Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11965


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XU. NUMERO 233
?KU A CAPITAL E LffGABES OJTOE IAO SE PAGA POBTE.
Por Ires mozes adiantados. .
Por Mi* ditos idea. ............. WOOO
Por um auno dem. .......... MIMO
Cada numero trvuk ........... 24^)00
.............. 3*0
DIARIO DE
ffi** FEIBA 12 DE OUTUBRO DE ISG9.
------------------------------------------------------------------------------------.---------
?A*A DEWBO E F01A DA PBOVWCIA.
Por tres me2C adiantados. ..........
Por seis dito$ ideal.............
Por noM ditos idem........, *
Por un anno............ ........
13*500
ao#2
27H0
Proprtoiade de Manoel Kguefra de Para & Filhos.
NAO
AGENTE
A? ~. noAss^tonio Marques d, Silva, n* Katar; Jos*** '
r
-
jV -
?
i
I
PARTE OmCIAL.
tttt^Wfc-J^K^SSR
Ctoverao da provincia.
(CX^DWa MSIIJMAIX PBf.0 EXM. SR. DR. MVXORL DO
NASCO4KNT0 MACHADO PORTEM.A VICB-PRESIDKNTF
I'A PteriNCIA, KM 18 DK KUt Di: 18.
v _. 4" fio.
iv 5r Portara ao Exm. general commandan-
f das armas.Eejfcea V. BXe. ordem, para qae a
enenaia do gaz in.Ti-skMme eowamidtv n.r
re-paitn-oes Mijeilas a e< cita .-ni pmsMfa d,; um otloial habilitado, ssodo
as n Has por esta occasio tomada*, rametridas !
saj presidencia para tor o couvanie ite deslino.
iS7.Dita ao. mesmo.Minde V. Etc. por
<*n fiberdade. o recrula Pudro Francisco Mariano,
visto tor sido julgado incapaz do servido do exor-
dio, como se v da tormo de inspeceo que voio
miwxi ao sea olflcio do n. 410 de ii do correal,
X. "Ii.Dita a-i director do arsenal da guerra.
Mande V. s. construir nesse arsenal, una perna
irtiflBial de madeira, de dualidad?, pira o soldado
reforma*!, do corpa n. 53 de voluntarios da pa-
tata Jos Loa(lardoso, como 9olieilou o brigadei-
io commuidanto das-armas em ofllcio de 13 do
frrenlo sob n. 41.1.
. 5(5.Di ao ceito do porto.Arabo de
expedir ordem para.,eer posto em llberdade, se
moda esiiver preso, e dispensado do servir da
izoar la naciouai, o matriculado desta capitana Fe-
liz Justino do Espirito Santo de que traa o olUcio
i- V. 8., o. 90 de 14 do corrente.
T .'70rJtta ao mesmo.Tando-se retirado
para fura da ,.rovincia o Sr. W. Otto, cnsul da
ni'lT.icao norteallemaa, segunda me partir-
(iiia om olflcio de 8 do corjenle, deixou enear-
rfeg.tih ila ;> 'ivnria do mesmo consulado, durante
sjia aujfluaia ao Sr. Horniain Ledebour, assim
oomuunico a V. S para seu conlieeimento di-
recio.
571. -Dila ao capitao Trajano Alipio de Carvalho
Mend mea.atando terminado as ir,iballios da
comatisseoenearregada de inventariare arroeadiir
.s^ieni pertciirentes a extinetacolomnia militar de
t'imentoiras da qual Vine, fez pane, cabe-me a
ali-r.cii ,1.'a^radeccr-llie a boa ronlade, com
pile z.'lo e solicitado coai qae a desem.i^iliou.
X. *i'J.Ijjnaes Joaipiiin Porcira ll.asflh
AHtonio Dorm-llas Cmara.
N. 575.Dila ao consellio de cmpus do arse-
nal le guerra.Autoriso o <5)n3.dlio do comfH-as
do ar.-enal de jiuerra, para promover a compra
ohjoel is necessarlos para provimenlo do al-
icioxarado do mesmo arsenal, constante dos po-
li I i- i ni .i- s ib n*. 20 e 21
aN'. 374.Dita ao vice-coiisul da llespanlia.
espeiiilo ao olllcio ijue me dirigi eoi l do cor-
reare o Sr. O. Jota Burson, vice-coiisul da>Hes-
iHiioa. dizendo-llie i|vjnesta data, submetlo ao
cnheciineaa doExm. Sr. miafetro dos negocios
"nan.'''i/os, afim de ipie se sirva de esclarece-la
a d ivida manifestada pelo mesmo Sr. vire-consul
o ceici do funeciouario a i-ielte remii, o cargo de vic.r-consol jteral itile-
ria diuteimperio. Renov ao Sr. vice-consul, a
v.i.M de minha perfeita estima c deaincia
consideraf^o.
2a sereao.
;.. 571.Portara ao Dr. clwfe do polica inte-
rina -T 11 i-se retirado p ira fra da provinvia
w. n!t i, cnsul da eonfederaeai norte-aHe-
inaa. segundo me participou emlli-io de 8 do
%in nte, deixon encrregad) d i gerencia do mes-
nio consulado llorante ua ausencia aoSr. Her-
mn Ledebour; o ijue commauico a V. S. para
sea ronheeimenio.
N. o'fl. Dita' ao conamndante superior da
guarda nacioial de Olinda.Expoca V. S. ordem
pira que logo qoe tor recebid4 presente offieio,
seja p te em liberdado, se ainda esiiver preso, c
msad de semen di 9" batalhio Je inranta-
ria la gaarda naeianal dn muaieipio de Olinda
Mis Justino do Espirito Sauti. acerca de quem
luterm m esM eammaado saperior, em data de 8
dcsto mez, visto ser matriculado na capitana do
Jo.
V. "i"". Dita ao coinmandaiitc superior da
ge inta naeioaal do .abo.Ao lente nuartel-
n istre do balalhio n." ;i9 de iiitantaria da guar-
da nacional do municipio d< Cabo Vvente de
-ti" e
rem tantos, quinto foram os que V. S remellen
doscrimes julgados pelo jury uos annos de 1850,
1861), 1867 1868, visto como teui de organisar-se
una estntislirft de cada auno. Devolvo ignalmente
'iw^n\aan 0ulro dl,s cri,nes ospeciaes decreto n.
1090 1860 por nao seren da competencia deste
juno.
N. 582. Deliberacaq. 0 rice-presidente da
Ipoa fjavalcaati, laadnte quarlal-njee-
tre do btanlo a. 39 da gnard nacional do Cabo,
e em'Tfclta'do qae hiformai o com mandante su-
lieor. respectivo a 5 deste mez, resolve que Hie
seja dada a guia de que
n. 1130 de. Ii de marao oe 18.x, para
da Fwada, onde lixou residencia.
3" iecc>o.
X. 383. Portara ao inspector da tbesouraria
de fazenda.Tendo nesta dita autorisado o consu-
mo de compras do arsenal e guerra, a promover
a compra dos objectos coaalautes do pedido junto
por copia sub n. 20 e 22 os quaes sao necessarios
pan proveniente do almoxarifado do mesmo arse-
nal, assim o comniunico a V. S. para seu conhe-
eimaoto.
N. 584.Dita ao mesmoTendo-se retirado
para fura da provincia o Sr. W Olio cnsul da con-
federaba > norte allemao, segundo me participoo
em olflcio de 8 do corrente, deixou encarregiHte
da gerencia do me*;uo coas Jado durante sua au-
sencia ao Sr. HeAaann Li?defcaoroqft eommu-
nieo n V. S. para seu conliaeimento e lins conve-
niente.
N. 585.Dita ao mesmo.Autoriso V. S. em
vista do sua informacio de bontem sob n. 479, a
mandar por navamerite a praga os alugueres do
propno nacional n 5 sito no Forte do Matios ser-
iando de base a essa arremataba) a olteru de...
1:8005000 annunaes feitas por Bernardjtoferei-
ra de rito no requeriuienlo a que se reTere a ci-
tada informacoes.
X. 586.Dita ao inspector Ha tbesouraria pro-
rmfial.A Ferix Gomes da Silva mando V.S. pa-
gar, depois de liquidada em vista da contt junta
em duplcala, a que se refere o offieio do Dr. chefe
de polica datado do bontem e sob n. 1020. a quan-
tia que justamente se dever, proveniente do alu-
guel, vencido no semestre de Janeiro a jnnlio deste
auno, da casa que servo de prisao no districto do
S. I.oureneo da Malla.
X. 587.Dita ao mesmo.Em vista da inclusa
conta, qu'o me remellen o Dr. chele de polica com
oflieio de 14 do corrente sob.n. 1023 mande V. S.
liquidar e pagar ao subdelegado do Poco da Pa-
nella, ou ao seu procurador o que justamente se
dever do aluguel, vencido no mostr de Janeiro
de Arabo deste auno, da casa que serve de quartel
ao deslamento all existente.
V. 588.Dita ao cliete da reparticao das obras
publicas.Gomninnico a Vine, para seu conlieei-
mento. que em vista do que ponderen a cmara
municipal do Hecife, em ollicios do 1 de dezembro
e 3 do corrente e de ma informaeao de 17 da-
qOMla me, sob n. 14", au'orise a iesma cmara
a alterar a planta do bairro da Boa vista dando a
travesea entre a ra da Ventura e a das Pernam-
bueana, no litgar da Capunga a nova direcrao que
propoz, como menos despendiosa.
. 4' seccao.
X. 590.Dita a cmara municipal da Recife.
Em vista do que ponderou a cmara municipal do
Hecife, em seus olucos de 1" de dezembro ultimo
o 3 do corrente sob ns. 77 e 53, e das informacoes
ministradas pelas repartirles das obras publicas e
tbesouraria provincial en 17 do rilado mez de de-
zembro e 7 de Janeiro do corrente anno, concedo
autorisacaoque pede a mesma cmara para alterar
a planta do bairro da Ba-vista dando a travessa
entro,a ra da Ventura e das Pernamoucanas
lugar da Capnga a nova direc
como menos despendiosa.
X. 391 Dita ao inspector da
Registrada a foiha do livro do feis provmeiaos. i
Secretaria do governo de Pcrnambitco, 23 de ju-
nhode 1869.0-hefe da quart*rfeci-ao, Francis-
co de Lemos Dmrte. ^
O secretario, Dr, Joaquim Correa iU Araujo.
'.---------. 4
OBSP.tCHOS DA VICB-PRBSIWBCA DOS DMS 5 K 6
c
-iBforme o Sr. capitao
nos DMS
dr outubro oa 1869
Delllna Manada toprjajai>.-hideferido.
bJtiuteria Riherte Tavaros do E-pinto Santo.
Pass wrtaria removeada o supplicante para a
oaUraaaAaaanea.
Fraactaa* Prarre da Coala.Junte o titulo de
trata o a. 4o do decrete 'compra do eaganbo de que trata.
, para o municipio uilberm Joaquim da Silva Draga.-Passe.
fia dio Manoel da Costa.ludeferido.
Jos i) Manoel do Oliveira.
do pirto.
Jos Antonio Braga dos Santos.Informe o Sr.
Dr. cliee de polica.
Joeauim Antonio de Castro Nanea.Tendo do
submsttido a decisao do oonsetho de estado o pro-
jecto que conceda nielbora de jobilaco, Ufo po-
de esi a presidencia tomar conbecimeiito deque
reqner.
Jo*j Soaras.Como requer.
Joi Francisco Barbota.Expcca-se ordem.
Mtiioel Femara da Costa. -o Sr. caoito do
porto para fazer inspeccionar o sopploante.
Manoel di Coso. Pereira.Infonno o Sr. enge-
iiheirn ebete da reparttea das obras publicas.
Maria Mareioaila Peroira Lima.Conceda-se
sem 'eacimentos,
Manoel Thoniaz de Souza,Passc.
Maria Josepba Lopes.Informe o Sr. cominan-
dante do presidio de Fernando.
_ 7 _
Antonio Francisco Cavalcant.Eucamnhe-se.
ietcaJo Alves 'lavares.Informe o Sr. inspec-
tor da Ihesonraria .provincial.
Capitao Honorato Jos de Oliveira Figneiredo.
Ja foi informada a peticSo do supplcaiiie.
Alfcres Joaquim Manoel de (^stro Santos.In-
forme o Sr. coronel commandanle superior da
guarda nacional do municipio do ReeKe.
Joan Alves da Cruz.Informe o Sr. inspector
da thesonraria de fazenda.
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello e sua mu-
Iher.Der.larem os snpplicantes o preco porque
prctendem vender o terreno de marinha a quo
alludem.
LuitGonCalves da Silva.Declare o supplicante
a que batalbao perlonce o seu caixeiro.
1.' denuuciacao.
Jos ftrreira da Sirva Chaves, con Francisca
Eulalia*de Souza Lisboa.
Francisco Xavier do Atbayde, con Sfcria ana-
ca de Jonliio Gildelro.
Jannario Jos dos Santos Beruardes. com Felis-
mina da Ce oh* Bates.
Cidronio Sabino starteiro de Carvafco, com
'M*|JPIprentina de Barros WandcHey!
FeBxa*H*Tellez Cintalic, c m Miqoelln Mana
de Jesu
Joao-
dia da
DmM
c*Sio-
Thomez Pereira dos Aojos,
sarte sVStlva Serr.
2.* dennnciaca>>.
Antooio Fernandes Soarcs, com Maria da Con-
ccicao.
ios Antonio de Ahneida- Cimba, com Livina
Correa de Almeda.
Jos Peloiano Uranco, com Cisma Idalioa das
Mercr Lima.
Manoel Constantino dos Santos, com Tsabel da
Coneeinw Seve.
An lolo Rodrigues-Sote, com Gandida Pereira
Ltns..
Ignacio Ferreira, com Francel na Mara
)e de Lacerda, cam Angela Cnslo-
Joec da SHva, com Isabel Maria da 6bn-
cmn Maria do Ro-
a dizer que nada se Hie olTerece oppr, dando-se-
Ibe a competente cwdeacao.Mandoo-se cordear.
Ooiro do Bissiiio, informando o reauerimento
de Colerina Maria d Espirito-SmHo ; declara que
nada teui a opixir, devendo a supplicante cons-
truir a casa, qoe prelmilc, cincoenfa palmos ar-
redada da estrada.Concedeo-se.
Ontro do mesaft informando o r.^querimente
de Antonio QfloPafede Oliveira ; compre-Ihe di-
zer que coBtodo-lbe, ojnir a- minara pretende'
mandar proeejer a execocao- de varias obras na
casa do mercado da fretueaa da Boa-Vista, lenv
bra que seria oftivenieme desaproprar-se a casa
que o |elicionario pretende concertar, visteo man
estado em qne ella se acha presentemente ; por
Si o proposito da apposico fosse apreciar a IrJ
de terma a melhora-lar por certo que, em quai
dons meze de discusso, loria ella deixado conbe-
cer algum ideie, que ao menos podesse ef dts-
cutida. Isteporm nao acontece. Dos debate.-
em que a apposico so teni enipenbado octra coo-
sa nao se condue senao a sua n ventado ao go-
yerno. As aeensacoes infuraladas, as apredaeoae'
; in/nstos e revestidas do mais inesqtinho cspiriti.
do parcialida*, que tem sido feitas eos actos do
gabinete, demonotram que a oppositao do senado
apenas deseja evitar que passe a lei do aremenio.
le, que segundo a nossa constituir), da qual ella
se diz deffensora, Jeve ser votada animalmente.
O parlido conservador.
sor menos dispendiosa a desap'ropriarad"- \ 'conH > ILZZ1 n9er>"> ainil: o ">" atrasado,
irdssao de edincacoes. 1"S". a torn-1 estar sobre a pressao do governo progresteta,.,-
ao.
fao qae
Moura IV--a Cavalcaate, qaefixou residencia no
uniripio da Escada, >eonforms consta da inl'or-
iiiail < n. 951 de 5 do correne, desse commau-
d&superi >r, mande V. S. passar como dclermi-
iie por deliberaba desta data, a guia que pedio e
di* qae trata oart 4o do decrete n. 1130 de 12
de marro de 1833.
S. 578. -Dita ao commandante superior nleri-
n i da guarda nacional deSeriuhaem. Em sota-
cao a consulta por V. S. falta em offieio n. 22 de
' deste mez, tenlio a dizer-llie, que, o consellio de
revista di guarda nacional deste municipio deve
reunir-se na 3' dominga do e irrento mez, para
lomar connecimento dos recursos interpostos das
decisdes do coa-ellio qne fez a quallicaeao do ba-
t.illi.li n. 4"3 de iiiTantarla, e opportunamento ce-
ir nova reuna > para tomar conlieeimento
dos recursos que forem interpostos da retinad da
i|Ualiliiuca i d is guardas para o batalho n. 42, a
i i vai proceder, como determina o arl. 54 do
decrete n. 722 de 23 do outubro de 1830.
X. 579.Dila ao juz de dfreita da comarea de
'.limares.Aecuso o recobimenlo do olllcio de 2
i i corrate, com quo V. rcmetieu-me os mappas
litatiscos desse juizo. Para b'.a confeccao dos
,,ii|i|ia> g.iaes da estatistica judiciaria, os par-
i s someute devem couter os ci'imes commetti-
i..- r.--* anno respectivo, como dispoe o regula-
inente que baixou com o decreto de 30de dezem-
bro de 1865, art. 26, c art. 183 do regulamenio
n. lili il" 1h Contendo os que devolvo, crimes
de diversc anuos, recommendo a V. S. que repa-
ro esse engao, orgaoisando-os conforme os arii-
citados. e razando aeoiipaiftar a cada mappa
u n outro di>s motivos do; crimes.
N. :;s0 Dita ao jniz de .tiro? -i da comarca de
Pao d All..Recbi o offieio do V. S. de 30 do
me/, lindo, e oj mappas esiatisticos, de que trata
no mesmo, menos os do juz de paz do 2o districto
da gloria. Cumprindo a esse juizo a ministrar,
atm dos referidos mappas os de ns. 10, 11,13,
13, A, e-ao juz municipal, os de ns. 20, 21, 24
e 26 civeis, os do ns. 18, 20, 21 e 29 commerciaes,
o os criminaos sob ns. 9 e 15 recoramendolhe,
que m'os edve todos, asim orno os do sobred-
to juiz de paz, e das domis autoridades d'essa
comarca. Incluso devolvo o offieio do delegado
desse termo com todos os mappas policiaes que o
acompanbaia paraserem remoltidos directamen-
te ao Dr. cliefe de polica. Dos mappas do juiz
municipal devolvo tambem o de n. 22 para me ser
Temcttido depois de separado equivoco, que con-
ten, de referir-se ao correte anuo, como se v
dos respectivos dizeres.
N. 581.Dita ao juiz do dlreito da comarca do
roj >.-*Com o ofllcio de V. S. de 13 de junho ulti-
mo, r.'cebi os mappas estatisticos queaejejuizo
incumbe ministrar em virtude do decrflleip357t,
de 30 de> dezembro do 1865, coTrespoodait* ao
anno prximo passado, assim eomo os do juiz mu-
nicipal delegado do tenno de Cimbres e o de n.
17, dojftiz de paz do 2 distnote da freguezia de
Cimbree a quem compre, qoe envi Igaalmenie o
de n. 1. Remeiteu V. S. mappas des folgamentes
pelo jury, do erimos comroetados Julgados em di-
verass annos, ma tendo acompanhado aos mesmos-
so um, demou3trativo do motivos dos referidos
crimes, devohm-o iadso fJaw em logar delle, vi-
saiide do porto.
Pelo olllcio de Vmc. de bontem ditado flquei intei-
rado de Inrer fallecido um, e se restabelecido o
outro dos dous marinbeiros do origuo inglez Se-
mrek qne se achavam em tratamenlo na enfenni-
ria di Lazareto do Piua, c nao ler apparecido
cas i algum da onfcrinidade d? qae foram elles
acommettidos.
X. 591 Deliberarao. 0 rice-presidente da
provincia, altenJendo ao que req aeren o pratican-
le da secretaria do governo Jo: jnini Ribeiro de
Aguiar Montarroyos, resolve coiu eder-lhe 3 mezes
no
propije,
do licenca com a respectiva grat
lar de sua saiide, onde Ibe conv
>'i
eXPUMBHTB ASSIGXADO PBU) >:.
REA DE AllAUJO, SECUETARtO D
DE JULHO DE 1869.
Ia seccao
X. 593Olllcio ao Exm. Sr.
dante das armas.De ordem de
ce-presi denlo da provincia declij
resposta ao seu ofllcio de 15 do
flcaco para tra
r. '
|DR. JOAQUIM Obi-
L> GOVERNO, EM 10
teiieral comman-
S. Exc. o Sr. vi-
ro a V. Exc. em
corrente, sob n.
i 13, que fina expedida a conveniente ordem ao
director interino do arsenal de 4 tierra para man-
dar construir a perna artificial p ira o soldado re-
formado Jos Leo Cardoso, de 1 ue trata o citado
ofllcio.
i' seccao.
X. 594Olllcio aoDr. chefe de polica interino.
O Exm. Sr. rice-presidente d. provincia man
da declarar a V. S. em resposta c s seus offlcios de
14 do corrente, sob n. 1,020 e ,023, que a tbe-
souraria provincial tem ordem p; ra pagar a Flix
Gomes da Silva, a quanta de 42, ,000, e ao subde-
legado do Poco da Panella, ou a seu procurador
a de 6003000 constante dos citados offlcios.
rno de Pernam-
0 convidadas as
ios termos da lei
4.a Seccao.Secretaria do govt
buco, 9 de outubro de 1869.
EDITAL.
Pela secretaria do governo, %
pessoas, que quizerem contratar
n. 880 de 23 de juabo ao corre te' anno, abaixo
transcripta, oesabetecimento ne-ta cidade de urna
casa de banhos salgado?, a a presentaren) euas
propostas em cartas fechadas a Exm. Sr. vice-
presidente da provincia 110 da 31 do corrale.
LEI N. 880.
O Dr. Manoel ao Nascimento Machado Portclla,
vice-presidente da provincia de Pernambuco : Fa-
jo saber a todos os seus habitantes, que assem-
blca legislativa provincial decretou e eu sanecio-
nei a resolucao seguinte :
Art. l. Fica o presidente da (provincia autori-
sado a contratar com Adriano Xavier Pereira de
Brto, ou com quera melhores vantagens offerecer,
oestabelecimento nesta cidade dej urna casa de ba-
nhos salgados.,
Art. 2. 0 contratante nao ter em teraro algum
sob nenhum pretexto, direito a qualquer snbven-
sao aos cofres provinciaes.
Art. 3. 0 contrato dorar vale annos, dentro
dos quaes o direito do contrataute ser resoei-
tado. ^
Art. 4.* Flcam revogadas as disposicoes em con-
trario.
Mando, portante, a todas as autoridades, a quera
b conhecirnento e xecucao d \ presente resolucao
pertencer, que a cumpram e facam cumprir lo
teiramente como nelfa se contm.
o secretario do governo desta
imprimir, publicar e correr.
Palaote do governo de Pernambuco, 23 de ju-
nho de jjW^afitadepetienHa do imperto.
L. SDr. Manoel ao Nascimento Stnchnio Pon-
ttlla.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta
secretaria do governo de Pernambuco, 23 de ju-
nho de 1869.O secretarlo. V)t. Joaquim Correa
dt Armtjo.
provincia a taja
PERNAMBUCO,
REVISTA DIARIA.
TRIOU.N'AL DA HELACAO.-Findam-se boje os
sessenta dias marcados para o concurso do omero-
de escrivao de appuilacoes deste tribunal, creado
pela lei provincial n. 907 de 25 de Jnho ultimo.
FEHIMENTO? GHAVKS.-.Vo din U"*> Mrrerfttf,
s 3 loras da madrugada, Jos Antonio Mana, en-
fermo do hospital Pedro II, ferio gravemente ao
seu companheiro Leoncio Jos Joaquim de Santa
Hita, c no-servente do estabelecimento Antonio Pe-
dro, ignorndose -qual o motivo q"0 levon Jos
Anin o a praticar aquello aclo, que se attrihue
um atiquede alenaco mental. O criminosa foi
recollido casa de leleBcao.
Sei>e mesmo da, no lugar Paulista, do 2."
districto de Maranguape, Joo Rodrigues Baracbo
ferio gravemente com urna facada a Jos Hespa-
nliol, sendo o criminoso preso em flagrante.
ROl'BO.Ainda 110 dia 9, Jos Antonio Duarte
Barbosa, morador em urna das pequeas casas
do mercado do S. Jos; onde tem negocio de lou-
m do barro, tendo sahido de casa s 4 horas e
meia da madrugada, quando voltou pela manha
acliou a porta da ra aberta nao encontrando no
intcrii r della.um bah de couro onde guardava
60030)0 rs. em dinheirn, producto do snas ccono
mias; desconfiando se ler sido aporta aberta com
chave falsa. A polica local procede s necessa-
rias c eligencias para a t'escoberta do autor ou
autores.
LtCiO AOS CASADOS. Djezzar Pacla, por
seus espios em Saint-Jean d'Acre, e mesmo elle
a noitn percorria a cidade disfarcado e acompa-
nhado de um ou dous de seus asseclas.
Um;. noite ouvio voz feminina que cantava em
sua cmara dopavimentoterreo.de um edificio
cuja pjrtaachava-se meio cerrada.
Apniximando-se sem rumor vio urna joven e
bella tiiulher, que canlava ninandojuma crianca :
a moca esta va s.
Satisfeila a curiosidade, Djezzar retirase man-
dando a seus asseaclas, que uotem bem a casa, e
no da seguinte tragara a sua presenca o marido
da be la cantora.
Este era um chrislao, que trazido preseM
do pacha, lanca-se-lho aos ps todo trmulo de
medo mas o pacha an ma-o, e ordena-lhe que
falle a verdado no que vai perguutar-lbe :
Quem s tu ?
3o um christao.
Onde eslavas bontem a nole, e em c^sa
de quem paspaste o scro T
lira casa de um meu amigo.
Preferes ento, patife, divertir-te com os
amigo 1 a oslares com tua joven mulher I De-
xa sorinha em sua casa, exposla a receber algum
insulto I
Si hito so dsse, nao deixarias no entretanto t e
outros comtigo, que Djzzar-Pacha nao vela na se-
goranca dos habitantes de sua eidadr. Prohibo-
te de nahires a noite, e ordeno-te que/passes o se-
rio com tua mulher, sob pena de seres laneado
oa maa>o afogado.
O que ahi deixemos narrado, 6 traduzido da
Revira Contempornea.
tju 1H4S amaveis leitoras nossas nao (tosejan-
do a existencia nesta trra de liberdade sem limi-
tes de um Djezzar, qae impuzesse igual preceito ao
christiio ilo marido, que a doixa sosmha, exilada
em caa, quando anda elle sempre a passar 03 sa-
rdes pala casa dos amigos I
DESOBEDIENCIA FILIAL.-Um dos espides de
Djezzar communlcou-lhe, que havia constante-
mente brga em urna casa de christos entre o pai
e o filho, por causa de-ura desarranjo, que aquel-
lo fizera nos altes da casa, e esto pretenda para
si contra a vontade paterna.
Djetzar mandou logo vir a sua presenca esse
fimo, j qual comparecou mais morto que vivo; e
e sendo-lhe interrogado em tom pouco animador,
3nal era a religio que professava, respon-
eu :
3ou chrislao.
I que s christao, faze a signal da cruz.
Sen lo obedecido, contina Djear :
Onde collocas o nomo de nal f
So alto.
E do fllho T
Embaixo.
E c jmo, miseravel, ousa tu pretender, que teu
pai seja atojado no andar terreo da easa, e tu fi-
ques no superior? Val sen demora aloja-lo
em cia, ese atreveros a infringir minha ordem,
farte-iiei morrer da morle mais orusl parale pu-
nir, c easinar aos tousiguats, qoe os dlhos de-
vem onra e respeito a sea pal e a son ai.
PRtlCLAMAS.Foram lidos ante-hotem na
ntatrt: da freguena de Santo. Ahtonlo os proclamas
sefnhrtes: %
Flix de-Mello, com Olyinpia Francisca
3.a donanciacao.
Manoq Jos'da Silva Noves,"com Maria Joaquina
da ConcAcao ftibeiro.
ManotffVr
seo Pacheco, com Paulina Maria
com Rogeria
Fra
dos l'razeres.
Jos Lenidas de Araujo Luna,
HTininda Annunciacao e MeHo.
M:nioi Jos de Castro Vbnna, com Marcolina
Laurina Emilia de Mendon a.
Jvs Antonio dos Aojos, con Perpelna Maria da
Cenceicm
Boaveatura Jos Colho, cmn Juba Luiza de
Magalhas e Silva.
Jos laeo-loro S Barrido Villas Boas, com Can-
dida Leopoldina Lopes de Oliveira.
Jos Vetaniia da Silva, com Mareoliua Maria dos
Prazeres.
Thomas Jos de Gusmao, con? Alexandrina
Maria Leal.
Bacharfll Ernesto Vieira do Mello, com Adelaide
Pin.
LOTBBIAS.A q<# se acha a venda 6 a 123'
a beneficio da Siiiia Casa de Mieericordia, que
corre nojna 16.
A d Rio que tambem so acha a venda a
03' a beriaflcio dn Santa (lasa de Misericordia que
devia coWer a 2 do c >i rente, leudo o Paran
sabido no dia primeiro.
PASSAGEIROS. Vindos de Mamanguapc no
vapor Manilali :
Francisco Arteiro de Amorim, Jos M.JCesar do
Amaral, M. J. da Silva Regada-. Joaquim E. Bar-
ho-a, FmuciKco J. da C- Soares, Antea U. C. de
Andrai, Jese G. de Aseredo. Domingos G. da
Si I v;i, Manoel Po da Silva Lnnreiro, Pedro Gon-
calves da Cunta, Joaquim Antonio de Carvatho e
3 criado?, Clcmenlino de M. Temporal, Jos Cocino
Moieira, Joo Bapusla de Caryaluu e um criado,
Dr. Manoel Carlos deGouva c um criado, Rav-
111 undo Ni'Ulon.
Entrados do Porto na barca
Laura:
Augusto Cesar de Araujo Vieira, Bernardo Jos
Paes, DaviJ Gonealves da Silva, Manoel Antonio
Gomes, Mano d Pedrosa, Joo Alvos Pereira, Fran-
cisco da Silva Araujo, Manoel Jos de Oliveira.
Sabidos para os porto do norte no vapor
Paran :
Jos Augusto de Castro, Jos Paulino Hoonholtz,
Jannario Leonor de Albuquerqtie, Joaquim Fran-
cisco Sarment, Ignacio Ferreira Senano, Salvino
Jos de Figiienvilo, Manoel Correa Lima, Maver
Ronback, Francisco Botefho Rctto, Carolina A.
Bototbo Xotto, Nicalo Spena, Antonio Jacintho
Berges.
Outro do mesmo, informando o requerinento
de IjoIix Peroira da Silva, declara que nao ha in-
conveniente em se conceder o que o supplicante
requerConcedea-se.
Outro do mesmo, dando a informaeao que Ibe
foixigida, acerca da edificaran que o'brigadtiro
Joaquim Bernardo de Figneiredo pretende fazer
na estrada de Joo de Barros, lugar que pe
planta da cidade est marcado para urna estrada
que vai ler ao cemiterio publico.Que se remet-
tesso ao advogado.
Outro do mesmo, informando sobre o que pede
era seu requerimente Satyre Soraflm da SHva ;
cumpre-me dieer que nada se Ihe olferece opj^r
a prelenro do sapplicante, urna vez que se Hie
d a cordeaco.Maodou se ordoar.
Outro do mesmo, informando o requerimente
de Rento Alves Machado Gnmaraes; cumpre*lhe
dizor que nada ha a oppor ao que pede o supn-
cante.-Conceden-se.
Ontro do mesmo, informando sobre o requerr-
mento de Joaquim Jos Martins, tom a dizer que
nada se Ihe eflorece a oppor. enllocando o sup-
plicante o portan, que pretende construir, no ali-
nbamento marcado polos muros dos sitios que
existem no mesmo correr.Concedeu-se.
apesar de todos o desmandos deste," na. recu
MW-lhe a le do aecMaanto. Aproseniada no se-
nado, onde ello linlia maiora om 7 dias passoa a
lei, versando a dscusso unicainente sobre as
suas disposicoes, deixando-se do parta todo quan-
U> era poltica, porque naqwHIe bom lempo o sena-
do nao poda fazer poliaea; boje, |x>rm, o senado
nao s po.le fazer poltica, como at razar 0001
que a minora prevaleca- sobre a materia, com qne,
a nacao, representada no cmara temporaria e na
maiora do senado, deixoda g.veriiai-se para obe-
decer aqnelles, quo pounvzelosos no cumprimen-
; te de seas deveres, e dominados pela ainbico do
podar) procurara a todo transe fazer eom que
deixem de ser observados os mais salutares pro-
ceitos do systema, que Mamante nos rege.
Dizem para cohonestar o son desusado proeedi-
menlo que o projecto foi apresen lado ao senado
ja no fim da sesso: entretanto, guardara silencio,
porque nao podem negar, ijuando se Ihos respon-
de, ao ha poneos natos que ebegou ella ai'
senado to sedo, sondo para notar que em 1867 s
tere lugar a sua rpresenlacao alii a 12 de selem-
hro, islo um mez mab tardedo que este
anno.
Coinprehendo-se
pcrfeiainonte (pie o senado
1 toin o direi o de discutir quabtuer projecto de lei;
de FrL r^2?% Ta,Id0 "b.re a preU,nCa a -M-rei-i-aco do projecto 'no leado mais urna
ne l^raiinfo Moreira da Costa, declara que pare- \ ^aranlia ra o mir ilp "< a tp i-ri r nn "
ce-lhe que se pode conceder ao supplicante a Ii- < SEL ffsna^dae ^
comeradas.-A commissao de ediOcacdes. 0 ^ d.gno chele referindo ao senado
portugueza
CMARA MUNOPAL
SESSAO EXTRAORDINARIA DE 29 DE SETEM-
BHO DE 1869.
PRESIDEXCIA DO SR. DR. BARROS UARUETO.
Presentes os Srs. Dr: Seve, Souza Magulhes,
Gameiro, Dr. Moscoso e Dr. Pitanga, faltando com
causa os mais senhores, abrio-se a sesso.
Foi lida e approvada a acta da anleceaente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um offieio do Exm. rice-presidente da provin-
cia, de 21 do corrente, enneedendo a autorisaco
que pedio a cmara em outro de 13 do dito mez,
sob n. 78, para despender mais at o lim do cor-
rente exercieo a quantia de qualroccntos mil reis,
pela verba do g 4. do art. 2. da lei n. 853 de 5
do jun'bo do anno passado.luteirada, communi-
que-se ao procurador e contador.
Outro do mesmo, do igual data, approvando a
arremalaco dos alugueres do talho n. 10 do
quarteiro do lado do norte da ribeira da fregue-
zia do S. Jos por tempo de um anno, e pela
quantia de 8O0O00.Inieirada, faca-se o tetmo
de contrato.
Outro do mesmo, de 21 do corrente, declaran
do .a cmara, em resposta ao seu offieio de 15 do
dito mez, sofrn. 81, que approva a arremalaco
dos concertos de que precisa a ponte denominada
do Lucca pela quantia de 8605000.Inieirada, fa-
ca-so o termo de contrato, se communique ao
procurador, contador e ao engenheiro.
Outro do mesmo, de 23 do correle, remetiendo
a cmara em addlamento ao que mesma dirigi
em 31 de agosto prximo lindo, em resposta ao
de 25 do dito mez, sob n. 74, a inclusa Informa-
cao ministrada pela tbesouraria de fazenda em 16
do presente mez, sob n. 649. relaiivamerite a ag-
glomeracao de volantes de mereadoras despacha-
das ou por despachar, postes no caes da alfande-
ga.Inteirada, recommende-se aos fiscaes que po-
nham em execucSo as posturas.
Outro do mesmo, de 2tdo corrento, recommen-
dando a cmara que conFupgencia informe se a
casa da ra do Hospicio em que runeciona a Fa-
culdade de Direito dosla cidade tem de ser desa-
propriada para a abertura da ra do Principe,
como consta de sau ofllcio de 18 do mea passado.
Qoe o engenheiro informe.
Ontro do secretario da presidencia da provincia,
de 20 do corrente, rcmettenda, do ordem de S.
Exc, nma totteccao das leis promulgadas no cor-
rente anno pela assembla legislativa desta pro-
vincia.ao archivo.
Outro do subdelegado do I. districto da rregue-
zja da Ba-VSsta, Dr. Pedro de Athabyde Lobo
Mosco exerciclo do dito cargo em 18 do corrale. Intei-
rada.
Outro do administrador do cemiterio publico,
communicando ter-lbe constado que os cadveres
remettidos pelo hospital I*edro II iam ns, e sim-
piesmente amorlalhados com madapolo, ordenou
ao Rvd. padre capetlo que, antes de Ihes rezar o
memento, verillcasse; o que felto don parte, a
qual remette a cmara afim de que leve ao co-
nhecimento de quem competir, para que eesse o
abuso de quem qaer qu seia, J que nao dio aos
pobres tallecidos, ao menos as ronpas com qae
entraram para o hospital.A commissao do ce-
miterio.
Ooro do engenheiro cordeador, informando so-
b*-o, requcrinwntt de Jos Bturque Lisboa, tora
Outro do mesaio, informando o requerimente
de Francisco Flix Gonoalves, tem a dizer que.
nao ha inconveniente, eonstrnno o supplicanie
as obras de coiitormid..de com o art. 1. da postu-
ra de 7 Outro do irtesmo, informando sobre o que pede
o prefeito da Pcnba frei Serafim, declara que na-
da tem a oppor. -Concedeu-se.
Ontro do administrador do cemiterio publico,
dizendo que aproximando-se o dia 2 de novem-
bro, dia em que sao cominemoradus todos os de-
funios, e tendo de ser celebrado nm ofllcio com
imssa e absolricao no lim,. pelas almas dos que
all eslao sepultados, roga a cmara as suas
>fdens para que sejam pintadas as portas e call-
laos da capella etc.-Que o engenheiro orce com
urgencia a destioza.
Outro do ffsml da freguezia dos Affogados, wPKT leninnrSTT
mun.cando que na ra do Molocolo.nb d'aquella 1|U a oSalo rcn
freguezia existe una casa que ameaca breve de-
sabamenlo, mandou proceder a vestora, quo re-
melle.Na casa referida mora una mulher de-
sassizada, ipie se diz ser mi dos fcenores donos
da mesma casa, cojo tutor consta ser fre Pedro
da Porifieaeao Paes e Paiva que se acha no ser-
tao, e por que v-se inipossibilitado de, intimar a
mulher pelo seu estado, e ao tutor por acbar-se
fra, roga a cmara que d as precisas providen-
cias quanlo antes, visto como com o desabamento
da casa aeonleeer qualquer siuistro.Que se of-
llciasse ao juz de orphos.
Mandou-se remetter a commissao de edificaco
una petico do Lonrenco Ribeiro da Conha Oli-
veira sobre a constrticco do predio que est fa-
zendo na ra da Praia 11. 45.
Estove era praca, e foi arrematado por Felicia-
no Marques Vianna o imposto di aferiijo de pe-
zos o medidas, por um anno, e quaolia de......
32:800|000 sob nanea do tenente-coronel Joo
Yalentim Vilella.
Deixaram de ser arrematados os impostes de
cem reis or carga de fannha, c de 500 reis por
cabera de gado consumido as freguezias de fra
da cidade, e bem assim os alugueres dos talbos
nmeros 10, II, 12 e 13 do quarteiro do lado do
norte da Rbera da freguezia de S. Jos, e por
isso foi determinado que se posessem novamente
era praca no dia 6 de outubro prximo vindouro,
procedendo para isso os precisos annuncios.
Despacharan)-se as peticoes de Antonio da Cu-
nta Soares Guimaraes, desembargador Alexandre
Bernardino dos liis e Silva, Antonio Duarte Cir-
neiro Vianna, Andr Avelino Silveira de Mello,
Bonto Alves Machado Guimires, Camilla Rodri-
gues; Flix Pereira da Silva, Francisco Joaquim
Ferreira. Francisco Antonio Pereira & C, Fran-
cisco Flix GonQalves, Francisco Antonio Puntual
Jnior, Flix Jos da Silva, Rvm. Gregorio Lip-
peirone, Hcnrique de Miranda Henriques, Izac
Aligna, Joo Maiia Tavares Ferreira. Dr. Jos
Bernardo Galvo Aleoforado, coronel Joo do Re-
goHIarros Falcan, Jos Pereira da Silva, Joaquim
Lopes Machado, Joo Severiano Carneiro da Cu
nba, Joaquim de Oliveira e Mello, Joaquim de
Souza Maia, Jos Francisco de Menezcs Amorim,
Joaquim Clemente dos Santos, Jos Buarque Lis-
boa, Lourenco Ribeiro da Cunlia Oliveira, Manoel
Torquato Pereira L&bo, Manoel Fructuoso da Sil-
va, alaria Domingas de Jess, Manoel Peregrino
da Silva, Pedro Aureliano da Cruz Muniz, Rita
Muniz do Carino, Rodrigues & Irino & C, Saty-
ro Serafim da Silva (i), perfeitoida Penha frei
Serafim, Theodoro Bezerra, Virgiio Horacio de
Freitas, e lovanlou-se a sesso.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
a subscrevi.
Manoel de Baas Brrelo, pr-presidente.
Dr. Pedro de Atliuyde Lobo Moscozo.Jos Maria
Freir Qameiro.Dr. Praaxdes Gomes de Souza
Pitonga.Flix Francisco de Souza Magalhas.
COMMUNICADOS.
A oppositao e o or$ameato.
Admira o modo purque no senado tem sido pro-
telada a discnsso do orcamento. e tudo faz crer
que oppnsico tem o firme proposito de fazer
com qae n5o passe to importante lei, afim de me-
Ihor poder vociferar contra o goremo; se a op-
posicao nao cessa de fazer crer que estamos sob
o remado da dictadura, nao obstante os esforcoe
empregados pelo governo, para que sejam obser-
vados rodos os preceitos constitiieionaos, o que nao
far se o governo tancar mo dos recursos extra-
ordinarios que tem ao seu slcance para continuar
na direccao dos negocios pubicos ?
Entretanto este o sea Un*: demorar o mais que
lr possivela dischssao do orcamento s o que ella
tom em vistas ; e assim procedendo afflrmarfi
com tudo os seus mais distinctos chefes, que nao
querem negar ao gabinete os meios degoveroar", e
tao somonte dtscuiir, afta) do que a lei possa ser
tal, que satisfar verdadelramente as neeessidades
do paiz.
La-se, porm.oomatteoco os discursos proferi-
dos pelos intitulados liberaes e ver-se-ha qae ne-
nhama alteracab M por elles propostk a lei do
orcamento, quo neanuma medida tendete ao ae-
erescimo de reneite, an a economia dadospea (oi
por elles letofadn.
o qne se
passou na confereDcia que levo m depoll de ob-
tida a devida licenca dos seus ompaulieiros) com
honrado Sr. ministro da marinha, declarou que
Uro latvia dito, retirado tense laes auditivos passa-
ria o projecto dentro da prorogacao.Ora, se o*
artgos additivos eiam os que a opposrao pate-
ciiim inconvenientes, claro que a discussp
delles devera ella aguardarse, e nao rb*tar a que
enlrassein elles em dscusso, protellando a dos
artigos que os precedein, e nos quaes nenbnma
medida extraordinaria, nenliiima idea nova se
acha consagrada, eto souieule os ni'os de que
nao pode prescindir o |ovnano.
Digamo que quizerem os liheracs : o sen pen-
samento ha muilo era conherido. Desde que o
Sr. Zacaras de Ges declarou no senado que a
diseusso do orcamento, eslava sendo feta 11a ca-
sera o preciso exame ; desde
opiiosican rctirou-se para'qoenao fosse vo-
tado o rei|ueriuiento do digno piosidente do ewa-
sellio, propondo a prorogacao di a sessdes do sn^
do por mais duas horasnao era preciso aquella
declmelo do Sr. Zacaras, para que bese palaff-
leado ao paiz as inleneocs da minoria.
Foi apresentado ao senado e j se discuti nina
resolucao, prorogando o orcamento at que seja
votada a nova lei. Esta resolucao tomada pela cano-
ra, de accordo com o governo, mostr ao paiz que
o partido conservador, que actualmente o die -.
esi coherente coin os seus principian) e que un
desempenho do honroso mandato que Ibe fm con-
fiado procura paular os seus actos pela observan-
cia dos principios constitucionaes.
Xeste louvavel intuito foi presentada aquella
resolucao, de que nao poda prescindir o governo.
alim de que nao se podaste dizer com fundamen-
to que elle procurara fazer despezas sem urna le
votada pelo poder competente, que a isso o auto-
risasse.
.Nao obstante, porin. os senlimentos do qn;
elje so acha possuidu, nao obs ante aquella resou-
cV) nao conltr outra medida mais do que a pro-
rogacao da que j foi concedida pelo mesmo sena-
do, sem opposicao da n noria, j o Sr. Zacaras.
baria declarado que oppunba-se a ella, c sob fri-
volos fundamentos encelara o debate por paite
da opposicao.
Xeste procedimento do ex-presidente do conc-
ibo apenas encherpamos coherencia com os seus
actos, o mais um externo para eonvencao dos seos
reprovados desejos.
Sim. A resolucao nao contm os additivos de
que fallou o Sr. Zacaras, e poinne razo S. Exc.
oppoe-se ? Porque quer que o gabiaeto fique pri-
vado dos meios ordinarios de governo.
Xestas circumstaucias, pois, o quo resta ? A
opposicao julgada pelo paiz como criterio que
o distingue, o sligma popular recabe sobro o sen
procedimento.
A naci faz juslica aos seus representantes t
ao governo. Este que lem sabido merecer a con-
fianca da cora e da naco, recorra aos mesmos
meios de quo se servio em 16 de julho, e como
ento ser applandida a sua deliberaban. Ha pouco
mais de um anno que o partido conservador as-
sumio o poder : encontrando o paiz cercado do
embaracos, com os cofres qunsi esgotados pete
pouco zelo dos que o dirigi:im, a sua missao
muilo espinhosa s difficil. Do seu amor pelas ins-
tituicasdo seu nunca desmentido patriotismo In-
do espera o paiz. e pois nao convm remar
Avante.
PUBLICACOES A PEDIDO.
O iiiarechal de Caxlas.
Cruzada ante-patriotica levanta-se em parte da
imprensa do paiz, com o lira de condemnar ,
odiosidade publica o mais prestigioso e iltasln
vulto dessa pleiade heroica, que por- entro obst-
culos quasi insuperaveis foi levar AssompcSo a
vingamja imponente do Brasil offendido.
Estamos habilitados fallar na companfca du
Paraguay: um nonre amigo, officiat superior em
nossos campos, coraco generoso, e antes do tndo
brasileiro, jornada por jornada, desde o comee/
da campanha, desereven-nos as batalhas, e, suas
peripecias. B, indignado pelo que no paiz dia-so
agora do Ilustre chefe do excrcito brasileiro, de
Assumpcs, em data de 30 da margo, espreve-
ra-nos anda: Brasileiro deves ser amigo do
marque/..Eu tambem o sou : nadante dPro: vim
inajor, estoo major;. mas antes deludo est a jns-
tiga, o dever da verdad*. Ests par dos aconte-
cimentes de dezembro. Levanta a voz, defonde-o,
que o merece. Nao vejas nisto um simples entha-
siasmo, a indignaedo que me cansa, o ver qn-
por ama falta in.aginada, falta alias jastfficavel,
esquecem tantos servicos, tanta abnegacSo, tanto
beroisino, desse bravo, honesto o distincto geno
ral, coracao qoe aqui bata com desintemsse
pessoal, o verdadeiro eoraejio patriota neeta entn-
psnha. Hiateriemos, pois, lieeirameate os servi-
dos do vleme duque de Casias na actual eaatpa-
nha, para chegarmos apreciacao das ecewnj**1
qae com tila destusada Injearten M<
Depois da gloriosa e
realisada em presenea do i------
Paran paM Imaaortel Osorio, oto
ILuUli I


neooteeimeutos quo lio alto collocaram
legendario do nenie e do exercito imperial
foram osaibades para a hneco do acampamento
de Tuyuty.Xarroio do Durat braaile.ro aba-
vara caima Inteligente de Argollo; o valor
arrebatad e IrresUivel de Triumpho, que nos
combate h> coaheca a palavrar-carregar; a
constancia e dcdicacao roligiae do dever do bra-
vo e modesto Gurjio, e de tantos euin chefes; as
facanhas e pericia nos combates do velho Polydo-
ro uo da seguate o de sua asceosao ao com-
mando de nossas torcas, servirn) para elevar o
valor, a constancia e disciplina do exercito, mos-
trando ao mundo que o soldado brasileiro hom-
nreia com os melhores da Europa. i|ue a bravura
e dedicacao sao qoalidades eontrauns a todos os
seus generaos : mas eram feitos solados, nao ?
resultado de um plano pensadamente fwolv-
do Um tratado havia cnflado o commando em
chele de nos torcas general ertrangeiro, em
territorio inimigo. A falta de golpe de vista mili-
tar, de direecao na campanha, esterilisava as vic-
torias e cancava as dedicacoes. Os generaos gas-
tavam-se. A jornada de Curupaity era o pnmei-
ro revez de nossas armas. O bravo e honrado
oneral Fontes ouva o toque de retirar as imita
de combate, quando pedia alguus batalles para
entoar o livmno da victoria. A boa vontade de
eheres e soldados, o pulsar daauells nebros per
los, que%rda.n por vingar a dignidado nacional
ultraJada, nada podiatn. E, faci tavez ntuconu
guerras de inuasao, os exercitos alhados caram
reduzido defensiva.
Nestas circumstaneas, o paiz, a imprensa, o
exercito, os homens pensadores, s viara um nome
capaz, por seus brilhantes feitos de outr ora, por
sua lealdade nunca desmentida, por sua racontes-
tada bravura, por sua prudencia provada, pea
superioridade que Ihe reeonbeciara todos os nossos
generaos, de fazer callar todas s rivalidades, de
dar campanha a enrgica direecao de um gene-
ral decidido, intelligente e experimentado. O ma-
rocha! de Caxias foi convidado. Lhamaya-o a
servico ministerio que Ihe era desairete: fazia-o,
quanJo no espirito publico pairavam serias duvi-
das sobro o resultado da campanha, quando mes-
mo o desanimo comecava grassar, quando o en-
thusiasmo popular arrefecia em prosenca de tao
grandes meos inut.lisados, de tantos sacrificios
perdidos, de tanto sangue-generoso intilmente
derramado em combates importantes, o veino
soldado, o pacificador de S. Paulo e Minas, o feliz
general que com tanto Uno e valor levou a paz a
dividida provincia de S. Pedro do Sul, ha tantos
annos retalhada pela guerra civil, infundindo res-
peito ao cxercito, que commandava.
o nome (de Lapo*, para eseolher habitacia roa """
rial.lse' qnem o vase no em accao.de*5<9
msinnnto dpirfcr a nrimair eadaira. QU6 alias me *< >
deixar a primeira cadeira, que
diada, para tomar outra, quem o visav*"*l6,
arrastande urna pflrna,ajoelhar e curvar a man-
da roste, eoberta de brancose glorioso ato los,
nao poderla de.xar de encher-se d* ffid,
veneraco e enthusiasmo por esse vclho honrado,
brioso e tao distincto militar. OT*w
Se precp.laco houve em atacar, todo o exe ci-,
to sabe iie parti ella do bravo general Ar- Mo,
viste, como a batalha comecou pelas torcas do
comisando deste distinelo general, hojo Moni- ao
[tapanca pelos relevantes servicosicom de>u-ma
perseverancia o noeomraum ?" pf**
los desde o comeco da campanha. E este meian
general, o bravo e Ilustrado commandante do %
corm do exercito, poder ser censurlo por uraa
circamstancia, que alias nao influio para que c sol
dugaeile da presenciarse a petoja indomava do
nono exercito, sua esplendida victoria, e a pieei-
pitada fuga do tyranno para seus ltimos entrin-
cheiramentos das Lombas, depois de ver sua ex-
tensa liana fortificada cortada, e Angostura isota-
da O marechal de Casias foi o inais providente e
perito general antes da batallha do Itororo ci mo
foi o raais arrojado, o mais heroico s dado de seu
exereito, dando a esto os mais grandiosos tem-
plos de despreso vida, de abnegacao e ![
mo durante essa grande batalba, que, se tor co-
ndecida ha de figurar entre as prmeipaes do pie-
' A segundi aecusaco que raesquinhoa mim go>
e leviam aecusadores Jirigcm ao nobro m; re-
chal pela fuga de Lpez na ibalalha de l/w-
baDepois da retirada do tyranno WSffi?.!?
entrihcheiramentos, o generalem che e, deai a ..ne-
cinta e guerreira P^lamacao que desenha-l e o
genio : e ordenou a marcha. Se previdcnte litwa
sido em Itorer e Avahy.cm Lombas, knHg
dadosamonte explorar o terreno c.ic.n smhj,
tudo previo, no sentido de coreara aria ea
vingancado Brasil com a captura d. dictador.
Um do mais intrpidos chefes de nossas c,
ionio Lopes de Siqueira Draga, actual subdelega-
do de Baixa-Verde, por occasiio dos barbaros as-
sassiaatos praticados na possoa de mea infeliz lr-
mo e na de um seu companheiro do viagero,
empregando osmeios humanamente poesiveis para
a captura dos criminosos, corria-me e rigoroso
dever de dirigir essa digna amoridade um voto
do sincera gratidao, e neste intuito prevalece-me
da imprensa, offerecendo-lhe ,o. meu acanillado
presumo em aalquer parle que a sorte mo levar.
Os relevantiasimos a^Kos jwostados com ver-
dadera abnegacao pelo capitao Lopes, no pouco
espado de tempo que exerce o airg* de subdelega-
do, o tem tornado digno da voneracJ e eslima
publica, o s autoridades superiores cumpre nao
esquece-los, e antes roconipensa-los devidamonte.
Suu estrangeiro, e por cinseguime nao so po-
der tomar e que tenbo dito com referencia ao
capitao Lopes, como um elogio encommendado ;
pedmdo-llw todava descolpa se com teto foi offen-
der a sua reconhecida modestia.
Hecife, 9 de qutubro do 1869.
Pedro Paulo de Meih.
'.Aspessoas a qnem convier, deverau compare-j uaos, pagande mal 400J pela matta qoWa
cor ne'sta tbesouraria no dia e hora cima indi-
cados.
StreUria da thesonraria do raxenda do Per-
nambuco, 11 de outubro de 1869.
Servindo de offlclal-mator,
Manoel Jos Pinto._______
paz
O eauito Manoel Antonio Ribeiro, juiz de
do pritneiio anno d'esta fwguetia de S. Jos para^^expedwiito de sua secretaria no euefcicio
COMMERCIO.
1869
PKAGA DO RECIPE 9 l)K OUTUBRO DB
AS 2 l/J HOBA 0A TARDB
Algodao de Mamanguape seut inspeccao i#o'
por kil.
Algodao do Goianna sorte1 100 por kil.
Algodao do Pernambuco 1* sorto llol por kil.
Cambio sobre Londres 90 d/v. 19 3|4 d. por
UOOO.
Cambio sobre Puris-90 d^v 483 rs. por franco.
Descont de ietras10 0/0 ao auno (hoje).
t?. Silveira
Presidente.
Loal Seve
ecrourto.
existe.
Secretaria da Santa Cisa de Misericordia do
Recife, ^ de outubro. de 1869.
O escrtvao,
Pedro Rodriguet de Souza.^
A cmara municipa
contratar o fornecimento
d'esta eidade, tendo de
de objectos necessarios
L
ras, o coronel Vasco Alves, receben ordem din c a
do marechal para oceupar certa posiw a mrus
provavel para a fuga de Lpez, se a victoria coro-
ando o supremo estorco de nossas armas, obrijas-
sc-o fugir. Aoribomhar dos canhSes dol-jm-
bas, sob o fogo infernal das infamaras pira-
guayas, o heroico duque dc.Caxias P*v> *
ebeiras ini.nigss, i.npassivel e calmo, quando dev.-
terapo que aos chefes republicanos, que combata,
nao trepiden ; no altar da patria saenficou anta-,
'onsmo poltico, gosos do familia e posicao ; e no
,>ceaso da existencia, que Ihe corra dolorosa por
pungentes enfermidades, seguio aprensado aocca
par o cargo, que no desespero da situacao Ihe
eonfiavam seus antagonistas polticos.
Todas saben, desdo Buenos-Ayres o interesse,
o tino, com que o Ilustre mirecbal foi providen-
ciando, no sentido de cortar por abusos, que en-
tendiam com o interesso dos cofres, ao inesino
tempo que com o uem estar do exercito. banda-
do nos acampamentos brasileiros com esse cntnu-
siasmo, que desdi; os campos do Maranhao soube
inspirar ao soldado o joven coronel Luiz Alvos do
Lima, a estrella que o guiava em breve collo-
cou-o, por torca do circumstancias imprevistas, a
trente d is exercitos allado?. O general argenti-
no mata va de maceas as grandes torcas que com-
mandava : Tuvuty era o tmulo inglono dos ne-
roes de Itapir e de suas irincheiras. Avancar
pareca impossivel. O marechal de Caxi*. assu-
nindo o coram.indo, em dous mezes apenas, pa
nejou e realison a grande marcha de II a neo que
deu-nos o importante ponto estratgico do Taiy,
onde construio a m; is bella torlilieacao passagei-
ra, que aproximou-nos de Humayta; e revolven-
do o coracao do soldado, excilande-lhe todos os
brios em frente do inimigo, trocou a inaccao pelo
movmento, o desar da defensiva em urna guerra
de invaso, pelo arrojo da guerra oiTensiva, levada
ao inimigo em combates sempre felizes. O exer-
cito crgueu-se, a inteligencia deseortmou c;n
plano de campanha. Ate entao, combales, heroi-
camente pelejados, certo; mas victorias impro-
ticuas: agora, urna segura baso de operaeoos no
territorio inimigo, o exercito marebando de victo-
ria em victoria conquista da gran Je fortaleza,
ante a qoal estacavam todos os estreos.
A actividade e pericia do mareehal brasileiro
encetava ta> arrojadamente a campanha, quando,
a'.ravessando banliados nado, apresenuiva-se nos
campos alliados o general Mitre para assumir de
novo o commando em che fe. O plano brasileiro,
asvuntagens del, ^e vigorosamente contmuassem
as operacSes, sonVen enio as subidas delongas A
Providencia, porein, velava sobro o Brasil e sobre
o mito querido da victoria. O general Mitre, cha-
mado pela constituido argentina a seu pai/. nao
mais voltou campanha. E ei-lo de novo, o pn-
uieiro soldado do imperio, frente dos exercitos
da allianea. Entao realison a feliz c importante
exaedicao ao Chaco, eonfiando-o ao bravo per-
nambucano, o coronel Barros Falca), arrojado
herdeiro das glorias militares desta varonil pro-
vincia ; avivou os reconhecimentos sobre Humay-
ta ; c encarregando-se de dirigir o plorioso ataque
sobre a importantissima posieao do Estabelecimen-
to, conseguo a evacuacao da grande pra?a de
guerra, de Sebastopol paraguaya. Tombava aos
golpes de um grande plano, que potipava a buma-
nidade, eao 8rasil especialmente, um grande nu-
mero de vida?, o grantico colosso, a raais faguoi-
ra esperanca do lyramno, seu mais seguro baluar-
te. A estrada do Chaco, confiada direecao do
probo e Ilustrado coronel Eneas Calva-), construi-
da no mais ingrato dos terrenos, a realisajao pro-
vidente e feliz da passagem de um grande exerci-
to com pisado trem de guerra, para a margem
opposta do rio Paraguay, silo o ultimo verbo da
torca de vontade do Ilustro guerreiro, c da disci-
plina de seu exercito.
At tal 'poca, tanto quanto petos resultados se
p.Ie conhecer, tod3 o plano do general em chefe
se bava realisado: seu oignlho do general, seu
patriotismo de brasileiro, deviam estar satistei-
tost seu genio estratgico tudo liavia previsto. O
inimigo ostava visto. Era urna campanha ntei-
ra a que a comecar, sup Tior aos soffrmentos,
que Ihe martyrsavam a existencia, domando o
peso dos anuos, que lite ordenavam o descanco,
sua grande alma, alentada polo ver-ladeiro patrio-
tismo, tudo venceu. A< inhspitas plagas do paz
de Francia i.un assistir mudas essa campanha
de 20 dias, essas pujantes batalhas, que a histo-
ria vat descrever em ettras d'ouro, c que hao de
e nisjtuir as paginas mais brilhantes de nossa
vida do nacao. Itoror, Avahy e Lombas, estadios
da glora brasileira, sao tambera testemunhas im
morrotl iras do herosmo, da torea de vontade, da
previsao desse velho Ilustre, que o paiz inleiroo
admira, tno grando certos doIcos qne se nao
curvam ante a magstade da causa, quo nao ta-
bea respeitar no homem os mais relevantes servi-
ros prestados a patria.
" Entremos agora na apreciacao das aecusacoes
que fazem ao dstincto brasileiro.
O marechal de Caxas foi precipitado em atacar
na jornada de Itoror; foi imprudente, deixando
ugir o dictador Lpez na batalha de Lombas; foi
injusto e pequeo oa destribuicao das recompen-
sas, e, oeixanlo o exercito em Assumpc,ao para
voltar ao Brasil, faltando tudo.
Nao do Rio de Janeiro ou do Recito, qne se
pode com criterio em materia tao grave, pezar as
circumstancia, comprehender aswistas do general
na vespera d'uma batalha ; o conhejimento do
terreno, ascondcSes das columnas de ataque, quer
em relacao ao numero, valor, disposicao e disci-
plina, que no qne diz respeito ao material de
guerra, posico do inimigo, s probabilidades de
urna fuga precipitada, em caso da derrota, hora,
etc. Sao dados indispensaveis para um juiz segu-
ro. Entretanto, com singular leviandade avanza-
se a proposicao de tr sido o duqiH de Caxas pre-
cipitada em Itoror, nem ao menos uina palavra
para justificar tal juizo. Xo mcmoravel dia de
itoror a general em chefe niuutou cavallo as 2
oras da raantiaa, o sem alimento, curtndo dores,
s apeou e 10 horas ha noite. Em tempo conve-
niente as ordens para a batalha foiam expedidas,
as posicoes determinadas, as liabas perorridas
pelo invicta marechal. Fallo por nos o compatrio-
ta dstincto, que paga patria o mais pesado dos
trbulos, quando nos gosos da familia denigrem a
reputcao do nao Ilustre general, pequeos que
se julgju gigantes.Se o maquez, de espada em
punho, nao losse o prmeiro a transpor a. ponte
Itororo, o exercito Drasileiro estara noi aauzi-
do ao p Jeues logares ; teamos perdido d s jornada a eampanha do Paraguay. \
Foi um bravo, meu amigo. Sabes que na m-
nha posieao desconhecida, sempro repeili a roda
daqneMes de quem dependo : (alio com o coracio.
Pois bem: Se algaem nesta campanha, tem traba-
ihado com elevado patriotismo e d4sinleresse pes-
soal, si algueai inereee os ti luios de brava, do be-
aemerito da patria, de amigo de um paiz e d im-
perador, primeira do que todos o raarquez de
Casias. E quem o visse depois, cheio de modestia,
recusar o primelro paijeia da.rapubca, o palacio
Sociedade bancaria em com-
mandita
Theodoro Simn fy
Compram e vendem por
pria metaos,
geiras,
til H>lH lllliiit-,' y > L,
sou as toreas daquelle coronel em marena.
Falle por nos ainda o Ilustre e dcsintera.J'lo
amigo quem nos temos referido. Se Lopw e-
capou em Lombas, a culpa nao fot do marquez.
havia ordenado ao coronel Vasco Alves para
r-se em posieao conveniente, a impedir a
dotvranno. E, achando-me eu prsenle
junto elle,'quando passavamos as trincheiras,
ouvio-o incommodado, pergnntar quem hav.ai cha-
mado aquelle coronel da posieaoLemque-se acnava
(vendo-o approximar-se); e nao tendo resposta,
mandara apressada ordein para voltar a mesma
'"e5assim tao lcvianamento, por fallas, i>ic
so deram, nao toram occasionadas por imiirevisao
do Ilustre marechal, mas por consequencia de ma
interpretocao de ord-jns no tumultuar de ima
grande baulha, que a mprensa de nm paiz 1 vre,
a triouna de um novo patriota, em vez de len-
ca os ao grando cidadao, qne escreveu para sua
historia as mais brilhantes paginas deve condeav
nar odiosidade publica o genera que cont os
seus longos annos de servias militares, por victo-
ria? e pelos mais bonitos feitos d armas.
Houve desigualdade na disttribuicao das recom-
PCAdmittams que tal desigualdade houvesse. O
general em chefe nao pode em urna batalba pre-
senciar o proceder de um exercito tnMra.m
parte ao governo spr sempre o rosultado das tu-
tormacoes dos commandantes dos cornos de e
cito ; as destes ter{io por bascos dados torreci-
dos pelos commandantes de divises (jue se ou-
varao nos de brigadas etc. Como aecuasar o ge-
neral em chefe por tal motivo t O heroo a nao
herosmo. O marechal de Caxias nao poda si.ien-
tcmente esquecer a bravura. ||ta
A retirada do nobre duque de Caxas a ultima
das aecusacoes que ihe atiram. ,
Toda a capital do imperio sabe que so o mor
da patria guiou o duque de Caxias na acccitacao
do espinltoso cargo quo Ihe confiaram, Wlloa
idade, os padecimentos physioos, e a conwn
dos servicos prestados em urna tonga carreira lie
davam direito 80 descanso e imnediam-lhe a acti-
vidade de mocidade. Quasi ceder o ntthnoaleu.
tendo dado a patria a certeza da >
a
corita pro-
moedas nacionaes, e estran-
letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
escontam letras da trra e outros t-
tulos commerciaes.
Encarregam-seporconta albeadas mes-
mas transaeces, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Receb m quaerquer quanlias em depost-
ost, em conta correte, e a prazo fixo.
q argo do Pelourinho *
286.698*189
:rT.5*l67
ALFANDEGa.
rtendimento do dia 1 a 9 .
idem do dia 11.....
;i9:iW*3o6
MOVMENTO DA ALFANDEGA
bis
__ 1062
147
130
3i3
Volumes entrados com fazendas
dem idem cora gneros
Volumes sahidos com fazendas
Idem idem cora gneros
escarregam hoje 12 de ontubro
Barca naleza/fcrmioiimorcadortas *4eiro.
Itarca ing eza-FnuwA Wilsonmorcadonas.
Barca portugueza Pereira Borges dem,
Vapor nglez0/'drtidem.
Escun"norle-allemoAdelaid dem.
Brigue hespanholFraiuisco vinhos,
Suma hespanhola-Carmen mercauorias.
Patacho inglez-.l/an, '-^'"h "If'0-
RECEBEDttIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERN4MBC0 <
Rendimento do dia 1 a 9 *:W6'*"
dem do dia 11...... i:H76l
GE-
to,
de direecao a ca-
guerra de honra que por falta
vando o descrdito do paiz, tendo levado o excru-
to imperial de victoria em victora ale a.ca iui
inir^iga, o benemrito marechal chegou a Assomp-
qlo incapaz do continuar frente do exercito que
No'rtrepdam%5 c-.t d-ze-lo : se bastasseui os
fracos restos de sua vida para recondiuir mea
milhares de brasileiros, que formara o exercito em
perac5es no Paraguay, ao seio da patria, o duque
dina para fechar a campanha : mas o tigre pa-
do Reeiifc era virtude dn le, etc.
Faco saber que pola cmara municipal me toi
remeltido o officio do theor segninte :
t Secretaria da cmara municipal, 1* de setera-
bro de 186.
t Iltm. 8r.Tendo o Exm. vice-presidente da
provincia, itef officio circular de 21 de agosto
prximo (flBfcouvoeado a nova asscmbla legis-
lativa provtueial para a futura legislatura que tem
de funeciouar nos annos de 1870 a 1871, desig-
nando o dia 28 de novembro prximo vindouro
para a eleicao dos membros da mesma assembla,
esta amara assioa o eommuuica V. S. para sua
Btelligenoa, e afim de que eonvoque tambem os
eleilores d'essa freguezia para o dia indicado, to-
ra indo em consideracao o que cispoe o art. 2." do
decreto n. 2633 do de setembro de 1869.
t Deus guarde V. S. -illm. Sr. Manoel Anto-
nio Riboiro, juiz de paz dafreguezia de S. Jos do
Hecife.Manoel de Barros Barreto, pro-presidente.
Francisco Canuto "da Boaviagem, secretario.
Em cumprraonio do referido oflicio, convido os
eleilores d'esta freguezia, afim de que todos com-
parecam na igreja matriz de Santo Antonio no da
28 do novembro prximo futuro, s 9 horas da
manba, para queprocedam organisacaodainesa
e mais aclos relativos eleijao dos membros da
assembla provincial, conforme determinan) as
leis respectivos. ^
E para que cnegua #)o conhecmento de todos,
mande passar o presente, que ser afflxodo no
lugares do coftumo e publicado pela imprensa.
Freguezia de S. Jos do Recito, 8 de outubro
de 1869.
Eu Jos Goncalvos de S, escrivo do juiz de
paz, o escrev.
Manoel Antonio R beiro.
O capitao Manoel Antonio Ribeiro, juiz de paz do
primeira anno d'esta freguezia de S. Jos do Re-,
cito, em virtude da lei, etc.
Faco saber que pela cmara municipal, me toi
dirigido o seguinte oflicio :
< Paco da cmara municipal do Recito, 1 de
setembro de 1869.
illm. Sr.Tendo o Exm. vice-presidente da
provincia, em officio de 34 de agosto prximo fin
do, declarado cmara que havendo o governo
imperial por aviso de 31 de julho findo determi-
nado que se proceda eleicao pra um deputado
assoinbla geral pelo primeiro districto d'esta
provincia, afim do preencher a vaga que se deu
na respectiva cmara, em consequencia de haver
prestado juramento e tomado assento no senado o
Exm. vsconde de Camaragibe, lenho designado o
o dia 26 de novembro prximo para a reunio dos
eleilores no edificio j iudicado em circular da
presidencia de 19 de setembro de 1860 (igreja
matriz da freguezia de Santo Antonio), pelo que a
mesma cmara recommenda V. S. que convo-
que para a referida leico os eleilores dosta fre-
guezia, os quaes devem leunir-se no mencionado
dia para aquelle fin, como tica dito.
Deus guarde V. S.Illm. Sr. Manoel Antonio
Ribeiro, juiz do paz da freguezia do S. Jos do Re-
cito.Manoel de Barros Brrelo, pi-presidente-
Francisco Canuto da Boaviagem, secretario.
Era cumprimento de referido officio. convoco
03 eleilores geraes d'esta freguezia para a reunio
do collegio no dia 26 de novembro prximo, afim
de proceder-s eleicao d um deputado que deve
dar este circulo, para preencher a sobrcdia vaga.
Em consehuencia do que devem comparecer os
eleilores s 9 horas do dia na referida igreja ma-
triz de Santo Antonio, para este fim.
E para que chage a noticia todos, mande!
fazer o presente, que ser afflxado no lugar do
costumo, e publicado pela imprensa.
Fregnezia do S. Jos do Rejjife, 8 de outubro
de 1859.
Eu, Jos Gonealves de S, escrivo, o escrev.
Manoel Antonio Ribero.
de 1869 a 1870, taes como papel de primeira qua-
ldade liso e pautado, lapis, pennas d'aco e de gan-
co, garrafas com tinta, nbreias granaos, caetas,
arda, papel ma'.a-borrao, eadarco, papel pequeo,
dito de peso graude. envolncros pequeos, livros
em branco cada um de cem folbas, ditos de dozen-
(as para actas : recebe propostas o dia 13 do
corrente em carta fechada, as quaes devem os
pretendentes quo quizerem fornecer os mesmos
objectos declarar o menor preco por que o fazem.
Faco da cmara municipal do Recife, 6 de outu-
bro de 1869.
Mmoel de Barros Barreto,
Pr-presdente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
A cmara municipal d'esta eidade, tendo de
contratar a quantidade precisa de tijollo de alve-
naria gross, ara o cal branca e preta para
o consumo do ceraiterio publico, recebe no dia 13
do crreme propostas neste sentido, em carta fe-
chada, na qual os pretendentes do fornecimento
devero indicar o menor proco do milheiro de
tijollo, carroca de ara e alqueire de cal.
Paco da cmara municipal do R-cito. 6 de outu-
bro de 1069.1
Manoel de Barros Barreto,
Pr-presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
Rio Graude do Sul
Pora o indieadoporto s poacos d,as o
brigue brasileiro Tygre, e recebo alguma carga a
freto ; a tralar na run do Vlgario n. 1, Io andar,
escriptorip e Ba|tr, Olivaba. C ____
Co
Cabo.
Pela collectoria de diversas rendas da villa do
Cabo avisa-se aquellas pessoas que toram conec-
tadas venham satisfazer o imposto pessoal do exer-
cicio de 1868 a 1869, visto estar a findar-se o
praso. _______^____
americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 13 de outubro 6 e perado de New-
York por S. Thom.v. e Para o vapor americano
Xorth Amrica, o qual depois da demora do costu-
me, seguir para os portos do sul ; para frotes e
passagens, trata-se com os agentes Henry Forster
A C, ra do Commereie, n. 8.____________
COMPANH1A PERNAMBCAIU
. DB
Nravega^o costeara por vapor.
Mamanguape.
O vapor Mandali, comman-
dante Julio, seguir para o por-
to cima no dia 12 do corrente
as 6 horas da larde. Recebe car-
ga, encommendas, passageiros e
dinheiro a frete at as 3 horas da tarde do dia
da sahtda : escriptoiio no Forte do Mallos n. 12.
COMPANIIIA PEHNA.MUUCAKA
DB
tfavegaco costelra por vapor.
Goianna.
O vapor Parahyba, commandantn
Mello, seguir para o porto cima no
20:340*978
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia I a 9
dem do dia i 1
3!-.986*175
31 '.2315098
Correio geral.
Pela administracao do correio desta eidade se
faz publico, para lins convenientes, que em vir-
tude da convencao postal, celebrada pelos gover-
nos brasileiro e francez, sero expedidas malas
para Europa no dia 15 do corrente pelo vapor
inglez La Plata.
As cartas sero recebidas at 2 horas antes da
quo tor marcada para a sabida do vapor ; e os
jornaes at 3 horas antes.
Adminisiraco do correio de Pernambuco 11 de
outubro de i69.
O administrador,
Domingos dos Passo3 Miranda.
Correio geral.
Relacao das cartas registradas existentes na admi-
nistracao do correio desta eidade para os senho-
res abaixo declarados :
Antonio Alvos de Moraes, Antonio Martins de
Barros, desembargador Bernardo Machado da Cos-
ta Doria, Caudido Gregorio dos Santo?, Dinameri
co Augusto do Reg Rangel (2), Frederico Maia
(2), desembargador Feancisco do Assis Pereira Ro-
cha, Francisco Cannto da Boaviagem, Francisco
da Costa Maia, Dr. F/ancisco Muniz Tavares, D
Jeznina Mara da Conceicao, Joaquim Antonio Tei-
xeira, Dr. Joaquim Graciano de Araujo, Joaquim
Maia do Espirito Santo, conego Joaquim Pinto de
. dia 16 do crreme as 9 horas da noite.
Recebe carga, encoinmend^s, passageiros e dinhei-
ro a frete, no escriptorio do Forte do Matto
n. 12.______________________________
COMPANHiA PRNAMBUCAKA
Xavega^o costelra por vapor.
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Giqui, comraandante Azevedo, segui-
r para os portos cima at o dia lo do corrente,
s 5 horas da tarde. Recebe carga at o da 14,
encommendas, passageigelros e dinheiro a frete
at s 2 horas da tarde do dia da saluda, nu es-
criptorio do Forte do Mattos n. 12.
COMPilMHIA
DAS
Sessageries imperiales.
At o dia 11 do 'orrenle mez espera-.- dn>
Europa o vapor francez Navorre, o qual depois
da domora do costume seguir para a Rabia o
Rio de Janeiro.
Para condiecoes, frotes c passagens, trata-o
na agencia, ra do Commerclu n. 9.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
a
P, Manoel Cesar de Mello, r. Pedro Alfonso de
Mello, capitao Seraphim, D. Theodora Joaquina de
Souza Braga, Dr. Trislo de Alencar Araripe (2),
Dr. Tobias B. de Meuczes, tenente Thontaz Lopes
de Lima. __________
DECLARACOES.
movmento do porto.
que nunca, a actividade era indispensavel esta nao
tinha o velho, que so at entao havia resistido por
sua grande alma. ...
Como aecusar-se o marechal, por sua velhice,
por seus soffrimentos?... __
O duque de Caxias, entregando em taes circuns-
tancias, o basto do commando, prestou anda um
servico ao paiz.
Taes sao os fundamentos das aecusacoes que o
desneito levanta contra o cidadao, qne fechou sua
carreira militar tao alto elevando o nome brasilei-
ro, e Armando o piesligio do imperio na guerra de
honra, que deixou em sua ultima phrase. usixe-
mos o que diz o Standar!, do Bucnos-Ayres. Pe
riodico inglez, publicad. no Prata, elle deve ter
nteresse em narrar o brilho de nossas armas nes-
sa campanha de allianea, em que o Brasil tem da-
do dinheiro s ma* cheias, em que a esqua ira e
exclusivamente brasileira, em que nosso sangue
tem corndo d jorros por mais de dous terco? nos
combates. ,_
Um jornal opposicionista na corte, notavel pela
demencia de sua phrase, saudando o nobre duque
em sua volta gloriosa da campanha, pela modes-
tia com que se alheava de >i toda a pompa e des-
pezas, comparou-o ao grande romano,_que a his-
toria endeusa sob o nome de scipiao-Africano.
Esse jornal est ao nivel da imprensa, que saiwa
o vingador da patria ultrajada, esquecendo a-liffe-
renca de credos polticos. ...
Luiz Mves de Lima, o primeiro duque dos dous
reinados, snbio i mais elevada posieao social, nao
pelo capricho de validos de urna monarchia abso-
luta, nao por mosquinhos servicos eleitoraes, feitos
ministros podroslos ; mas pelos mais rele\antes
servicos, que a patina se pode prestar.
Elle barateou sua -vida desde a juventude no
serrico do paiz, de 837 em diante foi a espada
vencedora de nossas dcsavoncas internas, o des-
thronador armado o odioso Rosas, esse Lopes dos
argentinos. Faltava para immortahsar Ihe o no-
me, ser o vingador de seu paiz na mais critica st-
tuaco em que se ha visto o Brasil desde sua inde-
penda, sen nome ett ligado historia da patria :
ella eoroar o graaie cidadao.
Saudamo* ao nopre marechal'de Caxias a ulti-
ma expressao da abnegacao e do patriotismo, as
5lorias do Brasil, pie, agradecido, cobre de vel-
ejantes lonros a encanecida fronte de seu primei-
ro general.
Agua Florida de Mur-
ray e Lnman.
Est com urna rapidez espantosa transmi tundo
e entregando ao negro esauecimento urna chusma
de essencias e aguas cheirosas para o toucador,
as quaet bem que se diga, teem servido de nma
miseravel deshonra ao gabinete de toilet e de um
desprezivel desgosto todas as pessoas de refina-
do gosto. Alm de ser menos expeudiosa do que
os extractos e essencias europeas, ella e a mais
pura e delicada essencia floral existente, e util ja
como um excellente meio hygienico possuimlo su-
perior qualidades cosmticas ; e finalmente ja co-
mo delicado e aprazivel adorno odoriphero e de-
licioso. E' um mimoso e delicado coraposto de tu-
do quanto uttL ao que ha de mais agratavel.
Para os senhorea que soffrera de irntacao e ar-
dencia da pelle causada pela manipnlacao <:.a na-
valha de barba, usando deste balsmico e refrige-
rante perfume, diluido em agua, encontrarlo nel-
ie a virtude modificante, o antidoto nscessaric, ser-
vindo ao laoamo tempo, debaixo desta mesm i for-
ma, como a meio excellente de dissipar o gosto
a choro qu Sea na bote depois de o havor fu-
mado.
Tendo c^egao ao meu conhe;imeato o encrgico
ejouvavel ptocemm q9 yer o capftvi An-
A'ao/o entrado no dia 10.
Porto40 dias, barca portugueza Lava, de 291
toneladas, capitao Joo Leite Mariz, cqnipagem
16, carga vinho o outros gneros; a Carvalho
Nogueira.
Navio sahido no mesmo dia.
Havre-Brigue_ francez Palero, capitao Hernaut,
carga algodao.
yacios entrados no da 11.
Mamanguape 15 horas, vapor brasileiro Mau-
dah, de 222 toneladas, commandante Julio Go-
mada Silva, cqnipagem 13, carga algodao; a
companhia Pernambucana.
Liverpool 37 dias, barca ingleza Elisa, de 438
toneladas, capitao H. Y. Wilham, equipagem 4o,
carga carvo ; a D. C. A. C. C Scmpson & C.
Wesierrik71 dias, barca brasileira AdelaiJe de
973 toneladas, capitao Manoel Jacintho Teires,
equipagom 19, carga carvo e madoira; a Maia
& Espirito Santo.
Navio sahido no mesmo dia.
LiverpoolBnguo holl.indez Redite, capitao G. S.
Stuile, carga algodao.
Pela secretaria da Santa Casa de Misericor-
i-iiafi^ da do Recife, se convida aos parentes, das meno-
1 res abaixo mencionadas, virem rccolhe-las ao
collegio das orphas, viste assim o haver resolvldo
a Ilma. junU em sesso de 30 do mez findo.
Josepha, lilha de Aaoa Rosa do Si.cramento.
A'delai-le, idem de Galdina Maria dos Aojos.
Josepha, idem de Senhorinha Joaquina dos San-
tos.
Maria, idem de Joaquina Candida de Cunha No-
bre.
Anna, idem da mesma.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cite, 2 de outubro de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
CORREIO GERAL
Relacao das cartas registradas vindas di sul
polo vapor Paran para os senhores abaixo de-
clarados :
Dr. Aprigio Guimares, Antonio Augnsto Fer-
reira Lima, Antonio Fausto Neves da Silva, Anto-
nio Jos Conrado, Antouio Jos Teixeira de Men-
doea Rolim, Beleriano Esqnison. D. Constuncia
C. Meira Bruno, Carlos Augusto Ribeiro, Carlos
Jos Augusto do Oliveira, Dr Caroiino Francisco
de Lima Santos, major Caelano Pinto de Veras,
Dr. Domingos Ribeiro Guimares, Francisco de
Assis Carmo Cordeiro, teaente-coronel Hemeterio
Jos V-dloso da Silveira, Dr. Julio Adolpho Riba*,
major Joaquim Antonio P., Dr. Joaquim Jos da
Fonseca, Jos Mendes Vieira, Dr. Jos de Oliveira
Campos, Jos Theodoro Gomes, capitao Luiz Fran-
cisco Teixeira, D. Maria Salom de Moura Mallos,
Manoel Joaquim Loureiro, capitao Vicente Antonio
do Espirito Santo.
Conselho de compras
navaes.
O conselho manda fazer publico, quo sob as
condices do estvlo, contrata no dia 14 do corren-
te rasz, vista de propostas recebidas at as 11
horas da manhaa, o fornecimento de galinhas aos
cstabeleoimentoe de marrana no corr nte trimestre
de outubro a dezembro.
Sala das sesses do conselho do compras navaes
9 de oatubro de 1869.
O secretario
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 18 do corrente o vapor
Tocan tins, commandante J. M.
Ferreira Franco, o qual depoi
da domora do costume seguir;
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ier embarcada no dia desuachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
lectos de pequeo yalor e que nao excedam a_ 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-seaos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
Io andar, escriptorio do Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
Rio de Janeiro
Para o indicado porto pretende seguir com mui-
ta brevidade a barca portugueza S. Joo, por ter a
maior parto do seu carregamento engajado, e para
o resto que Ihe falta, trata-se com o consignatario
Joaquim Jos Gonealves Beltro, ra do Commer-
cio n.,17.
ECITAES.
Dr. Anninio Coriolano Tavares dos Santos, juiz
municipal da 2' vara desta eidade -lo Recife de
Pernambuco e seu tormo por S. M. I e C. etc..
Faco saber cm como por este juizo se ha do ar-
rematar cm praca publica por quem mais der,
lindos os dias da loi.epracas successivas o seguin-
te : um sobrado do um andar e solo n. 33, sito
na ra do Hospicio, freguezia da Boa-vista, em
chao forciro marinha, com 32 palmos de frente e
74 de fundo, tendo dito sobrado 2 salas, 3 quartos
grandes e 1 pequeo, um soto, 1 sala grande, o
quartos, sondo 3 pequeas quartos; o pavimento
tendeo, 2 salas, 2 quartos e 1 pequeo, com casi-
nha tora o 2 quartos mais ao lado, quintal para
leja e tambera para o sobrado com 2 quartos, e
cacimba propria ; vista do estado em que se
acha, avahado em 12:00|000, o qual vai oracia
por execuco de Eleodoro de Aquino Fonseca con-
tra a viuva e herdeiros de Joo Rufino da Silva
Ramos.
E para que chegue a noticia de todos mande
passar o presente, que ser alBxado nal lugar do
costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta eidade do Reeifa-aos 2 de
outubro de 1869.
Eu Manqel Jos da Motta, escrivo o snbscrevi.
Arminio Coriolano Tavares dos Santos.
Pela secretaria da cmara municipal desta
eidade se faz publico para conhecimento de quem
interessar possa, que nao tendo sido arrematados
no dia 6 do corrente, como estavam annunciados.
os impostes de 80 rs. por carga de farinha e ou-
tros legumes vendidos nos mercados pblicos, de
500 rs. por cabeca de gado morto para o consumo
das freguezias de fra da eidade, e bem assim os
alugueis de tainos de acouguo ns. 10, II, 12 o 13
doquarteiro do lado d sul; continuaro em pra-
ca no dia 13 do andante mez taes impostes e alu-
gueis : aquellos que pretenderem arrematar, ha-
bilitem-se na forma da lei.
1 Secretaria da cmara municipal do Recife 9 de
outubro de 1869.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
Santa Casa
do
O Dr. Casiano Jos da Silva Santiago, do, conselho
de Sua Magstade o Imperador, commendador
da imperial ordem da Rosa, desemnargader,
presidente do superior tribunal da relacao de
Pernambuco, etc.
Faco saber palo preseate, que de conformidade
com decreto n. 817 do 30 de .agosto de 18l,o aviso
o. 255 de 30 de dezembrodo mesmo anno, se acha
em concuo o oficio de escrivo de appellacoes
deste tribunal ltimamente creado por lei provincial
n. 907 de 25 de jnnho do corrente anno ; portante
os pretendentes ao dito oflicio deverao apresentar-
se dentro do prexo praso do sesenta das, conta-
dos da data deste, munidos dos documentos que
sao recommendados por lei.
E para que ebeguo ao conhecimento de todos
mandei fazer presente edital que, ser afflxado
nos lugares,do costume e publicado pela im-
prensa
Dado o passado nesta eidade do Recife de Per-
nambuco, aos dozedias do mez de agosto de 1869,
auadragesimo oitavo da independencia da imperio
o Brasil.
Eu Jos Peres Caropello de Almeida,- secretario
interino o subscrevi.
Caetano Jos da SU*a Santiago,
Presidente.
O IllmrSr. conselneiro inspector da tbesou-
raria de fa7enda d'esta provincia, em virtude do
ofiieio da presidencia do 5 do corrente mez, man-
da fazer publico que no dia 20 do mesmo mez, s
duas horas da tarde, ir nevamente praca para
ter arrematada por quem maior lanco pfltsrsecer,
as pedras de alvenaria e contara em broto pis-
temos as proximidades da fortaleza do Brum.
da Misericordia
Recife.
A Ulma. Junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no dia 15 de outubro, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tresdnnos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
PAThlMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Cacimba.
Casa terrea n. 10....... 86.-5000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 103 ................ 1465000
dem n. 98........................ 203*000
idem n. 96......................., 202*000
Sitio n. 3 no Forno da Cal........... 150*000
Os pretendentes devero apresen tar no acto da
arrematacao as suas llancas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cite, 4 de outubro de 1869.
O escrivao.
Pedro Rodrigues de Souza
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Iilma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife precisa contratar com qnem
se qneira encarregar de fazer sua custa as obra?
de que necessita o sobrado n. 37 da ra da Moe-
da, concedendo ella, alem de outras vantagens, o
arrendamento por grande numero de annos.
Recebe para isto prupostas em cartas fechadas,
na sala ae sna sessoes, devendo os pretendentes
exaimnarem as h de qne carece o predio.
Secretaria da Santa Casa de Misencordia do
Recife, 4 de setembro de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigue* de Souza.
do
Club Pernambucano
lloje, 11 de outubro de 1889.
Concert no salo do Club Pernambucano, offere-
cido pelo Sr. emprezario gratuitamente era be-
neficio dos coristas da companhia lyrica-talia-
na, cm que lomam parte obsequiosamente os
distractos frtistas Srs. Amaldi e Pierrotti, Sras.
Bosquini, Scolari, Gealdini, Galassi e Lorabar-
delli.
Os beneficiados se recommendam muito ao ge-
neroso publico para coadjuva-los cera asnaprc-
senca. Todos os beneficiados sao chefes de familia,
e por issu na extrema preciso de voltarem para a
sua patris, certos de terem encontrado um publi-
co lo philantropico e hospitaleiro como geral-
mento se mostra quando os infelizes precisan) da
sua proteeeo, ao qual antecipadamente agrade-
cen.
PROGRAMMA.
i* PARTE.
De[errar3.Scena c coro Ratapln, da opera //
Maes'.rello, cantado pelo Sr. Loinhardelli o Coro
Donizeiti.Dueto da opera Marino Faliero, canta-
do pelos Srs. Boscbini e Scolari.
Verdi.Cavatina da opera Conr de St. Bonifacio,
pela Sra. Pierotti.
Betlini.Scena, coro e aria da opera Norma, can-
tada pelo Sr. Scoiati e Coro.
RossiniOs marinheiros, coro original, cantado
pelos Coristas.
RcciTerceto buffo da opera Crispina e la Co-
ntare, cantado pelos Srs. Boscbini, Scolari e Lom-
bardelli.
2* PARTE.
MeyerbeerValsa detl' Ombra, da opera Dinoraah,
cantada pela Sra. Amaldi.
ounod.Grande march da aopera Fausta, canta-
da pelos coristas.
BelliniCavatina da opera CnpuMti e Montecchi,
cantada pelo Sr. Pierotti e Coro.
Nercadante Scena e aria da opera Giuramento,
cantada pelo Sr. Galassi e Coro.
AlbinaloHomenagem aos Pernambucano, mar-
cha expressamente coniposta o dedicada a este
magnnimo publico pelo autor, corista da com-
panhia lyrica, e executada pelo Sr. Gialdini.
VerdiGraode scena e aria final da opera / aue
Foschari, cantada pelos Srs.. Amaldi, Boschrai e
Coro,
jy. BTodos os artistas cima nomeaaos, se
prestara gratuitamente.
Principiara as 8 horas em ponto.
Pede-so s pessoas qne se dgnaram aceitar bi-
Ihetes o obsequio de deixarem a sua importancia
na entrada dos saldes, onde estar urna pessoa
encarregada de receb-la.
Concert vocal e Instrumental.
O abaixo asMgnado avisa ao respeitavel publico,
quo nao tendo sino possivel levar execncio no
tempo e logar annunciado neste "Diario de 14 de
setembro, o concert variado qne elle deseja dar,
para divertimento e distraeco do publico, pre-
tende realisar e cumprir ana promessa no dia 14
deste mez, na amiga salle dansa da sociedade
Recreio Pernambucano, largo do Carmo n. 9, Io
andar. Persiste aquelle mesmo programma com
a alteraco apenas da terceira parte, pois que nao
possivel haver dansa, por nao so prestar a is30 a
sala mencionada. Os bilhetes distnbuidos sao os
mesmos que daro ingresso ao dito concert.
Recife v de outubro de 1869.
Jos Coelbo Barbosa.
LEILOES.
LEILAO
De una grande casa terrea cona
um sitio.
O agente Puntual, competentemente aptorisado,
vender ama casa terrea tendo comrnodo3 para
grande familia e com um sitio, o qual tem bstan-
la arvoiv.s fructferas e urna cacimba com encl-
lente agua para beber, em solo proprio, no princi-
pio da estrada do Afllicios n. 23, tendo a i rento
para o becco do Espmheiro e muito perto das
estacoes do Manguinho e S. Jo-.
Os" senhores pretendentes podero examina-la o
eoncorrercm ao Idilio
HOJE
no primeiro andar do sobrado n. 62, a ra da Cruz,
..s II horas da manhaa.
Santa Casa de Misericordia
lleelte
A Qtma. 'junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife na sala de snas sessoes,
pelas 4 horas da tarde do dia 7 do corrente, ar-
renda pelo tempo do 1 a 3 amos, o terreno que
possue o patrimonio dos orphlos na estrada de
Agua Fria sob n. 6, o qual divide, com os sitio*
de D. Maria Rita da Cruz Heves, e o dos herdei-
ros de Henriquo Gibaou, pola qaantia de 240* an-
AVISOS MARTIMOS.
LEILAO
Marca A M & C,
DE
10 calxas
com 500 grosas do
phosphoros de segnranca ; idem idem, 9 ditas
com 225 dilas de ditos de ditos; idem F A S, 7
ditas com 840 latas de 2.libras de biscoutos ;
idem idem, 4 ditas com 480 ditas do 1 d'.a Jo
dito.
HOJE.
TERCA-FEIRA 12 DO CORRENTE, AS 11 HORAS
DA MANHAA.
O agente Pestaa far lcilo por conta o risco
de quem perteneer, das mercaduras cima men-
cionadas, avanadas d'agua salgada, a Dorio do
brigue ingles Elisa Jane, naufragado na? praias
da Parahyba do Norte, e vindas para Pernambuco
no vapor da companhia Pernambucana Cururifie,
terca-feira 12 do corrente, as 11 horas da mtr.'s,
no armazem do Annes, largo da Alfaodejra.___
LEI0
DB
111% III18
Ma Importancia de 40:430.tf.O
rls
Quarta-feira 3 de novembro de 1869.
O agente Pinto levar leilo, s 11 horas da
dia cima dito, por autorisaco do liquidatario da
extracta firma de Soothal Mellors A G\. as di idas
na importancia de 40:4374150 rs., sendo........
31:187310rs. do conformidade com o mandado
de penhora contra J. de Siqueira Ferrao, o......
9:29*840 rs. de conforraidado com dous manda-
dos contra A, Pinte de Leraos ; o leiRo ser.i
effectuado no dia cima dito, no escriptorb do
referido agente, ra da Cruz n. 38.____________
BAHA
O palhabote QaribaUi, capitao Custodio IJos
Vianna: a tratar cora Tasso Jrmaos.
DOS
gneros e armaqo da taberna si-
ta ra Imperial n. 181.
O agente Pontual vender em leilo potordeni
do Illm. Sr. Dr. provedor dos residuos o capaila?,
e generes e armaeSo existentes na taberna ci-
ma, n'um ou era mais lote, a vontado dos licitan-
tes. Pre.ine-se aos senhores pretondeotea ne a
taberna acha-se bem trrida, e 'ama tocafdade
magnifica.
Quinta (tira 15 do corralo.
Na mesma taborga s 11 horas ocia.
&
k'-*
)
V


nano
de
AVISOS, DIVERSOS.
---------------
USNflJN ttL0]li; E iEOGR APHIC
PERMMiAl.
Ha\er# JbMo dpdlriaf quinta-fcira U
do correnta outubro, pelas 41 horas da
manlia. -aw u.
ORDIV o da
Pareceres mais trabalhos de commis-
66es.
Secretaria do Instituto, \ I de outubro
de 1869.
Jos Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
Aluga-se
FRAGATA AMAZONAS
Antonio Lourenco Teixtiira Marques tem
a honra de annunciar ao respeitavel publico,
e ao corpo ilo coramercio, que a sociedade
eommurcial commanditaria. sob a razo so-
cial demarques, Silva & C. que tinha com
Manoe l.Monteiro da Cimba e Joao Mara ca
Silva, est dissolvida, o cxlincta ; licamlo
todo o activo e passivo da mesma ao cargo
exclusivo ilo abaixo assignado, septos os
seus dous ex-sociosde toda e qualquer res-
pon-sabilidade presente e futura.
O abaixo assignado continua no roesmo
estabelecimento da ex-sociedade (Fragata
Amazonas) sob a nova (Irma Teixeira Mar*
que & C. ondQpromelte servir aos seus
freguezes e amigos, com sinceridade, zelo
e promptido.
Recife, 8 de outubro de 1869.
Antonio Lourenco Teixeira Marques.
o prinwt'N andar do obrado ilo largo do Corpo
Santo n. 2?>, tendo e..imma6s so eat Boltciro ou para escriptorio: a tratar no nfeflmo.
Aluga-se orna escrava. : a tratar ua ra do
Queimado n. 61.
A Extna. Sra. D. Luiza Mara TavRres da
Silva,dgnese mandar travessa da Madre da
Dos, armazem n. 17, procurar ama carta vinde
do Rio de Janeiro pelo vapor Paran, pois quo
procurndose entrega-la pessoalmente, segunda
o inderesso da mesma, nelle nao a mesma
Exma. Sra. residente.
Cozinheiro
Precisa-se de um cozinheiro de boa conducta
para informaefics, n* ra da Cruz n. lli.
Aluga-se uina escriva
Queimado n. 01.
a tratar ua ra do
Una pessoa habilitada cid concertar machi"
as de coser, se offereee a quem quizar se ulili*
sar de seus serviros dirija-se a ra da Conceicao
n. 32, que achara com quem tratar.
mmjl
Precisase alugar urna escrava para fazer o ser-
vigo interno e externo n'uma rasa de familia : a
iratar na ra da Cruz n. 63, segundo andar.
Trilhos urbanos o
Reeife a Olinda.
O e.Tri|itorio d'osla companhia foi transferido
para o pnmeiro andar do predio n. 33 da ra
Nova, entrada pela ra das Flores n. li, o qual
estar iberio toil< s os das uteis, das 9 horas da
manha s 4 da tarde
Recife, 4 de outubro de 18 9.
Joo Joaqun Alies,
! secretario" interino.
* nmn.
. Precisa-se de umi ama livre on escrava,
que cozinhe eengomnie, de bons coslumes e de
meia idade : na ra Bella n. 22.
Nesta typographia se precisa comprar
dous caixilhos para alcovas, que tenbam 11
palmos de altura e 5 de largura.
CLUB PERWMBGANO
A partida do crreme raez tora lugar na noute
do dia iii.
CASA DA FORTIM
Aos 4:000$
Eillietes garantidos.
A ra do Crespo o. 23 e casas do costume.
Acuam-se a venda os bilhotes da 89" parte da
olera a beneficio da Santa Cssa de .Misericordia
. MB") que se exlrahir no dia Ib' do crrente.
Precos.
Os do costume.
____________________Manuel Martina Fuua.
BEBBRIBE.
.41uga-sc una casa na pjvoa-'.io de Beberibe,
com trastes : na ra da Imperatriz n. Jo.
Da-te sucieda le on se, vende o estabcleci-
mento de moldados da roa Nova n. Cl.
Denppareeeu m domingo noute 3 do cor-
rente, de casa de Jos Martina do llego Jnior,
morador no Pombal fregoezia da l'oa-Visla, um
^avallo castanho-claro, o qual j pertenecu aos
Srs. Ges & Bastos, a pessoa qne o fiver encontra-
do ou que delle tiver noticia dirija-se a ra da
Madre de Bous n. 9, que sera generosamente
recompensado.
O bacharel Jorge Bornellasllibeiro Pes-
soa pode ser procurado na ra do Impe-
rador n. 4o segundo andar, para onde
rnudon asua residencia e osea escripto-
rio de advocacia.
Hospicio
Precisa-se de urna ama para o servico interno
le duas pessoaa : a tratar ua ra d'Amiaade n. 21,
na Capunga.
Hotel Uni&o, ra do
n. 84.
Este novo estabelecimento fornece comedoria
com iiromptid o e acein, tanto para fra como pa-
ra dentro do dito estabelecimento, assim como nos
domingos c dias santos ter mo de vacca e outras
iguarias, todos os dias Uvera papas de diversas
qualidades ; assim, pois, o propretario espera do
respeitavel publico toda concorrencia e proteccao.
visto ter um bom cozinheiro.
Pede-se ao Sr. Antonio Roberto de Fraga
sonhor doengcnho Santa-Cruz, freguezia de Igua-
rass, o favor de mandar a coxeira n. 45 da ra
da Roda, destrocar urna cabecada, que por enga-
o levou.
Precisa-se d; um creado para todo servieo
de hotel, paga-se bem, prefere-se escravo : a tra-
tar na ra estreila do Rosara n. 11, hotel Lisbo-
nense.
Cozinheiro.
Precisa-se de um cozinheiro on inesmo ajndan-
te com alguma iratica de casa de pasto: na
ra larga do Rosario n. U.
AVISO
Roga-se ao senhor, conieci'b por A. de O., que
mora na ra denominada Gaeab, que tenha a
bondade de se oio importar com a vida privada
de quem nao se lembra de s;ia mere, nem ao
menos para lembrar ao respectivo liscal que faga
curar o seu abuso de ter empanada durante o dia
e a noite, contra as posturas da cmara, e offensa
a vista publica. Nao cortamente a apparencia
de possuir algumdinheiro bem ou mal ganlio, que
aulorisa esie seu abuso, e nem to pouco Ine da
autoridade para se involver com a vida domestica
dos mais, exceptuando-se, porm, se esse proce-
dimento lilho de sua cducaco, ou proprio de
seu intento maligno ; mas etn qualqner dos casos
nao se pode livrar de sua justa represalia, se por
ventura nao se cohibir t proffldiinonto. s pro-
frio de quem tem o nomo eompos'.o de Onze
tras.
______________________OJoffendido._________
ALUGA-SE
o Io andar do sobrado sito no caes do Brum n.
73, cora commodo bastante para grande familia :
a tratar com Luiz L. dos Guimaraes Qeixoto, ra
larga do Rosario n. 34, botica.
Alugam-se duas casas em Beberibe, no oorlo
da Madeira, beira do rio, com 2 salas, 2 quar-
tos, cozinba fra : a tratar na ra Direita n. 09.
Dase dinheiro a juros, na ra da Concordia
n. 5, onde so diro as rondir/x s.
Na pharmacia do Pinto rna
Larga do Eosario n. 10
junto ao quratel de poli-
ca.
A'.bam-se constantemente promptas a
seren salisfeitas, as prescrpcoes dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfer-
mos, as especialidades di mesma pharma-
cia, composla de medicamentos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
pito
Xaropes de fedeg.-o, rabo* de tat,
Agrillo, pao Cardozo.osc, mulungi, mu-
tamba, etc., ele, ju
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Pai, pilulas e xarope de veame, tin-
tura c xarope de sicupira.
Doeneas do ligado c liani. ane-
mia, opiiaco, etc.
Emplasto, oleo, pommada tintura, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sezdcs ou febres iiitermiteufes
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia de seu autor ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica.
?ara
irjur.txxJO
I 1870 f
FOLHIelHAS
i
Acaba* de nahlr Luz e acnr
Trnaa na
LIVRARIA IJRANCEZA
Ra do
Crespo
u afimkda FolMahis
N 9.
.WEIMICi i RELIGIOSA
PARA 0 ANNCj DE 1870
FREG R.S ]
'ZXAXX3CK
Ka
Pernambuco T^r^a feir 12 de Oatubro de 1869L


_ak
-Ul
I
AMA
Precisase de nnu anv de meia idade para
le familia : a tratar na ra do Jrag5o n. 32.
casa
Feitor
Precisa-M de um feitor Jdo meia idade e casado
para um sitio perlo desta praca : a iratar na ra
ilo A agao a 32.
CASI 1>A FE.
Aos 20.000^000.
llhel do P.io w-nda : rna do Cabg n. 2,
vendo \ioira ARodrigua.
Precisa-se de urna ama para casa de pooca
f imiha : na ra do Caldeireiro n. 68.

=? i es a
n >
$ -O
S-O,
-n>
m
s
S. 3! J<
3 -r-s
- 9
5150
*
son /
lH
go>g
a oo =
2 3J n
: a O?
|55J
5*2 _-
OS"
T O 2.
S rn|
;
P3
" O
s
a S
S1
|sS
K
PIIiULES
DE VALLET
^W-T
As rlalas de Tulle, approvadas pela
Academia imperial de medicina de Pariz,
saS empregadas com o maior ^bl
xito para curar a chlorosis,
e fortilicar as constituicies
fracas. Nunca este ferrugi-
noso ennegrece os dentes. ^**^"
Para a garanta da sua authenticidade,
o nome do inventor tai gravado em cada
pilula como i margem.
m Rio-JKtmo, Duponchelle; Ckevofot.
Dtp] c"' 1'i:kn.\iii:uco Haurer 1 C".
RIJA
IDO
S CABUG
"" Na roa da Moeda n. 5. andar, escriptorio
de Manoel Alves Ferrara A C, vndese vinho
verde superior em barrjs, ancoretas com vinho do
Pono superior e malvazia branco.
D01IAB0
Ama.
Pecisa-se de nma ama eme saiba bem cozi-
nhar, paga-se bem : na ra do Hospicio n. 58.
Alagam-sc para casa i familia duas esera-
vas que compram e cozinhain : quem pfeciaar di-
rija-se em Santo Amaro, sobiado junto docemi-
leo ingle?.
CAPEHAS
Veiide-se
para dia de Tinados (2 do n ivembro), na loja de
Amonio Augusto do Santos Porto, na praca da
Independencia, nico deposito nesta cidauV,'ricas
eapcllas para se enllocaren! n.is catacumbas e la-
mulos, no cemiterio publico o as igrejas, com
as insrripcoes seguintes :
Sleu pai.
Minlia niai.
Mi'ii esposo.
Miuha esposa.
Meu filho. .
i Minha filha.
Men amigo.
S.-uidade.
________t'ina lagrima.
Precisa-se de um caixriro que d fiador a
sua conduela a tratar no pateo do Terco n. f).
Nova toja de calcado
JOAQUIM DIAS DOS SANT06.4 C. acabaa de abrir um estabelecimento de eal-
caiteestranifeiro a na Nova n. 30-, onde o publico encontrar tudo o qne aestege-
n^'ro de commercio ha de melhor e de mais gosto em Paris e Londres.
Por todos os vapores transatlnticos receberfl eltes constantemente remessa de
calcado novo, pelo que ter sempee o esiabelecimeut. o que a respeito se pode txi-
gir. Ao publico entgeral e a seu&amigns- em particular, pedem a cooperado, que
Ibes possam dispensar, cerlos de que sero- servidos cea lealdade.
BS-g&g
*5 5
re 2. "- r
S =r2. ~u
a O a b T*
aiat^QSLfftS
Ib
lafg^
u
V.
3
g w ^ sr s S.
o
33
MARTIMOS
CONTRAFOSO.
A Companhia Indcmnisadora, estabelecida
aesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: 8
ra do Vigarion. i, pavimento ter eo.
O ailtogado
Alfonso de Albnqnerqne Mello mudou o seu es-
criptorio para a ra das Cruzcs n. 37. defronte da
typographia do Diario.
PILULESSSlfCAUyi
Phinaadea, U, boulTkr4 Sbaitopol. Ptrla.
Este precioso purgativo vegetal Uo commodo
como igndavcl o remaio mil iutallivel pan des-
trnir as conlpaeoe, as nevralgla, as mais re-
keldes, assim como a Mito e a tacosldad
Elle i erilcaz as gamrltU, okatruef oes enxa-
jaeeaa, asthma*. dore, ealarrnoi, emploeiu,
goua e rkeuuiatlnaio.
O ereeimento das flalas cauvla pode resn-
mir-se nestas palavru: ncatabelecer ou conser-
var a taude.
Ellas alo peden nem resguardo na comida nem
bebida; m ote laxante e de para t Iva, atase toma r
ellas aas refeocoes i em dote aaraatlra de noite ao
lata***.
i>trMat*ae' M Bjaarer et V.
Aracaty e S. Bernardo.
Ari;ldes de Paula Dias Marlins, advogado for-
mado, encarrega-se de cobranzas amigaveis ou
judiciaes, mediante commodo honorario, quer pa-
ra o termo de c. liernardo das Rossas, quer para
o desta cidade do Aracaty.
Urna pessoa que precisarelirai-so para tra-
tar de sua sade, pie, isa de una pessoa para to-
mar conta da taberna sita na Taimrineira n. 4,
para a qu.il devora entrar de soeio com algum
capital ; a taberna est bastante acreditada e faz
bom negocio.
-I o
as ej
S *
** re
3 .
re
oj <} co re
3 H 5
o = s
C6 O
?!?i.i.Plffi
O i>
?HS
S^ g. 3 -
- c'
B
M B ^ O es
2 S cr = re
tt-2 re aT3
o ^w 3 u-
f.
3 a
5
re
o re
a 3
.
3 o n w o
bI.S'S-'So
co H
Q. 3 V -O
rj re 3 o =
^ N Q.U3
t" o u aj
%' < = o >S
as- n r-
\ovo sortlmetito de
calcado francez, lu-
vas de pellica lo.svlii,
flaa perfumarla, qiiin-
quilharla de phanta-
sia e luxo. e brlnque-
dos para menino*.
AO ARMAZEM
\ovo sortlmeato de
calcado francez!, la-
vas de pellica louviu
Una perfumarla, quiu
liillharia de phaata-
sla e luxo, e brinque-
dos para meninos.
DO
Aluga-se
urna ca a em Reberibe : a tratar com J. I. de M.
Reg, roa do Commercio n. 34.
O testamenleiro do fallecido subdito francez
Joao Vignes, convida aos devedores do finado a
saldarem seus dbitos amigaveimente.do contrario
serio ajuizados sem excepeao alguma.
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar para ra-
pazas solleiros: na rna da Lingoeta n. 1.
Alugam-se
duas casas terreas sitas no Manguinho, a margem
do rio, recommendaveis pela via frrea : a trataj
na raa do Vigario n. 31.
VAPOR FRANCEZ
W. 7RA NOVAN. 7
Acaba de chegar este montado estabelecimento novo sortimento de bom cal-
cado para homens, para senhoras, para meninos e meninas, escolhido as mais im-
poi tantes e conbecidas fabricas premiadas de Paris, esquesita e fina perfumara de
Coodraye dePiverluvas de pellica de Jouvin, espedios, leques. obras de oaro,
camnhas de costura, e um sem numero destas e outras qninqoilbarias francezas de
mnito gosto e phantasia, e a mais intereesante variedade de brinquedos francezes e alle-
mes para entretimento de crianzas; e de agora em diante continuara a chegar remessas
por todos os navios e paquetes para o grande sortimento da festa, e tudo presos re-
sumidos, por seremos sortimento? comprados na Europa eremeltidosem direitura com
os maiores abatimentos das fabricas, em attengao s repetidas encommendas.
Precisa-se de nma para o servieo interno e
externo de urna casa de familia, prefenndo-se
escrava : na ra larga do Rosario n. 16, por ci-
ma da padaria do Sr. Manoel Antonio de Jess.
SEGUID
Imperial companina de Londres
Por seus agentes nesta praca
Samuel Power, Johmton & C.
Ra d Sonzalla Nova n. 42.
Faz puhlico que tem aberto urna agencia nesta
praca de seguros contra fogo.
Os agentes esto autorisados a emittirem apoli-
ces, fleando assim os segurados desde logo segu-
ros contra qualquer prejuizo, que possam soffrer
causado pelo fogo.
Os agentes estao autorisados a averignarem
qoaesquer reclamacdes e depois de competente-
menie examinadas a saldarem (como j tem feito)
por meio de saques sobre a companhia em Lon-
dres ao cambio do dia.
A companhia promette prompta verificacao de
qoalquer reclamacao, assirn como" prompto paga-
mento, concluida que seja satisfactoriamente taes
veri tica c3es.
As pssas que qulzerem cffeetnar qualquer
seguro bastarlo remetter a esta agencia urna nota
indicando somente a ra e numero do predi* que
desejarem segurar ou em qne estiverem deposita-
das as mercadorias, assim como as quanrlas.
Samuel Power, Johnston & C.
Agentes.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
A' ra do Crespo u. 20 A, esquiua da ra das Cruzes.
Alvaro Augusto d'Almeida A- C. parlecipam ao respeitavel publico, e com es-
pecialidade s Exmas. Sras. que o seu antigo e acreditado estabelecimento ra do
Crespo n.20 A, de pequeo que era, acaba de ser transformado em urna bonita e vasta toja
de fazendas finas aonde pela sualocalidade eamplido, o publico nos ter todas as com-
modidades para fazer suas coti.pras, como acha-lo-h5o desde j prvido de um variado e
escolhido sortimento de fazendas finas e grossas, o que tudo se vende por precos m-
dicos.
Este estabelecimento, apezar de estar j bastante conhecido, os seus proprieta-
rios tem resolvido entitula-lo por LOJA DOS ARGOS, para evitar equvocos, e torna-lu
por esta maneira ainda mais popular. Eocontra-se nesta toja
Ricos cortes de blond e de seda branca para noivas.
Ditos de seda de cor e pretos.
Brochad de seda, fazenda inteiramentenova.
Foulard itlem idem idem.
Las de moito gosto.
Cortes de cambraia e chita Mara Antoinelle.
Salas bordadas, camizinhas, espartilhos, balles, basquinas, fichus, sombrinba.j
luvas de pellica, chapeos etc.
lia tambem constantemente um completo sortimento de esteiras da India para
forro de salas, assim como alcatifa, tapete, capachos e muitos outros artigos, que seria por
demais mencionar.
O abaixo assignado declara ao respeitavel
publico, que em data de 5 do corrente deixon de
fazer parte oa sociedade que nesta praca gyrava
sob a razao social de Marques Silva & C, estabe-
lecidos na ra do Queimado n. 5, tenJo procedido
a urna liquidadlo particular corn o socio Antonio
Lourenco Teixeira Marques, a quem ficou perten-
cendo todo o activo do mesmo estabelecimento, li-
cando o dito socio Marques tambem responsavel
por todo o passivo a que a sociedade eslava obri-
gada. Recife 8 de outubro de 1869.
Joao Mara da Silva.
Na praga da Independencia n. 33 se d di-
nheiro sobre peohores de oaro, prata e pedras
preciosas, seja qual for acuantia; e na mesma
casa sa compra e vende objectos de ouro e prata,
e igualmente se faz toda qoalquer obra de en-
commenda, e todo c qualquer concert tendente
mesma arte.
Engommaieira.
Precisa-se de urna engommadeira : no segando
andar do sobrado da ra Direita n. 82.
O abaixo assignado vendeu aos Srs. Cle-
mente Nunes Pacheco e Manoel da Rocha Pinto, >
seu estabelecimento de gneros seceos e molha-
dos, sito ra Nova n. 33 desta cidade, livre *
desembarazado de qualquer debito. Becife 9 d
outubro de 1869.
Manoel Gonealves de Barros.
ANA
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na ra da Cadeia n. 21, loja.
AO ANNEL DE 01R0
um sortimento sem igual,
DE2
Este importante estabelecimento no sen genero, tem|sempre
e vende por pieqos qne n.enhiima ontra casa pode vender.
A vista d^, qualidade e do prego das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.
tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele-
ttlA
EO
CaBUIj
esquina
da rna largado
Rosario.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.


. -av-A


torio de Pemamkttco Terqa fe 12 de Outubro de
1869
-
CARVAO DE BELLOC
PA'
Aporrado e recommendwta pek Academia tapriil de medicina de Pai para a
cura da gastralgia e em geral de todas as doenca ne: vosas do estomago dos mlestinos.
t egwlmente o remedio por excellencia contra a ivtencSo de ventre. Finrfmeple em
raato de suas propriedwtes abaorventes, reeommendado como yerdadelro remedio no
cazos de diarrhea e ehoterina. W ~r.*. *. Bello* toma-w na occadiio da comida
aob a forma de pos on de pastilha. .
Beporfu. em Rw-lAmiM. DttponeheUe; Ckttolot. Km Fmuaotmi, tlavrer C
Mikroskope achroma- f
tisehen. OhjetivLin-,^^^^^ \^
sen.
Barometre e termo-
metre. Centigrade
e reuumeure.
Causa admirarlo,
Mas lao se pode duvidar;
No armazein Independencia
E' onde se podo comprar.
FEIHH\ i IM\0 ,
donos deste importante e magnifico armazem de seceos e moteados sito a na do Ranjei
n. 3, jugando nao aceiuirem concordata alguna con os seus collegas moM^
nominado seu armazn -INDEPENDENCIA-, assim como o seu fim sao sej i dlud-
ao raspeilavel publico deixaro de annunciar. sm oque o mesmo o julgue e admm..
Mas cunto nos pontos da via frrea, j se lem discutido e apreciado a *.*%*-
sibilidade a ver quero vende gneros lo barato, por esta racao que annunciamos para
que lodos Unto (la praca como do mallo acrediten, o que -heste asseyeram e aquelles
< ue ainda nao nos tenham honrado com suas IVeguzias, poderao dtr.g.r.sc ao mesero,
oertos de que verSo gravada a sinceridade e ovlhodo de negociar muito franco sem qu.
necesitemos de andar meia noite pelos oitoes das inatnzes ligurando-no.s por Di n>
demonios nem mesmo na frente da msica com o pendo na nrao feto bausa.
FERREIRA & IRMAO,
Rua do Rangel n. 3, armazem da Indepen-
dencia.
NaOFOl PRECISO. AGUA KNT
O demonio mudou-se por biui livre e exponlanea vontade
VIVA 0 DA BE S. BARTHOLOMEIJ
Agora nmguem presuma que fot um demonio qualquer, fot
0G11L0S PERISCPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
F *. ermann. recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dns wuw e com estes vidros, a vista descanca, fortifica-so e nao a canea como com
os vi'drosTrd'inarl ma vez escolhido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
Z m T3ES ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos eoster
Sd veTmais gromos, o que altera o c/ystalino do oteo e determ.na quasi sempre d-
sdecaZTCncArtinario dfvis.a porto de 30 centmetros dooho e
todas as vezes que o obiecto este mais perto on mais long?, os raios que expelle sao
mui con^entTs ou mu divergentes e a visite nao perfeita. Um grande numero de
TssoTS o defeito de fazer convergir muito de sorte que a v.sao nao e distocia.
ComanScacac de meos vidros pde-se vencer estas difflculdades. Para os que lem
a v^./Se cuto crvstalino rui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
onS oque se harS myope, por meio de um vidro concara affasta-se o ponto de
vista ue faz divergir os objeelos e deixa ver lio longe corno as ontras v.stas Quan-
do o cAno muito chato, oque succedeaos que lem chegado a urna certa 1dad_e,
o aue se ch ma presbvta, vem melhor de longo que de perto, e nao enjergara senao
nJ^lro m SSancia ordmar com um vidro convelo estes enxergarao
7o dsSmente como na idade de T5 annos. Servindo-se desles v.dros quando e
vista nrincioia eufraquecer, previne-se o mal.
F JGermauo encarrega-se pela sus experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher/a prmeira vista, seja qual for a iade egro de vista, oculos propr.os para
qualquer pessoa, ^ ._ 9a
Para que sao fabricados estes vidros f I

V
ANDRE DELSC
CABELLEmEIRO
7 A Rua do Cropo\. andar 7 A
ENCONTRAR-SE-Wi sempre ueste cstabelenmenlo um variado e.bonito sorli-
mento em perfumarias francezas e ingle/.as cuja lista damos aos leitores.
LVAS Marca garantida de WV1N. pacmt i
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LOBIN & CObi>fcoL.
DITOS FINOS.em frasquinhos proprios para presentes Lubm .-Gosneil.
POM.MADASBanha fina de varios ctu-irosLubin.Gosnellc, Sociele Hygieni ue
SAROWES.4km para toiletteLubm & Monpelas. ,
A DENTIFRICB agaa para [impar deutes-Societe Hygienique Lubm tt D.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpcbras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos saodesiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
Iho e a leitura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da calarata.
Para a vista que as palpebras esto cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o cryslalino
do olho se cobra de calarata.
Mas nao saMo da Boa-Vista
CHEGOU-SE ATE PARA WAIS PERTO DA MATRIZ
Sea dominio est hoje assentatlo, onde foi botica,
ESQUINA DA RUA M ARAGAO N. 32
YEIH19I VEHL
Como garboso se ostenta
Comolepido se mostra
E as diabruras quefazltl
|
Negra tranca no eolio lhc ondeia
Solta briza ao mago desdem ;
Deita a fronte n'um peito e conhece
(Juantas magull o seio conten.
Esta linda e gentil creatura lambem_____ ^
WEWDE
Queijos, manteiga e caf,
Vinho, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
f De Nanles boas sardinhas.
Todo barato
Para agrada',
Veoham fregnezes
Que liao de goslar,
N. B. Brevemente ser annunciado o dia.em que este importante armazem (ferw>-
lhados ter principio a pratica de certa diabrura.que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da rua do Queimado. Por ora venham os freguezes visitar o nosso ?
tabelecimento, comprar os nossos superieres gener. s por precos muito rasoaveis.
Manteiga ingleza flor a 1^300 por 500 Vinho bordeaux em caixa, "000.
)
fierre.
BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabellosLubin.
AGUA DE COLONHA.Marca verdadeira do Joo Marina Farica.
COSMTICO.ebeirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin. 0 ,
HILE DE SENTEUROleo para conservaco dos cabellosSocjete Hygieiuque
ESCOVAS FINAS.para cabellos, dentes e unbas.
BLAIREAU.Pincel para barba.
(RANPOS.para cabellos.
REDES 1NV1SIVEIS para cabellos.
CRWATAS LINDISSIMVS.do melhor gesto.
I KNliALAS.de phantasia, para passeio e de diversos lmannos etc., etc., etc.
A la parfumerieJarisienne.
7 A1RUA DO CRESPO 1. ANDAR 7 A.
AS 1KIUBAS CURADAS
E
Todas as molestias syphiliticas.
plo
ELEXIR DO DR. SEVIAL u m
nico depurativo sem mercurio que tanta aceitacSo tem meieoido no Bra-
sil as repblicas do sol e na Allemanha especialmente para cura das boubas,
sarnas, rheumalismo, todas as molestias syphiliticas e em geral todas aquellas
nrovm da empureza do sangue.
1 NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Bartholomeu A C.
34Rua Larga do llosarlo84
mtm
Sorlimemo
para theatro,
de binculos
c oculos de
alcance paia
rinha.
o campo e ma-
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bufete, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sorlimento de relogios para parede, que do ijoras e para
cima de mesa dos mais lindos modelo elogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoteada, inglezes, suissos e orisonlaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua govaN. 21.
IWEl^OSlMZES
16 RUA DA CRUZ 16
Ha diariamente s^rtimentode bollinbos purrach, fiambro, pastis de difieren
tes qnalidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
("lid 3 fitC
Incumbe-se de encommend"s para grandes jantares, bailes, bapsados e ca-
samentes, a saber: ,,.,..,
Pecas de nougat. Pes-de-lot enfeitados.
Ditas de pao-de-lot. Bollos dem.
Ditas de tamal-a de ovos. Pratos de doce de ovos.
Dius de caramilo. Tortas roteadas de crm e carne.
Bandeja com armacao de assucar. Empadas.
grammas
Dita dita a 15200 dem.
? Dita dita a IdOOOidem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a 100 rs. idem.
Cha fino superior a 3500 idem.
Dito dito a 35200 idem.
Dito dito a 3>000 idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf de caroro a 200, 210 e 280 rs.
idem.
Milho alpiste a 2i0 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a 400 rs. idem.
Vellas estiarinas, masso 70.
Potes com sa! refinado a 400.
ErvilhaS franceza em manteiga, 900 rs.
a lata.
Fructas portuguezas em calda a 600 rs.
a lata.
Ditas s de pect gos maiores a 00 rs. a
lata.
Tijolo para facas a 120 rs.
Chocolate esparthoj a 10000 o masso.
Frascos com conserva a 900 rs.
Ditos dita de mustarda a 800 rs.
Latas com carne de porco a 800 rs.
Sardinhas de Nantes em manteiga a 800'
rs. a lata.
Copos finos para agua, duzia 4(5800.
DA BOA-VISTA
>*
LOJA
DE
GIMARAES

SOB A DIRECgO DO MUITO HBIL ARTISTA
ALFAIATE PEDRO
NesU Giicina nconlraro os reepeitaveis freguezes um dos pnmeiros artis-
tas este i bem conhecido (com grande espeeiaWade o lardas), por mudas pessoas
gradas desla catada. -*mm ,. ,
O mesmo eslabetecimento se acha mnnido de om completo sortimento de
fazendas, do que ha de melhor no mercado, proprias da officlna
OgPaode sortUnento de roupas feila qne tem, vende e manda faaer menos
20 por canto do que em outra qaalquer parte ( dinheiro).
48 RUA DA IMPERATRIZ 48
Junto a padaria franceza.
Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinhas de ."Gerentes mrreas. s
moo.
Fosphoros de seguranca, masso 500 rs.
Banha de porco a 720 por 500 grammas.
Vinho do reino, garrafa a 15000.
Charutos do Lima a 5 e G a caixa.
Sabaode massa a 240 rs. por 500gram-
mas.
Latas comamcixas a 13, lf)500, 38800
e 3,5500.
Ditas de manteiga a 2800.
Ditas juliana a 16 por 500 grammas.
Frascos com mac3as seccas a 2^000.
Serveja de differentes marcas, duzia 0^.
Tapioca do Maranho a 2iO rs. por oOt'
grammas.
Farello em sacca com 21 kilos por 5/J.
Liguicas e paios a 800 rs. por 500 gram-
mas.
6>Z, 1 .ta a 85300.
Dito em garrafa a 400 rs.
flgLatas de peixe a 800 rs.
Bolaxinhas beato Antonio a 15200 late.
Latas de po-de-l a 900 rs.
Bter em garrafa^ a 800 rs.
Licores finos como coracol, amisade, t
outras muitas marcas a 15000 rs.
Garrafas finas para" meza, o par 55000.; Estrilmhas para sopa a 800 rs. por 500
Cognac engarrafado a 800 rs. grammas.
Azeite francez engarrafado a 15000. i Marrasquino de zeroa 15 a garrafa.
Presunto em barril a 480 rs. por 500 Massa de tomate a 720 por 500 pram-
grammas. mas. i
Os propietarios garantem tudo quante cima est especificado, adverte a todos
que nao conhecem o peso de 500 grammas, mais de urna libra, e se evpcar aquelles
que nao entendem.
HOTEL CENTRAL
HESTAUBAHT a la oarte
DE
Francisco Garrido
Entrada g%t rua larga do Rosario n. 37 e para familias ras
eslreita do Rosario n. 4 A.
Este vasto o acreditado estabelecimento som daviia o que offerece maion s
vantagens nao s em precos raodies como por sa tornar o mais prximo possivel dis
estac5o dos caminhos de ferro e ser beira mar do caes Vinte e Dous de Novembro, qi 6
tambem se presta ao embarqu; e desembarque dos passageiros que vem de outras pro-
vincias e da Europa, e que preferirem essa a.:comodaco menor despendiosa seos trans-
portes da bagagem.
Os hospedes acharo todas commodi lade em grandes salas e assetados quartos.
Ha sala para feiUira de jornaes nacionaes e estrangeiros; na mesma ha um
magnifico piano para recreio.
Ha urtia outra sala para jantares partioulares.
Come-se a mesa redonda a la caite e mandase i domicilios.
Os vinte mais linos do mercado aciam-se no esial>ek:cimente.
A' noite ha s >i v.'te o refrescos, caf, coa e chocolate i toda a hora. Tero mag-
nficos, buhares la mogii para divertimento.
Fallase hespanhol, francez, italiano e inglez.
-
4 ftSHlREIRA E MODISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na roa da mperatriz n. 7.
Tem a nonra do partecipar ao reapeilavel puboo a em parlkolar seus; frtgoe-
zes, que, pelas relaces qne acaba de encelar comalgumascosture.rasemodistasdas^ma.s
afamadas^ Pars, que lodo oa meees loe mandara figunnos, de vestidos, man-
teletes a etapas ,we estad mo^aior fostoe ma.s modernos, ee J? hrt'^
da r^ate>esri3o3 fnfuSSm^'^^.f.^^^-^^^^
ahonraramewaawwfrefluezia, naauo de ser satisfctlis. taote pete bom gosto, como
nitos enfeitesmnitomoderaoae detodasae oGes. FaMB-se^napos de toda as quaudadea
tanto de fil como de palha.
3 Was|l
,,'J 19 >TII:lJ| D3n>ltlimtJ3J < KSmHHH : 31 IIIIJJ.OJ.I(|
*o-r "j 'i auauj i h4 "3
oiisoaaa
m-im
UMUIl[-CtU
tntujfi/jy 8/rfd soyvaoMio iudooJ sonoiuuifiuiu Mjfc> topoj, 'OSIAV
Tupipeui ap E!tuspcv
. |3d sopcAaidt soonod sop um 'apspi|enb Rnauaid ap a ojnd ojiijij
-'?H138 30 OVHIVOVa 3Q OVOIJ 30 0310
SI V *P ,u 'wwf P KM*! *u spuioj majas ead si eqjo
uoae vohxIjii tpaput^l uianeassnojx J*si|Ojd o '"WaiD -MI
Of HLUUflMIHi 30 VI3N3SS3 3Q tVIOMld S|d SSP"a l^1*3
tua sesouaa swqp s spoi 9 'mxici 'Squioi 'seaneiw sb o>jiod 'stij
-S910UJ wjsa.p wl ui y 'YQIX38 VO SVI1S310W
ouiumb ap oinjros o ons
-aj mb Sijire wcpj it wno -apiw t lio f opucsswd a tuSjoj saqi
-opusp 'sajaosaicAiioo so wqos lejou ofSat uios 'ouiumb ap saQ5*Md
-aad swotr|in tp tum a 'ajuejiuoa tpnownS ? oslreoduioj sfna sosood
sop mn oiroiA aisa ntujim p WOINIH 30 OHNIA
swiioa jai
-q nas sjnd anb |aAtpu8 ^rnoonn] enin jyiqo as t.red imSn.p jwaeS
owui ua od j*,p oatiuj un MAfomp tia '380M 10 0l
'UTIH aw opA.ran maj qn|i,i p3 'irnw 3a sviniM *>H3
opeiinsw joit^Ib o uk opiiequioa ajduras o|s sosomStujaj sop oAuda
op ureiissaoau anb soiuaujujjos so a Z30lllVd V 'WIII3NW
flflHB -I H-UXI SV-KMM stjsd ainauBpidM *<
-possacSMjjixKs- -SVI91YUA3N SV03nO*M3
seiiiusd u n ?d u OOTTW M Of AHV9 o|*l raip soonod nu-^ma
-OydVdllSNOO OBVIM01S3.QSOUialIhUjrOS
INJECTION BROU
_______________.IH L _
HtV. IlllMl WfM*. HL
rs
(MI
)
A

HV


Diario de Pernanibuco Terca feira 12 de Outubro de 1869.
5
ESMERALDA
LOJl HE -.IDUS
DE
IBHA PARTE IC
Este antigo estbale cimento, completa-
mente reformado ie novo, est as condi-
poes de servir vantajosaraente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
explendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei. assim como brilhantes e ou?4
Grande aruiazeiii de (agendas c roupas feilas ra da Iniperalriz
n. 32, porta larga, de Paredes Porto.
Neste eslabelf cimento encontrar o poitavet publico um bonito sortimento
kg 'de roupas de todas as qualidades, palitols di* alpaca a M, 3^500 at (>#. Ditos t
merino, ditos de casemira de cores bonitos gobios a 5&, 6, 8$ e 10$, do panno prelo
sacos e sobrecasacos. Ditos de brira pardo fios e ordinarios. Ditos de. alpaca branca
e de cores de 3)5500 a 5{066. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, dita.'
brancas de todas as qualicWes, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e prota de 4,- 5$, 6$ a K>$. Golletes de todas as qualidades o preco inuilo
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodao e de linbo de 2? al W
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodSo. de liuho e bramante a M 6 20500.
Grvalas (mantas) novissimo gosto a tolos os precos. Meias sortimento completo a 3.
i:> al 7-> a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesqner obras de encommenda tanto para homem, como
para meninas,- e com brevidade, por isso que tpm um bonito sortimento de faadas dt
todas as qualidades tanto em casemiras como brius, pannos finos e outras motas fa-
zendas.
; FAZENBAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 1-5800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a G40 rs. o covado.
Poil de-clivre com lista do seda-fuzenda de gosto a 1)5200.
Basquines de guipure* enfeiladas a 18^000.
Sortimento de chitas escuras e claras a'280, 300 c 300 rs.
Madapolo fino a GftOO, 7?>, 8 e 9J000.
Algodao peca com O jardas a 4>iOO, 5?500 e 6f50O0.
Poca de algodao largo a 73500.
E outras umitas fazendas que serenadonlio'mcncionar Clicguem roopa
ita que se esta liquidando na loja ra da Impcratriz n. 52({unto luja de ourives) do
LEftO DA PORTA LARGA
SCKAVOS
Conipi:iiii-?o*Li)(lciii-se diariamente para (ora
edentro da provincia eseravos de todas a idades,
cores e sexos, cotu tanto que sejant sadios : no
terceiro andar d-i sobrado n. 36, ra dos Gnes,
freguozia de Santo Antonio.
DK
Paredes Porto.
Superiores sedas de cor e lislras a 1600 o covado.
Lindas poupclinas de la. com grande variedad* de cores escuras e claras a
jMfe) rs. o covado.
tras pedras preciosas, euios precos sao oes Pe^s d?T*s,e!ina branca CT .salPico*e,com se,e. mei cada peca, peioba-
wj.m.w jkj^liaim ^xww wmljvm p wyw w*w VM Mtissimo oreco do WOO a peca : na loja das Culmnnas, a ra do Crespo n. U, de
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abatp
URM DOCABUfiAji.S_
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
para
rocar algodao, do
ara descansar, al-
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos
milito conbecido fabricante Eagle Cotton Gin.
4ACIHNAS ditas, lambem de serrotes e de todos os tamanhos
godo do autor New York Cottot} Gin.
CACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter m is 2.000 em arroba
de algodao.
MACHINAS de facao do fabricante Platt B. d- C, Obdhan Patent-4 iverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
"indo ao mercado ; e para a sua apreciado convidam-se os senhores agricultores
irera a exposico das mesmas na ra da Cada do Recife n. 50 A, joja do Bastos, onde
^ncontraro mais o seguinte:
Uissimo preco de 4 ijitonio Correa de Vasconceilos & C.
Carlos Antonio da Gusta Carvalho deseja
filiar com n Sr. Jos Rabia da Casta Camino a
negocio de seu interese sobre nina beranca : na
[iraca do Corpa Santo ir 6. _________
Alaga-se
para banlios do mar, urna casa junto a igreja do
;. Pedro; a tratar na coeheia de carros tune-
I res, na ra do. Imperador.
Ama de leite.
Proci-a-se de timn ama que tenha bom leite,
para crear am enanca de un mez, paga-se bem.
na ra Dereita n. 8't, sobrado.
frana no de urna ama livre para comprar e
ozinhar : na ra da Paz n. taberna.
JnSo Antonio dos Hela seus futios agradecen)
cordialmenti! a todas as pessoas i|ue se dignaran)
a;ompanliar ao ultimo jazig os restos moraos de
sua sempre chorada esposa e inai Leocadia Tlie-
mia dos Iteis; e ao mesmo lempo convidara aos
seus prenles e amigos para assislirem a urna
n issa que se tem do resar na igreja malriz da
B ia-vist, na terca-feira, 12 do correte, as 6 ho-
ras da manliaa, stimo da de seu fallecimento.
Estrada de ferro do
Recife Olinda.
Compram-se dormentos de madeiras das qnali-
dades peguinles : sicupira, oticica, amarello, ce-
dro e jiinlw i;iosata rarais para ocha >, tend) as aunencSos do 10 pal-
mos de poinprimento, 7 i\i a 8 l\i [milpeadas de
largura e .i \\t a i pnllegadas de grossura. Con-
lrata-se ipiahpier porciio de 100 para cima, de-
wudo os cdieuriToies apre-enluroio as suas pro-
postas al o dia 20 de outubro crreme, ao meio
di, no arnuMem da oompanhia junto a ponte de
Santa Isabel dewndo todos se acharen) presen-
tes a hora o luj-'ar indicados para verem abrir
suas m^puslas.
O superintendente,
Audr de Abreu Porto.
Uompra-se um escravo caoofik, sem vicios
ifefii achaques : na travesa da matriz de Santo
Antonio n. 11, sobrado.
rNDAS.
Vernizes.
Vende-so nn esi-iiptorio de Joaqnim Gerardo de
Itastc.s. ,i i-.ijydij Vi gario n. Iti, pmeiro andar, os
seguintcs vernl.'rs em latas de 0 e 0 libras, do
acreditado ranricante do Para, Caelano Antonio
dos Saiilus Lisboa :
Vcrniz copal escuro.
Dito dilo claro.
Dito dito escuro proprio para obras de folha de
I-landres.
Dito cr de miro mi donradilho.
Voiidi'-sH nina mel-agoa na travessa do .Ma-
risco : quera qoi/.er dirija-se a ra do langel n.
7, taberna.
V.'iidcm-sc 2-i aegoes da companliia dos Tri-
ihos Urbanos do Recife a Olinda : a tratar na ra
do Onnmeicio n. :i, 2 andar.
oral na Bonanra
Para festa.
Aluga-se um sobrado de um andar na na do
Anparo d. 22, em Olinda ; para ver, podem pedir
a chave na Liberna d> Sr. Guilherme. junto a
mesmo Sobrado, e para tratar, n pracn da tnde-
pendencia, lojn de calcado ns. 37 e 39.
iEMPRESTIMO SOBRE!
Jebulhadores para milho.
Oylindros para padarias.
Arados americanos,
'barrinos de mo.
Machinas para cortar wpim.
Cannos de chumbo,
tambas de Japy.
Jitas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
'"olhas de zinco finas.
Ditas de cobre e lati.
Ferro de iodas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
Machados americanos.
?acoes ditos. .
Hlalos e cestas do verguinha.
'/assouras americanas.
rolles de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
diversidade seria enfadonho ennumera-Ios.
Folha do forro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Penetras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e revolvere.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engornmar.
Moinhos para refinacoes.
Azeite de espormacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Maneaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
['lid
(SEM LIMITE.)
li'avossa da
das Cnizcs n, 2,
meiro andar, da-se qna!-
quer quanlia sobre onro,
prata e podras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condices de ga-
rantir a transaeco que se fizer em
a casa, prometiendo todo e zelo
e consideraclo s pessoas que se
dignarem de hora-lo em sen esta-
belecimento.
Na mesma ca*a compra-seguro,,
prata e brilhantes.
de varios regula montos de imposlos alte-
rados c creados
pela lei n. 1507 de 20 de setembro de
1807, comprehendi'ndo
os de p-ssoal, eseravos, Industrias e proflssSes,
sello (organisado alphabelicamente, explicando
cada acto a que sello est sujeito se se deve em-
pregar estampiUu) ou verba, no primeiro caso
quera deve inutilisa-la), transinissao de proprie-
dade, (Kzima de chancellara, emdumeiltos, inul-
Ui. applieadas fazenda publica etc. etc., e em
appcndice o do cofre, de depsitos .
pblicos
notadas cmn as
istiluiroes e densos posteriores
at a presente publicaeao
por
Francisco AngiiAo de Almeida
i" escripturario
da
recebedoria de l'ernambueo :
acha-se no prelo e breve, a ser publicado ; as-
tigna-se na ra estrella do Rosario n. l, por 3
o voluine ; depois de publicado custar 45 para
qtem nao assignar; l'ornn se de grande utilida-
de aos Srs. advogados, solicitadores, negociantes
funecionarios pujilicos, a acquisico deste tra-
balho. _________________________________
~ Aos laboriosos.
Concei tam-se.
sob flanea, machi-
nas de costura,
com perfeicao e
presteza, fazen-
do-se mesmo
qualquer pe^a
ipie por ventura
se quebr; assim
como machinas a
: vapor, cyndros
Ule padariaouou-
jtro qualquer ma-
chlnsmo tenden-
jtoa industria do
paiz, sob as mes-
mas condices cima : na ra dos Patos n. 8 ou
ra Direitan. 6t loja.____________________
Companhia indemni-
sadora.
Em cumpriinento do artigo 19 dos estatutos da
! mesma companhia serlo vndidas 30 de suas ac-
edes, em dous lotes, sendo um de O, dos ns. 831 a
' 850, e outro de K>, de ns. 791 a 800. Os preten-
demos po lem dirigir as suas propostas por inter-
medio de corretores geraes at o dia 15 do corren-
te, noescriptorioda companhia, ra do Vigario n.
4. Reatfe 6 de outubro de 189.
Os directores,
Joio da Silva llegadas.
Francisco Joo de Barros.
Antonio Jos Leal Reis.______
f'peciso-se alugar um ou dous eseravos, pa-
ga-se bom aluguel : quem t ver pode ir tratar
$o pateo do Terco n. 63.
Esle estnlubi-inirnto Mata de reeeber um com-
pleto s irtiiner.to de agitas curias e compridas,
as melhores que fonl vindo ao mercado; as agu-
has |*m o disiinciivo do TEMPORAL.
Previncsc a todas as familias que quando man-
darem comprar estas especiaes aguTlias que vejam
no papel o distinetivo do TEMPOliAL.
Faco esta observacio para que as fc.milias nao
sejam engaadas pelos meas collejas apresentan-
do outras agulbas c dizendo que sao as que eu
annuncio.
S onde ha estas agulhas na
LOJA DA BONANCA N. 63
preco de cada papel 100 rs.
Vendc-se o deposito de charutos da rna es-
Ireita do.Rosario n. l : a tratar na rna de Hurtas
numero 1.
0 MUSEO DE JOIAS
zn
1
C^
GOMES DE MOTOS IRMftOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da nonte na
RA DO CABUGA N. k
onde encontrar&o um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubios e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novo goetos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
praia contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e crarantem
a qttfitfde dos objectos vendidos.
JOIAS
A sociedade benecente Rcsluracao Pernam-
bucana convida aos amigos e parentes do finado
Francisco 4e Wa Araujo e~Alneida, para que
se digncm de aseistir urna missa que manda cele-
brar pela alma de seusempre chorado e presado
riicio, noimveHio do Carmo, s 7 horas da ma-
nhaa do dia 11 do corrente mt% anhlversario de
sen passamento.
F. 8. if Fmrias Jnior,
Secretario interino.
COZINHEIRA.
Precisa-se alagar nma oscra^a qne seja boa co-
xinheira : na roa do Crespo n. 23.
Na ra de Hortas n. 1, precisase de urna
ama para cozinhar e comprar.
O abaixo aasignado declara que sua mi D.
Selastiana Mara Isabel de Jess deixoa de ter
negocio, e que a taberna da ra dos Quatro Can-
tos n. li Ihepertence, o.que faz publico para evi-
tar fuiuras duvidas. Cidade de Olinda 11 de on-
tabro de 1889.
Jos" Manoei dos Santos.
Um moco solteiro precisa de nma ama para
sen sortico, a qne tne conrier, dirija-se a ra
Imperial n. 26i.
COMPRAS.
tom limito maior vantagem compram-se
moedas de ooro e prata : na loja de jdas do Co-
faejode Ouro a. 1 r>, rna do Cabwg.
0 nrazeo de joias
Na roa doCabugi n. 4 eompra-se onro, pra
* pedras preciosas por precos mais vantajosos do
qne ermontra qdalqner parte. _____________
. Ouro ep ata,
Se moedas de ouro e firata de todas
.por bom preco : na ra da Cadefa
58, loja do azulejo.________^^^^
.- ,,..am
daPf'Vateres, oro e prata em obres lnorll*tdas,
brilhantes e mais pedras preciosas: na toja de
darlvw do arco da ConceicSo, no*6dk.
Vrndem-se diversos eseravos pc(as, proprias
para armazem ou engenho, vindos do Oar, as-
sim coiii'i algumasescrava enm h;.bilidndes e sem
ellas : na rna da Cruz, n. 35, :i andar._______
Vende-se utn cavallo para sella, bom bai-
xciro e muito novo : a tratar na ra Direita nu-
mern 6JI.
0 VAPOR DAS
Nova loja de miudezas
Menos &O % do que em oiitra
qualquer parte
Henriqne de S Leito partecipa ao respeitavcl
publico, com especialidade ao sexo amavel, que
tem aborto ra da linperatriz n. 36 um grande
e importante estabelecimento de miudezas com o
titulo de-VAPOH DAS NOVIDADES-onde o pu-
blico em geral encontrara constantemente um
completo sortimento de tudo quanto ha de mais
moderno e de mais gosto nos principnes pai-
zes da Europa, tendo para este fim um vapor es-
pecial com o titulo cima Indicado.
O proprietarfo sobando muito enfadonho, ou an-
tes por assim dizer quasi que impossivel mencio-
nar pelos sen; nomes e Breos os objectos de gosto
existentes em seu estabelecimento, por isso con-
tenUi-se apenas em mencionar aquellos juc julga
mais recommendaveis nao s pela sua belleza e
elegancia como tainbem pelos precos qne sao ven-
didos, deixando os outros que estao expostos em
seu est:,l)elecimcnto para serem admirados pelos
proprios compradores.
Vejam o que bom :
Lindissimas camisinhas bordadas c enfeitadas
com lindos e elegantes enfeites, proprios para as
senhoras de bom tom; vende-se por precos muitos
mimados.
Lindos coques a imitacao de cabellos que em
outra qual |uer parte vendem por 3#o00, vende-se
por 2*000.
Guepur branco e preto com lindos e delicados
padroes, a 1*500, 2*000, 2*500, 3*000 e 4*000
o metro.
Leques dealta novidadeem Paris, sendo de osso,
osso e seda, sndalo e seda s, e outros salpicados
de lantijuilas, ditos de madreperla e seda o mais
elegante e moderno possivel, ditos de madeira,
sendo lisos, arrendados, e outros guarnecidos eom
ricas palmas; ditos brancos com flores douradas,
ditos de osso e seda, ditos brancos e proprios para
noivas; tudo por precos to diminutos que s o
freguez vendo a qualidade e elegancia pbder dar
crdito.
Verdadelras meias fio da Escossla para senho-
ras, sendo lisas, bordadas e arrendadas, o melhor
que possivel haver para sapatinhos razos; por
precos commodos.
Ditas cruas tambem para senhoras, fazenda
muito fina.
Ditas fio da Escossia com listas de cores, para
homens.
Verdadeiras meias inglezas para homens, fazen-
da muito Rna ; a 8* e 10* a duzia.
Bicas chapeiinas para senhoras, chegadas recen-
tement* e guarnecidas de ricos e elegantes enfei-
tes de setim e flores linissimas.
Lindos lencos de carabraia de linbo, bordados
agulha ; pelo barahsslrao preco do 1*500 e 2*000.
Ditos de eambraia tambem bordados a 800 rs.
Lindos cachos ue flores francezas o mais moder-
no possivel e de melhor gosto, sendo : ros?s, bo-
toes solios e bot-ics em cachos de lindas cores,
pelo baratsimo pre^o de 1*500 o cacho.
Fitas largas proprias para cintos da ultima
moda, de muito lindas cores e por precos muitos
baratos.
Completo sortimento de ricos e elegantes enfei-
tes de seda o mais moderno possivel; como sejam
Escossezes e de outras qualidades, esto constan-
temente a veada a ra da Imperatriz n. 36, onde
as Exmas. senhoras poderao escolhfer a Vontade
ou mandaren) buscar as amostras, sendo indo o
mais barato possivel.
Lindas bonecrinhas de louca pelo baratissimo
prego de 140.
Grande sortimento de escolhidas las proprias
para bordados, a 7* a libra.
Latas com superior banha franceza a 160.
Fitas de velludo pretas a 1* a peca.
Gollinbas bordadas a agulha a 240.
Agulhas para crochet a 160.
Lindos hotOes de setim para enfeites de vestidos
de todas as cores, a 400 rs. a duzia.
Grande quantidade de flnissimos calungas qne
se vendem com grande abatimento.
Alin dos objectos cima indicados existem mui-
tos outros que s a presenca dos freguezes pode-
rao avallar a differenca dos precos e da qualidade
que (as dos de ootra qualquer parte.
U proprietario convida a todas as pessoas em
geral a visitarem o seu ostabelecimento o qual se
ach aberto desde as 6 horas da manliaa al'as &
da noite, certo de que as ditas pessoas encontra-
rlo no proprietario e as mais pessoas do estabe-
lecimento o maior agrado e sinceridade em lode-e
qualquer negocio.
leja do Vapor das \ovidades
Rna n Impcrntrlz n. 99.
A VEBDADE
55Ruado Queimado55
A VERDADE tendo etn deposito gcaade
quantidade de miudezas e perfumaras, ede-
sejando apurar dinheiroo adqu'erir ba fie-
>}uezia est rssolvida a vender nuntissimo
barato, ; por essa raziio con\ ida ao rsped
tare) publiro a vir competenteniente ftuni-
do a sorlir-se do bom e barato. Puis quan
do a Verdadc apparece, tudo mais tles-
ap[iaece-----
Grande sortimento de boncros de ceta e
massa as naslindas possireis vestidas a ca-
i.icler.
Ricos globos para candiciro de gaz a
Chamins a.......
Grande sortimento de objeloi de
louca para brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida verdadeira a
Dita com dita dita a .
Frasco com oleo de babosa a 566 e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Garrafa com agua divina a. .
Frasco com extractos linos a .
Labs pequeas com baulu muito
lina a I2' e......
Sbonotcs de diversas quali mies a
80,100,240 o.....
Filmsvscovas para tollos de 120 a
Lindos foques modernos a.- .
Pavios para g;iz, duzia :i Mft c .
Hscovas para fado a ti 0, 000 e
ias para cabello a.....
Penles para tirar piollio a 160 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
l'eras de tranca de la com S
varas por. ......
Oleo para machina de costura,
frasco a........
IVnnas d'aco finas caixas a 800 c
Dita d'aco l'erry, caixa a. .
Galao de algodlo peca ....
Lindos babadinlios e ntremelos
peca de 100 a......
Botes de madreperola, grata a
Ditos de louca mbito lino a lO c
Ditos para caifa a 160 e. .
Caixa com papel amizade a. .
Ditas com cnvelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa com agulhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Tbesoura para costuia a 2i0e
Caixa com liaba de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carreteis de linha Alexandre de 70
al 200........
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a .....
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2>>00 e .
Papel almaco e de peso, resma a
3:>00, 34500 e .
lanoito fina para bordar, libra
Fila de algodao para deb um de
sapatos, peca a .
Ditas de 13a para debrutn de ves-
tido, peca a ......
I'entes finos para segurar ca-
bello a.......
Dilos ditos de bfalo para alisar
a 210, 320 e......
Caivetes grandes com molla a .
Ditos para aparar penna a .
Cartoes com colxetcs a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de lita decaracol peca a 10 e
Fita de coz peca a 480 e .
Alfinetes de latao a.....
Sapatos de la para menino a2i0e
Ligas paia sendera, par a. .
Gravata de sedas de cores a .
Culcadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha ; or
lOOrisI! mil
Xa Verdadc na do jtst :i:t;.';:
n. ..".
16*00
;i2d
loo
8IKi
ffto
1.60 0
720
60(1
i mu
10000
00
30
l(C
:t-.o
Ti 0
rt 0
2*0
160
m
606
1 00o
1/>o;i
400
o' I
400
;h'
7(
580
te
m
ion
suti
480
!it6
I6I
-',/:
:' mjii
: JO 0
i >.'! ti
i: >7r
Iti!
.
i '.:
/
100
10
160
' I
r.< 'i
106
806
160
80
E' de importancia!!!
0 aviso que faz o Campos da ra do
Imperador n. 28, pois seile pode oiiie-
cer aos amadores da boa fumaca os cl.a-
rutos que lao anciosamenle eram espera-
dos de Costa A limaos, e sao elles das se-
guintcs marcas: exposico Normas impe-
riaes e Havanciros. A elles antes que m.
acabern.
0 Campos
Tambem tem era seu estabeleeimenio,
alm de muitos outros gneros anto pas
mesa, como para despensa, o seguinte:
Camares seceos do Maranho.
0 \erdadeiro caf de Moka,
Fumo picado do Daniel de S. Joau ilc
Rio-Novo.
Termos de medidasjiara seceos, segun-
do o psdr3o francez, (met ico decimal).
ASSIM COMO.
As tabellas que mais aceitaco tem merecido
das' casas de commercio em grosso e a re-
talbo, smente pea fcil compreheusao c
commodo preco, s no
Armazem do Campos
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para Ungir os cabella
d cabeca e da barba, foi a nica admit ra
Erposifo Universal, por ter sido re.o-
nhecida superior todas as preparacoes eif.
hoje existentes, sem alterar a sade.
Vondcse a 1(51080 cada frasco na
Bna da Cada n. 51,
1. andar.
Resta i venda um escolhido sortimento di
lectos de marcineria, como sejam, mobillas de j-
:arand. mognp eamurello, obra nacional e estr&n-
jeira, de apurado gosto e por prer^x razoateis :
a rna estrella do Rosario n. 32. Neata mrerna
jasa farem-se com perfeicao todos os trabalho? d>
palhinha, como sejam, emnalhamentos do lastro^
aara camas, cadeiras e sophs.
Veudeth-se- libras sterlinas : no seripterio de
Leal Reis, rna da Cadeia n, 49.
Paracabrioiet.
Vende-se itm magnifico cn\lU
na ra da Soledade n. 31.
ttenen
na ra BM|WI


6
Diario de Peutambuco Terc,a feira 12 de'Outubro de 1869-
LIQUIDAGO
SEMI
0 proprietario do armazem de fazendas denominado AIUM, ra da Impera-
triz n. 72, declara ao respeitavel publico e seus frcguezes, que est liquidando todas as
fazendas e roupas feitas que tora em seu estabelecimento como se poder ver no
aonuncio e preco abaixo mencionados,
seu
Chitas fr.iuccz.is matizadas
390 rs.
Vende-se chitas francezas escuras matiza-' lences e toalias, 900
das a 320 rs.o covado por este preco sna tra,"H;Ulo a 1-S, melrt
loja da Arara, ra da imperatriz o. 72.
LAZINH.VS A 2i0 RS.
Vende-se laazinhas para vestidos de se-
niora a 240, 280, 3O e 400 rs. o co-
vado.
BARKGBS DE LAA A 500 RS.
Vende-se bareges de 15a com listras para
vestidos de senhora a 500 e 640 rs. o
covado.
Alpaca? de listras a 500 rs.
Vende-se alpacas de listras para vesti-
das de senhora a 500 rs. o covado.
((UTAS FRANCEZAS A 289 RS.
Vende-se chitas francezas claras a 280 rs.
o covado.
CORTES DE LAA PARA VESTIDOS A
. 141100.
Vende-se cortes d la para vestidos de
sonboras a 2$400 cada nm,
PERCALES A 440 RS.O COVADO.
Vende-se percales muito finos para ves-
tidos de senhora a 440 rs. o covado, mur-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
brigantinas de cores, a 440 rs. o covado.
Ralcs moderaos de todas as
cores.
Veode-8'baldes moderno sbranco e deco-
ras a 4$. 4)55 K) c 5>.
COBERTORES DE ADGODO A 10500.
Vende-se cobertores de algodo a 15500,
cobertas de chitas a WGQO e 2$ cada urna,
GANGAS PARA CALCA A 3*0 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas dehameme
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para calca c patots a 2#500 e 3,3,
o covado, meias. casemiras enfestadas para
calcase patots a 1> o covado, brim pardo
n> todas as quididades a brim branco de
t.>das as qualidades na ra da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 4 rs.
Vende se alpacas de cores lizas finas a
640 rs. o covado, tarlatauas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLAO ENFESTADO A 33500.
Vende-se pecas de madapolo enfestado
a 35500, pecas de madapolo inglez de 24
jardas a 55, 65400, 75, 85 e 105 a peca.
Assim como vende-se chitas para cobertas, a 240, 280 e 320 rs. o covado,
ellas antes que se acahem todas mais fazendas e roupas feitas, e que pelo preco que
vai vender ou liquidar, poucos dias poder durar, e quem se quizer sortir de fazendas
e roupas feitas para a festa pelo proco que lhe agradar, se poder dirigir a ra da
Imperatriz armazem da ARARA, que estar aberto todos os dias uteis, das 6 horas da
manha, s 9 horas da noite.
72. Ra da Imperatriz. 72.
Algodo enfestado a 00 rs.
Vcndc-se algodo enfestado proprio para
rs. o metro, dito
Chales de merino 556.
Vende-se chales de merino estampados
a 25, chales brancos c de cores a 15000
cada nm.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 610 RS.
Veiide-se uma grande porcSo de cortes
de brim castor para calca de homem, 640
rs. cada um.
Grande porco de realhos
" Vende-se grande porcSo de rctalhos de
chitas o cassas pretas a 160 e 200 rs. o
covajo, retalhos de cassas, 13a e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se patots de brim de cres a 25,
ditos de alpacas de cores a25, dios de
meia casemira a > e 20500. ditos de pan-
no preto bom a 8> e 105, calcas do algo-
do azul para esclavos a 640 rs. ditas de
IgodSodc listras a 800 e 15, camisas de
riscado de listras a 800 rs. cada uma, cofe-
tes de brim e fastio de cores a 15 e 15500,
coleles de cesemira de cores a 25500 e 35,
e ostras mudas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a 3O0> rs.
o cavado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGOD.vO A 45-
Vendem-se pecas de algodo 45000,
55200, 65000 e 75, para liquidar.
Raines de arcos a l|UMt.
Vende-se bales de arcos para senhoras
pelo baratissimo preco de 15500 cada um,
Cortes de cambraia barras
a 34000.
Vende-se corles de cambraias barrsa a
25 e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 15-
Vende-se carteiras para viagem l&
cada uma.
AS NOVAS SEDAS
11-RUA DO QTTEIMADO--11
Chegaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto & C. ricos
corles das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos propnos para hades e casa-
Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas de lindas cores,
gor?urao de seda preta, e grosdenaple de varias qualidades o gorguro de seda laa te
diferentes cores. ,,.
f Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas colxas de seda para camas,
dias de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
caftbraia do linho bordadas. ,hMo
Luvas novas de Jouvin.e elegantes sombrmhas de s las de cor para senhoras.
Espartilhos de U at 05, lindos bournous de cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos,
t Sortimento de muitas fazendas de la, linho e algodo todas por precos muito
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar saloes ludo em quantidade; e vendem sempre>r menos que cm outra qualquer
parte. _
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.

Este admiravel
[Depurativo uno
conlememsiiiier-
jcurio, iodo ou
arsnico m
vigoroso modifi-
cador parosannueecurcrsdicalBifiitc as molestias l k INTFPPAfl fATIPT Cura em 3-d'35 w corriBnlos ant,8M m
Saris, 7, B< Oenain,
1.11
i ti
45000
500
CONVITE GERAL
0 proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da Impe-
ratriz n. 56 declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
desdando diminuir este grande deposito por me.o de urna hqu.dacSo que fin-
dia 15 ou 20 do crrente, por isso convida ao respeitavel publico a v.r surt.r-
NTUL H
Ruado Queimado ns. 49 e 57
lejas de miudezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acolando
com as miudezas de seus cstahe-
lecimcntos por isso queram apre-
ciar o que bom e baratissimo.
Peras de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
(5500,25,35 c.....
Caixas de linha com 50novellos
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a......25000
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a......15500
Dudas de meias croas para ho-
mem a .
Trsmoias do Porto fazenda boa
i pelo preco melhor 100 attos a
Livros de misses abreviadas a .
Du:;ia de baralhos franeezes muito
finos a25400 e.....
Silabario portuguez com estam-
pas a ......
Gravatas de eres e pretas muito
linas a........
Cartees com clcheles de latao
fazenda una a......
Abotuaduras de vidro par coleto
azenda lina a......
Caxas com penna d'aco muito
iinas a 320, 400, 500 e .
Ca "toes de Knha Alexandre que=
;em 200 jardas a .
Carreteis de linha Alejandre de
70 at 200 a......
Caxas com superiores obreias
de massa a......
Duzias de agulhas para machina
Libras de pregos franceses di-
verso tamanho a. .
Lb'ros escriturado para rol de=
roupa a........
Tatheres paFa menino muito
linos a. ,......
Caixas com papel amiaade muito
fino a........
Caixas com lOOenvelopes muito
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta preta muito
boa a 80 120 o -
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a.
Pecas de fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
G rozas de botoes de louca muito
finos a........
Grande e completo sortimento de madrinas para
descarocar algodode nova nvencao chegadas l-
timamente em direitura liara a loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C, na ra Direita n
5'3. Garante-se que a melhor qualidade qoe ate
o presente lem vindo ao mercado : acham-se em
exnosicao aos compradores as de 10,12, 14, ib,
18 e serra?.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
gratamos de melhor eomprehensSo dos que tem
vindo at o presente, aseini como marcos de lato
at meio grammo pelo mesmo systema, bataneas
de latao de fofr;a de 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira e de laiao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas e ftrragens de
todas as qualidades, tudo por precos que s aapsta
faz crdito : na ra ireila n. 33, loja de Banoel
Bento de Oliveira Braga & C.
Sellins baratos,
N. 27. RA DO LlVRAMENTO N. 27.
Neste estbale cimoin i o \cude-se sellins e
silhcs, de todas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, aMm como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxes, traviceiros, caixi-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecimento garante a pontuahdade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; portaoto pede ao
respeitavel publico sua protecgo, queaffiao-
Ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em oatra qualquer
parte. -..._____________
COGNAC.
35800
5200
25000
"2580C
5320
5500
5026
5500
5000
5100
5100
ser. e
dar no -
se de boas fazendas, e por diminuto preco. i
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
iL'IODlO ENFESTADO TRANCADO A
15000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
lencoes a 15000, dito liso enfestado a 900
o metro. i
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLiO ENFESTADO A 35300.
Vendem-se pecas de madapol5o enfes-
tado a 35300, dito inglez de 24 jardas ou
22 metros a 55, 65, 75, 85, ^ e 105, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
? Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPVCAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5u0 rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 15-
Vende-se sedas de cores para vestidos de
senhora a 15 o covado.
POBCAO DE RETALHOS.
Vende-se uma porc3o de retalhos de can-
sas, de la e sedas e de outras fazendas
por muito barato preco.
A' elles antes que se acabem.
tCHALY DE CORES A 800 RS.
Vende-se chaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 15.
Vende-se chales de cassa a 15, e de me-
rino a 25.
CORTES DE LA A 25400 RS.
Vendem-se cortes de laa delistrapara
vestidos de senhora a 25400 rs. para aca-
bar.
ALGODO A PECA 45OO0
Vende-se pecas de algodSo a 45, 55, 65
e 75 a peca. E omitas outras cousas que
tor'ia enfadonbn menP'r,ar.
25000
d240
4120
1240
700
0600
0320
5500
5320
JLOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9
Os pioprieLirios deste bem conhecido estabele-
cimenlo, alm dos muito objeclos que tinham ex-
postes a aprectacao do respeitavel publico, man-
ctaram vir e acabara de reeeber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
linas e mu delicadas especialidades, as quaes es-
tao resulvidos a'vender, como ti de seu costume,
por precos muito baratinhos e eommodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores tayas de peluca, pretas, bran-
cas e de mui lindas eres.
Mu boas e bonitas gollinhas c punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabeeas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e esles pretos.
Muito superiores meias lio de Escossia para se-
nhoras, as qnaes sempre se venderam por 300O0
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 203,
alm dostas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu- ]
ras do mesmo, neste genero 6 o que de melhor se
pode desejar ; alera destas temos tambera grande
quantidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labvrintho. \
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tente para o mesmo tira.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conliecMos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a dentico das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebc-los por toaos os
vapores, afim de qne nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Risquit Dubouch 4C, em
cognac uma das que mais agurdente de
cognac, fomecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra do
commercio n. 32. ____
BAZAR UNIVERSAL
a*-Una Nora88
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se van-
dem por precos eommodos ctmo sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposc3o servicos a electos para almo-
co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros parasala ecimademesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinlia, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei-
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadios.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para crianzas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontraro
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pen ir examinar^__________________
GAZ GAZ m
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster 6
C, ra do Imperador, um carregamento de ga:
de primeira qualidade; o qual se vende em partida*
e a retalho por menos preco do que em outr* qual
quer parte._________________________
5160,
200
60
25500
160
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 30 rs. o
V CASEMIRAS DE CORES A 25500.
Vende-se casemiras de cores a 25500 e
35000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 35000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda a 105 cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para calcas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Cangas para cal^a a 380 rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSEUNA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselraa branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales unas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de eores a
320 o metro.
Lencos brancos a 25.
Vende-se lencos brancos a 25 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 15000, para aca-
bar.
(GRANDE SORTIMENTO
DE ROCPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que em outra casa: por
isso os pretendentes poderao vir examinar
para ver a realidade do annuncio.
VeUiutiaa preta a 320 rs. o covado, para
acabr.
BALOES DE ARCOS A 15500.
Vendeos-se bales de 20 e 30 arcos a
15500 cada um, ditos podernos a 45.
BRIM HAMBURGO A 85000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo a 85, vera a ser mais barato do qae
algodaosinio.
CORTINADOS A 145000,
Vende-se cortinados para cama a 145
para liquidar. Ditos para janellas a 75.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na ra da Imperatriz n. 56
Machinas a vapor de
forca de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carlas.
Fogo americano patent
para que sao applicados, se venderao com um mu
diminuto lucro.
Rogamos, poi?, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
ExlractNm carnis
Este producto alimentacao para doentes, mui
apropriad para creancas e para as pessoas saas;
indispenfavel a todos, porm, principakente aos
viajantes, que terao nelle o recurso de poderem
ter alimentacao de carne fresca incerruptivel, e
que com facilidade se aprompta e se conduz, por-
que n'um pequeo volume carrega-se alimentacao
para muito tempo. Sobretudo chama-sc a atten-
eSo dos senhores de engenhos que encontraro no
XTRACTUM CARNIS o recurso de alimentacao
agradavel, hygienica e barata para seus fmulos e
seas doentes.
Este producto fabricado pelo proeesso do dis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Rio-Grande do Sul,
quo acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victorino de Itezende & C, ra da
Cada, escriptorio n. 52, primeiro andar, venden-
do-se:
No deposito a ra da Cada n. 32.
Na* pharraacias dos Srs.:
Manoel Al ves Barbosa, mesma ra n. 61.
Joaquim de Almeida Pinto, ra larga do Rosa-
rio n. 10. ...
Antonio Mara Marques Ferreira, praca da
Boa-Vista n. 91.
N. B.As latas que contem o extracto trazem
uma guia para seu uso.
B
Scbonete de alcatrdo.
m
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t5o boa
acceitaco tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu & C,
34ra larga do Rosario34.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amanillo de Vicente Fer
reir da Costa 4 Filho, defronte do arco da Con-
eico, em barricas grandes.
Manteiga a 900 rs. t lihra.
E" peehlneka sea Igual.
Vndese manteiga isgleza flor a ifOQQpor 800
iramraas e 900 rs. a libra; no progresso do pateo
do Carmo n. 9. ^__
Vende-se a armacao da I ja da ma da Im-
peratriz n. 13 A, propna para qoalaner genero de
negocio : a tratar no Vapor das Novidades, ra
atriz a. 36.
RA DO rciMADDY 19
Mnsselinas de cores finas e mordernas, cova-
do i80 rs- .2
Cambraia de coresorgandy, covado J20 rs.
Cambraia Victoria para todos os precos.
Alpaca liza de todas as cores, covado 640 rs.
Alpaca da Escocia, trancada com litras, cova-
do 800 rs.
Lrta com listras de Cores transparentes, cova-
do 700 rs.
Poil de ctaevre de diversas cores.
Toallias pira rosto, uma 500 rs.
Ditas felpudas.
Fustao braqco e amarello, cavado 640 rs.
Basquinas ba fazenda e entortadas com gosto
a 23O00.
Espartilhos modernos a oOOO.
Saias de laa com barra a 6#000.
Cortes de cazemira, lindas cores e boa fazenda
a 8, 9i e lOf.
Atoahado de linho, bramante, algodo alvo tran-
cado, lengoos de linho, cobertas, camisas inglezas
de linho e algodo, collarinhos, guardanapos de
linho, bales para senhoras e meninas, chapeos de
sol de seda, lencos de cambraia de linho, ditos
de dita de algodo e lencos da China.
Estamenha a melhor do mercado, covado 2^200.
Roupa fcEla.
Bom sortimento de roupa feita para homens e
aprompta-se por medida par eommodos precos.
A ra do Quemado n. 19
I CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento ; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Jo2o
Marlins de Barros.
Loja de miudezas de FERREIRA DA CU-
MIA & TEMPORAL, estao quimando por
todo preco venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de2i0 a 10.
Linhas em novellos de 400 jardas a
60 rs.-
Pecas de tranca de todas as cores a 40 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 2^000.
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 500 e
640 rs.
Ditos com banha 320, 500 e 10200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs.
Baralhos de cartas portuguezas a. 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de saboneles 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
1,5200.
Lindos port-main 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320e400rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
30800
Ditas de ditas para senhora a 4oOO.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 10200.
Pecas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a,700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 10500, 20000 e 30000 ao par.
Jogos para vispora a 200, .240 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
__Temporal pode ser procu-
rado era seu estabelecimento bo-
nanza onde contina a vender
pelos baratos preqos de seu an-
tigo estabeleimento com titulo
de Temporal na Bonanca.
Ra do Quelmado n. 63.
Atten Na praca do Corpo Santo b. 17, !
andar, veude-so mais barato do que em
outra qualquer parte cal de Lisboa e
putassa da Itussia da mais nova no mer-
cado, assim como vinho Bordeaux de su-
perior qualidade em caixas e garrafas.
D cordeiro previdente
Ra do Que mi a ti o n. IB*
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, c outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que electivamente est prvida a
toja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
reeeber um outro sortimento que se toraa
ootavel pela variedade de'objectos, superiori-
lade, qualidades e commodidades de pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
8 espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem eonhecida mansidSo
a barateza. Em dita loja encontraro os
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray dYLamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
i eza, todas dos melhores e mais acreditado?
| fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete paratoilet.
Elixir odontalgico para conservado do
issei da bocea.
Cosmetiqucs de superior qualidade e ehei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
i outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em fraseos simples eenfeitados.
Essencia imperial do lino e agradavel chel-
eo de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente linas e agradareis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade.
com escolhidos cherws, em frascos de diffe-
rentestamunhos.
Sabouetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sahonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e dt-
moldes novos e elegantes, com p de arroz
boneca.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de camphora e outras diflerente.-
pialidades tambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coqnes..
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrimos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
slo todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
FlTclIas e fitas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com,
prador. ___________
Vende-se una escrava de bonita.Ognru coi
22 annos, boa engommaVira e cozinheira, tem ota
fillio mulatinho cora 0 annos, muito bonito, vend-
so para fra da tena ou engenlio, dizendo-se ;i
causa por que ; assim como tambem se vend-
uma negrinlia com 11 annos bem educada, j co-
se muito bem, enlcnde da limpeza de uma sala, r
assim como do sei vico de urna lBel, muito bo-
nita e sadia : na ra Direita n. 38.

Lageamento
Vende-se na ra de Apollo n. 4, lagdo
caladas e rmateos,
para
DEPOSITO
Em Pernaiiihucu, P. Maurer A C, e em
Macei, Paulo Jos da Costa Araujo.
.*
A.
\


m I
-


a .-r&m

Diario de Pernambuco Terqa'feira 12 de Oulubro de 18G9.
RIVAL SEM SEGUNDO
RuadoQucimadon, 49 c 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Srfva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem era sou
estabeleciraento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso queirara vir ou mandar
vero que borne barato.
Caixas do linhns do gaz com
50 novellos a 500
Latas com superior banha a
120, 200 e..... 400
Frascos de oleo babosa muito
fino a....... 400
Duzias de meias (inglezas )
muito boas a 4;>00(.
Garrafas com {agua florida ver-
Mein ....... 120G
Garrafas com agua'divina dame-
lhor qualidade .... i 500
Caixas cora 12 frascos de cheiros
proprio para mimos 2#0ft
Dita comJO frascos muito finos 800
Oleo baboza muito fino que s
a vista ...... 500
abonetes de calunga muito bo-
nito ...... 210
Caixas de p de arroz muito
superior ..... 600
Pecas de babadinho com 10
varas ...... 4500
Pecas de fita de cs qualquer
largura ..... 50C.
Escovas para urinas muito fi-
nas ...... 500
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... 240
Pulceiras de contas de cores
para meninos 20G
Saixas de linha branca do gaz
com 30 novellos 600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores ..... 040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 4000
Pares de botes para punhos
muito boqito 120
Libras de la para bordados de
de todas as cores 8000
Pentes com costas de metal
muito finos 320
Novellos de linha muito grande
para croxs 320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... 480
G rosas de botes madreperola
muito fino ..... 300
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e..... 320
Pecas de fita de la todas as
cores ...... 300
Espelhos dourados para parede
1000 e..... 1300
Espelhos de Jacaranda muito
fino ...... 2000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol 060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 320
Caivete muito fino com 4 fo-
lhas ...... 1500
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos 15200
DO-
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste estabelecimento se-encontrar diariamen-
:e um completo sortimento de pastelera do todas
u qualidades para lanche e sobre-mesa, ele, etc.,
nolinnos de todas as qualidades para cha, presun-
tos de Sombre, bolos inglezes, pudins, e finalmente
tudo que consiste em urna boa pastelera, com o
maior asseio e esmero, el hysson, preto e miudi-
nho do mclhor que ha no mercado, testa casa
tecebem-se encummendas para casamento?, bailes
rbaptisados, compremettendo-se os donos do es-
abeleeimento a sor-ir o melhor que Cor poesivel
* vontade do reguez, dispondo para esse tim de
um completo pessoal. Reeele-se avulso toda e
qualquer encommenda, como sejam, bandejas,
uolos e paes-de lo decorados, doces d'ovos, seceos
:: de calda i cryslalisados, fructas nneionaes e es-
irangeiras, amendots contestadas, um completo e
variado sortunento de caixinhas de todos os gostos
i precos, para mimosear senhoras ; estas caixi-
nhas recntenteme chegadas de Pars, sao de pri-
moreo go to, otferece molas aos galanteadores do
belio sexo, pois nellas achanto um digno e serio
presente para as donas de. seu; pensamentos. lico-
res, vinhs flojosde to-Ias as finalidades, conservas
iamlhos em latas. 09 donos deste estabelecimen-
:s nao se p upando despapas, l'azem lodosos
Horcos para servir o respeitavel publico o mo-
l or que fdr possivel, e sendo principiantes c lu-
eando com todas as difllculdades, esperam a con-
currencia do respeitavel publico dcsta capital, na-
cionaes e estrangeiros. Pochiacha : legitimo vi-
abo muscatel em caixas, que so vende por commo-
do preco para particulares o para negocio.______
O~
A PRECO FIXO E MDICO
SOMRR1NHAS de selim verdeultima no-
vidade para senhoras, a 18 e 25.
LINDOS cortes de tarlatana orvalhada, pro-
prios para bailes a 10$, 13-5, lo, 17;J
e 220O0.
ESPECIAL sortimento de coques enfeitados
e lisosultima modaa 500, 3:>000,
mo, H, MBOO, H e 6->.
GRANDE e be lo sortimento de chapeos de
palha da Italia, elegantemente enfeitados,
para senboras emeninas a U>.>, 1H 13,
H e).
TRANCAS E CACHOS imitacao de ca-
bello, para senhoras, a 1800 e 800 rs.
GRANDE e agradavel sortimento de gui-
pure ou croch preto, em pecao metro
a 2, 3*500, S e 6.
DITO, branco a 2,1800, 3 e 38O0.
LINDO FIL de seda branco com ramagem
o metro 5500.
LINDOS e ricos aderecos do plaqus du-
blesfcota brillantinas, rubina, esmeral-
das, perola, e camafeos ; nao ba diffe-
rene'a do ouro de le e conserva por lon-
go lempo a sua cor natural, vende-se a
IH, 183, m, *3$, 90* e 120, este
preco menor ao feitio de qoalquer peca
verdadeira do mesmo trabalho.
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
para relogios, a 6, 8 e 10, no
BAZAR DA M0DA-50-RA NOVA
VA 5MEMO AS
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
aaem m aiaii?aiaawaiiao. w
DE
FLIX PEBEHBA BA SILVA.
O proprietario d'esle grande estabelaciraento, vendo que se est aproximando o fin-
do anno, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; n3o fallando em
avultadas encommendas que lhes estSo obrigado todos os dias, tem resolvido liquida-
las por preco muitio mais baratos do que em oulra qualquer parle ; so com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontra-se ueste estabelecimento do
PAVO avuliado sortimento de azadas de lnxo e modas; assimeomo de primeira
necessidade. As pessoas que negociam se vendendo-se-lhs pelos procos que coinpram, as casas inglesas; assim como as ex-
cellenssimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as faztndas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas ca*as; o estabelecimento se
acha constantemente aberlo das 6 horas da manhaa s 9 da noite.
Esplendido sortimento de Pararamas^-*
rOliplS I6ltlS Vende-se um grande sortimento ees me-
NA LOJA DO PAVO RA DA Inores e maiores corRados bordados pro-
1MPERATRIZ N. 60 | prios para camas e para janellas, que se ven-
Acha-se este grane estabelecimento conr-; dem a 12000 rs. cada par at 25000 rs,
pletamento sortido das melhores roupa, isto na rea da Imperatriz n. 60, de Flix
sendo calcas palitts e coletes de"casemiKt, Pereira da Silva.
de panno, de brim, de alpaca, e de tods BADES MODERNOS E SAIAS DE LAA
as mais fazendas que os compradores pi- Na loja do Pavo vende-se os mais mo-
sam desejar, assim como na mesma toja demos balees reguladores tanto de musse-
tem um bello sortimento de painos casemi-lina como de laa de cor, e as mais modor-
ras, brins, etc. etc. para se mandar faztr' as saias de 13a enfestada, mais barato do
qualquer peca de obra, coma maior promp- que em outra qualquer parte,
tidao vontade do freguez, e n5o sendo SULTANAS
obrigados a acceita-4as, quand nao estojara Chegou para a leja do Pavo em grande
completamente ao seu contento, assim como sortimento das mais lindas sultanas, para
n'este vasto estabelecimento encontrar o vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
respeitavel publica um bello sortimento de com listas de seda e os padroes mais novos
camisas francezas e inglezas, ceroulas de que tem viado a este mercado, vendendo-se
linho e algodSo e outros muitos artiges a 1400 o covado, na loja de Flix Pereira
A &0 $UEMAt>6
A AGUIA BRANCA tem conviccSo de que a abundancia de objeotos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitaclo de seus precos., esto na op nio do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepeo d'aquelles objectos que est3o aleta do commum,
como bem sejam:
Cera.
Vcn'e-ee cera pre para sapatos, a melhor pos-
sivel, a 1*600 o aeato : na travess da rna das
Cruas n. i, loja de caljado.
proprios para homens e senhoras prome;-
tendo-se-lhe vender mais barato do que era
outra qualquer parte. Na ra da Imper.'i-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARALENQOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1800
Chegou para a loja do Pav3o, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
pecas de bramante com 10 palmos.de lar-
gura, sendo a largura da fazenda cumpr-
mento de um lenco!, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casa ,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de l8O0 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicac5es para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA.^
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba era saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas musselinas Je
cores a 500-rs. o covado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavo as ma s
ricas basquinas de casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com es
feitios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendom-se muito em conta.
FAZENDAS PAKA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontr.a o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande .sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de toda3 as qualidades, fazenda de la de
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, ISazinhas, alpacas lavradas o lisas, eantaa,
bomhazinas, merino, etc., que tudo se vende por
preco barato.
NOVAS BASQUINAS CQH CINTO.
Chegaram as mais modernas basquinas de gro'-
denaple preto, ricamente enlejiadas sendo de u n
feitio inteiramente novo, com ricos cintos largos, e
vendem-se por preco razoavel
CASSAS FRANCEZAS.
Vende-se um eleganto sortimento das mais finas
e mais modernas cassas francezas que tem vindo
ao mercado, sendo com padroes miudinhos e
grandes, e vendem-se por preco muito em conta.
AS SEDAS DO PAVO
"Altas .Dvidades.
Pelo ultimo vapor chegaram para loja do P:i-
vo, que vende mais barato do que em outra qual-
quer parte, as solas seguimos : ponpellnas cu
gorgurSes de linho e sea, com os mais delicados
pidrijes, sedas de listras, padroes inteiramente
novos, groz de todas as cores, sendo verde, azi I,
lyrio, rosa, cinzento, etc., setins, branco, azul,
verde, rxo, lyrio etc., etc., assim orno am gran-
de sortimento do grosdenaplcs pretos de todas ;s
q.mlidades, e superior gorgurao preto de seda
para vestidos e colletes.
AGRACIANAS.
Chegou esta nova fazenda c m o nome de Gra-
cianas, sendo do urna s cor, lyrio, rxo, verde,
azul, etc., etc., e muito encorpada, com lustre prc -
priamenie de seda, sendo melhor o mais moderna
que este anno tem vindo para vestidos, e vnde-
se pelo barato preejO de 25 o covado.
ALPAGAS LAVRADAS
Na loja do Pavo.
Chegou pelo ultimo vapor um grande sortimer
to das mais modernas o mais bonitas alpacas la-
vradas para vestidos, t^ndo entre ellas algumasqi.e
fazem a vista propriamente de seda, e vendcm-ne
por precos muito em conta.
GL'RGURO PRETO.
Chegou para a loja do Pavao o mafs encorpailo
gurgurao de seda preto, para vestidos e colletes,
que se vende mais barato do que" em outra qual-
quer par!'!.
MADAPOLAO FRAXCEZ
A 7000, s o pavao.
Vendem-se pecas de madapolao francez com S2
metros, polo barato preco de 7*000, dito enfestao
com 20 jardas a 7000, assim como finissimos mu-
da poMes francezes e inglezes, ditos de jardas, que
so vendem mais barato do que em outra qualqusr
parle, por baver grande porco .
AS CASSAS DO PAVAO
Covad. a 300 rs.
Vendem-se lnissimas cassa* francezas com li-
dos desenhos e cores flxas a 300 rs. o covado.
CHITAS BARATAS
Na loja do Pavo
Vende-se urna grande porco de chitas escuras,
e claras, do cores fixas, por precos queadmiraim
BR1LIIANTES BAREGES A 400 RS.
S o PavSo vende ss mais delicadas ba-
reges de pura la, semitransparentes eom
os mais delicados desenhos, de quadrinho),
listras e lizos, sendo n'esto artigo o mais
delicado que tem vindo ao mercado, e
vende-se pelo baratsimo preco de 400 n.
o covado,
PELERINAS A 40000
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
dernas romeiras ou basquinas do croch,
pretas enfeitadas com verde e outras cores,
pelo barato proco de 4)J000 cada um, p i-
chincha.
da Silva ra da Imperatriz n. 60.
ORGANDY BRANCO.
Vende-se o mais moderno organdy braneo para
vestidos com listras largas e miadas, assim como
urna grande porco de cambraias brancas, tapadas
e transparentes, tendo das mais baixas de i000 a
peca, at as mais finas de 10 ou OOO, todas
estas cambraias se vendem mais barao do que em
outra qualquer parte.
COLCHAS DE FUSTAO.
Vendem-se colchas de fusto brancas e de cores
por preco muito em conta, na loja do Pavao.
ORGANDY DE COR
A 360 rs. o covado.
Vendem-se bonitos organdys de cores com bo-
nitos padrOes e lixes a 3j0 rs. o covado.
CAMISAS PARA SENIH IRA.
Vendem-se lnissimas camisas francezas borda-
das para senhoras na loja do Pavao.
AS CELEZIAS DO PAVO.
Vendem se a? mais linas celezias, esgni jes e
bretanhas de linho por preco muito em conta.
FUSTAO BRANCO PARA'VESTIDOS A GiO RS.
Vende-se fusto branco, com lista e lavradmhos,
muito proprio para vestidos e roupas de meninos,
a CAO rs. o covado.
COLLERINIIOS PARA SENHORAS.
Vendem-se finissimos collerinhos de e.-guode
linho proprios para senil ras e fambem para me-
ninas a -i a duzia.
ALPACAS DE CORDO.
Tendeo)- se ks mais briihantes alpacas de cor-
dozinlio para vestidos, tendo asmis UnUd* cOr-3,
como Bismark, lyrio, roxi, (poga etc. etc., pelo
barato preco do 1 5 rs. o covado.
TARLATANAS.
Vende-se linissima tarlatana brama e .ie todas
as cores, assim como fil braaco tizo a 900 rs. a
vara.
ALGODO ENTESTADO.
Vende-se superior algodozinho com doas lar-
guras, proprio para lencoes, sondo Hio e entran-
caJo, o vende-se por preco muito rasoavel.
MEIAS PARA MENINOS A 3*800 RS.
Vendem-se duzias de meias superiores para
meninos e meninas, pelo barato preco de -JioOO a
duzia.
BASQUINAS DE GDIPZE.
Chegaram as mais bonitas o modernas basqui-
nas pretas de guipuze, que se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte; assim como as
mais delicadas romeiras o pelerinas de croch
pret;is, enfeitadas de verde e unirs ;)r:-. que se
vende muito em conta.
CHAPEOS DE SOL.
Vende-se am grande sortinu-ntj de ehapos de
sol de seda e alpaca que se vendem muito ba-
ratos.
LENCOS BRANCOS.
Vendem so bonitos lencos bramos e de crese
com barras e abanhados, pelo barata preco de
35300 a duzia, ditos de linao abanhados a'a
duzia, ditos de esguio para varios
de algodao a 2$ c 15600 a duzia.
A 5iJ0J0
Na loja do Pavo vendem-se modernissi-
mos chales de fil preto om indas palmas
de seda, pelo barato proco de 50000,
pechincha.
BASQUINAS A 12(0000
Na loja do Pavita vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 125000 cada urna.
PARA ESCRAV05
Na loja do Pavo vende-so estamenba
de algodo meselado para vestidos e roupa
de mo'eques a 200 rs. o covado, r.a ra
da Imperairiz n. GO de Flix Pereira
Silva.
Papel para emfornlho.
Compra-se papel para embrulho : na Isja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 00, de Flix Pereira
da Silva.
S ditos
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
]uando abertas.
I Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machatadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados c de madrepe-
ifola para costara, obras de apurado gosto
e perfeicao, proprias paro um bello pre-
sente, tendo aigumas cora msica.
Estojos ou carteiras de curo com nava-
llias, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARFI.M
Para unhas, dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com raachetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MABUEPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com ves para noivas.
Cintos de brim, cora elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes do cores,
para ciroalar os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
seiin dourado.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aveotnrine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 55.
Botes de cristal, encastoados em prata,
para punhos, 45 o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de inchaco as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toaihas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda o bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com sal picos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, leudo almofadinhas,
de velludo para agulhas e aifraetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLLSLLTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusullra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundaro
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porra as verdadeiras continuante a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se achara venda na
loja da Aguia Branca, seria scno impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reeonhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade do seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer ;i loja d'Aguia
Branca ra do Queimado :. 8.
PilffflO B SEGWD0 LIVfiOS
PARA USO DA INFANCIA BRAS1LFAA,
ra.o
Dr. A. Cesar Borges.
(2* EDICAO MUITO M'-I.IIOHADA E
ATJGMEOTADA)
Estes dons hvros, resultado de grande cxj:0-
riencia o estados cspeciacs do autor, vicram sa-
lisfazor a una das mais instantes nocessidadei
instrucrao primara, c por tal forma que, pelos
governos de qnasi todas as provincias tecm sido
adoptadas para as escolas publica?, assim corno
por grande numero de promeoroa particulares.
O priniciro Itero ( absolutamente diverso dis
cartas vulgarmente cunlicciCas pelo nome de \
RC) e romposto segundo um systtma natur!,
pliilosipliico e ameno que aos meninos facilita
extraordinariamente 0 eoobecimentf da leitu;:,
lornando-lhes muito mais tapido.*, c n uiio meos
penosos, seos primeiro?, timidus e vacilantes |i.
siis na vida liltcraria.
O segundo litio consta de inoilS artigos. Boa-
tos etc., lodos to breves como eDBVWn tog 2
attencao das criaucas, e cscriptos em linguag. m
u eslvlo apropriaas franqueza de sua Intel'i-
gencia.
E de mancira combinadas nelle so acham .s
material que, ao mesmo pasan que vivamenio n-
iiii'sam o dcleiain os pequen* s IciloreSj Kjraii-
Ibes c implantan)-Ibes no ewtiritn e no confio fa-
cundos preceiNs de mural, nspirando-lho?, desde
logo, com o gosto da leilura, o amor da virtui'
o a repugnancia da di vicio.
Saj ambos estes livros nilidamente impressos n
eli'gantemeiiti: cncadcinadus em Pars, e con:, i
estampas linas reprecnlando os asiimptos dos
cunlos ; o que os torna mais oonvklativos aos i. -
nios e inito proprios para presentes ou pron. -.
dos mesmos.
Conten domis o segundo doas bellos bvranus
com msica pira o eomerai e fim Ja escola.
Recommend:uno-!os pois conlirb.-i.rnte aM*SC-
nhores pais de familia, e profossores que ainda ^s
nao conheceiii.
Piimoiro livro. I
Segnnde #000
A YKNDA NA
Livraria l'rancaza,
* 9-RUA DO CRESPO)
Bartholomeu & C,
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
SIMAO DOS SANTOS
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados, parlecipam
aos seus numerosos fieguezes, tanto desta praca, como domatto c igualmenie aos ami-
gos do bom e barato, que teem um grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
dorias e as mais novas- do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
menos preco do que em outn qualquer parte, por ser maior parte destas mercaderas
compradas por conta propria, por isso quem comprar al a quantia de 1004, tora cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
armazem.
Jos Joaqoim da Costa Ma'a .'c C, ra do
Crespo n. 6, acabam de roceber um grande sor-
timento de podras marmore, como seja lijlos de
diversas tamaitos, laminas, saecadas, soleiras e
degraos, bem como telhas do ferro galvanisado
de diversos tamanhos, eme tudo vendem muito
em conta.
Assucar de oxido de ferro de
Ckautcand.
O assucar fe-ntgmoso deChanteand obtido
pela associaco do exido de ferro inteiramente so-
lucel com o assucar cuidadosamente purificado.
Este assucar, de urna bella apparencia crystalina,
tem o simples gosto mui agradavol do assucar,
sem o menor sabor adstringente : nao tem aejao
irritante sobre a mucosa do estomago s cntettinos,
e rpidamente absorvido pelo appareibo digesti-
vo sem causar as constipacews do venir?.
E' hoje o preparado de ierro j mais ."iCsitacao
para a chlorose atona dos orgaos, pardas brancas
menstruacoes difflceis, etc., e tem a seu favor o
juizo autorisado da escola de medicina da Pars,
e dos cbimicos os mais notaves.
DEPOSITO ESPEUAL,
Pharmacia de Bartbolomei A C, ra lajga do
Rosario n. 3i.
BRE
Vende-se breu Uno o mais superior que ba no
mercado, por preco comircd) : na roa da Viga-
rio a. 20.
CAZ AMERICANO 9# a lata, a 400 rs.
a garrafa e 60> rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA oGO e
GiO rs. a garrafa, a 45500 e i^iSOO'a cana-
da, a 70 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
iOO, 440 e 500 rs. a garrafa, a 30 e
.WSQO a caada, 000 e 610 re. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 1$ a caada, e i 340 o I uro.
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 4)5500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 23200,
1,800 e I1400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 15*40 e
180 a libra, 35140 e 25800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZ A 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 25100, 15980 e 15870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 15400 o kilogrammo, era porco se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR
720 re. a libra, o 15570 o kilogrammo, em
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e 35800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo, e 65 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arroba,
200 e 240 re. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABAO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 440 re. o kilogrammo, em caixa ha
abatimento.
620 rs. o kilogrammo, em porco ha aba-
timento.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 15 e 14*00 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PIIOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCIA, a 280, 400 e 560 rs. o masso,
:Vyim 0 65500 a groza.
AMEKAS EM LATAS E CACHINHAb
DE MUITOS TAMANHOS a U jiOO, 55500
e 15 a libra.
GOMMA DE MILIIO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e em caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, era caixa faz-se abatimento.
SEMEJA INGLEZA MARGA II 55500
a dnzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a dnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
800 rs. a garrafa.
GENERRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 75 e 6JI a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
dem de laranja doce aromtica,
115 a frasqueira e 15 o' frasco. .
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35, 25800 e 25400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINIIO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 115500 por
14 kilogrammos. __
CHA FINO, GRADO E MIUDINHOos
melhores que ha no mercado, 35 e
35200 a libra, 75080 e 65540 o kilo-
Vinho, Pilulas,Xarope e Tintura
de jljrubeba simples k femil'oinoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
plantapreparados por
BARTHOLOMEO & V
Pharmaceuticos- Droguistas
PEH1A.1IBI O
A Jurubeba : esla planta hoje recontiecidi
como o mais poderoso tnico, como o mellioi
desobslruenle, e como tal applicada nos padecimento;
do ligado e bago, bepaliies, duresas, tumores inter-
nos e especialmente do ulero, bjdropesias, erysi-
pellas, etc.; e associada ao ferro til as pjllij,..
cores, cbloroscs e falta de menstruaco, desarran-
jos do estomago, etc., e o que di>emos allesu'u
innmeras curas impoitantes cutidas oom nosses
preparados ja bem conbecidos e asados pelos ma,.
distinctos mdicos do paiz a Portugal. Em todos os
nossos depsitos distribuimos gratis folhetos qu>
melhor fasem conhecer a Jurubeba seos resultados
e applicaeio.
fiASSA e
XAI.0PE
DECODE!NADEBERTM|
Prpcomsados por lodoso- medico- eaatn MI
SKr'LUXOS, CATIIAilllUS, li lOil.VS ASI
UUTACESDO t'^ITO.
IV.E. U Xurupc de Cu l.nu hitara, las bem i tira cu. i^ u* \icdic*WBMtv<9l
mocos, tetar rtfistiaiio tuiuu mi 4ut madita-
mtHloiolpciott do Iwpirin tramen Iffenta'
ihc',iii-.- \.rO.
AVISO. Por cansa da te,-n !::::.-:.-1 l'.iM-t'
l:i oi.jn (fue leu s.:'c':!o n fV'ii r
Xainri* c ni-sa dr Bcf'N uilli' '*.' .1
ii'inl.::i (JOOOHi-SinedlcaulHlloJ :.r|i.-...:u .!, '
oaaccllaadca >'.< se
ctidcoi ci'i ti \
bS! I Ir l*Ci I' v: 1 'n
,: .. mlura .m
l"n Mr.
4*1. m 4r.. />.;. t. na I
rt.- 1 ..!.,_ 7, '. 1.
.,:. ..-'1 i !< t. 1
ESCRAVOS FGIDOS.
Fjgio Ja casa do abaixo assignado, no J. i
|S da setetnbro prximo pausado, o seu escri;-
de nome Joao, crioulo, idade 80 annus, pouoo
mais ou mono-, estatura regular, cor preU, j
pinta, pou.M barba : queto prgar, leve Bn-
t'Auna do dentro, que seca bwn recoinpensado.
Joo Venancio Mach.ido da Paz.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA- grammo.
LHARIN E ALETRIA, 800 rs. a libra e IDEMPROPRIO|PARA NEGOCIO 23700,
i780 o kilogrammo. 200, 25200 e 2^ a libra, e 5,>450 c
SEVADINHA E SAF 5 280 rs. a libra e 4180 o kilogrammo.
Assimeomo ha cutros muitos mais gneros, vinho em incoraas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, liuguicas de Lisboa, marraalada, con-
servas gela de marmello, pcego, ervilhas, peixe em latas, sardinhas de Nantes.
vinho verde engarrafado, pomada canella, cravo. ervadoce, cominho, pkuhUl grandes
molhos de sebolla 1#500, finalmente moito mais gneros que eiiandonho
menciona-los. _________'
Fugio no dia 29 do inez |>assado a pscr; .i
Severina, cabra, natural da eidade do .Macal f,
eom os *ignaes seenintes : allura regular, cht i
do corpo. ollins pi'i|iicno-, testa cstreita, falta_ d*
dentes na frente, tea o dedo potofar ou o uiinmi
da mao esquerda um pouco dobrado para a paltr.a
da mao. beifjos finos e bastantes n'ixos, levou un: i
trouxa conte'ndu ilous vestidos, um de chita eo. i
listras encarnadas, e outio de 15a cor de rinra, e
foi vestida com um vestido de chita escura con
palmas brancas anda novo, chale de laa cor Co
lionina, e um ou'roseniudo de rodilha, com u..i
taboleiro de (landres; descoofla-se que ella eeteja
oceulta em alguma casa, pelo que se protesta eo -
tra a pe-oa que a tiver oceultada, obrisando-ie
a pagar os dias de servico : rogase, perianto, .i
autoridades e mais pessoas, que a apprehendain i
a levem ra do Amorim n. 3t, | andar, ou i
ra do Hospicio n. 47, que se gratificar.
A ra do Livramento n. 6, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
mettior vinho verde at hoje vindo a este
mercado.
CJJL DE LISBOA
POTASSADARUSSIA
A mais nova do mercado, a proco razoavel: nc
armazem de MaooeJ T, Basto, roa do Commercic
n. 13.
Cha tonl-purgatvo e depurativo
de Chambard.
Composto das plantas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o rh
toni-purgaUvo de Chumbar possuo cm gosto sabo-
roso o um aroma suavssimo, e as propiedades as
mais notaves sobre os emb.iraojs dJ estomago,
dos intestinos e do ligado, o dob excellencia na constinacao do venli a, um tem
resguardo algum. Depurativo ispeial e directo
dasbilesedos humores, refresca o sanguo depu
rando-o.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia do Bartholomeu di >J., ra larga do
Rosario n. 34. _____
VIOLAO
Vende-se um violio novo, proprio para senio-
ra : tu ra do Livraraculo u.
Fumo do engenho (jueiiiiadas da coman .i
do Brejo da Madre de Dos, a cscrava Paciflca,
parda clara, cabellos carapinbos, do idade 16 par.
17 anno?, estatura regular, boa engommadoira h
costureira, cuja fuga leve lucar no dia 23 de se-
tembro prximo passado, tendo no rosto pint s do
lardas e .^pintias, dentes completos, e sahio gr-
vida de dons para tres mere? : rogam-se as au! -
ridades policiacs a captura da referida cscrav-,
aini como a qualquer peftsM do povo, que se: i
hem recompensado; a entregar no liecife ao nu-
ior los Caetano de MeJeiros, na ra de Apollo a.
10, e no Brejo da Madre do Dos a sua senho: i
D. Bernarda Cordeirode Carvalhc.
No dia 7 do c rrcnlo fagio do engenho Atr.-
laia do termo de Serinliaem, o escravo f.uiz, cabra,
que representa 24 annos, de cor caba escuro, quo
tem apenas poucos cabellos no queixo, altura re-
galar, secoo do torpe, cintura fina, com perca*
arqueadas, ps bem feitos, cabellos carapinh"',
tem falta de um dente ou dous no queixo soperk r;
este escravo veio ha pouoos dias da eidade do
Pombal da provincia da Parahyha, foi escravo i i
reverendo padre Amancio Leilc da Silvo, que o
vendeu nestactdade ao Sr. Luu UiWui > da CunUa
And.ade, em dias de seteAkR)
presume-se que tenha scgnii! : .
pelo que pede-se s autn^^H
lies de campo a captura do lito een mu-
te-se boa gratllica^ a qoea* r ,?'\!
engenho Atalaia. u n "." *' '"*
ra de Api de Cafv.v
iho da Guana o Alboanerqn*.
11: 1
&33ijJB!i'1 H



I
IH^i^Hl
8
Di trio de Pernambuco Ter^a feira 12 de Outubro de 1869.
ASSE^BLEA GEML
CAMAJIA DOS SAS. DEPTADOS
SESSAO EM 27 DE AGOSTO
PRefHDBNCIA WSR..NKBIA8.
(Continuaran)
A commisso, mandil cstabeleceo esta
devosigio, tuve por lin limitar o arbitrio
tes presjdentos na esculla dos substituios;
reniega) pareca ulil como suppressio
ele uin estimulo para as susp nses do*
cu-fes ile polica no desejo de terein os pre-
si'lrtttes nesses lugares possoa9 de sin
.'ilf'ico: todavia considerando cuna pre-
:uia df algumas rates da impuguago
a esta, parte do artigo, nao duvido em ac-
ceder a que elle seja stipprimida, afim de
que subsistan as dsposicos da lei de 3
.le mimbro de 1834, isto da lei do regi-
menlo dos presidentes, a qual auiorisa a na*
mear ifiloriuamontrt pessoas idneas para o
preeuehimento dos cargos de nomeago do
Imperador, no caso de falti repenlina, como
A cm de que agora tratamos. Neste
se.-dido mandarei urna emenda mesa.
Entenda ta*mbem a commisso que nio
proceda desacertadamente quando chamava
para a substituirlo dos chefes de polica ao
delegado d i capital, qu j tinha certo tiro-
cinio, e estava iniciado nos negocios po-
iiciaes.
Hm Si. Dentado : Da capital.
') Su. Alencar Araripe : Da capital
e tambem de toda a provincia, porque o
delegado da capital pode ter conhecimento
d<> que se passa na provincia inteira, os
jornaes publicam todo, e nao ha ninguem
Hto discurioso ni nosso paiz qne n5o pro-
cure inteirar-se do que se passa nelle.
Alfin disso os conliecmeiitos espociaes que
trm o delegado para ejercer as suas func-
C5 toda a provincia, porque os negocios da
previa ni) sao dillercntes em natureza por
vari irom de lugar : o que se passa no ter-
mo da capital em maior escala o que em
poato menor ordinariamente acontece nos
dentis termos.
O Se. Correa da um aparte.
O Sa. Ai.kncaii Araripe : Porm pela
lei actual tem as mesmas attrbuiges, as
mesmas funeges.
Neste tpico,pois.eu nio insistirei acerca
das objeccoes aqui apresentadas,
Tem-se impugnado tambem a disposicao
do arl. P 3" n. Io, que trata dos agentes
de polica. Esta augusta cmara ter no-
tado a insistencia da contrariedade a con-
signago destas palavras no projecto. Al-
guRS nobres dep dados as consideram
como innuteis ; outros consideram como
revelando o germen de urna instituigio pe-
rigosa
Aqueles que consideram como innuteis,
por cont-jrem apaas a rcpetgo do que j
existe na legislado patria, nada opore,
porque parece-me que a contestado 6 in-
taiiim;nte iraca, bstanlo a leitura do ci-
i paragrapho para a destruir ; emjuan
to, porm, aquelles que all descobrem a
existencia de urna inslituico perigosa, ven-
do clara e definida a cieago de novos
funeconarios nos agentes policiaes, passa-
rei a responder :om aquellas razos que
agora me occorrem.
Os me is nobres collegas, que imputam
os agientes de polica, partem da idea da
suspcoaafi dos inspectores de quarteirao;
julgindq-a como una conseqnenca vir-
tujl da creago dos ditos agentes de po-
lica.
Sr. presidente, embora eu^entenda que
muilo convira supprimr os inspectores de
quarteirao, e estabelecer smente agentes
de polica, (odavia bem comprehendo
que ik'is nao temos os meios pecuniarios
su.'lkontos para estabateeer polica, tal
como era de desojar; e neste caso nao do-
vid > admittir-se resistencia dos inspectores
de quarteirao conjuntamente com os agen-
tes de polica; subsisiam inspectores de
quarteirH i menos porm os agentes de po-
li ia.
Oi inspectores de quarteirao sero os
mi s ii i autoridade policial, sendo de-
oinid./S segundo a divislo territorial:
a sua accao limitada ao districto em que
elle se ada ; os agentes de polica porm,
nao torio permanencia nem transcripgo
para que possam ser cmtoda a parte onde
a autoridade os mande, e seja reclamada a
sua presenca : sero agentes movis que
com celeridade acodem aos lugares em que
ha urna inforraago a obter, um criminoso
a segurar, emquanto noapparece a autori-
dade superior.
Supponha-se que dio se ao mesmo lem-
po fados cm diversos pontos do mesmo
quarteirao: em tal situaro nem o inspector
do quarteirao bastante para providenciar,
nern a autoridade superior pde.chegar de
prompto. por estar oceupada em negocios
de mais alta monta, ou por estar distante.
Ento os agentes de polica apparegem nes-
sas diversas paragens, e providenciara con-
forme as respectivas instru -.eos. ganbando
o si rvico publico.
O que todo o mundo admira na polica
ingleza, e constitue o principio fundamen-
tal da sua aeco, a continua presenca de
numerosos agentes por toda a parle, e a
todo o momento. Estes agentes conhece-
dores co lugar, e das pessoas nelles resi-
dente?, esto serapre promptos a prestar
auxilio a quem o exige, e acliam-se sempre
as occas.oes opportunas de impedir o mal
feitor na perpetrarlo de scus mos inten-
tos. N3o poderemos fazer o que na Euro-
pa se pralca : convem todavia irraos en-
saiando esse raelhoramento. Nao podere-
* raos ter numerosos agentes para todos os
lugares, e para todos os momentos: faga-
mos o que for possivel.
J se v pois, qiio a instituirlo dos agen-
t s policiaes n3o pode deixar de ser de
grande ulidade para essa acojo prompta,
inmediata c eflkaz da polica : ella assim
por toda a parte ter olbos e m3 >s que a
lialiilitem a ver todo e a providenciar sobre
tudo.
Continuamente reclamamos e reclannmns
cora instancia polica esta acc3o incessante,
que garante a sociedde ; porm, Sr. presi"
dente, duvido que alcancemos ta*o lisongei-
ro extoem quaato n3o habilitar-mos com
os. meios convenientes: censuramos todos
os dias a polica do Brasil, porjue negli-
gente, porque n3o previne o crime. nem
repiime os criminosos, mas coma ella ha
de oumprir a sua difflcil misso, como, se
nao temos os meios para isso?
Comparo-se a nossa polica com a poli-
ca de paizes civilisados e mais adantados
do qtte nos, e reconheccr-sc-lia a despropor-
c3o dos meios. Nos s temos poHcia no-
minal : a ella urna poteacia benfica,
que e re;d. o, poia, qw4
ilCan as autoridads p.-liciaes meios vigoro-
rosos para que ellas possam obrar; e
assim poderSo serjustamonte argudaa. Di-
mos acrao a essa entidade, que por ora
tem vozes para admoest ir sera torcas para
operar; a posst polica um espeelro, (pw
intimida pela ap^arencia, mas qne n3o pos
sue a ellicacia do poder.
Disse-se que 03 agentes policiaes envol-
viam o estabelecimonto di polica secreta.
que alias era um? wtilni.fi > o liosa, e s
aceita porgovernos tyranioos.
Sr. presidente, esta proposito nao ba
seada nem no tacto nem na ia3o. A raz io
nunca iuculcou como cousa odiosn vigiar
v wefHjao efara de mnitas obras jfl* i-fflimMro da-jrtl?a, erapeier. FHrei o il- jwrttt;-; e assim o govemo em atteflSo a
licas que anlam das r*9-h de tol.x, c lustre depnt-i lo qoe o pangrapho redigido
que conlirmam a* existencia do segredo
iias JfaMC^M da polica ingleza. quando
esse segredo recraato pela natureza da
cousa e pea fort-a das ciroanfetancias.
0 8'. Ikttcuro G!u<;\ ff*f-*n aparte.
0 Sn. ^tJKsaat Awariuix M>posso
mirar no animo do nobre deputado para
az-lo aceitar iinai opinio que tenho cornil
verdade indubiUvel.
E' bem recente o facto d > assassinato de
ir.n corretor inglez. sssassinado e roubadi
em um trem da estrada Je ferro de Londres
par Vhtn'licster. O aMiUMimento tomou
:|irapin;">es lio gi and !
interesse publico
e pela confianca
que despertava a respeiti da segnranca
il; quo'divia gozar o viajante dos caminho*
de ferro. Apelia secreta de Londres
segnio o andaz criminoso, e atravs do
Atlin'.ic,o o foi descobrir e prender para
entregar acijSo dos tribunaes jud ciaris
da Gra Bretanha.
Gonhocemos lodos o lastimoso successo
ilo ,-issassinato de Alirahii Lincoln, o gnio
egii-gio da emancipaco da escravido.
Dos comp ices desse horrendo ficto n n
escapuu ac^o da autoridade no primeiro
momento das diligencias para a prisao
pela seguranza publica cm segred*, pnia pete upwda'i do caso,
n3o desportar innuteis temores, acompa-
nhar os passos do homem mal intencionado
para evitar o delicto. seguir com cautela o
criminoso para o seguir punir ; tudo si"
um bem, jamis poderemos cm pruden-
te accorde qualilicar como recurso odicioso
e consuravel; pelo contrario, compre acei-
tado como mjio de accilo til e proveitosa
para a effectvdade das garanta* da socie-
dde e do cidado. Quantas vozes a poli-
ca secreta previne um crime ou descobre
um criminoso ? Previnir o crime devanta
suprema, e ninguem contesta que mais im-
portante frustar um delicto do que dei
xa lo apparocer para depois pnni-lo. A po-
lica secreta neste particular previa servidos
que nenhum oulro modo ilo procedimeato
da autoridade pode supprir.
Se a raz3o nao repelle como cousa o lio-
sa c tyrannica a aeco di polica sicreta,
porque s odiso otyramico o abuso,
claro que nao dovem >s r;eiar aceitar a
creaco dos agentes de pooh, embora eHes
possam ser incumbidos de proceder em
segredo, quando assim convier ao bom de-
sempenho dos seus devores.
Apossibildade do abuso nao suffioie.i-
te motivo para recusar-mos a creaco dos
agentes de polica ; por qu na procidencia
de semelliante razo achariamis cansa paaa
repellir-raos todas as nossas iustituicoes vis-
to como todas as cousas Im ninas est>su-
jeilas ao abuso c a perverso. Razao que
prova domis, segundo os principios di
dialctica, nao tem valor algum.
Os Tactos, isto os exemplos de outros
povos confirmara que neniaran odiosUade
ha na inslituico da p ilcia secreta : t id is
os povos cultos e adiantados as boas pra-
ticas sociaes tem este g ero de polica ;
nos mesmo a temos de urna manera em-
bryonaria, imperteitissima, e nio regulari-
sida; preciso que a regolansernos, con-
sagrando na lei a existencia d agentes po-
liciaes.
Se j temos esse embiyo de polica se-
creta, que os meus nobres contendores nao
negara, julgo que elles moUram:se contra-
dictorios, quando, reconhecendo o facto, e
achando-o toleravel, nao propoem a sua con-
demnaco.
Assim se a polica secreta qne temos- cm
forma embryonaria germen do m Histitui-
c3o devemos clara eexplicitamonte condem-
na-la; se, porm, nao ella um mil, e
antes presta utilidade, com eu creio, eo-
lio a legitimemos para que se desenvolva
e cheguea ser o qne convm que seja, isto
, essa vigilancia incessante que est sem-
pre junto ao homem prevrs > para o con-
ter, e junto ao bo n cidad > para o pro-
teger.
Os exemplos bons sao sempre aprsenla-
dos como modelos de imilai;ao: lodosos
dias citam-nos o oxemplo da pocia da In-
glaterra. Pois bem; alli a polica secreta
existe, e existe em grande escala; embora
o nobre deputdopeto Maranliao aqui con-
lestasse o faci dessa existencia.
O Sn. HeiuciitoGiucx d um aparte.
O Su. Ai-k.nc\n'Aharipr : Eu teiehim
trecho do notavel escriptor Carlos Mitter-
maier, jurisconsulto allem3o muto acre-
ditado^ o qual prova cxhuberanteinenle que
a polica secreta na Inglaterra fnnecona,
com grande proveito da paz publica e da
segura: tja individual.
Cito este escriptor, porque na autori-
Ia le delle fnndou-se o iiobn deputado ;
eis o que escreve Carlos Mltermaier :
Cumpre notar que para esses empregos
da polica judcara escolhem se horaens
habilissimos, e capazes de apresentar-se
era todas as classes da sociedde sob di-
versissimos disfarces; para o que sio
instruidos e familiarisados as dilferentes
raguas, e devem possuir grande coragem
pessoal. Estes homens recobom poderes
mui extensos, de que usam nos negocios
rodeados de dilliculdades e my>teros para
descolirir o crime e os criminosos; con-
vindo roeonhecer que habilidade delles
deve-S0 mudas vezes o descobrimento de
notaveis criminosos.... Doste modo o
ladr3o, o trapaceiro, o hornera perigoso
por seus insiinctos, o objecto de especial
vigilancia : se deixa urna cidade, secreta-
mente seguido em seus passos, e a sua
chegada em outra cidade logo sabida
Ora, Sr. presidente, se isto nao polica
secreta, o que ella ? O nobre deputado
ter a bondade de no la dojiuir atim de
nos tirar de um erro.
Carlos Mittennaier o que diz : que a
polica ingleza depois de erapregar os
meios oceultos e conseguir o seu intento
apresenta-se dando razo dos seus actos ;
e a isto que o jurisconsulto al!em5o chama
publicidade da polica na Inglaterra. Por
differenle modo pritcava-se em Franca,J
onde a polica obrava as trovas, e as
trevas ficavam os seus actos;: o mysterio
jamis se desvendava. Esta a pocia
secreta odiosa, que eu nao quero, nem
devemos ter. (Apciados).
Mas qual a razio de conveniencia que
se apona para repellirmos a polica se-
creta, que tem do executar um papel tSo
importante na prevengo dos crimes e
na pesquiza dos criminosos ? Nao
razao aceitavel o simples labo de insli-
tuico odiosa e tyranica. lang ido a esmo
sobre ella. .
(Ha algans apartes).
O Sr. Heraclito Gra;a : Nao existe
na Inglaterra; fundo-meem Len Facher...
O Sn. Alencar Araripb : Nio do-
vido da aesercio de Len Faucher; nio
posso, porem, deixar de preterir a auto-
ridade do escriptor allem3o j citado, .e
sobretodo a do commentader das Icis in-
glezos Gailherme Blacbstone, que deve
conhecer melhor essas leis e o seu espi-
rito do qne o escriptor francez apoatado
pelo meu Ilustrado collega, deputado pelo
Maranh3o. A Len Faueber opponho a
assercao dos faelos dos tribunaes judicia-
rios de Inglaterra, que nos atteatam cons-
tantemente por seus debate a existencia e
delles. Esse cmplice traospz o ace mo
e foi refugiar-so na Italia ; a polica dos
EjUidos-Unidos o seguio em segredo cm
todos os tortuosos camnlios por onde se
3ram ranhoi o delinq tente ; c ms'guio
lescobri-lo, -mas no momento de o ap-
prehuider o assassino evdese, e no
Egypt) va buscar novo valhacmito. Essa
mesma pocia anda acompantiott o fugitivo
e amparada pelas somliras do segredo
consegue afinal segurar o impormte crimi-
noso, que devia expiar o gravissim) de-
licto.
Estes don fados unrererom os applau-
sos do mundo, e ninguem os reprovoo
como parto de urna instituirlo sinistra.
E* bem certo, Sr pres dente, qne nem
sempre as palavras correspondem reali-
lade das cousas. Os philosophos e os
lomens theoricos costtmrira proferir ele-
fantes assertos, que al's longe est3i di
utilidade pralca das cousas. Assim es-
tigmalsa se a polica secreta em nom da
libjrdada e das demais prerogativas do c
dadio; mas nio reparam os zeladores
lesses bens sociaes que essa polica, em
vez de 'ser a elles contraria, lhes profi-
cua. Com jildicioso criterio di/.ia o chan-
:eller bario de Verularaio : Multa philo-
mhi propomnt diem pulchra, sed ab uso
remota. E' o nosso caso: fdla-se em
uome de bons e nobilissimos principios,
sem todavia attender-se para a verdade
pratici, nnci que nos deve guiar em ma-
teria de le/islaciio, onde os .ystemas sio
sempre prejodieiaes e nucea uteis.
A polica secreta necessaria e provei-
tosa ; e, se por ventura dclla se ha feto
ura instrumento supoitoso, nem por isso
devemos desconhecer que a epiniio que
assim a q lalilica crrotiea. O lado mo
da polica secreta foi o emprego de ho-
mens perdidas o criminosos para seas
agentes : boje est aceito como facto ver-
dadeiro que ella ple ser exereida cora
duplica 'o proveito por agentes moralisados.
\ pocia secreta com agentes moralisados
nio excita repugnancia: o exercicio de
urna felo publica, como outra qualquer,
em beneficio da juslica humana.
Em vista di todas estas considerarnos,
Sr. presidente, parece-me qne esta augusta
cmara obrar com acert approvando os
agentes de polica, porque assim podere-
mos, com vantagem da cansa publica, re
gularisar a nossa polica, quer ostensiva,
quer secreta.
O n. 2 do I" do artigo cm dlscossle
'onsigia a forra policial como um dos
meios instituidos para executar as i rdens
das autoridades. Um dos Ilustrados mem
bros da deputario maranheusc julgm a
consignagio desta forga as disposico-
do projecto como contraria ao acto addi-
eional na pane era que determina que as
assemblas pmvinciaes fixem annualmente
a forga policial das respectivas provincias.
NSo posso comprehender onde est a
causa desla argumentarlo; porque se a
guarda policial de que falla o projecto
a mesma forga policial creada pelas as
sembleas provinciaes, de manera nenhu-
ma vamos atacar o poder que ellas tem
de crear esta forga, quando estatuimos
que ella sirva para a execugio das ordens
das autoridades policiaes, visto ser este
o fim para que a mencionada forga fi-
xada.
Se, porem, a referida guarda polial en-
tende-se como cousa diversa, tambem nao
atacamos o poder que tm as assemblas
provinciaes de decretar forga autorisada
pelo acto addicionaj. A creagio da forga
geral era nada prejudica a creaijaVda forga
provincial.
Pergunto eu : o poder legislativo geral
lio pode crear urna forga diversa daquella
que crea o poder legislativo provincial ?
Cortamente qu; pode, em face do art. 15
10 da constituigio do Imperio. Quando
aqui tratamos da organisagio das forgas
de mar e trra, assim como creamos urna
forga geral, sob a denominagio de exercito
e armada', pederamos tambem crear urna
outra qualquer sob diverso nome ; sendo
corto acharrao-nos investidos da faeuidade
de fixar forgas ordinarias e extraordinarias.
Portante, o argumento de impugnagio
deduzdo da desposigio do acto addicianal
de maneira nenhuma pode prevalecer. '
Talvez ou nio comprehendesse bem a
exposigo do nobre preopinante, e dahi pro-
venha o meu modo de pensar, nio achando
valor no principio da sua argumenta-
do.
Contra a desposigio do paragrapho que
acabo de tratar existo urna emenda apre-
sentada por um digno representante da pro-
vincia de S. Paulo, a qual diz que os chefes
de pocia sejam nomeados dentre os hacha-
reis formados que n3o forem magistra-
dos.
Sr. presidente, repito esta emenda ntei-
ramente desnecessaria, porque o 4* do
art. i9 determina que os cargos judiciarios
o incompatives com os cargos policiaes.
Ora. se os cargos judiciarios sio incompa-
i,ives com os policiaes, evidente que o
governo nao pode chamar um magistrado
oara o lugar de chefe de polica.
Portanto, intil a providencia que o
ebre deputado quer estabeieeer.
Um dos nobres deputado* contradieto-
es fez aljamas consderac3es em refagb
i esse j)aragraj)ho, dizendo.que a manera
>or que a commissio.hava redimido esse p-
pela forma par que estava no projecto do
nobre ministro da juslica cnsignava um
principio scienlifico, bsoluty, de cuja ap-
plicaoio poderiem resultar no ftrtaro gran-
des inconvenientes.
Sabemos que a linba divisoria entre a
poheia e a jnst?a nao urna cousa lio
ilolitida o assigaalada pela sciencia que nao
possa suscitar duvidw e quest5ea: a ex
perencia o tem mastrado. Na sciencia as
llovidas nao passam do campo da discus-
s3 >; as leis, as questes originam conflic-
tos, que cumpre cuidad isaneote evitar.
Para prevenir conteslagoes qno se pode-
riara suscitar foi que a coramissao ente*
deu que obrava com mais accordo estabe-
lecendo a incomputbilidaJt; dos cargos, e
depois ospecialisando quaes as funegojs das
autoridades polici es.
Ora, nessas teneges conferidas s aulo.
ridades policiaes nenhuma lia que seja tam-
;bem conferida s auioridades crimioaes-
Seguo-se daqni que o projecto assim estabe-
laee a i iteira separag i da polica e da jns-
liga; porquanto os cargos policiaes c crimi-
naes e policiaes sio excrr.idos promiscua-
mente pela mesma autoridade.
Nio obstante nem todos definen! pelo
mesmo modo o qno sejam attribnicoos cri-
minaes e attr*niges policiaes; Irivendo a
respeito de, algumas dolas completa incer-
teza de elassifcagiio. Autores coneeitua-
dos pronnociam se pro e contra, e a dl-
vida permanece : de maneira que aquillo
que para nns funegio policial pira outros
fon c) criminal.
Por exemplo, a formago de culpa, que
i commisso conferio ao juiz municipal como
autoridade criminal, muitos entendem que gumte:
fiinccio policial; e da mesma forma sor.-'
cede com a prisa) preventiva. E n virtudo
disto, pois. para rins o juiz municipal nio
poderia formar colpa, nem prender deln-
quentes, porque tendo a'tcibuiges crimi-
mes nao poderia exorceras policiaes; para
ontros, porm, elle o pderia frzer, porque
tiham pensamento diverso sobre a natu-
reza das mesmas attriboigoes. *
Estas questes, porm, evitar-se-hio se-
gundb o caminho trlhado pela comraissio:
ella incompatblisou os cargos, e especifi-
cou as funcgSes das autoridades policiaes.
Daqui resulla a normal separagio da poli-
ca e da justiga sem inconvenienc al-
guma.
Se a coramssio estabelecesso a these
scientifici dainsompalibilidad) das func-
gc.s judiciarias c policiaes. poder-se-hia
encontrar antinomia neste projecto, quando
conferia ii autoridade criminal, como o
jui/, municipal, as funcg5es de formar culpa
e prender os delinquentes.
Eis a razio par que a commisso julgou
mais conveniente e mais proprio da lei,
que quasi serapre se abstem d i consagrag3o
desses principios scientificos absolutos, re-
digir o paragrapho como est no projecto
que te ve a honra de expr oonsiderafao
sta circumstai;ia graduar os vencimentos,
conforme a alfluencii de traballio e impor-
tancia dos negocios de cada provincia.
Terminando aqui as minbas observacOss,
pero escalpa cmara por hiver-lh to-^
mado tanto lempo. (Muto bem.
Vem mesa, s3o lidas o entram con-
juntamente em discussio as seguiotes-emen-
des :
No art. I j 8 n. 3 : Em vez de
Agentes de policadiga-se Inspecto-
res de quarteirao e outros agentes de po-
lica.
t No mesmo art. 2osuprimam-se as
palavras: E designando para o substituir
interinamente a um dos delegados de poli-
ca da capital.
No mesmo artigo accrescente-se : 3
ipo governo arbitrar aos chefes do poli-
ca o vencimenlo annual de i:0005 a 6:000;J
conforme a importancia do lugar em que
servirem. Doos tergos de vencimmto se
considerario como ordenado, e um tergo
como gratificagio. A. Araripe. .
O SR. ANDRADE FIGUEIRY anda faz
consderages.
A discussio tica adiada pela hora.
Dada a ordem do da, levanta-se a
sio as onze horas e meia da noute.
ses-
SESSO EM 28 DE AGOSTO
PltSiOEXCIA DO SR. NP.BIAS.
As seis horas e 3/1, da tarde feita a
chamada, verifica-se haver numero sullicien-
te e abre-se a sessio.
L-se e approva-se a acta da antece-
dente.
OSn. Io Shcetario d conta do se-
Contma a 2* discossao do art. 1* d
protelo sobre a reform poMciel.
O SK. DUQUE ESTH/H0A TSXEIBA faz
consIdernijZk's sobre a materia,
Adiscussio fica adiada pela-hora.
Dada a ordem do dia, levanta-se a ses-
sio s das horas e tres quairos da noute.
No dia 30 nao houve sessio.
o prestima da polica seerets: a Len rag/apho, com alurarditlerenCa de iguaj
Faucher, quo alias anda n3o i, opponho <
desta Ilustrada cmara.
Sr. presidente, tendo-se, como cm prin-
cipio disse, suilkientemeate discutido outras
considirac^s oppostas ao project >, pare-
ceado-mu f|ue vantajosamente tem sido de-
monstrada a utilidade das proposigoes con-
testadas, deitarei deoecupar por mais tempo
a attengo desta augusta cmara cora algu-
ma< reflexos que nio seriara mais do que
a ropetigio daquillo j aqui expendido, visto
que as objeccoes apresentadas contra o arl.
Io tm sido limitadas a estreito campo, e
todas hao sido j debatidas.
Vou mandar mesa um artigo addtivo,
e pe :o liceaga cmara para fazer sobre
elle mui ligeiras ponderacoes.
O Su. Presidente :Devo lembrar ao
nobre deputado que os artigos additivos bao
de ter discussao propria depois da do pro-
jecto.
O Sr. Alencar Araripe:J so apre-
sentou urna etntnda no mesmo sentido.
OSn. Presidente:Se o nobre depu-
tado quer apresentar emenda a qualquer
dos paragraphos em discussio, pode con-
tinuar.
O Sr. Ai.kncaii Aiiarpe :E* urna subs-
ttuigio emenda do nobre deputado pe'a
provincia de Minas, marcando os vencimen-
tos dos chefes de pocia.
O Su. Presidente :Entio urna sub-
emenda e nio artigo adtivo.
O Sn. Ai.kncaii Araripe :Ser assim.
* A emenda apresentada p lo nobre depu-
tado de Minas diz que os chefes de poli-
ca perceberio venoimentos iguaes aos que
perectem actualmente os juizes de direito
no exercicio de taes cargos. Julgo que
esles vencimentos sio diminutos, o 'que g
preciso compensar com alguma vantagem
mais o pesado encargo de chefe de polica,
no qual ha trabalho continuo, que fatua nio
s o corpocomo o espirito. Ninguem se
sujetar a isso sem adequada retribu
gao.
Al agora poiia o governo ter os chefes
de pocia com qualquer ordenado que osse,
porque erio sempre magistrados os que o>
cupavam estes cargos, que eram obrigados
a aceitar. Nio sendo mais nomeados os
magistrados para a pocia, convm dar a
esses cargos algum incentivo; pois ninguem
querer espontneamente servidos, se nio
tivorem congrueniente ordenado. Cumpre
que os lugaren de chefe de pocia sejam
sufficientemente remunerados...
O Sr. Jagcaride:Apoado.
O Sr. Alencar Aiunu-E :-----afim de
que o governo nio se veja muitas vezes
embaragado na escolba por mi achcfr pes-
soas habilitadas para os exercer, que quei-
ram aceitar.
A emenda do nobre deputado por Minas
nio lhes d sufliciente vencimenlo, nem
tambem lhes d a emenda que vou propor:
todavia alguma cousa augmenta; e sinto,
que o nosso estado financeiro nao permita
maior largueza.
Por isso apresento urna emenda on sob-
emenda autorisando o governo a marcar aos
chefes de polica o vencimenlo de 4:000^1 a
6:0001, conforme o lugar em que servirem.
Em verdade o cargo de chefe de pocia de
orna provincia grande em territorio e po-
putacio moitb mais honeroso, c por isso
merecedor de maior retribuifo do que o de
ama provincia pequea e pouco popu-
losa.
Em todo o caso a emenda que apresento
contera algum augmento, sobretudo em fa-
vor das provincias menos consideradas em
graduagio e importancia poltica. Actual-
mente os chefes de polica das provincias do
^B&Monas-e Paran tm 3 600$ de venci-
mento annual; os de outras provincias tm
reo mais, ;elevando-se tass vencimentos
6:00041 ha corte. A proporeio dos
consignada no projecto do Doorel veocimentos com o trabarao de rigorosa
EXPEDIENTE
Um otficio do ministerio da guerra, ac-
cusando o recebimento do desta cmara
relativo deliberago lomada em sessio de
i do correte, para que se consignasse na
acta ura voto de conhecimento e louvor a
todos os bravos do exercito, aos dignos
olliciaes generaes e ao muito dslinclo e
Intrpido prin ipe o Sr. conde d'Eu, com-
mandante em chefe das forgas brasi eiras
no Paragmy, pela brilhante victoria alcan-
gada no ataque de 12 tambem do corrente
contra Pirabebuy, e bem assim a manifes-
tado de dr e profunda magua pelo falle-
cimento do bravo general Joo Manoel Men-
na Barrete, e em resposta declarando que
so remetiera copia do dito ofiicio a 9fA.
o Sr. conde d'Eu, afim de que seja publi-
cado em ordem do dia.Inteirada.
Outro do Io secretario do senado, en-
viando, com urna emenda feita e approvada
pelo mesmo senado, a proposigao desla c-
mara que autorisa o governo a conceder a
Antonio de Lacerda isengao de direitos so-
bre as materias e object' s precisos em-
preza de urna cominunicago entre a cidade
alia o a cidade baixa na capital da Baha,
e de um caminho de ferro entre a prara do
Palacio e a povoacio da Barra, na mesma
capital.x\ imprimir.
Leem-se e vio a imprimir diversos
pareceres de commissio, approvando pen-
ses.
O SR. PAUL V TOLEDO justifica e manda
mesa um projecto sobre matricula de la-
vradores, o qual j publicamos. Lido,
mandado imprimir.
Procede-se successivamente votagio
dos pareceres da Ia commissio de poderes
sobre as eleicoes feitas as freguezas do
Jardim e Ico. pertencentes ao 3o districto
da provincia do Cear, e sio approvados.
Procede-se tambem successivamente
volago dos pareceres da 3a commisso
de poderes sobre as eleigoes feitas as pa-
rochias da Lagoa Santa, collegio de Santa
Luzia do 2o districto eleitoral de Minas
Geracs ; de Santa Rita da Jaco tinga, col-
legio do Rio Preto, do 3o; do Campo For-
moso, ollegio de Uberaba, do V-; e de
S. Jos do Toledo e Cambuhy, collegio de
Jaguary, do 5o, todos da referida provincia
e sio approvados.
Procede-se mais votago do parecer
da 3* commissio de poderes, reconhesendo
deputado pela 3' districto eleitoral da pro-
vincia de Minas Geraes o Sr. Domicano
Matheus Monteiro de Castro, e approvado.
O Sr. Presidente declara deputado pelo
mencionado districto e provincia o referido
senhor.
Entra em Ia discussio ,o projecto
estendendo obra Atlas do Imperio do
Brasil, publicada pelo Dr. Candido Mendes
de Almeida, os favores consignados no arl.
367 do decreto n. 1,568 de 24 de feve-
reiro de 1855.
O Sr. Guimares pede, e a cmara con-
sente que o projecto tenha urna s dis-
cussio,
Vem mesa, lida, apoiada, e en-
tra coojunctamenle em discussio, a se-
gainte emenda :
Abrindo-se ao geverno o preciso cr-
dito para fazer-se a despeza Duarte de
AzevedoDias da Rocha Guimares.
Ninguem pedmdo a palavra e pondo se
a votos o projecto, approvado bem como
a emenda e remeltido a commissio de
redaegio.
Contina a 2a discussio do projecto
autorisando o governo a contratar a cons-
truegio de dcas nos dilferentes portos do
Imperio, rom as emendas apoiadas.
Ninguem pedindo a palavra, eproce-
dendo-se a votagio do referido projecto,
approvado, menos na ultima parte do 10
(e ao cusleio da empreza).
A seguiule emenda tambem approvada.
t Ao 13 do art. Io diga-se poderio
ser decididasem vez doserio decididas
como est no projecto. Araujo Ges.
O projecto passa 3a discussio, indo
respectiva commissio para redigi-lo com a
emenda approvada.
As outras emendas sio rejeitades.
Vem mesa, lido, apoiado e enlra em
discussao o segrate artigo addtivo :
t As disposigoes da presente lei, na parle
relativa construegio de dcas, nio serio
applicadas ao porto do Recife emquanto nio
for este melhorado ao ponto de tornar-se
aecessivel a navios de todas as lotagoes.
Barro* Brrelo. *
Ninguem pedindo a palavra, e pondo-se
a votos o addtivo, approvado e remettl-
de respectiva commissio conjuntamente
com o projecto.
Coalinua a 3a discussio do projecto do
enado, declarande tpie as dispbsigoes do
art. 6o da lei de 23 de novembro de I8H,
aa parte relativa ao principo imperial sio
applicaveis princeza imperial.
O SR. CORREA faz consideragoes sobre
a materia.
A4tseass3o fica adiada pela hora.
SESSO EM 31 DE AGOSTO.
PRESIDENCIA do sr. nemas.
Ae-meio dia, feita a chamada, verifl-
cando-se haver numero suficiente, abre-
se a sessio.
Lm-se e approvam-se as actas da ante-
cedentes.
O Sr. Io Secretario* d conta do se-
guinte
EXPEDIENTE.
Um offioio do ministerio do imperio,
comaunicando que se expedir aviso a
presidencia da provincia eergipe, afim
de que sejam cumpridas as-deeises desta
cmara acerca de varias eleigoes parochiaes
feitas na mesma provincia.Inteirada.
Oulro do Sr. ministro da guerra, pedm-
do dia eiora para apresentar urna propos-
ta do governo. Marca-se o dia de boje, s
tres horas da tarde.
Outro da presidencia da provincia de
Goyaz, enviando exemplares de collecges
das leis da mesma provincia de 18661868
A commissio de assemblas provinciaes.
Urna representacio dos membros da
mesa parochial da matriz de Nossa Senhora
da Graga do Morro do Chapeo, do 4o dis-
tricto da provincia da Baha; remetiendo
copia da acta especial da eleigio que teve
lugar a 31 de Janeiro.A segn la commis-
sio de poderes.
Lem-se e vio a imprimir diversos
pmjectos approvando penses, concedendo
naturalisagoes, mandando matricular esto-
dantis, e a redaegio do projecto sobre
dcas.
Entram em discussio, e sio appro-
vades sem debate as redaccOes que foram ;
imprimir na sesso antecedente, sobre a
reslituigo de multas e cusas ao presidente
e membros da junta- do qualifieaco da pa-
rochia de Santo Antonio do Monto, e sobre
matricula de varios esludantes.
Procedeu-se votago do parecer da i*
commisso de poderes sobre as eleigoes da
freguezia de S. Bernardo das Russas, na
provincia do Cear, e approvado.
Procede-.-e igualmente a vetela do
parecer da 2a commisso de poderes sobre
as eleigoes feitas em varias parochias per-
tencentes ao 5' districto da provincia da
Babia, approvado.
Entra em I* discussao, que a reque-
rimento do Sr. Antonio Prado se considera
nica, e approvado e remeltido com-
misso de redaegio, o projecto que auto-
risa o governo a conceder aposentadora
com ordenado por inteira, no lugar de se-
cretario da faculdade de direito *da cidade
le S. Paulo, ao conselheiro Jos Mara de
Avellar Brotero.
Entra era Ia discussio. com o voto
em separado,- o projecto determinando que
o i conferente da alfandega de Pernam-
buco Joo Jos Manriques perceber todos
os vencimentos de seu emprego por seis
mezes, emquanto gosar da licenga que Ihe
foi concedida era virtude do aviso do mi-
nisterio da fazenda de G do corrente mez.
O Sa. Joo Mendes pede, e a cmara
consente, que o projecto tenha urna s dis-
cussio.
Ninguem pedindo -a palavra, e posto a
votos o voto cm separado, approvado e
remeltido commisso de redaegio, fican-
do prejudicado o projecto.
Entra em Ia discussao, e approva-
do sem debate, o projecto que concedo duas
loteras para com o seu producto se con-
cluirem as obras da igreja matriz do Pa-
cinio de S. Paulo do Moriah da provincia
de Minas.
Vem i mesa e entram em discussio di-
versas emenda?, concedendo igual favor
outras corporages.
Ninguem pedindo a palavra, e pondo-se
a votos o projecto, approvado com todas
as emendas, e remeltido respectiva com-
misso para redigi-lo para a 3a discussio.
Entra em 2a discussao o projecto de-
terminando que no regnlamenlo que o go-
verno estabelecer para a flscasago, segu
ranga e pocia das linhas eservigo telegra-
phico poder impor aos infractores penas
de multa at 200;J e de prisio al tres
mezes.
Aps breves consderages dos Srs. Pe-
reira da Silva, ministro da agricultura.
Andrade Figueira e Duarte de Azevedo.
tica encerrada a discussio.
Contina a 3a discussio do projecto
do senado, decarando que as disposigoes
do arl. 6o da lei de 23 de novembro de
1841, na parle relativa ao principe impe-
rial, sio applicaveis princeza imperial.
O SR. MINISTRO da JUSTICA faz alga-
mas cpnsiderages.
Acbando-se na sala immediata o Sr.
ministro fla guerra, introduzido com as
formalidades do estylo, tome assento di-
reita do Sr. presidente, e ahi procede
leitura de urna proposta que se acha pu-
blicada oo Jornal de I de setembro.
O Sr. Presidente deca que a cmara
tomar na devida considerag3o a proposta
do poder executivo.
S. Etc. relira-se com as mesmas forma-
lidades. .
A proposta remettida 5a commissio
de orgamento.
A discussio fica adiada pela hora.
Dada a ordem do dia, levanta-se a sessio .
s 4 horas da tarde.
No Io de setembro niohouve sessio.
SESSAO EM 2 DE SETEMBRO.
presidencia do sr. nebias.
Ao meio dia, feita a chamada, verifii
ca-se haver numero sufflciente e abre-se -
sessio.
L-se e approva-s a acta da a tece-
dente.
O Sr. r Secretario, d conta de se-
grate
EXPEDIENTE.
Um officio do ministerio do imperio, en-
viando as actas da eleigio primaria a qne se.
procedeu na paroebia d Traocoso, perten-
cente ao 3." astricto da prbvinciada Bahia.
A' 2. commissio de poderes.
OutrO do mesmo ministerio, enviando o
officio com qoe a presidencia da provincia
de Sergipe transmilte s actas da eleigio
primaria da parochia do Espirito Santo.
A' mesma commissia,
(C TP. M MAMfr-IU M8 C1FXWI
!
&

*.*=i=
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E32VPFHRY_MI3YBM INGEST_TIME 2013-09-13T22:36:58Z PACKAGE AA00011611_11965
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES