Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11949


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 217.
PARA A CAPITAL E LGABES ONDE HAO SE PACA PORTE.
fot lrc-s racz!3 adiantados............ 0.00
pr mS ditos km..............:::::: t$m
l'-or un auno idum.............. 24<5000
Cada numero avulso..........', ..,.'.'.'. '. A320
QUINTA FEIRA 23 DE SETEMBRO DE 1869.
PARA MUTUO E TORA DA PROVINCIA.

***$
Por tres mezes adtantados.
Por seis ditos idem. .
Por no\T ditos idem .
Por nm anno. .
6750
435500
204250
27,5000
DE PEMA
Propriedade de Manoel lgtieira de Faria & Filhos.
Os Srs. Gerardo Antonio Alvos
Pereira d
SAO AfEOTES:
Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
; Domingos Jos da Costa Braga,
_PARTEOinCIAL^
co ver no ti provincia-
EXPEDIENTE VSSIONADO PELO T.WI. Sil. !.!!. MANOEL
1H) NVSCIMKNTO MACHADO PORTGLLA, VI IK-I'RBSI-
ENTK DA l'l'.OVINCIA, U 26 b". fUffHO DB 1809.
1.' seeeiio.
N. 861.Portara au inspector do arsenal tle
mantilla.A vista do exposto eni sua iufonnarao
4e i3 du crrenle,ofa n. 1,771, aotoriso a V. S.
a mandar eliminar da companhia de aprendiies
artilices desse arsenal e entregar a Nicolao Vicira
da Silva, o seu liiho menor Donacianu Vieira da
Silva, que se acia alistado na referida coiupauhia,
depois que ello tivw indemnizado a fazenda nacio-
nal de todas as despena 1'eitas pelo estado com a
educacaodo inoucwiiado menor desde u dia dj
seu alisiaiiiiiii 1.
N. 802 Dita ao canto do porto.Comutuni-
cando-me o vice-oousi dos estados pontificios Au- *,na ""empencia de que tae* remitas 01 remet
po em que frnio o supplieante a licenca de que
trata, nao obstante a talla do respectivo tmilo,que
doixon de ser (presentado por se ha ver extravia-
il 1 como c insta do predito requcrinionlo.
N. 87?.Dita ao mesmo. Communieando-me o
vice-consul dos estallos pontificios Antonio Luiz
de Oiiveira Azevedo, cm officio de 23 do corrente,
ler encarna-ido di gerencia do mpsmo vire-con-
sulado, duraute a viscera que vai fazer a Europa,
ao cnsul de Portugal, Dr. Clandino de Aranjo
Guimaraes ; assim o communico .1 Y. S. para seu
conheeimonto o lins convenientes.
X. 878 Dita ao mesmo.Annuindo ao que so-
licitan o chefe de polica em officio ile hontein, sob
n 924, recommondo a V. S. que em vista da eon-
la juata cm duplcala, mando pagar ao tcnente
Doftndo da. Cumia Lima, ou ao procurador do de-
legado do termo do Buique. a quantia de 295160
provenieiiie it,-is diarias abonadas dos recrutas
Joaquim Pereira- da Silva c Salustiano Lopes de
A mirado, que vieran) daquelle termo, (icando V.
toiiio Luiz de Otiveira Azuvedo, ei officio do 2o
do correte, ler encarregado da guerra do mesmo
vice-consulado durante a viagom que vai fazer a
Europa ao consol de Portugal Dr. Ciaudino de
Araujo Guinarfo-s ; assim o coininunico a V. S.
para sen conlieeiraonto.
X. 803.Ditaao vice-cousu! dos estad is ponti-
ficios.Pelo officio que me dirigi o Sr. Antonio
Luiz de Oiiveira Axevfdo, vicecnsul dos estados
fKintiliris, em data de 25 do correte, leo ntei-
Tado de que o mesni) Sr. vice-consul, toado do ir
-a Europa, deixa incumbido provisoriamente do
respectivo vee-coiisulado, durante a sua auzencia
Sr. cnsul de Portugal Dr. Ciaudino de Araujo
'Guimaraes, do que don scieneia as estages com-
4M'tentes.
0 raesmo Sr. vice-consul pude mandar solicitar
na secretara desta presidencia a respectiva porta-
ria, para o que lica expedida a conveniente or-
deui. Renov ao mesmo Sr. vicecnsul os protes-
tos de miaba perfeia estint? e distinca conside-
raeao.
X. 864.Deliberagao.0 vC9-se presidente da
provincia attendeudo ao que requereu Manoel Joa-
quim de Oiiveira, resolve conceder-lhe licenca pa-
ra rao presidio de Fernando no primeiro vapor
que para all seguir, levando coinsigo os gneros
constantes da rolarn junta, assignada pelo secre-
tario do governo, nao pudendo, porin, efleetnar o
desembarque dos referidos gneros, seui que por
liarte do commandantc do mesmo presidio se pro-
ceda a exaine, alim de verificar se lia agurdente
ou oulra qnalquer bebida espirituosa.
2* seccao.
N. 86,*>.Portara ao Dr. chefe de polica.Em
resposta ao ofHcio de V. S. de 2o iio corrente, sob
o. 925, tenho a dizer. que approvo a ivsolucao to-
mada pelo delegado do termo do Cabo pan do-
morar all o destacamento do corno provisoria' de
polica at ser por ontro substituido, declarando-
lite que a 22 de abril ultimo, se maiiduu retirar o
di-stacamento do corno policial e substitui-lo por
outro da guarda nacional dalli.
X. 866 Dita ao mesmo.A estatislira que se
est liquidando, do anno prximo passado, o de-
ve conter somonte os criroea pralieados durante
-elle. Contendo o mappa incluso, que acompanhou
o ofHcio de V. S. de 2o do correte, crimes desle
anno, devolvo-o para que torne a remetler-m'o
ratiticado aquello engao como dUpSe a segunda
parle do art. 26 do decreto n. 3,872 de 3 de dc-
zembrode 1865.
N. 867.Dita ao mesmo.Communcando-me n
vice-consul dos estados pontificios Antonio Luiz de
Oiiveira Azovedo, em officio de 2' do corrento, ter
encarregado da gerencia do mesmo vice-consulado,
-durante a viagem que vai fazer a Europa ao con-
siil de Portugal Dr. Claudioo de Araujo Guina
raes ; assim o communico a V. S. para seu co-
cliecimento.
. 869. Delberacao. O vicepresidente da
rovincia atlendend ao que eipfte o chele de po-
icia em oflico n. 92o de 25 do crrante, quanlo
ao engao bavido na propost i de Manoel de Albu-
querque Itaiao e Amonio barbosa Cordeiro, para
os cargos de segundo e quinto si;j>plentes do sub-
delegado do dislricto da Pedra, do termo do Bui-
que. quando seus vordadeinis Domes sao Manoel
V,avalcanti de Albuquerque Batrio e Antonio Bar-
bosa Cavalcanti, resolve que ratificado o engao,
se ihos passe novos ttulos.
N. 870.Dita.O vice-presidenle da provinria
de conformidade com a prnpnsta do chele da poli-
ca em oflicio n. 922 de 25 do crreme, resolve
exonerar dos cargos de primeiro, segundo, tercei-
ro, quart >, quinto e sexto supplntes do delegado
do termo de Klores aos cidados seguales : le-
uente Mauoel Gomes Combra, Sebtatao Jos Pe-
reira, Manoel Jos de Medeiros, Joao Gomes dos
iteis, Manoel l'ereira dos Beis e Joaquim Antonio
Leite.
N. 871Dita.O vice-presidente da provincia
de conformidade com a proposta do chefe de po-
lica em olico n. 922 de 25 do correte, resolve
nomear para os cargos de primeiro, segundo, ter-
<-eiro, quarlo, quinto e sexto supplntes do de-
legado do termo de Flores os cidadaos seguntes
na ordem em que vio collocados : Francisco Hen-
ique Brrelo Moribondo, Manoel Gomes Combra
de Campos, Joao Baptista de Siqueira, Luiz Kibei-
ro Vianna, Jos de Vera-Cruz Campos e Jos Al-
ves de Ges e Mello.
N. 872.Dita.O vice-presidente da provincia
conformando-sc com a proposta do chefe de poli-
ca em olcio n. 922 de 25 do corrente, resolve
xonerar dos cargos de primeiro, segundo, tercei-
ro, quarto, quinto e sext i supplntes do subdele-
gado do primeiro dstricto do termo de Flores a
Manoel Perera de Souza, Manoel Joaquim de Me-
leiros, Jos de Qneiroz Lima, Joaquim ltodrigues
Florencio, Jos da Costa Lefio e Scbastiao Jos Pe-
rera.
N. 873.Dita.O vice-presidente da provincia
wnferniando-sc com a proposta do chefe de poli-
ca emotDcio n. 922 de 25 do corrente, resolve
nomear para os cargos de primeiro, segundo, ter-
*eiro, quarto.quinto e sexto supplntes do subdele-
gado do termo de Flores aos cidadaos seguntes na
oidem de sua collocacao Benedicto Horlencio de
Siqueira Campos, Manoel da Silva Juca, Jos Al-
ves de Ges e Mello, Torqnato Jos da Silva, Ma-
ooel Jos da Costa Borges e Marcolino Nunes da
Sika.
p 874.Dita.O vice-presidente da provincia
de eonformidade com a proposta do chefe de po-
lia em officio n. 921 de 25 deste mez, resolve con-
eder a Antonio Xavier Bezerra, a exonerado por
elle podida do cargo de subdelegado do dislricto
de Afosados do termo de Ingazeira.
N. 875.Dita.O vice-presidente da provincia
de conformidade com a proposta do chefe de poli-
ca em officio n. 921 de 2o do corrente, resolve no-
mear para o cargo de subdelegado do dislricto
dos Alegados do termo de Ingazeira Severino
Ferreira fen'.
3" seccao.
N. 87G. Portara ao inspector da thesourana
de fazonda.Tomando em consideracao o que _ex-
noz o vigario collado da freguoiia de Taquaritm-
ga padre Tito de Barros Correa, no requerimento
que incluso devolvo e que se refere a sua infor-
macao de 23 do corrente, sob n. 407, e attenden-
do o que, segundo a communicacao que a essa
thesouraria fez a secretaria do governo em offi-
cie de 15 de marco ultimo, o Exm. bispo diocesa-
no conceder ao mencionado vigario um mez de
licenca com vencimento da respetiva congrua pa-
ra tratar de sua sade, rcomraendo a V. S. que
tido ao brigadero cominandanlo das armas com
dostino ao exercito e o segundo posto em lberda-
de por incapaz do serviro, segundo consta do ci-
tado officio.
EITSMENTS ASSIGNADO PELO ST1. DK. JOAQL'IM C.)R-
HKA DK ARAUJO, SMMTAUO Do liOVKRNO, EM 26
DE JUNH0 DK 1869.
1' seccao.
N. 880. Oftlrin ao director do arsenal de guer-
ra.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-presidente da
provincia,declarla V. S. ein resposta no sen officio
de 25 do corrente, sob n. JM9, que nesta data vai
ser levado ao ao conheeimonto do Sr. ministro da
guerra o citado olllcio de V.-S.
2' seccao.
N. 881.Officio ao director geral da secretaria
de estado dos negocios da justica.Acenso o re-
ei'bmenlo do olllcio de V. S. de 12 do corrente, e
bem ajtsim da portara de 28 de maio ultimo pro-
rogando por tres mezes, com ordenado, a licenca
de que gosava o bacharel Antonio Fernandos
Trigo de Loureiro, juiz municipal do termo de
Buique.
Iv. 882.Dito ao Dr. chefe de polica interino.
Xesta dala autorisou-se a thesourana de'fazenda
a pagar ao lente Dorno da Cttnha Lima, ou ao
procurador to delegado do termo do Buique, a
quantia de 29*160, constante do officio de V. S.
datado de hontera, o sob n. 92i, o qual Oca assim
respondido de ordem do Exm. Sr. vice-presidente
da provincia.
N. 883.Dito ao mesme.De ordem do Exm.
Sr. vicepresidente da provincia transmiti a V,
S. e titulo junto de nomeacao de Severino Fer-
reira Xery para o cargo de subdelegado do dis-
trictode Affogados de Ingazeira de conformidade
com a propesla de V. S. em officio a. 921 de 25
do crrente.
X. 884.Dito ao mesmo.De mrfm do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia transmiti a V.
S. os inclusos ttulos de nomeacao dos supplican-
les do delegado e subdelegado do 1* dislricto do
termo de Flores, de conformidade*com a proposta
de V. S. de 25 do corrente, sob 922.
N. 883.Dito ao mesmo.-De ordem do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia transmitto a V. S.
os litlos jonjea de nomeacao de Manoel Cavalcan-
te de Albuquerque Baiao Antonio Barbosa Ca-
valca nte, para os cargos de 2 e 5* supplntes do
subdelegado do dislricto de Pedras, do termo do
Buique, de conformidade com o officio de V. S. de
25 do crrante, sob n. 925.
X. 887.Dito ao promotor publico de Gara-
nhuu-.O Exm. Sr. vce-presdente da provincia
manda declarar a V. S. que fica inteirado por seu
ollieio do 8 do corrente de ha ver V. S. no dia an-
terior assumido o exercicio de seu cargo.
N. 888.Dito ao tenente coronel commandante
do Io batalhao' de artilharia da guarda nacional
duste municipio.O Exm. Sr. vice-presidenle da
provincia manda declarar a Y. S., que lica intei-
rado pjr seu officio de 24 do corrente de ter o
Conseno de qualificacao da guarda nacional da
parochia do Ilccife completado nessa data os seus
trabalhis sem falla alguma de parte dos respecti-
vos membros.
N. 889.Dito ao bacharel Antonio Fernandos
Trigo de Loureiro.Pela secretaria do governo se
communica ao Sr. bacharel Antonio Fernandos
Trigo de Loureiro, juiz municipal do termo de
Buique que nella se acha a portara de 28 de maio
ultimo pela qual Iba foi prorogada por tres mezes
com ordenado, a licenca de' que gosava.
3* seccao.
N. 890.Officio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia manda declarar a V. S. que segundo officio do
promoter publico da comarca de Garanhuns, ba-
charel Jos Francisco de Ges Cavalcante, de 8
do corrente, no dia anterior assumio elle o exer-
cicio do respectivo cargo.
KXPEDIEXTE ASSIGNADO PELO EXM. SR. DR. MANOEL
DO NASCIMENTO MACHADO KORTELLA, VICE-
PRESIDENTE DA PROVINCIA, EM 28 DE JUNH0 DE
1809.
1' seccao.
X. 893.Portara ao general commandante das
armas.A exeepcao dos recrutas Manoel Joaquim
Barbosa, e Theodoro Mximo Gomes de Besende,
pode V. Exc. dar o conveniente destino aos demais
constantes da relacae annexa ao seu officio desta
dala sob n. 2Q3.
N. 894.Dita ao direc'or do arsenal de gueara
da corte. Declarando-me verbalmeuie o com-
mandante do vapor Guar, que rnente no seu
regresso dos portus ds>norte poderla effectuar a
entrega no Bio Grande do Xorte, do maior dos 3
vol uines com diversos ehjectos que esse arsenal
remetteu ao deposito de artigos bellicos daquella
provincia, resolv fazer desembarcar aquello volu-
me com o lim de ser para al I i enviado no vapor
IpojHCa da companhia Pernambucana, e determi-
ne! que os 2 outros seguissem a' seu destino no
referido vapor Guar. O que communico a V.
S. em resposta ao seu officio de 14 do c rrente
sob n. 44o.
N. 895.Dita ao director do arsenal de guerra
dosta provincia.Pode V. S. mandar receber na
agencia da companhia Brasileira de Paquetes aVa-
por, e remeiter para o Bio Grande do vprte no
vapor Ipojuca. para o que estao dadas as Conve-
nientes ordens, o volume vindo da corle no vapor
Guar, contendo varios objectos que destinan ao
deposito de artigos bellicos daquella provincia.
Fica assim respondido o sen officio de 26 do cor-
rete, sob n. 121.
N. 996.Dita ao mesmo.Mande V. S. receber
na estacao das Cinco Ponas, a recelher aos arma-
sen desse arsenal, os objectos que vieram da co-
lonia militar de Pimenteras.
N. 897.Dita ao conselho de compras navaes.
Approvo os contractos que, segundo o termo an-
nexo ao seu officio de 19 do corrente, celebrou o
conselho de compras navaes, com diversas pessoas
para provimento de objectos necessarios ao almo-
xarifado do arsenal de marinha.
2"seccao.
|f. 899.Portara ao chefe de polica interino.
Ao commandante do corpo provisorio de polica
delerminei que mandasse apresentar a V. S. 15
pracas e um official do mesmo corpo, aflm de re-
forcar o destacamento existente na villa de Ipo-
juca, cumpre que V. S. offlele ao delegado de po-
lica, a disposicao de quera deve flear aquella forca,
recommendando-lhe que satisfaga as requisicoes
que Ihe forem feitas pelo juiz. muuicipal daquelle
Istmo para execucao dos sens mandados.
X. 900.Dita ao bacharel Pedro Caetano da
tuaode pagar essa congrua correspondnte ao tem-, Coita.Tendo V. S. sido nomeado juu de direito
da comar ;a de Cabrob nesta provincia, conforme
consta So Diario Oficial n. 132 do corrente anno,
e do decreto do 29 di maio prximo Ando, que foi
remetlido pola secretaria do estados dos negocios
da justica para Ihe servir de titulo, e se acha na
desta presidencia, onde ser entregue depois de
pagar na reparteao competente os respectivos di-
reftos c emolumentos, assim Ihe o communico para
seu conhecimenlo e flns convenientes, declarando
que fica marcado o prazo e cinco mezes para V.
s. prestar o devido juramento, e entrar cm exer-
:icio nos termos do art. 15 do decreto n. 4302 de
23 de dezembro de 1868.
N. 901.Dita ao juiz municipal supplente de
Ipojuca.Nao pode ido resolver definitivamente
sobre os offlcios que Vmc. ltimamente dirigio-me
em que refere as oceurrencias havidas no engenho
de Aratangil, para que aguardo as informaciie*
que pedi ao Dr. chefe de polica, julgo com ludo
dever declarar-lhe que nesta data exped erdem
para ser augmentado o deslacamenlo dessa villa,
que est a*-disposicao do delegado, a quem cumpre
faca Vmc. as requisicoes que julgar conveniente.
N. 902.Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Mande Vmc. apresentar hoje ao
Dr. chefo de polica 15 pracas e 1 official, que de-
vem seguir para a villa de ipojuca, alim de renn-
rem-se as pracas que ja- estao destacadas naquella
villa.
N; 903Dila ao mesmo.Bespondendo os offl-
cios de 22 e 26 do corrente, sob ns. 262 e 269, nos
quaes Vmc. solicita a approvacao do engajamento,
no corpo sob seu commando, dos paisanos Jos
Ignacio de Sant'Anna, Francisco Bomao do Espiri-
to Santo Mangueira, Manoel Rodrigues de Brito o
Francisco Jos Joaquim de Oiiveira, tenho a dizer-
Ihe, que approvo o mencionado engajamento, visto
ler sido feito na forma da lei, como consta dos ci-
tados offlcios.
3* seccjo.
N. 905.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Kecommendo a V. S. em vista de sua
informac) de 26 do corrente sob n. 410 que man-
de por novamente em praca os alugueres do ar-
mazem proprio nacional n. 9 sit no Forte do Mat-
los, e de que trata>a mencionada nformacao.
N. 906.Dita ao mesmo.Tendo nesta data ap-
provado os contratos constantes do termo junto
por copia, que o eeneelho de compras navaes, ce-
lebrou com diversas pessoas para fornecimento de
objectos necessarios ao almoxarifado do arsenal
de marinha, assim o communico a V. S. para seu
conhecimenlo.
N. 907.Dita ae mesmo.Concedo a autorisa-
co que V. S. solicitou em seu officio de hoje sob
n. 413, para remetier ao almoxarife do presidio de
Fernando, por intermedio do commandante do va-
por Giqui da companhia Pernambucana os.....
30:000000 que se fazem precisos para occorrer
as despezas do mesmo presidio, nos mezes de ju-
nho, julho e agosto deste anno. Assim lica res-
pondido o citado o officio.
N. 908.Dita ao .mesmo.De conformidade com
o que solicitou o presidente da Parahyba, em offi-
cio de 25 do corrente soB n. 2773 faga V. S. eutre-
gar ao commandante do vapor Ipojuca, que deye
sabir para o norte no dia 30 do corrente a quantia
de 10:0003000 que se acha recolhida nessa repar-
teao provenientes dos direitos periencentes aquella
provincia e arrecadados nesta.
N. 909.Dita ao mesmo.Tendo pesta data
submeltido do governo imperial para resolver,
como entender conveniente o bfflcio de 3 de maio
ultimo, em que o engenheiro Luiz Jos da Silva,
pedia pagamento de seu ordenado dos mezes-de
dezembro, Janeiro, fevereiro, marco e abril ltimos
e do seu agrimensor Joao Pinto Alexo bem como da
importancia da bracagem que Ihes compete e das
demais demezas constantes de urna relatan_ que
acompanhou o citado officio, aguardo dccsilo do
mesmo governo a semelbante respeito: o que-
communico a V. S. em resposta a sua nformacao
de 8 deste mez son n. 370.
N. 910.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Pode V. S. de conformi'tade com a sua
informago de 26 do corrente sob n._373, mandar
adiantar ao engenheiro da reparteao das obras
publicas, Jacintho Paes de Mondonga Jaragu, dous
mezc3 de seus vencimentos visto ter elle de ir em
commissao ao interior da provincia segundo allega
no requerimento, a que se refere a citada nfor-
macao.
N". 911.Dila ao mesmo.Acenso receido o
oflicio de 23 do corrente sob n. 370, em que V S.
participou haver Antonio Moreira de Mendonca,
dando por fiadores o barao de Bem-flca e Tibur-
cio Valeriano Baptista, arrematado por um trien-
nio, e pela quantia de 67:050*000 annuaes o im-
posto de 2500 por cabeca de gado vaceum, mrto
para o consumo deste municipio ; e em resposta
tenho a dizer que approvo essa arrematacao.
N. 912.Dita ao mesmo.Com a deliberacao
unta por copia pela qual resolv abrir um crdito
supplemenlar na importancia de 3:442*647 para
a conlinuacao das despezas decretadas pelo 1 do
art. 15 da lei do orcamento vigente, respondo o
officio que V. S. me dirigi em 23 do corrente
sob n. 371.
X. 913.Dito ao mesmo Nos termos de sua
informacao de 25 do corrente, sob n. 369, com re-
ferencia a da contadoria dessa thesouraria, man-
de pagar a Felippe de S e Albuquerque ou ao seu
procurador a quantia de 695*863 a quejlem di-
reito, proveniente da ultima prestacao do seu con-
trato, na qalidade de arrematante dos reparos da
estrada do Porto de Gallinbas, como se v do cor-
tilicado annexo ao requerimento que incluso de-
volvo.
JV. 914.Dito ao mesme.Annuindo ao que so-
licitou o tenente-coronel commandante do corpo
provisorio de polica em officio de 25 do corrente,
sob n. 26", recoinmendo a V. S. que mande abo-
nar por adiantamento tres mezes de vencimontos
ao aiferes Lourenco Goncalves de Azevedo desta-
cado em Buique e 3 mezes de sold nao s para 40
pracas que all se acham sob o commando do mes-
mo aiferes, mas tambem para as 15 inclussves
sargentos que existem em Aguas-Bellas, todo a
contar do 1 de Julho^troximo vindouro.
N. 915.Dito ao mesmo.Em additamento ao
mu officio de 21 do corrente, declaro a V. S. para
seu conhecimenlo e devidos efteitos, que segundo
participon-me o Exm. Sr. presidente da Parahyba
no officio junto por copia de 23 deste mez e sob n.
2735, deve continuar a subsistir a flanea de cem
conlos de res que prestou o baro do Livramento
ness: thesouraria na qalidade de contratante de
obras naquella provincia pois que essa flanea ga-
rante tambem o contrato da estrada de rodagem
que vai da capital a povoacao da Cruz do Espirito
Santo, o qual anda nao se acha satisfeito.
N. 916.Dito ao chefe da reparteao das obras
publk*as.=Declaro a Vmc. para seu conhecimenlo
e flns convenientes, que tenho resolvido conceder
de conformidade com a sua informacao de 26 do
corrente, sob n. 244, a permissao que solicitoft
Maooel Goncalves Agr, para construir um cano
que d esgoto as urinas dos cavados de sua co-
cheira sita no patee do Paraizo, urna vez que elle
por um termo assignado nessa reparteao se obr7^
gue as condigies estipuladas na citada informa-
gae.
N.917.Deliberagao.O vice-presidente da pro-
vincia tomando em consideragao o que expoz o
inspector da thesouraria provincial em officio de
25 do corrente, sob n. 371, resolve abrir um cr-
dito supplementar na importancia de 3:442*647
para a continuaco das deipezas decretadas pelo
8 Io do art. 15 da lei do rgamento vigente, visto
ler sido insufflciente para isso a quota votada Jpelo
mencionado parafranhs e o crdito supplementar
autorisado pela lei n.864 de 8 dos te mez, como se
v da demonstragao que ve annexo^ao citado of-
ficio.
4*secgo.
N. 923.Officio ao presidente da provincia do
Bio Grande do Xorte.Pelo vapor Ipojuca, da
companhia Pernambucana, ser conduzido para
essa capital, dsposgao de V. Exc, o volume de
que tratet em meu officio de 25 do corrente, con-
tendo varios jtbjeclo-i remottidos ao deposito de
artigos IteHieds. dessa provincia, pelo arsenal de
guerra da corte
N. 926.Dito ao prcstdeirte da provincia da Pa-
rahyba.Nesta data o de conformidade com o
olllcio de V. Exc. de 25 do corrente, sob n. 2773,
expego as convenientes ordens ao gerente da com-
panhia Pernambucana, alim de que o cominan-
tuir nomeo o Dr. Tarqun Braulio de Souza
Amarante.
EXPKDIKXTK ASSIGNADO PELO S. Dfl. >AOUIM Con-
REA DS ARAUJO, SECRETARIO DO GOVERNO, EM 28
D2 JUNflO DE 1869.
2> secgao.
X. 944.Oflicio ao director geral da secretara
de estado dos negocios da justica.Com o officio
de V. S. de 12 do corrente recebi o decreto de
nomeago do bacharel Pedro Caetano da Costa
para juiz de direito da comarca do Cabrob nesta
provincia; o qual sor opportunamente devolvido
seiiiio lr solicitado no praso marcado no decreto
n. 2403 de 23 de dezembro do anno passado.
X. 943.Dito ao commamktnte do corpo pro-
visorio de polica.S. Exc. o Sr. vice-presidente
da provincia manda declarar a V. S. em resposta
dame do vapor Ipojuca, que segu para os portos ao sen oflicio de 25 do corrente sob n. 203, que a
ao norlejo dia 30 desle mez, receba da thesoura-
ria de fazenda d'esla provincia cunduza para
essa i-apiUI, disposigo de V. Exc, a quantia de
10:000/L 4|ne se acha recolhida naquella repart-
gao, providente dos diieitos perteucentes a essa
provincial e arrecadados nesta.
N. 927J|f-Ditij ao mesmo.De conformidade com
o offlcioide V. Exc. de 23 do corrente, sol) n.
2735, aealio de expedir as convenientes ordens
thesourapa provincial, para que continuo a sub-
sistir allia lianga de cem contos de ruis prestada
pelo barao do Livramento, c de que trata o citado
officio, o qual tica assim respondido.
X. 928.Dito ao mesmo.Constando-me que
reside nessa provincia o juiz de direito nomeado
para a comarca de Cabrob, bacharel Pedro Cae-
tano ila Costa, rogo V. Exc que se sirva de fa-
zer-lhe ehegar s maos o incluso officio em que
fago contar a sua nomeago, e marco prazo para
presiar juramento e entrar em exercici, dignan-
d) so V. Exc. comraunicar-me o dia em que se
efieetnar a entrega do mesmo officio.
N. 95S).Portara ao Exm. Sr. desembargador
provedor da Santa Casa de Misericordia.Tendo,
por deliberaeu desta dala, nomeado o Dr. Tarqu-
nio Braulio de Souza Amarante, para fazer parte
da commissao dn que trata meu officio de 5
d'csle mes, visto ter concedido a dispensa que me
solicitou o Dr. Antonio Joaquim de Moraes c Sil-
va ; assim o communico V. Exc. para seu co-
nhecimenlo.
_N. 930.Dila ao mesmo.Concedo a autorisa-
gao que V. Exc. solicita em seu officio de 26 do
corrent%sob n. 1957, para exceder na importan-
cia de 28*320 rs. no exercicio de 1864 a 1869, a
dospei com o pagamento do salario dos serven-
tes do collegio dos orphfios,cuja verba so acha es-
gotada.
N. 931.Dita so Dr. Tarqun Braulio de Souza
AmaranteTendo por deliberagao desta dala no-
meado a V. S. para em commissao com os Bis.
VcunU*Uflreira do Bego cSymphronio Cesar Cou-
til proceder nos estahelueinunios de caridade a
um rigoroso inquirito sobre os fados argidos
thesouraria provincial tem ordem para adiantar os
vuncimenlos coactantes do citado officio.
J* seccao.
N. 946 Officio ao inspector da thesouraria de
fazenda.Nesta dota se oflicia ao bacltarcl Pedro
Caetano da C. sta por intermedio do Exm. presiden-
te da provincia da Baha, communicando-se-lhe
ter sido nomeado juiz de direito da comarca de
Cabrob, nesta provincia e dever prestar juramen-
to e entrar em exercicio no praso de cinco mezes,
de conformidade com o disposto no arl. 15 do
decreto n. 4302 de 23 do dezembro de 1868 : o
que a V. S. bao constar de ordem do Exm. Sr.
vice-presidente' da provincia para os ins conve-
niente.
4a seccao.
N. 947.Offie ao director geral da instruccao
publica.S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda declarar que quando recebeu o officio de
V. S de 21 do corrente sob n. 182, j linha a bem
do servigo publico demltido a Manoel Francisco
de Barros B<'g do cargo de repilidor interino do
Gymnasio Provincial, conforme se communicou
em oflicio daquella mosma data.
N. 948.Dito ao Dr. Antonio Joaquim de Mo-
raes e Silva. -S. Exc. o Sr. vice-presidente da
provincia, tendo por deliberagao desia data, con-
cedido a dispensa que V. S. solicitou em seu offl-
c de 18 do corrente, de fazer parte da commis-
sao de que trata o seu citado officio; assim Ih'o
manda communicar para seu conhecimenlo.
20
DESPACHOS DA VICE-PRES1DENCIA DO DIA
DR SETEMBRO DE 1869
Abaixo assignados emprcgadds no consulado
provincial d'esla cidade.Em vista das inforina-
ges nao tem lugar o que requerem.
Padre Augusto Franklim Moreira da SilvaEm
vista das informages nao tem lugar o que requer.
Anna Laurinda de Siqueira Varejo.J est
provida a cadeira que requer.
Antonio Ignai^o da Silva Jnior.Informe o Sr.
inspector de arsenal de marinha.
directora
rmina do Canto Brum.Dirija-so a
pelo deputado Maximiano Lopes Machado era dis-1 geral da instruego publica.
curso proferido na sessao da assemblea provincial
de 12 de maio ultimo e trazer o resultado desse
traball a consideracao desta presidencia, assim
Ih'o communico para seu conhecinwnto e espero
3ue aceito essa incumbencia com agrado e a
esempenhe com o zelo que costuma, prestando
assim um servigo aos referidos estabelecimen-
tos.
N. 932.Dita ao Dr. Vicente Pereira do Be-
go.Tendo por deliberacao desta data nomeado o
Dr. Tarqun Braulio de Souza Amarante para
fazer'parte da commissao de que trata emeu offi-
cio de 5 deste mez, visto ter concedido a dispensa
que solicitou o Dr. Antonio Joaquim de Moraes e
Silva; assim o communico a Y. S. para seu conhe-
cimenlo.
N, 933.Igual ao Dr. Symphronio Cesar Couti-
nho..
N. 934.Dita aos agentes da companhia Brasi-
leira de Paquetes a Vapor.Podem Votes, fazer
seguir para os portos do sul o vapor Paran,
amsnhai depois do praso marcado no respectivo
contrato.
N. 935.Dita aos mesmos.Os Srs. agentes da
companhia Brasileira de Paquetes Vapor fagam
transportar para a corte no vapor Paran, a dis-
posicao.do ministro da agricultura, commercio e
ubras publicas, e por cunta de mesmo miuisterio
m caxao que a esta acompanha,_ contendo os
instrumentos mencionados na relagao inclusa per
copia.
N. 936.Dita aos mesmos.Entreguem Vmcs.
a coronel director do arsenal de guerra, afim de
dar-lhe o conveniente destino um volume, que se
acha nessa agencia e f/a desembarcado do vapor
Guar, por ordem desta presidencia, contendo
diversos objectos que pelo arsenal de guerra da
corte sao remeltidos ao deposito de artigos belli-
cos da provincia do Bio-Grande do. Norte.
N. 937.Dila aos mesmos.Em additamento a
portara desta data, declaro aos Srs. agentes da
companhia Brasileira de Paquetes Vapor, que
os instrumentos de que trata a relacao que Ibes
foi enviada, vao acondeccienados em dous caxoes
e nao em um como na mesma portara se men-
ciono u.
N. 938.-Dita aos meamos.-Os Srs. agentes da
companhia Brasileira de Paquetes Vaper, man-
dem transportar, a corte uo vapor Paran, os
recrutas do exercito, constantes da inclusa rela-
gao, os quaes sero mandados para bordo por
parte do general commandante das armas.
Rtlacao dos recrutas do exercito que seguem para
a corte no vapor Paran
Antonio Guilherme da Silva.
Antonio Joaquim dos Santos.
Antonio Pedro de Souza.
Hermillo Jos Francisco.
Joao Baptista de Moura.
Joaquim Jos Vieira.
Joaquim Constantino da Silva.
Deposito especial de instruccao.
SoldadoAntonio dos Santos Maio. _
Extracto corpo de guarnigao.
SoldadoJos Macario Pereira.
N. 940.Dita ao gerente da companhia Pernam-
bucana.Expega Vmc. 9uas ordens, afim de que
o commandante do vapor Ipojuca, que segu no
da 30 do corrente para os portos do norte, rece-
ba da thesouraria de fazenda e conduza para a
Parahyba, a disposgao do respectivo presidente a
quantia de 10:000*. que se acha recolhida naquel-
la repartigao provenientes dos direitos pertencen-
les aquella provincia e arrecadados nesta.
N. 941.Dita ao mesmo.O .Sr. gerenta da
companhia Pernambucana mande dar transporte
al Penedo no vapor Potenji, em ligares de re
desusados a passageiros de estado ao juiz de di-
reito de Imperatriz Dr. Salustiano Orlando de
Araujo Costa e a sua senhora.
N. 942 Dila ao mesmo.O Sr. gerente da com-
panhia Pernambucana mande conduzir para a
capital do Bio-Grande do Norte, por conta do mi-
nisterio da guerra, no vapor Ipojuca, um volume
contendo varios objectos que sao remeltidos pelo
arsenal de gnerra da corte ao deposito de artigos
bellicos da mesma provincia.
N. 943 Deliberagao O Exm. Sr. vice-presi-
dente da provincia attendendo ao que expz o Dr.
Antonio Joaquim de Moraes e Silva em officio de
18 do crreme, resolve conceder-lhe a_ dispensa
que solicitou de fazer parte da commissao nomea-
da por deliberacao de 5 deste mez para proceder
a um rigoroso inquirito sobre os factos argidos
pelo deputado Maximiano Lopes Machado em dis-
curso proferido na sessao da assemblea legislativa
provincial de 12 de maio ultimo: e para o substi-
Francisco Alv'es Moreira. Passando recibo,
como requer.
Coronel Joaquim Cavalcanti de Albuquerque.
Conceda-se a prorogago requerida nos termos
das informages.
Joao Dias Pinto Aleixo.D-se.
Jos Belisar Marint Falcao. Nao havendo
verba na le do orgamento para o que requer nao
pode ser allendldo.
Jos Domingues da Silva.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Jos Antonio de Albuquerque Pedrosa Informe
o Sr. coronel commandante superior interino da
guarda nacional deste municipio.
Joaquim Bernardo da Cunta Borba.Informe e
Sr. director interino do arsenal de guerra.
Saunders Brothers 4 CInforma o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
Turibio Archanjo de Lima Ferreira Barros.
Xao tem lugar o que requer em vista da iuforma-
gao.
Vicente Ferreira da CostaInforme o Sr. enge-
nheiro chefe da reparteao das obras publicas.
scientifico o Iliterario nwito nteressante, escriptb
na lingua indostaui, e que sao a publico naquella
cidade.
Partiu de Bombaim a 10 de abril ultimo, acom-
panli.-ulo de seus dous flllios, Sayd Ahmad e Saiyd
Malimud, os quaes quer fazer educar em Inglater-
ra. Chegon a Lunares no de jontin.
Tem tencao de visitar PSris, para se demorar
all algomas semanas, ante de regressar India.
LOTERAA que se aclw a venda a 121', a
henchcio da matriz de Jaboatao que corre no
dia 29.
LE1LAO.O lelao da armacfio, fazendas e mais
objectos, annunciado para boje, por intervenga
do agente Pinto, no armasen da ra do Impera-
dor n. 53. fica transferido pora quando de novo
fr anniHH'iail'i
PASSAGEIBOS.O brguo brasileiro Mensagei-
rn, saludo para o Bio-Grande do Sul, levou seo
bordo os seguntes :
JnaqiMn Jos dos Santos Ilusa, Luiz Antonio de
Souza, o mna esclava de Pedro Marques de Al-
cntara.
CKMITCRIO PUBLICO.Obtuaiio do dia 18 de
setembro de 1869 :
Amane, Pernambuco, 5 mezes, Becife, convul-
ces.
" Luiza Mara, Pernambuco, 45 annos, solteira,
Boa Vista; tubrculos pulmonares.
Senltoriiiha Solero de Allniquerque Campeilo,
Pernambuco, 58 annos, viuvo, S. Jos ; gastro en-
terite eiiromeo.
Bulma Mara da Concecao, Babia, 35 anuos,
solteira, Santo Antonio ; pulmona elironic.i.
19
Thomasia Mara de Jess, Pernambuco, 90 an-
nos, solteira, Boa Vsla; velbice.
Bita Pacheco Vieira, Pernambuco, 22 annos,.
solteira, Boa Vista; tubrculos pulmonares.
Hypolito, Pernambuco, 6 mezes, S. Jos ; es-
pasmo.
Antonio Malaquias Macelo Lima, Pernambuco,
42 airaos, solteiro, Santo Antonio : apoplexia.
Antonio Demetrio. Pernambuco, 20 annos, sol-
teiro, Santo Antonio ; tubrculos pulmonares.
20
Mara Xeves da Paxau, Pernambuco, 50 aunos,
casada, Boa Vista : gaslrite.
Jos da Costa Guimaraes, Portogal, 50 anuos,
solteiro S. Jos; phlysica pulmonar.
Felicia Mara Bosalina, Pernambuco, 36 annos.
solteira, Becife; phlysica pulmonar.
Adelina Alfonsina Ferreira, Pernambuco, 25 an-
nos, solteira, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
21
Jos Joaquim Umbelino de Miranda. Pornambu-
co, 62 anuos, viuvo, S. Jos ; congestao cerebral.
Francisco Bodrigues, Pernambuco, 70 annos,
solteiro; hepalite ascite.
Ladislao Pinto, Pernambuco, 50 annos, solteiro ;
hydropesia no coracao.
Anna, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos; convul-
ges.
Rita Francisca Cavalcante de Albuquerque,
Pernambuco, 33 asmes, casada, S. Jos; febre gas-
trico.
Tbereza da Silva Torran, Pernambuco, 40 annos,
casado, Santo Antonio; gastro entorile.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIABLA.
AUTORIDADE POLICIAL.Por deliberagao da
presidencia de 20 do corrente, foi nomeado Fran-
cisco Manoel de Magalhes, subdelegado do 1* ds-
tricto do termo de Villa Bella.
OBRAS Pb'BLICAS.-Por dita de 16, foi nomea-
do Joao Pinlo da Silva conductor interino da re-
partigao das obras publica*, visto nao ter querido
acceitar esse lugar o praticante Ceciliaoo Mainede
Alves Ferreira.
INSTBUCCO PUBLICA. Por dita de 21, foi
removido o professor Alexandre Magno Poixto de
Alencar, da cadeira da villa do Salgueiro para a
da povoagao da Petrolina.
CAPTUBA.Pelo subdelegado de polica da fre-
guezia da S de Olinda foi preso, no dia 20 do
corrente, por desordeiro e suspeito de ser deser-
tor, Joo Baptista da Costa Venna, conhecido por
Joao do Mal; o qual, resistindo a prisao, ficou
contuso n'um dos hombros'.
GABINETE PORTUGUEZ DE LF1TURA.--A
festa anniversaria da installacao desse estabellec-
menlo ter lugar no dia 3 de ou'.ubro prximo.
RECURSO A' CORO.VSob a rubricaJuris-
prudeneia, publicamos hoje em uossa oitava pagi-
na, um requerimento de recurso ao governo im-
perial, da deciso. dada por S. Exc. Rvm. o Sr.
bispo diocesano, sobre nao poderem os advogados
hachareis formados pelas Faeuldades de Direito,
advogarem perante o foro ecclesiastico sem previa
proviso do respectivo ordinario.
Para esse importante trabalbo, do nosso des-
tine collega e amigo, Dr. Antonio de Vasconcel-
os Menezes de Drumond, chamamos a attengo
dos leitores, com especialidade os entendidos na
materia.
Em consequeneia de affiuencia de malcras,
demoramos a publicagao desse escripto al a pre-
sente data.
PERSONAGEM IMPORTANTE.Em Paris era
esperado todos os momentos um personagem in-
dio, o qual com quanto nao seja um nababo, nem
por isso menos digno de atlencao, segundo refe-
rein os jornaes,
Saiyd Almah Khan, sair-amin (juiz principal )
de G izipur, um dos escrplores mais distnctos
do Inlostao. PuLUcou sua custa, e as suas
prensas particulares urna Descripcao dos monu-
mentos de Delhi,e um Conunentario da Biblia. Da
parte de um mussulmao esta ultima obra muilo
para admirar. E' um testeraunho precioso do
progresso, que fazem em todos es paizes os prin-
cipios da liberdade de consciencia, de tolerancia
religiosa, e de conciliacao inlellectual, e que mos-
tra que os mussulmanos da India lem a Biblia,
e aprecam o seu conteiido.
Almah Khan tomu por cpigraphe a segrate
passagem do alcorao : Acreditamos em Deus e
no que nos revelou... Acreditamos em Moyses, em
Jess, e em todos os prophetas, e nao estabelece-
raos di fferenca entre elles.
O auctor falla de Jess Christo quasi como um
chrisio : chama-lhe Senhor Cristo (Hazrat Ma-
eih.)
Saiyd Almah fundn urna sociedade litteraria
em Antigorh, sua cidade natal da qual secretario
honorario ; fuudou tambem um jornal semanal, 1 Azevedo.

CHRONICA JUBrf.lARIA.
TRIBl V\I, I % HII <; A#.
SESSAO EM 21 DE SETEMBRO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSKLHEIRO CAETANO
SANTIAGO.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. desem-
nargadores Gitirana, Guerra procurador da cora,
Lourengo Santiago, Almeida Albuquerque, Moda,
Domingues da Silva, Begueira Costa e Souza Leo,
abrio-sc a sessao.
Passados os feitos, deram-se os seguntes jura-
mentos :
Becursos crimes.Beceorrente, o juizo ; rec-
corrdo, Joo Carlos Augusto Cavalcante Vel-
ler.Relator e Sr. desembargador Gitirana, sor-
teados os Srs. desembargadores Begueira Cosa,
Multa e Almeida Albuquerque. Improceden-
te. Reccorrente, o juizo ; reccorrido, Severiano
Francisco das Nevos.Relator o Sr. desembarga-
dor Gitirana, sorteados os Sis. desembargadores
Domingues da Silva, Almeida Albuquerque e Lou-
rengo Santiago.Improcedente. Reccorrente, o
juizo ; reccorrido, Jos Bernardo de Lucena.Re-
lator o Sr. desembargador Lourenco Santiago, sor-
toados es Srs. desembargadores Molla, Domingues
da Silva e Regueira Cosa.lmproeedenle. Rec-
corrente, o juizo; reccorrido, Florentino Leite de
Menezes.Relator o Sr. desembargador Lourenco
Santiago, sorteados os' Srs. desembargadores Al-
meida Albuquerque, Gitirana e Souza Leo.Im-
procedente. Reccorrcnlc, o juizo; reccorrido,
Manoel da Cruz do Nascimento.Relator o Sr.
desembargador Almeida Albuquerque, sorteados
os Srs. desembargadores Gitirana, Domingues da
Silva e Lourengo Santiago.Improcedente. Bec-
eorrente, o juizo ; reccorrido, Pedro Jos Francis-
co.Belator o Sr. desembargador Almeida Albu-
querque, sorteados os Srs. desembargadores Molla.
Begueira Costa e Souza Leo.Improcedente.
Aggravo de peticao.Aggravante, Bernardina
da Cosa Campos ; aggravado, o juizo.Relator o
Sr. desembargador Almeida Albuquerque, sortea-
dos os Srs. desembargadores Lourengo Santiago e
Gitirana.Deram provimento.
AppellacSes civki*.Appellante, Bento Fernan-
des do Araujo; appellado, Thomaz Pereira de
Araujo.Despresaram os embargos. Appellante.
Antonio Francisco Muniz de Miranda; appellado.
Jos Antonio da Silva.Nullo o processo.
Afprllaqao crime.Appellante, Manoel Gomes
de Araujo; appellado, Severino Teixeira de Sou-
za.Nao toinaram cmihecimento da appellacao
por estar o reo ausente.
Babeas corpus.Concederam soltura a Joao An-
tunes da Silva, e negaram a Jos Antonio d Araujo
e Joaquim Alves Torree.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desem-
bargador Guerra.Appellacao civel : appellante.
Manoel Thomaz de Albuquerque Maranho; appel
lada, a viuva do Dr. Jos Mamede Alves Fer-
reira.
Ao Sr. desembargador Lourengo Santiago.Ap-
pellago civel: appellante, Jos Epifanio Durao -
outros; appellada, a Santa Casa da Misericor-
dia. Appellago crime: appellante, o juizo; ap-
pellado, Joaquim Nery da Fonseca.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Lourengo SantiagoAppellagSes civeis :
appellante, Antonio Vaz da Costa; appellado.
Francisco Ignacio da Costa. Appellante, Luiz de
Albuquerque Maranho; appellado, Gervasio Jos
da Costa.
Do Sr. desembargador Lourengo Santiago ao Sr
desembargador Alarida Albuquerque.Appella-
cao civel: appellante, D. Joaquina Francisca dt-
Sa; appellado, Jos Furtado de Lacerda J-
nior. Appellago crime: appellante, o promotor.
appellado, Salvador Baptisla Nunes Barbosa.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque a..
Sr. desembargador Motta. Appellages civeis.
appeilantes, Antonio de S Albuquerque e ou-
tros; appellado, Tiburc Valeriano Baptista. Ap-
pellante, Manoel Geraldo Monteiro; appellado, Jo*-
de S Cavalcante. Appellante, Joo Felippe d..
Silva Santiago; appellado, Jos Gomes de Souza.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Domingues da Silva.Appellago crime: ap-
pollanto, o juizo; appellado, Antonio Quinteiro d i



m\ 3o o?i
omiti! *; m rr>
filarlo de feriambuco Quinta eira 23 de Setembro de 1869.
mm
t O
A*siguon-se dis para julgamento dos seguinlcs
foitos:
Ari'ELLAgoE* ciV!MF.s.Appellante, Dr. Anima.
Benicio Saralva Lt-ai Castello-Brancoj appellado,
Asir Bpifonio Ferreira Lima. Appetlante, Lau-
rentiuo Js da Silva; appellado, Julo Raptla
Chaves Pe i
nos negocios das Alar^ e digo mais, o Sr. Lyra
lir.ni do si para mir, *uma hospedagem que nao
mu i'a be.
Eu s*ppunl'j qllu depois do brilhante discurso,
proferido pt'. Exia Sr. ministro da ju-lica na c-
mara do? diputados, no qaal S. Exc. nao hc-ilou
siYalvs^assa fallada crucificado, vcrdadeiro bas
Arr-K[.i.\i;"\ i riw.i..Appellanle, Josepha Maria j i fo cg0 em que pretendo a opposicao apoiar-
deSan.'Aaha; appellado, o lente-coronel Jos
Glbral de Oliveira Mello.
Duramax civelAm Sr. r. curador gerat ;
appeilanrc. Manoel de Mosquita Cirdtfso; apuelia-
dos. Ignacio Fodro 'las Setos e oiuros.
DautttciA cimjib.Ao Sr. dc8cmbaTga',.or pro-
curador da justica: appetfanta, o juiw; appella-
do, flenrque Pereira de Lirha.
Ar- 2 lloras da Urde cncerrou-se a MUJbO.
CMARA MUNICIPAL.
J* SESSO ORDINARIA 1>K 10 DE SETEMRRO
DE 18KU.
HMHKU II.l n. Dn. BARBOS B.VRIIKTO, CO.NTI-
BBAOA l'HI.O SU. BR. SOUZA I.KAi'.
Presentes os Si -. I*r. Bate, Dr. Moscoso, Qfr-
meno, Dr. Costa Jnior, Dr. l'ianga e Sooza Ma-
Itiaes, faltando cem causa os mais sniores,
abr' i i.
E' lid. e approvnda a acia da antecedente.
L Si' o SCJJtMBtC
V\MDIBNTR.
Um offleio di Sr. Dr. juiz de direito da primeira
vara, convidando ao Sr. presidente da cmara
para comparecer na casa da mesma cmara as II
horas do di. 13 do correte, aflu de proceder-so
ao sorleio dos jurados que devem funccionar na
tereeira WSflh ordinaria deste auno.Inleirada.
Outro d i avogadu, pedindo diversos escrareci-
meiUos para eaiitiir opuiiao segura sobre a pre-
leneao do brigadeiro Joaquim Bernardo de F-
gcirede.Que so satisfaga.
Outro ^0 engenneiro eerdeador, formando so-
bre o requerimento de William Kawlinson, ge-
rente dos trilitos urbanos do Recife a Apipo**,
tem a dizer que pareeo-lbe nao baver inconvo-
niente Concedeu-se.
Otflrn do mesmo, informando o roquerimento de
Bazio Jos da Hora, eumpre-lhe diier que nada
tem a oppr pretenrfio do supplieante.Ornee-
dense
Antro do mesmo, informando o requerimanto de
Angela Maria do Espirito Santo, tem a dizer qiw
nada se Ihe olferece a oppr protencao da sup-
plicanle. devendo a mesma eolloear na casa canos
enterrados as paredes para as agoas pluviaes. AUncaHn, para presidente das Alagoas, e que ti
Coneeil"it-so. "Il:l appmvadi seas actos, OU que estes tinhai
se, depois de ter S. Exc. provado que nunca fui
dos costamos do partido conservador mandar ar-
chivar abuso-, excessos e crimes, como fez. em
alta escala a situaran decahida do poder: de-
pois de S. Exc ter analysado o procedunento
que leve o goYerao pelo seu digno delegado ua-
ifuella provincia, o Exm. Sr. Dr. Figueiredo Ju-
uor, cuja circunspecrao e independencia de pro-
cedimento Iransluz no seu ollicio hoje paMiead
no Jornal do Recife: depois das prsvas coiu que
S. Exc impoz termo a cssa bailada de crucifica-
cao e a muras, digo, pen-ei que depois de ludo isto
nao liouvesse mais quuui mauejasse se mol han le
arma ; enganei-me; agora o Sr. Lyra ainda so
oceupa da pliaiitasiada micllicaciio, e traz autos
de pergunlas, rujo dumerito tw rceonhecido c
provado al com o juramento da propria mai do
imaginario crncilieado, a qual desuientio comple-
taoienle e-si li illada.
Agora fique sabendo u Sr. Lyra que cssa com-
pra e disti ibuicao de faroos, de que tralou o Exm.
Sr. Dr. Manuel Joaquim M. Ca-telln-llraneo foi
tanto mais certa, quanlo foi Joaquim Alvim quem
os Md comprar om l'einambueo, c que nesse ar-
ranjo de Jeseneachutamento e dostribuicao de ii-
ces liveram Vare Jos Sola, co escrivao Joo
Ataide : liipie mais sabendo que o delegado de
oficia daquella epocba, cimbado do Dr. Ambro-
sio, na occasio em que o juiz de paz conservador
se approximava da igreja para os trahalhos elei-
toraes, -aeeou de mu punhal vociferando milito,
e Ihe emhar?uu a entrada. O Kxm. Sr. Dr. C.as-
lello-Brancdestia.
i' de i-norosidade de que dotado, e por isso dei-
xou margem estes fados que o Sr. Lyra agora
provoca pela ioiprensa prelendendo galvanisar a
eleica dos progn-ssislas naquella pamchia.
Para que falla o Sr. I.vra em didadnrti. e no-
mttiro de deputados?! a dictadura qoe lionve no
Brasil foi inaugurad pelos progresista-, rt solda-
do< que fogemdo combate das urnas nio tem di-
reito de-reprochar o ipinmpho dos eleitos do poro.
O Sr. Lyra tiio hospede nos negocios daquella
provincia que nao sabe que o Sr. Espiridio de-
claiou om plena cmara que linha sido ouvido e
livera parte na nomearJio do famigerado Jos de
Frote de algodo di) Rio Grande do Norte para
Liverpool 3/ d par libra e 5 0(0 do capa.
F. J. Sitoira
Presidente.
Leal Sevc
Secretario
Novo Baiico-deP^iiainbuco
em liquidaQ8o, 3 de agos-
to de 1869;
O Srs. accionistas podem receber o
sexto dividendo de tan e meto por cotilo
do capital: s quaita-feiras e sabhados.
EHGLISH BANK .
O Rio de Janeiro Liniitetl
Dcswta lettras da pra$a taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta coirenle e a
o razo fixo.
Saca vista ou praso sobro as eidade$
priacipaes da Buropa, tem correspondenlse
Ponas ou cbifres de novilho ou
vacca. .......cento
Sabio.....ft kilog.
par
LilOf.
45800
348
10
20i:i
800
3W
'a
-/>,
l*:i0
204
aso.
768
UOO
960
Outro do mesmo, informando o requerimenlo de
Manuel Antonio de Alcntara, eumpre-lhe dizer
que nada se Ihe olferev a oppor acerca do que
pedo o supplie.inle. C.onceden-se.
Outro do inecint, informando contra 0 requeri-
menlo de Muinel Antonio eltrio.ludeferio-se.
Outro do mesiiM, informando o reiiuerimenlo
de !'ra:icisi'o Pinto i Nono, tem a dizer que, o que
pretend rIW n snordieauCR em Vm casa, quasi
urna reodilicaea i, e sendb assim as obras devem j
m
sido de accordo com snas idiias, eousa assim ; e
con efTcito, snecessor do Sr. Espiridio Jos de
AkHfSttre reipn'utou a perversidade!
Entretanto foi o Sr. Loureneo, sohrinho do Exm.
Sr. Cans.uisao de Sinimlui quem o aecusou rigoro-
sa ment' na cmara, dizum que de accordo com o
Sr. ninih.
lliji', porm, estao se mi-I i gatos, e o Sr. Lvra
na sua tjairna de nomes Musties traz o do Sr.
Espiidiao/sem se aperceber que estfdefendendo o
Sal.
Salsaparrillia.....
Sapalos de couro branco .
Sebo ou graxa era rama .
dem em velas. ......
Sola e vaqueta......
Tapioca.........
l'nlias de l.toi.......
Vassooras de carnauba duzia
[den de piassava.....
dem de timbo......
Alfandega de Pcrnambuco, 18 dep.-teoibro d
1809.
0 1." conferente, Mouoel Caldas Bando.
O 2." dito./o de Freitat Barbota.
Approvo.Alfandega de Pemambuco, ]8 de se-
tem'-ode 1869.Paes de Andrade.
Conforme. Joaquim Tertuliano de Meiieirs.
UECGBEDOIUA DE UBMDAS KTEUJfth GE-
RABS DR PBR.NAMDCO.
Bendimenlo dodia t a 21. 37:623*837
dem do dia 22...... 2:539i82'.l
40:163*666
CONSULADO PROVINCIAL
a baia, Bucos-Avies, Montevideo, New- ,BdJdnial ; ; ; ; 49:-SS
York e Ncw-Orleans, e imitte cartas
crdito para os rnesmos logares.
Ra do Commorcio n. 30.
de
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & 0.
Comprara e vendem por conta piopria
metaes, moedas nacionaes e ejtrangeiras,
sbjv9| de cambio, sedulas do governo e do
banco do Brasil, por.
Descontara letras da trra e outrosttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conla alheia das mes-
illas -ansaccoes, da cobranza de letras da
ierra e de outros ttulos commerciaes.
Receben) qnaesquer quantias em deposi-
to, era conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7.
ALFANDEGA.
Hendimento dodia 1 a 21. 37.1:764*888
dem do dia 22......23:1462I9
398:911*107
MOVIMIENTO DA ALFANDEGA
ser todas exeeutadas com as dfcMml mttif glSS (,llf;,Uw e ""'"""ental do Br. eonselheiro
as posturas.C.oncediiu-se de conforniidade com
a.informai'i .
Outro do me-mo. niorm.indo o reqnerimento de
Antonio J::apiim de Va ha inconveniente em e conceder o que i*de o
supplieante, dmendo as obras a fazer ter asdi-
mensoes das posturasConceden-so.
Outro do Rfesmo, informando o requeiiniento
de Jos Ignacio l'ereira da Rocha Jnior, tem a
dizer qoe nada tem a oppr, dando-se-lhe a eof-
deacJio.Maudou-se enrdoar.
Outro do mesmo, informando contra o que re-
quer Cl.m lio Dubeux, coi referencia a indeomi-
sacao de um terreno na ra imperial.Prove o
-upi'.liiMfiie o dominio que tem safara o terreno,
\>io que o titulo que juntou, nao satisfaz.
Outro do mesmo, informando o requerimenlo do
Rvd. padre prefrilo d > hospicio de notsa Senhora
da l'enha. diz que parece-lhe nao haver inconve-
niente em se contador o que o mesmo pede.A'
eo:nuiissao de ediiir.ieoi's.
Outro do i.n'-;e.,i. 'infirmandosobre o requeri-
menlo de Flix Jos da Silva, declara que nada
tem a oppor.Cono -leu-so
Outro do iiiosiin, iniormaudo o requerimenlo .
1 JeTlfo'spii- "ara csclareciBienta da \mm
Sinimb.
Se o Sr. Lyra quer saber o verdadeiro mereci-
mento desse iliscurso, se achon pouco o que delle
disseo Exm. Sr. Castello-Hranco, leja a serie de
artig is que abri o Diario das Alafia u. 203 de
7 do ponente mez na epigrapheO discurso do
Sr. Sinimb.
Agrade^o, mas nao aceito, a liciio de delicade-
za qoe pretende rtar-me em seu artigo o Sr. I.yra
laxando de palavras toacas a justa e lorica apre
ciaran que liz da coraren) quo o Sr. r. Ambrosio
quena que livesse o Exm. Sr. CastelloRrancn ao
aspecto dos facoes, e do punhal do delegado pro-
gresista.
E fique ltimamente sabendo o Sr. Lyra, que
guando nao se rnnto-ta a nobreza da famili.a a
une se ,vha ligado o Sr. Dr. Ambrozio, neffl mili-
tas nutras apreciareis qoahdades do doutor, < van
vcrdaileira loucura querer fazer disto argumenn
pnlitieo em artigos d jornal, nem oDr. Ambrozio
pode levar a bem este modo de abonar sua* K9e-
verai'oi'<, alias inexactas.
Recife, 1S de seiembro de 1869.
Volumes entrados com fazendas
dem idem eom gneros
Volantes sabidos eom fazendas
dem dem cora genero?
138
311
------'w'.l
130
760
----- 800
Desearregam hoje 23 de setembro
llrigue ingle/.letsc Scottmercaduras.
Barca francezaAduleidem.
Barca portuguezaS. IoSo~idem.
Marea ingleza af/na^hacalho.
Brigue norte allemaoIda farinha de trigo,
llrigue austfiaoGvheppiMidem.
Escuna ngleza=Bi'ftplvora.
Patacho dinamarquezHelgevinhos.
Ihe offerece a oppr sobre o que pu'
cante.Concederse.
Outro di fiscal da fregueziada Boa-*hla, re-
metiendo um lermo de iofracqio cominettida por
Antonio Jos M ireira G im -. Ao procarador.
Outro do mesmo, comnmnicando baver multado
a Joaquim de Oliveira e Mello como ucurso nos
arts. 2 e :( eomiiinados eom o art. 17 das posturas
do 2 do mais de 18d8, por ler cercado oilenta pal-
mos de um terreno a na da Hora na estrada de
Joan de Barros, onde se aeha proyectada a mesma
ra.Quanto a multa inleirada, e qnaiUo ao mais
i|ue se offictasse ao engenherr > para infirmar.
(hitro ilo fiscal da fregoezia dos Afogados. com-
muni-aiiilo que, havemlo constado-lhe que Jo
Velloso Soares linha dentro do sen sitio na l'as-a
jem da Magdalena u;n 1 paitara, refinaca e esta-
belccimenio de torrar cafe, e que venda publica-
mente, dirigi se ao dito sitio, e encontrou taes es-
tahelecimcntos, mas leve de observar que os pesos
que nelles servem, nao eslavain afvtdoe, decla-
rando-lhe o referido Velloso qne nunca os linha
aferido por nao ser necesario, visto como o esta-
beleeimento era particular, pois que estava den-
tro dos muros ; trazendo este facto ao conheci-
inento da cmara, esperava as ordens d'olla para
saber deliberar-se.Que se responda ao fiscal que
proceda a respeilo de eonformidade com as pos-
turas, porqnaiito o estabelecimento nao parli-
cu'ar.
Foram approvados quatro pareceres de com-
missa 1. sendo o priraelro da de polica, cerca da
re-posui que se deve dar presidencia rclativa-
.....ote ao abale da quinta parte por que arrema-
too Antonio Marques da Silva o imposto de cem
res por carga de farinha, o segundo da mesma
coiiimissau no sentido de ser paga a Joaquim Mili-
tao Alvos Lima Jnnior a quantia do 37800 rs.,
importancia da numeracao fcia as ras da fre-
guezia de Santo Antonio ; 3 da de arborisaeao,
indicando os lugares onde devem ser plantadas
lelo contratante, Manuel Alves QvtfN, as 130 ar-
vores que laltam para completar o >eu contrato ;
quarlo da dila comniis>;o, declarando que o re-
qaerfmento de protesto do contratante da arborisa
cao devj sur indeferido, competindo-lhe requerer
^erante as autoridades qualqaer providencia que
jirfgar necessaria sobre os damnos de que faz nien-
<;io 110 referido requeriinento.
O Sr. Iir. .Moicoso, nienibro da commissao cn-
arregada dos negocios do cemiterio publico,
apresootou o sen parecer, indicando nelle o esta-
do do est beli'cimenlo na occasio em que foi en-
tregar ao iiuvo admioisira.lor.Posto em discus-
sao, o Sr. Dr. Costa Jnior deciarou, (ue diverga
do parecer de seu eompanhelro, pelo qde assig-
nou com n 9tririjfe, pois quo lem apresi otado ou-
m om sopar.
IMsruiidoo prinieiro p;.reeer. foi posto ;i votos e
approvailo, vouiudo contra os Srs. Dr. Pitonga, Ga-
ineiro e Dr. Costa Jnior, licando assim prejudica-
do o segundo.
Madiii- arreinatacao da obra dos eoncertos da Font; do
Lacea.
espacb.irnm-e as petifta de Bartholomeii
Torquatode Smiza c Silva. Claudio Dubenx.Fran-
eisro rVn.'iri llaluir. efloT A Sampaio, Joaquim
Militan Alvos Lima Jnnior, Lanrentmo Pinto de
CaryaJho, M.moel Antonio Rallar, Manuel do Car-
jiu Ililieiro, Manoel Rihoiro Fcrnande. Manoel
Alves Guerra, Roma do Keg Barro?, Thomaz de
A ptino Cexar Porreira da Cosu.
Luvanton-se a ser
Eu Frane^co (ianuto da Boavhgn n, secretario
-Ignacio Joaquim de Sonza Leo, pitl-
Ijre-idente.r. Cedro de Atkat)de Ibt> Moscozo.
Jote Maria Fre** Gnnviro.Beato Jos da Costa
;>tnim:Manoel 4e teros Brrelo..Mr. Praxe-
et Gomes de Soasa Pitonga.FHLc -anciseo de
Souza Migalhes.br. Jio Mara Sece.
Cotaefles dos preeos di algndao de Pernamhum,
na semana decorrida de 13 a 18 de setembro de
1860.
Diario de terca-feira 14, de 1* sorte a 1123 o
killo que regula 165300 por arroba.
Diario de quarli-feira 15, sem inspeeco a lo
por cento que regula 1650), e 1" sorte" a 1116
que regula 16*400 por arroba.
Diario de sexta-feira 17, a 1130 e 1137 o de 1"
sorte que regula 165000 e 165700,e sem inspeccao
a 10 por rento que regula 165100 por arroba.
Recife, 21 de setembro de 1869.
ABELLA DOS i'iiF.r.os nos GEiTEnns sujritos a m-
RBITO DE EXfORTA&to. SEMA.NA I)K 20 A 23 DE
SF.TE.MRBO DE 1869.
Mercadorias;
Abanos.........
AfgOdSo em carolo.....
dem em rama ou em lia. .
Carneirns vivos.......
Porcos idem........
Arroz com rasca......
dem descascado ou pilado .
Assucar branco ......
dem maseavado. ., .
Idem refinado.......
Calimbas........
los.......
Azeite de amertrtiMm ou men-
dobim.........litro 937
dem de coco ...... 673
dem de mamona...... Si5
Batatas alimenticias.....kilog. 102
Baunilha....... 3530
Unidades.
. duzia
. kilog.
>
. um

. kilog.

>
urna
Valore?
:|0(t
- 238
r#oo
45000
21000
68
177
320
' 436
I 000
55000
Terpsichore,
Sabbado, 18 do corrente, tive occa-ao de, pela
primeira vez, assistir urna partida nesta socie-
dade, d'onde salii penborado, nao s pela maneira
enm que fui iratado, como pelo bello passatempo
que me offereceu esta sociedade. A casa ecbava-
se preparada com gesto, e um numero superior
cem senhoras ornava o grande e elegante salo des-
ta sociedade. Todo o servico foi felto com ordem e
asaeio, pelo que juigo digna de elogios tao capri-
chosa direccao. Esjcro que, como eu, todos apre-
ciassem tao b>l!o passatempo, e que os dignos so-
cios nos connuem a olfereeer isuaes diwacoes.
Recife, 20 de setembro de 1869.
Um convidado.
Oleo puro luetlicinal de ligado
de bacalho, de l.:iin.iu *M.
iaemp.
Ouvir-se cssa tosse fecca, cortada e metlica
que symptomalica de uns pulmoes enfermos, nos
inclinamos i crer que nao ha remedio. Pode ser
diminuida, mitigada e finalmente completamente
extirpada mediante o uso dooleo puro medicinal
de igadu de bacalho de Lamnan & Kenip.
Especificamos a preparacao deLanman & Kemp,
porque um artigo puro e legitimo, elaborado
com os ligados frescaes do melhor poixe, e cu- Esteiras de carnanf
jo grao de excelloucia, nao pode chogar nenhum lllem propnaparaf.
oulro oleo de figado de bacalho nq mercado. Por
eslranha que se nos figure esta asiercao, as sote
oitavas paites dos taes suppostos leos de ligado
de bacalho, sao adulterados, c alguns del les, nao
contm nina s pinga que seja do fluido cujo no-
mo usurpam.
A iode que existe no verdadeiro remedio, nao
se encontra em nenhumas daqndlas faMOcacoes e
imitaedesilespresiveis, e por cssa mesma razo sin
inteiramenle inutei?. Emquanto que neste onlre
se echa o grande antidoto para a phlysica, bron-
chiles e todas as enfermidades dos pulmdes e do
ligado, e isto n'um estado o mais puro e na forma
a mais agradavl em que a ciencia pode apresen-
ta-lo ao enfermo. Nao lem nenhum cheimdesa-
gradavel, e conserva-se perfelto em todos os
climas.
^ Acha-se venda as pharmacias do A.
Caors, M. A. Barbosa, J. da Concento Bra-
vo d- C, P. Maurer 4 C. e Bartholomeo
PBLICACOtG A" PEDIDO.
Ao artigo do Jornal do Reelfe
n. 914 de 1* sigaado {eEo r. H. .. de us-
a ao l-yra.
Era bastante que o mea artigo publicado
i Otario no d;a 16 ., eon-
omo contm, algumas exp,
ao bello carcter do Exm. Sr. Caiello-B
pin que eu me esqu vase
noow. Nunca fui casa do nobro deputado pelas
A'agas, e nao me cegam nem os ardores da ml-
aic, nom os da poltica. Portanto aao so ponse
COMMERCIO.
PltA^A DO RECIFE 82 DE SETEMBRO DE 1869
* 3 1/2 HORAS DA TARR.
Assucar americano porgado 3*l510 per 13 kfl.
(hontem).
Assucar bruto americano 35000 por 13 kil.J
(honteni).
Assnear am-rieano purgado 351 SO por 10 kfl.
(hojei.
Algodao de Pemambuco sem iuspeccao 15696
por kil. (hontem),
Algodao da Paraiyba 1' sor 1*239 e i
P-ir kil. posto a bordo, frete d 5/8 e i 0/0
(hontem).
Dito de dito 2* sorte1*171 e W187 por kil. pesio
a bordo, frete de 3/8 o 5 0|O (hontem).
Algodao da Parahvba 1' soite 1*253 por kil.
a bordo, frete de 1/2 e 8 0/0 (honleni).
Dito do dita 2* serie1*185 por kil. posto a -
do. freio de 1|2 e 3 0|0 (hontem).
ao de Pernanmiieo sorte 1*157 por kil.
obre Londres 90 d/v. 19 7i8 d. por
1*000 (boje).
Deeconto de letras 0/0 ao anno (hoje).
Frete de algodao da Parahyba para Liverpool-3/*
d. por libra c S 0|0 de capa.
Bebidas esplrrinisas o fermentadas:
Agurdente cacbara..... litr.
dem ile eanna .'.....
dem genebra...... >
Idem restilada......
[dom ateepi........
Idem cerveja.......
Idemvinagre.......
dem vinho de caj......
Bolacha lina, comprehendidos os
biseoit -......... Kilou.
dem ordinaria, propria para
embarque.......
Caf bom.......
dem escolha ou rcslolho ...
Idm torrado cu moide. ... *
Cal branca........
dem preta........
Carne geera ( \arqtie ).
Carvio vegetal........
Cera amarella.......
dem de carnauba em bruto.
dem id-'m e;n velas, ....
Cha..........
Cocos seceos....... eenlo
Colla.......... kilog.
Couros de boi, seceos salgados.
dem idem "-pichados....
dem idem verdes f
lilm de e/tbres eortidos um
Idem de enea........
Doces em calda*...... kilog.
dem em geMa ou maesa.
Idem seceos .......
Espanadores de 11 Minas grades duzia.
Idem pequeos......
lac de palha.......
Esleirs de .-arniba .... cento
irrOou estiva
de navio.
Estopa nacional...... kilog.
Karinhadcararula.....
dem de mandioca.....
Feyao. de qualquor qualidada
Fumo charutos...... centro
dem cigarros......
dem em folha bom kilog,
dem m foNin, ordinario ou res-'
tolho ........
dem em rolo e cm latas bom
dem, ordinario ou restotho.
Raj ......... ,
[Gomma de mandioca. (polviHio).
Ipevacuanha ( raz )...-..
Angico (toros)...... duzia
Caibros ........ nm
Euxamcs........
Frechaes........
Jacara:id:'. (roucoeiras) duzia
Lenha eui achas...... cento
......
Lionas e esteios...... nm
Lour s (pranchoes).....
Pao Brasil........ kilog.
dem de jangada...... um
Quiris ,........ duzia
Vinhatico costadinho de 23 a 30
mtlmetros de grossura. nm
dem pr,nch5es de dous eosta-
dos al 50 milltrnetros de gros-
-ura.........
dem tabuado do monos de 25
millimetros de grossura duzia
Taboado dT3rs?......
fatajuba........ kilog.
Travs......... nma
Varas para pescar..... duzia
dem para aguilbadas ^ >
1 jiara canoas..... urna
Cavernas de sucupirafem obra)
Eixos de sireupir para carro
dem.. ^iHIIIIIIIIV par
195
310
m
:M
399
600
300
660
" 176
201
176
112
959
39
27
258
168
442
436
763
1*360
1*000
1*438
560
610
370
380
10*000
1*133
784
2*180
18*000
24*000
12*000
16*000
12*090
136
681
92
272
3*000
320
1*090
1 <
613
681
545
2*180
170
1*703
80*000
380
1*500
3*000
93*000
3*000
12*000
61800
10*000
10!
3*000
6*000
16*000
30:303olil
MOVIMENTO CO PORTO.
Navios entrados no dia 23.
Trieste 73 dias, brigue auslriaco Cobden. de 213
toneladas, capilao Meknch, eqiupngem 10, cai-
ga 1880 barricas com farinha de trigo ; a Jobns-
ton Pater A C.
Baha7 dias, barca ingleza Dewwalle, de 391
toneladas, capitao Sempson, equipagem 11, em
lastro ; ordem.
Glasgow42 dias, patacho inglez Ras Loares, de
120 toneladas, capitao Roland Leus, equipagem
7, carga plvora e outros gneros ; a Adamsou
Howie & C.
Navios sabidos no mesmo dia.
Rio Grande do Sul Brigue brasilero Mensageiro,
carga assucar e outros gneros.
Aracaj e portos intermediosVapor brasilero
Jaguaribe, commandante Guilherme, arga va-
rios gneros.
companliia: os Srs. iirii.mtes compar-cam
com seus fiadores ou declararlo dos
rnesmos no mencionado dia, devendo ser
as pro'postas em carta fechada apresentada
na mesma occasio ou antes no escriptorio,
onde, melhor se devero esclarecer e infor-
mai i;iscOdicoc do contrato da arrem.^
laca;.
Base sobre a ijual se deve lancar :
Chafariz da povoaco de Api-
puros ........ ........... 360,5000
.Escriptorio da Companhia do Beberibe,
20 de setembro de i809.
0 secretario,
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga.
U administrador da recebeaoria de rendas in-
ternas geraes faz publico que neste corrente mez
de setembro o no de outubro prximo futuro, que
os contribuimos do imposto sobre industrias e
profissoes, residentes as freguezias da cidade e
as de fra, teem de paa-lo, livre de mulla ; lin-
do, porm, o referido praso, ser paso com a mul-
la de 6 0|0.
Recebedoria de Pcrnambuco. 18 de setembro
de 1869.
Manoel Caraeiro de Souza iMcerdi.
O lllm. Sr. eonselheiro inspector da thesou-
raria desta provincia, de conformidale com o offl-
eio da presidencia de 13 do corrente, manda fa-
zer publico, que no di 1 29 d dito mez, as 2 horas
da tarde, ir i prara pemau juma da thesoura-
ria, a qncm mais dar, as pedras de alvenaria e
cantara em bruto, ex;stentes as proximidades da
fortaleza do Rrun desta capital.
As pessoas a quem convier a arremalaco de-
vero comparecer n -ia thesouraria no referido
dia e hora indicados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 21 de setembro de 1869.
Servindo de olcial-inaor,
Manoel Jos Pinto.
DECLARACOES.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria de fazen-
da desta provinria manda fazer publico que em
virtude do ofllcio da presidencia de 9 de agosto
ultimo, sao chamados pelo presente Luciano Arco
e Flcxa, Joao Jos Tibnrclo o Romao de tal, para
no praso de 60 dias que Ihes lica marcado, indem-
nsareni a fazenda a quantia de 150*000 cada um,
proveniente de multa que Ihes foi imposta pola
mesma presidencia, nos termos do artigo 14 uas
nstruccSes de 6 de abril de 1841 por haverem lo-
mado o remita Manoel Joaquim do poder da es-
colla que o conduzia da villa de Cabrob a osla
capital. Find 1 o qual ser a cobranca effeetuada
ex: cativamente de eonformidade coui o artigo 3"
do regulamento que baixou com o decreto n. 4181
de 6 de malo de 1868.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 18 de setembro de 1869.
Scrvindo de offin'al-maior,
Manoel 1W PWifn
^anta Casa da iintericui .i uo
Recife.
A Illma. junta administratira da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de sitas sessoes, no dia 16 de setombro, polas
quatro horas dti tarde, ten de ser arrematadas
quem mais vantagens oerecer, pelo tempo de um
tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CAR1DADE.
Ra do Calabouco.
Casa terrea n. 20, por anno 212*000
Ra do Padre Florianno.
Casa terrea n. 49. idem..... 181*000
Ra das Catead,.
Casa terrea n. 38, dem .... 160*000
Ba do Fagundes.
I!a Ra dos Pescadores.
Casa terrean. H, dem .... 218*000
Berco do Quiabo.
Casa terrea n. 8....... 146*000
Ra do Nogueira.
Casa terrea n. 17......302*000
Ra da Roda.
Casa terrea n. 3........ 98*000
Una das Calcadas.
Ca?a terrea n. 38 .' 160*000
Ra da Gloria,
Casa terrea n. 57 ...... 146*000
Rna da Matriz da Boa Visl.a
Casa terrea n. 56. .'...... 201*000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 49...... 170*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do Sebo.
Casa terrea n. 13 por auno. 2 9*000
Ra do Pires.
Casa terroa n. 36....... 111*000
Ra da Cacimba.
Casa terrea n. 10....... 86*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 10o ................ 116*000
dem n. 98........................ 203*000
dem n. 96......................., 202*090
dem idem n. 103...... 202*000
Sitio n. 5 noForno da Cal........... 150*000
Os pretendentes devero apresentar no acto da
arremataeao as suas flaneas, ou comparecorem
acompaiihados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do lie-
eife, 9 de setembro de 1869.
O escrivao.
Pedio Rodrioues drSnuza <
Mei mela>........ kilog.
Ithm de abelha......
HHho......... kilog.
Pama de carnauba..... molhos
Pechury......... kilog.
mofar .
Wem de filtrar......
fdem de rebollo. 1
Pcnnas de enia ..".-..
Piassava......... molhos
20*000
114*000
96*000
33
6*000
2*400
6*000
1*000
3*500
16*800
50
320
68
16
1*000
817
31
18
4*796
160
Arsenal de guerra.
O arsenal de guerra tem de contratar para o
rancho de apreudzes menores, nos mozos de ou-
tubro a dezeinliro do crrente anuo, os object s
abaixo declarados; assim como a lavagem o en
gommaoo da roupa dos rnesmos aprendizes nos
referidos niezes, a saber ;
Assucar refinado.
Arroz pilado.
Azeite doce.
Bacallio.
Carne verde.
Carne secca."
Cha Imson^
Cafe ein grao.
Farinha de mandioca.
Feijo mulatinbo.
Pao Je i e 3 oncas.
Touoinho de Lisboa.
Vinagre de Lisboa.
As pessoas que quizerem forneeer, apresentem
suas propostas cm carta fechada, com as compe-
tentes amostras, na sala desta. directora, as 11
horas do da 23 do corrale
Directora do arsenal de guerra de Pernambuco
22 de setembro de 1869.
Hygino Jos Coolho,
Coronel, director interino.
No dia 28 do corrente mez, linda a audien-
cia do Sr. Dr, juiz de paz do 3" districlo da fro-
guezia da Boa-Vista, ser arrematado por venda
na execnoiii deTliomaz Ferreira de Carvalho con-
tra Elias Ooocalves Pereira da Cunha, os seguin-
les movis : llcadeiras singlas a 3*000,36* ;
t ditas de braco a 5*. 10*000 ; 1 sof por 20*,
1 par de consol* por 15*. e 1 mesa redonda por
8*, sendo ludo de madeira de amarello.
COMPaNHIA
DO
No dia 23 do corrente pelas 12 horas
do dia ter lugar no escriptorio da companhia
na do Cabug n. 16, arrematado do
chafariz da povoacSo de Apipucos; nao
se admtttindo propostas que comprehendam
mais de nove roezes a contar do lde ou-
tubro prximo 30 de junbo do anno vin-
douro, data em qoe ietm de irem
praca lodos os chaarizes e bicas desta
Pela secretaria da cmara municipal desta I
cidade se faz publico para conhecimento de quem
possa nteressar. que tendo estado hoje em praca
nio s o imposto de 100 rs. por carga de farinha
e outros legunesque vem aos mercados pblicos,
como o de 500 rs. por cabeca de gado morto para
o consumo das freguezias de fra da cidade, nao
appareceu licitante para nenhum delles, e conti-
nuam em prae^ no dia 22 do corrente para serem
arrematados por quem maior preco offereccr, es-
tando habilitado na forma da le,
Secretaria da cmara municipal do Recife 15 de
setembro de 1869.
0 secretario,
Francisco Canuto da Boavagem.
Santa (Jasa de Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Sania Casa de
Misericordia do Recife, manda fazer publico, que
precisa contratar para a botica do hospital Pedro
II, nos niezes de oulubro a dezembro prximo vin-
douro, os segnintes mejlicamenlos :
Absatho, kilogramnia.
Acido actico, idem.
Acido ctrico puro, idem.
Acido marinho, dem.
Aeidn ntrico puro, idem.
Acido oxlico, idem.
Acido sulfrico, dem.
Acido tartrico, idem.
Ac preparado, idem.
Acnito, idem.
Agua de colonia, duzia.
Agua de flor de la rao ja, dem.
Agua de rosas idem.
Agua de sedelite, garrafa.
Agua ile Viehy, den.
Agua ingleza de Lisboa, idem.
Alealr >. ki logra mina.
Alcool de 36 graos, litro.
Alecrim, kogramiua.
Alf .zenia, idem.
Algalias inglezasde n. 1 a 12, dusia.
Alees, kilogramma.
Alvai.ule, idem.
Ameixas passadas, idem.
Amoniaco liquido, idem.
Arsnico, idem.
AssaTclida, idem.
Assucar candi, idem.
Assucar de leiteem p, dem.
Avenca, idem.
Bagas de zimhro.
Balsamo de cupahiba, dem.
Balsamo de ioravanle, dem.
Bal-amo detol, dem.
Balsamo pruviano, idem.
Balsamo tranquillo, idem.
Banba de porco, idem.
Barbante lino para embrulbo, idem.
liejoim de Lisboa, idem.
Belladona, idem.
Benzina, idem.
Bicarbonato de soda, iJem.
Borrachas sorlidas cun pipos, duzia.
Botoes de rosas rubras, kilogramma.
Rroiiiurlode poiassa, dem.
Caberas de paiioulas, idem.
Cainca, idem.
(^aixas para pilulas, groza.
Cal virgem, kilogramma.
Calomelanos inglezes, idem.
Cauces graduados n. 2, um.
f.unphora, kilogramma.
Canlharidas em p. idem.
Capsulas de cupahiba, caixa.
Carbonato de magnesia, kilogramma.
Carbonato de polassa, idem.
Carbonato de soda, idem.
Caroba, idem.
Centaurea menor, idem.
Cera amarella. idem.
Cera branca em grumos, idem.
Ovada, idem.
Cevadinha,idera.
Chieorea, idem.
Chlorato de potassa, idem.
Chloroformio, idem.
Colla de fia odres, idem.
Confeitos de lclalo de ferro, duzia.
Cremortartaro em p, kilogramma.
Cubobas em p, idem.
D.'gilalis, idem.
Dulcamara, dem.
Emplastro de cicuta, dem.
Emplastro do aqutlao.idem.
Emplastro commam, idem.
Esptulas deae/isrrtida?, urna.
Bssenda de anir, kilogramma.
Essenca de cmella, dem.
Esscnria de cidra, dem.
Essenca d flor de laranja, dem.
Essencia de bortelaa pimenta, idem.
Essenca de rosas, idem.
lissencia de salsaparnlha^idro.
Essencia de therebenlma, garrafa.
Kssencia de vergamota, kilogramma.
Ergotina, idem.
Ktber ehlorydico, idem.
Etlicr salfurico, idem.
Ether nitrico, idem.
Extracto de acnito, idem.
Extracto de alcacos, dem.
Extracto de belladona, dem.
Extracto de camomilla, idem.
Extracto de cicuta, idem.
Extracto de Cavas de calabar, idem.
Extracto de fumaria, idem.
Extracto de genciana, idem.
Extracto ^.e jurobeba, idem.
Extracto de nos vmica, idem.
Extracto de opio gommoso, idem.
Extracto de salsaparrilha, idem.
Extracto de Iridaeeo, idem.
Extracto de valeriana, idem.
Fezes de ouro, idem.
Flor de rnica, dem.
Flor de borragens, idem.
Flor de enxofre, idem.
Flor de malvas, idem.
Flor de sabugueiro, idem.
Flor de tilia, idem.
Flor de violas, idem.
Figado de enxofre, idem.
Fumaria, idem.
Funil de vidro n. 2, nm.
Genciana, kilogramma.
Glycerina branca, idem.
Gomma de batata, idem.
Gomma de batata purgativa, idem.
Gomma arabiC3 escolhida, idem.
Gomma arbica em p, idem.
Oral do porcellana n. I, nm.
Gral do vidro n I. idem.
Herva terrestre, kilogrammi.
Hydrociiurato de morfina, idem.
Hy-po, i:!
Incens puro, idem.
Iode puro, idem,
lodurto prtassf, idem.
Ipecacuanlia preta, dem.
Jalapa em p, idem.'
Kermes mineial, iJcm.
Licor de labarraque, garrafa.
Linbaca em p, kil igiamnia..
Lnbaea Iritcira, id,em
Macolla gaog.i, idem.
Magne/.ia calcinada, dem.
MagU'.zia de Iienry. vi*-
Mann comnuim, kilograi.
Manu em lagrimas, idem.
Manteiga de cacao, idem.
Massas catlica, idem.
Mel de abelha, garrafa.
Mercurio doce, kHogltiWia..
Mezeriao, idem.
Mostanla. dem.
Musgo islmico, idVnr.
Nltr.to de bismotbo, idem.
Nitrato de prata em lapis, idem.
Nitro puro, idem.
Nox-moscada. idem.
Oleo branco do Chevrier. vidro.
. Olio de alfazema, kilogramma.
Oleo de amendoas inglez, idem.
Oleo de baliput, idem.
Oleo de cravo. idem.
Oleo de ligado do bacalho, garrafas I.
Oleo de ligado de bacalho fe ruginoso, dem 8.
Oleo de Imbaca, kilogramma.
OUo de ricino", dem.
oleo vermfugo, frasco.
l'arielara, kilogramma.
Papel azuUpara abrumo, resma.
i'ape branc para embrulbo, idem.
Pasta de jujuba. kilogramma.
Pastilbas de llelloc. caixa.
Pastilbas de ipecacuanha, kilogramma.
Pastilbas de Eomp, caixa.
l'aslilbas de kermes mineral, vidro.
Pa?lilhas de naft, caixa.
Podra ame. kilogramma.
Peneiras de cabello, una.
Peneiras de seda, idem.
Perchlorureto de ferro, kilogramma.
Pez de Borgonha, idem.
Posphalo de ferro de Leras, vidro.
Pdulas de Allion"s verdadeira, caixa.
Pillas de Vallet (50 pilulas), vidro.
Polifila senega, kilogramma.
Popa de tamarindos, idem.
Pomada mercurial, idem.
Pontas de vendo calcinadas, idem..
Pos de Rog, vidro.
Potassa caustica, kilogramma.
Potes de urna a oito eneas, duzia.
Precipitado rubro de mercurio, kilogramma
Purganle Le Hoy, francez, garrafa de 6/*.
Quassia, kilogramma.
Quina em casca, idem.
Quina em p, idem.
Raz de leassus, idem.
Raiz de alibe.i, idem.
Raiz de espargo, den.
Rail de genciana, idem.
Rezina de angieo, idem.
Proto iodureto de mercurio, idem.
Rezina de batata, idem.
Rezina de guaiaco, dem.
Ruibarbo em p, idem.
Sahao'branco aniygdalino. dem.
Sabao para opodeldoc, dem.
Sabonete de alcatro, duzia.
Sal amargo, kilogramma.
Salsa hortense, idem.
SMSaparrilha, Idem.
Saccharurto de oleo de baealbo, cabtk.
Sassafrs, kilogramma.
Sella, dem.
Senoe, idem.
Semcnles deangelin, idem.
Serpentaria, idem.
Spcrmaceie cm rama, idem.
Solucao de proloiodurto de ferro, deniL
Sfranionio. i lera.
Subnilralo de bismullio, dem.
Sueco de grosellos, fraucez, garrafa.
Sulfato de soda, kilogramma.
Sulfato de ferro paro, idem.
Sulfato neutro de antropina, idem.
Snspensoros escrotaes, duzia.
Tansagem, kilogramma.
Vidros com colla de 1 a 4, duzia.
Vidros para opodeldoc. dem.
Vomitorio de Le Ruy, francez, video.
Vinho de jurubeba. garrafa.
Vinho de t'.'visart, garrafa.
Xarope de B r.rgois, vidro.
Xarope de codina de Berilio, Idem.
Xarope de espargo, idem.
Xarope de Guy, dem.
Xarope de iodureto de (ibert, idem.'
Xarope de jnrubeba. idem.
Xarope de l.abellony. idem.
Xarope de l.amoure'aux, idem.
Xarope de naf. idem.
Xarope peiloral inglez. idem.
Xarope de qaina de Grimaull, idem.
As pessoas que quizerem concorrer arre.
tacjio do forneeiuiento dos ditos medicamentos
devem comparecer com snas propostas em carias
fechadas na sala das sesses da mesma Illma. jun-
ta administrativa pelas 4 huras da larde do dia ~i'-'-
do corrente,acompanhados de seus fiadores, ou
munidos de cart.s desles.
Secretaria da Santa caa de Misericordia do fe
ciie, 6 de setembro de 1860.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souz 1
Santa Casa da Misericordia
do llecife.
A Illma. junta adminslrativa da Sania Casa
Misericordia do Recife precisa contratar com quem
se queira cnranvgar de lief sua OMM as ehra.<
de que necessita o solead' n. '.i~ da ra da Y
da, concedendo ella, alem de ou iras vantagens."
arrendamento por grande numero de annos.
Recebe para isto propala- em carias ferbada-.
na sala ue suas senoe, deveiido os pretndanle*
examinarem as 1 bras de que carece o predio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia d>
Recife, 4 de setombro de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodrigue-' de Suva*
Consulado provincial
Pela admiiiisiraro deste consulado faz
pnblieo a quem intereasar possa, que c<" 1
0 presente mez leniiina o recebimento (! -
differenles impostes provinciaes relativos .; 1
anno linanceirn lindo de ISGS 1660, sendo
em seguida liquidados c remettidos pi
juizo os debilos dos contubuintes, orotsj!
afim de seren executvameot cobrad
na forma da lei.
Consulado provincial, 4* de se tem
de 1869.
O "administrador,
Antonio Carnetro Hartado Ros.
Perante acamara municipal desta cidad
Olinda, estarn eramente em hasta Liibiica p
serem arrematados por quem maior fanco offere-
ccr, nos dias 10 e 23 do corrente mez, os inmo-
tos seguinles : capm de planta pela quantia
6224000 ; alinelo de peso- e medidas, sendo <
arrematante obrigado a afferir os da mesma canta-
ra sem inJemnisaco algnma, pela de GO/OfJO :
coqueiros de produrejio para negocio, pela (!
476*000 ; os alugueis das casinhas da ribeir.i.
pela de 70."i00 ; .iOO r?. por cabeca de gado 1
cum, pela de 247S000 ; mscales e boceteiras,
Iade29100; 100 rs. por carga de farinha 1
gumes, pela de l.MVOO : 100 rs. por caliera
ado recolhido ao corral, pela de 274000 ; repc-o
1 acougue, pela do OAXOO ; 200 rs. por cal
de gado suino, pela de 61600 ; 100 rs. po- rabee .-i
de gado ovelhnm, pela de 1.JS00.
Os pretendemos doveVab c mpnrecer nos refi
dos dias com s us Madores ccmpetenlenunte ha
litados na forma da lei.
Paco da cmara municipal de Olinda cm 0
setembro de 1869.
Manoel Amonio dos Passos e Silva,
Propreidenle.
Raymundo Theodorico Jos Doradlas,
Po teiro, no impedimento do Secrc
AVISOS MARTIMOS.
Rio de Janeiro.
Para o indicado porto, pretende seguir
muita brevidade o bi
a maior par!; da carga engajada, e para o p
di-que Ihe falla, trala-'e com os consigual:
Antonio Lniz de Oliveira Azevedo & C, ru;>
Cruz n. 57, primeiro andar.

(\



Diario de Peroflmbaco ~ Quinta Jeira 23 tw\w\ nmim
DE
Paquetes a vapor.
tm portos do norte espende
t o dia 30 do correte o vapor
Huma, commandaate o i" te-
ntle P. M. Duai te, o qaal de-
pois da demora do costme se-
guir para es portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e eiwa*a-se a
carga que o por poder conduzir, a qual deveri
acr embarcada no da desuaehegada. Encommen-
das e dinheiro a rete at as duas horas do dia da
sua sahida.
Nao se rerebem eomo encommendas senatob-
jeetos de pequeo valor e (rae nao excedam a 1
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico.
Tudo que pastar desteslimites dever ser abar-
cado como carga.
Previne-se nos Srs. passageiros quesuaa passa-
Siens a se reeebem oa agencia ra da Cruz n. 57,
!* aatdar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Aievedo & G.
&k-;*\
l'ara o indicado porto pretende seguir com roai-
ta brevidadeo lugre portuguez Cisne do Vouga por
ter a maior parte da carga engajada ; e para o
pouco que Ihe falta, trata-se com o c nsignataiio
loaquim Jo- Goncalves Beltrao, ra do Com-
tm-rcio n. 17.
CMi'AJSlIIA PEHNAMBl'CANA
DK
^vega^o costeira por vapor.
Mamanguape.
O vapor Mandaba, comman-
dante Julio, seguir para o por-
to cima no dia 28 do corrente
as 0 linras da tarde. Recebe car-
ga, encommendas, passageiros e
fieiro a frete at as 3 horas da tarde do dia
la saluda : escriptorio no Forte do Maltas d. 12.
COMPANHtt PERNAMUCANlT
DE
Naverjocdo costea por vapor.
l'qrto de Gallinhas, Rio Formse e Taman-
dar.
O vapor P irahabn, commandanle Moli, seguir
fiara, os portos cima no dia 30 do corrente,
ineia noite. Recebe carga, encommendas, passagei-
troSi e dinheiro a l'retes no escriptorio do Forte do
Man s n. 12.
COMAN 111A l'ERNAMBl CANA
DE
Sarcgafo costelra por vapor.
Goianna.
O va|>or Parahyba, commandanle
Mello, seguir para o porto cima no
dia 2o do corrente as 9 horas da noite.
decebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, n escriptorio do Forte do Mattos
n 12

BAHA
Jos
O palhabote Garitmldi, capitn Custodio
Vianna : a tratar com Tasso Irmos.
O patacho brasileiro Ramn
seirtte co.H malta brevidade para o Rio Grande do
vil. para onde recebe a frete um resto da carga :
a tratar no esrripiprio de Amorim Irmos & C,
na da Cnu n. 3.
Maco
Segne no dia 2i do rente o pallbate Emi-
4*ataBda recebe alguma carga a frote : a tratar
com Si Leitao Irmos, ra da Madre de Dos
minero 1.
GOMPAiNlIIA PEUNaMBICAA
DE
Navegado costelra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, carac e Granja.
a^^v O vapor TpoJHca, commandantt
y\A\ Monra, seguir para os portos
t&SaB acinu no dia 30 do torrente as o horas
da tarde. Recebe carga at o dia 29, eneom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Fort? do Mattosn. 12.
Ptelas assifirailas de lrs(ol.
C0NN0 TEM NEM CAT.0MEf.ANOS NEM NENHUM
OL rUO MJXERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
Mrticd eu de urna medicina purgativa, ba
muito que tem sido sentida, tanto pe po-
no, como mesmo por meio da facuUdade
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer que sentimos, em podermos com
toda a confianza e seguridad, recommendar
as pitillas vegetaes assucamdas de Bristol,
como urca, excellenle medicina purgativa, a
qual 'ncerra em si todas a partes e mais
ingredientes essenciaes, tornando-se em um
perfeito, seguro e agradavol cathartico de
familia. Este remedio nao composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composico dessas pululas, que por ahi se
viiidem, mas sim, sao preparadas com a?
mais finas e superiores qualidades de raizes
medicinaes, nenas e plantas, depois de se
haver ebrneamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
daquollas porcSes fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
dophgliin, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
jaravilhoso possivel sobre as regioes do
nado, assim como sobre todas as secre-
ces biliosas. Isto de combinado com o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes o drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
puhlico. As inhibs regetaes assucaradas
de Bristol, achar-se-ho sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente efi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as segundes.
Alnga-se
duas casas cm Beberihe na porto da Madeira, com
duas salas, dous quarlos, eozinha fra, muito
frescas, com os fundos para o Rio : a tratar ua
ra Direita n. 69.
Attenpo
Precisarse alngar um preto ou um molegue de
10 annoa, escravos ou livres; na reflnacao da ra
de Hurtas n. 7.
.alveiro
Precisa-se de um com pratica de taberna
ra das Boias n. 8.
Troco minti.
- Dain, ,fraJ>renlio l"'r sdate de JfWO. tf,
>->, 1JJ3 ft Vf% /nova e-tampa: na casa de Tbeo-
do-raCMiiy \ C., largo do Pelourinho n. 7.
Ama
Precisa-se de urna ama para eoa'nhar : na tra-
ves*adu3Piresn.90, sitio do <:feriqniti.
Attencao.
mili) 10 LEO
na
COSTEEritA.
Dyspepsia, ou in-ii-
gestao,
Adstringencia, ou..
priso do ventre
habitual,
Azia do estomago e
.. flatulencia,
Perda do apetito.
Estomago sujo,
Hydropesia dos mem-
bros ou do corpo,
Affecc5es do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Iba hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.
LEILOES.
LE!LA0
lonjas,
erys-
*> variado deposito de
vidros, poreelaaas e
taes l(o
Rl'A OA GADE1A X. .
<;>iala-feir.* J do corrente.
O agente Olivetfa competentemente auorisado
ven lera e;n leilo o depsito aenna, em lotes
vonlail' pietenlentes, a> 11 horas da manhaa
ilo dia
BOA
Em todas as molestias que derivam t
sua origem da inassa do sangue: a salsa
parrilha de Bristol esse melhor de todos
os purificadores de ve ser tomado conjun
tmente com as pilulas, pois que estas
duas medicinas, tend sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
afllancar nao s um grande alivio, como
tambem urna cura prompta e radical, isto
est bem visto, piando o doente nao se
ache n'um estado nimio alm dos recursos
humanos.
Cose-se costuras de alfaiate
ceza, por prego commodo, na
n. H3, e d-se Banca sahre as mesmas.
Collm'o
de varios regulamentos de impostos altera-
do e creados
pela lei n. 1507 de z6 de setembrode
1867, comprerrendendo
os de pessoal, eseravos, industrias e profissoes.
sello (organisado alplwbetiiMmeBte, explicando
cada acto a que sello est sujeito se se deve em-
prear e?tampiHia ou verba, no primeiro caso
3aem deve imitilisa-la), transmissao de proprie-
ade, dnima de chancellaria, emolumentos, mullas
applicadas l'az-nd i publica etc. etc., e em appen-
dice o do cofre de depsitos
publico?
notados com as
inslruor;es e decisoes posteriores
at a presente publicado
por
Francisdo Augusto de Almeida,
l"escripturario
da recebedoria de Pernambuco :
acha-se no molo e breve a ser publicado ; as-
signa-se na ra estreita do Rosario n. 12, pur 33
o volnme ; depois de publicado cnsfar 43 para
(juein nao assiguar. Torna-se de grande utilidade
aos Srs. advogados, solicitadores, nfgociantes e
funecionarios pblicos, a acquisicao deste tra-
ba Iho.
Casa para alugar
Aluga-se urna boa casa assobradada, sita na So-
ledade ra de Joao Fernandes Vieira, com bas-
tantes eomniodos para familia, com cocheira, es-
tubaria equarlos |wra criados, toda canalisada
para ser Iluminada a gaz, pintada de novo e bom
quintal com portao na frente; a tratar na ra
Nova n. .1.
6
O ajaixo assignado proprietario do hotel na-
(nal, sito na ra da Cruz n. 1, participa ao res-
peiiavcl publico, qU< iendo-se dissolvido amiga-
velmente a sociedade que girava sob a firma de
Lewiou & Lamaragibe lica desla data em diante a
a moda fratl- "iea carg0 todo actiro e passivo, por ter de ret
ma .o^nsta ,;'k se 0C^ (-a"aragibe, o qual ficar giran*
.-T8^ sob a f"mil e Antonio Lendolf o com o mesan
nome de Hotel Naeioaul.
I'ernambuco, 18 de selembro de 1809.
______ Lenrinlfi Antonio.
SOtlRDADE PATiVlTICA
DO
*W O DA PAWELaLA.
Pelo presemie sao militadot os lllms Srs.
membros da commissao de ftsiejo e esquadrao
lialnottco da freguexia do Pa. da Panella, a se
reunirem quarta-feira 22 ,h, crrente, as o li2
horas da tarde, no hotel do Montriro, afrm de se-
ren ajsentadas as bases dos f.-iejos e organisa-
cao do esquadrao. Roga-se o compareeimento de
todos os membros eleitos, no dia o hora desig-
nada.
O secretario,
Sorverino Dnarte.
AMA
Maria Josephina Knmsvm^|M3|Tsee
agradecer cordialmente todas as perseas que Iho
lizeram o caridoso obsequio de assistir ao funeral
de seu mui presado marido o Dr. Ilenry Kraustj,
no cemiterio ingles, as qoaes protesta igualmente
seu eterno reconhecimento.
B
Ama de leite para
alugar.
Xa ra Imperial n. 2o existe urna ama de leilc
com muito bom leite, novo e abundante.
f
UWA\
S 'xli-leira -2' de setembro.
Ilr.! > i a C. faran lilao por iMerrcneo
do afent l1 o. de differentes fazendas ing zas
l>repiafMT o mercado, as quaes serao \cndi-
<'as pnr.i fichar cootas em seu armazem da roa
doTrapn he n. il.
LEILO
De fazenda avaiiada.
0 a ;:'.' P 'iilual competentemente aulorisado
vendar era leilo por e ma ae quem pertencer
Uaia <.. xa e un brim pardo de linho liso, marca
il. viuda de l.iverpool^no vapor Sap-
e parto no dia :(1 d agosto
ido.
ibado 2.*i do corrente.
Na.i.. .,.-. m de Alves 4t n. oi, a ra da
Crufta horas.
Os prenles e amigos de Benjamim da Cunha
Torreao (ausenta) vem pelo presente agradecer
em nome do mesmo a todas as pessoas que se dig-
narain acompanhar ao cemiterio publico os restos
mortaes de sua presadlssima esposa, Thercza Joa-
quina da Silva Torreao, mae, innaa. euahada e
ora; confessando desde ja gratos por semelhante
prova de amisade e terna gratidao. E rogam as
Manas pessoas e aos demais amigos e prenles
o eariiloso ob-equi > de comparecerem segunda-
feira (27 do crranle) palas 7 e 1/2 horas da ma-
nhaa, na igreja matriz de S. Jos ; onde celebrar-
se-ha a missa do stimo dia por alma daqaclla.
que jaz na paz eterna. Mecife, 12 de setembro de
1869. ___________
l>. Mara Avlm^aTmiem^ouvHJi^to^XT
les e pessoas de sua amisade, as do seu fallecido
irmao Francisco Firmino Monleiro, para na sexta-
feira 2i do corrente pelas 6 e 1/2 horas da ma-
nhaa ouvirem oa matriz de S. Jos urna missa de
selimo dia pelo eterno descaneo d'alma do seu
presado irmao.
Ao publico!...
Sendo informado que a minha mullier, D. Ma-
ra Chnslina Bastos Vianna, que comigo conti.-ndc
em acQao de divorcio, obleve do Io substitnlo do
juiz municipal do termo de Goyanna, mediante a
falsas e cavillosas allega^oes alvar de llcenca
para contrahir um etnprestimo de 1:000, appres
so-aoe em declarar a quem interessar possa : qae
me opporei ao pagamento de qaulquer quan
que for emprestada a supradicta minlia mullier ;
que j recebeu em dinheiro e eseravos o que fo
julgado necessario para sua alraentacao o liles
reprimas e a quem nao pode aproveiiar aquelle
alvar irregularmenle concedido sem que ea foss.-
ouvido como cumpria.
Em lempo opporlnno fani valer os documentos
que tenho em raen nadar, e que prova exuberan-
temente o nenhum valor e nulidade desse celebre
alvar e de oulros de igual jaez que j tem sido
concedidos : assim como talvez muito breve de a
publicidade outros documenUis sobre maneirain-
leressante, que moslram, nao s o bom usa mu
certa pessoa extremamente esanpulosa faz da in-
fluencia resoltante do seu elevad > cargo, como
tambem o modo exeinplar porque se administra
justica na minha trra.
Hei de ao menos tomar essa disforra dos meus
injustos e prfidos perseguidores.
Engenho Covanna-Grande, lo de setembro de
1869.
Joao Francisco Cu calcan!i itAlbnquerque.
i\'a ra do Mondego n. 01 precisa-se de um \
homem que entenda do plantacSes para tratar de
um quintal.
Gabinete Portuguez ile Leitura
KM
Precisase de urna ama para o servieo interno e
externo de urna casa de pequea familia, prefere-
M 'si-rava : na ra das t'.ruzes n. 28. 1 andar.
>esa-e d urna para cosmiiar para rapa-
zes soltciros ; na ra de II irlas n. 7 relinaeao.
~Cf Santa IsaheT
RESTAIRASI
llavera todos os das
Cerveja em copo;,
i! ara en uboppe!.
Scboppen bier.
Comidas todas as horas.
Recebe asslgnantes
<>l)'.'rece-se urna inulher de bons costumes
liara casa de pouca ramilla, a qual engomma e
coze eom perfeico ; no pateo de S. Pedro n. 3,
loja. Na. mesma casa se engomma com perfeico, e
por preco conimodo.
Grande armazem de tondas e ronpas ffilas roa da Imperalr
n. S2, parla larga, de Paredes Porto.
Neste eslabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortiraen1
de roupas de todas as qualidades, paltot de alpaca a :t-5, tfiSOQ ate c^ Dilo de
merm, ditos de casemira de cores borritos gostos a 5-5, 6-, 8$ e 10$, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e Ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de :00 a 5^000. Caicas de brim de cOr finas e ordinarias, dkas
brancas de todas as vialidades, ditas de brim pardo lino e ordinar, ditas de casemira
de cor e preta de i$, SB. 6> a 154. Clfetes de todas as qualidades e preco muito
barato. Completo sortimento de camisas franceza de algod5o e do liob ^ de 20 at 5*'
urna. SorSmento de seroulas francezas de a4odao. de finho e bramanle a 2( e ^ISO
l'i-avatas (aantts) novissmo gosto a tojos os prer.is. Meias sortlmenl*- completo" a 3
i;) ate 7 a duza.
OUPAS PARA 1ENHSO&.
Encarrega-se de rjuaesquet obras de encomownda tanto para tanern como
para meninos, e com brerklade, por isso que tem um bonito sortimenlo de fazendas de
toaas as qualidades tanto em casemiras como brins, paws finos e outra umitas ta-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de II palmos de largura a I -?800 o mero.
Cambraias de cor e liranca.
Alpacas de todas as cores a GiO rs. o covado.
Poil-de-ehvre com lista de seda fazenda de gosto- a 1*200.
Basqumes de guipure enfeitadas a ISjOOO.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs
Madapolao fino a 65500, 7$, S-$ e 9^000.
AlgodSo pe*a com 20 jardas a 10500, 5)5300 e 6-SOO0
Beca de algodo largo a 7 -5500.
E outras muitas fazendas que ser enfodonho mencionar Cheguem rosna
lena que se est liquidando na loja ra da Imperatriz n. SiCjunto loja de onrivesVdo.
LESO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
de
COQUES DE CABELLOS.
r- C,,EG0U Pe, Pa1uete ffancez Esitamaduro, um novo c completo sortimento
COQUES DE CABELLOS do ultimo e purissimo gosto de PABIS
ANDR DELSUC,
Cabellelrelro.
7 A, ra do Crespo, primeiro anclar.
Preeisa-se de um irabalhador de ma na padaria da na da Senzala Velha n. 8i.
Ja Tita do Vigario n. H, :{ andar, precisa-
se de urna ama para servii; > i<- c&m-
Precisa-se de lima ama para sorviey de casa:
a tratar no larga do Corpo Santo n. lil/ou largo
do Forte do Mattos n. 21.
Precisa-se de urna senliora a de maior idade
e que tenha sempre tido J>oa conducta, para fazer
companliia a urna familia muito pequea, assegu-
raiido-se o bf):n tralani'nto : a fallar na loja de
cera da ra do Cabuga, que la se dir quem pre-
tende.
Precisase de un rapaz brasileiro para cai-
xeiro de loja de miudezas, e que tenha pratica,
sendo de boa conducta : a (pilar na ra do Gabu-
g, loja de cera.
Precisa-se de oora ama livre para comprar
e cjzinhar pira casa do pouea familia : na tra-
vessa das Flores n. l-'.
Arnau de Hollaula Cavalcanti de Albuqccr-
que tendo encontrado ouiro do mesmo nome. d
1 i II lf
WF III II a
i lilil II ll
Superiores sedas de cor e listras a 15600 o covado.
Lindas poupelinas de la, com grande variedade de cores escuras e claras a
560 rs. o covado.
Pecas de musselina branca com salpicos e com sele metros cad peca, pelo fca-
atissimo preco de 4JO0O a peca: na loja das Colnmnas, ra do Crespo n. 43,5 de
Antonio Correa de Vasconcellos A C.
AMA
Procisa-se de una ama para lavar e engommar,
e outra para cezinhar para urna familia estrangti-
ra : trata-se nn largo do Pelourinho n. 7.
Aruau de Azevedo More.ira Cavaleanti, para assim
evitar qualquer engao para o futuro. Itccife 18
de setembro de 1869.
Itagoiiiinndcira.
Na ra do abug n. .'>, i" andar, precisa-se de
nina perfeila engommadeira.
Precisa-se de um fonieiro e um amasador:
na padaria alloma de Sanio Amaro.
lodi:
Euclides CoiMIio de szco^a^i lufas os
patjcios e amigos de seu nunca esquecido amigo
Antonio Bernardo de Souza, fallecido n'esta cidad
em 2i de margo do corrente anno, para ouvirem
urna missa por sua alma, as 6 e 1/2 horas da ma-
ula 24 do corrente. na matriz da Boa Vista, e
agradece ao mesmo lempo aquellos que quizc-
rem prestar ao finado esta caridade.
O Sr. Jos Marcelino de Souza tem nina car-
ta vinda da Babia em casa de Tasso Irmo, ra
do Amorim u. 47.
1.
li
AWSOS DIVERSOS.
se de um criadi para servieo de
i ni ruada Imperatriz n. 9.
Nova loja de calcados, na na Dtrerta n, 32,
confronte a travessa da Penna.
.Malinas de Albuquerque Mello Jnior tem aber-
to concorrencia publica, nma sua loja de calca-
dos, com completo soaimento, fu Direita desta
ridade n. 32 : e para ella chama a attencao das
pessoas de seu conhecimento e amizade.
A comciisso central, cncarregaila dos festejos
do Ki" nnniversario do mesmo Gabinete, que de-
vem ter lugar no dia 3 de onfcibro prximo, con-
vida a todos os senhores socios que fnrarn nomea-
dos para fazer parte das eommbsSaf de deoofato
e recepcao, a comparecerem na sala do referilo
Gabinete, no dia 28 do corrente, pelas 6 horas da
tarde, aliinde so deliberar o que for mais til ao;
predictos festejos.
Secretaria 21 de setembro de 1869.
Antonio Alves de Carvalho Yeras
Secretario.
Para festa.
Aluga-se um sobrado de um andar na ra do
Amparo u. 22, em Olinda ; para ver, podem pedir
clara que desta data em diante, e assignara por a chave na taberna do Sr. Guilherme, junto do
mesmo sobrado, e para tratar, na (iraca da- Inde-
pendencia, loja de calcado ns. 37 e 39.
Os consignatarios de 33 caixas com cerveja
marca diamante L, a 3o vindas de Londres no hri-
gue inglez Rio Grande, entrado em 5 de julho do
corrente, auno, consignadas ordem, as quaes se
acham'depositadas ua alfandega, queiram vir em
casa de Vasso Irmos pagar o frete das mesmas.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Bio a venda, ra do Cabug n. 2
Gasa da Fe. Preeos do eostumo.
_________CASA U4 VK.__________
Quem acbou urna chave de aunar
piano, velha, com o cabo separado, e em-
brollada em meia folha de papei, cuja
chave fo perdida na segunda-feira ao meio
dia, do largo do Corpo Santo ate ra do
Imperador, queira trazer a esta lypogrsphia
que ser gratificado.
Auga-se
parte da frente do primeiro andar da ra do Im-
perador n. 32.________________ _
()rccisa-se alngar um menino de 12 a 13
ataos, forro ou captivo, para o sorvieo do duas
pessoas ; assim como de um moleqne ou um pre-
to que entenda de eozinha, qne seja fiel e nao te-
nha vicios: a tratar na mar dos Ossos, onde esl
o hospital de Santa Thereza ns. 22 e2i, ou na pra-
ca da Independencia n. 39.
0 bacharel Antonio Pedro Kerreira
Lima mudou o seu escriptorio d advoca-
ca, para a ra do Quemado n. 39 pri-
meiro andar, entrada pelo paleo de
Pedro II, onde noder ser procurado das
10 horas da manhaa as 3 da tari!
IHlfflWaH BT
:'L
m
Aivocacia
O bacharel Francisco Gomes Prenle
mudou o seu escriptorio de advocada
para a ra do Queima lo n. 18 primeiro
andar, onde pode ser proer-rado das l'i
horas da marma as 3 da tarde.
Ka praga da Independencia n. 33, se d di-
nneiro sob penhnres de ouro, prata e podras pre-
ciosas, e seja qual tCs a quantia : na mesma casa
se compra e vende objoctus de ouro e prata, e
igualmente so faz toda e qualquer obra de encom-
menda e todo e qualquer concert tendente
mesma arte.
O atlvogatlo
Affonso de Alhuquerqne Mello mudou o seu es-
criptorio |ara a ra das Cruzes n. 37. defronte da
typographia do Diario.
Associaqao Bcneficente dos Ar
tistas Alfaiates.
De ordem do vicedirector convido a todos os
socios para comparecerem a assembla geral, na '
sala de suas sesadas, na uliima dominga de se-1
tembro, i'o do corrente, as 10 horas do dia. aflm
de tratarse sobre o art. 11 dos nossos estatutos.
Manuel Ignacio Gomes,
Io secretario interino.
MARTIMOS
Ama de leite.
na ra da
Preesa-sc de urna amo de leite :
Praia n. 49, 1* andar.
Aluga-se um sitio na Torre com 5 grandes
guarios, 2 salas grandes, eozinha fra e quarlo
para criado, baila de capim e arvoredos de fructo:
a tratar com Andr de Abreu Porto.
Precisarse de 3:0004 a i:00U a premio,
com hypotheca em um predio nesia eidade : a
tratar na ra Direita n. 3*. _______
CRIADO
Precisa-se de um criado, preferitido-e escravo :
na ra das Larangeiras n. 29, hotel commercial.
CONTRA FOfiO.
A Companhia Indeinnisadora, estabelecida
esta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
A viiiva ile Joao da Cosa Campos, inventa-
riante de seu casal, roga a todos os credores de
seu finado marido queiram aprsenlar suas eun-
tas no praso de oito dias afim de se conferirm
paraopporiunamente seren sntisfeitas. l'ecife 22
de setembro de 1869.
Innocencia Guilhermina da Conceieao Campos.
Precisa-se do um caixeiro para padaria, que
d conhecimento de sua conducta o desempea
sua obrigacao, se dar bom ordenado : na ra Di-
reita dos Afogados u. 66 A.________|_________
Na ra da Aurora n. 31, l" andar, se dir
quein precisa de um criado e de una cozinheira,
quer forros, que escravos, paga-se bom.
ITerece-se urna senliora po'tugueza de meia
idade, habilitada para governar urna casa de
homem solteiro ou de pouca familia : a tratar na
ra da Lapa n. 3.
Aluga-se
O sitio da estrada de ferro com excellente casa
de moradia a qual sobradada na frente, tem co-
xeiras para carros e cavallos o qoartos para pre-
tos, batxa para capim e arvore de fructos ; a tra-
tar na ra Nova n. 12, loja.
Precisa-se allugar urna eserava que saiha
cosinhar e emgommar ; a tratar ra da Cadeia
n. 2. andar.
O teslamenteiro do fallecido subdito francez
Joao Vignes, convida aos devedores do finado a
saldarem seus dbitos amigaveimente, do contrario
serp ajuizados sem excepeo alguma.
Precisa-sede um Irabalhador, na padaria da
ra Real do Manguinho n. 29. _________
Na ra Direita n. 112 ha una pessoa sizuda
aue ensacca larinha de encomroenda para embar-
que fazeado anda o obsequio de despacha-la por
conta do comprador :"pde ser procurado a qual-
quer hora do dia._________________________
Na ra estreita do Bosario n. 17, 2" andar,
precisa-se de una ama que cozinhe e compre para
duas pessoas : quero estiver nestas cndices, all
appareea.
mm
Wmti H
Precisa-se de nina eosturoira para trabalho
de ihapiis e forragens, p..ra trabalbar n.i loja ou
em casa de familia; a tratar na IVacada Indepen-
dencia n. I i a 16 mi 21 o 'i.
Precisa-se de nina ama para o servieo interno
de urna casa de familia, preiViindo-se eserva : na
ra larga do Bosario n. lii, por cima da padaria
do Sr. Manuel Antonio deJesua.
Precisa-se de urna ama livre ou eserava que
eosinhe com perfeico o diario de nma casa e que
tenha bons costumes; a traiar na na do Vigario
n. 5 terceiro andar.
Rogase a pessoa que comprou ou empenten
um habito da Rosa, qaerndo pesfitni-lo receben-
do o valor porquanto comprou ou empenhou di-
rija-se"a esta lypographia.
Precisa-se de urna ama para iodo servieo de
casa de homem solteiro ou de um criado, cija
eonduea soja abonada ; paga-se bem: ra do
ni indego n. 93.
- Ao Sr. Bernardo Jos do Araujo Soares, mo-
rador em Pona de Pedra deseja-se fallar a ne-
gocio de sen particular interess', na ra de Quei-
mado n. 39 primeiro andar ; escriptorio de advo-
cad!.
Precisa-se de um criado para todo servieo de
hotel, paga-se bom, preferc-sc escravo : a tratar
na ra estreita do Bosario n. II, hotel Lisbonense
CASA OA FOlffliM
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
k ra do Crespo n.23 e casas do cestume.
0 abaixo assignado tendo vendido alera de ou-
tras son* 1 meion. lCl.'i com 4:000> da lotera
que se aeabon de extra Mr a beneficio do patri-
monio dos orphaos (120*) convida aos possaidores
a virejn receberna confonnidade do eostume sem
descont algum.
Acham-se a venda os bilboteq da .'> parte da
lotera a beneficio da matriz de laboatao (I211)
que se extrahir no dia 3'1 do corrente.
Procos.
Os do eostume.
Manuel Martins Finza.
Aos 20:000^000
CASA DA FEI.ICIDADE
8--Praeadcuc5a-2*
Os abaix'vassignados tem exposlo a venda os
seus felizes buhles da 89" lotera em beneficio do
Monte Pi Geral (294), cujas listas sao esperadas
at o dia 21 do corrente, sendo os premios pagos
vista das listas.
Foram vendidos nesfa casa alm de outros pre-
mios o bilhete n. 2829 com 20:0003000, n. 74!
com 800J, e 3941 com 200-5000.
Veras A Barbedo.
Em casa de TllliODORO CHRISTI-
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se
eflectivamente todas as qualidades de.vinho
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
RUA
DO
CABUG
esquina
da ma larga do
Rosario*
H ..*% 1BE JOIAS
CABUG 19
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
e vende por presos que nenhuma outra casa pode vender. L :
vista da qualidade e do preijo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.l raa larSadoj
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele- Bosario.
vados.
A teja est aberta at as 9 horas da noute.
i



_
Diario de Pernambuco Quinta feira 23 de Setembro de 1869

NOVIDADE
O JAYMI, leudo era vista sempre apresentar novas raelhoras em seu esta-
belecimenlo de oabelleiro ra do Queimado n, 0, acaba de preparar com decencia
e gosto, urna sala especial onde o respeilavel publico, com certeza, encontrar o que
ha do primor em perfumaras, bijoterias, flores e tinturas para cabellos etc. des mais
afamados fabricantes de Pars 6 Londres. Elle conscio de que o que espende a pur
verdade, espera que o seu estabelcimento seja visitado por senhoras e cavaielros,
para o que pesd s5o vidados. ____
lili \ lili
l
;*"' ijmQ^ *.?
Mikroskope achroma-
tisehen. ObietivLin-.'-* Vtn
scn.
Baromelre e termo-
metre. Centgrado
e reuumeure.
Causa admirado,
Mas nao se pode duvidar;
No armazem Independencia
E' onde se pode comprar.
FEMEILl 4
donos deste importante e magnifico armazem de seceos e molhados sito ra do Rangel
n. 3, julgando nao aceitarem concordata alguma com os seus collegas resolveram de,r
nominar o seu armazem INDEPENDENCIA, assim como o seu fim n5o seja illudi-
ao respeilavel publico deixarao de annunciar. sem o que o mesmo o julgue e admire...
Mas como nos pontos da va frrea, ja se tem discutido e apreciado a realeza e impos-
sibilidade a ver quem vende gneros to barato, c por esta razao que annunciamos para
que todos tanto da pra^a como do matto acrediten) o que neste asseveram e aquelles
que ainda nao nos tenliam honrado com suas freguezias, podero dirigir-se ao mesmo,
certos de que ver5o gravada a sinceridade e metliodo de negociar muito franco sem que
uecessitemos de andar meia noite pelos otoes das matrizes figurando-nos por bons
demonios nem mesmo na frente da msica com o pendao na mo feito bausa.
FERREIRA & IRMAO,
Ra do Rangel n. 3, armazem da Indepen-
dencia.
o f 2 ? 2 ra ra to *
irlei lirfil
c-3 f 3 5.5"
'c ObS'^d o
B ya .
o s c
* O) o o o

a:
2"*
3o
o co
u B) i)
, w w
n, p. t "
, ep a cd c& cd
* a w
-i 3 m .
OC)
1
CU
er
3 I fl
S..8S8
a
MI
3 a.
a
o
3.a
9:
2. S-gO
CD S <* 5. &
2. b S
O O fe
1II 1
o. OJ -s O
CA O
OCULOS PERISCPICOS
crystal de rocha do Brasil.
F. V. Geruann. recommenda ao publico, seus vid ros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com estes vidros, a vista descansa, fortifica-se e n3o a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escolhido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de cabera. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais loage, os raios que expelle sao
mui convergentes ou mu divergentes e a visao nao perfeita. Um grande numero de
pesseas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a visao nao distincta.
Com a applicaeao de meus vidros pde-se vencer estas dilficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo affasta-seo ponto de
vista, o que faz divergir os objecto* e deixa ver to long como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem melhor de longe que de perto, e nao enxergam senSo
um nevoero na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergaro
to distinctamente como na idade de 15 annos. Servindo-se desles vidros quando a
vista principia eufraquecer, previne-se o ma!.
v. I. Germana encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olbos, a es-
colher, a primeira vista, seja qual for a idade e grao de vista, oculos propros para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras"* tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos s Para a vista que se turva com o traba-
Iho e a leitura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande clardade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Sortimento de binculos
para theatro, e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tai-taruga, bfalo, a^o,
etc., etc.
Tem tambem grande sortimento de relogos para parede, qne d3o horas c para
cima de mesa dos mais Hndos modelo Relogos para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos memores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
, N. 21=#ua NovaN. 21.
ANDRE DELSUC
CABELLE1REIRO
7 A Ra do Crespo1. andar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre Heste estabelecimento um variado e bonito sorti-
mento em perfumaras francezas e inglezas cuja lista damos aos leitores
LUVAS Marca garantida de JOUVIN.
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LUBIN & GOSNELL
Etm^nT frasquinhos propros para presentes Lubin & Gosnell.
MniwTPc n T'.03 chreiruos-Lubin,GosneIle, SocetHyginiue
JABONETES.finos para toiletteLubin A Monpelas.
.3AU DENTIFRICE.agoa para limpar denlesSociet Hyginique Lubin D.
COMTITAMA DOS AYAYIZES
16RA DA CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes quahdades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
calda, etc.
Incumbe-se de encommendas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
samentas, a saber:
Pecas de noogat. P5es-de-Iot enlatados.
Ditas de pSo-de-lot. Bollos idem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crme e carne.
Bandeja com armaco de assucar. Empadas.
/ierre.
BRILIIANTINA.para lustrar a barba e os cabellosLubin.
AGUA DE COLONHA.Marca verdadeira de Joo Marina Farica
COSMTICO.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
pk'mv?f ffilEUB-0lelp.a.ra cojlserva?30 doscabellos-Societ Hyginique
ESCOVAS FINAS.para cabellos, denles e unhas
BLAIREAU.Pincel para barba.
GRANPOS.para cabellos.
REDES INVISIVEIS.para cabellos.
GRAVATAS LINDISSIMAS.-do melhor gosto.
BENGALAS.de phantasia, para passeio e de diversos tamanhoselc, etc., etc.
A la parfumerie Parisienne.
7 A RA DO CRESPO 1. ANDAR 7 A.
COSTIREIIIA E MODISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de partecipar ao respeilavel publico e em parcular seus fregue-
zes, que, pelas relacoes que acaba de encelar com algumascostureirase modistas das mais
afamadas de Pars, que todos os mezes Ihe mandara figurinos, de vestidos, man-
teletes e chapeos que estao no maior gosto e mais modernos, se acha habilita-
da para fazer vestidos para passeio e visitas, bailes e casamentas. As senhoras aue
a honrarem com a sua freguezia, nao deixar3o de ser satsfeitas, tanto pelo bom gosto, como
pela baratera dos precos e promptidao na entrega das encommendas ; tambem tem bo-
S!JI ^y^tomoderaosedetodasas cores. Fazem-se chapeos de todas as qualidades
tanto de filo como de palha. H
FLOR M BOA-VISTA
AS BOUBAS CURADAS

Todas as molestias sypliiliticas.
PELO
DE
GUIMARAES
ELEXIR DO DR. SEVIAL
.11 Vi" T"T ^""nereunoqueunu aceut5o tem raeiedo ao Bra-
sil, as ropubl.aadosiile na Allemanha especialmeiile nara cura das bZl
airas '^i**^ &* itJV^rt: ,
provm da empureza do sangue.
NICO
DEPOSITO
_ ha
Pharmacia e drogara.
DE
Bartholomea & C.
34Ra Larga do Rosario
34
*<
SOB A DIRECQO DO MUITO HBIL ARTISTA
ALPAIATE PEDRO

Nesta olficina encontrarao os respeitaveis freguezes um dos primeiros artis-
gradas! desta ddde especialidade em fardas), por muitas pessoas
A....4.. ^ melmoJ estab^ciraento se acha munido de um complete sortimento de
fazendas, do que ha de melbor no mercado, proprias da oficina.
9n nr ^r,?JI sort,mfnto de roupas feita que tem, vende e manda fazer menos
20 por tent de que em outra qualquer parte ( dinheiro).
48 RA DA IMPERATRIZ 48
Junto a padaria franeeza.
1" f1 FALQDB
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
NCVITII II CIIST1HTIIIITI IDI COMPUTO lOITIUHTi II
CHAPEOS BE SOL:
De todas ai qualidades I
De todos os feitios I
De toJai os presos I
RA DO CRESPO N' 4
SOFFRIMENTOS DESTOMAGO, CONSTIPACAO.
Cura em poucos das pelo CARvio de belloc em p ou em pastiUus.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Esasaflecesetsio di>-
sipadas rpidamente pelas PEROLAS D'ETHER i D: CLUIT.O.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os soflnnicntos que nccessilam do
emprego dos forniginosos s3o sempre comliatidos cora o melhor resultado
pelas PlLUiAt de vallet. Cada I'ilula tem incravado o iioiue ViLLT.
# |
PO DE ROG. Basta disolver um frasco deste p em meio
garrafa d'agua para se obti'r una limonada agradavel que pvu-ga sem fa-
zer clicas.
VINH DE QUINIUM de Labarrtque. Este vinl.o, um dos
poucos cuja composivao garantida constante, uina das milliores pre-
parac^ocs de quinlno, sem acco notavel sobre os convalescentes, dande-
lhes forjas e apressando volta a saude. Cura as febres antigs que re-
sisti ao sulfato de qainino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parte d'cstas moles-
tias, como as sciaticas, lombagos, catarros, e tedas as dores nervpsas em
ge ral s.'io curadas pelas PEBOLAS OE ESSENCIA OE THEREBrNTINA do
Dr. Cleitan. O professor Trousseau em seu Tratado de Iherapemica acon-
i.-i as para screm tomadas na occasio do jantar, na dose de 4 i 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH
Garantido puro e de primeira qualidade, um dos poucos aprovados pela
Academia de mtdicina.
AVISO. Todos estes medicament.s foram aprovados pela Academia
imprrial de medicina de I'uris.
DErOSITO
Em Parla, L. FRERE, 19, ras Jacob
l'ij-jur.t'iro. Ui.iiixciielie ; Himi.vh i Pernambuco. Mai i.r.n et C1'.
Italia.....l|1SetC'. | Cecra.....Muau. et C".
I iii*v.wim 'r-'Wiw,i i'iii-n* mw
VEGETAL AMERICANO
E S A LID ADE
BART HOLOM EO & CC
Pan a cor eertt ia losses antigs e recentes, eaUrrhos pa!mnar, istlima; tos&e eonruha, eaUrrUt
troDcbias, o em goral contra todos os som-imenlos das vas respiratorias.
DEPOSITO GERAL
3k30TIC^%. SD DROGARA
34, ROA LARGA DO ROZARIO, 34
PERNAMBUCO
A therapeutici das drrersas molestias do jeito, desda
pbaryngite ou mal da garganta at a tuberculaco
pulmonar, passando pelas diversas bronchiles catarrbaes
e o emphyscma acaba de ser enrequecida com mais
este medicamento, que tomara a primeira ordem entre
todos ate boje conbecidos. O larope Vegetal Americano,
garantindo paramente vegetal, nao conlein em sua
composico um s tomo de opio, e sim somente sac-
eos de plantas indgenas, cajas propiedades beneOcas
na cora da molestias qne pertencem aos orgios de res-
piracao foram por nos observadas por longo tempo,
com ptimos resallados cada vez mais crescenies; pelo
que nos julgamos autorisados a com por o larope que
agora apresenlamos, e a oflerece lo aos mdicos e ao
publico, Provamos com os attestados abano o qut le-
vamos dito, e contamos qne o conceilo de qne j gosa
o xarope Vegetal Americano crescert de dia a dia,
deixando muito aps de si todos os peitoraes em voga.
Illm. Sr. Barthalomeo *C,O larope Vegetal Ame
ricauo, preparado em ana conceituadissima pbarmacia,
um til remedio para combater A terrivel aslbma.
Sofra en aquella molestia ha quilro metes, sem ainda
ter combatido osataqnes mensaes qoe tinha; este ultimo
que live foi fortissimo que me prostou por 8 dias, nsei,
porm o sea milagroso xarope, tomando apenas tres
(loses, e at o presente nJo fui de novo atacado. Prasa
Dea, que eu uqna retubelecido por ama ex. Rendo-
lbe, poii os mens agrdccimentos por me ter aliviado de
to horrivel mal. Com a mais significativa gralidao,
subscrevo-me deVmcs. aflectaoso e reconbecido criado.
Secerino Duarte.Sua Casa 14 de fevereiro de 1868.
Illms Srs Barlbolomeo ftC Depois de qnasi seis
mezes de soffrimento com una tosse incensante, fastio
extraordinario, expectoracte de um catarrbo amarella-
do, e perda total das forcas, que o menor passeio
me faligava completamente, cansado de tomar mus ou-
tros remedios sem resultado tiveafelicidadedesaberqne
Vmcs. preparavam o xarope Vegetal Americano, e com
elle, gracas a Deas, meacbo restablecido lia mais de
dois metes, e robusto como se nada tivesse soflrido. A
gratidio me forca a esta declarado, qoe podero Vmcs.
fazer o uso que quizerem. Sou com estima de Vmcs.
muitos respeitador e criado. Antonio Joaoum d
Culto i Siles. Recife 8 de fevereiro de 1SC8.
Atiesto qoe usei do xarope Vegetal Americano, de
composico dos Srs Barlbolomeo k C. para cora de nm
forte defluxo qoe me trouxo urna rouquido, que me ne
fatia edtender, intlammaco e dor na gargama. tosse,
grande falla derespiraco. e liquei completamente es-
tabelecido com am s vidro do mesmo xarone; pelo
qne Ibes protesto eterna gralidao. Recife 10 de Ja-
neiro de 1868. Joojuini Vertir AranUt*Junior.
Esto reconhecidoi.
SS
QUINIUM LABARRAQUE
APPROVAOO PELA ACADEMIA OE MEDICINA DE PARIZ
0 Qninium Labarraqu, eminentemente tnico e febrfugo deve ror
preferido todas as outras preparares de quina.
Os vinhos de quina ordinariamente erapregados na medicina preparam-se
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; parte disso, em razo de seu modo de preparacao, estes vinhos con-
ten apenas vestigios de principios activos, e em proporr.Ces sempre variaveis.
0 Quininm I abarraque, approvado pela Academia de medicina, con.
stitue pela contrario um medicamento de composico determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
0 Quinium Labarraque prescripto com grande xito s pessoas fracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotamento, seja por antigs moles
tias; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem dlffi.
culdade em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aos velhos
enfraquecidos pela edade ou doenca.
No cazo de chjorosis, anemia, cOres plidas, este vinho um poderoso
auxiliar dos ferruginosos. Tomado junto, por exemplo, com as pilulas de
Yailst, produz effeitos maravilhosos, pela sua rpida aeco.
Deposito em Pars, L. FRERE, 19, ru Jacob
Rio-Janeiro, DUPONCHELLE; CHEVOLOT. Pernambuco, MAREtt el C
OPPRESSO SOFFOCQO
Aa Peroim d'nher do dootor CtKRTAn apnrovadas pela Academia imperial
de medicina de Pariz acal man quasi sempre instantneamente os ataques d'asma,
oppresso, soffocacao, assim como as dores de cabeca c enxaquecas. ?uffi-
ciente na occasio em que apparcocr o mal, o engolir-se urna ou duas parolas
rom urna pouca d'agoa. com certeza o medicamento mais fcil de tomar para
este genero de doenras.
As Prroio* de (ereStenthinst do DOtoB Clertam sao impregadas diariamente
com grande xito para a cura das nevralgias, rheumatismo, sciatico c catarrhos
da bexiga, Estas petlas foram semprer.commendadas por um grande numero
de mdicos e especialmente pelo Doutor Trousseau, que indica este medica-
mento como o mais efficaz. conveniente tomar de -i at 8 na occasio das
comidas.
A approvacao da Academia imperial de medicina sem duvida a rnelbcr
garanta da boa preparacao d'stes medicamentos e de sua efficacin.
Deprnito em Bio-Jakum. Duponchci;; Omobot Em hiuUMnco, Hattrcr LC'.




Diario de Pemambuco Quinta feira 23 de Setembro de 1869.

A ESMERALDA
flliBM WHWrttMBW191 HKBU
IEMPRESTIMO SOBRE!
LOJA DE MIS
DR
ac
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado de novo, est as condi-
poes de servir vantajosaraente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
esplendido sortimento de obras de ouro e
prata de le, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, cojos preqos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate
II5 WJA DO CABUGA \ 5
ra
pri-
(SEM LIMITE.)
Na (ravessa da
das Croles n, %
mciro andar, da-se qiial-
qiier quantia sobre ouro,
prata e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condices de ga-
rantir a transaccjo que se zer em
sua casa, promettendo todo e zelo
e considerarlo s pessoas que se
dignarem de houra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mcsma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrote de todes os tamanhos para descarocar algodo, do
tnuito conbecido fabricante Eagle Gotton MACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos es tamaitas para descarocar, al-
#odo do autor New York Gotton Gin.
HACHINAS ditas de todos os tamanhos, de-carreU de ferro e ms toda a mchica.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de ayo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
MACHINAS de faco do fabricante Platt B. d C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qaalidade e as melheres que tm
rindo ao mercado ; e para a sua apreciado convidam-se os seahores agricultores "
virem a expostcao das mesmas na ra da Cada do Recife n. 86 A, loia do fiastos, nd
eacoQtraro mais o seguate :
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
\o Recife arco da Couccico n. t
Os abaixo assignados tendose habilitado na
forma das leis tem exposto a venda os seas feli-
zes bilhetes das loteriasdoRio de Janeiro na casa
cima aonde se pagarao as sorles que sahirem
no mesmo bilhete cora o descomo da lei rnente.
PRESOS.
Bilhete inteiro 84*000
Meios 124000
Quartos 6*000
E de 100* para cima a 22* o bilhete.
Figuciredo & Leite.
Notas das caixas filiaes do banco do Brasil
trocjtin-se com mdico descont, na toja de Manoel
Soares Pinheiro, praca da Independencia n. 22.
GRANDE HOTEL
DE
ORIENTE
Ra larga do Rosario n. 44
Espcoi.lidade na preparagao dos gneros ali-
menticio?, promptido e asseio as encommenflas
e boa organisacao no estabelecimento. Reeebem-
se asignaturas pera o etrfbelecimento c a domici-
lio, EacrJita-se a ieitura de jornaes aacionaes-e es-
trangeiros. Espacosa sala para o elegante joge de"
bilhaT, e ha decente e commoda hospedagem.
(oinpaahia Peruanluicaia
De ordoni de consellie de direccao da compa-
nhia Pernambacana se faz publico que somente
at o dia 30 do corrente mez serao aceitas assig
naturas de accoes da mesma compaithia cuja
entisso se acha annunciada. Pernrmhuco 2 de
selmbro de 1869.O gerente, F. F. Borges.
Na ra estreita do Uosario n. 33, pri-
meiro andar, casa de urna familia quefor-
nececommedorias-precisa-se para todo o ser-
vico de casa e ra, de serventes livres ou
scravos, preferindo-se estes.
Debulhadores para miHio.
Cybndros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de-raao.
Machinas para cortar capim.
Camos de chumbo.
3ombas de Japy.-
Ditas americanas.
Tenas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre.e lato.
Ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
'lachados americanos.
Faces ditos.
Balaios e cestas de verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
iversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Baldes de madeira ditos.
remos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Penetras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarrag.
Espingardas o revolvere.
Guarda comidas.
FerrGS a vapor para engommar.
Moinhos para refinacoes.
Azeite de espermacete, proprio para maciii-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
E' de importancia!!!
O aviso que faz o Campos da ra do
Imperador n. 28, pois s-elie pode forne-
cer aos amadores da boa fumara os cha-
rutos que to ancosamente eram espera-
dos de Costa 4 Inmaos, e sSo ellos das se-
guintes marcas: eeposiejio Normas, impe-
riaes e Havaneiros. A ellos antes que se
cabera.
0 Campes .
Tambe tem em seu estabelecimento,
a!m de muitos outros gneros anto para
.mesa, como para iespensa, o seguinte:
Camaroes seceos do Maraohao.
O verdadeiro caf de Moka,
Fumo picado do aniel de S. Joo do
Rio-Novo.
Termos de medidas para seceos, segun-
do o psdro francez, (mtrico-decimal).
ASSIM .COMO.
As tabellas qae mais aoeitacao tem merecido
das casas de eemmercio em grosso e a re-
talho, smente pea fac comprehensao e
comraodo preco, s no
Armazem do Campos
ESCRAVA.
Precisa-se alngar para cozinhar: a tratar no
Coracao de Ouro, ra do Cabnga,
AGENCIA
EM
,1
Do Dr. Ayer.
PEITORAL DE GEREJA
cura phlisica e todas as molestias do peilo.
SALSA PARRILHA
cura ulceras e cliagas antigs, empigens e darlos.
TNICO
conserva e limpa os cabellos.
PILULAS CATHART1CAS
purameuto vegetaes e sem mercurio, cura ses5es,
prgalo e purifican) todo o systema humano : ven-
de-fe nicamente m casa de Samuel P. Johnston
k C, ra da Senzala-nova n. 42___________
9 agento de compras e vendas de
escravos, Jos MartinsAlvesda Cruz achas-
se residindo na ra de Hprtas n. 96, promp-
to a desempenhar nao s o seu dever para
este fim, como para outros que seus com-
mitentesojulguem habilitado mediante suas
respectivas commissoes.
ATTENCAO
m
Aluga-se duas casas com bastante com-
modos, e vende-se urna na cidade Nova de
Santo Amaro: tratar com Antonio Jos
Gomes Jnior, em Santo Amaro.
Imperial companhia de Londres
Por seus agentes nesta praca
Samuel Power, Johnston & C.
Ra d Senzalla Nova n. 41
Faz puhlico que tem aberto urna agencia nesta
praca de segaros contra fogo.
Os agentes estao autorisados emittirem apoli-
ces, focando assim os segurados desde logo segu-
ros contra qaatquer prejuizo, que possam soffrer
causado pelo fogo.
Os agentes esto autorisados a averiguaren)
quaesquer reclamaCoes e depois de competen te-
niente examinadas a saldarem (como j tem feito)
por meio de saques sobre a companhia em Lon-
dres ao cambio do dia.
A companhia promette prompta veriicaco de
qualquer reclamacao, assim como prompto paga-
mento, concluida que seja satisfactoriamente taes
verifieacoes.
As.^pessas que quizerem effectuar qualquer
seguro bastaio remetter a esta agencia urna nota
indicando somente a ra e numero do predio que
desejarem segurar ou em que estiverem deposita-
das as mercaduras, assim como as quantias.
$**/ Pwer, Johnston & C.
A geates.
Ba da Senzalla Nova n. 42.
Aluga-se
o-segundo andar e sotao do sobrado da ra da Ca-
doia do Recife n. 60, com. bastantis cemmodos e
multo fresco : a tratar no armazen da Exposicao
de Londres.
O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico e com especialidade ao corpo do comiuer-
ci, que tem justo e contralado com o Sr. Francis-
co Torres da Costa a taberna sita na ra de Santa
Rita n. 1, livre e desembarazada : perianto se al-
guem se achar com direito mesma, compareca
no praso de tres dias, find:s os quaes por nada se
responsabil6ar. Recife 2 de setembro de 1869.
Jos Antonio Barbosa.
Fugio ao dia 6 de setembro o escravo de
Boom Graciano, de idade 30 anuos, pouco maisou
menos, com os signaes seguinte : baixo, grosso,
costuma trazer o chapeo nos olhos, cor cabra es-
caro, cabelle repartido, um pouco fila, pes cur-
tos e grossos, nariz chato : quem o pegar leve ao
sobrade junto a ponte dos Afogados, ou no enge-
nto Araujo, freguezia d Luz, que ser beru re-
compensado.
Aluga-se urna creoula livro. perfeita
uitfhr a iraiai no pateo de S. Pedro n. 1.
COMPRAS.
Com muito raaior vantagem compram-se
moedas de ouro e prata : na loja do joias do Co-
racao de Ouro n. 2 D, ra do Cabng.
0 muzeo de joias
Najma doCabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por presos mais vantajosos do
que em outra qualquer parle.
Precisa-se de urna ama que lave e engoinme
para casa de pouca famUia : a tratar na ra do
Queimado n. 28, loja.
Na ra DireHa, loja de ealcados n. 32, pre-
cisa-se de dous olfieiaes sapaleirs de ponto, que
sejaiu peritos e assiduos, paga-se bem.
0 MUSEO DE
i
GOMES DE MflTTOS IRMtOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporijoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins% tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUB1NS
de hotob gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
.,d*ns2rMirjo!a ou pedra preciosa e ^^
Ouro ep "ata
Compram-se moedas de ouro e prata de todas
as qualidades, por fcoin preco : na ra da Cadeia
do Recife n. S8, loja do azulejo.
Oomjiram-sc moedas de ouro e prata de to-
dos os valores, ouro e prata em obras inutilisadas,
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
aurives do arco daConceicao, no Recife.
i
IfUl 8BT SEfilM
Ra do Quemado n, 49 c 57 fojo
d( mudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Si!va conhecido por
Jos Bi'godinlio.
Est queirnando tudo qiiauto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso queiramvir ou mandar
vero que borne barato.
Caixas de linhas do gaz com
SOnovellos a 500
Latas com superior banha a
120, 200 e..... 400
Frascos de oleo babosa muito
fino a....... 400
Ouzias de meias (inglezas )
muito boas a 4#00C
Garrafas com iagua florida ver-
dadera ...... 1I2(K-
Garrafas com aguaidivina damc-
llior qualidade .... {300
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos .2$o06
Dita com|6 frascos muito finos 800
Oleo baboza muito lino que s
a vista ...... 300
Sabonetes de calunga muito bo
nito ...... 240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... 600
Pecas de babadinlio com 10
varas ...... 300
Pecas de fita de cs qualquer
largura ..... 50c
Escovas para unbas muito fi-
nas ...... 500
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... 240
Pulceiras de contas de cores
para meninos 200
itaixas de linha branca do gaz
com 30 novellos 600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores 040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 4000
Pares de botes para punlios
muito bonito 120
Libras de 13a para bordados de
de todas ?s cores 8000
Pentes com costas de metal
muito finos 320
Novellos de linha muito grande
para croxs 320
Ouzia de linha froxa para bor-
dado ...... 480
Grosas de botes madreperola
muito fino ..... 300
Sabonete muito finos 60, 120,
100, 240 e..... 320
Pegas de fita de 13a todas as
cores ...... 500
Espelhos domados para parede
i000 e..... 1500
Espelhos de Jacaranda muito
tino ...... 2000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol i 060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 320
Caivete muito fino com-4 fo-
lhas ...... 1300
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos .... I200
Assucar de oxido de ferro de
Chanteaud.
0 assucar Je ruginoso de Chantenud obtido
pela associaco do exido de ferro tnteircmente so-
luid com o assucar cuidadosamente purificado.
Este assucar, de urna bella apparencia crystalioa,
ten) o simples go^to mui agradavel do assucar,
sein o menor sabor adslringente : na) tem accio
irritante sobre a mucosa-do estomago e entettinoo,
e rpidamente absorrido pelo appare'.ho digesti-
vo sem causar as constipaco* s do ventre.
E' boje o preparado de ferro de mais aceiUeio
para a clilorose atona dos orgaos, perdas brancas
menstruatoes difficei?, etc., e tem a sea favof o
juizo autorisado da escola de medicina de Pars,
e dos chimicos os mais notaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bai tholomeu & C, ra larga do
Rosario n. 3i.
Vende-se dous escravos, pocas, sendo un de
12 para 13 annns, e oulro de 20 "mais an menos ;
na|iu;i do Qucimado n. 13 1." andar.
A VEBDADE
55-
55
320
600
2?CO
320
700
500
240
200
Lnvas nova
Cliegou de novo pelo Extremad'ii'e fompieto
sortimento de lavas de Jouvin, de cores eseolhidas
ultima moda : no ariwzem do- vapor rancez,
ra Nova n. 7.
Coiwpram-se e vendem se diariamente para fra
e dentfo da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sodios-: no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio.
do Rangel, padarin.
Jornaes
embrulho
para
Comp-am-se jornaes p^ra embrulho a 140 rs, a
lib^ : na fabrica a vapor da ra larga do Rosario
n. 21,
Compra-se um missal que esteja em born es-
tado ; no largo do Paraizo n. li.
rVrNDAS.
0 MUSEO DE JOIAS
NO SERID
Vende-se no Serid, ao pe da villa do Jardim,
um sitio as condijoes segnintes : um famoso en-
genho de moer com agoa e unja excellente casa
do mesmo, tem um acude extremamente grande,
que garante amplameute fatnilas de urna secca,
com inmenso e muito grande peixe, una porta
d'agoa construida quasi toda de metal, com para-
fuso de fechar e abrir, pela qual banha-se com
pouco trabalho, por va de regaefics, cerca de 300
bracas do trras agrcolas com bastante largura,
ue tem atraz do acude, quo toda se acha planla-
i de cana, tem tamhein 120 coqueiroj prestes a
dar fructrtsM! mais outras fructeiras, tem quatro
mil e tantas bracas de cerca em Lr>m
casa de vivenda, de tiiolo, e tenas
1870 bracas demarcadas. Por via das maneira<
de agoacoes tem-se semore urna constante prima-
vera : quem o pretender e desejar morar no ser-
tao, poder conversar a re^peito com o Sr. tenenle
Jos Thomaz de Aquino Pereir.i, na ra da Cadein,
casa do Sr. Luiz Goncalves da Silva di d, que in-
formar ; o. do corrente.
CAJL 1>E JLIBOA
POTASSA DARUSSiA
A mais nova no mercado, a proco razoavel: nc
armazem de Manoel T Basto, ra do Coaiui-'rcif
n. 13.
Ra do Queimado
A V 1RDADE tendo ca deposito grande
quanli lado demiudezase per fumarias, e de-
sejando apurar djeheiroe adquerir boa fre-
guezi;i el issjhida a vender muitissimu
barato, : por essa razo convida ao respei-
tavel publico a vir compelcnteiuente muni-
do a soi-tir-e do bom c harato. Pois qtian-
do a Verdadc api>aiece, tudo mais des-
apparccp....
Grande sofUmanta de bonecos de cera e
massa as mais indas possivtis vestidas a ca-
rcter.
Ricos globos para candiciro de gaz a I 800
Cbatnins a....... 320
Grande sortimento de objetos de
louca par;, brnqeedo de menino 100
Garrafa com tinta a..... 800
Dita com agu florida \erdadeira a 300
Dita com dita dita a 100
Frasco com ('Ico de babosa a 300 e 720
Dito com afua de Colonia a 300 e 300
Garrafa com agua divina a. !300
Frasco com extractos linos a 1000
Lati.8 pequeas com banha muito
fina a lOe...... 200
Sabonetes de diversas quali lades a
8MG0:2t0e......
Finas escovas para dentes de 120 a
Lindos coques modernos a. .
l'avios para gaz, diazia a 2H) e .
Escovas para facto a 300, 000 e
Ditas para cabello a.....
l'entes para tirar piollio a 100 e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pegas de tranca de la com 8
varas por...... 8fl
Oleo para machina de cos uta.
frasco a........ 000
Pennas d'afO linas caixas a 800 e H000
Dita d"ii.o Perry, caixa a. I400
Galo de alpodo poca .... 400
Lindos babadinhos e entremiios
per.i do 300 a...... i 300
Botos ito madreperola, groza a 600
Ditos de louo.i muito fino a 120 e 200
Ditos para calca a 1(50 e. 240
Caixa com papel amizade a. 700
Ditas com envelopes a. 480
Ditas com olireias a..... '.0
Caixa com agolpas fundo dourado 280
Ditas de dilas ditas a..... 100
Thesoura para costuia a 240 e 500
Caixa com linha de marca a 28o
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........ 500
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200. ....... 100
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a...... 209
Cartas portuguesas, duzia a 500
Dilas l'rancezas a 220 e 3000
Papel almaco e de peso, resma a
3,5100, 3500 e 4500
La muito fina para bordar, libra 670O
Fita de algodo para debrum de
sapatos, peca a..... 160
Dilas de la para debrum de ves-
tido, peca a...... 480
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... 320
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 20, 320 e...... 500
Caivetes grandes com molla a 320
Ditos para aparar penna a 100
Carloes com colxetcs a 40
Rosetas pidas, par a 100
Tranca de laa df caracol peca a 40 e 100
Fila de coz peca a 480 o.-. 560
Alunlos do latao a..... 400
Sapatos de laa para menino a 240e 800
Ligas para senWa, par a. ico
Grvala de sedas de cores a 200
Calc&deiras a....... 80
Grande sortimento de rendas das libas.
m par de suspensorio de borracha por
100 riiis!!!!!!!
\a YcrtSadc rsia do Q;icimado
D. 55.
estado, una
propriaa, tem
Charutos de Havana,
e grande sortimento da Baha e Rio de Janeiro,
fumo do Para, em macos e em chicote, dito su-
perior de Baependy, e outras militas qualidades,
que se venden) em grosso e a retalln, na antiga
casa de Jos Leopoldo Bourgard, ra da Ca lela
n. 1!>. _________
Predios novos
Vendem-se duas casas terreas no bairro da Boa
Visla, solo proprio, o milito bem construidas : a
tratar com Alexandre dos Santos Barros (olaria).
Para forrar casa.
Vende-se boa alcatifa pelo harato preco de 900
rs. o metro : na rita do Ol"-'mado n. 31. i >ja de
A. H. Rolim & C.
Attenco.
Vendse urna mulata moca com 20 annos, bo-
nita figuijb e sem vicios, propria p ira quem tivrr
cncommenda para o Rio de Janeiro, casta 1:500,5 :
na ra de Apollo n. 14, armazem.
Laaternas ou globos de papel
Ha para vender, na ra da Imperatriz n. 19,
urna grande quantilade deslas Linternas, indispon-
ga ve para a illuminaoao geral ao cnegar as ulti-
mas noticias do sul, que se vendem por qualquer
prego |iara acabar.________________________
Veude-se ama escrava parda, moca, e de
bonita figura : para infurmacCes, na ra da Im-
peratriz ii. 12, 2o andar.
Na ra do Vigario n 19, escriptorio de T. de
Aquino Fonseca 4 C, vende-se mercurio, vinho
engarrafado MEN'ERES, ancoretas especiaos, cal
do Lisboa, cera em velas, chapagne e cognac, car-
vao aoiinal, vidros em cautas.
los Joaquim da Costa Maia & C, ra do
Crespo n 6, acaban) de recebar a sor-
timento de pedras marmnre, como de
diversos tamanluis, laminas, Becadas, so!ei;.is c
degraos, bem como telhas de ferro galvanisado
de diversos lamanbos, que tudo vendem nmito
em conta.__________________________
Stenco.
Vende-se um piano de mesa, de Jacaranda, em
perfeito estado e muito afinado, por comiDOdo pre-
co : a tratar na livraria Universal n 54, ra do
imperador.
Vende-se una linda arracao toda de ama-
relio e com vidros grandes, muito propria para
mandar por forro por ser toda de armarios sepa-
rados que se desmancbain a contonto : a tratar
na ra da Cabnga n. 8, loja.
Vndese uina bonita creoula, pessa, de 13
annos. principios de babHdade, propria para mu-
camba, por ser recolhMa ; um prcto do 30 anuos
cosinheiro: na ra de Hortas n 9G. Na mesma
casa ba outros escravos para se vender
Escravos e escravas
Vendem-se 2 mulatas o 1 crioula, perfeas cn-
gommadeiras e cnziuheiras, idado de 20a3''.\n-
nos, .1 escravas de idade de 17 a 20 annos, com
habilidades, 1 crioula deidad 2o annos, boa en-
goramadeira e cozulieira por 1:1003, 3 escravos
para todo o servico, 1 moleque do 12 annos na
travesa do Carino u. 1.
TITjIjA uo cabo
RA DO IMPERADOR N. 37.
Neste armazem ha um granJe sortimento do
quartinhas de diversas qualidades, bilhas, murin-
gues, jarras para sala, grandes e pequeas, vaso
para flores proprio para jardim, cacos para ditos,
ditos para fonnipa, louo vidrada para ir ao fogo,
canos vidrados epor vidrar de 1, 2, 3, 6 e 10 pol-
legadas de dimetro, os quaes vende por precos
muito razoavi-s por ter grande sortimento.
Peixe abacalhoao"
[ndustra rio-grandense da fa-
brica de Ferreira Guiniaracs
& C, no Rio-Grande do
Sul.
Este peixe, assim preparado de excellente m.v-
neira : vende-se no armazem de Antonio Gomes
Pires & C, ra da Cadeia n. 53.
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoniza para tingir os cabellos
da cabeca e da barba, foi a tnica admiltida
Exposicao Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparacoes at
hoje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1&0Q0 cada frasco na
Ena da Cada n. 51,
1. andar.
Vende-se urna crioula de 20 annos com una
filho da 18 mezos, engomma perfectamente : a tra-
lor na ra do Queimado n. 28, 1 andar.
AB6000
Saias de 15a, obiocto de gosto e de excellenie
qnalidade : na ma do Queimado n. 31, loja de A.
II. Rolim A C.
Na ra
tratar.
Farfulla venda
Imperial n. 10, se adiar com quem
ARANTES
Rotinas de gorgurao de seda, cano alto,
senhora, a 000.
Botinas do pellica, ingkzns, n=. 32 e ?'.>, a 5.
Botinas pretas, cores c brancas, para menin:
a 2JO0O.
Bolinas pretas para senhora a J5000.
Botinas de vaqueta para menino a 3JO00.

para
Taberna
Vende- se a do pateo da P. V"*i%
dentes poden ce! ,pon'
da ribeira para este fim
wmva de il Taaos de idade,
cozinha o faz todo o arranjo de urna cisa : a tra-
tar ua ra da Guia n. 7.



-* *'-*

Diario de Penambuco Quinta feira 23 Je Setembro de
*" ----------1-------.------1---------; ...........
1869.
---------,-----
LIQUIDACAO
SEM IGUAL
O propnetario do armazem de fazendas denominado ARARA, ra da Impera-
tcu. Ti, declara ao respeitavel publico eseus freguezes, qae est liquidando todas as
tueuia e roupas feitas (|ue tem ein seu estabelecimento como se podar ver no sea
3Mauan e proco abaixo mencionados,
:hit as fraacezas matizadas a l Algodo enfestado 00 rs.
33O rs. Vende-se algoda"o enfestado propro para
Veiuif-se clnlas francezas escuras matiza- lenc,oes e toalhas, 900 rs. o metro, dito
ftsaSt rtj. o covado por este proco sona trangaj0 a i$ metro
j* da Arara, rua da imperatriz n. 72.
L.\ZINHAS A 2U) RS.
Veade-se la/.intias para vestidos de se-
aknn 240, 28tt, 'ii c 400 rs. o Co-
vado .
BAMSGES DI.' LA A A 500 RS.
feaJe-se barbes de lia com listras para
re&iis d saithora a 00 e 6i0 rs. o
*Ij>ac:i de listras a 399 rs.
Vea-ie-se alpacas de listras para vesti-
?ts 4to tenbam a 630 rs. o covado.
CHITAS FRANCEZAS A 289 RS.
f.'i;ie-se chitas francezas claras a 280 rs.
< avado.
CORTES DE LA PARA VESTIDOS A
a#toQ.
Vende-se cortes do lia para vestidos de
abaras a 2-HOO cada um,
i'KKCAl.KS A 440 ltS. COVADO.
Vende-se percales muito linos para vcs-
*wir,s waas brancas unas, a 300 rs. o covado,
firiianlinas de cores, a 440 rs. o covado.
Satffps modernos de todas as
cores.
Vendesabalcsmoderno sbrancoedeco-
res a ..->. i&fflOcSj.
COBERTORES DE ADGODO A 1S500.
Vende-se cobertores de algodo a i$500,
oobert; dd chitas a ltOO e 2 cada urna,
cangas para calca a 320 its.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brira de cores para caifas de hamem c
misinos a 00 rs. o covado, casemiras de
curt para caira e palitots a 2*300 e 3#,
o covado, indas casemiras enfestadas para
cacase palitots a l> o covado, brim pardo
delodui as qualidades c brim branco de
todas as qualidades na ra da Imperatriz
o. 72.
Alpacas lizas a 4 rs.
Veade-.se alpacas de cores lizas finas a
640 rs. o covado, larlatanas de cores a 320
n. o metro.
MADAPOLO ENTESTADO A 30500.
ie-se pecas de madapolo enfestado
a 3300, pecas de madapolo nglez de 24
faris a 5 61400, 7;>, 8$ e 100 a peca.
Assim como vende-se chitas para cobertas, a 240, 280 e 320 r>. o covado,
etas satea que se acabem todas mais fazendas e roupas feitas, e que pelo preco quo
vai vender ou liquidar, pouco3 dias poder durar, e quem se quizer surtir de fazendas
roupas feitas para a festa pelo prego que Iho agradar, se poder dirigir a roa da
faoeratriz armazem da ARARA, que estar aberto todos os dias otis, das G horas da
JI133, s 9 horas da noitc.
72. Ra da Imperatriz. 72.
Chales de merino 2$.
Vende-se chales de merino, estampados
a 2#, chales brancos c dd cores a 10000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Veiide-se urna grande poreo de cortes
de brim castor para calca de homem, 040
rs. cada um.
Grande poreo de retallios
Vende-se grande porco de retalhos de
chitas e cassas pretas a 160 e 00 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, la e chitas de
cores baratsimos.
LIQUIDAM A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 24,
ditos de alpacas de cores a2$, dios de
meia casemira a2# e 25300. ditos de pan-
no preto bom a 8$ o 10?$, calcas do algo-
do azul para escravns a 640 rs. ditas de
algodo de listras a 800 e 1 .->, camisas de
riscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tes de brim c fusto de cores a 15 e 10500,
coleles de ceseraira de cores a 20300 e 35,
e outras muitas qualidades de roupas feitas
que se vende por baralissimo preco.
Algodo de listras a 300 rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 40.
Vendem-se pecas de algodo 45000,
55200, 65000 e 75, para liquidar.
Baldes de arcos 105OO.
Vende-se bales de arcos pan senhoras
pelo baratissirao preco de 10500 cada um,
Cortes de cambraia barras
a 3AOOO.
Vende-se corles de cambraias barrsa a
25 e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 10.
Vende-se carteiras para viagem i0
cada urna.
AS MAS SEPAS
11--RUA DO QUEIMAD0--11
Clicgaram da Europa pelo ultimo vapor leja de Augusto Porto & C. ricos
coi tes das mais linda sedas de mimosas cores para vestidas proprios para bilcs e casa-
menli
Grande variedade de sedas de listras de diversos procos todas de lindas cores,
gorguro de seda piola, e grosdenaple de varias qualidades e gorguro de seda la de
differentes cores. J
Novos vestidos brancos de blond para noivas, lindas eolxa's 4c seda para camas,
dilas de la e sida, cortinados bordados para camas e janellas, fronfaas o toalhas de
cambraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.eelegantes sombrinhas de s Jas de cor para senhoras.
Espartilbos de 50 at 105, lindos bournous de cachemira de cor para sabida
de baile, baspiiuos de renda prela.c ditos de croch!) raneo e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Soilimeato de muitas fazendas de la, linho e algodo todas por precos muito
nioilico.
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pecas de tap-les o de alcalifa para
forrar salos ludo em quantidade; c vendera semprc'por menos que em outra qualquer
parto.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
IjOoJJL
DO
GALLO VIGILANTE
Una do Crespo n. 7
Os propnctarios dcste bem conheciilo estabele-
cimento, alm des muitos ohjectoa que linhaiu ex-
poslos a apredacSo do rospcifavel uiblico, nian-
daram vir e aeanam de rcec)>er pelo ultimo vapor
da Europa um completo o vanado sortimento de
tinas e mu delicadas especialidades, as qoaea >-
tao rdsolvidos a vender, como de'seu costunv,
por precos milito banitinUos e comuiodos para to-
dos, coii tanto quu o Gallo....
Muito superiores lavas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas jures.
Mu boas e bonita! gollinlias e ponhos para se-
nhora, neste genero o ijuc ha de

CONVITE GERAL.
O proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da Impe-
raris n. 5U, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito ser. c- desejando diminuir este grande deposito por meio de uina liquidaco que fin-
cUri no dia 15 ou 20 do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
a de boas fazendas, e por diminuto preco, a saber:
SAHfflAS DE .'BAILE
Chegaram pelo ultimo paquete vindo da Europa, lindissimas saludas de bai-
les, ricamente enfeitadas, o melhor gosto que tem vindo ao mercado : ruado
Crespo n. 13, loja das columnas, de Antonio Correa de Yasconcellos.
1UVAL Si tKHN
Ra do Queimado ns. 49 c 57-^-
lojas de miudezaz de Jos de
Azcvedo Mata, est acabando
com as miudezas de seus estabe-
ecimentospor isso queram apre-
ciar o que bom e barattssimo.
Pecas de liras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
imo.-U.Ue..... 4000
Callas de liuha com 50 novellos 500
Pares de sapalos de tranca fa-
zenda nova a......2000
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a......1$Q0
Duzias de meias cruas para ho -
mem a........tl^800
Tramlas do Porto fazenda boa
e pelo proco melhor 100 attos a 1200
Livros de missoes abreviadas a 20000
Duzia de baralhos francezes muito
finos afiOO e 280C
Silabario portuguez com estam-
pas a ........ 0320
Gravatas de cores e pretas muito
finas a........ 9500
CartOes com clcheles de latao
fazenda lina a...... ,5020
Abotuaduras de vidro para colete
^ Eazeoda lina a. 500
Caixas com penna d'aco muito
linas a 320, 00, 500 e 1,5000
Cartoes de linba Alexandre que
tem 200 jardas a 100
Carreteas de Unha Alexandre de
70 at 200 a...... H00
Caixas com superiores obreias
de massa a...... 040
Duzias de agalhas para machina 2#000
Libras de pregos !raicezes di-
verso tamanho a. 240
Livros cscripturado para rol de
roupa a. ...... 120
Talheres para meamos muito
finos a. ,...... 240
Caixas com papel amizade muito
fino a........ 700
Caixas com 100 envelopes muito
finos a........ 000
Pentes volteados para meninas e
senhoras a....... 320
Thezouras muito finas para
afinas e costuras a. 500
Tinteiros com tinta prela muito
boa a 80 120 e 320
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. 160
Pecas de fita branca elstica
muito fina a...... 200
Novellos de linha com 400 jardas 00
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a...... 2500
Grozas de bot5es de louca muito
finos a........ 160
Grande e completo sortimento de machinas para
descarocar algodo de nova inven cao enejadas l-
timamente em direitura para a loja e Manoel
Rento de Oliveira Braga & (1, na roa Direita n.
33. Oarante-se que a melhor qualidade que ata
o presente tem viudo ao mercado : acham-se em
exposicao aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
fcammos de melhor comprehensao dos que tem
vindo at o presente, assim como marcos de latao
al meio grannno pelo mesmo systema, bataneas
de latao de Torca de o a 20 kilogrammos, metros
de madeira e de latao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas e ferragens de
todas as qualidades, ludo por precos que s a vista
faz crdito : na ra Direita n. 53, luja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch A C, em
cognac asna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra do
commercio n. 32. .
BAZAR UNIVERSAL
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dera por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tara de todos os systemas, mais modernas
. adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposicao servicos a electos para almo-
mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquhsiinos enfeites para cabecas das; Co e jatar, salvas, bandejas, taboiros, bol-
^perKra^as pretas e de cores com vidri-! sas,e malas para viagem, mdispensaveis para
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver, senhoras, candietros para sala e cima de mesa,
de melhor e mais bonito. parede e portal, mangas, tubos e globos de
i e bonitos leques de madreperola, vidro, machinas para fazer caf, ditas
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
3 e 360 rs. o covado.
ALGODAO ENFESTADO TRANCADO A
1000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
-toes a 1000, dito liso enfetado a 900
o aetro.
CASSAS FRANCEZAS A 20 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
as de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 3300.
Vendem-se pecas de madapolo enfes-
ade a 3300, dito inglez de 24 jardas ou
SI metros a 5, 6, 7, 8, 9 e 10, a
pefa.
LANZLNIIAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Veade-se lanzinhas para vestidos de se-
ahra a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
avado.
8 VREGE PARA VESTIDO A 300 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 590 e 640 o covado.
4LPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5o0 rs. 0 COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
a 720 rs. o covado propria para vestido de
eaitara.
SEDAS DE CORES A I >.
'eadlfljse sedas de cores para vestidos de
1 o covado.
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 20500.
Vende-se casemiras de cores a 2.-51500 c
3r$000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 3,5000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
la a 3000, ditos de seda a 10,- cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para ca^as de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Oaagas para calca a 330 rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina brama a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos" de senhora
a 410 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a2.
Vende-se lengos brancos a 2 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho Ono a 15000, para aca-
bar.
IGRANDE SORTIMENTO
PORCO DE RETALHOS. DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Vende-se urna poreo de retalhos de cas- Vende-se a roupa feita por menos 20 ou
as, de lia e sedas o de outras fazendas 30 por cento do que em outra casa: por
amito barato proco. isso os pretendentes podero vir examinar
A' lles antes que se acabem. para ver a realidade do annuncio.
C1IALY DE CORES A 800 RS. Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
Vende-se chaly de listas de seda a 800 rs. acabar.
Machinas a vapor de
forpa de 3 e 4ca-
valios.
Motores para 2 cavados.
Arados americanos.
Machinas de fac e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balanzas para armazem e baldo.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar carias.
Fogo americano patent
aper
marfim, sndalo c osso, sendo aquelles brancos
cora lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Es<"ossa para se-
nhoras, as quacs sempre se vendern por 30000
a duzia, entretanto alm dcstas, temos tambera grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas milito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
casto de marliiii com lindas e encantadoras lisu-
ras do mesmo, neste peero 6 o que de melhor se
pode desejar ; alera destos temos tamben grande
3uanlidade de outras qualidades, como sejam, nu-
cir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos ctticolinhos de cadeia e
de outras qualiiladis.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as niiiis.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de tala airaos de idae. -
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa ves tam-
ben asseguranivs sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capillas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para enciier
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tontos para o mesmo lim.
Grande e variado soriiraenlo das roelhore3 per-
fninarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitara a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a rccebe-los por todos os
vapores, atini de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisaron, vir ao deposito do alio
vigilante, aonde sorapre eneontraro desles verda-
deiros coHares, e os quaes attendendo-se ao lim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista ds cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes 3 amigos a virem
comprar por pregos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
ExlractODi earnis
para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros, gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e aesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph,janellae porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrado
venda no mesmo eslabelecimeuto e que vale
a peni ir examinar.
Este producto c alimentacao para doentes, mui
apropriada para creancas e para as pessoas saas;
indwpenfavel a todos, porm, prineipaliente aos
viajantos, que lerao nelle o recurso de poderem
ter alimentacao de carne fresca ncarruptivel, e
que com facilidade se aprompta e se cndor, por-
que n'um pequeo volume carrega-se alimentacao
para muito tempo. Sobrctudo chama-se a alten-
o dos aenhora de engcnbos que eneontraro n
EXTRACTl'M CA11N1S o recurso de alimentacao
agradavel, hxgienica e barata para seus fmulos c
seus doentes.
Este producto fabricado pelo processo do dis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Rio-Grande do Sul,
que acaba de crear um deposito nesla cidada em
casa de Jos Victorino de Rezende & C, ra da
Cada, escriptorio n. 52, primeiro andar, venden-
do-se :
No deposito a rua da Cada n. 32.
as pharmacias dos Srs. :
Manoel Al ves Barbosa, mesma rua n. 61.
Joaquim de Almeida Pinto, rua larga do Rosa-
rio n. 10.
Antonio Mara Marques Forrcira, praca da
Boa-Visia o. 9i.
N. B As latas que contcm o extracto trazan
urna guia para seu uso.
vado.
CHALES DE CASSA A L>.
Veade-se chales de cassa a 10, e de me-
tmijiS.
CORTES DE LA A 2,51400 RS.
Veadeni-se cortes de lia de listra para
idos de senhora a 2,^100 rs. para aca-
ALGODAO A PECA 4^000.
Teade-se pecas de algodo W
afadonbo men'-'i -aar.
BALOES DE ARCOS A I 500.
Venderc-se baloes de 20 e 30 arcos a
1#500 cada um, ditos modernos a 4#.
BRIM HAMBURGO A 80000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de ilam-
burgo a 80, vena a ser mais barato do que
algodosinho.
CORTINADOS A 140000,
Vende-se cortinados para cama a 14
para liquidar. Ditos para janellas a 70.
| Todas estas fazendas se vendem muito
barato na rua da Imperatriz n. 56.
Scbonete de alcatrdo.
DI
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t5o boa
acceitaco tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura certa
ilas impigens, sarnas, caspas e todas ai
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34rua larga do Rosario34.
CEMENTO ~
PORTLAND.
Vende-se no armazem amareilo de Vicente Fer-
reirada Costa & Filno, defronte do arco da oB_
ceico, era barricas grandes.
Novidade.
UVAS EMACAAS
Chcgarara no ultimo vapor da Europa, e acham-
se venda no petit restaurant do Hotel Central
rua estrella do Rosario n. 4 A.
Vende-se gela de m5o de vcaca em
pequeos, copos por 240 rs.: na rua da
Cruz n. 13.
Na pharmaeio do Pinto rua
Larga do Rosario n. 10 junto
. ao quartel do eorpo de polica.
Acham-se constantemente promptas a se-
rem satisfeitas, as prescripcoes dos Srs.
facultativos, e as neeessidades dos enfer-
mos, as especialidades da mesmn pharma-
cia, composlas de medicamentos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
peito.
Xaropes de fedegoso, rabo de tat, Agrio
po-Cardozo, juc,mulung, mutamba, etc.
etc. etc.
Rhemuatismo e molestias
syphilitieas.
Arrobe vegetal, xarope de Salsaparrilha
do Par, pilulas e xarope do veame, tin-
tura e xarope de sicupira.
Doencas do ligado e iiaro, anemia,
opiladlo etc.
Emplastro, oleo, pommada, tintura, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa JURU-
BEBA,
SBZOES O FEBRES f.\TERMITE\TES
Ae pilulas anti-perodicas de Pinto.
inico deposito destes medicamentos na
pharmacia do sen autor rua larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
polica.
Loja de miudezas de Ferreira da Cunha-
Temporal, rua do Queimado n. 03, esl
quimando por todo preco :
Jogo de rispara a 400 e 500 rs.
Redes para coques a 240, 400 e 500 rs.
Linha da 200 jardas (duzia) 1<>200.
Caixa muito fina para p de arroz 1&>00.
Relogio de sol 120 rs.
Latas com banha 160, 200 e 320 rs.
Agua florida verdadera a 15300.
Agua divina idem lj400.
Gravatas pretas para homem 4 0 rs.
Pentes de travessa para menina ;i 3-20 rs.
Olio philocme verdadeiro 1200.
Aderecos de plaque 10500, 2$ e 5#-
Meias cruas para homem 3^500 e 4$ a
duzia.
Boles enfeitados para vestido, 1?>200 a
duzia.
Leques do santol 5$, cada um.
Dittos de madeira 3$ cada um.
Coques de tranca, boa fazenda, 2,
2^500 e ::)cadaum.
Meias tinas para senhora 4$ a duzia.
Banha em frascos a 400, 040 e 1)200.
Frascos com extracto muito fino 2$ e
Caivetes de duas folhas a 240 rs.
Sabonetes linos 80, 100, 200, 240 e
320 rs.
Olio baboza 400, 500, G00 o 800 rs.
Agua de colonia i 400, 500 e 800 rs.
Cartas francezas 200 e 240 rs.
Caixa com extracto 2)5500.
Cartas portuguezas a 120 e 200 rs.
Pentes brancos com costa de metal
320 rs.
Diltos pretos 00, 240 e 320 rs.
Galo de laa para vestido (pessa) 400 rs.
Fila de sarja lisa e lavradas, 10500,
2 ;> e -2 500.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Dilto e dourado a 10.
Ditlascom envelopes a 500 rs.
Caixa com agulhas francezas a" 160 e
240 rs.
Laa para bordar de todas as cores (libra)
GS800.
Bonels para menino 10, 20 e 20500,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
M-ias para menina (dozki) 30 e 303OO.
Pecas de tranca liza e de corocol a 40 rs.
Sapatos de laa pata menino a 320 e800,
Canellas francezas a 20500.
Facas e galfos, cabo de balanco (du-
zia) 7>.
Chicotes para cavallo 600, 800 e 10500.
Bengalla de canna 10, 10500 e 20.
Vortas para luto 500 rs. (cada urna).
Papel almaco, greve (resma) 10500.
emporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nanca, emporal contina a
vender na Bonanqa, pelo mesmo
prego que venda em sua loja
com titulo de emporal.
A NOVA ESPERANCA
21ltua do Queimado 2)
Adverte&oia!
A Nova Esper?o$a, roa do Queimad
n. 21 tendo en deposito grande quantidad
de miudezas, e como se approxima o tem-
4x0 em que tcni de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
cadorias pelo baratissimo preco, para astim
diminuir a grande quantidade das qoe
tem: assim pois, venbam os bons fregue-
zes, e os qoe n5o forem venbam ser fregne-
zeg, em tempo lo opportono quando i
NOVA ESPERANCA convida-os pechineba-
rem, pois que para eomprar-se caro, nao
falta aonde e a quem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeicSo, e ella (loja da Nova Es-
peranca) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca na do Queimado n. 21.
alm do grande sortimento qoe j tinba.
acaba de reeeber mais o seguinte :
Bonitos broches, pulceiras e brincos dt
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galloes, franjas e trancas da
seda e de.la, para enfeites de vestidos.
Botoes de todas as cores e moldes novo
para o mesmo fim.
Ti-angas pretas conavidrilhos sendo coa
pengentes e sem elles.
Botoes pretos com vidrrlhos com pingea-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados leque de saadreperula, nwr-
fim, osso e faia.
Esparlho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um coraplto sortimento d
miudezas rua do Queimado n. 21, xa
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magnett
eos contra as convulces das
creancas.
Nao resta a menor duvia, de qoe muito
collares se vendem por ah intitulados ct
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitc
pais de familias io creem (comprando-os;
no effeito promettido, o que s pdem dar.
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificaco principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna enconunenda directa destes collares.
e garante aos pais de familias, que sao c*
verdadeiros de Royer, que a tantas creap-
Cas tem salvado do terrivel incommodo d
convulces, assim pois preciso, que v&
nham a Nova Esperanca a roa do Queimad?
n. 21 comprarem o salva vida, para seria '
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ento ser i-
fficil alcancar-se o effeito desejado,. embori
sejam empregados os verdadeiros collare
de Royer.
Para cabrlolet
Vende-se um rico cavallo, bonila estampa, gordo
e mantedo, rauito trotador, bom de cabriolet; na
cocheira do Thomaz, rua de Santo Amara, defron-
te da estacao.
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao amigo deposito de Henry Porster A
C, rua do Imperador, um carregamento do ra
do primeirt qualidade; o qual so veade em partida.-
e a retalho por menos preco do que em outra qual
quer parte.
0 cordeiro previdene
Rua do Queimado n. 16.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que etTectivamente esl prvida a
loja do Cordeiro Providente, ella acaba de
reeeber um outro sortimento que se tonta
QOtavel pela variedade de objectos, supemn-
dade, qualidades e commodidades de pre-
os; assim, pois, o Cordeiro Providente ped
i espera continuar a merecer a aprecia^
io respeita^ 1 publico em geral e de su
boa freguezia em particular, nao so ate-
tando elle de sua bem conhecida mansidaw
d barateza. Em dita loja enconlrarao os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadera de Alurray & Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de Cor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
sseio da bocea.
Cosmetiques do superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
d outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocme verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade.
ooin escolhidos cheiros, em frascos de dii'c-
rentestamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mlios.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Gaixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
ben de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e algons d'elles ornados de flores e fitas,
estSo todos expostos apreciacao de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Flvellas e Atas para cintos.
BeBo e variado sortimento de taes objec
tos, fleando a boa escolha ao gosto do com,
pr*dor.
1


u
Diario de Pernambuco Quinta feira 23 de Setembro de 1869.
inii
i
Resta mu escolbido sortimento de ob
Jectos de marcineria, como sejam, mobilias de Ja-
caranda, mogno oamirello, obra nacional e estran
ge, de apurado go-to e porprdr/x raioaveis:
ua na eetreila do Rosario n. ai. Nesta mewul
casa azem pcrfeico todos os trabalhos ;U [
palhinha, como sejam, cmnalhamentos de lastros i
pan cama?, cadeiras e sopnas.
MAAT~
Tomeras para passagem d'agoa, de divenas
crossaras : na raa do Queimado, Azcvedo 4 Ir-
min.
IIVK
A ra do Livramcnto n. G, contina a ha-
ver para vender por procos rasoaveis, o
mr-mor vinho verde at hoje vindo a este
morcado.
X
X
__
DE
EM CONTINUADO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
VittSmS**
Grava tus patrio ioas.
Pele ultimo vapor ehegaram de enrommenda
especial grvalas brasilea-, inw apa pnr.i os
prximos festejos da c mclu-ao da gacrra, A ven-
da aro casado cabellereire Jayme, rna ao Quci-
inado n.
h.
>

** ClIMAt>6
DE
FEIIX FEREIIIA DA SILVA.
Garante-so cafa, portant faz
conta. Restando apenas algumas
mercadorias o armado da liqui- u
d.ro <1o rmatela da luja ra l.
N \.i n. 00, faz-se scienle ao pu- l_
Mico interessado, ane liqnida-e a
rmaca e mercadorias existentes ^-;
nimia no dito armazem, e por con-
seqnencia 6 negocio irrrontesta-
vdmunte vantajoso, visto (po so
garante a casa : quem pretender
dirija-se tratar no mesmo arma-
zem.
O proprietario deste grande estabelecimento tendo sido o arrematante da
ex ti neta loja dcnommada=JAfl/)/.l/ DAS DAMAS na da Imperatriz n. 30, e nao
Ihe tendo sido possivel, na mesma loja, concluir a h'qiiidaco da grande qnanlidade de
fazendas que alli existiam, pelos poucos das que teve at entregar aa chaves, vio-se
obrigado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabelecimento, o=PAVO
onde o respeitavel puDlico encontrar um grande sortimento das melhores fazendas de
linho, Jaa, algodao e seda, que se Ihe vender muito mais barato do que em ovttra
qualquer parte, com o im de apurar dinheiro, e as pessoas que negociain em pequena
escala, tanto da prac-a como do matio, nesta casa poderao fazer seus sortimentos em
pequeas ou grandes porees, vendendo-sc-lhes pelos precos que so compram, n s
casas inglezas; assim como as excellentissimas familias poderao mandar buscar as amos-
tras de todas as fazendas. ou mandar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas
casas; o estabelecimento se aclia constantemente aberlo das G horas da manha s 9
da noilc.
m
Cm
Vc:ide-se verdadeiro cimento ; na rna da
Mi Ir de Dos n. 12, armazem de Joiio
Martina de Barros.
Explendido sortimento de '^hincha do pavao para escravos
roupas reitas
NA loja do pavao ra da
IMPERATRIZ N. 00
Vende-so .urna grande poreo de esta-
menha mesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e caifas para moleques,
Acha-se este grande estabelecimento com- sendo una fazenda escura trancada e muito
pletamente sortido das mclhorcs roupas, encorpada, pelo batato preco de 200 rs.
sendo calcas palitts c coletos de' casemira, o cavado, fazenda que sempre se vendeu
do panno, de brim, de alpaca, e" de todas' por muito mais dinheiro.
as mais fazendas que os compradores pos- j Cortluados
sam desejar, assim como na mesma loja Para camas e janollas.
tem um bello sortimento de pannos casemi- j Vende-se um grande sortimento eos me-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer Ihores e maiores cortinados bordados pro-
A AGUIA BRANCA tem conviccSo de que a abundancia de objectos de novdade-
em seu constante c completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, o a limitaeao de seus precos, estao na op nio do respeitavel publico
em gcral, e na de sna boa freguezia em particular; mas nimia assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepeo (Paquclles objectos que esto alm do commuui,
como bem sejam :
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, fie.
Bonitos passarnhos de metal pratcados,
para segurar costuras, tendo almofadinbas,
de velludo ara agulhas e alfinetes.
Thesouras de dnas, tres, quatro e cinco
pernas para irisar babadinhos.
MUCO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
SSste estabelecimento se encontrar diariamen-
te um completo sortimento de pastelaria de todas
as qualidades para lanclio e sobremesa, ele, etc.,
b 'iinis de todas as qualidades para cha, presun-
tos de fiambre, bolos inglezes, pudias, e finalmente
lude i|ue consiste cm ama boa pastelaria, com o
maior asseio c esmero, cha hyssn, preto e miudi-
nho di melhor que ha <> mercado. Nesta casa
..'in-se eni'oinmi'ndas para easamenlos, bailes
i laptisdos, coinpreineUcnlo-sc os donos do cs-
a l.idi'.-imcnto a ser ir o melhor que for possivel
a ventado do fregnez, disponJo para esse tim de
um completo pess.al. ReaM ipialqner eneommenda, como sejam, bandejas,
o dos o paes-de l decorad is, doces d'ovos, seceos
ile calda c rryslalisados, fruetas iiaeiooaes e cs-
traageiras, amendoas confeitada^, um completo o
variado sortimento de caixinhas de todos os gatea
e precos, para mimosear seahuns ; estas caixi-
ahM recenteinen'e chegadas dfl Paris, sao de pri-
morado go lo, olerece molas aos galanteadores do
belfo sexo, pois nellas senario um digno c serio
presente para as lona* de sem pensamentos. lico-
res, vinlios linos de todas as qnaliitades, conservas
lautthos em latas. Os deiMM de-te estabclecimcn-
es aao so pjupindo d;sp.,v.is, fateni tolos os
otorcos para servir o respeitavel publico o me-
h or que for possivel, e sendo principiantes c iu-
e odo oom toilas as dimVldades, esperam a eon-
on*)KM ilo respeitavel pubiieodasia capital, na-
cionaes e estrangeiros. Pcchincba : legitimo vi-
nlio moscatel em caitas, que se vende por commo-
do proco para particulares e para negocio.
41 31 -^1 ~j'|";h}->'!! MiW
qualquer peca de obra, com a maior promp-
lid3o vonlade do freguez, e nao sendo
obrigados a acccita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, cerouias de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-ihe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra. da Impera-
triz n. 00, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
Espartilhos a s.sooo na loja do
l*avo
Vende-se ;ima grande porcSo de esparti-
lhos modernos com o competente cordao,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 30 cada um.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1J800
Chegou para a loja do Pa\5o, ra da
Imperatriz n. 00, urna grande porcao de
pecas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a I2000 rs. cada par at 25^000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
BALOI-S MODERNOS E SAIAS DE LAA
Na loja do Pavo vende-se os mais mo-
dernos baloes reguladores tanto de musse-
lina como de liia de cor, e as mais moder-
nas saias d-513a en restada, mais barato do
que em outra qualquer parle.
SULTANAS
Chegou para a loja do Pavo um grande
sortimento das mais lindas sultanas, para
vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
com listas de seda e os padroes mais novos
que tem vindo a es'e mercado, vendendo-se
a 15400 o covado, na loja de Flix Pereira
da Silva ra da Imperatriz n. GO.
ORGANDY BRANCO.
Vende-se o mais moderno organdy braneo para
vestidos com listras largas e miadas, assim como
una grande porcao de camhraias braocas, tapadas
e transparentes, tendo das mais bsixas de i000 a
peca, at as mais finas de 10 ou 125000, todas
esuis cambraias se vendein mais barato do que em
outra qualquer parte.
COLCHAS DE FSTAO.
Vendem-se colchas de fustao brancas e de cores
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
juando abortas.
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras c os
mais necessarios dourados c de madrepc-
rola para costura, obras-de apurado gosto
e perfeicao, proprias paro um bello, pre-
sente, tendo algumas com musi;a.
Estojos ou carteiras de ecuro com nava-
lhas, c os mais necessarios paraviagens.
ESCOVAS DE MARFIM
-Paraunhas, dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, canelas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capel'as com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofacs de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e Iran-
selin dourado.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Sbotoaduras d"aventurine com o pe de
prata dourada, para colletes, cada um .-i
Botes de cristal, encastoados em prata,
para pininos, \$ o par.
Camisas de flanella para homcm, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de 13a para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, lecido de borracha, para
quem soffre de inchaeao as pernas.
Ao pubiieo.
las Vital de Xegroiro*, rom |op r ,firim *
cunves a rua do Imperador n. 3^.HMk> mw*r
liaran, ronrerta qualquer joia yr meltulr *-
CO que cm oulra qoalquer paite, eompra cr ca-
lilo, prole, o pedras preciosas : sei \ boa no* ttt-
pareeam para saberem da vrrdaiie.
Bom negocio
Vende-se duas peijinoias casas de p.'A.i
e cal, situadas na Baixa-Verda na (iiptukjja;
quem as pretender diriga-se a est; tv.>-
graphia que achara com quem tratar.'
Vende-se um soirado de do- >-
na rua do Bru, frcjrnezia de g Bonnfw
n. 18, com bstanles commodos, e dnas e&f4m*
no fundo do mesmo sobrad, eom frente i
caes, pi-rtencute ao mesmo, e ai loja* di> <
sobrado sao proprias para um bom n lltlilsiiUM
to : a tratar no mesmo sobndo.
ESCRAVOS FUGEBOS.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
merecen ao fabricante o pomposo titulo de
Non-pliis/iltra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intclligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim cusa cada
papel apens 200 rs.
Provavclmente d'aqui a pouco abundaro
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras conlinuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrevcr minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se ackam venda na
loja da Aguia Branca, seria seno impossi-
ve I ao menos nfadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa c amiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconheccr a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca roa do Quemado n. 8.
As autoridades polifiaes e &
quem competir.
No dia 20 de maio do Mtrrento m o-
gio o escravo Esequie', rrionlo de :n> i y-j
annos de tade, estattrra regular, reforratto
cor bem preta, cabera redrtn la. trajava ca-
misa azul a caira de casmiii a cmzenta; ite-
rante o dia costuma andar ganhansJft aas.
raa, or em armazens v ossucnr (b n.is
tabernas a conversar a a bdber; t
noite rccollie-se a teltieiros aberlns oo.ft-
netraveis, a casas em eonsti uc(,a<> a ou-
tros quaesquer lugares onde se pessa ali-
gar: quem o apprehender buha a lionJwlf
de o conduzir rua da Aurora n. 2t. Mis
ser gratilicado.
Kugiram do enf ta
do termo da Bocada, na noite ik
10 para f\ do correjite, loo es-
cravos mnlaios, os n.,aes fcvar
comprado1-ao K\m. Sr. bara#-
Nazaretb ha lo dias pouce> tufe
ou menos, >endo Juiio, idad t.
30 a 3 anuos, bem barbad, pe;
tea cabelludos, tem es dedos ios ps, isto
miimos curtos c quasi que Irapamjiiu no aari
tendo todos os dentes de frente, con ,.
leva chapeo (Ib cmiro de arlaurjo, ealca atti fte
algodao que Ihe chamain polle d'uiiea e col .t >:
de baeta escura e raa Igoma ronpa, foi sri
do Illm. Sr. tenente coronel Agostinh .
Mello, de Ouricury, o outre de nome Feli| w.
bra, alto, bom corpo, idade 2ii a4iuos |Kiiifo Ba;?
ou uien.os, levou chapeo de couro de abas f.ir:c,
calca azul de algodao que Ihe chamain pella dos
ea c cobertor de baeta escura, M escravo iV
Illm Sr. Eduardo Pereira de Souza, da proviri*
da Parahvba, que o vendeu pee son procuradora
Sr. Jos Lopog Atlieiro ; quem o ap|irhemfci |
levar ao mesmo engenho Plrmess nu no R
escriptorio de Domingos Alvos MatbiMis, a roa
Vigario n. 2t, sor generosaotanta neooiBomao
metro e urna quarta, e para cama de casal, pr (me muito cm conta, na loja do Pavao.
ATTENQAO
Grande e til no-
vidade.
Taliellas comparativas dos precos de |
qualquer genero de poso polo antigo s\s- |
tema ao moderno MTRICO DECIMAL, S
trab.ilho luje lo grande milidade, por- |
que com um simples pnlpe de vista v- fi
se a nriacio do proco da lilira ou da ar- a
roba com o hilogramma sem se perder 1
D.0M so li.iooo, p mpamio assim o tra- fi
balho de tur o calclo e evitar de si 5
os engaos. Estas taacHas sao hoje, m- ?
disponsaveis todos que negociam com R
alajodao, aasnear. conros xarque, mo- 2
Ib id i -. ferragens o todo qualquer genero f
ou artigo de peso. Alguna exemplares S
que restam, vende-se rna do Crespo ,?
n. 13, loja dos Sis Andrade & Mello, |
Madre de eus n. 24, armazem do Sr. fi
Amorto), e \"igaiij n. I, primeiro andar, i
Novidade !
Parl baies
Bicos cortes de tarlatana bordadas a
seda, com o campo prateado, fazenda do
ultimo gosto; tambem ha setim branco e
de cor (Macu) para assombriado deis
mesmos.
Para baptsados
Ricos cnxi'vaesdi! cambraia branca bor-
dada com todos os pertences.
Para casamentus
Raos cortes de olonrt de seda com as
competentes v.as capellas; tambem ha
raoreaniique, gorgoro e grosdenaples ludo
tinoco para o mesmo im.
Para passeios
Ricos cortes de seda de c6f e Dretas,
sedas de todas as qualidades, pelerinas de
filo de seda ultimo 'josto para hombros das
Kxmas. Sra*. fejtwnefl de guipo brancas e
prttas ultima novidade, poupelinas de seda
e linho,. oliapelinas pretas enfeitadas de
s. pimteadores, camisinhas, saias bran-
cas bordadas, punhos *golrtrhas no mesmo
intos de seda de cores e pretos
ultima novidade em Paris; tinalmente
outros muitos artigos do gosto, os quaes
se tomara raassada pttbttaa-los por serem
de militas especies. Recebem-se novidades
por todos os paquetes, tudo descrito se
encanto* na loja do Paco, a rua do Crespo
n. 7 A,
9%hermm9n e oro naclomal
Vende-se mais barate do que era ontra qoal-
quer parte : em casa de Carlos P. co Lemos & C,
jraa do Vigario a. 10, armazem.
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato proco de 1(5800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco'.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcSo de cera de
carnauba cm .saceos por preco mais barato
do qlie em outra qualquer: na loja do
Pavao rua da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o covado.
AS BASQUINAS DO PAVAO
Chtgaram para a loja do Pav3o as mais
ricas basquinas do casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
feitios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muito em conta.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de lila de
todas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laazinlias, alpacas lavradas e lisas, eantfto,
bombazinas, merino, etc., que tudo se vende por
preco barata.
NOVAS BASQUINAS COM CINTO.
Cbegatan as mais modernas basquinas de gros-
denaple preto, ricamente eufeitadas, sendo de um
fatuo iuteirameiite novo, com ricos ciutos largos, e
vendem-se por preco razoavel
CASSAS PRANCKZAS.
Vende-se um elegante sortimento das mais finas
o mais modernas cassas francezas que tem viada
ao mercado, sendo com padroes miudinhos e
grandes, e vendem-se por preco muito cm conta.
AS SEDAS DO PAVAO
"Altas novidades.
Pelo ultimo vapor chegaram para lo)a do Pa-
vao, que vende mais barato do que em outra qtial-
quep parte, as sojas seguintes : ponpellnns ou
gorgures de linho e seda, com os mais delicados
pidroes, sedas de listras, padroes inteiramente
novos, groz de todas as cores, sendo verde, azul,
lyrio, rosa, cinzento, etc., sean*, branco, azul,
verde, xo, lyrio etc., etc., assim como um gran-
de sortimento do grosdenaples pretos de todas as
qualidades, e superior gorguro preto de seda
para vestidos e colletes.
AGilACIAN'AS.
Chegou esta nova fazenda c m o nome de Gra-
cianas, sendo de una s cor, lyrio, rOxo, verde,
azul, etc.. etc., e muito encorpada, com lustre pro-
piiameiite de seda, sendo melhor o mais moderna
que este anno tem vindo para vestidos, c vnde-
se pelo barato preco de 2 o covado.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavo.
Chegou pelo ultimo vapor um grande sortiinen
to das mais modernas e mais bonitas alpacas la-
vradas para vestidos, fndo entre ellas algumas que
fazem a vista propriamente de seda, e vendem-se
por precos muito em cona.
GURGUUAO PRETO.
Chegou para a leja do Pavo o mais encorpado
gurgurao de seda preto para vestidos o colletes,
que se vende mais barato do que em outra qnil-
quer part\
MADAPOLAO ERANCEZ
A 700O, s o pavo.
Vendera-se pecas de madapoln francez com 22
metros, pelo barato preso de 7*000, dito enfestado
com 50 jardas a 7*000, assim como finissimos na-
dapoloes francezas e inglezes, ditos de jardas, qne
adem mais barato do qne em outra qualquer
por haver grando porcao
AS CASSAS DO PAVO
Covad a 309 rs.
Vendem-se finissimas cassas francezas com lia
dos deteahos o coros fixas a 300 rs. o covado.
CHITAS BARATAS
a loja do Pavao
Vende-se urna grande porcao de chitas escuras.
elaras, de eores fixas, por precos que admiramn
ORGANDY DE COR
A 360 rs. o covado:
Vendem-se bonitos organdys de cores com bo-
nitos padroes e lixes a 360 rs. o covado.
CAMISAS PARA SBNIIORA.
Vendem-se finissimas camisas francezas borda-
das para senhoras, na loja do Pavao.
BAREGES A 500 BS.
Chegou para a loja do Pavao um grande sorli-
mcnlo das mais lindas bareges transparentes todas
de laa, proprias para vestidos e roupas para me-
ninos, sendo com as mais vivas cores, tendo de
listras, quadrinhos e lisas, c vendem-se pelo bara-
to preco de 500 r*. o covado, nicamente na loj'a
do Pavo.
AS CELEZIAS DO PAVO.
Vendem se a? mais linas celezias, esfiides c
bretanhas de linho por preci muito em conta.
VENDE-SE
A PBEOO F1XO E MDICO
SOMBBIMIAS de setim verde- ultima no-
vidade para senhoras, a 13 c 2.'i j.
LINDOS cortes de tarlatana orvalhada, pro-
prios para bailes a IO.-J, J:i, l.'i, 17*
e MOOO.
ESPECIAL sortimento de coques afeitados
e lisasultima modaa 600, 35OOO,
3^500, 40,- 40500, 50 e 0 >.
GRANDE e bello sorlimcnlo.de chapeos de
palha da Italia, elegant.'mente enfeitados,
para senhoras e meninas a 15;>, i, 130,
H0 e:)0.
rRAKCAS E CACHOS imitaco de ca-
bello, [iara senhoras, a 10800 e 800 rs.
GBANDE e agradavel sortimento de gui-
pur uu croch pelo, em pegao metro
a U, 30oOO, i e v
DITO branco a 20500, 30 B 3->8<).
LINDO FI'.(') de seda branca com ramagem
O nii-tro 50500.
LINDOS e ricos aderecos de plaques du-
bls, com briliaiilinas, rubina, csmoral-
das, perola, e camafeos ; nao ha diffe-
reoo* do uro de Ioi e-onsar*'a por lon-
co temno a sua cor nalnral. v.-nd.'-se a
i|, IS.;, 30, 45, UJ^> c _J osle
piego e menor ao feitio de qualquer peca
verdadeira do mesmo trabailto.
BONITAS CORRENTES do mesmo metal
para relogios, a 6, 80 e 100, no
BAZAR DA MODA50 -RUA NOVA
* Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de tima efflcacia vordadeiramente ma-
ravilhosa cojno calmante do systema nervoso
e applicado contra a paralisia. nsttiua,
tosse convulsa oo coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, suffocaees, catharros,
bronchicos, etc., e om geiral contra todos
os soffrimentos das vas respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua virtude contra
o ttano ou espasmos, e convulses in-
contestavel, e ninguem ha que a desconhe-
ca. Rua Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Ter?o.N. 23.
SIMIO DOS SANTOS 8- C.
Os propietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados, parlecipam
aos seus numerosos freguezes, tanto desla praca, como do matto c igualmente aos ami-
gos do bom e barato, que teem um grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
dorias e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
menos proco do que em outn qualquer parte, por ser maior parte destas mercadorias
compradas por' conla propria, por isso quem comprar al a quantia de 1000, tera cinco
por cento pelo seu piompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
armazem.
GAZ AMERICANO 90 a lata, a 400 rs.
a garrafa c G0f> rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO F1GUEIRA i 560 e
040 rs. a garrafa, a 40500 c 40800 a cana-
da, a 720 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 30 e
30500 a caada, (JOO e GO rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
VINHO BRANCO DE LISBOA a GOO rs.
a garrafa, 4-j50O a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VEBDADEIRO DE LISBOA a
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 20200,
10800 e 10400 a caada, 3G0 c 80 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 3 10440 e
10280 a libra, 3;>I40 c 20800 o kilo-
grainmo.
DEM FRANCEZA 960 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 1980 c 10870 o kilo-
grammo.
DEM PaRA TEMPERO i CiO rs. a 11
bra, 10400 o ktlogramrao, em porgo se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 10570 o kilogrammo, em
porcao se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e 30800 a arroba.
ALHSTA 240 ra> a libra e 520 rs. o
kilogrammo, e 60 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO G0 e 60500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra, 4 ii* e 520 rs. o
kilogrammo.
SABAO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
_ 260 e 200 rs. a _
570 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa ha melhores que ha no mercado,
abatimento. 30200 a libra, 70080 e 60540
620 rs. o kilogrammo, cm porcao ha aba-
timento
BOLACHINHAS EM LATAS
SAS QUALIDADES, a 10 e 10400 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. cm caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCIA, 3 280, 400 e 500 rs. o masso,
30200 e 60500 a groza.
A\li;iXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 30500, 50500
6 I a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e em caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, cm caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA H 50500
a du/.ia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSde
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia,
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA ;i 70 c 60 a frasqueira, e 500 rs. o
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a Irveqoeira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30, 20800 e 20400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 110500 por
14 kilogrammos.
CHA FINO, GRADO E MIUDINHO os
30 e
o kilo-
No dia 15 de agosto ultimo fupio do mm A
Sr. r. Joo de Hollanda da Cunba, a rua de Ifcih-
fica, na Passagem, n. 48, onde se achara atufa*,
o moleipie Francisco, crioulo, bastante pe*, il-
15 anuos de idade, com um signal de queimaaor*
no hombro esquerdu, irajava calca e jaquel* 4
brim, consta qne se acba serviodo em lijo de .-
palhador, de que olcial, ou lingiiulo que pfr-
tende aprender esse oPlc o, polo que si pi itesta
contra quem lhc der agasalho ; quem o appreUen*
der, queira leva lo rua da Aurora n. 2*s. pa-
sera jiraticado.
Multa attencao
Fugio no dia 29 de jiinho o escravo Manoel, t-
narao Angola, idade 50 anuos, pouco ni ais lia pte-
nos,-com os signaos seguintes : falta de denles i
frente, andar vagaroso, pernas finas, marcas tlr. \n-
xigas, levou calca e camisa de risradinlio, rnapo
de palha novo :' roga-se aos sanhores capitn 4*
campo de o prenderen) e levarcm-no rua Direita
n. 16, que serao generosamente gratificados. Bes-
conliase que anda pelos engenhos do Cabo.
Fugio no dia 1" do cnenlo, do engec
Duas Boceas, sito na freguezia do llin l'en;''.-, .-
escravo cabra claro de nome Saturnino, sendo .-pi-
co do corpo, alto o fallante, ps bem feitos, vei d
sertao do I'ianr e oi vendido nes.a praca era
jullio prximo passado pelo Sr. Pedro Jurga 4a
i Silva Hamos, esuppoe-se que lugi para o ruesmu
DE DIVER- ser'';i,l levando calca e camisa do alg< i
chapeo de cuuro c ora inahilao de coui
llia com alguma roupa : por isso pede so a-
ridades policiaes e ea pitaes de campu de o tap~
turar e entregar no mesmo eogenho ao si-n sesluir
Seba-tiao Antonio Accioly Lius W'audcxlay, n
Recife, rua da Mocda n, 5, 2" andar, i scripl i i
Manoel Alves Ferreira & C, que serlo fe rwa-
mente recompon-ados.
MASSAS PARA SOPA. MACARR.iO, TA- grammo.
LHARIN E ALETRIA, 800 rs. a libra e DEM PROPRIO PARA NEGOaO 20700,
1075Ookdogrammo. 20500, 20200 e 20 a libra, e 50450 e
SEVADINHA E SAF 280 rs. a libra e 40180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, (foguicas de Lisboa, marmelada. con-
servas gela do marmello, pecego, ervilhas, pcixe eu latas, sardinhas de Nantes,
vinho verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoce, commho, pimenta, grandes
raolhos de seboila 10500, inalmento muilo mais gneros que
mencionados. _________
enfandonho
ATTENCAO
No nraiazem da rua de Apolle n. 28 ka para
vender urna cadeirinha ou palanquim com todos
* pertences, em muito bom estado, e por preco
commodo.
Oh que pechincha!!
Percales de duas larguras, cores fixas, a 30 rs.
o corado > s se vende por este preco por ser
!;rande qnantidade : na casa das seis portas em
rente do Livramento. Dam-se amostras.
CIGARREIROS.
No armazem n. 18, travessa da Madre >Deos,
rende-se papel de seda para cigarro, marca muito
grande, e superior qualidade, por prego commodo.
Vende-so nm escravo moco e do bonita flgO'
ra, pedreiro de toda obra, e perito cm assentamen-
to de engenhos, e muito bom cozinheiro : na es-
trada de Joao de Barros^ sitio n. 29.
,)IMIIIII K
Fugio da casa do abaixo assignadw
o seu escravo ae nome Eugenio, cri-
oulo, idade 50 annos, pasco ma < a
menos, estatura regular, cor
cabeca calva, barba mesi lada. I
marcas de bexigas, pernas fiuas, eptitttta-se o.rv.
foi escravo do engenho Cacalina, e sopn&e-se an-
dar para as bandas de la : quem o'pefar leve-o
ao hotel do Universo, rua do Trapiclie n. 2. qw
recebar 50 de gratifica c.ao.
Mederic Arnoult.
AVISO
Fugio em dias do corrente mez do engenho Pv-
mcntel, o escravo Sifverio, preto, de 20 annos &e
idade, rosto redondo, altura regular, com um pe-
queo buco de barba, testa pequena, falla de-
caneada, e quando falla volve os ollios para cima,
este escravo fui comprado ao Sr. Jos Antonio V
Albuquerque, da cidade de Goyanna, para onde
talvez tenna seguido : pede-se a todas as autori-
dades a sua captura, eo conduzirem ao refer*
eageabo ao seu senfcwr Francisco de Paula d'JV
buquerque Lima, oif a rua do Imperador n. Ti,
primeiro andar, que serao generosamente recom-
pensados.
Fugio de casa de sea senuor a ejcrai a Ro-.
Uaria, representa ter 40 annos, com cicatriz ik
braco eoutra na p provenientes d qneimad'.im-.
foi comprada ao Sr. or. Jos Mara Mrseos 4
Veiga PeMna, foi vista am Cacliang a procura A
mesmo Sr. Dr. Mo&coso : quera a apprehendc-la
leve rua dos Prazeres n. 50. que sera gratifi-.
. Fugio da casa do ahaix asignado o su >-
cravo de nome Jolo, crioulo, iade o'O annos^piw-
co mais ou menos, estatura regular, cor preta, ja
pinta, pouea barba : quem o pegar, leve-o San-
t'Anna de dentro, que sera bem rccompenoaijo.
Joao Venancio Machado de Paes.
Cha oni-piirgavo e depurativo
le Chanibard.
Compost uas plantas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o cha
toni-purgatiro de CAorooawj possue um gosto sabo-
roso c um aroma suaissimo, o as propriedades as
raiis notavefs .-obre a embaracos do estomago,
dos intestinos e do fijado, o dcsob*truente por
excellcncia na conspacao do ventre, e vio tem
resguardo algum. Depurativo especial e directo
das hiles e dos bumorea, refresca o sangue dopu-
rand-o.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bwtholomeu & C, rua larga de
Rosario n. 3i.
Urgeneia
Gonealves & luixeira tem p-ra vender travs
, de qualidade c mi 40 palmos do co ito e
112 pollcgadas de grossura : na esquina 'da rua
I da Penha n. 8.
T,
l
Fugio no dia 13 do corrente, da casa dos aUin
assgnados, o escravo mulato, de nome Liberal,
com os sigaaes seguintes : cabellos crespos e
lado ha pouco, cor plida, descarnado do rost*
como ornousquerdo aperlado proveniente dennt-i
pancada, com falta de dentes na frente, e quau*l
sorii inostra nina presa do lado direito, tem i
ca barba e rala, as maos caejadas do trab
em retinar assacar. tem 1' s de bieh;>
eatomago e as pernas com Barcas V feridas, -
vou calcas novas do ganga de listras e do i
branco, e outras de brim pardo usada?, jaejuv ;
preta de alpaca de cor.lao, cha
de recruta.e camisas brancas de n
lula-se lina, cosluma mudar o no
do e toma rap : mga-se
rl.ZT/G&m Tralnaco d rn do Man.
i, que o levom ral
jen-rosararnte -
Luiz Antonio Genial ves Penna &. C
118,'qe sero gen- rosamente i
i i


.

:,

Diario de Pefnainbuco Quinta eira 23 de ti* SeVehibro 1869.
=
JURISPRUDENCIA
retaso conA, dirigido pelo M. amonio
d: Vasconcelos M. de Diummond. sobre
A EXIGENCIA QOK SK LHEFCXBG PROVISO
TABA PODER OONTIM AR A ADYOAU NO FORO
KCCLESIASTICO BEM COMO AOS EMAIS SEUS
C01.1.ECAS.
I
Skniior Para Vossa Magostado Impe-
pcrial recoire o Dr. Antonio du Vasconcel
]., Menezes do Drummond, da respeitavel
deciso proferidano requei monta junio
pelu uisiincio Bispo Diocesano de Peniam-
baco, polo que passa a expr.
Hawndo o Dr. Vigario (eral daquella
Hcese feilo publicaro Aciso. Eictal, ou
a Portara de 11 de Setembro de 1868,que
ninguera seria admittido requerer, e pro-
curar pelas parles peanle o Jaizo Eccle-
siastico, sem previa proviso, ao supplican
te pareceu, que nessa sua dclenninaro nao
so achava elle comprehendido, por i so que
1 o supplicante.ha cercado 20 anuos, tem
advogado diversas causas imporlanus pe-
rante aquello Juizo Fcclesiaslico, sem havor
lido proviso alguraa, e smente avista do
sen diploma de Bacharel Formado na Aca-
demia Jurdica de Olinda: nao lendo incur-
rid) durante esse longo periodo ein qual-
quor das penas disciplinarosapplieaveis
aos Advogados, que se deslisain do exacto
cumplimento dos seus deveres, como ad-
vertencia, multa e suspenso : 2 o sup-
licante Cidado Brasileiro, Calholico,
l ostolico Bomano ; 3o o supplicante
j,yjv i Dr ein Direito pola Facublade do Be-
giv n'ella Lente Substituto, e por con-
secii. 'Ie habilitado para ensino de Direito
Publico Ecclesiasti e Patrio, segundo o
probara ,na ^jS r(>sPoct'vos estudos ; tudo
coai se 4 'videncia dos documentos juntos
do n. 1 a i .. ...
Nesta col 'vlcC3o, supplicante submetteu
ao dito Bispc Diocesano o requerimenlo
aunexo^ob n {> pedindo-llie qaesedignasse
de declarar-se naquelle numero dos inter-
dictos do exercia. da-jMwaaa tambem es-
lava elle cempreh endido-. ao que despa-
chou, dizendo-fwa term diurnamente at-
tendido aqwlte requc '"'l.* o supplicante
aov d'eile reemheces. "" Diocesano o di-
reito de eleger Advogaa, M Para seu F.-
i Sobre osse despacho 'epl.cou o suppli-
cante declarando, que com. l!iuava a reconhe-
cer no actual Diocesano o me8B d^t0
com que os seus dignos an tecessores- os
finados D. Juan -da Purifica 'a0 Marques
Perdigo. D. Manoel de Medeii os' lllu.s-
ado Vigario Capitular Dr. Dei. '. "^Vm
Francisco de Faria, o admiltirain i. aovogar
no Foro Ecclesiastico. assim como *r~
bispo, Primaz do Brasil (boje Conde ae Sao
Salvador) o tem admittido a advogar *
appellacoes, e aggravos peante o Su pe ,or
Tribunal da Relaco Metropolitana, duram e
aquello longo periodo de 20 anuos, e pot
isso pareca lhe digno do deferimento, que
aguardava ; tudo como se v do requeri-
niento sob n. 4.
A' esta replica despachou o digno Dioce-
sano de Pernambuco,que elle nao era obri-
gado manter aquelles actos de graca dos
tnemionados seus antecessores, visto como
julgava necessario manter o direito do sen
Foro; e que nao importaba desar aos advo-
gados, quer nelles tivcssem sido admittidos,
sem a solemnldade por elle exigida, deven-
do por isso o supplicante cumprir aquel le
seu primeiro.de/iaaeio.
Do oompjexo oessns duas decises d'a-
quelle respeitavel .'Prelado se conclue, que
paca |lle lora dejiovida, que cabe-lhe o
d vHtd de eleger^^Advogados para o sen
Foro, segando a sua qualilicacao ; as*sim
como que acha-se disposto manter aquelle
pretenso direito. a despeito dos actos cons-
tantes, e inalteraveis dos seus dignos ante-
cessores, que elle tambem chamou degra
ca-~e tudo islo anda nao obstante o pro-
cedimento irreprehensivel do supplicante
no exercicio d'aquella proBsso. Entretanto,
essas crencas sao errneas i respeitosamente
fallando) e al hoje nao mantidas n'este
paiz, como se passa demonstrar.
II
Que ao dito Bispo nao cabe o direito,
ou alias a attribuicao de e'.eger Advogados
para o Foro Ecclesiastico de plena evi-
dencia, por quanto si esse supposto direito
lhe competisse, tambem lhe deveria compe-
tir o de recusar ou excluir, seu arbitrio,
do seu Foro, qualquer Advogado ; o que
importara um verdadeiro altentado contra
o exercico desse munus publico, cercado
de todas as garantas, para oppr-se de
frente aos excessos, usurpacoes, e injusti-
C-as, que por ventura sejam praticadas por
qualquer Autoridade Publica ; recusa, ou
exeluso, que necessariamenle praticaria o
mesmo digno Bispo quando por ventura
achasse algum Advogadoque propugnasse
nos Tribunaes por qualquer victima d'aquel-
les seus actos, quica menos justos ou repro-
vados, ou alias que escrevesse para impen-
sa, em defeza delle; ein urna palavra que
procurasse os demais desaggravos legaes.
Assim, Senhor, mu triste, e precaria se
tornara a psito do Advogado perante o
Foro Ecclesiastico de Pernambuco, porque
necessariamente achar-se-hia na penosa al-
ternativa ou da mais repulsiva subservien-
cia, e verdadeira obediencia passiva ao
Bispo. approv^ callando, e nao censu-
r"uao. nem reclamando contra aquellos seus
actos injustificaveis, aflm de continuar na
fruic5o de ser Advogado do dito Foro, ou
as sabendo conservar a nobreza do seu
carcter, a dignidad* da sua profisso, pela
minima censura, reclamado, ou defeza ao
perseguido, justa ou injustamente, pelo Bis-
po, passaria pelo desgosto de ser eliminado
do quadro dos Advogados d'aquelle Foro.
Senhor, isto tao repugnante ao bom
aenso, que parece incomprehensivel, como
assim o queira adoptar e sustentar aquelle
Venerando Bispo, talvez smente para am-
pliar a esphera de suas aitribuicoes.
m
Todo o direito de eleger Advogados para
o Foro Ecclesiastico, de que se arroga o
dito Bispo parece decorrer do que disp5e
o Regiment do respectivo Auditorio Tit. 12
n. 432, que assim se exprime.
< Em nosso Auditorio haver Advogados,
alm do tumo Promotor de justica, e
primeiro que sejam admittidos nos titos-
traro (4) as cartas de seus graos, e to-
mada infortnacao da qualidade de sua
pessoa, letras, vida, e costumes se nos
parecer, que nos convm serem admitti-
dos ws mandaremos passar Proviso
para advogarcm no nosso Auditorio, e
passada pela Chancellara Ihes ser dado
n'eUe o juramento pelo nosso Chanceller,
na forma dos mais Offkiaes, e Ministros
do Juizo. ft s" mjeitara-i nmajaris-
dir.'n tceleiiHlka em toh o tirante a
i >,// Praeisli se apre-
* sentar do ao nosso Vigario Geral, c de
oiitr "i" admito.
Mas, hem se v qnj essa dispos'n.o n3o
pode Icr boje cxecu>;o entre nos, nem
mesmo o tem ldo desde que a L,i de
41 de agosto de 1827 creen dous Cursos
Jurdicos no Importo, cajos *l "'ados se
acliam devidamento habilitados ; ra exer-
cer a a-.lvocacia em qualquer dos Juzos ou
Tribunaes do mesmo Imperio indistincta-
nenlo, sem nutra nrova mais do que a pim-
ples exhibicSo d) seu diploma ; fazendo-se
inscrever no quadro dos respectivos Advoga-
dos, cuino acua-se expreS3ameot'3 deernii'
nado pelo Regulamento n. 120 do 31 de
Janeiro de 1842 art.
Neiu essa doutrim era novj na Legisla-
cao Patria, p ir quanto o Regiment das
Kelacoes de 3 de Janeiro de 4833 art. T
de data pouco posterior aos piimeiros Ba-
chareis Formados nos Cursos Jurdicos do
Imperoapenasestatuio a exigencia doPro-
viso para os individuos nelles nfn formados,
sem dacida por ser para isso bastante a
simples exhibico da respectiva Cnta de
Bacnarel.au de Doulorobtida nos mesmos
Corsos J(irideos.
E tanto esla U,\ sempre a doulrini cr-
reme e seguida, que aquella dsposejo
n. 132 do Tit. 12 do Regiment do Audi-
torio Eclesistico declarando expressa-
mente margem ser deduzida da Ord.
Liv. Io Tit. 48 3, succedeu que ella lora
explicada pelo Governo Portnguez por Aviso
Regio do 10 de Abril de 4844 (publicado na
Gazeta dos Tribunaes de Lisboa n. 3)) de 2!)
do mesmo mez e/nno) que para inscrip
t cOo do Bacharel Formado em Direito como
Advogado em qualquer dos Juizos. oa Tri-
bunaes daqueile ll'ino sempre foi apenas
i exigido a apresentaco da carta da sua
respectiva forma'.ura, sem ii'-u's outra
qualquer proca, ou furmalidade, pois que
aquello outra exigencia somente se re-
i feria aos que nao eram graduados em
t Direilo, ou alias aos que apenas exhi-
biam us cerliilocs dos respectivos actos,
t sem duvidii. porque estas nao podiam
equivaler ou terem a mesnu forra, qw
t aquelle authentico e valioso diploma.
Alm, disto, Senhor, bem sabido, que
o Venerando Arcebispo da Baha (ao (Se-
pis Mrquez da Santa Cruz, hoje fallecido)
por portara de 21 de Maio de 1833lio-
mologou as disposices do Cdigo do Pro-
cesso, e a Disposico provisorias o as
do Regulamento das Belares civis no que
podessem ser applieaveis ao Regulamento
dos Auditorios eclesisticos; portara essa
que fora approvada pelo Avise Imperial de
2S de Agosto de 1831 declarando que nos
procesos civisperante o Foro Ecclesias-
tico se deveria reger pela Lefislnco No-
vissima do Cod. Proc. Crim. e da Disposi-
co Provisoria, tudo como se evidencia da
obra intituladaCompilacao das Leis Ci-
t '<* Brasileiras, que regem a materia canoni-
cu '.publicada na Babia em 4867pelo P.
Anu ,ni da Bocha Vianna, Desembargndor
da re. *pecliva Relacio Metropolitanaver-
boP> "ocessot Ecclesiasticos ; sem duvda
pessoa ,bastante- cente, e insuspeita nesta
especie.
Ora, si na sust*wi:r do juizo enlram
certa ordem jiKliciariajpara regular a ds-
eusso da causa ; o Juiz complente, que a
decida, e o autor, e o reo que a instiluiram
Ord. liv. 3, tit. 20 pr; im assim o* Ad-
vogados, Procuradores e Defensores des-
ses litigantesMello Frejceliv. 4, tit. 7,
3, Pereira e Souza, Proc. Civ. | G, Mo-
raes CarvalhoPraxe Forense 39. Sou-
za Pinto Proc. Civ. Brasileiro, |i4, 9 e
40 ; segne-se lgicamente, que sendo os
Advogados considerados como elementos
d'aquella ordem judiciariaestSo sujeitos
supra mencionada Legislaco (^od'. do
Proc. Crim. e Disposico Provisoria, como
declarou o clado Aviso de 28 de Abril de
4834, por serem tQdos esses actos mui
alheios da aleada de Poder Espiritual.
V.
E com justa razao, porque s ao Poder
Civil que pertence prescrever a jurisdi-
C5o do Poder Espiritual nos negocios de
sua competencia para haver indispensavel
unidade e evitar que se adopte, eseintrodu-
za alguma outra forma, que irrogu- violen-
cia aos Subditos, quem o Estado deve
proteceo, como tambem foi julgado pelo
Tribunal da Relaco de Lisboa aos 2fi de
Maio de 4844, epelaDecsao da Relaco Pa-
trrarchal da mesma Cidade, de 30 de Abril
de 1861, tudo segundo se v da Gazeta
dos Tribunaes dessa Cidade n. 395, e anda
doutrina corrente, e seguida na llespa-
nha, (paiz tambem catholico) como diz o
Dr. Aguirre no seu Tratado de Direito Ec-
clesiastico, pelo qual se ensina na Universi-
dade de Madrid tit. IV etc etc.
0 Bispo do Rio de Janeiroo mni. ilus-
trado Conde de Iraj nos Elementos de
Direito Ecclesiastico, tratando da fsma do
processo e da ordem judiciaria, a cada pas-
so a procurou fundamentar as disposces
de Direito Civil, como se v nos 1337,
Scholaoart. 1414, Scholao art. 1362 etc e at
noart. 1414 cita a Disposico Provisoria arls.
6, 10 e 15 etc. e o Compendio, do Pro-
cesso Civil adoptado para as Faculdades do
Imperio, do Conselheiro Paula Baptistaetc.
Efectivamente os termos e a forma do pro-
cesso, a ordem judiciaria nos Tribunaes
Episcopaes sempre foram os do Foro Se-
cular ou Civil, salvo a respeito das causas
puramente espirituaes ratione materia}, n5o
s como insina VanguervePratica Judi-
cialCap, VI n. 2, LVII n. 1, LVIH as.
2 e 3, seno tambem segundo dispuem 'o
Alvar de 20 deOutubro de 1763, o cita-
do Cod. do Proc. Crim. arts. 8 e 324, os Avi-
zos de 12 de setembro d 1835, 16 de Ja-
neiro de 1837, (alm daquelle outro);
endo que por isso mesmo esse Alva-
var raandou que fossem presos no Urnoei-
ro at nova ordem de El-Rey dous Advoga-
dos, smente porque rinma causa perante
o Vigario Geral do Patriarchado de Lis-
boa, haciam sustentado que os termos e for-
mas do processo, emuma palavra que a or-
dem judiciaria se nao regiam pela teis civis.
E at para evitar, todas as incoherencias a
respeito foi, que acuelle Regiment do
Auditorio EcclesiasticoSt. 2, n. 270 ; ao
passo que omandartdoguawaipelosMinistros
da Cora, accrescent m\i\ terminantemente
Espiritual a sua nica e essencal jurisdic-
Cao, a qual sempre lhe foi reconhecida e
acatad c nao a raspeilo do que lhe nao
pode pertenec', ou jnteiramente estranho,
qua nihil temporalis connexum habet,
como dizem os Canonistas mais ola veis;
tanto mais quantos as proprias Consti
tuicos Diocesanas nao tem torca alguma
obrigatoraa respeito do que paramen-
te temporal, =como sem duvda n5o podem
deixar de serem consideradas, a ordem ju-
diciaria, os elementos principaes e secun-
dario do Juizo Ecclesiastico, segundo insi-
nuam Silva, ad. Ord. liv. '! tit. 04 orine.
Barbosa de EpiscopoAlleaal 93 n 29 e
Benedicto XIVde Synodo Diocesano L
Cap. I n" 1, com maioria de razo o Regi-
ment dos Auditorios de 8 de Setembro de
1704, que em verdade seja dicto mui-
to anterior nossa organisarao poltica c
civil, inquinado de disposces inteiramen-
te temporaes, anachronicas, impraticaveis
na presente pocha, obsoletas, at irriso-
rias ; e por isso mesmo milito prejudica-
do em suas disposicoes pelo desuso, em
urna palavra profundamente alterado pela
dita Disposico Provisoria da Administrarlo
da Justica Civil, a qual alias tem sido res-
petada, e seguida por todas as Autoridades
Ecclesiasticas.
VII
Oulrosm, si njuestionavelmcnte nao so
trata de jursdieco graciozi, porquo a or
dem judiciaria coasttue evdeiileiusnte a
contenrioza, consciente e lgico, que o
dito Bispo nio pidi obrar por tal m > 1
inteiraraente discroconario, contra direiloj
individuaos to attendives e preciosos
que as nao sao anlillieticos aos genes ou
de ordem publica, como expresamente o
tem declarado os Avizos n" 8J de 8 de
abril de i8 1862.
O mui Ilustrado Bispo do Pi de .lia
ro, Conde de Iraj, nos seus Elementos
Direito Ecclesiastico | 1205tratando do
Advogado do Juizo Ecclesiastico, cojo cili-
cio elle considera publico, munus mbli-
cum, como sempre foi comiderado, e tem
sido por diversas vezes declarado pelo Go-
verno Imperialapenas diz que as nossas
Leis exii/em, que nao se possa adoogar sem
ser pelo menos Bacharel, salvo nao o havendo
no lujar porque enlo o Presidente da Re-
laco tornear a quem sirva de Advogado,
madando-o examinar, e as Constituicoes
do Arcebispcuto prescrevem a mesma coiua.
E at como para indicar que nao actual-
mente mais necessario conclue dizeiuhe
accresceutam, que nao se adoogar sem
Proviso do Bispo e ter prestado juraiivnto.
VII
0 insigne CanonistaBouixTractatm
de Judiis Ecclesiasticis, obra modernissiina
-Part. Ia, Cap. 4 3 e 4, depois de
definir o que sejam Advogados na Curia Ro-
mana, e quaes as pessoas que possam eser^
cer esse oflcioisto omnes quibus ex-
pressv in jure id non reperitur prohibitur,
como os infante.*, sardos e mudos, as ma-
l/teres os ercommunr/ndos, as Clrigos e Re-
ligiosos sobre criines capitaes, or quando
j tenlia sido juiz, ou patrono da parte
adversa, os poderosos, os imperitos, etc.
(bem como opnam F'erri Biblioteca Ca-
nonici, quando no 91trata de resolver
a questoQuem deva ser approvad'r pura
exercer a advocada) exprirae-se dio segua-
te modo
IX ^ bem forzosa, o ndoclnavel ser a consequen
Da doutrina bem claia e positiva deste ca deque por Isso mesmo todos os aclos
afamado Canonista, so co
disposico algjma civil ou
poe s partes litigantesacceilar exclusi-
vamente para Advogados de seus direlos
os que s3o incluidos em um certo numero
ou cathalogo pela Autoridade Publica, e
antes Ihes livre escolher quem lhe mero-
ca maior confianza, fora desse numero ou
nomeaco, vslo como licito advogar to-
dos aquellos que por Le n5o sao expresa-
mente prohibidos : 2o que, comquanlo
possa em virtude de disposico especial de
alguma Diocese estabelecer um Cathalogo
dos Avogados approvados por autoridade
publica (como sem duvida sao os gradu idos
uas Faculdades Jurdicas do Imperio), tor-
nar-se-ha sempre esse piocedimento do
Prelado capaz de inspirar o odio das partes
I ligantes contra elle pir coartir-llns a li-
berdade dos seus defensores; monopolio
este mais atroz, quando diminuto for o nu-
mero dos Advogados catualogados pelo Bis-
po para o Foro Ecclesiastico da respectiva
JJiocese.
X
A prpra Ord. liv. Io tit. 48 3 citada
por aquelle art. 428 do Regulameato do
Auditorio Ecclesiastico manda expressamen-
le que os graduados em Direito possam
exercer a advocada em quaesquer Tribu-
naes, Juizos e lugaressem para elles te-
rem necessidade de Uceara, mostrando aos
Julgad tres as cartas dos seus graos; d'on-
le se evidencia, que a nica e sullkienle
lubilitaco para o exercico dessemanas
publicosempre foi a dita sua carta e
nunca a tal proviso ou licenca conferida
pelos Juizes ou Autoridades parante quem
devem funeconar; disposico esta queaindi
foi onsagrada pelo citado Regiment das
Kelaeoes de 3 de Janeiro de 1833, quando
auiborisou aos Presidentes desses Tribu-
naes, que s eoncdessem taes liecncas para
>s lugares, onde nao bou ves sem Bochareis
Eormados, reconhecendo assim nestes o
direito de advogarcm, perante qualquer
Tribunal ou Juizo sem esse placel.
\\
Accresce anda, que a Tabella annexa
Le de 30 de Novembro de 1841 3 sobre
nooos e velltos direitosapenan submetteu
ao pagamento delles os individtws nao for
modos, que obtivessem taes liemeas, e nao
os graduados em Direito pelas Academias
do Imperio; porque sem duvida considerou
estes isentos.
Assim tambem pralicaram osRegolamen-
tos do Selloque tem baixado successiva-
meute saberno artigo 48 do Decreto
N. 681 de 10 de Julho de 1850, no art. 78 do
de N. 27,130 de 26" de Dezembro de 1860,
obrigando somente ao pagamento desse
imposto os individuos nao formados as
ditas Academias do Imperio, quando Ibes
forem concedidas taes licenc*>. o por con-
segunte sentandoi contrario semit-
as, que n'ettas forem graduados,-por serem
dispensados das raesmas ceaflM ; o que
muito para ailender, visto como sem o
previo pagamento de ambos esees direitos
liscaes, as predrtw ucearas nao poder*)
ser concedidas, iwnr sero ex pveis.
Xlf
A le de 17 de Setembro de 18301 deter-
minou positivamente a preferencia! dos
graduado em Dirto pelas Academias do
14 Imperio1 para as notmares tiezp.nv-
de Dezem-
Parecc distinguirse o que praprio- dvlkirgadores'da RriactoMetnwolitana ; oque
* ForoComimm do que deaigumi Caria por si s basta para (azar reconhecer que
Vigario Geral,
siga o qtu
Cannico, e
feito Civil,e
Recommendamos ao
que com disposico e
ochar determinado
onde elle faltar, recorn
est jilos.
VI
Dest'arte bem se v, que em todos os
paizes catholicos, como o nosso%e tem
procurado sempre fazer restringir o Poder
Ecclesiastiea.
Qnanfa ao que diz respeito ao dTmito
Commum nao ha Lei alguma1 Ecclesias-
tica, ou disposico de Direito Romano,
rebebida no Foro Ecdesiastlcc,- pela qual
seja determinado qne os litigantes sejam
t oir gados escoMer para sem Advogados
do niemero dus/aees que pricamente
foram approvadbs- para exercev por este
* modoo oficio, e invitados no Cutliakgo
dos defensores.
Sendo Ottfb este principioadvogar
pdkm. todos aquellcs qtee por Direito nao
sao prohibidossegm-se que pod- ser
t eleito adeogadbaquri-que nao seja'do
Cathalogo dorAdvogadoS) approvados por
Autoridade Publica, com-tanto qm nao
partpc de qualquer dbs dfeito, que
por Decreto do>Direito Sagrado disooinhi-
c bem.
Comtudo, esta, ou ageita Curia pode
ter tal disposico de Lei; qfie nmper-
i mitta exercer a advocada" em sen Audi-
torio seno itoogados pttbUcos, nppro-
t vados como taes^por Autoridade cle-
siasticaperante a quaf previamexf da-
rao specimen de- sua idoneidade, e foro
pnflsso da /? catholica; 21 que- pod
quahpier Bispo, segundo lhe parecer con-
veniente formar tun. catatbgo dos AMoga-
dos por elle approvadOs, o que frtsdsle
mesmo cathatoqo nao sejjai permittuh aos
que pleiteiam no. rnesm tribunal toma-
ren defensores de siuk.-camas ~ coma
muito ardua, e fcil dt conspirar-o odio
contra o Prefadoque parecer aos liti-
gantes querer coarctar liberdae-i prin-
cipalmente si diminuto pr o numero dos
Advogados assim imtt'Atidos.
Videtur dfstinguendum inter jm Com
mime, et jas alieni curia! Eccfsasticoel
proprium,Ad jm commune quod' atti-
net, nnHam reperio Wgem Ecclesiasticamt,
aut jitris Romani in foro Ebclesiastko
receptis dispositioaem qua decernatur
litigantes tenerf ad assumendm advocatos
sitos ex numero eorum qui public pro
hujusmodi exercendo muere fuertmfap-
probati et in lbum camitcorum relati.
< Hinc cum cettum sit ptincipium,. pos-
tulare posse aunes, qui jure non prohi-
bentur sequitur pro advocatos etigi posse
etiam, qui non sit de advocoAornm auc-
toritale jmblici approbatorum mlbo; mo-
do aliado uo laboret ulh ex enth
merantis defectibm, qui juxta juris saeri
ordine decreta a dicto oficio arcent.
* Nihilominus tomen posset aliqua curia
ecclesiastiea Id legis habere (sive ex exto
tntis ipsi proprtis sive ex legitima con-
suetudine) ut ad exercendam advocatiam
apud ipsam non admirentur nisi advoca-
ti publici. Tune autem ejusmtM, ad-
vocati deberent auctoritate ecclesimtica,
ut tales approbari; quod nisi non proei-
ro judido de idoneitate, et emisse ab ip-
sis professione fidei catholicos fieri debet.
Posset autem ut videtur, quilibet Epis-
copm, si ipse utile videretur, ejusmodt
aavocatorum lbum conficere, extra quod
defensores sumer non liceret iis, qui
apud ejmden Episcopi tribunal lites ha-
ben._fies tomen vald ardua est, et fu-
cil invidium Prcelato condtaret, eo quod
litigantium libertotem coarctore videre-
tur ; pra>sertim si parvus sit approbato-
rum ejuqnodi advocatorutn numerw.
li esses meswos graduados pelas Acade-
raine Jurdica do Imperio esto uncamenle
pe sua carta* daquella formatura, (sem ex-
hibicSo de oulpa qualquer provaou licenca)
habilitados paro exerciiio daquelle cirgo
de Jubos Ecclesiasticos envSuperior Ins-
tancia-, applicandb as leis aos fados, adm
nstrandO Justica, com maioria de razo
consideram-se estw devidauente babilitado*
para o exercicio de advocaba, para defen-
der direito dos que buscara- o seo patroci-
nio, perante aquelle, e outro qualquer Tri-
bunal Ecoiesiastic* per quanto a dita tor-
matura os- habilita para ambas indistinta-
mente:
XIII
E' de primeira iatuco, qu importando
essa carta- de forroatura as Faculdades Ju-
rdicas do Imperio um inconeusso titulo de
habilitacaoj- aptidS e eapacidade de quem
o obteve,- verdadeira presumpcio juris
etjure, que esta be'eee logo direito certo,
n seria atal Provite-, ou lkeoa, que
vuria servir decontrastedelta; e apenas
s*teria o alcance de-prera duvida aquella
legal habiltaeie ; a q*l s pode ser elidida
por pro vas superioresPereira e Souza
Proc Civ. aota524., alm de attrahir
uu eslygna aos que tem feito-oslados la-
boriosos e regularen. que por. to justo ti-
tulo exercen. t5o nobre profisso. wvellan-
do-os a mesqninhapoeico doechaaados
rbulas; oKjuaes essa provaoca sempre
foram obligados.
Si aquelle respeitavel Bispo de Pernam-
buco mais-escrupoteso tivesse sido, por certo
n5o se lambraria de por om pratica
essa infundada inaovacao uo-Jubo Eccle-
siastico de sua Biocese, postergando to
das as Leis civis reguladoras da especie
vertente,. prestaado urna injustificavel io-
terpretaio ao citado art. 432 do Regi-
ment daquelle- Tribunal eem intairo
desusov infringindo a pratica constante- at
hoje a. respeito observada na sua propria
Diocese pelos seus antecessores, que- n5o
foramenos wlozos e dignos do que elle;
quecendo assim constituir urna nova especie
de monopolio no patrocinio das. causas
daquelle Foro, emsumma nao- procu-
praticadoapor aqjslle advogados a^^^B
inquinados de nullidade insinivel nos pro-
cossos submettidos ao seu patrocinio, na
qualidade de procuradores Ilegtimos, ou in-
competentes ; consequencufesta, que arras-
taria necessariamente graves inconvenientes
para a paz domestica, e seguranca publica,
que por certo nao antevio, nem poder sal-
vaguardar aquelle o acto do dito Prelado.
Seria anda outro verdadeiro eontrasenso,
que os graduados em Direito pelas Facul
dades do Imperio eslivessem devdamente
habilitados, o legtimamente anlborisados
para advocada em qualquer Tribunal, ou
juizo menos no Ecclesiastico, b2o
ser mediante aquella proviso ou licenra,
sem torca para imprimir carcter algum, ou
darhabliiaeoes, maxra quando o dito Foro
ecclesiastico nao distincto do civil.
Do mesmo modo, nao tardara, que fossem
embargados os ditos graduados n'aquelle ex-
ercicio, perante o Foro Militarquer do ex-
ercito, quer da Marmita, por quanto fcil
sera dzer-se, que outra e peculiar a le-
gislaco, e quic a ordem judiciaria; o
que tambem seria irrisorio, visto como
bem sabido, que sempre se tem procurado
uniformsa-la com a ordem civil, salvos
os privilegios ou direitos excepconaes.
XV
Havendo o Instituto dos Advogados de
Pernambuco por intermedio do seu dis-
tincto Presidente representado ao mesmo
digno Bispo Diocesano contra aquella sua in-
debita exigencia, longo delle attender a lio
justa pretencao-respondeu-pretextando a Io,
que quando o Imperio admittio a Re-
ligias Catholica, e por isso o Foro Eccle-
siastico, e o Direito Cannico, estabele-
ceram-se tambem duas lejislacocs
civil e criminal, pela qaal aquelles que
teem gratis scienti/icos em Direito pdem
advogar, sem licenra em qualquer Tri-
bunal dependente ila mesma legislaco,
* e outra cannica, ou relativa aos e/iris-
tos com um foro inteiramente indepen-
dente d'aquella legislaco, sob a proce-
d dencia do Bispo Diocesano, o qual nonteia
* seus Juizes, e exige, que os patronos para
que possam perante elle adoogar, sejam
* dontoroilos em Caones; 2. que a des-
peito do ensino do Direito Ecclesiastico
as Faculdades do Imperio, sendo ellas
laicaes, e nao Theologicasa Igreja nao
* pode fiarse na pureza do ensino dessas
* leis, nem admittir sem summa discrf&tt
para patronos nos seus Tribunaes
* Doutores, que nio receberam to seu
mesmo seio a sciencia, que professam ;
3'. quedahi procedern os Regulamentos
i Diocesanos, que aulhorisam aos Bispos
t admittir tambem com Provizo nos
seus TribunaesDoutores Seculares, ver-
sados en Direito Ecclesiastico, que se
distinguiren por seus costumes, e sita
pericia naquelle foro, mas cont unta ex-
ceptu ; preferiado sempre fardes Eftle-
tiasticos Doutorados as Universidades
Ecclesiasticos de Roma, Louvain; e Dn-
blm, visto como nesses Tribunaes tem de
se telar smente de um modo especial a
moral, e a disciplina christa; -#\ que
* qualquer principio em contrario de
admittir' todos os Advogados indistincta-
t mente advogar no Faro Ecclesiastico,
<* nao aufkoriza prescripeo ; .5. qm al-
guma concesso ou indulgeixia de qtuil-
quer Bispo d respecto desm admisso
mdistinctomeate neo pode cwsliluir di-
reito sem qualquer documento, que o ss-
tbele ca; &. que anda quando possa
hamer lei Brazileira explcita, s a legu*
laco Ecclesiastiea, 9 nao a eiiil pdi
derogar aquelle direito de eleger Adooget-
dos para o Foro- Ecclesiastico,- 7a. que
t nao ha Decreto-algum da Igreja, gueait-
* thorze todosos-Advogadbs-se bem- queyer-
sados no Direito Cannico patrocinar
no Foro Ecclesiastico; 8?. que elle assim
* tem procedido, nao s'pulo desempenho
da obrigaco doseuarduti ministerio em
* mate ra- gravequal a da administra-
cao da-justica em-suas mais ddkadas
relaces conv a wnseiencm, seno tam-
bem pehdesejo de dar urna prova di sita
* particular confiancad leablade dos uais
distinctos Membvos ta Crporacu Fo-
reme.
Todas estas consideraces sao visvel-
mente improcedentes-, como M passa -de-
monstrar.
X-VI
Embora pela Coostituc3o* do Esado
fbsse admittida a Rebgiao Catholica, e as-
sim o Foro Ecclesiastico, e o Direito Can-
nico, nem. por isso implcitamente segue-se
a indecliaavel necessidade de duas legisla-
ees distioctas Civif e Cannica, aquella
exiginde*que os patronos do seu Foro te-
nbam graos-scientificos em Direito, e esta,
que authoriza ao Bispo noraear seus Juizes
para advogardoutorados em-Qanones, por-
quanto ai dita Religio foi admittida owa-os
seus dogmas, seus-Ministros, e ritos, mas
n3o exctio certos- direitos e deveres d berano Civil (jumrta Sacia}, com retaceo
respectiva Igreja, sem alias invadir as-suas
attribuicoes espirituaes, e mesmo em prl
dos interesses proprios da Sociedade.
Assim, ao Poder. Civil compete a inspec-
c3o sobre o ensino religioso na parte rela-
tiva aos interesses inmediatos da Socieda-
de temporal; os. proprios .Ministros do Culto
estSo sugeitos-i acc3o dessa Authoridade ;t
tem>elle o direito de prevenir, debellar apro-
pagaco das.heresias,das"doutrinas contrarias
aosbons costumes,Religio, velare deter-
minar a admisso, as profissSes as Reh-
gioes, acerca do patrimonio dellas, e a res-
raria rebaxar urna classe inteira, e to ds- peito das demais Communidades. Religiosas;
tkuit na Sociedade Brasileira. aue> nunca se de examinaras ietras, ou bullas apostli-
cas para conceder-Ibes, ou negar-Ihes o be-
tkicta na Sociedade Brasileira, que nunca se
consparcou no nobre exercicio de suas func-
Ces, durante aquettes doutos. Episcopados
e com maioria d razio em menos de um
mez do governo daquelle distincto Prelado
contar da dacta de sua posse, 2 de
Agosto de de 1868 17 Setembro do mes-
mo anno, em que baixou aquella Portara
isto 45 das; tado como bem publico e
notorio.
XIV
Occorre anda que de longo tempo at a
vinda do actual Bispo os graduados em Di-
reito pelas Academias do Imperio sempre
estiveram em posse de exercer a advoca-
ca perante o Foro Ecclesiastico de Pernam-
buco, sem dependencia de licenca oa pro-
viso alguma, e apenas com a exhibico
da sua carta de formatura; o que cons-
titue verdadeiro direito adquirido e incon-
troverso, de que hoje nao pdera ser esbu-
Ihados, sem clamorosa injustca.
Mas, quando se quera desarasoadamente
por anda em duvida esse mesmo direito,
considerando antesurna pura concesso,
ou gracaum abuso, w corruptelhhlwi-
neplacito para sua execuco (art. 102 % 14
da Const;) e al d reprimir os abuzos e
corrigir a mposicSo das censuras injustas do
Poder Ecclesiastico. e prescrever o modo
pratico do exeroicio das Confraras, ou devo-
edes; emfim cabe-lhe outras muitas aitri-
buicoes, porque todos esses direitos do Es-
tado constiluem meios conducentes, e efli-
cases para oonsecuco, ou prebenebimento
do sublime flm e elevada misso da Reli-
gio ; sao actos della que se manifestam
externamente, e por isso pdem estar de-
baix da accjfo da authoridade publica, e
cumpre-lhe assim determinar sobre todas
as pessas, ou cousas ecclesiasticasquan-
do sao consideradas sb o ponto de vista
civil e temporal, pela intima unio, e justa
harmona de inters es entre a Igreja e o
Estado, a despeito da mutua independencia
de wnbos esses Poderesincoatestavelmente
rexmhecidapela Resoluc5o de 26 de De-
zembro de 1809, etc.
Logo evidente, qae ao Estado cumpra
determinar a forma do processo Ecclesiasti-
eo.dos seus agentes primarios e secundarios,
segundo a legislarlo civil vigente, procu-
rando com ella harmoniza aura de evitar
que se nio tome impraticavel pela sua
divergencia opposirlo ; para manter-se a
indispensavel unidade, obstar as injustas e
violencias contra os Cidadoa, e a introduc-
to deqnajsquer principios errneos, con-
trarios a boa raao, ao Direito Commum, i
moral e aos interesses sociaes ; tanto mais
quanto esses actos ou esses modos de pro-
ceder em Juizo nao aflec'am s bases fun-
damentaos da Religio, nao ofenden! por
maneira algumaa suaparte dogmtica,ou es-
piritual, caso em que cnto lhe seria ve-
dado pelo Aviso de 0 de Junho de 1775
principio ; Alv. de 16 de Janeiro de 1768
Lei do 2 de Abril desse anno princ.Resol,
de 26 de Dezembro de 1809. Eraim taes
actos referem-se a parte menos importante de
saadisciplinaexterna.e bem|sabidoo princi-
piode que sempre as leis e Resolncbes
constituem um dos principaes elementos do
Direito particular de qualquer Igreja, e por
isso dignos de sita restricta e imprescripti-
vel observancia pela imtima influencia, que
a m^sma disciplina ecclesiastiea sempre
leve e hade ter as relames exteriores dos
Estados, na vida civil, como insinuam os
nota veis Canonistas, e Santos Padres. Dou-
tores da mesmi IgrejaChampeauxRc-
car/l Grite ral du Droit Ecclesiastique 2 me
Edi'.ion; Pref. Santo AgostinhoEpist. 185
ad lionif. n. 9; Sao Ledo Epist. lo ad
L?on Imperat; Santo Isidoro referido no
Canon 20Cans 2-1 g. 1\\
XVII
A vista de todos esses principios, in-
controverso, que com plfnissimo direito foi
autlnrisada pela Portara do Venerando Ar-
cebisp i Metropolitano (finado Mrquez de
Santa Cruz, de 21 de Maio de 1833, e com
approvacao pelo Avzo de 28 de Agosto de
1834a adopeodo C d. do Proc. Crimi-
nal e da Disposico Provisoria no Foro Eccle-
siastico ; e por conseguinte na parte relati
va aos elementos do mesmo Juizo, como
sejam os Advogados, Bachareis Formados
em Direilo pelas Academias do Imperio, os
quaes no Foro Civil nunca foram obrigado i
provizo alguma para exercer as respectiva
uncoes, e alias sem a odioza distingo ago-
ra suggerida de serem smente escolhidos os
Doutores em Canone; tanto mais quanto
aquelles nao deixo do ser asss ins-
truidos nessa materia ensillada as mesmas
Academias, e (lestes be dminuto o nu-
mero no Imperio, onde aiika nao ha Facul-
dades especiaos.
Anda mais improcedente o segundo fun-
damento daKjnella resposta do 'respeitavel Bis-
po Diocesano de Pernambucode que a des-
peito do ensino de Direito Ectksiastica itas
Fantldatfes do Imperio, sendo etl'as latcwrs,
e nao Thcoloqicas, a Igreja nao pode fia'
se na pureza th ensino d'essas leis, nem
admittir sem sumara di ser cao para potre-
nos non seus Tribttnaes Doutore, qjte nao
receberam no seu mesmo seio a> s;iencia
que professio.
Parece, Senhor, que o digno Bispo DIocC'
sano de Pernambuco nao eata asse nteira-
do sobre o ensino do Direito Eclesistico
as Faculdades do Imperio, porque do
contrario ao poder asseverar, como
praticou, que merecia-Vhe falto de mnfian-
ca a pureza db respectiva ensino.
Bastara para pulverisar to ofensiva
asserco do respeitavel Bispo Diocesano
de Pernambucoo simples facto aoterisado
por Lei de que os DssembargadoKS da
Relitco Metropolitana por expressa prefe-
rencia outhorgjuda pelo artigo 2 da Lmn.
83tte 17 de Setembro de ISSOso na mxi-
ma pirte Bachareis Formados as Fasulda-
des Jkridicas db'Imperio, onde aprenderam
as leis ecclesiasticas, que to sabia e
justamente appl'wam s numerosas questoes,
quejulgam, e as por essa mesma appli-
caco deveriam inspirar mais fundados
receios pelo seumaior alcance do que pelo
exercicio da profissso do-patrono, o qual
limita-se apenas- requerer, e a disentir
sobre os pontos controvertidos, e r=.unca
jilga-los soberanamente.
XVIII
Depois disto, oi o mesaio actual Bispo
Diocesano quem someou a Padre Joaqum
Graciano de Araojo, alias muito idneo,
tambem Bacharel: Frmadopela Faculdade
Jurdica do Becifs-para Vigario Geral da.sua
Diocese, em cup- exercicio se achay ha
porto gde um asno, ;e se prevalecesae a
indicada falta d-confian?-pela impureza
do ensino do Dieto Ecclesiastico n'aquella
Faculdade laical* como disse o dito Bispo
Diocesano, com maioria de razo deveria
actuar a respeito d'aquelle Vigario Qeral
n'ella graduadov salvse para o Bispo
Diocesano a simples condieo de ser Sacer-
dote aquelle Vigario eral (alm da de
Bacharel em Direito) deu-lbe maior scien-
cia,. ou purificou-o no estudo das leis
Ecclesiasticas, que lhe foram all ensilladas
com a alcunhada impureza.
Se o digno Bispo Diocesano de Pernam-
buco melhor attendesse para a organisa-
Cao das prmeipaes ou typicas fceuldades
Tbeologicas da arepa, como de Coim-
bra, Franca etc. nem assim para o en-
sino do Direito Ecclesiastico as. Jurdicas
db Imperio retirara, por certo amelle seu
asserto sobremaneira offensivo i orna prin-
cipal Corporaco scientifica, urna classe-
inteira mui preclara do seu paiz natal.
Assim na Faculdade de Theologia de-
Coimbra, pela sua ultima organisaco (De-
cretos de 20 de Setembro de 1854 e 27 de
fevereiro de t86t como se v da Obra in-
titulada Legislaco Acadmica daUui'ersida-
de de Coimbrapag. 141 a lti pelo Conse-
lheiro Reitor dalla) ensinaa-se no Io-anno
Historia Ecclesiastiea, Tlieologia Dogmtica
Polmica para os Lugares Theologicos ;
no 2oTheologia Dogmtica Polmica para
as licOes de Theologia Syrabolica, Theologia
Pastoral=Direito Natural;no 3PTheolo-
gia Dogmtica, Polmica para as licoes de
Theologia MysticaTheologia Moral; -^ no
4oTheologia Liltuigica;noPEscriptura
do volho e novo Testamenta para licoes. da
Exegetica Direito Ecclesiastico Porwguez.
Ora, si evidentemente para o exercico
da advocada no Foro Ecclesiasticono
Imperiosio inteiramente dispensaveis os
estndos de Historia Ecclesiastiea, Theologia
Moral, Dogmtica, Mystica ou Litburgica,
Pastoral e Exegetica, porque entendem
exclusivamente com o sacerdocio, segue-se
que, feita essa imprescndvel separacio,
ficar reduzido todo o ensino daquella Fa-
culdade Theologica Diretro Natural, e a
Imtituicbet Cannicas,
[Continuar-se-ha).
TYP. DO DIAIUf_RCA UAS CRUZES M. v

i
\-
A
/
IKhH

h


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETDT5WFGZ_IFM56E INGEST_TIME 2013-09-14T04:19:43Z PACKAGE AA00011611_11949
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES