Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11950


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 218.
\
PARA A CAPITA1 E LUGARES OIDf HO SE PAGA- POBTE.
POTTres^ateadiitUdo*.......
Por seis .|o.s i :. .4f ... ..........
Por uiu auno hkr.........
CadaaumeiiiiBJso ..'.'.' '.'.'. ........
6G00
vOOO
24,1000
320
SEXTA FEIRA 24 DE SETEMBRO DE 1869.
T
PABA DEKTRO FORA^ DA PROVINCIA
Por tres meies adiantados...............; 64750
Por Seis ditos dem................ 13500
Por no\ i ditos idem........ ..!.".'..'.'.' "0060
Por um ajino............... '. ', 274000
Prapriedade de Manoel Kgneira de Faria & Filhos.
_i
^
SAO AGENTES:
ttm l\37af>th Vonninrt 1Vnr> An !>/.!. 11.,!.,. rv_ I__l ai al___ _.*.- ^ .. .
Ttowtt; tm&rTSr a7S7lWte76r:7o-sr^^^^ Domingos te da Costa Braga,
PARTE OFFICIAL
foverno EXl'EDIENn; ASSIOXAOUI'KI.O i:x\l. SB. DB. M\.Vir:i. I")
AKUI8XT0 HACHADO PORTMXi, VICE-PBB8IDBNTK
DA PIUVINCIA, IM !> DSJUXHODt: 18J9.
m 1' seccao.
N. 931.Portara ao Exui. Sr. general cominn-
daotedu armas.Aos Srs. agenta da eo.npanhia
Hrasileuu de l'aq mtes a Vap .r acabo de expedir
ordam para transportado corte o soldado da
ompannia .1.'.ip^ruios desti pnvinm Antonio
areoNiM doi Rafe, qm al servir como volunta-
ra no excreito em operaces, e de .pa trata o
oM no du \. Exe. ii. :igi> desta data.
- i* seccao.
IV 953.Portara aos Srs. agentes da compa
nula Brasileira de "
agentes da comp
Vapor mandetn transportar a corte, por eonta do
laisteriq da nena no vapor Pavana que boje
segu para all, o soldado da companliia de opera-
nos de?.ta provincia Antonio Marcolino dos Rea,
que vai servir romo voluntario no exerct cu
operaces de guerra eoin o governo do Para-
guay.
ExpKDir.NTE ai.;\ado t>r.w exm. su. Dn. mvxoei. no
NASCUTKNM MA-AOO fOHTRLLA VKK-PHKSIOKXTE
t>A PKOVIXtlA KM *) DR JIWHO DB KM&
1' seeciio.
N 55.Portara ao Exm. Sr. general com-
mandante das armas.Mande V. Exe. por em
liberda.ii; o rerrii11 Manoel Joaquim Barbosa, visto
,,>r Dr R. !oG.Dita ao inesmo.Segundo eonsia de
rtvno da repartirlo da guerra de 19 do rente
loi approvada, a deliberacao tomada por esta pre-
sidencia d; nomear o coronel aggregado do corno
le estado-maior de i- classn Hygino Jos Colho,
para oxercer interinamente o lugar de director do
arsenal de guerra desta provincia ; o i|ue declaro
a V. Exe. para o seu conliecimento.
_ N. 9o7.Dita ao mesmo.Passo as mios de V.
Exe. para que tenlia o conveniente destino o re-
querimento junto de Joo Lui/. dos Santos, praca
invalida lid 1- batalhao de artilharia, que pede lle
sej i dada por eertidao a data em que sentou praca
visto nao constar isto da escusa do servico que
loe fura concedida.
2." seccao.
N. 9.*>8 Portara ao Dr.'chefe de polica interi-
no.Para que possa dar-se o pagamento da des-
pera feita no Ex r.om ocartuxune distribuido
pe i respectivo cominandanto d'alli, de que trata o
offl:io de V. S. de o deste mes son n. 8i3, preciso
e faz que informe de eonformidade com o que
exig a contadoria no parecer juuro por copia,
onal a uaturoza das diligencias para que foi dado
o dito cartuxame, devendo ser comprovada essa
despeza com documentos legaes.
f. .9.Dita ao mesmo.Expeca V. S. as con-
venientes ordens para que seja entregue ao hacha-
re! Vicente Jansem de Castro e Albuquerque a
casa de sua propredade sita na villa de Ingazeira
c que elle cedeu gratuitamente para servir de
quartel do destacamento e priste em dita villa,
visto por seu estado de miseria necessitar urgente
concert e nao pod-T continuar a prestar-se ao
im para o qual foi olTerecida.
N. 960.Dita ao mesmo.Com o ofllcio junto
por copia do inspector da thesouraria de fazenda
do 28 deste inez sob n. 411, respondo ao de V. S.
de 21 sob n. 893, quanlo ao pagamento da quantia
de 126.5, ao sabdeegado de Panellas em que im-
portou a conduccao at S Bento de gneros ali-
menticios e medicamentos destinados aos termos
K. 9G1.Dita ao commandante superior interino
da guama nacional do Recite.Expeca V. S. as
suas ordens, para que destaquern em S. Lourenco,
a disposirfio do respectivo del gado, um inferior e
quatro pocas da guarda nacional sob o sou com-
mando superior.
N. 962.Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Garanhuns.Inteirado pelo
seu ofBcio de 26 de maio lindo, da soluca por V.
S. dada ao capitn Joaqun Alvos da Silva Valen-
;a, que Ibe particjpou ter deixado o commando
Bterino do batalhao n. SO, por estar sendo proces-
sado pelo delegado, por crime de sedieao, tenho a
dizer-lli que betn decidi V. 8. mandando que
cominuasse elle no dito commando. visto nao ter
sido anda pronunciado ou cond-minado.
^ K. 963.Dita ao juiz de orphaos do Recife.
Com o aviso junto por copia do ministerio dama-
linlia de 14 deste mez, respondo ao oficio de Vmc.
de 12 de maio (indo, sobre o orphao Jos Coelbode
Carvallio Dias.
V. 964.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Mande Vmc. apresentar diaria-
mente s 6 Inras da tarde ao Dr. chefe de polista,
para serem convenientemente distribuidas no ser-
vico dL. randas 20 praras do corp) sob seu com-
mando.
. 96..Ditas aos juizes de paz do 3o e 4" dis-
tridos na freguesa dos Afogados.Fico de posse
do ofllcio de 2 do corrente, com que Vmc. re-
meiteu-me os tnappas estatisticos sob ns. 1, 8, 17
e 18, senda policiaes osdous primeiros, devolvo-os
aflm de que sejam remettidos ao ebefe de polica
como dispoe o respectivo regulamento.
X. 966.Deliberacao.O viee-presidente da pro-
vincia conforraando-se com a proposta do r. ebe-
fe de polica interino em offleio n. 928 de 26 deste
... mm >rs. agerues oa compa- mez, resolve nomear para o lugar vago de delega-
tlhufiS ^T"1,';-05 Srs- '"" do termo de Agua-Preta,aocidad;w Pedro Emi-
,nJ."*.!.,.'!:.s'J'?ir.:'.. ''- 1;"Iuelei .;| I""." di Silveira Lessa.
N. 967.Dita.O vie '-presidente da provincia
de conform'.dade com a proposta do Dr. chefe de
polica em ofllcio n. 910 de 26 deste mez, resolve
exonerar do cargo de subdelegado da freguezia de
Bezerros do termo do Bonito a Joao Francisco Ca-
valeaate.
N. 968.Dita.O vice-presdente da provincia
conforiuando-se com a proposta do Dr. chefe de
polica, em ofllcio n. 930 de 26 desie mez. resol^p
nomear para o lugar do sundele%ado da fi-cjrtiezia
de Bezerros Jo termo do Bonito a Francisco Gomes
dos Santos.
N. 969.Dita.O vce-presideate da provincia
de eonformidade com a proposta do Dr. chefe de
potiela em ofllcio n. 930 de 26 deste mez, resolve
exonerar do cargo de 3" supplente do subdelegado
da freguezia de Bezerros do termo do Bonito a Jos
Pereira de Souto-Maior.
N-970.Dita. vicepresidente da provincia
de eonformidade com a proposta do Dr. chefe de
potieb em ofllcio n. 930 de 26 deste mez, resolve
nomear para os cargos de Io e 3o supplentes do
subdelegado da freguezia de Bezerros do termo do
Bonito na ordem em que vao indicados a Bernar-
do Jos Brayner e Francis o Gomes da Silva
Vieira.
N.97I.Dita.0 vicepresidente da provincia
concordando com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca em ofllcio n. 933 de 26 deste mez, resolve con
ceder_ao bacharel Antonio Domingos Pinto a exo-
nerarn por ello pedida do cargo de subdelegado
da freguezia de Sar.to Antonio desta cidade.
N. 972. Dita. O vice-presidente da provincia
attendendo ao que lhe requereu o coronel Ernesto
Just da Silva Freir, commandante superior da
guarda nacional do municipio de Itambe, resolve
conceder-llie 60 dias de licenca para rao sertaoa
negocio particular.
. 973.Dita.O vice presidente da provincia
attendendo ao que lhe requereu Livino Brasiliense
do Reg Barros, escrivfw do juiz de paz e do sub-
delegado da colonia de Pimenteras do termo do
Bonito, resolve conceder-lhe 60 das de licenca
para tratar de seus negocios fra daquella locali-
dade. .
3.' secglio.
N. 975.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Declaro a V. S. para seu conlieci-
mento e aflm de que o Taca constar a quem com-
petir, que, com aviso do ministerio da fazenda de
23 do corrente, me foi remettida a portara da
mesma data, concedendo ao 4o aseripiuraro da
alfandega desta capital Joao de Assis Pereira da
Rocha, tres mezes de licenca com vencimentos, na
forma da lei para tratar de sua sade onde lhe
convier. a qual acha-so na secretaria desta presi-
dencia para ser entregue depois de pagos os res-
pectivos direitos.
N. 976.Dita ao mesmo.Mande V. S. liquidar
e pagar a empreza da llnminacao publica desta
capital, em vista dos documentos annexos ao inclu-
so requerimento o que justamente se desrer do gaz
cousumido com a illuminacao do palacio da pre-
n. 4356 de 24 de abril prximo lindo, transmillo a
V. S. a inclusa portera, que para ter esse destino
me foi remettida pelo director geral dos correius,
com oflkio de 23 do co rente, nomeando Manoel
Clemente Ribeiro Varejao, para o lugar d^ agente
do correio da villa do Cabo nesta provincia.
P. 979.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincialEm vista das contas c rotoojes juntas,
mande V. S. liquidar e pagar a Sebastin de Car-
Valho Cavalcante, ou a pessoa por elle autorisada,
conforme solicitou o Dr. chefe de polica em odi-
is de 26 do corrente, sob n. 927. a despeza feita
com o sustento dos presos pebres da cadeia do ter-
mo do Buique, durante os mezas de marco a maio
deste anno.
N. 980.Dita ao mesmo.Nesta data ordeno ao
chefe de polica, que mande entregar ae bacharel
Vicente jansem de Castro c Albuquerque a casa
de sua propriedade, que serve de quartel e cadeia
na villa de Ingazeira, e que por elle fra gratuita-
mente olTerecida para esse flm, em quaato durasse
a guerra do Paraguay, visto allegar o mesmo ba-
charel estar ella muilo arruinada e necessitar de
urgente concert, e nao poder por esse motivo,
continuar a prestar-se para o fim a quo a havia
destinado ; o que lhe communico para seu conhe-
cimento.
7" seccao.
N. 981.Offleio ao ixm. Sr. Dr. Braz Floren-
Manrique de Souza, presidenta di. jijvvium
do Maranho. Acensando recebido o oftlcrade 16
N. 989 Celiberacao.O Exm. Sr. vico presi-
dente da provincia resolve eoMeder a exoneracao
que pedio o engenheiro Luiz Jos da Silva, em ol-
licio de 22 do correte, do cargo de juiz cominis-
safio de iiiedieio de Ierras publicas nos munici-
pios do Bonito, Agua-Preta e Serinhaein.
N. 990 Dita.O Exm. Sr. vce-presdente da
provincia atiendendo ao que i-quereu o Dr. Luiz
Gonealves da Silva e ao geral interino da instruccao publica em 26 do cor-
reiite, sob n. 184, resolve conceder-lhe a exonera-
cao que pedio do cargo de delegado litterario do
wrtrieta de Goyanna.
nPRDUUm ASSIliNADO PELO SR. DR. JOAQLIM COR-
REA DE AltAtiJO, SECIIETARIO DOGOVEIl.NO, EM 30 DE
JU.NIIO DE 1869.
2" seccao.
N. 991.Offleio o director geral da secretaria
de estado dos negocios da insthja. Accusoo re-
eebimento do ollicio de V. S. de 23 deste mez,
acompaiiiiado da portarla de licenca do bacharel
Luiz .lo Albuquerque M.irtius Pereira, juiz de di-
reto da comarca da Boa-Vista a quem nesta data
flz a conveniente communcaco para sua sciencia
e lins conveuienies.
N. 992.Dito ao Dr. oh efe de polica interino.
O Exm. Sr. vice-presideHte da provincia manda
declarar a V. S. para o sen conliecimento. que de
coQWBiidade conl a s.na proposU va ollicio de 26
ez, sob n. 933, foi concedida ao hachare
do'corrente em que V. Exe. me communica haver Antunio Domingos Pinto, a exoneracao que pedio
prestado juramento e assnmido o exercicio do car- 9"^ dt subdelegado da freguezia de Santo
Antonio desta cidade.
N. 993.Dito ao mesmo.
F0LHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POR
director da companhia de Beberibe.Pelo seu of-
ie ni de 14 do corrente, tiquei inteirado de terein sido
eleitos pela assembla geral dos assionstas da
companhia de Beberibe, reunida no dia 12 deste
mez os membros da directora que deve exercer
a sua gerencia nos dotis annos flnanceiros do i
de maio do corrento a 30 de abril de 1871, e cu-
jos nomes vem mencionados no seu citado ofllcio,
seudo Vmc. seu director.
N. 987.Dita ao engenheiro encarregado das
sidencia, coxeira e casa da guarda, nos mezes de -obras geraos.Recommendo a Vmc. que em vista
prximo passado a marco ul-
outubro do auno
timo.
N. 977.Dita ao mesmoSegundo consta de
aviso da reparticao da guerra de 19 do corrente,
foi approvada a deliberacao tomada por esta pre-
sidencia de nomear o coronel aggregado do corpo
de estado-maior de V classe Hygino Jos Coelho,
para exercer interinamente o lugar do director do
arsenal de guerra desta provincia; o que commu-
nico a V. S. para seu conliecimento.
N. 978.Dita ao mesmo.De eonformidade com
o art. 6" do regulamento approvado pelo decreto
Paulo Fval
Segunda parte
TRES PATAS
VII
O Pacto.
(Continuai.o do n. 216)
Echalot tirn o velho chapeo depalhae
limpou com a manga o suor da testa.
Isso pelo menos, pensou em voz alta,
explica o abandono momentneo da crean-
cinlia do berco do teu amigo. Lisso
verdade : roda da gente chovem mysterios
c mais mysterios .'... mas, oiha c : nao
te disseram assira nada respeito de ma-
tar a mulher ?
Nem sombras.
E j a bispaste em casa d'elles ?
Posso dar-te um juramento d'alma
que nao est l.
Ent3o onde est ?
Abi tens. Mysterios!
E que tens l feito at boje ?
Durante tres dias, replicou Similor
meio envergonzado, dei, como o] oatro
diz, as voltas da casa, limpei as botas e
nao r. poucos recados. preciso pagar a
aprendizagem, no verdade?
E que recados fizeste ?
Aos alfaiates, casa de pasto, ao lugar
de fructa... E por isso que tu me n5o
tozeste a vista era cima... Mas antes de
lontem, comecei...
Aqui, Saladin grunhio ; nao estava muito
vontade o pobrezinho. Echalot recoro-
mendou-lhe que estivesse quedo, e che-
gando-se para o amigo com rmpante,
isse-lhe:
Vamos a ver se te expandes com sin-
ceridade I
ABle^ootem, prosegoio Similor, o
mais novo, o Mauricio, bem bom rapazinho.
por tal signal, deu -me urna carta com dous
francos e meio para a jornada. A carta nao
tinha sobrescripto. Tratava-se de traze-Ia
para aqui ao p...
Ao castello, interrompeu Echalot, en-
caixando no sovaco o bien de Saladin para
impedi-lo de herrar.
Prximo... Ento tu seguiste-me ?
S at ao barco... Para quem era
a carta ?
Mysterios !
A quem a entregaste ?
A* ninguem.
Como ?... Queres dissimular ?
- Palavra de honra Metti-a debaixo
urna grande pedra, que (lea o meio
go de presidente deca provincia, aproveito a op-
portunidade para apresentar a V. Exe. os protes-
tos de minha estima e consideraban.
N. 982.Dito ao Exm. Sr. Theotomo de Souza
Mendes, vice-presidente da provincia do Piauby.
Acensando a recepcSo do offleio de 31 de maio ul-
timo em que V. Exe. me participa haver assnmido
na qualidadede seu 1* vice-presidente a adminis-
traco dessa provincia, cabe-mo assegurar a V.
Exe. que serei solicito no cumprimento de sqas or-
dens, quer sejam estas tendentes ao servico pu-
blico, quer ao particular de V. Exe. a quem Deus
guarde.
N. 983.Dito ao director geral dos correios.
Nesta data e de eonformidade com o art. 6o do re-
gulamento approvado pelo decreto n. 43-6 de 24
de abril de ultimo rcmetti a thesouraria je fa-
zenda a portara que para 1er esse destino acom-
panhou o ofllcio de V. S. de 23 do corrente.
N. 984.Portara ao administrador do correio
Tendo nesta data e nos termos do art. 6o do re-
gulamcnte approvado pelo decreto n. 4356 de 24
de abril prximo lindo, transmittido a thesoura-
ria de fazenda urna portara que me foi enviada
pelo director geral dos correios com ofllcio de 23
do corrente, nomeando Manoel Gemente Ribeiro
Varejao para o lugar de agente do correio da vil-
la do Cano ; assim communico a Vmc. para seu
conliecimento.
N. 985.Dita ao regedor do gymnasio provin-
cial. Respondendo ao seu ofllcio de 12 do corren-
te, tenho a dzer que em vista das iuformacocs
juntas par copia dos inspectores d'alfandega e the-
souraria de fazenda de 21 deste me* ffvm ser sua proposta em ofllcio' n. "928 de 26 deste mez.
despachados, pagando os dnvidos direitos, as tres N. 998.Dito ao commandante superior da guar-
caixas com louca de que trata o eu citado ofllcio da nacional de Garanhuns.0 Exm. Sr. vice-pre-
e conliecimento que devolvo, solicitando Vmc. por j Bidente da provincia manda declarar a V. S. que
intermedio desta presidencia ao Exm. ministro da ica inteirado p<
fazenda a sencao delles, os quaes serao restitui-
dos depois de reeebida a competente ordem.
N. 986.Dita aoDr.Symphronio Cesar Coutinho,
O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provecia manda communicar que
acaba de expedir ordem ao commandante do car-
po provisorio de polica para fazer apresentar dia-
riamente a V. S. viole piaras para o servico de
rondas nocturna*.
N. 994.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vicepre-
sidente da provincia manda declarar a V. S. que
nesta dala se expedio ordem ao commandante su-
Sierior da guarda nacional deste municipio para
azer destacar no terceiro Astricta desta capital a
dsposieao do respectivo delegado, um inferior c
quatro pravas de um dos batalhoes sob aquelle
commando superior.
>'. 995.Dito ao mesmo.De ordem do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia transmuto a V.
S. os ttulos juntos de nomeacao do subdelegado
do districto de Bezerros do termo do Bonito e dos
seus prmeiro e terceiro supplentes de eonformi-
dade com a sua proposta em ofllcio n. 930 de 26
deste mez.
N. 996.Dito ao mesmo. S. Exe. o Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S.
em resposta o seu ollicio de 26 do corrente, sob
a. 927, que a thesouraria provincial tem ordem
para pagar a ScbastiSo de Carvalho Cavalcante,
ou a pessoa por ello autorisada a quantia de.....
1256U, constante do citado ollicio.
N. 997.Dito ao mesmo. De ordem do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia transmiti a V. S.
o ttulo junto de nomeacao do cidadao Pedro Emi-
liano da Silveira Lessa, para o lugar de delegado
du termo i!" Agua Prela, de eonformidade com a
guarda nacional desse municipio, do que ficou in-
teirado.
N. 1002.Dito ao presidente do conselho de re-
visao da uualfleacao da parecida de Xossa Senho-
ra do O- de Manmguape.O Exm. Sr. vice-presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. que ti-
ca inteirado por seu ofllcio de 26 deste mez, de
haver nesaa data concluido os seus trabadlos o
conselho de revisao de qiialifiracao da guarda na-
cional desia parochia de que foi V. S. presidente.
N. 1003.Dito ao presidente e mais membros
du conselho de ievisao da guanta nacional de Na-
zareth.O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar a VV. SS. que Sea inteirado por
seu ofllcio de 22 deste mez, de ter esse consellio
concluido os seus trabalhos.
N. 1004.Dito ao bacharel Luiz de Albquerquc
Martins Pereira, juiz de direto da Boa-Vista.
Pela secretaria do governo se faz aetaota ao Sr.
bacharel Luiz de Albuquerque Martins Pereira,
juiz dedreito da comarca da Boa-Vista, que nella
se acha a parlara do Exm. Sr. ministro da justi-
ea de 21 deste mez, concedendo-llie seis mezes de
licenca para tratar de sua sade onde lhe couvier,
sendo dius mezes com ordenado por inteiro o
quatro com a metade gmente, a qual lhe ser en-
tregue depois de satisfeitos os respectivos direitos.
3'sereau.
N. 1005.Ofllcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.S. Exe. o Sr. vice-presidente da provin-
cia manda transmittir a V. ?. as duas inclusas or-
dens do tribunal do thesouro nacional, sendo urna
reservada datada de 23 do corrento, e a outra, sob
n. 82, acensando a remessa de 3.0004 em notas
de 1 e 2.
N. 1006.Dito ao mesmo.S. Exe. o Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S.
para os lins convenientes que, segundo o ofllcio do
Conceda-se
ao dia que
Joao Cancio Ribeiro do Ainaral. -
sob conjcao de s eomoeaf a gosar
seguir |iara a curte.
Manoel Antonio de Jess.D se.
Moximiano Antunes Tavares. luirme o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda, ouvindo o da
alfandega.
Manoel Joso" de Oliveira c Miranda.-Informe o
Sr. Dr. juiz dos feilos di fazenda.
*'
Hcparli^o da polica.
seccao.Secretaria da polica do Pernambu-
co, 23 de selembro de 1869.
N. 1386.Illm. e Exm. Sr.Levo ao cooheei-
mento de V. Exe. que, segundo consta das iiarti-
cipacoes receidas nesta reparticao, fran> reco-
lliidos a casa de detencao os seguutes indivi-
duos :
A ordem do subdelegado da frepnezia de Santo
Antonio, Jos Antonio, por crime de furto.
Por offleio de 18 deste mez. parlicipou-nie o
subdelegado do districto da Varzea que no logar
denominado Mesquita, em trras do engenbo S.
Cosme d'aquella freguezia, estando na tarde do dia
17 Manoel Gomes Ramos, conhecido por Manoel
Camarao, de 40 annos do dade, casado cora seis
Albos menores, ocenpado em lazer fariuha de man-
dioca, e preparando i ma porciio de massa para
comprim-la na prensa, snccede'u desabar asta re-
pentinamente o bater-lhe na fronte esquerda e
em twdo o rosto coin tal violencia que deitoa-o
morlo por trra.
A mesma autoridade procedeu logo ao compe-
tente auto de vistona.
O delegado do termo de Santo Antao, em offleio
de hontem datado, me coniniuiiicou que fra in-
formado pelo subdelegado do 1 districto de ter
do incluso orcamento, que me ser devolvido, or
ganise e me remetta com urgencia as clausulas
que devem servir de base a arrematarn dos repa-
ros de que precisa a escada de desembarque do
largo de Pedro II.
N. 988.Dita ao gerente da companhia Per-
nambucana.O Sr. gerente da componhia Per-
nambucana mande dar transporte at o Rio Gran-
de do Norte no vapor Ipujuca, em lugares de
proa destinados a passageiros d'eslado a Vicente
Ferreira de Aguiar e a Manoel Antonio do Nase-
raento.
de
do campo uns cm passo's para diante da
mata.
A cabera de Echalot descahio-lhe para o
peito. Nao haveria melodrama capaz de
dar com elle em to laboriosas coramo-
cSes.
E depois ? articulou, em qr.anlo que
Saladin soltava arrancos abafados. v
Hontem, nada, replicou Similor ; esta
manbJSa segunda incumbencia.
Outra carta ?
N5o, um recado... Um recado do
maior, o Miguel, o que est para casar...
Olha que est embeicado de veras.
E que recado ?
Maldito sejas por todos os seculos
dos seculos, replicou solemnemente Simi-
lor, se trahires a minha confianza Eu
dou lingua como um pateta, porque me
alige ver-te continuamente desconfiando
demim. Lembra-te, porm, que arrisco
a de meu filho...
repeli o frvido
a minha existencia e
Que recado ?
Echalot.
Ahi vai tim-tim por tim-tim. Disse-
me o Miguel : < Desembarcas no caes do
Sr. Scbwartz, e passeias com todo o teu
descanco de m3os as algibeiras, at encon-
trares com um criado de libr cinzenta com
botSesjie prata, a olhar para a agua.
^n-o eu exclaraou impetuosamente
o ex-pharmaceQtico; os botes, a libr,
ludo ; e estava embasbacado para a agua!
O recado, meu velhinho, dize-me o reca-
do... Calas-te ou n5o, Saladin ?
Romper o dia amanha ? pronun-
ciou Similor ao ouvido do companheiro.
O que ? soltou este, que julgou nao
ter ouvido bem. Romper o dia amanha?
Nem mais palavra.
E a resposta do criado ?
Jalvez... conforme.
Como assim ? Ento o homem nao
sabia se amanha o dia rompe ?
Tinha de se informar primeiro.
Com quem ?
Nao sei. O que elle me disse foi:
f Passeie, meu rapaz, d urna volta,
contemple esses campos, que sao bonitos
ao por do sol, e n3o se enfade, se vir que
levo muito lempo a trazer-lhe a resposta.
Dei, pois, um passeio pelo sitio, que
agradavel. Quando anouteceu, voltou o da
libr parda, e disse-me, tomando urna pi-
tada que rae nao offereceu:
Ha de romper o dia no lugar do eos-
turne, esta noute, pelas dea horas.
O dia, s dez horas da noute! excla-
mou Echalot.
Mysterios 1 replicou Similor.
A seu modo, Saladin, meio sufocado,
gntava da guarda mas nenhm delles
lhe prestava ouvidos, tanto os arrebatava a
situarlo.
Debalde procuran Echalot lular contra a
commoco. Esfregou os olhos cora a man-
ga, e depois, obedecendo a rresistivel ex-
panso, passou tiracolo o Saladin. que
nao eslava completamente asphyxiado, e
apertou Similor contra o peito, inundan-
do lhe de doces lagrimas a vesta.
Amadeu, exclamou em verdadeiro es-
pasmo de ternura, verdade que tive sus-
peitas tuas; peco-te desculpa... Quando
entravas em casa, cheiravas caf, apezar
de seres o pai da crianca, e dizia eu co-
migo : este malvado regala-se szinho,
atraicoando a sociedade. Quiz experimen-
tar-te ; sahiste-te victorioso f ,
Era occasio de se apreciar a grandeza
chefe de polica interino de 26 duste mez, sob n. |ldo assassinado, no da 18, Joao Francisco dos
934, o destacamento da villa de Tacarat no mez I Sanlos Pr Capitulno Jus do Nascimento, em Bue-
de maio lindo, foi de um offlcial, um inferior e no*;Ayres do mesmo termo, logrando o criminoso
por seu ofllcio de 26 de maio ulti-
mo, sob n. 44, das consultas que (orara feitas pelo
commandante interino do batalhao n. 50 desse
municipio relativamente a qualiflcaco do dito ba-
talhao e bem assim da solucao que a ellas deu V.
S. como se v das copias que enviou.
N. 999.Dito ao juiz municipal de rfmretb.
0 Exm. Sr. viee-presidente da provincia manda
declarar a V. S. que tica inteirado por seu offleio
de 17 deste mez, de haver V. S. nesta data reas-
sumido o exercicio do seu cargo.
N. 1000Dito ao Sr. capillo Jos Elias de Vas-
concellos, presidente do conselho de revisao da
guarda nacional do Curato da S.O Exm. Sr.
iee-presidente da provincia manda declarar a
V^S. em resposta ao seu ollicio de 2a deste mez,
quo tica inteirado de se haverem nessa dala ter-
minado os trabalhos do conselho de revisao do
qualiflcaco da guarda nacional desse Curato, do
qual foi V. S. presidente.
N. 1001.Dito aos Srs. presidente e membros do
conselho de qualiflcaco do batalhao n. 29 da guar-
da nacional do Cabo.O Exm. Sr. vice-presidente
da provincia manda acensar o reeebimento do of-
fleio de 22 deste mez, em que VV. SS. participa-
ran! ter a 21 encerrado os trabalhos do conselho
de revisao de qualilicacao do batalhao n. 29 da
de animo de Similor. 0 generoso ex-
mestre de dansa nao abusou do triumpho.
. Vamos, vamos, meu velho; nao
te zangaes. Sirva-te isso de lico, para
te nao entregares quantos desvarios o
cime te suggere..
Acceita o meu juramento interrom-
peu Echalot. Tenho sollrido muilo I Eu
estava all, beirado canal, esperando-te ;
eo, cujo generoso carcter a espionagem
repugna. Vi-te chegar, acerqaet me por
traz do vallado... Queres saber? Se
me tivesses engaado, a esta hora hevia al-
guma desgraca a lamentar! Nao me atrai-
coaste, porm. Ouvi as proprias palavras
do tal criado, que parece um cobrador do
banco : Talvez... Conforme. Vi-o retirar-
se e ficares esperando; andei e desandei
por traz do vallado, e nao tive pouco tra-
balho em impedir que o petit berrasse..
E quando o lacaio voltou, proferio effec
tivamente : Esta noute, pelas dez horas.
E que quererao elles dizer na sua,
Amadeo ? interrompeu sbitamente. Que
quer dizer o dia a raisturar-se com a noute
n'aquelles esconderijos.
Similor sorrio, como quem v mais que
palmo adianto do nariz.
Cousas, cousas!. Olha que pozeste
o Sajadin de cabeca para baixo, n5o vs ?
N*esta idade nada os incommoda, ob-
servou Echalot.
Similor endireitou o boneco, que se de-
bata convulsamente, e conveio em que era
justa a observac5o. Proseguio : Mysterios,
homem, tudo mysterios! Altas combina-
ces, systemas diablicos, santos, senhas e
contra-senhas, sociedades secretas, pedrei-
ros livres, entendes ? Quem se nao arris-
cou nem perdeu nem ganhou. u voto
para coe entremos na historia,olha que tem
muitas ramificacoes ; ainda boje o vi no
barco em que ebeguei. Metade e Pars
perteBce-lhe. Entra tambem contigo.
Est dito replicou Echalot. Se
tu entras, eu nSo fico de fra. Toca !
Toca I jaremos fidelidade...
< At morte, Amadeu... Para que
fim?
vinte pracas.
N. 1007.Dito ao mesmo.S. Exe. o Sr. vice-
presidente da provincia manda transmittir a V.
s. as tres inclusas ordens do ministerio da guer-
ra datadas de 15, 18 e 21 do crrente.
N. 1008.Dito ao mesmo. O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S.
para os fins convenientes que, segundo o offleio
do juiz municipal do termo de Nazareth, bacharel
Joao Baptista do Amaral c Mello, de 17 deste mez,
nessa data reassumio elle o exercicio de seu cargo.
N. 1009.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar a V. S. para os lius convenientes,
3ue nesta data expedio ao commandante da gusr-
a nacional deste municipio para fazer destacar no
terceiro districto desta capital a dsposieao do res-
pectivo delegado um iulerior e quatro pracas de
um dos batalhoes sob -aquelle commando "supe-
rior.
4* seccao.
N. 1010.Ofllcio ao director geral interino da
nstruccao publica.S. Exe. o Sr. vice-presidente
da provincia tendo por deliberacao desta data e
em vista de sua informacao de i 6 do corrente,
sob n. 134, resolvido conceder a exoneracao que
pedio o Dr. Luiz Gonealves da Silva, do cargo de
delegado litterario do districto de Goyanna ; assim
o manda communicar a V. S. para seu conlieci-
mento.
N. 1011.Dito ao Sr. engenheiro Luiz Jos da
Silva.S. Exe. o Sr. vice-presidente da provincia,
tendo por deliberacao desta data resolvido conce-
der a exoneragao que V. S. pedio em seu ofllcio de
22 do corrente, do cargo de juiz commissario de
medican de ierras publicas nos municipios do Bo-
nito, Agua Prela e Serinhcm ; assim o manda
communicar a V. S.^iara seu conliecimento.
DESPACHOS DA VICE-PRESIDENCIA DO DIA 21
DB SETEMBHO DE 1869
Tencnte-coronel Alexandre Magno Peixoto de
Alencar Seja removido para a cadeira de Petro-
lina como pede.
Braz Marcellino do Sacramento.Encamnhe se.
Candido Emygdio Pereira Lodo.Junta esta pc-
tiio anterior remetta-se ao Sr. inspector da the-
souraria provincial para informar.
Francisco Ferreira Borges.-Informe o Sr. ins-
pector da thesouiarn de fazenda.
Irmandade de Nossa Ssnhora do Rosario da fre
guezia de Santo Antonio desta cidade.Nao tem
lugar o que requer em vista das informacoes.
Jos Laurontiuo de Azevedo. Cerlifique-se o
que constar.
Joao Po da Fonceca.Como requer.
evadir-se ; e bem testa) que esse aconlecimeoto
era atlribuido dissidenci is motivadas por des-
confiancas que tinha o morlo de que o assasino se-
duzia a urna sua lillia para casar-se com ella
O mesmo delegado, em offleio de igual data,
annunciou-me que no da 14, no logar denomina-
do Cha da Aldea daquelle termo, tendo Jos de
Sant'Anna ferdo gravemente a Manoel da Luz de
Araujo, foi preso e e^ sendo processado.
Deus guarde a V. ExeIllm. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Nascimento Machado Portel la vice-
presidente da provincia. O chele de polica
Francisco de Assis Oliveira Mactel.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
PONTES BO CAXANGA E DA PASSAGEM.
Por deliberacao de 23 do corrente, S. Exe. o Sr.
vice-presidente da provincia, em vista de informa-
cao do engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas, resolveu abrir novamente concurso para
a construceao das pontos da Passagem da Magda-
lena e do Caxang, devendo as prelendentes apre-
sentar suas propostas at o dia 8 de outubro pr-
ximo, em carta fechada, para o que podero ir,
desde j, examinar a nova planta e orcamentotda
ponte do Caxang, na secretara do governo.
MORTE CASUAL.Estando Manoel Gomes Ra-
mos, homem de quarenta annos, casado e com seis
filhos, fazendo farinha, no dia 17 do corrente, em
trras do engenbo S. Bosnie, da freguezia da Var-
zea, fui esmagado pela machina de esprcmer a
massa, morrendo instantneamente.
ASSASSIXATO.No dia 18 do corrente, no t
districto da subdelegara de Santo Anto, Joao
Francisco dos Santos foi assassinado por Captuli-
no Jos do Nascimento, que logrou evadir-se, at-
tribundo-se dissidencias motivadas por deseon-
fiancas que tinha o morto de que o assassino pro-
curava seduzir-lhe urna sua lillia, para com ella
casar-se.
CAPTURAPelo delegado de Santo Antao foi
preso Manoel da Cruz de Araujo, por ter feito fe-
rmenlos graves em Jos de Sant Anua, a 14 d<>
crreme, no lugar Cha da Aldea.
IRMANDADE ACADMICA DO BOM CONSE-
LHO.Domingo tem lugar a pose da mesa admi-
nistratrativa do anno de 1870, logo depois da
missa da padrocra desta irmandade.
.NOTAS A RECOLHER.Termina, no ultimo d0
Para tirarmos o p do lodo, e abrir
carreira ao pequeo.
A' paluda luz que haixa das estrellas,
estenderam ambas as maos, sem idea reser-
vada de imilaretn a attitude dos Horacios.
A estrada estava solitaria. S tu, oco...
tu e Saladin, foram as nicas testemunhas.
Sao instantes solemnes. Nao se assignam
pactos taes, sem se ficar profundamente
commovido.
Ha era Paris bairros, cuja educaco est
exclusivamente confiada aos autores que
escrevem para os theatros indinos, tn
qnarto de legua em volta .do boulevard do
Crime, h3o de reconhecer com horror em
todas as ras o temivel estylo de Fulano
eSicrano : tudo copiado, assim a em-
phase um tanto burlesca da linguagem se-
ria, como o duvidoso atticismo das gra-
molas.
Echalot e Similor raro gracejavam ; ac
bavam elles de fundar urna sociedale, cujo
fim asss vago era pescar as aguas turvas,
no meio de um phantastico ocano cuja ri-
queza e cujos perigos de certo exagera-
vam. Eram dous poetas de coraco quenle,
de imaginaco singela, dous filhos da eterna
floresta de papelo que assombreia e melo-
drama, dous selvagens de Paris. Ensin-
ra-lhes o theatro sentimentos ternos e a
agradavel grammatica de que usavam, des-
denhando a rude e boa linguagem do povo,
que se vai infelizmente perdendo de dia para
dia, transformando-se em nSo sei que estu-
pido dialecto. Nao aecusamos o lhea.ro do
haver innocalado n'elles o peccado da pre-
guica: detestavam, porm, o trabadlo, e,
acreditem-me, quando encontrarem em
Paris almas sensiveis que nao querem tra-
balhar, vigiem-lhes as mos e acautelem as
algibeiras.
Concentrado silencio seguio ao pacto
concluido.
Ao passo que iam fallando, tinham -se
os dous amigos afastado da eslaco. Um
rumor surdo e longinquo lhes deteve os
passos.
O carro, disse Similor. Eu de boa
vontade me lamba com um logarzinho na
almofada, para poupar as palhetas.
E Saladin que se pella por ir de car-
ruagera, replicou Echalot
Quanto ha em caixa ?
Vinte sidos de cadozes.
Eu, quinte. E' pouco.
Abrio-se de traz delles a porta de urna casa,
e ouvio-se urna voz :
Vamos, vamos, Sra. Campeo ; queira
aviar-se. Traz o peixe ? O' Felicidade.
allumia. Vero que n3o apanlio o meu
cantinho.
Allumiou-se a porta ao claio de vasta
lanterna, que urna criada de mu humor
balancava.
Detraz d'ella, surdio gorda matrona, car-
regada de embrulhos, buffando, mal estu-
gando o passo, e tropecando as saias cada
volta.
Has de ser sempre o mesmo, Adolph.'
chorou. Guardas-te para a ultima hora,
quando t5o fcil entrar na estaco dois
minutos antes! Eu levo Unco, Felicidades
Feche bem o guarda-Iouca, por causa das
moscas. Faca por obter um gato. 8e
fr traquinas nao o quero...
Depressa, depressa I disse o Adolpbo.
que tinha tomado a dianteira. Trazes >
peixe, menina?
Eu levo o peixe, Felicidade?
0 Aldopho voltou-se. A luz da lanterna
bateu-lbe em cheio e illuminou dos bicos
dos ps at cabeca o magnifico pescador
das raargens do canal, que tentava apanhai
um lucio de quatorze libras.
Caminhava larga e sera peso alguni.
apenas munido de urna rica bengalla pisca-
tocia com seu castao escamoso e da ultirn i
moda, emquanto que a deploravel Sra.
Campeo ia ajoujada com o peso dos em-
brulhos.
Nstem que os parisienses condomnam
amargamente os costumes dos paizes bar-
baros em que as raulberes cavam aterra.
0 nome da Sra. Campeo era Celeste.
Na ultima festa de S. Cloud, pesava ella du-
zentos e dois kilos. .
(Cotitinmr-se-ha.)





t
Diario de Pernambuco Sexta eira 24 d& Setembro de 1869.
m
corralo, mez. o praso mareado para receUraento
das tellas do thesouro de 5* o 105 rs.
LQJA-DB CAJEADO.-Os Srs. Joaquim-Das do*
Santos t C. acabara de abrir, na ra Nova n. 30,
um i lajlerimenio do calcado inglcz c
francez, dos aMMmrts o-mais acreditados fabrican-
tes; os quaes wndem m.vs barato do que em
outra quaiquer pino, por se contentaren) com
mdico lucro, Ilecommes&aino-lo aos SOMOS' !ei-
tores.
NOVA MBLICACA Dentro em poneos da
deve sabir .i lu/. nm ovo trnbalho do Sr. Kran-
eteao Augusto de Alm-ida, digno 1." uscripturaro
da Rccened >ria de ronda*, centendo a collcrao
dosreguianentos sobro os imposto* pessoal.es-
eraros, industrias proIKscH, transmi-sa de pro-
priedade. diurna do chae-Hara, cmolument s,
mullas appucada* a lasen la publica, e cofre de
defesHoe, indiada rada mu driles cuM as instrue-
Qftefl e deeudes |osieriori>s.
Esto trahalbo, parle do qnal j leos, carioso
o digno de ledo o acolhimento, pula clareza e eon-
citR i co:n que se aeha feiln, sobretodo nos advo-
gado*. attlieiladores, cummcrciantese empreados
publicados, que oais cu menos achara so. coin-
prehcndifios as disposicoes dessa legislaeio.
At qne se acn a ultra completamente mpressa
O preeo di assignalara de 3 o exumplar, -n lo
o dnpeu de mpressa 14; pelo nao, aquellos que
.1 h jarem gosar da rantagot, devetf des.lo j
ircni iiiser.vci--' i na estrella do l'is.irin n. 12
IMSTITBT HISTRICO E PHILOSOPIUCO.
Esta sociodado funecionon heoteio, em sessao or-
dinaria, sob a presidencia d i Sr. Holanda.
Depois di li'itura da arla e do expediente, fo-
ram approvado] : weios elTectivos os Srs. Fiel
Vioira Turres, Grangeiro, Francisco Altino Corroa
de Araujo, Euthymo Pereira de Aibuquerque,
MO Basto* de Mullo Gomes, fnaquim da Silva
Reg Jitnior o Guneru Laslosa da Cunha ; e so-
cios hooorariiis os Sis. Ins. Antonio da Cruz Cor-
deiro, Aprigio Itistiniaiio da Silva ijuinaraes, Jos
Soares de Azevedo, Innocencia Serphiej de Assie
Carvallio, Manocl Parreflt da Silva, Joaipiiui ora-
ran de Araujo, c Antonio Ilerculauo de Suiza
Bandeira.
foram approrados, cm lerceira diseussao, os
novus estatutos.
O Sr. ellar iiih.inie C. de Castro Chaves tirou
sorte a Ihse Bif neraridao i MM urijem para
sustentar n'oma das prximas sessoes.
PASSAMCNTi. Fallecen ante-bontem noute,
d'Uma eengeslao cerebral, o teuente-curonel re-
formado da guarda nacional, Feliciano Joaquini
dos Santbs, nombro do partidao liberal
INCOMMODO.A mancha descompassada por-
que caiitaio curtos diletaulis 'mu-dcacs da ra d.is
Cruzes, causa verd ideiro incommodo aos pobres
vizinlios. que boa pagaran) para nao trseme-i
Ihaue grasiuai/io. Chamamos para isso a alten-
cao da aatoridade competente.
SOCIEDAD!': PATRITICA DO POCO DA PA-
NKI.LA. (JiKiiiuiic.'iMi-iiiis o seguinte sobre a
reunan do iba 22 do trnente :
a liontcn as (i lloras da tarde, reunidos no hotel
d i Moiio'iio diversos Miembros desla sociedade,
dettberaram que fes*e nomeade o ir. Jos Pran-
eiseo do ftagu para a coinminio dos festejos nos
Apipuens, em lugar do Sr. Jos Bnrle Jamar, que
dcclamu nao aceita-la. para a comiuissa i do
n Uiadrio r.a me-oia locadaile o Sr. Antonio Bt-
ri.iuo do Keg i Barros, m rabstftoieao ao Sr.
Krincisco C. Monlfiro que fui deatjtoido por nao
tur comparecido sessiio o nem participado se
accitavaa dita coinmissao.
t Bn seguida aebaRdo-te presente maioria dos
inembros di o mmissao de u-quaIrao, procuduu se
a esc din do commandante do mesmo csquadiao.
que recahio na pessoa do Sr. majar Joaquim de
Aibuquerque Mello.
O Sr. presidente n imeon enlao uina coinmis-
sao para ir participar ao Sr. Aibuquerque, a esco-
lla que se acabava do fazer de sua pes-ns, para
comuiandar o usquadrao patritico do Poco da
l'anella, e levanten a sossi*.
a A coinmissao mineada aconipanbada id inais
alguns inembros da sociedade dirigio-se iramedia-
lamente chcara do Sr. Aibuquerque, o qnal
reeebendo-a mu amavelmento, responden como
era de esparar, que de ba voiitade aceitava lio
honrosa noiBeaeau, prometiendo envidar todos os
esforr is para a rcalktacio de Ido feliz e patritica
idea.'
A commissa) dos festejos deixnn de funecio-
nar por nao tur comparecido numero aofficiente
de scus membros, sendo portanto de esperar que
se reunirao o inaU breve possivel.
LOTEIUA.-A que se acba venda a 121', a
beneiici di matriz de bboalo que corre no
dia i'X
PASSA6EJB0S. Entrados de Tamandar o
p irlos inierinedios no vapor Parahyba :
Alfredo Henrquc Garca, sna senbora e urna
eserava, D. Augusto Il.illi.lay, I). Victoria Neltu.
Sabidos para os portos do sul no vapor Ja-
gnurihe:
Maximian Augu-;i Villas Itoas, Antonio II. de
Brito, Jnitonio lloJrigu," di Silva. C. Lapaniere e
nina menina, Horacio Urfa, Albino Antonio de
Souza, Antonio S. de Brito, Jos Portella, capitn
Bandera, Antonio Francisco Maia. Padre Jos Ho-
- bardo da Silva, Antonio Flix Pinheiro, Jos Mar-
ques da Ron.
CMARA MUNICIPAL.
4* SESSAO ORINAIUA DE 13 DE SETEMBUO
DE 1869.
PRESIDENCIA 0.) Mi. Dn. SoUZ.V I.B0.
Presentes os Srs. Dr. Barros Brrelo, Dr. Cos-
ta Jnior, Gaineiro, Dr. Moscoso, Dr. Seve, Souza
Migalhaes e Dr. l'itanga, abre-se a sessao.
E' lida e approvada a acta da antecedente com
a reelamaeao do Sr. Souza Magalbes de, na parte
daquejla aeta onde falla do estabeiecimente do Jos.'
Velloso Soares nao ser particular, declarar-se qur
publico, porquanto nao ha estabolecimenlo que
seja particular.
O Sr. Dr. Moscoso pede a palavra, e faz o se-
guintt requorimento que pprovado.
Requeiro que os pareceres da commisslo do
cemilerio ijue foram lid is na sessao ultima desla
cmara sejain traaseriptos na acta.
Paro da cmara municipal em 13 de sotem-
-teode 1869.Dr. Abo Moscoso.
Votaran contra o requerimento citado os Sr?.
Dr. Costa Jnior. Garaeiro e Dr. Pitanga.
O Sr. Dr. Cotta Jnior pede a palavra, e faz o
seguinte requerimento, que tamliem toi approvado.
Itequeiro que suj.im tainbeni declarados na
acta os motivos, que mo levaram a assignar o pa-
recer com restricoes.
Sala das fcsses da cmara, 13 de setombro de
1859.Cos* Jnior.
O Sr. pmentante vana contra o parecer cima.
Segu--e o l parecer:
A coinmissao do ivmitcrio, quein esta c-
mara orden m que assistisse a entrega do estabe-
ledmeBto ao novo administrador rom dar coma da
sua inisso e passa a ex|H)r q que obsorvou o o
seguinte.
l. As ras do ecmftcrio acham-sc conectas
de l'ollia- tfeca?, relva e capim, demonstrando que
aManuaiu cuido cm limpalas; entretanto que
exioMfc quolidiaiamento tres coreiros e sois ser-
veirM^;ijas folhas de pagamento nunca apresen-
tam a m.iis pequea aheraco ou falta, e se csses
mve individaos trabalhasseo regalamiento, seria
tal vez p ."ss.ial demasiad i para tal servio.) ; mesmo
que bouvesse o dobro dos enterramentos.
As catacumbas em geral esto omito mal
tratadas; e as pertencentes a esta cmara instara
por urge i tes reparos pelos estragos que tem sof-
frido: o que merace graw censura, porquo a c-
mara paga i'WO diarios a um pedreiro para
abrir e Reliar catacumbas; e pode se affirmar
que na mor parte dos dias, elle nao gastar nem
a qnarta parte de len)M nusse servico, podendo
estor n resto do dia nnpragado om nutro qoalqer
servieo, como fosse esse concert das Mtaouinbas,-
o que evitara que ella- se arruinassem at o [unto
a que ehegaram.
3. Ainaior liarte das arvores plantadas as
io do urna das especie- il
i|a. dan b o no terreno, porque quan-
Hegam i certa altura militas morrem: e alera
' aspecto m.'a t-m de embellisador; a
le que mais abunda, urna planta
do p remenliti'i, cuja prespuettta nada
8 u eheiro desagrada.
,.d < repugnante que exhala na occasiai da inflo.
i taz era que b ile uinguein -a queira mais
iu sillos. Senli o terreno pro-
pno pan mmto grande numero de arvores fron-
l< as o de linio aspecto, admira que .mu ellas nao
rnamcular o cwniterio, iwque
.issini estara elle tiqfe eoberto do militas e bella*
arv.r s.
4. A commiss5o, assi-tind i a ontroga dn ron-
pas da capolla. nao pode deisar de reparar que
lada no mosiiio gaveUu a suja Cun
iigoriimada, estando por con i esta
imito escura, e deitando milito mo clieiro.
S." O archivo o mpveis da secrotaria acha-
vara-se em ordem.
.i Contra a terminante dfeposieao do art. 8o
do rogulatneiim do ceinitero, que prohibo que se
sepult cadveres as catacumbas antes de c-t irem
ellas completamente acabadas c promptas, ha ca-
d i veres sepultados cm catacumbas que esto mul-
to lofigc de estar acabadas, o que decerlo digno
"de censma.
t Pona, a. eamminao que na > ha neccssidade
de entrar em outrat iniuudencias : n que fica re-
latado Musiente para mostrar que o estabulen-
monto se alia e;n um estado que nada tem da li-
songeiro, c menos ainda de prospero.
Conclu pedindo que se ordene ao administra-
dor que cuide quanto antes no concert das cata-
cumbas, approveitando o pedreiro as horas vagas,
que sai qqaai todas, \wis que c elle muilo be
pago:
Que trata de fazer limpar as ras c remov
o cisco que abunda em todas ellas.
. Que procure plantar nutras arvores que le-
nbam melhur aspecto e tejan mais proprias di
terreno.
t Que faca plantar flore?, pras quast nenhumas
existem actualmente,
Que man le lavar toJa a roupa da capolla *
unigoiiima-la simiente a proporcan que se tizer
necessaria, para nao licar de mo ser, como foi
oocoatrada.
A eonmifsaa tem toda a confianc* que o ad-
ministrador secundar esta cmara em seus M-
forcos para dar ao ustabelccimento O liriitiantisino
de que elle digno: e o pessoal nelle ump:egado
com um ponco de zelo da parte do administrador
seri mais que sulUcieiiles para isso.
' Sala das sessoes da cmara municipal em z
M witenbrq da lft.ir. Um AtoaM,coM res-
Iriccdes.Bento Costa Jnior.
Motivos a presentados pelo Sr. Dr. Costa fcUHOf,
Sque o levaran) a apreseinar o parecer cima
co:n rustriueoes.
Il viijo das eonclusoes liradas pulo men il-
lustre Cumpa de coinmissao, e isto (telas razoes
abatxn expendidas :
Em pi iuiuiro lugar diz o men Ilustre colle-
ga, quu as ras do remiteno acbam-se cuberas
de folbas capim, e que. com o pes-oal QjM tem, e
nii davian estar nene estado : demonstrando,
que nao bavia queui cuidasse d'ullas ; mas es c
primeiro periodo do parecer, parece injusto, se
se atlender uxtenso de cemilurin, o numero de
mas que existem, e a presteza rom quu MMM
e.ipim, sobre Iodos o denominado grama ; o cons-
tante cabimento das Mhn das arvores cm cenas
pocas do anuo, como a presenl:, om que por
maior cuidado que se emprugue, nao possivel
evitarse que se eneontre as ras l'ollias MMM
cabidas, porque para i>*ii seria preciso ter-se pes-
soas constantemente emprugadas nesse set'viijo,
me parucond,) insutWciente o pes>oal servuntu.
2.* E' urna verdade o que diz o meu distincto
coll'ga a respuito de MM tetado das calauimbas,
porm tundo si lo o pednifa contratado smenle
para abril- c fechar ditas catacumbas, nao pode O
exadniiuistrad ir incorrur en censura por nao ter
mandado diio ppdmru lazur aquillo que nao li-
nlw sido obripjalo pelo cunlrato que fe?.
i Ao 3" (leriodo lenho a ponderar, que certo
que as arvores plantadas Ho cumiturio. nao sao
as mais convenientes o proprias para o aUtar a
que s'i destinadas, j por suas qualidades c ji|*ir
>uas f'rmas pntto frondosas ; mas nao se pode le-
var a ronta do ex-adiiiinistrador MM falta, pela
qual deva incorrer cm censura, visto que na po-
ca em que foram plantadas, eram as mais geral-
niunie dmittidas para os paaeaa aos sitios dos
jiariiciilares, u .at as praoae publicas, como bem
se neta e observa no Campo das Princezas, ra da
Aurora, etc. ele. ; portanto tundo estas arvtrus
: imada desenvoivimunto, mo parece que o ex-ad-
ininislrador nao pedia altera-las. ou rumor: -las,
sem previa uutorisaco da cmara ; aeoMMOndo
que a cmara nao dea om tempo algum dinbeiro
alguiu para o planto dussas arvores.
t Quanto ao V', tenbo ainda o desprazer de di-
vergir do meu iliustrado colluga, porque quaiulo
lomos dar cumpriini-nto unssa Coaimissao, otiser-
vmaa e notamos a falta indicada, dizundo-nos c
eapallnq que elle naquulla occasiao que linlia
reuuido no gaveliio todas as pecas para fazer a
entrega.
Quanto ao ."i0, nada lenho a dtzer, pois esta il-
lustre cmara j tomou a chberaeo de mandar
o administrador olliciar s diversas irmandades
para que outicluisseiu as suas catacumbas.
Conclu dizendo, quo o ex administrador uao
merece censura.
Sala das sessoes da cmara, 2 de setembro de
1869.tralo Jmr. do QosUt Jmlor.
Le-se o seguinte
EXuKDII.NTR.
Um otlicHi do advogado, remetiendo os docu-
mentos do brigadeiro Joaquim Bernardo de Fi-
guuiruilo, quu deviam acoinpanbar a infonuacao
dada.inieirada.
Outru do mesmo, comiminicando que de volla
de sua viagem corte, contina a estar promplo
para os misteres de sua pndi-sao.Inieirada.
Outiii do contador, informando o requerimento
de Luiz Gomes Itezerra, arrematante do imposto
de aferiedea, declara brver o peticionario j pago a
ultima letra do scu contrato qno se devia vencer
no I" de uutubro futuro.Aceitou-se a lianca j
prestada, registr.indo-se novamenle a escriplura
de hypotheea.
Oulr.i do engenheiro cordeador, informando o
reqnariuwnto de Boaventura da Silva Braga, tem a
dizer que, pelas posturas em vigor, nao per-
niiilida a continuarn de casas de taboa.Indefe-
rio-.se.
Outro do mesmo, informando o requerimento do
padre Iguacio Francisco dos Santos, tem a dizer
que as obras que o mesmo tenciona fazer, quasi
nina reedilicacio, e paiece-lbe que sendo assim,
essas obras devuin ser uxecutadas de conformi-
dade com as posturas, e nao como elle desoja.
Conceileuse, de confomiidade com a informa cao.
Outro do nesmo, informando o requerimento de
Jos Furreira Campos, em a dizer que nada se
ofTurece a oppr prelencao do supplicanto.
Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento de Joaquim Rodrigues Tavares de M'lk,
cumpre-lhe declarar que, parece-Ihe nao baver
inconveniente em ser deferida favoravelmente o
la pretenciio, visto que esta cmara em idnticas
circiimstamias luui concedido a outros.A' coin-
missao de edificauoes.
Outro do mesmo, informando o requerimento
do Dr. Jos Bernardo Garri Alcoforado, tem a
dizer que nada st Ihe otferece a oppr preten-
eo do supplicante.Conccdeu-so.
Outro do ruerno, inforruaudo sobre o que pede
era seu requerimento Antonio Teixeira dos San-
tos, cumpre Ihe dizer que nada tem a oppr.
Concedeu-so.
Outro do mesmo, informando o requerimento
de Angela Maria do Espirito Santo e Silva, tem a
dizer quo neiibum inconveniente ha em conceder-
se o que pretende a supplicante.
O Sr. Dr. Seve apreseittou a seguinle proposta,
que foi approvada :
t Proponho que seja prvido o lugar de ama-
nuense d'esta camai a, que est vago.
Paco da cmara municipal, 13 do setembro
de 1869.Dr. Joo Mara Seve,
Proeedendo-se em seguida Miagad, leve o ci-
dadao Alvaro Puivira de S quatro votos, e o ci-
dado Joan llibeiro Pessoa d Lacurda igual vota-
Cao. Dando-se o empate, o Sr. presidente, usan-
do do voto de qualidade, desempatou a favor dp
segundo, que assim foi nomeaJo.
O Sr. Dr. Moscoso apresenlou tambern a se-
grate proposu, que foi approvada :
Proponho que se peca aulorisaeao ao Exm.
Sr. presidente da provincia, para so gastar a
quantia de 400 era dospezas com processos uen-
dunles.
Paco da cmara municipal, em 13 de yetem-
bro ds 18ti9.Dr. L>bo Moseozo.
U Sr. Dr. Pitonga, quem em urna das sc-mj -
ultimas foi remullida, a seu requerimento, urna
pro posta do Sr. Gameir >, com o parecer j dado a
respeito d ella, pela commisso de polica o do ce-
iiiiierio publico, r.'lativameule aos carros de luxo
que conduzcm cadveres para o cemiterio, que
sendo alugados por procos manaa, unueanto
snente pagara o imposto de 10 por eento na ra-
zad de 403 considerados como de primeira Classe ;
apresentou um projecto de postura creando orna
ordem de carros fnebre; quo se denominar
supra-num-rario de primeira classe, por seren
mellados a dous oo quatro cavarlos. Beaade
carros calculados na quantia de 200, para sobre
esta base ser tirada a porcantagem do 10 por cen-
11, e os destinados para anjos e donzellas calcula-
o 1003Po-to cm discassio o projecto, foi
approvado.
;r. Dr. Moscjzo apresentou um parecer bre
medida que se devem tomar para mcllior regula-
rulado dos negocios d i cemiterio mblico, o qual
o seguinte :
Aconmissao do cemiterio publico d'esta ci-
quem foi presente o parecer da coramis-
le polica, assiguado pelo vereador Barros
lirtelo, tratando das irregularidades e miseaes
que encontrn na cobranca do imposto de earros.
fnebres, recanhece que o Dr. Barros Barreto tem
toda a razo, e por isso passa a expor o que podo
colher com n examu que fez a iutenciio de deseo-
brir a verdade.
Pnderra a commisso apresentar simplemente'
o mappa dos en torra en tos feitos no cemiterio
desde Janeiro at agosto do corrento, porque qual-
quer oxame por abreviado que fosse, faria co-
nheccr que o afro da mnnicipalidade snffria al-
gum prejuo com o sysieina adoptado para co-
branca da tasa, coiiboccudo, porm, a neressid.ado
que tem esta cmara de poi em pratica os alvi-
tres que tendasi a umpoetr a delapidaro de seus
dinheiros, julgon-se na restricta obrigacao de fa-
zer certas apreciacous. aflm de que so possa com
mais facilidadc aprovoitar aquelles que mais pro-
prias resultados venlr.im a dar.
Prinieiranieno farei nlir a osla cmara que
al a data do acontucimento de Innucencio Furrei-
ra da Silva, que den motivo para se entrar em
certas averiguacocs, os cadveres eram recebidos
ao cemiterio cm guia da cmara, sendo esta ti-
rada, quatro, seis u oHo dias, e mais r.s vezes de-
pois do dia do ontcvrantentn, o apenas eram acont-
panbados de tira blhete de cspou-abilidaiie do
fofnecedor dos carros fnebres, cm o qi1 se
obrigava a dar a gnii, cm outro ipralquer dia
sm preenefaia eotnpletameaM asmis terminau-
tus dis|iosic("ies do regula.f.ento do cenjnrn ed?.
ouiras posiuras quu cora elle lem rolac'). salisa
a pi'ifuitamunieo ex-administrador doce i.iterio,
que deixan.ki en ulvnio lodos os ai ligos do regu-
lamento que. prottibeni que se receban! os cadve-
res sem guia, fuudarii-su para se discnlpnr de
toda* as snas faltas u ait. 88, cuja primeira par-
te servia-lbe como a clara de Hercules para cs-
magar ludo, einquanto que ello pareca ignorar
inteiranii'iite a segunda parte do mesmo artigo.
As guias eran cmpralas na cmara em por-
coes desigu ii's, conformes as classes de carros, e
nao se diM-lua nullas por cfriiseqnuncii't) mine
dos individuos que deviam puricncer. c pde-se
suppr, sum qne naja necessidide de grande prus-
pieaca. que os de primeira classe na l'aziaui
muito vulto em proporeo dos de preco inferior.
A fonimi-so nao pode duixar de chamar a
altencao desta cmara para senielliantu fado, e
lombrar que nao est nos hbitos da aosa gente,
de quaiquer ijualidade que seja, querer fazer fi-
gura sooienos, e por um estimulo bem entendido
ou por um capricho que nao tem razo do ser ;
nao ha quera queira alugar cen carros mais de-
cente para condnzir n cadver de seu prente ao
cemiterio, comanlo que se nao dWxem ensanchar
a critica ou maledicencia dos visinlms. ou mcsnio
dos prenles : mijitos lia lamben que^eiidem OU
einpenliam o nico objecto do valor que possuem
para torera a bnsofla de dizer que gastaram mili-
to no enterro : assim fcil observar que mais
frcquenlemente s.i cncontra utn carro das classes
superiores, do que das inferiores, o uniara-se
todas as mais de-pezas comtanlo que appareca o
carro, que d na vista e atieste a riqueza.
. Como este fado seja incontestavel, o. do eo-
nlieciinento do todos, larca era que excit.v-sse a
administraco de quera quer q'uo, i xaminajldo o
inappa dos enterramentos diarios ene inrasso um
on outro carro de primeira ordem, e todos os mais
das ordens inferiores: 6 essa a raza o por quo o
vereador Barros Barrlo nota a grande cifra de
de 227 cadveres que nao pagaran) o imposto de
10 7o, e nem foram eondiuidos gntK porque
estes foram 167; entretanto que no mez de agosto
baveudo 23. enterramentos, 143 pagaram impos-
to, e no mez do abril sobre 238. somonte 96 pa-
garam, sendo a retida neslfl de 1863900 r$., e
naquellc 3373100 i-s.. e .piando fallam os algaris-
mos la i claro e destinclamonte, cessam todas as
duvidas.
t A commwsio nao podo por cunseguintc doixar
de reconbeecr, que a pennissao dada pelo ex-ad-
minislrador do comiteri i ao remecedor dos car-
ros fnebres para levar para elle os cadveres
sem guia, e s.i com um billi de de responsabilida-
de, f,i causa para que o abuso alcasse eolio audaz,
o subjugasse a lu, licando elle dominando livie-
ineiite desMsombrado, al que um motivo appare-
cesse que viesse por a desaborlo a prevaricaca.,
e desbarato dos dinheiros pertencontes a cmara :
e do mappa junto v-se claro edesllnctaiuenle que
logo quo Miden pula pratica abusiva de se darein
as guias sem declaraco de qualidade a'.guma, o
rendimento da cmara dobrou, e os carros que
pagam imposto .iiigmenlarain, e em proporcao ili-
minuiram os do i|ii.rla classe c os de caridad .
justamente aquelles quenada pagam, eque at
entao eram os qne mais avnllavani.
Relavo notar qne a razo em que se funda o
vereador Barros Barreto para prova da despro-
porco dos carros de quarta ordem e dos de cari
dado om relacao aos outros que pagam impo-to,
nao lera completa juslilicacu, p irqnn sabido,
eono que o cemiterio situado longe dn centro
da populacao. e quu scu camiubo pessimo pi>r
ser quasi todo de areia frouxa, nao se deve admi-
rar que os emqrezarios do carros fnebres se ser-
viren de dous cafados para o tiro de quaiquer
carro, e nao de um s como diopSe o regnlamun-
to para os carros de lerceira ordem em diantu.
0 mesmo, porm, nao acontece quanto a dizer
o vereador Barros Barrito qne raro o cadver
que cocduzido a mo nu em canoa, porque as
irmandades pobres sujeilain-se antes a alugar car-
ros de segunda ou lerceira ordem, fazendo nina
pro-rato entre si, do que irem a p carregando o
corpo de um extremo da cidade ao cemilerio, qne
sem duvida urna grande distancia.
Pela mesma razo os Africanos que at pou-
co tempo, quando morria algum de sua naci, lo-
vavara-uo a mo, e com grande acompanhamentn
e tangeres, preferem boje alugar carros, e as re-
lea um grande numero, como presenciado por
todos, c por consegrante a terem nm bom carro
fnebre, o quo de cerlo nao cnsta rauito, porque
dividida a despeza entre mnitos, a soffrerem o
penoso incommodo de irem e voltarera a p : isso
nao deixa de ser urna grande felicidade para rana
cidade como esta, que gosando os foros de civili-
zada e povoada do narionacs e cstrangeires im-
portantes, se v livre do espectculo um tonto re-
diculo de salimientos a moda Costa d'Africa.
t A commisso em sccrescentamento ao que
Moa expendido nao |ode deixar do fazer severo
reparo para a pratica at boje em uso de nao ha-
ver nesla cmara um livro de registro de objeclos
com todos os esclarecimentos posslveis, para cons-
tar em quaiquer lempo ou cotejarse com o do
cemiterio em caso du nuoussidade.
Nesta cmara s se tem feito na presente data
um mappa numrico dae guias e das seTJTrrOjn--,
nao havendo outra fonte onde se possa collier dados
para qnalquur invusligaoao que seja necessaria
fazer-se : isso e tanto mais para lamentar, quau
ta a facilidade que lera reinado at ha pouco de
serem recebidos no cemilerio os-tadaveres sem
guia, e irem essas muitos dias depon, podem ter-
se dado erros de dalas ni lancamentos dos nidios.
erros certamente de mui funestas cuusequencias;
quando se pensar quu ellos entendem directamen-
te com direitos (le successo, heranca e outros de
igual jaez
t Conclu', portanto, a commisso pensando com
o veroador Barros Barreto que tem havido grande
detrimento nos cofres niiinicipaes, nao s quanto
a arrecadaco dos mpos'os dos earros fnebres,
nas tombem quanto anglas sepulturas ; e a dela-
pidacao ha de continuar infalivelmente se nao
liouver una completa vigilancia c fiscasaco da
pars dos empregados da cmara e dos do cemi-
terio, c porque julgne a materia de muita trano-
cedeneia, e-lhe parees que ha necessidade de fa-
zer-sc em primeiro lugar um exaaio minucioso e
atiento na escripluraeao e esiudar os meios de
irapossibi'ila la para o futuro de incobrir os ef-
feitos de prevarcaeao, propo as seguintes indi-
caces :
Que se peca autorisacao ao Exm. presidento
da provincia para se gastar a quantia de 5003
com os meios neeessarios para examinar- a escrip-
turaco desta cmara e do cemiterio publico desta
cidade. e fazer altcraces que julgar convenid
t.' Que do 1" de-outabra se comece a fazer
nesla cmara o lancamento dos bitos com todas
as particularidades que se poder obter.
3." Que se peca ao ehefe de pnlicia, que re-
commende s autoridades sob sua jurisdieeao.
Francisco Jos de Moracs e Silva, Jos Mendes Sal-
gado Guiniaraas, Jos Iticardo Coelbo, Jos Fran-
cisco de S:i I.eit, los Maria, lenento-coronel
Laiz de Albuuuerquo Maranhao, Luiz Gomes Be-
zorra, Malia da Cnv ueiredo, Man mi Al-
ves Guerra, Manuel Goucalves Barros, Pedro Bp-
dnguesda Silva, Vicente l'erreira da Costa, e lo-
vanton-se a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretario
Brevi.Mattoel de Danos Brrelo, pr-pre-i-
I uleDr. Pfdr* de Atkayile Mo Moseozo.
Jos Maria Freir Gaineiro.Denlo Jos dn Casta
luntor.r. Prxedes Gomes de Souza Pitanga.
Flix Francisco de Souza Magalnaes.
PUBLICACOES A PEDIDO.
& nto dlreUa c a iito esquei'tln
do Mr. Aft'ouso de Aibuquer-
que. cada qnal para o .ten lado.
Nao sallemos o quu mais admirar na algaravia
com que se saino no Jornal do Becife n. 216
o eximo i Ivogado da manuienoo do preclans-
mo Sr. tenenle-coronel Joao de S, so a in-
solencia da linguagem era estilo bordalengo,so o
descosido de arpumentacao da escola de Fr. Ge-
rundio de Campauza.
Ha couzas mesmo que lazem rir as podras !
O Sr. Alfonso chama de serpete ao Sr. Gaspar
Druintnond,diz que do enraivo -ida esta ella mor-
a, que a maltn elle, e que a serpente depois de
morta est mordendo a propria cauda, e ao mesmo
tempo a raheea do juiz boid e quem sabe se o
coracio dulle'advogado! -E tudo isto agarrado
cauda da tal serpente!
Santo noiue de Jess! que mistura de grellos o
fareltos!
Na verdade ninguem leva as lampas ao Sr. ad-
vogado histrico, nuin mesmo o uscriptor do mu
das vinhas no Jornal do Commercio da corte.
Diz o eximio advogado que nao preteudeu oceu-
par-se da vida particular do Sr. advogado Gaspar
Drummond : quer dar inculcas de honesto, seno
e grave e tambem de commedido. Eis se nao
ipiando agarra-se, como galo a bofes, pessoa do
Dr. Gaspar.
Oh I que gravo neceado len este Sr.!! E' ad-
vogado do tenenle-coronel Gnapar Cavalcanli, que
tem o arrojo de contender cm juizo como Sr Joo
de S e roquerer a execuco de seiitenea dos tri-
bun.ies superiores do paix I!
Mas nada disio den gerar admiracesl Assim
como ha carpideiras que recebeui as esportillas
de lagrimas que chocan de eneoininunda por de
f un tos qne nunca viram e conheceram, tambem
bravi de Veneza que se pe a sold para cevar
viiigaiicas albeias, cuspindo injurias sobre pessoas
que embora respeitavcis tem incurrido nos odios
de seas Podostads.
Alil Moliere, Moliere! se fras vivo, que de cs-
tudo to serios nao te excitara a caracterisacao do
advogado nistorico! Nova comedia comporta*
t Des Plaideurs.
D. Roldo de Monto nao teria mais do que o
Sr. Dr. Alfonso do Aibuquerque braco mais pujan-
te Nao nada, est o Aratongil convertido em
ponte- de Montible Quera ser, poira, a gigante
Aminta : pela altura das formas, pelo gr-.sseiro
das feices do carvo ?
O diabo que a pintou que Ihe ponha o nome.
Ni o fazemos nos.
[fio pretendamos constituir-nos encommiasta do
Sr. Gaspar Drummond : mas, nao podemos fuar-
nos a declarar ao histrico advogado da manuten-
cao que se esjiveramos no caso d'aquelle Sr. Ihe
nao daramos respecta.
E nao o fariaraos, porque o patrono do Sr. Joao
le Si paMce ter esquecido o que deve a si proprio
como hoinem e como advogado.
Que importa que o Sr. Alfonso vomite injurias
trescallandj fedoros? Sao couzasa-cjnraoJadas
a paladares estragados: outro remedio nao ha
seno deixa-lo ir scu caminho.
As injurias nunca offendem quando aquellos aos
quaes sao atiradas se poe cima dellas.
E, quando alguem nos vio injnriarnios algnra
dos cinco advogados do preclarisrao Sr. Joo de
S f Mas, dir-'nos-ha o Sr. Alfonso que esta re-
gala s tem o Sr. Joo de S, nao passa alera de
sua pessoa.
Assim ser! Entretanto quera parecer-nos
que cada um dos litigantes podia chamar para
defonder os seus direitos quantos bem qoizessein !
Agora nos d o Dr. Alfonso lco contraria.
Vi vendo e aprendendo...
Mas, sabe-sc que S. S. a ningncm temo, porque
fai e baptisa, chegando at a confessar e absol-
ver...
E assim : S. S. de lanea em riste em- prol do
jais, ou de balina, confessando e absolvendo,
realmente muito poderoso.
0 Sr. Gaspar de certo nao o vencer, elle que
nao pode, revestido de habito confessar c absol
ver...
Mas, Sr. Dr. Alfonso nos nao desejamos lomar
bilhetes para espectculo gratis. Se, porm, este
seu gosto, satisfaca-o embora chamando outros
comparcas.
Ha reos antlgos, que eslo na nossa encar-
neci.
E' urna triste fatalidade !!!
Que fazer ? lamentar os que sao tocados da
lepra!
Ento, como la isso ?! j hoje cousa injurio-
sa formar sequilo de alguem !! Ha poucos dias
dizia S. S. que o Sr. eommcndador Manoel Costa e
entras pessoas rospeitaveis eram da comitiva do
Sr. Gaspar Drummond, repetindo a injuria, pen-
sando qne tinha queda para jocoso, diziaque a
ninguem oflcndia Pois pode acaso negar S. S.
que est fazendo o papel de passavanle do Sr.
Joao do S ?
Escute nosso eonsclho, nao se motta a engrana-
do sem que se siuta com queda para tanto e sem
que outrem Ihe reconheca esse dora. J houye
ora ontro tempo urna aze'mnia que qnerendo mil-
iar as raqunaduras de raosinho fraldiqueiro, ex-
poz-se a severas penitencias I..
E tndo isto pratica o Sr. Alfonso da manuten-
cao s por amor do Sr. Joio deiS ? Qual, elle o
diz. Protesta que vira sempre de lance em lista
toda vez que se tratar do seu juiz Lol. Pobre
juiz I malaventurada justica I Afligura-se-noi
que esta senhora nao mora em Ipojuca, e se l
mora, entao nao sae de casa, e nao vae as audien-
cias porque est entrevada.
Mas a impunidade nao pode vingar em nossa
torra.
Consta-nos que est submettida ao couhonmen-
lo do Exm. Sr. presidente da provincia um qtic-
xa fundada e instruida de valiosos documentos, e
S. Exc. de certo nao ser snrdo aos reclamos da
justica.
Como ao Sr. Dr. advogado da manutencao in-
differente a questo de nome, nos chamaremos
O Leandro.
Gratido.
O abaixe assignado, inora lor na ra de S. Mi-
guel, fregnczU dos Afogad is, faltara a um dover
sagrado, se nao patentiasse pelo ineio mais publi-
co a sua eterna gratido ao illustro e hbil Sr. Dr.
Augusto Carneiro Honleiru da Silva Santos, pelo
extraordinario lelo, amor e diiaelo com que cm-
pregou os nueres de sua nonre profissao de me-
dico para arrancar das garras da morte ura doen-
te de quera nao podia esperar outra paga seno o
mais eterno e profundo reeonheciment.
A pericia, o disvelo e a acrisolada dedicaco que
o mencionan) Dr. Santos ompregou no traianento
da horrivel molestia qne ia con-umindo a existen-
cia do abaixo assignado. nao podem deixar de ser
publicados do alio da imprensa, porque era a vir-
tuosa satsfacao de sua c mseicneia pela pratica de
um relevante servico prstalo huinanidade sof
fredora, c nao a esporauca de recompensa ou paga
mundana de seus servio >s que guiavam-o em suas
to repetidas quau dedicadas visitas de dia e de
noite. por espaco do oilo dias de dolorosos soffri-
mentos.
Al'ogados 33 de setembro de 1869
Joo Bonto de Lagos.
vegacao costeira, achou todos esses objectos em
estado de podar o vapor navegar.
Inspecco d arsenal de marinha de Pernambu-
co ti de setembro de 1869.
O
II. A. Barbosa de Almeida.
COMMERCIO.
,'hAi.A DS"
1869
BECIFE 53 1)K SETEMBRO DE
AS 3 1/5 HORAS DA TARDE.
Algodo da Parahyba sor'.e IS233 por kil.
posto a bordo, frote de 11/16 d. e 5 0/0
Dito de dita ditaU539 por kil. posto a bordo,
frete de 5|8 d. e .' 0|0
Dito de dita dita15*46 por kil. posto
frete de l|5 d. e ."> 0|0
Dito de dita 21 sorte1 Si"I por kil. posto a bor-
do, frete de o|8 d. e .'i t)|0
Cambio sobre Londres 90 d/v. 19 7i8 d. por
i 000.
F. J. Silvera
Presidente.
Leal Seve
Secretorio.
Novo Banco de Pernambuco
Arsenal de guerra.
O arsenal le guerra tem deg>contratar para o
! rancho de aprendaos menores, nos meses do ou-
f turro dezombro do corrente anao, os obje
i abaixo declarado) assim como a lavagein e en
gommado da roupa dos m 'sinos aprendizes n*;
referidos mizos, a saber ;
Menear retinado.
Arroz pilado.
Azete doce.
Bacalho.
Carne verde.
Carne secca.
Cha bysson.
Caf em grao.
Farnha de mandioca.
Fuijo inulalmho.
Pao de 4 e 3 eneas.
Toncinho de Lisboa.
Vinagre de Lisboa.
As pessoas quu qoiierem fornecer. apresentem
suas propostas cm carta fechada, oam s compe-
tonlos amostras, na sala desta directora, as II
horas do da 23 do rorrelo.
Directora do arsenal de guerra de PernainliLiei
ti de setembro de 1809.
Hygino Jos Cocino,
Coronel, director interino.
.No dia 28 do crreme mez, linda a audien-
. ciado Sr. Dr, juiz de paz do 3o dslricto da fre-
a bordo,; glR.zja aA Boa-Vista, ser arrematado por venda
na executio de Tbomaz Ferreira de Carvalbo eon-
ira Elias (oncalves Pereira da Cunha, os seguin-
tes movis : Icadeiras singlas a 3^000, 3'
2 ditos de braco a o, 103000 ; I sof por 20/,
I par de censlos par lo3, c 1 mesa redonda por
8, sendo lud, de madeini de amarello.
O administrador da recebeona o rendas in-
ternas geraes faz publico (pie neste corrente mo
de setembro e no de outuluo prximo futuro, que
os contribuimos do imposto sobre industrias
pross.'.us, residentes as freguozias da cidade e-
nas de lora, teem de pa^a-lo, livre de inulta ; lin-
eill llQ Ul(laC(lO, (le a.U'OS- I do, porm, o referido prso, ser pago cora a mul-
ta de 6 0|0.
to de 1869.
Os Srs. accionistas podem receber o
sexto dividendo de um e meio por cenlo
do capital: ;\s quarla-foiras e sabbados.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & 0.
Compram e vendem por conla piopria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
SBJjai de cambio, sedulas do governo e do
banco do Brasil, por.
Descoutam letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta albeia das mes-
utas transaccoes, da cobranza de letras da
torra e de outros ttulos commerciaes.
Kecebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a piazo xo.
Kecebedoria
de 1869.
de Pernambuco, 18 de setembr
Largo do i'elourinlio n.
7.
ALFANDEGa.
llendiraenu.doda la-22. o98:!MU107
dem do da 23..... 23:110*783
024:021*890
837
MOVIMEXTO DA ALFANDEGA
Volumes eulrados com fazendas 143
Idera dem cora gneros 694
Voluntes sahidos com fazendas 96
dem idem cora gneros 2612
------2708
Descarregam hoje 24 de setembro
irigue ingiozleste Scottmercaduras.
Barca francezaAdele-idem.
Barca portngnezaS. Modem.
Barca ingleza/-'ii,i'n(i=bacalho.
Escuna ingleza=BeM<7ivarios gneros.
irigue norleallemaoliUifariiiha de trigo.
Brigue austracoGnlseppinaidem.
Patacho dinamarquezHelgevinhos.
Patacho ingiozBnis Isriseplvora.
ItECEBEDOHIA DE BEXDAS I.NTEUNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 22. 40.103*666
dem do dia 23...... 2.217*578
42:381*244
CONSULADO PROVINCIAL
Kendiincnto do da 1 a 22. 50:503*064
Idera do dia 23....... 5:922*637
56:428*201
Para
esclarecimento da
verdade.
cadveres, declarara o nomo, idade sexo, estado.'
naturalidade, cor, molestia e hora em que mor-
reu, e lugar era que resida, assim como outra
quaiquer partieularidade que possa inflair para a
boa organisaeo da cstatistiea.
4. Que na guia que a cmara passar para
o cemiterio, se faca o lancamento de todas as par-
ticularidades obtidas para serem registradas no li
vro mestre, de maneira que possa haver descre-
paneia entro o livro do cemilerio e o da cmara.
A commisso est certa de ler-se esquecido
do muitos oulras medidas do grande vantagem, e
es|iera que os Ilustres rollegas lembrarao aquel
las qne forem mais adequadas a realisar a co-
branca dos dinheiros da mnnicipalidade.
Paco da cmara municipal do Reeife, em 11
do setembro de 869.Dr. Pedro de .Ithayde Lobo
Moseozo.'Posto em diseussao, foi approvado.
pacbaram-se as penco de Antonio Marques
da Silva, Ambrosina Maria da Conceico,. Boa-
ventura da 8ilva Braga, Cosme Jos do Freitas,
Cntacoes dos prego? do algodao de Pernambuco,
na semana decorrida de 13 a 18 de setembro de
1869.
Diario de terca-feira 14, de i' sorte a 1>123 o
kjllogramma, i|ue regula 16*500, por arroba.
Diario de quarla-feira 15, sem inspeceo a
15090 qno regula 16*000, e sorte a 1*116 que
regula 16*400 por arroba.
Diario do sexla-feira 17, a 1*130 e 1*137 o do
1" sorte, que regula 16*o0) e 16*700, e sem ins-
peceo a 1*090 ,que regula 16*100 por arroba.
Reeife, 21 de setembro de 1869. <
MGVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 23.
Tamandar o portos intarraodios6 horas, vapor
nacional Paralujba, de 104 toneladas, comman-
dante Mello, equpagera 14 ; a compauhia Per-
nambucana.
Trieste80 dias, brigue austraco y atole, de 235
toneladas capitn Ulessio Krang, equipagem 12,
carga 2,350 barricas com farnha da trigo ; a
ordem.
Nucios sahitlos no mesmo dia.
Rio Grande do SulBrigue brasileiro Olhelo, ca-
pillo Francisco Jos de Oliveira, carga assucar
e sal.
Liverpool-Brigue iuglez Excekion, capitao Falla,
carga algodo.
EDITAES.
Empentes inflammatorias.
Bem pon cas sao as molestias da pello, que nao
qne sejam tao perigosas como as ensipellas. O
. sen assento na epidorme ou pellc exterior, o du-
iuie no titulo de desemharaco para sepultar-ee os; rante a sua existencia os vasos suporliciaes
sua
icham-se subeai legados d'um virus infectante.
No entonto ella cede com urna i api lez e prompti-
dio quasi incrivel s qualidades depurativas o
runtrairritantes da salsaparrilha de Bristol. To-
das as erup?oes exteriores, taes como Herpes.
Empollas, Borbulhas, Esntnbas, Empigens hmi-
das e seceas, rubor inllammatorio, cobruiro ou
herpes miliares, Lupus, Prurido, Tiuha escamosa
ou furfurea, rupia &c, todas estas enfonnidades
sao promptamente extirpadas mediante o uso des-
te iucomparavul especifico vegetal, o ventre de-
ver Cam serva-se livre o desetnbaraoado, para cu-
jo lim use-so das Pllulas Assuearadas de Bristol,
pois o ineHior e o mais seguro de todos os pur-
6autos al hoje conheeidos, e nada ha que com el-
ig se possa comparar.
Aclia-so venda as pliarmacias de A.
Caors, M. A. Barbosa, J. da Conceico Bra-
vo b C.,P. Maaror C. e BarUioloraeo
C.
0 Dr. Manoel Jos da Silva Neiva, juiz de
diteito da segunda vara criminal e subs-
tituto da do especial do commercio em
exercicio nesta cidade do Becife de Per-
nambuco por S. M. I. e constitucional o
Sr. D. Pedro II a quem Deus guarde.
Faen saber aos qne o presente edital vrom c
delle noticia tiverem qne ruquerimento de Lin-
dem Wydman & C, acha-se ahntta a fallencia de
Costa 4 Castwi, pea sentenca do Iheor seguinte :
Em vista da peteo aTolha tres, documentos de
follias quatro a folia nove, inqnirico de folbas
quartoze a folhas dezeseis, e documentos juntos a
folhas famete, ecrlidao a folhas dezenove a fo-
lhas vrato e cinco ; hu pm declarada a fallencia
dos commerciantes Costa & Castro, estabelecidos
com loja de fazendas na ra do Crespo dosta ci-
dade datar de 30 do jullio do anuo corrente,
poca esta em que se mostra terem os me9inos
cessado os seus pagamentos.
Nomeio curadores fiscaes os peticionarios a fo-
lhas tres, que prestaran juramento ; despensada
apposiu) dos sellos por se acbarem os bens em-
bargados.
Faca-se a convoeaeo dos credores para o da
23 do corrente as 10 horas da inanha na sala dos
auditorios, e piiblquese a fallencia na forma da
le, pagas pela massa fallida as emito*
Reeife 22 de setembro de 1869. Nanoel Jos da
Silva Neiva.
E para quo. chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente que ser publicado peta
impreasa e afflxado no lagar do cen ne.
Reeife 23 de setembro de 1869. Eu Secundrao
Eliodoro da Cunha, escrewnte juramentado o es-
crevi. Eu Manoel Hara llodrigues do Nasci-
mento. cscrivo o subscrevi.Manoel Jos da Sil-
va Neicc.
Manoel Carneiro de Souza Lacerdi.
O Illm. Sr. eonselheiro inspector da thesou-
raria desta provincia, de conformidaJe eajajjMlh-
cio da presidencia de 13 do corrente, i^Ra la
zer publico, que no dia 29 do dito mez, as 2 horas
da tarde, ir I priea perante a junta da thesonra
ria, a quem mais dar, as pedias de alvunaria e-
cantara em bruto, existentes na- proximidades da
fortaleza do Brnm desla capital.
As pessoas a quem oonvier a arremataoo t-
verao comparecer nesta thesourara uo referido
dia e Imra indicados.
Secreta na da thesourara de fazenda de Per-
nambuco 21 de setembro de 1869.
Servindo do official-tnaior,
Manoel Jos Pinto.
Pela secretaria da cmara municipal desla
cidado se faz publico para conhecimento de quera-
possa nterussar, que tundo estado hoje em praf
nao s o imposto de 100 rs. por carga de larinha
e outros legumes que vem aos mentados pblicos,
como o de 500 rs. por caneca de gado morlo para
o consumo das freguozias de fura da cidade, ni
appareoeti licitanle para nunhiim delles, e conti-
nuara cm praca no dia 22 do corrente para serena
arrematados p >r ipioni maior prejo ollerecer, c--
lando habilitado na forma da le,
Secretoria da cmara municipal do Reeife 15 de
setembro de 1860.
O secretarlo,
Francisco Canuto da Boavagem.
Santa Casa da Misericordia
do Reeife.
A Illina. junta administrativa da Santa Casa Misericordia do Reeife precisa contratar com quem
se queira oncarrogar de fazer sua cusa as obras
de que necesita o sobrado n. 37 da na da Moe-
da, eooeedendo olla, alem de nutras vanlagens, f>
arrondainonto por grande numero de anuos. ^
Recebe para isto propostas om cartas fechadas?
na sala ue suas sessoes, devendo os pretendentes
examinaren! as obras de que carece o predio.
Secretara da Santa Casa de Misericordia Recife, 4 de setembro de 1860.
O eserivao,
Pedro Bndrifue* de Souzn
Consulado provincial
Pela administrarao desle consulado faz-se
publico a quem interessar possa, que com-
o presente mez termina o recebimento dos
dilerentes impostos provinciaes relativos ao-
anno financeiro findo de i868 18(59, sendw
em seguida liquidados o remetlidos pelo
juizo os dbitos dos contribuintes.omissos,
afim de serem execulivamente cobrados,
na forma da lei.
Consulado provincial, 1" de setembro
de18G9.
0 {administrador,
Antonio Carneiro Machado tths.
Perante a cmara municipal desla cidade >
Oliuda, estarn novamente em hasta publica par-
serem arrematados por quem maior lauco onere-
cer, nos dias 16 e 23 do corrente mez, os impos-
tos seguintes : cap m de planta pela quantia de.
622000 ; aflericao de (tesos e medidas, sendo t>
arrematante obrigado a aferir os da mesma cma-
ra sem indemnisaco algnma, pela de 607000;
coqueiros de produccao para negocio, pela de
4763000 ; os alugneis das casinhas da ribeira,
pela de 705500 ; 500 rs. por cabeca de gado vac-
cum, pela do 2474000 ; mscales e boceteiras, pe-
la de 29^100 ; 100 rs. pas*rga de farnha e le-
gumus, pela de 136')(iO ; fw) rs. por cabeca de-
gado reoolhido ao corral, pola > 27-4000 ; rupes
do acougue, pela de G45O0 ; 200 rsv por cabera
de gado suinn, pela de 6*600 ; 100 rs. por cabeca
de gado ovelbuin. pela de 14300.
Os pretendentos deverio comparecer nos referi-
dos dias coras us lladefes competeutemuiitc habi-
litados na forma da lei.
Paco da cmara municipal de (Winda em 9 do-
seterabro de 1869. r
Manoel Antonio dos Passos e Silva.
Propre-idente.
Raymundo Theodorico Jos Dornellas,
Po teiro, no impedimento do Secretario"
SECLARAGOES.
laspc^co lo arsenal de
Marinha.
Faz-so publico quo a oemmiasfio de peritos
examinando na forma determinada no regulamentn
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1884, o casco, machina, caldeira, apparelho,
mastreaeo, veame, amarras o ancoras. do-va-
por Jaguaribetkcompzuia Peruambucanade na-
AVISOS MARTIMOS.
C0MPA5HIA BIASmiU
DK
Paquetes a vapor.
Dos [Krtos do sol esperadi >
vapor Cruzeiro do Sul, comman-
dante J. P. G. Alcoforado, o quat
depois da demora docostume se-
guir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no diado suachegada. Encommen-
dasedinheiro a frete al o dia da sua sabida a> 2
horas.
Nao se recebem como eneommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e quo nao exeedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medican.
Tudo que passar (lestes lmites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Sr?. passageiro*, qne suas pa--
sagens s se .cr.eben1 na agencia a ra da Crnz-
n. 37 primeiro andar, escriplorio de Antonio Luj
de Oliveira Azevedo&C.____________
COMPANHIA PBRN.\MBliCANA
DE
Xavegaco costeira por vapor.
Goianna.
,_rft Mello, seguir para o porto cima m
Bnri dia 26 do corrente as % horas dn noite.
Recebe carga, eneommendas, passageiroe e di-
alioiro a frete, n < escriptorio do Forte do Mattos
n.12.
\
BAHA
0 parhabote Garibaldi, capitao Custodio lost
Viairaa : a tratar com Tasso Irmaos.



Diario de Pernambaeo $xh feira 24 de Setembro fr
DE
Paquetes a vapor.
i Dos porto* do Dorte 6 esperado
eJ^^Os. at o l^J^v Guar, commandante o 4* te-
3t IngE ,"'"t'' '' I)uarte< ^ual de'
^F pois da demora do costume se-
paira para o portos do sol.
Desde ja reeebem-se passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder eondtrcir, a qual devera
ser embarcada no dia de suaehegada. Enoommen-
das e dinheiro a frote at as duas horas do dia da
sua sabida.
-Nao se recebem como encommendas senao ob-
ectos de pequeo valor e que nao escodara a J
arrobas de pese ou 8 palmos cubico? de medicao.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado corno carga.
I'reviue-se aos Srs. passageiros que suas passa-
ceus so se recebem na agencia ra da Cruz n. 37,
I* andar, eseriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C.
Para o indicado porto pretende seguir com mul-
ta brevidade o lugre portuguez Cisne do Votiva por
er a maior parte da carga engajada ; e para o
Moneo que Ihe falla, traase com o e nsignatario
foaqdan Jos Goncalves Ueltrao, ra do Com-
mereio n. 17.
No armazem de Alves & C. n. 54, i na da
Cruz, as 11 horas.
LEIL40
De ltt barra de 5. H O eom
Tiaho verde.
Segunda-feira 27 do correte.
0 agente Pestaa far leilo de 16 barris com
vinh verde de superior qnalidade chegado lti-
mamente e serlo vendidos en. um ou mais lotes
segunda-f ira 17 do crreme no artnazem do An-
nes '8 li horas da anha.
Attenpo
Precisase alngar nm prelo ou um mnlcgiie de
16 anuos, escravos ou livres; na reuacao da ra
de Hortas n. 7.
Valxelr
Precisa-se de um com pratica de-tberna : na
ra das lioias n. 8.
Collecfo
AVISOS DIVERSOS.
Precisa-se de um criado para servico de
casa : na ra da Imperalriz n. 9.
COMPANHIA MJRNAMBl'CANA
DE
Va vejar o cesleir por vapor.
Mamanguape.
O vapor MandahA, comman-
ilante Julio, seguir para o por-
to cima no dia 28 do crrente
as ( horas da tarde. Recebe car-
ga, encommendas, passageiros e
dinheiro a (rel ate as 3 horas da tarde do dia
.' i iluda : eseriptorio no Forte do Mallos n. 12.
COMPANHIA PERHAMBUCANA
Dg
Navegacto costara por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor Puraliyhi, fonimamhnte Mello, seguir
liara m portos cima no da 30 do corrente,
incii afie. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros. e dinheiro a fintea no eseriptorio do Forte do
Malt s n. 12.
O patacho bntsileiro Ramn
segu com muila brevidade para o Rio Grande do
Sul, para onde recebo a frute um resto de carga :
a tratar no escriptprio de Anortan Irmos & ('..,
ra da Crnz n. 3.
Rio de Janeiro.
Para o indicado porto, pretende seguir cam
umita brevidade o bngue nacional Isabel, por ter
i maior parle da carga engajada, e para o pou-
< i que be falta, trata-se com os consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. ra da
Cruz n. 37, prmeiro andar.
COMPANHIA Pl-KNAMBICANA
K
Navegando costea por vapor
Macei escalas e Penedo.
O vapor Giqai, commandante Aze-
vedo, seguir para os portes adnu no
lia 30 do corrente aso horas da tar-
dc. Recebe carga at dia 21), encommendas,
passtgens e dinneiro a (rete at as 2 horas da
la ludia da sabida ; no esTiptorio do Forte
Maco
Segu no dia 24 do corrente o palhabote Emi-
lia, anda recebe algtmn carga a frote : a tratar
com S;'\ Leito Irmos, ra da Madre de Dos
numero 1.
1 CUMPA NI 11A PERN AM BUG ANA
DE
Xaregac coseira por vapor.
Paraliyba. Natal, Vario, Mossor. Ara-
caty, Cear, Mandaba. Acarac e Graoja.
j^yiy O vapor ipiijuca, conimandantt
/*4.I Moura, seguir para os portes
^UaaaS cima no dia 30 do corrente as g horas
da tarde. Recebe carga at o dia 29, encom-
Mbs, passageiros e dinheiro a frete at as
! botas da tarde do dia da saluda uo eseriptorio
do Forte do Maltes n. 12.
LEILOES.
h;
IW\
BOJE.
Brasa Sou c (!. far o leilo por inlervencao
<1 i agent P rilo, de dulcientes fazendas ingiezas
prcprfcts para o mercado, as (patea seras >cndi-
ara fechar contas ora scu armazem da roa
Trapiche n, 14.
Em continuapo
fo variado deposito de loaiea.
2lro*. porcelanas e erystaes
Ra da Cadeia n. (i.
HQJE.
0 agenb Oliveira competentemente autorisado
ntiramr;. o leda" em lotes a vontade dos pre-
as II horas Sa.manna do dia
Sexta feira 2'i >'e setembro.
LEILAO
De fazeuda avariada.
k Ponlual competentemente autorisado
vep.i fui por cunta ue quem pt-rlencer
urna cai\r. mu h.-im pardo de linbo liso, marca
A & ('. n. 32i, vindi de l.iverpool^iio vapor Sap-
nesse porto no dia 31 de agosto
ido.
Sabbado ib do corrente.
Os patentes e amigos de Benjamim da Cunta
Torreao (ausente) vem pelo presente agradecer
em nome do mesmo a todas as pwfoas que se Kg-
naram acompanhar ao cemiierio publico os restos
mortaes de sua presadissima esposa, Thcreza Joa-
quina da Silva Torreao, me, irmaa, cunbada e
KM ; conlessando desde j gratos por semelhante
prova de amisade e terna gralido. E rogara as
inesmas pessoas e aos demais amigos e prenles
o calidos obsequio de comparecerem segunda-
feira (27 do crrante) polas 7 e 1/2 horas da ma-
nhaa, na igreja matriz de S. Jos ; onde celebrar-
se-ha a missa do stimo dia por alma daquella,
que jaz na ^)az eterna. Recife, 12 de setembro de
1869.
D^lanaAvelna Monieiro convida aos paren-
tes e pessas de sua amisade, as do sen fallecido
irmo Francisco Firmino Monleiro, para na sexta-
feira 24 docorreute pelas (> e 1/2 horas da mi-
nba ouvirem na matriz de S. Jos urna missa de
stimo dia pelo cierno descanco d'alma do seu
presado irmao.
de varios regulamentos de irapostos altera-
dos e creados
pela iei n. 4507 de 20 de setembro de
1867, comprenendendo
os de pessoal, escravos, industrias o profissoe?,
sello (organisado alpliabeticamei*', explicando
cada acto a que sello est sujeite se se eve em-
pregar estampilha ou verba, no prmeiro caso
quem deve inuiiiisa-la), transmissao de proprie-
dade, dizima de chancellara, emolumentos, multas
applicadas fazenda publica etc. etc., e em appen-
dicc o do cofre de depsitos
pblicos
notados com as
instruccoes e decisoes posteriores
at a presente publicaco
por
Francisdo Angusto de Aimeida,
l'escripturnrio
da rtwebedoria de Pernarabueo :
acha-se no preio o breve a ser publicado ; as-
signa-se na ra eslreita do Rosario n. 12, por 3
o volume ; depois le publicado csslar i-i para
quera uao assignar. *Torna-se de grande uiilidade
aos Srs. advogados, solicitadores, negociantes e
funecionarios publico*, a acquisicao deste tra-
ba Ibo.
Troco raiudo.
_Da-< bonr premio por sedlas de 13000. i:
3, WJ e S05 (ova e-tampa: na easa de Tlieo-
du-ro Simo* \ C., largo do Pelourinho n. 7.
Ama
Preeisa-se de urna ama para eozinbar : na tra-
vessa dos Pire* n. W, siiio do Oeiiquti.
AMA
Precisase de urna ama para o servico interno e
exierno de urna casa de pequea familia, prefere-
ejscravajj^ajMiajas Enues n. 28, 1 andar.
Precisa--^' una para cosinhar para rapa-
z^^jmhetros; na roa de ltortas n. 7 reflnacao.
Caf Sania Isabel
IEST4HR49IT
Wavera todos os das
Cenreja em copos.
Bife en cbppei.
Scboppeo bier.
Comidas todas as horas
Recebe asgnate.
Precisa-se de um (rabalhador de masseira :
"a Padana da ra da Senzala Veltia n. 84.
O Sr. Jos Marcelino de Souza lem urna car-
ia viuda da Bahia em casa de Tasso Irmos, ra
do Amorim n. 37.
P17\
Nova Ir.ja de calcados, na na Direita n, 32,
confronte a travessa da Penha.
Malinas de Albuquerque Mello Jnior tem aher-
to concorrencia publica, nma sua loja de calca-
des, com completo sorlfmento, ra Direita desta
cidade n. 32 : e para ella chama a atten^ao das
pessoas de seu conhecimento e amizade.
M
Precisa-se de urna ama para servico de pouca
familia : a tratar na travessa de S. Jos n. 3o, se-
gundo andar.
lrniandade acadmica de Nossa
Menhora do Bont Conselho.
De ordeni de uosso irmao juiz, convoco a ac-
tual e a nova mesa administrativa desta irmanda-
de, para no domingo 26 do corrente, depois da
missa de nossa excelsa Padroeira, empossar a ulti-
ma das referidas mesas.
Consistorio da irraandade do Bom Conselho, em
23 de setembro de 186'.).
O secretario,
Jote Faltado de Mr idnea.
.l.
Xa roa Bella o. 3, precisase de urna ama que
saiha cozinliar. comprar e engommar. preferinilo-
se escrava, para casa de una familia de tres pes-
soas.
Estrada de ferro de Olnda a
Beberibe,
Compra-so dormenlas com as dimensdes se-
gantes : eomprimento 10 palmos, largura 7 o
mcio a 8 polegadas, grossura 3 e meia a 4 [le-
gadas, sendo das madeiras segointoa : sienpira,
oiticica, amarclio, louro verdadeiro, cedro, pao
i'arco, laranginha, e outras de reconhecida dura-
cao para o chao, e que nao sejam lascadicas, tudo
de quina ni va, pudendo os pretendentes "apresen-
lar suas propostas em carias fechadas, dirigidas
esta superintendencia, no armazem provisorio
da mesma estrada, na ra da Aurora, das 6 da
manliaa ai 4 da tarde, al o dia 30 do corrente.
Recite, 22 de setempo de 18C9.
O superintendente,
Atet de Abren Porto.
Joao Cavaleanti de Mello Azedo, pungido da
mais aguda d)r. convida aos seos prenles e
amigos para, no dia 33 (sabbado) pelas 6 horas da
manha, assistiren) missas na igreja do Carmo,
pelo repouso eterno da alma de seu semprc cho-
rado pai o Sr Jeaquim de Mello Azdo, fallecido
na Parahyba no dia 18 do corrente.
Vicente LiCinlO da Costa Campello, Cleto da
Costa Campe!io, Augusto Fortunato da Costa Cam-
pello (no Paraguass Francisco Botelbode Anua-
Be, Francisco Tavares Rolellio, Francisco Xavier
dos Santos e Antonio Severiano de Mello Falco
(ausentei, lilrn o gneos de Senhorinha Sotera
de AlbiKiuerque l'.ampelle, agradecen! do intimo
d'alma todas as pflgHUM que se dignaram assis-
tir ao fonaral e acompanbar ao eemiterio o cada-
ver dessa sua muito presada mi e sogra, e onvi
dara iodos o seu- parentcs e amigos, para que
Ibes facam a caridade de assistir missa de re-.
qiurm, que lerjugar ua matriz de S. Jos, s 7
horas da inaiua do dia 24 do crreme,
Irmandade de S. Clinspiin e S. Clnis-
piuiano.
De ordoni o nosiKi irmo juiz sao convidados
todos os nossoo irmo.- a se reunirein no domingo,
26 do crrente, a> 9 horas do dia, para em mesa
geral Iraiar-?'' de negocios urgentes do nossa ir-
mandade.
Consiswlo em mesi do Carmo do Recife 21 de
sotembro di 1%*.
O secretario interino,
Joo Cancio Pessoa.
O Sr. Jos Dellino da Silva l',arvalhodirija-se
ao largo do Paraizo n. 8, para receber ama carta.
Oasa paru alugar
Aluga-sc urna boa casa assobrndad*. sita na So-
ledade ra de Joo Femandes Vieira, eom bas-
tantes cominodos para familia, om eocheira, es-
tribara e quartos para criado?, toda ranalisada
para ser Iluminada a gaz, pintada de novo e bom
quintal com porlao na frente; a tratar na ra
Xova n. 3.
ana Joscphina Kfaus vem pelo presente
agradecer cordialmente todas as pessoas que Ihe
li/erain o caridoso obsepno de asistir ao funeral
de seu mui presado marido o Dr. Henry Krause.
no eemiterio inglez, s quaes protesta igualmente
seu eterno reconhecimento.
Ama de leite para
alugar.
Na ra Imperial n. 23 existe urna ama de leite
com muiio bom leite, novo e .".blindante.
Ao publico!...
Na rea do Vig*rio n. 2, 3- andar, precisa-
se oo una ama para servio. de casa.
Hrecisa-se de urna ama para servico de casa'
a tratar no largo do Corpe Santo n. 19, ou largo
do Forte do Mallos n. 23.
Precisa-se de urna teuuura j de maior idade
e 'Hie tenha sempre i lo boa conducta, para fazer
companhia a urna familia milito pequea, assegu-
randose a b m IratanicMo : a fallar na loja de
cera da ra do Cabuga, que l se dir quem pre-
tende.
Precisa-se de u.u rapaz brasileiro para cai-
xeiro de loja de infudezas, e que tenha praliea,
sendo de boa conduca : a filiar na ra do Gabu-
g, loja de cera.
I'reclsa-se de urna ama livre para comprar
c eozinbar p*ra casa de pouca familia na tra-
vessa das Flores n. lo.
Kaigoninandclra.
Na roa do CabHg n. 3, 2o andar, precisa-so de
urna perfeila engoinmadeira.
Preeisa-se de um lerneiro e um amassador:
na padaria alloma* de Sanio Amaro.
MMW
lTTWf(a i LElO
(rande anazem de fazendas c ronpas frilas rna da lapctm
i. 52, porta larga, de Paredes Porto.
Neste eslabelecimento encontrar o respettavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 4. 3fK00 at Ditos de
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a :>>. (!>. 8S e IO-J, de panno fareto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 30500 a 5{i008. Calcas de brina de er linas e Minaras, dita
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casMoira
de cor e preta de 4:>, 50, f>5 a 15,?. Golletes de todas as qualidades e preco inuite
barato. Completo sortimento de camisas l'rancezas de algodao e de liubo de at 5d
urna. Sortimento de seroulas france2as de algodSo, de linho e bramante a i& e 2|J5Q0.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a toJos os pregos. Meias sortimento completo a 3(5,
45 at 7f a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanlo para hornean, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras innitas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a 14800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a OiO rs. o covado.
Poilde-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 1(5200.
Basquinas de guipure enfeitadas a 185000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
MadapolSo fino a (>500, 7S, 8> q -SOOO.
Algodio peca com 20 jardas a k(jtiM, 5;5500 e 65000.
Peca de algodo largo a "5300.
E outras multas fazendas que ser enfadonln) mencionar Glieguenv
feita que se est liquidando "a loja ra da Imperalriz n. 52 (junto loja de o
LEO DA PORTA LARGA
DE
Paredes PfId.
ropa
OHrives) do
Sendo informado qne a miada mnlher, D. Ma-
ra Christina Bastos Vianna, que contigo contende
em accao de divorcio, obteve do 1 substituto do
juiz municipal do termo de Goyanna, mediante a
falsas e cavillosas allegacSos alvar de licenca
para eontrahir um empreslimo de 3:000$, appres-
so-me em declarar a ipiem inleressar possa : que
me opporei ao pagamento de qualquer quantia
que for emprestada a snpradicta minha mulher ;
que j recebeu em dinheiro e escravos o que foi
julgado necessario para sua ali nenlac5o c lites
expensas o a quem nao pode nproveibir aqneile
alvar irregularmente concedido sem que en fosse
ouvido como cumpria.
Em lempo oppoi tuno farei valer os documentos
que lenho em meu poder, e que prova exuberan-
temente o nenhuin valor e nulidade desse eofebre
alvar e de ostros de igual jaez queja tem sido
concedidos: assim como talvez iiiuilo Imcvc de a
publicidade outros doeumenlos sobJK maneira in-
ieressante, que mostrara, nao s o-bom nsn que
certa pessoa extremamente esaopulosa faz da in-
fluencia resultante do seu elevad) cargo, como
lamben o modo exemplar porque se administra
jiistica na minha trra.
Hei de ao menos lomar essa disforra dos meu?
injustos e prfidos perseguidores.
Engenho Govanna-Grande, 13 de setembro de
1869.
Jiaafl Fraudara Cavaleanti d'MImquerque.
A ivocacia
Q bacharel Francisco Gomes Prente |
mudoii o seu MOffptorio de advoeacia '
para a ra do Ojieimado n. 18 prmeiro i
andar, onde pode s<.-r procurado das 10 j
horas da maiiliaa as 3 da tarde.
Superiores sedas de cor e ristras a 15600 o covado.
Lindas poupelinas de la, com grande variedade de cores escuras e claras a
)60 rs. o covado.
Pecas de masselina branca com salpicos e com sete metros cada pera, pelo ba-
atissimo preco de 45000 a peca : na loja das Colnmnas, ra do Crespo n. 13,j de
Antonio Correa de Vaseoncellos & C.
AMA

r^
Na na do Mondego n. til precisa-se de om
hornera que emenda de plantaciies para tratar de
nm quintal.
Gabinete Portugus! tle Leitura
i
KM
A commisso central, encarregada dos festejos
do 16 aniversario do niesino Gabinete, que de-
vein ter logar ni dia 9 de nntiibro prximo, con-
vida a tollosos senhores socios que foram menea-
dos para fazer parte das commisses de decoxacSo
e receprao, a comparecerem na sala do referido
Gabinete, no dia 28 do corrente, pelas 6 horas da
tarde, afimde se deliberar o que f ir mais til aw
predictos (estajos.
Secretaria 21 de setembro de 1869.
Antonio Alves de Carvalho Veras
Secretario.
A viuva de Joao da Cosa Campos, nvenla-
riantc de sea casal, roga a todos os credores de
seu linado marido qoeiram apresentar suas con-
las no praso de oilo dias aim de se conferirem
paraopporlunamente seren sali^eitas. Recife 22
de satembro de 1869.
Innocencia Gnilhermiaja da CAncoiyin Campos.
Precisa-se de um caixeiro para padaria, que
d conheriinento de sua cofldiicta e desempenhe
sua obrigacao, se dar bom ordenado : na ra Di-
reita dos Al '-'al >- n. G'i A.
Na ra da Aurora n. 34, Io andar, se dir
quem precisa de um criado e de una cozinheira,
quer forros, quer eseravn.-. paga->e t>em.
Obrozeguim iourado
NOVA LOJA DE CALCADO.
JOAQIIM DAS DOS SANTOS & G. aca-
h;im de abrir ara estabekeiwerto de cal-
gado estrangeiro a rna Nova n. 30, donde
o publico encontrarlo todo o rjne neste ge-
nero de commercio ha do inelhor e de
mais gosto em PaHs e Londres.
Par todos os vapores trnasstlarjtioos rece-
bero elles constantemenle remessas de
calcado novo, pelo que ter sempre o es-
labeTecimento o que a respeitd se pJe exi-
gir. Ao publico enfgeral e a seus amigos
em particular, pedem a cooperafo, que
Ibes possara dispensar, certos de que sero
lervidoi com lealdafle.
Associac/ao Bcneieente dos Ar-
tistas Alfaiates.
De ordem do vico-director convido a lodos os
socios para Bompareeerem a assembl.i geral. na
sala de suas sossoes, na ultima dominga de se-
tembro, 20 ilo crrento, as 10 horas do din. allm
de tratar-se sobre o art. 11 dos nossns estatutos.
Manoel Ignacio Gomes.
I secretario interino.
Precisa-se de una ama para lavar e engommar,
e oulra para cezhihar para urna familia eslrangei-
ra : Irata-se no kirgo do Pelourinho n. 7.
Ama
Precisa-se de urna amo de teile : na ra da
Praia n. 49, 1" andar.
Aluga-se um sitio ua Torre com 6 grandes
(liarlo?, 2 -alas grande?, cozinlia fura e piarlo
para criado, balsa de capim e arvoraos de fructo:
a tratar com Andrc de Abren Porto.
Precisa-se de 3:0003 a 4:000 a premio,
cora hypotheea em um predio nesta cidade : a
tratar ua rna Direita n. 3'.___________________
CRIADO
' Precisa-se de um criado, preferindo-se BSCrave :
na ra das I.arangeiras n. 29, holel coraraercial.
U abaixo assignado faz scienle ao respetta-
vel publico, e especialmente ao corpo do commer-
cio;-qae deu sociedade em seu estabelecimenio
desde o dia Io de jal!: i do i-orrente anuo, sen
caixeiro Monoel Joaquim de Souza Lenios, sob a
lirma de Castro Pinto & Lemos. Mamanguape 16
de setembro do 1809.
Jos Pereira de Castro Pinto.
A pessoa qae offerece muito dinheiro por o
aluguel da casa do pateo do Terco n. 19, queren-
do comprar a armaco existate na mesma, cde-
se a chave.
Imperial companhia tle Londres
Por seus agentes tiesta praca
Saiiitul Pwetj Juii'-'io/i i C.
Hua di Senialla Nova n. al
Faz publico que lera al a agaocia nesta
praca de seguros contra fog '.
0*s agentes estn aul irisados a emittirem apoli-
Bcs, Reando assim os segura i desde logo saga-
ros contra quaiqaer : tjut posaam solfrer
causado pelo fogo.
Os agentes esiai autorfsados a averiguaren
quaesquer reclamaer"- c depois do competente-
mente examinadas a saida im Bi UW j lem feito)
por mcio de saques sobre a companhia em Lon-
dres ao cambio do dia.
A companhia promette promola vcriOcacaode
qualqner rerlamacao. assim coni prompto paga-
nmuo, concluida que seja satislactoriainenlc taes
verilicacoes.
As pessas que effectuar qualquer
seguro bastaran remeiter a esta agenda ama nota
indicando somenle a ra e numero do predio que
desejarem segurar ou em qu astkeron deposita-
das as mercaduras, ,\ -,e. como as qnanas.
Samuel Poj t. Julinston & C.
ot.
Ra da Senzalla Nova ti. 42.
Para festa.
Aluga-se um sobrado de um andar na ra do
Amparo n. 22, em Olinda : para ver, podem pedir
a chave na taberna do Sr. Guilherme, junto do
mesmo sobrado, e para tratar, na praca da Inde-
pendencia, loja de calcado ns. 37 e 39.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio a venda, rna do Cabog n. 2
Casa ila F. Precos do eostumo.
___________CASA f\ F.____________
Quem acliou tuna chave de afinar
piano, velba, com o cabo separado, e em-
brulhada em meia folba de papel, coja
chave foi perdida na segunda-feira ao meio
dia, do largo do Corpo Santo al ra do
Imperador, quena trazCT a esta lypognpbia
que ser gratificado.
A uga-se
parle da frente do prmeiro andar da ra do Im-
perador n. 32.
Orecisa-se alugar um menino de 12 a 13
amaos, forro ou captivo, para o snico de duas
pessoas ; assim como de nm moleqnu ou um pre-
io que entenda de cozinha, que seja liel e nao te-
nha vicios : a tratar na ra dos Osso?. onde est
o hospital de Santa Thereza ns. 2i e 24. ou na pra-
ca da Independencia n. 39.____________________
xAluga-se
O siiio da estrada de ferro com excellente casr.
de moradia a qual sobradada na frente, tem co-
xeiras para carros e cavallos c quartos para pre-
tos, baixa para capim e arvore de fructos; a tra-
tar na ra Noto n. 12, loja.
Precisase aliugar urna escrava que saiba
cosinhar e eingominsr ; a tratar a ra da Cadeia
n. 34 2." andar. ___________
O testamente!ro do fallecido subdito francez
Joao Vignes, convida aos devedons do finad-, a
salttarem seus dbitos amigaveimenie, do contrare
serio ajuizados sem excepcao alguma.
ESQUATRAO I'ATUIOTIGO
DO
Poep ta Pan ella
De ordem do Illm. Sr. major Joaquim
de Albuquerque Mello, muito digno cora-
mandante do esquadro patritico da fre-
guezia ao Poco da Panel la, convido a todos
os mmbros da commissao respectiva a se
rennirem na Porta d'Agua, residencia do
mesmo commandante. s 10 horas da
manha do dia 2(> do correte (domingo),
afim de tratar se de negocios tendentes ao
esquadro.
Recife, 3 de setembro de 1809.
O secretario,
______- ":\_______Seri'iiii" Iinurte.
Precisa-se de urna eostnreira para traba.'ho
dt chapeos e forragens, para trabalhar iv loja ou
em casa de familia; a tratar na Praca da Indepen-
dencia n. 14 a 16 ou 23 e "i.
Precisa-se de nina ama para o servico interno
de una ca-a de familia, profertndo-se e-rva : na
ra larga do Rosario n. 10. por cima da padaria
do Sr. Manoel Antonio de Jess.
Precisa-se de urna ama livre ou escrava que
cosinhe com perfeicao o dial in de una casa e que
tenha bons cosiume's; a tratar na ra do, Viga rio
n. fi tereeiro andar.
Ruga-se a pessoa que contaron ou empenhou
um habito da Rosa, qnerendo reslitui-lo receben-
do o valor porquanto coinprou ou empenhou di-
rijase a esta typographia
Precisa se de una ama para lodo servico de
casa de homeiii sulleiro ou de um criado," cuja
conduela seja abonada ; paga-se bem : a ra do
mondego n. 93.
Ao Sr. Bernardo Jos de Araujo Stares, mo-
rador em Ponta de Pedra deseja-se fallar a ne-
gocio de sen particular interesa*, na ra de Quei-
mado n. 39 prmeiro andar: eseriptorio do advo-
eacia.
Precisa-se de um criado para todo servico de
hotel, pagase bem. prefere-se eseravo : a Tratar
na ra cstreila do Rosario n. II. hotel Lboneesa
HUA;
DO
jjj CABUG
esquina
da ra larga do
Rosario.
AO
Ausentou-se da cas i senlior, no dia
21 do corrente, o moteque ailhazai, erioulo, de
idade 20 anuos, poucu raai9 ol menos, oOlcia1 de
inarcineiro, levou vestido calca de easeraira velha,
paletot rugo, costunia andar bein vestido e calca-
do, e diz que forro, nariz chato, falla um pouco
buboso e talo quem o pegar leve-o rna da
Guia n. 14, que se gratificara cora genero-idade.
Precisa-se de um caixeiro de idade de tli a
20 annos, que tenha pianhi de taberna e d co-
nhecimento de sua conducta : a tratar no largo
do Pilar n. 21, ou ra dos ouararapes n. 14.
Precisa-se conTprar ou alugar urna casa ter-
rea ou sobrado de um andar, as fregueaas de
Santo Antonio ou Boa-vista : quem livor araran-1
ci ou dirija-se a ra d" Hospicio n. 24.
Moco, tome cuidado!!!
Vmc. como eorumba e fllho do mato, por isso
nao ignoro que Vmc. seja ignorante, e que nao
saiba que os melindres de nina familia sejam mui-
to finos, por isso tome cuidado, e n*o se engae.
Nao erre o porco e d no leito, Vmc. como ins-
pector coraporte-se inelhor para dar exemplo, dei-
xc-se de bular pasquins por de baixo das portas.
deixe-se de molecagens e deixe-se da vida albeia,
poisa pessoa a quem Vmc. se dirige como ignora
quem e a mim se me loca pela roupa, por isso
tomo parte. Dellino, loma o consejo de ttu ami-
go, olha mais pelo ten negocio, trata de vender
leu bacalbo, nao qneiras entrar por onde deves
sabir, quanao vires as barbas de leu visinho arder
bota as las de mlbo, tenho pena de ti porque s
nm principiante, apesar que eu com Vmc. nada
perderei ; olha, pensa bem, e nao le metas em
camisa de onze varas.
fasto.
Alfaiates.
Na ofliciaa Flor da Roa-vista, precisa-se de ofli-
ciaes de?ta arte, garante se serem ium pagos de
suas obras : na ra da Imperatriz n. 48. ____
Urna pessoa habilitada se propontie a leccio-
naras lingoas portugueza, latina e franceza. BOT
casas parlicularcs; pode ser procurada, a qual-
quer hora, na ra de S. Francisco n. 40.________
CASA A NRTIEtt
Aos 4:000
Bilhetes garantidos.
.\ roa do Crespo n.3 o casas do costme.
O abaixo assignado lando vendido alm de ou-
Iras sr.rtes 1 meion. 16ii com 4:000-i da lotera
que se aeabou de extmliir a benefictb do patri-
moaio dos orphaos 'I20"i convida aos pasaidore>
a virem receber na contermidade do costume sem
descont algum.
Acbam-ae a venda os bilhetes da o- parte da
lotera a b"nelro da matriz de Jabala > (I2t'>
que se extrahir no dia M do corrate.
Pre
Os do coetoma.
Manoel Martins Fiuza.
Aos20ro^OOO
CASA DA FELIODADE
S9--Pra^ada Surtt'pf atlcncia-**
Os abaixo assignados tem exposto a vend os
seus felizes bilhetes da ."ifi' loieria em benelicio do
Monte Pi Geral (494), cujas listas sao esperada
at o dia 21 do crreme, sendo os premios pagos
vista das listas.
I'oram vendidos nesta pasa alm de antros pre-
mios o bilbele n. 2821) com 20.-(KM-5000, n. 74!
com 800*. e 3941 com 900
Vi res A Ilarbedu.
A.TXSC
O Sr. Delfrao tenha mais cuidado com os seus
pasquins, importe-se mais com a sua vendinba. an-
tes une o subdelegado tome conheeimento.
Rna Imperial.
. Precisa-se de nina ama para talo o servico
(te urna casa de familia : ao pateo do Para70 u
8, prmeiro andar. ___________________
D;i-sc sociedade ou vende-se o estabeleci-
mento de molhados da rna Nva n. Cl, por seu
dono ir tratar de sua saude.
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender, L ]ar0^ a*
vista da qualidade e do preqo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.l ga a m
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario. |il
vados.
A loga esta aberta at s 9 horas da fioute.



I

Causa admiraco,
Mas nao se pode duvidar;
No armazem Independencia
E' onde se pode comprar.
FEIIH1L i IBM40
donos deste importante o magnifico armazem de seceos e molhados sito ra do Rangel
n. 3, julgando nao aceitarem concordla alguma com os seus collegas resolveram der
nominar o seu armazem INDEPENDENCIA, assim como o seu fim nao seja illudi-
ao respeitavel publico deixaro de annunciar, sem o que o mesmo o julgue e admire
Mas como nos pontos da via frrea, j so tem discutido e apreciado a realeza e impos-
sibilidade a ver quem vende gneros to barato, por esta razo que annunciamos para
que todos tanto da praca como do matto acreditem o que neste asseveram e aquelles
que ainda n5o nos tenham honrado com suas freguezias, poderlo dirigir-se ao mesmo,
certos de que vero gravada a sinceridade e methodo de negociar muito franco sem que
uecessitemos de andar meia noite pelos oites das matrizes figurando-nos por bons
demonios nem mesmo na frente da msica com o pendo na mo feito balisa.
FERREIRA & IRMAO.
Ra do Rangel n. 3, armazem da Indepen-
dencia.
OCULOS PERISCPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
F. ?. Germana, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com estes vidros, a vista descanca, forliQca-se e n5o a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escolhido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos es annos e os ter
cada vez mais grassos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de cabera. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais longe, os raios que expelle sao
mui convergentes ou mui divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numero de
pesseas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a visao nSo distincta.
Com a applicaeo de meus vidros pde-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-seo ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as ootras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se cbama presbyta, vem melhor de longe que de perto, e nao enxergam senao
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
to distinctamente como na idade ds 15 annos. Servindo-se destes vidros quando a
vista principia cufraquecer, previne-se o mal.
F. *J. Germano encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a primeira vista, seja qua for a idade e grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o oatro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do'olho se cobra de catarata.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v et
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos sodesiguaes.
Para a vista-que se tuna com o traba-
lho e a leitura.
Para a vista presbyta (vislagalon ).
Sortimento
para theatro,
de binculos
e oculos de
alcance paia
rinha.
o campo e ma-
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, que do horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Bm Pernambuco.
N. 21=Rua NovaN. 21.
^S1 Martin
C_t.er.TBiQVE. a
. *={? VHESEBVATlF..* V
_ ~ ~ i p i -, p .
i)t!l
858-111
,ar-gg|
J. S o 2J
"' o .. c.
o
r?3
02 ~
S~2p
I 3 S^~
o
~
Cira
l c:
S-
B 3
"2 => =
MU ^18*8
O i*,,1
3 p g 3 3 3 "
-I- i/) O = S.
.....850o
s ms
3 sr OD-
:
o
_ 2. L
a jTS
_, m en en
q. 2, en to M
-,n 01 ts o
OJ 3 en .
rs s en .
65-o a>
= s S *'

cu o
OB
f?
BI.g.
M o
STo.

C0NFEITAR14 DOS AIUN4IBS
16RA DA CRUZ 16
a. ct> r > "^
o o O 6
Sis
SbS-3
SiO o c c-
~j en O
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes quahdades, vinhos de superior qualidade, eh Hisson preto, e miudo, o melhor qnt
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces dt
calda, etc.
bailes, baptisados e ca-
Incumbe-se de encoramendas para grandes jantares,
samentos, a saber:
Pecas de nougat. P5es-de-lot snfeitados.
Ditas de po-de-Iot. Bollos idem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crme e carne.
Bandeja com armaco de assucar. Empadas.
#DRE DELSUC
/;erre<
CABELLEIREIRO
7 A Eua do (Wpo-1." andar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre aeste estabelecimento um variado e bonito snrii
ment em perfumaras francezas e inglezas cuja lista damos aos leitores
LUVAS Marca garantida de JOUVIN.
SiSSAIS^-06 *vPe*iw qoadade marcas LUBIN & GOSNELL.
PmnunS ~T raTmhS pr?prios pa,a Presentes Lubin & Gosuell.
Spm"no de. V1T ch":os-Lubin,GoSnelIe, Societ Hyginique
JABONETES.finos para toiletteLubin & Monpelas.
jAU DENTIFRICE.-agaa para limpar dentes-Societ Hyginique Lubio D.
BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabellos-Lubin
rn^fr0L0^HA~M.arCKa verdadeira de Jo3o Marina Farica. '
COSMTICO.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.-dito-Lubin.
BLAIREAU.Pincel para barba.
GRANPOS.para cabellos.
REDES INVISIVEIS.para cabellos.
GRAYATAS LINDISSIMAS.-do melhor gosto.
UEi\GALAS.-de phantasia, para passeio e de diversos lmannos etc., etc., etc.
A la parfuraerie Parisienne.
7 A RA DO CRESPO l.ANDAR 7
(MUREIRA E MODISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de partecipar ao respeitavel publico e em particular seus fregue-
zeb.que.pe asrelacoes que acaba de encelar com algumascostureirase modistas das mais
afamadas de Pars, '
. que todos os mezes lhe mandam figurinos, de vestidos, i an-
telete* e chapeos que esto no maior gosto e mais modernos, se acha habilita-
para fazer vestidos para passeio e visitas, bailes
se
As senhoras que
anoniarem com a suafreguezia, nao deixaro de ser satisfeitas, tanto pelo bom gosto, como
e casamentos.
pela barateza dos precos e promptido na entrega das encommendas ; tambem tem bo-
nitos enlejes muito modernos e de todasas cores. Fazem-se chapeos de todas as quahdades
tanto de filo como de palha.
A.
wmmMmmmmm mm wmmmmmmmmw
AS BUBAS CURADAS
* F
Todas as molestias syphiliticas.
FLOR DA BOA-VISTA
Bra-
, A ELEXIR DO DR. SEVIAL
su, nas repuwioas do sol e na AMemanha espedalment ran cura Ha hAnK,=
samas, rheumat.smo, todas as molesas sypmSTe eraPRera todas aouelS
provem da empureza do sangue. K aquellas
NCO DEPOSITO
LOJA
DE
S2
**HarMacla e drogara.
NA
e
DE
Bartholomeo C.
31Roa Larga do Rosarlo-a4
12
^PALO
s
Nesta officina encontrarSo os respeitaveis freguezes om dos primeiros artis-
tas este ja bem conhecido (com grande especialidado em fardas), por muitas pessoas
gradas desta cidado.
O mesmo estabelecimento se acha munido de um completo sortimento de
tazendas, do que ha de melhor no mercado, proprias da oficina.
O grande sortimento deroupas feita que tem, vende e manda fazer menos
20 por cento de que em outra qoalquer parle ( dinheiro).
FERHAHDES DE M. 6UIHARAES
SOB A DIRECCO DO MOTTO HBIL ARTISTA
ALFAIATE PEDRO
48 RA DA IMPERATRIZ 48
Junto a padaria franceza.
Os verddeiros COLLARES ROTZB, os nicos approvados pela
t Academia de Medicina, tem assim como os neos oulros productos
atirahido a cupidex dos falsificadores, que para facilitar sua criminla
industria nao sepeja, nemreceiao annunciar Tender fabos CouLAjuca
com mev notan. En prcrino as familias para interesse de seus filos
que, para evitar falsificacAes, devem exigir, que meus OotXAmia Ibet
sejao Tendidos em caitas de tambas de encaiie e cerredlas cobertai
por h ettiquetas com a minlia marca de fabrica e encerrando nm
prospecto circunstanciado, e selladas por urna medalba com o lettreiro.
COLLAR BOYER, Rae St-Iartii, 225. Pars.
I & I i
ffi ti
Este admiratel
Depurativo nao
ontemcmsl mor-
uno, iodo ou
arsnico um |
rigoroso modifi-
tX/^oT^!^ 'cl' > depile, toe. como a lepra, as impigons, as herpes, a
espinhas^ e os Pannos, elcEmpregado diariamente elle refresca a massa do sangue e consolida o saudc.
INJECCAO CADET
Faku, 7, B* Denain.
guc
Cura em 8 das os corrinuntos amigos ou
os mais rebeldes.
recentes
OPPRESSAO SOFFOCQO
a Perol iiYOirr do doctor Clvrtab approvadas pela Acadomia itnporial
d>. medicina de Pariz acalinam quasi sempre instantneamente os ataques d'asina,
oppressfio, BoffocacJt, assim cerno as dores de cabera e eaxaqtiecas. suffi-
ciente na occasiio em que apparecer o nial, o engolir-se nina ou duas prolaa
rom urna pouca d'agoa. L' com certeza o medicamento mais fcil de tomar para
este gciicro de doengas.
.% Peroina de tereiientbina do DOCTOR Ci.ertak sao impregadas diariamente
com grande xito para a cura das nevralgias, rlicum.-.tismo, sciatico e catarrlioa
da bexiga, listas perolas foram sempre recommendadas por um grande numero
de mdicos e especialmente pelo outor Trousscau, que indica este medica*
ment como o mais eflicaz. conveniente tomar de 4 at 8 na occasiao das
comidas.
A approvacao da Academia imperial de medicina sem duvida a rnelhor
garanta da boa preparacao d'stes medicamentos e de sua efficacia.
DePo.ito em nio-JAXEiRo, DuponcheUc; Chevolot. ba rumajean, Maurcr O'.
SOFFRIIKIENTOSDESTOMAGO, CONSTIPACAO-
Cura em poucos das pelo CaRvlo de belloc em p ou em p:i>tillias.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. bmalettesiatuV
sipadas n.pidamente pelas perolas D'EThER Dr CLEkTlX.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os solTrimentosque ncassitaindo
emprege dos let ruginosos sao sempre combatidos com o mcllior retaliado
pelas pii.Ui.AS de vallet. Cada Pihua tana nemada o nome riiUT.
PO DE ROG. Basta dissolver un frasco d'cstc p em meio
garrafa d"agua para se ofctr una limonada agradavel que purga sem fa-
zer clicas.
VINHO DE QUINIUM pouens cuja composicao 6 garantida constante, 6 urna das melhores prc-
paracoes de quinino,. sem accio notavel sobre os convalescentes, dando-
lhes forcaa c apresando volta a saude. Cura as febres antigs qua re-
sisti ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parte destas moles-
tias, como as scialicas, lombagos, catarros, e todas as dures nervpsas em
gcral sao curadas pelas PEROLAS OE ESSENCIA DE THEREB NTINA do
r. Clcrtan. O protessnr Trousseau em seu Tratado de Vierapeuiica acon-
selha as para seren tomadas na occasiae do jantar, na dse de 4 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.
Gamiitido puro e Je primeira qualidade, um dos poucos aprovados pela
Academia do madiciiia.
AVISO. Todos este.i medicamentm foram aprovados pela Academia
imperial de medicina de l'aris.
DETOSITO
Em Paria, L. FRERE, 19, roa Jacob
Pennmbnco. Maurer ct 0.
Ceara.....Hahreb ct ",
fti-Janriro DewKaaua; Eaaa is
ataaara.
liai.ia.....Has.e et O.
i?{^iv^"*T~"i"aiwaMMaMaaaMnw~aWTWa~iWT-i $m 11,11imii
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARMACBUTico, J, RU DES LIONS-SIINT^AUL, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Com IODIIIETO ale POTA88IO
O lodoreto de potassio um verdadeiro alterante, nm depurador de incontestavel effi-
caaa; combinado com o xarope de cascas de laranjas amargas, e aturado
sem perturbacSo alguma pelos temperamentos os mais (reos, sem alterar as funccSes
do estomago. As doses matemticas que elle rontcm permiltem aos mdicos de receital-o
para lodasas complicaces asaffercis escrofulosas, tuberculosas, cance-
rosas e nos accidentes Intermittentes e terceiros: alfim J'isso, o
agente o mais poderoso conira as doencas rheuraaticas.
XAROPE TOHICO ANTI-NERVOSO XAROPE FERRUGINOSO
de caaoa de laranjas amargas.
35 annos de snecessos attestao a sua effi-
cacia para curar: as doencas nervosas,
agudas ou rhronieas, as gastritis, gastral-
gias ; e facilitar a digesto.
de cascas de laranjas e qoassla amarga.
E' sob-a forma liquida que mais fcilmen-
te se assimila o ferro; n'esla forma prefe-
rivcl as pilulasc paslilhas en lodos os casos
em que sio proscriptos os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QUINA, PYKETIIRO E GAIACO
Klizir dentifreio, para a alvura e con-
servavao dos denles, curando as dores
causadas pela caria ou produzida pelo
couiado do calor ou do fri
F dentfrieio, com base de magnesia
para a alvura e conservaco dos dentes,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reproducSo.
Deposito em Rtodt Jaunre, B. Cheele(; em Pernam&uca, r.iuarere C; em Haceio.
rle Da; em Pttotai, ster* Lelvaa; em Bahia, Da Recaa; em Porto Aleare, J..
Bell*; em aranAdo Fprrrira e C-5 em Ouro Preto, C- *. V. Wrlcr.au, fm Sania CitU-
nao, 8. sehatel em Montanteo, o. ituaert; em Buena-Ayres, Btebeaarekerda.
HKXfJO DE nowu
Vende-se em frascos
D FGADOS FRISCS Dt BACA10 -o frascos tnanr-..
lares, pharmaria Hoco,
, ra de CaslIgJ'one,
sin Piris.
> conAt-a. or alcui onrii.iH. ;,,,,, ,.:,. ,,
" ..-orno ., cjao. ai ^c.,n^r, t ,,M .-,. o!c0s ,
' '...... "a,,, tomm a.at^d*para S T^^JlT^l'^^
f" *" *~ > Vrrti\a,a. r,tc, Ico- c" Jm mi ^ad
.recosmni bahos,,* qtmo"n^t^XlZ^r^r^TJt
p-. x-araoi par;. {tBm lllrfv(,r .. Ba, ,.,,,,',1, 1, a rtr "W
'- -" .....--C-^^r^^a^^g ,
I*"-0 *?" MoiW m!fr"CJ' de digPrip- 'ilfl'Me entre os outros leos nal. 1
... 0^. (,. iro aoawi a Mi-ado, a sen gnsto do .sardinha fresca. "^ roa I
UroiHO farciavtl do clnfc dos iraballios clirmicoa (a FAffirunr nr inn>o,
- P*r& e nao a^a ,W ^ > %*
VcnUe-c^n edaa a. pharmacla. a Pranra e os palie, ealranaei,*.


Diario de Pernambuco Sexta feira 24 de Seleiubro de 1869.
\f
Y

A ESMERALDA
EMPRSTITO SOBRE
AGENCIA
ra
pri-
LO. BE .IDUS
n:
ftt
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado ie novo, est as condi-
guezes, visto que acha-se prvido com um
expendido sortimento de obras de ouro e
prata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, eujos prepos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
____l_a
N. 5 RIJA DO CUDGA N. 5
(SEM LIMITE.)
Na Iravessa da
Grozes n, 2,
I meiro andar, da-se qial-
quer quantia sobre oaro,
prata e pedras preciosas.
O dono (leste estabeleeimento,-
competentemente autorisado pelo
governo, est as condicSes de ga-
rantir a transacgao que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo j
e consideraco s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
\o Recite arco da Concelco n. 2
Os abaixo assignados teudo-se habilitado na
forma das leis teni exposto a venda os seus feli-
zcs bilhetes das loteras do Itio de Jaueiro na casa
cima aonde so pagarao as sortes que sahirem
no mesnio bilhete com o descont da lei somonte.
PRECOS.
Bi i lete inteir'o i000
Meios 12*000
Quartos G000
E de lOO para cima a -2i o bilhete.
Figueiredo & Lcite.
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarecar alo-oao, do
muko conhecido fabricante Eagle (]otton Gin.
MACHINAS ditas, tambera de serrotes o de todos os tamanhos para descarocsr, al-
godo do autor New York Cotton Gin.
__S__i- ^ df t0Sf, os tamanhos>de rreta de ferro e mais toda a machina.
CACHINAS drtas de RoHer Gins, de cujo trabalho fez obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
ACHINAS de fac5o do fabricante Platt B. C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior quadade e as melhores (ce tm
nndo ao mercado ; e para a sua apreciaco convidam-se os senhores acrieuKores "
rera a exposteo das mesmas nairua da Cada do Recite n. 06 A, leja do Bastas, onde
encontrarlo mais o seguinte:
Notas das caixas liliaes do banco do Brasil
trocam-se com mdico descont, na loja de Manoel
Soares Pinheiro. praca da Independencia n. 22.
L lll
Do Dr. Ayer.
. PEITORAL DE CEREJ.Y
cura phtisica e todas as molestias do puilo.
SALSA PAHRILHA
cura ulceras e chagas antigs, empigens e darlos.
TNICO
conserva e hmpa os cabellos.
PILLAS CATIIARTICAS
purameute vegetaes e sera mercurio, cura ses5cs,
purgam e purificam todo o svstema humano : ven-
do-fe nicamente em casa d Samuel P. Johnston
A C, ruada Senzala-nova n. 42
-ti) agente do compras e vendas de
scraws, Jos Martins Alves da Cruz achas-
se' residindo na ra de Borlas n. 96, promp-
to a desempenhar nao s o scu dever para
este flm, como para outros quo seus com-
mitentesojulguem habilitado mediante suas
respectivas commisses.
55-
Ra do Queimado n, 49 c 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanlo tem emseu i baralo.
ATTENCO
Aluga-se duas casas com bstanle com-
modos, e vende-se urna na cidade Nova de
Santo Amaro: tratar com Antonio Jos
Gomes Jnior, em Santo Amaro.
Aluga-se
o segundo andar e sotao do sobrado da ra da Ca-
doia do Recife n. 60, com bastantes commodos e
muito fresco : a tratar no armazem da Exposirao
de Londres.
Companhia Peruamfiucana
De ordeni do consolho de direcrTio da compa-
nhia Pcrnambucana se '&z publico que gmente
at o da 30do corrente mez sera} aceitas assig
naturas de aeches da mesina companhia cuja,
emisso se acha annunciada. Pernmhueo 2 de
setembro de 1860.O gerente, F. F. Burgos.
Na ra cstrcjta do osario n. 35, pri-.
meiro andar, casa de urna familia que for-
nececommedorias precisa-se para todo o ser-
vico de casa e ra, de serventes iivres ou
escravos, preferndo-se estes.
AMA
Precisa-se de urna ama livro ou escrav que
cozinhe com perl'eicao o diario de urna casa, e que
seja defeca conducta : a tratar na ra .do Vigario
n. o, 3o andar.
ESCRAVA.
Precisa-se alagar para cozinhar
Coracao ile Ouro, ra do Cabug.
a tratar no
Precisa-se de ama ama que lave e engonmic
para casa de pouca familia : a tratar na ra do
Quemado n. 28, loja,
Na ra Direita, loja de calcados n. 32, pre-
cisa-se de dous officines sapateiros de ponto, que
sejtun peritos e assidnos, paga-se bem.
Q abaixo assignado faz sciente ao re>peitavel
publico e com especialidade ao corpo do commer-
ci, que tcm justo e contratado com o Sr. Francis-
co Torres da Costa a taberna sita na ra de Santa
Rita n. 1, livre e desembarazada : portanto se al-
guem se adiar com direito mesma, compareca
no prisso de tres das, finds os quaes por nada pe
responsabilisar. Recife 22 de setembro du 1860.
_______________Jos Antonio Barbosa.
Aluga-se urna creoula livro, perfeita ctsi-
nheira; a tratar no pateo de S. Pedro n. \.
Molina.
O 8r. que nao se chama Delfino, dever antes
mportar-se com sua vendinha, fecha-la e abri-la
a.- horas que marca a lei, bao se liar em ser Es-
pect.; isto para dar bom cxemplo, e deixar-se
dos pasquins insultando quem Vmc. nao conhece,
pois, cuidado, moco I
Aluga-se urna escrava
e fazer compras: a tratar
do Imperador.
para servir de casa
na loja n. 30 da ra
COMPRAS.
Com muito maior vantagem compram-se
mecas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
racao de Ouro n. 2 D, ra do Cabug.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que- era ontraqualquer parte.
Ouroep'at
Compram-s* moedas de ouro e prata de todas
as qualidades, por bom preco : na ra da Cadeia
do Recife n. 58, loja do azulejo.
Debulhadores para miho.
yndros para padarias.
Arados americanos.
Oarrinhos de talo.
"achinas para cortar capim.
Pannos de chumbo.
Sombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
'olhas de zinco finas.
3itas de cobre e lato.
^erro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
7olha de Flandrcs.
lachados americanos.
Faces ditos.
3alaios e cestas de verguinlia.
/assouras americanos.
Polios de todos es tamanhos.
"Pomos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros -artig
liversitlade seria enfadonho ennumera^los.
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes demadeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinlia.
Peneiras para padarias.
Saldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarrae.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para reQnacoes.
Azeite de esperma^te, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Maneaos e lodos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentos lavoura e artes, que pela
Aluga-se
urna ca a em Reberibe : a tratar com J. I. de 51.
Reo, ra do Commercio n. 34.
Oosinheira
Na ra do (respo n. 6, precisa-se de urna
soa para cozinhar. agradando paga-se bem.
pes-
Preeiaa-se fallar com os soguintes senb.ves :
Joaquim Apolinario Mayer, casado com Catharina
Hayer, seus lilhos o Dr. ianoel de Mora es M.
Mayer, Jos Gabriel de Moraes Mayer, Gertrudes
Perpitua Mayer da Fonseca, casida com o Dr.
Manoel Gomes da Fonseca : dirijamso a ra lar-
ga do Rosario n. 10.
A HKtfleta =ue>vda Na taberna do Sr. E>pc molino, na ra Impe-
rial, tem venda vinho ue inaadioca, reclamando
o por ser tregua, respondeu o Sr. molino que cu
nao entenda o que era vinho, pois ueste wo de-
vero Sr. fiscal tomar eonhecimento disto !
*m Teu visinho.
Ama de leite
Precisase de una ama le leite : na traveseado
arsenal de guerra n. 13.
Eu abaixo assignado, tendo perdido um bi-
ii'K) da lotera de Ro de Janeiro de n. 1475, e
tejido de chegar a lista dos premios no primeire
vapor, por isso pwc que ninguem pague o pre-
mio que possasahr se nao ao abaixo assignado.
___ Joao Benedicto Jos de Sant'Anna.
Pa dara.
Precisa se de um feom mestre e masseira : ^a
ra Imperial n. 103.
Compram-te moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata em obras inutilisada,
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
ourives do arco da Conceicao, no Recife.
Compram-se e vendemse diariamente para fura
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
froguezia de Santo Antonio.
Compra-se um prcto de meia klade : na ra
do R.vigel, padaria.
.Jomaos para embrulho
Comp am-se jornaes pm embrulho a 140 rs, a
libra : na fabrica a vapor da ra larga do Rosario
n. 21.
taflo
Compra-se um missal que esteja em bom es-
; no largo do Paraizo n. 14.
COMPRA-SE
GomDra-se de 2, 3, 4 e 5, e de n. 10
at o ultimo do peridico que sepublicou a
annos denominado Dona Liga, o n. 2 at o
ultimo do Barrigudo, e o n. 1 at o ultimo
do Papagaio de Dona Liga e paga-se bem :
nesta lyuotfraplua se dir.
Cozinheiro.
Na ra do Amorim n. 37, precisare do ata co-
zinheiro que sej bom.
Vende-se urna mulata moca com 20 anuos, bo-
nita liguii e sem vicios, propria para quem tiver
encoinmeiidapara o Rio de Janeiro, caita l:i>00 :
jQfc-rua de Apollo n. 14-, armazem.
0
DE JOIAS
GOMES DE MAHOS IRMiOS
tendo^ feto completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, eom o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUG N. 4
onde encontrarao um completo sortimento o que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Comprarai e trocara qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a quadade dos objectos vendidos.
VrNDAS.
Attenpao.
0 MUSEO DE JOIAS
i
Soberanos e ouro nacional
Vende-se mais barato do que em ontra qual-
quer parte : em casa de Carlos P. ce Leinos & C.,
ra do Vigario n. 10. armaz?m.
Oleo de linhaca
nos armazens de Tasso Irmao.
Salitre
nos annazons de Tasso Irmao.
Agu de Florida
nos armaiens de Tao limaos.
estabelecimento pira acabar e fazer novo
jortiraento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Gaitas de liabas do gaz com
50nove1los a 500
Latas com superior banha a
120, 200 e..... 400
Frascos de oleo babosa muito
fino a..... 4oo
Duzias de meias (inglezas)
muito boas a 400C
Garrafas com gua florida ver-
dadeira...... IjJOG
Garrafas com agua^divina da me-
lhorquadade .... I500
Gaixascom 12 frascos de ebeiros
proprio para mimos i 23oOfi
Dita comjG frascos muito finos 800
Oleo baboza muito fino que so
a vista ...... 500
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... 240
Gaixas de p de arroz muito
superior ..... 600
Pecas de babadinbo com 10
varas ...... 500
Pecas de fita de cs qualquer
largura ..... 50C.
Escovas para unhas muito fi-
nas ...... 500
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... 240
Pulceiras de contas de cores
para meninos 200
Gaixas de linha branca do gaz
com 30 novellos (500
Pecas de tranca lisa de todas
as cores ..... 040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 4000
Pares de botes para punbos
muito bonito 120
Libras de la para bordados de
de todas ?s cores 8000
Pentes cora costas de metal
muito finos -3320
Novellos de linha muito grande
para croxs 320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... 480
Grosas de botoes madreperola
muito fino ..... 500
Sabonete muito finos 00, 120,
160, 240 e..... 320
Pegas de fita de 13a todas as
cores ...... 500
Espelhos dourados para parede
1000 e..... 1500
Espelhos de Jacaranda muito
fino ...... 2000
Pegas de trancas brancas e de
cores de caracol 060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 320
Caivete muito fino com 4 fo-
lhas ...... 1500
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos 1200
Assucar de oxido de ierro de
Chanteaud.
O assucar fe ruginoso -de Cbanteaud obdo
pela associaeau do oxido de ferro intciramente so-
lucel com o assucar cuidado.-air.'.ule parificado.
Este assucar, de urna bella apparencia ci vstalma,
tem o simples posto mu agradavet do assucar,
seno o menor sabor adstringciile : nao tem aecio
irritante sobre a mucosa do estomago e enteftino,
e rpidamente absorvido pelo apparelbo digesti-
vo sem causar as constiparon s do ventre.
E' boje o preparado de ferro de mais aceitacao
para a cblorose atona dos orgaos, pordas brancas
menstruacocs difficcis, etc., e tem a seu firror o
uzo aulorsado da escala Ue medicina de Pars,
e dos ebrneos os mais notarais.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pbarmaca de Bai tholomeu & C, roa larga do
Rosario n. 34.________________________
Vende-se dous escravos, pecas, sendo um de
12 para 13 anuos, e oulro de 20 mais oa menos ;
na|rua do Qucimado n. 13 1." andar.
Luvas novas
Chegon de novo pelo Extremadme lomplelo
sortimento de luvas de .louvin, de cores esoolludas
a uMima moda : no arm9zem do vapor Irancez,
ra Nova n. 7. __^_____
C Ali UK LISBOA
P0TA3SA DARUSSft
A mais nova no mercado, a preco razoavel: n(
armazem de Manoel T Basto, ra do Commercic
n. 13.__________________________________
Charutos de Havana,
e grande sortimento di Babia e Rio de Janeiro,
fumo do Para, em magos e era chicotes, dito su-
perior de Baependy, e outras muitas qua'idades,
que se venden) em grosso e a relalho, na ntiga
casa deJos Leopoldo Uour^ard, ra da Cadeia
n. 15.____________
Predios noves
Vendera-se duas casas terreas no bairro da Boa
Vista, solo proprio. e muito bem construidas : a
tratar com Alexandre dos Santos Barros (olaria).
Ra do Queimado55
A A RDADE tendo em deposito grande
qunni: ..u!,: de ig perfumaras, e de-
sojando aparar dicheiroe adquerir ba fre-
-IU.-/.':\ est rS! ilvda a vender njuitissimo
por essa razito convida aoresj
lavel publico a vir competentemente muni-
do a sorttr-se di bom e barato. Pois q i
ilo a verdaSe apparece, tudo mais das-
npparece-----
Gfaade sortimento de bonecos do cera e
tnass as mais tulas possivei vestidas a ca-
rcter.
Ricosglubispara eaodieiro de gaz a l8O0
Cbatiiins a....... 820
Grande sortimento de objetos de
looca para brinqoedo de menino 100
Garrafa com titila fl..... 800
Dita com agua florida tflrdadeira a I -J50i'
Dita com dita dita a I0.'fl
Frasco comolco de babosa a 500 e 720
Dito com agua de Colonia a 300 e
Garrafa com agua divina a. 1500
Frasco com oxli'actos linos a 1:>000
LaUs peipienas com banha muito
200
320
600
20800
320
700 '
500
240
200
80
(500
;->ooo
1,6400
400
! (SGO
600
200
240
700
480
40
280
100
50J
280
BOQ
100
:^4O0
34000
lina a 12e
Sabonetes de diversas quali lades n
80, 100,20e......
Finas escovas para denles de 120 a
Liados roques modernos a. .
Pavios para gaz, dozia a 240 c .
Escovas para fado a 500, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar pioU a 100 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pegas de tranca de la com S
varas por.......
Oleo para machina de eos! mi a.
frasco a........
Penrias d'aro linas eaiv.s a 800 e
Dita d'.o l'eny, eai\a a. .
Galo de algodo poga ....
Lindos babadinhos e cnlremeios
pera do 500 a......
Boloes do madreperola, groza a
Ditos do loiiga muito lino a 120 e
Ditos para caiga a lO e. .
Caixa com papel Imizado a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obieas a.....
Caixa com agulhas fundo domado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costuia a 240 e
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200..,,... .
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2200 e .
Papel almago e de peso, resma a
3400, 3500 e .
L.a muilo fina para bordar, libra
Fita de algodo para debrum de
sapatos, pega a.....
Ditas de la para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e...... 500
Caivetes grandes com molla a 320
Ditos para aparar penna a 100
Carloes com colxetes a. I
Rosetas pretas, par a 100
Tranca de la d>- caracol pega a O e 100
Fita de coz pega a 480 o BSO
Alfloetes de latao a. '. 100
Sapatos de la para menino aS48e 800
Ligas para sennora, par a. 100
Grvala de sedas de cores a : 200
Cslcaderas a....... 80
Grande sortimento de rendas das libas.
l'm par de suspensorio da borracha per
100 ruis I !!!!!!
.Tia Verdade na do Qic2aiado
n. 55.
40500
6(|70C
100
480
'320
LO DU
CABO
N. 37.
Vernizes.
Vende-so nn escriptorio de Joaquim Gerardo de
Bastos, na du Vigario n, 16, primeiro andar, os
segrales vernizes em latas de 6 o 9 libras, do
acreditado fabricante do Para, Caetano Antonio
dos Santos Lisboa :
Verniz copal escuro.
Dte dito claro.
Dito dito escuro proprio para obras de folha de
Flandres.
t de ouro ou douradlbo.
Baratisaimo!!
Cortes de la com 13 o 14 eovados a 9fi, chitas
e cambraias a J40 rs. o covado: na loja o. 29 a
ra do Queimado
TSA7CC0S
oom fttriiiha da trra.
Maia & Landclino vendem saceos com farralia de
mandioca, mais barato do que em ontra parte :
n_rua do Qneimad'>, travessa do Rosario n. 18.
Vcndein-se por diminuto preco seis pipas
vasias e ama cxcellentc prensa de aJgndan, que se
acham cm Montes : a tratar na tbesouraria das
loteras,ou com o Sr. (%ipito Irineu, cm Montes.
Para forrar casa.
Vende-se boa alcatifa pelo barato praeo de 900
r?. o metro : na ra do O'-'^imadj n. 31. :>iade
A. M. Robn & C.
Attenpo
Vondo-se a facrica de cigarros e charutos bas-
tante afrcniezada e com poucos fundi>s : quem
pretender, dirija-so a mesma, na ra Direa nu-
mero 50.
No armazem do Cunta Irmaus & C-, ra da
Madre de Dos n. 3, ve.ode se vinno do Porto, de
Pa*to. o lino, em garrafas e barrfs, do Meneies,
Chamico, e outras marcas acreditadas, vinho de
Past; imitando o Pigaeira, em'barris de o i.
Chegiiu ultimamonte superior vinbo verde, marca
Menezes, era quartos, e cera de carnauba ; rcta-
lba-f e barato para acabar.
Jos Joaquim da Costa Maia A C, ra do
Crespo n C, acabara de receber um grande sor-
timento do pedras marmore, como is de
diversos tamanlms, laminas, saccad.i", tota
degraos, bem como lelbas de ferro galvaniaado
de diversos tamanhos, que tudo ututo
em conta.
YIIIA
RU.t DO IMPERADOR
Neste armazem ha nm granJo Minenlo
qiiartnlias do diversas qualidades, bilbas, ui.iii.-
gucs, jarras para sala, grandes e pequeas, t
liara limes proprio para jardim, caeos para dito,
ditos para formiga, lonca vidrada para ir ao
canos vidrados e por vichar de 1, 2, 'i, C e 10 poi-
legadas de dimetro, os quaes vende per precos
muito razoaveis por ler grande sortimento.
Peixe abacallioado
hidustria rio-grandense da f;
brica de Ferreira Guimarae
& C, no Kio-Grande do
Su).
Este peixe, assim preparado de exccllento m -
neira : vende-se no armazem do Antonio Goi
Pires & C, ra da Cadeia n. .':.
Nfto mais cabellos brancas.
A tintura japoniza para titigir os cabello:
da cabega e da barba, fui a nica admittita
Exposifo l'marsal. por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparacoes ai
hoje existenles, sem alterar a sade.
Vende-se a lf)000 cada frasco na
Rna da Cada n. 51,
1. andar.
Vndese urna orioula de 20 annos com un
filhod3 18 raezes, engomma perfeitamente : ;i tra-
tor na ra do Queimado u. -.'8, 1 andar.
ATTENCflO.
Vndese um piano de mesa, de Jacaranda, em
perfeito estado e muilo finado, por commodo pre-
co : a tratar na livraria Universal n 54, roa do
Imperador.
Vende-se urna linda armcao toda de ama-
relio o cora vidros grandes, milito propria para
mandar por forro por ser toda de armarios sepa-
rados que se desmanchara a contento-: a tratar
na ra da Cibug n. 8, loja.
Vndese urna bonita creoula, pessa, de 13
annos. principios do habilidade, propria para mu-
camba, por ser recolhid.i ; ora prcto de 30 annos
cosinheiro: na ra do Hurtas n 90. Na mesma
casa ha outros escravos para se vender
Escravos
(; escravas
Vendem-se 2 mulatas e 1 crioula, perfeitas en-
gommadeiras e cotinhetras, idade do 20 a 30 an-
nos 3 escravas de idade de 7 a SQ anuos, con.
habilidades, 1 crioula fleiJaie T annos, boa cn-
goramadeira e cozinheira por 1:1003, 2 escravos
para todo oservico, Invoque do 12 anuos: na
iravessa do Carmo n. 1?
ASOOO
Saias de Ka, objecto de posto e de exceller e
iinalidade : ua ra doQui-imado n. 31, loja de
M. Bolim & C.
Fariaha a venda
Na ra Imperial n. 10, se acbwi cun qu^
tratar. '
ARANTES.
"Ias d,>.p^Sur:10 du s<:J:i' caao a"o, para
a ti
turao de teda, cano alto,
Botinas de pellica, ingkz.,?. as. 32 e 35,
''tinas pretas, cores e brancas, para i
a _000.
Botinas protaspara senhnra a 5JI
Botinas do vaqueta para m. nio a MOOG.
Taberna
Vende se a doi
denles
Vende-
cozinha c faz lodo o .'
tar na ra da Gua n "
: ; [
7.
de urna ca, : a tra-


6
Diario de Peinambuco Sexta feira 24 Je Setembro de 18G9.
==


LIQUIDADO
SEM IGUAL
0 proprietario do armazem de fazendas denominado ARARA, rua da Impera-
triz n. ~-2, declara ao respeitavei publico e seus freguezes, que est liquidando lodas as
fazendas c roupas fotos que tem eni sen estabelecimento como se poder ver no sea
anuuncio e preco abaixu mencionados,
Chitas raucezas matizadas a j Algodo eufestado OOO rs.
a*O rs. Vendc-se algodo enfeslado proprio para
fende-se chitas francezas escuras matiza- iencoes e toalhas, 900 rs. o metro, dito
das a MG rs. o covado por este preco sna trancado a !#, metro.
Ion da Arara, rua da imperatriz n. 72.
LAAZKS'HAS A W RS.
Vende-se luinlias para vestidos de se-
nti.-ira a 210, 80, 3^0 e 400 rs. o co-
vado.
RUEGES DE LAA A 500 RS.
Vende-se barago* de 15a com listras para
Lidns de senhora a 500 e 610 rs. o
covado.
Alpacas de listras a 500 rs.
Vende-se alpacas de listras para vesti-
dos de senhora a BOO rs. o covado.
CUITAS FRANCEZAS A 289 RS.
Venie-M chitas francezas claras a 280 rs.
o covado.
CORTES DE LAA PARA VESTIDOS A
-2V,00.
V mde-se cortes d.' la para vestidos de
senhoras a >'iOO cada iim, -
PERCAIJBS A 4*0 ItS. O OOVADO.
Vende-se irreales milito tinos para ves-
tidos de serdiora a UO rs. o covado, mur-
solinas brancas finas, a 500 rs. o covado,
brigantinas de cores, a 410 rs. o covado.
ttales modernos de todas as
cores.
Vendes'balesmoderno sbrancoe de co-
res a U\ 4500e S|.
COBERTORES DE ADGODO A 1*500.
Vende-se cobertores de algodo aiflSOO,
coberlas do chitas a 1-5000 e 2 cada urna,
GANGAS PAIIA GALGA A 320 US.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de hamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para calca e palitots a 2 o covado, meias casemiras enfestadas para
calcase palitots a 14 o covado, brim pardo
de tedas as qualidades brim branco de
todas as qualidades na rua da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 40 rs.
Vende-se alpacas de cores lizas finas a
do rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLO ENFESTADO A 3.3500.
Vende-se pecas de madapolo enfestado
a 3*500,pecas de madapolo inglez do 24
jardas a 6 5, 0>U)0, U, 8J e 10<5 a peca.
Assim como vende-se chitas para cobertas, a 240,
Chales de merino .
Vcndc-so chales de merino estampados
a 241, chales brancos o de cores a 1*000
cada un.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Veode-se urna grande poreao de cortes
de brim castor para calca de hornera, 640
rs. cada um.
Grande poreao de retalhos
Vende-se grande porfi de retalhos de
chitas e cassas pretas a 160 e OO rs. o
covaio, retalhos de cassas, 15a e chitas de
cores baratissimos.
LIQUIDAD! A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 2,
ditos de alpacas de cores a -2,\ di os de
meia casemira a 2* e 23300. ditos de pan-
no preto bom a 8> c 40-5. calcas do algo-
do azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodo de listras a 800 c I), camisas de
liscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de brim c fusto de cores a I* e I #500,
coleles de cesemira de cores a 20500 e 3#,
e outras muitas qualidades de roupas feitas
que se vende por baralissimo preco.
Algodo de listras a rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A i*.
Vendem-se pecas de algodo 4#000,
5*200, 6#000 o 7#, para liquidar.
Baldes de reos a i*"0.
Vende-se bates de arcos pan senhoras
pelo baratissimo preco de I #500 cada um,
Cortes de camhraia barras
a 3$00.
Vende-se corles de cambraias barrsa a
2# e 3* cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 R3.
Vende-se lencos do seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 1#.
Vende-se carteiras para viagem *
cada urna.
AS MUS SEDAS
11-RTJA DO QUEIMADO-11
Chcgaram da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto A C. ricos
coi tes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
mentos.
Grande variedade de sedas de listras de diversos procos todas de lindas cores,
gorguro de seda preta, o grosdenaple de varias qualidades e gorguro de seda 15a de
diflerentes cures. |
Notos vestidos brancos de blond para noivas, lindas colxns de seda para camas,
ditas de la c seda, cortinados bordados para camas c janellas, fronhas c toalhas de
camhraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jonvin.c elegantes sombrinhas do sJas de cor para senboras.
Espartilhos de 5# at i0#, lindos bonrnous de cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
- Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens. e meninos.
Soriimento de muitas fazendas de la, linho e algodo lodas por precos muito
inudico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tapates o de alcatifa para
forrar sales ludo era qiiantidade; e vendem semprcpor menos que em ontra qualquer
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
^amTdoaTle1"!
Chcgaram pelo ultimo paquete vindo da Europa, lindissimas sabidas de bai- jj
les, ricamente enfeitadas, o melhor gosto (pie tem vindo ao mercado : ruado
Crespo n. 13, loja das columnas, de Antonio Corroa de Vasconcelos.
MI
280 e 3-20 rs. o covado,
ellas antes que se acaben todas mais fazendas e roupas feitas, e que pelo preco que
vai eder ou liquidar, poneos dias poder durar, e quem se quizer surtir de fazendas
e roupas feitas para a festa pelo preco que lhe agradar, se poder dirigir a rua da
imperatriz armazcm da ARARA, que estar aberto todos os dias uteis, das 6 horas da
manilla, s 0 horas da noile.
72. Rua da Imperatriz, 72.
CONVITE GERAL.
O proprietario do armazem de* fazendas denominado Garibaldi, na rua da Impe-
ratriz a. 56, declara ao respeta re publico que tendo grande deposito de fazendas em
e desojando diminuir este grande deposito por meio de urna liquidaro que fin-
dar no da 15 ou 20 do correntc, por isso convida ao respeitavei publico a vir surtir-
le de boas fazendas, e por diminuto preco. a saber;
CUITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
ALGODAO ENFESTADO TRANCADO A
15000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
lencoes a ljOOO, dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZAS A 210 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 2i0 e 280 rs. o covado.
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
!e-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 2,5500.
Vende-se casemiras de cores a 2*500 c
3 #000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 3#000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 3(5000, ditos do seda a 10$ cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para cacas de
MADAPOLO ENFESTADO A 3#300.
Vendem-se pecas de madapolo enfes- homem e meninos a 400 rs. o covado.
' a 3#300, dito inglez de 24 jardas ou Gangas para calca a 3O rs.
23 metros a 5#, 6#, 7#, 8#, 9* e I0#, a
peca.
LANZTNHAS PARA VESTIDOS A
200 US.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 o 500 rs. o
ido.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barago de listas para vestidos
a 500 e OVO o covado.
ALPAGAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5. Os. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
~- rs. o covado propria para vestido do
tota.
SEDAS DE CORES A I >.
Vende-se sedas de cores para vestidos de
tora a 1$ o covado.
l'OI!.;.\0 DE HKTAI.IIOS.
Vende-se nina porc-ao de retalhos de ras-
Vendera-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado. dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde c de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a |&
Vende-se lencos brancos a 2) a duzia.
Gollinhas c manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a l #000, para aca-
bar.
CHANDE SORTIMEMO
DE ROUPA IK1TA DE TODAS AS olAUDADES.
Vende-se a roupa fcita por menos 26 ou
000
500
2#000
miL sem mm
Rua do Queimado ns. 49 e 57
fojas de miudczaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de seus cslahe-
lecimentos por isso qneramapre-
. ciar o que c bom c baratissimo.
Pecas de tiras bordadas com 12 i
meteos, fazenda superior, a
i#500,2/3fi.....
Caixas de India com 50 novellos
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a......
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a......i #500
Duzias de meias cruas para ho-
mem a........3#800
Tramoias do Porto fazenda boa
epelo preco melhor 100 attos a
Livros de missoes abreviadas a .
Duzia de baralhos francezes muito
finosa2#400 e .....
Silabario portuguez com estam-
pas a ........
Gravatas de cores e pretas muito
finas a ........
Cartoes com clcheles de lato
fazenda fina a......
Aboluaduras de vidro para colete
fazenda lina a......
Caixas com penna d'aco muito
finas a 320, 400, 500 e .
Cartoes de linha Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de linha Alexandre de
70 at 200 a......
Caixas com superiores obreias
de massa a......
Duzias de agulhas para machina
Libras de pregos rancezes di-
verso tamanho a. .
Livros escripturado para rol de
roupa a. ...... .
Talheres para meninos muito
finos a. ...
Caixas com papel amizade muito
fino a........
Caixas com lOOenvetopes muito
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezomas muito finas para
unlias e costuras a. .
Tintejros com tinta prela muito
boa a 80 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. .
Pecas d3 fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Grozas de botos de louca muito
finos a. "......
Grande c completo soflmenlo Je machinas para
descaro?ar algodo de nova invenrao chogadas l-
timamente em direitura para a loja de Manoel
liento do Olivcira Braga & C. na rua Direila n.
33. Gante-se que a melhor qualidade que at
o presente tem vindo ao mercado : acham-se em
exposicao aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
grammos de melhor ewnprehensao dos que tem
vindo at o prsenle, assim como marcos de latao
al meio grammo pelo mesmo systema, balanzas
de latao de torca de 5 a 20 kilogrammos, metros
de madi'ira e de latao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas e ferrageiu de
todas as qualidades, tudo por precos que s a vista
faz crdito : na rua Direila n. 53, loja de Manoel
Bento de Olivara Braga & C.
COGNAC.
0200
20000
208OC
320
(5500
,5020
,5500
1,5000
r5ioo
ioo
0 40
20000
240
0120
0240
0700
0600
0320
0500
0320
0160
200
60
20500
LOJA
DO
GALLO VIGILANTE
lina do Crespo n. 9
Os propnetarios (leste beai conhecido estabele-
cimento, alm do* muitos objecios que liaban ex-
postos a a|ireeiaco do respeitavei publico, niin-
daram vir e acaliam de jeceber pelo ultimo vapor
da Europa ura completo e vanado sorlimento de
finas c mui delicadas especialidades, as quais as-
lio resolvimos a vender, como de sen nstume,
por precos muito bar'.itinlios e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas c de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e pininos para se-
nhora, neste genero o que ha do mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas prelas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonilo.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquellcs brancos
com lindos desenhos, e estes prctos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 303000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 201,
alm deslas, temos lambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
(inantida.de de oatras qualidades, como sejam, ina-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. ele.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
ile outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meia>.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navallias cabo de marfim c tartarr.pa para fazer
barba ; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas |lo fabricante, e nos por nossa ve; lam-
bem asseguramvs sua (pululada e delicadeza.
Lindas e liellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina epara crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, p.ara cncher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tontos para o mesmo lim.
Grande e variado soriimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conheci'os per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos conlra as convulsoes, e
facilitam a dentir-o das innocentes enancas. So-
mos desde muil reeebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a reeebedas por lodosos
vapores, afim de que nunca fal'em no mercado,
tomo j tem acontecido, nsira pois poderao aquel-
les que delles precisaren), vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraran testes verda-
deros collares, e os quaes altendendo-se ao fim
para que sao applicados, se rendorao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista djscbjertos q:ie dcixamos
declarados, aos nossos fregneze? e amigos a virem
comprar por procos nono razoaveis a loja do gallo
vigilante, rua do Crespo n. 7.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch &C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, ornecera para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa do Th. Just. rua do
commercio n. 32.
BAZAR UNIVERSAL
-RnaXora-
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de lodos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os ystemas, mais modernas
adoptados na America e anprovadas na ul-
tima exposic3o servicos a ^electos para almo-
Co e jantar, salvas, bandejas, taboiros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecimademesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianc3, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espclhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinqaedos para enancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para ejeriptorio e
muitos outros artigos que se encontraro
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
46C
Machinas a vapor de
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carcas.
Fogao americano patent
Scbonete de alcatrdo.
sas, de la e sedas e de outras fazendas 30 por ceuto do que em nutra casa: por
por muito barato preco. (isso os pretendentes podero vir examinar
V elles antea que se acabem. I para ver a realidade do annuncio.
IALY DE CORES A 800 US. Volt.uliua preta a 320 rs. o covado, para
Vende-se chaly do listas de seda a 800 rs. acabar.
ado. BALDES DE ARCOS A l 300.
CHALES DE CASSA A Venden-se bales do 20 e 30 arcos a
.de-se chales de cassa a 1, e de me- 10800 cada um. ditos modernos a $.
ri a BRIM HAMBURGO A 85000 A PECA.
,RTES DE LAA A 2#iOO RS.
Vendem-se cortes de la de listra para
tidop de senhora a 20iOO rs. para aca-
ALGODO A PE(?A 40000.
"!god5o a 44, 55, Cjjfl
E muifas ou'ras cousas
donbomefli'i'riv.
Wndem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo a 85, vem a ser mais barato do que
algodlosinho.
CORTINADOS A 140000,
Vende-se cortinados para cama a (45
para liquidar. Ditos para janellas a 7flU
que j Todas estas fazendas se vendem muito
I barato na rua da Imperatriz n.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tao boa
acceitaco tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico, i
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34rua larga do Rosario34.
CEMENTO ~
PORTLAND.
Ven !e-se no armazem amarello de Vicente. Fer-
reira da Costa & Filtio, defronte do arco da Con-
coicao, em barricas grandes._________________
Novidade.
UVAS E MACAAS
Chegaram no ultimo vapor da Europa, e acliam-
se venda no petit restaurant do Hotel Central,
rua estrella do Rosario n. 4 A.
Vende-se gela
pequeos copos per
Cruz n. 13.
do m3o de vcaca em
240 rs.: na rua da
Exlraelun caruis
Este producto alimentaco para doentes, mui
apropriada para creanras epara as pessAas siaa ;
indispensavel a dulos. porm, principaloentc aos
viajamos, que terao nelle o recurso de poderem
ter alimentacao de carne fresen incerruptivel, e
que com faciidade so aprompta e se conduz, por-
que n'um pequeo volume carrega-se aliinentaciio
para muito lempo. Sobretodo cliama-se a alten-
ca dos senlinres de engenhos que encontraran no
EXTHACTl'M CARN o recurso de alimentacao
agradavel, hygienica e barata para seus fmulos c
seus doentes!
Este producto fabricado pelo proresso do dis-
lineto medico Dr. Ubatuba, no Rio-Grande do Sul,
que acaba de crear um deposito nesla cidade em
casa de Jos Victorino de Rezende & C, rua da
Cadea, escriptorio n. 52, primeiro andar, venden-
do-se :
No deposito a rua da Cada n. Zl.
as pharmacias dos Srs. :
Manoel Alves Rarhosa. a mesma rua n. 61.
Joacjuim de Almeida Pinto, rua larga do llosa-
rio n. 10.
Antonio Mara Marques Ferreira, prsja da
Roa-Vista n. 9!.
N. I).As latas que conten o extracto irazcm
urna guia para seu uso.
Na pharmacio do Piulo rua
Larga do Rosario u. 10 junto
ao quartel do corpo de polica.
Acham-se constantemente promptas a se-
rem satisfeitas, as prescilpc^es dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfer-
mos, as especialidades da mesilla pharma-
cia, compostas de medicamentos, tanto in-
dgenas, como eslrangeiros.
Tosse e molestias do
peito.
Xaropes de fedegoso, rabo de tat, Agrio
pao Cardozo, juca, mulungi'i, mutamba.etc.
etc. etc.
Rkeumatismo e molestias
sypliiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de Salsaparrilha
do Para, pilulas e xarrope do veame, tin-
tura e xarope de sicupira.
Doenras do ligado e taro, anemia,
opilado etc.
Emplastro, oleo, pommada, tintura, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa JURU-
BEBA,
SEZOES OU FEBRES I\TERMITE\TES
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia do seu autor rua larga do Ro-
sario n. 10, junto ao qnartel do corpo de
I polica.
Loja de miudezas de Ferreira daCunhaA
Temporal, rua do Queimado n. 03, est
quintando por todo preco :
Jogo de vispara a 400 e 500 rs.
Redes para coques a 240, 400 e 500 rs.
Linha da 200 jardas (duzia) 1A2O0.
Caixa muito fina para p de arroz 1$>00.
Relogio de sol 120 rs.
Latas com banha ICO, 200 e 320 rs.
Agua florida verdadeira a !<5300.
Agua divina idem 1^400.
Gravatas pretas para homem 40 rs.
Pentes (le travessa para menina 320 rs.
Olio pliilocme verdadeiro -I200.
Adrenos de plaqu I.$500, 25 e 5$.
Meias cruas para homem a 3$500 c 4 a
duzia.
Botoes enfeitados para vestido, 1 ->200 a
duzia.
Leques doasantol 55, cada um.
Dittos de madeira 35 cada um.
Coques de tranca, boa fazenda, 2,
.25500 e 3.i cada um.
Meias finas para senhora 45 a duzia.
Banha em frascos a 400, G40 e 15200.
Frascos com extracto muito fino 2?> e
2*500.
Caivetes de duas fulhas a 240 rs.
Sabonetes finos 80, 1G0, 200, 240 e
320 rs.
Olio bdboza 400, 500, G00 e 800 rs.
Agua de colonia 400, 500 e 800 rs.
Cartas francezas ;i 200 e 240 rs.
Caixa com extracto 2)5500.
Cartas portuguezas a 120 e 200 rs. '
Pentes brancos com costa de metal
320 rs.
Dittos pretos 200, 240 c 320 rs.
Galo de la para vestido (pessa) 400 rs.
Fita do sarja lisa e lavradas, 15500.
25 e 2-vjOO.
Caixa com obreias de maro 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Ditto e dourado a 1#.
Ditlas com envelopes 500 rs.
A NOVA ESPERABA
21Rua do Queimado.21
Advertencia!
A Nova Bqprroca, rua do Queimad
n. 21 tendo cm deposito grande quantidad
de miudezas, c como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavei pubb-
co, que est resohida a vender suas mer-
caduras pelo baratissino preco, para asis
diminuir a grande quantidade das qt
tem: assim pois, venham os bons fregae-
tes, e os que nao forem venham ser fregne-
zes, em tempo tao opportuuo quando i
NOVA ESPERANCA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nt
falta aonde e a quem...
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos dt
gosto e perfeicao, e ella (loja da Nova Ea-
peranca) qtier sempre dividir com seus fro-
guezes o que de bom consiantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) a
Nova Esperanca rua do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinba.
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brincos d
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultim
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galles, franjas e trancas de
seda e de I3a, para enfeites de vestidos.
Botones de todas as cores e moldes novoa
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengenles e sem elles.
Botoes pretos com vidrilhos com pingen
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados leque de madreperula, mar
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Rngalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento dt
miudezas rua do Queimado n. 21, n?
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magneti
eos contra as conwlces das
creangas.
N3o resta a menor duvida, de que muito.
collares se vendem por ahi intitulados ci
verdadeiros de Royer, e eis porqae pmitc
pais de familias nao creem (comprando-os;
noeUeito promettido,o que s pdem dar
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificagao principalmente tu
que respeita ao bem estar da humanidad?,
fez umaencommenda directa destes collares;
e garante aos pais de familias, que sao o*
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
Cas tem salvado do tcrrrvel incommodo di
convdeles, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a rua do Queimad
n. 21 comprarem o salva vida, para seu
filhinhos, antes que estes sejam acommett-
dos do terrivel mal, quando ento ser :-
fficil alcancar-se o efleito desejado, embori
sejam empregados os verdadeiros collaret
de Royer.
agulhas
francezas ICO e
Caixa com
240 rs.
Llia para bordar de todas as cores (libra)
6800.
Bonels para menino 15, 25 e 25500,
Linha do marca (caixa) 240 rs.
M ias para menina (darte) 35 e 35500.
lWas de Iranga liza e de corocol a 40 rs.
Sapatos de la para menino a 320 e 800,
Capellas francezas a 25500.
Facas c galfos, cabo de balanco (du-
zia) U.
Chicotes para cavallo 000, 800 e 15500.
Bengalla de canna 1& 10500 e 20.
Vortas para luto 500 rs. (cada urna).
Papel almaco. greve (resma) 10500.
'' emporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nanza, emporal contina a
veuder na Ronan preqo que venda em sua loja
com titulo de emporal.
Para cabriole!
Vende-se um rico cavallo, bonita estampa, gordo
e mantedo, muito trotador, bom de cabriolet ; na
cocheira do Thomaz, rna e Santo Amare, defron-
te da eslacao.
(4Z GAZ GAZ
Chegon ao amigo deposito de Henry Forster
G., rua do Imperador, um carregamento de rx
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retal no por meaos preijo do que em outra qual
quer parle.
D cordeiro previdente
Ru lo Uuciinado n. i A.
Novo e variado sortimento de perfumara?
finas, e outros objectos.
Alm do completo soriimento de perfu-
maras, de cpje ellectivamcnte est provida
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba d.-
receber um outro sortimento que se ton..
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades do pro-
cos; assim, pois, o Cordeiro Providente pede
e espera continuar a merecer a aprecia'.":
do respeitavei publico em geral e de
boa freguezia em particular, nao se alis-
tando elle de sua bem conhecida mr.nsidc
i barateza. Em dita loja encontraro o*
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray d- Lamman.
Dita de Cologne inglesa, americana, fr?n-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco de
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradave! chel-
eo de violeta.
Outras concentradas e de cheiro3 igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extraeto d'oleo de superior qnalidadp.
jom escolhidos cheiros. em frascos de difle-
rentes tamanhos.
Sabonetes era barras, maiores e menores
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
lias perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de pape'o igualmeto bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de axroz
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para (lentes.
Pos de camphora e outras diflerentes
pjalidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coque..
Um outro sortimento de coques de do-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhc?
a alguns d'elles ornados de flores e fitas,
sto todos expostos apreciaoao de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicSo.
Fivellas e Otas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec
ios, ficando a boa escolha ao gosto do com,
prador.



Diario de Pernambuco Sexta feira 24 de Selembro de 1869.

*
w
II
[flUff
Resta & venda utn escolhido sortimento de ob-
jectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
caranda, mogno e ambrollo, obra nacional e estran-
feira, de apurado goto e por prdjrot razoaveis :
na roa ostreita do osario n. 32. Pferta asma
casa (azoia-se cun perfei-ao todos os trabalhos de
paUtiBha, como sejam, empalliamcntos de lastro*
para camas, cadeiras c sopns. ________
ffiH
T,orncras para passagem d'agoa, de diversas
rossuras : na ra do (jueimado, Azevcdo 4 Ir-
nio.
LI
DE
FA3HEMOASI
EM CONTINUADO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
\ ra do Livramonlo n. G, continua a ha-
ver pan vender por procos rasoaveis, o
incUior vinho verte at boje viudo a este
mercado.
Gravatas patriticas.
Pato ultimo vapor ebegaram de encomuicnda
t.-i tkiI Bravatas brasilelras aare-venli para es
I ro&imos Festejos da eonclnsao da guerra. A ren-
da ni casa do cabellereiro Javme, na uo Quei-
nido n.
LIGA
Garante-se a casa, perianto faz
conta. Restando apenas algumas
xt^ inersadoriaa e armafo da liqui- 1
ducSo da armazn) da foja ra "~^
Nova n. (H), faz-sc seiente ao pu- A
hlico inteiv-sado, que liquida-se a ~*~
irmai-fi'i o merca,lorias existentes ^*,|
ainda no dito armazem, e por con-
sequencia negocio ncontesta- I
veluiente vantajoso, visto que se J
garante a casa : quem pretender 5
dirija-so a tratar no uiesino arma-
zem.
8(Daioa oa (iiaipaaamjaca. m
DE
FLIX PERIRA DA NILVA.
O proprictario desle grande estabelecimento lendo sido o arrematante da
exlincla loja denominada=/A7{0/.tf DAS DAMS=i na da Imperatriz n. 36, e nao
Ihe tendo sido possivel, na mesma loja, concluir a liquidaco da grande quanlidade de
fazenilas que all existiam, pelos poucos dias que leve at entregar as chaves, vio-se
obrigado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabelecimento, o=PAVO
onde o respeitavcl publico encontrar um grande sormento das melhores fazendas de
linho, laa, algodao e seda, que se Ihe vender tnuito mais barato do que cm oulra
qualquer parte, com o lim de apurar dinheiro, e as pessoas que negociara em pequea
escala, tanto da pra^a como do raatto, tiesta casa poderao fazer seus sortimentos era
pequeas ou grandes purcoes, vendendo-sc-lhes pelos precos que se comprara, n casas inglezas; assim como as excellentissimas familias poderao mandar buscar as amos-
tras de todas as fazendas. ou mandar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas
casas; o estabelecimento se acha constantemente aberto das G horas da manba s 9
da noite.
Esplendido sortmento de pechinxiudya^opamescravos
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
rfMMfc**..
>GR*E


** $iMA&6
5**
A AGUA BRANCA tem convieco de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolhi no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitado de seus presos, estiio na op u5o do respeilavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular ; mas anda assim ella julga de sen
dever scienlificar a todos, da recepeo d'aquelles objectos que esto alm do commum,
como bem sejam :
Ao pubiieo.
Jos Vital de Negreiro^ con Ha i.ilicic.
ourives ra do Imperador n. :0, \n.,.
barato, roncera qualquer joia por u
00 que em nutra qaalqner parle, compra mu
Hio, protn, e pedras preciosas
nai-eram para sabeiem da venl
Bom negocio
Vende-se duas peqnenaa casas de peil
c cal, situadas na Baix'a-Verd.i na Capmij
qnem as pretender diriffa-se | esta !v
graphia que achara eem i|tieni iraiir. '
IMPERATRIZ N. GO
Vende-se urna grande porco de esta-
menha mesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas o calcas para moloques,
LIGA
m-mn
n
LillIJL
lende-se verdaileiro cimento ; na ra da
Madre de Dos n. 2i, armazem. de Joo
Martins de Barros.
Acha-se este grande estabelecimento com- sendo orna fazenda escura trancada e muito
pletamente sortido das melhores roupas,! encorpada, pelo barato prego de 200 rs.
BRACO DE GURO,
Ra to Imperador n. 26
Neste estdbelecimeato so encontrar diariamen-
te um completo sortimento de paslelaria de todas
as qualidades para lanche B sobre-mesa, ele, etc.,
bolinnos de todas as qualidades para cha. presun-
tos de liamlire, bolos inglezes, pudins, e linalmente
tu 1.1 que consiste em urna boa paslelaria, cerno
maior asseio e esmero, cha hysson, preln e mud-
nho do melhor.que lia no mercado. Nesta casa
secebcin-se oneommendas para casamento*, bailes
rljapsados, coinpremcttendo-se os donos do es-
.i belecimento a ser ir n melhor que f ir possivel
a vontade do freguez, dispondo para esse llm de
um completo possoal. Recebc-sc avulso toda e
qualquer enrommenda, como sejam, bandejas,
- e pies-de l decorad,is. doces d'ovos, seceos
de calda e cryslalisados, finetas nacionaes e es-
:ratigeiras, amendoas conlitadas, um completo e
ariado sortimento de caixinhas de todo= os pistos
preco*. para mimosear scnh.iras ; estas caixi-
nhas reeentemenle chegadas de, Pars, sao de pri-
norado go lo, olerece molas aos galanteadores do
bollo sexo, pois nellas acharan um digno e serio
presenta para as donas de tea* pensamentos. lico-
res, vinlios linos de toda- as qualidades, conservas
ainlhos em latas. Os donos de-te esiatielecimen-
s nao se |)iupando despezis, fazein toJosos
itorgos para servir o respeitavel publico o mc-
li or que for possivel, e sendo principiantes c lu-
emdo com todas as dilliculdides, esperam a con-
sornocU do respeitavel publico desta eapital, na-
ionaes e estrangeiros. Pcchincha : legitimo vi-
nho muscatel em caixas, que so vende por comino-
do proco para particulares e para negocio.
ATTENQAO
Grande e til no-
vidade.
Tabellas comparativas dos precos de
qualquer genero de pean peto aatigo svs-
tana ao moderno MTRICO DECIMAL,
iralialho boje de gran le milidade. por-
que com um simples golpe de vista ve-
so a relacio do preco da libra ou da ar-
roba cou o kilogramma sem se perder
nina s Craeeio, poopsado assim o tra-
ballio de fazer o calculo e evitar de si
os engaos. Estas tabellas sao hoje in-
dispensaveis todos ipie negociam com
algodao, asnear, couros nrqne, mo-
Ihado-, ferragens e todo qualquer genero
ou artigo de peso. Alguns exemplares
que restam, vende-se ra do Crespo
n. 18, loja dos Srs Andrade & Mello,
Madre de Deus n. 24, armazem do Sr.
Amorim, o Vigano n. 1, primeiro andar.
XAROPE de HYPCPHOSPHITO de SODA
XAROPEdeHYPOPHOSPHITOdeCAL
PILULASdeHYPOPHOSPHiTQde0UlrllNO
XAROPE de HYPOPHOSPHITO deFERR
PjIJUSdpHYPOPHOSPHITndef/IANGANESIA
BR8N6HITIS-
uC' tUAUot.
ASTHMA
PASTILHAS PECTORAES^n CHRCHIIL
Elidir para os xarupa o frasco quadrado e em
todas os productos a ssignatura do U"- CHIl-
CBULIi, c o letroiro com a marca de fabrica da
Phsriwcia Sl^ANN. 11, rva Cmt*Uon*. P A n 1=
POS DE ROG
Approvados pela Academia imperial
de medicina de Parix
Dm frasco do P* de Ros, dissolvido
em nraa garrafa d'agua, di uioa limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar a menor
irritaco como acontece cora a maior
parte dos oulros purgantes. O Pda de
tog, sao inalleraveis por isso empre-
gam-se fcilmente, em viagem.
^^.j *ntoo4isnio,iipe*eele;Ckeiolt.
XSMH j tm f.aMUKC0 Uurcr i C: A
sendo calcas palitts e coletes de,caseinira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maior promp-
tidao vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
inho e algodao e oulros muitos artigos
proprios para bomens e seuhoras promet-
tendo-se-ihe vender mais barato do que cm
outra qualquer parte. Na rita da Impera-
triz n. GO, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
Espartllhos a 3$000 na loja do
Iavo
Vende-se urna grande porc5o de esparti-
Ihos modernos com o competente cordao,
tendo sortimento de todos os tamanbos, e
vendem-se a 3$ cada um.
BRAMANTE PARA LENQOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1#800
Chegoit pata a loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. GO, urna grande porc3o de
pegas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 10800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras mu tas ap-
plicac5es para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco le cera de
carnauba em saceos, por prego mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o covado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chcgaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
feilios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muito cm corita.
FAZENDAS PARA LITO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeilavel publico ueste estabeleci-
mento um grande sortimento do fazendas pretas,
BOOM sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, lazenda de laa de
tnas (pie tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laa/.inhas, alpacas lavradas e lisas, cantao,
bombaziiias, meriu, etc., que ludo se vende por
preco barat.
NOVAS BASQUINAS COM CINTO.
Chegaraui as mais modernas basquinas de gros-
denaple preto, ricamente enfeitadas, sendo de um
feiiio inteiraineiite novo, com ricos cintos largos, e
vendem-sc por preco raznavel
CASSAS FRANCEZAS.
Vende-se um elegante sortimento das mais finas
e mais modernas cassas francezas que. tem viudo
ao mercado, sendo com padres miudinhos e
grandes, e vendem-se por preco muito em conta.
AS SEDAS DO PAVAO
Altas nividades.
Pelo ultimo vapor chcgaram para loja do Pa-
vao, que vende mais barato do que em oulra qual-
quer parte, as sedas seguintes '. ponpelinas ou
gorgoritos de hubo e seda, com os mais delicados
pidrSes, sedas de listras, padroes inteiramente
novos, groz de todas as cores, sendo verde, azul,
lyrio, rosa, cinzento, etc., setins branco, azul,
verde, roxo, lyrio etc., etc., assim como um gran-
de sortimento de grosdeuapies pretos de todas as
qualidades, e superior gorgurao preto de seda
tiara vestidos e eollete*.
AGP.ACIANAS.
Chegou esta nova fazenda c m o nome de Gra-
cianas, sendo de una s cor, lyrio, roxo, verde,
azul, etc., elt, e muito encorpada, com lustre pro-
piamente de seda, sendo melliui e mais moderna
que este anuo tem vindo para vestidos, e vende-
se pelo barato preco de 2 o covado.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavao.
Chegou pelo ultimo vapor um grande sortimen
to das mais modernas o mais benitas alpacas la-
vradas para vestidos, tendo entre ellas alguinasque
fazem a vista propriamente de seda, e vendem-se
por precos tnuito em conta.
o covado, fazenda que sempre se vendeu
por muito mais dinheiro.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a l^OOOrs. cada par at 25,5000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
BALDES MODERNOS E SAIAS DE LA
Na loja do Pavao vende-se os mais mo-
dernos bales reguladores tanto de musse-
lina como de la de cor, e w mais moder-
nas saias de 13a entestada, mais barato do
que em outra qualquer parte.
SULTANAS
Chegou para a loja do Pavo um grande
sortimento das mais lindas sultanas, para
vestidos, sendo moito larga e bonita fazenda
com listas de seda e os padrSes mais novos
que tem vindo a este mercado, vendendo-se
I*b 1^'tOO o covado, na loja de Flix Pereira
da Silva ra da Imperatriz n. 60.
ORGANDY BRANCO.
Vndese o mais moderno orgar.dy braneo para
vestidos eem listras largas e niiudas, assim como
urna grande porco de cainbraias brancas, tapadas
e transparentes, tendo das mais baixas de 4000 a
peca, al as mais linas de 10 ou 123000, todas
estas cambraias se vendein mais barato do que em
outra qualquer parle.
COLCHAS DE FUSTO.
Vendem-se colchas de fustao brancas e de cores
por preco muito em conta, na loja do Pavao.
ORGANDY DE COR
A 360 rs. o covado.
Vendem-se bonitos organdys de cores com bo-
nitos padroes e fixes a 360 rs. o covado.
CAMISAS PARA SENHORA.
Vendem-se linissimas camisas francezas borda-
das para senhoras, na loja do Pavo.
BAREGES A 500 RS.
Chegou liara a loja do Pavo um grande sorti-
mento das mais lindas bareges transparentes todas
de la, proprias para vestidos e roupas para me-
ninos, sendo com as mais vivas cores, tendo de
listras, quadrinhos e lisas, e vendem-se pelo bara-
to preco de 500 rs. o covado, nicamente na loj'a
do Pavao.
AS CELEZIAS DO PAVO.
Vendem se as mais linas celezias, esguines e
bretanhas de liubo por preco muito em conta.
Bonitas caixinhas de raadeiras envemisa-
das.conlendo navalliase osmais necesarios
para viagem, servindo ellas de carteira
mando abertas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com Ihesouras e os
mais necessarios domados c de madrepe-
rola para costora, obras de apurado gosto
e porfeicao, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas cora musi;a.
Estojos ou carteiras de ecuro com nava-
Ihas, e os mais pecessarios para vtagens.
ESCOVAS DE MABFIM
Para rafees, denles, cabello e ronpa.
Outras de balea com machetadas de ma-
dreperola para os mesmos iins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escoras- para denles, canelas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capel'.as com veos para noivas.
Cintos de brim, com clstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofacs de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
genles para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Botocs com ancora, e P. II. para fardas
e colleies.
Abotoaduras d'arenturine com o p de!
Pannos de crochel para cadeiras.
Novo sortimento de loalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
peonas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agolhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco
peritas para irisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTBA
Tal a qtialidade d'essas agulhas, que
merecen ao fabricante o pomposo titulo de
N(m->lusnltra, merece a Aguia Branca as
honras d*um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligenles senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e anda assim cusa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarao
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuaro a
rir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
ASSA e XAROPE
decodeinadeberth!
Prfconisado* por lorix o., mediros imtn
ntFLCXOS, CATMAf.ROS, E TODAS \S
IRRITACOKS DO MITO.
N. B. O X'irope de turf, iim ^r mu m .1
honra, alias bem rara em re m .!/..:<. t-(.i, r-i>
navas, de str reaisli adu catan m dv dtiifl
mentas ol/icincs do Laperio trimeet (pin _.iE
qualquer elogio.
AVISO. Pur Rraciv qae irm nuc^do 1 .
Xui|ic e niii->j .!, BortM I..... nst^ttm .1
Icmlirar tfttt Ui MniaMM 11.- 1. lltMMM
rrndnn rm mitin* __.-^"^ J
baffi.ivi..Uvon(io '***. fi a* j .
MignalB-a rui (-----h. ? '
fniile.
ta, l.nr 4rs i.-.,ir, c
\ d' l"'i.n:i
' *U ''"' ''' *' I, '' 0* '' >'
'

Vcii(le-:e una nerava psrd.i,
bonita Agora : para inforinaeoe, na
peralri n. l, anear.
IMI.-.I.
rna il 1
Sania daVlgarion l(J,e-cripSorki Aquino Fonsoca & C, vende-se inen*arin, vi
engarrafado ME.fERS, amvretas especiaes, .-..'
de Lisboa, cera em velas, ehapagnee eiaar.'rar-
vio animal, vidros em eail 19.
ESCRAVOS FGEOS.
prata dourada, para colletes, cada um 5J. j mes e qualidades a infinidade d'objcctos
Botoes de cristal, encastoados em prata, que constantemente se acham venda na
para punhos, 'n? o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado, *
Meias de la para homens, senhoras e
creangas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de inchaco as pernas.
loja da Aguia Branca, seria senao impossi
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa c antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconheccr a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca ra do Quemado n. 8.
por preeos1
GURGURO PRETO.
Chegou para a loja do Pavao o mais encorpado
gurgurao de seda preto para vestidos e colletes,
que se vende mais barato do que em outra qual-
quer parte.
11ADAPOLO I'ltANCEZ
A 7*000, s o pavao.
Vendem-se paeM dfl DMdtma 1 francez com 22
metros, pelo barato prego de 7000, dito entestado
cotn 20 jardas a 7*000, assim como linissimos 111a-
dapoles francezes e inglezes, ditos de jardas, que
adejn mais barato do que em outra qualquer
parle, por hav.r grande porco
AS CASSAS DO PAVAO
Covad < a 300 rs.
Vendem-se finissimas cas-as francezas com lio-
fi xas a 300 rs. o covado.
CUITAS BARATAS
a lola do Pavo
Vende-se urna grande porco de chitas escuras,
e claras, de cores fixas, por precos que ailinirainn
mmi
A PRECO FIXO E MDICO
SOMBRINHAS de setim verdeultima no-
vidade para senhoras, a 18-e 25(5.
LINDOS cortes de taratana orvalhada, pro-
prios para bailes a I0;>, 13)$, I5i, 47 e 22,5000.
ESPECIAL sortimento de coques enfeitados
e lisasultima modaa 2o()0, 3*000,
3^500, 4)9, 4/5500, 55 e 6,5.
GRANDE e bello sortimento de chapeos de
palha da Italia, elegantemente enfeitados,
para senhoras e meninas a 155, li,->, 13,5,
*W ellj.
TRANCAS E CACHOS imilaco de ca-
bello, para senhoras, a Ii5800 e 800 rs.
GRANDE e agradavel sortimento de gui-
pur ou croch preto, em pecao metro
a 2,5, 3,5500, k& e U.
DITO branco a 2i55O0, H e 3^800.
LINDO FILO de seda branco com ramagem
o metro 5,5500.
LINDOS e ricos aderecos de plaques du-
bls, com brillantinas, rubins, esmeral-
das, pcrola, e camafeos ; no ha diffe-
renc'a go ternpo a sua cor natural, vende-se a
I5.-5, I8, 30^, 45.), it& e 120,), este
preco menor ao feitio de qualquer pera
verdadeira do mesmo trabalho.
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
para relogios, a Q$, U e 40(9, no
BAZAR DA MODA50 -RA NOVA
N. 23Largo do Terco.N. 23.
SIMAO DOS SANTOS & C.
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados, parlecipam
aos seus numerosos freguezes, tanto desta praca, como domatto e igualmente aos ami-
gos do bom barato, que teera um grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
dorias e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
menos preco do que em outra qualquer parte, por ser maior parte destas mercadonas
compradas por conta propria, por isso quem comprar al a quantia de 1005, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
armazem.
rngiram do engrano Firme/.,
do termo da Escada, na noite
10 para II do corren'*', dona
rravns nalatm, os q^aes C
comprailos ao Exm. Sr. liaran.
Nazaretb lia lo dias punco uiaj-
ou menos, sendo Insto, nb.de d
i 36 a :i-' anuos, bem barbado,
tos cnbclludos, tem os dedos dos ps, isto c,
mininios curios e quasi qne trepam um no rrtHj i
leudo todos os denles de frente, cDipo r#gu|
leva chapeo de couro de sartaneio, ralea 'azul d
algodao que Ibe chamara peile donra enherrw
de hacia escura e mais algwa ronpa, fui escra*'
do llhn. Sr. leneln aoronel Afostinbn Qirrda tUt
Mello, de Ourirury, o outro de nome 1-Ylix. ti-
bra, alto, bom corno, idade 28 .-huios punco mni<
ou menos, levoa chapeo de roaro de abas larvas,
calca azul de algodlo qne Ibe ehaniam pene dW
i-a e cobertor de baeta escura, foi cscravo do
lllm Sr. IMuardolVieira de Souz.i, da provincia.
da Paralaba, que o venden por seu procurado;
Sr. Jos Lnp.'s Alheiro : qnem o appivlicnov, ,
levar ao mesmo enpenho Finnesa nu no Reciten*
eseriptorio de Dominpos Alves Mailims, i rea do
Vijtario n. 21, sor generosameut.' racomnonMilu
No dia lo de agosto ultimo fugio do cando
Sr. Dr. Joao de Hollanda da Cunha, a ra de Bein-
ica, na Passagem, n. 48, onde se acbnva alugado.
ojnoleqoe Francisco, crionlo, bastante pieto, de
lo annns de idade, com um signal de (pieimaduia
no hombro esquerdo, trajava calca e aqueta de
brim, consta que se acha servindo em loja de m-
palhador, de que ollcial, ou lingindo que pre-
tende ajirender esse offle: o, pelo que se protesta
contra quem Ibe der apasalho ; quem o apprehen-
der, queira leva-loa ra da Aurora n. 6, que
ser gratificado.
GAZ AMERICANO 9# a lato, a 400 rs.
a garrafa e 60J rs. o litro.
VINI10 VERDADEIRO FIGUEIRA 5G0 e
610 rs. a garrafa, a 4500 e 48O0 a cana-
da, a 70 e 910 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 30 e
3500 a caada, 600 e 640 rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 75 a caada, e 10340 o litro-
'VINIIO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 40500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO .DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 20200,
10800 e 10400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR H044O e
I028-a libra, 30140 e 20800 o kilo-
gramrao.
DEM FRAN'CEZA 960. 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 10870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 10400 o kilograrumo, em porc3o se
la i abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR a
720 rs. a libra, o 10570 o kilogrammo, cm
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e i 40 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo.e 3#800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o'
kilogrammo, e 60 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa ha
abatimento.
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de urna eflicacia verdaderamente ma-
ravilhosa como calmante do systema nervoso
e applicado contra a paralisia, asthraa,
tosse convulsa ou coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, suffocac&es, catharros,
bronchicos, etc., e em geral contra todos
os soffrimentos das vas respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua virtude contra
o ttano ou espasmos, e convulses in-
contestavel, e ninguem ha que a desconhe-
ca. Ra Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.
Oh que pechincha!!
Percales do duas larguras, cores fixas, a 320 rs.
o covado; s se vende por este preco por ser
;rande qnantidade : na casa das seis portas em
rente do Livramcnto. Dam-se amostras.
620 rs. o kilogrammo, em porco ba aba-
timento.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 10 e 10400 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOKOS DO GAZ E DE SEGU-
RANCIA, 5 280, 400 e 560 rs. o masso,
302O e 60500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACIIINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 30500, 50500
e 10 a libra.
GOMMA DE MILIIO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e em caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA i 100 rs.
a libra, cm caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARGA II 50500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
800 rs. a garrafa.
GENEBBA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 70 e 60 a frasqueira, e 500 rs. o
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS-DE DIVERSOS VAPORES,
30, 20800 e 20400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 110500 por
14 kilogrammos.
CHA FINO, GRADO E MIUDINHO os
melhores que ha no mercado, 30 e
30200 a libra, 70080 e 60540 o kilo-
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA- grammo.
LIIARIN E ALETRIA. 800 rs. a libra e DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20700,
10750 o kilogrammo. 20500, 20200 e 20 a libra, e 50450 e
SEVADINHA E SAF 5 280 rs. a libra e 40180 o kilogrammo.
Assim como ha'cutros muitos mais gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguicas de Lisboa, raarmelada, con-
servas gela de marmello, pcego, ervilhas, peixe em latas, sardinhas de Nantes,
vinho verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoce, conmino, pimenta, grandes
molbos de sebolla 10500, finalmente muito mais gneros que
menciona-los. _______
enfandonbo
ATTENCAO
o
No nrmazem da rna de Apollo n. 28 ha para
vender urna cadeirinba ou palauquim com todos
os pertences*, em muito bom estado, e por preco
commodo.
CIGARREIROS.
No armazem n. 18, travessa da Madre de Dos,
vende-se papel de seda para cigarros marca muito
grande, e superior qualidade, por prego commodo.
Vende-se um cscravo moco e do bonita figu-
ra, pedreiro de toda obra, e perito cm assentamen-
to de engenhos, e muito boa cozinheiro : na es-
trada de Joao de BarrosJ sitio n. 29.
Cha toni-puriialivo e depurativo
de thambai'd.
Composto das plantas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados o cha
tonipurgatho de Chambaril possuc um gosto sabo-
roso o um aroma suavissimo, e as propriedades as
mais ndtaveis sobre os embaraces do estomago,
do intestinos e do ligado, o desobstruente por
excellencia na constipacao do ventre, c nao tem
resguardo algnm. Depurativo especial e directo
das hiles c dos humores, refresca o sangue depu
rando-o.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Barlholomeu & C, ra larga de
Rosario n. 34.
Laaternas ou globos de papel
Ha para vender, na ru* da Imperatriz n. 19,
urna grande quanlidade destas Linternas, indispon-
saveii para a lllominaca i g ral ao ctiegar as ulti-
mas noticias do sul, que se vendem por qualquer
prejo para acabar.
Muita attenco
Fugio no dia 29 de junho o escravn Manuel, de
nayao Angola, idade 30 annos, punco mais ou me-
aos, com os signaes seguimos : falta de dente- na
frente, andar vagaroso, pernas finas, marcas de be-
xigas, levoo calca o camisa de risedinlio, cluq.....
de palha novo : roga-se aoi senln es canitiM de
canino de o prenderem e levaren-no rna Direila
n. 16, que serao generosamente gratificados. Pes-
confia-se que anda pelos engenhos do Caho.
Fugio no dia I du correle, do engeiibo
Duas Boceas, sito na freguezia do Rio Formoso, o
escravo cabra claro de nome Saturnino, sendo sec-
co do corpo.alto o fallante, ps bem feitoa, veio il
sertao doPianc e foi vendido nes,a piara n.
julho prximo passado pelo Sr. Pedro Jorge da
Silva Hamos, esupp5e-se que fugio para o mesmo
sertao, levando caica e camisa de lgod3orinho
chapeo de couro e um inatulao de couro de ete-
rna com alguma ronpa : por isso pede-ae as auto-
ridades policiaes e eanmea decampo de o cap-
turar e entregar no mesmo engenbo ao seu scnbur
SebastiSo Antonio Aceioly Lins Wanderlcy, on no
Itecife, rna da Moeda n, 5, 2 andar, i-sci ijiiorin de
Manoel Alves Ferreira & (',., que serao generosa-
mente recompen-dos.
Fngioda casa doabaixn assignade
o seu escravo de nome Eugenio, crl-
oulo, idade 50 annos, pouco mais en
menos, estatura regular, cor prea..
cabeca calva, barba mesclada, tem
marcas de bexigas, pernas lina?, entitula-se forro,
foi escravo do engenbo Carana, c snppoe-se an
dar para as bandas de l : qnem o pegar leve-e,
ao hotel do Universo, ra do Trapiche n. 2, que
receber 50/ de gratificado.
Mcderic Arnoult
AVISO
Fugio em dias do corrente mez do engenbo Pi-
mentel, o escravo Silverio, preto, de SO amos de
idade, rosto redondo, altura regular, com mu pe-
queo buco de barba, testa pequea, falla des-
cansada, quando falla volvo os ollios para cima,
este escravo foi comprado ao Sr. Jos Antonio de
Albuquerqtie, da cidade de Goyanna, para OMe
lalvez ten ha seguido : pede-se todas as autori-
dades a sua captura, e o conduziren ao referido*
engenho ao seu senhor Francisco do Paula d'AI-
buquerqne Lima, ou a rna do Imperador n. 77,
primeiro andar, que serao generosamente reeom-
pensados.
Fugio de casa de seu senhor a e-crava Rosa
Mara, reprsenla ter 40 anno<, com cicatriz no
braco e outra na p provenientes de qoeimadnras,
foi comprada ao Sr. Dr. Jos Maria Mraeoso da
Veiga Pessoa, foi vista em Cachanga a procura do
mesmo Sr. Dr. Moscoso : quem a apprehende-la
leve ruados Prazeres n. 50, que ser gratificado.
Fugio da casa do abaixo assigoado o sen es-
cravo de nome Joao, crionlo, idade 50 annos. pon-
es mais ou menos, estatura regular, cor preta. ja
pinta, pone barba : quem o pegar, leve-o ;i Sa:i-
t'Anna de dentro, que sor bem recompensado.
Joao Venancio Machado de Paes.
ATTENC40
Fufo no dia 13 de corrente, da casa dos al
assignados, o escravo mulato, ds nome Libei
com os signaes seguintes : cabellos erespvs c pi-
tado ha ponen, cor plida, descarnado do rosto,
com o olho esquerdo apertado proveniente de una
pancada, com falta do denles na frente, e quando
sorri Rastra urna presa do lado direito, tem pon-
la barba e rala, as mos calejadas de Irabalhai
em relinar assucar. tem 13 cicalrizes de bichi
cotom-'igo e as pernas com marcas de ftidas, V
vou calcas novas de ganga de listras e
branco, e outras de brim pardo usadas
prel de alpaca de cordao, chapeo d ,"1'1
de recruta, c camisas brancas de mi
tula-so livre, costutna mudar o nome, anda (
do e toma rap : roga-se s pessoas em, que o levera refin
118, que serSogenerosamente recomp
Luiz Amonio Goncalves l'enna 4 U
W^WL\\\\\\\m*^L\\\\\\\Ws\\\WL\\m




^m
II l II 'i
\
Diario de Pernambuco Sexta feira 24 de de Setembro 1069.

JURISPRUDENCIA
nso conA. dirtoido pelo dk. amonio
DK VaSCO.NCKL1.OS M. DE Dlll'MMONl), SOBRE
A EXHJBNCIA Ql'K SE LOE FEZ DE PROVISAO
HAR PODER CONTIMIIAR A ADVOCAR NO FORO
ESIASTICO, BEM COMO AOS DRMAIS SEUS
(Concluso).
Unais, si pflo artigo 31 dos Estatutos
das Facilidades Juridu :as do Imperio {De-
cido o. 1388 de 28 de Abn! do 1834) no
l'aono se ensina Direito Natural; e no
2* Distila Eccl siastico, itto i, a Direito
F leskislico I hiten al, ou Pitblico, < o Di-
i > Ecclesiastico Nacional, ou Patrio, fuer
mere, quertn speciena sin niais ampia
eaphera, segue-se mili lgicamenteque os
Bichareis Formados n'aqudla Faculdade,
Catrtica, e nao laical, de Goimbra,
ij.i se acham mais habilitados para 0
ejercicio da advocada, do que os que ob
vorem igual titulo cientfico as Faculdades
Jurdicas do Imperio, onde aprendem com
maior desenvolvimento aquellasdnaa nicas
materia* essoncars.
Uo mosino inope, as cinco Facilidades de
i| igia Citholica, que ha na Franca (Pa-
t Mr, Bonlcauj; Li/ou, cRouen) pelas Dr-
il mangas ultimas de 34 de Agosto, o 23 de
Outubru de 1838 (segando o Cod. Univer-
i, o Bouitlet Dice do L>;tras, e
Scieocias,Dice da conversacao verbFa-
cilidades) se ensinam alta latmidade,
Grego, Hebru, Eloquencia Sagrada, Eifi-
!, Historia, Disciplina Ecclesiastica, Di-
reito Ecclesiastico commura, e o Direito es-
pacial, que rege as Igrejae da Franca, e flor
consegrante, abatrahindo de todas aquellas
j iterias, que sao concernentes ao oslada
Sacerdotalapenas resta o Dircito Eccle-
$ tico Commuui un universal e Frunce z
XIX
Dahi se ileve concluir, que nossas Facili-
dades Cathoiicas de Theologia, que com toda
So. e geralraenlc consideram-se tupeos,
apenas ha a Cadena de Direito Ecclesias-
ntcersal e do Particular das respec-
i Nacoes, e nada da primeira, que p-
i!: utilizar aos graduados, que sededicam
a Magistratura, e Advocacia ; sendo que por
eerto diversa nao a oi$ansace das de-
ntis Facilidades idnticas e mais notaveis
da Europacomo a de Roma, Louvain e
Dublin, salvo maior, ou menor amplitude
n i plano do curso puramenie Theolgico
0 que smente proveitoso e applcavel ao
Sacerdocio, e nao ao exercicio daquellas ds-
Unctas profissoes.
E pois-si em todas essas faculdades s
a; Cadeiras de Direito Ecclesiastico, e de
Direito Natural pdem aprnveilar ao exer-
cicio da advocada, 6 obvioquemis habi-
litados serio os graduados as Faculdades
Jurdicas do Imperio pelo estndo daquellas
jnesmas materias com maior amplitude
quer quanto ao Direito Ecclesiastico Publico,
ou Universal quer quanto ao Direito Eccle-
siastico Brasileiro, sem prejuizo da unidade
di IgrejaUniversal, queriugenerea res-
peitoda instituicao, e imitesdaJurisdicoEc-
clesiastica, dos seus diversos Tribunaes,
das cauzas ellas sujotas. da suaorganisaco
judiciaria e formas dos respectivos proces
sos sobre n impesicio de penas, e interpo-
sigo de recursos etc., etc., quer inspecic
com relajo s Pessaas Ecclesiasticas Curia
Romana, Arcebispos.Bispos Cabidos, Curia
Episcopal, Paroehos. Clero Secular e Regu-
etc., etc., (d'accordo com as soas fontes
geraes(o Corpo do Direito Cannico, os
Decretos dos Concilios, os Assentos das Sa-
gradas Congregarles, Letras ou Rescriptas
Pontificios, Concordatas, Constituire, Uzos
e costumes, em Summa com as Leis, e Re-
solucjias Civis, Patrias, promulgadas por
efieito da natural inspeceo e proteceo,
que o Estado lleve Igreja), como sem a
mnima duvida nao deveri, succeder a res-
petCo dos graduados as ditas Faculdades
estraugeiras de Theologia, em que se en-
sinam aquella materia subordinada legis-
laco, e actos que Ihes sao peculiares, mu
distmetos dos que entre nos regem.
XX
Portanto forca concluir, que longe de
teverom ser preferidos os graduados
rf aquellas Faculdades Theologicas dos Es-
tados Caltiolicos, como pretende o preclaro
Rispo Diocesano de Pernambuco, s merece
essa preferencia os que obtiveram tajs titules
as Facilidades Jurdicas do Imperio, em-
bora laices, onde aquellas mesmas ma-
terias se ensinam, com maior desen-
volvimento, devida proficiencia, justa ap-
plicaclo, e mais perfeita pureza na propa-
gado dessas doutrinas, mxime emquanto
nao s5o fundadas no Imperio as que dever3o
ser Theologicas, alias creadas pela Le N.
781 de 10 de Setembro de 1854.
A lembranca daquelle digno Bispo de
quedaquelle seu principio procederam
os Regulamentos Diocesanos, que authori-
sam aos Bispo.* a admitlir com Provisao
> Doutores Seculares as Universidades
Ecclesiasticas d Roma, Louvain, e Du-
b'.invisto com-) nesses Tribunaes elle tem
de velar de um modo especial sobre a
< moral e a disciplina christaa, tambem
nao procede, por quanto 1*. fo plena-
men'e demonstrado ser sem fundamento
algum e at offensiva aque'Ia imputaco
sobre a impureza do ensino as Facul-
dades Jurdicas do Imperio, smente por
serem laicaes; e antes pelo contrario que elle
ali mais ampio, sao, completo, proficiente
e satisfactorio; 2", que nunca fo essa a
causa sufficiente para expedico da fallada
Provisao, por n3o importar estaprova al-
guma scientifica, quer publica, quer parti-
cularmente producida, e mesmo por n5o estar
authonsado o Bispo a certificar-se das habi-
litaces dos Doutores Seculares, como alias
succede a respeito dos rbulas, mediante
um exame de sufllciencia perante os Pre-
sidentes das Relages do Imperio ; V que
si, sem exame anterior expedico dessa
Provisao. os Doutores Seculares, podem
obte-la, lgico que nelles 93o reconheci-
das previamente as necessarias habilitacoes,
indepeiiilentemente della, sem que em nada
possa augmenta-las, ou acriselar o seu m-
rito ;V. que o supradito arligo 438 do Re-
giment do Auditorio Metropolitano n5o faz
essa ilistmrcSo apresentada pelo Bispo Dio-
cesano pntre Doutores Seculares, e Theolo-
gicos, donde resulla que ser ella anda
boje imlisp^nsavel para os primeros(caso
negado) tambem o deveria ser paraos ul-
timas -Ibi eademratio, eadem dispositio;
-*>. que i-so seria um verdadeiro contrasenso
inteirmii ote inadmissivel, porque nunca
fo pratu'4Kto n'aqnelles, e em outros Esta-
dosCilh nicos em que haFaculdades Theolo-
gicas, nlo franquear-se o exercicio da advo-
tacia, ou Magistratura Ecclesiastica aos que
n'ellas fossem graduados, mas smente
as d-' l'voiivi.'Louvain, e Dub'in, as quaes,
segundo reza a liist-irta contomporsaes,
nunca passaram por tgpicat ou mesmo
superiores s da Franca, ou de Co-
imbra; G\ que por forma alguma nJ pode
haver receto no exercicio ia advocacia
pelos graduados as Facilidad?; Jurdicas
do Imperio (Doutores Seculares, na phrase
do respeitavel Diocesano) sobre a propa-
gac i da inrale la disciplina Ecclesiastica,
visto como ness exeraitio nada ha, que possa
entender com taes principios, e, quando
mesm i o contrario succedesse, noprompto
emprego das pjnas dis;ip!nares. que sem
inipr-sc aos Advogados, que se deslizam
dos seus de veros, (advertencia, snspenso,
muleta, e protesto, segundo aquello proprio
Regiment do Auditorio Ecclesiastico e le-
gislara > Patria) achar-se-bia o mais enr-
gico correctivo para qnalquer transvio do
louvav.l procedimento, al hoje observado
por aquella nobre profisso.
XXI
Nao menos injuridico, e frivolo o pretexto
aliegado naquella rosposta do distincto Bispo
Diocesano; 9e que nao authoriM a pres-
cripeo aadaptan de qualquer principio
em contrario mi mil titulo todos Advogados
indktindamente adoogar no Foro Eccle-
siaetico, porquanto I" ebem sabido- que no
dito Foro era Peruambiro desde 1832, em
que segradnaram os primeirosBacbarais na
Academia Jurdica de Dnda-foram estes ad-
mitirlos ;i advogar no Foro Ecclesiastico,
ndependente de Provisao, considerando-se
assim em desuso aquella disposlcSo, que a
exiga ; 2o. a adopcio desse mel pralicado
ou do modo dinturno de interpretar, e ap
plicar aquella disposiro, sflb osjustos c ra-
Eoavcis fundamentos cima expendidos.com
plena selenca positiva e publica acquescencia
de todos os Rispos Diocesanos de Pernambu-
co, ile diversos Vgarios Captu'ares-.sc cante, durante cerca de 40 annos, com
todas as cond'roes legtimas o necessarias,
nao s constitniodireito incontroverso, se
nao tambem proscreveu, e aboli aquella
dispoziro meramente disciplinar, eviden-
temente transitoria e occasional.
E com toiia rasSo e jnstica, porque pri -
meiroque tudo sempre o costume pode an -
tipiar a Le, com > declarou o Alvar de 4
de junho de l"8>.
O costume sempre fo considerado, segun-
do insinuam todos os Canonistas (Andr.
Bergier. Rouix etc.) como racional legti-
mamente proscripto, e at louoaoel, qu >nd >
coostitue um direito, que subslitue urna
le escripia, eporisso certamente assume to-
da a attboriilade o torca da mesma Le
Diuturni mores consensu utentiumappro-
bali legan imitan'itr. Canon 6Dslinct
12, com tanto que nao seja reprovado pelo
Direito Natural e Cannico; nada tenha
contra a f, 8 os boas costumes ; nao pos-
sa induzr mal algum, ou prejudicar o bem
peral da sociedadeS. AgotinhoEpisl.
148-*Cap. \.'Quod enim eque contra
idem, negu contra bonos mores injungi-
tur indifferenter est habendum et pro
eorum nter qnos vivitur societate separan-
dum est. Canon IIdistinct 12.
XXII
EITectivamente, em materia Ecclesiastica
'.ao eflieaz se torna a pratica desse di-
reito cansuatudinirio (consueludo juris),
que tem at a forfa de dispensar os Cao-
nes, pois muilos ha, que as pessoas mais
religiosas ao os observam, ao passo que
n3o foram revogados por outra qualquer
maneira. bem comoa prohibidlo de bap-
tizar pela Quaresma e Paschoa, fura dos ca-
zo de necessidade; em summa j leve to-
do o valor para abolir at urna le expresa
mente imposta pelo novo testamento, por
quanto a Igreja Calholica governa-se pela
Escj-iptura, tradicao, e usos particulares
da mesma Igreja etc ; sendo que sobre as
duas primeiras nao ha excepcao alguma
Canon 8,distinct ti, como se verifica a
respeito dos ltimos, que sollrem alterado,
segundo as pocas e os paizes Poatie
vero constitntionibus et propriis informan-
tibus, maqa que pro locorum varietatc
prout, caique visum est, subsistit et regitur
Canon 8o, distinct 8a.
As leis, que nao nteressam essencial-
mente os dogmas e a f sao apenas leis de
simples e exterior polica ecclesiastica, Re-
gulameulos estes que nao obstante serem sa-
bios, podero ser uteis, necessarios e au-
thorisados em urna poca, e pouco conve-
nientes em outra, e por isso mesmo muda-
veis, sem inconveniente algum, at mesmo
para facilitar a observancia das leis primi-
tivas t eternas (como opinam Bergier, Phi-
lippsetc.)taes sSoasque os Apostlos impu-
zeram aos Cliristos de abster-se de san-
gue,| de dar aos meninos a Communho le-
gal depois dobaptismo, ou alias stbre as
duas especies della na administrado desse
Sacramento, para reconciliaco dos peniten-
tes e rigorosa observancia da Quaresma
etc etc.
A Religiao Christaa por sua sublime
misso,toda interna', espiritual, c fundada
sobre a le originaria ou primitiva, sobre as
mximas da verdade eterna; sempre firme
e inalleravel, nunca deixou de franquear a
maior liberdade possivel para observancia
dessas platicas externas, desses actos se-
cundarios, occasionaes e transitorios, como
por corlo sao os ritos, as ceremonias ou
actos diversos de disciplina exterior, ou
apenas inherente ao seu rgimen, debaixo
de suas diversas relages. Nem por isso a
grande Sabedoria, Gloria e Santidade da
mesma Igreja deixa de ser immutavel, por
quanto, como diz o me*mo Santo Agostinho
Canon-J7/adistinct 12, f nao mu-
da, mas a disciplina militas vezes muda;
tem a sua mocidade e velhice; o tempo dos
seus progressos e de suas perdasSua ju-
ventudc teve mais vigor, mas tambem seus
defeitos, as quaes foram remediados nos
subsecuentes idades, adquirindo novas perfei-
edes, e fazendo perder as antigs.
Ora, si incontestavel que aquelle sem-
pre fallado Regiment do Audictorio Eccle-
siastico. a quesoccorreu-se o Conspicuo Bispo
Diocesano de Pernambuco (paraexigir Provi-
sao aos graduados as Faculdades Jurdicas
do Imperio, que qnizessem advogar no Foro
Ecclesiastico), n3o pode ser elevado ca-
thegoria de preceitos dogmticos, de f, m-
ximas eternas, verdades immutaveis, mas
sim refere-se principalmente simples e ex-
terior polica ou disciplina e clesiastica, se-
gue-se que bem podia ser abolido nessa
parle, sem alias offender o Direito Divino,
Natural Cannico, amoral, a f, e sem outro
qualquer inconveniente, pelo desuso, ou
por longa pratica, e consentmento publico
dos proprios Pastores, vista da supervi
niencia de novas circunstancias, novo re-
gimen social, nova organisac3o poltica,
que para sua melhor direeco exgiam im-
periosamente, que esses leis ecclesiasticas
promulgadas em outros scculos, debaixo
otras rclaeoes civis, fossem snpprml-
dasou abrogadas, c oulrasab didas pelo de-
suso, sem com tudo alterar um s pice o
maravilhoso espirito da Igreja, e suas leis
primitivas o irrevogaves, porque olla soube
bem tempera lo com asna disciplinaelei hu-
mana.Logo por todas essas valiosas con-
sideraces nao pode prevalecer a supradi-
ta lembranca de qu qualquer principio em
contrario nao atithorUaria a preseripijo.
E' mui sabido que na legislarlo civil
de todas as Nacoes, etam'iem na. Ecclesias-
tica, quando urna serie de fados succossi-
vos oppe-se a urna le bem condecida,
sem resistencia da aulhoridade legitima.
aquella lei p>rde inteiramaute o seu
vigor.
XXIII
Em summa, bastara o fado de haver
decorrido aquelle longo periodo de 38
annos (desde 1832 at I8G8), em que se
permltiu no Foro Ecdesastico de Peroain-
bucoadvogar sem provisao aos gradua-
dos pelas Fatuidades Jurdicas d'i Imperio
para abrogar ou abolir aquella disposi-
Co do Regiment Eoclesaslico, no qual
authorsa-se a exigencia dessa Provisao, por-
quanto bem sabido que o uso, e costu-
me tem essa essa forra de derogar a le es-
cripta ecclesiastica, e estabelecer verdadera
prescripeo, depois de um deceniocomo
tempo razoavel e sufficiente, bem como,
depois de 40 annosjrescrevem os bens
das Igrejae(Ferrari Bibliotli c3 Cannica
verh Consuetud) ns. 23, 20 e 27, Colho
da Rocha, Direito Qvil-i--'i\i\,Auilieut
Quid, actionesCod ad SacrasEccles
Pretextou anda o respeitavel RispoDioce-
sano da Pernambucoqu alguma canees-
sao, ou indugencia de qualquer Bispoa
respeito dessa admesao indistinctamente,
de idade aos Presbteros, para admissao
matricula as Fatuidades Jurdica* do Im-
perio, ao pauso qu? ella w't teriam i
bid') ordens facas antes do -'! OffJ
2*. aos Professores do Gollegb das Artes.
novos exames das mesmas materias de
que elles j passaram em concurso publico
ara admio aquella matricula ; alem
de que a capacidade lilleraria de cada um
sersufficienleimnleprovada como titulo de
seu grau, Cmo exige o artigo 436 do~citado
Regiment do Auditorio Ecclrsiastido.
2*. Que nada ha receinr sobre a tgn
dicancia da vida,c ctjetumse dos ditos gra-
duados a aiooctcia nis Fac.ihlales jur-
dicas di Imperio, nrn s pir nao haver
cutre nos Tribunaes da InqtmicOO, sendo
tambem pelatonfiznra, qm dte inspirar
o cora cao do mesmo Diocesano todo bonda-
doso e paternal, como j tiveram inequvo-
cas provas quatro Bochareis Forma lenos
Faculdades Jurdicas do Imperio as Drt.
Ernesto Fonscca, Angelo Henrques, Diodoro
CatanJio Luis Emygdio, e seis Solliciladores
os quaes requeram-lhe provisao, e foram
por elle attendidos com toda a amabilidadc.
3." Que nos Elementos de Direito Eccle-
siastico pelo Conde de Iraj, e no Formu-
lario do Juizo Ecclesiastico colleccionado na
Diocese do Maranhao, sob os auspicios do
actual Arcebspo da Baha, quando regia
aquelle Bispado, encontram-se entre ou-
tra, as formulas das Procsoesque se
d-io aijs aos que pretendan advogar no Foro
Ecclesiastico, nao sendo para crer Prelados
lii) zelsosasoceupassem, sem nenliuma
signi/icaco, de taes formulas, bem como
que as adiniaisein, com manifest detrimento
I i art. 43S doRcyimento do Auditorio, e
disposietee do Dircito Cannico. \
Esta allirmaco toda contraproducente,
posico existe para antorisar a exigencia de
tal provisto para advogar no Foro Ecclesias-
tico, a nao ser a do dito Regiment do res-
so a ineffieacia, senao tambem o desuso au-
Ihorisado, justo, e cabivel daquella disposi-
Co do Regiment do Auditorio Ecclesiastico;
reconhecida, como est, a adop?o da nova
forma do respectivo processopela recente
legislaco Civil, a admissao franca c ampia do
exercicio da advocada no Foro Ecclesias-
ticoos graduados as Facu'dades Jurid-1 Concluiu o digno Bispo Diocesano de
cas do Imperio, com publico consentmento j Pernambuco asseverando que assim pro-
dos Ires Ilustrados e virtuosos Pastores \ ceda no arduo desempenlio do seu ministe-
nas Jurdicas do' Imperio, como agora
succede ao dejPcrnambuco.
Sao visivolmonte inadmissiveis os exem-
plos all invocados de ser obligado prova
da idade o Presbyiero, que se pretende ma-
tricular as Faculdades, a despeito da que
j haoa prestado para sua Ordenarlo, bem
como o de ser submeltldo o Professor do
Collegio das Artes prova de novos
exames da mesma materia, em que elle
lizera concurso publico nara respectiva
cadeira, por quanto desses fados positivos,
e terminantes,!no se podetrar analoga |pu
dsposicao para especie mui diversa, e mais
esta grave.
fra de toda, a duvida. que a
exigencia de novas provas de idade e\n-
bilitac-So para matriculaas Faculdades
quem tae3 ttulos tiver, nao nao lem igual
importancia a de um exame, a que fosse
obrigado qualquer graduado em Direito,
pois o seu diploma por si s basta para
produzr a presumpcSo/uret jureVenir*
e Souza Proc. Civ. 252 e nota valor que
nunca foram aonsiderados ter aquellas ou-
tra s provas.
XXX
Alm disto, aquellesimile sobre a prova
de idade pecca na substancia, porquanto
os Estatutos vigentes da Faculdadesjl/D-
reto do Imperiono artigo G 2"apenas
exigem a hablilaco de idademaior de Id
annos, e esta, segundo bem sabido, nao
se demonstra smente pela certidao de bap-
tismo, mas sim por quaesquer outras do-
cumentos ou proras legaes, como sem duvida
de summo peso a Carta da Ordenarlo
ile um Presbytero, (a qual pelo menos de-
ver ter 23 a 23 anuos. Concl. Trid. Sess.
23 de Reformat. Cap. 12idade superior
aquell'outra) e ate pelo proprio aspecto, e
porque a especie vertente d2o pode servais physionomia, avista das expressas dsposi-
regida pelas Leis Ecclesiasticas, por/ser pbas da Ord. Liv. 2o Tit. 34, Lei de II de
r nessa parte contra a citada legislarlo Ura-
sileira vigente e applicavel.
XXVI
Constituico do Imperio (artigo )2 1), s
por esse fado o admitle a fruiccao dos
diretos polticos, bem como aos Duchareis
peclivo Auditorio, o qual nao pode subsis- Formados, aos Ofjkiues Militares : ao passo
desta Diocese os finados D. Thomaz de
Noronha, D. Joo da Puriicaco, e D. Ma-
noel de Mederosalm de diversos, e id-
neos Vigarios Capitularessede caceante
durante cerca de 40 annos, segue-se lgi-
camente, que nunca liouvc concesso, gra^a
ou indulgencia alguma nessa parte de qual-
quer dos ditos antecessores do actual Rispo
Diocesano, mas sim o reconhecimento dtsse
direito, que sempre oi considerarado incon-
troversoat chagada do respeitavel Bispo
Diocesano de Pernambuco, em que surgiu
essa verdadera innovado; sendo quenessa
propria classe elle bem poderia enchergar
innmeros caracteres briosos, e ndepen-
deutes para nao aceeitar, e antes repellir
qualquer favor seu nesse sentido.
XXIV
Quanto a exigencia do mesmo digno Bispo
sobre aexhibicao de algum documento
probatorio do estabelecinento desse direito
apenas cabe urna resposta seria, de que os
rio, em materia too grave, qual a da admi-
nistraco da justica em suas mais delica-
das rclaeoes, com a consciencki, e tambem
pelo desejo de dar urna prova de sua par-
ticular con/tanca lealilade dos mais dis-
tincto Advogados da Cor paraca Forense.
Quanto psimeira parte forcso pa-
tenteiar, que nessa innovaco nao ba o m-
rito attrbuido de zelar a admniatraco da
justicia, sob as d lcadas rclacOes da con-
scencia, pois bem longe disso nenbum re-
ceio pode inspirar a admissao no Foro Ec-
clesiastico dos graduados as Faculdades
Jurdicas do Imperio, avista daquella longa
pratica authorisda por disposices tu ex-
dgnos antecessores do mesmo Bispo Dio-
cesano de Pernambuco, em urna palavra* por
se aetnran aqueltes graduados em Direito
com as necessarias habilitacoes para- es
se exercicio, e terem sempre demontrado
nelle rrepreliensivel procedmenU;
pie aoj demais Cidadaos Brasileirossem
laes ttulosexige a idade de25 annos.
XXXI
Outro sim, si para o provimenlo das Ca-
deiras do preparatorios do Collegio das
Arles a pro\a exigida de capacidade pro-
fesional dispensada pela exhibicaty de
qualquer ttulo de capacidade em concurso,
ou de Professor Publico por nomeaco da
Caverna Imperial, ou por diploma de gm-
duwloem qualquer deis- Faculdades do Im-
perto, m sendo pessoa notavel por seus ta-
lentos e illustrard, como autorisam os arts.
31 | i^e art. 33 do Regolamento das Au-
las Preparatorias das Faculdades de Di-
reito do ImperioPortara de 4 de Maio de
1836, com maioria de raxo poderia ser
dispensado competentemente ao Professor
do Collegio das Arteso exame da materia,
que j se acha leccionando, depois de ter
sido submettido ao concurso*publico, e por
pressas, admittida publicamente pelos muiuelle preferido para o respectivo provimento;
principios de Direito Commum nao sao arbi- alm de que ha graves penas disciplinares,
trarios ou ageitaveis aprasimento, mas sim que se podero inipr aos transgressres dos
inalteraveis, e por isso mesmo nunca s seus bom definidos deveres, alias sem o
pode provar a derogacao de urna le pelo
desuso, a n3o ser pela pratica successva, e
nunca interrompida de fados nesse sentido
como nao deve ignorarle antes consciencio-
samente deve confessar aquelle distinc-
to Rispo por ter encontrado aquella jus-
tificada pratica, e haver-se scieniiGcado de
ser ella de longo tempo, e dahi resultar-
Ihe a gloria da innovarlo.
Allegou anda o mesmo digno Bispo
Diocesano, naquella sua respostaque quan-
do mesmo houvesse Lei Brasileira explcita,
s a Lei Ecclesiastica, e nao a Lei civil po-
deria derogar aquelle direito de eleger Ad-
vogados para o Foro Ecclesiastico.
Si prevalecesse esta iheoria do Venerando
Prelado, segnir-se-hia que o seu inculcido
direito de eleger Advogados para o Foro
Ecclesiastico da sua Diocese, proceda de
alguma Lei Ecclesiastica immutavel, como
porexemplo os Caones, ou alias que
tratava-se de materia puramente espiritual,
(de dogma ou de f), sobre o que o Poder
Civil nao pode intervir; em summa que o seu
Poder inteiramente ndependente daquelle
outro, a respeito da disciplina.
Ora, jfoi asss demonstrado que nenhu-
ma outra dsposicao existe a respeito
daquella exigencia do que o Regiment do
Auditorio Ecclesiastico, a qual j se achava
abolida pelo desuso, pelo Cod. do Proc.
Criminal, e Disposi?3o Provisoria (Portara
do finado Arcebspo Metropolitano, appro-
vada pelo Aviso Imperial de 28 de Agosto
de 1834 candando adoptar no Foro Ec-
clesiastico a forma de processo civil, da
qual sao orgos os Advogudos) como sempre
se praticou nesta Cidade, at a chegadado
digno Rspo Diocesano, em summa a vistas
das diversas considerarles expendidas de
ord^m superior.
Logo, fra de toda a duvida, que ha
dsposicao Civil Brasileira, que regula a es-
pecie vertente, a qual subsiste e vigora sobre
aquell'outra, j caducado citado Regimen-
t do Auditorio Ecclesiastico ; o que succe-
der sempre em casos idnticospela im-
mediata dependencia do Poder Eccleliaslico
com o Civil, em circunstancias taesreomo
comesinho.
XXV
Affirmou anda o mesmo Bispo Diocesano,
que nao lia Decreto algum da Igreja, que au-
thorse a admissao de todos os Advogados
versados em Direito Cannico patrocinar
no Foro Eccastico.
XXVIII
Em defeza desse acto daquelle conspicuo
Bispo Diocesano tendoapparecido um Com-
municado publicado no Diario de Pernam-
buco N. 265 de 18 de Novembro de 1868;
e sendo mui provavel, que fosse elle, de
aecrdocom as suas inspiracoes, e por
isso mesmo talvez tenham de ser reprodu-
zido, sobre outra forma, e em contestarlo
a presente recurso, parece asss ra-
zoavel, que receba desde j a merecida
analyse. Naquelle artigo jornalistico se
disse :
Io. Que ainda quando, o Prelado Dioce-
sano quizesse sujeitar exame perante si
os graduados em Direito, que pretendessem
advogar perante o seu Auditorio, como
menos exactamente se tem propalado, usara
de um procedimento de que o Poder tem-
poral lem usado vg; exigindo V certidao
mnimo perigo a respeito d'aquellas melin-
drosas materias.
Quanto a ultima parte deve-se reconhe-
cer, que se subsistisse aquella dsposicao
do Regiment do Auditorio, o mesmo digno I perante o Bispo,. si do mesmo modo o Bis-
Bispo nao deveria estabelecer distincees, \ po nao pode proceder qnalquer syn-
alm de que- tem-se observado, que por oc-
casies de taes Professores repetirem esse
mesmo exame para matricular-se as Fa-
culdades, merecem sempre por essa mesma
solemne, e notoria habilitaco a maior con-
sderac5o possivel, ou o menor rigor as
respectivas provas, como alias nao succede
a respeito de qualquer outro Estudante, ou
Candidato, cujas habilitacoes nao sao assim
asss comprovadas e conhecidas.
XXXII
S pois os graduados em Direito nao sao,
nem' podem ser submettidos a esse exame
fazer excepcoes ou prevences, segundo suas! dicancia a respeito da moralidade delles
sympathias, sob o fundamento de merecer-
Ihe ou nao confianca : quando apenas cum-
pre-lhe applcar o direito, segregando todas
e quaesquer coosideracoes pessoaes, alm
de que subsistindo a dsposicao, s por mui-
ta degradac^o 3enam acceitaveis taes ex-
cepcoes, por certo muto odiosas para com
urna das mais resperlaveis Corporacoes
do nosso paiz.
XXVII
Em face de todo o expendido, e compro-
vado se conclue o que futilissimos foram to-
dos os pontos daquella resposta do digno
Bispo Diocesano de Pernambuco luminosa
e jurdica representarlo do Ilustrado Pre-
sidente do Instituto dos Advogados do Re-
cife, e por conseguinte sobremodo impro-
cedente torna-se a mesma resposta.
Parece, que o digno Bispo de Pernambuco
mal avzado anda, quando talvez julgue ser
na sua Diocese, qual o Papaem Roma
absorvendo ali o Poder Espiritual e
Temporal, tendo Advogados chamados ali
Consistoraes, ou da Cmara kposto-
Itca, os quaes sao sem verdadeiros Fami-
liares, compete-lhes assistir as cau-
zas denominadas Consistoraes ou pro-
mocer perante o Summa Pontfice, em
pleno consistorio a beatificacao, canoni-
sacao das pessoas fallecidas com odor de
t santidcule, pedir o pallio para os Arce-
btspos e Bispos, a quem sao devidos, e
que por tudo isto gozam de certos privi-
legios, diretos extraordinarios, preceden-
cias notaveis canto a valiosa faculdade de
doutorar-se in utroque jure, seu altero jure;
nao devendo mais exceder de dozedo-
denariussegundo fo instituido por Bene-
dicto Xtom. I9 Const. 106 priucip.n-
ter Conspicuos do 1 ao 35lnfer pilt-
res %i 16 e 33 ; ou de accordo com ou-
tros Canonistas, por Gregorio Magno; sem
alias lembrar-se o Bispo Diocesano, que no
nosso paiz, distinctos e independentes s3o
aquellos Poderes, mui diversa a nossa
organisacao poltica e civil, o por conse-
guinte que nao podem ser communs taes
principios, doutrinas, ou praticas, sem gran-
de aberracao da boa raso.
XXIX
Entretanto, de palpitante evidencia a
frivolidade deesa primeira allegag3o, bem
como dos parallelos, em que se procurou ba-
sea-la.
O proprio Regiment do Auditorio Eccle-
siastico, que exiga aquella Provino, nunca
a fez dependente de previo exame de suffi
ciencia perante o Bispo dos graduados em
Direito, e por conseguintes elle infringin-
do-a tlagrautemente 13o evidentes d'sposi-
ces assim poderia proco der ; alm de
que nunca a tal exme foram elles submet-
tidos e at seria isto muito curioso, por
quanto a seu respeito milita a pre-
sumpcSo juris et jure : a qual alias nem
sempre se d em favor dos dignos Bispos
nessas mesmas materias, por n3o serem
todos elles graduados em Direito, quer as
Faculdades Theologicas da Europa, quer
por nao haverem Tribunaes- de In-
quisic'io, (rem razo do seu bondadoso e
paternal corceo, j assas comprovndo a 4
Advogados cima indicados, como tudo ali
se assevera, com maioria de raao torna-se
inteiramente intil a exigencia de tal pro-
visao, para que elles possam entrar no
exercicio da advocacia no Foro Ecclesiasti-
co, a menos que nao seja para prestar al-
gum preito ao mesmo digno Bispo, ou para
sobrecarregar os ditos graduados das dis-
pesas ou emolumentos inherentes a mesma
Provizao, sem vantagem ou signicaco al-
guma.
E para prova da formal opposico dos
graduados em Direito estabelecidos na Ci-
dade do Recife, em tirar a tal Provisao,
basta a simples considerado de que entre
o crescido numero existente em 1868, (se-
gundo o Almanack de Pernambuco de Pag.
203 pag. 206) de 87, a saber 23 Douto-
res, e 62 Hachareisapenas 4 subinetieram-
se tirar essa provisao como- no supradic-
lo artigo se affirma se assevera; e ainda
com a especialissima circumstancia de serem
estes mesmos quatro Advogados isso
forcados pela imperiosa necessidade de
proseguir no patrocinio tte algumas cau-
sas pendentes n'aquelleJuiao, como bem
publico e notorio.
XXXIII
O fado de ser.ncluido ospecimend'a-
quella Provis3o nos Elementos de Direo
Ecclesiastico pelo Condo de Iraj, e no For-
mulario desse Juizo publicado na Diocese
do Maranhao, sb os auspicios do actual
Arcebspo da Baha, tambem nada prova em
favor da exigencia dola aos graduados em
Direito pelas Faculdades do Imperio, por-
quanto n3o s taes formularios nao sao au-
torizados por Lei, que os torne inaltera-
veis, ou impriscindiveis, como succede
respeito do Formulario dos Processos Cri-
minaes, e por isso nao constituem por certo
obrigacao alugma jurdica, se tio- tambem
daroei/aqueeramnecessariosesse/)eimes
para as provi'sSes concedidasaos n3o gradua-
dos era Direito, ou aosrabulasad instar-
as que sem conferir-lhes os Presidentes das
Relac5es,para os lugares.ondeno hagradua-
dos, ou dos que sao formados por Acade-
mias estrangeiras, por forca do 5 do art.
7 do Regulamento de 3 de Janeiro de 1833;
devendo por conseguinte ser smente nesse
sentido entendidos ou applicadostaesspe-
cimens de provis3o, pois que de o tro modo
s3o inteiramente inuteis, e inadmissiveis a
respeito dos ditos graduados, como fica ple-
namente demonstrado.
XXXIV
Emfim,attendendo-se devidamente a todas
essas razSes ponderadas. forcoso reconhe-
cer, e confessar que o respeitavel Diocesa-
no de PernarabucoT-menos justa e regul r-
menle, procedeu considerando como, um acto
de grag.ao exerci io da advocacia no F6ro
(^eclesistico pelos graduados as Faculda-
des Jurdicas do Imperio, sem previa pro-
visao por elle expedida, infringindo formal-
mente as mais claras e positivas disposices,
prelenndo;emfimlodiuturnapratca;emcujo
numero nao hesitou de contemplar o Recr-
reme, n3o obstante ser elleCidado Brasei-
ro, Catholico Apostlico Romano.Dr. em Di-
reito pela Faculdade Jurdica do Recife, e
n'ellaLente.em urnapalavra n5a obstante ha-
ver elle sido Advogado durante cerca de 20
annos no Juizo Ecclesiastico da respectiva Di-
ocese, e defendido mui importantes cansas,
sem alias ter incorrido durante esse longo
periodo, ra qualquer das penas disciplinares
rtencm, snspenso, e multa), impostas
aos Advogados que se desliso dos seus
deveres, como consta do documento jnelo.
Isto posto vem o Recorrente impetrar a
V. M. Imperialqne Haja por Bem di Man-
dar aquelle digno Bispo Diocesano, que faca
com que o mesmo Recorrenle continu ad-
vogar no Foro Ecclesiastico da Diocese de
Pernambuco, independente da pretendida
provisao
Neste termos
Pede V. M. Imperial Seja
Servido assim Deferir.lhe,
E. R. M.
De. Antonio de Yasconcellos Mcnezcs de
Drutnond.
ASSEMBLEA GERAL
CMARA DOS SRS. DEPTADOS
SESSAO EM 12 DE AGOSTO
PltESinKNCIA DO 9R. NEMAS.
(Continuaco)
Outro ministerio da guerra, enviando o
requerimento em que o tenente do 16 ba-
talnode inlantaria Amaneo Constantino da
Silva Godinho pede seis me/es de licenca.
com todos os vencmentos, para tratar de
sua saude onde lhe convier. A mesma
commisso.
Outro do Io secretario do senado, com-
miinicando ter constado ao mesmo senado
que S. M. o Imperador consenie nareso-
Im.'ao da assembla geral que aulorisa o
governo a conceder compartida Paulista da
estrada de ferro de Jundiahy a Campias os
mesmos favores concedidos companhia
inglesa da estrada de ferro de Santos a
Jundiahy. co*n a excepc5o da 'garanta s
juros.Inteirada.
lira requerimento de Joaqwm Antonio de-
Carvalho Agr, por si e por outros mora-
dores e estabelecidos em ierras do extato
aldeamento do indios em.NAherohy, pro-
vincia do Rio de Janeiro, pedindo que se
regulem por umo lei os aforamentos de
torras feitos fazenda nacional, preferudo-
se os que j tem bemfeitorias.A commis-
de fazenda.
Outro de Antonio-Pereira de Barros Leite.
pedindo para fazer ado do 3o anno medico
da faculdade da crt. A commijso de
iiHlruccao publica.
Leem-se e vo imprimir par entrar
M ordem dos trabadlos: um projecto sob
eleicoes primarias do 2." districto do Cea-
r r dous, approvando penses ; urna con-
cedendo isenco d diretos sociedade
Vehculos Econmicos, da capital da Ba-
ha;, hu, autorisando o governo a criar es-
colas de agricultura.
O Sr. Castollo Braoco jnstifica e man-
da mesa o segrate requerimento, que
approvado sem dbale.
Reqneira que se pecara do governo
inl'onnanVs sobre a eleieo de S. Miguel
de Campos, na provincia das Alagas.
Castello Bronco.
Entrao em discnsso, e sao appro-
vadas sem debate, as redaeces que fo-
ram a imprimir na sess3o antecedente, sobre
loteras e matricula de estudiantes.
Procede-se a votaco de parecer da
Ia commisso de poderes sobre as eleicoes
primarias a que se procedeu as parochkas
de Nossa Senhora da Luz e de S. Jos dos
Indios, pertencentes ao C districtj elei-
toral da. provincia do Maranhao, e appro-
vado.
Procede-se a votaco do projecto n. \%
em 2V discusso, encerrada na sesso ante-
cedente, determinando que o ministro do
imperio na corte e os presidentes as pro-
vincias concedero ttulos d naturalisacao
a lodosos-estrangeiros maiores de21 annos
que o requererem, urna vez que se mes-
trem livres de culpa, tenham um anno de
residencia, no imperio, e declarem que'nelle
pretender lxar seu domicilio, e appro-
vado, bem como a emenda do Sr. Fausto
de Aguiar. nicamente na Ia e 3* parte, fi-
prejudicada a do Sr. Correa.
O Sfc.. Jmoueir requer, e a cmara eon-
sente dispensa de intersticio para entrar
o projecto immediatamente em 31 dis-
cusso
Entrando, pois em 3a discusso o referido
projecto, fica adiada pela-hora, por ter pe-
dido a palavra o Sr. Araujo Lima.
ORDEM DODIA.
Procede-se a votaco da preferencia, cu-
ja discuss3o ficou encerrada na sesso an-
tecedente, relativa aos projectos sobre a
reforma do actual recinilamento, e- pre-
ferido o ultimo projecto substitutiva, apre-
sentado pela commisso especial,
Entra, pois, em 3a discusso o referido
projecto.
O SR. PEDERNE1RAS: Chama-me a
tribuna, Sr. presidente, a necessidade de
dar a conhecer a cmara quaes foram os
motivos que me separaram de paeus dignos
collegas da commisso especial do projecto
de lei de recrutaraento.
Se me grato- ser o primeiro a romper
esta discusso, porque encontr a cmara
descansada para poder tolerar o man dis-
curso do seu novico (muitos nao apoiados),
nao posso deixar de manifestar o pezar
que tenho de me acbar em divergencia com
meus dignos collegas de commisso, cujos
talentos, cuja mtelligencia superior, sempre
invejei; esobe de ponto o meu pezar, Sr.
presidente, quando considero que o vene-
rando Sr. ministro da guerra adherio as^
ideas dos meus Ilustrados collegas.
Ac*turnado a admirar o Sr. barSo de
Muritiba, quando na minha vida modesta
de soldado acode-me a veledade de pensar
na poltica do paiz, acostumado a toma-lo
por guia, para mim um constrangimento
achar me em opposico as suas ideas.
A cmara comprchende que, debaixo de
laes impressoes, eu nao poderei dar o de-
senvolvimdnto devdo s ideas que moti-
varam minha separaco dos meus dignos
odlegas. Espero, porm, que ella ter a
benignidade de dispensar o que houver de
incompleto na exposico que vou fazer;
no correr da discusso, accrescentar o que
me parecer ter sido olvidado.
(Continuar-se-ha.)
A
4
TVP. 1H> DIARIO-RlA DAS IKUZES N
*
i
*-.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQSHBYGED_340YO9 INGEST_TIME 2013-09-14T03:12:55Z PACKAGE AA00011611_11950
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES