Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11967


This item is only available as the following downloads:


Full Text
km XLV. NUMEfi 235.


HU A OlTAl E LCABES 0I9E IA0 SE PASA POIlTE.
ayiw*!*ttesaMa Por tr tos idem............ ......
Pop un innn D Por m tono klem.......... [ [.....'
^Viumero avoiso.......... ...... *m
........ POB
OUWT FEIRA 14 DE OUTUBRO DE 1869.
PARA DENTRO E FOftA DA PROVWCIA.
*or tres otos adiau.
*** ditos idem. '
j^w non ditos idea, .
Por y^a nno.......*


#'
PropriiBdade de Manoel BglTeira de Earia & Filhos.
)
'm'
AO ENTES:
O. Srs. Gerardo ^^^^ Qliveira, noCear; Anton^delemos B^^no Aracay; Jo*> Mara Julio Chaves, noAss; Antn*) Marqnes da Snva, DOlata; JoJttmo
diario de nmmmf
=*
nKciKE, 10 de oimmo de 869.
NOTICIAS DA EUHOPA.
TJhogeu liontem pela tuanhaa o vapor francez
Vcaire, trazeado datas : de Hamburge 10, Lon-
dres ij, Pars Si, e Lisboa 23 do pausado :
HKSt\xn\.Diz-te que na conferencia que kouve
nn Pars cutre o imperador Napoleo, general
Prrtt. SHreHa e Olozaga, e de conferencias com
ford Ciarendon se aplanaran todas a diffir.itlda-
despara ser indigilado como candidato ao throno
de ncipinkit o rei D. I.ntz de Portugal, iltni-
falacia republicana un Tarragona. Assastina-
tt dt secretario do gocernb citiL l
> '$ i 0ii ird1 cicica. Barric du en Barcelona
Hectamacoes em MeltUa (barrocos).
\ j :iic.v..Vif 3o repre tentante dos Estados- Vni-
ao governo hespanhol sobre a independan-ta
de Cuba. Recusa das ditas para lulligerantes.
Ifitali di insurreicao em Cnoa. Reconheciminto
a independencia de Cuba pelo Per. Insurreicao
do Michncm no "Mxico. General Sherman ito-
m^tio ministro d t guerra nos listadas-Unidos.
Oais.iru.Estado da questao turco-epgpoia. Via-
g-tm d)prncipe Carlos di Rmminia, eprojec-
tos de CJtamekto eom a filka do czar. Resfria-
win'o du relarJes di Pnusia e di Russia.
fti.au f. iirA.ua Concilio d; 8 de dezembro at 5
d*jan:iro. As potencias uto maivlam represen-
faites,pw etrataren allisde questoAi t-eo-
tojicK. Trabalhos preliminares de d hispa. A crise ministerial prolongase na
I'a'ia. Uperaros fnanceiras sobre as obriga-
o du tau eceietwticos.
Ku,-:a\sm..\bre se n parlamento da Atlemanha
it i Sirle a l a; outubro. O ducado di Badn
r.-.'r.t ni confederadlo. A Dinamarca reclama,
acump intento do tratado de PrUji. Preparase
a lata entre o partida da guerra eo da paz.
O onde di Heusl va>. formir oco gabinete aus-
traco. Ai'dacao e tumultos as provincias.
Fiianca. Melltras do imperador. O corpa legis-
I'tico s re i'ire en principios de dezembro.
PoeTDSM..C-irl-s ai el-rei desmatando MI cor-
retponitncus dt Pars sobre sita abdicaedo em
aem/Uk Mmiea do nono rorretpoiviente em
L'sboa.
IhJtPAHHA.
i) awitcciiH tato djAucj iio a.i ultiaa qiime-
n i uni> toni cha naJo a altnju publica, e a ox-
cilajio d>s aainns na piiinsula a ijaestao di
c.nlid Hura ao tbroaj heapaobol.
O jjuuimI {triol, presideiuelilo consellio de mi-
tiiituu, i o 5r. Silvcll.i, miaiitro dos estr.ingtiiros,
nblivdni'ii a o-ifurjncia ton o imperad )r Napa-
K'i, aiiunJ.o presenta o Sr. Olozaja, embaixi-
tl ir Jj lljsjia.ili i o.n l'ans. Diiii i|u so tall H Ja
P llica ,'jr.il di pnisoia, na oloiii d; um roi
o n js egoalos de i/ibx Nodd se sabe de positi-
v i dot p mu nyret d >*U ojaterancia, niis arll in-
r \--n mt ev desigjado o mmj o caadidato
i'i'.iiIjyo soiMpiosciUadopoliigjvernj he^iaiiuo'. O
H aoral i'.i.n, asiim que rogrossou a Madrid ora >
sr. Silvalla, Uivvrettailo d> oasellio de ministros
a '| id presidio o'rofttte, goner.il Serrano.
liasMaidao Joraaes toi publimdo em extre-
ihi adiDirados a seguate carta d.i Parta :
i Paria 19 Je setembro : A Hespaahajtein
um roi: I). Lab de Portugal Asaim licou eom-
binado ni- coniereacias cclebradis nesta capi-
tal.
iv; i.:,i!j..i Okzigi. QiandPrim aipteho-
gU, Irma di Vi-:ilu.iJjs par.i levar ;i cabo o peo-
smi:v.j di uniao ibrica, mas voaecram-se tjJas
Anal.
Para traaqaillistf o governo inglez, que in-in-
\ .i para as coslis da p;,iin r.i'o a s iiavidoi o* prim tiros ru n irea, u ni pjde-
t v aira c im oito .mi ln.ii;n< de desembar-
fie, tu cu nli a Vicby o ministro b:-pinlid
titfc.*, i|ie partiu en seguida pira Londres, e
r i;i '' i i qua u gavorao iuglez eavjasM lord la-
i Pars para traiar da qaesto ibrica.
V fi ililia real portugaeza tituluou at o prin
ripio djste m >., mas depois accedeu tudo, e o
nurqu.u de .N'i foi a \f ilrid, conl'erenciou c un
..i!0'j:i> pilitLi o veio logo a Vchy trazer a an-
n icn:ia Jj el i :\ D. Lon projectada ooiabina-
rS i.
< A observadlo que so fazia relativamente aos
p^rtagaezes oSo estar n rosjlTldoa a aceitar esta
i'j'iibiuaci'.. respaailea o marachal Sald.iHhaobri-
jj ludi-se i sii&aear pirineio do exerdto-qaalqaer
lajvtton! i poptlar.
< Poitaoto a questao Beoa regulada desle mo-
.11 :
D. Luiz e Portugal abdicar em seu fitb i
priiBJfenito.Este lera at a sui miioridiJe por
i u >r s o avi l). Peraando, o qoal ser;'i nomeaJj
r 'gente do reino.
Keari ettabaleeido que o suecesor s coras
! tfospuab o Portugil ser o tillu de D. Luiz,
oaserraaJo cada oacaua saa autonoma, a iaa|
a 1 niiiis'.f ici i i irticular, e o seu parlamento.
Este accordo ser submeltido pelos Srs. Prim
<-. Silvella ais seas collegas de Madrid, nao seton-
'io p.ircm compromettido os ministros dos negocios
da guerrae dos eitrangeiros, senio a sustentar o
quefir resolv ja ea cjnselh) de ministros, ao
qual ser sogeits a ques'io franca e livremente.
O gov-rua liespanli >!, laabnente, apre>entar
i cirtei um projecto de Ici ueste sentido. O ge-
n>ral Priio lomm a responsabilidade de faier
c .n quo s.'ji obeJecido o que decretarem as cr-
A imprensa portugueza levautoase em peso
t ,itra as insinu3cdes cuntidas nesta carta, pe lin-
da ao Koverao portagtwt part mandar pabli-
ir ni follia oflicial um desmentido aquellas
assercoes.
Se aqiellas cambinacoes nao tem fundamento,
tarara forjadas rounindo-so todas as circumstan-
ias qi'j as podem tornar verosmeis ; paisse apro-
;itaram da retinia em Pars daquelles estadistas,
miras pessias importaotes para Ihe darem edr,
lia" a tirnasse crivel. Veremos o que ha de ver-
.i ule.
O Jornal do Commercio, diz que nao haja
ios Je comonaco ibrica ; que o povo es-
i-dliui un soberano c nao quer ser ibrico ;se
i soberano quizer aceitar a corda da Hespanha
ue a aceite mnito enbora, i.as que o poder que
l'iz as leis, o en virtule da qual elle o primeiro
f inccioiaro dopaiz, Ibe eseolher succes i o ou fjra da dyiana-iia, e que pode raesmo mn
.i:ir a f." na do governo, e ptescindr da nra rei ;
que i passou o tem n ont que o pavo era apaa-
gio d .soberano de direito divino, e que buje o ani-
*o direito que mant n as testas coreadas a
vontade da soberana nac nal.
Os Jomaos hespanhi.es desmentem a noticia de
que a candidatura do duqae de Genova esteja re-
sotvida pelo goverai, asslm como o enlace matri-
monia) dette com um i das (libas do duque de
\ i une -ier. C muta jue o duque de M mtp^niier
laauie-lra que avaha em muilo a sua diguidade.
p.tra c-nieatir que enlaces de suas Albas seja n
obtecte .le co iibiiiacdes icilitiea*.
i ir.ul francez dei > diz|ic,na conforonciaen-
tr'V^ i;> den e o gen -r d Pri n se pronunciara o n i-
OM di futuro reidell -.panba.equeflcon combinad'
g u dar legrado an-; iluto, at o mo uento deeisiv ,
t> de .m>>ieao a n ivu rei.
Wl a Cirretpon emu que acandatctra do du-
ijtw d ; mi >va tem o ir innc i fi oceupar a opi-
qiIa (tublic.i. enjnaato se redibra os estreos na-
ratlawr viagar oluco ibrica (candidatura
&PB*'teza.)
A candidatura do duque de Genova nao tera
sympathlas, pois diz urna parte da imprensa qae
na< aetpaes cireumstancias era absurda sentar no
iBrftao ana criaoea sem sympathias ao paiz, e
absolutamente dasc.mheeid,'para toda os uespa-
nhoes, que a hiatorta de Hespanha abunda em
cxemplos qae prova quanto tem sempre stdo fu-
nestas Hespanha as meaoridades,
Dizem os joraaes, que apoiam a candidatura do
duque de Genova, qae se for eteito durante a sna
menordade. ser a regencia composu de Serrano,
Rivera e Montpensier.
Verifleou-sB em Madrid no dia l o conseibo
de ministros, ejan-ve que todo3 osto de accordo
em declarar dentro em poacosjilias o nome do
Desarmimen- e* ^m dev r efei- u
us jornaes repoblicanos de Hespanha pedem
que a elecao do rei seja feita por meto ae um
plebiscito.
As cortes hespanbolas brem-se no primeir >
de ontubro. Os epatados foram convidados pa-
ra estar era Madrid no dia 28 de setembro para
sodarcomeco varios trabalhos preparatorios
para a abertura da nova legislatura. Assegura-se
tambera que o concilio de ministros decid ra pro-
por s canes a discu-isaa de una pirte das lels
orgnicas, antes.de principiar a questao do sobo-
rano.
Corra o boato de Rivera ter pedido demissio
de alcaide de Madrid.
O orcaraanto que o governo tenciona apresen-
tar s cortes demonstra ama ecannmia ae 150
mlhoes.
A imprensa peridica de todas as cores pol-
ticas estigmatisa o brbaro assassiaato commelt-
do oni Tarragona ; na occasio em que o gene-
ral Pierrad fallava s turbas, e que a p ipulaca
respandia cora tirii i de ei*. repblica fede-
ral, e com morras e mitras iwifeslaces sub-
versivas, o secretario geral, servindo de gaverna-
d ir civil de Tarragma, qaiz acalmar a populaca
dirigiodo-lhe a palavra.e supplicaodo-lhe qae rao
perturbasse a ordom publica. O populacho cahio
sobro o infeliz secretario, mitou-o puohaladas e
arrastoa o seu ctdaver pelas ras. 0 general
Pierrad fjue eom a sna palavra dominava a mu-
tidaa, apenas vio o iaq iilUieavei crime retirou-se
vergoosamente para Valencia nao fazendo a me-
nor tentativa pira salvar o infeliz funeconare.
A Gacetta n'nma participaeaa ofOcial acerca do-
tes anontecimentos diz o seginte : Nao existem
no diccionario patavras bastante dura< p3ra qua-
lifi ;ar o pr.icedimento do gene-ral Pierrad, que
contnmu impassivei a sua carreira triumphal,
deixando atr.az de si & gritara das turbas enfure-
cidas, os ais di victima innocente, e um cortejo
de devastacao, que nenhnm i pena capaz de
descrever. i
Aiguns republicanos de Madrid vao promaver
urna reuniio para pretestarem eaergicomente con-
tra tal assassinato.
A priso de Pierrad effeotuou-se em Tortozs,
onje havia certa agitaco. O general republicano
dealarou nue estava doente, e f ii levado com toda
a-especie de cotstdera^oes'para o castello d'aquel-
la cidade, d'onla foi trausferido para Madrid.
Queria que o pnzessom em liberdade, debaixo de
patarra, e pmmellia apresentarse pessoalmente
na capital. E n so abrindo as cortes ha-de-lhes
ser pelida autirisaco para o proeessarem, pir-
que se Ihe attribue toda a responsabilidade dos
acootecimentos de Tarragona.
Depais desle brbaro assassinato pa3sou-se kwo
orlem para s^r desarmada a milieu c la lija. 0^
viiuntarios m.inlaram urna commisso Reus
pedir auxilio aos seus companheiros, mas estes
respon leram que nunca se portan) ao lado de as-
sassnos.
O de^arinimento fez se sem resistencia, apesar
das deoutados republicanos Alsina e Tutan terem
telegr.apiiaio para Madrid pedindo que se suspen-
desse a ordem di dssannamento, para evitar al-
gara conflicto.
E n Tarrag ina fram presas algantas sessonta
pessias; entre ellas figuran; mallos membrn da
juntas directoras dos clubs. Na cidade reinava
por causa disso algima agitaco.
0 enterro do secretario D. Raymundo de los
Reyes fizera-se no ineio de numerosissma concor-
rencia. Tinhvn assistdo esto acto aiguns vo-
luntarios de Tarragma e quasi tola a populaeao
que asslm prestara a ultima homenagem ao digno
funecionario, e protestava solemnemente contra a
selvtica presa di populacho.
Algn voluntarios de Barcelona protestaram
wntra o desarniraento dos voluntarios de Tarra-
gona, e em vista disto fot enviada de Madrid or-
dem para se desarmaren!.os batalhoes cujos coia-
raindantes tivessem protestado. Os voluntarios de
Rireelloni negaram-se a obedecer ordem de de-
sarmamento, fiirraaram barricadas n'um bairro
papular e oeebparm o edificios, a aatoridade
fez as ntimacoes da I i, mas naoloram attenli-
das. As tropas atacaran) as barricadas s dez
h iras da noite do da 8', c < duas horas e meia
da madrugada a insurreicao foi vencida depois de
tomadas as barricadas e de oceupados os edifi-
cios. Muitos prisioneros foram embarcados. Os
tribunaes comecaram logo a funecionar.
De Barcelloaa fugte muita gente implicada nos
tumultos, para sn-refugiar as mbntanhas ; mui-
tos cortaram o caramba de ferro era Santo Andr
de Pal miera. la em sua perseguico nina colum-
na de tropa do. governo.
Pierrad coatinuava incommnnicavel. Activara-
se o proeesso contra es implicados nos tumultos de
Tarragona.
O fiscal da causa carlista, que se julgou em
Pamplona pede a pena de mortw para to reos;
veremos se o governo da revolucao de setembro
far execalar os assassnatos polticos I
Dizem que o governo est disposto a sustentar
com energa e por todos os meios a ordem pu-
blica.
Os partidos liberaos esto de accordo em conti-
nuarem reconcilia lo*. O partido republicano an-
da muito esperancado, trabilhando por conta pro-
pria.
O Sr. Rivera, presidente dan cortes hespanholas
convocou pira ama reunio a imprensa monar-
chica. Estavam representados nesta reunio os
seguintes jiroaes -.Certamen, Coi tes. Centinela
del Pueblo, Di irio espmnol. Iberia, Independen-
cia, Opinin oopnlif. Novedades, Monarqua de
mocraticn, nnticaf Puente de Alcola, Nacin,
Universal e Inp'trcial. Resolveu-se prestar u
nalor aprio ai governo-contra todas as violencias
demaggicas e reaccionarras. Tratando-se da
questao de candidatura, a imprensa aHi represen-
tada resnlveu seguir o governo, nao s na elaho-
r.cao dts leis orgnicas, que ho de ser o neces-
sario eom de nelito da obra onstitucional, como
na elecao d chafe do estado1, obrigando-se todos
a sugeitire n--e decisio da representasa i nacio-
nal, e a saciificar as suas affetcoes e sympathias
pessoaes-.
Palla in pm urna grande manfestacao repu-
Micam h u MilriJ no lia 19 dsetebr* em qd
se o.a nemora o anniversario da revoltico de
setembr .
O t ibinal mi'itar de Cdiz acaba de citar o
conde de i'.b "te, para, iio'prso de Irinta das se
apresentar no castello de Santa Catnarina d'aquel-
la pr ic i .1 gu -rra. Este general fui considerado
Jesertir, p ir s^hir de Hepanha sem cenca.
Diz-se que o general Prim n conferencia
ne leve c .ra I irtl Ciarendon, a > smente tratou
la questao de Caa, mas taribm de butros fac-
_ri!li m m is bao irtants. Nao faifa quera sup-
p mha que se fallou ha cesso' de Gibraltar em
troca da Hha de Minore a que tanta i^nortacia
strategica vai ter agora com a abertura do canal
d e Suez.
O governo bespanhol 'trata de enviar toreas
para Mefilla,. para castigar os mouros da frontoira
que violaram o territorio hespaahol, o mataram
tnicoeframente nm cidadao hespanhol. O gover-
nc i na maquino mostrarse disposto a altender to-
das as reparacSes exigidas pelo representante hes-
Ihe apreciaran* o valor, muita dependencia de
carae/er e vigoroso espirito.
K.allei-eu Umbeiii PiU-Kessenden. |ne foi por 15
araos senador pelo estado do Maine. Foi por al-
gum tempo ministro da fazenda, sola a presidencia
de Lineun. lodos nseonheciam qae Fessenden era
o homem aliis capn do senado, votou contra a
aecusacao d> presidiente Johnson, mas Oem por
panhol em Tnger ; mas naturalmente o governo iseo deixon de "icar unido ae grande pnriido re
heipanbol ha de se ver na necessidade *
de punir
os criminosos porque as autoridades marroqu as
naa (era- forca para isso.
) representante de Hespanha dirigi ao impera-
dor de Marrocos urna nota muito enrgica .pedin-
do a nomeacao de novo pacha, e o castigo dos
culpados sendo elles para isso entregaes ao gover-
naaor de Malilla, e reclamando n.a caso contrario
una indemnisaco de vinte mil duros. Sidi Ma-
homed Vargas receben esta nota para dar cpnhe-
cimento della ao imperador que se acba em Me-
quinez ; e por isso at o fin de setembro nao fu-
ra possivel saberse a resposta quo deu o impe-
rador.
J coraecaran as sessot da commisso ea-
carregada do tratar dos assumptos de Prto Rici;
disentra-se a conveniencia de assimlar Porto Rico
Hespanha, ou de o preparar lentamente a ter
authonomia propria.
A Gacetta publicou um decreto estabelccendo a
liberdade das sociedades anonvmas era Cuba, Por-
to Rico e Philippnas.
AMKRICV SBITRNTRIONAt,.
O representante dos Estados-Unidos em Madrid
o Sr. Syckles, entregou ao governo hespanhol urna
nota conc bida nestos termos :
Artigo 1." A Hespanha reconheocr a inde-
pendencia de Cuba com o governo de Cspedes.
a Art. 2. Cuiaa indemnisar a Hespanha da re-
nuncia que fizer aquelle paiz aos sous tradicionaes
diniitos de dominio sobre a Iha. A soraraa desta
udmnisacao ser especificada'no tratado.
Art. .! A indemnisaco que se estipular de
100 railboes, de 5"J ou de 25 milhoes de peso,
seri cm bonls do governo cubano, os quaes se-
rio pagos com os juros correspondentes no praso
que se convenconar.
Art. 4. Estes bonls serito garantidos pelos
Estratos-Unidos.
Art. o. Prociamir-se-ha um armisticio entre
os patriotas e as tropas hespanholas de Cuba, lo-
go depois da execacao do tratado. As tropan hes-
pandlas evacuarlo a Iba apenas o tratado seja
ractflcado pelos representantes do povo de Coba,
e approvada pelo congresso dos Estados-Unidos a
gar.intia dos bonds.
Art. fi. Se os termos desta nota n forera
definitivamente approvados pelo governo hespa-
nhol, os Estados-Unidos reconheeerao sem de-
mora a independencia de Cuba.
O general Prim assim que leve noticia da nota
do ministro americano, expedio um despacho aos
seus collegas, dizendo que so nao deve poupar
meio, nem sacrificio algum para a honra de Hes-
panha flear Ilesa, c autorsando os memhros do
governo, emipianto elle n3o regressva Madrid
adarem as ordens convenientes para, pelo mima
terin da guerra, seprepararem oshomens, armas e
elementos necessarios para debellar a insurreicao.
ao passo que pelo ministerio da fazenda se alcan-
cavam os recursos precisos para a expedico.
O general Syckles, ministro americano em Ma-
drid, telfgraphou ao seu governo, que a nota rela-
tiva Cuba despertara grande commocao e gran-
ie rjsentimcnto ein toda a Hespanha contra os Es-
tados-Unidos ; que todos os Hespanhes esto re-
silviios a manter a integridado colonial da Hes-
panha ; e aununcou que o governo hespanhol se
rocusou a examinar actualmente as propostas ame-
ricanas, sejam ellas quaes forem ; assegurou, alem
disso, que a Hespanha nunca consentir entrar em
iiegoeiacoes sobre a base da perda ou venda da
Iha de Cuba, general Syckles infomou o seu
governo que julga que a Franca e a Austria pres-
taro o seu apoio ao governo hespanhol, e pedio
novas inslruccoes.
u dia 2i de setembro deva vcricar-se em
New-York um conselho de ministros, por causa da
queso de Cuba.
O correspondente do New-York Herald em Was-
hington, declarou que o goveruo desapprovar o
procodimeiito do general Svckles.
O World diz que o Sr. Fi h insiste na demisso
do ministro americano em Madrid.
Per outra parte os peridicos de ?ew-Yirk, e
de muitas outras cidade?, dizem que o gorerno
americano reconhecer breveventc nos insurgentes
do Cuba & qualidade de belligerantes.
Na opinao de aiguns diplmalas, esta nota nao
tem a importancia que se Ihe attribue principio.
O governo americano, que at agora tem dado
proviis de boa f Hespanha, detendo as expedi-
coes destinadas Cuba, deu ordem ao s-u repre-
sentante em Madrid para communicar ao governo
hespanhol o contedo d'aquella nota, afim de ver
se assim capta alguma popularidade para nao
perder as eleicoes que se ho de verificar este ou-
tono em aiguns esialos di 'U iia>. Eis como se
explica a inopportunidadc daapresentacodaquelfe
documento, miando a insurreicao est limitada,
seguido se amanea, ama parle da ilha de Cuba.
Em Madrid receberam-se de New-York exem-
plares de um manifest protesto dos cubanos,
assignado por Agramonte. Valiente, Hernndez e
Gonzalos, em que terminantemente se protesta
contra lodos os actos da diplomaci qae tenbain
por |lm a venda de Cuba por Hespanha, sua ac-
qnisjcao por algnma potencia cstrangera, ou sua
cesso aos mesmos cubanos mediante urna indem-
nisaco pecuniaria. O documento reduz-se a negar
Hespanha o direito de entrar em trates de vonda
de un territorio quo Ihe disputado com as ar-
mas na i nao.
Os merabros da Junta Cubana, nos Estados-Uni-
dos, segundo aliirma e Cnronista, nao aceitaran)
as peopostas do paz fritas pelo governo americano,
e procurara a proteccan da America hespanhola.
As noticias de Cuba, de origem hespanhola,
dizem que lavra profunda dvso entre os insur-
gentes, o qui estes bavlam assassinado dous do-
seos generaes, Cspedes e Marmol, que erana os
dou; chefes mais nomeados, e qae primeiro ha-
viain levantado a baudeira da insurreicao. Diz
tambera que muitos insurgentes eontinuavam a
aprcsentar;se s autoridades.
Foi capturado pela esquadra americana e con-
duzido New-Bedford nm navio carregado de lli-
bu-t 'iros, que se diriga ilha ae Cuba.
Noticias do Per, dizem qae nm decreto do pre-
sidente d'aquella repblica reednbece a indepen-
dencia dos Cubanos.
Os jornaes de New-York prophelisam a pro
tiran separaclo do Canad da Inglaterra.
Dizem do Mxico que terminar guerra no
Tamauhpas, mas quo ha insurreicao no Michoa-
can, e vivissimas discussdes polticas em S. Luiz
do Potos.
A isevera-se que o presidente Jurez nvistra boa
disp isicoes para renovar as suas relacoes com a
Hespanha, e para estudar um tratado de commer-
cio i araisado com esta naco.
O general Sherman foi nomfado interina-
mente ministrada guerra nos Estados Unidoaa*
u viga pelo fallecimento do general.Rawlins. fete
general fra advogado em Galana, cidade 4o 8sta-
do do Illinois, onde tambem reaiOiam o actual
publicano. Era inminente administrador; estima-
do por todos os parttoVas polticos dos Estados-
Unidos.
oManr rt
As ultimas noticias de Constantinopla dizem que
a carta do gro-vizir ao fihedivo nada contitm re- ,
lativo autonoinia do Eg5pto, s pede ao vee-rei o o ndosto:
eelebrar um tratado de commerrio entr a Het-pa-
nha e a Inagraterra. Lord Ciarendon leve em Pan
tima longa entrevista com b general Prim.
E' esperado em Londres o erando de Bismark.
qae lera urna eiArevisia com lord Ciarendon.
No dia W de set>mhro dem-se efleetnar em
Lodres a eleiro do lord-mayor para o auno de
Falleceucom oitento e tres anuos a> Aade la-
dy Paimerston, viuva. do celebre estadista. Era li-
Iha do visconde Melbourne e casara em 1805 eom
o conde Cowper qae tallecen- em 1837. Casoo em
segundas nupcias com lord P&lmerston em 1830.
Est quasi concluido o'embarque do material
para o cano sub-marino entre as costa a Arabia
presidente general _
(tos Estados-Unido*.
anio como chafe
Grant. Fallecen aos
pul ara as lagrimas
Washburne, raiaistre
servio na garra a
lo-maior de general
anuos, levando para.a.'*-
toas es araericanoe qae
a suspeasio dos armamentos de trra e de mor, a
annual avNiMiiunicacao f do' ornamento egypcio, e
que o khedive nao possa contratar empreslrmos
sem previa autorisaca da Porta. O grao-vizir pede
ao khedive que v Cpnstanlinopla, onde tud^ se
resolver do melhor modo.
A Taj-guia publica a resposta do vce-re car-
ta do grao-vzir, em que aceita todas as condii;oes,.
excepto as que se referem ao reameuto e aos em-
prestinios.
Eniietaat parece que o' govoroo egypcio conli-
na a fazer alistamontos, pos o governo suisso se
oppoz ao recrutmen'.o de mercenarios para o
exordio egypcio, que actualmente se faz naquella
confederara i.
As relacoes entre o sulta e o vicc-rei do Egyp-
to sao caii vez menos amigavis.
Trata-sede reunir una conferencia europea nao
s para p)r termo s actuaos desinleiligencias en-
tre a Turqua e o Egypto, mas para prevenir as
futuras, celebrando tira tratado que fique sendo :i
nova bas das relacoes dos dous paizes.
Ha grande agitaco na Bosnia e na Herzego-
vina.
O principe Carlos da Renmania contina a
sna viagem, e cm toda a parte rocebido sympa-
tbcamente. Foi j Vicua e Munich, e parti
d'esta capital no dia 16 com de-tino Suissa. O
principe gaandou perguntar ao imperador apo-
leo se o poda receber, c leve resposta aflirma-
tiva. O principe tenciona, depois de visitar a Fran-
ca, dirigirse a Belg ca, Hollanda e Dinamarca.
Diz-so que os njolvos d'esta viagem sao os se-
guintes : Em Paris trabalhava Joao Bratano, de
accordo com varios amigos politieos, para mudar
a dymnn-tia. Joo Uraliano deixra seu irmo
De-nefii em l'ans como agente permanente, e este
empregava esforcos para obter urna audiencia do
impera* ir, com" o mitigo presdeme do conselho
deldiiliareM, na qual Joo Broliano nao hesitara
eantl.ar iodos os penhores polticos de influencia
francezaJBo valle do Danubio.
O cashniento do principe Carlos da Roumania
cora mfla das filhas do imperador da Russia deve
celebrarse, segundo parece, depeis da sua via-
gem pefa'Euorpa.
U-aoviruo russo adoptou as mesmas bases
estabela^das na Austria para um imposto sobre
o jiiic. da dnida.
A Russia nao quer renovar a convenci com-
mercial feita com a Prussia em 1807 e que expira
em dezembro d*esle anuo. Em S. Pelersborgo,
inspira certos receios o espirito invasor da Prus-
sia, que j m.anifestou alto o hora som quotinha
vontade do conquistar as provincias allemaas da
Russia
Vai sor transformada em praea de guerra de
[irimoira crdem a antiga capital da Polonia, Var-
sovia.
BOMA E ITALIA.
Est decidido que a* potencias nao enviarn re-
pre-enta:ites ao concilio, porque como o concilio
s deve tratar de questtos pnrameale religiosas,
nu ba motivo para ello se fazer representar, nem
manifestar. ,\ sna inierveacie.
O concitio funecionai. pois, em liberdade e se-
r i respeilad.is ;s euas rasolucGus iheologicas. As-
sim o decidi a i'ranea, concor l.unli ne.-lc poni
a Austria, a Naviera, a Blgica, Portugal e a Hes-
panha.
Entretanto, diz a l'alrie, que varios prelados
rancezes, que v) assistir ao concilio, tenci mam
Uterem-sc ropre^en'.ntes dos nteresses da Fran-
ca, se porventafa trataremquestesque deem mo-
tivo alteraran as relacoes pmlicas.entrca igre-
ja c o estado.
0 concilio so durar desde 8 de dezembro at ."
de Janeiro do anno prximo, e ser seguido de
urna grande canonsaco, beatilicaco e grande
jubilen.
s bispos citholicos americanos resolveram de-
fender no concilio a separaco da igreja do esta-
do. Os bispos da Asia Menor qnerein pedir a sup-
aressao do celibato clerical. Os bispos catholicos
allemes, actualmente reunidos em Fulda,esto dis-
cutindo duas questoes importantes : a infallibli-
dade do papa o a educaco do clero. Contra o
dogma da infallbilidade proniinciam-se muitos
bispos. A opiSico do clero da Bohemia pede que
o concilio nao cstabeleca a iufallibilidade do pa-
pa, e que nao sejam alterados os dogmas da As-
sumpra i da Virgen), lia origem da graca e de ou-
tras doutrinas.
Na Bohemia, Gallizia, Austria e Hungra est
se organsaudo urna verdadeira crusada contra o
catolicismo e a influencia clerical. Em Praga e
n'outra cidades sao muito numerosas as conver-
us ao protestantismo.
O conselho federal suisso regeitou o projecto de'
Conferencia proposto pelo principe de Hohenioe.
conselho federal, apezar de apoiar os principios
expostos na nota Lavara, er intil tomar medidas
preventivas contra as decisoes do concilio.
Negase o boato do ter Mr. Falcinelli interroga-
do o governo austraco sobre se perinittiria que o
concilio se reunase era urna cidade austraca, caso
se nao podesse fectuar em Roma.
O governo pontificio resolveu fazer-se represen-
tar as repblicas catholicas da America. O papa
vai mandar um nuncio para o Equador, que :er
tambem acreditado no Chile e no Per.
Contina na ((alia a crise ministerial. O rei
Vctor Eramanuel convencido da impopularidade do
ministerio, ohamou o liaro Ricasoli, e depois o
general Ciafdini para foriuareiu ministerio, mas
recusaram-se; o general Durando sendo chamado,
acceitou o encargo com as segrales condignos ;
economas na administracn, venda dos navios
que estn sendo mais onerosos ao estado,Jicencea-
mento de melado do exercilo e snspenso de to-
dos os armamentos militare*. Ignora-se, porm, so
el-re Vctor Bmmanucl estar do accordo ebm
este programla.
Ferraris persiste era rctrar-sc, sendo inuteis as
insiancias do rei para o desviar deste projecto.
Os ministros das obras publicas e da ostruecao
publica, que tenconavara soguir o seu collega do
infarior decidirn) ficar no ministerio. Se Ferra-
ris sahir, a mndanca limilar-se-ha Minghetli to-
mar conta da pasta de reino.
Concluio-se operago flnanceira sobre as
gacfiesde beaseoclesiasticus.Dm coadcaes van-
osas para o estado, obtendo o ministerio da fa-
a om adiafltamento de seten a mllhes, seniki
ta quantta empristada pelos istabeteeirnentos e
inqueirws itaKanas.
C.inti rala a afita^io na Sicilia. O general Mdi-
is qajer redozir ao numere tegal as fastas retigio-
is, maiancontra da parte da clero e*) povo
msistea*la rjerttanz.
i- Tattok as das ba rixas entra a tropa o po-
no meio davivas a Garibaldi a a
apaa
Tero havdo grandes tempestades no mar da
Mancha, ondb n'urna s' semana houve mais de
vinte naufragios.
AHUMAN HA.
O parlamento da Allemanlia do ."forte foi con-
vocado para o da II de outubru ; sero submet-
tidos sua deliberacio importantes projeetos
de lei.
O discurso da abertnaa deve ser pronunciado
pelo rei.
O duque de Badn declarou que espera poder
incorporar p seu ducado na confederacao do
norte.
Desmente-se a noticia de negociaeoes enlre a
Prussia e o grao ducado de Hesse,par cesso de
Moguncia.
A. Prussia recebeu-unta nota da Dinamarca, |>e-
dindo que aquella cninpra o tratado de Praga, no
que diz'respeito ao Sohtcswig. em que se estatu
como o que romancearan) os autorra da e&fta it
Correspondencia.
< E de crer que lodtt a prensa manbia' sr
eongratole com o soberrme pelo desmentimeot
tfre fez pnbficar dos seus- pafrstleos seudmentos.
Prcpararo-se tambem' iraaffcstacdes n'esto
mentido, para o cortejo qtw-amanfcaa ta ao raer
deDelem, por occasio do anniversario natoticnab
prineipe real.
t Phrecc-mt qne era Pars, d* ipw se tratara' fbt,
segundb-as rnethoTi-s rers5es, da candidatura do
duque de Genova.
O telegrapho em dala de 25*tnmtiem nos t-
zia de Paris qur efa alli esperad* o marquez di?'
Monthnloa1 (ministro de Franca enrLisWa), e qn
o mesmo vptomaO a Italia enm-urna commis-
so partieotar de M. a rainba NM&riaPia, pan
seu pai o ni Vctor Emmanuel.
Na conferencia de Napoleo c Prim' aronun-
cioU'Se o nome do fotnrn rei de Hespanha, e ffcoa
assenlado que se goardasso absoluto segredo al
ao momento decisivo, porque a imprensa peatasa-
lar ha de fazer granoV epposico ajnove rei.
< As apprehemies qne este telegramma linha
augmentado, firaram diesipadas eom o importante
documento oflicial cima transcripto.
t Com o titulo-jarosraM carta, o JorxeHiO'Cwii-
tnercio de hontem conunentou tambem- aquella
tccidn de inexactidas-, mas ao contraria dos os-
tros jornaes, nao Ihe ligava grande importancia, e
concluo assim, depoi de iranscrever a carta V
Pars :
Supponhamos, paren, por um momento qne
effectivamentc el-rei o Sr. D. Luiz entenda ser
sua familia o para a
5jSSSV75a-n= ^tfs:
Krugcr e Ahlcman, que foram eleitos pedas po-
pulacoes dos districtos seplentriunaes do Sch-
leswig, nao obliveram que a sua elecao fossa va-!
iida la, porque nao quzeram prestar juramento,
fundando-se na nao observancia do art. 5o do tra-
tado de Praga. Os eleitures do Sehteswig, porem,
que nao dcixam passar occasio de manifestar os
seus senlmentos anti-prussianos, reelegerara os
mesmos individuos para seas representantes.
Publicou-se urna consulta, assignada por trinta
e oilo jurisconsultos de Francfort, acerca da me-
dida toaada pelo governo prussiano para banir
do seu territorio os mancebos, que para se eximi-
reni ao servicp militar, se fizeram naturalizar ci-
dados suissos. Declararan! que este acto nao
justificado |ielas leis prussianas, nem pelo direito
europou. A sua concluso <|ue tal expulsan I-
legal e que quera ella se dirige tem direito de
pedir a suspenso dessa ordem.
A Prussia responden ao corpo municipal de
Francfort, que eslava resolvlda a manter as me-
didas por ella tomadas.
Diz-se que conde de Bismark est resolvido a
permanecer definitivamente arTastado da poltica,
cm consequencia de seu mo estado de sade.
Esfraram as relacoes enlre a Franca e a Prus-
sia, e entre a Russia e a Prussia. Os officaes pms-
siauas que andam com o general Molbke acabam
de enviar para Berln as planrrstopographicasdaa
fronteiras de Franca, e as plantas feitas na Saxo-
nia na fronteira austraca. De Berln tnham en-
commendndo estes trabalhos eom urgencia.
O re da Prussia anda visitando Koenigsberg.
Ao receber as autoridades, o rei lembrou o tempo
em que seus avs se refugiaram alli e lancarain
os fundamentos da rcgeneracaia da Prussia.
0 chefe actual do partido da gu-rra na Prussia,
o principe herdeiro da corda. O Sr. de Bismark
est partidario da contemporisacao, cm d-saecor-
do com as ideas bellicosas do principe real, e diz-
se que ha desiutelbgencia formal entre air.bas.
O partido progressisia da Allemanha decidi
combater o governo na prxima legislatura, se
este nao fizer economas no orcaniento da guerra.
0 partido liberal prussiano anda colliendo as-
sgnaturas para urna petico" afim de expulsar os
jesutas e supprimir os conventos que oxstem
alm do Rheno. A Prussia tem 730 conventos de
freirs e 97 de frades, que recoluem mais de 6,000
religiosas c de 1,000 frades.
O principe real vai assistr abertura do canal
de Suez, no seu yachl escoltado por dous vapo-
rea de guerra.
Chegnu Vienna o conde de Beus para se
encarregarda formacao do novo ministerio. Pa
rece que esle estadista, tenciona drigir-se Mu-
nich para ah ter urna conferencia com o rei da
Ba viera.
O governo austraco ordenou aos commandan-
tes militares, que se a ordem'fosse alterada em al-
guma parte, declarassem immediatamnnte o estado
de sitio, tendo em vista a agitaco das provincias.
A polica tcm'feito pesquizas as casas dos re-
publicanos mais conhecidos. Os partidarios de
Kossulh e de Mazzini quo ha era Vcnua, tornam-
so a agitar para dividir a Hungra da Austria.
Pubhcou-se na Gazela de Vienna urna circular
do ministro do reino aos governadores, em que
pede a sua opnio acere da opportunidade das
eleicoes directas, do augmento do numero de de-
putados no Reichsralh, c da proposico e modo
desle augmento.
FRANCA.
nos iro-
portava isso, se cnteudeseemi'S todos ao contrario
em nao querermos a unan ibrica ? O re to livr*
era acceitar ou recusar a eora de D. Fernando,
como nos o somos em nao o consentir no thron&
portuguez, se acceitasso- essa cora. .Quando no-
via res por direito divino, ainda os sustos pela in-
dependencia da patria podiam ter justi 1103500.
Agora que s ha reis pala rontadepopular, qcan
do essa vontade fosse opppsta do soberano, n
harta razo para taes sustos, porque sahia o rair
nao so Ihe reconhecia abdicaran, buscava-se os-
tra dymnasta, 011 proclaniava-se repblica.
Esta linguagein a do-classico se uo no, e i--
boje ha muilo era Portugal quera pense deste mo*
do, sera cora sto faltar ao respeito que se deve a-
chete do estado. Foi a mesuia linguagem que se
empregou na imprensa, nuando semelhante asser-
cao tintn vndo acerca do- Sr. D. Fernando. Em
todo o caso, a ventado do soberano est solemne
e positivamente manifestada, e de modo a aug-
mentar os ttulos de sympatbia que a familia reah
protugueza tem, como pencas se presaro por
ventura de ter na Europa.
A soluco que teria, se se realsassem as noti-
cias para fins espaldudos peta carta alludida, seria-
levar o paiz anarchia, antes que novas insti-
tuieOes e novos pactos politieos se eonsolidassem.
Um jornal de boje, procurando as eventuali-
dades da poltica europea, acha jiossivvl que a
democracia, por rnorie de Napoleo III, baja de
triumphar em Franca. Parlindo da bypolhese,
algumas reflexoes addnz qae n.fa julgo de nais
iranscrever, porque diclaram-as iuqucstionavel-
mentn o bom si nso !
A' proclamaco da rcpublica em Franca cor-
responder um grito igual em Hespanha, diz o
referido jornal. A' interregaco quo nos propoze-
rem convm saber j qual ser a nossa res-
posta.
A questao da nacao visiulia tem tres solucoes
possiveis a cleico do um soberano portuguez;
a acclamacao da repabttea federativa ; a confi-
na aco da regencia por um tempo indeterminado.
Em quanto ao primeiro problema, atastada a
candidatura do Sr. D. Fernando, aceilavel s pela
honradez do principe, incapaz de urna traicao, fi-
Conliniam asmelhoras do imperador;a impe-
ratriz sempre faz a sua viagem ao Oriente, visitan-
do depois Roma. A imperatriz quer primeiro ver
Veneza, e ah embarcara para Constantinopla.
O corpo legislativo sera convocado para os fas
de novembro, ou principios de dezembro.
0 principe Napoleo aconselhou o imperador a
(azer una reforma radical na odnainistraeao do
imperio, demittindo pelo menos 60 prefetos.
Falla-se era modifisaces ministeriaes, na for-
macao de gabinete dirigido pelos Srs. Drouyn de
Lhuys e Latour Duraoulin.
l'ORTUGAL.
Causou grande sensaco no reino a publica-
cao da carta de Paris, qua damos as noticias de
Hespanha, qual S. M. el-re deu o segralo des-
raenntdo:
Meu charo duque.Pago de Mafra, 26 de se-
tembro de 1869iConstando-rae que aiguns jornaes
lem asseverado que, em virtade de comblnacoes
ltimamente eitas em Paris, en abdicara em meu
lillio a cora de Portugal, sob a regeucia de meu
augusto pai, aceitindo a de Hespanha, a nao de-
cejando que to inundado boato lome incremento,
e se me atlribuam, em assurapto de tanta gravi-
dade, inlences que esiao longe do meu animo,
venho pedir ibe, meu charo duque, faca cora a
maior brevidade desmentir semelhante noticia.
1 Se a Providencia tem reservado das de dolo-
rosa provacao ruinha patria, espero, confiando
oo amor do paita na ailiaaca sincera da liberda-
de cora o throno, poder resistir essas temerosas
eventualidades. O meu posto do honra aolado
da nacao. Hei de cumplir os deveres, que o
amor das inslitiucoes e a tealdada patria me ira-
poVm. Nasc portuguez. portuguez quero morrer.
1 Sea affeicpadnuiz.
Nnssn correspoadedte de Lisboa *iz-nos acerca
d 1 faci: .
A carta dVI-roi ao presidente do conselho de
ranstrs produiio bom ftaitn porqa ura docu-
mento positivo de que S. M. Iheo quaesquar
combnacoes de du.fisiiKi que se iMSsain ph.m
tasiar Falla-sei\ em enviar ao soberano mani-
fstacftts patritica* dirigidas pelas asocraepas,
municipalidades etc. Este novo aurtejo da mani-
rrsuepes cituslitariu novissimoa protestos pe-
nante os que na Europa nos presumen) d-sejosos
Fa.ttp.-sainexistencia de ncfocl-tcoes para
de unir os nossus destinos aos da Hespanha sob urna c
a mesma cara, ou por um acto de jibdkaco e
ca a cleico de el-rei D. Liiiz, rujo resultado im-
mediato o dualismo, ou. a completa unio da
pennsula. Portugal inleiro resiste una sola-
530, que tem como menor consequencia a sub-
inisso do paiz ao jugo do militarismo hespanhol,
e portanlo perda da sua independencia.
c O segundo problema ser uraa realidade de-
pois d.. prcclamaco da repnbHea em Franca :
mas este fado, mais ou menos immcdiato e dnra-
doiiro alm dos Pyrinens, tmnar-se-lic logo termi-
nante e positivo na Hespanha.
Nem as tradicoes monaichicas da nacao, nem'
o odio da influencia franceza, impediro aorga-
nisaco de umV-slema fundado na completa des-
liiiico das provincias entre s. e na conviecao-
gra'l dos hespanhes de ser o meio iinico de rea-
lisar-sea sua reforma pihtica.
Sabemos porteramente quaidos apostlos a>.
repnblica federal vai ganhando no paiz visnho.
Cora lulo a divsao dos partidos, alimentada pela.
proteceo interesseira do imperio, obsta por ora -
que trinmphe urna dea, que. depois da_ queda de
Napoleo s se evitara pida acclamacao do prin-
cipe portuguez, impossibildadc demonstrada o
pelo perigo do comnuinsmo, que a demngagia
enropa agora mesmo fatalmente' pregara no
congressos revolucionarios de Balo e Lausanna.
c Nao- disentiremos a terceira soluco. fiada
temos com um governo estranho. Nenhuma in-
fluencia directa pode elle excreer sobre a nossa
independencia; se a mencinanos, foi como sea-
do a lerceira forma por que a Hespanha pode or-
ganisar-se. a combater todos os pretendentes aplje-
meros, cuja razo de ser apenas est na guerra
civil prolongada.
Portugal diz a mosma folha e nsto diz mui-
to bem, reorganisado rinanceirainente, lvre peta
descentralisaco, moralisado pela economa na
despeza, teria elementos completos de vitahdade.
Enlo nenhuma erisc se justificara. A indepen-
dencia 4e Portugai nao dependera do ningein'
O iberismo mais do que nunca tornar-se-liia m-
possivel.
Eaerevc-nos do Lisboa nosso correspondente
o segninte:
t No dia 30 do correte ser assigaado por S.
M. el-rei bond geral para ser enviado ao ban-
queiro Slern, aflm desle ficar autonsado a emittir
o emprestiaw, e diz-se que na primaira quinzesa
de outubro se far a primeira emissao, o quo to-
dava nao muito prnvavel.
t Por decreto de 11 do correnle, foi oncarrega-
do da pasla dos negocios eslrangeiros o duque de
Loul, em quanto o Sr. Mendos Leal vai tratar da
sua sade, fazendo uso dos banhos de mar na
Erceira.
t Terminou no da 13 a conferencia escolar, e
approvou-se o relatorio que a mesma conlereoca
faz subir ao governo. A opinao de quasi toda
a gante qne a conferencia perdeu o tempo a dis-
entir acaloradanwnte o que nao mereca tanta ar-
dor, e pouco fez. 0 deleito orgnico. Nao t
instiluicn qae fique.
O governo concedan lcenca aos prelados -per-
luguezes que quizerem ir concilio eeoraeoico.
mas nao d subsidio para viagens oem para I
rtsidireii). *
Tambem nao ira nenhum navio do Estado
inaugiiraQo do canal de Suez.
1 Produtiram indlavel Jtmrlo ns noticias da vic-
toria picaneada. par'S. A a nade d'Ea
S.ragayos, No dia em qne 1
a do Lwuljes, Uu
leira era
raeuladoi
Hasta

'i

lUGim


lrnambuco Quiat* feh 14 de Outubro d 1869.
mm .vjk &
o! Brussels que as trouxera, UtllIl
u Pprlo tarjibein.Msas noticias
com grande satisfaco.
na fuma Oficial o decreto e cir-
imbro correnle, 3obre a adminis-
_ e arreeadaco das heranca.3 de
aabditos porluguezes fallecidos no Brasil.
< Murreu no Porto o Sr. Caetano Pinto de Aievo-
ilo, lente juhilado d escola mcdtee-cirtirgica da-
.jaeHa cidade.
No dia 23 deste aiez falleceu na Foi (onde se
ictaavi) a senhora-vtecomlessa de Percira Macha-
4o. Tmlu frito MlMien'A. Entre varia^ados
i parentes, criadas dependentes, deixoa 5W3UW
*> Asyio de MeiidiMadc o Furto; ao recolhimen-
lo das raparigas abandona urna nscrpcao de 8fJ000 : ao asylo da nova In-
fancia desvalida, da ra das Ofivoiras (Porto), urna
rascripeo do S003000 e varias outras esmnlas;
depois de satsfeitus os legados a terca reverter a
fcenafkio de seas lierdeiros, quo sao seus quatro
litios Guilhermina, Mara Augusta, Marganda c
Guilhorme do duas tercas parles de sua heranea.
No dia 24 falleceu em Lisboa o conde de Far-
\,\*\u m fc.i 11
i oYdemde Leopoldo
robo, 1." conde deste titulo, 2 bario de Quintella,
! senhor da villa do Prestimo, alcaide-mor da
Sertelha, par do reino, coronel de cavallana na-
cional deLisbJa, vce-presidente do conservatorio
real, inspector geral dos theatros, gra-cruz da or-
dem da onceicao, cavalleiro de Chnsto. Naseeu
em U.do dezembro de 1801; casara ora nrimeiras
nupcias com D. Maria Carlota Lodi, e om segundas
com D. Maria Magdalena Pinault.
Scpultou-se a 26. El-Rei D. Fernando cneai-
regua o conde do Campanil de o representar na-
quena ceremonia. Aeompanhavam o coche mor-
tuario 61 carruagens. Alguna pares do romo
faxiam parle do prestito; eratn os Srs. luiz
de Castro Guimaraes, condes de Mesquilella,
de Castro, .lo Lavradio, de Paraty, de Rio Maior o
do Fornos d'Algodres, que foruiavam a commis-
sao daquella cmara, para assistir ao funeral.
O cortejo era quasi exclusivamente cranoslo
de irtialis. adoros e msicos, do quem o conde
de Farrobo foia milito amigo e quera presiaia
importantes Karata. Entre outros viam-so os
Srs. Copolla, Cossoul, Soares, Frondonl, Alaganm,
Soromenno, Newparth, Wagner, Montero de Al-
meida, J. Gazul, Freitas Gazul, Jos Mana, Uins-
tiano. Antonio Crrmer, Vieira da ^uulu, Diurte
de S, Delnliino Tasso, Rosa, Izidoro, Queiroz e
Santos P., representanda o conservatorio, a asso-
ciacao dos prafessores de piano o canto, a rman-
dade de Sania Orilla, os Iheatros e nutras corpo-
racoos di capital. O fretro icou depositado no
azigo d. Sr. Frederico Guilhermc da Silva Pereira,
da Blgica.
Chcgou a Tnis o einboixaaor no ha ponco
esteve era Lisboa. A entrega do cellar da torre
e .Espada que o Sr. D Luii I conceden &o bey, toi
um acto solemne. Depois de una salva *, na
praca; do palacio, fui o hoy investido cora o cotiar
da ordem porlugueza. Aos demais funcionarios
tuaetaos 'foram tambera entregues, cora grande
apparatoo pmpanas insignias das orfeus conr
quslb'ram agraciados pelo ro de Portugal-,
A curvla Duque de Palmell, depois d*j]
sabir do diaue do arsenal, ir para o Brasil reu
der a Buqst da Terceira.
t Entrn, a 13 do eorrente, e so tre= das *e to-
mn* no Tejo, urna esqnadra Inglesa de lo1 navtos
coa 154 pa$as de artimaa 70*7 pracas da
guarapo. Eram os segrales :
Amcourt, 6:011 toneladas, forca de 1.31
i-avallo?, 28 pecas, 700 borneo* de tnpolaeao ;
c Minotaur, 6:641 toneladas, torca de l:3oO ca-
vallos, 34 pecas. 703 homens de tnpolaeao;
Hercules, 5:234 toneladas, fonja do 1:200 ca-
vallos, li pecas, 630 homens de irpola$io;
Momrch, 5:102 toneladas, Torca de 1:100 ea-
vallo?, 7 peca, 625 homens de tripolaclo ;
Be/toropAon, 4:270 toneladas, (orea de 1:000
cavallos, li pecas. B38 homens do tnpolaeao ;
.Inconstant, 4:066 toneladas, forca de 1:000 ca-
vallos, 27 pecas, 603 homens de tnpolaeao ;
Lord Waren, 4:080 tmeladas forca de 1:000
cavallos. 18 pocas, 603 homens de tnpolaeao ,
CaWoiurt, 4:115 toneladas, torga de 1:000
cavallos, 24 pecas, 603 homens de tnpolaeao ;
Roy al Oak, 4:036 toneladas, forca de 800 ca-
vallos, 24 pecas, 603 h Prince Consort, 4:045 toneladas, forca de
1:000 cavallos, 24 pegas, 605 homens de tnpo-
13("til "
Pallas, 2:372 toneladas, forca de_00 caval-
los, 6 pecas, 253 homens de tnpolaeao ; ,
. Crutser, 752 toneladas, forca do 60 cavallos
5 pocas, 175 Immen* d tripolaco ; ^
yorlhumberland, com 706 pracas e 18 mm
t Sio as duas divisdes a do Canal e a do Me-
diterrneo. Voltar para novembro, jiois se diz
que invernar no porto do Lisboa. El-re toi a
bordo d'alguns navios, e accetou um laen na
curveta era que viuha o ministro da manan do
S. M BriMnniea.
t Tem seis reprcsonlacoes a Harpa (le ueiu,
opera mvsiic i cm 4 actos e 8 quadros; peeraa
de Cesar de Lacerda c partitura do Gomes tar-
dn, ambos (dramaturgo o mae-tro) bom eonho-
ckIs no Brasil. Agradou tanlo pela riqueza de
sceuario, amias, esplendores o artificios com que
cao. A poliWa, ao conhecimento de quem fo let-
dc o facto pelo infismo nffendido, deu amconlioeale
as providencias que eram de esperaW^' \
LIBERDADE.-O Sr. Clandio Dobfcua sn;
ei'lloutiiima Sra. deram liberdade Unta *tai
o; era va de nome Romana, como prosiio merecido
do mais de viute anuos do scrvieo.v Registrando
e: la accao meritoria, louvamos o prOcediinento do
Sr. Claudio Dub '-,^*^*^
FERPENTOS tEVES.-r.No dia G do corread
gp'u-se no I" distrleto de 8n-Jardim, um cnnflieW
lentro Gervasio Feliciano da Silva o Hannel taniel-
di qaal sahiram amouMHh leinon;e. A au,
'ti'rida Je competente ton*U conhecimento do facto,
e ia pmcessar aus delinqueafes.
FALLECIMENTO.Aate-hfintem, s 9 horas da
nrate, falleoeu em bou engenlio loncador, da fre-
gjezia de S.JLourenco da Malla, o Sr. coronel da
enmela guarda nacional Jos Peres Campello,
honrado agricultor, que vveu 73 annos, seinpre
eslimado por quantos o conheciam.
Damos os nossos pezames a sua Exma. familia
ESCNDALO. Intormam-Bos que ha pouco
tompo, n'uma das freguezias prximas da capital,
deu-se o segrale escndalo religioso, nao se tendo
al hoja punido o criminoso, como convinha. Cha-
mamos para olle a attencao dos Exras. e Rvms.
Srs. governodores do bispade.
CHROMCA JUDiriARII.
bRIBU.\.4I. DA RBJLACiO-
ESSO EM 9 DE UTUBRQ W69-
MMbKMCIA DO EXM. Sil. COiVSKLUaiaO C.VETANO
As 10 horas* da manhaa, presentes .os Sis. desem-
oargadores Gitirana, Guerra procurador da cora,
Almcida Albu.meruue, "qfUfllpffrUf Domiugucs
da SiWHfiSia L*o, fWloia#. de*iil)*-
gadores Lonrene) Santiago e MoUa, abrio-se a
-esrilo. ,
Passalos oa eitos, deram-ee os segrales juiga-
menlos:
Rkcdbsos cniMr.s.Recrrante, o juizo ; recorri-
do, Sypriam Io Soares.Relator o Sr. desera-
bargador Gitirana, sorteados os Srs. desembarga-
dores .mingues da Silva, Souza Le5o e Almeid?
Albuquerqae.Improcedente. Reccorrente, o jai-
fio ; reccorrido. Benedicto Josfide Snza Relator
o Sr. desembargador Almcida Albuquerque, sor-
teadua os Sis. desembargador Reguera Costa,
Gitirlna e Souza Lcao.Deu-se nfovimanto. Rec,-
corrntc, o Jnlzo; reccorrido, Jos Osorio Roque
da Rocha.Relator o Sr. desembargador Domin-
gues da Silva, sorteados os Sra. dosombargadoros
Souza Leao, Rcgueira Costa e Doria.Improeo
dente. Reccorrente, o juizo; reccorrido, Floren-
liMtaiffcP le AzevedoRelator o Sr. deserabar-
a rUICIIU, | 3.i;ciiiu, alian v.-|>iv~..-*.~ ---------- -
UUCIIU U.l U.15-1 l.ui, uun w,.-------------
res que Ihe compeiiam como grande do remo, por
expressa disposicao do finado.
Falleceu no dia cm que se eclebravam as exe-
quias pelo annivoisario da morle de D. Pedro IV.
o inesmo h imnm (pie fin dedicado tora ao liberta-
dor, cora sacrificio do toda sua f .rluna, acudimlo
cansa liberal quando cstava a pique do perder-
so por fallir do capitaes e recursos.
Onlro fallecimenlo geralmente sentido o o no
eminentissini) cardeal palriarcha de Lisboa, D.
Manuel BenTo Rodrigues, que finou-se apoz d.doro-
sos p.ulecimentos no dia 26 pelas II If2 horas da
raaulia. Amanhaa (28), depois do cortejo no pa? i
pelo mimvrsario natalicio de S. A. R. o principe
I) Carlos, quo se declara olllcialmenle oi lulo
pela raorto do Ilustro palriarcha do Lisboa. Desde
hontein s trmlades os sinos das igrejas da cap
tal atroam os ares cora os dbres fnebres. Era
nm dos rnamenos da igreja lusitana, o varp d"
muitas leltras e virtudes. Ainda so nao naigita
ao corto qual das prelados do reino sera investido
com a mitra do arcebi pado de Lisboa, quo anda
anuexa a purpura caruinalicia.
O triste o infelicissimo actor Valentim \ ida
Salgado, tambora ha poucos dias toi levad > a sua
uliima morada pelos seus collegas c rauias ou-
tras pes-oas, que o acompanharara..era seu raarly-
rio cora as syrapalhias que merecen o rarn; arlisla.
Est quasi concluido o novo edificio do minis-
terio do reino, no local das ruinas da casa da ea-
Santa Cecilia ( a prologonista ) e desempeuhado
cora inteiligencia o suavidades nolaveis por u.
Carolina Falco de Lacerda. Proraette grande nu-
mero de recitas. ...
Sao excellcntes as ultimas noticias que te-
mos d. Tiraor, cora dala de 23 de juiho deslc
auno. .
. O commaudante da curveta -Sa da Damleira,
o Sr. Domingos de Souza Rodrigues, tem prestado
relevantes servicos na espinhosa commissao da
que fra cnearregado. Esto offlcial lera deligen-
riado maneiras auxiliares para o ataque de Cova.
Estes mostraran! grande repugnancia em anro
tenlar-se, em quauto nao souberam que dava
perd.ii aos reguos que vicssein praga jurar
obediencia ao governo, c que os reguos de La-
tubaba e Sanara, polas trras des quaes a forca
hava de pasear, ostavam tambera resolvidos a
prestar obediencia.
t Marcou-seo dia 5 do-junho para a reuniao
dos combatentes. A 23 roalisou-se a cenmonia
do jnramentn. De leste parteciparam ao governa
dor que os reguos cstavam reunndo inuila gen
te para auxiliar a torca do governo. Esperava-
se pois quo por todo o mez do julho cstivcsse aca-
bada a guerra om Timor.
Receberam-se malas da India e do Ma-
cau. As noticias da lnd alcangam a 18 de agos-
to pretrito. Reina no paz o maior socego. Con-
tinuava o cholera raorbus era Daino, porem ata-
s*swvts i=yrr as-ssrarst'TSa:
lili \j H.IIH-") .w--.a..- -- ---
bro de 1863.' Prineipion a obra em 23 de julho
de 1867 e o orcamento quo acompanhou o ante
prieto a presentado cm 31 de maio do mesmo
anuo fura de 110:0005000. At ao fun de agosto
ulii ni gaauram-so 91:3945993, s^ndo Bjftruacs,
ampreiadas e maienat 87:1033393 e com admi
nistracao 4:289*340.
0 edificio lera 42" 68 de eomnnmento, por
400- de largara on 1,700 metros e40 de super-
ficie Tem i pavimentos todos construaos com vi-
gauentns do fcrr e arquetes de tijollo, de modo
que lodo o edilie.io est pro va do incendio, fe.
sta o primeiniqn em Lisboa se conslruep ros e
sy*lina. A entrada da secretaria do reino o
arcada do ngulo da praca do eommercio, que fas
esquina para as ras do Duro e Arsenal de Ma-
rinh.i. .
A demeza quj anda ha a fazer nao exceder
3 ou 4 como?. .
Todo o estoque da decoracao das paredes m-
maior numero se quiaesfcn
europea.
Em Ga algons casos do mesmo mal se ten
dado, mas parereudo sporadicos. Os ltimos ofii
eiea de Macan sao do 3 do agosto. A cidade es
lava tranquilla. .
t Eslo formadas duas grandes companhias
csirangeiras para a exploraeao agrcola o flora-
inercial do Mozambique, n parece que se esta for-
mando terceir com o nv'sino lira. O Sr. Rabolln
da Silva (ministro da mariuha) pensa em fazer
por unta d> governo a navegaeii regular a va-
por, cutre a meirop de o a frica occidental.
PERNAC0.
ternas 6 feito com cimento inglez Kenn's, o qual
depois de pod. convenientemente apresenta o
aspecto de marmore da Italia. O architecto por-
tiignez. Quando a ubra principiou, era ministro
da obras publicas o Sr. hm de Andrade orvo.
" Parece quo est concluido o cdigo do pro-
censo civil. Divide-so cm quatro livros, esles mi
tul o os titules cm artigo O I." livro tratara
ilo pioe,-so em geral ; o 2." Jo priwesso nos tri-
bunas de prmeira instancia ; o 3. do processo
nos de segunda instancia; o 4. do processo no su-
premo tribunal de jusiica. E' devidoeste traballio
ao intolhsente advogado'd'Anadia oSr. Alexandre
Sena, que ha pouco mais de um mez Ihe deu
eomeco. Vai ser uoinoada una commissao para
rever o cdigo.
a Buto tortil de refirmas dever ser a prxima
scsso legi-laliva, se o governo tiver oblido balhos que j:i commetteu diversas commissoes e
que so diz ainda encarregar em outras sobro en-
tres a-~uinptos.
Fall i-s vagamente n'uma grande reforma
da contabilidade publica, sendo o ministro da l'a-
zenda o tnico que gire com dinheiros pblicos.
Far-e-hii a realisar-se o plano, consideraveis
economas eleclivas, e o thesouro nao lera muita-
vezes ilo arranjar por pregos exorbitantes meta
duzia de contos do is., umquanto era diverjas re-
partcOes ha m litas vetes centenas de contos, im-
productivos e dspuniveis.
o Na reforma da adminstragao civil, os gover-
nadores deixam d ler qontas dos rendimento-
pblicos ; ser-lhes-hivi augmentados os ordena-
dos proporconalraente essa qunta.
Est nouica Id coadjutor do bispo d Angra o
Dr. Menezes.lonte de theologia na untvcrsidade de
Coimbra. .... ..:
Acha-se muito Joente o vigano geral d Aveiro.
Parece nafta que pr. vavel o despacho do vis-
conde de S. Januaro para goveruador geral da
".'iealison-se a 23 do corrento pelas 4 horas da
tarde, a ceremonia naval de ir el-rei baler a cavi-
Iha da caverna mestra de urna nova embarcaca
a qne S. M. deu o nome de Douro, no acto de dar
as tres pancadas do estylo na cavilha com o pe-
queo raartello donrado qne Ihe offereceu o inten-
dente da marrana, viaeonde de Soares Franco.
O Sr. Lobo d'Avila, ministro das obras publi-
ca, encarregou o Sr. engenheiro Eca de elabo-
rar um projecto de reforma da engeoharia dis-
trital, comprehendendo uinbem o servico dos pe
sos e medidas, que o Sr. Calheiros nha desorga-
nisado. ..
Foi nomcada urna commissao pelo dito minis-
terio, pira dirigir os icios doconcu-soque hoje
/27) devia verilicar-se para o estabelecimento de
urna linha tolegraphica entre Portugal e Ingla-
fcrrA
n E^te auno a eloicao da rereaco ha de ser
muito disputada.
O novo cdigo de posturas da cmara muni-
cipal de Lisboa, vexatorio e tem levantado gran-
des clamorea. .. 0_
. Nao se realnou a amnystia que se disse o hr.
Maldonado (ministro da guerra) proporia ao poder
moderador. A amnystia projecuda, se so yerili-
casse. parece que ira estender proteceo actos
de verdadeira insub rdnaco, qne a diasiplioa e
brio militar nao podem consentir e muito menos
animar. .
Parece que o Sr. Dantas, nosso ministro nos
Esuflae-Unidos, assim qne ebegar Lisboa sera
oomcaoo noseo roprsMntante em Madrid. O conde
da Azfcmaga, ha fcwnpo* retirado aa vida diploma-
tica, vai flavamente entrar ota servigo.
Diz o.'Doa.
Carvallio paueo t
clima di*rav *
ereseenia o m
o OtfaAi de Lav
Roma.
. Parece que sera
d'Aliwfcla a AibOqnerii'M
que o Sr. Mathas de
", no Brasil, por ser o
'esta eavalheiro. Ac-
o conde d'Avila, on
lo embaixador em
Sr. Caetano
ador geral
da Cah.>-Vera^3^^H^HP^0 Potoco ro-
oel Jase Mara L*S TA J do actoa! ml-
aivtni das obras patlic-s.
x ^ayaja; o Sr
rSwdop
KEVI3TA DIARIA.
ILLUSTRE VIAJAME.-Passou honlem, bor-
do do vapor tranoet Navarre, para o Rio de Ja-
neiro, em viagem de rerreio, S. R. o I. o Sr.
principe D. Felippe do Rourb-m, filhode SS. AA.
os Srs. conde e condossa d'Aquilla, rm de S. M.
o Imperador do brasil.
S. A. desembarcou, arompanhado do sen ca-
marista o Sr. Raphael de Cairacciolo, CuBflVde
Caslelhecio, e vistou alguns dos nossos edificios
publico*, indo ao depois, era Irera especial, ate
Apipucos ; dtmoraiido-se em alguns dos ponlo>
ni ermedios.
Antes de rpgressar para bordo. S. A. aeeitou
lira lunch que em palacio Ihe idereccu o Exm.
Sr. vico-presidente, quo o acompanhou sempre em
suas excurses.
Ao passar a galeota pela fortaleza do Bruin,
deu esta a salva do eslyllo.
MINISTO PORTUGUEZ.Nesse mosmo vapor
passou, para o Itio d Janeiro, o Exm. Sr. conse-
llielro Malhias de Carvalho, ministro ponuguez
junto corto brasileira
FESTA DE SANTA THERiZA. Celebrara
in.aiiliaa M terceros carnielitanios a fcsla de
sua niaiiiarcha Santa Thereza de Jess, com tuda
a pompa e brilhantismo ; sendo oradores das ves-
peras oRvra. Jos Esfeves Vianna, da festao Rvm.
c.mego J. Ferrera dos Santos, e oTe:Deumo
Rvm. fre Angu-to da Inmaculada Conceigao.
A orchestra, dirigida pelo pmfessor Colas Filho.
ex .cutara a inissaEspirito Santo, do maestn
\iataglia ; sendo os solos cantados pelos Srs. aca-
dmico Manuel Menelio Pint), e professores To
bias, Sabino, Joo R|beiro. Trajano o Boschni.
Antes do sermo a orchestra tocar o Miserere,
da opera Trovador, obrigado llanta do Sr. Can-
dido Filho.
A' note haver exposgo do hospital da ordem.
COMPANHIA PEitNAMRUCANA.Hoje o ul-
timo dia em quo recebera carga os vapores Pira-
pama e Giqui, para os portos do norte e aul, con-
forme o aununcio da mesma companhia.
TRIBUNAL DO JURY.Ainda hontem nao func
rionou este tribunal, por s torera comparecido
vinte juizes de facto. Para completar o numero le
gal, foram sorteados os sonhores :
Manoel Joaquina Machado.
Antonio Pereira de Raria.
Jos Francisco do Reg Mello.
Jo< Pedro de Souza e Silva.
Vicente de Mello \V. Maci-1 Pnheiro.
Vicente Ferreira da Porcuncula.
Antonio GongaWes Pereira Lima.
Dr. Celso Tertuliano F. Qurateiia.
Ignacio Francisco Martns.
Andr de Abreu Porto.
Antonio Soares daCunha Nobre.
Carlos Joo de Souza Correa.
Ignacio Alvim da Silva.
Dr. Cicero Odn Peregrino da Silva.
Dr. Candido Autran da Malla e Albuquerque.
Dr. Caetano X. Pereira de Britu.
Elias Goncalves Pereira da Cunta.
Dr. Joaqnun Jos de Campos da Costa M. c A.
Gustavo Naziaieno F. de Mondonga.
Aaguslo Pinto de Lmos.
Antonio Feliciano Rodrigues Sello.
Joaqun) Bernardo dos Res.
Joaqnim Pedro dos Santos Bezerra.
Ignacio Jos Pinto.
Antonio Francisco da Casta Pernambuco.
Jos Francisco de Salles Batiera.
Joaquim Luir Vires.
Ismael Amavel Gomes da Silva
TENTATIVA BE ASSASSINATO.-Segunda-f;i-
ra pelas onze horas da noute, na ra Augusta dis-
ta rdade, foi insultado, na occaulo em que se re-
culhia aua casa la officina typographica em q le
irabalha, o Sr. Francisco de Paula Marlnho, por
um individuo de nome Leopoldino Domingos da
Tiimlade, turbulento do Cisco, que sem a meror
razio o agredir com um punhal que em seguida
aos referidos insultos desembainhon ; felizmiin-
te dous mocos de coracao magnnimo, que is-
la vam na casa da mesma ra n. 23, e que liavi ira
prescuciado o facto, viudo em soccorro do offen li-
Teodo um mogo deflorado urna meca, e, es-
tando no proposilo de reparar a offonsa, reqnerea
a competente liccnca para casar, que Ibe foi dilll-
culiada pulas artinianhas do pai, de um lio e so-
bretudo do utn primo, homens de posico uo lu-
j;ar, procurando-so, como meio de faze-lo perder
i volitado, recr ta lo, ao que se prcsiou a aulori-
dade local. Sabendo, porm, o superior legal dessa
autoridade de toda a verdade, mandn sobr'estar
naquella violencia, e a moca conseguio a reparagao
do mal- que soffrra. At aqu bem. Vamos ao
escndalo.
Vendo assim mallogrados os seus desejos, o pai
e o tio reunidos debberaram fazer inissas fne-
bres, com libera-me, dobros, convites etc., e uso
realisaram n'uma das igrejas locae?, com grande
apparato, visto ser o lio sacerdote de Cargo eleva,
do no silio, pondo-se elles dous e suas respectivas
fimilias de lulo fechado, nao fazondo mysterio do
inolivo que isso os levou.
Poderao os Extns. Srs. governadores do bispado
ileixar passar sera p nigao esso escndalo reli-
(ioso, e abuso do cargo que oceupa um sacer-
Joio ? Nao por curto, menos que queirain abrir
a porta ouiros facas. Esperamos providencias
energieas e promptas.
EM TRANSITO.O vapor franeez Navarre, com
12 recubiilos no nosso porto, levou para o sul do
tnperii 245 passageiros.
FUNDOS BRASILEIROS.Erara assim cotados
ia praca de Londres, uliima data :
% de 183985 a 95 nom.
5 % de 1863-93 a 83 1/2 cx-div:
4 1,1 % de 1832-38-6074 a 78.
4 1/2% de 1863-73 a 73.
AUGUSTINE E AMAZONAS.Estes dous va-
pores, da linha de Liverpool, deviara locar em
Lisboa de 3 a o do correnlo, em viagem para o
Para, Maranbao c Cear aquello, e para Pernam-
buco o ultimo.
NAVIOS ENTRADOS.Em Lisboa Liada a 18
lo Para, Constante III a 21 de Pernambuco, e
IVois Frree a 23 do Maranbao.
NAVIOS SAIIIDOSDe. Lisboa G-a!idao a 15
para Pernambuco, Paraense (vapor) a 19 para o
Cear, Maranbao e Para, Cotete a 21 para Peioam-
buco, o Marque: de Santa Cruz a 23 para o Para.
NAVIOS A' CARGA.Em Lisboa Florn-Ja,
Constante / 0 Relmpago para Pernambuco, Li-
geiro para o Para ; no PortoSeguranca e Triiim-
pho para Pernambuco, Famosa para o Maranbao.
A'iyi Palmeira para o Para.
COTETE.Esto navio, sabido de Lisboa para o
nosso porto, traz a seguinte carga : 2 ancoretas
vinagre, 15 ditas, 17 pipas o 6*barris vinlm, *
ditos azeite, 20 ditos carnes, 110 ditos toucnho 40
ditos alpista, 150 ditos cal, 30 ditos conservas, 130
varas de lagedo, 20 molhos rotim, 92 volumes can-
tarla, 17 ditos drogas, 2127 soceos farello, 41
caixas cera. 201 ditas cebollas, 120 ditas figos, 525
ditas e 20 fardos passas.
GRATIDOEste navio, sabido de Lisboa para
o nosso porto, traz a segrate carga : 102 pipas,
8 meios, 149 barris o 30 caixas vinho, 60 pipas, 8
rapios e 131 barris vinagre, 66 ditos azeite, 60
ditos carnes, 180 ditos loucinhi, 475 ditos Cal, 260
varas lagedo, 27 volumes drogas, 550 saceos fa
relio, 66 caixas conserva*, 200 ditas batatas. 72
ditas cora, 250 ditas cebollas. "^
NOTICIAS COMMERC1AES. A3 ultimas das
prracipaes pracas da Europa sao as segra-
les:
Londres,27 ii seteKSTO t C horas da tarde.
O algodao loa era geral 1/2 penny abaixo das
cotaedes. O da Babia o Parabyba 3/8, o do Rio e
Santos 2/4.
Eis as cotacocs quo se refere este telegram-
ma :
Algido do Pernambuco, machina,
Pirata.
dem idera Seconds.....
dem roda.......
Da Parabyba Piris.....
dem Seconds.......
Da Parabyba Firsts. .....
dem Sceonds......
De nacida Firsts roda. .
dem dem machina.....
dem Seconds. ......
Di Maranbao, maquina Firsts. .
dem idetn Seconds.....
dem roda........
Do Rio-Grande do Norte maquida,
Firsts........
dem dem Seconds.....
(dora roda.......
Do Cear........
Do Rio de Janeiro.....
De Santos.
43 1/3
12 1/2
13 1/2
12 1/2
1
12 1/2
12
12 3/4
12 3/4
42 1/4
13 1/4
13 3/4
13 1/2
gador Souza Leao, sorteado* os Srs. desombarga-
dores Almeida Albuquerque, Domingues da Silva
o Doria.Improcedente.
Haubascoupus. De Gervasio Lopes Frazao,
negou-so a soltura. De Lourengo Ferreira Mon-
des Guimaraes, concodeu-se a soltura.
Appeixacoes crimes. Appellanle, Jos Pedro
de Mello; appellada, a justiga.Nao se tomou
conhecimento. Appellanle, o juiso; anpellado.
Joo Jos Francisco do Nascimento.Nullo o pro-
cesso. Appellaute, o bacharel Antonio Benicio Sa-
raiva Leao Castello Branco; appellado, Antonio
Eplfanio Vieira da unha.Nullo o processo.
Appeliacoes civkis.Appellanto, Ernesto Bra-
sil de Mello; appeilados, os lierdeiros de Miguel
Alves de Mello.Confirmada a sentenga. Appel-
lanle, Sebastio Gomes Pena; appelladas, as
menores Maria e Joanna.Confirmad^ a sen-
tenga.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourengo Santiago.Appcllacoes crimes:
appellaute, o juizo; appellado, Alvaro Custodio de
Jess. Appellante, o juizo ; appellad-, Valentim
da Cesta. Appellaoto, o juizo ; appellado, Joao
Jos de Oliveira. Appellaulo, Francisco Ignacio
da Silveira; appellado, o juizo.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr.-desembargador Motta Appcllacoes riveis:
appellante, Joaquim Salvador P. de Sequeua Ca-
vaicante; appellado, Jos Domingues Maia. Ap-
pellante, major Jos FelippOv B. de Menezes; ap-
liellado, Andr Pires Visgeiro de Albuquer-
que. Appellante, Manoel Pes>oa de Albuquerque
Maranbao; appeilados, a viuva e herdeiros de Jo
Mamede A. da Silva. Appellante. Miguel Antonio
Jnior; appellado, Manoel Dultra do Souza. Ap-
pellaco crime: appellante, Antonio Godoy de
Vasconcellos; appellado, Antonio Francisco Go-
mes- n-,
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Rcgueira Costa. Appellacao
crime : appeilante, o promotor; appeilados, Jos
Vicente Ferreira e Joao V Ferreira.
D i Sr. desembargador Regm-ira Cosa ao Sr.
desembargador Domingues da Silva.Appellacoes
crimes: appellante, o promotor; appeilados, Lmz
Rodrigues de Souza o outros. Appellante, Jos
Goncalves de Sena; appellada, a justiga.
Do Sr. desembargador Souza Leo ao Sr. des-
embargador Gitirana.Appellacoes crimes: appel-
lante, o promotor; apnellado, Jos Muuiz Fouse-
ca. Appellante,o juizo; appellada, Josepba Mana
da Conceicao. Appellante, o juizo; appellado, Jos
Bernardo' de Souza. Appellante, Jos Luiz de
Souza; appellada, a jusiica. Appellaute, o juizo;
appellado, Benvindo Paulino de Oliveira. Appel-
lante, o promotor; appellado, Jos Bezerra da
Silva. Conflicto de jurisdicao enlre o juiz muni-
cipal c o juiz de diredo da Fortaleza. dem entre
o promotor c o juiz municipal da mesma cida
de. Appellacao civcl: appellante, Manoel Alves
Maciel; appellado, Asss Francisco Barbosa.
Do Sr. desembargador Souza Leao aoSr. desem-
bargador Lourenco Santiago.Appellacao crimei:
appellante, o juizo; appellado Jos Pedro da
Silva.
Assignou-sc dia para julgamenlo dos segrales
feitos:
Appellcoks cniMES.Appellante, Jos Pedro da
Silva; appellada. a justiga. Appellante, Vicente
Fcrf-ira de Araujo Lima; appellado, o juizo.
APPLLACOES civeis.Appellaute, Dr. Gaspar de
Menezes Vascqncellos de Drummond ; appeilados,
os herdeiros de Joo Delinques da Silva. Appel-
pelLnto, Antonio Pereira Ribeiro; aiipellado, Ma-
nuel Rufino de Oliveira. Appellanle, Ernesto B-
de Mallos; appeilados, os herdeiros do Miguel Al-
ves de Mello.
Deligencias.Com vista ao Sr. desembargador
promotor da justiga. Appellagdcs crimes : appel-
lante, Justino R.Htrigues de Carvalho; appellado,
o juizo. Appellante, o juizo; appeilados, Joao
Paulo da Costa o outros. Appellante, o juizo; ap-
pellado, Manoel do Reg Bastos. Appellante, o
juizo; appellada, Thereza Mana de, Jess.
As 2 horas da tardo cucerrou-su a sessao.
1 dfta ditas ;.AF.(ttiurpaBB4>ie*C.
1 dte ditas ; a Silva 4 Nev?.
. 1 dita ditas; a Guimaraes & Freita?.
3 ditas ditas ; a Prente Vianna i C. .
2 ditas diias ; a Dourgard & Faria.
1 .dita ditas"; aMaturio Barroso.
1 dita ditas.; a J. A. da Silva Machado,
i dita grvalas ; a Ferreira & Matheus.
i dita instrumentos ciruxglai ; a A.,"
' 2 ditas objetos para chaanflt de sol ; a
na Falque.f*
i 10 ditasaardinhas; aJ. Gerardo deBa-tos.
50 ditas ditas ; a J. da Suva. Faria Inuao.
23 ditas ditos ; a H. Octhli 4 C.
10 dital cal ido um carro ; a.Lyra 4 Vi-
anna. .
1 dita papel Juntado ; a J. P- Moutinno.
6 ditas chapaos ; a Phipps Broibea 4 C.
5 ditas joias ; a Hyvernal 4 C.
3 ditas ditas e obras do prata ; Lehman Fre-
rcs.
1 dita diU* de dita; a Gomes do Maltos 4 ir-
fo. _
1 dita ditas de ouro ; a Cnnlia Irmaos 4 C.
1 dita uvas ; a Oliveira Filho 4 C.
40 ditas fructas, 1 dita ferragens ; a J. Corree
Braga 4 C.
10 ditas ignora-se, 2 ditas sanguesugas, 2 ditas
roupas e miudozas; a ordem.
1 ditas luvas e sedas; a Augusto Porto 4 C.
4 ditas livros o objectos para escriptoro; a
Joao Walfredo de Medeiros.
2 ditas ditos ditos ; a Nogneira 4 Medeiros.
1 dita msicas; a C. Albinolo.
3 ditas chapeos o tecidos de la; a Hcnrique
4 Azevedo.
2 ditas ditos de dita ; a H. Wilmer.
1 dita chapeos: a Clirisliani Irmo.
4 ditas miudezas, tecidos de algodao e de laa ;
a Alves 4 C ....
1 ditas ditos do algodao e chapos; a Manoel
Alcoforado.
3 ditas mindezas, perfumaras, sedas e luvas ;
a Costa Irmaos 4 C. '
10 ditas cognac ; A. L. de Oliveira Azovedo
4 C.
1 dita relogios; a~F. J. Germano.
1 dita sedas; a Manuel 4 C.
11 ditas tecidos de algodao c de la, ronpa e
calgado; a Monleiro 4 Irmo.
134 ditas chapeos, tecidos de algodao e de laa,
vinho, cognac, sardrahas, vermontte, fructas cm
conservas; a E. A. Burle 4 C.
1 dita chapeos; a Manoel Moreira de Souza.
15 ditas calcado, sedas pentes do marfira e te-
cidos diversos, 2 barris vinho; a Monhard, Mettler
4 C.
1 dita chapeos ; a J. J. da Coila Maia 4 C.
5 diias calcado, luvas e perfumaras; a J. A.
Moreira Dias."
1 caixa azeilc doeo ; a Vcrnay.
3 ditas calgado e miudezas ; a Jos Luiz Gon-
ealves Ferreira 4 C.
2 ditas capsulas de metal ; a Chaix 4 Gassier.
2 ditas objectos para pianos ; a G. Werlhei-
179 dias vinho o cognac ; a C. A. Sodr da
Molla. ,.
1 dita tecidos do la ; a Flix V. de Cantalicc.
I barril vinho ; a Mearon 4 C.
neo .
Sebo ou graxa em rama .
Idmm vetas. ...
Sote, e-vaqueta .
Tapioca.
(Julias .de J......
Vassouras do carnauba .
dem de passava .
par
kilog.
. duzia
800
340
47
1*200
204
380
768
i*2.
960
le outubro de-
sou
iderf liinlo**'.
Airadega da Pernajil ^
01> conferente, tlanatl Perijrtop da Silva.
O dito. Jotuim da Costa mteiro.
Aporovo Alfandega de Pernambuco, 9 do
tuirtrde 1869.Pacs de Andrade.
Conforme Joaquim Tertuliano de Medeiros.
UBCEBEDlUA E RENDAS ETERNAS GE-
_ PERNAMBUCO.
a TI. 23.4I303S
, t 3:091154!
26:506*5%-
RAES DE
Raaunento do da 1
IdemL do dia 13 .

CONSULADO PROVINCIAL
rtendimento do dia 1 a 12 .
(dem do dia 13 ....
iO:3803080
1:1241800
42:004 *M19
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 13.
Bordeaux e aortos intermediis16 di.as, vapor
franeez Navmre, do 1,271 toneladas, comman-
danto Massenel, cquipagem 114, carga vario
gneros ; a Tisset Freres.
Terra Nova3o dias, briguc inglez Glacnis, de
226 toneladas, capilo Geter Currier. cquipagciu
12, carga 3,250 barricas com bacalho;aD.
C. 4 C. C. Slmpson.
Nanos suhidos no mesmo da.
Aracaty -Hiate brasilcro Deus te Guarde, capitn
Manoel C. da Costa, carga diffVrentcs generes.
MontevideoPatacho dinamarqnez Joftn, capi-
lo J. H. Berk, carga assucar e agurdente.
Portos do SulVapor franeez Navarre, comnian-
dantc Massenet.
Obscrrarao.
Suspenderam do iamaro para Baha o brgue
hollandez Margarina, capilao I. E. del Grootto,
com a mesma carga que trouxe de Trieste,
dem barca ingleza Ehra, capilo H. Y. Wellan-
no, com a mesma carga que Irouxo de Liverpool.
ECITAES.
13 1/2
2 ditos e 5 caixas dito, licores e conservas ; a
J. Mendiboure. .
11 caixas o I barril vinagro, conservas e vinho;
a E. Turpin.
1 barril dito: a Bhigass. .
8 barricas cera em grumo; a Domingos Alves
Matheus.
ABELLA DOS PREfjOS dos gneros sujeitos a di-
BEITO DE EXfORTAljIO. SEMANA DE 11 1 16 DK
OUTUBRO DE 1869.
Mercadorias: Unidades.
Abanos.........duzia
Algodao cm caroeo ...... kilog.
dem cm rama ou em la.
Carneiros vivos.......nm
Porcos idem. .....*
Arroz com casca......kilog.
dem descascado ou pilado .
O Illm. Sr. conselhciro inspector da Ibesou-
a riade hienda "esta provincia, cm virtnde do
olllc.o da presidencia de 5 do correnle mez, man-
da toser publico que no dia 20 do mesmo mez, s
duas horas da tarde, ir Devnente praca para
ser arrematada por quera maior lanco ofereccr,
as podras de alvenaria e contara cm broto exis-
tentes as proximidades da fortaleza do Brnm.
As pcessoas quemeonvier, d-'vero compare-
rcr uesta thesouraria no da c hora cima indi-
.. I->s.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambnco, II de outubro de 1869.
Scrvin lo de offlcial-inabr,
Manoel Jos Pinto.
i
urna

litro
>

kilog.

COMMERCIO.
1869
OSr.
^wSJSSnlbM* de Carvalhe *rf|*., poderam affugeuta-lo de sua reprovada inm-
13
la 1/2
13 13 1/4
12 1/2
12 1/2
12 1/2
O assucar esl iwai procura dos precos de 26/ a
28/ o branco, e de 19 a 14/6 o raascavado do
Bra-il.
O cacao do Para vende-so de 45/ a 3.3/.
Os conros um pouco procurados aos pregos de
4 3/4 a 9 :/' os seceos sainados e os salgados
verde, segundo sen laman o e peso.
Havre, 27 de setembro s 5 horas da tmdc
O alg ido desee. Colamos o ordinario de Per-
nambuco a frs. 150.
O cacao do Para est calmo a frs. 83.
PORTO DO AVIIE.Sahio deste porto para o
nosso. no dia 8 de setembro, a barca franceza
SoUde.
Estava carga para o nosso porto a barca
franceza Jean Baptiste.
Cbegaiam: a 8, do Para, as barcas franeczas
Saint Louiz o Caemais; e a 9, do Para, a barca
franceza Rio-Grande.
PASSAGEIHOSSoguera para o sul no vapor
franeez Navarre, os seguales: Gabriel Pavfe,
Ignacio da Silva Deiro com 4 tropeiros c 1 criado,
Osear Levv. Jos Daniel Carnelro, Manoel Tavares
Gouva, Guiscppe Barlholome, F. Simdes dos
Santos, Manoel Caldas de Gouva, ALredo Pereira
Barbedos.
dem sabidos para o Aracaty no hiate Dsus
te Guarde: Manoel R. C. Raposo da Cmara, Joa-
quim Jos de Souza, Jos Roque, Jos Das, Manoel
Francisco de Sonza.
GAMELLEIRA. Escrevom-nos d'esta locali-
dade :
Estamos em novenas de Nossa Senhora da
Penha, padroeira d'esta freguezia, cuja fe3ta ter
lagar domingo 17 do correle.
Essas novenas, que principiaran! no dia 7
deste, tem corrido sempre muito animadas e con-
corridas, esforganda-se os diversos noiteiros por
fazer realgar mais a que Ihe tocn por sorte.
De todas, at boje, a que nao foi ainda igua-
lada, toi a noite das mogas solteiras, que tuda en-
vidaran) para o seu brilliantismo. Illuminages,
bandeiras, fogo de artificio, nada falln.
< Dizem-nos que os artistas e marchantes pre-
parara tambem grandes cousas para nao llcarem
aquem. O que certo qne os marchantes ja en-
coramondaram um bello toga de vista para sexta-
feira
i Emfim sabbado o dia das vesperas solem-
nes, e domingo o da fes'.a, que principiar s 11
horas. Cansa qne oraao Evaogelho e Te-Dtum o
bem conhecido prgador padro Leonardo Joiu
Grego.
A bem conceituada msica do Carino, tocar
cm lodos esees actos.
A' tarde de sabbado e domingo terio lagar aa
corridas das eavalhadas, prometiendo sarasa An-
iantes, visto que diariamente sao ensaladas.
Ongo fallar, qne diversos amadores loa fiaste-
jos querem mandar preparar fogo de vista aara
depois do Te-Dettm, intermeiado por baldea ae-
reostalicos. Nao sei se ser exacto. Emfim o que
fr soar. Deus proteja a rmandade da Peana de
GamcuVira.
LOTERASA qne se acha a venda a 113
a beneficio da S*aii Casa do Misericordia, que
oorre no dia 16.
PHftGA O UECIKE 13 DE^UTUBRO DE
AS 3 t/2 HORAS DA I'.MIHK
Algiio do Macei 1* sorte1*211 por kil. posto
"a burdo, frete de 3[4 e 5 On (iiontem),
Dito ueciito sorte 1*191 por kil. posto a
bordo, frete de 3|4 o 5 0|0 (honlem).
Camino sobro Londres !M> d/v. 19 3|4
UUOO.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Sove
Secretario.
d. por
ALFANDEGa.
dendimento do dia 1 a 12 .
dem do dia 13.....
380:310.841
47.211.614
427:522*455
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
400
500
Volumes entrados com fazendas
dem idem com gneros
Volumes sabidos com fazendas
dem idem cora gneros
900
Alves.
132
352
------484
Descarregam hoje 14 de ontubro
Barca inglezaJ/eivaionemnreadnrias e forro.
Barca ing ezaFrauch Witsonidem,
Brgue bespanliolFranciscoviobos,
Suma hespanhola Carmen mercaaoria?.
Escuna Horte-alleraoAdelaiddem.
Barca inglezaLauraIdem.
IaporUfo.
Vapor franeez navarre viudo de Bordos c Lis-
boa, maitifestou i
65 caixas queijos ; a Carvalho, Zonha 4 C.
18 diias ditos ; a J. J. Gongalves Beltro.
13 ditas ditos ; a Corpa Irmaos.
19 ditas ditos; a Joo Ignacio da Costa.
9 ditas ditos ; a Lima, Silva 41'..
40 ditas ditos; a Guimaraes 4 Alcoforado.
14 ditas ditos ; a J. M. da Rosa 4 Filho.
li diias ditos ; a Fonceca 4 Santos.
0 diias ditos, 10 ditas ; a Jos Joaquim
1 dita moda ; a madama Lecomte.
1 ditas ditas ; a L. A. Siqneira.
3 ditas ditas; a E. de Moraes 4 C.
2 ditas ditas ; a Vaz 4 Leal.
7 ditas ditas; a madama Adour.
1 dita ditas ; a Pinto da Silva 4 Cascao.
1 dita cakjado ; a A. Roberto 4 Filhos.
1 dita dito ; a J. Dias dos Santos 4 C.
1 dita dito ; a J. P. Arantes.
1 dita dito ; a irma Magnin.
7 ditas dito e raarroqnins; a C. Leclerc.
1 dita tecidos de algodao ; a Magalhaes
rOeio
1 dita ditos de dito ; a Gregorio P. do Amaral
3'ditas ditos de dito e de la; a Adriano Castra
* C .*
1 dita ditos de dita ; a Silva 4 Cerdoso.
1 dita ditos de dita ; a T. Chnstiansen.
7 ditas ditos de dita o de algodao; a Velloso
4 C
I dita ditos de nho ; a F. J. de Oliveira So-
brinbo. ^ .
! dra ditos de lia ; a Schafheithra 4 C.
1 ditas ferrarns; a P. Rgajer.
3 dita* livros a jontaesxfBksihaear 4 C.
14 la* drogas ; a F *.
I dita ditas ; a kVlhnlflSJMNi 4 C.
! dita ditas ; a CarowM Vianna 4 u
3 ditos miudezas; a Joao da Rocha e Silva.
Assucar branco
dem raascavado.....
Idera refinado......
Gallinhas........
Papagaios ... .....
Azeite de amendoim ou njon-
dobim.........
dem de coco ....
dem de mamona......
Batatas alimenticias. ....
Baunilha......."
Bebidas espirituosa, a tormentadas:
Agurdente cachaga.....tr.
dem decanna......
Idera genebra......
dem restilada......
dem alcool........ *
Idem cerveja.......
Idemvinagre....... *
Idera vinho de caj...... *
Bolacha fina, compreh:adidos os
biscoit s.........kilog.
Idera ordinaria, pronria para
embarque........
Caf bom.......
dem escolha ou restolho ...
dem torrado ou moide
Cal branca........
dem preta........
Carne secca ( xarque ). .
Garri vegetal....... *
Cera amarella........*
dem de carnauba em bruto.
Idera dem era volas, ....
Cha..........
Cucos seceos .......
Colla..........
Couros do boi, seceos salgados.
Idera dem espichados.
Ulem idera verdes.....
Idera de cabras cortidos .
Idem de mica.......
Doces era calda......
dem em gela ou massa. .
Idem seceos.......
Espanadores de ponnas grades .
Idera pequeos......
lera de palha.......
Esteiras de carnauba ....
Idera propra para forro ou estiva
de navio. i.....
Estopa nacional......
Farinha de aramia.....
Idem de mandioca.....
Feijo de qualquer qualidade. .
Fumo cliarutos......
dem cigarros......
Idera em follia bom .... *
Idera em folha, ordinario ou res-
tolho ........
dem em rolo e c,ii'latas bom
Idera, ordinario ou restolho.
Rap.......
Gomma de mandioca, (polvilho).
Ipecacuanha ( raz).....
Angico (toros)...... duzia
Caibros ........ m
Enxams........ *
Frechaos........ '.
Jacaranda (coui^eiras) .,. duzia
Lcnha em achas...... cento
dem cm toros...... *
Linhas o esteio3. '
Valores.
:iihi
258
1*080
4*000
2000
68
177
320
210
436
l 000
o000
937
675
525
102
*50
195
390
330
300
337
600
300
660
DECLARACOES.
Santa Casa da Misericordia do
Itccifc.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recito manda fazer publico quena
sala de suas sossftes, no dia 15 do outubro, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas ;
quem mais vantagens offereccr, pelo tonino de um
a tres annos, as rendas dos predios cm seguida de-
clarados :
PATRIMONIO DOS ORPIIAOS.
Ra da Cacimba.
Casa terrea n. 10.......,
Ra ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anuo .
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 103 ...............
dem n. 98.......................
Idem n. 96.......................
Sitio n. 5 nnForno da Cal...........
Os pretendentes deverao apresentar no aco da
arreraataeao as suas Bancas, ou comparecern
acoinpanliados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Rc-
cife, I de outubro de 1SC9.
O escrivao,
Pedro Rodriaues ir Soasa
86J00O
211*000
146*01
iimooo
'.02*00'
lfi0*l)C-i

ecuto
kilog.
um

kilog.
duzia.
cento
kilog.


>
centro
kileg,
4 Ir-
Lour s (pranchoes)..... "
Pao Brasil. .......*
um
duzia
dem de jangada.
Viuhatic costadinho do 16 a 30
inillraetros de grossura. .
dem pranchoes de dous costa-
dos al 50 millimetros de gros-
sura '
dem tabeado de menos de zo
millimetros da grossura .
Taboado divarso......
Tatajuba........kilog.
Travs.........urna
Varas para pescar. ....
dem para aguilbadas
dem para canoas.....
Cavernas de sucupira(em obra)
Exos do sucupir para carro
idem..........
Mel melaco. .......
Idera de abelha......
Milho.........
Ossos..........
Palha de carnauba.....molhos
Peehury.........kilog.
Pedras de amolar
dem de filtrar......
dem de rebollo. >
Peonas do ama ...*..
Passava.........molhos
Puntas ou chifres de novilho ou
vacca.........cento
rSabo.........fa'og-
Sal. ...,....,
SalsaparrillB........
476
N
27
939
442
20i
476
258
168
14!
436
763
'3360
45000
1*438
566
640
370
330
10*000
1*133
784
23180
48*000
24*000
12*000
1 (i/000
12*000
136
681
92
271
3*000
320
1*090
613
681
546
2*180
170
1*703
60*0011
360
1*500
5*000
95*000
3*000
12*000
6*000
10*000
101
3*000
6*000
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da-
Misericordia do Recite precisa contratar com quem
se queira coearregar de fazer sua custa as obrar-
de que neces-ota o sobrado 11. 37 da ra da Mui-
da, concudendo ella, alera de oulras vanlagen?, d
arrendaiiiouto por grande numero de annos.
Recebe para isto propostas cm carias (rabadas,
na sala oe suas sessojs, devtndo os pretendenUs
examinarem as obras de que carece o predio.
Secretaria da Santa Ca-a de Misericordia d.
Rccife, 4 de setembro de 1869.
O cscrivn,
Pedro Rodrigues di Souza.
um 16*000
duzia
dutia
<
urna
1
par
kilog.
kilog.
Ciucerlo vocal e axruiiicalat1.
O abaixo asMgnado avisa ao respeitavel pnbiico,
que nao t-'ndo sino puesivel levar a execncao no
lempo e lugar annunciadu ueste Dirfro do 44 de
setembro, o concert variado que elle deseja dar,
para divertimrnto e di-lrarco do publico, pre-
tende realisar e cumplir sua promossa no da 14
de-te mez, na anliga sala de dansa da soedado
Becreio Pernaiiibucsno, largo do Carmo n. 9, l"
andar. Persiste aquello mesmo programma com
a alleraco apenas da terceir parte, pois qae nao
poselrai baver dansa, por nao se prestar a isso a
sala mencionada. Os bilhetes distribuidos sao os
mesmos que darao ingresso ao dito concert.
Recito 7 de ouiubm de 1869.
Jos Coelbo Barbosa.
AVISOS MARTIMOS.
BAHA
O palhabote Garibalii, capito Cu3l
Vianna : a tratar r >m Tasso Irmaos.
Jom>
20*000
144J000
96*000
33
6*000
1*400
6*000
1*000
3*500
16*000
80
320
68
16
1*000
817
31
18
34
4*796
160
11800
348
10
3*043
Companhia americana e bi
ra de paquetes a vaj
At o dia 15 de outubro o perado de Ifew-
York por S. Thoma< e Para o vapor americano
North America, o qual depois da demora do costu-
rae, seguir para os portos do" sul; para fretes e
passagens, trala-se com os agentes Ilenry Forstor
4 ra do Gommerete n. 8.
COMPANHIA RRiVSlLElM
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 18 do crreme o vapor
Toxmtins, commandante J. M.
Ferreira Franco, o qua! depois
da demora do costume seguir
guiri para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
1er embarcada no dia de suachegada. Encomme-
las e dtnheiro a frete at as duas horas do dia da
Nao se receben) como encommondas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedara a 1
irrobas de peso on 8 palmos cbicos de medioio.
rudo que passar destos limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros qua suas passa-
gens sse recebom na agencia roa da Cna a. 07,
andar, escriptoric de Antonio tuii de Oliv
Azevodo 4 C.
* ^
/
1
> *

>f


F
Diaria de

ambuco
Quinta

feira 14 de Outubro' de 1869:.
companhia persa I NSTITCTO .\R0P E OTMB
:ina.
Sello, segar iafi
al6a<>coHet*ai
Hoce" rinnwoV, p*ssft?i
ro a frele, no oscriptorio de Forte do
ti. 12.
llavera segad
- eonirnariJaiitt' j0
or
COMPANH P_RA^BCAM
Xavegacfo toitelra por v*P#r'
elM,Pe:w(lo Aracajii.
O vapor mandaaie Azevedosegui-
r para os portosacima al o da 1.. il > orrete,
s 5 hora da tarde. IIcebe carga at o ai i %,
.eneoraii__a*lussagoigeiros e dinheiro a rreie
at as 2 lloras da tarde do da da saluda, no s-
nriptnrin do Frtrto do Matto* o. 1___________
Ro Cti-aude do Sul
Pora o Indicado porto **hr em poneos das
Lriguo brasileire 3_.'v. e recebe nlgoma carpa a
froto : a tratar na ra do Vigirio n. 1, 1* andar,
esrrintono co Bailar, Olieifa Biode Janeiro
Para o indicado porto pretende seguir com mili-
ta brevidaJe a barca portuguesa S. Joo, por ler a
maior parle de seu rarregamento engajado, e para
o resto que llie falla, lrata-se com o consignatario
loaquim fos onealve Beltrio, ra do Coinmer-
cio n. 17.
C01IPAXI1IA BRAS1LE1RA
DK
Paquetes a vapor.
Dos portes do sul esperado
at o dia 21 do corrunie, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante J-
t. luodc* Alcoforado, o qnal
depois da demora do cosame se-
guir para os porten do norte
Desde j recobem-se passageiros o obgaja-se a
carga eme o vapor poder coouzir, a qual devera
ser embarcada no diado suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua saluda as 2
horas. .
Nao se recebem como encommendas senao ot>
Jectos de pequeo valor e que nao excedara a dua-
arrobas do peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Provine-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens soso recebem na agencia a roa da t.ruz
o. 37 prirneiro andar, eseriptorio de Anti-nio Luiz
do Oliveira Abovedo & C.___________________
. Aracaty
Sesue nestes das o hiato Sobralense, atada re-
cobe'algunia carga a frele : a tratar com Sa Lei-
lio Irmaos ra da Madr de Dos n. 1,
,_.crranle outubro,
'{_.
jhsjlsreirt o dWhet- Qrdem do ma
Pareceres mais trabalhos
S63. :-_ _^ _*
Secretaria
de 1809.
Mallos
a quinta-feira 41
pelas 11 Loras a
de commis-
do Iastituto, 11 de outubro
Jos Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
FRAGATA AMAZONAS
Antonio Lourenco Teixeira Marques tem
a honra de annunoiar aQ,rospeitavel publico,
o aocorpodo commercio, que a sociedade
commercial commandilaria. sob a razo so-
cial de Margues, SUca <& C. que tintn com
Manoe IMonteiro da Cunlia e Joo Mara da
Silva, osla dissolvida, e extincla ; ficando
todo o activo e passiyo da mesma ao cargo
exclusivo do abaixo assignado,- isentos os
seos dous cx-socios de toda e qualquer res-
pon-sabilidade presente e futura.
O abaixo assignado contina no mesmo
estabclecimenlo da ex-soctedadji {Fragata
Amazonas) sob a nova firma Teixeira Mar-
que & C. onde prometi servir aos seus
freguezes e amigos, com sinceridade, zelo
e prompdSo.
Recife, 8 d outnbro de 1809.
kntonio Loureiico Teixeira Marques.
CLUB PEMAIBOCANO
Nft pharmacia do Pinto m
Larga do Rosara n
junio aoqiirafef
ca.
A ba_|L constantemente prompns a
ssrem | pitas, as p-eseripc5es dos Srs.
facultativoir e as necessidades dos enfer-
mos, as especialidades da mesma plianaa-
cia, composta de medicamentos, tant in-
dgenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
peito
Xaropes de fedeg.-o, rabo de tal,
Agrio, pao Cardozo.osc, mulung!, nrn-
lamba, etc., ele, ja
Bheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrete vegetal, xarope de salsaparrlha
ilo Paul, pilulis c xarope de veame, tin-
'iura e xarope- do sirupra.
efcafo, an-
ele.
CASA HA FE.
Aos 20:000^000.
Io renda : ra doKbug n. 2,
Ktriglte*. ^.____
i Manoel Mfjpi
Moeda n. 5, 2o aullar, escriplorio
. Ferrcira A: C, voode se vinho
verde superior em barris, un coral Mol vmho do
FWio superfw e malvada branc ____
Doeiicas do triado
LEILOES.
gneros c armaoao da taberna si-
ta ra Imperial n. 181.
O agente Puntual vender em leilao por ordem
i Illm. Sr. I)r. provedot ios residtfbe e capellas,
o gneros e arnncao existentes na taberna ci-
ma, n"um ou em uiais lote, a ventado dos licitan-
tes. Previne-so aos senhores pretoudentes que a
taberna acba-se bem sortda, e n'uma localidade
macnifica.
HJE.
Na mesma taberna as II Iwras c meia.
A partida do correntc
do dia 46.
inez tora lucar na no ule
'lill. UJFIJH1 U"
Emplasto, oleo, pommada tintura, pi-
llas, xarope c vinbo da milngrosa .
beba.
Sezftes ou febres intermitentes
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia da sen autor ra larga do Ro-
sario n. 10, jomo ao quartel do corpo de
polic-a._________________^__________
Yeneravel ordera terceira de
Nossa Senhora do Garmo
do Recife.
A mesa ragedora desla vaneravel ordem manda
convidar a todos os nossos cliarissiifios irmaos
compareccrem em nossa igreja paramentados coin
seu hbitos nos dias 14 e 15 do crrente, as lio-
ras do costume, para assistirmos as vsperos, res-
ta, rasoura c Te-Dcum de nossa inatnarcba Sania
Thereza de Jess. A mesa espera a assistencia de
lodos (is ir raaos para maior magnificencia do fes-
lividado taj solemne de nossa ordem.
Secretaria 12 do outubro de 1869.
Pro-secretario,
Jironymo da Costa Lima.
0 abaixo asignado, arrematante das atTeri-
Precisa-sc de um feitor Jdo meia idade o casado ?oe3 de pesos c mdidas do municipio do Cabo no
para um silio porto desla praca : a tratar na ra exercicio de 1869 a 1870, ven) peto presente pro-
do A agan n. 32.___________^_
CAPELLAS
Venc e-se
para dia tic finados (2 de novembro), na loja de
Antonio Augusto dos Santos Porto, na praca da
Independencia, nico deposito nesta cidade, ricas
capellas para se eolloearem as catarumbas o t-
mulos, w ceniiierio publico e as grojas, com
as tecripcocs seguintes :
Meu pai.
Minha mai. 10 k* |f
M.'U esposo.
Miniir. esposa.
Meu (libo.
Minha liiiia.
Meu amigo.
Saudade.
lima lagrima. ______^^
CASA DA FORTUNA
Aos 4:0001
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n.23 e casas do costme.
Acham-so a venda os bHhei,c8 da 291 parte da
lotera a beneficio da Santa Casa de Misericordia
(1231) que se extraliir no dia 16 do crreme.
Preeo3.
Os do costume.
Manoel Martins Finza.
Precisa-se <\J. un creado para lodo servio/
do hotel, paga-sc bem, prelero-se escravo : a tra-
tar na ra estrella do Rosarte n. 11, hotel Lisbo-
nense.
Feitor
AMA
Precisase de urna ama de meia idade para casa
de familia : a tratar na rna do Aragao n. .12.
Precisa-se alugar urna cscrava para fazer o ser-
vico interno e externo n'uma rasa de familia : a
tratar na ra da Cruz n. 63, segundo andar.
. DE
Loufas, porcellanas, vid ros o clirystaes_ do
bem sortido estabelecimento sito
Usa da Cada n. G.
O agente Oliveira continua- diariamente das 9
da minhaa s 3 horas da tarde, as vendas dos
artigos supra-mencionados, os mais propnos e
indispensaveis para casas di familia, o a precos
rasoaveis para animar a concurrencia.________
LEILAO
DE
13 calvas com cha da India
HOJE
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertencer, de 13 caixas com cha da In-
dia, em 1 ou mais lotes, no da cima mencionado
s It horas da manbaa no armazem defronte da
alfandega.
O bacharel Jorge DornellasRibeiro Pos-
soa pode ser procurado na ra do Impe-
rador n. 43 segundo andar, para onde
mudou a sua residencia e o seu escripto-
rio de advocada.
LEtffi
DE
Vinhos tintos
HOJE
O agente Pestaa vender em leilao, por conta
c risco de quem pertencor, de (id meias pipas com
excellenle vinbo tinto, em um ou mais lotes,
quinfa feira 1 i do coi rente, as 11 horas da ma-
nilla no armazem do Aunes, defronte daalfan-
de8a- ^^_______________________
Dase dinheiro a juros, na ra da Concordia
do onde se dirao as condicoes.
ATTENCF
O abaixo assignado commerciante em Buenos-
Avres, e. ora nesta cidade, cumprindo as ordens
de* seu pai, o Sr. Joao Fernandes Duarte morador
em Barcellos. reino de Portugal, e nico herdeirc
de seu finado filtio Antonio Fernandes Duarte de
Almeida, commerciante que fui nesta cidade, faz
publico para conhtcimeile daquclles, a quem
possa interessar, que (lea desdo j prohibida a
alienacao de qualquer bem, o pagamento de divi-
das e qualquer outra transaccao relativamente
heranca do dito (nado, po s que o pai do annun-
cianle tem retirado os poderes que conferio ao Sr.
Francisco Fernandes Duarte para a arrecadaQao
da dita heranca. O annunciante ruga esp tal-
mente aos senhores tabelliaes que nao Iavrem es-
criptura alguma do contrato quanto a bens d
dita heranca, medanle procuracao de data ante-
rior a do presente annnqcio. Hccife, 21 de agosto
de 1869.
Manoel Fernandes Duarte.
i
Aracaty e 8. Bernardo.
Aristidcs de Paula Dias Martin, advocad') for-
mado, (rarrega-se de cobrancas amigaveis ou
judiciae., mediante rouimodo honorario, quer pa-
ra o termo de c. Bernardo das Russas, quer para
od"sta cidade no Aracaty.
Uiua pessoa que precisa retirar-so para tra-
tar de soa sade, pro isa de ama pessoa para to-
mar conta da taberna sita na Taimrincira n. 4,
para a qual deven entrar de socio com algum-
capital; a taberna est bastante acreditada e faz
bom negocio. _____________________
mmm mum
Nava loja de calcado
VQUfll KAS DOS SANTOS d C. acabara de abrir uto estabelecit
gado 69trange,ifO a na Nova n. 30, onde o publico encontrar tudo o
neto d* commercio lia de melhor e de mais oslo em Paris o Londres.
Por todos os vapores transatlnticos recbenlo elles constantemente remessa
calcados novo, pelo que tera sempre o estabelecimento o que a respeito se pode
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedem a cooperado.
Ibes p06sam dispensar, certos de queserao servidos com lealdade.
S 3
3
B> B f>i o- C.
Z2B "{5 S 3 a
a-" osS5
Ifll?"
O 5 ^ =S r? =
<" ^ u o-o 3
aSl,
as 3 O 5
a S-w
O i Q S
a a rn
b >s
coa


a "
a

5
B
5
.
c
Si *
f a

a>
o
c -i
o g
-
sg
CD -j
3E-3
Cl =.-3
a ~
C5
O leslamenteiro do fallecido subdito francez
Joao Vignes, convida aos devedores do finado a
saldarem seus dbitos amigaveimente.do contrario
scrao ajui/.ailos sera excepcao alguma.________
3
og
G3 "O
CO <*>
"i
CJ
CO
O
"1
05
O
X r>
B
sr o g_.
' o 3
-o
O
I ja
Scfif
O X 03
c -o a
re a
ere _
o =
s
9
3
re re
o tu
c 3 re
_ w a-co
S os
trt-

ero
I
*0
t
i
p
p-
o
a
M
s
Ama
Precisa-se do urna ama para rozinhar para ra-
pazes solfeiros: na ra da Lingoeta n. 1^_______
Alurjam-se
duas casas terreas sitas no Mamghloho,
do rio, recommendaveis pela va frrea
na ra do Vigario n. 31.
a margem
: a trataj
Precisa-se de nina para o servico interno e
externo de una casa de familia, prefenndo-sc
eserava : na rna larga do Rosario n. 16, por ci-
ma da nadaria do Sr. Manuel Antonio de Jess.
testar contra o procedimento do afferidor da cida-
de do Recife, que tem obrigado aos moradores des-
to municipio a afferirem de novo suas ancoras
naquelle municipio, sondo multados pelos respec-
tivos liscaes. Dm tal procedimenio c contrario a
le e es interesses da municipalidade do Cabo. As
posiuras desta cmara que urna lei 3anccionada
pelo poder compleme, ordena que todos os desti-
ladores do municipio sejam obrigados a afferirem
suas ancoras no municipio de sua morada, anda
que vendurn em outro municipio, o que claro que
una vez afferida as ancoras no podem ser atien-
das cm outros muuicipios, e nem mesmo. anda
concedido, que nao estivessem afferidas, nao podia
nem pode o afieridor do Recife obrigar a afferir,
e nem to pouco os fiscaes da cmara do Recife
muliarem a estas pessnas por nao serem morado-
res em seu municipio. Alem disto as affencoes
sao feitas logo no comeco do anno financeiro, que
do Io de outubro de 186!) a setembro de 18"0 ;
antes deste tempo o afferidor do Recife obrigar a
afferir as ancoras dos moradores deste municipio
e os fiscaes os muliarem no com enormes qnan-
liastl! Coutra scmclhante violencia, repito, o
abaixo assignado, protesta desde j, e pede ao
Exm. presidente da provincia c a cmara munici-
pal do Recife providencias em ordem de garantir
o seu direit) e mesmo os inleresses do municipa-
lidade do Cabo, que nao deve ser prejndicada com
scmelhanio procedimento. Cabo 2 de outubro de
outubro de 1861).
Joao Chrisoslomo de_SgB^Uuwn1__
Antonio Vasco Cabrai e seus manos agradecen!
summamente seus amigos a magnanimidade
com que se houveram dignando-se acompauhar
os restos moraos de sua presada mi at o ce-
milerio publico. Aproveitam-sc, porm, da oppor-
tunidade, para_supplicar a que de novo se dig-
nem de penhora-los assistindo a missa fnebre
que niandam celebrar na igdeja de S. Francisco,
s 7 horas da manha do dia l.'i, pelo repouso
eterno de sua alma.
AMA
Precisa-se de urna ama para casa de |ponca fa-
milia : na ra da Cadeia n. 21.. loja.
AMA
98 3 Ss ='
a a
9
S3
3 =.
=-- o
co -
v.
o re* re o
co
C as
'5
re C
&9- t*J J
x a,
- S
a>
KU3
o c
os as
co
8
O
O
m
es
g
t=i
o
ao
P-
o
?o
as


l', p- sd
o >~
0 B8 r^
* , P- >*>
m O ^m^
m P
0 e
e
5 0 ' cg
m
s
co -a
3 O
3 -1
f CO
a-o,

"tas.
33.
a?c 5" 2
3 o-"2 05 a
= o
j.
9
Na ra do Queimado n. 31, loja, precisase de
urna ama para cozinhar.____________________
AMA
LEiL.lt
do sitio denominado-Qqatro Leuosna ra de
Joo I'ornandes Vieira n. i, com nma grande
casa, um andar e soleo som militas accommo-
modacoes. quartos fera, cocheira e estribara
cacimba com excellente agua, lauque para ba.
nho e terreno, chaos proprios.
Quiarla-feira 20 do outubro do 1869, as 11 horas
em ponto.
0 agente Pinlo far leil3> precedida a compe-
tente autorisacao, da casa cima indicada, cuja
venda se torna recommendada, j por ser dita
casa edificada em chaos propnos, como por ser
porto da cidade; o leilao ser ctTectuado as 11
horas do dia cima dito, em o escriplorio do refe-
drio agente.
O abaixo assignado pai do finado Antonio Fer-
nandes Duarte Almeida, vendo no Diario de Per
mmbuco, de 28 de agosto passado, nm annuncio
publicado por meu tilhe Manoel Fernandes Duarl;
scientiiicando ao respeitavel publico d'aquella ci-
dade e a todos que possarn interessar qae fica
d'aquella data prohibida a alienacao de qualquer
bem, o pagamento de dividas e qualquer outra
transaccao relativamente heranca de meu fina-
do filho Antonio Fernando Duarte Almeida com-
merciante que foi n aquella cidade e fallecido
nesta villa de Barcellos, reino de Portugal, e de
quem eu sou o legitimo herdeiro, recommendando
mais aos Srs. tabelliies alguma do contrato qnanlo a boas da dita heran-
ca, visto cu ter retirado os paderes que tinha con-
ferido a meu filho Francisco Fernandes Duarts,
apresso me em declarar ao respeitavel pubhce
d'est reino e do imperio do Brasil, que taes po-
deres nao retirei, nem to penco autonse aquel le
meu filho Manoel Fernandes Duarte a faser til
publicacao, por isso que o dito meu filho trancis-
co o nico por mim autonsado a recebere fa-
zer as transaccoes precisas, concernentes a dita
heranca, assim como habilitado por elle na mesma
heranca o honrado commerciante d'aquella pra;a
de Peroambuco, o Illm. Sr. Francisco Gucdes de
Araujo. _
Barcellos 22 de selembro de 1839. Joao Fer-
nandes Duarte.
(Segu o reconhecimtnto.J
Da Correspondencia de Portugal do 29 do s-
tembro.
Precisa-se de una ama de
ao arsenal de guerra n. 13.
leitc : na travessa
m
Fugio no dia 9 do correnle o escravo crioulo
Elesbo, quo representa 18 annos, alto, magro,
com una beliide no olho dircito, foi vestido de
camisa e calca de riscado rocho, chapeo do couro j
usado, um bfsaco do couro de ovelha com correa
de sola ; pede-se aos senhores capitos do campo
e polica a captura do mesnvi escravo e lvalo
ra do Fogo n. 18,2" andar, ou na ra da Cruz
o. 35, em casa de Antonio Lopes Braga, a seu se-
nbor, que ser bem recompensado.___________
co -3
o 2
cr
OJ co
C. re
3I
3
og
re>"3
I-I
>|S
erg S
lil
" re 3
re 2 o
3l3a
M n "
-> O
(B
re
co
=v :
re a a
a a
sa re
3- r> a
O
i co
_ 3
3-g
co

S"re 3 a;
ca h i re
3 3^ tsS." re
il.flll
i e E?saCW
3-g;w J
^ re
o a co < a s;-
2. re sa g .
-. B'i'g "
a- 3 a
o = E- 2
-re o g p.,-

5" s 3
re
3
o
a
Engomma ieira.
Precisa-se de una engommadeira : no segundo
andur do sobrado da ma Direita n. 82._________
~- Auscnlou se da casa de sen senhor o escra-
vo Joo, de dado 33 annos, magro e tem algu-
ma barba, levou camisa do algodo azul e calca do
mesmo ou casemira escura j suja, chapeo de pa-
Iha ordinario, falla de pressa, e anda nesta cidade,
no pateo do Carmo ou Mbeira ; o recommendam
polica ou pessoa panicular para prende-lo e
levar ra Direita n. 133, que ser recompen-
sado.
AVISO
c?g
i =a S"^
i u sa
o
re
9
re a
ji
"
re o
a -a
re sa
s
sa -j
co re
re 3
3 re
cr
re
re
s= s- g _
2 u < 2: S
t re ra !2. ^
^atS-ISrell
|3c72l=j|.|
cg-"s
w ss 3 r co a
Se- F,cS.BB =
ao^Bo-S/cosacCE"'
B M 9 S a. i
creo. sea -2
03 o s^g a-re _, a
re g 3*"
01
co a
B*
,oa
-J>
co
5-
o
do um sitio no awftdo do Giqui (prirneiro do la-
do direilo ao sabir da bomba, com 178 palmos de
frente e fundos al a beira d) rio, com boa casa
de vivenda cora 5 janellas de frente, e accom-
modac5es para grande fomilia. quartos fra,
grande estribara, bem perto do embarque, 2
vieiros e muitas fruteiras.
ftuarta-leira 20 de outubro, s 11 horas, por in:
iervenc3o do agente Piulo, em seu escriptorio
roa da Cruz n. 38.
LEILAO
DE
FGIDOS.
Gratifica-se com 400 Do engenho Soledade, em Porto Calvo, fugiram
no dia 27 do mez passado, djras escravos, cujos
signaessao os seguintes: um de nome Fehppe,
idade 23 annos, natural do Cear, cor cabra, 11ra
pouco discorado, tem os cabellos carapinhados,
peuca barba por baixo do queixo, estatura b.uxo
recular, e corpo tanbam regnlar, as pernas gns
' 1 S *__ -A. kom fmtf\a Al
e cabelludas, maos e pos bem feitos, olhos
" lal-
Divinas
IVa jwporancia de O:4SJ*l .0
rls
Quarta-feira 3 de novenabro de 1869. -
0 agente Pinto levar leilio, s It horas do
dia cima dito, por aotorisaclo do liquidatario da
cxtincU firma de Southal Mellors 4 C. as di idas
na importancia de 40:4374130 rs., sendo........
31:1871310 rs. de confonnidade com o mandado
de penhora contra J. do Siquelfl Ferro, e......
!):249*810 rs'. de ronformldado com dous manda-
dos contra A, Pinto de Lentos ; o leilao ser p
nado no dia cima dito, no escriptorio do
reerdo agente, ra da Cruz n. 38.
grandes e vivos, falta de um dente na frento,
lando claro e desembarazado. 0 outro de lime
Manoel, tambem cabra, natural do Rio Grande do
Norte, tem 23 annos de idade, os cabellos carapi-
nhados, rosto curto, olhos e bocea um tanto pe-
queos, nariz pequeo o um tanto grosso, tem no
alto da cabeca urna cicatriz que se descobre se
parando o cabello, nao tem barba, de estatura
mediana, espigado, bracos e perns finas, e pos
regulares ; esto ambos limpos de costas e nade-
gas, visto nao terem seffrido .castigo algum : ro
Sa-se, portanlo, s autoridades polieiacs, capilaes
e campo, ou a qualquer pessoa que os encontr,
de os capturar, e leva los a > mencionado engenho
Soledade, no lermo de Porto Calvo, ou nesta pra-
a no escriptorio de Joaqum Rodrigues Tavares
e Mello, largo do Corpo Sanio n. 17, 1 andar,
pelo quo em quabiner das partes receber a gra-
tificaco cima pr.nnettida._______________
AVISOS DIVERSOS.
Arrenda-se nm sitio emeasa, na Vanea, o
qnal tem muitas arvores frucrtteras e boa agoa de
heber, e flea omito prximo ao rio : a tratar no
oeanu com Jo.- Valentim da Silva.
Crnnde festa da gloriosa Wanta
Theresa de Jess, na sna
Igreja da Ordem Terceira
do Carmo de oyanna.
No dia 13 do correnle mez, pelas 7 horas da
noute ser arvorado o estandante da Excelsa Pa-
droeiro, sendo carregado c acompanhado por
grande numero de innocentes meninas ao som da
msica marcial, e annnnciado por girndolas de
fogo do ar. Para esse Dm estar erguido um lin-
do raastro^ no qual tremular estandarte Santo.
No da 16, ao meio dia, urna salva real annun-
ciar a todos os devotos, que no dia segrate ter
lugar a festa da protectora das irmaos terceiros.
Na noite deste dia se celebrara as vesperas,
orando no acto o Rvd. padre Manoel Cide, sendo
este acto precedido e finalisado com grande nu-
mero de fogo do ar, e de um balo aereostatico
df gosto especial, o qual ir por essas alturas an-
nunciando o regosijo de que gosam os habitantes
da heroica cidade de Goyanna, com espedalidade
aquelles que tem a fortuna de se acharem revs-1
lido do sagrado escapulario.
Na madrugada do dia 17, urna salva de 21 tiros,
e grande numero de gyrandolas de foguetes dar
signal de que chegado o dia da festa da Excelsa
padroeira da Ordem Terceira de Nossa Senhora
do Carmo.
As 9 horas da manhaa, a msica marcial tocara
diver-as pecas eseolmdas e dos~~nais celebres
maestros.
As 10 horas entrar a missa da festa, precedida
de tercias, cantada e acompanhada de grande
inslrumenlal.
No Gloria in excelsa execntaro diversos solos
alguns devotos que a isla se prestam era obsequio
1 Ordem Terceira para maior esplendor do acto.
O sermao do evangelho ser reeitado pelo emi-
nente orador sagrado, o Rvd. padre Joao Esteves
Vianna. Duranto a missa e as occasioes do eos
turne haver grande quantidade de fogo do ar.
A tarde ser exposta vista dos fiis a excelsa
matriar ha Santa Theresa, em solemne procissao,
que percorrera as pnncipaes mas da eidde.
Urna gaarda do batalhao n. 12 da guarda na-
cional far as honras da festa e da procissao.
A noute haver Te-Deum utiemus, e sermao
recitado pelo mesmo eximio orador, padre Este-
ves Vianna.
Findo este aeto religioso, ser arreiado o santo
eslandarte, e em seguida conduzido com o mesmo
apparato do leva ment a morada da nova priora ;
depois do que ser xjneiraado ura variadissimo
fogo do artificio, grande uumero ae gyrandolas
e um monstruo-o balo, que annunciar o frmo
dos festejos.
E' conveniente assegurar ao publico a pontuai
e fiel e ecuQo do programma supra para o que
se ha empregado todos os estorbos oosslveis.
Quem qoizer alugar o segundo andar do sobra-
ao n. 40 sito ra da Cadeia do Recite, o qual
est perfeitamente pintado, forrado a papel e es-
terado, tendo alem di>to ga?, dirija-se ao escripto-
rio da companhia Pernambucana, no Forte do
Mattoi n. 12, que ahi achara com quem tratar.
8 1 3 m
N 5 u 3
'2I&2'I|
o a. a
= ?B"El
I I I
1!1C I"!
r r-- snD
f f f T
Festa.
Ama.
" ATTEN CO.
Fugio no dia 18 de agosto a eserava mulata por
nomo Anastacia, alta, gorda, barriguda, signal de
bechigas de tres mezes. falta de uin dente na fren-
te, urna cicatriz sobro o olho direito, bracos gros-
sos e peinas,diz ser forra, de Santo Antao e
julga-se estar por esses lugares : pede-se as auto-
ridades e capilaes de campo, ou a quem a pren:
der levar ra da Cadeia do Recife n. 1, ou a
ra'da Guia n. 29, que ser generosamente gra-
ti tica do._________________________________
Joaquim de Azcvedo Noves faz sciente ao
publico o com especialidade ao corpo commarcia!,
que tem justo e contratado a cojnpra da fabrica
de charutos da ra estrella do Resano n. 16, com
o Sr. Joaquim Vieira Cocllio da Silva, hvre e de-
sembaraeada, tanto com a pra?a como de impos-
tos e alugueis de casa al o dia 11 do crreme.
Aluga-se urna ama para cozinhar :
ua ra da Cacimba n. 1. 3* andar.
Precisa se do una ama para casa de homem
Arrendase ou vonde-sc o pequeo recreozmho Ufcir0 a ,ratar na rua dl Florentina n. 4.
de propredade do abaixo assignado cora alguns --------------p------------------------_
cammodos para pequea familia, para taberna, Aultl-SG
acha-sc livre e desembaracado de divida?, esta o ria: A,
situado no lugar denominado Chacn, um dos mais o 2 andar esotto t^^^S^^Cf^
amenos para"o passamento das testas, comendo a Recle 1. n^to^^**
pequeadistancia o rio Capibarihc, assim como a fresco: a tratar no armazem da expoaicao
respectiva estatu para se tomar o trem : trau-sc Lon________________
na casa do banhos do Recife. ___
d-
D se sociedade ou vndese o estabeleci-
mento do molhados na rua Nova u. 61.
Loja para vende
Traspassa-so a chave c armaejio da loja da rua
da Cadeia do Recife n. 9 : a tratar na mesma.
Oozinheiro.
a tratar
Devoro de N. S. da Luz erec-
ta na igreja de S. Jos de
Biba-Mar.
S. da Luz
urna ren-
18 do cor-
. A mesa regedora da devoc,o de N.
convida a lodos os nossos irmaos para
niao de mesa geral na segunda-feira,
rente, as 8 horas da tarde.
Roeife 13 de outubro de 1869.
O secretario interino,
Leandro Honorino Jos de Sampaio.
AtteiKjo
0 abaixo assignada vendo no Diario de hontcm
o annuncio de urna pessoa qne se retira para fra
a tratar de sua sauoe, offerecendo sociedade na
taberna da Tamarineira n. 4, a ser a do Sr. Jos
de Albergari, ninguem peder fazer negocie al-
gum sem que o abaixo assignado esteja pago do
quo o mesran senhor loe eal a dever.
Recife 13 de outubro de 1869.Por procuracao
de Sr. Francisco da Silva Ferreira,
Jos Ignacio Barbosa.
Precisa-se de um caixeiro que tenna pranea
de padaria ou mesmo taberna : a tratar no pal6<>
do Terco n. 63.______________________
Companhia indemni-
sadora.
Em cumprimento do artigo 19 dos estatutos da
mesma companhia sero vendidas 30 de suas ac-
Prccisa-se de um cozraheiro 011 mesmo ajudan- es em 0^ lotos, sendo um de 20, dos ns. 831 a
te com alguma pratica de casa de pasto : na ggo'o otUro je jo, de ns. 791 a t-00. Os pretcn-
rua de Santa Rita-velha n. 1.________________ denles polem dirigir as suas propostas por iuter-
O abaixo assignado tendo arrematado o im- medio de corretores geraes at o dia 15 do corren-
porto de afTcricao do municipio do Recife, declara te, no escriplorio da companhia, rua do ^ igario n.
ao raspeitavet corpo do commercio que tem aber- 4. Recife 6 de outubro Je,*JJ$>ioj
to o sen escriptorio na rua do Bariholomen, onde
pode ser procurado das 8 horas da manha as 3
da tarde, do dia 14 do correnle em diante ; de-
clara igualmente que nenhum bilhete de afferico
poder ser pago sem que tenha assignalnra do preciso-se alugar ura ou dous escravos, pa-
mesmo abaixo assignado, pois que a uinguem ga_3e Dom alnguel : quem t ver pode ir tratar
Iraspassa este poder. Recife 14 de oulubro de no p3t{) d0 Terco n. 6o\_______________
1869.Feliciano Marques Vianna.
Os directores,
Joao da Silva Regadas.
Francisco Joo do Barros.
Antonio Jos Leal Res.
'":/
Sabo de alcatro
O 8r. Manoel Pereira de Azevedo queira ap
parecer a rua das Cinco Ponas n. 82, ou annun- __ _,i___t__ Jt nll<>
L __ mor.au.-) nara ser orocurado. Har curar as Molestia* da peHe
darthros, sarnas, comiences
taes como empingens,
- Alaga- urna loja propia para negocio, a 7J %% ^ sem 'occasionar aecKlen-
itar no ^brado n. 3 no largo da r.be.ra da fre- ^^^^ 'do corpo, pannos, sardas
lena de b. ioso. re9tabeleee a cr n^urai, qaanto a cutis, secca.
-----------t-------1. i j--------------------i grossa e amarelleata, occasionando por alguma
_l0ralldae. l enrermidade, e como desinfectante c preventivo
Pede.se a cerlo Janota iu Recife, que frequen- molestias ^JJggJ^gpos^
Attenco
Aluga-se um grande silio com multos arvorc dos
de fructo, urna grande baiw para capim, boa
agoa, ca*a para morada, na eidade de Ohnda, -na
ma da Mangabmra n. cunfronte jo jardim : a
1 tratar na escadinha da alfandega, armazem n. 3.
Irmandade de N. S. do
la os banhos de Ohnda, que nao ande abrindo as
palhas dos banheiros para expreilar as familias.
NOE'.
ALUGA-SE
todos os nossos irmaos para domingo, 17 do, cor-
r-nt, as 10 horas da manhla, se renmrem em
mesa geral atim de se elegerem os funccionarios
que tem a servir no anno de 1869 a 1870.
r,m _i,>ria_v iniunda.ie 13 de outubro de 1869.
Ignacio P. da Silva,
Secretario.
Cavallo furtado
Furtaram na madrugada do dia 11 do crreme
do engenha Santos Mendes, comarca de Nazaretb
da Malta, um cavallo de meio, urh pouco grosso,
rodado, com pintas de pedrez, e com urna marca
de becbiga j sarada, tem a aarnolha ralada cora
marca de peitoral, e um so ferro representando,
pouco mais ou raenosoQ: quem apprehender
dito cavallo, pede entrega-lo no referido engenho.
ou uo Recife aos Srs. Oliveira, Filhos & C, praija
do Corpo Sanio n. 19, que ser bem gratificado^
0 abaixo assignado, casado com D. Maria de
- sua
sua
o andar do sobrado sit Bo caes do Brnm n.
K, com eonamodo bastante para grande familia :
a tratar com Luiz L. dos Guimracs Qeixoto,
larga do Rosario n. 34, bolica.
Botica do Pinto, rua larga do Rosario n. 10, junt"
ao quartel de polieia.___________
Na praca da Independencia n. 33 se ddi-
nheiro sobre peohores de ouro, prata e pedra.-
preciosas, seja qual for a quantJa ; e na meamn
casa se compra e vende objeotcs de ouro eprata,
e igualmente se faz toda e i|ualqner obra daen
commenda, e todo e qualquer onceno tonapiti'
niesraa arte. ________^_..
rua
Terco*
a a .sn _ni4_o Pela secretaria desta irmandade sao eonvioaaos | t^ talnep"acna.M a eserava Antonia o*
propriedade, e por Isso s pelo abaixo assignado
r _a_. _-._i*n nnntri nilt lllltr
_ Antonio Mana de Miranda Seve faz puMk<>
que dissolveu no ultimo de setembro prximo pas-
^ sado a sociedade que liha com Jos Joaquim Sevi-
- Alugam-so duas casas era Beber.be, no pollo dt b ^ rQa da adeia 5j:que R.
, Madelra, a .bradojrio, eomj' "I*.,. ^ rava em nomee Miranda Seve & C, cando S
cargo do mesmo Miranda Seve todo o activo e
passivo.
da
tos, cozinha fra
a tratar na rua Direila n. 69.
__Aluga-se urna eserava
Queimado n. 61.
tratar na rua do
Manoel
Europa.
^Pereira de Azevedo retra-se para
ni I I rCGOURAN0F3
rlLULLOPRGATIVE^
CAUVIN
servir no
rin^iruM
poder
venda.
r vendida, e protesta contra qualquer
Reife 13 de outubro de 1869.
j.is loaqnlm da Cftwna.
Alnga-se nma ama para cozinhar : a tratar
na rua, da Cacimba n. 1, 3o andar.
Jos Guiicalves de Azevedo, subdito portu-
guez, vai a Europa, e deixa por seus procuradores
para tntfar de seus negocios os Srs. Oliveira, Ml-
randa & C.______________________________
Precisa-se de um criado : na rua de Agoas-
verdes n. 15, taberna. _____
EM* vretinw
m, kvuta.ird 1>alovat.
|allT *<_wl o eemnndo
I coas pri(l'pl o rHeilin' mis iaWtiai pf __ A pessoa que tiver de fazer qualqner nego-
cio con a taberna da Tamarineira n. 4, nao ti de-
ver fazer sem que prirneiro se entenda com Ma-
noel Marques de Leraos, na taberna di Cruz de
I Almas n. 8, '
trtlf u e*nut|_;oeft, ^_u__S_(a*u r-
kelda, *-im enuio Mita e *l__|4_
Elie <> na* .nirlll, ohaWNf*** -J
.rea. _>__ r*.frtll. ->,'
^0UJr__T_"r5l_ cal boo> rtaa-
ir-te M__|_|Ms: W-HIW ou _f
ar a ude. ____ ^_^
_i
jkata nriHlMHMMB



CARVAO DE BELLC
e ifiinwriiililin -pk icactania imperial de medicina de Pai para a
corada gastralgia e em geni tetadas as doencas nervosas do estomago a djs intestinos.
I eguahnente o remedio por kcel'encia contra a retencSo de ventra. Finalmente era
railo 4e stias propiedades absorvente, recommeadado como ?erdadeiro remedio nos
caros de diarrhea e cholerin. uiM Bctta* Uma-se na occasiSo das comidas
sob t forma Deporita em Rio-Jutwso, Duponchelle; CkewAet. Em Ptaiiincco, Mattrer I
Mikroskope acbroma-
tisehen. ObjetrLin-J^^ \D
seo.
Barmetro e termo-
roetre. Centigrade
e reuameore.
Causa admiracio,
Mas tao se pode duvidar;
( No aimazem Independencia
E' onde se pode comprar.
UltlEIBi i MlO ,
cinos desfe importante c magnifico armazem do seceos o motilados sito ra do llangel
n. 3, migando nao aceitarem concordato alguma com os seus coltegas resolveram #er
ominar c-seu araaxem INDEPENDENCIA, nssim otwao o sen tm uo soja iltadi--
ao respeitevel publico eixarae de annunciar. scni o que o mesmo o julgue e admrre...
Mas como nos pontos da va frrea, ja -se tem discutido e apreciado ti realeza e impos-
ibilidad -a ver quera vende gneros o barato, por esto razan que ainunciamos pan
que todos tanto da practi como do mallo acreditem o que ainda nao nos Aenham honrado rom anas frogowas, poderse dirgir--se ao wesmo,
eertos^le que verte gravada a sinceridade e methedo e negociar rawto franco sem qu:;
uecessrtanos da anidar raeia noite pelos oitoes das taatrizes figurando-nos por bons
dementes uem oiesaio na frente dawusica com o pendo na raoeito bausa.
PEEREIRA & IEMAO,
Ba do Eangel b. 3, armazem da Indepen-
delicia.
ICHLIS HlBtlICIS
E crystal de rocha do Brasil.
P. f. Germaan, recommenda ao publico, sens vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com este:, vidros, a vista descanca, fortifica-se e nao a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escolbido um vidro, pode durar dez annos, emqnanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada ves 'mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de caneca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto estjoais perto ou mais looge, os ratos que expelle sao
mui convergentes ou mui divergentes e a visao nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tcm o defeito de fazer convergir muito de sorte que a visad nao distracta.
Gom a applicaco do meus vidros pdese vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta o cajo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, o mal de
lona), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo aTasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objects e deixa ver 15o longe como as ootras vistas. (Juan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o quo se chama presbyta, vem meihor de longe que de perto, e nao enxergam senb
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com om vidro convexo, estes enxergaro
to distinctamente coracina idad de i5 annos. Servindo-se desles vidros quando .
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F. I. Ciermaan encarrega-se pela sna experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a primeira vista, seja quaL/or a iade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros??
ANME DELSUC
-/erre.
CABELLEHE1R0
7 X Pata-do Crespo1.' awclar 7 A
ENG0NTft>\lrSE-llA eempre neste estabelecimonlo um variado e.bonito-sorti
em (perfumars francezas-e inglesas cuja lista damos aos leitores.
LWTAS Marea garantida deJOUVIN.
EXTRACTOS. De-superior qualidade marcas UJBTN & GOSNELL.
BPTOS FROS.em frasquinhos proprios para -presentes Labin d- Goaaell.
PfMMADASDanhafina de varios ebeirosLnbin.Gosnelie, SocietHyginiquc
5MIONBTES.finas .para toiletteLubm A- Monpelns.
MU DEWHFRICE.agoa para liapar dentesSociut Hyginique Lubin A- D.
BRILHANTINA. par lustrar a barita e os cabellosLubin.
AGUA DE -COLOXHA.Marca verdadeira de Solio Marina Farica.
<]@SMETlG.cheirefco -Lubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
HILE DE-SENTEGROleo para ceeiservaco dos cabellosSociet Hj^inique
ESCOVASf INAS.para cabellos, lentes e unias.
IJLAIREAU.Pincel para barba.
QRANPOS.para aoellos.
REDES INVISIVEIS para cabeHes.
mtXSmtt LINOIS8IMAS.do fflelhor gosta.
UNGALAS.de phaatasia, para passeio e de diversos taiuanhosclc, etc., etc.
A la panfuaierie J^arisrenne.
7TRUAI0 CRESPO---- 1: ANDAR 7 A.
m FQI PRECISO AGUA BEMTI
O demonio mudo-se por snaiiirre e expontanea Tontade
VIVA ODIA BE S.BARTH0L0MBU
Agora ntnguem presuma que fot um demonto qualquer, foi
0 BOM DEMONIO
Mas nao sabio da Boa-Vista
CHEGOU-SE ATE PURA NAIS PERTO DA MATRIZ
iSeu dominio est hoje assentado. onde foi botica,
ESQUINA DA RA U ARAGAO N. 32
VJE\IIAfl VE-IiO
fH^MB^. Como garboso se ostenta
^^* Como lepido se mostra
1^^^^ E as diabruras que fazl
Negra tranca no eolio lhe ondeia .
Solta briza ao mago desdem ;
Deita a fronte n'um peito e conhece
t Quantas maguas o seio conlm.
Esta linda e gentil creatura tambera
lrEKUE
*
Queijos, manteiga e caf,
Vinho, cb e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
De Nantes boas sardinhas.
Tudo barato
Para agrada-,
Veoham fregueies
' Que hao de goslar,
N. B. Brevemente ser annunciado o da, em que esie irnpoilanle armazem de mo-
Ihados lera principio a pratica de cevta diabrura.qne admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da ra do Queimado. Por ora venham os freguezes visitar o nosso es-
tabelecimento, comprar os nossos superieres gener. s por precos muito rasoaveis.

Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para avista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos s5o desiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
lho e a le tura.
Para a vista presbyta (vislagaton ).
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esio cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o ontro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Sorti meato
para theatro.
de "binculos
c oculos de
i >-
AS ISOUBAS CURADAS
E
Todas as molestias syjMitieas,
PELO
ELEXR DO DR. SEVIflL
Unic depurativo sera mercurio que tanta acekaco tem meieoido no Bra-
sil, as repblicas do snl e na Allemanha especialmente para ira das boubas,
sarnas, riit-unwUsiS., todas as molestias syphiliiica e em ger-al todas aquellas
provera NICO DEPOSITO
NA
Phariasacfa e dragarla.
DE
Bartbolomeu 6 C.
SIEtna Larga doRefiarlo34


alcance para o campo e ina-
rinba.
Lunetas, pince-nez e
face--mam, otiro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambera grande sorlimenlo de rejogios para parede, que d3o horas e para
cima de aiesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, piala, prata
domada efuleada, inglezes, suissos o orisontaes dos raelhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. -Em Pernambuco.
N. 21=Rua govaN. 21.
com m \tn dos mim
16 RA DA CRUZ16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vhIios de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o meihor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
calda, etc.
Incumbe-se de eucommendas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
samentes, a saber:
Pecas de nougat. Pes-de-Iot enfeitados.
Ditas de pio-de-lot. Bollos idem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crm e carne.
Bandeja com armaco de assncar. Empadas.
Manteiga ingleza flor a i#300 por 500
grammas.
Dita dita a 10200 idem.
Dita dita a IflOOO idem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a 100 rs. idem.
Cha fino superior a 3oOO idem.
Dito dito a 3j$2O0 idem.
Dito dito a 3(5000 idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf de caroco a 200, 240 e 280 rs.
idem.
Milho al pista a 240 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a 500 rs. idem.
Vllas estiarinas, masso 720.
Potes cora sal refinado a 400.
Emilias franceza em manteiga, 900 rs.
a lata.
Eructas portuguezas em calda a 000 rs.
a lata.
Ditas s de pecf gos maiores a 500 rs. a
lata.
Tijolo para facas a 120 rs.
Chocolate espanhol a I 1000 o masso.
Frascos com conserva a 900 rs.
Ditos dita de mustarda a 800 rs.
Latas com carne de porco a 800 rs.
Sardinhas de Nanles em manteiga a 800
rs. a lata.
Copos finos para agua, duzia 40800.
Vinho bordeaux em caixa, 7r>000.
Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinhas de gerentes mrreas. a
10400.
Fosphoros de seguranca, masso 500 rs.
Banha de porco a 720 por 500 grammas.
Vinho do reino, garrafa a 1^000.
Charutos do Lima a 50 e G a caixa.
Sabo de massa a 240 rs. por 500 gram-
mas.
Latas comameixas a 10, 10900, 2S0P
e 30500.
Ditas de manteiga a 20800.
Ditas juliana a 10 por 500 grammas.
Frascos com macas seccas a 20OCO.
Serveja de differentes marcas, duzia 60.
Tapioca do Maranho a 240 rs. por 500
grammas.
Farello cm sacca com 21 kils por 50.
Liguicas e-patos a 800 rs. por 500 gram-
mas.
Gz, lla a 80500.
Dito em garrafa a 400 rs.
@|Latas do peixe a 800 rs.
Bolaxinhas beato Antonio a 10200 a lato.
Latas de po-de-l a 900 rs.
Riter em garrafas a 800 rs.
Licores finos como coracol, amisade, e
outras muitas marcas a 10000 rs.
Garrafas finas para meza, o par 50000., Estrilinhas para sopa a 800 rs. por 500
Cognac engarrafado a 800 rs. grammas.
Azeite francez engarrafado av10OOO. | Marrasquino de zeroa 10 a garrafa.
Presunto em barril a 480 rs. por 500 Massa de tomate a 720 por 500 grato-
grammas. mas.
Os proprietarios garantem todo quanto cima est especificado, adverte a todos
que n3o conhecem o pes de 500 grammas, mais de urna libra, e se evp. ara quelles
que nao entendem.

e=3
FLOR DA BOA-VISTA
LOJA
DE
UPADLO FERHARDES DE H. GUIHABiES
SOB A DIRECgO DO MUITO HBIL ARTISTA
ALFAIATE PEDRO
Nesta officina encontrarlo os respeitaveis freguezes um dos primeiros artis-
tas esle j bem conhecido (com grande especialidade em fardas), por moitas pessoas
gradas desta cidade.
O mesmo estabelecimento se acha munido de um completo sortimento de
fazendas, do que ba de meihor no mercado, proprias da oficina.
0 grande, sortimento de roupas feita que tem, vende e manda fazer menos
20 por cento de que em outra qualquer parte ( dinbeiro).
48 RA DA IMPERATRIZ 48
Junto a padaria franceza.
.

GOSTUEIIA MODISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a honra da partecipar ae rspilavel publico e em particular seus fregue-
*)s, que, pelas re4ac5es que acaba de encetar com algumascostureiras e modistas das mais
ai'amadas de Pars, que todos os mezee lhe mandara figulinos, de vestidos, man-
Uletes e chapeos que estao no maior gasto e mais modernos, se acha habilita-
d para fazer vestidos para passeio e visitas, bailes e casamento*. As senhorae que
a lonrarem com a sua freguezia, nao deixarfio de ser satisfeitas, tanto pekijMHHOslB, como
pela barateza dos precos e promptidSo na entrega dls encommendas im^fn tem bo-
nitos enfeites muito modernos e de todasas cores. Fazem-se chapeos deldH as qualidades
Unto de fil como de palha.
.*"',


V
K
Diario d Pfemailmco Quinta felfa 14 de Oirtubro de lf09;
^zr
0
Grande arinazeiii de faicdas e roupas' fdlas na da Impcralm
n. 52, porta larga, de Paredes Porto.
VINO
LUJA DE JOIAS
DB
ac
Este antiguo estabelecimento. completa-
mente reformado de novo, est as condi-
coes de servir vantajosamente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
explendido sortimento de qj)ras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, cujos preqos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
i\ 5 M DO CVIIG \ 5
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimcnti
le roupas de tddas as calidades, palitots de alpaca a U, 30500 at 6#, Dito d
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 50, 6|J, 8# e i O, de panno prok
sacos e sobrecasacos. Ditos (le brira pardo finos e ordinarios. Ditos de. alpaca hranca
e de cores de 3*500 a 50000. Calcas de brim de cor tinas o ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 4*. 5& 6 a 13,5. CoHetes de todas as qualidades e prego muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas do algodao o de Imho de 20 al 50
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodao, de linho e bramante a 20 e 2500.
Gravatas (manUs) novissimo gosto a toJos os precos. Meias sotlimento completo a 35,
40 at 70 a duzia.
ROUPAS PAFA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de enommenda tanto para horaem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem-um bonito sortimento do fazendas de
todas as qualidades tanto em casomiras como brins, pannos finos c outras militas fa-
zendas.
FAZENDAS
Hiamantes de 11 palmos de largara a'10800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o corado.
Poilde-cbvre com lista de sedafazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 18*000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 r.
Madapoln fino a 60500, 70, 80 e 9000.
Algodio peca com 20 jardas a 40300, 50500 e 60000.
Pega de algodo largo a 75500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonlio n.-cncionar Clicguem roupa
feita que se est liquidando na luja ra dalmpcratriz n. 52 (junto ioja de ourives) do
O YAM D.U
Nova toja de mindezas
55Ruado Queiraado55
A VERDADE leudo em deposito grande
quantidade de mindezas e perfumaras, e de-
sejando apurar dinheiroe adqnerir boa fre-
guezia est rssjivida a vender muitisruo
barato,- upor essa razfw convida ao respei-
tavel publico a \r competentemente muii
do a sortir-se do bom e barato. Pois <|S-
do a Vcrtlade appJrece, ludo mais dcs-
apparece___
Grande sortimento de bonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
15800
320
LEAO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarocar algod5o, do
muito conhecido fabricante Eagle Colton Gin.
MACHINAS ditas, tambera de senotcs e de todos os tamanhos para descaroear, al-
godo do autor New York Cottoi? Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
MACHINAS de fario do fabricante Platt B. & C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
vindo ao mercado ; e para a sua apreciaco convidam-se os senhores agricultores "
vire.n a exposicao das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
<*ncontraro mais o seguinte:
Debulhadores para milho.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de mo.
Machinas para cortar apira.
Cannos de chumbo.
ftombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
Ftdhas de zinco finas.
Ditas de cobre e Iat3o.
Ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
.Machados americanos.
Facoes ditos.
Balaios e cestas de verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para fefreiros.
Finalmente muitos outros artig
diversidade seria enfadonlio ennnmera-los.
Superiores sedas de cor e listras a 10600 o covado.
Lindas poupelioas de la, com grande variedade de cores escuras c claras a
160 rs. o covado.
Pecas de rnusselina branca com salpicos e com sele metros cada peca, pelo ba-
ttissimo preco de 40000 a peca: na loja das Colnmnas, ra do Crespo n. 13, de
Antonio Correa de Vasconcellos & C.
Menos 4 "d que en onlra
qualquer parte
Henriquo do S l.citao pai tecipa ao rospetavel
piililicn, eum esperi.ilidadu ao sexo amavcl, qae
lera abi-rt.) na da Imperalrz n. 36 um grande
e importan i- est-ibi-leeimcnlo de mudezas' como
Mofe do-VAPOR DAS N0V1DADRSonde o pu-
blico cin feral encontrar constantemente nm
completo sortimento de ludo quinto ha de mais
moderno e de ma posto jos principai-s pai-
zcs da JCnropa, tendo para este lim um vapor es-
pecial com o titulo cima indicado.
O proprieiarin adiando muito enfadonho, ou an-
tes porlasnim dizer juasi que impossivel mencio-
nar pelea sen- nonios e precos os i ojelos de gosto llicosglobos para candieiro de caz a
existentes em scu eslabelecimenlo. por isso con- ('haiiiin a
tenta-sc aponas em menckinar aquellw auc iulaa L .'' '. '* > ,'
maw recomme:id;rveis nao t pela sua belleza e ^no sorlimento dt objelos de
elegancia come tamben) pelos precos que sao ven-
didos, deixando os oulrcs que esta expostos em
seu estabelecimento para serem admirados pelos
proprios compradores.
Vejara o que bom :
Lindsimas ramisinhas bordadas e enfeitadas
com lindos e elegantes enfeite?, proprios para as
senboras de bom lom : vende-so por precos muitos
commodu?.
Lindos coques a mitaeao de cabellos que em
outra qualqucr parte venden) por 33.>00, vende-se
por 2000.
Guepur branco o preto com lindos o delicados
padrde?, a 1&00, 35OOO, 2o00, 3000 e 4*000
o mclro.
Leqnrs dealta novidadeem Paris, sendo de osso,
os.'o e soda, sndalo e seda so, e outros salpicados
delantij.'ilas ditos de madreperola c seda o mais
elegante c moderna possivel, ditos de madeira,
sendo lisos, arreadads, e outros guarnecidos cmn
ricas paJmas; ditos brancos com flores dotiradas,
ditos de osso e seda, ditos brancos e proprios para
muras; ludo p.jr precos lo diminutos que s o _
fieguez vendo a qualidade e elegancia podet dar Cas de tranca de lita
crdito. 8 '
Verdaderas mcias fio da Escossia para senho-
ra scudo*lsas, bordadas e arrendadas, o mcllior
que possivel liaver para sapatinbos razos ; por
precos coinmodos.
Ditas oiuas tatnbein para senhoras, fazenda
mnito fina.
Ditas lio da Escossia com listas de core?, para
liomens.
Verdidciraa nioias inglezas nara liomens, fazen
da muito lina ; a 8 e 106 a duzia.
louca para brmquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida verdadeira a
Dita com .lila dita: a .
Frasco com oleo debabosa a 500 e
Dito corn agua de Colonia a 300 e
Garrafa corn agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
Latas pequeas com banli mudo
fina a fiii'e......
Carlos Antonio da Costa Carvalho deseja
fallar com o Sr. Jos liahia da Costa Carvalho a
negocio de scu interesse sobre urna lieranca : na
priifa do Corpo Santo n- 6.
Aluga-se,
para banhos do mar, urna casa junto a igreja de
S. Pedro; a tratar na coelieira de carros tune-
bres, na ra do Imperador.
Ama de leite.
Preci-a-se de urna ama que tenha bom leite,
paia croar ume enanca de um mez, paja-se bcm.
na ra Dereita n. 84, sobrado.
Para festa.
Aluga-sc nm sobrado de um andar na ra do
Amparo n. 22, em'Olinda ; para ver, podem pedir
a clave na taberna do Sr. Guilberme. junto do
inc: pendencia, loja de calcado ns. 37 e 39.
EMPRESTIMO SOBRE!
Folha.de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Ternos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Coi-rentes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para reflnac5es.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Sertas avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
(SEM LIMITE.)
Ka toessa da ra
das Crozcs n, 2, pri-
meiro andar, da-se qual-
W por quanlia sobre ouro,
prata c pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condices de ga-
rantir a transaeco que se fzer em
sua casa, promettendo todo e zelo
e considerarlo s pessoas que se
dignarem de honra-lo em sen esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
CoIIccfo
de varios regulamentos de impostos alte-
rados e creados
pela lei n. 1507 de 2G de setembro de
1867, comprehendendo
os de p ssoal, esc.ravos, industrias e proflssoes,
sello (orcanisado alphabeticamente, explicando
cada acto a que sello est sujeito se se deve em-
pregar esUmpilba ou verba, no primeiro caso
quem deve inutilisa-la), tiansiiii>sao de proprie-
dade, dizima de cbancelara, emolumentos, mul-
tas applieadas fazenda pulilica etc. etc., e em
appendice o do cofre de depsitos
pblicos
notadas com as
institojcSt e decisoes posteriores
at*a prsenle publicacao
por
Francisco Augusto de Almeida
t escripluraiio
recebedoria de Pernambuco :
acha-se no prelo e breve a ser publicado; as-
signa-se na ra estreita do Rosario o. Id. por ;i j
o volunte ; depois de publicado custar 4 para
uem nao assigpar. l'orna se de grande utilida-
e aos Srs. advogados, solicitadores, negociantes
e funecionarios pblicos, a acquisicao deste tra-
balho.
COZINHF.IRA.
Precisa-se alugar urna oserava que seja boa co-
linhelra : na rua do Crespa n. 23.
O abaixo assignado declara pe sua mi D.
Sebastiana Mara Isabel de Jess deixou de ter
negocio, e que a taberna da rua dos Quatro Can-
toslt. 12 Ihepertcnce, o quefaz publico para evi-
tar futuras duvidas. Cidade de Olinda 11 de on-
tubro de 1869. .
' Jos Manoel dos Santos.
Auga-se
urna casa em Olinda, na ladeira da S n. 3 : a
tratar na rua da Cadcia n. 57.
AVISO
Precisase de urna pessoa que saiba trabalhar
em velas de cera de carnauba : a tratar na rua
Velha n. 74.
Aluga-se
a primeiro andar do sobrado do largo do Corpo
Santo n. 2o, tendo commados so-ente para rapaz
solteiro ou para escriptorio: a tratar no mesmo.
ATTENCAO
Ni coetteira da rua das Flores n. 35, alugam-se
bons carros de passeio s pessoas que tiverem de
irasisiir a festa de Santo Cosme Damiao.'em
Iguarassii, domingo, 17 do corrente. Cada pessoa
pagar pela ida c volta 124000, levando cada car-
ro quatro pessoas: quem pretender dirija-se quan-
to antes mencionada cocheira para tratar
Precisase de urna ama
do Hospital Pedro II n. 9.
de lene : no pateo
S*
->
0 MUSEO DE JOIAS
Nanoel Domlngae da Silva e sens fllhes con-
vidan) a todos os seus prenles e amigos para as-
sistirem a missa que pelo eterno repoaso d'alma
de sua me e av. fallecida em Pbrtngal, man-
dan rtizer no dia 1> do corrente s 7 hora* da
manha, na matriz da Boa-Vista ; pelo que desde
j se confessam summamento gratos por este
I acto'de reiigio e caridade. _
zn
GOMES DE MATTOS IRMAOS
do feito completa mudanza em seu antgo e
acreditado estabelecimento de joias, com ofimde
dar-lhe madores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialid.ade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RUA DO CABUGA N. 4
onde encontrarSo um dompleto sortimento do que ha. de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e todo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de no vos gostos, assim como grande variedade de salvaje paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para so das igrejas,
Compram e trocam ^ualquer joia ou pedra preciosa e garanten*
a qualidade dos obj ectos vendidos.
0 MUSEO DE JOIAS
A quem vaf para a
Europa.
Recommendamos o modesto hotel particu-
lar da cidade do Porto, rua de Santa Catharina
n. 135, palacete bem derijidn, com commodidades
para Jtnens c familias decentes, aonde se en-
contra bom tratamento per ndico pre^o.
Sabon-tes de diversas nuali iaes a
80, i en, a iO o.....
Finas oscovas para ilei.lcs ilo 120 a
Lindos cuques modernos a. .
Pa\ os para gaz, duzia a $40 c .
Esco\as para faci a 0, GUO e
Ditas para cabello a.....
Peo tes para tirar piollio a 1(50 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
com 8
varas por. ......
Oleo para macina de costina,
frasco a........
Pennas d'aco unas caixas a 800 e
Dita d'aco Perry, caixa a. .
Galao de algodo peca ....
Lindos babadiobos e enlremcios
pe-^a de 500 a......
Boles de madrepnol.), croza a
meas iliapelinas para senhoras, cliepadar- recen-, nitos de lonc muito fino -i 19 -otiieme e .narne.M.las de rico, e clegan.es eoei- g?! nn ^,1^ lr) p
les desetim e flores linissimas: uiios paid caiga a iou e. .
Lindos Uncos de cambraia de linho, bordados Caixa com papel amizade a. .
agnlha ; pelo baraiissimo prego de 1500 e 2000. Ditas cora envclopes a.
Ditos de cambraia tambem.'bordados a 800 rs. Dita* rom nliri>ia a
Lindos cachos de flore? francezas o mais moder-
no possivel e de melhor gosto, sendo : rosas, bo-
toes soltos e Witoa em cachos de lindas cores,
pelo baralissimo pieco de 1*300 o cacho.
Fitas larcas prnprias para cintos d.i ultima
moda, de muito lindas cores e por precos muitos
baratos.
Completo sortimento de neos e elegantes enfei-
tes de seda o mais moderno possivel ; como sejam
Eseossezes o de outras qualidades, estao constan-
temente a venda rua da Imperatriz n. 36, onde
as Exmas. senhoras poderao escolher a vontade
ou mandaren! buscar as amostras, sendo ludo o
mais barato possivel.
Lindas boneeriuhas de louga pelo baratissimo
prego de O.
Grande sorlimento de escolhidas laas proprias
para bordados, a 7 a libra.
Lalas com superior barflia franceza a 160.
Fitas do velludo pretas a i& a pega.
Gollinhns bordadas a agnlha a 240.
Agulhas para crochet a 100.
Lindos bldes de setim para enftjles de vestidos
de todas as cores, a 400 rs. a duzia.
Grande quantidade de finissimos calungas que
se vendem com grande abatimento.
Alm dos objectos cima indicados existem mui-
tos outros que s a presenga dos freguezes pode-
rao avahar a dilferenga dos precos e da qualidade
que faz dos de outia qualquer parte.
proprietai io convida a todas as pessoa* em
geral a visitanm o seu estabelecimento o qual se
acha aberto desde as 6 horas da manhaa at as 9
da noite, certo de que as ditas pessoas enconlra-
rao no proprietario e as mais pessoas do eslabe-
lecimenlo o maor agrado o sinerridade em todo e
qualquer negocio.
Loja do Vapor das Aovidades
lina i:t Imperatrlz u. :
ttencio.
100
800
rd50C
I0 0
no
1-xWi
HOo
200
ase
000
5500
330
706
500
**&
20(>
80
oo
IMKi
I V,{K
400
W500
oC' 200
240
7lK>
480"
28
160
500
280
Vende-se um terreno na rua do Principe junto
a casa n. 10, com 80 palmos de frente e 150 de
fundo a tratar na rua Direita n. 95.
BREU
Caixa comagullias fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costina a 20e
Caixa com linlia de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carrcteis de linha Alexandre de 70
at 200. .
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a......
Carlas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a c2i>2UO e .
Papel almaco e de peso, resma a
3400, o-fSoOO e .
.lia frailo fina para bordar, libra
Fila de algodao para debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de la para debrum de ves-
tido, pega a ......
Pentes finos para segurar ta-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a. 210, 320 e......
Caivetes grandes com molla a .
Ditos para aparar penna a .
Cartoes com colxetes a .
Rosetas pretas, par a .
Traoca de lila de caracol pega a 40 e
Fita de coz pega a 480 e .
Alfmetes de latao a.....
Sapatos de la para menino a 240e
Ligas para senbora, par a. .
Grvala de sedas de cores a .
Cslcadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das Potas.
Um par de suspensorio de borracha por
lOOrcis!!!!!!!
\a Ver dade na do QueZuiitdc
ii. 55.
Vende-se breu fino o mais superior que ha no
mercado, por prego commodo : na rea do Viga-
rio n. 26.
Farelo de Lisboa
muito fino em saceos grandes a 3*400, no arma-
zem da Estrela, largo do Paraso n. 14.
eleOMe Hariaoala Acad-
mica.
A partida dssta soodode Sua tafar no dia 20
do correnteltftr Pede-se s Exmas. senhoras que
ti ve-rara convite, toilete simples.
Precisase de urna ama que saiba coiinhar e
engommar: na roa da Praia n. 53, 3 andar.
uUmrlAwi
- Com muito matar vantagem compram-se
de joias do Co-
Dag.
moedas do ouro e prata : ua loja
racao de Ouro n. 2 D, rna do Cabe
0 muzeo de joias.
Na roa do Cabug a. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que em outra atuRnier parte.
Ouro e p"at
Compram-ae moedas de ouro e prata de toda
as qualidades.
do Reeifo
bom p
aa roa da Cadeia
ComlranKe moedas de oaro e prata de to>
dos os valores, oao e prata etn ebws inutilisadas,
brilhantes e mais podras preciosas : na loja de
ourives do arco da Conceico, no Recife.
-11 w
ESCJLSlYOS
Compram-se e vendem se diariamente para fr
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto qae sejam saltos : no
tarceip) andar do sobrado o. 36, rua das QrtUM,
a-egeaa de Santo Antoalo.
Compra-se
lelro
dir.
na
una earr
praea da Boa
propna para car
M
O Campos da rua do Imperador n. 28 tem para
vender o seguinte:
Queijos londrinos, pratos, flamengos e de Minas,
todos muito frseos e de oda qualidade.
Presuntos para fiambres e para tempero, paios,
salames etc. etc.
O verdadeiro bacalho de Noruega.
Latas enn lagstas e ostras.
O verdadeiro caf Mocha.
Especialidades*
Grande remessa de cigarros de diversas quali-
dades, vindos da provincia do Rio de Janeiro, no
vapor brasileiro Paran.
A saber:
Cigarros ao dnquo de Caxias.
Ditos ao Maunty.
Ditos aes tonentes do Diabo.
Ditos Barbacenas.
Ditos Papel peitoral.
Ditos de S. Paulo.
Ditos do Rio-Novo.
Ternos demadidas para seceos, segundo o novo
systema (mtrico francs), no armazem do Cam-
pos.
As mais adoptadas e mais facis tabellas para
de prompto se reduzir (f e a kilogrammas e ao
inverso esto se acabando por isso recommenda-s
aos eslabeteeimentos que anda nao tem, que ve
nbain seus donas munir-se desse to grande agen;
te dn commercio. pois que, onn a safra que est
porta, torna-se ditas tabellas indispensaveis.
28-TDO NOHMAZEM DO CAMPOS-28
90
100
iroc
Hifi
480
320
500
320
HKi
Vil
10U
J00
mi
100
800
I0
2(Xi
80
Nao mais cabellos braucos.
A tintura japoneza para tingir os cabellos
da cabera e da barba, foi a nica admiltida
Exjtosicao Universal, por ter sido reco-
nbecid superior i todas as preparacoes al
hoje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1^000 cada frasco na
Rna da Cada n. 51
1. andar.
9
Ll
Resta venda' um eseolhido sortimento de .&
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
jarand. mogno eamarello, obra nacional e estran-
jeira, d apurado gosto e por pra^>< razoaveis :
a rua estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
;asa fazem-se com perfeicao todos os trabalbos de
lalhinha, como sejam, empalbamentos do lastro;
para camas, cadeiras e sopns.
Vendem-se libras stertinas : no escrpterto de
Leal Res a rua da Cadeia a. 49.
Vende-se um eacravo crioulo com ib alios
de idade, de aame Joaquim, Canueiro, reinador,
com urna vilida curavel no olho esquerdoj quem
o pretender derija-se casa de detencao para
v-to e Miar com Manoel da Silva Neves em
Fora da Portas aa rua da Pilar ou na assoctacle
dos praticos.
Vende so na estrada de Joo de Barros urna
casa de pedra e cal acabada de pouco, muito bem
construida, de paredes dobradas com 34 palmos
de frente e 60 de fundo ; e com os commodos
seguintes : duas grandes sallas, 6 quartos, sendo
J fia, cosinha, dispensa e cacimba, tendo a mes-
ma casa um terreno de 100 palmos de frente e
420 de fundo e duas ras com arvoredos aa
frente e ontro no fondo : a pessoa que quizer
compra-la pode drijir-se ao sitio da Bomba o. 10
na mesma estrada que achara com quem tratar.
Vende-se urna casa terrea ai becco du
Barrelras n. 9 : quem pretender dirjase na es-
Ifada de Jeio de Barros n. 31_______________
Escravos e escrava.
Vende-se oito escravos de 15 a 26 annos dt
idade, suas habilidades e condal te far ver ao
comprador, 1 eatnvo para onoenho por 8004,
1 oseravo de 40. anuos por 600* 2 ditos para
todo o servico mesmo de padaria, pe reona-
clo por eommodo prego : travesa do Carrao nu-
mero 1.
Para cabriolet.
Vende-se um magnifico avallo russo ponibo :
na rua da Soledade n 31._______________
Veadem-se diversos escravos pecas, propria-
para armazem ou engenho, vjnjos do Cear.
sim caraoalgumasescravas com habilidndes c
pilas : na rua da Cruz p. 55, > andar.
Taberna
Vende-se a taberna da rna Imperial n. 2l<;
poucos fundos e propria para om principiante, poi
estar bem afreguezada; a tratar na maaau taOer
aa cina._____________________________
Vende-se a taberna Flor da Pal meira: %<
rua da Pahua n. 39.
- Vende-se ama bonita mulata pega de 18 an
nos propria para urna raucamba, lava, fcosldl
cose bem; na rua de Hbrtas n. 96. Na me
casa ha outros para vender-su.
Ytjndr-se
a taberua da rua Imperial n. 193, bem afivr
zada tanto nesta p'aja como para o mato : a
lar na rna Imperial n. 213.
Vende-se urna casa terrea na rua da Co;
cao n. 19 : a tratar na rua da Aurora n. 132 V,
com o agente Ensebio.
Novo systema di
e medidas*
EXPI IX tv lo AO POiO
Pre^o 400
A venda
triz n. 1
pecador,
tense
rua d
eroic




SEM
we
ricos
e casa
O proprietario do armaaera de fazendas denominado AR.UU. ra da Impera-
triz n. 72, declara ao respeitavel publico e seus freguazos, tazendas e roupas feitas que lem em sen estabeleoimento como se poder ver no seu
aahuflcio e preco abako mencionados,
Chitas Ira nce/as matizadas | Algodo enfestado a OO rs.
390 rs- Veiule-sc algodo cnfeslado proprio para
Vende-se cliilas francezas escuras matiza- ieil(:,jes e toalhas, i 000 rs. o metro, dito
das a 320 rs. o covado por esle preco sna trancado a tj, metro.
loia da Arara, roa da imperalril n. 72.
LAAZINHAS A 210 KS.
Vende-se la/.inhas para vestidos do se-
nt ora a 210, 280, 3O o 401) rs. o co-
vado.
IAREGBS \)E LA A 50J RS.
Vende-so'harego-s de 15a com tetras para
vesttlos de senhora a SOO o 040 rs. o
covado.
\1}>:ic:s de listras a SOft rs.
Vende-se alpacas de listras para vesti-
dos de senhora a 500 rs. o covado.
CUITAS FILUtCEZAS A 280 RS.
Vende-se chitas francezas claras a 280 rs.
o covado.
CORTES DE L.UPARV VESTIDOS A
25400.
Vendo se cortes d lia para vestidos de
sMinoras a 2*400 cada nm,
Mercales a 'm hs.o covado.
Vende-se percales amito (nos para ves-
tidos de senhora a 410 rs. o covado, mur-
sonas brancas finas, a 300 rs. o covado,
i,:i;hantinas de cores, a 440 rs. o covado.
ES aloes modernos de todas as
ores.
Vendes -balos moderno sbranco ede c-
rosa4#. 1)5500 5|.
COBERTORES DE ADGODAO A 15300.
Vende-se cobertores de algodo a i 5500,
cobertas >h chitas a 15600 c 25 cadanma,
GANGAS PARA CALCA A MO RS.
Vonde-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para caigas de hamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para caiga e palitots a 25500 e 35,
o covado. meias casemiras onfeatadas para
nicas e palitots a 14 o covado, brim pardo
.le todas as qilidades e brim branco de
todas as qualidados na ra da lmperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 4 rs.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a
6'tO rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o melro. *"-
MADAPOLAO ENTESTADO A 31500.
Vende-se pecas-de. madapolo enfestado
a 3-5500. pecas de madapolao inglez de 2
judas a 35, 60400, 75, 85 e 105 a pega
Chales de merino a 9.
Vende-se diales de merino estampados
a 24, chales brancos e de cores a 15000
cada un.
CORTES DE BR1AI CASTOR PARA CALCA
V CO RS.
Ve,,de-se uan grande porcao de cortes
de brim castor para catea de hornera, G40
rs. cada nm.
r-ande porelia de retalhos
V-iiile-sc grande porcia de retalhos de
ehihs e eassas prelas a 160 e 00 rs. o
cova lo, retalhos de eassas, lia c chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 20,
ditos de alpacas de cores a20, dios de
meia casemira a t e 24300. ditos de pan-
no'preto bom a 8;> c 10,-. caifas do algo-
do azul para estraves a 040 rs. ditas de
algodo de listras a 800 e 15, camisas de
riscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de b:im o fustao de cores a I-Je 10500,
coletes de cesemira de cores a 2:5500 e 30,
e outras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baralissimo preco.
Algodo de listras a OO rs.
o corado
Vende-sc algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 40.
Vendem-se pecas de algodo 40000,
50200, GJOOOe 70, para liquidar.
nales de arcos 1-jHMH.
Vende-se bales de arcos pan senhoras
pelo haratissimo preco de 10500 cada um,
Cortes de cambraia barras
a 3*000.
Vende se corles de cambraias barrsa a
20 e 30 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640- RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 0-.
Vende-sc carteiras para viagem 1
cada urna.
Chagaram da Europa pelo ollimo por loja de Augusto Porto < C.
das mais linda sedas de limosas tfres para, vestidos propnos para bailes c
cortes
nenl0S' Grande variedade de sedas de listras de diversos presos todas de lindas cores
rorgurSo de sflda preta, e grosdenaple de varias qualidades ,e gOrgurao de seaa taa
* Notos'vestidos brancos deblondpara noivas,lindas.eoliasde5 seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas c janellas, fronhas e toalhas o
iiambraia de linho bordadas. nnhnrw
Luvas novas de Jouvin, e elegantes sombr.nhas de s Jas de cor pal asen horas
Esparlilhos de 50 at 100, lindos bournous de cachemira de cor para samaa
le baile, basqoinos de renda preta, e ditos de croch branco o prelo para senihoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens c meamos.
So. tmenlo de muitas fazendas de 13a, linho e algodo todas por procos imiilo
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapaos o de alcatifa para
forrar saloes ludo em quantidade; e vendem sempre>r meos que em oulra qoalquu
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmosdelargo.
#t
ul
E
IN
Este admirare!
Depurativo nao
contem ero i mer-
Irurio, iodo ob
oraenicoi um
vigoroso modifi-
cador para o sangue ec^sadfcalinenleas oltia dcia-lle, Ues c.mo a l*pra, as impigen, "^*5 1
captaba, e os Parnios, elc.-Ej.rea(!n diartoHV-nle elle refre-sra a rassado aangoe on"* iS"
ATHJECCAO CADET c"^,4"*'w"'",l"0"~'
Fabis, 7, UJ Dt-naio, <
40000
500
20000
30800
0200
20000
320 rs. o covado, i
ellas antes que se acabom todas 'mais" fazendas e roupas feitas, cywei pelo pre?o_ que
Assim como vende-se chitas para cobertis, a 240,
v vndVr ou, liquidar, poneos dias poder durar, o quem se qiri/.cr sortir de fondas
, Upadlas a a flpelo preCo que ib agradar, sej ipt-
lmperatriz armazem da ARARA, que estar aberto
mnnhali, s 9 horas da noite.
todos os (lias nteis, das 6 horas da
72. Ra da lmperatriz. 72.
BNUi M ANU'
Ra do Queimado ns. 49 e 57 I
lajas de miudezaz de-Jos de,
Azevedo Maia, est acabando
com as miudezas di seus tstabe-
lecimentos por isso queram apre-
ciar o que bom e baratsimo.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
10500, 20, 3e.....
Caixas de linha eora 50 novellos
Pares de sapatos do trancas fa-
zenla-nova a......
Pares do sapatas de tapeto
(s grandes) a-...... 40500
Duzias de meias eruas para ho -
mem a........
Tramoiaa do Porto fazenda boa
e pelo preco melhor 100 attas a
Livros da misses abreviadas a.
Duzia de baralhos francezes maito
finos 320400 e..... 08OC
Silabario portugaez com estam-
pas a.........
Gravatas de cores e pretas mwto
finas a ........
Cartes com colchrtes- de laao
fazenda. fina a......
Abotuaderas de vidre- para colea
fazenda-fina a......
Caixas com penna d'aco muit
finas 320, 400, 500 e .
Cart5e3 d5 linha Ahsxandre qu
tem 200 jardas a -
Carreteis de linha Alexandre te
70 at 200 a......
Caixas com superiores obrei.
de maesa a......
Duzias de agulhas pora machias
Libras de pregos Irancezes d-
verse-tauanho a.....
Livros escripturad* para rol do
roupa a.......- #120
Talberes para meamos moito
finoe a.......
Caixas com papel amizade maito
fino a........
Caixas com lOOenwelopes muito
finos a........
LJA
DO
0320
0500
0020
0500
10000
0100
0100
0O4fl
20000
240
GALLO VIGILANTE
lina do Crespo n. 7
Os proprietarios (Inste bem conliicido estabcle-
GHHinto, :ilm dm muitos ol>jeeto qun tintiam ex-
bsos a aprecia? do respetlavcl publico, nian-
tteram vir e acaliam de receber pelo ultimo vapor
linas b mui delicadas especialidades, as qnaeses-
tao esolvidos a vender, como de seu costume,
por preros muito baratinhos e cominodos para to-
dos, eom tanto que Gallo....
Muito superiores Invas de pellica* pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes do tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras. .
Superiores trancas pretas e de cores com vidn-
lhos e sew elles; esta fazenda o que pode haver
de melher e mais bonito.
Superiores e bonito leques de madreperola,
martim, sndalo e osso^ sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pret03.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, *s quaes sempre se venderam por :W0(IO
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 203,
alm destas, temos tanibem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algamas muito
finas. .
Boas bengalas do superior caima da India e
castao de marfirn com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero 6 o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambera grande
quantidade de oatras qualidades, como sejara.ma-
deira, bateia, osso, borracha, etc. etc. etc. _
Finos, bonitos e airosos cuicotinhos de cadcia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
Grand* c completo sortimento de machinas para
destrocar algodo do nova iovencao chegadas nl-
timameote em direitura para a loja de Manoei
Bento de Oliveira Braga & G, na ra Direita n.
53 Garntese que a melhor qeahdade qne ate
o presente tem vindo ao increado : acham-se era
exposiro aos compradores as de \i, i, lo,
18 e 20 serra*. ,
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
rammos de melhor compr'iheosao dos que lera
viudo at o presente, a*sim como marco de la'.o
at meio grammo pelo mean systema, bataneas
de lato de Torca de 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira e de latSo para medir fazendas, alera
de grande sortimento de miudezas o ferragens de
rodas as qualidades, ludo por preros que s a, vista
faz crdito : na ra ireit b. 53, loja de Manoel
liento de Oliveira Braga & C." __
COGNAC. m
De superior qoalidade da fabrka de Bisquit Dubwieb 4 C, era
cognac tima das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. ast. ra
commercio n. 32. ^____
do
l
CONVITE GEML.
O proprietario do-armazem de fazendas denominado Garibakli, na rai da lm)e.
ratriz n 56 declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito d fazendas m
So dejando diminuir e'ste gran'de deposito Wton^Jj
20 do corronte, por isso convida ao respeita\el puDiioo a ur sutiir
dar.1 no dia 15 ou
se fie boas fazendas, e por diminuto preco
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 380 rs. o covado.
ALGODO ENFESTADO TRANCADO A
1^000.
Vende-se algod5o enfestado trancado para
lencoes a 1&000, dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendem-se eassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLAO ENFESTADO A 30300.
VenaVm-se pecas de madapoiao enfes-
tado a 3300, dito inglez de 24 jardas ou
22 metros a 50, 60, 70, 80, 90 e 100, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege d listas para vestides
a 500 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5o0 rs. 0 COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SED.AS DE CORES A 10.
Vende-se sedas de cores para vestidos de
eenhora a 10 o covado.
PORCAO DE RETALHOS.
Vende-se urna porc5o de retalhos de eas-
sas, de la sedas e de outras fazendas
por muito barato preco.
A' e'W antes que se acabera.
CH\LY DE CORES A 800 RS.
Vend<-sti chaly de listas de seda a 800 rs.
O covado.
U1VLES DE CASSA A 10.
-sh chales de cassa a 10, e de me-
para segurar as meias.
Boas metes de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de dade.
Navalhas cabo de marfirn e tartaruga para razer
barba ; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa ve: tam-
bem assegnramss sua quadade e delicadeza.
Lindas e bellas (-apellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labwintho. ,
Bons baralhos de cartas para vottarcte, assim
como os tcntos para o mesmo flm.
Grande e vanado sortimento da3 memores per-
fumarias e dos melhores e mais conheci-los per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitara a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores uestes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aflm de que nunca fahcm no mercado,
romo ja tem acontecido, assim pois poderao aquel-
eonhnras a AS^Q ,l39 aue ^lles precisaren!, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarlo destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se,ao flm
para que sao applicados, se rendero com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dDscbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
BAZAR UNIVERSAL
asema wova*$
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encorrtra-se yt completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem porprecoscommodos como sejara: Um
completo sortimento de machinas pera cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvada na ul-
tima exposic*>srvcos a electos paraalmo-
qo e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas malas para viagem, indispensaveispara
senhoras, candieiros para sala e cima demesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinqoedos para criancas, um
completo sortimento de ces*inhas, oleados
para sala o nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de-soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptono e
muitos outros artigos que se encontrarlo a
venda do mesmo estabelecimeBto e que vale
a pen ir examinar._____________________
240
700
0600
Pentes volteados para meninas e
para
GAZ HAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster A
C, ra do Imperador, um carregamento de gai
de primeiraquaIidade;oqual se vende em partida?
e a retelho por menos preco do que em outr qoai
quer parte._____________________________
Thezouras muito finas
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta preta muito
boa a 80 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a......
Pecas de fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Grozas de botes de louca muito
finos a........
0500
0320
0160
200
60
20500
160
rn
OIUTESDELAA A 20400 RS.
Vende ii-se cortes de 13a de listra para
stidos Ih senhora a 20400 rs. para ac-
ALGODiO A PECA 4*000.
VennV-se pecas de algodo a 40, 50, 60
e 70 a peca. E nanitas outras cousas que
seri .::fiilonr>nmenrJ.nar.
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para coberlas
a 280 o covado, dita encarnada a 30 rs. o
V CASEMIRAS DE CORES A 20500
Vende-se casemiras do cores a 20500 e
30000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30000.
Vendem-se chapeos de sol do alpaca pre-
ta a 3000, ditos de seda a 100 cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para calcas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Cangas para cal^a a S ra.
Vendem-se gangas de cftres para calca e
palitots de homens e meninos a 320 ni. o
*OV3O
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado. dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de coren a
320 o metro.
Lencos brancos a 20.
Vende-se lencps brancos a 20 a duzin.
Gollinhas e manguitos para senhori a
500 rs. k._
Ditas de linho fino a 10000, para i'.ea-
bar.
GRANDE SORTIMENTO
DE ROL'PA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento dq que em ontra casa: por
isso os pretendentes poderao vir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velhutina preta a 320 rs. o covado, :?ara
l*caDar- *m
BALOES DE ARCOS A 10500.
Venden -se bales de 20 e, 30 arcos a
10500 cada um."ditos modernos a 40.
BI1IM HVMBL'RGO A 80000 A PECA.
VenoVm-se pena de nriin lizo de RuU-
burgo a 80. veni a ser mais barato do qoe
algodSosinlm. .
CORTINADOS A 140000,
Vende-se cortinados para cama a 140
para liquidar. Ditos para janellas a 70.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na na d| lmperatriz n. 56
Machinas vapor de
for$a de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carias.
Fogo americano patent
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Extraclum earnis
Este producto aJimentacao para doentes, jnni
apropriada para creancas e para as pessdas saas;
indispensavel a todos, porm, principal cente aos
viajautos, qne terao nelle o recurso de poderem
ter aliraenttcao de carne fresca ioeerruptivel, e
que cora facifidade se aprompta e se-conduz, por-
que n'um pequeo volume carrega-se alimentacao
para muito lempo. Sobretudo chamarse a atten-
co dos senhores de engenhos que encontrarao no
EXTRACTM CARNIS o recurso de alimentacao
agradavel, hygienica e barata para seus fmulos e
seus doentes.
Este producto fabricado pelo processo do dis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Rio-Grande do Sul,
que acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victorino de Hezende & C, ra da
Cada, eseriptorio n. 52, primeiro andar, venden-
do-se :
No deposito a ra da Cada n. 32.
as pharmacias dos Srs.:
Manoel Alves Barbosa, raesma ra n. 6J.
Joaquim de Alraeida Pinto, ra largado Rosa-
rion. 10.
Antonio Mara Marques Ferreira, pra;a da
Boa-Vista n. 91.
N. B.As latas qne contem o extracto trazem
urna guia para seu uso.
Scbonete de alcatro.
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tSo boa
acceitacao tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cara certa
das impigens, sarnas, caspas e todas u
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomen & C, ,
34ra larga do Rosario34.
CEMENTO
PRTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
ceicio, em barricas grandes.
Manteiga a 900 rs. a lilira.
B' pechlnclm sea Ignal
Vende-se manteiga ingleza flor a 1 #000 por 500
gramnws e 900 rs. a libra; no progresso 4o pateo
do Car rao n. 9. ^^_^
Vonde-se a armario da I ja da roa da lm-
peratriz n. 13 A, prnpna para qjialquer genero de
negocio: a tratar no Vapor das Iwrtdaes, roa
da lmperatriz n. 38.
RIA DO QUEIMADO N. 19
Musselinas de cores finas e mordernas, cova-
do 480 rs. ..
Cambraia de coresorgandy, covado 320 rs.
Cambraia Victoria para todos os precos
Mpaca liza de todas as cores, covado 640 rs.
Alpaca da Escocia, trancada com htras, cova-
do 80 rs.
loa com listras de cores transparentes, cova-
do 700 rs.
Poil de chorre de diversas cores.
Toalhas para rosto, urna 500 rs.
Ditas felpudas.
Fustao braneo e amarello, covado 640 rs.
Basquinas boa fazenda e enfeitadas com gosto
a 23*000.
Esparlilhos modernos a 5*000.
Saias de la com barra a 6*000.
Cortes de cazemira, lindas cores e boa fazenda
a 9i, 9* e 10*. ,
Atoatbado de linho, bramante, algodo alvo tran-
cado, lenees de linho, cuberas, camisas mglezas
de linho e algodo, eollerinhos, guardanapos de
linho, bales para senhoras e meninas, chapeos de
sol de seda, lencos de cambraia de linho, ditos
de dita de algodo o lencos da China. ..,-
Estamenha a melhor d> mercado, covado J**uu.
Roupa felta.
Bom sortimento de roupa feita para homens e
aprompta-se por medida por commodos preco^
A ra o Queimado n. 19
Milis baratos,
VRAMlirO-N. 27,
iv.o \jHp-sa scllins e
iv qualidades do melhor
que ?e pMe fabricar n pafe, assim como os
mais arreios pertoncentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxcs, traviceiros, catai-
nbas com almofad;s, proprias para meni&as
levar para aula. O proprietario deste eala-
belecimeDlo garante a pontnalidade, esme-
ro e zelo de seu lraballio ; portanto pede ao
respeitavel publico sua proteceo, que affian-
ca vender tudo pelo mais barato possival,
e por menos do que em outra qaalquer
parle. .__________ "5
3 cordeiro previdente
Ra do <|nelma .Sovo e variado sorthnento de perfumanas
tinas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perW-
marias, de que effectivamente est provida a
ioja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se tora
aotavel pela variedade de objectos, auperion-
lade, qualidades e commodidades de pre-
sos; assim, pois, o Cordeiro Providente pede
a espera continuar a merecer a apreciacao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se aras-
lando elle de saa bem conliecidamansid3o
9 barateza. Em dita loja eneontraro o
jpreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudrny.
Dita verdadeira de Murray d tamman.
Dita de ologne ingleza, americana, fran-
eaa, todas dos melbores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangejraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservae5o d*
isseioda bocea.
Cosraetiques de superior qualidad e cnei-
ros agradaveis.
Copes e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
a oulras qualidades.
Finos extractos ingleses, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitadbs.
Essensia imperial do Oao e agradavel ohei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de ebeiros igual-
mente linas e agradavei.
Oleo philocome verdadeiro.
Extraato d'oleo de superior qualidadfr.
com escolhidos cheiros, em frascos de diffe-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos maito finos em caktinha para barba.
Caixinbae com bonitos saboneles imitando
fructas.
Ditas de madeira invermsaaa contenuo n-
oas perfumarias, muito preprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
i boneca.
Opiata iagleza e france2a para dentes.
Pos de campbora e oatras differente*
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
A inda ni ais caques.
Um outro sortimento de coques de ne-
vos e bonitos moldes com filets de vidriH.<
e alguns d'elles ornados de flores e fitas.
estSo todos expostos apreciado de quea
os pretenda comprar.
Loja de miudezas de FERREIRA DA CU- GOLLINHAS' E PUNHOS BORDADOS.
NBA TEMPORAL, estao quimando por Obras de muito gosto e perfcicao.
todo preco venham ver o que bom e ba-j Flrcjlas c filas para cintos.
rato a saber: Bello e variado sortimento de taes ebjee
Lindos brinqoedos magnticos para me ; ws> ficaodo a boa escollia ao gosto do com;
nios de2i0 a !?. I prador.____________, ____________
Linhas em novellos de 400 jaldas a, ^ Veode-m amaeserav 4eheoittBfwuwau
QCire 22 annos. boa engoauMirin a cozinheir, tem nm
Pmm de trinca de todas as cores a 40 rs.' filho mnkuinho com meres, maito bonito veudc-
Ftcas ae lranc\7.l""d;ndh;u'. .^ ,fi0 u nara fra da trra ou eugcnlio, diaendo-se a
Latas com superto banna a ist>, tou
e 2,?000.
Frascos com oleo baboza 240, J20,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 100, 30, oOO e
ti0 rs- *
Ditos com banha i 320, 300 e l200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portugucaas a 120 e
180 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes a 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
I 1200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320e400rs. .
Duzia de meias inglezas muito finas a
3)5800
Ditas de ditas para senhora a 45300.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 15300.
Frascos com sndalo a 15200.
Pecas de entremeios a 300, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
55000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de paBno para menino a
25000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa, com
extractos a 15500, 25000 e 35000 ao par.
Jogos para vispora. a 200, .240 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado era seu estabelecimehto bo-
nanza onde contina a vender
pelos baratos precos de seu an-
tigo estabeleimento com titulo
de TenapoKal na Bonanca.
Roa do Queimado n. 3.
wmwmmmwmmm^
m Attenco
a
se para tora da turra ou enge
causa por que ; assim eomo tambem se- vena.-
urna negrinha com II annos, bem educada, ) ec-
se nmito liem, entende da limpeza de urna sala,
assim como do sci vico de nina mesa, muito bo-
nita e sadia : na ra Direita n. 38.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Malre de D^os o. 22, armazem de Jlo
Martina de Barros.
Na praca do Corpa Santo n. 17, i*
andar, vende-se mais barato do que em
outra qualquer parte cal de Lisboa e
potas da Hnssia da mais nova no mer-
I rado, assim como vinho Bordeanx de u-
a perior qualidade em caixas e garrafa.
Mmaami
Lageamento
Vende-se na ru de Apollo n. 4, lagd? para
calcadas e arinarens,
bhroSITO
Em Piiitiambike, p Maurer 4 C, o
Xfacei, Paulo Jos da Costa Ajaajo.
em

i


ll
I
<^J^
Piano
Pernanibuco Quiuta fera

um si wm
Ra do Quemado n, 49 e57 loja
de miudpzas de Jos de Azeve-
do Mata e SdSa conhecido poi
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo, quanto tem emseu
estabelecimeato para acabar e ftzernovo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de linhas do gaz cora
iOnovellos a 500
Latas com superior banlia a
120, 200 e..... 400
Frascos de oleo babosa muito
fina a....... 400
Duzias de meias (inglezas )
muito boas a 4ooc
Garrafas com .agua florida ver-
dadera ...... 4,)2O0
Garrafas comagua;dvina da me-
lhor qualidade .... 1,5500
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos 2s0fi
Dita corojo, frascos muito finos ,$800
Oleo baboza muito fino que s
avistad...... 500
abonetes de calunga muito bo-
nito ...... 2i0
Caixas de p do arroz muito
superior ..... GOO
Pecas de Dabadinho com 10
ras ...... aOO
Pecas do fita de cs qualquer
largura ..... ,300
Escovas para unhas muito fi-
nas ...... rjoo
Escovas para dentes fazenda
muito una ..... ,5240
Pulceiras de contas de cores
para meninos 200
Saixas de linha branca do gaz
com 30 novellos 600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores ..... 040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 4>000
Pares de botes para punhos
mujto bonito 120
Libras de la para bordados do
de todas as cores 8000
Pentes com costas de metal
muito finos 320
Novellos de linha muito grande
para croxes 320
Duzia do linha froxa para bor-
dado ......
Grosas de botes madrcperola
muito fino .....
Jabonete muito finos 00, 120,
160, 240 e.....
Pecas de fita de la todas, as
cores ......
Espelhos dourados para paredo
i000 e .....
Espelhos de Jacaranda muito
tino ......
Pecas de trancas brancas c do
cores de caracol .
Pares de meias cruas para me-
ninos ......
Caivete muito lino com 4 fo-
Ibas ......
Trascos de sndalo c patecholy
muito finns .
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
M*AWAO
(D===im (Da HIBl?8(afilTOQ3BL m
DE
FEMX PBREIRA DA SILVA.
O proprielario d'este grande estabelacim;nto, vendo qua se est aproximando o Pin-
d anno, e tendo era ser um grando deposito deposito de fazendas; nao fallando em
avultadas encommendas que Ihes estiSo obligado todos os dias, tem resolvido liquida-
las por proco muito mais baratos do que em outra qualquer parle ; s com o fim
de diminuir,^ deposito e apurar dinheiro. Encontrase oeste estahelecimento do
PAVO avuliado sortimento de iazx-ndas do luxo e modas; assim como de priraeira
necessidade. As pessoas que negociara em pequea escala n'esta krja poderlo surtir-
se vendendo-se-llies pelos precos que compram, n collentissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas! ou man-
dar-sc-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estahelecimento se
acha constantemente aberlo das 6 horas di manhaa s 9 da noite.
DE
** $UIMA*6
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATItIZ N. 60
Cortinados
Para camas e jaoellas.
Vende-se um grande sortfoacnto dos me-
mores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
480
,)500
320
500
1500
2000
060
320
Acha-se este grande estahelecimento com- dem a i20000 rs. cada par at 25OO0 rs,
pletamente sortido das meihores roupas, isto na na da Imperatriz n. 60, de Flix
sendo calcas palitts e colotes de'casemira, Pereira da Silva.
de panno, de brira, de alpaca, e de todas BALES MODERNOS E SAIAS DE LlA
as mais fazendas que os compradores pos- Na loja do Pavao vende-so os mais mo-
sam desojar, assim como na mesma loja demos baloes reguladores tanto de musse-
tem um bell%sortiment do pannos casenu- lina como de la de cor, e as mais modor-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer as saias de 13a entestada, mais barato do
qualquer peca de obra, coma maiorpromp- jue em outra qualquer paite,
tidao vontade do freguez,. e nao sendo SULTANAS
ohrigados a acoeita-Ias, quando nao stejam Cliegou para a loja do Pavao um graRde
completamente ao seu contento, assim como orliraeoto das mais lindas sultanas, para
n'este vasto estahelecimento encontrar o vestidos, sendo mu respeitavel publico um bello sortimento de com listas de seda e os padrees mais novos
camisas francezas e inglezas, ceroulas de que tem vindo a es'e mercado, vendendo-se
linho o algodo e outros muitos artigos i 15400 o covado, na loja de Flix Pereira
15200
BRACO
Ra Xesto eMabelecirneoto so encontrar dinriamen-
13 um romp- to sortimento do pstela ra do todas
13 qualidades para lancho o sobre-mesa, etc., etc.,
bolinnos de todas as qualidades para cha, nvsun-
toa do Hambre, botos inglezas, podios, o liualmeute
tado Que consiste em una boa pastclaria, com o
maior asseio e osmero, eh hysson, preto o miudi-
nho do melhor quo ha no mercado. esta casa
tecebcm-si' encommendas para casamento*, bailes
rbaptisados, coiiiprem.-ttendo-se os donos do es-
a beleeimento a sor ir o melhor \v.o for pnssivel
i vontnde do freguez, dispondo para esse Um de
am completo pessoal. mcebe-se avulso toda e
qualquer cncommenda, como sejam, bandejas,
boln a paes-de, lo decorado?, doce. d ovos, seceos
ede calda e crystalisados, fructas nacionaes e es-
trangeiras, amendoas^confeitadas, um completo e
varia.! > sortimento de cai.xinhas de todos os gustos
i precos,para mim>oar senhoras ; estas aixi-
uha* ree.enlcmenie ebegadaf de Paris, sao do pri-
aioiodo go tu, oflereco molas aos galanteadores do
bello sexo, pois nellas acharao um digno o serio
presente para as donas ds sea i pensamontis lico-
res, vinbos finos de todas as t]ualidades, conservas
lomollios em latas. Os douos diste cstabelecimen-
js ni) se pi.ioin!) ;'i despezis, fairtm tolos os
atreos para servir o respeitavel publico o me-
h r que for possivel, e sendo principiantes c lu-
eando com todas as diilicoldades, esperam a con-
Mirencia do respeitavel publico desta capifal, na-
oionaes e cstrangeiros. Pcchincha : legitimo vi-
abo museaiei em caixas, que se vende porcommo-
do prego para particulares o para negocio.
VE1E-SE
A PRECO Fl\0 E MOWCO
SOMURINHAS de setim verdeultima no-
vidade para senlioras, a 18 o 2ttj.
LINDOS cortes de tarlatana orvalhada, pro-
prios pira bailes a 10^, IU, \H, 17,-5
o 2240U0.
ESPECIAL sortimento de coques enfeitados
o lisosultima modaa 20300, 3,->000.
30500, 40, 40500, 50 6 60.
GRANDE e helo sortimento de chapos de
palha da Italia, elegantemente onfeitados,
P3ra senboras e meninas a 150,11$, 130,
.110 o 90.
TRANCAS E CACHOS imacSo de ca-
bello, para senhoras, a 10800 e 800 rs.
GRANDE o agradavel sortimento de gui-
pare o croch preto, em pecao metro
a S0, 30500, 40 e 60.
DITO branoo a 20500, 30 e 3800.
LINDO FIL de seda branco com ramagem
o metro 50500.
LINDOS e ricos aderecos de plaqus du-
bls, com brilhantinas, rubins, esmeral-
das, perola. e camafeos ; nao ha diffe-
jen<;j do ouro de lei e conserva por lon-
-go tempe a sua edr natural, vende-se a
.150, 160, 300, 450, 900 e 1200,.este
preco metwr ao feitio de qualquer peca
verdadeira do mesmo traba Iho.
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
para rologius, a 60, 80 e 100, no
BAZAR DA MODA50-RUA NOVA
Cfa.
Ven e-se cera preta para sapatos, a melhor po-
sivel, a 1 lQ o cento : na traTessa'da ra das
CruzoJ a. i, hyx Jo calcio.
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-sc-ihe vender mais barato do que cm
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 10800
. Chegou para a loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
pecas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qua! se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e raeio; e vende-se pelo
barato preco de 10800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicacoes para arranjos de familias, sendo
grando pcchincha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA. '
Vende-se uma grande porcao do cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELNAS DE COR
Vendp-so as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o novado.
\S BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavao as mais
ricas basquinas de casaquitilms do seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
feitius mais novos que tem viudo ao merca-
do e vendem-se muito cm costa.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Baeontra o rerpeilavel publico nesto cstobelcci-
roeoto um grande sortimento de foseadas pretas,
como sejam, cassas rranerzas e inglezas, chitas
pretas do todas as qualidades, fazenda de laa de
tudas qne tem vindo, proprias para luto, como
s.'jam, laazinhas, alpacas lavradas e lisas, cantao.
b'imhazinas, merino, etc., que tudo so, vendo por
prego banto.
NOVAS CASQUN aS COM CINTO.
Chcsaram as mais modernas basquinas de gros-
denapla preto, ricamente enfeitada, sendo dt um
feiiio inleiramente novo, com nco3 cintos largos, e
vendera-sc por prego razoavel
CASSAS FRANCEZAS.
Vende-se um elegante sortiniKiito das mais finas
e mais moderna* cassas francezas que tem vindo
ao mercado, sondo -com padro-s miudinhos e
grandes, o vendem-se por preco omito cm conta.
AS SEDAS DO PAVO
"Altas n ividades.
Pelo ultimo vapor checarm para loja do Pa-
vao, que vende mais barato do que em outra qual-
qne' parte, as sedas seguintes : pnnpelinas ou
giirgnrdes > linho e seda, com os mais delicado-
pidrOes, sedas do listras, padroes inteiramente
n)vos, groz de todas as core3, sendo verde, azul,
lyrio, rosa, cinzento, etc., setms branco, azul,
ver le, roso, lyrio etc., etc.. assim eomo um gran-
ile sortimento de. grosdenaples pretos do todas as
qualidades, c supprior gorgurao preto de seda
para vestidos e colletes.
AGRACIANAS.
Chegou esta nova fazenda c m o noine de Gra-
cianas, sendo do uma s cor, lyrio, rxo, verde.
aznl, etc., etc., e muito encarpada, com lustre pro-
priamente de seda, sendo melhor e mais moderna
qiifi este anno tem vindo para vestidos, c vende-
se pelo barato preco de 2 o covado.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavao.
Chegou polo ultimo vapor um grande sorlimen
to das mais modernas o mais bonitas alpacas la-
vrada< para vestido?, fndo entre ellas algumasqne
fazem a vista propriamento de soda, e vendem-se
por precos muito em conta.
GURGURO PRETO.
Cliegou para a loja da Pavao o mais cncorpado
gurgur.io de seda preto para vestidos o colletes,
qin se vendo mais barato do quo era outra qual-
quer parte.
MADAPOLAO FRANCEZ
A 7000, s o pavao.
Vendem-se peea< de madapoln francoz com 22
metros, pelo barato prego de 7000, dito enfestado
com 20 jardas a 75000, assim como inissimos ma-
dapoloes franeezes o inglexes, ditos de jardas, que
so vendem ma3 barato do quo cm outra qualquer
parto, por haver grande porcao
AS CASSAS DO PAVO
Covad a 300 rs.
Vendem-se finissimas cassas francezas com lio-
dos desenlies o cores fixas a 300 rs. o covado
CHITAS BARATAS
NalojadoPavio
Vende-te nma grande porcao de chitas escuras,
e claras, de cores fixas. por pr.cns queadmiramn
BRILHANTES BAREGES A 400 RS.
S o Pavao vende as mais delicadas ba-
reges d pura <5a, semitransparentes com
os mais delicados dnsenhos, de quadrinhos,
listras e lizps, sendo n'este artigo o mais
delicado que tem vind 'ao mercado, e
vende-se pelo baratsimo preco 4le 400 rs.
o covado,
PELERINAS A 4)9000
Na loj do PavSo vende-se as mais mo-
dernas rtmeiras o basquinas de croch,
pretas efifeifcadaa crn verde e outras cores.
puto barato proco de 4<5WO cada om, pe-
efchcba.
la Silva ra da Imperatriz n. tO.
ORGANDY BRANCO.
Vende-se o mais moderno nrgandy branco para
vestidos com listras largas 0 miudas, assim como
tuna grande porcao de cainbraias brancas, upadas
t transparentes, tendo das mais batas dei^OOO-a
[cea, al as mais finas de 10 ou 12000, todas
estas cambraias se vendem mais barato do que em
outra qualquer parte.
COLCHAS DE FUSTO.
Vendem-se colchas de iustao brancas e de cores
p a- preco muito em conta, na loja do Pavao.
ORGANDY DE COR
A 360 rs. o covado.
Vendem-se bonitos organdys de cores com bo-
nitos padrdes o lixes a 3ti rs. o-cevadj.
CAMISAS PARA SENH RA.
Vendem-se tlnissimas camisas francezas barda-
das para senlioras, na loja do Pavao.
AS CELEZIAS DO PAVO.
Vendem se a mais finas celezias, esgniiks e
bi'Ptanhas de linho por preco muito em conta.
FIJSTAO BRANCO PARA VESTIDOS A 60 RS.
Vende-se fnslao branco, com lista c lavradinhos,
muito proprio para vestidos e roupas ue meninos,
a JiO rs. o covado.
COLLERINHOS PARA SENHORAS.
Vendem-se inissimos collerinbos de e. guiaode
linho proprios para senh ras e tainbem para me-
chas a Ui a dnzia.
ALPACAS DE COI1DAO.
_Nendem- se as mais brilhantes alpacas de cor-
daozi'n'O para vestidos, tendo as mais lindas cores,
como Bizmarle, lyrio, rxo, g?uga etc. etc., pelo
barato preco de l S rs. o envido.
TARLATANAS.
Vende-se finissima tarlatana branca e Je todas
as cures, assim como lit brinco lizo a 800 rs. a
vara.
ALGODO ENFESTADO.
Vende-se superior algod.ozinlio com dnas lar-
guras, proprio para lencus, sendo lizo e entran-
caJo, e vendeo por proco muito rasoavel.
MEIAS PARA MENINOS A 3-i"iO0 l!S.
Vendem-se duzias de metas superiores para
meninos e meninas, pelo barato preco de 3 |S00 a
duzia.
BASQUINAS DE GUIPUZC.
Chegaram as mais bonitas e modernas basqui-
nas pretas de guipuze, que se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte; assim como a*
mais delicadas romoiras o pelerinas de croch
pr.-t;.s, enfeitadas de verde c unirs coros, que se
vende muito em conta.
CHAPEOS DE- L
Vende-se um grande surtinn-uto de chapeos de
sol de seda o alpaca quo se vendem muito ba-
ratos.
LENCOS BRAN'COS.
Vendem so bonitos lencos braneos o de cores
com barras e abanbados," pelo barato prego de
:i-*00 a duzia, ditos de linho abanhados a 6 a
duia, ditos de esguiao para varios precos, ditos
do lgodo a 2 c IJCOO a insta.
A 53000
Na loja do Pavao vendem-se modernissi-
mos cIi.iIl-s de fil preio o :n lindas palmas
de seda, pelo barato pre$o de d^OUO,
pediiricha.
BASQUINAS A I2,SiOO
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes do guipure,
pelo barata preco de 12SO0O cada uma.
PARA ESCRAVOS
Na loja do Pavo vende-se estamenha
de algodo raescludo para vestidos o roupa
de mo'eques a 200 rs. o covado, na ra
di Imperatriz n. 60 de Flix Pereira ^
Silva.
Papel para embrnlho.
Compra-se papel para cmbr.illn : na leja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 00. de Flix Pererra
da Silva.
FOSTES BRANCOS PARA VESTIDOS A
OO RES.
Na loja do Pavo vende-so um grande
sortimento de bonitos fosles braceos, pro-
prios para vestidos e roupas do creancs,
assim como tambem para rou;as de ho-
mens por serem do lavoros miudinhos c
balitante encorpados, e vendem-se pelo ba-
rato preco de 400 rs. o covado nicamente
na loja n. 60 da ra da Imperatriz.
CORTES A 8,5000 DE VESTIDOS A 8^000
CORTES A 80000 COM DUAS SAIAS
Chegaram para a loja do Pav3o os mais
bonitos corles de 13a com duas saias,
s-ndoneste genero, os de mais gsoto que
tem viudo ao mercado, e cada um em
seu carto, coro o competente lignrino, e
vendem-se pelo baratissimo preco de 1)5800,
s na loja de Flix Pereira da Silva a ra
da Imperatriz n. 60.
CORTES DE SEDA A 200000.
Na luja do Pavo, vendem-se bonitos cor-
tes de seda para vestidos tendo 15 covados
cadi um, e com quatro palmos de largura;
pichincha na ra da Imperatriz n. 60, de
Fel.x Pertira da Silva.
CHALES DE CHACHEMIRA A 6, 100 E
I25000.
r*alojap Pavao vendem-se 03 mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de.;
cor, com os desenhos mais modernos, a 0,!
10 3 120000. muito barato na ra o*a lu-'
pentriz n. 60. f. 13.
A AGUIA BRANCA tem convicio de que a abaudancia de objectos de novidaje-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitacSo do scus precos, estao na epnio do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas ainda assim ella jtilga do sen
dever scientificar a todos, da recepto d'aquelles objectos quo esto alera do couimum,
como bem sejam:
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navaiuas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
ruando abortas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais; necessarios dourados c de madrepe-
rla para costura, obras de apurado gosto
e perfeicao, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com mus;a.
Estojos oa carteiras de couro cora nava-
Ihas, eos mais necessarios paraviagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas, dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
, OBRAS &E MADREPEROLA
Leqoes, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
. Cintos de brira, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e trau-
selin dourado.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 50.
Bnloes de cristal, encastoados cm prata,
para punhos, 40 o par. ,
Camisas de flanella para homem, a me-
lhor qualidade que tera vindo a este mer-
cado,
Meias de 13a para homens, senhoras e
creancs.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de inchacSo as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de.toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos o delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para pianitos,
oratorios, etc.
Bonitos passarin'ios ib mclal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadiuhas,
de velludo para acolitas o alfinetes.
Thesouras de duas, tos, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
Al agora nada se^inha visto de tao bom
em tal genero, o ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundaro
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras conlinuarao a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mos e qualidades a nnidade d'pbjectos
que constanlem-ite S3 achara venda na
loja da Aguia Branca, seria senao impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e amiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
rcconhccer a commodidsdo de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer j loja d'Aguia
Branca ra do Qrjaimado n. 8.
INFANCIA BRASIL!-:!..',
1TI.0
Dr. A. Cesar Borges.
(2' EDICAO MtO KBLlWnADA B
" A00SKXTAUA1
EiCS dons hvros, resultado de pr.Mile f
riemia e cstudua especiaos do autor, vieram
tisfarer a nina das mais instan! < neeessidadef !
i !isti;oc(,ao primaria, e por tal firma qoo, p
gorernos do iinoal Mdaa as provincias leein sido
adoptadas para as tatolee publieas, assim orno
por gnnde aunx'ro d prowssnres particulares.
O primeiro lino ( absolutamente diverso da*
cartas vulgamirute ctullecidas pelo nene i!
I! (I) e cuin;i >slo Manido um sysleina natural,
pliiloopbico e mwb jn aos menums fecii;;i
extraordinariamente o coiihccimcnto da leitura,
tornando-Ibes, milito m.iis rpidos, e niio nipn<*
penosos, si us prfnierus, tiiindos e vacilantes pa--
sos na vida litter.uia.
O segundo lirio eensla de pnoitoa artigo?. Cin-
tos etc., luden tiio breve* copio eonvoui fogaa
alieni;3o das cliaiiciJ, o inscriptos ein linguagiM'i
c estyTo apropriaOos rrarujaeza de sua inteli-
gencia.
li de maneira coni'nin.i las nelln se aeham as
materias que, ao mesma passo quo vivamente i<>-
uressain o deleitan! os pegenos Icltores, Icvam.
Ihes o iniplanlam Ihes no espirito e no coracoft1-
cundos preeeit'H de moral, inspirandollies, desdo
logo, eoui o g<|i da Icilura, o amor da virtud'-
e a repignai:eia da do victo.
Sao atnuos estes livros tiittdamc-nte inipn-ssos o
el"gantenient: cncadernados em l'aris, e cont i
estampas linas representano os assamptitf dos
contos; o jue o torna mais n>nridaiivM aos me.
niu:'s e mudo proprios para presentes ou preniijs
dos mesmos.
Conten demais o segundo d< ns bello bymnrs
com msica para o eoineco o fim da escola.
HecommciHlamo-los pois eunfiadainonte i se-
Dhorea pas de familia, e professores que ainda -a
nao conhcccm.
'ii nelro l!\io. ">
Segundo i:- I
VUXDA .NA
l.ivraria franctr/a.
9-RUA D') CRESPO0
Bartholomeu & C,
N. 23Largo do Terpo,
SMO DOS"'
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados, parlecipam
aos seus numerosos freguezes, tinto desta piuca, como do mallo e igualmente aos ami-
bos do bom e barato, que, leein um grande e vantajoso sortimento de divoraas merca-
doria.- e asmis novas do mercado, as quaes vendem em grossu o a retalho, por
menos preco do que em outr qualquer parle, por ser maior parte destas mercadorias
compradas por conta propria, por isso quera comprar al a quanlia de lOO^I, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
armazem.
GAZ AMERICANO 95 a lata, a 400 rs.
a garrafa e 60 rs. o litro.
VINHO VERBADEIRO FIGUEIRA 5G e
6i0 rs. a garrafa, a 4S500 e 4^800 a cana-
da, a 70 e 940 rs. o litro.
'P'DE LISBOA das meihores marcas,.masso. em am ha ;lliallim.nl0.
G20 is. o kilogrammo, em porfi ha aha-
timenlo.
BOLACHINI1AS EM LATAS DE DIVER-
SAS OUALIDADKS, a Ido 1*400a lala.
VELLAS DE ESPABJIACETfi 70 rs. o
.4(K), 440 e 5tK) rs. a garrafa, a3c
33&IO a caada, (iOO e 640 rs. o litro.
AZE1TE DOCE DE LISBOA a 900 rs. a
garrafa, e a 7 a caada, e 15340 o lilro.
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 4#>00 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VEliDADEIRO DE LISBOA
20, 240 e 30 rs. a garrafa, 2200,
1,5800. e 1(5400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR I440 e
15280 a libra, 3T40 e 2^800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZA 960 900 e 8o0 rs.
a libra, e 2,5100, l980 o i5870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 1(400 o kilogrammo, em porcao se
far ahatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR ;i
720 rs. a libra, c 15370 o kilogrammo, em
porcao se far ahatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e 140 rs. a libra, 260 e 30U rs. o ki-
logrammo e 35800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o1
kilogrammo, e65 por 14 kilugrammos.
CAF EM GRAO 65 o 65500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra, 440 o 520 rs. o
kilogrammo.
SABO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs. o"kilogrammo, em caixa ha meihores
ahatimento. 35200 a
PIIOSPIIOUOS DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 5 280. 4(0e500 rs. o masso.
35200 o (53500 n grua.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINlIAs
DE MUITOS TAMANHOS 3-jiOO, 55500
e 15 a libra.
GOMMA DE MILIIO AMERICANA 400 r.-
o masso de uma libra, o em caixa ha aba-
liraento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs
a libra, em caixa faz-se abalimcnlo.
SERVEJA INGLEZA M.IRCA II 5)500
a duzia e 500 rs. gnalo.
DEM BASS, VERDADEIRA IIILERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VlNHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 15500, 1)200, 15 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBR-
GUEZA a 75 c 65 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35. 25800 e 25400, em caixa faz-se gran-
de ahatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogramma, e 115300 por
14 kilogrammos.
CHA FINO. GRACDO E MID1NHO o~s
que ha no mercado, 35 e
libra, 75080 e 65540 o kilo-
VlNHO, PtLLLAS, XAIIOPE E TlNTURA
DE JURUBEBA SIMPLES E FEmUGlNOSO;
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta piiepaiiad03 por
BARTHOLOMEO & C
P n.\ umaceuticos-Droguistas
PEII.HAMBI O
A Jurubeba : esla planta como o mais poderoso Inico, amio o mulbor
desobslruenle.ecgraolalDpnUcaila uospailecinieoioi
do fiado e baeo, hepalils, duresas, minores inter-
nos e especialmente do ulero, b;dr<>|ieMas, erysi-
pcllas, ele; e associada ao ferro til as paludas
cores, cbloroscs c falla de menslruavo, demarran-
jos do estomago, ele, e o qne dieiuus ailesio
innmeras curas impoitnica oblidns ouin oossus
Srparailos j bem coubecidos e osudos pelos mais
istincios mdicos do paii e Portugal. Km lodos os
nossos depsitos distribuimos giali follielos qus
melhor fasem conhecer Jurubeba seos resallados
e applicaclo.
Vernizcs.
Vnde*-3e no a-fripturio du l aq'ilm Gerardo b
Bas!aB, tat Vlgario n. iii. nriiner -cpuinios vernia tm lata* de (i aeradilado Fabvinaale do l'ara. I^aotano Aoluulo
'tus Saiitus Lislja :
Vi-nii/ ropal escfjro.
Dite dibi chira.
Dito ditii escara propria pan otaros di; U Iba d
Plandres.
Dit'i rdr de miro ou donradil'
mm
.|ii;i.'i,lo man*
t|ue vij.ij
quB ej
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA- grammo.
Hl!N. E ALETR,A 80 rs- a libia e DEMPROPBIOIPARANEGOCIO 2700,
1^750 o kilogrammo. 2;>500, 2^200 e 25 a libra, o 5^450 e
SEVADINHA E SAF 3 280 rs. a libra e 4,5180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, viiilio era ancorlas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguicas de Lisboa, marmelada. con-
servas gela de marmello, pcego, crvilhas, peixo era latas, sardinbas de Nantes.
vinho verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoge, cominho. piraenta, grandes
molhos de seholla 1(51500, finalmente muito mais gneros quo enfandonho
menciona-Ios.
A ra do Livramento n. 6, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
melhor vinho verde
mercado.
CAJL DE l.HNHOl
Cha tonf-purgatlvo e depurativo
de chambard.
Composto das planta? as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o rh
tonipurgutivo de Chamburd possuoum gustosabo-
roso o um aroma suavissimo, o as propriodades as
mais notaveis sobre os embaraces do estomago,
dos intestinos e do ligado, o dosob-truente por
excellencia na constipadlo do ventro, e nao tem
at hoje vindo a este resguardo algum. Depurativo especial e diretn
das biles e dos humores, refresca o sanguc depu-
rando-o.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartholomeu & C, ra larga d
Rosario n. :ii.
E
POTSSA OARUSSIA
i Ven le-se otlepxsilo de charutos da ra e-
bvita do Rosario n. 16 : a tratar na rnade Ilortas
numero I.
A mais ora no mercado, a preeo razoavel: nr Voirl.--s.' um cav.lio para sella, bom bai-
armazeia doMaaoel T. Basto, ra do Coinmercic xciro e muito aovo : a tratar na na Diroita nu-
mero cy.
emporai
F.--? ,'tI;i!i; I. rii'vi. i hi-r tn r. r.;.
leto -ortimenl ,!..s < c .; | ri-la-,
is itiplhores ipie t-rf-,:.;'. i .< miI.i : ,-is a vig-
ilias tem o distii.-ti-.M do ILirnn L.
I'ri'viiie-.-ea iMlas to familia*
darem comprar eVtas ospeciae-i fguiiias
no p.-.pel n distmcilvo do TEMPORAL.
Kac. iv-t.i observ:ii;ao para qoi- a- f:nni|i;is nij
-ej.im ,'nganailas pelos meas r> llevas a res.'/an-
do outra.- agulhas o diaeiido que >a. as
annuncio.
Sonido ha estas asnillas na
LOJA DA l.\A.\CA \. 83
preeo de cada papel IIH) rs.
Assucar de oxido le ferro de
Chaatcaud.
O assuca- fe ruginoso de ChanteauJ Obtli)
pela associacan do exido de ferio t.-ilaiamenle so-
lar,! com o acucar cuidadusameme pariHradc.
Esto assacar, de uma bella appareni-ii crysUlina,
tem o simples pos:o mu Bgradnvel do assucar,
sem o menor sabor adstriii^cnte : ro ten *
irritante sobre a mucosa du esteunflu e eni.^iini-.
o rpidamente absorvido pelo apparelho digeati*
vo sem cansar as consiipaeo' s di venire.
E' hoje o preparado de ferro de mais areitacli
para a chloroso atonia dos or^i, pedas brancas
menstruacSes diflleeis, etc., e lew a s, n hvnr o
juizo autorisado da escola de medicina de I'ari:%
e dos chimicos ns mais notaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
. Pharmacia de Bartholomeu \ C., ra laica >
Rosario n. 3i.
vi
ESGRAVOS FGIDOS.
Fogii) no dia 23 do moa samado a esera-. i
Soveriaa, cabra, natural da ci lade do Aracaty.
com os sigr-aes seiinintes : altara regular, rbfii
do corpo.ollios pei|uenjs, testa estrella, falta l>
dentes na frente, tem o dedo polcgar ou o mininu
da mao esquerda um pouco dobradn pan a psfca i
da ii.i), beieos linos e basiynies rxos, levuu uir,;
trooxa conlendo dous vestidos, um de chita h i
listras enramadas, o outro de aa cor de rima, a
fui vestida eom um vestido do edita escura e
palmas brancas anda novo, cti. bonina, e um outro servindo de rodil ha, eom ni.
tabolciro do (landres; descona--*- que ella estej.i
occnlta em alguma casa, pelo que se prnt,'-u coo-
tra a pes-oa que a tiver oerutladii, obripando-si^
a pagar o* das de servico : rogH se. pofUIrt^, "
autoridades e mais lessoas, que a apprehemlain D
a levem ra do Amorta n. .'19. i' andar, ou >
rus do Hosnicio n. 17, quo se eratifiear.
Fug i d" engenho (JueiuiHilas da emoarta
do Brcjo da Madre de Dos, a escrava Pacilica,
parda clara, cabellos carapinhos, de idade 10
17 annos. estatura regular, b a ngommaduir
costureira, cuja fuga levo lunar no dia 23 ile
teinliro prximo passado, leudo no rosto plnt s
sarclis c espinha-, dftnUis ctmi|il<
vida de dons fiara trtts mezes : niaH
ridades poficiaes o captura ila
asim romo a qnalq i
bem recompon-: 2a,
mr Jos C.\
10. e no Uroj<' D. Bernarda Curdeirodo unaln;..
HL.,
i tari.



7 4V''1'
8
Diario de Pernambupo Qu
1809.
W
(
ASSEMBLA GERAL
'temen'ns materiaes do erimc
nao so trata do saber, nem ao
CAMABA DOS SIS. DEPTADOS
SESSO KM 3 DE SETEMBBO
PRKSIDE.'ClADOSn. NF.BIXS.
fCrnrtrtfoj
Este prcctito, Sr. presidente, acha-se per-
miente consignado c al com maior de-
.-.onvolvimcnlo nos ails. 189 e seguintes do
cdigo do processo, quo iratam das buscas,
tjuri as facultara para apprehender os objer-
loi que foram instrumento do crime. E es
,c apprehendcm, a justica podera-sc -delles
por uina especie de conliscaco.
Querer reprodtizir essas despostos pra-
ocadas diariamente, como objecto de refor-
mas, seria Iludir a opiniao publica, ponco
digno do carpo legislativo.
* edacoes snramarias das pessoas pre
rites do ofendido, do autor do crime e
seos cmplices, etc. E' a 2 desposeo
.r.va que lobrigo no artigo em discusso.
En ala(|uei-a hontem, Sr. presidente, de-
monstrando, seguudo o meu conceito, que
na nao garante, como se pretende, os di-
mita individuaes, porque um pnmeiro
summario que se vai establecer no pro-
testo actual da formaco de culpa, sum-
mario de que as autoridades policiaes bao
de abusar extraordinariamente. E' a legi-
umaco pura e simples das chamadas nda-
'^es policiaes.
E agora perguntarei ao honrado relator
da commisso se. introduzindo esta novi-
cia de, conserva ou nao o precioso recurso
que a legislacae actual concede da decisao
que julga improcedente ooorpo de delicio
para o magislrrdo perpetuo, para ''l"*1!6
me offere.ee garantas, para o jniz de di-
reito?
A honrada commisso nao o conservara
oorqne ir tocar no seu noli me tangen,
na sua fundamental separaco das funcr.oes
policiaes e judiciarias e]dos cargos respecti-
vos. Se subsistir o recurso actual do des-
pacho que jufga improcedente o corpo de
delicio, o poder judiciario intervir nesse
corpo de delicto, e isto ofende o principio
capital do projecto.
Por consequencia, esta garanta mpor-
tanlissima desapparece ; a autoridad po-
cial far daqui em diante o corpo de de-
udo, julga-lo-ha procedente ou improce-
dente, como bem Ihe parecer, depois de
' ter procedido a todas as pesquizas verbaes
e novas, sem re.curso algum.. -
O Sn. Ai.kncar Ar.vuii'E : O recurso
subsiste.
O Sr. Andrade Figueira : Para quem/
O Sn. Alenc.au Arahu'e : Para o juiz
de direito. .
O Sr. Andrade Figcirr ; Eis-ah a
confuso que a todo o custo se pretenda
impedir entre a polica c a justica.
O Sr. Asad Lima : Por isso eu digo
que nao ha tal separaco.
OSr. Andrade Figueira : Nao pos-
sivcl conciliar os preceitos cardeaes a este
projecto ; saparaco que se quer iuirodu-
zir nao so faz, nao a far assiin de rol-
do.
O Sn. LENCAS Ararii>e d um aparte.
O Sn. Andrade Figueira : Hei de
acompanhar a discusso artigo por artigo.
e em coneulso mostrar que se acabam com
os inais eflicazes meios de represso dos
ci imes sem avantajar as garantas que tem
o cidado actualmente.
Ainda perguntarei : o que garante mais
os direitos individuaos ? Um corpo de
delicio feilo por autoridades policiaes com
direito at de procederem a um verdadei-
ro summario de culpa sem recurso algum,
ou um corpo de delicto feito por autori-
dades policiaes, mas com recurso para o
juiz da direito, magistrado perpetuo, que
oflerece todas as garantas? Sea repres-
, sao dos erimes ludo tcm a perder, nada
cm a ganhar os direilos do cidados, visto
que nao Ihcs accresccnla, antes tira -Ibes
g-ianlias.
Mas, Sr. presidente, nao s quanlo a
esta lafiuna que acta o artigo inconvenien-
te, fatal mesmo aos iiisleresses da repres-
s3 > c aos ilireitos individuaes ; ainda em
quaato permute i polica tomar indagaces,
proceder a nquirices no acto do corpo de
delicto.
O que o corpo de delicto ? E' a ve-
rificacOi dos elementos materiaes do crime
dos factos com todas as suas circumstan-
cias.
A isso se limita o corpo de delicto. que
rala tem que ver com a incrminaco legal
do facto e menos com o agente quo o pra-
ticou.
Como se vai dar, portante, auloridade
policial encarregada exclusivamente do cor-
po de delicto a faculdade de ouvir teste-
munhas, as pessoas preseDtes ao debelo, o
queixoso, o ofendido, o autor do crime,
seus cmplices ? Nio formar um ver-
dadeiro summario da culpa ?
O Sr. Gama Cerqueira : Investigar
quem seja o agente .
O Sn. Andrade Ficehu : Segundo a
explicaco que acaba de ser-nos dada, este
sommario policial tem por fim preparar
elementos de conviccio para o juiz forma-
dor da culpa, que o juiz municipal nem
sonora poder promover de sede do termo
e distraliid) com suas innmeras e impor-
tantes atti ibuices civs, commerciaes, or-
phanologieas, administrativas e eleitora^s.
O pensanaento do honrado relator da
commisso foi este, c eu Ihe agradeco ter
se por rile
menos se o
fado constitue orna crime, porque pode s-r
um facto material, perfe pode ter sido um sofcidw, um desasir oc-
casionado pelas toreas crgas e rresjaonsa
veis da natareza, a mortc de usi boiMSi a
destruicoMe urna propriedade, a que pro-
posito a auloridade policial ha do faz^r in-
dagaces alhelas ao corpo de delicio, veri-
ficar se punido pela le, apurar as provas
ou indicios de que o commelleu"?
Eis-ahi a polla aberta para todos os
abusos que actualmente se imputara s
autoridades polieiaes, com a diferenca de
que se acabam com as garanlias preciosas
Um offieto do -mmirtem o imperio. | fwiHn-bomotog*!* no reMMK
rausmittmdo a copia do decrete
S. BL-.o Imperador hoave por bem protn
gai' at odia *! da correte mez a actual
reiste i asssmbla gefaWflgislaliva.In-
Uirada. ^
Oulro do^SMSMi ministeri, -enviando o
ofSeio.com-que-a presidencia ua provincia
di S. Paulo U-arumillo as actas da eleico
pi imaria da parohia de S. Domingos do.
ci llegio de B>iucat. perlenconto ao :i BSt
treto da dita provincia. A segunda com-!
misaSo do poileres.
O'.Uro do mesm.) ministerio. commu:ii-
cando qu-3 se expedir*ise> s presiden-i
cas das provkHisis do Cear, Bahia, Rio
joo d-
da setembro
ue o cidadao tem. Assi.n a nirtoridali Ai^tonsjro e Minas Geraos. acerca de va-
policial que lizer corpo de deudo ter de
indagar quem o commdteu. Essa aulori-
dade policial entrando no conhecimento do
autor do crime, das presumpees vehemen-
tes que possam indicar o delinquente, in-
dagar se o crime ou nao aflancavol. se
pode ter oa nio lugar a pi iso, etc. *
O Sn. Alencar Araripe : Ah est o
recurso do habeos-corpa*, que grande
vantagem da legislaco ingleza.
O Sr. Andrade Figoeiha : Meus col-
legas, se difficil quo o juiz municipal for-
me a culpa em todo o municipio, moito
mais dilltcil ser que o juiz de direito pro-
v
ej a tempo com o habeas-corptts em toda
a comarca. (Apoiados.) O nobro depu-
tado sabe que temos comarcas de tres,
quatro o cinco termos distantes do dez a
doze leguas.
E depois, farei a mesma que3lo de ha
pouco. Acaba-se com o recurso ordinario
da fianca, com o recurso, da pronuncia ?
Se se acaba com aquelle recurso, desappa-
recem as garantas dadas aos cidados; se
nao. n5o lia a separaco de justicae polica,
porque o juiz de direito contina a conhe-
cer do processado pela jnstica e nao ter
lugar o habeas-corpus como recurso ex
iraordinario.
Na Inglaterra, a que o nobre deputauo
referio-se, ha costumes pblicos quo valem
mais do que leis, alm da g.n-antia da mo-
ralidade, da riqueza e da nslruccjo pu-
blica, ha alii um espirito do justica na po-
pulacho como em nenbum priz do mundo.
Fischel obsirva qne o povo inglez lem um
sensojurdico muito elevado : e eisa razio
porque elle fornece bons jurados. Insli-
tuices que lli florescem, como u jury e
lantas outras, nao se alimentara em parte
alguma, nem mesma em povos mais adian-
tados intellectualmente do que a Inglaterra.
Mas, urna vez que se invoca o exemplo da
Inglaterra, que nao ha alli a separaco quo
o projecto pretende, e era pode haver.
O Sn. Aradjo Lima : Nora se apr-
sente exemplo de paiz algum do mundo
em que haja semclbante separaco.
O Sr. Andrade Figleira : Quero,
Sr. presidente, aprovaitar os poneos minu-
tos que me restam para ir ao 4o.
Por elle pretende-se fa/.er urna grande
reforma, derogando-se o art. \1 da le de
t do dezembro, que revogou o art. 131 do
cdigo do processo na parte era qne fa-
cultava fazer o corpo de dolido indirecto
de lacadamente da formaco da cu'pa.
Ora, a le de 3 de dezembro nao acabou
nem podia acabar com o corpo de delicto
indirecto, porque precisa a veriicaco do
facto criminoso. A lei do 3 do dezembro o
que fez foi derogar a ultima parte do art.
13% do cdigo do pracesso criminal, qaa
tinlia provado muito mal na pratica, porque
a auloridade que forraava a culpa tinha de
proceder a urna inquirico prvi-a a res-
peito da existencii do delicto. c a outra
inquirico para o processo da formaco da
culpa. Pois bem, esta mesma razio, quo fez
[revogar essa disposico do cdigo do pro-
;csso, desabonada pela experiencia, agora
restabelecida por este paragrapho para os
corpos de delicto, e lemboin para a prisio
preventiva.
Sao actos estes que difflcultam extraor-
dinariun ntc a que as culpas se formem.
Em virtude disto a lei de 3 de dezembro
determinou que, sendo a autoridade for-
madora da culpa a mesma que fazia o cor-
po de delicto, por occasio de indagar qual
o autor responsavol, ouvisse ao mesmo
lempo testeiouiilias sobre a existencia do
rias eleices feitas as mesnias provincias
Inte rada.
Outro do mesmo ministerio, enviando o
olficio da presidencia da provincia do Pa-
ran, em que dedarou cmara municipal
d i Paranagu qaa duvia continuar a cobrar
orimpostos do importaco de que irata a
resolocio da assembla provincial de 22
d2 maio ultimo, nao obstante a sospenso
,h -publicagio desta resolocSo, visto qne
estando os referidos impostes estabelecidos
por leis anteriores, nao competa presi-
dencia e sim ao poder geral. nos termos do
art. 8o da lei do l do majo do 18i0, a
suspenso de leis j publicadas e em exe-
curo. embora inconstt-acional. A com-
misso do asscmblas provinciac?.
Oulro do ministerio da joslica, romclten-
do, por copia, os ollicios da presidencia da
provinda de Pernimbuco, quo serviram de
base dispensa do excrcicio d>s tenentcs-
coron-is Antonio Frandsco Paes do Mello
Brrelo c oatros, e para ser dedarada sem
efeito anomrac-) do tenente-coronel An-
tonio Seraphim de Soazi Forraz : e bem
assim dando conta do modo porque se ef-
ectuara a priso do tenente-coronel Alexan-
drino Ferrcira Alcntara di Miranda, e
participando a aprehenso da preta livre
Arclungela, que exista como escrava no
engenho Nital.A quem fez a reqoisico.
Outro po ministerio da guerra, remel-
lando o requerinicUo em que o major re-
farmado do exercito Raymundo Jos de
Sonta pede ao corpo legislativo repiraco
da injustica que allega ter soffrida, sendo
teformado no posto de major por ter sido
j ulgado incapaz de continuar no servico
pela junta militar de saude. A comncisso
ele marinha e guerra.
Tres do i" secretario do senado, parti-
cipando que o mesmo senado approvou, e
\ ai dirigir saneco imperial, as resolu-
<;)es da assembla geral dispensan lo da fr-
quencia das aulas do 4 anno da foculdade
de direito do Recite o estudante Joaquina
Aurelio Barrete Nabuco de Araujo; antori-
sando o governo para mandar restituir a
Liberato Lopes da Silva a quantia de......
t:92802t; declarando que a concesso
de quatro loteras annuaes determinada pelo
decreto n. 1,009 de 25 de setembro de
1858, em pro! da Santa Casa di Misericor-
dia da coi c, continuar por mais dez annos
com as mesmas condices e favores lixa-
dos na referida lei, e concedendo dez lote-
ras a favor das obras di igreja matriz
Je Sant'Anna da corte.Inte i rada.
Outro do mesmo secretario, enviando,
;om urna emenda feila e approvada pelo se-
ado, a proposco desta cmara que con-
iedo ao bacharel Bonto Jos da Costa J-
nior isenco de direitos sobre os objectos
de que trata a condiro do contrato cele-
brado por elle com a presidencia da pro-
vincia de Pernambuco para a construeco
de urna linha frrea da cidade do Recife
povoacio de Jaboato.A imprimir.
Outro do Sr. deputado Antonio Francis-
co Pinheiro, participando nao poder, em
consequencia de seus padecimenlos, conti-
nuar a comparecer a esta cmara, o ter nc-
cessidade da retirar-se para fra da corte.
A' commisso de constluces *e pode-
res.
Urna representario da cmara menicipal
da cidade de Silveiras, da provincia de S.
Panlo, pedindo providencias sobre a lei n
4,181 do G de maio de 18G8. que tirn as
multas do jury.Ar mesma commisso.
Outra de Victorino Jos Gotho da Silva,
reclamando contra a duplcala da eleico
Jfc dss oJMgWP 6
de VM.Tmwa Amor. >
O Sr. Paes leciaTa que a piimei-
ra parte do reqewtaiwio ser tonwdae
consideraco pela mesa.
ORDEM DO DA.
Enlram sueeessivjmente em discus-
s3oe sao approvadas sem debate, as re-
dacrtfes qne;im n imiirimir na ultima
scssio sobre -un crdito extraordinario ao
ministerio da marinln, construeco de d-
cas, privilegio a-Charles Pradez e onUvs,
estrada do ferro de Porto-A'.egre a Ham-
burg Borg e penses a diversos.
Contina a 31 discusso do projecto
do senado declarando qne as desposicaes do
art. C> da lei de 23 de novembro de 1841,
na parto relaliva ao principe imperial, sS)
applicaveis princeza imperial.
Apos 4lguas coosideracentos Sri. Ro-
drigo-Suva. Colho Rod;i?ues, e Penido,
nea a materia encerrada.
D ida a ordem do dia, lovanta-sc a sessao
s quatro horas da tarde.
SESSO EM 10 DE SETEMBRO
PRESIDENCIA DO SR. NRBIAS.
As 7 horas da tardo feita a clpmada,
verica-so haver numero sufficionlc c
abre-se a sesso.
L-se e approva-se a acta da antece-
dente.
OSn.
guite
1 Secretario d conta do se-
proprio facto, sompre quo dello nao restas- primaria de ltajahy, presidida pelo 4 juiz
sem mais vestigios que pudessem ser ocu- de paz da freguezia Cambrhi, provincia le
larmente examinados. Eis-aqu o corpo
de dolido indirecto consagrado com todas
as garantas,.de modo que nao podia haver
a este respeito o menor perigo para o :i
dado.
Em que esta disposico da lei de 3 de
dezembro pode merecer censura, para que commisso de penses e ordenados.
Santa Cathariha.A 3* commisso de po-
deres.
Um requerimento do padre Manocl Flo-
rentino Cissiano de Campos, pedindo um
anno de licenca com o vencimento de sua
congrua para tratar de sua sade.A'
\iiwlo esclarecer urna das duvidas que me
aligiam o espirito : est sabido que o
primoiro sumario da culpa, em vez de ser
um summario simple-smente preparato-
rio, ser definitivo ; o juiz nao far mais
que homologar a obra da polica.
Mas, se assim senhores, para que a
fo decantada separaco da polica e da jus-
ticia ? Para que essa inculcada garanta, dir
direitos individuaes ? Para que to mal
cabidos apodos lei de 3 de dezembro ?
P^is esta lei nao consagra actualmente ga-
rantas muito mais reaes do que as do pro-
jecto ?
Actualmente formam a culpa o-juiz mu-
nicipal, delegado ou subdelegador mas vai
nipre quelle o processo formado por
estes, c em todo o caso vai ao juiz de di-
reito em grao de recurso. Independente-
ineote d,i recurso pode este magistrado
mandar sanar nollidades, corrigir defeitos.
antes de suumetier o processo deciso do
jury.
Eu nao compreheodo como a auloridade
policial i quem nao se pcrmitte a formaco
da colpa pussa, por occasio de proceder
ao corpo <\a delicio, ouvir *s dwiaracoes
das pessoas presentes, do ofendido, do
autor di crime e seus cmplices.
Se o no po de delicto s vtriticagio dos
se acabe com ella ? Ser por amor da se-
paraco da justica e polica ?
O Sr. Ai.encar Aiiaiupe d um aparte.
O Sr. Andrade Figueiiia i Ento em
vez de ficar o cidado sujeito como al aqui
a urna s autoridade Gcar snjeito a duas ;
autoridade policial quo formar o corpo de
delicto indirecto, e ao juiz que Qzer o pro-
cesso da formaco da culpa. Para asse-
gurar que vai nisso garanta aos cidados,
fra preciso preostabelecer que a polica nao
abusar na formaco do corpo de delicto
indicado.
Por ultimo, preciso attender a que
esta competencia dada polica exclusiva-
mente para formar o corpo de delicto vai
por a justica publica na sua dependencia.
E convir fazer ao nosso direito criminal
^esta grande revoluco s por obter as Ilu-
sorias vantagens da sopposta separaco da
justica e polica 1
a este proposito que eu disse ha
das que nao se podia fazer somelhante se
paraco sem organisar e dar desenvolv
mente ao ministerio publico, porque por
seu intermedio que a aeco da justica s
poderis fazer sentir.
Taes 85o, Sr. presidente, as observaces
que tinha a oppor ao artigo em discusso
para que nio Picasso encerrada e nao sv.
passasse a discutir a taes deshoras o se
guite artigo, que trata de materia mais
importante. (Muito bem.)
A discusso Pica adiada pela hora.
Dada a ordem do da, lovanta-sc a seS'
sos onze horas menos um quarto d;i
noute.
Oulro da irmandade do Santissimp Sa-
cramento da freguezia da Candelaria, pe-
dindo a concesso de duas loteras annuaes,
por espaco de tinco annos, para auxilio das
obras do hospital do lazaros em S: Chris-
tovo.A' commisso de fazenda.
Outro da irmandade do Santissimo Sa-
cramente da villa do Cascavel, provincia do
Cear pedindo para possutr bens de raiz,
at o valor de 8:000,?.A' mesma com-
misso.
Lem-se, e vio a imprimir para serem
submeltidos i votaco cinco dias depois,
na forma do regiment; um parecer de
commisso sobre as eleices primarias de
diversos collegios da provincia de Mins-Ge-
raes; e sobre a abertura de um crdito ex-
traordinario aberto do ministerio da guerra.
Nos dias 4,5, 6, 7 e 8 nao liouvc sesso.
SESSAO EM 9 DE SETRMBRO.
PRESIDENCIA do sr. NEBIAS.
Ao meio dia, feita a chamada, verifl-
cando-se haver numero suficiente, bre-
se a ses.-io.
Lra-se e approvam-se as actas das ante-
cedentes.
O Sr. I9 Secretario, d conta do se-
guate
EXPEDIENTE.
Sao lidos e approvados: dos parece-
res de commisso, remetiendo ao (javerno
as preieoces do padre Jos Correa Dias de
Moura, do 1 tenente Camillo de Lellue
Silva, e de D- Anna Ignez Coimbra Barrete ;
indeferindo a pretenco de D. Francisca T.
de Vascon :ellos; pedindo mforraaces so-
bre diversas eleices primarias da provin-
cia de Santa Camarina.
Sao lidos e vo a imprimir: um pro-
jecto sobre pensBes, e outro sobre a fisca-
lisacio do telegraphos.
O SR. TEIXEIRA JNIOR justifica e man-
da mesa o seguiote requerimento, que fica
adiado por ter pedido a palavra o Sr. Araujo
Ges.
. Requeiro: l9, qne seja dada para or-
dem do da a proposla sobre reforma do
actual processo de fllemelas apreseotad
pelo ministro da justica em junbo do
1866.
< 2. Que por intermedio do ministerio
da justica se pecam ao governo imperial a>
eeguintes inforniac5es:
Qual o numero dos processas de fal-
lenda instaurados no juizu commorcial desta
corte desde Janeiro de 1806 al esta
data.
c Qsintea ebegarsa a &rf&fct*Mto e
qual a qualifleacio dan fallenciai.
< Qual o numero das concordatas que
EXPEDIENTE
U:n oflioi) do ministerio do imperio, de>
volvendo convenientemente informada pela
presidencia da piwincia de S. Paulo, a re-
presentaco da cmara municipal da cidade
de Silveiras, pedindo a creaco de um col-
legio na mesma cidade.A quem fez a re-
quisico.
Outro do mesmo ministerio, enviando o
oflicio com que a presidencia da provincia
das Alagas transmute as actas da eleico
primaria a que so procedeu na fregoezia de
S. Miguel dos Milagres.-iX 2a commisso
de poderes.
Outro do mesmo ministerio, enviando o
oflcio com que a presidencia da provincia
da Parahyba transmute as actas da eleico
de eleitores geraes a que se procedeu as
parochias de Taipfi e Alaga-Grande, per-
tenecntes ao Io districto Meitoral da men-
cionada provincia., e na deS. Joo de Souza,
periencente ao 2.A' i1 commisso do po-
deres. .
Dons do mesmo ministerio, enviando s
copias dos decretos pelos quaes S. M. o
Imperador houve por bem conceder varias
pensos.A' commisso de pen.es e or-
denados.
Outro do Io secretario do senado, deyol-
vendo, por ne ter o mesmo senado podido
dar o seu consenlimento, a proposco que
determina que os exames do preparatorios
feitos as fuculdades de direito do imperio
sejam aceilos para as ma riculas as facul-
ades do medicina, ou na escola central e
vico-versa.Inleirada.
Dous das presidencias das provincias do
Pare Sorgipe, enviando exemp ares do re-
latorio daquelia provincia e do collocco das
resolucesda assembla legislativa desta.
A archivar e commisso de asscmblas
provinciacs.
Um requerimento do padre Jos Antonio
Braga, parocho collado na freguezia de An-
tonio Dias, da provincia de Minas-Geraes.
pedindo penso.A' commisso de pensos
e ordenados.
L-se o vai a imprimir para ser snb-
mettido votaco cinco dias depois, na for-
ma do regiment, o se.uinte parecer:.
A Ia commisso de poderes, a quem
foram remettidas as authenticas da eleico
primaria da parochia de S. Gabriel da pro-
vincia do \mazonas. (pie d tres eleitores,
lendo examinado-as com a devida attenco,
vcriPicou quo essa eleico correu regular-
mente com as formalidades legaes, sem pro-
testo e nem reelamaco alguma.
Pelo que de parecer quo seja decla-
rada valida a eleico primaria dessa paro-
chia e reconhecidos os poderes dos respec-
tivos eleitores.
t Sala das conferencias, em 10 de setem-
bro do 1869.L. A. da Silva Nunes.A.
S. Cilindro da Cunha.V. F. Correa.
Domingues.Duque Estrada Teixeira.--
Duarle de Azevedo.Antonio Prado.Dias
da Rocha.
Sao lidos e approvados, sera debate:
um paro .er de commisso, sobre a eleico
primaria da freguezia de N. S. a Concei-
eio daBaEsperanca, pertoncente ao 2o
districto do Rio de Janeiro; um dito, indefl-
rindoa pretenco do visconde de Aljerur e
sua irma. .
E' lido e mandado a imprimir um
projecto concedendo loteras matriz da
Candelaria, no Rio de Janeiro.
Eiitra em discusso, e approvada
sem debate, a redaeco do projecto sobre
a flscalisac, seguranca e polica daslinuas
e servico telegraphico.
-- Procede-se votaco do projecto do
se ado, determinando que as disposices
do art. 6o ds lei de 2") de novembro de
1841, na parte relativa ao principe impe-
rial, sao applicaveis princeza imperial, e
approvado para subir saneco.
Vem a mesa a seguinte declaraco de
voto:
a Declaro que votei contra o art. 2o. do
projecio n. 130 de 1867, viudo do senado.
Jos Calman.
Entra em Ia discusso o projecto de-
dlrarando que a penso annual de 1:10D1
concedida por decreto de 20 de maio d
1868, a que Picou elevada a de 485 men-
saes concedida por decreto de 4 do mesmo
muz e anno a D. Horraelinda d *s Guima-
res Peixoto, viuva do tenente-coronel
Francisco Maria dos GoimarSes Peixoto, e
approvada pelo decrete de 22 de junho de
1869. deve entender-se concedida sem
prejuizo do meio sold que por lei Ihe com-
petir.
O Sr. Diogo Veluo pede, e a cmara
oou*Hite, que o projecto tenha urna s
dis '.usso ; na qual eatrando, approvado
e remettido commisso de redaeco
Procede-se volaco do parecer da
i commisso de poderes, sobre as eleices
primarias feitas as parochias da Naiivi-
dade e Bairro-Alto do collegio da Parahjr-
buua, do 2" districto da provincia de S
Paulo, e 6 npprovtdo.
Procede-se em seguida votecio d
parecer da 3,_ commisso d poderes sobre
ai eleices primarias futas asjpr.*hias
ib N AiliO, collegio do Bomiim; do Cavalwnti.
collegio de Flores; do Arraias. coUego du
ttiMmo Dome; de S. Joo da Palma, colle-
gio da Coneei^ie; (te
gio, do mesmo nomo,- o
Tocantina, collsfio da Boa-Vista, tod(
provincia de Goyaz, e approvado.
Proccde-se igualmente i votaco do
parecer da referida comaissSo sobre as
eleices primarias feitas as parochias de
S. Miguel e S. Pedro de Alcntara da Barra-
Vellia, da provincia de Santa Calharin*, e
> tambetn approvado.
Entra om 3* discusso, e approvado
para subir saneco, o projecto do senado,
autorisando o governo a pagar ao escrivo
dos africano livres Balbino Jos da Franca
Bibeiro os vencimentos que Ihe s) devi-
dos e o forera at que se declare suppri-
mido o lugar.
Entra em urna malea discusso e ap-
provada e remettida commisso de re-
daeco a emenda approvada pelo senado
proposco desta cmara, que autorisa o
governo para conceder a Antonio Laceida
isenco de direilos sobre a* materias e
objectos precisos para a realizarlo da em-
presa que tem por flm estabelecer urna
communicaeo entre a cidade Alta e a ci-
dade Baixa na capital da Baha, e a cons-
truir um caminho de ferro urbano entre
a praca de Palacio e a povoacio da Barra
na mesma capital.
Entra em 2a discusso, e approvada,
a proposta do poder executivo para aber-
tura do um crdito extraordinario ao mi-
nisterio da marinha da quantia de..........
6:789;o00, afim de occorrer a differonles
despezas do mesmo ministerio as rubricas
batalhio naval, arsenaes, forca naval,
navios desarmados, hospitaes, reformados,
obras o despezas extraordinarias e even-
to aes.
Entra em 1* discusso o projecto que
autorisa o governo a conceder empreza
que se organisar para construir o ramal
frreo do Rio-Grande cidade de Jacareby,
n i provincia de S. Paulo, os nesmos fa-
vores concedidos companhia ingleza de
Jondiahy a Santos, com excepflo da garan-
ta de joros,
O Sr. Duarte de Azeledo pede, e a c-
mara consente, que o projedo tenha urna
s discusso; na qual entrando, appro-
vado e remettido commisso de redaeco.
Entra em 3* discusso, e c approvado
o remettido commisso de redaeco, o
projecto concedendo loteras igreja matriz
do Patrocinio de S. Paulo do Muriah e a
outras corporaces e estabelecimentos pos.
O Sn. Silva Nnes pede para serem
dadas para a erdem do dia seguinte as ma-
terias da do boje ainda nao decididas.
Consultada a_camara, resolve alfirmati-
vamente.
ORDEM DO DIA.
Entra em 2a discusso e approvada
em todos os seus artigos, e pasrsa 3a, o
projecto sobre a reforma municipal, lido
na sesso de 19 de julho ultimo.
Contina a 2a discusso do art. 2o do
projecto sobre a reforma policial.
Vem mesa, lida, apoiada, c entra
conjundamente em discusso, a seguinte
emenda:
t Supprima-se o art. 2o com todos os
seus paragraphos.//. Graca.*
O SR. DUQUE ESTRADA TEIXEIRA faz
alguraas consileraces.
Ninguem mais pedindo a palavra, fica a
discusso encerrada, nio se votando por
ter dado a hora.
Dada a ordem do dia, levanta-se a sesso
s onze horas da noite.
Art. 2." O governo fica autorisado a
mandar pa*- formando-
com as seguintes dieposicoes:
c I I." Ao descobridor ou inventor Nos dias H e 12 nao houve sesso.
SESSAO EM 13 DE SETEMBRO.
presidencia do sn. nebias.
Ao meio da, feita a chamada, verifi-
ca-se haver numero' sulciente e abre-se a
sesso.
Lra-se e approvam-se as actas das a a-
tecedente.
O Sr. Io Secretario, d conta de se-
guinte
EXPEDIENTE.
Um oflicio do ministerio do imperio, en-
viando o oflicio da presidencia da provincia
do Cear transmitlindo por copias 03 do
comentos que do ordem desta caara
foram requisitados em 6 de julho do cor-
rente anno.A quem fez a requisigao.
Outro do mesmo ministerio, enviando os
offioios da presidencia de provincia do
Minas-Geraes, transmitlindo as actas das
eleices primarias a que se procedeu no
dia 31 de jaueiro ultimo, na pardehia do
Brejo-Aiegre, pertencente ao collegio da
Bagagem, do 7o districto eleitoral, e na do
Riacho-Fundo, do eollogio da Conccico,
f distrido, realizado no dia 18 do julho
ultimo, por ter sido annulada a que so fez
naquolla data.A* 3a commisso do pode-
ros.
Oulro do mesmo miniUerio, enviando o
ofko com que a presidencia da provincia
da Bahia transmute as actas da eleico pri-
maria a que se procedeu as parochias d
Nossa Senhura do Allivio do Brejo-Grande
e S. Sebastio de Sincor, ambas do col-
legio oloitoral de Sania Isabel de Para-
guass, pertencente ao 5o districto da dita
provincia.A' mesma commisso.
Outro do ministerio da agricultura, en-
viando as copias do requerimento da com-
panhia de naveaacio e estrada de forro do
Petropolis, em que pedio que ou o governo
comprasse a mesma estrada, ou Hie conce-
desse um auxilio para continuar com o ser-
vico a'seu cargo, dos estudos a que se
mandou procedor, e bem assim do parecer
da- secces dos negocios do imperio e da
fazenda do conselho do estado.A's com-
inisses de fazenda e de commercio, in-
dustrias e artes.
Dous do 1" secretario do senado, Gom-
municando ter constado ao mesmo senado
que S. M. o Imperador consente as reso-
luces da assembla geral, concedendo a
ministerio da fazenda um crdito de 8:0003
para pagamento do Dr. Antonio Pereira
Pinto, e autorisando o governo a proceder
s operaces de crdito necessarios para
realizar o pagamento ao marechal de campo
Jos da Victoria Soares de Andrea e a sua
irma.Inteirada.
Outro do mesmo secretario, participando
ijus o senado adoptou, e vai dirigir a
saneco imperial, a rewluco da ssem-
ola geral que autorisa o governo para
conceder carta de naturalisacSo de cidado
braziloiro ao padre Egydo da Paterno e a
ontrn.Inteirada.
Le-se e vai a imprimir o seguiote pro-
jfci.
< A assembla geral resolve:
f Art. 1.a A le assagura e dssoobridor
..u inventor de urna industria utit a pro-
priedado e o eso exclusivo ds aua desee-
berta oa invencfo.
urna industria inteiramente nma se conce-
der um privilegio de 20 annos.
t 2.' O que melhorar orna descoserte
ou inveocio, descoOTndo novos meios ou
nova applicc3o d meios- coirliecidos para
obter um resultado ou producto industrial,
tem no meliiorameato o direito de desconri-
dor e Inventor, observadas, porrn, as pres-
cripces que seguem :
I, No caso de se referir o raelhora-
mento a urna invenco j privilegiada, a pa-
tente do melhoramenlo nao podeta durar
mais do que a patente principal.
2. fuatquer pessoa poder obter uina
patente de melhoramento, salvo, porm a
preferencia ao descobridor da imenf-dprin-
cipal, se for pri.sibgiada, durante dousinnos
contados da datada sua patente.
3." Ao dssSbridor da invenco princi-
pal nio permittido explorar o fnenrora,-
mento, nem ao o aperfeicoador a invencio,
salvo se as duas patentes foram obtidas e
exploradas pelo mesmo iddividuo.
2.* Ao que puzer em pratica ou de3-
coberta ou inveneso que se acha descripta
o impren3a, p>rm que ainda nio foi explo-
rada, nem no Brasil, nem em paiz estran-
geiro, se conceder um privilegio de 10
annos.
f 4. Ao introdudor de urna indEsiria
nao privilegiado em paiz estrangeiro, nem
conhecida no Brasil, se dar um prlvitegio
por 5 annos, ou um premio proporcionan-
do a utilidade e difficuldade da introdcelo
conforme os casos.
t | 5.* Maiorcs prazos do que os marca-
dos nos paragraphos procedentes, s pode-
ro ser concedidos por lei.
6. Ao descobridor u inventor que
obteve pela mesma descoberla ou invenco
patente em paiz estrangeiro se conceder
um pri-ilegio pelo tempo que ainda tem de
durar a patente primitiva.
t S 7. Se os inventores com patente de
invenco ou de melhoramento, fizerem al-
guma modilicacio nos objectos j privile-
giados, podero apresentar ao governo urna
declaraco da modificaco, que hajam feilo,
e esta Ihes ser recebida, passando-se-lhes
attestados os quaes nao tero outro effeito
seno segurar o uso do privilegio e nao po-
der allegar-se que o objecto nao est fabri-
cado conforme com as disposices, modelos
e desenhos, a que se refere a patenlc.
% 8. As patentes scro divididas em
classes e pagano urna taxa proporcionada
a importancia da industria que nao excede-
r de 30/j no primeiro anno, augmentando
progressivamente do 10 a 20 % de anno em
anno c cobrada administrativamente.
9." Os attestados de modificaco pa-
garo a taxa de 503000 por urna vez s-
mente,
t % 10. As classes, as laxas e as multas
por falte de pagamento serio esiabelecidas
em urn regulamento especial do governo.
Art. 3. A pessoa que quizer obter urna
patente se conformar com as prescripeos
seguintes.
l. Depositar com o requerimento
ou proposta na secretaria de estado dos ne-
gocios da agricultura, commercio e obras
publicas, em qualqucr das presidencias de
provincias ou em qualquer das legajos im-
peraes as capitaes da Europa e da Ame-
rica, que o governo designar, umi exacta e
fiel exposico da descoberla e dos meios e
processos, do que servio com planos, dese-
nhos e modelos, que os escarecam, e sera
elles, se a materia os nao exigir: o recibo
da competente recebedoria, cm que ti ver
pago, se fr no imperio, ou se for em paiz
estrangeiro a mesma quantia em moeda
equivalente a nacional, que comprehenda a
taxa do primeiro anno. o sello, o feilio c as
despezas oreadas da correspondencia e pu-
blicares e a relacio de todos os papis de-
positados.
2. Verificada a regularidade da pro-
posta e reconhecida que nao contraria a
lei, a moral ou a saude publica, ser re-
gistrada com ndicaco do dia e hora de
sua apresentaco e inmediatamente cornrnu-
nicada ao governo imperial, se a elle nao
livor Mdo directamente apresentada.
% 3. A proposta ser logo snmmaria-
mente annunciada as gazetas principaes do
Brasil e das capitaes da Europa e da Ame-
rica, que o governo tiver indicado em seu
regulamento, por tres vezes successivas
com intervallo de um mez. convidando-so
a fajerera valer seus direitos quaesquer pes-
soas que os possam ter.
| 4. as decises que sobre as ques-
tes entre estas pessoas e as que requore-
rem patentes forem dadas pelos tribunaes
competentes do paizes eslrang-iros, em
que as propostos para obl-las forcm feitas
as legaces do Brasil, sero admillidas
como so fossem [icios tribunaes do im-
perio.
Art. b." Tres mezes depois da ultima
pnbh aco, nao havendo opposicn ou sen-
do esta resolvida era favor do proponente,
o governo lo mandar passar a patent sem
garanta, onvindo sempre~o procurador da
cora, soberana e fazenua nacional.
t 6. No comeco de^ cada anno ser
publicada na colleccio das leis urna re-
laco das patentes concedidas no anno an-
terior.
c Art. 4. A patente constitue urna pro-
propriedade, de que seu dono poder dis-
pr, como Ihe convier, usando elle mesmo i
ou cedondo-a a urna ou mais pessoas em
todo ou em parto, por todo ou parta do
tempo do privilegio.
Art: 5. Se o projecto cemprar o sagrado
de umainvencio ou descoberla, que por
sua natureza nio seja para usoexclujivodo
Estado, o far publiicar. No caso, porm,
de concesso de patente, o segredi ser
conservado occu to al expiracio do praxo
da patente. Em seo regulamento o gover-
no providenciar para que seja rebgiosawsii-
te guardado osegredo dos inventores: para
que elle nio passe do cenhaciment'i dn |
soas, que indispensav.Jmeote o deviam ter:
para que seja effectlva a responsamlidade
tiestas, e para que *se divulgue o segrede,
loge qne expirar o praz do privilegio.
Art. 8. O infraeter do dirsuo de ps>
tente perder os instrumentes e predweSss
que thNir obtido forem eceijrsw
gara urna multa igualio quinto do valor ifss
productos, que se pnyvs ter* sMnjbric*
dhs, e ficar saje fK*H* a" f
indeawisac.io de perdas e MftiHJS: MMa
em proveito do deis 4a patente.
(C$$**eir-u'-ka.)
f >-
i
- *.
-*^

- m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EK6876EAC_X0ITYJ INGEST_TIME 2013-09-14T01:21:54Z PACKAGE AA00011611_11967
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES