Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11966


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-"73
ANUO XLV. NUMERO 234.
fV

Skft A CAPfTAl E iWARES OIEE lAO Xf PifiA POO.
de .' .' .': : : ; 4&
,m^SZ ::::::::::......... *gg
DIARIO DE
OIMRTA FEIRA 13 DE OUTUBRO DE 1869.
n ___________ ____ ______________
PABA DHTBO E PORA DA PBOVDCIA.
Por tres inezes abantados.................
Por s ditos idem...................
Por no\ i ditos ideo..................
Por mn anno..........
60750
13^500
20HfiO
27*000
Propriodade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.
SAO ACBWTK?*: *^**9BkwBBmW***m
Os Sra. Garardo K%1*^^ do Olivjira, no Cear; Antonio de Lemos Bra^ no Aracarj; Jo*> Mara Joo Chaves, no Asso; Antonio Maraes da Silva, no Natal; Jos Justino
reir u Aimoiaa. em Mamangnape,* Antonio AJexandnno de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Vii/a da .Peana; Belarmino dos Sanios Buicao, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
___________________________________________m Xmreth; fraocmo Tarares da Coste, em Aiagas; Dr. Jos Mwtaa Alves, na Baha; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
PASTE OFHCIAL
overo* da provincia.
AlMOlKTrg A<*ir,.tAI>) LO nCH. SU. DR. M4JI0BV
oo svscntiorTu mvchado portriaa, VICB-PRRSl-
ONT- DA eROVINCIA, EM 17 DI JUCHO DE 1869.
1* seccao.
X. 595. Portara ao Exm. general commaodan-
la dn armas.Manle V. Exc. por em liberdadee
recruiu Mmoel Policio de Paula, visto ter sido jul-
gad> inrapa dj servieo do exercito, como consta
d* ter.no aa&exo ao sea offlcio de 16 dj corrente
sob n. 417.
X. 596.Ditotfd raasmo.Transmiti a V. Exc.
Vra mu conhecimenta e execuco, copia do aviso
airate do ministerio da guerra, de 30 dojunho
.proxim lindo, declarando nao podarem as pracas
de prete offlciaes reformados que obtireram per-
misso para residir as provincias, transferir re-
sidencia para a corte sem previa lieenea do gover-
n imperial.
2* seccao.
S. 59.). Cortara ao chefe de polica interino.
laorn; V. S. se possivel, se n prejuz) do servi-
eo, sor reJuziJi a guarda da casa de detoncao.
X. oX).Ditaao m:s.u>.Em vista do que re
proasata a oo*)** lante superior da guarda ttt-
aoa-il deste mu ripio em offlrio n. 128 de 13 do
"erreite, c informm V. S. no de n. 1012 do lo
faite m 'Z, saja p isto em libardade o guarda Ao 8"
lutilh.i 1, Mmoel Joiquim de S.int'Anna, que como
norata M a V. s. remeitido. ,
X, 6:>l. Dita ao commandante superior da
fJMMd 1 nacin al de Santo Anio Coinmunico a
V. S. pira os Un* convenientes, que seguudo cons-
ta do /). Wo 0,'fictrU a. 132 ueste anno.por decre-
ta ile i':> de m.o nllimo, foi reintegrado francisco
Anlini > tU Uarros e Silva no posto de tenente-co-
rnuel commandante do batalhao de infamara 11.
21 .1; guarda nacional sob o tan commando, lican-
4o se:n ulTeito o de 11 de dezembro ue 1867, que o
rafecmoii naquelle posto. >
X. 6,). Dita ao commandante superior da
guarda nacional do Cabo.Tonda por deliberacao
dosi.i data designado, na forma dj art. 73 do de-
avalo n. 722 de 2o de outubro de 1850, o capitao
kaUUa n. 54 da guarda nacional sob seu eom-
MM 11 s iperier, Augusto Duprat, para exercer as
fuinxoi-s de majar do mesnio batalbao ; assim o
commuiico a V. S. para seu conbecimento e Iin<
conveni'les.
X. 'Ji. Dita ao commandante superior da
(urda uici.mal d) Brejo.Ao capitao di 1" com-
taJa \ bataliai 11. 37 do muuicipio de Cim-
bre.- i'rivgriu.) Ainerico Leite, que fixou residen-
u no il 1 Bonito, conforme consta de sua infor na-
ci il i! J 1 corrate, mando V. S. paitar, como
det;r;ninei por delib racao desta data, a guia que
reqaarou e de que trata o art i* do decreto 1130
.V. G l)iia ,-ko < jmoiaiuLiii'e superinr i]a |
guarda nacional de Flores-Faca V. S. cmstar ao
eom.aindaatedo destacamento de Villa-Bella o que
aeorca do pagamento do mesmo informa o inspec-
tor da thesoararia de fazenda uo olBcio junto por
;jpia de l'i do corrento.
X. Wk Dita ao commandante superior di
una nacional de TacarutKm respwla ao of
flei 1 de V. S. de S do nez liad), teqbo a dizer-llie
v|uc, de rouforiuidade com o dispusto no 26 do
art. I.nl.'creto 11. l\ft de6de abril do I8i e
art. 2 parte do decreto 1130 de 12 de marco do
18-51, flesigaS] novo da para a reunlao dos cense-
4hoS de revisa 1 da qualilicaeao da guarda na-
donal >'i o sen commaudo saperior.
N. o')1!. Dita ao commandante superior da
|a 1 11 nacional deGaraahaas.Ioleiradode (nan-
11 V. exaoz em sen oflleio de Io do corente, te-
nhj a rtizer-lhe que convm que se elTectue com
argeneia a ordein que Ibe expedio esta presiden-
cia a '.1 il > correala i>ara a apreseotacao ao delega
do do lera 1 de Boa Censelbo, de 30 pracas da
guardanacional sob o seu commando superior.
.N. '.ii7.Dita ao mesmo.Tendo esta presiden
cia a 21 11 inez prximo passado communicado .1
'-- i m lo la superior ter Sna Magestade Impe-
rial p ir decreto de 10 de maio fiad), reintegrado 11 >
.-ii nando do balalbo n. 28 da guarda nacional
1 uve municipio o tenente-coronel Joao Correia
Srasi!, baja V. S. de infirmarjae reeebeu ou nao
mm wntnuoieaeo e o mais ijuu tiver feito a res-
p iil 1, providenciando desde logo para que elle en-
tre e n exereieio.
X. ':!.>.Ditaao mesmo.Em soluco ao seu
iBci 1 n. 86 de 22 de marco ultimo, declaro que
n is faltas e impedimentos de V. S., do seu subs-
tituto legal, tenente-joronel chefe do estado maior
FOLHETIM
m CASACAS PRETAS
ROMANCE
POR
Paulo Fval i
Segunda parte
THE* PATAS
XII
Mesnada aventura.
(Continuaco do n. 232)
Era a Sim. Scliwartz d'essas mulheres
[iv t a.) possivel desenliar n'nra trafo,
tiein (!escrever eom urna palavra. Sabemos
'4ue a forrnosura d'ella attingia o esplen-
dor, e qne o animo valia o rosto ; tinlia
grande cornejo : l eslava! os infelizes
para arma-lo ; as tendencias d'ella, os
tnslinctos e lambem as maneiras eram mui
.superiores aos da gente que a rodeava, e
todava elevava incessantemente o nivel
das pessoas com quem conviva, medida
que, alargando a base, suba tambem a im-
portancia monetaria do Schwartz. O ba-
ro admrava-a e idolatrava-a, se bem que
de lempos tempos, para sua honra e
gloria, verificasse algomas faUstosas excur-
s5es para alm dos dominios conjugaes.
A Opera di grandeza e distineco Ban-
ca. -Um grlozinho de vicio convm. Na
oossa bella Franca, quando de alguem se
kIz : bom pat boOMsposo, cheira a cousa
a pitahio. Somos o povo mais arreba-
tador do universo.
D. Juan nao era aisaciano de nascenca ;
extravagancia* do bario Schwartz nio
aleitavam maito ioage : eettbelecia de tem-
aos temos caau corrate de gaianteos
ara algtmn erentarinha em posicia de
4ijesacre*ta lo meteme, mas tteewesa-
eote ; todos ganhavam com isso, e pria-
e do o.TUcial designado pelo governo para substi-
tuir a este ultimo, devein as fnucedes desee coai-
maudo sfcperior ser iut :rinamenle oxercidas pelo of-
llcial superior mais graduado e autigo do districto
do masmo com nando, de que trata o art. 3" do
decreto n. 135i da 6 de abril de I80V.
X. 6JJ.Dita ao corouel Antonio Alves Viann
Coramunico a V. S. para os Un convenientes
que, segando consta do Diario 0fkial n. 139 des-
te auno, (o V. S. reintegrado por decreto de 2o de
maio ultimo, no posio de coronel cammandante
saperior da guarda nacional do municipio de Gov-
autu, fleaudo se:n effaito o decrete do 16 de agos-
to de 18(57 que o reformeu naquelle posto.
N. 610.Dita ao juiz de direito da comarca de
aranhuus. Em resposta ao oiBeio de V. S. de 8
do crrente, tenho a dizer-lho que a 9 dcslc mez
se orden ou ao commandante superior do munici-
pio de Garaohuns, fizesso apresentar ao delegado
do polica do termo do Bom Conse'.bo 30 pracas da
guarda nacional, sob aquello commando superior
para a condueco dos recrutas, de que trata o seu
dito offlcio.
N. 611.Dita ao mesmo.Acenso o recebimen-
lo do offlcio do 1 do crreme, com que V. S. re-
melteu-me os mappas estatisticos desse juizo, sob
n. 10, II, 12, 13,13 A, 10 e os dos motivos dos cri-
mes, acorapanhados do'respsct vo rotatorio. Cum-
prndo-lc igualmente remetter a nformacao, Je
que trata o 13 do regulamento de 30 de dezem-
bro ile 1865, os mappas sob ns. 27 e 28, recom-
mendo-lhe qjue supra esta falta, assm co:n que
active as de jnais autoridades dessa comarca para
reinetter com nrevidade os seus mappas.
X. 611.Dita ao Sr. Bento Jos Ferreira Ita-
bello.Communco a Vmc. para seu conhecmen-
to e flns convenientes que, segundo consta de Dia-
rio O/ficial n. 130 deste anno, por decreto de 23
do maio ultimo, foi reintegrado Antonio Alves Vi-
anna no posto de coronel coatmandante superior
da guarda nacional desse municipio, ficando sem
effeito ouecrelo de 16 de agosto de 1867, que o re-
fornnu naquelle posto e que por decreto tambem
daquella data foi Vmc. aggregado ao estado maior
da mesma guarda nacional.
N. 613.Dita ao tenente-coronel Antonio Sara-
pbico de Souza Ferraz.Hespondendo ao seu offl-
cio do 27 do maio ultimo, tenho a dizer que ne-
cesario se faz que Vmc. satisfaca o despacho do
inspector da ihesouraria de fazenda de 21 do mar-
co de 1863, a que alinde o contador interino da-
quella tliosouraria, na nformacao junta por copia.
para que Ihe possa ser abonida a quantia de___
ISi'OiO, que diz baver dispendido com o paga-
mento da forca empregada no recrutament >, de
que foi Vmc. incumbido.
N. 611.Ditaao commandante do corp> provi-
sorio de polica.Pode Vmc. engajar no corposob
seu commando o paisano Serallm Pereira dos
Aojas, de que trata o seu olcio n. 299 de 15 do
torrate, teade elle a necessaria maralidade.
X. 613. Deliberaba). O vice-presidente da
provincia, de conformidade om o art. 73 do do-
mo remetteu o commandante superior deste muni-
cipio com offlcio do boje sob n. 132, os veneimen-
loi relativos a primeira quinzena dnto in das
pracas do 3* baulhio de infamara, aunarieHado
no Hospicio e dos contingentes a ellos addidos.
N. 620.Dita ao raasmo.Xos termos de sua
nformacao de 13 do correte sob n. 47i, mande
V. S. por ein praea, para ser cedido quem mais
dr pelo seu dominio til, o tarreno de marinba,
qi.eca entre a ra da Saudade e o que segu do
becco dos Ferreiros, a qnal solicitou por afora-
monto Antonio Joaqum de Vasconcellos, no roque-
rinento a que se refer) sita citada nformacao.
X. 621. Sita ao mesmo.Tando-rae participa-
do em offlcio de 16 do corrento, o inspector da
saiile do porto Dr. Joao Ferreira da Silva, baver
en rado no exercicio do seu emprege, renunciando
o 1 esto da liceuca que Ihe foi concedida por esta
presidencia, assim o cemmunco a V. S. para sea
co hocmento.
S 622.Dita ao mesmo.Attendendo ao queso-
lie tou Ernesto Soares de Azevedo, no requerimen-
to que incluso devolvo, o a que se refere a sua in-
for macao de bonleo n. 480, autoriso V. S. a man-
da- pagar sob minha responsabilidad*, nos termos
do decreto n. 3834 do 1 de fevereiro de 1862,
visto nao baver crdito para ese,lim, a quantia
de 66 {666, que, segundo o pareced da contadoria
de-sa the*pur.iria, tem direito o sunplicaate, prove-
niente de teus vencmentos, a contar de 1 a 13 de
jar. lio ultimo, como ofilcal interinamente encarro-
gatlo da visita do porto des cidade, durante o im-
pedimento do respect vo serventuario.
N. 623.Dita ao masmo.Expeca V. S. suas
ordens, para que em vista dos do prets, juntos
em duplicata, que me remettea o brigadeiro cern-
ina adante das armas cora offlcio de hornera sob n.
411;, sejam liquidados e pagos os vencimonlos re-
lativos ao exercicio em liquididcs de 1868 a 1869,
las pracas envaldas constantes de'taes prels, e
qui! foram incluidas no deposito de recrutas, as
qua.es deixararn de ser opportnnamenta satisfeitos
por falta de guia, segundo consta do precitado o-
lleij.
N. 621. Dita ao mesmo Dep >is de liquidado,
em vista da conla junta em duplcala, a despeza
feitu durante o mez de junho ultimo, com o forne-
cimento de luz e agua para o qoartel do destaca-
monto, existente no tem) de Cimbre*, mande V.
S. pagar a sua importancia a Malaquias Jost Bap-
tista ou ao seu procurador, conforme solicitou o
ehefe de polica em oflic.o de 15 do crreme sob
n. 1031.
N. 62o. Dita ao inspector da thesouraria
provincial.Providencie V S. para que seja paga,
ao administrador da casa de detenciio ou a ppssoa
por elle autorisada, a quantia de 100> proveni-
ente do concert feito no reluci daquelle estabe-
leciinanto, cuino se v da inclusa cunta que me
remetteu o chefe de polica interino com offlcio de
15 lio corrente sob n. 1033, do qual consta haver
sido esso c mearlo autorisado pelo seu antecessor.
X. 626.Dita ao cliee da reparlieao das obras
paito da hora ojn ajue sao all acendidos os lam-
pioes.
X. 632.DeliDerac!o O vico-presidente da
provincia, resolve conceder a exoneraeao que pe-
dio Jo*> Goncalres da Kocha, do lugar de repili-
dor Interino do grinnufo provincial.
BXPEWKNri; ASSin.NAD* PULO SR. DR. lOAQUUf COB-
nu na araujo, SEcaCTAnio do govern-o, em 17
DUJOLHO DE 1869.
1* seecio.
aaaliS. Exc. Sr. vice-presidonte da provincia,
tendo por deliberacao desta data resolvido conce-
der a exoneraeao que podio Jos Gonealves da Ro-
cha, do lugar do repetidor interino do gymnasio
provincial, assim- o manda commnniear a V. S:
para seu conhecimenfa.
N. 643.Igual ao director gorai interiao da
instruein publica.
N. 66.4)ito ao inspector da sade do porto.
S. Bxc. o Sr. vice-preswlfinte da provincia, mande
X. "683.Offieio ao Dr. ebefo de poiiaia iaiarino. declarar a V. S. que. pirto seu offlcio de 16 do cor-
Xaeta dat.- expedio-se onlem a Ihesonrarias
gerat e provincial, para serem pagas a Malaquias
Jos Baplista, ou ao son proenradur, a quantia de
WftlQ, ao administradnr da casa do detoncao
ou a pastoa por ello autorisada, a de lOJOOO. con-
forra* V. S. solicitou em seus offteios de 15 do
corrente, sob ns. 1031 e I033\ os qoaes (team assim
respondidos de ordom do Exm. Sr. rice-presiden-
te da provincia.
X 434.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia, manda djclarar-lhe que fie
jnteirado de quanto expz o delegado do termo
de Tacarat, no offlcio que veio annoso aodaV.
S. de 13 do correle, sob n. lfti, rel3tivameme
ao destaca menta d'aili.
N. 633.Dito ao commandante superior interi-
no da suarda nacional do Recito.O Exa. Sr. vi-
ee-prejidonle da provlheia, manda commoacar a
V. S., qne ncsia data se expedio wdem ao Dr.
chefe de polica, para por om hberdade, o recruta
Manooi Jeaquim de Saiit'Aiina, guarda do 8 bata-
fbo a que se refere a sea offlcio de 13 do corra-
te, ee* n. 128.
X. (6.Dito ao bacharel Luiz de AliHutoerqae
Martins Peralta, jpix de direito da comarca da
Boa-VisJa.4) Exm. Sr. vice-presdente da pro-
vincia, manda acensar o rccebimenlo do oflfcio de
V. de S. de I i lo corrente, em que participa ter
nessa data, entrado no goso da lieenea que pelo
gotemo imperial Ihe foi concedida a 21 do mea
lindo,
X. 6:17.Dito ao juz municipal de Agua Preta.
rente, fieoa inteindo de baver V. S. renunciado o
resto da liceoca que Ihe foi concedida por porta-
rla de 26 de abril ultimo, e entraao no exercicio
de seu emprego.
mappas parciaes, para a coofercao da estatistic..-
judiciaria devein achar-se na secretaria desta pre-
sidencia at o fin do mes de junho, como dispon
no art. 22, o regulamento qne baixou com o de-
creto n. 3572 de 30 de dmambro de 1865. Mas-
nao tendo at hoje reccbcuin mappa dessa eo
marra recommendo a V. S., que uao s enri ns
de ns. >, 11, 12,13,13 A, 27 e 28, acorapanhados,
o .>, 4> o 9" dclles, do de n. H>, de um outro de
motros dos crimes, da cxpnsican de qne traa a
art. 180-d regulamento n. ivde 1842, e da orna
infonnacao declarando quanta sessoes aojan
bfiiiveram em cada termo, cometarabem exija dos
delegados e subdelegados o de m 9, dos juir.es V
paz os de ns. 17 e 18, com inmeaejw dos respeeti-
EXPED.E.NT.; assicsado PE.O exm. sr. br. manoei. I[w districtos pela sua nuraera^oB danoiuina-
cao, e dos juizes municipaes, para a estatistica
O Bxm Sr. riee-presiente da provincia, man- -ra.Approvo a deliaeraci, qne, segando o offlci
erlo n. 722 de 23 de outubiu de H30. desia 1 o iiiiiiii^a^__iai^ n.-oi-riinantit j. unnar
cplRinra-y TOmpmnaT-rTnraTiri iroTaVra- t5aj da agricultura, commercio e o^aspuTmca*
fantana do municipio do Cabo, Augusto Daprat,
liara exercer as funecoes de major do mesmo ba-
talho.
N. 616.Dita.O vice-presidente da provincia,
attendendo ao que Ihe requereu Peregrino Ame-
rico Leite, capitao da Ia companhia do batalliao n
37 de' infantaria da guarda uaeij.-ial de Cimbres,
e em vista do que iofurniaa o respectivo commau-
danto superior em offlcio de 6 do corrente, resol-
ve, i|uj Ihe se4a dala a gnia de que trata o art.
4' do decreto 1130 de 12 de marca de 1833, para
o maoioipio de Bonilo, onde ixju a sua resi-
dencia. *
3' seccao.
X. 617.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda. Recommendo a V. S. que, em vista
da infonnacao junta par copia do juiz de direito
ila comarca do Bonito, astada de 8 do corrente,
njande pagar a Justino Eugenio Laveneri, que as-
sim o solicita no reqaerimento que incluso devolvo, I
da declarar a V. S., que lica nteirado por offlcio
de 21 do mez lindo, de ter nessa data emrado no
go da beonea de tres mezas, que Ihe foi conce-
dida por deliberacao de 8 do dito mez.
X. 638.Dito ao tenente-coronel Joo Correia
BraaH.O Bxm. Sr. vicepresidente da provincia,
manda declarara V. S_ om resposta ao seu offl-
cio de 1 do crrante, qae nesta data se exigi uV>
commandante superior da guarda nacional do mu-
nicipio de (iaranlrin-, informasso se receten o
offlcio do presidente de 21 de junho ultimo, com
munic indo
e commando
bom assim quanto baja feito a respeito, mandando
que fosse V. S. logo einpo-sada.
N. 639.Dito aqjircsideute do conseibo de re-
visie da qualilicacao da guarda nacional de-Bui-
ijueiinajor Francisco Va Cavalcanle.0 Exm.
bi" lice-presidente da provincia, manda declarar
> ujie lica i n tal rado pelo seu gfflcjp ite 26_ do
ti^fc'WMn itb isr iftlS (TliS ("ilnPrflWHB WiMra-
SIDUfTa D. PROVINCIA EM 19 DE 1ULHO DK
1869.
1* seccao.
X. 650.Portara ao Exim Sr. general comman-
dante das arma*.Com o parecer junto por copia
da contadoria da thesouraria de fazenda, a que se
refero a inlormacao do respectivo inspector, data-
da de 13 do corrate e sob n. 463, respondo ao
offlcio que V. Exc. rae dirigi em 6 deste mea
n. 383, acompanhado do requemento que incloso
deviMvo, do altores honorario do exercito e aju-
dante interino do forte do Buraco, Mananto dos
Res Gspinitula, relativnmonte *o njasU da sua
contas correspondentes aos dinbeirus que reeebeu
como enoarrogado do recrutameno no termo de
Ingazeira.
ff. 651.Dita ao masmo.Ao commandante su-
criminiil, os de ns. 9 e 15, para o civel, os de
ne. 18; 20, 2, 22, 23, 24 e 26, e par a coramar-
cial, os de ns. 18, 20, 21 e 29, e remeta todos com
a mxima br*vidade. Convm observar, que a
estatistica, que- est liquidando do anno prximo
passado, para uue V. S., e as de mar*autoridades
tenhnm muito om vista o disposto na 2a parte do
art. 26 do citado regulamento.
S. 660. Dita ao juiz de direito da eomarea de
Palmares:Herebi o offlcio le 18 do corrente com
que V. S- remetteu-me os mappas estatisticos do
juiz do paz do districto de Barreiros, os quaes de-
volvo nclu'os para rollar o de n. 17, conten*.
conciliacoes do auno prximo passado, e-nao as do
corrente, como indica a sua data, e na policiae>
para sereir-directamente enviados ao Dr. chefe de
I polica, como determina o decreto n. 3572 de 30
porior da guarda nacional deste munioipio faco i ue deiimjro" de t63, devonda aqueile juiz re-
Pf? *f*. "Preswiiar o guarda nacional do 6 ba-1 noeiter mais o de o. 18. que Iba cuuipre i|nalraen-
talhao de infamara Geiulio Barbosa dos Santas, e' ic ministrar. """
os conselhos de investigacao qne acompanharam
o offlcio de V. Exc. de hoje sob n. 418, para que
mande proceder na forrea da le contra aqnclle
guarda e os outros mencionados no mesmo
offlcio.
X. 652.Dita ao director do arsenal de guer-
da 19 de maio ultimo sob n. 100, tomou es>a di-
rectora de eliminar da poni e (hlhas de venc-
ministrar.
N. 661.Dito ao mesmo. lixpeea V. S. as con-
venientes orden para que s.-j i remettida a guia
da sentenciada llosa atara da Conce^vo que,
segundo declara na peticao que junta Ihe envo e
que devolver, foi julgada pelo jurv do termo de
Agua-Preta.
N. 662.Dita ao juz de direito da, comarca de
Itamb.Constando-me que est serv ndo o Ingar
de 2" tabelbao e eserivo das execucoes civsis e
da 23 de junlio prximo lindo sob n. 19, mande i balbos o conselho de ravisao da qualilieaio da
V. :>. examinar om urgencia os estragos causados j guarda nacional dessa parochia, do qual foi V. S.
presidente.
3" seccao
c a que se refere a sua iojtormacao de 11 de ju-
nho ultimo sob n. 376, a gratificacao que veuceu,
desde 5 at 20 de ianho do anno prximo passado,
na razio de 5>000 diarios, como encarregado de
vaccinar e tratar dos desvalidos accommettilos da
varila naquella villa.
X. 018.Dita ao mesmo.Recommendo a V. S.
que, em vista dos prets juntos em duplicata, que
me remetteu o commandante das armas com oifi-
cios de hontcm sob ns.411 e 413. sejam liquidados
e pagos os vencimentos, relativos a 1' quizena
deste mez, das pracas emprestadas no deposito do
recrutas e dos presioneiros de guerra paraguayos.
X. 619.Dita ao mes-no.Mande V. S. liquidar
e pagar, om vista do pret junto em duplicata, qae
as obras provinciaes e municipaes, pela endien-
tes ltimamente havida n aprsente um orcamen-
todas dospezas a fazer-se com os necessar'ios re-
paros.
4* seceo.
?>' 623.Portara ao desembargador provedor
un Santa Casa do Misericordia.Em vista de sua
nformacao do 16 do corrente, sob n. 2001, autoriso
V. Exc. a mandar entregar a edtieanda do colle-
gio Jas orphaas Maria Joaquina Augusta Goneal-
ves da Rocha a seu lio e tutor Pedro Gonealves da
Racha.
X. 629.Dita ao mesmo.Pude V. Exc. mandar
entregar, de conformidade com a sua informacao
de !6 do oriente, sob n. 2000, a Galdino Miguel
Francisco, a educamla do colleiiio das orphaas
Thereza dos Santos Torres,
X. 633. Dita ao mesmo.Pareccndo-me nao
ser preciso a presenta de um sargento do corpa
de |iolicia, para manter a ordem que deve reinar
na enfermara das pracas d'aqtielle carpo, exis-
tentes no hospital Pedro II, cargo da Santa Casa
de Misericordia, visto que disso devein estar en-
carregados os empreados d'aquelle estabelccimen-
to, ao possivel atlender a rerlamarfio que em
nome da junta adminstrativa da msma Santa
Cas i. faz V. Exc. om offlcio de 9 do corrente, sob
n. 1988.
X. 631.Dita ao engeuheiro fiscal da illuitina-
cao publica.Transmiti a Vmc. o offlcio pofcc-
pia do subdelegado do districto da Magdalena,
que se refere o da chefe de pulida de ti do cr-
reme, sob n. 1025, afim de qne providencie res-
montos de 20 de maio ultimo om- diante, os poucos crimes, Joo Chinaco d'Araujo Lima, que anda
'' nao tem 19 anoos de idade, recamraendo a V. S.
que procure oUer informa o.ds exactas a este res-
peito para transinitu-las a esta presidencia..
N. 663. Bita- ao juiz municipal da primeini
vara desta cidade.Inciuso i-mello a Vmo. para
seu conhecimentu e lins convenientes copias Ohs
autos do vis'.oria e identidad.; de possoa a que se
procedeu nos cadveres dos sentenciados de-jnsti-
ca do provincia dn Geera l-Yaneisco Bezerra Pro-
copio do Xascimento; Jo Rio Grande do Sul, Car-
los Anfone, e do Mfefaablo, Tham (escmvo) que
fallecern! no presidio de Fernando em differente.s
datas.
X. 664.Dita ao mesmo. Passo as maos de
Vmc. para os devidos lins. as guias juntas dos
sentenciados Balbiuo Joaqum Flix dos S*nlo-.
operarios da offloina da l* classe desse arsenal,
visto nao haver na mesma servidos, em que fossem
ellas empregados, licando todava o respectivo
mostr para cuidar nos pertences d? offleina e
estar prompto a executar qualquer ordem extraor-
diaria. 0 que Ihe commnnico ao seu citado
o lucio.
X. 634.Dita ao raasmo.Sagrado consta da
-Ihe ter V. S. sid reintegrado no posto i offlcio do commandante do presidio- do Fernando
lo dobalalho n. 28 de infantaria, e de 14 do crrante sob n. 62, vieram (i'aili reraatti-
dos, com destino a as.e arsenal, no vapor Cequia,
2 caixoes contendoSOO pares de spateos rnanu
pares e sap
facturados na offleina de sapataria daquelle presi
dio, o que communco a V. Exc. para sau eonhe-
c monto.
2.* saccan.
N. 655.Portara ao prasidentc do tribunal da
retarttn.mfia'iiw Y.-*o.-eai
direito as consultas qoa no offlci
motor publico da comarca de Itamb.
N. 656.Dita ao Dr. chefe de polica interi-
no.Constando-me que estservindo iiitennninen-
X. 640. Offlcio ao inspector da thesouraria de j te o lugar de esorii'o de paz e do subdelegado do
fazenda.O Exm. Sr. viee-prasideale da provincia, | distrieto de Itamb, Manoel d'Araujo Lima, menor
manda declarar a V. S, que segundo
o Dr. chefe de polica em offlcio u
correnie, o destacamento de Tacaratii se coinpoz cimento.
no mez lindo de um alfares, um sargento e 20 i >. 637.Dita ao commandante superior interino
pracas. da guarda nacional do Recite.Com o presente
T imwM iai .i'l I Jaa Amando de Bntu.Mauod Fraacisco B-ereira.
u?{? I >* amwamUnU- do .,,-JVi",. d KemaT,!.. de .V.-
cpalmente o joalheiro. A porco de Pars
a que se chama Toda Parts nos deliciosos
artigos dos chronistas na voga, cotnputava
com sincero pjazer os diamantes dados,
porque Pars a ultima floresta da Europa
onde haja macacos. Sao a vida e o orna-
mento da paysagcm. Tendo assim effec
tuado as suas dstracc5es, o baro voltava
sorrateiraraente para o regaco da Sra.
Schwartz.
Ora, acredilem-me, n'este ponto cami-
niamos para verdadeiro progresso, e Pars
titera, com os chronistas frente, ha de
conquistar a gloria de moral sar Analmente
as nossas civlisaces ,- estabeleca-se por
tima vez e slidamente que o amor conju-
gal o (rucio prohibido e s haver d'aui
em diante matrimonios felizes.
Schwartz, homem inteligente e experi-
mentado, senta a superioridade da raulber
sob o duplo aspecto da raga e do instnc-
to ; as adrairaces do marido dispertam
mutas vezes, e Prudhomme sugeito a
descobrir na sua Prudhomme aristocrticos
protis pelos quaes a visinhanca nao d;
Schwartz, porra, n5o se enganava ; sua
mulher era urna nobre senhora, mesmo in-
depeodente da fortuna conquistada e do
titulo de baroneza, novinho em folha. Nem
adornos nem cachemiras para isso aontrj-
buiam; e t5o pouco as equipagens. A
p, com cbaile de lia e vestido de chita,
lora anda Schwartz ama nobre e destincta
senhora.
Duas vezes amiva-s o baro: com amor
e com orgolho. Era ella ao mesmo tempo
a sua ventura e luttre de sua casa. Em
todo o amor descobre a aoalyse muitas e
mu curiosas :ousas. Nao ha no mundo
dous amores sementantes. A' seu modo,
amara Scuwattz com paix-So, e era zeloso,
e bem que n5o carecessp de conllanca.
0 bario Schwartz era zeloso porque ha-
via na mulher urna leielb completa, que
Ihe nao estava ao alcance. N5o o damos
por grande homemi e todava tinha peque-
nezes de giganta : era carioso, esqaadri-
nhador, indiscreto, violador de mysteriosos
nadas. Para conhecer^ melhor a esposa,
procurara saber-lhe de cor o aposento, du-
plo estado, fcil por paites, porm, rapos-
sivjl no todo. Tinha tambem o aposento
0 seu recanto fechado ; se o carcter apre-
sentava um enygma, certa gaveta exhiba
imieriinente fechadora, cuja chave nunca
se perda.
Nunca, desde annos.
Isto n'um quarto onde ora um ora ou-
tro, sempre agum objecto sahia do seu
lugar.
Schwartz confiava, mas* tinha zelos.
Que haveria n'aquella gaveta ? o porque
scismava a Sra. Schwartz ? Podem a maior
pa 'te dos problemas resolver se pelo vago
teimocapricho ; mas vale isso tanto como
na) resolver cousa algnma. A propria
palavra capricho anda urna fechadura :
careca de chave.
Era a baroneza Schwartz senhora de
btauda e notavelmeote serena condic/ao.
Todava, segundo a exprassSo da Sra. Si-
card, sua aya, tinha ataques de tristeza.
Assim fura sempre ; poda mesmo o baro
lembrar-se de que as tristezas eram mais
frequentes e mais duradouras antes do
casamento.
Depois do nascimento de Branca, puro
e rrande regosijo, honvera cura apparente ;
as tristezas, porm, tinham voltado e ha-
viam perseguido a feliz ini at junto ao
ber^o da filhilia.
Quando Branca era pequentna, dira ella
muitas vezes ao pai:
A m5i chorou.
Os mdicos sao admira veis par* explicar
as esposas aos maridos ; basta isso, para
ou os proclamar bemfeitores da humani-
iide afflicta. 0 Schwartz tioha sea fracp
polas uplicacoe dos modiiXM, mas arnt
servava-se zeloso.
1 Diztam4he os mdicos : flgado, Qpa
criminoso oSo o tai flgado t E cltwam
ancdotas iateresuatasaJoaa.
do coininumca i de 11 annos, recommendo a Vmc. me peca infor-
. 1034 de lo do mages a respeito, aftm de traz-laa ao met conhe-
ratii se coinpoz | cimento,
sargento e 201 X 637.Dita ao commandante superior interino
da guarda nacional do Recite.Com o presente
X. 6H-Dilo ao mesmo.0 fiero. Sr. vice-pre-' offlcio faco apresentar o guarda nacional do 6o ba-
sidente da provincia, manda) declarar a V. S. para talhao Getnlio Barbosa, dos Santos, assim como os
os lins convenientes, que segundo o offlcio do ba-1 conselhos do mvcstigaco a que se procedeu no
cha re Luiz de Albuquerqno Hartis Perora, juiz i presidio de Fernando contra o mesmo e contra os
de direito da eomarea da Boa-Vista, de 14 deste de noraes Jacinlho Manoel Jos Caliste, Galdino
mez, nessa dala entrou ello no gol) da liceuga, | Pereira da Costa e Andr Gomes Pereira, acora-
que por portara do governo imperial Ihe foi con-i panhados do offlcio do general commandante das
cedida a 21 do mez lindo. I armas n. 418 desta data junto por copia, do qual
N. 612.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre- consta que o 2 e 3 esto recolhldos ao quartel
sidente da provincia, manda declarar a V. S., que d polica, e o 4o contina evadido, afira de que
V. S. mande contra elles proceder na forma da
lei pelos lacios constantes dos conselhos e offlcio
cima citado.
X. 658.Dita ao commandante superior da
guarda nacional do Palmares.Proceda V. S. na
aguado ofacio do juiz municipal do Agua Pr.-ta,
bacharel Pedro Gaudi:.no de Hatos e Silva Jnior,
de 21 do mez fiado, nessa data entrou elle no gozo
da licenra^qne Ihe foi concedida por deliberai-ao
de 8 do*dito mez.
X. 643.Dito ao inspector da thesouraria pro- j forma da lei contra o sargento commandante do
vincial.S. Kxc. o Sr. rico-presidenta da provin-! destamento do termo de Barreiros, pelos factos
cia, temi por deliberaco desta data resolvido
conceder a exoneraeao que pedio Josa Gongalves
da Rucha, do lugar u>repetidor interino do gym-
uasio provincial, assm manda communicar a V.
S. para seu conhecimento.
4" seccao.
X. 644.-r-OUico ao regedor do gymuasio provin-
Aa*fiistoras dos mdicos parecem-se to-
das epm a da pega ladra ; julga o leitor
pie foi um amante ; abundam asprovas,
achou-se-lhe o "chapeo. Qual historia I Era
um ataque de ligado !
Havia semanas em que a baroneza estava
morrendo por gentebaco; outras semanas
ein que nao poda ver ninguemligado.
E o mesmo se dava cora o vestuario.
Tinham descoberto n'ella, verdade que
taras vezes, urna especie de colera surda
contra Branca, sua filha adorada. Dzia o
medico, sugeito de encantar, com collari-
alios mamai: Gonheci em 18 urna se-
niora de muito boa familia, etc.
N'aquella, era estomago.
"S por gosto. se podiam passar dias e
nOBes com um mdico que cantasse no
e^tylo da Pega ladra as distraccoes do
fijado, do estomago e do ba^o. A cousa
deita lunge ; um completo systema de
ppilosuphia em que o vicio e a virtude sao
vantajosamente substituidos pelo bago,
pato ligado e pelo estomago. Nao chega
assm mesmo caravlla dos doutores
poetas que cultivara a hysterla. Podiam
citar-se respeitaveis matronas, que assg-
nam i dous luizes por visita para ouvir as
lendas da hystera. N5o ha oficio tolo.
Schwartz vigiava a mulher, oa para me-
Jhor dizer o seu desejo fra espiona-la
Rindo, minuciosamente e segundo a arte
dos maridos cosos, que tem conflaoca.
Para isso, porm, mistar tempo, e o
tempo dinbeiro ; Schwartz fazia como
todos nos, o desditoso: em vez de se
entreler a esclarecer a vida da mulher, era
obrigado a gauhar dinbeiro. Conservava,
peis, a sua confiaoga e as suas duvidas,
informando-se loucameote, baixando mui-
tas wzes da sua digoidade, i ponto de
dirigir perguoUs a Sloard e a Domergue,
qae sabiam lano como elle.
, Tanto para o criado*, como para toda
a gente apreseotava a conducta da Sra.
Schwart aspecto sempre igual. Raro
tama que nao fots de carruagm e a
coudos nos offlcios juntos por copia do subdele-
gado do Io districto daquelle termo, n|uc alinde o
chefe de polica n. 1017 de 13 do curente, fazen-
do com que desde j seja elle substituido por
outro.
N. 659.Ditas aos juizes de direito de Olinda,
Itamb, Cabo, Flores, Tacarat e Cabrob.Os
carruagem de urna raulber anda a sua
casa; s vaos amigos do marido, e o seu
comportamento, no sentido vulgarmente
applcailo esta expresso, estava cera
varas cima da suspeita.
Entretanto, para os criados, para o ma-
rido, para toda a gente emanava da Sra.
Schwartz nao sei que fugitiva e subtilira-
pressao, esse nada soberanamente inde-
linivel, esse vago diluvio, esse perfume da
mulher que tem algum segredo.
Schwartz, cumpre-nos dize-lo, nao gos-
tou da frieza com que ella reeebeu o hroe
Miguel. Tinha preciso de que compar-
tssera dos seus caprichos, e altribnio a
indillcrenca da mulher s famosas preoecu-
pacoes, que porventura existim debaixo
de chave na gaveta do meio. Nao foram
poucas as pequeoinas maldades que cora-
metteu para conquistar a chave invsvel, e
nanea o conseguo. .
Cora rela?5o aos nossos personagens,
iam-se as cousas passando assim em casa
do Schwartz. Miguel eslava na escola do
commercio, onde fazia mui rpidos pro-
gressos. Edme dava Iic5es de piano
Branca, que a eslimava como irmSa pri
mogeaita : entrava a abastanca pela casa
da familia Leber; ninguem so acercava da
baroneza sem sentir os effeitos da sua ge-
nerosa bondade. Edme desenvolvia-se
como artista. Era ama nobre e encanta-
dora menina, e j nos grandes olhos azues
se Ihe lia claramente a alma da mulher.
Encoatrra-8 Miguel com ella i peridi-
camente, de quinze em qunze dias, depois
da aventura da lenna. Nunca tinbam an-
dado sos. Creio o que o amor pode
brotar em coracoes infantis, e cousa de-
liciosa essa lenta florescencia do senti-
mento que deve encher a vida. Em poe-
ma, procuran* seguir o adarado deseo-
volvimento d'asso germen ; esta prosaica
historia, porm, nlo tem tempo da sobra
para daraorar-se com minuciosidades.
A vista de Miguel fazia corar Edme.
Quando cantava diante d'elle, tinha a voz
ronha, de 11 e lo de junho ultimo, e 13 no < r-
rente sob ns. 37, 44.P 58, cumpriram as roapoe
vas penas e (orara, para esta cidaJe remettidos, a
ser apresen lados ao chefe de polica.
X. 865.Dita ao mesmo. Transmiti a, Vmc.
paraos lins convenientes, as guias juntas do sen-
tenciado Joaquim B. zerra do Sanl'Anna e Am-
cela Maria d.r Gomcigiio, que pelo commaodanle
do presidio de Femando de Xorooba foram-me rc-
mottidas em offlcios til 42 de 16 do mez (indo d
11. bd de 13 do corrate.
X. 666.Dita ao coininandanto do corpo provi-
sorio da polica.Em vista do quo> expoo chafe
de polica em offlcio n. 1010 de 16 do correnie,
inn le Vine, diariamente apresentar ao dilo ehefe
mais 20 pracas do corpo sob son commando, para
as rondas nocturnas nesta cidade.
I!' seccao.
X. 667.Portara ao inspector da thesouraria de
fazenda.Participando-ine o cominaadante do pre-
sidio de Fernando em offldo de 16 do corrente sol
n. 65, havervreroettido no vapor Giqui cora oes-
Una a essa thesouraria, 600 saceos com milho de
primeira qualidade. de prodoeco do mesmo pre-
sidio, contando i,200 alqueires, assim o declaro a
V. S. para seu conlieeimento.
X. 668.Dita ao mtsino. Transmit) a V. S.
para os fias convenientes, guia do soccorrimen-
to do sentenciado Manoel Ferreira de Carvallo
Rolalon, pie veio annexa ao offlcio d) commandan-
te do presidio de Fernando de Noronhajflade si'
acliava o dilo sentenciado que requereu virosla
cidade tratar de seus dretos.
trmula ontra expresso. Miguel trabalha-
va quinze enormes dUs pira ve-la algumas
horas. Tinham um Qm os esforgos d'elle :
amava j como homem ; sabia-o. Edme
nao sabia ainda. ..*
Quando Migeleomplelo.i dozeseis anuos,
Schwartz examinou-o e en:!ieu-se de sin-
cero orgolho ao aspecto do que suppnzser
obra sua. Miguel caminhra com 'pasaos
gigantescos; era urna intelligencia robusta,
vivaz, exacta ; brincara liHoralmente com
as ilifficuldad^s do estudtr, e a escola di
commercio nao tinha mais qae ensinar-
Ibe.
Digno de entrar na minha casa : disso
Schwartz. Positivo !
Miguel era verdadeiramente um guapo
raoco, alto, esbelto, de estatura graciosa ;
no rosto imberbe, eslampava-se-lbe franaa
e destincta jovialidade. No dh em que
largou a vesta azul do collegial, para ves-
tir o elegante uniforme da nossa sooiedade.
transieco ordinariamente ingrata, produzio
verdadeira sensaeco as salas da. baroneza.
As mulheres repararam n'elle, sonhando
talvez com alguma educaco, por completar,
e nenhum d'entre os homens se lambmu
de rir Edme cou toda lisongeada e com
muito rnelbor razo do que Schwartz.
E todava estava Schwartz mais Usoogea-
do qae a propria Edme. Dava-se el aos
caprichosos entbusiasmos dos que ewi-
quecem. Disse mulhger, raostrandtvlbo
o nosso hroe :
Minha obra ; marido para a nossa
Branca Idea 1
A Sra. Schwartz abri um dos seus-bons
sorrisos, e olbou ltenla p3rit Miguel, tal-
vaz qje pela primeira vez.
Edme ouvio ; ouvia sempre quaptode
Miguel se'dizia. Toroou-s maia palW*
tjae urna dafunta.
(Cbamair#4a.)


C
t


.038!
El M\B
N. 669.Dita ao mesmo Era *sta da fofo*,
ielac4.aomwal o pret juntos era daplicata, mantc
V S liquidar os voncimeutos relativos ao mez Oo
maio uWW,Jb offlcial e praca* da guarda nacio-
nal deaaeadoi Ha villa da oa Vista e.pagar os do
offlcial ao pitai commandante ntrinno do bata-
lhao n. 47 de infantera Francisco Manoal Rodri-
gues Colho. o oj das praxis ao commandante da
eompanhia avulsa de rcsarva n. fc, Libralo Alves
luimaraes 0:1 ao procurador distes, Andr Aveli-
110 de Barros e Silva, coufcrme solicitou o com
mandante superior d'aquella comarca em oficio
^te 12 de junho ultimo. .
N. 670.-Dita &0 mesmo.A directora do ar-
seual de guerra conforme commuuicoa era offlcio
de 19 de marca ultimo sub n. 103, tendo em vista
o que representou o niestro da oficina da 4' clas-
se, sobre a falta de servico para n'olla se empre-
siarem os poneos operarios da loesma dBCiua, to-
iiiuu a deliberacao que pprovei de os mandar eli-
minardo ponto e folhas de pagamento, a contar de
20 de maio ultimo, deixando comtudo o menciona-
do mestro para cuidar d>is pertences da referida
oficina, e estar prompto a -atisfazer qualquer exi-
genci \ extraordinaria; o que ludo declaro a V. b.
para os flns convenientes.
N. 671.Dita ao mesmo. Attendendo ao que
rciiuereu o professor publico da 2' cadeira da fre-
guezia de S. Josa desta cidade Benjamn Cons-
um da Cunlu Salles, expeco nesta data as cou-
venientes ordens a thesouraria provincial, alim de
que, a contardo 1 docorrente faca suspender o
aoiconio de 2 0/0 que oTcreceu o referido profes-
ad dos cus vencimeutos para as despezas da
fierra visto ter cessado somellianto offoreeiment),
o que communico a V. S. para seu conbecimenlo,
N. 67-'. Dita ao mesmo. Transmuto a \. S.
para os flus convenientes a inclusa copia do pa-
rtear da cummissao nomeada pelo commandante
lo presidio .1,! Fernando para examinar os objee-
tos remetlidis para all por essa thesoiirana, e
das faltas nelles ene .miradas pela mesma commis-
sao.
N. 073.Dita ao mesmo.Tomando em consi-
leracao o que oxpoz o commaudanto superior di
comarca da Boa Vista, em olcio de 12 do junho
ultimb, junto por copia, recommendo a V. 8. que
uwade pagar ao tenento coronel commandante do
batalhao n. 49 de iufaataria, Tnomaz Pedro de
Aquino ou ao seu procurador, depois de liquida-
dos, em vista das follias, relacoes nominaes e pret,
juntos em duplcala, os vencimentos do ollicial e
uraeas destacados ua villa do Ouncury, sondo os
dess relativos aos mezes de mareo, abril e maio
Ueste anno, e os do offlcial a contar de 16 a 28 de
levereiro, do 1* a 2o de marco e de 7 de abril a
31 de maio do mesmo aauo.eorao se v dos docu-
mentos cima mencionados.
N. 674.Dita ao mesmo.Pode V. S., conforme
iudica em seu offlcio de 16 do correnlo,sol* n. 483,
mandar por novamente em praca os alugueis do
prelio nacional 11. 1 sito no Forie do Mullos,^ em
vista da declaracfio que fez Maximino da Silva
Gusmo, coustanie d> citado oQlcio, o qual lica
Mtkn respondido.
N. 675.Dita ao mesmo.Transmuto, por co-
pia a V. S, para seu conhecimeii o, o devidos ef-
feitos, a ponaria que nesta data derijo ao procu-
rador li-cal essa thesouraria, relativamente a
iiamiiipriinin do terreno, pertenceulo a Jerony-
ino Cumia de Amorim, <|iie se toma uecessario
a eoostrueco do acude da cidado da Victoria.
N. 076.Dita ao mesmo.lleeommendo a V.
S., que em vista do contracto celebrado com o
Dr. Manuel de Figueiroa Paria, para a publioacao
do expediento do governo, mande pagar-llie a
H'.iantia que t'or devida, segundo solicita no inclu-
so requeriiiiento
N. G77.^-iia ao mesmo.Expela V. S. suas
ordens para qu em vista da suas inclusas con
tas que, me remetteu o superintendente da erra-
da de ferro do Recife a Sao Francisco com offlcio
.1.1 10 do ccrrenle, seja pago o que justamente se
dorar de transportes elTeetuados, durante o mez
de junho ultimo, nos trens d'aquella estrada por
couta da provincia.
N. 678.Dita ao procurador fiscal da thesoura-
ra provincial.Accuso recebido o offlcio do 1.
1I0 crreme, sub n. l, em quo Vine, solicita a
K'si^nacao de um engenbeiro para o aeonipauhar
at o sitio denominado Naluba, aflu de examinar,
medir e avaliar o terreno que deve ser desapiv- i
priado para a consiniecii do acuda' da eidaJo da ;
Vici ria, e em resposta tenlio a dizer que so Je-1
ron) rao Correa deAmorim, nico proprietario que |
nao'quiz annuir ainigavelmetile a cs^a de&anru-
priai-o, nao wtiver disposto a receber a quantia
", fui avaliado o seu terreno \
serrado oew do commin-
danie do presilio de Femando de Noronha, veio
para esta cidade no vapor Giqui, o a ser anre-
seutado ao cMefe-de pilioia nterin., o renten-
Manopl Toixeira do Carvalho alatou, que asi n o
requerou pira tratar de scus direltos, sendo qt e a
IllesoUraria de ftaena 6 enviada nosta dala a *ua
gnia de soecerrimentos.
N. 692.Bit ai conHand:mte aupenur da
-uarda nacional da Bbavista.S. Exc, o m\ yi-e-
pre-idnt! da proviocia manda declarar V. S.,
pie transmittio Uissouraria Se famnda pura os
(i.is constaate* dos oEflcios de V. S. daiaJus ik 11
dejulhj ultitii), as fullias, relacSes uomin)9
prots, que em duplcala vleram annexos aus cita-
dos officias.
N. 693. lito ao presidente o membros do co-
selbo de qualifieaeJo da guarda nacional de Agoa
l'rela.O Eim. Sr.',vice-preiiJente da provLfcia
manda declarar Vv, S?., que llea inteiadu, por
seu offlcio de 5 do crrente, de haver nessa data
flnalisado os seu> tralialhos o consellio de rcvsio
da qualilica?5o da uarda nacional da parochia
de Agua Preta, deque flzerara parto Vv. Ss.
3'seccao.
N. 694. Oficio ao inspector da thesournna
provincial.O Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia manda communicar V. S. para os lio-
convenientes, que segundo offlcio do commandan-
te superior da guarda 'nacional do municipio do
Cabo, a 6 do corrento aquartclou na villa do mes-
mo nome 1 inferior c 15 pracas, de conformidade
com a ordem da presidencia do 21 do junlio ul-
timo.
DESPACHOS DA VlCK-PnESlDE.VCIA DO DA 8
DR OUTCBBO DE 1869
Augusto Jos Goncalves Lessa. Informe o Sr.
inspector do arsenal de marinha.
Auna de Sales Ctvalc*nli Guimaracs.Imorme
o Sr. desombargador provedor da Santa Casii de
Misericordia.
Anacalo Publio de M iraes Carvalho. Entre-
gue-se mediante recibo.
Antonia de Abrou e Lima.Dirija-se ao sr. di-
rector goral interino da inslruccao publica.
Canuto Candido Ramos.Exponua por esc ipto
o que lem a allegar e pede para communicar
verbalmente.
Francisco Ferreira Dorges.Informe o Sr. ins-
pector da tliesouraria provincial.
Henriqueta Flora Uelmira da Co Sr. desembargador provedor da Santa Casa de Mi-
sericordia.
Henriqne Leiden & CRequeiram ao govorno
imporia'.
Isabel Maria Brandao. Indifendo vista da n-
furmacao.
Joo Cosario de MelloPassando recibo, como
requer.
Joaquim Goncalves Casco o Pedro Gon$.ives
Cascao.Junte-se e oxpeca-se ordem para a dis-
pensa at a primeira reuniao do respectivo consc-
Iho de revisaj de qualifleacao.
Luix Gonoalvaa da Silva. Junto ao requermien-
to anterior, volte ao Sr. commandante superior in-
terino da guarda nacional do municipio do Racife
para informar.
Vigario Mauoel osedeOliveira RegExpeca-
se ordem.
Marcellino Prudencio Machado. Indiferit'o a
vista da informacao.
Mauoel Valeutim dos Santos.Informe o Sr. di-
rector gcral dos indios.
Mar Mauricia do Rosario.informe o Sr. Dr.
chele de polica.
Manuel Boserra dos Santos.Voltc ao Sr. enge-
nbeiro ebefe da repartieao das obras publicas para
declarar se as obra- estavam concluidas de ac-
cordo com o orcaaiento.
- 9
Amonio Marques de Anorim.Volto ao Sr ins-
pector da thes jurara provincial para fazer juntar
certid.o da-Cscriptura a que allude o Dr. procu-
rador fiscal.
Ilacbarel Clirissolito Ferreira do Castro Chives.
Ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda para
mandar pagar o qne f ir devido ao supplicante.
Dr. Ermiro Cesar Coutinho. Informe >) Sr.
commandante superior da guarda nacional do
municipio de Nazarelh.
Francisco Xavier Cavalc^nt Lins. Iuforme o
Sr. eugeiilieiro eac/e da repartieao das obrai pu-
blicas.
Isabel Mara Bautista Castro. Inl'urmc o Sr.
inspector da tiiesauraiia de fazenda.
Jos Augusto da Araujo.Informe o Sr. inspec
tur da thesouraria provincial.
.loa.) Francisco ae Puuza.Conceda-se no> ler-
V
lo 1103000, em queja
pela n-parlicao das oblas publicas, conv amL jwm rraiicisco ub ^"^7^
propriacao de*su. tarreno. .m 1 so deler.uinou a -loso Augustu de Ar.v.ijo.-!ufon.ie-o sr. enge-
' de 27 de iunbo d> an- ahfllro cncarregado das obras geraes.
los lenriques do Souza. Informe a c.imara
municipal da villa da Eseada.
>mm til sottraria em offlcio
110 pruxuiio passado.
,N. 679.Dito ao ciiefe da repartieao das obras
publicas.Em respo.-ta ao oliriu que Vino, me
derigio em 10 do crrente, sub n. 259, lenho 1
dizer, que seguido consta de infurmacao do ins-
pector do arsenal de mariuia 11. 179t), de 16 des-
te me/, 1 barca menor de e.-.-.ivacao d'aqueHe nr-
-enal acba-se era consorto e por iss.i nao pode
pre*ar-se ao servico da eseavaeio no canal da
barra de Una, como Vine, s'licita no seu ctalo
offlcio.
i.* seccao.
N. 680.Offlcio ao presidenta da provincia do
Maranilo.l'asso as uios de V. Exc para os
ias convenientes d incluso auto de victoria e iden
iMano de pessoa feilo no cadver do setenciadu
a justir.i dassa provincia do nome Tbom ( es-
criw) que bUaoeii no da 9 du crrente no pre-
sidio de Fernando de Noronha.
S. 681.Dito ao presidente da provincia do
Rio-Gr.nde doSul.Para ter o coa veniente des-
111 passo as maus de V. Exc. o incluso auto de
vistoria e denudada de pessoa foito no cadver
do sentenciado de justiea dessa provincia Carlos
LuizLuca* de Mello Jnior^Aguarde decisio
do governo imperial.
Manoal Lopes de Souza.Informado Sr. dicctor
gcral dos indios.
Munoel Liz de Siqucra.=Informe o Sr. com-
mandante do presidio de Fernando.
Mauoel Antonio flo Jess.Inform;' 0 Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
PEMMBBCO.^
REVISTA DIARIA.
AUTORIDADES POLICIAES. Por deliberafio
da presidencia, dej 8 do eorrente, foram nomea-
do> : -
1." suppleote de delegado do Bniqne. Le3nar-
do Calbmo Pessoa Cavalcante.
2." a 3. supplentes do subdelegad) de Crren-
tes.Jos Laurindo Arselino de Veras e Fetix
tatosse qno fallaceu no dia 3 do crrente na en-1 Ferreira do Brito.
fermaria do presidir) de Fernando de Noronha.
N. 682.Dito ao presidente da provincia do
Cear.Traiism: (u a V. Exc. pira os lia* conve-
nientes o incluso auto de vistoria e identidade
de peNUua no cadver do sentenciado de justiea
ile allecou 110 da 30 de junho ultimo, na enferma-
ra do presidio de Fernando de Noronha.
N. 683.-l'ortara ao desembargador provedor
da Santa Oaa da Misericordia.Em vista do que
V. Exc. ponara em seus officias de 8 B 14 do
eorrente, sol) ti. 1979 e 1990, concedo a autori-
sacio que itade para despender mais at o fun
do exercicWe 1868 e 1869, a quantia de 9:0003
pela verba annos (indosa qual segundo cons-
u dfll* dos seus citados offlcios ja ^e acha es-
gotaOltt
N. Ple-Dilo a cmara municipal do Recife.
Cunele- a aulorisaclo ipie pede a cmara muni-
cipal de Recife, ara seu ellicio de 3 do crrante
n. 3i para despender a quantia que for uecessa-
ria com a compra de um cofre para guarda dos
saldos que sobrara das despezas mensaes e pa-
pis de eredilo da mesma cmara, visto uao offe-
raeer aeguianca alguma a caixa de ferro que
nella axiste.
N. 685Dito a mesma.Concedo a autorisa-
ci qne pede a cmara municipal do Recife era
sen offieio de 14 do eorrente, sob n. 59, para
apandar mais at o fin do crranle exercicio
a quantia de 2:0001000 pela verba que se acha
exiiucta designada no 4. do art. 2/ da loi n.
853 da 5 de junho do anno passado, para a lim-
peza e asseio desta cidade.
N. 086. Dito ao professor publico da cadeira
de vertentes.Accuso a recepcao do offlcio de
Vine, de 6 do crreme e inteirado do sen con*
tedo doelara-lhe queserapre quetiverde dirigir-
se a presidencia o faca por intermedio do director
geral di. irwtnieeao publica.
jgx?EDitarrB assiaha*) pelo sr. dr. joaqu 11 comea
DK ARA70, 6ECHETABIO DO GOVEB.XO, EM 1 DB
JLHO DE 1869.
2* seccao.
N. 688.-Offlcio ao ebef de polica interino
^:Cxm. Sr. vice-jwesidente da provincia manda
declarar V. S. que nesta data se expodio ordem
ao cajoinandanto d > carpo provisorio de policia,
ara 1he mandar aprescniar diariamente mais 20
praeas d'aqueHe corpo para as rondas nocturnas
est cidade, am vista do que V. S. expoe em sen
ofltrt b. 1040 de 16 do eorrente.
N. 6W.Dito ao mesmo.O Kxm. Sr. vice-pre-
sidonte da provincia manda declarar V. S. qne
nasladata se expedlo ordem ao draetjr do arse-
nal de guerra, para Ibe serea entregues seis es-
padas e oojras Untas pistolas para o servico das
rondas do districto dos Afosados, como foi por
V. 8. pedido em sea offlcio n. 1038 do 16 do cor-
reme.
M. 690.Dito ao rtesmo De ordem do Exm.
Sr. vice-presidenle 4a provincia, communico i V.
S. qne nesta data se expedio ordem ao comman-
dante superior da guarda nacional da Palmares,
pan proceder de conformidade com a le contra o
commandante do destacamento de Barreiros, fa-
zendo-o substilnif por outro.
N. 691. Dito ao joiz iniininal da primeira
vara do Recife.De ordem do Exm. Sr. vice-pra-
ajdente 4a provincia eotnmuaica V. S. para ieu
.) o tenente Jos Amonio de
feres Ernesto Meliano da Sil-
2." a 5. supplentes do subdelegado de S Cae-
tano da Raposa.Amonio Bezerra da Silva, Fran-
cisco CamlliiM dos Santos, Manoel Francisco
dos Santo* c Jos Gomes do Nascimento.
GUARDA NACIONAL.Por dita de igual data,
turara nomeados para o batalhao 11. 43 de nfan-
taria do municipio do Agua-Preta:
2J companhia.Aleres Francisco Domngues
de Barros Lessa. .
3* dita.Tenenti| o alfares Manoel Pauo de
Souza.
i' dita Alfares: Jos Antonio Alvos Maciel, e
Juvencio Antonio Goce.
3" dita.Capital o tenente Pero Francisco do
alello, alferes Francisco Machado Peixoto Caval
cante.
6' dita.Ten nio Ramos..
7* dita.Capit^o o tenente Austrekliao de
Castro Paes Barrlo.
8a dita.Capit
Mello, tenente o a
veira Lessa, mfefes Pedro Miliaiio da Silveira
Lessa Filho.
CAPTURA DE CRIMINOSOS.A requesijao do
delegado de polie a do termo de Flores, foram
capturados os segainles criminosos : pelo desta-
camento da villa, I Mauoel Autonio Capella, pro-
nunciado no artiJtOl do cdigo criminal pelo
subdelegado do IBaixa-Verda, Manoel Jus da
Silva o sua' mulUer Maria Franciscajl* Concai
S'o, pelo crirae de homicidio praticauo no termo
1 TMulra, da provincia da Parahyba -pelo
shbdelgado de colonia. Josa Pedro Moren), pro-
nunciado no art.' 193 do cdigo criminal, palo
crimo de morte perpetrado na eoraarcade i: Ju.
na provincia da Parahyba ; pelo subdelegado de
Bom Conselho, Marcolmo Jos dos Santo;, pro-
nunciado nesse tsrmo por crime de homicidio e
tomada de presos 1 e pelo subdelegado pa villa
de Flores, Joo Pedro da Silva, por crime de ho-
micidio hi praticado.
Essa .nomenclatura de.criminosos capturados
por indicacaa do digno delegado de Flores ; poe
bem patenie o zelo e interesse qne toma na re-
pressao dos erimes, e torna-o digno da estima pu-
blica.
VAPOR PARA MAF4ANGAPE. Em conse-
quencia de nao ter chegado uontem o vapor fran-
eei, da Earopa, foi transferida para hoje I tarde
a sabida do vapor Mandak, da comprala Per-
nambucana, para o porto de Maraanguape.
TRIBUNAL DO VTbw nasegunda-feira
lugar a primeira essio do jury da comarca do
Rcifo, sob a presidencia dSr. Dr. Manoel Jos da
Silva Nejva, a oecupando cadeira da premoto-
ria, o Sr. Dr. Joio Thora da Silva.
Comparacendo apenas 17 juies de tacto, oram
sortoadoe os seguintea da r u aaompeentc:
Dr. Joaquim Francisco de Miranda.
Dr Antonio Joaquim de Moraea e Silva.
fir. Demostbenes da Silveira I-obo.
Di-. Jos Joaquim da Almeida Nobre.
Dr. Jos Joaquim do Moraes Sarment.
Dr. Jos Francisco Uchua Cavalcanti.
Dr. Joio Honorio Ceierra de Meneze?.
Augusto Frederico da OHveira.
Antonio i. da Oliveira Baduera
Antonio de Moara Rohm.
Aiituuio Procopi 1 dos Santos BaceHar.
Antoidp.do Sanios Railtbs de Oliveira.
Bruno Arves Barbosa da Silva.
Francisca"Uno da Silva.
Frimao-ffeteira da Conha.
igiiaoja- EMia Esteves da Suva.
ogues Peixoto.
J^Hpo>a de Miranda Santiago.
I >< 4fciir ines da Silva. "'
indicio de Souzl Cistro.
Jus Jacoine de Araujo.
Jus Itodupiano dos Santos
J1 Hygino de Souza Galvo.
Jusii 'negun les da Silva.
Ju< Augosto de Araujo.
Jos llvgjno Hilarte Poreira.
Dr. JuslMsio de Camino G rato.
Jos Rodrigues de Souza.
Joio Cwnriru l.ins Soriano. 1|
lia 1 Manoel Ribeiro de Castro.
Jos Lucas Soarcs Raposo da Cmara.
Miguel da Jj'anseca Soares e Silva.
Ainda lionlom au pode funecionar o tribu-
nal, por filia do numero legal, pelo que foram
sorteados mais os Sr*. :
Dr. Joao Silveira de Souza.
Dr. Jos Antonio de Figueiredo.
Dr. Jos Honorio Bezerra do Menezes.
Dr. Eduardo de Barros F. de Lacerda.
Arcelino Jos Pinto de Souza.
Miguel Bernardo Quinteiro.
Augusto Cesar Pereira da Mcndonca.
Firmino dos Santos Vleira.
CLUB PERNAMBUGANO. A partida do cor-
rete mez deve ter lugar na norte d 16.
INSTITUTO ARCHEOI.Or.ICO E GEOGRAPHTCO.
Amanlia funeciona esta sociedade, em essao
ordinaria.
INSTITUTO HISTRICO E PHILOSQPHICO.r
Beune-se amanhaa, s 10 liras do dia, in sessao
ordinaria, esta sociedado; sendo a ordem do dia
continnaco >a discussao da thesc do Sr. Cha-
ves, segunda discussao do regiment intorno, t-
eleicao da dircetoria.
ESTRADA DEOLINDA E DOS AFP6GAD0S.
Pedemnos que lembreinos i quom eompete o
estado lastimoso em que ellas se aeuam.sobretu-
do jTde Olinda, principalmente na parte a,ue Oca
effeas pinte da Tacaruna a dos arrombados.
O servico de conservacao mo, pois que consiste
nacollocaco de lama quasi secca, tirada du man-
que, e posta sola no leito da estrada, onda forma
grandes buracos, que dificultan o transito. Cre-
mos que, se houver boa vontade, alguma outra
cousa so far, sem ser esse abalho sera flm.
O CATHOLICO.Com este titulo acaba de ser
publicado o lnnmero de um peridico que de lan-
ga em liste se aprsenla denodado defender os
mais caros interesses da nossi rrligio. E' seu
principal redactor o conselheiro Dr. Pedro Au-
tran da Matta o Albuquerque, geralmente conheci-
do entre nos, por sua elevada intelligencia e pro-
licicncia as materias a enjo cultivo se da.
O Cuthotic) vera preencher uina lacuna que se
dava Hojornalisraoda provincia ; o o campo em
que tem de luctar pela sua vasiidao, offerece deli-
cados assumptos de interesse, tanto mais real, qnan-
to momentoso pelas ideas que actualmente vio
grassando em materia religiosa.
Descjamos-lhe prospera e feliz viagera, atravez
d ochiio, de erraa que ello tem de snlcar, em ca-
ta da verdade religiosa que pretende fazer brilhar
luz da raiTw osclare;iJa.
GREMIO DRAMTICO.Em sessao de 10 do
eorrente o Sr. Francisco Antonio de Oliveira So-
brraho, estudante do 4o anno do curso jurdico des-
ta cidade, fez a leitura de um seu drama, deno-
minado a Escruea, sendo aceito como socio d'a-
quella sociedade. O trabalho do Sr. Oliveira So;
briiilio dizem-nos revellar intelligencia e estud
das maten'as que forma'11 o repertorio do theatro.
VAIOS.Itconiiiendamos a attencao do res-
pectivo subdelegado um 1 sucia de vadios que s
entretem fazer disturbios todas as tardes na rtia
dos Pires as immedlacdos dos trilhos urbanos de
Api pucos.
NOVO ATHENEU.No dia 9 da eorrente teve
lugar a sessao magna desta sociedade.
As 8 horas da uoute, achand i-se o sa!ao do pa-
lacete do largo de S. Pedro cheio de pessoas de
todas as class^s egerarchias, tendo sido recebidas
as senhoras ao som de urna banda de msica
marcial, o Sr. Silvio Ferreira do Carvalho, presi-
dente da sociedade, abri a sessao, proceden do era
seguida destribuicao dos diplomas de socios
cflcclivos. ^
cursos anlogos a festa, 08 >rs. juo X.,Y,\-. T^rra-
do, orador, Jos Fernandns fj 1 '!ho, Vicont" Simees
P. de Lemiis, Argemiro M. da Cunha Galvao. e J.
Bastos, socios la soaioda-le; Eugnoio Falos da S.
Puntes, Francisco de O. Borja, Pelino da (]. Cui-
des; pelos oradores das sociedades Arcadia I'er-
namhucana, do Gremio Dramtico, do Gabinete
Portnguez do Leitura, do Instituto Histrico Pii-
losophico, da Minerva Pernambneaoa, da nll >
l'hilosopliica, a da Juventud; I^Olinda ; e poe
pelos Srs. Baptista Gairoaraes, Godofredo Autran
e Justiniano Silva.
Em seguida foram empossados os membros da
directora, quo ticou- assim composta: presidente
Argemiro M. da Conha Galvao; vico-presidente
Jernnyms M. Pereira do Carvalho; secretario*
Joaquim Candido Lisboa, e Eduardo Jayme G. de
Araujo; orador Jos Fernandos Colho ; adjunto
Gaspar do Menezes V. de Drumniond; thesoureiro
Francisco Isidoro B. da Costa.
LOTERAS.A que se acha a venda ; a H0>'
a beneficio da Santa Casa : Mieericordia, q'ie
curre no dia 10.
A do Rio quo tambera so acha a venda a
93* a beneficio dn Santa Casa d; Mi
devia correr a 2 do eorrente, tedb o Paran
sahido no dia priraero.
PASSAGEIIIOS.O vapor Parahyba, rindo de
Tnmandar o escalas, trouxe os seguintes :
Dr. Pedro Alfonso de Mello, Manoel Forram,
I-.io Antonio Alvos da S|- Mello Gasmao, Jos Machado Estrella, Franwsco
Bernardo de Oliveira.
I----------------------------------w----------------------.1-------1 1 ,. ^ n m 11 1 1 1 -
mu ofllcfo de agente de-eiloos. Regstre-s e en- oseflm. Qne miseravel ardil! Men irmao Sal-
tregue-se ao supplicante.
Da corapanlua Liverpool and London Globe In-
sirrace, subraettendo a registro os estatutos e a
carta imperial que a autorisa, aflm de poder fune-
cionar nesta praca.Vista ao Sr. desembargador
Oscal.
COM INFOBIAOlo DO SR. DKSKMBARGADOR FISCAL.
De Jos Lepes I) iviip e AtHOBjfo Bezerra Caval-
eante, dlstrt 1 da lirnwi social da Davn & Caval-
canteSaH8fac;un o parecer fiscal.
Do Jos Fortunato dos Santos Porto, socio com-
manditarie da firmaMandes, Falco 4 C, que
tundo-so disligad') da mesma firma o socio Mn-
dez, requera que o papel que juntava fosse re-
gistrado como distratonsooial. Como requer.
Do meento Jos Forrnnato dos Santos Porto, co-
mo sociojBiraanditario,da Arma Santos, Falcan
& C, patMk o registra do contrato desta firma.
Sellado devidamente o contrato, volto a petcao.
Autos de rehabiltalo do Joaquim Jos da Cos-
ta Fajoles Jnior e Jos Laurentino do Aievdo.
Remllase copia da potiaSorle Henriqne A Aze-
vdo aos rehabilitandos para allegarem o que Ibes
oceurrer ; e copia da certidao competente do es-
crivau aos refer dos Henrique A Azevdo, aflm de
que declarem o que Ihcs convier, o que farao as
partas ata1 o dia 18 do correte.
Nada maishavondo sido submeltido despacho, e
dada a Imra (11 e mola da manha) o Exm. Sr.
presidente encerrou a sossao.
SESSAO JUDICIAR1A EM 11 DE OUTUBRO DE
1869.
PRKS1UENCU DO EXM. SR. DESEMBAROADOR A. F. PE-
RETT!.
Secirtario, Julio Ciuimaraes.
Ao meionlia dcclarou-se aberta a sessao, estandu
reunidos os Srs. desembargadore- lima-
raes, Reis a Silva, Accioli, Almeida AlbnqnVrqiie,
deputados Rosa, Basto, Miranda Leal e barao de
Gruangy.
Lida,'foi approvada a acta da precedente sessao.
O escrivao Albuquerque registrou o ultimo pro-
testo de letra a 6 do correte sob o n. 1837 ; e o
escrivao Al ves de Brito a ".i do mesmo mez sob o
n. 1813.
ACORDAOS ASSICNADOS.
Embargante, Joviniano Fernandos da Silva Man-
ta ; embargada, D. Joanna Ignacia de Jess : ap-
ellante, Andr de Abreu Porte; appellado, Joa-
quim Ferreira Valento e outro.
JLGAMR.NTOS.
Juizo especial do commercio : embargantes ap-
pellantes autores, o Dr. Manoel de Figueira Fa-
ria a outros; embargado appellado reo, o Dr. Ga-
briel Soares Raposo da Cmara : juizes os Srs.
Silva Guimaraes, Reis e Silva, barao de Gruangy
o Miranda Leal.Despresados os embargos.
Juizo especial do commercio : embargantes ap-
pellantes autores, Guimaraes A Oliveira em liqui-
dnco ; embargada appellada r, a directora da
Caixa Filial do Banco do Brasil nesta cidade : jui-
zes os Srs. Silva Guimaraes, Reis e Silva, Basto e
Miranda Leal; e jurando o Sr. Basto suspeicjin,
ordenou o Exm. Sr. presidente que se olliciasse
ao Sr. barao da Soledade para tomar parte neste
juigamento, visto j terem jurado snspeico os
Srs. Rosa, barao de Gruangy e barao de Nazarelh
o declarado impedimento dos Srs. Leal Res e S
Leitao.
Appellantc, Arminio Pessoa de Albuquerque ;
appellados, David William Bowman a outros :
appellante, Antonio Joaquim Fernandes; appella-
da, D. Alexandrina Maria dos Santos: appellan-
tes, a viuva e herdeiros de Joio Cavalcante Ac-
cioli ; appellado, Joo Teixeira Machado : appel-
lante, Gezario Deodato de Pontes Franco ; appel-
lado, Salustiaro Lauriano de Pontes: appellantes,
Abreu A Veras ; appellados, Augusto Porto & C : |
appellante, Jos Pereira de Araujo ; appellado,
lose Alves de Faria.Adiados a pedido dos Srs.
deputados.
PASSAf.ENS.
vador, sabe e sabem quantes me cajihcecm. mais
do porto, quo quando mesmo elle tivesse consegui-
do de meupai tudo quanto me viesse c'abeca
para intervir era seu favor,em meu desabono, nem
por isto recuara por um momento da senda, que
me foi proscripta pela propria natareza na quali-
dad : de lilho. Fique [lurtanto desengaado meu
irmao Salvador, que se mniio tem eongnido com
esta arma,muito ha de perder. Quera com ferro
fere, cora o mo3mo ser rerido.
Mas, diz meu irmao Salvador, > o publico qne co-
nhece a elle e a rnim, v quo son jima victima e
que nao inerecn o triste eonceilo que moa irmao
me promove.
Que singularidade !
Pois sou eu (uo Ihe prora >vo algnm triste cen-
ceito f Quera ter a culpa do mo jnizo que o pu-
blico possa fazer a seu respeito I Ku qne fui pri-
vado seis mezes de minha proprdade, ou meu
rmo Salvador que com o Sr. mordomo do gyrn-
nasio a deteve sem mui conscnlmeoto ?
O pnbHeo desla capital, que tanto conhece a
meu irmao Salvador e mm, deve sem duvida
saber que no espado de viole e oilo annos, que
por aqu tenho inorado, nao me fiz ainda cel bri-
sar como meu iirau Salvador se tein fcito no
curto espaco de quatro aunos que para aqu veiO
morar.
Com effeilo meu irmao Salvador (Icn milito
conhecido deste publico, desde que em 1865, por
occasio da quebra fraudulenta de Joao Baptista
Goncalves Bastos, cujo retrato ello conserva, para
nunca esquecer-se daquelle que, sendo seu credor
da quantia de 1:300, quando ausentou-se deixuu-
Ihe nra Rea, fingindo-so seu depositario, cora o
qual pretendendo-se fazer ainda maiores prezas,
nada so fez em consequencia de que nao foram
necios os legtimos credores de Bastos, exlgrado
qne men mano Salvador aprcjpntasse a sua es-
cripturacu. que nao podendo ser apresentafla
abandonen a tentativa da cobranza do (lea, aven-
turando-se n'ontra de mais fcil acquiscao.
Mas tudo isto fui para se fazer mais conhecido
do que eu. Como men irmao Salvador poderla pro-
testar de nao mais vollar a imprensa, ticando neste
proposito se Deus nao mandar o contrario.
Recife, 9 de outubro do 1859.
Joaquim S. Pessoa de Siqueira Cavalcanti.
DECLARACOES.
Srs. redactores.A's autoridades policiaes da
cidado de Olinda c perante o publico d'esta cidade,
venllo protestar wntra nm facto que se don na-
quella cidade, na noite dehontem para hoje. Ei-lo:
Tendo eu um mnibus, na linha que parte d'es-
ta para a cidade de Olinda, e como acontece sera-
pre, chegando all, recolhi o dito mnibus ao por
to ondecoslumo. Porra, quanto nao flqu^i pas-
mado, quando ao amanhecer vejo-me sem dous
dos meus cavallos, e o mnibus do proposito es -
cangalhado ?... Nao acredito que smento para
fnrtar os cavallos, fossem os larapios forcaaos a
proceder por tal forma, procedimento este que s
cabe ao despeito e vinganca. Porm, Srs. radac
lores, como confio as autoridades de meu paiz,
espero o descobrimento de um tal attentado contra
o direito de propriedade, para o quo envidarei
todos os meios a nao ficar ncolunro tao sanhudo
inimigo da propriedade alheia.
Recife, 12 de outubro de 1869.
Flix Affonso de Barros.
Conselho de compras
' navaeg.
O conselho manda ^azerjjwco, qne sob a
eondic s lo estylo, eoftlratrpWia 1\ do eorren-
te mee, vista do propostas recebidas at as It
horas da niaiihaa, o ftirneciBWito de galinhas aos
oBtafcetecmentos do marinha no corr nte trimestre
d,e outnbrT 3 dezeinbro. '
Sala das sessoes do coiiselho de compras navaes
9 de otubro de 1869.
O secrelario
Ale.candre ftdrgites dos Arijos
Pela secretaria da caara municipal desta
cidade se faz publico para conhecimento de quern-
nteressar po no dia 6 do crrente, como estavam annunciados,
os impostes de-80 rs. por carga de farinha e ou-
tros legumcs vendidos nos mercados pblicos, do
500 rs. por cabeca de gado morte para o consumo
das freguezias de fra da cidadp, e bem assim os
alugueis de talhosde acoOgue us. 10, II, 12 e 13
do quarteiro do lado d snl; conlinuarao em pra-
ca no dia 13 do andaute mez taes knpostos c alu-
gueis : aquellos que pretenderem arrematar, ha-
bllltem-so na forma da lei.
Secretaria da cmara municipal do Recife 9 de
outubro de 1869.
Francisco Canuto da Boaviagem,
. '____________Saeretario.
S-ABtfa CaiM I lttUcricordia do
llccle.
A Illma. janta administrativa da Santa Casa da
llisericordia do Recife manda fazer publico quena
sala de suas sessoes, no dia 13 de outubro, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
PATRIMONIO DOS OHPHAOS.
Ra da Cacimba.
Casa terrea n. 10....... 86*000
Ra ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anno 2'i2S00O
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................ HfijOO
dem n. 98........................ 203*000
dem n. 96........................ 802*000
Sitio n. 5 no Forno da Gal........... 15000*
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematacao as suas flaneas, on compareccrem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da San a Casa da Misericordia do Re-
cife, i de outubro de 1869.
O escrivao,!
Pedro Rodriaues ifSmtia
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Oplno Nacional e o
Ilieiro Lopes Metto.
A publicaeao as columnas d'estc Diario de
um artigo sob o titulo0 conselheiro Lopes -Wtte
e a sua inisso na Bolivia dispulou na redaccao
da Opinio Nacional desejos de contradita-lo ;
mas, por motivos que ignoramos, nao quiz ella to-
mar a si toda a responsbilidade da contradicta,
e limitou-se a dar publicidade, sob a rubrica
transen polo, um artigo do peridico America
do Sul, intituladoo Brasil e as repblicas do
OSr.dese,^rgadonc^i por raoVivos s, ^SfA ****** &
A Illma. junta administrativa da Santa Gasa da
Misericordia do Recife precisa contratar com quem
se queira enc,arregar de fazer sua cusa as orna
de que necessita o sobrado n. 37 da ni da Mon-
da, concedendo ella, alem de outras rtnttge o
5g. arrendameuto por grande numero de annos.
Recebe para isto propostas em cartas lechadla,
na sala ae suas sos.1 oes, dovendo os pretendentes
exammarcm as obns de que carece o predio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, i de set-.n'nro de 1869.
O escrivao,
Pciio Rodrigue* de Souza.
servieos prestados ao
Essa finase sss&[ -*
paiz pelo dis-
na
jamun Tuckens; embargado, Augusto Colho
Leite.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Reis e Silva : appellantes, Antonio
Lourenco Teixeira Marques o outro ; appellado,
Manoel Monteiro da Cunha.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. de-
sembargador Accioli : appellante, a junta admi-
nistrativa da Santa Gasa de Mizericordia do Reci-
fe ; appellado, Antonio Martins de Carvalho Azc-
Bolivia.
Nao desejamos travar discussao a respeito com
redaccao d'aquella folha, publicada em outra
A cmara municipal d'esta cidade, tendo do
contratar o fornecimento de objectos necesrario-
para o expediente de sua secretaria no exercicio
de 1869 a 1870. taes como papel de primeira quac.
lidadeliso e pautado, lapis, ponnas d'aoo e de gan-
50, garrafas cora tinta, obrejas grandes, caetas,
rea, papel mata-borrao, radarco, papel pequeo,
dito de peso grande, cnvolucros pequeos, livros
em branco cada um de cem folhas, ditos de dnzen-
provincia, ,m ora a da Op^oNaci^al^ %'^'iA^^lLt
sem a mm.ma reserva ou observacao, deu, nubil pr^endem que qaUerein' frneVer os mesmoi
'objectos, declarar o meuor |oeco por que o l'azem.
!>aco da cmara municipal do Recife, 0 do outu-
gador Reis e Silva : appellante, Augusto Octavia-
no do Sonza Franca ; appellado, Augusto Frede-
rico do Oliveira.
AC#IUVO.
Juizo especial do commercio : aggravantes, Cos-
ta & Castro ; aggravados, Linden Wydman & C.
O Exm. Sr. presidente negoo provimonto.
Nada mais houve, e foi encerrada a sossao
1 hura da tarde.
IMICACIES
cidade ao citado artigo. Convidamos,
esta, para quo se digne declarar se aceita como
suas as opnioes emittidas por aquella folha sobre
os tratados com a Bolivia. negociados pelo conse-
Iheiro Lopes Neito.
vdo/tostamenteiro de Theotonio de Oliveira ,^SSR9mJST^^T
tn\rn"nXWfttrr- > JUI'Ulwm fifi HllWtl Tf \ tgri'.'lliM lltlllfl-
Ou Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
cbifeTitclo aus sur virus uu uossu utastnntr nrpti
mata, entraremos em iHnaligcira analyse d'aqueHe
bro de 180-.'.
Munoel de Barros Brrelo,
Pro-presiden (''.
Yanc "" Canuta ia Boaviagem,
_ Secretario.
<
A cmara municipal d'esta cidado, tendo do
IIJdl.1, CIWdl L-IIIU3 Ulll (Jllld II^Mio nni;^""'ivi- .. ^.....-. ........^.l---- ~-------------------, .
artigo, o esperamos demonstrar a sem razio com contratar a qaanidade precisa de tijotlo deaive
que s pretende, por malfico pffeito da inveja,
! marear os virentes toaros colhidos por um p ! nambuemo di-tincto pela sua illustracio, pelo aau
I vordadelro liberaliasaa, e pelo seu acrisolado pa-
triotismo, como o-conselheiro Felippe Lopes"Netto.
Recife, U de outubro.
Ao publico.
Era resposta ao meu penitente e innocente ir-
mao Salvador, victima constante de minha iracun-
dia, e que pela (idelissima pena de sen advogado
cada vez mais se chafurda em completo lodacal,
nada ha mais a accrescentar a recito ao furto
do escravo Benedicto, cujo processo est em anda-
mento., e to patente aos olhos dos qne veem' pelo
'ci'ia me F'"ma da verdade que nelle s descobnro, sem
k n P.n-in a mnima atenuante, o seu crime o o do Sr. mor-
domo, quo como tal j nao podia mais se-lo do
gvmnasio, ombora digam qne o que te n-se tido
declamad, e que devo contarme j vencido.
Na vcfBde se, como diz meu irmao Salvador,
por seu advogado, a prova vate mais quo a decla-
maban e o insulto, que atlrihue a quem Ihe diz a
verdade, desvaneco-me desdo j ver o juizo pu-
blico applicado nste pleito cuntra os delinqoentes I
quo tao ousadamente levam o seu despudor ao"
poni do insultar a justiea publica, antecipando o
seu juizo n'um processo ainda nao acabado, e cuja
futura decisao, a jnlgar-se pelas provas j auferf-
das em os autos, nao Ibes podem ser favoraveis.
Ostentar dizer a verdade, como me possivel
dizc-la pelo jornal, nao ostentar foros de escrip-
tor, como inculcam-me, e nao sendo esta contes-
tada em nenhura ponto, nao sei coinprohendcr em
que caso possa eu ferir-me com esta verdade,
atrnicoando o meu irmao Salvador.
Meu irmao Salvador quo me tem atraicoado,
e se atraieoa a s mosmo cora o procedimento que
tem tido. Meta a mo em sua conscicnca e ver
que, o que eu disse no Liberal a qno allude, como
o que agora digo e tera-se dito.poreste Diario nes-
ses ltimos dias, s pode ser .refutado pela sim-
ples negativa e pelo facto de q%em commette urna
in aeco, nao ha meios a eseolher para enco-
bri-la.
Nao tenho o mnimo interesse em trazer o di*:
crdito a pessoa alguma, repugno e abomino d
todo coracao semelhante uso ; como, pois, o traria
a um meu irmao 1 Eu me envergonzara c tarta
tedio de mim mesmo se assim o ftzesse.
O caso, porm, outro inuito diversa do quo
pinta raen Irmao Salvador, cuja Ungida innocen-
cia s pode ter Iludido a quem com ello nio foi
nasudo c creado debaixo do mesmo telhado : in-
felizmente a mim coube esta sorte... Mea irmao
Salvador sampre dependeu da mim, do pouco que
aulrnhaelle despunha, e nao s elle como todos
os outros meus irmos e meu pai, e assim succe-
! deu por longo espaco de tempo, at que nao po-
dendo mais sapportar o peso.flz ponto nesta pra-
ea. e o meu crdito flcou cortado, pelo o atrazo em
que rae pozeram estas meas chegados prenles,
quasi tudo quanto trabalhei linha depositado em
suas mos, como sabido dos eslranhos e dos de
mais parantes que nos conhecem, como provam
os ttulos qne conservo em meu poder..
Queris saber a causa mais saliente ou por ou-
tra, a eaasa oceasional desse detestamento allud-
da por mou irmao Salvador e de ficar eu s sola-
do no meio de nossa familia pela sua inimbade e
dos autros irmaos ? Attendei.
Meu pai deve-me 73:400H, como se v de sua
hypotheea, mea mano Manoel Ignacio de Siquei-
ra, deve-me todos as letras qne se acham entra-
nbadas em una autos, das quaes Salvador tam-
bem acceitaate 16:0001 o mesmo Salvador deve
10:228*, como se v de outros autos que se achara
em poder de quem no tem de jolgar ; meu mano
Jos dava-me l:0Q0, eomo se v dos autos axis-
tontas no cartorio do Joao Damaceno, na villa da
Eseada e de apuros ttulos; meu mano Joao da-
^Htt na importancia da 22:000*,
pala qual toa | bta> wriat quaas, aeido o nico
le aaajm tem tito.
donde atee asta esiravagaute e des-
~ ogerisa, de que falla meu innocente
gstre-se. IVOT Salvador, aando que com estas e outras
De Franciso Antonio Puntual Jnior, aprosan- qneyandas intrigas, traiendo muito d proposito
lando o conhecm;ntj de ter pago o ic^o:o df |aeu seu pai para a bailha, suppoe ler attingido
1809
PRAGA DO RECIFE 22 DE "OUTUBRO DE
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE
AasneaV bruto americano 3.5200 por lo kil.
hodiem). .
Algouo de Pernambuco sem inspeccao I0!>j
por iI. (hoiitem),
Conros seceos salgados3i9 e 533 rs. por kil.
Cambio nagavel em Londres90 d|v. d. por 19 3|i
d. por" (liontcm e hoje).
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Sove
Secretario.
IRNICA JUDWIARIA.
ltlc \AI, O COHNKRCro.
Sota da sessao adminstrativa de i i de
outubro de 1869.
PRF.SlDE.Ni:iA DO ENM. SO. DKSBBBAJWADon .ISJ.MO
FRANCISCO PERF.TT*
As 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
tados Rosa, Basto, Miranda Leal e barao de Gruan-
gy, S. Exc. o Sr. presidente declaren abarla a
sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao de 7.
HfWHU
Oflicio. do presidente e secretario da junta dos
correteros, firmado de 9 do andante, apresentan-
do o boletim winmercial da semana prxima pas-
sada.Ao archivo.
Aos Srs. deputados foram distribuidos os. se-
guintes livros :Diario de Fernandes & Pereira.
Copiador de Ramos & Temporal.
Foram preseules os nmeros 229, 230, 23l e
232 do Jornal Offleiai, o tiveram o convoniknie
destino.
DESPACHOS.
Requer ment de Hemetero Vidal de Negrlros,
requerendo o regLtro da nomeac*) de sen eafcei-
ro Rodolpho Olyntpio Guedes de Lcenla.Ragis-
tre-se nomeacao.
De John Roberts, pediudo qae se Ihe dipor
certidao a proeuracao que Ihe conferir a directo-
ra da companhia InglezaNorthern Assurince
Company para representa-la no imperio, e qo* se
acha junta .a pecao de registro dos respectivos
estatutos.Passe se a certidao requerida.
De Francisco Fernandes da Silva e Francisco-
Jos Pereira do Vall, pedindo o registro de sen-
contrate social que juntara.Vista ao Sr. desem-
bargador fiscal.
De Pedro Thcofiio Gaspar de Oliveira, pedindo
ao Exm. Sr. presidente do tribunal para Ihe alin-
dar registrar a sua nomeacao, que junta, de aai-
xeiro de Louis San i A CRegistre-se. 1.
De Joio da Casta Weyne Jnior, tambempi-
xero dos sobreditos Louis Sand A C, pedindo
igual grac.i.Regietre-s'e.
De Numa Pompio Passos, apresenundo termo
de flanea as oonaieSes exigidas no despacho de
30 de setembro ulumo exarada no raquerimeeto
era que solicita titulo de corretor da praca de
Macei.Prove que as testemanhas abonadoras
sao idneas em consequencia de possuirem nens
de raiz, visto como o termo de Sanea nada decla-
ra a semelh De Bartholoracu Gomes de Albaquarque fro-
prietario da barcaca Miria Luiza que paasa a de-
nominar-so Probiaade, subraettaad 4 registro.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De Joaqun L jpes Machado & C, naosu
torera cumprdo o qw Ims foi irdenadc
pacho proferido na ssil) 'le o Mrraa^r
naria grossa, arta o cat branca e preta para
o. consumo do cemiterio publico, recebe no dia Vi
io orrento propostas neste sentido, am carta fe-
chada, na goal os pretendentes do fornecimento
deverao indicar o menor preco do milheir > de
tijollo,carrocade ara c alandro deca.
Paco da cmara municipal do B"cife. G d>> outu-
bro do 1069.
Mantoi d- lluros fnrrtlo, *
Pro-presidenta.
1 Canuto da Boaviagem,
Secrelario.
Cabo.
ALFANDEG.
Rendimenio do dia 1 a 11 310:410*350
dem do dia 12...... 00:870*485
380:310*841
UOVtMENTO DA ALPANDGA
Volumes entrados com fazendas
dem dem cora gneros
Volumes sahidos con fazendas
dem dem cora gneros
188
341
-----629
149
170
----- 319
Pela colleetoria de '.'versas rendas da villa do
Gabo avisa-so aquella? pessoas que foram conec-
tada1 venham satisfaier o imposto pessoal do exer-
cicio de 18GS a 1869, visto estar a lindarle p
praso.____________________________
Correio geral.
Pela administra cao do correio desta
faz publico, para lins convenientes, quo era vir-
tudo da convengo postal, celebrada pelo- rover-
! nos brasileiro o franeex, serio expedidas mala,1;
para Europa no dia 13 do comuite pelo vapor
inglez La Plata.
As cartas sorao recebidas al 2 hnra9 antes da
I que for marcada para a sabida do vapor ; e os
jornaesat3 horas antes.
Adminisiracao do correie de Pernambuco i 1 do
outubro de 18G9.
O administrador.
Domingos dos Passos Mirnnd.-'..
n'esearregam hoje 13 do ontubro
Barca ingleza//m'onmorcadorias e ferro.
Barca mg emFrancli Wilsonidem,
Brigue hespanhol Francisco vinhos,
Suma hespanholaCarmen mercaaorias.
Escnna Borte-allemaoAdelaiddem.
Patacho inglezMary Ricefarinha de trigo.
Barca inglezaLauradem.
RECEBGDHIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimecto do dia 1 a II 20:340*978
dem' do dia 12...... 3:074*077
23:118*053
Coneerto vocal c Instriimcata.
O abaixo assignado avisa ao respeilavel publico,
que nao tend) sino possivel levar execneao no
tempo e lugar annanciado neste Diario de 11 de
setembro, o concert variado que elle dp.seja dar,
para diverlimento a dilraccao do publico, pre-
tende realisar e cumprir sna promessa no dia li
deste mez. na antiga sala de da usa da stviedjie
Recreio Pernambucano. largo do Carmo n. 9, Io
andar. Persisto aquello mesrao prngramma com
a altcracao apenas da terceira parte, pois que nao
possivel haver dansa, por nao so prestar a so i\
sala mencionada. Os bilhetes distribuidos s io os
mesmos que daro ingresso ao dito concert.
Recife 7 de oulubio de 1869.
Jos Coelbo Barbosa.
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 11
dem do dia 12. .
34:231*098
6:348*972
40:3804070
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 12.
Tamandar e escala6 horas, vapor nacional Pa-
rahyba, do 104 toneladas, commandante Mello,
equipagem 13 ; a companhia Pernambucana.
Trieste66 das, brigue hollandez Margaritha, de
197 toneladas, capitao P. E. Grooth, eqnipagem
10, carga 2,032 barricas com farinha de trigo ;
a Amorim Irmao.
Navio sahido no mesmo dia.
LiverpoolBrigue suoco Uelina, capillo N. A.
Skegstrom, carga algodao.
EDITAES.
O Mim. Sr. conselheiro inspector da thesou-
a ria de fajeada d/esta provincia, em virtude do
offlcio da presidencia de 5 do eorrente mez, man-
da fazer publico qne no dia 20 do mesmo mez, s
duas horas da tarde, ir eramente praca para
ser arrematada por quem maior lanco offerecer,
as pedra de alvenaria e contara em bruto exis-
tentes as proximidades da fortaleza do Brum.
As paessoas qnemeonvier, deverao compare-
rer nesta thesouraria no dia e hora cima indi-
cadas.
Sei:reiaria.*u*a thesonraria do fazenda de Per-
nambac^ l! de outabro de 1869.
Servlndo de oficial -maior,
Manoel /ot Pinto.
AVISOS MARTIMOS.
baha
O palhabcte Garibaldi, capitao Custodio Jos
Varaia : a tratar r ^ra Tasso Irmaos.
Companhia americana e brasile-
ra de paqneos a vaptr.
At o dia 15 de outnbro e-parado de *ew-
York por S.Thomai e Para o rapor americano
North America, o qual depois da demora do costil-
rae, seguir para os portes do sul para fretes e
passagens, trata-se com os agentes Henry Forster
& C, ra do Commereie n. 8.
Bio Grande do Sul
Pora o iudioado porte saWr em poneos dias o
brigue brasileiro Tygre, e recebe alguma carga a
frete : a tratar na ra do Vigario n. 1, andar,
escriptorio de Balur, Olivwra A C.
Rio de Janeiro
Part olndloado porto pretende seguir com inci-
ta brevidada a barca poi-tngoeza S.JWa>, ptrUr a
maior parto da sea eam-gamenio 1
o reste que Iba falta, ira^
Joaquim Jos Goncalves
ci n. 17.
1f
I
.1





Quarla feira 13 de Outubro* de
1869.

Wavegaf&o
Recebo cargavel
ro a frele, 00 escriptorio
n. 12.
\\IBUCANA
por vapor.
. commandaote
itl san o poito cima no
Sras da noite.
o dinhel-
Forte do Mallos
de
. 1TRNAMBUCANA
por vapr.
io e Aracaj.
ite Axevedo, segoi-
[ma al" o da li> do correte,
Recebe carga at o da 14,
con
Navega
Macei.
O vapor Gi
r para os \\._
as 5 horas da tarde. .
encommendas, pasagegoiro;> e diohciro a Irete
at s 2 horas da Urde do da da sabida, no
criptorio do Fnrt do Matto n. \i.
modaooi, qurtos fra, eochera. e estribara,
ira, tanque para ba-
QnwH-feira 20 di mtubrdUrMt), s II horas
em ponto.
0 agente Pinto far.'t leilao, prereiid a rmpe-
teme a'utorisacao, da casa cima indicada, coja
wnda se toma rocoiivneadada, ja por ^r dita
casa edifleada etn chitos propros, coirtb por ser
Mito da cidade ; o leilao ser efTectoado s 11
oras do da cima dito, em o cscriptorio do refe-
rido agente.
OMPAIHM
DAS
Messagcrics imperiales.
*>t o illa i i di rorrenle mez espera-se da
Europa o vapor franeez Nucarre, o qual depois
da domora do cosiumo seguir para a Babia e
Rio de Janeiro.
Para condicgSes, fretos e passagens, trata-se
na agencia, ru do Comnwcio n. 9.
COiIFA\HIA MLISILEIM
DE
Paquetes a vapor.
Dos portes do norte c esperado
at o dia 18 do correte o vapor
Tocuntins. i-ommaudantc J. M
Serrara Franco, o qual depois
da demora do costume seguir
guir para os portos do sul.
Desde j r.'cebem-se passageiros e engaja-se
carga qne o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de suaehegada. Encommen-
das e dioheiro afrete at as duas horas do dia da
sua sabida.
Nao se iveebem como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedara a
arrobas de peso 0118 palmos cbicos de raedicao.
Tudo que passar de.sles limites llover ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que snas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
1 andar, escriptorio de Antonio l.uiz de Oliveira
Azevedo & C.
imio
de um sitio no arcado do Giqui (primeiro do la-
ti d.treito ao sahirda bomba, com 178 palmos de
frente e fundos at a beira do rio, com boa casa
de vi venda com 5 janellas de frente, e accom-
modacoes para grande fomilia. quarlos fra,
grande estribara, bem porto do embarque, i
viveiros e militas fruieiras.
Qu^ta-feira 20 de outubro, s 11 horas, por in-
torvencao do agente Pinto, em seu escriptorio
ra da Cruz 11. 38.
AVISOS DIVERSOS,
INSTITUTO ARCflEOLOGICO E tEOGR APHICO
i'ii i;i:iii>i,uii.iu
Hver scsso ordinaria quinta-feira II
do crrente outubro, pelas H horas da
matiha.
OltDKM Dft DIA
Pareceres' e mais traballtos de commis-
soes.
Secretaria do Instituto, 11 de outubro
de 18G9.
Jos Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
LEILOS.
LEILAO
mvifit$
"\a importancia de I-O: l:= I .".O
ris
Quarta-fcia 3 de novembro de 1809.
O agente Pinto levar leilao, s 11 horas do
dia cima, dito, por auterfsacio do liquidatario da
extincta tirina de Southal Mcllors & C. as di idas
na importancia de 40:137 jl-* Ti., sendo........
31:1875310 rs. de cenformidade com o mandado
de peohoca contra J. de Siqueira Ferro, e......
9:1(94846 rs. de conformidade com dous manda-
dos contra A, Pinto de Lomos ; o leilao ser
referido agente, ra da Cruz n. 38.
FRAGATA AMAZONAS
Antonio Lourenco Teixeira Marques tem
a honra de annunciar ao respeitavcl publico,
e aocorpodo commercio, que a sociedade
commereial commanditaria, sob a razio so-
cial eMarqua, Silva & C. que tinha com
Manoe lMonteiro da Curha e Joao Mara da
Silva, est dissolvda, e extincta; ficando
todo o activo e passivo da mesma ao cargo
exclusivo do abaixo assignado, isentos os
seus dous ex-socios de toda e qualquer res-
pon-sabilidade presente e futura.
O abaixo assignado contina no mesmo
estabelecimento da ex-sociedade (Fragata
Amazonas) sob a nova firma Teixeira Mar-
(uc 4 C. onde promcttje servir aos seus
freguezes c amigos, com sinceridade, zelo
e promplido.
Recite, 8 de outubro de 1869.
kntonio Lourenco Teixeira Marques.
Ama.
Precisa-se de urna ama livre 00. escrava,
que cozinhe e engomme, de bons costumes e de
meia idade : na ra Bella n. 21
DOS
gneros e armac/10 da taberna si-
ta ra Imperial n. 181.
O agente Pontual vender em leilao por ordem
do Illm. Sr. Dr. provedor dos residuos e capellas,
gneros e armaco existentes na taberna ci-
ma, n'um ou em mais lote, a ventado dos licitan-
tes. Previne-se aos senhores pretendentes que a
taberna acha-se bem sorrida, e n'nma locahdade
inagnilica.
Quinta fira 15 do corren te.
Na mesma taberna s II horas e meia.
DE
do
Loucas, porcellanas, vidros e chrystaes
bem sortido estabelecimento sito
Una da Cartea n. 6.
O agente Oliveira Contina diariamente das 9
da manhaa s 3.horas da tarde, as vendas dos
artigos supra-mencionados, os mais propros e
indlspensaveis para casas do familia, e preces
rasoaveis para animar a concorrencia.
13 calvas cora cha da India
Quinta-feira 14 do corrate.
O agente Pestaa tara leilao por conta e risco
de quem pertencer, de 13 caixas com cha da In-
dia, em 1 ou mais lotes, no da cima mencionado
s 11 horas da manba no armazem defronte da
alfandega. _^____
LEILAO
DE
vluhos tintos
Quinta-feira 14 do torrente.
O agente Pestaa vender em leilao, por conta
e risco de qnem pertencer, de 66 meias pipas com
oxcellente vinho tinto, em um 011 mais lotes,
quinfa-feira H do cor rente, as 11 horas da ma-
nhaa no armazem do Annes, defronte daalfan-
dega._________________^_
Nesta typograpbia se precisa comprar
dous caixilhos para alcovas, que tenham H
palmos de altura e o de largura.
CLUB PERKAMBUCAWO
A partida do corrente mez tora lugar na nouto
do dia 16.
(ASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n.23 e casas do costume.
Acham-se a venda os bilhetes da 29" parte da
lotera a beneOcio da Santa Casa de Misericordia
(123") que se extrahir no dia 16 do corrente.
Precos. 1
Os do cotnme.
Manoel Martms Finza.
Hotel Uniao, ra do Hospicio
n. 84.
Este novo estabelacimeiito fornece comedoria
com promplido e aceio, tanto para fra como pa-
ra dentro do dito estabclccioiento, assim como nos
domingos c dias santos tora mo de vacca e outras
iguarias, todos os dias ta ver papas de diversas
qualidades ; assim, pois, o proprietario espera do
respcitavel publico toda concorrencia e proteccao,
visto ter um bom cozinheird.
Precisa-ae de um creado para todo servico
de hotel, paga-se bem, prefere-se escravo : a tra-
tar na ra estreita do Rosario n. 11, hotel Lisbo-
nense.
Coziukeiro.
Precisa-se de um coznheiro ou mesmo ajudan-
te com al::unia pratica de casa de pasto: na
ra larga to Rosario n. 11.
AVISO
Rogase ao senhor, conhecldo por A. de O., que
mora na ra denominada Gacab, que tenha a
bondade de se nao importar com a vida privada
de quem nao se lemhra de sua merc, nena ao
menos para lembrar ao respectivo fiscal que fara
cessar o seu abuso de ter empanada durante o dia
e a noite, contra as posturas da cmara, e offensa
a vista publica. Nao certamente a apparenca
de possuir algum dinheiro bem oumal ganho, que
autorisa es?e seu abuso, e nem to pouco Ihe da
autoridade para se involver com a vida domestica
dos mais, exceptuando-se, porm, se es.se proce-
dmento lilho de sua educaco, ou proprio de
seu instinto maligno ; mas em qualqner dos casos
nao se pode livrar de urna justa represalia, se por
ventura nao se cohibir de procedimento, s pro-
frio de quem tem o nomo composto de Onze
tras.
O offendido.
Feitor
Precisa-se alngir um escrava para farer o sor-
'iru interno externo 'uma casa de familia : a
rtar na ru *da Cruz n. 63, 8<'guj;djt|ifr"-.
Trilhos urbanos o
Eecife a Olinda.
O escriptoft^O'esta companhia foi transferido
tara o pnmelro andar do predio n. 33 da rtia
Nova, entrada pela rita das Flores n. 14, o qual
estar aberto todos os dias uteis, das 9 horas da
1 anhaa s 4 da tarde.
Recife, 4 de outubro de 1859.
Joo Joaqnim Alces,
{ secretario interino.
O hachare! Jorge DorndlasRibeiroPes-
soa pode ser procurado na ra do Iaipe-
rador n. 45 segundo andar, para onde
mudou a sua residencia e o seu escripto-
rio de advocada.
D-se dinheiro a jurcx, na na da Concordia
n. 5, onde se dtrio as condiefles.
Na pharmacia do Pinto ra
Larga do Rosario n. 10
junto ao quratel de poli-
ca.
A'ham-se constantemente promptas a
sorem satisfeitas, as p-escripci5es dos Srs.
fcaltativos, e as necessidades dos enfer-
ir os, as especialidades da mesma pharma-
cia, composta de medicamentos, taulo in-
dgenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
peito
Xaropes de fedeg.-o, rabo de tat,
riao, pao Cardozo.osc, mulung, mu-
tamba, etc., ele, ju
Ilheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarepe de salsaparrilha
do Pata, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de sicopira.
Doencas do ligado e iiani. ane-
mia, opilado, ete.
Emplasto, oleo, pommada, tintura, pi-
lulas, xarope o vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sez5es ou febres intermitentes
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia de seu autor ra larga do Ro-
sa.-io n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica.
Yeneravel ordem terceira de
Nossa Senhora do Carmo
do Recife.
A mesa ragedora desla vaneravel ordem manda
convidar a todos os nossos charissimos raaos
comparecerem em nossa igreja paramentados com
seis hbitos nos dias 14 e lo do corrente, as ho-
ras do costume, para assistirmos as.vesperas, fes-
ta, rasoura e Te-Deum de no Thereza de Jess. A mesa espera a assistencia de
todos os rmos para maior magnificencia de fes-
lividade to solemne de nossa ordem.
Secretaria 12 de outubro de 1869.
Pro-secretario,
Jeronvmoda C^ta Lima.
do sitio denominadoQuatro Leoesna ra de
Joao Fornandes Vieira n. 1, com urna grande
casa, um andar e solao com muitas accommo-
Precisa-se de um feitor |de meia idade e casado
para um sitio perlo desla praca : a tratar na ra.
I do A agao n. 31____________________________
AMA
Precisa-se de urna ama de meia idade para casa
[ de familia : a tratar na ra do Arago n. 32.
^ 0 abaixo asjignado, arrematante das afferi-
coe3 de pesos e medidas do municipio do Cabo no
exercicio de 1869 a 1870, vem pelo presente pro-
testar contra o procedimento do afferidor da cida-
de do Recife, que tem obrigado aos moradores des-
te municipio a alTerirem de novo soas ancoras
naquelle municipio, sendo multados pelos respec-
tivos fiscaes. Um tal procedimenio contrario a
lei o os interesses da municipalidade do Cabo. As
posturas desta eamara que urna lei sancteionada
pelo poder competente, ordena qne todos os desti-
lad res do municipio sejam obngados a alTerirem
suas ancoras no municipio de sua morada, anida
que vendam emoulro municipio, o que claro que
urna vez afferida as ancoras nao podem ser affen-
das em outros municipios, e nem mesmo, anda
concedido, que nao estvessem afferidas, nao poda
nem pode o afferidor do Recife obrigar a afferir,
e nem to pouco os fiscaes da cmara do Recife
muliarem a estas pess^as por nao serem morado-
res em seu municipio. Alem disto as affencoes
sao feitas logo no comeco do anno tinanceiro, que
di Io de outubro de 1869 a setembro de 1870 ;
antes deste tempo o afferidor do Recife obrigar a
afferir as ancoras dos moradores deste municipio
e os fiscaes os multarein no com enormes quan-
tias! 11 Coutra semelhante violencia, repito, o
abaixo assignado, protesta desde j, e pede ao
Kxm. presidente da provincia e cmara munici-
pal do Recife providencias em ordem de garantir
o seu direit > c mesmo os interesses do municipa-
lidade do Cabo, que nao deve ser prejudicada com
semelhante procedimento. Cabo i de ontubro de
outubro de 1869.
Joao Chrisostomo da Sena Tapioca.
~- Precisa-se .de moa ama para casadepouca
familia : na ra do Caldeireiro n. 68.
Antonio Vasco Cabrai c seus manos agradcelo
summamente seus amigos a magnanimidade
com que se houveram dignando-seacompanhar
os restos mortaes do sua presada ma al o ce-
miterio publico. Aproveitamse, porm, da oppor-
tunidade, para supplicar a que de novo se dig-
nem de penhora-los assistindo a missa fnebre
que mandam celebrar na igdeja de S. Francisco,
s 7 horas da manhaa do dia 13, pelo ropouso
eterno de sua alma. ^^^^
CASI A PE.
Aos 20:00040Q0.
Dilhclcs do Ri i : ra do CJrag n.
vende Vioira .(Rodrigues.________
Nh ra da Hoeda n. 5, 2" andar,
de Manoel Alvee Perreiri & C, ven
verde superior em barris. ancoretal o
Porto superior e malvazi lira neo.
2.
Ama.
Precisa-?e de urna ama que aiba.bem cozi-
nhar, paga se bem : na rua do Hospicio n. 58.
CAPELLAS
Vende-se
para dia de finados (2 de novembro), na loja de
Antonio Augusto dos Santos Porto, na prafa da
Indeflendencia, nico deposito nesta cidade, ricas
capellas para se collocarem as oMaciimhas e tu-
iiiulus, no cemiterio publico e uas igreja.*, eom
as iyseripcoes segnmtes :
Meu pai.
Miuha m.
Meu esposo.
Minha esposa.
Meu fiilio.
Minha filha.
Meu amigo.
Saudade.
Ulna lagrima.
HIORMII KOllilADO
'Nova lega de calcado
IMAOI'IMDIAS DOS SANTOS A C. acabaul d< abrir tim estabelecimento de caj-
eado esfingewdWrrtia No*a n. 30, onde o publico encontrar tudo o qOlBlte ge;
nero de commercio ha da melltor e de mais gosto em Pars e Londres.
Por todos- os vapores- transatlnticos recebetao elles constantemente remessas
calcado bovo, pelo que te*a sempre o eslabelecimento o que a respeito se pdeei
gir. Ao publico em geral e a seus amigos- em particular, pedem a cooperado,
Ihes powam disfensar, certas de que ser3o- sarvidos com lealdade.
cr 2 t c o
a, a.w ^S a
a o ^ a r;-
Z2V,'S!'I
B> a> ^ b _^ e
91
Aracaty e 8. Bernardo.
Arbtides de Paula Dias Martin?, aiivogado for-
mado, encarrega-se de oobrancas amigaveis ou
judieiaes, mediante commodo honorario, qner pa-
ra o termo do Bernardo das Russas, quer para
o desta cidade do Aracaty.
Urna pessoa que precisarerar-sc para tra-
tar de sua sade, pro isa do nina pessoa para to-
mar conta da taberna sita na Tanurinoira n. 4,
para a qual dever entrar de sucio com algum
capital; a taberna est bastante acreditada e faz
bom negocio.
o tesiamenteiru do fallecido subdito francoz
Joao Vignes, convida aos devedores do finado a
saldarem seus dbitos amigaveimente.do contrario
sero ajuizados sera cxccpcao alguma.
Ama
Precsa-se de urna ama para cozinhar para ra-
pazes solleros : na na da Lingoela n. 1.
jhigam-se
duas casas terreas sitas no Manguinho, a margem
do rio, recommendaveis pela via frrea : a trataj
na rua do Vigario n. i!
Precisa-se de nina para o servico interno e
externo de urna casa de familia, preferrado-se
escrava : na rua larjja do Rosario n. 16, por ci-
ma da nadara do Sr. Manoel Antonio de Jess.
Attenpao! Attencao!
O eageaho leuomnntlo d'.4gn
do Mr. Francisco loito Caruei-
ro Este engenho m'est hypotheeado e penhorado
para pagamento de herancas do minba mulher, as
quaes teem preferencia a toda e qualquer divida
ainda mesmo a bypothecas : estou alerta, pois, an-
da tenlio em lenibranca de que safras de 20:000
do dito engenho partUjram-se na razo de 3:0003 !
Sube depois de fcita a partilba. Tambem o dito
engenho nao pode ser vendido e nem arremata-
do judicialmente, sem que todos os legados
estejam cumpridos Parece-me que o juizo da vil-
la de Iguarass tem direito de pusnar pelos direi-
tos do testador Ilenrique Poppe Girao, lio de mi-
nha mulher e da do Sr. .bacharel; sendo as ni-
cas berdeiras da reminconcia da fazenda. O testa-
dor pedio emseu testamento que as suas berdei-
ras vellassem pelo cumprimento do testamento.
O dito engenho ainda est sugeito a mais de
10:000 para o acabamento da capella do meeroo
e calamentos de orgas e outras disposices
Pftem dezoi'.o annos que litigo com o Sr. ba-
charel Francisco Joao, para ver se posso reeeber
restos de herancas de minha mulher I I E agora
lenno de litigar por artigos de preferencia com
Brande credor, e me consta que alm de seu de-
ito cossionario de outros credores.
Paciencia. Muito confio na juslca do meu paiz,
que nao ha de permittir que as,disposicoes testa-
mentarias nao sejam eumpndas, e que minha mu-
lher e nieus lilbos pflrcam as suas neran^-as.
Recife, 11 de outubro de 1869.
arceWno Jone Lopes.
Ausentou se da casa de seu senhor o escra-
vo Joao, de idade 33 annos, magro c tem algu-
ma barba, levou camisa de algodo azul e calca do
mosmoou casemira escura j suja, chapeo de pa-
Iha ordinario, falla de pressa, o anda nesta cidade,
no pateo do Carmo ou Ribeira ; e recommendam
polica ou pessoa particular para prende-lo c
levar rua Direita n. 133, que ser recompen
sado.
srl
a rt
a "
c
II
" =
2 H. s 3 w ^ ST o "o es
aa>B.ci0
o ? o g- S r

O
II
53
P-
O
I
ce
O
mmm
n
'Si
3
og
O si

cu
ui
o c-3 3 B-

2.2.a rf.8
c?^ Sai-a
a c ~- o m
T3
g
5?
a> o>
2.
^3? =
o a>
a a

3
a a
^.S.2aa S
a c 3-si o
aa S ""
>3i:g =
o u u
CD ttJ 03
a ?--
b-n sj u ft a
*8
O
B
0
o
Ce
e-
o
?o
t
a>
o
t
ff
0

s
9
e
a*
e
c
B
s
c
-
p-
p-
o
^
s
p-
CD
CD
CD
t-
t=a
Noto gortimento de
calcado francez. i'ii-
va.s de pellica .Ponvu
flaaperfumarla, qnla-
quiiharia de phanfa-
sla e lino, e brlnqnc-
dos para meninos.
IVoro sorf Intento de
ealfado raueex. lu-
vas ile pellica rlonvin.
lina pcrninarla. quia
quilliaria de phaata-
sia e liixo, e brinqne-
dos para meninos.
AO ARMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ
N. 7RUA NOVAN. 7
Acaba de chegar este montado estabelecimento novo sortimento de bom cal-
cado p3ra homens, para senhoras, para meninos e meninas, escolbido oas mais im-
portantes e conhecidas fabricas premiadas de Paris, esquesita e fina perfumara de
Coudraye dePiverluvas de pellica de Jouvin, espelhos, leques. obras de ouro,
caixinhs de costura, e um sem numero destas e outras quinquilleras francezas de
muto gosto e phantasia, e a mais intereesante variedade de brinquedos francezes e alle-
m5es para entretimento de criancas; e de agora em diante continuam a ebegar remessas
por todos os navios e paquetes para o grande sortimento da festa, e tudo 2 presos re-
sumidos, por seremos sortimentos comprados na Europa eremettidosem direitura com
os raaiores abatimentos das fabricas, em attencao s repetidas encommendas.
AVISO
Quem qaizer alugar o segundo andar do sobra-
do n. 40 sito rua da Cadeia d Recife, o qual
est perieitamente pintado, fornido a papel e es-
teirado, tendo alem disto gaz, dirija-se ao escripto-
rio da companhia Pernambucana, no Forte do
Mattoi n. 12, que ahi achara com quem tratar.
"TfTEFglor-
Fugio no dia litf e agosto a escrava mulata por
nomo Anaslala, Tuta, gorda, barriguda, sgnal de
bechgas de tres mezes, falla do um dente na fren-
te, urna cicatriz sobro o olho direito, bracos gros-
so's o pamas, diz ser forra, de Santo Antio e
julga-se estar por essos lugares : pede-se s auto-
ridades e capitaes de campo, ou a quem a pren-
der, levar rua da Cadeia do Ilecife n. 1, ou
rua da Guia u. 29, que ser generosamente gra-
tificado. __________m
A' rua do Crespo n. 20 A, esquina da rua das Cruzes.
Alvaro Augusto d'Almeida & C. parlecipam ao respeitavel publico, e com es-
pecialidade s Exmas.'Sras. que o seu antigo e acreditado estabelecimen o rua do
Crespo n.20 A, de pequeo que era, acaba de ser transformado em urna bonita e vasta toja
de fazendas finas aonde pela sua localidade eampldo, o publico nao so lera toda as com-
modida escolhido sortimento de fazendas finas e grossas, o que tudo se vende por precos m-
dicos. .,
Este estabelecimento, apezar de estar j bastante conhecido, os seus propieta-
rios tem resolvido entitula'-lo por LOJA DOS ARGOS, para evitar equvocos, e torw-Io
por esta maneira ainda mais popular. Encontra-se nesta loja
Ricas cortes de blond e de soda branca para noivas.
Ditos de seda de cor e pretos.
Brochad de seda, fazenda inteiramentenova.
Foalard idem idem idem.
Laas de muito gosto^
Corles de cambraia e chita Mara Antoinelte.
Saias bordadas, camiznhas, espartilhos, balle?, basquinas, fichus, sombriaha.-
luvas de pellica, chapeos etc.
Ha tambem constantemente um completo sortimento de estetras da toara pan
forro de salas, assim como alcatifa, tapete, capachos e muitos outros artigos, qe sena por
demais mencionar.
..ATTENCAO
M
dia 9 do corrente o escravo crioulo
Elesbao, que representa 18 anno?, alto, magro,
Fugio n
sbao,
com urna beliide no olho
o escr
10?, a
direito, foi
Precisa-se de urna ama para casa de potrea fa-
milia : na rua da Cadeia n. 21, loja.
vestido de
do
Joaquim de Aaevedo Noves faz setenio ao
publico e com especalidade ao corpo commarcial, i-r "."0"F" 0 (a j."andar, ou na rua da Cruz
que tem justo e contralade a compra da fabrica Q 3(J em ^ de Anlollio Lopes Braga> a seu se-
Precisa-se de urna ama de leRe : na trvessa de charutos da rua estrena do Kosano n. ib, com u bem reconipensado.______
i arsenal de guerra n. 13. o Sr. Joaquim Vieira Coelho da Silva, hvre e de- ------L^^-----.----------- ------------------
sambaracada, tanto com a prtea como de hnpos- H-. /ynmTIll TPTPfl
^ e alaguis de ca'a at o da 11 do corren^ -"b vlUUla O.C1I
Precisa-se de urna engommadeira : no segundo
O abaixo assignado vemleu aos Srs. Ck-
monte Nunes Pacheco e Manoel da Rocha Pinto,
camisa e caica oe nscaao roeno^> attMMiaieiit de pm seceos e molha-
usado, um bisaco de couro de ovelln com correa dos sit0 a rua Nova 53 desu ddade, limo
desoa: pede-se aos sonhores capitaes de campo desmbaraeada de qualquer debito. Becife 9do
e poliem a captura do mesmo escravo ^leva-t ontul)ro J 1869 H 7
Manoel Goncalves de Barros.
Precisa-se de urna ama
Penha u. 12, andar.
Ama de ieite
de leite : no pateo da Aluga-se urna ama para coznhar : a tratar
ua rua da Cacimba n. 1, 3' andar.
andar do sobrado da rua Direita n. 82.
AMA
Na rua do Queimado n. 31, loja, precfca-se de
urna ama para cozinhar.
'RUA
IDO
CABUG
esquina
da rua larga do
Rosario.
AO ANNEL DE 01R0
LOJ^ DE JOIAS
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender.
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.
Garante-se ser tudo de lei. Compm-se ouro, prata e podras finas por prepos muito ele-
vados.
A loja est aberfca at as 9 hotas da noute.
RITA
EO
\
CABUG S
esquina
da rua larga do [ti
Rosario.


iario de Pernambuco Qfta ir 13 de iatubro de 1869
CARVAO DE QELLOC
PAR!
Ipprovado recommendado pela Academia imperial de medicina de Paria para a
cora da gastralgia e em geral de todas as doencas nn as do estomago e dos intestinos.
egualmente o remedio por excellencia contra a ivteneo de ventre. Finalmente em
raio de snas propriedades absorbentes, recommewiado como verdadero remedio dm
cazos de diarrhea e cholerina. nNW *e Belloe toma-se na occmo da* comidas
aob a forma de pos ou de pastilhas.
Dcpoto em Rto-JAHEitto, Duponchelle; Chevolot. Em tuxtumca. Mavrer C.
^USfi^ ~i'\it*9lrf *>

rcA^
Jlikroskope achroma-1 O\os.
tisehen. Objetiv Lto-.^^^ JO
sen.
Barometre e termo-
nietre. Centigrade
e reuuraeure.
Cansa admirado,
Mas n3o se pode duvidar;
No armazcm Independencia
E' onde se pode comprar.
FEIKRHKIM ,, ,
dorios deste importante e magnilico armazem de seceos e molhados sito a ra do Kangei
n. 3, Migando nao aceitaron concordata riguma com os secs collegas resolveram der
nominar o seu armazem INDEPENDENCIA-, assim como o seu fim nao seja illudt-
ao respeitavel publico deixara de annunciar. sem o que o mesmo o julgue e admire...
Mas como nos pontos da va frrea, j se tem discutido e apreciado a realeza e impos-
.sibilidade a ver ouein vende gneros 15o barato, e por esta razo que annnnciamos para
que todos tanto da praga como do matto acreditem o que neste asseveram e aqueiies
queainda nao nos tenham honrado com suas freguezias, podero dingir-seao mesmo,
cortos le que vero gravada a siuceridade e methodo de negociar muito franeo sem qua
aecesitein.'is de andar mcia noite pelos oites das matrizes figurando-nos por bous
demonios nem mesmo na frente da msica com o pend5o na mo feto balisa.
FERREIRA & IRMAO,
Ra do Rangel n. 3, armazem da Indepen-
dencia.
OCULOS PERISCPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
F. *. CSerinanD. recommenda so publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com estes, vidros, a vista descanca, fortifica-so e nao a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escolhido um vidro, pode durar dez annos, emqnanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de caneca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do o ho, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais loage, os raios que expelle s3o
mui convergentes ou mui divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer oonveigir muito de sorte que a visSo nao distincta.
Com a applicaco de meus vidros pde-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta o cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bera, de perto, e mal de
lone) o que se chama myope, por'ttfeio de um vidro concavo affasta-seo ponto de
vista, qne faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem melhor de longe que de perto, e nw enxergam seno
om nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
tao distinctamente como na idade de lo annos. Servindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F a. Cerniauo encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colhcr,'* primeira vista, seja qual for a iade egro de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros 7 7
NAO FOI PRECISO AGUA BEKTA
O demonio mutlou-se por sua livre e expontane toutade
VIVA0DIADES.BARTH0LOME
Agora ninguem presuma que foium dtmom'o qualquer, fot
Mas nlo sahio da Boa-Vista
CHEGQU-SE AT PARA MIIS PERTO DA MATRIZ
/Seu dominio est hoje assentado, onde foi botica,
ESQUINA DA BA DJ ARAGAO R. 32
YEMA1I VE-IiO
mr*
Como garboso se ostenta
Como lepido se mostra
E as diabruras que faz!!!
ANME DELSUC
CABELLE1REIR0
7 A Poia do Cmpo1. andar 7 A
ENCONTRARSE 1I.V sempre nesfo estabelecimento um variado e.boniio sorti-
mento em perfumadas francezas'e inglezas cuja li>ta drnoslos leitores. -
LUVAS Marca garantida de J0UV1N.
EXTRACTORDe superior qnalidade marcas LUBIN A GOSNELL.
DITOS TINOS.em frasquinhos proprios para presentes Lnbin d-Gosueil.
POMMADASBanha lina de varios cheirosLubin.Gosnelle, Sociel Hyginique
\RONETE^ finos para toiletteLubin & Monpelas.
3AU DENT1F\IC:.agua para Ilmpar dentesSociet Hyginique Lubin & D.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos s3o desigual.
Para a vista que se turva com o iraba-
Ibo e a leitura.
Para a vista pre8byta (\istagalon ).
Para a vista que nao 6upporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbylo.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Negra tranca no eolio lhe ondeia
Solta briza ao mago desdem ;
Deita a fronte n'um peito e conhece
c Quantas maguas o seio conten.
Esta linda e gentil creatura tambem _______
mrMSI%T.lME
Queijos, manteiga e caf,
Vinho, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
De Nantes boas sardinhas.
Tudo barato
Para agrada-,
Vetihara freguezes
Que hao de postar.
N. B. Brevemente ser annunciado o da, em que este importante armazem de me-
Ihados ter principio a pratica de certa diabrura.que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da ra do Queimado. Por ora venham os freguezes visitar o nosso es-
tabelecimento, comprar os nossos superieres gener. s por precos muito rasoaveis.
Manteiga ingleza flor a 1>3(H) por .*U0 Vinho bordeaux em caixa, 7>OO.
grammas
fierre.
BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabellosLubin.
AGUA DE COLOMIA.Marca verdadeira de Joo Marina Farica.
COSMTICO.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
HUILE DE SENTEUROleo para conservaco dos cabillosSociete Hyginique
ESCOVAS FINAS.para cabellos, dentes e unhas.
RLAIRE-4U Pincel para barba.
GIUNPOS.para cabellos.
REDES 1NVISIVE1S para cabellos.
GRAVATAS LINDISSIMAS.do melhor gosto.
liNi.U.AS.dpliantasia, para passeio e de diversos lamanhosetc, etc., etc.
A la narfumerie^ansienne.
7(A|RUA DO CRESPO ----- 1. ANDAR 7 A.
MMMwmmmmmm mm mmmmmmmmmm
JAS BOIJBAS CURADAS
u E
Todas as molestias sypliiliticas.
PELO
ELEXIR DO DR. SEVIAL
nico depurativo sem mercurio que tanta aceitac3o tem meieoido no Bra-
sil, as repblicas do sol e na Allemanlia especialmente para cura das boubas,
MT8W, rheumatismo, todas as molestias syphiliticas e em geral todas aquellas
proven! da empureza Jo sangue.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
- BE
Bartholomeu & C.
34Una Larga do UosarloS4
Sortimento de binculos
para theatro, e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, que do horas e para
cima do mesa dos4iiais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada. in^fees, suissos e orisntaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua govaN. 21.
Dita dita a 1)5200 idem.
Dita dita a i000 idem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a 100 rs. idem.
Cha lino superior a '&5Q0 idem.
Dito dito a 33200 idem.
Dito dito a 3)5000 idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf de caroco a 200, 2i0 e 280 rs.
idem.
Milho alpista a 240 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a 400 rs. idem.
Vellas estiarinas, masso 720.
Potes com sai refinado a 400.
Ervilhas franceza em manteiga, 900 rs.
a lata.
Eructas portuguezas em calda a 600 rs.
a lata.
Ditas s de pee* gos maiores a 500 rs. a
lata.
Tijolo para facas a 120 rs.
Chocolate espanhol a I #000 o masso.
Frascos com conserva a 900 rs.
Ditos dita do mustarda a 800 rs.
Latas com carne de porco a 800 rs.
Sardinhas ce Nantes em manteiga a 800
rs. a lata.
Copos finos para agua, duzia 4)5800.
Garrafas linas para meza, o par 5^000.
Cognac engarrafado a 800 rs.
Azeite francez engarrafado a 1 Presunto em barril a 480 rs. por 500
Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinhas de J: 1-5400.
Fosphoros de seguranca, Jiasso 500 n.
Banha de poreo a 720 por 500 grammas.
Vinho do reino, garrafa a 15000.
Charutos do Lima a 55 e 6f5 a caixa.
SabJo de massa a 240 rs. por 500 gram-
mas.
Latas comameixas a !,->, 1^500, 8tt
e 35500.
Ditas de manteiga a 2->80().
Ditas juliana a l por 500 grammas.
Frascos com maceas seccas a 2000.
Serveja de differentes marcas, duzia 6#.
Tapioca do Maranho a 2i0 rs. por 50
grammas.
Farello em sacca com 21 kilos por 5f.
Liguicas e paios a 800 rs. por 500 grad-
inas.
Gaz, Lta a 80500.
DUo em garrafa a 400 rs.
g|Latas de peixe a 800 rs.
Bolaxinhas beato Antonio a 1<5200 a lau.
Latas de p5o-de-l a 900 rs.
Biter em garrafas a 800 rs.
Licores finos corno coracol, amisade,
outras muitas martas a 1,5000 rs.
Estrilinhas para sopa a 800 rs. por 500
grammas.
Marrasquino de zeroa I5 a garrafa.
Massa de tomate a 720 porSOOgram-
(MEIT.UI.L DOS Al W
16RA 04 CRUZ16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
calda, etc.
Intumbe-se de encommenas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
samentes, a saber:
Pecas de nougat. Paes-de-lot enfeitados.
Ditas de po-de-iot. Bollos idem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crme e carne.
Bandeja cora armaco de assucar. Empadas.
FLOR' M BOA-VISTA
M)JV
DE O
Spadlo ferhardes de I. GIMARAES
-^ SOB A DIRECCO DO MUITO HBIL ABTISTA ^>
fe ALFAIATE PEDRO I
Nesta officina enconlraro os respedaveis freguezes um dos primeiros artis-
tas este j bem conhecido (com grande especialidade em fardas), por muitas pessoas
gradas desta cint. f_i
O mesmo estabelecimento se acha munido de um completo sortimento de
fazendas, do que ha de melhor no mercado, proprias da oficina.
O graode sortimento de roupas feta que tem, vende e manda fazer menos
20 por cento de que em outra qualquer parte <' dmheiro).
48 RA DA IMPERATRIZ 48
Junto a padaria franceza.
~ fJSWIEIBA E MODISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de partecipar ao respeitavel publico e ni particular seus fregue-
zes, que, pelas relaces que acaba de encetar com algumascostareirase modistas das mais
afamadas de Paris, que todos os mezes lhe mandam figulinos, de vestidos, man-
teletes e chapeos que esilo no maior gosto e mais modernos, se acha habilita-
da para fazer vestidos para pieseio e visitas, bailes e casamentas. As senhoras que
ahonweiaQiaasuafregufizia nao pela barateza dos precos e promptidSo na entwga das eacdmnendas ; tambem tem bo-
nitos emVitesmnito modernos de todtSM'jws. Pazem-se chapeos de todas as qualidades
tanto da rf^ como de palha.
mas.
Os propietarios garantem tudo quanto cima est especificado, adverte a torios
que nao conhecem o peso de 500 grammas, mais de urna libra, e se evplicar queltes
que no entendem.
HOTEL CENTRAL
RESTAURAN! A LA CARIE
DE
Franciseo Garrido
Entrada geral ra larga eslreita do Rosario n. 4 A.
Este vasto 6 acreditado estabelecimento sem duvida o que offerece maiores
vantagens nao s em pregos mdicos como por se tornar o mais prximo possivcl im
estac5o dos caminhos de ferro e ser beira mar do caes Vinte e Dous de Novembro. que
tambem se presta ao embarque e desembarque dos passageiros que vem de outras pro-
vincias e da Europa, e que preferirem essa accommodaco menos despendiosa nos trans-
portes da bagagem.
Os hospedes adiarlo todas commodidade em grandes salas e asseiados quartos.
a sala oara leilnra de jornaes nacionaes u eslrangeiros; na mesina ha wn
magniflio piano para recreio.
Ha urna outra sala para jantares particulares.
Come-so a mesa redonda a la carie e manda-se domicilios.
Os vinhos mais finos do mercado acham-se no estabelecimento.
A' noite ha s>rvete o refrescos, cafe, cfi o chocolate a toda a hora. Tem mag-
nficos, buhares do mogno para divertimento.
Patla-ee hesp nhol, francez, italiano c inglez.
Companhia indemni-
sadora.
Era campriiiiont-) do artigo 19 do* estatutos da
mesraa companhi-. sorao vendidas ;I0 de suas ac-
oes, em dous lotes, scudo um de 20, dos ns. 831 a
850, e oulro da 10. do ns. 791 a ^00 Os preten-
(lenles polem dirigir as suas propostas por inter-
medio de oarrMnrm perw at o dia 45 doeorren-
te, no eseriptorioda compauhia. ra do Vigario n.
4. Recife 6 do outubro de 1869.
Os directores,
Joao da Silva Regadas.
Francisco Joo de Barros.
Antouk) Jos Leal Reis.
Preciso-se alugar um ou dous escravus, pa-
ga-e bom aluguel : queui t ver pode ir tratar
no paleo do Terco n. li).____________
Sabao de alcatro
Para arar a molestia*! da pelle
taes como empiogens, darthros, sarns, eomichSes
e mais molestias do prlfe, sem occasionar acciden-
tes desaz as manchas do corpo, pannos, santas,
restablece a cAr natural, quanto a cntis. secca,
crossa e amareHenta, occasionando por alguma
enfermidade, e como desinfectante e preventivo
das molestias contagiosas.
NICO DEPOSITO
Botica do Pinto, na larga do Rosario n. 10, juhIo
oqu.irlel de polica.
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
nheiro *re pethoros de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual for a quantia ; e na mesma
casa se compra c vende otijectos de oaro e prata,
e igualmente so faz toda e qualquer obra de en
comraeiida, e todo o qualquer concert tendente
mesma arte.
A Exroa. Sra. i^Luiza Mari Tavares da
Silva, digne-se mandar traressa da Madre da
Dos, armazem n. 17, procurar urna carta viride
do Rio do Janeiro pelo vapor Paran, pois quo
procurando-se entrega-la pessoalmente, segunda
oinderesso da mesma, nello nao a mesma
Exma. Sra. residente.
Ama.
EPrecisa s de urna ama para casa de liomcRv
s ,ttfc>ro : n ""atar na ra da Florentina n. 4. ^^
Aluga-se
o 2 andar c soto do. sobrado da roa da Oadota do
Recife n. 00, com bstanles commodos c inoHo-
fresco: a tratar no armazem da Xposicao de
Londres.
A pe>soa que tirer de faier quahjner negn-
cio com a taberna da Tamarimira n. 4, nao o de-
ver fazer sem que primeira se entenda com Ma-
noel Marques de Lomos, na taberna da Cruz, de
Almas n. 8,
Precisa-se de um caixeiro que lenua pratica
do padaria ou mesmo taberna : a tratar no pata
do Terco n. 63.
ALUGA-SE
o 1 andar do sobrado sito no caes do Bnmi o.
7o, com commodo bstanlo para grande familia :
a tratar com Luiz L. los Guimaraes Qeixoto,, ru*
larga do Rosario n. 34, botica.
Alugam-se duas casas em Beberibe, no oufto
da Madelra, beira do rio, com 2 salas, i par-
tos, cozinna fra : a tratar na ra Direita n. te.
- Antonio Mana de Miranda Seve faz publico
que dissolveu nojalljm" do s lembro prximo
sado a sociedadequo linhacum na loja de <-hapos ra da Oadwa n. 53, que gy-
rava om nomo de Miranda Sovo t C, tcando
cargo do temo Miranda Sove todo o aclivoe
Ipassivo.
Cozinheiro
Preeisa-se de un coziolieiro de boa coadiKta :
para informac^ies, na ra da Cruz n. tS.
Aluga-se urna escrava : a tratar na rita to
Queimado n. 61.
Uina pessoa habilitada em concertar nut
as de coser, se offerece a quera quizer so tilj-
sar de seus servidos dirija-se a ra daConcn
n. 32, que achara com quem tratar.______
Manoel Pereira de Azevedo retra-e para
Europa._______________
Jos Goncalves de Azevedo, subdito poi
guez, vai a Europa, e deixa por aoas procurad
para tratar de seus negocios os Srs. Oveira,
raada A C
Precisa-se de ura criado : na ra de Aj
verdos n. 15, taberna.
Em casa de THEODOKOJ
AN3EN, ra da Cruz
effectivamente todas as qt
Bordeaux, Bourgogne e do j
i. 18,
IR?.
!
i


Diario de Permunbueo' ~- Quarta foira 13 de Outubro de 1869.
\
i ESMERALDA
III\ DE J0I4S
DE
&c
Grande ariuazeui de Duendas e roupas feilas na da Imperalriz
n. 52, porla larga, de Paredes Porto.
Neste eslabelccimeolo encontrar o res-peitavel publico um bonito sortimento
ie roupas do tedas as qualidades, palitots de alpaca a 3, 3500 at j>. Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 5$, 6$, 8-J e 10$, de panno preto
>acos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo tinos e ordinarios. Ditos de. alpaca branca
i de cores tic 30500 a 54000. Calcas de brim de cor Anas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
ilo cor e preta de $, 5J, 6$ a 155. Colletes.de todas as qualidades e preco inuito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodo e de linta) de 2$ at fia
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodao, de lioho e bramante a 2$ e 21500.
Gravatas (manas) novissimo gosto a todos os precos. Meias sortimento completo a 30.
irJ at 7(5 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de qoaesquer obras de eocommenda tanlo para borneen, como
wa meninos, c com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
odas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras umitas fa-
cendas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a l.->600 o metro.
Cambraias de cor e branca. "
Alpacas de todas as cores a 040 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista da seda fazenda de gosto a 10200.
Hasquines de guipare onfeitadas a 18,->000.
Sortimento de cliitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolio fino a G500, 7rJ, 8 e 9000.
Algodo peca com 20 jardas n 40500, 30500 e 60000.
Pe<;a de algodao largo a 70500.
E outras militas fazendas que ser enfadonlio mencionar Cneguem ronpa
leita que se est liquidando na loja ra dalmperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
AVISO
Prtsisa-se do una pessoa que cailtt trab.ilhar
em velas de cora d carnauba : a "tratar na ra
Velha n. 74.
Aiuga-se
o primoiro andar do sobrado do largo do Corpo
Santo n. 83, tend i ('ominados so ente para rapaz
solteiro ou para escritorio: a tratar no raesmo.
ftTNDAS.
Este autigo estabeleciment, completa-
mente reformado le novo, est, as condi-
Qoes de servir vantajosaraente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, cujos prepos sao os
mais mdicos, que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
"batp
N, 5 RA DO C4BEGA \ 5
LEIO OH P0BT1 URG
tt I '
Paredes Porto.
Superiores sedas de cor e listras a 15G00 o covado.
Lindas poupelmas de laa. com grande vuriedade de cures escaras e claras a
560 rs. o covado.
Pecas de musselina branca com salpicos e com sete metros cada peca, pelo ba-
itissimo preco de 45000 a peca : na loja das Colnmnas, ra do Crespo n. 13, de
Vntonio Correa de Vasconcellos A- C.
LOJA
ALGODAO
DAS MACHINAS
Carlos Antonio da Costa Carvalho desoja
fallar com o Sr. Jos Dahia da Coala Carvalho a
negocio de seu inierosae sobre urna heranca : na
praca do Corpo Santo n- 6. _______
Aluga-se
para baaos do mar, urna casa junto a igreja de
8. Pedro; a tratar na coeheira de carros tune-
bres, na ra do Imperador.
Ama de leifce.
Prcei>a-se de urna ama que lonha bnm loite,
para crear ume enanca de um mez, paga-sebem.
na ra Dercita n. S\,"sobrado.
al-:
multo conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
CACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos os tamanhos para descansar,
godae- do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
AIACH1XAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 ern arroba
de algodao.
MACHINAS de faco do fabricante Platt B. & C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as memores que tero
/indo ao mercado ; e para a sua apreciaco convidam-se os senhores agricultores *
rom a expsito das mesmas na ra da Cadea do Recife n. 56 A, loja do Bastos, o&de
v.ncontraro mais o seguinte:
Para festa.
Aluga-se uiu sobrado de um andar na ra do
Amparo n. 22, em Olinda ; para ver, podem pedir
a chave na taberna do Sr. Guilherme, junto do
mesmo sobrado, e para tratar, na pra<;a da Inde-
pendencia, loja de calcado ns. 37 e 39.
EMPRESTINIO SOBRE!
ra
Debulhadores para miiho.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de mo.
Machinas para cortar japim.
Cannos de chumbo.
Bombas.de Japy.
Ditas americanas.
Telias de ierro galvanisadas.
":as de zinco finas.
Ditas de cobre e lati,
ferro de todas as qualidades.
utos de ferro.
Folha de Fandres.
fachados americanos.
Faees ditos.
Bdlaios e cestas de verguiuha.
Vassouras americanas.
folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros arg
diversidada seria enfadonho ennumera-los.
Follia de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes demadeira ditos.
Ternos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refinacoes.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
oepertencentes lavoura e artes, que pela
(SEM LIMITE.)
Na Iravessa da
das (xwm n, %
Diciro andar, da-se qttal-
quer quantia sobre oro,
prata e yedras preciosas.
O dono deste estabeleciment,
competentemente auterisado pelo
governo, est as condices de ga-
rantir a transaccSo que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e considerarlo s pessoas que se
dignaren de honra-lo em sen esta-
beleciment.
Na raesma casa compra-se ouro.,
prata e brilhantes.
ColleiTo
de
varios regulamentos de impostos alte-
rados e creados
pela lei n. 1507 de 26 de setembro de
1867, comprehendendo
09 de pusoal, escravos, industrias e profisses,
sello i organisado alphabetieamente, explicando
cada acto a que sello est sujeito so se deve em-
pregar estampilha ou verba, no primeiro caso
quera deve ir.uiisa-la), transmisora de proprie-
dade, dizima de etiaacemiift, em ilumentos, mul-
tas applieadas fazenda publica etc. etc., e em
appendice o do cofro de depsitos
piibiicos
notadas com as
institui<;oes e decisoi-s posteriores
ate a presente publicaco
por
Francisco Augusto dij Atmeida
Io escripturario
da
recebedoria de Pernambaco :
acha-se no prelo e breve a ser publicado ; as-
signa-se na ra estreita do Rosario n. \i. por 3
o volume ; depois de publicado costar i pira
iiuein nao assignar. 1'orna-se de grande utifd-
de aos Srs. advogados, solicitadores^ neRocianUss
e funcionarios pblicos, a acquisicao desle tra-
balho.
' k *
A' P f .
I A sociedade benelicente Kcstura?ao Pernam-
bucaua convida aos amigos o parentes do finad
FrcAcueo de frutli Ahiujo e Almeida, para que
se dignan de assistir urna missa que manda cele-
brar pela alma de seu sempre chorado e presado
socio, no convento do Carino, s 7 horas da roa-
nba do dia I i do orrente mez, anniversario de
seu pissament.
F S. de Farias Jnior,
Secreta rio.interino.
fB9HHaaBHnsBHHnanp
COZINHEIRA.
Preca-se alagar urna oscrav* qae seja boa co-
zinheira : na ra do Crespo n. 23.
.Na cocheira da ra das Flores n. 3, alugaro-*
bons carros de passeio s pessoas que tivwem de
ir assistir a festa de Santo Cosme fiaroiio, em
Iguarasf, domingo, 17 do eorrente. Cada pessoa
pagar pela ida vorta 4IJ080, levando cada car-
ro qnatr pessoas: quem preteader dirija-s quin-
to antes a mencionada cocheira para tratar
a ra de Hortas n. i,
ama para cozintur e comprar
precisa-se de urna
Com muito maior vantagetn compram-se
moldas de ouro e prata : na.loja de joias do Cc-
racode Ouro u. 2 D.rna do Cabug.
O
EO DE JOIAS
rS5
rYZ


GOMES DE IBATTOS IRNlAOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabeleciment de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a compareceris, pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
^SW DO CABUG H. 4
ondencontrar&o um "completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins -e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garaatenxl
a qualidade dos objectos vendidos.
C/2
0 MUSEO DE JOIAS
Ouro e pj'att
Compram-se moedas de ouro e prata de todas
as qualidades, por oom preco : na rija da Cadeia
do Kecifo n. 58, loja do azulejo.
O abaixo assigaado declara que sua mi O.
Sebastiana Mana Isabel de Jess deixoo de ter
negocio, e que a taberna da raa dos Qaatro Can-
tos n. 12 Ihe p,>rtence, o que faz publico para evi-
tar futuras duvidas. Cidado d-; diada II de on-
Ubro de 18(59.
los Manoel dos Santos.
Vernizes.
Vendo-so no escriptorio de Joaquim Gerardo do
Bastos, na do Vigario n. IG, primoiro andar, os
tegutates veriiizi's em l.ii.is de 6 e 9 libras, do
aeraditado fabricante do l'ar, Caetano Antonio
dos Sanios Lisboa :
Verniz co|>aI escuro.
Dite dito claro.
Dito dito escuro propri para obras de folha do
Fandres.
Dito cor de ouro ou douradilho.
Temporal na Honanra
E pleto sortimento de agulhas curtas e compridas.
as melfiores que t:m vindo ao mercado; as agu-
lhas tcm o disiinetivo do TEMPORAL.
Previne-se a (odas as familias que (piando man-
darem comprar estas especiaos agulbas que vejam
no papel o distinrtivo do TEMPOIIAL.
Faco Bita observacio para que as familias nao
sejam engmndas pclw meas eollegM ipresentan-
do omras sgulhas o dizuiidn que sao as qoe eu
annnncio.
S onde ha estas agulbas na
LOJA DA BONANCA N. 63
preco de cada papel ItXl rs.
Vendeui-se diversos escravos pecas, prnprias
para arinazem ou engenho, viudos ilo' Cara, as-
sim como alguinasescravas rom l^bilidndes e sean
ellas : na ra da Cruz n. 55,3o andar.
Alagarse
urna casa cm Oliuda, na ladeira da S n. 3 : a
tratar na ra da Cadeia .o. 37-
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. compra-se ouro, prata
e pedias preciosas por precos mais vantajosos do
que em outra qualquer parte.
Compram-se medas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata em obras inutilisad&s,
brilhantes e ma madras preciosas : na loja de
ourives do arco da Conceicao, do eife.
MM B VHDH-SR
Compram-se e vendemse diariamente para fra
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios: no
tarceiro andar da sobrado n. 36, rua das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio.
o \\m m MID.IDES
Nova loja de miudezas
Meaos 50 % do que em outra
qualquer parte J,
llcnriqne de Sa Leitao partecipa ao rcspeilave
publico, com esjnrialdade ao sexo amavcl, que
tem aborto ra ;la Impcratriz n. 36 um grande
e importantH estaludecimento de miudezas com o
titulo deVAPOR DAS XOVIDADES-onde o pu-
blico cm geral encontrar constantemente um
completo sorliineuto de ludo quanto ha de mais
moderno e de mais gosto nos prBCipaes pal-
ies da Europa, tendo para este fim um vapor es-
pecial com o titulo cima indicado.
O proprictario adiando ranilo enfadonho, ou an-
tes por assim dizer quasi que impossivel mencio-
nar peK.s seus Humes e pregos os objeclosde gosto
existentes em seu eslabelecimcnlo, por isso con-
tenta-se apenas cm mencionar aquellos juc julga
maLs recommendaveis nao s pela sua belleza e
elegancia como tambem pelos presos que sao ven-
didos, deixando os outros que cstao expostos em
seu estabeleciment para seren admirados pelos
proprios compradores.
Vejam o que bom :
Lindsimas camisinhas bordadas o enfeitadas
com lindos c elegantes enfeiles, proprios para as
Minoras de bom tom : vende-se por precos muitos
commodos.
Lindos coques a imitaco de cabellos que em
outra qualquer parte veudetn por 3500, vende-e
por 2,000.
Gueiur branen e preto com lindos e delicados
padroes, a Uoo, iOOO, 24300, 3000 o M0X)
o metro.
Loques dealla novidadeem Paris, sendo de nsso,
osso e seda, saudalo e seda s, e outros salpicados
de lantijuila-, ditos de madreporola e seda o mais
elegante e moderno possivol, ditos de madeira,
sendo lieos, arrendados, e outros guarnecidos com
ricas palmas; ditos brancos com llores douradas,
ditos do osso e seda, ditos brancos e proprios para
noivas; tudo por precos to diminutos que s o
freguez vendo a qualidade e elegancia poder dar
crdito.
Verdadeiras meias fio da Escossia para senho-
ras. sendo lisas, bordadas e arrendadas, o melhor.
que possive) baver para sapatinhos razos ; por
pre^is commodos.
Ditas cruas tambem para senhoras, fazenda
mnito tina.
Ditas o da Escossia com listas de cores, para
homeus.
Verdadeiras meias inglezas oara homens, fazen-
da muito lina ; a 8 o 10* a duzia.
Picas chapeliiias para senhoras, chegadas recen
teniente o guarnecidas de ricos e elegantes enfei-
les de setim e llores linissiinas.
Lindos lencos de carabraia de linho, bordados
agnlha ; pelo baratissimo prego de 14500 e 200.
Ditos de cambraia tambem bordados a 800 rs.
Lindos cachos de flores francezas o mais moder-
no possivel e de melhor gosto, sendo : ros?, bo-
tes sollos e botoes em cachos de lindas cores,
pelo baratissimo prego de 15500 o cacho.
Fitas largas proprias para cintos da ultima
moda, de omito luidas cores e por precos muitos
baratos.
Completo sortimento de ricos e elegantes enfei-
les de seda o mais moderno possivel ; como sejam
Escossezes e de otitras qualidades, esto constan-
temente a venda ra da Imperatriz n. 36, onde
as Exmas. senhoras poderao escolher a vontade
ou mandarem buscar as amostras, sendo tudo o
mais barato possirei.
Lindas boneerinhas de louca pelo baratissimo
proco de 140.
Grande sortimento de escolhidas las proprias
para bordados, a 7 a libra.
Latas com superior banha francoza a 160.
Fitas de velludo pretas a 1* a peca.
Gollinhas bordadas a agulha a 240.
Agulhas para crochet a 160.
Lindos boies de setim para eafeites de vestidos
de lodas as cores, a 400 rs. a duzia.
Grande quanlidade ilo Gnissimos calungas que
se vendem com grande abatimento.
Alm dos objectos cima indicados existem mui-
tos outros que s a presenga dos freguezes pode-
rio avahar a differenca dos pkcos e da qualidade
que faz dos de ouli a qualquer parle.
O propriclario convida a todas as pessoas era
geral a visitarem o seu estabeleciment o qnal se
acba aborto deuda as 6 horas da manbaa at as 9
da noite, eerto de que as ditas pessoas encontra-
rlo no proprietario c as mais pessoas do estabe-
lecimerito o maior agrado e sinceridade era todo e
qualquer negocio.
Loja do Vapor das unidades
lt ua da Imperatriz u. 36.
A VERDADE
55Ruado Queimado55
A VERDADE tendo em deposito grapd*
quanlidade demiudezase pcrfnrnria?,WS^
sejando apurar dinheiro u dquerir b guezia est issolvidj. a velder nuilissinio
barato, ; por essa razo convida ao reapei-
tavcl publico a vir competonlertnte muni-
do a sortir-se do borne barato. Pois quan
do a verdade appaiece, tudo maib fes-
apparece-----
Grande sortimento de. bonecos de cera e
inassa as mais lindas possi-eis vestidas a ca-
rcter.
Hicosglobosparacandieiro de gasa
Charniis a.......
Grande sortimento de objelos de
louca para brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida vei dadeira a
Dita com dita dita a .
l-'iascocomoleodebabosn a fi(J e
Dito co"m agua de Colonia a 300 e
Garrafa com aguadivin.i a. .
Fiasco com extractos Dos a .
Latas pequeas tom banln inulto
lina a 12o e......
Sbemeles de diversas qual adS a
80, ICO, 210 o......
Finas eseavas para denles de 120 a
Lindos coques modernos n. .
l'avios para gaz, dazi.i a 2H e .
Escovas para faci a 5 0, 000 e
Ditas para cabello a.....
Penles para tirar piolho a ICO e.
Brincos de cores, bonitos a 100 e
Pecas de tranca de laa com 8
varas por.......
Oleo para maebina de costura,
frasco a....... .
Pennas d"at;o linas caixas a 800 e
ila d'aco Perry, caixa a. .
Galio de algodo peca ....
Lindos babadinlios e enti enieios
peca de 500 a......
Boies de madreperola, groza a
Ditos de louca mudo lino a 120 e
Dilos para calca a-160 e. .
Caixa com papel amizade a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa com agulbas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costuia a 240 e
Caixa com linba de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bia) a........
Carreteis de linba Alexandre de 70
at 200........
Grampos muito linos com pasea-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2>200 e .
Papel almaco e de peso, resma a
33400, 3(J500 e .
Lia muio Bita para bordar, libra
Fita de algodo para debrtim de
sapatos, pera a.....
Ditas de la para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Dilos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Caivetes grandes com moda a .
Ditos para aparar penna a .
Caribes com cohetes a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de la decaracol peca a 40 c
Fila de coz peca a 480 e .
Alfinetes de lato a.....
Sapatos de la para menino u240e
Ligas paia senhora, par a. .
Grvala de sedas de cores a .
Calcadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das lllias.
Um par de suspensorio de borracha por
100 ris I!!! II!
Xa Verdade ra do fcsicKiatf;:
a. 55.
i m
330
10C
806
11800
1*0 i
720
00
1 flBQO
1*000
OO
m>
60f
2S00
ne
700
5ce
240
200
80
000
! mL
Ii5'i(!0
4(0
1^500
(;o
100
240
700
480
40
280
100
BOO
280
S00
100
3^000
14600
.'<;
m\
m
goo-
321
l(M
40
100
100
560
100
80(
100
200
80
Estrada de ferro do
Recife Olinda.
Compram-se (tormentos de madeiras das quali-
dades segumtes : akwpira, otieica, araarello, ce-
dro e pinho areosaudo, e outras madeiras de du-
racao para o chao, tendo as dimeocSes de 10 pal-
mos de comprimento, 7 1|2 a 8 1|2 pollegadas de
largura e 3 t|2 a 4 pollegadas de grossura. Gon-
trata-se. qualquer porco de 160 para cima, de-
vendo os concorrentes apresentarem as suas pro-
postas aleo dia 2ftdo outubro crranle, o meio
dia.no armazmi da eempaati ^uMa a ponte de
Santa Isabel dsveBdo lodos se aeharem presen-
tes a hora e lugar, iadieaUos para verem abrir
suas propostas.
O superintemiente,
_____________________Aadr de-Abren Porto.
Compra-se um escravo canoeiro, sem vieios
nen achaques : na -imesa -da matru de Santo
Antonio n. 4, sobrado.
Compra-se
dous earros,e a|nmdofa paail tnia c Atas sarro-
Cas de aterro, grandes : no eseriptori nliia Pennaxpt>q.w>na.

moa crnica propriapwa car-
da Boa-vk^, battea n. 6, te,
Taberna
Vende-se a taberna da ra Imperial n. 216 com
poneos fundo? e- propria para um principiante, por
estar bein afreguezada; a tratar na mesma taber-
na cima.
Vende-se a taberna Flor da Palmeira : na
ra da Palma n. 37.
Vende-se urna bonita mnlata pega de 18 mi-
nos propria para urna mucainba, lava, cosinha a
cose bein; na ra de Hortas n. 97. Na mesma
casa ha outros para vender-se.
Vemb -se
a taberua da ra Imperial n. 19o, bem afregne-
r.ada tanto nesta p*aca como para o mato : a tra-
tar na ra Imperial n. 213. ____________
Vende-se unta casa terrea na ra da Concei-
$o n. 19 : a tratar na ra da Aurora n. 132 A,
com o agente Euzebio.
E' de importancia!!!
O aviso que faz o Campos da ra o>-
Imperador n. 2$, pois s tile pode furne-
cer aos amadores da boa fumaca os cha-
rutos que to ansiosamente erara espera-
dos de Costa 4 Irmos, e sao elles das se
guintes marcas: exposico Normas impn-
riaes e Havanc-iros. A elles antes que st
acabem.
0 Campos
Tambem tem em seu estabelccimerito.
alm de muitos outros gneros anto para
mesa, como para despensa, o seguiute :
Camares seceos do Maranlio.
O vordadeiro caf de Moka,
Fumo picado do Daniel de S. Joo ro
Rio-Novo.
Termos de medidas para seceos, segun-
do o psdro francez, (mtrico-decimal).
ASSIM COMO.
As tabellas que mais aceitaeo tem merecido
das casas de commercio em grosso a a Te-
talbo, smente pea fcil comprebeusio t
commodo preco, s no
Armazem do Campos
Mo mais cabellos bra^?,
A tintura japoneza para tingir os cabello*
da cabera e da barba, foi a nica admiiuib'
a Ezposifo Universal, por ler sido rc< <
nhecida superior todas as preparaces ats
hoje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1#000 cada frasco na
Rna da Cada n. 51,
1. andar.
i
Resta venda um escolhido sortimento de rh
jectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
rand.mognoeamacello, obra nacional eeslan
geira, de apurado gosto e por pre^o. razoav,
oa roa estreita do Rosario n. 32. Nesta mesio;.
casa fazem-se com porfeico todos os trabalho
palhinha, como sejam, erapalhatnentos de lastr*
para camas, cadeiras e sophs.
Novo systema de pesos
e medidas.
KXPI IC %<, AO AO POVO
Preco 400 rs.
A venda no Razar Acadmico, ra da Impera-
triz n. 13, Raa Nova n. 9 e 39, tojas ; ra do Im-
perador, livraiiaacadmica e* encardenaco Pari-
slense; roa do Crespo, loja do Gallo Vigilante;
ra do Queituac1 uia Bra
Vendem-sc libras sterlinas : no escripter.
Leal Res, ra da Cadeia n, 49.
Para cabriolet.
Vende-so um magnifico avallo r
na ra da Soledad.' n 31.
Vfmde-se a
a casa n. t".
fundo
tteflC&o.
i do Ppinfi'16 jffilhr
!


6
Diario de Peuiambuco Quarta ta,!3 ^ Outubio. de 1869.
>
LIQIJID
0 proprictio d armazem de fazendas ilcnominndo ARARA, ra dn Impe
tria n. 1i, declara ao respeitavel publico eseus fivgnezcs, que est liquidando lodas
fazendas e roanas feitas que tom cm seti estabeli'rimenlo como se poder ver. no s
ipas tenas qu
a..Tuacio c preco abaixo mencionados,
Chitas fra acezas mss izadas
3 SO rs.
Vende-se chitas francezas escuras matiza- 'tenses o toninas, OO rs. metro,"dito
das a 320 rs.o covado por este preco sna lrai',(.;]0 a 10, metro.
Algjodfao enfestado a OO rs.
Vende-se algodao enfestado proprio para
loja da Arara, ra da imperatriz o. 72.
L.UZINHASA 210 AS.
Vende-se ISazinhas para vestidos de se-
n'iora a 240, 280, 320 o 100 rs. o co-
BiREGES Di' LAA A 300 RS.
Vend-se baregoide la com listras para
v atiri* de senhora a 500 e 010 rs.o
covado.
Alpacas de Sidras a 5O0 rs.
Vende-se alpacas d.; listras para vesti-
d ,< de senhora a 500 rs. o covado.
CUITAS FRANCEZAS A 280/US.
Vende-se cbitas francesas claras a 280 rs.
0 covado.
CORTES DE LA PARV. VESTIDOS A
20160.
Vende se cortes d; la.i para vestidos de
s -.inoras a 20400 cada un,
PERCALES A iifl RS.O COVADO.
Vende-se percales milito linos para ves-
t ios de senhora a 440 rs. o covado, mur-
s unas brancas finas, a 500 rs. o covado,
brillantinas de cores, a 4 40 rs. o covado.
Blcs moderaos de todas as
cores.
Vendes 'haloes moderno sbranco ede c-
resa.44, WSOOe50.
1 BBRTORES DE ADCODO A 14800.
Vende-se cobertores de algodao a 10500,
c bertas de chitas a 15600 e 25 cada urna,
RANGAS PARA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do. brim de cues para calcas de hamem e
memnoa a 100 rs.- o covado, casemiras de
corea para calca o-palitots a 20500 e 35,
o covado, meias sorafras enfiestadas para
calcase palitota a M o covado, brim pardo
i!" todas as qualidades-e brim branco de
todas as qualidades na ra da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 40 rs.
Vndese alpacas de cores lizas unas a
GO rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLO ENFESTADO A 30500.
Vende-se pocas do madapolo enfestado
a 35300, pecas de madapolo inglez de 24
, rdas a 80, GiSiOO, 7 S-jt e 10:5 a peca.
Chales de merls 3.
Vende-se diales de merino estampados
a 25, chales brancos e-de cores a i5000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 6i0 RS.
Vtde-sc urna grande porco de cortes
de brim castor para calca de liomem, a 640
rs. cada um.
Grande porea de retalhos
Vende-se grande porco de retalhos de
ebilas e cas-as pretas a lo c 200 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, la e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDA* A ROUPA FEITA
Vende-se patots de brim do cores a 2,
ditos de lpicas de cores a25, dios de
meia casemira a 25"e 25300. ditos de pan-
no prcto Dora a 85 e 105, caigas do algo-
dao azul para escravos aCiO rs. ditas de
algodao de listras a 800 e 15, camisas de
riscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de brim o fuslo de cores a 15 e 15300,
coleles de cesemira decores a 25300 e 35,
e outras limitas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratssimo preco.
Algodao de listras a 800 rs.
o covado
Vende-sc algodao de listras para roopa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGOD.vO A 4.
Tendom-se pecas do algodao -45000,
35200, G>OOOo75, para liquidar.
Ralocs de arcos a 1S..
Vende-se bales de arcos pan senhoras
pelo baratissimo preco de 15500 cada ora,
Cortes de cmbrala barras
a 3.%3>00.
Vende-se corles de cambraias barrsa'a
25 e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 040 RS.
Vende-se lencos de Seda a 640 rs. eada
um, para liquidar-
CARTE1RA PARA VIAGEM A 1*.
Vende-se carteiras para viagem i&
t:\iasa o>, opiuu, /?, o? e w,? a ycv<. cada urna.
Assim como vende-se chitas para cobertas, a 240, 280 e 320 rs. o covado,
e : is antes que se acabem todas mais fazendas e roupas feitas, o qoo pelo preco que
vai vender ou liquidar, poucos das poder dorar, e qnem se quizer sortr de fazendas
e roupas feitas para a festa pelo preco que Iho agradar, so poder dirigir a ra da
Imperatriz armawml da ARARA, que estar aberto todos os das
11-RUA DO QUllfADO--ll
Chesaram da Europa pelo'ultimo vapor loja de Augusto Porto A C. ricos
cortes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos propnos.para bailes e casa-
mentos. .' .
Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas de lindas cores,
gorgnrao de seda preta, e grosdenaple dq varias qualidades e gorguro de seda 13a de
diflerentcs cores. .,
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas colxas do seda para camas,
ditas de laa o seda, cortinados bordados para camas e jaoellas, fronhas e toalhas de
carabraia de linho bordadas.
Lnvas novas do Jouvin.e elegantes sombrinhas de s las de cOr para seniioras.
Esparlilhos de 50 at 05, lindos bournous de cachemira de cor para saluda
de baile, basqninos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Soitimento de rauitas fazendas de la, linho e algodao todas por precos muito
mdico. ,..
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar saloes tudo em qoantidade; o vendem sempre>r menos que em otitra qualquer
paite.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
Este admirayel
I Depurativo ikiu
conten cm nier-
feorio, iodo ou
lawenico; um
vigoroso modifi- ,
cador parao sanguc ecura radicalmente a molestia de |clic, tais como a lepra, asinpigcus, as ue|,Pc^?* |
espinlias, e os Pannos, eleEmpreado diariamente che refresca a massa do sangue e consolida ***f
IUirfipi/1 Ainniii Cura en dias os mnenlos amigos u rceme f
IflJlilbAU lAULi ms lebeld
Iabis, 7, BJ Denain,
Grande o^ompleto gortimento de maeliinas para
descarocar algodao de pova nvenQao ebegadas ul-
thnameiite :em direitura para a loja de Manoel
Bcnto do Oliveira Braga & C, na ra Dfretta n.
'63. Garntese que a melhor qualidade fue at
o prsenle tem vindo ao mercado : acham-*e em
exposiCSo aos compradores as de 10, i 2, 16,
18 e 20 ierra*.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
granomos de meltior comprehensa dos que tem
vindo at o presente, assim como marcos de latao
at meio grammo pelo mesmo systema, balaneas
de lato de forca de 5 a 20 kilogrammos, metros
de maileira e de lauto para medir fazendas, alm
de grande sortimento de mindeas e ferragens de
todas as qualidades, tudo por precos qno s a vista
faz crdito : na ra Direita n. 33, loja de Manoel
Bcnto de Oliveira Braga & C.______
COGNAC.
4^000
500
2,5000
3f$800
200
2^000
uteis, das 6 horas de
manha, s 9 horas da noite.
72, Ra da Imperatriz 72.

^5^
A BSIB.-IMjBII
CONVITE GEML.
0 nroprietari do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da Impe-
ratr n ^declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
re desejS diminuir e'ste grande deposito por ^B&*&
dan", no da 15 ou 20 do crrante, por isso convida ao respeitavel publico a \ir surlir-
, por diminuto preco. a saber: C0BERTAS A 280.
RIVAL SIL
Ra do Quetmado ns. 49 e 57
lajas de miudezaz de Jos de
Azevedo Maia, est acabando
con as miudezas de seus ettabe-
lecimentos por tsso queram apre-
ciar o que bom e baratissimo.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
1#>0.2;J, 35 e.....
Caixas de linha com 50 novellos
Patos de- sapatos de tranca- fa-
2enda nova a......
Pares de sapates de tapete
(s grandes) a...... 1#500
Du/.ias de meias cruas para ho -
raern a........
Tramoias do Porto fazenda boa
(i pelo preco melhor 100 attos a
Livro de missoe* abreviadas a .
Du:-.iade baralhos francezesmuito
finos a2;5i00 e ..... '2^800
Silibario portugsez com estam-
pas a ........
Grvalas de ctese pretas muito
finas a........
Cartes com clcheles de lato
fazenda Una; a......
Abotuaduras de- vidro para coleto:
fazenda fma a. .
Caixas com penna d'aco moito
linas a 320, 400, 560 e *
Ca"toe3 de linha Alejandre qw
;em 200 jardas a .
Carreteis de linha Alexandre *ie
70at200a ......
Caixas com superiores obreias
de raassa a......
Duzias de guilas para machina
Libras de pregos francezes di-
verso tamanho a. %
LiVros escripturado para rol de
roupa a. ......
Talheres para menioos muito
finos a. ,.....
Caixas com papel amizade muito
Qno a.......
C.ixas com 100 envelopes muito
finos a......
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta preta muilo
boa a 80 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. .
Pecas de fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Grozas de botbos de lou?a muito
finos a. .....
JLOJA
DO
GALLO VIGILANTE
De superior qualidade da mui accredila-
da fabrica de Bisqtiit Dubouch i C, em
cognac urna das qae mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Retno da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra do
commercio n. 32._____
lina do Crespo n. 9
Os pi'oprtetaries deste ben> conliecido estabele-
cnento, alm dos mui tos objeetos que tinham ex-
pestos a apreciaeao do respeitavel publico, man-
d; da Europa um completo e vanado sortimento de
linas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como de seu eestume,, j^este BAZAR encontra-se um completo
por precos muito baratinhos e eommodos para to-
dos, eoti tanto qne o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
BAZAR UNIVERSAL
99Ra Mova*
Carneiro Yianna
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nbora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabeyas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques do madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, c estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 303000
Sellius .baratos
N. 7.-B.\ HAMEiNjI-N. 27.
Neste estabefcirJBio vendf^e seibos e
silboes,' de todas as qualidade* do melhor
qne se podo fabricar no paiz, assim como os
mais arreios pertcncentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxoes, traviceiros, caixi.
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. 0 proprietario deste esta-
belecimento garante a pontualidade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; oortanto pede ao
respeitavel publico sua proteegao, qoeaffian-
Ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do qu em outra qualquer
parte._______________________
3 cordeiro previdente
lina do lueliuailo n. 16.
flovo e variado sortimento de perfumaras
'finas, e outros objeelos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que elTectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
iade, quafidades e commodidades de pre-
ces; assim, poia, o Cordeiro Previdente pede
e espera contiauar a merecer a apreciaeao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
lando elle de sua bem conhecida mansidao
9 barateza. Era dita loja encontrara o
ipreeiadores do bom:
Agaa divina de I. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & LammoR.
Dita de Cologne gleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e maisacreditaos
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, evilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabellb.
Frascos com dita japoneza, transparente
i outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos o
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por pregos eommodos coroosejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos ossystemas, mais modernas francezes em frascos simples e afeitados.
adoptados na America e approvadas na ut- Essenc a imperial do fino e agradavel chei-
tima exposicao servaos a electos para almo- ro de vioieta.
co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol^ Outras .ncentradas e de cbeiros- igual-
sase malas para viagem, indispensaveis para mente finas e agradaveis.
CHITAS LARCAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 3r>0 rs. o covado.
\LGODAO ENFESTADO TRANCADO A
1*000.
Vende-se algodao enfestado trancado para
lenroes a 1-5000, dito liso enfestado a 900
metro. *
CASSAS FRANCEZASA 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MUUPOLAO ENFESTADO A 30300.
Vendem-se peca-; de madapolo enfes- homem e meninos a 400 r
tado ISoo. dito inglez _de 24 jardas ou angas para I*
?5320
0500
0020
0500
40000
0100
0100
-)0i0
20000
0240
0120
0240
0700
0600
0320
0320
0160
senhoras, candieiros parasala e cima de mesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
uara fazer mateiga, camas de ferro para
nlioras, as quaes sempre se venuerain pur oi/>< H ..-':_ y^WM cartw-
aduzia, entretanto que nos as vendemos por Mj,! casados, soltetros e enanca, bercos, caei
ras longas para viagem, ditas do bataneo,
espelhos de todos os tamanbos, molduras
para quadros. gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para crianzas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e a esa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porra, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos oulros artigos que se encontrara*
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar^_____________________
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marlim com lindas e encanladoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode tlesejar ; alm destas temos tambem grande
iiuantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos cbicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marflm e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa ves tam-
bera assegurames sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agu lias para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labvrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo flm.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conheei-los per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facihtam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afinv de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles preeisarem, vir ao deposito do gallo
1 vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
n deiros collares, e os quaes atteudendo-se ao flm
0uO para qae sao applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista das cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a vircm
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
IAZ GAZ G4Z
Chegou ao amigo deposito de Henry Forster 6
C, ra do Imperador, um carregamento de gai
de primeira qualidade; o qnal se vende em partida.'
e a retalho por menos preso do que em outr;> qual
quer parte.
Loja de miudezas de FER11EIRA DA CU-
N1IA A TEMPORAL, eslo quimando por
todo prego venham ver o que bom e ba-
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto- d'oler> de superior qualidade.
com escoliiidos cheiros, em frascos de dille-
rentes tamanbos.
Sabonetes em barias, maioras e menores
para m2os-.
Ditos transparentes, redondas e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinba para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
lias perfamarias, rauito propasa para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Ronitos vasos de metal olor-idos, e de
moldes novos e elegantes, com p do arroz
a boneca.
Opiata ingleza e francez¶ denles.
Pos de camphora e iwitras diiferente^
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kerap.
Aluda mais foques.
Um outro sortimento de coques- de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilbos
e algunsd'ettes ornadas de flores e fitas.
estSo todos expostos a apreciaeao de qaem
os pretead a comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Flvellas c filas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec
200
60
20500
160
22 metros a 50, 60, 70, 80, 90 e 100, a
P3Ca&ZlNHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
RAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPACVS DE CORES PARA VESTIDOS A
5u0 rs. 0 COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 10.
Vende-se sedas de cores para vestidos de
senhora a 10 o covado.
PORfAO DE RETALHOS.
Vende-se urna porclo de retalhos de cas-
sas, de la e sedas e de outras fazendas
por rauito barato preco.
A' elbs antes que se acabem.
ICHALY DE CORES A 800 RS.
Vendti-s.' chaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
CASEMIRAS DE CORES A 20500.
Vende-se casemiras de cores a 20500 e
30000 o covado.
CHAPEOS'DE SOL DE ALPACA A 30000.
Vendem-se chapeos de sol do alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda a 100 cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para calcas de
400 rs. o covado.
a a 33 rs.
Vendem-se'gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA RRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 20.
Vende-se lencos brancos a 20 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs. '
Ditas de linho fino a 10000, para aca-
bar.
IGRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que em outra casa: por
isso os pretendemos poder5o vir examinar
para ver a realidade do annuncio.
' Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
srhsr
BALOES DE ARCOS A 10500.
Machinas vapor de
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de fac3o e serrotes para desea-
rocar algodao.
Balaneas para armazem e balc5o.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
fiold.
Prencas para copiar carlas.
FogTio americano patent
Extractum carnis
Este producto amentacSo para doentes, mui
apropriada para cranlas e para as pessas s5as;
indispewavel a todos, porm, principalmente aos
viajamos, que terao nelle o recurso de poderem
ter alimentaclo de carne fresca incerruptivel, e
que com facifidade se aprompta e se conduz, por-
que n'um pequeo volume carrega-se alimentacao
para muito lempo. Sobretudo chama-se a atten-
rSa dos senhores de engenhos que encontrarao no
EXTRACTUM CARNIS o recurso de alimentacao
agradavel, hygienica e barata para seus fmulos e
seus doentes.
Este producto fabricado pelo processo do dis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Rio-Grande do Sul,
que acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victorino de Rezendc & C, i ra da
Cada, escriptorio n. 5, primeiro andar, venden-
do-se :
No deposito a ra da Cada n. 32.
as pharmacias dos Srs.:
Manoel Alvos Barbosa, mesma ra n. 61.
Joaquim de Almeida Pinto, ra largado Rosa-
rio n. 10. .
Antonio Mara Marques Ferrara, praca da
Boa-Vista n. 91.
jj. ) _As latas que contem o extracto irazem
urna guia para seu uso.
Drador.
Vende-se urea esclava te bonita Agora com
22 annos, boa cnpommadcira cozinheira, tem uin
lillio mulalinho co 0 mozos, muilo boailo, vnde-
se para fra da torra on, ungenu. dizen-Io-se a
causa por que ; assim como tambem se vend>-
urna negrinha com II annos, bem educada, j co-
se muito bem, entende da Hmpl de urna sala, o
assim como do servico de tima man, muito bo-
nit;i e sadia : na ra Direita D. 38.
^
Oi! \LES DE CASSA A 10. Venderx-se bales de 20 e 30 arcos a
Voud,,, chales de cassa a 10, ede me- ^^ftjg J? ^
ri a 25.
Cl HITES DE LAA. A 20400 RS.
Vendem-se cortes de 13a de listra para
validos de senhora a 20400 rs. para aca-
ALiiODO A PECA 40000.
Vuqde-se pecas de algodSo a 40, 50, 65
e 70 a peca. E muitas outras coasas que
siria enfadonbn menrj^"r.
Vendem-se pecas de brim tizo de Ham-
burgo a 80, vem a ser mais barato do que
algodSosinho.
CORTINADOS A 140000,
Vende-se cortinados para cama a 140
para liquidar. Ditos para janellas a 70.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na roa da Imperatriz n. 56
Scbonete de alcatrdo.
DI
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tSo boa
aijceitaclo tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cara certa
das impigensr sarnas, caspas e todas a
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Rartholomen & C,
34raa larga do Rosarlo34.
CEMENTO
PORTLAND.
Vendc-se no armazem amarello de Vicente Per-
rira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
Ciicao, era barricas grandes.
Manteiga a 900 rs. a lihra.
T pechlncha sem Igpal.
Vende-se manteiga ingleza flor a 1*000 por 800
Srammas e 900 re. a libra; no progresso do pateo
d Carmo n. 9.________
Vende-se a armacao da I ja da raa da Im-
peratriz n. 13 A, propria para qualquer genero de
negocio : a tratar no Vapor das Novidades, ra
da Imperatriz n. 36.
nti DO IEI14DII Y
Musselinas de cores finas e mordernas, cova-
do 480 rs. _
Cambraia de coresorgandy, covado 320 rs.
Cambraia Victoria para lodos os precos.
Alpaca liza de todas as cores, covado 610 rs.
Alpaca da Escocia, trancada com litras, cova-
do 800 rs.
Laa com listras de cores transparentes, cova-
do 700rs. .. ..
Poil de chevre de diversas cores.
Toalhas para rosto, urna 500 rs.
Ditas felpudas.
Fusto branco e amarello, covado 610 rs.
Basquinas boa fazenda e eufeitadas com gosto
a J3,S000.
Esparlilhos modernos a 5000.
Saias de laa com barra a 6*000.
Corles de cazemira, lindas cores o boa fazenda
a 8 H e t0.
Atoalhado de linho, bramante, algodao alvo tran-
cado, lenijcs de linho, coberias, camisas inglezas
de linho e algodao, collarinhos, guardanapos de
linho, bal5es para senhoras e meninas, chapeos de
sol de seda, lencos de cambraia de linho, ditos
de dita de algodao e lencos da China.
Eslamenha a melhor do mercado, covado 2200.
lloupa felta.
Bom sorlimento de roupa feita para homens e
aprompta-se por medida pr eommodos precos.
A ra do Queimado n. 19
CIMENTO
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me- l0S) gCando a boa escolha a gosto do com;
nios de 240 a 10.
Linhas em novellos de 400 jardas a
60 rs.
Pecas de tranca de todas as cores a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 20000.
Frascos com oleo baboza 240, 330,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 500 e
Ditos com banha 320, 500 e 1**00.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs. am
" Raralhos de cartas portuguezas a. 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes a 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos comduas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas, em carretel (duzia) a
10200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320 e 400 rs.
Duzia de meias inglczas muito finas a
30800
Ditas de ditas T>ara senhora a 40500.
Garrafas com a vordadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 10200.
Pecas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lidos gorros- do velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 10500, 20000 e 30000 aopar.
Jogos para vispora a 200, .240 e 34) rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs. J
Temporal pode ser pVcii-
rado em seu estabelecimento bo-
nanza onde contina a vender,
pelos baratos preqos de seuan-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanza.
lina do Queimado n. 03.
ww ********* mmm
Attenpao
fg Na praca do Corpo Santo n. 17, Io
I andar, vende-se mais barato do que em
ttg ontra qualquer parte cal de Lisboa e
w" potassa da llussia da mais nova no mer-
tt cdo, assim romo violto Bordeaux de su-
{> perior qualidade em caixas e garrafas.
Vonde-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joao
Martins de Barros.
9H81
Lageamento
Vende-se na roa de Apollo n. 4,
| calcadas e arnmeas,
o para
UhfUSlTO
Em Pernambtico, P. Manrer 4 C, e. em
Macei, Paulo Jos da Costa Araujo.
1
I.
- r
"-.'"""



E
IV
I
Il

I'
K-
irio de Pernambuco Quarta feira
Outubro
rivai m nii
Rua do Quemado n, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Silva conhecido por
Jos Rigodmho.
Est queimando todo quanto tem em seu
estabeiecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso queiram vr ou mandar
vero que borne barato.
Caixas de linhas do gaz com
80 novellos a 500
Latas com superior banh a
120, 200 e..... 400
Frascos do oleo babosa muito
uno a....... 400
Duzias de meias (inglezas)
muito boas a 4j$00C
Garrafas com (agua florida ver-
dadera ...... is20C
Garrafas com agua'divina da me-
lhor qualidade i 300
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos i 2i$o0f\
Dita comjO frascos muito. finos SOO
Oleo baboza muito fino que so
a vista ...... 500
abonetes de calunga muito bo-,
pito ...... $240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... 600
Pegas de babadinho com 10
varas ...... 500
Pecas de fita de cus qualquer
largura : 50C
Escovas para unhas muito fi-
nas ...... 500
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... 240
Pulceiras de contas de cores
para meninos 200
Gaixas de linha branca do gaz
com 30 novellos .* 600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores ..... 040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 4^000
Pares de bot5es para punhos
muito bonito 120
Libras de la para bordados de
de todas as cores 8000
Pentes com costas de metal
muito finos ... 320
Novellos de linha muito grande
para croxs 320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... 480
Grosas de botoes madreperola
muito fino ..... 500
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e..... 320
Pegas de fita de 15a todas as
cores ...... 500
Espelhos dourados para parede
1,5000 e..... 10500
Espelhos de Jacaranda muito
lino ...... 2000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol 060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 320
Caivete muito fino com- i fo-
lhas ...... i 500
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos 4 200
A DIHHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
pawAo
]5E
FLIX PEREKRA DA SILVA.
O proprietario d'este grande estabelacinento, vendo que se esta aproximando o An-
do anno, o tendo em ser um grande dej osito deposito de fazendas; n5o fallando em
avultadas encommendas que lhes estilo oorigaJo todos osdias, tem resolvido liquida-
las por prego milito mais baratos do que em oufra qualquer parte ; s com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase neste estabelecimento do
PAVO, avuliado sortimento deiazondai do luxo e modas; assimcomo de primeira
necessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja podecSn surtir-
se vendendo-se-lhes pelos precos que compram, m% casas inglezas; assim como as ex-
cellentissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou man-
dar-se-ha levar peloscaixeiros da mesma'loja em suas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberto das 0 Loras da manhaa s 9 da noite.
*6 $tMA*0
Explendido sortimento de
roupas eitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. GO
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento qos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
Acha-seeste grande estabelecimento com-: dem a 12000 rs. cada par at 2o000 rs,
pletamente sortido das melhores roupas,: isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
sendo caigas palitts e coletes de'casemira, |Pereira da Silva.
de panno, de brim, de alpaca, e de todas; BALOES MODERNOS E SAIAS DE LA
as mais fazendas que os compradores pos- j Na loja do Pavo vende-se os mais mo-
sam desejar, assim como na mesma loja; demos bales reguladores tanto de musse-
tem ura bello sortimento de pannos casemi-, lina como de 13a de cor, e as mais moder-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer: as saias de 15a entestada, mais barato do
qualquer pega de obra, coma maiorpromp- que cm outra qualquer parte.
tid5o vontade do freguez, e nao sendo SULTANAS
obrigados a acceita-las, quando nao stejam Chegou para a loja do Pavo um grande
completamente ao seu contento, assim como sortimento das mais lindas sultanas, para
n'este vasto estabelecimento encontrar o vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
respeitavel publico um bello sortimento de com listas de seda e os padroes mais noves
camisas francezas e inglezas, ceroulas de que tem vindo a este mercado, vendendo-se
linho e algodo e oulros muitos artigos a 15400 o covado, na loja de Flix Pereira
proprios para homens e senhoras promet- da Silva ra da Imperatriz n. 60.
tendo-se-lhe vender mais barato do que em ORGAXDY BRANCO.
outra qualquer parte. Na ruada Impera- Vndese o mais nioderno organdy braneo para
tri7 n fifi Iftij irrmypm <1p FpIy Ppi-p- *estl(,Us cin listras 'aras e "las, assim como
n. ou, loja e armazem e reitx fere- urna grande porco de cambraias brancas, tapadas
DO
BRACO DE ORO,
t 7
Ra do Imperador n. 2G
Neste estabelecimento se encontrar diariamen-
te um completo sortimento de pastelaria de ludas
M qualidades para lanche e sobre-mesa, ele, etc.,
tullimos de todas as qualidades para cha, presn-
os de Hambre, bolos ingleses, pudins, e finalmente
tudo qne e tosiste em urna boa pastclaria, com a
ulor asseio e esmero, cha hysson, preto e tuiudi-
nho do melhor que ha nu mercado. Nesta casa
tecebem-so encommendas (ara casamentos, bailes
rbaplisados, cotnuremettendo-so os donos do es-
aboleeimento a ser-ir o melhor que for possivel
.i vontade do freguez, dispondo phra esse lim de
um completo possoal. Reeebe-se avulso toda e
lualquer encomraeoda, como sejam, bandejas,
oolus o pies-de l decorados, doces d'ovos, seceos
deealdae crystalisados, fructas nacionaes e es-
irangeiras, amendoas confortadas, um completo e
variado sortimento de caixmhas de todos os gostos
e preces, pira mimosear senhoras ; estas caixi-
ias recentemeote ehegadas de Paris, sao de pri-
moreo go ti. oBemce molas tos galanteadores do
beo sexo, pote nellas acharo um digno e serio
presente para as dunas de seu* pensainentos. lico-
res, vmlijs linos de todas as qualidades, conservas
lamolhos em latas. Os douos deste estabelecimen-
es nao se poupando despezis, fazem tolos os
otorcos para servir o respeitavel publico o me-
t or que for possivel. a sendo principiantes e lu-
eando com todas as dificuldades, esperam a con-
currencia do respeitavel publico desta eapital, na-
cionaes e estrangeiros. Pechincba : legitimo vi-
nho musoatelem caixas, que se vende por commo-
do preco para particulares e para negocio.
YEBE-SE
A PRECO FOCO E MDICO
SOMBRIMIAS de setim verdeultima no-
vidade para senhoras, a 18 e 25.
LINDOS cortes de tarlatana orvalhada, pro-
prios pira bailes a 10, 13& W, 17.-3
e 22,5(000.
ESPECIAL sortimento de coques enfeitados
e lisosultima modaa 2i500, 3J000,
:i500, 4,5, 40500, H e 6.
GRANDE e beo sortimento de chapeos de
palha da Italia, elegantemente enfeitados,
para senhoras e meninas a 15)91,144,134,
114 b9.
TRANCAS E CACHOS milaco de ca-
bello, para senhoras, a 10800 e 800 rs.
G8ANDE e agradavel sortimento de gui-
. pur ou croch preto, em pecao metro
a U, 35500, 40 e U.
DITO braneo a 2.500, U e 31800.
LINDO FILO de seda braneo com ramagem
o metro 50500.
LINDOS e ricos adereces de plaqus du-
bl*, goui brigantinas, rubina, esmeral-
das, perola, e camafeos ; no ha diffe-
renc do ouro de le e conserva porlon-
go tempo a sua cor natura!, vende-se a
150, 18, 300. 450, 900 e 1200, este
preco menor ao feitio de qualquer peca
verdadeira do mesmo trabalho.
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
Sara relogos, a 60, 80 e 100, no
AZAR DA MODA50-BUA NOVA
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1800
Chegou para a loja do Pavo, ra da
Imperatrizj). 60, urna grande porco de
pegas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
raento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e .vende-se pelo
barato preco de 10800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicacoes para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA. ~*
Vende-se urna grande porgao de cera de
carnauba cm saceos por preco mais barato
do que em utra qualquer: na loja do
l'avo rita da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE'COR
Vende-se as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o covado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chfcgaram para a loja do Pavao as mais
ricas basquinas de casaquinho's de. seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
feitios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muito cm conta.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do l'avao.
Encontra o respeiiavel publico neste estabelecl-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, eassas francezas" e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de lia de
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laazinbas, alpacas lavradas e lisas, canto,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
prei'o barato.
NOVAS BASQUINAS COM CINTO.
Chegaram as mais modernas basquinas de gros-
denaple preto, ricamente eufeitadas, sendo de um
feitio inteiramente novo, com ricos cintos largos, e
vendem-se por preco razoavel
CASSAS FRANCEZAS.
Vende-se um elegante sortimeiito das mais finas
e mais modernas eassas francezas que tem vindo
ao mercado, sendo com padroes miudiuhos e
grandes, e vendem-se por preco muito em couta.
AS SEDAS DO PAVO
Altas navidades.
Pelo ultimo vapor chegaram para lofa do Pa-
vao, que vende mais barato do que em oulra qual-
que"- parte, as sedas -jguintes : ponpelinas ou
gorgures de b'aho c seda, com os mais delicados
pidroes, sedas de listras, padroes inteiramente
novos, groz de todas as cores, sendo verde, azul,
lyrio, rosa, cinzento, ets., setins, braneo, azul,
verde, rxo, lyrio etc., etc., assim como um gran-
de sortimento do grosdenaple3 pretos de todas as
qualidades, e superior gorgurao preto de seda
para vestidos e cllete?.
AGRACIANAS.
Chegou esla nova fazenda c m o nome de Gra-
cianas, sendo de urna s cor, lyrio, rxo, verde,
azul, etc.. ote, e muito encorpada, com lustre pro-
priameuie de seda, sendo melhor e mais moderna
que este anno tem vindo para vestidos, e vende-
so pelo barato preco de 2 o Cbvado.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavao.
Chegou pelo ultimo vapor um grande sortimen
to das mais modernas o mais bonitas alpacas la-
vradas para vestidos, Unido entre ellas allomas que
fazem a vista propriamente de seda, e vendem-se
por pregos muito e:n conta.
GUR4KRAO PRETO.
Chegou para a loja do Pavao o mais eucorpado
gurgurao do seda preto para vestidos e colletes,
que se vende mais barato do que em oulra qual-
quer parte.
MADAPOLAO FRANCEZ
A 7*000, s o pavao.
Vendem-se pecas de madapoln fraucez com 22
metros, pelo barato preco de 7000, dito entestado
com 20 jardas a 7000, assim como fmissimos ma-
dapoln* francezes e inglezes, ditos de jardas, que
se vendem mais barato do que em outra qualquer
parte, por haver grande prcao
AS CASSAS DO PAVO
Covad. a 300 rs.
Vendem-se finissimas eassas francezas com lin-
dos desenlio e cores flxas a 300 rs. o covado.
CHITAS BARATAS
Na loja do Pavao
e transparentes, tendo das mais baixas de i 000 a
pec,a, at as mais finas de 10 ou 12JOO0. todas
estas cambraias se vendem mais barato do que em
outra qualquer parte.
COLCHAS DE FSTAO.
Vendem-se colchas de fuslao brancas e Ja cores
por preco muito cm conta, na loja do Pavao.
ORGANDY DE COR
A 360 rs. o covado.
Vendem-se bonitos organdys de cores com bo-
nitos padroes e lixes a 360 rs. o covado.
CAMISAS PARA SENHi IRA.
Vendem-se finissimas camisas francezns borda-
das para senhoras, na loja do Pavo.
AS CELEZIAS DO PAVO.
Vendem se as mais linas celetias, esguines e
brelanhas de linho por preco muito em conta.
FLISTAO BRANCO PARA VESTIDOS A 60 RS.
Vende-se fustao braneo, com lista e lavradmhos,
muito proprio para vestidos e roupas de meninos,
\ CO rs. o covado.
COLLERINHOS PARA SENHORAS.
Vendem-se finissinios cllerinbos de esguiaodo
linho proprios para senil ras e tambera para me-
ninas aoja duzia.
ALPACAS DE CORDAO.
/endem- se as mais brilhautes alpacas de cor-
duozinlm para vestidos, tendo as mais lindas cores,
como Bismark, lyrio, rxo, g>nga etc. etc.. pelo
barato preco de 14 rs. o covado
TARLATANAS.
Vende-se finissima tarlatana brama 4 de todas
as cores, assim como lit braneo (izo a 80Q rs. a
vara.
ALGODO ENTESTADO.
Vende-se superior llgodiozinbo com duas lar-
guras, proprio para lenccs, sendo hzo e entra-
ado, e vende-se por prejo muito rasoavel.
MEIAS PARA MENINOS A 3*500 RS.
Vendem-se. dnzias de meias superiores para
meninos e meninas, pelo barato preco d3 JioOO a
duzia.
A AGUIA BRANCA tem convieco de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitacSo do seus presos, esto na op nio do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia cm particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepgo d'aquellos objectos que cst3o alm do commutn,
como bem sejam :
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
^las, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
piando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, cc.n thesouras e os
rnais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeic5o, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com musioa.
Estojos ou carteiras de couro com nava-
lhas, e os mais necessarios para viasens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas, dentes, cabello e roupa.
Outras* de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botoes com ancora, e P. II. para fardas
e polletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um S?.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento do toalhas do labyrln-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipar, braneo e
preto.
Fil preto, de seda, com sal picos.
Pequeos c delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios p.-.ra piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal pratcados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua aprcciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de tao bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abandaro
s falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras conlinuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a inGnidada d'objectos
K8
K
PARAUSO DA INFANCIA BRASUEIAA,
LO
Dr. A. Cesar Borges.
(2'

EDICAO MI FIORAHA
AUGMC.M'ABAl
Estes dnns lirro, refultadu de grand
rlencia > estndos ?|teciaes do autor, vieran".
lisfazer a nina das mais irfsUntea necesidades dt
nstruccfio pcimnria, c per tal firma i/.ic, pcl >s
rnos de qnasl mdas ;is provindns leea
idoptadas para a- rstotaa publica?, neta cou.o
por grande nttmero do profcssort's parUcnlars.
O prlmeiro titro ansolulaincote diverso d._s
cartas-vulgarmente nirihecidas pelo neme de A
15 (".) e composlo segundo um s\st>ir.n natura',
pliilosophico e amono uuc tos meninos fecilira
ottraorJJnariament o cenheeimento da lellnra,
tornando-Ibes mnito rmiis rpido*, e n uito men s
penosos, s'us primeiro?, Hmidos e vacilantes p. -
sos na vida litteraria.
O segundo litro consla do mml artiims, n i -
los etv, lodos lo breves roniii convem foe i
attencao das crianzas, e escriptos em liofiuagpio
o cstylo aproprlauos franqueza de sua inW'i-
genefa.
E de mncira combinadas nelle so arlnm : s
materias que, an mesmo p; --1 qoe vivamente
Uressam e deleilam os pequeos loitore, Hratn-
implanlam Iho? no espirito e no por
fuios precetos di rnws, ns|iirand i-lhe?, Jesde
logo, com o gosto da leia, u amor da virtud
e a repugnancia da do (icio.
Sin ambos este? livros nitidamente impffS
elegantemente encadernados om Par*, e Mntc i
estampas finas representando os assumptol i
conios; o que os torna mais ronvidativi -
nios e muito proprios pan prsenles ou premios
dos mesmos.
Conten demais o tcgmld \ < ns belltis bynin s
com msica para o com i e Om da o-rjla."
r,.-oommcndanio-los pnis ronfiadamvnte tos -
nhores pais do familia, e professores que aind. os
nao conhecem.
Primeiro livro. WM
indo 2
VENDA NA
Livraria i'raiifa/.a,
J-Rl'A DO OHESI'O-'.l
Bartholomeu & C.
Botoes de cristal, encastoados em prata,' que constantemente se aeham- venda na
para punhos, i& o par. j loja da Aguia Branca, seria sc-ao impossi-
Camisas de flanella para homem, a me-, vel ao menos infadonho por isso ella con-
Ihor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
Meias de la para homens, senhoras e reconheccr a commodidade de seus precos
creancas. e a cinceridde de seu agrado, que nao se
Ditas de dita, lecido de borracha, para esquecam de comparecer i loja, d'Aguia
quem soffre de inchacao as pernas. Jlranca ra do Quimado n. 8.
. N. 23Largo do Tenjo.
SIMAO DO
IT.
'
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e moldados, partecipam
aos seus numerosos freguezes, tanto desta pra<;a, como domato c igualmente aos ami-
gos do bom barato, que teem um grande e vanlajoso sortimento de diversas merca-
dorias e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a i eiaio, por
menos preco do que cm outn qualquer parte, por ser maior parle destas mercaderas
compradas por conta propria, por isso quem comprar at a quanlia de 100 5, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
armazem.
RASQUIAS DE GIPZE.
Chegaram as mais bonitas e modernas basqni-
as pretas de guipuze, qne se vendem mais barato
Jo que em outra qualquor parte; assim como as
mais delicadas romeiras ou pelerinas de croch
pretas, enlutadas de ver Je e outras cores, que se
vende muito em conta.
CHAPEOS DE SOL.
Vende-se om grande sortrmtnlo de ebtpos de
;ol de seda e alpaca que se vendem muito ba-
ratos.
LENCOS BRANCOS.
Vendem se bonitos lencos braneos e decores
com barras o abanhados," pelo barato pre'o de
! SSQO a duzia, ditos de linbo abanhados a' 6i a
iuzia, ditos de csf i e algodSo a e 1-5600 ;duzia.
A -JOOO
Na loja do Pav5o vendem-se inodernissi-
mos chales de fil preto erra lindas palmas
de seda, pelo barato preco de 5500O,
pechincha.
BASQUINAS A 12,>000
Na loja do-Pavo vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 125000 cada urna.
PARA ESCRAV03
Na loja do Pavao vende-se estamental
de algodao mesclado para vestidos e roupa
tle moleques a 200 rs. o covado, na ra
ila Impera:riz n. 00 de Flix Pereira .
Silva.
Papel para embrnlho.
Compra-c papel para embrulho: na lila do
l'avao, ra da Imperatriz n. 00, de Felk Pereira
da Silva.
GAZ AMERICANO 9,5 a lata, a 400 rs.
a garrafa e GOO rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 360 e
CO rs. a garrafa, a 4500 e 4>800 a cana-
da, a 720 e 940 rs. o litro.
1DEAI DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 o 500 rs. a garrafa, a 30 e
3)5500 a caada, 600 e G40 rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 7$ a caada, e 15340 o lilro.
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 45500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 25200,
15800 e 15400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MAN'TEIGA INGLEZA FLOR 15440 e
15280 a libra, 35140 e 25800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZA a 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 25100, 15980 e 15870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 15400 o kilogrammo, em porco se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 15570 o kilogrammo, em
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHAO E DA INDIA
120 e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e 35800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo, e 65 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABiO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
Cera..
Von e-se cera prcta para aapato, a melhor poe-
sivt, a 11600 o oto: na traveua da ra das
CrtUM n. 4, loja de calcado.
Vende-se urna grande porco de chitas escuras,
e claras, de cores fixas, por precos que adnramn
BRILHANTES BAREOES A 400 RS.
S o Pavo vende as mais delicadas ba-
reges de pura la, sendotransparentes com
os mais delicados desenhos, de qaadriohos,.
listras e lizos, sendo n'este artigo o mais
delicado que tem vindo ao mercado, e
vende-se pelo baratsimo preco de 400 rs.
o covado,
PELERINAS A 45000
Na loja do Pavao. vende-se as mais mo-
dernas romeiras ou basquinas de croch,
pretas enfeitadas com verde e outras cores,
pelo- barato preso da 45000 tifo w, pe-
chincha1.
Jos Joaqoim da Costa tyu'a &. C, roa do
Crespo n. 6, acabam de receber um grande sor-
timento de pedras marmore, como seja lijlos de
diversos tnjannos, laminas, saccadas, soleiras e
(legraos, bem como telhas de ferro galvanisado
de diversos tamanhos, que tudo vendem muito
em conta.
Assucar de oxido de ferro de
Chanteaud.
O assucar fe'ruginoso de Chanteaud obtido
lla associaeao do exido de ferro inteiramente so-
luvel cora o assucar cuidadosamente purificado.
Este assucar, de urna bella apparancia crystalina,
un o simples gosto mui agradavel do assucar,
sem o menor sabor adstringente : nao tem accio
iixitante sobre a mamosa do estomago e entetinoi,
e rpidamente absorvido pelo apparelho digesti-
vo sem causar as consiipac,d> do ventre.
E' hoje o preparado de ferro de mais aceitaco
gara a cblorose atona dos orgaos, perdas brancas
menstruagoes difflceis, etc., e tem a seu favor c
j iio autorisado da escola de medicina de Par,
e dos cbimicos os mais notaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartholomeu C, ra lajga do
620 rs. o kilogrammo, em porco ha aba-
timento. .
BOLACHINIIAS EM LATAS DE DIVER-
SAS CUALIDADES, a 15 e 15500 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa lia abatimento.
PHOSPIIOROS DO GAZ E DE SEG-
RANCA, 280, 400 e 500 rs. o masso,
35200 o 65500 a groza.
AMEIXAS EM UTAS E CACilIMIAS
DE MUITOS TAMANHOS 35500, 55500
e 15 a libra.
GOMMV DE MILIIO AMERICANA 00 rs
o masso de urna libra, e cm caixa u aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA K i 55500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADERA IHLERS6
BELL, 800 rs. a garrafa e 9.5 a dnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 15500, 1 .jaOO, 15 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 75 e 65 a frasqueira, e ."X)0 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QEIJOS DE DIVERSOS VAPORES, a
35. 25800 e 25400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 115500 por
14 kilogrammos.
CHA FINO. GRADO E MIUDINHOTs
Vinho, Pilllas,Xauope e Tintura
de jcnubeba simplus e ferruginoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta pueparados por
8ARTHOLOHE0 & C
Pharmaceuticos-Droguistas
PEIIAMBUCO
A Jumbcba : esla planta hoja reconliorda
cOico o mais |>iIeroso tnico, como o mciLor
ili'cli-o uentc, e como tal applicaiia nos paJccimento:
do ligado e baco, hepatites, duresas, tumores inter-
nos e especialmente do tero, bjdropesias, errsi-
pellas, etc.; e associada ao ferro til cas pallida
cores, cbloroscs e falta de mcn*iruac>o, desarran-
jos do estomago, etc., e o qne diurnos cttestia
innmeras curas importantes obtides ocm dosc
preparados j bem conbecidos c asados pelos mais
difiincto mdicos do paiz e Portugal. Em lodos os
nossos depsitos distribuimos gratis folhetos que
melhor fasem conhecer a JurubeL seos resaltado:
e applicaco.
-EASSA e U
DECODElNADEBERT!
I'ivcom-.(os por U I
BRU.XOS, CATHARnOS, E TODAS '.- .
H;niTA(XlE3 DO PtlTO.
RT. X. O .V111 /,
honro, a\'i.s icm ir.ric re os JJ
r;l\-'-.s /t ir.ijliri,' Francn .: v-
| 0.
A :S(l. i'or .:-> 1'.. 1
1
e 1



.
ra
'o
a a*s (i U'.i; 11-.

ih.
de I .
570 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa ha melhores >)ue ha no mercado, 35 e
abatimento. 35200 a libra, 75080 e 60340 o kilo-
MASSAS PARA SOPA, MACARR0, TA- grammo.
^SF. 5 ALETIUA- 800 rs- a 1bra e DEM PROPRIOIPARA NEGOCIO 25700,
15/o0 o kilogrammo. o.^00> 25200 e 25 a libra, e 55450 e
SEVADINHA E SAF a 280 rs. a libra e 45180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinlio em ancoretas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de-diversas marcas, linguicas de Lisboa, marmelada, con-
servas gela de marmello, pcego, ervilhas, peixe em latas, sardinhas de Nantes.
vinho verde engarrafado, pomada caaella, cravo, ervdoce, cominho, pimen'.a, grandes
molbos de sebolla 15500, finalmente muito mais gneros que enfaadonho
menciona-los.
liosario n. 34.
-----,
BREU
Vende-se breu fino o mais superior {naba no
mercado, por pravo comtnodo : na roa o Yiga-
r.o n. 2C.
A.ra do Livramento n. 6, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
melhor vinho verde at hoje vindo a este
mercado.
CAL DE LISBOA
Cha tonl-purgativo e depurativo
de Chambard.
Composto das plantas as rnais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevado?, o rli
tonipurgalivo de Chambard possue um jjosto sauo-
roso e um aroma suavissimo, e as propiedades as
mais notaveis sobre os enibaracos do estomago,
dos intestinos e do ligado, o desob*trnento jKir
excellencia na constipa gao do ventra, t nao tem
resguardo algum. Depurativo especial e directo
das biles e dos bumore?, refresca 3 aaguo depu-
rando-o.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartholomeu & C, ra larga do
Rosario n. 34.
E
POTASSA DARUSSA
A mal nova no mereado, a prec/y razoavel: nt
armaiem doManoei T. Basto, a ra do Conimercic
n. 13.
A
Vende-so o deposito de charutos da rua .-
ireita do Rosario n. 16 : a tratar ni na de lionas
numero 1.
Vende-se um cavallo par
xeiro e muito novo : a tratar 1
tuero 9.
ESORAVOS FGIDOS.
_ Fogio i!a casa do abaixo assignada, no .x
1Sde sfiembro prximo uassado, o sea ese:
de nome Jola, crioulo, Idade 50 ranos, pou: <
mais ou menos, estatura regular, cor preta, t
pinta, pouc barba : gueu oprgor, leve Bac-
t'Anna de Jentro, que ser bem reennipensad.
Joao Vonancio Machado da Paz.
Pugio ;i 1 dia 9 do iiic/. |iass.-!cRj a ewrava
Sevurina, cabra, natural da cidade Jo Araeatv,
com os signaos sefnintes : altura regular, rln i
do enrpo. ol! > |H'i|',n'in>. testa irtram, Mil
dentes na frente, tem o dedo polcgar oa o mini 1
da mao esquerda nm pouco dobrado para a palirt
da no, belfos lino-: e basttoles rdxos, levo ur, 1
troux.t contnndo dous vestidos, un de Chita co.i
Itofrs encamadas, c outra d^ na nor de rima, e
foi vestida coa UTO vestida de chita escura mi
palmas brancas anda novo, chale de laa cor
bonilla, e um nutro servlndu de rodha, com ui 1
labolciro do llandrcs; desconfiarse oceulta om aiguma casa, pelo que so protesta coi-
ira a possoa que a tiver uceultada, obrigando-; e
a pagar os .lias de servico : roga-se*, portanto, a-
autoridades e mais pessoas, que a apprchenda
a levem rua do Amorim n. 39. t andar, ou
rua do Hosoicio n. 47, que se gratificar.
Fugio do engenho Queiuidas dn coman 1
do Brejo da Madre de Deus, a cscrava Pan Oca,
parda clara, cabellos carapfabos, de i 1;Je 16 pa.-.i
17 anno?, estatura regular, boa engommadoh* o
costureira, cuja fuga lito luaar no dia 13 de so-
tembro prximo passado, tendo no rosto pint s di
sardas e espinhas, denlos completos, c sabio gr-
vida do dous para iros mezes : rogam-se as auto-
ridades polictac* a captura da referida escr
assim como a qualquer pessoa do povo, que se 1
bem recompensado; a entregar no Recite ao Ba-
je? Jos (ttano de Hedeirea. na rua de Apollo 3.
10, e no Brejo da Madre de fieos a sua senln 1
D. Bernarda Cordeirode Carvalhc
No dia 7 do c rrenlcfugio do engenho At;-
laia do termo do Serinhaeni.oescravoLuiz, cabra,
que representa 24 annos, de cor cabra escuro, que
tem apenas pnueos cabellos no que-.xo, altura re-
fular, secco do corpo, cintura tina, com pera: a
arqueadas, ps bem feitos, cabellos carapinhtr;,
tem falta de um dente ou dous no queixo superior;
este escrav veto lia poucos dias da cidade
Pombal da provincia da Parativba, foi
reverendo padre Amaboio JLei
vendeu nesta cidade a
And.ade, em dia-
presmese
;


s
mambuco Quarta feira 13 de Outubro de 1869.
ffilBLU CStiL
CMARA DOS SRS. DEPUTADOS
SESSAO EM a DE 3ETEV1BR0
presidencia po$r. nebias.
(ContiitMvo)
OtUm do mesmo ministerio, enviando o
. transmute actas dasIcigBes prima-
rias feas uas p.irochios do Jequitibd o Se-
to UgOas, perfcneente* ao 2. districto eloi-
toril da dita provincia. A* 3. commisso
outro do mesmo ministerio, acensando o
rccibimito ilo ffico couunuiiicando a ile-
cislta *Htt cmara inore a oliicao a que se
proceden nos collr-gins do 3." districto da
provincia do Rio do Janeiro para preen-
chinwnto da vaga deisada na mesraa cma-
ra peta nomeagao de senador do conselhei-
ro Francisco de Paula le Negroiros Sayo
lobau, e declarando que se dera conheci-
ovotn daqiiolla decisao ao presidente da
provincia para 03 (los convenientes. In-
teirada. .
Oulro do mesmi ministerio, envian) a
oii du ollicio em que alllma. cmara mu-
nicipal solio d assembla geral a isen-
t3o dos direitos de alfandega t^ue deverem
reeahir sobre as machinas, materiaes e ma-
terias primas i];io fr preciso importar de
pniz estrangeiro para a construeco contra-
taba por escriptura-publica cora C. J. Har-
rali e F. M. Braudon. de urna lavandera
para a populacho do municipio da corte.
A' commisso de fazenda.
Um oficio do i." secretario do senado,
p-irticipando que o mesmo senado adoptou
vai dirigir sanecao imperial
do
as-
ser-dao para a ontom
lia segrate :
ORDEM D0 DA.
Contina a 2* discusso do art. '
projecto sobre a reforma policial, cora
emendas apoiadas. .
Vm mais mesa, sao liaas, apoiaaas,
e cntram conjuntamente em discusso, as
seguintes:
t Ao art. i' $ Io ac:resceiite-soque
nao exercerem cargos de magistratura, c
que tiverera quatro annos do pratica adqui-
rida na advocada ou em qualquor empre-
go py\b\\co.~-Duqu6-Estraila'Tetmra.
* Supprmase o f T do art. 1".
' Supprimam-so of 3' o os ns. I, 2 e i.
Gama Cerqueira. *
O SR. GAMA CERQUEIRA justifica sua
emenda.
O Sr. Abaujo Gks requer o encerra-
mento da discusso; e sendo a cmara con-
sultada, rosolve pela aflirmativa.
Procede-se votaco do art. Io do pro-
jecto, e approvado com todos os seus
paragraphos e mais as eguinlos emen-
das: ,
No art. i% 3 n. 3 -em vez de agen-
tes de polica-diga-seinspectores de
qu. rteirao e outros agentes de polica.
No mesmo artigo. supprimara-sc
as palavrase designando para o subs-
tituir interinamente a um dos delegaaos ue
polica da capitel.A. Araripe.
Ao art. Io % Io accresetite-se: que
nao exercerem cargos de magistratura e
a resol uco
tiverem 4 anuos de prutica adquirida os reclamos da opinio publica.
rpie approva as pensos
Antonio de Arujo e ou-
da assembla geral
concedidas a Joo
tros.Inteirada.
Ontro do mesmo secretario, communi-
cando que constara ao senado que S. M. o
Impender consenle no decreto da assem-
b!i geral que fixa a forca naval para o
anno financeiro de 1870 a 4S71. Intei-
rada.
Quairo do mesmo secretario, commum-
cando ler constado ao senado que S. M o
Imperador consente as seguintes resolu-
res da assembla geral: 1., autonsando
o guverno a conceder a Noel Paulo Baptista
de Orano isences de direitos sobre o mate-
rial necesario para o encanamento de gaz
as (Asados de Porta-Alegre, Rio-Grande e
Pelotas, do Rio Grande do Sul, e a Julos
Villain de todo o material necesrano para a
c malisaco de agua potavel na cidade de
pelotas da masma provincia ; .*, anton-
sando o governo a conceder a Thomaz Dut-
lon Jnnior isenco de direitos sobre os ob-
jectos menciunadosna condico 17.*docon-
Irato celebrado com a cmara municipal da
cidade le Cnmpos para a illuminaco a gaz
da mesraa cidade ; 3.*, declarando isentos
do direitos de importacSo os objectos des-
- pachados para a illumiinc5o a gaz da capi-
tal da provincia do Ciar anta da promul-
gjcSo do decreto 11. 1,573 de 30 de junho
do anno passado, e mandando restituir as
quantias par este motivo cobradas dos re-
peclvos contratadores; e i.*, autonsando o
:overnoa conceder companhia de illumi-
'i.ao a gaz da cidade de Nitherohy isenc5o
de din'itos sobre o macbinismo e mais objec-
tos importados para a fabricacSo do gaz.
Inteirada.
ra requerimento de Antonio Ferreira Ra-
m.s e oulro' pedindo privilegio por 30
annos para a construccao le dcas. diques
Auxiliantes, etc., nos porlos da provincia do
Ro Grande do Sul.A' commssode com-
raercio, industria o artes.
Lm-se, julgam-seobjecto de delibera-
Cao, o vo a imp mir para entrar na ordem
dos trabalhos dous projectos, um approvan-
do penses. 1: oulro sobre nomeacoes Dar
empregos de jusiica.
Lm-se, e vo a imprimir para serem
submritiil is votaco emeo das depois, na
forma d > regiment, os pareceres da 3.a
commissa 1 de poderes sobre as eleices de
varias paiochias das provincias de Santa Ca-
tliarina c Goyaz.
Lm-se, e vao a imprimir para entrar
na ordeno do trabalhos, as redacoes sobre
favores concedaos obra Att3s do Imperio
do Mrasil, licenga a Joo Jos Henriqucs,
aposenladoria ao consdheiro Jos Mara de
Avellar Brotero, sengo de direitos de im-
portar > companhia do illuminaco a gaz
da capital do Maranho, privilegio a Ben-
jamn Uplon para o fabrico de tijolos, e ma-
tricula de estudantes.
Entro em discusso, e sao approvadas
sem debate, as redaeces sobre naturalsa-
coes e matricula de estudantes.
Procedc-se votaco do projeclo em
5P discusso, determinando que no regula-
iO' oto que o governo estabelcccr para a
BaooItMCao, seuuranca e polica das linhas
eservido telegraphico, podtr impftr aos
infractores penas de multa at 200$ e de
priso ate tres mezes, e approvado, e
passa 3* discusso, sendo rejeitada a
emenda do Sr. Anirade Figueira.
Entr3 em Ia discusso o projecto au-
tonsando o governo a conceder compa-
nhia Rio Grandense da estrada de ferro de
de Porto-Alegre a Hamburg-Berg, do muni-
cipio de S. Leopoldo, na provincia do Rio
Grande do Sul, os mesmos favores conce
didos companhia iugleza da estrada de
ferro de Santos a Jundiaby, com excepc5o
da garanta de juros.
O Sn. Bittencourt pede, e a cmara
consente, que o projecto tenha urna so dis-
cusso. na qual entrando, approvado e
rem ttido i commisso de redaeco.
Entra em Ia discusso e approvado
sem debate o projecto concedendo urna
aabven!o animal de 40:0005 empreza ou
companhia organsada para a nevegaco do
rio Araguaya, entre o porto de Ilacaia, na
provincia de MattoGrosso, at o presidio
de Santa-Mara na de Goyaz.
O Sb. J\or,vr.iRE requer dispensa de in-
tersticio para que o projecto entre imme-
diatamente em 2* discusso.
Consultada a cmara, resolve pela affir-
mativa,
Entra portanto o projecto em 2* dis-
cuss5o.
Dopois de ligeiras consideracoes dos Srs.
Pereira da Silva, Jaguaribc, Bitlencourt e
Cruz Machado, fica a discusso adiada.
Entra em V discusso o projecto
abriado ao ministerio da marraba, para a
compra da ilha das Enxadas, com todos os
armazens e bemreitorias que actualmente
possue, o crdito extraordinario de......
,t0:0Q000Q.
Faaem breves cwaidfrracaea os Srs.
Gorra, ministro daiBirinha, e Teh
aior, o projecto approvado, e
que m.~--------- .
na advocacia ou qualqucr emprego publico.
Duque-Estrada Teixeira.
Ao art i: Os chefes de polica perce-
bero vencimentos iguaes aos que percebem
ac.ualmente os juizes de direito no exerc-
cio de taes cargos, estes vencimentos se di-
vido So era dous tercos de ordenado o um
terco de grattcacio pelo exercicio eiec-
tivo.Cruz Machido.
As outras emendas sao rejeiladas urnas c
prejudicadas oulras.
Entra em discusso o art. 2 do mesmo
Pr0SR.'ANDRADE FlGUEiRV faz largas
consideracoes sobre a materia.
A discusso ca adiada pela hora. _
Dada a ordem do da, levanta-se a sessac
s quairo horas da tarde.
tenefleo effeito, eoreqtre
a presentar urna indcac,."!
projecto seja discutido por capituios em: 2*
disouss3o; e reqneiro urgedont para
pwieatar essa todiclcaa, parqu, na forma
do regiment, etfa tem de \ fcmmissao
da masa para dar ser pteer e 'ser este
npprovado antes de snbmeltido 'iscnso
o projecto.
Eis a razo da urgencia, que est nos
lermos restrictos do regiment.
Peco pois a V. Exc. que, eoncedToa a
urgencia, mado ler urna indicaco que
icabo de por sobre a meta.
'usultada a cananisr, aptova a urgencia.
Venv mesa, Itda, vai a commisio
de poticia, a seguiutu indicaco :
Indico que o projeilo sobre a admois-
Iracaj) local, que tem 105 artigos, e se
idia dividido rasete partes ou capitules,
s^ja posto em discnsso por cada urna
destas selfl partes, em vez de ser poi-
cada um dos 103 arligos, allerando-se
para este flm smenle o disposto no regi-
ment. Cruz Slacluido.t
Contina a 2 diseiMso do art. 2o do
projecto sobre a reforma poljcial.
O SR. ARUJJO LIMA : Sr. presidente,
nao posso dar meu voto ao projeeto que
se discute, porque, em minha opinio, elle
nao satisfaz a necessidade alguma, nada
melhora, ao contrario perturba e anirchisa
toda a administraco da jnstica.
Nao sem sorpresa tetiho ouvido dizer
que a adopeo desta lei urna satisfoco
9erae-
*
SESS0EM3DE6ETMBR0
PBESIBENCIA DO SB. NEB1AS.
As seis horas e 3/4, da tarde feita a
chamada, verifica-se haver numero sofucien-
te o abre-se a sessSo.
L6-se e approva-se a acia da antece-
dente. .
OSr. Io Secretario da co.ita <\o se-
guinte
EXPEDIENTE
Um officio do ministerio do imperio, coir -
raunicando que se expedir aviso presi-
dencia da provincia do Cear sobre a deci-
sao desta cmara a respeilo da Heico pri-
maria da freguezia de S. Bernardo das Bu ;-
sas, do i" districto da mesraa provincia.
Inteirada.
Cinco do Io secretario do senado, parti-
cipando que o raesmo senado adoptou. e
vai dirigir sanccSo imperial, s resolucoes
da assembla geral sobre penses.Iulei-
rada.
Cinco do mesmo secretario, communican-
do ter-lhc constado que S. M. o Imperador
consente as resolacoes da assembla geral
approvando pensoes.Inteirada.
Leu-se, e vj) a imprimir para serem
snbmelldos votaco cinco das depois,
na forma do regiment, o parecer sobre as
eleices do 2o districto de S. Paulo ; e em
projecto concedendo isenco de direitos. a
companhia da estrada de ferro do Rio Gran
de a Jacarahv.
lintram suepevimente em discussno,
e sao approvadas sera dbale, as redaeces
sobre a concesso de favores obra Ava-
las do Imperio dolirasil; isenco de direi-
tos de importaco companhia de illu ni-
naco a gaz da capital do Maranho; apo-
senladoria ao conselheiro Jos Mara de
Avellar Brotero; lieenca a Joo Jos Hcn-
riques; privilegio a Benjamn Upton, pira
o fabrico e venda de tijolos ; o matricula de
estudantes.
Entra em discusso o projecto appro-
vando as penses concedida a D. Eulalia
Candida Cardoso de Barros e outros.
OSh. Bhtk.ncouiit pede, c a cmara
consenle, que o projecto tenha urna s dis-
Ihantc- proposicao nao e exacta.
Em 1842, verdade, por cansa, 011 por
occasio da lei da reforma, derramou^se
sangue brazileiro em luta transferida.
Mas de 4844 a 4848 foram chamados ao
poder os chefes do mov ment armado, os
quaes declararam que a alteraeao da le
eslava anda verde : isto histrico.
O Su. G.vMv Ckrqvteiiu: Apoiado.
O Sr. Atiaiuo Lima : -Corren 10 o lempo,
e sera fallar em peqaenos periodos, go-
vernaram ainda os liberaesde 18)53 a I8HJ8,
e to pouco cuidaram da annulaco dessa
lei famosa. Nao vejo ainda que pelos
raeos da pubticidade, que sao usados nos
paizes livres, representac5es de autoridades,
funecionarios pblicos, cmaras municipaes.
assemblas provincias, povo ou imprensa
se haja pedido a revogaco da lei de 3 de
dezerabro de 1841.
Onde, pois, esto os reclamos di opinfo
publica ?
Mas de IG de julho de 1868 em diante
nao levantou-se um brado popular contra a
lei de que se trata ?
Prorompeu, verdade, urna gritara me-
donha contra ludo e contra todos, contra
os factos que se inveutaram, se ennegre-
ceram, ou se disliguraram de urna maneira
horrivel; contra os principios os mais in-
concussos que se contestaram, ameacando-
se at nossas instituices com reformas
radicaes, (jue nao pudem ser feitas seno
revolucionariamente. Mas semelhante opi-
nio sera rdlexo e sem verdade, j in-
diana de ser atlendida.
Pondo, porem, de parte as consideracoes
que lenho exposto, quaes sao as ideas que
o projecto no seu art. 2o pretende realizar ?
0 projecto no seu art. 2o trata do corpo de
delicio e consagra o principio da competen-
cia do poder judiciano para a formagao da
culpa, bem como o da polica para a for-
maco do corpo do debeto.
Sr. presidente, nem na forma, nem no
fundo merece minha approvaco o projecto
que nos oceupa.
No cdigo do procsso criminal, como
na lei da reforma de 1841, obra dos esta
distas mais notaveis de todas as opinies po-
lticas, raui diversa a redaeco que se
emprega.
Nessa legisla;o o artigo encerra urna
proposicao ou idea; os paragrapbos as
subdivises do artigo. No projecto em
discusso o artigo nao exprime idea algu-
ma, passa-se logo aos paragraphos.
Nessas legislaces, com relaco ao corpo
de delicto, a linguagein consagrada esta :
frrna-se auto de corpo de deleto, procede-
se a corpo de delicio, examinam-se os ves-
tigios do crime, dcscreve-se tudo quanlo se
observa.0 projecto emprega urna lingua-
auto-
- r
de delicto "as-
dacompwdia-se em dkersas funcette.
;a conferida a um jury :,
ao conseiho de estado ; o1
eiiw ao tribunal ; a approvaclo 00 rejei-
>rpo legislativo.
9fpb oxeentivo era decoraposio igoal-
mente em aeco sobre o interior e aeco
sobre o exterior, com primeiro e segando
cnsul, administradores, geoeraes, dipl-
malas. Era cordado o edificio por um
grande eleitor, que limitava-se a nomea-
os altos f-iccionarios.
Esta concepeo do idelogo frau;ez, que
cora urna ousadia desmed.la qaalicarei
de pouw ajuizado, por se dar ao trabalho
pueril de fabricar constitucea....
O Sn. FiGuniB.% de Mello : -Apoiado.
O Sr. Duque-Estrada Trixkiua : Era
um grande progressista, eraumi grande
cabeca.
OSn. Anduvdk Figueira e oltbosSenho-
nEs d) apartes.
O Sr. Araujo Lima : Senheres, emit-
liodo o juizo que expuz, filo com summo
i-eceio. E sem queror entrar era longo de-
bates, observar apenas o seguinte : um
paiz qnoha quasi um seclo aeha-se era
estado permanente de revolujao ; em que
os governos mal duram 18 annos. nao
offeroce nem sabios, nem instituices que
possam ser objectos de respeilo e admi-
rae5o dos homens sensatos*
A concepcao do idelogo francez^. digo,
acerca da qual Napole5o fez juizo to se-
vero, nem chegou a ter execuc). Nao se
pi'ide, pois, pela pratica avahar seu ment
011 demerito. Mas o Sr. de Iterante a pdala
assini o valor theorico dessa conslituico :
A idea fundamental da conslituico de
1791, a separaco das feles do mesmo
poder, diz lie, la sa.
Os corpos polticos nao sao seres abstrac-
tos de quem se exija quo renmiciem as con-
dicoos de sua exisl.ncia, que obedecam a
urna inspiraco nica. A eouservaco se-
ria rutina; a iniciativa, desordem : o exa-
me, opposico ; a adopcao, mera formali-
dade.
Com relaco ao poder executivo, conti-
na o mesmo autor, a extravagancia seria
ainda maior, com a nomeaco pelo grande
eleitor. de agentes, a cuja ac;o seria intei-
ramente estranho....
Senhores, estas consideracoes applicam-
se a questo que nos oceupa.
0 poder judi jiario nao pode decompor-
corpo
cussao.
Vera a mesa diversas emendas approvan-
do outras penses.
Ningnem p-dindo a palavra, e ponde-se
a votos o projectOj, approvade com emen-
das e remeltido a commisso de redac-
Co.
Eutra em 3* discusso a proposta
abrlndo ao ministerio da Tnarinha, p3ia a
compra da llha d^s Enxadas, um crdito ex-
traordinario de 1,450:0005000.
Ningura pedindo a palavra e procedendo-
se votaco. approvado a proposta (1 re-
mettda commi?.s3o de redaccao.
Entra em 31 discusso, e approvado
sem debate, e reraettido comraissjde
redacc5o, o projecto determinando que no
regulamento que o governo estabelecer aara
afiscalisaco, seguranca, e polica uas liuhas
e servico telegraphico, poder impr aos
infractores penas de multa at 2005 de pri-
so al tres mezes.
Entra em 3* discusso o projecto au-
tonsando o governo a contratar aconslruc-
c5o de dcas em differentes porlos do im-
perio.
(J demos em nosso n. de 16 de seiem-
bro esta discussap.)
ORDEM DO DA.
Entra em rd;scosso, e appro>ado
sem debate, e pasa 2a, o projecto sobre a
reforma municipal.
0 Sr. Junqueisa requer dispensa de in-
tersticios para que este projecto entro na
ordem do dia seguinte.
Consultada a cmara, decide pela aflir-
mativa,
O Sr. Cruz Machado (pela ordem): Sr.
presidente, o nobro deputado .pela provin-
cia .da Babia reqnereu cmara para que o
projecto sobre administraclo local fosse dado
para 2a discusso1 amanhSa. O regiment
determina que, em 2* discusso, os pr >jec-
toa sejam discutidos por artigos, e o oro-
jeclo de que se Irata tem nada menos de
405 artigos.
E' costume e pratica dos pirfamcr tos,
que os grandes prejectos sejam disentidos
por partes, assim o foi o cdigo do om-1)
mercio e ostras leis extensas, alt*rando-sc
o regiment para este Bm.
gera desusada, diffusa e confusa : a auto
ridade policial summariamente em
provas do crime.
E' questao de forma, bem o sei: mas
emquanlo as palavras expriinirem o que
so passa na alma, nao podem ellas deixar
de ter importancia. Alem de que a con-
fuso de linguagem parece revelar idee tico
defeito no espirito daquelles que propem
esta lei.
O Sr. Duque-Estuada Teixeira : Mas
onde v S. Exc. divergencia de linguagem.
O Sr: Araujo Lima :Comparndose o
cdigo do procsso e lei da reforma,
quando trata do orpo de. delicto, com o
art. 2" do projecto, ha differenca enorme
entre urna e outra linguagem.
O Sn. Duque EsmADA Teixeira :Ento
V. Exc. remette-nos a essas leis, nao quer
nos favorecer com a demonstracao ?
O Sr. Abaujo Lima : No cdigo do
procsso, quando se trata do corpo de de-
licto, as expressoes sao estas : formase
ato de corpo de delicio; na lei da re-
forma, que copia o cdigo, dz-se:proce-
de-se a corpo de delicto. A commi>sao
emprega urna linguagem nova, rompe com
o passado. Em que se funda o desprezo
da linguagem, consagrada na legislaco
a semelbante respeito ?
Porem. Sr. presidente, deixando a ques-
to de forma, vamos questao de fundo.
O projecto estabeiece a separaco da jus-
tica e da polica, isto a justica forma a
culpa, a polica forma o corpo de delicto.
Esta separaco em principio e um erro....
O Sr. Gama Cerqueira : E na pratica
unta illuso.
se em funecoes que colligem provas, e func
Cues que as apreciara. Estabelcce-se a se-
paraco ? Os resultados seriara es'.es. O
individuo, que collige provas, ou entrega-
se a urna aclividade febril, perturba o con-
funde tudo ; 011 a inercia, deixando tudo a
coma dojulgador, a quem cabe o mrito ou
demerito final.
Com relaco ao julgador, idnticos se-
rara os inconvenientes. Cora o m de
moslrar-se mais hbil, o julgador poriatudu
em desordem: ou ce leudo a indolencia, li-
mitar-se-hia a aproveitir o trabalho feito.
Senho'es, as operacoes do espirito nao
esto no caso das operacoes materiaes, do
fabrico de um baralho de cartas 011 de urna
ciixa de alineles, em que as operacoes ma-
teriaes dividem-secom proveito por nume-
rosos agentes. No poder judiciario s col-
lige bem provas, so as ju'ga bem aquelle
que rene a,s duM funcc5es, que acompa-
nha o crinii' dsde o primeiro al o u timo
acto delle. S assim se pode ter investiga
dor e em que pode estar um julgador apto
e esc'arecido.
Isto posto, senhores, a separaco da po-
lica e da jusiica um principio falso, alm
de malfico : de forma que quando fosse
oossivel estabclece-lo, serii manifestamente
era detrimento de boa administraco dajus-
tiea; alm de que o principio contradic-
torio.
O projecto airma e nega ao mesmo tem-
i a separaco inculcada.
Quando o juiz municipal intervemna for-
marn da cuipa, quando o juiz de direito
preparaos processos para serem subraetti-
dos ao jury, quando o jury examina as ma-
terias de que conhece, todos, juiz munici-
pil, juiz de direito, jury, ratificara, refazem
todo o procsso, desde o sen primeiro acto
at o ultimo; todos tem direito incontesta-
vel de remootarem-se at o corpo de delic-
to, com o fim de colherem todas as informa-
Cues, todos os esclareeimentos acerca do cri-
e seos autores, com que possam dar
bre depatado possa produzir todo o seu
0 Sr. Abaujo Lima :A razio simples.
A autoridade que tem de julgar nao pode
deixar de ter o direito de obter os ele-
mentos de convieco, entre os quaes figura
sem contestacSo o corpo de delecto. Assim
a formacSo do corpo de delicto esseoci-
almente inherente ao poder judiciario.
Com territorio menos extenso, com pefl-
soal mais habilitado diz, a commisso,
estab'elecer-se-hia a separaco completa
um colligiria as provas, ontro as aprecia-
ra ou julgaria. Semelhante -principie,
alea de errneo, seria malfico ; parque
s servira de empecer a boa administra-
Cao da Justina.
Em 1795 o padre Syis, cujo silencio *
depkrava como ama caiamiade publica,
Portanto, para que o reijaerimento do no- apreserteo um pTOjiectb d cdsthoicSd,
qe se toroou nola*l. 0 poder lejjsl-
me .
suas decisas conscienciosamente. (Apoia-
dos.) .
Isto esl no cdigo do procsso, e na le
de reforma o respectivo regulamento.
O Sn. Anorade Figueira : Isto nao se
pode tirar ao juizo ordinario.
O Sn. Araujo Lima :E, senhores, pre-
ciso accrescentar: tal a disposico da le
gislaco franceza, que consultamos a cada
instante, e qu muitas vezes copiamos com
ponco criterio.
Segundo o cdigo do pi-Qcesso criminal,
a formaco do corpo de delicto s competa
ao ministerio publico nes casos de flagran-
te delicto : mas nesse caso tambem com-
petente para faze-lo o juiz instructor do pro
cesso ou fumador da culpa, como se v
dos arts. 32 e 59 do referido cdigo.
Fra do caso do flagraute delicto, o juiz
formador da culpa obtem por si todas as
provas, procede a todas as invesligacoes,
at aquellas que tem a natureza do^ corpo
de delicto, segundo se l nos arts. 5o a 112
do mesmo cdigo.
Na legislaco de Portugal ha disposico
idntica. Segundo o Sr. Nazareth, procs-
so criminal 82, a formaco -do corpo de
delicto da competencia de todas as auto-
ridades judiciarias da comarca. Como pois,
se diz: theoria inconcussa a separaco da
oKia eda justi;a ?
Senhores, ha duas sortes de policas, ad-
ministrativa e judiciaria; a primeira, sabe-o
a cmara, previne o crime; a segunda, com-
raettido o crime, investiga as provas, col-
lige-as, entrega os autores ao poder judi-
ciario.
A polica administrativa e deve ser se-
parada da jtistica; a razo simples. O
agente della acompanha o hornera era toda
a parte, em lodos os actos de sua vida ;
observa-o, espreita-o, Iota com elle ; est
irevenido, est apaixonado quando tea de
algar; nao pode ser juiz.
Na polica judiciaria, o caso outro, na-
da disso se d. Nada veda que quem eoll-
ge as provas seja juiz.
Isto posto, se o nobre deputado exami
nar com attenco os autores a que referi-
se, ver que o principio da separaco vi-
gora relativamente a polica administra-
J-Uva, mas nao rolativanento a policii judi-
ciaria. ^
Alm do exfoslo, fojecto iraprati-
cave} qnaado commett ao poder jadieiario
a formacSo da culpa. Pergunto a nobre
commisso : ella capaz de fornecer a c-
mara o quadro d > judiciaria e po-
licial do imperio com as respectivas distan-
cias ?
Sera este conhecimento -nos impossivel
legislar, por nao sabermos, se, conforma-as
distancias, o juiz municipal poder dar va-
sao a semelhante trabalho,
O Sr. Vieira da Silva d um aparte.
O Sr. Araujo Lima : A queslo nao de
aigislaco de chorographia.
O que se segu daqui que, parodiando
o quo se disse no parlamento inglez em
certa discusso estamos a dar saltos as tre
vas, ou na cachoeira de Paulo Alfonso. Mas,
ponho isio de parte, e passo a outras consi-
drateos.
As distancias do Brasil sao immensas;
ha localidades que distam das sedes dos
termos 20, 30 e .",0, e at ebegam a 100 le-
guas, como Sant'Anna do Parnahyba de Mat-
to-Grosso. (Apoiados.)
Agora pergunto a nobre commisso:
comraette-se um crime em semelhante dis-
tancia : como que o juiz municipal ha de
formar culpa? Transporta-se para taes
loealidades ? Manda chamar a sua presenga
as testemunhas ? O nobre deputado bem
v que despeza e delonga immensa, que
verdadeira utopia.
Vamos aos centros da populaco, aospo-
voa Jos mais importantes, as cldades, as vil-
las, as capitaes, a corte: a nobre commis-
so capaz de presentar nos o quadro dos
processos de formaco de culpa, por exem-
po, na corle 7
Com taes dados, poderiamos avaliar se
tres juizes municipaes que temos na corte
seriam capazos do desempenhar semelhante
trabalio. Em falta de taes dados, conti-
nuamos a dar saltos as trevas ou na ca-
choeira de Paulo Alfonso.
Mas, fique isto de parte, i-om dezenas
de subdelegados, delegados e chefes de po-
lica, de juizes municipaes, a administraco
da justica morosissima : os processos es-
to annos sera andamento. Como que
Ires juizes municipaes na corte, distrahidos
com mil obrigaces civis ho de formar cul-
pa em todos os crimes que aqui se do ?
Segundo o ju'o geral quo tenho ouvido,
o projecto um verdadeiro desacorto ;
urna impossibilidade. .
Est o governo disposto a elevar prodigio-
samente o numero dos juizes municipaes que
forraam culpa ?
Contra isto apenas se offerece urna pe-
quena dilficuldade. Dinheiro nao ara
que se manda buscar na praia a von-
tade.
Estamos semprc a invocar os exem-
plos da Franca ; mas ah o coso mu di-
verso.
Em cada districto de 4a instancia ha um
ou dous magistrados encaramados nica-
mente da instrueco dos processos ou for-
maco da culpa. Em Paris clvga o numero
a 21. Entre nos o que ha ? Accumula-se
tudo, o civel, o crime. Concebe-se que em
taes condicoes se possa dar conta de tanto
trabalho ? Peco lieenca para diz-lo : ver-
dadeira utopia,
Senhores, a legislaco que temse sabia,
accommodada vastido do territorio
brasileiro. A formaco de corpo de delic-
io, como a formaco de culpa, confiada
a mutiplicadas autoridades espalhadas pela
mraensa rea do paiz, e nem pode deixar
de ser assim.
Agora foco ain la urna pergunta com res-
peito aos corpos de delicto.
O supremo tribunal do justica, a relaco,
o juiz de direito, o juiz municipal nos ri-
mes cujo julgamento Ibes compele ficam
inhibidos de procederem a corpos do de-
licto ?
0 Sr. Gama Cerqueira:FfeM. segundo
0 projecto, que diz :exclusivamente.
0 Su. Araujo Lima :Parece-me que isto
nao se funda em razo alguma, que c a ne-
gaco da justica. A commissose diguar de
esclarecerme.
Passando as disposicoes que se compre-
hendem nos diversos paragraphos c nme-
ros, observarei que, mais ou menos, achara-
se ellas estabelecidas na legislaco vigente,
com mais alguma correceo do linguagem,
sem se dizer colher vestigios, em vez de
examinar, para o que chamo a attenco da
commisso.
A commisso falla em informaces sum-
maras. 0 quo vera ser isto?
Para evitar detengas e despejas creio que
bastara indicar no auto do corpo de delic-
io todos os esclareeimentos precisos, relati-
vos .0 crime, suas circumstancias, bem
como relativamente ao criminoso, como dis-
pe a legslacoo portugneza. Isto basta-
ra, tanto mais que na formaco de culpa
ratifica-se todo o procsso.
Senhores, esta refonna vai seinelhanndo
reforma eleiloxal de 1855. Sem se fol-
iar em tal mudenca, alterou-se o ystema
eleitoral, com o flm, dizia-se, de fazer re-
presentar as menoiorias. Que resultou? C-
maras mais unnimes do que nunca. Agora
procede-se do mesmo modo. Modifica-se
a lei de 3de Dezembro de 1841, s-para-se
a polica da justica, sem qao ninguem o pe-
ca, excepto a gritara insensata de um par-
tido, que em feu delicto se julgava eterno
no poder. Nullasscro as vantageus.como
neste caso.
Quer-se attender opinio publica ? Sa-
tisfai;o-se enlo as aspiracoes de todos 09
partidos, que se cifram nisto : o governo
me pede tudo, o governo 6 omnipotente.
Estreite-se um pouco a esthera de activi-
dade do governo, passem-se algumas attri-
bucoes para o povo. Procede-sede outro
modo ? Nao se aplaca, irrita-se a opinio
publha; porque a reforma urna zombaria.
(Muto bem.)
agora no
pontos; fa-lo-hei
le me resta.
A exclusiva competencia dada s autori-
dades poli venientes, e
dos mais graves, qae este projecto encerra.
Se aftendermos que a primeira condico
para a represso dos ci irnos consiste exac-
tamente em tomar os seus vestigios, em ve-
rificados na occasio em que se commettem,
em procurar perpetua-Ios, por assim dizer,
claro que a legislaco deve, quanto ser
possa, multiplicar os agentes encarregados
da conecco dos corpos de delicto. -
O Sh. Araujo Luda : Apoiado, e sem
isto a jusiica criminal est mora.
O Sn. Andbade Figueira:E' verdade ;
e a tradico di nossa legislaco tem sido
constantemente esta, facilitar a formaco
do corpo de delicto pelo maior numero de
agentes da autoridade.
Assim, sem remontar ao'cdigo do pro-
csso, a lei de 3 de dezembro, cassandoaos
juizes de paz grande numero de attribuices
ou quasi todas as attribuices policiaes que
tinham, conservou-lhes esta, c amplou-a aos
juizes municipaes, aos subdelegados, aos
delegados e aos chefes de polica, de serte
que todas as autoridades policiaes e judicia-
rias, que formo culpa, que podem prender .
I esto por esta le armadas com a faculdade
de proceder a corpo de delicto.
0 projecto, que veo iocompatibilisar os
cargos policiaes com os cargos judiciaros,
que velo assim incompatibilisar o juiz mu-
nicipal com o cargo de delegado; o projec-
to veda que as autoridades judiciarias tor-
mera o corpo de delicto.
De sorte que este projecto veio a nutili-
sar assim o juiz municipal eos juizes de
paz para forroarem corpo de delicto, isto ,
veio desarmar urna autoridade que at hoje
faz o corpo de delicto em todo o termo ou
municipio, e autoridades locaes que at aqui
o fazem era todas as freguezias e al era
tsdos os districlos em que as mesmas fre-
guezias se podem subdividir. Esta dispo-
sico favorece por certo, como cumpria, a
represso do crime.
Pretende'o bonrado relator da commisso
que era urna consequencia da separaco das
funecoes policiaes, daifuneces judiciarias.
Mas, se o honrado relator da commisso
o primeiro a confessar que o procsso da
formaco da culpa pode perlencer, polica
judiciaria e nao justica, se este principio
esl mesrao consagrado...
O Sr. Alentar de AnAnir-E: Digo que
pela sciencia duvidoso.
O Sr. A.ndrade Figueira : Ser duvi-
doso perante a sciencia, mas, para o nobre
deputado e para a Ilustre commisso, que
o conrignou no parecer que precede o pro-
jecto, nao o seguramente.
0 Sn. Alencar ARARiPEd um aparte.
O Sr. Andrade Figueira :Mas reconhe-
ce que o extremo, a pureza do principio,
ete : compete ao juiz, o julgamento.com
pete s autoridades policiaes a formaco da
culpa; nao d praticamente toda a appca-
Co ao principio, mas o reconuece em suu
essencia,
Se este o principio, nao comprehende
como possa a honrada commisso sacrificar-
llie una conveniencias, social para a boa
administraco da jusiica, to interessaute.
como esta de facilitar o mai9 possivel a
formaco di s corpos de delicto.
Portanto, nao s a disposico inconve-
niente, como ainda Ilgica no proprio sys-
tema do projecto, segundo as declaraces
od honrado relator da .3 ramisso.
Quanlo ao 2o, eu o julgo intil, porque
est consagrado na legislaco actual; ah
se diz : A autoridade policial ou os seus
agentes, comparecendo no lugar onde se
acabe de perpetrar algum crime, pode,
prohibir a entrada ou sabida de qualquer
pessoa. etc.
Nao ha actualmente anloridade policial
que nao pratique essa diligencia sempru
que se torna necessaria ; ella resulta das _.
disposicoes do cdigo, a respeilo de ordens
de priso, de buscas e entrada em casa
albea: l esl textualmente escriplono
art. 180 e al com maior desenvolvmento
do que se acha neste paragrapho ; a an-
loridade pode proclamar incommunicavel a
casa do cidado ; nao ha necossidade desta
disposico.
E bastava, senhores, a faculdade do
prender, para que se reputassem concedi-
dos todos esses meios praticos que o para-
grapho consagra ; desde que d-se au-
toridade a attriboico de prendar e do
fazer o corpo de delicto, nao se lhe pode
recusar todos os meis necessarios para
realisar esses fins. a saber, as buscas, a
prohibico de entrada e sabida de casa.
Quanto ao 3o j declarei que intei-
ramente intil, porque vem no cdigo
do procsso, art. 430, consignado ^prin-
cipio que a autoridade, por occasio do
corpo de delicto deve procurar colligir
ludo quanto encontrar no lugar e na vi-
zinbanfa e todas as circumstancias que
possam servir de pruva.
- Este o principio synthetico que ajei
deve consagrar ; quanto sua applicac(,
fica para o desenvolviinento scientifico do
direito e jurisprudencia dos tribunaes. J
est desenvolvido su lucientemente no re-
gulamento que o governo expedio, man-
dando executar o formulario para os pro-
cessos criminaes. All deram-se, com re-
laco aos crimes de que trata o cdigo
criminal, formulas sobre os quesitos e re-
cemmendacoes s autoridades sobre a ma-
neira por que ho de proceder na confec-
Co dos corpos de delicto.
O formulario meltorou consideravel-
mente os corpos d delicto e os processos
de formaco da culpa. Haja um pessoal
intelligente, que comprehenda o formula-
rio e os principios da lei que elle desen-
volve, e ficar satisfeita a necessida de co-
Iher-se no corpo de delicto tantas quintas
provas pode a autoridade policial encontrar;
mas este simples arligo nao ha de sem du-
vida dar as habilitaces de que as autori-
dades actualmente precisam. Nao lhe vejo
utlidade ; urna perfeita superfluiedade :
t Ns Io e 2o do 8 3o: Exame no corpo
da victima ou offendido ou nos objectos
qae tenham soflrido violencia, e do lagar e
as viznbancas. ..,.,.
Outra superfloidadade, outra rantdidade.
Desde (e o exame do lugar importa
para a veriicacSo do delicto. nao ha auto-
ridade policial, por mais ^rj2;
mande examinar: logo, 6 .P22S22?-to
Intil, soperfluo, repetir aqu dlsgojicoes
nue sioi consignadas em let, e sobretodo
com ares d novidades reformadoras,
< A guarda dos instrumentos de crime.
f099tinua>- 0 SR. ANDRADE FIGUEIRA :-Sr. pre-
sidente, na primeira occasio em que Uve a
honra de dirigir a palavra cmara a respei-
to do artigo em discusso procurei demons-
trar que o projecto de reforma nao ofiere
ce em bem dos direitos individuas dos cda-
dos aquellas garantas que se apregoo.
Assim tambem procurei demonstrar que o
art. 2. em discusso nao fazia mais do que
consignar disposicoes superfluas, j consa-
gradas na legislaco actual que em nada
absolutamente podiam augmentar as garan-
tas dos Jdireitos individuas, que smente
apresentava tres disposicSes que continham
raaleria nova, consistinlo em reforma do
nosso procsso actual: a saber, a exclusiva
competencia autoridade policial para for-
mar o cerpo de delicto, e alteraco das p>.
gas que devem compor de ora em diante o
corpo de delicto, e finalmente a resaura-
cio do cprtd de delicto indirecto, separadlo
da farmacio da palpe, conforme era peh W-
-
. -
V
4
"Vot s.f*->:*" '' '


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELDJK9PNY_YFA9JD INGEST_TIME 2013-09-13T21:44:01Z PACKAGE AA00011611_11966
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES