Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11963


This item is only available as the following downloads:


Full Text

.9-
____________gjjjjfl[M HUWCBO 231.
PAB A CAHTt IWAMS OUtt IA0 Wfc* PHT.
?or un auno Wem. .......... *?
fiada numero avniso..... ......... ,f2S
.fj
SIBBADO 9 DE OUTBRO DE 1869.
C
PAKA JJEITAO TOBA DA HTOniCIA
Por tros mezes adiantadot..............
Por sc ditoe dem..............".'.'
Porno\ ditos idem...............
Por muo. ...........
Z7#0O0

Propriedade de Manoel Rgueira de Faria Fhos.

i. >..t+
i lilil) ir imh
A AGENTES:
=___-____________________** fteareth Friflcino Tavares da Costa, em Alagos; Dr. Jos Martina Aives, oa Babia; e Jos Uibeiro Gasparmbo, no Rfr de Janeiro.
PAKTEEFKIl.~
lal; Jos*JtostfaO
oyerno la provincia.
UXPED1RPTE ASKNABO PB.0 EXM. SI. Dn. MANOKL
DO NASCIMKNTO MACHADO PORTKIXA, VICE-FRBSI-
DENTE DA PROVINCIA, KM 14 DE HLIIO DE 1869.
1" seeeao.
N. 482. Portara ao director Jo arsenal de
guerra.Mande V. S. receber o concertar ou tro-
car ne-se arsenal, as armas que pelo quartel do
2* balalhfio de infamara da guarda naeioual daste
municipio, forem para isso apresentadas, como so-
licitan o respectivo corornandanto superior interino
cm offleio n. 127 de llt do correle.
.V. 483.Dila ao me~mo.Approvo os contratos
do corrente sob-n Vi),, celebrou V S. som Manoel
Antonio de Jesns Manoel Joaqun) Ferreira Esle-
ves, para fornecerem os ^eneros precisos ao ran-
cho da companhia de aprendices menores desse
arsenal, no trimestre dt iulho ;i setetnbro deste
auno.
2* seccao.
N. 485.Portara ao presidente da relacjio.Do
confonnidade com o que me solicitou o presidente
do Cear em offleio de 25 de junlio prximo (Indo,
sol n." 1 sirva se V. Exc. de informar em que. es-
todo se achara os proeosso do appellacao dos prc-
sos Vicente Alves Felisardo e Joaquim Francisco
X. 48i>Dita ao Dr. chefe de polica interino.
Hxpeca V. S. suas orden? ao subdelegado de po-
lica da fregueia de tiar.wlleira, Francisco Manoel
\V ind.Tley Lin-, aui de que faca recolher ao de-
posito especial de iustrucrao o n. 103, que pelo
s ildado Manoel Mathhs Soares Iho foi entregue
cm setembro Jo anno passado, por ter candado em
ivninli.
Y is:.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S. o
offleio junto por copia do juiz municipal da 1*
vara de 12 do correte, em resposta ao sen do 8
deste roei sob n. 990 com relar jo m sentenciado
.1 vio Jo-c de Mello.
Y IS.Dita ao juiz de direito da comarca de
Palmaras.Com o uflicio de V. S. Jalado de 6 do
correte reeebi os mippas estatstcos, que rcmet-
teu-aie Jo juiz municipal do termo de Barreiros,
sob ns. 18, 22. 23 e 26, e os do juft da paz do 2."
distrhjln Ja fregueiia de Agna l'reta. Devendo o
I" dos referid juizes ministrar mais os mappas
sol) ns. !) e 15 criminae-, os da ns 20, 21 e 2i ci-
vis. .> oh enmmerciaes sob n*. 20,21 e 29, reeom-
mend >-lli-, que late Je havel-os para enviar-me
e >m brevidade. assim como es Jas outras autori-
C'hi. ;
.Y 4s9.Ditn ao ommanJante do corpo provi-
s >rio d;: polica. Eui vista do que cxpoe o cliefe
ile polica em offleio n. 10, 11 o 12 do crreme,
niaude Vmc. apreseotar diariamente ao mesmo
chefe as servico do revistos dos navios, a qaal de ver reco-
Ihor-se ao quartel logo que se tediar a reparteao
da polica.
N. i'Jl).Dita ao mesmo.Em vista do que ver-
tt ilte neute expoz-me o Dr. nhefa d^ polica reoom-
m ii lo a Vmc, que mande apri'sontar-lhe um ca-
pilio e dez praeas do corpo sob seu commando,
allm Je segnirem em deligencia para fra da ci-
JaJ-.
t. 191. Deliberado. O vico-presidente da
provincia. C'iilormando-se com a proposla do Dr.
-chufe de polica, en oflicio n. 10!) de 12 do cor-
r-eote resnlve exonerar do cargo de i. supplente
dodetegidodo termo do Itio Formoso Antonio
dos Saiito< Vital por ter mdalo sua resiJencia
para esta capital.
Y 492.Dita.O viccpresiJente da provincia,
al tendeado ao que llie requereu o lente da 8."
c mpanhia do bataihSo n. 3i de infamara da guar-
da nacional do municipio de Tacarat, Joao Fir-
.iiin i ile Miranda, e em vista do que informou o
respectivo con mandante superior interino, resol ve
i indar que se Ihe d a gua de que trata o art.
43 do decreto n. n:0 de 12 de mareo de 1833,
pira o municipio do Bonito, ondo flx'ou a sua re-
i lencia.
.V. 193.Dito.O vice-presdcnle da provincia
do conformi lailu com a proposta do Dr. chele de
Milicia em offleio n. 1009 de 12 do corrente resolve
Homar pira o cargo de i- supplcne do delegado
d termo do Rio Pernoto, o inajor Francisco de
(jatea e Soaza.
3' seccao.
Mi 491.Portara ao inspectorda thesouraria do
fazenda.Expeea V. S. suas ordens para que no
dia 16 do corrente pelas 8 horas da manliaa se
revista de moetra ao contingente do 3" ba-
: i de infant ira (adJdo no 2' da guarJa na-
aal desle municipio) o qaal nesse dia tem de
. luarl'lar.
N. 4'Jo.Dila ao memio Maude V. S. pagar,
a Vtoto 'las duas eontas juntas em duplcala, que
um remetieu o io-pectoa do arsenal de marinha
r im offleio do 12 do corrente sob n. 1414, a qnan-
Je 6i >720 proveniente de annancios raanaados
Micsr pela inspeceo daqacile arsenal e pelo
conseibo de compras navaes no Diario de Pernam-
buco, durante os mezes do abril a junlio deste
anno.
N. 496. Dito ao mesmo.Tondo nesto data ap-
provado os contratos constante do termo junto
per copia, que celebrou o coronel director interi-
ne do arsenal de guerra com Manool Antonio de
Jess, e Manoel Joaquim Ferroira Estoves, para
fornecerem os gneros precisos ao rancho da com-
panliia de aprendizes menores daquelle estabeleci-
menlo no trimestre de Julho de setembro deste
anno ; assim o commumeo a V. S. para sou ce
nhecimenlo.
N. 497.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincialEin visto da inclusa cunta, mande V. S.
pagar a Justino Jos de Souza Campos a qiwn a
d3()j000 provenieole de tres resmas do papel
americano pautado e com titulo impresso que for-
neoeu para o expediente da secretaria desta pre-
sidencia.
N. 498.Dita ao mesmo.Inteirado de quanto
V. S.expoiiam sua informacao de 9 do crreme,
sob n. 3J1, teuho a dizer que mediante flanea ido-
neo e depoi de lia ver o bacharel Gaspar da Me-
nezes Vaseoncelloi de Drummond, provado que
acha-se euearregado ilas obras da capella de San.
to Amaro em Se/iobaem, mande V. S. entregar-
le o lOOOiOOO, volado no 5 da lei do orea-
meato vi gome para aquellas obras.
N. 499.Dita ao weamo.llecommeado a V. S.
que, em vista da folha e conta juntas, que me re-
mellen o commandante do corpo provisorio de po-
lieta eom offleio de 12 do eorrente, sob n. 29o,
mande liquidar e pagar, nao s os vencimentos
correspondente ao semestre de Janeiro a junha
deste anno, dos calcetas empregados na fachina do
quartel daquelle corpo, mas tambom a despea
feito durante o mesmo semestre com a compra e
coneertos de Jilerentes objectos, necossarios ao
menciona quartel.
N. 300.Dita ao mesmo.Annundo ao que so-
licitou o provedor da Santa Casa de Misericordia,
em offleio de 12 do corrente, sob n. 1990, recom-
mendo a V. S. que depois de liquidada, em visto
das tres inclusas eontas, a despesa feita com o tra-
tomeoto e curativo das pracas do corpo previsorio
de policia no hospital Pedro' II, durante os mezes
Je abril a junho Jc-te anno, mande pagar a im-
portancia dessa despeza ao thesoureiro daquelle
estabelecimento, commendador Jos Pires Fer-
reira.
.Y 301.Dila ao chefe da reparticao das obras
publicas.Com a inclusa copia da informacao da
cmara municipal dcsla capital, datada de 7 do
corrente, e sob n. 56, respondo ao offleio n. 234,
que Vmc. me dirigi em 18 de junho ultimo, re-
clamando providencias a respeito do gado que
passa para o matadouro pela ponte dos Affogactos
causa estragos na estrada dos Remedios.
.Y 302.Dita ao mesmo.Tendo-me declarado
o Exm. presidente Jo Para, em offleio de 2 do
csrrente, haver approvado o contracto feito com o
mostr pedreiro Francisco Xavier Soares para ser-
vir as obras publicas da capital daqueila provin-
cia, mediante as condicoes constantes do termo,
que por copia acompanbou o offleio que Vmc. me
drigiu em 3 de Junho ultimo, sob n. 44 ; assim Iho
cominunico para seu con'iecimento e directo, II-
cando certo de que nesta data e de confonnidade
com o que me soliciten aquella presidencia, expe-
co as necessarias ordens aos agentes da companhia
Brasileira de Paquet t, allm de darem transporte
para aquella proyocia, por coma dos cofres da
mesnu em um dos vapores da mesma eompanha
do referido raestre pedreiro e sua familia.
4a seccao.
N. 303.Dito ao conselheiro Jos Carlos de Al-
meida Arrs, enviado extraordinario e ministro
flenipoteneiario do Brasil em Londres.Tenho a
Tionra de transmittir a V. Exc. os cinco inclusos
documentos concernentes a liquidacao das eontas
da estrada de ferro desta provincia, relativas ao
semestre de Janeiro a junho prximo findo, para
pagamento da respectiva garanta.
N. 506.Dito ao Exm. presidente da provincia
de Minas Geraes.Passo as maos de V. Exc. para
os fins,convenientes, copias do auto de identidade
de pessoa a que se procedeu no cadver do sen-
tenciado Pedro da Silva Dutra, que se achava na
ilha de Fernando e qne consta ter sido remettido
dessa provincia.
N. 507.Diip ao Exm. presidente da provincia
do Rio Grande do Norte.Remetto por codia a V.
Exc. em additamente ao seu offleio de hontem, o
incluso termo de remessa dos objectos nelle men-
cionados.
N. 508Dito ao Exm. presidente da provincia
das Alagoas.Nao existe no archivo da secretaria
desta presidencia, e nem no da thesouraria de fa-
zenda segundo declararam o inpector desta em of-
ficio de 13 deste mez e o archivista daqueila o
registro da carta de sesmaria concedida em 1698
aos indios da aldeia de Jacnique. do que trata o
olliclo do V. Exc. de 14 de junho prximo findo a
que respondo.
N. 509.Dito ao Exm. presidente da provincia
do Para.Nesto dala data expeco as convenientes
ordens aos agentes da companhia Brasileira de
Paquetes, alim de que tenha transporte para essa
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POE
Paulo Fval
Segunda parte
TRES P \ T *
XI
Primeira areotnra.
(Cootnua?3o do n. 230^
Havia j dous anuos-que o mocinho viva
. na aguaMurtuda. Ficai cortos, ge-
nerosos proprietarios, que esse pobre ar li-
vre que circula nos soios dos vossos pre-
dios iraz aps si a poesa. Tenho visto
d'estes raagres da vegeWfSo : as mons-
truosas, a adoraveis orcbWeas sahirem das
f :adas d'uma viga caruocbosa. Esmalta-se
u vida com estes contrastes; a poesa a
ft<)r das aguas-furtadas I
Nao sabia o nosso here Miguel qaantd
psso precisos para.fazer um verso. Que
iaporla o verso a poesa ? Porem essas
quatro syllabas, as quacs cousa alguma
destiQuimof, brotavam-lbe do corac5o
como oa hyrano triumphal.
Abrio-se repentinamente ama porta do
outro lado do Ubique, e inuodou o qoarlo
oio sei que mgico fulgor; todo all sor-
Or at o lulo da mau Urna menina loara,
oojos cabellos soltos abriam comojiim res-
flendor em volta do cllo gentil/ correa
alegre e lancou os dous bracinhos ao pes-
coco da Sra. Leber. Miguel reconheceu
Edme : esperava-a tal qaal; nao dese-
jra, porm, que fosse to formosa. Es-
condeu a Sra. Leber a carta que Ibe fizera,
liumedecer os ottios ; pegou n'uma obra
de costura, e a pequenina Edme nao
passava de dez annos assentoa-se ao
piano.
Miguel esquecou-se de descer coziaha
para buscar o jantar ; s a noute o arras-
cou do posto.
No tenho tempo para lhes enumerar
todas as cousas que vio durante as prolon-
gadas horas d'aquella peccaminosa e en
cantadora espionagem. S urna importa i
nossa historia. Eslava um fri de gelar;
a |eitfa da Sra. L"ber tinba dous
miseros ti toes que se iam apagando ; a
mii gritava ao puxar o ponto ; os d'edinhos
de Edme raostravam-se rouxissimos na al-
vura das teclas de marlim.
Ella tem fri I disse comsigo^Mijuel,
verdadeiramente horrorisado.
Elle que se ria do fro I
Ella tinba fro i Edme, a adorada me-
nina de eolio anglico, coroado per aquella
anrola de cabellos loaros Ella tinba
fri, e a Sra. Leber tambera Miguel sen-
tio-se ferido no mais profundo da alma e
iidignou-se. Que de lenha n5oera intil-
mente queimada em casa dos Scbwarte !
Foi urna noitada de insomoia aquella. Mi
quel deu voltas e mais voltas na dura ea-
xerga, desd^qae-se dettoo at.atrorecer;
passou a aotrto na maior labutat^. Quando
jJe.vanou, estava tragado o piano. Em
j (V^Sair para a-aula, camiohou pela des
ctmiamn-ttoii* fra, oto certo de BiuaWiJ alOm alguim ftoresU. Bastan-
cipital em um dos vapores da mesma companhia
por conta dessa provincia o mestre pedreiro o sua
familia do que^ia o offleio de V. Exc. de 2 do
corrente.
N. 310.Dito ao Exm. presidente da provincia
do aaaasonas.Com offleio de V. Exc. de 15 de
junho prximo Ando, recebi dous ejemplares do
r* latorio que V. Exc. apresentou a assembla le-
gislativa provincial no da 4 de abril ottirao.
N. 511.Dito 'ao mesmo. Acense recebidos
cem o offleio de V. Ese. de 22 de junto prximo
luido, os exeraplares impressss nao s da exposi-
cao com que em 24 de agosto do anno passadp o
Dr. Jacintho Pereira do Reg passou a admi-
nHtrafo dessa provincia ae 1* vtee-presdente
eoronil Leonardo Ferreira Marques, mas tamcem
de relator com qne este entregeu |a V. Exc. a
mesma administracao em 2o de novembro do anno
pnximo Ando.
N. 512.Portara a cmara municipal do Reci-
fe.Concedo a aatorisacao que pode a cmara
municipal do Recife em seu offleio de 8 do cor-
rente, sob n. 57, para despender mais no exercicio
corrente a qnantia de 1:2003000 pela verba do-
signada no 4* do art. f da lei do ercamento mu-
nicipal vigente a qaal ae acha extiocta,
H, 513.Dila ao director geral interino dos in-
dio?.Declaro a V. S. em resposta ao seu offleio
de 6 de abril ultimo que estando designado o lu-
gar do Riaeho do Matto para so aldearem os- in-
dio? de que traa o seu citado offleio devem ellcs
para all retirar-se logo quo colherem suas lavou-
ras.
M. 514. Dita aos agentes da eompanhe Bra-
sileira do paquetes.Os vSrs. agentes da cempa-
nlili Brasiieira de Paquetes mandern dar transpor-
te i t o Para em um dos vapores dessa companhia
por conta daqueila provincia ao mestre pedrei-
ro Praneisco Xavier Soares e a sua familia a r
do nesmo vapor.
N. 515.Dita aoj'mesmo.Os Srs. agentes da
con- panhia Brasileira de Paquetes, mandern dar
traisporte para a corte ror conta do ministerio da
guerra no vapor Guar ao soldado Jos Manoel
Francisco que se alistou voluntariamente para
servir em nm dos corpos do excrcito.
EXPEDIENTE ASSIGNAPQ PELO DR. JOAQU1U CONREA DE
ARAITJO, SECRETAniO DO GOVERtTO, EM 14 DE JII.IIO
de 18B9.
1" seccao.
N. 510 Offleio ao Exm. Sr. general comman-
dan'.e das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. vi-
ce-presidente da provincia, declaro a V. Exc. pa-
ra seu conhecimdnto, qne por despacho desta da-
ta concederam-se aos reerutos Manoel Joaquim de
Sanl'Anna e Pedro Francisco Marianno, oilo dias
do prazo por provarem isenco legal.
N. 517. Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vict -presidente da provincia, declaro a V.
Exc em resposta ao seu offleio desta data, sob n.
409, que tica expedida a conveniente ordem aos
agentes da companhia Brasileira de paquetes pa-
ra "nzerem Iransportar para a corte no vapor
Guar, o soldado Jos Manoel Francisco, que se
alistou voluntariamente para servir em um dos
corrodo exercito.
N, 518.Dito aoinspeclor do arsenal de mari-
nha. Defcrindo o requerimento de Carros Jos de
Sena, sobre que versa a informacao de V. S. n.
1,781 de 7 do corrente, por attender a que poneos
dias depois da prisao de .seu llitio Augusto Jos
de Sena, reclamou elle a soltura deste, suppundo
ter sido recrulado, reoommendo a V. S. que man-
eto desligar da companhia de aprendizes marinhei-
ros e entregar ao supplicante o seu sobredito
lillio.
N. 519.Dito ao capitoo do porto. De ordem de
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia, e em
resposta ao seu offleio de 13 do torrente, sol n.
89, declaro que em data de hontem foram remet-
tidos a V. S. para informar os papis relativos ao
matriculado nessa capitana Flix Justiniano do
Espirito Santo.
2* seccao.
N. 520.Offleio ao Dr. chefe de policia. O
Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda de-
clarar a V. S. que nesta dato so expedio ordem ao
commandante do corpo provisorio de polica para
mandar-llie apresenlar diariamenlo as 6 horas da
manha, a praca de que traa o seu offleio n. 1011
de 151 do corrente, a qual deveni recolher-se ao
qnartel, fechada que seja essa reparticao.
N. 521.Dito ao me Sr. rce-presidenlo da provincia transmiti a V.
S. o titulo de nomeaejio do major Francisco de
Gouveia e Souza, para o cargo de 4o supplente do
delefade do termo do Rio Formoso, de confonni-
dade com a proposta de V. S. em offleio n. 1,009
de H do corrente.
N. 522.Dito ao commandante superior interi-
no da guarda nacional do Recife.O Exm. Sr.
vicepresidente da provincia manda declarar a V.
S. em resposla ao seu offleio n. 129 de 13 do cor-
rente, qne nesta data se expidiram a convenien-
tes ordens, para que seja passada revista de mos-
tra ao contingente do 3 batalho de infamara
que tem de desaquarlelar a 16 do corrente.
N. 523 Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia manda declarara V. S. que
nesta data expedio ordem ao director do arsenal
de guerra para seren concertadas ou trocadas por
ontra, as armas emmo estado, qu pelo quartel
mestre do 2 bntalhao de infernara d3 guarda na-
cional dite municipio para esse flm Ibe forcm
apresen tadas.
N. 524.Dito ao Sr. Antonio lartins da Cunba
Sonto Maior.O Exm. Sr. vio-prosidente da pro
vincia manda dcclarar-lhe en rc*posta ao seu of-
fieio de 5 do corrente, que llca inteirado do ha-
ver V. S. nessa dato sido nomeado e entrado no
exorcicio merino do cargo de promotor publico
da comarca de Pao d'Alho.
. 525.Dito ao commandante d corno prov-
* respeito se Ihe oflerecer, declarando a idade, es-
tado e renda dos propostos.
If. 536.Jita ao mesmo. Deroiro a> V. 8. a
ppuposta psra oflteiaes do bnraHwo n. 24 de tnfan-
tarta da guardk nacional do municipio da Escada,
que veio junto ao offleio do seu antecessor de 22
de jslho do anno passado para se Ihe offerecer, tendo em vista o disposto no art.
45 da le 602 de 19 de setembro de t8#), e no
avisojde 19 de ootabro de 185Bj jauto por copia.
N..587. Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Goyanna.Oevolvn a T. 8. as
duas mdusa3 propostas do comnwndanfl; do buta-
Ihao n. ta da guarda-nacional se*1 seu eotamando
sorio de polio. Exm. Sr. vice-presidenle da! superior que vierain aonexas ao offleio do-seu an-
provincia manda declarar a V. S. em resposta o tecessor dte 20 de julho-do anno passado, pitra qu
tes vezes o madnra ao maito a tia Pchet ;
sabia muito bem como se devia haver para
apanhar um bom feixe de lenha, e dizia
com sigo :
A Edme nunca mais ba de ter fro.
Pode-se andar horas. e horas em Paris
sem apanhar de graca seja o que fr que
aqupca, saceie oa alimente : Miguel, o nosso
here, disse nataralmente isto l comsigo.
Andou por boas duas. horas e sempre casas
e tniis casas. Viomuita coosa aova, mas
lenta, aeaburoa, se ro as esUacias. No
lim de duas horasv acertou cem a barreira,
e p.ira alm-d'etta contli*oOH ver casas,
cora, a nica diSerenca deseremmaisfeias
e mais pobres. Onde eslava enlao omatto?
Louvado Deas Eis urna vasto campia
cobarta de nev. A nev, j era um eonhe-
cimento. Na Norraandia bitarva elle bas-
tante da nove. M >s a malta ? L ao loa-
ge, muito ao loage, deslingaia-se um arvo-
red). Miguel enrolou cintura a corda
que troaxera para atar o mlho, e estugou
o passo.
Assim alcancou o corrosa homemzinbo
a malta de Monlferrafet'. E que alefria, ver
anal um arvoredo t Quando o paludo sol
de nverno deseen no borisonte, tinba Mi-
gue r^romptoo seu feixe, um famoso feixe,
qaa poz s costas canta rolando. Por feli-
cidde que o guarda eslava na barraca
aqoeeendo os pea.
Voltou para Paris. fuma o estomago
vaao, m* o coracao conlole. No estylio
deiiigam Natal normaido, qoe nmcato-
veri lio alegr lettra, feriH* psalmodiatMo
pela estrada fra : A Edme nunca mais
toril fro | Os gaardaa-barreiras danfiri
e qoe levav al Ir para mais p^ friflM
soldoa d cavacoa. tftmm ffiMftite d*a
sen offleio de 12" do corrente, sob1 a 295, que a
thesouraria provincial tem ordem para pagara
quantto constante da conta c folhaqne vieram an-
nexas ao citado offleio.
3" seccao.
N". 526.Offleio ao inspector da thesouraria de
lazenda,O Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia manda declarar a V. S. para os fins convenien-
tes, que sentido offleio de Antonio Sardos da
(.osla Souto Maior, de 5 do corrente, foi nessa data
nomeado pelo juiz de direito respectivo promotor
publico interino da comarca de Pito d'Alho, en-
trando na mesma data em exercicio.
4* scc^So.
N. 527.Offleio ao de~-cmhargador provedor da
Santa Casa de Misericordia. O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. Exc.
era resposta ao seu offleio de 12 do coarente, sob
n. 1,990, que a thesouraria provincial tem ordem
para pagar ao thesoureiro deste estabelecimento,
commendador Jos Pires Ferreira, a quantia de
1:3735000, constante do sitado offleio.
espediente assign.vdo pelo exm. sr. d. manoel do
nascimkxto -machado ptmtei.la, vi0r-pres1dente
DA PnoviNCIA, EM 15 DE ilIl.HO DE 4869.
1* seccao.
N. 528. Portara ao director do arsenal de
guerra.Commnnico a V. S. para o seu conheci-
mento, que segundo eommunicou-me o Exm. Sr.
ministro da guerra em aviso do 1" do corrento,
foi approvada a deliberarlo quo esta presidencia
tomou de nonjear para exercer interinamente o
lugar de almoxarife desse arsenal, o respectivo
liel ftsrnardo Falcao de Souza.
N. 529.Dita ao mesmo.Mande V. S. fornecr
ao Sr. coronel Commandante superior deste muni-
cipio o cartuxame de niosquetara que elle requi-
sitar para as honras fnebres que se vo fazer.
boje as 4 horas da larde, ao finado capitn da
guarda nacional Felip'|te de Barro* Wanderley.
N. 530. Dita ao inspector do arsenal de mari-
nha.Nao tendo apparecido licitantes, segundo
deflarou V. S. em offleio de 10 do corrente, sob
n. 1786, a arrenutaco de nove arrobas e nove li-
bras de bolaxa em moinno, rccoiamendn-lhe qua
a mande pftr no ramete em hasta publica para ser
vendida por qualquer preco qne for offerjcido, ou
mssmo o seu consumo, se porvuntura ntiitiuin
for efferecido.
\. 531.Dito ao cimmandante do presidio de
Eernando da- Noronha.Consta de aviso da#eoar-
tlc5 > da guerra de 3 do corrente, que tem de ser
para ahi remettido dezenove reos condemnados a
gales e a prisao com traballio, o.- quacs serio en-
viados pelo presidente da provincia do Cear ; o
que coramunico a Vmc. para seu conhecinicnto.
N. 532.Dita ao cnsul de Portugal.Coramu-
nico ao Sr. cnsul de S. M. Fidelsima, Dr. Clau-
dino de Aojo Guimarrtes, i|iie sengundo offleio
do juiz municipal de Camarade 28 do mez findo,
j ao major Antonio Vctor da Silva Viclra, havia
sido entregue todo o espolio do fallecido subdito
portugnez Joo Bento Para, quando all chegou o
offleio desta presidencia para ser o mesmo major
reconhcciil.) como agente ad Itoc desse consitlado.
Renov ao mesmo Sr. cnsul ns protestos de mi-
aa perfeita estima e disiincia consideracao.
2-1 seccao.
N. 533.Portara ao Dr. ehefe de policia iate-
rie.Consto de aviso da reparticao da guerra do
.1 do eorrente, que tem de ser remellidos para o
presidio de Fernando dezenove reos condemnados
gales e a prisao com trabalho, os quaes sero
enviados pelo presidente do Cear ; o que commu-
nico a V. S. para quo opporlunamentc os faca
desembar com seguranca.
N. 534.Dita ao commandante superior interi-
no da guarda nacional do Kecife.Sirva-se V. S.
de dar suas ordens, para que hojo as 4 horas da
tarde se ache postada em frnie do convento de
S. Franeisco a forea precisa para fazer as honras
fnebres devidas a finado capitn da 15" secQas
do batalhao de reserva do municipio de Serinhem,
Felippc Nery de Barros Wanderley, certo V. S. de
quo o arsenal do guerra tem ordem para forneccr
o cartuxame necessaro para as descargas.
N. 531 Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Santo Antao.DeVolvo a V.
S. a proposta para offlciaes do esquadro n. 8 da
guarda nacional do municipio de Santo Anto,
que veio junta ao offleio do seu anlecessdr de 22
de jullio do anno passa lo, para que informe o que
quelles homens esverdinhados. Miguel
achouos muito boas pessoas. Quinze
sidos de cavaco3 I Em casa do Sr. Sch-
wartz nao careca Miguel de cousa alguma,
mas nao va muito mais dinheiro de que
na Normaadia. O sotao ficava cem le-
guas dos cofres.
Qoaudo chegou ao bairro de S. Marlinho,
assentou-so n'um passeio marginal ; esma-
gava-o debaixo de s a riqueza : podem
crer que qnmze sidos de cavacos pesam
devoras, quando se acarreta com eiles
desde Montfermeil. Todava, Miguel che-
gou cantando ra da Provenga, pelas dez
horas da noute.
Havia muflo que em casa do banqueiro
Miguel passra de moda ; tinham, porm,
estado com o maior cuidado n'elle. Dis-
sera Domergue: O pequeo nao deseen
peto jantar; A Sr. Scfrwartz, qae linba
qurrsi tanto de boa como de formosa, desde
que anoutecera perguntra j tres vezes se
elle estar de volta, e o 9r. Sehwartz falln
en mandar prefeitura. Quando Miguel
entrou com os seus quinze sidos de ca-
vacos, o guarda-portao ohamoa toda a
gente, os criados correram ao pateo, foi
caso para largos commeotarios. Onde
roubra aqaelle feixo de lenha ? A histo-
ria do feixe subi- is salas. A menina
Branca, que ti qua sete annos, quiz ver o
feixe. as salas o feixe de lenha alcancou
o maior xito. Migeel crescera ; aaSch-
wartz custou-lhe a conhece-lo, e a Sra. Sch-
wartz achou-o galante. A idea de ir apa-
nhar catjKpiinhna H MoOtfermett parecea
de tod ponto original.
-* O pequeo tea fri t om cima, dtsae
a* 9ra. Schuartti I pwtso-VhMIt iffl bra-
,m& no; quarto.
-
acerca deflas informe o i[oe Ihe oflerecc'r, deca
rando a idade estado e renda do propostos, se
mudaram eom ou sem jnia, e desde quando i
que se acnam fra do districto do bntalhao a da
provincia, e qne annos de servico contara nao s
os ttas ultins,como tambern aquellos, coja re-
forma se propSe, especificando-se por impos tados ou por omissos que deixam de- prestar-se
ao mesmo servico.
N. 538Ditoocommandante superior da guar-
da nacional do municipio do Limoeiro.Trans-
miti V. S., para os fins onwnientes, copia da
deliberacao d'esta data, pela qual resoWi privar
dos postos para que oranv nomeados em 8 de
margo ullmo, os offlciaes nella eontemptoitos,
pertencentes ao batalhao n. 53 de infamarla da
guarda nacional sb seu commando superior, vis-
to nao terem solicitado suas patentes no prao le-
gal, e acharem-se por isso comprehendidos na dis-
posicao do { I" do art. 63 da lei n. 602 de t9 de
setembro di 1850.
N. 539.Dita ao mesmo.Attendendo que o
batalhao n. 53 da guarda nacional sob sen com-
mando superior nao se acha definitivamente orga-
nisado, c avista do art. 71 da lei n. 602 de 19 de
setembro de 1850 e do aviso do ministerio da jus-
tica n. 81 de 15 de fevereiro de 1860, nomeci
para o referido baiallio os offlciaes constantes da
deliberacao inclusa por copia, o que declaro V.
S. para "seu conheclmento, e alhn de que intime
os nomeados que soliitem as suas patentes no
prazo legal, communicando-me a data em que se-
Ihante intimacao foi feita.
N. 540.Dita ao commandante superior da
guarda nacional do Bonito.Nesta data determino
ao inspector da thesouraria de fazemla que, por
intermedio da collectoria do municipio do Benito,
adiante dous mozos de sold ao offlcial, inferior e
20 praeas do bntalhao n. 26, que, de eonfornridade
com as ordens d'esta presidencia, tem de ir desta-
car em 3. Bento, em substituico guai torga
que all se acha, o que Ihe eommunico para sen
conhecimento e era resposta a seu offleio de 6 do
corrente
N. 541Dita ao coifmandante superior da
guarda nacional de Tacarat.Ao tenenle da oi-
tava companhia do batalhao n. 34 de infamara da
guarda nacional d'esse municipio, Joo Firmino
de Miranda, que flxou residencia no do Bonito,
como consta da informagao d'este commando su-
perior de 13 de fevereiro ultimo, mande V. S. pas-
sar, conforme delermnei por deliberacao d'esta
dala, a guia que pedio para o segundo d'aquelles
municipios, e de que trata o art. 45 do decreto n.
1130 de 12 de margo de 1853.
N 542.Dita ao juiz de direito da comarca de
Glanna.Informe V. S. se o 5o supplente do juiz
municipal desse terreo Joao Alves Progano pres-
tou juramento perantc esse juizo e em que data.
N. 543.Dito ao juiz municipal supplente da
primeira vara d'esta eidade.Consta de aviso da
reparticao da guerra de 3 do corrente, que tem de
ser remellidos para o presidio fe rentando 19
reos condemnados gais e prisao com traba-
lho, os quaes serao enviados pela presidencia do
war, o quo eommunico V. S. para seu conhe-
cimento.
N. 544.Dita ao juiz de paz presidente da junto
de qualilieaco da guarda nacional do Rio For-
moso.Haja Vmc. de, com toda a urgencia, en-
viar ao conselho de revisan da qualilicago da
guarda nacional d'essa parochia a relacao de vo-
tantes de que trata o 2. do art. 10 do decreto
1130 de 12 de margo de 1853.
N. 545. Deliberagao. 0 vice presidente da
provincia resolve privar dos postos para que fo-
ram nomeados por deliberagao de 8 de margo ul-
timo, aos offlciaes dobatalh n 53 da guarda na-
cional do municipio do Limoeiro, abaixo declara-
dos, visto nao terem el les solicitado suas patentes
no prazo legal, e acharem-se por isso comprehen-
aidos na di'sposigao do S Io do art. 65 i a lei n. 602
de 19 de setembro de 1850 :
i.' companhia.Alferes Joao Leodegario da Sil-
va Barros.
2,' companhia.Alferes Joaquim Alves Correa
de Albuqrterque.
3." companhia.Alferes Francisco Ferreira Gon-
calves Carneiro.
6.* companhia.Alveres Po Jos Guimares.
N. 546.bita.O vice-presidente da provincia,
attendendo qae o batalhao n. 53 da guarda na-
cional do municipio do I.imoeirono se acha dcliniti-
vamentc organisado, resolve, avisto do dlsposlo n>
art 71 da lei n. 60 de 19 de setembro ?e 1*38, e
do aviso do ministerio da justica *. 81 de 15 de
teyerelro de f60; nomear para o referido bato-
lliao os seguintes offlciaes :
Estado-maior.Tenente-cirnrgio Manoel Cor-
rea V- Albuquerque.
r companhia.Allere3 Manoel Elias- do Ruco
Dantoo.
2." companhia.JHfres Bernardno Tavares do
Reg Parlas.
3.a couMwnhia.Alferes JhSo ffattal a da As-
Ora essa exetamou o banqueiro ;
largando a rir, nada de chamin, entao ?
Impagavel I Deitar fogo casa, apenas.
Que ratice !
Assomou urna palavra aos labios de Mi-
guel'; leve, porm, forga para conter-se, e
calou comsigo o importante segredo.
Logo no dia segninle, mandou-lhe Do-
mergue por na agua-furlada urna estufazita
de ferro fundido. Atem do feixe, recebeu
boa provisto de lenha.
N5o poda, porm, o nosso here Miguel
aquecer as lindas mozinhas rouxas de
Edme pelo estreito orificio que praticra
na parede. Vio ver qne era effeetivamente
um here, e que n9o tazamos a biographia
de qualquer Joo^Ninguem.
N*t-Miguel que a viainha peqoenina
se fllwhava quotidianamente pelas duas
horas depois do meio dia. para voltar entre
as quatro e as cinco como um livro de mu-
sica debaixo do brago, tambern ella andava
na aula ; dara-lhe um professor celebre
ligos gratuitas. Miguel nao era entende-
dor di msica e limitava-se a achar adora-
vel qoanto Edme fazia ; podemos, porm,
dfzer desde j que havia em Edme. estofa
para grande artista,
Sao curtos os das de invern., A Sra.
Leber, s e prostrada por um trabalho in-
grato, costumava adormecer a Ave-Maria.
Fortificado com o duplo esclareclmeoto,
Miguel, o nosso bere, coabinou e poz
em execugo uaa pleno, qoe acaboa de tor-
na-lo celebre em asa dos Sehirartis.
xn
seguida avelttra.
O prflWlm passo efa awMW- Tratsta*
companhia.Alferes Joao Perrei a
sunipcao.
6.a companhia.Alferes Mlwimo Jbsd>SHva.
3"' seccao.
N. 547^Portara ao inspector da thesonrari
de fazeml.Expeca V. S. suo* ordens, para qne
depois do-liqrWada, em rfcta da conta junto em
duplcala documento* i-eHa- annexos, a impor-
tancia dos docomenlos fbrnecidos enfermara
dos aprendiies menores de arsenal de guerra, no
metes de abrii a junho d'este -rano, seja eesa im-
portancia |Mp Augusto Gaors-, conforme solid-
tou o directoimlerino daqne lo arsenal em offleio
de hontem, sob- 142.
N. 148.Di ao mesmo.Gommamco i V. S.
para sen conhaciinento, que, segando commuM-
cou-me o Exm, Sr. ministro da (Berra em aviso-
*> 1- do torrente, fot approvatfi a diberacao qu
esta presiden i tomou, de nomear para servir
merinamente o higar de almojarife do arsenal de
guerra, o respectivo fiel Bernardo Falcao de
Souza.
N. 549.Dita ao mesmo.Expeca V. S. as con-
venientes ordens, para que, pela' eoiiectoria do
municipio do Boita sejam adiautados duus metes
de sold ao olflcial-inferior e 20 prncis do bata-
lhao n. 26 d'aqnelto municipio que, de' conformi-
dade com a ordem de-la presidencia, vo desto-
car em S. Bento. em subslituigo -igual numero
de praeas qne all se achara.
^ N. 550.Dita ao mesmo.Inteirado de qnanto
V. S. expoz em sua informacao de 13 du corren-
te, sob n. 462, timbo a dizer, que deixo de abrir
essa lliesonraria o esedito suppleinentor de.......
6:0004 que, segundo a citada informacao, tornra-
sk necessaro para a conlinuscao dos pagamentos
da verbaPoneionistas e aposentados do minis-
terio da fazenda no exercicio era liquidacao de
1868 a 1869, por achar-se elle com puchen dido no
crdito de 2l:261044.rs., concedido mesma
verba pela ordem do thesouro nacional n. 88 de
30 de junho ullmo.
N. 551.Dita ao mesmo Declaro V. S. para
seu Conheclmento e devidos ctfeitos, quo em vista
de suas informaco*es de 2 e 27 de Janeiro e 10 de
maio d'este anno. sob ns. 2, 50 e 294, conceden-
so por deliberagoes de 8 e 15 do corrente, (itnezes
de prorogago ao arrematante das obras da ponte
c trapiche da all'and-ga d'esta capital, engeaheiro
Manoel de Barros Brrelo, para a concluso d'a-
qnellas obras, a contar do dia era que se (lndou o
prazo^marcado para esse lira no seu contrato.
N. 552.Dila ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Transmiti a V. S. para os tlns conve-
nientes a inclusa conta, que me remetteu o chefe
de polica interino com offleio de 13 do corrente
sob n. 1,018, na importancia de 24 5 e relativa ao
sustento dos presos pobres da cadea do termo de
Agna-Preta, durante o mez de junho ullmo.
N. 553.Deliberacao. O vice-presidente da
provincia, resolve de confonnidade com o despa-
cho de seu antecessor de 28 de Janeiro ultimo, e
em vista do qne a este respeito informaran as es-
lagoes competentes, conceder ao arrematante das
obras da ponte do trapiche dn alandega desta ca-
pital, engenheiro Manoel de Barros Barrete mais 2
mezes de prorogacaa para a concluso das obras
do seu contrato, a. contar do dia em que se (lndou
a que ltimamente nbteve.
N. 554.Dita.O vice-presidente da provincia,
resolve de. confonnidade com o despacho do seu
antoeewor, datado de 7 de janeiro ultimo, e em
riela do que a este respeito informaram as estacoes
competentes, prorogar por 30 dias o praso marca-
do an arrematante das obras da ponte e trapiche
da alfandcga desta capital, engenheiro Manoel de
barros Brrelo, para a concluso de taes obras, a
contar da dala em que se findou aquello praso.
4* seegao.
N. 555.Portara ao desembargador provedor
da Saula Casa da Misericordia.Transmuto a V.
Exc. a informagao junta por copia, que em 16 de
abril ultimo minislrou a esta presidencia o juiz de
direito interino da comarca do llio-Formoso, por
occasao de recommendar-lhe o meu antecessor
providencias para que fosse all mantida a aegao
da jastrea como V. Exc. solicitou em cilicio n. 1768
de fevereiro do corrente anno.
N. 556.Dita ao presidente da cmara munici-
pal da eidade de Goyanna.Informe Vmc. se e 5
supplente do juiz municipal desse termo Joao Al-
ves Pragana prostou juramento perante essa cma-
ra em que dato.
N. 557.Dita ao gerente da companhia Pernam-
bucana.O Sr. gerente da companhia Pernambn-
cana, mande dar passagem de estado a r at o
Cear no vapor Pirapama, a D. Mara Lima de
se pura e simplesmenle de violar o domi-
cilio de Edme e sua mi. E Miguel tinba
o maior medo da Sra. Leber, t3o digna, lio
resignada, tao veneranda no meio da sua
indigencia... Verdade, verdade, a radian-
te Schwarlz inspirar-lhe-hia menos receios :
ao menos era rica.
Se o haviam, iam de toma-lo por prema-
turo malfeitor, na primeira vez em que,
aproveitando o somno da mi da meuina,
dea de mancinho volta chave. Ignora-se
como se effectuam taes actos de valor, Mi-
guel sentio-se desfallecer quando a porta se
abri, chiando um tanto dos lemes. Adian-
toa-se com tudo. O fogfo, qde estova fre,
tmha como era de uso das liges, aae se
iam vagarosamente consumintfo cada um
para sou lado. Miguel deituu-lhe urna eao
ebeia de cavacos, dos sens cavacos d'ette.
e poz aind por cima qualro boas acbas,
das destinadas sua estufa.
E fngio, o malvado I
Pelo orificio, vio elle o combustivel fu-
mar primeiro, e depois arder emchammas.
N3o acordou a Sta. Leber ao alegre crepi-
tar do mallo ; foi orna fogueir esplendida,
e Miguel dansou um poucochiohe no qtttrto.
tao ailiviado tinba o coracSo. Quando
Edme enlroa, arder todo e o fogio reas-
sanlirft o modesto aspecto; ella, porm,
disse
EtS qbentinho aqu, miaba m.
Miguel nao tornoa a dausar. Assentou-
se aos ps da cana, admirado como estar
dotaros olhos arrasados d lagrimas.
E. au sei porque, atirou-se desde ento
ao estado como deaeafew^Ur. Tinba aa
realidada desejoa do ser *pitf coma.
,


X'Sl
UU SU C UUROafc 0imrlo de Pernambuco
alo 9 de Outubro de 1869.
4R

HeUo, malher do Dr. Jos Ladislao Pereira da Sil-
va, juiz onraicipal de Cascavol.
XPKD1BNTB ASSIC.NADO PKLO.SB. DR. JOAQUIM COlt-
HKA DE ARAUJO, SECB- VB10 DOGOVERNO, EM 15 DE
IULHO DE 1889.
1.' seccio.
N. 558.Offlcio ao director do arsenal de guer-
ra.S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda
declarar a V. S. em renosla ao sea offlcio do hon-
lem sob n. 141 que a thesouraria de fazenda tem
ordem para pagar a Augusto Gaors a quantia de
85*812, constante do citado offlcio.
2.' seceao.
N. 539.Offlcio o Dr. chefo de polica Interi
naS. Exc. o Sr. vee-presidenle da provincia
manda declarar a V. S. cm resposia ao sea offlcio
de 13 do corrate sob n. 1,018, que transmudo a
thesoararia provincial para os Uns convenientes, a
conta que veio annexa ao citado offlcio.
N. 580.Dito ao mesmo.Determine V. S. aos
subdelegados da freguezia do Rio-Forraoso que
eom toda a urgencia enviem ao conselho de revi-
sao da qualificacao da guarda nacional da dita
freguezia as relaeoes nominaes do que trata o 4
do art. 10 do decreto n. 1130 de 12 de margo de
185.1 v ,
N. 561.Dito ao presidente e mais membros Jo
conseibo de revisao da qualificacao da guarda na-
cional do Rio-Formoso.O Exra. Sr. vice-presi-
dendente da provincia manda declarar que nesta
data se expediram as convenientes ordens no senti-
do de que trata o olUcio de Vv. Ss. de 4 do mez
corrente.
3a seccao.
N. 562Offlcio ao inspector da thesouraria de
azenda.S. Exc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia manda transmittir a V. S. as 7 inclusas ordens
do tribunal do thesouro nacional sob ns. 86 a
92.
4* seccao.
N. 563. Offlcio aos directores do theatro de
Sinta IsabelS. Exc. o Sr. vice-presidente da
provincia, tendo por despacho desta data concedi-
do permisso ao provedor do hospital portuguez
le Benelicencia, Francisco Joo de Barros para
Pierres de Lajournad dar no theatro de Santa Isa-
bel um espectculo em Denefleio daquelle estabele-
cimento, marcando Vv. Ss. o dia para esse fim ;
assim lh'os manda communicar para seu conheci-
ment.
Repartidlo da polica.
2*.seccao.Secretaria da polica de Pernambu-
co, 8 de outubro de 1869.
N. 1472.Illm. e Exm. Sr.Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, segundo consta das parti-
eipacoes recebidas nesta repartieao, foram hontem
recolhidos a casa de detengo os seguintes in-
dividuos :
A' minha ordem, Jos B. da Silva e Basilio Jos
dos Santos, vindos de Agua Preta, como senten-
ciados.
A' ordem do subdelegado do Recito, James Ors,
Balduvino Fonles, Antonio Dupico. Pedro Santos e
Joo Alcntara, hespanhoes, requsicao do res-
pectivo cnsul.
A' ordem do do S. Jos, Francisco de Albu-
querque Maranho, para recruta.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Nasrimenlo Machado Porteila, vice-
S residente da provincia. O chefo de polica
"rancisco de Assis Oliveira Maciel.
PERNAIBUCO.
REVISTA DIARIA,
SEMINARIO DE OLINDA.=0 Rvm. reitordeste
stabelecimento acaba de receber tres novos bo-
los, para as otras de que nocessitam os edificios,
sendo : 1145000 do Rvm. vigario de Nossa Se-
nhora do O', de Goyanna, lOOji do Rvm. vigario
de Goyanninha, e 95$000 do Rvm. vigario de
Villa-Bella.
DINHEIRO DE S. PEDRO.-As irmaas de San-
ta Dorotha, que dignamedtedirigem o collcgio de
meninas, sito Soledade, sob a invoeaco de S.
Jus, Jesejando aiudar nosso Santissimo Padre Pi
IX a promover o bem dos ratlioleos, e ajpropaga-
cao de nossa santa religiao ; agenciaram urna
subscripeo de 570^000 entre as suas alumnas,
qual juitaram o uecessario para completar 700j
que enviaram Sua Santidade, por intermedio do
nosso diocesano, como testemunho do respeito e
veneracao para com aquelle Santo Varo, que do
alto do seu throno implora de Deus diariamente
venturas e felicidades para os que se conservan)
scnipre Armes na crenca da religiao catholica,
apostulica, romana
COHACO ANGLICO.Acabrnosle sor in-
formados de um fado passado alguns das, que
'ofendemos nao de ver deixar oceulto, apezar de
ir a narrado dellc avivar reeordacocs do um en-
te querido que se foi deste mundo ; porque da
publeaco dello so evidencia a grandeza "alma
de urna cranca dsete para oito annos, que des-
de seus priinuiros passos patenteou amor sua
religiao, e seus pais.
A Exma. Sra. D. Mara Archanja Carnero da
Cunha, filha da Exma Sra. baroneza de Vera-
Cruz, em seus ltimos momeutos nao olvidou
suas dignas preceptras, as irmaas de Santa Do-
rotha, j fallando continuadamente nellas, j po-
dio Jo sua extremosa mi mandasse em seu no-
me uma boa esmola para o Santissimo Padre Pi
IX, acudir as necessidades da igreja romana, re-
polludo esse seu pedido diversas vezes, como so o
sen pensamento estivesse Uxo sobre s'emelhante
idea.
Tendo olla fallecido, apezar dos esforeos da me-
decna, sua carinliosa mai acaba de enviar ;i di-
rectora do collegio de S. Jos a quantia de 100-5,
eomo bulo daquella que j nao existia.
_ Esperamos desculpa da publieacao de um fado
to intimo, porque pesar-nos-hia sempre se o oc-
cultassemos.
MINERVA PERNAMBUCANA. ^ Funeoionou
quinta-feira esta sociedade, ern sess) ordinaria.
Dopois de lida e approvada a acta da anterior ; o
Sr. Io secretario mencionou o seguinte expe-
diente :
m offlcio do Sr. secretario daUniao Phlo-
sophica Litteraria, louvando a nslallaco da
Minerva.--Inteirado. ,
Dma proposta do Sr. Trindade Peretti, apresen-
tando para socio effectivo o Sr. Francisco Fernn
des Vicira.A' commissao de syndicancia
Um offlcio da drect-.ria do oco Alheen, con-
vidanJo Minerva a assistir sessao solemne de
eneerrarrento, no dia 9.
Tomou assenta, como socio effectivo, o Sr. Fran-
cisco de Paula Leite Oitcica.
Passando-se continuacao da thse do Sr. S-
quora CavalcantiQual a orgem do mal moral ?
Fallaram sobre ella os Srs. Pereira Franco, Oit-
cica e Trindade Peretti, todos os quaes respon-
deu o Sr. Siqueira Cavalcanti.
Em seguida, sendo sorteado o Sr. Borges Diniz,
apresentou a seguinte thseProgresso do espiri-
to humano na Grecia, at a dviso das sciencias,
no tompo de Alexandre.
O Sr. Hollanda Cavalcanti, pedindo a palavra
pela ordem, fez ver casa que, tendo de passar o
cargo de tbesoureiro, em vista da licenca que Ihe
fura concedida, a apresentar as respectivas Hi-
tas, o que fez ; sendo noroeado para substitui-lo
interinamente o Sr. Gamillo Accioli.
Passando-se terceira parte da ordem do da,
aperesentaram-se algumas emendas aos estatutos,
que foram approvadas urnas e regeitadas outras.
JURY DE OLINDA.Foi hontem submettido a
segundo julgamenlo o preto Tbomaz, em virlude
de deciso do tribunal da rclacao, sendo condem-
nado por uoaoimidade de votos, a pena ultima,
condemnaci) igual do primeiro julgamento.
Achando-:io impedidos o Dr. juiz de direito da
comarca, e o Dr. juiz municipal de Iguarass, seu
primeiro substituto, presidio a sessao o Dr. juiz
municipal do Olinda. A sessao termou as 6 heras
da Urde.
GEQIAChesrou hontem, de Penedo e Macei
este vapor da companhla Pernambucana. Dos
jornaes que recebemos nada consta que mereca
mencao. ^
EXAME DE HABILITACAO. Foi espassado
ara o da W do corrente, o exatne de habilitacao
para o magisterio primario do sexo femenino, de-
vendo a insonpco das concurrentes ser feita at
o da 23 do presente mez.
^A5T^CA.SA DE WSER'^RDIA. Anda
nada de offlcial, por parte da junta administrativa,
vimos publicado, que pateoteie a idea de se pro-
juover o leilao de beneficencia no dia de S. Pedro
de Alcntara, patrono do hospital Pedro II; antes,
ao contrario, ioformam-nos qo espiritos acanha-
dos ha que iiombatem semelhante idea, o envidara
todos os esforjos para que se nao roatise tsse
acto, qoe pode dar um rendimenlo de cerca de
JhflOO
N5o do boje que lamentamos a existencia
d'essts espiritos retrogrades, que, sdb a eapa de
," f > *:----------------'------------------------------------
bellos actas do corncao catholicoa caridade e <
amor do prximoso para nao. irem chocar sus-
ceptibilidades mal entendidas.
Nos, que somos irmos (Tessa santa confrana,
e que desojamos m seu augmento e prosperidades,
sem pesar de mais sobre os cofres pblicos, anda
uma vez lembramos que se promovam, com afin-
co, as exposicSes dos trabalhos dasorphas e da
expostas, e os leiloes de beneficencia, dos quae
s pdem provir bons resultados aos estabeled-
montos pios.
LOA Os Srs. Alvaro A. de Almeda & C,
acabam de fazer uma importante reforma em sen
antigo esjaboleriinento da fazendas, a ra do
Crespo n. 20 A, toroandoo mais espacoso e sur-
lindo-o de fazendas inteiramente novas no mer-
cado, e de gostos os mais delicados.
DIARIO DE PERNAMBUCO.=Se chegar hoje J
vapor brasileiro, dos portos do sul do imperio,
destribuiremos amanhaa nosso numero de segun-
dafera.
LOTERA.A que se acha venda a 123, a
beneficio da Santa Casa da Misericordia, que corte
no 16.
RELIQUIAS Salie-so, que no infrene dominio
da revolucao tudo se profanou cm Franca.
A religiao foi proscripta, e as cosas do Senhor
foram invadidas e saqueadas.
Por essa occasio desappareceu o relicario de
S. Dionysio ; e sobre o deslino posterior d'eHe ha
a seguinte vcrs5o, que tomamos a um notavel es-
criptor francoz :
Era o anno de 1857.
Harel, eraprezario do theatro da Porte San'-
Martin, encontrado um dia na ra por um a i-
tigo comparsa da sua companhia, o qual, apod :-
rado d uma perlurbacio manifesta Ihe diz :
Eis aqu uma cousa do que me apoderel an-
ligaraente em S. Dionysio. O que isto seja, temo
al de advnba-Io; mas no entretanto sto escald i-
mc.'is raaos. Toraa-o eu vo-Io supplico. A qual-
quer outra pessoaqu to sera uma fonte de felicidade.
E o velho comparsa desappareceu.
Dentro do pedaco de seda roxa, que cobria o
objecto mysterioso, acbou Harel um fragmento
do cedro, carcumido de vetustez, e um pergan i-
nho todo esburacado.
Esta nao era outra cousa mais do que a pr J-
pria carta, que Santa Helena escrevra em 32 a
seu filho Constantino o grande; na qual dav
imperatriz os pormenores mais circumstancados
sobre as excavacocs procedidas no lugar, em qa
se consumara o mystario da redempeao, e sobrf a
descoberta do precioso madeiro, que ella envava
seu filho.
Era eflectivamente o raesrao fragmento de ma-
deira, cuja descripcao fez Sauval no thesouro la
abbadia de S. Dimjsio.
Nao havia duvidao emprezario linha era sau
poder a santa reliquia.
E para logo dirige-so ao arcebispo.
A quem annunciarei a S. Exc. Rvraa. ? por-
guntou o porteiro.
Annuneiai ao emprezario do theatro da Per-
te Saini-Maiiin, que vera offorecer a S. Exc. i.m
fragmento do Santo Lenho.
Uma reliquia tao augusta em poder de um w-
mico I monsenhor de Guelu nao pode acradiar
na possibilidade de tal, e assim nao mandou-o
entrar.
Semejantemente se deu com o esmoler mor,
Mr. de Croy, e com o ministro dos cultos, Mr.
Trayssinous.
Indignado, regressa Harel ao seu theatro. onde
chega um pouco antes de comecar o espectact lo.
Todos os artistas cstavam reunidos.
Harel entao narra a sua aventura por entre o
mais profundo silencio; terminada ella, em pre-
senta .do objecto veneravel, esquecendo seus ou-
ropis, suas partes e o publico, os homens se in
clinam, as muflieres ajuelham-se, e todo? pedera
a graca de imprimiris seus labios no Lenho Sa-
grado.
Na expausao do seu fervor, uma d'essas mu-
Iheres offereco um anno de seus voncimentos em
troca do precioso thesouro.
Pois bem, returque o emprezario, cada um
de vos ter a sua parle d'esta reliquia !
E assim, a sania reliquia, que fura recusada e
desconhecida pelos grandes dignatarios do clero,
dividio-se por vinta ou trinta cmicos, que a re-
coberara com as demonstrares da piedade mais
viva, segundo conta Mr. Philippe Russon.
PASSAGEIROS.O vapor Pirapama, vindo da
Granja e escala trouxe a seu bordo os seguintes :
Gabriel Paiva, Amaro Brrelo de Albuquerr.ue
Maranho, Antonio Pereira da Cunha, Antonio
Moreira da Silva, Francisco Jos Gomes, Joo
Cassimiro de Souza, Luinndo Pereira de Sena,
Antonio Jos de Serqueira Silva, Jos Joaquim No-
bre Cmara Jnior, Estevo Silvestre da Costa,
Joo Ignacio, Domugos Jos de Arauje, Antrniu
Pereira de Souza, Antonio Soares. Pantaleo Jor-
ge da Fonseca Ba Antonio Jos Alpieres, Joaquim Zeferino O. Ca-
valcante, itrios Jos de Sant'Anna, lysscs da
Costa Espinla, Castriciano Marques de Gouv >ia,
j Joaquim Esmerino Leoncio de Andrade, Francis-
co de Almeida Braga, Joaquim L. Ferreira Lima,
Alipio Ferroira Bellro, padre Bento Jos de B.
Miranda, e 1 criado, Vicente Ferreira dos Sau os,
Manoel Jos dos Santos Fico, Antonio Correia da
Silva, Francisco Soares da Silva Retumba, 2 fi-
Ihos e 2 criados, Manoel Rubacho, Jos lavares
Adao, Christovo Francisco, Luiz de Simoes, An-
tonio Manoel da Silva, padre Francisco Joo de
Azevedo, Caetano Daniel de Camino c 2 escra-
vas a entregar.
Vindos de Penedo epjrtos intormedios no
vapor Giqui:
Capito Leoncio Guedcs Barreto, Adelino Elpi-
dio Pinho e 1 escravo,Manool Gomes de Almeida
Leite, Vicente Bezerra Montenegro, Candido Jos
da Silva Barros, Johon Stephen, D. Mara Magia-
lena da Gloria Sobral e 2 filhos, M. Delowohe,
Izac Tavares da Costa, Jos temos Ferros, Peln
da Silva Barreto, Joaquim Soares Barbosa, Ma-
uoel Vidal, Jos Martins da Silva, Manoel Joaquim
Goncalves Pereira, Josaphal Porei^a Baracho, ! noel Franciscii Moreira, A. de Souza Castro, An-
tonio Teixeira Pinto, Antonio Casado de Lima la-
tob, Joaquim Maia Sobrinho, Joo C. Pires B ir-
bosa, Jos Antonio Louremo de Sonza, Jos Fran-
cisco Coelho da Paz, Marcionilio 'Jomes Coutrho,
Joo. Lins Vicira, Bcllarmino Pinto de As>ujo e 1
praca de prel.
Vindos de Goyanna no vapor Parahyba ;
Manoel Rufino dos Santos, padre Jos Estoves
Vianua, Manoel Jos Soares Guimares e sua c-
nhora, D. Guilhermna Amalia da Silva Pereira o
I escrava, Jes Joaquim de Miranda, Erneslino
Celestino de Mendonca S. e Manoel F. Brreto.
---!
-rrr
CHRONICA Jl'BKIARH.
ritsm \ \I. DO COMMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 7 DE
OUTUBRO DE 1869.
PREIDESCIA DO EXM. SR. DESEMBARCADOR A.VSI1MC
FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. dipu-
tados Rosa, Basto e baiio de Cruangy, anda fal-
tando com causa o Sr. deputado Miranda Leal, S.
Exc. o Sr. presidente abri a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao de 4.
EXFEUBDiTE.
Communicacao, feita cera data de hoje, ao Sr.
secretario do tribunal pelo corretor geral An'anie
Botelho Pinto de Mesquita Jnior, de ter hoje
raesmo entrado no ejercicio de seu offlcio, visto
ter de expirar em 15 do corrente a licenca que
gosava.Inteirado.Deu-se conheoimento a res-
pectiva junta.
Coiumunicaoao, tambera feita em data de ioje,
ao Sr. Dr. offlcial-maior da secretaria do tribunal,
pelo ajodante do porteiro da mesma secretaria, de
baver sido sorteado para servir de juiz de Tacto
na actual sessao do jury da cidado de Olinc a.
Inteirado.
Foram expedidos os seguintes offlcios:
Pelo Exm. Sr. presidente do tribunal, 1 ao
Exra. Sr. vice-piesidente da provincia, acensando
o recebiraento do que Ihe dirigir em data de 30
do mez prximo passado.
Pelo Sr. secretario, 3,-2 ao presidente da jun-
ta dos corretores communicando-lhe, para s cien-
cia da dita junta, haverem os corretores, Magi-
ta entrado no exercicio de seu einprego, e Ber-
nardino de Vasconcellos substituido por Jo;i de
S Leito Jnior a 2.a testemunha abonadora de
sua flanea Joaquim Francisco do Espirito Santo;
e 1 ao inspector da thesouraria enviando copia do
termo da indicada substituido.
Feram rubrica os seguintes livros : Da rio e
Copiador de Joo Francisco da Costa, Diario de
Antonio Correa de Vasconcellos.Contas de ven-
das de Pbipps Brothers & C.
Lavraram-sc os termos da transferencia p adida
dos livros Diario o Copiador que serviram a Irma
de Antonio Correa de Vasconcellos & C. pira a
successora de Antonio Corr de Vaconcelios.
Mandn se expedir o reenrso fnterposto pelo1
Sr. desembargador fiscal da deelsao proferida por
DESPACHOS.
Requerimento de Fernandos 4 Irmao, pedindo
que se Ihes certifique se Manoel Paes Pinto de
Vasconcellos, da provincia do Cear, negocian-
te matriculado neste tribunal.Cortflque-se.
De Pedro Arthur de Vasconcellos, juntando pa-
ra Ihe ser registrado o titulo de caixeiro da casa
commercal do Jos Oriauo Monesca!, da cidade
da Fortalesa capital do Ceara.Registre-so. '
De Manoel Francisc do Souza Lima, juntando
a nomeaoao de seu caixeiro Rufino OlympioCa-
valcaute, e pedindo ao Exm. Sr. presidente do
tribunal que s mande registrar.Registre-so.
De Jos Peros Chaves, juntando tambem a de
seu caixeiro Jos Francisco Borges, e pedindo ao
mesmo Exm. Sr. presidente que a mande regis-
trar.Reglstre-se.
De Valdivino Ribeiro da Silva, juntando igual-
mente a de seu caixeiro Leodorio Gomes Pinneiro
da Silva, e pedindo ao Exm. Sr. presidente que a
mande inserir nos termos do art. 74 do cdigo
commercal.RegislPe-se.
De Santos Falcao A C, antecessores d Mandes,
Falco & C., pedindo pormissao paja eiuprega-
rcra em sua escripturaco o livro Dia^* que per-
tenceu a extincta firma.Como requerem.
De Jos Joaquim da Silva Gomes, liquidante da
firma de Jos Joaquim da Silva Gomes & C. era
lquidafo, pedindo permisso para empregar na
respectiva escripturaco e na das transaecSes que
effectuar sob sua firma individual a contar do 1."
de julho do corrente anno o livro Diario, de lis.
195 era diante, que pertenceu aquella firma.Co-
mo requer, tendo porm comeco a escripia da da-
ta do novo termo de abertura em diante.
De Robert James Shaldors, vce-eonsul britani
co na praca da Parahyba, pedindo ser informado
de quanto a mxima commissao que tem di-
reito os agentes de leiloes, tanto aos coramittentes
como dos compradores, ou de ambos juntamente,
assim como se o commiltente tem direito de ajus-
tar com o leiloeiro a respeito da sua commissao.
No artigo 24 do decreto n. 858, que tem vigor
neste distncto achara o supplicante a infbrinacao
que dezeja obter.
De Joaquim Ferreira. Dinz, apresentando para
ser registrada a escriptura particular celebrada
entre Jos Rayraundo Borges da Costa, Rayraun-
do Borges da Costa e Jos Joaquim Borges da
Costa, para commorciarem na cidade do Ico pro-
vincia do Cear, sob a lirma de Jos Raymundo
Borges da Costa & Irmo.Vista ao Sr. desem-
bargador fiscal.
De Jos da Silva Lourciro Jnior, cidadlo bra-
sileiro, de idade do 35 annos, cstabelecido cora
loja do fazendas em Mamanguape provincia da
Parahyba, requerendo ser admittido'a matricula.
Era abono de sua pretencao atiestam Joaquim
Monteiro da Cruz, E. A. Burle & C. e Keller & C.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De Antonio Pedro Gomes, juntando para ser re
gistrada uma escriptura ante-nupcial.Regis-
tre-se.
Do Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho, juntan-
do pira o mesmo fim a nomeacao de seu caixeiro
Francisco Advncula da Costa Ferreira.Rcgis-
tre-se.
Do Francisco Rodrigues Martins da Coneeiee
(assignado rogo por Francisco Jos da Silva J-
nior) apresentando tambm a registro a nomeacao
de seu caixeiro Manoel Marinha Bittcncourt.Re-
gstre-se.
Do Augusto Pinto de Lemos, submeltcndo a re-
gistro o conhecmento justificativo de ter pago o
imposto de seu ofilcio de corrector geral, relativo
ao primeiro semestre do corrente exercicio.Re
gistrado entregue-se ao supplicante.
De Samuel Power Johnston & G. (acompanhan-
do os
tasse por
Vista ao Sr. desembargador fiscal a quera a se-
cretaria remetiera copia do decreto n. 3134.
ADIADO.
De Antonio Fernandes de Figueirodo Paiva, ma-
tricula de cominerciante.Nao tem lugar.
Sendo 11 horas e 3/4 da manhaa, e nao offere-
cendo-se nada mais a despachar, o Exm. Sr pre-
sidente encerrou a sessao para ter lugar a judi-
ci'ana.
SESSAO JUDICIAR1A EM 7 DE OUTUBRO DE
1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR A. F. PE-
RETTI.
Secretario, Julio Guimares.
Ao raeio dia declarou-se aborta a sessao, estando
reunidos os Srs. desembargadores Silva Guima
raes, Reis e Silva, deputados Rosa, Basto e baro
de Cruangy, faltando com partiaipacao do doentc
o Sr. desembargador Accioli e do nao poder com-
parecer o Sr. Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da precedente sessao.
ACCORDO ASSIGNADO.
Embargante Felicio Jos Vaj de Oliveira, o:n-
bargado Custodio C iliaco Pereira Jnior.
JI.XGAME.VTO.
Appellante Arminio Pessoa de Alboquerqae, ap-
pellados David Willam Bowman o outrosaddia-
do pedido de um dos senhores deputados.
Nao estando presente o Sr. Miranda Leal nao
pode ser proposto o feito entre partes, appellantes
0 Dr. Manoel Figueira de Faria c outros, appel-
lado o Dr. Gabriel Soares Rapjzo da Cmara.
DESIGNAfjAO DE DIA.
Appellante Antonio Joaquim Fernandes, appel-
lada D. Alexandrina Mara dos Santos ; appellada
a directora da CaiA Filial do Banco do Brasil
nesta cidade. O primeiro dia til.
AGGKAVOS DO JUIZO ESPECIAL D) G01BIERCIO.
Ajgravanle Frederico Skiner, aggravado o Dr.
Prxedes Gomes de Souza Ptanga. Aggravantes
Goncalves A Ferreira, aggravados Ferreira A
Loureiro. Aggravante Victoria Ruiina de Azeve-
do, aggravado Andr Soares Barbosa.
O Exm. Sr. presidente negou proviraento a
todos.
DO MESMO JCIZO CIMA.
Aggravante Antonio Francisco d'Oliveira, ag-
gravados Tasso Irraos.
O Exra. Sr. presidente raandou pela segunda
vez descer os autos para o juizo da primeira ins-
tancia afim de ser eumprida uma deligencia.
Nada piis houve, e foi encerrada a sesso
1 hora da tard.
documentos que se raandou a secretaria jun-
por despacho proferido em sessao de 4).
COMMERCIO.
PRAQA DO RECIPE 8 DE OUrUBRO DE 1859
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE
Algodo de Pernambuco 1* sorte1*144 por kil.
(hontem).
Algodao de Gaianna Io sorte1/HOTpor kifhon-
tem).
goaao (1; Pernamiuco t surta ilM por kil.
(boje).
Algodo da Parahyba 1" norte I#i91 por kil.
oosto a bordo, frote de ll/ifi d. por lOOO c
50/0
Cambios sobre Londres-00 d/v 1 3/4, e 19 7/8
d. por t|090 (hontem e hoje).
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Novo Banco de Pernambuco
em liquida$lo, 3 de agos-
to de 1869.
Os Srs. accionistas podem receber o
sexto dividendo de um e meio por cent'o
do capital: s quarta-feiras e sabbados.
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco, em liquida-
cjlo,24 de setembro de 1869.
Pela caixa lilial se faz publico que as
notas de sua emissio de valor de 20|000,
de n. 117,501 por diante e que esi5o sendo
substituidas na thesouraria geral pelas di-
laceradas, n5o sao rubricadas, e sement
assignadas por um director do banco, e
pelo liquidante -da caixa abaixo assig-
nado.
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Sociedade bancaria em com
mandila
Theodoro Smo $* d
Compram e vendem por conta pro-
pria metaes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, sedulas do go-
vernoe do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros t-
tulos commerciaes.
Enoarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaeces, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaerquer quantias em depsi-
tos, em conta corrente, e a prazo fixo.
do Pelourinho n. 7.
ALFANDEGa.
Rendimenlo do dia 1 a 7 209:007*80")
(dera do dia 8..... 40:41288)
Largo
249:420*691
MOVIMENTO DA ALFAXDEGA
----*---------:------,---------
Tribunal do comoicrcio.
, Por es.ta secretaria se faj publico que ficam ro
gistrados:
O distrato da sociedade de Tfiomi Jos de Sena
Viviano da Sirva Caldas, que girou soba firma
de Caldas & Sena, cuja fiquidacao ftca cargo, do
ex-socio Caldas, que e-t de po'sse do subeleci-
niesto e seu activo.
O distralo de Hermenegildo Camaragibe e Gan-
dolfl Antonio, que girou sob a II m do Gandolfl &
Camaragibe, licaudo a cargo de (iandolli o esla-
belecimento, e a responsabilidade do passivo.
O contrato do Antonio Joaquim Vaz de Miranda
e Joo do Souza Leal Flores estabeleeidos nesta
cidade com casa de eommercio de fazendas, sob a
liroia de Flores & C., e o capital de 15:000# for-
necido por ambos.
O contrato do Manoel Morefra do Souza, Fran-
cisco Domingues Silva Araujo e Manoel Alves
Goncalves -Ferreira, estabeleeidos n'esta cidade
t)m loja c fabrica de chapos, sob a firma indivi-
ual do primeiro socio, e capital de 12:400* para
o qual entrara os dous ltimos cora 10:000* era
commandita.
Secretaria do tribunal do eommercio de Per-
nambuco, 7 de outubro de 18G9.
O offlcial-raaor
__________________Jttito Guitnaret._______
O administrador da recebedona de rendas in-
ternas geraes, constando-1 be que algumas pessas
qo eommercio desta cidade estao persuadidas da
due o annuncio que elle fez publicar e o tem sido
as folbas diarias, convidando aos contribuinles do
imposto sobre industrias e profissoes a virem pa-
ga-lo at ao fin do corrente mez, livre de multa,
nao comprebende as casas do eommercio ; pelo
presente declara que o supradito imposto, substi-
tutivo do de 20 por cento sobre lojas, casas de
descont, etc., abrange todos os estabelecmentos
commerciaes qualqucr que seja sua denominado,
bem como os eseriptorio* deadvngados, solicitado-
res, mdicos, etc., e todas as ofcinas : pelo que
de novo faz certo que Bndo o corrente mez de ou-
tubro o referido imposto sobre industria c profis-
soes ser cobrado cora a multa de 6 por cento.
Recebedoria de Pernambuco, 6 de outubro
de 1869.
Manoel Carneiro de Sonza Ijicerda.
-' .
=
aula Casa de Hlsericordia do
Recite.
A Illuia. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife. na sala de suas sessoes,
pelas 4 horas da tarde do dia 7 do corrente, ar-
renda pelo tempo de i a I annos, o terreno que
possue o patrimonio dos orpbos na estrada de
Agua Fra sob n. 6, o qual divide com os sitios
de D. Maria Hita da Cruz Neves, e o dos herdei-
ros de Henrique Gibson, pela quantia de 240* an-
imaos, paganda mais 400* pela raatla que all
existe.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 5 de outubro de 1869.
O escrivo,
Pedio Rodrigues de Souza.
Cabo.
Pela collectora de diversas rendas da villa do
Cabo avisa-se aquellas pessoas que foram conec-
tada* venham satisfazer o imposto pessoal do exer-
cicio de 1868 i 1869, visto estar a fradar-se o
praso. ________
Volumes entrados com fazendas
dem idem com gneros
Volumes sahidos cora fazendas
dem idem com gneros
583
341
-----924
129
339
------- 468
Descarregam hoje 9 de ontubro
Barca inglezaIlermioneraorcadorias.
Vapor inglezOlindadem.
Barca inglezaFrunck Wilsonidem.
Patacho inglez Mary Ricefarnha do trigo.
Escuna austracaElena P.idem.
Barca portugueza Pereira Borges varios g-
neros.
Brigue hespanbol Francisco vinhos,
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimenlo do dia 1 a 7 13:058*797
Idom do dia 8...... 1:723*796
Correio geral.
O Sr. Miguel J. C. Meira queira ter a bondade
de comparecer repartieao do correio desta cida-
de, afim de receber urna"carta recommendada vin
da do sul.
11:782*593
Heddimento do dia
dem do dia 8
CONSULADO PROVINCIAL
1 a7
23:2304363
3:628*480
26:858*84:1
PUBLICACOES A PEDIDO.
Ao publico.
Nao se Die poda dar maior penitencia do que
soffrer como tonho soffndo a iracundia de mea
irmo Joaquim I
Deus, porm, escreve certo por linhas tortas :
porque o odio de raeu irmo e o gosto que elle tem
de ostentar a sua eloguencia de escriptor, atrai-
coam-me.
Diga elle o que quizer contra mira, que cm vei
de prejudicar-me a si propno que cauza ruina.
Junte-se com seu advogado, que sabe cnmprr
tambem a sua missao e venham para os jornaes
atacar-uie, no desespero de vencido no campo da
lide judciaria, vale mais a prova do que a decla-
ra a cSo e o insulto que o publico Ihes far a dcvida
justica.
Meu irmo continua a assacar-me os mais vis
baldoes I
Principiou charaando-me ingritj desnaturado,
sem probidade e prfidono tempo de suas cor-
respondencias no Liberal,agora sou at cumpli-
ce de furto de escravos; seduzsea filho j homem
e prestes a fonnar-se em direito para se revoltar
contra elle, faco com que meu pai o deteste: cria
a inimisade de outros meus rmaos para o deixar
solado s no meio de nossa familia, e nao sei o
que dir anda. Mae o publico .que conhece a
elle o a mim, v que sou uma victima e que nao
merec.0 o triste cofteeito quo meu irmo rao pro-
move.
J nma vez disse e repito : ou nao aeceito pol-
mica com meu irmo pelos Jornaes. Pode conti-
nuar em seu fadario: a mim nao faz mal nenhum
absolutamente.
Os maldlzcntes e calumniadores pensara'que a
palavra e a lingua dominam a opinio. Enganam-
se. Ningaeni e repellido pela vaidade senao pelos
neus proprlos actos; e meu irmo Joaquim sabe
raui bem disto e tambem osen advogado...
Nao volto mais a imprensa.
Recife, 8 de outubro de 1869.
Salvador e Siqueka Cavalcanti.
de
- e tribunal rehabilitando o commerclante fallido
jeiiiiosidad que nao jeem, h oppdeo aos maj | Joao Jes Lelte-SuiBarej.
ERRATA
Na correspondencia publicada no Diaria
honiem, firmada por Joaquim 8. Pessoa de Siquei-
ra Cavalcanti derara--e varios erros de typogra-
phia, sendo o mais notavelonde diz: ncra depois
de amarrado pelo Dr. chefe de polieiadeve diier-
semera mesmo depois de ameacado pelo Sr. Dr.
chefe de polica.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 8.
Penedo e portos intermedios3 dias vapor nacio-
nal Giqui, de 223 toneladas, commamlante
Azevedo, equipagem 23 ; Companhia Pernam-
bucana.
Barcelona57 dias, sumaca hespanhola Tereza,
de 126 toneladas, capito Pedro Entrador, equi-
pagem 11, carga vinho; Pereira Carneiro
&C.
Barcelona e Malaga49 dias do porto e 34 do
2a, sumaca hespanhola Carino, do 94 toneladas,
capito Mateo Pagos, equipagem 10, carga vinho
e outros gneros; a Pereira Carneiro & C.
Ilha do Sal27 dias, brigue portuguez Lidador.
de 337 toneladas, capito Antonio Primo da
Costa, equipagem 13, carga sal; Araorira Ir-
mo. Seguio para os portos do sul.
Goyanna6 horas, vapor brasileiro Parahyba, de
104 toneladas, comraandante Mello, equipagem
14 ; Companhia Pernambucana.
Navios sonidos no mesmo dia.
Penedo por Macei Vapor brasileiro Potengi,
commandaute Joaquim J. Pereira, carga uiffe-
rentes gneros.
ParahybaEscuna ingleza Kilten, capito La Sel-
lene, em lastro.
Observaciio.
Snspendeu do lainarepara a Babia, o patacho
inglez Cauro, capito Laylor, com a mesma carga
que trouxe de Terra Nova.
Concert voeal e instrumenta!.
O abaixo asignado avisa ao respeitavel publico,
que nao tendo sino possivel levar execncao no
tempo e lugar annunciado neste Diario de 14 de
setembro, o concert variado que elle deseja dar,
para divertmonto e distraeco do publico, pre
tende realisar e cumprir sua proraessa no dia 14
deste mez, na antiga sala de dansa da sociedade
Recreio Pernambucano, largo do Carmo n. 9, 1
andar. Persiste aquelle mesmo programma com
a alteraco apenas da terceira parte, pois que nao
possivel ha ver dansa, por nao se prestar a isso a
sala mencionada. Os bilhotes distribuidos sao os
mesraos que daro ingresso ao dito concert.
Recife 7 de outubro .le 1869.
Jos Coelho Barbosa.
AVISOS MARTIMAS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Wavegacao coseira por vapor.
Mamanguape.
O vapor Mandah, comman-
dante Julio, seguir para o por-
to cima no dia 12 do corrente
as 6 horas da tarde. Recebe car-
ga, encommendas, passageiros e
fete at as 3 horas da tarde do dia
escriptorio no Furto do Mattos n. 12.
dinheiro a
da sabida
EDITAES.
Rio de Janeiro.
Para o indicado porto, pretende seguir com
muita brevidade o briguo nacional Isabel, por ter
a maior parte da carga engajada, e para o pou-
c> quo Ihe falta, trala-sc com os consignatarios
Antonio Luz do Oliveira Azevedo & C, ra da
Cruz n. 57, primeiro andar._________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Vavegaeo coseira por vapor.
Goiaana.
O vapor Parahyba, commandanle
Mello, seguir para o poi lo cima no
dia 16 do corrente as 9 horas da notc.
Recebe carga, encommendas, passageiros e dinhei-
ro a frele, no escriptorio do Forte do Mattos
n. 12._________________________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Vivegacao coseira por vapor.
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Giqui, cominandante Azevedo, segui-
r para os portos cima at o dia 15 do corrente,
s 5 huras da tarde. Recebe carga at o dia 14,
encommendas, passngeigeiros e dinheiro a (rete
at s 2 horas da tarde do dia da sabida, no es-
criptorio do Forte do Mattos a. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Navegando coseira por vapor.
Port de Gallinhas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor Parahyba, commandanle Mello, seguir
pata os porto! cima no da 10 do eorrenle,
meia noite. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros, e dinheiro a fretes no escriptorio do Forte do
Malt.s n. 12.
Para o Rio Grande do
pretende sahir cora brovidad'para o-porto cima
mencionado o patacho nacional Senltora das Ne-
ta, de primeira marcha : para carga tratase
com o consignatario Jos Joaquim da Silva Gomes,
ra da Cadeia n. 52.
BAHA
O palhabote Garibatdi, capito Custodio 'Jos
Vianna : a tratar com Tasso Irmao*.__________
Para o Rio Grande do Sal,
Vai seguir cora brevidade o brigue portnguez
Boa Sorte, capillo Lourciro, recebe alguina cari
a frete a tratar no escriptorio de Amorim Ir-
raos & C, ra da Cruz n. 3.
LEILOES.
LllLiO
De O calas conendo OO latas
com baulia de porro.
SEGUNDA-FEIRA 11 DO. CORRENTE.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem perteoccr de 10 caxas marca V, etn-
tendo 60 latas com banha de porco arruinada.
segunda-feira 11 do corrente, as 10 horas raanhai
na porta do Annes._______________________
LEILAO
De nma grande casa errea com
um sillo.
O agente Pontual, competenteui-mte autorisado,
vender uma casa terrea tendo commodos para
grande familia e com um sitio, o qual tem bastan-
te arvores fructferas e uma cacimba com exce-
lente agua para beber, em solo proprio, no princi-
pio da estrada dos Afiliaos n. 2;, ".milo frente
para o becco do Espinheiro e muito perto das
estacOes do Mangunho e S. Jas.
Os senhores pretendentes poderlo examina- la e
concorrerera ao leilo
TERCA-FEIRA 12 DO CRRENTE
no primeiro andar do sobrado ta. i-'-', a ra da Cruz,
s 11 horas da manhai.
LEILAO
DE
Marca A M & C, 10 caixis eem i00 grosas de
phosphoros de seguranca : dem idem, 9 dita-
com 225 ditas de ditos do dito); dem F A S. 7
ditas com 840 latas de 2 libras de biscoutu-:
idem idem, 4 ditas com 48o ditas de 1 dita de
dito.
TERCA-FEIRA 12 DO CORREN K, AS 11 HORAS
DA MANHAA.
O agente Pestaa far leilo por conta e ifae i
de quem pertencer, das mei .adorias arima rat-H-
cionadas, a variadas d'agua salgad*, a bordo d
brigue ingles Elisa Jane, naufragado as prai.i-
da Parahyba do Norte, e viadas para Pernambucu
no vapor da companhia PniniminmM Cswrmr,
terca-feira 11 do corrente, as 11 horas da manha,
no armazem do Annes, largo da Aifandega.
LEILAO
DE
nivios
Xa Importancia de 4J:J3I*I.X
rls
Quaita-feira 3 de nveme,o do 1869.
O agente Pinto levar kio, .; 11 horas d i
dia cima dito, por MMorisaeo do liijuidaiaria di
extincta firma de Southal M';' C. as di ida*
na importancia de tfe437MSQ i- leadt........
31:1874310 rs. de conformidad-i c-mi o maadaJ >
de penhora contra J. de Sisjo Ferrio,*......
9:249j840 rs. de conformidaJ-3 )m dous manda-
dos contra A, Pinto do Leos; o ssHbse
cffectuado no dia cima dito, no escrifSMfedo
referido agente, ra da Cruz n.
AVISOS DIVERSOS.
Eustaquio Antonio Gomas, e sm mulher P.
TherezaE. S. Gomes, a profes 11 publica da fil-
ia de Agua-Preta tendo retirado se para N. d
O' de Ipojuca para onde lora movida, >;iraJ -
com cordialmeute a todas as \,~ ,as daquella vil-
la com quem tiveram a (elicidade Je eotreter r -
lacoes d araizade, cora cspecialiiiade ao Sr. Fran-
cisco Antonio das Chagas e sua imila offerece-
do seus limitados prestimos n 1 jgar onde sra
resdera.
Uvas e maqaas desembarcad;!s
hontem,
Optiraitvas (soltas das caix) mnito doces, :
macas :,o deposito de pao e c-;sas : na rj
larga do Rosario n. 36.
- Faco constar a quera convier, que o Illm.
Sr. Dr. director geral interino, tem espassado para
o dia 23, pelas 10 horas da raanha, o examede
habilitacao para o magisterio primario do sexo
fomenuo, que devia ter lugar no da 11 do cor-
rente.
As senhoras que qnizerem fazer dito exame,
devero inscrever-se nesta "secretaria na forma
das instruccoes de 11 de junho de 4869, at o dia
23 do mesmo.
Secretaria da instrueco publica de Pernambu-
co 8 de outubro de 1869.
O secretario.
Aurellano Augusto Pereira de Carvalho.
DECLARACOES.
Pela secretoria da Santa Casa de Misericor-
dia, do Recife, se convida aos parentes das meno-
res abaixo mencionadas, virem recolhe-las o
coUegk das orphaas, viste assim o haver resolvtdo
a Illma. junta em sessao de 30 do mez Ando.
Josepha, filha de Anna Rosa do Sacramento.
Adefaide, idem de Galdina Maria dos Anjos.
Josepha, idem de Senhorinha Joaquina dos San-
tos. ^
Maria, idem de Joaquina Candida de Cunha No-
bre.
Anna, idem da mesma.
Secretaria da Sama Casa de Misericordia do Re-
cite, i de outubro de 1609.
O escrvao,
Pfro Rodrigues de Souza.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recita precisa contratar com quem
se queire enearregar de faier sua eusta as obras
de qoe neeessiu o sobrado n. 37 da roa da Moe-
da, cooeedendo ella, alem de outras vanlagens, o
arreudamento por grande numero de annos.
Recebe para sto pruppstas em cartas fechadas,
na sala oe suas sessoes, devendo os pretendentes
examinaren! aa obra do que carece o predio.
Secretaria da Santo Ca de Misericordia do
Reeife, 4 de setembro ia 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
( OHIWYIIIA
DAS
Hessageries imperiales.
At o dia 14 do orrentc raez espera-se da
Europa o vapor francez Natarre, o qual depois
da doraora do costume seguir para a Baha e
Ro de Janeiro.
Para condiecoes, fretes c passagens, trata-se
na agenda, ra do Commerclo n. 9.______^^
Pede-se ao Sr. Antonio Roberto de Prega
senhor doengenho Santa-Cru/, regostia de Igua-
rass, o favor de mandar a oomsm n. 45 da roa
da Roda, destrocar uma cabecadn, que por enga-
o levou.
Precisa-ie de um creado para lodo serv; .
de hotel, paga-se bem, prefere-e escravo : a tra-
tar na ra estreita do Rosario n. 11, hotel Lhln-
nense.
mnmw brvsileira
DE
Paquetes a vapor.
Dos partos do norte esperado
i t o da 18 do corrente o vapor
Tocanlins, commandanle J. M.
Ferreira Franco, o qual depois
da demora do costume seguir
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzr, a qual dever
ier embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia ds
sua saluda.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
leeras de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico
rudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens so se recebem na agencia ra da Cruz n. 57
! andar, escriptorio de Antonio Lniz de Oliveira
Azevedo A C.___________________________
Rio de Janeiro
Para o Indicado porto pretende seguir com moi-
ta brevidade a barca portuguesa S. Mo, por ter a
maior parte de seu earregamento engajado, a para
o resto que Ibe (sito, trato-se com o coatljpatof
Joaquim Jos Goncalves Beltrao, ra do Comroer-
cio a. 17.
i
j 1870 f
FOLHINHAS
toa
V. nfco de MMr !./ *h >
ichU
MVRARIA FRANCEZ A
r.uu do BgUBo, n# AL
as itisaite Fc:v'
\ffltk msm
PARA 0 AS.W W 1870
PAB90 J^B **#.
. issoaxoaanteacm
-
I

-\
<
%
ni _


Diario
Oda i
4e Pefianibuco Sabbado 9 de Outubro de

______^
-j-u
Vende-se'
liara da de naiqs (2 de noverabro), naloja de
Antonio Augusto tos Saitos Porio, na praca da
Independencia, unwo de|iosito neta cidade, ricas
capellas para se collocarem as catacumbas o t-
mulos, no cemiterto publico e as groja?, com
as inscrpcGes quintes :
Meu g
Minia Sai.
Meu es^iosu.
Italia espoea.
Meu iillia.
MMu lilha.
Meu amigo.
Saudade.
Urna lacrima.
I I I I
AMA
Precisa-se de u:na ama : na ra de Norias
mero 70
niv
Na ra de Hurlas n. I, precisase de tuna
ama para cozinhar e comprar.__________
~~ O abaix assigoado pe i presente deolaraj
publico e especialmente ao'corpu eommereial, que
desde esta dala tem adimitido como socio noyeu
estabelecimento de furragens ra Nova n. fi, o
Sr. Manoel Joaquini Kodrigaes Ferretra. e pusann
loa gyrar o dto e-lahaltisjento sob a firjia de
Rodrigues A HemelertO.'
Ilece de outubeo de 181)9.
11.- notario Maefcl da Silva.
nina.
Precisa-se de urna ama livre ou escrava,
que cozinlie een;:'imn', de hons costnnwa e de
meia idade : na na Bella n. i.
Os Srs. que sao devederes ao esta-
I)elec:menlos da ra da Imperatriz n. lo.
Confeilaria e caf frauecz.
Sao rogados a vir bagilr sais dividas at
odialS"do crnente, Mfflo querem ver
seus nomes publicados neste Diario sem
excepcSo alguma _________ -
Aviso
100*000 de Ki-atificacao
Desappareceu na madrugada do primeiro
do corrente, do sitio n. 10 no Chacn, de-
fronte da estarao (Casa Forte), dos trilhos
urbanos, um cuvalio rqfiO pedrez, grande
gordo, dinas cauda pretas, e com signal
de brida de corda no n esqaerdo, porem
jsete!. Da-se IOO-> a qiiem levar dito
CUtHn, casa deseu dono, n. 23 da ra
da Soledade, d'esta cidala.______________
Nesta typographia se precisa comprar
dous caixlhs para alcovas, palmos de altura e o de largura._________
Cozinheira.
I'recis.vse de urna eosinb'.'ira bvre ou escrava:
a ra do Crespo D. s3. _______
desagra-
CLUB PERNAMBCAWO
A partida do corrente iriei tora lugar na noute
do dia 10.
Mk DA FORTUNA
Aos 4:000$
Billietes garantidos.*
A roa do Crespo n.23 e casas do costme.
Acham-se a venda os bithetesda 29 parte da
ioteria a beneficio da Santa Casa de Misericordia
(123") que se extrabr no dia 1C do corrente.
Preeos.
Os do costume.
Manoel Martins Fiuza.
BI5ERIBE.
Aluga-se urna casi na povoacio de Beberibe,
cora trastes : na ra Ja Imperatriz n. 15.
Elle um preventivo seguro e certo contra
a calvice,
Elle d e restaura forca e sanidade a pelle
da cabera,
Elle de prompto fazcessaraqueda"preraa-
tura dos cabellos.
Elle d;i grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e posico que se deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele faz crescer os cabellos bastos e com-
pridos,
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa,
Elle previne os cabellos de se tornaren)
brancos,
Elle conserva a cabeca n'um estado de fsoj
cura refrigerante e agradavel,
Elle nao demasiadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro
davel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservarlo e arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
0 CABELLO.
Tonteo Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, I. da C. Bravo & C. P. Maurer
& C, M. Barbosa, Bartholomeu C, e -em
todas as principaes lojas de perfumaras
e boticas.______________________________
CORTES DE SEDA A 20d000.
Na luja do Pavo, vendem-se bonitos cor-
tes de seda para vestidos tendo 15 covados
cada ,um, e com quatro palmos de largura;
pechincha na ra da Imperatriz n. 60, de
.Flix Pereira da Silva.
FOSTOES BRANCOS PARA VESTIDOS A
400 RES.
a loja do Pavao vende-se nm grande
sortimento de bonitos fostes brancos, pro-
prios para vestidos e ronpas de rean^as,
assim como tambem para rou.jas de ho-
mens por serem de lavores miudinhos e
banlante encorpados, e vendem-se pelo ba-
rato proco de 100 rs. o covado nicamente
na loja n. 60 da ra da Imperatriz.
CORTES A 84000 DE VESTIDOS A 8000
CORTES A 8,51000 COM DUAS SAIAS
Chegaram para a loja do Pavo os mais
bonitos cortes de la com duas saias,
sendo neste genero, os de mais gsoto que
tem viudo ao mercado, e cada um em
seu cario, com o competente ligorino, e
vendem-se pelo baraiissimo preco de 10800,
s na loja de Flix Pereira da Silva a ra
da Imperatriz n. 60.
CHALES DE CHACHEMHU A 6, 10r> E
424000.
Na loja do Pavo vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira' cachemira de
cor, com os desenhos mais modernos, a 00,
10 e 12)5000, muito barato na ra da Im-
peratriz n. 60. '' "'_____________
Na ra do Imperador n. 38. loja, precisa-se
de nm criado. ______,
A commisso administrativa da confraria de
S. Benedicto, erada na igreja convento dos reli-
giosos de Santo Antonio desta cidade, nao podendo
farer a festa de seu padroeiro por motivos impre-
vistos, rcsojveram-se mandar cantar no domingo
10 do corrente ama missa com um pequeo ser-
uao afim de ser lida a eleicio dos devotos que
tem de festejar no auno de 1869 a 1870 a venera-
vel imagom do glorioso S. Benedicto ; e no dia 11
urna inissa cantada Senhora do Bom Suceesso
<;om memento, aflu de enmprirem com os logados
que a mesma contraria se aeba obrigada : assim
pois, convida, a todos o; seos irmaos e aos fiis
devotos que se diguem rompa-ecer neste citado
lia, pelas 9 horas da manha, para asshteneia do
dito acto.
Kecife 7 de outubro de 1869.
Manoel Cosme de Moraes,
Presidente da commisso.
Marcelino da Silva Lima,
Secretario.
Copr.elio Augusto do Espirito Santo,
Thesoufeiro. _
D-se sociedTie ou se vende o estabeleci-
mento de molhados da ra .Nova n. 61.
lYlhos urbanos o
Recife a Olinda.
O escriptorio d'uata companbia loi transferido
San. o primeiro andar do predio n. 35 da ra
'ov.i, entrad* pela ra das Flores n. 14, o qul
estar abert todos osdias uteis, das 9 horas da
manhaa as 4 da tarde
Rscife, 4 de outubro de 18,9.
Joo Joaquim Altts,
! secretario interino.
Precisa-se de um.1 ama para cozinhafbtf
engjmmar : n ra da Cadeia n. 10.__________
Troco miudo.
I'a-se bom premio por sedulas de I 000, 24;
5i, 10* e 208 (nova estampa: na casa de Theo-
do- -o Simo? V C. largo do Pelouriaho n. 7.
~- Precisa-so do urna (amilia capar que se en-
car egue de lavar e engomtnar oupa de hofnem
coni toda a perfeicao e asseio, e se responsabilise
por qualquer falta ou troca : dirija-se a ra Bella
n. 7, sobrado de dous andares.
Da-se l:300 a juioiri 1|2 0|0 com segu-
ranza ora-predio denlro desta cidade : a tratar na
ru; da Palmajn. 63.
Precisase de nma para o servifio interno e
extBrno de urna casa d familia, preferauo-se
escrava : narua'larga do Rosario n. 16, por i-
ma da padaria do Sr. Manoel Antonio de Jess.
Engomma ieira.
Precisase de urna engommadeira : no segundo
am ar do sobrado da ra Direila n. 8.
Precisase de comprar um escravo de meia
idade ; quem o tiver apareca no pateo de Terco
n. 53.
- Aluga-se uma boa casa para passar a festa,
na povoaao do Monteiro : tratar na ra Nova
o. 13, 2" andar.____________ .__
~ Aluga-se nma grande casa e sitio, tendo ca-
cimba com muito, ioa agua de beber, perlo da
povoacao da Varzea o do rio Capibaribe ; ontra
dita pequea junto a mesma ; a falar na roa de
Hirlas ni 2, Io andar.
Precisa sede uma criada portuguera de con-
ducta afiaiXNida, para curar de meninos em uma
ca;a de familia, devendo saber lavar e engommar:
a tratar na ra do Crespo n. 12, escriptorio.
Aluga-se
una ca a em Beberibe : a tratar cora J. I. de M.
llego, ra do Commercio n. 34.______________
mnibus para Olinda.
Francisco C de Medeiros avisa ao publieo que
do dia 9 do corrente havera mnibus para a dita
cicade as horas seguintes : do Becife para Olinda
as 8 horas da manhaa, e a tarde as 3 1)2 e 5 1|2,
de Olinda para o Becife as 7 e 9 da manha, e a
tarde as 4 1|2, sendo o preco 500 rs. por viagem.
O testamenteiro do fallecido subdito francez
Jo5o Vignes, convido aos devedoros do finado a
salrtarem seus dbitos amigayeimente, do contrario
serao ajuiz-nlos sem excepcao algnma.________
Ama
AMA
Precisa-se alngar urna escrava para fazor o ser-
vigo interno e externo n'uma casa de familia : a
tratar na ra da Cruz o. 63, segundo andar.
AVISO
Silva & Neves declaram pelo presente, que
desde 6 -do corrente, dei.xou de sor seu caixeiro
o ir. Lauriano Jos de Olivcira. Rwife, 6 de ou-
tubro de 1869.
CASA DA VK.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Bio venda : ra do Cabug n. 2,
vende Vicira & Bodrigues._______________
AMA
Precisa-so de nma ama da boa conducta : a
tratar na ra do Imperador'n._ 68, 2 andar.
IriMaiadurie do weuhor dos l'as-
^i, na matriz do Corpo
Santo.
Convida-se a todos os irmaos desta irmandade
para mesa geral de eleieo no dia 10 do eorrente
mez, domingo, as 10 horas da inliaa, no' respec-
tivo consistorio
O escrivao,
I. 1. Lima liairo.
Precisa-se de uma ama para cozinhar para ra-
pnzes solteiros: na ra da ngoeta n. 1._______
Pao nglez
de excellente fabrico, todos os dias, das 6 as 7
ras da manha, na na da Camaro n. 13.
lio-
LIM1A I NVELOS
/FIO EVIM
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau & C. Corpo
Santo n. 15.
SHERRY 0L0R0Z0
Gelo seal.
COOVAC ME^^ESSY.
Em casa .de Rabe Schmcttau A C. Corpo
Santo n. 15.
CAHMPAMA
SUPERIOR.
Roussillon, rerte blanche.
Em casa de Habe cbmcttau A
G. Corpo Sauo n. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CIIATEAU RAUZAM
Em casa de Rabe Schmettau 4 C. Corpo
Santo n. 15.
mzHiiM
Nova loja de calcado
JOAQUIM MAS DOS SANTOS 4 C. acabam de abrir am estabelecimento de cal-
cado ertrangeiro; ra Nova n. 30, onde o publico encontrara ludo o qne aete gt-
nero di*commercio ha de melhor e de mais gosto em Pars e Londres.
Por todos os vapores transatlnticos recebero elles constantemente remessas 4b
calcado novo, pelo que ter sempre o estabelecimento o que a respeito se pode txl-
gir. Ao publico em geral e a seus amigos em particular, pedem a cooperado, qaa
Ihes possara dispensar, certos de que ser3o servidos com lealdade.
w a c*..n c* ^
S-f P5"2
B O
=.B ceS
3 J' =
3 | ^3
3* ETCo-o 2
v ft t 3. ^
Z s o M w
3g | 3 a
c o 3
& 9
Eg
o .
3
og
O u
a.*
es C
-j
B>
Vt
O
"i
CB
o_
5"
V
s
o"
I
as "> u> *
3-o E- a-
= 2" 3
2 S cr = o
*tlili
iil2|f
p < o n a> o
CU
3 =
V -
il'g-gc
O
f/i
*
OS P*
t* O. vi
O ZJ i;
.o as p cg
s ai a C
a o.- a>
SS. a?M => S"
as- t-J es as es as
>3
as'
Alugam-se
das casas terreas sitas no Manguinho, a margem
do rio, recommendaveis pela via frrea : a trataj
n 1 ra do Vigario n. 31. ,- _______
Precisa-se de um caixeiro: na
Cireita n. MI,
ra da na
" Na padaria da ra Oireita n. 2i precisa-se
alugar dous escravos para o servico da mesma.
\evo sortimento de
calado ffrancez. In-
va de pellica .lonvin.
fi 11 a per!sainarla, quln-
qnilharla de phanta-
sia e liivo. c brlnqtic-
dos para meninos.
Moto sortimento de
calcado francez, ln-
vas de pellica.lonvin,
lua perfumarla, quin
qnllharia de ;>hata-
sla e Invo. e brinque-
dos para meninos.
AVISO
Para fazer partillia, vende-se p^r barato preco
duas pequeas casas, uma de taipa em mo estado
e outra de um oitao, frente e fondo de lijlo, em
chao foreiro, e um poco para peixe, na rna do
Carneiro, fregaezia dos Afogados : a entender-se
com Francisco Jos Ferreira Bastos, na ra de
Santa Cecilia n. 37.
MA-
Desappareceu no domingo noute 3 do cor-
rente, de casa de Jos Martins do Hego Jnior,
morador no Pomha I fregaezia da Boa-Vista, um
cavallo castanho-claro, o qual j pertenceu aos
Srs. Ges & Bastos, .1 pessoa quo o tiver encontra-
do ou que dellc tiver noticia dirija-se a ra da
Madre de Deus n.'.', que ser generosamente
recompensado._________________
AMA
Preeisa-se de urna ama para o servico interno
de'duas pessoas : a tratar na ra d'Amisade n. 21,
na Capunga._________
Corpo parioco le lanceiros.
Ue ordem do UliK. Sr. tonente-coronel comman-
dante, scientilieo ao-, Illms. senhores oflkiaes e pra-
cas deste corpo, qu 5 domingo, 10 do corrente, as
> horas d_ tarde, u mo senlior cominaudante, Porta-dagoa, em A-
1I|IUC0S.
Secretaria do corii) patrioco de laneeiros em 5
de outubro de 1869.
Severino Daarte,
Tenente-secretario.
SOCEDADE NIAO BENEFICENTE
BITIMA
Pela directora sao convidados todos os socios
para comparecerem na rennio da asse-nbla ge-
ral, no domingo 10 do corrente, as 10 horas da
manha.
Secretaria da sociedade Unio Beneucente Ma-
rtima em PemanTftuco 6 de outubro de 1869.
'O Io secretario interino.
Manoel Lop es Ferreira.
O bllhete inteiro garantido n. 1490 da lote-,
ra 123a que tem de correr no dia 16 do corrente,;
pertence ao Sr. Herculano Julio de Albuquerque
Mello, morador em Mossor, provincia do Rio
Grande do Norte._________________________
Precisa-se de uma ama livre ou escrava, que
saiba cozinhar e engommar : na ra do Queima-
do n. 11.
Hotel Uniab, ra do Hospicio
n. 84.
Este novo estabelecimento fornece comedoria
com promptid^o e aceto, tanto para fra como pa-
ra dentro do dito estabelecimento, assim como nos
domingos e dias santos ter mao de vacca e outras.
iguarias, todos os dias na ver papas de diversas
qualidades ; assim, pois, o proprietario espera do
respeitavel publico toda concorrencia e proteccao,
visto ter um bom cozinheiro.
PIT-ULES
DE VALLET
>iML,r
As Pilis de?_-!, approvadas pela
AGademia imperial de medicina de Pariz,
sa8 empregadas com o maior ^^^.
xito para curar a chlorosis, '
e fortificar as constituicoes
iracas. Wunca este ferrugi- ______
noso ennegrece os dentes. ~"^
Para a garanta da sua autenticidades
o nome do inventor vai gravado em cadfl
pilula como a margem.
01 Rio-JiRDito, Dfonchelie; Checolot.
"a Pouhk Uaurcr l C".
DfOiiU
Na pharmacia do Pinto ra
Larga do Rosario n. 10
junto ao quratel de poli-
ca.
A-.ham-se constantemente promptas a
ierem satisfeitas, as prescripces dos Srs.
'acultativos, e as necessidades dos enfer-
mos, as especialidades da mesma pharma-
sia, composta de medicamentos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
peito
Xaropes de fedegoso, rabo de tat,
Agrio, pao Cardozo, jaca, mulung, mu-
tamba, etc., etc.,
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de'salsaparrilha
do Para, pilulas e xarope de veame, tin-
tara e xarope de sicupira.
Doencas do ligado e bafo, ane-
mia, opiladlo, ele.
Emplasto, oleo, pommada, tintura, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sezftes oh febres inlermilenles
As pilotas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia de seu autor ra larga do Ro-
sario n. 10, janlo ao quartel do Oorpo de
polica.
Joaquim JosGon-
(jalves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre o Ran-
eo do Minho, em Rraga, e sobre os seuin-
les logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalic5o.
Lamego.
Lagos.
CovilhSa.
Vassal (Vahpassos).
Mirandella.
Reja.
Rarcellos.
AO ARMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ
N. 7RA NOVAN. 7
Acaba de chegar este montado estabelecimento novo sortimento de bom al-
ijado para homens, para senhoras, para meninos e meninas, escolhido as mais im-
portantes e conhecidas fabricas premiadas de Paris, esquesita e fina perfumara de
Coudraye dePiverluvas ae pellica de Jouvio, espelhos, leques, obras de ouro,
caixinha's de costura, e um sem numero destas o outras qoinquilbarias francezas de
muito gosto e phantasia, e a mais intereesante variedade de brinquedos francezes e alie-
ntes para entretimento de criangas; e de agora em diante continuam a ebegar remessas
por todos os navios e paquetes para o grande sortimento da festa, e tudo preeos re-
sumidos, por serem os sortimentos comprados na Europa e remeltidos em direitura com
os maiores abatimentos das fabricas, era attenco as repetidas encommendas.
Aluga-se
o sitio na estrada da Torre do finado Dioso Jos
da Costa, com boa casa aobradada, cwheiras
para carros e cavallos, e quarlos para pretos, bai-
xa para capini, arvores de fructo, com todas as
commodidades: quem pretender appareea na ra
Nova n. 12.
Em casa de THEODORO CHR1ST1-
ANSEN, ra da Cruz n. i8, encontram-se
eflectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.,
Um moco solteiro precisa de uma ama para
seu servido, a que lhe convier, dirija-se a ra
Imperial n. 264.
SEGUROS
MARTIMOS
COMTRAFOGO. 4
A Companhia Indemnisadora, estabelecida
aesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercaduras e mobias: a
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo,
O advocado
Affonso de Albujuerqne Mello mudou o .seu es-
criptorio para a roa das Crazes n. 37, delronte da
typograpbia do Diario.
Precisa-se de uma ama para casa de pouca
familia: na ra do Caldeireiro n. 68.
A' ra do Crespo n. 20 A, esquina da ra das Cruzes.
Alvaro Augusto d'Almeida & C. partecipam ao respeitavel publico, e com es-
necialdade s Exmas. Sras. que o seu antigo e acreditado estabelecimento ra do
Crespo n 20 A, de pequeo que era, acaba de ser transformado em uma bonita e vasta loja
de fazendas finas aonde pela sua localidade e amplidSo, o publico nao s ter todas as com-
modida^es para fazer suas compras, cerno acha-lo-hao desde j prvido de um vanado e
escolhido sortimento de fazendas finas e grossas, o que tudo se vende por preeos mo-
Este estabelecimento, apezar de estar j bastante conhecido, os seus proprieta-
riosteraresolvidoentitula-IOpor LOJA DOS ARCOS, para evitar equvocos, e torna-lo
por esta maneira ainda mais popular. Eocontra-se nesta loja
Ricos cortes de blond e de seda branca para noivas.
Ditos de seda de cr e pretos.
Rrochad de seda, fazenda inteiramentcnova.
Foulard idem idem dem.
L3as de muito gosto.
Cortes de carabraia e chita Mara Antoinelte.
Saias bordadas, camizinhas, espartiluos, balitas, basquinas, fichus, sombrabas
luvas de pellica, chapeos etc. '..
Ha tambem constantemente um completo sortimento de esteiras da India para
forro de salas, assim como alcatifa, tapete, capachos e muitos outros artigos, que seria por
demais mencionar. _____________.
O abaixo assignado declara ao respeitavel
publico, que em data de 5 do corrente deisou de
fazer parle da sociedade que nesta praca gyrava
sob a razo social de Marques Silva & C, estabe-
SOD a razaO SOCiai QC Jiarquys ouxu., <=*"<* mis muya uequi.-uccn .> sata uo uouo M*
lecidos na ra do Queimado n. 5, tendo procedido junto ao templo dos padecimentos, pois ah
.____hM.IJ^2A n.^nnlq. OAnl A CAP Antfvnio ,i,.\r1 Ufl lito a A Aapntldsln TAPA > 111.'tu
a uma liquidaeao particular com o socio Antonio
Lourenco Tehteira Marques, a quem ficou perten-
cendo todo o activo do mesmo estabelecimento, fi-
cando o dito socio Marques tambem responsavel
por todo o passivo a que a sociedade eslava obri-
gada. Recife 8 de outubro de 18(59.
Joao Mara da Silva.
CIOHCEX20
Senlior D. (Letrado) nao concinta que suas fl-
Ihas mocas frequentem a sala de dansa que ten
Na praca da Independencia n. 33 se d di-
nheiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual for a quant.a ; e na mesma
casa secflipra e vende objectos do ouro e prata,
e igualmente se faz toda e qualquer obra de en-
coramenda, e todo e qualquer concert tendente
mesma arte.
moralidadc e o oscandalo toca a meta.
O observador.__________
nMihafgida
No dia 7 do corrente desappareceu uma negri-
nlia de idade de 7 annos, pouco mais ou meno*.
do nome Penha, muito conheeida no pateo do hos-
pital do Paraizo, em todas as vendas do mesmo
pateo e ra da Florentina: quem della souber e &
levar a ra Bella n. 26, ser bem recompen-
sado.
Precisa-se de um caixeiro que di fiador a
sua conducta: a tratar ao pateo do Tergo n. 63.
I
RA
i DO
CABUG
esquina
jda ra larga do
Bosario.
E5H5H5H5HSH 5551 5E5H5E5aSiatt!aeaes
ANNEL DE OURO
Este importante estabelecimento no seu genero, tem aempre um sortimento sem igual,
e vende por preeos quo nenhuma outra casa pode vender.
vista da quadade e do preco das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por preeos muito ele-
Bll y i
CABUG |
esquina [J*
da rna larga dojt
Rosario.
vados.
A loja esto aberta at s 9 horas da noute.
I

i


Barmetro e termo-
metre. Centigrade
e reoameure.
Causa admiracao,
Ma* iio se pode duvidar;
No armazem Independencia
E' onde se pode comprar.
FEftREIRi iV _.. ,, ,
donos deste importante e magnifico armazem de seceos e molhados sito a ra do ftangel
n. 3, iuiRando no aceitarem concordata alguma com os seus collegas resolvern! der
nominar o seu armazem -INDEPENDENCIA-, assim como o seu fim nao seja illud-
ao respeitavel publico dMxario de aonunciar. sem o que o mesmo o migue e admire...
Mas como nos pontos da va frrea, j se tem discutido e apreciado a realeza impos-
sibihdade a ver qoem vende gneros to barato, por esta razio que annunciamos para
que todos tanto da prac* como do mallo acrediten o que neste asseveram e aquelles
que ainda nao nos tenham honrado cera suas freguesas, podero dingir-se ao mesmo,
certas de que verlo gravada a sinceridade e muliodo de negociar muita franco sem qua
necesitemos de andar.meia noita. pelos oiles das matnzes figurando-nos por boas
demoaiS nern mesmo m frente da msica com o pendi na mao feHo bausa.
FERREIRA & IRMAO,
Ra do Rangel n. 3, armazem da Indepen-
dencia.
NAO FOI PRECISO AGUA BEHTA
O demonio mudou-ge por sua livre e expontanea vontaa>
VIVA 0 DA DE S. BARTPUMEl)
Agora ninguem presuma que fot um demonio qmlquer, foi
E erystal de rocha do Brasil.
P j .diuuuu. recommenda ao publico, seos vidros periscpicos aperfeicoa-
dos- porque, com esle, vidros, a vista descanca, ferca-se e nao a canea como com
os vd?o7ordinanos. Urna vez escolhido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obngado a muda-Ios todos os annos eoster
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res decaneca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho e,
odas as vezes que o objecto est mais perto ou mais looge, os raios que expelle sio
mui convergentes ou mui divergentes e a visito nao e perfe.ta. Um gj-and numero de
nessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a visao nao e disUncta.
Com a applicaclo de meus vidros pde-se vencer esUs difficuldades. Para os que tero
a vista curta e euio crystalino rai convexo (o que faz ver benvde perto, e mal de
(on"e). o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-seo ponto de
vista o qne fsz divergir os objectos e deixa ver 15o tange como as outras vistas. Quan-
io o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
3 que se chama presbvta, vem melhor de longe que de perto, e nio enxergam senao
um nevoeire na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
lio distinctamente como na idade da 15 annos. Servindo-se destes vidros quando e
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F J. Oermaun encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher.'a primeira vista, seja qual for a idade egro de vista, oculos propnos para
malquer pessoa, # _
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista que nao supporla os raios
ANDRE DELSUC
CABELLE1BE1B0
7 A Ra do Cmpo1. andar 7 A
ENCONTRAR-SE-IU sempie neste estabclecimenlo um variado e.bonito sorli-
mento em perfumaras fiancezas e inglezas cuja lista damos aos leitores.
LUVAS Marca garantida deJOVIN. .,,,
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LUBIN & GOSNELL.
DITOS FINOS.em frasquinhos propiios para presentes Eubin de Gosnell.
POMMADASBanlia fina de varios cheirosLuuin.GosneUe, Societe Hygiuique
*\ROETES finos para toileiteLubin d- Monpelas.
2AU DjENTIFRICE.agua para lirnpar denlesSociete Ilyginique Lubin A D.
Mas no sabio daBoa-Yista
CHEGO-SE AT PARA NAIS PERTO DA MATRIZ
Sea dominio est hoje assentado. onde foi botica,
ESQUINA DA ROA DA ARAGAO 1!. 32
TMHAU 1 E-IiO
Como garboso se ostenla
Como lepi.lo se mostra
E as diabluras que faz!!!
a Negra tranca no coito lhe ondeia .
i Solta briza ao mago desdem :
Deita a fronte n'um peito e conheco
Quantas maguas o seio contm.
Esta linda e gentil creatura tambem __^_
VEWDE
Queijos, manteiga e caf,
Vinho, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
De Nantes boas sardinhas.
Tudo barato
Para agrada",
Ventura freguezes
Que nao de gostar,
N. B." Brevemente ser annunciado o dia, em qne este importante armazem de ntc-
lhados ter principio a pratica de certa diabrura.que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da ra do Queimado. Por ora venham os freguezes visitar o oosso es-
tabelecimento, comprar os nossos superieres gener. s por presos muito rasoaveis.
Manteiga ingleza flor a 10300 por 500 Vinho bordeaux era caixa, 7#000.
fierre.
BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabellosLubin.
WWA DE COLONHA.Marca verdadeira de Joo Marina Farica.
COSMTICO.cheirosoLubin.
W)Z DE ARROZ.ditoLubin.
HUILE DE SENTEUROleo para conservado dos cabellosSociet*. Hygiemque
ESCOVAS FINAS.para cabellos, dente e unhas.
BLAFREAU.Pincel para barba.
GRANPOS.para cabellos.
RE OES INVISIVEIS para cabellos.
GRAVATAS L1NDISSIMAS.do melhor gosto.
BENGALAS. pbanlaiia, para passeio e de diversos tataanhoselc, etc., etc.
A laparfumerieJarisienne.
7fA RA DO CRESPO l.ANDAR 7 A.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
wacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras treraem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos s3o desiguaes.
Para a vista que se turva com o traba-
Iho e a leilura.
Para a vista presbyla (vislagalon ).
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer-
cadas de sangue. '
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Sortiowui* d> binculos
para tbeatro, e oculos de
alcance paja o campo e raa-
rinba.
AS BOUlAS CURADAS
E
Todas as molestias syphiliticas.
PELO
ELEXIR DO DR. SEVIAL j
nico depurativo sem mercurio que tanta aceitado tem meietido no Bra-
sil, as repblicas do sul e na Allemanha especialmente para cora das boubas,
sarnas, rheumatismo, todas as molestias syphiliticas e em geral todas aquelfes
provm da empureza do sangue.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
- DK
Bartholomeu 4 C.
34 lina Larga do llosarlo34

n
Lunetas, pince-nez e
face--main, onro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sorlimento de relogios para parede, que dio boras e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios pqra algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua govaN. 21.
Ufeitmu DOSANANAZES
16-RUA M CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
calda, etc.
Incumbe-se de encommendas para grandes jaotares, baes, baptisados e ca-
smenlos, a saber:
Pecas de nougat. P3es-de-lot enfeitados.
Ditas de pao-de-lot. Bollos idem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de oves.
Ditas de caramilo. Tortas femadas de crme e carne.
Bandeja com armacSo de assucar. Empadas.
gnmmas.
Dita dita a 1(5200 idem.
Dita dita a 1^000 idem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a 100 rs. idem.
Cha fino superior a 3500 idem.
Dito dito a 3)5200 idem.
Dito dito a Si^OOO idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf decaroco a 200, 2'iO e 280 rs.
idem.
Milho alpista a 240 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a iOO rs. idem.
Vellas estiarinas, masso 720
Potea.com sal refinado a 400.
Ervilhas franceza em manteiga, 000 rs.
a lata. '
Fructas portuguezas era calda a 600 rs.
a lata. I
Ditas s depecgos maiores a. 500 rs. a
lata.
Tijolo para facas a 120 rs.
Chocolate espanhol a 1*000 o masso.
Frascos com conserva a 900 rs.
Ditos dita de mustarda a 800 rs.
Latas com carne de ^co a 800 rs.
. Sardinbas de Nantes em manteiga a 800
rs. a lata.
Copos finos para agua, duzia 4(5800.
Garrafas finas para meza, o par 5(5000.
Cognac engarrafado a 800 rs..
Azeite francez engarrafado a 1(5000.
Presunto em barril a 480 rs. por 500
grammas.
engarrafado a 400 rs.
Terentes mrreas. a
Vinagre branco
Bolaxinhas de
1,5400.
Fosphoros de seguranca, masso 500 rs.
Banha de porco a 720 por 500 grammas.
Vinho do reino, garrafa a 15000.
Charutos do Lima a 55 e 6 a caixa.
SabSode massa a 240 rs. por 500 gram-
mas.
Latas comameixas a 15, 15500, 2JMX>
e 35500.
Ditas de manteiga a -25800.
Ditas juliana a 15 por 500 grammas.
Frascos com maceas seccas a 25000.
Serveja de diferentes marcas, duzia 60.
Tapioca do Maranhao a 240 rs. por 500
grammas.
Farello em sacca com 21 kilos por 50.
Liguicas e paios a 800 rs. por 500 gram-
mas.
G>z, Ua a 85500.
Dito era garrafa a 400 rs.
Latas de peixe a 800 rs.
Bolaxinhas beato Antonio a 15200 a lata.
Latas de pSo-de-l a 900 rs.
Bter em garrafas a 800 rs.
Licores finos como coracol, amisade, e
outras muitas marcas a 15000 rs.
Estrilinhaspara sopa a 800 rs. por 500
grammas.
Marrasquino de zeroa 15 a garrafa.
Massa de tomate a 720 por 500 gram-
mas.
Oa proprietarios garantem tudo quanto cima est especificado, adverte a todos
que n5o conhecem o peso de 500 grammas, mais de urna libra, e se evplicar quelle
que nao entendem.
VEJAN QUE BIABRURA
Tirar premio sem comprar Mhetes
Isto s pode ser artes do
f i i t
BOM DEMONIO
Esldecidido=o mundo marcha!
Leiam=admirem
E...... espalhem pelo universo
SE T.iO EXTRANHO ASSLMPTO CABE EM VERSO.
BOAS FESTAS SEM CUSTAR DINHEIRO
-d
FLOR DA BOA-VISTA
DE
UPADLO FERKAHDES DE M. GIMARAES
SOB A DHtECfJkO DO MUITO HABfL ARTISTA
ALFMATE PEDRO I
Nesla offiema encontraro os respeitaveis freguezes um dos primeiros artis-
tas ekj bem conbecido (com grande especialidade em fardas), por muitas pessoas
gradas desta cidade.
O mesmo estabelecimento se ach manido de um completo sorfimento de
l'azendas, do que ha de raelbar no mercado, proprias da ofiQcina.
O grande sortimento de roupas faita que tem, vende e manda fazer menos
20 por cento de que em outra qualquer parte (i dintwiro).
48 RA DA IWIPERATRIZ 48
Junto a padaria franceza.
COSTUKEIRA E MODISTA
Com loja na rua da Imperatriz n. 7.
Tem a bonfo de partecipar ae respeftavef publlto e emparticular seus fregue-
zes, qne, pelas relacoes que acaba de encetar com algnmascostureirase modistas das mais
afamadas de Pars que todos os mezes lhe mandam figulinos, de vestidos, man-
leletcs e cfiapeos fae estto no maier gosto e mis modernos^ te acaa habilita-
da para fazer vestaos para passeio e visitas, bailes e casamentas. As senhoras que
anomiratttmacafi^flBii,na*tande sfruatisfeitaa, taaK>petekof pela barteza dos procos promplidao na entrega das encommendas ; tambem ten bo-
nitos enfeites muito moderna e de todasas cores. Fazem-se chapeos de todas as qualidades
tanto de fil cono de palta.
OL PEf HINCHA V
No intuito de fazer urna fallada o bom drmomio resolvou mimoseard era
em diante com um bilhete a qualquer pessoa que de urna vez lhe comprar gneros, eom dom a quem comprar 100000, e assim por diante sempre um bifcu*
por cada 50000. ,
Cada um desses bilhetes dados de mo brjada proporcionar ao poriau-r
o direito de receber um dos premios abaixo mencionados, se a roda da fortuna lhe ro
propicia coincidindo o numero do dito bbete com o do que tirar urna das tres sones
maiores da f lotera que correr nesta provincia no mez de dezembro vmdouro.
PRIlIfifl PREMIO
1 figo de champagne, valor....... 300000
4 caixa de vinho do Porto (Meneres).. 230000
i duzia de garrafas de cereveja (Bass) 90000
1 presunta de fiambre............ 155000
1 queijo prata................... 60000
4 dito flamengo.................. 30000
6 latas de marmelada fina.......... 60000
1 caixa de pacas................. 80090
1000000
1/2 gigo de champagne,
valor............ 155000
6 garrafas de vinho do Porto i Meneres)... 110500
6 ditas de cerveja (Bass).............. 500
1 leio prata.....................- 60060
4 dito flamengo...................... -ww
1/2 caixa de pacas..................... 45000
6 lata* de marmelada................. 60000
500000
MURO PREMIO
6 garrafas de vinho do Porta (Meneres), valor.
6 ditas de cerveja (Bass).................
110500
4*500
1 queijo prata........................... 60000
1/2 caixa de charutos de Simas............... 30060
250000
MAIS DIABRURAS !
Se
apossoa aguem a sorte bouvet fevorwKb jolzer trocar por atre
os gneros cima mncieaMoe ou pwferirir reeiber o respetivo valor em dmheh nSo^
se ter du-vida em satis/azer.
Venham, regnezes
Da praqt-4 mato,
Comprar barato
Ao BOM DEMONIO
Pra^a da Boa-Vista n. 33; esquina da rua
do Aragao.
* I
, ^

^


HHI^HHHBUI
Diiirio 4e Peftial)UCo Sabbado 9 $e Outubr de 1869.
5

c

"Ve
1,0.11 DE JOHN
DF.
ic.
Este antigo estabeiecimento. completa-
mente reformado de novo, est as eondi-
9063 de servir vantajosamente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com nm
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei. assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, cujos presos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abatfi
JL5lili DOCABl'GAM.5
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
CACHINAS americanas de serrote de todos os taannos para descarocar algedSo, do
milito cobecido fabricante Eagle Gotton Gin.
'ACHINAS ditas, tambera, de serrotes e de todos os tamaafeos para descaroflar, al-
godao do autor New York Gotton Gin.
MACHINAS ditas do todos os lmannos, de carreta de ferro e mais toda a macWna.
VJACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodio.
CACHINAS de faco do fabricante Plattfl. & C, Obdhan fateatLiverpool.
Todas oslas machinas sao de superior qualidade e as raeluores indo ao m*cado ; e para a sua apreciado conridam-se os senliores agricultores 2
virein a exposico das mesinas na ra da Cada do Recife n. 66 A, loja do Bastos, onde
ucontraro mais o eguinte :
Grande armazn! de faiendas e ronpas feilas na da Imperatriz
n. 52, pora larga, de Paredes Porto.
Neste estabeiecimento encontrar o respeitavel pubKeo uin bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, pautte de alpaca a 3^, 3.J50 at 60. Ditos di
mtino, ditos de caseraira de cores bonitos gostos a 5$, 6$, 8# e 10,?, de panno pi-clc>
saros e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 3(5500 a 50008. Calcas de brim de cor linas e ordinarias, dita?
brincas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
le cf>r e preta de 4$, 50, 6* a I5. Golletes de todas as qualidades e preco muilo
barato. Completo sortimento de camisas francezas do algodao e de linho de 25 at 5
una. Sortimento de sflroulas francezas de algodSo, de linho e bramante a 20 e 20500.
davalas (mantas) novissimo gosto a tolos os precos. Meias sortimento completo a 30.
4)5 at 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesqner obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, o com bFewade, por iseo qujr*te nm OnhMo sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras mnitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de H palmos de'largura a 1;?800 o metro.
Cattibraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a G40 rs. o covado.
Poilde-cbvre com lista de seda fazenda de gosto a 1(5200.
Basquincs de guipure enfeitadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapotao fino a 60500, 70, 80 e 90000.
AlgodSo peca cora 20 jardas a 40500, 8&S00 e 60000.
Peca de algodao largo a 70500..
-E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionac Cheguem roupa
fcita que se estliquidando na loja ra dalmperatriz n. 52(junto loja de ourives) do
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
Superiores sedas de cor e listras a 1 0600 o covado.
Lindas poupelinas de la, com grande variedade de cores escuras e claras a
560 rs. o covado.
Pecas de musselina branca com salpicos e com sete metros cada peca, pelo ba-
issimo prego de 40000 a peca: na loja das Colnmnas, ra do Crespo n. 13, de
Antonio Correa de VascoaceHos & C.
Jebulbadores para millio.
ylindros para padarias.
irados americanos.
Canrakoa de mo.
fachinas para cortar capim.
Pannos de chumbo.
Bombas de Japy.
:)itas mericanas.
Telbas de ferro galvaaisadas.
r olhas de zinco fina;.
Bitas de cobre e lata,
ferro de todas as qaalidades.
Arco6 de forro,
l-'olha de Flandres.
Jachados americanos,
lacees ditos.
6a!aios e cestas de verguiuha.
as so aras americanas.
Folies de todos os lmannos.
Tornos o safras para ferreiros.
Finalmente muitos nitros artig
-..'njrsidade seria enfadonho etinumera-ios.
Foiba de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas Unas.
Trens completos para cozinha.
Peueiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Gorrentes de ferro para almanjarte-s.
Espingardas o rewoivers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para relinacoes.
Azeite de espermacetJe, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Sorras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertence^ para as
mesmas.
Latas de gaz,
(pertencentes lavoBra e artes, que pela
CASA FELIZ
Aos 20:000*5000
\ o ltecifc arco ta Conceleo n. 2
Os abaixo assignados tendo-se habilitado, na
forma da* leis tom exposto a venda os seus feli-
zes bilhetes das loteras do Rio de Janeiro na casa
cima aonde se pagarao as sortes que sahirem
no mesmo Mnete coen o descont da lei somente.
GRECOS.
iilhete inteiro 24JOOO
Me.oe I2000
Ruarlos 6*000
F de 100* para cima a 22* o bilhete.
Fig ueiredoA Leite._______
Precisarse de orna ama forra ou escrava, que
enzin^ee compre para pequea familia, etambeai
de um moteque ou negrinha : na roa do caes Ca-
pibarbe, casa nova com porfi de ferro ao lado.
Precisa-ss
de \im caixeiro que tenha pratica de taberna : ua
avessa da ra das Cruzes n. 12.
Daros Antonio da Costa Carvalho deseja
fallir com o Sr. Jos Baha da Costa Carvalho a
negocio de seu intere^se sobre nma heranca : na
pr*?a da Corpo Santo n- ____
Aluga-se
pan bimhos do mar, urna caca junto a igreja de
S. Pedro a tratar na coeheira de carros tune-
liri'-. na ra do Imperador.
Ama de leite.
Precsa-se de urna ama que loaba bnm lute,
para orear umu enanca de mu mez, paga-se liem,
ua rua.Dereila n. 84, sobrado.
FBAGATAAMAZOMS
.intonio Lonrenco Teixeira Marques tem
a honra de annunciar a respeitavel publico,
e ao corpo do commercio, que a sociedade
commercial commanditaria, sob a razio so-
cia de .Var mcs, Silva C. que tinha com
Manoe JMonteiro da Cutba e Joo Mara da
Silva, est dissolvida, e extincta ; cando
todo o activo e passivo da asma ao cargo
exclusivo do abaixo assignad, isentos os
seus dous ex-socios de toda e qualquer res-
poi-saitilidade presenteeutura.
O abaixo assignad contiRAa do mesnw
estabeiecimento da ex-soctedade (Fragata
Aiwzoms) sob a nova firma Teixeira Mar-
qiw de ;C. oude prometi servir aos seus
fre^uezes a amigos, com stnceridade,. zelo
e frompdSo.
ftecife, 8 de ootubro de 869.
kutonio loureneo Tciaeira Marques.
~- Preoisa-st! de urna ama livre para comprar e
o..: aliar : ua ra Ua Paz o. 2, aberoa.
(lollecfo
de varios regulamentos de impostes alte-
rados c creados
pela lei n. 1507 de 2G de setembro de
4867, comrjrehendendo
os de p'issoal,'escravos," Industrias e proflssfies,
sello ( ortiansado alphabeticamentp, explicando
cada acto a <|ue sello est sujeito se se leve em-
pregar estampilla flu 'vgrba, no primeiro caso
Suein deve idntilisa-la), transmissao de proprie-
ade, dizuia de chancellara, em1 Jumentos, mul-
tas applieadas fazenda publica etc. etc., e eu>
3ppendice o do cofre de depsitos
pblicos
notadas com as
intitnictR's e decsots posteriores
at a presente publicaca<)
por
Francisco Augusto le Almeida
I" cscripturario
da
recebedoiia de Pernambuco :
acha-se no prelo e breve a ser publieado ; as-
signa-se na ra estreit do Rosario n. 12, por i
o volume ; depois de publicado custar 43 para
quetn nao assignar. torna se de grande tilida-
de aos Srs. advogndos, soliejudures, negociantes
e funecionarios pulilicos, a :ici|uisi;ao dc&te tra-
balho.
_-----------1 -----------------.----------------------1--------
Aos laboriosos.
Concei tuiB-se.
sobflamja.macti-
as de costura,
tom perfeicio e
presteza, fazen-
do-se mesmo
qufllquer peca
que por vettura
se quebr; assim
como machinas a
.vapor, cylindros
'depadarieuou-
tro qualquer na-
cbinismo tenden-
te a industria do
pau, sob as mes-
mes -condces cima : na ra dos Patos n. 8 ou
-rtra Diritan. 64 loja.
Ji-ILJ
0
EO DE JOIAS
ry^
GOMES DE NUnOS IRMAOS
tendo feito completa mudanza em seu aatgo e
acreditado estabeiecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Si-as. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da non te na
RUfl DO CABUGA N. 4
onde encontrarfio um completo sortimenio do que bi de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubios e tudo que em obras
de ourev prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBIK
de novo goatos, assim como grande variedade de salivas e pateiros de]
prata eontiastada e de gosto anda nao visto, e completo aortimento de 1
objecto dfc piata para uso das igrejas,
Compram e Irocam aualqaer joia ou.pedm nreoosa e garantem
a qualidade:dwrobjectos vendidos.
C/2
Companhia indemni-
sadora.
Em cumplimento do artigo 19 dos estatutos da
tnsma companhia serio vmdidas 30 de sua* au-
ces, em dous lotes, sendo um de 20, dos us. ti31 a
60, e outro.delO. de hs. 7fll a HOi Os pretn-
ilsntes iio lem dirigir as suas propostas por inter-
medio de corretores geraes at o da 15 do eorren-
ls, no escjiplDtio da ciMnpahia^riia do Vigario u.
4. Ketitj 6 douniubru Je 18t.
Gs directores,
. a M>Io da Silva Begane.
Francisco Joa de Barros.
Antonio Jos Leal Beis.
EMPRESTIfflO SOBRI
FEITOR
Precisase dJB Q.n R-l-ir de boa conducta, forte
cvigoroso, qn scj.i casado, pan servic* de sitio
u a direcr.i dts psoravos : a tratar na fabrica de
rap, ra do Mnndufio n. 107.
I'recia-Sc) de mn menino de 11 a 12 anuos,
prefere-fre portngni'Z dos nhimos dieg;idos da Hu-
ro|a : n.i ni;, do Hmigel n. 41.
'1
H
-----------------~-
fATRO
Convida-M os sucios da sociedade Tneatral
Olifulense, para e ruunirein no domingo, 10 do
curreutc, s 10 horas do da, no tboatro, ulim de
se tratar de negocios de muito interesse, para a
niesma sociedade.
Preciso-se alugar um ou dous escravus, pa-
ga-se bnm alngrl : qaem t ver pode ir tratar
no patto do Tergo n. 63.
COMPRAS.
Com muito manir vantagem compram-se
raoedas do ouro e prata : na loja de joias do Co-
raeSo de Ouro n. 2 D, na do Cahng.'
CtJ
(SEM LIMITE.)
Na iravessa da ra
das tees % % pri-
meiro andar, da-sc qnal-
per quaiicia sobre ouro,
prata e podras preciosas.
O 4a 4este estabdeoiraenta,
competeateiaente autortsado pelo
governo, esti as condiijes de ga-
rantir i transacc3o que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e cooiderafSo te pessoa que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
beecioaeBto.
Na mesma casa compra-se ouro,
rata e brilhantes.
: Os abaix aiigoades que formaran o corpo
|de choro do ex-theatro de Santa-Isabel, desenga-
Kados de tantas promessas, em tio curto periodo
a tempo desvanoeidos; sendo todos pais de fami-
lia, e dareado rollar seus laTW,nioa resta ou-
iro racio lena rocorrer bonw>lenda do roagna-
iwbo pabheo dosf eidada, o^uai bi sanpro o
primeiro na p*llrpte ; w< toHlo conflam
os abaixo asignados em la kni*de^ querendu
assim levar iaoa^iatriji chara Jojatnica do Bra-
sil. Os raesmos auguram nmit felicmade aos
go nboros que se dignaren acM^rat con o sea
bbatoMraM tiin tio justaAiidroatto C, Al-
via.&, Alfainol* G, Z*raUi L^ Hatmri A,
Stoconnr^ Bara fj, BagjiyP., RalOeri *, Kti-
**><** 'KIIM^ H Mili lilil | II <.....
Para fiesta.
Aluga-sa u acfcfado, do ana- indar .Jipado-
Mpawn, llMi,dr,
otav u labena d^ Rr. Owir,, taat do
taesrno sobrado, e para tratar, na-preta* 1 luit-
pendencia, loja de calcado ns. 37 3$.
0 muzeo de joias .
Na ra do Cabuga n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
qne em outra qualquer parte.
Ouro e p?,at
Gompram-se nioedas de ouro e prata de todas
as qualidades, por bom preco : na ra da Cadea
do Hecfo n. 8, loja do azulejo.
-- Compram-se moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata em obras inutilisadas
brilhantes e mais pedras preciosas: na loja de
ourivs do arco da ConceicTio, no Recife.
GOMPIUMI
Compram-se c vendem-se diariamente para fra
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
terceiro andar I sobrado n. 36, ra das Cruzes,
fregueza de Santo Antonio.
Comprase un prcto de meia idade : na ra
do Rangel, padaria.
Estrada de ferro do
Recife Olinda.
Compram-se dormentos de madeiras das quali-
dades seguinles : sicupira, olicica, amarello, ce-
dro^e pinito creosatado, e outras madeiras dc.du-
racao para o chao, tendo as dimencoes de 10 pal-
mos de cnmprimenlo, 7 1|2 a 8 l\t pollegadas de
largura e 3 1|2 a '* pollegadas de grossura. Con-
trata-se qualquer porcao de 100 para cima, de-
vendo os concurrentes apresentarem as suas pro-
postas at o dia 20 de outubro corrente, ao meio
da, no armaztni da companhia junto a ponte de
Sania Isabel devendo todos se acharem presen-
tes a hora e lugar indicados para vereaa abrir
suas propostas.
O superinteodeote,
Audr de Abreu Porto.
Compra-se
luus carros de alfandega para bois e duas carro-
cas de aterro, grandes : no escriptorio da compa-
hia Pcmaiiiliucana.______________________
Para encommenda
Comprase una escrava que saiba coser e en-
gommar, anda que nao seja muito moca, porm
Sue tenha comportamento perfeito : na ra da
adeia n. 30, 2o andar, se dir para quem .
eVNDAS.
ATTENC40
Vende-se a casa terrea sita na ra do Nogueira
n. II. com i salas, 3 quartos, cozinha fra e quin-
tal murado, reedificada do novo : a tratar na es-
cadinha da alfandega n. 3, armazem.
Vernizes.
Vende-sc no escriptorio de Joaquim Gerardo de
Bastos, r:ia do Vigario n. 16, primeiro andar, os
seguintes vernizes em latas de 6 e 9 libras, do
acreditado fabricante do Para, Caetano Antonio
dos Santos Lisboa :
Verniz copal escuro.
Dte dito claro.
Dito dito escuro proprio para obras de folha de
l'landres.
Dito cor de ouro ou douradilho.
Tijollos de marmore
Vendeni-se
Do 8 l/i polegadas por face .... 560
De 9 dis de dita ......... 590
De 10 ditas de dita ...'....... 640
tratar na Ponte de Ucha n. 17, cas
terrea cinzenta, potico adiante do sitio do
Dr. A. de Oliveira.
A VERDADE
55fina do Queimado55
A ViliDADE tendo em deposito grande
quanlidade de mindezase perfumaras, e de-
sejando porar lir.lioiro e adqtierir Ma fre-
goezia est rssoKida a vender moitissimo
barato, ; por essa rnzo convida aon'spci-
tavel pblico a vir cdmpetentenrtente muni-
do a sortit-se do bom e Danto. Pas qtiau-
do a Tcrdade apparece, tudo mais des-
appaiv.ee-----
Grande sortimento de bonecos *!e cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Ricosglobospara candieiro degaa a 1^800
Chamins a....... 30
Grande sortimento de objetos de
lonca para brinquedo de meniao 100
Garrafa com tinta a..... 800
Dita coni agua florida verdadera a li>500
Dita com dita dita a I0-0
Frasco com oleo de babosa a 500 e 7O
Dito com agua de Colonia a JOO e 500
Garrafa com agua divina a. I00
Frasco cora extractos finos a 10000
Latas pequeas com banha muito
lina a lii'c...... 00
Sabonctes de diversas qna lailcs a
80, I60,240e..... ?,2
Finas escovas para denles de O a 000
Lindos roques inuflcrnos a. 24500
Pavios pargaz, duzia a'4*0 e :{*'
Escovas para faci a Ir O, 600 e 700
Ditas |>ara cabello a..... 500
Pentes para tirar piolhn a 100 e. 240
Brincos de cores, bonitos a ItiO e 200
Pecas de tranca de laa com 8
varas por....... 80
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 600
Pennas d'aco finas caixas a 800 e 10000
Dita d ac Perry, caixa a. 10400
Calilo de algodao peca .... 400
Lindos babadinhos e cntremeius
peca de 500 a...... 10500
Botoes de madreperola, gro'ia a 1-00
Diios de lonca muito lino a 120 c SKK
Ditos para calca a 160 e. 250
Caixa com wpel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 480
Ditas com obreias a..... <
Caixa comagulias fundo dourado SO
Ditas de ditas ditas a..... 16<
Tbesoura para costura a 2iOe 500
Caixa com linlia de marca a 280
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........ 500
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200........ 100
Grampos milito linos com passa-
ros, duzia a...... --'"-'
Cartas portuguezas, duzia a '.rOO
Ditas francezas a 2*200 e ;i000
Papel almaco e de peso, resma a
30400, 30500 e 40500
LSa muito fina para bordar, libra 6^76/".
Fita de algodao para debruin de
sapatos, peca a..... 160
Ditas de 13a para debrnm de ves-
tido, peca a...... 480
Pentes finos para segurar ca-
bello a........ 320
Ditos ditos de bfalo pava alisar
a 240, 320 e...... 500
Caivetes grandes com molla a -i-'1
Ditos para aparar penna a 100
Caribes com colxetes a ... W)
Rosetas pretas, par a ... 100
Tranca de 13a decaracol peca a 40 e 100
Fita de coz peca a 480 e 560
Alfinetes de latfio a..... 100
Sapatos de la para menino a 240e 800
Ligas para senhora, par a. 160
Gravata de sedas de cores a 200
Calcadciras a....... 80
Grande sortimento de rendas das Illias.
Um par de suspensorio de borracha por
lOOris! !!!!!!
.\'a Verdade ra do ^ueiiundo
i. .*.
Novidade, novidade!
ChegoB pelo ultimo vapor s5 para a loja da
ra do Crespo n. 17 de Antnnes Guimares & C
successores de Jos Gomes Villar, ricas ehapeli
as de palhas e de blond, ultima moda de Pars.
Vende-so urna escrava bonita figura e com
habilidades : a tratar na ra da Cadeia do Recife,
n. i)(i, segundo andar.
Vende-se um bom prelo de 30 annos, cozi-
nneiro, de boa conducta : na ra de Moras
n. 96.
Vende-se urna preta de 20 annos, bonita li
gura, vinda do mato ; lava muito bem : na ra
de Hortas n. 96.
Vende-se Isas mualas de O annos, urna
outra de 30 annos, urna preta de 30, todas com
habilidades : na na de Hortas n. 96.
Vende-se tuna mei-agoa na travessa do Ma-
risco : quem uizer dirija-se a ra do Rangel n.
7, taberna.
Vende-se por preco muito commodo a armario
e balea da taberna Flor do Brasil, na ra da ma-
triz da Boa-viaa, esquina da ra Velba, hojo ofll
cia de marcineiro, cuja armarlo se aca fra do
seu logar, porm em perfeito lado para qualquer
estabeiecimento : a tratar na dta_ ofllcina, onde
verao os pretendentesadita armacao, ou com Ru-
fino Manoel da Cruz Coussejro, no caes de Capiba-
ribe n. 8, e ra do Lima, em Santo Amaro n. 38.
Vendem-.e duas casas terreas de n 15 na
roa de Santa Rita, e ontra no fundo desta de n. 8,
na ra de Santa Rita-nova, ambas em solo pro-
prio : a tratar na roa da Aurora n. 38 A, com o
agente Eaiehio. __________
Lageamento
Vende-se na ra de Apollo n. 4, lagdu para
ealcadas c annatena, _______
Cera.
Ven'o-se era prela para sapatos, a raelhor pos-
livel, a l*G0O o cauto : na travessa da ra das
Cruzas n. 4, loja de caljado.
Vimde-se um viola nvi, proprio para senio-
ra : na roa do Ivramnto n. K.
Veodem-se li i;->-< iOs Orkanii* do Recife a Olinda ; a tratar na ra.
do Commercio n. 3t, V andar.
|h
E' de importancia!!!
O aviso que faz o Campos da roa <)
Imperador n. 28, pois s elle pode furuc-
cer;ao amadores da boa fumara os cha-
rutas que to suerosamente erara espera-
dos de Costa & Irmaos, e sao elles das se-
guintes marcas : exposico Normas impe-
riaes e Havaneiros. A elles antes que se
acabem.
O Campos
Tambem tem em seu estabclecimcMln.
ialm de muitos outros gneros anto para
mesa, como para lcspensa, o seguintc:
Camares seceos do MaranhSo.
O verdadeiro caf de Moka,
Fumo picado do'Daniel de S. Jo3o do
Rio-Novo.
Termos de medidas para seceos, sfgm;-
do o psdro francez, (metricodecimal).
ASSIM COMO.
As tabellas que mais aceitac3o tem merecido
das casas de commercio em grosso e a rb-
lalbo, somente pea fcil comprehenso i
commodo preco, s no
Armazem do Campos
Santosfalcao A (i., ra daCadea n.
45, receberam um novo.sortimento de ca-
semiras de cures, as melhores que tem no-
do a esto mercado, tanto em faz. nd.i-.
como em padres. No mesmo eslabriwH-
mente eocontrar-se-ha s afamadas m.inlrs
lavalkr, bem como um lindo e variao
sortimento de calcados para komens e se-
nlioraa, do primeiro fabricante de Parrs.
44Han da <*d*itt tr
Mq mais cabellos branco^.
A tintura japoneza para tingir os cabelle-
da cabeca e di barba, foi a nica admiltida
Exjmifo (fmcirsal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparaces at
hoje existenu, sem alierar a sade.
Vende-se a 1^060 cada frasco na
Rita da Cada n. 51,
1/ andar.
Resta a tetuda ni* scoMdt) sortimento de H>-
lectoa de marcineria, como sejam, mobiias de. jr.<-
:arand, mqgooeaaiareUo, obra ,nalonal e s
5W*id*P,F*)|0So e IWfirt^* raaoa'^f
ia na estrita do Rosario n. 3J. Nesta
asa hzism-aeerJm perfoieab llihalaoj *>
jalhinba, como sejam, eraialbamontos de lastR
)ara cama, cadera o sepn t-



V
i

J
-i
i
Q
Diwif de l^Wftbuco Sainado 9 de Outubio de 1869,
LIQUIMCMI
IGUAL
AS novas m...
11-BUA DO XlUEIMA]
11
O proprictario do armazem de fazendas denominado ARAiM. rua te Impera-
triz n. 72, declara ao respeitavel publico e seas. fr^uexe. que est tatato odas as
fazendas e roupas feitas qao lera em seu estabeleciaento como sepodea ver no sea
annunci e preco abaixo mencionados,
hitas Iraacezas matizadas a
380 i-.
Vende-se chitas francezas es:uras matiza- ien,-,\es e toalbas 900 rs. o metro, dito
Algodo enfestado k OOO rs.
Vende-se algodo enfestado proprio para
das a 320 rs.o covado por este prego so na
loia da Arara, rua da imperatnz n. 72.
LAAZINHAS A 240 RS.
Vende-se Baritinas para vestidos de se-
nil ora a 210, 280, 320 e 400 rs. o co-
vado.
BAREGES DE LAA A 500 RS.
Vende-se bares es de 13a com listras para
validos de senhora a .100 e 640 rs. o
covado.
Alpacas de listras a 500 rs.
Vtonde-se alpacas de listras para vesti-
dos de senhora a 500 re. o covado.
CHITAS FftVNCEZAS A 289 RS.
Vende-so chitas francezas ciaras a 280 rs.
O covado.
CORTES DE LA PARA VESTIDOS A
2*400.
Vende-se cortes d; la para vestidos de
senhoras a 2-$400 cada um,
PERCALES A 440 RS.O COVADO.
Vende-se percales muio unos para ves-
tidas de senhora a 440 r. o covado, mo-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
1). ilhantinas de cores, a 440 rs. o covado.
15 aloes modernos de todas as
cores.
Vendes bales moderno sbranco e de co-
ra 4, 4px>ei$.
COBERTORES DE ADGODAO A 15500.
Vende-so cobertores de algodo a i#500,
cobertas de chitas a 15600 e U cada urna,
GANGAS TAHA CALCA A 320 RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, briui di cores para calcas dehameme
meninos a 100 rs. o covado, casemiras de
cores para calca o palitols a 2*500 e 3,->,
o covado, meto casemiras enfestadas para
calcase palitots a 14 o covado, brim pardo
de todas as qualidades e brim branco de
tolas as qualidades na rua da lmperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 40 rs.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a
6'tO rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
.MADAPOLAO ENFESTADO A 3*500.
Vende-se pecas de madapolo enfestado
a 3*500, pecas de madapolo inglez de 24
das a 5.->, GUOO, H, 8* e-100 a peca.
trancado a 1*, metro.
Chales de uierlu a .
Vende-se diales de merino estampados!
a 25, chales brancos e de cores a 10000
cada um. t" .
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Veirde-se urna grande porco de cortes
de brim castor paracalca de hornera, 640
rs. cada ura.
Ciraade porco de retallaos
Vende-se grande porco de retalhos de
chitas e casias pretas a 160 c 00 rs. o
cov:i lo, retalhos de cassas, 13a e chitas de
cores baratsimos.
LllAM A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 2*.
ditos de alpacas de cores a 20, di'os de
meia casemira a 25 e 25:>00. ditos de pan-
no preto bom a 8,-> e 10*. calcas de algo- Rua 0 Quemado ns. 49 e
dSo azul pare eserarosa 640 rs ditas de g & mfudezaz de J
ateodaq de listras a 800 o 10, camisas de
Chegaram.da Earopa pelo ollimo vapor loja de Augusto Porto & G. ricos
.rtcs das mais linda sdas de mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
Grande variedade do sedas de listras de diversos precos todas de lindas cores,
jorguro de seda preta, e grosdenaple de varias qualidades e gorguro de seda laa ae
{iiftcrciitGs crc^
" Novos'vestidos brancos de blond para noivas. lindas colxas de seda para camas,
ditas de laa o seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronbas e toalhas. ae
:ambraia de linho bordadas. ; .L_i_v__
Lavas novas de Jouvin.eelegantes sombnnhas do sedas de cor para senhoras.
Espartilhos de 50 at 100, lindos bournons de cachemira de cor para saluda
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento de rauitas fazendas de 15a, linho e algodo todas por procos muito
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapates o de alcatifa para
forrar salos tudo era qnantidade; e veadem semprolpor merque em outra qualquer
Esteiras da India d 4,5 e 6 palmos de largo.
HME]
Este cjoiiravel
Depurativo nao
onlememsimer-
-urio, iodo on
rsenico; um
__vigoroso modifi-
catlor para o sanguc e cura radicalmente as molestias dcpelle, laes como a lepra, asimpigens, as herpes, as
espinhas, e os Pannos, elc-Emprefrarto diariamente elle refresca a massa do sangue e consohda o Mude.
A IKJECCAO CADET Cura^Jt^TMu "*"
Pabis, 7, D' Denain,
ifi
Grande e completo sortimento do macliinas para
descaroC,ar algodo de nova invenco chegadas l-
timamente em dircitura para a loja d Manoel
liento do Oliveira Braga & C, na rua Direita n.
'>%. Garante-se que a mclhor qualidade que ate
o presente tem vindo ao mercado : acham-se em
(xposicao aos compradores as de 10,12, ii, 16,
18 20 sorra'. t
Systema decimal.
Grande e completo sortimentode pesos kilo-
grammos de melhor comprehensao dos que tem.
vindo at o presente, assim come marcos de lalao
at meio grammo pelo raesmo syslema, balanzas
de lati de torga de 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira e de lalao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudetas e ferragens de
todas as qualidades, tudo por precos que so a vista
faz crdito : na rua Direita n. 53, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C.__________
ou recentes
a 801 0
riscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tes de brim c fustiio de cores a ifie 1)51500,
coictes de cesemira de cores a 2((500 e 3,>,
e otitras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algotlo de listras a OO rs.
o covado
Vende-sc algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
1>EC\ DE ALGODaO A 45-
Vendem-se pecas de algodo 4j000,
5)200, G;>000 e 7;?, para liquidar.
Baldes de arcos l*SOO.
Vende-se bales de arcos para senhoras
pe!o baratissimo preco de 1^500 cada um,
Cortes de cambrala barras
a 3.$ooo.
Vende-se corles de cambraias barrsa a
2-5 e 3;> cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de suda a 640 rs. cada
um, para liquidar*
CARTEIRA PARA VIAGEM A l&.
Vende-se carteiras para viagem U
cada urna.
4)000
500
Assim como vende-se chitas para cobertas, a 240, 280 e 320 rs. o covado, i
ellas antes que so acabem todas mais fazendas e roupas feitas, e que pelo preco qu
lmperatriz
nnnha, as 0
toras da noite.
72. Rua da lmperatriz.
CONVITE GERAL
0 propietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na rua da Impe-
ralriz n. 56, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas era
sar, e desejando diminuir este grande deposito por meio de urna Iiqaidacao que fin-
dir no da 15 ou 20 do crrante, por sso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
IllV.XL H SH'MH)
57
lojas de miudezaz de Jos de
Azevcdo Maia, est acabando
com as mmdezas de seus cstabe-
lecimcnlos por isso queram apre-
ciar o que bom c baratissimo.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
13300, 2J, W e.....
Gaixas de linha com 50 novellos
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a......2^000
Pares de sapatos de tapete
(so grandes) a......1500
Duzias de meias cruas para ho-
rnera a ....... 3$8O0
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco raelhor 100 attos a #200
Livros de misses abreviadas a 20000
Duzia de baralhos francezes muito
finos a25 400 e.....ii580C
Silabario portuguez com estam-
pas a ........
Gravatas de cores e pretas muito
finas a ........
Cartees com clcheles de lato
fazenda fina a......
Aboluaduras de vidro para colete
fazenda fina a......
Caixas com penna d'aco muito
finas a 320, 400, 500 e .
Cartoes de linha Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de linha Alexandre de
70at200a......
Caixas com superiores obreias
de massa a......
Duzias de agulhas para machina
Libras de prqgos lrancezes di-
verso tamanho a. .
Livros escripturado para rol de
roupa a........ <5120
Talheres para meninos muito
finos a. ,......
Caixas com papel amizade muito
fino a........
Caixas com 100 envelopes muito
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta preta muito
boa a 80 120 e.....
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. .
Pecas de fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Grozas de botes de louca muito
finos a.......
IOJTA
DO
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Duboucb & C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. rua do
commercio n. 32.
por
de boas fazendas, e por diminuto preco. a saber:
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas franezas largas a 280,
3^0 e 360 rs. o covado.
ALGODAO ENFESTADO TRABADO A
i 000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
lencoes a 1#000, dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
da de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLAO ENTESTADO A 30300.
Vendem-se pecas de madapolo enfes-
tado a 3#300, dito ingiez de 24 jardas ou
22 melros a 50, 60, 70, 80, 90 e 100, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
niora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 040 o covado.
ALPACAS DECORES PARA VESTIDOS A
5,X) rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhdra.
SEDAS DE CORES A 10.
Vende-se sedas de cores para vestidos de
6'abora a 10 o covado.
PORCO DE KETALHOS.
Vende-se urna porcSo de retalhos de cas-
sas, d' la e sedas e de oulras fazendas
par muito barato preco.
A' elles antes que se acabem.
CHALY DE CORES A 800 RS.
Vende-se chaly de listas de seda a 800 rs.
o covadn.
CHALES DE CASSA A 10.
Vende-se chales de cassa a 10, e de me-
j a 20.
COIUESDELAAA204OORS.
Vendem-se cortes de la delistra para
vestidos de senhora a 20400 rs. par aca-
ALGOD.AO A PECA 40000.
Vende-se pecas de algodo a 40, 50, 60 para liquidar,
e 70 a p.H-a. E muitas oulras coasas que
seria enfrl.onbnmenri>n*r.
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para coberUs
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 20500.
Vende'-se casemiras de cores a 20500 e
3,4000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 30000, ditos de seda a 100 cada un.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para calcas te
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Changas para calca a 3SO rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-so mussena branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales linas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 20.
Vende-se lencos brancos a 20 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 10000, para aca-
bar.
{GRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADE!!.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cenlo do que era outra casa: per
isso os pretendentes podero yir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado, paia
acabar.
BALOES DE ARCOS A 10500.
Vendem-se bales de 20 e 30 arcos" a
10500 cada um, ditos modernos a 40.
BRIM HAMBURGO A 80000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
borgo a 80, vem a ser mais barato do qte
algodosinho.
CORTINADOS A 140000,
Vende-se cortinados para cama a |4>
Ditos para janellas a 7t\.
Todas estas fazendas se vendem muilo
barato na rua da lmperatriz n. 56
0320
0500
0020
0500
10000
0100
0100
0040
20000
0240
0240
0700
0600
0320
0500
0320
0160
200
60
20500
GALLO VIGILANTE
lina do Crespo n. 9
Os proprictarios dcste bem conhecido estahele-
cimenlo, alm dos muitos objectos que tinham ex-
postos a aprociaoao do respeitavel publico, man-
daran vir e acaiam de reeeber pelo ultimo vapor,
da Europa um completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como 6 de seu cosrume,
por precos muito baratinhos e corhmodos para to-
dos, coi tanto que o Gallo.... .
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentos de tartaruga para coques.
Lindos e riqnissimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores tranoas pretas e de c&res com vidn-
Ihos e-sm elles; esta fazenda -o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de madreperola,
mafflm, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
coro lindos desenbos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se vonderam por 305000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas. ....
Boas bengalas de superior canna da India e
caslao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o qne de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
3uantidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadcia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 anuos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas,e de mais a mais sao ga- Ir cheeou ao antigo deposito de Henry Forster 6
BAZAR UNIVERSAL
2lina Mora22
Carneiro Vianna
Neste BAZAR enconlra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de macbinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposico servicos a electos para al mo-
co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveispara
senboras, candieiros para sala e cima demesa,
paredee portal, mangas, tubos e globos de
vidro, macbinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinba, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei-
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para enancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
Frente de sopb, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para cscriptorio e
muitos outros artigos que se encontraro a
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.__________________
160
Machinas a vapor de
for vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carlas.
Fogo americano patent
Scbonete de alcatrdo.
DI
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to boa
acceitaco tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu C,
34rua larga do RoserkMW.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reir da Costa Filho, defronte do arco da Con-
coicao-, em barricas grandes.
Manteiga a 900 rs. a libra.
13" pechlncha em Igual.
Vende se manteiga inglea flor a 10000 por 800
grammas e 900 rs. libra; no progreso do pateo
do armo n. 9.
Vende-se a artntcao
peratriz n. 13 A, propria pm qualquer_ genero de
I ja da rna da Iro-
negoto : a tratar no Vapor das Novidades, rua
d lmperatriz n. 36.
rantidas pulo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurames sna qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, rouxa, para encher
labvrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tontos para o mesmo im.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
GOLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convuls5es, e
facilitam a denticoo das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por toaos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
es que delles precisaren!, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminnto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, rua do Crespo n. 7.
Eilractam carnis
Este producto alimentacao para doentes,_mui
apropriada para creancas e para as pessas sas;
indispenfavel a todos, porm, principalmente aos
viajamos, que tero nelle o recurso de poderem
ter alimentacao de carne fresca incerruptivel, e
que com facilidade se aprompta c se conduz, por-
que n'um pequeo volume carrega-se alimentacao
para m_ito lempo. Sobretodo chama-se a alten-
cao dos senhores de engenhos que encontraro no
XTRACTUM CARNIS o recurso de alimentacao
agradavel, hygienica e baraia para seus fmulos e
seus doentes.
Este producto fabricado pelo processo do dis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Rio-Grande do Sul,
que acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victorino de Rezende & C, rua da
Cada, escriptorio n. 51, primeiro andar, venden-
do-se :
No deposito a rua da CadiSa n. 32.
as pharmacias dos Srs.:
Manoel Alves Barbosa, mesma rua n. 61.
Joaquina de Almeida Pinto, i rua larga do Rosa-
rio n. 10.
Antonio Mara Marques Ferreira, i praca da
Boa-Vista n. 91.
. B.As latas que contem o extracto trazem
urna guia para seu uso.
GAZ GAZ GAZ
MA DO Ol"H!UD \. 19
Musselinas de cores finas c juordsrnas, cova-
do i80 rs.
Cambrala de coresorgandv, covado 320 rs.
Camhrtla Victoria para todos os precos.
Alpaca liza de todas as cores, covado
Albaca da Escocia, trancada
do 800 rs.
com
640 rs.
litras, cova-
Laaeom listras de cores transparentes, cova-
do 700 rs.
Poii.de etaevre de diversas cores.
Toalhas para rosto, urna 500 rs.
Ditas felpudas. *
Fustao branco e amarello, covado 6i0 rs.
Basquinas boa fazenda e enfeitadas com gosto
a 23*000.
Espartilhos modernos a 5*000.
Satas de laa com barra a 6#000. ,
Cortes do cazemira, lindas cores e boa fazenaa
a85,9e40. ,, ,
Atoalhado de linho, bramante, algodaoalyo tran-
cado, lenees de linho, coberlas, camisas ingieras
de linho e algodo, cojlarinhos, guardanapos de
linho, baldea para senhoras e meninas, chapeos de
sol de seda, lencos de carnbraia de linho, ditos
de dita de algedo e lencos da China.
Estamenha a melhor do mercado, covado 2*200.
Roapa feita.
Bom sortimento de roupa feita para homens e
aprompta-se por medida por commodos preco^
A rua do Queiuiado n. 19
CMENTO t
Vende-se verdadeiro cimento; na roa da
lia ir de Dos n. ti, armazem
Martins de Barros.
C, rua do Imperador, um carregamento de ga>
de primeira qualidade; o qoal se vende em partida;
e a retalho por menos preco do que em ontr* traal
quer parte. ,_i_.-____________________
Loja de miudezas de FERREIRA DA CU-
NDA & TEMPORAL, esto quimando por
todo preco venham ver o que bom e ba-
rato a saber:
Lindos brinquedos magnticos para me
nios de 210 a 10.
Linhas em novellos de 400 jardas a
60 rs-
Pecas de tranca de todas as cores a O rs.
Latas com superio banha 120, 160
e 2,5000. i
Frascos com oleo baboza 240, 320,
400 e 600 rs.
Ditos de extracto 160, 320, t>00 e
640 rs.
Ditos com banha 320, 500 e 10200.
Ditos de agna de Colonia 320, 400 e
500 rs
Baralhos de cartas portuguezas a; 120 e
160 rs.
Ditos francezas 200 e 240 rs.
Grande sortimento de sabonetes a 80,
120, 160 e 200 rs.
Caivetes finos comduas folhas a 210 rs.
Linha de 200 jardas em carretel (duzia) a
10200.
Lindos port-maine 240 rs.
Pentes de travessa para meninas 200,
320e400rs.
Duzia de meias inglezas muito finas a
30800
Ditas de ditas para senhora a 4#o00.
Garrafas com a verdadeira agua florida a
10200.
Ditas com agua divina 10300.
Frascos com sndalo a 10200.
Pecas de entremeios a 500, 640 e 800 rs.
Lindos gorros de velludo para menina a
50000.
Papel amisade beira dourada (caixa) a
900 rs.
Dito em pacotes a 700rs.
Lindos bonets de panno para menino a
20000.
Pentes brancos finos para alisar
320 rs.
Macos com graropos 30 rs.
Lindos frascos para rima de mesa cora
extractos a 10500, 2*000 e 30000 ao p r.
Jogos para vispora a 200,, .240 e 320 rs.
Linha de marca (caixa) 240 rs.
__Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nanza onde contina a vender
pelos baratos preqos de seu an-
tigo estabelcimento com titulo
de Temporal na Bonanqa.
Rna do fljielnaado n. es.
Scllius baratos,
N. 27 RU.\DOLIVRAMENTO N. 27.
*Neste estabeleeimenio vlde-se sellins e
sillies, de todas as qualkladea do melhor
que se pode fabricar Ao pafe, awim como os
mais arreios pertencentes ao mesmo, ven-
de-se tambem, colxes, traviceiros, cab-
nhas com almofadas, proprias para meninas
levar para aula. O proprietario deste esta-
belecimento garante a ponlnabdade, esme-
ro e zlo de seu trabalbo; portanto pede ao
respeitavel publico sua protejo, que affian-
ca vender tudo pelo mais barato possivel,
e por menos do que em outra qualquer
parle.___________________________
D cordeiro prevderite
Rna do Qnelniado n. 16.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
marias, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
rceber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
lade, quahdades e commodidades de pre-
508; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciacSo
do respeitavel ptoblico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n5o se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontraro os
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
aeza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangejraa.
Dita dos Alpes, e vilete paratoilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
sseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos c latas, maiores e menores, com
portada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
a outras qualidades.
Finos extractos ingleses, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo p.bilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade.
com eseolhidos cheiros, em frascos de diffe-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba
Caixinhas com bonitos sabonetes imitande
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo n-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
Ditas de papel5o igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e d-*
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de campbora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
A inda mais coques.
Ura outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
estao todos expostos apreciaclo de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fivellas e Utas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com,
pndor.____________
No armazem do Cunlia rmioi 4 C, rua di-
Madre de Dos n. 31, vonde-se vintio do Porto, d.
Pasto, e fino, em garrafas] e barris, de Mimezes.
Chamico, e outras marcas acreditadas, vinho de
Pasto, imitando o Figueira, em barns de 5" e 10*
Cliegou ltimamente superior vinho verde, niarc.*i
Menezes, em partos.
Cera de carnauba.
Rtalha-- barato para acabar.
a240e
5m___
i
Attenpao
Na pra^a do Corpo Santo n. 17, i
andar, \nde-se mais barato do que em
outra qualquer -parte cal de Lisboa e
potassa da Ilussia da mais nova uo mer-
cado, assim como vinho Bordeat>n,ge __,
perior qualidade em caixas e
ilMHM
^- VeHe-se ura moinho de vento, um de roda
de balanco, um moinho para cafe, um lelheiro de
zinco : quera os pretender dinja-se a rua do Pilar
numero 25.
?
1


Diario de Peruanibuco Sabbado 9 de' Outubro de 1869.
\
RIVAL SI SEGUNDO
Ra do Queimadon, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est qBeirnando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por sso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de liabas do gaz cora
50novellos a 500
Latas com superior banba a
120, 200 e ..... 400
Frascos de oleo babosa muito
fino a....... 400
Duzias de raeias (inglezas)
muito boas a 4.500C
Garrafas com agua florida ver-
dadera ..... 1520C
Garrafas com agua jdi vina da me-
ihor quadade Y .... 1*500
Caixascom 12 fraseos de cheiros
proprio para mimos 2550fi
Dita com|G frascos mult finos 800
Oleo baboza muito fino^ que s
avista ...... 5500
abneles de calunga muito bo-
nito ...... 240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... 5G00
Pecas de babadinbo com 10
varas ...... 500
Pegas de fita de cs qualquer
largura ..... 550C
Escovas para unbas muito fi-
nas ...... 1500
Escovas para dentes fazenda
muito fina \ riio
Pulceiras de contas de cores
para meninos 200
Saixas de linha branca do gaz
com 30 novellos 600
Pecas de tranca Usa de todas
as cores ..... 040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 45000
Pares de botes para punbos
muito bonito 120
Libras de la para bordados de
de todas as cores 85000
Pentes com costas de metal
muito finos 320
Novellos de linba muito grande
para croxs 320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... 480
Grosas de botes madreperola
muito fino ..... 500
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 20 e..... 320
Pecas de fita de la todas as
cores ...... 500
Espelhos dourados para parede
15000 e..... 15500
Espelhos de Jacaranda muito
fino ...... 25000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol 060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 320
Caivete milito fino com 4 fo-
lhas I...... 1500
Frascos'de sndalo e patechoiy
muit DE
FEIIX PBREIRA DA SIfcVA.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que se est aproximando o fin-
do anno, e tendo era ser um grande deposit deposito de fazendas; n3o fallando em
avultadas cncommendas que Ibes estilo obligado todos os dias, tem resolvido liquida-
las por prego muito raais baratos do que em outra qualquer parte } s eom o fim
de diminuir o deposit e apurar dinheiro. Encontrase neste estabelecimento do
p\V\0, avultado sortimento deiaz^ndas de luxo e modas; assimeomo d primeira
necessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta loja poderao surtir-
se vendendo-se-lhes pelos precos que comprara, ms casas inglezas; assim como as ex-
cellentissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, u man-
dar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas casas; o estabelecimento se
acba constantemente aberto das 6 horas da manha s 9 da noite.
BRACO
Ra do Imperador n. 26
Neste estabelecimento se encontrar diariamen-
te um completo sortinieuto de paslelaria do todas
i= qualidades para lanche a sobre-mesa, etc., etc.,
bobunos de todas as qualidades para cha, presan-
tos de fiambre, bolos ingeses, pudins, e liaalmeute
tudo que consiste era urna boa pastelari.i, com a
maior asseio e esmero, cha hysson, preto e miudi-
nho do meihor que Isa no mercado. Nesta casa
:ecebem-se cncommendas para casamento?, bailes
rbaptisados, eomprenietteudo-se os dpnos do es-
abeleci.nento a ser ir o inelhor que for posSivel
i vontade do freguez, dispondo para etse lim de
um completo pessoal: Recebe-so avulso toda e
malquer enrommenda, orno sejam, bandejas,
ijolos o paes-de 16 decorados doces d'ovos, seceos
; de calda e crystalisados, t'ructas nacioaaes e es-
.rangeiras, amendoas confeitadas, um completo c
variado sortimento de enixinha.s de todos os gastos
3 precos, para mimosear sentaras ; estas eaixl-
nhas reeentemente ebegadas de Pars, sao de pri-
morado go to, ofereco molas aos galanteadores do
bello sexo, pois nellas aehario um digno e serio
presente para as donas de seus pensamentos. lico-
res, vinhos linos de todas as qualidades, conservas
lamolhos em latas. Os donos deste estabeleeimen-
.'s nao se poupando despeas, fazem tolos os
jtorcos para servir o respeitavel publico o me-
ta or quo for possivel, e sendo principiantes e lu-
eando com todas as difneuldades, esperara a con-
jorrencia do respeitavel publico de9ta capital, na-
:ionaes e estrangeiros. Pechineha : legitimo vi-
nho moscatel em caixas, que so vende por eommo-
do preto para particulares e para negocio.
CM1E LII
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEP
DO
T
Cortinados
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
Ihorcs e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
no-
YEM-SE
A PRE.X) FIXO E MDICO
SOMBRINHAS de setim verdeultima
vidade para senboras, a 18 e 25$.
LINDOS cortes de tarlatana orvalhada, pro-
prios para bailes a 105, 133, 150, 17-3
e nmo.
ESPECIAL sortimento de coques enfeitados
e lisosultima modaa 25500, 35000,
3/5500, 40, 45500, 50 e 60.
GRANDE e be:lo sortimento de chapos de
palha da Italia, elegantemente eneitados,
para senhoras e meninas a 150,145,130,
110 e90.
TRANCAS E CACHOS imitaco de ca-
bello, para senhoras, a 10800 e 800 rs.
GRANDE e agradavel sortimento de gui-
pure ou croch preto, era pecao metro
a 20, 30500, 40 e 60.
DITO branco a 20300, 30 e 30800.
LINDO FIL de seda branco com ramagem
o metro 50500.
LINDOS e ricos adereces de plaqaii da-
Mei, com brilhantinas, rubios, esmeral-
das, perola, e camafeos ; nao ba dii'fe-
renca do ouro de le e conserva por lon-
?d tempo a sua cor natural, vende-se a
50, 180, 300, 450, 900 e 1205. este
preco menor ao feitio de qualquer peca
verdadeira do mesmo traialho.
BONITAS CORRENTES ddS&Msnio metal].1
para retogios, a 60, 80 e 100, nfl
BAZAR DA MODA50-RUAJHQVA
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-, dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
pletamente sortido das melhores roupas, isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
sendo calcas palitts e coletes de:'caseraira, Pereira da Silva.
de panno, de brim, de alpaca, e de todas BALES MODERNOS E SAIAS DE LAA
as mais fazendas que os compradores pos- i Na loja do Pavo vende-se os mais mo-
sam desejar, assim comona mesma loja demosbalocs reguladores tanto de musse-
tem um bello sortimento de pannos casemi- lina como de la de cor, e as mais moder-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer'nas saias de la enfestada, mais barato do
qualquer peca de obra, com a maior promp- que ara outra qualquer parte,
tido vontade do freguez, e nao sendo SULTANAS
obligados a aceita-las, quando nao stejam Chegou para a loja do Pavo um grande
completamente ao seu contento, assim como sortimento das mais lindas sultanas, para
n'este vasto estabelecimento encontrar o vestidos, sendo muito larga ebonita fazenda
respeitavel publico um bello sortimento de com listas de seda e os padres mais novos
camisas francezas
linho e algodo e
propiios para homens e senhoras promet-
tendo-se-ihe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 10800
Chegou para a loja do Pav5o, ra da
Imperatriz n. GO/ urna grande porco de
pteasde bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com (N
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro o meio; e vende-se pelo
barato preco de 10800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicaees para arranjos de familias, sendo
grande pechineha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA. 3
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba era saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o rovado.
AS BASQUINAS DO PAVAO
Chegaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaqoinhos de seda
pretas ricamente enfeitados sendo com os
feitios mais novos que tem viada ao merca-
do e vendem-se muito era conta.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Eiicontra o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejara, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de laa de
todas que tem viudo, proprias para luto, como
s.-jam, lazinhas, alpacas lavradas e lisas, cantao,
bombazinas^ merino, etc., que tudo se vende por
oreo barato'.
.NOVAS CASQUINAS COM CINTO.
Chegaram as mais modernas basquinas de gros-
denaple preto, ricamente enfeitadas, sendo de um
feitio inteiramente novo, com ricos cintos largos, e
veudem-se por preco razoavel
CASSAS FRANCEZAS.
Vende-se um elegante sortimento das mais finas
e mail modernas cassas francezas que tem vindo
ao mercado, sendo com padroes miudinhos e
grandes, e vendem-se por [>reco muito em conta.
AS SEDAS DO PAVO
Altas novidades.
Pelo ultimo vapor chegaram para lofa do Pa-
vao, que vende mais barato do que em outra qual-
quer parte, as sedas seguimos : ponpelinas ou
gorguroes de linho seda, com os mais delicados
padres, -eda3 de listras, padroes inteiramente
novos, groz de todas as cores, sendo verde, azul,
lyrio, rosa, cinzento, etc., setins, branco, azul,
verde, roso, lyrio etc., etc., assim como um gran-
de sortimento de grosdenaples pretos de todas as
qualidades, e superior gorgurao preto de seda
para vestidos e colletes.
AGRACIANAS.
Chegou esta nova fazenda c m o nome de Gra-
cianas, sendo de urna s cor, lyrio, rxo, verde,
azul, etc.. etc., e muito encorpada, com lustre pro-
piamente de seda, sendo meihor e mais moderna
que este anno tem vindo para vestidos, e vende-
se pelo barato preco de 2 o covado.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavao.
Chegou pelo ultimo vapor um grande sortimen
to das mais modernas e mais bonitas alpacas la-
vradas para vestidos, tpndo entre ellas algumasque
fazem a vista propriamente de seda, e vendem-se
por precos rauito em conta.
GURGURO PRETO.
e inglezas, ceroulas de que tem vindo a este mercado, vendendo-se
outros muitos artigos a 10400 o covado, na loja de Flix Pereira
da Silva ra da Imperatriz n. 60.
UKGANDY BRANCO.
Vende-so o mais moderno organdy braneo para
vestidos com listras largas e miudas, assim como
una grande porco de cambraias brancas, tapadas
e transparentes, tendo das mais baixas de 'i .000 a
peca, al as mais linas de 10 ou i2000, todas
estas cambraias se vendem mais barato do que em
outra qualquer parte.
COLCHAS DE FUSTAO.
Vendem-se colchas de fusto brancas e de cores
por preco muito em conta, na loja do Pavao.
ORGANDY DE COR
A 360 rs. o covado.
Vendem-se bonitos organdys de cores com bo-
nitcs padroes e lixes a 300 rs. o covado.
CAMISAS PARA SEN1K 'RA.
Vendem-se lnissimas camisas francezas borda-
das para senhoras, ua loja do Pavo.
AS CELEZIAS DO PAVO.
Vendem se af mais fiuas celezias, esguioes e'
brelanhas de linho por preco muito em conta.
FUSTO BRANCO PARA VESTIDOS A 6i0 RS.
Vende-se l'nstao branco, com lista e lavradinhos,
muito proprio para vestidos e roupas de meninos,
a t i0 rs. o covado.
COLLERtNHOS PARA SENHORAS.
Vendcm-se linissimos collerinhos de e-guiode
linho proprios para senh ras e tambera para me-
ntis a j a duzia.
ALPACAS DE CO'dDAO.
'Tendera- se as mais biilhantcs alpacas de cor-
diozUtno para voslidos, tendo as mais lindas cores,
como Bisinaik, lyrio, rxo, g?nga etc. etc., pelo
barato preco de 15 rs. o covado-
TAULATANAS.
Venie-se fiuissima tarlatana branca e de todas
as creV, assim como fil branco lizo a 800 rs. a
MAjODAO ENFESTADO.
Vende-so superior-ntgodaozinho com duas lar-
guras, proprio para lem-es, feudo lizo c entra-
izado, o vende-so por preo muito rasnavel. .
MEIAS PARA MENINOS A 3.3300 RS.
Vendem-se duzias de meias superiores para
meninos e meninas, pelo barato preco de 33500 a
du:ia.
BASQUINAS DE GUIPUZE.
Chegaram as mais bonitas e no-kims basqui-
nas pretas do guipuze, que se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte; assim como as
mais delicadas ronieiras ou pelerinas de croch
pii'U.s, enfeitadas de verde eontras cores, que se
venda muito em conta.
CHAPEOS DE SOL.
Vende-se um grande sortimt-nto de chfeos de
sol de seda c alpaca que. se vendem muito ba-
ratos.
LENCOS BRANCOS.
Vendem se bonitos lencos blancos e do cures
coi o barras e abanhado?,' pelo barato preco de
i >00 a duzia, ditos de linho abanhados a 64 a
du;:ia, ditos de esguiao para varws presos, ditos
de algodao a 2.3 e 1*600 a duzia.
A 55000
Na loja do Pav5o vendem-se modernissi-
mos chales de fil preto c-m lindas palmas
de seda, pelo barato preco de 3,5000,
pechineha.
BASQUINAS A 12-5000
Na oja do Pavao vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 125000 cada urna.
PARA ESCRAVO*
Na loja do Pav3o vende-se estamenha
de algodao mesclado para vestidos e roupa
de mo'eques a 200 rs. o covado, na ra
di Imperairiz n. 60 de Flix Pereira, ^
Silva.
Papel para emhrnlho.
Compra-se papel para embrulho : na loja do
Pi.vao, ra da Imperatriz n. 60, de, Flix Pereira
da. Silva.
** $IMAB6
A AGUIA BRANCA tem convieco de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridad
de de qualidades, e a limitado de seus presos, esto na op^niao do respeitavel publico
m geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas anda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepcSo d'aquelles objectos que esto alm do comraum,
como bem sejam:
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
quando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costara, obras de apurado gosto
e perfeic3o, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com msica.
Estojos ou carteiras de ecuro com nava-
lhas, e os mais necessarios para viogens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas, dentes, cabella e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alSnetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescogo.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 5$.
Botes de-cristal, encastoados em prata, i
para punhos, i# o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
ihor quadade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de 15a para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de inchncao as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a quadade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel quadade.
At agora nada ti tinha visto de tao bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundaro
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuarao a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria senio impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e amiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de sen agrado, que nao se
esquegam de comparecer loja d'Agoa
Branca rua do Quoimado n. 8.
NiMH ra m
N. 23Largo do Ter SMO DOSn' nn
aos seus
gos do bom barato, que
dorias e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso c a retamo, por
menos preco do que era outra qualquer parte, por ser maior parle destas mercaduras
-rnco
te
compradas"por conta propria, por isso quem comprar at a quanlia de 100;?, ter cinc
mr .'ontA naln aon nrnmntn nacramfintn "ar.intilldO-Se OUaluUOr SCnCrO SaliiuO dest
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer gnero
t Vende-se um canal de eracasados e uu
molM|oe, ebegadoe iillliiiujptii do sertio; tecm
muit boa ct)duljiW^Pnvo ptima saf a-
Chegou para a loja do Pavo o mais encorpado
gurguro de seda preto para vestidos o colletes,
que se vende mais barato do que em outra qual-
quer parte. .____
MADAPOLAO FRANCEZ
A 7*000, ? 0 pavao,
Vendem-se pecis de madapolo francez com 22
metros, pelo barato preco de 75000, dito enfestado
eom SO jardas a 7t000, assim como linissimos ma-
dapoKSea franeezes e inglezes, ditos de jardas, que
se vendem mais barato do que em outra qualquer
parte, por haver grande porco.
AS CASSAS DO PAVO
Cova*i a 300 rs.
Vendem-se lnissimas cassas francezas com lia-
dos desenho9 e cores- fixaa a 300 rs. o covado.
CHITAS BARATAS
Na loja do Pavo
Vende-se urna grande porco de chitas escuras,
e claras, de ;ores fixas, pur piv; que admiraran
BRILHANTES BAREGES A 400 RS.
S o PavJo vende as mais delicadas ba-
reges de pura 13a, sendot ransparentes com
os mais delicados desenbo9, de quadrinhos,
listras e lizos, sendo n'este artigo o mais
delicado que tem vindo ao mercado, e
vende-se peloUaratissimo preco de 400 rs.
fijMtdo,.
PELERINAS A 4,5000
N^loja do PavSo vende-se as mais mo-
dernas romeiras ou basquinas de croch,
pretas enfeitadas com verde e ootras cores,
pelo barato pre?o Je 40000 cada um, pe-
chin'ha.
armazom.
G.VZ AMERICANO 9l a lata, a 400 rs.
a garrafa 3 600. rs. o litro.
VLNIIO V1DADEIRO FIGEIRA 560 e
GiO rs. a garrafa, a 4^500 c 4;?800 a cana-
da, a 7-20 e 910 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 410 e 500 rs. a garrafa, a 3J e
3r5300 a caada, G00 e 640 rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 13 a caada, e 15340 o litro-
VLNIIO BRANCO DE LISBOA a GOO rs.
a garrafa, 53300 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA a
200, 240 e 320 rs. garrafa, 2,>200,
1800 e 1($&00 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR a lH0 e
1#280 a libra, 3!I40 e 2800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZA 960, 900 e 830 rs.
a libra, e 2!100, 1j980 o 1I870 o kilo-
grammot
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li-
bra, 15400 o kilogrammo, em porco se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 1570 o kilogrammo, em
pon;ao se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e 140' rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e 3&800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo, e 63 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 63 e 63500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo. .
SABO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 140 rs. o kilogrammo, era caixa ha
abatimento.
rao ba aba-
PRIMO E SMO WM
m
LEITURA
PARA USO DA
INFANCIA
LO
BRASILEIAA,
Dr. A. Cesar Borges,
E
EDI U) MITiO MfcXHOHADA
' AUGMIMADA)
Estes don? hvro?, resultado do grande expe-
riencia e cMcdos r^peeiaei do autor, vieiam sa-
lisfazer a ama las mais instantes necessWaM k.U
instroccao pnmjria, e por tal forn.a que, peln
governos de quasi tudas ,< provincias leom sido
adoptada- scolas publica?, assim como
por (rande ciunero de profesores particulares.
O prhm i ah'ilulamente diverso iIps
caitas vii! muhecidas pelo nome de A
It C i e cnir-n-st* segundo um >; suma natural,
pliilosophicn c infrjio i|ue aos meninos fecilita
extraordinarimwite n eonjecimenlo da toitara,
tornando-l!. mais rpido*, e n uito mema
penosos, seus pnnipirn, unidos e vacilantes pas-
aos na vida IIStjra.
O negutnh -' c-'iisf;i de mullos artigo?, ce-
ios etc., todos ''<; fitfcves como convem fogaz
attencao das rrianca; e 'criptos em linguageiu
e i -!vio apr ( fioM franqueza de sua intelli-
gencia.
E de manera combinadas nelle so acham as
materias que, no mesmo pa;o que vivamente io-
trrcfflam e doleitam os pe Ibes e implaiit.'.m tos n>) espirito e no enrabio <
cundos preccitos de moral, iwpirando-lhes, desdo
logo, com o ser-lo ta leilura, o imOr da virtiulo
e a repugnancia da do vicio.
Sao ambos p?Wft livros nMdamente impressos e
elegantemente cncadernados >>m i'aris,; ,ctlnten
estampas fina,s representando os assmfltos di^
contos ; o qne "? toma mais cohvidaiivos aos mi-
ninos e muilo proprios para presentes ou premios
dus mesmos.
Con'em daonis o Nfando don? iiellos hymiios
com msica para o oomeep e lim da escola.
Recommendamo-los pois confiadamente aos *>-
nhorea pais d-' familia, e prdfessores que ainda os
nao ccnheceiii.
l'rtir.eiro livro.
- uwilQ i 25'XM
i VENDA XA
Li\raria fraucaza,
9-QUA DO CHESPO-O
Temporal na Bonanza
Este estabelerimento acaba du receber um com-
pleto sortimento & agnltus unas e comprid .-,
as melhores que >'n rindo ao mercado: as agu-
lhas tem o dislirctivo doTEMFO.' ..
Previnc-sc a tudas as familias (fue quando mar,-
darcm comprar estas especiaes agulhas que veja n
no papel o disrircvo do TEMPORAL.
Taco esta cbscrvacjfapara qne as familias nao
sejam engaad:? pelos meus cllegas apresentan-
do outras agr.ihas e dizendo que so as que tu
annuncio.
Sonde ha str? Sgothas na
I.oiA DA Hoxa.\,;aX. I;
preiv <] en la papel IflO rs.
psito de charutos da rua c--
n. 1G : a tratar na rna Je Bort i
Vende-se o
treita do Rosaric
numero I.
Jos Joaquim da Costa Maia & C, rua do
Crespo n 6, acabara de receber um grande sor-
timento de pedras marmore, como seja lijlos de
diversos tamaitos, laminas, saccadas, soleiras e
degraos#bem como tenas de ferro galvanisado
As diversos tamanhos, que tudo vendem muito
em conta.
620 rs. o kilogrammo, em porgao
tiniento.
BOLACHINIIAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a Ido 1^400 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. era caixa ha abatimento.
PHOSPHOKOS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, 280, 400 3 560 rs. o masso,
3#200 e 65500 a groza.
VMEIXAS EM LATAS E CACHKHAb
DE MUITOS TAMANHOS 30OO, 541800
e 13 a libra.
GOMMA DE M1LH0 AMERICANA
o masso de urna libia, e em caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-sc abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARGA H 3*500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSd-
BELL, a 800 rs. a garrafa e 95 a dntia.
VIN'HO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 15500, 15200, 15 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35, 25800 e 25400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCTNHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, o 113500 por
14 kilogrammos.
CHA FINO, GRADO E MIUDINIIO os
melhores que ha no mercado, 35 e
33200 a libra, 73080 e 63540 o kilo-
o
Fugio no da W de seteuibro torrente o preti
crioulo Juliao. cor: nj siguaes segninte? : olturi
regalar, pomas Arqueadas, u.-a sai Has, tem ii
annos de idado. pouco mais ou monos. Bate es-
eravo pertenec] erfoi comprado Sra. D. Atbatta-
.:i.i liarla do Espirito Santo, vinva de 3oao Manool
deSouza Vianna, muradora no Carato de Uom Jai -
dini. SappOe-se com fundamento, que es!' esen n
so tema dirigido para aquoWa comarca, bera
mo ha radas para gopnor que ello aili esteja
acontado em casa do aigum prente do sua ex t%-
nhora : por isso roga-se ? autoridades policieea
e.capitScsdo caijipo o favor do o caprurarera i
enviar ro.i Scva n. '?'.'. inde le indeinnisi i
qualquer despt a. G se gratificara, sendo mister
A abaixi) assign da protesta de pelns mei >s lef
proceder contra quem quer que leuna dado canto
ao referido seu escraTo, por is;o ipie esta convic:.i
Je que o dito fferavo Kira sedmido para fuglr.
Baria Carolina Fi'ireira de Carvtl -.
da eogenbo Jaguarao, do lermo do Serinhaem, o
cerave Luiz, criov.lo. com idade de 32 annos poc i
so maia i menw, perteBcente aoabalxo asaipa
do, cojo escrave foi comprado ao Sr Pedae Jorg
da >iva Hamo?, come procurador do Sr. I''ra::ci: -
eo Mendos los Santos, morador noBrejn da Hadro
Deus, e tem os ?ir.aes soguintes : .".Hura regular,
testa grande e carnada, olho< pequeos e eoear-
nioados, pes ?"co?. o manquea, por soffrer de
crwtos; tem no braco direito do lado .le dentro
umcaroC/s nae parece lobinho, e na? cusas e pa-
degas marcas aeflfcieote ja velbas : leven cami i
e calca nova de nlgod'o azul c chapeo de enuro i i
velho'e mais ranpa ; sabio com o cabello cortad.,
tendo barba por baiso do queixo: qi*ifl xj^po-
gar, leve.-o ao referido engenno ou nacidadeW
Uecife, a entregar ao Sr Miguel Lucio de Albu-
qucniue Mello, que ser recompensado : reeom-
:ncnda-se s autoridades poeiaes c ipiura d'ee
yt 11(01/o FYaaciset Cesar it Vascencelloi Campe-
Attenqo.
Assucar de oxido de ferro de
Chauteaud.
O assucar fe ruginoso de Chanteaud obtido
pitia associaco do exido de ferro inteiramente so-
lved com o assucar cuidadosamente purificado.
Este assucar, de urna bella apparencia erystalina,
tem o simples gosto mu agradavel^ do assucar,
sem o.menor sabor adstringonte : nao tera aecSo
irritante sobre a mucosa do estomago e ente? tinos,
e rpidamente absorvido pelo apparelho digesti-
vo sem causar as constipado* s do ventre.
E' hoje o preparado de forro de mais aceitacao
p.ra a chlorose atona dos orgios, perdas brancas
inonstruar5es difficeis, etc., 6 leni a seu fawr o
ji izo auiorisado da escola de medicina de Pars,
e dos cbimicos os mais noUvei?.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartholom C, rua laiga do
Rosario n. 34.
BREU
Vende-se breu fino o maia superior que ha no
aereado, por proco eommpdo : na raa de Viga-
rio n. 26.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA- grammo.
LHAR1N E ALETRIA, 800 rs. a libra e DEM PROPRIOJPARA NEGOCIO 25700,
15750 o kilogrammo. 25500, 25200 e 25 a libra, e 55450 e
SEVADLNHA E SAF 5 280 rs. a libra e 45180 o kilogrammo.
Assimeomo ha cutros muitos mais gneros, vinho em ancorlas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguicas do L^:^}%\**:
servas gela de marmello, pcego, ervilhas, pe.xe em latas, rdintaa Je Nantes
vinho v^erde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoCe com.uh. P'^n^.g^J
molhos de sebolla 15500, finalmente muito ma.s gneros que enfandonho t
menciona-los. .______________-----------------------------
A rua do Livramenlo n. 6, contina a ha-
ver para vender por presos rasoaveis, o
meihor vinho verde at hoje vindo a este
Mercado.
CA/ DEeIiISBOA
POTUSSA MRUSSIA
A mais nova no mercado, a prefo razoavel: m
armazem d n. 13.
Cha toni-pursatlvo e depurativo
de Jhamliard.
Gomposto das plantas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o cha
toni-purgativo de Chambaril possue um gosto sabo-
roso e um aroma suavissimo, e as propnedades as
mais notaveis sobre os embaraces do estomago,
dos intestinos e do flgado, o a>sobstruente por
excellencia na constipaao do ventre, e joo tem
resguardo algum. Depurativo esoeci.il e directo
das biles e dos humores, refresca o sangue depa-
rendo-o,
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bartholomeu & C, rua larga de
Rosario n. 34. :
Fugio a 1 de outubro, do engenlio Mallo Grosso,
propriedade de Joo Dent de Gouveia. o escra^u
Mauocl, com W annos de idade, pouco mais o
menos, conhecido por Manoel Pechla, ten os se-
gnintes signaes: estatura media, cor preta, dentt*
alvos, cara secca, corpo bem l'eito, tem algum. i
marcas de chicote ainda frescas, lena aguaa
roupa : roga-sc a quem o apprehender que leve o
a sea sonhor no dito engenho, ou em casa don
Sr?. Leal 4 Irmao, rua da Cadeia do Kecifo d.
jti, qne ser generosamente recompensado._____
= Daraiao, cabra, de 2 annos de idade, nao
tem barba, cabellos pegados, muito manso no fal-
lar, l>oa e-tatura, quaudo anda mnilo apressade,
bem corpulento, quenadas muito largas, e quem
olha parece inchacao rem muitas cicatrizo de chi-
cote as costas, e est com as pernas feridas pro-
veniente de furos, levoit chapeo de bata velho, ca-
misa de ch'.ta ; esta escravo fol de Qeueotino
Jos Baptista, morador era Santa Rita da Parahy-
ha, o comprado pelo abaixo assignado ao Baro
de Nazareth : quem o pegar entregar no Recite
ao Sr. Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, noe
ser gratificedo. Suppde-sc ter ido para a cida.'t
da Victoria.
Antouio F. C. Lin?._______
Fugio do engenho lila da freguezia da Es-
cada, perteneentc ao abaixo assignado, o muan
Franquclino/baixr, bonita figura, principiando a
barbar, n? grandes e iargos, e o ledo nollegar
de urna das maos aleijado de panaricio, e falla un
poucoruuca, costuma mudar de nome e iulitul.it-
se forro ; fugio com camisa e cerodu de algod lo
da mata, mas costuma furtnr roupa e mudar rUa
trage : quem o pegar pode lera-w ao Recito a
entregar'ao Sr. Albino Jos Ferrcira da Coalla,
largo de S. Pedro, ou ao referido engenho, que
sera generosamente recompensado.
Manoel Antonio Das,
Na rua do Vga'rio n. 16, ecriptorij do T.
de Aqaino Fnnseca 4 C., vende-se mercurio^ vi-
nho engarrafado MENERBS, ancorlas especiaes,
cal de Lisboa cera em' velas, chapagne o coguao
carvao animal, vidros em caixa.
Fngio.no dia 29 do-mez passad.i a escravu
Severina, cabra, nataral da oidade do Aracatjr,
com os signaos segnintes : altura regular, cheia
do corpo. olhos pequeos, testa estrella, falta V
dentes na frente, tem o dedo polcgar ou o minin.o
da mao esquerda um pouco dobrado para a palma
da mao, beicns finos e bastantes rxo1;, levou urna
trouxa coatendo dous vestido, ura do chita cem
listras encarnadas, e outro de laa cor de rinza, >
foi vestida cojji um vestido de chita escura com
palmas brancas anda novo, chale de lia cor re
bona, e um outro servindo do rodil ha, "V ""'
taboWto de llandres; deseoolla-se qu **"}*
occultaemalguma h..pjo* g*,
ira a poique a: .^rante, s
a pagar os das de f appn*cndam o
'ulTdi 4?. que se gratificara.
ou a
s
."tJV^KKISM


8
P'iario de Perrrambuco Subbado 9 de Outubro de 1869.
SSEMBLEA 6EBAL
panhi.i qucira fawr thmtro do porto. Es:a tnm, podem attraulr rotta a Concurrencia,
quer dizer que seja inono-
CAMARA DOS SRS. DEPrADOS
SESS.lO EM 25 DE AGOSTO
PRESIDENCIA DO SI. NEMAS.
(Contiuuacdo)
<) nobre. deputado pur Pernambuco que
miciou a'd.seusso, atacou o projecto cm
tres aoatus capitaes.
P.inieirameote, adversario, corno pare-
<.iu-uie, do todos os previleios concedidos
a companhias eslrangciras, declarou que
tasan o projecto por essa razio ; tratou
Limbeui besaprupriaroes, e ltimamente, da crea-
dlo >l urna taxa que o projecto estabelece
.orno remuneraoo dos serviros que as d-
cas prestam ao commercio.
Outro nobre depuiado p.'la llanta comba-
tan o projecto ueste mesm) pono, e ac-
M-tticenti.il mais ora relaco ao ultimo para-
ir*jmo, quanto ao juizo arbitral que Ihw pa-
reca nao llevar sur adraittido da maneira
porque o cousiguava o projecto. N5o tra-
tare! de oulrasonsideraces que ma pare-
tmm allieias ao assumpto do projecto.
O Su. Arai-jo Ges :Nosoto alheias.
mimiila relaco com a materia.
O Su. Ministro da Agricultura : Na
ordem das consideraces que fez o nobre
deputado por Parnambuco comecou mani-
festando o recela que o acompanba do que
este projecto, conceden lo facilidades ampias
au governo, poilia no futuro este abusar em
e oncessiies que nao dcvessem merecer a
approvaco.
O Sn. Barros Uanheto : Apoiado.
O Su. Ministro da Ar.Ricri.TBA : Que,
.se nicamente se entendesse com o gover-
no actual, che eslava certo q/n nao fara
essas concessoes sem proceder todos os
exaiues e depois de reconhecer a conve-
niencia do estabelecimento de dcas em urna
ou oulra provincia (apoiados); mas que nao
desejava que Qcasse esta autorisaco assim
Lio ampia, podeildQDO futuro Inver abusos
prejudiciaes as provincias.
Pa eceu-mo que em suas considerares
reeria-se mais especialmente provincia de
Pcrnamboco.
O nobre deputado fez certas observares
en relacao s despe as que sao indispen-
Saveis para o estabelecimento das dcas, e
declarou que sao muito avultadas. e que se
deveria criar urna taxa em proporco ao
pital emprrgado em taes obras, que essa
taxa para a provincia de Pernambuco devia
ser coasideravel, por que tinha-se calculado
em 13,ODi):O005 todas as obras neeessarias
para o mel hora ment do porto e dcas de
Pernambuco, e que o juro deste capital
varia o augmento muito consideravel da
taxa que deveria pagar o commercio.
P.'iiso que foram estas as suas obser-
vacoes.
" Nao contesto, senhores, que as docas se-
pia obras dispendiosas ; mas o que, me pa-
receu do discaso do nobre deputado foi
que elle .infundio as obras do melhora
mente do porto com as obras das dcas j
separendo-se essas dilTerentes obras, estou
i) i! estas nao podiam costar a somma de
13,000:000,5030
O nobre deputado deve lembrar-se que a
respeilo mesmo de Pernambuco houve um
priraeiro projecto do engenheiro Mor
riv. qoc apenas se limitan ao estabele-
oisato de urna dca; e se bem me recor-
d, a despeza em que era calculada essa
dca nao exceda de dous on tres mil con-
.os, e que era collocada em urna p as i cao
central; noprejudicando a estabelecimentos
,.i creados... f
O Su. RmirosUakreto: Apoiado; neste
mentido o melhor que se tem apresen-
lado.
O Sa. Mcvistoo ba Agricultura:... e
ias destinado a la/.er o servico que lile
aacarregasse o co.-iunereio. Esta proposta
nao fui acreita ; depois da t/r sido estuda
da e muito examinada noconselho de esta-
do, enl nden-se que urna dca nao se pode-
ria estabelecer em Pernambuco, sem ao
MHM lempo cui'Jar-se dos melhoramentos
lesee porto; que naodevw consentir-seno
seu estabelecimento sem que a companhia
i livesse de emprehend-las, ao niasmo
tompo se obrigasse a fazer as obras do
pdrto.
O proprio Moray outra ve-z- ffereceu
coodiccoes para o meib&rmento desse or-
t (creio qiii-or nobres deputados terao
'Ui^cimenio de todos esses traualbos por-
^ que eles se acham impressos), e enio
teva-se a 7 0,000 ocustodas obras d;
is e das do melboramento do porto.
Anda n5o foi aceita estap roposta.
J se v, portanlo, que tem havido al-
om esludo a respeito das obras que po-
. lem-se fazerem Pernambuco, quer a res-
to de estabelecimentos de dcas, quera
i eito do melboramento do porto de Per-
bambuco.
O Sr. Fausto de Aguiar : A respeito
de ostudos tem havido de mais.
O Sr. Ministro da Agricultura : Diz
muito bem o nobre deputado, que os estu-
Jos que temos feito a respeito de Pernam-
buco m sido de mais: desde 1848 que
para alli foi um emgenheiro hbil, que co-
oaacou a fazer estes estudos, e desde enl5o
et hoje se fazem estudos a respeito do ma-
Ihorameuto do porto de Pernambu :o.
O certo que as opinibes at hoje apre-
entadas a respeito das que se devem fazer,
iu discordancia.
O Sr. Augusto be0i.ivf.ira : Quauto a
excavaces, pare;e-me que todos querem.
O Sr. Ministro da Agricultura:A ques-
to, seuhores, do melboramento do porto
de Pernambuco nao pode ser resolvida sem
que se faca despezas, e avultadas; qual o
aetbodo que se deve adoptar noste melho-
rameato f eis a questo.
Ou se deve fazer urna obra muito impor-
tante, rasgando-se differentes bices que ba
para a entrada do porto, ou smente fazen-
do os melhoramentos ne ancoradouro e as
excavaces do porto. Urna das duas obras
se ha de azer mais cedo ou mais tarde.
O governo fazendo passar no orcamento
lima verba para melboramento desse porto,
,ai fazer a obra que mais fcilmente se po-
der conseguir no presente, e mesmo a mais
urgente.
Toda e qualqwr obra que se zer no
porto de Pernambuco nao dispensa este
trabalho da excavado da barra. (Apoiados.)
Prtanlo, feita ella, se se puder melboBaro
aucaradouro de Pernambuco, j. m ter
eenseguido urna grande vantagem. :'
O Sr. Augusto de OLivEmA: Apoiado.
O Himsfro da Agricultura :Mas com
;sta obra nao cz anda prejadJcada idea
La cosatrucrao de orna doca que urna coa-

dca pode ser co nveniente nao s para o
commercio, para a carga e descarga das-
mercadorias, como para a fiscajisacao dos
direitos nacionaes.
Um outro nobre deputadoFpeh mesma
provincia dlsse que n5o acbava inconveri-
ente algum em que S3 construissem dcas
naquelles porlos, que as reclaraassem, e que
julgava que o governo estava autorisado a
contratar com as emprezas particularen.
Para construi-las expensas publicas est
autorisado o governo ; mas reconhecendo
que a'despeza consideravel, julga conve-
niente leva-las a effeito por companbias, e
por isso apresentou o projecto para rnr
toda e qualquer duvida a respeito do iRre}*
to que possa ter o governo de as contratar
com emprezarios particulares.
Individualmente concordo com o nobiv
deputado que n5p seria preciso lei alguma
mais para o governo conceder a cnoprezas
particulares o estabelecimento de dcas ;
porera n5o tem sido esta a opiniSo de a1-
guns de nossos bomens de estado. Algns
tra teconhecidoesse direito como j exi.--
tente na nossa legislacao, concedendo a coui-
panhias o estabelecimento de dcas, e neste
momento recordo-ine de um decreto de
1803 que fez essa concesso mesmo aqui
para o Rio de Janeiro. Mas nao 6 esla
opinio geralmenle adoptada, e por isto
que o gabinete actual entendeu conveniente
que se desse ao governo por lei a faculdade
te couceder a companhias a construcrSo de
dcas.
Para justificar o direito que teria o gover-
no de fazer concessoes, teulio de invocar a
legislacao existente que nos rege desde mir-
tos amos ; e a lei de 28 de agosto de
1828, lei que nio est revogada. Enten-
deu-se que era deficiente, em 18)13 nomeou-
se urna comraiss5o com a expressa declara-
cao de apresentar os melhoramentos neces-
sarios para que se lornasse mais perfeila.
Passou, porem, o acto addicional, onde s)
marcaram certas attribuiges as assemblas
provinoiaes a respeito de obras. Nunca mais
se tratou de melhorar aquella lei, e eu ei-
tendo que deve ser melhorada, pois contera
ideas muito importantes que nao poden
deixar de continuar a existir.
Por esta lei, senhores, no seu primeiro
artigo dizia-se o seguinte :
t As obras que tiverem por objecto pro-
mover a navegacd dos rios, abrir canaes
ou construir estradas, pontes, calcadas oj
aqueductos poiero ser deserapenhadas
por emprezarios nacionaes ou estrangeiros,
associados em companhias ou sobre si.
Dizia-se mais:
Todas as obras especificadas no artigo
antecedente que forem pertenceatcs pro-
vincia, capital do imperio, ou a mais de una
provincia, sero promovidas pelo ministro &
secretario de estado los negocios do impe-
rio ; as que forem privativas de urna spro-
vincia pelos seus presidentes era consclho, e
as que forem do termo de alguma cidade
ou villa pelas respectivas cmaras muoic-
paes.i
V-se que essa lei respetava os direitos
provinciaes e municipaes, e e>tiinarei que
este principio cardeal seja ivspeitado em
qualquer reforma que no futuro se tenliade
fazer, delinndo quaee sao as obras geraes c
provinciaes ou municipaes.
Trata depois esta lei das formalidades
precisas para que as concessoes se tizessein
com seguranza; sao formalidades que anda
hoje se observam quando sao fetas coia
criterio.
Por isso, digo eu, que no espirito desla
lei estava a faculdade de se poder conceda'
o estabelecimento de dcas companhia cu
a emprezas particulares ; mas nao se ten-
dofeito expressa minso desla especie ele
obras, porque nessa DOca nao erara bem
conbecidas entre nos, julgou o goverro
que era necessario tratar exprossamenie
das dcas, consignando se as dilTerentes e
indispensaveis disposigoes para que taes
obras possam trazar, melhoramentos reaes
ao commercio.
Concordo em que se faca este addiciom-
menlo lei de emprezas, porque poden
haver dilliculdades em adota-la para una
ou outra provincia sem as necessarias cau-
telas, pode mesmo- haver opposico dos
interejsgs_60mmeroits da urna ou out'a
provincia, que exija urna disposicao legid,
legitime o acto do governo quando lizer a
coneesso. Por isso me parecen que este
projecto vioha satisfazer esta neeessidade.
O nobre deputado por Pernambuco, com-
batendo as concessoes a emprezas particu-
lares, parece-meque julgava que ia-se crear
um privilegio de importancia talqaopro-
duzia um monopolio.
O Sr. Barros Barreto : Anda o
creio,
O Sr. Ministro da Agricultura : Niio
vejo teste projecto disposicao alguma da
qual se possa deduzir que trar um privi-
legio ou monopolio.
A concesso tera por Qra nicamente dar
ao proprietario que tiver construido urna
dca o direito de perc^ber no seu estabe-
lecimento a retribuido do servico que pres-
tar ao commercio.
Ora, este direito, que por sua natureza
est garantido ao- individuo, porque o
uso da sua propriedade, que mal faz que o
governo o eslabeleca no contrato de urna
concess5o ?
Nenbuma embarcaco poder entrar den
tro da dca feita por um individuo som
pagar a retribuirlo que o seu proprietario
tem o direito de perceber pelo servico da
carga e descarga.
Mas nao obrga'o'io a nenbuma em-
barcaco entrar na doca.
Se o individuo, pela boa disposicSo da
sua empreza e facilidade que presta attra-
bir para ella todas as embareac&es, kt
nao se chama monopolio, a consequeBcia
de estar o servico ahi mais bem feito do
que em outra parte.
A dca nao obrigatoria para as embar-
cares que v5o alli para carregar e des-
carregar, salvo quando considerada cono
trapiche alfandegado para nelle se aaer o
isto nao
polio.
0 Sr. Fausto mi Aouiar:Apoiado; C
urna vantagem pan tjarimurcio.
O Su. Mi.mstuo D.\ Anmccui ha:Por-
ventnra poder-aeda chamar aionopolio o
servico prestado por qnalqier particular
que livesse um grando estabelecimento bem
montado tfcem dividido, e que poresse
motivo aftnHiisse a si todo o coramercio ?
De certo ijjte nao; pois timbera no
se poder oiamar monopolio a dca que
estiver as mesrnas condicSas.
Coifcatendo os privilegio?, o nobre de-
putad ctsse ma, que a concesso destas
lCdiras-*' companhias estrangeiras, poda
ainda ter um perigo, quands taes compa-
nliis se embarcassem nessas emprozas te-
merariamente, porque atratiiriam capitaes
que, envolvidos em emprezas que nao dei-
xavam grande lucros, trariam cm ultimo
resultado o desanimo.
Mas, senhores, isto Qca ao cuidado das
emprezas; os capitalistas examinam se os
capitaes q e lera de empregar em urna
empreza podem ou nao dar um lucro que
Ihes convenha. Se nos nao concedermos
certas vantageas a emprezas particulares,
os capitaes estrangeiros nao viro para o
paiz; o sendo certo, como todo o mundo
sabe, que nao ba no paiz abundancia de
capitaes para este a outros melhoramen-
tos, sem duvida ser necessario aaima-los.
c anmando-os nao se faz aqui urna con-
cesso que nao estoja dentro dos principios
econmicos.
O que que o projecto permitid aes's ca-
pities? Apenas urna taxa em retribuico de
servicos que ellos vm prestar.
Eu nao preciso definir agora o que sao
as dcas, porque felizmente cousa que ja
milita gente hoje conbece.
0 Su. Ai.k.ngar Araiui'i :Por theo-
ria.
O Sr. Minisrno da Av.rii.oltura :Na
parte administrativa, e na parte technica te-
mos j engcuheiros que conliece.n esse ser-
vico.
Nao dexarei, porm, de tralar de urna
crcumstancia. e vem a ser que o estabele-
cimento destas bacas para ter as embarca-
cacoes a nado, alira de facilitar a carga e
ciercarga naquelles portos em que as mares
forcam a haver obra desta natureza, podem
ser trstabelecidas, sem que sejam ao mesrae
tempo dcas; sto ,,as bacas podem ser-
vir a armazens e estabelecimentos particu-
lares.
A dca cousa um pouco dfferente;
quando urna associago, por si, construe
a baca e os armazens adherentes, fazendo
urna especio de quarleiro onde ella s do-
mina, enlao que se chama verdadera-
mente dca.
Por isso j se v que pode haver no Bra-
sil alguns portos cm que se facam estes
ini'liioraraentos para se poderem abri-
gar os navios, sem que entretanto baja urna
dca. Poder-se-ho contratar essas obras,
Acairelo os armazens particulares, utilisan-
de-sc deltas, e poder-se-bo concluir asi
dcas no seu sentido proprio.
Esta faculdade est consignada no pro-
jecto, porque declara que podem fazer-se
as obras que frem uteis ao commer-
cio.
Tfatou-se aqui, senhores, de diversas
dcas, e entre ellas, principalmente, da
dd de Londros, que tem servido de in-
scnlivo para o estabelecimento de oulras
na mesma cidade.
A dca de Londres foi urna obra acon-
sejada pela necessidade de abrigar os na-
vios, de os collocar em posico de pode -
rem fazer com mais facilidade a carga e des-
carga. Com excepeo dos navios que fazem
o commercio das duas Indias, todos os na-
vios inglezes ou estrangeiros, podem en-
entrar, pagando as dcas de Londres, aflu
de depositarem ahi seus carregamentos, e
de receberem novos. Para o commercio
das duas ludias ha dcas privativas.
Mas eu, examinando o acto do parlamen-
to que creou a dca de Londres, que de
20 ele junho de 1800, vou nelle encontrar
doposicoes que eslao consignadas no pro-
jec:o e que tm sido contestadas por alguns
nobres deputados.
O acto do parlamento fixou um capi-
tal.
O Su. Barros Barreto : E' issso
mesmo.
O Su. Ministro da Agricultura :Mas
o governo tem ohrigaro pelo projecto de
fixar capital, Note-se que o acto' do par-
lamento ingiuz era para urna companhia
determinada.
O Sr. Barros Barreto :E' o que aqui
nao se d.i.
O Sr. Ministro da At.riciltura :Nessa
acto marcou-se o augumento qaet poderia
ter o capital, estabeleceram-se mis outras
condic5es, com que os primeros fornece-
dores de capital deviam ter 5 %. e que o
dividendo uaca excedera do duplo desta
somma.
Depois de ter establecido as primeiras
bases, o acto enumerou os lugares pblicos
ou particulares nos quaes a companhia po-
da estabelecer urna dca, seus caes e ar-
mazens ; est, tudo consignado no acta, at
a autorisaco de entrar era ajustes durante
os cincos primeros anaos para a empreza
adquirir os terrenos e edificios que lhe
fossem necessrlos para a obra (o prazo
era de sote annos), coma recurso ao jury,
se os meios amgaveis nao fossem sulli-
cientes.
Isto para mostrar que serapre se tem
considerado que para as dcas deve haver
um direito de desapropraco, porque se
tem juigado que sao melhoramentos muito
importantes, e desde que o governo tenha
reconhecido a neceesidade dq estabelecimen-
to de dcas, pode conceder a desapropriacSo
no caso que os meios amgaveis nao sejam
suficientes para acquisco de terrenos s
predios particulares.
deposito de gneros de entreposto ; por
exemplo, de certas mercadorias inflamnia*
veis; e isto existe actualmente, pois ia
amitos trapiches que sao alfandegados para
esse fim.
O Sr. Ferreira de Aouiar :Nao vejo
vantagem para a dca, desde que 02o sejam
os navios obrgados a entrarem nella.
O Sr. Ministro da Agricultura:8'
exactamente o que se d em todas as do-J
cas.
O Sr. Fbrreira de Aguiab :Nos por-
los em qae sio impreseiadiveis para p coia-
mercio.
Na dca de Londres eram obrgados
entraros navios que vinham com mais de
O Sr. Ministro da Agmcultura.:Se u nao trazara
dcas, pela natureza de servico que pre >-
20 pipas de vinho ou ele agaardeote,' era
a nica descarga obligatoria, toda a mais
era livre; se accaso os negociantes qaeriara
fazer a descarga na dca, recorram a
ella, se nao deixavam de la ir, e mesmo
se os navios, traziam ontros gneros, alera
de vinho e agurdente, tinham o direito
de desearrega-los em qualquer outro ar-
mazem fra da dca, para depois viren
armazenaro vinho e a agurdente.
Era outras dcas de qse eu tenbo no-
ticia, tambsm sao obrigadas as descargas
quando um oavioicaz mais da meude dos
aas sai
posto, podeiB dssearregar fra das ddcas,
por caes designados pelos regulanrentos da
adrainistraeo publica.
Portante), me parece que, tendo o pro-
jecto estabelecido a concesso a empre-
zas particulares para o estabelecimento de
dcas, em nada ofrende a direitos pblicos,
nao s porque nao concede um privelegio
exclusivo, como tambem porque nao deixa
de assegorar aos prjprietaris existentes
o direito da indemnisaco das suas pro-
predades, posto que tenha de concoder
a^ desapropraco quando a autoridade pu
blica assna o entender.
Estas dlsposic^es geraes acham-se con-
signadas no projecto; o capital di empre-
za deve ser fixado.
O Sr. Barros Barreto :Nao pelo par-
lamento, urna delegaco concedida ao
governo, nao se sabe a quem V. Ex;, nao
me responde vantajosamente.
O Sn. Ministro da Agricultura : 0
capital do pode ser augmentado ou dimi-
auidij sem autorisaco do governo. O
iwbre deputado diz que isto n3b esta
ffxado p'sitvamento para cada urai das
emprezas, que apenas urna faculdade dada
30 governo e entende que o governo pd5
abusar.
O Sn. Barros Barreti :Sem duvfa.
O Sr. Minstro da Agricultura: Mas
mi digo que ni se pode argumentar como
abuso para inutilsar urna dispos cao que
tem outros meios correctivos.
Esta concesso feita ao governo nao se
pode e nao so dave fazer sem exame e
inquerilo ; a propria lei de 1828 estabelece
esse exame e osse'inquerito.
O Sn. Barros Barreto : O governo
a-iual far esse inquerilo, mas outro pode
nao faz-lo.
O Sr. Ministro n\ Agricultura : E'
obrigacao do governo, em virtude da lei,
e entendo que cm o correctivo que est
na lei nao se pode reeeiar o aboso.'
Parece-rae que ningoem contesta que
baja vantagem na condrao do fundo de
amortizar.go, e eu digo que at por de-
mais, porque urna dca que nao recebe
subsidio nenhum do go/erno, que, sa s-
tabelece com seus proprios capitaes, que
propriedade individual, nao sei para
que tem de oslabdecerum fundo de amor-
tizarlo e estar sujeita reivindicaco : sao
cautelas extraordinarias.
O Sr. Barros Barreto :NSo tendo pri-
vilegio, de certo.
O Sr. Ministro da Agricultura : O
privilegio de perceber as taxis, isto o
uso do servico que se remunera. Mis se
se quizesse tratar a questo no terreno da
sciencia econmica, dever-se-hia reconbe-
cer que urna vantagem para o governo
que nao devia ser tirada das emprezas
particulares, por que estas, como pro-
prieiarias, podem mnfruir a sua proprie-
dade indefinidamente.
O Sr. Barros Barrito: N5o tendo a
empreza o exclusivo, dasne ;essaria a
condco.
O Su. Ministro da uriciiltuuv : Mas
como o governo faz urna concesso, pode
mesmo conceder-lhe a carga e descarga de
cortos gneros, pode conced-.r-llie oser-
vigo de capatasas em provincias onde
nao tenha alandega ou arm3zem, por
isso a disposicao me parece conveniente.
Nada accrescentarei a respeito do que
disse o nobre deputado quanto obriga-
C-o em que se constitue a empreza de
pedir o augmento ou dimnufo de ca-
pital. Parece-me que urna condco que
tem sido serapre adoptada em todos os
contractos dtesla natureza. e que ha pouco
citei no acto do parlamento nglez quando
incorporou a dca de Londres.
O Sn. Augusto de Olh.eira : j Isto
disposicao do cdigo do commercio.
O Su. Ministro da Agricultura : E
da nossa legislacao sobre a incorporarlo
das companhia?.
Quanto as taxas ellas esto definidas.
Desde que se estabelece um capital e que
as taxas nao podem exceder urna quota
sem revso as tarifas, tem-se marcado in-
directamente o quantum dessas taxas.
Eilas esto fixadas pela natureza das
eousas, e eu nao acho exagerado o que
est estabelecido no projecto ; ellas nao
podero exceder de 12*/ sem reviso da
tarifa.
O nobre deputado pela Baha dsse que
este mximo era excessivo. Eu lhe trago
o exemplo da Inglaterra, onde os capitaes
sempre eslo por procos muito baixos:
o que se assegnrou para dividendo da
companhia de dcas do Londres foi 10o/0.
Sobre outros pontos os nobres depu-
tados que defenderam o projecto, j disse-
ram quanto m^ parece suffieiente, o eu
oo repetire os seus argumentos. Tra-
tarei apenas agora da disposicao do 13,
quando prescrev'e que a deciso das dif-
ferentes questoes sustentadas entre as
companhias e o governo ejam tomadas
por meio de arbitrios.
O juizo arbitral necessario, dizera os
nobres deputados, est condemnado pelas
nossas leis, e este paragrapho vai restitu lo.
Senhores, me parece e|ue nao est bem en-
tendido o sentido da disposicao do artigo.
Nao se quer estabelecer o juizo arbitral
necessario.
E' verdade que a legislacao que temos,
que o decreto n. 3,927 de juuho de
1867, dado para a execuco da lei n.
1,350 de 14 de seterabro de 1865, esta-
beleceu o juizo arbitral livre. completa-
mente livre ; aboli o juizo arbitral neces-
sario em materia commercial.
O Su. Andiade Figueira : E s em ma-
teria commercial qae o havia, em materia
civil, nao.
O Sr. Ministro da Agriccltura : Era
s em materia commercial que exista, e
isto tirado da legislacao franceza que nao
verfiquei se anda vigora.
O Sr. A-ndrade Figueira :Nao, senbor,
est, rovogado ; est muito desacreditado
na Europa.
O Sr^Mlmsiso da Agricultura : Mas a
soasa legislacao estabelece varias dispos-
coes. (Le.) Podem fazer conopromisso to-
dos os que podem transigir. Para ser va-
lido exige os requisitos estabeleaidos no
art. 8, e declara que a clausula de corapro-
misso sem a nomeaco dos arbitros, nao
vale sen*o como promessas. Alm dos re-
quisitos essenciaes podem estabelecer-so
certas clausulas.
Isto sobre o modo porque se bao de
resolver as questoes, se equitativamente,
dentro de um certo e determinado prazo,
etc.
Neste mesmo regulamenlo se dectara que
quando se fizersm essas compromissos as
sociedades anaayaaas, sa enten dam como:
tndo isto 6 por om contrato entres as par-
te, e aq a lei qie sttbalece.
O Sn. Ministro da Agricultura :-Vamos
a ver se aqui se estabelece o juizo arbitral
necessario, ou so nicamente urna facul-
dade dada ao governo para poder fazer
compromissos.
O Su. A.ndradeFigueira:Isto intil.
O Sa. Ministro da Agricultura.: Nao
e intil.
quer outro empregado gera! quinfo sus-
pensik? Ha funiam-iAo pira c$ta excep-
Co t .
Senhores, para resolver estas questflas,
cumpre ter em cousideraco a necssidade
de nao amesqunhar a posico do chefe de
polica; de outra sorte nao haver bacha-
rel em direito com as precisas habilitacbes,
que quera aceitar seindhanie logar.
E' difficil figurar" a hypotlwse

u &r. atdhade Figueira :-0 governo o presidente da provincia ter necessidade de
pode fazer como parte contratante. suspender o chefe de polica alm dos ca-
nJcJX MTT-. DA AGnIclA : ~ E' sos especificados na lei de 3 de outubro de
principio de direito que o Estado nao pode | i83i.
transigir. Ha certas pessoas que o nao pode
fazer, e portauto nao podem estabelecer
compromissos; um tutor, por exemplo, nao
pode transigir em materia relativa a orphos
nem taaer compromissos. O Estado tam
bem nao pode transigir, nao pode tomar
compromissos sem faculdade legal.
O Sir. Awade Figueira :-Ent3o o arti-
go nao satisfaz.
O Sn. Ministro da Agricultura Ago-
ra o que digo que o pensamento que tivu
quando consignei essa doutrina era que *
governo ficasse com o direito de transigir.
mas sujeitando-se as regras que esto na
nossa legislacao para o prpeesso de arbi-
tramento. (L)
Portanto, o paragrapho redigido para:
que possam ser decididas por arbitros na
conformidade da lei brasileira...
O Sr. Andrrde Figueira : A lei nao
reconhece est i juizo; V. Exc. deroga a
lei quando falla na conformidade da lei.
O Sn. Ministro da Agricultura :N5o
derogo; j disse que nicamente conces-
so ao governo para poder resolver estas
questoes por arbitros, porque do contraria
elle nao poderia fazo lo. Se a redaeco nao
est bem clara eu aceitarei qualquer emen-
da neste sentido.
O Sn. Perdigo Mai.heiro : O pro-
jecto diz serao quando deveria dizr pode-
ro ser:
O Sn: MlN'ISTRS DA AGRICULTURA SEli
nao contesto que a redaeco nao esteja bem
clara, mas o pensamento dar ao gobern
faculdade para poder nestas questoes tran-
sigir por meios de arbitros, o que elle nao
poderia fazer sem ter urna faculdade legis-
lativa.
O nobfe deputado por Pernambuco, para
tranquillidade da sua consciencia, pergun-
tou em que lugares pretenda o governo
estabelecer as dcas. Nao tem j o gover-
no lodos os projectos de melboramento dos
portos do Brasil, mas posso assegurar ao
nobre deputado que ha algumas provin
cas que j reclaman o estabelecimento de
locas, por exemplo Maranho, Parahyba,
Santos. Tres oo quatro provincias j re-
cfamam o estabelecimento de dcas para o
melboramento do servico da carga e des-
carga das mercadorias. O Para talvez seja
urna das que mais necessitam
#0 Sr. Barros Barreto:Maranho a
que mais necessila.
O Sn. SiqueiraMkxdes: O Para neces-
sila ele pontes na alfandega.
O Su. Ministro da Agricultura : Por-
tanto, se houver emprezas que se offere-
cam para fazer estas dcas as provincias
em que a necessidade for reconhecila, o
governo ha de fazer esta concessara, mas
nao se segu que a deva fazer com todas
as parles.
Eu nao duvido mesmo acceder a modifi-
caco que o nobre deputaelo por pernam-
buco ffereceu. que nao se conceda a cons-
truyo de dcas era Pernambuco emquan-
lo nao estiverem fetas as obras do melho-
ramento do porto.
O Sr. Barros Barreto : Se V. Exc.
accede a isso, estou satisfeito, voto desde
j pelo projecto.
O Sr. Ministro da Agricultura :Nao
tenho a menor duvida.
Nao sei se a hora para a dscussso do
projecto sobre dcas est acabada.
O Sr. Presidente :Nao, senbor.
O Sr. Ministro da Agricultura :=Mas
poder ser que algum Sr. deputado queira
anda fallar sobro a questo, e eu desejo
muito abreviar o mais que for possivel a
discusso desse projecto, porque parece-
me que urna das medidas mais importan-
tes que podemos adoptar. Estou prompto
para receber todas aquellas emendas que
os nobres deputados julgarem convenientes
para melhorar o projecto ; nao tenho outro
empenho seno que elle passe o mais per-
feilo que fr possivel, porque me parece
que ha necessidade ele se attender a algu-
mas provincias que reclamam este milhora
ment como necessario.
Tenho concluido.
sujeitas aa entre- imples promessas.
O Sr. Aoraos Fwotira i Bem, mas
O SU. ANDR VDE FIGUEIRA faz anda
algumas cons-iderac&es.
Fica a materia adiada pela hora.
ORDEM DO DA.
Continua a 2a discussao do art. Io do
projecto sobre a reforma policial, com as
emendas apoiadas.
OSR. CRRELA :-Sr. presidente, tra-
lando desta reforma dever dever de-
clarar a cmara que a regra que ha de di-
rigir o meu voto a de harmonisar dous
grandes principios: o do que o cidadao
isento ele crime nada tenha que temer da
autoridade. e o de que esta nao fique pr-r
vada dos precisos meios de aeco para
efcazmente previnir e reprimir os de-
lictos.
Sao estas as condiebes ele manutencio da
ordem publica e da seguranca dos direitos
individuaes, base da felicidade geral, que
o melhor vinculo da unio de todos os bra-
sileros.
O Sn. Figueira de Mello : Apoiado.
O Sr. Correa :Analysando o rt. 1
que est em discussao nao tenho duvida em
concordar que para o lugar de chefe de po-
lica, nao seja condicSo o pertencer o no-
meado a classe dos desembargadores ou
dos juizes de direito.
Mas, desde que deixa o chofe de pobcia
de ser magistrado, desapparece toda duvida
acerca da faculdade que tem os presiden-
tes de provincia de suspend-lo, a vista do
| 8o do art. 5o da le de 3 de outubro de
1834, que diz: Compete ao presidenta
de provincia suspejder a qualquer empre-
gado por abuso, omsao ou erro commet-
tido em seu oficio, promovendo mmedia-
lamente a responsabitida.de do mesmo.
Deve manter-se em relafio ao befe de
Diz-se, qae poder o chefe de pocia era-
baracar a adminislracao, deixando de pro-
por algum delegado oa subdelegado
que o presidente da provincia jalgue
idneo.
Mas, senhores, ou a proposta do chefe
de polica, para os cargos pollcaes, tem im-
portancia ou nao tem. Se tem, se daM re-
sulta responsabilidade, preciso que esta
seja real, ese nao tem dispense-se apro-
posla; mas era caso algum obrigue-se o
chefe ele polica a (azer aquillo qae a cons-
ciencia repelle.
Eu creio, Sr. presidente, que se o lugar
de chefe de polica fr assim sojeito rigo-
rosa (iscalisnc'o e absoluta dependencia do
presidente da provincia, ficar to abaxo
do que deve estar, pelas attribuices que a
lei lhe coofcre, que-nd se encorrtraro f-
cilmente bacliareis idneos para exercer tal
cargo.
Pelo projecto o lugar de chefe de polica
fica sendo de simples commsso. Hoje ha
muitos hachareis que solicitam lugares de
juiz municipal, mas porque ? Prifneiropara
adquirirem pratica do foro, e depois para
poderem alcancar a Romeaco de juis de
direito.
Nada disso acontece daqui em diante cora
o chefe de polica, que nao tem nenbuma
garanta para o futuro.-
Terminada a sna commisso nao poder
ser nomeado juiz ele direito; ter de
procurar na advogacia ou em outra oceupa-
Cao os meios de subsistencia.
Para que baja quem deseje se-lo com
vantagem para o servico, nao deve redu/.ir-
se a importancia do cargo, nem arbitrar-lhe
nicamente os venermentos fixados na emen-
da do nobre deputado pelo 6.* dstricto da
provincia de Minas-Geraes.
Mas o que se pode esperar-se, de mais
a mais, o chefe de polica, j snjeito como
os outros empregados geraes suspenso
nos termos da lei de 3 de outubro de 1834
puder ainda ser privado do exercicio de sen
cargo por acto do presidente da provincia,
dependente smente do modo por que este-
encare a conveniencia publica, e sem outro
correctivo seno o de submetter esse acto
approvaco do governo ?
Receio que, aceito o projecto tal qnal so
ada, o cargo de chefe de polica fique da
tal ordem que nao possa ser desejado pelos
hachareis que se acbarem no caso de bem
o exercer.
Negarei por isso o meu voto paite des-
te artigo em que se confere ao presidente
da provincia a attribuico de suspender por
conveniencia publica o chefe de polica.
Nao posso tambem concedar com o 2\
quando dectara que o chefe de polica mi
substituido interinamente oor um dos dele-
gados de polica da capital. Primeramen-
te nao ha em todas as capitaes de provincia
mais de um delegado, e, portanto, o presi-
dente nem sempre ter escolha ; depois o
delegado pode nao ter os requisitos exigi-
dos para o exercicio do cargo de chefe ele
polica. (Apoiados.)
Nesta parte, o projecto elo nobre minis-
tro da justica preferivel ao da Ilustre
commsso. Nao ha naquellc providencia
alguma nova para tal substuic3o ; o nobre
ministro julgou que nao devia ser alterada
a legislacao actual, que satisfactoria.
A lei que j cilei, de 3 de outubro de
1834, no 6. do art. 5., diz que o pre-
sidente da provincia prover os empregos
quo a lei llie incumbe, e provisoriamente
aquelles cuja nnmecj compete ao impe-
rador.
Se, pois, houver necessidade de nomear
quem sirva interinamente o lugar ele ebefe
de polica, o presilente est autorisado para
fazer a nomeaco, procurando um cidadao
que rena as condices exigidas para o de-
sempenho desse cargo. Se o delegado as
reunir, o presidente nao fica inhibido de
nomea-lo; mas, se assim nao convier, pode
procurar quem esteja mais habilitado.
Emendo, portanto, que urna vez alterada
a legisiaco vigente acerca da nomeaco dos
chefes de polica, e determinado que esta
pode recahir em hachareis formados era di-
reito que j tenbain dado provas de suas
habilitares, nada ha que providenciar quan-
to suspenso, nem acerca do provjiuento
interno do lugar.
O art. 1 do projecto crea a guarda po-
licial e os agentes de polica.
Pelo que pude colligir da dscusso, os
agentes de polica que tem de substituir os
inspectores de quarleiro, sao funecionarirs
retribuidos.
Creados por esta lei, de vendo pesar sua
retribuico sobre os cofres geraes, noto
que em nenbuma parte do projecto se fixam
os seus vencimenlos.
Para que existan agentes de polica em
todo o imperio de mister augmentar consi-
dera velmente a despeza; a verba decretada
para o servico da polica nao pode ser snfB-
cienle.
Votarei contra esta crcacSo, porque as
presentes circumstancias do thesouro, s
era casos muito especiaes e por motivos im-
periosos que agora o3o se do, coocorrerci
para a elevacao das despezas. (Apoiados.)
O Sn. Pemdo : E em muitos logares
sero inuteis, s podem ser convenientes
as grandes cidades.
O Sr. Correa. Acreaoad da guarda po-
licial por esta lei, ainda que nao encontrasse
obstculo na disposicao do art. '41 } 4." do
acta addicional, ten de onerar arada mais
os cofres geraes. A guarda policial Do
pode deixar da ser numerosa.
O Sa. A. Prado:E" a guarda pobtial
das provincias para auxilio das autoridades.
O Sr, Correa : Nao isso o que est
oo projecto, qae diz, note-se bem: alm
dos chefes de.poteia, dos delegados a sub-
delegados, Aaesrrf guarda policial msii-
tuiM para txecutar as ordSiw a antori-
datle.
polica esta disposicao ? Nao deve o pre- Nem seria acertado tratar sa lei geral de
sidente suspendS-lo seno por abusq^rojluma forca creada, aa forma d seto addi-
ou omssp, sujetaiaio-o imiiisdialameffib^kioaal, peta* assstnMas provmdaef, esua-
responsabildade para que se defsnda ;
deve ter faculdade daspend-lo poraimi
e polica, em relapso ao presidente da
vincia, .flear em peor condico que, quaHTfP,

\

V
tv-*
\
7
1
\
\
n
\\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOUZ7A1WP_UWA7K6 INGEST_TIME 2013-09-14T00:07:59Z PACKAGE AA00011611_11963
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES