Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11948


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 216.
PARA A CAPITAL E 1UGAES ONDE IAO Sfi PACA PORTE.
Jor tres mozos adiantados....... flrv,
or sus ditos ;.:en,.......... ;........ *
Por ura auno idera......... ........ Jg
Cada numero avulso..... .......... 24?!~X
.............. thi&v
___QU*RT< FEIBA 22 DE SETEMBRO DE 1869.
ARA DENTRO E TORA DA PROVWCIA.
Por tres meso al Edos........ .-,.
Por seis ditos idem......... .^XX
Por mm ditos dem..... .*....... K
Pora.............:::::::::
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
SAO ACEITES
Os Srs. Gerardo Antonio Alvos & Filhos, noPar; Goncalves d Pinto no Maranhao; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty Joao Mara Julio Chaves no Ao*. Antnni. u
Pereira d Alme.da, em Maman^uape;-Antn Alejandrino de Lima, na Parahyba; Amonio Jos Gomes, na ViJa da Penlla/Belarmiodos* S^nL BuJcao em S Anto Domina i&fr ,S,1' n NafiI; JS 'UStD0
______________________________________emJVazarcth.-Francmo Tarares da Costa, cm Alagas; Dr. Jos Martin* Aives, na" B*hia; e Jos Ribeiro GasparnhcT R eJaVeiro 8 JS da CSta Braga'
PARTE 0FHCIAL
Covcrno da provincia.
XPEDKHTO ASsn;.V\o !;:., EXM. SU. DH. MANOEI.
I>> XVSCl.ME.NTO M\CII\3) POBTF.fctA, VICK-NIE-
.SII.iXTi; DA PMT1XCIA, BU 23 DE JIMIO DI 1869.
v o_r '* SOC^lO.
N. 83/,.Prtaria ao Exm. Sr. cunera! comman-
dante das Minas.Comiottillco V. Exc. que, por
despacho d esta dala, conced 15 dias de prazo
liara provar iscnrao legal au remita Floreucio de
Alouqucjque Cav.ileanti.
N. 823.Dita ao mesmo.Mande V Exe por
cm liberdade os rccruias Joao Jos Camalio e
Jos Ignacio dos Sanios, visto terom sidojulgados
tncapazes do servido do oxercilo, como consta dos
tormos de inspeccao que vieram annexos ao seu
omno de 2.1 do correnic, sol/ n. 362.
N. 826.Dita ao conseiho de compras navaes.
Approvo os contratos que o conselho de com-
pras na vaos, segundo o sea officio do 17 do cor-
rente, cclebrou com diversas pessoas, para fornc-
cciem nao su vveres, dictas, faldamento e outros
j/l/jectoa de consumo aos navios da armada e esta-
belecimentoj de marinha, no trimestre do julho a
setembro do correntc auno, orno tambem de am-
bulancia aos referidos navios, durante o exerecm
prximo vindouro.
2- seccao.
N. 827. Portara ao delegado de polica do 1"
distrk-to do Recfe.A estaiisliea judicara, que
se esl liquidando, a do auno de I8C8, o (lew
conter somonte os erimes praticados durante elle.
<>s conimeliidus nos anteriores, devem ser con-
templados em mappas suppleitorios do
S. por novamente em praoa o arrendamento do
pie lio nacional n. I, sito n Forte do Mallo, scr-
o olferecimento feito pelo sobredito
i base
viudo d
Costa.
V. 817.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Autoriso V. S. a proceder, de conforini-
dade com a soa informaran de 2.'1 do corronte,
sol n. 357, com referencia a da contadura dessa
ihesonraria, aerea do pagamento que solicita no
requerniento documentado que incluso devolvo, o
bacharel Jorge Durnellas Ribeiro Pessa, prove-
nicnle da gratilicaeao que, nos termos da lei n.
611, tem direilo o 2o sarj-ento do corpo effeelivo
de polica, Joao Leoncio Teixeira e Silva, que se
acha em servico no excrcito em operares contra
o govern > da repblica do Paraguay.
N. 8.18.I)i;a ao nresmo.Depois" de liquidados,
em vi>ta do pret nominal junto em duplcala, que
me remellen o commandanle superior interino do
municipio de Seriiiliaem, com oflleio de 7 do cor-
ionio, roo n. 18, mande V. S. payar os vencimen-
tos relativos ao raez de abril ultimo, dos guardas
naoionacs destacados n'aquella villa.
N. 839.Dita ao mesmo.Annuindo ao que so-
licitouo chefe de polica interino em offleio de 23
do correnic, sob n. 914, recommendo V. S. qne,
em vista do recibo junio em duplcala, mande li-
quidar c pagar Dinamerco Augusto do Rogo
Rangol o (pie jusiainenle se estiver a dever, pro-
veniente do aluguel de 10 mezas vencidos em 30
deste, da casa que serve do cadea no termo de
Gabrub.
N. 8i!.Diti a> msrn).?,/]! V. S. cnror.n
ndica a junta dessa thesouraria, mmdar por no-
vamente em prae.i o imposto de vinte por cenlo do
consumodaguardento na comarcado Itamb,com
do Reg Rangel a quanliade 30SOOO constante do
citado oflkio.
N. 831.Dito ao commandanle superior interi-
no da guarda nacional do Recife.De ordem do
Exm. Sr. vice-presidente da provincia coininunict
a V. S., que nesla data so expodio ordem ao ins-
pector da tbesour*a do fazenda para mandar
passar revista do ilustra, as 8 horas da manhSa di)
din 1 de julho prximo futuro, ao Io baialhao de
artilhara da guarda nacional aquirlolado, tu/
comingenles addidos, como solictou V. S. a 2i do
corrent t,
PERNAMBVGO.
REVISTA DIARIA.
. a S5CC0.
>. 828.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Recommen lo a V. S. que mande por
novamente cm praca os alugoei* do proprio na-
cional sito ra de Santa Thereza nesta cidade,
c a que so refere a ua nformaco de 22 do cor-
rentc, sob n. 40i, dada acerca do requermento
de Amaro Francisco de Veras.
N. 829Dita ao mesmo.Tendo nesta data ap-
provado os contratos junto, por copia que o con-
selho de compras navaes xlebrou com diversas
pessoas para fornecerem nao s vveres, dietas,
iardamonto c outros objectos de consumo aos na-
vios da armada o cstahelec'.mentos de marinha no
trimestre de julho a setembro do corrente anno,
?omo tambem de ambulancia aos referJos navios
durante o ejercicio prximo vindouro ; assini o
communico a V. S. para s,eu conheei.iienlo.
N. 830.Dlaao mesmo.Tomando em conside-
radlo e qoe expoz o engenheiro ene arre
obras maulares i|Ljt%liJiLjxiaiapss)tsfa, iniu
* *t dF^^WmeV recommendo a V. S. que, em
vista da inclusa conta em duplcala, mande pagar
a Maeoel Antonio Teixeira a quantia de 7920
res, por quanlo importou os reparos que j se
acbam concluidos no quartel do Hospicio.
N. 831.Dita ao mesmo.Mande V. S, s 8 ho-
ras da inanbaa do da 1 de julho prximo futuro,
passar revista do mostra ao primeiro batalhao de
artilbara da guarda nacional aquartelado, e aos
contingentes elle addidos, como olictou o res-
pectivo commandanle interino, em seu offleio de
22 deste mez.
N. 832.Dita ao mesmo.Recommendo V. S.
que, em vista dos inclusos documentos, mande pa-
gar ? Manoel Antonio Teixeira, conforme solicilou
o engenheiroencarregado das obras militares nesta
pro- acia, em ollicio de Vi do correnle, a quantia
de til i, que lera direilo o mencionado Teixeira,
por haver concluido os concert* que arrematou,
c so faziam neoessarios no quarlo da residencia
do ajodante da fortaleza do Brm.
N. 833.Dita ao mesn/o.Tendo en vista a sua
informacao de l'i do corrente, sob n. 391, reconv-
iniendo a V. S. que marque ao tenente reformado
do excrcito, Andr Nones Cardse, novo prazo
para apresentaoao da respectiva patente nessa the-
souraria, visto ler elle solicitado-a do governo im-
perial desde 18 de dezemL j do anno prximo pas-
sado.
N. 83LDita ao mesmo. -Communico V. S.
para seu ci nhecimenio e ;ins convenientes, que,
em vista do que me penderou em offleio de 13 do
corrento o engenheiro P.aphael Archanjo Galvao
Filho, resolv autorisa-lo a admittir ao serviro da
commissao de que se acha encarregado um dese-
nliista de que precisa, pweabeado urna gratifica-
o que nao devora exceder 150j mensaes.
N. 833.Dita a mesmo.De conformidad^ com
o parecer da contadoria dessa thesouraria. que
.so refere a sua informacao de 23 do corrente, n.
^06, resolv abrir mesma thesouraria, sob minha
responsabilidade, nos termos do decreto n. 2884
do 1* de fevereii o de 186?, um crdito supplemen-
tar na importancia de 10:000, para a continua-
do das despezas no actual exercco por conta da
verbaArsenaesdo ministerio da guerra : o
que declaro V. S. para seu conhecimento e fns
convenientes.
N. 836.Dita ao mesmo.Em vista de sua in-
forma ao n. 403 de 22 do corrente, sobre o reque-
imenlo de Manoel Ferrei.-a da Costa, mande V.
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
tck
Paulo Fval
Segunda parte
TRES IATAS
(Continuaco do n. 215)
Vil
O Pacto.
A carruagem do Vaujours Paris, de
ordinario, passava cm Livry s oito horas
e meta em ponto, menos que se nao
adiantasse ou retardasse, o que aconteca
aete vezas por semana. Pelas oito horas
e cinco minutos, vio-se entrar na sala de
espera da estarlo extraordinario cortejo,
composto d dous homens, dos quaes um
lovava as costas ura apndice de forma
oblonga ; traziam urna mulher doente, n'uma
padiola formada- de ramos de ajvores.
Acompanhava-os um personagem de appa-
rencia robusta, feicoes regulares, intelligen-
tes e varonis, que pareca pertencer classe
aba;tada. S este ultimo, que se chamava
Brela, e quem os dous companheiros
tralavam com tmido respeilo, novo para
nos. Nos dous por'.'jlores da padiola re-
cuheceriamos em primeiro lugar "Similor,
t itigo mestre de dansa, com o seu cliapo
assim respondido.
? 8t2-~Di,a at> rtwte da reparticao das obras
publicas.Com a informacao do inspector do ar-
senal de marinha, junta por copia, datada de 23
do corrente, e sob n. 1770, respondo o offle.) que
me dirigi em 17 deste mez, n. 232, relativamente
a prestar-se a barca de escavacao, surta no porto
desta capital ao servgo da reiocao do banco de
aroia que se ha formado no rio Abreu ao tul da
entrada di canal do mangue da Vanea de Una.
4* secciio.
N. 813.Portara ao director geral interino da
instruccao publica.Cora a informacao junta por
copia ministrada pelo tenente-coronel commandan-
le do balalho de artilhara deste municipio a que
se refere o commaudante superior em offleio de
22 do corrente sob n. 117, respondo ao seu offleio
de 9 deste mez, sob n. 170.
N.844.Dita ao engonheiro Raphael Archanjo
Ualvao Filho.Em vista do seu offlcie de 13 do
ittmajlejMeaHso Vmc. a admittir ao servico da
commissao de que se acha encarregado, o dese-
nhista de que precisa communcando-me a quantia
por que vai elle servir, a qual nao dever exce-
der de 1384000 menes.
N. 843.DiU a gerente da companhia Per
nnmbncana.Pode Vme. fazer seguir para os por-
tos de seu destino os vapores Tpojuea e Potrngi no
da 30 do corrente a hora indicada em seu ollicio
de boje.
N- 846. Delberaeao. O vcc-prc3dente da
provincia tendo em vista o que dispoe os arls. U
da lei de 22 de setembro de 1828, 8 l da le
1108 de 22 deagosto de 18U0, 33 do decreto 2711
de 19 de dezembro do mesmo anno, resolve ap-
provar provisoriamente o coinpromissso da rman-
dade doSenhor Rom Jess das Chagas, erecta na
igreja do Nossa Senhora do Paraizo e S. Joao de
Deas desta cidade com as condicoes exaradas no
termo do approvacao do Exm. e Rvm. bspo dio-
cesano, de 30 de abril, annexo ao mesmo compro-
misso.
EXPEIK.NTE ASS|G:.ADO PELO SR. DI!. JO.XQUIH COnnEA
DE An.VUJO, SECRETARIO DO GOVERNO, Eli 23 DE
JINIIO DK 1869.
Ia seccao.
N. 847. Offleio ao general commandante das
amias.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-presiden-
te da provincia, declaro a V. Exc. em resposta ao
sea ollicio de 23 do corrente sob n. 361, que nesta
data se mandou satsfazer o pedido do comman-
dante da companhia de operarios militares que
veio anuoxo ao seu citado offleio.
N. 848.Dito ao engenheiro das obras militares.
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia, man-
da declarar a V. S. que a thesouraria de fazenda
tem ordem para pagar a Manoel Antonio Teixeira
as ijuanias constantes dos ollicios de V. S. data-
dos de 21 e 23 do corrente, os quaes licam assim
respondidos.
N. 849.Dilo ao director da arsenal de guerra-
O Exm. Sr. vice-presi Jenle da provincia manda
declarar a V. S. com resposta aos seus offlcios de
18 do corrente, sob n. 116, que o thesouraria de
fazenda acha-se autonsada a pagar as despezas
de que trata o citado offleio.
2' seccao.
N. 850.Offleio ao Dr. chefe de polcia'.inleriuo.
O Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda
declarar a V. S. em resposta ao seu offleio de 23
do correntc. sob n. 914, queja thesouraria provin-
cial tem ordem para pagar a Dinainerico Augusto
N. 832.Dito ao commandante superior interi-
no da guarda nacional de Serinhaem.S. Exc. o
Sr. rice-presidente da provincia, transmiitio a the-
souraria provincial para os fin convenientes o
pret nominal, qua veio annexo ao offleio de V. S.
datado de 7 do corrente, e sob n. 18, o qual lica
assim respondido de ordem do mesmo Exm. Sr.
N. 83.Dito ao juiz de direilo interino da co-
marca de Cal/rob.S. Exc. o Sr. vice-presidente
da provincia, manda acensar o reeebnenlo do
offleio de 28 de maio ultimo, commiinicando V. S.
que na mesma data proceden ao sorteio do jury do
termo de Cabrob, e que marcou a sua reuna/
para IraaJ da do mez corrento.
N. 834.Dito ao Dr. Carlos Eugenio Dnarch
Mavgnier.S. Exc. o Sr. vice presidente da pro-
vincia, manda aecusar o recebimento do ollicio
de V. S. do 21 do correnle em que eoramnniea,
que na mesma data deixou oexercicio interino do
cargo de promotor publico desta comarca por ler
o effectivo reassumidooexercicio do referido cargo.
3* seccao.
N. 833.Offleio ao inspector da thesouraria de .
fazenda.De ordem do Exm. Sr. vice-presidente! qualispondcu.
ORDEM TRRCEIR.V DE S. FRANCISCO -Os
terceiros franciscanos, reunidos hontem em assem-
blea geni, procedern! a eteicao da mesa adminis-
trativMM-.i o anno eomyrowriss.il de 186970. A
mesa (JBoo assim composta:
Ministro.Joaqiim Antonio Perera.
Ministra.D. Candida Eugenia Pereira de Mon-
dones.
Viee-ministroCorbiniano do Aqnino Fonseca.
vico-ministra D. Celecina Colho Ramos de
Oliveira.
Secretario.Jos Rufino Climaco da Silva.
Syndieo.Gaspar Antonio Vieira Gnimarae:.
Vigario do culto.Joaquim Lopes da Cosa Maa.
Mestre de novias.Pedro Jos da Cosa pastel-
lo-uranco.
Mestra de novicas.D. Senhornha Ignacio de
Frenas.
Procurador geral.Tiburcio Valeriano Raptsta.
tf.UB RADICAL.As 6 horas da tarde de boje
navera sesslo, na i ua dos cruzes n. .12 pnmeiro
andar, para a contnuaoao da discussao dos es-
tutos.
. INSTiTDTO HISTRICO E PIIILOSOPHICO.
Funccjonon hontem esta sociedade, em sessao ex-
traordinaria, sob a presidencia do Sr Hollanda.
Toma assento, logo depois da leitura do expe-
diente, o socio effeetiv Francisco da Silveira Gar-
ca, e,ue foi felicitado pelo orador da sociedade, ao
pardo eo sea casacode lacnzenla; em se-
gundo, o pescador Echalot, sugeito da mais
modesto corte, physionomia que o trajo
de pliarmaceutico cahido dotava de nao sei
que melanclica aureola. Um era pai Ile-
gtimo, o outro ama de cria do joven Sa-
ladin.
Quanto doente, apenas a padiola trans-
poz o limiar da sala de espera, o candieiro
enfumacado que ficava detraz da grade ajlu-
miou o formoso semblante de Edme
Leber.
Acabara ella de recuperar os sentidos, e
foi a luz que Ihc fez abrir de novos olhos.
Gircumvagou pelo recinto vistas attonitas,
como se receiasse encontrar alli algum ob-
jecto horrfico, sem duvida confusa remi-
niscencia da viso que tivera. Quando os
olhos Ihe bateram no rosto forte e sereno
de Bruneau, estremeceu, e depois sorrio.
Sonhei... balbuciou.
Depois, fechando os olhos que a luz fati-
gava, accrescentou:
Como se acha o senhor aqu, ao p
de mim ?
Logo conversamos, minha querida
menina, responden Bruneau. Esteja soce-
gada.
Tomoi: entre as sitas as mos da don-
zella, e apertou-as paternalmente.
Similor e Echalot. conservava.m-se um
canto da sala silenciosos e de chapeo na
Dalo. Echalot metiera debaixo do braco o
sauboneco, costumado adormir as posi-
r'tjcs raais difflceis. Bruneau approximou-se
da grade, dizendo :
da provincia communico a V. S. para os flns con-
venientes quo a 21 do corrente o bacharel Carlos
Eugenio Duaivh Mavgnier deixou o exercicio in-
terino do cargo de promotor publico da comar-
ca do Cabo, como particpon em seu offleio d'a-
quella mesma data.
N. 836.Dito ao mesmo.Be ordem de S. Exc.
o Sr. vice presidente da provincia transmitto a V.
S. para os lias convenientes, as 3 inclusas ordons, i
sendo 2 do tribunal do thesouro nacional de 7 e
10 do corrente, sob ns. 77 e 78, c 1 do ministerio
da guerra de 18 de mao ultimo.
N. 837.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Da ordem do Exm. Sr.r vice-presidente
provincia communico a V. S. para os flns conve-
nientes, que a 21 do correnle o bacharel Carlos
Eugenio Duareh Mavgnier doixou o exercicio
interino do cargojde promotor publica da comarca
do Cabo, como parlieipoa em seu offleio d'aquelh
mesma data.
N. 838.Dito ao mesmo.Em resposta ao olli-
cio que V. S. me diriga hoje, sob n. 3!, lenho a
dizer que por haver a assembla legislativa pro-
vincial remeltido a presidencia no da 23 do cor-
rente o antographo da lei do oreamento para o fu-
turo exercicio de 1869 a 1870. anda nao foi a
mesma lei publicada.
N. 839.Dito ao chefe da reparticao das obra
publicas. -S. Exc. o Sr. vice presidente da provincia
manda declarar a V. S. em respposta ao sen offleio
de 2 dojeorrente sob n. 210, que a thesoimria pro-
vincial tem ordem para entregar ao rfiloureiro
dessa reparticao os 7003000 constantes do citado
offleio.
4' seccao.
N. 860.Offleio aoRvm. Fr. Erico deSant'Anna
Rqne.Pela secretaria do governo se communica
ao Rvd. Fr. Erico do Sant'Aona Rique, provincial
do convento de Nossa Senhora do Carino desta c -
dada que existe na mesma secretaria para he ser
entregue depois do pagos os direitos devidos urna
portara pola qual sua magestade o imperador, ha
por bem conceder-lhe para aforar perpetuamente a
Antonio da Costa Reg Lima, cem bracas de tr-
ras incalas situadas no lugar da Piodae porten-
centes ao patrimonio do mesmo convento.
DESPACHOS DA VICR-PRKSIDENCIA DO KA
DE SETEMBRO DE 1869
18
Capilao Augusto Octaviano de Souza.Informe
o Sr. coronel commandante superior da guarda
nacional dos municipios de Flores, Villa-Bella e
Ingazeira.
Captao Antonio Vicente da Costa Azevedo.In-
forme o Sr. commandante superior da guarda na-
cional do municipio de Nazareih.
Cosma Elvira de Araujo.Seja removida.
Candida Menezes Drummond da Cunha.Con-
eeda-se com ordenado somonte.
Emilia Candida de Mello Luna. Inferme o ir.
Dr. director geral da nstruccao publica.
Padre Joo Serapio da Cruz. Expeca-se or-
dem.
^ Padre Fausto Freir de Carvalho.Dirja-se ao
Sr. iuspector da thesouraria provincial.
Joaqum Pedro Brrelo de Mello Reg.Informe
o Sr. Dr. juiz dos feitos da fazenda.
Captao Jos Francisco do Reg Barros.Infor-
me o Sr. Dr. juiz dos feitos da fazenda.
Bacharel Jos Jullao Rigueira Pinto de Souza.
Conccda-se com ordenado na forma da lei.
Visconde de Loures. Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
0' Sra. Lefort, eu tomo o repartimen-
to de diante, se est livre ; forcoso que
me arrange urna carruagem immodata-
mente.
A mulher do escriptorio consoltou a la-
bell o respondeu com ar amavel, lancando
para Edme urna vista de olhos significa-
tiva :
Terceira pessoa era de mas, no, Sr.
Bruneau ? A gente de Vaujours gosta
mais do interior, e aqui nao temos ninguem
inscripto.
Similor deu de cotovello em Echalot.
Bruneau dirigio-se a elles e dhse-lhes :
J n5o preciso de voces.
Sahiram immediatamente. Similor en-
ficu o braco no de Echalot, do lado em
que nao eslava Saladin, e disse :
Bem poda a pequerrucha da msica
dar-nos a molhadura. Ent3o que iss,
Bibi, vamos ficar toda a vida amuados 1
Conforme a franqueza que mostrares,
Amadeu, respondeu commovido o antgo
pharmaceotico. Todas as mnhas illuses
tinha-as eu depositado na tua amizadei E
olha, se temos de separar-nos, melhor
que demos cabo um do outro : a minha
opiniao.
Tolice no caso, Bibi.
Pode ser. Mas antes te quero ver
morto do qae com o coracSo depravado.
Similor fez urna careta.
Bibi, replicou como pordemais. Por
dar cabo, queres tu dar cabo do um petis-
quinho ? Que achas
Nao tenuo fomfiv
Foram approvados, cm segunda discussao, os
novo! estatutos ; o nonieada unta eoinmissao, rom-
posta dos Srs. Ribeiro de Carvalho, Feliciano Pra-
tered e Silveira Garca, para apresenlar, dentro do
prazo do oito dias, um projecto de regiment in-
tenio.
_ Amanhia reune-se osta so;iedade, em ses-
so ordinaria.
FEIUMENTO.-Noda 19 do corrente, Jos An-
tonio da Silva deu urna Tacada em Germano Jos
de Souza, aps una discussao, na ra Fonuosa do
bairro da Hoa-Visla.
IPOICA.Chegou hontem este vapor da com-
panhia Poraambucana, da Granja e portos inter-
medios.
Ack*va-se na capital do Cear o Dr. Joao
Clemenlo Pessoa de Mello, juiz de direilo de Taca-
ral, alia de tomar assento na assembla provin-
cial.
A alfaadega rendeu de 1 a 9 do correnle mez
39:032^913.
No di* 7 de setembro os alumnos do Atienen
Cenreas^f collegio dirigido pelo Sr. Manoel Theo-
pi/ilo Ai Cos. u Rtui. Ut. Urbano da Silva Monte,
aiforrhram 4 crancas do sex>/ feminino, com o
produelo de urna subscrpcao promovida entre
si; sendo tambem libertada nessa occaso urna
escravnha do Sr. Victoriano Borgcs, por subs-
cripipo t'eita entre os circumslantes.
Comecoa no da 8 do corrente o jubleu conce-
dido pelo sanio padre Po IX a todo o orbe cathol-
co, para o bom xito do concilio ecumnico. Da
pastoral expedida pelo Exm. e Rvm. diocesano
extrahirnos os seguintes trechos:
Da simples leitura das letras apostlicas vos
vedes que o SS. padre Pi IX concede a todo o
orbe catholico nina indulgencia em forma de jub-
leu, a qual tem do durar at a conclusao d/
concilio.
Nesta capital e parochia comecar o jubleu
no dia 8 do prximo mez de selembro, dia consa-
grado festa da Natvidade da SS. Vrgein ; e as
oulras parochas do bispado ser ne dia designado
pelos respectivos Rvds. parochos logo que recebe-
rem a presente carta pastoral.
_ As condicoes para so lucrar o presente jubleu
sao as aegointes:
1." Visitar duas das grojas designadas, ou
urna s_duas vezes, e ah orar devotamente pela
convorso dos percadores, pela propagarlo da f
o pela pjz, tranquillidade c triumpho "da igreja
cathoiica.
2. Jejuar tres das aluda nao continuos, a
saber, quarla, sexta-feira e sabbado de qualquer
semana, excepto as quatro tmporas do auno, em
que j ha obrigarao de jejum.
t 3. Confessar-se e reverentenvente commun-
gar.
4.* Dar algumas esmolas aos pobros conforme
as posses c devocao de cada um.
Nesta cidade deverao os liis visitar duas,
das grejas, que designamos, as quaes sao : a ca-
tbedral, as capellas do S. Bernardo, do Loramen-
te, do Patrocinio, Seminario o do collegio das or-
pbas, podendo os que I izem parle do pessoal do
sobrediio collegio ucrarcm o jubleu visitando
duas vezes a capella do mesmo.
as outras parochas do bispado os Rvds.
parochos designaro as igrejas a visitar advertin-
do que onde nao houver niais quo urna, esta ser
visitada duas vezes.
t Os navegantes e caminhantes poderao ganhar
o jebileu logo que chegarem ao lugar de seu do-
micilio, e cumprirem as obras proscriptas visitan-
do duas vezes a ijreja cathedral, maior ou a pa-
rodiial. Tambem poderao lucrar os encarcerados
e detidos por doenea ou qualquer outro impedi-
Com um litrozinho por cima, que te
parece ?
Nao tenho sede.
!; dizendo isso, Echalot assumio ar severo
e accrescentou :
Nem se quer fizeste urna festa pater-
na creaturinha !
Nio sao as momices que lhe ho de
abrir o horisonte do Muro I replicou sen-
tenciosamente Similor.
Echalot puxou da enanca de debaixo do
braco, e approximou-lhe a carita amacacada
e magrizella dos labios do companheiro,
que lhe deu am beijo distrabido, direndo :
E bem bonito, coitadinho !
E em que tencionas ganhar com que
Ibe abrir as portas do horisonte, Amadeu ?
perguntou Echalot, dando ais.
Amadeu sacou do braco e assumio urna
attilude cheia de nobreza e altivez.
Sabes que mas, meu tonto, deca
raou, punha tanta duvida em defrontar-me
comtigo, fosse l a que arma ou a que jogo
fosse, como em enxugar urna pinga boa.
Ainda boje Uve c os meus dares e tomares
com certo ofcial de marinha, e brinca brn
cando hei de encontrar-me com elle ama-
nb5a ou depois no campo da honra; mas o
que en n3o quero que me aecuses de fin-
gido nem de mo homtm. A' roda da gen-
te cbovem mysterios; nao crime irse
urna pessoa ecaixando de dentro, n'uma
posicio precaria como a njjnha, com urna
crianza s costas... de um amigo, sem leira
nem berra e em completa ignorancia
como estou da propria familia. Reflecti,
[ ment, a favor dos qnaes S. S. concedeu aos con-
fessores o poder de dispensar as obras presenpras
| se em tudo ou em parte nao as poderem preen-
eber, e a coromnnliao com os meninos, que ainda
nao iiverem sido admittidos primeira commu-
nhao.
Ordenando S. santidade que desde o comeen
do jubleu at o da.em que lindar o concilio ecu-
mnico, se accreseente na mssa todos os das a
oraran do Espirito-Santo por todos os sacerdotes
de un e oulr. cloro do universo ajeho ratholico, e
que alm da costuinada missa conventual se cele-
bre o divino sarrillrio da missa do mesmo Espiri-
to-Santo em todas as patriarrhacs da cidade de
Roma eootras Baslicas o igrejas eollcgiaes, igual-
mente em todas as grejas cathedraes e collegios
de todo o orbe catholico pelos seus conegos, e
tambem em cada una das igrejas dos regulares
l de qualquer familia religiosa, em rada una quin-
la feira rm que nao se celebre festa rom o rito
(dplex de primei'-a ou segunda classe : c porque
i nesta nossa diocese ainda nao foi inslallado o ca-
bido da cathedral; e nem haja collegiada, ou
mitra qualquer igreja com obrigarao de missa
conventual nos mandamos que a datar da publi-
caran desla iodos os sacerdotes arcreseentem todos
OS das na mi a uiay>> d. Es>irilo-Santo Ir o
lim do concilio.
E |iara qne chegue ao conbecmento de todos
os liis os Rvds. parochos publiearo e carta pastoral estacao da missa paroehial por
qualquer va que Ihes chegue as nios.
Devendo S. Exc. Rvm. o Sr. hispo diocesano
segnir para a Europa, nomcou para governarem o
bispado durante sua ausencia aos Rvms. vigario
geral, conego Hyppolito Gomes Brasil, vigario das
Rustas, Lino Deodato Rodrigues de Carvalho, o
qual servir de secretarlo, e o vigario do Aquirar,
Malliias Pereira de Oliveira.
As utiras da guerra levadas pelo Ipojuca, fo-
ram muito festejadas na capital, com passeiata,
musir, poesas e foguetes.
Do relaloro da presidencia trancrevemos o
seguinle, sobre as finanzas geraos e provn-
ciaes:
Se o augmento regular e progressivo das finan-
cas de um povo qualquer, pode servir de thermo-
metro do seu bem estar e engrandecimenlo, laclo
incontestavel, que esta provincia caminlia rpida-
mente para um alto grao do propriedade.
Em face dos dados, que me foram presentes,
verifica-se, que, nos tros ltimos exerccos de
186669, as rendas geraes teem gradualmente
augmentado, como pedis ver da demonsiracao
seguinle:
1866-67 1,140:127*000
t 186768 1,206 102*000
1868-69 1.3l3:285f000
inclusive o resto das rendas das colletorias mas
distantes, oreado em 12:000*.
Do exposto v-se, que oexercicio de 186869
aprsenla nm augmento sobre o de 186768, de
307:2835, e sobre o de 186667 de 373:038*.
A receita total, nos tres exerjfctos menciona-
dos, attingio ao algarsmo de 4,847:513*619, e a
despeza no mesmo perodo a 2,367:480*703, dan-
do um saldo no trienio em favor da receita de
2,480:034*916, como tudo veris do mappa, que
junto
t No periodo de julho de 1868 a junho do cor-
rente anno, arrecadou-se pela alfandega desta
provincia a importancia de 1,343:884*185, sob os
seguintes ttulos:
Importacao........ 862:298*286
Despacho martimo. 2:624*570
t Exportacao........ 439:798*590
Interior........... 40:762*789
O valor dos gneros e mercaderas importa-
das e exportadas por aquella reparticao foi o
seguinte :
t Importacao directa. 2,819:207*890
cabotagem. 447:722*100
-< Exportacao........ 4,887:636*100
Os principas gneros, que liguraram na ex-
portacao, para dentro e fra do imperio, feram o
algodao, o assucar bruto, o caf, a cera ae car-
nauba e os couros salgados.
t O estado das rendas provinriaes nao menos
lsongeiro do que o das geraes; como passo a de*
monsira-vos :
A receita da provincia no exercicio de 18 7
foi a de 631:093*574, que junta ao saldo do.....
78:233*807, que p a.sou :do exercicio do 1806,
prefazem a soninia'lde 709:349*378.
A despeza montou a quantia de 391:308*838,
que comparado com o total da receita, mostra um
saldo de 117:740*340, que passou para o exer-
cicio de 1868.
Do exposto resulta, que houvo em 1867 um
excesso de receita de 114:898*337 e urna dille-
renca para menos, na despeza de 17:888*003.
Segundo o balanco provisorio da receita pro-
vavel do exercicio de 1868, deve esta ser de.....
840:944*173, ea despeza 711:7225184, do que
resulla um saldo de 129:221 -5989.
t Estes algarismos, que representan! aproxima-
damente a receita e despeza da provincia, nao
combinam com o bataneo extrahido do livro ca -
xa, em raza > de dlTerentes transaeroes, que ele-
vando os algarismos, nao augmentam todava a
reeeita e despeza propramente dita, como veris
do relalorio e balanco do inspector da thosonrara
provincial, que vai annexo.
pois, assim ; disse c com os meus botSes :
Ama-leu, tu nao podes licar sempre a car-
regar na amizade d'aquelle que te abriga
debaixo do seu modesto tecto. preciso
tratar da vida, horaem, que j tens idade.
Neste caso poda montar um ndgocinho
como o teu, nao verdade, fazendo-te con-
currencia ? Antes morrer do que prejn-
dicar os mais sagrados inleresses de um
amigo como tu Ora, pois! tinha a es-
colher entre o Bruneau, que mora no por-
13o ao lado da gente, o Lecoq do primeiro
andar e os rapazes do quarto. que se ou-
vem continuamente atravz do tabique fal-
lando de crmes sobre erimes. Mysterios
e mais mysterios, hornera O Bruneau
disse que apparecesse em outra occasio.
O Lecoq l me assentou o nome n'um pa-
tife de um registro enorme, onde j ambos
nos estamos escarranchados, eu* e tu, digo-
t'o para teu governo. Que fez aquelle fi-
guro ? V5o l saber. Apostava meio
litro em como aquillo nao acaba bem. Bes-
la va a rapaziada do quarto andar. Pene-
trei l urna manhSa em que osTuivi dizer
claramente que queriam matar a mulher...
Qual mulher ? perguntou Echolot a
rebentar de curiosidade.
forcoso que renunciemos a pintar a
fervorosa attencSo com que elle escutava a
confisso do amigo. Saladin incommoda-
va-o; procurou mette-lo na algibeira...
mas nao pode.
Sim, que mulher? repeli Similor en-
colhendo os hombros, como decifrador de
charadas que se d a.perros. Di-lo tu, se sa-
A receita para o exercicio de 1870 esl orea-
da em 616.374*000, e despeza em 614:663*114.
Esle calculo, como sabis, lera por baso o ter-
mo medio da verba dos tros anuos anteriores de
1883 a 1"67, sondo provavel, qu i receita se ele-
ve a milito mais, em vista do estado (brscente
dos diversos ramos de riqueza publica da provin-
cia, principalmente em prospectiva da safra no
roiiunio exercicio, que prometi ser superior as
maioresdos airaos anteriores, salvo quabjujr emer-
gencia desfavoravel.
O movimento da inspecrao do algodao de Ja-
neiro dezembro do anno prximo passado nesla
capital, e na collccloria do Aracaty montou a
86,534 saccas, pesando 387,675 arrobas e 10 li-
bras, sendo desta capital 51,630 saccas pesando
236,934 arrobas c 19 libras, e do Aracaty 34,884
saccas com 130,740 arrobas c 23 libras, como se
verifica do mappa appcnso ao nlatorto da respec-
tiva reparticao.
A divida activa da provincia de 19:259*313,
qnasi toda proveniente de empreslinios a einpre-
gados pblicos, para se inatricularcm no monte-
pio dos servidores do estado, obrigados amorti-
sariio na razao da quinta parte de seus venci-
mentos.
No Rio Grande nada occorreu, que merera
menr.o.
Da rapital da Paralnba nos escreve o nosso
or^espondente, em 20 do corrente.
Desde a minha ultima missiva, que a tranquil-
lidade publica e seguranza individual nenlrama
alleracao tem soffrido.
Aquestao dos emolumentos cobrados pela
secretaria do governo, das patentes daguarda na-
cional, de que a thesonraria de fazenda fez escar-
ceo, foi resolvida pelo Sr. ministro da fazenda, em
favor da mesma secretaria, declarando que laes
emolumentos nao devem fazer parte da receita pu-
blica.
t O-Sr. inspector Joao Mendos licou desairado
neste negocio por culpa propria, visto como levan-
tou caprichosamente seinelhante queslao, prestan-
do-se a sugesties menos avisadas e cordatas de
seus assessores.
< O dinheiro que tinha ido era deposito para e*
cofres da thesouraria, j voltou para a secretaria
do governo, que, detluzida a parto que Ibe loca,
far a dovida rcstitnico do-raais, aos offlciaes que
indebiiaracnte pagaram com excesso.
< Foi buscar laa e sabio tosqueado.
t Aflnal falleceu o nosso amigo e correligiona-
rio poltico Sr. Joaqnim do Mello Azedo, membm
de um familia importante de faiendeiros desta
provincia, victima de urna febre perniciosa, da
qual, alias, eslava em con vleseos ra.
< Dou sua Ilustre familia os meus sincero*
psames, por to infausto successo, depositando
era seu tmulo unta lagrima de saudade.
i ApfMra*r*un B,uexas diversas contra a con-
servacao da nova estrada de rodagera, que parle
desta capital para o centro da provincia; em eon-
sequencia resnlveu o Exm. Sr. Dr. Venancio Lis-
boa examinar oceularmente a veracidade das mes-
mas queixas; e, para esse lim, fez hontem um
passeio at Santa Rita, acempanhado do seu se-
cretario, e do engenheiro da provincia.
Ao que me informam, parece que S. Exc. niio
veio muito salisfoilo desse servico, visto como al-
gums providencias se vao expedir para que elle
seja feito com mais exaccao, o que muito para
desejar. i
Se lodos os administradores de provincias se-
guissem o mesmo systema do Sr. Dr. Venancio
Lisboa, procurando examinar por si mesmo varios
ramos do servico publico, de certo que as cousas
neste paiz marchariam de outra forma.
Nao ha nada mais pernicioso do quo o^
Iflisser faite, laisser passer, a que muilos estao
habituados.
O Ilustre Sr. padre Francisco Pinto Pessa
receben votacao unnime, em todo o primeiro dis-
tricto desta provincia, para oceupar a vaga qne
deixou na cmara temporaria, o Exm. Sr. barao
de Mamanguape, cscolhido senador do imperio.
O primeiro districto da provincia, pronuncian-
do-se de modo to importante em favor de seme-
Ihanle candidatura, nao fez mais do que satsfa-
zer urna divida do honra, que havia ha muito con-
trahido, com esse distincto amigo e correligiona-
rio pal i tico.
Os meus emboras por seu nobre e digno pro-
cedimento.
O Dr. Elias Frederico d'AImeida e Alhuquer-
que obteve quasi igual resultado, com derenra
de poucos votos, em sua candidatura assembla
provincial, que dever abrir-se no da Io do ou-
tubro prximo futuro, como eslava marcado.
t A poltica da Ierra est cm marasmo. Aop-
posicao quasi que nao se faz sentir. Verdade
que as cousas publicas marchara de modo, qui-
nao ha motivos para censura.
Nestes dous dias deve ir concurso, a cadei-
ra de philosophia do lyco desta cidade. Appre-
senta-se to somente "o Rvm. Dr. padre Leonardo
Anlunes Meira Henriques, ao mesmo concurso.
. Ser nfalivelmente o nomeado, por abrangei
todos os requisitos necessarios ao magisterio.
t Nenhum outro poderia competir cora elle, em
illusiracao e capacdade, para o lugar em questo
t O nosso mercado de algodao contina anima-
do, o com entradas de 1,000 saccas por semana,
bes. Mysterios e mais mysterios, homem "
E olha que aquillo l em casa d'elles nao
est muito mais enfeitado que na tua. Mu-
fumam do fino e tem muita boa roupa
branca. Sao tres filhos familias sem di-
nheiro, que se juntaram para a frescata e
outras cousas mais. Ha um chamado Mi-
guel, que cometa a separar-se d'elles; esss
desencantou um negocio... um negocio ou
urna mina... e o Mauricio e o Estevo nao
veem boia. Eu d'aquella vez nao me atrev
a fallar logo na mulher. S disse : aqui
est quem pode prestar serviros mysterioso.-
e soperiores s pieguices do vulgo ; a
principio, fartaram-se de rir com isto e com
tereu professado a nobre arte da dae*
das salas. Riera de tudo. Mas foram-me
acceilando. Pajam-me com o primeiro ne-
gocio.
Que negocio ? perguntou outra vez
Echalot, que meto derreado, lornou a met-
ter Saladin debaixo do braco.
Busca, Bibi.
E que fazes tu em casa d'elles ?
Tudo.
Tens ordenado ?
Ests tolo ? Ento eu sou algum
criado de servir ? D3o-me cem francos n
primeiro negocio que fizer. Ahi tens.
Mas que negocio esse I
Busca! Nao te disse que sao segred -
homem ?
(Continuar-se-ha.)





Diarie de Pernambuco =_ Qarta eira 22 de Setembro de 1869.
....----T------- .ni

ouco mais ou meaos, vendendo-se na raspelo
5c 1*1300 a 11*300 re. por arroba.
. O briKtm inglex JMfa despaehou-so no da
Upara Livcr|ioul, maniatando 1,166 saceas coin
algod > ,
. Ficain carga ueste porto, com o mesmo acs-
kno os navios: RnmHtul*, Jpiter e Naonu, e
esperase o patacho Jrenla, procedente dcste
porto, hados para c irregar algod0-
A alfandega rcudeu no toel de agosto lindo
31:2i'tlo0, o o consulado provincial f|:M9J7W
O Damero de saceas Je algodao entradas uo
referido mez, na inspeceio subi a 2,633
" DINHEIRO.O vapor Tpejtum twtwe 1.122*
para o Sr. Viviano da Silva Calda*, c 3805 para
s Sis. Silva & Al ve?.
NAVIOS DE GUERRA Secundo nos mitran
o Sr. commandanle do wfor Ifujnra, passaraoi
teta da cidade ifci Porlataa, no da 12 *(i eor-
rente, um grande vapor rebocando um monitor,
na direeco do norte para o sul. Deven?, ser os
doHs rasos pernanos, cm viagem do Raanla
para o Rio de laneiro.
VAPOR CAMOSSlM. -Anda o Sr. commandan-
te d. Ipojucn, nos ii.lorm* quo perdu-s< M Po-
dra do Sal, 12 milhas ao norte dafcarra da Pa-
ralivba, indo lofo piano, o vapor Comos-om, ua
Goipanhia Mara:ihe.p.se, salvndole os passagei-
ros o tripolaciio, a aunes enmatara todos os es-
forc* para salvar Ignota parle 0*carga.
CrEDADE PATRITICA WttE UE 8E1EII-
BRQ. Reuniram se honiem no sali do Club
Pernambucuiu, as continuados^cutral e pareiacs,
coin SBtttwrcia de 23 deseas mesibros, soba
presidencia do Exm. Sr. general Fontes, c deli-
beraran o seguinte: .
A nomeacao do commanar.ntc de cada battloao
patritico ser hita opporaiioamenie pela com-
missao cncarregada de ongaiiisa-lo, devendo esta,
conanvmiear a comtnissla central para ser publi-
cada nos jomaos da eidtfle.
i) uniforme de caVcorpo ser determinado
pelo cpnmaudaalo de eccorda com os offkaes.
A tespeza necessaria-em ca.la eorpo ser feita
pcki.....nn isso respectiva, ijuo_para este Um pro-
mover a necessaria rubscripro.
Ficou altralo o programa quanto ao nnme
ro de eorpos que deve eonter cada brigada, o a
commisso central deliberan convidar o eorpo do
cummereio uacionl c e-irangeiro para formar
mais um batallan patritico, dirigindo-se para
mi flm associafo Commerc'ial Bendceme, he n
cuino promover a'orgaisaco de mais eorpos, sa
-assiin julgar conr'iiiente.
A's 9 lloras da noute levantou-se a sessao.
ROSAKIN'IIO.-Chamamos a allcnco da autor-i-
d.tde local para os constantes disturbios e furtos
que se da > da estrada do Itosarinlio. E" forzoso
-que se ponlta um paradeiro a esse estado, ojie
*rai om uonst*nte< lttstos os moradores d'(jo1le
lugar.
OFFICINA DE ALFAIATE.Para a grande of-
fieioa de alfaial.- dos Sis. Lima, Lessa 4 C, Ttia
Nova n. li, onde se ada dingindo a mesmaoSr.
Garca, um dos mais liabcis inestres da evito de-
Lisboa, eliojou no ultimo pauelo grande e vanadosortimentode casemiras de apura:
do gusto. Rcoomuiendanin-lo auS amantes dos
li dios eosUiiiies, para apreciarem o gosto e esme-
ro com que se trabalha no mesmo estabelccinieiito-
JOI.'VS.O* propnetarios di loja de joius teto-
minada Corarn de Ouro, ama do Cabug n. 2
U ; lendo feita unta reforma completa no scu es-
tab'-lccitnento, olTerece.m an publico, ni bdlloot>-
{meato dejoias de todas as qaalidades -e-gesto
moderno.
OTEIMA.A que se acka a venda atHI', a
lienelicio da matriz de, laboatao que corre no
dia 29.
LEILOES.O agente Martins faz boje kilaode
armario, gneros e pertenees lia taberna da ra
de Santa Rita n. I, as 10 horas.
Amaiihi (23 do coireirte as II horas em
ponto eleclua o agente Pinto, no armazemda ra
do Imperador 0. 67, o leitio do teendM, arma-
ea temis utensilios que Ij da loja da ruado
M-espo n. 20 A.
ROUBO IMPORTANTE.0iiancnjfawrc de New
York sofficu altiioauente nm avultado roubono
sea escriptorio da ra de Cremrwieh. 6s ladros
;'.;iniveitarain se da amencia d > marda durante o
dia dominieal para se iotroduzireui no esn ipl irio
pelo rez do chao da casa onde este se chava, e
no qual tinham alagado nm qnarto pooee tempo
antes.
O roubo eoftsiste em -i-^OOO dollars depositados
no banco p ir particulares; em 28,003 wan era
bonds e em dinlieiro p'Ttenfiito ao banco; 10,000
dollars da ; 100,000 dollars ni eeptifieadns de io|iosito do
ouro u i tliesoaro ; e 30,dl leamm em ouro amoe-
dado : total (i 10,000 dollar?.
Os instrumentos de ue se servirn)os laroes,
deixados pur cllcs no escript >rio valiam tnais de
400 dolais.
Os directores do banco oflerenam nm avultado
premi i a faem deacohriiiM os autores lo roubo.
IMPORTANTE UESGOBEKTA. Eis urna noti-
cia que muito deve inieressar os artistas e os ar-
c heologos.
Acaba de seenconirar lia pitucos dias, em Pom-
pes, u i ua magnilica pintura, n'nm quiirte proxi-
mi a ca co, por occasio da viageiu da .princesa Marga-
rida.
A pintura em questt representa oiCirot de
Pompea tal como elle era na poca dadestruieio
da cidade. E o primeiro desenbo descoberto.que
a presenta carcter histrico.; porque os romanos
nao tratavam ordiur-rianiente seno de^stumptos
mvihologicos.
ESPO TANEA GARIDADE. Um habitante de
Jiiriiiingliam acaba de platicar un acto de muni-
ficencia real. Enlregt>u aos u"de-eoiiin!saf ios da
casa de asmlas o dos orplulos d'Brdinglaa, unta
-somma de 20,ti00 libras eslornas, dada |wr Mr.
Joziah Masn.
Esta quantia igual i (|ue desiiuou aos-pobres
de Londres, Mr. Peabody.
E' todava curiosa saber que Mrs. Peahody e
Ma>on. naseeram ambos em levereiro de nt-'i."
Em i808, eomecoa Mr. Masn a dar para obras
de beneficencia e de i plielinagem, quaMiae em
primeiro lugar mdicas, e pouee potMB esto sna
tgenerosidade f ti augmentando de uiaiteira que ali-
nal fundou um ejlabdeciaiento para recebor vln-
tc e .-vis viuvas pobres, fazendo construir eJili-
cios para receb-.T trezenlas creaneas de ambos os
sexos.
O estabeleeiniento de arpbelmafem iminen-jo;
oeeopa kvaeotaa acres de terreno, cm Erdington
jiroximo de Sulton.
i; speoderam-se 60,000 liltras na-edilicaeao.
Este niiiero de ai-r"s qne c oopoe o terreno
d i valor oV mais de 200:000 libras esterlinas.
PASSAO:ilROS.0 vapor Fpojuc* vindo de
'.ranja e perros de e^-allas, trouxe ao scu bordo
js seguintea:
Anti nio I', reir I.eite, Domingos Joan da Cunha
X.agcs, Amelia Forroira da Seca, Aotmio I). Xa-
viar Pereira, Antonio de Oliveira Pinto, Manoof H.
rvalho Pin'., Antonio Felippe, Joaquim Ferreira
la Silva, Francisco T. a> miro, Barthl M, lofto lio Alcanur, J*ao R. de Mello. J.
l.m'z de Castroi,-'., Jos Martius Ferreira, Jos fia
briol, Gil dos Sentos, Jos Vicente D. Braulio c i
scravos, Dr. Joto Jos F. de. Aguar e seu lillio
Alvaro E. Forreira Aguiar e 1 'oseravn, Vafe R
'.ima, Innacencio R. Lima e 1 aerado, Rayi&undo
andido .O.et escravas, Leonarda escrava de
Francisco F. do Al.'in nerque, 2 eseravos d.; Db-
mingos J. C. Lagos, 2 eseravos de Antonio P. da
C lua 5 I lillu, Gustavo L. F. d l.uiza escr.r.a defiast.ivo L. Portado de U., .1 crta-
!,) do Sr. Ju.-i; V. D. JBfaodo, bro do Mara
2 filliQs t creados, Eedr J. de Alcntara Cesar
Joo A", da Motn, Dr. Antonio ,S. Cavalcanti, padre
Manoel da Suva C, AHionio da Cosa Lima, Au-
austo G. da miva>e seu oreado. Jos G. de Araujo
Jnior, pa Te Flix II. Reg, Manoel Si Ueste F.,
J. Pereira Arantes, 20 marujos da barca ingleza
Umcinhere (naufragada), Pedro O. Cerqueira, L.
da S. Riptista Juuior, D. Rosa Amelia R., Lat P.
Arantes, Antonio F. Borges, Tliomaz M. Pontee, A.
Joo Pinto R. Parva, Domingos tal,
itJBgos A. Barbosa.
Sabidos para a Paraliyba no vapor nacional
Co\:
Dr. J. M. de Carvallio Cesar, Jos Pinto Rodri-
gue; de Paiva, coronel Jos Ilenrique da Silva.
do eorreule acompanhando o ultimo bolotim
mercial.-Ao archivo.
Aos Srs. depilados feram destiibuidos o
guinles ivros : copiador tle Rabo Schometteau u
dem do Tbeodoru Simn & C, diario de AITred)
k Cunta.
ElTectnou se a transferencia dos bvres que se
seesem : diario e copiador que pertenceram a
SUnnei Laau Carnciro Pint A C. para a Brma
Soaros JtSouza.-Diario o copiador Codfto & Oliveu-a para los Antonio dos banWs
Colbo.
Dr.SPACHOS.
Requerimento de Bernardo de Barros Brrelo
para ser registrada a nomeai.o do seu eatxeiro
Balsanuf.i de arros RarretcRegistre se.
De Tlwin Lopes .le Sena, para ser tambem re-
gisirada'a Homeaolo de seu caixeiro Manoel Ri-
liciro Poirtrs. Como requer.
Da Valentim do Valle I. dio, para cer;iiicar-se-
iheaeseaeha na nao registrada a nomeacao ue
seu caixeiro Manoel do Nascimento Carlos Vital.
Certkiue-80.
Uc adiado & Mount, para registro da ntmea-
codescu caixeiro Amonio Scliclapprites Re-
gre-se.
De Jos Francisco de Figooiredo, para registro
tambem da uoniexoao do sea caixeiro t.osme Lobo
Vicira de Amujo.Registre-so.
De Jesuinu Xavier le Su.cssuna, para igual Itin
quaiilo a sua Mmeacao fe caixeiro d) eonimer-
cianle matriculado Jus Alves Fcrnandes.Regs
lie-sc.
De Soares 4 Souza, para pormiUir-ae-lnes o uso
dos Itvroa r|e perteaceram aos sous antecessores
MaiKM'l Ufe Carnciro Pinto tC, para o que apre-
seiitaraiii ti diario e copiador.Como requerem.
De Manoel Duarlc Vieira, para se Ihe dar por
cerlido tkeor do registro da nomeacao do seu
caixeiro Clvsses uarlo Vieira.D-se.
De Ins Joaquim Stares, para o mesmo lim
quanto ao seu caixeiro Jos Manoel Soares.
Coma reqnor, sendo que a dala do requerimento
foi posta depois do primeiro despacho.
e Manoel Marques ie Abreu Porto, para re-
gistro da nomeacao de seu caixeiro Anaf de
Abroa Porto Innior.Rcgislre-se.
De llioiiiaz i'cireir da Cunha, para registro
tambem .la de seu caixeiro Joaquim Benjainim da
Rocha llezerra.Registre-se.
Do Lehmann Frres, para gnahncntc registrar-
se-lhi's i de seu caixeiro Augusto Fernando do
Reg.Registro-s.
De Francisco Xavier do Atliayde, para se aver-
har no competente registro a sabida de seu cai-
xeire Olvnto Joaquim Duarte, e requcrer-se-lhe a
Bomeaoao de Joo Bapttata Tliomaz de Souza que o
substituir.Cmo requer.
Be Joo de Oliveira Leite e Souza, para igual
aveiltacu quanto a retirada de seu caixeiro Lucio
Casimiro du Sania
*> ft"5 3'ih'i.iuii,-o
Santo.Como requer.
Do Joaquim Rodrigues Tavares fe Mello, para
legislro da nomeacao de seu caixeiro Ludgero
"urge da Silva.Registre-se.
De Francisco Riboiro Guimares e Jos Antonio
da Cunha Guimares, para registro de seu con-
trato social que em duplcala juntara.Vista ao
Sr. desembargad.* liscai.
De Jos Fortunato fea Santos Porto, para regis-
tro do distrato que celebraran! com relacao a re-
tirada de Jos Bernardo Mendes da firma Mendos
Falco & C, da qual elle supplieante socio com-
mandilario. Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Do Mau.iel Luiz Gmcalves e Finniao Antonio
Pereira, para registre de seu contrato social.
Vista ao Sr. desenibargador liscai.
De Pedro Jos Pinto, juntando para ser registra-
do, o ('oiihceiinento fe haver |ga mcta.le do im-
posto de sen ofH.uo do corretor geral correspon-
dentenienle ao anae tinanceiro de 1809 a 1870.
Registre-se.
De Olvinpio Aroeuno Barreto de Carvalho. para
registrar-se-laa a hm aomeaciw, que jonu .le cai-
xeiio de Francisco Guedes de Araujo.Rums-
irc-s!'.
De Jnaquim Lopes M .diado, cidado brasiluiro,
com 30 ann.is de idade natural desta cidade c
ella eslabelecide, comiiiereiando em grosso trato,
pedind i matricula.Abona sua preteuvo um at-
lestado que aprsenla dos cmniiiorciantos Bario
da Soledade, lieury Borstr C. e Joo Animo
de AgUtlar.Vista ao Sr desembargador lista!.
De Cielito & Pereira, pira :-e abrir assento da
malricula de seu caixeiro Joaquim Tavares de
Souza, npraaaataafe para esse lim a nomeacao
que Ihe passara. Reconhecida a lirma di nomea-
cao, regi-tre-se.
Ue Jos DmiKuguos Pereira, para transferir-se-
Ibe os livros diario e copiador que pertenceram a
extracta firma de. Pereira & Braga.Como requer.
Replica deFeJippe Caineiro Estrella, mostrando
a impossibtfiaade que ba em cumprir o despacho
desle tribunal de 10 do corrate exarado em ana
petico em que sulicituu o titulo de agent de ki-
loes da cidade da Parahyba.Prestado o jura-
mento passe titulo.
ROM IM'JBMACAU 1)0 SR. OESEilTMlGMKm PISCML
Rcqueriuiento de Jos Dtiningos Pereira, e
Pedro Ferreira de Araujo Braga, pedindo o regis-
tro do disiraui da sutiedade Pereira & Braga.
Registrse.
Autos de rebabilitacao de Joaquim Jos da Costa
Fajozes Jnior o 9os Laurentiuo de Azevdo.
Saiisfacam o lafOCaf lise,-1.
Nada mais liavendo a .lo-pac"i:ir, teve o Eran.
Sr. presidente de enterrar a sessao as Libaras e
meia do dia.
OEl-'.ENCIA.
Appellanto o lular des orphos. fillios de Her-
culano Deod.ito do0 Sanios, appellado o tutor d-s
orpltos, Illlus e Antonio Joaquim Goncalvrs Gui-
mares.Os appellnnies ueveni habilitar-se visto
ser noimio o fallecimenlo dj tutor, quo por ctlcs1
rcpceswitava em jeito.
PAUSAOUia,
Do Sr. dcjembargador Silva Guimares ao Sr.
dwembargador Reis c Silva : appellanle Albino
I Jos Ferreira da Cunha, appellado Domingos Pran-
cjco Tavares.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Accioli: appellanle a eempanhia Vi-
gilanie, por seo pe cute, appellado Jos Joaquim
Goncalvcs Reltro.
DlSTBIBlBC.VO.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares : ap-
nellante Cesarlo Deodato de Pontes Franco, appel-
lado Salusliano Lauriano de Pontes.
CARTA ESTKMCMIAVEI..
Juizo especial do commercio : aegravante Luiz
Moreira de Alm ida Leal, aggravados Joaquim Jo-
f Gmcalves Bel trio e Beirao A Olivera.O Exm.
Sr. presidente den provimento.
Nada mais houve, e foi encerrada a sessao s
2 hora da larde.
CMARA MUNICIPAL.
t> SESSAO ORDINARIA DE 10 DE SETEMBRO
DE 1800.
rnaeiDKiNcu iu sn. pn. souza lrao.
Prcientes os Srs. Dr. Costa Jnior, Dr. Barro?
Prosents os Sr?. l)r. Costa Jnior, ur. uarros
Brrelo, Gameiro, Dr. Mostoso, Dr. Ser, Dr.'.pi-
tanga, e Souza Magallies, faltando com causa os
mais senhore, abrio-se a sesaao.
I" lidu e approvada a acta da antecedente.
O Sr. Dr. Moseoso pede a palavra e aprsenla o
seguinte requerimento :
Em sigual de regosijo pelas faustissimas no-
lirias que nos rhegaram hontem pelo vapor do su I
a respeito da guerra do Paraguay ; requeiro que
se suspenda a sessao c se feche a reparticao.
Paco da cmara municipal do Recife, em 10
de setembro do 1809.Dr. Lobo Mostoso.
Posto em djscusso foi unnimemente appro-
vndo.
Levantou-se a sessao.
. Eu Francisco Canuto da Boaviagcm, secretario
a escrevi.Mniincl il: Danos Brrelo, pr-prosi-
dente.-los Marn Freir Gameiro.Dr. Prxedes
Gomes de Souza Pitonga.Flix Francisco de Sou-
za Magalkaes.Dr. Joo Mara Sere.Bento Jos
da Cosa lunior.
Oleo pufo de figado de bacalho
de Limiuan & Kemp.
Urna toss.' perUnai e fatigadora que Je vez em
quando arranca sangne com dor o oppresao no
.cito, pulso alterado e febril, extraordinario rubor
ou vermelhido das faces, suores nocturnos, ma-
greza c debilidade croscentc, anuuueiam ao doen-
le phiyaieo, que a sua vida se acha em perigo. Os
anodynos, os expectorantes, os tnicos e xaropes,
c a'."mesmo a mudanca d'ares, sao geralmente
em vo. Abandone pois odoente todos esses meios
paliativas e experimento o oleo puro mediciaal de
figado de bacalho de Lanman & Kemp: E' urna
prepararn preciosa da nica cousa que a expe-
riencia t'em demonstrado, que se pode ion todos
os casos depender e confiar della ; o os scus bons
effe.los nunca falham. O oleo de ligado de baca-
lho, impido e puro, o remedio mais poderoso o
efflcaz para as enferuiidades dos pululos, gargan-
ta e bofes, de quantos se tecm desaoberlo at ago-
ra. Depusitai pois inlira f nello e axperimenUi-
sem susto. Porm nao vos esqueceis de pedir a
prcpnrato nica e vtrdadeia de Lanman 4
Kemp ; porque o mercado infelizmente achare
inundado de composicoes fraudulentas em si tao
ms. como imitis. Examnese pois o loirciro e
a capa, aflra qnc possas ver a marea commerctal
da ca>a.
Acba-so venda as ph.irmac^as de A.
Caors, M. A. Birbosa, 1. da Conceii;5o Bra-
vo & C.j P. Maurer A C. e Bjitholomeo
A C.
MOVIMENTO DO PORTO.
Sacios entrados no din 21.
Rio Grando do Nortei dias, hiate nacional Dotis
Amigos, de 07 tonel ti Ts, capilo Belmiro Bap-
tistade Sonta, epiipagem 7, carga varios gene-
ros; a S.i Leito lrnii.
Babia8 dias, bri.fte naciopal M tur icio, de
123 toneladas, capitio Francisco Alves d'Oli-
veira, equipageai I), carga 9,903 arrobas do
carne ; Amtrini Irma i.
Granja e portes inteiiiiedios 10 dias, vapor na-
cional /po/nen, de 369 tonelada, comniamlanle
Prancisco Bttabquio Rodrigues, equipagem 30,
carga dilfercntes gneros; a conipanbia Per-
nambutana.
^Ydi'io laUan no mesmo dia.
ParahybaVapor nacional Coruripe, commandan-
te Pinna ; em lastro.
EDITAES.
COMMERCIO.
Rom, e registro da nomeagao
. Soio Daptiata -lo Bs|nrllO-
PUBLICACOES A PEDIDO.
PBACA D3 RECIFE 21 DE SETEMBRO DE 1S69
AS 3 1/2 II1IIAS DA TARDE.
Algodo do Rio Grande do Norte*l39 por kil.
posto a bordo, frete de 1/2 d. e 5 0/0
Aceces da conipanhia Pernanibucanaao par.
Cambio sobre Londres 90 d/v. 19 7(8 d. por
U000..
Cambio sobre Paris90 y i80 rs. por franco
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Novo Banco de Pernambuco
em liquidadlo, 3 de agos-
to de 1869.
Os Srs. accionistas podem receben o
sexto dividendo de um e raeio por cento
do capital: s quarta-eiras e satinados.
ENGLISH BANK .
O Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
venckiuar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
Draze fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem correspondentse
na Babia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-
lla alguns airaos, comecei soffrer de catarac-
ios, cu. maifos u.-> trihoi, c Ul-mIo 18G6 foi esto sof-
friraenio por ul forma progredindo, que redniio-
me quasi completo estado de cegueira, poulo
de nao poder mais sabir ra.
Privado assini de tao importanto orga^, o mian-
do ja me dlannnba ir procurar Europa, as
mais do aljimn hbil operador ornli>Ia, roparacao
de tao sensivel perda, depnrou inc a fortuna o Sr.
Dr. Gnilherme Ntegcli. medico suisso, que ha al-
guns rnczps se achava nesta cidade.
As informaces de algumas operaf5es pratica-
das pelo Sr. Dr. Naegeli, c a seguranza com qne
falloume sobre a materia, inspirarani-nic tanta
eonanca, que nao hesitei mais em entregar-me
s E. na verdade. nao enranei-me. Em ^ fle malo ,
deste auno exirajo-me o Sr. Dr. Naegeli a tata- York e New-Orleans, e tmttte cartas de
rada de um dos olhos, c em 26 de jimho a se- crdito para os mesmos lugares.
Perante o consellio de revista da guaada nacio-
nal deste municipio, sao pelo prsenlo chamados
para serom inspeccionados na sala das sessoes da
cmara municipal, no dia 23 do corrente, s 10
horas da nianhaa, os guardas abaiso menciona-
dos :
I" batalhao de artilharia.
Eufr.i7.io Nery Barbosa.
Augusto Cyriaco Villas-Boas.
luronymo Joaipiiiu da Silva.
Carlos Predenco Barbosa.
Flix Antonio Pinto Serodio.
Carlos Estoves Alves.
Ignacio Dias Fernandos.
Manoel Gomes de Miranda Leal.
Io balaii) de infamara.
Joaquim Vieira de Mello Piulo
Rapuael Archanjo Vaz e Silva.
Alvaro Piulo Noblato.
Manoel Cyriaco da Paz.
Francisco Henriqnc de Alcntara.
Dionizio Antonio d'Oliveira Moura.
Ismael Antonio d Oliveira.
Antonio AQ'onso Rigueira.
Joao Jos d'Araujo Lima.
Jos Baptista Braga Jnior.
Antonio Teixcira dos Santos Jnior.
Luiz Martina d'Arauj.t.
Vicente Ferreira da Costa.
Ins Marcelino dos Santos.
Anselmo de Jess Carvalho.
Joaquim Jos de Sanl'Anna.
3 batalhao de infantaria.
Joo Ferreira da Silva.
Jos da Silva Guimares Sobrinho.
Jos Ferreira da Visita jao. .
Procopio Joaquim Dias.
Ludttero Lopes de Lima.
Manoel ll^ssone de Mello.
Francisco Rodrigues Barbosa.
G' batalhao de infatuara.
Joaquim Coelho do Amaral.
Francisco Antonio da Cunha.
Joo Rodrigues Nogueira.
Evaristo Amonio do Lima.
Anuo Vieira Guimares Filho.
Jos Joaquim de Sanl'Anna.
Manoel Soverino da Luz.
Amancio Pereira da Costa.
Sala das soasdes lo conselho de revista, 10 de
setembro de 1869.
O secretario,
Fii aino Jus d'Oliveira.
{funda do nutro, com tal pericia, que em cada
urna das mes nao gastn mais de dons minutos,
. como podioat attestar as pessas que as>isiir,un.
E depois de nm liaiaiiionio regular, que suh-
melleunio, empregando sempre s maiores cui-
dados e disvelos, losiituio-inu a vi>ta, deque tanlo
tompo eslive privado !
Dando pnblicidade este importante aconteci-
nionto, o tpie faoo mu espoalaReaineulo, quiz nao
sii atndcr um aaieMM agradec raen lo ao Sr. Dr.
Naateli, anwn pego perdi de offender assiui
sua modestia, como tambem proporcionars pea*
sas que jgrtNWWm solfremlo o mesmo mal, avora-
vel occasio para se livrarem delle.
Rccil'e, 21 de setembro de 1869.
Manoel do nascimento da Cosa Monteiiv.
NOS abaixos assignados, propriola-
rios de carros fttnebres nesla cidade, bem
da verdade ilecrai*o3- que nunca pagamos
aos serventes do cmilerro publico a quantia
de 1 ?000, nem mesmeoutra qualquer quan-
tia, para os mesmos cenduzirem do port5o
do mesmo cemiterio i sepultura, os cadve-
res de pessoas pobres, conduzidos em carros
de nossos estabelecimGntos, cuja conduccao]
sempre era feita por pessoas nossas, qne
accompanbavam aquiies cadveres. Hecife,
21 de setembro de 1869.Quinteiros &
Agr.Jas Pinto 4e Magalhaes.Agr
4 C.
Ba do Commercio n. 36.
SESSAO JUDICIAR1A EM 20 DS SETEMBRO DE
1869.
PRESIDENCIA DO F.XM. SR. DESEMBARGADO?. A. F. PE-
RETTI.
Secretario, Julio Guisr.ardes.
Ao ineio dia deularou-se aborta a sessao, eslaadu
reunidos m Srs. dese.nbargadores Silva Guima-
res, Reis e Silva, Accioli,depotados Rosa, Basto,
Miranda Leal, baiv.o de Cruangy.
Lida, foi approvada a acta da procedente aasaio.
O escrivao Albuquerque registiou o ultime pro-
testo de letra a 14 do presente mez. sob o n.
1,797 ; o o escrivao Alves de Rrilo a io lo dito
mez, sob n. l,73.
aoomm&o assia^ane.
Appellante Jos do Hago Mello, tpeUado Anto-
nio Baplista Nogueira.
jr.i.c.Mi.-.
li 1 IMlllll III- '.lili/. O. .H>.< IIIIIH.
Juizo oBMual do coininciv...,: embargante ap- A|feri,s ,wa Matemo if Awvc(k) &m^
CIBONICA JIU IAH.
Tilldtl \%I. DO COWLHitiHCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 20 DE
SETEMBRO DE 1860.
QMBtL DO EX1I. SR. DE3EM8ABOAD0B AHSELUo
FHUCI8CO PERBTTL
A*a 10 horas da raanhaa, reunidos os Srs. depu-
tidos Rosa, Basto, Miranda Leal d barao de
:igy, o Exm. Sr. presidente declarou aborta a
i.
Lida foi approvada a acta da esso de It.
EXrEDIENTB.
<..tii.ir..uu, w>m.-iwm ^ *- "-'
vmcio da jauta dos correfore?, firmado do i8jIacao oqui-iando juiz.
pellanlc, embarcado terceiro Manoiil Antonio de
Albquerqne Machado, embargado appcUado ar-
restante Amaro Jos dos l'razei es, arrestados os
herdeiros do padre Manuel Cosme Bezerra : jui-
les os Srs. Silva Cuimaraes, Accioli, Miranda
Leal e baiao de Cruangy.Foram asproaados es
embargos.
Juizo espeei:d do commercio : embargantes ap-
pellanlcs icos Ralibar A- Oliveira, administradores
da massa fallida de Bernardo Josj P 'it-ir.t, da ci-
dade de S. Pedro do Rio Grande do Sal, embarga-
dos appdlados amores Duarlc Pinto CDes-
presa Jos os embargos com o votp do Csm. Sr. pre-
sidente, sendo votos vencidas os Srs. diputados
Rusa ij bario de Cruanay.
Juizo especial do commcreio : appeiknte autor
Autouio Jo*<'! Duarte Draga, appellado ao o ad-
ministrador da nia*>a fallida de Tlioum de Ei-
g^U'-'iredo : juntes os Srs. Silva Guimarae?, Res c
Silva, Mir.mia Leal e Rasto Confirmada i sen-
teuea appellada.
Juizo especial do commercio : eaibargaav: ap-
pellaJo autor Joo Pinto de Lentos Tumor, embar-
gado appellante reo Mariano Xavier Carneiro da
Cunha ; inizes os Srs. Silva (uimnriie, Reis e
Silva, feari de Cruangy e Basto.~foram recebi-
dos ostmbargos cum o vito di Ez.f. Sr. proi-j
dente, sendo votos vencido os Srs. P.es e Silva, e
barao de Cruangy.
Juizo municipal e do eoawiercio .te Rio Formo-
so : appailaute aut- r Jos Joaquim Comes de
Abroo, apaellados reos a vi\a e berJeiros de Jos
nlon io
Reis e
deaou-so urna diligencia.
Juizo especial do commercio: appeila&to .los
Rodrigues de Araojfl Porto, jppellad.js Ieid/VO
Basto* & C. -Nao tendo os appellados apreseota-
do os artrgos do su^peicao contra o Sr. i arSo de
Cruaagy.o Exm.Sr. presidente offieiou ao Sr. des-
embargador Gitiraoa couvidando-o parto
no indicado juicamente.
Appi'lluutaioviiiiaBii Fernandos da Silva Maa-
la, tutor do orphao Augusto, filho de Joaquim
Franrisco dos gantos, apellada D. Jbanna Igna-
ria do Jess.Adiados a podido de um dos Srs
deputado?.
Appellantas Jos Franeiseo Ribeiro. Maeliado e
outros, appellado Amaro Jos dos Prazar-'s.Adia-
do a pedido do um dos Srs. depatados.
SUSPi ;
Appi'llantes a viuva o lihos de JaSo Cavalcanti
Aeeioii, appellado Joai l'exeira Machado.O 8r.
obargador Silva Guimaresjurou suueicao :
euxi lindo nos autos a sus^icao averbada "pelo
Sr. desembargador Accioli, o Exm. Sr. presidente
offlpiou ao Exm. Sr. conselheiro presidenta t.
ELE1QAO.
Dos devotos <|c tem de coneor-
rer para a festa <*o Scnhor
Boui *ies\ts das Dores en .
t^ouealo ua aaao de i*JO.
Provedores.
O Exm. Sr. barao de Saiarelh.
O llhn. Sr. Candido Caseiniro Guedes Alcoforadx
Esorivaes.
Os lllms. Srs.:
Major Joao Francisco Aatunes.
Tenente Antonio Cosaria Moreira Das.
Mordemos.
Os lllms. Srs. :
Dr. Manoel Barbosa de Araujo.
Fr. Jorge do Sanl'Anna Lorio.
Tenente Joo Paulino Marques,
lente Tii.r.iaz Jos Marinho.

nio de Barros Wanderley ; jui.ws os Srs.
e Silva, Accioli, Basto e Miranda Leal.Or-
J. ao Gregorio d.ts Santos.
Joo Carneiro Luiz Suriano.
Menelio Hygino da Motta Silveira.
Anselmo \yres Rodrigues de Azevedo.
Luiz Moreira da Silva.
Jo< Francisco de Souza Magalhaes.
Joo Antonio Duarte Jitukir.
Francisco Maia Corle-.
Jos.' Faustino de Lomos.
IRillno Jos Fcrnandes de Figueiredo.
Emygdio Jos QoocalvtJ Serra.
Joao Baptista do Monte.
Alexandre Dorotheo das Meivs.
Pruvedores protectores.
0 R''m. Sr. padre-niestre Auto do de Mello Allin-
querqiic.
O Illm. Sr. Dr. Miguel do Figueira Faria.
.Provedoras.
Aslxmas. Sras.:
D. Enedina Augasta Serrana' Travasso.
D. Sevarina Roberto de Oliveira,
D. Timadora c Miranda o Silva.
Escriva-i.
As Extias. Sras.:
D. AunaCandida Correa de Brito.
D. Tltereea Florentina de CatiUlife.
Mor doma s.
As Ex mas. Sras.;
D. Eugenia 'eferina dos Santos Avelkr.
. Sevftrina Leoiioldina Cabra!.
D. Honotora, esposa do IRm Sr. fiaran Garrett.
D. Capilnlma, esposa do Ilira. Sr. Dr. Fraaciseo
Ferreira Martias Ribeiro.
D. Baymunda, esposa do Ulm. Sr. Jos Duarte
Coutinho.
D. SenhorinhaiGeuernsa do Azevedo.
D. Urabelioa Leopoldina de Alraeida ttor
D. Joa<|Uina Baptista de Souza.
D. Joaquina das Hteos Ferreira.
I). Emilia Mara de Ahneida.
D. Etelvina Baria Alves de branles.
D. Mana Paulina de Almcida Gatto.
D. Uinbelina Mara do Naacimenio.
I). Libania Mara dos Santos Mello.
D. Zeferina Lopes das Chagas e Silva.
D. Senhorinha de Lima 'Cavalcanti Lacerda.
D. Kranrisca liosa Vanna.
D. Francisca, espora do llhii. Sf. Dr. Miguoi dos
Anjos Barros.
Provedorag protectoras.
As Bxflws. Sra
D. Josepha Alexandrina Porto Carreiro..
D. Mara Buarque Lina Waaderley de Gusrao
Qiiintciro.
Consistorio da irnundade do Senhor P.jni Jess
das Dores em S. Goncak, 9 *e agosto de 18i9.
O vigario, Manoel Joagaim Kavitr Sebreira.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & 0.
Corapram c vendem por conta propri
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
se.nai de cambio, sedulas do governo e dt>
banco do Brasil, por.
Descontara letras da trra e outros ttu-
los coinrrierciaes.
Encarregaoi-se por conta alheia das mes-
tuas transaocoes, da cobranca de letras d
trra ede outros ttulos commerciaes.
Recebcm quaesquer quantias em deposi
to, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7.
ALFANDEGa.
aendimoniodo da 1 a 20. 510:040*031
fdem do dia 21......29:724*857
575:7Ci888
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas 133
dem dem eom gneros 272
Volumes sahidos com fazendas 151
dem dem cora gneros 590
110
------741
Descarregam boje 22 de setembro
Origue inglezJesse Scoltmercaderas.
Barca francezaAdeleidem.
Barca portuguezaS. Joaoidem.
Barca inglezaLui!ina=baealliO.
Brgne norle-allemoIda farinba de trigo.
Brigue austracoGulteppinaidem.
ISaeuua incleza=Bciiiaplvora.
Patacho diuainar.|uezIiv/eyinuos.
Importaeo.
Barca franceza adlk, vinda do Havre, con
6unada a Tisset freres, manifestoa :
12 ditas dilas miudezas, perfumaras e tecidos
de algodo; a J. A. Moreira Dias.
3 ditas fumo c papel; a J. L. Bourgard.
200 ditas champagne, 200 cextos etrveja. 23
barris e 50 meios manteipa, 19 caixas calcado e
idos de atgodo : a H. Lger.
27 ditas ditos de dito, de la e de linho, conser-
vas ; a Keller & C.
200 gigos batatas ; a J. J. Goncalves Bellrao.
300 ditos ditas, 100 ditos cerveja, I barrica e 4.
caixas ferragens, 151 barris e 257 meios manteiga:
aos consignatarios.
50 barris e 50 meios dila, 1 caxa papel ; a C.
A. Sodr da Motta.
<5 ditas drogas, movis, marmore?, tapetes, e
percelanas ; a H. Oellli A C.
23 ditas ferragens, cbafios, papel, vidro*. miu-
de algodo ; a i. A. Moreira Dias.
8 ditas tecidos de linho, de algodo e de la ; a
Carneiro e Nogueira.
3 ditas ditos de rtiln, de linho e de algodao; a
Linden, Weydinan de C.
14 ditas 5 harneas e 5 fardes chapeos, calcado,
porealana, seda?, vidro?, papel e miudezas; a Cos-
ta Irmaos & C.
73 gigos cerveja, 400 ditos batatas, 30 barris c
40 naaios manteiga, 67 caixas tecidos de algodo,
de ia\ do linho, chapeos, calcado, vinho, azeite,
doce, papel, chicotes, perfiunarias, miudezas, rou-
pa e marroquins: a ordem.
Vapor brasleiro ipojuca, oindo da Granja e
portee intermedios, manifest*:
12 saceas algodo ; a Manoel da Silva Pontes.
150 ditas dito, 19 mllios conrnho*, 0 meios de
sola ; a Francisco Antonio Martins de Miranda.
6 garajos carne, 7 saceas algodao; a Manoel
Marques Pinto.
8 ditas dito ; a Antonio Fernaudes Tbom.
8 dita* dito ; a Joao Bautista do Oliveira.
6 ditas dito; a Manoel Luiz Goncalves.
2011 ditas dito; a Rocha Leal & C.
i ditas dito, 2 garajos carne ; a A. A. de Souza
Aguiar.
5 ditas dito, 21 saceos fcijao, 19 ditos gomma,
63.molhos courinhos, 3 barricas sebo, 16 saceas
algodo; a S Leilo & Irnto.
20 ditas dito ; a Justino J. de Souza Campos.
50 ditas dito ; a Antonio da Silva Leite.
112 ditas dito ; a L. A. Siqueira.
157 cauros salgados; a Gomes de Mattos & Ir-
mi.
8 ditos mos, 00 meios de sola, 6 barricas e 7
saceos gomma; a J. J. de Carvalho Moraes & Ir-
mo.
RKCEBEDORfA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO.
Kendimento do dia 1 a 20. 34:570768
Idem do dia 1...... 3:053*069
DECLARACOES.
O Illm. Sr. Inspector da tbesouraria de fazen-
tla desta provincia manda fazer publico que em
vrtude I i oficio da prosidencia de 9 de agosto
ultimo, sao chamados piito presente Luciano Arco
e Flexa, Joo los.'' TmnMo c Ronto de tal, para
no praso de tf dias (pte Ibes lica marcado, ndem-
nsarein a fanmda :. .planta de 1503000 cada um,
proveniente de multa que Ihes foi imposta pela
mesma presidencia, nos termos do artigo 11 as
instruceoes de 6 de abril de 1811 por haverem to-
mado o rceruta Manoel Joaquim do poder da es-
colta que o conduzia da villa de Cabrob esta
capital. Findo o qual sor a cobranca cffecluada
exerutivnmeiite de eonf irmidadc com O artigo 3"
do regulaniiiit i niM btrtxffn com o decreto n. 4181
de 6 de maio de 1868.
Secretaria da thesonraria de fazenda de Per-
nambuco 18 de setembro de i"(VJ. .
Scrvindo de oflieal-maior,
Manoel Jos Pinto.
(MPANHIA
No lia. 23 lo corrente pelas 12 horas
do dia ter lugar no escriptorio da companliia
na do Cabuga n. 10, arrematado do
cliafariz da povoacao de Apipucos ; nao
se admiiliodo proposUS que comprehendam
mais de nove roezes a contar do 1 de ou-
tubto prximo a 30 de junbo do anno vin-
douro, data em que teem de irem a
pr.u;a todos os cbafarizes e bicas desta
C'iinpanbia: os Srs. licitantes compatveam
com seus fiadores ou declararao dos
mesmos no mencionado dia, devendo set-
as propostas em carta fechada apresentada
na mesma occasio ou antes no escriptorio.
onde melhor se devero esclarecer e infor-
in.i das condiroes do contrato da arrema-
tacao.
Base sobre a qual se deve lancar :
Ghafei da povoaco do Api-
po m........ ........... 3805000
Escriptorio da Companhia do lieberibe,
20 de setembro de 1809.
O secretario,
Dr. Prxedes Gmm . O administrador da r.acebeoria de rendas in-
ernas geraes faz publico de setembro e no de outubro prximo futuro, que
os contribuintes do imposto sobro industrias o
proflssoos, residentes as freguezias da cidade c
as de fura, teem de paja-lo, livre de multa ; lin-
do, poTm, o referido praso, ser pago com a mul-
ta de 6 0|0.
Cecebedora de JPernambco, 18 de setembro
de 1869.
Mamul Gameiro de Souza Aiccrdi.
Pela secretaria da cmara municipal desta
ci.lade se. faz publico para mnhrniaMntn de quent
possa ateressai'. que lendo estado boje em praca
po s o Imposto do 100'rs. por carga de larinha
e outros legunes que vero aos mercados pblicos,
como o de 500 rs. por eafcoca de gado morto para
o consumo das freguezias e oj da cidade, nao
appareceu licitante para iieinium dalles, e conti-
nan! em praca no da 22 o corrente paraserem
arrematados por qum matar prc{o offerecer, es-
tando habilitado na forma da le,
Secretaria da cmara municipal do Recife 15 de
selembrode 1869.
O secretario,
__________Francisco Canuto d3 Boavngem.
37:623*837
GSBLABO PROVINCIAL-
iAendimento do dia 1 a 20. 46:119*269
dem do di 21....... 3:588*239
49:707*508
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
Alllm.i. junta administrativa i'a Santa Casa de
Misericordia do Recife, manda fazer publico, que
precisa contratar para a btfta do hospital Pedro
II, nos mezes de outubro a dezembr-o prximo vin-
douro. os seguintes medicamentos:
Absintho, kilogramma.
Acido acetieo, idem.
Acido ctrico paro, id
Acido marinho, idem.
Acido ntrico puro, id
Acido oxlico, dem.
Acid sulfrico, dem.
Acido tartrico, dem.
Ac preparado, dem.
Acnito, idem.
Agua de colonia, duza.
Agua de fiordo lranj"'. idem.
Agua de rosas, idem.
Agua de sedelite, garr.
Agua de Vicliy, dem.
Agua ingleza d Lis!
Afcatrii. kilogramma.
Alcool de 36 graos, lim. ~
Alecrim, kilogramma.
H
Alfarera,"), idem.
Algalia* inglezasde n. 1 a 12, doaia.
Aloes, kilogramma.
Alvaade, idem.
Ameix.'.s pascadas, idem.
Amoniaco lquido, idem.
Arse;ii'-o. aem*.
Anafelioa, idem.
Afsucar candi, dem.
Assuo.ii ilc I :tecni p, id.
Atenea, dem.
Hagas de timbra,
Maisanio de rupaliiba, dem.
Balsamo de fioravanle, idui:i.
Bal-amo de tola, dem.
Balsamo pruviann, idem.
Balsamo tranquillo, idem.
Banha de porco, idem.
Barbante fino para Cmbrulh", id
Bejoim de Lisboa, idem.
Belladona, idem.
Uenzina, dem.
Bicarbonato de soda, (cm.
Borrachas sortida rom pin t, dnzia.
Boldes de rosas rubras, kilogramma.
BromuriVo do potassa, idem.
Caberas de paponlaa, idem.
Cainca, dem.
Caixas para pilulas, groza.
(^il vrgem. kilogramma.
Calomotam nnfezes, dem.
Clices gradnaan n. 2, um.
Camphora, kilogramma.
lanlhardns em [., dem.
Capsulas de cupahiba, caixa.
Carbnnato de magnesia, kil
Carbonato de petassa, dem.
Carbonald de soda' dem.
Caroba, idem.
Cenia urea menor, idem.
Cera limnfUl. idem.
Cera branca em grumos, 4so*
Cevada, idem.
Cevadinha.i I na.
Chicolea. dem.
GMonto de potassa. idem.
(Ihloroforinio. idem.
Colla de llandres, dem.
Confeitos de '.adato de ferr, <1 ui*.
Creinortartaro em p, ktiogamma.
Cubebas em \:>, idem.
Degitaiis, idem.
Duliantara. idem.
Emplastro de cicuta, idem.
Emplastro de aquilo, idem.
Emplastro comnium, idem.
Esptulas de aro sortidas, urna.
Essenca de aniz, kilogramma.
Esenna de eanella, idem.
Essenria de cidra, idem.
Essencia de flor de laranja, .defl).
Essencia de hortela pimenta, Idern.
Kssen.-ia de ro-n, dem.
Essenca de salsoparnw, I \
Essencia de therebentina, gai
Essencia de vergamota, kHfraj i
Brgotina, idem.
Ellier chlorydico. idem.
Ether sulfrico, idem.
Ether ntrico, idem.
Extracto de acnito, idem.
Extracto de alearos, dem.
Extracto de belladona, dem.
Extracto de camomilla, dem.
Extracto de cicuta. dem.
Extracto de lavas de calabar, : .
Extracto de fumaria, dem.
Extracto di- genciana, idem.
Extracto c.e jiirnbeba, Mam.
Extracto de nos vmica, klet i.
Extracto fle opio gnmmoso, id '.
Extracto de salsaparrilha, i Extracto tle liidaceo, idem.
Extracte #e valerhml, idem..
Pexea de ouro, idem.
Flor de rnica, idem.
Flor de hnrmgens, dem.
Flor de enxolie. idem.
Flor do malvo?, idem.
Flor de mnoyueiro, idea.
Flor de tibn. idem.
Flor d viola?, om.
Fijado de mxi :'e, idem.
Fumara, idem.
F'unl de futro n. 2, nm.
Genciana, kilogramma.
Glycerina branca, idem.
Gomma de batata, idem.
Gomma de batata purgativa,
Gomma aral ira escoltada, i !
Gomma arbica em p, Id
Gral de porrellana n. 1, um.
Oral de vdrn n. 1, idem.
Herva lorrestre, kilogramma.
HyirorhioraM de Ih-po, dem.
Incens puro, idem.
lude puro. idem.
lodurrto potassio, idem.
Ipecacuanba preta, idem.
Jalapa em pft, i.lini.
Kermes mineral, i em.
Licor de lal-arraque, garraf.i.
Linhaea em p, kilogramma.
Lnha^a inleira, idem.
Macella gBcg, idetii.
Magneza calcinada, idem.
Magm-zia de Henry, vidro.
Mann commum, kilogramma.
Mann em lagrimas, idem.
Manteiga de cacao, idem.
Massas caustica, idem.
Mel de abelbas, garrafa.
Mercurio doce, kilogramma.
Mozerio, idem.
Mostarda. idem.
Musgo islndico, dem.
NStrMede biemtho, idem.
Nitrato de piala em lapis, d. l
Nitro puro. dem.
Nex-mosoada, idem.
Oleo Juaneo do Chevrer, vidro.
Ol'.>o de allazoma, kilograniina.
Oteo .le amendoas inglez, dem.
Oleo de baiipnl. idem.
Oleo de cravo, dem.
Oleo de ligado de bacalho, garrafa> 2*.
Oleo de figado de bacalho fcrmghws
Oleo de li'ubaea, kilogramma.
Oteo de ricino, dem.
Oleo veimifuf, frasca,
l'arietaria. kilogramma.
Papel azul para embrullio, resma.
Papel branc para (mbrulho, dem.
Pasta dejnjnba, kdogranuna.
PaatHias da Belloc, caxa.
Pastilha- de ipecacuanlia, kilograniii!...
Pasli:: inp, caxa.
l'asiilhas de kermes minera!, vidro.
Pasiilhas de naf, caixa.
Podra unir, kilogramma.
.Peneiras de cabello, nina.
I'eiu'iras de seda, idem.
Perehlorurlo de ferro, kilogramma.
Pez de Uorgonha, idem.
Pospiiato de ferro de Leras, vidro.
Pilulas de Allion's ver.ladeira, caixa.
Pillas de Valle! (50 pilulas), vidro.
Poflgula senega, kilogramma.
Popa de tamarinibs, dem.
Pomada mercurial, idem.
Ponas do veado ealemadas, idem.
Pos de Rog', vdro.
Potassa caustica, kilogramma.
Potes de unta a oito ateas, duza.
Precipitado rubro do mercurio, kilograi.
Purgante Le Roy.franccz, garrafa de 6".
Quassia, kilogramma.
Quina em casca. Idem.
Quina em p, idem.
Raz de alcassus, idem.
Raz de ahliea, dem.
Raz de espargo, idem.
Kaiz de gmclana, idem.
Ruzina de anglco, idem.
Pinto iodureto de inercuiio, idem.
Rezina da batata, idera.
Rezina de guaiaco, dem.
Ruibarbo em p, idem.
Saho branco amygdalino, dem.
Sabn para opodeldoc, dem.
Saheante de aicatro, duza.
Sal amargo, kilogramma.
Salsa hortense, dem.
Salsaparrilha, idem.
Sacrbararto de oleo de bacallio, ca
Sassafrs, kilogramma.
Scilla, idem.
Senne, idem. aajfci '
Scmentes de angelin, idem.
Serpentaria, idem.
Spermacete em rama, idem.
SoJaoso de protoiodurlo de ferro, idem.
SiramonOyJdem.
Subnitnto de bismutho, dem.
Snceo de groslli Sulfato de soda, kilogramma.
P,
r
V.


Diario de Pernanibuf) Quarta fra S2 de fetfalfe de 18G0.
Sulfato d Ir0j j(>m.
Sulfato neutro de aulropiua,
SRspcas aaes, luzi.i.
'J;weiB, kjiograiuin.
v otos eom colla de 1 a 4, duzia.
Vidros para opodeldoc, idem.
Vomitorio de Le Roy, frapcez, vidro.
Vintio de jurubebn, "garrafa.
A'i uta de CovUart, garrafa.
Jarope d: Bourgois, vidro.
Xarope d eodina de iierthe, idem.
^iaraje de espargn, idem.
Xara^e de Goy, dem.
Xa rape de iodureto do tiberl, dem.
Xarope de jurubeba, iileiu.
Xarope de Labellony, idem.
Xarope de Lamoureaux, idem.
Xarope. de na le, idem.
Xarope peitoral inglez, idem.
Xarope de quina de Grimault, ideui.
Al pessoas que quizerem conc arar arrema-
ta cao do fornecimento dos ditos medicamentos'
deven comparecer com saas propostas era cartas
(diadas na sala das sessoes da mesma Illma. jun-
ta administrativa pelas 4 huras da tarde do dia 23
do corrente, arompanhados de seus dadores, ou
^-munidos de cartas destes.
Secretaria da Santa casa de Misericordia do Re-
ce, 6 do setembro de 869.
O eserivao,
__^_____________Pedro Rodrigues de Souza
SSanta Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife precisa contratar com quem
e metra eurarregar de fazer rea eusta as obras
de que necesita o sobrado d. 37 da ra da Moe-
1a, concedendo ella, alom de outras vantagens, o
arreadamente por grande numero de annos.
Recebe para isto propostas em cartas fechadas,
na sala ae saas sessDes, devendo os pretendientes
caminaran a- obras de que carece o predio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
lloeifc, i de setembro de 18G9.
O escrivao,
___________ Pedro Rodrigue* de'Soma
Consulado provincial
Pela arlministracao desle consulado faz-se
publico a quem interessar possa, que com
o preseute rnvz termina o lecebimento dos
dilTereoles imposlos provinciaes relativos ao
auno financeiro findo do 18G8 18(59, sendo
fin seguida liquidados c remetUdos pelo
juizo os dbitos dos contribuinles.'omissos,
aura de seren executivamente' cobrados,
na forma da lei.
Consulado provincial, 1 de setembro
de I8G9.
O ladministrador,
AntO)>lo Carneiro Machado Rins.
I'erante a caara municipal desta cidade de
Otada, Mao ttOTffft m hasta publica para
n arrematados por quem maior lanco offere-
oer, nos dias 10 e 3 do corrente mez, os impos-
tas seguintes : cap m de planta pela quantia de
(>-'j(H)0 ; fleiicjw de pesos e medidas, sendo o
amontante ablando a alTerir os da mesma cma-
ra sem indi-ihisacao algara*, peta de 607000;
coqueiros de produccao para negocio, pela de
4703000 : os aluciis das casinha* da rlbeira,
pela de 70#500 ; 500 rs. por cabeca de gado vac-
uin, pela de2*7OOO ; mscales e lmr-elciras, pe-
la de 29I00 ; 100 rs. por carga de l'arinha c le-
tuines, pela de 13$00 ; 100 rs. por cabeca de
gado recollud ao curial, pela de 27000 ; repeso
do acougMtfa de 6jSM >)0 rs. |>or cabera
de gadairtfio, pela deCaCoo 100 rs. por cabeca
Ospretetdentos detento comparecer nos referi-
dos dia? com s us liadores eompateaCemeatt) habi-
litados iu forma da lei.
BAHA
O palhabote Garibatdi, capitao Custodio Jos
Vianna : a tratar coi Tasso Irmaos.
O patacho brasiieiro Ramn
segu com muila brevidade para o Rio Grande do
>ul, para onde recebe a rpte um. resto de carga :
a tratar no escriptprto de Aiaeria Irmaos 4 C,
ra da Croz n. 3.
Rio de Janeiro.
Par* a indicado porto, pretende seguir com
muita brevidade o brgue nacional Isabel, por ter
a maior parte da carga engajada, e para o pou-
C'i que Jbe falta, trala-sc eom os consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra da
Cruz n. 57, primeiro andar.
Maco
Segu no dia ti do corrente o palbabote Emi-
lia, ainda recebe algnma carpa a freto : a tratar
com S Leilao Irmaos, ra da Madre do Dos
numero 1.
. COMPANHIA PEKNAMBCANA
DE
*'sivega$5o eostelra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandab, Acarac e Granja.
*j?|y O vapor Ipojuea, commandantt
^ti4 Moura, seguir para os portos
aHfeK cima no dia 30 do corrente as ." horas
ia tarde. Recebe, car^a at o dia 29, encom-
aiendas, passageirs e dinheiro a frete at u
l horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
S. Excia. Don Casto Men-
ees Nues, contra]mirante de
la escuadra espaola del Paci-
fico hroe del Callao, y una de
las glorias contemporneas de
Espaa, falleci en Pontevedra,
su provincia natal, con la edad
de 45 aos. Su porvenir era
digno de la mayor atencin por
sus escelentes calidades que
nadie poda esceder; es pues
una perdida irreparable para la
nacin y para la marina.
Acompaamos a sua familia
en su inmenso dolor por una
perdida Un sensible.
necwa-se de urna ama hvie para tratar de me-
na na do Hospicio n 10.
unios
Crxeiro
Prccia-se de um homem para caixeiro de ora
padana, que tenlta pratica e d fiador de sua con-
aucta : no pateo do Terco n. 38.
Troco raudo.
- Da-/e bom premio por sdalas de #5000, *;
3. W* e 2W-/)va e-tampa: na casa de Theo-
ao-ro Simor < C, largo do Pelom inho n. 7.
AMA
LEILOES.
LEILtO

Ama
Preeisa-se de urna ana forra ou captiva para o
servieo interno e externo de urna casa de peque-
a familia : na na d* Coneeieao n. 45.
Aluga-se o sitio da estrada da Torre, com
excellente casa de morada, a qual assobradada
na frente e tem cocheiras para carros e cavados e
quartos para pretos, baixa para capim e arvores
de fructo : a traUr na ra Nova n. 12, loja de
fazendas.
Percisa-se de duas amas, sendo urna que
cosinlie bem o ordinario de urna casa e
compre, e outra que engomme, prefere-sc
setava, e paga-se bra : na ra dos P.res,
sobrado n. 27.
Ama
Prccisa-se de urna ama para cozinhar : na tra-
vessa dos Pirex n. 20, sitio do Geriquiti.
, 7nI>,dei":?^ carecdiiiente a um dos so-
cos ou convidados qJe se aeliou na nuite de sab-
nado 18 do corfente, na partida da sociedade Ter-
psyeiwre, que, endo trocado o seu chapeo, ao rc-
inar-se, por outro .|ue tem o forro preto, srva-
se de dirigir-se a,,,, elle a ra da Saudade n. G,
aonde se podera desfaz.-rse o enaano
Da armaco, pertences, gaz, gneros, pi-
pas arquiadas e canteiros da taberna da
ra de Santa Rita n. 1.
0 agente Martins far leilao da armacao, gene-
ros, pertences e diversos movis da taberna da
ra de SantaRita n. 1, em um ou mais lotes, enja
lalwrna bastante alreguezada e inulto bem loca-
lisada.
BOJE.
Ter principio as 10 horas do dia.
DE HOVK1N
O agente Pontual competentemente autorisadn
vender em leiao os movis seguintes : 2 mo-
bilias de Jacaranda eom lampos de marmorc sen-
do urna dolas a Luiz XV, 2 cadeiras espregui-
008*8,1 toiiet, 1 candieiro a gaz, 2 serpentinas,
jarros para deilar II >re, 1 cama de Jacaranda
para casal, 1 lavatorio, 1 toucador, 1 marqueza,
1 sof, 1 berro, 2 temos de bandeijas, meio ap-
parclho para cha, 2 guarda comida, 1 apparador
Aflata como machinas para tirar retratos e di-
versos objectos tendentes a hotographia,
HOJE.
No Io andar do sobrado n. 28 ra do Qticima-
do, as 11 horas.
Aluga-se
duas casas em Beberfbe no porto da Madeira, com
duas salas, dous quartos, cozinha fra, omito
frescas, com os fundos para o Rio : a tratar na
ra Uireita n. 69.
Attenco
Precisa-sc alugar um preto ou nm umlegue de
16 annos, escravos ou livres; na relinacao da ra
de Hortas n. 7.
Attenco.
O abaixo assignado proprietario do hotel na-
wwal, mo na ra da Croz n. 1, participa ao res-
pejtavel publico, qu, tendo-se dissolvido amiga-
velmente a sociedade que girava sob a Urina de
^eiidoll 4 Camaragibe iica desU dala em diante a
meu cargo todo o activo e passivo, por jer de reti-
lar-so o socio Camaragibe, o qual licar girando
sob a firma de Antonio Lendulf o com o
noine de llutel Nacional.
Pernambueo, 18 de seteml.ro de 1869.
"____ I flwdulfl Antonio.
lalxeir
Precs--se de um com pratica de taberna : na
ra das Roas n. 8.
i'. aranura municipal de Ojiada em 9 de
eetembro de 186?.
Manoel Antonio dos Passos e Silva,
Pro-preiii
Raymund'j Theodorico Jo- Dunellas,
______ Po teiro. no impedimento do Secretario
AVISOS MARTIMOS.
COMMA BR.IS1LEIR.I
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at- o dia 30 do corrente o vapor
Guar, roiiiniamlantc o Io te-
nentc P, II. Doarte, o qual de-
poi da demora do costme se-
guir bar* os portos do sul.
Desd i r*fl i-'in-se passageirs e engaja-se a
carga i poder coodusir, a qual dever
imb iread i so dia desuadiegada. Encommcn-
das dinheiro afrete at as duis horas do diada
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jectos de pequ'no valor e que nao excedam a 2
arrobas-de peso ou 8 palmos cbicos de medifao.
rudo tpie passar destes limites dever ser embar-
cado orno ca i
Pro -- 3 Srs. passageirsquAflUa passa-
recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
i' and i escripteri* de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C.
De
LEILAO
fazendas em continuadlo
llojr.
Magalhaes Irmaos continuarao por interveneao
do sgente Olivf ir, o seu leilao de grande sorti-
meuto de fazendas, as mais proprias do mercado.
Terea-Kira 21 do corrente
as 10 horas da manhaa, cm seu armazem ra
da Cadeia.
Quarta-feira 22 do corrente.
s 10 horas da manhaa. em seu armazem na
da Cadeia.
Para o Indica lo porto pretende seguir com mili-
ta b. :".; Jadeo lugre portuguez Ci tnc do Vowjt fot
* parte da carga engajada; e para o
penco ;".e U, falla, traase com o c nsignataiio
it 1 i- G acal ves Bellrao, ra do Com-
17.
CO.MPAMIIA IEl{NA.MliLCAiN.,1
DE
Xa- egaco eostelra por vapor.
Mamanguape.
0 vapor Mandnli, comman-
dante Julio, b guir para o por-
to cima no dia 28 do corrente
as 6 horas da tarde. Recebe car-
ga, encommendas, passageirs e
a [rete at ss 'J horas da tarde do dia
. i : escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
Navegado eosteir por vapor.
Porto de ( i! liabas, Uio'.Foi'iflOse e Taman-
dar.
" i] rP., 'hj'm, commandante Mello, seguir
para os portos cima no dia :)) do corrente,
< ianoite. Recebe carga, encommendas, passagei-
r k, e i;.".!icii. a l'retes lio escriptorio do Forte do
n. 12.
de 50 saceos cora arroz da India marca
S. i., quarta-feira 22. do corrente.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco de
quem pertencer, de marca S. J.. 50 saceos com
arroz da India, vindas do Porto pela barca porlu-
gueza S. Joao, entrada ueste porto em 13 do cor-
rente, no dia quarta-feira 22 do corrente, s 11
horas da manhaa, no armazem do Anues, largo da
Alfandcga.
de varios regulamentos de mpostos altera-
dos e creados
pela lei n. 1507 de x de setembro de
18G7, comprenendendo
os de pessoal, escravos, industrias e profissoes.
sello (organisado alphabelicaroeote, explicando
cada acto a que sello est sujeito se se deve em -
pregar estampaba ou verba, no primeiro caso
quem deve inulilisa-la), transmissao de proprie-
dade, dizima de chancellara, emolumentos, multas
applicadas fazenda publica etc. etc., e em appen-
dice o do cofre de depsitos
pblicos
notados com as
nstrureoes e decisoes posteriores
at a presente publicacao
por
Francisdo Augusto de Almeida,
lescripturario
da recebedoria de Pernambueo :
acha-se no pelo e breve a ser publicado ; as-
signa-se na ra estreita do Rosario n. por J
o volme ; depois de publicado distar i para
quem nao assignar. Torna-se de grande utilidade
aos Srs. advogados, solicitadoras, negociantes e
funecionarios pblicos, a acijuisicao dest tra-
ba Iho.
girando
iiiesinu
Ao publico.
Joaquim Etelvino Rezerra da Cunha, Jos Tho-
n *i de Alpino Pereira e Servulo ezerra da Cu-
o.ia, previiiem ao respritave) orpocommerrial ea
todas em peral, que lizeram entr si urna socieda-
*! cominercialsobaOrma social Etelvino, Pereira
& tuoha Esta sociedade comeyou sua exislen-ia
aesoc 9 a7 de fafneiro Ha eorronte *tmo.
SOCIEDADE PATttlTICA
i eto presente sao convidados os Illms Srs.
Miembros da commissao de festejo c esquadrao
patritico da fregnezia do Poco da Panella a se
reumrem quarta-feira 22 do corrente, as 3 Ii2
Horas da tarde, no hotel do Monteiro, afim de se-
ren asentadas as bases dos fesiej >s e organisa-
cao do esquadrao. Huga-se n comparecimento de
lodos os membros cleitos, no dia e hora desig-
nada. *
O secretario,
- Serverinn Duarte.
. ilTTIfifl M LEiO
Grande aroiazom de fazendas c roopas feilas roa da Imperalriz
n. S2, porta larga, de Paredes Porto.
Neste ratabelecimenlo encontrar o respeilavel publico um bonito sortimento
de roupas de todw as qualidades, palitots de alpaca a 35, 3$500 at ta Ditos u
merino, ditos de cawmira de cores bonitos gosios a 5,?, 6;>, S-S e \0-X de mimo oreto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brro pardo linos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
LJ?"Z\ e mtl J^' ?,cas de b,im de Goas e ordinarias, ditas
l raneas e todas as realidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
! ro' 6 ES L SL1 12 (?,le,eS de l0d'1S J"'dades e preCo S
oaraio. completo sorttmeuto de camisas francezas de algod&e de lioho de ^ at W
urna. Sortimento de seroubs francezas do algodo. de linho e bramante a U e soo
4 aa7,,a'*aanOVS8mo g08l a telos 0 P508- Wtiia8 'Ortaento completo" a U,
ROUPAS PARA MENINOS.
n1M manEnCarreg3*St de.guJaS1ue' obras de eocommenda tanto para homem, eomo
para meninos, e com brevidade, por tsso qoe tem nm bonito sortimento de fazendas de
zenda q ant0 em casemiras c FAZENDAS
Bramantes de M palmos de largura a i 800 o metro
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a CIO rs. o covado,
Poil-de-cbvre com lista de seda fazenda de gosto a liJOO
Rasqumes de guipure enfeitadas a 18-jOOO.
Sortimento de chitas escoras e claras a 280, 3*>0 e 360 rs
Madapolo fino a Cr)500, 7$, 8.) e 9:>000.
Algodio peca com 20 jardas a 4^500, 5*300 e 65000.
Peca de algodo largo a 7-5500.
&( n, ? n},S mVita? fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem roopa
le.ta que se esta liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52 (junto loja de ourives) do
LEAO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porlo.
de
AMA
Casa para alugar
Aluga-so urna boa casa assobr.-ida.i, siffl na So-
ledade ra de Joao Fernandos Vieira, com bas-
tantes commodos para familia, com coebeira, es-
tribara e quartos p.ira criados, toda canalisada
para ser Iluminada a gaz, pintada de novo e liom
quintal com porlao na frente: a tratar na ra
nova n. 3.
D-se sociedade ou vende-se o eslabeleei-
mento de moldados da ra Nova n. 61, pjr seu
dono precisar tratar de sua sai'ule.
Precisa se de um ineuiuo de ti a 11 aunos,
portuguez ou brasiieiro p.ira caixeiro de taberna :
na ra da Concn lia, n. '.11. ,
I
LEILAO
Do variado deposito de lomas.
vidros, porcelanas e crys-
taes site
RA DA CADEIA N. 0.
lainta-feira 3 do corrente.
O agente Oliveira competentemente aivorisado
vender em leilao o deposito cima, em lotes
vontade dos pretendeutes, as 11 horas da manhaa
do dia
Quinta-feira 23 do corrente.
De fazendas, urna annaco com balco, bi-
cos de gaz e registro, l carteira e urna
burra.
<|nlnta-fe!ra 93 de setembro as
11 horas em ponto.
O aqenlo Pinto fura l-ilo requer ment de
Mills Latbara & O e por mandado do Illm. Sr.
Dr. juiz especial do commercio da armacao e fa-
zendas da loja da ra d > Crespo n. 20 A, embar-
gadas a Costa 4 Castro, os quaes objectos serio
transportados para o armazem da ra do Impera-
dor n. 57, onde se efectuar o leilao em um ou
mais lotes a vontade dos compradores as 11 ho-
ras do dia cima dito
Os pretendentes podem desde j examinar o in-
ventario em poder do mesmo agente.
AVISOS DIVERSOS,
Aluga-se
parte da frente do primeiro andar da ra do Im-
perador n. 32.
ATTENCO
Fugio no dia 13 do corrente, da casa dos abaixo
assignados, o escravo mulato, de nome Liberato,
com os signaos seguintes : cabellos crespos e cor-
tado ha pouco, cor plida, descarnado do rosto,
com o olho esquerdo aperlado proveniente de una
pancada, com falta de denles na frente, e quando
sorri raostra urna presa do lado direito, tem pou-
M barba e rala, as maos calejadas de trabalhar
em retinar assticar. tem lo cicatrices de bichas no
eotomagoe as pernas com marcas de l'eriilas, le-
vou calcas novas de ganga de listras e de brim
branco, o outras de brim pardo usadas, jaquela
preta de alpaca de cordao, Chapeo de cliyle, bonet
de recruta, e camisas brancas dt medapolo, inti-
tula s e livre, costuma mudar o nome, anda calca-
do e toma rap : rnga-se s pessoas que o pega-
ran, que o levem relinacao da ra do Pilar n.
118, que serao generosamente recompensados.
Luiz Antonio Goqgalves Peana & C.
a
Precisase de una ama para o servieo interno e
externo de una casa de pequea familia, prefere-
se escrava : na ra das Crtizes n. 28. 1 andar.
Precisa-se da urna para cosmhar para rapa-
zes solteiros; najui de Portas n. 7 refinaciio.
^"PADARA
Precisa-se de um forneiro e Aow amassadoesr
para padiria, fra d'esU provincia : tratar na
ra do Amorim u. 37.
Precisa-se de alugar um preto, paga-so bom
alluguel on mesmo da-se alguma quantia adian-
tada; a tratar no Pateo do Terco n. 63.
Caf Sarta IsafceF
RESTAIRAM
llavera todos os das
Cerveja em copo*.
Diere en choppel.
Sehoppcn bier.
Comidas todas as horas.
Iterebe issignantes
COPS DEOSBEL. %{
rnm%lE\^t^e\e r^cez E""ouid,ur, um novo c completo sortinwnto
LOtJLLf Dt CABbLLOS do ultimo e perissimo gosto de P\filS
ANDR DELSUC,
Cahelleirciro.
i A, ra do Crespo, primeiro andar.
Superiores sedas de cor e Kstras a 1(5600 o covado.
Lindas poupolinas do 15a, eom grande variedad* de cAtps escurae o cluroo
560 rs. o covado.
Pecas de musselina branca com salpicos e com sete metros cada peca, pelo ba-
atissimo preco de 4)5000 a peca : na loja das Columnas, ra do Crespo n. 13,5 de
Antonio Corroa de Vasconcelos C.
AMA
Precisa-se de una ama para lavar e engommar,
e outra para cezinhar para urna familia estraagei-
r : tratase no largo do Pelourinbo n. 7.
OtTarece-se. uma mulher de bons costumes
para c*sa de pouea Hotitia, a qual eugomma e
coze eom perfeieao ; no pateo de S. Pedro n. 3,
loja. Na mesma casa se engomma com perfeigao, e
por preco commodo.
Preeisa-se de um trabalhador de ina-seira :
na padaria da ra da Senzala Veiha n. 8i.
AMA
PrerUi-se de unn ama para o sorvino de urna
casa de pequea familia : ni ra do Sebo n. 'i8.
Na ra do Vigario n.. 11, 3" andir, precisa-
se de umu ama para servie, i de ca Preeisa-se e una ama para servieo do casa:
a tratar no largo do Carpo Santo n. 19/ou largo
do Forte do Mattos n. 13.
Precisa-sc de um i eidiora j de maior idade
e que tenha sempre tido b a Con ItlCta, para fazer
companhia a urna familia muito pequea, assegu-
rando-so o bom tratimjnto : a tallar na loja de
cera da ra do Cabug, que l so dir quem prc-
tende.________i ________
Preeisa-se de uai rapaz brasiieiro para cai-
xeiro de loja de mi'adezas, e que tenha pratica,
sendo de boa conducta : a fallar na ra do Gabu-
g, loja de cera.
nTTENCTiO.-
J>ede-sd providencias a que n Competir, pois j
nao se ple mais aturar o> abusos dos senhores
, tomadore." de banhos e lavadores de (avallo* en-
m i tre a fabrica do gaz e sitio do linado.Muuiz, a pon-
Mana Josepblna Kransc wm p.'lo present | to das familias nao poderem chegnr na port.
agtadecer eordialmonte todas as pessoas que Iho
lizeram o caridoso obsequio de assisr ao funeral
de seu mui presado marido o Dr. Henry Krause,
no cemiterio inglez, s quacs protesta igualmente
seu eterno reennhecimento.
Vicente l.icinio da Costa Campello, Cleto da
Costa Campello, Augusto Fortunato da Costa Cam-
pello (no l'araguay), Francisco Botelho de Au-
drade, Francisco lavares Botelho, Francisco Xa-
vier des Santos e Antonio Severiano de Mello Fal-
co (ausente), filhos e genros de Senhorinha Sole-
ra de Albuquenpje Cainpell). agradecen! do inti-
mo d'alma a todas as pessoas que se dignaran) as-
sisr ao funeral e acompauhar ao cemiterio o ca-
dver dessa sua muito presada mai o sogra, e con-
vidan! todos os seus parentes e amigos, para
que llies faeam a caridade de assistir missa de
rtquiem, que ter lugar na matriz de S. Jos, s 7
horas da manhaa do dia 24 do corren!,'.
Beberibe
Aluga-se una casa na povoacao com trastes :
na ra da Imperatriz n. 15.
Para festa.
Aluga-se um sobrado de nm andar na rea do
Amparo n. ii, em Olinda ; para ver, podem pedir
a chave na taberna do Sf. Cuillierme, junto do
mesmo sobrado, e para trataf, na praca da Inde-
pendenria, loja de calcado ns. 37 e :>i).* H
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite : no Corredor
do Bispo n. 23.
Ama de leite para
alugar.
Na ra Imperial n. 2o existe una ama de leite
com muito bom leite, novo e abundante.
Preeisa-se de urna ama livre para comprar
c cozinhar pira casa- de p.mca familia : na tra-
vessa das Flores n. 15.______________________
Arnau de Hollaula Cavalcanti de Albuqeer-
que tendo encontrado outro do mesmo nomo, de-
clara que desta data em diante se assignar por
Arnau de Azevedo M >reira Cavalcanti, para assim
evitar qualquer engao para o futuro. Recife 18
de setembro de 1869.
litagoiiiuiadeira.
Na ra do.Cabug n. 5, 2o andar, preeisa-se de
urna perfeita ongonimadeira.
i IMPERATRIZ
KEfl2,\TE.
Com esta dominacio veio pelo ultimo vapor ri-
quissimos cortes de fular de seda de duas saias
bordadas a seda frxa, ultima novidade em Paris :
as Exmas. Sns. que qnizcem verou mandar bus-
car para amostra, dirijamse loja do Paco, ra
do Crespo n. 7 A. No mesmo eslabelecimento ha
um comp eto sortimento de pannos- de croxe e
para guarnicao de cadeiras, sofaes, jardineiras, c
tambem ha para bandeijas rquissimas toaihas de
labyrinth i da trra fCear).
Os consignatarios de 33 caixaS com cerveja
marea diamante L, a 33 vindas de Londres no bri-
gue inglez Rio Grande, entrado em 5 de julho do
corren!" auno, consignadas ordem, as quaes se
acham depositada! na alfandcga, queiram vir em
casa de Yasso Irmaos pagar o frete das mesmas.
Aos 20:000^000.
BHhets do Rio a venda, ru do Cabug n. 2
Casa da IV. Creeos do eoslumo.
CASA DA VK.
Attenco
Precisa-se de ofllciaes de caldeireiroc latooiro :
na ra do Drum n. 54.
Aluga-sfl' una escrava excellente cezuiheira,
entendida em lodos os serviros internos de urna
casa e muito fiel ; assim como una mulatinha ho-
nesta e propria para alguns servidos internos de
urna casa : quem quixer appareca a ra da Trein-
pe n. 7, que achara com quem tratar, sendo que
s se alluga para casa de familia.
Paga-se 5 a um bom caixeiro com pra-
tica de taberna e todas as mais qualidades preci-
sas : na ra do Aljuhe n. 21 ; na mesma casa
tambem se precisa de urna ama para o servieo de
casa de homem solteiro : a tratar na mesma.
Quem acliou ama chave de aunar
piano, vellia, com o cabo separado, e cm-
brulliada em meia folna de papel, cuja
chave oi perdida na segunda-feira ao meio
dia, do largo do Corpo Santo at ra do
Imperador, queira trazer a esta typographia
que ser gratificado.

Manoel da Silva Jacome Pessoa procurador bas-
tante nesta provincia da L'xnia. Sra D. Joaqnina
Mara Lira, da ParaMia do Norte' precisa saber
onde se acha o Sr. Joao Pereira de Castro, Lima
herdeiro do casal da mesma attbora, O annun-
ciante pede (|uem pos dar tal noticia, se digne
faze-lo nesta typographia on a ra Velha da fre-
gnezia da Hoa'Vistn n. SI.
Um homem solteiro, tatfclo em sua compa-
nhia ama menina de 6 anuos, branca, deseja en-
contrar una mulher branra, nacional ou portar
pueza, com tanto me seja capaz de dirigir urna
caga e coste da vida retirada; quem pretender
pode indicar sua residencia a ra do Padre Flo-
riano n. 71, segundo andar, para ser procurado.
Soberanos e oiiro nacional
Vende-sc mais barato do que em outra qual-
quer parle : em casa de Carlos C. ce Leaos & C,
ra do Vigario n. 10, armazgm.
Orecisa-se alugar um menino de 12 a 13
annos-, forro ou captivo, para o sorvico de dnas
pessoas ; assim como de um moleque u um pre-
to que entenda de cozinha, que seja liel e nao te-
nha vicios : a tratar na ra dos Ossos, onde est
o hospital de Santa Thereza ns. 22 e 2i, ou na pra-
ca da Independencia n. 39.
Ollereee-se una sen hora po'tugueza de meia
idade, habilitada para gnvernar urna casa de
li miem solteiro ou de pouca familia : a tratar na
ra da Lapa n. 6.
Aluga-se
O sitio da estrada de ferro com excellente casa
do moradia a qual sobradada na frente, t.>m co-
xeiras para carros e cavados e quartos para pre-
tos, baixa para capim o arvore de fructos; a tra-
tar na ra Nova n. 12, loja.
Precisa-se allugar una escrava que saiba
cosinhar e eingommar; a tratar ra da Cadeia
n. 3i 2. andar.
O teslainenti.iro do fallecido subdito frajBeez
Joao Vignes, convida aos devedores do linado a
salda rom seus dbitos amigaveimente, do contrario
serio ajnizado.s sea exMpfsa aipima
Precisa-se de um ti;.balhador, na padaria da
ra Real do Manguinho n. 29.
Precisase comprar on alugar nnia casa ter-
rea ou sobrado de um andar, as freguezias de
Santo Antonio u lloa-Vi>ta : quem tiver annun-
cie ou dirija-sc ra do lio pjeio n. 2i.
Na ra Direita n. 112 ha una pessoa siznda
uue ensacea larinha de eocommeoda para embar-
que, fazonde anda o obsequio de de.-paeha-la pr
conta do comprador : pude ser procura lo a qual-
quer hora do dia.
Eu abaixo assignado tendo perdido um bi-
Ihcte da lotera do Itio de Janeiro de n. 17& i
tendo de cbagar a lista dos premios no primeiro
vapor, por issu peco ojie ninguem pague o premio
que possa sabir, seno ao abaixo aeaignado.
Juo Benedicto Jos de Sant'Anna.
Na ra estreita do Hosarjo n. 17, 2J andar,
precisa-se de urna ama que cozinhe e compre para
duas pessoas : quem esliver n- as condrJ6e3, all
appareca.
Fugio da casa do abaixo assignado o seu es-
cravo de nome Joao, crioulo, idade '0 annos, pou-
co mais ou menos, estatura jegular, cor preta, j.
pinta, pouca barba : quem o pegar, leve-o San-
t'Anna de dentro, que ser betn recompensado.
Joao Venancio Machado de Pac-.
RA
CABUG
esquina
| da ra larga do
Rosario.
LOJA ME JOIAS
CABUGA
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm sortimento sem igual, esquina
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. L ,
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.l raa lar?a Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Eosario.
vados.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
i
rm


J

Diario de Pernambuco Quarta feira 22 de Setembro de 1869
NOVIDADE
O JAYME, lendo em vista sempre apresentar novas melhoras em scu esta-
belecimento de cabelleiro rua do Queimado n, G, acaba de preparar com decencia
e gosto, urna sala especial onde o respeitavel publico, com certeza, encontrara o que
ba do primor em perfumaras, bijoterias, flores e tinturas para cabellos etc. .los mais
afamados fabricantes de Pars e Londres. Elle conscio de que o que espende e a pur
verdade, espera que o seu estabelcimento seja visitado por senhoras e cavaibelros,
para o que pesd sao vidados.
^"ttr?*J*~ "^"'^^l^'

Mikroskope achroma-
tisehen. ObjetivLin-^^ \}
sen.
Barmetro e termo-
raetre. Cengrade
e reuumeure.
Causa admirarn,
Mas nao se pode duvidar;
No armazem Independencia
E' onde se pode comprar.
FEHEIIA tIRMAO
donos deste importante e magnifico armazem de seceos e molhados sito rua do Rangel
n. 3, julgando nao aceitarem concordata alguma com os seus collegas resolveram aei
nominar o seu armazem lNDEPENDEiNCIA, assim como o seu fim nao seja llurji-
ao respeitavel publico deixarao de annunciar, sem o que o mesmo o julgue e admire...
Mas como nos pontos da va frrea, j se tem discutido e apreciado a realeza e impos-
sibilidade a ver quem vende gneros to barato, por esta razo que annunciamos para
que todos tanto da praca como do matto acreditem o que neste asseveram e aquelles
que ainda nao nos tenbam honrado com suas freguezias, podero dingir-se ao mesmo,
certos dequeverSo gravada a sinceridade e methodo de negociar muito franco sem que
uecessitemos de andar meia noite pelos oitoes das matrizes figurando-nos por bons
demonios nem mesmo na frente da msica com o pendao na mao feito bausa.
FERREIRA & IRMAO,
Rua do Rangel n. 3, armazem da Indepen-
dencia.
OCULOS f NISGN ICOS
E crystal de rocha do Brasil.
F *. Germann, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos- porque, com estes vidros, a vista descanca, forlifica-se e nao a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escomido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
aue, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res decabeca. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do ho, e,
todas as vezes que o objecto est mais perto ou mais longe, os ra.os que expelle, sao
mui convergentes ou mu divergentes e a visio nao perfeita. Um grande numero de
"esseas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a v.sao nao distincta.
Sm a appHcaco de meus vidros pdase venar estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta c cuja crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo aflasta-se o ponto de
visfa o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o crvstalino muito chato, o que succede aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem melhor de longe que de perto, e nao enxergam senao
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarao
to distinctamente como na idade de 15 annos. Servmdo-se desles vidros quando a
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F J. Serinaoii encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher.'a primeira vista, seja qual for a idade egro de vista, oculos propnos para
qualquer pessoa, too
Para que sao fabricados estes vidros 7 7
NftO FOI PRECISO AGUA BENTA
O demonio mudou-se por sua livre e expontanea vonlade
VIVA 0 DA DE S. BARTHOLOMEl]
Agora ntnguem presuma que fot um demonio qualquer, fot
0 BOM DEMONIO
Mas nao sahio da Boa-Vista
CHEGOU-SE ATE PARA IAIAIS PERTO DA MATRIZ
Sea dominio esl hoje assentado, onde foibolica.
ESQUINA DA RUA Dd ARAGA W. 32
_____ veiHAin ve-IO
Como garboso se ostenta
Como-lepido se mostra
E as diabluras que faz!!!
I
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuyens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos sodesiguaes.
Para a vista que se turva cora o traba-
Ibo e a leitura.
Para a vista presbyta (vistagalon ).
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Paca a vista que as palpebras cst5o cer-
cadas do sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o oulro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Negra tranca no eolio lhe ondeia
f Solta briza ao mago desdem :
Deita a fronte n'um peito e conhece
c Quantas magnas o seio contera.
Esta linda e_gentil creatara tambem __^
Queijos, manteiga e caf,
Vinho, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
De Nantes boas sardirrias.
Tudo barato
Para agrada-,
Vcnham freguezes
Qae bao de gostar,
N. B. Brevemente ser annunciado o dia, em que este importante armazem de mo-
lhados ter principio a pratica de certa diabrura.que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da rua do Queimado. Por ora venham os freguezes visitar o nosso es-
tabelecimento, comprar os nossos superieres gener s por precos muito rasoaveis.
Manteiga ingleza flor a 1^300 por 500 Vinho bordeaux em caixa, 75000.
I Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinhas de "?Gerentes mrreas. a
,15400.
Fosphoros de seguranza, masso 500 rs.
Sorti ment de binculos
para theatro, e oculos de
alcance para o campo e ma-
rinha.
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ago,
etc., etc.
. Tem tambem grande sortimento de relogios para parede, que do horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos melhores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a retalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua NovaN. 21.
grammas.
Dita dita a 1520 idem.
Dita dita a 1 000 idem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a 100 rs. idem.
Cha fino superior a 35500 idem.
Dito dito a 30200 dem.
Dito dito a 3(5000 idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf de caroco a 200, 2,10 e 280 rs.
idem.
Milho al pista a 240 rs. dem.
Toucinho de Lisboa a 400 rs. idem.
Vellas estiarinas, masso 720.
Potes com sal refinado a 400.
Ervilhas franceza em manteiga, 900 rs.
a lata.
Eructas porluguezas em calda a GOO rs.
a lata.
Ditas s de pecfgos maiores a 500 rs. a
lata.
Tijolo para facas a 120 rs.
Chocolate espanhol a 15000 o masso.
Frascos com conserva a 900 rs.
Ditos dita de mustarda a 800 rs.
Latas com carne de jorco a 800 rs.
Sardinhas de Nantes em manteiga a 800
rs. a lata.
Copos finos para agua, duzia 45800.
Garrafas finas para meza, o par 5-5000. Estrilinhas para topa a 800 rs. por 500
Cognac engarrafado a 800 rs. grammas.
Azeite francez engarrafado a 1,-5(000. | Marrasquino de zero a 15 a garrafa.
Presunto em barril a 480 rs. por 500 Massa de tomate a 720 por oOO gram-
grammas. mas.
Os proprietarios garantera tudo quanto cima est especificado, adverte a toaos
que nao conhecem o peso de 500 grammas, mais de urna libra, e se cvpcar aquelles
que nao entendem._____________________
COMITARIA DOS AiMUES
16RUA DA CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
calda, etc.
Incumbe-se d&'encommendas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
samentas, a saber:
Pecas de nougat. Pes-de-lot enfeitados.
Ditas de po-de-k>t. Bollos idem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crme e carne.
Bandeja cora armaco de assucar. Empadas.
Banha de porco a 720 por 500 grammas.
Vinho do reino, gamfa a 15000.
Charutos do Lima a 50 e 65 a caixa.
Sabo de massa a 240 rs. por 500 gram-
mas.
Latas comameixas a 15, 15500, 2580
e 35500.
Ditas de manteiga a 25800.
Ditas juliana a 15 por 500 grammas.
Frascos com maguas seccas a 25000.
Serveja de difirenos marcas, duzia 65.
Tapioca do Maranho a 240 rs. por 500
grammas.
Farello em sacca com 21 kilos por 5.
Liguicas e paios a 800 rs. por 500 gram-
mas.
G>z, lata a 85500.
Dito em garrafa a 400 rs.
& Latas de peixe a 800 rs.
Bolaxinhas beato Antonio a 15200 a lata.
Latas de po-dc-lo a 900 rs.
Biter em garrafas a 800 rs.
Licores finos como coracol, amisade, e
outras muitas marcas a 15000 rs.
i
VEJAH QUE DIARRURA
Tirar premio sem comprar bi/hetcs
Isto s pode ser artes do
lili
rjSTUBA E MODISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na rua da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de partecipar ao respeitavel publico e em particular seus fregue-
zes, que, pelas relaces que acaba deencetarcomalguraascostureirasemodistasdasmais
afamadas de Faris, que todos, os mezes lhe mandam figurinos, de vestidos, man-
teletes e chapeos que esto no maior gosto e mais modernos, se acha habilita-
da para fazer vestidos para passeio e visitas, bailes e casaraentos. As senhoras que
a honrarem com a sua freguezia, nao deixarao de ser satisfeitas, tanto pelo bom gosto, como
pela barateza dos precos e promptidao na entrega das encommendas ; tambera tem bo-
nitos enfeites muito modernos e de todasas cores. Fazem-se chapeos de todas as qualidades
tanto de fil como de palha.

DA BOA-VISTA
Estdecidido=o mundo marcha!
Leiamaelmirem
E...... espalhem pelo universo
SE TAO EXTRANHO ASSMPTO CABE EM VERSO.
BOAS FESTAS SEM CSTAR DIXHE1R0
QUE PEflIIIIIA !'
No intuito d fazer urna fallada o bom demomi resolvou mimosear d ora
em diante com um bilhete a qualquer pessoa que de urna vez lhe comprar 05000 de
gneros, com dous a quem comprar 105000, e assim por diante sempre um bilhete
por cada 55000. _,j.
Cada um desses bilhetes dados de mao Miada proporcionara ao portador
o direito de reeeber um dos premios abaixo mencionados, se a roda da fortur.a lhe for
propicia coincidindo o numero do dito bilhete com o do que tirar urna das tres sortes
maiores da Ia lotera que correr nesta provincia no mez de dezembro vindouro.
gigo de champagne, valor....... 305000
caixa de vinho do Porto (Meneres).. 235000
duzia de garrafas de cereveja (Bass) 95000
presunto de fiambre............ 155000
queijo prato................... 65000
dito flamengo.................. 34000
G latas de raarmelada fina..
i caixa de paras.........
G5000
8,5000
1005000
1110 PIL
1/2 gigo de chimpagne, valor............ 1550O
6 garrafas de vinho do Porto (Meneres)... IIHOO
G ditas de cerveja (Bass).............. M&OO
1 queijo prato....................... wj
1 dito flamengo...................... 35000
1/2 caixa de pacas..................... 45000
6 latas de marmelada................. 65000
LOJA.
DE

FERHANDES DE H. GUIMARAES
SOB A DIRECCO DO MUITO HBIL ARTISTA
ALFAIATE PEDRO

te
3 ..,..
Nesta ofliema encontrarlo os respeitaveis freguezes um dos primeiros artis-
tas estoja bem conhecido (com grande especialidade em fardas), por muitas pessoas
gradas desta cidade. .' *'
O mesmo estabeecimento so acha munido de um complete sortimento de
fazendas,"*do que ha de melhor no mercado, proprias da offleina.
O grande sortimento de.roupas feita que tem, vende e manda fazer menos
20 por cento de que em outra qualquer parte ( dinheiro).
48 RUA DA IMPERATRIZ 48
Junto a padara franceza.
T
505000
G garrafas de vinho do Porto (Meneres), valor.. 115500
6 ditas, de cerveja (Bass).................. 45500
1 queijo prato........................... 65000
1/2 caixa de charutos de Simas............... 35000
" 255000
MAIS DIABRURAS 1
Se a pessoa a quem a sorte houver favorecido quizer trocar por outros
os gneros cima mencionados ou preferirir reeeber o rspedvo valer em \o nao
se ter duvida em satisfazer.
Venham, fregnezes
Da praqa e mato,
Comprar barato
Ao BOM DEMONIO
Pra^a alBpa-Vista n. 32, esquina da rua
do Arago.




MH
Diario de JPernambuco Quarta feira 22 de Setembro de 18G9.
A ESMERALDA
'EMPOESTIMD SOBRE!
10.11 DE MUS
DE
&c
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado de novo, est, as cond-
$oes de servir vanidosamente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
exjlendido sortimento de obras de ouro e
prata de le, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, oujos precos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate.
X 5 RA DO CABIJGi Y 5
(SEM LIMITE.)
Na Iravessa da ra
Crnzes n, 2, pri-
niciro andar, da-sc qual-
i quor quantia sobre oaro,
prala e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condiees de ga-
rantir a transaeco que se fizer ene]
sua casa, proraettendo todo e zelo
e consideracSo s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na raesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
ALGODO
LO.SA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de errte de todos os tamanhos para descarocar algodo, -do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
MACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, -al-
godo do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos es tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS dHas de Roller Gins, de cojo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
MACHINAS de faco do fabricante Watt B. & C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
vindo ao mercado ; e para a sua apreciaco convidam-se os senhores agricultores
virera a exposicio das mesmas na ra daCadca do Recife n. 53 A, toja do Bastos, onde
encontrarlo mais o segqinte:
CASA FELIZ
Aos 20:000*5000
\o Recife arco da Cnncelcoa.
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na
forma das leis tcm exposto a venda os seus feli-
zes billietes das loteras do Rio de Janeiro na casa
cima aonde se pagarao as sortes que sahirem
no mesmo bilhete Yim o descomo da le soraente.
PRECOS.
Rilhete inteiro 24|000
Meras 12000
Quartos 6*000
E de 100* para cima a 22* o bilhete.
Figueircdo c-Leite. ______
Notas das caixas tiliaes do banco do Rrasil
trocam-se com mdico descont, na loja de Manoel
Sares Pinheiro, praca da Independencia n. 22.
GRANDE HOTEL
ORIENTE
Ra iavga do Rosario n, 44
Espcn.lidade a preparacao dos gneros ali-
menticias, promptido c asseo as cnconimendas
e boa rganisacao uo estabelecimento. Recebem-
se assif naturas para o estabelecimento e a domici-
lio, fadllta'se a leitura de jornaes nacktnaes e es-
trangoiros. Espacosa sais para o elegante jogo de!
billiar, e ha decente e comnyda hospedagem.
Conipaahia Prnamhiieuu:i
De ordem do consellio de direccio da compa-
nhi* Pernambncana se ai publico |ue someiRe
at1* da 30 do corrente ez serao aceitas assig-
naturas de aneos da mesma companhia coja
eoNMo se aotia annunniada. Pernfmbnco 2 setembro de t869.O gerente. P. F. Rorges.
Na ra estreita do Hosario n. 35, pri-
meiro andar, casa de urna familia quefor-
neoecommedoriasprecisa-separa todo o-ser-
vioo de casa e ra, e serventes livres ou
escravos, preferindo-se estes.
Aluga-se a casa b. 28 da travessa de S. Joo
com 2 salas, 2 <|uar tos, quintal e cacimba, preco
de ii.5000 : a tratar ao mesmo lagar.
Precisa-te de um aixeiro de tdade de !6 a
18 annos : na ra da Cadeia-novan. 7.
Oebulhadores para milho.
Oylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de naao.
Machinas para cortar capim.
Pannos de chumbo.
ombas de Japy.
Ditas americanas.
Tenas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e latao.
Ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
Machados americanos.
Faces ditos.
8alaios e cestas de verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
iversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Penetras para padarias.
Baldes galvausados.
Correntes de ferro para almanjarvas.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para rcir.aces.
Azeite de espermacee, proprio para eiacbi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
.Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas degaz,
ospertenc^ntes iavoura e artes, que pela
Na travesea dos Exfostos, sobrado n.'W, Io
andar, faz-se comida paca fura, lava-se rouaa e
engomma-se. Uido com aseio e prsnipdo.
AGENCIA
Do Dr. Aver.
PElTiRAL DE CEREJA
cura shlisica e todas as molestias do peilo.
SALSA PARRILHA
cura ilceras e cliagas antigs, empigens e dartos.
TNICO
conseiya e limpa os cabellos.
PILLAS CATHARTICAS
puramtuto vegotaes e sera mercurio, cura sesoes,
purgan e purificam todo o systema humano: ven-
de-Fe nicamente em casa de Samuel P. Jobnston
k C, ra da Senzala-nova n. 42
'.O agente de compras e vendas de
escravos, Jos.Martins Alvcs da Cruz adas
se residindo na na de Hortas n. 9(5, promp-
to a desempenhar nao s o seu de ver pura
este lira, como para outros quo seus com-
mitentesojulguem habilitado mediante suas
respectivas commissoes.
ATTENCAO
Alnga-se duas casas com bastante com-
modos, e vende-se ama na cidade Nova de
Santo Amaro: tratar com Antonio Jos
GomA Jnior, em Santo Amaro.
cffoc
COlATE HOMEOPATHICO, da melhor qua-
lidade.
CHA" PRETO E CHA" VERDE, da melhor qua-
lidade.
Livrtjs para a tomada da historia das molestias.
Reeroens para uso dos enfermos.
Todo o trae diz respeito a Homeopathia c ao tra-
tam^nto dos doentes.
Na pharuacia especial homeoptica, do Dn. Sa-
bino O. L. Pimo.
ATTENCAO
Precisa-se de urna ama de boa conduca para
tratar do arranjo de urna casa com lodo o asseio,
de um moco solteiro, que saiba bem lavar e en-
gommar para elle s, e cozinhar para tres pessoas:
Suera eslfver nestes casos, sendo branca ou parda,
irijase ao pateo da Penha n. 10, que la se dir
qoem precisa
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite, mas que nao
teoha filho : na ra larga do Rosario n. 12, 2
andar.
SEIH
Imperial couipaiihia de Londres
Por seus agentes nesta praca
Samuel Potcer, Johnston & C.
Ra d Senzalla Nova n. 42.
P pnfclico que tem aberto urna agencia nesta
praca de seguros^ contra fogo.
Os agentes estao autoi isados a emittirem apll-
eos, (icaedo assim os segurados desde logo segu-
ros contra qualqaer prejuizo, que possam soffrer
causado pelo fogo.
Os agentes estao antorisados a averiguaran
quaesqaer reclamacoes e depois de competente-
mente examinadas a saldarern (corno ] tem feito)
por ineio de saques sobre a companbia em Lon-
dres ao cambio do dia.
A companhia promette prompla verificado de
qualqaer reclamaao, assim como prompto "paga-
mento, concluida que seja satisfactoriamente taes
verifica c5es.
As pessoas qiw quizerem effectuar qualqaer
seguro bastarlo remetter a esta agencia una ola
iadicando somente a ra e numero do predio que
desejarem segura^- ou em que estiverem deposita
das as mercadorias, assim como as quantias.
Samuel Pwver, Johnston & C.
Agentes.
Ra da Senzalla Nova n. 2.
O abaixo assignado, cimoSierdeiro dos bensdo
casal de Manoel de Je.^us Joro Caldeira e Paca
Hara de Fraga CaUuira, faz ver ao jespeitavel
publico e a commisslo de enuncipacae de escra-
vos menores, autorisada pelo governo & provin-
cia, que cao aceite qualquer proposta de alguas
escravos pertencente ao dito easal, pois pretendo
propor ace^o em jui/.i contra qgalquer iransac-
i;ao ou negocio que lizer de sewelhantes-escravo6
e bens, tendo j protestado percas o dainnoe mes-
ma commisdo, relativamente dsas escravas de
DKinor ida Je de nome M3rgarida de quatro aonoe
e Rosa de dos ; e jiara jue ninguem se chame a
ignorancia, faz o preseate, procedendo contra
aquellescm juizo, seo ecntrano o fizer. Recife,
9 de soteinbro de 18C9.
Sleuwct de Olegario Jorddo Caldeira.
ESCRAVA.
Precisase alugar para eoainhar: a tratar no
Coracao de Ouro, ra do CaUag.
Preejsa-se de utin ama ijae lave e eogomme
para casa de pouca fatiilia : a tratar Da ra do
Queimado a. 28, loja.
Precisase de um triado para todo serico de
hotel, pagase bem,preferc-se escravo : -\ atar
na ra estreita do Rosario n. 11, hotel Lisboaense
O
EO DE JOIA!
GOMES DE fflflTTOS IRBIAGS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente|
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontrarSo um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
DEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de noYos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Comprara e trocara qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
CZ2
0 MUSEO DE JOIAS
Aluga- se
o segundo andar e soto do sobrado da ra da Ca-
doia do Recife a. 00, com bastantes commodos e
muito fresco : a tratar no armazem da Exposicao
de Londres.
COMPRAS.
Cwn muito
moedas de ouro e
racao de Ouro n,.
aiaior vantagem compram-se
raa : na loja de joias do Co-
ra do Cabug.
miio do joias
Cabug'Ct '* compra-.-e 01
ouro, prata
ecos mais vantajosos do
0
Na ra do
e pedras preciosas por _
qu^ em outra qualquer
Ouro e p *at
Compram-se moedas da ouro e prata de todas
as qualidadesjjor bom preco : na ra da Cadeia
de Recife n. 98 loja do aiuejo.
Compram-se moedas de ouro e prata de lo-
dos os valores, euro prata em obras inutilisadas,
briUuntes e mais pedras preciosas : na loja de
ourives do arco daConceicao, no Recife.
Compram-se e vendem-se diariamente para fra
e dentro,da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio.
Compra-se nm prcto de meia idade
do Rangel, padyia.______________
na ra
Jornaes parar embrulho
Compram-se jornaes psra embrulho a 140 rs, a
libra : na fabrica a vapor da ra larga do Rosario
n. 21.
V'NOAS.
: NOSERID
Vende-so no Srid, ao p da vi llardo Jardim,
um sitio as 'condi^es seguales: um famoso'en-
genbo de moer com agoa e urna excel lente casa
do mesmo, tem um acude extremamente grande,
que garante amptamente tamitias de- urna seeca,
com u>menso e muo grande peixe, urna porta
d'aana construida quasi toa de metal, com para-
assde fechar e abrir, pela qnal banba-se
pouco trabalho, por va de regacoes, cerca do 500
bragas de trras agrcolas com Instante largura,
que tem atraz do agude, quo toda se acha planta-
da de cana, tem tambein 120 caqueiroj prestes a
dar frdcts e mais outras fructeira.<, tem quatro
mil e tantas bracas de cerca oni bom estado, una
casa de vivemla, de tiiolo, e trras pmprias, tem
1870 bracas demarcadas. Por va das maneira-;
de agoacoes tem-se semp'ro urna constante prima-
vera : quera o pretender e desejar momr no ser-
tao, poder conversar a respeito com o Sr. tenenie
JoseThomaz deAqnino Pereira, na ma da Cadea.
casa do Sr. Lui Connive- da SHv'a & C, que in-
formar ; o qual estar nesia praca at o dia 23
do correte.
Ra ifo Queimado n, 49 e 57 loja '
de miudezas de Jos de Azete- \
do Mata e Silva conhecido por'
Jos Bigodinho.
Est qiii'mado tudo quanto tem em seu i
estabelecimento para acabar e fazemovoj
sortimento, por isso queiramvir ou mandar!
ver o que bom e barato.
Caixas de liabas do gaz com
oOnovellos a S00
Latas com superior banha a
lO, 200 e .
Frascos de oleo babosa muilo
fino a....... 400
Duzias de meias (inglezas )
muito boas a 450OC
Garrafas com .agua florida ver-
dadera ...... I02OC
Garrafas com aguaMivina da me-
lhor qualidade 1 $300
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos .
Dita comJO frascos muito finos 800
Oleo baboza muito fino que s
a vista ...... &>0C
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... 240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... $G00
Pecas de babadinho com 10
varas ...... 500
Pecas de fita de cus qualquer
largura ". 50C
Escovas para unhas muito fi-
nas ...... 500
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... 840
Puleeiras de contas de cores
para meninos (200
(saixas de linha branca do gaz
com 30 novellos COO
Pe?as de tranca lisa de todas
as cores ..... J040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 4000
Pares de botes para punhos
mito bonito 120
Libras de laa para bordados de
de todas s cores 8000
Peutes com costas de metal
muito finos 320
Novellos de linha muito grande
para croxs 320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... 480
Grosas de botes madreperola
muito fino ..... $00
Sabonete muito finos 00, 120,
100, 240 e..... 320
Pecas do fita de la todas as
cores ...... 500
Espelhos dourados para parede
1000 e .- I300
Espelhos de Jacaranda muito
fino ...... 20O0
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol i 060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 320
Caivete muito fino com 4 fo-
lhas ...... 1500
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos i 200
13
55
V VEBDADE
Assucar de oxido le ferro de
Chaueaud.
astucar fe-mginato deChanleaud obtido
pHa associacao do oxido de ferro tuitivamente /o-
/wW com o assu 'ar odadotanx'itle purificado.
Bale as.-ucar, de una bella apparencia rystalina,
tem o simples gos.j nmi gradavel do assacar,
sii o menor sabor adstringciite : nao tem aecao
irritante sobre a mucosa do estomago e entetitos,
e rapiJamcnte absorvido pelo apparelho digest-
vo seni causar as eonstipacjoVa do ventre.
E' hojfl o preparado de ferro de mais aceitacao
para a eblorose atona dos orgios, perdas brancas
menstrua roes difficeis, eii'., e tem a seu (avor 0
juizo autorisado da escola de medicina de Pars,
e dos cliimicos os mais uotaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Baiholomeu & C., ra larga do
Rosario n. 34.
Vende-se do US escravos, pecas, sendo um de
12 para 13 annos, ; oulro de 20 mais ou meuos;
na na do Queimado u. 13 I." andar._________
Vende-se um fardainento composto de tarda,
uoiK-t e banda, proprio para o corpo do polica ou
esquadriio decavalhiria de Jaboatao : nesta lypo-
grphia. ______,
Vende-se manteiga ingleza lina a 22<)0 o
kilo^ramma ou 1} a bra, batatas novas o gigo a
H.'iOO : no pateo Jo Carino, esquina da ra de
Hortas, armazem n. 2.
Luyas novas
Chegou de nov pelo Bxtrehaiure completo
sortiminto de luvas de Jouvn, de cores eseoUlidas
ulma moda : n) arupzom do vapor trance.:,
ra Nova n. 7.
-filia do Queimado55
A V .Mi \ fita s''3"^e
quantilad demindi'zaso pe e de-
sejando apm ro e aidq i Dre-
guezta est rss a tender Dr.uitissttBu
barat, : por ssa razHo ci irwBci-
trivel publico a \1f edtnpotentemente mohi-
do a sortir-?e do bom c barato. Pos (pian-
do a Vcrdatk- appaiocft, ludo Btais di -
apparcte
(jrandso;: r/s.io do bom cora e
massa as mu\< .odaspossivei vestidas ac;i-
racto*.
Ricos globos pr aadietrodcg a I 800
i;hamii)L-s a....... 320
Grande soi lii:: to li objetos do
loucapara brifiquedo de meni 10t)
i'.arrafa com t la .1..... 80()
Qla com agua terida verdadeira a i->i>0t'
Dita com dita dita a f#Qi 0
Frasco com oK' de babosa a 300 e 7?p
Dito com agua do Colonia a 3QQ e 500
Garrafa con agua divina a. 1800
rrasco con extractos tipos a i;)U0o
Latas pequea? com banha muito
(ina a t*0e...... 00
Sabonetes de di" ?rsas qoali lado.- t
80, m,Vi9e......' Sao
finas escovas "ara denles de 12 >a 600
Lindos roques moderaos a. 05OO
Pavios para gaz, dntia a iO e 32(>
Lscovas para l:nto a 5LO, G00 e 70O
Ditas para ca: elio a..... 00
Pentes para til bo a \60 e. UO
Brincos de core?, bonitos a IGO e 200
Pecas de trn;a do. la com 8
varas por....... 80
Oleo para raa.e!>ina de costura,
frasco a........ GOO
Pennas d'aro firmas caixas a 800 e lQ00
Dita t'ac> Perr cn'.-.a a. .. 4>'0ti
G'ali de ilgod ; i i 40u
Lindes b hadi: ;.os e entremeios
pe a de 500 a...... 1)500
Botes de madreperola, groza a oOo
Ditos de louca tatito lino a 120 e 20o
Ditos para ca a a ICO e. 240
Caixa com pape! ami^ade a. 700
Ditas com enveiopes a. 480
Ditas com obreiaa a..... -4(j
Caixa com galbos fundo doma: i 280
Ditas de ditas iK..,.? a..... 160
liiesoura para costuia a 21oe 500
Caixa com Ihii.a de marea a 80
Linha de cure? ?m :ovellos (li-
bra) a ........ m
Carreeis de linl xandrede70
at 200........ 40C
Grampos muilo ftr.os com passa-
ros, duzia a...... &**>
Cartas portuguesas, duzia a l400
Dilas francezas a 22O0 e 3000
Papel almai'o e de peso, resma a
3)iOO, 3(J3CH e 45500
La muito lua para bordar, libra 057CO
Fita de algodo para debnim de
sapatos, peca a..... ltio
Ditas de la para debilita de ves-
tido, pe^a a...... 480
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... 320
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 250, :50 e...... 500
Caivetes grands com molla a 320
Ditos para aparar penna a JGO
Cartoes com colxetcs a : .' 40
Rosetas patas, por a loo
Tranca de la caracol peya 140 e 10o
Fita de coz pera a 4SO e 560
A!.lacles de alSo a..... !()',
Sapatosd& 13a par; m nio a 240a 800
L'gas pata sonhon ; ar a. 160
Grvala de ferias .le c< res a .. 20o
Cslcadeiras a....... 80
Grande sorlinctlj de rendas das libas.
m par de .- ,: .U borracha
risl 1MUJ
\a Verdudc ina o Queimado
II. 55.
V1L&A
DA
DO CABO
CAIj DE Eil^BOA
POTASSA DflRUSSIA
A mais nova no mercado, a preco razoavel: nt
armazem de Manoc! T Uasto, ra do Comineroic
n. 13.
Charutos de Havana,
e grande sortimen'.D di Baha c Rio de Janeiro,
fumo do Para, em macos e em chicotes, dito su-
perior de Baepen!;.-, e oulras muitas qualidades,
que s^? vemlem em rosfo e a retalbo, na antiga
casa de Jos Leopoldo ourprd, ra da Cadeia
n. l'i.
Attenqao.
Vende-se urna mulata moca com 20 annos, bo-
nita figura e sem vicios, propria para quem tiver
encommenda para o Rio do Ja.iro, custa i:500 :
na ra de Apollo" n. i, aiBOZcm. .
JLauicruas ou globos de papel
lia para vender,, na ra da Imperatriz n. 19,
urna grande quantidade. destas Untarais, indispen-
savrii para a illurntaagao Bpra' ao enrgar as ulti-
mas noticias do su!, qao so vendem por qualquer
prego pra:acabar
Vender una escrava parda, mo^a, de
bonita figura : para infonnacoes, na ra da Im-
peratriz n. 12, 2o andar.
Hi
VE^E-SK
por .veo comnfbtb um'deposito de charutos bas-
iante afregezalo, .i ra da .Imperalriz n. Si A,
por ter o dono de relirar-se pu-a o sertao pur mo-
ieii,', O local excellent, nao s para este, como
para outros quaesqiKT nogpcio3 como sejam, fa-
zendas, miudezas, sliipos, ce. eic.. i restando'se
a armaeo para qual((ucr delles : a.tratar'noeaes
de Apollo na. 73 c 7.", prensa*do algodo.
WLtDOWrRADOR X. :7.
Tiesto armazem ha nm granJo sortinx
quartinlias dj diversas qualidades, buhas, mo
gucs, jarras para sala, grandes e pequeas, vi
para flores preprio rara jardim, car -. ,
ditos para formiga, iouca vid rada para ir ao I
sporvidrarde 1.13, Ce to poi-
logadss de dimetro, rs qoaes vend por pr
razn veis por ter grande sortimento.
Peixe abacallioado
[aduatria rio-grandense da u
Lrica le Ferroira Gaimares
& C.j no Rio-Grande d .
Sul.
Este peixe, assim preparado do excedente m -.-
neira : vendo-so no armazem de Antonio Gomos
A C, ra da Ctiieia n. ii3.
Nlo mais cabellos brauco.\:'.
A tintura japonesa para tingir os cabelK--;
da eabeca c ila baiba, fui a nica admittict
Exposifo Umvereal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparadles ate
boje existentes, sem alterar asade.
7ende'-se a 1 M)00 cada frasco na
Ena da Cada n. 51,
1. andar.
*
Bom negocio
Vende-se duas pequeas casas de pedra
e cal, situadas na B.u'xa-Verda na Gapung;
quem as pretender dii i^a-se a esta typo-
graphia que achira com quem tratar.
Oh que pechincha!!
Percales de duas larguras, cores fixas, a 320 rs.
o ovado; s se vendo por este proco por ser
grande qnantidade : na casa das seis'portas em
frente do Livramento. Dam-se.amostra?.
Ao pubiieo. -
Jos Vital de Negreros com loja e officina de
ourives roa do Imperador n. 30, yendo muito
barato, concerta qualquer joia por mtade do pre-
co que em outra qualquer parto, eompra ouro ve-
Iho, proto, e pedras preciosas : ser bom que ap-
parecam pira sabarem da verdade.
Predios uoyos
Vendem-se duas casas terreas no bairro a Boa
Vista, solo" proprio, e muito bem construidas :
tratar com Alexandre dos SantoiBarros (otaria).
Vende-se
uiaa taberna na ra Dlrmte com pouecs fundos c
em muito bom local: quem pretender cirija-se a
ra Oireita n. 69, que achara com quem tratar.
Vende-;e una orioula,de i) annos com i ni
filho da 18 mezos, engnmma perfeilamente : a
tor na ra A > Jaeimado n. 28, Io andar.
teooo
Saias de la, obieeto de gosto e de excellent
qnal idade : na ra do Qucim'ib u. 31, loja de
M.RoHm&C.
i__^4
Farinliii venda
Na ra Imperial n. 10, se achara com qu ira
tratar.
ARARTE
Bolinas de gorgurao de soda, cano alto, para
lenhora, a djOOO.
Botinas de pellica, ingleza-, ns. 32 e 38, a
Botinas preta?, cores e brancas, para rueni
a 25000.
Botinas p-.-etaspara senhora a l^OOJ.
Bonas di vaqueta para meni '"'
Taberna
Vendo-se a do pateo da I 05 pre!
dentes podem ceriiHcar-.e que i o ynmeiro |
da ribeira para este fim.
__Vende-se nina eserava de 13 anuos de idaui ,
cozinlia o faz todo o arranjo de urna casa : a tra-
tar na ra da Guia n. 7,


(i

Diario de Pci-nambuco Quarla feira 22 Je Setembro de 18G9.
LIQUIDACAO
SEM IGUAL
0 proprietario do armazcm de fazendas denominado ARARA, na da Impera-
ttt o. 72, declara ao respeitavel publico eseus freguezes, que est liquidando odasas
focendas e ratinas feilas que tem cm seu estabelecimento como sepoder ver
aira unci c preco abaixo mencionados,
oo seu
da
1
Chitas fraar-ezas matizadas a Algodo eufestado OO rs.
.. .. ** rs- Vende-se algodo enfestado proprio para
ende-se chitas francezas escuras matiza- lences toa|as> 900 rs. o metro, dito
las 1 lip rs. o covado por este preco sna lranca(]o a { melr0
oja da Arara, 111.1 da imperatrizLn. 72. Chales de
LAAZINHAS A 2O RS.
Vende-se lli/.iniias pan vestidos de se-
Jiora a 210, 280, 320 c 400 rs. o co-
vjdo.
&AREGES DE LA A 500 RS.
Vende-se bareges de 13a com listras para
vastidos covado.
Alpacas de listras a 500 rs.
\ "i le-se alpacas de listras para vesti-
das de senhora a 589 rs. o covado.
CUITAS FRANCEZAS A 289 RS.
V'irle-se chitas francesas claras a 280 rs.
o covado.
CORTES DE LA PARA VESTIDOS A
2>O0.
V.jiide-sc corles dj lia para vestidos de
ilioras a 2>i00 rada um,
PERCALES A 4tO US. O COVADO.
Vende-se percales muito finos para ves-
tidos de senhora a 4iO rs. o covado, mur-
aotifflM brancas finas, a 500 rs. o covado,
bri Iban tinas de cores, a 440 rs. o covado.
ES-jlcs moderaos de todas as
odres.
Vendes balos moderno sbranco ede co-
ras a 4 d, #500 e5.
COBERTORES DE ADGODAO A 1500.
Vende-se cobertores de algodo a 1 -$500,
coberlas de chitas a 1-5600 e 2$ cada urna,
(ANGAS PAIIA CALCA A 380RS.
Vende-se ganga para calca a 320 o cova-
do, brim de cores para calcas de bamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para calca e palitots a 25500 e 30,
o covado, m ;as casemiras entestadas para
jase palitots a 15 o covado, brim pardo
de tridas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na ra da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 40 rs.
Vndese alpacas de cores lizas finas a
640 rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLAO ENFESTADO A 35500.
Vende-se pegas de madapolao enfestado
a 35500, pecas de madapolao inglez de 2i
jardas a 5 >, 05400, 75, 85 e 10A a peca.
crin *.
Vende-se chales de meriq estampados
a 25, chales brancos c de cores a 15000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Vetde-se urna grande porfo de cortes
de brim castor para calca de homem, 640
rs. cada um,
Grande poreo de retallaos
Vende-se grande porcSo de retalhos de
chitas e cassas pretas a 160 o 200 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, 13a e chitas de
cores baratissimos.
LIQUIDAN A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 25,
ditos de alpacas de cores a 25, di os de
meia casemira a 25 e 25300. ditos de pan
no preto bom a 85 e 105. caifas do algo-
do azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodo de listras a 800 e 15, camisas de
iscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tos de brim e fustlio de cores a 15 e 15500,
coleles de cesemira de cores a 25?i00 c 35,
e outras mudas qualidades de roupas feilas
que se vende por baralissimo preco.
Algodo de listras a 200 rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGODaO A 45.
Vendem-se pecas de algodo 45000,
55200, 65000 e 75, para liquidar.
Baldes de reos a l509.
Vende-se baloes de arcos para senhoras
pelo baratissimo preco de 15500 cada um,
Cortes de cambraia barras
a 3.90.
Vende-se cortes de cambraias barrsa a
25 e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A G'iO RS.
Vende-se lencos de seda a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 15..
Vende-se carteiras para viagem 15
'cada urna.
AS MUS SEDAS
11--RUA DO QTJEIMADO--11
^ Chegaram da Europa peb ultimo vapor loja de Augusto Porto C. ricos
corles das inais linda sedas de miosas cores para vestidos proprios para bailes e csa-
melos. l
Grande variedade de sdis de listras de diversos precos todas de lindas cores,
gorgurao de seda preta, e grosdenaple de varias qualidades e gorgwao de seda la de
diflerctiies cores. m
Novos vestidos brancos dt blond para noivas, lindas colxas de seda para camas,
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalhas de
cambraia de linho bordadas.
Lavas novas de Jouvin,elegantes somluinhis do se las de cor para senhoras.
Esparthos de 55 at 10o, lindos bournous de cachemira de cor para sabida
de baile, basqoinos de renda preta, e ditos de croch branco e prelo para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para liomens e m minos.
Soilimento de muilas fazeadas do la, linho c algodo todas por precos muito
moibeo. *
Tpeles grandes para S0I4, piano e camas, pecas de tap-les o de alcatifa para
saloes ludo em quanlidade; e vendem sem pretor menos que em outra qualquer
Esteiras da India de 4, t> e 6 palmos de largo.
forrar
parle.
.1
DE BAILE
Chegaram pelo ultimo paquete vindo da Europa, lindissimas sabidas de bal-
es, ricamente enfeitadas, o melhor goslo que tem viudo ao mercado : ra do
Crespo n. 13, loja das columnas., de Antonio Correa de Vasconcelos.
45000
500
25000
Assim como vende-se chitas para cobertas, a 240, 280 e 320 rs. o covado,
ellas antes que se acaben) todas mais fazendas e roupas feilas, e que pelo preco que
va. vender ou liquidar, poneos dias poder durar, e quem se quizer sortir de fazendas
e roupas feilas para a festa pelo proco que Ihc agradar, se poder dirigir a ra da
Imperatriz armazcm da ARARA, que estar aberto todos os dias uteis, das 6 horas da
n:'.alia, s 9 horas da noite.
72. Ra da Imperatriz. 72.
GERAL
EIV.IL M EllO
Ruado Quemado ns. 49 c 57__
tojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de seus estabe-
lecimenlos por isso queram apre-
ciar o que bom e baratissimo.
Pdcas de tiras bordadas com42
metros, fazenda superior, a
16500, U, He.....
Caixas de lidia com 50 novellos
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a ......
Pares do sapatos de tapet
(so grandes) a......1!300
Duzas de meias cruas para ho -
mem a........
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco melhor 100 attos a
Litros de misses abreviadas a .
Duzia de baralbos francezes muito
fiuos a25MW e.....i^oe
Silabario portuguez com estam-
pas a ........
Gravatas de crese pelas muito
finas a ........
Cartoes com clcheles de lata
fazenda fina a......
Abotuaduras de vidro para coleto
fazenda fina a. .
Caixas com penna d'aco muito
finas a 380, 400, 500 e .
Cartoes de linlia Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de liuha Alexandre de
70 at 200 a......
Caixas com superiores obreias
de massa a......
Duzias de agulbas para machina
Libras de pregos francezes di-
verso tamanho a. .
Livros' escripturado para rol de
. roupa a........
Talheres para meninos muito'
finos a. .....
Caixas com papel amizade muito
Onoa .
21lt
Grande e completo sortimento de machinas para
descararar algodo de nova inven rao cuegadas l-
timamente em direitura para a'loja de Manoel
liento de Olivara Braga & C, na ra Direita n.
33. Garante-se que a melhor qualidade que at
o presente tem viudo ao mercado : acam-se em
expsito aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kiio-
grammos de melhor eomprehensao dos que tem
vindo at o present, assim como marcos de lalao
at meio gramino pelo mesmo sy?lema, balanzas
de lato de forca de 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira e de latao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas e ferragens de
mdas as dualidades, tudo Dor Drecos ane s a vista
Manoe!
odas as qualidades, tudo por precos que s
az crdito : na ra Direita n. 53, loja de
Bento de Oliveir.i Braga 6 (',.
COGNAC.
3,5800
(200
2000
(5500
;o2o
^500
I 000
1100
loo
040
2;j000
J'OJA.
DO
tALLO VIGILANTE
ItHa lo C icspo ii. 9
Os pcoprietarios deste bem Mnhecidn estabple-
cimenio, alm dos mnitos objeelos que tinham ex-
poslos a aprei-iai.-ao do respeilavel publico, nian-
daram vir e ac;.bam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimeni de
linas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu costume,
por precos muito baratinhos e cominodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas o de mui lindas cores.
llui boas e bonitas gollinbas e punhos para se-
nhora, ueste genero o que ha de mais moderno.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Duboucb & C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Ueiuo da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just.* ra do
commercio n. 32.
Caixas com 100 envelopes muito
finos a. .
JS e
para
O propnctano do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra dalmpe-
n. o, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas era
',.' c T**!? d'mi"uir esle grande deposito por meio de urna liquidaco que fin.
VL Tt iJ 2J do correntc. Por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
i fazendas, e por diminuto preco, a saber:
CHITAS PARA COBERTAS A 280.

se
CHITAS LARGAS A 280 rs.
\endem-se chitas francezas largas a 280
320 e 360 rs. o covado.
ALGODAO ENFESTADO TR.VNCVDO V
IflOOO.
Vende-se algodio enfestado trancado para
*:Coes a I .-50JO. dito liso finfp.st.nrln n onn
lencoes
o anteo.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
\ endem-se cassas francezas para vesti-
das de senhora a 240 e 280 rs. o covado
MADAPOLAO ENFESTADO A 35300.
\endem-se pecas de madapolao enfes-
tado a 3|300, dito inglez de 24 jardas ou
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 30 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 25500.
Vende-se casemiras de cores a 25500 c
3;5000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30000.
Vendem-se chapeos de sol. de alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda a 105 cada um
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para calcas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
22 metros a W. U, Wu, 9 ^ 7SSgV5& P^a e
- ^ LANZINHAS PARA VESTIDOS A Kd?.* hmCnS men"S 32
v,n -V ^- MUSSELINA BRANCA A 500 RS '
\cnde-selanzinhas para vestidos dse- Vende-se musselina branca a 500 rs n
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o covado, dita de cores a 440 o covado
BANbE PAR V VESTIDO A 500 RS. a BtiJA *" ** ^
. -,^nde;s,eAbarc,*Jdt l,stas Para vesdos TARLATANA VERDE A 320 RS
!rm.n ',0 cva ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A 320 o metro.
5 0 rs. 0 COVADO. Lencos brancos a 20.
_\ endpm-se alpacas de cores a 500, 640 Vende-se lencos brancos a 2 a duzia.
e 720 rs. o covado propna para vestido de Gollinhas e manguitos para senhora
ara. 500 rs
vh SeEDA? D C0RES A U- Dilas de ,inh0 ^o a *, Para aca-
\ ende-ae sodas de cores para vestidos de bar.
nliora a U o covado. GRANDE SORTIMENTO
PORCAO DE RETALHOS. DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QCALIDADES
J tt> TJT*0 8 reta,1,0Sf dG CaS" Vlnde-SC a rOUPa feila Pr menos 26 ou
nt'mn'u, hLtii C de UtraS fazendas 30 cenlo do que em outra casa: por
P vSSps Pref0- u i3s0 os P'-elendentes podor5o vir examinar
rn i v nVIrvuenacabem- Para ver a realidade do annuncio.
vJ*t* ?Ph* $ 80P RS- Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
\ ende-se chaly de listas de seda a 800 rs. acabar.
v>J: i,l a ASSA K>}*- Vendem-se baI5es de 20 e 30 arcos a
\ ende-se ctales de cassa a l&, e de me- 10500 cada um, ditos modernos a 4.
VnTF npil ^n do 5WM HAMBURGO A 80000 A PECA.
vI 5 lh A525?,R?- u VeQdera-se Pecas de brim lizo de Ham-1
\ endem-,e cortes de laa de bstra para borgo a 80, vem a ser mais barato do que
vestidos de senhora a 20400 rs. para ac- algodSosinho.
blr- CORTINADOS A 140000,
. ALGODAO A PECA ifiOOO. Vende-se cortinados para cama a 140
de algodo a 40, 50, 60 para liquidar. Ditos para janellas a 70.
***Peca E muilas outras cousas que! Todas estas fazendas se vendem muito
w enfadonbn mm-,>nV. I barato na ra da Imperatriz n. 5.
Pentes volteados para menina
senhoras a. .
Thezouras muito finas
unhas e costuras a .
Tinteiros com tinta prela mnito
boa a 80 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. & .
Pecas de fita branca elstica
muito fina a...... 200
Novellos de linha com 400 jardas 60
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a...... 20OO
Grozas de botoes de louca muito
fi'os a........ ice
0240
0120
0240
0700
0GOO
0320
0500
0320
0160
Superiores pentes do tartaruga para coques.
'- Emdos e riquissinios onfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas c de cores com vidri-
llios e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques do madreperola,
mnrfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos descnbos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Kscossia para se-,
nhnras, as quaes sempre se venderam por 305000
dnzia, entretanto qne ni as vendemos por 20-5.
alcm destas, temos lambem grande sortimento outras qualidades, entre as quaes algumas muito
linas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alin dustas temos tambem grande
quanlidade de oatras qualidades, como sej.im, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotiuhos de cadeia c
de outras qualidades.
Lindas e superiores lig:is de seda e borracha
para segurar as meias.
boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 12 annos de Malte.
Navalh;is cali de marfim e tartaruga para Euer
barba ; sao muito boas.e de mais a mais saii ga-
rantida!) pelo Fabricante, o nos por nossa ve; tam-
bem asseguram sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Sufieriores agulbas para machina e para eme.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para volUrete, assim
como os tcntos para o mesmo fin.
Grande c variado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais condecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magn ticos contra as convuls5es, e
facilitam a dentico das innocentes erianeas. So-
mos desde muito recebedores destes jirdigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afini de que nunca faltona no mercado,
tomo ja tem acontecido, assim pote poderao aquel-
les que delles precisaran, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre cncontnrao destes verda-
deros coHares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se rendero com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista discbjectos que dcixamos
declarados, aos nossos fregueze-s i amigos a vircm
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
BAZAR UNIVERSAL
8Itua Nova2
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de lodos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposirao servicos a electos para almo-
Co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveispara
senhoras, candieiros para sala e cima demesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos,* ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, dilas de bataneo,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para erianeas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrado
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
Exlraciiin carais
Machinas a vapor de
forpa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
nsar algodo.
Bataneas para armazem e balcao.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de hit-
field. ,
Prencas para copiar car;as.
Fogo americano patent
Scbonete de alcatrdo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tio boa
acceitaeao tem merecido n'esta provincia, buco,
muito se recoflimenda para a cura certi
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias.de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu C,
34ra.larga do Rosario34.'
Este producto ah'mentacao para doentcs, mui
apropriada para creancas e para as pesadas saas ;
indispen-avel a todos, porin, principalmente aos
viajamos, que terao nelle o recurso de poderem
ter alimenlacao de carne fresca incsrruptivel, e
que com facilidade se aprompta c se conduz, por-
que n'um pequeo volume carrega-se aliincntacao
para muito tempo. Sonrctudo chama-so a atten-
can dos senhores de ennDhos que encontrarao no
EXTRACTUH CARMS o recurso de alimenlacao
agradavel, hygienica o barata para seus fmulos e
seus doenles.
Este producto fabricado pelo processo do dis-
lincto medico Dr. Ubatuba, no Rio-Grande do Sul,
que acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victorino de Ileiende & C, ra da
Cada, escriptorio n. oi, primeiro andar, venden-
do-so :
No deposito a roa da Cada n. 3.
as phannacias dos Sr<. :
Mano'l'-Alves Barbosa, mesma ra n. 61.
Joaquim de Alineida Pinto, ra larga do Rosa-
rio n. 10.
Antonio Mara Marques Ferreira, prsca da
Boa-Vista n. 91. v
N. B.As latas que contem o extracto irazcm
urna guia para seu uso.
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de urna efficacia verdadciramenle ma-
rayilhosa como calmante do systema nervoso
applicado contra a paralisia, asthma,
tosse convulsa ou coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, suffocacfas, calharros,
broncneos, etc., e em geral contra todos
os soffrimentos das vias respiratorias, e
na phtisjca pulmonar, sua virlude contra
o ttano ou espasmos, e convulsoes in-
contestavel, e ninguem ha que a desconhe-
nm Larga do Rosario n. 10, Pernam-
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
ceicao, em barricas grandes.
Novidade7
UVAS EMAgiAS
Chegaram no ultimo vapor d*.Europa, e acham-
se a venda no petit restaurant do Hotel Central
ra estrena do Rosario n. 4 A. ra,
Vende-se gela de m3o de vcaca em
quenos conos or
Cruz n. 13.
Jos Mara Palmeita contina venlerem seu
escriptorio, largo do Corpo Santo n. 4, 1 andar
Potassa da Hussia superior.
Lonas da Russia de superior qualidade.
Brinzoes da Russia de superior ualida le.
Cemento Portiand.
Dito Remano.
Pao de algodo do commendador Pedroso.
Vlnbo Boraeaux.
Loja de miudezas de Fefreira da CunhaA-
Temporal, ra do Queimado n. 63, est
quimando por todo preco :
Jogo de vispara a 400 e 500 rs.
Redes para coques a 240, 400 e 500 rs.
Linha da 200 jardas (duzia) 1,5200.
Caixa muito fina para p de arroz iS'oQQ.
Relogio de sol 20 rs.
Latas com banha 1G0, 200 e 320 rs.
Agua florida verdadeira a 1^300.
Agua divina idem 1400.
Gravatas prelaspara homem 4 Ors.
Pontos de Iravessa para menina 320 rs.
Olio philocme verdadeiro 1>200.
Aderecos de plaqu 1,5300, 2,5 e 55.
Mdas cruas para homem 3f>300 e 4;5-a
duzia.
Botoes enfeitados para vestido, 1200 a
duzia.
Leques do santol 5,5, cada um.
Dittos de madeira 3,5 cada um.
Coques de tranca, boa fazenda, 2,
2,5500 e 3,5 cada um.
Meias finas para senhora 4,5 a duzia.
Banha em frascos a 400, 040 e 1#200.
Frascos com extracto muito fino 25 e
2,5500.
Caivetes de duas folhas a 240 rs.
Sabonetes finos 80, 160, 200, 240 e
320 rs.
Olio baboza 400, 500, G00 o 800 rs.
Agua de colonia 400, 500 e 800 rs.
Carlas francezas 200 e 240 rs.
Caixa com extracto 2,5500.
Cartas portuguesas a 120 e 200 rs.
Pentes brancos com costa de metal
320 rs.
Ditlos pretos 200, 240 e 320 rs.
Galo de la para vestido (pessa) 400 rs.
Fita de sarja lisa e lavradas, l500,
H e 2,51500.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Ditto e dourado a 1)5.
Dttlas com envelopes 500 rs.
Caixa com agulbas francezas 1G0 c
240 rs.
Laa para bordar de todas as cores (libra)
60880.
Bonels para menino 10,2,5 e 2#>00,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
M ias para menina (duzia) 3,5 e 3&500.
Pecas de tranca liza e de corocol a 40 rs.
Sapatos de 15a para menino a 320 e 800,
Capellas francezas a 2500.
Facas e galfos, cabo de bataneo (du-
zia) 7;>.
Chicotes paracavallo 600, 800 e 1,5300.
Bengalla de canna 1,5, 1,5500 e 24.
Vortas para luto 500 rs. (cada urna).
Papel almaco, greve (resma) 1,5500.
emporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nanca, emporal contina a
vender na Bonanqa, pelo mesmo
preco que vendia em sua loja
A NOVA ESPERANZA
do Queimado 2)
Advertencia!
A Nova Esper?rra, ra do Qoeimiff
n. 21 tendo em deposito grande quanlidade
de miudezas, e como se apprcxima o tem-
po cm que tem de ser dado o balaneo, por
isso desde j;i previne ao respeitavel pnbb-
co, que est rcsokida a vender suas mer-
caduras peto baratissimo preco, para assioc-
diminuir a grande quanlidade das que
ten: assim pojs, venham os bons fregue-
zes, e os que nao forera venham ser fregue-
zes, em tempo to opportuno quando i
NOVA ESPERANZA convda-os pecbincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nic
falta aonde e a quem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer sem
pre primar em nos remetter objecto dt
gosto e perfec2o, e ella (loja da Nova Es
peranca) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanza ra do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j linha
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brincos da
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos gallpes, franjas e trancas .de
seda e de 13a, para enfeites de vestidos.
Botoes de todas as cores e moldes Boyoi
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidriliios sendo com
pengentes e sem elles.
Boloes pretos com vidrillios com pingen
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me
nios.
. Delicados leque de madreperola, mar
fim, osso e faia.
Espartilbo simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento d
miudezas ra do Queimado n. 21, n;
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magntt:
eos contra as convulces das
creancas.
N3o resta a menor duvida, de que muito
cellares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitci
pas de familias nao creem (comprando-os;
noeffeito promettido.o que s pdem dar
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, porft
que detesta a falsificaco principalmente nt
que respeita ao bem estar da humanidad*,
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que s3o ot
verdadeiros de Royer, que a tantas creap-
Cas tem salvado do terrivel incommodo i*
convulces, assim pois preciso, qu te
nham a Nova Esperanca a ra do Queimad<
n. 21 comprarem o salva vida, para sena
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ento ser ;'..
fficil alcancar-se o effeito desejado, embor:
sejam empregados os verdadeiros collares
de Royer.
3 cordeiro previdente
Ra do (feucimado a. 16.
Novo c variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que cjectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se tena
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
lade, qualidades e comraodidades do pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciara
Jo respeitavel publico em geral e de i\u
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conbecidamansidi'
i barateza. Em dita loja encontrarao os
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, l'ran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservac5o do
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparento
8 outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
pq de vilela.
Oulras concentradas e do cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocme verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
om escolhidos cheiros, em frascos de diffe-
rentes tamanhos.
Saboneles em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
com titulo de emporal.
CEItlE.lt
Vndese cerveja branca Bass a melhor do mer-
cado e engarrafada por E. & G. Hibbert a 7f a
duzia na ra do Commercio n. 2i, armazem de
pequeos copos" por 240 r? Eduard Fenton, onde tambem ha a venda ci
yui -*u ii. ua rna a a preta do afamado Barclay, de Londr,
i duzia.
Para cabriole*
Vndese nm rico cavallo, bonita estampa, gordo
e manteado, muito trotador, bom de cabriole!; na
cocheira do Thomaz, ra de Santo Amar?, defron-
te da estacao.
a 8*000 a
GAZ GAZ az
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster A
C., roa do Imperador, nm carregamento de gaj
de primeira qualidade; o qual se vende em partida-
e a retal ho por menos preco do que em outra anal
quer parle. 4
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos saboneles imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com. p de arroz
a boneca. -
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
ros e bonitos moldes com filets de vidrilbos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
est2o todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfee3o.
Ff relias e fitas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec
ios, ficando a boa escolha ao gosto do com
prador.




MI^BH
Diario de Pernambuco Quarla feira 22 de Selembro de 18G9.
1
I
Resta venda um escolhido sortimento de ob-
jectos de marcineria, como sejam, raobilias de Ja-
caranda, moguo eamarello, obra nacional e estran
geira, de apurado goto e porpn;oi razoaveis:
na ra cstreita do Rosario n. 31 Nesla mesma
casa fazom-sc com perfeirao iodos os trabalhos dt
pathinha, como sejam, erp'lhamentos de lacroi
paramunas, cadeiras e sophs._______ _
m Mi ~
Torneiras para passagem d'agoa, do diversas
frossoras: ua ra do Qoeimado, Azcvedo 4 Ir-
m>.
A ra do l.ivramento n. 0, contina a ba-
ver para vender por procos rasnaveis, o
melhor viulio verde ate h"je viudo a este
Morcado.
Grivatiis patrio icas.
I'i'l ullinio vapor chegarain de eneommenda
c.-peeal grvalas brasiletra*, aure-verdo para os
prximos festejos da conclii-ao da guerra. A ven-
da em casa do cabellereiro Jayme, na ao Qnei-
mado ii.
EM CONTINUADO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
8(Daoa aa aiai?aaa?ai2-o* m
.DE
FLIX PEREIRl DA KILVt
O propriclario deste grande estabcleciniento tendo sido o arrematante da
oja denoaunauW/lD/.l/ DAS DAJAS= ra la Iniucratiiz n. 36, e nao 0utr5s conforme aquellas, proprias para
) sido possivel, na mesma loja, concrar a liquidado da grande quanlidade de JcnhQrij-
i'.araote-sc a rasa, porlanto faz
conta. Restando apenas algumas
nni-cadorias e armario da liqui- <
daeio do armazetn da loja roa k
Nova n. (io, faz-se scienio ao pu- Cfl
blico interessado, ipie liqaida-se a g~S
armaeao o mercaduras existentes ^-fi
anda no dito arinazeni, e por eon-
seqoancia negocio ineonlesta- $
velmonte vantajoso, visto que se H
garante a casa : quem pretender 2
dirija-se a tratar uo mesnio arma-
zem.
LIGA
m-m

Vende-se verdadeiro cimento; na ra da qualquer peca de obra, com a maior promp-
Madre da Dos
Marlins de Barros.
n. M,
armazem de Joao
Ra do Imperador n. 26
Neste estabelccimento se encontrar diariamen-
te um compiti sortimento de pastearla de tB las
as qualidades para lanche e sotTO-TOesa, etc.. Ule.,
bolionos de todas as qualidades para cha, presun-
i a de fiambre, bolos inglezes, padins, e finalmente
ludo <|ua consiste em urna boa pastelaria, com a
maior asseio c esmero, cha hysson, preto e ni'vli-
clio do mellior que ha no mercado. .\'e-ta casa
tecebem-s.' oncommondas para casamento?, bailes
baplisados, compremettendo-se os donos do es-
a li.'lecimenlo a ser-ir o melhor que for possivel
a vontade do freguez, dispondo para 63* lim de
um completo pessoal. Heeebe-se avulso loda e
qualqucr oiieommoiida, como sejam, bandeja-,
bolos e paes-de l decorado, doces d'ovos, seceos
. de calda e crystaljndos, fractas nacionaes e es-
iranjiras, amendoas confeala*, um completo e
liado sorlunento de eamnha de lodos09 gestos
- precos, para mimosear sentaras ; estas eafxi-
nhas 'recntenteme Chegadas de Par-, -ao de pri
morado go lo, offerece muas aos galanteadores do
ello sexo, pois nellas acharan um digno e serio
nte |iara as donas de sen- peosamenl
res, vinhos linos de toda- as qoalidades, conservas
ldinolhos em latas, o- donos de-te esiabele'imen-
es nao se pjupinlo di-|i".i-, fazem tilosos
otorcos para servir o respeitavel publico o me-
b ot que for possivel, e sendo principiantes 8 lu-
canJo com todas as dmculdades, esperam a COO-
eorrenria do respeitavel publico desia capital, na-
cionaes e estrangeiros. Pcehincha : legitimo vi-
nho muscaiel em caifas, que se vende porcommo-
do preco para particulares e para negocio.
exlincla
Ihe tendo
fazendas que ali existiam. pelos poucos das que leve at entregar as chaves, vw-se
obrigado a passar a maior parte dessas fazendas para o seti estabelecimento, o=PAVU
onde o rcspeitavel publico encontrara um gratule sortimento das melhores- fazendas de
linho, la, algodao e seda, que se llio vender multo mais barato do que cm oniaa
qualquer parte, com o fim de apurar diulieiro, e as pessoas que negociam em pequea
escala, tanlo da praca como do matto. nesta casa poderlo fazer seus sottimenios em
pequeas ou grandes porcoes, vcndendo-sc-llies pe'ns precos que.se compram, ns
casas inglezas; assim como as exceilentissimas familias podeio mandar buscar as amos-
tras do todas as fazendas, ou mandar-se-lia levar pelos caixeiros da mesma loja cm suas
casas; o estabelccimento se acha constautometile aberto das 6 horas da manlia s 9
da noite.
Explendido sortimento de punchawvmqw*mam*
TOllpaS fetaS Vends-se urna grande porcao de csta-
NA LOJA DO PAVAO RA DA meulia mesclada, proyria para vestidos de
IMPERATIUZ N. 60 escravas, camisas e calcas para moleques,
Acba-se este grande estabelecimento com-; sendo urna haeod escura trancada e multo
pletamente sonido das melhores roupas, cncorpadaj pelo barato prego de 200 rs.
sendo calcas palitts e coletes de'casemira,,o covado, fazenda que semprc se vndeu
de panno, de brim, de alpaca, e' de todas por muito mais dinheiro.
as mais fazendas que os compradores pos- Cortinados
sam desejar, assim como na mesma loja Para camas c janclias.
lem um bello sortimento de pannos casemi- Vende-se um grande sortimento aos me-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer Inores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se veo-
dem a 12,-SOOO re. cada par at 255000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pcrpirs (\ti SIvt
BALOES modernos e saias de la
Na loja do Pasito vende-se os mais mo-
dernos balees reguladores tanto de musse-
lina como de la de cor, c as mais moder-
nas saias d 3 laa enfestada, mais barato do
que em oulra qualquer parle.
SULTANAS
Chegou para a toja do Pavlo um grande
sortimento das mais lindas sultanas, para
vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
com listas de seda c os pautos mais novos
que lem vindo a es'e mercado, vendendo-se
a I5i00 o covado, na loja de Flix Pereita
da Silva ra da Imperatriz n. 60.
ORGANOY BR.VXC.O.
Vndese o mais moderno or^andy branco para
vestidos com Mras largas c miadas, assim como
una grande porcao de canibraias brancas, lapadas
e transparentes, tendo das mais baixas deiOOO a
peca, ale as mais linas de 10 ou 12-SOOO, todas
estas cambraias.se vcndeuijnais barato do que oin
cutra (inalquiT parte.
COLCHAS DK FUSTAO.
Vendcm-se colchas de ftistao brancas e de cores
por preco muito em conta, na loja do Pavao.
ORGANDY DE COR
A ;IG0 rs. o aovado.
Vendom-se bonitos organdys de cores com bo-
nitos padroes e fixes a :I60 rs. o covado.
CAMISAS PARA SEN'Hi'RA.
Vendcm-se finissimas camisas franeczas borda-
das para sabara*, na loja do Pavao.
BAREGES A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavao nm grande sorti-
mento das mais lindas baivges transparentes (odas
de laa, proprias para vestidos e roupas para me-
ninos, sendo c. na asmis vivas, con*, tendo de
listras, qnadrinlios e lisas, e vendem-sc peto tarar-
lo preco de 500 rs. o covado, nicamente na loja
do Pavao.
AS CELERAS DO PAVAO.
Vendem se a? mais linas cetozias, esgniojs e
brelanba- de linho por preco muito era conta.
&G CtUEtMAfcS
^fit
de novidade-
superioridas
A AGUIA BRANCA lem convicio de que a abundancia de objectos
em sftl constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a
de de qualidades, e a limitaco de seus precos, eslo na op ni5o do respeitavel publico
em gera!, e na de sna boa freguezia em particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever cientilicar a todos, da recepcao d'aquelles olijectos que eslo alm do commum,
como bem sejam
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, con tendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
mando abertas.
ATTENCAO
Grande e til no-
vidade.
Tab'lhs comparativas dos pri.*oa de !
qualquer genero de peso palo antigo sys-
teina ao moderno MTRICO DECIMAL,
Irabalho boje de grande ntilidaoV, por-
que com nm simples golpe d" rista v s-
se a rclacao do preco da libra on da ar-
iM mba conii o kilogra'mnia sem se perder I
f|jjj nma s fraccao, poupand as-im o tra- i
j3 balbo de fazer o calculo e evitar de -i '
5 os engaos. Estas taboll.- s3 i ll < in- ;
a dispensaveis a todos que negocia:n
^g algodao, assuc.ir. conros xarquo, mo-
| Ihados ferragens e todo qualquer genero
asa artigo de peso. Alguns exemplares
_ que restam, vende-se ra do Crespo
|| n. 18, loja dos Srs Andrade & Mello,
{M Madre de Dens n. 21, armazem do 9r.
'S Aniorim, o Vigano n. I, primetro andar. S
Novidade !
Para baies
Ricos cortes de tarlatana bolladas a
seda, com o campo prateado, fazenda do
ultimo gosto; tambem ha sutim branco e
de cor (Macau) para assombriado $$
mesmos.
Para baptisados
Ricos enxovaes de cambraia branca bor-
dada com todos os pertences.
Para casamente
Ricos orles de olond de seda com as
competentes vaas capellas; tambem ba
moreantique, gorgor5o e grosdenaples tudo
branoo para o mesmo lim.
Para passeios
Rico* cortes de seda de cor e cretas,
edas de todas as qualidades, pelerinas de
l de seda ultimo gosto para hombros das
Exmas. Sras. fejtmes de guipa brancas e
pretas ultima novidade, poupelinas de seda
o linho, csapelioas pretas enfeitadas de
cores, penteadores, caraisinhas, saias bran-
cas bordadas, punnosegnlinhas no mesmo"
gosto; sintos de seda de cores e pretos
ultima novidade em Pars; finalmente
ontro9 mtiitos artigos fte gosto, os quaes
se tornara massada pitb!c*-'os Por serem
de mtiitas especies. Receoem e aovidades
por todos os paquetes, tudo ,"icscrito se
encontra na loja do Paco-, a ra o Crespo
n. 7-A.
lidio vontade do freguez, e nao sendo
obligados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodao e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualqucr parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
l2gpartillio a 34000 na loja do
Pavo
Vende-se urna grande porcao de esparti-
Ihos modernos com o competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendcm-se a.3$ cada um.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A i800
Chegou para a loja do PavSo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porcSo de
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 1(5800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muilas ap-
peaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcao de cera dei
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas musselinas de
cores a r>00 rs. o covado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaqoinhos de seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
feitios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muito em cota.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico neste estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de la de
(odas que tem vindo, proprias para luto, conm
-cjam, lazinhas, alpacas lavradas c lisas, canlao.
bomhazinas, merino, ele que tudo so vende por
preco barat.
NOVAS RASQUIAS COM CINTO.
CbAgaram as mais modernas basquinas de pros-
denapie preto, ricamente enfeitadas, sendo de um
iVi'.iu inteiramente novo.com ricos cintos largos, e
vendem-se pir proco razoavel
CASSAS FRANCEZAS.
Vende-so um elegante sortimento das mais finas
e mais modernas cassas francezas que lem vindo
no mercado, sendo com padroes miudinhos e
grandes, e vendem-se por preco milito em conta.
as sedas do Pavo
"Altas n rrModes.
Pelo nllimo vapor chi-garam para loja do Pa-
vao, que vende mais barato do que em outra qual-
que1 parte, as sedas seguintcs : poupelinas ou
gorgoritas de linho e seda, com os mais delicados
pidrSes, sedas de listras, padroes inteiramente
n >vns, groz de todas as area, sendo verde, azul,
lyiio, rosa, cinzento, ele, setins, branco, azul,
verde, rdxo, lyrio etc., etc., assim cmo um gran-
de sortimento de grosdenaples pretos de todas as
qualidades, c superior gorgurao preto de seda
para vestidos e colletes.
AGIUCIANAS.
Bartholomeu & C,
Veode-se um balean erabora es/ado,
propro para estabelecimento por
commodo: d ra da Cruz o. 13.
prt.
co
Chegou esta nova fazenda c m o nome de Gra-
cianas, sendo de una s cor, lyrio, roxo, verde,
azul, etc., etc., e muito encorpada, com lustre pro-
priamente do seda, sendo melhor e mais moderna
que. este anno tem vindo para vestidos, c vnde-
se pelo barato preco de 2$ o covado.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavo.
Chegou pelo ultimo vapor um grande sorlimen
to das mais modernas o mais bonitas alpacas la-
viadas para vestidos, fndo entre ellas algumasque
fazem a vina propriameele de seda, c vendem-se
por precos muito cm conta.
VlNHO, PlLULAS, XAFlOPE E TlNTURA
de jt'rubeua simples e ferruginoso;
Oleo, Pomadas Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & CA
Pharmaceuticos-Droquistas
PE1W.4HBUCO
A Jurubeba : esla planta hoje rcconliecida
como o mais podcrosii tnico, como o mellior
desobslruenle.c como lal applicaiJa nos paecimentos
do ligado e iiaco, hepaliles, duresas, tumores inter-
nos e especialmente do ulero, hjdropesias, erysi-
pellas, etc.; e associada ao ferro til as paludas
cores, cbloroscs e hila de mcnlruaco, desarran-
jos do estomago, ele, e o que diaemos alteslao
innmeras coras importantes oblidas aom notaot
preparados j bem conhccidos e asados pelos mais
disiinctos mdicos do paiz e Portugal. Em todos os
nossos depsitos distribuimos gratis folbetw quo
melhor fasem conhecer a jurubeba seos resultados
e applicacao.
Outras roachetadas, com Ihcsouras e os
mais necessarios domados e demadrope-
rola para costura, obras de apurado gosto
e pe feicjio, proprias paro un bello pre-
sente, fendo algutnas com musha.
Estojos ou carteiras de ecuro com nava-
lhas, e os mais necessarios para vtagens.
KCOVAS DE MARP1M
Para unhas, denles, cabello e roupa.
Outras de balea com macbetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentcs, canelas,
didaes, brincos, allinetes etc. etc.
Ricas capel'as com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofacs de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
genies para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
seiin dourado.
Boloes com ancora, e P. II. para fardas:
e colletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de|
prata dourada, para colletes, cada um .*>>.
Boles de cristal, encastoados em prata,
para piuilms, \i> o par.
Camisas de flanella para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecido do borracha, para
quem solTre de incharao as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labvrm-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
peonas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, (te.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
para segorar costaras, tendo almofadinhas,
de velludo pan agulhas e allinetes.
Thesouras il(5 duas, tres, quatto e cinco
pernas para irisar babadinhos.
AGLLIIAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Ntin-plitsttlim, merece a Aguia Branca as
honras d"um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
eslima por sua apreciavel qualidade.
Al agora nada se tinha visto de tao bom
em lal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundaro
asfalska.las para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a inflnidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria senao impossi-
vel ao menos iufadonbo por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pedo aos que de novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e-a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquegam de comparecer loja d'Aguia
Branca na do Quemado n. 8.
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
SDLiO DOS SANTOS ft C.
Os proprietarios deste bem sorlido armazem de seceo e molhados, parlecipam
aos seus numerosos freguezes, tanto desta pratja, como domalto e igualmente aos ami-
gos do bom e barato, que teem um grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
dorias e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
menos preco do que em ouln qualquer parte, por ser maior parte destas mercadorias
compradas por couta propria, por isso quem comprar al a quantia de lOOj, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
armazem.
Para forrar casa.
Vende-se boa alcatifa polo barato prego de 900
rs. o metro : oa ra do {mamado n. 31, loia de
A. M. Rollm & C.
GUltGHO PRETO.
Chegou para a loja do Pavao o mais cncorpado
garaarao de seda preto para vestidos c colletes,
goa se vende mais barato do que cm outra qual-
"UjrPar,- MADAPOLAO l-UANCKZ
A 7O00, s o pavao.
Vendem-o pega* de madapoln francez com 22
metio.ipclo barato prec,o de 7000, dito onfestado
com 20 jardas a 7*000, assim como finsimos ma-
dapoirics francezes e inglezes, ditos d.- Jardas, qoe
c wendem mais Inrato-do que em outra qualquer
parle, por liaver grande porcao
AS CASSAS DO PAVAO
Covad a 300 rs.
Vendenwe fini L)i desenho *; a 3W rs. o covado.
CHITAS BARATAS
Na loja o'o Pavao
Vnde-se urna grande poi'.'^o de cllias escuras.
# cJara, to corea flxas, por pi^JW queadoramn
G20 rs. o kilogrammo, em porcao ba aba-
timento.
BOLACIIINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a te 15400 a lata.
VELLAS DE ESPARMAGETE 70 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PIIOSPHOUOS DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, a 280, 400 e uGO rs. o masso,
30200 e 6o00 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CAGIIINIIAS
DE MUITOS TAMANHOS 3500, 5^500
e l-> a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 100 rs
o masso de urna libra, e era caixa ha aba-
lmenlo.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA 1NGLEZA MARCA II 5
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BAS3, VERDADEIRA I1ILERS &
BELL, 800 rs. a garrafa e 93 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS lAoOO, 1000, l*5e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 1-3 e 6# a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE URANIA DOOE AROMTICA,
II3 a frasqueira e Ir? o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES, a
35, 45800 e 26400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 11^500 por
14 kilogramraos.
CHA FINO, GRADO E MIL'DINHO os
melhores que ha no mercado, 3# e
3200 a libra, 75080 e 6^540 o kilo-
Na phannaoio do I'inlo ra
Larga do Rosario n. lOjun'o
aoquartel do coi-podo poli ca.
Acham-se constantemente promptas ;i to-
rem satisfeitas, as prescripros dos Sis.
facultativos, e as necessi.lad, s dos enfa
mus, as especialidades.da raesma phatHHi-
cia, composlas de medicamenti s, tanto in-
dgenas, como cstrangen s.
Tosse e molestias do
peito.
Xaropes de fedegoso. rabo de lal. A: i S)
pao Cardozo, juca, mulung, mutambu", v[>.
etc. etc.
Rlieiinmtismo e molesti
syphiliticas.
Arrobe vegetal, xaiope de SabaparrHfia
do Para, pilulas e xarope do veame, itt.-
tura e xarope de sicnpii.i.
DoeiKjas do flpdo e \\m. am ini>,
o|ilapilo ele.
Emplastro, oleo, potnniada, lintiira, p.i-
lulas, xarope e vinho da milagrosa JURU-
BEBA,
SEZOES OL PEORES l\TE!{.!ITE\TE>
Aa |iilul,is anti-perfodicas de Pinto.
nico deposito dest-s medicamentos ua
pharmncia do sen autor ra lagu do Ro-
sario n. 10, junto ao qoartel do coipo de
polica.
Yemio-so um Mirado de iluus andares, -o
na ra do Ilrum, frogu. m do S. I*<- ir > Goncalve^
n. 18, com bastantes eommodos. o dnas ca>inb*i
no fundo do mesmo sobrado, com frente para
caes, pereneoute ao mesmo, e as loja. da m
sobrado sao proprias para um bom estabelecimen-
to : a tratar no mesmo sobrado.
ESCRAVOS FINIDOS.
As autoridades policiaes e a
quem competii*.
No da 2) de mao do conenle a- no fu-
gio o escravo Esequel, ciioulo de 10 32
annos de idade, estatura regular, reforja
cor bem prela, cabera redonda, Irajava C i-
misa azul c calca de casemira cimenta; du-
ranle o da eostuma andar ganbado n is
ras, ou em armazens de assucar on na?
tabernas a conversar e a beber; ilutan e
noite rcLolhe-se a telheiros aberlos oo pe-
netraveis, a casas em conslruci.io c a ou-
tros quaesquer lugares onde se possa ama-
gar: quem o apprehender tenha a bondade
de o conduzir ra da Auroia ti. 'J(i, ondo
ser gratificado.
GAZ AMERICANO 93 a lata, a 400 rs.
a garrafa e 00 > rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 50 e
040 rs. a garrafa, a 4500 e 41800 a cana-
da, a"20e OOrs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 3# e
JfiSOO a caada, G00 e 640 rs-. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 7 > a caada, e 1 5340 o litro-
VINHO RUANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, ; ->500 a caada e 900 rs. o litro.
VINACCE VERDADEIRO DE LISBOA a
200, 2i0 e 30 rs. a garrafa, 23200,
15800 e MiOO a caada, 360 e 480 rs.
MAIEGA INGLEZA FLOR 3 1,5440 e
1^280 a libra, 3140 e 2^800 o kilo-
grammo.
DEM FRAXCEZA 960 900 e 850 rs.
a libra, e 2;>100, t980 e 1^870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, !f)400 o kilogrammo, em por^o se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR a
720 rs. a libra, o 1570 o kilogrammo, em
porc5o se tal* abatimento.
ARROZ DO MARAN1LVO E DA INDIA a
120 e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e .'J'SOO a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo. 8 63 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 63 e 63500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa ba
abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA- grammo.
IJIARIN E ALETRLV, 800 rs. a libra e DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 23700,
3750 o kdogrammo. 23500, 25200 e 23 a libra, e 5.5450 e
SEVADINHA E SAF 5 280 rs. a libra e 43180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, yinho era ^l^p"eto.nna!>
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, lmgu.cas- de Lisbto,mariiiela^ con
servas gela de marmello, pecego. ervilhas, pe.xe em "a. ^inl as de Nantes,
vinho veSe engarrafado, pomada canda, cravo, ervadoge, com.nho P'^e" ^ 8' **&*
molbos de sebolla 00, fioalmente mu.to ma.s gneros que enfandonho e
mencionados.
rngiram do engwilio FTrmeu
do termo ila Escada, i:a noite da
10 para 11 do corrate, dous pf-
cravos nuilatus, OS q..-1 ful i ti
comprados ao Exm. Sr. bario de
Nazarotb lia 16 dias ponro m i-
ou menos, pendo Jnio, ioade de
Uu. fjjTatjli ^ a 3- annos, b< m barba lo, pti-
loa cabelludos, tem os dedos dos pos, Uto i
minimos curtos e quasi qne trepam um n<' nutro,
tendo todos os denles de frente, culpo regalar e
leva chapeo de conro de sartanejo, caica atol de
algodao que llie chamain pelle doea e cobelli i
de baeta escura emaisalguma ronda, foi escravo
do Illm. Sr. lenle-coronel Agosliiiho Corroa '
Mello, de Onricury, o outro de nome Pelix. c: -
bra, alto, bom corpo, idade 3 annos pouco m..^
ou menos,Tevou chapeo de couro calca azul de algodao que Ihe chaniam pelie do-
ea c cobertor do baeta escura, foi escravo do
Illm Sr. Eduardo Pereira de Soma, da provincia
da Parahyba, que o venden por seu procurador o
Sr. Jos Lopes Alheiro ; quem o apprehender o
levar ao mesmo engenho Firmesa ou no Reciten i
escriptorio de Domingos Alvcs Matlieus, a ra do
Vigano n. 21, sor generosamente recompon
.\'o dia lo de agosto ultimo fugio de casa do
Sr. Dr. Joao de Hollanda da Cunha, ra de Hem-
tiea. na Passageni, n. 48, onde se arhava alo.
o moleque Francisco, crenlo, bastante p eto, do
15 aunes de idade, com nm tignal de qiieiniadura
no hombro esijuerdo, irajava calca e jaquelado
brim, consta que se acha servindo em loja de m-
palhador, de que oDlcial, ou lingindo que ;
tende apronder esse otile o, pelo que st protesta
contra quem llie der agasallio ; quem o anpri'hen
der, queira lvalo ra da Aurora n. 26, quo
ser gratificado. ___ _______
Muita attenco
Fugio no dia 29 de junlio o escravo Ham I, do
nacao Angola, idade 50 annos. pouco mais uo me-
nos, com os signaos seguintes : falta de denles i i
frente, andar vagaroso, nemas linas, marcas de be-
xigas, levoo calca e camisa de iiscadinho, c!
de pallia novo : roga-se ao- senhores ea
campo de o prenderem e levarem-no roa Din
n. 16. que serio gonerosamonte gralificadus. i
conlia-se que anda pelos engenUos do Cabo.
Fugio no dia 1" do correte, do engenho
Duas Doccas, sito na freguezia do llio Pormoso, j
escravo cabra claro de nome Saturnino, sendo .sec-
eo do corpo, alio o fallante, ps bem fritos, vejo d i
sertiio doPiauc e foi venuido nes,a piara im
julho prximo passado pelo Sr. Pedro Jorg
Silva Ramos, esuppi3e-fe que fneio para o mese i
serto, levando calca e camisa de algodaozinho,
chapeo de couro e um matuliw de conro ile ove-
Iha .com alguma roupa : jwr isso pede se as auto-
ridades policiaes e capitaes decampo de ocap-
turar e entregar uo mesmo engenho ao seu seolM t
Sebastiao Antonio Accioly Lins Wanderley, 00 D i
Recife, ra da Moeda n, 5, i andar, escriptorio d-i
Manoel Alves Ferreira C, que serao generosa-
menle recompen-ados.
Jos Joaquim da Costa Hala & C, i ra do
Crespo n 6, acabam de receber um granan sor-
timento de podras maririnre, como seji tijolos dei
diversos tamanhos, laminas, saevadas, suieiras e
degraos, bem como lalbas de ierro galvanisado
de diversos lnianlios, que ludo vendem muito
em conta.
---------,
Fugio da casa do abaixn assii i
o sen escravo ue nome Eugenio, eii-
oulo, idade 8o anuos, pouco n
menos, estatura regatar, cor
cabera calva, barba mesclada, teio
marcas de bexigas, pernas Unas, eotllnla-se forro,
foi escravo do engenho Cantina, e suppoe-se an-
dar para as bandas d l : ffiieni o pegar leve i
ao hotel do Universo, ruado Trapichen.:', quo
ureber 50* de graliticacao.
Medtric Arnoult.

Attenpo.
Vende-=e o armazem de molhados da ra dft
Imperatriz n. 39, por seu dono retirar-. afreguezada para a Ierra, e livre de qualquer cut :
quem a pretender polo dirigir-so mesaia, o ki
ter as ini"oni!:H;de> qne preciar.
Na ra do Vicario n 19, oscriptorw de T. de
Aquino Fonscca it '.. vendo-se mercurio, vinho
engarrafado MEIlElfES, amrelas especiaes.
de Lisboa, cora cm velas, chapa gao fl :"gnac, car-
vao animal, vidros em caixa?.
AHENGAO
Nonrm la .".ia de Apollo n. 28 ha para
fc-eader um iba ou palanquim eom todos
,3 perter.c-, cm muito bom estado, e por preoo
commodo. .__________________j
CICARREIROS.
No armazem n. 18, travessa da Madre de Dcos,
vende-se pape! da seda para cigarros, marea muiui
grande, o superior qualidade, por proco commodo.-
Vende-se um escravo moco e de bonita tigu-
ra, pedreiro da loda obra, e perito om assenlanaon-
to de engenhos, e muito bom cozinhen:o : na es-
trada de Joao de Barros, sil o n. 29.
cli tonl-purgatlTo e depurativo
4c Chambard.
Composto das plantas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o cw
toni-purgativo de Chambard possue um gosto sabo-
roso e um aroma suavissimo, c as propriedades as
mais notaveis sobre os embaracos do estomago,
dos intestinos e do figado, o desob-*truonte por
excellencia na constipacao do ventro, e nilo tem
resguardo algum. Depurativo especial c directo
das bilos e dos humores, refresca o sangue depn-
rando-o.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia do Bartholomeu i C, ra larga da
Rosario h. 34.
Urge.neia
Gongalvos 4 Teixeir.i tem para vender travs
da qualidade om it) palmos da comprlmcnto c
12 pollciadas de grossura : na esqmaa da roa
da Penha n. 8.
AVISO
r
Fugio em dias do corrate mez do engenho
mentel, o escravo Silverio, preto, de 20 ann
idade, rosto redondo, altura regular, com um
queno liueo de barba, tesla pequea, falla
caneada, quando falla volve os olhos para ci >,
este escravo foi comprado ao Sr. Jos Antn
Albuquerquo, da cidade de Goyann i, para
talvez tenha seguido : pede-se todas as ni
dades a sua captura, e o oonduzireii ao reeri
engenho ao son scohor Francisco de Padl*
buquerque Lima, ou a ra do bnpcradoi1 :
primeiro andar, que serao generosamente re.
pensados.
' '


8
Diario de Pernambuco Qunrta feira 22 d de Setembro loco
ASSEHBLfii &ER4L


CMARA DOS SRS. LEPUTADOS
SESSO EM 9 DE AGOSTO
PRESIDENCIA DO Sil. -mas.
(Coufiutacr
Ko fn o gabinete d 10 jalbo, Nao,
senbores; este ficto pass< va-so muito pen-
co depois da sua asconso i costme ca
antigo. Em 187 na ParanybJ o subdele-
gado di Alaga-Grande, orondeo ubi indi-
ridn de nome Betarmino, e~o coasorwu
mado 20 e tanto.-; rifas, emquant 80 Ihe
instaorava tuq monstruoso pr icesso de lio-
' ibl julgado ioo enredante por
falta do prova.
No Cear, cu invoco ainda o leslerauuho
muilo digno de f do nobre sonador pela
miaba provincia, o Sr. Pompeo, no Cear
se remetteu do Interior coai > recruta nm
individuo que era cscrivao da rendas, com
um par de algemas de (a-i--, (bitasexpres-
amente para elle, e pesando 10libras! O
presidente de cnlo limiiou-se n mandar
?ollar a victima. Esl '.reme n, 2307
de "81 dtrfcvcrciro de 1KG7.
0 Su. Jaoiarihe : At offi '.es da guar-
t \ nacional do Cea: i foram levados alge-
!i ad
Q Sr. Ministro da Ji .: -Era S. Pan-
to remettido de Ubatnba para a capital,
lo 50 leguas, um individuo alge-
mado, aoqual, saibores, nem ao menos se
davaa'imenugio. Teve o misero deesmolar
polo eaminho para subsistir, para nao mor-
i i' i fome.
' Su. Joao Mi:\i>i:s : Apoiado.)
O Su. Ministro ba J \ :Finalmcn-
a prova do que loi o partido
progressista quem officialmente introduzio
as algentas no pan ? Vede as contaa do ar-
enal de ierra de Pernambuco durante o
anno de 1807, c l veris os pares de alge-
mas que foram fornecidos a polica.
OSa Joao Membes : Para S Paulo fu-
ram eaixoes.
O Si:. Cauz Mu; hado : -- 111 lugares em
oue na v&pera da eleigSo o sulidelegado
razia exposico de um carregaincnto deltas,
como em S. Sebastian, no Seno,
illa outeos apirtcs).
o Sit. Ministro da .):.-.,.:a:O que re-
sulta de ludo isto, senhores? Resolta, eeu
pero a cmara que alien.la bem, resulla que-
na mesma fon te onde os fieles da opposi-
co forpra procurar as falsas accusai.es
que lancam ao najnisterio de 16 de agosto e
aos seus delegados, nao podaramos ir bus-
car esses a ootros factos raais graves, ac-
tos mais barbaros, mais minos. (Apoia-
dos ).
E a proposito, esqaecia-me de memorar
o faci horrivel de um velho octogenario,
que Jai na Parahvlia pisado a cascos de ca-
ballo pela escolia de um celebre major Jos
Vicente. E por que ? Pelo ftil motivo de
nao saber onde era o ranebo de una rapa-
ses prcurados como recrutas.
S mirares, preciso que tacamos m3is
iustica civilisaco biasi'eira. Estes fac-
tos, tacto acuelles de que nos aecusam,
como aquelles por c,ue eram to acensa-
dos os ministerios progresistas, nao sao
verdadeiros, ou quando muito nao passam
de excepcoes, sao crimes que se do em
toda a parle onde existan homens reuni-
dos em sociedade.
O Su. Corra : Qae devem ser estig-
malisados.
O Sr; Ministro da Jus :a:Sao factos
que as paixoes muito ardontes as peque-
oas localidades exageram, e aos quaes os
I;omens polticos, era posicio mais elevada,
de espirito mais calmo c superior, devem
dar o devido descont, (\poiados.)
O Sr. Pinto dc Campos :Pelo contra-
r.o, vm ser ergios de tudo isso no se-
nado.
O Su. Ministro da Jcstica :E' pre-
c so acabar com este svstema de recrimina-
i,-"'os. E' preciso repllir essas armas, que
que nao sao dignas de partidos governa-
me.itaes, de partidos (lustrados que plei-
tam em nao pai/, constitucional. Nossas
;>"inas, no governo como na opposico, de-
vem ser as ideas, es principios; com ellas
que todos havemos de triumphar peranle a
opiniao publica do paiz e do mundo civili-
sado.
O Sr. Pinjo nn Cautos :Mas contar a
bistoria nao recriminar; cssa historia
deve ser contada.
O Sr. Ministro da Jus^ica:Seeu qui-
zesse responder magistralmente ao mani-
fest publicado pela opposico e a todas as
a :eusac,oes que da tribuna se tem hincado
contra o gabinete de 10 de julbo, nao pre-
cisava recorrer os archivos, nem imprensa
daqnelle periodo, eu o poderia fazer ca-
balmente citando as palavras, do manifest
liberal de 1867.
O Sr. Croe Machado :Dos histricos.
Apoiado.
R Hiela a opposico nis consecuencias
trstema. f3j lia mullos dias o me.u
amigo, dejHit.nl,i pela provincia do
Paran, mostrou-iue um um jornal inglez
Poli Mull Qazete um artigo que era eviden-
lemente inspirado pelo manifest liberal e
l>eli! resumo de quanto ha de falso o odioso
na imprensa progressista, resumo que por
lodos os paquetes coslumam remetier para
a Europa.
O Sii. Joao Mkndes : Ainda agora man-
i) nma descompostura cnnlra o baro
ima.
O Sa. Ministro da Ji'stiga iMas, se-
nhores, nao se lembniram elles que i pedra
assim lemcssada doria bater de en::oniro
ao b :n senso daqnelle poro e reagir con-
tra a sua cabera. O artigo conclue por
esta forma: O pampblelo est eheio de
particularidades anlogas. O tcstcmunho
couegas
digno
do Sr. icarias e seus
de f, porque sen proprio partido usa e
lom usado da influencia do governo as
eleifiSes pelo mesmo modo. Este modo
a mashorca, a cruz e a palmatoria.
i ifelizmeote, senbores, nao sobre a ca-
bera ^a opposiro nicamente que recabe o
peso desle juizo, sobre a civisaco, 6
sobre a dignidade nacional e principalmente
sobre os crditos do paiz.
Mis eu tenh) f que a Inglaterra nos ha
de fazer justica, que ;i opiniao sensata de
sua i aprensa j i faz Justina nossa civilisa-
fSo. (Apoiados.) Ella, que tem-visio no sen
seio de quanto so capazos os partidos cn-
can I cidos pea paixo poltica, avaliar pelos
p idos de cxaltaciio de sua historia do que
se p;issa no nosso, com urna opposicSo que
opiOesna mira no descrdito do poder.
!! idiota a opposico que por este meio,
com semelhantes aecusaces, sem funda-
mento, apaixonadas, nao o governo que
ella desacredita, triio, senbores. nao o go-
verno que ella enraquece. O governo, ao
contrario, adquire urna grande forea, urna
forra inmensa, adquire tanto mais vigor
quanto a incredulidade, quanto o scep-
ticismo que vai ge-rando no espirito do paiz
essa linguagem anilcial da opposico,
(Apoiados.)
O Su. Finio Lima :Ninguem acredita
boje dsso que diz a imprensa.
O Su. .Ministro da Jlst.-;v : Daqui a al-
guna tempo, se a opposico continuar no
mesmo systema, o governo nao lera necessi-
dade de defenderse, nem aqui nesta tribu-
na, nem na imprensa, porque, senbores,
diante de qualquer aeeusaco, elle ter
razio sempre e inrariavelmente na incredu-
lidade publica.
lielli ta, pois, a opposico : com este sys-
tema ella se desacredita, se annulla ; e islo
um mal, senbores, islo um mal gra-
vissimo em lodas as phrases do systema
representativo.
Quando a opposii;o de um paiz se desa-
credita, o governo pe ludo, pode muito,
lorna-se omnipotente, e a omnipotencia na
sociedade, senbores, e a lyraimia. (Apoia-
dos.)
Urna das graves aecusares dirigidas ao
gabinete de G de julho a onam'midade
desla camaia.
Sunhores, esta accusaeao nao seria.
(Apoiados), Pois o soldado que foge co-
bardemente imputa ao soldado brioso
como um crime a sua victoria, seu tri-
umpho Nao abandonaran os liberaes o
pleilo eleiloral? Como queriam ser re-
' presentados nesta casa" Quando esse
i parlido fugio das urnas, desertou tambem
desle posto, desla casa. Apoiados).
Senbores, nao prejodica a nossa patria,
nao prejudica o nosso systema constitucio-
nal, nem os bros da heroica provincia do
Rio Grande do Sul, o facto de nao terem
sido cleilos depulados dous brasileiros que
se cncheram de gloria na campanha do
Paraguay: o conde de Porto-Alegre o o
visconde do Ilerral.
L'm liberal, creio qne o Sr. snador Ocla-
mal em
represen-
(Apoia-
meio admiltido.com) um recurso adiplado
em son paiz, essa uiflumcia pecuniaria na
ekieit.
Sj esle facto s: dsse e.n nosso paiz o
n5oera Inglaterra, com urna opposico como
amella que se levanta contra o gabinete de
IG de julbo, naturalmente se dira que
Stuart Mili linln sido excluida por inter-
venc5o directa de Disraeli, e que as gran-
des sommas despendidas para derrota-lo
n3o haviain saludo da carteira dos grandes
capitalistas do paitilo tory, mis sim do
cofres pblicos. (Apoiados).
Nao son sectario, Sr. presidente, das
cmaras unnimes: entendo que ellas sao
um mal (apoiados), como um
todas as sitoacoes do systema
lativo a ausencia da opposicSo.
dos).
Mas seja dilo em honra desta cmara e
do partido conservador, eu espero que a si-
tuado ba de (irmar-se, apezar desse obs-
tculo, que ha de superar essa difiieuldade.
(Apoiados). A forca da solidariedade do
partido conservador c tal que a unanimi-
dade, a mesma unanimidade nada pode
contra ella. (Apoiados).
Sou adversario das cmaras unnimes,
como lodos os homens que conhecem o
jogo do systema; mas esla cmara, como
j eudisse, unnime, nao por facto nosso,
mas por causa da deserco do parlido pro-
gressista. E' unnime tambem por outra
causa que eu assigualo partkularmenle a
esta augasti cmara.
A nanirin. a impotencia em qne se atlmu
o parlido liberal progressisla da-'te das
urnas, foi derida, sonliores. au grande
abuso que fez do poder. (V[>iap^>.
Por isso entendo cu que Btn |r>rtido
nunca se deve gastar no governo ; por isso
quando eu sentir que o partido conserva-
dor, qne mnu partido, nao lena o ap'io
decidida, da opiniao nocional, eu serei o
primeiro a dizer-lbe :
Dixai o poder, vamos regencrar-noa-
as emendas, c remettido a commissd
redaccao.
Entra cm 2* discusso o pr
mandando fechar aos domingos e dias san-
tilicados as casas de commereio na cidade
do Rio de Janeiro.
Aps algiimas observaces dos Srs. Mel-
lo Moraes, Taques e Goelho Rodrigues, o
projecto rejeitado.
ORDEM DO DA.
Contina a discnsso do projecto de
resposta a falla do llirono, com a emenda
apoiada.
Vem mais a mesa, lida apoiada e en-
tra cunjunctamente cm discusso a se-
guinte:
Supprima-so o periodo que comeca
pelas seguintes palavras: A cmara dos
depulados aguarda felizes succes3us; etc.
at o tim.A. Figneira.t
OS SRS. CORMIADEOLIVlilRA E A-
RAME NGUEIRA fazem largas considera-
roes sobre o movimento poltico das pro-
vincias que reprcsenlam.
%liscusso fica adiada pela hora. .
Dada a ordem do da, levanta-se a sesso
s o horas menos dez minutos da larde.
SESSAO EM i 1 DE AGOSTO.
PRESIDENCIA DO SR. NEMAS.
Ao meio dia feita a chamada, verii-
ca-se baver numero sufficiente, abre-se a
sessao.
L-se e apprva-se a acta da antece-
dente**
O Su.
guinle
V SCREr.\Rio, d conla de se-
\'ft\ oflicio Io secretario do senado.
commonicahdo ter fonsldo ao m?sino se-
n;dov que S. M. o imperador consenle no
decrewi da asscmofeii gt;ra> que approva va-
rios decretos dopodfer uxeeotivo, traaspor-
landw qpantias de unvis- par ostras verbas
da le/ w 1,807 de 6- de setembro de I8G7 |
dades e embaracos que j experimenta-
mos, sem absoluta necessidade de to gran-
des sacrificos, nao me parece razoavel, nem
prudente. (Apoiados).
O Sr. Aravjo Ges :Era opprimir o
zpai.
O Sn. Presidknte do Conski.iio : Foi
um erro, disse o nobre deputado. e um
erro grave termos mandado urna misso ao
Paraguay afim de promover a organisaco
de um governo provisorio naquella rep-
blica, com isto concorremos para adorme-
cer o enthusiasmo que se tinha manifestado
pela continuar-o da guerra, porque izc-
mos acreditar que ella terminara breve-
mente por um tratado. Foi ainda um erro,
porque organisando no Paraguay nm go-
verno provisorio, iicariamos inhibidos de
podermos continuar as hostilidades, visto
como, segundo elle pensa, o dimito das
genies nos tornera fazer a guerra a nm
paiz com cujo governo eslivessemos em
paz.
Quanto ao primeiro ponto, Sr. presiden-
te, para mim ineoncebive! como o sim-
ples facto de procurarmos organisar um
governo provisorio no Paraguay, com o qnal
cstivessemos de accoroV, que nos auxiliasse
tanto qoanlo foss posswel em boslilisar o
dictador Lpez, poderia diminuir o enthu-
siasmo dos Brasileiros c os esfonos que
elles estivessem dispostos fazer para ex-
pelli-lo do Paraguay. O feclo de termos
mais um auxiliar nao seria certamente nw-
livo para nos- desanimar na continuacS? da
guefra. (Apoiados). A argu'pplo do no-
ote diputado neste ponto para mira
inesplicavel, nao pos-so altfngii o alcance
deffn.
overno odioso, eleilo sob a
trangeira I
E o que fr organisado depois da expul-
so de Lpez ? Haviamos neste caso de re-
trarmo-nos do Paraguay sem ter feito a
paz; com quem havimos de tratar ? Com
um governo que enlo fosse organisado e
eleilo sob a influencia de nossas armas e as
de nossos alliados.istoc, sob a influencia
dos que livessera acabad > de subjugar o
seu paiz ? (Apoiados.)
Se, pois, o governo feito agora parecera
odioso ao Paraguay por ser obra da influ-
encia estrangeira. o governo feilo depois
da expulao de Lpez, e quando o paio
todo eslivesse sob o imperio e dominio dz
estrangeiro, Seria mais nacional, menos su-
jelo a semelbante imputaco ? E' o que eu
nao posso comprehender.
Disse-se ainda qne o governo provisorio
seria um governo caricato, um governcho;
e o nobre depvtado pedio emprestado el
(dirase que no senado se tem repetido at
sociedade.
Acredito, senbores, qoe, ou o Paraguay
nao pode ter ura governo, ou o gobern
que se organisar agora pe ser to forte,
lo eiicaz como o que se fizer depois da
paz. (Apoiados.)
Quat a popolaco que es com Lope??
Alm das mulberes, reinos e mancas que
elle temfeito internar-se para l'hes servirem
de refei, e que morrem de fotne c de nu-
dez, eSto com elle 7 a 8,000 homens, que
constiluer oseu exercito.
Vencido Lpez, quaes os elementos que
baver par formar um governo ? Esses sete
ou oito mil homens ? Nao ; porque parte
delles tem de morrer ios combates ; a ou-
abre enditossnppionadnRires rextrordiiio-
na opposico, vamos rrtemperar as nossas noSi e approva operares de rdito regi-
da opiniao. (Mi4o bem ; latdtts-pfe-goTcrno.JhteiradR.
Um rajiu-rimento de A-vclin+vPereira dfft'
forras no sio
muito nem).
Senbores, cu devia agora traa* da 3a
face (laqne3lao, a consecuencia da rtuacQo
actual. Mas nao sobrou-me, tempes dlre
apenas poucas palavras.
Ornte, seniwres, conque nos ameaca
a aitoocto progressista um dilewna,
realmente um ditemma.
Vos sabis que in dilemflia o qpie- os
lgicos chamam argumento de-duas ponas.
A qualquer que & oponente se atenlta' ]
Uvado i mesma concluso. Assim no
dileiimw q/ie a opposico aprsenla ao
paizreform>a > revoluco -r revolunSo--
a reformar. Qualqpicr dos pontos desle
dilemma (ne o pisw aceilasso se tivesae a
infelicidade de ser ludido, o lancaria eai
um so e mesmo- la?o-:- na anarehia. (Apnkh-
dos).
Desejo examinar as reformas- que se apre
scnlam ao paiz-xomo-ummeio de salvacl.
eo l'are em outra occasio :agcra, senbures
quero apenas Gommunicar cmara urna
observaco que este programma me lint
por diversas vezes- suggerido;
Acredito que ha n partido liberal homensj
sinceros, Romeos de- orencas que,- embe eodenlsv
por meios- que nao eonsideroo* meWiore*,
os mais acertados, desejam. a onsolidagao.
pettino para ser matriculado no
que Iicariamos inhibidos di conHnuar
hosliudes contra Lopsz, que nao pode-
riamo mais bloqsear o Paraguay, nao sei
cm qte* se fundooonobre deputado para
sustentar semelbante-opiniao. Nao sei que
Fuettsu
:i'anno a fiiculdade do medic'n da cor- principio- do direito- das-gentes prohibira,
te, depois dte approvado BO'2*'de gharmacia ,jue se os;Paraguayos-que se tem dectarado
en que est' matriculad; e feito os exa-
mes exigidos- do i medics-que assiete como
ouviote. A-eommisso ^instriK?ao pu-
blica*
Outrodo t^'tenente da armada gamillo
de Lellis-e Srtvaj pedindo reparaco d re-
forma qne soffrotrem vrluEe-dO,dectO'de
19 d outubro del8G6.A commissio-de
mariji>ae guencr<
Iwem-se c ''6 imprimir para errtrar
na orieo dos tiibaihos: uroparece^ d
commijw. approfMdo diversas eleves
primarias-do 2.dishicto doMarmho; dou* f (ores,- fiaemos aguerra ao-gowrno oriei-
appro'Wido pensaa',.e um projecto sol^e[tal de Agoirre. Nao ha muits-annos que
juizes municipaos d* Mtto-Gpoeso, Minas &
Goyaz.
bae-m-^se e s*> approvads dous pare-
ceres da commissSOv remetteudo ao gow.r-j
no- as p#elence* de Manoet JOse abri-
gues Caga e ForUMato J. de A* Tinoco.
Wrocede-se a.eteico ..mesa, a'-
hindo ctiJiaes os iih.sbb*s memu^os-da acia-
ORDE:D DIAa
ConSoa a discusso do projecto da reo-
das hberdades publieas. Pois bem. senl:- p^ta -falla do t^-eoo, com.. as emewias
res, quando. vejo sobre esses lwraes sm-
ceros cabirem diariamente as ideas subver*
apoiada*..
0>&*i V1SCONLEJDK ITABMABT (?p-
tra ha de desertar, esconder-se. Nao sao.
Feo que toca a-ouSra allegarw, isto p0rtanlo> essC3. hfo ^ t rte
Jna organisaco-do governo.
Nao sfro tambem a mnlheres, os>me-
m'nos que existenr espalfcados no territorio
aiada dominado por Lpez:-
Assim, os elementos de que se serviram
par* organisar o- governo depois de finda a.
gwrra sero os mesmos que exstem hoje
Se oque agora aeorganisar ba de ser ca1-
ricM)r caricato seRHmbenro que se crear
depois dc terminar a guerra^
Nao desejo, Sr-presiden),- demorar a>
diseiscsao, e por isso peco eseulpa de li--
mitar-ne a estas oservaces;. (Muilobem;
muile-bem.)
Cedon*> da palavra todos os senhores
que so-aebanrain inscriptos, e ningnem mais
a pedSnd*), posto a votos o projecto, e
apprwado- sendo rejertadas ambas as emen-
das. *
O poojeet remetWdO respecBiva com-
misso.
futra ea> 3* disscasso o projecto sobra
a reforma d& actual recrutamenle.
O Sr-.Prkswknte (laclara que-, bavendo
sebre a.mesa dous projectos sebslitutivos,
vai propr amara (jal delles deve ser o
contra Lpez orgauisassem- nm governo de
seus coroEatriotas, aos ligassemos com
esse governo para fa^ermos- em commum
a guerra ao dictador o' a seus partida-
rios.
Qjal o principio do'direit.? das gestes
qne nos in-podiria de iaze-lo ? nao o co-
nheco; e se-recorro, im direi bistoria,
mas >.*s factos-que se passaraia ainda bou-
tem, ao vejo qpe tal doutrins' seja abosa-
da per elles.
Ne-ba muitas-annos qur, unidos cea
a l-'rao.vi unida com Maximiliano, a quem
havia reconhecife' como imperador do Mn
xico, fes-a guerra a Jurez-: E ninguen
disse que- a Franca1 transgredi- um princi*
pi do iwito das-gefites, e ningnem dis-
se que o-Brasil, 8W*jom Fidres para fa- preferido para base d discusso.
zer a guerra _a Agui-re.^no estara no seo Tomara.parte na disoossio da preerencia
daSttva, Fi-
sivas, que chovem tfc tribunae da-impreESasident^-a conseibo):Sr. ppesidente,. <
liberal, eu repito contigo a palavra do grata; com a.andamento qjue peco a- palavra pana
proplieta l Piuet sopen eos-loqueos.
Vozes- :Muito bem! muito bem.!
A discusso lica adiada pela hora.
O Su.2" Secretario, servando de Io, eft*-
tendo a palavra pela ordem, procede a I&t-
turado parecer da 21 commissifo, de pod-
res, sobre eleicBes- feitas, no districuxta
provincia de S. Paolo, para preenchimena
(la vaga do fallwcido depuiad*Antonio COnf-
viano, em urna sesso do senado o anno calves Rarbosa d&Cnnha.
Su. Ministro da Jcstic.v :Veja V.
O
Lxc, Sr. presidente, como quatro Ilustres
senadores, o Sr. Ottoni, o Sr. Souza Fran-
co, o Sr. Furtado c o Sr. Chichorro, res-
pondem aos cinco collegas que com elle*
assignaram o macisfesto progressis" fiA
1869. e
Dizia esse manifest, .W"..nAt. A nar.
tido progressista: W -evendo o par-
cd doj modo i-- ,.-" &more%* -a reac-
escrpulos, m- -slito, aqu transige sem
cias e n^ -*ais 'oa8e violenta as conscien-
em '* -jr t0^a a Parte U8a ^a corruPCS
.arg'a esphera, Verdadeiro corsario p-
rtico (ohI oh!), bastea em cada provincia a
bandeira que melhor favorece aos seus de-
signios ; ostenta-se conservador em tal fre-
gueza, aprega-se liberal n*outra, e por
toda a parle regozija-se representando urna
farca poltica, que seria ridicula pelo dispa-
rate, se nao fosse fatal pelos seusfruclos
(Apoiados; muito bem.)
Eis, sennores, a condemnaco severa do
dominio progressista f Eis a resposta a mais
cloquete que poderiamos dar aos Srs. Za-
caras e Nabuco.
Quando eu vejo esses nobres senadores,
em cuja honestidade poltica devo confiar,
ligados luelles de qaem elles diziam aquellas
palavras severas; quando os vejo para usar
de sua mesma pbrase associados ao corso
poltico para dividir os despojos opimos,
acredito, Sr. presidente, o qu o paiz acre-
dita. Qae taes expressQes acrimoniosas,
como as proferidas ltimamente a nosso res-
p^ito, nao foram sinceras (apoiados), mas
inspiradas nicamente pela ambicio do po-
der. Que taes expressoes, assim como
todas ?s que se lm no manifest de 18fl0,
nlo sao, senbores, sen3o as fallas de urna
comeda poltica, e servem para todos os
actores que entrara no tablado dessa oppo-
> sem crenc-as e sem principios. (Na-
> apoiados: muito bem.)
passado, proferio algumas palavras que eu
vou recordar. Ello dizia daquella cmara
e eu drei desta : Estas cadeiras, senbo-
res, nao sao poltronas de repouso, nao sao
lugares de honra, sao postosde Irabalho.
(Apoiados). Este recinto nao um pan-
theon, urna oflicina onde os servidores
do estado se rennem par3 fazer as leis'do
paiz, para zelar os grandes interesses na-
cionaes, para trabalhar no bem publico-
Nao s entra aqui peb que se tem feito,
enlra-se pelo muito que se pode fazer.
(Apoiados).
Na Inglaterra, neste paiz essencialmentc
constitucional, quem nao sabe que homens
como Pin, Peell, Gladstone e outros nao
teriam sido eleitos em muitas legislaturas
se nao fossem os rottens boroughs, a dispe-
sico de grandes proprietaros membros da
aristocracia ?
Se nao fosse este meio, que alguns pu-
blicistas inglezes lamentara se tenha ex-
lincto, pelo receio de serem arredados dos
parlamentos em certas crcumslancias
grandes talentos; se nao fosse este meio
aquelles notavei3 estadistas teriam fieado.
fr^ do parlamento cm diversas legislaiu
ras ?
Sao lacios bem conbecidos.
ltimamente nao foram excluidos das c-
maras, e por muito tempo, homens t3o il-
lustres, parlamentares to distinctos como
Moieswortb, Macaulay e Rulwer ? O es-
criptor que menciona este facto diz : Na
Inglaterra, embora um bomem esteja ai-
liado a um partido, aos conservadores, li-
beraes ou radicaes; embora merecam o
respeito, a consideracSo e admiraco pu-
blica, isso nao Ihes garante accesso no par-
lamento ; necessario que seja all elevado
pela confianca nacional. Tem a admira-
Co, mas nao tem a confianca, que um
sentimento muilo differente da admiraco.
(Apoiados).
ltimamente, senbores, depois de urna
reforma eleitoial que mudou a face do
systema representativo na Inglaterra, Stuart
Mili, um dos autores dessa reforma, um
dos que mais linham propugnado pela sua
adopeo, n5o foi derrotado na eleico que
se fazia em vrtude do triumpho obtido
por sua idea ?
Sim, senhores, a cidade de Londres nao
o mandou ao parlamento; e rede o modo
simples e natural por que este Ilustre es-
criptor inglez explica a sua derrota. > Li
suas palavras em um excellente arligo que
a respeito das ultimas eleicoes foi escripto
pelo Sr. Alfonso Esquiros. Elle atlribujo
a sua derrota grande somma de dioheiro
que seus adversarios empregaram para
combaterem especialmente sua candidatura.
Nao lanca invectivas contra elles, por
terem usado da sua influencia e recursos
afim de derrota-lo: n5o. Aceitou o facto
como .natural, considero.i-se como um
Dada a ordem do dia, levaota-se a ses*io
s quatro horas o um quarlo da larde..
SESSAO EM 0DE.AG0ST0
PKESIDEKCIA DO, SR. KEBIAS.
Ao meio dia feita a chada, vewGca-
se baver nuraero sufiicseoie abra-so a
ses3o.
e apsrova-se a aeta. da aatece-
t* Secretario conla do se-
Le-se
denle.
OSr.
guinte
EXPEDIEaiE.
Um oflick) do ministerio do imperio, en-
viando as. authenticas da eteicSo.a que se
procedea em lodos, os-, collegios do 3" dis-
tricto eleiloral. da provincia, (te Minas-Ge-
raes, para preenc'nimemto dn vaga deixada
Hesta cmara pelo Sr. Dr. Jcoqpim Delfino
Ribeiro da Luz, que tendo sido eleito por
aquelle districto e pelo Ii da mesma pro-
vincia, optou por este ultimok A terceira
commisso de poderes.
Outro da presidencia do. Amazonas., en-
viando exemplares do rekjlorio lido na oaca-
sio de insta llar-so a assembla da mesma
"provincia no iba 4 de abril do copjente
anno.A' archivar,
L-se o approrado um parecer de
commisso mandando ouvir o governo sob
a pretenco de D. Adelaide F. R. de Antas.
L-se e vai a imprimir ura. projecto
sobre matricula de estudantes.
Procede-se successivameste a vot*
Cao dos pareceres da 2a commisso de po-
deres sobre as eleicQes primarias, das re-
guezias da villa da Piedade, da cidade de
Tites da cidade de Atibaia do Campo-
Largo, pertencente ao Io districto da pro-
vincia de S. Pauto ; de Lorena e Embah,
do 2o; de Pirassinunga, S. Joo da'Boa-
Vista, Serra-Negra, Lencoes e Caconde, do
3o, e sao todos approvados.
Proccde-se depois a votacio do pare-
cer da 2a commisso de poderes sobro a
eleico primaria da parochia do Monte-Ale
gre, do 2o districto da provincia da Babia, e
tambem approvado.
Procede-se mais a votaco do parecer
da referida commisso sobre a eleico pri-
maria da parochia da Abbadia, do 4o dis-
tricto eleiloral da mencionada provincia, e
approvado.
Entra om Ia discusso o projecto que
autorisa o governo a conceder^ carta de na-
turasaco ao subdito italiano padre Egydio
da Paterno e ao subdito portuguez Joo
Jos de Agniar.
O Sr. Candido Torres Filmo pede, e
a cmara consente que o projecto tenha urna
s discusso.
Vem a mesa e entra em discusso diver-
sas emendas, concedendo igual favor a ou-
tros estrangeiros.
Ninguem pedindo a palavra, e pondo-se
a votos o projecto, e approvado com todas
dizer rinda algunr.-eausa so Une a resposta
falla dothrono. Sei que por crdito- d
camaravpor credito-do partid* conservador,
precisa .etia oceupas-se de a'gjjms projecto
que feram submettidos ao seu exance e
considaraco. Mas algumas- censuras- que
ouvi Iwatein ao nobre deputado pela pro
vincia- do-Rio de Janeiro me obrigaa.: a
abusar.amda po^poucos nikmtos da.pa-r
ciencia da cmara. (Nao ayados).
6 aobre depuiado cnsese o governo
porque nao temado suf.eiunte aclividade
s operacoes d.guerra, porque nao tem. ohece-o cemogovemo legitimo mas ouer
coiLoado a enviar novw contingentes
parai o exercito* ou ao nanos nao o tem
feilo em tamanb escala cmqo antes-do fim
do auno passado ; censuiou-o ainda por
alo er mandado ao Rio dn Pr ata urna mis-
so-,.com o fim.1 de promoror a organisaco
de om governo provisorio no Paraguay.
que Ihe facamos puerra ate expelli-lo, ela-
bora coa isso soffra muito a. iueao pana-
guaya. So, pois, o nobre debutado entendie
que este o proeadiuiento que nos com-
pre, que nao devoraos consentir na continoa-
Co do governo de Lpez, como siwteala
que a srearao da outro govsrno quo cn-
soi*"e estes tres pontos, que farc algumas*!corra comnosco para mais dfepressa expel-
bseves obsewa.c5es.
Pelo que toca ao primeiro, Sr. presiden-
te, parece-me- que nao ha.justica na cen-
sura.
Se as operacoes nlto tiveram toda a ce-
leridade quo se dese^va, se o nosso exor-
dio se nao raoveu uaAssumacQ cora,mais
promptido, razoes. houveram certsaiente
para isso..
Depois dos gloriosos combates do mez
da dezembro nao era possivel que o exer-
cito marchasse para o interior sem prme-
ramente so organisar. sem-preparar meos
necessarios de transportar o material de
guerra e de vieres, sam obter eavalhada,
sem emfim fazor todos, os trabalbos, todos
os preparativas que eram necessarios para-
esse movimeato.
Se nao continuamos a mandar contin-
gentes dfeteopa em, escala tSa grande como
at entao* porque np temos tido neces-
sidade do faze-lo. Antes dos combates a
que me refer, as forcas brasileiras no ex-
cediam de 31,000 homens promptoSv: com
este numero podemos assaltar e tomar as
fortificaces, artilba.ria e grande copia de
armamento de Lpez* podemos anniquilav
a mxima parte do seu exercito. Hoje te-
mos 7,000 homens, nao temos tamangos
obstculos a vencer, nem existe sen urna
parte do exercilo que nos oppunba ento o
inimigo.
Calcula-se em 7 a 8,000 homens a forca
effectiva do exercito paraguayo. :Para 7 a
8,000 homens, parece serem mais do que
sufficienles os 27,0j01juo temos no Para-
guay.
O Sr. Araujo Ges :Apoiado.
0 Sr. Presidente do Cqnselho :Ainda
mais; se as forcas que temos alli nao fos-
sem suflicientes para o Qm que temos em
vista, sem duvida o commandante em chefe
do exercito teria pedido ao governo que Ihe
augmentasse. Sua alteza, porm, em vez
de ter pedido tal augmento, dizia-nos em
22 de abril prximo passado qde Ihe man-
dassemos de 45 em 45 dias 600 pracas
para ir preenchendo os claros que se fos-
sem dando no exercito. O commandante
em chefe, portanto, nao entende que seja
precisa mais forca.
E' verdade que se podessemos eleva-la a
40 ou 50,000 homens, sem accrescirao
correspondente de despezas, sem necessi-
dade de opprimir o paiz com muito raais
djreito sey pareeondollie neeessario, fi+
zesse bombardear a cidade- de Montevi-
deo.
E aqu!-.Sr.< presidente, sejn-me permit-
tido urna observacey e que- eu
Uenderia bem que aquelles que- entender
qe se deve'fazer apaa com Lpez: se op-
pmessemj achasse Kaorgasiis-a^j de u
gswerno ppavisorio...
O Sr. Gabdoso ffonics:Apoiado,
0 Sn. RuEsmENT do Conseluo-:...m.**
qiaem entende que a* guerra devo continan
at que Lpez seja expulso o Paraguay
ape obramos de* aeoordo com os-principios-
do direito-das gentes-e com os-nojsos infcfr-
nesse, fazoodo-lhe guerra, neooreconhe-
cendo conao governo daquelle p.bk...
0 Sr. Ashrade PVi:iiia : ;No apo;a-
o; eu reGonbeco como gove-rno muito !o-
gilimo do-Paraguay..
0 Sr. Pkesiden ji do Conseliu : Reco-
li-lo do .Paraguay, coatraeio aos nossos
interesses e deshonrosa para o Brasil .'
Senbores, no- meu entender, o governo do
Brasil- obrou muito judiciasamente, procu-
rando estabeleear desde ji-um governopro-
vsomi no Paraguay (apoiados), o obrou ju-
diciosamente, porque deu. por ose modo
urna prova solemne s nacSes civilisadas de
que o Brasil nao pretende, como se Ihe tem
imputado, fazer a conquista do Paraguay.
(Apoiados.) Desde que Ihe pareeeu possir
ve procurouque os Paraguayos organisas-
sem o senv governo, e vissem por este nuh
do que nao.temos intanco do desrespei-tar
sua indepeadencia e soberana.
Foi arada judicioso o procedimento do
governo. do Brasii. porque urna das medidas
mais efjeazes para enlraquscer a forja, do
dictador destacar delle o. roaior naraero
possivel dos que o segu suppondo que
os invasores os queriam opprimir ou exter-
minar ; e mailo mais fticit que os. Para-
guayos se separem de Lpez, vendo seu
paia governado por seus proprios compa-
triotas, do que dominado por estrangeiros
e estrangeiros armados. (Muitos apoiados).
Procedondo assim, davamos- ainda ao
mundo civilisado urna prova de quo nao
queremos vencer Lpez smente pela armas,
assolaodo o paiz, exterminando a naco
paraguaya ; que ao contrario empregamos
tambem meios brandos e suasorios para pr
termo s calamidades da guerra.
Outra razo ainda me parece plausivelpara
justificar m'mha opinilo.
Embora tenhamos convencionado com as
repblicas do Prata em expulsarmos Lopaz
do Paraguay, poder-se-bia dar a hypothese
de que, apezar de o conseguirmos, anda
assim depois de retiradas dalli nossas tro-
pas pudesse elle voltar ao Paraguay.
Um dos meios de impedido fura orga-
nisar j um governo que concorresse com-
nosco no empenho de expulsa-lo; as pessoas
que compuzessem esse governo, os que o
tivessem creado ou sustentado seriam to-
dos interessados em se oppr volta de
Lpez; dar-nos-hia muito mais garanta
contra essa eventualidade, do que o gover-
no que fr organisado depois que Lpez
fr expulso. Este e os que concorrerem
para sua organisaco podero com muilo
mais facilidade voltar s gracas do dictador,
do que os que tivessem tomado parte
sua expulso,
os Srs. Costa. Pinto, fieteira
gueira d'MtettlD, Galvoy Ministro da Guerra
Cruz Maebado. e Alencar Araripe.-.
Ningaemmois pedino a palavra, e indo
eompre-f pr-se a votos- a preferencia, reoonhece-se
nao haver.-casa ; pelo que o Sr. presidente
declara a<*diseusso encerrada.
F.Stfii eai 2a disc'ieso o prajecto de-
lerminand que o ministro do imperio na
curte a- os psesidentes- as provincias con-
cedero titulo* de nat-jralisaco a iodos os
estrangairos' aaiores de- 21 anuos que o
requererem urna vez qqo se mo.vrem livres
de culpe.'Jenftam um auno de residencia no
imperi,--e dettlarem que nelle pretendem
fixar seu.domicilio.
Vento.mese, lida,.apoiada, e-entra coa-
jlindamente-sm discusso, a segrate emen-
da :
SuppriMam-seno.art. Io aa-palarras
na coste M. F. Conrea = Junquera =-
Arafiortimoi,
Depois- de algumas breves aoosideracoes
dos Srs. Fausto de Aguiar e Correa, vem
mesa e apoiada a .seguinte emenda :
* No arti. Io suppimam-se as-paiavras
na cfnte
No. mesmo artigo, depoi* daspalavas
livres. da culpa..accrescene-see exhi-
ba attsaco ou certificaco de agentes
diplomtico ou ccsenlar, e na sua falta de
duas-pessoas residentes no imperio, dignas,
ds- f* ao qual affiurmem nada, constar-Ibes
contra a moralidade delles cm relaco ao
tsmpo de sua residencia no.paiz donde ti-
voFem \iado.
. ftepois do |-1 accrescente-se : | 2*
Otgoverno imperial poder conceder os re-
feridos ttulos iodependenlemente de prova
das eondice*. exigidas, feitas, porm, as
deciaracoes Requeridas no art. Io aos es-
traageiros maiores de 21 annos que :
Io Forem distinctos por seus talentos
e merecimenlos.
2o Tiverem prestado importantes ser-.-
vicos ao Brasil.
3' Intfoduzirem ovences uteis.
< 4o Fundaren eslabelecimeotos indus-
triaes.
5 Comprarem ierras e aellas esiabe-
lecerera-se.
ft^Forem colonos.
V Estiverem servindo no exercito, na
armada e em corpos policiaes.
Os 2* e 3o passam a. ser 3* a ift.~
Fausto de Aguiar.
Ninguem mais pedindo
discusso encerrada, nao
falta de numero legal.
Dada a ordem do dia, Ievanla-se a ses
sao s quatro horas da tarde.
a palavra, fca a
se volando por
em
SESSAO EM 12 DE AGOSTO.
PRESIDENCIA DO SR. NEB VS.
Ao meio dia, feita a chamada, vrifi-
ca-se haver numero sufficiente, abre-se a
sesso.
L-se e approva-se a acta da antece-
dente.
0 St\, Io Secretario d con.U do se-
guirte
EXPEDIENTE
Um offico do ministerio da axenda,
transmitlindo o requerimento do amanuense
da reebedoria da Babia, Benjamn dos
Santos Martios Velasques, pedindo seis me-
ses de licenca cum todos oa veucimentos
para tratar de sua saude. -- A commisso
de penses e ordenados,
(Continuar-se-ha.)
TVP. 00 HABIM A DAS (RIZES N. t
ILEBIVEl


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVDK3M0IJ_IGWV4K INGEST_TIME 2013-09-14T00:50:15Z PACKAGE AA00011611_11948
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES