Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11964


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.I""
*r
4
NNO XLV. NUMERO 232.
pM ___________
A GAHTM E ITCAJtfPlBW WO SE FACA PCHTT.
Por tres mees laaudos. ... MtMS
Por seis ditos Jara........ ........
Por um uno en........ ........ i JUDO
fiada numero vntoo ...,','........... 240000
........... 320
V

DOMINGO 10 DE OUTUBRO DE 1869.
\ *
PARA DOrTBO E FORA DA PROYIICIA.
PbrtresnjezesaUanUH..............
Por 8*is dilos idera. ............
Por noM ditos idem..........
Por ton anuo.
271060
Propriedade da Manoel Kgueira

no Rio de Janeiro.
EXTERIOR.
A3SCMp$\:> 17 or. seteuiiko de 1809.
Kstao dispostos tolos os elementos para iniciar-
se o iii'irimenio de perseguirn ao mmigo foragi-
l.i. Como era n:il:iral depois dos combates e
marca forcada- que eonduziram o nosso exerci-
to al Caragualahy, finta extenuada a nossa torea,
estragada a cavalliada. Era preciso descanco
ur.i recomecarem operacoes que polio termo a
esta prntungada guerra.
Dejiais desta demora odispensav-!, seguio Sua
Alteu com o lj orno de exercit j para a margem
o Minduvirn, onde emharcon, doscou aquello rio
f, foi estahelecer o sea quirtel-g moral em Aracu-
laeua, quo lira sobre o rio Paragun junto a con*
n leucia deste cora o Piribcbui.
No dia 13 veio o principe a esta cidade, onde
chegou s 10 hora1 da manha. Ao avistar-se o
vapor eai que vinlia Sua Alteza, saivaram os na-
vio .le guerra surtos no porto. 0> Srs. eonsotliero
Prannos e general l*l>r1>iro seguiram fmmediaia-
mente para borJo do vapor que conluzia o prm*
ipe, mis em caminlio o encontraran vindo para
tena; regrossaado. desembarcaram jumos.
Va praia caneravam por Stn Alteza o general
Si\jtiaii), commandiute di praca, grande nume-
deyidas roiitin.'nei.ij. Ao desembarcar o principe
' Sr. con**theiro P.uanhos deu um viva ao joven
con nuil inte en cinta, ao lien. i de Piribebui e
lis batalla;dj li9 1* de apeste. Este viva foi en-
ii i-ii-ticam-nte eorrsap nefata. Sua Alteza seguio
log para a c itliflra!, onde assistio a um Te-Dmm,
f'i dp ii$ lusp' I ir o le eoiif.'renrio com S. Exe. c oom os generaos
I'i'ImI ir-> e visconde d ilorval.
A's ."> b iras di tarde foram os mimbres do go-
verui provisoria e c- altos fuuccionarios da rep-
blica c o n.irim.'i'ar o princip; c&nparae indi a
neito p.iM msni >!!-ii aluumas dassenhorns para-
guayas porteneentes < familias mais distincias.
O orndetdmtas foi o Sr. Segundo Decond, secre-
nri'i i estal do ministerio do interior. Sua Al-
"i i' ii s mi i lo c un > o lili Ttad >r d is infeiizes fa-
milia* paraguayas.
No dia segttinte pei.i mauliai porcorrea Sua Al-
teza todo, os depsitos desta cidade, c, depois de
llijo inini -usa a populacao que oceupa esta
cidade; nao ba casa n?m rancho quo nao esteja
habitado por grande minero de pessoas, e os nos-
sos offleiaes tem sido obrgados a entregar a sens
dones, ou antes donas, as casas que oceupavam.
Entre a familias reeenlemente negadas ha al-
gumas das mais importantes da repblica, que,
tendo seffrldo menos o que o geral da populacao,
nao apresentam o quadro da hedionda miseria em
qu aqu chegaram mimares de mulheres, velhos
e criancas.
O aniversario da nossa in4ependencia foi aqui
solemnisado com Tr-Dewn, a que assistiram os
Srs. consclbeiror Prannos, generaes Poty*)rt e
Salnstiano. o n isso almirante Klisiario, o* niembres
do governo provisorio e grande numero de offl-
ciaes do mar e trra e de pessoas de distinecao.
Findo este acto religioso houvc urna bella parada
de 3^000 bomsns das tros armas, commandada
pelo coronel Paranhos. A's 6 horas da tarde deu
o nosso ministro um banquete a que assi autoridades supraciladas e algnns brasileiros de
distinecao A' nouto hotive espectacuto de grande
gala, representando algun* dt*s ossos offlciaes ce-
lebres Vinte Nov ou Honra e Gloria.
Acabo de saber de um facto que da mais una
prova do espirito de que est a populacao para-
guaya animad contra Lpez. Antes de chegar a
Villa-i'.ica a vanguarda das forcas do general Por-
tinh) apresentou-se aquella "povoacao o tenente
II iodo com urna partida do tyranno ; os habitantes
armram-se e a derrotaram completamente.
Tcnho seuipre evitada provocar susceptibilida-
des enlre os nossos e os alliados; mas nao posso
deixir de levantar aqui um protesto contra osys-
tema contrario seguido pela iraprensa de Buenos-
Ayres, que trata sompre de exaltar os seus, depri-
mindo os brasileiros. Tratando da victoria do Pi-
ribebui, dizem as folhas da capifal argentina que
os argentinos, que eraai apenas mil, excedern) os
seus compaoheiros brasiljiros, e ijue o principe
pedio esse contingente como necessario, quando
Sua Alteza apenas teve em vista, levando-o, f;wer
com que os nossos alliados parlicipassem das glo-
rias e vantages das operagoes. Falla-se tambem
om degolamentos platicados pela nossa gente, o
que falso inteiramente. Em summa, pretnde-
se que a gloria da victoria de Pirabobui seja ex-
| elusiva dos argentinos. /
Ao mesino tiupo tratanlp d insignilianto com-
fazer quaesquer operacoes de crdito para pre-
encher o dficit qne possa resultar da receila ar-
recadada para a despeza votada no exercici<> da
presente lei; e bera assiin as que forem oece**-
rias para o fim de consolidar a divida fluctuante
na parte quejulgne conveniente.
:. I* Fi
team revogadas as disposlc5es em
cidade, e, depois _
Ioihv varias providedeias Rivaales, a 1 hora da bate de Ignacio-Cuti, sJala aialludida impronsa
i) e lala- 'l'Js argeutinos e nio-dfz nnyv palavra sobre os
larde parti pira l'iray, dindesoguin im
mate pan Gnraguatany, afin de dar as suasor-
dens ai corpa > exercito
llonle.ii s lur.i- chefOB do novo o principe a
esta ciil.ide. tendo Mito em poueo mais de 48 ho-
ras ;tS k^uas, sendo 18 a eavallo.
Sua AlU'za pernoitou em easa do Sr. eonselhei-
fu l'aranhose pretendo partir h>je para Araeula-
cu, din.I.' seguirpar4 o Kosario com o 1 corpo
d" exercito em direccao Santo Estanislao, que
o ponto em qii' L pe se aeha. o mesmo lempo
i 1 eorpo se mover per Fnhum convearindo pa-
ra dito ponfo.
.Vi dia (i parti d'aqui o general Porlinho com
nina columna de j.OOO honiens para Villa-Rica,
pata garantir todo aquello importante departa-
BMMH e cortar quac-)uer recursos que o inimigo
pissa neebor por S. Joaqun*. A e i baraja de-
ve eraren Vilh-'.tica suafirca.
Ciin ella seguiram autoriJades mmaada pelo
jnvi'rno provisorio para o referido districto, cujo
juiz de pa. j.i fez teto de a biesaj a sansa da alli-
aie.M.
i.ige q i. for.i.: tomadas a- pv/oacVi de In-
li.i'ii, Curugoatah; e Iguatemy,' apez se vera som
recars < algum, e u ha de capitular ou tentar fu-
gir. Ni p isicao en que se aeha diieil Ihe ser
edectuar a faga para a IJ ilivia, onde alias se en-
ni:raria em paiz iuimigo, por isso que, mandn
fusilar alguna bolivianos que estavam no Para-
brasileiros, milito stperiores-^m numero aquellos,
pois o general Mitr4ejo-1iessa occasiao sob suas
ordene 5,001 brasileiros e apeius uns 2,000 ar-
gentinos. Pf5o se menciona entretanto a circuns-
tancia de que os nossos alliados, cm vez de trata-
rcm da perseguir o inimigo em fuga, lancaram-se
ao saque da bagagem de Mine. Lynch, esquecendo
ludo o mais.
Cumpre a dizer que as partes otRciaes dos chefe
argentinos nos fazem a devida jostica.
rio i<: .rtMiuo
28 DK SUTF.MBBO.
Honti m, na cmara dos deputados, o Sr. Pe-
reira da Silva apresentou o segrate projecto,
cuja discussSo lera lugar boje, a pedido do Sr.
Cruz Machado :
A assembla geral legislativa decreta :
Art. I.' A lei n. I,o07 de 26 de seteinbro de
1867. decretada para os exercicios de 1867 a 18G8
e 18G8 a 1869, continuar cm vigor no exercieio
de 1869 a 1870, com as seguintes alteracdes :
i i." Alm dos direito* de importacao (excep-
, tuados os aldicionaes) que pagam as mercaduras
guay. Rastain-lbe, pois,duas alternativas da u-1estrangoiras despchalas para o consumo, co-
ga, ou para a mssa provincia di Paran, ou peto I brar-se-hao mais do 1 de Janeiro de 1870 em
dio-Paran tratandj de passar para a prometa | dianle 40 Vfla quantia que importarem os mes-
Aigeutina de Corrientes. Este plano me parece
.. miis ficfl, apezar de que ..; lorcas do general
i' irtinho o p ni era) embaracar mano.
A desmoralisaaio do tyranii) 6 luje completa ;
ningueai o tome mais, e suas propnas autorida-
i i-li':.fin nao si a desprosar suas orden<, como
a dar dolas eonhaelmento ai eommandante em
1 d o tasas forea-.
liara prova d que avanp, vri trausereveruma
carta linuidi p.rLope/. o dirigid) a urna das au-
(ordades d' Villa-Rica, que a envin a Sua Alte
IX E' un iuteressan!; d)eaaiouto, que prova
i. loesaii lea.pj a i:iipj!;nc-a e cubaste do ty-
ranno.
li.ferentes pataoas ten chega'b dahi sem que
V. n mi einpregad' algum dos diK'e.entes d:stric-
11-me lenham dito urna palavra i> qae oceorre
p r all, e niuit' eslraano tal sileucio em circluu>-
i i'ieias t) graves.
S iilie sim, que tenlo V. chamado o padre
'ill, este liana apparecido uiliniameate pelos Ajos,
i-ireumsiane.ias que toru.i atada mais estrano u
i silenrio.
Seja enn fr, o qae ova paree inexplicavel
u i-.qte lica dito : calen 11 V. e todos que mo reti-
re para esto pinto com o exercito nacional para
amistar o iniaiigo e para estotinia-lo de ma s
: ilpo, o q i a en; nada aofreH a causa nacional, e
quo ag ira, mais dj que nin,;a, miaba resolueo
'1 -id.d ; salvar a patria.
> It'e immend a essas e a outras povoacoes
que inratenham viva esta fe, e que, conservndo-
se tranquillas em suas casas, o dediquen! ao tra-
ballii e nao cooperen na mais pe/piena cou tra a causa nacional c e n favor de seus inimigos.
'jianto a V. deeejo velo m s resoluto e decedido
ii :-le< ni laientus, e o mesa) > digo d) padre Soza,
dos demais empregados, c denra-me noticias fre-
quentes por via de S. Joaquim, se encontrarem
obirae)s pela de Ajos, e facam com que os ho-
uiens por ah apparer i u. ah se reanam.
Ordene a > tenetes Hiedo o Toledo que ve-
uiiam oeenpar s. Joaqalrfi o assegarar assim a
x: laiiaunieaco. V. dar esUs noticias por escripto
aatoridades de sua independencia para que se
'hvul'unm as povoae<5es vlsinhas, c far o mes-
;ii' por meio de emissarios aos outros dlstrictos
ate Hity, emquanto nao mando outros commissa-
ri.
Santo E-oanisIo, 29 de agosto de 1869.Lo-
piz.M major Portillo e cura Soza.
Parece-mc que as torcas argentina*, por falta
absoluta de cavalhadas, nao tomarara parte as
ultimas opcraeCes.
Annnmdo ao pedido do governo provisorio des-
ta rennblica, pOz o general Mitre a sua dispoii-
eo as legioes paraguayas, testa das quaes val
ciliocar-se ura dos niembros'domesmo governo, o
S. P.ivarola, para cooperar com Sua Alteza nos
i .'parlamentes do norte.
Ao general oriental pedio tambem o governo
proviserro a entrega das forcas paraguayas qne
cstSo sob anas orden*. natural qne este pedido
:i;ja ittendido, o qne ser muito conveniente, pois
algai ehofe orientaes -tffl contmettido violen-
cias do qae se queixam as familias paraguayas.
O Com mandante das milicias de Villa-Rica re-
luettu ao coronel Wanderley, que as envin a Sua
Mteu, diversas circulares de Snchez (que serve
a Lcuei de vice-presidease), dirigida s autorfda-
mos direik's. sendo, porm, este augmento cobra-
do na rrzao de 30% para as mercadorias, cujas
laxa:- furam elevadas na nova tarifa em virtnde
da autonsaeao da base o." do art. 9." da lei de 26
de setembro de 1867.
< A re erida porcentagem ser annuainftente
alterada pelo governo na razo inversa da subida
do cambio cima de 18 publicada a alteracao com
tros meses de antecedencia; cessando naquella
poca (I de Janeiro de 1870, a autorisaeao dada
pelo s 1J do nrt. 9 da mencionada le para ce-
i>ranea de 13 % dos direitos de imporlaco em
.n leda de ouro pelo valor legal
> i 2. Gobrar-se-ha tambem do mesmo dia em
dlante um ihipast) addicional de 5 /0 sobre gene-
ro da tabella <'., que acompanha a nova tarifa Pi-
cando igualmente elevados a 5 % o imposto addi-
cional de 2 % que pagam os da tabella B e o ex-
pediente dos gneros livres de direito de con-
sumo.
t 3." Fica elevado o imposto de ancoragem a
500 rs. por tonelaje sobre navios procedentes de
portos estrangeiros, continuando em vigor as mais
dispo3icoes do decreto n. 928 de 5 de marco
de 18o J e regulamento de 19 de setembro
de 1860, e abolidas as isencSes concedidas s di-
versas companhias de vapores, salvas as obriga-
coes provenientes de ajustes iniernacionaes que
acia tmente^ existam.
t A isoncao do imposto de ancoragem de que
gozam as embarcacoes nacmnaes que fa?em o ser-
vico de cabotagem como extensiva s embar-
oafjes estrangeiras que se empregam no mesmo
seivico.
" i 4. Em substituiea) do imposto que pagam
actualmente a> mercaduras a titulo de doca e do
capatazias, o governo lixar e cobrar urna taxa
pelo servieo de descarga e embarque de mercado-
ras as alfandegas e seus trapiches, segundo o
peso e capacidado dos volumes. Peder igualmen-
te diminair ou abolir os dias de estada livre para
os gneros aroiazenados, estabelecendo neste ulti-
mo caso uma taxa para demora dos volamos nos
arn.azens, tendo em atlencao a mesma base do
peso e da capacidade. Estes servieos podero ser
contratados com alguma companhia que offereea
garanta.
i o." Ficam abolidos os direitos de reexporta-
cu* e baldoa<^o, o do dizimo do municipio, o ex-
pediento de II / dos gneros nacionaes trans-
portados de urnas para ontras provincias, e o de
3 % dos gneros estrangeiros despachados para
consumo e nvegados com carta de guia a comc-
oardo 1' de Janeiro do 1870.
6. Fica igualmente abolido o imposto de
dizima de chancelaria, e o que creou a lei de 26
de setembro de 186' sobre venciraentos, pensdes,
cte. A i pessoas sujeitas a esie ultimo fica exten-
sivo o imposto pessoal.
*j 7-' O imposto a que so refere o decreto n.
1,899 de 10 de dezembro de 18M art.lhs. 3 e i,
fura dos limites da cidade demarcados para a co-
branza da dcima urbana, s ser applicado aos
carros qne andam a frete.
g 8. Na avaliacao da taxa proporciona! do
imposto de industria e pronsso, nao se levar em
coma o valor dos instrumentos de prodcelo.
0, Fica jirorogad* durante o eieseieio d'asta
lei a autorisaeao concedida ao governo pan alte-
rar os regulamentos das repartieses de faxenda,
meinas recommendaces- ceMtantassski aaru q
aejm iranserevi. Ao is.......ii "iii"iaM||lilailiiii
vlla.-Rica que as aposemoe aontra terapo podem
qoaljuer tentativa do tyrana sobre aquello oa
qualqucr ontro ponto. Cea* lica dito, todo issd
oa proviosaciado.
des Jaquella villa e nutra povoacoas, aaeado as promulgados em virtude da lei n. 1,607 de 36 d
setembro de 1867.
< } 10. E' a governo autorisado a alterar o re-
gulamento do sello ltimamente publicado para o
un de incluir nelle novos e velos direitos da asen
ees pecuniarias.
a $ 11. Fica 4 governo igualmente autorisado a
Art
contrario.
Cmara dos deputados, 23 de setembro de
1869.Pereira da Silva.A. J. Hetmanes.A.
M. Perdigao Mulheira.
Em segaida o Sr. Siqueira Mendes fundamenten
o seguinte requerimento, coja disenssao ficou ei>-
oncerrada, nao se votando por falta de numero
legal :
Reqneiro que por intermedio do governo se
peca que o presidente do Para certillquo :
1.* Quando e por quem f ii demittido o cida-
dao Jos Garca da Silva do cargo de delegado de
polica de Canuta.
2.* Quem foi nomeado para o substituir, e em
que data.
3.* Se o subdelegado actual ainda o capitao
Alberto Jos Barrearos de Azevedo, que serve des-
de 1866, anno em que foi nomeado pelo entao pre-
sidente Pedro Leo Velloso.
Pelo vapor iiiplez Ci/y f Buenos-Aijres. entrado
hontem do Rio da Prata, recebemos folhas de Bno-
nos-Ayres at 18 e Montevideo 19 do corrente.
As ultimas noticias do Paraguay sjo de 12. S.
rcito Juao Braulio Mranos de Milhena dirigi ao
/: a \ a,f" c*Pewd,> n Assumpcao, ^n imperial Manoel Perreira de Brito.
lim de disjwr a,* ulteriores operacoes que deve-
lara compreheuder-se brevemente, rara conti-
uar perseguico de Lpez. AChando-se este em
Santo Estanislao, a partir para o Rosario nina es-
le S. Joao3oTrinci
cipe, da
em diversas pamcbws pertencenics ao .1." dia*
Incto eleitoral do Caer, 2 das Alagas, i>de Ml-
nas-Geraes, 2'do Kio-Grande do Sul e nico de
Boyas.
. Approvon em sepmid o reqoerimento do Sr. Si-
queira Mendes, cuja discussi ficou encerrada na
sessao de 25 do corrente, sobra uegocios da pro-
vincia do Para.
Approvon depois em 31 disenssao, tendo orado
o Sr. Penido, o projecto mandando continuar cm
vigor no exercieio de 18(51 a 1870 a le n. 1,507 de desta corte "mn"boato aterrador. D?-sei7se
de orphaos do termo
provincia do Cea-.-u.
Fei declarado sem effeito :
O decreto de 6 di junlw do anno passado, so-
bre representaco do presidente da mesma pro-
vincia, na parle que oomeou a Jos Ignacio de
yaseoneellos de alaria tenouto-coronel commm-
dante do batalho de- infantaria n. 21.
Corre, ha j alguns-dias, por eatre a popolaeo
26 de setembro de 1867.
Approvon mais, m nina s discusso. o projec-
to antorlsondo o governo a mandar admiltlr a ma-
tricula do 3" anno do curso medico do qualquer
das fatuidades'de iedicina do imperio a Felippe
Basilio Cardoso Piros.
Approvon ainda, era 2' discusso, o projecto do
senado, determinando que os asseetos timados na
casa da supplicaco de Lisboa, depois da creaco
da do Itio de Janeiro at a poca- da independen-
cia, excepcao dos quo est.) derrogados pela
legislaeao posterior, tem forca do lei em todo o
imperio.
Em ultimo lugar, o Sr. Benjamim oblendo ur-
gencia fundamoutou o segivinie requerimento :
Reqnoir que seja remuttida a esta amara
p-.r intermedio do governo, copia dos seguintes
documentos:
1." l)a rspfrentacao que contra o juiz dedi-
ito Juao Braulio Moinhos do Milhena dirig
2.' RMaeao dos guardas nacionaes designados
remettido* pelo ex-eommandante superior do ter-
mo do juiz de Fia Jos Caelano Rodrigues Horta.
'" Upa_ do processo instaurado ao coronel
3,
E^JKtUl n,an"a ,S,,.,',3. aTlflK' P0010', Ja,Baptista flt^igueini pelo exehefe 'de
ao mesmo tempo que do Manduvir seguiran ou-
ras forcas na mesma direccao.
A situacao de Lpez era diversamente avalij
iliis o davam por inteiramente perdido, outi
lintavam como fortemente entrincherado
3,000 homens, 20 a 30 pecan, gade e vivares,
mulados pelos Indios, a quem o dictador ha1
tecipadamente mandado instrueces neste
e ainda outros diziarn que elle j se ret
Santo Estanislao para Sanf> Izidro ou
.. polica
de Minas por Manat J. G hdhs Rabello Horta.
Sala das sessdsai, 27 do setembro do 1869.
Benjamn. f '
[y, na dire-eo denordste junto da gajde cor-
Jilheira.
Como qur que fosse, pela estrada
Lpez fugira alm de Caraguatahy con'j
vir gente, que esfomeada c em quasi cora
'ado de nudez, buscava a proteccio dos
Segundo uma carta da Assumpcao, chegr
ambem um coronel paraguayo, do nomsH
nosa, que abandonando Lpez," viera offerecer ao*
libados os seus ervicos.
O general argentino poz as leg o-s paraguinlis
s ordns do governo provisorio. Este ia omar
ajentes que formassom a sua autoridade no |b
sario, Conceicao, S. Pedro e S. Salvador, apctiif
partissem para o norte as expedicoes dos adiados!
Na Assumpcao estabelecrase urna municipal
lidade, qne pnneipiava a cuidar do sseio da cida-
de, cuja salubridade se achava seriamente ameaca-
da pel% accumulcao de immundicias as ras e
em torna das casas.
Das duas_ repblica* d> Prata m.li temas quo
noticiar. as do Pacillco tambem nada occorrra*
de extraordinario. O governo chileno conseguir
um emprestuno de quatro ntlhoos de [icsos fortes.
Em Lima ia abrirse uma exposico nacional.
Por via de Montevideo foraos obsequiados cora
folhas do Rio Grande do Sul al li do corrente.
No dia o eucerraram-se os trabadlos da assem-
'alea legislativa provincial.
Sna Magestade o Imperador, nrompanhado de
cus semanarios, visitou hontem s 8 e meia horas
Ja manbaa o hospital militar provisorio em Anda-
rahy.
Em seguida dirgio-se ao internato do imperial
ollegio do Pedro It, onde assistio s licdes de
liversas aulas e percorrea todo o estabelecimento,
retirandj-se 1 hora e 20 minutos.
Por decretos de 22 do corrento foram conced-
las as seguintes pensdes, por servicos prestados
na guerra, e que ficam pendent?s de approvaco
la assembla geral :
_AD. Catharina de Senna Moura, mai do capi-
llo do 2i* corpo de voluntarios da patria Fran-
cisco Justino dos Santos Moura, a de 603000 men-
tiaes.
A D. Mara Benedicta da Conceicao Cruz, mi
do capitao de artilharia Joo Baptista Marques da
Cruz, a de 3O000 mensaes sera prejuizo ci meio
odo que Ihe competir.
A D. Camilla Peixoto Vieira, mulher do capitao
reformado da guarda nacional do Rio-Grande do
Sul, Luiz Vieira da Costa, que suecumbio em con-
equencia do molestia adquirida em marcha para
i campanha, e mi do alteres de coromssao An-
onio Vieira da Costa, morto em combate, a de...
iOOOO mensaes.
Ao grumete do corpo de imperiaes marinheros
Elisio Cyrino das Nevos Leite, a de 60000 an-
nuaes.
Conceden-se dispensa do lapso de tempo ao
iapito Gabriel de Souza Diraz Junqueira, aflm
le poder tirar diploma de offleal da ordem da
Rosa.
Por titulo de 22 do corrente mez foi nomeado o
praticanle da thesouraria de Sergipe Francisco
Sabino Coelho de Sampaio Jnior, para o lugar
do segundo escriturarlo da mesma thesoura-
ria.
Por decreto n. 4:413 de 15 do corrente foi con-
cedido a Freitas Guimares t C, privilegio para
usarem no Imperio da machina de exeavaco in-
ventada por Antonio Roux.
- 27
A cmara dos depntados approvon hontem em
primeira discusso, depois de orarem os Srs. A-
lencar Araripe, Cruz Machado, Aranjo Gzs, Tei-
xeira Jnior, Pereira da Silva c ministro do impe-
rio, o proiecio mandando continuar em vigor do
exercieio de 1869 a 1870 a lei n. 1,507 de 26 de
setembro de 1867.
Entrando immediatamente om dsfcusso, foi
approvada, tendo orado o Sr. Ferreira Vianna.
Foi tambem approvada a seguinte emenda :
Art. 1. Antes das palavras inaescora as
seguintes alteracoesdiga-seemquanto nao fr
promulgada a respectiva lei do orcamento. Pe-
reira da Silva,Perdigao Mathtiro.A. J. Htn-
riques. '
O vapor francez Savoie, entrado hontem do Ro
da Prata, adiantou at 19 e 21 do corrente s fo-
lhas de Buenos-Ayres e Montevideo. Nao trazem
estas, porm, do iheatro da guerra noticia alguma
qne j nao soobessemos.
A guarda nacional argentina, diz ama corres-
pondencia, ia retirar-se para Buenos-Ayres, fl-
cando no Paraguay a tropa de linha, e o general
Emilio Mitre devia vir a Assumpcao a combinar
com sua alteza o Sr. conde d'Eu as ulteriores
operacoes de eampanha. Tratava-se de remontar
a cavallaria e renovar os depsitos de gado e v-
veres.
Em Mancornieo eslava.anda por preencher a
pasta da fazenda, apezar dd presidente da repn-
mica a hater otlarsosdon eiasgi eiaslaioa Nada
mais encontramos.
A cmara dos Srs. deputados approvou hoaiteni
era primeiro Ingar (.pareceres das JortSaaeea
da r/oderes sobre varaW cleieom prttWlas7!!
S. M. o imperador, acompasado d-1 seus se-
manarios, chegou hiiiiteui pela inanliM ao arsenal
de marinha, onde visitou a* oficinaa da machinas.
Em seguida embareou na galeota impetial, e diri-
go-se ilha das Cobras, onde tamben visilou di-
versos eslnhelecimentos, e desenibarcou aaVuieio-
dia no arsenal de guerra.
Communicam-nos: Ni noite de 19 to
correle, das 8 s 1) horas, Olegario RodiguaaAle
Amorim cntrou na ca>a di agurdente do aeajai
nho do capitao Antonio Jos de Oliveira, cm Cam-
po-Grande, afiui de s^uisfazer o pedido de dous
estrayos. Casualmente a cliamma da vela, que
Amorim levara, cominunicou-se a uma das pipas
do agurdente c successrvamente a quatro oultas
pipas, que (1zram explosao e.-o liquido iiiceudia
do, derramndose, coramumeo o fogo aoenge-
nho, que (icou completamente estragado. Amo-
rim e os dous escravos acliain-se cm perigo de
vida em consequencia d^ graves queimaduras.
29-
Ifonlem na i honro -^t;' n;i s depu-
tados por Lilia dujiuml^fegal. ^*.
Pelo vipor Sania Cruz, entrado hontem do
portos d> snl. rocebnntos dam drfPorbwtK'iv
at 17, Ulo-Grande 21 e Santa-Catharina 29 do
corrente.
O presidente da provincia de S. Pe 1ro do Sul
negara sanecao lei da assembla legislativa, que
regalara a saspenso e demssao dos empregados
provincaes. por conter disposirdes contrarias
lei geral.
O Dr. juiz de direito da comarca do Ro-Grande
nao deu pn.vimento ao recurso interposto ex-nfO-
cio pelo juiz do commcrcio, que qualicou a fal-
lencia de Jos Joaquira Duarle Souza como frau-
dulenta, c de casual quanto a Frederlco E. Kran-
niehfeldt c Manoel Marques das Noves Lobo, soli-
darios da sociedade commaoditaria Duarte Souza.
KrannichfeUt & C
LO-se no flo-Graadensr:
No dia i de agosto lindo, uo 1." districto do
termo de S. Gabriel, procedou o respectivo subde-
legado vistura no cadver de Antonio Martins
Fortes Jonim, filho do finado Manoel Martins da
Cruz Jobiui, morador entre os arroiosSalso e
Cambahy, que foi brbaramente assassinado em
fins de julh i d.-sto anno.
Ten lo sabido de casa no dia'29 e demorndo-
se mais do que costumava, deu isso cuidado fa-
milia, e, indo prncura-lo ura de seus iranios, no
dia 2 do corrente encontrou seu cadver em um
vallo, para onde o arrastaram os assassinos.
Foi instaurado o competente processo, e o Dr.
delegado do termo prosegue em activas diligencias
para seren presos e punidos os culpados.
De Santa Catharina escrevem-nos :
O patacho hollandez Gez ena, em viagem de
Montevideo para Falmoulh, acaba de fondear ues-
te porto a 22 do corrente, s 8 horas da noite,
tendo sido salvo pelo l." tcnonle da armada Ma-
noel Francisco Ferro, commandante do transporte
Presidente, que o trouxe a reboque do vapor de
seu commaado. O Gtziena lieou desarvorado no
da 16, em consequencia de um grande temporal
que apanbou ao sul desta ilha, vindo, conforme
pode, fundear perto da praia do costo da ilha,
entre a Lagoinha e ilha do Campeche.
A naj serem as promptas providencias do re-
boque, estara boje este bello navio, carregado do
couros, perdido, e sua guarnicao tera perecido.
Era meio caminbo cabio um temporal do sul.
que ha muito ameanava, e em consequencia do
grande mar rebentaram os reboi|ues que tinham
sido fornecidos pola capitana deste porto ; com
difllculdadc se tornaram a passar, c entao se con-
segu salvar nao s o navio c sua importante
carga, como as vidas que espera va m um soccor-
ro. Se as providencias fossera dadas seis horas
mais tarde este navio estara na praia, e seria
impossivel n'aquelle lugar salvar-se alguem de-
baixo do grande temporal que cahia.
S temos que lamentar a morte de dous ma-
nnheiros que se afogaram no servieo do seu na-
vio quando vieran trra pedir soccorro, [cando
o bote e gente na arrebentacao da praia.
_c O temporal que cahio a 22 foi rijo. Ainda
nao sabemos de todos os sinistros. Consta a per-
da do patacho brasileire Delpkim na barra de Ita-
jahy. Tambem dizem que uma barca franceza
veio desarvorada a barra do sal; o que verda-
de que a tal barca nio apparece, ou foi corrida
com o tempo com algum panno, ou oi a pique. >
Por decreto de 18 foi nomeado :
O 2." tenente Antonio Mariano Marinho Jnior
tencnte-coTonet commandante do 2.* batalho de
artilharia da guarda nacional da provincia do
Para.
Foram reintegrados :
O tenente-coTOuel Manoel Claudio Bezerra de
Menezes no comraando do batalho de infantaria
n. 3o ds'guarda nacional da provincia de Pernam-
buco, ficando sem effeto o decreto de 6 de maio
do 1867, que o roformou n',M|uelle posto.
Oteuente-copjnel Dfraas Lopes de Siqueira no
commando do batalho de infantaria n. 49 da
guarda nacional da mesma provincia, ficando sem
effeito o decreto de 15 da jouba de ac)l7rqne o
reformou uo dito posto.
, Con :ed(jram-$e;
Ao capitlo do i. batalbio da reserva da guar-
da nacional da mesan provincia, Flix Francisco
de Sooza Magalhias, raforras, no posto de major.
Ad hachare! Francisco Biirbosa Cordeiro a de-
injiiao que pedio, do lugar de juiz municipal e
approxima um grande eataelvsma, uma perturba-
?M geral das tels qne regem a notureza, follase
em innndaco, em terremotos e omros- iguaes
plienomenos. Nada lia., porm, que justifique es-
tas prophecias de rao gosto, que, entretantos cor-
rendo impunes, podem influir sobre os tmidos e
os- menos Ilustrados.
Para desfazer qnalquer impressao desogradavel
que a prophecia possa ter produzido, traduzimos
o uma communicaeo particular ferta ao Times
e publicada por este-jornal em data do$de ju-
nlw do corrente anno o seguinte lrecta>i em que
parece terem-se-baseado os novelleiros. Riimo se
ver, a communicacao nada mais azmoneia do
que phenoraenos meteorofcagicos que nada tm de
atlerradores.
O capitao Saxby, i\z carta impressn no 37-
mes, cbamou a attenco do publico para os se-
guinies phonoraenos, que, se se realizaren*, cons-
titu rao um curioso exeropio de raciocinio
prior i:
o A's 7 horas da fnanha de a de outiibro- pro-
ximo futuro a la chegar qaella parte-da sua
a rbita que mais se approxima da trra, e, por-
tanto, dessa torca de attraeeo achar-se-ha en-
tao no mximo.
Ao meio-dia a la estar no equador da tr-
ra, circumstancia esta pie nunca oceorre sem
ser acnmpanhada do noUveis perturbaews atmos-
pbericas; c s 2 horas da tarde desse din a l nha
levantada do centro da trra cortar o sol e a la
no mesmo arco de aseeosao recta. A attraeeo
da la e do sol exercer-se-ha, portanto, entao'na
raesma direccao : por outras palavras i a la no-
va achar-se-ha no equador da tena quando che-
gar ao perigo, e nada ha que com mais probabi-
lidade annuncie altas mares e tempestades des-
truidoras. :
SDito dito da de Santa Catharina, o chafa de
seceao da mesma thesooraria Carlos Gaiosoo de
Souza.
Foi exonerado a sen pedWo:
Minervino- de Sonza Leoy do lugar s pagadoi
da thesouraria de Pernamboeo.
Por ttulos de igual data foram nomeado:
Tereeiros escripturarios da thesouraria do Para,
os praticantes Balduino Elias de Oliveira e Seflo e
Luiz Cicero Magalhes.
O tronsporte Isabel, sabido deste porto para o
Jlio da Prata a 15 do corrente, abalrdou.de noite,
n consequencia da cerraeo, cora o hiate Fer-
ira I, que se achava inuit ao mar da Raza, e
e foi logo a pique. O Isabel tomou a seu bor-
toda a guaruieo do hiate e transportou-a para
Catharina.
iate Ferreira l saldr deste porto para Ita-
a no da 11, em lastro. Eslava seguro as
conapnihias Fidelidade e Garanta.
W -
Hontem nao hmve sessao na cmara
lados por falta de numero legal.
Por decreto dL> 29 do corrente foram eoneedldas
as honras de postos do exercito aos indWduos
abai\-o mencionados, em attenco aos relevantes
Arrieos prestad na guerra anual contra go-
verno do Paraguay.
De major, ao raajot, de commisso de votmtta-
nos da patria Joao Jos de Mello.
Do capitao, aoscapitaes doextincto 39* corpo o>
voluntarios da patria Antonio Pedro Borralbo e do
oxtincto 47* da mesma denominacao Joo abra
dos Santos.
De tenente, ao alteres do extincto 34 corpo dito
Antonio de Souza Hego Cavle.
De alferes, ao aireres do 26" corpn dito Maanel
Ril>eiro Bessa de Holhnda Cavalcanti.
Por portara de igual data foi nomeado Antonio
Theodoro de Fignardo, para o lugar de escriptn-
rario do arsenal guerra da provincia de MMto
Grosso.
lleunio-se hontem a assembla geral dos aeeio-
nistas do Banco do Brasil, servindo de presidente
o Sr. conselheiro Jos Pedro Dias do Carvalho.
Lida e appror,ida sem obm-rvacoes a acta da
sessao antecedente, foi submettido disenssao o
parecer da commisso de tontas do anno bancario
ltimamente lindo, dispensando-so leilnra deste
documento por j ter ido publicado nesta
folln.
Fallaran contra o parecer os Srs. Dr. Teixeira
Jnior e bario do Amparo, e a favor os Srs. Drs.
Jos F. Moreira e Candido T. Filho.
A's 4 horas da tarde suspendea-se a sessao
cando a discusso adiada pela hora.
dos depu-
Pelo vapor iuglez Hipparchus, entrado hontem
do Rio da Prata, recebemos folhas de Buenos-Avres
e Montevideo at 23 e 24 do corrente.
Do Paraguay nao temos noticia de facto algum
de importancia. De una correspondencia d's-
surapeo de 19 do crrente, ultima data que d'alli
ha, exlrahiinos o seguinte sobre as operacoes da
guerra:
Fugindo de Ascurra com os restos do seu
exercito (3,000 homons), Lpez a marchas toreadas
chegou sera talento a Santo Estanislao, onde dei-
xou uma guarda, e d'alli passou-so para Ehn,
onde dizem que trata de atravessar a grande
nntta de Igatem para alcancar as serras de
Caaguaz.
. Preparam-se dous corpos do exerct i para a
expedirn que tal vez ponha termo guena. Um
est postado ao arroio Hondo (3,500 Brasileiros e
a 3' divisad argentina do commando do coronel
Olmedo) o a oulra no Rosario. Este marchar >
ordens do conde d'Eu, no intuito de operar estra-
tgicamente retaguarda do inimigo, e com estas
tropas lirasileiras ira a quarta diviso do coronel
Calvet.
A cainpmha que vo iniciar estas torca3 ser,
pelo que tenho podido averiguar, a mais penosa
desta guerra, e se nao se levar grande copia de
gado em p, nao sei de que se sustentaro tropas
que teein de marchar mais de 50 leguas por ura
terreno maldito. Aqu erenea geral qpe Lpez
as suas actuaes posiedes anda nos ha do dar
trabalho. >
as repblicas do prata nada occorrra de
interesse poltico.
Hontem, as 9 horas da manhai, estando a mar
cheia, consegaio-se, cm o auxilio do retocador
Adanle, desencalhar a galera insleza tea* Monde.
que j baldeara 200 toneladas de ervo.
Rebocada pelo Aptdanle legato, a galera para a
ilha das Enxadas onde ainarrou-s a uma bohi. A
Beau Monde, depois de se aeliar a nado, razia |>tt-
ea agua c presume-se que as avarias qno soTreu
foram pequeas.
Recebemos Iwnlem a noute o seguinte telo-
gramma :
Naufragou hontem na barra de Itajahy o pa-
tacho nacional Deiplihia, da praca do Rio d Janei-
ro, de propnedade de Thomaz Fernandes Mendes
Martins, vindo de Santa Catharina desearregar a
este porto. Nao havendo a lainontarperda al?nnia
de vida e bem aspira acha-se em perfeito estado o
uavio, ficando elle comptotauMote na praia em
seceo, ainda ha esperaness de com todos os estoi-
cos salvar-se o dito navio.
Foi aggredido por tres individuo:, .. br5o
Kalitzng. director da colonia Biumenau, e r.i en-
contrado coberto cora um ponche e amarrado de
ps o raaos e arrumaran) em um lamacal e ah Ihe
roubaramlLOOOqiir levvaapara a colonia. Ainda
nao so sabe quem foi. Este laclo deu -.-e disisn
do Itajahy.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Ante-hontem s 8 e mea horas da noute as for-
talezas deram signal de navio em perigo. Era a
galera ingleza Baau Momle, procedente de New-
Port, cora carregamento do carvo e coke, que,
entrando ponen mais ou menos aquella hora no
nosso porto, approximara-se de mais de Wdle-
gaignon, tora sobre aspedras dessa fortaleza e ahi
encaihara.
Nessa mesma noute a capitana do porto fez se-
guir para o lugar do sinistro os rebocadores
Competidor e Ajudante, e os navios de guerra na-
cionaes e estrangeiros mandaram tambera embar-
caedes era auxilio da galera.
Nao foi, entretanto, possivel tirar o navio da
critica posicao om que se achava collocado.
Hontem continuaram, pelo decurso do dia, os
trabalhos, conoorrenao mais aous vapores com o
liin de despnealluur o navio; foram, porm, balda-
dos todos os esforcos. Trataram entao de baldear
liarte da carga para saveiros, e at as 7 horas da
nouto conlinuavam nessa tarefa, atim de ver se
assim e com a mar cheie poem o navio a
nado.
Pouco depois da galera hater nos rochedos,
abri agua em tanta qnanlidade, que as bombas
irabalharara sem cessar, nao conseguindo ainda
assiin dar vaso agua, o que faz crr que existe
grande rombo perto da popa, por ser por essa
parte que afllue a mjior porco d'agua.
Diz o capitao da Beau Monde quo, querondo
dar fundo junto doa-mais navios, visto ser a pri-
meira vez que entra neste porto, foi a galera hin-
cada sobre as podras da fortaleza pela muita
correnleza d'agna e pelo vento rijo do les-nordeste,
que soprou durante toda a noute.
A Beau Mande vem consignada ao Sr. Thomas
Hollocembe.
1.* de outubro.
Hontem nao houve sessao na cmara dos depu-
tados por falla de numero legal.
Pelo transporte de guerra Bonifacio, entrado
hontem, recebemos a nossa correspondencia d'As-
sumpcao, datada de 17 do passado. A carta que
publicamos refere o qne alli ltimamente se havia
passado, e o que se sabia a respailo das operacoes
que lam emprehender-se, ou antes j haviam prin-
cipiado a emprehender-se. S. A. o Sr. conde
d'Eu tendo preparado tres columnas para por de-
ferentes caminaos irem no encalco de Lpez, que
consta va achar-se em Curuguaty ou Santo Isidro,
tencionava partir a lid'Assumpcao para o Rosa-
rio, afina do pr-se testa da columna que devia
operar pelo leda do norte.
Do Rio da Prata as datas sao as mesmae que
trabamos pelo Hippa*t*ms.
Por decretos de 19 te eorrente mez:
Foram nomeados:
tzapaaanr em commisso da thesouraaia da-Ser-
fipe, ol'esiarldnmwtmdoMaraidiaa.Ciaa**)
Faericio Gomes de Castro.
s
nEciFE, 10 d;: oinuno ds 1869.
Nao estando termiuaija no senado a dis-
cusso da lei do orramenlo para o exerci-
eio de 1869 a 1870, por decreto de 28 do
mez passado foi novainenlc prorogada a
prsenle sessao da assembla geral legisla-
tiva at o dia 11 do corrente.
Podendo acontecer qne al esta dat. nao
estivesse concluida aquella discusso oi
apresentada na cmara tamporaria pela 1"
commisso de orcamento, na sessao de 2o
do mez passado, urna resolurao prorogan-
do o orcamento transacto, al que no sena-
do passasse o projecto do orcamento que
se discute.
Votada na cmara temporaria essa reso-
luQo, foi apresenlado ao senado no dia 28,
onde j eslava em discusso, continuando
nao obstante a discutir-se o orcamento, e
acreditava-sc geralmente que durante o
prazo por que foi ltimamente prorogada a
assembla passana ou aquella resolurao,
ou o orcamento.
O modo por que a opposico no senado
discuta o orcamento, fazia crer que ella
quera privar d'elle so governo, oupelo
menos n5o obstante estar em minora pre-
tenda ditar a lei, e fazer a maioria ceder
ao seu capricho.
E' isto o que se deprehende do pre-
tendido acedrdo de que fallam os arligosdo
Diario do Rio, abaixo transcriptos, e qne
nao foi aceito por motivos que nao declara
a sua redaceo, mas que j devem ter sido
expostos ao paiz polas pessoas competentes.
O que certo que a cmara tempora-
ria tem mostrado por uma forma muito sig-
nificativa a sua dedcaco ao governo ac-
tual, que tem em seu apoio nao s a con-
fianfa da corOa, como a representaelo na-
cional.
Se em 1G de jullio o gabinete lancou
mo de recursos" extraordinarios para go-
vernar, quando a nac3o ainda nao se tinlia
pronunciado, por que motivo nao se servir
elle dos me9mos recorsos boje, que tem a
seu favor a manifestaco popular e a con-
flanca da cora, caso continu systematica-
mente a ser pro telada a discusso ? Quem
nao vacillou entao, nao deve vacillar boje.
Desejando dar conbecimento aos lectores
do que tem occorrido, transcrovemos os ai -
tigos do Diario ih Rio, aocresegazindo ape-
nas que o ministerio est no IftttnrT pro-
posito- de sustentar as suas dl3s o disposto
a proseguir na adminislraco do paii, que
nelle muito confia.
Eis-osartigos :
Trinta deSUembro.Poi proposta Vf**'
conwnisaja de orcamento na cmara teugoanria,
em sesflMe 5, uma resotu^ae proroos* o or-
oaraeaitlansaeto com o augmento de imposto*,
al. nao no senado pasasse o projecto <*> orcamen-
to aW em disenss*. .,__
Esta i-eaetiameilraB* em o ?*dBjassab
a*cs*J^awtl#ra' S' e no da segnwte foi vo- ,
tasto
I
/



\

HlU 3Q 01 03 Diario de Peraambuco Domag 10 de Outubro de 1869.
.fr*
Apresenlada a resoluto ao mimo, entau
hontem e(n 1* discusso. O Sr. Zaoarias enceeu
o dbale. S. Exc. expoz miudameiUe a conferen-
cia quo Uvera com o nobre ministra da marrftaa
e intertaameate de eslrangeiros paro se chegar a
aeeordo na prompta votacao do orcamenlo, caja
discusso Vai adiantada.
t A' vista da expoeo do Ilustre chefa da Mi-
nora o aeeordo projectaio nao e**we longe de
feliz exilo. Frustrada a eombraaeSa, appareceu a
resolucao da prorogaco-de orcamento transacto
a cmara dos Sr*. depilados. Confrontado o
plano de aceorde presentado pelo Sr. Zacarif.s
cora a resolucao que passou aa cmara tempora-
ra, nos parco que devra sot proferido, tpois
que,alm de outras razies ti ai a a garanta de
prompta execueo.
t O nobre ministro da marinea m nosso ttu-
milde coaceito cotnprehendeu perfeitamento a tlif-
fleuldade, e entre todos os meios de a remover nc-
nlmm seria mais fcil e decisivo do que o accordj
com a minora.
i Se o honrado ministro entendesse que o ae-
eordo em c iso algum seria possivel ou aceeitavel,
ter-se-bia recusado a conferir cora o Hlustre chefo
n opposieao. Nos longe de estranhar louvamos a
franqueza do Sr. baro do Cotegipe.
O objecto lo aeeordo nao urna queslao de
principios p,>l ticos. O senado tein umitas veres
emendado o orcamenlo com aquello criterie e pru-
dencia proprios da idade, do saber e do patriotis-
mo. Nem sempre as minoras devem ser desat-
tendidas.
i Cumprc confessar que alguns dos artigos ad-
ditivos ao orcamento e por cuja soparaco recla-
mava mais instantemente a minora, nao sao muito
cabidos em urna lei annua e por sua natureza
transitoria.
Diga-se o que se disser, a opposieao nesta
parte Unha razo, e em todo o caso o aeeordo,
nao versando sobre principios polticos c remo-
vendo de prompto o embarazo, poda ser aceito
sera desar para ninguem e com vantagem para
todos.
O Sr. Zacaras declarou era nomo da opposi-
eao que ello e seus amigos nao recusaran) ao go-
verno os meios nocessarios : disposto a discutir
mas nao a protellar sy temticamente a votaeo do
senado.
t as circunstancias em que se acha o paz
nos julgamos que seria um grande perigo gover-
nar em a lei do arcamento. Gomo cobrar impos-
tos nao votados? Quera aceitara responsablida-
de Umanha, no estado precario om que nos acha-
tos?
Huitas vezer por nao se querer em tempo fa-
zer mnimas e insignificantes coucessoes, raullipli-
cam-so as diflieuldades.
Talvez os fados venham provar que a confe-
rencia do Sr. baro de Cotegipe com o Sr. Zaca-
ras, era o camnho seguro para por termo honro-
so resistencia da minora do senado, pelo menos
prevenirla o caso, agora possivel, do ser a admi-
nistraco lancada na perigosa conjunctura de ce-
der mais ou Je assumir a dictadora.
Se jhegarmos extremidade de cobrar im-
postos e fazer despezas sera le, as diiiiculdades
subirn dt pontos e exigiro oulros sacrlicios
maiores.
t Confiados na prudencia, moderaco c lealdadc
do Sr. barao de Cotegipe, nos nao duvidamos um
momento das puras intencoes o patriticos votos
de S. Exc. Sirvam estas palavras de protesto
contra aiguraas conjecturas temerarias do espiritos
prevenidos e obstinados.
a Primeiro de outubro.Sem reservas e nem
prevencoes nos pronunciamos, no artigo do hon-
tem, era favor da fcil e natural solucao promo-
vida honrosamente pela conferencia havida no
senado entre os dous distinclos senadores, os Srs.
naro do Cotegipe e Zacaras. A umita contianca
<)ue nos inspirara a previdencia, lealdade e eleva-
gao de pensamento do nobre ministro, garantan)
sulDeentemente a espectativa de todos os seus
amigos, anda os mus tmidos o exigentes.
As brilhantos e repetidas provas que o nobre
baro de Cotegipe tem dado de firmeza e constan-
cia, asegura vara a todas as consciancias reetas
o mais feliz resultado da conferencia intentada.
Anda que amigos dedicados o pessoaes do S. Exc.
nai pojemos ser averbados do exagerados, pois
quo cora este nosso juizo sao conformes os pro-
prios adversarios polticos.
Nosso intuito escrevendo hontem e boje nao
oulro senao demonstrar que o occordo inteutado
lela conferencia, embora sem o desejado resal-
udo, era ora meio seguro, ecaz e parlamentar
para resolver a crise.
Dizia o duque do W'ellington com seu sabio
bom senso, que o mrito do hornera de estado
consista em saber escower dos males o menor.
Seria vao estopeo pretender em poltica dobrar
tuda* iw resistencias, sem loes querer fazer con-
cossSo alguma.
A discusso do 'orcamenlo corra no senado
embora tantamente, o'a maioria sem protesto
se mostrara disposta a ouvir a opposieao, quando
appareetffl o pensamento de por termo digno ao
debate por mutuas eoneessoes. O pensamento
foi aceito e entran em comeen de execueo pela
conferencia. A razo porque nao so complclou
a idea ainla nao foi exibida, mas o que se segu i
est no dominio publico. Em vez do aeeordo pro
movido entre a minora do senado e um dos
membroa do ministerio, appareccu na cmara
temporaria um proj cto do resolucao em substi-
luico do orcamento, logo posto n ordem do dia,
discutido e votado.
< Pelo quo consta das discussoes do senado o
aeeordo assentava as seguintes bases : inme-
diata appruvaea i do ornamento, separados alguns
artifoa adtivos que com elle nao tinham estreita
relaco, e que devriam por sua importancia
euusiruir projectos apartados.
Nao se accitou o aeeordo no sei.ado., mas eon-
sagmu-se na resolucao mais largas eoncesroes
i! i que as reclamadas pela opposieao.
O tim da resolucao nao poda ser outro que
o de aprc-sar a lei do orcamenlo ou da resolu-
(Tn ; entretanto o senado' discute concurrente-
mente a lei principal o a prejudicial, e assim di-
vide a sua atlanco e d aas oradores da opposi-
c3o mais larguezas para o debate.
Nao comprehendemos a tatica. O aeeordo te
ria removido estas diflieuldades que chamaremos
materiaes, pos que m ospirituaes estavam as
eoneessoes feitas em mais larga escala pela reso
luejaa.
t A dea da transaco existe em toda a sua
realidade pela resolucao, que entretanto dcixou
subsistir senao agravar a complieaco. O aeeor-
do teria a vantagem de arredar os embarazos
materiaes com menores sacrificios, o ornamento
teria passado, ao passo que agora, tanto o orna-
mento como a resolucao, sao problemticos.
Cmseguintemente, no caso de nao se querer
aceitar e projecto de aeeordo teria sido mais cu
rial dexar correr a discusso do orcamento. Se
o senado fizesse ao orcamenlo emendas con) as
Saaes nao roncordasse a cmara electiva, a fuso
as duas casas legislativas seria a solucao cons-
titucional.
Nos opinamos, pos, cora mulos e dedicados
con -madores do senado : o aeeordo nao s era
possivel como aceitavel. Os Srs. senadores Fre-
dereo de Albnquerque e Jos Mannel da Fonseca,
franco e nobremente, se pronunciaran! nesle sen-
tido. Nao mais tempo de exigir dos amigos a
abdicaban de suas conviccoes c nem de lhes ira-
pdr sacrificios inutei?.
< Na sustentacao dos principios nos acharb
sempre firmes, mas bao de consentir que tenha-
mos plena lberdade para prfeerir o aeeordo ini-
ciade pela conferencia entre o nosso amigo, o Sr.
baro de Cotegipe, e o Ilustre ehefe da minora,
resolucao.
NOTICIAS DO SUL DO IMPELO
Chegou hontnm pela manhaa o vapor Paran,
trazendo dalas da crio at 1, da Babia at 6, e
de Alagas at 8 do crreme.
Nenhuma noticia importante da guerra cberou
corle, como vero os leitores do que trauscrVe-
mos sob as rubricas Exterior e Interior.
COYAZ.
Fallecer o vigario capitular da diocese. co-
nejo Jos Joaqun) Xavier de Barros.
MINAS GERABS.
Lemo no Pharol, da cidade do Juiz de Fra :
Acha-se rseolhido cadeia desta cidade An-
tonio Nunes do Jdoraes, que na noute do 16 do
crrante fenracom urna tacada na cxa a Lino
Cleto, ao districto do Pio.
Das nformaedes que obtivemos de pessia fi-
dedigna em relacao a esse Cacto colnemos o se-
guate : ludo o reo preso, ero brga com jaria Car-
rol para a casa de Lucinda de ta], esta obser-
vou-lhe que nao quera brigat em ata tasa, ao
que Hanoel Nunes responder coro, um Wfmiio' aa
pobre mulher. Lino Cielo corre em dafeza de sua
mal a nessa occasiSo que recebe o feriment.
< O criminoso est sendo processado.
Em um dos nmeros pasaadog demos noticia,
Jo assassinato de um viandante na dislricto do
Rio da Pedras, cujo cadver acljava-so era tal es-1
talo de-pMrefceraa qae ieaposrtwl %i confcecer-
se a sua cr. .
Hoje chamamos aattencao das antoridaws ui
Parahvba do Sul o Vaseowas par* o seguate es-
clarecimento, que nos aaimslron urna daseste-
munhs'no processo 9*e instawou-se centraos
mdigitados triminosos:
Declarou a tostemaaka que suppunha ero
raorto um pertuguez que resida ou estava n V*o
Grande, ou na fazenda do finado baro de Cap-
varv, na freguezia do-Paty do Alteres, o (|uul, leu-
do de faier una viageroparao interior desta.pn -
vineia, procurara um camarafla, e tendo patme -
ramente te dirigido a Seto de tal e esto uno
podendo aeompanba-lo, Joio Fernandes Correa
uffereeea-se para o fazer, dizeudo ter conhiomun-
to do tammho. *
Joao'Feniandes Correa, e assassino, e .gatarnl
de Santo ^touio do Rio-cima, ter anno, e
de estalara regular, claro, rosado, sardenlo, e dj-
zia-se -conbecido dos Srs. Francisco Esleves* Joo
Borges, moradores no Paty do Alteres.
Manoel Mendes, seu cmplice, criunJo, mo-
rador no lugar onde foi patreado ocrme, tera0
annos,- de estatura regular e tem alguas cabel-
los braneos.
Ksses malvados roubarara, nao so o diaueirj,
mas at toda a roupa do awassiuauo.
S. PAULO.
Aleaneam a 21 do passado os joinaes ftj
recebemos :
Por ter continuad a a secea, eolebravam-se
proees ad pelendam plutiam na igreja da Se, paia
oude fura conduzida procissionalmente a imagein
de Nossa Senhora da Penha.
Tinham fallecido na Limeira o barao do Cas-
calbo, fazendeiro e capitalista daquelle municipio,
e em Itapeva da Faxina, na idade de 100 anuos, o
major daio de Almeida Leite.
-- De Botucalu cscreveram ao Crrelo Paula-
tino : ."'' .
No da 29 do mez passado indo Procopio Jos
de Miranda com sua mulher, da casa de um viz -
nho para seu sitio, dous sujeitos o assaltaram r.o
caminbo, e um delles dsparou-lheoma garrucha,
cujo tiro olTendeu de Ul maneira o craneu do in-
feliz Miranda, quo vazarara-se-llie os milos, mor-
rendo no dia segrate.
t O assassinado era irmodo parocho desta vil-
la. Sua morte foi geralmenle sentida por todos
aquelles que o conheciara de perto.
t Deixou a mulher grvida de quatro mezes.
Infelizmente factos destes aconlecem aqui todos os
das, podeodo-so dizer sem mentir, que neste lu-
gar existe seguranca de ordem alguma.
O que nos valo aqui Deus, que quanto a
polica estamos muito mal servidos, com rarsi-
mas excepeoes.
RIO DE JANEIRO.
A sesso da asserabla geral foi de novo pro-
rogada at o dia 11 do corrente.
O senado prosegua a segunda discusso do
orcamento geral do imperio, tendo sido regeitado
o art. 7, e approvadaa emenda da cmara dos di-
putados e todos os paragraphos nao emendados
o todas as emendas aa mesma cmara aos outros
paragraphos. .
No dia 29 comecou a discusso do art. 8, minis-
terio da agricultura.
Nesse mesmo dia comecou a diseussao da pro-
posieao da cmara dos deputados, mandando vigo-
rar no corrente ejercicio, emquanto nao for pro-
mulgada a respectiva lei do orcamento, a lei n.
1507 de 20 de selerabro do 1867.
Achava-se j em segunda discusso a proposi-
eao sobre forcas de Ierra.
A alfandega da corte rendeu de 1 a 30 i'o
passado 2,832:115*130.
O cambio regulava 19 a 19 1/4 d. por 13000
sobro Londres, e 49a a 495 rs. sobre Paris.
Os soberanos () vendiam-se a 12*850.
As apoliees de 6 % erara procuradas a 80
1/2 %
Sahiram para Pernambuco : a 27, barca sl-
lemaa Heusa; a 28, barca norueguense Jens Nit-
sen, ebarca portugueza hit ; e a 29, barca por-
ttigueza Feliz Vniao e sumaca hespanhola Prt
ciosa.
BAHA.
Foi exonerado, seu pedido de promotor
Mico de Ilhos, o Dr. Luiz Rodrigues Nun<
removido para esse carga, o do Conde,
gusto Pedro Gomes da Silva i
=a Xaut'ragou nos Abrolhos, indo piatte, o
patacho brasilciro Santo Antonio, quo ia do &, Ma-
theus para a Bah:.\ salvando-se toda a Iripolago.
ALAGAS
Nada occorreu que riiereea meneo.
nal do tueeeuro nacional, declara aos Srs. inspec-
tores das ikesourara* defazenda, para es tins con-
venientes, que as eerttdjaa, replicas c ifbrmacdes
os attestados o autt^ue se escreverera na
meia foiba do requeriraento ou mandado judicial,
em virtude do qual taes actos forera passados, nao
esto sujeitos ao impasto do sello, visto nao ser
applieawi, neste caso, a disposi(o llnal do arl. 18
de reg. de 47 do abril da correte aneo Viscan-
de ieUlaboraky.
CASA PARA BAMMS SALGADOS.-S. Exe. o
Sr. vico-presidente da provincia acaba de abrir
coucorreneia para o eeiafcelecimento de una casa
para bandos salgados na ridade do ltecifo, me-
diante um privilegio per 20 anuos, sem nenhuma
suli\ea$io dos cofre pblicos, em virtude da lei
proviqetal n. 880, de U de julho ultimo.
O prazo terminal para a apresentaco das pro-
poalas o dia 31 do corrente mez de outubro.
GUARDA NACIONAL.Por deliberaco da pre-
sidencia, de. 8 do corrente, foi reformado.com
posto de aocesso, o lente qnartel-mestre do 7.
batattio de infamara do municipio do Recife,
Joaquim Pereira dos Santos Alvarenga.
-CORPO DE POLICA. Por dita de 7 do cor-
rente, foi reformado, com os vencmentos propor-
cionaos ao tempo de servieo, o soldado do corpo
de polica Manoel Francioco do Hollanda Caval-
canti.
DINHEIRO.O vapor Porau trouxe as seguin-
tes 11 na n ti as, para os Srs.:
Javm'e Rvdes 4 C. 20:0004000
II.'Oettl'A C. 9:889*000
Carvalho & Nogueira 500*000
.Antonio Jos Rodrigues 200*000
Com as quantias receidas em nosso porto
levou esse vapor para o norte, as seguintes som-
inas:
Parahvba 35:0805000
Natal 115:700*000
Cear 133:982*040
Maranbo 4:700*000
Para 1:300*000
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S.
FRANCISCO.Rendeu esta via de communicacj
no prximo (indo mez 30:869*950
e despendeu ..... 31:393*628
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
MINISTERIO DA FAZENDA.Em datas do 6 e
lo do passado expedio este ministerio as seguin'os
ordens:
(( Ministerio dos negneios da fazenda.Ro de
Janeiro, 6 do setembro do 1869.
i Em resposta ao otticio de 15 de marco ultimo
em ijue V. S. consulta :
1." Cual o espaco oe deve mediar entre o ic-
eebimento dos novos estatutos approvados c a
eleicao da direecao de cinco membros nelles mer-
cada.
2. Se dos directores que actualmente servtm
os quo foram excluidos gor efeito da substituido
da quinta parte da dirccco,podem ser eleitospra
a nova directora, que se ha de escolher de ce n-
formulado com os novos estatutos.
3. Se os directores que se demiltircm p.ra
evitar o sorteio om que feriam de entrar porigual-
dade do antigudade com outros, podem ser reelei-
tos para a nova direc^o, ficando assim era melho-
res condicoes do que aquelles que, cumprindo o
preceito da lei forera excluidos pela sorte; ter bu
de declarar a V. S.:
Quanto ao 1." qusito, que, flndM 60 dias tlo-
pois de registradas as reformas feitas nos esta u-
Iu8 do banco, podem comear as suas operaeiias
pelo novo rgimen, conforme o art. 13, combinado
com o art. 18 do decreto u. 2,711 de 19 do dezem-
bro de 18G0.
a Quanto ao 2., que, continuando o banc a ser
a mesma enlidade, nao licito aos directores subs-
tituidos serem novamenle eleilos, porque inquina-
ra essa eleicao urna infraccao do art. 2 11 da
lei de 22 d agosto de 1860, a qual devendo aer
considerada como disposico addendo aos referidos
estatutos, nao foi at hoje revogada.
Finalmente, quanto ao 3. qusito, que os di-
rectores que estlverom no seu 5." anno de ad.ni-
nistracao nao podem ser reeleitos anda que antes
se bajm demittido, e quanto aos outros nao ha
duvida sobre sua eleicao em vista do 13 do arligo
da citada fei e 10, paragrapho nico do decreto n.
2,685 de 10 de novembro de 1860.
Deas guarde a V. S.Visconde de Itabonhy.
Sr. fiscal do banco da Babia.
< Ministerio dos negocios da fazenda.Rio de
Janeiro, 15 de setembro de 1869.
Ilim. e Exm. Sr.Foi presente ao tribunal do
thosouro nacional o recurso nterposto por Joaqwim
Jos de Souza Imencs & C, da deciso dessa i is-
pee loria que os obrigou ao pagamento de dircitos
de reexportacao de um carregamento de xarcue
e couros vnoos do Rio da Prata na barca naciooal
Rio de Janeiro, pela razo de que s no caso de
descarga para entreposto o de entrada de navio
por franqua poderjara os ditos generas gozar do
favor legal; e o mesmo tribunal :
Considerando que as mercaderas destinadas
a portes jestrangeiros, que transitaren) pelo impe-
rio nao sao sujeitas a direito algum de transito
(art. 622 do regulamento de 19 de setembre de
1860), e que sao reputadas mercadorias de ira asi-
lo nao s as que lorem inenci madas nos manifentos
das embarcacocs que as transportaren), ou que
pertencerem as que derem entrada por franqua
dentro de 12 dias (art. 623 1 e 2 do regulara 3n
10 das alfandigas e decreto de 31 de dezembro de
1863 art 4 1) o at mesmo as embarcaeoes t,;ue
nao trouxerem no manifest declara^o para ou-
tro porto e derem entrada por franqua dentro do
prazo legal (ordenacao n. 28 do 29 de Janeiro de
18S8);
Considerando que os recorrentes lizersm den-
tro de 12 dias a declaraco de transito exigida pe-
los citados regulamentos :
Resolveu dar provmeato ao referido re-
curso.
O que eommunico a V. Exc, para os de vi Jos
ffeitos, e a fim de quo se sirva fazer restituir aos
recorrentes os direilos, que indevidamente paja-
rara ; convinde outro sim declarar a V. Exc quo
nao nacessario o deposite das mercadorias em
entreposto para gozaren) do. favor do art. 622 do
regulsmento de 19 de setembro de 1860, e decreto
de 31 de dezembro de 1863 cima mencionados.
Visamde dt Uaboraky.
S. Exc o Sr. inspector da alfandega do Uo
de Janeira.
Circular n. 36.Ministerio dos negocios da
lazoada,nitf de Janeiro, em 15 de setembro de
1869.
0 Yiscende dtf Itabaxahy, presidente do trilm-
dandode saldo.
19:476*322
No mesmo periodo transitaran) na linba 14,846
passageiros e foram transportados 3,167 volumes
com 01:134 kilograramas de bagagem, 3,114 tone-
ladas e 207 klgrammas de mercadorias, e 690
animaos.
as mercadaras esto comprehenddas 366 sac-
cas de algoio com 28,737 kilngrammas, e 5,078
saceos de assucar com 390:510,5 hilogrammas.
A despeza foi 61,07 0/0 da receta.
VADIOS. Pedem-nos que lembremos ao Sr.
subdelegado de S. Jos a conveniencia de dissol-
ver um ajnntainento do quilandeiras e moleqne
vadios que todos os dias so forma na extremidade
da ra da Penha, em frente igreja d'essc nome.
A moralidade publica ahi enlameada e arrastada
pelas tortuosidades de desrespeito, pois qne o vo
cabuiaro das indecencias e grossos termos com-
pulsado com prolisciencia por elles vadios em altas
votes. ..
PAO D'ALHO. D'essc lugar cscrevem-nos o
segniute: *
* Ilontem i") foram enoetrados os trabalhos da*
'i.a sesso ordinaria do jnry d'esta comarca, que
tiveram principio no dia 4 do corrente.
< Foram subaasltidos a julgamenlo tres procos
sos: o de efedro Marque?, aecusado pelo crime de
ferimentqa graves, a condemnado a 3 annos e 6
mezes de prisao ; o os de Manoel Falco, c Vicen
te, es^ravo, amli aecusados pelo crime de morte,
o cetdemnados gals perpetuas.
Occupou a presidencia do tribunal o digno
juiz de direilo Vicente Ferrera Gomes, c a pro-
motora o Dr. Antonio Domingos Pinto, ultima-
nte nomeado, que betn deserapenhou as func-
de seu cargo.
RFCEIOS DO CATACLYSMA.-Sobre esta gran-
de patranha que ha alguns dias circula enlre nos,
encontramos o seguinte no Jornal ia B/ihia :
. Ha alguns dias tem se espalhado pela cidade
ura -certo pnico que, segundo nos parece, nao
tem razo de ser.
E' produzido por urna noticia que corre
de bocea era bocea, de que em dias d'esie mez lla-
vera um cataclysraa horroroso, que consistir
ou no crescimento das agoas ou em tremores de
trra. v
* NiiBsabemos d'oude tenha partido .-imilhante
noticia, iua tem p* .i aterrar a poplico,
principalmente sendo \-a o exagerada como tem
oorrido. Temos procurado informar-nos res-
peto das probabilidades d'esso cataclysraa que se
espnn, p, o qipnitemos colftcr quenao s
nada so deve receiar ni Brasil, mas tambera j
passou o tempo em qne deveria elle dar-se.
Segundo a Gazeta de Aiujs',rqo o astrnomo
Rodolpho Falb autor de urna theoria sobre tro-
mores c e plosoes volcnicas, thoora que diz j
provada, pois por via d'ella Falb delerminou cora
antecedencia dous remores de trra que se diz te
rem tido lugar a i e a 27 do marco do presente
anno em diversas partes da Europa. Annunciou
ltimamente um graude terremoto no Per, Equa
dor e Mxico, como se ver polas seguintes li-
nhas :
ylos habitantes do Per, Bquaior e Mxico.
A 30 de setembro do crrante anno ter lugar
um terremoto anda maior quo o de 13 de agosto
de 1868 : deixai pos vossas eassa3 com tempo.
N03 dias 9 10 e 11 de agosto d'esse anno,
terio lugar alguns tremores menos fortes e estes
vos provaro a veracidade do que vos annunco-^-
(Assignado) Rodolpho Falb.
' O terremoto preindcado nao dovia ps ter
lugar no Brasif, mas sim no Per, Equador e
Mxico.
E a prova quo passaram, felizmente para
nos, os dias 9, 10 e 11 de agosto o 30 de setem-
brosem termos soffrido cou3a alguma.
< O Siglo de Montevideo de 4 do passado, sob o
titulo prximo cttaclysmas, diz o seguinte:
No Peni estao os nimos preoecupados com a
pouco agradnvcl prediccao do prximos e espan-
tosos terremotos que devem ocorrer na dita re-
pblica, no Mxico e Equador.
A imprensa d importancia a essa sinistra
propheeia, fundando-se em qno o seu autor o
sabio astrnomo allemo o Sr. Falb, a quera se
devem varias obras de physica que tem chamado
a atloneo da Europa.
" Em sua theoria sobre a origen) dos terremo-
tos, sustenta que estes nao sao prodazidos pela
fuso ignea do centro da trra, mas pela influen-
cia da Ina sobre as mares, que faz cora que se
compriman) as agoas, occasionando urna presso
sobre a trra, que segundo olio, a verdadeira
causa dos tremores.
As epochas fataes que fixa sao: de 7 a 9 de
agosto e de 29 de setembro a. 1 do outubro do car-
rente anno. o
Felizmente os astrnomos enganam-so militas
vetos. Nao consta que se tenhara dado os annun-
cado< para agosto, os outros podem tambetn ter
falhado. >
LA PLATA.Este vapor, da linba de Southamp
ion, devia sahir da corte para o nosso porto no
da 9 do corrente, s 8 horas da manha.
IMPRENSA.Do Jornal do Commruo da corte
transcrevemos o seguinte:
O Sr. b. L. Garnier acaba de publicar como
editor urna coUecco de poesas do Sr. Luiz N. Fa-
gundes Varella, sob o titulo Cantos do ermo a
cidade.
Ha entre estas produc$dea aJgumas realntente
bonitas.
~< O Sr. Dr. Constantino Gomes de Souza publi-
cou um drama original cm quatro actos, Vinganca
por vtnganga eo Sr, Pires de Al neida urna eo
media drama em dous, com o titulo Retratos a bi-
co dt penna.
a Do Sr. Dr. Joo Baplista Pereira. tenioiwuroa
edieao do Cdigo criminal do mptrio do Brasil,
annotado nao s com os actos do peder legislativo
e avisos do governo que tem alterado e explicado
algumas das suas dsposises, mas tambem com
deeitoes do supremo tribunal de jnstica e da rela-
jo do Rio de Janeiro que estabelecem interpre-
ta^o dnutrinal do alguna pontos cootroversos.
Sobretudo com esta ultima parte prestou o autor
um bom servieo ao foro, pois ao valor que tem as
decisCes jndiciaes aceresce a difflculdade que ba
em encontra-las para as consultas.
a l'ublieou-se tambem ura folheto reirapresso do
Cmreio Paulistano, urna carta sobre a litteratura
brasileira pelo Sr. Tristao de Alencar Araripe J-
nior.
Obsem o editor oue nesta carta se discote
com muito tlente a tendencia de nacionalisar ou
amerieanisar a nosaa lilteraiura, tendencia louva-
vel e digna do a^^Hhd>
a O Sr. Dr. Daniel Podro Parro Cardoso envin
nos um dos seos ltimos trabalhos, que uro pro
jecto -scrlpto em franeez para a abertura de urna
ra monumental que ligue aa duas partes, alia e
baixa, da cidade de BraxeUas. Ao mesmo tempo
vimos scripto por Ernesto Laital urna compilajo
das publieaees-que teem ^parecido na Blgica a
pesperto dos tvabalhos do mesmo Sr. Dr. Ferro
Cardoso, e que sem duvida fazem honra activida-
des pericia do,engenheiro brasiieiro.
t Em S. Paulo publicouse um.folbeto com n ti-
tulo Elemento servil, projecto elaborado pela socie-
dade democrtica constitucional limeirense; res-
postm do Sr.oonselheiit'Iliibuca,- entras feras so-
tto tmumpto.-
PASSAGEIROS.Vieram dos portos do sul do
imperio no-vapor Paran para esla provincia :
fco Sergio do Miranda, tenente Francisco Au-
frusto do Sagarrera Jnior, Candido Alberlo So-
dr da Motta, D, Helena B. Travassos, Ineto e 1
escrava, Cantillo de SallesJ Joo Francisco dos
Santos, alteres Jos Ainancio Pereira Matta, ca-
pito Manoel Joaquim Machado, Jos Luiz Tercei-
ro, Thomaf A. Espidca e 1 ftlho. Jos Bento de
Souza Guimares, Antonio Joaquim Borges de
Barros, Joo dos Beis de Souza Danta Filho, Ro-
dolpho E. de Araujo Jnior, Jos de Souza Lopes,
sua senhora o 2 flhos, Rufina Mra Hermina dos
Anjos, Manoel C. de Araujo Lima, Anna Rufina
de Jess, Francisco M. da Costa, Antonio F. For-
tes, Silvno M. da Costa Chaves, Manoel Joaquim
de Olvela, Alexandre Ferrera Nobre, 7 ex-
pracas.
Seguiram de Pernambuco para o norte, no
mesmo vapor:
Jos Augusto de Castro, Jos Paulino Hoanholtz,
Januano Levor de Albvquorque, Joaquim Francis-
co Sarment, Ignacio Ferrera Serrano, Salvino
Jos de FRueredo, Manoel Cozra Lima, Mayer
Rouback, Francisco Botelho Nelto, Carolino A.
Dotelho Nelto, Antonio Joacintho Borges, Nicolao
Spena.
Sabidos para os partos do sul no vapor Po-
tengy:
Firmino Leocadio de Lima, Bebiano Ferrera da
Costa Sarapaio, Manoel Severno Duarle, Antonio
da Silva Reg, Antonio Hara do Nascimento, Sa-
turnino Dias Cardoso, Joaquim P. d'Oliveira Maia,
F. J. Al ves Rodrigues, Pedro Correa N. e 1 filho,
Adolpho de Souza Menozes, Copertino Guimares
Bastos, Josephina Marques d'Oliveira, D. Ramos
A Pereira, J. F. Mendonca, Jos M., A. B. Montc-
Negro, conego Amaral, Ulsses de O. Leite de Me
nezes, J. F. da Costa Sampaio, M. B. Gomes, Uraz
Vieira da Silva, Adclino Claudio Duarte, Dr. F. de
Miranda, Carlos Francisco de S, Antonio V. F.
Cato.
LOTERAS.A que se acha a venda a 123"
a beneficio da Santa Casa do Mieericorda, que
corre no dia 16.
A do Rio que tambem se acha a venda a
93* a beneficio dn Santa Casa de Misericordia que
devia correr a 2 do corrente, leudo o Paran
sahido no dia primeiro.
1---------- 7?- r -i < i
substituidas-a tbesouraria geral pelas di-
laceradas, nao sao rubricadas, e smente
assigrwdas por utn director da banco, e
pelo liquidante da caixa -abaixo assig-
nado.
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Sociedade bamcaria em com
inaudita
Theodoro Simn Sf C,
Compram e veiidem por conta pro-
pria melaes, moedas nacionaes, e eslan-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros t-
tulos commerciaos.
Encarregam-se por conta alheiadas mes-
mas traosaccoes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commcrciaes.
Receb rn quaerquer quantias em depsi-
tos, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelouriuho n. 7.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 8 219:4201691
(dem do dia 9..... 37:177*493
286:898*189
PUBLICACOES A PEDIDO.
Ao Sr. Bernardo da Cunha
Teixeira,
Se bem que as cinco linhas com que o Sr. Ber-
nardo protestou no Diario n. 222 nao responder a
publica^o que, contra elle aprsenle no den.
220, soja a mais perfeita confissoda sua carencia
de resposta minha publicago, comtudo nao pos-
Lm dexar passar desapercebida a venenosa insi-
co que nessas poucas lnhas, iucluio o mes-
Sr. Bernardo da Cunha Teixeira, que por nao
o eleito juiz,est hoje, grapas honesta de-
a de seu honrado menloi, em muito melhor
>, porque figura de juiz, de escrivo, de the-
o, etc., etc., dispondo mais soberana e die-
mente dos negocios da irmandade do que
ganlio a sua infeliz cabala,
que approvou as contas do abaixo as-
e da qual v-se que o proprio denuncian-
tor de toda essa balburdia approvou-as,
o contrario inteiramente do quequer o Sr.
rdo fazer crer, quando pretende aecusar-me
iiantamentos indecidos..... leia e desmas-
-se.
5o fazendo parte o Sr. Bernardo de mesa al-
a regedora, e sira apenas da commisso encar-
da de examinaros negocios da irmandade, nao
. i estar recebendo, pagando dispondo auto-
ticamente da irmandade como o esta fazendo,
+f por isso requer que recolhesse elle urna casa
.pancaria os dinberos que pertencem irmandade.
Mas nao Ihe convindo semelhante cerceamonto
de attribuicoes que nao Ihe compelein, ma3 que
tanto Ihe agrada u e convm, oppoz-se elle com
todas as forpas como quem defenoe sua proprie-
DADE.
Infelizmente a verdade nem sempre tem nesse
mundo o triumpho immediato sobre o erro, qne
a partilha da huraanidade. Porisso que injusta-
mente est sendo nullilicada a eleicao que se pro-
eedeu para a mesa regedora da Irmandade da So-
ledade, couderanada a ser o Paraguay de um no-
vo Lpez.
Na primeira dominga de dezembro deve ter lu-
gar a eleicao, c conseguintemente est sendo nnl-
la a eleicao da mesa eleita para o exercicio cr-
reme e isso porque della nao fez parte o mesmo
Sr. Bernardo 1 I I___E para chegar esse ni-
quo resultado o que foi preciso? A suspenso da
posseda nova mesa pir factos Imputados a antiga
c lionrandamentc denunciados pelo honestissimo
eserivao da propria mesa denunciada, despeilado
naturalmente por nao ter sido juiz o Sr. Bernardo
que assim esl sendo mais que juiz, como j dis-
semos, porque est dspondo soberanamente da
irmandade, e symholisando toda a mesa regedora
da mesma.
Nao quero d.Jxar do chamar a atlenco das au-
toridades e tribunaes para o modo porque fieou
privada do exercer o mandato confiado pela mesa
geral da irmandade, a mesa regedora eleita regu-
lar e legalmente cun assstencia do provedor e do
escrivo de capellas I___E isso porque ?... Pur
factos atlribuidos mesa passada III... Que jus-
tipa I I que exemplo II... e no entanto a mesa
assim suspensa to Ilegal, infundada, caprichosa
e injustamente nao tem oulro recurso, para nao
augmentar despezas, seno curvar-se perante a
privaeo de um direito por actos praticados por
outrem I I... Isio ser justica?... Maso Sr.
Bernardo e seus acolylos assim o querom, porque
nao foi elle o eleito para juiz !... e o Sr Vicente
de Moraes Mello para escrivo I e por urna inex-
plicavel coincidencia o mesmo Sr. Bernardo diz
que a irmandade nao quiz eleger para juiz, foi no-
meado pelo proprio juiz que preseociou a sua nao
eleicao, para membro do uraa commisso que est
regeudo a irmandade era vez da mesa eleita, e sem
que a eleica dessa mesa fosse nem podesse ser
annullada.
Andar assim, que bom andar Sr. Bernardo,
emquanto ventar agua na vela... mas nao venda
beatilicar-se inventando e insinuando aecusaeoes
lalsas e improcedentes contra os tnartyres de sua
prepotencia to beine judicialmente auxiliada
A' vista do exposto conclua quera souber sobre
a regularidade e justica com que tem corrido as
cousas da infeliz irmandade de Nossa Senhora da
Soledade, que s quem soffre, porque, alera das
enormes e illegaes despezas com cssas questoes e
suas dependencias, esta com sna obra empatada,
quando pouco j fal ava paja concluir-se.
Recife, 8 de outubro de 1869.
O ex-thesoureiro interino,
G. J. da Silva Braga.
COMMERCIO.
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas
dem dem cora gneros
Volumes sabidos com fazendas
dem dem cora gneros
434
391
-----823
200
960 .
----- 1160
Descarregam hoje 11 de oniubro
Barca ing ezaFrunck Wilson mercadorias.
Vapor nglezlindadem.
Patacho ingli.*.Mary Ricefarinha de trigo.
Escuna austracaElena P.idera.
Barca nglezaHermionemorcadorias e ferro.
Barca portugueza Pereira Borges varios g-
neros.
Brigue hespanhol Francisco vinhos,
Suma hespanhola Carmen passas e mais g-
neros.
RECEBEDORIA DE RENDAS LNTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 8 14:782*593
dem do dia 9...... 1:313/624
16:0961217
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 8 26:838*843
dem do dia 9....... 5:127*232
Dr. Arminio CoTnlano Tavares dus Sanios, juiz
municipal da 2' vara desla cidade do Recife da
Pernambuco e seu termo por S. M. I e C. etc:
Faco saber em como por este juizo- se ha de ar-
rematar em praga publica por quim mais der,
findos os dias da lei, e pracas saecessjvas e seguin-
te : um sobrado de um andar e soto n. 83, sito
na ra do-#o*piciu, fregueda da Roa-visia, cm
chao foreiro mai urna, com 32almos de frente e
74 de fund.0, tendo dito subrado rsala?, 3 quartos
grandes e 1 pequeo, un soto 1 sala grande, 3
quartos. sendo 3 pequeas easas; o pavimento
terreo, 2 salas, 1 quartos e 1 pequeo, com casi-
nba fra o 2 quartos mus ao lado, quintal para
loja e tambem para o sobrado com 2 quartos, c
carimba pronria ; vista do estado em que se-
tena, avahado em I2:000i000, o qual vai oraca
por execugo de Eleodoro d Aquuio Fonseca con-
tra a viuva e berdoiros do Joo Rufino da Silva
Ramos.
E para que cheguc a noticia do todos mandei
passar o presente, que ser aixado no lugar do
costume c publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Reeife aos 2 de
outubro de 1809.
Eu Manoel Jos da Motta, ejerivo o subscrevi.
Ai minio Corilano Tacares dos Santos.
DECLARACOES.
AS 3 1/2 HOHAS DA TARDE
Assucar bruto americano 3*200 por 15 kil.
(bodlem).
Algooao da Parahyba 1* sorte 1*205 por kil.
posto a bordo, fete de 11/16 e 5 0/0 (liontem).
Dito de dita 2* sorte1*137 por kil. posto a bor-
do, frete de li|16 e 5 0|0 (honlera).
Algodo da Parahyba l* sorte 1*191 por kil.
oosto a bordo, frete do 3/4 e 5 0|0 (hoie).
"'.ambio sobre Londres 90 d/v. 19 3(4 d. por
1*000 (hoje).
Cambio sobre Paris 90 drv. 484 rs. por franco
hontem).
Dito sobre dito 90 d/v 488 rs. por franco do
banco (hoje).
Frete de algodo de Macei para Liverpool3|4 d
e5 0)0
F. J. Silveira
Presidente.
LeafcSeve
Secretario.
Caixa filial do banco do Brasil
ein Pernambuco, em liquida-
q&o,24 de setembro de 1869.
Pela caixa lial se faz publico que as
notas da sua emtssi dt valor de 204000,
da o. 117,501 por dilate e que estao sendo
31:986*073
PRA(A DO RECIFE
BU 9 UE OUTL'BRO DI 1869, S 3 HORAS DA TAHDE.
REVISTA UMAKAI,.
CambiosSobre Londres regulou a 19 5/8, 19
3/4 e 19 7/8 d. por 13. Sendo o total dos saques
para a Europa de S 75,000.
Algobao.O de Pernambuco escolhido e regular
vendeu-se de 16*500 a 163900; o de Macei, pos-
to a bordo, de 173600 a 173800; e o da Parahyba,
dem a 173 por 13 kilograramas.
Assucar.Vendeu-se o mascavado purgado de
3*400 a 33600, o bruto americano de 33130 a
3*200 o o do Canal a 2*800 por arroba ou por 15
kilogrammas.
^Aguarde-vte.O seu custo regulou a 94* por
pipa.
Annoz.O pilado da India vendeu-se a 35100,
e o do Maranho de 2*600 a 23800 por 15 kilo-
grammas.
Azeite-doce.Vendeu-se o de Lisboa a 3*900
e o do Estreito a 3*700 o galo.
Bacalho.Em atacado regulou a 203500 e
a retalho a 213 a barrica.
Batatas.Vender m-se a 800 rs. a arroba ou
o cigo.
BoLAciiiNHAS.dem a 30*00 a barriquinha de
22 libras.
Caf.dem de 5*800 a 6*800 a arroba.
Chadem de 2*200 a 2*800 a libra.
Ckrveia.Idera de 4*800 a 5*300 a duza de
botijas.
Louqa A ingleza vendeu-se com 430 por cento
de premio sobre a factura.
Manteiga.A ingleza vendeu-se a 900 a libra,
e a franeeza de 700 a 800 rs.
Massas.Vendeu-se a 8 a caixa.
Oleo de limi.vca.dem a 23 por galo.
Passas.dem de 8*500 a 93 a caixa.
Presuntos.-Wem a 18* os 15 kilograramas.
Qukijos.OsTiaiiiengos venderam-se a 2*800
cada ura. .
Sabao.O tarta vendeu-sc a 170 rs. a libra.
Toucinho.Vendeu-se o do Lisboa a 9*800 os
13 kilogrammas.
Vinagre.O de Portugal vendeu-se de 120* a
130* a pipa.
Viniio._0 do Portugal vendeu-sc a 220? o
tinto, de 220* a 260? o branco, e o do outros
paizes de 180-3 a 182* a pipa.
Velas.O pacote de 6 velas de composico
vendeu-se de 650 a 620 rs.
Descont.0 rebato do letras regulou de 10 a
12 por cento ao auno.
Frbtbs.Do algodo d'aqai para Liverpool a
vela, 5/8 d. por libra e 3 '.'} para Hamburgo idem
e Liverpool a vapor a 3/4 por libra e 5 /0; da
Parahyba, Natal e Guarapes, a vela 3/4 d. por li-
bra e 5 /o; do Mossor e Ceara, idem, 7/8 d. e
5 %; de Macei, idem, 3/1 d. e 3 % Do assu-
car, d'qui para Liverpool, a 15/a 20/ por tonelada
e 5 % nominal o para o Canal a 37/6 por tonelada
e 5 % nominal; da Parahuyba para o mesmo
porto a 49/ idem idera; de Guarapes a 46/ idem;
e do Natal para Liverpool a 30/ idem idem.
MOVIMENTO DO PORTO.
BahaLugar or te-allemo Beethoven, capitn
Karstedt, carga farinho de trigo.
Barcelona-Brigue hespaiol A/mirante, capilo
Manuel J. Guanavens, carga algodo.
HamburgoPatacho inglez Julio Lingley, capilo
Prut, carga algodo.
CanalBarca Ingleza Luana, capilo Me. Kenzie,
carga assucar.
Obseroacao.
Suspendeu do lamarao para a Montevideo a su-
maca hespanhola Tereza, capilo P. Eslrador, com
a mesma carga que trouxe de Barcelona.
Navios entrados no da 9.
Rio de Janeiro e portos intermedios8 dias, va-
por nacional Paran, de 850 toneladas, cora-
mandante Joo da Silva Moraes, euuipagem 62,
carga differentes gneros; a A. L. de O. Azeve-
do&C.
Rio-Grande do Sul 2 dias, patacho brasiieiro
Bemfica, de 207 toneladas, capilo Manoel V.
das Neves, equipagem 11, carga 10,450 arrobas
de carne ; a Baltar Oliveira & C
Valenca44 dias, barca hespanhola Centiv de Es-
paliacin, de 410 toneladas, capilo Jayme Ter-
ror, equipagem 16, carga vinho ; a Keller & C.
Hamburgo50 dias escuna norte-allema Ade-
laid, de 133 toneladas, capilo D. Cramo, equi-
pagem 6, carga varios gneros; a Jos Maria
Palmeira.
Maco15 dias, hiate brasiieiro Flor do Rio Gran-
de, de 4i toneladas, capilo Miguel A. da Costa,
equipagem 5, carga sal; ao mesmo capilo.
Araeaty por Maco18 das do e 12 do 2o por-
to, hiate brasiieiro Nossa Senhora dos Nave-
gantes, de 76 toneladas, capito Antonio de Son-
za Castro, equipagem 8, carga sal e algodo;
a Bartbolomeu Lourenco.
Navios sahidos no mesmo dia.
Portos do norteVapor brasiieiro Paran, com-
mandante Joo da Silva Moraes, carga varios
gneros.
EDITAES.
- Faco constar a quem convier, que o llim.
Sr. Dr. director geral interino, tem esassado para
o dia 25, pelas 10 horas da manha, o oxame de
habilitacao para o magisterio primario do sexo
fomeniDo, que devia ter lagar no da 11 do cor-
rente.
As senboras que qnizerem tazer dito exame,
devero inscrever-se nesta secretara na forma
das instrncedes do 11 de junho de 1839, at o dia
UdtMimo.
Secretaria da nitrncco publica do Pernambu-
co 8 de outubro de 1869.
O secretario.
AorclBO Augusto Pereira de-Carvalho.
Pela secretaria da Sania Ca de Misericor-
dia do Recife, se convida aos prenles das meno-
res abaixo mencionadas, viren) rocblhe-las o
collegio das orphas, viste assim o haver resolvido
a Illma. junta era sesso de 30 do mez udo.
Josepha, filha de Amia Rosa do Sacramento.
Adelaide, dem de Galdiua Maria dos Aojos.
Josepha, dem do Souliorinlia Joaquina dos San-
tos.
Maria, dem de Joaquina Candida de Ounha No-
bre.
Anna, dem da mesma.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 2 de outubro de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigue* de Souza.
Conseiho de compras
navaes.
O conseiho manda fazer publico, que sob as
condicSes do eslylo, contrata no dia 14 do corren-
te mez, vista de propostas recebidas at as 11
horas da manha, o fornecimen'.o de galdidas ao.-
estabelecimentos de marraba no corr nte trimestre
de outubro a dezembro.
Sala das sessoes do conseiho de compras navaes
9 de outubro de 1869.
O secretario
___________Alexandre Rodrigues dos Anjos
Pela secretaria da cmara municipal #&'.*
cidade se faz publico para conhccimcnlo de quem
interessar possa, que nao tendo sido arrematados-
no da 6 do corrente, como estavam annunciados ,
os imposlos de 80 rs. por carga de farinha e ou-
tros legumos vendidos nos mrcalos pblicos, de
300 rs. por cabeca de gado raorto para o consum,
das freguezias d fra da eidade, o bem assim os
alugueis de lalhos de ajougue ns. 10, 11, 12 e l.'
do quarteiro do lado d sul; c mUnuaro em pra-
ca no aia 13 do andante mez taes irapostos e alu-
gueis : aquelles que pretndele::) arrematar, ha
bilitem-se na forma da lei.
Secretaria da cmara moflicin i! i Recife 9 d
outubro de 1869.
Francisco Canuto da Boaviagcui,
Secretario.__________
Santa Casa da Jisericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da -anta Casa da
Misericordia do Reeife precisa contratar com quem
se queira encarregar de fazer sua :usta as obra-
do que necessta o sobrado n. 37 >!a ra da Moe-
da, concedendo ella, alem de ostra* vantagens, n
arrcndaniento por grande numero de annos.
Recebe para isto propostas em cartas fechada-,
na sala ue suas sessoes, devendo os pretenden!es
examinaren) as obras de que cartee o predio.
Secretaria da Santa Casa do M.;-:oricorda do
Recife, 4 de setembro de 1869.
O rivo,
Pfro Rodrigas* de Sou: i.
Nauta Casa de SIfocreor dia
Ifiecife.
A Illma. }unU administrativa Ja Sania Csale
Misericordia do Reeife na sala la suas sessoes.
pelas 4 horas da tarde do dia 7 !i corrente, ar-
renda pelo tempo de 1 a 3 am.i-, o terreno qiui
possue o patrimonio dos orphos na astada de
Agua Fra sob n. 6, o qual divide coraos sitios
de D. Maria Rila da Cruz Nevo-, e o dos berdei-
ros de Henriquc Gibson, peta quantia de 240 au-
nuaes, pagando mais 400* peta malta que all
existe.
Secretaria da Santa Cusa de Misericordia do
Reeife, S de outubro de 18.
O os "ilvo,
Pedro Rotlri- ns le Souza.
A cama~a munieipal d'esta eidado, tendo de
contratar o fornecimento de objeetos Den Marios
para o expediente de sua secretaria no excrcici >
de 1869 a 1870, taes como papel do primeira qua-
lidadeliso o pautado, lapis,pennas d'aco e de gan-
co, garrafas com tinta, brelas gfraws, caeta-,
a roa, papel mata-bonjk>, eadareo, papel pequen",
dito de peso grande, envolucros pequeos, lirros
era branco cada um de cen tomas, ditos do duzei-
taspara actas : recebe proposta; no dia 13 di
corrente em sarta fechada, as quaes devem os
pretendentes que quierem brdfleer os niesnv
objeetos, declarar o menor ore?) por qne o taran.
Paco da cmara municipal do r-"e.jife, 6 de outu-
bro de 1869.
Manoel de Borras E irrita,
Pro-prostdente.
Francisco Canuto ia H:::iagem,
Secretario.
A cmara municipal d'esta sidado, tendo de
contratar a quantidade precisa de tijollo do al ve-
nara grossa, ara e cal branca e preta pa:i
o consumo do cemiterio publico, recebe no dia 1 i
do corrente propostas neste sentido, em carta fa-
chada, na qual os pretendentes da forneciment >
devero indicar o menor prejo do milheiru d;
tijollo, carroca de ara c alqueiro lo cal.
Paco da cmara municipal do P. "cife. 6 do outu-
bro de 1069.
Manoel de Barros Barrete,
Pr-presiden
Francisco Canuto da Heaviagem,
Secretario.
Cabo.
Pela collectoria de diversas reata* da villa do
Cabo avisa-se aquellas pessoas ; ae foraui conec-
tadas venham satisfazer o imposto pessoal do exer-
cicio de 1868 a 1869, visto estar a findar-se o
praso. ____________. ___________
Correio eral.
O'
O Sr. Miguel J. C. Mein qojfeira tor a bondado
de comparecer rcpankjo doc rreio desta cida-
de, afim de reoeber urna carta r.: emendada via-
da do sol.
Concert vocal e InsCrameatat.
O abaixo assiguado avisa ao respeitavel public.,
que nao tendo sino possivel levar execncao no
tempo e lugar annunciado nesto Diario de 14 de
setembro, o concert variado que elle deseta dar,
para divertimento e distraccio do puboo, pre-
tende realisar e cumprir sua promessa no da li
de-te mez, na antiga sala do dansa da sociedad"
Recreio Pernambucano, largo do Carmo n. 9, i*
andar. Persiste aquello mesmo programla co:.i
a alteraco apenas da terecira parto, pois que nao
possivel haver dansa, por n) s prestara isso .i
sala mencionada. Os bilheies distribuidos sao s
mesmos que daro ingresso ao lito concert.
Recife 7 de outubro de 1869.
Jos CuoJ.o Barbosa.
AVISOS MARTIMOS.
Araeaty e S. Bernardo.
Aristdes de Pauta Dias Martins, advopado for-
mado, eocarrega-so de cobranzas amigareis c.i
judiclaes, mediante commodo honorario, quer pa-
ra o termo de *. Bernardo das lussas, quer para
o desta cidade do Araeaty.
I
s
-

:
BAHA
O palhaboto Garibaldi, capitn Custodio .Jos
Viawia: a tratar com Tase o Irmoi.


-*--
Diario de Pernombuco Dominga 10 de Ootubro ate 1869.
3
I
m^
>_
_~

Compankia americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
Al o da 15 de oiitnhro e perado de New-
York por S. ThWnai e Para o vapor americano
Morth Am.tc, oqiul depois d* demora do eostu-
me, seguir para os portas do sul; para frete e
passageos, trata-se m os agentes Henry Forster
c d. rua do Commereie n. 8._____________
~ comPaIa PERINAAIBCANA
^?egafle costeara por vapor.
Mamanguape.
vapor JfaudViAi, comman-
daite Julio, seguir para o por-
to cima no dia 13 do crrente
as 6 horas da tarde. Recebe car-
pa, cncommnda*. passageiros e
linhero a [reto at as 3 horas da tarde do dia
IHUO
Marea AMA C, 10 caitas com .VlO-grosas de
phosphores de seguranca ; dem dem, 9 ditas
com 815' ditas da ditos ae ditus; idem F & s, 7
ditas com 840 latas do 2 libras de aisloutos;
idem idem, 4 ditas com 480 ditas de i dita de
dito.
TERCA-FEIRA 11 DO COMIENTE, AS 11 HORAS
DA MANHAA.
O agente Pestaa far leilio por eont e risco
de qaem perteneer, das mercadorias cima men-
cionada?, araadas d'agua salgada, a bordo do
hrgue ingles Etisa Jane, nanfragaifo as praias
da Parahyba do Norte, o vindas para Pernambuco
no vapor da companhia Pernanibueant Cwurive,
lerca-feira 15 do eorrente, as 11 horas da manilla,
no armazn* do Annes, largo da Alfandega.
LEILIO
Rio de Janeiro.
Para o indicado porto, pretenda seguir com
inulta brovidade o brigue nacional Isabel, por ter
a maior parte da carga engajada, e para o pou-
ci que Ihe falla, trata-se com os consignatarios
Antonio Lail de Oliveira Azcvedo & C rua da
Ouz n. 57, primeiro anJar. ___________
COMPANHIA EERNAMBUGiNA
Savegaco costefra por vayor.
loinnna.
O vajior Pai-alfjha, commandante
Mclln, seguir para o porto cima no
dia 10 do eorrente as 0 lunas da noite.
Recebe carga, ene.>nimendS, passageiro? e dinhei-
ro a frote, no escriplorio de Forlc do Maltas
n. 12._________________________________.
COMPANHIA l'RAMUUCANA
Xavegafo costeIra por vapor.
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor tifui, commandante.Azevedo, segui-
r para os pollos cima al o dia lo do correte,
s 5 horas da larde. Recebe carga at o dia 14,
mcominendas passageigelre* e diaheiro a frete
al s 2 horas da tarde do dia ta saluda, na es-
criptorio do Forte do Mallos n. 13. _____
PE
Xa importancia do IO 431&13
res
Quarta-feira 3 fie novembro de 1869.
O agente Pialo I ovar leilio, s 11 horas do
dia cima dito, or atitorsaeo do Hquidatario da
cxlineta tirina de Roulhnl Mellors & C.. as di idas
na importancia do 40:4.171150 rs.r sendo........
31:1875310 rs. de conformidade como mandado
de penhora conlra J. de Siqueira Ferro, e......
:2i9810 rs. de conformidade com dous manda-
dos contra A, Pinto de I.emos ; o leilao ser
efTeetuado no dia cima dito, no escriptorio do
referido agente, rua da Cruz n. 38.
AVISOS DIVERSOS.
COMPA2VHIJL
AS
Hessagcries imperiales.
AtMi dia 14 d) frrenlo mez espera-se da
Europa o vapor trance/. Nacarre, o qual depois
da demora do eostume seguir para a Baha e
Rio (fcManeiro.
Para condiccoes, freles e passagens, trata-se
na agencia, roa do Comnierdo n. 9.
COMIIIA BRASILEIRi
DE
Paquetes a vapor.
Dos porlos do norte esperado
at o dia 18 do eorrente o vapor
TocaiUiut, commandante J. M.
Ferreira Franco, o qual depois
da demora do eostume seguir
guiri para o? portas do su!.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suaehegada. Encommen-
das e dinheiro afrete at as duas horas do dia da
sua sabida.
Nao se recebem como encomiendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que no excedam a_ 2
fimbas de peso ou 8 palmos cbicos de medico.
Tudo que pascar dcstes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia rua da Cruz n. 57,
1* andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
Rio de Janeiro
Para o indicado porto pretende seguir com mu-
ta brevdade a barca portugueza S. Joo, por ter a
maior parte de seu carregamenlo engajado, e para
o resto que lhc falla, trata-se com o consignatario
Joaquim Jos Uonealves Beltrao, rua do Coramer-
cio n. 17.
Para o Rio Grande do
Sal
pretendo sahir com brevidade para o porto cima
mencionado o patacho nacional Senkora das Ne-
vos, de primeira marcha : para carga trata-se
com o consignatario Jos Joaqnhn da Silva Gomes,
a rua da Cadeia n. 52.
LEILQES.
LEILiO
Uvas e maqaas desembarcadas
hontem,
ptimas uvas (solas das caixas) muito doces, e
macas : no deposito de pao e cestas : na rua
larga do Rosario n. 3C.___________________
Trilhep urbanos do
Recife a. Olinda.
O escriptorio d'osia companlnV foi transferido
5ira o primeiro andar do predio n. 35 da rua
ova, entrada pela rua da Flores n. 14, o qual
estar aberk todos osdiasutes, das 9 horas da
manhaa s 4 da tarde
Recife, 4 de ootubro de 1R'9.
Joao Joaquim Altes,.
1* secretario interino.
Troco miudo.
Da-se bom premio por sedlas de 1 000,2;
5i, 10* e 205 (nova estampa: na casa de Theo-
di-ro Simo " Da-se 1:300J a juro de 1 1|2 0|0 com segu"
ranea em predio dentro iesta eidade : a tratar na
rua da Palma n. 63.___________
Precisa-se de nm para o servico mterno e
temo de urna casa de familia, prefenndo-se
eicrava : na rua larga do Rosario n. 16, por ci-
a da padaria do Sr. Manoel AntoHiode Jeaus.
Engomma ieira.
Precisa-se de orna engommadeira : no segundo
aidar do sobr.ado da rua Dircita n. 82.
Aluga-se
urna ca em Bcberibe : a tratar com J. I. de
Heno, rua do Commereio n. 34. __________
M.
" O teslamenteiro do fallecido subdito francez
Joao Vignes, convida aos devedores do finado a
sildarem seus debitas amgaveunente.do contrario
s?rao ajuizados sem excepcao algnma.________
Ama
O abaixo assignado pelo present declara a
publico e especialmente ao corpo commercial, que
desde esta dala tem admillido como socio no seu
estabcleclniento de forragens rua Nova n. 37, o
Sr. M.inoel Joaquim Rodrigues Ferretra, e passan-
do a gyrar o dito ostabelecimento sob a firma de
Rodrigues ^ Hcmetcrio.
Recife l^o outubco de 1869.
\ Hemetcrio Maciol da Silva.
Precisa-so de urna ama livre ou escrava,
que coznhe e engorfime, do bons costumes e de
meia dado : na rua Relia n. 22.
Os Srs. que sao devedores ao esla-
belec/mentos da rua da Imperatriz n. 13.
Confutara c caf francez.
Sao rogados a vir pagar suas dividas at
o dia 12 do eorrente, senSo querem ver
seu3 nomes publicados neste Diario sera
excepeo algoma _____
Nesta typographia se precisa comprar
dous caixilhos para alcovas, que tenham 11
palmos de altura e o de largura._______
Cozinheira.
Precisa-se de urna cosinheira livre ou esdrava:
na rua do Crespo n. 23.
Precisa-se de urna ama para cozinhar para ra-
pazes solleiros : na na da Lingoeta n. 1.______
Alugam-se
duas casas terreas sitas no Mangnnlio, a margem
do rio, recommendaveis pela via frrea : a trataj
na rua do Vigario n. 31. ______________
' Precisa-se de urna ama livre ou escrava, que
saiba cozinhar e engommar : na rua do Queima-
clo n. 11.
Na pharmacia do Pinto rua
Larga do Rosario n. 10
junto ao quratel de poli-
ca.
A;ham-se constantemente promptas a
serem satisfeitas, as prescripces dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfer-
mos, as especialidades da mesma pharma-
cia, composta de medicamentos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros.
losse e molestias do
Precisa-se alugar nina escrava para fazer-o ser-
vigo mierno o exierno i'nma casa do iunili.i : a
Halar na rua da Crol n. 63, segundo awiax-.
m
Silva-, & Nevos declawm pelo preHlt^. qiie
desde 6" do eorrente, drixau de ser sen ca3feiro
o Sr. Lauriauo Jos de Oliveira. Rucife, S;de oa-
tubro de 1869.
CASA DA F.
Aos 2O:000^!00(X
rua do Cabug. n. 2,
Bilhetns do Rio venda
vende Vieira A Rodrigues.
Precisa-so de urna ama de boa conducta
tratar na rua do Imperador n. 6o, 2 andar.
a rua da Moeda n. o, 2o andar, escripturio
de Manoel Alves Fferrcira & C, vndese vinho
verde superior ca barris, ancoretas com vinho d >
Porto superior e malvazia branco. ______
INZGGUI IMUAN
Nova, Laja de cacado
JOAQUIM DAS DOS SANIOS-& t. acabam de abrir um estabelecimenlo de cal-
fado eslrangeiro- a-rtia Nova n. 30i onde o publico encontrar tudo o qne neste ge-
nero de commersto ha de meWior e de nis gosto em Paris e Londres.
Por todos o vapores transatlnticos receberao eMes- constantemente remessas de
calcado novo, pelo que ter sompre o esfabelecimento.o.qne a respeito se pode e-
gir. Ao publico em geral e a seus- amigos era ffnrticnar, pedem a cooperado, que
Hies possam dispensar, cortos' de que se rao servidos cora, lealdade.
.3
eo
-i
u O
No dia 7 doc-.rrentetugio do engenbo Ata-
laja do termo de Serinhcm, o escravo .uiz, cabra,
qjie representa 24 annos, de cor cabra escuro, que
tem aponas poucos cabellos no queixo, altura re-
gular, seceo do orpe, cintnra Un, oom nemas
arqueadas, pos bem feitos, cabellos carapinhos,
tem falla de um denle, ou dous no queixo superior;^
este escravo veio ha poneos dias da eidade de
Pombal da provincia da l'arahyb, foi escravo do
reverendo padre A mane i o Leita da Silvo, que o
venden nesta eidade ao Sr. Luia Urbano da Cunba
And.ade, eni dias de setambro prximo passado,
presmese quo tenlia seguido anielle destino,
pelo que pode-se s autoridades policiaes e capi-
taes de campo a captura do dito escravo, e premet-
te-se boa gratllicacac a quem o apresentar no dito
engenho Alalaia, n nesta eidade, casa n. 47 da
rua do Ap lio, escriptorio de Sehastiao do Cam-
ino da Cnnha c Albuquerqne. ^^^^___^_
n
? 3
u
"5
= 3
o

ca.2 =
Ama.
peito
Precisa-se, de urna ama que saiba bem cozi-
nhar, paga-se bem : na rua do Hospicio n. 58.
Alugam-se para casa de familia duas esrra-
vas que comprain o cn/.iuliam : quem precisar di-
rija-se em Santo Amaro, sobrado junt do cem"
torio inglez.__________
*'&**
CLUB PERKAMBCANO
A partida do eorrente mez tora lugar na noute
do dia 16.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
A rua do Crespo n.23 e casas do eostume.
Acham-se a venda os bilhetes da 29* parte da
lotera a beneficio da Santa Casa de Misericordia
(123*) qne se extrahir no dia 16 do eorrente.
Precos.
Os do eostume.
Manoel Martins Finza.
BBBER1BE.
Aluga-se urna casa na povoacao de Beberibe,
com trastes : na roa da Imperatriz n. 15.______
Na rua do Imperador n. 38, loja, precisa-se
de nm criado.________________ .
D-se sociedade ou se vende o estabeleci-
mento de mlhados da rna Nova n. 61._____^^
Desappareceu no domingo noute 3 do cor-
rente, de casa de Jos Martins do Reg Jnior,
morador no Pombal freguezia da Boa-Vista, um
cavallo castanho-claro, o qual j pertenceu aos
Srs. Ges & Bastos, apessoa que o t ver encontra-
do ou que delle ti ver noticia dirija-se a rua da
Madre de Dous n. 9, que ser generosamente
recompensado.
AMA
De O caixas conteurio GO latas
com bauha le porco.
SEGUNDA-FEIRA II DO CBRENTE.
O agente Pe.-tana fara leilao por conta e risco
de quem perteneer de 10 caixas marca V, cen-
leudo 60 latas com lunha de porco arruinada,
:>egunda-feiia II do crreme, as 10 horas manhaa
na porta do Aunes.____________________
"LEILAO
De nma grande casa terrea com
una sitio.
O agent Puntual, competentemente autorisado,
vender urna casa terrea tendo comraodos para
grande familia e com am sitio, o qual tem bastan-
te arvores fructferas e nma cacimba com encl-
lente agua para beber, em solo proPrio> no princi-
pio da estrada dos Afllictos n. 23, tendo a frente
para o becco do Espinheiro e muito perto das
estacos do Manguind e S. Jos. __
Os senhores pretenderes poderao examina-la e
concorrerem ao leilao ,.,--,
TERCA-l'HIRA 12 DO CORRENTE
no primeiro andar do sobrado n. 62, a rua da Crua,
s 11 doras da manhaa.
Precisa-se de nma ama para o servico interno
de duas pessoas : a tratar na rua d'Amisade n. 21,
na Opunga.__________________________
Hotel Uniao, rua do Hospicio
n. 84.
Este novo eslabelecimento fornece comedoria
cora promplido e aceio, tanto para fra como pa-
ra dentro do dito eslabelecimento, assim como nos
domingos e das santos ter maode vacca e outras
iguarias, todos os dias haver papas de diversas
qualidades ; assim,pois, o proprietario esperado
respeitavel publico toda concorrencia e proteccao,
visto ter um bom coznheiro.
Xaropes de fedeg.-o, rabo de .tat,
Agriao, pao Gardozo.osc, mulung, mu-
.amba, etc., etc., ya
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Para, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de sicupira.
Doencas do ligado e baeo. ane-
mia, opilado, ele.
Emplasto, oieo, pommada, tintara, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sezftes ou febres intermilentes
As pilulas anti-periodicas de Piftto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia do seu autor rua larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica._________________ <
Um moco solleiro precisa de urna ama para
seu servico, que Ihe convier, dirija-so a rua
Imperial n. 264.
CAPELL4S
Veiule-se
liara dia de finados (2 de novembro), na loja de
Antonio Augusto dos Santos Porto, na praca da
Independencia, nico deposito nesta eidade, ricas
capeilas para se collocarem as catacumbas e t-
mulos, no cemiterio publico e as igrejas, com
as nseripcoes seguimos :
Meu pai.
Minha nii.
Meu esposo.
Minha esposa.
Meu fillio. *r
Minha fllha. ^,^
Meu amigo.
Saudade.

=o ^ -j & g
J-O
o. 3 n
BJ 3 O _
_ O. a a.
2 S < t re
"S 3 O 3 O O
ss' *B"
sr O "' o 3
a soS
3 a ra s.
o, rs> ^_< c/s ca
3a?S -.
o 2^ o g
"I-a. "'2
S 2. g5 o ^
:* m = o s;
*2-S o a>
3- 2_ 3 e. a.
O -. L
rr, < ~
a-o S -3 2.
a a t3 3 n
2 2. n
_ o=i 3 sr =
S2B = =
M "-I ^ T "
|.|.2 a
-1 ra 2 O B
. c z:
.O 03 3 w
*Sj- 3 T> "3 *
(D a a> ..
r? M a
> e-> a> a ra u
= ra
3
g
3 o
og
3-3
B--2
o a>
Q.aT
ra
ra _
S 13.
oo ra

ra
ra
u>
s
?es
m

t=a-
S
t
CD
>o
8
CD
0
B-
B
CD
a
o
00


ii
CD
O
r-K
V>vo soriinento de
cateado franeei, ln-
vas de pellica tJomiu,
flnaperfiiniaria. quln-
quilharla de ptaanta-
sia e lu\o. e brinque-
dos para meninos
Moyo sortlmcnlo de
calendo francez, ln-
vas de pellica.lourin.
fina perfumarla, quin-
qullliarla de pnanta-
sla e luxo. e brinqne-
dos para meninos.
Urna lagrima.
J
.Na padaria da rna ireit i n.
alugar dous esclavos para o serviros
precisa-se
mesma.
Fugio do engenho Quemadas da comarca
io Brejo da Madre de Dos, a escrajh Pacifica,
parda clara, cabellos carapinhos, de idMe 16 para
17 annos, estatura regular, boa engommadoira e
costureira, cuja fuga leve lucir no dia i' de se-
tembro prximo passado, lendo no rosto pmt s de
sardas e espinhas, dentes coui|ilelos, e sahio gr-
vida de dous para tres mezes i-Togam-se as auto-
ridades policiaes a captura da referida escrava,
assim como a qualquer pessoa do povo, que sera
bom recompensado; a entregar no Recife ao ma-
ior Jos Caetano de Medeiros, na rua de Apollo n.
10, n no Brejo da Madre de Dos a sua senhora
D. Bernarda Cnrdeirode Carvalho. _______
ttmKB6
Precisa-se de una criada portugueza de con-
ducta aflancada, para curar de meninos, em urna
casa de familia, devendo saber lavar e engommar
a tratar na rna do Crespo n. 12, escriptorio.
Aluga-se
o sitio na estrada da Torre do finado Diogo Jos
da Costa, com boa casa a?sobradada, cocheiras
AO ARMAZEM
VAPOR FRANCEZ
N. 7RUA NOVAN. 7
Acaba de chegar este montado estabelecimenlo novo sortimento de bom cal-
cado para bomens, para senboras, para meninos c meninas, escolbido as mais im-
portantes e conhecidas fabricas premiadas de Paris, esquesita e Bna perfumara de
Coudraye dePiverluvas de pellica de Juuvin, espelbos, leques. obras de ouro,
caixinhas de costura, c um sem uumero destas e outras quinquilharias francezas de
muito gosto e pbantasia, e a mais intereesante variedad^ de brinquedos francezes e alle-
mes para entretimento de criancas; e de agora em diante continuam a chegar remessas
por todos os navios e paquetes para o grande sortimento da festa, e tudo precos re-
sumidos, por serem os sortimento? comprados na Europa e remettidos em direitura com
os maiores abatimentos das fabricas, em atiendo as repetidas encommendas.
I
A' rua do Crespo n. 20 A, esquina da rua das Cruzes.
Alvaro Augusto d'Almeida C. partecipam ao respeitavel publico,
e com es-
Pede-se ao Sr. Antonio Roberto de Fraga
sentior do engenho Santa-Cruz, freguezia de Igna-
rass, o favor de mandar a coxeira n. 45 da rua
da Roda, destrocar urna cabecada, que por eoga-
no levou. .____________,
Precisa-ae de um creado para todo sertico
de hotel, paga-se bem, prefere-se escravo : a tra-
.tar na rua estrella do Rosario-n. 11, hotel Lisbo-
nense^^__________________________
Oozinheiro.
Precisa-se de nm cozinheiro ou mestno ajudan-
te com alguma pratica de casa de pasto : na
rua larga do Rosario n. 11.______<
Aluga-se urna boa casa para passar a leste,
na povoacao do Monteiro : tratar na rua No vi
o. 45, 2* andar.
F0LH1NHAS
Arabio dr *hlr Ii e achao^e
vraila a
LIVRABIA FRANCEZA
Rua lo Crespo, W 9.
s afamadas Folhiahas
E
PARA 0 ANSO P 1870
FR.ECO RS
SEGUROS
MARTIMOS
COMTRAFOGO. ,
A Companhia Indemnisadora, estabelecida
aesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus cargamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
rua do Vigarion. 4, pavimento ter eo. .
O advogailo
Affonso de Albuquerqne Mello mudou o sen es-
criptorio para a rua das Cruzes n. 37, defronte da
typograpnia do Diario.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia: na rua do Caldeireiro n. 68.
PILULESSSICAUVIN
rfcinudca. boulo'ir Slitopol. >a.
E, Piecioa wrB.mo v^jU o etnnod.
leomo agndt'el o remedio rntta i
I trnir >J eaaMlfafae*, as nerra
Ikelde, aMim eoino MI a
infallirct-para des-1
nata*, as ais rt-
elca as gaMrltli, uaiir;** afta-1
,Meaw, aMaaaai, arc,
|mi^Su."l'ras Hafcelecep ou caaier-
1 T,KltasaMoe Pem ne rw*;o"do eomida nea I
tehUs tmdosVuxanw e eaarallva. aaau uaur I
- I modidades para fazer suas con.pras,
escoUiido sortimento de fazendas finas e grossas, o que tudo se vende por precos mo-
Este estabelecimento, apezar de estar j bastante conhecido, os seus propieta-
rios tem resolvido enttula-lo por LOJA DOS ARCOS, para evita r equvocos, e torna-lo
por esta maneira ainda mais popular. Eocontra-se nesta loja
Ricas cortes de blond e de seda branca para noivas.
Ditos e seda de cor e pretos.
Brochad de seda, l'azenda inteiramentenova.
Foolard idem idem idem.
L3as de muito gosto.
Cortes de cambraia e chita Mara Antoinelte.
Saias bordadas, caraizinhas, espartilhos, balles, basquinas, Gcbus, sombrinha-
luvas de pellica, chapeos etc. ...>,,-
Ha tambem constantemente um completo sortimento de esteiras da India par.,
forro de salas, assim como alcatifa, tapete, capachos e muitos ootros artigos, que seria pot
demais mencionar.___________________________________
O abaixo assignado declara ao respeitavel i AlllTl-Sf
nublico, que em data de o do crreme deixou de | j u"^ i i r
fazer orte a sociedade une nesta prac,a gyrava o primeiro andar do sobrado do largo do Corp.-
son a S social de Marques Silva St C, esUbe- Santo d. 25. tendo commodos. somente para rapa
Sdosanarutdo QueimL n. 3, tendo. procedido so.teiro ou^P^ra espiono a tratar *, mesn^
a urna liquidaeao particular com o socio Antonio PRAgA DO RECIFE 9 D, OL1UUIIU U I8b.
Lourenco Teixera Marques, a quem iicou perten-
cendo todo o activo do mesmo estabelecimento, tl-
cando o dito socio Marques tambem responsavel
por todo o passivo a que a sociedade estava obri-
gada. Recife 8 de outubro do 1869.
Joao Mara da SUa.
deiur-e.
1 P^nambuet.-Wt. !
anrr et O.
Na praca da Indepeodenoia n. 33 se da di-
nheiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
preciosas, *eja qual for a'quantia; e na mesma
casa se compra e vende objectos de ouro e prata,
e igualmente se faz toda e qualquer obra de en-
commenda, e todo o qualquer concert tendente
mesma arte.
NEGRLNHA FGIDA
No dia 7 do eorrente desappareceu urna negri-
nha de idade de 7 annos, pouco mais ou menos,
de norae Penha, muito conhecida no pateo do hos-
pital do Paraizo, em todas as vendas do mesn
pateo e rua da Florentina: quem della souber e a
levar a rua Bella n. 26, ser bem recompen-
sado.
Precisa-se de um caixeiro que d fiador a
sua conducta : a tratar no pateo do Teroo n. 59.
CABUG B^OJA DE JTOMAS
taMM|

CABUGA
esquina
da rua larga do
T Bosario.
Es|p importante estabelecinifiito no seu genero, tem wmpre um sortimento sem igual,
e vend por-breos--que nenhuma outra casa pode vender.
.vista da qualidade e do pret?o dasjoiasca4a um pder-se-ha convencer daverdade.
Gatant-s ser tudo do lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele-
vados*
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
esquina
da rua larga do!
Rosario.
*%


I

?.
Diario de PttfttMfcWo Domingo 10
riinmfi
Baromotre e term-
metro. Centigrade
e reuumeure.
mm unlucmn
Causa admiraco,
Mas- litio se p No armazem Independencia
E' onde se pode comprar.
IFJIA VII1M
donos deste taponante e magnifico armaeem de seceos c molhados silo ra do Rangel
n. 3, julgando nao aceitarem concordata algama com os sena collegas resolveram der
nominar o seu armazn*. INDEPENDENCIA, assira como o seu fim nao seja dludi-
ao respeitavei publico deixaro de anminciar, sein o que o mesmo o julgue c admire...
Mas como os pontos da va Terrea, j se tem discetido e apreciado a realeza e nnpos-
sibiiidade a ver ipieni vende gneros lo paralo, por esta razo que artminciamos para
que todos tanto c.a [Taca como do matto acreditis o que ueste asseveram e aquelles
que anda nao nos -tenham honrado com suas l'rogtiezias, poderao dirigir-se ao mesmo.
certos de que verao gravada a sinceridade e mfthado de negociartmifto franco sem qu3
uecessitemos de ixlar a meia imite pelos oites das raatrizes' figuraedo-nos por bous
demonios uem'mesmo na frente da msica com o pendo na mao feito balisa.
FERREIRA & IRMAO,
Ra do Hangel a. 3, srmazem da Indepen-
dencia.
mm delsuc

'CABSLLEIREIRO
7 A lraa dompo1," iadar 7 A
ENCONTR\R-SE-IA -sempre ueste estabelectaento um variado e.bomtosorti-
mito m(perfumaras francesas e iuglezas cuja lisia damos aos tortores.
CUVAS Marca garantida '.-EXTRACTOS.'Be superior qualidade marcas MJffll* & GOSNELL.
DITOS FINOS.em fraapjmbos prop ios para presentes Lubin & Oosneil.
iPOMMADAS-*intia fina'de varios dieirosLbin,GosneHe, Societ-Hyginque
SARONETCS.finos para toiletteLubin Monpelas.
5AU DEKTFreCE.a^uu para limpar detrtesSociet ffyginiqoe'Lubin & D.
OCULOS PEMUBPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
V. **, ermaon. recomraenda ao publico, seas vidros periscpicos aperfejcoa-
dos: porque, com estn vidros, a vista descanoa, fortifica-se e nao a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escolhido um vidro, pode durar dez anuos, emquanlo
que, com os vidros ordinarios se esli obrigado a muda-Ios todos os anuos eoster
cada vez mais grosso?, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros dooho.e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais longe, o raios que expeli sao
mui convergentes ou mui divergentes e a viso n5o -perfeila. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a visao nao distancia.
Com a applicacSo de meas vidros pde-se vencer estas dtficuldades. Para os que tem
a vista curta e cuio crystoiino 6 mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
lon^e), o que se chama myope, por meio de um vidro cncavo aTasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino multo chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama prcsbyta, vcm melhor de longe que de perto, o noenxergam senao
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergaro
to distinctamente como na idade de 15 annos. Servino-se desles vidros quando c
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F. *J. Cenuann encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
eolher, a prime*ra vista, seja qual for a idade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pesso,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
NiO FOI PRECISO AGUA BEHTA
O demonio mudou-se por sua Jivre e exponanla voulade
viva o u m s. ummumm
Agora hmguem presuma que foi uimdmpnp> qualquer., foi
Mas nao sabio da Boa-Vista
CHEGOU-SE ATE PARA IAIAIS PERTO DA MATRIZ
*Seu dominio esl hoje assealado, onde foi botica,
ESQIM DA RA DJ ARAGAO K. 32
* i:\ii o vje-lo
Como garboso se ostenta
Como lepido se mostra
E as diabluras quefazl
PF-
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por .momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos sao desiguaes.
Para alista que se turva com o traba-
llio e a le tura.
Para a vista presbyta (vislagalon ).
Para a vista que n5o supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esio cer-
cadas .de sanguo.
Para vista que ura dos olhos myope
e o oulro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
ierre.
BRILHANTINA.para lustrar a barba e es cabellosLubin.
AGUA DE CeLONA.arca verdadeira de Joao Marina Farica.
COSMTICOclieiro80 Lubin.
POZ DE AUROZ.dito- Lubin.
HUILE BE SENTEUR-MWeo para conservacao dos cabeltosSocietflyginique
ESCOVAS FINAS.para -cabellos, deules e unbas.
BLAIltEXU.'Pincel para barba. '
r.RANPOS.-tpara cabellos.
REDES NVrSIVErS --para cabellos.
GR WATAS LINDISS1MAS.do melhor gesto.
NGAL&8.de phanUsia, para.passeioe.de diversos lamauhosetc, etc.,etc.
A la;parfumerie2ar's'e,in,e-
7 A'tt'Uft&O CRESPO---- i. AWDAR 1 A.
ledas-as molestias yphiticas.
PELO
! ELEXIR DO DR. SEVIAi
nico dqurativo si?m mercurio que tanta aceitado tem meietido no Bra-
, as repuWicas do sol e na Allemanha especialmente >para cura das boubas,
; Muas, rlieunwiitnv;. todas as molestias syphfticas e em geral todas aquellas
\m da effifureza dosangue.
NICO DEPOSITO *
m
f*hartnacia c fragaria.
BE
BartholomeuAC.
a* Ilm Larga Karlo 34
^^jOu'r"'iJNiB
10 de binculos
o, e oculos de
a o campo e ma-
Negra tranca no codo lho ondeia
i Sulla briza ao mago desdem : l'
t Deita a fronte n'um peito e conhccc
Quantas maguas o seio conten.
Esta linda e gentil crealura tambem
WTE1MMWE
' Queijos, manteiga e caf,
Vinlio, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
De Nanles boas sardinhas.
Tudo barato
Para agrada',
Veiiham fregueus r
Que han de gosiar,
N. B. Brevemente ser anminciado o dia, em que este mpoitar.ie aiuazem de mo-
lhados lera principio a pratica de certa diablura,que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da roa do Quejmado. Por ora venbam os freguezes visitar o nosso es-
tabelecimeuto, comprar os nossos superieres gener s por pregos milito rasoaveis.
Manleiga ingleza flor a 1^300 por jOO Vinho bordeaux em caixa, 7^000.
Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinhas de ,":,%entes mrreas. a
1)51400.
Fosplioros de segurarla, J13SS0 300 rs.
Banha de porco a 720 por 500 grammas.
Vinho dr> reino, garra!?, a t^OOO.
Charutos do Lima a 35 c fi a caixa.
Sabaode massa a 40 rs. por 500 gram-
mas.
Latas com ameixas a !.}. i?>o00, 2,480f'
e :.:vi00.
Ditas de manteiga a 2S00.
Ditas juliana a l<5 por 500 grammas.
Frascos com magSas seccas a 25000.
Serveja de different^s marcas, duzia 64-
Tapica do Maranho a 240 rs. por 500
Lunetas, pince-nez e
face--maia, ouro, prata,
taj-taruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sertimentode relogiospara parede, que do horas.epara
cima de mesa dos mafe lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prala
dourada efolcada, inglezes, suissos e orisontaes dos melbores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 2i=Rua {ovaN. 21.
COPiFEITAMi B0SAm~
16 RUI D* cruz re
Ha dia/iameote sortimento de bollinhos para cha,"-fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces dt
calda, etc.
Incumbe-se de encomraendas para grandes jantares, bailas, baptisados e ca
samentos, a saber:
Pecas de uougat. Pes-de-lot enfeitados.
Ditas de po-de-iot. Bollos dem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crme e carne.
Bandeja com armacao de assucar. Empadas.
grammas.
Dita dita a 1,5200 idem.
Dita dita a 1^000 idem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a 100 rs. idem.
Cha fino superior a .'1/500 idem.
Dito dito a 3^200 idem.
Dito dito a 3,5000 idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf de caroco a 200, 20 e 280 rs,
idem.
JMilho alpista a 210 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a 400 rs. idem.
Vellas estiarinas, masso 720,
Potes com sal refinado a 400.
Ervilhas franceza em manteiga, 900 rs.
a lata.
Fructas portuguezas em calda a 000 rs.
a lata.
Ditas s de pecf gos maiores a 500 rs. a
lata.
Tjjolo para facas a 120 rs.
Chocolate espanhol a 1^000 o masso.
Frascos com conserva a 800 rs.
Ditos dita d> mustarda a 800 rs.
Latas com carne de ,iorco a 800 r.
Sardinhas de Nanles em manteiga a 800
rs. a hila.
Copos finos para agua, duzia 46800.
Garrafas finas para meza, o par 5-jOOO.
Cognac engarrafado a 800 rs.
Azeite frmcez engarrafado a I 000. |
Presunto em barril a 480 rs. por 500
grammas.
Farello em sacca com i l kilos por 50.
Ligninas e paios a 800 rs. por 500 gran>
ms.
G^z, feta a 35500.
Dito cm garrafa a 400 rs.
Latas do peixe a 800 rs.
Bolaxiui:Hs beato Antonio a 1^200 alar.
Latas de pao-de-16 a iOO rs.
Bter em garrafas a 800 rs.
Licores finos como coracol, amisade,
oulras muitas marcas a l1000rs.
Estriliuhas para pa a 800 rs. por 500
grammas.
Marrasquino de zeroa I & a garrafa.
Massa de tomate a 720 por 500 gram-
mas.
Os propietarios garanlem tudo quanto cima esl;'. especificado, adverte a todos
nacrconhecpm o peso d#500 grammas, mais de urna libra, e se evpcar aquelles
que nao entendem.
XARO P C
VEGETAL AMERICANO
ESALIDADE

FLOR BA BOA-VISTA
___ DE
Spaulo ferwawes de i. gimaraes
SOB A DlfiECCi^ DO MUITO HBIL ABTISTA
ALFAIATE PEDRO
Nesla ilwtna encoQtraro os respeiraveis freguezes um dos primeiros artis-
tas eslea bem conhecido 'oj grande especialidade em fardas), por muitas pessoas
radast dest cidade.
O mesmo eetbelecimento se acha musido de um cmplelo sortimasto de
fazendas, do que ha de melhor no mercado, proprias da officina.
O grande sortimento de roupas feila que tem, veeie mande fazer menee
$f) por ceoto deque emoutra qualquer parte (i dmheiro).
41 RA DA IMPERATRIZ 48
Juto # padaria franeusa*
BARTNOLOMEO&C
Hr i eon eerU iu toucs aoiifu e etnle, csUrrbw palmiur, kiIiim ; losse eooridn, atwth
troncaM, f em g*ral esotra todos 01 toffiimfoloj das fias rtspinloriti.
DEPOSITO GERAL
BOTICA m SnOOARZA, .
34, RA LARGA DO R0ZARI0, 31
PERNAMBUCO
A Iherapeutic ds diieris mo!estis do mIq,desda
i pharygile ao ml da garganta al a tuberculacao
pulmonar, passando pelas dursaa bronchiles calarrhaes
: o emphyscma acaba de ser enreqaecida com niai
eal me-ticameDto. que tomara a primeira ordem entre
lodos at boje conhecidos. O laropa Vegetal AnerictBO,
garantindo paramente vegetal, nao oonttn em sua
;ompojiJo un so alono de opio, sim somente soc-
eos de plantas indgenas, cajas prepriadades benfica*
aa cura da molestias que perteneci aos orgias de res-
plraeio foram por ns observadas por lengo tempo,
com ptimos resaltados cada vez mais cresceutes; pelo
]ue nos -julgamos autorisados a compor o rarone qoe
agora apreseuumos, e a oflarece lo aos medico* e ao
publico, Proamos coa o* atUstados abatzo o qua le-
amos dito, e conumo qua o coDceito da que ja gosa
o xarope Vegetal Americano crescer de dia a da,
deiando aouito apoa de si todo*o* pailones em Toga.
Illm. Sr. Barthalomeo A C,-0 xarope Vegetal Ame-
ricano, preparado so m coac*tta*di*sia*t pbarmacia,
um til rentedio para ceaaatar t terriiej astbau.
Sofria eu aquella atistia ha qua tro meses, sem aiada
ter combatido os ataqoes meusaes que tinba ; este ultimo
qoe tite foi fortissiaao que m* presten por 8 das, nsei,
orm o seo milagree* xarope, tomado apena* tres
dses, e at o preaamt* ai* ral de aoio atacado. Presa
Dea, que en fiqu reaUavlesido por bou t
loe, pois os meas sgTdecimentos por ate lar alifiado ,'
to borrifel mal. Com a mais significativa grai>!.
subscrevo-me de Vmcs. aflectuoso e recoabecido criarlo
Sereriiio uar'.t.Sua Casa H defcnreiro de 180o.
Illms Sr* Barthalomeo AC. Depoia de qnasi teas
metes de sofirimento com orna tose ncessante. fas1, ti
extraordinario, expectora^t* de um utarrho amarci!.'-
do, e perda total das Torcas, qne o menor aafsew
me (aligara completamente, cansado de tomar mais c.i-
Iros remedios sem resoltado tive a fel.idade de saberq*
Vmcs. prepararaoi o xarope Vegetal Americano, e coiti
ella, gracat a Dtns. me acho resUbe'ecido ba mai o
dois mexes, e robusto como se nada '.iresse erTrido. a
ratidio me foros a esta declarado, qae podaro Vroc-.
tzer o oso que querem. Sou com nimia de Vmt .
muitos respitador e criado. A i/oio Jminum *f
Ceaaro < Sita*, Bocif* 8 de levereiro de 1868.
Atiesto qne nsei do xarope Vegetal Amrricani-, ir*-
eoaapeweg* do Sr* Bartaolomeo t C. para cara de u*
ort* delaxo qo* me trouie urna rouqaidia. qne me rt*
raaia adknder, inflammaclo e der na garganta, tosn,
grande falla de respiracae. Uqoei completamente ie<-
UbeUcido com um so ridro do aoaaea* xarope; pe
qne Ihe* protesto eterna gratidie. Reeife 10 de
I 1868. /Mfu'm teir* Armtti+tvter.' -
Kwato* I Eatio reeoBbeeidos.
rnmm i mobt
INJECTION BRO
aa* petaalpaua balieu a* moa**. (Exigir a
t aeeaerart pajaBt*, lia.
mm). (*o um 4e aslauaota.) Paria," asa **>
MADAMA LE!
Com lqja na ra da Imperariz n. 7.
Tem a I*o*ire de partecipar ao respeitavei publico e em particular seus fregae-
^listas das mais
idos, man-
babilita-
zes, que, pelas relecSes que acaba de encelar comalguma
afamadas de Pars, rque todos os mezes Ihe mandam
te etes o chapeo mm ejtft (ajo maiev guste e> ma
da para fazer vestidos para paeseio e visitas, bailes e
nitos enfeitesmuitomodertawedetodasas coref. izera-s
taulo de fil como de peiba.
horas que
geste, como
m tem bo-
as as qualidades
"W-rALOII
N'ESTA AlfffO-A E CEDITATA
FABRICA
IIGIITI1 ti CNlIilTHUTJ 101 Cllrklll MtTtIKTI II
Vi

J R
De todw es tpielidadea I
Oe to De toda aa tarabea I
A 00 CRE
,
: I


LM
JHMBi
*-------
Diario ae Pernambuco Domingo 10 de-Outubvo de 1869.
[
10.11 DE MIS
DF.
se.
Este antigo estabslecimento, completa-
mente reformado le novo, est as condi-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de le. assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, hijos prepos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
sa em troca ou compram-se com pequeo
v''m mtA v:;
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarogar algodao, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
CACHINAS ditas, Uimbea de serrotes e de todos os tamarihos para descarocaty al-
godo do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
'ACHINAS ditas do Rolter Gins, de cojo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodio.
'MACHINAS de faco do fabricante Platt B. c C, Oodhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melbores que tm
mIo ao mercado ; e para a sua apreciado convidam-se os senhores agricultores "
^.rera a exposigao das mesmas na ra daCada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
contrario mais o seguinte:
Gpiiwle aruiazem de fazendas c roiipas eilas roa da hiperatriz
n. 52, porta larga, c Paredes Perto.
Neste cstabekcimento encontrar o respaavel publico um bonito soilimenti
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3, 30300 at 60. Ditos di
memo, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 5#, CiJ, 8,$ e 10$, de panno pretc
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo 6nos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 3fJ5Q0 a 5<50O0. Caigas de brim de cor unas e ordinarias, dila.1
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 4>, o$, O-J a 155. Golletes de todas as qualidades o prego muito
barato. Completo sorliuieuto do camisas francezas de algodao c de linho de 2# at
urna Sortimento de seroulas francezas de algodao, de liuho e bramante a 2j$ e 2500
Grvalas (mantas) novissimo gosto a tolos os pcegos. Meias sortimento completo a 3 W t 7f? a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de oeommenda tanto para homem, como
para meninos, c com brevidadp, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos c outras muitas fa-
zendas. > -
FAZBNDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a Jr>800 o metro.
Caaibraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil de-chvre com lista do seda fazenda de gosto a 1$200.
Hasquiues de guipuro enfeitadas a I89OOO.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolao fino a0*a00, 70, 8,5 e 9000.
Algodao pc?a com 20 jardas a 4,5500, SfOO e 6?>000.
Peen de algodo largo a 7#500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Chcgiicm ronpa
feita que so est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de onrives) do
LE&O DA PORTA LARGA
'Jebulhaderes para milho.
r.ylindros para padarias.
arados americanos.
Jariinhos de mo.
Machinas para cortar ;apim.
Camos de chumbo,
florabas de Japy.
ilitas americanas.
Tenas de ferro galvanizadas,
r'olhas de zinco finas.
Oitas de cobre e lati.
Ferro de todas as qualidades.
Ircos de ferro.
Folha de Flandres.
fachados americanos.
Faeoes ditos.
Slalos e cestas de vergoinha.
Vassouras americanas,
bolles de todos os tamaitos.
Tornos e safras para ferraros.
Finalmente maitos oitroa artig
diversidade seria enfadonbo ennumera-los.
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas do raadeira americanas.
Ps de fero ditas.
Baldes de madeira ditos.
Teraos de bandejas finas.
Trens completos para cozioha.
Penetras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almdanas.
Espigardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refraagoes.
Azeite de espormaceto, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaos e todos os mais pertences para ae
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes i lavoura o artes, que pela
DE
Paredes Porto.
cores escuras e claras a
Colleeeo
Superiores sedas de cor e listras a 1)5600 o covado.
Lindas poupcliuas de lia. com grande variedade de o
560 rs. o covado. "*,'.
Pegas de mussolina branca com salpicos e com sete metros cada pega, pelo ba-
itissimo prego de 45000 a pega: na loja das Colnmnas, ra do Crespo n. 13, de
Vntonio Correa de Vasconcellos 4G._______
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
Noldceifearcoda Concelcao n. 2
Os abaixo assgnados tendo-se habilitado na
forma das leis tem exposto a randa os seus eli-
zes bilheles das loteras do Rio de Janeiro na casa
cima aonde se pagaro as sortes que sahirem
no mesmo billiete eom o descont da lei somente.
PRECOS.
Rillu'te inteiro 215000
Meios 124000
Quartos 6J0OO
E de 1004 para cima a 224 o bilhete.
Figueiredo & Leite.
izarlos Antonio da Costa Carvalbo
fallar com o Sr. Jos Bal da Costa Carvailio a
negocio de sen inlercsse sobre uuia heranca : na
prara do Corpo Sanio u 6. _______^^____
I
Aluga-se
para lianhos do mar, urna casa jnnto a igreja de
S. Pedro; a tratar na coeheira de carros tuoe-
bres, na roa do Imperador.
Ama de leite.
PreMsa-se de urna ama que tenha bom leite,
para orear ame enanca de um mei, paja-se bem,
na ra Umita n. 81, sobrado.
de varios regulamentos le mpostos alte-
rados e creados
pela lei n. 1507 de 26 de setembro de
1867, comprehendendo
os de pjnssoal, escravo*, industrias e prolissoe.;,
sello, (oreanisado alptiabeiicamnute, explicando
cada acto a que sello esl sujeito se se deve eui-
pregnr estampilha oa verba,- no primeiro caso
quem deve" inulilisa-la), tr.tnsmissao de proprie-
dade, dir.ima de clianceltana, ii-dumentus, mul-
tas appliea las fazenda publica ele. etc., e em
appendice o do cofre de depsitos
pblicos
notadas com-as
insliluices e decisoes posteriores
ate a presente publicacau
por
Francisco Augusto de Almeida
li escripturario
* da
recebedoriu de l'ernambuco :
acha-se no prelo e breve a ser publicado; as-
signa-se na ra estreita do Rosario n. 12,por '\ 3
o volume ; depois de publicado costar' 43 para
quem nao assignar. l'orna se de grande ntilida-
deaos Srs. advogados, solicitadores, negociantes
e funccionai ios pblicos, a acqaisieao deste tra-
balbo.
Aos laboriosos
Concet tara-se.
sob anga, machi-
nas de costura,
com perfeicao e
presteza, fazen-
do-se mesmo
qualquer pe<;a
(|ue por ventura
se quebr; assim
^ como machinas a
^vapor, cylindro
"~" "e padaria ou ou-
tro qualquer ma-
I cliinismo tenden-
te a industria do
paiz, sob as mes-
na ra dos Patos n. 8 ou
FMGATA AMAZOHAS
Antonio Lonrengo Teheira Marques tem
a horra de annunciar ao respeitavel publico,
e ao corpo do commercio, que a sociedade
commercial commanditaria, sob a razio so-
cial cMarqms, Siloa fe C. qtietfnha com
Manoe lMonteiro da Cuuha e Joo Maria ila
Silva, esl ssolvida, e extincta ; ficando
todo o activo e passivo da mesma ao cargo
exclusivo do abaixo assignado, isentos os
seus dous ex-sociosdetoda e qualqaer res-
ponsabilidad e presente e tu tura.
O abaixo assignado contina no mesmo
estabilecimento da ex-sociedade (Fragata f^fgjffi sn "Rj,.'
Auiaionas) sob a nova firma Teixra Mar- -
que C. onde prometi servir aos seus
l'reguczes e amigos, cora sinceridade, zelo
e premplido.
Re:ife, 8 de outubro de 18Gi). Em cuoiprlliento do artjg0 19 d()S e3tatatos da
____.KfOome Mirmco JeixeiraMarques. mesmacompanhia serao vndidas 39.de suasac-
recisa-se de orna ama livre para comprar e i coimhar : na ra da Paz n. 2, taberna. 850. outro de 10, de ns. 791 a 800. Os preten-
mHBI dentes po lem dirigir as suas propostas por nter-
j,a AiT^^^sT^T^nnosiigraTeeni medio de corretores geraes at o dia 13 docorren-
cordialmerrtc a todas as pesroas que ae pttram te, no escriptorio da corapanlua^rua do \ igano b
acampanhar ao ultimo jazigo os restos nmrtaes de
sua se npre chorada esposa mai Looadia The-
reza dos Reis; o ao mesrho tempo coadam aos
seiK [arentes amigos para asslstoem a urna
missa que se tem de resar na igreja matriz da
oa-vista, na terca-feira, 12 do correle, as 6 ho-
ras a manha, stimo dia de seu faltecimento.
Companla indemni-
sadora.
0 MUSEO DE JOIAS
C^J
c
GOMES DE MATTOS IRMftOS
tendo feito completa mudamja em sou antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar4he maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialida,de o* Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
1101 DO CABUGA N. 4
onde eucontrarfio um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello prc99o em brilhantes, esmeraldas, rubina e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ABEfiECOS DE BRILHANTES,
E RUBIMS
do no*os goatos, b^sim orno grande variedade de salvas e paliteiros de
prati oantrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objtelos 4o -jM^ita para uso das igrejas, *
ComBwm e trocean qualquer joia ou pedra preciosa e gatatem
a qtiatidade4osobjectos vt^didos.
0 MUSEO DE JOIAS
Becieti deoutnbro do 1809.
Os directores
Joao da Silva llegadas.
Francisco Joao de Carros,
a Antonio Jos Leal Res.
IVlPRESTimO SOBRE"
(SEM LIMITE.)
Va ravessa da ra
das Cruzes n, % pri-
meiro andar, da-*e qual-
per pafitia sobre ouro,
prata e pedras preciosas.
O dono deste estabetecimento,
competentemente autorizado pelo
governo, estibas (X)odi8e8 de ga-
rantir a transaeco que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e conaUler5o s pessoas aue se
dignarem de honradlo em seu esta-
beleeimento.
Na mesma asa cpmpra-se ouro,
rata e brilhantes.
jPai*a test*a.
Aluga-se um sobrado de um andar na rna do
Amparo-D. J2, era Olinda ; para rer, podem pedir
a cbaw na taberna Jo Sr. GnllhWme, looio do
mesmo sobrado, epra-inttar, m |M*e da Inde-
pen"?ocTa, Wh FEITOR
Precisa-se de luu/cilor de boa conducta, forle
c vigoroso, que >!J* rasado, para servlr^i de sitio
ea dirccci dos oscravos : a tratar na fabrica de
rap, rna do Moniicgo n. 107._____________^^
Precisaras lugir um ou dous escravos, |>a-
ga-se bom itlngiiel : quem t ver pode ir tratar
no paleo do T"n;.i ii. 63.
l-'ngio da casa du ubaixo assiguad, no dia
lo do setemlyo pr'qxitBd passado, o seu escravo,,
de nomo Jujo, crioulo, idade "M anuos, pouco
mais ou mCnoV, estatura regular, cor preta, j
pinta, ponen barba : quem o pegar, leve San-
l'Auna de dentro, que ser biin recompensado.
Joao Venancio Machado da Par
Xa ra do llortas n. 1, precisa-se de urna
ama para cozinliar e comprar
COMPRAS.
Lom muito maior vantagem compram-se
nioedas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
raraode Ouro n. i D, roa do Cabup.
0 lauzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 com|ira-so ouro, prata
e pedras preciosas por presos mais vantajosos do
que em ontra qualquer partt.
Ouro e pvat
Compram-se moedas de ouro e [rala de todas
as qualidades. por bom preco : na ra da Cadeia
do llecife n. 38. I. ja do azulejo.
Compran-*) moedas de ouro e prala de lo-
do.- ns valores, ouro e prata eni obras inulilisadas
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
onrives do an-o da ConceicSo, no Itecife.
f.fil'll.llHE 1
3BS5EAYOS
Compram-se c vender e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
tereciro andar do sobrado n. 36, ra das Crnzes,
freguezia de Santo Antonio.
Compra-se um prcto de meia idade : na ra
do Rangiil, padaria.
Estrada de ferro do
Recife Olinda.
Compram-se dormentos de madeiras das quali-
dades seguintes : sicupira, olicica, amarello, ce-
dro e pinlio creosatado, e oulras madeiras de du-
raciio para o chito, tendo as dmeii(joes de 10 pal-
mos de comprimento, 7 1|2 a 8 1|4 pollegadas de
largura c :i l|2 a i pollegadas de grossura. Con-
lrata-se qurrlijuer poreao de 100 para cima, de-
vendo os coneunvnle* presentarein as suas pro-
posias aleo dia 0 de oulubro correute, ao meio
dia, no armaz-m ila companhia junto a ponle de
Santa Isabel deveBdo todos se achanm presen-
tos a hora e lugar indicados para vercm abrir
suas proposttfi
0 superintendente,
Andr de Abreu Porto.
A VERDADE
oo~Ruado Queimado55
A VERDADE tendo em deposito grande
qnantidade demiudezase perfumaras, ed<-
sejando apurar dinheiro e adqiK'rir boa fre-
guezia est rssolvida a vender n.tilissinv>
barato, ; por essa razao convida aori'spo-
lavel publico a vir compelenlemenle muni-
do a sortir-sc do borne barato. Pois guan-
do a Verdade apparece, tudo mais ds-
apparece....
Grande sortimento de bonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Ricos globos para candii'iro de gaz a I 800
Chamins a....... '"0
Grande sortimento de objetos de
loiifa para brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida verdadeira a
Dita cpm dita dita a .
Frasco com oleo de babosa a 300 e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Garrafa com agua divina a. .
Frasco com extractos linos a .
100
800
I >oi>;
150-0
70
500
I 500
I 000
Compra-se
dous carros de alfandega para bois e duas cario-
cas de aterro, grandes : no eseriptorio da compa-
nhia Pernambucana.
Para encommenda
Comprase urna escrava que saiba coser e cn-
gommar, anda que uo seja n uito mora, porm
qne tenha coinpolamenlo perfeito : na ra da
Cadeia n. H0, 2o andar, se dir para quem .
Compra-se um escravo canoeirn, sem vicios
nein achaques : na travs-a da matriz de Santo
Antonio n. Ii, sobrado.
?VrNDAS.
Vernizes.
Vende-so no eseriptorio de Joaquim Gerardo de
Bastos, ra do Vigario n. 16, primeiro andar, os
segrales vernizes em latas de 6 e 9 libras, do
acreditado fabricante do Para, Caetano Antonio
dos Sanios Lisboa :
Verniz copal escuro.
Dte dito claro.
Dito dito escuro proprio para obras de folha de
Flandres.
Dito ir de ouro ou douradilho.
Tijollos de marmore
Vendem-se
De 8 l/i polcgadas por face ------ 560
De 0 ditas de dita ......... 590
De 10 ditas de dita .......... 640
tratar na Ponte de Ucha n. 17, casa
terrea cinzenta, pouco adianle do sitio do
Dr. A. de Oveira.
Vcnde-se um bom preto de :M) anuos, cozi-
nneiro, de boa conducta : na ra de Hurtas
n. 96.
Vende se urna preta de 20 annos, bonita fi-
gura, vinda do mato ; lava muilo bem : na ra
de Horlas n. 96.
Vende-se duas mulatas de 20 annos, urna
outra do 30 annos, urna preta de 30, todas com
habilidades : na ra deHortas n. 96.
Vende-se nina mei-agoa na travessa do Ma-
risco : quem fuizer dirija-se a ra do Rangel n.
7, taberna.
Cozffiheiro
Precisa-se de um eoubheiro du boa conducta
para-mformaqoes na ra da Cruz n. 16.
AJuga-st uina aseniva
Queimado n.61.
a trajar m r
do
uta era ewiwrtw mschj'j
na de aser, se oflerees a 4oMn f>m ae lill-
aar de ssus serv50. dirija-" a roa da ConceicSo
n. 38, qne aptra/ enm quem tralsr-
^^Sj^^S^ fx
Ho i roa -Ifera 89 &***& ^*f*
^-JP>bra5ad(
# Utobro de 1W. *^ .
Manoe] Goncahw** rm
Vndese por prego muilo commodo a armacao
e balea da taberna Flor do Brasil, na ra da ma-
triz da Ba-vista, esquina da ra Velha, boje offl
eina de marcineiro, cuja armacao se acba fra do
seu lugar, pocm em perfeito estado para qualquer
estabelecimento : a tratar na dita offleina,- onde
vero os pretndeme a dita armacao, ou oom Rn-
flno Manoel da Cruz Coiisaeiro, no saes de Capiba-
rbe n. 8, e rna do Lima, em Santo Amaro n. 32.
Cera.
Vene-se cera preta para sapatos, a raelbor pos-
sivel, a 1*600 o cento : na travessa da ra das
Cruaes n. i, loja de calcado.___________
Vendem-se 25 acedes da companhia do Tri-
litos Urbanos do llecife a Oiiada : a tratar na ra
do Commercio n. 32, 2o andar.
Temporal na Bonanza
Este estabelecimento acaba de recebar nm com-
pleto sortimento de agulbas curtas e compridas,
as memores que am vndo ao mercado; as ag-
itas tem o distiaelivo do TEMPORAL.
Previne-so a-todas as familias que quando nian-
darem comprar estas especiaes agulhas que vejara
no papel o distintivo do TEMPORAL.
Paco esHs observadlo para que as familias nao
sejam engaadas pelos meus collaga presentan-
do oulras agulhas e dizendo que sao a que eu
annuncio.
S onde ba estas agulhas na
LOJA DABONANgAN. 63
preco do cada papel IO0 rs._________________
Veode-se o daposito de charutos da ra es-
treita do Rasarlo n. 16 a tratar na raa do Horlas
numero 1.
Veode-s# urna aacrava de bonita ligura com
ti annos. boa engommadeira e cozlnneira, tem um
libo mulalinho com 9 annu, muito bonito, vende-
ara fra -di trra oa enfeal. Iteendo-se a
por qne ; assim emuo tambera se vende
|ria-n#griflha com 11 annos, bem educada, j eo-
te tnuito bem, emende da limpeza de ama sala, e
i assim como do servteo de nma mea, multo bo-
nita e sadia : na raa Dimita ti. 38.
Latas pequeas com banha muito
lina a I2fi e...... 200
Saboot'tes de diversas qoali lados a
80,!60,Sfi0e...... 320
Finas escova* para (lentos de 10 a 000
Lindos foques modernos a. 2500
I'avius para gaz, duzia .1 i'tO e 3:<<>
Escovas para fado a 5i 0, COO e 700 ,
Ditas para cabello a..... 500
Feotes para tirar piolbo a 1GO e. 2,40
Brincos de cores, bonitos a ICO e i(/i
Pecas de tranca de laa com 8
varas por....... bO
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 600
Pennas d'aco finas catat a 800 c I000
Dita d'aco Perry, caixa a. IjliGO
Galo de algodao pera .... 400
Lindos babadinlios e ntremelos
peca de 500 a......i 500
Botoes de madreperola, groza a 800
Ditos de louca muito fino a 120 e 200
Ditos para caiga a 160 e. _':<
Caixa com papel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 480
Ditas com obreias a..... LO
Caixa com agulhas fundo domado 260
Ditas de ditas ditas a..... 100
Thesoura para coslura a 240 o 500
Caixa com linha de marca a 200
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carrcteis de linha Alexandre de 70
at 200. ,'.....
Grampos muito finos com passa-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 23200 e .
Papel almaco e de peso, resma a
33400, 3#00 e .
La muilo fina para bordar, libra
Fita de algodio para debrum de
sapatos, pega a.....
Ditas de la para debrum de ves-
tido, pega a ......
Penles finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Caivetes grandes cora molla a .
Ditos para aparar penna a .
Cartoes com colxetes a .
(losetas pretas, par a .
Tranca de la de caracol peca a 40 e
Fita de coz pega a 480 e .
Alfinetes de latao a.....
Sapatos de 15a para menino a 2U)e
Ligas para senhora, par a. .
Gravata de sedas do cores a .
Calcadeiras a.......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha por
100 ris 1!!! 11!
Xa verdade rna do i|ueina!o
u. 55.
S )
100
-),'..
!*00
4;vj'00
Q|7CC
IOS
480
320
500
320
14*
4
100
100
560
100
800
160
200
80
E' de importancia!!!
O aviso que faz o Campos da ra de
laperador n. 28, pois s elle pode forno
cej- aos amadores da boa fumaga os cha-
rutos que tito anciosamente erain espera-
dos de Costa & Irmos, e sao -ellos das se-
guintes marcas : exposico Normas imp*-
riaes e Havaneiros. A elles antes qne y
ac bem.
0 Campos
Tatnbem tem em seu eslabelecimenb1,
alm demuitosoutros gneros anlo pata
mesa, como para despensa, o seguinte :
Camaroes seceos do Marauhao.
0 verdadeiro caf de Moka,
Fumo picado do Daniel de S. Joo d"
Ro-Novo.
Termos de medidas para seceos, segun-
do o psdrao francez, (metrico-decimal).
ASSIM COMO.
As tabellas que mais aceitacao tem merecitk:
das casas de commercio em grosso c a i c-
talho, smente pea fcil comprehenso.
commodo prego, s no
Armazem do Campos
Santos Falc5o C, ra da Cadeia .
43, receberam ara novo sortknetUo de ca-
semiras decores, as melhores que lem viu-
do a este meicado, tanto em fazend
como em padroes. No mesmo estabeleci-
mento encontrar-se-ha s afamadas man
Alavalier, bem como um Modo e faado
sortimerrto de cateados para homens e se-
aboras, do primeiro fabricante de Paris.
U Um da Cadeia -45
Nt mai cabellos brancop.
A tmtnra japonna para tmgr os caberlas
da cabega e da barba, foi a nica admltida
ExposifUo ffhiticrsttl, por ter sido reco-
nhecida superior todas as prepararles t
hoje existentes, sem alterar a sade.
Yende-se a t*5886 cada frasco na
Roa da Cadta n. 51,
1. andar.
V
R*u venda a scoftido sormento d.
lectoe de marelneria, mo sejam, mobilias do
arandi, mogno e amarello, obra nacional e e
leira, de aforado foto e por pro<
a na Mta do Rosario n. 81. 1
asa ktmso oom,fwHawiu tedw 01.
yalhinha, eomo sejam, enmaDiamentos
)ara camas, cadeirase soplas.
Libros sterJiuas
Ttndi'M libras iierlinas : 110 oscripleii
Leal Reis, 4 ra da Cadeia n, W,

h
llEGhH
i""


6
DiaiftiHie Peinambaco.,b-H)ouiugo *0 Je Outubro 4e 1800. ,<,
SEMI
AS
O proprietario do armazem de fazendas denominado ARARA, ra da Impera-
triz a. 7a, declara aorespeitaul publico eseus fregireze?, que est liquidando odas as
fazendas e roupas feilas que tem cm seu estabelerimento como se poder ver no seu
aununcio a preco abaixo mencionados,
Chitas francezas ma izadas
:i rs.
Vende-se chitas francezas escuras matiza-
das a 320 rs. o cayado por este preco sna
Ioja da Arara, ra da imperatriz n. 72.
L\AZINIIASA 250 RS.
Vende-se lazinhas pai a vestidos de se-
nhora a 210, 280, 'iO o 400 rs. o co-
vado.
, BAREGES DE LAA A 500 RS.
Vende-se baregcs de laa com listras para
vestidos de senhora a 900 e 610 rs. o
covado.
alpacas de lisfras a 5 rs.
Vende-se alpacas de listras para vesti-
dos de sentara a 500 rs. o covado.
(MITAS FRANCEZAS A 289 RS.
Vende-se chitas francezas claras a 280rs.
o covado.
CORTO DE M PARA VESTIDOS A
.2?$ 100.
Vende-se cortes dj laa para vestidos de
scalioras a 23100 cada um,
PERCALES A O RS.O COVADO.
Vende-se percales multo linos para ves-
tidos de senhora a 440 rs. o covado, mo-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
brillantinas d cores, a 440 rs. o covado.
Baldes modernos de todas as
cores.
Vendesibaffiesmoderno sbrancoe de co-
ras***. 4*800 eW. iMp.nA
COBERTORES DE ADGODAO A 15500.
Vende-se cobertores de algodo a i{51500,
cobertas de chitas a 1&S00 e U cada nina,
. GANGAS PAUA CALCA A 330 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de hamem c
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para calca c palitols a 20500 e U,
o covado, meias casemiras enfestadas para
calase palitots a 1$ o covado, brim pardo
le todas as qualidades e bnin branco de
todas as qualidades na ra da Imperatriz
E. 72.
Alpacas Buzas a 1 rs.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a
640 rs. o covado, tarlatacas de cores a 320
rs. o metro.
MADAI'OLO ENTESTADO A 3;So00
Vende-se peras de madapolSo enfestado
a 3^500, pecas'de madapolo nglez de 24
jardas a 5-5, (54400, H, 83 e 10,-5 a peca.
Algodo cufestfado OO rs.
Vende-se algodo enfestado proprio para
teneres e toalhas, 000 rs. o metro, dito
trai.'.adr. a I;?, metro.
Chales demerinoa *.
Vende-se chales de merino estampados
a 25. chales- brancos c de core a 000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Y \. de brim castor para caifa de homem, 640
11--RUA DO QTJEIMADO--11
Chcgaram da Europa pelo ultimo vapor Ioja de Augusto Porto 4 C. neos
cortes das mais linda sidas de mimosas cores para vestidos propnos para bailes e casa-
men S' Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas de lindas cores,
Torguro de seda preta, e grosdenaple de varias qualidades e gorguro de seda laa ae
*i i llrenles crc**
Novos 'vestidos brancos de blond para noivas, lindas colxas de seda para camas,
ditas de laa c seda, cortinados bordados para camas ejanellas, fronhas e toamas ae
cambraia de linho bordadas. ..,.,.,
Lavas novas de Joavin.e elegantes sombnnhas de s Jas de cor pira seoras
Espartilbos do 5,5 at M, lindos bournous de cachemira de cor para saluda
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch brancoe preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para horneas e meamos.
Soitimento de rauitas fazendas de laa, linho e algodo todas por precos muito
mdico.
Tapetes
foYrar safes tudo em qtiantidade
parte
grandes para so, piano e camas, pecas de tapates o de alcatifa paro
era quantidade; e vendem semprelpor meos que em oulra qualquer
Esteras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
rs. rada um.
J.rnnde porco de relalhos
V.-nde-se grande porra' de retalhos de
chitas cassas pretas a (K> e 00 rs. o-
cv, h>, retamos de cassas, 15a-e chitas de
coi s baratssimos.
. LIQUIDAM A ROUPA FEITA
Vonde-s palitots de brim de cores a 2,
ditos de alpacas de cores a 2& di'os de
me i casemira a U e 25500. ditos- de pan-
no preto bom a 8,-5> e 10-5, calcas de algo-
do azul para escravos a 640 rs. titas de
algodf.yde listras a 800 e 40, camisas de
recado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de brim o fastto de cores a Ifle t#>00,
coleles de cesemira decores a 20500 e 3:>,
e outras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a OO rs.
o covado
Vende-se algodo do listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PEGA DE ALGODaO A 40.
Vendem-se pecas de algodo 40000-,
50200, G.0OOO e 70, para liquidar.
Italcs de arcos ljt&OO.
Vende-se bales de arcos para senhoras
pelo baratissimo prego do 10500 cada um,
Cortes de cambraia barras
a 3000.
Vende-se cortes de cambraias barrsa a
25 e M cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada-
um. para liquidar-
CARTE1RA PARA VIAGEM A 10.
Vende-se carteiras para viagem
cada ama.
280 e 320 rs. o covado, i
Este Mlmirml1
[eyuralivo uac)
conlwneminie-
curi, iodo o*
larsen" m !
Iviforoso modiD-
i iSJECCAO CADET
Vamib, 7, Bd Bcaain,

Grande e completo sorlimento do machinas para
descarocar aljrfao de ora invencao rhegadas l-
timamente em direitura para a Ioja de Manoel
liento de Oliveira Braga A G., na roa Direita n
53 Garntese (fue a melhor qualidade- pe ate
o presente tem rindo ao mercado : acham-se em
exposipSo aos compradores as de 10,12, M, 10.
18 e *> tmv. .
Systema decimal.
Grande e completo sortimenRv de pesos fc'Ho-
granmos de melhor comprelienett dos que tsm
vimlo at o presente, assi como marcos de latao
att meio grammo pelo mesmo systsma, balancas
de latao de torca de 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira e e latao para medir awndas, alem
de grande sorfimenlo de miudeas e ferragens de
todas as qualidades, tudo por precos qu so a vista
faz crdito : na ra Direira n; Si, Ioja de Manoel
liento de Oliveira Braga & fl________________
nra cm das os eniBit.'nto ratigos o recente
os mai rebelde
\ssim como vende-Si chitas para cobertss, a 240,
oupas feitas, e que pelo preco qn*-
,e quera se quir.er sortir de fazenda
afestapelo prefo que IhQ agradar, so poden dirigir a ra d>
nperatriz armazem da ARARA, que estar aborto todos os das ute.s, das 6 horas da
manbla, s 9 horas da noile.
72. Ra da Imperatriz. 72.
ellas antes que so acabem todas mais fazendas e roupas feitas, e que pelo mmf
ti?\5r M liquidar, poucos dias poder durar, e quera s\*^"***~*t
e roupas feitas para a
CONVITE GERAL.
O lillUir do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na rai da^Irrpe-
dar no dia 15 ou 20 do correte, por isso convida ao respetare! publico a vu surtir
se de boas fazendas, e por diminuto preco. a NMr:
RIVAL SU
Ra do Queimach ns. 49' e 57
lojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Maiar est acabando*
com as mudezas-- de seu estabe-
leeimenfos por is&9 queramapre-
ciar o que bom e baratissimo.
Pegas de tiras bordadas com 12
metros-, fazena superior, a
1#>0;2-, 3e..... 4;>000
Caixas de linha cm 50 nefelios 500
Pares de- sapatos de tranea fa-
zenda nova- a......2000
Pares de sapatw d topete
(s grandes).a...... 4^500
Duzias de-meias croas para-ho-
mem a........ 3&800
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco melhor 100 attos- a 200
Livros de misses abreviadas a "2)5000
Duzia de baralhos francezes nauito
finos a2?400 c.....*&&X
Silabario portuguez com estam-
pas a ........ #^20
Grvalas de-crese pretas mwito
finas a ........ ^^00
Cartes com: colGbetes de IitSo
fazenda fina a;..... #20
Al)otuaduns de-vidro-pan coiete
fazenda fina a. ^300
Caixas cora> penna d'aco mwto
finas a 320; 400, 500- e I^X)
Cartes de linha Aexandre que-
tem 200 jardas a *00
Carreteis de: linha Alexandro de
70 ate 960 a. ..... #100
Caixas com superieres obreias
de massa a...... #)40
Dazias de agulhas para machina 2O00
Libras de pregos francezes di-
verso tamanho a. -#240
Livros escripturade- para rol' de
roupa a. ...... #190
Talheres para meninos muito
finos a......., #240
Caixas com papel amizae muito
fino a........ #700
Caixas com 100 etiopes muito
finos a........ #600
Pentes volteados para meninas e
senhoras a....... #320
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a / #500
Tioteiros com tinta preta muito
boa a 80 120 e #320
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. #160
Pecas de fita branca elstica
muito fina a. .... 200
Novellos de linha com 400 jardas 60
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Grozas de botes de louca muito
finos a........
JMMA
R)
GALLO VIGILANTE
Itia do Crespo n. 9
Os p?opnetaric deste boa conlieeido estele-
cimento-, ajena do nmitos ofcjectoe que tinham ex-
postos a apreciacao do resiieitavel psblico, man-
daram vir e acabam de rec?ber pelo nltimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finos e raoi delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de ssu oostume,
nt
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubeuch A C, em
copac urna das que mais agurdente de
cognac, frnecem para o consumm do
Reino da- Inglaterra.
Vende-se em casa doThvJust. ra do
commercio n. 32. ^^____
BAZABLNIYERSAl,
3 Unx Mora*
Carneiro Vianna
Neste BAZA* encontra-se om completo
por preco muito baratinhos e commodta para to-1.8W.ment0 de todos 08 artigOS que se ven-
Jbs, com tanto que o Gallo....
Muito saperiores tovas de pellica, ptetas, bran-
cas e de mai lindas cores.
Mui boa e bonitas gollinhas e punhee para se-
niora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes to tartaruga para coques.
Lindos e ritjuissimos enfeites para caberas das
Eamas. senhoras-.
Sellhis baratos,
N. 27 RADOUVRAMENXO N. 27.
Neste estabelecimento venderse selhns e
silhbes, de tedas as qualidades do melhor
que se pode fabricar no paiz, assim como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxes, traviceiros, caixi*
nbas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietano deste esta-
beleciraento garante a pontiiahdade, esme-
ro e zelo de seu trabalho ; DOTtanto pede ao
respeitavel publico soa proteccao, que affian-
5a vender tudo pelo mais banto possivel,
epor menos do que em outra qualquer
parle. J____________,______
3 cordeiro previdente
Rna do ineiaiado n. *
Noto e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alera do completo sortimento de perfo-
marias, de que effectivamente est protida a
Ioja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, supenon-
dade, qealdades e commodidades de pre-
sos; assim.'pois.oCordeiroPrevidente pede
e espera eontinuar a merecer a apreciado
do respeitavel poblico em gznl e de sua
boa fregueaia em particular, nao se afas-
ando elle de sua bi;m conhecida mansidc-
e barateza. Era dita Ioja enoontnro os-
ipreciadores do bom:
Agua divina-de E. Coudray.
Dita verdadbira de Murray dfcamman.
Dita de Colsgne ingleza, americana, fran-
oeza, todas dos-memores e maareditado
fabrieantes.
Dita de flor de larongeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para-toilet.
Elixir odontaigico para consewac5o do
ssei da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e cnei-
ros agradaveis.
Copes e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Fraseos com d':ta japoneza, transparente
outrae- qualidade?
Finos- extractos inglezes, americanos e
adoptados a
tima expsito servicos-a electos-para aire-
lo e jantar, salvas, bandejas, tabotiros, bol-
Superiores trancas pretas e ds cores com vidri- g^g e maias para viagenn indispen3vei8 para
Ihos e setn etles; esta fazenda o que pode ha ver
de melhor t mais bonito.
Speriore e bonitos leque de madreperola,
marfim, sawlalo e osso, send aquelles brancos
com-liados desenhos, e estes |reto.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as qnaes semppe se vendern* por 30*000
a duia, entretanto que nos- as vendemos por 203,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
Anas.
KfetSiS cim^dTeSatslu- dacorhidas, brinquedos. para^ a^a
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
dem por precos commedos como-sejam: Um
^^tSST^S^SSJS francezes^emfnsmsmpleseenfeitaclos .
tura de tods ^^^^^ EssenSia imperial-do fino e agradan! chet-
ro de violeta.
Outraa concentradas e de cb'.ro igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome wdaneiro.
Extraoto d'oleo de superior qualidade.
com escbidos cbeiros,em frascos- dedifJe-
rentestamanhos.
Sabonetes em burras, maiores e menores
pan mes.
Ditos transparen5eSj redondfl-e'e figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos-em caixinha para barba.
Caixiahas com besitos sabonetes icaitando
senhoras, candieiros pan sala e cimademesa,
parede e postal, mangas, tubos e-globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para araassar farinha, ditas
para fazer menteiga, camas de ferro par
casados, solteiros e enanca, berces> cadei-
ras longas pera-.viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras-
para quadros. gaz, baldes americaaos, gu r
s, una
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
ALGODAO ENFESTADO TRANCADO A
i#000.
Vende-se algodo enfestad i trancado para
lencoes a 15000, dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendem-se cassas francezas pan vesti-
dos de senhora a 240 e 980 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 30300
Vendem-se pecas de madapotSo enfes-
tado a 3^300, dito inglez de 24 jardas ou
22 metros a 55, 65, 75, 85, 05 e 105, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado. i
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5iX) rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 15-
Vende-se sedas de cores para vestidos de
senhora a 15 o covado.
PORCO DE RSTALU03.
Vende-se urna porc3o de retalhos de cas-
sas, de 13a e sedas e da outras fazendas
por muito barato prego.
A' elles antes que se acabem.
(CHALY DE CORES A 800 RS.
Vende-so chaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 1*.
Vende-se chales de cassa a 15, e de me-
ri- a 25.
CORTES DE LAA A 25460 RS.
Vendem-se cortes de 15a de tstn para
viudos de; senhora a 25400 re. para aca-
bar.
ALGODO A PECA W000.
Vende-se pocas de algodo a 5, 55, 65
e 75 a peca. E militas outras cousas que
seria enfadanbn nj6Bjynnar.
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 r>. o
^CASEMIRAS DE CORES A 2*500
Vende-se casemiras de cores a 2^500 e
35000 o covado. nn
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 3*000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda a 105 cada um,
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para calcas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
angas para cal?a a 3 O r.
Vendem-se gangas de cores pan cal;a e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
"mSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 n. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senaora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cort-s a
320 o metro.
Lencos brancos a 25.
Vende-se lencos bnneos a 25 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 re-
Ditas de linho fino a 15000, para aca-
bar.
[GRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALID.iDES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que em outra casa: por
isso os pretendemos poderlo yir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
ALOES DE ARCOS A 15500.
Venden-se bales de 20 e 30 aos a
160
Machinas i vapor de
forpa de 3 e 4ca-
valios.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balco.
Camas do ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de TJhit-
field.
Prencas para copiar carlas.
Fogo americano patent
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quaatidado de oatras qualidades, como sejam, ma-
i'eira, baleia, osso, borracha* ele. ele. etc.
Finos, bonitos e airosos chicofahos de cadea e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de dade.
Navalhas cabo de marflm e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e. nos por nossa ve: tam-
bem asseguramis sua quah'ade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Snperiores agulhas para machina e para croxe.
Linha muito boa de peso> frouxa, para anchor
labyrintho.
Bons baralhos do caitas para voltarete, assim
como os tcntos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as coavulsoes, e
facilitam a dentieo das innocentes erkmeas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aQm de qoe nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao acuel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do-gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deiros collares, e os qnaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se renderao com am mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis Ioja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7. _______^^_
Extraclum carnis
Este producto alimentacao para doentes, mai
apropriada para creancas e para as pessoas saas;
indispensavel a todos, poim, principalxiente aas
viajantes, que terao netle o recurso de podeiem
ter alimentacao de carno fresca ncerruplivel e
que com facilidade se aprompta e se conduz, por-
que D'um pequeo volume carrega-se alimealacao
para muito tempo. Sobretudo chama-sc a ailen-
eao dos senhores de engenhos que encontrarao no
XTRACTUM CARNIS o recorso de alimentacao
agradavel, hygienica e barata para seus tamulos e
seus doentes.
Este producto fabricado pelo processo do dis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Rio-Grande do Sul,
que acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victorino de Rezende & C, ra da
Cada, ecriptorio n. 51, primeiro aadar, venden-
do-se: *
No deposito a ra da Cada n. 32.
as pliarmacias dos Srs.:
Manoel Alves Barbosa, mesma raa n. 61.
Joaquim de Almeida Pinto, ra larga do Rosa-
rio n. 10. .
Antonio Mara Marques Ferreira, a prica da
Boa-Vista n. 91.
H. B.-^As latas que contem o extracto trazera
urna guia para seu uso.
completo sortimento de cestinhas,. oleados fructas.
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
parto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros-artigos que se encontrarao s
venda no mesmo estabeleeimento e que vale
a pena ir examinar.__________________
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster A
C, ra do Imperador, oro carregamento de gai
de primeira qualidade; o qoai se vende em partida
e a retalho por menos preco do que em outr;> qoai
quer parte.______^,_________________
BIABO 1H1.UI V
Musselinas de core futas e mordernas, cova-
do 480 rs.
Ipaca
1,0500 cada-um, ditos modernos a 4.
BRIM HAMBURGO A 8(J000 A PEA.
Vendem-se pecas de brim zo de Ham-
burgo a 8^, vem a ser mais barato de que
algodaosinho.
CORTINADOS A 14,5000,
Vende-so cortinados para ama a lio
para liquidar. Ditos para janellas a 70.
Todas estas fazendas se vendem U
barato na ra da Imperatriz n. 56
Scbonete de alcatro,
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to boa
acceitacao tem merecido n'esta provincia,
muito se. recommenda pan a can certa
das impigens, sarnas, caspas e todas a
molestias de rielle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartbolomeu C,
34ra larga do Rosario84.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa k Filho, defronte doarcodaCon-
ceigao, em barricas grandes.
Alpaca da Escocia, trancada com liira, cova-
do 800 rs. -
Lawn listras de cures transparentes, cova-
do 700 rs. a ^ i .
Poil de chevre de diversas cores.
Toalhas para rosto, una 500 rs.
Ditas felpudas.
Fuslao branco e amarello, covado 6i0 rs.
Basquinas'boa fazenda e eufeitadas com gosto
a 3000.
EspSrlHhos modernos a o000.
Saias de laa cam barra a 61000.
Cortes de cazemira, lindas cores e boa fazenaa
a 8, 91 e 10.
Atoalhado de linho, bramante, algodaoalyo irau-
cado, lenees do linlioyWberias, camisas ingtezas
de linho e algodo, coTlarinhos, guardanapos de
linho, bales para senhoras e. meninas, chapeos de
sol de seda, lengos de cambraia de linho, ditos
de dita de algodo e lemjos da China. .
Estamenha a melhor do mercado, covado 2*200.
Btoi.ipn feita.
Bom sortimento do roupa feita para homens e
aprompta-se por medida por commodos preco^
A ra do Queiniado n. 19
Loja demiudezas de FERREIRA DA CL-
NIIA 4 TEMPORAL, estilo quimando por
todo prego venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me-
ninos de 240 a #.
Linkas em noveHos de 400 >ardas a
Pecas de tranca de todas as cores a *0 rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 2^5000.
Frascos com oleo baboza 240, M*
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, 300 e
Ditos com banha 320, 500 e 1*200.
Ditos de agua de Colonia 320, 400 e
500 rs-
Baralhos de cartas portuguezas a. 121) e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes a 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos com duas folhas a 240 rs.
Linha de 200 jai-das em carretel (duzia) a
1^200.
Lindos port-maine 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320 e400 rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
3*800
Ditas de ditas para senhora a 4*500.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
1*200.
Ditas com agua divina 1*300.
Frascos com sndalo a 1*200.
Pecas de ntremelos a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
5*000.
Papel amisade boira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonels de panno para menino a
2*000.
Pentes brancos finos para alisar a 240 e
320 rs.
Macos com grampos 30 rs.
Lindos frascos para cima de mesa com
extractos a 1*500, 2*000 e 3*000 ao par.
Jogos para vjgpon a 200, ,240 e 30 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Temporal pode ser procu-
rado em sed estabeleeimento bo-
NANgA onde contina a vender
pelos baratos pree/>s de seu an-
tigo estabeleimento com titulo
de Temporal na lionanqa.
Rna do Quelmado n. US.
Ditas de madeira-. invernisada contendo fi-
aas perAimarias, muito proprias para pre-
sentes. .
Ditas de papele igualmente oontos, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos da metal celoridsa, e de
moldes- novos e e^gantes, cem p de arroz
a boneea.
Opiata ingleza 5i franceza para ntes.
Pos de campbon e outras- dfefferente?
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alud; mai CMpwi.
Um outro sortimento d coqes de no-
vos e bonitos moldes com filete de vidrilhes-
i e alguns d'elles ornados de tares e fita.
! est5o todos expostos apreciacao de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS 12 PUNMOS BORDADOS.
Obns de muito gosto o perfeico.
Flrellas-e Otas.para cintos..
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, ficando a boa escolha ao gosto docom,
prador.
No armazem de Canda bniios & C, ra d-
Madre de Deosn. 34, vande-svnlH> do Uarto, d;
Pasto, e fino, em garraaa] e harris, do Minezes-
Chamico, e outras marcos acreditada?, vinho d(>
Pasto, imitando o Fgarifa, em harris de 5o e 10*
Chegon uUimament > superior vinho verde, marc.
Menezes, em ijuarli*.
Cera de carnaeiba.
Retallvi-s barate para acabar.
Manteiga a 900 rs. a lihra.
r/ peehlncha sena Igual.
Vndese roanteiga inglesa flor a 1*000 por 600
rrammas o 900 rs. a libra; no progreieo 4o pateo
lo armo n. 9. ___________________ \it^ Uil ^1 1 VI
Vende-se verdadeii-o cimento ; na ra da
^\l^^StSSrA ^edeDeo n?, armazem de Joao
da imperatriz n. 36. i tlfcrUo de Barros,
CIMENTO
Attenpo
B Na praca do Corpo Santo n. 17, 2^
M andar, vende-sc mais barato do que em \0
W outra qualquer paria cal de Lisboa o >
H potassa da Hussia da mais nova no ni^r- S
zSk cado, assim como vinho Bordeaux o/j su- 1
am perior qualidade em caixas e gar rafas, :
wmmmmmmmmrA mwm
Vend-sla ruadle'A^hq n_ ^ Jag4do para
ca)cada> c armazen,
DEPOSITO
Em Pernmbuco, P. Maurer A- C, e em
Macei, Paulo Jos da Cosa Araujo.
I
I
\
>
!


Diario de Pernambuco Domingo 10 de Outubro de 1869.
7
RIVAL Sil MIDO
Ra do Queimadon, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est quemando tudo quanto tem era seu
estabelecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso qaeiram vir ou mandar
ver o que bont e barato.
Gaixas de linhas do gas com
50 novellos a 500
Latas com superior banba a
120, 200 e..... 400
Frascos de oleo babosa muito
fino a........ 400
Duzias de muas (inglezas )
muito toas a WOOC
Garrafas com agua florida ver-
dadeira...... 120G
Garrafas cora agua'divina dame-
lhor qualidade .... 1^500
Gaixas com 12 frascos do cheiros
proprio para mimos 2$50fi
Dita com|6 frascos muito finos 800
Oleo baboza muito fino que s
a vista ...... 500
abonetes de calunga muito bo-
nito ...... 240
Caixas de p de arroz muito
superior 600
Pecas de babadinho com 10
varas ...... 300
Pecas de fita de cs qualquer
largura ..... 30C
Escovas para urinas muito fi-
nas ...... oOO
Escovas para d entes fazenda
muito fina ..... *>240
Pulceiras de contas de cores
para meninos .... 200
Gaixas de linha branca do gaz
com 30 novellos 600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores ..... 040
Resmas de papel pautado rauito
fino ...... 4000
Pares de botes para punhos
muito bonito 120
Libras de la para bordados de
de todas as cores 8000
Pentes com costas de metal
muito finos 320
Novellos de linha muito grande
para croxs y320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... 4S0
Grosas de botes madreperola
muito fino .....
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e.....
Pecas de fita de la todas as
cores ......
Espelhos dourados para parede
1000 e .....
Espelhos de Jacaranda muito
fino a......
Pecas de trancas brancas e do
cores de caracol .
Pares de meias cruas para me-
ninos ......
Caivete muito fino com i fo-
lhas ......
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos 15200
320
500
i 500
2003
)0Q
320
1oOO
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Nestc estabelecimento so encontrar diariamen-
te um completo sortimento da pastelaria Je todas
i>qualidade para lanche e sobre-mesa, ote, etc.,
boiianos de Unas as (nulidades para cha, presun-
tos 4e Hambre, bolosinglezes, pudius, e iuulmente
ludo que consiste um urna boa pasteiaria, com a
autor asseio e esmero, cha iiysson, preto o miudi-
nho do melhor que ha no mercado. Nesta casa
teceb- m-se eiwommendas para casamentas, bailes
rbarrtisado?, compremeltendo-se os donos -lo es-
abelecimento a ser-ir o melhor que Cor possivel
a vontade do fregaez, Ulspoudo para esse lim de
um completo pessoal. Becebe-so. avulso toda e
qualquer encommenda, como eejam, bandejas,
bolos e pies-de lo decorados, dooes d'ovos, seceos
e de calda c crystalisados, nucas nacionaes o es-
rangeiras, amendoas confeitdas, um completo c
variadosorumento de caixinhas de lodosos gostos
e procos, para miiiioseaf so'njras ; estas caixi-
has recenleiuenle ehegada norado go to, ofierece molas aos galanteadores do
bello sexo, pois nellas acharo um digno e serio
presente para as donas de sem pensamentos. lieo-
res, vanos linos de toda* as qualidades, conservas
iouiltoos em latas. Os donos leste cstableeimen-
-is nao se poupaudo do.speas, azern todos, os
<>torcos para servir o respeitavel publico o me
h or que or possivel, e sendo principiantes e lu-
eando com todas as dilBculdades, esperam a con-
corr-mea do respeitavel publico desta capital, na-
eionaos e eslrangeiros. Pechincha : legitimo vi-
nho moscatel em caixas, que se vende porcommo-
do preco para particulares e para negocio.
A PRECO F1XO E MDICO
SOMBR1NHAS de setim verdeultima no-
vidade para senhoras, a 1S e 25.
LINDOS cortes de tarlatana orvallada, pro-
prios para bailes a 10 >, 13?, 150, 17
fi 220000.
KSPiSCIAL sortimento de coques e:ifeitados
e liso*uUima modaa 2o00, 3>000,
3*500, U, 4*500, ;i e 61
GRANDE e bello sortimento de chapeos de
palba da Italia, elegantemente enfeitados,
para senhoras e meninas a 15, i-;?, 13$,
TRANCAS E CACHOS imitado de ca-
bello, para senhoras, a 10800 e 800 rs.
GRANDE e agr clavel sortimento de goi-
pure ou croch preto, em pecao metro
a 20, 30800, 'i0 e 60.
DITO branco a 20500, 30 e 30800.
LINDO FIL de seda branco com ramagem
o metro 50500.
LINDOS o ricos aderemos de plaquts da-
Mes, com brigantinas, rubras, esmeral-
das, parola, e camafeos ; nao ha diiTe-
renca do ouro de le e conserva por lon-
co ttano a sua cr natural, vende-se a
pj, 180, 30,?, 450, m e 1200, este
preco menor ao feitiq de qualquer peca
verdadeira do mesmo traba lno.
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
para relogios, a 6<, 84 9"IO, no
BAZAR DA MODA80-RUA NOVA
Vende-se um casal de escravos casados e utn
uHa,ao, chegados. .uJMmimente dosertao; teem
muito boa coMMia', sefavo ptima *pa-
telro; na pra^a da C)a-Visu n. II.
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
8(DRV& & ttia?aiMWM8Q* 8(9
HE
FEIIX PBRE1RA DA SILVA.
O propietario d'esle grande estabelacinientOj vendo que se est aproximando o fin-
Jo anno, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; nao fallando em
avultadas encommendas que Ibes esto obligado todos os dias, temresolvido liquida-
las por preco muito mais baratos do que em outra qualquer parte ; so com o fim
de diminuir o deposito e apurar dinheiro. Encontrase' neste estabelecimento do
l'AVO avultado sortimento de iaz^-ndas de laxo e modas; assim como de primeirtt
uecessidade. As pessoas que negociara era pequea escala n'esta loja podero surtir-
se vondendo-se-lhes petos precos que oonpram, bhs casas ingteis; assim como as ex-
cellentissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as faiendas, ou man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em snas casas; o estabelecimento se
acha constantemente aberto das 0 horas da maoha s 9 4a A AGUIA BRANC.V tem convieco de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a guperioridaa
de de qualidades, e a limitacio de seus precos, est5o na op:nio do respeitavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular ; mas aitida assim ella julga de seu
^dever scientificar a todos, da recepeo d'aquclles objectos que est5o alcm do comraum,
como bem sejam:
rtinados
Para camas e janellas,
Vende-se um grande sortimewto nos -me-
?hores e maiores cortinados bordados pro-
prios para cantas e para janellas, que se ven-
Explendido sortimeato de
roupas eitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
1MPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-: dem a 12,5000 rs. oada par at 255000 rs,
netamente sortido das melhores roupas, isto na ra sendo calcas palitots e ceietes dercasemira, Pereira da Silva.
de panno, de brim, de alpaca, e de todas BALDES MODERNAS E SAIAS DE LA
as mais fajeadas que s compradores pos- Na loja do Pavao vende-86 os mais mo-
sam desojar, assim como na mesma loja demos balees reguladores tent de rciusse-
tem um bello sortimento de paonos caseai- lina como de la d* cor, e as mais moder-
ras, brins, etc. etc. para se mandar faaer! as saias de la entestada, :mais barato do
qualquerpeea de obra, com amaior promp-' que em-eutra qualquer parte,
tido vontade do freguez, -e nao sedo SULTANAS
obrigados a acceita-ias, quande nao stefam Cbegou para a toja do Pavao um grande
completamente ao se contente, assim como sorUmeato das mais lindas sultanes, para
n'este vasto estabelecimento encontrara o vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
respeitavel publico um bello sortimento de com listas de seda e os padroesmais novos
camisas francezas e inglezac, ceroulas de que tem vindo a este mercado, vendendo-se
linho e algodo e outros, amitos artigos a MjMO o covad3, na loja de Flix Pereira
proprios para horneas e senhoras proraet-
tende-se-ihe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 00, loja e armazemde Flix Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 40
PALMOS DE LARGURA A 10800
Chegou para a loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
pecas de bramante com 10 -palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpli-
mento de um lencel, o qual se faz com i
metro
com
barato .
tendo esta larga faednda, outras muitas ap-
daSilva ra da Imperatriz n. 60,
OftGANDY BRANCO.
Vewli-se o mais moderno organdy braneo para
vestidos com listras largas o miudas, assim como
una grande por^ae de cambraias brancas, tapadas
e transparentes, leudo das mais baixas de '< 000 a
pe^a, t as mais linas de 16 ou iOOO, todas
estas cambraias seTendem mais'barato do quiera
outra qualquer parte.
COLGHAS DE FUSTAO.
Veatfem-se colchas de fustao brancas e de coree
por preso muito em conta, na loja do Pavo.
ORGA.NUY DE COK
A 360 rs. o covado.
Vendem-se bonitas organdys de cores com bo-
borda-
i PRIIIEBO l SECl"\D0 Uf BOS
DE
&6 C^MA156
Bonitas caixinhas de raadeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
quando abertas.
Outras conforme aqcellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e 'de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeicso, proprias paro vea bello pre-
sente, tendo algunas com msica.
Estojos ou carteiras de couro com nava-
lhas, os mais necessarios paraviagens.
ESCOVAS DE 1XRFIM
Para unhas,-dentes, cabello e roapa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmes fins.
OBRAS DE MABREPEROLA
Loques, escovas para denles, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para aoivas.
Cintos de brim, cem elstico para se-
nioras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridas, e tran-
selin dourado.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas do labyrio-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipurc, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpico*.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc. .
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo a'.inoi'adi.jhas,
de "vrludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, qtiatro e cinco
pet'Kas para frisar babadinhos.
AGULIIAS NON-PLUSLLTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
tnereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Iton-plusltlira, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem davida me-
'recer das inteHigentes senhoras, a devida
estima por sua aprcciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genere, e ainda assim costa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmeate d'aqui a pouco abundaro
^s falsificadas para serem vendidas barata-
' mente, porra as verdadeira* continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
u
PARAUSO DA INFANCIA BRASILEIAA,
!.0
Dr. A, Cesar Borges.
(2-
E
os de familias, sendo
o preco.
CARNAUBA.""^
nd porco de cera de
por preco mais barato
Iqualquer: na loja do
n. 30. De Flix
plicaces para arranj
grande pechincha pe
CERA DE
Vende-se urna gra
carnauba em saceos
do que em outra
Pavo ra da Imperatriz
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE GOR
Vende-se as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o covado.
AS BASQUEAS DO PAVO
Chegaram para a l ija do Pavo as m3is
ricas basquinas de casaqoinhos de seda
pretas ricamente enfeltados sendo com os
l'eities mais novos qu s tem vindo.ao merca-
do e vendem-se muiu em conta.
FAZENDAS 'ARA LUTO
Xa loja o Pavao.
Encostra o respeitavel
publico ueste 6tabeleri-
mento um grande rortim ;nto de fazendas pretas,
como sejam, eassas fmi
cez,:s e inglezas, cintas
pretas de todas as qualic ades, fazenda de Ifta do
todas que tem vindo, p
jam, ISasinbas, alpeM
kombaslnaa, merino, etc.,
proco barato.
NOVAS BASQUK
Chcgarain as mais mod
denaple preto, ricamente
feitiointeiramente novo, c4m ricos
vendom-se por preco razo ivel
CASSAS FR '
oprias para luto, como
lavradas e lisas, cantao,
que tudo se vende por
iS COM CINTO.
mas basquinas de gros-
enfeitadas, sendo de um
cintos largos, e
e m. is modernas cascas f
o mercado, sendo com
grandes, e vendem-se por
AS SEDAS I
Altas no
Pelo ultimo vapor cheg.
vao, que vende mais barat > do que em outra qual,-
quer parle, as sodas sej
gorgurSus d; liiilu 6 seda
pidrSes, sedas de listras
VNCEZAS.
Vende-se um elegante s irtimento das mais finas
rancezas que tem vindo
padroes miudinbos e
preco mnito em conta.
o Pavo
idades.
ram para loja do Pa-
uintes : ponpelinas ou
eom os mais delicado-:
padroe3 inteiramente
niAos, groz de todas as co -es, sendo verde, azul,
lyrio, rosa, cinznto, ete, setins, branco, azul,
verde, rxo, lyrio etc., etc. assim como um gran-
de sortimento'de grosdena )les pretos de todas as
qualidade?, o superior gergurao preto de seda
para vestidos e colleei".
AGRACI VNAS.
Chegou esta nova fazeni a c m o nomo de Gra-
cianas, sendo de urna s cor, lyrio, rxo, verde,
azul, etc., etc., o muito em orpada, com lustre pro-
piamente de seda, sendo i aelhor e mais moderna
que este anno tem vindo tara vestidos, e vende-
se pelo barato preco do i o covado.
ALPACAS L lVRADAS
Na loja d i Pavao.
Chegou pe!) ultimo vapi r ura grande sortimen
todas mais modernas e mais bonitas alpacas la-
vradas para vestidos, tend( entre ellas algumas que
fazem a vista propri.iment; de seda, e vendem-se
por presos muito em cont..
GUR6!A< PRETO.
Chegou para a loja do P ivo o mais encorpado
gurgurao de seda preto para vestidos e colletes,
que se vende mais barato < o que em outra qual-
quer paite. ,,
MADAPOLAO, FRAXCEZ
A 7*000, sp pavao.
Vendem-se pecas de madapolo francaz com 22
metros, pelo barato preco de 7000, dito enfestado
com 20 jardas a 7000, assim como Qnissimos ma-
dapolfies francezes e inglezes, ditos de jardas, que
se venden) mais barata do1 que em outra qualquer
parle, por haver grande porco
AS '1ASSAS DO PAVO
Covadi a 300 rs.
Vendem-se finissimas cassas francezas com lia-
dos desenhos e cores fixas a 30i) rs. o covado.
CHITAS BARATAS
Na loja do Pavo
Vende-se urna grande porco lia chitas escuras,
e claras, de :ores llxas, por presos que admiramn
BRILIIANTES BAREGES A iOO RS.
S o Pavo vende as mais delicadas ba-
regesde pura la, sendot ransparentes com
os mais delicados dese'nbos, de qudrinhos,
listras e lizos, sendo n'esto artigo o mais
delicado que tero vindo ao mercado, c
vende-se pelo baratissimo preco de 400 rs.
o covado,
PELERINAS A 4000
Na loja do Pavo vende-se a mais mo-
dernas romeiras ou pasquinas de croch,
oretas enfeitadas com verde e outras cores,
"pelo barato proco do 400Q wa uro, pe-
chincha.
AS CELEZIAS DO PAVAO.
Vendem se as mais unas celezias, esgnies e
bretanluw de linho por preco mailo em conta.
FUSTO BRANCO PARA VES1JDOS A GiO RS.
Vende-se fustao branco, com lista e lavradinhos,
muito proprio para vestidos e roHpas de meninos,
a CO rs. o covado.
COLLERI.NHOS PARA SEXIIORAS.
Vendem-se flnissimos collerinhos de esguiaode
linho proprios para sec ras c tambem para me-
ninas a 3 a duzia.
ALPACAS DE CORDO.
Tendem- se as mais hrilhantes alpacas de cor-]
dauzinho para vestidos, tendo as mais lindas cores,
como Bismaik, lyrio, rxo, g?nga etc. ele, pelo
barato prece de 15 rs. o covado-
TARLATA.NAS.
Vende-se finissiina tarlatana branca o do todas
as cores, assim como fil branco Uto a 800 rs. a
vara.
ALGODAO ENFESTADO.
Vende-se superior algodaozinho com duas lar-
guras, proprio para lencoes, sendo lizo e entran-
eado, e vende-se por preco muito rasoavel.
MEIAS PARA MENINOS A .?$;00 RS.
Vendem-se duzias de meias superiores para
mollinos e meninas, pelo barato preco de 3 duzia.
BASQUINAS DE GUIPUZE.
Chegaram as mais bonitas c modernas basqui-
nas pretas de guipuze, que se vendem mais barato
do que em ouira qualquer parle; assim como as
mais delicadas romeiras ou pelerinas do croch
pretas, enfeitadas de verde contras cores, que se
anda muito n conta.
CHAPEOS DE SOL.
Vende-se um grande sortimento de chapeos de
sol de seda e alpaca que se vendem muito ba-
ratos.
LENCOS BRANCOS.
Vendem se bonitos lencos brancos o de cores
com narras e abanbados,' pelo barato preco de
:i300 a duzia, ditos de linno abanbados alisa
duzia, ditos de esguiao para varios presos, ditos
de algodao lie 13600 n duzia.
A 55000
Na loja do Pav5o vendem-se modernsi-
mos chales de fil preto orn lindas palmas
de seda, pelo barato prero de ,^0O,
pechincha.
RASQUIAS A 12,5000
Na loja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 125000 cada urna.
PARA ESCRAVOi
Na loja do Pavao vende-se estamenha
Je algodo mesclado para vestidos e roupa
Je moieques a 200 rs. o covado, na ra
1) Impera riz n. 60 de Flix Pereira ^
Silva.
Papel para ciufcrulho.
Compra-se papel para cmbrulho: na leja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira
la Silva.
Jos Joaqun) da Costa Mala k C, ra do
Crespo a. B, acabam de receber um grande sor-
limento de pedras marmore, como seja tijolos de
diversos taannos, laminas, saccadas, soleiras e
Jegraos, bem como tenas de ferro galvanisado
de diversos lmannos, que tudo vendem muito
2in conta.
Assucar de oxido de ferro de
Chaoteand.
O asiucar fe ruginosa de Cbanteaud oblido
pela associae.au do oxido de ferro incyamente so-
Utrel com o assucar cnidadosamente purificado.
Este assucar, de urna bella apparencia crysulina,
i.em o simples gosto mni agradavel do assucar,
sem o menor sabor adstringonte : nao tem accao
irritante sobre a mucosa do estomago e entetinos,
i rpidamente absorvido pelo apparelho digest-
/o sem causaras constipac&s do ventre.
E boje o preparado do ferro do maij aceitaco
oara a cbloroso atona dos orgaos, perdas brancas
nenstruaes diCQceis, ele, o tom a seu favor o
uizo autorisado da escola de medicina de Pars,
3 dos cbimicos os mais notaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Darttiolomcu. & C, ra laiga do
Rosario n. 34.
BREU.
Vende-se bren flno o mais suporior qao lia no
morcado, por preco eommodo : na roa do Viga-
.rio n. 2ti.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes. (
Abotoaduras d'aventurine cam o p de Descrever minuciosamente por seus no-
prata dourada, para colletes, cada um S&' mes e qualidades a infinidade d'objeaos
Boloes de cristal, encastoades em prata, i que constantemente se achim venda na
para punhos, i& o par. | loja da Agui* Branca, seria scio impossi-
Camisas de lanella para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quera soffre de incbaco as pomas.
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconheMr a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d*Aguia
Branca na do Quaimado n. 8.
Eb! AO MUri't) MlLflORADA
AUGJENTADA)
Estes don hvros, resultado de grande expe-
riencia o este dos cspcciaes do autor, vieran) sa-
tisl'azer a aun das mais instantes necessidades >la
instroeeio primarla, e per tal forma que, pejos
governos d.' qnai todas as provincias tcean sido
adoptadas para as escolas publicas, assim como
por grande numero de profesores particulares.
U frtmeirp Utn ( ahsolnuimente diverso das
cartas vulgarmente conliecidas pelo mine do A
BCf e coir.posto segundo um systnna nasnral,
pliilosojiliicii i p:;\'-iv> que aus meninos facilita
cjtraordiuariamenle o conbecimento da leitnra,
lorriando-llic; mnito mais rpidos, o nito menos
penosos, sens primeiros, tmidos e vacilantes pa -
sos na villa i.craria.
O seijtai'l, to consta de muit? .'irtigif, eon-
tos etc., lodos tao breves como convom Fogaje
aitencao das criancas, c e-ci iptos em linguagciu
e i', tylo ftproprtadof franqueza do sua intcl-
gentia.
E de man, i combinadas nelle ie acharo as
OKilerias que, ao mesmo p.isso que vivamente in-
ti rcssan e d; i ilam os petjuenos hritores, levam-
llics e iinplnnlflin-Uies no espirito v ; o corceo ft1.-
cundo< preceHe- d;< mural, iuspiav.iii-lhes, desde
logo, com o posto da leili;ia, o amor da virtudo
e a rcpugnai do vicio.
Sfu ambos ^tes livro-- nilidamentc rnpressos e
el"g.'iiiteiiioiUf cncr lrinaJos cni Pal i-, e cenbiiu
estain:.,- i representando os a.-.sumptos dos
cuiitos ; o i)t:e c; orna mais convidavus aos m -
nios e matlc | ;'/ios para prsenles ou prcmi"?
dos inesmos.
Contem dmais > segniido d.iiis ellos bymni.s
com msica i ar. comt- ;o e lim da escola.
l\''commen'!zr"--os pois confiadamente aos a -
nhsrca pais d i i milla, e prefsasors mis ainda <
nao ciibccer
I piro -i'o.
Segundo -
VENDA NA
Librara fraucaza,
o_r,!\\ ni i CHESPO-O______^_
ovidade, novidade!
Chegon pele ultimo vapor sj para alojada
ruado Crespo 17 de Antaiies (inimaries ''*
successores de Jos Gomes Villar, ricas euapeli-
nas de palhas e de lilond, ultima moda de l'ari/
Vende-se urna crava bonita ligura e "
habilidades: a tratar na ra da Cadeil do Recite,
ii. CG, segundo ;.r;.iar.
ESCRAVOS FGIDOS.
SE ALGH MiflUI VEMIA
NO
' N. 23Largo do Terpo.N. 23.
SIMAO DOS 'vn,A"
Os proprietarios deste bem sortido armacem de secco e molliados, parlecipam
aos seus numerosos freguezes, tanto desta praca, como do mallo e igualmente aos ami-
gos do bom e barato, $ue teemum grande e vaoUgoso sortimento de diversas merca*
dorias e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
menos preco do que em outn qualquer parte, por ser maior parte destas mercaduras
compradas por conta propria, por isso quera comprar al a quantia de 100-5, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-sc qualquer genero sabido leste
armasen.
GAZ AMEBJGAXO 9alat-a, a 400 rs.
a garrafa e 601 rs. o litro.
VINHO VERDADE1RO FIGUEIRA HO e
640 rs. a garrafa, a 4$500 e 4>800 a cana-
da, a 720 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 35 e
3300 a caada, 600 e 640 rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 000 rs. a
garrafa, e a 76 a caada, e 46340 o litro-
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 46300 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADE1RO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 2&200,
l '800 e 16400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 16440 e
16280 a libra, 36140 e 26800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZA 960, 900 e 830 rs.
a libra, e 26100, 16980 e 16870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 16400 o kilogramrao, em porco se
tara abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR a
720 rs. a libra, o 16570 o kilogrammo, em
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e 36800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kalgrammo, e 64 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 66 e 66500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs; o kilogrammo, em caixa ha
abatimento.
620 rs. o kilogrammo, em porco ha aba-
timento.
BOLACIHXIIAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 16 e I600a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPH0B0S DO CAZ E DE SEGU-
RANZA, I 280, 400 e 360 rs. o masss,
36200 o 66500 a groza.
AMEXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUll'OS TAMANHOS 36300, 3*500
e 16 a libra.
GO.MMA DE Mfl.IIO AMERICANA O rs
o masso de urna libra, e em caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-9e abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 5*500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM bass, VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 96 a diuia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 16300, 16200, 6e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 76 e 66 a frasqueira, e 500 rs. o
l'3SCO.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
116 a frasqueira e 16 o frasco.
QLEIJOS DE DIVERSOS VAPORE?,
36. 23800 e 26400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 116303 por
14 kilogrammos.
CHA FINO. ORADO E MIUD1NH0 OS
melhores que ha no mercado, 36 e
36200 a libra, 76080 e 66540 o kilo-
Fujmo no dia <" de setembro crreme o prati
crioolo Juliao, cera os signaos seguintes : all ira
: regular, pomas arqueadas, usa susss. lein 'i
annos de idade. poaco mis ou menos. Esto -
cravo pertenceu o fbi comprado Si... I. Aihana-
zia Mara d > Espirito Santo, vmva de .' i3o Hmoci
de Soiiza Vianna, moradora iiu Curato de Bom Jar-
dim. Soppde-sr cora fnndamento, que esteoscravo
se lenna dirigido para aquella comarca, bem c-
nio ha raides para snppOr que eo alli esteja
acornado em casa do algnm prente de -ua ex -
nbora : por iss r ga-se a autoridades polifia
e capiiies de eampo o favor de o capturaren)
enviar roa .Wva n. 40, uiide se in'dmnisara
qualquer despea, e se graiiticar, sendo mister
a abaixo assignada protesta Je peins n ; e Icfaw
proceder contra quero quer que tcnlia dado cauto
ao referido -cu cscravo, pur isso (pie est <<>n. :.
de que o dito Dwrvo lora seduzido para fugfr.
_________Msria Carotina Fi rreira de Carran.
Fugio, fbgii, fugio
Jo engenho Jagarao, do (juno de Scrinhiem, -
ceravii Luiz, crioulo, com idade de 't anuos |ki
co mais on monis, pertencoote ao abaixo assigna
do, cojo eaeravo fol comprado ao 8r. Pedro lurj i
da Silva Ramos, ci rao procurador do Sr. Pranvi i-
co Mendesdos fonti morador n iBrcj d.i Madre
Deus, e tem os si{ ssegointes: aliara regulai
testa grande e carnuda, olbo pequeos e enear-
nicadee, ps seceos, e manqueija, por suffrw
cravos ; tem no braco direito do lado da dentro
um caroeo, <|ue parece lobinho, e as costas e na-
degas marcas do el icote ja vellias; lovoo cam i
e calca nova de i dao azul e chai o de cmiro ...
.eliio e mais ronpa; saldo eom o cal ello oortai
tendo barba por baixo do qneiso: qu^m o pc-
gar, leve-o ao referido eagenbo ou nacidade-dn
Hceife, a entregar ao Sr.Mignel Lacio de Albu-
querque Mello, que ser recompensado: recom-
menda-se .is autoridades polieiaes captura d'el
Aiito'iio Francisco Cesar M Vasconcellos Camp
MASSAS PARA SOPA. MACARRAO, TA- gramrao.
LHARIN E ALETRIA, 800 rs. a libra o DEM PR0PR10|PARA NEGOCIO 26700,
16750 o kilogrammo. 26500, 25200 e 26 a libra, o 56450 c
SEVADINHA E SAF 3 280 rs. a libra o 46180 o kilogramrao.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinho em ancorotas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, lingnicas de Lisboa, marmclada. :on-
servas gelea de marmello, pecego, ervilhas, pei.xe em latas, sarclmhas de raues,
vinha verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoce, comtnho, p.menta, granees
molhos de sepila 16500, Analmente muito mais gneros que -
meniiona-los.__________________
enfandonho 6
Cha oni-purgatlvo e depuralvo
de Chaoibard.
Composto das planus as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o cha
tonipurgativo de Chambaril possuuun gosto sabo-
roso e um aroma suavissimo, o as propiedades as
mais notaveis sobro os embaracos do estomago,
dos intestinos e do flgado, o desobslruenlo por
excelleneia na constipao do ventro, e nao tem
mguario algum. Depurativo especial e directo
das biles e dos humores, refresca o sangue depa-
rando-o.
DEPOSITO ESPECIAL,
CAIi DE LISBOA KSL* "*c"rMlirM'
, POTASSA DaRUSSU
A mais nova no mercado, a preco razoavel: nc
arroszem deManoel T. Basto, a ra do Commcrelc Veude-se um violan novo, proprio para 3ou
n. 13. ra : ua ra do Ltvramento n. x.
A ra do Livramento n. 6, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
melhor violto verde at hojo vindo a este
mercado.
Attenpo.
fagio a i de ouir.bro, do engenho Mallo Grosso,
propriedade de Joao Benlo de Gonveia, o i ran
Manoel, com 40 annos de idade, pouco mais
menos, conliecido per Hanoel Pcuola, tem os >e-
guintes signaos : estatura media, cor preta, dent s
alvos, cara s cea. corpo bem Jeito, tem tenme'*
marcas de chicote ainda frescas, leven alguma
roupa : roga-sc a qnera o anoreheoder que leve-o
a seu seuhor no dito engenho, ou em casa dos
Srs. Leal & Irmao, ra da Cadeia do Recife :.
tj, que ser_generosamente recompensado.
= Damiao, cabra, de ti annos de idade, nao
tem barba, cabellos pegados, muito manso no fal-
lar, boa e-tatura, quando anda muilo apressad .
bem corpulento, qucixada* muito largas, e quera
olha parece inchacao tem muitas cicatrize.- de chi-
clo as costas, c est com as peinas feridas pre-
veniente de furos, laroo ebapb dbata vclho, ca-
misa de chita ; este asenso foi do Clemenrkio
Jos Baptiza, morador em Santa Bita da Para; ,
ba, e comprado pelo abaixo assiguado ao liaran
do Nazareth : quem o pegar entregari no Recife
ao Sr. Joaqun) Rodrigues Tarafes de Mello, quo
ser gratifleedo. Snppoe-se ler ido para a cidade
da Victoria.
Antonio F. C. Lins.
Fugio do engenho Rola da freguezia da Es-
cada, pertencontc ao abaixo assignado, o mnla.'o
Franquelino, ba'xo, oonita ligura, principiando a
barbar, ps grandes e largos, e o dedo pollegaf
de urna d:)s mao? ileijado de pamrido, e falla um
pouco rouca, cosluma mudar de nome c iutitular-
se forro ; fugio com camisa e ceroola de algodo
da mata, mas costuoia furtar roupa e mudar de
trage : juem o pegar pode leva-lo ao Recife a
entregar ao Sr. Albino Jos Ferreira da .Cuni..,
largo de S. Pedro, ou ao referido engenho, que
sera generosamente recompensado.
____________ Manoel Antonio Din-._____
Fugio no dia 29 do mez pausado a escrava
Severina, cabra, natural da cidade do Aracaty,
com os signaes seguinles : altura regular, cheia
do corpo. elhos pequeos, testa eslreita, falta de
denles na frente, tem o dedo polegar ou o mnimo
da mao esquerda nm pouco dobrado para a palma
da mo, beicos finos e bastantes rtoos, levou uira
trouxa contendo dous vestidos, um de chita con
listras encarnadas, c outro de a cor de cinza, e
foi vestida com nm vestido de chita escura co-i
palmas braneM anda novo, chale de laa cor oe
bonina, e um outro servindo de rodilha, com wn
uboleiro de flandres; descoua-sf que ella este.a
oceulta em alguma casa, pelo que se protesta con
tra a pes-oa que a tiver oecultada, obriuando-
a pagar o< dias de servico : rogase, pmlante,
autoridades e mais [essoa*, que a apprehendam
a levein ra do Amorini n. 39, i' andar, ou
ra do Hospicio n. 47, que se gratificar.
Aviso
100/OOO de gratiQcaco
Desappareceu na madrugada do prim>
do correte, do sitio n. 10 no Chacn-
fronte da esta$o (Casa Forte), dos, tr
urbanos, um cavallo roco pedrez. gn
ordo, dina? cauda pretas, e com s
e ftida de corda no p esquardo, p-
j secca. O-se I00 a quem leva
cavallo, casa de seo dono, n. 23 da
da Soledade, d'esU cidaie.



8
Domingo
_____
______
Outubro
____i
ti_________-^
ASSEIEEi SEftiL
________' -----------.-----V---------r----.--------------
CMARA DOS S8S. DEPUTADOS
SESSAO EM 20 DE AGOSTO
PRESIDENCIA POSR. NEBIAS.
(Coirtimtacao)
As palavras do projcdo demonstran) que
se, trata da crearlo de una guarda policial,
qu.' tota de ser sustentada pelos cofres
geraes. E estamos etn circumstancias de
lomar este encargo, alliviando as provincias
cial, seiu a menor recUmagao? Seguramente
nao.
Se ap mas se quer fazer referencia ao
estajo actual das cousas, u que nlo se in-
fara ilo projecto, nesse caso sao nteira-
meule desnecessarias as palavas comidas
oo art. 1"cerca da guarda policial.
Ifeea ^io as obs'ervago-'s q e liana de
fazer sobre o art. Io
Desejo, Si\ presidente, ver passar esta
reforma no sentido que iadtquei ao tomar
a palavra, e contribuir! com satisfaglo
para que o nobre miuistro da justica, co-
rodos os seus louvaveis esforcis (apoia-
.lis), ligue seu nome a este melhoramento;
toas volarei pelas modficages do prejecto
que me parecem acertadas.
Vozks : Muilo bem.
OS SRS. PEN1D0 E ANTONIO PRADO
anda fallam sobre a materia, que lica a lia-
da p la hora.
Dada a ordem do dia. levanta-se a sos-
alo as 4 horas da tarde
SESSAO EM 27 DE AGOSrO
PRESIDENCIA DO SR. NEBIAS.
As seis horas c 3/4, da tarde feita a
carnada, veritica-se haver numero sufficien-
te o abre-se a sessao.
Le se e approva-sc a acia da antec-
danle.
O Sn. Io Skcretauio d conta do se-
guinle:
EXPEDIENTE
Um offico do ministerio do imperio, a-
ilando a authentca da apuraglo geral de
votos da eleiglo a que so procedeu nos
callcgios do 3" distrito da provincia do Rio
de Janeiro, para preenchimento da vaga
deisada nesta cmara pelo conselheiro
Francisco de Paula de Negreiros Saylo Lo-
bato, que tomou assento no senado. A'
.egunda commisso de poderes.
Outro do mesmo ministerio, enviando as
copias dos decretos, pelos quaes S. M. o
Imperador bou ve por bem coiceder varias
pebeSes.A commisso de pensos e orde-
nados.
Outro do Io secretario do senado, remet-
iendo a proposiglo desta cmara que con-
cede pensoes a Jos Antonio de Araujo e a
cutios, para que se corrija o nome do pri-
raeiro pensionist que deve ser Jlo An-
tonto de Araujo, conforme a declaraclo feita
om s ss > de liontem pelo Sr. ministro da
a triaba.A commisso de redacglo.
Leem-se e vio a imprimir diversos
projectus : approvando crditos extraordi-
narios do ministerio da marinha, e melho-
ranJo a leeaca concedida a Joo Jos Hen-
riques.
lido e remeltido commisso de
constituir") um projecto sobre direito de
reprcsenlaglo s grandes minoras.
Eutram em discussao, esoappro
vadas sem debate as redaccoes dos pro-
jectos que foram a imprimir na sessao n-
dente sobre a reformado rerutamento,
i'semglo de direitos de importago a varias
prois, e matrcula de diversos estu-
dantes.
Procede-se a votaco do parecer da
2* commisso de poderes, ^reconhecendo
deputado pelo 3o distrido eleitoral da pro-
vincia do Rio de Janeiro o Sr. Jeronymo
Jos Teixein Jnior.
O Sr. Prksiaente declara o mesmo se-
Bfaor deputado pelo referido dislricto e pro-
vincia.
Entra em 3a discussao, e approva-
do sem di bate, para subir sanego, o
projecto do senado concedendo fianza ao
reo absolvido em Ia ii.stancia al deciso
do recurso no :aso de appcllaglo.
Entra em urna s discussao, e ap-
provada c remettida commisso de redac-
ro a emenda do senado proposiglo dsta
cmara relativa isenco de direitos dos
machinismos e outros objectos importados
para a companhia da Iluminarlo a gaz da
capital do Maranhlo.
Entra em Ia discussao, e approvado
para passar 2a o projecto declarando que
no regulamento que o governo estabelecer
para a fiscalisaco, seguranza e polica das
linlias e servido telcgraphico, poder impr
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POK
Paulo Fval
Segunda parte
TRB PATAS
xn
mesnada aventura
(Contnuagao do n. 231)
Era o quarlo das vizinhas pequenissimo
e conservava o calor como urna boceta.
N'aquella noute, os delicadissimos dedinhos
de Edme corriam pelo alegre piano to
alvos como o marflm.
Que relaglo ha veri a entre aquelles dedi-
nhos e o ambicioso pensamenlo que vaga-
mente germinava na mente de Miguel ?
Por largos quintes das Ihe floresceram e
fructiflearam os artificios para com as vi-
zinhas ; n5o foi justamente o terapo das
raaiores friagens. Nao poocas vezes se
admiraram bastante tanto a mai como a
liba de adiar todas as noutes a tempera -
ura suavisada, e tambom por mais de urna
ez esteve a lareira ebeia de cinzas pres-
s a trahir a peccaminosa intruslo do v-
iho ; nunca, porm, o espirito vai para o
possivel. Como acreditar, como sHpp
quer ? Miguel em cuja estufa virgera,
n um phosphoro arder, cobra va nova
gem e chegava a formular de si para
postas 12o sensatas como decorosas
> o caso em que a boa senhora, acor-
lo sobresaltada, o sorpreaJesse em
ante delicio. Sabem, porm, a sortq
respostas preparadas.
aos infractores penas de malta at 2tM)i,
e do piio al tres mese*.
Entra em 1 discussao o projecto qne
autorisa ogoverno a conceder carta de na-j
luralisaglo aos sabdho3 portu jaezas Anto-
nio Alfredo Fleory e Antonio do Vascoo;
cellos Mndonga.
O Sr. Jansen do Paco pede, e a cmara
consente, que o projecto tenba urna, so dis-
cussao.
Vem mesa, sao lidas, apoiadas, c en-
ram coojunctamente em disciuso, diver-
sas emendas concedendo igual favor ou-
tros estrangeiros.
Ninguem pediftdo a paJavra e pondo.e
a votos o projecto. approvado com todas
as emendas e remeltido a commisso do
redacro.
Entra em 3a discussao o projecto do
senado declarando que as disposigfjos do
art. 5o da lei de 23 de novembro d'48ll,
na parte relativa ao principe imperial, sao
applicavcis prineeza iinpi'rial.
O SR. COEUIO RODRIGUES faz consi-
deragoes sobre a materia.
A discussao fica adiada pela hora.
ORDEM DO DA.
Contina a 2a discussao do art. i* do
projecto sobre a reforma policial.
O SR. ALENCVR ARARIPE : Sr. presi-
dente j bastante se ha debatido o art. i
do projecto oraem discuss); todava con-
sdero-me obrigado, como relator-da com*
misso, a dar ulgumas explica ojs acerca de
varios pontos, que foram contest idos.
Principiare! pela considraco feita em
relaco ao tempo de pratica exigivel pira a
nomeaco dos hachareis formados para car-
gos de ebefe de polica.
Existem duas emendas; mvi exige o ti-
rocinio de 4 annos, e otrtra requer 2 aooos
de pratica.
Parece-me qne estas emendas nao devem
ser aceitas: restriego qne se quer esta-
belecer ao direito de nomiaco n5o atlinge
a vantagemque se deseja obter.cntendendo-
se que, limitada assim a faculdado de no-
meaco, o governo mais fcilmente acertar
na escolha de pessoas idneas.
Julgo, porm, que assim nao succeder.
Entendo que haver mais conveniencia em
conferir direito ampio ao governo, deixand)
Ihe e arbitrio de escolher aquelles que mais
dneos parecerem.
Digo, que a limitaco nao conscgtie o al-
mejado fim: porquanto desejando-sc que as
nomeaces recaiam sobre pessoas compe-
tentemente habilitadas, a emendi defi-
ciente, visto como se o governo nao tiver
bastante criterio e zelo da causa publica
para escolher individuos capazes o idneos,
ilebalde as emendas exiram tempe de pra-
tica : ellas nao satisfaro ao seu li n, porque
se o governo p le nomear a individuos nao
habilitados pela falta e tempo de pratica
pode tambem nomear a pessoas nao habi-
litadas por falta de capacidade intellectual
e moral, embora tenham ellas | exigida
pratica. Sabemos, que nao c s o tirocinio
que d conhecimentos e liabilitagoes: a in-
telligencia do individuo ctiitivada por esme-
rado estudo suppre-lhe muitas vezes a pra-
tica, a qual alias nos espiritos tardos e na-
gligentes pouco adianta ; e assim o gover-
no pode nomear a um individuo inculcado
por longa pratica, mas cam muito menos
nabilitaces do que um outro que nao se
exorne com essa pratica. (Apoiadoa.)
O Sn. Heraclito Gr.\<;v: O abuso ser
menor.
O Su. Alenc.vr Araripe :Seo governo,
pois nao tiver sincero empenho de nomear
pessoas dignas de bem exercer os cargos,
escolhera de entre aquelles hachareis que te-
nham pratica, mas que nao tenha a devida
capacidade.
Conhego mu bem que para certas espe-
cialidades coBvm exigir tirocinio. Mas
acontece, Sr. presidente, que o tirocinio da
pohcia to smente no exercicio della pode
fazer-se com vantagem.
O que consegne um bacharal na pratica
que exigem as emendas, isto na pratica
de foro ? Inteira-se mais no conbecimento
da legislarlo, exer-se melhor na profisso
de advogado, ou mesmo adanta-se em per-
feicao para as funegoes da judicatura. Mas
a poli :ia nao requer tanto esta scienca.
como o fino tacto de prever futuras contin-
gencias, apreciar indicios, anticpar-se aos
fagtos, presentir menges, acertar na es-
colha dos meios, avahar os caracteres e
amoldar-se ao trato do homem de inaedu-
cago c ao do individuo grosseiro, ao do
individuo Ilustrado e ao ignorante, ao do
cidado elevado em honras e ao do simples
e desambicioso camponez. pjra todas
estas cousas mais vale o animo atibado do
que o espirito exerckado as pralicas fo-
renses.
Nao digo que estas nao sejam necessarias,
nem que o governo dcixo de altender a
N'uma noute em que Miguel, ajoelbado
defronte do fogb, soprava com toda a
forga dos pillmei o fogo mortigo. fe-lo
um grande berro levantar sem pinga de
sangue. Mais assuslada que elle, estava
j a Sra. Leber no corredor e gritava quan-
to podia que tinha ladres. Levantamento
de vizinhos, remeihimento completo, es-
cndalo I Nao falpram guardas nactooaes
queacudissem deirmas tragadas. Assim
Diado, Miguel nao lugia nem muga ; leva-
van] -n'o j preso, quando Edme, entrando
de improviso, alevihhou o tnygma ao ver
o bom lumo que no fogBo ardia.
a fada, minha mli ; a nossa fa-
dazinha I disse ella.
A fada, perceberi bem ? O suave calor
que noute penetnava ia agua-furtada, o
geDio bemfasejo que irop. lia que os gra-
ciosos dedinhos se arrouxeassem ao tocar no
fri marfim, adeviihra Edme, era Mi-
guel.
Mas a fada era aites ella, era Ejme
Leber. Foi a singella phrase como toque
de mgica varinba a venda com que o
medo cegava a digna senhora, cabio repen-
tinamente. Que vira quando acordou ? urna
enanca' ajolhada ac p do fogo onde o
lume agora crepita* Correa, arrancn
Miguel aos perseguir ores, aecusou-se si
propria, deu expliciges. Que preciosa
ancdota para sahii na Patria, jornal da
tarde l Isto de vizi hos sao como plvora
fulminante ; o ente -necimento rebentou ;
as espingardas esconderam-se vexadissi-
mas ; a guarda nac mal fallou commovida
no premio Montyon, idea feliz qae evita as
esportulas, que sio n perigo dos enthusias-
mos, e o porteiro di se :
L me admira a, mim : esta gente
nao tem que roubarJ
N'estes ajuotamemos de inqoilinos, a voz
do portea-o a voz Ha razSo. Accreswn-
tou elle:
esse importante requiiito. quainlo baja, de
nomear a um chefe de polica: nao juigo,
porm, necessario consigna na lei essa exi-
geteit.
Uiibieharel lialil e intelligente dentro
de pouco tempo poAer mthor desempe-
ofcar asifllMVes^pnliciMS^I que outro ha-
charel de capacidade mais acanhada, em-
bora mais tongamente exercitado as ar-
gucias do foro.
Ses se jtatasse da nomeaco do magis-
trado, bem; eu comprchendo, que se nao
disp.'iise a (wistenci i d; platica. Primeira-
inente. a nomcagao m> magistrado
definitiva, e o erro nao tem rem3-
dio; o qi nO'SiiCCcde com o cargo
poliuial, do qual pode o individuo inap-
to, ou pouco instruido ser loga dispen-
sado. Em segundo lugar, o magistrado tem
d julgar asiitrincadas (uestoes-do direito
ct, o do dweHo criminal; mas o chafe de
pobcia psl > actual projecto fica reduado a
qnestSes mito"nia simple*, para coja boa
deciso o animo esclarecido de um tacha-
re! in.elligente basta.
At agora a legislago actual exiga pFa-
lica dos nomeados para os cargos do chefe
de polica,'perqu eltes linham as funeges
de juigar os crimes denominadas irH-
ciaes, e a3 de formar colpa nos delictos
communs, e nos delictos de responsabili-
dade dos seus subalternos; mas boje essas
attribuicoes j Ibes nao perlencerSo ces-
sand por este modo urna-razio que acon-
selhava mais longa pratica, e a conseqeent;
scienca mais avangada das regras de di-
reito.
Sustento que o chefe de polica deve
ser versado na jurisprudencia ; todava isso
nao quer dizer que se exigam os profun-
dos conheenentos jurdicos qne to s-
mente perseverante estudo de mutos annos
consegue dar; as w^Bes gewM, que hm
mogo liabil a Iquirc as nossas facilidades
do direito, o babilitam para exrcer as al
iribuices dos nossos cargos policiaes, so-
bretodo devendo nos considerar que nem o
governo os nomear apenas saiam forma-
dos das academias, nem Ibes entregar a
direcgo da polica de provincias importan-
tes sena) depots de experimentar ejp pro-
vincias onde negocios de menor moM tor-
nem menos sensiveis qnaesquer eriiw de
inexperiencia.
Crieo mesmo, que o governo ter ne-
cessidade de escolher os cheles de polica
d'enlre os hachareis anda slo destinados
por extensa prati ;a carreira da advocada
Homens habis entregues vida forense,
na qual encontrarlo vantagens devidrao
seu talento, nlomudro de destino, para
acerar outra carreira quando esta Ibes nao
offerega melhores condigoes. E que gran-
des proveitos apresenta entre nos o cargo
de chefe de polica para arraecar da sua
banca advogados j estabelecidos e con-
cetuados ?
E' isto nm motivo que determinar-nos a
nao requerer annos do pratica- para as no-
meagoes policiies, afim de que possa o
governo adiar hachareis liareis que se des-
tineun a este genero de emprego, antes que
se dediquem definitivamente, a mais lucrosa
profisso.
Por conseguint, a limitaglo d y tempo de
pratica para a nomeaco de taes cargos
apenas far urna coarotago ao bom arb -
trio do governo imperial, mas nao esta-
belecer tima garanta segura para que as
nomeaces recaiam sempre em pessoas re-
almente idneas.
O verdadeiro meo de ser a polica bem
servida o criterio do governo em esco-
llar pessoas capazes; para o que nlo se
faz preciso que estabeleCa a cundirlo da
pratica por determinado prazo.
Qual a razio que nos impelle a snnpr
que o governo ha de sempre propender
para o mal ? Por que razio havemoa
sempre considerar o governo nlo como o
mais nteressado no bem, porem como
aquelle que deseja praticaro mal ?
Esta doutrina de desconfianga parece
errnea, e deve desapparecerdo espirito das
nossas deliberagoes : dovomos antes sempre
considerar como o protector sincero da so-
ciedade, como aquelle que procura sempre
os remedios mais adaptados e efficazes
para os males pblicos. Coarctem-se fa-
culdades de grandes conseqaencas e imm-
nente perigo; abandonemos, porem, este
systema meticuloso, e previnido em cousas
mnimas. *
Se as emendas trouxessem p eflelo de
obrigar o governo a fazer sempre n.omea-
goes acertadas, eu as aceitara ; porem vejo
que ollas na o attingem de forma algumi a
semelhante resultado, e antes podem em
rirciimstancias especiaes impedir nomeaces
vantajosas e utei?.
Parece, Sr. presidente, cousa mais digna
do poder legislativo manter razoaveis san-
A verdade que o patife fez esmolas
enm a lenha do senhor bario.
Porque era bario o Si*. Schwartz, baro
havia um mez.
Domergre appareceu altrahdo pelo es-
palhafato. Diante de Domergue desmaiava
o fulgor do porteiro, como as estrellas
desmaiam quando o astro do dia toma posse
do horisonte. Com o nomear do Sr. Sch-
wartz baro, o rei de Sardenha augmen-
tara consideravelmeute a importancia de
Domergue.
A simplicidade fica bem aos grandes ;
ser-nos-ha impossivel exprimir quanto Do-
mergue era louvado por nao usar borda-
duras, nem tracllo, nem condecoragoes,
nem insolente pennacho bo chapeo. Na
austeridade da sua libr jjr de ferro, era
Domergue um sem-deus,,
A proteegao impoe deveres. Domergue
estimava Miguel mais d qqe si proprio
confessava. Exprimio-se assim, acompa-
nhando as palavras com gesto moderado e
nobre;
Meus seahores e minbas senhoras,
nem o senhor bario nem a senhora baro-
neza querem bulha no predio emquanto alo
entrarem na posse do palado novo, qqe se
pode dizer proapto, mas de que preciso
deixar seccar os estuques e argamassas,
sempre perigosas pela humdade, para
Fheumatismos e catharraes. Bem sei que
o fizeram na santa lntenglo de acudir, como
d ve fazer sempre qnem ouve gritar da
guarda i Todava, respondo pelo peque);
a sua accSO foi generosa, senhores I e elle
nlo tem preciso de arranjar combustivel
casta da integridade, porque tem lenha
da nossa casa, assim como tem comer e
roupa em abundancia. Recolha-se cada
qual ao seu canlinho. Disse.
Havia mire m guarda* otcionaes umi
latinista que comparoo Domergue' com
Neptuno, acalmando s com a sua pre
trmentns de: benevolencia e confianga em
um dos alto*, poderes do estado, qual o
podar exeeutwo, do que ostentar essa nn-
niestagao de receios e temores de constante
abuso. Concedamos com raaqueza a este
poder pet ico os meios netasaarios para
praticar o bm. Mostra a experiencia que
este systema de coarctar e restringir sem-
pre o arbitrio cm objectos miniaios io
pmdoz nenbum xito importante.
Devenios acreditar que o governo nessas
nomearoi u'm ter oulfo interesse seno
o de acertar, nomeando possois idneas e
cajazes : dfcixeraos-lhe pois ampio arbitrio
para essas nomeages. Militas vezes acon-
tecer quj o governo deixo de nomear a
um hachare! utuit) mais digno, muito
mais habilitado para exercer o cargo de
chefe de polica, porque nao tem 4 annos
de pratica, paro nomear a um, qae tenba
longo exercicio. mas exercicio sem apro:
veilameitto, em con sapiencia da falta dos
requisitos iniellectuaes e moraes, que slo
por certo os mais attendiveis e desejaveis,
Longa e diuturna pratica com p uco ta-
lento pouco vale ; grande talento, porem,
anda liiuilida orai;a, vale mato e moito
mais anda promette.
Alem disto, Sr, presidente, eu considero
que pan o cargo de^chefe de polica nlo
se necessita de urna longa pratica, mas
quando se qoeiram reputar como impres-
cindiveis os coi hecimentos da praxe judi-
cial, nem por isso 99 c'eve suppr que o
projecto os dispensa, on os rejeita: o que
entendo conveniente que nlo marque-
mos tempo de pratica, licando a apre
cigo disso ao prudente arbitrio do governo.
Ninguem suppor- que o governo nao at-
ienda a semelhante condico de idonedade;
por isso nao licito qaa nos premunamos
contra a hypolbese co slanted: que s bi-
chareis recntenteme saludos das nossas
academias serlo aquelles que bao uVi ser
aprovdiadus pira os cargos de polica.
Intil, escusada e talvez prejudicial pode
vir a ser a providencia; que as ememdas
consignam, estabele^endo essa restrigo
que ao governo se impe. As nomeages
para a polica como todos nos sabemos,
devem ser da inteira confianga do poder
executivo, daquelle que est encarregado
da mauulengio da ordem publica; e senos
j limitamos a urna s classo social- para
que anda nesta classe havemos de fazer
umi restriegao? Nao coarctar demasiada-
mente a faculdade que tem o governo de
escolher pessoas de aun confianga ?
Em vista, pois, das razes pesentadas
parece-mc, Sr. presidente, que nao convem
aceitar as emendas, urna apresenlada por
um dos nobres deputados pelo Rio de Ja-
neiro, que exige o tirocinio de quatro
anos, a onlra apresentada pelo nobre de-
putado de S. Paulo que exige o tirocinio
ds dous annos.
O Su. IIeracmto Guaca : Isto s
para a interinidade. As emendas sao di-
versas : nao sao sobre 0 mesmo assumpto.
O Su. Alkncah Araripe :Como tenba
de apresentar urna emenda relativa -
substituirlo do csrgd de chefe de polica
nos casos de suspenslo decrctrda pelos
presidentes de provincia, dexare de fazer
qnalqner consideraglo a respeito do aparte
que me acaba de dar o nobre deputado pelo
Maranho ; porquanto, em vista dessa
emenda, licarfo sem procedencia quaes-
quer motivos allegado sobre a interini-
dade.
Tem-sc combatido gom vigor a faculdade
que o projecto d aos presidentes de pro-
vincia para soSpender os chefes de polica.
Parqce-me, Sr. presidente, que a maior
forga da argumeatago apreseutada pelo
met Ilustrado amigo, deputado pelo Para-
n, que hnpugnou com insistencia esta
faculdade, provem da confusa) estabele-
cida entre suspenslo criminal e suspenso
administrativa. Desta ultima trata o pro
jacto.
Disse o nobre deputado que a faculdade
da suppresso do chefe de polica conferida
aos presidentes de provincia tornara este
cargo nimiamente desapreciado, de ma-
nera q e nao apparecena bacharel algum,
as circumslancias de poder bem desem-
penha-lo, que o quizesse aceitar. Nlo
alcango razao alguma de onde passamos
deduzr desconsiderarlo ao cargo de chefe
di polica em virtude da simples faculdade
da suspenslo presidencial. No entratanto,
razao muito forte e validosa existe para
que essa faculdade subsista, e fique consa-
grada na lei.
Por isso mesmo que os chefes de polica
fem funegoes muito especiaes, muito im-
portantes a respeito da seguranga e tran-
qudidade publica, dando-Ibes assim ca-
rcter especial, por esta m^sma especiali-
dade preciso que eiles saiam da regra
geral e que os presidentes os possam sus-
senga a commoglo da immorlal canalha,
encarregada, segn lo Virgilio, de sublevar
as ondas do mar ; por mais nobre, porm,
que fosse aquelle Neptuno, nao pod a maio-
ria dos inquilinos resolver se a colloca-lo
namesma linha que o Domergue. bello
juntar alta inuenca o dom to raro da
palavra. As damas deixaram escapar lison-
geiro murmurio, e o oulro sexo apresentou
armas espontneamente. Domergui pegou
em Miguel por urna orelha e conduzio-o
presenga de Schwarti.
Em casa dos Schwartzs estavam na flo-
rescencia da opulencia, no desabrochar,
na verdadeira iua de mel dos beniavenlu-
rados que um da desposam a deusa For-
tuna. Dedarra-se altamente a Fortuna
por Schwartz; j nao era ahi um millo-
nario qualquer, se bem que os milonarios
lossem n'aquelle tempo mais raros do que
hoje. O Sr. Schwartz era milionario de
modo esplendido, europeu. Era contado
entre os cabegas do corpo r.cago ; podia-se
j determinar o dia em que havia de ser
transformado em milhSo poltico.
Creio que foi Beranger quem disse que o
prazer torna a alma boa. Como esta,
disse elle muitas cousas qoe nlo slo das
mais profundas, mas que agradam incompari-
valnente os devotos-do deu da boa gente
a aos realistas de--Yretot. Afinal de con-
las, era um enorme poeta,* Domergue
sabia-lhe de cor as cances.
Verdade que outros pbilosophos en-
sinam que a alma melhora e fortifica-se no
mysterioso e divino cadiho ,qae se chama
soffrimento ; mas em que diabo nos vamos
melter t Pegamos francamente nos alma-
oaks de Baranger : o praaer que torna a
alma boa, Gavarni, que tem muito mais
chiste que Beraa|er, Iriiozio assim clara-
mente o apjplithegaia da lyra nacional I
Os verdadeiros devotos dang-am o canean 1
no baile de mascaras da Opera. ,
pender era casos extraordinarios e repan
tinos^ faculdade que nlo necessaria para
outros cargos.
O Sn. CoasA : Nem para os secre-
tarios- de provincia.
O Sn. Alemoae Abarwc: Nem para
os secretarios de provincia, porque nao
esto as mesmas condigoes. Ao secreta-
rio de provincia opresidente podar imme-
diatamente inulilisar, arredande o de
certos actos em que podara exercer
aeco prejudicial ao servigo publico, man-
dando-o apenas redigir officos sem impor-
tancia, nao Ihe confiando objectos de se-
gredo; porem a conlnuaglo do chefe de
polda, que temaltribuigesjarsdiccionaos,
as qaaes o presidente Ihe nao pode recu-
sar, seria em caso especial urgente assaz
fatal: se opresidente nao estiver arma-
do desH faculdade tarda vira o remedio.
O Sn. Correa :E' bastante a lei de 3 da
outubro de 1834.
O Sr. Albncar Araripe :Nao 6 bastan-
te a lei de 3 de outubro de 1834, e passa-
rei a dar as razes desta minha proposi-
go. Para a suspenslo decretada pel pre-
sidente em virtude da lei de 1834, pre-
ciso que os chefes de polica tenham pra-
licado ura crimo grave 00 com circumslan-
cias nota veis.
O Sn. Coiireia :Erro, abuso ou omis-
slo.
O Sn. Alencar Araripe :Mas esse erro,
abuso ou omisslo deve ser de natureza
que determine um procosso criminal, lauto
assim qoe a lei determina que se remettam
os documentos necessario para se formar
a culpa; porm a suspenslo de que se
trata no projecto em discussao, tem carc-
ter muito diverso. Pri neiramente pode-
1 iam dar-se o caso do crime, abuso ou
omssao que torne necessario um processo,
e se presidente nlo tiver a faculdade de
suspender administrativamente ver-se-ha na
necessidade de tolerar o mal, ou na obr-
garo de empregar urna violencia, sujetan-
do a processo o chefe de polica por um
acto que o nlo provocava.
Em taes cscumslancias ou o presidente
Urde commetter nm aboso exagerando a
lei e fazendo della indevida appcago, ou
ha de consontir que o mal se faga sendo
delle impessivel espectador. Considere-
mos que apparegam symptomas de pertur-
bado na tranquillidade publica, por qnal-
qner cousa que seja; supponhamos que c-
dadlos mal intencionados projectam urna
reunilo da qual possam seguir-se graves
damnos; alemorisando-se a popularlo, que
assim julga-se ameacada em sua seguranca.
Nesta situago entende o presidente que
necessario previnir a reuna, qne neces-
sario decretar alguma providencia de preu-
caglo : porm o chefe de polica pelo con-
trario entende qno o caso nlo exige provi-
dencia alguma; daqui resulla eslabelecer-
se conflicto.
Na hypothese figurada ba apenas discor-
dancia sobre o modo de apreciar um fado
e de encarar o fuluro. O chefe de polica
em boa f entender qne o presdeme exa-
gera o perigo, e levanta infundadas appre-
henses: maso perigo pode ser verdadeiro e
inminente, e nem por proceder o chefe de
polica sem intencSo criminosa deixa o
mal de fazer-se, se nlo f&r o caso preve-
nido.
Os nimos slo diversamente impresso-
rfados pelas circomstancias, e ninguem sen-
satamente dir que da parte do funeciona
rio policial haja falta culposa contra a qual
o presidente deva empregar a suspenslo
criminal.
Nestas circomstancias o que ha de fazer
o presidente ? Diz-se : Recorra ao go-
verno geral. Mas quem assim falla nlo
ponefera na realidade das cousas. O caso
pode ser repentino; pode dar-se grave
acontecimento de um da par outro, e de-
vur a precaurlo tomar-se sem detenga : %e
o presidente tiver de recorrer ao governo
central, tarde chegr a providencia; j a
tranquillidade publica ter sido alterada, e
grande mal ter-se-ha seguido: entretanto
que, se o presidente estvesse investido da
fa uldade da suspenslo administrativa im-
mediatamente a teria empregado com efli-
cacia e com proveito publo.
O Sn. Correa : Este caso a lei da 3
de outubro a cautela, urna omisso crimi-
nosa.
O Sn. Ai.em:ar Araripe :Reste caso,
Sr, presidente, pergunto eu : ba um crime
no modo de pensar do chefe de polica,
entendendo qua a providencia nao neces-
saria, que a ordem publica nao est muito
seriamente ameag-ada, como o presidente
pensa ? haver um crime para que o presi-
dente, suspendendo-o mande instaurar pro-
cesso ? Se o flzer, commebte abuso ; se
nlo o fizer, a tranquillidade publica periga
e soffie.
Ter milbes, prazer incontestavel ; ser
bario de mez, pode tambera passar por
grjnde volupa, Como por natureza o ba-
rio nada tinha de mo, como a baroneza,
mulher estimavcl e encantadora,^ s tinha
nstnctos benvolos, soprava -em casa d'elles
fagueira brisa de mansido e misericordia.
Parecia-lhes que o universo inteiro lhes
devia sorrir para a gloria, e a chusma de
lisongeiros, que nunca faltam prosperdade
alguma, brava largamente no palacio o ven-
tre da miseria.
O que eu censuro em Beranger, que nao
va a cousa de to perio, ter empregado
o pa'avro alta, para caracterisar o bom
humor dos estmagos >jue digerem bem, ou
das burras que se cncliem.
A familia Schwartz eslava simplesmente
de bom humor. A alma ponco tinha que
ver all.
Miguel chegou i sala com a orelha na
mo de Domergue. Obtda licenga para
fallar, Domergue empregou no seu dis-
curso toda a eloquenda com que a natureza
o dotara. Era o segundo volume da his-
toria do feixe de mallo, lio favoravelmente
acolhida quinze das antes. Verficou-se
que a estufazita de ferro fundido nem se
quer fra accesa. Miguel tornou-se hroe ;
encasquetou-se ne bario a idea de fazer
d'elle um homem, isto um banqueiro, e
urna parte dos novos favores que o nosso
here desfrudava foi repartida com as vi-
zinhas da agua-furtada.
Ao priraeire aspecto, pareee fcil fazer
bem gente lio pobre como aquella. Pois
era ditficl: nao aceitara a Sra. Leber urna
esmol, por mais desfarcada qae fosse ;
l estava, porm, a Branca. Edme, com
os seus dez annos, fot encarregada de Ihe
dar lidies da piano.
Qwnto Miguel, qne nlo tinha sobarba,.
veaUram-lbe (ato de homcmzinho, e man-
daram-no pin a aaoola do commerco.
O Sn. ConrA: Nao pode haver omisso
maior do qoe ar* que a orde)pi)lica
te3 perturbada.
O Sr. AuH.-c.in Ararife :Entander a
auloridade policial de nmmodo di vano do
que entende a primeira autorida-Je da pro-
vinda crime f I Eu anda nlo acha no
cdigo este crime classificado. Se o chefe
do 3policia intencionalmenlo e de aceprdo
com sediciosos ou pertubadores do publico
socego procedes3e. entlo baverla crime ;
mas a nossa hypothese de estar o chele de
polica de boa fe ou pensar erradamente,
faz urna apreciaglo errnea.
O Sr. Correa d um aparte.
O Sr. Alencak Araripe :Bem, mas
erro de intelligencia nlo erro de vontade;
o onde nio lia facto intencional nlo ha ele-
mento do crime.
Muitas e diversas hypotheses se pode fi-
gurar, as qoaes dara motivo a dissideocia
entre o presdeme o o chafe de polica; c
para nlo repetir cousas que todos coroprc-
hendem, basta lembrar os accidentes pol-
ticos.
Pode convir por motivos pelilicos e de
ordem publica a alteracao immediati de
pma 011 mais antoridade policaes subalter-
nas. O chefe de polica por snas ideas po-
liticas julga nao dever annoir a essa altera-
cao, propondo novos individuos. Mas ao
presidente da provincia parece a providen-
cia de grande alcance; 110 entretanto o seo
subordinado o impede de obrar. E* isso
digno de sua elevada autoridade ? E' com-
pativel com a responsabilidade que sobre
elle pesa pelo andamento dos negocios da
provincia ?
Creio que ninguem contestar a negati-
va ; assim como tambem creio que ninguem
em boa doutrina affirmar, que o chefe de
polica commette um erro pnnivcl ante a
lei criminal.
Em aportadas circumstandas o presiden-
te infringir a le moral sophismando a lei
civil paradecrelar urna suspenslo criminal,
que elle em sua consciencia reconhece in-
justa, mas a que se sent forgado por um
motivo de interesse publico. Em tal caso
mais racional e conveniente estar o pre-
sidente investido de sufficientc poder para
resolver a questlo sem violencia.
Por consequencia a altribuiglo de conce-
der administrativamente ao chefe de polica
ulllissiraa. O presidente da provincia,
responsavel pela tranquillidade publica, por
uteresses to grandes da socedade, nlo
pode e>lar desarmado de to importante at-
tribuigao,
At hoje (diz-se) nl se ha mostrado .1
necessidade desta faculdade. Sr. presiden-
te, eu contesto que nlo se tenha mostrado
esta necessidade. O que acontece que
muitas providencias ut- is deixam de ser
lomadas por decorrerem desintelfigencias
com os chefes de polica, os quaos ceden
quasi sempre, quando a causa publica j o
tem soffrido detrimento receiosos das con-
sequencias da divergencia, e contando com
a demisslo.
O Sn. Taques :Do parte de doenlcs.
O Sr. Alendar Araripe :Do parte de
doentes.oH enlo retram-se por qualquer
molivo. Se havemos de motivar semelhan-
te procedimnto, qne n3o decente, por
que nlo se ha de dar aos presidentes de
provincia oc. poderes sufticientes para sem
rodeos nem subterfugios, garantir a ordem
publica? Qual a inconveniencia que dahi
resulta ?
Esta atlribuigo conferida aos presiden-
tes de provincia augmenta-Ibes o prestigio
para dignidade do cargo, d-lhes certa for
ga necessaria para obediencia e respeito
das suas ordens. Sabemos que esles altos
reaccionarios tem attribugoes lia elevadas,
e sao importantes, que nao podemos deixar
de ligar grande importancia e grande con-
sideraglo ao cargo.
O chefe de pobcia sempre se entendeu,
e nem se pode deixar de entender como
um agen le muito immedato, muito depen-
dente do presidente de provincia, para que
pois negar esta natureza do emprego poli-
cial, e recusar ao mesmo presidente a facul-
dade, de que Ihe investe o prejeelo ?
Julgo pois,-Sr. presidente, que neobuma
razo plausivo! abona a impugnadlo feita
a esta parte do projecto. Alguns nobres
deputados, que trataram do 2" do art. Io
do mencionado projecto, na parte em que
diz que os presidentes de provincia, suspn-
dendo os chefes de polica, designarlo para
substituir interinamente a um dos delega-
dos de polida da capital.
(Oititmar-se-ha).
Nao fallara elle anda com Edme ; a
Sra. Leber, porm, encontrando-o urna vez
na escada, cobro-lbe as fa;cs de beijos,
desejando-lhe mil venturas.
Tinha Miguel tres amigos em casa dos
Schwartzs: Domergue em primeira linha,
Branca depois, e em terceiro lugar o ba-
rio. Ignora o commum dos mortaes a
dse de capricho qne entra as determina-
ges das pessoas riquissimas, e sobretodo
das pessoas enrquecidissiraas.
A saciedade chega muilo mais depressa
do que se julga ; nao a saciedade na ac-
quisiglo, mas a saciedade no goso. OSr.
Schwartz tinha imperiosa necessidade do
brinquedos, e Miguel era para efle wn bo-
nito da primeira qualidade. Desde o pri-
meiro instante, irrompeu n'elle a idea de
produzr um primor artstico, de crear
pega por peca o petelo dos banqueiros.
- Revia-seclle, o bario .Schwartz, a nlo
sem alguma razio, como pouco mais ,ou
menos igual dos Rotschild ; nlo bastava.
Estando assente qae um Rotschild o
maior calibre da arlilbaria argentara, que-
ra o Sr. Schwartz aperfecoar anda o ma-
ravilhoso engenho, enger o admiravel obuz
e dar-lhe alcance dcuplo. Cada dea tem
a sua formula exacta no espirito de um
inventor : superior Protnetbeu, Schwartz
pretenda nlo s produzir a vida, mas
eleva-la proporges sobre-humana*': so-
uhava o bagqueiro da vapor.
S a S*r Schwartz nlo mostroa guel, nos primeiros das, mais qm ridB|
e suave benevolencia. Estava de corlo 1
longe d se oppor aos projectos do marido,
mas nlo participava dalles: boba a sua
filha.
(Qtmti*mur-$9-ka.)
+......... '
trr. m iAii^rfnsATaBMr(t
i
,


m.j *jp
#*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELGHRG2AS_311PVB INGEST_TIME 2013-09-14T02:01:03Z PACKAGE AA00011611_11964
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES