Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11946


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ni
ANNO XLV. NUMERO 214.
<- -
I -


PARA A CAPITAL E LUGARES OJTOE KAO SE PAGA POITE.
is adiwtoflos.................. 6000
..................' (2,5000
.................. 240000
.................. 320

SEGUNDA FEIRA 20 DE SETEMBRO DE 1869.
utos id jai.
Por m atino
Oda numero avolso
'%}ki4&
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA.
Por tres mezos adinntados.................
Por stis ditos idem................
Por no\i ditos idem .... ...........
Poromanno.................
63750
134500
2026C
27,5000
Propriedade de Manoel Kgueira de Faria & Fhos.
SAO ACEITES: *
Os Srs. Gerardo Antonio Alvos A Fhos, no Para: Connives A Pinto no Maranhao Joaqun.Jos do Oiveira, no Cear; Antonio de Lenws Braga, no Aracatj; Jo2o Alaria Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva no Natal: Jos Justino
Perora d Alme.-a, ca Uamauguape;> Antonio Alexandnno de Lima, na Parahyba; Antn* Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos finido, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa BrT '
-________________.___________ era ^azareth; Francino Tavares da Costa, em Alagas; Dr. Jos Alartins Alves, na Bahia; e Jos Bibeiro Gasparinbo, no Rio de Janeiro. '
PARTE OITICIAL.
Coverao la provueia.
EXCedie.mi: asmi.nuw PELO k\>!. sr. bu. manoei.
1)0 NASC.I.MK.NTO MACHAD?) \, VICK-K1IK-
moemk u\ noruciA, Eli & DE junho de
186'J.
N\ 725-Diia ao director dn r,r-onal dcgnor-
r.Com a inclusa copia da inior'!vi>;to dn conta-
dor tic lhusouiM* do .uoiida, e co a qual con-
corda o respectivo jpapt'clor. res unJo ao officio
deV. S. do 15 dotSrrente sob n. lli, pedmdo
providencias nao s coc Marao ao adiamamento
mcnsal de 20t> para as dispetas niiuda* dtssc
arsenal, mas lambo a o pagamento da9 contasde
tal natureza concernentes ao* ?n?ws de abril c
inaio ltimos.
N. 726.Dita ao commandante do Fernando de
Noronlia.Transmiti a V. S. pan M lins conve-
nientes, as 150 gatas dus sentenciados constantes
da relago junta por copia, que ah se achata
cumpriitdo suas sentenvas, as quaes para esse
lim mo lora ni enviadas pelo juiz inunicial da 1'
\ara com oico de 16 do corrento.
2.*secgao.
N. 7o').Dito ao presidente do supremo tribu-
nal de justica. -Levo ao conliccimento de Y. Exc.
que por deliberarn de li do coi rente conced ao
juiz de direito da comarca de Caruar, hachare!
Antonio Buarque de Lima Hi dias de lieenga para
tratar de sua sade.
N. 731.Portara ao chele d polica uteri-
no.-cvcudo largar para o presidio .le Fernando
de Noronha polas II horas do da tf d* jullio pr-
ximo vmdouro, o vapor Giqui da compauha Per-
nanibiicaua, nelle foca V. S. embarcar para all
com seguraos os sentenciados de justica que para
csse lim foram postos a sua disposicao, certo de
que a carga por parte do enverno deve estar a
bordo al as horas da tardo di .a 7, e es passa-
geiros al as 10do dia da sahida.
N. 733.tMta ao juiz municipal da I" vara dcsta
cidade.Devendo seguir para o presidio de Per-
uando de Noronha polas 11 I. iras do dia 8 de
julho prximo vindouro, o vapar Giqui da com-
panhia Pernainbucana ponlia V. S. opportunamen-
lo a disposigo do Dr. cholo de polica os senten-
ciados de justica que litaran de ir para all, e
remeta a esta presidencia com antecedencia as
respectivas guias para terem o conveniente des-
lino.
M, 73i.-*Dita ao commandanle do corpo provi-
sorio do polica.Pode Ymc. angajar no corpo sob
o sea mimando o paisano Manoel de Ai|uino da
Silva, de que trata o sea olii'i i n. 258 de 18 do
corrente.
N. 73o. Deliberago.O Exm. Sr. vice-presi-
denle da provincia altendenda ao que Ihe requereu
obacliarol Jos da Cosa Garvall:> Gumaraes J-
nior promotor publico da comarca de Tacaral,
retoba conceder-lhe tres mozos de licenca, com
iirdenado ua forma da ei, o a contar de 31 de
maio lindo, para tratar de sua sade, onde Ihe
couvier.
3.a seccio.
N. 77.l'oruria ao inspaetor da thesouraria
de fazenda.Mande Y. S. liquidar e pagar em
vista das folhas e prets aominaes juntos em dupl-
cala, que me remetteu o eommandatite superior
da comarca do llrejo com ollicio de 10 do corrente
os vene montos relativos aos mezos de abril c mao
deste auno, do ofical e preces da guarda nacio-
nal de-tacadas na villa de Pesqueira.
X. 738.Dita ao nniwnnt Fm vista da conta
e recibo junto em duplcala, mande V. S. liquidar
a despeza feita durante os DMZU de julho a
dezetnbru do anno prximo paseado, com o torne-
i-imcnl.) do luz para o quartol do destacamento de
guardas nacionaes existente na cidade de Carua-
r e pagar a sua importancia a Antonio Jos de
Arantes AC. conforme olieitou o chefe de polica
interino om officio de hootem sob n. 8)8.
lt 739.Dita ao mesmo.Remeti a Y S. 3
fxemplarcs do relatorio quo o Exm. Sr. conde de
taependy presidente desta provincia, apresentou
a assembla legislativa por oceasiaode sua aber-
tura no da 10 de abril ultimo.Igual ao inspec-
tor da thesourara provincial.
N. 740.Dita ao inspector da thesourara pro
vincial.A assembka I pislativa provincial em
sessao de l do corrente fleliberoo, segundo cons-
ta de officio do respectivo l* BeoraJarie datado.de
\\ deste mez, encarregar o ofikial-maior bacha-
rcl Jos Cardoso de Queirz Fonseca de receber a
quota votada noorcamento do exorcicio de 18C9 a
1870 para o expediente e asseh da casa de suas
iieaaBai. O que declaro a V. S. para seu eonlieci-
mento e lins convenientes.
K. 741.Dit.i ao mesmo.Declaro a V. S. para
scu conliccimento e devidos elVilos, que, segundo
informa o administrador do theatro de Sania Isa-
lid no ollicio a que se refere o da respectiva
di rectora datado de bontem, d opois da porlaria
de 2 de Janeiro ultimo, foram concedidos por esta
presidencia, quatro beneficios no mesmo theatro,
sendo um a Jorge Vctor Ferreira Lopes, dous a
J. Mara Jordani e a sua mulher Apolonia Jordani,
o ultimo a Cont Rocha recebendo-se de cada
urna dessas pessoas a quantia de 100 como se
determina na citada portara.
N. 742.Dita ao mesmo Mediante flanea id-
nea mande V. S. nos termos de sua informacao de
V.) do corrente sob n. 339, entregar a irmandade
do S. Sebastiao erecta em sua Igreja na villa do
Bonito a quantia de 8615-lO que se acha em
d psito uessa thesouraria, proveniente do benefi-
cio da lotera, extrahida a favor das obras daquetla
igreja.
N. 743.Dita ao rnesmePode V. S de eon-
formclado com o parecer da contadura dessa
tuesoararia a que se refere a sua informacao de
'i do corrente sob n. 317, mandar pagar ao com-
ineadador Manoel Joaqnim do Reg Allniquerque,
na qualidadc de procurador de sua mai D. Mara
Malhildcs Cavalcante, a quantia de 1:10;)299, a
que lem elle direito, proveniente de excesso de
*bra, que executou como arrematante do 1 pavi-
IhSe do hospital Pedro II, segundo consta de offl-
'i do chefe da reparticio das obras publica'
n. 188 de 15 mao nltmo.
N. 744.Dito ao chefe da repartirlo das obras
j/aplicas Declaro a Ymc. para seu conhecimen-
n e fias convenientes, que, de conforraidade com
a sua informagao de 15 d' mao ultimo sob
i!. 188, acabo de autorisir a tli sourara provin-
cial a pagar ao commendad.r Manoel Joaquim do
Hugo Albuquerque, na qualidade de procurador
de sua mai D. Mara Matbildes Cavalcante, a
quantia de 1:103299, a que tem ella direito,
provonicnle de excesso do obra, ino executou
romo arrematante do r navilhao do hospital Pe-
dro II.
N. 7i3.Dita ao mosmo.Remeti a Vme. um
xemplar do relatorio qtte i I!, u. Sr. conde de
iaeseady, presidente desta provincia apresentou
u assembla, legislativa (W oceaslao de sua aber-
tura no dia 30 de abril ultimo.
N. 730.Portara a municipal da Es-
hv.Em vista do que inforo'.nn a cmara mu-
nicipal da villa da Ecada em seu officio de 4 do
r rreate, autorso a mandar effectuar o pagamen-
to da quantia de 4 le do aug-
mento de qno foi obrigado a fazer o arrematante
Malhias Bezcrra de-Ban ras do atierro 8
Lomba sobre o riacho denominado Lava-p>, que
atravessa a estrada q (gueparaa
.cstacao da via-ferrea.
N. 731. Dila ao gerente da companbia Per-
namlmcana.I'dc Vine, fazer seguir para o pre-
sidio de Fernando nn vasar Giqui, no dia o de
julho prximo vindouro, para o que ficam expe-
ndas as ordens solicitadas no final do seu de 21
do crreme.
N. 732.Deliberaeao. O vicepresidente da
provincia, allendeiido ao que requeren a profes-
sora publica da cadena da povoaeSo de Osa-
Forte, Thereza Alexaodrina de Barros Met e leu-
do em isVi informacao do director geral lete-
i-ino da insli'ucro publica de 17 do corrente sob
n. 181, resolve conceder-llie quinze dias de li-
cenca com ordenado somonte para tratar de sua
sade.
rxi'kdiknt: assignado pelo dr. joaquim correa dk
ARAI I, NtCBsatO UO GOVEUNO, EM 22 DE JUNHO
DI 18G9.
Ia seecjo.
N. 733. Officio ao general commandante das
armas.Remeti a V. Exc. um esemplar do re-
latorio que o Exm. Sr. conde do Baependy, pre-
sidente desta provincia, apresentou a assembla
legislativa por occasiao de sua abertura no dia 10
de abril ultimo.
N. 734.Ditos guacs ao director do arsenal de
guerra, inspector do arsenal de marinha, capitao
do porto o eominandanlc de Fernando, mutatis
muta n dia.
N. 733.Dito ao mesmo De ordem do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia, e para os lins
convenientes, communieo a V. Exc. que o vapor
Giqui da companbia Pernambucana, seguir pa-
ra ct presidio de Fernando, pelas 11 horas do dia
8 de julho prximo vindouro, devendo a carga es-
lar a bordo at s horas da tarde do dia 7, e os
passageros at s 10 do dia da sabida.
2' seccao.
K, 73(5.Offieios aos presidentes doslrbunaes
da retaceo, commercio e ao Dr. chefe de polica.
Remeti a V. S. um exemplar do relatorio que o
Exm. Sr. conde de Baependy presidente desta pro-
vincia, aprseentou a assembla legislativa por oc-
casiao de sua abertura no dia 10 de abril ul-
timo.
N. 737Dito ao Dr. chefe de polica interino.
O Exm. Sr. vice-presidente da provincia respon-
dendo o ollicio de V. S. datado de houlem e sob
n, 898, manda declarar que a thesourara de fa-
zenda tem ordem para pagar a Antonio Jos de
Arantes & C, a quantia de 215500 constante do
citado officio.
N. 738 Ditoao commandante superior da guar-
da nacional do Brejo.O Exm. Sr. vico presidente
da provincia manda declarar a V. S. em resposta
aoseu officio de 10 do corrente que transmittio-se
a thesourara de fazenda para os fins convenientes
as folhas e prets, que em duplcala vieram anne-
xas ao citado officio.
N. 759.Dito ao juiz de direito da comarca de
Pao d'AJho. O Exm. Sr. vce-presidenie da pro-
vincia manda declarar a V. S. para o seu coohe-
cimento c lins cwiverriwrrtes, que por deliberareei
de bontem datadas, foi exonerado do cargo de pro-
motor publico dessa comarca o bacharel Joao Al-
ves Mergnlhao e nomeado para substituir o bacha-
rel Antonio Domingos Pinto Jnior.
N. 760.Dito ao Dr. Ilisbello Florentino Correa
de MellOfDe ordem do Exm. Sr. vice-presidente
da provincia aecuso o recebimento do officio de
V. S. de hoje datado em que communica ter no
dia 7 entrado no gozo do prazo de dous mezes de
prorogacao que Ihe foi concedida pelo governo im-
perial para tomar posse da comarca da Paraliyba,
que Ihe foi designada para o exerccio de seu
cargo.
N. 761.Dito ao'jniz municipal do termo do
Cabo.O Exm. Sr. vicepresidente da provincia
manda declarar Ihe que fica interado por seu offi-
cio de 18 do crrente, de ha ver V. S. nessa data
reassnmido o exerccio de seu cargo.
N. 725.Dito ao promotor publico da comarca
do Cabo.O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar-lhe que fica interado por seu
officio de 2ldeste mez de haver V. S. nessa data
reassnmido o exerccio de sen cargo.
3." seccao.
N. 763.Officio ao inspector da thesourara de
fazenda De ordem do Exm. Sr. vice-presidente
da provincia, communieo a V. S. para os lins con-
venientes, que o vapor Giqui sabir para o pre-
sidio de Fernando, peas 11 horas do dia 8 de ju-
lho prximo vindouro, cerlo de que a carga que
livor de ser remetlda para all por parle do go-
verno, deve estar a bordo al as 3 da tarde do
dia 7. i
N. 766.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S. para
os fins convenientes, quo por deliberaeao do bon-
tem datada, foi exonerado do caTgo de promotor
publico da comarca de Pao d'Alho, o bacharel
Joao Alves Mergulho, e nomeado para o substi-
tuir, o bacharel Antonio Domngues Pinto Jnior.
-.Y 767.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar a V. S. para os fins convenientes,
que por deliberaeao de hontem datada, foi exone-
rado do cargo d promotor publica do eomarca
Pao d'Alho, ojbacharel Joao Alves Mergnlhao e
nomeado para o substituir o bacharel Antonio Do-
mingues Pinto Jnior.
4 seccao.
N 768.Officio ao Exm. Sr. bspo diocesano.
Remello V. Exc. Rma. um exemplar do relato-
rio que o Exm. Sr. conde de Baependy, presiden-
te desta provincia, apresentou a assembla legis-
lativa provincial, por occasiao de sua abertura no
da 10 de abril.
N. 769.Igual ao director provedor da Santa
Ca^a de Misericordia, o director interino da facul-
dado de direito, o engenheiro fiscal da estrada de
ferro, o regedor do gymnasio provincial, o direc-
tor escola normal e 2 ao director interino da ins-
truccao publica, sendo um para a bibliolhcca pro-
vincial.
Jjs Munz Toixeira Gumaraes.Conccda-se
dous mezes com ven?imentos, na forma da lei que
autorsou a concessao.
Joaqnim Goncalves Ayres.Conceda se um mez
sem vencunenlos.
Luiz Francisco Barbosa da Silva Cumar.in-
forme o Sr. commandanle superior da guarda na-
otonal do Limoeiro.
Bacharel Luiz Antonio Pires.Conceda-sa a li-
cenca requerida na forma da lei.
Luiza Mara da Boa-hora. Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
Capilao Manoel Ignacio de Albuquerque Mara-
nhao.Do-so.
Manoel Antonio de Jess.Nio havendo quota
na lei do orc.amento, nao tem lugar o que requer.
Manoel Ignacio de Albuquerque Maranhao.
D-se a certidao requerida.
Repartido da polica.
2' soccao.Secretaria da polica de Pernambu-
co, 18 de setembrode 1869.
N. 1360.Illm. e Exm. Sr.Levo ao conhec-
mcnlo de V. Exc. que, segundo consta das parti-
cipacoes recebidas nesta renarticao, foram hontem
recomidos a casa de detencao os* scguinles indivi-
duos ;
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Mara, eserava de de Thereza de Jess S Brre-
lo por ter sido encontrada depos de 9 horas da
noite sem bilhete de sua senbora.
A ordenl do de S. Jos Francisco Rodrigues de
Almeida por olTensas a moral publica.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Nascimcnto Machado Portel la vice-
presidente da provincia. 0 chefe de polica
Francisco de Assis Oliveiru Mctel.
Albuquerque Campello. A'
damos nossos sinceros pe-
16
DESPACHOS DA VICE-PRESIDENCIA DO DIA
DE SETEMBRO DE 1869
Padre Antonio Goncalves da Silva.Nao exs-
lndo na le do ornamento verba para o pagamen-
to que pede, nao tem lugar o que requer.
Abaixo assignados moradores das ras da Au-
rora e Uniao.Em lempo opportuno se tomar
em consideracao o que allegam os supplcantes.
Antonio Pereira da Rocha.Entreguem-se os do-
cumentos, passando o supplicante recibo.
Bernardo Carneiro Monteiro da Silva Santos.
Nao tendo havido excesso de trabalho, como consta
das inforniacoes, nao pode o supplicante ser at-
tendido.
Francisco Fc-lix Goncalves.Dirija-se ao Sr.
engenheiro chefe da repartieao das obras publi-
cas.
Horacio de Gusmao Coelho.Informo o Sr. Dr.
juiz dos feitos da fazenda
Joao Cirneiro Mont-'iro da Silva Santo?.
tendo havido excesso de trabalho, como consta
das inforniaroes, e nao sendo o supp cante subs-
tituto do 1 escripturario, como das mesmas in-
formacoes se ve, e sendo estas as condicoes em
que assenta a disposicao do art. 01 da le n. 891
de 25 de junho do corrente anno, nao pode o sup-
plicante ser attendido.
Joaquim Podro Brrelo de Mello Reg.Dse.
Dr. Joaqnim Jos de Campos da ("osla de Medei-
ros e Albuquerque.Conceda-so a lieen? reque-
rida, com ordenad somente.
Jos Antonio Cesar de Lima. -Informe o Sr. co-
rone directo-interino do arsenal de guerra
liorges Leal.D-se pela secretaria
\ do governo o que constar.
REVISTA DIARIA.
ACTOS OFFICIES.Por deliberaeao da presi-
dencia, de 17 do corrento, foi nomeada Margarda
Secundna Botelho, para reger interinamente a
cadeira de instruccio primatia da villa de Tacara-
l, medante a gralificaco annual de 600.
Na mesma data foi nomeado o tenenle-coro-
nel Joao Jos Rodrigues Coelho, delegado Ilitera-
rio do dislrielo da villa da Boa-vista.
INCENDIO IIORRIVEL-- Hontem, s 4 horas
da tarde, foi redHzido onzas o theatro de San-
ta Isabel, medeiando apenas entre a descoberta do
fogo e o completo incendio de todo o edificio cer-
ca de dnas horas.
A's pressas, e sob a mais dolorosa das impres-
e5es, escrevemos as pesentes lindas, para noticiar
aos leilores que o theatro de Santa Isabel um
montao de ruinas I 1
O incendio, (piando se desrobiio.lavrava noica-
marins do laoo postenor do theatro, no canto do
lado do norle, apparecendo como por encanto ao
mesmo lempo no guarda-roupa, e em toda a co-
berta, como se mo invisivel o estivesso ateiando,
sem pedade e compaixo para o nico theatro da
capital I Terrivel sna, duas tentativas em lem-
pos idos, e agora o seu. anniquilamenlo I
De tudo quanto dentro havia apenas se salvou
a mobilia do salo, apezar dos esforgos inauditos
de diversas pessoas, que, com verdadeiro risco de
vida, subiram pelo terrac e d'ahi langaram ra
ludo quanto foi possivel.
Dizem-nos, mas nao damos inteiro crdito, que
ha diversas victimas; nos apenas vimos com urna
perna fracturada o Sr. Joviniano Jos de Albu-
querque, que, achando-se recebendo no largo do
theatro os movis que eram descidos por cordas,
recebeu em cheio sobre as pernas o piano do salo.
Com vagar daremos noticia minuciosa
INSTITUTO HISTRICO E PHILOSOPHICO.
Amanbaa reunc-se esta- sociedade, em sessao ex-
traordinaria, s 11 horas da manha.
SEVICIAS Na sexta-feira, na fregnezia de-r.
Jos, foi levada a compleme autoridade urna pae
da eserava, que fora pela sua barbara senhorS
ferrada pela face e lado inferior do Ironco. Cons-
ta que a referida autoridade, na sua habitual di-
ligencia, procura syndicar o fado de modo a ser
punido (al atlcntad ; convindo notar qne a auto-
ra de semelhan'.e facto por demais turbulenta e
bem conhecida por factos anteriores e de longa
data pralicados.
PROCLAMAS.Foram lidos hontem na matriz
da freguezia de Santo Antonio os proclamas se-
guintes:
l/denunciacao.
Leonardo Antonio do Espirito-Santo Porto^com
Mara da Pedade dos Santos Alm.
Manoel do Rosario da Paxo, com Rosalina
Augusta da Paixao.
Joaquim de Fras, com Maria Thomazia.
Manoel Gomes de Figueirdo, com Mara da
Gloria Duartc. .
Luz de Franca de Albuquerque, com Antonia
Maria da Conceicao.
Dr. Antonio Venancio Cavalcante de Albuquer-
que, com Joaquina de Figueirdo dos Reis e
Silva.
2." denunciacao.
Luz de Franca Leite, cora Joanna Mana da
Conceicao.
Narciso Jos Machado, com Maria Anglica de
Jess Filgueiras Basto.
Joao Barbosa Lima, com Francisca Delflna de
Aguar Buarque.
Manoel Luiz Carlos Tavares, cora Maria Theo-
dora de Lima Barros.
Guilherme Goncalves dos Santos, com Anna
Francisca de Moraes Galvo.
Bernardino Alves Neiva, com Alexandrina Ame-
lia Pavo Carvalho.
3.* denunciacao.
Sebastiao Jos Gomes Penna,com Ermina Mana
de Almeida.
Silvano Carneiro, com Alexandrina Maria Ta-
vares.
FERNANDO DE NORONHA Chegousabbado
deste presidio, o vapor Cururipe, da Companhia
Pernambucana, trazendo dalas at 13 do corrente.
Nada occorreu all aps a ultima vagem deste
vapor. Foram muito festejadas pela populaco da
ilhj as ultimas noticias do theatro da guerra.
FESTEJOS PATRITICOS Remettem-nos o so-'
guinle, podindo sua publicacao :
t Alm dos festejos organisados pela sociedade
Doze de Setrmbro, a commisso que sompre pro-
moveu festejos patriticos na freguezia da Boa-
visla, resolve, para conhecimento do primeiro
corpo de infantaria e esquadrao de cavallara ja
alistados na mesma freguezia, que sua passeata
em regosijo das felizes noticias que se esperam
da conclusao da guerra, ter lugar no dia poste-
rior aos dos festejos geraes feitos pela sociedade
Doze de Selembro, visto j ha mnito se achar pre-
parado um rieo carro triumphanto, eom todos os
retratos transparentes dos hroes que mais se tem
destingnido nos campos do Paraguay em defeza
da honra nacional, como j foi publicado em um
seu programma no anno prximo passado.
t As pessoas que pretenderem alislar-se para fa-
zer parte de alguns dos corpos cima citados,
queiram ir s seguinies ras : Imperatrlz (caf
imperial) n. 69, Santa Cruz n. 88, S. Goncalo n.
ii. onde se acham as relacoes dos patriotas j
inscripii
FALLECIMIENTO.jM longa e affiictiva en-
fermidade, fallceeu sabbado a Exma. Sra. D. Se-
nhorinha Solera de
sua desolada familia
sames.
L'M DIVORCIADO.-Os inglezes aecusam geral-
menie^eus primos os Vankees-, de ser ua sua pa-
tria afate mais curiosa c mais indiscreta oo
mundo iMaim. Eis no cntanto um incidenle que
mosira rseveridade ea injusiiea deste juizo.
Ii o lis viajantes encontrarai-se na estrada de
Aberdeen (Escossa) e- travaram o segumle dia-
logo :
A tarde est fresca, senhor, dsse um com o
assentode highland mulo |iiununcado, ou que
pelo menos assim o mostrava.
Com elTeito respondeu o outro. Vos sois
naturaknento estrangeiro nesta locahdade, nao ?
ai, senhor, respondeu o primeiro, lacni-
camente
E vou a Vanff; res vos tambem at l ?
E muito natural.
Nesse caso tencionaes talvez parar em Cuf-
ien ?
Nao decid cousa alguma a tal respeito.
' Perduai a indiscricao desia pergunia, sois
csalo ?
Nao.
sois muito rapaz anda T
. engana-se.
Pira que tantas escusas ? Ouvi : a tristeza
pintadano vosso rosto, esses trajes de luto, tudo
me diz (fie acabo sem querer de despertar recor-
dariies Kistes. Naturalmente sois viuvo.
NaJa, nada, engana-se anda
Ncm solteiro, nem casado, nem viuvo En-
lo que sais ?
Um divorciado. Tanto queris saber do mim,
exclamou a victima deste rudo interrogatorio, e
dizeisqoens somos os curiosos.
CISIUINALIDADE "EM PARS.E' tristemente
notavel o augmento que apresentam as estatisticas
criminaes da prefeitura de Paris. Indicar o alga-
rismo que deva signalar o numero de malfetores
queinfostam aquella opulenta capital,* physica-
mente iuipossivel. Recorrendo aos dados que of-
ferece a prefeitura, v-se que no perodo de urna
dcada, o numero de malfetores capturados, aug-
mentou 37 por cento. Assim ao passo que em
nao.
fintao
ada,
1857 foram presos 20,726, em 1867 ascenda esto
algarismo a 31,437. A progresso observada entre
1866 e 1867, de 2,793 individuos I
Nao menos digno de notar-se que essa pro-
gresso acompanha outro facto, mais lament^vel
anda, c quo naturalmente conduz o espirito l-
gubres cogitacoes.Esse facto que todos os an-
nos os cadveres recomidos na Morgue (casa mor-
tuaria onde se expoera as pessoas que se encon-
trara moras as ras do Paris) augmenta de anno
para anno.
Mr. Mximo du Camp explica a constante pro-
gresso. observada nos delictos e nos ermes, prin-
cipalmente ao horror nslinctls-o que os Francezes
nuniMJank pela araiurauau ;-iastmetos que se
nao ei.c^Miram as ragas saxonas e germnicas,
que seiifdlfficuldade procurara nos vres paizes
da America o bem estar, que na mai patria nao
arden) poder alcancar. A raga gallo-latina senle-
se presa ao seu paz por tao fortes e amorosos la-
gos, que, dospeto de quaesquer esforgos, nao tero
forra para os quebrantar.
BEBIDAS ALCOOLICAS.-Ha mu i te lempo qne
os mdicos encontraram, em pessoas dadas ao
abuso de bebidas espirituosas, a presenga de al-
cool nos centros nervosos. Ogston achou-o no cere-
bro de urna mulher embriagada ; e Tardieu mani-
festou o chelro alcoolico que cxhalam do cerebro
os individuos mortos em estado de bebedeira ; mas
sobretudo os trabalhos de Lallemand Pernn e Du-
rey foram que demonstraran! claramente a presen-
ga doalcool em differentes orgos e no sangue.
nimiamente, diz o Cosmos, os Drs. Magnau e
Belin encontraram-o no hornera e no irracional; o
cerebro, a medula, o ligado, o sangae, e, mas em
quanlidade mais fraca, os pulmoes e os rins, con-
tm alcool. Segundo a meara, que hoje conta o
maior numero de adherentes, o alcool passa atra-
vs do organismo e repellido pelas diversas vas
de elimraacao ; do que se infere que tem sempfe
a mesma aecao directa e inmediata sobre os diffe-
rentes orgos, e mais parlicularmente sobr,os
centrosnervosos. -- /
POMBOS CORREIOS.Toda gente acredite va
que o telegrapho elctrico supplantaria 'mteira-
mente o eiiiprego de pombos para levarem mensa-
gens ; pois acontece o contrario ; este antigo meio
de eemmunicacao acaba de ser renovado em In-
glaterra, pelas "proPri;i* companhias telegrapbicas.
Em Goodwood, por exemplo, o duque de Rich-
mond, nao consentio quo na sua propriedade, onde
est simado o campo para as corridas decavallos,
as companhias telegrapbicas collocassem postes,
era pozessem fios atravs do parque. Por conse-
quencia, foi preciso organisar para as semanas
de corridas um servigo de pombos correios entre
Goodwood e a estacao telegraphica de Chichester.
Cincoenta mensageiros alados all acharam era-
prego, transmittindo regularmente e com celerida-
de as noticias do turf. Assim o affirma o Interna-
cional.
EX :ENTRICIDADE GUSTOSA.O kedive, diz
o Constitucional, acaba de exceder tudo quanto se
pode imaginar, os seus presentes ordinarios, man-
dando fazer em Paris urna boneca.
Abdul Azis, o grao senhor, tem urna filha de se-
te airaos de idade, a qiiem elle estremece muito ;
Ismail Pacha (o vic'e-rei) mandn fazer em Paris
urna boneca sem igual ; para se poder aproximar
a nossa idea do que basta dizer que eomprou
5i,000 francos, que enfeitam as orelhas da bone-
ca, como brincos, etc.
Este presente foi mandado princeza pelo em-
baixador.
Pobres egypcios que assim vem o destino que
se d ao seu dinheiro I
FABRICO DO PAPEL.Va i para qnatro annos
que os Americanos estabeleceram na Pensylvania
urna vasta fabrica, que pode preparar em vinte e
quatro horas 15,000 kilogrammas de polpa de ma-
deira para fabricagao do papel.
A substancia lehosa laborada por meio de
lcali i e depos de cada cocgo tira-se dola por
evaperago oitenta e cinco por cento do lcali em-
preado.
Em Allemanha, onde mais de triota fabricas de
papel empregam a polpa de madeira, nao ha um
s jornal cujo papel nao contenha maior ou menor
quanlidade dessa materia.
O bamb empregado na China para fazer o
papel commum. Nos fins de 1865 o jornaliVetr
York I) fabricado em New Jersey, pelo seguinte processo :
A madeira submette-se a alta pressao em cal-
delras a vapor onde a silica se dissolve, e as fibras
>e desaggregam ; depos ferve-?e em vaso aberto,
e misturado com lcalis provenientes de residuos
de outras industrias ; e finalmente purifica-se e
branquea-se pelos meios ordinarios.
O Dr. Maller de Victoria, diz o Cosmos, donde
extrahida esta noticia, oceupa-se por ordem do
ministro das colonias, cm fazer investigagoes so-
bre substancias proprias para fazer papel.
J vinte e oito qualidades Toram confecciona-
das por elle, sem addigao alguma do trapo. Onzo
de entre ellas obtidas de casca, principalmente de
encaluptus, constituem excellenle papel para im-
primir e para empacotar.
BILHETES OFFERECIDOS. Numeragao do.
bilheles da lotera 121" offerecidos pelo thesoureiro
das loteras para auxilio dsis despezas da gnerra.
Bilhetes os. 1101 a 1110.
LOTERIA.-A que so acha a venda a 121", a
beneficio da matriz de Jaboatao que corre no
dia 29.
PROTESTO DE LETRAS.O eserivao dos nro-
testos Jos Mariano esta de semana roa de Sau-
lo Amaro n. 20.
LEILAO.O agento Marlms faz boje leilio de
movis ra do Imperador n. 16. as 11 horas
do da.
PASSAGEROS.O vapor Parahijha, viudo do
Goyanna, trouxc a seu bordos scguinles:
Luz Martins de Araujo, Francisco Carneiro
Meira, c Dorotha, livre.
O vapor Curunpe, fiado da Iha de Fernan-
do, trouxe os seguinies ;
Francisco Xavier de Paiva, Antonio Rodrigues
de Olveira, Maria Francisca da Conceicao, Joa-
quina Maria de Jess, 1 ollical, 2 gua'rdas e 3
sentenciados.
O hrigue Trovador, levos para o Rio de Ja-
neiro : Joao Dias Fonles.
CEMITERIO PUBLICO.Obtuario do da 10 do
selembro de 1869 :
Thereza de Jess Barata, Pernambuco, 16 annos,
soltera, Boa-vista ; bexigas.
WOj)>i>, Pjrnftnibuau, U -inrafi.^, Do* vi^lo ; sao
ma.
Luz, frica, 40 annos, solteiro, Boa-vista; ano-
mia.
Silvno Antonio de Albuquerque, Pernambuco,
25 annos, casado, Boa-vista ; bexgas.
Jos Goncalves da Silva Ramos, Pernambuco, 34
annos, solteiro, Boa-vista ; tubrculos pulmo-
nares.
Damiana Maria do Nascimento, Pernambuco'
50 annos, viuva, Santo Antonio; abeesso da
face.
Claudina Maria do Sacramento, Pernambuco, 39
annos, soltera, S. Jos; tubrculos pulmoua
res.
17
Severna, Pernambuco, 4 annos, Boa-vista;
bronchile capilar.
Mariana, frica, 30 annos, Santo Antonio; ane-
mia
Isabel Augusta de Olveira, Pernambuco, 23
annos, casada, S. Jos ; phtysica pulmonar.
Luiz Moreira da Silva Pinto, Porlugual, 40 an-
nos, casado, S. Jos ; bepalite aguda.
Isabel. Pernambuco, 1 anno, Boa-vista ; conges-
to cerebral.
Jos, Pernambuco, 5 annos, Boa-vista ; menen-
hite aguda.
diz que nada tem a oppr, dando-se Ihe cordeagao
Mandou-sc cordear.
Outro do mesmo, informando acerca
pede Joao Francisco Paredes Porto,
do qu
CMARA MUNICIPAL.
! DE SETEM-
SESSAO EXTRAORDINARIA DO
BKO DE 1869.
PRESIDENCIA DO SR. DR. BARROS BARRETO.
Presentes os Srs. Dr. Seve, Dr. Moscoso, Dr. Cos-
ta Jnior, Dr. Pitanga ^ mmu, talando com
causa os mais senhores^^^^Wi sessao.
E' lida e approvada aleta da antecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um officio do Exm. vice-presidente da provin-
cia, de 24 de agosto ultimo, declarando haver o
governo imperial, por arito de 31 de julho prxi-
mo passado, determinado que se proceda elei-
gao para um depulado assembla geral legisla-
tiva pelo primeiro distrcto d'esta provincia, afim
de preencher a vaga que se deu na respectiva
cmara em consequencia de haver pm*^> jura-
mento e tomado asseuto no senado o H k
conde do Camaragibc ; recommenda^^^mara
que, nos termos do aviso n. 12 de 12 de Janeiro de
1849, expega com toda a brcvidade as necessaras
ordens aos'juizes de paz das freguezias d'este mu-
nicipio, para que convoquen) para a referida elei-
go os respectivos eleilores, os quaes devein reu-:
ir-se no dia 26 de noverabro prximo vindouro,
que para isso designa ao mesmo edificio j indicado
em circular da presidencia de 19 de dezembro de
1860.Que se fagam as communicacoes.
Outro do mesmo, de 24 de agosto ultimo, com-
muncando ler, por deliberaeao da mesma dala, e
de conformidade com o i' do art. 24 da lu de
12 de agosto de 1834, convocado a nova assem-
bla legislativa provincial para a prxima legisla-
tura que tcni do fuuccionar nos annos de 1870 a
1871, designando o dia 28 de novembro prximo
vindouro para a eleicao dos membros da mesma
assembla ; recominehda cmara a expedigo
de suas ordens pira semelbante fim, tendo era at-
tengo o disposto no art. 2. do decreto n. 2633 do
! de selembro de 1860.Que se officasse aos
juizes de paz do miraicipio.
Oulro do mesmo, de 27 de agosto prximo lin-
do, dizendo que, requorendo-lhe Antonio Marques
da Silva o abate da quinta parte do prego por que
arrematou o imposto de 100 res por carga de fa-
rioha que vier ao mercado d'esta capital, que a lei
provincial n. 906 do 23 de junho do corrente anno,
autorsou a presidencia a conceder-lhe, recora-
menda cmara que informe circumstanciada-
mente o que a tal respeito houver, etc.A' com-
misso de polica.
Outro do mesmo, de igual data, transmittindo
por copia cmara, para seu conhecimento c fins
convenientes, o acto da mesma data, pelo qual re-
solveu approvar provisoriamente, nos termos do
art 2." do decreto de 25 de outubro de 1831, a
postura addicional, que so refere o officio da
dita cmara de 25 do referido mez, sob n. 73.
Que se publique, e se remeta copia aos fiscaes
ao engenheiro eordeador. ^
Outro do secretario da presidencia, de 27 de
agosto ullimo, dizendo que o Exm. Sr. vice-presi-
dente da provincia manda communicar cmara,
para seu conhecimento e fins convenientes, que
em vista de sua ntbrmago de 18 de agosio sob
n. 71. acerca do officio do Dr. chefe de polieja de
28 de julho ultimo, resolveu, por deliberaeao da
mesma data, a bem do servigo publico, demittir
Manoel Luiz Yiraes do cargo" de administrador do
cemiterio publico, e nomeou para o substituir, ao
cidado Antonio Augusto da Fonseca.Inteirada.
O Sr. Dr. Pitanga pede a palavra, e faz um re-
querimento sobre nao ter precedido informacao da
cmara para a demissao do administrador do ce-
miterio publico, e pode a nscrpcao do mesmo na
acta.Posto em discusso, foi regeiiado.
Em seguida ainda faz o seguinte requerimento,
que foi approvado : .
Requeiro qne a commisso do cemiterio as-
sisla entrega do mesmo estabelecimento ao novo
administrador, e que declare em quo estado o en-
controu, seu archivo, e mais utensis pertencentes
aquello estabelecimento, e que emita' seu juno
acerca do dito estabelecimento. Paco da cmara
municipal, 1" de selembro de 1869.Dr. Pi-
tonga. ....
Achando-se presente o novo administrador no-
meado, prestou o juramento do eslyllo.
O Sr. Dr. Costa Jnior nao tomou parlo na dis-
cusso acerca do requerimento do Sr. Dr. Pi-
tanga.
Ootro officio do engenheiro eordeador, infor-
mando o requerimento de Manoel da Cruz Gou-
seiro, diz que nada tem a oppr a protengao do
supplicaoR'.Concedeu-se.
Outro do rao ino, informando sobre o requeri-
mento de Jos Clcmentino Henriques da Silva, diz
que nada ha que oppor ao que pretende o suppli-
can'c. -Coeedeu-se.
Outro d informando contra o que ro-
qner D v
Outro d i >' queiimenlo
do bacharel Joao Sewiaao Carneiro da Cuaba,
tent a dizer
que te neceasario que se Ihe d eoideaflo.Man-
dou-se cordear.
'*'" .do tapio, aJorraaade o rajHrisaento
de Frwirtsco Martins Raposo, eumpre-lhe dizer
que nada lem a oppr, dando-se-llie cordeaco.
Mandou-se cordear.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Vicente Ferreira da Costa, cumpre-iho dizer qur
nada tem a oppr.Concedeu-se.
Outro do mesmo, declarando que nada tem qyi-
oppor prelenco do supplicante Luiz Jos da
Costa Anioriin. Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Antonio Jos Rodrigues, tem a dizer que nada si-
lbe offerece a oppor pretencao do supplicante.
dando-se-lhc cordeagao.Mandou-se cordear
Outro do mesmo, rafonnando o requerimento
do bacharel Manoel Izidro de Miranda, eumpre-
lhe declarar que nada tem a oppr, dando-sc-lhe
a respectiva cordeagao.Mandou-se cordear.
Ouirodo mesmo,'informando contra o que pedi-
era seu requerimento Vieeiite Moreira da Silva.
Oulro do mesmo, informando contra o i|UO re-
3uer Joaquim Manoel de Olveira e Silva, tom a
izer que nada so Ihe offerece a oppr pretenrao
do supplicante, dando se-lhe cordeagao.Mandou-
se cordear.
Outro do mesmo, remetiendo o orea ment dos
conccrlos a fazer na casa do mercado publico da
freguezia da Boa-vista na importancia de 5:2804-
A' commisso de polica.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Joaquim Maria Baptista, para eoncerlar os otes
de sua casa na estrada do Casanga, declara que
nao ha inconveniente na concessao da licenga.
Concedeu-se.
Oulro do mesmo, informando sobre o quo re-
quer Bernardo Tavares Coutinho, declara que nao
M inconveniente em conceder-se o que pede o
supplicante.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento
de Andr Alves Gama, nao se oppoe ao que pre-
tende o supplicante, urna vez que elle colloque a
solcira da porta do oito de sua casa (ravussa
de Sanio Amaro, no uivel das existentes na frente.
Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre que o requer
Luiz Jos da Costa Amorim, declara que nada
lem a oppr, devendo o novo muro ser construido
no mesmo nivelamento e aliuhamento do actual.
Concedeu-se.
Outro do fiscal da freguezia dos Affogados, re-
metiendo o termo de infraego, comraettida por
Antonio Ribeiro do Nascimenlo.Ao procurador
Oulre do mesmo, communicando as ocurrencias
havidas era sua freguezia, como Ihe foi recom-
mendado por officio de 4 de agosto prximo lindo
Ao Sr. Gameiro.
Outro do fiscal da freguezia do Poco no mesmo
sentido.Igual destino.
Outro do fiscal da freguezia de S. Lourencp da
Malla tambem no mesmo sentido.Igual destino.
Outro do fiscal da fejnezia de Muribeca no
mesmo sentido. ^^P
O Sr. Dr. Moscoso^ede a palavra o aprsenla
um projecto de posturas, nao s modificando a^
altura que se deve dar aos muros que seiconstrui-
rem nos terrenos devolulos, como estabelecendo sa-
guao as casas qne se edificarem ou rudiflcarem,
e finalmente reduzindo os canos do telhado das
casas com biqueiras a canos internados as pare-
des, e a encaar por baixo dos passeios os que
existirem sobre os mesmos, posto em discusse
foi approvado c determinou-se officiar a presiden-
cia pedindo appravacao provisoria.
Foi apresentado a' cmara o papel de doagao
que a mesmadizerara Francisco Jos Alves Gu-
maraes e sua mulher D. Francelina Leopoldina
Gumaraes de urna pequea parte do terreno a
raargem do ro de Capibarihe no logar do Poco da
Panella para serveniia publica.Que se transcre-
vesse no respectivo livro do tombo, e se rcmettcise
copia ao advogado, e se archivasse o original.
A' reqiflttmto do Sr. Dr. CostiAuior mar
dou-se recomendar ao procur.idor"^|com ur-
gencia informe o reqnenmento qo.c esta errrVu po-
der, do cidadaoJe-uinoFtrreira da Silva, fiador do
ex-procurador Francisco de Paula c Silva.
Estiveram em praca a obra do concert da pon-
te do Luca, e o imposto de 500 ris por cabegs.
de gado morlo para o consumo das freguezias de
fra da cidade; para a primelra appareeeu smen-
te um licitante, e para a segunda nenhum appa-
reeeu, resolveti-se que fosse novamente. a praga
no dia 9 do corrente.Para o mesmo da 9 mar-
couse a lerceira sessao ordinaria deste anuo.
Despacharam-sc as petices de Antonio Joaquim
de Sant'Anna, Anfela Mara do Espirito Sante.de-
sembargador Alexandre Bernardino dos Reis f
Silva (2), Antonio Valentim da Silva Barroca, An-
tonio Joaquim de Vasconcellos, Agostinho Ribeiro
da Silva, Antonio Jos Rodrigues dn Silva, Bento
Jos de Almeida Soares, Benedicto Maria Duraes.
baro do Livramento, Bernardino Jos Leitao, Braz
Manoel do Arruda, Coriolano Velloso da Silveira
Candido da Silva Veira, Francisco de Paula Cos-
ta, Francisco do Paula e Silva, Francisco Muir.
Tavares, Francisco Pinto Osnrio, padre Ignacio
Francisco dos Santos, Francisco Ferreira Bailar
Francisco Martins Raposo, Francisco de Barros
Correa, Francisco de Hollanda Chacn, Joaquim
Rodrigues Tavares de Mello, Jos Emygdio Fer-
reira Luna, Jos Fernandes Lima, Joao Jos Ro-
drigues Mendes, Jos Ignacio Pereira da Rocha
Jnior, Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado, Joa-
quim Lopes Machado, junta administrativa da
Sania Casa (2), bacharel Joao Severiano Carneiro
da Conha, Joao Luiz Ferreira Ribeiro, Joao Fran-
cisco Paredes Porto, Joo Henrique de Albuquer-
que, Joao Paulo Franco, Jos Alves Barbosa, Luiz
Eduardo de Hollanda, Luiza Ferreira do Lago, ba-
charel Manoel Izidro do Miranda, Manoel Luiz Vi-
raos, Manoel Jos Colho, Manoei Antonio de Al-
cantara, Manoel do Azovedo Andrade, Manool Fir-
mino Ferreira (2). Olvmpio Gongalves Rosa, Re-
migi > Hneip, Rita Muiz doCarmo, Rufino Manoel
da Cruz Cousseiro, Silvestre Correa da Costa,
Saturnino Jos Cesar dos Anjos, Thomaz d'Aqumo
Cesar, Thomaz Corancr, William Bowman, Vicente.
Moreira da Silva, Vicente Herculano de Lemas
Duarte, e levantou-sc a sessao.
Eu Francisco Canuto da Boaviagem, secretan
a escrevi.Manoel de Burros Barreta pr-pre-
sidente.Dr. Pedro de Athayde I-obo Moscoso.
Jos Maria Freir Gameiro.Bento Jos da Cos-
Jnior.Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitonga.
Flix Francisco de Souza Magalhde's.Dr. Jof
Maria Se re.
v
ll
PUBLICACOES A PEDIDO.
I Bminad.i;ic da Nossa Seohor
fa olctla eco *iv. foo Va-
Icntoi ViUela Juiz suspenso
da mesma ruiaudade.
J nao mais un irmfins que veio a sceu.
deixando em silencio que deyia ser combatid".
entretanto il mordeu, em outro-
; cautalla) delibero:'
ooalinen
as arguicoes lera si

MUTILADO I


Ti

-I-
Diario de Pernambuco Segunda (eir 20 de Setembro de 1869.
raido nem fundamento, sonta publico para elle\
s. Foi urna ver.Udeira escamotagoai !
Das exceptes fpitas por as 'irmaos cm sen
pruieiro artigo, aos don* membros di commisso,
das mesnia* exeepede emitidas no artigo as-
signado pulo Sr. Joo Vateatitn Villela conelue-se
que este senhor representen o papel de as ir-
maos e qae ans rumos tirou a mascara e apre-
sentou-se em erigioal.
O Sr. Viilela uv>sirou-se massado por ter a
eouimissao levado mais de seis mezes era exames,
e invostigacoos, anezar di illustracaj, istugiu-
adr b iap\nr.i.\i.iD\DB de dous de seus mem-
bros. G:iranto-lhe que nao faltei as sessoes da
inesma comtnissao, nein eoncorri par tal demora.
A razio fui outra.
Como memoro da cn:nuwsao verifl gularidades de que o Sr. ViHeta era aecusad >, e
nao agradando a minh i franqueza aas ouiros d >us
membros da eommissfm, nceessarie era demorar-
ao a causa, allm de se preparar argumentosque
destruissem o quj ea allegava, Mizmente nao se
pitia ebter provas em contrario, sopliismou-se en-
ti), e appellou-se para o preciosoXermoe^uidude.
K cis pirque o parecer de um membro solas,
Mus ei uaus, lirmado oa docamentos nespondi-
veK tem prevalecido ato a<|ui contra a materia
la cmiimissao, e sr. lera essi mombro tornado ca-
paz, de formar opinio.
Nao ka quera s.-j.i anisado que nao diga eu sou
innocente. Prova-lo : hoc pus hic labor est!
Diz o Sr. VHiela que eu sei, que todo o inundo
o sabe, e que a historia por elle contada a ver-
dadera ; mais que cu linio nao saber.
Do contrario do que disse o Sr. Villela, acerca
do adiantamento aos empreiteiros, e que eu sei, e
ja consta dos autos ; peis o Sr. Villela jamis po-
der provar que a mesa regadora maudou pa-
rar com a obra, e adiaotar dinheiro.
Do contrario do que disse o Sr. Villela acerca
do arrendamento do predio n. 1 s irmes de
Santa Dorothea qae eu sei, e consta dos autos ;
pois al se siuiulou urna mesa conjuncta, e assim
se illudio a prove torta em 187, de forma que a
igreja se w boje privada Ue scus corredores, e
coro, ao passo que elle* se prestam a misteres in-
leiramenti- extraaos igreja.
Do contrario de que lisse o Sr. Villela acerca
da casa e.n que ora, que eu sei, e j consta
dos autos. Abra o Sn Villela o livro de receita
da irm ui'la le, e ver M esaa easa esteve nanita
te npo feebada como disse, e por favor me aponte
as MaMtoriag que tem Caita netta, pan cu cada
vez a vejo mais estragarla exieriorinente.
Eu podia eairar em detalhes, e exibir aqu
mesmo as pravas; mas isto seria insinuar-me,
una vez que de>ta causa pende urna decis ;
depois della entao saber; o publico de todos esses
delalhes, pois agora aindaelle de nada sabe.
Nunca solicitei cargos de irmaivlade, como j
o disse, qu.into mais reelcieoes. Hasta questao
a. Estoa bem certo que se nao tive.sse sido eu
nomeado para esta commiss > tudo j estara ar-
ranjado a contento do Sr. Villela como se eviden-
cia de seu escripto. Mas cuno assim nao acon-
tecen, destrua a Sr. Villela o que eu disse cm
ni mi parecer, j que sabe delle ; e nao quei-
raando o podre intonso no turibulo da lisonja, e
sallando p.r cima dos p.mio* do que argido,
como o gato por brazas, que deveri aguardar dc-
cisao que espera.
Qualquer que * indiferente, comanlo que nao continen taes
abusos ; e se alguuia rott-a Rafee feito em favor
desia irmandade, potque me (em cabido por sor-
te tira-la de idnticos aby-mis, nao sendo esta a
primeira vez.
Dos cargos que nella teuho aecupado s me
tem resultado despeza*, e malquereneas pjis,
nem ao men is knha sagrada qncimei anda.
E quando rejo muito inleresse en se querer
exereer cargos que bem desembullados s pdem
trazer prejuizos, lembro-me lugo do seguinlo ver-
so de IIjcagi:
Rccebcm cprjsquer quanlias em deposi-
10, em conta torrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinbo n. 7.
ALFANBEGa.
Rendim.entododia 1 a 17. 467:729*799
dem do da 18...... 28:5662o
4:2%*i
MOVIMENTO DA ALFANDEGA

Com lao m gambia andas tanto
Tanto daqui para all I
Procurador, nao me engaas
Tu procuras para ti.
Hecife, 18 de setembro do 186.
lernardo ia Cunha Teixeira,
Ocslilo AratangiL
Ceg o que nao quer ver.
O Dr. Adoiiso de Albuquerque, de lanca em
riste, vem .inda hoje contra o l)r. Gaspar Druni-
moud, lomando as dores pelo juiz quo Mirve ao
Sr. Jato de S.
.Na falla de iHeza^^acil invectivar, dando
paternidad de io lirmado os quo tem escfioPa sobre e-la questao.
Mas, i;-.<; expodiente desacredita anda mais a
causa do Sr. Joao deS.
Todos sabein que ili maMuUtuSO que este Sr.
obtuve de quem ludo lbe dar se fr pedido, o Dr.
Alfonso taz a bapiisa. confes.-a o absolve...
E lauto i=to exacto, que o Dr. nao contestn
0 qne so disse no Diario do hontem, que ha 15
das n il i audiencia o juiz, faltando com elle o
squito ilo Sr. Joo de S
.Vi) Imuv conluio ? Entao o Dr. Alfonso e o
l>r.vurador do Sr. Joao de S e todo seu povo ad-
vhibain... #
Tem mais este dom? bemdicti gente !
A ligio que nos qutr dar o adeogado da manu-
ItHf&o (juaiito ao dia em que eomecou a correr os
4-i da su-peiea i, escupid i e fatua.
Dissemos qiie os que advinliam quando o juz d
audiencia e quando deixadc faze-lo, procuraran!
tirar partidaj^laps dapielle prazq^aMntende-lo
a seu m^jp^ ^J
Nao ar^o j Sr. Dr. qaem sabe Wito nesta
trra.
E o juiz seu pupillo sem igual.
>
Quas consumida viva,
Quem nunca houvio fallar do caso de Dolores,
Mndez, de Lima .' fui ella atacada de escrfulas,
d'um aspecto e natureza a mais asquerosa e rpi-
damente mortal. Grandes ulceras, que cada dia
se tornavam mais profundas, consumiram a carne
d seas membros inferiores, at os ossos se
Jhe apodreceram. Esteve dez'mezes de cama con-
vertida n'uo esqueleto.
Chamarain se mdicos de todas as partes, e to-
doa eJIofi a desenganaram, nao lbe restando por-
tanta outro recurso do que esperar pela mortc.
Achandn-se pois om lao criticas circunstancias
ilie recommendaram que lomassc a salsa parrilha
le bristul, e esta a salvou, como j antes d'ella
liavia salvado outros mil. Reprimiou-se a cala-
inidade, cicalri foi.-.is a o appetile, n'iiuia palavra, a sade,a ale-
liria tornaran) a vistala, e desde entao tea go-a-
di do-sas supremas felicidades da trra, a sade
do eorptf. e alegra do espirito.
A faenldade medica concerne que so anuncio a
.salsaparrilba de bristol. como o remedio mais
prmnpto e seguro de quantus se conliecem, para
toilas as formas de escrfulas, caacrus, tumores
abeessos erboumatismo.
Aclta-so venda as pbarraacias de A.
Caors, M. A. Barbosa. J. da Gonceiolo Bra-
vo A C, P. Maurer A- C. e B irtholnmeo
A C
Volumes entrados com fazendas
dem dem com gneros
Vol umes sahidos com Calendas
dem dem coiu genero
68
584
------652
311
409

1220
COMMERCIO.
186!'
P.iACA D HECIFE 18 DE SETEMBIIU DE
AS 3 1/2 HORAS DA TAniifc.
A&iufiar americano purgado ')l50 por 13 kil.
Assucar bruto americano(000 por lo kil.
Algudao da Parahyba sorte IJf45 por kil.
potito a bordo, freto de 5/8 d. c 5 0,0
CamtMu sobre Londres Mi d/v. 10 3|i u 19 7i8
d. por 15000 (liontcm e boje).
9. Sllveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simou & C.
Comprara e vender por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
ii de cambio, sednlas do avernoe do
q.m!'> do Brasil, por bom premio.
Dscontam letras da trra e outrostitu-
los commerciaes.
earregam-se por conta aiheia das mes-
Bias transaccSes, da cobranza de tetras da
^^m e de outros ttulos commerciaes.
Descarregam hoje 18 de setembro
Brigue ingleziesie Scottmercaduras.
Galera francezaAmelleidem,
Barca inglezaGazella idem.
Barca italauaRosa idem.
Br.gue hollandez Cornelia & Gertrudcsfarinha
de trigo.
Brigue austraco Galseppina idem.
taa portuguezaS. Joao varios gneros.
Brigue nglezi> Barca frauceza aublf., viada do Har, con-
signada a Tisset frtret, ntanifestn :
3 caixas tecidos de la ; a Joaquim L. Machado
A C.
3 ditas fumo e papel; a Joaquim Bernardo dos
Res.
1 da calcado ; a A. Rodrigues Pinto.
1 dita dito; a Porto i Bastos.
1 dita dito, a italtaazar Pinto de Gouva.
3 ditas dito e brinquedos; a Salyro Serapbim da
Silva.
1 da movis; a Lbeman frres.
7 ditas ditos; a Joaquiai Pacheco da Silva.
4 ditas dit M ; a Chrisiiano Jos T.ivares.
1 dita urna machina; a Ch. Lcclerc.
1 dita un realejo ; a Vianna.
1 dita papel; a J. Walfredo de Medeiros.
2 diuis iiiiudezas: a J. de Souza Soares & C.
2 ditas ditas; a Guimares t Luz.
7 ditat ditas, perfumaras e calcado; a Ed. de
Mora-s 4 C.
12 ditas chapeos, tecidos de algodo e de la; a
Ferreir.i A Matheus.
1 ditas vidros e miudezas; a B. Noral ( na Pa-
rahyba).
. 2ii ditas marroquin-s tecidos de laa e de algo-
do ; a Carlos Pinto de Lcidas & C.
4 ditas pianos; a Vogeley.
4 ditas movis e selins, o cestos champagne; a
Th. Chi i tiausen. '
t caixas chapeos; a Th. Christiani Innao.
5 .1U.. .OU^ > J. .1., Cnim Uni'i i, c.
3 ditM ditos ; a J. J da Cosa Maia.
1 ilita ditos ; a J. J. Barbosa da Silva.
1 dita ditos ; a Manuel Ferreira Pinto.
5 diias ditos, vidros, ealcado, papel e modas ; a
viuva Meira ILIIanda (Parahyba).
8 ditas vidros, chocolate e doces; a Ramonda
Se C.
7 ditas drogas; a Barlholomcu & C.
dita? ditas; a Joao da S. Faria & Irmo.
3 ditas dita?; a liveira Filhos & C.
3 ditas ditas; a J. de Almeida Pinto.
') ditas ditas; a E. A. Burle & C.
7 ditas e 2 barricas ditas ; a A. Caors.
2 ditas e i caixas ditas ; a F. F. Borges.
4 ditas e 3 barricas ditas; a A. J. de Abreu Ri-
beiro.
2 ditas e 6 caixas ditas ; a Jos Alexandre Ri-
beiio.
3 ditas ditas ; a J-. da C. Bravo & C.
4 ditas o 4 barricas ditas ; a J. M. a Cruz
Correa.
10 caixas ditas; a P. Maurer & C.
2 ditas chapeos : a Cunta A C.
1 dita ditos ; a Mauoel Moreira de Soma,
1 dita ditos e oleado: a Arminio & C.
4 ditas movis e calcado; a L. A. Sequoira.
11 ditas marroquins* licor, miudezas, perfuma-
ras e tecidos de lia ; a Vai & Leal.
10 ditas livros, porcelana, tinta e objectos para
eseriptorio ; a Lailhacar & C.
5 ilitas chapeos; a Silva A Cardoso.
1 dita armamento; a Antonio dos Santos Oli-
veira.
1 dita cutilaria; a Vianna A uimaraes.
5 ditas crvstaes a perfumaras; a Carneiro
Vianna A C. igM ^B>
4 ditas vidorS ; Parle, Pereira A C.
12 ditas drogas ; a M. Alves Barbosa.
2 ditas e 2 barricas ditas; a Jos Alves Barbosa
Filho.
6 caixas miudezas; a J. de Almeida A C.
1 dita ditas ; a F C. Burlamaque A C.
4 ditas ditas ; a Domingos T. Bastos.
4 ditas dilas; a Jos Luiz Goncalves Ferreira
A C.
2 ditas brinquedos ; a Len Desprez.
6 ditasjnodas; a madama Adour.
3 diig Kigens; a A. J. da Costa e Silva.
0 M Palancas, perfumaras e miudezas; a
Isi'orlaBWTOs A C.
2 ditas tecidejs d'algodo; a A. Pinto da Silva A C.
4 ditas ditos de dito e de la ; a Uagalbes A
Irmo.
1 dita papel para cigarros; a Estevao da Cunha
Medeiros.
9 ditas ferragens, chapeos, espelhos, perfnma-
rias qnadros, c calcado; a Prente Vianna A C.
' 1 dita chapeos de sol; a Manoel A C.
1 dita inarroquins ; a Domingos Jos Ferreira.
12 ditas ferragens; a F. Dubarry.
3 ditas pianos; a A. J. de Azevedo
43 ditas, 3 fardos e 13 barricas estopa, marro-
quin?, arrotos, porcelana, vidros, louc,a e calcado ;
a Bcmel.
3 ditas e 2 caixas porcelana, marroquins, calca-
do c instrumentos de masica; a A. Roberto A Fi-
lhos.
1 dita miudezas ; a Manoel Nunes da F.
30 barris e 60 uieios manteig ; a Jos Ferreira
da Costa.
306 gijos batatas; a Thomaz de Aquino Fonce-
ca A C.
2o barris e 50 meios m\nteiga ; a J. Paier A C-
300 gigos batata", 40 barris e 40 meios mantei-
g ; a A. Frederico de Oliveira A C.
23 barris e 25 muios dita ; a Magalhes A
Curval.
25 barris o 40 meios dita, 200 gigos batatas, 1
caixa piano ; a Tasso Irma is.
G ditas chapeos de sol e tecidos de algodao; a
Joao Fernandes Lopes.
1 dita ditos de dito ; a Silva A Nevcs.
IV ditas ditos de dito; a Sehafheitlin A C.
8 ditas e 1 fardo ditos de dito de algodao e de
linho, cutilaria ; a Mello Lobo A C.
2 barricas e 1*5 caixas miudezas c vidros; a
Joao da Rocha e Silva.
1 dita ferragens; a Saunders Brothers A C.
60 barris e 50 meios manteig ; a Corga Ir-
mos.
15 barris e 20 meios dita ; a J. Gerardo de
Bastos
J> caixas ealcado, marroquins, e tecido do algo-
doj a Monteiro A Irmo.
33 ditas c SO fardos papel de impressao, marro-
3uins, espoletas, chapeos, flores, espelhos, tecidos
* algodao e de 15a ; a Alves A C.
26 caixas calcado, perfumaras, marroquins,
miudezas, papel, armamento e ferragens ; a Joa-
quim A. deAraujo A C.
3 ditas teeidos de linho ; a Adriano, Castro A C
28 ditas ditos de dito e de algodao ; a Cramer,
Fivv A C.
23 ditas ditos de dito, de lae de linho, espole-
tas ; a Monhari, Mettler A C.
9 dilas miudezas, tecidos de algodo e de lia ; a
D. P. Wild.
5 ditas ditos de dita e de algodo, chapeos e
mala<; a llenriquo A Azevedo.
16 > a- miudezas, armamento, calcado e feria
gens : a Bourgard A Faria.
RECEBEDORIA DE MENDAS INTERNAS GE
RAES DE PKRNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 17. 27.658*294
Idem do dia 18...... 2.0WW 8
3300 a 3i500 a arroba o bruto de 3| a 3*430
e o do Canal a 2*850.
At;<;.vnD:>Ti;.Vendcu-se a 94$ a pipa.
Annoz.O pilado da India vendeu-se, de 3*100
a 3*208 a arroba, e o do Maranho de 2800 a
3*000.
Azeite-doce.Vendcu-se o de Lisboa a 3*800
o galo.
Bacalho.Rctalhou-sede2l*a*2* a barrica,
Picando em deposito cerca de 300 barricas.
Batatas.Venden-so a 900 o gigo.
BoL.vcia.MiAS. Vendeu-se a 4*500 a barri-
quinha.
Caf.Vendeu-se de 3*500 a 6*800 a arroba.
Cha.dem de 2 j*K) a 25700 por libra.
Ckrvkja. A duzia de botijas vuuJeu-se a
5*200.
Louca Vcndeu-sc a ingleza ordinaracoin 430
por ceuto de premio sobre a factura.
Mantiga.A ingleza vendeu-se a 1* a libra,
c a franceza a 740 rs.
Massas.Vendeu-se de 7*500 a 8* a caixa.
Passasdem a 8j a caixa.
Olko be mxhaca.dem a 2* por galo.
(Jueijos.s flamengos veuderainse a 25400
cada un.
Presuntos.Idam a 18* a arroba.
Sabao. O inglez vendeu-se a 170 rs. por libra.
T.ii.axiio.Vendeu-se o de Lisboa a 10* a
arrolla.
Vinagre.O de Portugal vendeu-se de 110*
a 125* por pipa.
VixiiosOs de Portugal venderam-se a 230*
a pipa, e os de ontios panes de ttbi a 190*.
Vklas.As de com-wsicao venderam-se de 640
a 650 rs. o pacote de 6 velas.
Brotes.Par Liverpool carrepando eoi nosso
porto 9/16. 4a'.) 5 8 d. 5 % pelo algodao; na Pa-
rahyba 3/8 a 11 16 d. 5 "/. e o no Rio-Grande do
Norie. 11 16 d. 5 0,0; pelo asquear 20/ 5 % para
Liverpool, e para o Canal 22/6 3 %
MOVIMENTO DO PORTO.
Mavios 'Hitados no dia 18.
Govanna6 horas, vapor nacional Pardkfba, do
101 toneladas, commandanle T. da Costa-Mello,
equpagem 13; em lastro.
Ilha de Fernando48 horas, vapor nacional Cu-
ruripe, de 222 toneladas, coramandanteP. N. da
Costa, cqnipagem 17; em lastro.
Terra-Nova30 dias, barca ingleza Lamia, de
251 toneladas, capitn iVtcr Me. Kenzie. equi-
pagem 14, carga 400i Dnicas eom bacalho ;
S.iunders Brothers A C.
Tarragonai8 dia-, patacho dinamarmiez Iklge,
de 133 toneladas, eapilao A. M. A' kezar, Ojui
pagem 7, carga vinlio ; :i Tasso Irmao.
Nano suhido no niesmo dia.
no dr J.mcii.iiigue nacional Trocador,pilao
Antonio Dias de Lima, carga varios geros.
afio entrado no dia 19.
Para par Maranho23 dias, hiato nacional Rosi-
ta, de 195 toneladas, eapilao Jacintho ly\ines da
Costa, eriuipagem 10, carga varios geieros ;
Joaquim Jos Saacalvea Beltran.
Navios tajidat no inesina dia.
BarcelonaSumaca hespanhola Ondiat, capitn
Francisco Sensat, carga algodao.
ValparaizoBrigue inglez GauallUed, eapilao Ree-
se, carga earvaa.
Liverpool pela'Parah\haP;itacho inglez Jovita.
eapilao Aammowd, em lastro.
ECITAES.
Perante o conselho de revista da gnaada nacio-
nal deste municipio, ao pelo presente chamados
para seren inspeccionados na sala das sessoes da
cmara municipal, no dia 23 do coireute, s 10
horas da manliaa, os guardas abaixo menciona-
dos :
1 balnlhao de artilharia.
Eufrazio Nery I! irbosa.
Augusto Cyriaco Viflas-BSas.
Jeronyino Joaquim da Silva.
Carlos Frederico Barbosa.
Flix Antonio Pinto Serodio.
Carlos Esteres Alves.
Ignacio Dias Fernandos.
Manoef Gomes de .Miranda Leal.
I* batalhao de infantaria.
Joaquim Vieira do Mello Pinto
Raphael Ar.-hanj i V ?. < Silva. -f
Alvaro Paulo Nul/lato.
Manoel Cyi-iu.-o Paz.
Francisco ilenriqne de Alcntara.
Dionizio Antonio il Oliveira Moura.
Ismael Antonio d Oiiveira.
Antonio Aifono Rigueira.
Joao Jos d'Araujo Lima.
Jos Baptista Braga Jnior.
Antonio Teixeira d> Santos Jnior.
Luiz Marlins d'Araujo.
Vicente Ferreira da Cista.
Jos Marcelino dos Santos.
Anselmo de Jess Cirv.illio.
Joaquim Jos de Sant'Anna.
3o batalhao de infantaria.
Joao Ferreira da Silva.
Jos da Silva Guimares Sobrinho.
Jos Ferreira da Visitacao.
Procopio Joaquim Dias.'
Ludeero Lopes de Lima.
Manoel Bessone de Mello.
Francisco Rodrigues Barbosa.
6 batalhao de infamara.
Joaquim Cocino do Amnral.
Krancisco Antonio da Cunha.
Joo Rodrigues Nogneira.
Evaristo Antonio do Lima.
Anto Vieira Guimares Filho.
Jos Joaquim de Sant'Anna.
Manoel Severino da Luz.
Amando Pereira da Costa.
Sala das saaMes do wnselho de revista, IC de
setembro de 1869.
O secretario,
_______ Firmuo Jos dOUve'a. .
O Dr. Mauoel Jos da Silva Neiva, juiz de direito
da 2* vara criminal e substituto da do especial
do commercio nesta cidade do Becife de Per-
namanco, por soa magostada imperial e cons-
titucional o Sr. D. Pedro II, a qacm Deus guar-
de etc. etc.
Fago saber aos que o presente cdital viren, e
delle noticia tiverem, que no da 13 do mez de
outubro do crreme anno, se ha de arrematar por
venda a quem mais dr em praca publica depois
da audiencia respectiva os predios seguinles : a
easa terrea n. 41 cita a ra Direita da freguezia
dos AA>gados, com 3 janellas na frente o porto
ao lado, contendoduas salas e quatro quartos, co-
zmlia rara, quintal com alguns atvoradea de l'ruc-
tos, limitando-so os fundos com a estrada de fer-
ro, avahada por i000*000. Uutra dita mais pe-
quena n. 43, sita a mesma roa e freguezia^tendo
duas pequeas salas, dous quartos, peqoeaa c.
zinlta e pegueno quintil, avahada por 65fl*0O|
os quaes predios vo a praca por execucad cop-
1ra Jos Pedro Velloso da Silvera e sua raulhor.
E na falta de lancador que cubra o preco da ava*
liaijo ser a arrematacao feta pelo preco da ad-
judicacao com o abatimenlo le.
E para qne ebegue ao conhecimento de todos
maodei passar o presente que ser publicado pela
imprensa e aflixado no lugar do costume.
Dado e pastado nesta eid.ide do Recifo de P$f-
nambuco, aos 18 do setembro de 1869.
Eu, Manoel Silvino fie Barros Falclo,
escrivio interino, o subscrevi.
Manoel JotMi Siloa Neitas.
ultimo, sao chamados pelo presente Luciano Arco
e Flexa, Joo Jos Tiburcio e Romo de tal, para
no praso de 6) dias que Ihes Oca marcado, indem-
nisarem a (azoada a quanlia de l'K)*000 cada um,
provenieuto de multa que Ibes foi imposta pela-
mesma presidencia, nos termos do artigo 14 das
instruecoes de 6 de abril de 1841 por haverem to-
uiad) o rerruta Manoel Joaquim do poder da es-
colta que o conduzia da villa de Cabroli esta
capital. Fiada o qual ser a cobranca effecluada
executivamente de conf jrmidade com o artigo 3^
do regulainento que baixou com o decreto n. 4181
de 6 de tnaio de 1868.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 18 de setembro de 1869.
Servindj de elcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
O admiii-irailor d.i rocebeoria de rendas in-
ternas genes faz publico que neste corrento mez
de setembro e no de outubro prximo futuro, que
os contribuinies do imposto sobre industrias e
pros6es, resiJentos as freguezias da cidade e
as de fra, toera di paza-lo, fivre de multa ; fin-
do, porm, o referido praso, ser pago com a mul-
la de l 0|0. *
Recebcdoria do Peraambio, 18 de setembro
do 1869.
Hantel Cnaeiro de Sonsa Lacera i.
IVI.r secretaria da cmara municipal desta
cidade se f.z publico para conhecimento de quem
possa interessar. que leudo estado hoje em praca
nao s o iuipvtstd de 100 rs. por carga de larinha
e oulros legu nes que vem aos mercados pblicos,
como o de 300 rs. por cabeca de gado morto para
o consumo das freguezias d fra da cidade, nao
apparcceu licitante para nenhum delles, e conti-
nan em praca no da 22 do crrente para screu
arrematados por quem maior preco offerecer, es-4
tando habilitado na forma da le,
Secretaria da cmara municipal do Rccife 15 de
setembro de I8G9.
O secretario,
Francisco (;imito di Do.iviagem.
Na prxima audiencia do juizo de orpliaos
que tem lugar no da terga-Teira 21 do corrente,
tem de ir praca a renda, por terapo de tres an-
nos, da casa de sobrado de dous andares n. 17,
sita cm a ra cstreila do Rosario, servindo de base
o prece de 800*. e que est pagando.___________
COMP/^HIa
DO
'No dia 23 do corrente pelas 12 horas
do dia lera lugar no escriplorio da companbia
roa to Cabug n. 16, arremalaco do
chafariz da povoaejio de Apipucos ; nao
se admiilindo propostas que coniprehendam
mais de nove mezes a contar do i" de ou-
tubro prximo 30 de junho do anno vin-
douro, data em que tocia de irem
praca lodos os cbafarizes e bicas desta
companbia: os Srs. licitantes comparecam
com seus fiadores ou declarado dos
mesmos no mencionado dia, devendo set-
as propostas em Garta fechada apresentada
na mesina occasio ou antes no escriplorio,
onde mellior se devero esclarecer e infor-
ma das condiges do contrato da arrema-
taro.
Base sobre a qual se deve lancar :
Ctiafariz da povoacao da Api-
pu :os........ ........... 2'iOiJOOO
Escriplorio da Companhia do Beberibe,
20 de setembro de 1869.
O secretario,
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pilanga.
29:697*571
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dial a 17. 34:288*140
dem do dia 18....... 964*074
35:252*114
PRAGA DO RECIFE
Gil 18 DBSOTEMBnO DE 1869, S 3 HORAS DA TARDE.
UEVISTA SUMABA!,.
Camgios.Sobje Londres ?aecuu-se do 19 3/4 a
19 7/8 d. por i*;' sendo o valor dos saques elfec-
nesta somaaa de a* 90,000.
Algodao. Vendeu-se o de Pernambuco de
16*800 a 16*900 o de Macei. posto a bordo, a
19*100 a uma venda e o da Parahvba de 18*300
a 18*600 por 1S kilogrammas, as ultimas vendas.
O nispsetor iutefino da uaudega iaz publi-
co, quo no 20 do corrente, depois do meio oa e
porta da inesma reparticao, serlo levados hasta
publica, livres do direito ao arrematante, as mer-
caderas ibaixo declaradas, comprehendidas as
dispofcdes do capitulo 6- titulo 3o du regulamonto
de 19 de setembro de 1860.
Armasen n, II.
N. N.Duas caixas ns. 200 e 201, vindas de
Liverpool m brigue ingles Eleonor, entrado em >
de Janeiro da correle um, consignadas a Nico-
demos N., com 269 santo de madeira ordinaria e
por acabar, no valor de 100*.
M. I.Urna dita n. >, vinda de Bordoaux no va-
por francez auarte, entrado em 13 do dito mez
consignado urJem, com amostras (tecidos de
phantazia) sem valor.
40.Urna dita n. 2, idem idem,
Alfandega de Pernambuco, 17 do setembro de
1869.
O inspector interino
L i a Pan de Andrade.
DECLABACBE.
O Hlm. Sr. inspector da thesouraria de fazen
da desu provincia manda fazer pubrico qne em
asscab.o mascavado purgado vendou-se del virtude do ofllcio da presidencia de 9 de agosto
Safita Gasa de Misericordia
do lecife.
Alllma. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Rccife, manda fazer publico, que
preuis.-i anaatar panra botica do hospital Pedro
II, nosniezes de oulttbro a dezembro prximo vin-
douro, os se&ntetee medicamentos :
Absintho, kilograrama.
Acido actico, idem.
Acido ctrico puro-, dem.
Acido mariuho, idem.
Acido ntrico puro, idem.
Acido oxlico, idem.
Acido sulfrico, idem.
Acido tartrico, idem.
Ac preparado, idem.
Acnito, idem.
Agua de colonia, duzia.
Agua de flor de laranja, idem.
Agua de rosas, idem.
Atfua de sedeliie, garrafa.
Agua de Viehy, idem.
Agua ingleza de Lisboa, idem.
Aleatro. kilogramma.
Alcool de 36 graos, litro.
Alecrim, kogramma.
Alfazema, idem.
Algalias inglezasde n. 1 a 12, dtisa.
Aloes, kogramma.
Alvaiadc, idem.
Ameixas passadas, idem.
Amoniaco liquido, idem.
Arseuico, dem.
Assal'elida, idem.
Assucar candi, dem.
Assucar de leitcem p, idem.
Avenca, idem..
Bagas de zimbro.
Balsamo de cupahiba, dem.
Balsamo de fioravante, idem.
Bal-amo de tol, idem.
Balsamo pruviann, idem.
Balsamo tranquillo, idem.
Banha de poreo, idem.
Barbante lino para embrulho, idem.
Bejoim de Lisboa, idem.
Belladona, idem.
Benzina, idem.
Bicarbonato de soda, i lea.
Borrachas surtidas com pipos, duzia.
Boloes de rosas rubras, kogramma.
Bromureto de pota***, idem.
Cabecas de paponlas, idem.
Cainca, idem.
Caixas para pilulas, roza.
Cal virgeni, kilogramma.
Calomelanos inclezes, idem.
Clices araduados n. 2, nm.
Camphora, kilograinma.
Cantharidns em p. idem.
Capsulas deMBjajdanWuixa.
Carbonato JKMMitVilosranima.
Carhona
Carboaiptla*
C;ifjj)s idsm.
wr, idem.
atMretla, dem.
a rtranca em grumo?, idem.
. Cevada, Idem.
^^Htuha, idem.
RhlHirea, idem.. '
; Ghlorato de poiassa, idem.
Ctloroformio, hiera.
Colla de lian I res, idem.
Confeitos de lclalo de ferro, du;:ia.
Cremortartaro em p, kilogramma.
Cobohas em pd, idem.
D*gitalis, dem.
Dulcamara, idem.
Emplastro de cicuta, idem.
Emplastro de aquilao, ioVm.
Kmplastrocominnin, idem.
Esptulas de ac anriida^, ama.
Essencia de ans, kilotramma.
Easencia da canella, idem.
Essenria de cidra, dem.
Eseencia de flor de I a naja, idem.
Essencia de hortelaa pntenla, idom.
Essencia de rosas, idem.
Essencia de salsaparrilba, vidro.
Essencia de therebentina. jrarraf;w
Essencia de vergamota, kogramma
Erentiaa, idem.
Ethor ctalorydico, idem.
Ether sulfrico, idem.
Ether ntrico, idem.
Extracto de acnito, dem.
Kxtracto de akacns, dem.
Extracto de Mlladona, dem.
Extracto de camomilia, idem.
Extracto de cicuta, dem.
Kxtraclo de favan de calabar, idem.
Extracto de fumaria, idem.
Ex!rart" de genciana, idem.
Extracto de jurubeba, idem.
Extracto de nos vmica, idem."
Extracto de opio ominoso, dem.
Extracto de salsaparrilba, Idem.
Extracto de tridaceo, idem.
Kxtracio de valeriana, idem.
Fczes de ouro,
Flor de rnica, idem.
Flor le borrageii*, idem.
Flor de enxolre, idem.
Flor de malva-, ideai.
Flor de sabugueiro, idea. *
Flor de tilia, dem.
Flor de violas, idem.
Figado de enxolre, idem.
Fumaria, idem.
Funil de vidro n. i, um.
Genciana, Mtogramma. .
Glycerina branca, idem.
Gimnia de batata, idem.
Gomma de batata purgativa, idem.
Gomma arbica escolluda, idem.
Gomma arbica em p, dem.
Gral de porcellana n. 1, um.
Gral de vidro n. I, dem.
Herva terrestre, kilograiiima.
Hydrochlorato de moi lina, idem.
Hyspo, idem.
Incens puro, dem.
Iode puro, dem,
Iodurlo potassio, dem.
Ipecacuanha pretn, idein.
Jalapa em p, idem.
Kermes mineral, Jera.
Licor de labarraque, garrafa.
Linhaea em p, kilog amina.
Lnhaca inleirn, dem.
Macella gallega, idem.
Magnezia calcinada, idem.
Magnrzia de Henry. vidro.
Mann comiiium. kirogramma.
Manna em lagrimas, idem.
Manteig de cacao, idem.
Massas caustica, idem.
Mel du abelhas, garrafa.
Mercurio doce, kilograiuma.
Mezerio, idem.
Mostarda, idem.
Musgo islndico, dem.
Nitn.to de bismutho, idem.
Nitrato de prata en lapis, dem.
Nitro puro, dem.
Nox-moscada, idem.
Oleo branco di Chevrier, vidro.
Oleo de allazema, kilogramma.
Oleo de ameodoas inglez, idem.
Oleo de IiatpuU, dem.
Oleo de cravo, idem.
Oleo de ligado de bacalho, garrafas 24.
Oleo de (gado de bacalho ferruginoso, idem 8.
Oleo de hnhaca, kilogramma. J
Oleo de ricino, idttn.
leo vermfugo, Irasco. %
Parietaria, kilogramma.
Papel azul para einbrulho, resma.
Papel branco para einbrulho, idem.
Pasta de jtijuua, kilogramma.
Pastilbas de Belloc, caixa.
Pastilhas de ipecacuanha, kilogramma.
Pastilbas de Kemp, caixa.
Pastilhas de kermes mineral, vidro.
Paslhas de nale, caixa.
Podra iime, kilogramma.
Peneiras de cabello, una.
Peueiras de seda, idem.
Perehlorurto de ferro, kilogramma.
Pez de Borgonha, idem.
Posphato de fern de Leras, vidro.
Pilulas do Alli ios verdadeira, caixa.
Pillas de Vallet (SO pilulas), vidro.
Poligula senega, kilogramma.
Popa de tamarindo, idem.
Pomada mercurial, idem.
l'ontas de veado calcinadas, idem. _
Pos de Mgj vidro.
Potassa caustica, kilogramma.
Potes de urna a oito neas, duzia.
Precipitado rubra d mercurio, kilogramma.
Purgante Le Riw,ancez, garrafa de 6/.
Qnassia, kHogr.nma>
Quina em rasca, klcm.
Quina em p, id ;m.
Raz de alcassus, dem.
Raz de alinea, dem.
Raz de espargo, idem.
Itaiz de genciana, idem.
Hezina de angico, idem.
Pauto ioduieto dj nwrcuria, idem.
Reziua de batata, idem.
Rczina de guaiaco, idem.
Ruibarbo em p, idem.
Sabio branco amyxdatiuo, dem.
Sabao para o|>ode!doc, idem.
Saboneta de afealro, duzia.
Sal amargo, kilogramma.
Salsa brlense, idem.
Salsaparrilha, idem.
Saccbarurto de, oleo de bacalho, caixa.
Sassafrs, kilogramma.
Scilla, dem.
Senne, idem.
Semeutes de angelin, idem.
Serpeniaria, idem.
Spermacete em rama, dem.
Solucae-de protuiodirtode ferro, idem.
Stramonio, idem.
Subnitrato de biamatBO, dem.
Sueco de grosees, francez, garrafa.
Sulfato de soda, kilogramma.
Sulfato de ferro puro, idem.
Sulfato neutro de auirjpina, dem.
Suspensores escruta**, duzia.
Yaiisagein, kilogramma.
Vidros com colla de 1 a 4, duzia.
Vidros para opodeido", idem.
Vomitorio de Le Roy, francez, vidro.
Viaho de jurubeba, garrafa.
Vitibo de Covisart, garrafa.
Xarope de Butirgois, vidro.
Xarope de rodina de Berthc, idem.
Xarope de espargo, dem.
Xarupo de Guy, i-lem.
Xarope de ldureto de Gibert, idem.
Xarope de jurubeba, dem.
Xirope de LabJUony, idem.
Xarope du Lamoureaux, idem.
Xarope de natt, idem.
Xarope peitoral inglez, idem.
Xarope de quina de Gr.mault, idem.
As pessas que quiereni concorrer arrema-
taran do forneciment dos ditos medicamentos'
de vem comparecer com seas propostas em carias
fechadas na sala das sessoes da mesma IUma. jun-
ta administrativa pelas i lloras da tarde do da 23
do corrente, acompaniados de seus fiadores, ou
munidos de cartas dtas.
Secretaria da Santa casa de Misericordia do Re-
c.e, 6 de selemlir >!el869.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.

I
Conselho de compras
navaes.
O conselho eoMSTflta no dia 20 do corrente mez
sobas condicoesdo esiyloe vista de propostas
i ecchklas ate as 11 horas da manhaa, o forneei-
iivnt- de galinhas aos astabeleciiuentos de mari-
nha no trimestre prximo vindouro de outnbro a
dezembro, assim como protnove no mesmo dia por
igual forma, a compra dos objectos do material da
armada seguinles: 24 feixes de arcos de ferro
para pipa de 2j8 a 8,8,10 barr de alcatro, 30
pecas dobrim, 2'bules de ferro estanhado, 200 al-
quires de cal prota, 12 libras de cera em ardi-
les, I pecado cabo de conro de 3 Dollegaaas con-
tundo 60 bracas, 20 cudob de madeira, 120 bracas
de crrente de ferro de 1 1|2 pollegada refnrcada,
20 arnibae de estopa de algodo, 20 pelles de
marroquim encarnado, 8 airaba demialhar bran-
co, 10 libras de obrcias fraueezas, 2 neulos de al-
cance. 400 ps de mangueira de sola era vado para
bomba de incendio, 2 pecas de tpele, 2 terrinas
de ferro estanhado, 20 tira-linhas, o 1,000 lijlos
de fogn.
Sala das scssSes do comclho de compras navaes
16 de setembro de 1869.
O secretario
Afe.rar.dre Rodrigues dos Anjos
Consulado provincial
Pela adininistracao deste consulado faz-se
publico a quem interessar possa, que com
o presente rhez termina o recebimento dos
diferentes impostns provineiaes relativos ao
anno fifiaineiroaftiidode 18C8 180, sendo
em seguida liquidados e remettidos pelo
juizo os debM (i's contril.uintes, omissos,
afim de screm executivamente cobrados,
na forma da le.
Consulado provincial, Io de setembro-
de1809.
O 'administrador,
Antonio Carneiro Machado Utos.
Perante a cmara municipal desta cidade d(
Olinda, estarlo novaniente em hasta publica para
serem arremaiados por quem maior lann. olferc-
cer, dos dias 16 e 23 do crrenle mez, os impos-
los seguinles ; cap ni de planta pela quanlia de
622000 ; itkrijjSo de pesos e medidas, ,-endo e
arremtame obrigado a alferir os da mesma cma-
ra sem indemnisjcao alguma, pela dcCOToOOO;
coqueiros de produeco para negocio, pela de
476000 ; os alaguis das casinhas da ribeira,
pela de 70,'00 ; 300 rs. por cabera de gado vac-
cum, pela de 247OO ; mscales e beeeteiras, pe-
la de2!'l00 ;.100 rs. por carga de hrioha v le-
gumes, peia de I3500 ; 100 rs. |or cabera da
gado repolludo ao curial, pila de 27000 : repeso
do acougue, pela de 6*500 : 200 rs. por cabera
de gado suino, pela de 6*600 ; 100 rs. por cabeca
de gado ovelhuui, pela de I:i00.
Os pretendemos deverao comparecer no referi-
dos dias com s u* Madores competentemente habi-
litados na forma da lei.
Paco da cmara municipal de Olinda em 9 selembro de 1869.
Manoel Antonio dos Passos c Sdva,
Pro-presidente.
Rayinundo Theodorico los Uorncllas,
Po toiro, no iuipediraento do SecretarU
AVISOS MARTIMOS.
WA1A BRASILEIHt
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte espeMMM
al o dia 30 do corrente c vaye*
Guar, commandanle v l' le-
neate P. H. Doarte, o qnal de-
pois da demora do costme se-
guir para os |Hrto< do sul.
Desde j recubein-sc pnss.ipciros e enpaja-se a
carga que o vapor poder couduzir, a unal deveri
ser embarcada no da desuacbegada. Ene emien-
das e dinheiro a fete at as duas horas do dia da
sua sabida.
Nao se recebem como encommendas sen3 ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico.
Tudo que passar Oestes limites dever ser embar-
cado como Barga.
Previne-seaos Srs. passageiros qne sua? pama
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
T" andar, escriplorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C.
COMPAXHIA BRAS1LEIRA
DE
Paquetes a vapor.
mm
Dos porlos do sul v esperado
al o da 21 do corrente i o vapor
- Cruzeiro do Sul, commandanle'
J. P. G. Alcnforado, o qual de-
pois da demora do toatOON so-
gira para os [>orto do norte. ,
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condnzir, a qual devera
ser embarcada no dia de suachegada. Enemmen-
das e dinheiro a lete at o dia da sua sabida as i
horas.
Nao se recebem como encommendas s*-nao ob-
jectos de pequeno valor e que nao excedam ardua*
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica".
Tudo quo passar (lestes miles dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros, que anas sagens s se recebem na agencia a ra la Craz
n. 37 primeira andar, escriptorio de Antmio Luiz
de Oliveira Azevedo V C.
"COMPANHIA PERMMBUCAN.r
Bfl
Vavcga^o costeira por vnpor.
Mamanguape.
') vapor Mandah, comman-
danle Julio, seguir para o por-
to aciiMa no dia 28 do crrenle
as 6 horas da tarde. Recebe car-
ga, eiicoinniendas, passageiros e
dinheiro a frete al as 3 horas da tarde do dia
da saluda : escriptorio no forte do Mallos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
Xavega$o costeira por vapor.
Macei em direitara, Pnedo e Aracaj.
O vapor Jagnaribex commandanle Guilhermese-
rui para os portos cima no dia 22docorrenic
as V horas da tarde. Recele carga ate o dia 21
as 3 horas, encommendas, passageiros o dinhcir<
a IVete al as 2 h ras da tard do dia da sabida .
no escriptorio do Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA
PEHNAAIHCANA
DE
cVavegaco cosleira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandali. Acarac e Granja.
*S\f O vapor ptijuca, commaudaui-
/^j4 Moura, seguir para os porte?
BbbHb cima no dia 30 do corrente as o hora-
da tarde. Rectiie carga at o dia 20, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at w
2 horas da tarde do dia da sabida do escriptorn
do Porte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERAMBUCANA
DR
\'avrgaoo costelra
Porto de Gallinlias, Rio
Tamandar.
^JTy O vapor Parahyba, commandanle
l]\ Mello, seguir para os porlos cima n..
dMaVaf dia 0 do corrente a meia noite
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
oheiro a frote, n escriptorio do Forte do Malte-
0.12.
por vapor.
Formoso o
BAHA
O palhabote Garihaldi, eapilao Custodio os
Vianna : a tratr com Tasso fruaos.
O patacho brasileiro Ramn
segu com muila brevidade para o Rio Grande d*
Sul, para onde recebe a frele um resto de carga :
a tratar no escriptprio de Amorim Irmaos C
ra da Cruz n. 3.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Repfe precisa contratar com quem
se queira cncarregar de fazer sua cusa as obras
de que necessita o sobrado n. 37 da ra da Moe-
da, concedendo ella, alera de outras vantagens, o
arrendamento por grande numero de annes.
Recebe para isto proposias em cartas fechada,
na sala ae suas sessoes, dcvondff os pretendentes
exaininarom as obras do quo carece o predio.
Secretaria da Santa Casa de Misoricordia do
Recife, 4 de setembro de 1869.
0 escrivao,
Pedro Rodrigue* de Souza
Para o indicado porto pretende seguir com mui-
la brevidade o lugre portoguez Cisne do Vouga poi
ter a maior parle da carga engajada; e par;, o
muco que Ihe falla, traase com o c nsignattii<>
oaquhn Jo- Goncalves Delirio, ra de Com-
mercio n. 17.
liio de Janeiro.
Para o indicado porto, pretende seguir cam
moita brevidade u brigue nai-ional Isabel, por ter
a maior parle da carga engajada, e para, o pou-
& que Ihe falla, trata-sc cm os consignatario^
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C., raa du
Cruz n.S7. primeii andar.
LEILOES.
LEIO
DE
Fazendas geraes
a 20 do corrente
Magalhes Irmaos fario leilao por intervenco


.1- f
'
I MUTILADO


.4
Diario de Femambued Segunda fera 26 de Setemro de 18(59.
do agenta Olireira, de grande e completo ?nrli-
*ncnto lio fazenda as in.n- pnpri.n do mercado,
assin como de outras avahadas que posanl ap-
parecer.
HOJE.
as 10 horas da manha, em seu armazem ra
daCadcia.__________________________
~ LEILAO
DE
Urna mobilia de Jacaranda, constando de 12 ea-
deiras de guarnirlo, 2 ditas de bracos, 1 sof,
f. consono com pedra e jsrdineira, i cama
franceza de Jacaranda, i piano de armario, i
irqueza de amarello, i meia commoda de
(Hto, 1 lavatorio, 7 caderas, 2 mesas de pinho,
amas de rento, 2 pares de lanternas, z esear-
radeiras de porcelena, 1 tapete para sof, 1 can-
iliciro a gaz, 2 jarros de porcelana, i banheiro
de folha, 1 baca e jarro, louea para jamar, dita
liara almajo, garrafas para vinho, clice?, copos
para agoa e trem de cosinlia.
HOJE.
O agente Martios far leilao por autonsacao do
in'ocnrador da viuva de Joaquim Antonio Pinto
erodio Jnior dos movis cima para pagamento
imperador n. 16 as 11 horas do da.
SpOsP
LEILAO
*W* DE
evos com carnauba.
8 liarrieas eos breu.
i libras de lio.
'19 barricas vazias.
7 meias ditas.
*3 quartos ditas.
10 rotos areM do Porto.
INwrfoa pedacos de Biabo.
Mei barrica com pregos.
1 carleira e mocho o a
Gasa terrea da ra do Appollo n. l'J, com quin-
tal e cacimba.
Ter?a-feira 91 le setembro as
10 horas.
0 asente Pinto far leilao a requerimento de
Francisco de Soasa, testameuteiro e inven-
lariante dos bM do tinado fofa Luiz Goncalves
i" mandado do lllm. Sr. I)r. juiz municipal da
segunda vara, da casa terrea e mais objectos ci-
ma mencionados, as 10 horas do dia cima dito,
no armazem do sobrado da rua do Apollo n. 45.
(SEM LIMITE.)
Na Iravossa da roa
das Crnzcs n, 2, pri-
meiro andar, da-se qoal-
qner qiianlia sobre ouro,
prata e podras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente antorisado pelo
governo, est as condic5es de ga-
rantir a transaccao que se zer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e considerarlo s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
E3CRAVA.
Precisa-so alugar para cozinh.ir: a tratar* Pp
Coraran de Onro, roa do Cabun.
Attenpo
O Sr. quo trouxc da provincia do Para, pelo
vapor Paran, chegado no fin do mez prximo
passado, tuna carta para o Or. Gandido Valeriano
da Silva Freir, e urna eacomuienda para D.
Anna Candida da Cunha Freir ; terina a bonda-
de de dirigir-so ao largo do Carmo n. i8, pri-
meiro andar, ou declare sua morada.
-ama.
Precisa-se alugar urna ama livre ou escrava, de
muito Dons costumes, para servir de companhia a
urna senhora e fazer algum sorvieo de casa : di-
nja-se ra Bolla n. 37, sobrado de dous an-
dares.
' w n'5C de 0nM a,na ,,vre Para to & me-
J"-..llna H.n fio n 40.
iT ^^i83'!0 a,ui,r criado ou moleque de
"? K \ annos' na rua C*1"* do Re-
rifen. 53, foja de chapeos.
LEILaO
CASA FELIZ
os 20:000^000
\o Reclfe arco da Concelco n. '
Os abaixo assignados tendose habilitado na
forma das leis tem exposto a venda os seus feli-
zes bilhetes das loteriasdo Kio de Janeiro na casa
cima aonde se pagarlo as sortes que sahirem
no mesmo bilhele com o descont da lei somente.
PRECOS.
Hilhete inteiro 2i 3000
Meios 12-iOOO
Quartos (i&OOO
E dclOOj para cima a 223 o bilhete.
Figneiredn i Leite.
As Sras. Mara Jos Cervuna de Mello e Isa-
bel Rozinda de Mello tem urna carta vinda do Rio
Grande do Norte, no largo do Gorpo Santo n. 6,
armazem.
Ama de leite
Precisa-se com toda nr-jenrm de sma ama de
leite : natravessa do Teras n. t$, 1 andar. Nao
Caixeiro
Precisa-se de ara homem para caixeiro de nma
padana, que tenha pratiea e de fiador de soa dto-
ducta : no pateo do Terco n. :.
ITTIEiO19 Lili)
Troco miudo.
_ Da-se bom premio poredulas de lOOO, 2*;
53, 10J e 204 (nova estampa: na casa de Theo-
do-ro Simo \ C, largo do Peloorinho n. 7.
PADARIA
Preciaa-se de om forneiro e dous amassadoesr
para padaria, fra d'esta provincia : tratar na
rua do Amorim n. 37.
Precisa-se de um forneiro e um ainassador:
na padaria allomaa de Santo Amaro.
Notas das caixas filiaos do banco do Brasil
irocam-se com mdico descont, na loja de Manoel
Soares Pinheirn, praca da Independencia n. 22.
!>,i armado, pertence?, gaz, gneros, pi-
pas wqoiMtt e canteiros da taberna da
1 m de Santa Hita n. i.
0 gente Martins far leilao da armaeao, gene-
ros, pertences o diversos movis da taberna da
rua de Santa Hila n. 1, em um ou mais lotes, enja
i< bastante alreguazada e muito bem loca-
i h.
Quarta-feira 22 do correntc.
Tora principio as 10 horas do dia.
(i geatii 1'nntiial NmpelMtBflMnle antorisado
i.i en leilao os movis .seguintes : 2 mo-
- de lacarand com lampos de maninire fen-
i nma dellas a Loiz XV, 2 eadeiras espregui-
i, 1 toii't. I candieiro a gaz, 2 serpentn;'.*,
! para deitar ti iros, 1 cama de Jacaranda
' i casal, 1 lavatorio, 1 toueador. 1 marqiieza.
i. i ii ir i, 2 lernos de bandeijas, mcio ap-
Iho pira cha, 2 guarda comida, i apparador.
Qiiai't-i-fi'ira ii do correoii'.
> I" an.lar do sobrado n. 28 a rua do Queimn-
11 lenas.
LEIUO
!9 varando deposito de loncas.
ideos, poreelaaas c crys-
taes sito
ROA DA CADEI.V N. G.
tuinta-feira 83 do correte.
0 agente Oliveira competentemente au orisado
'; I r e:n leilao o deposito cima, em lotes
ule dos pretendemos, as 11 horas da manhaa
dn uia
Quinta-feira 23 do orrente.
AVISOS DIVERSOS.
n
L Don Casio Mendos \unes.
(Q.E.P. D.)
lilecio a 21 de agosto de 1869.
o Juan Huson, vice-consul de Kspana, supli-
sus amigos J ruin especialidade a sus com-
as se dignen asistir a algnoiaa mis$$s fn-
- nue, en sufragio de! Ilustre tinado se cle-
la I inanes 21 del coruente a las 1/2 horas
maana en la poarroqaial ingteza de Bueoa-
. desde ya agradece a todas las personas
si- ilJL'naram a assestir aese acto religioso.
Aos 4:0001
Bilhetes garantidos.
A rua do Crespo n.23 e casas do costume.
O abaixo aastiaado tendo vendido alm de ou-
sortes 1 meion. 161."> com 4:000a da lotera
m acaboo de extrahir a beneficio do patri-
i dos orpblos (IIM convida aos possuidores
ni receberna confwrmidade do costume sein
ito aij/um.
Acbam-s a venda os bilhetes da Soparte da
ia beneficio da matriz de Jaboatao li[)
se extrahir no dia 29 do correte.
Procos.
Os do costum.
Manoel Martins Finza.
08TREIRA.
Cose-se costuras de alfaiate a moda fran-
ceza, por preco commodo, na rua Augusta
. I t, e d-se fian?a sobre as mesmas.
GRANDE HOTEL
ORIENTE
Rua larga do Rosario n. 44
Especialidade na preparadlo dos gneros ali-
menticios, promptidao e a eb as encomme.ndas
e boa organisaco no est.uelecimento. Receliem-
30 assignaturas para o estabelecimento e a domici-
lio, facilila-sc a leitura de jornaes nncionaes e es-
irangeiros. Espacosa sala para o elegante jogo de
bilhar, e ha decente e commoda hospeda?em.
Compaahla fernam>neana
De ordem do conselho de direccao da comjia-
nhia Pcrnambueana se !ai publico que somente
at o dia 30 do correntc mez serio aceitas assig
naturas de acedes da mesma companhia cuja
ennsso se aeha annunciada. Pernr mhuco 2 de
setembro de 1869.O gerente. F. F. Borgcs.
I
Na rua estreita do Kosario n. 35, pr-
tneiro andar, casa de urna familia que for-
nececommedorias precisa-se para todo o ser-
vifo de casa e rua, de serventes livres ou
escravos, preferindn-se estes.
Aluga-se a casa n. 28 da Iravessa de S. Joao
com 2 salas, 2 quartos, quioJal e cacimba, preco
de-ljOOO : a tratar no mesmo lugar.
Precisa-fe de um caixeiro de idade de
18 annos : na rua da Cadoia-nova o. 7.
loa
Ama do leite.
Precisa-se de urna ama da -Jeito ; a tratar, na
rua da Imporatriz n. 3, loja de tnarcineim.
Aluga-
l-se
urna casa em Beberibe : a tratar com J. I. do M.
Reg, rua do Commercio n. ''i._________________
Natravessa dos Expirslos, sobrado n. 18, 1*
andar, fazse comida para fra, lava-se ronpa e
engoirima-se, tudo com asseio e promptidao.
Precisa-se de urna ama para engommar e
andar com meninos : na rua da Cadeia. n. 10.
As Sras. Maria J.s'' Gervilha de Mello e Isa-
bel Rozinda de Mello, tem urna carta vinda do Rio
Grande do Norte, no largo do Corpo Santo n. G,
armazem.
Ama
Preeisa-se de urna ama forra ou captiva para o
servico interno e externo de urna casa de peque-
a familia : na rua da Conceir-ao n. 45.
Aluga-se o sitio da estrada da Torre, com
excellente casa de morada, a qual assobradada
na frente e tem cocheiras para carros e cavados e
Juartos para pretos, baixa para capim e arvores
e fructo ; a tratar na rua N Aa n. 12, hija de
fazendas.
O abaixo assignadn. como herdeiro dos bens do
casal de Manoel de Jess Jordn Caldeira e Paula
Mara de Fraga Caldeira, faz ver ao respeitavel
publico e a commis-ao de emancipacao de escra-
vos menores, autorisada pek) governo da provin-
cia, que nao aceite qualquer proposta de alguns
escravos pertencenles ao dito casal, pois pretendo
propor aceao em ju/.o contra qualquer tramac-
cao ou negocio que fizer de semelhantes escravos
e bens, tendoj protestado percas e damnos mes-
ma commissao, relativamente duas escravas de
menor idade de nome Margarida de quatro annos
e Rosa de dous ; e para que uinguem se chame a
ignorancia, faz o presente, procedondo contra
aquelles cm juizo, se o contrario o fizer. Recife,
9 de sotembro de 180'.'.
. Manuel de Olegario lordao Caldeira.
Aivocacia
O barharel Francisco Gomes Prente
mudou o seu eserptorio de advocada
para a rua do Queimado n. 18 primeiro
andar, onde pode ser procurado das 10
horas da manhaa as 3 da tarde.
ATTENCAO
Precisa-se alugar um preto ou um molegue de
16 annos, escravos ou livres; na relinacao da rua
de ilortas n. 7.__________________l
Precisa-se de una para cosinhar para rapa-
zes snlteiros; na rua de ilortas n. 7 refinacao.
d
r
Manoel da Silva Jacome Pessoa procurador bas-
tante nesta provincia da Exma. Sra. D. Joaquina
Maria Lira, da ParaMia do .Norte, precisa saber
onde se acha o Sr. Joao Pereira de Castro, Lima
herdeiro do casal da mesma senhora. anuun-
ciante pede quem pos'a dar tal noticia, se digne
faze-lo nesta lypographia ou a rua Velha da l're-
gueziada Roa'Vista n. 51.
Precisa-se de alugar um prcto, paga-se hora
alluguel ou mesmo da-se alguma qnantia adian-
tada; a tratar no Pateo do Terco n. !.
Precisa-se allugar tima escrava que gaiba
cosinhar e emgommar; a tratar rua da Cadeia
n. 31 2. andar.
Sr. Dr. Manoel L. da Cunha Maciel
cartas na rua da Madre de Deus n. 1.
tem
Precisa-se de urna de boa conducta para tratar
do arranjo de urna casa com todo o aceio de um
mogo solteiro, que saiba bem lavar c emgommar
para elle s e cosinhar para 3 pessoas : quem es-
liver n'estes casos dirija-se paleo da Penha n. 10
que se dir quem precisa.
Perdigueiro
Desencamnliou;se um cachorro prrdigtieirn, de
cor pedrez, com grandes mamas cor de caf no
lombo : tem orellas eompridas da mesma cor :
quem delle der noticia na rua Nova n. 11, ser
bem recompensado. .
AMA
Para urna familia alle-
ma.i de duas pessoas, pre-
cisa-se de una ama moga
para comprar c fazer o
mais servico de casa : no
largo da matriz de Santo
2 andar.
Modista kaseira
Maria Carmina avisa as senlioras mis
de familias que faz vestidos pelos mais mo-
dernos figurinos de Pars, lava, arma e en-
feita chapeos depalha ou de seda, tanto
para senhoras, como para meninos e mais
barato do que outra qualquer: no pateo
de S. Pedro n. 12, loja.
AMA
Precisase de urna ama para o servico interno e
externo de urna casa de pequea familia, prefere-
se escrava : na rua das Gruzes n. 28. Io andar-
Aos 20:000^000
CASA DA FELICIDADE
2 Si--Praca la Iuile|>cu Os abaixo assignados tem exposto a venda os
seus felizes bilhetes da j'9" lotera em hTneficio do
Monte Po Geral (294), cujas listas sao esperadas
at o dia 21 do correute, sendo 08 premios pagos
vista das listas.
I'oram vendidos nesta casa alm de ontros pre-
mios o bilhete n. 2829.com 20:000,5000^.749
com 800, e 3941 com 2OO50O0. ,
Veras i Barbedo.
Ama
Precisa-se de urna ama para I ivar e engommar
s outra para coainbar para pouca familia: na
travessa dos Pires n. 22, sitio do Giriquiti.
Precisa-se de urna ama que lave e engomme
para casa de pouca familia : a tratar na rua do
Queimado n. 28, loja,
A fabrica de lou^a do Barbalho
da villa do Cabo.
A fabrica de louga que existia na villa do Cabo,
em trras do engenho Barbalho, a oual foi premia-
da pela exposico nacional de 181. propriedade
do tenente-coroel Jos do Moraes Gomes Ferre-
ra, nao existe ha muito, a ultima cheia do Pira-
pama Ievou o que de resto Uavia : assim nao sa-
bemos como df lia possa vir lonca para ser depo-
sitada o vendida em um novo "armazem que se
abri rua do Imperador '
Pedimos a expheacao deste inigma.
Precisa-se de um criado para todo servir,
hotel, paga-se bem, prefere-so estrave :" a tratar
na rua estreita do Rosario n. 11, hotel Lisbonense
RUA
DO
CABUGI
esquina
da rua larga do
Rosario.
Percisa-se de duas amas, sendo orna quo
cosinlie bem o ordinario de urna casa e
compre, e outra que engomme, prefere-se
escrava, e paga-se bem : na rita dos Pires,
sobrado n. 27.
Ama
Precisa-sc de ama ama para cozinhar : na tra-
vessa (JosPires n. 20, sitio do Geriquiti.
r FIO DEVELA
Barbante
Em, casa de Rabe Schmetau & C. Corpo
* Santo n. 15.
SHERRY 0L0R0Z0.
Gelo seal.
cocxac lis:WES^V.
Em casa d: Rabo Scbmettaa & C. Corpo
Santo a. 1.
SUPERIOR*
Roussillon, curte hlannhe.
i:m casa de Rabe Wchmettaii dt
ii Corpo Suni > is. 15.
\ INHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
riIATEHJ RACZAN
Em casa de Rabe Scbmeltau & C. Corpo
Sanio n. 15.
TEBDADS1R0 L 6Y
Ru do Soire, o, A PAI'.tS.
\
l-iii r.iil i qniT:i.i. tal. .|:'r- :i lia o i airl :ir|
qn* lm o mili ciidr, um mln h r >> rm ma-
iccuiu u sei.Lu luiu.ui dj i. 11 \.i i ,hm; z.
Y /;. I-
-i Hma li Ira
i. 'I: ll|< i-x -o-
LirParis v-r ir|
n i itls i V *'1
:il \ ; .
:n \: .
!> !' -t m.i.t-i r iij i
aloe Jijn! i
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RUA DOTrLiPICHE N. 17, l. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre o Ran-
eo do Minho, em Rraga, e sobre os seguin-
tes logares em Por tuga i:
Lisboa.
Porto.
Valenca. "
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova do]Famaltc5o.
Lamego. v
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirrfhdella.
Reja.
_^arcellos.
Crande armazei de fazeitis e ronpas feitas rna da Imperalriz
. S2, poila larga, de Paredes Parlo.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico un bonito sortimento
de ronpas de todas as qualidades, palitols de alpaca a 35, 35300 at 6. Ditos de
menm>, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 5, 6^1, 8^ e lf>?, de panno preto
sacos e aobrecasacos. Ditos de brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de edres de 3&00 a 5>OO0. Calcas de brim de cor unas e ordinarias, rulas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de tr e preto de i-X U, W a *5. Golletes de todas as qwdidades e preeo muito
barato. Completo sertimento de camisas francezas de algodao e de linho 25 at 85
urna. Sortimento de seroula francesas de algodao. de linbo e bramante a 2*"e 15800
bravatas (mantas) novissimo gojto a todos os precos. Meias sortiaento completo a 3*7
5 ate 75 a duza. r
ROIJPAS PARA MENINO.
Encarrega-se de quaesqtier obras de encommenda tanto para homen, codk
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortiraens de fazewfas de
todas as qualidades tanto em casemtras- como brins, pannos finos e o*as muita -
zendas.
FAZENDAS
Rramantes de II palmos de largura a 15800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cures a GiO rs. covado.
Poil-de-cbvre com lista de seda fazenda de gosto a r5200:
Basquines de guipure enfeitadas a 8>5000.
Sortimento de chitas escuras e claras- a 280, 300 e 3fiO rs
Madapolio fino a 65300, 75, 85 e 9*OO0.
Algodo peca com 20 jardas a 45300, 5*500 o 61000.
Peca de algodao largo a 75300.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar GhegsMi i ronp
leita que se est liquidando na loja rua da Imperatriz n. 52(junto loja de ourive) dw
LEAO DA PORTA LARGA
DE ,
Paredes Porlo.
de
COQUES DE CABELLOS.
CIIEGO pel paquete tnacez.Estramadure, um novo c completo sortimento
COQUES DE CABELLOS do ullimo e purissimo gosto de PAWS.
ANDRE DELSUC,
abcllclrel o.
7 A, rua do Crespo, primeiro andar.
Superiores sedas de cor e listras a 15600 o covado.
Lindas poupelinas de la, com grande variedade de cores escuras e claras a
360 rs. o covado.
Pecas de musselina branca com salpicos e com sote metros cada peca, pelo ba-
atissimo preco de 45000 a peca: na loja das Colnmnas, rua do Crespo o. 13,5 d
Antonio Correa de Vasconcellos C.
VMA
if'a-se
t
Precisa-se de una ama para lavar e engommar,
e outra para cezinhar para una familia estrangei-
ra : trata-s no largo do Peluurinho n. 7.
A uta
parte da frente do primeiro andar da na do Fa*
perador n. 32.
Beberibe
Aluga-se urna casa na povoaeao com trastes
na rua da Imperatriz n. 15.
Para festa.
Aluga-se um sobrado de um andar na rna do
Amparo n. 22, em Olinda ; para ver, podem pedir
a chave na taberna do Sr. Guilherme. junto do
mesmo sobrado, e par.tratar, na praca da Inde-
pendencia, lojn de c;ileado ns. ;17 e :>'.>.
Precisase de um bom cozioheiro, homem ou
mulher, com tanto que enteude da arte, paga-sc
bem : na rua Nova n. 23.
Ama deleite
Precisa-se de urna ama de
do Bispo n. 23. ______
leite : no Corredor
A
ti'
Com esta dominaeao veio pelo ultimo vapor ri-
nuissimos cortes do fular de seda de duas saias
bordadas a seda frxa, ultima novidade em Paria :
as Exmas. Sras. que quizerem verou mandar bus-
car para amostra, dirijamse loja do Paco, rua
do Crespo n. 7 A. No mesmo estabcleriniento lia
um comp eto sortimento de pannos de croxe e
para guarniciio de eadeiras, sofaes, jardineiras, e
tambem ha 'para bandeijas riquissiinas toalbas de
labyrinlho da trra (Cear)._____________________
Os consignatarios de 35 caixas com eervtja
marca diamante L, a 3o rindas de Londres no bri-
gue inglez Rio Grande, entrado cm a de julbo do
corrente anno, consignanas ordem, as qoaes se
acham depositadas na alfandega, qneiraiu vir em
casa de Vasso Irmos pagar o frete das mesmas.
Cozinheiro.
Na rua do Amorim n. 37 precisa-se de um co-
zinheiro que seja bom.
Cosinheiro
Precisa-se de um bom cosinheiro, forro ou es-
cravo, no collegio do Bom Conselho, rua dCBospi-
ci n. 36.
Precisa-se de urna ama livre ou escrava, que
saiba cozinhar e iue seja do boa conducta, para
um sitio na l'assagem da M.igdaleua : a fallar na
rua Nova n. \'t.
Uuem ti ver para alugar nma ou duas escra-
vas de todo o servico, inclusive de Tendee na rua,
annuncie, para ser procurado, ou dirija-se aos
quatro cantos em Olinda. taberna do alteres Joa-
quim Rabello Pessoa de Urilo.
Aluga-se um molequo coiO 13 annos de
idade que sirva para compras e mandados; na
rua Direita n. 28 segundo andar.
Aluga-se una casa terrea na rna Augusta ;
a tratar na rua Direita n. 10G.
----------------------------;---------------------- i.---------------------------------------------------------------------,------_
Preeisa-se >" una ana para cosinhar e
comprar; na rua do Livramento n. 24, loja.
Precisa-se de una ama somente para rosi-
nhar : na rua de. Surtas n. 94, sobrado.
Caixeiro
Precisa-se de um pralico de taberna : n\ rua
de Santa Hita n. t
O Sr. Siv.iinino l'rediliano Gomes de Ovei-
ra, mande buscar urna caria que existe na I >j.i da
rua Nova n. 50, e pagar o importe deste an-
nuncio.
ATTENCAO
Na rua da Cadeia sobrado n. 66 se dir
quem vende urna escrava, bonita figura
com habilidades, garant-se nao ter vicio
algum.__________________________________
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio a venda, rua do Cabug n. 2
Casa da F. Precos do eostumo.
CAAA DA FE.
Attenpao
Precisa se de oCQciaes de caldeireiroe latoeiro
na rua do Brum n. 5i.
Aos laboriosos.
CoilCc !;in se.
sob fianca. n.;.chi-
nas de cisinia.
com perfi'irSa o
presteza, fazen-
do-se mesmo
qualquer peca
que por ventura
se quebr; assim
cuino machinas a
vapor, cylindros
,\ de padaria ou ou-
E tro qoalqoer ma-
chinisiiiii tenden-
te a industria du
paiz, sol as mes-
mas condiefes trtma : na rua dos Patos n. 8 ou
rua Direita n. C loja.
Na praca da Independencia n. 33, se d di-
nneiro sol pnhores de ouro, prata e podras pre-
ciosas, e seja qnal for a quantia : na mesma casa
se compra e vende objectos de ouro c prata, e
igualmente se faz tuda e qualquer obra de eneom-
menda e todo c qualquer concert tendente i
mesma arte.

O n Alfonso de Albuquerqne Mello mudou o sea es-
criptorio para a rua das Cruies n. 37. defrone da
lypographia do Diario.
AIu?
/a-se
Osilio da estrada de feri o com excellente casa
de moradia a qual sobradada nfrente, tem co-
xetras para carros e cavallus e quartos para pre-
tos, baixa para capim e arvore de fractod ; a tra-
tar na rua Nova n. 12-, loja.
de:
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por preqos que nenhuma outra casa pode vender.
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele-
vados.
A loja est aberta at s 9 horas da noute,
esquina
da rua largado]
Rosario.
i
i
11
\ j
I '
..M"



Diario de Pernambuco Segunda feira 20 de Setembro de
NOVIDADE
0 JAYME, tendo em vista sempre apresentar novas melhoras era seu esta-
belecimento de cabelleiro ra do Queinlado n, 0, acaba de preparar com decencia
o gosto, urna sal* especial ende o respeitavel publico, com certeza, encontrar o que
ha do primor em perfumaras, bijoterias, llores e tinturas para cabellos etc. ios mais
afamados fabricantes de Pars e Londres. Elle conscio de que o que espende a purc
verdade, espera que o seu estabelcimento soja visitado por senlioras e cavaihelros,
para o que pesd s3o vidados.
DENTISTA i PAWS
19-Rua Nova-19
FREIIERICO llTIEIt
oirurgiao-dentista, maito conhecido ha dez annos n'esta cidade, pela perfeicSo dos seu?
trabalbos, tem a honra de participar ao respeitavel publico que tendo feito muitos me-
Ihoramentos na sua casa, pode d'hora avante receber as senlioras no sea gabinete onde
acharao os commodos precisos para familia.
Acha-se tambera na sua casa e na sua companliia, o seu sobrinho e discipuk
J. LEROITX
o qual acaba de voltar de urna longa viagem a Europa, durante a qual praticou com
feliz successo as primeiras casas de Pariz e de Londres, offerecendo assim as melhore
garantas do bem desempenho para tudo o que for relativo a prossao ; por isso o
annunciante pede aos seus amigos e clientes que por acaso o nao encontraran no set-
^abinete, depositem no dito seu sobrinho a mesma conanga com que o tem honradr
a dez annos.
Dentaduras por todos ossystemas: a pressodo are com molas de ouro, platin
vulcanite e um Jiramente novo n'esta cidade.
Gura radical dos dentes cariados.
Chumbagens (obturacoes) com ouro e com massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de dentes.
Agua e pos dentriQcios fabricados pelo proprio annunciante, o quelhe permute/ afian
car sua boa qualidade.
Escovas para dentes. etc.
Perfei Viagens para fra mediante ajusto^previo.
O gabinete acha-se aberto das 8 horas da manha at as 4 da tarde de todos d>
das uteis.
nniiiifBiii wiiiasMsnBKp
Mikroskope achroma-
tiseheu. Objetiv Lia-
sen.
Barmetro e termo-
metre. Centigrade
e reuuraeure.
OCIILOS PERISCPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
F. tf. Germaon, recommenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com este;, vidros, a vista descansa, fortifca-se e nao a canea como c jm
os vidros ordinarios. Urna vez escolbido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a muda-Ios todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o crystalino do lho e determina quasi sempre do-
res de cabera. O alcance ordinario da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o.objecto est mais perto ou mais loriga, os raios que expelle s5o
mui convergentes ou mu divergentes e a viso nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorle que a viso nao distincta.
Com a applicaco de meus vidros pde-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino muijeonvexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por.jwio de um vidro concavo affasta-seo ponto de
vista, o que faz divergir os objecfos a.dcixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succede aos que tem chgado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vcem mihor de longe que de perto, e nao enxergam seno
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo', estes enxergarao
tao distinctamente como na idade de 15 annos. Servindo-se destes vidros quando a
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F. J. Germana eearrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a primeira vista, seja qual for a idade egro de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as paipebras tremem
de fraqueza.
Para a vista que os olhos s5o desiguaes.
Para a vista que se turva cora o traba-
lho e a leitura.
Para a vista presbyta (vislagalon ).
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras estilo cer-
cadas de sangue.
Para a vista que um dos olhos myope
e o oulro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
do olho se cobra de catarata.
Sortimento de binculos
para theatro, o oculos de
alcance para o campo e ma-
rinlia.
Lunetas, pince-nez e
face--mam, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
etc., etc.
Tem tambera grande sortimento de relogios para parede, que do horas e para
cima de mesa dos mais lindos modelo Relogios para algibeira, de ouro, prata, prata
dourada efoleada, inglezes, suissos e orisontaes dos memores e mais afamados fabri-
cantes.
Vendas em grosso e a relalho. Em Pernambuco.
N. 21=Rua NovaN. 21.
ft, NAO FOI PRECISO AGUA BENTA
O demonio mudou-se por sua livre e expontanea volitado
VIVA 0 DA de s. BARTHOLOME
agora funguen presuma que foium demonio qualquer, fbi
0 BOM DEMONIO
Mas nao sahio da Boa-Vista
CHEGOU-SE AT PABA MIIS PERTO DA MATRIZ
aeu dominio est hoje assentado, onde foi botica.
ESQUINA DA ROA D4 ARAGAO R. 32
VE2VHLOI TJE-IiO
Como garboso se ostenta
Como lepido se mostra
E as diabruras que faz!!!
Negra tranca no eolio Ihe ondeia
Solta oriza ao mago desdea :
DeKa a fronte n'um peito e conhece
Quantas maguas o seio contm.
Esta linda e gentil crealura tambem
VEMDE
Queijos, manteiga e caf,
Vinho, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
De N'antes boas sardinhas.
Tudo barato
Para agrada-,
Venham freguezes
Que hio de goslar,
B. Brevemente ser annunciado o dia, em que este importante armazm de mo-
Ihados ter principio a pratica de certa diabrura.que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da ra do Queimado. Por ora venham os freguezes visitar o nossoes-
tabelecimento, comprar os nossos superieres gener s por precos muito rasoaveis.
Manteiga ingleza flor a i$300 por 500 Vinho bordeaiu em caixa, 7.-S00O.
N.
grammas.
Dita dita a 1(5200 id em.
Dita dita a 1,5000 idem.
Dita franceza a 900 rs. dem.
Batatas novas a 100 rs. idem.
Cha fino superior a 3500 idem.
Dito dito a 3(5200 idem.
Dito dito a 3(5000 idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf de carolo a 200, 240 e 280 rs.
idem.
Milho alpista a 210 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a 400 rs. idem.
Vellas estiarinas, masso 720.
Potes cora sai refinado a 400.
Ervilhas franceza em manteiga, 900 rs.
a lata.
Fructas portuguezas em calda a 600 rs.
a lata.
Ditas s de pecegos maiores a 500 rs. a
lata.
Tijolo para facas a 120 rs.
Chocolate espanhol a I 5000 o masso.
Frascos com conserva a 900 rs.
Ditos dita de mustarda a 800 rs.
Latas com carne de jorco a 800 rs.
Sardinhas de Nantes em manteiga a 800
rs. a lata.
Copos finos para agua, duzia 13800.
Garrafas finas para meza, o par 5f50OO.
Cognac engarrafado a 800 rs.
Azeite francez engarrafado a I?>000.
Presunto cm barril a 480 rs. por 500
grammas.
engarrafado a 400 rs.
arenles mrreas. a
Vinagre branco
Bolaxinhas de
1,5400.
Fosphoros de seguranca, masso 500 rs.
Banha de poico a 720 por 500 grammas.
Vinho do reino, garrafa a liOOO.
Charutos do Lima a 5# e 6$ a caha.
Sabao de massa a 210 rs. por 500 gram-
mas.
Latas comameixas a l& 1-5500, 800
e 33500.
Ditas de manteiga a 2.J800.
Ditas juliana a lr> por 500 grammas.
Frascos com raagas seccas a 2.W00.
Serveja de dilferentes marcas, doz'a 60.
Tapioca do Maranho a 240 rs. por 500
grammas.
Farello em sacca com 21 kilos por 5J.
Liguicas e paios a 800 rs. por 500 gram-
mas.
G z, Uta a 8500.
Dito em garrafa a 400 rs.
t Latas de peixe a 800 rs.
Bolaxinhas beato Antonio a 13200 a lata.
Latas de po-de-I a 900 rs.
Biter em garrafas a 800 rs.
Licores finos como coracol, amiv'Je, e
outras muitas marcas a i 3000 rs.
Estrilinhas para sopa a 800 rs. per 500
grammas.
Marrasquino de zero a 13 a garr; Ea,
Massa de tomate a 720 por 500;-r am-
mas.
CONFEITARli DOS MNAZES
16- RA DA CRUZ-16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor qm
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces d*
calda, etc.
Incumbe-se de encommer/Jas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca-
samentes, a saber:
Os propietarios garantem tudo quanto cima est especificado, adverlc a iodos
que nao conhecem o peso de 500 grammas, mais de urna libra, e se evplicar .' rieDes
que nao entendem.
T
Pecas de nougat.
Ditas de pao-de-lot.
Ditas de tmara de otos.
Ditas de caramilo.
Bandeja com armaco de assucar.
P5es-de-Iot enfeitados.
Bollos idem.
Pratos de doce de ovos.
Tortas folhadas de crme e carne.
Empadas.
ANDRE DELSUC
CABELLE1REIR0
7 A Ra do Cre>po1.* anclar 7 A
ENCONTRAR-SE-HA sempre neste estabelecimento um variado e.bonito sorti-
mento era perfumaras francezas e inglezas cuja lista damos aos leitores.
LUVAS Marca garantida do 50VIN.
EXTRACTOS.De superior qualidade marcas LUBIN & GOSNELL.
DITOS FINOS.em frasquinhos proprios para presentes Lubin & Gosnell.
POMMADASBanha fina de varios cheirosLubin.Gosnelle, Societo Hyginique
SABONETES finos para toiletteLubin A Monpelas.
EAU DENTIFRICE.agua para limpar dentesSociet Hyginique Lubin & D.
.Pierre.
BRILHANTINA.para lustrar a barba e os cabellosLubin.
AGUA DE NOLONHA.Marca verdadeira de Joo Marina Farica.
C08MET1C0.cheirosoLubin.
POZ DE ARROZ.ditoLubin.
HILE DE SENTEROleo para conservaco dos cabellosSociet Hyginique
ESCOVAS FINAS.para cabellos, dentes o minas.
BLAIREAU.Pincel para barba.
GRANPOS.para cabellos.
RE)ES INVISIVEISpara cabellos.
GRAVATAS LINDISSIMAS.-do melhor gosto.
BENGALAS.de pbantasia, para passeio e de diversos (amanaosetc., etc.,ele.
A la parfumerie Parisienne.
7 A RA DO CRESPO 1.a ANDAR 7 A.
COSTUREIM E MISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de partecipar ao respeitavel publico e em particular seus fregue-
zes, que, pelas relacoes que acaba de encetar com algumascostureirase modistas das mais
afamadas de Pars, que todos os mezes lhe mandara figurinos, de vestidos, man-
teletes e chapeos que esto no maior gosto e mais modernos, so acha habilita-
da para fazer vestidos para passeio e visitas, bailes e casamentos. As senhoras que
a honrarem cora a sua freguezia, nao deixaro do ser satisfeitas, tanto pelo bom gosto, como
pela barateza dos preeos e promptidao na entrega das encommendas ; tambera tem bo-
nitos enfeitcs muito modernos e de todasas cores. Fazem-se chapeos de todas as qualidades
tanto de filo como de palha.
VEJAM QUE DIABRDBA
premio sem comprar bilhetcs !
Isto s pode ser artes do
/
BOM DEMONIO
Estdecidido=o mundo marcha!
Leiam==adinirem
' E...... espalhem pelo universo
SE TAO EXTRANHO ASSUMPTO CABE ESI VEItSO.
BOAS FESTAS SEM GUSTAR DINHE1R0
AS BOUBAS CURADAS
sil
E
Todas as molestias syphiliticas.
PELO
ELEXIR DO DR. SEVIAL
nico depurativo sem mercurio que tanta aceitac>> tem merecido no Bra-
cas repblicas do sul o na Allemanha especialmente para cura das boobas,
sarnas, rheumatismo, todas as molestias syphiliticas e em geral todas aquellas
provm da empureza do sangue.
NICO DEPOSITO
k
Pharmacia e drogara.
ne
Bartholomeo 4 C.
34Roa Larga d Rosarlo S4
immmmMmwmmm&l WtiWM llMWOKMMMKMMMMimR
PPEIIIILU'
No intuito de fazer urna fallada o bom ukmomio resolvou mimosear -'ora
era diante com um bilheto a qualquer pessna que de urna vez lhe comprar !>GGO de
gneros, com dous a quera comprar 10^000. e assim por diante sempre un i'lhete
por cada 5#000.
Cada um desses bhetes dados de man beijada propor:ionar ao poilaor
o direito de receber um dos premios abaixo mencionados, se a roda da fortira !t for
propicia coincidindo o numero do dito bilhete com o do que tirar urna das fr" rortea
maiores da Ia lotera que correr nesta provincia no mez de dezembro vind
PillllllO 1'fflllO
1 gigo de champagne, valor....... 305000
1 caixa do vinho do Porto (Meneres).. 23000
1 duzia de garrafas de cereveja (Bass) 9.-50OO
1 presunto de fiambre............ 153000
1 queijo prato................... 6 jUOO
1 dito llameiigo.................. 34OOO
6 latas de marmclada fina.......... 6i?000
i caixa 1< pacas................. 8-5000
/
ioosooo
Spaolo
FIOB M BOA-VISTA
1/2 gigo de iinmpagne, valor............ f ;i;>000
6 garrafas de vinho do Porto (Menores)... I!,5500
6 ditas do cerveja (Bass).............. iliOO
i queijo prato....................... (#000
1 dito flamengo...................... 3000
1/2 caixa de pacas..........v.......... flQOO
6 latas 2 marmelada................. 05000
505000
LOJA
DE
FERRANDES DE H. GIMARAES
SOB A DIRECCAO DO MUITO HBIL ARTISTA

a ALFAIATE PEDRO
>cii,a oflicina encontrara os respeitaveis freguezes um dos primeiros artis-
tas este ja bem conhecido (com grande especialidado em fardas), por muitas pessoas
gradas desta cidade.
O mesmo estabelecimento so acha munido de um completo sortimento de
fazendas, do que ba de melhor no mercado, proprias da officina.
O grande sortimento de roupas feita que tem, vende e manda fazer menos
20 por cento de que em outra qualquer parte ( dinbeiro).
48 RA DA IMPERATRIZ 48
Junto a padara franceza.
r f ____BIRO PREMIO
o garrafas de \inho do Porto (Meneres), valor.. H^Oi
6 ditas do eerveja (Bass).................. 44500
i queijo prato........................... 04000
1/2 eaixa de charutos do Simas............... 3000
25(5000
MAIS DIABRURAS !
Se a pessoa a quem a sorte houve favorecido qaizor trocar1 pos litros
os gneros cima mencionados ou preferij-ir recebor o resnecivo valor em 6r V-o nao
so ter duvida em satisfazer.
Venham, fregnezes
Da pra<;a e mato,
Comprar barato
Ao BOM DEMONIO
Pra$a da Boa-Vista n. 32, esquina da naa
do Aragm
~n

j



II
*
l
Segunda feira 20 de Selciubro de 1869.
Do Dr. Ayer.
PEITORAL DE CEKEJA
cura phlisiea e todas as molestias do pello.
SALSA PAKRILHA
cura ulceras e chacas antigs, empigens o darlos.
TNICO
conserva e limpa os cabellos.
PILULAS CATHART10AS
purameute vegetaes e scm mercurio, cura leeSea,
Surgan e purifican) todo o systea humano : ven-
e-fe nicamente em casa de Samuel P. Johnston
C, ruada Senzala-nova n. 4
Resto a venda um escolhido sorlimcnto de ob-
jetos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
:aranda. mogno eamarello, obra nacional e estran
{eir, de apurado gosto e por prefco< razuaveis :
ia roa estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
:asa fazcm-se com porfeicao lodos os trabalhos d(
paluml.a, como sejam, empaihamentos de lastros
Mra_camais. cadeiras e sophis.
parar-,
Torneiras para passagem d'agoa, do diversas
grossuras : na ra do Queimado, Azcvedo & Ir
razo.
DE
%%mi& Bn
O agente de compras e vendas de
escravos. Jos Martina Alvos da Cruz adas
se resultado na ra de Hortas n. 96, promp-
to a desempenhar nao s o scu dever para
este fim, como para ontros que seus com-
mitentesojulgucm habilitado mediante suas
respectivas commissoes.
ATTENCO
Aluga-se duas casas com bastante com-
modos, e vende-se urna na cidade Nova de
Santo Amaro: tratar com Antonio Jos
Gomes Jnior, em Santo Amaro.
CHOCOLATE HOMEOPATHICO, da mellior qua-
lidade.
CHA' PRETO E CHA' VERDE, da melhor qua-
lidade.
Livros para a tomada da historia das molestias.
Reeimens para uso dos enfermos.
Tudo o que diz respeilo a Homeopathia e ao Ira-
tamento dos doentes.
NA PHARMACIA ESPECIAL IKWROI'ATICA, DO R. SA-
BINO O. L. Pl.NHO.
ATTENGAO
Precisa-se de urna ama de boa conducta para
tratar do arranjo de urna casa com todo o asseio,
de um moco softeiro, que saiba bem lavar e en-
ommar para elle s, e cozinbarpara tres pessoas:
quem estiver nestes casos, sendo branca ou parda,
dirija-se ao pateo da Penha n. 10, que l se dir
quem precisa.____________
Ama de leite
A ra do Livramento n. 6, contina a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
melhor vtaho verde at hoje vindo a este
mercado.
EM CONTINACAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
Gravatas patrio icas.
Pele ultimo vapor chegaram de encommenda
especial grvalas brasileiras, aure-verdc para os
prximos festejos da eonclusao da guerra. A ven-
da em casa do cabellerciro Ja vine, ra do Quei-
mado n.
Q(D=msi m mapaaa'aiao. s
DE
LIGA
Precisa-se de urna ama de leite, mas que nao
lenha filho : na ra larga do Rosario n. 12, S'
andar.
Garante-se a casa, portanto fai
conta. Restando apenas algumas
^ mercadorias e arrnacao da liqui-
Qhj daeao do armazem da loja ra t""'
Nova n. 60, faz-se sciente ao pu- t^^i
blico mtercssado, que liquida-se a ^fl|
armario e mercadorias existentes
anda no dito armazem, e por con-
soquencia o negocio incontesta-
velmente vantajoso, visto que se
garante a casa : quem pretender
dirija-se tratar no mesmo arma-
zem.
FLIX PEREIRi DA SILVA.
. .. 0 proprietario deste grande estabelecimento tendo sido o arremitinie da
exmela loja denom.nacWA/)/1/ DAS DAMS=i ra da Imperafri! i e nao
he tendo sido possivel, na mesma loja, concluir a liquidado da gSe quantidade de
fazendas que all existan, pelos poucos dias que leve at entregar a E vfo
obr gado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabefeamento o=p1v\0
taho 1K2rT^ encontrar(Ium "nde sortimento das melhores fazendas de
!im,Pi n,r.f seda que se Ihe vender muito mais barato do que era outra
Seffi; ZVZ^ d,nhe r0) e as T8 W* "ociara era pequea
escala, tanto da praca como do matto, nesta casa poderuo fazer seus sortimentos em
pequeas ou grandes porpes, vendendo-seMhfts pelos precos que eSnm
f*" f2*3 Y0 *~fcf,toffi poderao mandar busTa^mos
tras de todas as fazendas, ou mandar-se-ha levar pelos aixeiros da mesma loiaemsim
5aSanote eStabeIeciment0 se acha constantemente aberto das 6 horlsdamanlia? 2 9
b* $vtmtf>
A AGUA BRANCA tem conviccSo do que a abundancia d obiectos de novidao
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a seperiordas
de de qualidades, o a .mitacao de seus precos, estao na op niSo do respeitavel public
erai geral, o na de sua boa freguesa em particular; mas anda assia ella juica de se .
deve scient.ficar a todos, da recepeo d'aquelles objectos que estao alm docommutr.
^uiiiu ucn st'jiiiii r
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
Expleiidido sortimento de pechincha do pavo para escravos
roupas eitas'
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRJZ N. 60
Precisa-se de um criado hbil e /juc seja
mojo : a tratar na loja da ra do Crespo n. 21.
^_
COMPRAS.
Com muito maior vantagem compram-sc
inoedas de ouro e prata : na loja do joias do Co-
raejio de Puro n. 2 D, ra do Cahug.
0 rauzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 eompra-se ourf, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que em ontraqualquer parte.
Ouro ep -ata
Compram-se moedas de ouro e prata de todas
as qualidades, por bom preco : na ra da Cadeia
lo Recite n. 58, loja do azulejo.
Compram-se moedas de ouro e prata de to-
los os valores, ouro e prata em obras inutilisadas,
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
ourives do arco da Conceicao, no Recife.
LIGA
SSHffl
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Jo5o
Martins de Barros.
Compram-se e vendem se diariamente para fura
o dentro da provincia escravos de todas as idades,
;ores e sexos, com tanto que sejam sadios: no
"erceiro andar do sobrado n. 36, ra das Crnzes,
r'reguezia de Santo Antonio.
BRACO
Compra-se um prcto de meia idade : na ra
JoRangel, padaria.
Compra-se um escravo de cor preta, de
meia idade, sadio e de bons ostumes : a traiar
na ra larga do Rosario n. :W, |.,ja.
Jornaes para embrulho
Comp-am-se jornaes pira embrulho a 1V0 rs, a
na fabrica a vapor da ra larga do Rosario
libra :
n. 21.
Compram-se de 10 a nhia Pernambucana ; na ra do Amorta n. G.
Compra-se 5 ponas em hom estadoTe quel-
uham altura da 10 palmos e largnra de 5; trala-se
na ra larga do Rosario n. 36.
VrNDAS.
Qh que pechincha!!
Percales de duas larguras, cores Bita, a 320 rs.
o covado; bo M vende por esto prejo por ser
grande qnanti Ia irontedi l.ivianiento. Dam-se amostras.
Ra do Imperador n. 26
N'este estabelecimento se encontrar diariamen-
te um completo sortimento de pstela ra de todas
as qualidades para lanche c sobre-mesa, ele, etc.,
bolinnos de todas as qualidades para cha, presun-
tos de fiambre, bolos inglezes, pudins, e finalmente
tudo (|ue consiste em urna boa pastelaria, com 8
maior asseio e esmero, cha hysson, preto e miudi-
nho do melhor quo ha no mercado. Nesta casa
tecebem-s' oncommendas para casamentas, bailes
rbaptisados, compremettendo-se os donos do es-
a belecimento a ser ir o melhor i|ue Cor possivel
a vontade do freguez. dispondo para esse tim de
um completo |iessoal. Recebe-se avulso toda c
ipialquer_ encommenda, como sejam, bandejas,
bolos e pSe-de li decorados, doces d'ovos, s,cccos
ede calda e crysialisails, fructas nacionaes e es-
trangeiras, amandoas confeitadas, um completo e
variado'sorlmiento do caixinhas de todos os gustas
e procos, para mimosear senhoras ; estas caixi-
nhas recenteinente ehegadas de Paris, sao de pri-
morado go lo, oiercce molas aos galanteadores do
bello sexo, pois nellas achanta um digno e serio
presente para as donas de lew pensamentos lico-
res, vinb.03 finos de todas as qualidades, conservas
laniolhos em la!as. Os donos deste estabelecimen-
ps oao se pjapiiid) despez, fizeu talos os
otorcos para servir o respetavel publico o me-
h or i po for possivel, e sendo principiantes o lu-
e.indo com todas as diuuldades, esperan) a con-
currencia do respeitavel publico desta cqiital, na-
cionaes e estrangeiros. Pechincha : legitimo vi-
nho Binscatel em corsas, que se vendo por comino-
do preco para particulares e para negocio.
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas
A 200 RS.
Vende-so urna grande porcao de esta-
menba mesclada, propria para vesdos de
escravas, camisas e calcas para moleques,
sendo urna fazenda escura trancada e mnito
encorpada, pelo barato preco de 200 rs.
sendo calcas palitts e coletos de casemira, o covado, fazenda que sempre se vendeu
de panno, de brim.de alpaca, e de todas por muito mais dinheiro.
as mais fazendas que os compradores pos- Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
sam desejar, assira como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maiorpromp- prios para camas e para janellas, que se en-
Udao vontade do freguez, e nao sendo dem a 12,5000 rs. cada par at 250000 rs,
VEJTDE-SE
por preijo commodo um deposita de charutos Ins-
tante afreguezado, a ra da Impnralriz n. j'l A,
ior ter o dono de retirar-se para o sertao p^r mo-
estla, O local excellenic, nao s para este, como
para outros quaesqner negocios, como sejam, fa-
zendas, miudezas, chapeos, etc.. eic, prestndose
a armacao para qualquer delles a tratar no caes
do Apollo ns. 73 o 73, prensa de algodao.
Novidade !
Para baies
Ricos cortes de tarlatana bordadas a
seda, com o campo prateado, fazenda do
ultimo gosto; tambem ha setim bianco c
do cor (Mucu) para assombriado des
mesraos.
Para baptisados
Ricos eoxovaes de cambraia branca bor-
dada com todos os pertences.
Para casamentas
Ricos cortes do lond de s-'da com as
competentes v-as capellas; tambem lia
moreanliqtie, gorgoro e grosdenaples tudo
bianco para o mesmo fim.
Para passeios
Ricos cortes de seda de cor e Dretas,
sedas de todas as qualidades, pelerinas de
fil de seda ultimo gosto para Immbros das
Emas. Sras. ejumes de guip brancas ?
pretas ultima novidade, poupelinas de seda
6 linlio, chapelinas prelas enditadas de
cores, peuteador'.s, camisiobas, saias bran-
cas bordadas, punhos e gi.bubas no mosra >
gosto; stnlos do seda de coros e preto
ultima novidade cm Paris; finalmente
outros muitos artigos do gosto, os quaes
se tornara mssada piiblica-los por serem
do muitas especias. Recebemse novidade*
por todos os paquetes, tudo descrito se
encontra na loja do Pago, a ra do Crespo
n. 7 A.
i ATTENQAO
Grande e til no-
vidade.
Tabellas comparativas dos precos de
! qualquer genero Je pago pelo amigo svs-
I tema ao moderno MTRICO DECIMAL,
I trabalho hoje de grande utilidade, por-
| que com um simples golpe de vista ve-
' se a rela';.1o da prego da libra ou da ar-
roba com o kilograinma sem se perder
urna so fraecSo, poupando assim o tra-
balbo do fazr o calculo e evitar de si
os engao. Estas tabellas sao hoje in-
dispensaveis todos que negociam com
algodao, assucar, couros urque, mo-
Ihados ferragens e todo qualquer genero
ou artigo de peso. Algn* exemplares
que restam, vende-so raa do Crespo
n. 18, loja dos Sis Andrade & Medio,
Madre de Deus n. 21, armazem do Sr.
Amoiim, o Vigano n. 1, primeiro andar.
I
Bom negocio
Vende-se dus peqnenas casas da pedra
Charutos de Havana,
e grande sortimento da Baha o Rio de Janeiro
fumo do Para, em macos e cm chicotes, dito su-
perior do Bacpendy, c outras militas qualidades,
que se venden) em grosso e a relalho, na amiga
c.i-a de Jos Leopoldo Bourgard, ra da Cadeia
n. 15.
Yendem-se sote escravo*, tbiui iua |ircui>
de lo a 20 annos, duas mulatas de iO a 18 anuos,
estas com hadilidadcs, um cabra d- H anuos, um
cabrinha do 9 annos o um pret" de 30 annos, to-
dos do ba conducta : na ra de Hortas n. 96.
Vende-se um balco i^m bom estado,
propro para estabelecimento por preco
cummodo: na ra da Cruz n. 13.
Na raa do Vigarion 19, escriptoriode T. de
A uino Fonseca & C. vende-se mercurio, vinho
engarrafado MENERES, ancoretas pspeelaes, cal
de. Lisboa, cera em velas, rhapagne o cognac, car-
vao animal, vidros em casas.
Vendase
urna taberna na ra Dlreita com poucos fundos e
em muito bom loeal : quem pretender dirija-se a
ra Direita n. 69, qne achara mun quem talar.
Venite-se urna esrrava p 'riVila engoinma-
deira, cozinh'ira e costureira, 5 ditas para tudii o
servico, idades de 10 a 30 annos, uin bom escra
vo, um dito e um moleque idade 12 a 30 anuos:
ua iravessa do Carmo n. 1.
obrigados a acccita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assira como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodao e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lbe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
Gspartilhos a 3000 na loja do
Pavo
Vende-se ama grande porc5o de esparti-
Ihos modernos com o competente cordSo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 3$ cada um.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A U800
Chegou para a loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
p cas de bramante cora 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lenco!, o qual se faz com.um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; o vende-se pelo
barato proco de 1(5800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicacoes para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo precx>.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande poreSo de cera de
carnauba em saceos, por preco mais barato
do que em outra qual.uer: na loja do
l'avno rtia da Imperatriz n. oO. De Flix
Pereira da Silva.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas rausselinas de
cores a JOO rs. n covado.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavao as mais
ricas basquinas de casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
leitios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muito cm conta.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavao.
Encontra o respeitavel publico nesle estabeleci-
mento um grande sortimento de fazendas pretas,
como sejam, cas-as francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, azenda do lia de
todas que tem vindo, proprias para lulo, come
sejam, laazinhas, alpacas lavradas o lisas, canto,
bombazinaa, merino, ete, que tudo se vende por
barati.
NOVAS CASQUN \S COM CINTO.
Chegaram as mais modernas basquinas de gros-
denaple preo, ricamente enfeitadas, sendo df um
feiiio inteiramenle novo, com neos cintos largos, e
vendeoi-se por preco razoavel
CASSAS FRANCEZAS.
Vende-se um elegante sortimento das mais finas
e mais modernas eassas francezas que tem vindo
ao maroadjo, sendo com padroes miudinhns e
grandes, e vendemse por preco muito cm conla.
AS SEDAS DO PAVO
^Altas n ividades.
Peto ultimo vapor chegaram para lo|a do Pa-
vao, que vende mais barato do que cm outra qual-
que- parte, as sedas seguintes : ponpelinas ou
gorgtir>s de linho o seda, com os mais delicados
p*drOes, sedas de listras, padroVs interamente
noves, groz de todas as cores, sendj verde azul,
lyrio, rosa, ciqzento, etc., /etins, branco, azul,
verde, rtxo, lyrio c, etc., assim como um gran-
de sortimenio de gro^fcnaples pre!:s de tedas as
qnandadas, e superior gorg;irao preto de seda
para vesdos o
AGRACIABAS.
Chogon est nova i'azonda orno nomo de Gra-
cianas, sendo de una s cor, lyrio, rxo, verde,
azul, etc., etc., e mni! i cae upada, com lustre pro-
priamcnie t seda, sendo melhor e mais moderna
que este anno tem vindo para vestidos, e vende-
se pelo barato preco de 2* o covado.
ALPACAS LAVRADAS
Na loja do Pavao.
Chegou pelo ultimo vapor um grande sortiinen
to das mais modernas o mais bonitas alpacas la-
vrada< para vestidos, t- ndo entre ellas algumas que
fazem a vista propriament de seda, e vendem-se
por preco9 muito em conta.
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
BALDES MODERNOS E SAIAS DE L.U
Na loja do Pavao vende-se os mais mo-
dernos balees reguladores tanto de musse-
lina como de laa de cor, e as mais moder-
nas saias de 13a enfestada, mais barato do
que^iem outra qualquer parte.
SULTANAS
Chegou para a loja do Pavo um grande
sortimento das mais lindas sultanas, para
vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
com listas de seda e os padres mais novos
que tem vindo a este mercado, vendendo-se
a 15400 o covado, na loja de Flix Pereira
da Silva ra da Imperatriz n. 60.
ORGANDY BRANCO.
Vende-se o mais moderno organdy braneo para
vestidos com listras largas e miudas, assim como
urna grande porciio de cambraias brancas, tapadas
e transparentes, tendo das mais baixas de 4SOOO a
peca, al as mais finas de 10 ou 123000, todas
estas cambraias se vendem mais barato do que em
outra qualquer parte.
, COLCHAS DE FUSTAO.
1r>adem-se"colchas de fustao brancas e de cores
por preco muito cm conta, na loja do Pavao.
ORGANDY DE COR
A 360 rs. o covado.
Vendem-se bonitos organdvs de cores com bo-
nitos padres o lixes a 360 rs. o covado.
CAMISAS PARA S1NIP >RA.
Vendem-se finissimas camisas francezas borda-
das para senhoras, na loja do Pavo.
BAREGES A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavao um grande sorti-
mento das mais lindas bareges transparentes todas
de laa, proprias para vestidos e roupas para me-
ninos, sendo com as mais vivas cores, tendo de
listras, quadrinhos c lisas, e vendem-se oelo bara-
to pre?o de 500 rs. o covado, nicamente na loja
do Pavao.
AS CELEZIAS DO PAVAO.
Vendem se as mais finas celezas, esgnioes e
brelanhas de linho por preco muito em conta.
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
juando abertas.
Outras conforme rt pellos, proprias para
senhoras.
Outras mdietadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepc-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeito, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com msica.
Estojos ou carteiras de ccuio com nava-
lhas. e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas. denles, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
ORRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para denles, canelas,
didaes, brincos, alfmetes etc. etc.
Ricas capellas com veos para novas.
Cintos de brim, cora elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os' coques.
Outras igualmente bonitas, e cora pin-
genles para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
setlu douradu.
Botes com ancora, e P. II. para fardas
e cohetes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 5?5.
Botoes de cristal, encastoados em prata,
para punhos, -> o par.
Camisas de llaneila para homem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de laa para homens, senhoras e
creancas.
Ditas de dita, tecklo de borracha, para
quera soffre de nch.ico as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de loalbas de labyrn-
tho, para baptizados.
Renda e bico de gupur, bianco a
prcto.
Fil preto, de seda, com salpico-;.
Pequeos e delicados espanadores d.i
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, etc.
Bonitos passariabos de metal prateadoa,
para segwar costaras, tendo almoftdkikas,
de velludo para amibas e alinetes.
Thesouras de duas, tres, qnatro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULIIAS NON-PLUSLLTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, quo
mereceu ao fabricante o pomposo titulo do
Non-plitsuUra, merece a Aguia Branca a
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das inlelligentes senhoras, a devdi
estima por sua aprcciavel qualidade.
At agora nada se linha visto de tao bo;n
em tal genero, c anda assim custa cada
papel apeos 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundar?
as falsificadas para serum vendidas barata-
monio, pnrAm as^ei Iadeiras continuarlo ;i
vir especialmente para a loja da Aguu
Branca.
Descrever minuciosamente por seus ne-
mes e qualidades a ulinidade d'objccton
que constantemento se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria seno impossi-
vel ao menos iiifadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa c amiga fre-
quezia. e pede aos que de novo queram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecarn de comparecer loja d'Aguia
Branca rua do Qu'-'iiuado n. 8.
itllit 11.1 fl
u
N. 23Largo do Terco.N. 23.
10 DOS SANTOS 1
Os
s propn leste bem sortido armazem de seceo e molhados. partecipam
aos seas numerosos freguezes, tanto desta praca, como do matto c igualmente aos ami-
gos do bom e barato, quo le.em um grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
donase asmis novas do mercado, as quaes vendem em grosso o a rctalbo, poi
menos preco do que em oulr qualquer parle, por ser maior parte destas mercadorias
compradas por conla propria, por isso quem comprar al a quanlia de 100.-?. ter cinc
por cenlo pelo scu prompto pagamento garanlndo-se qualquer ''enero sabido d
armazem.
GAZ AMERICANO 5 .; j lata, a
a garrafa
Bartholomeu & C,
Vende-se dous escrav-s, necas. sendo nm c
12 para 13 annos, e outro dp 20 mais ou monos ;
na na do Queimado n. 13 1." andar.
Attenpo.
Vende-se o armazem do molhados da raa da
Imperatriz n. 39, por seu dono retirar-so, bem
aireguezada para a trra, <' livro de qualquer onn :
quero a pretender nodo dirigir-so mesma, e l
I ter as infnrnwcoes qne precisar.
e cal, situadas na Baixa-Verda na Capunga; -----------------
.iuim o nrMiim.lop ilirini n .i fi-,,, "~ Veiiilese nina rnoula dn 20 a un os com nm
quera as pretender dingj-se a esta fypo- rfilho ]318 mcu^ e ,(mma pcrfoiumfinUj. a lra.
grapbia quo achara com quem tratar. i lor na raa do Queimado a 28, l* andar.
GRGURAO PRETO.
Chegou para a loja do Pavao o mais encorpado
gurguro de seda preto para vestidos e colletes,
que se vende mais barato do que em outra qual-
quer par!s.
MADAPOLO FRANCEZ
A 7000, s n pavao.
Vcudcm-se pera- de madapoln francez com 2
met os, pelo barato prcio de 7000, dito enfestado
com 20 jardas a 7fi000, assira como finissimos ma-
dapoloes francezes e inglezes, ditos de jardas, que
se vendem mais barai i do qne ero outra qualquer
parte, por haver grande porcao
AS CASSAS DO PAVAO
Covad a 38Q
Vendem-se finissimas cassas francezas com lin-
dos desenhes o cores fixas a 300 rs: o covado.
CHITAS BARATAS
Na loja do Pavo
Vende-se urna grande poreSo de chitas oscuras.
e claras, de cores uxas, por preces que admirama
VlNHO, PiLULAS, XaROPB E TINTURA
de jurubeba simples e ferruginoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta preparados por
BaRTHOLOMEO & C*
Pharmaceuticos- Droguistas
PERIAMBVCO
A Jurubeb : esta planta 6 hoje recooLecida
como o mais poderoso tnico, como o molbor
bstrntRlc.e como tal applicada nos paJeciaicnlos
ii a iia?o, hepatkes, Juresas, tumores nter-
i espwialmente do ulero, hyclropesias, erysi-
<, etc.; e assuciada ao ferro 6 ulil as pallidas
cores, cbloroses e falta de menlrua:o, desarran-
jos do estomago, etc., e o que di>emos tllesUo
innmeras curas importantes oblidas oom nossos
preparados ja bem conbecidos e usados pelos mais
distinctos mdicos do paiz e Portugal. Em todos os
nossoa depsitos distribuimos gratis folhetos que
melhor fasem oonhecer Jarubtba seos resultados
applicaco.
" mmm
Vende-se o estabelecimento de talvirna e pada-
ria com boas froguezias, na ponte de Ueha; a
traiar na rua do Rosario da Ua Vista n. '.
Para forrar casa.
Vende-se boa alcatifa pelo barato preco de 900
rs. o metro : na rua do Aucimado n. 31, loja de
A. M. Roliui & C.
i- Ventle-se'uma boa eserava sem vicios, pro-
pria para trabalho de campo : a tratar na Iraves-
ei da Madre de Dos n. I i, das 9 horas da ma-
ha s 4 da tarde.
JoaqBm da Custa Maia & C, rua do
Crespo n G, acabam de recebar um grande sor-
timento de pedras marinnre, como seja lijlos de
diversos tamanhos. laminas, saetadas, soleiras e
degraos, bem como telhas de ferro galvamsado
de diversos tamanhos, que toda vendein muito
em conta.
100 rs.
e CO rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FGLEIRA 560 e
G40 rs. a garrafa, a i 5500 o 5800 a cana-
da, a 70 e MO rs. o litro.
DEM DE LISROA tas melhores marcas,
a 400, 440 e JUO rs. a garrafa, a 35 e
3^500 a caada, (50o o OlOrs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISROA 900 rs. a
garrafa, e a 7#a canala, e 30 o lilro-
VINHO BRANCO- DE LISBOA a 000 rs.
a garrafa, 4-3500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 250 o 320 rs. a garrafa, 2200,
L)SO0 e 1.-5500 a caada, 300 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 3 ,54iO o
I280 a libra, 3;>i',0 o 2;>800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZA 960 900 e 850 rs.
a libra, e 2I00, I980 o 15870 o kilo-
grammo.
DEM PAM TEMPERO a 040 rs. a li
bra, I #100 o kilogrammo, em porco se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR :
720 rs. a libra, t L-J570 o i.ilogrammo, em
porreo se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e 140 rs. a libra, 2O o 30o rs. o ki-
logrammo e 3#800 a arroba.
ALPISTA 2'O rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo. eG5 por likilogrammos.
CAF EM GRAO (i> e 6500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
_SABAO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs o kilogrammo, em caixa ha melhores
abatimento. 3#200 a
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA- grammo.
LHARIN E ALETRIA. 800 rs. a libra e DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 2700,
l5750okl.grammo. 2A500. 2-5200 o 23 a libra, e .$450 e
SEVADINIA E SAF 3 280 rs. a libra e 45180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinho em ancorlas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos do diversas marcas, lingngas de Lisboa, marmelada. con-
servas gela de marmello, pecogo. ervilhas, oexe em latas, sardinhas de Nantes,
vinho verde engarrafado, pomada canella, cravo. ervadoce, cominho.' pimenla, grande?
moluos de sebolla 13500, finalmente muito mais gneros que enfandonho
menciona-lns.
020 rs. o kilogrammo, em porco ha aba*
limento.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS DUALIDADES, a 15 c 15400 a lata.
VELLAS DE LSPARMACETE 720 rs. 0
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGI-
RANCA, a 280, 400 o 500 rs. o masso,
3.-5200 e (5500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 30500, 60500
e 15 a libra.
GOMMA DE M1LII0 AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e em Caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-se ahatimenlo.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 5,-5i500
a duza e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS. VERDADEIRA ihlers
RELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzm.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 1.5200. 15 c
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 7-j c 05 a l'rasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARAN.IA DOCE AROMTICA,
115 i frasqncra o 10 o Irasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35, 25800 e 25400. em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 115500 por
14 kilogrammos.
CHA FINO. GRADO E MILDINHO os
que ha no mercado, 35 o
libra, 7,5080 e 60540 o kilo-
ATTENCAO
o
No nrmazem da rua de Apollo n. 28 ha para
vender Dina cadeirinha ou palanquim eom todos
is pertences, em muito bom estado, e por preco
commodo.
Cha toni-purgatlvo de Chambard.
Omposto das plantas as mais odorferas e as
mais virtuosas dos montes os mais elevados, o r.
lonipurgutivo df Chambard possaf um g .sto ube-
roso c um aroma saavissimo, e as propriedades .-<
mais notavjis sohrf os embaracos do estam
do< intostinos e do ligado, o Wb->trueni
excellencia na constipaeo do v.ntre, t tur
resgum-d) atgum. Depurativo especial e di
das hiles e dos humores, refresca o saDgue de
rando-o.
DEPOSITO l.v'.'Kf./AL,
Pharmscia do Bartholo:ou A C, rua larg.
No armazem n. 18. iravessa da Madre de Dos, Rosario n. 3i.
vende-se papel do seda paya cigarro-, marra muito--------------------5=------;---------------------
grande, e snpermr qn..lidnde. p-ir prec,.. c.mmodo. t/l'OCnCifl
Vende-se um carrav.i muco,e i hnTta" flto- GoBoalves 4 TmxMn lera pura vopJor tr
ra, pedreiro de toda obra, e perito em assentamou- de noalMado c mi 10 pal nos do comprimen-,
to de engenU.;, e muito bm cuziulieiro : na es- li p degrosaura: na esquina da ra>.
CIGARREiROS.

trada de Julo de Barros, sitio o 19.
, Pe
da Peuha 0. 8.
diM


6
Diario de Peinambuco Segunda feira 20 de Setembro de 1869.


L1Q1JMC0
SEMI IGUAL
O proprietario do armazem de fazendas denominado ARARA, rua da Imper-
is/, n. 1-2, declara ao respeitavel publico eseus freguezes, que est liquidando todas as
l.i> o roupas feitas (iue lem em seu estabelecimento como se poder ver no sea
aTiuncJo c preco abaixo mencionados,
Chitas francezas matizadas a Algodo enfestado OO rs.
90 rs. i Vende-se algodo enfestado proprio para
Vende-se chitas francezas escuras matiza- iences e toalhas, 900 rs. o metro, dito
d.iian-20 rs.o covado por csle preco sona
la Arara, na da imperatriz n. 72.
LAVZINHASA iiOHS.
Wnde-se laazinhas pwa. vestidos de se-
ntara a W, 280. 'M e 400 rs. o co-
H.VREGES DE LA V A 500 RS.
Vende-se baregcs de 15a com listras para
\'.uFlos de senhora a 00 e 610 rs.o
l IVMrt.
Alpacas de listras a &09 rs.
V>nde-se alpacas de listras para vesti-
das de senhora a 300 rs. o covado.
CUITAS FUANCEZAS A 289 RS.
Vende-se chitas francezas claras a 280 rs.
o .-ovado.
CORTES I)F. LA PARA VESTIDOS A
2A100.
V.'nde-sc cortes de la para vestidos de
.-,: dioras a 2:H0) caila um,
PERCALES A 4 RS.O COVADO.
Wri.-lo-st percales nuito linos para vts-
fe senhora a UO rs. o covado, mur-
gas brancas finas, a 500 rs. o covado,
llantinas de cores, a 4i0 rs. o covado.
ilales moderaos de todas as
cores.
* Vendes balos moderno sbrancoedec-
r-sai.-S. MW0e5.
COBERTORES DE ADGODO A 1-5500.
Vende-se cobertores de algodo a 1-3500,
ras de chitas a 1,5600 e 2> cada urna,
(lANGAS PABA CALCA A 320 RS.
Vende-so ganga para calca a 320 o cova-
i! >. brim de cores para calcas de liamem e
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
o fMMU o covado, aletas casemiras enfestadas para
ase palitots a Ifr o covado, brim pardo
idas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na rua da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 4 rs.
Vende se alpacas de cores lizas finas a
O'O rs. o covado, tarlatanas de cores a 320
rs. o metro.
MADAPOLO ENFESTADO A 3500.
Vende-se pecas de madapolao enfestado
a 3$500. pecas de madapolao inglez de 24
juilas a p;
trancado a 1$, metro.
Chales de merino \ 2*.
Vende-se chales de merino estampados
a 2($, chales brancos c de cores a lj-000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 640 RS.
Veiide-se urna grande porco de cortes
de brim castor para calca de hornera, 640
fs. cada um.
Grande porco de rctalhos
Vende-se grande porco de retalhos de
chitas e cassas prelas a 160 e 00 rs. o
cova lo, retalhos de cassas, la e chitas de
odres baratissimos.
LIQUIDA* A ROliPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 2$,
ditos de alpacas de cores a 2#, di os dr
meia casemira a 2.J e 2-5-iOO. ditos de pan
nopreto bom a 8$ e KML calcas de algo-
do azul para escravos a 640 rs. ditas de
algodo de listras a 800 e I A, camisas de
: iscado de listras a 800 rs. cada imia, cole-
tes de brim e fusto de coresj l??e 1(5500,
coleles de cesemira de cores a 2?500 e 3$,
e outras militas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratissimo preco.
Algodo de listras a 300 rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
PECA DE ALGOD.vO A 4. -
Vendem-se pecas de algodo 4?000,
5200, 6#000 e U, para liquidar.
Vende-se bales de arcos para senhoras
pelo baratissimo preco de 1,5500 cada um,
Cortes de cambrala barras
a 3#O0O.
Vende-se cortes de cambraias barrsa a
2 e 3$ cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de sds a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 1)5.
Vende-se carteiras para viagem i#
Ofr, GAiOO, 14, 8$ e I0A "a peca. cada urna.
Assim como vende-se chitas para coberUs, a 240, 280 e 320 rs. o covado,
ellas antes que se acabem todas mais fazendas e roupas feitas, e que pelo preco que
vender ou liquidar, poneos dias poder durar, e quem se quizer sortr de fazendas
e roupas feitas para a festa pelo preco que llie agradar, se poder dirigir a rua da
AS MYAS SEDAS
11--RTJA DO QUEMADO-ll
Chegaram da Europa pelo o 1 tira o vapor loja de Augusto Porto & C. ricos
cortes das mais linda-sdas de mimosas cores para vestidos proprios para bailes e casa-
mentes.
Grande variedade de sedas de listras de diversos precos todas de lindas cores,
gorguro de seda prela, e grosdenapld de varias qualidades e gorgurao de seda la de
dillerentes cores. II
Novos vestidos brancos de blond para noivas. lindas colxas de seda para camas
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janelias, fronhas e toalhas de
cambraia de linbo bordadas.
I.uvas novas de Jouvin.eelegantes sombrinhas de s las de cor para senhoras.
Espartilhos de 5iJ at 10,?, lindos bournous de cachemira de cor para sabida
de baile, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e prelo para senhoras.
Grande variedade de camisas .bordadas e lisas para homens e mminos.
Soilimento de muitas fazendas de la, linho e algodo todas por precos muito
mdico.
Tpeles grandes para sof, piano e camas, pecas de tapates o de alcatifa para
forrar saloes ludo em quantidade; e vendem sempre^por menos que em oulra qualquer
parte.
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
Imperatriz armazemda ARARA, que estar aberto
manha, ;is 9 horas da noite.
todos os dias uteis, das 6 horas da
72. Rua da Imperatriz. 72.

CONVITE GERAL
O proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na rua da Impe-
ratrii n. 58, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
s :, e desojando diminuir este grande deposito por meio de urna liquidaco que An-
dar no dia 15 ou 20 do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
' boas fazendas, e por diminuto preco. a saber:
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
ALGODO ENFESTADO TRANQADO A
1,5000. .
Vende-se algodo enfestado trancado para
le&coes a 1^000, dito liso enfestado a 900
0 metro.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 380 rs. o covado.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3S300.
Vendem-se pecas de madapolao enfes-
tado a 33300, dito inglez de 24 jardas ou
li metros a 55, 65, 70, 85, 95 e 105, a
1 \'a.
IANZ1NHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de s-
oa a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
RAHECE PARA VESTIDO A 500 RS.
1 barege de lisias para vestidos
a "00 c 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5.0 rs.O COVADO.
VV.'ulem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
ihora.
SIDAS DE CORES A 10.
Vead laa de cores para vestidos de
senhora a i o covado.
POnCO DF. RF.T.vLHOS:
Vende-se urna porro de retalhos de cas-
sas, de la e sedas e de outras fazendas
por muito barato preco.
A' elles antes que se acabem.
CIIALY DE CORES A 800 RS.
Vende-SH chaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 15.
Venle-se chales de cajea a 15, o de me-
ria a 25.
CORTES DE LA\\ A 25400 RS.
Vendert-se cortes de la de listra para
idos de senhora a 25400 rs. para aca-
ALGODO A PECA 40000.
nde-se pecas de algodo a 45, 55, 65
E muias outras cousas que
nar.
CHITAS PARA CO BERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 25500.
Vende-se casemiras de cores a 25500 e
35000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 35000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000. ditos de seda a 105 cada um.
RRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para ca'cas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Gangas para calca a 38 rs.
Vendem-se gangas de cores para calca c
palitots de uomens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselioa branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
i i 40 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 25.
Vende-se lencos brancos a 25 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 15000, para aca-
bar.
JGRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que era outra casa : por
isso os pretendentes podero vir examinar
para ver a realidade do annuneio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
np nnjir*
BALES DE ARCOS A 15500.
Venden:-se baldes de 20 e 30 arcos a
15500 cada um, ditos modernos a 45.
BRIM HAMBURGO A 850DO A PECA.
Vendem-se pe?as de brim lizo de Ham-
burgo a 85, vem a ser mais barato do que
algodosinbo.
CORTINADOS A 145000,
Vende-se cortinados para cama a 145
para liquidar. Ditos para janelias a 75.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na rua da Imperatriz n. 66.
SABIDAS DE BAILE
Chegaram pelo ultimo paquete viada da Europa, lindissimas sabidas de bai-
les, ricamente enfeitadas, o raelhor gosto que tem vindo ao mercado : i rua do
Crespo n. 13, loja das columnas, de Antonio Correa de Vasconcellos.
Grande e completo sortiuiento de machinas para
descaroear algodode nova invencao chegadas l-
timamente em direitura para a loja le Hanoel
liento de Oliveira Braga 4 C, na rua Direita n.
53. (arante-se que a melhor qualidade que at
o presente tem vindo ao mercado : acliim-se em
exposicao aos compradores.
Sy8tema decimal.
Grande e completo sortimenlo_ de pesos kilo-
grammos de melhor comprehensao dos que tem
vindo at o presente, assim como marcos de latao
at meio grammo pelo mesnio syslemn, bataneas
de latao de (brea de 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira e de latao para medir fazendas, alm
de grande sorlimento de miudezas e ferragens de
todas as qualidades, tudo por precos que so a vista
faz crdito : na rua Direila n. 53, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga 4 C
COGNAC.
Rua do Queimado ns. 49 e
fojas de miudezaz de Jos de,
Azevedo Itfaia, est acabando
com as miudezas de scus estabe-
fecimentos por isso queram apre-
ciar o que bom c baralissno.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
15500, 2-^,35 e..... 45000
Caixas de linha com 50 novellos 500
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a......25000
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a......15500
Duzias de meias cruas para ho-
mem a........35800
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco melhor 100 attos a 5200
Livros de missoes abreviadas a 25000
Duzia de baralhos francezes muito
linos a25100 e.....280f
Silabario portuguez com estam-
pas a ....... 5320
Gravatas de cores e pretas muito
finas a........ 5500
Cartes com clcheles de latao
fazenda fina a...... 5020
Abotuaduras de vidro para colete
fazenda lina a. 5500
Caixas com penna d'aco muitc
finas a 320, 400, 500 e 15000
Cartes de linha Alexandre que
tem 200 jardas a 5100
Carretei3 de linha Alexandre de
70 at 200 a...... 5100
Caixas com superiores obreias
demassaa...... 5010
Duzias de agulhas para machina 25000
Libras de pregos francezes di-
verso tamanho a. 5240
Livros escripturado para rol de
roupa a. ...... 5*30
Talheres para njeninos muito
finos a. ,...... 5210
Caixas com papel amizade muito
fino a........ 5700
Caixas com 100 envelopes muito
finos a........ 5600
Pentes volteados para meninas e
senhoras a....... 5320
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. 5500
Tinteiros com tinta prela muito
boa a 80 120 e 5320
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. 5160
Pecas de fita branca elstica
muito fina a...... 200
Novellos de linha com 400 jardas 60
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a...... 25500
Grozas de botes de louca muito
finos a........ 46C
fiO*3A
DO
GALLO VIGILANTE
Rua do Crespo n. 9
Os propnetarios dest beni eonfeeeido estabele-
cimento, alm dos amitos objectos que liaban) ex-
MBtos a apreciaqo do respeiUVel (MibHoa, in.ui-
oxram vrr e acabam d>? recebar pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado soilimento de
finas e mu delicadas especialidades, as quaes cs-
tao resolvidos a vender, como de seu bastme,
por precos muito bar'itinhos e commodos para to-
dos, com lauto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas o de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nbora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfoites para eabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores c bonitos leqnes de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e este3. pretos.
Muito superiores nietas fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se vendaran) por :0s000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por '20 5.
alm destn?, temos tambem grande sortimpnto de
ontras qualidades, entre as quaes algumas muito
linas.
Roas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desojar ; alm destas temos tambem grande
quanlkb'de de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, btela, ossop borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotiuhos de cadeia c
de ontras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para moui-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaroga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa \ez tam-
bem asseguram-s sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capollas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para erox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de carias para voltarctc, assim
como os tontos para o mesmo fim.
Grande e vanado sorlimento das melhorcs per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLABES DE BOER.
Elctricos magnticos contra as convulsocs, e
facilitam a dcntiro das innocentes enancas. So-
mos desde milit recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afira de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
tes que d.-l!es precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre eneontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes atlendendo-se ao fim
para que sao applicados, se rndenlo com uoi mui
diminuto lucro.
Bogamos, pois, avista djscbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes 3 amigos a vireni
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, rua do Crespo n. 7.
Do superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch & C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-* em casa de Th. Just. rua do
commercio n. 32. *
BAZAR UNIVERSAL
8Rua ova-*
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sorlimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposic5o servicos a electos para almo-
CO ejantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima demesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
batervos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e enanca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de baianco,
espelhos de todos os taraanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinlias, oleados
para sala e a esa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se eneontrarao
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
uuua a......., lu.
Machinas vaporae
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas do faco e serrotes para desca-
nsar algodo.
Balancas para armazem e baldo.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar caras.
Fogo americano patent
Exlractun earnis
Este producto alimentacao para doentes, mui
apxopriada para creancas e'para as pessas saas;
indispen.-avel a todos, porm, principalmente aos
viajanlos, que terio nelle o recurso de podurem
ter alimentacao do carne fresca incarruplivel, o
bae com faciidade se aprompta e se conduz, por-
que n'um pequeo volume carrega-se alimentacao
para muito lempo. Sobretudo chama-se a atten-
cSo dos senhores de engenhos que eneontrarao no
XTRACTUM CAB.NIS o recurso de alimentacao
agradavel, hygienica e barata para seus fmulos e
seus doentes.
Este producto fabricado pelo processo do dis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Bio-Grande do Sul,
que acaba do crear um deposito nesla cidade em
casa de Jos Victorino de Bezende & C., rua da
Cada, escriptorio n. 5, primeiro andar, venden-
do-se :
No deposito a rua da Cada n. 32.
as pharmacias dos Sis.:
Manoel Alves Barbosa, mosma rua n. 61.
Joaquim de AlmeiJa Pinto, a rua largado liosa-
rion. 10.
Antonio Mara Marques Ferreira, pnea da
Boa-Vista n. 91.
N. B.As latas que contem o extracto razem
urna guia para seu uso.
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de tima efflcacia verdaderamente ma-
ravilhosa como calmante do systema nervoso
applicado contra a paralisia, asthma,
e e
tosse convulsa ou coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, suffocacoes, catharros.
bronchicos, etc., e em geral contra todos
os soffrimentos das vias respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua virtnde contra
o ttano ou espasmos, e convulsoes n-
jcontestavel, e ninguem ha que a desconlie-
Este acreditado preparado, que t3o boi C- Rua Larga do Rosario n. 10, Peniam-
Scboncte de alcatro.
DE
Antonio Nunes de Castro.
acceitaco tem merecido n'esta provincia, buco,
muito se recommenda para a cura cert
das impigens, sarnas, caspas e todas a;
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu 4 C,
34rua larga do Rosario34.
CEMENTO
POBTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
celcao, em barricas grande
Ndvidade.
UVAS E MACAAS
Chegaram no ultimo vapor da Earopa.e acham-
se venda no petit restauran! do Hotel Central,
rua estrella do Bosario n. 4 A.
Vende-se gela de m3o de vcaca em
pequeos copos por 240 rs.: na rua da
Cruz n. 13.
Jos Maria Palmeira contina ven ler em sen
escriptorio, largo do Corpo Santo n. 4, i" andar
Potassa da Bussia superior.
Lonas da Bussia de superior qualidade.
Brinzoes da Bussia de superior qualida le.
Cemento PortUnd.
Dito BemanoF
Pao de algodo do commendador Pedroso.
Vlnbo Bordeanx.
Vende-se cerwja branca Bass a melhor do mer-
cado e engarrafada por E. & G. Hibbert a 7 a
duzia na rua do Commercio n. ii, armazem de
Eduard Fenton, onde tambem ha a venda cerveja
preta do afamado Barclay, de Londres, a 8$000 a
duzia.
Loja de miudezas de Ferreira da Cunha
Temporal, rua do Queimado n. 03, est
quimando por todo preco :
Jogo de vispara a 400 e 500 rs.
Redes para coques a 240, 400 c 500 rs.
Linha de 200 jardas (duzia) 1200.
Caixa milito fina para p de arroz loOO.
Relogio de sol 120 rs.
Latas com banha 160, 200 e 320 rs.
Agua florida verdadeira a 1)5300.
Agua divina idem 1)5400.
Gravatas prelas para homem 4 0 rs.
Pentes de Iravessa para menina 320 rs.
Olio philocme verdadeiro H200.
Adereros de plaqu 1)5500, 25 e 5#.
Meias cruas para homem a 3$500 e 4;5 a
duzia.
Botes enfeitados para vestido, L)200 a
duzia.
Leques do santol 55, cada um.
Dittos de madeira 3?5 cada um.
Coques de tranca, boa fazenda, 25,
2KKM) e 35 cada um.
Meias finas para senhora 45 a duzia.
Banha em frascos a 'i00, 640 e 15200.__
Frascos com extracto muito fino 25 e
25500.
Caivetes de duas folhas a 240 rs.
Sabonetes finos 80, 160, 200, 240 e
320 rs.
Olio baboza 400, 500, 600 e 800 rs.
Agua de colonia 400, 500 e 800 rs.
Cartas francezas 200 e 240 rs.
Caixa com extracto i 25500.
Cartas portuguezas a I20e 200 rs.
Pentes brancos com costa do metal
320 rs.
Dittos pretos 200, 240 e 320 rs.
Galo de 13a para vestido (pessa) 400 rs.
Fita de sarja lisa e lavradas, 15500,
25 e 25500.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Ditto e dourado a l.
Dittas com envelopes ;i 500 rs.
Caixa com agulhas francezas 160 e
210 rs.
La para bordar de todas as cores (libra)
65800.
Boncts para menino 15,25 e 25500,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
M as para menina (duzia) 35 e 35500.
Pecas de tranca liza e de corocol a 40 rs.
Sapatos de la para menino a 320 e 800,
Capellas francezas a 25500.
Facas e galfos, cabo de baianco (du-
zia) 75.
Chicotes para cavallo 600, 800 e 15500.
Bengalla de canna 15, 15500 e 25.
Vortas para luto 500 rs. (cada urna).
Papel almaco, gr*ve (resma) 15500.
emporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
xanca, emporal contina a
vender na Bonanca, pelo mesmo
prec.0 que venda em sua loja
com titulo de emporal.
A NOVA ESPERANQA
21Uuti do Queimado =-21
Advertencia!
A Nova Espereza, i rua do Qoeimao
n. 21 tendo em deposito grande quantidad
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o baianco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resohida a vender suas mer-
caduras pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venbam os bons fregae-
zes, e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo to opportuno quando i
NOVA ESPEBANQA convida-os pechiDeba-
rem, pois que para comprar-se caro, ni
falta aonde e a quem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer sea*
pre primar em nos remetter objectos e
gosto e perfeic3o, e ella (loja da Nova Ea-
peranca) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) a
Nova Esperanca rua do Queimado n. 21.
alm do grande sortimento que j tinna.
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brincos d
madreperola.
Papel c envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galloes, franjas e trancas d
seda e de la, para enfeites de vestidos.
Botes de todas as cores e moldes novo*
para o mesnio fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo con
pengentes e sem elles.
BofSes pretos com vidrilhos com progen
tes e sem elles.
Linas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados leque de madreperula, mar
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de balcia.
Finalmente, um completo sortimento
miudezas rua do Queimado n. 21, na
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magnet*
eos contra as convulces das
creancas.
Nao resta a menor duvida, deque muito
collares se vendem por ah intitulados o
verdaderos de Royer, e eis porqae muitca
pais de familias nao creem (comprando-oa.
nocfJeito promettido.o que s pdem dar
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificaco principalmente ce
que respeita ao bem estar da humanidad*,
fez urna cncommenda directa destes collare,
e garante aos pais de familias, que sao o*
verdadeiros de Royer, que a tantas creaC'
Cas tem salvado do terrivel ncommodo 4*
convulces, assim pois preciso, que v&-
nham a Nova Esperanca a rua do Queimaa
n. 21 comprarem o salva vida, para seta
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, miando ent5o ser J.i-
fficil alcancar-se o effeit desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collare
de Royer.
Para cabriole!
Vende-se um rico cavallo, bonita estampa, gordo
e manledo, muito trotador, bom de cabriolet; na
coeheira do Thomaz, rua de Santo Amara, defron-
te da estacao.
mz m m
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster
C, na do Imperador, nm carregamento de mu
de primeiraqualidade; o qual se vende em partida-
e a retal ho por menos preco do que em outra qnal
quer parte.
3 cordeiro previdente
Rna do Quciuiado n. 16.
Novo e variado sortimento de perfumara?
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que effectivamente est provida a
oja do Cordeiro Previdente, ella acaba d<-
receber um outro sortimento que se toma
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
lade, qualidades e commodidades de pre-
508; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
i espera continuar a merecer a apreeiaeau
lo respeitavel publico em geral e de raa
boa freguezia em particular, nao se ate-
tando elle de sua bem conhecida mansido
d barateza. Em dita loja encontrado os
jpreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacao do
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do lino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocme verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
iom escolhidos cheiros, em frascos dediffe-
rentestamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
oara maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinba para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
entes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
oem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e ontras dillerentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
estao todos expostos apreciacao de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Flvellas e Atas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, fleando a boa escoma ao gosto do com
prdor.
-I
('


Diario de Pernambuco Segn la feira 20 de Setembro de 1869.



A ESMERALDA
9

A VERDADE
55
LOJA DE JIIHS
DE
ft[
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado e novo, est as condi-
Qoes de servir vantajosauente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
explendido sortimento de obras de ouro e
prata de iei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, eujos prepos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
S3 em troca ou compram-se com pequeo
\5 Rli DO CABIC V 3
1-5800
320
100
800
I >50
m o
720
500
1,5000
200
m
600
23G0
700
500
240
200
80
GOO
I 000
1400
400
Osabaixosnssignados, proprietarios deste
<-$tabeiecmenlo, declaram ao respeitavel
publico e com especialidade a seus nurne-
isfreguezes, que desta data ^em diante
. i morcadorias serlo vendidas/ jkqo flxo,
mdico. Isto resolvern! os msmos pro-
pietarios em consequencia
I olidos de militas petsoas
sjsfMN e vender o que mais garanta e
onfianca inspira ao comprador.
todos os das uteis das 6 horas da manha
s 8 horas da noile.
Recife, 1 de agosto de 1869.
Jos de Sonza Soares & C.
DA
VIIIA DO CABO
RVA DO IMPERADOR N. 37.
*to armazem ha um gran Je sortimento de
de reiterados quartinhas de diversas qualirfades, bilhas, murin-
por ser este Bue!i> ierras para sala, grandes c pequeas, vasos
~ flores ~
para llores proprio para jardim, cacos para ditos,
ditos para foranga, louca vidrada para ir ao fugo
canos vidrados e por vidrar de 1, 2, 3, 6 e 10 oul-
As vendas em grosso, serao fetas com legadas de dimetro, os qoaes vende por preeos
v9 ahatimentos na razio seguinte : muito razoavcis por ter grande sortimento.
1003 descont 5 %
10%
Compras de 505 a
i de 100.3 a 3000
o de 500 > para cima 13 %
Pagamento realisado no mesmo mez da
mpia.
Os proprietarios doBAZAR DA MODA,
bservao mais que, recebendo todas as
.'oad . juera comprar todas as ventajosas ccmdi-
das casas reportadoras.
O estabelecimento conserva-se aberto
\cude-se um fardamento composto de farda,
iionet a hamla, proprio para o corpo de polica ou
esquadrao de cavalaria de Ja boa rao : nesta t\B0-
graphla.
Vende-se manteiga ingleza tina a 242*10 o
kilogramma ou i a libra, batatas novas o gigo a
I ;>00 : no pateo do Carmo, esquina da ra de
Hurtas, armazom n. 2.
l^uva aovas
Cliegou de novo pelo Extremadme completo
sortimento de tarad de Jouvin, de cores escoltadas
a ultima moda : no arnvzeni do vapor raneez
ra Nova n. 7. '
Ruado Queimado55
A VERDADE tendo em deposito grande
quantidade demiudezase pet-fumarias, e de-
sejando apurar dir.lieiro e adquerir boa fre-
guezia est rssolvida a vender muitissimo
barato, ; por- essa razo convida ao respei-
tavel publico a vir competentemente muni-
do a sortir-se do bom e barato. Pois quan
do a Verdadc apparecc, ludo mais des-
apparece-----
Grande sortimento de bonecos de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Ricos globos para candleiro de gaz a
Chamins a ,......
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
m Dita com agua florida erdadeira a
^* Dita com diladita a .
Frasco com oleo de babosa a 500 e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Garrafa com agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
Latas pequeas com banha muito
lina a 12(1 e......
Sabonetes de diversas quali ladcs a
80, 100,2i0e. ....
Finas escovas para denles de 120 a
Lindos coques modernos a. ...
I'avios para gaz, dtuia a 240 e .
Escovas pata fado a 5lO, 600 o
Ditas para cabello a.....
Pantos para tirar piolho a 160 e.
Iliiucos de cores, bonitos a 160 e
l'ecas de tranca de laa com 8
varas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a. ...... .
Pennas d'aco finas caixas^a 800 o
Dita d'aco Perry, caixa a. .
Gaio de algodSo peca ....
Lindos babadinlios e eulremeios
peca de 500 a......
Botes de madreperola, groza a
Ditos de louca muito lino a 120 e
Ditos para calca a 160 c. .
Caixa com papel minee a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa com aguihas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para cosluia a 2i0e
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Carreteis de linha Alexandre de 70
ato 200. .......
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 2#200 e .
Papel almaco c de peso, resma a
3)100, 3300 e .
uaa muito lina para bordar, libra
Fita de algodo para debrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido,, peca a ......
Pentes finos para segarar ca-
' bello a .......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 210, 320 e......
Caivetes grandes com molla a .
Ditos para aparar penna a .
Carloes com colxetes a .
Rosetas pretas, par a .
Tranca de laa df caracol peca a 40 e
Fita de coz peca a 480 e .
Alfinetes de latao a.....
Sapatos de laa para menino a 240e
Ligas para senhora, par a. .
Grvala de sedas de cores a .
Grande sortimento de rendas das Ilhas.
Um par do suspensorio de borracha por
100 risl!!!!!!
Xa VeraIe ra do Qnelaiado
n. 5..
RIVAL I S
500
100
200
15400
3/5000
40500
6570C
160
480
320
500
320
100
40
100
100
560
100
800
160
200
Ra do Queimado n, 49 e 57 loja
f de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Oaixas de linhas do gaz cora
50 novellos a 500
Latas com superior banha a
120, 200 e..... 400
Frascos de oleo babosa muito
fino a....... 400
Duzias de meias (ingleza* )
muito boas, a .... 4;500C
Garrafas com agua florida ver*
" dadeira...... 102OC
Garrafas com agua'divina dame-
lhor qualidade \ $500
Caixascom 12 frascos de churos
proprio para mimos 2#Nf
Dita com|6 frascos muito finos 800
Oleo baboza muito fino que so
^ a vista ...... 00
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... |840
Cautas de p de arroz muito
superior ...... GOO
Pegas de babadiulro com 10
varas ...... 500
Pecas de fita de cs qualquer
largura ..... .jOC
Escovas para tinhas muito fi-
nas ...... 500
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... |gQ
Pulceiras de contas de cores
para meninos >00
(*ixas de linha branca do gaz
com 30 novellos 600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores ..... 040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... i000
Pares de botes para punho's
mujto bonito o
Libras de laa para bordados de
.(Je todas as cores S.-JOOO
Pentes com costas de metal
muito finos 320
Novellos de linha muito grande
para croxs 0320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... 180
Grosas de botes madreperola
muito lino ..... 500
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e..... 320
Pecas de fita de la todas as
cores 500
Espelhos dourados para parede
{000 e 1500
Espelhos de Jacaranda muito
fino ...... 2000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol 060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 320
Caivete muito fino com 4 to-
mas ...... I500
Frascos de sndalo e patecholy
Ultiito unos {200
As suca r de oxido de ferro de
C'hauleaod.
O assucar fe rtynoso de Chanleand obiido
pela associacao do esMo de ferro tneiamenle so-
luid com (i assucar cuidadosamenie purilicado.
liste assucar, de nina bella apparcncia cryslina,
tem o simples gusto inui agradavel do assucar,
sem o menor sabor adstringente : nao tem accan
irrtame sobre a mucosa do estomago e enteftinos,
e rpidamente absorvido pelo apparetbo digesti-
vo sem causar as c loslipacdi s do reaire.
E' hoje o preparado de ferro de mais aceitacao
para a cblorose atona dos orgaos, perdas brancas
neoatfaacM diilicois, etc., e tem a seu favor o
uizo aalorUado da escola de medicina de Pars,
e des cliimicos os mais notaveis.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia do Dartuolomeu k C, ra larga do
Rosario n. :)i.
Na pharmacio do Pinto ra
Larga do Rosario n. 10 junto
ao qnartel do corpo de polica.
cor bem preta, cabera redontla, trajea ca-
misa azul e calca de 1
rante o da cosluui.1 andar f/nAia
rua, ou em armazens de assucar
tabernas a conversar c a beber : duran 1 a
noite recolhe-se a lelheiros aberlos ou pt-
netraveis, a casas em construcfSo c a n-
tros qnaesquer lug.iics onde se pesan
gar: quem o apprehender tenba a I
de o conduzir na da Aurora n. 20, ^e
ser gratificado.
Fugiram do eugenho
do termo da Escruto, 113 m ifc de
10 para I i do crrenle,
cravos mulatos, os ij acs .'; .i
compradosaoExm. 8r. baiio i^-
Naureth ba 16 das pooco
011 menos, eudo Jno, dade i*
30 a 3i :.!inos, bem barba .
tos cabelludos, tem ts dol.is dos pus, lato e,
ininimos curios e quasi que trepan) tira 111
Achai.se constantemente pramolas a se- !$! Z *S Safg^S
almBo que Ihe chama.n pelle d'<-nra '
rem satisfeitas, as prescripcoes dos Srs
facultativos, e as necessidades dos enfer-
mos, 13 especialidades da mesma pharma-
cr, compostas de medicamentos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros.
Tosse e molestias do
peito.
Xaropes de fedegoso, rabo de tal, Agrian
pao Cardozo, juc,mulung, mutamba, etc.
etc. ele.
lheumatismo e molestias
sypliiliticas.
Arrobe vogtal, xarope de Salsaparrilha
do Para, pilulas e xarope do
tura e xarope de sicupira.
Doeneas do ligado e bafo, anemia, ^ptZ^bT
o c I
de baela escura e mais alguma ruupa, fui c?
do III111. Sr. lenle coronel Agosliuho i'.
Mello, de Oiuicuiy, o ouiiii ilc nome Flix,
bra, alto, boro corpo, idade M cunos pou
ou menos, knoo chapeo de couro de abas I.
calca azul do algodao que Um ebataan pe
ea e cobertor de bau escora, foi escravu de
film Sr. Eduardo IVii'ira de S.mz.,, da proviii a
da Parahyba, que o venden par sen proew
Sr. Jos Lopes Alliciro ; Mein o apprelii
levar ao mesmo engenlio riniic.-a ou do 1
escriploro de Domiigoi Alves Halbens, a ra d-.i
Vigario n. 21, sor imn<>rosainentia OM-omp '.-.ido
No da lo de agosto ultimo fugio de
Sr. Dr. Joao de Hollanda da C.unha, a ra 1: i
lica, na PasMpwa, d. i. onde ^acnava
ojnoleque Krancisco, cii .i;lo, basldnto p
18 amas de idade, com um sigoal de tmeiiua
no nombro esquerdj, trajavn ralea ( jaque'u Ue
veame, tin- brim, consta que se aeba sel lindo cm loja do
palhador, de que olllcial, ou Dnginde
etc.
Emplrfstro, oleo, pommada, tintura, pi-
llas, xarope e viubo da milagrosa JUR-
BEBA,
SEZOES 01] PEBRES HTEB1IITEXTES
As pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia do seu autor ra larga do Ro-
sario n. io, junto ao qaartel do corpo de
polica.
CAlTlIE LISBOA
POTASSADARUSSIA
A mais nova no mercado, a preco ra'.navel: nc
armazem de Manuel T Basto, ra do Comnierek
n. 13.
der, qneira leva-lo ra
ser gratificado.
quem o appi
da Aurora t. t,
Peixo abacalhoado
Itwlustria rio-grandense da fa-
brica de Ferreira Guimaraes
& C, no Rio-Grande do
Sul.
Este peixe, assim preparado de excellente ma-
neira : vende-se no armazem de Antonio Gomes
Pires & C, ra da Cadeia n. 53.
Nao mais cabellos brancos.
A tintura japoneza para Ungir os cabellos
da cabeca e da barba, foi a nica admiltida
Exposicao Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparaces al
hoje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 1?5060 cada frasco na
Una da Cada n. 51,
____1. andar.
Pechincha
Vende-se um sobrado na ra do Quatro Cantos
da cidade de Olinda, por preco muito comraodo,
por ter solTrido ruina de estar ha muito tempo fei-
xado, laz-se todo negocio ; a tratar na ra do Li-
vramento n. 31, 2 andar.
Milita attencao

Fngio no dia 29 de junbo o escravu M.uii'. 1\e
nseo Angola, idade () annos, pouco inai
nos, com os signaes seguintes : falta do den'
frente, andar vagaroso, pernas Inas, marcas xigas, levu" calca c camisa de riseadinli
de palha novo : roga-se aos seohores capirai
campo de o prenderen) e levarem-no ra 1
n. 16. que serao generosaineuie gratifica I
copfia-se que anda pelos engcnlios do C.ibu.
Fugio do engenbo Todos os Sanios da "a
do Ipojuca, no dia 30 de maio, o Mcravo ( i
representa ter 4a annos de idade, pouco
menos, cor vermelba, alto, erosso, ollios pciun
sem barba, c os ps r.ichando, foi escravo di v
D. Senhorinha Mara do Livramenlo. que noroa na
villa de Serinhaeir. ; no dia inmediato da .
esteve na mesma villa : snpp&e-se estar acou
o que se proceder com o rigor da Iei a qui
tenba, e pede-ie s autoridades policires ou
tcs de campo a captura do mesmo e entrega] i
mesmo engenbo ao abaixo assjgnado, uu iu .,
da Moeda n. 2 andar,escriptono de Mapoci ...
ves Ferreira 4 C, que ser generosi.inente re
pensado.
Mipuel Paulino Tofenlino Peres Va -a
ESCRAVOS FGIDOS.
Gal nova de Lisboa.
Vende-se na ra do Apollo SIBttKm
4 Irmo n. 18.
Re0
AVISO
As autoridades policiaes e a
quem competir.
Xo dia 29 de maio do corrento aDno fu-
gio o cscravo Esequiel, crioulo de 30 32
annos de idade, estatura regular, reforcado.
Fugio no dia 1" do crrante, do uug m
Duas Boceas, sito na freguezia do Rio Formse a
escravo cabra claro de nome Saturnino, send i
co do corpo, alto o fallante, ps bem fritos, vei
sertio do Pianc e foi vendido nes.a praea
julho prximo passado pelo Sr. Tedio Jrgi da
Silva llamos, esuppoe-se que ftlfie para o oimimi
serto, levando calca e camisa d.; algodoxi i
chapn de couro e um maiulo de rooro de
Iba com alguma roupa : por isso pede se as
ridades policiaes e capitaes de campo de n
turar e entregar no mesmo eugenho ao sen -> ihir
Sebastio Antonio Accioly Lina Wanderley, on n
Recife, roa da Hoeda n, 5, 2" andar, i sci i|i! .. li
Manocl Abres Ferreira & C, que serlo genei ->
mente recompeu-ados.
fwuu nui
ugio da casa do abaixo ittigmsto
o seu escravo de nome Eugenio, -
oulo, idade SO annos, pouco mais on
menos, estatura regular, cor .
cabeca calva, barba rnesciada, tan
marcas do bexigas, pernas finas, entltula-se firrc.
foi escravo do engenho Earana, e snppoese 1-
dar para as bandas de l : quem o pegar !
ao hotel do Universo, ra do Trapiche n. 2. tjm
receber o0| de gratificago.
Mederic Arnoult.
LISTA GERAL
120
. DOS PREMIOS DA ' PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. --------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 745, A BENEFICIO DO PATRIMONIO DOS OSPIIOS, ETiUHIDA r EM 18 DE SETEMBRO DE 1809.
9, PBEMS. NS. PREMS. \"3. PREMS. NS. PilEMS. NS. PREMS. 5S. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. 1 NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.INS. PREMS. NS. TREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
M W va i 73 77 01 -92 99 706 7 i 35 44 1197 44 1460 W 1717 45 1939 104 2156 44 2414 44 2636 44 2875 44 3101 44 3335 44 3398 44 3833 44 4070 44 4257 44 4480 44
6 9 11 'km 46 49 51 48 1203 62 Tm- 21 62 44 70 21 71 78 11 204 70 3602 _ 55 72 66 81
17 18 21 29 40 46 47 50 49 56 62 71 -82 86 90 98 1000 84 3 44 8 10 11 68 81 --- 24 27 66 67 71 74 __ 32 40 z Z4 9. ^ 87 89 19 30 44 83 87 4 6 58 G5 75 77 67 91 82 88
H ;>2 16 86 --- 49 73 75 44 91 204 93 84 31 93 17 __ 76 83 92 __ 96 _
18 _ R _ 514 22 90 * 50 74 - 93 46 2702 44 2907 44 38 3400 _ 20 77 83 94 lim 4506 _
19 M 18 25 92 M 80 94 48 11 18 84 39 1 21 __ 90 __ 88 __ % 8
22 S3 5S 37 20 21 32 37 loli | 23 4 27 54 68 1004 81 91 99 2200 z 49 81 "" 28 32 24 26 44 43 50 _ 4 8 23 26 97 3901 91 4102 4306 14 84 44 404 44 9 13
29 30 G3 74 37 39 o! 60 38 39 73 77 44 97 38 *~ 15 23 ~ 82 33 _ 39 45 z 32 42 _ 52 53 mm 10 12 33 38 I 6 8 3 11 84 15 21 14 17
40 _ 83 __ 40 M 46 48 81 * 31 32 38 H 45 46 48 81 5f 62 71 87 93 ^~ 99 26 86 46 49 * 87 --- 17' | 39 10 __ 12 84 24 19 w
49 _ 86 _ 41 64 17 404 22 44 24 __ - 2003 32 64 47 = m 70' 19 84 44 16 _ 14 44 26 __ 34 __
88 ^_ 43 65 0 99 8 33 65 84 56 n --- 26 44 48 20 _ 22 34' 41 _
53 99 __, 50 73 53 88 63 *~ ' 1802 11 45 66 ?** 87 60 61 67 78 --- 27 54 27 84 24 . 38 44 w
59 0 301 i 8 67 77 81 28 -36 1 --- 5 7 M 14 23 ^mm 59 60 z 78 82 44 59 60 z 80 88 --- 30 36 56 59 37 44 44 29 32 45 53 47 59
a 67 r 85 M 93 117 20 57 S8 19 31 47 5 6 9 lo 17 18 30 33 38 42 80 92 93 97 601 - 83 86 95 99 800 8} M JO 40 41 -48 49 -83 85 70 81 85 87 1300 3 --- 12 13 18 27 41 43 24 29 32 34 37 44 *- 61 66 67 68 79 81 7004 44 86 93 95 96 99 2807 64 67 76 81 86 87 "" 73 74 81 84 91 93 84 44 98 3204 5 11 22 24 45 50 61 70 72 76 62 69 71 78 83 87 4G 51 53 39 60 61 204 44 ' 33 35 37 39 46 48 99 63 i & 67 76 83 60 61 64 68 68 72 84 44
6 11 4 83 --- 48 --- 48 86 9 95 95 33 --- 80 _ 96 _ 63 _ 49 ^. 84 73 __
16 17 57 7 8* 7 --- 82 47 2300 11 96 99 34" --- 84 ,_ 99 204 64 84 80 90 _ 78
9$ i* 19 22 G4 10 84 95 MI * 5 1 20 97 3004 42 --- 87 i. 3706 44 63 44 53 --- 93 204 83
20 21 30 39 84 72 82 - 22 35 41 96 1604 44 57 73 T 60 72 6 10 21 28 2800 8 6 10 51 53 z 93 94 20 34 _ 67 71 85 36 96 99 44 85 87
46 23 41 44 89 - *48 ~ 7 77 73 18 46 7 11 56 97 58 84 73 59 - 4400 2 ^_ 96
51 - 25 - 43 92 - 10 82 77 24 48 12 13 61 3300 62 44 75 64 _ 93 98
58 29 - 47 __ 97 - 83 16 84 82 34 66 13 27 63 1 __ 63 84 83 76 3 _
O 9 74 76 83 8G 88 67 37 43 __ 1100 63 204 18 85 09 36 89 15 28 64 84 G _ 69 44 89 81 8 mmm. 99
73 40 8J 81 8 78 44 20 86 ~ 94 39 60 18 29 70 44 17 73 a 86 _. 14 PM 4600
U H 74 44 84 87 12 - 76 25 92 97 40 68 22 30 80 20 84 74 92 90 -^ 26 _ 6 20
75 45 44 60 14 - 82 48 4:0004 99 99 48 75 29 32 81 24 44 76 _ 94 4202 ^H 34 '^gt\
84 31 68 21 83 84 44 1902 2103 .52 80 3i 37 91 35 79 99 3 H 36 _ 38 _
^~ 95 54 69 24 - 86 89 9 Bp 8 . 53 86 - 36 204 38 93 36 83 4023 _ 9 MM 39 ^tm 48
^*' 402 ,W - 72 28 - 88 68 10 _ 12 4 88 89 1 38 44 42 94 50 86 25 16 44 _ 60
1 -^ .39 77 38. 91 69 21 _ 14 44 m 93 J 41 47 3307 53 87 27 19 --- 43 Bp 64
93 -" 15 ^4 62 - 82 39 - 93 71 24 . : 18 __ 64 99 47 50 10 54 __ 89 31 __ 20 _ 48 . 77
94 21 ~ 63 84 83 98 - 7 30 m 7o 2602 -! 49 CO 11 _ 55 93 41 __ ' 21 _ 53 i 79 _
?6 29 1* 87 57 1401 - 83 38 2 81 3 - 50 16 57 3802 48 __ 23 86 ,. . 82 ^mm
201 33 C3 90 59 3 404 90 41 __ 31 83 9 53 66 27 60 19 51 __ 24 __ 58 ,, 83 _
H 38 66 806 - 60 5 44 91 43 41 -. 98 13 - 56 71 29 61 21 83 __ 29 __ 60 ^ m 87
16 46 m 14 71 32 97 44 84 42 2401 18 - 63 75 35 62 24 84 _ 31 _ 69 _ 89
21 r 82 18 20 7 - 38 1703 48 M 43 7 34 - 64 81 38 67 25 6G __ 41 ., 73 84 91
K 8# *u L 99 19 44 89 - 48 9 51 48 _ 8 35 -I 66 84 40 - 78 __ 29 87 __ 45 _ 74 44 92
32 44 til 702 26 91 - 52 10 86 --- 60 __ 10 42 71 87 84 45 84 85 1 36 __ 63 _^ 46 76 93
3 - 53 5 -| 34 3 59 13 t 58 " 55 12 50 -1 74 I1E 3100 44 53 44 90 84 42 68 53 ""^ 77 99
1 EA H 1 MMMHB



I
I
I

Piario de Pernambuco Segunda feira 20 de de Selembro 1869.

. i H I---------~


=
CMARA DOS SRS. DEPUTADOS
SESSO EM 9 DE AGOSTO
riiEini'-NCiv no sn. nebias.
(.Contimiaeao)
0 Sh. Ministro da JustfpA : Mas, Sr.
1 .esidcubs para que citar autoridades '?
1.j poderla offesecer anda a opinio de cs-
c, iptores inglezes o estrangeiros que tratam
da Inglatena ; mas nao 6 esta una verda-
da inconcusa di systema representativo ?
u des spero de um porlido por ser pri-
ado do poder, jtie ello nao chlivera regu-
larmente e nlo soube conservar, podera
ontestar cora o diretto de dissolver a
mar dos deputados.
Senhores, do exercicio da prerogativa
>:al assim eute;i lid resalta o que eu cha-
i.nrei, na hiiguagera d) Sr. senador Nuti-
co, a verdadeira toritos do governo consti-
tucional. Ei-la: A opimo inspira a cora,
a cora consulta a naro, a naci decide e
SA gov rna. Ate o dia 31 de Janeiro a si-
tjago actual, a situarlo conservadora re-
jiousava na ;onlianga da cora eda opinio
I ublica. Naquellc dia, porm, ella torno u
:.; nacional, receben a consagrado do \olo
do paiz. (Apoiados.)
E' verdade que o nobre senador pela
i aliia, a quem me referi. sustenta que, pela
dissolugo da cmara com o falseamento do
i.osso systema eleitorai, a soriics constitu-
cional fica invertida, .apresenla-se por esta
i jrma : A cora nomea o gabinete, o ga-
binete cscolhe'os cleitores, os eleitores fa-
sn os deputados, os deputados apoiam o
gabinete, i
Mas, senhores, so verdade que o sys-
terna eleitorai ein nosso paiz est falseado,
asseguro cmara quo cu, me prezo de
liberal, eu, que me prezo de 5f um espi-
rito democrtico, prefiro confiar a solugo
da questao poltica ao poder irresponsavel
do que deixa-la merc de um partido
fjUalqner que pretenda perpetuar se no po-
cer coutra a vontado da afio. (Muito
apoiados.) No primeiro caso a felicidade pu
lica confiada sabedoria da cora, so-
l ranceira as paixcs; no segundo caso o
jiaz e abandonado ao circulo vicioso da am-
fcico insaciavel de um partido. De uro
partido ? Muitas vezes ainbgao de alguns
Iionvns que procuram ageitar um partido
Cflleial, pormeios rc-pro vados.
O Su. Gri'z Mkchado :Agora 6 que se
i ixerga este pautiieisra) poltico.
O Sn. Ministro da JOSWU :Foi esta ul-
tima, senhores, a soloc-i da questao polti-
ca em i83. O ministerio do Sr. marquez
de Oliuda, a quem eu muito respeilo, esse
ministerio ao qual se pe bem applicar
aquella palavra severa da Djcker, o esta-
dista belga, a respeilo do gabinete de 31
de marco de 84G: t Que era um anachro-
i;ismo, se nao era um desafio. Esse mi-
nisterio Olinda creou pormeio de dssolu-
go da cmara urna situacao artificial que se
raanlevc nicamente pela solidariedade do
erro.
O Sn. Cnrz Machado : 0 artificio come-
c.ou pelo ministerio, monumento de archeo-
logia poltica. (Hilaridade.)
O Si. Pinto de Campos :Parce sepultis.
O Su. MiMsri's d.v jYstioa: O nobre
: unidor p la Babia, a quem lenbo a bonra
de responder nc te momento, recordou o
tome de Polignac para declarar qui a re-
jluco franceza de 1830 tivera por causa
a obstinaba.) com que se procurouimpr um
Lornem maioria parlamentar.
E' urna causa nova assignalada quelle
ccontecimcato. A revoiu'.-o franceza de
'.S3 foi produzida por outra causa muito
coiihecida; a insistencia do re Carlos X na
txecugo das ordenanzas de 2o de julbo,
ordenanzas restrictivas das liberdades pu-
blicas, especialmente da liberdade de im-
prensa. (Apoiados)
Mas, senhores, prescindindo desto ques-
tao histrica, que nao deve ser ventilada
aqni na trib na, cu opporei ao facto invo-
cado pelo nobre senador a observarlo pro-
funda de Robert Peel a respeito da revolu-
ta de 18'i8. O eminente estadiste inglez,
que devia bem conhecer as cvoluces e os
jvhedomenos do systema representativo,
disse que a revomgo franceza nao tinha
tido por origem seno a pertinacia cem que
se queria governar com urna maioria par
lamentar que nao era a cxpresso fiel da
maioria nacional.
Fundado nesta observago de to grande
estadista, eu direi que no Brasil a dissolu-
{lo da cmara em I8S- supprimio, nao
urna reastago nao senliores eu creio no
bom seDftoda populacho brasileiro (mutos
apoiados)? mas supprimio alguma cousa de
temeroso, o quer que era do assombroso
oue i i jrionlc po-
litic1 (tfuitos npoiadi ?
Pi\tbkC Ai.ili quequ-
n laz-la nao tioamttUQ quem.
O 5n. Curr. M.v P-Ti os Odillons
Barr.-t saliiriam d Bricos e nao dos
conservadores.
O Su. Missimo da Jistica: Daillegi-
mid ni.-, da origem deeta siluago, es nossos
adversarios resvaiaraoi para essa questh
vexatti, para a rjiusUto ja 15o repetida da
reepousaetildd ysacUis do poder mode-
rador, n nao sao levados pela Bwessidade
dos raciocinios mas ptrta locca e impelo da
p'aisi. (Apoiados.)
Ni discut ro a questao do poder mode-
rador bou o ponto de Vista doulrinal. Con-
sidero seuieluanlc coi.tioversia impropria
(leste recinto. A alinelo dos representan-
tes :!o paiz em circumslandas lao graves,
reclamada por assraptos de mais palpitan-
te iuteresse para o estado.
Paco apenas permisso a cmara para fa-
zer algumas considera;es de poltica pra-
tica. (Apoiados.)
S.-ubores, eu nao posso admiltir que se
pecam a Inglaterra as regias que all deter-
mnala o exercicio das prerugativas reaes
para appea-las ao poder moderador do
Brasil. S" duas con5titui;es neese ponto
int"iraioiite diHVreutes.
O #canismo dos piias constitnc'.onaes
deprivle da existencia de ata centro de re-
siste.nia, qpe 6 a condiclu essencial do
systema representativo. (Apoiados). Eu
comparo esse principio ou centro de re-
sistencia ao ponto no espado de Arcbi-
medes,
A cmara sabe que este grande geme-
tra da antigudade, descobi idor da tbeoria
da alavanca, dizia: Dai-me um ponto no
espato, eu levankirei o inundo.Eu repeti-
rei : Dai-me um ponto de resistencia no
governo constitucional do paiz nwis atrasa-
do, e eu levantare! a liberdade, vontade
nacional. A alavanca a opinio publica.
Vozf.s: Muito bem!
O Sn. Ministro da Ji;stk.:a : Record-
me das graves preoecupacoes de algj*ns dos
Ilustres fundadores da repblica america-
na, Jelerson, Madison e Hemilton a res-
peito da creacio deste principio de resiten-
cia oda conviccSo emijue olios licaracnde
que era impOSSvul nea-lo na furnia pora-
mente democrtica, apenas entendern eMes
qo se podia pailiar esta lactina sensivel por
meio da divisao do poder nacional, por
meio do elemento federativo.
Se a forma monarebica, Sr. presidente,
pela sabia graduado do elemento democr-
tico, pela existencia de cargos permanentes,
oereee urna base segura, solida, para este
centro de resistencia, que o eixo, o cardo-
do systema representativo. (Apoiados.)
Mas, senliores, a sede desse principio de
resistencia, dessa forcea conservadora, nao
a mesroa, nao mvariavel em todas as
monarclias.
Na Inglaterra, a Ibrca conservado^ resi-
do principalmente na sua aristocracia, nessa
aristocracia lerritorial, esclarecida e anima-
da de um espirito liberal, da qual se pode
dizer que tem no solo a raz da sua riqueza
e no povo a raz de sua influencia e de seu
poder. (Muitos apoiados). E' esta aristocra-
cia que na Inglaterra constitue o centro de
resistencia, o centro de gravilaro dos po-
deres polticos. Esta v rdade aitestada
por todos oc escriplores que estudaram a
fundo a conslitiiico daquelie paiz, quer na-
cionaes, quer estrangeiros.
Eu podia citar, entre os primeiros, os es-
tadistas que ja referi, e mais Russell, May e
Ilallam; dentro os estrangeiros Fischel,
Franclieville, Montalembert, Chaleaubriant
e Guizot, principalmente Guizot.
Allribue-se a ausencia dsta aristocracia
a nstabilidado das instituices conslitucio-
naes dos ontros paizes, a dllicujdade com
que ellas se tem radicado no espirito publi-
co de outras naces.
Em Franca l^ntaram substitui-la por urna
oligarebia industrial, a bourgiiezia ; mas a
bourguezia era odiosa ao povo, porque se
fundava no sequesro dos dircitos do povo,
dos ilireitos j conquistados pela rcvolufo
de 1789.
Nos paizes democrticos, como o Brasil,
s lia para esta questao poltica urna solu-
?o racional; a soluco dada pelo lus-
tre publicista Benjamim Constant, (apoia-
dos), solufo que foi copiada qiiasi textual-
mente pelo legislador constitucional brasilei-
ro. E', senliores, 0 poder moderador, o
poder moderador, do sua natureza irres-
ponsavel.
Est explicada a razo por que nao ad-
miti a applicaco dos principios que re-
gera o exercicio das prerogativas reaes
na Inglaterra ao poder moderador do
Brasil.
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
toe
O poder oHoraiM tfrespoaHYel, e a
representado da minora, qie ha de ser em
um futuro nao muito remoto, o seu comple-
mento, o seu natural corrollario (apoiadosi;
eis senhores.a organsac3o da forcea conser-
vadora nos paizes democrticas, eis a or-
gansaco a mais sabia, a mais eflkaz ce-
rnis liberal.
O Sn. Soza Res:-Para o qae n5o pre-
cisamos bolir na conslituii;o.
O Sn. Cniz Machado :Basta dar repre-
sentaco as grandes minoras.
O Sn. HmsiM) ha Jisti(:\: CUim op
oativa urna anedocta referida pelo escriptor
Ersknic May em sua Historia Constitucional,
a respeito da deniissiio das damas do ho-
nor da ranha Victoria, demssao exigida
por Sir Robert Peli, quando incumbi de
organisar o gabinete em 1839; a rainha
respondeu-Ilie que nao assentia porque esta
exigencia era contraria as tradicroes e re-
pugnante aos seos senlimentes.
Robert Peel nn aceitn o poder, mas,
como director echefe da maioria parlamen-
tar, derrotou, dous anuos depois, em 1841
o gauinete de lord Melbourne, a qnem suc-
cedeu, c a raihbafoi obrigada a conceder- Dos.
mna palavra que nao significa partido nen-
hum rta\,pi''jres$!smo.
O Sn. Ministro da J >so
que cu considero a questao de responsabi-
lidade dos actos do poder moderador e das
prerogativas reaes, nao urna questao de
doutrina, urna questao de priHCipio, roas
urna questo de fado, que se resolve pelos
estylos, pelos costumes, pela educ?co po-
ltica; um problema que se resolve princi-
palmente pelas cirourastaocias peculiares do
paiz.
Da-ine, senhores, um paiz cu sao a Iogl.i-
terranos ltimos lempos dai-me um paiz onde
aopini.) seja \ivaze enrgica, um paiz que
tenlia a fortuna de possoir ministros como
osdous Pitt, Lverjioo!, Cannig, Peel, Rus-
sel, Palmerston, Gladstone; um paiz a fi ente
do qual se ade urna rainha que antes nm
syinbolo do que nm poder. Ah a influen-
cia real quila. A cora, senliores, quasi
urna reliquia ; os ministros nao s gover-
nam, mas pde-se dizer que reinan. A*
cora cora, em Inglaterra, adora-se.
O Sn. Fkhiikiiu Viav.na : Porque sao
protestantes; nos calholicos s adoramos a
Ihe a demssao de lady Suilieiiand, sua ca-
marcira-rur, e de outras damas do paco,
que, pelas suas relacoes com familias de
grande Influencia poltica, podiam preju-
dicar o partido conservador, enlo domi-
nante.
Admira, seubores, que llusti'ados sena-
dores, quando citam esta ancdota, nao per.
cebam todo o ate-mce do facto.
O Sn. Pinto M Campos :Percebem, mas
nao faz conla diz-lo.
OSn. Mi.nlsthobaJistii;\ :Nao empre-
go a palavra adorar no sentido tbcologico
em que o nobre denotado a toma; quero
exprimir o sentimento de veneraco e res-
peito de que os cidados cercan sua sobe-
rana.
O Sr. Ysmm\ Yia.naa: Isto m:
presta-se homenageiu.
O Sn. BtopsTHe M JrsTi::v ;S:nto ha-
ver olTendido as susceptibilidades religiosas
o que atiesta senio a interferencia muito
directa da cora nos negocios do paiz ?
N3o obstante, l'almerston insisti, e em
dezembro de 18;I declarou ao enibaixi
dor conde do Walewski que o g iverno in-
glez approvava os acontecimentos que se
acabavam de passar em Pariz, escrevendo
no mesmo sentido sem accordo dos colle-
gas e annnencia da rainha um despacho a
lord Normanby.
Por este facto cabio Palmcrslon do mi-
nisterio, e, embora vollasse dopois, apoia-
io pela maioi ia do parlamento, nao quer
islo dizer que a rainha nao tivesse o di-
reito de inspeccionar a sua poltica e de
recusa-la, appellando, porem, para a opi-
nio do paiz, e sujeitando-so aos seus dicta-
mes, c que sao a ultima palavra nos go-
vernos conslitucionaes. (Apoiados : muito
bem)
E, senhores, nao ha, creio que nao ha-
vera quem me conteste que o procedioWBtO
do grande estadista inglez nesta emer-
gencia nao foi mais convenieuto e at o
mais airoso. Enlendo, senliores, que um
ministro diga a cora: Nao posso pres-
c-ind.r da realizaco desla idea que julgo
indispensavel ao governo e ao bem pu-
blico. Enlendo que esse ministro se re-
tire do poder se a cora nao ceder, e que
volte depois ao poder elevado pela epinio
para governar a nacoem nome da idea
pela qual saerificou-se. Mas nao compre-
hondo que um ministro procure por evasivas
e subterfagios, pe'o misterio, subtralsr-se
suprema inspccc5o da cora e illa^uear
a confiare; que esta tem o direito de re*
O Sn. Ministro im Justica : Esta be- rainha, em loglalerra, Sr. presidente, res
chambir conspiran/, essa conp:raeSo de peita-se, vencra-se, como urna reliquia. E'
aleo va (apoiados), cerno a chamou o Sr. | urna forca manente, roes vigilante, prompta
D8faeli, o que pro? Prova que na Ingla-! a intervir na otcasio oportuna, no mo-
terra a poltica *ntra at nos aposentos! ment em que os altos nsteresses (r esta-
reaes ; prova que na fcglalerra s rainha'do o exijani.
do nobre deputado : retiro a ex ressao. A tirar-lhe quando entender que o bem do
estado assiin-
Saibores, o nobre presidente do conse--
v
dividual no monarcha. e a isso considera
UIIla s'anliva do systema poltico.
Prdc lord Brougbam em 1822,
longe de ii.gar a legitimidade daiuflucncia
da cora no governo, a attestava quando
propunha reformas tendentes a restringir
aquella influencia. Mas lord Londondery
combaleu essa mor;o brilhantemente, e
ella foi rejeitada por grande maioria.
Senhores, lambem disse o nobre senador
pela Rabia, a quem cu ha pouco Uve a
honra dedirigir-me, o Sr. conselbeiro Na-
buco, que E-kyne May, o natavel histo-
riador inglez, escrevra pagina 10 do 1"
volume de sua Historia constitucional,
que o re reina c os mi-.tstro governam.
Deve crer que o nobre senador leu
muilo rapidamenle csssa pagina, ou dcs-
lumbrou-se com a luz da revolu;ao in-
gleza. Nao se exprime all naquella pa-
gina um principio, urna regia de governo.
Nesta occasiao especialmente May so his-
toriador, elle atiesta nm facto, descreve
o estado do governo constitucional depois
de Guilhermc III, c dorante os primeiroj
reis da casa do Hanover, no momento da
ascenfo de Jorge III. Narra, c n3o don-
trina.
Nao possuo, seobotes, o original de May,
nao o pude consultar; mas a traducco
franceza que tenho abonada por um nome
muito reapeitatel, Cornellis de Witt. As
palavras sao estas: Le ro regnai,
uuiis tes ministres gonvernaienf. Ah
apparece uessa antithese o esludo- de deca-
dencia da realeza naquelle periodo. Mas
ogo depois se descreve a profunda lte-
te o poder derejeitar do governo um ho-
rnera) chamado a elle pe!* maioria do par-
lamento; c a rejeita-lo, nk> por urna ques-
tao poltica, mas por urna-simples questao
domestica por um arraajo de palacio.
(Muitos apoiados).
O Sv Pinto dk Campo*:Era um rei
aulomatO'oque assim nao fivjesse.
O Sn. MbosTM da Justina : Transpw-
0" Su. Sol-z.v His:Est bem expli-
cado.
O'Sn, Ministro ba Jnmc.\: Dii-me
pc*m um paiz novo, embora-tambero ilus-
trado, como a Blgica, um para educande-se
para O1 systema representativo-; pende no
uo hrono desle paiz om rei como Leopoldo
I, bjw rei ilustrado, o mestre dos estadis-
tas di Europa, decriem.se diia que foi o
lar esta anecdocia para o Brasil, nriu^ ae-ppAieiro pobtico de seu lempo, uina ntelS*
nitores, Jomar bem vivo, be paienle o
contraste ?.' (Apoiados).
No nossu paiz nao na antes-cmara para-a
poltica (apoiados); niio ha amigos do rei
Iho, o Ilustre Sr. visconde d Haboraliyr[racg0 produ^da pela aacenso de i
citou no senado, em apoio de sua opmiao,
que no fundo e na pratica a mesroa que
ca directora, c nsse paiz, apezar OV
ministros eminentes como Decker, Rogier,
Frte Orban-e outros -r apezar de partidos
ei> adopto, invocou a autoridade do grande
estadista ingle*, a que- ha pouco me referi,
lord Brougliam. Entrelauto vi ba poucos
das- que a forca daqueila autor'nkide tinha
sido contestada por um Ilustre senador
do Saranhao, e Sr. Fwtado. Es* hon-
rado senador pretende que Brougbam nao
pode tor asseveradoo fasto da legitima in-
fluencia da cora nos negocios do estado,
porque- em 1822 o> estadista inglez pro-
punha ama mocad1 para coarctar css n-
lluencia.
Eu acredito, senliores, (lie o nobro-se-
nador no consulten- bem a obra de lord
fortes, vigorosos e proponderairies cumo-| Rrougham. El
pode 1er nessa obra
(apoiados); nao lio influencias-de repos-lforam esao'O partidooalholico eo parti BrUih G>nstMionr na ediwo de 186* a
teiros (apoiados;.; nenbu mmin*stro tevedo liberal-; nete paiz 9- soberano nao s pagina 2(2, as palawas que vou tradci
aiuda necessidade de arredar os- servidores reina, como' governa. sr,,) textaaes, salvo alguma pequea
inli-
particulares da pes-soa do reit; nenhum
ainda foi pon causa delles rejeitado do po-
der (Muitos apoiados).
O que digeneste momento, diose na oc-
casiao ; ponqu o disse enlo, porque o
escrevi na imprensa, que tenho o direito de
repeti-lo agora. (Apoiados.) Neste ponto,
iproccdo ^ao inverso do Sr. senador Zaca-
rus, que na sesso de 23 de junlunde 1867
proferia consas idnticas e agora diz intei-
raraenle o contrario, s porque est na
opposico.
As palavras deste nobre senador naquella
sesso eram estas: No Brasil, trra de
liberdade, onde temos um monarsh Ilus-
trado, que se esforc> por desempenhar o
papel da realeza constitucional, quar-se que
o soberano sep. por tal modo esfranho a
tudo que s concorra para os negocios
com sua assignatura ? Pode o imperador
ser cstranho marcha do governo? Como
desempenharia a faculdade de nomear l-
vremente os ministros, se nao superinten-
desse o procedimiento delles ?
Entretanto, um anno bostou paca trans-
formar esta trra de liberdade em trra de
absolutismo (apoiados), para fazer do mo-
narcha Ilustrados que se esforca por de-
sempenhar seu papel constitucional, um
monarcha indifferente conslituico, que nao
faz um uso legitimo de suas prerogativas 1
O Sr. Periira da Silva : Bastou um
partido descer e outro subir.
O Sr. Ministro da Justicia:Um anno,
senhores, que abysmo na vida .do nobre
ex-presidente do conselho! Que abysmo
cavado pela paiio poltica. Mas esse abys-
mo basta um dia para fecha-lof
Tambem eu disse, senhores, e o repito,
que a cora nos governos constitucionaes
da Europa, ou naqnelles que se modelaran
por aquellas constituicees ha de exercer
urna influencia directa sobre o governo ;
especialmente quando estiver no poder um
partido 0>co, quando estiverem no poder
homens como os progressistas, sem con-
viccoes, sem firmeza de principios, sem base
de resistencia em orna grande opioto na-
cional. (Apoiados.)
O Sr. Cruz Machado :Em nome de
Queris a
e positiva.
prova, sen-lores ? Eu*vou da-la delidade de memoria-.
Se elle (o rei) acha.8 ou* 10
tenaz c ambicioso como era Jorge IR?.
homar
Em 1857: o ministro da justica. do gabi- m quem deposite confiatica, e que deseje
te belga, NoUiomb, a presento*acamara rervi-lo, o nao sejarr* repelln pelo per-
....;,... _i.:., ,. .,...,ia..itnunt.ii Lmenln. luunnutft- l\fl a^seolba da* oesseas
nete
nm projecto relativo cstabeteeimentos
jios, e favorave! ao parado clerical. -Esle
projecto, que recebeu & noaie ifc lei dos
tomentos, exeitou grande-agitaco ao par-
tido liberal.
lamento, compete-lhe aoscolha das pesse**
*ncarregados da administrado-.
Desde que obten: um ministerio, e
inistros oonsultam sua opinio e desejus
*m muitos pontos importantes, para evita
O'projecto-foi retirado, e logo depois foi i lualquer colliso com elto; -i medidas-
piblicado o decreto de adianento- da cama- do parlamento sao mwtas vezes- i
;.)salim de-obviar-se a qualquer rompi-
snento com- elle. Os numerosos- empregos-
da sua ca*-(p* e a renda avultada que consignada para
as suas despezas pessoaes e de sua familia
sao a fonle de uma influencia individuas?
. me o arma' com um grande e directo
Nessa carta publicada- a par do decreto de | p0(jer>
adiamenlo, depois de ma'iilstar sua de- Quando suas opinioes sao- fortemente
raj e ao mesnao lempo cjue elle, urna caria
do rei Leopoldo, em resposta a autra do
chefe do gabinete, carta da qual eu pode-
rifedarum transumpto mais completo, po-
-mlimito-me a ciMr as palavras textuaes
de sua concluso.
Senhores, esta a lioo-, a fiel, a verda-
deira liejio do- governo constitucional da
Europa. Entretanto eu afasto-me della,
po.-que tenho ideas mais liberaos. En-
lendo que a nossa constiraico estabetece
um systema muito differente quanlo
msso da cora-. A organfeaco do poder
moderador em nosso rgimen uma Hnha
Macada entre os dous poderes, qu? alias
em principio se reunera e reside na mesma
pessoa. No poder moderador o soberano
tem o exercicio pfno de suas attribuices.
No peder execufivo elle tem apenas a su-
prema inspeceo.
E esta, senliores, a vantagem; esta-
a grande superioridde que eu descubro
na nossa-constituico a respeito da consM-
tuico ingleza. ABI a influencia directa a
e pesso.il do monarcha umrqoesto de
facto, ei? se dilata- e se restringe a" medi-
da da resistencia que encontr no ministe-
rio e no'parlameato. No Brasil; porm.
essa influencia tem um limite, tem uma es-
phera propria; o art. 101 d constitui--
?ao. Alm- daquelie circulo,, a influencia
pessoal d> cora nicamente a da razaO1.
Ella pode pesar e muito nos negocios p-
blicos, raas como opiniSo ; lie como pe-
der.
Nao
Vde,
entre os agffrt
sapprovaco medida pelo lado- poltico,
dizia o rei ao chefa do gabinete:. Estou
convencido que a Blgica pode viver feliz
sustentadas, como no lempo de-Jorge 115.
a.respeito da. guerra americana e da questao-
cathohea; quando seus dssejos e senti-
e respeitada seguiudo as vas da modera-, mentos esteo profundamente "arraigados,
cao. Estou. igualmente convencitto e o te-e||e exerC(, uma prep0nderaacia real na
nho dito a todo ornando, que qualquer marc|ia dog. negocios pblicos que, nao
a todo
ida, que possa sw1 interpretada como
tendente a assegurar a supremaca de um
partido sobre outro, perigos. Nao te-
mos- falta de liberdade: a nossa constituirlo
sabia e moderadamente executada pode
roanter um- feliz equilibrio.
obstante a resistencia da nobrezi e do-
povo, assegpra sua. vontade, em uliima.
analyse, milito peso..
' E' esle (eis as palavras que citou o
nobre visconde de- Itaborahy) o espirito
da conslituico ingleza, a qaal requer qpe
A conseiuencia desta carta, senliores, 0 individuo' monarcha nao seja una cifra,
Coi a que podis prever : a queda do gabi- 'porem uma parte substantiva do systema
Paulo Fval
Segunda parte
TRES PATA
V
O bto e diamante.
(Continuaco do n. 213)
Quando as luzes da casa de jamar lbe
iumioaram o rosto, teriam admirado com
qae posse de si propria, como dizem os
iQglezes, reconquistara a baroneza as appa-
roncias da mais perfeita paz de espirito
Lra o viver d'aquella familia um tanto pa-
triarchal ; deu diante de todos a testa a
beijar ao marido, grasina, desconfiado, des-
pi.ta, pirm escravo ; e disse lbe, respon-
uondoassim n'uina palavra s diversas per-
guntas de Branca :
Foi a Edmzita... Nao quiz ficar
para se despedir de todos.
Para se despedir ? repetio o baro.
E Branca, repentinamente triste :
Ella deixa-nos ?
Assentou-se a baroneza no seu lugar,
cabeceira da mesa, e accrescentou como por
domis :
Vai para a America.
Desmteresse de artista disse o Sr.
/. Bonita pequea, muito benita.
com niel na America, cuidara... Bom,
ipa... Voltar veiha .e de mos aba-
A voz allema do hab i capitalista dava
de fallar elliptica, de que raro
^stava, o mais agradavel sabor.
Bons desejos tinha Branca de dirigir per-
guntas ; mas volta d'aquella mesa nao
achava outrem que se inleressasse como
ella por Edme Leber.
Era uma casa superiormente montada.
Todos os dias depois da sopa, Savinien
Larcin, o autor de comedias do Paite
Lachaise, esta va encarregado de apresentar
em rotatorio verbal os melhores chistes do
Charivari, do Corsario e outros jornaes en-
granados. sabido que fulgor lanfaram,
notempo de LuizFehppe, aquellos engenho-
sosorgos, que eram puro deleite de bur-
guezes. Os milhoes protegem o governo,
mas tem o seu fraco pela opposicjo. S5o
levado- da breca !...
Savinien Larcin, burrinho de letras, es-
curo como uma toupeira, encostavava-se
para onde renda. Era mais jovial que um
Dicho de cozihha. Em vez de inventar al-
guma cousa, imitara a Pega Ladra para o
theatro Cont. Mas como amanhra bem
aquillo I Para compilar um acto insignifi-
cante, saqueava-lhes elle vinte volumes.
Bonito natural dizia o baro Schwartz.
E original 1
Alavoy defiia-o : Um Scribe indelicado ;
e a proposito d'elle dizia oSr. Contentin de
la Lourdeville :
E tal e tal e tal : enguia, gata, bugio
e fiiinha. Mas, genio d Moliere 1
Logo fallaremos de Alavoy e do nosso an-
tigo amigo Contentin. O esbogo das salas
do baro Sdiwartz est por tragar.
O Charivari, proclamou Savinien Lar-
cin, pnblicou o retrato de Romieu transfor-
mado cm besouM.
Nao faltou quT;m risse. Felizes tempos
aqu:-!'
(i Corsario, accrescentou Larcin, des-
cobi o um nome novo para o Sr. Monta-
livet. Os om e-centou arir, eram
Jornal dos Debates.
Iiama mafarrico ao Sr.
Tbiers, e a C va arvora no cume do
nete, a dissoluco da cmara e a inaugura-
gao de uma nova poltica, de accordo com
o pensamento do rei.
E isto ou nao governar? Se taes fados
se liveisem passado no Brasil em 1868,
que clamor, senhores, quo clamor nao fa-
naro os Ilustrados cheles da opposic-io,
que entretanto invocam pora combater-nos
os exemplos da Blgica e da Inglaterra?!
(Apoiados, muito bem.)
Na propria Inglaterra quem nao sabe
como governava a cora com ministros da
tempera de Chalaad. Pitt e outros estadis-
tas eminentes que ba pouco citei ? O naesmo
exemplo, to repetido ltimamente, de lord
Palmerston com a rainha Victoria em 1850,
instrumento Lebau ocapacete empennacbado
do Constitucional.
Houve, pois, uma poca em que a Fran-
ca tinha toda aquella radiosa finura!
A propria Branca desatou a rir e mostrou
duas enfiadas de perolas. to bom rir!
E quem podia vesistir ao instrumento Le-
bau, brazao familiar do justo-melo ? Fal-
laran! do Franganito, que era o Sr. duque
de Orleans, das orelhas do principe de
JoinviHe, do nariz" do Sr. d'Argout, do to-
pete do Sr. de Salvandy. Nao havia graca
que escapasse ao Larcin. Canhava bem a
papanga.
Mas porque dissera a baroneza propo-
sito de Edme Leber :
Vai para a America I
VI
As salas de Schwartz.
Ha milhoes que frequentum a alta no-
breza : tem isto seu tanto de excepcao.
Geralmente a priroeira roda uma cidade
murada. Naece-se n'ella.
Pode todava o milho acbar abertas, por
motivos especiaes, as portas de certas ca-
sas, pertencentes alta aristocracia ; v-se
isso freqnentemente. Muito mais rara a
reciprocidade. Seja porque fr, o milho
diEGcilroente attrahe s sua:- salas os que
pertencem s mais elevadas espberas, mes-
mo quando tem motivos especiaes para lhes
afagar o lombo.
Isto sao puros axiomas que seetionciam
e nao se demonstrara.
superfluo oppor estes axiomas fac-
los particulares : a excepgo confirma a re-
gra. evidente que podem ter encontrado
as salas do 01h3o Fulano ouSicrano, o
duque mais rigoroso da academia, ou o
cavalleiro do Espirito Santo melhor empa-
Ihado. Poder ser. Mas Fulana op Si-
crana differente. Na intimidade nanea
Porque pomos de paTte, j se v, as oc-
casies solemnes em que a alta aristocra-
poltico, e o reguiador dos outros ramos
dosysiema.
A' vista de palavras to positivas, claro
quo em Inglaterra, segusdo a opinio de
lordBtfougham, do liberal lord Brongham,
o rei pode governar e governa legtima-
mente.
Nao est alW nesse trecho a palavra
individual duas veaes repetida para
tornar bem clara a idea do escriptor,
individual infl-uenceindividual manaren ?
Como pois pretende o nobre senador que
o Ilustre estadista inglez se referia ao
poder real exercido pelos ministros?
Brougbam falla da pessoa do rei ; de seus
sentimentos, de seu carcter, do que In-
senbores. eontestar que
tes cte om poder e o seu ohe-
fe, entre o poder executivo e 0'podero-
derador devem existir rela$oes- de reci-
proca deferencia pelas ideas e conviccoes,
relacoes que exigem mutuas concessoes
necessarias ao jogo do governo representa-
tivo. -
Sememantes relacoes nao se observam
entre o poder eseeutivo e o parlamento 1
(Apoiados)- No- o parlamento qupm de-
ve fazer a lei sem outrs intervengJo do
poder esecutiv, a nao sor a iniciativa da
proposta ?' E entretanto o que vemos fre-
quenteraenie ? Quando se apresentam em
um parlamento nao deposita nesses^ gabine-
tes toda- a- sua aonfianga ? (:\poiados).
Os representantes da naco nSo cedem
muitas vezes de suas pinies individuaes
para servirem a um grande interesse na-
cional, que em sua convieco os agen-
tes do poder descobrem-melho? (Apoia-
dos).
Nao procorarei exemplos estranhos, nar-
citarci os vivos. Posso invocar um nome
e citar dous factoe, cujo parallelo dk
mais que largas consideraces que eu po-
deria fa?er neste momento sobre a ma-
teria.
cia, vencida por curiosidades infan-tis, quer
ver e saber todo custo.
Fallamos dos dias em que, por nao se-
ren festivos, as salas do baro Schwartz
se apresentam taes quaes sao.
uma sociedade parte ; nao chega tal-
vez a ser sociedade, pois que quem forma a
sociedade o elemento femenino e as mu
Iheres fraqueiam um tanto em casa de J.
B. Schwartz, seja ou nao seja baro.
Alavoy solteiro ; Savinieff Larcin casou
com uma cmica velha, que prudente nao
exhibir ; Cabiron viuvo ; Contentin de la
Laurdeville tem a familia na Normandia; o
visconde dos Glayeulx est divorciado de
corpo e bens: s Touban leva comsigo a
esposa, matrona de boa familia, invejosa,
alambicada e m.
Nao se eneontra por ah mo um mar-
selhez obeso e que pese francamente duzeu-
tas trila e sele libras antes de jantar ;
portanto orgulhoso que apresentmos Ala-
voy s nossas leitoras. Era amavel e tinha
o coraco as mos. Transpirava stmpre
Emfttia ideas indnstriaes e davameo por en-
tendido em terrenos.
Cabiron preparava campo para negocios,
tratava de tudo que diz respeito publici-
dade perfeita.
A publicidade, essa moderna alavanca
que revolve as nossas civilisacs i Cabi-
ron "tinha d'estas phrases bombsticas quan-
do fallava com pessoas susceptiveis de Ihe
largarem annuncios.
Arranjava umbem redactores de artig
especiaes, e de locaes mofleas.
O viscooie Honorato Giscard dos Glay-
venlx descenda de alto : era o seu ganha
p3o. Tinha qoatorze casas que ascend a n
de baixo : ,sete almogos c sete jantares por
semana.
Touban era chmico industrial. Sachava
no campo da sciencia para d scobrir nro-
cessos usuaes. A s,enhora Touban tom
opiniSo sua em litteratwa.
Contentin de la Lourdeville tinha feito tal
e tal, depois que o deixamos : ora deputa-
do, ora jornalista, depois administrador de
companhias e presentemente advogado de
I negocios commerciaes.
Em casa do Sr. Schwartz tudo era ne-
i gocio, ate a comedia na pessoa bicuda de
Savinien Larcin, at a arte sagrada, at
santa poesia, na semsaborona especie de
Sensitiva, romntico Pompadour, que re-
mendava cm ponto grande e alborcava o
sangue bohemio entoando lourinhas nenias.
S Savinien era moco. Contentin, de-
cano, tinha agora cabellos brancos. Os
outros andavam pelos quarenta annos como
o proprio Schwartz. A Sra. Touban nunca
Uvera idade.
Restava emfim um casal magro, amarello,
triste, humilde e decente: o Sr. Eliacin
Schwartz e a sua senhora. Coohecemos o
marido em Caen, fac totum de outro casal
de Schwartzs, porque a fatal idade d"este
livro andar enterrado em Schwartzs al
ao joelho. liacin, depois de casar, fra
tomado entre dentes pela mulherdo antigo
commissario de polica, actualmente chefe
de divisao na prerelura ; personagens mo-
destos, pobres infantes dadynnaslia Schwartz
liacin esta va com sua esposa encarregado
luga-
no
de fazer as honras em segn lo
castello de Boisreoaud.
E tudq. Nao adiaramos bem uma s
palavra de mais a di*er sobre nenhum d'es-
tes person gens. E confirmamos melan-
clicamente que nada, adosolatam 'nte nada
d'aqmllo que se cooveneionoii appelidar
drama, apparecia n'aquella casa opulenta,
tranquilla e burguezmente jovial, d'
jovialidade um tanto semsaborona qu.1 per-
segue os que sao demasiado felizes.
Verdade que a baroneza tinha nm
ido romanesco; esse passado, porm
scripto pelo teinno, pareca alm d*8B0
lafogado em profunao wquecimento.
(Continuar-se-M.)
Que moviraento agora possivil ? subir?
subir mais ? Talvez que o prolil nanceiro
d'aquelle hbil Schwartz n3o interessasse o
leitor ponto tal que as ulteriores victorias
d'elle possara servir de base a uma aegao
dramtica !
Calmara podre, fra da questao dos.
escudos.
Aquella formosa mocinha, Edme Leber,
ia se para a America I Vimo-la nos, in-
termear n'aquella vulgar tranquillidade co-
mo que fugitiva e impotente ameaca, reve-
lando a modo a existencia de um royste-
rio...
Afora isso, tudo all era cLo, igual, liso
como a superficie de um espelho. O
Schwartz, a baroneza, a linda Branca e os
convivas formavam uma d'essas mil reu-
ni -s que todos os dias, cada passo se
podem ver; reunio que, conservando alias,
a requerida dse de excenlricidade, se
assemelhava no geral todas as outra^,
onde se vive o melhor possivel as horas
prsenles, sem perturbages da vespera,
sem cuidados do dia seguinte, pondo de
parte, j se v, os negocios, sangue das
veas d'aquelle povo, sopro da sua alma.
O proprio casamento da filba da casa
com o famoso Sr. Lecoq era um negocio
mais ou menos conveniente ; apresentav?
lucros e perdas mais.ou menos disc;;'.iveis ;
era, porm, ou pareca ser negocio enten-
dido, regulado, e que nem por isso trazia
comsigo grande dse de impresses.
E entretanto, vejam : ha um preconceito,
fomentado pelos poetas, lisojeiros bypo-
critas da indigencia, preconceilo que passa-
ria bem sem os poetas para ter curso na
chusma necesitada, onde circula como
consolarn egosta.
(Continuar-se-ha.)
TYP. DO MARIO-RUA DAS (R?ZES M, ,
y
i
i
r
s

" '
*
\
Wtm
MUTILADO
... '." I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EY7B81GS8_ZD66LZ INGEST_TIME 2013-09-14T01:49:22Z PACKAGE AA00011611_11946
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES