e ostras.
O verdadeiro caf Moda.
'Ispee ial edades
Grande remessa de cigarros de diversas (uaii-
dades, viudos da provincia do Rio de Janeiro, no
vapor brasileiro Paran.
A saber:
Cigarros ao duque de Caxias.
Ditos ao Maurity.
Ditos aos toncnles do Diabo.
Ditos Barbaccnas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Rio-Novo.
Tornos de medidas liara seceos, segundo o novo
systcma (mtrico franeez), no armazem do GUJ-
pos.
As mais adoptadas e mais facis tabellas para
de prompto se reduzir a) e.a kilogrammas a ao
i
Vendcm->t ;uatro escravas de 18, 30, t'.i
30 annos, todas com habilidades, um b mi pron lo
30 anno?, quo tambem cozinba : na ra de Hurtas
n. 9G
Vende-se
aluga-se tima cama uieian.
propria para eondorejio do greode familia ol para
cenduzir capim : a tratar na ra Sov n. 48,ou
na na Direita des Afogados n. 48.
Cabriblet.
Vende-so um encllenlo cbriolet inglez para
qualro pessoas idcgean) com todos os prtence:;,
tudo em bom estado e p r pre;o commolo : a tra-
tar na cocheira do Daltlinzar, iu ra da Guia n. 1,
onde pode sor iatninado. .
Gabriolet.
Vende-se um rabriolei di das e qaatro assen-*
tos, o pie lia de melhor ueste genero, com bom
cavallo e arreios, oo sera elle : na ra do Santo
Amaro, corheira de ihomaz Lio?.
Labvriutho
Vendem-se '.o.-.la-, fnmhas e leen de labyrin-
tlios, muito bem fcits proprias |ara bapradov,
presentes o noivjdos : na ra estrena lo Rosario
n. 18, loja de Maia tt l.andelino.
SGRSVOS
Rigi oo din r)do me/, de seteinbro prosi-
mo passado a c.-r :. cabra de nome Severioa,
natural da cidnde Aracaly, cora os signaes se-
guinti's: idadeii'.'i ijfjaRtia regular, cheia do
de (ki.'.es pa {vcub; testa Ctreita,
inverso stao se acabando por isso recommenda-sc I corpo, falla ue
aos estabcleeimentos que ainda nao tem, que v:- olhns pequeos.he litante lochos, tem o dedo
nham seus donos munii-so desse lio grande agen-
te l commercio, pois que, com a safra que est
porta, torna-se ditas tabellas indispensavei>.
28-Tl'DO NOAMHAZEM DO CAMPOS--
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Ter SIMIO DOS. SANTOS ft C.
Os proprietarios desto bem sortido armazem de secco e molhados, parlecipam
aos seus numerosos fieguezes, tanto desu praca, como domatto o igualmente aos ami-
gos do bom e barato, que teera um grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
dorias e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
menos preco do que em ouln qualquer parte, por ser maior parte destas mercadonas
compradas por conta propria, por isso quem comprar at- a quantia de 1005, lera cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sahidrdeste
armazem.
Pl'.TLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente F^r--
reir da Costa & Fiiho, defronte do arco da GOD-
ccieo, em barricas grandes.
020 rs. o kilogrammo, em porco ha aba-
limento.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a Me U400 a lata,
VELLAS DE ESPARMACETE 70 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 3 280, 400 e 500 rs. o masso,
35200 e 05500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 35500, 55500
e 15 a libra.
GOMMA DE M1LHO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e em caixa ha aba-
timento. '
BATATAS NOVAS DE LISBOA IOO rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADERA IHLERS
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35, 25800 e 25400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 115500 por
14 kilogrammos. ______. .
CHA FINO, GRADOEMIUDINHOos
melhores que ha no mercado, 35 e
35200 a libra, 75080 e 65540 o kilo-
GAZ AMERICANO 95 a lata, a 400 rs.
a garrafa e 60> rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FGUEIRA 500 e
640 rs. a garrafa, a 45500 e ,j800 a cana-
da, a 70 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 35 e
35308 a caada, 600 e 640 rs. o litro.
AZE1TE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 75 a caada, e 15340 o litro-
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 45500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 25200,
15800 e 15400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 3 i 410 e
15280 a libra, 35f40 e 2*800 o kilo-
grammo-
DEM FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 25100, 15980 e 1-5870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO GiO rs. a li-
bra, 15400 o kilogrammo, em porco se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, u 15570 o kilogrammo, em
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANIIO E DA INDIA
120 o 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e 35800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilof rammo, e 65 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 65 e 65300 a arroba,
200 e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABO MASSA 200 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs. o kilogrammo, em eaixa ha
abatimetito.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA- grammo.
LHARIN E ALETRIA, i 800 rs. a libra e; EMPROPRIOPARA NEGOCIO 25/00,
15750 o kilogrammo. 25300, 25200 e 25 a libra, e 55450 e
SEVADINHA E SAF 3 280 rs. a libra e 45180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinho em ancorlas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguicas de Lisboa, marmelada, con-
servas gela demarmello, pcego, ervilhas, peixe em latas, sardmhas de Nantes,
vinho verde engarrafado, pomada canella, eravo, ervadoce, conuuho, pimeota, grandes
molhos de sebolla 15500, finalmente moito mais gneros que enfandooho e
menciona-los.
- !
inmuno da niaV. --.,iefy um pouco dobrado ara
a pal a da mo. I ..-. 0*."id.M- u:n ponen ''in nado
para a frente, l'<> '. .-tilft c:.ni u,.i vcslido de chita
osearaeoo)palmas dndar.ov>, -lale do
laa jvellio cor L l.ciihw. o um ontro de con' ,
bastante velho, srrvindo oe rodilha, aun um tabo-
leiro de flandres, levou mais urna troaxa contendo
dous veslidos, um do cbiH com lislras encarnadas
o ontro cor de einza ; deseonfla-se que ella estfp
oeeuliaom algoma casa. pefcMjoe mttta e a-
tra a pessoa que b ti*er em sua eaw, b roga-r-eas
luloridales o mais pessoas q.ic a anprelieaclwj e
i |v ni i ruad) A i.rnm n. JO, ou a ra do Bes-
pidn. 47, une bwo gonerosamente recompen-
sad.)->.
ti mwL
VENDE-SE
A PRECO FIXO E MDICO
StMBRINHAS de setim verdeultima io-
vidado para senhoras, a 18 e 255.
LINDOS :rtes de tarlatana orvalhada, pro-
prios para bailes a 105, 135. 135. 175
e 225000.
ESi'ECIAL sortimento de coques enfeitados
e lisosultima modaa 25500, 35000,
35300, 45, 45500, 35 e 05.
GRANDE e bollo sortimento de chapeos lo
paltia da Italia, ek^gantencntc enfeitados,
para senhoras e meninas a 155,14.S 13&
115 !'.)>.
TRANCAS E CACHOS mitaco de ca-
bell, para senhoras, a 15800 e 800 rs.
GRANDE e agradavel sortimento de gui-
pure ou croch preto, i'in pecao metro
a 25, 35300, <5 e 65.
DITO bronco a 23300, 35 e 35800.
LINDO FIL de seda braneo com ramagem
o metro 55500.
LINDOS e ricos adereces de plaqui i-
bles, com brilhantinas, rubins, esmeral-
das, perola, e camafeos ; nao ha dii'ie-
renc'a do ouro de lei e conserva por lon-
go tempo a sua cor natural, vender a
135, 185, 30:5, 455, 905 e 1205. este
preco menor ao feitio de qualquer peca
verdadeira do mesmo trbalho.
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
para relogios, a 65, 85 e 105, no
BAZAR DA MODA50-RUA NOVA
Vendem-so libras sierlinas : no escripteii^ de
Leal Heis rna da Cadete n, 49.
Assiicar de oxldo.de ferro de
Chauteand.
O assucnr fe ruginoso de Chantcand obtido
pela associa}io do exido de ferro inteirament: so-
tucel com o assucar cuidadosamente purificado.
Este assucar, de urna bella app.irencia cristalina,
tem o simples gosto mui agradavel do nanear,
sem o menor sabor adstringente : nao tem aceao
irritante sobre a mucosa do estomago e entestinas,
e rpidamente absorvido pelo apparelho digesti-
vo sem causar ai constiparon do ventre.
E' aoje o preparado de ferro de mais aceitado
para a cblorose atona dos orgaos, pedas brancas
ineostruacijes difflceis, etc., e tem a sea favor o
juio aulorisado da escola de medicina de Pars,
e dos Hmicos os mais nolaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pliaamacia de Bartbolomcu & C, ra la) ga do
Rosario n. 34.
'
Gratifica se com 1005000 por cada un.
Do engenhooleda lo om Porto Calva, rugirn
no dia 7 lo iiiez passado, dona cscravo^ tujo1.'
signaes sao os seguintes: um de nome l'elippc,
dado -21 annos, natural do Idear, cor cabra, um
pouco diseorado, t ;a ns cabellos carapinbador,
nonca barba por haixo do qncixo, estatura bais
regular, e corpo ta ni m regular, as pernas gros-
ms e cabelluda?, opsbein feite, ollic:i
grandes c vivs, falta l.1 mn den;.) na frenl i, fal-
lando claro a desembaracado. o ontro da nomo
Manocl, tambem cabra, natural do Bio Grande d i
Norto, usiii i annos de dado, os cabellos carapi-
5, rofto caito, olbos e bocea un lano i -
(nonos, naril pequeo e um tanto grosso, lera no
alto da cab<""n nina cicatriz que se descebre so-.
lo o cabello, nao i ni barba, < de estatura
mediana, espigado, bracos o nemas Boas, e os
regulares; esli ani! is impos de cosas e nade-
gas, visto nao terera seffrido castigo alguin : i -
sa-se,portanto. santondades poneiacs, capital
upo, ou a pialijutr pessoa que os encontri.
.:; os captarar, e levii is ao mencionado engeobo
Soledade, no termo do l'orto Calvo, ou neste pra-
ca no escriptorid de Joainim llodrlgoes Tavarct
de Mello, largo do Corto Santn. 17. i* andar,
pelo que em qualquer I.s partes recober a gra-
ao cima promoltida. __________
Luiz Manocl Rodrigues Valencia, como pro-
eoradoi de sua mulhtr e couipet.-ntemeiite auto-
iisado pelos domis herdeiros dos falKcidus capf-
11) Antn o Gomes Pessoa c sua multar, o onlros.
consenhoras, representantes de mais de ovt do
valor do engolillo Tabatin^a, silo na freguezia do
l'aqura, termo da Parabyba, seis logias distante
de Goyanna, contrata qualquer arrendamento s -
bro dito engenli), ou vende ditas parles; para e~-
olareciinentos 8 tratar, na ruatdas Trinclieiras ..
'60, I" andar, oh em son domicilio ra do ca- s
! ii'tenc.o n. 3.
No dia 2"i de tembro do crranle aune,
ogio do engeobo Parnazo do termo de Agua Prt.i,
um cscravo do nome Boventura, toado es sig-
uaes segnintes: ci calo, com 30 annos de idade,
i mais oa mono?., csiatura regular, cor prel .
wm barba, tem no rosto algomas marcas de be-
sigas j.i pouco vjsivel, tem no fallar um torpeco a
".-pecio do gagaez, reodldo de una virillia, me-
tro carreiro, o fallar com algueni tem a vista
baixa. Levou vestido ca!;a c camisa de algodo
de saceo, chapeo de hacia usado o cobertor do
baeta verde : presume se que teob.i seguido para
o enonho TiAm.i da ireguezia de S. Lourengo
da Mata, por u-r ah t.a o mais parreiros. t
abaixo aecicnade vtia aos capitaes de campo,
c as autoridades policacs, a captura do dito c
eravo, devendo ser ccnduzido ao referido engenl o
o'i na capital, escriptoria do Sr. Alfredo Alvos da
Silva Freir, ruada Cruz n. ii,onde se gratifica-
r com generosidade aos conductore".
Jos Lins de Bai
seu cart5o, com o competente igurino, e
vendem-se pelo baratissimo prec;o de 15800,
s na loja de Flix Pereira da Silva a ra
da Imperatriz n. 60.
CORTES DE SEDA A 205000.
Na loja do Pavo, vendem-se bonitos <;r-
tes de seda para vestidos tendo 15 covados
cada om, e com quatro palmos de largura;
pechincha na ra da Imperatriz n. 60, de
Flix Pereira da Silva.
CHALES DE CHACHEMIRA A 65, 10? E
125000.
Na loja no Pav3o vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, com os desenhos mais modernos, a W,
10 e 1241000, 5 muito barato na ra da Im-
peratriz n. 60.
A ra do Livramento n. 6, contina a ha-
ver par vender por precos rasoaveis, e
melbor vinho
Lmercado.
Temporal na Bonanza
Este estabelecimento acaba de receber um com-
verde at tioie Vindo a esto Plato sortimento de agulhas curtas e compridas,
r as melhores que tom vindo ao mercado; as agu-
lhas tem o distinclivo do TEMPORAL.
_____________ .____________________ Previne-se a todas as familias que quando man-
-_ darem comprar estas especiaes agulhas que vejam
_P lli 11K f i IMIIII fk i papel o distinctivo do TEMPOWAL.
^st*-MA MWMJ __e-_-K___w------- ( pa-o^tj observac.o para qne as familias nao
E M^m engaadas pelos meus collegas apresentan-
POTASSA DARUSSIA &SE U""e d"810 *" *" *" "
A mais nova no mereado, a pr$co razoavel: nc So onde ha estas agulhas na
armaiem de Manoel T. Basto, t ra do Gommereic; LOJA DA BONANCA^. 63
n. 13. prejo de cada papel 100 rs.
Rl'.i Mi ULOHIA N. 5
Olaria do Fuudo.
Ha Motare nesta olaria grande sortimento de
materiaes, como tijolos de alvenaria batida, ladn-
iho, quadrado de 8, 9 e mais pollegndas, lelbas e
telhoes, lijlos do tapamontos. O propnelano Jes-
t olaria garante a bondade e barro de taes mate-
riaes, como tambem vende-se mais barato do iue
em outra qualquetparle.
II
larros.
Fugio do silio da bapucaia a lt do crreme,
mez, o cscravo de non.e Jos, preto, idade mais ou
menos 30 annos, alto, secco, cara rusgosa, ps e
maot grossas, bem talante e ladino, cosluma em
suas curses ir para a matancj, ribeira, servir de
carniceirOi ou ,'anhar as roas da cidade do R-
cife. Recommenda-sc a sua captura as autorida-
des policiaes e capijaes de camp, mediante a com-
petente indemnlsacao do trabalbo.___________
50,000
I
Resta venda um escolhido sortimento de ob
lelos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
arand, mogno e amarello, obra nacional e estran
jeira, de aparado go>to e por prejo* razoaveis:
a rna estreita do Rosario n. 31 Nesta mesma
asa fazem-se com perfejcao todos os trabalhos df
janha, como sejam, 'haJhamentos de lastro?
jara camas, cadeiras e sopns.
Vende-se ma carteira para esefiptorio : na
ra larga do Rosario n. -1, leja de calcado
Est venda
na rna das Calcadas n. 4o, urna escrava crioula e
.um tllho da mesma, do idade de 13 a'H anno?,
poca importante parapagem, ambos sem vicies
}ratifiea-se com a qnanlia cima a quem pe-
gar o preto Jlo, conlecido por Joao marcineiro.
o qaal anze.iiou-se da casa do seu sensor ha IS
dia?, levando calca e camisa de algodo azu!,
c chapeo de palha, eile barbado, magro e de
idade de M aunos, ladino c sabe o ollicio de
marcineiro ; de suppor pie ando por Ponte Je
Jchoa e Capunga : quem o appreneuder dore le-
va-lo a ra Direita n. VW.__________________
Do engeuho Jacobina, comarca do Cabo,
ugiota noute do dia 11 para l do crrente, o
cscravo crloulo de nome Antonio, lovou camira
de algodo Mal nova c eeroula de algodo ame-
ricano, chapeo de palha j velho e mais alguna
roupa, tem os signaes. scguinles : alto, bom i
po e tem as juntas dos res um pouco groajfc.
este cscravo foi vindo do P<
se desconfa t.'.r seguido
puliciacs e capitaes do I
escravo e leva-lo ao sai
ma menaio-ado jo*
mente.

I


ambuco Quinta feira 21 de Oulubro de 1869.
I

SSEi
LEA GSB1L
ClIlU D3S SRS. DEPIADOS
SESSO KM r DE SETKMBHO
Mil)M> no sn. NEB AS.
(CoHltiiwtmo)
__Entra om s"gui la em diseas*) ore-
HM!rieiio (l Sr. Gamos do Caatro, cuja
faUvrj o Si-. B'iijimim,na si;ss"i ilc 21 de
Mo se adiando presante este ssiibor,
posto a rolos ivqurimcnto e appro-
Vlil.l.
Eatr* ifcwoii Cin discusso o requerimcn
Ih fu Sr. Teixeira Jnior, adiado na sesso
le O da stwmbrv
O Sa. Aha> jo G6.'.s(|)ela ordom) :-Sr. pre
idate, duba da offerecer algunas consi-
kracSes cm sent lo oppwto aos queixu-
om* que o nobre autor deste requerimento
lawunlau mi casa contra o cdigo coaimer-
3\; como, par, nao osla na casa o no-
ir: depnttdi, codo da palarra.
'.tila a votos o requerimento, appro-
\*lo.
Entrando ora discusso o requerimento
al Sr. tti>tg *VaHio, oHarecMo na sesso
pifara o Sr. T-heodoro da Silva, a enma-
ra cnsente na retirada do mosmo requeri-
aeoto pedid.) do sen autor.
Entra e:n discusso o parecer da
cummisso .!( obras pjblcas sobre o esta-
anuont i rio una tintn telegraphca entre
a capital do imper c Pernambucn, adiado
fr t pe li lir a J|lavra o Sr. Vieira da
Sita na sasifto de 20 de jnlho.
CcU'd'lo da palarra o mesmo Sr.,_ c
seado submottido o parecer rotaco,
v approvado.
O SR. SIQUEIrW MENDES manda me-
5 o seguate requerimento, sobre o qual
fjcon eacorrada a discusso, por ter dado a
*ora : a- ,
Hequeiro que, por intermedio do gover-
no se pera que o presidente, do Para certi-
1.a Quando c porquera foi demiltido
< ddadioJoe Garaia da Silva do cargo de
dkttgadn de polica do Camet.
< i." Quem foi noraeado para o substi-
tuir, c era que data.
:\. Se o subdelegado actual ainda o
apilan A berto Jos de Barrwros Aze-
vedo, que serve desdo 186G, anno em que
foi orneado pelo eolio presidente Pedro
Lelo Velloso.Signeira Mentir?..
Da !a a ordera do di i, levanta-se a sesso
s onze horas da nou'e.
SESSO EM 20 DE SBTEMBRO.
r-aK.siDE.NCiA "o sn. nkhias.
Ao mcio diajeita a chamada, verificando-
uaver numero suficiente, abre-se a
CSSl '-
La-ae e approva-se saetada antecedente.
O Su. !' Secretario da conta do se-
lAI-i'.DIICME.
Din oficio do ministerio da agricultura,
Aviando os tscla recmenlos requisita'dos
jor esta cmara, de conformidado com o
parecer relativo protenco da companhia
da estrada de ferro e navegacao de Man.
A1 quem fez a requisico.
Qualro do l secretario do senado, par-
ticipando que o mesmo senado adoptou e
ai dirigir saneco imperial a resoluco
que declara car abolido o transito pela
dkaneeilarja das I\e!acoes, das senlencas,
precatorias, alvars, mandados e qnaasquer
outros actos forenses de qualqner juizovou
tribunal, bem como os decretos abrindo ios
ministerios da guerra e marinba crditos ex-
traordinarins.
3 i lidose mandados imprimir: um
uii | mandando matricular o estu-
cante Fciippe Basilio Cardoao Pifes; e au-
lorisand i con esslb de um anno de ticen-
(a ao a-adre Manoel r. Cassiano de Campos
t, '-se, o, ,i reqneiimento do Sr. Cruz
Maebado. remettklo as commissoes de
constitn:;o e peosoes e ordenados, o se-
gsQte projecto
A sserabfa gorai resolve :
Artigo tnico. I'ieam sem cffeito as
aposentadoi tas dos desembargadores c mem-
bras do supremo tribunal de juslica, or-
denad.:s pelos decretos de 30 de dezembro
de I83.
lia dns sosses, era 20 de junbo de
tfcfiO. Antonio Fer reir Vinnua.AC.
fc Gru Machado./. J. O. iunaueira.
J. Maxtmo Sogueira Venido.
Entra cm discussao, e approvada
53.n debate, a redaecao, que foi a imprimir
na sesso antecedente, sobre a naturalisa-
> i de varios cstrangeiros.
Entra em discusso a redaecao, que
a imprimir na sesso antecedente, revo-
cando o disposto no art. 6" do decreto n.
i.Vt\ de 2i d agosto Vem a mesa, lido, apoiado e en-
ira era disonssio b segninto requerimento :
d mis artigo* do p
r>jtii;idoo ;p*ra-
simirampaia o senado.Pe
a Franco.
Ninguem pedindo a patavra, o pondose
a votos o requerimento, approvado.
OKDEM DO DA.
Entra em V discusso o projecto man-
dando continuar em vigor no ejercicio de
1869 a 1870 a le n. 1.5J7 de 20 de se-
tembro de 1867.
O SU. ALENCAR AH\HIPE: -Levant-
me para fazer um ligeira observar!) res-
peilo dapropostaqueseac'.a em discusso.
Descjava ouvir a nobre commiss > de
orcaraeuts acerca da vanta.om que nos po-
deremos tirar da adopeo ila iiiesma pro-
posta. Ja aqu votamos projecto do orea-
manto, qiieacba-se em dis.;ussj nu sena-
do ; ora, como vamos, p >s, aproscniar
tro projecto de orcaraenio ? Parece que
circunstancias muito extraordinarias nos
devem levar a votar este segundo orca-
mento ; e ou estimara que a nobre eom-
misso tivesse a complacencia de explcal-
os motivos que determinarama a organiaor
e offerecer consideraf) dns^illustre c-
mara a proposta de que tralo.
Eu sei, Sr. presidente, (pie urna mio-
na, que nao duvidarei denominar de faccio-
sa (muitos apoiados). no senado tem, por
meios inaceitaveis, obstado a passagem do
orcamento. (Muitos apoiados).
Sei que esta minora, usando da palavra,
nao como meio de raciocinio, mas com ar-
ma material de impedir a votaco, tem obs-
tado que al boje a lei do orcamento seja
votada ; 6 convieco geral, fundada na
asseveraelo de alguns nobres senadores,
que o orcamento so discutir indefinida-
ment. Propala-se que, esgotada a pala-
vra como meio de procr.istinaco, se retira
rao alguns membros afim de que o senado
n) possa deliberar.
Este procedimento o paiz lodo reprova
(muitos apoiados), este procedimento anar-
cbico (apoiados), e nao pode dcixar de ser
eslygmatisado com forca e vehemencia pila
naco e por scus legilim Se assim o lizerem, n) sao senadores,
sao partidistas exaltados, e homens sedicio-
sos, saem do augusto recinto do senado
para trocar a posico respeitavel de sus-
tentadores das leis pelo censnravel papel
de pertubadores de paz publica.
Estou disposto, e creio que toda a casa
est no pensamento de fortificar o governo
com todos aqelles-meios que elle julguc
necessarios para conter o espirito faccioso;
para conter aquelles que em vez de com-
prirem o seu dever, procuram prejudicar a
causa publica da maneira a mais desabrida
e descommunal (muitos apoiados), provo-
cando o espirito do agitarn na imprensa e
na tribuna, em raanifeslos e gazetas, em
discursos pblicos e palestras particu-
lares.
Nenhuma causa, nenlmma ,razo justifica
semelbante procedimento da opposigSo.
Pode attenuar-sc o procedimerito dos no-
bres senadores que tem impugnada o orna-
mento, dizendo-sc ser do seu dever discu-
tir e mostrar ao paiz os erros do governo
e os graves damnos, que para o mesmo paiz
se seguiro da aceitaco desse ornamento
como lei do estado.
Mas nao isso em realjjke, Sj".-^res-
dente, o que observamosrvemns que os
oradores que no senado se apresentam cm
opposH-o fallam, porn nao discutem
(apoiados); consomem o t^mpo, porBmnada
esclarecem. (Muitos apoiados). 4^Br
O S. Bahros Barueto : LenTlo ar-
tigos de joniaes e actas de eleirjoes pri-
marias.
O Sn. Ai.k.ncah Arabipe : Se os no-
bres senadores quizessem esclarecer o paiz
e tivcssem um Bm justo, haveriam apre
sentado alguma idea nova sonre financas,
algurn plano de mclhoramenlo sobre a im-
posico dos.tributos e sobre a sua arreca-
daco, algum meio de grandes economas;
mas nao isto o que clles tem feito em
quasi dous mezes -de discusso do orca-
mento. Limitam-se propriamente a con
sumir lempo com estirados discursos, d
qoaes nenhuma idea til se colhe. Quem
procede assim di direito, a tirar-se illacoe
do seu procedimento.
E evidente, porlanto, que a opposico
do senado nao quer discutir o orc'mcnto
com mira no bem publico, mas com inlen-
Uos reservados.
Ou ha inepcia naprotelaro da discusso,
s com o fim de consumir intilmente mais
um ou dous. mezes de sesso, o que eu
nao admiti em omcns alilados, como se
dorara suppor os nobres.senadores oppo-
sicionistas, u ento ha algum pensamento
sinistro, e vera a ser, er$ar o governo a
ficar sem orcamenlo regularmente votado
pelo parlamento, e depois gritar-so s
turbas que a dictadura nos opprime, que
nao se dave pagar impostos, que as liber-
dades publicas esto calcadas, e que, final-
mente, 6 lempo de verificar-se a alternativa
do celebre manifest do centro liberal. O
r>orem,-tem-m
ira deliberar, j
Assim, pois, Sr.
vidarei dar o meu
se acha sobre a
nos esclafllc ofili
que podamos obter a
i votaco dossa pn
nobres senadores oppbsieu
Ijrminaibs a negar o i pro-
ceder .de una maneira, imnrei
criminosa (apoiad ihjo
que .agora so,discoide mesmo que esto
praticaudo DHii u : le orcamento
lue j votamw crravttouiDS para o*ft
^Hbz do mn acto indigno. {Muitos
pie os
stSo (le-
ado.
Purera se a commisso convetiew-nv. de
que esta propista lera" por lira esgoiar mais
oin recurso e mostrar o proposito com que
procede a opposifo do senado, eu nao ne-
,'art'i o rnec voto proposti ; c ento, ape-
nas --a-'commisso assim nos esclareca, eu
iliri:
Cumpramos o nesso dever, Sr. presiden-
te, para qoe nos deslindamos daquellesque-
sendo adrogados de partes, rao para ose,
rKMlaapwtentar inleresscs i!e seas clientes
contra os interesses- do estado, como o Sr.
con advogado das corporaces religiosas, nao
es;rupolisa em ir para a cmara vitalicia
impedir a votaco do orcamento, afim de
que nao pa.sse o .artigo relativo s ordens
monsticas. (Muitos apoiados).
E' fcil comprehender que as ordena re-
ligiosas, sem bens, nao tero advogados ;
e nao tendo estas advogado. nao lero a
quem pagar o pingue bonor.irio de tt:04KJ,-5
por anno.,.. (Ligeico susurro). Diga-so a
verdade, porque ella deve sabor-se, c a
verdade que vivemos.
Curapramus o possa ihivcr, Sr. presiden-
te, pranos d*slinguir;nos diquelles que,
sendo ndvogados dos bancos, vo, nos seos
ministerios, fazer transaceoes com esses
bancos (apoiados), trans*accoes de que rts-
sultam grandes interesses para csses mes-
los bancos, como acontecen com o nobre
ex-presidente do conselho, o Sr. Zacaras
de G s, que nao jnlgou materia de escni-
eulos, quando ministro da fazenda, fizer do
banco inglez quasi o exclusivo agente das
transaceoes cambiaos do imperio. (Apoia-
dos).
Um Sn. Dkpltado:Todo o paiz deve
sab-lo.
O Su. Be.mja.mm: E sao taes bomens
que failam em moralidade!
O Sn. Ai.i:.\eui An.\iui'E :Cumpramos
o nosso dever, Sr. presidente, para nos des-
tinguirmos daquelles que, em mais de '!
annos de esteriiidade', nada fizeram, e boje
no? inculpara como esteris, c nos aeoimam
como levad,s )somonte peloodioe egos-
mo em nossos actos. Nao sastisfeitos os
nobres senadores com o que dizem na tri-
buna, com offensa dos mais nobres caracte-
res, ainda vm na imprensa, nao na im-
prensa anonyma, porm na imprensa assig-
nadi, om arigos escriptos sob a respon-
sabilidado do um Ilustre senador, como os
meus Ilustres collegasUero visto nos l-
timos nmeros da {forma,desconsiderar-
nos com semelhanto vitupi.'rio. Porlanto,
do-nos o direito de avaliar os scus actos
com justa retribuic i c merecido rigor.
O Sr. Be.mjamix: Alguns artigos calum-
ni 'sos nao vera assignados.
O Sn. Alk.ncau Arante :Cumpramos
o nosso dever, Sr. presidente, para mos-
trar que nos nao somos aquella cmara,
quem o Sr. cunsellieiro Zacaras de G2S,
em sua incabWaaltwz, denominava Con-
fiara dos n'diittrs, vilipendiando por esta
forma a eprescntaco nacional, no seio da
qual vinha ridioidrisar os actos mais gra-
ves c mais importantes do governo do paiz
(apoiados); pois que, quando acabara de
nomear os conselbeiros de estado, vinba
para aqu dizer que acabara do nomear
os advogados do diabo... (Risos e apoia-
dos).
O Sr. Chuz Maguado :Essa foi boa!
FOLHETIIW
OS GASACAS PRETAS
H02HANCE
'por.
Paulo FvaJ
Seguuda parte
TRISA PATAS
XIV
Visita nocturna.
(Continuaco do n. 238)
baroneza licou sos com Miguel,
.onservou-so por alguns instantes immo-
vei e com os olhos ardentemenle eravados
n aquel la fronte nivea, coroada de formosos
^Jbellos. Depois, cerraram-se-ihe repen-
tinamente as palpebrs*. como se d'ella se
apoderara algum temor.
Miguel moveu-se. Nos labios meio ber-
tos dcsenhon-se-lhe vago sorriso. A ba-
ronesa poz do parle o caslical Dar apoiar
as mos ambas contra o coraco.
Depois tirou do seio a aqoarella de cores
apagadas, o retrato de homm novo, que
troiuera. Mirn, ora a desftotaft pintu-
ra, ora o paludo rosto de Miguel. Dir-se-
tua que all fra para establecer aquella
aofrontaco.
Oaando de novo pegouno easUcal, pro-
longado suabiro Ibe levaoton o seio, e no
iiasinar voltou-se para mais urna vez cn-
Memplv, atravez de duas formidaveis la-
I OSn. Ai.F.NcMi Aharipf. :.... e quando
ncabava de conferir ttulos honorficos, que
a> leis reservam como premios dos grandes
servicos feitos ao estado, vinha declarar
cora desdenhosa imprevidencia, que a aba-
va de lancar tributos sobre a vaidadf !
Assim o-nobre ex-presidente do conselhflMB
retralava em seu governo : era o genio da
ioconsideraco, que lancava o ridiculo sob
o paiz e o enehia de males incalcUla-
veis.
Cumpramos, Sr. presidente, o nosso de-
ver para nos nao parecerraos com aquelles
que no senado desconhecem os relevanlis-
simos servicos de um grande ministro, o I-
lustrado e benemrito conselheiro Jos Ma-
ra da Silva Prannos (muitos apoiados);
que desconhecem, digo, os servicos. que
elle fez e est fazendo ao paiz, e o vo ac-
j cusar pela percepeo de dinheros nao devi
| dos, e recebidos por meios artificiosos do
i thesouro (apoiados), quando todo nos sa-
humos que o nobre ministro de estrangei-
sim.Sr. presidente, capaz desa-
amo o tem feito, e est fazen-
o paiz. tendo-lhe .pi-eslado relevan-
irnos servicos. (Moitos ampiados; intii-
m u>-tan.)
O So. Pinto ok Campos : Essas mise-
raveis aecusacoes dPprejodieam ao carc-
ter el vaaJo-do nobre Sr. conselheiro Para-
nlios.
O Sn. AMncna Ahaiiip: : Compramos
ainda o nosso dever, Sr. presidente, para
mostrar-que n3o somos-dnj/ielles que, le-
vados de puro despaito, fcntamse nosw-
Inadopara aggredir o nobre e illustre duque
ule Gimas (inuitos apoiados), que fezos ser-
vicos que elles nunca lizeram, que moslrou
a abnegaco que ellos nunc moslraram, le-
mendo o parailelo entre esse vulto gigante
e essas sombras.dj pygmeos (muitj bem).
entre aquellos que rao fura do paiz defen-
der os bros ncionaes, o aquelles que, sem
transpor o limiar da casa, nao sabem com
nobre patriotismo snpportar a gloriaalheia.
Eu deploro que o nobre cx-presidenle
de conselho, o Sr. Zacaras do Ges, nao
qnizesse na guerra do l'.irago.ay represen-
tar esse papel mais no ore, que Ibe com-
petira como ministro, queprocuron s;rvir
ao seu paiz no curso dessa guerra, con-
correndo para a gloria nac'nal, e buscisse
antes o da nasfeSdor dos<; mesma gloria,
consiiluindo-se injusto censor do nobilissi-
mo guerreiro, quera elle mesmo con-
vidan para desaggravar a patria.
Ivn vez do. m;inler-se na posico de
um dos generaes agammcenonicos do cerco
Wano, de um daqueihs que adquiriram
glwia immortal na UosallioiUa do seu paiz.
qnz antes ivpresent.ar o papel infeliz de
Thersites, triste e lameiitivel detractor dos
actos nobres.
Creio que o nobre ox-presidento do con-
selho, cm vez de censurar ao illustre
duque de Caxias, se os relevantissimos ser-
vicos e as justas glorias deste cidad) o
iacommodam, deveria imitar o grande
alheniense Themistocles, quando nao dor-
ma, apiado pela emulacao dos trophos
de Milciades. Themistocles nao a para o
aropago desmerecer os ti iumpbos do seu
competidor em mritos, a quem alias renda
loiivores; exforeava-se, sim, cm prestar
mais nobres servicos sua patria, e assim
obter gloria mais sublimada. E' este o
papel digno de um estadista patriota.
Mas o Sr. conselheiro Zacaras de Ges
nao quiz assumr este papel, e tem, pelo
contrario, amesquinhado a sua posico ;
procurando denegrir as gloras do general
que nos den as victorias e restauro os
nossos bros offeadidos, olTusca as glorias
do paiz e apresenla-nos perante as naeoes
civilisadas como um povo brbaro, inca-
paz de apreciar o mrito eminente c os
servicos relevantes, como os do nobre du-
que de Caxias. (Mu.tos apoiados).
O Sr. Ciuz Maciiuo : Mas reconhe-
ciaos quando se associava clles.
O Sn. Ai.kncar AuAiuev: : Sr. presi-
dente, o meu'lim smenle foi pedir
nobre commisso.do orcaoeno, qaeapre-
soniou a proppsta quo se acha em discus-
so. quo escla*re:;a e mostr se poderemos
colheT algum fineta di providencia que
vamos tomar; porque parece-meque, desde
que temos regularmente votado um orca-
mento, e desde que este se acha no se-
nado, dever do governo fazer com que o
raesrao orcamento seja votado, proro-
gando as cmaras (apoiados), ou convo-
cando urna sesso extraordinaria, como
mais ulil parecer causa publica.
Nao possivcl admittir como just que
alguns homens constituidos em minora no
senado obstem o xito das iL-cisoes desta
casa, empegara o exercicio do direito que
tem a sua propria corporaco do resolver
sobre essas mesmas decises, e aniquilem
a prerogativa da saneco do poder mode-
rador; nao cabivel que meia duzia de
homens tenha a faculdadc de paralysar a
marcha regular do mecanismo politico, es-
tabelecido pela lei constitucional. Conse-
guir um tal resultado pelo uso da ilimi-
tada loquella e de outros recursos, como o
do nao comparecimenlo para nao haver nu-
mero sufficitte para as votagSgs, pra-
ticar um acto revolucionario, um verda-
deiro attentado contra a lei e contra a
moralidade. Use o governo do remedio
mais adequado-para sanar o mal.
. Eu creio, Sr.. presidente, que esla c-
mara est disposta a acompahar o gover-
no. (poia!os geraes). Ncnhum denos
se arredar do seu posto; e se os robres
senadores da opposico nao quizercm
manter o sen, se" assignalaro com o mere-
cido stigma de desertores dos seus deve-
res. (Apoiados).
\ssim, pois, pedindo i nobre commisso
explicaces respeito do assumpto, eu
aguardb-me para depois dellas resolver a
respeito do voto que tenho de dar, asse-
gurando nobro commisso que, se eu
enxergar a minima vantagem na resoluco
qoe Ha offerece ao nosso "exame, votarei
por esse ^lvibe com toda a boa volada.
(Muito bem, muilo bem).
O Sn. Presidente : Comquanto todos
nos tenbamos observado, o n paiz todo
tenha visto qoe esta cmara tem sido
menos dignamente considerada as dis-
cusses da outra casa do parlamento, to-
dava eu rogo aos nobres deputados-^pe
o
do formoso moro que zenJo de casa da raadrintia pronuncia
'.rao aroma de charuto.
No dia so^uinte foi a baroneza visitar o
grimas, o sorriso
dorma..
Quando chegou ao seo quarlo, a baro-
neza eslava prostrada ; pareca absorve la
nteiramente um pensamento vago. Do-
mergue achou-lhe apparencia de socego ;
vio, porm, quando ella se assentou quo o
cansaco a quebrara. Dizia ello comsigo :
Ora, pra !... Affligir-se assim por
urna cousa acontecida antes do casamento I
O senhor baro nao era nenlmma donzcl-
la... Dexa-lo ; em todo caso, est corto
agora o futuro do rapazinho. Asenhora
baroneza a bondade em pessoa. Aquillo,
:asam-nos ambos : elle com a Edme...
Que par t5o bonito !
E descobrira a baroneza o famoso signl
ou a preciosa medalha das peripecias thea-
traes ? Nunca Domergue pode sabe-lo.
Mandaramoo deitarpura, simplesraente,
'como se n'aquella casa se nao passra um
aconiecimenio dramtico.
A baroneza icoa dH) at amanhecer.
Sorria s vezes, e arrsavam-se-lhe de la-
grimas os olhos. Por duas ou tres vezes
Ihe assmpip aos lbio3 e n'elles expirou o
nome d^-co%iessa Corona, unido ao de
Migue
EferWente que aqnelle nome a ame-
dronfeva.
No raonllb)J^Ke novaraenle raellia
na gaveta da* sdofetara a aquarella em
miniatura, pode-ls*-hiam Ijuvir murmurar:
Ma de amar... brde... Amaj,
tal vez.. .-
Como importa aue todo n'osse munlp
tenha flm, at as licenfas de dez horas ;
volioo pela madrugada a Sra. Sicard, tra-
castello de Boisrenaud, que o. marido que-
ra comprar, e tomou para esse lim a dili-
gencia do Prato de Estanho, como se fura
senbora de mais modesta condico.
Vio Tres Palas, e pareceu-lhe que o des-
conhecido mendigo a envolva com a
vista.
Nao liana a baroneza Schwarlz confiden-
te ; a maravilhosa belleza das feices raras
vezes Ihe deixava transparecer o segredo
do pensamento. O rosto d'ella era do mar-
more.
O castello de Boisrenaud foi comprado.
Depois voltou ao seo viver "tirTjinario e
tranquillo familia Scbwartz. Todo jfro-
segbia como d'antes, tanto apparentemente
como no intimo, pento tal qoe Domergue
perguntava si proprio se sonhara aom
signal de nascenga, se com medalha.
historia nem se quer diz se a demissao da
Mirabel foi ou nao exigida.
E com todo baria p'aquelfc casa am
elemento novo : acabara de nascer a pai-
xo, e por. consaqueocia tamben o drama.
O primeiro jps feita pela baroneza^Mfrolegido do bario
lo :
os (Jll
so tem de succader na tribuna, asslnvtnm
observo ao nobre deputado que acaba de
fallar, que sejamos nos os primeiros a dar
o exemplo do respeito e tolerancia que se
do vera reciprocamente guardar todos os
membros da asserabla geral. (Muitos
apoiados).
O Sn. Alenar Auaripe (pela ordem):
Creio, Sr. presdente,lque n5o faltei ao res-
peito devido, nem corporaco do senado,
nem aos seus membros individuahnente.
Os membros do senado, como funecio-
narios do estado, tem a sua vida publica
sugeita ao exame e apreciacio do todos os
Brasileiros. (Apoiados). Cada cidado
lem o direito de aprecia-la com tolo o
vigor o energa, quando julga qoo proce-
dimento desses funecionarios prejudicial
aos interesses geraes : foi este direito que
agora exerci.
Crei que V. Exc. fazendo a observacio
que a cmara ouvio, comquanto a apresen
tasso logo depois de haver eu acabado de
fallar, nao dirigi advertencia alguma ao
meu proced nenio; se, porom, assim no
foi, sujeito-rae respeitoso censura que por
ventura dahi resulte.
O Sr. Presidente : Nao censure*! o
nobre deputado. Q;iiz smente fazer
sentir aos meus nobres collegas que, em-
bora podessem usar de urna justa represaba,
segundo o theor de certas discusses lvidas
na outra cmara, sejamos os primeiros a
dar o exemplo do respeito e tolerancia com
que se nos tem faltado. (Mulos apoiados).
. O SR. CRUZ MACHADO:Visto que o
honrado relator da Ia commisso do orea-
monto aguarda se para fallar depois, terei
a honra de oceupar a atlenco da cmara
por alguns momentos.
O nobre deputado pela provincia do Cea-
r, que encetou o debate, nao contestando
que a resoluco quo se ach em discusso
sendo o expediente mais acertado de que
su deva lancar mo para que o paiz nao fi-
que indotado da lei de meios, desoja que a
l*commisso'de orcamento por um de
seus membros Ihe declare que resultado es-
pera obter da apresentaco deste pro-
jecto.
Nao im julgo habilitado para segurar
o resultado do projecto de resoluco, nao
me dado antever o que se acha na mente
da minora do senado; devo, entretanto, crer
que inspirada pelo patriotismo, nao embar-
acar o cumprmento de um dever constitu-
cional.
Teremos chegado ? urna poca em que
se d um facto imprevisto pelo legislador
constituiulc, isto que a maioria do sena-
do, comquanto numerosa, nao sendo bas-
tante para por si s celebrar sesso com o
numero legal, dependendo da presenga de
alguns membros da opposico para prose -
juir nos seus^trabalbos, estes rcusem com-
parecer ?
Nao devo crer que a opposico no senado
resolva dar semelbante passo, que consti-
tuira um precedente fatal marcha de
nosso systema de governo, impedndo que
um dos corpos legislativos se rena o func-
cione. Se to inesperado acontecimento se
der, claro que o projecto dd resoluco
nenlium resultado legislativo poder ter.
Ainda assim, conseguir-se-ba outro resulta-
do muito importante, o resultado moral; o
procedimento da cmara dos deputados ac
tuar sobre a opino publica, ser por ella
apreciado, Ser mais urna prova solemne
para demonstrar que o ministerio que diri-
ge a siiuaco, e a cmara quo a sustenta e
que espontneamente apoia o ministerio,
lem empregado todos os esforgos compa-
dris com os preceitos constitucionaes para
quo o paiz seja dotado de urna lei de meios
Este resultado, quando nao baja outro, cm
ultimo caso bastante para justificar a
apresentaco do projecto de resoluco, para
que esta cmara o approre.
Sem que eu adopte em toda a sea pleni-
tude a mximaque o senado nao deve fa-
zer poltica, record que quando esla-
vamos all constituidos em grande maioria,
essa mxima era sempro adduzida, e se
pretenda que fosse executada com todo o
rigor, em lodas as suas conseouencias,
ponto de, deduzindo-se do mo'do porque
foram redgidosos votos de gracas, algu-
mr censura poltica dos gabinetes passa-
dos, inmediatamente so reelamava contra a
phrase em.que se reputara estar a expres-
so da censura, porque importava a viola-
Cao dessa mxima que se sustentara como
um principio necessario ao systema de go-
verno consagrado na coustituico do
paiz.
lloje, aquelles que a snstcmtavim, que a
elevavam cathegoria de preceito absoluto,
parecer inesperado
recepcik^H
urna senbora moca e adoravelme
mas quo nao tinha as sympathias
neza ; a condessa Corona, sua
e um tanto ligada ella por aqaeile
rando ancio, o coronel Bozzo Corona!
A condessa e a baronesa travav
joes cora nma especie de disvello
i>V- Diriam duas-potencias que
nenie se giam.
Muito mais nova que a baroneza, a con-,
dessa desabrocbava-n'uma fonnosura arro-
jada, singular c qoe os entendedores attri-
buwtn ao typo corso. Os olhos grandes e
de vistas ardentes e profundas, gosfvam de
reputaro. N5o faltava quem os achasse
deotasiadamenle rasgados para a delicada
pallidez das feicoes, mas fallavam d'elles.
Nao era positivamente urna senhora da
voga, porque nao era das que fogem me-
nos* apprecer, e a voga precisa ser in-
cessantemente requestada. A voga^porm,
oceupara-se d'ella.
Dizam que era rica. 0 nome soava bem.
Vivia separada do marido, bomem desre
grado e dado distracoes, o-que, segundo
"diziam, cahira profundamente sem que
ninguem podsse especificar a natureza do
trambolho.
Finalmente, nao aascera das ervas, por
que o coronel Bozzo Corona, phylantropo
destintto, come todos os jornaes eram con-
corde# era dizer, e cojo palacio, situado
na roaJCberoaa, poda passar por arsenal
decaridlde, ara av d'ella.
O b(i*8chwartz tinha relages mone-
tarias etm o coronel, eujo hornean de con-
fiaoca oSr.'Lecoqera.As cousas, em Pars,
assumem nl^,paras vezes bem extravagan-
tes aspete : Fallava-so muilo, e muito
alto, das jj des do oronel Bozzo Corona;
a imprensa ^HrO continuamente de elo-
gios, qjpittbam seu tanto dos annunctos
pagos por certos estabdlecimsnlns mdicos.
Era vemo*ot3o Jlittiusalem, xou'sa qoe
muito augmenta respeito.. E todava
pjkiravam om volta d'aquella caritativa glo-
ria algumas duridas vagas.
Possoia elle na Corsaga bens conside-
achando-se fra do poder, o em minora no
*qHecidda Hiama tantas vezes
por elles sustentada, prevaiecendo-se do di-
reito ampio de diseussSo consagrado no re-
giment do senado, e dicin-nmstancia de
ser rfecessaria a presenta de alguns delles
para com a maioria completar o numero
preciso para haver casa, qnerem j oSo que
a maioria da cmara ritalew, mas qoe a
minora dalla faca eflectivamente.pofitica.
(Muitos apoiados).
O paiz nao {'>pde crer na sinceridad.
daquelles que se proclamam senincllas vi-
gilantes, estrenuos defensores do ?ystema
rcpresenlatiro, quando se prevalecam de
nma circumstaucia ospecalissima para im-
pedir o -jogo regular dos corpos legislativos
e a marcha dos poderes, o se esforcem por
deixar o governo do paiz descobertp, sem
urna lei de meios, que o cumprimento
rigoroso de um preceito expresso da cons-
tiluico. (Apoiados),
Algures ouvi pr-so era duvida .a cons-
tiluconalidado do projecto de resoluco
qoe se discute ; antecipo-mo cm resolver a
objeceo, apreciando as raz5es em quo so
possa basea-la.
A resoluco que se discute to perfot-
tamente constitucional, como o projecto do
lei de orcamento que se acha pendente da
approvaco do senado, onde orna minora,
pertinaz em sustentar urna discusso vaga
e indefinida, e sem exemplo na historia de
nosso paiz, tem obstado que essa lei sej
vi tada.
Em que so basa a arguico de inconsii-
tucionalidade? Em ter a cmara dos depu-
lados votado urna le de orcamento que se
acjia pendente da deciso do senado ? No.
bis ? Se o bis que constiloe a inconslitu-
cionalidade do projecto de resolug), esse
Maj tem sido praticado sem que algucm
o tivesse argido de inconstitucional. E\-
plicar-me-hei.
No mez de maio ou junbo, attendendo-sa
que nao era possivel em to breve espaco
de tempo discutir urna nova lei de orca-
mento que comefasse avigorar do I.'de ju-
lbo em dianto, toinou-se a resoluco de vo-
tar um projecto para que fosse observada a
le de orcamento do anno anterior no iJ c-
mestre que ia comecar no t de juiho e
terminar no ultimo de dezembro, eraquanto
nao fosso volada a nova lei do orca-
mento.
Considerando as dilliculdades quo se tm -
dado no senado sobre a lei do orcamento.
e cumprindo providenciar respeito em
tempo, parece acertado que se procuro por
outra.resoluco regular, di) mesmo modo
provisional, o 2 semestre do actual exer-
cicio, addicionando-se algumas medidas
Ciscaos necessarias o urgentes.
Ser disto que se quer deduzir a incons-
titucionadado desla resoluco ? Neste
caso o projecto de orcamento que est pen-
dente de approvaco do senado, seria* em
parto tambera inconstitucional; e por certo
nirfgucm avancar semelbante proposico.
Nao a poca, nao a anteroridade ou
a posteridado do acto que deve determinar
a constitucionalidade delle. A le de orca-
mento que pende no senado ter do reger
tanto o primeiro como o segundo semestre
do exercicio, tendo sido j o primeiro re-
gulado pela resoluco que foi promulgada,
a o segundo semestre o ser pela que r.c-
tualinente se discute, emquanto nao fr
promulgada a lei completa de orcamento
do exercicio.
Portanto, o bis da resoluco sobro o
segundo semestre do exercicio por ser pos-
terior votacao da lei do orcamento nesta
cmara, como o da primeira resoluco por
ser anterior mesma votaco, nao pode
ser motivo para se argir a resoluco que
se discute de inconstlucionalidade.
Consistir a inconstilucionalidade do pro-
jecto no fado de nao ter precedido m va
proposla do poder executivo?
Nem a coustituico determina um modo
preciso de volar-so a lei de orcamento:
determina apenas que annualmente a as-
serabla geral fixc as despezas publicas.
Nao ha mesmo lei alguma cm virtude da
qual o corpo legislativo nao possa decrtal-
as despezas publicas e fixa-las se. nao de
conformidade ou precedendo proposta do
poder executivo. A que ha propriamente
regulamentar tem a dala de 15 de setembro
de 1830 ; nella se dispoe que o governo,
alm dos relatnos das- reparlices dos
dilferentes ministerios, aprsente as bases
sobre as quaes so possa formular urna lei
de orcamento regular e previdente, qoe
consulte as necessidades do paiz. A cons-
tituico nao manda que se aprsente pro-
posta respeito deorc amento como decre-
ta expressamente acerca da fixaco das for-
Cas de trra c de mar.
Assim os dous nicos pontos que pode-
riam servir de pretexto para se argir o pro-
jecto de inconstitutionalilae, desapparecem
vista destas breves razoes que acabo de
ter a honra de apresentar consideraro da
cmara."
(Cottiinuar-se-ha.)
com fudo pareca que os e
nham vontade de offende-la.
lavara d'ella, punbam bei:
certa empha-se a autheoti
ha veres e a evidencia da suaTMsco.
Pratcando assim, pareeia que cada qual
responda calumnias quo cabiara das nu-
vens.
O Sr. Lecoq usava para com ella da pa-
terna familiaridade particular aos tabelliies
e advogados das casas grandes. Ella, aco-
thia-o com ama brandura fra, sob a qual
julgavam os observadores adevinbar muito
medo e mito odio.
Um mez depois da visita nocturna que
referimos; a casa Schwarlz, apparentemen-
le tranquilla, apresentaria algum obser-
vador prespicaz os segintes symptomas:
'entre a baroneza Schwartz e o nosso fa-
moso Miguel nascera urna d'essas platni-
cas ligaces, que dizem outr'ora existiam
de pagem para castellaa. Algum senti-
raent mais vivo talvez e menos virtuoso
attrahia aquello bere para a condessa,
Corona, que eslava deslumbrante de graga
e formosara. Edme teber tornava-se
paluda e triste. O romance *de infantil
raveis, situados as mmediaces de Salef-
no, eque Ihe provinbam da mulhr, falle-
cida havia mais de meio seculo.
Os respeitos de algum modo officiaes
com que a Paris publica envolva aquelle
macrobio e as duvidas extravagantes, sem
consistencia nem formula, puo vinbam ino-
pinadamente interrompe-los, chegavamco-Jdo do seu coraco.
mo duplo reflexo aquella deliciosa condessa*1- o baro alargava
Corona. Era d'aquellas quem o myste-
rio revesto de maior encanto. Nenhuma
voz se levantara jamis para accuaa-la, e
usia/ts ti-
rndo M-
te, com
f,dos seus
amor, cujo prologo Usiogello referimos,
proseguir silenciosamente. S urna mu-
lhr torriaVa Miguel tr1hH|0: era Edme.
Enganava-se com aquelle stgnal ; nao esta-
ra n'elle a paixo sazonada ; Edme, po-
rm, mais prematura ou mais concentrada,
Mnha consciencia do que se passava no fun-
esphera dos seus
negocios o ganhava enorme sommas.
o Ihe escapava a mudanca da baroneza
para com Miguel. as horas de quo pu-
dia dispr, procurava a junta sobre a
qual vibrara formidavel golpe.
Levou mubo tempo antes que a achas-
se. Decorreram muitos mezes. Branca
eslava urna senbora. Migbel mudara de
vida, tornava-se serio e ambicioso, symp-
toma assustador. para o baro, quera
ludo agora assostava. 0 pobre do bo-
mem desfructava, no jogo commerciSt, de
urna fecidade tal que o assnstava.
E, com ludo, que havia all para eslra-
nheza ? Levara elle aonos a exprobar
baroneza a sua frialdade dar com Miguel.
Ella, obediente, otbava para o favorito com
vistas menos glidas. Onde estara o mal?
O mal nao estar em parte alguma, mas
o incidente da Mirabel nao pedia afasUr-se
do animo do barto. Teve om pesadelo :
pareceu-lhe qoe a baroneza se intromel
entre o fogoso capricho d Miguel e a
condessa Corona.
(pmtinwir-e-kh).
f yr. no pumo-ota bis cmzkw. ,
liada

T t
\
Id
'A

l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELAXLG6TB_D68J50 INGEST_TIME 2013-09-14T02:27:54Z PACKAGE AA00011611_11973
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES