Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11971


This item is only available as the following downloads:


Full Text
u
^ AKNO IIS. NUMERO 239.
***tt A CAPITAL I IOGAKS ONDE IAO SS FA6A hwfl
Jertresmeaajdjantados. :...... -^^
tosersdtqgjjfe,........... JH
IV um armo *.... .
&ZSSS5L ::::::::: ...... g*
-,
TERCA FEIRA 19 DE OUTUBRO DE 1869.

PABA BERSO I TOBA DA HWVWCIA
Por tmiaeics adiantados...... .
rPor cis ditos iden............, .
Por noM ditos dem.....
Por um anno. / ......

1
*W
RMMBIM
Propriedad* de Haaoel Egn^rta da Faria & Fhos.

d
1
L
v
PARTE OFFICIAL
Ministerio da guerra.
(Continuaeao.)
Seriam 7 horas da raauhaa, quando principou-se
a ouvir troar a artilharia do 2 corpo de exercito
a distancia de 2 ou 3 leguas um poueo direita
da direccao que seguamos. As 8, tive parte que
a cavaliaria que formava a nossa vanguarda ao
mando do deslimido bngadeiro Vasco Alves Perei-
ra, ja tiroteava com urna forca oimiga que parocia
numerosa.
Masdei arriar morillas e avancar a infantaria,
ao mando do bravo brigadeiro Herculano Sanchos
da SWra Pedra.
Nao me compete narrar todos o pormenores da
batalha que momentos depois aehou-se travada e
se prolongou por umitas horas: ellos veem espe-
citicad os as differentes partes annexas ao presen-
to olHcio e especialmente na do muito digno com-
mandante interino do Io corpo de exercito o do
dcputado do ajudante-geoeral junto a este com-
mando em chefe, o distincto o bravo coronel Dr.
Francisco Pinheiro Guiniaraes.
Comecou ella cm um campo denominado pelos
ParaguayosNhu-guass ou Campo-Grande,
I mitado por malta na parte que se achava direc-
tamente na nossa frente, tendo porm sabidas,
quer direita, quer esquerda.
Ncsse campo apresentava-se o inimigo em linha
de halnlha e ahi tambera desenvolveram-sc em
linha de miradores as brigadas 2' e 6 da nossa
que demorara nosso triumpho, poda parecer ter- eco, coima
minada tao renhida accao. A nossa artilharia,
porem, nao pudera entao logo acompanhar o rao-
vimentq aggressivo das raais forcas, pois o passo
do arroio, alm de fundo e barrancoso, acuava-se
entupido com montos de caaveras e fragmen-
tos de carretas, o que impossibllitava a passagem
de qualquer viatura. ...
Aproveitando-se talvez dessa c rcumstancia, o
nosso audacloso mimigo voltou nesse" instante
carga com tal furia qoe vi reeuar. embora por
espaco Insignificante, onatalhao junto aoqual eu
me achav. Entre os offlciaes do meu eslado-raaior
distinguio-se
infantaria, commandadas pelos coronis Joao An-
tonio de Oliveira Valporto e Francisco Lourenco
de Arante, as quaes acompanbou a artilharia do
2* regiment e batalhao dista arma, dirigidas
por sem re>pectiv noel de Ataida Gama Lobo d'Eca e major Fran-
cisco Antonio de Moura.
Xesta rollocaco trocou-se vivo figo quer do
inflare, qner do artilharia, durante o qual o
mimigo foi obrigado a remar sem perder comtudo
a sua f>rmatura, nem deixar lie responder com a
'.i i artilharia.
A punca forca de cavaliaria do que entao dis-
punhamos. nao nos permiltia aproveitar as van ta-
ima que a Balaran do terreno offerecia a esta
arma, por lao qae, marchando nesse dia as Ia e 2*
dirisbes incorporadas ao 2 corno de exercito e
ama das brigadas da 3* divisao lomuda
guarda da columna do 1
a rcta-
corpo de exercito, vi-
mo-nos redqzidos nesse momento aos dous corpos
ta 8 brigada.
Nesta siluaco, mandoi que avancasso a 8' bri-
gada de infantaria, a qual, ao mando do denodado
coronel Manoel Deodoro da Fonseca,marchava at
entao na retaguarda, e que aconipanhada por tima
batera de artilharia alacasse o aigo pelo seu
ll.inco direita, nudo o terreno pareca offerecor
mais fcilidade para ser elle contornado.
Ao general D. Henrique Castro pedi que ten-
tana Igual movimento por nossa direita com a
divisao oriental de sen commando. t>iiitmigo,
porm, acostado pelo coronel Deodoro, foi eom
vagar so retirando da nossa esqaerda e ganhando
terreno do lado opposto at tomar sobre as mar-
gena de um arroio denomnalo Juqaery, urna
posicao (|uasi perpendicular aquella qu prinn-i-
nmentc orrnpara.
CoDTorgindo entao lodos os ooaaos esforcos para
des*loja-io d'ahi, tirnon-so o combate dos mais
renhidos.
O horror da fusilara e d.t metralha or anda
mentid) pelo logo ooe.oua astucia do inimigo
Desmo a explosa > de algiunas granadas incende-
ia ni !;'.-"!, e que favorecido pela secca propria
da mes dr agosto, rpidamente propaga ra-se ao
campo lodo, nao deixando quasi perceber as posi-
coes do inimigo.
Durante este afanoso ldar, niuitssimo brilhott
a diminua fraccao de nossa heroica cavaliaria
que, p ir longo periodo,.v-teve tao smente coadju-
vjndo com admiravel pertinacia as dots nutras
armas. Guiada pelo brigadeiro Vasco Alves Pe-
ivir, coronel Manuel Cypriano de Moracs e pelos
ro menos intrpidos commandantes dos corpos
; e 13% tenentes-coroneis Manoel Lucas de Sin-
- a e Francisco Rodrigues Lima, carregou repetidas
vezas sobre a infantaria inimiga e com ella se en-
lieveloii. rofurcada por meu piquete ao mando do
capillo Joao Baptista da Silva Tulles. Nossa oc-
casiao foi-me npresentada urna bandeira de que o
cabo ().'inelle piquete, de nome Seralim Rodri-
gues Ginhrte, valentemenle se apoderou, matando
o ollicial que a trazia.
.Compre mencionar, que n'uma dessas cargas
foi ligeiramente forillo o coronel commandante da
8* brigada Manoel Cypriano di Mofaos, e ante-
riorm :nte o fra por bala de fuzil o major-fiscal
do corpo 1.1a Antonio Jos de Moura, o qual depois
de curado novamente apresentou-se no campo da
batalfta.-
A artilharia, quer do 2" regiment commanda-
do pelo muito distincto coronel Manoel de Almnida
Gama Lobo d'Eca, quer das bateria do t- bata-
Ihao, commandadas pelo major Antonio Jos de
Moura, preslou relevanlissimos servicos, que nun-
ca podero sersnfliciontemente elogiados, susten-
tando conslantemenic, durante tao prolongada
contunda, activissimo fogo, ao alcance sempre da
metralha inimiga.
A "!* divisao da infantaria tntou dignamente com
o inimigo, animada pelo examplo do sen distincto
commandante. o intrpido brigadeiro Herculano
Sanchos da Silva Pedra, que ia sendo victima de
sua arrojada dedicaco, pois foi ligeiramente feri-
do pir lanca n'um dos momentos mais renhidos
da peloja. Fui elle valorosamente coadjuvado
pelos respectivos commandautes, (le brigada, os
valentcs coronis Manuel Deodoro da Fonseca, Jo5o
Antonio de Oliveira Valporto e Francisco Louren-
i-fi de Araujo. a
Fu. quanto a 8' briga 'a de infantaria, guiada
Eelo seu bizarro commandante e reforjada pelos
atathoes I" c 2 de linha sob a immediata direc-
(;3o do impertrrito commandante do corpo do
exercito brigadeiro Jos Lniz Menna Barreta, e
tendo a sua frente o denodado bngadeiro Pedra,
conquisiavam palmo a palmo o terreno immedia-
ta ai arroio Juquery e consegniram transp-lo
obrigando o inimigo a deixar em nosso poder as 7
boceas de fogo que o protegiam, o Sr. general Cas-
tro, testa da sna divisao qao foi reforjada pelos
bataflioes 7" c 8 de linha, guiados pelos respectl-1
vos commandantes da 2" e 6* brigadas de infan-
taria, tambem atravesara mais cima o mesmo
arroio.
Nest? momento, receberam as forcas que com-
Satiam um reforco muito opporlunocom a chega-
a da 4' brigada de cavaliaria, a qual, ficara,
como ja tfve occasio de dzcr, guardando na ma-
nila dee dia a retaguarda de nssa colum-
na. Mandara-lhe en ordem para avaoear, assim
que reconheci no principio da aceao ser insuffl-
cwnt a cavaliaria que tinhamos na frente, para
carregar com vantagem sobre o inimigo.
A dislancia, porm, de mais de duas leguas que
j nos snparava de Caacup nao permittio ao sea
muito distincto e intrpido commandante, o coro-
nel Hyppolito Antonio Itibeiro, juntar-se ao resta
do exercito com a rapidez proporcionada a seus
ardentes desejos.
Por m chegon, e immcdiatamente setuio por
orden arfaba par* a extrema direita da nossa
'"*'> ..00de' pMsssMIo oottelo e contomando nm
rapio d<5 mattojW.sahir juota divisao oriental,
e fimpou de mimigos todo o terrino qae tinba na
frente..
VttcHo deftnittVwnetitC o principal obstculo
nessa occasio o capitao de fragata
Joao Mendes Salgado pelo arroio com qne se arre-
raessou para a frente do batalhao, do intuito de
teva-lo para diante, o que em breves iutantcs se
conseguio.
Neste interim j ia chegandoo batalhao de tn-
genheiros que fra mandado vir da retaguarda
para concertar o passo, e sem demora puderam,
gracas a sua ligeireza, atravessa-lo e tomar posi-
cao do oulro lado, dous dos caahoes do svstema
Witworth de calibre 2.
Ainda tentou o inimigo oppr-nos resistencia no
passo de um segundo arroio que parece ser o Pe-
ribebuy e ainda depois junta as carretas que tinha
accumulado alm. A 4* brigada de cavaliaria,
porm, avancando sempre pela nossa direita. j
conseguir contornear inteiramente sua posico e,
carregando na retaguarda do inimigo com o impeto
proprioda nossa cavaliaria, logrou destroca-lo com-
pletamente, auxiliada nisso por fraccoes da 1* e 31
divisao de cavaliaria, ao mando dos destemldos bri-
gadeiro Jos Antonio Correa da llamara e coronol
Vasco Antonio da Fontoura Chanar.eco.
Ao inexcedivel commandante da 4' brigada co-
ronel Hippolyto Antonio Ribeiro, aos respectivos
commandantes dos corpos 10 e 2'i, tenentes-coro-
neis Urbano Rodrigues das Chagas e Isidoro Fer-
nandos de Oliveira, cabe pois em grande parte a
fortua de tr decidido a derrota final do mimigo
por parte do I corpo de exercito, e coreado assim
urna jornada em que as armas do Brasil mais urna
vez se cobriram de brilhantes louros, gracas ao
valor e dedicacao de seus fllhos.
Ilastanto tenho dito para mostrar que chefes e
soldados se mostraram, por sua coragem e tenaci-
dade, dignos do nome brasileiro.
NJo posso porm sem injustica, deixar de ex-
pressar que as honras da victoria alcaocada pelo
1* corpo de exercito sao devidas em primeiro lu-
gar ao seu dedicado commandante.-: interino o bri-
gadeiro Jos Lute Menna Barreto, cujas acertadas
ordens e disposices sao as que mais concorreram
para o brilhante e completo resultado obtido, ao
passo que seu j muitas vezes comprovado valor e
imperturbavel calma servia como de ponto de apoio
e de centro ao valor nao inferior de seus subordi-
nados.
0 general D. Henrique Castro, a quem entre-
guei a direccao das forcas de infantaria que ope-
ravam pela nossa direita, muito e incestante me
coadjuvou, sustentando. ,- : ,;i eustuma
getlr, ss-pnri-fie licuado .as-
sim a nom^ada'que herdo do seu malaventurado
predecesor D. Venancio Flores, de ser um dos
mais fiis e bravos alijados do Brasil e tornando-se
credor de nosso gratido.
Os chefes das repartigoes annexas a este com-
mando em chefe, e os mais offlciaes de meu esla-
do-maior e empregados de meu quartel-general,
todos cumpriram dignamente seu dever: seus ne-
mes constam das parles e relacoes annexas. (Le-
tra J).
O coronel honorario Fidelis Paes da Silva, que
se achava s minlias ordens, ainda mostrou aquella
bravura que, ha longos annos, j Ihe adquiri rc-
nome no imperio e as repblicas visinhas, con-
servando-so quasi constantemente nos pontos de
inaior perigo, ohde muito auxihou ao brigadeiro
Vasco Alves Pereira na diftecao da 3a divisao de
cavaliaria e ao coronel Manoe de Almeida Gama
Lobo d'Eca na collocacao da artilharia, segundo at-
testam as partes destes mui distinctas chefes.
Devo tambem fazer mencao especial dos meus
ajudantes de ordens capitao Francisco Joaquim de
Almeida Castro e tenenle Jitlilo Augusto de Serra
Hartins, que prestaram importantes servicos nos
lugares mais arriscados no campo de batalba, a-
quelle junto ao commando da 8a brigada de infan-
taria, e este na linha do atiradores do 7 batalhao.
Emquanto o 1 corpo de exercito sustentava, sob
meus olhos, a grave e renhida peleja de que tenlio
procurado descrever alguns incidentes, o 2o corpo
de exercito, com nao menos dedicado, concorria
de sua parte para o triumpho comraum.
Logo ao receber, na tarde do da 13, a ordem de
contra-marcha que eu expedir de Caacup o Sr.
marechal de campo Victorino Jos Carneiro Moa-
teiro, cor.i o corpo de exercito de seu commajrao,
executava o movimento conveniente com urna
promptido pela qual lhe cabem os mais subidos
louvores, pois della dependeu, em grande parte, o
Completa destroco que no dia 16 as armas brasi-
leras infligiram ao grosso do exercito do dictador
fugitivo.
Deixando em Penbebuy parte do seu material,
foi pern itar nesse mesmo dia (la) no Barreiro-
Grande, de onde a vanguarda, composta das 1* e 2a
divisos de cavaliaria e da ala esquerda do re-
giment de artilharia, seguio, j as 2 horas da ma-
drugada, ao mando do audaeioso brigadeiro Jos
Antonio Correa da Cmara, e, s 7 horas da ma -
nhaa, encontrou-se com urna forca inimiga, a qual
tomara posicao na entrada de urna picada que con-
duz a Caraguatahy, e nao podia ser atacada por
cavaliaria. Algumas carretas, porm, que o ini-
migo ainda nao pudera internar na matta cahiram
logo em poder dos nosso?.
O general Cmara mandou pois assentar contra
a dita columna inimiga as 12 boceas de fogo do 1
regiment, as quaes, durante todo o dia, sustenta-
ram com ella nutrido fogo, e deslacou a 1" briga-
da de cavaliaria para observar sua esquerda onde,
nao sem razao, lhe constara existir tambem ini-
migo.
Com effeito, a forca que se achava na picada
perteBCia vanguarda do exercito inimigo e, era
virtude da posicao assumida pelo general Cmara,
licoa desde logo cortada do grosso do mesmo exer-
cito, o qnal, fazendo entao frente ao nosso 1 cor-
po de exercito que conira elle avancava pelo lado
opposto, achou-se assim colimado entre as duas
fracedes das nos.'ss forcas.
Chogando s 10 horas da manhaa o 9r. mare-
chal de campo Victorino Jos Carneiro Monteiro
cern o resto do 2o corpo, mandou avancar contrajo
grosso do exercito inimigo quatro batalh5es e oito
boceas de fogo ao mando do brigadeiro Carlos
Resin. As peripecias do combate que den entao
por parte do 2 corpo de exercito, constam das
parlicipacdes dadas por aquello brigadeiro e bem
assim pelos brigadeiros Jos Antonio Correa Cmara e Emilio Lniz Mallet, os quaes voluntaria-
mente concorreram ao lugar da accSo e sao dig-
nos dos maiores encomios pela parte activa qne
nella tomaram, concorrendo mnito por seus con-
selhos para o completo desbarata do inimigo.
Lutarnm valentemente contra a forca muito su-
perior em numero m bMlh<53 ns. 9, 13 e 40 di-
rigidos pelos distinctas e brutos coronis Luiz Jos
Pereira d CsrvMho, Herms Ernesto da Fonseos,
tonente-coronel Augusta Cesar da Silva, comman-
dantcs jhs respectivas brigadas.
Merecem tambem os mais elevados elogios os
corpos 1 e 2* AteaVallarla, qg eatnpoem a Ia
brigada dentrin-nM, que pw homspacadas, nao
otoiant a su* poaca forfa nutoerk. sustentaran
o fogo cu*lra colana* JBJPM^qlfpgidos pelo
heroico eorM T*o MHMlMPJara Qb,qa-
_ nterin da brigada, e pelos
valentos najres.Chudioo Soares das Noras ePIa-
cdo Fialbo de Oliveira Ramos; bem assim o eor-
po 21, <|ue mais tarde veio reforcado ao maudo
do muito braro tenente-eorone! Antonio Pereira
de Oliveira, o qual, sendo gravemente ferido, foi
substituido pelo nao menos valente major Jos Joa-
quim Teixeira de Mello.
Morte infelizmente o commandatftc do l"l|rV
mento, major Placido Fialho, tomou seu lugar o
respectivo fiscal, major Pedro Antonio Das,
Estas corpos, dignos representantes da cava Ma-
ra que taotas glorias tem -dado a nossa patria e
valentemflfrte ajudados por duas boceas de fogo do
T> regiment ao mando do 2 lente Carlos Au-
gHsto Wato^Pacca, pelejaram com perseveranca
notivel, o fazendo alinal junecao com a 4' brigada
do coronel Hiplito Antonio Ribeiro, pertencente,
como cima llca dito, ao t corpo do exercito, po-
derosamente influiram para" o final aniquilamento
do inimigo.
A"s 3 horas da tarde- seus restos espavoridos e
dispersos tinham desapparecido na extensa mata
que nos separava do Caraguatay. O campo de ba-
talha, juncado de 2,000 cadveres inimigos, nos
apresentava, como trophos de tao befta jornada,
nao menos de 23 boceas' de fogo, quasi todas de
bronze e raiadas.
Os prisioneiros feitos por nos nesse dia, entre
os quaes se contam varios offlciaes superiores da
confianca de F^opez, sobem a 1,300, e dos inimigos
dispersos e separador dos seas chefes mais de
1,000 posteriormente se apresen taram ao nosso
exercito e foram, como os mais, conduzidos com
seguranea para Assumpcao.
Entre os resultados da batalba, que se denomi-
nar de Nhaguass ou (impo-Grand% cumpre
mencionar o grande numero de carretas que aca-
ran em nosso poder, algumas contendo objectos
de uso particular, a inaior parle, porm, carrega-
das de mtinicoes de artilharia e infantaria, cuja
perda irreparavel para o dictador, pois, por
inaior forca do vontadee astucia que se lhe sun-
ponha, nao admissivel que, hojo em dia, substi-
tua os apparelhos de fabrico que foi toreado a
abandonar em Caacup e outros pontos.
Algumas das espingardas deixadas pelo inimigo
no campo da batalha eram americanos e dos mo
demos sysicmas apereicnados, pornos amda io
conhecidos.
Tivemos fra de combate 431 pracas, entre as
quaes, porm, s se contara 45 morios.
Os feridos foram curados nos hospitaes de san-
gue, que, inmediatamente ao principiar o comba-
te, se estabeieceranj no< riaekqs queso encontra-
ran! mais prximos, sendo fura o 1 corpo de ex-
erciiodebaixo da direccao do distincto e Incansa-
la, oatra pela esqaerda, anbxw coovergm para
uatay. Com a cnegida dos generaos Mitre
Auto receberauws um reforjo de mais de
omens.
odo assim de forfj jiV tao superior s do
, julguei que seria mais conveniente dividi-
tres columnas que ivaneas pelas tres
r indicadas. IgoocMttnos qual torca que
na a picada Central,
modo nao s poderiamos tomar-lhc a re-
la, se por ventura oppnzcise resistencia, ao
ataipjfe de frente, cijmo tinhamos mais probabili-
dade de enconlrar e Mresionar o resto da colun>
na por nos destrocada no da 16, se por acaso
anda vagassem por cssas paragens.
Na madrugada do dia 18 convidei, pois ao ge-
nerat.Mitro a seguir pela estrada da direita, com
o exreito argentino e bem assim as forcas ao
mando do brigadeiro Jo^ Auto, as quaes compuz,
entao-da 1. e 5." divisos de cavaliaria, das 12'
hocen de fogo do 4. de artilharia batalhOes nu-
mero 18, 22, 30 e 30.
prsnei ao marechal Victorino que, desalojando
a inimigo da posicao por elle oceupada, avaneasse
com corpo do seu commando directamente sobre
Caragualay o inarebei cu mesmo peta esquerda
com 1. c( rpo de exercito.
O Sr. marechal de campo Victorino Jos Car-
neiro Monteiro ainda nessa da deu-me provas da
sua energa, lino militar e iucansavel dedicacSo
que tanto o distinguem, desempenhando do modo
niaisjpromi>to e completa a commissao que eu lhe
Por suas ordens, em duas horas oito
fogo, apoii^dos pela
sbarataram iuteira-
ioen o inimigo que guarneca a trincheira da pi-
cada* o qual fugio. deixando em uoso poder, alm
oe 12 boceas de fogo, mais de 200 cadveres e 400
presioneiros.
uinnjra.. 'or suas oiMeus,
batanoeS c quatro boceas de I
1" wisao de cavaliaria, des
da bagagem (fo proprio Lpez, alm de numerosos
individuos de todas as dados e sexo que a co-
lumna fugitiva ia deixando atrs, no meio dos
pantaoaes entregues mais horrivel siluacao.
Alguns horneas de cavaliaria, ao mando do te-
nente-coronel Jos Fernandos de Souza Dota,
atravessarara o rio Hondo que eslava de nado.
uj outro 'a(i0 encc,l"*B> om extenso ba-
nhado, alm do qual nos esperava ama farca ini-
miga que foi calculada em 2,000 horneas c dis-
punha de seis bocas de fogo.
Nao foi julgado possivel, peto estado de can-
saco da ja valhada, e pela forte ntareza d'aquel-
la posicao, ataca-las cora a diminuta forca nossa
qoe chegara at o rio Hondo e empreiieudeu-se a
retirada.
Soube-se que o dictador alravessara o Hondo
1 hora da madrugada do dia 20, urnas 36 horas,
portante antes de ahi chogar a nossa cavaliaria.
Sao dignas de louvor as pracas rpie tomaram
parte naquella perseguicao, atravessatido com
marehas forjadas terrenos qaase intransitaveis e
solfrend> com resignacao prolongadas privacOes.
O Exm. Sr. general Mitre, que as dirigi, dou as-
sim mais urna honrosa prova de sua dedicacao'
causa comroum dos povos adiados.
Desta maneira terminou o que so podo chamar
a campanha dos corditheiras, a qual nos dea a
posso da parle mais frtil e mais povoada do ter-
nterio para na yo.
Nossos esforcos nao consegulram ludo quanto
de nos esperava a naeo; e ainda desta vez o
astuto dictador burlou nossa actividade e alcam-
cou nova guarida.
Mas todos os que marcharam e pelejaram sob'
a bandeira brasileira em agosto de 1809, cumpri-
ram o seu do ver como era de esperar ; todos,
sem olhar para sacrificios, fadigas
at
commau-
persoguicao do lniml|o, pela picad* que
com duas leguas do extensao conduz a Cara-
guataj.
O extremo cansaco dacavalhada por um ladoe
Aao posso deixar do rccommenda-los por ao ; ,; "T"r,T 'r,,hi
^tifg&ZZS* meu. Di.-m.po ^XP^StfttrJSi
rem a consciench que fiz quanto pude o que a SfmJ^WJ!^I5?2.^lI^,-Jf.!*
e pnvacoes,
. me ajudaram com incxcedtvel dedicacao na tar-
moste brilhante feto de armas, que nos custou fa que nos eslava imposta.
id morios e 43 feridos, muito se distiuguio, como Nao posso deixar do i
costana o asss conhecido tenente-coronel Antonio
Tiburcio Ferreira de Souza.
Igualmente cumpriram dignamente seu dever
tedus m offlciaes o pracas do 2. corpo de exercito
tornaado-se ainda d'esta vez dignos de especial
niencio o hbil e denodado brigadeiro Jos An-
t.mio Correa da Cmara, a quem o marechal Vic-
torino conliou a direccao do ataque que se levou
pelo Banco esquerdo."
Derrotado o inimigo na trincheira, o generalTa-
mara, por ordem do marechal Victorino.seguio iui-
medialamenie testa da divisao de seu comn
do em
becas de gado, que se acbavam n'uma fazenda ia
maide Lpez.
Nao posso deisar de meneonar que presten re-
levantes servicos nossa cansa o referido iuic d-
paz de S. Jos, de nomo Odn Caeeres, pois, por
seu convite, nao s adherirn! logo nova ordem
de cousw as autoridades de Ajos, eomo as do m-
portantissimo ponto da Villa-Riea, exemplo esti-
que foi seguido pelos do Hyaty e Jacaguacii, e nV
peder deixardo s-lo por toda a vasta reguo que
demora ao sol de Villa Rica,
Hojo em dn a enfraqoecida autoridade do L-
pez s se excree na regioes septeolrioaaes d'esta
repblica, das quaes os departamentos do Rosario.
S. Pedro, Concekfao e S. Salvador flearo, por sus
posicao no litoral, debaixo de nossa acfio logo
que ah desembarcamos.
Pelos resultados que deixo descriptos, sobretu-.
do pelos que obleveo valor do nosso exorcita nos
ataques de Peribebny, Campo Grande e Cagesju
r, sem que o total de nossos feridos passasse dt-
1,000, nao posso deinr, nao obstante o amargo
dissabor de nao termos ainda conseguido plena-
mente o fin que tinhamos em vista, nao posso,
pois, digo deixar de congratular-rac- com V. Exc.
com o governo imperial, cora S. M. o Imperador e
com a naco.
Segundo as ultimas noticias trazidas pelos deser-
tares das torcas de Lpez; este, depois que vio
suspensa a nossa perseguicao, resorte* parar em
Santo Estanislao, lugar situado viole leguas ao
norte de Caragualay, e ahi tentava de reorgani-
sar o resto de seu exercko e, segundo alguns.
de se entrincheirar com as vinte boceas de fogo
que lhe (team,
O governo imperial me dar suas ordens qoan-
to continuaco desta custosa guerra.
Emquanto, porm, eu nao as receber, vou pro-
seguir na tarefa e emprehender as differentes ex-
pedices destinadas a oceupar as diversas partes
do territorio desta repblica t nellas estabelecer
que liz quanto pude e que _
Providencia nsivelmenle nos protegeu, permittin-
do nos alcancar os resultados que tivemos.
Ella permittio que junto trincheira Sapucahy,
a abertura do urna picada nos poupasse o san-
gne que naturalmente devia custar urna cstreita
apSras^emsPda *tt>SEttSL Z K ^ ^r }&> e s -. ^ "f
'I-..". *e liverem reunido os ncccssa?ios recursos ali-
Portinho se-
nde deve-
Encarnaco por
rio abrir cominunicaco com
Caassap.
Urna outra columna, cinmandada pelo briga-
deiro Resin, Tai mirchar de Caragualay' a do-
minar S. Joaquim, Caaguactt B Uium, onde consta
acliarem-se ainda retidas algumas das familias
ve! chefe interino do corpo de sailde, conselheiro j por oulro o engao "pelo qual foi o general Cmara
Dr. trancisco Bonifacio de Abren, e para o 2", < levado a tomar por una torca inimiga oregimenlo
peto respetivo chefe da ambulancia, cirurgio-rar argentino S. Martinho, que nossa occasio appa-
de brigada Dr. Jos Joaquim dos Santos Correa. | receu por aquellos lados, impedio que fosse com-
tibeiro de Almeida varada desta vez piolo o xito dessa enrgica per*egjicao, logran-
na- do algumas centeuas do inimigo transpr o rio
deraonslrou sua caridade
e zelo pelo servici
' i'rrndo voluiUamieula. e F*gp, que^Lvrra nieia tagua-aii da. r^pagnniau-
w9rrl''os nfl nospital de sangue flP** enrpodc ex- -esso ros
eretto.
A noite rpidamente descia, quando eu segu
por urna distancia de legna e rae a me reunir ao
quailel-goueral do 2o corpo de exercito, depois <1p
ter dado ordens para que o lg corpo acampasse
nao longe do campo que tao valentemente con-
quistara.
Neaes dous dias nao se tinha feito dcstribuicao
de vi reres tropa. No dia 13 o 2o corpo de ex-
ercito, pela marcha toreada que leve
mente de emprehender," nao os recebra, aconte-
cendo o mesmo ao 1, por isso que a picada sum-
mamente estreita que separa Peribebuy de Caacu-
p, como era natural, nao dexra o gado chegar
ao acampamento em tempo de ser deslribuido.
No dia 16 o combate, de prorapto iravado, tambem
obrigott o exercito a percorrer una distancia,
muito maior do qu decostume, e tao pouco nao
consentid que fosse attendida aquella urgei.te ne-
cessidade.
Esla cirenmstancia nao impedir nossos bravos
soldados de lular e vencer, mas oque podo aturar
a natureza humana lein limites.
Apos tantas fadigas e prvaces, pareceu-me
que era preciso dar o dia seguinte ao repouso. A
torca inimiga que o general Cmara encontrara
demanha na entrada do mato ahi seconsenava,
e se cntrincherara com 10 ou 12 boceas de fogo.
Durante a noite de 16 para 17 permaneceu no
campo da batalha a 6' brigada de cavaliaria, ao
mando do coronel Justnino" Sabino da Rocha,
com o fim de evitar, cmo com eflel evitou, que
os emissarios do inimigo vencido viessem recolher
o armamento por elle perdido na refrega. A inn-
thsaco desse armamento, dos respectivos carre-
tames, comecada no dia 17 por aquella brigada,
foi completada no seguinte pelo batalhao de enge-
nheiro, como so v das partes annexas.
Nesse dia, 17, reuno-se commigo o Sr. general
Mitre testa do exercito argentino e bem assim
do centingente brasileiro que o aeompanhava,
composto dos corpos 12 e 14 de cavaliaria, de 12
boceas de fogo do 4" batalhao de artilharia o 6 do
batalhao da mesmtwarma, e das brigadas 5" e
de infantaria, ludo ao mando do brigadeiro Jos
Auto da Silva Guiniaraes.
Estis torcas, que, segundo o convenconado, ti-
nham leado com outras guardando a nossa linba
de coramunicacao desde tuque at Paraguary du-
rante o movimento que executou o exercito do
meu commando por Valenzuela, sahiram, na noi-
te do dia II, do se acampamento no valle de Pi-
raj, e na madrugada de 12 apoderaram-se de
urna irincheira que defenda a subida da cordi-
llera no caminho de Altos, sustentando nao s
nessa trincheira como as picadas adjacontes urna
serie de combates em que o total de nossas per-
das ascond-u a 62 pracas ferdasou mortas entre
brasileiros e argentinos.
A necessidade, pelo que parece, de explorar
aquel o terreno mal conhecido, e mesmo de con-
certar certas partes do caminho, fez contado que
s na noite de l'chegassein estas forcas ao po-
vo'jdi de Altos.
Na manha desse* mesmo dia, chegaodo eu a
Caactip, como Oca cima relatado, e vtadua saber
ahi da retirada do inimigo, nao perd tempo em
como unicar aqnelle aconlecimcnto aos generaos
Mitre e Jos Auto. Como eu at es momento
gnoriva seelies j tinham subido a cordilheira,
ou ai ida se achavm no vall do Pirajd, visto
como o engenlieiro que en para ahi mandara na
madrugada do dia a14jiinda nao vuhara, fiz seguir
a minha communic'aeo por esto ultimo ponte, e
ella s na madrugada do dia seguinte chegou s
mos dos mencionados generaos. Ella resolveu-os
a escotar entao a marcha toreada que os fea che-
gar o dia 17 ao campo de batalha onde tinliamo
peleja do e vencido de vespera.
As particularidades destas operacoes, coasiam
das parles que me apresentou o. brigadeko Jos
Auto e vao annexas ao presente rola lorio.
Utra extensa cochilha coberu de mates safara
o Caiipo Grande do valle onde corromo rioMan-
duviri ou seus affluenfes, e porlanjoo.povoado de
Cara;uatay junto ao gual o priaaipo. dwles af-
naen.es atravessdo pela estrada, qm o dictador
prov; velmente seguir na sua bm> emanante o
sea exercito procura va oom, porfiada lute deter a
nosss perseguido.
Fui informado palo*vagoaaA paramayo msior
Pera quft, par airavnaar aas mata, anjtian,
atem da picada, cuja ontrada era oceupada pelo
tolmigo, em *""" j,- anampaiioaiij jj %?
da exercito, dou outraa oaminaM
P summamente esfreito e sinuoso, aefra
vani-se completamente encalhados os seis uitimos
vapores da marrana paraguaya, denominados Apa,
Anhambqy, Guayar, lpor,rariin, Pirahbi.
O inimigo mesmo cm sua fuga pz-lhes fogo,
acabando assim de inutilisa-hs fazendo voar
grande quantidado de munifjdes que elles conti-
nhani.
Algumas horas depois da columna commandada
pelo marechal Victorino, chegou tambem a Cara-
repentina- | guatay a que diriga o general Mitre.
0 1.' corpo de exercito, no emianto, guiado pe
las iiiforniaeoes infehzmeiito inexactas dos vaquea-
nos Sfguia sita marcha por caminlios pessimos,
que o obrigaram a pomar ni lugar denominado
Tubirhaiv. Segu indo no da 10, rejo a ficar no
Alfonso, ponto que ainda nina mata separa de Ca-
ragualay.
lima irincheira que so achava tu caminho foi
abandonada pelo iiiimigo aates do nosso appare-
cimento.
Em Alfon-'o reeebondo parte do marechal Victo-
rino que o povoado de Caragualay se achava alie-
nas una legua c meta de distancia, segui inme-
diatamente para ahi.. Neste povoado ficara unta
numerosa populaco que reeusara-?e a acompa-
nhar o dictador na sua precipitada fuga, aprovei-
tando-se, segundo parece, da autorisaco qne lhe
fingir dar, talvez por j lhe (altaren os raeios de
se fazer obedecer.
O mesmo chefe poltico do povoado, por elle no-
meado, se nos apresentou voluntariamente. Ahi
fui informado que Lpez pernoitara em Caragua-
lay no da 15 e que no da 16, depois de ouvir
missa, alravessara com sua comitiva o rio Faguy,
proseguindo na sua marcha em direccao ao norte.
Variavam as informacocs a re?pcito da forca que
anda o aeompanhava, querendo alguns que esti-
vesse red .zida a mil homens e clevando-a outros
a perto de seis mil.
A vasta planicie que desde Caraguatay se es-
tende para o norte at Santo Estanislao, corta-
da nao s pelos dferentes allluentes do ro Man-
duvir como por innmeros banhados que tor-
nara summamente dikit o transito de qualquer
viatura.
Nao s a nossa cavaliaria como tambem a mu-
lada de artilharia, aehavam-se exaustas de for-
cas pelas eontimiadas marchas feitas desde Pira-
j, empala falta da alimentarao regular.
Nao obstante estas cifeumstancias que, ao
meu ver, tornaram pouoo provavel que a perse-
guicao immediata desse resultado decisivo, nesse
mesmo dia (i'.)i deliberou-se o general Mitre a
proseguir na marcha, atravessandn o rio Faguy,
e foi licar junto ao rio Saladillo, em- cuja trans-
posicao empregou seis horas. lo dia 20 chegou
at o lugar chamado Nacbu-cae, donde escreveu-
me que as torgas de seu commando sentiam fal-
ta de meios de alimentico, p'edia-me que lh'os
lornecesso. Nao me foi possivel attender irame-
diatamente a este pelido, pois j ao proprio
exercito acampado em Caraguatay iam escasse-
ando o godo e municiamento, e tite de acoose-
Ihar-lhe quo ronunciasse a esforcos evidentemen-
te inefiteazes.
A parUcipacao que recebi do general Jos Anta
e vai antfexa sob a letra K, d tambem porme-
re sobre a situacao em que N acharara essas
torees. Na larde desse dia 20, senurara arabos
estes geueraes para-os campos de Gaiori, e dahi
avanoou, at unto ao rio Hondo, a vanguarda
cranosla das divisoes 1* o 5' de cavaliaria bra-
sileira e de ama divisao de infantaria argentina
ao mando tudo de coronel Castos Betboez da
Oliveira Nery.
Estas torcas tiverara a fortuna de se encontrar,
na manhaa do dia 21, com a retagnarda inimiga
qual mataran mais da 300 horneas, dispersan
do-so o resto, petes mates aps un brava e- bat-
Ibante cmbate em que a nossa cavaliaria carre-
gou com a sua costumada valenta, Flcando ferido
levemente o mnito distincto maior Jos Lata da
Costa Jnior, commandante da infantaria argen-
tina.
Tivemos mais 23 morios a feridos entre brasi-
leiros e argentina.
Fni inteiramente ameio ao incidente, qoe entto
se ees, te. se Mandar o inimigo om parlanseato
{antes de alaca-lo.
Merece ospecial mencao o oeronei Carlos Beth-
'bez de Oliveira Nery, por ser quem accrlada-
[mente dirigi o ataque contra a retaguarda mi-
nea porsaguieo, o iahnin doixou en
poder mais cinco bocas de logo e Monde
da earreui, na* \vm se cont^ha parte
Valanzuela antes que o exercito inimigo chegasse
a nella tomar posicao, e ainda que a valenlia da
nossa infantaria vncesse a trincheira da praca
Peribebuy, antes que Ibes apparecesse o reforco
esperado de Ascurra.
Marchando dahi para Caacup, j nao adiamos
l, venado, o inimigo (jue procuravamos. Foi
isso urna desgraca ?
Hesito em alllrma-lo.
Caacnp, posicao situada no centro dos matos
e qual s davam accesso picadas summamente
astl-oito, r c-jrnilmMlo aolonoivul. Bmquail-
tfrlne!asmos"vortendo sangue para nett; pene-
trar, o dictador nem por isso nos loria pessoal-
mente esperado, sacrificando, como de costume,
segura nca propria a ineior parte do seu exer-
cito e, aproveitando um paiz de nos mal conhe-
cido, do mesmo modo ter-se-hia posto fra do
nosso alcance.
Anda una vez, porem, a dedicaran o a ener-
ga coni que os Exms. Srs. commandantes dos
corpos de exercito executaram o que determinei
fizeram com que o grosso d'aquelle exercito ti-
vesse sido alcancado por nossas forcas no Campo
Grande c em Cagarijur e ahi inevitavclmente es-
magado, perdendo o dictador a maior parte de
seus elementos de guerra.
A perseguicao levada at o rio Hondo comple-
tou, tanto quanto era possivel, estes resultados.
As operacas do nn de agosto Oleran perder
ao exercito do dictador nao menos de 8,000 ho-
mens. como se v da nota annexa sob a letra L.
No mesmo periodo as armas alliadas conquista-
ra m 61 boceas de fogo j emservico e mais 22 que
so acharam, em estado mais ou menos adiantado
de eonstrucciio no arsenal de Gaacup.
O dictador vio-so privado nao s d'esta impor-
tante e muito completo estabelecimento de cons-
truceao, como das outras fabricas accessorias, es-
tabelecimenlos estes todos que com alguma perse-
veranca de nossa parte certamente nao poder
elle reorganisar no distrcto quasi deserto que se
v reduzido.
Gracas s nossas victorias, escaparam-lhe das
mos os infelizes europeus que elle conslrangia a
ceuparem-se uestes servies e que, coro os reti-
dos debaixo do outros pretextos, prefazem o nu-
mero de 88 individuos das nacoes europeas, ar-
rancados este captvero pelas armas brasileras
sob meu commando. Seusnomes constara das re-
lacoes annexas, mis porm evidentemente errados,
especialmente os dous Inglezes. pois o excesso de
traba I ho consequente a taes acontecimentos nao
me permittio attender a que fossera tomados com
exactido.
Mandei-os conduzir para Assumpcao e apresen-
ta-los ao Exm. Sr. conselheiro de estado Jos Ma-
ra da Silva Paranhos.
Os subditos de Sua Magestade Brilannca em
numero de 52, fiz entregar ao commandante da
respectiva canboneira surta naquelle porto, pare-
cendo-rae este o melhor meio de cumprir a re-
commendacao que a favor dalles fizera-me o go-
verno imperial, a pedido da legaco britannica no
Rio de Janeiro.
Tivemos a immensa alegra de fazer por fin bri-
liiar o sol da libardada para mais de 260 Brasiiei-
ros que jaziam am poder de noso cruel inimigo,
juasi todos desde-o primeiro anno da guerra.
Recoramendei ao commandante da guarmcao
de Assumpcao qae, de aecrdo com o Exm. Sr
conselheiro Paranhos, os remeuesse para suas res-
pectivas provincias : a maior parte perteaoia i de
Matto-Gro-so.
Alm dos. que constara da relaco, bem pde
ser que tenham sido aebados outros, pois muitas
vezes acontece qae, aproveitando-se da caridade
natural no nosso soldado, preferem estes inJeuzes
ficar com a priroeira forca que os liberta e s
mais tarda sao apresentedos este eemunndo em
chefo
Nao. menos feliz para a desventurada oac-ao pa-
raguaya foi o periodo que acabo, de terminar; a
populaco, aeeumulada no departamento da cordi-
lheira, nao inferior cem rail almas, e eoroprehen-
deudo algumas das familias mais distinctas d'esta
repblica, vio-se subtrahida ao poder que a oppri-
mia, e roando aos seus lates servu de ncleo
nova aaeionahdade paraguaya.
E" gera) entre os Paraguayos a persuasao de
que desappareceu para sempre o poder de Lpez,
e que nao lhe resta oulro recurso mais do que fu-
gir at aloaocar o leer torio boliviano.
E' prer* d'est* desmoraMsac o fecto de te-
rem-se, durante mui tos dias, apreseniado pareen-
tenas nossas- autoridades em Caragualay, sol-
dados que, pettenoente ao exercito destrocado de
Lopes, se liaban refugiado as matas, a ainda
desertares da foro* que elle obrigav* a aoompa-
nha-lo.
O caen pofitiM de S. Jos nao tardou em diri-
gu"-e iam offiste raanifestaide em sen nome e no
da popabean d'aquelle dstrinte que adhorto
oaasa sustentada pela trplice anaaca,
karnan a qne ahi se achava a fenriea da
aVmm de Lapa, a mande enrair.
nienlvcios, pelo resto do 2o corpo do exercito.
O brigadeiro Cmara, desembarcando, no dis-
tricto daConceico, devora apodorar-se de toda a
regiao que He* ao norte do rio Jvjuy, c abun-
dante em gado, recurso essencial que assim W-
cara tirado Lepez para niaimlenco de sua
gente.
Eu mesmo s espero que a cavalhada e mulada
lenha tido o indispensavel descanso para avancar
pelo Rosario sobre Sanio Estanislao.
. Os tirnp^edores ia eslo avisados, nara condu-
zirein aos pontos convenientes os meios de alimen-
lacio.
Decapados os pontos que menciono, ficara o
dictador encerrado nos chamados potreiros de
Curugualy e Iguaiemy.
A resignado e fortaleza do que- me deu provas
o exercito de meu commando na tonga e penosa
marcha leta desde quo sabinos do Piray at al-
cncennos as margen da Manduvir nao medei-
xa duvida de que, se tanto fr necessario para
assegurar o descanso ao Rrasil, sabei penetrar
at essas remotas regioes, ultimas que nos sepa-
ram dos conlins da nossa patria.
Acompanham o prante ofllcio quatro plantas
dos lugares em que se deram os differentes cora-
bates e quinze bandeiras tomadas ao inimigo, das
quaes duas sao de seda.
Deus guarde a V. ExcFilm, e Exra. Sr. con-
selheiro de estado baro de Muriliba, ministro e
secretario de estado dos negocios da guerra.Gas-
ino do Orleans, commandante em chefe.
. a mand* anata. De S. Jos,
un* partida da nossa oanaria, ao ando do co-
ronel Jos Nunes da Silva Tarares, seguio at
aMn de Ajos, ead urbailP nw q> %0f
Ciovernu da provincia.
Ftunan 11 *nmf&D0 pelo exm. sr. du. manoel
DO SASCIMKNTO MACHADO P0R7GLLA, VICE-PBESI-
DESTE DA PUOVINCIA, EM 20 DE JILHO DE 1869.
Ia seccao.
N. 636. Portara ao Exra. general commandan-
te das armas.Transmiti a V. Exc. para os fin*
convenientes a inclusa relaco dos sentenciados
militares que, segundo o oOicio do commandante
do presidio de Fernando, n. 38, terminara no tri-
mestre do julho a setembrmdestc anno, as penas
a que foram condemnados e que csto cumprindo
naquelle presidio.
N. 697.Dita ao inspector do arsenal do mari-
uha.Nos termos de sua informago de 11 de maio
deste anno, sob n. 1738, acarea do requerinienlo
do bacharel Caetano Maria de Faria Neves, auto-
riso V. S. a mandar desligar da companbia de
aprendizes marinheiros desse arsenal, o menor de
nome Laurenio Jos Luiz Ferrera Filho, indemni-
sando o supplicante previamente a fazenda naci-
na das despesas feitas com o referido meabr.
N. 698.Dita ao cnplilodo porto.Em vista do
que me rcpresntou o engenheiro das obras geraes
Antonio Vicente do Naseimenio Feitosa, era data
de 14 do correle, junto por copia, mande V. S.
intimar aos proprietartos dos predios frontaroe ao
caes do Forte do Mallo* para qne empraso breve
e rasoavel facam os reparos de que precisa o mes-
mo caes nos logares em que se acha arruinado.
N. 699.Dit ao commandante do presidio de
Ferpando. Devolvo a Vmc. a pellejo da sen-
tenciada Theresa Mara de Jess, de qae tra-
ta o seu ofllcio de 19 de junho ultimo, por nao
ter vuido instruida eom as ccrties de que trata
o decreto 2366 de 28 de marco de 1860, e iofor-
macao de qual o seu comportamento na prieao.
2* seccScs
N. 701.Porjnna ao commandante superior da
guarda nacional do ReciteTendo na conforrai-
dade coro a renosla do coronel commandante do-
2o batalhao de infantaria da guarda nacional deste
municipio, sobre a qual mforraou o V. S em offi-
cio de 17 do crrente, sob n. 133, nomeado para
0 mesmo batalhao os offleiaes constantes da deli-
liberaco inclusa por copia ; assim o eomhranico
a V. S. para seu conheeinicuto c fins convenien-
tes.
N. 702. Dita ao commandante superior da-
guarda nacional de Cabroh.Mande V. S. desta-
car na villa do Salgaeiro l ofllciaL. 1 inferior ,e JO
praifeA,como lhe fot nteirado a 3 de noYembro do
aoao Qndo, dando.* razao pela qual ainda alo foi.
enmprida sua ordem.
N.,703.Dita.ao mesmo.Em vista do que V.
S. pondera en seu dfflcio de 16 do mea ftadfo
convm que sejafo deslacamento de Granito coa||
mandado por um in ferior, derendo ter por sede a,
localidade que n respectiva delegado a euja dispo
sicao Oca, achar mais conveniente. Quanto a pro-
posia dos offlciaes aguar Ja esta presidencia^ de
V. S. em dito officio, com relaqao ao batalhao n.
53 desse municipio.
N. 70i.Dita aojuj des feitos da, fazeadav-
1 Aliendendo ao qae aUegou o baeuarel Jos daCoi
[ ta Carvalho Guimaraes, recommendo a.V-
entregue-lhe aassando all recibo c
junto ao sea requeri.
para iaforraar e que (
dreitos, aum da
riMh


de Pernam))uco Tewja feira 19 de Outubro de
1869.
lio Paulo Freelsco de Araujo.
N m-WttVo juiz de direito 4a comarca de
GaLhs~-&nresposta ao offlcio de V. S de
8 do corrento, e en aditamento a pruna deja
presidencia de 13 de abril ultimo, tenbo adiaer-
Ihe aae determino ao juiz municipal rc3pecti\o qui.
poiiha em concurso os oficios de justicia, que es-
liverem vagos no termo de Bom Conselho. ,
U. 707.Dita ao jan municipal da 1" vara des
fe cdade.-Ilemetlo a Vmc. o incluso auto de> ves-
wria e ident dade de pessoa, que se proceden no
cadver uo senteneiadode justica desta provincia
Pedro Francisco Ribeiro que fallecen no da
enfermara do presidio de
do corrente na
uando.
N. 708.-Bita o
para os fins convenientes, a
Fer
mesmo.Transmuto a_ Vmc.
dientes, a inclusa relacaodos
sentenciados de justica, que, segundo o otBuo do
eommandantedo presidio de Fernando .M, ul
12 de junho ultimo, terminan- no trimestre de
iulho a setembro deste anno, as sentencas a que
foram condemnados e eso cumpnndo naquelle
p,"rf 79.-Dita ao mesmo.Transmiti a Vmc
para os fins convenientes os inclusos autos do vel-
loria e-ideolidade do pessoa Jeitos nos cadveres
dos sentenciados de justica desta provincia, que
tallecern! na enfermara do presidio de Fernando
em difTerentes datas, e de IMIM*W
Lu, Vicente Ferreira Soares. e Luiz, (escravu) de
FTw JKS5 mesmo.-Havendo fallecido na
enfermara do presidio de Fernando do Noronha
no dia 6 do correte, o sentenciado de justica da
provincia da Parahyba de norae Joao Felippe dos
Santos, transmute por copia a Vmc, para os lins
convenientes o auto de vestona e identidade de
pessoa feilo no cadver do referido sentenciado.
N 711.Dito ao mesmo.Envo a Vmc. para
seu conheclmento e llns convenientes, o incluso
auto de vesloria e identidade de dessoa feto uo
cadver do sentenciado de justica desta proyinua
Luiz Francisco, qne falleceu no presidio de Fer-
nando no dia 21 de junho prximo linio.
N 711Dita ao commandante do corpo prou-
dorie de policia.-Ple Vmc. desligar do corpo
^ seu mimando ao soldado Manoel.Ferreira da
Silva, a que alinde o sou offlcio n. 302 de i 7 do
corrente, visto ter rido julgado incapaz de servico
na inspeceo a que foi submotlido.
N 713 -Dcliberacao.- Exm. vice-presidente
da provincia, tendo em vista a proposta apresentada
nelo coronel commandante do 2" batalhao de n-
Yantara da guarda nacional deste municipio, so-
bre a qual informou o respetivo commandante su-
perior ora oHlcio de 17 do corrente, sol) n. Mft,
resolve nomear para o refebido bataltiao os se-
gufntes ofnciacs : _,.__.
1' Companhia.-Tcneale, o alteres da G> Firmino
Francisco de Brito.
2" Comptiiilua. Alferes, Jos rraneisco Mo-
"V CiMB/wrnn/rt.Capilao, o tonente da Jos
Laurentino de Azevcdo. \i,r<-o-
5' Com/HinAfl.Tenente, o alfer-is da 2" Marco-
lino Henriquc de Figueiredo.
6' Companhia.-Wkra, Merino Jos da Costa
Valcntc
N 714 -DitaO Exm vicepresidente da pro-
vincia attendendo ao que requereu o juiz munici-
pal e de orphiios do termo de Goyanna, bacliarel
Joaquim Cordeiro Coelho Cintra, resolve coneeder-
Ihe 15 das de 1 cenca com ordenado, na turma
da lei, para tratar de sua sade.
3* secro.
N. 713.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Em vista da conta junta em dupl-
cala que me remetteu o superintendente da estia-
.la de f >rro do Recife a S. Francisco com offlcio de
10 do corrente, mande V. S. pagar quando hou-
ver crdito, o que justamente se dever provenien-
te de transpjrtes dados, durante o mea de junlio
ultimo, por conta do ministerio da guerra nos
trens daquella estrada.
N 7l.Dita ao mesmo. Inteirado de quanto
V. 8. expoz cm seu offlcio de 12 do crreme, sol)
n. 461, lnhoadizer em resposla que mande por
em praca, como se recommendou em 9 deste mez,
os reparos de que carece a escada do caes I euro
H, pois que a circular expedida pelo ministerio
da agricultura, commercio e obras publicas, em
28 de maio desta auno, nao revogou o aviso do re-
ferido ministerio do 13 do citado inezde maio, que
autorisou bes reparos e foi especialmente expedi-
do para reahsacao dos mesmo.-. _
N. 717^ifa'ao mesmo. Transmuto aV.b.
nar os fins convenientes as incubas reiacoes no-
minaos do pagamento e de altcracoes havidas no>
mees de abril, maio e junho do corrente anno,
com as pracas da guara nacional i
mendo nesU data a capitana do porto, que man-
de intimar aos proprielarios dos predios fronteiros
ao caes do Forte do Mattos, para que Tacara es
reparos do que precisa o mesmo caes nos lugares
em que so acha arrumados em vista do que Vmc.
mo representon cm data de 14 do corrente, e ten-
do mandado por om praca os reparos de quo ne-
cessita a escada do caos Pedro H, a que se refe-
ren as clausulas quo vioram juntas ao seu ollicio
de 7 deste mea, convm que Vmc. declarando o caes da escadinh quo se acha arrumado e a
que alindo a primera parte do seu IlJio de 14,
cima citado, aprsente o orcamenio da iespeza a
fazer-se com os reparos do mesmo.
N. 731. Delberacao. O vice-presidonto da
provincia resolve nomear Thoniaz Lins Ribeiro
unaraes |iara o lugar de coHaborador da secre-
taria do governo, de que trata o art. 63 da le n.
891 de 25 de junho do corrente anno, percebendo
a gratificado de 600* por anno. *. .
N. 731Dita.O vice-presidente da provincia
attendendo ao que requereram os membros da pre-
sidencia da sociedade recreativaJuventudees-
tablecida nesta cidado, resolve, usando daattri-
buicao quo Ihe confere os decretos ns. 1083, de
28 de agosto de 1860, e 2711 de 19 de dezembro
do mesmo anno, approvar os estatutos da mesma
sociedade, e conceder autorisacao para esta poaei
funecionar.
EXPEDIENTE 1SSIGNADO PELO SU. DR. JOAQUIM COR-
REA DBAR.VUJO, SECRETAniO DO GOVEUN O, EU *)
de jixno de 1869.
1' seccao.
N. 733.Offlcio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De ordem de S. Bxe. o S>r. vi-
ce-presidente da provincia, declaro a V. bxc, en,
resposta ao seu offlcio Me 19 do corrento, sob n.
419, que nesta data se mandou salisfazer ao pe-
dido do tenente-foronel commandante do deposite
de recretas, trae veio annexo a seu citado offlcio.
2." seccao.
N. 734.Offlcio ao Dr. chefe de polica interino.
Ofixm.Sr. vice-presidente da provincia mandi
declarar V. S. para seu conhecimento e fins cor-
veniente, que nesta data se expedio ordem para
que o destacamento do Granito seja por emquan'o
commandado por inferior, dispensado o olflcial su-
balterno que fdra mandado destacar e que se at-
torisou, pode o dito destacamento ter por stde a
locaiidade que mas c nveniente achar o rsped-
vo delegado, cuja disposicao lem de licar.
N. 735.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pn-
sidente da provincia manda declarar V. S., em
resposta ao seu offlcio n. 1022 do 14 do corrento,
que nesta data se expedio ordem ao commandanic
superior de Cabrob para fazer destacar no termo
de Salguciro o numero de pracas que fo marcado
pela portara de 5 do novembro do anno prximo
lindo, -dando a razao pela qual nao fora aindacun-
prda essa ordem.
N. 736.Dito ao commandante superior da guar-
da nacional de Santo Antao.S. Exc o Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar V. 5.,
em resposta ao seu offlcio de 16 do corrente, qiu a
thesourana provincial tem ordem para pagar a
Deomedes Frailesco dasChagas os vtncimen.os
constantes do citado offlcio.
N. 737.Dito ao commandante superior da guar-
da nacional de Garanhuns.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar V. -,
em resposta aos seus offlcios de 17 de julho ullir.io
e 10 do corrente, sob ns. 53 e58, que athosouri-
ra de fazenda tem ordem para pagar Francisco
Pereira de Mendonca & C os vencmentos ma-
tantes de taes offlcios.
presidente da provincia. O chefe de polica
FrtmcUto ffe Assis Oliveira 'Aoctel.
immw;
presidio de tornando, pertencentes aos batalhdes
1- de artilharia, 2o, 3J, i, 6', 8> e 9 de mlan-
taria dwte municipio e do de Olinda.
N. 718.Dia ao mesmo.Mande V. &. pagar,
quando houver crdito, a conta que incluso de-
volvo, que veio annoxa ao sou offlcio qc U de ju-
nho alUmo, sol) n. 399, relativa a transportes ef-
fectuados por conla do ministerio da guerra, nos
trens da va forrea do Hecifo a S. Franciscd, du-
rante o mez de maio deste sano. Assim o respon-
do o seu citado offlcio.
N. 719.-Dita ao inspector da thcsourajia pro-
vincial. Annuindo ao que solicitou o director
geral da inslruceao publica cm offlcio do. 31 de
mano ultimo, sob n. 79, c tendo em vista a sua
infoViiiac.o de i le maio prximo lindo, sob n.
239. aotoriso V. S. a fomecer aquella directora
com destino aos alumnos pobres de instruccao pri-
maria, mil exemplares do do primero hvro de
leitura para uso da infancia brasileira, composto
pelo Dr. Abilio Cesar ilorges, os quaes, segundo
me declaruu o mesmo director cm seu citado
offlcio, G. de Lailhacar, propretario da liviana
franceza. a ra do Crespo n. 9, offereceu-se a for-
necer a kOO rs. cada um exemplar.
N. 720.Dita ao mesmo,Por delberacao desta
data, norneei a Tliomaz Lins Ribeiro Guimares,
para o lugar do collaborador da secretaria desta
presidencia de que trata o o do art 63 da lei n.
891 de 23 de junho do corrente anne, percobendo
a gratificreao annual de 600jl; o que Ihe commu-
nico pira seu conhecimento e fins convenientes.
N. 721.- Dita ao mesmo.A Deomedes Fran-
cisco das Chagas, mando V. S. pagar depois de li-
quidados, em vista do pret junto em duplicata,
que me remetteu o commandante superior da co-
marca de Santo Antao com offlcio de 16 do cor-
rente, os vencimentos relativos ao mez do junho
ultimo, dos guardas nacionaes destacados na villa
da Escada.
K. 721Dita ao mesmo.Providencie V. S. pa-
ra que de conformidade com a sua informacao de
17 do corronte, sob n. 406, o colleclor nomeado
para Barreiros, Manoel Leilao Figueira, entre em
exercicio de seu emprogo, ficando marcado o pra-
zo de trnta dias para a terminae.ao dos termos da
respectiva flanea.
4a seccSo.
N. 726.Offlcio ao Exm. Sr. vice-presidente da
provincia da Parahyba.Tendo fallecido na enfer-
mara do presidio de Fernando de Noronha no dia
6 di) corrente, o sentenciado de justic/j dessa pro-
vincia, de nome Joao Felippe dos Santos, envo a
Y. Exc o auto de vestoria eidenlidade de pessoa,
a que se proceden no cadver do referido senten-
ciado, am de ter o conveniente destino.
N. 727.Portara a cmara municipal do Reci
fe.Com a informacao junta por copia ministrada
pela reparlicao das obras publicas em 30 de junho
prximo udo, sob n. 246, respondo ao offlcio que
me dirigi a cmara municipal do Recife em 26
de maio ultimo, sob n. 33, pedindo providencia no
sentido de ser indemnisada pela companhia dos
trilitos urbanos do Recife a Apipucos da quantia
de 2:000*, pelo usofructo o oceupacao de parte
das ras e pracas desta cidade que tem oceupado
com a collocacao de seus trunos.
N. 728.Dita ao director geral interino da ins-
truccao publica.Annaindo ao que me solicitou
essa directora em offl io de 31 de marco ultimo,
sob n. 79, e tendo em vista a informacao da tlie-
souraria de fazenda provincial de 4 de maio pr-
ximo Ando, sob n. 239, resolv nesta dala autori-
sar a mesma tbesouraria a mandar fomecer a V.
8. com destino aos alumnos pobres de instruccao
primaria, mi exemplares do primero hvro de lei-
tura para nso da infancia brasileira, c imposto
pelo Dr. Abilio Ce nico para seu conhecimento, e em resposta ao ci-
tado offlcio.
N. 729.Dita ao engenheiro fiscal por parte do
overeo no contrato da empreza, asseio e limpeza
a cidade.Com a informacao junta por copia da
cmara municipal desta cidade, datado de 5 do
corrente, sob n. 83, resprado o offlcio que Vmc
me dirigi em 2 de abril ultimo, n. 133, aceren da
autorisacao, que solicitou o engenheiro encure-
ado das obras dessa empreza para fechar o es-
paco que loe ful marcado na praca do chafariz
(na ao Brum) para a collocacao do edifieio des-
tinado a bombase outra obras; enmure, mis
que se proceda a este respeito de conformidade
com a citada informacao.
N. 730.-Dita ao engenheiro das obras geraes
Amonio Vicente do Nascimento Feilosa.Recom-
N. 738.Dito ao juiz de drclo da comarca do
Rio Formoso.O Exm. Sr. vice-presidente da pn-
vincia manda declarar V. S., em resposta ao sou
offlcio de 14 do corrente, que lica nteirado de ler
V. S. nessa data nomeado o cidr.dao Antonio h s
Pimentel para exercer interinamente o cargo de
promotor publico dessa comarca, por ton o eflic-
lvo, bacliarel Jos Manoel de Barros Wander ey
Filho deixado alio exercicio por molestia.
. 739.Dito ao juiz municipal do Brejo, J)ao
Alvares l'ero.ira de Lyra.O Exm. Sr. vicepresi-
dente da provincia manda aecusar o recebimtnt"
do olieio de V. S. de 30 do mez findo, em que com-
niunica ter nessa dala deixado o exercicio do seu
cargo por molestia.
2-' scelo.
N. 740.Oflicio ao inspector da tbesouraria do
fazenda.O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar a Y. S. para os lins convenientes
que, sopando offlcio do bacliarel Joao -Ivares Pe-
reira de I-ira, juiz municipal do termo do Rrejo de
20 do mez lindo, deixou elle por molestia o exer-
cicio do seu cargo.
H. 7V. l>iw mom. -O iSnm. Ar. vif -
si I :iie da provincia manda declarar V. S. |>ara
os flus- convenientes que, segundo offlcio do jui'. do
direito da comarca do !'.:o Formoso, de 14 do 'jr-
rente, foi nessa data .: meado promotor publico
interino d'aquella comarta o cidadao Antonio Jos
Pimentel, por ter o elTectvo bacharel Jos Manoel
de Barros Wanderley Filho, deixado alio exer-
cicio por incommodo de saude.
N. 741Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vico-presidente da provincia, communico
V. S. que nesU data obtevw U dias de lictnca
com ordenado, na forma da lei, o juiz municipal
do termo de Goyanm, bacliarel Joaquina Cordero
Colho Cintra.
4." seccao.
N. 743.Dito ao Exm. Sr. desembargador pro-
vedor da Santa Casa de Misericordia.S. Exc. o
Sr. vice-presidente da provincia manda eomn uni-
car V. Exc, quo nesta data deu o conven ente
destino petieao que a junta administrativa da
Santa Casa de Misericordia dirigi ao governo im-
perial solicitando perraissao para ser conservada
como parte integranto do patrimonio da mesma
Santa Casa, a casa construida pelo inspector do
arsenal de marinha, no terreno perlencente ao re-
ferido patrimonio, para abrigo dos trabalhadores
do mencionado arsenal.
N. 744.Dito ao director da companhia do Be-
bcribe.S. Exc, o Sr. vice-presidente da provin-
cia, manda communicar V. S. que recebeu com
o seu offlcio do 17 do corrente, um exemplar di re-
latorio, conla corrento e parecer da commissao
fiscal da companhia de Bcberibc, sobre os nego-
cios da mesma.
REVISTA DIARIA.
ROIJBO.Amanbeceu domingo ronbado o ar
maioin do Sr. Antonio Marques da Costa Soares,
sito, no largo da Assemhla.Jcva do os ladrSes
apenas ires arrobas de algodao.
DINHEIRO.O vapor TKantins levou apenas
hontcm,.para o Rio de Janeiro, 144:942*000 em
notas in'utilisadas, o 94:7995626 em ouro, ludo
para o UiOuro nacional.
NAUFRAGIOS.A esenna hollandeza Catharina
cm viagem de Buenos-Ayres, com escala pela Ba-
ha, para Antuerpia, abri agua por tal forma,
mcmhVos da'oreV I 36', que a tripolacio foi obrigada a abandona-la
no dia 10 do corrente, passando-se para a lancha
cmden.andada trra. Esses naulragos vieram
no domingo, no Tocantins, da Parahyba ondo fo-
ram aportar. ,
Tambera consta que naufragou, na Coroa-
Grande, na provincia do Maranho, o brigue por-
tuguez Bom Successo, que ia de Lisboa para
aquella provincia, morrendo tres pessoas da tn-
polacao.
O reste-da gente foi de Alcntara para a cap
tal da provincia, onde chogou poucas horas antes
de sahr o Tocantins.
P.-.OTESTODE LETRAS.O eserivao dos pro-
testos Jos Mariano, estad semana a rita dban-
lo Amaro n. q.
SAO IPEDRO DE ALCNTARA. Hojejetas
10 horas da manbaa celbra-se na capella do
hospital Pedro II, a festa de S. Pedro de Alcntara
padroeiro daquelle estabelecimento. O distlneto
pregador Fr. Joaquim do Espirito Santo e o cncar-
i-egado do discurso sagrado. Desde aquella hora
al as 6 da tarde o hospital pode ser visitado.
LEILAO.Conforme est annunciado, dovehoje,
as 2 horas da tarde, ter lugar o leilao das velar,
cabos e mas pertonecs de navios, no fundo do ar-
mazem da ra do Imperador n. 57, outr ora ar-
raazem da Allianca.
CONCURSO.Termnou no sabbado ultimo o
que procedeu-se na thesouraria de fazenda para
provimento de vagas do 3- escripturaio, apresen-
tando-so apenas um candidato.
Foram examinadores os Srs., Dr. Felippe Ncry
Collaeo cm francez, Dr. Manoel Ferreira do Silva
em geographia e historia do Brasil, Dr. Augusto
Carneiro Monteiro da Silva Santos em algebra, Ma-
noel Fonceca de Medeiros em escripturacao coin-
merial,e Francisco de Salles Baviera em pratica de
reparti(3o.
SOCIEDADES COOPERATIVAS.A Correspon-
dencia de Berlim publica curiosos dados sobre o
grande desonvolvimento que teem tido na Adema-
nha as sociedades cooperativas de consammo.
O numero destas na Prussa, que subia a 199
em 1866 e 316 em 1867, clevou-se cm 1868 a
553. Dos relatorios de 75 deltas resulta quo con-
tavam 33,656 associados, e tizeram operacSes du-
rante o anno do 1868 no valor de 2,124.141 tha-
lers. as provincias prusianas de Brandcnbur-
go, Silezia e Saxonia, no Wurlcmberg e diversas
provincias austracas as sociedades provinciaes
principiaran) a relacionar-se com o im de estabe-
lecerem urna geral allemaa ; para esse lim de-
vom reunir-se brevemente em Magdeburgo os re-
presentantes das sociedades de consummo da Al-
lemanha do Norte. .
Urna nova especie de associacao esta tomando
agora grande incremento, cea que tem por lira
a compra de somentes e maeninas para a agricul-
tura. J estad organisadas 36 na Prussa rlienam.
Os bancos de emprestimo vio tambera em aug-
mento : segundo a ultima memoria publicada,
contara 186,337 associados e um capital proprio
de 10.231:437 Ihalers, e mais 33 milhoes que mes
proporciona o crdito. .
Alm disto'ha a sociodado commandiiana de
Soergel, Parisius & C, fundada era Berlim para
servir de intermediaria entre os estabelecimento*
de crdito popular o a aita banca.
Finalmente o numero de sociedades cooperati-
vas de todas as elasses, ;|ue funeconam em toda
a Allemanha, de 2,600 com um milhao prxima-
mente do socios, "; negocios realisados por ellas
em 1868 representavam a cifra de 220 milhoes do
thafers, sabindp a 15 nihoes o seu capital pn-
ebeiro para o toucador, que o altamente tem
sido exhibida e exhortada por todos os jornaes
pblicos da America do 5ul, e da qual se tem
vendido tantas imitacoes ueste paiz. Emenden))s
que foi para guardar o publico centra semelhan-
tes imposc3es, que os proprielarios do artigo ge-
nuino, deneis de o haverem introduzco a mais
de vinte anno*; as repblicas bespaoholas, Cuba
e Brasil; eomecaram nao somonte a manufaclu-
ra-lo para este mercado, como tambara para os
mais j cima mencionados. Este excellente e
inpagavol artigo j comecou a ser popular, e 6
de esperar, quo aqui em breve venha supplan-
ur e leve opalina, orno j o fez na Amrica do
Sul, todos os perfumes e essencias mais gusto-
sas quo nos tjostumi vir da Europa. Ella/: igual
era todos os respeitos, qnando na() superior aos
mais linos extractos que nos vem do estrangeiro.
COMMERCIO.
Sociedade bancaria em com-
mandita
Theodoro Simn Sf C,
Compram e vendem por conta pro-
pina melaes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Desconlam letras da trra e outros t-
tulos commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transac?5es, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebom quaerquer quaniias em depo-
sito, em conta corrente, e a prazo Oxo.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEGa.
Rendimento do dia 1 a 16 562:595*217
dem do dia 18...... 6i:552fl2i
duzia
627:147*311
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas
dem idem com gneros
Volumes sahidos com fazendas
dem idem coro gneros
50
400
-----450
ipecacuanha ( raiz ).....
Angico (toros)...... duzia
Caibros ......, um
Enxains '.....
Frechaes........
Jacaranda (coucoeiras) duzia
Lonha cm achas...... cento
dem em toro -.........*
Linhas e estelos...... um
Lour s (pranchoes).....
Pao Brasil........ kilog.
dem de jangada...... um
Quiris........' duzia
Vinhatico costadinho de 36 a 30
millimetros de grossura. .
dem pranchoes de dous costa-
dos at 50 millimetros de gros-
sura ........
dem taboado de menos de 23
millimetros de grossura .
Taboado divarso......
Tatajuba........ kilog.
Travs......... urna
Varas para pescar..... du'ia
Idem para aguilhadas n <
dem para canoas..... urna
Cavernas de sucupirafem obra)
Eixos de sucupir para carro
idem.......... par
Mel melaco......... kilog.
dem de abelha......
Milho......... kilog.
Ossos..........
Palha de carnauba..... molhos
Pechury......... kilog.
Pedras de amolar
dem de filtrar......
dem de rebollo.
l'ennas de eiua ......
Ptassava......... molhos
Pontas ou chifres de novilho ou
vacca......... cento
Sabo......... kilog.
Sal.........,
Salsaparrilha.......
Sapatos de couro branco par
Sebo ou graxa em rama kilog.
dem em velas. ......
Sola e vaqueta......
Tapioca.........
Unhas de boi.......cento
Vassouras de carnauba duzia
dem de piassava.....
dem de timb
60|000
360
1X50Q
($000
955000
3O00
13*000
6*000
10*000
102
5*000
6*000
um iOSiKn
20*000
UiMOO
UojOOO
33
6*000
2*400
6*000
1*000
3*300
16*000
50
320
68
16
1*000
817
31
18
34
4*796
160
1*703 juzo municipal da S vara, tem de s arrematar
324
tfcQ
------704
2*800
348
10
2*043
800
340
476
1*200
204
380
768
1*200
960
maiers, nninuo a i> mimo wsu wp- ,,..[,. curili i Th'im-tz Fernandos :
^'""r"1" qa w-**-***^ ^^Sf^Wril1 vinho ; a M.
tes de emprestlmos. calves da Fonte/
Descarregam boje 19 de ontubro
Barca inglezai/inioHferro e carvao,
Barca ing eza Franch Wilson idem idem.
Escuna norte-allemaoAieiaidmercaorias.
Barca inglezaLauraIdem.
Barca ingleza- Metanorbacalho.
Brigue inglezG/ocubacalho.
Barca inglezaImogenebacalho.
Barca nacionalAdeladetaboado.
Barca portuguezaGratidaomerendonas.
Barca pertuguezaSapph/ramercadorias.
Importado.
Barca portugueza saphyra, vida do Parlo,
consignada a Tliomaz de Ajuino Fonscca di C,
maoifestou : u
400 canastras albos, 300 saceos arroz bo ditos
feijo, 63 barris carnes, 2330 resteas ceblas, 200
cunhetes chumbo, urna porcao de sal garnel ;
aos consignatarios.
10 caixas archotes, 5 ditas carnes, 20 ditas po-
mada, 16 ditas tinta para cscrever, 23 barris vi-
nho ; a Braga, Gomes & C.
50 rodas arcos de pao : a Marques, Barros ft C.
2 caixas victualhas ; a Maia & Espirito San: o.
2 ditas urna charra ; a Cunha Irmos & C.
1 dita sanctario ; a M. A. Ferreira & C.
I ditas imagens, 23 ditas movis, 240 cadeiras
e 9 camaps ; a Bocha, Lima & Guimar.-s.
50 rodas arcos de pao, 1 sacco batuques, o'M
lincas de virae ; a F J. de Oliveira Rodrigues.
50 caixas batatas, 3 ditas e 10 barris carnes,
35 caixas ceblas, 1 dita doce, 10 barris vinho ;
a Veras & Barbedo.
9 ditos dito ; a A. Goncalves do Barros.
15 ditos o 400 caixas dito ; a Mondes & Coelho.
1 dita e 1 barril dito ; a J. J. Kodrigucs Mendos.
1 dito dito ; a C. Alfonso Moreira.
i eaixa calcado, 2 ditas miudezas; a ordem.
13 ditas ferragens, 5 ditas folhas de louro, 2 di-
tas pentes, 30 ditas pomada, 20 barris pregn. 6
" mandes d: Cunha.
J. Gon-
Alfandega de Pernambuco, 16 de outubro de
1869.
O l'conferente, Florencio Domingues da Silva.
O 2." dito. Carlos Augusto Lins de Souza.
Approvo. Alfandega d? Pernambuco, 16 de
outuiro de 1869 Paes deAndrade.
Conforme. Joaquim Tertuliano de Medeiros.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 16 38:817*898
Idem do" dia 18...... 10:966*193
49:784*091
em praca o engenho denominado Santo Andr,
sito na freguezia do Murlbeca, com snas trras,
casas de vi venda, de purgar, do ealdetra, sen/alia,
suas respectivas maltas, pastos, logradouros e mais
pertenecs, com quatro casas em dfferentes sitios
pertencentes a mejma propnedade por 40:0001,
por eleLueao de Tlburcio Valeriano Baptista con-
tra o capilo Antonio de S Albuquerque e outros,
escrivlo Santos.___________________;_
Santa "Gasa d Misericordia
do Recife
Pola secretaria desta santa casa se faz publico
que boje 19 do corrente, depois da festa de S. Pe-
dro de Alcntara, que deve ter lugar pelas 10 ho-
ras da manhaa, na capella do Hospital Pedro II,
ser o estabelecimento franqueado ato as 6 horas
da tarde s pessoas que o quizerem visitar.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife. 19 de outubro de 1869.
O esenvao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
Alllma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife precisa contratar com quem
se queira encarregar de fazer sua cusa as obras
de que necessita o sobrado n. 37 da ra da Moc-
da, concedendo ella, alem de outras vantagens, o
arrendamento por grande numero de annos.
Recebe para isto propostas em cartas fechadas,
na sala ae suas sessoes, devendo os pretendemos
examinarem as obnis de que carece o predio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de scicmbro de 1869.
O eserivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa da Misericordia do
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no dia 21 do outubro, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tompo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados : ___
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Cacimba.
Casa terrea n. 10....... 86*000
Ra ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anno 242*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105................ 146*000
dem n. 98........................ 203*000
dem n. 96......................., 202*000
Sitio n. 5 no Forno da Cal........... 150*000
Os pretendentes devero aprcsenlar no acto da
arremataco *as suas flaneas, ou romparecerem
acompanliados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cite, 4 de outubro de 1869.
O escrivao."
Pedro Boirwes de-Souza
15
DESPACHOS DA VICK-PRESIDENCIA DO DIA
DE OUTOBBO DE 1869.
Abaixo assignados moradores na povoa.;5) da
Lagda dos Gatos.luformo o Sr. Dr. director ge
ral da instruccao publica.
Andr de Abreu Porto.Passando recibo como
requer.
Antonio Muniz Machado.Iotorme o Sr. coro-
nel commandante superior interino da guard i na-
cional do municipio do Recife.
Domingos de Gusmao de Mendonca Ribeiro.
Informo o Sr. Dr. chefe de polica.
Bacharol Francisco Domingues Ribeiro Vianna.
Conceda-se com ordenado, na forma da lei.
Francisco Gomes da ..Costa.Informe o Sr. ins-
pector da thesouria de fazenda.
Galdino Manoel da Costa.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Joaquim Pereira Bastos.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda. '
Joaquim Goncalves Cascao.Certique-se.
Jos Manoel de Barros Wanderley.Conceda-se
na forma da lei.
Major Jos Polycarpo de Freitas.Informe o Sr.
Dr. juiz dos feitos ta fazonda.
Manoel Gomes de Oliveira.Informe o Sr. cora-
mandante superior da guarda nacional do Santo
ADtao.
Tenente-coronel Manoel Antonio dos Paisos e
Silva.Informe o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda.
TALLEYlAND.Di'.--o que o primero nobre
convenido ao chrisl&uismo em Franca fora o
chefe da casa MonlmoreBcy, e que d'aqui proyo
conlerir-.se vulgarmente ao represoutaate do Ilus-
tro cathecumeiio o titulo de priineiro barvo mu-
tuo. Tallevrand encontrou n'uma reuni.w o du-
que de Motmorency e apresentou-lhe o barao de
Rothschild, recenteraente despachado pela chan-
cellara austraca, i Aprsenlo, disso elle, o_ pri-
mero barsjudeu ao primero barao chrisiao.
EXPLOSO.Refero c-Coz-rao de Oran um ac-
cidente terrivel que acaba de lancar na maior
consternaco os habitantes d'aquella cidade a;-ge-
Ha, fura da noria da cidade chamada, Santn,
algnmas grutas habitadas por familias de m-
neiros.
No dia 3 de setembro iiouve o urna dessas gru-
tas urna terrivel cxploso do plvora.
Niio se sabe ao certo como a plvora para all
foi ter. O l'acto c que o effeto da explosao foi
terrivel: tres creancas e a sua mi grvida Aca-
rara moras e horrivelraentj mutiladas ; os aves
receberam graves feriraentos | e a gruta voou pe-
los are*. .
CRIMINOSO 00 LOUCO ?O Diario dos Deba-
tes, de Pars, annuncia que fi preso era Gentilly
e entregue aos tribunaes um individuo, de oceu-
pai-ao ferreiro, que commetteu a barbandade de
tirar a vida a sua mulher.
O malvado, nao satisfeto de ter estrangulado a
que fora sua companheira as alegras o tristezas
deste mundo, levou a sua terocidade ao ponto de
cortar o pescoeo estrangulada com urna nava-
Iha de barba.
Sirva porm para attenuar as circnmstancias
cm que foi perpetrado o crime, a eonsiderago,
que o Diario parizense ainda nao aprsenla como
provada, de que o homem fora acommettido de
um accesso de alicaaco quando commetteu o as-
sassinato. _
PASSAGEIROS.O vapor Potengt vindo de Pe-
nedo por Macei trouxe os seguintes:
Rodolpho Fenk, sua senhora, urna cunhada z
Albos menores e urna criada, \V. W. Robeleard e
sua senhora, Jos Antonio dos Santos, Tito Ale-
xandre Ferreira Passos, 3 pracas de palicia, a mu-
lher de um dos presos com 5 fllhos.
Vndos de Goyanna no vapor Parahyba :
Major Jos Cesar de Albuquerque 2 escravos
a entregar.
Vindos de Lisba na barca portugueza Gra-
tidao.
Pedro Marotta Bragio e 1 filho, Manoel Alves,
Manoel do Amor, Jo* Ferreira, Jos Muniz Pontos,
Barthe Vctor, Jos Rivera, Pedro Aibares.
cal
46 ditos dito ; a Jos Francisco da Cunha.
20 molhos vassouras ; a J. Ribeiro da Gama.
1 caixa sabonetes; a Bartholomeu & C.
1 dita miudezas, 1 dita ferragens, 20 barris
chumbo ; a Ferreira Gumaiaes & C.
4 fardos capachos; a J. J. da Costa Pinheiro.
20 cunhetes sobo, a Jos M. Palmeira.
4 caixas ferragens; a Prente Vianna k C.
1 dita linha ; a Vianna & Guimaracs.
1 dita dita ; a M. N. da Fonseca.
1 dita livros: a F. M. da Costa.
1 dita obras de palheta; a J. L. Goncalves Fer-
reira & C.
1 dita ditas do prata; a J. F. dos Santos Coin-
bra Gumaraes.
1 dita ditas de dita ; a Moreira & Duarle.
100 ditas vinho; a Azevedo & O
50 ditas dito; a J. J. Goncalves Beltrao.
1 dita dito ; a Manoel Fernandos Velloso.
2 ditas peiieiras ; a A. C. Machado Brand.io.
2 fardas Jilas ; a Silva & Alves.
T.VBELLA DOS PREQ0S DOS gneros sdjeitos a di-
reito DE EXPORTACVO. SEMANA DE 18 A 23 Di
OUTUBRO DE 1869.
Mercadorias: Unidades. Valores.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados 110 da 17.
Lisboa23 das, barca portugueza Gratidao, de
258 toneladas, capilao Antouo Pereira Borges,
cqnipagem 13, carga vinho e outros gneros;
a Oliveira Filhos & C.
Cardiff45 dias, brigue ingle* George Ann, de
264 toneladas, captio Wlleara Robertsou,
equipagem 10, carga carvao; a Eduard Fenlon.
Navios entrados no dia 18,
Goyanna6 horas, vapor brasileiro Parahyba, de
104 toneladas, commandante Mello, equipag m
15 ; a Companhia Pernambucana.
Penedo por Macei3 das, vapor brasileiro Po-
tengi, de 281 toneladas, commandante Jos Joa-
quim Peroira, equipagem 30; a Companhia
Pernambucana.
Montevideo26 das, lugar uorte allemSo Solid
de 108 toneladas, capitao Spieren, equipagem 8,
em lastro, a ordem.
Babia6 das, patacho inglez Gtelivete, de 159 to-
neladas capitao Dixter, equipagem 8, em lastro;
a Johuston Pator & C
N'ivws sahidos no mesmo dia.
Portos do sul Vapor brasileiro Tocantins, com-
mandante Jos Mara Ferreira Franco, carga
varios gneros.
CanalEscuna ingleza Pandora, capilo J. C. Dore,
carga. Msucar.
BarcelonaPatacho hespanhol Laurano, capilao
Pablo Estafe, carga algodao.
AVISOS
XavegacSo
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
costeira por vapor.
Mamanguapc.
^Kvapor Mandaba, comman-
danteJuJo, seguir para o por -
to aciiwa jijydia 28 do crrate
as 6 horas da larde. Recebe car-
ga, encommendas, passageiros 1
diheiro afrete at as 3 horas da larde do dia
da saluda : escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PKRNAAMBICANA
DF.
Xavcgaco cosclra |>or vapor.
Parahyba, Natal, Alacio, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarac e Granja.
O vapor Ipojuca. commandante
Moora, seguir para 03 portos
cima no da 30 do corronte as 5horas
Recebe carga at o da 29 encom-
raendas.e passageiros e diheiro a frea at as
i horas da tarde do da da sahida no e ripl -
rio no Forte do Maltas n. 12.____^^__^^^__
V"
COMPANHIA PERNAMBUCANA
EEiTAES.
Repartico da polica.
t' seccao.Secretaria da polica de Pernambu-
co, 16 de outnbro de 1869.
N..1508.Illm. e Exm. Sr.Levo ao cenheci-
raento de V. Exc. que, foram hontcm recoll idos a
casa de detencao os seguintes individuos :
A' rainha ordem, Manoel Pereira de Lima, Jos
d'Andrade Bezerra e Manoel Jos de Brito, como
criminosos vindos do termo de Itamb ; e S;cun-
dino .Vives Pereira, como indiciado em crine de
roubo no termo de Limoeiro.
A' ordem do subdelegado de Santo Artonio,
Mara das Neves Lins e Carolina Mara da Cmcei
cao, por disturbios e offensas a moral publica.
A' ordem do de S. Jos, Manoel Franccli 10 de
Barros, por desordem. '
Em offlcio desta data, participou-me o Cr. de-
legado do Ia distncto da freguezia da Boa -Vista,
que pelas 6 horas da tarde de hontem, fa lecra
repentinamente deum ataque de aneurisma, como
verificou-se no auto de visloria que procadera,
o portugus Miguel de tal, empalhador e morador
na casa n. 10 da ra estreita do Rosario da fregue-
zia de Santo Antonia, o qual em companhia de um
lilho menor, lora tomar banho no lugar da bomba
da entrada que segu para o ceraiterio publico ,
em eooseqneuci* *> qae, depositara o menor era
casa de petara idnea para ter o convenient) des-
tino.
Dos guarda V. ExcIllm. e Exm. S\ Dr.
Manoel do Nascmento Machado Porteila, vice-
PUBLICACOES A PEDIDO.
Ornas palavras ao termo de
Barreiros.
Srs Redactores.Ingarrido as rainhas
oceupacoes, nao me tem ebegado tempo
para vos fallar desto termo, o governo ge-
ral houve por bem reintegrar ao comm-en-
dador Paulo de A. Salgado, o commlando
superior de quem injustamente bavia o go-
verno progressista o dexonerado 11 Um ci-
dadao prestimoso, um carcter bem conhe-
cido, e que tanto servico havia prestado,
quando se organisaram os corpas de volun-
tarios da patria t j como particular, j
como autoridade, elle evidou todos os
meios, aim de prestar-se ao reclamo da
patria. Hoje prtanlo, dos congratulamos
por v-lo como outr'ora na regencia deste
termo : e n3o podemos deixar Srs. redac-
tores de fazer do alto da imprensa o nnsso
regosijo. Queiram pois, dar poblicidade
a estas linbavadas Unhas, com o que milito
obrigar. ao vosso loitor.
Recife 5 de outubro de 1869.
O B.
Agua de florida de Murray e
La aman.
Esta a-juella excellente e original agua de Gomma de mandioca, (polvbo).
Abanos......... duzia
Algodao em caroco..... kilog.
dem em rama ou era laa.
Carneiros vivos....... um
Porcos idem........
Arroz com casca...... kilog.
Idem descascado ou pilado >
Assucar branco......
dem mascavado......
Idem refinado.......
Gallinbas........ urna
Papagaios.......
Azeite de amendoim ou nien-
dobim......... litro
dem de coco ....'.
dem de mamona......
Batatas alimenticias. .... kilog.
Baunilha.......
Bebidas espirituosas e,fermentadas:
Agurdente cachaca. .... litr.
dem de canna...... >
dem genebra......
dem resfriada ......
Idem alcool.......'.
dem cerveja .......
Idemvinagre.......
dem vinho de caj.. ....
Bolacha fina, comprehendidos os
biscoit s......... kilog.
dem ordinaria, propria para
embarque........
Caf bom.......
dem escolha ou restolho ...
dem torrado ou moide. ...
Cal branca........
dem preta........
Carne seeca (xarque ).
Carvao vegetal.......
Cera amarella.......
idem de earnaba em bruto. >
dem idem em velas, .... >
Cha..........
Cocos seceos....... cento
Colla.......... kilog.
Couros de boi, seceos salgados.
Idem idem espichados.... >
ldemidem verdes.....
dem de cabras curtidos um
dem de onca....... *
Doces, em calda...... kilog.
dem em gela ou massa.
Idem seceos....... ,
Espanadores de pennas grades duzia.
dem pequeos......
lem de palha.......
Esleirs de earnaba .... cento
Idem propria para forroou estiva
de navio........
Estopa nacional...... kilog.
Farinha de araruta.....
Idem de mandioca.....
Feijo de quakpur qualidade. *
Fumo charutos...... centro
dem agarros......
Idem em folia bom kileg,
dem em folha, ordinario ou res-
tolho......
idem em roto e en> latas boa
Idem, ordinario ou restolho. >
Rap
300
258
13048
i 5000
-2000
68
177
320
210
436
5 000
937
673
oa
102
"itiO
390
330
300
337
600
300
660
476
201
476
442
959
39
27
258
168
US
436
763
',360
1*000
1*438
55o
640
370
350
10*000
1*133
784
2*180
48*000
24*000
12*000
16*000
12*000
136
681
92
272
3*006
320
1*090
613
81
545
2*180
170
O capitao Jos Pedro das i'evcs, juiz de paz do 1"
anno da frcguesia de S. Fr. Pedro Goncalves da
cidade do Recife, etc.
Faco saber que pela cmara municipal me foi
dirigido o otficio segiiinte :
Paco da enmara municipal do Recife, Io de se-
tembro de 1869.Illm. SrTendo o Exm. Sr.
vice-presidente da provincia, em offlcio de 24 de
agosto findo, declarado cmara quo havendo o
governo imperial por aviso de 31 de julho findo
determinado que se proceda eleicao para um
deputado assembla geral pelo primero dislriclo
d'e-ta provincia, afim de preencher a vaga que se
deu da respectiva cmara, em consequencia de
haver prestado juramento e tomado assento no se-
nado o Exm. vi-conde de Conaragbe ; tenho de-
signado o dia 26 de novembro prximo para a
reuniao dos eleitores rio offlcio j indicado em cir-
cular da presidencia de 19 de setembro de 18I10
(igreja malriz da freguezia de Santo Antonio),
pelo que a mesma cmara recommenda V. S.
que convoque para a referida eleico os eleitores
(Testa freguezia, os quaes devem reunirse no men-
cionado da para aq elle lira, como tica dito.
Deus guarde V. S.Illm. Sr. Jos Pedro das
Neves, juiz de paz da freguezia de S. Fr. Pedro
Goncalves do Hecife. Manoel de Barros Barreto,
pro-presidente.Francisco Canuto da Boa-vagem,
secretario.
Em enmprmento do dito offlcio, convoco os
eleitores d'esta freguezia para a reuniao do collo-
gio no dia 26 de novembro prximo, afim de pro-
ceder-se eleicao de um deputado que deve dar
este circulo, para preencher a sobredita vaga.
Em cumprmento do que devem comparecer os
eleitores s 9 horas do dia na referida igreja ma-
triz de Sanio Antonio, para este im.
E para que chegue a noticia todos, mande
passar o presente, que ser afflxado no lugar ds
cosame e publicado pela imprensa.
Freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves do Recife,
15 de ontubro de 1869.
Eu, Innocencio da Cunha Goianna, escrivao o
escrevi.
Joj Pedro das Neces.
O capitao Jos Pedro das Nevos, juiz de paz do 1.*
anno, da freguezia de S. Fre Pedro Goncalves
da cidade do Recife etc.
l'aco saber que pela cmara municipal me foi
reiueitido o offlcio da maneira seguinle :
Illm. Senhor Tendo o Exm. vice-presidente da
provincia por offlcio circular de 24 de agosto pr-
ximo findo, convocado a nova assembla legislati-
va provincial para a futura legislatura que tem
de funecionar nos annos de 1870 a 1871, designa-
do o dia 28 de novembro prximo vindonro para
a eleicao dos membros da mesma assembla, esta
cmara assim o communica V. S. para sua in-
telligencia, e afim de que convoque tambem os
eleitores dessa freguezia para o da indieado, to-
mando em consideracao o que dispoe o art. 2.
do decreto n. 2,633 do 1. de setembro de 1860.
Deus guarde i V. SIllm. Sr. Jos Pedro das
Neves, juiz de paz da freguezia de S. Fre Pedro
Goncalves do Recife.Manoel de Barros Barreto,
pro-presidente.Francisco Canuto da Boaviagem,
secretario.
Em cumprmento do dito offlcio, convido os
eleitores desta freguezia, afim de que todos com-
parecen) na igreja matriz de Santo Antonio no dia
28 de novembro do corrente anno, as 9 horas da
manhaa, para que procedan) a organisacao da
mesa e mais actos relativos a eleicao dos mem-
bros da assembla provincial, conforme determi-
namos leis. respectivas.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser afflxado nos
lugares do costme e publicado pela imprensa.
Freguezia de S. Fre Pedro Goncalves do R.xife,
18 de outnbro de 1869.
Eu, Innocencio da Cunha Goyanna, escrivao o
escrevi.
Jos Pedro das Neres._____
1K
Navegado costara por ic'-por
Goyanna.
O vapor Pcr:ih>;'ja, commandante Mello, segui-
r para o porto cima, uo dia' 26 do corrente, ia '
horas da noite. Recebo carga, encommendas, pas-
sageiroe e diheiro fretes, ao escriptorio do
Forte do Mattos n. 12.
vapor.
c Taman-
COMPAMi IA PERNAM Bl" l :.\ NA
DE
Nauegago costea por
Porto de Gallinhas, Rio Formse
dar.
O vapor Parahy'ra, commandante Helio, seguir
para os portos cima no da 20 do corrente, :i
meia noite. Reeebe carga, eneommendas, passagei-
ros, e diheiro a "retes uo escriptorio do forte d >
Mait s i). II
COMPANHIA PERNAMBUCAA
Vavcssa^o costeara por vapor.
Macei cm direitura a Pnedo.
O vapor Jaftutrbe, commandante Gnitherme se-
guir para os portos cima no dia 22 do correni-i
as 4 horas da tarde. Recebe carga at o dia 21.
encommendas, passageiros e diheiro a frote alo
as 3 horas da tard do dia da sahida no escripto-
rio do Forte do Mattos n. 12.__________________
Rio de Janeiro
Para o referido porto saldr com toda a brevi-
dade o lugar nacional Francisco I, recebe car^a
a freto : qnem nelle quizer carregar pode enlen-
der-se com o seu consignatario David Ferreira
Bailar, rita do Brum i). 92, ou com o capitao do
dito navio.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul <: esperad i
at o dia 21 do corronte, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante J.
P. Guodes Alcoforado, o qnal
depois da demora do co#ame se-
guir para os portos do norte
Desde j recebem-se passageiros e enpa>se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de suachegada. Enconmec-
dase diheiro a frete at o dia da sua sabida as 2
horas.
Nsme receban como encommendas senao or-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicat.
rudo que passar destts limites devora srr embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros, que snas as-
sagens so se recebara na agencia ra da Cruz
n. 87 primeiro andar, escriptorio de Anunio Luiz
do Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio Grande do
Sul
Cora a possivel brevidade pretenda sahir para o
referido porto o brigue portuguez Adelina, recebe
carga a frete para o que podo-se tratar com seu
consignatario David Ferreira Baltar, raa do
Brum n. 91
Rio Grande do Sul
Pora o indicado porto sahir em poneos dias o
brigue brasileiro Tygrt, e recebe alguma carga a
frete: a tratar na ra do Vigario n. I, Io andar,
escriptorio de Baltar, Oliveira & C
PECUBACOE?.
Arrematapao
No dia 13 do corrente, depois da audiencia do
BAHA
O paibabote GaribaUi, capitao Custodio ".Jos
Vianna : a tratar e Mn Tasso Irmios.
Aracatv
r
I
- I
Segu uestes diaa o hiato Sobrakuu, anda re-
cebe alguma carga a frete : a tratar cora S Lei-
tlo Irnuos ra da Madrejde Dos n. 1,


- *
o ile Peruambuc Terca foira 19 dt! Outulno de 1869.
Eio do Jniiehu
Par juir tm m\xi-
t brevichule a barca por por it.i
w'"1 Mo engajado, o pan
, dila-
tan
so coni o ronsiirniiiario
o rsl
Joaquim J;e Goncitves Beltro," ra do Cinumer-
co n. 17.
LEL0ES.
LEILAO
DE
Velas, cabos, viradores, nioitoVs, eadcrnaes, vl-
vula, velas, bilacula, agulhas de marear, de-
fensas, vellas novas e usadas, frres e muitos
oulros objectos, pertenccs de navios.
Hoje, 19 de ouiubro de 1869.
A 1 hora da larde ao lado do arco de Santo
Antonio, no fundo do armaom outr'nra allianca.
Por Intervencao do agente Piulo.
DE
mu sobrado na ra da Aurora n. i, coni grande
sitio com 133 palmos de frente, a inargem do rio
Capibaribe, e curca de 2,000 palmos do fundo
{Santo Amaro), com arvoredos e viveiros. Tres
casas terreas na ra da Paz as. 11, 16 e 18, nos
Afogados.
Quarta-feira 20 do outubro do corrente, as
i I lloras.
Por inlervcneao do afronte Pinto, em scu escrip-
torio ra da Cruz n. ;8.
do sitio deuominadoQuatro Ledosna ra de
Joib Fornandcs Vieira n. i, com urna grande
casa, un andar o aotio com mallas accommo-
modaeoes. quartos fura, cocheira e estribara
cacimba com excellcnte agua, tanque para ba-
nho e terreno, fhaos proprios.
Quarta-feira 20 de outubro do 1869, s 11 boros
en ponto.
O agente Pinto far leilao, precedida a compe-
leute auturisacao, da casa cima indicada, cuja
venda se torna recominendadn, j por ser dita
casa edificada em ch.ios _proiiros, como por ser
perlo da cidide ; o leilao ser elfeetuado s 11
boras do da cima dito, em o escriptorio do refe-
drio agente. __________________
LEILlft
de um sitio no arcado do Giqui (prinieiro do la-
do direitu ao sabir da bomba, com i78 palmos de
frente e fundos al a beira do rio, com boa casa
de vivonda com a janellas de frente, e aceom-
modacSes para grande foniilia. quartos lora,
grande ostribaria. bem perto do embarque, 2
viveiros o multas fruteiras.
Quarta-feira 20 de outubro, s ll horas, por in:
tervencao do agente Pinto, em seu escriptorio
ra da Cruz n. 38.
LEIIAO
eyi**n
Xa importancia de 4:4J.S15
rls
Quarta-feira 3 de novembro de 1809.
O agente Pinto levar ;i leilao, s 11 boras do
oa cima dito, por autorisacao do liquidatnrio da
extincta tirma de Soulhal Meti & C. as di idas
na importancia de 40:4375150 rs., sendo........
3l:187310rs. de conformidade com o mandado
de penbora contra J. de Siqucira Ferro, e......
9:2i9840 rs. de conformidade com dous manda;
dos conlra A, Pinto de Lomos ; o leilao ser
elfeetuado no dia cima dito, no escriptorio do
referido agente, ra da Cruz n. 38.____________
LEILAO
DE
Fazendas diversas
A 2 do correute.
O agente Oliveira far leilao por ordeni de di-
versos, de grande variedade de fazendas inglczas
c francezas, inclusive cerca de 40 lotes de supe-
rior retroz sonido e de madapolGes, chitas e cas-
ias avariadas, por conta de quem pertencer :
Quarta-feira
20 do corrente. s 11 horas da manha, em seu
escriptorio ra da Cadeia n. 4, primero andar.
da nusia), I bcf4, diversas cadeiras avnlso,
dm., retogios do i-lma do mesa, calungas, c
aisim 1 nbereco de oiiro de le oom pcrulas e ru-
bina
Quinla-fcira 21 do corrente
0 agente Martin far leilio de movis o mai.i
objsctos acuna, por ordom de urna familia quo
mudon de domicilio, no armazem da ra do Impc
rador n. 16, as 11 horas do dia. ^________
LEIL40
DE
urna carrosa e um bol
' QUINTA-FEIRA 21 DO CRREME.
Pelo agento Martius, om frente do armazem d.*
ra do Imperador n. 16, ao meio-dia.
LEILAO
Para liquidapao
Do urna mobilia de mogno, 1 dita de faia, 1 dita de
seregeira, lavatorios, commodas, guarda vesti-
dos de mogno com espelhos, 1 secretaria e mu
tos outros movis, os quacs sero vendidos pa-
ra fechar contas por seren restos de uina fac-
tura.
Quinla-fcira 21 do crtente. .
No sobrado da ra do Imperador, por interven-
cao do agente Pinto Principiar as 10 horas.
LEILAO
DE
movis, loupa e vidros
A saber:
I piano forlc, harmnico, 1 mobilia de Jacaran-
da, castigaos c mangas, jarro o vazos para flores,
1 cania fianceza, 2 guarda vestidos, 2 guarda mil-
pas de amarello, 1 toife, 1 estante, 1 meza els-
tica, 2 aparadores de pu torneados, cadeiras de
jacaranl, 1 aparelho do porcelana para jantar,
louca para almoco, copos, garrafas e compoteiras
de vidro ; quadros, espelhos, figuras e muitos ou-
tros objectos.
Quinta-feira 21 do corrente
Por intervencao do agente Pinto no sobrado da
ra do Imperador n. 29.
Principiar as 10 horas.
LEILAO
DE
111 pecas de papel e 75 ditas de guar-
nido para forro de sala : no spbrado ta
ra d>> Imperador n. 29.
QINTA-FEIRA 21 DO COPRENTE.
Por intervencao do agente Pinta. Principiar as
10 horas.
dente da companhia at o dia 30 do corrente, e
entregues no sobredito escriptorio.
Recife 16 de outabro do 1869.
Joo Joaquim Aires,
Io secretario.
Companhia dos trilhos urbanos
do Recife 01 inda
Por ordem da directora sao convidados lodos os
seqhores accionistas para no dia 26 do crrente,
as 10 liaras da maullan, no sali do Club Pernam-
tiucano, se reunirem em assembla geral, segundo
estabeleco o artigo 13 dos estahitos da companhia.
Escriptorio da companhia lo de outubro de 1869
O 1 secretario,
Joo Joaquim Alvos.
AVISO
Trilhos urbanos d<>
Recife Oliuda.
A direeeao desta companhia contratar com quem
por menos lier, a conslruceno da ponte dos Ar-
rumbados, do madeiras do paiz, como se rfescreve
no oreameuto 'planta respectiva, a qual se aehn
no escriptorjo da ra Nova n. 33, entrada pela ra
das Flores n. 14, aonde pode ser os referidos or-
camenlo e planta examinados pelos concurrentes.
As propostas devem ser dirigidas ao superinten- e cozmhar pira casa u> lime solteiro : a tratar
na ra do Padre Florinno n. 7 fraudar.
Aluga-se metade 6a om segundo andar (om
dos todos) e solao proprh* para escriptorio ou do-
micilia de homem solteiro :' a fratar na Iraveasa
do Lirramento n. 28, taberna.
im*drattin8& nmsenmisff mmmmmmmm
Ifll
Quem <\fj\?.j iliig.ii o segundo andar de iobts-
foo n. 40sitorna da Cadeia do Recife, o qual
est perfeitamente pintado, forrado a papel e es-
teirado, tendo alem dhto gai, dirija-se ao escripto-
rio da companhia Pernamhneana, no Forte do
Mattoi n. 12, que afti achara com quem tratar.
Precisa-se alugar urna escrava para comprar
Precisa-se de um menino para segundo ca-
xeiro de nadara : na ra Dircita dos Afogados n.
GG A.
Na ra do Moiidego olaria n. 13, dase a ju-
ros de '00000a 1:0005000 sob boas firmas ou
hvpotheca ____
Miguel Felippo de ouza Lefio, seus lllhos e gen-
ro, agradecem cordialmenle a seus prenles c
amigos que se dignaram assistir aos ltimos suf-
fragios que se fizeram sa prezada e sempre
chorada mi, esposa e sogra ; o de novo convi-
dan) aos mesraos para assistrem a missa do sti-
mo da, que ter lugar na greja matriz da Boa-
vista, qunta-feira 21 do corrente, pelas 7 horas da
manha.
AVISOS DIVERSOS.
CLUB PERNAHBUCARO
No dia 23 do corrente mez lera lugar nos salces
do Club Pernambucano, generosamente offercei-
dos pelo digno eniprezario, um grande concert
vocal c instrumental a beneficio especial de prima
donna da companhia Lyrica-Italiaua a Sra. Ca
mentina Amaldi, pelo que, concorrero graciosa-
mente os mui bem conhecidos eximios artistas
Srs. Francolino, rebeqnista ; Marlins, clarinetista ;
Salustiano. flautista ; e os Srs. cantores Galassi e
Lombardelli.
A' vista das incontestaveis provas de sympalhia
e bom acolhimento que a mesma artista tem ad-
querido dos sempre generosos e Ilustrados habi-
tantes desta cidade, de esperar que grande nu-
mero de senhores sa dignem de aceitar os convi-
tes que Ibes forem dirigidos e assistir ao concert
alludido com suas Exmas. familias, continuando
assim a dispensar a sua continuada proteccao ; da
qual a beneficiada conservar indelevel e sincero
reconhecimento.
2:000$000
A casa da Fe vendou da toieria 236 meio W-
Ihcte n. 1234 com 2:000*000, alm de outras niui-
tas sortes..
Attenqao.
Precisa-^e do um escravo :
47, padaria.
na rna da Praia u.
1 casa terrea n. 11 sita na rua de Santa The-
resa na cidade de Olinda, com 91 palmos de tren-
te e 88 de fundo, com urna meia-agua pelo lado do
sul, tendo 71 palmos de frente e 23 de fundo, outra
no lado do norte cuai 91 palmos de frente e 23 de
fundo, e tendo um pombal no mesmo correr com
66 palmos, quintal grande e todo murado, e um
grande viveiro.
Quarta-feira 20 do corrente
as 10 horas
Por intervencao do agente Pinto em seu escrip-
torio a rua da Cruz n. 38.
A Sra. D. Hara Xavier Lessa de Oliveira
tem duas cartas em casa de Alfredo 4 C, rua da
Cadeia do Recife n. 33.
Carlos Antonio da Costa Carvalho deseja
fallar com o Sr. Jos Bahia da Costa Carvalho a
negocio de seu interesse sobre' urna heranca ; na
praca do Corpo Santo n- 6._________________
Precisa-se de urna ama para o servico d*
duas pessos: na rua Augusta n. 74.
Alfredo Prisco Barbosa e Francisco Allemao
Barbosa mandam dizer algomas missas na igreja
da Madre de Dos, lerca-feira 19, as 7 horas da
manhaa, por alma de sua prezadissima mai, e con-
vidara aos seus parentes e amigos para assistirem
a este acto, e desdo j proto-tam seu reconheci-
mento^siui^sejjlgnaremcoini^
Aos 20:000^000
CASA DA FELICIDADE
'i-i'racaiLt Iadcpendeucia-2^
Veras & Barbedo tem exposto a venda os
seus felizes bilhetus das loteras 297 e 298, das
quaes vc:n as listas da prniora pelo Cruzeiro do
Sul que esperado at o da 21 do correute, o a
outra pelo vapor franeez de 30 do mesmo.
Os mesmos cima renderam alm de outras
sortes a do 800J000 no n. 2604, e a de 100^000
em 3433 da 296J._________________________
Li$es de canto, msica e de-
senlio.
G. MAIUNANGEL!. Picando sem meios de sub-
sistencia pela horrvel catastrophe acontecida no
theatro de Santa Isabel, c nao querendo ser de
peso sociedade, propoe-se a dar lines de msi-
ca e desenho como j Gzera ha mas de vinte an-
uos em cinco collegios de ambos os sexos e em va-
rias casas particulares.
A generosa hospitahdade qu elle ha recebido de
todos, o a amisade que sempre lhe consagraran!
as pessoas mais estiinaves desta cidade, faz-lhc es-
Eerar que desta vez lambem lhe nao faltar tra-
alho, com que possa sustentar sua familia, c pelo
que invoca a coadjuvacao de quantos o conhecem
no sagrado empenho era que se ai;ha, no meio do
qual pora em aegao todas as suas forcas para con-
tinuar a mostrar-se digno da proteccao com que
sempre foi honrado.
As pessoas que so quzerem anroveitardo seu
desvelado presumo, podero acha-lo na rua do
Seve (Ilha dos Ratos) em ama das casas do Sr.
Tburcio, perto do quatro coqueros.
GIL'LIA BELTRAMINI MAR1NANGELI, dis-
cipula do conservatorio de Mllau, dc< i.iindo-oo
dexar* carreira lliealral c llxar a sua residencia
era Pernambuco, onde sempre recebeu tantas pro-
vas de estima e sympalhia, pelas quaes conserva-
r eterna gralido, deseja empregar o seu tempo
em dar licoes de msica e canto, tanto de aper-
feicoamento como de principios.
As pessoas que quizerem-se utilisarde seu pres-
umo poderao dirigir-sc a rua do Seve (Ilha per-
dos Ratos) em una das casas do Sr. Tiburcio,
to de quatro coqueiros.
O teslamenteiro do fallecido subdito franeez
Joo Vignes, convida aos deveJones do finado a
saldarem seus drbitos amga\cimente, do contrario
sero ajuizados sem excepeao algnma. _____
Na rua da> Jloeda n. 3, 2a andar, escriptorio
de Manoel Al ve Ferrcira & C, vndese vinho
verde superior em barris, anQorelas eom vinho do
Porto superior e mnlvazia branco. ^______
Preciso-se alugar um oft dous escravos, pa-
ga-t bom alnguel : quem t ver pode ir tratar
no [ateo do Tercon.61.
CASA DA FE.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : rua do Cabug n. 2,
vende Vieira & Rodrignos.________________
-U. Precisa-so de nnia para o servicu interno e
externo de urna casa de familia, prefenndb-sc
escrava : na rua larga do Rosario n. 16, por ci-
ma da piulara do Sr. Manoel Antonio de Jesm.
Engomma ieira.
Precisa-se de urna engommadeira : no segundo
andar do sobrado da rua ireila n. 82.
Aluga-se a casa terrea n. 66 da rua Velha,
na Boa-vista, com solfrivcl commodo, fresca e com
quintal plantado : na taberna da Primavera de
fronte da caixa d'agoa.
Ama
Precisa-se de tima boa engommadeira, paga-sc
bem : ni rua da Cadeia n. 3S, !' andar.
Precisase de um caixelro de 14 anuos que-
enha nlguma pratica do loja de fazendas para ir
para Mamanguape : a tratar na rna da Cadeia do
Recife n. 58._______________________
Para escriptorio
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da tra-
vessa do Corpo Sanio n. 23 : a tratar no armazeh
do mesmo.
Aos senhores relojoeiros e a qualquer pessoa a
quem for offerecido, roga-se a apprehenso de um
relogio de ouro patente inglez descoberto, mos-
trador tambera de ouro, n. 61 8, do fabricante Jo-
seph Penlington, de Liverpoil, com o neme do
dono John O'Connel Doyle, gravado dentro da
caixa, cujo relogio foi furtdo no domingo, 17 uo
correnl<% do sitio da Capunga n. 17, no porto do
Lasserre : quem 6 apprehender leve-o ao mesmo
sitio, ou rua do Coinraercio n. 48, armazem. que
ser recompensado. _________________^^_
Caixeiro
Trecisa-se de um caixeiro, preferndo-sc portu-
gnez, com 16 a 20 annos de idade, que tenha pra-
tica de fazendas e inolhados, para fra da cidade,
dando fiador de sua conducta : pode vir contratar
na rua do Crespo n, 1.
\1A
AVISO
DOS
movis, lou^-a, crystaes, o?>jcetos de ouro e urna
porcao de charutos, urna mobilia de Jacaranda,
umi dita de amarello, urna mesa elstica, um
guarda-IouQa, um guarda-vestidos, dous espelhos,
uraacama franceza com poucouso urna commoda
de amarello, dous sofaes de amarello, usados, dous
pares de cadeiras de bracos, 18 cadeiras ameri-
canas, usadas, 2 bancos "para jogo, 2 pares do
cousolos, usados, 1 apparelho do porcelana para
jantar, 3 pares de escarradeiras, 1 terno de ban-
dejas, 1 relogio com rodoms, 1 marquezo para
solteiro, 1 dito para casado, 1 par de cadeiras de
balanco, 1 lavatorio, 1 machina para costura, 1
nuUtt e seus pertences, 2 sofaes de Jacaranda, an-
^igos, 1 candefro do gazj 1 porcao de caixas de
charutos Anos, 24 carteiras para charutos (couro
O abaixo assignado previne a todas as
pessoas que teem obj-ctos de ouro eprata,
dados em junho om saa casa travessa das
Cruzes n. 2, que, si no prazo de tres das,
contar de hoje, nao vierem reformar
suas caulellas vencidas, pagando o respec-
tivo premio ou resgata-los, serSo por or-
dem da autoridade competente chamados,
nominalmente pelos jornaes desta cidade,
indicando-se suas moradias.
Recife 19 de outubro de 1869.
N. Danheisser.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
\ rua do Crespo n. 23 e casas do costme,
0 abaixo assignado, tendo vendido alm de ou
tras sortes, um inteiro n, 4472 com 4:000 da lo-
tera que se acabou de extrahir a beneficio Ja
Santa Casa de Misericordia (123'); convida ao*
possuidores virem receber, na conformidade do
costume sem descont algum
Acham-se a venda os bilhetes da 2* parte d i
lotera, beneficio da matriz de Nossa Senhora u
Penha de Gamellcira (1241), que se extrahr se-
gunda-felra 25 do corrente raez.
Precps.
Os do costume.
, Manoel Martins Finza.
Precisa-se e um trabalhador para todo y
servico de refinacao : na rua de Hortas n. 7.
Precisa-se de urna ama para todo servico do
urna seuhora : oa rua de S. Rom Jess das Criou-
las n. 8. _____________________________,
Precisa-se de urna ama para cozinhar e en-
gommar para casa de pouca familia : a tratar na
rua do Vigario n. 9, 3 andar.
Sabo de alcatrao
Para curar as molestia* dapclle
taes como empingens, darthros, sarnas, comichoes
e mais molestias de pelle, sem occasionar acciden-
tes ; desfaz as manchas do corpo, pannos, sardas,
restabelece a cor natural, quanto a cutis, secca,
grossa e araarellenta, occasion.mdo por alguma
enfermidade, e como desinfectante o preventivo
das molestias contagiosas.
NICO DEPOSITO
Botica do Pinto, rua larga do Rosario n. 10, junto
ao quartel de policia.___________
ATTENCAO
Precisa-se alugar urna escrava do idade para o
servico interno e externo em casa de pouca fami-
lia : a tratar na rua do Socego n. 12, ou nesta
typngraphia, as 4 horas da tarde.____________
__Aluga-se um grande armazem ladrilhado de
pedra e cal acabado estes dias, no largo da praca
semicircular do caes de Apollo : a tratar na rua
da Cadtia n. 42.
.111.1
Urna muiher de meia idade offerece-sc para
servico interno de casa de homem solteiro :
tratar na rua do Cotovello n. 8._______
comprou ao Sr. Jos
taberna sita rua Ioi-
Frederico Skhiner, tendo chegado do Rio Gran-
de do Norte, e sabendo da morte de 6eu muito
prezado amigo e mestre, Jos Antonio Alves Neiva,
roga a sua Exma. familia e aos membros da so-
ciedade dos Artistas Mchameos e Liberaos, e fi-
nalmente a todos os artistas que tiveram a felici-
dade de cultivar rolac5es, para assistirem urna
missa na igreja matriz da Boa:Vista, sabbado vin-
douro, pelas 6 horas da manha.
Jos da Silva Netto
Emigdio Ferreira Lima a
perial n. 216, a qual compra fez hvae e desemba-
racada de qualquer onus.__________________
Aluga-se o Io andar na rua da ImperatriJ
n. 22, e o da rua do Raogel n. 33 : a tratar no
pateo do Terco n. 18.
Precisa-se de urna ama para cozinhar para casa
de pouca familia : na rua dos Pescadores n. l.
Precisa-se de urna ama para casa de homem
solteiro, prefere-se ser do matto, que saiba con-
nhar e engommar, sendo moca, parda ou mulata:
dirija-se a rua da Aurora n. 56.__________
Precisa-se de um caixeiro pequeo, brasilei-
ro, para urna taberna : na rua Imperial n. 31.
Ama.
Precisa-se de urna ama para todo o servico de
urna s pessoa : na rna da Conceiqo n. 7.
AMA
Precisa-se de urna
n. 21, 3o andar.___
ama de leile : na rua Nova
SOFFR1MENTOS D'ESTOMAGO, CONSTIPAQAO.-
Cura em poucos dias pelo CARvio DE BELLOC em p ou em pasUUias.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Essas affeccoes do di-
sipadas rpidamente pelas PEROLAS UMfcIMH
ANEMIA, A PALLIDEZ c os mBmmtmfm nccesst.->m do
emprepo dos ferruginosos sao sempre combatidos com o mcUior rcsult?do
pelas PILUlAS DE VALLET. Cada Pilula tem incravado o nomelUII.
p DE ROG. Basta dissolver ura frasco d'cstep cm meio
garrafa d'ttgua para se obtfr urna limonada agradavel que purga sem t>-
ter clicas.
VINHO DE QUINIUM U Labarraque. Este vinho, um do
pousos cuja composicSo & garanda constante, urna das melhores pre-
paracoes de quinino, sem ac?So notavel sobre os convalacentes, dando-
Ibes forcas e apressando volta a saude. Cura ai febres antigs que re-
sisti ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parte desta moles-
tias como as sciaticasf lombagos, catarros, e todas as dores nervosas em
gcrol silo curadas pelas PEROLAS DE ESSEHCIA DE THEREI:iitiha do
Dr. Clertan. 0 profissor Trousseau em seu Tratado dt tteropauU* acoo-
selha as para screm tomadas na occasiio do jantar, na dg de 4 i 11
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.
Garantido puro e de primeira qualidade, um dos poucos aprondoi pela
Academia do medicina.
AVISO. Todos estes meilicamentos foram a-provados -pela Acodemi*.
imperial de mediana de Part.
Rio-Janeiro.
DEPOSITO
Cm Varia, I FREBE, I, ra Jaca
DcpoxcnELU ; HaMum i Pernambuco. ttem et O.
Trn **.....*"?-
IIsssk et C. t
Atten Precisa-se fallar ao estudanto do 2" nno .
Manoel Ribeiro Rarreto de Menezos, na taberna do efectivamente todas as qnalidades de vinhc
corsario, na Soledade, n. 41, a negocio que nao goreaux BourgOgne e do Rheno.
mora.
Em casa de THEODORO CIIRIST1-
ANSEN, rua da Cruz n. 18, encontram-se
INJECTION BROU
aai prneipaet kalieu >*. tKii|lr a mMmaa ) ( ^ IrtaMaJ tm, aaa
4a lataatar BBOD. baalmr HaitBU. ti.
- r
RUA
CABUG
esquina
da rna larga do
Rosario.
AO ANNEL DE OIJRO
HIJA
KO
WJSK9J* OK JOMAS* I mm
Este importante ertabelecimento no sen genero, tem sempre nm sortimento sem gnal, esquina
e vende por precos qne nenhuma outra casa pode vender. ; da rua largado]
A vista da qualidade e do pre Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata podras finas por presos muito ele-
vados, -n
1S A loja est, aborta at s 9 horas da^oute.fc. ____ J
iasasaHaHHHaHaHaHHHHHasasBS asas hh asasasssasasHSHsassHSasii
Rosario.
ac


1HB
WKM
i

biario de PtftUunhuc Ter<*a fcira 19 de Cfcrtubro de 1869
BORZEfillll DOMADO
Nova lega de calcado
JOAQUN DAS DOS SANTOS & C. acabam de abrir um estabelecimento de cal-
cado estrangeiro a ra Nova n. 30, onde o publico encontrar ludo o qne ueste ge-
nero de commercio ha de melhor e de mais gosto em Paria e Londres.
Por todos os vapores transatlnticos recbelo elles constantemente reraessas ae
aleado novo, pelo que ter sempre o eslabelecimento o que a respeito se pode exi-
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedem a cooperacao, que
Ibes possam dispensar, certos de que serao servidos com lealdade.
^fefer.v*
Mikroskope acbroma-
tisehen. Objetlv LitH^^JJ)
Barometre e term-
metro. Gentigrade
e reuumeure.
ICDLIS PERISCPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
F. *. crmaiiB. recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com esteo vidros, a vista descanca, fortifica-se e nlo a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escomido um vidro, pode durar dez annos, emqaanto
que, com os vidros ordinarios se est obrlgado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de ateca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do olbo, e,
todas as vezes que o objecto est maiartpcrto ou mais loage, os ratos que expelle s3o
mui convergentes ou mui divergentes 4 a viso nao perfeita. Um grande numero de
pesseas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a viso nao distincta.
Com a appiicaeao de mcus vidros pde-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
lore), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objeclos e deixa ver Ufo longe como as outras vistas. Quan-
o o'crystalino muito chato, o que sucoede aos que tem chegado a urna certa idade,
certos de que verao gravada a sinceridade e metlwdo'de negociar muito franco sem qua 0 qUe se chama presbyta, vem melhor de longe que de porto, e n5o enxergam seno
uecessitemos de andar meia norte pelos oiCoes das matrizes figurando-nos por bons om neVoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo,
demonios nem mesmo na fronte da msica com o pend3o na mao feito balisa.
FERREIRA & IRMAO.
Ra do Rangel n. 3, armazem da Indepen-
dencia.
Causa admiraco,
Mas nao se pode duvidar;
No armazem Independencia
E' onde se pode comprar.
FEIIEBA t IRHAO t ,
donos deste importante e magnifico armazem de seceos e molhad.os sito i ra do Rangel
n. 3, iulgando nao aceitarem concordata alguma com os seus coUegas resolveram der
nominar o seu armazem INDEPENDENCIA, assim como o seo 8 nao seja illudr-
ao respeitavel publico deixarao de annunciar, sem o que o mesmo o julgue e admire...
Mas como nos pontos da via. frrea, j se tem discuSdo e aprooiaoo a realeza e impos-
sibilidade a ver quem vende gneros tao barato, por esta mao que annunciamos para
que todos tanto da praca como do matto acreditem o que ueste asseveram e aquelles
qoe anda nao nos tenham honrado com suas freguezias, poderlo dirigir-seao mesmo
ANDRE DELSUC
CABELLE1KEHR0
7 A Rua do Cmpo1. andar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre neste eslabelecimento um variado e bonito sorti-
mento em perfumaras francezas e inglezas cuja lista damos aos leitores.
LUVAS Marca garantida de J0V1N.
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LUBIN & GOSNELL.
DITOS FINOS.em frasquinhos proprios para presentes Lubin & Gosnell.
POMMADASBanha fina de varios cheirosLubin.Gosnelle, Societ Hyginique
3AB0NETES.finos para toilette4-ubin Monpelas.
SAU DENTFRICA.agua para limpar dentesSociet Hygimque Lubin A- D.
-afierre.

BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabellosLubin.
AGUA DE COLON HA.Marca veriadeira de Joo Marina Farica.
COSMTICO,cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
HILE DE SENTEUROleo para oonservaco dos cabellos-Societ Hyginique
ESCOVAS FINAS.para cabellos, dentes e unhas.
BLAIREA.Pincel para barba.
GRANPOS.para cabellos.
REDES INVISiVElSpara cabeHos.l
GRAVATAS! LINDISSIMAS.do melhor gosto.|
BENGALAS.de phantasia, para passeio e de diversos lamanhoselc, etc., ele.
A la paflumerie^arisienne..
77A RA DO CRESPO 1. ANDAR 7 A.
f
mam
VS BOUBAS CURADAS
E
Todas as molestias sypliiliticas.
PELO
ELEXffi 00 DR. SEVIAL
to distinctamente como na idade da ,15 annos. Servindo-se destes vidros quando
vista principia cufraquecer, previne-se o mal.
F. *. CermaiB encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a primeira vista, seja qual for a iade egro de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa.
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremena
de fraqueza.
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
I lio e a le tura.
Para a vista presbyta (vislagalon ).
Para a vista que nao supporta os ralos
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras estilo cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olbo se cobra de catarata.
NAO FOI PRECISO AGUA BERTA
O demonio mudou-se por sua livre c expontanea voutade
YIVA O DA DE S. BARTHOLOMEU
Agora ntnguem presuma que fot um demonio qualquer, foi
O BOM DEMONIO
Mas nito sahio da Boa-Vista
CHEGOU-SE ATE PARA MIIS PERTO DA MATRIZ
Sea dominio est hoje asseniado, onde foi botica,
ESQUINA DA RA DJ ARAGAO If 32
TENHAM VEHLO
Como garboso se ostenta
Gomo lepido se mostra
E as diabruras quefazltt
Negra tranca no eolio lhe ondeia
Sulla briza ao mago desdem ;
Deita a fronte n'um peito e eonhece
< Quantas maguas o seio contm.
Esta linda e gentil creatura tambem
VE1DE
Queijos, manteiga e caf,
Vinho, cha e bolaxinhas,
Doces seecos e licores,
De Nantes boas sardinhas..
Tudo barato
Para agrada',
Venhara fregueres
Que nao de gostar,
N B. Brevemente ser annunciado o dia, cm que este importante armazem de mo-
lhados ter principio a ortica de certa d'.abrura.que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da ra do Queimado. Por ora venham os freguezes visitar o nosso ea-
tabelecimento, comprar os nossos superieres gener s por procos muito rasoaveis.
Soriimento
para theatro,
alcance para
rinha.
de binculos
e oculos de
o campo e ma-
Unico depurativo sem mercurio que tanta aceitaco tem mei eoido no Bra-
sil, as repblicas do sui o na Allemanha especialmente para cura das bonitas,
sarnas, rheumatismo, tod* as molestias syphiliticas e em geral todas aquellas
provm da empureza do sangue.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Barthelomeu A C.
34Rata Larga do Rosario34
Lunetas, pince-nez e
face--main, ourorprata,
tartaruga, bfalo, a(o,
etc., etc.
Tem tambem grande soriimento de relogios para parede, que do horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo ^elogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada cfoleada, inglezes, suissos e o'risontaes dos memores e mais afamados fabri-
rantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco,
N. 21=Rua ovaN. 21.
confitara dosmnazes
16 RA 01 CRUZ 16
Ha diariamente sertimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
calda, etc.
Incumbe-se de encommendas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
samentes, a saber:
Pecas de nougat. Paes-de-lot enfeitados.
Ditas de pio-de-lot Bollos idera.
Ditas de Uraara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crome e carne.
Bandeja com armaco de assucar. Empadas.
Manteiga ingleza flor a 1(5300 por 500
grammas.
Dita dita a 10200 idam.
Dita dita a 10000 dem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a 100 rs. idem.
Cha fino superior a 30500 idem.
Dito dito a 30200 idem.
Dito dito a 30000 idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf d caroro a 200, 210 e 280 rs.
idem.
Milho arpista a* 240 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a 400 rs. idem.
Vellas. estiarinas, masso 720.
Potes com sal refinado a 400.
Ervilbas franceza em manteiga, 900 rs.
a lata.
Fructas portuguezas em calda a 600 rs.
a lata.
Ditas s de pecf gos maiores a 500 rs. a
lata.
Tijolo para facas a 120 rs.
Chocolate espanhol a 10000 o masso.
Frascos com conserva a 900 rs.
Ditos dita de mustarda a 800 rs.
Latas com carne de porco a 800 rs.
Sardinhas de Nantes em manteiga a 800
rs. a lata.
Copos finos para agua, duzia 40800.
Garrafas finas para meza, o par 50000.
Cognac engarrafado a 800 rs.
Azeite francez engarrafado a 10000.
Presunto em barril a 480 rs. por 500
grammas.
Vinho bordeanx em caixa, 70000.
Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinhas de ."Gerentes mrreas. a
10400.
Fosphoros de seguranca, masso 500 n.
Banha de porco a 720 por 500 grammas
Vinho do reino, garrafa a 10000.
Charutos do Lima a 50 e 60 a caixa.
Sabo de massa a 240 rs. por 500 graafr
mas.
Latas comameixas a I >, 10500, 2080$
e 30500.
Ditas de manteiga a 20800.
Ditas juliana a 10 por 500 grammas.
Frascos com macas seccas a 20000.
Serveja de differentes marcas, duzia 60.
Tapioca doMaranhlo a 210 rs. por 506
grammas.
Farello em sacca com 21 kilos por 50.
Liguicas e paios a 800 rs. por 500 gram-
mas.
Gz, lata a 80500.
Dito em garrafa a 400 rs.
(Latas de peixe a 800 rs.
Bolaxinhas beato Antonio a 10200 a lata.
Latas de pSo-de-l a 900 rs.
Bter em garrafas a 800 rs.
Licores finos como coracol, amisade, e
outras muitas marcas a 10000 rs.
Eatrilinhas para sopa a 800 rs. por 500
grammas.
Marrasquino de zeroa 10 a garrafa.
Massa de tomate a 720 por 500 rain-
mas.
Os propietarios garantem tudo quanto cima est especificado, adverte a todos
que nSPconliecem o peso de 500 grammas, mais de urna libra, e se evplicar quelfe
que nao entendem.
0LIVEIR4 S: CARYALHO
SucGessores de Reg &Moura.
24 Ra Nova 24
Os proprietarios deste novo estabelecimento fazem scicnte ao publico, que
acabam de receber um perfeito e variado soriimento de pannos finos, casemiras, bn'ns e
outras muitas fazendas de gostos modernos, as quaes vendem por precos razoaveis.
sfnesmos scientilicam que tendo admittido para sua ofllcina de alfaite, um artista hbil
no desempenbo de suas funeces, recebem qualquer encommenda de roupa por medida
prometiendo satisfazerem, com pontualidade e presteza qualquer pedido neste sentido.

- COSTIJREIRA E MODISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de partee i par ao respeitavel publico e em particular seus fregue-
zes, que, pelas retacos que acaba de encelar com algumas costuraras e modistas das mais
afamadas de Pars, que todos os mezes lhe mandam figulinos, de vestidos, man-
teletes e chapeos que estao no maior costo e mais modernos, se acha habilita-
da para fazer vestidos para passeio e visitas, bailes e casamentas. As senhoras que
ahonrarem com sua freguezia, nlo deixarSo de ser satisfeias. tanto pelo bom gosto, como
pela barateza dos presos e promptidao na entrega das encommendas ; tambem tem bo-
tes enfeitesmuito modernos e de todasas cores. Fazem-se chapeos de todas as qualidades
tanto de fil como de palha.
HOTEL CENTRAL
EESTAURAOTA LA CARTE
DE
Francisco Garrido
Entrada geral ra larga do Rosario n. 37 e para familias ra
estreita do Rosario n. 4 A.
Este vasto e acreditado estabelecimento sem duvida o que offerece maiores
\antagens nos em precos mdicos como por so tornar o mais prximo possivel das
estacSo dos caminhos de ferro e ser beira mar do caes Viole e Dous de Novembro, que
tambem se presta ao embarque e desembarque dos passageiros que vem de outras pro-
vincias e da Europa, e que preferirem essa accommodacao menos despeodiosa nos trans-
portes da bagagem.
Os hospedes acharao todas commodi lade em grandes salas e asseiados quartos.
Ha sala para leitura de jornaes nacionaes e eslrangeiros; na mesma ha um
magnifico piano para recreio.
Ha urna outra sala para jantares particulares.
Come-se a mesa redonda a la caitee manda-se domicilios.
Os vinhos mais finos do mercado acham-se no estabelecimento.
A' nottohasmrete e refrescos, caf, cha e chocolate a toda a hora.
nificos, buhares de mogno para divertimento.
Falla-se hespinhol, francez, italiano e inglez.
>
Tem mag-
CARVO DE BELLOC
PARS
Approvado e raonnuBdado pela Academia imperial de medicina de Pariz para a
cura da gadralgia e em geral de tedas as doencas nervosas do estomaga e dos intestino.
egualmente remedio par excelkncia contra a retengo de ventre Finamente em
rasio de anas propiedades atorantes, reeommendado como terdadeiro remedio no
mu de diarrhea e cbolerina. ncit* 4 Beilse toma-M na occasiio das comidas
can de po oo de easlhas.
*b a fmhltm, DuponcMU; Cknotot. Em Pmuaavoa, Maurer i O.
A' ra do Crespo n. 20 A, esquina da ra das Cruzes.
i-* /'1a n AD8utod'A,meida C pariecipam ao respeitavel publico, e com es-
p.iciahdade s Exmas. Sras. que o seu amigo e acreditado estabelecimento ra do
Crespo n. 20 A, de paqueno que era, acaba de ser transwmado em urna bonita o vasta loja
do fazendas finas aonde pela sua locahdade e amplid5o, o publico nao s ter todas as con-
modidades pm fczer suas m..pras, eomo teba-to-hio desde i prvido de um variado e
eicolhido sortimento de fazendas finas e grossas, o que tudo se vende por oreos mon
di COI. t- a~- r
Est esubetecimento, apezar de estar i bastante conhecido, os seus proprieta-
H38 tem resolvi enwallo por LOJA DOS AfcfJOS, para evitar equvocos, torna-lo
por esta maaeira anda mais popular. Eocontra-se nesla loja
Rieoe erles de Mof a de seda branca para ooivas
Ditos de seda de cor e pretos.
Brochad de aaVla. fuada mteirameatanova.
Foulard dem idem idem.
L3as de muito gosto.
Crtesdeearabi-aiaeeoita Mara Antoinelte.
Saias bordadas, eaminbas, espartilhoe, hilUtot, basquinas, Gcbus, sombrinbas
lavas de pellica, chapeos etc.
Ha tamben i cOBstantemente um completa sortimoato de aturas da India para
fwTO de salas, mmtum rWtta, tapete, capacho e raurtos ootros arUgos, que aeria por
de mais mencionar.
O
?
ft
>
-



i
>
V
Diario de Pernambuco Terqa feira 19 de Outubro de'1869.
A ESMERALDA
L0J.I ll JOIAS
DE
&c.
Este antigo estab ele cimento, completa-
mente reformado de novo, est, as coridi-
coes de servir vantajosaraente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de le. assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, oujos presos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate
Y 5 RU4 DO CABl'GA X 5

'3. 'Wi 521

SAO BARATOS
Superiores corles de percalle com barra, para vestidos a 5.) cada corte,
Lindos cortes de gaze de seda com 18 a 20 covados. pelo baralissimo
i proco de 5 JOOO carta corte, na lojadas coltumnas, ra do Crespo n, 9, de An-
jj tonio Correa de Vasconcelos.
XA RO P E
VEGETAL AMERICANO
CSALIDADE
BARTHOLOMEO & C
l'ara cora cert ia iones antigs e recentes, eatarrhoi pulmonar, ultima; tosse convulsa, eaUrrkti
bronebijs, o em oral contra todos os sofTiimeotos das vas respiratorias.
DEPOSITO ERAL
TICA. 3B DROC
34, RA URG| DO R0ZAR10, 34
PERNAMBUCO
XA.
A iheroptutica das diversas molestias do peito, desdo
i [haryugile oa mal da garganta at a tuberculafao
I-jlmonar, passaudo pelas diversas broncbiles catarrbaes
o emphjseaia acaba da ser enriquecida com mais
tft iiiedicameuto, qne tomar a primeira ordem entra
lodos at boje conhecidos. O sirope Vegetal Americano,
prantipdo parameote vegetal, oao conlm em ana
(ompoMcao um s tomo de opio, e sim somente suc-
ios de plantas indgenas, cojas propriedades benficas
l cura da molestias qne pertencem aos orgaos de res-
(iracao foram por nOs observadas por longo tempo,
ora ptimos resultados cada vez mais crescentes; pelo
tue nos julgamos autorisados a compor o xarope que
i gora apresentamos, e i ofTerece lo aos mdicos e ao
publico, Proramos com os attestados abaixo o que lo
'amos dito, a contamos qne o conceilo do qne j gosa
o xarope Vegetal Americano crescera de dia a dia,
teixaudo meito apOs de si todo* oa peiloraee em voga.
Illm. Sr. Bartbalomeo A C,O xarope Vegetal Ame-
ricano, preparado em sna conceiluadissima pbarmacia,
* na otil remedio pan combater A terrirel astbma.
Sofra en aqoella molestia ba qnalro mezes, sem linda
ler combando oa ataques mensae* qne linba; este Dltimo
ue live foi fertissimo que me prostoa por 8 dias, nsei,
orm sea milagroso xarope, tomando apenas tres
Oses, e at o presente nio fui de novo atacado. Prisa
feo, que en 11 que restabeleeido por UM tea. Rendo-
Ihe, pois os mens agrdecimentos por me ler aliviado d
Uo horrivel mal. Com a mais significativa gratido,
subscrevo-me deVmcs. affeetnoso e reconhecido criado.
Severiao Duarte.Sm, Casi 14 de fevereiro de 1808.
Illms Srs Birtbolomeo A: C. Depois de qnasi seis
mezes de soffrimento com urna tosse incessante, fastio
extraordinario, expectoraco de nm catarrho aoiarelU-
do, e perda total das forcea, que o menor passeio
me fitigivi completamente, cansado de tomar mir.s ou-
trosremedios sem resollado tire a felicidide de saberqn*
Vmei. preparavam o xarope Vegetal Americano, e com
elle, gneis a Deas, me aclio restabeleeido ha mais d<
dois mezes, e robusto como se nada tivesse soflVido. A
graiidio me fore i esta declaradlo, qne poderlo Vmcs.
fazer o uso qne qaiterem. Son com estima de Vmcs.
mnitos respeitador e criado. Antonio Joaquim di
Catiro e Silct. Recito 8 de fevereiro de 1868.
Atiesto qne nsei do xarope Vegetal Americano, de
composieto dos Srs Bartholomeo C. para cura de nm
forte defluxo qne me tronxe urna muquidlo, que me oae
lazil edlender, inflammacSo e dor na garganta, tosse,
grande falta de respirado, e lionei completamente es-
tabeleeido com nm so vidro do mesmo xarope; pelo
qne Ibes protesto eterna gratido. Recife 10 de Ja-
neiro de 1868. UiXfuim Pcrtir Aralu+Junior. -
Esto reconhecido*.
Loja>para vender
Traspassase a chave e armaeo da loja da raa
ila Cadoia do Ueeife n. 9 : a tratar na meseta'
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRAFOSO.
A Companliia lndemnisadora, estabelecida
tiesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
r ja do Vigarion. 4, pavimento ter eo.


CAPELLAS
Vende-se
pura dia de finados (2 de novembro), na loja de
Antonio Augusto dos Santos Porto, na praca da
Ir dependencia, nico deposito nesta cidade, ricas
empellas para se colloearem as catacumbas e t-
mulos, no cemiterio publico e as igrejas, com
a:t inscripces segnintes :
Mea pai.
Minlia mi.
Meu esposo.
Mrahs esoosa.
Mea filho.
Minba lilha
Meu amigo.
Saudade.
_____Urna lagrima._____________________
ATTENCAO
Precisa-se alujar nina pequea casa ou
o andar de algum sobrado, para um rapaz
sclteiro, as duasfreguezia, Recife ou San-
to Antonio : quem tiver dirija-se a esta ty-
pographia. _____
t?'t*r3 m
Armado de tumulosfe cata-
cunibiis.
Na ra do Imperador n. 9, coxeira de
carros fnebres, ha urna pessoa que se en-
carrega de armar, e dar os necessaiios
arranjos para o dia 2 de novembro, dia de
finados, armando catacumbas e jazigos,
tdd' por preco commodo.
O baeharel Jorge DornellasRibeiroPes- |
ES soa pode ser procurado na ra do Impe- jg|
| rador n. 45 segundo andar, para ondo 5
8 mudou a sua residencia e o scu escripto- |
SS rio de advocada.
mmwsm mm mmm mmmm
AMA
Na ra do Queimado a 3t, loja, precisase de
nina ama para cozinbar.____________________
Festa.
Arrenda-se ou vende-se o pequeo rccreiozinho
do propriedade do abaixo assignado com alguns
Cimmodos para' pequea familia,. Para venda
acha-se livre e desembarazado de dividas, est
situado nctugar denominado Chacn, um dos mai<
aitenos para o passamento das testas, contendo a
pjquena distancia o rio Capibaribe, assim como a
respectiva estacao para se tomar o tretn : trata-se
n i casa de banhos do Recife.
Catulino G. tessa.
Fragata Amazonas.
Tendo de se confiar a um procurador a cobran-
c: do algumas dividas mais antigs desta casa, do
lempo da extincta firma Marques, Silva \ C, e
algumas ainda anteriores a esta, e hoje pertencen-
tes aos abaixo assignados, roga-se aos senhores
devedores mais atrasados o especial favor de vir
paga-las quanto antes, para se evitar maiores des-
pozas cora cintas, que s serio feitas em prejnizo
d)s mesraos devedores.
Teixeira, Marques 4 C.
- Aluga-se urna grande casa e sitio, tendo
e.icimlia com muito boa agua de beber, perto da
P ivoacao da Varze e do rio Capibaribe, o outra
dita pequea junto a mesma-: a fallar na ra de
I-tortas n. 2 primeiro andar.
AMA
1
Precisa-se de urna ama "para casa de ponca fa-
milia para comprar e cozinbar na ra da Paz n.
2, taberna.
Alugam-se
das casas terreas sitas no Manguinho, a margem
d) rio, recommendaveis pela va frrea : a trataj
na ra do Vigario n. 31.

0 MUSEO DE JOIAS
zn
C/2
GOMES DE MATTOS IRIRftQS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialiiade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da non.te na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante, i
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubina e tudo que em obras
de oure, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBIHS
de novos gostos, assim eomo grande variedade de salvas e paliteiros de!
prata contrastada e de gosto anda nao risto, e completo sortimento de]
objectos de prata para uso das igrejas,
Compraai e trocam qualquer joia ou pedra ]>reciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
1) MUSEO DE JOIAS
mmm
ASSIGNA-SE NA LINARIA FRANCEZA
i unsr.1. jiiiMi
Pablicatla na cort pelo Dr.
Jos da Silva Costa.
! semestre (ineiro a junho) e 18C9. -
Ks. 700:(.
RA 1)0 CHKSPO-9.
Amas
PreeiM>se deduas amas, urna para lavar e en-
gommar, o. ontra para cozinliar e comprar para
casa-de pouca familia, pruibre-sc oscravas : a
iraitf na ra do Imperador n 17, 2o andar.
Aluga-sc
para banhos do mar, urna e*M junto a igreja de
S. Pedro; a tralar na coebeira de carros tune-
bre, ta-rua do Imperador.
I
EMPRESTIMO SOBRE?
(SEM LlMfTE.)
Na Iravessa da raa
das Cruzcs n, 2, pri-
meiro andar, da-sc quai-
prata c pedras preciosas.
0 dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condicSes de ga-
rantir a transaeco qne se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e considerarlo s" pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
betecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
Ainda esta vago o lugar de feltor do sitio
Sapucaia, as vaniagens sao lOOOOO por anno,
cama e mesa ; mas s se aceita pessoas habilita-
das e de conJucla abonada : a fallar na alfandega
com o Sr. Caldas Brrelo.
IS Aluga-se urna loja piopna para negocio : a
tratar no sobrado n. o no largo da ribeira da fie-
de guezia S. Jos.
t-ii
EW
CONSULTORIO MEDICO CIRURGICO
Malaqnms Antonio Goajalves, doulor
em medicina pela faculdade do Rio de
Janeiro, tcm seu consultorio medico ci-
rttrgico, na ra da Cruz n. 26, 1" andar.
Consullas das 10 a 1 hora.
Chamadespor escripto.
Precisa-se di um creado para todo servico
de hotel, paga-se bem, prefere-se escravo : a tra-
tar na ra estreila do Resano n. li, hotel Lisbo-
nense.
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
nheiro sobro penhores de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual for a quantia ; o oa mesma
casa se compra e vende objectos de ouro e prata,
e igualmente se faz toda e qtialquer obra de en-
conunenda, e todo e qualqucr coacerto tendente
mesma arte.
COZ1.NHEIHA.
Precisa-se alagar tima osera va que seja boa co-
zinheira : na na do Crespo n. 2.').
Precisa-so de urna ama que saiba cozinhar e
engommar: na roa di Praia n. 53, 3o andar.
O escravo preto, de nome Jos, idade ais de
30 annos, alto, seeco, cara rasgse, ps e roaos
grossos, bem fallante, se acba fgido desdo o dia
H do corrente mez, do sitio da Sapu.Mia, cm Be-
lierilx!, coslama era suas cursos ir para a ma-
tanza, ribeira, etc., servir de carroceiro ou ganhar
as ras da cidado do Recife : recommcna- so s
autoridades competentes e capifaes de campo a
sua captura, mediante a respectiva Memnisacio
do trabalho.
Aluga-so urna ama para coziuhar : i tratar
na ra da focimba n. 1,3" andar.
Aluga-se
o 2* andar c sotao do sobrado da ra da Cadeia
do Recife n. 00, com bastantes commodos e multo
fresco : a tratar no armazcm da esposicao de
Londres.
COMPRAS.
Lora inuito Riaior vantagem comprani-se
moedas de ouro e praa : na loja de joias do Co-
raciode Ouro n. 2 D, ra do Cabng.
0 muzeo de joias
Na raa do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que em outra qualquer parte.
Compram se moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata em obras inutilisadas,
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
ourrves do arco da Conoeicao, no Recife.
El
mcBAYm
Compram^se e vendem se diariamente para fra
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios: no
terceiro andar di) sobrado n. 30, ra das Cruzas,
(reguezia de Santo Antonio.
Compram-se ou trocam-se ouas casas pe-
quenas : no largo de S. Goncalo, lado de trra.
V'NDAS.
~~~
VEWDE-iE
urna vacca de leite por preco commodo : na ra
da Cruz n. 13.
Cabriolet.
Vende-se um excellente cabriolet inglez para
quatro pessoas (dogeart) com todos os pertences,
tudo em bom estado e por preco commodo : a tra-
tar na coebeira do Balthazar, na roa da Gota n. 1,
onde pode ser examinado.
-Vende-se o deposito de charutos da ra es-
treita do Rosario n. 16 : a tratar na raa de Hortas
numero 1.
tten$to.
Vnde-se um terreno na roa 4o Principe junto
a cala n. 10, com 80 palmos de frente e 150 de
fundo a tratar na- ra Direi) 95.
"CEBLAS
ft 11000 oonto
Maito nova: na ra da Madre de Dos nu-
Vende-M a UlMraa Fior da Palnwira : na
ra da Palma n. 37.
Est A yenda
a rita das Cateadas n. 4, urna aasmva oriouta e
m fiilM da awaa, 4a idade de 13 a U amo?,
jwqa,imMtente pa pagua, aaabaa aam wciaa.
Vende-se asa cana da sadr e aaL ehan*
E'oprios e desembarazados, no neceo 4a raa, du
rogados n. 10, e vetw-ae multo barato proro-
atente de madanca i Meta pretender dirija-se i
ruada Vrra^aHwnS.Ndfa, W, achara
dan quem tratar.
aanoi, todas com habilidades, um oom.paai d*
r- Saos> Uiabetn wuim: na raa *---------
n. W.
A VERDADE
55Ruado Queimado55
A VERDADE tindo em deposito graade
quanlidade deiniudozase perfumaras, e de-
sejamlo apurar .li.-.lieiro e adquerir boa fre-
t-'UL-zia est iss,)!\ida a vender muitissimo
barato, ; por essa i azao convida ao respei-
ia\rl pitlilico a vir competentemente muni-
do a soi tii -se do bom e barato. Pois quan
do .1 Verdade apparece, tudo mais des-
apparfece
Grande sortimento de bonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Ricos globos para candieiro de gaza 1,5800
Chamins a....... Q2C
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino 100
Garrafa com tinta a. 800
Dita com agua florida verdadeira a 4^500
Dita com dita dita a if$0 0
Frasco comoleo de babosa a 500 e 720
Dito com agua de Colonia a 300 e 500
Garrafa com agua divina a. l->."iO('
Frasco com extractos finos a 10000
Latas pequeas com banha muito
fina a 121 e...... 200
Sabonetes de diversas quali iades a
80, ICO, 210o...... 32v
Finas escovas para dentcs de 120 a 600
Lindos coques modernos a. 20500
Pavios para gaz, dazia a 240 e 320
Escovas |iara fado a 500, 600 e 700
Ditas para cabello a..... 500
Pentes para tirar piolho a ICO e. 240
Brincos de cores, bonitos a 160 e 200
Pecas de tranca de 13a com 8
varas por....... 80
Oleo para machina de costura,
frasco a. .'...... 600
Pennas d'aco finas caixas a 800 e 10000
Dita d'afo Perry, caixa a. 10400
Galao de algodo peca .... 400
Lindos babadinltos e entremeios
peca de 500 a......105QO
Botocs de madreperola, groza a 600
Ditos de louca muito fino a 120 e 200
Ditos para calca a IfiO e. 240
Caixa com papel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 480
Ditas com obreias a..... 40
Caixa com agulhas fundo dourado 280
Ditas de ditas ditas a..... 160
Thesoura para costura a 240e 500
Caixa com linha de marca a 280
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........ 500
Carreteis de linha Alcxandre de 70
at 200. ....... 100
Grampos muito Irnos com passa-
ros, dazia a...... 2 Cartas portuguezas, duzia a 1^400
Ditas francezas a 20200 e 30000
Papel almaco e de peso, resma a
30400, 30500 e .
ulia muito fina para bordar, libra 607OC
Fita de algodao para debrum de
sapatos, peca a..... 160
Ditas de 15a para debrum de ves-
tido, peca a...... 480
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... 320
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e...... 50<'
Caivetes grandes com molla a 3u
Ditos para aparar penna a 100
Cartoes com colxetes a 40
Rosetas pretas, par a 100
Tranca de la d-caracol peca a 40 c 100
Fita de coz. peca a 480 e 560
Alfinetes de latao a..... 100
Sapatos de lita para menino a 240e 800
Ligas pao senhora, par a. 160
Grvala de sedas de cores a 200
Calcadeiras a....... 80
Grande sortimento de rendas das Ilhas.
Um par de suspensorio de borracha por
100 res!!!!!!!
Xa Verdade ra do Queiniado
_______________li. &&.____________
Colleccio
o
de varios regulamentos de impostos alte-
rados e creados
pela lei n. 1507 de 26 de setembro de
1867, comprehendendo
os de pessoal, escravos, industrias e proissoes,
sello (organisado alphabeticamente, explicando
cada acto a que sello est sujeito se se deve om-
pregar estampilla ou verba, no j>rhneiro caso
quera deve iuutilisa-la), tr.insiiiisfao de proprie-
dade, dizima de chancellara, emolumentos, umi-
tas applieadas fazenda publica etc. ele, e em
appendice o do cobo de depsitos
pblicos
notadas com as
intiiuit;oes e decisoes posteriores
at a prosente publica cao
por
Francisco Augusto de Almeida
i escriplurario
da
recebedoria de Pernambuco :
acha-se no prelo c breve a ser publicado ; as-
signa-se na ra estreita do Rosario n. 12, por :
o volume ; depois de publicado custar 4 para
quem nao assignar. lomase de grande muida-
de aos Srs. advogados, solicitadores, negociantes
e funecioaarios pblicos, a acquUicao deste tra-
balho.
AMuear de oxido de ferro de
Chanteand.
O assucar ferruginoso de Chanteand obtido
pela associaeSo do exido de ferro tntnramenle so-
luvel com o assucar cuidadosamente purificado.
Este assucar, de urna bella apparencia crystalina,
tem o simples gosto raut agradavol do assucar,
sera o menor sabor adstrngente: nao tem accao
irritante sobre a mucosa de estomago e entestin'os,
e rpidamente absorvido pelo apparelbo digesti-
vo sem cansar as eonsripacflfs do venlre.
E' boje o preparado de Trro de mais aceitacao
para a chlorose atonia dos orgaos, perdas brancas,
menstruaedes difflceis, etc., e tem'a sea favor o
juizo autorisado da escola de medicina de Paris,
e dos cbimicos os mais notareis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartholomeu & C, ra larga do
osario n. 34.
RITA DA C-IiORIA M. &
Olaria do Fundao.
Ha sempre nesta olaria grande sortimento de
materiaes, cerno tijolos de alvenaria batida, ladri-
Iho, quadrado de 8, 9 e mais pollegadas, telhas e
telhoes, jolos de tapamentos. O pronrietario des-
ta olaria garante a bondade e barro de taes mate-
riaes, como tambem vende-se mais barato do que
em entra qaalqeer parte
Vende-se a. armacao da loja da rna da lm-
peratriz n. 13 A, propria para quakjuer genero de
negocio : a tratar no Vapor das mvidades, raa
da Imperalriz n. 36.
IiOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. ?
Os propnetarios (leste bem conbecido esta)
cimento, aJm dos mnitos objectos qne tinbam ex-
postos a apreciacao do respeitavcl publim, m
daram vir e acabam do receber r>.lo ultimo vai*,r
da Europa un completo e vanado soimenti
finas e mui delicadas nprntolidadni. as oaao* es-
la resolvidos a vender, como de sen eoMnva,
por precos muito baratinbos e commodos para io-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bi.p-
cas e de mui lindas ces.
Mui boas e bonitas gollinbas e punhos para -
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para MfM,
Lindos e riquissiiuos enfeites para caberas da*
Exilias, senhoras.
Superiores trancas pretas e de cures rom vidr:-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode ba*er
de mclhor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de madrepa
marfim, sndalo e osso, sendo aquellos brancm
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias lio de Ksrossii para -
nhoras, as quaes sempre se venderaiu por aOjflrC)
a duzia, entretanto que nos a? vendemos por O/.
alm destas, temos tambetn grande sortiuii'iit
outras qualidades, entre as quaes algumas mu
finas.
Boas bengalas de superior caima da Indi
castao de marfim cum lindas c encantadora 'i-." -
raa do mesmo, neste genero o uue de mull o -
pode desejar ; alcm distas temos tambetn granr?H
quan!d?dc de oatraaqualidades, rumo sejam. tu.
deira, baleia, osso, berraeba, ate. ete. etc.
Finos, bonitos e airosos enjeotinhos de ttdel
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e bortac
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para nm. -
as de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para f.
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao g'.
rantidas pelo fabricante, e nos por Doasa vez taii!-
bem assegurames sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para croxn.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltrete, a:
como os tontos para o mesmo m.
Grande e variado sortimetUo das raelhores p< r
fumarias e dos raelhores o mais conhecidos per
fumistas.
COLARES I)F. ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes. c
facilitara a dentculo das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigioso;
collares, e continuamos a recebe-los por lodos o,
vapores, allm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pea podaran aque'-
les que delles precisarem, vir ao deposito do galio
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para qne sao applicados, se venderlo com um ni o:
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dDscbjeclos que debemos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito nzoaveis loja do galii
vigilante, ra do Crespo n. 7.
o \m m mmu
Nova loja de mudezar
Henos ao % do |ue cm ocira
qualquer parte
Henriquc de Si Leito parteripa ao respeta ,:
publico, com esperialidade ao sexo atnavel, que
tem aborto ra da Imporatrii B. -10 na graudt
e importante estabelecinienlo do mitidezas coin
titulo deVAPOR DAS NOVIDADES-onde a pu-
blico em geral encontrar conslant-monte um
Completo sortimento de ludo quanto lia de mais
moderno c de mais gosto nos principaes pai-
zes da Europa, lendo para este fim um vapor es-
pecial com o titulo cima indicado.
O proprictario adiando muito enfadando, un ar-
tes por assim dizer quasi que impossivel mencio-
nar pelos seus nomes e precos os ol'ji clos de gosh
existentes em seu eslalioleoimontu. |torbsocon-
lenta-se apenas em mencionar aquellos ino julg;
mais recommendaveis nao s pela sua belleza >
elegancia como tambera pelos precos qee sao ven-
didos, deixando os outres que estao expostos em
seu estabelecimento para serem admirados pehM
proprios compradores.
Vejam o que Bom :
Lindissimas camisinhas bordadas e enfeiUdaB
com lindos e elegantes enfeites, proprios para as
senhoras de bom tom ; vende-se por precos mnitos
commodos.
Lindos coques a imitacao de cahclios qne offl
outra qualquer parte vendem por 3;3oOO, vende c
por 2J0OO.
Guepur branco c preto com lindos e delicados
padrees, a 1500, 00, 25'0O, 300 e i*0<)t>
o metro.
Lcques de alta novidade em Paris, sendo de osse,
osso e seda, sndalo e seda s, e outros salpicada
de lantijuilas, ditos de madreperola o seda o mar
elegante e moderno possivel, ditos de madoira,
sendo lisos, arrendados, e outros guarnecidas eom
ricas palmas; ditos brancos com llores donradas,
ditos de osso e seda, ditos brancos c proprios para
noivas; tudo por ureqos to diminutos que s o
freguez vendo a qualidade e elegancia poder dar
crdito.
Verdadeiras meias fio da Escossia para senho-
ras, sendo lisas, bordadas e arrendadas, o tnelboi
que possivel haver para sapatinhos razos; po;
precos commodos. %
Ditas cruas tambem para senhoras, fazon.l,
muito fina.
Ditas fio da Escossia com listas de cores, pm:.
homehs.
Verdadeiras meias inglezas para homens, (testa
da muito fina ; a 8.5 u 10* a duzia.
Ricas chapelinas para senhoras, chegadas recen-
teniente e guarnecidas de ricos c elegantes enfei-
tes de setim e flores linissimas.
Lindos Uncos de cambraia de linho, bordados;.
agnlha ; pelo baratissimo preco de 14500 o *00G.
Ditos de cambraia tambera bordados a 800 rs
Lindos cachos de flores francezas o mais moder-
no possivel e de melhor gosto, sendo : ros^s, bo-
tes soltos e botoes em cachos de lindas core,
pelo baratissimo preco de 15500 o cacho.
Fitas largas propras para cintos da ultima
moda, de muito lindas cotos e por precos muito-
baratos.
Completo sortimento de neos u elegantes enfei-
tes de seda o otis moderno possivel como sejam
Escossezes e de ontras qualidades, estao constan-
temente a venda ra da Iraperatriz n. 36, onde
as Exmas. senhoras poderao escolher a vootade
ou mandarem buscar as amostras, sendo tudo o
mais barato possivel.
Lindas boneqrinbas de louca pelo baratissimo
prec.o de 140.
Grande sortimento de escolhidas laas propriaf
para bordados, a 74 a libra.
Latas com superior banha franceze a ICO.
Fitas de velludo pretas a 1 a peca.
Collinnas bordadas a agulha a 240.
Agulhas para crochet a 160.
Lindos botos de setim para enfeites de vestidos
de toda at cores, a 400 rs. a duzia.
Grande quanlidade de inisstmos calungas que
se vendem com grande abatimento.
Alm dos objectos cima indicados exisiem mul-
los outros que sd a pmeoca dos freguetes pode-
rao avalar a difltransa dos precos e da qualidade
que faz dos de entra qualquer parte.
O proprietario convida fl todas as pessoas em
geral a visitaren) o sen estabelecimenKi o qual se
aeha aberto desde as 6 toras da manhaa at as 9
da noite, eerlo de qne as ditas pessoas encontra-
rao no proprietario e as mais pessoas do estabe-
lecimento o maior agrado e sinceridade cm todoe
qualquer negocia.
Loja do Vapor das SovitMes
Ra da Imperatrlz n. 3tt
Resta renda um escolhido sortimealo de oa-
lectos de maicineria, como seianx mobilias de ja-
jaxand, mogno eamarello, obra nacional e estran
tan, d aorado gosto e por preso* razoaveis:
U raa ettVeifa do Rosario n. 32. Nesta meara
^a faieajhte com perfeicae todo es trabamos d
daBartat jalhmha, corpo sejam, empalharaentot de lastros
para camas, cadeiras e *opn*s.
Novo systema de pesos
e medidas.
l.\PJ u avo AO PO t o
Preco
A venda no "*"
tria n. 1]
potador^
siento ;'
ra do


de Peiiianibuco Ter^a feira 19 Je Outubio de 869.
0 prdprietario do armazem do fazendas denominado ARARA, ra da Impera-
triz n. 7i, declara ao respeitavel publico o seas ivguezes. que esta liquidando odas as
fazendas e ronpas feitas qqe lem'em seu estabelecimento como se poder ver no son
annuncio e preco ahaixo mencionados,
%3-oilo entestado aOOOrs.
Vcnde-se algodifo enfeslado proprio pira
Vcnde-se chitas francezas escuras matiza- ienc,)es c tonllias, 900 rs. o metro, dito
dasaltO rs. o covado por este preco sna trai);;!do a 1\ melro.
Chitas francezas matizadas a
320 i'S.
toja da Arara, ru.i da lmperatriz n. 72.
LAZINHAS A 240 RS.
Ventlc-se I5azinhas para vestidos de se-
nhora a 2i0, 280, 30 e 400 rs. o co-
vado.
RAREGKS DE L.U A 500 RS.
Vende-se bureges de lia com I istias para
vestidos de senhora a 593 e 6*0 rs. o
covado.
Alpacas de listras a 5 rs.
Vende-so alpacas do listras per* vesti-
dos do senhora a 5'),") rs. o covado.
CHITAS FRVNCEZAS A 289 RS.
Vende-se chitas francezas claras a 280 rs.
o covado.
CORTES DE LA PAR VVESTIDOS A
2*400.
Vndese cortesd lita para vestidos de
senhoras a 2-Vi00 cada iim,
PERCALES A'4M US. O ('.OVADO.
Vende-se percales muito linos para ves-
tidos de senhora a 440 rs. o covado, mur-
.iinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
brilhanlinas do cores, a 440 rs. o covado.
Baldes modernos de todas as
cores.
Vcndc-S'b.iles moderno sbranco e de co-
res a 4i9l. 450O e 55.
COBERTORES DE ADGODAO A 1??500.
Vende-se cobertores de algodao a 1#500,
eobertas de chitas a UfiOO e 2 cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 320RS.
Vende-ss ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de hamcm e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para calca c palitots a 2-J500 e 3?>,
o covad),indias casemiras entestadas para
calcase palitots a | o covado, brim pardo
de todas as qnalidades e brim branco de
todas as qnalidades na ra da lmperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 64 rs.
Vndese alpaca? de cores lizas finas a
640 rs. o covado, tarlatanas de cores a 3O
rs. o metro.
MADAPOLO ENFESTADO A 3*500.
Vende-so pecas de madapolo enfeslado
a 35500, pecas de madapolo inglez de 24
jardas a 5, 60tOO, ~:% 80 e 10-$ a poca.
Chales de merino 2.$.
Vcndo-se chales de merino estampados
a 2*, chales brancos o de cores a 1501)0
cada uin.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALgA
A 640 RS.
Veiidc-se urna grande porc5o de cor;es
de brim castor para calca de homem, C40
rs. cada um.
Grande porcao de retalhos
Vende-se grande porcao de ndallios do
chitas c cnssas pretas a 160 e 00 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, la e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDA A ROUPA FEITA
Vende-se pntots de brim de cores a 2$,
ditos de alpacas do cores a 2$, di os de
meia casemira a 2> e 2.5'J00. ditos de pan-
no preto bom a 8> o 10$. calcas do aljo-
do azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodao de listras a 800 e 15, camisas de
riscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tes de brim o fuslo de cores a 15 c 155'X),
coleles de cesemira do cores a 25500 e 35,
e outras mudas qnalidades de roupas feitas
que se vende por baralissimo preco.
Algodao de listras a 800 rs.
o corado
Vende-se algodao de listras para roupa
de escravos a 00 rs. o covado.
PECA DE ALGOaO A 45-
Vendem'-se pecas de algodao 45030,
55200, 6-)O0Ue75, para liquidar.
Ilales de arcos a A.S500.
Vende-se bales de arcos para senhoras
pelo baratsimo proco do 15500 cada um,
Corles de cambra la barras
a :s00.
Vende-se corles de camhraias barrsa a
25 e 35 rada um.
LENCOS DE SEDA A G40 RS.
Vende-so lencos do seda a 640 rs. cida
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 15-
Vende-se carteiras para viagem 15
cada urna.
AS MAS
11--EUA DO QUETMADO--11
Chegaram da Europa pelo ultimo vapor loja do Augusto Porto A G. ricos
cortes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
mentos.
Grande variedade de sedas de listras de diversos preros todas de lindascres,
gorguro de seda preta, e grosdenaple de varias qualidades e gorgurio de seda la de
dulcientes cores.
Novos vestidos brancos de blod para noivas, lindas colxas d,e seda para camas,
ditas do 15a c seda, cortinados bordados para camas c janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de linho bordadas..
Luvas novas do Jouvin.eelegantes sombrinhas de solas de cor para senhoras.
Espartilhos de 5)5 at 105, lindos boornoiis de cachemira do cor para sahida
de baile, basqninos de renda prela, e ditos do croch branco e prelo para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens. e mininos.
Soitimento de muitas fazendas de la, linho e algodao todas por precos muito
mdico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapates o de alcatifa para
forrar sales. ludo em quantidade; e vendem sempre^por menos que em outra qualqper
parto.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
Assim como vcnde-se chitas para cobert'S, a 240. 280 e 320 rs. o covado,
ellas antes que se acabem todas mais fazendas c roupas feitas, o que polo preco que
vai vender ou liquidar, poucos das poder durar, e quem s quizar sortir de fazendas
e roupas. feitas para a festa pelo preco que lhe agradar, se poder dirigir a ra da
lmperatriz armazem da ARARA,,que estar aborto todos os dias uteis, das 6 horas da
manhaa, s 9 horas da noite.
72. Ra da lmperatriz. 72.
CACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descansar algod5o, do
muito conhecido fabricante Eagle Colln Gin.
MACHINAS ditas, tambera do serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
godao do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas do todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodao.
MACHINAS de faco do fabricante Plalt R. A C, Obdlian PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidado e as melhores que tm
rindo ao mercado ; e para a sua apreciarlo convdam-se os senhores agricultores Z
rirem a exposico das mesmas na ra da Cada do Recifo n. 56 A, loja do Bastos, onde
mcontraro mais o seguinte:
Grande e completo sortimento Je machinas para
descarocar algodao de nova inven raochegadas l-
timamente em dircitura para a luja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C, na na Direita n.
53. Garanle-se que a mclhor qualidode que at
o presente tem vindo ao mercado : achara-se em
exposirao aos compradores as de 10,12, 14,16,
18 e 20 ierra \
Systeina decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
grammos de melhor comprehensao dos qno tem
vindo at o presente, assim como marcos de latao
at meio grammo pelo mesmo systema, balanzas
de latao de forra de 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira e de'latao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de mijjdezas q ferragens do
odas as qualidades, ludo por precos que l a vista
faz crdito : na rna ireila n. 53, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C.
Sellis baratos,
N. 27."liliA 1)0 L1VRAMENT0 N. 27.
Nesle estahlecimenm \cnde-se scllins^e
sillines, de todos as qual dadas do melhor
qne se pode fabricar no para, assim como os
mais arreios pertcncentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, travireiros, caiw-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprielario deste esta-
belecimento garante a ponlnalidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; porlanto pede ao
respeitavel publico sua prolecyjio, que afilan-
Ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra qualqaer
parte.
COGNAC.
Do superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch & C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consammo do
Reino da Inglaterra.
Vendc-se em casa
commercio n. 32.
de Th. Just. ra do
Oebulhadores para milho.
Cylindros para padarias.
Vrados americanos.
Carrinhos de mao.
Machinas para cortar sapim.
Oannos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de.ferro galvanisadas.
?olhas de zinco finas.
Oitas de cobre o lato.
?erro de todas as qualidades.
Vrcos de ferro.
?olha de Flandrcs.
Machados americanos.
?aces ditos.
Calatos o cestas de vcrguiuha.
Vassouras americanas.
?olles do todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
liversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Corrcntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda coraklas.v
Ferros a vapor para engoramar.
Moinhos para refinaces.
Azeitc de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
CONVITE GERAL.
O proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da lmpe-
ratriz n. 5(, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas v.m
ser, e desejando diminuir este grande deposito por meio de urna liquidaco que fn-
dar no da 15 ou 20 do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
se de boas fazendas, e por diminuto preco, a saber:
CHITAS LARGAS A 280 rs. CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vendem-so chitas francezas largas a 280, Vende-se chitas francezas para cobertas
320 e 360 rs. o covado. a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
ALGODAO ENFESTADO TRANCADO A covado.
1000. CASEMIRAS DE CORES A 20500.
Vende-se algodao enfeslado trancado para Vende-se casemiras de cores a 25500 e
lencoes a lO00, dito liso enfestado a 900 30000 o covado.
o metro. CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30000.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS. Vendem-se chapeos de sol de alpaca pn-
Vendem-se cassas francezas para vest- ta a 30000, ditos de seda a 100 cada ubi.
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado. BRIM DE CORES A 400 RS.
MADAPOLO ENFESTADO A 30300. Venderse brim de cores para calcas de
Vendem-se pecas de madapolo enfes- homem e meninos a 400 rs. o covado.
tad a 30300, dito inglez de 24 jardas ou Cangas para cal?a a S0 r.
22 metros a 50, 60, 70, 80, 90 e 100, a Vendem-se gangas de cores para calca e
ne^a, palitots de homens e meninos a 320 rs. o
LANZINHAS. PARA VESTIDOS A covado. nnkKnk KAA no
200 RS. MSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se- Vende-se musselina hranca a 500 rs. o
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o covado, dita de cores a 440 o covado.
covado. Percales finas para vestidos de senhora
B\BEGE PARA VESTIDO A 500 RS. a 440 o covado.
Vende-se barege de listas para vestidos TARLATANA VERDE A 320 RS.
a 500 e >640 o covado. Vende-se tarlatana verde e de cores a
ALPAC\S DE CORES PARA VESTIDOS A 326 o metro.
5u0 rs. O COVADO. Lencos brancos a 20.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640 Vende-se lencos brancos a 20 a duzia.
e 720 rs. o covado proprla para vestido de ^ Gollinhas e manguitos para senhora a
s/*nhor SEDAS DE CORES A 10. Ditas de linho fino a 10000, para ai-
Vende-se sedas de cores para vestidos de bar. ___,,
senhora a 10 o covado. GRANDE SORTIMENTO
P0RCAO DE RETALHOS. DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADE!.
Vende-se urna porcSo de retalhos de cas- Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
gas de la e sedas e de outras fazendas 30 por cento do que em outra casa r por
or muito barato preco. isso os pretendentes poder5o vir examimr
A' elles antes que se acabem. para ver a realidade do annuncio.
CIIALY DE CORES A 800 RS. Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
iST Chal? ^ ^ d S6da a m JALDES DE ABCOS A UKO.
.-.CHALES DE CASSA A 10. Vendem-se baloes de 20 e 30 arcos a
Vkvse chales de cassa a 10, e de me- 10500 cada um, ditos modernos a 40
ri aW. BRIM HAMBURGO A 80000 A PECA.
CHUTES DE LA A204OQRS. Vendem-se pecas de brim Irzo de Iftm-
VendKifi-se cortes de la de listra para burgo a 80, vm a ser mais barato do que
vestido* de senhora a 20400 rs. para ac- lgod3osinho.
jr CORTINADOS A 140000,
' ALGODAO A PECA 40000. Vende-se cortinados para cama a 145
Veno*-se pecas de algodao a 40, 54, 60 para liquidar. Ditos para janellas a U.
e 70 a ruca E mnitas outras cousas que Todas estas fazendas se vendem muilo
,-bo menear. barato na ra da lmperatriz n. 56
ITTINdll i LIilll
Grande araiazem. de fazendas e roupas feitas rna da lmperatriz
n. 52, porta lafga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3, 30500 at 60. Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 50, 60, 80 e 100, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 30500 a 50000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo Qno e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 40, 50, 60 a 150. Cohetes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodao e de linho de 20 at 50
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodao, de linho e bramante a 20 e 20500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a toios os precos. Mcias sortimento completo a 30.
40 at 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesqner obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casomiras como brins, pannos finos e outras muitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 10800 o metro.
Camhraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 80 e 90000.
Algodao peca com 20 jardas a 40500, 5,-)500 e 6,->000.
Peca de algodao largo, a 70300.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roupa
feita que se est liquidando na loja ra da lmperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LESO DA PORTA LARGA
BAZAR UNIVERSA!,
Z2Rna Nova29
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima cxposic3o servicos a electos para al mo-
co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecima demesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e enanca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
cspelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de ccslinhas, oleados
para sala e rxesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarlo
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
(iAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster
., ra do Imperador, um carregamento de gai
de primeira qualidade; o qual se vende em partida:
e a retalho por menos preco do que em outra qual
quer parte. ____________^^_______
DE
Paredes Porto.
Machinas vapor de
forca de 3 e 4 ca-
vallos.
Motores para 2 cayallos.
Arados americanos.
Machinas de facSo serrotes para desca-
rocar algod5o.
Balancas para armazem e balcao.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de l*it-
field. *
. Prencas para copiar carlas.
Fogao americano patent
Scbonete de alcatrdo.
DI
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t3o boa
acceitaclo tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito tnico,
Pharmacia de Bartholomeu C,
34roa larga do Rosario34. .
Vende-se a retnaeSo da ra Direita n. 10, a
mais antiga e acreditada nenia cidade, e com Bb
to boa freguea : a tratar na mesma.
BRACO
Ra do Imperador n. 26
Neste estabelecimento se encontrar diariamen-
te um completo sortimento de pastelaria de todas
as qualidades para lanche e sobre-mesa, etc., etc.,
bolinnos de todas as qualidades para cha, presun-
tos de fiambre, bolos inglezes, pudins, e finalmente
tudo que consiste em urna boa pastelaria/ com 9
tnaior asseio e esmero, cha hysson, preto e miudi-
nho do mclhor que ha no mercado. Nesta casa
tecebera-se cncommendas para casamentas, bailes
rbaptisados, compremettendo-se os donos do es-
a belecimento a ser* ir o melhor que for possivel
a vontade do freguez, dispondo para esse um de
um completo pessoa!. Recbese avulso toda e
qualquer_ encommenda, como sejam, bandejas,
bolos e paes-de l decorados, doces d'ovos, seceos
ede calda e erystalisados, fruclas nacionaes e es-
trangeiras, aaiendoas confeitadas, um completo e
variado sortimento de caixinhas de todos os gostos
e precos, para mimosear senhoras ; estas caixi-
nhas recentemente chegadas de Pars, sao de pri-
morsdogo-to, ofierece molas aos galanteadores do
bello sexo, pois aellas aeharo um digno e serio
presente para aa donas de seus penaameatos. lieo-
res, vinhos finos de todas as qualidadfis, conservas
lemlhos em latas. Os donos deste estabelecimen-
es nao se pou pando despezas, fazem todos os
otorcos pata servir o respeitavel pnblico o me-
t or qne for possivel, e sendo principiantes e lu-
eando com todas as difBculdades, esperam a con-
correncia do respeitavel publico desta capital, na-
cionaes e estrangeiros. Pechincha : legitimo vi-
olto rouscatel em caixas, que se vende por commo-
do preco para particulares e para negocio.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. 82, annaxem de Jo5o
Martins de Barros.
Loja de miudezas de FERREIRA DA CU-
NHA A TEMPORAL, est3o quimando por
todo prgeo venham ver o que bom e ba-
rato a saber: (
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de 240 a 40.
Linhas era novcllos do 400 jardas a
60 rs.
Pecas de tranca de todas as cores a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 20000.
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 500 e
640 rs.
Ditos com banha 320, 300 e 10200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portuguezas a. 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortnento de sabonetes 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes Qnos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
10200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320e400rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
30800
Ditas de ditas para senhora a 40500.
Garrafas com a verdadera agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 10200.
Pecas de entremeios a 300, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 10500, 20000 e 30000 ao par.
Jogos para vispora a 200, .240 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
NANgA onde contina a vender
pelos baratos preqos de seu an-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanqa.
Rna do encimado n. GS.
IbRsBBIhISI mwKmBS! tetilBBI
| Attenpo
Na praca do Corpo Santo n. 17, Ia
I andar, vende-se mais barato do que em
J cordeiro prevdente
Rna do Qisclmado n. IB.
Sovo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que elccvamente est provida a
loja do Cordeiro Providente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, snperiori-
lade, qualidades e commodidades de pre-
sos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
9 espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
lando elle de sua bom conhecida mansid5o
i barateza. Em dila loja encontrado os
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne inglcza, americana, fran-
eza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odonlalgico para conservac3d do
isseio da bocea.
Cosmetiqucs de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Esscncia imperial do fino eagradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocomc verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
jom escolhidos che ros, em frascos dediffe-
raotes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para maos.
Dilos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos milito finos em caixinha para barba
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arro
a boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
?sto todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNIIOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Flvellas c ins para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com
prador.
onlra qualquer pars cal de Lisboa e
putassa da Russia da mais nova no mer-
cado, assim como viotao Bordeaos de su-
perior qualidade em caixas e garrafas.
Lngeamento
Vndese na ra de Apollo n. 4, lagdu para
calcadas e armazens,
Vendc-se bren lino o mala superior que ha n-.
mercado, por preco com modo : na ra do Viga-
rio n. 36.
Vendem se 'ti> saceos eom boa cera de car-
nauba : nn armazem de agoardenlc na ribeira d>
peixo n. 19.
> S > < i
Em Pernambuco, P Maurfl^^H^I
Macei, pai da


RHB
*r..7i
w
Di trio de Pernambuco Terqa feira 19 de OuluLto de 1869.

aun m
DE
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
DE *
FEL.IX PEREIRA DA SIIiVA.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que se est aproximando o fin-
do anno, e tend) em ser uin grande deposito deposito de fazendas; nao fallando em
avalladas encominendas que llies esto obrigado todos os das, tem resolvido liquida-
las por preco milito mais baratos do que em outra qualquer parte ; s com o im
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontra-se nesle estabelecimento do
PAVO, avultado sortimento deiaz^ndas de luxo e modas; assim como de pri.meira
necessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja podero surtir-
se vendendo-se-lhcs pelos precos que comprara, nis casas inglezas; assim como as ex-
cellentissimas familias podero mandar buscar as amostras do todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberlo das 6 horas da manbaa s 9 da noite.
Esplendido sortimento de Paracamas^dM
rOliplS l6IuLS Vende-se um grande sortimento abs me-
NA LOJA DO PAVO k RA DA lhores e maiores cortinados bordados pro-
LMPERATRIZ N. 60 prios para camas e para janellas, qne se ven-
Acha-se este grande estabelecimento com- dera a 120000 rs. cada par at 25^000 rs,
pletamente sortido das melhores roupas, ; isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
sendo calcas palitts e coletes de^casemira,' Pereira da Silva.
de panno, de brim, de alpaca, e de todas BALES MODERNOS E SAIAS DE LA
as mais fazendas que os compradores pos- Na loja do Pavao vende-se os mais rao-
sam desojar, assim como na mesma loja' dernos bales reguladores tanto de musse-
tem um bello sortimento de pannos casemi-; lina como de la de cor, e as mais moder-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer as saias de laa enfestada, mais barato do
qualquer pe?a de obra, coma maiorpromp- que em outra qualquer parte,
tidao vontade do freguez, e n5o sendo SULTANAS
obligados a acceita-las, quando nao stejam Ciicgou para a loja do Pavo um grande
completamente ao seu contento, assim como sortimento das mais lindas sultanas, para
n'este vasto estabelecimento encontrar o vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
respeitavel publico um bello sortimento de com listas de seda o os padroes mais novos
camisas francezas e inglezas, ceroulas de que tem vindo a es'.e mercado, vendendo-se
linho e algodo e oulros muitos artigos a 15400 o covado, na loja de Flix Pereira
b$ $MAB0
A AGUIA BRANCA tem conviccao de que a abundancia de objectos de novidade-
tra seu constante e completo sortimento, a boa escolha no go^to delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitacao de seus presos, esta"o na opinio do respeitavel publico
tnt geral, e na de suaboa freguezia em particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepeo d'aquelles objectos que estao alm do commum,
como bem sejam:
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-he vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Feliz Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1,5800
Chegou para a loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
pecas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lcncol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato prego de 1,-5800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicaroes para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo na da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vendc-se as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o cov
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaqoinhos de seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
feitios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muito em conta.
' FAZF.XDAS PARA LUTO
loja do Pavio.
Encontra o re?peilavel publico n'este estabeleei-
meoto um grande sortimento lo fazendas pretas,
como sejam, cas-as francs e inglesas, chitas
pretas de toJas as qualidades, fazenda do lfia do
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laazinbas, alpacas lavradas e lisas, canlfio,
borabazinas, merino, etc., qne tudo se vende por
preco barato.
NOVAS BASQITX AS COM CINTO.
Chegaram as mais moderaas basquinas de gros--
denaple preto, ricamente enfeUadas, sendo de um
foitio fnteiramente novo, com ricos cintos largos, e
vendem-se por preco razoavel
CASSAS FRANCEZAS.
Vende-se um elegante sortimento das mais finas
e mais modernas c^ssas francezas que tem vindo
ao mercado, sendo com padres miudinhos e
grandes, e vendem-se por preco miiUo em conta.
AS SEDAS DO PAVO.
"Altas novidades.
Pelo ultimo vapor chegaram para loja do Pa-
vao, que vendo mais barato do quoem outra qual-
quer paite, as seJas seguinte : ponpelinas ou
gorgurdes de linho e seda, com os mais delicados
padroc3, sedas de listras, padroes inteiramente
novos, groz de todas as cores, sendo verde, azul,
lyrio, rosa, cinzento, etc., setins, branco, azul,
verde, toxo, lyrio etc., etc., assim como um gran-
de sortimento do grosdenaples pretos de todas as
qualidades, e superior gorgurao preto de seda
para vestidos a colletes.
\ AGBAQANAS.
Chegou esteno va fazenda c m o nome de Gra-
cianas, aeso" de urna s cor, lyrio, rxo, verde,
azul, ete., etc., e muito encorpada, com lustre pro-
priamente de seda, sendo meihor o mais moderna
que este anno tom vindo para vestidos, c vende-
se pelo barato preco de 2 j o covado.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavo.
Chegou pelo ultimo vapor um grande sortimen
to das mais modernas e mais bonitas alpacas la-
vradas para vestidos, tendo entre ellas algumasque
fazem a vista propriamente de seda, e vendem-se
por precos muito em conta.
GURGURAO PRETO.
Chegou para a loja do Pavo o mais encorpado
gurgurao de seda preto para vestidos e colletes,
que se vende mais barato do que em outra qual-
quer parte.
MADAPOLAO FRANCEZ
A 7*000, s o pavao.
Vendem-se pegas de madapoln francez com 22
metros, pelo barato preco de 74000, dito entestado
com 20 jardas a 74000, assim como finissimos ma-
dapoldes francezes c inglezes, ditos de jardas, que
se vendem mais barato do que em outra qualquer
parte, por ha ver grande porco .
AS CASSAS DO PAVAO
Covad- a 300 rs.
Vendem-se finissimas cassas francezas com lin-
dos desenhos e cores fixas a 300 rs. o covado.
CHITAS BARATAS
Na loja do Pavo
Vende-fe ama grande porco de chitas escuras.
e dars, de cores ftxas, por precos que admiramn
BRILHANTES BAREGES A 400 RS.
S o Pavo vende as mais delicadas ba-
regesde pura la, sendo transparentes com
os ma delicados desenhos, de quadrinhos,
listras e tizos, sendo n'este artigo o mais
delicado que tem vinde ao mercado, e
venda-se pelo baratissimo prego de 400 rs.
o covado,
PELERINAS A 40000
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dero aeromeiras ou basquinas de croch.
pretas afeitadas con verde e outras cores.
pelo barato p/#eo do W000 da um, pe-
chincha.
daSilvarua da Imperatriz n. (10.
ORGANDY BRANCO.
Vende-se o mais moderno organdy braneo para
vestidos com listras largas c miadas, assim como
urna grande porco de camhraias brancas, lapadas
e transparentes,'tendo das mais baixas de 44000 a
peca, at as mais linas de 10 ou 124000, todas
ests cambraias se vendem mais barato do que em
outra qualquer parte.
COLCHAS DE FUSTAO.
V.'ndem-?e colchas de fusto brancas o de cores
por preco muito em conta, na loja do Pavo. .
ORGANDY DE COR
A 360 rs. o covado.
Vendem-se bonitos organdys de cores com bo-
nitos padroes o xes a 360 rs. o covado.
CAMISAS PARA SENH RA.
Vendem-se finissimas camisas francezas borda-
das para senhoras, na loja do Pavo.
AS CELEZIAS DO PAVO.
Vendem se as mais finas celezias, esguines e
bretanhas de linho por preco muito em conta.
FUSTAO BRANCO PARA"VESTIDOS A 640 RS.
Vende-se fustn branco, com lista c lavradinhos,
muito proprio para vestidos e roupas de meninos,
a 640 rs. o covado.
COLLERINHOS PARA SENHORAS.
Vendem-se finissimos collerinlios de e.-guiode
linho proprios para senil 'ras e tambem para me-
ninas aoja duna.
ALPACAS DE COP.DlO. .
Ycn/lem- se as mais brilhantes alpacas de cor-
doziha para vestidos, tendo s mais lindas cores,
como Bismark, lyrio, rxo, g?nga etc. etc., pelo
barato proco de 1-is rs. o covado-
TARLATANAS.
Vende-so finissii.ia tarlatana branca n de todas
as cores, asskn como tiki branco lizo a 800 rs. a
vara.
ALGODO ENTESTADO.
Vende-se superior algodozinho cora duas lar-
guras, proprio para leucCes, sendo lizo e entran-
eado, e vende-se por preco muito rasoavel.
UEIAS PARA MENINOS A 3*500 RS.
Vendem-se duzias de meias superiores para
meninos e meninas, polo barato prejo do 33300 a
duzia.
BASQUINAS DE GUIPUZE.
Chegaram as mais bonitas e modernas basqui-
nas pretas de guipuze, que se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte; assim como a^
otis delicadas romeiras ou pelerinas de croch
prets, enfeitadas de verde e ontras cures, que se
vende muito era conta.
CHA'OS DE SOL.
Vende-se um grande sortimi-nto de chapos de
sol desuda e alpaca que se vendem muito ba-
ratos.
LENCOS BRANCOS.
Vendem so bonitos lencos brancos o de cores
com barras e abanhados," pelo barato prego de
34500 a duzia, ditos de linho abanhados a 64 a
duzia, ditos de esguiao para varios precos, dita*
de algodao a 25 e 14600 a duzia.
A 5)5000
Na loja do Pavo vendem-se modernissi-
mos chales de fil preto cm lindas palmas
de seda, pelo barato preco de 5fJO0Q,
pechincha.
BASQUINAS A 12000
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 123000 cada urna.
PARA ESCRAVO*
Na loja do Pav5o vende-se estamenha
de algodo mesclado para vestidos e roupa
de moleques a 200 rs. o covado, na ra
di Imperatriz n. 60 de Flix Pereira
Silva.
Papel para embi-ulho.
Compra-se papel para embrulho: na leja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix Pereira
da Silva. N
FOSTES BRANCOS PARA VESTIDOS A
400 RES. '
Na loja do Pavo vende-se um grande
sortimento de bonitos fostoes brancos, pro-
prios para vestidos e roupas de creancas.
assim como tambem para roujas de ho-
mens por serem de lavores miudinhos e
banlante encorpados, e vendem-se pelo ba-
rato preco de 400 rs. o covado nicamente
na loja n. 60 da ra da Imperatriz.
CORTES A 85000 DE VESTIDOS A 80000
CORTES A 80000 COM DUAS SAIAS
Chegaram para a loja do Pavo os mais
bonitos cortes de la com duas saias,
s ndo neste genero, os.de mais gsoto que
tem vindo ao mercado, e cada um em
seu carto, coro o competente flgnrino, e
vendem-se pelo baratissimo preco de 1)5800,
s na loja de Flix Pereira da Silva a ra
da Imperatriz n. 60.
CORTES DE SEDA A 20(5000.
Na loja do Pavo, vendem-se bonitos cor-
tes de seda para vestidos tendo 15 covados
cada um, e com quatro palmos de largura;
pechincha na ra da Imperatriz n. 60, de
Flix Pereira da Silva.
CHALES DE CHACHEMIRA A 60, 100 E
120000.
Na loja do Pavao vendem-se os mais
bonitos chales de verdideira cachemira de
cor, com as desenhos mais modernos, a 60,
10 e 120000, muito barato na roa da Im-
peratriz n. 60.
Bonitas caixinhas de madeirs envernisa-
das, conteiido navalbas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
quando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras macbetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rla para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
S3nte, tendo algumas com musi:a.
Estojos on carteiras de couro com nava-
Ibas, o os mais necessarios paraviagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas, dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alQnetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
pira circular os coques.
Oulras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para opescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventurine com o pe de
prata dourada, para colletes, cada um 50.! mes e qualidades a
Botoes de cristal, encastoados em prata,' que cons
para punhos, 40 o par.
Camisas de flanella para liomem, a me-
ihor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de 13a para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, lecido de borracha, para
quem soffre de incbacjto as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennajj coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.-
Bonitos passarinbos de metal prateados,
parsegurar costuras, tendo almofadinhas,
de Velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Til a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarlo
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuarlo a
vir especialmente para, a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
ininidade d'objeclos
se acham venda na
lja da Aguia Branca, seria senlo impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Quemado n. 8.
PRMEIRO E SEGUNDO L1VR0S
DE
LEITURA
PARA USO DA
INFANCIA
reto
BRASILF.IAA.
N. 23Largo do Ter SIMO DOS SANTOS 'ft C.
Os proprietarios leste bem sortido armazem de secco e molhados, partecipam
aos seus numerosos freguezes, tanto desta praca, como domatto e igualmente aos ami-
gos do'bom e barato, que teemum grande o vantajoso sortimento de diversas merca-
dorias e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
monos Dreco do que em oulri qualquer parle, por ser maior parte deslas mercadorias
compradas por conta propria, por isso quem comprar al a quantia de 1000, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sahido deste
armazem.
Dr. A. Cesar Borges.
(2 EDICAO MITIY) MELHORADA E
AUGMENTADA)
Estes dous livros, rebultado de frnndo expe-
riencia e cstudos eupectaes do autor, vierarn sa-
tisfazer a urna das mais instantes uecrssidades da
instruccao primaria, o por tal forma que, pelos
governos de ouasi tudas as provincias leem sido
adoptadas para as escolas publicas, assim como
por grande numero de professores particulares.
O primeiro litro ( absolutamente diverso das
cartas vulgarmente eonliecidas pelo nome de A
B C ) e composlo segundo um systetna natural,
philosophico e ameno que aos meninos fecilita
extraordinariamente o conhecimento da kjiura.
tornando-lhes muilo mail rpido?, o n uito menos
penosos, sen primeiro?, tmidos o vacilantes pas-
aos na vida luterana.
O segundo litro eonsil de muitos artigos, con-
tos etc., todos lo breves como convem fogaz
attenco das enancas, e rscriptos em linguagem
e estylo apropriados franqueza de sua intelii-
gencia.
E de mancira combinadas nlle se acham as
materias que, ao niesmo passo que vivamente in-
ttressam e deleilam os pequeos leiores, lcvam-
Ihes e implantain-lhcs no espirito e no eoracau fe-
cundos preceitos de moral, inspirando-Ibes, desde
logo, com o gosto da leitura, o amor da virtud'
e a repugnancia da do vicio.
Sao ambos estes livros ntidamente impressos e
elegantemente cncadernados em Pars, e contem
estampas finas representando os assumptos dos
contos ; o que os torna mais convidativos aos me-
ninos e muito proprios para presentes ou premios
dos mesmos.
Contem demais o segundo dous bellos hymnos
com msica para o comee/) o lim da escola.
Rccommendamo-los pois confiadamente aos se-
nhores pais de familia, e professores que ainda os
nao conhecem.
Primeiro livro. 300
Segundo 2000
VENDA NA
Livraria fraiicaza,
9RA DO CUESPO9
PERFUME INFXTINGIIVEL.
Paba o j.mo, Toucadoii, i: Banho.
O Campos da ra do Imperador u. 28 tem para
vender o seguinte:
Queijos loudrinos, pratos, flamengos e de Minas,
todos muito frescos e de bCa qualidade.
Presuntos para fiambres e para tmpora, paios,
salames ete. etc.
O verdadeiro bacalho de Noruega.
Latas com lagostas e ostras.
O verdadeiro caf ;t/ocA-a.
especialidades
Grande remessa de cigarros de diversas quali-
dades, viudos dn provincia do Rio de Janeiro, no
vapor brasileiro Paran.
A saber:
Cigarros ao duque de Caxia-.
Ditos ao Maurity.
Ditos aos (enles do Diabo.
Ditos Barbaccnas.
Ditos-Papel peiloral'.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Rio-N(.vo.
Temos de medidas para soceos, 32,,'inlo o novo
systema (mtrico francez), no armazem do Cam-
pos.
As mais adoptadas e mais facis laboVas para
de prompto se reduzir a a | a kilogrammas o ao
jnverso estao se acabando por isso recomraenda-se
aos eslabelei-imeiilos que ainda nao lem, que ve-
nbam seus denos munir-se dosse lio rande agen-
te do conimercio, pois que, com a safra qne est
porla, torna-se ditas tabellas ndispenaaveis.
28-Tlina NO MIMAZEU 1)0 CAMPOS-28
Imll
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarcllo de Vicenta Fer-
reir da Costa & Pilho, defronto do aro da Con-
ccicao, em barricas grandi .
NO
"O
GAZ AMERICANO 9^ a lata, a 100 rs.
a garrafa e 00'> rs. o litro.
V1N1IO VLTIDADE1RO FIGUEIRA odO e
640 rs. a garrafa, a -jOO c 1^800 a cana-
da, a 720 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 3U0 rs. a garrafa, a 35 e
GfSOO a caada, 000 e 040 rs; o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 7fa caada, e 1(5340 o litro-
VINI10 BRANCO DE LISBOA a 000 rs.
a garrafa, 4)300 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garcafa, 2200,
1800 e U400 a.caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 115 440 e
1,9280 a libra, 3$ 140 e 2800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 23100, 1^980 e 1,5870 o kilo-
grammo.
IDEM PARA TEMPERO CO rs. a li
bra, 1,5400 o kilogrammo, em porco se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o l(5W0 o kilogrammo, em
porco se faf abatimento.
ARROZ DO MARANHiO E DA INDLV
120 e 110 rs. a libra, 200 e 300 rs. o ki-
logrammo e 3$8O0 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo, e65 por 14kilogrammos.
CAF EM GRAO 6,5 e 6500 a arroba,
200- e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABAO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa ba
abatimento.
620 rs. o kilogrammo, em porco ha aba-
timento.
BOLACIILNIIAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 15 e 1,5400 a lata.
VELLAS DE ESPARMACEJE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
P1I0SPH0R0S DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
35200 e 63500 a groza.
AMKIXAS EM LATAS E CACIIINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 35O0, 5,5500
e 13 a bra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e cm caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100, rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 53500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IIILERS
BELL, 800 rs. a garrafa e 93 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 13500, 13200, 13 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 73 e 63 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LABANJA DOCE AROMTICA,
113 a frasqueira e 13 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
33, 23800 e 23400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 113500 por
14 kilogramraos. ________
CHA FINO, GRADO E MIDINHO os
melhores que ha no mercado, 33 e
|340 a libra, 73080 e 63840 o kilo-
YRH-SE
A PRECO 1TXO E MDICO
SOMBRINIIAS "de seim verdeultima no-
vidade para senhoras, a 18 c 2S >.
LINDOS cortes de tarlatana ominada, pro-
prios para bailes a 103, 133. 155, 175
c 223000.
ESPECIAL sortimento de coques enfeitados
e lisosultima modaa 25500, :>000,
35500, 43, 4,j500, 53 e G>.
GRANDE e bello sortimento de chapeos de
palba da Italia, elegantemente enfeitados,
para senhoras emeninas a l;,; >, 135,
115 95.
TRANCAS E CACHOS imitacao de ca-
bell, para senhoras, a 15800 e 300 rs.
GRANDE e agradavel sortimento de gui-
pure ou croch preto, em pecao metro
a 23, 35500, 43 e 65-
DITO branco a 25500, 35 e 33800.
LINDO FIL de seda branco com ramagem
o metro 53500.
LINDOS e ricos aderecos de plaqus du-
bls, com brilhantinas, rubins, esmeral-
das, perola, e camafeos ; nao ha diffe-
renc/a do ouro de lei e conserva por lon-
go tempo a sua cor natural, vende-se a
155, 185, 305, 455, 903 e 1205, este
preco menor ao feitio de qualquer peca
verdadeira do mesmo trabalho.
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
para relogios, a 63, 83 e 105, no
BAZAR DA MODA50-RUA NOVA
A MU AFAMADA
AGUA DE FLORIDA,
DE
M 3*11 Al fe LAftlRAft.
He o mais delicado c mimoso e ao mes-
mo tempo o mais estavel de todos os per-
fumes, e oncena em si, no seu maior auge
de excellcncia, o proprio aroma das verda-
deiras flores, quando ainda na sua flores-
cencia e fragancia natural. Como iimmeio
seguro e rpido allivio contra as dores de
cabera, nervosidad^, debilidade, desmaioc.
flatos, assim como contra todas as formas
ordinarias de accidentes hystericos; de
summa efticacia e nao tem outro que o
iguale. Igualmente; quando destemperada
com agua, tiirna-seum dentifricio o mais
agradavel e excellentc, dando aos denles,
aquella alvurae aperolada apparencia to
altamente apreciada e desejada pelas Se-
nhoras.
Como um remedio contra o mau hlito
da boca, depois de diluida cm agua,
summamente encllente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
criam roda dos dentes e ttas gengiva-.,
tornando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
e permanencia do seu fragrant aroma, ella
por certo nao tem igual ; e a sua supe-
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na-seummeiomui excellentc, para fazer
remover de sobre a pello do rosto, toda a
qualidade de brotoejas, ebulices, sardas,
pannos, manchas, impigens c espinhas.
Quando se queira servir della como remo-
dio para fazer desaparecer qualquer um
deste*. dsflgnramentos, e que tanto desfei-
amastodas feicoes do bello sexo; devera-
so usal-a n'um estado de dfllucSo, dcstem-
perando-a n'uma penca d'agua : purm no
tratamento de qualquer espinha. usar-se-ha
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de corr-
municar as feices trigueiras e paffidas,
urna pelle macia e d'uma transparente al-
vura, daudo-lhe urna linda tfir de rosa :
para um tal lim, ella leva a palma a todos
os perfumes (pie se teem inventado at ne-
je, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido indo isto se refere nica-
mente a Agita de Florida de Mhir.vy <1
Laman.
As imlacr>es que se tem feito na Franca,
Allemanha, assim como em outras partes ;
sao inteiramente inuteis e mvaliosas ; poi-
lanto recommenda-se mui especialmente
s senhoras. que lenham toda a precaucSo
e cuidado, de quando comprarem, estejzm
corlas que compra fu.
A (RMINA
AGUA DE FLIUDA
DE
MURRAY & LANMAN,
A qual preparada smente pelos uniecs
Proprietarios,
LANMAN & KMP,DE NOVA YORK"
Aeha-se a venda aos estabelecimentos de
A. Caors.J. da c. teavo, .ov C. P. Mar-
rer & C. A. A. Barboza Bartholomeu, A C
N5o mais cabellos brancos.
A tintura api ana para lingir os cabellos
da Cabera e da barba, fo\ a nica admittida
Esimircio Uni i .'. por Irr sido reco-
nnecida superior todas as preparacbes at
boje existentes, sem alterar a snde.
Vende-se a 15000 cada frasco na
Ra da Caa n. 51,
1. andar.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA- grammo.
LHARIN E ALETRIA, 800 rs. a libra e I EM PROPRIOPARA NEGOCIO 23700,
15750 o kdogrammo. 25500, 23200 e 23 a libra, e 55450 e
SEVADINHA E SAF 280 rs. a libra e 45180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, lioguicas de Lisboa, mannelada, con-
servas gela de marmello, pcego, ervilhas, pexe em latas, sardinhas de Nantes,
vinbo verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, grandes
molhos de sebolla 15500, finalmente muilo mais gneros que enfandonho
menciona-los. _________
Vimdeni-s diversos esoravoa p.t.-i-, proprias
para armatera oa engenbo, vindo? to Cear, as-
sim como algumas osera vas tom h: liiiiilndes e -eii
ellas : na ra da Cruz n. 55,3o andar. ______
Vende-se umaca.-a terrea na ra da Oneei-
eao n. 19 : a Iralar na ra da Aurora n. 13 A,
com o asente Euzebio.
Farelo de Lisboa
muito fino em saceos grandes a 50iOO, no arma-
zm da Eslrela, largo do Paraso n. 14.
A ra do Livramento n. 6, contina a ha-
V2r para vender por presos rasoaveis, o
melbor vinho verde at hoje vindo a este
mercado.
Temporal na Bonanra
Vendem-se libras sterlinas : no es;;ripterio de
Leal Res, ra da Cadeia n, 49. ________
Vernizes.
Vende-se no cscriptorio de Joa<]Um Gerardo de
Bastos, roa do Vigario n. 16, primeiro andar, os
seguintes vernizes em latas de 0 e 9 libras, do
acreditado fabricante do Para, Caelano Antonio
dos Santos Lisboa :
Verniz copal escuro. ,
Dite dito claro. V,
Dito dito escuro proprio para aeras de folba de
Flandres.
Dito cor de ouro ou donradilho. ____
Este estabelecimento acaba de receber un com-
pleto sortimento de agulhas cortas o oompridas,
as melhores que tem vir do a mercado; as agu-
lhas tem o distiocttvo do TEMPORAL.
._____________,________________________Previne-se a~todas as familias aut quando man-
__ ___ darem comprar estas especia* af ulhas que vejam
4 Vi IIK fVIMIt#l4 no papel o distineuvo do TEMPORAL.
^mM mwma ui^UVA f^ e$ta oj^rvj^ p,,- qne a familias nao
, sejam engaadas pelos meus collegas aprosentan-
DflTICCi IIQQIA do ouiras agulhas e dizendo que sao as que en
A mais nova no mercado, a preo razoavel: nc S onde haxstas agulhas na
armazem de Manoel T. Basto, a roa do Comnwcic LOJA DA BONANZA N. 63
n. 13. proco de cada papel 100 rs.
Vendem-se dous terrenos, sendo um na ra
da Conquistan. 11 com 200 palmos de frente e
murado, e o outro na ra da Svmpatbia com 130
palmos de frente e algumas arvores: a tratar na
ra de Hortas, taberna n. 17.
Attenco
Vende-se urna cama franceza com wuco uso
nos Bairros-haixos n. 40._______'
Veode-se urna, carteira para escriptorio : na
ra larga do Rosari" n. 21, loja de cal jado
Sementes
ESCBV0S FUGiPOS,
Fugio no dia 29 do inez de seteinbro prxi-
mo panado a escrava cabra de mime Severina,
natural da cidade do Aracaty, c(im os signan se-
guintes : idade 40 annos, altura regular, ebria do
corpo, falta de denles na frente, Siesta estreita,
olhos pequeos, beicos bastante mellos, tem n dedo
iiiiiiimo da mao esi|uerda um pouco dobrado para
a pal a da mao, tem o andar un ponen empinado
para a frente, fui resuda com un vestido de chita
escura com palmas braucas, ainda novo, cbale de
loa jvelho cor de bonina, e um outro de eofw,
bastante velho, servindo de rodilba, com um labo-
leiro de flandres, levou mais urna trnuxa eonlendo
dous vestidos, um de chita com listras encarnadas
e outro cor de cinza ; descoua-se que ella estoja
oceulteem alguma casa, pelo que se protesta ce-
ir a pessoa que a tiver em sua casa, e roga-se s
autoridades e mais pessoas que a apprehendam c
a levem ra do Amornu n. 39, ou, ra do Hos-
picio n. 47, que serao generosamente recompen-
sados^________________________
FUiiinos.
Gratifica se com 1005000 por caaa um.
Do engenho Soledade, em Porto Calvo, fugiram
no dia 27 do mez passado, dous ecravos, cujos
signaes sao os seguintes : um de nome Felippe,
idade 23 annos, natural do Cear, cor cabra, uro
pouco discorado, tem os cabellos carapinhadot,
pouca barba por baixo do queixo, estatura baixo
regular, e corpo ta tibam regalar, as pernas gros-
sas e cabelludas, mos e pos bem feitos, Utos
grandes e vivos, falla de um dente na frente, fal-
lando claro e desembaracado. O oolro >la nome
Manoel, tambem cabra, natural do Rio Grande do
Norte, tem 23 annos de idade, os cabellos carapi-
nliados, rosto curto, olhos e bocea um tanto pe-
queos, nariz pequeo e um tanto grosso, tem no
alto da eabeca urna cicatriz que se descobre se-
parando o cabello, nao tem barba, de estatura
mediana, espigado, bracos e pernas finas, e pfcs >
regulares ; estao ambos limpos de costas e nade-
gas, visto nao terem selTrido castigo algum : ro-
ga-se, portento, s autoridades policiaes, capitaes
de campo, ou a qualquer pessoa que os encontr,
de os capturar, e leva-los ao mencionado engenho
Soledade, no termo de Porto Calvo, ou neste pra-
ca no escriplorio de Joaquim Rodrigues Tavar-'
de Mello, largo do Corpo Santo n. 17, Io andar,
pplo que em qualquer das partes receber a gra-
tifleacao cima promettida.
Luiz Manuel Rodrigues Valenca, como pro-
curador de sua multo r e compelrtitemenle anto-
risado pelos demais herdeiros dos falleci'
tao Antumo Gomes Pessoa si
eonsenhores, representa!
valor do engenho Tab;
Taqoara, termo da ParaJ '^e
de Goyanna. (W^H Z-
bredito.------------------------------
de borteliee chegada* no vapor do li do es
e est venda na ra da Cruz a. 13
| de Deten cao n. *


8
Diario de Pernambuco Terrea fejra 19 de Oufubro de 1869.
=:_____ t________:-==---------
ASSEDLE1 GER1L
i
CMARA DOS SBS. DEPTADOS
SESS.\0 EM 17 OE SETEMBRO
presidencia do sr. NEMAS.
(Continuaran)
\ questo naopulo ser ventada, senho-
, a respaile do censo, porque nos o te-
mo* constantemente, e por leis ordinarias,
modificado. Nao porte sor lambeta acerca
do direito de vtto, poro toi sempre doo-
trina assentada o admitiida ntrenos que o
podemos alterar. Quando amito, unwar-
* lita qnanto ao meio indirecto, porconter
SU plirasc a constituirao. Mas nao forma
;ic um dos direitos individuaos oh po'iti-
referidos no artigo particular, que os
: mora para tirar todas as intorpretaroes
ilnviilas.
(Varias rorlamac/ies).
Sem, todava, levantar agora essa ques-
j, lespeitamlo mesmo a opin;o dos que
umm o methedO da eleico indirecta como
(Iciilier.ifo constitucional, nao podenamos
cliegar a um meio termo em que todos con-
cordassemos, e que f6ra um melhoramento,
00) grandj melhoramento.
E' o que j aqui fui lembrado na cmara,
na sesso i.; I8TO. Varios doputados per-
leneentes aos tres partidos que InUvam ni
- ena de ento, conservadora, progressista
e liberal, ajuntaram-sc e combinaram em
um projeclo de reforma eleitoral mixta.
Assignaram-no parlamentares distinctos
c >mo os Srs. Otioni.Ta vares Bastos, Souza
Carvalho, Lelo Ve-loso, Fernandos da Cu-
faa e Panino da Souza. Tambera adher ao
pensamento.
Nao reproduzo cslc projeclo, porque con-
tla medidas sobre a guarda nacional, pir-
que chama a terreiro os magistrados, por
que, emlim, na serie do impostos que lor-
mam o censo me parecem preslar-se ainda
a abusas. Reorganisci-o e simpliliquei-o
em nevo projeclo, afim de offerece-lo como
base ele discusso: sei qne deficiente c
que compre melhora-lo, desenvolvendo-o.
Facamo-lo todos de boa f e com cri-
terio.
Ao lado dos cleitores de parochias no-
mcados indirectamente, como determina a
ronstitucao, fuucciouaro eleitores com
iguaes direitos de voto, e que devem essa
qtalidade e carcter ao valor da quola que
[tagam annualmente ao Ihesouro pelo im
posto pessoal, como se acha estabelecido,
Esta base do imposto pessoal afigurou se-
mc a melhor porque geral, porque todos
os cdados tem domicilio sobre cujo alngnel
roalou da avaliago pagam a imposiraO de
3% e aos cofres geraes e nao pro -inciaes
ou municipaes, e em toda a extenco do
imperio, cidades, villas e campos.
E* um meio al de lomar mais bem acci
Im este imposto porque d direitos de elei-
;o. Forma ella urna classe nova e inter-
mediaria entre o income lar inglez e o de
portas e jmilas francez, isto entre a
renda certa e a renda provavel do cidado,
auada esta por urna parte das suas dos-
pezas necessarias.
At boje este imposto cobra-se mal, dif-
cilmente, 8 por isso rendo muito pouco,
piando, se a le pudesse ter sido ejecutada
deveria elevarse a sois ou mais vezes qnan-
tia maior. Tomando-sc elle como base do
dinitO eleitoral, vor-se-ha que o sco co-
ifaer maioivs vantagens e todos o paga-
rao de boa f e vonlado para receber as
vaotagens eleitoYaes que se mo fixarem.
(O Sr. Benjamim d um aparte que nao
ouvimos, e apparecem varias rcclama-
ces).
Peco licenca aos nobres diputados que
me honraram cora os setts apartes para nao
discutir boje, porque desejo expr nica-
mente os fundamentos do projecto. Emo-
casiao competente o opportuna, dar-lhe-he-
mos um debate desenvolvido, que trar a
uz, c habilitar o parlamento para a sna
mais proveitosa soluco. (Apelados).
Ser um passo para eleico inleira, direc-
ta, que a que prefiro. (poiados). Tanto
mais argente actualmente urna reforma
da lei eleitoral, que nos rege, tanto ella
i maior das necesaidades que o paiz todo
9ent6 e cuja satisfaro reclama, que c prin-
cipio rorrete que sem eleico livre nao ha
governo representativo, nao ha systema
parlamentar verdadeiro e sincero. Poder
como presenciamos, apparecer a frmula,
a apparencia; o espectculo a qne assisti-
mos e que damos. Mas a essencia, a ver-
dade, a realidade, oh n5o, senhores, nao
existe entre nos. (Muitos poiados.)
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POR
Paulo Fval
Segunda parte
TRES PATAS
(Continuacao do n. 238)
XIV
Visita nocturna.
tA baroneza nao responden. Ficou im-
movel.
Branca espern um instantinho e accres-
centou :
Boas noutes, minha mi.
Depois tudo ficou em silencio.
Havia na casa prxima espessa alcatifa
e a Branca era leve como a mais leve ma-
riposa. Nao se atreva a baroneza a me-
eher-se, ignorando se a filha se retirara,
quando o grave passo de Domerguese fez
novamenie onvir. O criado bateu as duas
pancadas e fez tambera gyrar o pucha-
dor.
Bem, bem ; disse. So vinha dizer
roneza ?
Faca o que Ibe disse, respondeu-lhe
ella com lonr imperioso e decisivo.
Relirou do fundo da gaveta a nivea mao,
que trouxe urna caixinha ; tirou da caixinha
duas pequeas aquardlas, emmolduradas
de velludo : eram dous retratos, que nao
pareciam de mestre, e cojas cores haviam
j desbolado.
Representara um d'ees em rapaz, o
outro ama menina moito nova : qoasi qne
crianza. A' primeira vista, houveramos
declarado que ambos nos eram desconfi--
cidos.
Depois, havia de oecorrwr-nos a idea
ie que o inhbil pintor procurara repro-
0 systema rcprSenfativo requer eleirfii
livre do povo, exige in lep ndiucia e lber-
dade dos representantes do paiz' J vimos
que n3o ha a primeira operacao. Como pra-
ticar-se a segunda, quando as-camarasque
resistem ao governo s3<) dissolvidas, e um;
diohic3o equivale a exclusJo de todo o
partido daopposicao? (poiados).
Quem ignora que oppondo-se ao governo
nao volla a cmara na primeira eleico .ve-so a propaganda, e indispe-se os espiri
para traannos qnmtn antes de umi refr- tracrie* desse met seniimerrto.
mi eleitoral que trag a liberdade do voto.
(Ha varias reclamac5es. O Sr. presidente
reclama o lilencio.)
Notei, senhores, que todos os paizes cons-
titucionaes a exigencia da reforma de leis
existentes rbnda-se sempi-e, como taca de
partidos, no intitulado governo pessoal.
Com osle estribilho agita-seo pov, promo-
(apolados),- porque o govorno combate clli-
cazmente a sua candidatura a as urnas apa-
as representara a vontade do govorno '?
Dahi a omnipotencia do governo css;
pltora de torcas e sango.\ produz anto:-
malos do que bens ao paiz e ao systenv
creado pelas nossas instituiees poiitica".
O Su. Be.njami.m e ouruos:Tudo isto
vem do abuso e da corrupeo,
O Sn. Pkkbira da Silva :i) abuso *
tem por tal maneira infiltrado em todo o
corpo social, qie nao ha meiode extirpado.
J a lei nao pode ser execulada fiel e leal-
mente, e nem o proprio governo tem for
Cas para afazer cumplir. (poiados.)E' um
engao que a experiencia desfai; 6 ama
illuss que o trato dos negocios publico:;
manifesta a todos os olbos e a todos os es-
piritos, a dos que se persuadera que s dw
abusos e nao da lei vem hoje os males
(poiados.) Podem os ministros querer que
a eleico corra livre : ainda ah esto os pre
sidentes de provincia c chefes de policin
para burlaras vistas e pensamentos dos mi-
nistros. Podem estes mesmos aceitar essf
accordo patritico de n3o interferirem ni
eleico ; mas ahi esio as autoridades lo-
caes de municipios e da parochia, as pai-
xcs partidarias das influencias para o mil
lificarem. (poiados.)
Sabis o maior mal que dahi procede "
Nao s a desmoralisai.o geral.adescren-
Ca o scepticismo, o desanimo, a apathiado
espiritos, que lavra em toda a sociedade f
derrama-se-lhe por todos os poros. Nao h
s a desapparicao de partidos polticos ne-
cessarios a Hita que exige o systema repre-
sentativo no sen complicado machinismo, o
a necessidade de revesarse no poder a pro -
porco qne ganham a opinio da maiori
do povo, o que torna i)s partidos morigera-
dos, legtimose proficuos a causa publica,
porque sabem que a todos toca em cortn
periodos e regularmente o governo, e nao
precisam revolucionar o paiz para galgaras
poscoes offlcaese fazer predominar as suas
ideas.
Nao s o de pensar o povo qne o^go-
verno tudo, e desapparecer assm a inicia-
tiva proveitosa e todo o pensamento pro-
ficuo, tornando-o servil a curvado ao jugo
administrativo. Nao. Ainda ahi nao est o
maior mal, que pode acairelar as mais
desastradas calamidades.
'Este maior mal estamo-lo j presencian-
do, e com razo nos deve profundimenle
impressiouar. E' essa celeuma que se vai
levantando a pedir reformas constitucionae:;
para o fim de alterar, se nao abolir, as at-
tribuicoes do poder moderader ; c essa vo>,
de governo pessoal, que espiritos exagero-
dos espalham, e com que pretenden ana?-
lar as multides incautas.
Diz-sc a cordanoAa livroraente os ra -
nistros, nmda-os de um para outro'partdo
quando Ihe apraz ; os ministros tem as en-
maras que ihes obedecem, e despedem os
que os nao sustentara. Logo, todo o mal
vem da cora, porque delta dimana exclu-
sivamente a oiigem do falseamento do go-
verno representativo.
Felizmente senhores, o procedimenlo da
cora entre nos defende-se por si mesmo
contra todas estas injustas aecusacoes, por-
que ella nao tem feito mais do que acompa-
nhara opinio que julga prevalecer e desen-
volverse no paiz. Gastam-se os ministe-
rios o os partidos no poder ; s ganham
torcas os homens polticos na oppesieSo.
Convem-nos, todava, arredar esse molte.ou
p de cantiga do governo pessoal, nao s
combatendo-o, esciarecend o publico sobre
a'sua improcedencia, seno lambem tomar
as providencias precisas para que a opi-
nio do paiz Ihe responda cabalmente, pro-
clamando com franqueza e liberdade as saas
escolhas de representantes da nacao, como
sgniearo das deas c principios porque
entende dever ser governado, tomando a si
a sua responsab lidade real, que s Ihe ci-
ne com a plena liberdade da eieica, fazen
do desapparecer esse fantasma inventada
de governo pessoal, e essa exigencia de re-
forma constitucional, com a qual nao posio
concordar. (poiados.)
Assid esta mais poderosa que nem una
das outras consderaees deve concorrer
tos promptos a exiltar-se para se oppr a
tudo quanto pareca tender ao absolutismo
disfarcadii.
O meio de deaazer e nnllificar o efeito
pernicioso do grito de govurno pessoal,
(Apoiadi>s.)
E fizi-ndo ap-
plicaces. (poiados.) J, porm, que me
chamara a este terreno, voo ennonciar o
meiT pensamento com lafl;ia franqueza.
Emendo que a caiwira actual, posto un-
nime de um s partido, repreaeota fielmen-
te a verdade das unas, e oxpresso do
povo na occasio em que foi eleita. Nao
nasr.eu da fraude e nem da violencia, e nem
da corrupc v, o ein de meios algnns ro-
piwados, apezar de unnime. Se a eleico
fosso entre nos livre, o partido aque todos
nos actuaes depotados pertencemos logra-
rla s;mpreotaiiMnpho eleitoral. porque tem
preticar as reformas piecisas o reclamadas por si a maioria diVpaz. que demonstraria
urgentemente polo paiz, e que sao apenas sempre que nao fosse comprimida no voto.
duzir as feices de Miguel, do nosso h-
roe, e as de urna mocita parecida cora a
baroneza: alguma irmazinha, talver..
E ainda depois, vendo melhor, nao po-
da ser de Miguel, porque as roupas dati-
vam dos annos da Restauraco. Alm de
qne, quanto mais se examinava, mais a
parecenca fugia. E porque havia de estir
o retrato de Miguel na secretaria da baro-
neza Schwartz ? Quanto outra aqua-
rella, prodnzia-se o effeito contrario : o
exame creava a semelhanca.
Ha para o vulgacho feminil a formosura
do diabo. linda. Torna-se, porra,
grosseira, vulgar ou hedionda. As mulhe-
res, que tem de fulgir na hora da completa
florescenca, nunca tiveram a formosura do
diabo. Tudo n'este mundo procede p>r
mysteriosas compensacoes. A suprema
belleza muitas vezes o producto de leu la
e custosa incubaco, como se a natureza
ompregasse todos os annos da adolescencia
em aperfeicoar o seu primor.
D'est'arte soba,' para as mais elevadas
regies, ao fagueiro caior do sol de agosto-,
a esplendida mariposa, depois da dupla
metamorphose. Scismava-se perante aqu( 1-
le retrato de crianca de cores dsbotadas ;
via-se detraz d'elle, como ao travez de
chmenlo nevoeiro, o triumphaiite sorriso
da mulher desabrochada. Era Cendrillon
no fumo do lar, antes da visita da fada.
A lampada ficava longe, alm, no mar-
more sanguneo do fogao. Illuminada por
detraz, a baroneza esconda meio rosto na
sombra. A luz brincava-lhe as massis
dos admirareis cabellos, o a bater em
cheo na miniatura que o contrasle toraa-'a
mais desmerecida.
Olhava alternativamente para as du s
aquarellas com profunda commoco. A
respiraco abafava-se-Ihe no peito.
Palabra aguma se Ihe soltou dos labios;
mas os obliqoos claros da lampada al ti i-
miaram duas scentelhas por entre a sombra
tjoe lbe vela*a o rosto > eram duas lagri-
mas ; trernerain antes de Ihe rolarem leti-
tamenta pelo pallor da faees.
Bateram onze horas na pndula. O An-
as das les ordinarias, esclarecendo^o ao
mesmo lempo com api ova el ira. c patente
de que su o allende o se o satisfaz no que
ella pede dentro dos lmites do justo do
legitimo, dentro do circulo dos seus inte-
resses bem entendidos e de suas necessida-
des bem ponderadas e palpaveis, dentro di
espirito de suas aspiraejes judiciosas e pa-
triticas, (poiados.)
E' assm que nos ensna a marchar a
grande escola dos polticos inglezes. Deixa-
se brotar, desenvolver, discutir e amadure-
cer as ideas novas, as exigencias levantlas
pela marcha e progressos da sociedade;
quando a todos os espiritos se patenta a
idea geralmente aceita e pensadamente e
madura, todos a abraco como pratica c
indispensavel, o proprio partido que^ecom-
batteu apressa-seem approva-la, rommet-
lendo-se enlo reformas prudentes, pausa-
das e conciliadoras, com o que se arredam
as exageraeoes, e se acompanha paulatina-
mente e com verdadeira sabedoria n pre
videncia o movmento progressvo da poca.
E' por isso que eu j disswaqni que o
povo nglez, c os estadistas britnicos, quacs-
qner quesejam seos principios, paixs ou
instinctos polticos, consttue o povo de mais
senso pratico, de lino mais positivo ; c por
>sso que en j disse aqu que os inglezes
fazem muito bem em nu levar o lgica em
politica at o absurdo, pensamento que um
nobre deputado por Goyaz, na sesso de
hontem, a rospelo de outra discusso citou
dando-lhe interprelacao errada, ou para
melhor, interprelacao de fantasa, porque
nao doclarei en, como no-lo deu a entender
o nobre deputado, que a lgica era absur-
do. (Risadas )
O que avance o sustento que ella
deve chegar smente at o possvel. (poia-
dos.)
O Su. Caudoso de Menezes: Quando o
contrarie nessa idea, nao lin'Ki ella sido
assim desenvolvida.
O Sn. Peheiiia da Suva: Por tolas
estas ponderafes, pens que a primeira e
mais urgente reforma qne nos cumpre pro-
mover a da Weleitoral. Fixamos ga-
rantas a todas as o^nies, a todos os par-
tidos, como necessario para realidade do
systema representativo.
Quera tiver maioria ver>Videira, triumphe,
parlamente e governe o piz. Tome o paiz
a respoDsabilidado dos actos do governo,
e nao a faca subir aonde ella nao deve che-
gar conveniente, e nem com smceridado e
jostiet. (poiados.)
Esta sesso legislativa composta pela
maior parte de jovens, mas cheios de vi-
da, de cuthusiasmo, de desejos de bem
servir o paiz. Aproveilo, pois, o seu tem-
po, Reselva as reformas convenientes, e
at no seu proprio interesse, e nao sy. no
de todos.
Tem direitos a ambico de governar o
paiz, porque o governo deve pe tencer a
capacidade provada no parlamento, as pas-
tas de ministro devem serganhas na tribu-
na, para que baja governo parlamentar.
(poiados.) Restaure a cmara actalos di-
reitos c garantas eleitoraes, afim d j que ha
ja eleico livre e seja o parlamento verda-
deira expresso do paiz....
O Sn. An.vujo Ges .-Para sermos de-
putadosno precisamos do governo. (poia-
dos.) Eu pela minha parte pelo menos
protesto.
O Sn. Benjamn : Isto aecusar a
cmara. (poiados.) Protestamos contra
isso.
O Sn. Duqce-Estiuda Tcixeida e outros
SEHiionEs do apartes.
O Sn. Presidente reclama o silencio, e
que nao interrompam o orador.
O Sn. Pereira da Silva :Ninguem mais
respeita e aprecia a cmara actual do que
o humilde orador que ora tem honra de
se dirigir a ella, e implora a sua benevo-
lencia, e tendo-lhe dado todas as demons-
(Muilos poiados.)
Se hoje possue a unanimidade, deve-o a
cirenmstancias particulares que influiramno
processo eleitoral, na occasio em que as
urnas tiveram de exprimir-so. Devc-q ao
descrdito em que cahin o partido que dei-
xara o poder a 10 do julho de 1868, e
que o levou pelo conbecimento da sua pro-
pria fraqueza a abster-sedo pleito e da lu-
ta. (Muitos poiados.)
Sinto todava, lastimo muito que para
bem do proprio.partido conservador, para
a boa administraco dos negocios pblicos,
para prestigio do parlamento, para devida-
mente esclarecerem as questoes, para bem
so provar ao paiz que as ideas que prufes-
samos, os principios que frmam a nossa
bandeira politica sao os mais proveitosos,
patriticos, assisados e praticos, nao tives-
se tido entrada na actual cmara, um grupo
dos mais Ilustrados parlamentares do par-
tido contrario, que em vez de nos embara-
car nos coadjuvarh na soluco dos ne-
gocios pnblicos com a,.luta e.o combate.
(poiados.)
Quanto a questo em tliese, basta para
demonstra-la, a historia do que se tem rea-
lizado entre nos. E' fcil dizer que so po-
derla sabir deputado contra a vontade do
governo, mas quem podo aqui penetrar as
legislaturas passadas sem passar por gran-
des trabalhos, c assim mesmo nao suppor-
tando efficaz resistencia ? as opposicoes,
senhores, que se sent quando pesa, in-
(luc e predomina o govorno. A questo nao
de maioria real no paiz ; de abusos, de
violencias empregadas (poiados), e que
seno poupam desganadamente. (poia-
dos).
Queris a prava mais convincente de to-
das? A eleico de 1867 foi procedida
achando-se na administraco publica, nao
um partido poltico proprianv?nle, mas um
grupo de homens que formaram umasitua-
Co peculiar c artificial, apoiada as torcas
officiaes. Lutou o ministerio contra ambos
os partidos polticos reaes e legtimos do
paiz, e que tinham razes profundas e inte-
resses verdadeiros na sociedade, c affeicoa-
vam as massas aos seos principios c ideas.
Na hita eleitoral at em algnmas provin-
cias, estes dous partidos grandes e podero- j
go ia-se apagando. No tubo do fogo
raurmuravam os rumores da noute pari-
siense.
A silenciosa contemplado da baroneza
durou muito tempo.
Poz-Ihe ponto coudo suspiro, que valia
por utn monologo. Era de cefto ella
aquella miniatura. A refulgente raaa'posa
lembra-sc talvez com saudade do mmesto
involucro da chrysalida. A baraaeal nao
linha rma.
Poz s dous retratos no taboleino da
secretaria, c tirou da caixinha m puflhado
de papis, dos quaes o contacto Pae fez
tremer a mo. Eram desses papis;cujo
aspecto nao engaa, papis qlie de alto
baixo, na escala social, se chamam papis
por excellencia ; verdadeiros papis, apis
que, historias authenticas.referem a vida de
urna crealura humana, resumida pelstres
actos prirJCipaes : o nascimento, o^lsa-
mento e a morte.
Havia alli urna certido de nascimento
outra de casamento e ontra de obrto.
Depois tornou a mo da baroneza a su-
mir-se no" fundo da gaveta, e d'elM vet
trouxe um valumoso caderno cobirlo de
fino e cerrado cursivo.
Amarellecera a tinta as cansadas felhas
d'aquelle manuscripto. Datava de lnge.
Deviam-n'o ter lido bastantes vezas.
A primeira pagina, que conservava ?as-
quicios de lagrimas, omecava assim :
l de julho de 1885.
Prometti escrever-te muitas vzes.
Passei grandes quinze dias para obter urna
penna, tinta e papel. Estou no segredo
da priso de Caen. Quando trepo e me
agarro ao parapeito. da janella, comsigo,
ver ocirao das arvores da graode alameda
e os chopos que ao longe corta* ib lam-
pinas de Louvigny. Gostavas ta d'aqelles
chopos : ellos fallamme de t. >
B no fina de aigarals liabas qaasi api-
padas, sobres*hia <
. 9e que wm
que a mais nrg"4Wte c momenlosa nefes-
sidade reclamada pelo" paiz. So a dase-
jo de chofre decidida. Requeiro largo de-
bate, profunda meditacSo, criterio verda-
deiro, e por isso reclamo 6 seo estado al
que chegue a opportuntdade prepr.
Ganhe assim esta cmara sympathia ge-
ral do paiz, visto que j possue a da maio-
ria da naco, restaure o syslema represen-
tativo na sua essencia, e fique certa, con-
vencidissima de- que nos annaes parlamen-
tares d) Brasil e na memoria do povo se
gravar indelevelmenlce em caracteres per-
manentes o gloriosos a sua necio e in-
fluencia benfica sobre o paiz, socre o sata-
lar, machinismo das nossas instiluicoes.
(Muitos poiados.)
Mando a mesa o projecto annunciado, e
pejo a sua letura e que seja julgado ma-
teria para o competente exame e delibera-
c3o. (Muito bem, muito bem.)
Vem mesa, e lido o projecto sobre
reforma eleitoral, que se acha publicado.
Entra em 3* discuss) o projecto de-
clarando que as peirsSes concedidas, a va-
rios individuos o toram sem prejnizo do
direito ao meio sold.
Ninguem pedindo a palavra, Rea a dis-
cusso encerrada, nao se votando por falta
de numero legal.
Entra em 3a discusso, a qual fica en-
cerrada pelo mesme motivo, o projecto do
senado revogando o 5 24 do art V da lei
n. 1,083 de 22 d^ agosto de 1860, e res-
tabelecendo a disposig.o do art. 45 do c-
digo commercial.
Entra em urna nica discusso, e igual-
mente fica encerrada, a emenda approvada
pele senado a proposico desla cmara que
aotorisa o governo para conceder ao ba-
charel Bento Jos da Costa Jnior isenco
de direitos sobre os objectos do que traa
a condic3o do contrato celebrado por elle
com a presidencia da provincia de Pernam-
buco para a construeco de urna linha fr-
rea da cidade do Recife povoaco de Ja-
boato.
ORDEM DO DA.
Contina a 2a discusso do art. 3 do
projecto sobre reforma policial.
O SR. ANDRADE FIGUEIRA faz algnmas
consideraces; depois do que fica a mate-
ria adiada.
Dada a ordem do dia, levanta-sc a sesso
s 11 horas da noute.
Nos dias 18, 19 e 20 nao houve sesso-
SESSO EM 21 DE SETEMBRO.
PRESIDENCIA do sr. nebias.
Ao meio dia, feita a chamada, verifi-
cando-se haver numero sulficiente, bre-
se a sesso.
Lm-se e approvam-se as actas das an-
tecedentes.
O Sr. Io Secretario, d conla do se-
grate
Um officio
EXPEDIENTE.
do ministerio do imperio,
sos, que se diriam ter por si todo o apoio j transmiltindo a copia authentica do decreto
da opinio se reunirnm para a eleico, e
combinaram candidatos. Forara ambos
vencidos.e derrotados pela influencia olli-
cial, pela situaco anmala que governava o
paiz de cnto (Muitos poiados.)
Creio que nao posso responder melhor
do que lembrando este fado histrico, aos
que pensam que se pode hitar com o go-
verno quando este quer seria e efficazmen-
te vencerecicofs (poiados). Pode um ou
outro opposicionisU conseguir um diploma
de deputado ; as vezes nem isso vale. Eu
proprio j vi aqui rasgado o meu para/se
dar ngresso no parlamento ao meu derro-
tado competidor. Outras vezis consegue
se a approvaco do diploma, e eu posso
fallar com fundamento, eu que tenho por
vezes logrado a fortuna de sereleilo depu-
tado pelo meu digno 'e muito ndepemlente
e nratto nobre districto.achando-meemop-
posico ao governo.
Nada, porm, do que se tem avanzado
modifica ou altera a verdade da these que
eslabeleci, e sustento com a mais profunda
convicefo. (poiados.)
Restando o fio das m nhas observaces
digo que esta cmara, que j to relevantes
servicos tjm prestado ao paiz, resol vendo
questoes graves_p importantes, econmicas
e polticas, adiadas, votando a reorgansa
Cao das financas, approvando a re-
forma do recrutamento, assentando as ba-
ses da futura guarda nacional, e cuidando
de modificar a lei de 3 de dezembro para
o fim de satisfazer s aspirares liberaes do
paiz, deve preparar-se para o estimo e a
soluco da indispensavel reforma eleitoral,
pelo qual S. M. o Imperador houve por
bem prorogar novamente a actual sesso
da assembla geral legislativa at o da 30
do corrente mez.Inteirada.
Outro do mesmo ministerio, declarando
que se expedir avisos s presidencias das
provincias do Rio de Janeiro e de Santa
Catharina, sobre as informaces pedidas
acerca das eleigoes primarias das parochias
de Nossa, Seiihoia da Conceieo da Boa-
Esperanc.a. o de Nossa Senhora da Graca
do Rio de S. Francisco Xavier do Sal o de
Itajahy das referidas provincias.Inteirada.
Outro do mesmo ministerio, enviando o
ollicio da presidencia da provincia do
Cetra, prestando a informaco relativa
eleico primaria da parochia de Nossa Sen-
iora da Piedade da Varzea-Grande. A
quem fez a requisico.
Outro do mesmo ministerio, enviando os
oflicios da presidencia da provincia das
Alagas, prestando algnmas informac-es
sobre os foctos occorridos na eleico pri-
maria da,parochia do S. Miguel dos Cam-
pos.A' qaem fez a requisico.
vados n'aquella linha. J nao chorava :
eslava paluda como um cadver.
Dir -se hia que o coraco interrompera
as pulsacoes, e que a respiraco Ihe expi-
rava nos labios.
Ao bater da meia noute. estava ella ain-
da no mesmo lugar, com os papis na mo,
iminovel e de p.
A bulha da pndula fe la estremecer le-
vemente. Metteu na caixiaha os papis e
o retrato feminil. O retrato do mancebo
ficou-Rie na mo. Foi a gaveta fechada, e
bem assim a Secretaria, e a cha vinha lavra-
da desapparvceu.
A baroneza tornou a assentar-se ao p
do foglo, agora apagado. Tinha fri no
corpo e no coraco. A altifude d'clla ex-
primi profundo incoramodo, e de lempos
tempbs, percorria-lhe as veas um calo-
fro.
Hei de ver esse homem, mnrmurou.
Ser-me-ba-vedadTo luto ?.. E Miguel!...
Hei de saber. Oh I interrompeu, cobrn-
do-se de suor. Tenho med de saber !
L fra, iam os rumores da cidade di-
minuindo.
Pela una hora bateram pela terceira
vei porta exterior. A baroneza como que
estremeceu; levantnu se, prrm, de promp-
to e camiahou para a porta com passos
Elle dorme ? perguntou Domergue
depon de correr o fecho ?
Cerno um anjo replicn o excellente
criado.
A batoneta disse :
Vamos I
Domergue caminhou adiaste, cora um
(sli?al na mo.
A senhora baroneza ha de perdoar
a minha curiosidade, tottou depois de al-
grms passos : fni en quem primeiro se in-
teseou por aqqege moco, e apiar de c
o-tar no comraercio desde que me emendo,
sou.seasvel. Prendo-me facilmiAte s
pessoas... Depow da frova # a se
dos para a Hfomfoaciln gaz da capilat
mufgacio do decre'o n. 1,167 de 6 dp
junho de 868, e m.-rnhh rosliloir as
quantias anteriormente cobr.ava^ por essa
cansa, contando se o prazo de 25 annos
da data do contrato celebrado com o go-
verno da raesm i provincia, e na qual S. M.
o Imperador consente.A' archivar, oflki-
ando-se ao senado.
Tres do I* secretario do senado, parti-
cipando ter constado ao mesmo senado
que S. M. o Imperador consenle as se-
guimos resolutos: Io, autorisando o go-
verno a codeeder carta de naluralisacao de
cidado brazileiro ao padre Egydlo da Pa-
terno o a outros; 2', autorisando o go-
verno para mandir restituir a Liberato Lopes
e Silva a quantia do 4:928 tancia de juros que Ihe toram indevida-
menle exigidos o pagou como fiador de
Lirio Lopes Castetlo-Branco e Silva; 3a,
mandando continuar por mais 10 annos a
concesso de quatro loteras annuaes
santa casa da misericordia da corte, e con-
cedendo dez loteras para as obas da reja
matriz de Sant'Anna.Inteirada.
Cinco do mesmo secretario, participando
que o senado adoptou, e vai dirigir
sanccSo imperial, as resoluces approvando
diversas pensoes; concedendo carta de na-
luralisaco de cidado brazileiro a varios
estrangeiros; e declarando pertencer filha
do lenente-coronel Joo Simplicio Ferreira
meta de da penso concedida a D. Maria
Amelia Ferreira, viuva do referido official.
Inteirada.
Um requerimenlo de Elias Francisco
Pinto Barbosa, pedindo para que a irman-
dade de Nossa Senhora do Amparo, da
provincia de S. Paolo, possa adquirir e
possuir urna casa que Ihe foi deixada em
testamento. V commisso de fazenda-
L-se e approvado um parecer de
commisso, pedindo informaces ao gover-
no sobre a pretenco da estrada de ferro .
de Mau.
Lm-se e vo a imprimir os segnintes
projectos:
A assembla geral resolve :
t Art. 1. O estabelecimento de oflicina
de impresso, lithographia ou gravnra.como
industria, permiltido a nacionaes e a es-
trangeiros.
Art. 2. E', porem, um direito polti-
co o de imprimir, lithographar, ou gravar,
jornaes, peridicos, revistas on estampas,
pie refiram-se a assumplos polticos ou re-
ligiosos, quer pelo exame e discusso das
doutriuas, quer pela censura ou aggresso
aos individuos, como funecionarios pblicos.
como homens polticos, ou como ecclesias-
ticos legalmente reconhecidos como taes ;
salvo aos estrangeros o direito de escreve-
rem em cau-a propria.
1.a Quando esta le diz imprimir, li-
thographar ou gravura, comprehendo o di-
reito de assignar artgos ou de editar, redi-
gr, pulilicar, distribuir ou vender escrip-
tos sob qualquer denominaco, gravura ou
estampas.
2." Exerccm, para este effeito, o di-
reito poltico os cidados brasleiros :
I.Que nao estiverem no caso do art.
8." da conslituict) politica do imperio.
I!.Que nao estiverem pronunciados
como indiciados nos crimescontra a inde-
pendencia, iniegridade e dignidade da naco
contra a contituieo do imperio e forma do
seu governo, contra o cliee do estado o
contra os membros da familia imperial, con-
tra o livre exercicio dos poderes polticos, o
nos de conspirarn, rebello. sedco, in-
surreico, moeda falsa, trafico de Africa-
nos, prevaricaco, peita, sutomo.concusso,
peculato, irregularidade de conduela, falsi-
dade, perjurio, homicidio infanticidio, abor-
to, estupro, rapto, polvgamia, adulterio,
furto, roubo, eslellionato, fabrico e uso de
armas para roubar, c nos crimes menciona-
dos no art. 3., ou nao houverem assignadu
termo de bem-viver; salvo em causa pro-
pria.
III.Os que nao houverem fallido, os
que j estiverem rehabilitados, em geral os
Outro do mesmo ministerio, enviando o qe n0 estiverem interdictos judicialmente
officio com que a presidencia da provincia; (|a administraco de seus bens.
da Bahia transmiltio as actas da eleico
primaria felta na'parochia de Santo An-
tonio da Barra do collegio eleitoral do
mesmo nome, pertenccnlc ao 8 dislricto
da dita provincia. A' 2a commisso de
poderes.
Outro do ministerio da agricultura, de-
volvendo o aulographo da rcsoluco da
assembla geral que declara isentos de di-
reitos de importaco os objectos despacha-
tenho confianca na bondade de- Deo nhofa Caroj! mos com
Tinha a baroneza Schwartz os olhos era nlfama certeza '
Conforme, replicou a baroneza com
voz alterada.
A mjnha senhora nao tem que receiar,
proseguio'Domergue ; todos esto deita-
dos, fico por isso. Nao ha follego vivo
estas horas acordado no palacio, e a criada
da senhora baroneza ainda agora est l
para oboteqoim com a madrinha... A
senhora baroneza bem sabe que nao sou
de dar lingua; mas to raro ver urna
senhora como a minha ama oceupar-se dos
peccados velhos de seu marido !... O
sen'hor baro tem muito Com que pagaras
suas travessuras ; mas a minha senhora!..
Chcgavam escada. O quarto do nosso
here Miguel era no andar de cima.
A baroneza caminbava silenciosa : nao
tratava, oorm, de mandar calar o criado,
que connnuava baixinhoj:
Assim com.tssim, nem por isso era
cousa que prejudicasso muito a menina
Branca. O que ha chega bem para dous...
Mas quando urna pessoa pensa n'isto, acha
bem com que pasmar. Faz crer em Dens,
se faz! Ir o senhor baro justamente
aquello casal, onde justamento estava o
Sr. Miguel., e traze-lo justamento comsi-
go f... bem singular I
Parou. Defronte-estava a porta de Mi-
goel.
Agora era doenlia a pallidez da barone-
za, e l cada passo tremia como vaYas
verdes.
Foi urna Providoncia. baraocioo,
verdad*.
Domergne pensou :
Por menos ciumenta que se. seja, sera
pre a cousa amarga; olhera I i I
Mas, accrescentOH em voz alta, como
que descalpando o bar3 Schwartz, o Sr.
Miguel tem os seus dezoitft ou viaje annfs
contados; foi mnito antesio casamento da
minha ama.
So bem que indiciosa, n parecen i ob-
servacao acalmar a toroaco da baroneza.
A'nm signal d'esta, abHo Domergtre a
por de Miguel. Todo ert wm n^qtwlle
perfumado ambiente. O fho da casa nao
seria memorax^mwoohKlo. hn tagirinos
IV.Os gue estiverem as con licoes
de ser qualilicados votantes as assemblas
parochiaes, embora de fado nao estejam
qualilicados.
t V.Os inaiores de 21 annos, que,
excepeo da idade,
para eleitor.
livcrem as condices
(Continuar-se-ha.)
enfadonha descripeo, affigure-se-lhes um
quarto de rapaz, nm tanto desarranjado, mas
quanto possivel gracioso e elegante. Do-
mergue entrou primeiro precatadatBBnte,
abafando no tapete a bulha dos jassoe, e
certificou-se de que nao cessra o somno
ile Miguel. A baroneza esperava de fra.
E de certo que, fossem quaes fossem os
motivos do passo que dava, o piprio passo
to singular e to pouco consoante com os
coslumes de to nobre .senhora, bastava
para explicar a commoco quo a assallava.
Haveria verdade no pensar do Domer-
gue ? la alli a baroneza para investigar o
passado do marido ? Era excellente aquello
matrimonio ; mas contava j muitos annos
de existeneia, o o elemento apaixonado
nao pareca sobrar do lado da baroneza.
E se Domergue so enganava, qaem'oin-
duzira em erro ?
Vollou elle, fazendo o gesto quo quer
dizercalada, e pronunciou mui baixinho:
*0 somno do justo.
A baroneza entrn. Miguel estava es-
tendido na cama, cora a cabec-a deseoberta.
Os soltos anneis dos longos cabellos davam-
Ihe feminil belleza ; era urna crianca ado-
ravel; a vida loucamento dissipada que
levavacancava-lhe o rosto,sem prejudicar a
expresso de vigorosa eaodura que era
n'elle a feicao da physionomia.
Conservava-se a baroneza detraz de Do-
mergue, qoe levantava o castical de mado
que a luz batesse de chapa no rosto do
que dorma.
Como ha de a minha senhora conhe-
cer ?. perguntoo. A carta faHt de algnma
me dama, de algum signal ?
Como a baroneza nao responda, Dd-
mergoe voltoo*se para Olla e vw-a to ran-
dada, doe esteve a largar o easc|.
Que tem, minha senhora. sent al-
gnma cousa ?... oomffMr.
A baroneza interromaga-o com ora ges-
to. Designon com a-i a wa, e dopois
a norta. ftamer^le n-me o easll^i e
^" /Afa;..,.,a*\
\
i
i
\
* }
l
TTT.-MI

>m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7YT6FO4N_S9DPQV INGEST_TIME 2013-09-14T00:45:00Z PACKAGE AA00011611_11971
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES