Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11938


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Jt
ANNO XLV. NUMERO 206.
I
-PA1A A AffTAl E MFGAHES OIDE IA6 S PAGA POBTL
Por tres xozes adianiados......... amodc
rcr seis ditos idea* M *
SEXTA FEIR 10 DE SETEMBRO DE 1868.
PABA DEITHO E PORA DA PBOVIHCIA.
Por tres tnezes adiantadiis.
Por seis dilos dem.
Por do\"- ditos idem
Por om anno.
t *^ Por om anno........... 274000'
DIARIO DE PEMAMBUCO.
Propredad

w *
* c
-<)-

A ACEITES:
O Srs. Gerardo Antonio AJves A Filos, no Para; Goncabes Pialo, no MaranhJo; -baqua. Jos de Oltafea, no Cear; Antonio de Lcmos Braza, no AracatT: Joan Mina Jnlio rtWa nn la.A lnt,;
Percira d Alnada, e* Mamanguape; Antonio Aietandrino de Lima, na Parabyba; Antonio Jos Gotees, na WM da PonbaTKS Sos Bu c enllanto ^o mLZ Trt!L2
__ ____________ m Nagareti> Fra^ Tavares-da Costa, em Alagdas; Di. Jes Martins Alves, na Baha;'e Jos Ribeiro G5^o7n?Ri^^ii ^ *"* ^ ir*a'
Natal; Jos Justino.
PARTE OFCIAl.
Ministerio da MarUfcft.
MTICIM OA i:SOUACRA.
Ceoaraaudo era ebel da larga, naval do Brasil
Horda de vapor Printeza ein Assrnnpcio, 16 de
jsto de 1868. ^
Illa, e Exin. Sr.Depois dos ltimos movimen-
ol 6 communiqnei a V. F>.c. em raeu officin
lo ai de julho u'.tim<>, deseca no U 1. a eaoh-
,i Wtnriqpt Marlins, com o eoramandanle da
:.* dirijo para o Tebiquary, af.m de alli conti-
nuar a prestar o auxilia i| c precintse a forca do
ltra. Sr. brigadeiro Porllnho.
Chegando I, ir;>s depois eommcnicagoes de S. A.
'>'!at 'df fuer seguir o vapor Taquar.) para baixo, e
rada encomale o Hmriifne Ka r tita fondeado,
asseu-lhe as taesraa* camamnieag^es, o regressou
< asa parlo na aianba de 2 do corrate.
A canhoneira Araguay, que viera s refazer.de
'imVistivel e maiitimentes, segis tambora na
'lanb-* de 21 para Manduvir.
Chegando no da 3 o transport Mnrcilio Das,
guie, a 4 n canhoneira Sle.irim para b Fecho dos
barres levando a mala do Cuy fc, a estregar
4unv"- qu v'uijairi dalli para Corumb.
*6toraesn.;; kan-porte receben-ss uina lancha
' vapor para o servir, i da esquadra.
O vapor Cuij'd-, que f.ira mindado a Corumb
jin o 1." Ien>!iit Pedro Pinto il Veiga, regressou
na rair.ba de r cmduzindo o batalhao 17, de vo-
"nt iris da palria, de 400 prafa.
0'encoura;ado Sil codo tendo concluido os re-
liarasiquo pr.Tisava ein coiucquencia dos romiio-
'luetiahan) fundo, seguio no dia 5 para Hu-
iiiayti, aOm de sub.-tiluir al o Ilercal, quo segu
l ara Angustura.
Regressou tambera do Corumb no dia 8 o
i viso Pblippc Cernir:; que p.r.i nHi seguio ^om
parle dos lobrsaleufes reitietlidos- para o arsenal
'laquea provincia c coiu a mala de Cuyaba.
C'i'O o thu de facilitar o iranspurtc da (orea do
Kxra. Sr. bri^adeiro Portinho, seguio o vapor Gal-
'io para n Teiaury, regresand a-10 com o lia-
illiio 12." de Imita, e depois de ilscarregar tor-
uoa para aquelle rio.
O transporte We, nrr!. mandado a Humayt. de-
pois de tcelicr alli a artilbaria : muiii{5os vwliou
;i este porto no da 11.
D*da a sut'Sliluieo dj cncoura<;ado Jfcrrn em
llamare pilo Sihado, subi aqu3llc para Angus-
ura a render o Bhtoso que, viuda a ste porto
iV dia 12, refez-se de mantimentos e seguio para
o llaadtivir :. auxiliar os demais encouracados
qtie all se acham em frente res arroius Salado,
l'irabebtiy, Maiiiiir.ir.. eJejay.
As ftn iMMBn mente deroiiwa?.
Eio consequoneir. de requisi^o, de S. Exc. o
n\ conscllieiro Parnnhos fot a sabida do trans-
]irte Wrtuclc transftmdB para boje. Havcndn
m a marcha parle do exercito alliado atraves-
-at para a eulra margem do arroyo Ptraju e
.;cu|iari'. de oeste da corddhi'irn e pelo
iiuiupl'cs obdos de 12 a Ih p!o grosso de nos-
. is hrjas ao mando de S. A. dorrotando o Inimi-
io e tomand i-lhcas p isc."ics do Pirabebny, Dar-
os Grande c pon os adjwcntes, fez-se preciso
:i presenca de tima langa a vapor na laga Ipaea-
i .iliy e que para it seguio no 'lia 13, para faci
litar *9 comn1::; ::ti j;:; ioss:is forcas qne
Mhajn as cordilliciras e a que existe em
tregua, rstaro das linhas '.j.-rca e.lelegraphica.
E juantopor ora oecorrt: e var ao eonhi^cinvnto de V. Exc, a qa>'in mus
uta ofcasiai. iprovcito para renovar as homena-
:ri da mars subida eonsideraco e estima.
A S. t;xc. o Sr. con-ellieiro bario de Cotcgipe,
miftistro e secretario de e-tadi dos negocios da
ni.iriiih*.*-Kiz'iiiiu Antoiii) ilc: S. tutos, chele da
esquadra.
EXTERIOR.
ritfDOTI, 17 DE AGOSTO DL 1869.
Paraalcancar este ponto, z quatro leguas de
i'.araguatahy, fui preciso ao exersito braiileiro t'>-
mar de assalto as irinelieims de Peribebuy o ga-
nhar ama batallia campal.
Aconeciraeiitos importan: s precederam esses
i hrilh uites loii'ts ; cou'.a-'.ns, poritu fura de
nmsia*) longo, o so cora mus vagar, que nao em
semanas de tanto atropello e cansado, podore nos
ir vista* para tras de nss c detidamento des-
i,rev,irasferi|iecia'i da bonita marcha que o pnn-
eipe enectou di- Pirayti al c.
l\r boje, c tempre rpidamente, falleremos na
aof-j qii' se em*MBhou hontcm entre as forcas
!' curpo de exercito e r retaguarda do exor-
de Lpez, o se complcton cem a apparicao de
bauMc. do nosso i eorpp, que por urna" hbil
muralla srhou-se I -vado a tomar de rovez a co-
lanwBi-tue eo.nnosco enlestava.
Oi^eorpodo exercito ao naado do general
Lat Menna Brrelo, puisde vespera o general
ijsori ll'.e p issara o coinm indo, deto doeil c (pie
eslava, sabia da comprida picada que leva de Ca-
cap i vanea a Campo-Gran le, qnandd achou
n niHiigo lonnado cni liuli;. do L'italha apoiada em
numerosa artilharia.
A dtsp elle tomara era parallela li
(MVdinal.r bocaa da pijada, e seu flanco di-
rotojaaastado barranca do rio Juqtwry, .OtMt
i HvKWwaieii* com nanda los pelo general Ca-
i altwa mS*mbapga*ain o ...issc, o to seguros se
Mimando a po^ijo defensiva espe-
raram pela iniciativa de n --o ataque.
N*js Uitlhoos, a oiircue-m irehe havia mais
da aiiarto de legua, ganlnrara rapid mente a fren-
te* fiirmaram linhr. p irallelr. dos paraguayos :
js 8 l/ t; iras da manliaa rompen o fago Je ati-
i adore* vivissimo, e de vuz em quando ajudadti
i lharia.
Entreunto, con a cliegaJa do uovos bataihoes e
sawKJo pelas maiorea distancias que ellos entr
(JBariJavam, naluralinen u nosso flanco direito
t^HBLp. para la do esquerdo Inimigo. lufeliz-
i leuto ni diaria : essa marchava reta-
rda tt anda se achava demorada na picada.
iballcro comprphe.ndonupnrigo que
injiiinente ilerroU ; em ord'in re-
; a tus ala esquerfU tcd,o-fez mu rebatimen
n aogulo recto obre a sua primitiva linha, de
coa com urna outra parallela as
:;oas do ari
rj ara cntao intenso ; a srlilUria jogava
xo do fogo da fuzilaria, apezar dos pedidos do?
aae o ceivam.
Era raeiodi^cos Paraguayos defendiam o pas-
s com extraordinaria tenaciaade.
8. Alteza, tendo ento >' a brigada do coronel
Ilyppolttu, fe-la pascar o arroio n um lugar cima
c tomar de flanco o inimigo : lanra no eombate
fambem bu piquete.
A fuzilaris era incessante ; corra o boato da
morte do coronal Podra. Este para tranquilisar o
principa iiiftwanlv da expada em puuho ja torta
de tanio tralalhar, e de novo. atira no grosso
da iieleja.
A t'uinaea tildo asvalvia ; entretaeto wmpen-a,
aqu, aWi, o lampafar das (ancas dos esquadrOes
que carregavam.
s Paraguayos recebem a carga com gritos ;
debandain-sa ; muitos inorrem, outros mettem-
s* n'um capo de matto, donde fuzilam cora de-
sespero.
U caba do piquete vera trazer a Sua Alteza
urna riquissima bandeira inimiga.
EntaVxomegaram se a oovir tiros de peca re-
taguarda dos paraguayos ; os nossos bataihoes
aproveitam um morimanto de vacillacao : ganham
a margen! direita do arrolo e sustentam a'posico
apezar dos ataques furiosos do inimigo.
O atropello no passa era immenso : cinco boc-
eas de f ijti) Hi ficaram ; homeui, boi* raortos, car^
retas viradas. Sna Alteza o transpoe com grave
imprudencia. RaclamacSes por todos o lados so
levantara.
Nesia tempo a rosistenca ia afroaxando ; a ea-
vallarir. reiterara seos choques, e o inimigo foi
latando s ara peqaraos gruoos, fugindo poucos
para os mallos, pois j vinham imprensados pelo
valoro*) gerroral Cmara, que os atacara com for-
cas do 2* corp > de exerrilo. Caballero l se foi en-
tro asses, deixando o cavada ajaezado de prata.
Nussa gente natalhou por mais de urna legua.
O campa flcou jnneado ne cadveres inimigos, tai-
vez para cima de 2,000 hoinens ; seteceutos e
muitos licaram prisiimeiros, entre elles o major
Cidoy c varios olliciae. Muitos foram colhidos f-
ridos.
Mais de quarenta carretas conduzindo quanti-
dade prodigiosa de moniebes, jilas cora os bahs
do vb-fi.prpsidentc Snchez,' una com mais de
20:ui, 2a boceas de fogo, umitas bandeiras.
ele, foram os trophos do dia.
As 3 horas da tarde eslava terminada a accao
que comeeara no Campo Grande a acabara em
l'endoli.
Lpez segundo dizem, vai para os Hervaas com
urna torea de 4,000 homens o 42 peca de calibre
12. Uuem vio o arsenal de Caacup comproheude; taeoaa?
o grande poder que ainda tinha o dictador.
Quantidade espantosa de familias lm vindo se
apresentando : tudo emigra para a planicie de Pi-
ra) ii e para Assumpcao, sahindo dos mattos e dos
montes ao nos*o encontr.
Amaona seguimos. O exercito cheio de alegra
vi' no principe Gastao -de Orlcans um general de
plano, um joven intrpido, mais tal vez do que
conviria aos al tus interesses que elle dirige.
se alimentara, se nio houvessemos ido ara seu
soc corro.
O governo provisorio envioa cordilheira e ao
vaHe de Piraya tres commissoes, coraposla*de
qaatro membros cada urna, para prestaren ec-
corros a asses infolizes, e boje partro para a mas-
mo fim nra dos raembros do dito governo, o Sr.
Bedoya.
Quando nao houvessa outros ttnportantissimos
motivos para justificar a conveniencia, ou antes
necessidade impreseindivel, da ereaoao do gover-
no provisorio, bastara o que acabo 4a ex per para
ju*tifica-la, a manos que os aotsea opposienKii*-
tas. que Uatomalilizem do rastillado da, raUslo d>
Sr. conselheiro Paranhos, emendan qae o Brasil
deveria deixar esses desgrac-idos raorrer t>me, |
ou eocarregar-se da sustentar W0 ou 200^00 i
mulhen-s e enancas que escaparam da hornval I
hecatombe que se chama defeza e I/ipez. Esta
segundo alvitre i nao creio que adawlaaaom o pri-1
nieiroi vina muito a proposito, vista do estado'
cnlawaiH que nae acreditarom riestcrqaadM, pni*
eu tambem a o nao visse custaria a crer que
------T-
---^- ^ u aunsiana a crer que u iriuwpr m cmatelo. Penbobuy tomado
ps WJ2??fUW-. e*tr*da*.,l' C'>rlam a serra! >r S: A. o Sr. conde d'Eu, e Ascurra pelo axer-
esuio, segnio asseguram possoas di miior ere
dita, antra ellas o geaorai visoonda do Iferva!, -
cadas de aadaveres da JBlBates, cnancaa c ve-
nios morios lome I
Eba aslrangeiros, e infellzaiento at Brasil-iros',
qae admirara a Lpez I
O nos eiwrcita, apezar da granda distancia
em qua se acha dos seus depsitos, tac lido sera
pre o neeassana em vveres, munices forra-
genv Repito, a guerra pdc dizer'se termfsaa,
e miri breve soafa a bora da matar alegra para
o Brasil inteiro. :
O eoraael Paranhos, que hcaraeommandando
as forcas brasileiras desde Lijue at Paraguary,
recebeu, depois da victoria de Peribebuv, ordera
para rauair-se ao gro*.sa do exercito. J ia al.n
do Caacusa. Qaando sua alteza miad m que elle
cora sais baialliojs Je infamara o um regiment
< A guerra" est conclaida!
O triuujpbo f>i eomajata. Penbobuy tomado
das nossas finanzas. de cavallaria eontramarchaise para AsampeAa
So Lpez lograr escapar as aossas f)rcas,pro-1 Creique essa forca destinada a algma espo-
vavel que se refugie era Curuguaty on Igatemy,' dieao ao Mandnvir ou ao Rosario,
ou que era caso de desespero, tente lugir para a
Bolivia, pausando por Miranda e Corumb. Cons-
eno argentino, tal o resultado do s ibio'plwo de
cnmpnnk't preparado pela genrral D. Emilio Mi-
tre, apoud rpidamente pelo presdante, qne
retet|Biriminadiataineato rail infantes, dh-traludos
antas do xereilo de operuedes.
Um hurrah aos alliadus 1
a Huirah ao bravo eon-fe d'Eu.
Hurrah a estratgico rjmeral D. Emiti
Mitre!
O valor e a intelligcncia argaatina dignamente
representados na terminaci da guerra.
C'-aeloimos com gloria o mais terrivet episo-
dio de nossa historia.
t Tora s patria, temos honra, temos exercito,
temos repblica.
Agora emeca a obra do organisaco, de
trabalho, de reparacao nacional.
Gmiinho de Altos, agosto 13.Sr. tenante
coronel D. Jos I. Garinendia.
ta-mo que o Sr. conselheiro l'aranlios expedio un
despacho ao Sr. baro de Melgaco, presidente da
provincia de Matto-Grosso, dando-lhe conheeimen-
s deefetis do governo provisorio, a que cima
me reliro, sao os segaiutes
ti O governo provisorio uaconal con;i4erwdo:
Qae a presenca de Francisco Solano Lpez no
solo paraguayo um sinjrain den sarcasmo
to do estado das causas o recommendando-lhe que j civilisaajaa e patriotismo dos Paragunyos :
A3SIMICAO, 18 DE AGOSTO DC .1869.
Depois do brilliante feilo d'armas de Peribebuy,
em que o noaeo augusto principe se cobrio de glo-
ria, arrancando MtEasiastieos vivas dos seus dig-
uos cominandados, canlinda Saa Alteza ejn sua
marcha triumphal, e a guerra j se poda dizer
boje concluida, se por mais u n dos muitos caipo
ne tome as providencias que pudor para evitar
a fuga desse barbara, on, pelo iamea> iaapedtr
algum insulto s nossas povoacoes-. Da combina-
cao com o nosso ministro, fez a Sr. chefe de es-
qnadra Elisiario Antonio dos Santos seguir aiguns
vapores e lanchas para os rios Manduvira e Peri-
bebuy, e que, to nao impedirem, pelo menos em-
baracaro muito fuga de Lpez.
Continuara a chegar a esta cidade muitos pn-
sioneiros de Lpez resgatados pelo nossos, haven !>
entre elles muitos estrangeims e alguns patricio*
nossos do Matto-Grosso. Logo que obliver um i
lista destes ulhuos envia-la-hei redaeeao dessa
folhi. T-'m vindo tamben) os nossos fondos, que
esto sendo recolhidos aos hospitaes aqu orga-
nisados, e chegaram 517 pr-^ionniros paraguavos
de PeribebuL que se acham aqui era custodia,
devenilo alguns, por perigosos, seguir amanbaa
para o Brasil ao vapor Presidente.
Urna das pess >as da familia d > Sr. Bedoya as-
segura que o celebre Sr. Mac-Mnhon levou nos ter-
cos de herva-raite, c.ra quo atravessou as ile-
sas liabas, dinbeiro e.n orno o grande quantidtdo
de pedras prec'osas pertancemes ou |-xtdrpiidas
por Lpez, avahando o tacoos. E' mais una prava da nantrali la le d*i-
se miuislfo, o rest as;iber a ipwm apravoitar esso
cabedal.
Ilojo cUegou aqui o aotsa bravo general viscon-
de do H trval. C > era de prever, as fa ligas di
marclia flzaram peorar a sna gloriosa tanda, que
est ainda aborta, o que o iinptssihilitou do conti-
nuar a cominandr o seu aapa de exercito. S.
Exc. deveria seguir para o Brasil o traUr de sua
saude, aflm de coaservar-se para o sua patria a
familia. O. general PolyJoro vai raelhrando, e
esuoro que, sua experiencia administrativa e sa-
avr HH*r-iiftid sjni h* ao aos*e Mcanaavcl
prncipe, a quem priauiuaini.>nle se deva o ter >
exercito saludo da sua langa inaceo e nao ler re-
cusado ante as matas para oadi se dirigi Lpez
na sua fuga.
- 29 DE AGOSTO.
Tendo sido transferida a partida do Presidente.
ritmo que temos soffi ido nest lula nao deixasse I aproveito esta ocaasi. para aeerescanlar aleu-
de ser executado a lempo e plano combiuado.
de um lad i e do utrocorn igud car as" bom
e encruzavam em todos os sentidos, [Krado a
vida d principe mitperigo.
A nassa infautaria seguio cora presteza o mov-
itsario^ c tSo deuodado foi no seu novo
o inimigo do outro lado
Khlo Ine logo urna bocea de fogo.
rifl,as.wfai gaavuecaia a rihaneaira di-
e romper o jgp trincndo de metrallia con-
tra a nossa gem
; f>z prodigios de
. alaaoca-lba a fravati
'" '' e para se alagar. A bate-
tabcleca-sa em frente a
futra, i por metralha.
O gaaei porta- ida raocien' ha ajudanle- do
rden ,t.e p5csc debii-
Co:no ja disse, os nossos corpas de exercito, ao
mando de Sua Alteza, seguirn) em direccao ao
flanco esquerdo a retaguarda do inimigo. As
operacoes da nossa gente foram bem executadas,
dando os resultados brilhanles que j se conhe-
cem al B tomada de Peribebuy.
Aos generaes Emilio Mitre, com o sou pequeo
exercito argentino, e Jos auIo da Silva Guima-
raes, que, Cora 5,000 brasileiros das tres armas,
ficou sub as ordens do general argentino, incum-
ba tomar o inimigo pela fr-'nte e flanco direito.
Submdo at Altos c Atir, deviam essas forga-,
que, elevndose a 9,000 homens erara sulfl -ien-
tes para fazer frente a quaesquer do inimigo que
se Ibes oppuzessc, cortar a este por Tabati e Bar-
rero-Grande, fazendo depois junecao com as for-
ras de Sua Alteza.
O general Mitre pz-se em marcha de Guay-
Nir no dia 9, e s no da 12 chegou ao deala-
deiro de Altos, quo foi tomado de assalto, haveudo
poucas perdas de ambos os lados, e acampou nes-
te lugar. No dia 13 segua a executar o plano
combinado, mas j era larde ; Lpez, saneado da
grande victoria do dia 12 sobre Peribebuv, rugir
na madiugada de 13 poi^Tobati e Barrer '-Grande,
abandonando Ascurra, onde licaria completamen-
te cercado, se o morlraento do general Mitre osse
maU rpido.
Sua Alteza, tendo eonhecimento da fuga do ini-
migo correu iminediataiuento em pers'-guicao por
Barrero-Grande com a direccao Caragualay, p ir
onde era provaivel que elle seguisse. o dia 10
os novas corpos de exercito encontraram o grosso
das Torgas de Lpez, sob o caminando da general
Caballero, a iros leguas de distancia daquelle poni
e junto ao nrroio Peribebuy. Ah travou-se lula
recnhida, deixando o inimigo, que foi completa-
mente destrocado, mais de 2,000 homens no cam-
po, cabrado alguns prisioneiros em nossos mos,
22 pecas de artilharia e toda a bagagem. O resti
da larca inimiga dispersou-se pelo mato, que nos
cercava de todos os lados. Entre os prisioneiros
ha alguns de importancia, como o major Godoy,
que tod is informara ter sido um dos mais sangui-
narios instrumentos de L ipez.
Kste com a sua vanguarda segua por Caragua
taby, caminho de Curuzuaty c Igatemy, sendo
perseguido de perto pidis nossas c'avallarias, com
que Sua Alteza marchara no seu encalgo.
E' ( osstvol, e como icnho f na justica de no>sa
causaj.direi inesmo pmvavel, que o tyranno fugi-
tivo seja leanrada, pelas nossas forcas, Geando
assim complet o nos-o triumpho. Dado, porm,
que assim nao acontega, evidente que est con-
cluida a guerra, pois derrotado Lpez na sua to
decantada Ascurra, tendo perdido ludo quanto Iho
restnva de mcies de resistencia, nao mais qu>'
um fugitivo (jne deve ser perseguido por pariida-"
ligoiaaada cavallaria, e que nenhum receio nos
poda mais inspirar. -
DeinaU, esta insiallado e funcenrando o gover-
no provisorio da repblica do Paraguay, que aca-
ba, per decretos da hontem, de declarar a Lpez
fra da Iw, iraidre< patria l-idas o qne o se-
guirn), e enciia todos os paraguayos a que cor-
ram em defeca de- sua nacionalidade. listes de-
arelas foram affixados as esquns e proclama-
dos por baad.ts polas ruis desla nidada.
A nassa gadte encoatrou,. atrs do inimigo qu-
fugia, inflniJadc de mullwros e changas, que, in-
terrogadas, respondiam que, se nao seguissem w-
riam degolladas pelas Paraguayos, quando c4es
voltavsem. I'.is as sympathias de que goza va
l.opez.
Tardo visto chegar grande jumera de es des-
raeaJas qntes a asta cidade, e debalde tentara
d'iseraver o criada da miseria-que ellas apresen-
i ara. O nofacao miis feraz se.onadaaria ao ver
assea esqueletos de inulhores e pobres arianci-
u'.ia, <|ue mal podem caminhar, e cuja mudez a-
preseala os ossoj qua~i rompeudo i pe la I
Uak dea inplezes que cahira n prisioneros asso-
gura qae tera morrtdo fome mm de 6Q,OQ0
pestftti'e quo raaioraeria essa inprtauaade ii'is
inmt p\'MhmW1tyWW tonto* do qu
I
mas linlras a esla oDrresp inJoncia.
Camegarei transcrevenda alguns treeltos do urna
carta escripia por pessaa que acompanha o ' exorcto. o que contera porra mores do coraliate
do dia 16. Sao os seguiotes :
Como j ava saber por telegraramas de h m
ten, sua alteza fez marchar o 3 corpa do
exercito ao mando do general Victarin i, d i Pe ib i-
buy em direcgao a Barrero-Grande |a o Io corpa ao
maadodogeneraJ Jos Luiz, de Ciacnp na ui's-
ma direccao, com o lim de cortar a forga inimiga
na sua maior parte. A's 7 h >ras e 35 laiaul >s d i
maniia o Vasco Alves, que fazia a vanguarda d i
! corpa, fez signal do inimigo frente, sua 'al-
teza mandou -a infantaria doixaras m >xi a<, ob-
servou o campo e maodpu estemler linhas de ati-
radores em distanoia qua as nossas espingardas,
quesao de gran-le alcalice, tociss-'ino inimigo sem'
sennos offendidos ; estaeleeeii duas baleras, fi
convergir seus togas, ao passo que a cavallaria
flanqueava |>or.dous lados
e O inimigo canueoendo a estrategia foi recu
ando e nos avang.indo na inesma pMporain at
proximidade do um passo fundo, onde se
travou a mais renbida lula; nossa cavallaria car-
regau, e elle abandonou o passo e seis peis.
<;arreg m-se de nova, e sentui > nessa oceasio o
logo do 2o corpa, que coruva a retaguarda. O
inimiga faz mais um pequeno esfargo e abando
au o campo da balallia, deixando em nosso po-
der 22 pegas, muito armamento, grande quantida-
de de m-inigoes. m i:s de IfiW niorlos, 70J ou
mais prisioneiros e grande mira tro de fendos.
Massai ponas furam om rigor de 300 honens
fra do combate.
O prncipe o n pessoa dirgio a acgo e tove
Bjn ajndan!e(de ordens ferido e 9 pragas de seu
piquete fra de combata Dingio por vozes pila
vras animadoras infanlaria, e coimpcu exempla
niostrou a que divam fazer seas*Soraadas. E' u,n
hei'e o nosso princpn.
Lugo quo acabou a accao foi fronte do 1"
corda e abracan o general Jas Luiz, a quem em-
cedeu as honras da dia.
A lula deu-so em nm extenso campo e o ini-
migo recuou mais de urna legua, earregaudo scra-
pre as nossos.
Hojp sua alteza foi ao hospital de sangne,
onde vi-siuiuos feridoa edn taln a< providen-
cias para seu transporte para Assurapco.
t Amanhi niirchi o ex-trotta em direcgai a
Caragualay ; vai em duas columnas-polas duas es-
tradas.
Consta que o general Caballero fura ferido
Foram m atas alguns ebefas ; temos prisioneiros
o majar Godoy e o tenente-coronei Ando.
Pessaa que asseguram ser de criterio, que hije
chegou do oxeroita, informa que sua- alteza con-
tinuando, continuando como disse, a peraegm-
gao ao inimiga, enontrou-n de novo e bateu-a
campleUmmle, consegrando, pir.n, L-ipez fagir
Ouin uns 800 horneras. A no-si cavallaria la-llie
da perto no eorale. Esta perseguigo oaevtea
e constante, qua tai gran les resuludas "te* ara-
zida, o dew oornar esta ardua abra da guerra do
Paraguay, aoara ra tilo o patriotismo e caragera
do osso uen 'Nierito principa. Elle cradar da
gratida de todo o Brasil, pois c lo kMioit i|tu este drama sa'ig'iinolanto, que sem
X vontade de ferro de sua alteza, a guerra dora-
ra ainda sabe Deus at quando, ou o Paraguav
Qcaria nntreguo ao abominavel tyranno, que est
fra da le.
H 'je vi entrar nests cidade uns 300 pri'ionel-
res dos tomadas nos combates de 12 e 16, Ei.|n-i
lrirrorisad i da aspecto que representovam esse*
dtfen$ores de Lapoz. Oous lerga d-asa gome cora-
puiha- no*, qiusi nos, raigrs e to fracos que cara dif-
laM ca ni ii ha vara. Alguna desdes dwgra-
gadas vnbam feridas do bala.
Logo q ie pararam em frente ao puartel-g
i mmero da mWeras inujhfr.'s pin
5 ,o.e aqui se adiara rodearam essa gi
rrar tadavreplirai, prooaraado reorahe^r
no maja dalla am ffll ou prente ptoairao. Baa-
(iae este moustro dr impiedade perturbou a
or^^eiu e auiquilou ni isa patria com o* chines
que perpnrau, banhand)-a de sangje, c altontou
camra tada<^is leis divinas e hnmsnas, com es-
panto e horror, excduila aos m liares lyrannos
e barbaros de q ie l'aw n raeagj as hiorias de
todos os lempos e idades;
Accorda e decreta :
Vt. I. O desnaturado Parajnivo traidor
Franaisco Solano Lpez tica fra da'lei e para
seraprc baniao do sala paraguayo, copio ""laida
de su patria e inimigo do genero liamauo.
Art. t. Putilique-se-pir banda c insim-sa no
regi-tro nocional.
t Aswnpga), aos 17 das douiez de agosto de
186). aran f da liberdada d;< repblica do Pa-
raguiy. Cyrh A. llieaivla,Carlos Lnim.
los Dits di B'do'j.i.
O goteriM provis-io n ieional. -Os cidados
iyrilo A. Kivaroia, Carlos L is.iira e Jos Das de
Bedoya, eUtufl livrouiente pele povo para formar
a triii'iiviratj, do coafjnnida !; com a voutado
an'eriorinante ininifestada pelo mesm > pov > o
con o aceordo ceiebrada em 2 de Jnmw ultimn
palas goveraas alliados, tend presada o juri-
manto am devi la forma, ao assu nir o muido su-
premo da n.igo.
Art. 1 n A autoridide que acaba de confa-
rirdae o piv soberana sej recoohoetda p'.r to-
dos o habitantes da territorio libertado da op-
prassj) do tyranno Franciap Solano Lpez.
Art. 2." O prmoiro dos deveres iudeclmaveis
de tolo hur cidalo paraguay) neste:. m>:nentos
siipprein'W di pjlria eomribnir quanto estoja
da .vu parte oara a coraiileta victoria da rep-
blica a dos g iv.iru is ciliada*, ereJoros de nossa
crd-al agr I-i-i ii ;.ita, prestan Jj I de-
v dugo d,pjvi4-naragu:t\ >. qi; lua
soa psoa,
Ar. 3.'' O cidado pavigaafa f|*J continuar
a, servir ominosa lyraania de Francisco Silano
Lpez, deixando por vontade propria de accaiir
am da/esa da existencia de sua parla, dos an-
dis, m liberes e changas, largados a uvorrer na bem signilieantes.
mais espantosa miseria no datarte*, ser consi-
derad i e punido co n to lo o rigor co:n-) traidor
nago e iuimio da humanidade.
Art 4." P.ibliqM-se pii'hi'ilo, encarrcgin-
d i lo e-la com nisso a> tenante-coronel D Joao
I'raiieisc.) Djoout, o insira-se, u > registro nacii-
nal.
Di lo no Assoaipsv), n> paltaio do governo
aos 17 diasd) iii; de agosto I1 IS.iO, anno Io da
liberdadodi reoibbci li l'.ra.'Oiy. Cf/rito .1.
Rwafla.Cttrhi L*ft.Jo Oku de Be>J)>i sMyricoa
MJNTEVin). 21 g AntSTO Dfi 1830.
Pane o ItapieurAio th:>a!ref da guerra nao
lava mitras utidas al n d is raui gloriosa; que j
e ii I izio o Weriieck, q^.ie nao repeUaeL porque
presumo que terai sido transmitimos to Jornal
utreetamenle de AssumnaAo.
Ag.ira sira, a guerni est acabad) do urna ma-
neira tao ompl >ta com h inroja, Loiwz, o fniridJi
de Ascurra. pardea tu lo. at a opporlunidadde de.
ter um li n grandioso, sacriUcanJo-se na defez i
do ultim i baluarto do Paraguay.
.Nadi falla para descollar este typo Odioso na
futura. Suas qmlidades ignob'i: ahi l/am re-
gistradas para torua-lo pericialmente conhecido
na p isleridade.
O hornera inmoral que ajmson d i p ler para
violar impunemente Inora das denzell.vs para-
guayas, que samYemito a seas pas fez nuli
iiarrega assocar-se a suprema aii'lori l.ide qi*'
usurpan, que ambicioso vulgar, "preraedilou con-
tra a libenlade de seas vizinhas, e egosta cruel,
sicrillcou realisaria de seus pmjeclosi de gran-
deza pessoal toda o*sen paiz, acabajjd rrceber o
merecida castiga, sendo posto fraJii le, p lo pri-
meiro govorno paraguayo livfc rjuj "
tuio. Lpez, se tiver eonhecimento
antes de cahlr em-poder dos alliados, Ir
tilo mais di que todas as derrotas e revelas qu r
o colliwaram na posico desesperada em que s
acha. Seu incomnmsuravel orgaiho nao p.ideria
reeeher golpe mais profundo do que ver-se dassi
llcada por suas vctimas como urna fra. neste
menino territorio era que dombtou pelo terror, em
|iw foi fratrleida o sacrilego! Justa pnnico do
e i para o monstro msis perffd que tem appare-
cido no mundo!
felicita o Brasil pfk seas nove; trium-
phos. SHd i respetosamente o im>-radoT e &
familia imperial, que nao sA'festcjam um tiotavel
aaaatacitaeoto aaclhnal, com urna gl iria domes-
liaa. O joven principe presta-nos nmassign-
1111 serviee aceitando o cammando do exercito, e
fez jus a eterna gralidaa dos Brasileiros disputan-
d i ooiii elle a ultima victoria ao teuz inipr%,
que tanto nos tem fatigada. ? *
aia ama nava era para a Anterica do lul'lb
ella deve ser aproveitada em benefi'-i i dn Imma-
nidada. Os noves que habitara este riqai'imo
contmante, e que acabara de bater se por to
longo espaco de lempo, derem procurar no traba-
Ih) ressarcmento dos prejmzos que seffreram,
eos elenvnios do sua prxima grandeza e pros-
peridade.
Nosso paiz fez olorosos sacrificios; roais que
nenhum dos alliados eoiieorreu cora o-nobre san-
goe de seus fithos e exh-aurio os seis cofres
para vmgar asna honra vilmente atacad, t para
regenerar um povo irmao que recebe dellc lber-
dide e autoftomia en> retribuico dos ferros que
laaaieHM quera lancar-lhe.
-tes sacolc-io io sern esterets. Tenb i''
oanvi pie -ero o prero d* unta paz di*,
rtdaara, nyrque de nonstraro que tomos um
a iva valente e da pundonor, digno do n-speito e
estima de nossos viirabos
fft) falKirao iavejosos c imprudenles que na-
queiram roubar nt>ssa glari raramente
Vala as Brasileiros esle fcil triumpho dos
dous bitalhoes Santa F e Rosario), pe lia o ge-
neral Auto Guimates para tomar o desfiladei-
ro. ToeoV a 18 le voluntarios este servan; sa-
bio mu garboso das filiaras, porm apenas acaba
va da desappareeor entranhando-se no passo.
qnando retrogradan delle, perseguido por um
puntuda de Paraguayos, lia ra urna confusa
grande, e quem sabe o que teria suceeuido, se
felizmente nao se dirigisse ao ponto do perigo o
4 de linha, e o regiment Cardaba, que raime-
diatamente se atiraram ao inimigo, e rcstabelece-
ram a ordera.
O tenor qite se linha apoderado dus Brasilet-
ros era espantoso. Naa baixara suas perdas de
6) homens, ontre elles tcapites. Julga-se tara
hem que os Paraguayos levaram alguns Brasilei-
ros, pois ao loq le da alvorada, quando o coronel
Azala fez a descoberta sobre a balera quo doral-
nava desfiladeiro, foram vistos alguns Paraguayos
cora uniforme brasileiro.
Se estes artigas nio livesvm sabido luz no
Nacional, orgia da presidente da Coufederacao, o
na Tribuna, orgo de sou digna ministra de es-
trangeiro D. Mi tao Yarella, *s deixaria passar
sera repara ; porque eslou acostumad> a ler estes
desparates as fulhas que nos sia desaffeefas, e
nao Ibes dou importancia.
Mas impressos naquelles dous importantes jar-
naes, o faci tem sua gravidade, c rpereee
refutagao.
A Histeria da guerra do Paraguay, contada
aqui o ni Buenos- Ayre*, curiosa. Ora o Es-
la lo Oriental quera'tudo fez cora os seus 300
soldados, ora a canfederacao Argentina com os
seus 8,000, reduzidos depois a 5,000.
O Brasil, com o sen gran le exercito o com a
sua poderosa esquadra, andn serapre a reboque
de seus alliados e representou um papel mu se-
cnauaro.
Entretanto, quem tver presentes os aconteci-
mentas poder tirar illaeoes bem differentes, c
formar at jiiizo talvez bem temerario sobre cer-
tas jitenees.
Nao peciso recorrer primera phase da guer
ra em quo deixsvamos aborta 4 hrras parapnuya
a provincia do Rio-Grande, emquanto nossas for-
ges de term ea formavain na Concordia, e co-
riam a provincia de Entre-Ros, c nossa esqua-
dra salvava em Riachuelo a independencia dos
lous estados alliados ; citarei fictos p isteriores e
Por exemplaa demora do
ataque de Curupaity, pir exigencia do general
era chefe D. Bartholi'mieu Mitre, e a funesta con-
sequeiicia que s essa demora se deve a'.tnbur.
A retirada desse general do campa, e sua re p
j parig > sbita no propriu momento em que o che-
le brasileiro arranca va nossos soldados da nacgaa
em que estavam apodrecendo nos pantraaes d<-
Tnyiiiy, para mergulha-los outra vez nata mse-
ravel siuago..
A recusa da general argentino Gelly y Olies
quando a Sr. duque do Caxas, marchou de llu-
mavta para o norte, como-para obstar este mov-
m nto imprtante por falta de concurso de una
parte do pxereitn alliado.
S inai* tarde que este chefe seguio embr-
calo, o foi encontrir-nos em Palmas, quando os
nossosja tiuhain alirado os Paragnayos de Tebi-
qnirX para Angostura.
Jprc.*p08la que aquelle mesma general den
lando foi convidado para atacar as linhas de
Psquiciry. recusando faz-lo, como tentativa in-
til, entretanto que os faetos provaram logo a sua
[[aonvealaara e posaJbihdade.'
D. Einili i inesmo, o que acaba de praticar?
Os planos que Se Ihe po-Jein attribuir sao os que
piueram em pratica os chefes da legio paraguya,
sob suas orden*, para constituir um governo pro-
visorio,-que representara antes uina commis-i
argentina, do que urna alininistragao paraguav.
I). Emilia cuidava mais de poltica do que de
guerra, apurava toda a sua estrategia para rea-
lizar aquella grande idea. A prova que quan-
'|o o principe inanifestou o seu intento de mar-
nhar sobro o inimigo em junho elle pedio lempo
para preparar-so, adiando serapre o momento de
declarar-se prompto. >
Finalmente, moveu-se p4tMHgnala-se Ihe um
ponto importante para occup'ar em aia certo ;
cli.'L'i este dia, e o grande estratgico, que con-
ucneu 0 (tlano, nao oMout.i a parle essencial que
Iheeoube, e deixa esapar o inimigo, que estava
perfeitanente ceicado.gragas a intellgontc com-
binaco do principe I
Foi neoessario qoa- Bale, vendo mallogrado seu
jfrandiase project, se atirasse c >m rapidez por
sobre as hostes* contraria*; e as esraagas-e em um
gjarii -o combale, depois de ler lomado de assalto
urna prag*j*ede havef conquistad) nella caaties
de grosso calibre.
Pois Lera ; a general que p|ticou feitos taes, e
o exercito alcangou tantas glorias, merecen da
imprensa illnstrada da Confederagaa, dos orgas
semi-ofllciaes de um gaverno alliado, as aprecia.
eiies que prowcam e justificara esto desubafae
protesto.
0 qua c ng|is que nos deve sorprender ?
TaraBem o general GMy yObes, querendo d:
ralmtr mp irlanda da p.ssagemde liumayt
paB naia esquadra. natou que ella se poderia ter
reahsado antes, abrindo-se ura c*nal na Chaco,
aprcsentaodu assim como sua urna idea que fra
proijo>ta por umaflleial de marraba brasileiro, e
da q.ial elle tirara eonh 'cimentn na conselho de
gen. raes, e n que "Be ch-gou a discutida.
Q lauta desleatdade, e vanglona I
Passarei a nutra kssnmpto.
O governo daqui para sjjJpjr des apuras finan-
ceinis >>m que se acha, prijecta mandar Ingla-
terra o Sr. Mackinan, dirertor das obras publicas,
par., uegiiciar ura empro bem suecedido.
Falla-se outra vez em revolugao," na qual en-
tran tamb'in o elementa blanco. O gaverno te-
ma suas prccaucSes. O funeral Goyo Soarez par-
li [,ara a campanha. e suspeit aso muito del le
Entielaato na sei que fund miento tora taos b >a-
u>S depti que o governo satisfez a todas exigen-
cias de Mxima Prez.
a mquistada*, e pi'";
Hiw eiitreietinara eei
issos
ne"-
rt*spa
langas
., que
jin-
-alor
rrraes rtrealm
OR.
mi: ^\i nto
27 de a,-
..iva hoalora* do Bi da Pran o paquete inglez
City of eVKMtfe, da linha de Leodres
de Bueaos-Ayree at 1 rente.
Relativamente guerra nada adiautam ao Bi-
ja sabiaroos.
.0 uoveruo, porm, rceebeu a aegniatu eomflaa
nicagao:
buenos-Ayres, 19 da agosto de 1809.
. Illm. a Esm. Sr. bari de C'JVfgipe. Em ad
ntainemo-as aolicia que hontem coiumumquet a
V. Exc. com uui lelegramma do Exra. Sr. coose-
Iheiro Paranbos, tenho agora a honra- de rematter
copia de urna carta que ao mesma Sr. cooseikeitc
escreveu n dia 13 deste mez o Sr. capito de ira-
gata Joo Mentes Salgado.
< Queira V. Exc. acother as expressoes de Ja
esiiuu e reape t.rcom que sou. de V. E.xc.,ate.--
Antonio Pedro de Carvalho Borgt*.
< Exm. Sr. eonselheiro Paranhos epeia da
telegramma que hontem dirig a V. Esc. accrea-
centarei alguma causa mais, para qua V. Exc
possa mandar publicar.
As 6 liaras da manha do dia 12 a*nossa*
hateras, caRocadas om tres pinta, convergir
vivos fogus para a praca (Peribebuy.) Dep.>is df
duas huras de fogo cunslante, o principe, que era
pessoa dirigi a arca, mandou fazer o toque dr
avangar as columnas do ataque avaugaram per
tres pontos, ao passo que o marechal Victorino
por outro lado fazia uina demonstragao para o
ponto mais forte. Um o arlo de hora depaie, *
losso era varado, a irracltcira galgada e o nimia-
deb andado.
Os bataihoes 23, 17, os engonheiros e Argeo-
tmos do 2* corpo do exercito, 7 e 27 do 1", cobrt-
ram-se de glonx A resistencia tornou se impas-
sivel.
Onze bandeiras, 16 pegas de grosso calibre
laes como 32, 24, etc., foram luga temadas. Para.
cima de 500 paraguayos flearam inartos; mais da-
300 feridos o 500 pouco mais ou menos foram to-
mad is saos.
i A l'occa era commandada pelo tenente-curo-
nel Caballero, que raorreu, bem como o ma,or L-
pez e outros omaaes, padres, delegado, ele. Nossa
perda foi era coinparago insignificante. Talvez-
300 liomens fra de combate, poucos morios. En-
tre elle?, infelizmente, lamenta o oxercifo, com im-
menso senlimento o valente c douodado general
Joo Manuel Menna B-rreto, que cahio traspassa-
do por duas balas no baixo vontre. Descanga
aquello nobre corpo na igreja de Peribebuy ao la-
do direito do altar mor. '
Perdemos alm de outros o capito Seixas,
a qnem foi confiada a linha de atiradores do i'
carpo. Lpez e sua seqoella achm-se em Caacu-
p. Para l iremos.
Aqu Jia muita prata em objectos, dtnheiro,
archivas do estado, de Bnrges, nulas do propria
punho de. Lpez, cartas de l.inch, mobilias, porce-
lanas, livrariis, depositas de" vincos e mil cousas.
curiosas.
< As honras do da portenceram ao 23" de vo-
luntarios ; foi o priuieiio de lado do segundo car-
po que galgou a trnclieira seu porta-bandeira,
a alferes Gaspar Ribeiro do Almeida Barros, con-
servou a bandeira desfraldaJa e foi o primeiro a
oolloca-Ia sobre a Irindieira, seinpre a seu lado
danda com is.-o urna prova do inexcedivel V;(10r,
foi ferido em differentes ponas.
Tambera foram feridos os coronis Conrado,
Antonio Augnsto, niajur Feliciano, c, outros da
cujos nomos nao me record.
Sua alteza foi calorosamonte victoriado pelo
exercito.
Sua alteza condecorau o commandante da
forga argentina e aos dous chefes que foram l ri-
dos, c pedio a relagao dos soldados que se distin-
guirn) pira seren contemplados.
A sado c ba. Temos lido vveres c ferra-
gapj.
A cavalhada vai regularmente. Os feridos vo
para a Assumpgaa, bem como os prisioneiros c as
lamillas, entre estas vinte c ;eis brasileiros e bra-
sileiras
Termrao aqui, desejando a V. Ere. a memor
sade. De V. Exc. ele. Jt>o Mendes Saina-
do.
De Sania Catharina veio Ada o segulnte te-
legramma dirigido pe,, commandante d trans-
pone de guerra Yeruek ao Sr. minislr da mari-
nha : ,
Estacad do Desterro.A's 8 horas da manbita
de2C.
< No da 12 Peribebuy tomado de assalto, 16
eanhes o 1,00o cadveres inimigos : Sua alteza
dirigi a aogio.
Ascurra abandonada. Lpez o o resto do suas
lonjas em fuga s.ao perseguidos por lima forte co-
lumna. Part de Assumpcao no dia 16 tarde a
de Mantcvide a 23 com temporal al aqui.
Tenha a machina em mu estado; mas npstas
6 horas espero sf-gilir. Por telegramma de Buc-
nos-Ayres temos noticias at 18 du corrala.
< A mi de Lpez e urna irma cahiram pristo-
neiras. Cuntinuava a perseguico. Lpez inlcrna-
va-^e nos Hervaes.
Mais tarda tendo Sua Magostada o Imperador
ordenada pelo lefograplio para Santa Catharina,
que viessera d alli "detalhadas as noticias muidas
pelo Vernek, recebeu-so em respos|a o seguate
telegramma :
Noticias vindas pelo transporte Vernek :
Huenos-Ayros, 21 de agoste de I8fi9.O mi-
nistro brasileiro em Bueiios-Avres ao ministro
Brasileiro era Montevideo commnnica o seguate:
A-siimpco, )8 de agosto.O inimigo apenas qs-
I nosso brlilnnte tiiuinp'io de 12 en Peri-
beb iv tralou de fugir apre-s idamente abaado-
uand tudo. Conseguio fugir a 13, porque nao foi
p i-sivel as largas coa uzidas sob o corara ando ein
chefe do general Mitre cliegarem a lempo de oc-
eupar TeoatV c Barrdra-Grande. *
t S. A. o Sr. conde d'Eu, apenas praaeorioo a
fuga de Lpez, avngattem perseguigo dalla com
os nossos dous carpos de exercito, os quaes al-
cancar.ua o grosso das forjas fugitivas comman-
dadas por Caraballo, as bateram corapletaraonte a
3 leguas de Caagostay ; i cinjo hcaram 2.000
nutrios do inimigo e muitos pri^fleiras, disper-
-ando-se o reste pelo bosque f wrca aquello
ponto; tambera lora unos IS l< >ccas, da fogo e
grande copia de bagagera do guernTo parlicular.
Entre os prisioneir.n ha .ilguiis de importan-
cia como o major Godoy, que todo- afirmara ter
sida um dos inris sanguinarios instrumentos de
Lpez. Fai tomada bagagorfi da ve.lho vlnvpre-
sidenie Sanchos, oque indica que elle e outros nao
estaro longe. O principe persegua os fugiti-
vos.
Toda a cordilheira e Ascurra, -pie o general
Mir-M abra da va cmio ineipugnavel, ewbfo em
poder alliados sera a menor resistencia qua a de
Peribebuv, cojo ataque e a-salto elles execuiaram
brilhantemenlae.il meia hora. Todo o Paraguay,
portante, desde o Manduvira esta dominado palea
alliados.
V,' extraordinaria a omigragaadegente da cor-
dilheira para o valle de Picaj, buscaude esla ca-
pital o shas immediagoes, o indita* estrangeiros e
algomas fiiiihas mais cotmecidas, cora as dos
Srs. Bedoya. Bgosquiza, Gilli, Arandura, lm ap-
parecido. O governo provisorio onvion tras cora*
missoes para-socenrrer a lod lo do mi-
seria oabalihiento physc gwd***1
acha contrista aos mais jn" ^_n
a N'iasas forr n entre oa 'in*5?B
uiftnidide de raolheras Mjoa*amarro?
ponderara que so nao segara*** aariam aeg a-w
mando os paragua;
lUlll!
TTT
V



2
Diario de Pernambuco Sexta fera 10 de Setembro de 1869.

W
"';

Consta rae que o governo provisorio docla-
rou hontam p.ir dous decretos, Lpez fura di lei
Ira. jueo Mguissem.
Buen is-Ayres, l do agosto.O ministro das
relaefies aslrangeiras ao encarregado da jopubli-
a Argentina D. Juan Tli xupson.Assumpco, 18
de agosto do 48t9.10 da manlifu.O meu
ultimo telegratiima annunciuu o feto de armas do
Peribebuy, tjuo o golpe in >rtal dado a Lpez.
Mac-Mahon jr.lg.iva que nqudl > era urna Sebasto
4*01, ou o dceluruu para assustar.
morredouras que com Unta dedicacao, p.i-1driles, ou exigidos pela pw
triolismo e superior intelligeiicia acaba km.
colher nos campos rio Paraguay, aprese:
ram-se na ladeira do otiteiro, onde esj
latinamente conoparecram tambera militas
familias importunes, a respectiva iruian-
dade e aseducandas e directoras do colle-
gio da baroaeza de Ceslio. e ahi o Sr. Loo
nardo Lessa, destacaddo-se do grupo que
era que vi-
iu para amistar, \xs do ro-
gMUy.an.nd.- para a faga. B-rnardo de ranas, Vianna, Pontean
cA 15 noite, o exercitoabandonoa as posi-
cesde Ascurra as ooss:w divinos; o f corpo
eemmandad > pelo general Mitre nao o pode en
coatrar em parte aJguma.
O principe sahlu ao sea encontr e baten ga
Burdamente a Caraballlo. Ambos os corpos uni-
ram-se no campo da batallia ; 2,000 cadveres,
10 pecas de animara, carrete*, bagagens e gran-
de numero de prisioneiros, foram o resultado des-
te grande feito de armas. A perseguirn ao rento
das forcas de Lpez contina com ardor; o sen
exercito acaba desta vez e tamben a guerra. Nao
perde a esperanza de agarrar o proprio Lpez.
Sagaer o procura com euipenli. A correspon-
deneia que segu pelo C.ijsne leva letalhes.
Anticipando assim as noticias est actualmen-
onosso lelegrapho prestando assigualados servi-
ros.
' Das repblicas do Prata nao temos noticia al
gama de importancia.
r\x ria do Montevideo fomos obsequiados cora
fainas do Rio Grande do Sul qpe alcancam a 15
do corrento. As noticias sao destituidas de in-
aeraste.
S. M. o Imperador acompanbado dos manarios foi biHit ni poueo depois das 10 boras
visitar a cstaco central da reparticao dos tola-
graphos, onde aeabava de se rereber u telogram
tna do coiuinandanto do Werneck, que pela ma
nba entrara uo Desterro. Funccionuu a linba at
l*orto-Aiegre para o sal, at Mach para o norlo
leste at Cabo Fri. Tudas as stares foram
reeebendo as noticias, que em menos de tres lio-
na feram espalhadas por 280 leguas de extencao
io contando a transmissao para 8. Paulo c Jun-
*aby.
Sua magestade, depois de minucioso exame di>
servicn telegraphico e das officinas da reparticao,
trdenuu que do Desterro fossem remetlidns mal<
delalhadas as noticias trazidas pelo Werneck. Ef-
publicadas.
De Maeab chegaram noticias do servico da li-
nba; a picada o distribuirn do material na
coniinnacu da linha para Campos eslava quatro
leguas aim de Macano. 0 pltari de Gabo-Frio
agaardava a passagem do vanor americano para
passar ;is noticias, inais o nevoeiro impeda que
fosse sto. ,
. Sua Magostado relron-sc da estaeo depois das 4
horas.
A noticia delalhada vcio com demora porque
faltando os recursos anda nao se pode adaptar
translaco aos appandho das estarces interine-
diarias; apezar disso correu o trabalbo com per-
/Cao.
ouirns, proferio commovido pet ante a mesma
augusta princeza ima pequeaallocuto, em
que manifestou coro verdadeiro s.'iitiinento
do coracao.a admira(o, o enlhsiasmo e a
gratid i que pululam nos coracoes brasi
luiros com a noticia gloriosa dos feitos pra-
ticados por sita alteza em defesa da honra
nacional, sendo neste acto offertada pelo
innocente Qlbinho do mesmeSr.Lessa urna
grinalda de violetas e cravos branens, que
screnissima princeza recebeu no raeio dos
app ausos estrepitosos das pes*oas que a
cercavara, jjgradecendo em seguida, com a
sua natural bondade, as manifestares de
que era objecto.
31
Entrou liontem do Rio da Prata o trans-
porte de guerra Iiapicur com foibas de
Montevideo at 25 do corrente.
As tnicas noticias que all havia do'
tbeatro da guerra posteriores s que tinha-
uqus sao as seguintes, se pode merecer
inteira f o telegramtna que as transmittio
de Buenos-Ayres para Montevideo :
0 Sr. R rtjue P-.-rez, ministro argeu-
tino na Ascurra, chegou ao Rosario donde
communica:
t No da 18 o exercito alliado alcan-
) a mim, nada desejo tanto como
ias de ctoperar
i estes apetec veis resultados, e onsi-
muito feliz comecaudo a minln
tarefa na occasio em que o grande benefi-
cio da paz est prodKo^K* iereraente
do poder e novo impalso o vosso coverno
e povo.
Sua Magestade respondou:
Agrade^o muito a meo bom amigo, o
presidente dos Kstados-Unklos, esta nova
prova de sua amisade. Os recprocos in-
teresses que ligam nossas patrias allianaam-
Ihes as mais amigaveis relaces, e confio
que viissa emissSo concorrer sempre para
mant-las e estreita-Ias.
Pr decreto de 2i do c.irente mez concodeu-se
ao 2* farmacutico d corpo desade da ar-
mada, Vctor Man-olino da Silva Bnto, a gr'tdua-
?a< do 4* tenente, na conformidad do art 18 do
plano annexo ao decreto n. 1,981 do 30 de setcm-
tiro de 18S7.
fw-so na Revista de Parto Alpgre :
DHasenoda i d> correte, na freguezia da
Aldcia dos Anjos. um farto extraordinario, que re-
vela a energa da mulher qaando allucina-se pela
paixao e que se v desprezada.
Mara Justina era urna moca, residente na po-
rcaca i da Aldea; segundo nos informam enamora
ra-se de um moco negociante ali establecido,
sendo seu amor real ou apparenteraento corres
pendido.
Mais tarde espalhra-se o boato na povoaco
de que o mocodosprezava Marta J<-tina, e que
ava jato para casar-se com oatra moca.
A paixao e o reseutimento puzeram as mos
da coraj.isa moca a arma com que pretenda vin-
gar o seu amor desprezado, ou quem sabe, a sua
onra ofendida.
Mo da 4 vestia-se Mara Ju-tina em traen-
de homem ; e ao escarecer di rigi-se a casa do
moco, pedlopara fallar-lbe, e ao apparecer-lln',
recordou-lbe c'nm resolucao e en-Tgia o c nnpro-
miss que havia contrahid da sua vinganca.
< Nesse momento apontar Ibe a pistola, porrm
esqueci ment que tevo de armar o gatilho per-
miltio a fuga do moco, que fechra-se em u i
qnarto.
Mara Ju desfei-haudo um tiro sobre o peito.
Dizem-nos que a infeliz suicida pertencia a
urna honesta familia. >
28
A< folhas trazidas hontem do Rio da Prata pelo
paquete francez Poilou, da liana Marselha, apenas
adiautiiin nin da, chegandoas de acnus-Ayre a
SO c as de Montevideo a 21. Nada cuntin de
intre>se.
O vapor Santa Cruz, entrado hontem des por-
tes do sul trouxo 'latas de Porto Alegre at 18.
RioGrand-' 22 e Santa Cathanna 24 do corrente.
Na provincia de S. Pedro do Sul continuava em
seos trabalhos a respectiva assembla legislativa
Em Santa Catharna tomara posse da adminis-
tracio no da 11 o vice presidente, coronel Joa-
qun) Xavier Neves, e fra designado para oceu-
parinteri mente oj^irgo de ebefe de polica,
o juiz de direilo da Laguna Dr. Luiz Muartc Pe-
rwra.
Por decreto de 23 do corrente foi determinado
ficar de nenhum effeito o decreto de 17 de abril
ultimo, Horneando Tliomaz Jos do Siqueira.
para o lugar do almoxarife de 3' classe do arse-
nal de guerra da corte, vi*to na se ter apresen-
lado at o presente para tomar posse, o nem
prestado a respectiva fianza.
Por mitro decreto da mesma data foi nomeado
Dent Pereira de Bullidos Carvalbo o para o dito
lugaa do amoxarifo.
29
Entrou hontem da AssumpcSo o trans-
porte de guerra Werneck, cujas noticias f i-
ram anticipadas pelo teingrapho de Sania
Camarina. Alm d-llas as folhas de M<>n-
toiido at 2 tarde nada irazem, a nao
ser um teleg amina particular de Buenos
Ayres, segundo o qual, Lpez adiantando se
mnito aos seus, passra por Guarag itay a
14, encaminhando-i-e para a cmdilheira de
Caaguazu, perseguido pela cavallaria do ge-
eral Osuno.
Cm Montevideo j se tornava a fallar em
prxima revoluto, e o governo mandara
uns 100 horneas para o Salto, recejando
poralh urna mvasao do coronel Carabalto,
irmao do general do mesmu uuma.
Foram promovidos em data de 26 do
corrente a machinistas de 3' classe os ajH-
ajudante de Ia Cypriano de Aguiar Gemiui.
Hermatn Thyler. Luiz Ferreira de Ca va-
Iho, Antouio Jos Candido Das Jnior, Ale
qou as forjas de Lo,jez, que foram batidas
dnixando 1,000 cadveres. Urna coiumna
de Lpez conseguio escapar com 20 pecas
d artilharia ligeira e era tenazmente perse-
guida pela cavallaria.
c As operacoes fazem-se boje a 30 le-
guas da Assumpco e sao dirigidas pelo
principe em pessoa reunido ao general
Mitro. 0 passo do rio Manduvir ser um
obstculo serio para Lpez.
Na noite de 18 subi o almirante
brasileiro 10 leguas rio cima e collocou
canhoneirss para impedir aquelle passo.
Ha res >lucIo de nao deixar deseaos ir as
forcas de Lpez, e, como estas nao tm
poderosos elementos de mobiliario, era
raesmo alimento, nao podem resistir
perseguic3o. E' possivel que ello escape
s ou eoro diminuta parte de seu squito,
mas Saguicr o perseguir sem repouso.
As forcas do bri>{adeiro Portinho tinham
ebegado a Assumpco, onde j se acltavain
as familias por elle ree lindas no seu tran-
sito.
S. M o Imperador, acompanbado de seus
semanarios, chegou bontem s 9 /4 hora
da inanha ao arsenal de marinba, onde
visitn as offiemas de machinas, retiran-
do-se ao meio dia para o arsenal de
guerra, cujas dependencias tambem vis*
tou.
Por carta imperial de 28 do corrente
foi naturalisado o subdito portuguez Ma-
nuel Joaquim Fernandes.
Por decreto da mesma data foi conce-
dida dispensa do lapso de tempo ao major
Manuel da Rocha o Souza. aflm de poder
tirar diploma de cavalleiru da ordem da
Kosa.
Por ttulos de 17 o 28 do corrente
foraia nomeados :
M.iii"ol Thimfo Maria de Araujo para o
lugar de administrador da mesa de rendas
eraes do Acarc, na provtncia do Cear,
e Alberto Jos Pereira Lomba para o de
l* escripturario da alfandaga do Para.
Piiblicou-se a carta pastoral do Sr.
hispo capillo-uir, annunciando o jubileo
oncedido por Sua -ntidade Pi IX por
occasio do concilio ecum mi ;o que dev>
ser celebrado em Roma a 8 de desembro
leste auno.
Io de setembro
Falleceu e sepultou-se ante-hontem no
'milerio de S. Jou BaptiisU da Laga o
hefe da divislo reformado Jos Segundino
de Gomensoro. _
Prestaram-lhe as ultimas honras o bata-
HiJo de fuxileiros navaes o um piquete de
cavallaria.
de paiz estrangeiro cora destino appl
lieleciinentos agrcolas.
4, O imposto pessual eslabelecido no
art. 2' do decreto n. 4,052 de 23 de dezembro 1
1867 nao ser extensivo ao lavrador matrici
Art. 5* todo lavrador matriculado ter um li
vro numerado e rubricado pelo juiz de direito da
comarca para s
Art. 6.* O governo crear ras provincias
Institutos friclas, que serao regidos e admi
s eoaformu regulamentos que forem pelo
J^V0 expedido..;.
Art. 7. Kovogamse as disposirors ara con-1
trarjo,
ala da*esri>. 28 de agosto do 1869.
leudo sido reconieoidoi deputados, tomaram
a-sento Iw. omiciano Matlieus lont'iro de
Castro pel# districto de Minas Geraes, c Jeroy-
ino Jos Teixeira Jumur pelo 3* do Ilio de Ja-
neiro.
Eis as noticias commerciacs da corte, em
31 do passado :
Cambio.Londres 19 '/? d. a 90 d/v. hontem.
OIARIO DE PERNAMBUCO
Entrn hontem o transporte de guerra Presiden
te, sahido da Assumpco a 21 c de Montevideo a
26 do pagado.
A noticia do Rio da Prata. de Lpez na sua fuga haver sof-
frol. segunda e quasi completa derrota no ota 18.
acha--e confli mada pelo seguinte telegratnma, ex-
pedido pela legdco imperial em Buenos-Ayres
de Montevideo, e por esta transmitido ao Sr. mi-
nistro interino dos negocios esiraugeiros:
< O exercito alliado dstrocou o inimigo emCa-
raguatahy no dia 18. Foi toma la de assalt* ama
bat -ria rom 12 Di-cas guarnecidas por 1,600 ho-
nii-ns. Fcaram em poder dos alnados, alin das
12 pei-as, umitas municoes e armainen.o. O [ni-
niiir b've mais de 1.000 mortos. 120 prlsioneiro*
e 200 ferdos. A nossa perda nao passa de 200
homens tra de combate.
Logo que a nossa forca chegou a Caragua-
taby o inimigo queimou os seus navios, que linha
no Manduvir.
Fui tomada a bagagem de Lynch. Contina
a pereguicai> de Lpez.
Pelo correio remetto noticias mais circums-
tanciadas.
O Presidente trouxo 18 officiae- e 58 soldados
prisioneiros. Vemntrt lies o tao fallado major
Godoy.
Segundo as dehlaracSea de um prisionoiro d
importancia, Lpez fugia na dirai\o do Alto Pa-
ran, na esperanza de transpr aquelle rio e ea-
capar-se mediante a nrotwcao com que contava
da parte do general Urquiza. Ignoramoi que
grande con llanca possam merecer ostas declara-
Ges.
Por portara de 30 de agosto de 1869,
concedeu-se I cenla para residir na provin-
cia da Baha ao ntferes reformado do exer-
cito Melchiades Mtrinho Je Queiroz.
Sua Magestade o Imperador recebeu no
dia 28 do passado, s 7 horas da tarde,
landre Pinto de Sampaio, Antonio Maxi- m audiencia publica, no paco de S. Chris
e Elias Antuajft da Rocha.
Por avi^o d 27 do corrente foi nemeado
o capitao honorario do exercito, Lino Timo-
tbeo de Araujo para servir como adjunto
da directora do arsenal de guerra da
corte.
Hontem, na occas-o em que le diriga
capel! de Nossa Senhora da Gloria para
assistir i miss com' > costuma fazer em
todos os sabbados. S. A a Sra. princeza
Imperial recebeu urna delicada manifesta-
rlo, que de certo penliorou-lhe o cora-
do.
A este respeito oscretem-nos:
Alguns moradores do lugar, desejando
dar a ia sma serenissima senhora nma de-
monstracl do elaado apre^i em que tm
as virtudes cvicas le s-u angosto esposo o
Sr. conde d Eu bem como das glorias im-
ciario dos Kstados-Unidos da America nesta
corte, dirigi ao mesmo augusto senhor a
seguinte allmelo:
a Magestade.A apresentac3o de minha
credencial por parte do presidente dos Es-
tados-Unidos offi rece-me o mais grato en-
sejo para testeraimnar as segurancas do
interesse, mais que vulgar, por elo mani-
festado era t.udo o quo diz respeito ao go-
verno do imperio do Brasil.
Em commura com o povo da republi
ca. -lie aprecia completamente o grande
poder moral que vos tao sabiamente dirige
* nECIFK, 10 DE SETEMBRO DE 1809.
IMPORTANTES NOTICIAS DO SUL DO
IMPEKIO
Chegou hontem s 2 horas da tarde o
vapor brasi eiro Guar, sahido da corte o
dia I. eda Baha no dia 6 do correte,
trazeudo as importantes noticias da guerra
que seguem, e que se? achara ptrolic*da.>
db as rubricas Parte Oficial, i?a?ter&r e
Interior:
A fortaleza de Ascurra est em poder do.-
alliados com todos os petrechos bellicos ahi
accumulados pelo lyrauo L >pez, com todos
os seus canhoes, guarnicaoe vveres. Todos
os mais pontos fortificados das imedia<;oes
da fortaleza estao em nosso poder.
Lpez, como sempre, fugiu ante as -
hurtos vencedoras ao mando do general em
chefe conde d'Eu, que, de victoria en victo-
ria, tem leva o a completa derrota dss res-
tos do exercito inimigo. Diziase que L-
pez demandava Kntre-Rios; o que certo,
porm, que o nobre comtnandanteem be-
fe dava-lhe caca, fazendu-o perseguir atra-
ves das cordilheiras em sua precipitada
fuga.
Estes resultados alcancados pelos exerci-
tos a liados, se nao s5o o total encerraiBen-
tod'essa fatdica e prolongadissiina guerra
din pelo menos-urna esperanza moitoiison
gera de que^o mator desejo dos Brasileiros
em breve, muito breve, estar plenamente
satisfeito.
Filizmente os successos se precipitain
por tal forma que julgamos nao nos enga-
ar annunciando o t-rmoda s-gunda guerra
inauguarada por Lpez, depois que em
Lomas Valentinas, Angostura, Itossor, Vil-
leta, etc. etc pwrdeu o ensejo de lutar em
campo raso com os exercitos alhados, e foi
refiigiar-se as montaulias, onde tove sem
duvida, a louca prelenco de por urna bar-
re a ao impeto e valor das nossas tropas.
Com Ascurra e os seus 5.000 det-^nsores
cahio em nosso poder um fnnnidavel bu
luai te do tyranno, que, estas lioras, se
nao est talvez acobei tado com a baudeira
de slguma nacSo nossa amiga, cabio as m3os
dos bravos que o perseouiam : o que seria
summamente impnrtanle, porque liquidara
le urna vez a inania questo com a repu
blica do Paraguay.
Mais urna vz felicitamos o pai^ pbs- no-
vas victorias, o levantamos um tirado
louvor aos ex, rcitos adiados e ao seu dis
tiarto cointnau lante em chefe.
Vi\a a religio do Estado.
Viva a nago Brasileira.
Viva o Imperador.
Vivam os ex rcitos alliados.
Viva o Exin. cominandante em ebee!
THEATRJ DA GUERRA.
Rscrevem de rtrabebuy, e u l do passado :
Eulrou o exercito briwili'iro na'lerceira capi-
tal de Lpez. D' nada llie valeram as decantadas
cordilheiras. H ije, as 3 1/i horas da manhaa, nos-
sas bateras nmiporain violento bombardeio con-
tra a> trineheiras da villa, e depois do duas horas
de fog.i, s.8 1/2 as coluuiiiasde ataque avanci-
rampiir tres pontos, ao passo que o mareciial
Victorino fazia urna demonstracao pelo lado mais
forte.
L'm quarto de hora depois o fosso era vara-
do, a trucheira galgada e o inimigo deban lado.
O- batalhes ns. 3 o 17 de ongenheiros argenti
nos do segundo cor^o do exercito, 7 e 27 do pr
(ineiro cobrirani-se de gloria. A resistencia torn-ut
sciuipossivel. Doze bandeiras, 16 pecas da gros-
so calibre, laes com 3, 2i, etc., foram logo toma-
das. Tara cima de 5 >0 paraguayos licaram mor
tos, auzeutose tautos ferdos o 600 foram colhidos
saos. .
A forga era cflinmandada pelo tenente-coro-
nol Caball ro, que m >rreu, bem como o maj r L-
pez o inuos o.uros oficate.
Nossa perda foi hu comparadlo nsignidcanle.
Talvez 200 homens fra de combate, poucos mor-
ios. Entre cssm infelizmente lamenta o exercito
com imnienso seotimento o valent* general Joan
Manoel Men/ia Brrelo, que cabio traspasad prn
duas balas no haixo veutre. l)e>canca acuelle no-
bre corpo na lAna de eiribetiuy.
Lpez e lod^Tsua sequella acham-seem Ca
cun^|rala >e vai.
^^^ba muita prata, todos os archivos do
estadOj^moblia de madama Lynch, porcellana*,
hvrarias, depsitos de viuhes, e mil cousas ca-
riosas.
Mais de espaco contaremos a marcha, e apre-
ciaremos as operacoes.
P, S.Sua Alteza condocorou com a medalba
demerito aos cotun ndantes do- batalhes argen-
tinos, e pedio relacao dos soldados que se dislia-
guirain.
RIO DE JANR1RO.
No senado, fui a0prvada cm terceira da.
cns>io a proposijo com-edendo sencao de dirob
tos com uiihit da trilitos urbanos do Jaboat**
Prosegua a discussao do orcamenlo do imp ri Na caraar* dos de(.ulados continiiavam as
discussoos do> projectos sobre construccao de do-
caa^ reforma pobciaL
ftirain appn.vados os projacloa : concedendo
lia^ca fco reo aosolvido ciu priuiera instancia at
a dacwao d > recurso no caso de aupeUacio ; e de
claraiMo que as disposic/ies do art. 6' da lej de
23 dp novembro de 1841, na parle relativa ao
principe imperial, >ao applicaveis princeza im-
perial.
Na sessao de J9 do passado, o Sr. denotado
Puulo Toledo fu'id mientoii o seguinte proiocto:
A assemnla geral resolve :
ArL !. T.do
Apolices.Geraes de 6 % a 79 '/a %. em-
prestuno nacional de 1808 a 9754.
Metaos.-Soberanos a 15*100, 121450 a di-
nheiro, ditos a 12*300 para 31 de outubro pro-
auno futuro.
Negociaram-se alguns lote do soberanos a
liOO, 12480 e 12*330, cerca de 40 apolices
geraes de 6 % a 79 V, e um loto regular de di-
tos do emprestimo nacional de 1868 a 7S| de
premio. >
A alfandega rendou no mez de agoste......
2,639:3423960 rs.
Fcava carga para Pernambuco o bricue
portuguez Lata I.
MATTO GROSSO.
As datas de Cuyab alcancara a 2o de julho.
Seguir da capital com directo ao Fecho
dos Morros o batalhao 17 de voluntarles da pa-
tria
Da cadeia o da enfermara do hospital mi-
niar tinlum-se evadido varios presos.
Fallecer em Cuyab no da 17 do ianho o
cidado Lniz dos Sant s Laque.
Os indios Cornados tinham feito-ama excur-
sao at a roja de Joaquioi Jos de Sampaio, em
serra cima, o morto a flexadas ara escravo do
masmo Sampaio.
S. PAULO.
_ O presidente da provincia fez urna exenr-
o Atibaia e Braganca, afim do tratar da aber
tura do urna estrada.
Nos cofres da thosouraria provincial exista,
em 21 do passado, a quantia de 508:434*370 rs.
0 jornal Ypiranga passou a sor publicado
tres vezes por semana.
Falleceu o Dr. Hyppolito Jos Soares de
Souza, acerca do qual diz o Diario :
< Nasceu no Maranha a 31 de dezembro di
1815. Tontn o grao de baeharel formado pela
facultado de direito de S. Paulo a 29 de outubro
da 1842, quando j exercia interinamente o ein-
prego de procurador fiscal da thesouraria do fa-
zenda, para o qual fra nomeado pela presidencia
da provincia em 4 de agosto do mesmo anno. Foi
logo nomeado effectiro por decreto de 17 de no-
vembro seguinte, servio at 13 do abril de 1845.
Eleilo ineiuro da a-senibla |ogi>lativa provincial,
all leve asento uas legislaturas de 1818, 1852 e
1854. Foi eleito: da parochia da S em diversas
legisluras desde 1849. Nomeaao procarador lis-
cal, segunda vez, por decreto de 26 de abril do
mesmo auno, e inspeetor da thesouraria por de-
creto de 24 do maio de 1831. Tercoiro vico-pre-
sidente da provincia por carta imperial de 27 de
abril de 18o2, entrou em exercicio a 19 de maio,
servindo at 12 de setembro do mesmo anno.
Foi nomeado oftlcia! da imp nal ordem da
Rosa por decreto da 2 de dezembro do 1854 ;
eleito deputado geral por S. Panlo 9 legislatu-
ra de 1853 a 1856. Exerceu segunda vez a vico-
presidcucia da provincia, de 6 a 28 de junlio de
1839. Foi aposentado no lugar do inspector da
mesma thesouraria por decreto de 15 da fevere-
ro do 1868. Passou a 6 vice-presidente da pro-
vincia por carta imperial de 25 de julho de 1869.
O Bmtq ik $ Pmlo refere u i-sassinato 11
Jos Bordar* i Brandal Jnior, fazanleiro e u M .-
ny das Cruzes. por u n fora.ro da faz-rali chama-
do lunoceuc i e lifh.1 do Manoel da Sint'Anita
Luz. biz a folha :
A luta tr ivou-sc s 6 horas da tarde corpo
a corpo no pateo da fozenda, intervnd., nella o
assassiuadt, sua mulher D. Amalia a fetor. re-
sultando alm do ferimeiito m >rtal em Branda >,
um peimeno e lavo era un dedo de D. Amalia e
urna coiitusao no brao osqaerdo do fetor.
O ciiiniiosn evadio-se, apezar do se ter dado
a scciia ni presenca de nao menos da 14 pus-
soas, n isto em razo da rapidez com que travou-
se e tindouia luta.
O offendido suecumbio 18 horas depois, pre-
eedendo a uiorte horriveis soffriinenlo-, porque
seudo o feriinento na ragiao gstrica, o ferro in-
teressou a parede anterior do estomago, o por
ahi extravassou o alimento recantemente ingerido
ao jantar.
()conflicto originou-e de un ajuste de con
tas insigiiiflcante entre Brando o* aquelle forero
havia (muco de A polica de Mogy das Cruzes procedeu a au-
to de corp de delicio no morto e nos dous ou-
tros offendidos.
Depois de ter de, apparecdo, o assasino veio
voluntariamente apreseutar-se a ura insiector do
qiiarteirao que anda va a sua pista, o f^i reco-
Ihid i pri-ao.
O Parahyba de Guaratiniruet rofere o se-
guinte, em dita de 15 do passado :
No da 8 do corrente foi effertuada. em o
bairro do Hibeiro dos Mottas dotto municipio,
unta pri-ii importanlissima pelo Sr. Lucio Mar-
condes dos Santos, inspector de quartero, falla-
mos da priso do celebra assassino Julio CrioitR
Este malvado, hera conhocido era o norte de provincia e no sul da de Minas, onde o sen n une
eausava trro fazia timbreein afronta' a autori
ridade. apparecendo em lugares pblicos, inan-
dando-lhes desafos e resi-undo sempre cora van-
tageo s escoltas que o jara prender.
Accossado pela autoridado de Aras, Silvei-
ras o de outros lugares, houiis'ara se nos Mollas
onde ajgnns fazendeiros prestavain Iho decidida
proteccSo, e ninguem linha coragera de arcar
com seraelhante aasnastoa.
Em pouco tempo Julio tornou-se um rei na-
3uello bairro. Em menos de 20 das Julio deu
tus tiros em Jeronyrao Velho, que anda se acha
a morto ; tentou assassmar a um filho de Antonio
Esti-vao; espancou grave.nento a dnas pobres
mulheres, e como um sauhudo cannibal vailentou
a nina pobre menina do 13 anno-, sem que saos
gritos pudrissem abr.radar seus nstinctos de fra.
t E ninguem sabe oudo rao parar seus actos
de malva-Irza.
No dia 8, s 9 horas da manhaa, pouco mais
rastava torom .issassinado o cap tao Mignel
Antonio de Carvallio, em Itabaiana.
mucas b .ras de vida depois do "tiro que
recebeu cuja carga do chambo raiudo eulpregon-
se toda, diaem, no lado do c-ragao.
, O Dr. cheje de polica expedio nimedialameut
ura-portador para Itabaiana, visto nao Ihe ter
ehegado andai coramunicacao oficial, com senas
recommendaoffes para cantera do criminoso.
Falleoat, na capital, u Rvui. vigaro do Una,
cm Pernambuco. Gandid Jos .Uves, victima de
longos padoclmenlos nervoso*.
. Conweou, no da 7 do corrento, no edificio
da asseinWta provincial, ama exposicao do pro-
ductos naturaas e artistico, sendo o producto da
entrada applicado em beneficio da. Santa Casa de
Misericordia. O programo da testa que fui posto
oni execuQao' o seguinte^"^
A's 6 e 1/2 horas da tarde, comparecendo S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, se cnn aberta a posicao ao som do hyrano nacional e
gyrandolas.
As salas do edificio e o jardim devidaraento
illuminados, se franquearlo as pessoas quo se
apresentarem decentemente vestidas.
As senhoras tem entrada franca, o cada ca-
valleiro, de qualquer idade, mediante ura carteo
que ser entregue ao portero.
Esses candes serao destribuidos na porta e
nos lugares annunciad-is, com a necessaria ante-
cedencia, mediante a quantia do 320 rs. sendo a
respectiva importancia applicada em beneficio da
Santa Casa de Misericordia.
0 hymno nacional, locado pela msica do
corpo destacado, annunciar o eneerramento da
exposicao cada noite.
A simples exp sfcio durar tres noites e da
quarta em diante ter lugar o luilao dos objectos
expostos, at que elle se termine.Dr. Carlos de
Mornay, Dr. Jwaquim Jos de Araujo, Dr. Po>s-
donio de Carvalho Moreira, major Luiz Jos de
Mendonca, capilao Miguel Joaquim Ramos de
Muraos, pharmaceutico Clandino Falcan Diai.
Parahyba
Cear
M.'iai.hao
.Pai
LEILAO.
grande qnanti
70(i#000
t16:000|P0O
26:71,0*000
770*OU)
te Martin> leilao de
- objectos de oun 4 carros
PEMAMBUCO.
REVISTA DIARIA,
INSTRUCCA PUBLCA.-Por deliberarlo de 4
e 6 do corrente :
Foi nomeada profesjora publica para a cadeira
de instrueco priimria da villa do Buique, Anna
Laurinda de Siqueira Varejit.
Foram removidas: as professoras Thoresa Emi-
lia do Souza Gomes, da cadeira de Agua Preta
para a do Nossa Senhora do O' do Ipojuca, Hen-
rqueta Amelia de Mcnezes Lyra, da cadeira de
Tacaratii qara a de Abren de Una; e os professo-
res Joa. Heraenegildo Xavier de Sanes, da cadei-
ra dejHalhadiuha para a de SanU Amaro de Se-
rinhaaem, e Manoel Antonio do Albuquerque Ma/
chado, da de Venda Grande para a da Encrus-
Ihada do Rosarinho.
NOTII^AS DA CORTE.-Escreveram ao /orna-
da Buhia, em 1 do corrento :
Cmslaquo foi Horneado para presidir a pro-
vieta de Sergpe, o Dr. ardoso, que j foi presi
dente da provincia do Paran.
Sabe-se que o principe foi levemente ferido
por causa da sua inlropid a oa temeridade.
As cmaras dovera sor prorogadas talvez at
20, por nao ter o senado approvado anda o orca-
menlo ; a djscussao versa sobre o do imperio;
quando sarao approva los todos os outros ?
Raceia-se algara estrcmcemiento no coramer-
cio por ter quebrado a casa do Rodakanak era
Londres; rnliarara recambiadas letras na impor-
tancia de 93 ou 96 mil libras, ou mais de.......
1,000:000*. Calculara a quebra cm 5.000:000*.
AGUA POTAVEL PARA OLINDA A presiden-
cia da provincia resolveu abrir concorrencia para
o abastecimentode agua potavel acidada do Otin
da, autorisado pela lei provincial n. 888 de 3 de
junho ultimo, devendo as aguas ser trasidas da
distancia de mil uniros cima da ponte, sobra o rio
Beberibe. no lugar do Varadouro. O praso flxo
para o recebimeulo de prodostas o dia 6 de ou-
tubro prximo.
SEMINARIO DE OLINDA.- O Rvm. Sr. reitor
acaba de ra.-eber os seguintes buios para as obra
lo estabelerimento :
Da villa do Cabo 50*000
Da villa do Brejo l-ioJOOO
Da villa de Santa Luza do Norte. lOOiOoO
Padre Paulo Monteiro de. Lima 50*000
GUAA.Este vapor segu hoje tarde para os
porto-; do norte do imperio, tirando a mala no cor-
reio s 3 horas da tarde.
FALECIMENTO.llontem deu alma ao Creador
depois de jazer aliritin lempo sobro o leilo, entre-
gue a lenosos soffrimentos o Sr. Emilio Ameriea-
uo do Reg Cazumb, contador da cmara munici
pal d'esta rida le. O fallecido dcixa na orfa ulade
o pauperrismo quatro lilltos e inconsolavel urna
vinva._ Aquellos a qnmn tantos servieosello pres-
tou nao devam esquecer esses itifolizes que quas
seachiraoem abrigo.
FRSTEJOS.Era vatude das noticias de que fo.
portad ir o Guar hoiiveram pa-seiata cora mu-ica'
e fogui-tos. hontem quef tarde, ogo aps a che-
gada do paquete. |ii r a n mo. Os nav.os surto-'
no porto emiiandeirarara-se eos consulados iciraui
seus respectivos pavilhoes ; a fortaleza do ISrum
salvou, eos estabelecimentos publicos e inuias
casas se illuuinarara noute. llouveespectculo
no Santa Isabel. O regosijo tran-lozia em lodos o>
seme.lhantes.
SETE DE SETEMBRO. Nessa dia leve lugar
no palacio da pre-idencia a entrega das cartas de
liberdade das creabeas atforriadas em execueo
da lei n. 885 de 23 de junho do corrente anno, re.
cebando-as o Sr. Dr. juiz da orphos para d-las
aos tutores, quando foram por ellas assignados os
respectivo! termos de" tutela.
A' tarde houve cortejo a aflige de Sua Magesta-
de o Imperador, ao qual eompareceu grande nu-
mero de. fiiiircionarios publicos e pes-oas gradas.
Urna brigada da guarda nacional fez as honras do
estylo, foriiiaudo m parada, e primando pela boa
urde.n e asueto cora que se aprosentaram os bata-
lhes.
CHEGADA.Regrossou a esta eidade a bordo do
Tocantins, o nosso amigo o Sr. r. Sabino Olega-
rio Lulgero Pinho com sua Exma. familia, depois
de um estada de metes na provincia do Mara-
nho.
Cornpi imentando-o, folgam..s de ter entro nos
tao distincto cavalheiro.
ou menos, o S^Lucio Mareondes dos "Sanios, n)s
pactor daquelle qifarteirao, leve aviso de que Ju-
bo se achava de emboscada e-pera do um fu-
lano Amaro.
O inspector notiflcou a duas pessoas para o
acompanharem, o dirigia-se ao lugar indicado,
quanto em carainho encontrou-so com Julio a
quem deu voz do prisao.
A scena que entao se passon foi em um pice
Julio dra um passo para a retaguarda e ao
ngatilhar urna garrucha de dous canos que tra-
aia, levou um tiro que n prostou.
ESHRITO-SANTO.
Nos cofres da thesouraria provincial fieou
31 de julho o saldo de 68:013*935 rs.
Achava-se na capitel da provincia o Dr. Can-
dido Murea, deputado geral pelo ." districto de
Minas, aflm de tratar do estabalecment da unta
vi de rommunicacao regular para a conducao
dos prietos daquelle districto para a eidade da
Victoria.
baha.
No L lo corrente comecou na provincia o
exercKSio do mez marianno.
O vapor norte-allemo Criterio*, em viagem
do Km de Janeiro para a Baha, encalhou em Ca-
xapregos, na Barra Falsa, na noite de 31 do pas-
ado. Depois de alliviado da grande parte do sua
lavrador, quer nacional. qer ear^a safou e ficVva'concerTando"' no" pom da ca
""" 'p'tal no dia 5.
no iiiteressw da civilisac3o e d um bom I 'anco pnesuir fundos sulD-ieies para
overiio. Como o povo dos Estados-Un-IJtl"L', ,m'l,'inU> *" razoavei.
es-angeir.., sub firma singular ou collertiva, utif
possuir um esteiieleciiuento agneoiana > inferior a
10:000j ter direito a inalricular-se.
Art. 2 Um dos tabeiliies do tormo, que ser
nomeado pelo> presidentas uas provincias, tomar
a matricula dos lavradoro do impiTio.
Art. 3.- O lavrador matriculado poder go-
zar dos seguintes privilegios :
i 1. Obter moratoria a instar da q*ue gota
is negi o|ver seu
ios, elle anlentemente desteja aquellas in-
timas reiacSes cnmm*rciaes e sociaes, que
parecem ordenada* pela Divina Providencia
ciimo 4vendo ewstir entre dous vastos
paiz-s que produzem tu 1o o que necessa-
rio aot rico o aos pobres de cada um
Passar jtrocuraeao de proprio puntan.
3 Pica i euto do rerriilameiito e do -ervico
> da guarda nacional, o bem asstn todos os
lorai rvico eiuprogados em seu ostebeci-
mento durante o terap do iMtracio.
I 4. Fira isento tambem de pagar os direi-
tos da alfandega pela* raaahina-s, instrumentos e
mais otcnulios precisos, que mandw dlrccumen-
Em Santo Amaro falleceu o major Manoel
JD imingues de Menezes Doria.
Suieidiiu-se, na ("jehoeira. com om tiro de
pistola, o poruiguez Jos A.doMesqiiite, raixeiro.
Para o Maranho seguo, no dia 31 do pas-
cado, o rapiir de guerra perurao Packita.
A alfandega rend u, no mez de agosto.....
006:2764579 rs.
O cambio regula va sobre Londres 19 1/4 d.
Sahiram par Pernambiien, a 1 do corrente,
as barras portugueza Idalina e bremense Cupido.
Ficava carga para Pernambuco, a barca
brasileira Joven Palmita.
www,
Tivemos jornaes de Aracaj al 25 do pas-
sado.
Tinham segando para acorto o secretario do
governo Dr. Francisco Luiz da Veiga, e o efeina-
pactor da alfandega Jos Antonio Suare de Souza.
SUBSTITUYA!) DE NOTAS.No ultimo do cor-
rente mez termina o prazo do reculamiento das
sedulas de 5*000 a lOjOOO; econvem que os res-
pectivos portadores vo leva-las troco, sem que
o diixent para os ultimes das doprazo novamente
concedido pelo governo imperial.
IMF0ST03 PRoVINCIAES Era igual tempo
encerra-se o recebimento dosimpontos provinciaes
relativos ao anno lindo da 18681869. E poi>,
quera estiver anda por satsfaze-los, ni deve guar-
dar-sa para os ltimos das, por proprio interesse,
urna vez que d'ah podo resaltar tambera maior
encoinmodn para si.
MENINOS VADIOS. Pedem-nos que recom-
ni.'iideiuos a attencao do subdelegado respectivo
urna sucia de meninos vadios que todos os das
das S s 8 horas da noite, se ajuntara enco-tados
ao oito de unta taberna da rna du Caldereir'o, r
praticam atropellos nos outros que, nao sendo de
.sua pan.lega, por all passaiti, fazendo urna grita-
ra o assua la extraordinaria.
O Sr. subdelegado de S. Jos, deve dar aquellas
horas um passeio por all e verificar isso, dando
as providencias precisas para acabar o inuoren-
tissjmo folguedo dessas crean jas armadas de c-
cete.
ONEIDA.Este vapor da linha da Sonthampton
devia partir du Rio de Janeiro par.a a Europa no
da 8 do corrente, s 8 horas da manhaa.
DINHEIR0.O vap Tocanttn, levou hontem
as seguintes quantias :
Para Maneto 700OOO
> a Hahi 700000
i o Rio de Janeiro 345*000
Alm desta ultima parcella, levou mais elle
108:000*000, para thesonro aacional.
O vap >r Guar tmuxu as seguintes quantias :
um rabriolet americano u quatro burros
e urna carr P A li A11 y BA.Escrerem- JH capital, em 7 ito
corrente :
Fazendo o telograptio ip^at da entrada do
vajwr Torantnu, sento-me banca, para dar-lbe
algunus noticias desta boa trra.
Chegou do serian, ba dias, o honrado Dr.
Itonto Jos AI ves Vianna delegado mineado para
Citle do Rocha, alim de (orinar? procesa con-
tra os crhuinusos, que preunderaa ssassinar o
alferes de polica Joao Fraucisco do Carvalbo
Pernambuco.
Atiesar de ardua o espinhosa, como era essa
missao, S. S. nao trepidou cm aceita-la, e desent-
penhou-a do modo mais prudente e enrgica,
pronuncisndo cont autores desse nofendo atten-
lado Antonio Rodrigues dos Santos, Ignacio e seu
escravo Athanasw.
t Subindo, porm, o processo a presenca do
juiz municipal Dr. Peregrino, para sustancie eu
nao da pronuncia, este magistrado, ^w^ nin dos
coriplteus mais exaltados do partido liberal
naquellc lugar, juruu suspeii;o no summario,
declarando que era Jntimo anuyo do criminoso
pronunciado I
Baixou, pois, o processo mencionado ao mk
supplento, que, at o presente, nenhuma dervao
proferio, nem provavel que o faca, visto ser d
mesmo credo daquelle bachirel, c seu assotsa-
riado.
a Dir-llic-hei opportunamente o caminbo ajue-
toraou este i m portan tu assuutpto, para intettigtra
ria dos satis leitores.
Entretanto, nao posso deixar de encomiar m
distincto delegado Dr. liento Vianna, pela ejra-
gem e deserici) com qu* se p rtou em todo esto
melindroso assuuipto, do qual outros rasoavel-
mente se eximiram, por uutincio da propria
conservacao.
O Exm. padre Francisco Pinto Pessoa, eafgli-
dato a una cadeira na temporaria, vai recelan
dos outros colltegios do Io districto da pronaeie,
os mesmos suffragios unnimes, que obtev Bes-
desta capital e Mamanguape.
Os collegtos da Independencia e Areia, oa*
se renniram t8 eleitores, deram a S. xe. igval
numero de vot s, tal a considerajao e apreeo em
que tido o Ilustre candidato pelos seus amigos a
correligionarios polticos.
O Dr. Elias Frederico de Almeida e Alboqper-
que, candidato a urna vaga existente na assembi
provincial, M igualmente bem votado nos referi-
dos collegios, e de esperar que tambem a soja
em todos os dentis, restantes do mesura dis
tricto.
0 Despertador, em um artigo pedidor- fat-
increpacoes malignas secretaria da prt*ideaMft
da provincia, a proposito da arrecadacao, qo
fazia em deposito, de emolumentos de patentes d*
guarda nacional, elngitndo o inspector da thesou-
raria de fazenda Jou Mandes, por ter solicitado o
recolhimento de sua importancia aos cofres dar
mesma thesouraria: ora quem ha do gabar a
noiva ?
Em resposta a es?e escripto lese no Ptttrt-
cador da hontem, um artigo assignado pe o 'secre-
taria da mesma presidencia, o illustrado major
Thomazde Aquino Mindello, em que defcude ai
reparticao, de que digno chefe, das taes i naje -
tas arguices, mostrando a injustica eos ajo
foram articuladas.
O publico ficou satisfeito com e-ta cxplicacaq,
e, se ha alguem mal feito de corpo nesse negocie,
de certo que nao a secretaria do governo.
Hoje tomos cortejo em palacio, para festeja*
anniversario da independencia poltica do imperial,
ao qual nlo quero faltar, porque nao sou patriota
dos taes smente da barriga.
a Continua a entrar algndao no mercado ob
i egularidade. colando-se hontem na inspertio a
U4 por arroba, com 3* de agrado aos matules,
cm carga.
* Fica abarrotando com algndao para Liverpool
o hrigue nglez Melita, e entrado no aneoraduro-
o brigue Summejar 'e, a consiguajo e, P. P.
B urges.
PROCLAMAS.Foram lidos ante-honm na
matriz da freguezia de Santo Antonio os proclamas,
seguintes :
1. danunciaco.
Sebastian Jos Gomes Peuna, com Ei mina Mara
de Almeida.
Silvano Carnciro, coro Alexandrina Marta Ta-
vares.
. 2.' denunciarn.
Carlos Cyriaco RaJich, com Joseplta do Paala-
Neves.
Dr. Gracliano do Paula Baptista, com Qara Mo-
ra Sevc.
3.a denunciacao.
Basiiiano de Magalhes Castro, com Maria Cetas-
lina Paes Brrelo.
Mathias Alvos, com Joscpha Candida Evafa-
lista.
Pclm Antonio Argerairo da Silva, com .VJesan-
drina Marinha da Silva.
Manoel Apoliuano de Sant'Auna, con Eukwaaia
Agripina dos Santos.
(uilherme Pedro daSilveira, com Josepfc a Ama-
lia da Ahreu.
Frederico Maia, com Ambrosna Maia.
Varissimo Bubosa de Souza.com Anna Joaquina
de Albuquerque Lns.
Miguel Archanjo Coutinho, com PanHna GoncaJ-
ves de Macedo.
LOTERA.A quo se acha a venda a IW,
beneficio da Santa Casa de Misericordia, ae
corre boje.
PASSAGEIROS.O vapor luir vndo dos por-
tes do -ul irouxe os seguintes :
Dr. Gervasio C. P. Ferreira e ura escravo, Jofl-
qumi Bernardo dos Res, Dr Luiz F. de Soasa
Leo e sua familia, Paulino Candido de Santiago,
J'aqitiin B'Mtevides Raposo, Tliomaz F, Dr. 6*1-
Iner.no.CC. Cintra esua familia, Delfino D. Ro-
drigues, Dr. J. B. G. Alcoforado e um criad, Au-
gusto J G. Lessa, Julio i". -ar da C GiiiRVtresi
C-imilio Joaquim da Rocha, Mana S. de M. Mallos
e um escravo, Manoel B. de Ahreu Lima, Pedro
(liberto), Samuel E., Jos Albino de Frites, Jos
Mana Pestaa Jnior, Maria e seu filho Marcos,
Ida Perry, Joo Pedro P. da Silva, Jos ilensrna),
Manoel G. Moreira, Henriqua Diogo Pilt. Fraueisfo
G. Torres, Joaquim Jos do A. Vasconceltes, Anto-
nio Jos do A. O. Vascmcollos, Felippa L. Ferrei-
ra, Augusto F. dos Santos, Antonio F. Leile, Sebas-
lio, Antnio F. Maia, Joaquina Mar pies da Rosa,
Valerio Jos da Gruja, FraucisiM Jos da firaga,
Jos P. de Veras, Joso Joaquim de Oliveira.
Seauempara o norte:
Dr. jse de Almeida Martias Costa o sot
(liba, Joo Pereira da Cosa, Eneas do Bau-
za, Angelo Correia Cesar, Dr. Antonio de Aia-
gao o Mallo, Carlos Pinto, D. Luza da Kawar
naci Bastos o i dilus, Manoel Antonio R. Ptwbei-
ro, Dr. Augusto Gomes de Castro, major Lata E.
de Carvalho, Dr. Antonio Pinteiro, Francisca de
Paula Brrelo e I liliio Henrique Alvos P. de Ma-
cado.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Load' n Bank. 4>:000*noO
Tasso Irmos 44:O"O*00i'
D C & C C. Simpson :000*000
Manuel Marlins Fiuza> 3:000*000
Piulo Barbosa A C. 1:300*000
Fra trisco G' raja I ves Torres 1:400*000
Isidoro Bastos & C. 1:000*000
Portunato Ribeiro Bastos 800M
Lehman frras 500*000
Carvalho & Nogueira S00* Jos da C de Oliveira Figueiredo 500*000
J. Gerardo Bastos 84*000
Vlatur.no Barroso da M. 50*Om-
Annrnhiiilo pritoral.
Por meio da poderosa arcao d'este remedie1 !r-
resistvel, as enfernndades da garganta e aos pui--
ui5es se dssipam e se desvanecen! romo por nm
n agico encant". A quedes que padecent d'aslbma,
o se vram quasi qne privados de guardar urna
posijao horizontal durante annos nteirt'S, princi-
pian! a respirar cun faclidade, e dorntem tran-
quillamentc depois de havercm timado abromas
loses d'esto delicioso e admiravel xarope. A Iosb
angustiosa e violenta, as furtos coostipacocs, o
sangne dos poltnoes, a muquida a perda da vor,
o hidas a molestia* do peito e da irarkea, qno
tem urna tendencia phthisira, se ciiram prompta
a radicalmente, mediante o uso deste remedio
suavizador. Fortifica e vigorisa i s orgaos da r?s-
pirarlo, e os torna it'i'lneravi-H as mudanzas tn-
penlinas da temperatura atmosphenca ; o como
na sua elaborada cnmpnsicao nao entra nem existo
ratra cousa mais do que i.alsamiw saudaveis, p6-
da-se pur isso niesmn applicar com t da a segu-
ranja at mesm is mais tenras e deliradas eraa-
tura*.
COMMERCIO.
PRACA DO RKCIFE 9 lih SETEMBRO DE i9
as 3 1/2 horas D. Tantii.
AJgodio de Pemambiioo I* sorto 1*1W por
kil.
F. J. Silveira
, PresideBte.
Para as provincias d i norte irtoxa anda esto Leal Seve
v^r: I aaeretano.

<
^
i
Mi
1C



L.Mijl.HWL
Diario de Pemambnco Sexta fera 10 de Setembro de 1869.


.1
Saques sobre Londres
SOCIEDADE B\M&HIA EM C0MMANO1TA
Si-hon $ C.
S.cc >rs. Samuel Monlagu
1i batqueiros em Londres.
A' visu quantias t 5 at 100, 3 das
de vista quantias cima de 100 at
n 1,000 30 irte 90 (lias do vista quan-
Itas arinia de 1,000 at 10,000.
Largo do Pelourinho n. 7.
Novo Bineo de Pernambuco
eni liquidnglOf o de agos-
. to de 1869.
Os Sp$. accionistas podem receber o
sexto dividendo de un e mio por cenlo
do capital: ;is quarta-feiraa e sabhados.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & C.
Compram e vendem por conta propri*
taetaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
6BJ13I de cambio, sdalas do gnverno e do
qanco do Brasil, por bol premio:
Descontam letras da lena e outros ttu-
los commerciaes.
Eocarregam-se por cenia alheia das mes-
inas transaocoes, da cobranca de letras da
trra o de oulros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta crrente, e a prazo Qxo.
Largo do Pelourinho n. 7.
E para que chxgne ;.o ronliccimcnto de lodos
msnilci pas-ar o piesi uto |ue ser publicado pela
mproiisa c anisado no lug,
Hreifc, 8 do afosto de i3!>.En Manuel Marta
llodngues do Nascimento, escriban n suserevi.
Mu 'cu Xeiva.
DECLARACOES.
Consulado provincial
Pela administrarao deste consulado faz-se
publico a quem interessar possa, que com
presente mez termina o recebimento dos
diferentes imposto provinciaes rHativQs ao
anno flnanceiro lindo de 1808 1809, sendo
em seguida liquidados e remettidos pelo
juizo os dbitos dos contribuimos, omissos.
alim de serena ejecutivamente cobrados,
na forma da le.
Consulado provincial, i" de setembro
I de 1809.
O administrador,
Antonio Carnciro Machado Ros.
ALFANDEGA
Rendimeuto do da 1 a 0. .
dem do dia 9.....
133:9584333
11:399*416
195:317*739
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Voluntes entrados con fazendas 67
dem dem coro gneros 218
31o
Voluntes sahidos cora fazendas 192
(dero idea cora gneros i"3
-----605
Desearregam hoje 10 de setembro
isrigoe inglezJesse Scottmerendonas,
(.'atora frncezaAmelieidein,
Harta ingiezaGnzeilndem.
Jlarca italanaRosa dem.
'Ilrigec suecoffr/eutlaboado.
Rrigno hoandez Cornelia & Gertrwksfarinha
de trigo.
Uriguo portuguez Bella Figuercnw varios g-
neros
HEEtEDOUIA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO.
Hendiraento do da 1 a 6 10:97746.7i
I Jen do dia 9...... l:78083
Sexta-fejra, l( do correte, depois da au-
diencia do Dr. juiz de orbaos, ai a praca por ven-
da a parte do eseravo Antonio, (icrtencente ao seo
tutelad Argemiio, avallado em 383$, a requer-
mente Santa Oiisu da Misericordia
do Recife.
AJIlina. junta adialnialrativa da Santa Casa da
Misericordia do Iteeifc precisa contratar com qnem
se queira cncarregar de fazer sua custa as obras
de q;ie necesita o sobrado n. 37 da ra da Moe-
da, concedendo ella, alem de nutras vantagens, o
arrendamento por grande numero de nnnns.
Recebe para isto propostas em cartas fechadas,
na sala ue suas sessoes, devendo os prctendentes
examinaron! as obras de que carece o predio.
, Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de setembro de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
De erdem do lllm. Sr. inspector da tbesouiaria
de hienda desta provincia se faz publico que flea
transferido para o dia 11 do corrento mez a ar-
rematado da metade da casa torrea n. 18 adjudi-
cada a fazenda sita na ladeira da Misericordia da
Cidade de Olinda.
Secretaria da thesouraria de fazenda do Per-
nambuco 6 de setembro do I8G9.
Servindo de offlcialmaior,
Manuel Jos Pinto.
12:758*519
CONSULADO PROVINCIAL
eudimentododial a 6 13:0163578
Mea do dia 9........ 3:801)4345
1C:8164923
MOVIMENTO DO POBTO.
Navios mirado r.o dia S.
ifift Grande do Sul24 das, brigue brasi
leiro Arroto Mallo, de 333 toneladas,
capitSu Vital Jos da Moda, equipagem
14, carga carne ; a Rezende & C,
Navios sahidos ns triesmo Ha.
Wo Grande do Su 24 dias, brigue brasi-
lero Adelaide. de 225 toneladas, capito
loo C. dos Santos, equipagem 10, carga
Carne ; a Francisco P. R Guimaraes.
RabiaEscuna norte-allemo MathHdc.
Tara Patacho norte-allemo Cnlharina.
capito J. Backhaess, carga varios gene-
ros.
Navios mirados no Ha 9.
ttio de Janeiro15 dias, brigue brasileiro
Isabel, de3!3 toneladas, capito Jos M.
Vianna, equipagem 11, carga dilTe.ren-
tes gneros ; a A. L. de O. Azevedo 4 G.
llahiai dias, brigue inglez Seo Quem,
de 503 toneladas, capito Jauett, equi-
pagem 12, em lastro, ordem.
Rio de Janeiro 8 dias, vapor brasileiro
Guar, de 999 toneladas, conaro.ndant
I* lente Pedro H. Duarte equipagem
62, carga varios gneros; a A. L de O
Azevedo A C.
Navios sahidos no mesmo dia.
1'ortos do SalVapor brasileiro Tocantin,
comman lante Jos M. F. Franco, carga
varios gneros.
TilsbaPatacho portuguez Maria, capito
Pedro M; Branco, carga varios gneros.
ftio Grande do Norte brigue allemo
Blumenthal, capito H. Sliulken, era
lastro.
Rio de Janeiro Patacho austraco Cata.
capito Antonio McKhoose, cora a
mesma carga que trouxe de Triestre.
ECITAES.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria do fazen-
da desta provincia manda fazer publico que em
virtudo da ordeni do thesouro n. 125 de 18 de
agosto ultimo, acha-se autorisado para vender apo-
lices da divida publica pelo preco de 80 0|0.
As pessoas a quem interessar devano dirigirn
referida thesouraria.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 9 de setembro de 1809.
Servindo de official-maior,
Manuel Jos Pinto.
Tribunal do comnercio.
Por *sla secretaria so faz publico que se acham
registrados :
O contrate de sociedade de Caetano Cyriaeo da
Costa Moivira e Joaquim Francisco de Espirito
Santo, estabelecidos nesta cidade com negocio de
massames e outro?, de conta propria e alheia, sob
a firma de Costa Morcira & C, e o capital de
S0:000* fornecido por ambos.
O distratn da sociedade de Francisco Jos Lopes
e Jos Lopes de Oliveira, que gyrou sob a Orma
de Lopes & Oliveira, cujas transaccoea estao liqui-
dada", e saldado o seu debite com a cesso que
li/eram do activo aos credores.
O contrato de sociedad* de Antonio Ignacio Hei-
tor e Antonio Joaquim Moreira de Sampaio. esta-
belecidos nesta cidade com undicao de bronzes,
cakieiraria e olllcia de funileiro, sob a firma de
Heitor & Sampaio, e o capital de 12:505*180.
O contrato de ociodade de Viriato Centeio Lopes
e Delfim Lopes da Cruz, estabeleeidos nesta cidade
rom taberna, sob a firma de Viriato k DelBm, e o
capital de 4:895*215.
O distrato de sociedade de Jos Moreira Lopes e
Antonio Correia de Vasconcellos, que gvrava gob
a brma de Antonio Corroa de Vasconcellos & <).,
cuja liquida^ao fica a cargo do ex-socio Vaseon-
cellos, que est de posse do activo
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 3 de setembro de 1869.
O official-maior
Julio Guimarts.
THETRO
S. ISABEL.
Empreza. lyrlca italiana.
Sabbado 11 de setembro.
8a recita de assignatura (10a do ontrato)
Repetir se-l:a a grande opera pbantastica em
5 actas de Gonnod
FAUSTO.
Os bilhetcs vende-sc no dia do espectculo.
Principiar as 8 horas.
O Dr. Manocl Jos da Silva Nena, juiz de direito
da 2.a vara criminal e substituto da do especial
do commercio em exereicio u'esta cidade do
Recife de Pernambuco, por sua uiagcstade o im-
perador etc. etc.
Paco saber aos que o presente edital virem o
delle noticia tiverem qoe por parte de Manuel
Jos Lins Riheir, me fot dirigida a pelico do
titeor seguinte:
film. Sr. Dr. Juiz de direito do commercio.
Diz Manuel Jos Lins Riheiro, que quer fazer citar
h Francisco Jo- Lins Ribeiro para ver propor-llie
im* accao decendial, pelas letras juntas que lhe
ceitou na imp irtaaela de 2:1009000, e porque
nao pagtm nos dias de seus vencimentos e nem
inesmo compareceu no jaho conciliatorio, como
prava o documento junto, o suplicante requer a
sua ritacau pan na primeira audiencia, depois de
realisar a me logar por va de embargos as excepces e defezas
que lhe assistirem son pena de lhe l'lcarem assig-
ridos a sua revelia, Meando o supplicado citajo
fiara todos es mais termos e utos judiciaes. Como
o supplicado se acha ausente em iugar incerto e
nao sabido, o supplicante requer a V. S. que pro-
vado quanto baste a ua ausencia se passe editaes
ajara ser elle citado por este meio. Nestes termos,
rede a V. S. deferimeoto.E. II. M.Henriques
da Silva; a qual estando selladla, dei o depacho
do theor >eguinte:
Fa^a-se a notificado aa forma requerida, pro-
codeiido-se a Inquircao no dia 30 do crrente.
Cidade do Recife, 28 de julho de 18b9.-Neiva.
Em virtude do qual fdra a mesma peticao des-
Iribuida ao8crivao deste juizo Mtnoel Maria Ro-
drigues do Nascimento. E tend o supplicante
Urauzido suas testomunbas sellados e preparados
os autos subirn) a minha conclusao e nelles dei
i+entenca do theor seguintei:
Visto provar-so pelos depoimentos das testemu-
tihas de foibas 11 a folhas 12, que o supplicado
Knoeisco Jos Lira Ribeiro, se acha auzente em
ligar incerto e nao sabido, hei por justificado o
dedutido na i>eticao a folhas 2, em consequencia
mando se i&s-c editaes de citaco com o praao de
lias, pagas aacustas excauza.
Cidade dn Recife, 31 de julho de 1869.Manoel
Ion* da Silva Neiva.
Por forca da qual o escrivao c/. passar o pre-
muno cito e hei por inti-
eea n'cste
AVISOS MARTIMOS.
Para Lisboa
pretende sabir com muita brevidade o palhabote
portuguez JVwt'O S. Lourenco : para o resto da car-
ga e passageiros, tratase com os seus consignata-
rios T. de Aquino Fonseca & C, ra do Vigario
n. 19.
COMPANHIA PERNAMBUOANA
DE
\'nvcsa;;o costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Parakyba, commandante
Mello, seguir para o porto cima no
dia 10 do corrento a meia noite
Hecebe carga, encommendas, passageiros e di-
beiro a frete, no escriptorio do Forte do Matto>
a. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
WiTegafo costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Ara-aty, Cear,
Mandah. Acarac e Granja.
^^ O vapor Pirapama commandantt
X4i Torres, seguir para os portns
anatf cima no dia 15 do corrente as 5 hora>
la tarde. Recebe carga at o dia H, encor-
nendas, passageiros e dinheiro a frete at a
t horas da tarde do dia da sahida ne escriptorio
lo Forte do Mattos o. 12.
COmPAUIIA.
DAS
Messageries imperiales.
Ateo dia 14 do corrento mez esperase da Fjn
rop o vapor francez Exlramadure, o i|ual depois
da demora do costume, seguir para a Baha e Rio
de Janeiro. Para condiccoes, fretes e paaaagens,
trata-se na agcn*ia. ma do Commercio n. 9.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegagdo costara por vapor
Fernando de Norenha.
O vapor Corucipe, commandante Silva, seguir
para o porto cima no dia 10 do correni
dia. Rkc ndv.
passageirosc 'Jinoeiro a fete at a
COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
Navegagdo costeira por vapor.
Mace ioe Aracaj.
O vapir Potengi, commandante
Peretn, seguir para os porlos cima
no dia 15 do corrente as 5 horas da
tarle. Recebe carga at o dia li, encommendas,
passageiros e dinheiro a frote at as 2 horas
da tarde do dia da sahida no escriptorio do Par-
le do Mattos n. 12.
BAHA
O palhabote Garibaldi, capito Custodio Jos
Vianna : a tratar com Tasso Irmos.
Para oMaranho
O palhabote portuguez Cnrolinn;- capito Joao
Paulo de Oliveira vai sabir breve por tfr grande
parte da carregamento engajado : para carga e
passageiros, trata-se com E. R. Rabello ra do
Commen-io n. 41.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Vavcgaco costeira por vapor.
Maroanguape.
vapor Mandah, comman-
dante Petra, seguir para o por-
to cima no dia 13 do correle
as C horas da tarde. Recebe car-
ga, encommendas, passageiros c
dinheiro a frete at as 3 horas da tarde do dia
da sahida : escriptorio no Forte do Mattos n. 12
PARA
Para o indicado porto pretende seguir com mui-
ta brevidade o Iiilic portugtiez Cisne do Venga por
ter a maior parte da carga engajada ; e para o
Sonco que lhe falta, traia-se com o c nsignataiin
oaquim Jos Goncalves Beltrao, ra do Com-
mercio n. 17
AVISO
Quem tiver comas com o brigu; inglez Gauntiet
devem aprosenta-las no escriptorio do Saundcrs
Brothers 4 C, largo do Corpo Santo at o dia 13 do
eorrente.
LEILOES.
LEILAO
De urna ealess por forrar, 3 carros, um
excedente cabriolet americano de 4 ro-
das, um cavado para o mesmo, 2 pare-
lbas de burros para carros o cairoca.
HOJE.
O agente Martins f;:ra leilo dos carros, burros
e cavallos cima em frente ao armazem n. 16 da
ra do Imperador, ao meio dia do dia cima
LEILAO
De < calas com brlm pardo
avariados.
HOJE.
Sexta-feira i O de set mbro as 10 1(2 ho-
ras na porta da alfandega.
O agente Pinto far leilo a requanmento de
D. P. Wild e por autorisaco do cnsul de Fran-
ca em presenca do ?eu delegado e por conta e
risco de quem pertencer' de duas caixas marca
V P. ns. 12* e 130, contondo 60 pecas de bnm
pardo avariado a bordo da barca fraeeza Fiqarn,
LEILAO
De cordee, trancelins, colares, alfinetes,
rosetas, brincos, adereces, raeios ditos,
alQnetes para retratos de ouro de 14 e
18 quilates.
HOJE.
Pelo agent' Martins no armazem da ra do Im-
perador n. 16, as 11 horas do dia, sem reserva
de preco para liquidar um espolio.
Em continuaqo de fazendas
limpas e araadas.
HOJE.
Mello Lobo & C. contmnaro por ntervencio
do agente Oliveira, o seu leilo de esplendido sor-
timento de fazendas as mais propria* do mercado,
e de algumas avarladas por conta de quem per-
tencer.
Sexta-feira 10 do corrente
as 10 horas da manha, em seu armazem a ra
da Cruz.
LEILAO
Para llorarlas e escriptorio*.
Sabbado >3 do corrente ao meio dia.
O agente Pestaa far leilo por conta de quem
pertenrer de diversos objeetos uteis e necessarios
em escriplorios e armazens a saber : macos de
cuntas, callendarios. ditos semanaes, notas, car-
toes com envelnpes, rtulos, ditos com los, amos-
tras de artigos para photographia, papis de III-
irar sero vendidos em lotes no dia cima no caf
Commereia! largo do Corpo Santo n. 9.
LEILAO
De 13 latas com banha de porco, 7 barricas
com cerveja, 3 barris com presuntos, 4
caixas com melhos.
SEGUNDA-FEIRA 13 DO CORRENTE.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem pertencer dos gneros cima em lotes e
para ferhamento de conta* no dia segunda-leira
13 do eorrente pelas 11 horas da manha no ar-
ma.em do Annes.
AVISOS DIVERSOS.
Aos laboriosos.
Conceitam-se.
sob flanea, machi-
nas de costura,
com perfeicao e
presteza, fazen-
do-se mesmo
qualquer pega
que por ventura
se quebr; assim
como machinas a
., vapor, cylindros
sde padaria ou ou-
K tro qualqner ma-
$ chiuismo tenden-
te a industria do
paiz, sob as mes-
mas condieoes cima : na ra dos Patos n. 8.
l'recisa-se de urna ama forra ou cscrava que
saiba bera cozinhar : na ra Nova n. 24, loja de
frzenda.
~ Aos 20^0004000.
Dilhetes do Rio a venda, ra do Cabug 11. 2
Casa da Fe. Preeos do eoslamo.
Irmandade do Divino Espi-
ri o 8anto, erecta no vm-
vento de S. Franei-co do
Recif\
Pof ordeni do nnsso irmao juiz convido a todos
os charissimos irmos a romparorertffl em o nossn
consistorio, em mesa peral, domingo 12 do erren-
te, aflm de se tratar de uegorios nao provistos cin
nosso compromisso, e da eleicao de dous membros
da mesa regedora.
Consistorio da irmandade do Divino Espirito San
to 7deselemb.odn 1869.
I seeretario interino,
____________ Joaquim Jos Moreira.
Troco miudo.
Da-se bom premio por sedulas de lOOO, 2J;
"ia, 10J e 20 (nova e-tanipa: na casa do 'llieo-
do^o Simop \ C. largo do Pelourinho n. 7.
Tosse e molestias do
peito.
Xaropes de fedeoso, rabo de tal, Agrian
p Cardozo, juca, mulung, mutamba, etc.
etc. etc.
Ao pubico.
0 abaixo assignado. tendo-se constituido, pean-
le o juizo de orphaos da villa de Rarreiros, cura-
dor de seu genro Manoel Francisco da Rocha
Wanderley, menor de 18 annos, por prodigalidade
des|*!, a\isa a todac qnab|uer pessoa, que nenhum
nenelo de compra, venda, permuta, ou outra qual-
que4ransaccao faca com o dito seu genio, sob
poafc de nuliidade uesses contratos e transaccos,
urna vez (ue nao tenha o assentiraento do abaixo
asignado.
Eogenlio Roncador, 27 de agosto de 1869.
Evaristo da Costa Leito.
LUlZ GUEDES COUTINIID GUHtDO "
Dous aoolversarloa
1 vol. 8* brochado 2)5
LIVRARU FRANCKZY
9Ra do Crespo9
Ama de leite
Precisa-sc de urna ama de leite : a tratar na
ra Direita n. k.
Dociiras do timado e \\m\. anemia,
opilado etc.
Emplastro, oleo, pommada, tintura, pi-
Inlas, xarope e vinho da milagrosa JL'lll."-
BEBA,
EM PRESUMO SOBRES
Na pharmado do Piulo run
Larga to Rosario 11. 10junto
aoqtiartel do corpo de polica.
Acham-se constanternente promptas a se-
ren satisfeitas. as prescripcoos dos Srs
facultativos, e as necesidades dos enfer-
mos, as especialidades da mesma pliarma-
cia, compostas de medicamentos, tanto in-
dgenas, como estrangeiros.
OSA DA FORTJl
Aos 4:0005
Bilhetes garantidos.
\ na do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo assignado lendo vendido al.im de nu-
tras sones 2 matos n. 1686 cun 7.004 da lote-
ra que se ncahon de extrahir benellcio da or-
dem lerceira do Carmo do Recife (118') convida
aos possuidores a virem receber na conformida
de do costume sem descont algum.
Acham-se a venda os bilhetes da 281 parte da
lotera a beneficio da Santa Casa da Miserieardia
(119*), que se extrahir no dia 10 do corrente.
Procos
Os do costil trie.
________ Mauoel Martins Finta.
uosTRErar
Cose-se costuras de alfaiate a moda fran-
caza, por preco commodo, na ra August3
n .112. e d-se fianca sobre as mesmas.
Ama
Precisase de una ama livre ou cscrava que
cozinhe com perfeicao o diario de urna casa e (ue
seja de boa conduela : a tratar na ra do Vicario
11. 5, 3 andar.
Na praca da Independencia n. 33, so d di-
aneiro sob penhores de ouro, prata e podras pre-
ciosas, e seja qual fr a quantia : na mesma Casa
-e compra e vende objeetos de ouro e prata, e
igualmente se faz toda e qualquer obra de encom-
menda o todo e qualquer concert tendent" a
mesma arte.
Manoel Cordelro tetn justo e contratad a ta-
berna sita na Casa Forte, com Jos Joaquim D.as :
qucmsejulgar com direito a mesma, compareca
no praso de tres dias.
C'ozinhefro
Precisa-se de um cor.inheiro, ou mesmo ajudan-
te pratico de casa de pasto : no becco da Lingoeta
n. 43.
Cozinheira.
Prccsa-se de urna cozinheira ; a tratar na ra
Nova n. 28.
Precisa-se alugar algjins escravos, paga-se
bom aluguel, agradando nao se poe duvida em
adiantar alguma i|iiantia, conferme convencionar :
a tratar no pateo do Terco n. 63.
(SEM LIMITE.)
Na travessa da ma
das Crnzes n, 2, pri- 1
meiro andar, da-se fnal- ^
quer quantia sobre ouro, m
prata e pedras preciosas. I
O dono- deste estabelecimenlo,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condii;5es de ga-
rantir a transaccjlo que se fizer cn>
sua casa, prometiendo todo e zelo
I considerado s pessoaa que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimenlo.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
\o Recife arco da ennecien > n. 9
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na
forma das leis tem exposto a venda os seus feli-
ces bilhetes das loteras do Rio de Janeiro na casa
cima aonde se pagara as sortes que sahirem
no mesmo bilhete com o descomo da lei sotuente.
PREQOS.
Bilhete inteiro 243000
Meios 125000
Quartos 6*000
E de 1004 para cima a 22 o bilhete.
Figueiredo A Leite.
Precisa se de tres pretas para vender na ro?
das tres horas em diante, pigando-se a vendagen?
a seus senhores : podem contratar is mesmos ca
ra da Guia n. 42. casa de um anda'.
No dia lo de agosto ultimo fugio do casa do
Sr. Dr. Joao de Hollanda da Cunha, ra de Heni-
fica, na Passagpm, n. 48, onde se ai-hava alagado,
o moleque Francisco, crenlo, bastante p eto, de
15 annot de idade, com um signal de queimadura
no hombro esquerdo, trajava calca e jaquela de
brhn, consta que se acha servindo em loja de m-
palhador, de que oflicial, ou fingindo que pre-
tende aprender esse odie o, pelo que se protesta
contra quem lhe der agasaiho ; quem o apprehen-
der, queira leva-lo ra da Aurora n. 26, que
ser gratificado._________ ____^_
Moleque futido.
No dia 4 do corrente mez lugio o moleque i
nome Luiz, por appellido Cachimbo, idade de 12
annos, com os signacs seguinte* : nariz chato,
pernal tortas, levou camisa e calca de ganga azul :
qnem o pegare levar ra do Brum, fundicao n.
iOt, se recomsensar.
Aos 20:000^000
CASA DA FELICIDADE
9Praca da lndepeudencla-99
Os abaix( assignados tem exposto a venda os
sens felizes bilhetes da 87* lotera do Estado Sa-
nitario (293), cujas lista sao esperadas at 13 do
corrente sendo os premios pagos in continenti.
Veras & Barbedo.
504000 dn gratifleacao a quem pegar a pre-
ta Mara, crioula, idade de 25 ann s, alta, com
todos os dentes na frente, olhos grandes, quando
falla gagueja alguma censa, um nonco sellada,
desappareceu hontem a tarde, levando vestido de
15a j usido, chales de laa de cor amarella e tam-
ben! usado : quem pegar a dita preta apresente-a
ao seu senhor Clorindo Catao, morador na ra Ve-
Iba, sobrado n. 2, que ser immediatamente pago:
Cao fgido
Desappareceu um cachorrinho ingles, rateiro,
tem urna coleira de m-tal branco ao pescoeo :
quem o achar ou souber alguma noticia delle, di-'
rija-se ra de Apollo n. 32, que ser graiificado.
Aluga- ra da Guia n. 31 : quem pretender, entenda-se
no deposito da ra da Senzala-velha n. 48.
Ama de leite
Precisa-se de tima ama de leite : a trataj na
Ponte de Uchoa n. 9 A.

ij ^u
Antonio da Silva Faria. Adriano da Silva
Faria, Francisco da Silva Faria, Maria Emi
lia Faria Gadault e Hypnlito Gadault, mani-
festara o seu re onhecimento s pessoas que
prestaran] o caridoso obsequio de assistirem
os suffragios e de acompaubar o fretro de
sua prazada e sempre chorarla irma e cu
hada D. Henriqueta Amalia Faria,,#de novo
convidara essas pessoas e demais amigos
para comparecerem na matriz da Boa-
Vista, hoje 10 do corrente s 7 horas, sti-
mo da do seu passamento, afim de assisti-
rem o memento e missa derequiem que co-
lebrar-se-ho, e peio que ficaro asss
agradecidos.

AVISO
Jos Alnes Barbo-a declara que o 8r. Jos di
Sonza Dourado deixou do ser seu caixeiro desde o
rorrete.
>e de urna
que saiba bem on-
Antonio loaquim de Faria, sua consorte
Henriqueta Amalia de Faria, seus Cilios e
ora, repassados de verdadeiro sentiraento
mandam resarutna missa de stimo dia pelo
fallecimento de sua presada filba, irraa e
cunhada Henriqueta Amalia de Faria. cujo
acto ser celebrado na capel la do cemiterio
publico as 7 horas da manha do dia 10 do
presente mez.
Pedem aos parantes e pessoas de sua
amisa le o caricioso obsequio de assistirem
a este ac dereligio pelo que se confes-
sam eternamente gratos.
Aluga-se o i* andar do sobrado da ra de
Apollo n. 88, lado da frente, proprio para escrip-
torio : a tratar no armazem do mesmo. ____
Attenpao.
Preejta-sc alugar um prto que seja bom, paga-
se 25* por mez : quem tiver dirija-so a ra de
Hortas n. 7.
Grande casa
Aluga-se com commodo para numerosa fami-
lia na estrada do Luiz do llego n. 4o : a tratar
com Joaquim Fernandos Vianna ra da Cruz n.
66, 2o andar, escriptorio. ______^^^
AMA
Precisa-se de urna para cosinliar em cas de
familia ; a tratar no largo da Alfandega armazem
n. 2.
Ama de leite
Precisa- e com toda urgencia de orna ama de
leite : na travessa do Vera* n. 13, Io andar. K'
Precisa se de u i as obras da Re-
cife Drainage Compan\ Limited, no largo das Cin-
co Ponas.
Vicente Alvos Moreira, r de vn-
las de eseravo, mudou sua rc-idi-ncia da ra d
Hortas n. 9i para a ra da Paz n. t, onde seus
freguozes o poiero procurar para a mesma oceu-
paci. BecebeescravM < promette nmmpta venda
100^ de gratificaQo
Fugio do enoenlio Mnritn, do termo de
Ilambe, no dia 18 do julliu ultimo lindo,
a esciava Joaquina, cora os signacs se-
guintes: mulata de '6 annos de idade, falla
vagarosa, cabellos tira pouco encarapinha-
dos, palpebns e ollios salientes e grandes.
lera una pequea cicatriz na testa, ps
cavados, bracos finos, ventre cres< ido e es-
tatura regular. Quera apprehender a re-
ferida escrava, qou fugio para o Recife,
onde diz que livre, o 4evar ao dito en-
genho, tem 1003 de gratihcacSo.
l'recisa-se alugar um ^ato para set-
vico de padaria, (menos macelro), quem
livor pode se dirigir ra da Imperatriz
n. 41.
O agente tic compras e vendas de
escravos. Jos Martins A Ivs da Cruz acbas-
se residindo na ra de Hutas n. Dti, promp-
to a drtsempenhar nao s o seu dever para
este fim, como para outros que seus com-
initontes o julgtiein habilitado mediante suas
respectivas commisses.
Na Boa-Vista, ra Velha n. 82, tem
para s^ alugar urna pela para cosinliar o
emgommar.
200,5000
Um negro de idade 60 annos, em vicios, sadio.
proprio dar sitio: na ra larga do Rosario, loj:i
n. 22.
Ao commercio.
Amara) & Souta, estabeleeidos na cidade de
Goianna, ra do Meio n. 31, prevmem ao reapei-
tavel corpo c-unmercial, que nesia data dissolveran
amigaveliiiente a sociedade que gyrava sob a (irma
cima ; licando o socio Ama ral encarregado por
sua oonta, da cobranca das dividas da mesma Ar-
ma, e o mais, activo e passivo da casa, a cargo do
socio Souza. Goianna 21 de agosto de 1869.
Lourenco Freir do Araaral.
_________Mathias Comes de Souza.______
E' de importancia!!!
O aviso que faz o Campos da ra do
Imperador n. 28, pois s elle podo fome-
cer aos amadores da boa fumaca os cha-
rutos que to anciosamente eram espera-
dos de Costa de Irmos, e sao el les das se-
guintes marcas : exposicao Normas impe-
riaes e Havaneiros. A clles antes que se
acabem.
0 Campo*
Tambem tem em seu estabelecimento.
alm de muitos outros gneros anto para
mesa, como para lespensa, o seguinte :
Camaroes seceos do Maraobao.
O verdadeiro caf de Moka,
Fumo picado do Daniel de S. Joao do
Rio-Novo.
Termos de medidas para seceos, segun-
do o psdio francez. (mtrico-decimal).
ASSIM COMO.
As tabellas que mais aceitaro tem merecido
das casas de commercio em ^rosso e a re-
talho, smente pela fcil comprebensSo e
commodo preco, s no
Armazem do Campos
AMA
UM til \
FIO DE VELA
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau Santo n. 15.
SHERRY 0L0R0Z0.
Gelo seal.
COGMAC HENHESSir.
Em casa c Rabe Schmettau & C. Corpc
Santo n. 15.
CAHMPANHA
SUPERIOR*
Roussillon, carte blanche.
Em easa de Rabe Schmettan t
1. CorpoKanlo n. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CHATEAU RAUZAM
Era casa de Rabe Schmettau d C. Corpt
Santo n. 15.
ATTENCOO
o
Perdeu-se um par de brincos de pin-
gentes encastoado em diamantes, um dito
sem diamante, um anel com 7 diamantes
encastoado emazul, urna figa de cinteiro,
tudo de ouro de lei. Previne-se, e pede-se
aos Srs. ourives a quem fr offerecido,
de os appreenrler e leva-Ios ao abaixo as-
signado a ra do Cabug*, loja de cera,
que ser recomponsado.
Denlo Rltmterio de Souza Castro.
Rheumatismo e molestias
syphiliticas.
Arrobe vegetal, xaropo de Salsaparrilha
do Pai. ;ope do veame, tra-
tura o xarope do sicupira.
Precisa se de urna ama para pouca familia, que
saiba cozinhar, alguma cousa engommar, e que
saia algumas veze> a recados: na luja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.________________
ilarapina
Precisa-se de um campia : na fabrica do gai.
Aluga-se um primeiro an lar na ra das
Agoas-Verdes n. 8(, e um outro dito proprio para
rapaz solteiro, na roa Direita n. 03 : a tratar na
ra das Cruzes n. 9, Io andar.
OITerece-so um moco para caixeiro, com
bastante pratica de molhados, para aqu oo fra
da cidade, e dando fiador a sua conducta : a tra-
tar na travessa da Senzala-velha n. 4, taberna.
Colla coinpagnia lyrica e giuuto in questa
citta I prnfessorc Bcltram Callslo, il quale da le-
zioni dii corno, tromba, sax, cornetto trombone
e bombardno. Compone o riduce per banda, pe
orchestra e per piano forte Marcie e Ballabili. Ri-
duce duett,terzetti,quartetli, cavaline e romanze
con accompagnamento do piano forte per banda e
jod orchestra. Per le trattalive dirigersi al teatro
S. Isabella dalle 12 alie 3 o dalle 8 pom alie U.
Poipps Brothers A C. fazem sciente a esta
praca que tem dado pro^uraco bastante aos Srs.
George A. Bradley o John R. Stathain aos quacs
concedem todos os poderes para assignarem am-
bos juntos, todas as tiausacoes da casa commer-
cial dos annunciantes, seja qual for a natureza
dellas, outro sim que por impedimento de algum
do mencionados procuradores, para assignar qual-
quer traosaccao fica encarregado o Sr. Jame.-
Marsden para assignar em lugar do procurador
impedidrt. ______
Em casa de THE0D0K0 CHR1ST1-
ANSEN, roa da Cruz n. 18, encontram-se
eBectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, BonreoRne e do Rheno.
ATTENCO.
Vondem-se os estabelecimentos de taberna e pa
daTia da Ponte d'Ucha, para pagamento dos ere-
dores : tratar na ra do Rosario da Boa-Vista
n. 56.
Precisa-se de una ama li Vre, que seja de boa
conducta ; na ra do Pilar n. 40, a tratar a-y> ho-
ras da tarde.
Veueravel Irmandade de \ossa
*cahora da Penha de Ciamcl-
lelra.
Por ordem da mesa regedora scientifico
a todos os irm3os desta vencravel iimand.'-
de, e mais devotos da milagrosa Nossa Se-
nhora da Penha. que a festa do sua Augusta
Padroeira ficou transferida, por motives
ponderosos, para o dia 3 de oufubio pro-
xio vmdouro.
Consistorio, em 5 de setembro de 1869.
O
Joao L. ornellas Cmara.
Pedido
Pede-se pessoa que na !
Amor da Ordem lev. *"
sol, oo dia 4 do com i
desfazer a troca na r
Precisa-se de i l'
hornera solteiro, i u ra;i
do Livramenlo n. 'i.









i
*
I
Diario de PerDambuco Sexta feira 10 de Setembro d^ 1869.
CURAS IMPOR
'! Americano esfct^Ud;
NTES
34, RA LARGA
N*S eoatomamos procurar alteitadoa pan acreditar
jovoa preparado, e daiamoa qoe ana applicaclo e wa
HeiwHaJaa oh ido pelas peasoaaqne se dignaran) acreila-
loa. Me dceo crdito e voga ; porqoe >io armpn oa
adeaulo considerados graiuitos, e delira que tanca
aa o charlatanismo; mas ni qncrendo offeodcr as pcs-
Hiiqnn rnpnnlinnmrnti dosoffrrecoram.os que abano
to transcriptos, os talemos publicar manifestaods'tfeeB
osa gratuito pela attencao. esparando que tcnhao
tlet corroborar o conccito, e acceitaco Ma oeso xarope. artAeloam A C.
TTESTOOS.
Otas. Srs. Dariliolomeo C. cora a mais sabida
jM>afcao que declaro ser o xarope Americano de ama
{acacia extraordinaria, pois que soffreode ha das de
intonsa tosse, a ponto de nao poder dormir a noite a
alespcko iccsmo de mcdicauentoa que tomara, a elle
recorr a na lerccira colher fui alunado, o de todo me
acta boje restabeleeido com o uso smente do quasi
Bmm frasco; grato pois a esse resultado manifest a
V, Ss. meo reconliecimcnlo. De V. Ss. amigo, ve-
orador e obrigado. Manoel Antonio Viegaa Jnior.
Sua casa 20 do abril de IstlS.
Alais. Srs. Bar'.liolooico 1C. Pcnhoradissiraocom
< btaor que me llzcram de acensa!liar o uso do xarope
Waile de Bartholornco&C"
ROSARIO. 34.
Vegetal Americano, de sua compositio, quando me
ai luva bastante doente de urna constipacao. que me
tornon completa mente rauco e que trouse urna forte
tosse. e me impossibiliton de cumprir os mens dereres
de cantor da empresa lyrica, too avradecer-lhes mea
completo rcstaoelccimcnto, que ohtive com um so vidro
do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos
tratameotos. Descjarei que outros como cu recoiram
ao tea xarope para se reren aliviados de Uo terrivel
incommodo, to fatal nesie paiz. Com malor conside*
raco continuo a ser de V. Ss. atu-uto, reneradur o
obrigado. Luii Ciemona. Becife 25 de setembro
de 1868.
Illms Srs Darlholomeo AC 0 xarope Vegetal Ame-
ricano qoe Vv. Ss. tm eipoeto a renda e de toda effi-
cacia para o curativo d'asihm, canforme observei ap-
plicaiMo-o a men tilbo Joaquim. menor de quatro
anims; victima d'esse flagello. qoe at enlio por espaco
excedente a dous annos bavia resistido a outros lampes
de grande nomeada. Queiram pois Vv. Ss. aceitar
expressao altamente sincera de mea reconheciment ao
meritorio servicn que Ihe prestaram com o indicado
xarope, acreditndome pura sempre de Vv. Ss. criado,
atiento e obligado. Ana-tico Nelto de Mendonea.
llocife 2 de outubro de 186S.
Mikroskope achroma-
tisonen. ObjotivL'm- h
21).
Barmetro e term-
metro. Centirade
e reuumeure.
" Va FLQOB
N'ESTA ANTIGA E CREDITAT
FABRICA
>
IIC0JTB1 SI CMSTlSiEllSTI 111 COMPLETO SOEUlIITa 01
CHAPEOS DE *OI<:
De toda* as qualidyJes I
De todos os feitios I
De todas os presos I
i
RA DO CRESPO N' 4
DE
oculos niiscincu
E crystal de rocha do Brasil.
F. I. Cici-iiiaun. r.commenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; porque, com este:, vidros, a viato-descanca, fertifica-se e no a canea como com
os vidros ordinarios. Urna vez escomido um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obligado a muda-Ios todos tis annos e os te
cada vez mais grossos, o que altera ojciystalino do no e dte, mina qu^si sempre do-
res de cabeca. O alcance ordinario .da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto est mm perto ou mais lo ig-, os raios que expelle sao
mui convergentes ou nui divergente*-* a visito nSo perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir amito de sorte que a viso nao distincta.
Cum a applicaco de meus vidros pode-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
i vista curta e* cujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se-charoa myope, por meio de um vidro concavo affasta-se o ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver to longe c- mo as outias vistas. (Juan
do o crystalino muito chato, o que suoede aos que Um chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem melhor de. longe que de perto, e nao enxergam sean
um neviieir na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergarjjo
lao distinctamente como na idade r 15 annos. Serviudo-se destes vidros quando a
vista principia eufraquecer, previne-se o mal.
F. I. Germana encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
colher, a priateira vista, seja qual for a idade egro de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa, t
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Para a vista niyupe, (vista curta/. Para a vista que nao snpporta os raios
Para vista que se cobre de ntivens. solares nem grande claridade.
Para a vista que por momentos, ve es- para a vs|| operada da catarata.
vosear pequeos pontos negros, p visla as p^p^as e8l5o cer-
Paraavista que as palpebras treraem ^ do ^^
d9l'ara,Uf vista que os olhos sao dsigaes. | *"* a vista que um dos olhos myope
Para a visla que se turva com o tcaba- t oulro PrPSnyl-
Iho e a leitura. Para evitar finalmente que o crystalino
Para a vista, presbyta (vistagalofi ). do olbo se cobra de catarata.
O JAYMK, tenl cin vjst,i se-nipre a presentar nnvas melhoras em sen estr.-
% 4ecimen1r) de cabelleiro ra do Quriiuiao n, (>, acaba de preparar com decenci.i
o g'tsto, urna sal especial onde n rspr"itaveJ publico, cum certeza, encon'ar o que
~ha do pi'imor ein pe -fumar as, nijnt^tias, llun-s c tinturas para cubellus etc. ts mais
afamados fabricantes de Pars e Londres. Eljecnsciu de que o que espendo a pur
*erdHde, espera que o sen estabelcitnento seja visiuilo par senhoras o cavaiheiros,
|)ara o que pesd sao \idados.
mmmmmm&m*mm&m*; mmmmmmmmmmm m
i
BS
ce cr
5
ce
fia
ce
8^
3
5
sO-fi
NAO FOI PRECISO AGUA BENTA
O demonio mudou-se por sua livre c expontanea vonlade
VIVA 0 DA DE S.BVRTHILOME
Agora mnr/ucm presuma que foium demonio qualquer, foi
0 BOM DEMONIO
Mas nlo sabio da Boa-Vista
CHEGpU-SE ATE PARA MIIS PERTO DA MATRIZ
jSeu dominio est hoje assentado, onde foi botica,
ESQUINA DA RA DJ ARAGAO H. 32
vi:\ii tW VK-LO
Como garboso se ostenta
Como lepido se mostra
E as diabruras quefazf
a Negra tranca no codo Iheondeia
Soba tri ao mago desdem
Deita a fronte n'um peito e conhece
Quantas maguas o seio contm.
Esta linda e gentil creatina lambcm ______
Queijos, manteiga e caf,
Vinho, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
| De Nantes boas sardinhas.
Tudo barato
Para agra Venuara freguezes
Que han de gustar,
N. B. Brevemente ser annuuciado o dia.cm qoe este impoitante armazera dam-
Ihados lera principio a prtica de certa diabrura que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONaNCA da ra do Queimado. Por ora venham os fnguezes visitar o nosso cs-
tabelecimeto, comprar os nossos superieres gener s por precos muilo rasoaveis.
Sortimento
para thentro.
de binculos
c oculos de
*

&>
co
^
.-I ~ C

3"
a; ct
n =*
gJa,
2 3 <
g-o. t. 02
BJ
o
9
"
O
"5
es
B
g
o
cr
3
2?^
o =t
=rS Q.' 5
u 3 a> o
? a en'
8 S 3 3
f % *
a M "i c
1.3 3
o c
5 <
4 9
o
O
s
O
E
00
a
lo
S 3 & s
J je *2
s_S .
iSaff*
M
S
o
3
i
3
2:
m
*
s
?
V
T&mmmmmw
I SAIIIIIVS lili IIA1LE
1
Che^aiHOi pl<> tillim- p.ujtu-tf \indn da Knn.pa. liiuiissiuiassahidas de bai-
-, licaiut'i.t^i'iifcit.idas, <-mi-Huir gusto (|u. u-ai vindn ao nuTCido : ruado
": l resp n. 13. Ija da lolumnas. de Antunio Ctarrea de Va>i-i ncHIos.
alcanc'3 pata
rinha.
o campo c ma-
*"**
Tem tambem grande sortimento de ivio^ios para
Lunetas, pincc-nez e
face--maiD, ouro, prata,
tartaruga, bfalo, ac,
- ttc, ele.
prede, que do horas e para
cima de mesa dos naja lindos moo>l.> RHeyios para apibeira, de ouro, prata, prata
dourada ef.deada. inglezes, suissos c 01 isontaes dos melhores e mais afamados faDn-
Vendas em grosso e a n-talho. Fm Pernarntnico.
N. 21Ra NovaN. 21.
Manteiga ingleza flor a 1.J300 por uO
gramma<.
Dita dita a l&iOO iA'tn.
Dita dita a l000idem.
Dita franceza a 900 rs. dem.
Batatas novas a lOt) rs. idem.
Cha fino superior a 30300 idea.
Dito dito a 30OO idem.
Dito dito a 3$000 idem.
Arroz pilado a 120 rs idem.
Caf decaroco a 200, 210-0 280 rs.
idem.
Milho alpista a 2t0 rs. idem.
Toucinbo de Lisboa a 400 rs. idem.
Vellas estiarinas, masso 720.
Potes com sa refinado a 400.
Ervilhas franceza em manteiga, 000 rs.
a lata.
Fructas portuguozas em calda a 600 rs.
a lata
Ditas s de pee gos maiores a 300 i s. ;i
lata. ,
Tijolo para facas a i20 rs. ^
Chocolate espanhol a I 000 o masso.
Frascos com .onserva a KJO rs.
Ditos dita do mustarda a 80 rs.
Latas com carne de orco a 800 rs.
Sardinhas de Nantes em manteiga a 800
rs. a lata.
Copos finos para agua, duzia 40800.
Garrafas finas para meza, o par 5^000.
Cognac engarrafado a 800 rs.
Azeite francez engarrafado a \ 000
Presunto em barril a 480 rs. por dOO
grammas.
Os proprietarios garanten) tudo quanli
Vinho bordeaux em caixa, 70000.
Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinhas de difieremes mrreas. a
10400.
Fosphoros de seguranca, masso 509 rs.
Banha de porco a 70 por 500 grammaa.
Vinho do reino, gamfa a 10000.
Charutos do Lima a 50 e <>0 a caixa.
Sab5o de massa a 240 rs. por BOOgram-
mas.
Latas comameixas a ift, -i00, 208O>
0 35500.
Ditas de manteiga a 20800.
Ditas juliana a 10 por oOO grammas.
Frascos cem macas seccas a 20000.
Serveja de dilTerent s marcas, duzia 60.
Tapioca do MarauhSo a 240 rs. por 500
yrammas.
Farello em sacca com 21 kilos per 5,$.
Liguicas o pajns a 800 rs. por 500 graot-
mas.
DENTISTA BE TARIS
19Ra ovm19
FKEPERICO (UriKR
;irurgi3iMlentista. muito couliecido ha dez annos n'esta cnlade, pela ()erfeic5o dos seiv
irabalhos, tem a honra de participar ao respeitave publico que tendo frito muitos m-
horamentos na sua casa, pode rnjora avante receber as senhoras no seu gabinete ond'
tcharSo os commodos precisos para familia.
Acha-se tambem na sua casa e na sua c^mpanhia, o seu sobrinbo e discipBl>
I. IEROCX
qual acaba do voltarde urna longa-viage.m a Kuropa. durante a qual praticou con
Miz snecesso as primeiras casas de Pariz e de Lontlres, offerecendo assim as melhor>
garantas do bom deseiupenho para ludo oque for relativo a profissao ; por isso (
innunciante pede aos seas amigos e clientes que por acaso o no encontran-m no s^
bmete, depositen) no dito seu sobrinbo a mesraa conanca com que o tem honrad
j dez amos.
Dentaduras por to los os systemas: a pressSo do ar e cora molas de ouro, platin;
'ulcanite e um nliramenle novo n'esta cidade.
Cura radical dos denles cari idos.
Chumbagws (obturacoes) rom ouro c.com massas diversas, segundo os casos.
Uemedio para acalmar as don-s dt denle.
Agua e pos dentrificios falwicados pelo proprio annuneiante, o qnelhe permittej afiar
;ar sua boa qualidade.
Escovas para denlas, etc.
Perfeiqao de trabalho e preqos moderados.
Viacjenk para (ora mediante ajusto previo*
O patinete acha-se aberto das 8 horas da manhaa at as 4 da tarde de todos d^
lias olis.

A UC.STO PORTO & C.
11--RUA DO QUEIMAD0--11
Tendo chegude nliiiuaraente ao seu e |;tbeIecim'Bio grande variedade de a-
wodas vi go*to as ,iem disposii-5u de seus num.-roso.v fregue/.es pelos mais mdico?
proi;o. po^siveis senjlo:
IJiMirnuiis de caeltemira brancos e do cores, o que lia de mais elegante para
hombros de entuna.
Noviis kosIus i\c nvnteletes justos ao rorpo denominado silphides, sirennes,
lales de renda pivta de sualmes, o que ha de mais eleg.nte para urna moca.
Basqiiiues de guiputo preto, nova g isto.enf-itlos desetim de cores. Vesti-
dos d blond ciHii manta e ca|iella pin imivas. Fronhas a loalhas deeambraia definan
bordadas. Cortinados bordado* para cama* e [jara janeljas de diversas qualidades:
colx d- seda e de 15a e de inda para camas de univfts.
EpinR'. uvurlo de laa seda de cures. 6 omito elegante fazenda para
ora Uou'o vestid. Sedas de cores e pwtas. gH*vupo de seda branco e de cores coro
inadas, panos, caseiniras e matas oulias fazerni.\s cujus preQ-os s3o en^
muite mdicos. Grande sortimento de camisas para hnnwm, taoto tisas como bordada.
c de edi
Continuam sempre a ter grande vari tapetes para sof, par; casaa. e
pira pianno. por 5<> do tapetes em pecas para al.aliiar saiue- e grande qiNindade da
Esleirs da India para forrar salas.
COtfEIT.MIA DOS t\t\t/iS
18 RA DI CRUZIB
Ha diariamente sortimento de bojlinhos para cha. fiambre, pastis de differen
tes qualidades, vinhos depsup.-rior qnalidade, chi Hkson prtf, e mindo, o melhor qu
se pode encontrar no nWcado, amendoas confeit fas. xaropes refrigerantes, dot^s d
calda, etc.
Ir.cumbe-se de encommendas para grandes jamares, bailes, baptisados e ca
snenlos, a saber:
Pecas de nongat. Paes-de-lnt enfeitados.
Ditas de pn-de-lot. Boljos idem.
Ditas de tmara de oros. Pratos de doce, de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas Mhadas de crme e carne.
Bandeja com arnwcSq de assnrar. fimpadas.
_________________!------di---------------------&j-------------------------------------------------------------
C08TUEIK4 E MODISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tea a bi>wra de pariecipar ao respeitave publico o em paicular seos fregne-
|ue. palas relac^ea qiie acaba deem-etar com algumascostureirase modistas das mai>
afamadas dtj Pars, que todos os mey.es the man-lam figurines, de vestidos, man-
t-letes o chapetas qtw est no mai da para fazer vestidos pera passeio e visitas, bailes e casamenu*. As senioras qu-
a honrarecoma sua ftieiaurzia, no dt pela barateza das precos e prompi-idSo na eirtrega ras encommendas ; Utmbem tem bo-
nitos enfeites muito modernos* de todasas cores. Fazem-se chapeos de todas as qualdade'
tanto d filo como de pama.
G z, 1 ta a 8A500.
Dito em garrafa a 400 rs.
Latas de peixe a MM) rs.
Bolaxinhas beato Antonio a l^A9alata-
Latas de pao-de-l a 900 rs.
Biter em garrafas a 800 rs.
Licores finos como coracnl, amisada, e
outras muias marcas a I 000 rs.
Estrilinhas para .-Opa a 800 rs. por 500
grammas.
Marrasquino de zeroa 1 a garrafa.
Massa de tomate a 720 por SOOfram-
mas.
acuna est especificad!, adverte a todo^
que n3o conheom o peso de 500 grammas, mais de urna libra, e se evp*ar4 qaell' s
que nao entendem. _____________________
VEJAM QUE DIABRURA
Tirar premio sem comprar bilhetes
Isto s pode ser artes do
lili
BOM DEMONIO
EsldecitliJo=o intitulo marcha!
Leiam-==ailmirem
E...... espalhem pelo universo
SE TAO EXTRANHO ASSDMPTO CABE EM VEH&O.
BOAS FESTAS SKM CSTAR D1NUEIRO
I
dkmomio resolvou mimosear d'ow
de urna vez ihe comprar 6ifl0D do
assim por diauto sempro TUaVbith|o
Diie PEftrxfHt
' No intuito de fazer uim falla/la u iiom
em dianle com um biuVtc a qualquer pissoa que
gneros, com dous a quera comprar !0r>000, e
I 'i \V a1 O 11 '1 *a'\(lO>D
Cada'um desse* bilhetes lados de man b-'ijada pmporeiooar aoMrUdoi-
o direito de receber um dos premies abaim mencionados, se a ro.la da forUma me m
propicia coincidindo o numero do dito bilbete com o do que tuar urna das tre 30rtes
maiores da Ia lotoria que correr m-sta provincia no mez de dezemhro vtndour.
Y
9L
gigo de cliainpagne, valor....... 30000
caixa do vinho do Porto.(Metieres).. *t-500(
duzia de garrafas do cereveja (,Bass) 9>00(
presunto de fiambre........... 15 '00
quedo prato................... (i^OOO
dtto flamero.................. 35000
latas de marmelada lina.......... (OOO
caixa de pacas................. 8 1O0AO00
liba
1 ,'t gigo de chimi'a(r:e, valor............ LS.40QO
6 ^arralas de vmhu do Porto (Menerts)... HA300
0 ditas de cerveja (Bass).............. 4 500
3neijo prato....................... <#00
ito flameugo...................... lOOO
i/ caixa de pacas..................... *300O
latas de marmelada................. 6* 505000
1 qnei,
1 dito
lilIHf I III; !
0 garrafas do vinl o do Porto (Meneies), valor.. 1 lX0U
6 aftas do eerwja (Ba>s)... .............. 4550Q
1 queijo prato........................... 65000
1/2 caixa de charutos de Simas............... 3>0OO
MAIS DIABRBAS
OVO"
Se a pessoa a quera a snrtu houve tavorecido quizr trocar
os gneros cima mencionados ou preferirir receber o respeew valor m
se ter duvida em^atisfazer.
Venhara, fregnezes
Da praqa e mato,
Comprar barato
Aq BOM DEMONIO '
Prapa da Boa-Vista n. 32, esquina d rw
do Arago.

MB
'' illa*


III'
Diario de Peftiambuco Sexta felfa 10 de Setembro de 1869.
,
r
)

A ESMERALDA
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no sen estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
prapa, e por precos o mais resumido possi-
veL Tambem comoram ouro, prata e pe-
dras preciosas
\ 5 RIJA DO CANGA \ 5
V
... ., ..- i ji ~ I
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarocar algodSo, do
milito conhefcido fabricante Eagle Cotteu Gin.
MACHINAS ditas; tambera de serrotes e de Mos os tamanhos para descarot-ar, al-
god do autor New York Cottot Gin.
MACHINAS ditas de lodos os tataanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Uoller Gins, de cujo trafcaltoo faz obter msis .OOO era arroba
de algodo.
UACHINA3 do faco do fabricante Platt B. A C. Obdhan PateatLiverpool.
Todas estas machinas sao de superiar ijualidade e as melbores que tm
vndo ao mercado ; e para a sua apreciaco convidam-se. os senhores agricultores 3
ra a exposico das mesinas na ra da Cade a de Recife n. 06 A, loja do Bastee, oade
encootrarao mais o seguate :
ios ?o:ooo$o#o
CASA DA FORTUNA
lina do Crespo n.'9'l.
O nbaixo assignado tendo obtido liceii sidencia e satisfeito as outras exigencias da lei.
avisa ao rcsp-itivel publico que ter sempro a
venda no seu csubeloeiinenio bilhntes das lote-
ras do Rio d Janeiro, cujos pretiri scrao pagos
promptamentc avistadas lisias com o descont
smente da lei.
Precos:Inieiros.. 2'i000
Meios... 125000
(Juartos. COOO
E cm fjuanlidade maior do lOOjOOO na razan
de 22000 por bilnele.
Manuel Martina Pinza.
O advitgado
Affonso de Alhaquerqne Mello nmdou o sen es-
criplorio para a ra das Cruzes n. 37. defronte Ja
tyi>ographa dn Diario._________________
Dividas.
O abaixo assignado, arrematante das dividas do
espolio do finado Ji'St* Manocl Percira de Menda-
nha, avisa aos devedorrs do dito finado que man-
dein satisfazr seus delitos, no praso de 30 dias,
contados da data deste, findo o qoal proceder a
cobranoa judicialmente ; na ra da* Cinco Ponas
n. 82. Recife 24 da agosto de J869
Joao de Azevedo Pcreira.
Jfocas das caricas ffliaes do banco do Bratil.
iroeam-e com mdico descont, na loja de Manoel
3oare* Ptaheiro, Braca da Independencia n. 21
GRiNOEHOTtr
DE
Ama de leitc.
fcj
Precisa-so de urna ania de leite : a tratar na
ra Nova n. ".
O dvogado Dr. Antonio de Vis-
concellos Menezes de Drummorid,
mndou o seu escriptorio para a ra'
do Imperador n. 20, onde podo
ser procurado para o exercicio de
sua prolisslo em todos os dias
uteis das 10 horas da manbSa at
as 4 horas da tarde. Fra dessas
horas, o para quolquer occorrencia-
urgente, ser encontrado no seu
domicilio, ra da Aurora n. id.
ORIENTE
Ra larga do Rosario 11. 44
EspccUltaade na preparado dos gneros ali-
ncnticios, pr miptidao o asseio as cneummendas
1 boa organisaeao no estabelecimento. Heeebem-
56 asignaturas para o estabelecimento c a domici-
lio, facilita se a leitura do jornaes nacionaes e es-
trangeiros Kspac >sa sala para o elegante jogo de
bilhar, C ha docente e cominoda hospedagein.
* Ama de leite
Precisa- o de tima ama de leite para etiar urna
crianza do idade de anno e meio : a tratar na
111.1 do Apdlo n. 44.
t mpaahia Ptrnamhncaua
De ordem Jo conscliio de dirceeao da compa-
nhia Pernambucana se az publico que somonte
at o din 30 do crcente mez serio aceitas asig
niiuis de arrJtel da mesma companhia coja
emisso se ada annunciada. Peiw mbueo 2 de
seteuibro do 1869. O gerente, F. *. Borge*.
Oebulhadores para milito.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carriohos de nao.
Machinas para cortar apim.
Catinos de chumbo.
Bombas de Japy.
Bitas americanas.
Tenas da ferro gnlvanisadas.
FoihaJ de zinco finas.
itas de cobre e lato.
Ferro de todas as quulidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flaudres.
Machados americanos.
Facoes ditos.
alaios e cestas de verguioha.
Vassooras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente rnnitos outros artig
diversidade seria enfadouho ennnmt'.ra-los.
Follia de ferro.
Balarlas amtrioanas.
Tinas de madeira amerianas.
Ps de ferro ditas.
HaMcs de madeira ditos.
Twitos de bandejas fiaas.
Treus completos pata eoziua.
Pemras para padarias.
Baldas galvaaisados.
Citrrentes de ferro pata almanjarras.
Espingardas e rcweivers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para eBgoramar.
Moinhos para refinaces.
A/eite do espermaceto. proprio- para machi-
Has de todas as quididades.
Serrss avuisas para macliinas.
.Vancaes c todos os mais pertencos pan as
mesmas.
Lat6 de, gaz,
ospertenceutes lavoura e artes, quo pela
* COMPANHIA
DOS
TRLHOS URBANOS
DO
RECIFE A9 OliI\\.
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas effectuarem no praso
de 10 dias (a contar do dia 5 de setembro
proximola 41 prestaco de suas aecAes na ra-
K9o de 40 % Para esse lim ser encon-
trado o Sr. thesouieiro todos os dias uteis
desde as 11 horas da manhaa at s 2 da
tarde no seu escriptorio, ra Nova n. 15.
Kscrtplorio da esmpanhia, .10 de agosto
de 150.
Io secretario,
__________Iheo. Jitst.
J)s Martir.s Alvos di Cruz, faz
seietrte aos seus unigos c comitentes, quo
mudou sua residencia da ra doFogo n.
i), para a d* Hortes n. !)6. aotide prometie
comurir suas orrtens como do costume e
pratica. _________-
Antuiiio llenrique Rmlrigues e Joao Pe>Iro
Rodrigue?, tendo de mandar celebrar urna missa
na matriz do Corno Santo, s.'gundal'eira 6 do cor
rent, as 8 luirs da manhaa, por ser o l*anmrer-
sarro do passamento de sua prenda mai D. Car-
lotaaiia Joaquina R'drigo.'s, con idam a *w*
partfrte* e pesaoas de sua amizade para assistiretn
a este acto roliginso. ____
mmmmmammmmmmmmsm
Prei-.isa-se do una ama para comprar, eozi-
nhar e engotr.mar para urna pessoa : na ra da
Sentala-v-lba n. 132, 2a andar.________________
Joaqiiiw de V^sconcellos Pinto declara aos
seus fieguezes amigse conhecidos, que contina
a comprar as-ucar bu armazein defronie da esla-
eao, eio Uamelleii-a, c pede a seus fregueze. que
cura elle tem mtaaoea de Mjpxin), facam dili-
gencia de saldareni suas cantas esta safra, bi'in
cuno fornec-se saceos para receber a pagamento.
^ECiL
EM
feordeiro previdente
Ra lo uneiuaatlo u. 1.
Novo o vanado sortimento de perfumaras
finas, e nitros ofejectos.
Aiem do conipltto sortiimuto de pertu-
oarias, de que efectivamente est provida a
oja do Oinleiro Preridente, ella acaba de
eceber um nutro surtimento que se torna
lotavel pela variedade de objectos, superiort-
lade, qilandadea e commodidades de pre-
;os; assnn.pois, o Cordeiro Pre vidente pede
espera continuar a merecer a apreciagao
lo respeitavcl publico em geral e de sua
toa freguezia em particular, u5o se afas-
ando elle de sua bem conhecida mansido
1 bartala. Em dita loja encontrara os
ipruciadorea do bom:
Afroa divina de E. Goudray.
l>ita verdadeira de Murray Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fra'n-
jeza, todas dos mclhores c mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de iarangeiraa.
Dita dos "Alpes, e vilete para toilei.
Elixir odontalgico para conservado do
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
M ajiradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, corn
jomada lina para cabello.
A VERDADE
55
Ruado Quciinailit5>
A VERDADE tenilo em difn d
qnanlidade demindezasc peifurnaiias. e de
tejando apurar dir.hciroe adqnerir boa fie
iiiezia esl rssolvida a vendei 11 nitfcs
liar ato. ; por essa razao convida an n i
lave! publico a vir coinpei.:.!un i '
do a soitir-se do bomebaratu. Pois qu. 1
do a Verdade apparece, ludo mais daa>
apparece-----
Grande sortimento de honeros de
massa as mais lindas possieis vestidas p
radar.
Huos lobos para candieiro de gaz a 48f&
(hamm a....... :>
Grande sortimento de ohjtlos de
louga par brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida verdadeira a
Dita com -'ila dita a .
Frasco com oleo de babosa 1 888 o
Dito com agua de Colonia a 3(10 o
Garrafa com agua divina a. .
Frasco com extractos DnM a .
LaUs pequeas tom banh muito
lina a li> o......
Sadonetes de diversas quili 'ades a
80, 1(50. M)e.
Frascos com .lita japuneza, transparente | pnas (,SC()V;JS p3ra lK,n,..s ,,,, 10a
Do llr. tm
Aluga-M a casa n. 48 da travesa de S. Joao
com 2 salas, 2 quartos, quintal e cacimba, preco
de 11*1100 : a tratar n > mhwi lugar.
A.
Supe s de cor o Ustras a 1^08 a covado.
Linda nas de la:*, com grande variedade de cores escuras e claras a
5S0 rs. o cova 10.
f*ecas de musselina branca com salpicos e com sote metros cada peca, pelo ba-
atissimo preca de 4^000 a poca : na loja das dlnmuas, ra do Crespo n. 13, de
A'itoaio Correa de Vasconcellos A C.
Precisa-so de iimu mm bvre ou cscrova para
todivo servico de easa de pepuena familia: na
ra das Cruzes a 4.
Pre<'isa-sc de urna ata |ue aiba cosinhar : a
tratar na na dn Qa^madn n. M" _________
Ama
PKIT (RAL MV. PJUEJA
cura patisica e tudas as molestias do pello.
SALSA l'ARRILHA
cura ulcens o cliagas amigas, empjgens c darlos.
TOSICG
conserva c timpa os cabeitos.
PILLLAS CATHARTCAS
puramente vegetaes fl sem me re n rio, cura seses.
Barajan! e purificam todo o.systema humano : ven
unicamento em casa de Samuel P. Juhnslon
i C-, ra da Snazala-nitV n. 12
Opera Italiana.
"Eticonlra-so em casa Andr Delsnc.
cabHleroiro, tua do Crespo n. 7, Io an-
dar, um bonito sortimento do I uvas de pel-
lica, marca garantida de Jouvm.
outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
0 de vilela.
Outras concentradas o de cheiros igual-
oente tinas e afiradaveis.
Ojeo pliiloeome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidadi
;om escolhidos che ros, em frascos de diffe-
! entes tamanhos.
Sabonctes em barras, maiores e menores
I para mi>>.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos-muilo linos em caixiuha para barba.
Caixinlias com bonitos sabonctes imitando
'ructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
aas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas do papeleo igualmente bonitas, lam-
iera de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
noldes novos o elegantes, com pode arroz
! boneca.
Especial p de arroz sem composicao de
meiro, e por isso o mais proprio para cran-
os.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de camphora e oulras deferentes
jualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Um oulro sortimento de coques de ri-
os e bonitos moldes com filis de vidrilbos
it
m
i|8ttC>
l*> D
lii)
SOD
Ryoo
sos
6i0
32
7t'
50D
240
iOO
80
888
l00D
!i()
AHira-se
o 2 andar c sotan do sobrado da ra do Araga-)
n I, com muitos cmnmod"S e bastante assewdo,
vistQ ter-se reedificado ha poneos dias, arha-se a
chave no h andar do nvanvi para quem quiwr
ve-lo. e ahi saher onde se aluga.
na ra
Prec~a-so de um inesire de franeez
do Queimado n. 19.______________________^_
Ao CdTtlHKTcio.
Francisco Ferreira da Silva declara ao commer-
cio que de hontem em dame a taberna sita na tra-
versa da ra das Crnze- n. 12, qao gyrava sob a
linna de Miranda & Silva, ilem somente perten-
eendn U-do o aetiv i o partvn ao annunciaute. vi ter o sucio Manoel de Miranda da Pedra Jnior,
a : > di-silvido a snciedado da referida
taberna.Bi
Precisa-sc do uie.a escrava que eosinhe o dia-
rio de urna casa Jh lainilia, fana as coinpra>, pa-
ga-aeiMin : na ra dis Pin sobrado a. 7.
BespediAi.
Caaido Alberto Soitr da M-tta nao podondi),
pea brevida.le de aa pui'ti la ao suido imperio,
despeilir-se de cad* ni do totkis deseuipa dt-ssa involuntaria falla, o offerece
11 sen Itinitaoo pre*tno em qualquer lugar em
i|lie se ache.
Aiuga-so uina mulata enzmheia e co>iinei
ra : a tratar com*AUino Jos Ferrara da Cunba.
no larga de S Pedro a. 4.
Nooiiaoda mairii da Hoa-Vita n. I. pivri-
sa-so alugar una escrava para vender taboleiro
com bolos, co seu serifcor garanta sna conducta.
= Na ra dn Vigario n. 7. armazein, preeisa-s
aluzar um escravo para >erv 5. 1I0 casa, a quem
*e Har boa paga o mu**!", p poendo ir dormir *m
i-asa ao seu senhor, bastando se achar as 7'hoeas
da manlWia.
Feitor
Preeisa-ae de um feitor de meia dado, cisado,
que d 6ador a sua coaducta : na ra do Ara-
gao n. :J2.
0 MUSEO DE JOIAS
GOMES DE MATTOS IRMOS
^
ZSZ
tendo feito eompleta mudanqa em sea autigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o m de
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom grosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da nonte na
RUI DO CABUGA H. k
oiwle ncontraro un completo sortimento do que ha le mais elefante.
bello e precioso em brilhant.es, esmeraldas, rubins e tild que em obras
de ouro. prata e platitiH se pode desejar.
ftOEREQOS DE BRILHANTES. ESMERALDAS E RUBINS
de novo gostos, assim como grande variedade de hIvhm e palileiros te
prata contrastada e le oosto aimia nio visto, e completo sortintento de
objectos le prata. para uso das igrejas,
Comprara e trocara qualquer joia ou pedra preciosa e garanten!
a qualidatie dos objectos vendidos.
Attencao.
C nstando-ao aharxo assisnado que a sua mu-
Iher Mara Christiana Bastni Viania cnduzio
bontem, 5 do coi rente, em sua companhia para a
(-idade doRorife ilnuseM-ravns. tlornelio e Lito.
n priineiro de2i a 25 anm-s de idade e o segundo
de 12, e qoens pretende vemer ; declara ao nn-
blico, para que niiignem se chame a engao, que
sua inulher que raove mntr o abaixo asignad-
aceSode divorcio, nao pode disiir d'csses escra-
vos, e que o ine-uia abaixo a-signado dar-eba
pri-sa em promover peh- meios lgaos a nullida-
do de qoaJilur negocio que se flzer com os referi
rtos eseravos.
Kogenho GoyaOM Grande, 6 de setembro de
IS69.
Jnn Francisco Cntnlcvnti dp Aqlbmierguf.
"OBTB mu \wmim
As pilul'SJirti-(!^rindica3 de Pinto.
nico deposito dest s medicamentos na
pliarmacia il) seu autor ra larga do R-
ario ii. 10, junto ao quartcJ do cotpo de
imlicia.
COMPRAS.
Com muito maior van'agem compram-se
moedas de ouro e prata : na loja do joias do Co-
laiaoitc Ooio n. -i D. roa 0 iiiiZtM) iW joias
Na ra do t^itiug n. 4 compra-se ouro, prata
pedras preciosa.s por precos mais vantajosos di
iue em mitra qualqner liarte._________________
Ouro e p 'ata
ftooipram.se aweda? de onro e tj-ata de tmla-
aa qualidade. pur borfi prfijo : na nto da Cadeia
,lo Itewfc n. i>8. loja _CmoriHa--e moed.i- ib* un e prata o> to-
dos os valores, onro e prata em obran inutili-ada-.
hrilhantes e mais pedra? jwvciosa* : na loja de
ourives do arco VOnceiea, no Iteeife.
alguos d'ulles ornados de floras e fitas,
sto todos expostos apreciaran de quem
s pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHS BOftDADOS.
Obras de muito (justo e perfeic.
Fiveilasc Olas para clnlos.
Bello e vaiwdi sortimento de taes objec-
tos, cando a boa esco'ha ao gusto do com-
irador.
Assucar de o\lo de ferro de
Chanteaud.
O asaltear fe rug noso de Chanteaud obiid
jiela associa^a,i do exido de ferro niteirmnente . lurel com o a-sucar cuidaJosanienie pnrilicado.
Este amarar, de urna bella apparenria crystalina,
tem o simples gusto mui agradavel do assurar.
sem o menor sab -r adstringente : nao tem arelo
irritante untire a mucosa do estomago e enti'htinos.
e rpidamente absorvido (lelo apparelho digest
vo sem causar m c.onsiioa^-s do ventre.
K' h 'je o preparado do Trro de mais aceitarn
uara a chl iroso alonia din orgaos, perda brancas,
menstruacocs difflruis. ele, e tem a eu favor o
jui/o aniorisado da esc la de medicina de Pars,
e dos ctiiottoa o mais notavi'is.
DEi'OSlTt) ESPECIAL,
Pharmacia de Ba'thi'I imea t'.., rna larga do
Rosario n. :14.
Luidos laques modernos a.
Pavios para gaz, duzia a SHA o .
Escovas |iara fado a 0, C00 c
itas para cabello a.....
Pentes para tirar piorno a !>0 e.
Brincos de cores, bonitos a Iti e
Pecas de tranca de la com 8
\aras por.....7 .
; Oleo para machina de costura,
frasco a....... .
Pi unas d'aco finas caixas a 800 e
Di i a d*aco Perry, caixa a. .
Galn de algodo pcea .
Lindos babadinhos e entremeios
peca de 500 a. .. .
Bnies do madreperola, groza a
Di'os de.louca muito fino a 40 o
Ditos para caiga a ir-O o. .
Caixa cora papel amizade a. .
Ditas com envclopes a. .
Ditas cim obre as a. .
Caix i com agulhas fundo dotiraflo
Ditas de dilas ditas a.....
Thesoura para coslma a 2*0e
Caixa com buha de marca a .
Linda de cores ira noviloa (li-
bra) a........
Carreteis de linlia Alexandre de 70
al 200. .......
Grampos muito linos co>n pas-;-
ros, dnzia a......
Cartas porttiguezas, duzia a .
Ditas l'rancezas a 2 >00 e .
Pajel almaco e de peso, resma a
;>oo. -.hvm o .
aa muito lina para bordar, libra
Rita de algi.dao para debinm de .
sapatos, pega a.....
| Ditas de 15a para debrum de ves-
tirlo, peca, a......
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 210. 320 e......
Caivetes grandes com molla a .
Ditos para aparar penna a .
Cartoes com colxetes a .
Hosi'tas pretas, par a .
Tranca ee laa d caiacol peca 110 o
r'ita de coz pega a 480 e .
Alfineles de la'ao a.....
Sapatos de laa para menino a 240a
Ligas pa a senhora. par a. .
Grvala de sedas de ores a .
C/dcadeiras a......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio d- borracha por
lOOiisrim
\u Verdade rna d ^ueinsader
t. ...
200

n.ooo
llano
700
m
w
320
MI
Vende--e a armac da loja n. i'i A sita a
roa do Hurtas, eir perfeito estado toda pintada e
de bom lonro, propria para quem quizer. e-tai>e.
leeer um deposito no fabrica de' cigarros e cha-
rutos : a tratar na loja^roiiagiin n W.
CEGARREIROS.
\o amaMtn n. 18. iravessa ila Madre de Deo-,
^ende-?e pa|K'l de seda para cigarro, marea muito
grande, e snperior qo.iliibtde. p ir pree" cnunjodo.
Wielr-se una iMHiai'i de 19 a O amios, la
va,c izinhac engomma muito bem. sem vicios eni
ichaques : a tratar na rna de Sanio Amaro n. 2
defriinte da e.ipella da Soledad? _____________
~ >alre^ra*0IIO a arroba
Vende-s- saMr ct vsiabsado a li a a roba : n
ra da Cadeia do Recife n. 7.
t-r-.
Co'iipra-ieliia c^cravu oViiu-ia nlade. sa-
ia. e bons -w tu raes : na ra do Crespo n.' I?, 1
and r.
Vende-se, na ra da Aurora n. 6. um encl-
lenle escravo pardinho, de cor escura, de |:t anuos
de idade, boa lUiura. ruhusto, offi-ul de alfaiate, e
ciin principio >le boleein-, ptimo para pagem.
Vende-se u na negrmha de ti annos, com
hahili'lad- s : na rna da Penha n. 5, Io andar. r
Vende-'-e nina caimca de ravallo cmn ai-
xo, coheitn, or.jiria para relioacao na padaria :
para wr e tratar, na ofOrina do S'. tirios, em S
iongate. ________. ________
-^ .Vi-mleiij -se ijuairo lindas ile ratioas para
..berlina dat mesmas, sendo de amorello, e por
proc<> comoiodo ; dua- grades de fctrn para ja-
nellas, de t:t palmo- de altura e 6 de largura ; e
ama divisii de amarello para escript'iHi, fu
Hirt, obra superior : a tratar na ra do Monde-
go, olaria n. t:t.________________ _______
Veude-se luna escrava de idaOe 14 anno>>
erii'Ulo, com habilidades ; na roa da Penha n. .'i.
t andar.
Coaipram-se e vemlem diHPiani<>iilepara tr
e deniio da provincia eseravos ite tudas as idad**-,
.Mires e sexos, com loito que sejam sadios : no
ereeirn aiai d i sobrado n. 36, rua das Cruzes.
freguezia de Santo Antonio.
Attenqo
VNDAS.
MUSEO E JOIAS
Ven lee ama em'* q paga 1.000 lijlo-
,Tossi s : iir .tar ni rm dn 4a irtni n. ~i7.
Para cabriole!
Vende-si ui ni-" e;i\MtliKh-mti estampa, gordi
e uiinieilo. iwiito'tnita4 -ochetra di Thomaz, raa Santo Aair, dafn-n
tena e>iac.io._________________________
- Vend'.-n urna-preta 4 meia idade, de ta>
), |)ir6WS: o i rna iIk Ft ires n. 7.
ATTENCAO
I No nrmazem W roa de Anillo n. 28 ha para
vender nma rwtoirlnhn nfl ajrtanq-)im com todo?
i prrirnaas, em nualto bem otado, o por prct
1 commodo.
Vendem-se os eslabeftelmentos de taberna i
padana da Ponte de Uchoa, para pag ment ib s
Mviliire-: avalar na ra do Itos;..... da B>>*
Vista ii. W.
Pars, 36,RuaVivlenue, O*
CHABLCMDtCtN
|SWHl.il
I" .M1.!'
'A I
I
IIKSIM \i Ai s. -. aFFW>
lt BkAt/iKti ny SARGUa
I '.nenOeunsdaswniongiM
I mstuia* hir/irii, eM
f imixoe$.aeria>onta,$i
I t$oet, komu ito MM-
,it; mrv. olte^UfO!
a. \jr.i,.. v^etai afcarioi B>ia-
rmi>- ...-e. iim '?'
lumlo-sn mu. \>ur semao -*gimlo o inciiaanit
OEPURATIF
.m SANG
u-
PLUS ot
COPAHU
rugido n> aeat> ammtiu
R.t laniue OiineM Al
fen> 4 CtURl.K ear
iiBiuei1iiitainRniet)aalqiW
t i{rbiltdiui$. ignaj.
asau us /'io- flu n hrnn^iu la- oiarhar.
Esi fjete"" benipa amcraga-u con o Iar*pa 4*
CilroflCi. dt Ftto
ruurrulftata Pnid ( as cara em tn* i\u
POMADA ANTIHEHPETICA
Contra oai u/feepo (RUniuro* eomixoM
PILULAS VEGETAES OEPURATIVAI
a av ciaaikto. ntla (:u t aeaaa*aata Ai
ib foiiAa ^^
105
m
C0
itiD
8())
M)
CO
80
POTASSADARUSSIA
A mais nova so mercado, pret,-.. iaz avel : w
armazem de Manoel T Basto, roa do C iniiiorrK
n. R.
Ll
para encanamenlo dagoa
Canos de ferro forrados de porreana, e Sta
nhados. qp diver as givssuras : venda na rus
do Queimado. Azevedo A Irnia__________^_
Veiiae-se a taberna da ra de Sania bita n. ,
o na mesma casa vende-se nina mesa Jiraw. i
dita redonda, e mais alguns bbjectos em bom t *
do; vende-se ein coula por o dono retirar se faf.*.
fra : a tratar na mesma.
lo'ft.lnf!,
Re* tai
Ja ie,
ff fa;
Garanto-se a rasa, porlaot faz c-nt.
apenas algumas mercaderas e arh aco
flaeao do nrniazem da loja rna Unta n.
sciente ao publico inlereesad*, one IhHjiia-M i
armaeao e mereadnrias exisienie arala no di lo
armazem, e por consequeneia t negocio inc;
tavelmente vantajosn, visto que, se g; r.-.ntc a ra i
quem 'pretender dirija-se tratar no ni. sino ar
mazem.
A ra do Livrsmento n. 0. ldiirnAa a ha
vep para vrnrtcr por pivi;os raaoaveis, "
mcHior noIiu verde at huje. indo a
mercado.
Jos Marta Pahneira cimrim.i vcni'rem si-
escriptorio. largo do Corpn Samo n. 4, 1 an*.:
Putassa da Musida superior.
Lonas da RUS'-I de superior imaliLiile.
Rrinzoes da Russia de superior qualida!e.
Cemento P-rtiMid.
Dito R Pao de aigedan, do comraendadiir Peilroso.
Vlnho ordeaiit.
Taberna.
Vende-r-e urna etreilente talen a na rna I1
n. 92, na freguezia dr* Af"gados, a iflaM^tii
acreditaaa, tend" p-mros fundos, pr> pria pa
tfllin principiante ; p inow de-sa venda
ao pretendenu> AdVerte-se que o nn-nn
iecimento tem hnns eomraodi-s, aomiut
dar do solirado per rima do relefito e tal
lo : a tratar na mesma, ou na ra do R
acouguc u. OJ.
'I



Ciarlo de Pei-nambuco Sexta
LIQUIDADO
SEMI
0 proprietario do armazem Je fazenda> denominada ARARA, ra da Impera-
trjz n. 72, declara w respeitavel publico eseus freguea, qtK est liquidando todas as
c r a'inuncio e preco abaiso mencionados,
Chitas fraacezas matiza-la* A \lojISo cnfestalo OOO rs.
3 rs.
Vende-se chitas francezas
Vende-se algodo enfestado proprio para
escaras matiza- \mr)GS c toilhas, JOO rs. o metro, dito
daia320 rs.o covado per este preco sna trancado a l->, metro.
Ijji da Arar, rn.i da imperatrizn. T-.
LUZINffAS A 240 US.
Vende-se laziohas pa>a vestidos de sc-
i'iora a iO, 30, '0 c 400 rs. o co-
\ido.
BAREGBS DE .U A 50) fi>.
Vonde-Se b.irges de liia com ls'.ras para
\v'sti I >s do seuhon a SOO c O'0 rs.o
( >\Mi|0.
Alpacas de llstras a SO rs.
Vende-se alpacas de luirs para vesti-
dos de senhora a 300 rs. o covtdo.
CHITAS FKANCKZAS A 80 US.
Vende-se chitas francezas claras a 80 rs.
o (ovad '.
CURTES DS LA PAR l VES^flpOS A
Vende se corles d la para vestidos de
senlioras a 2,->()0 cada un,
l'KltCLKS A U US. O COVADO.
Vende-se percales uito linos para ves-
tidos ile senhora a 440 rs. o covado, mur-
kolinas blancas linas. aOOrs. o covado,
bn llantinas de cores, a 440 rs. o covado.
(Saldes modernos de todas as
cores.
Vendes hales moderno sbranco e de co-
res a 3. 4#>H) e 50.
GOBERTOHES DE ADGODAO A I $500.
Vende-se cobertores do algodo a IfloOO,
Cobertis dii chitas a lfiOO e 2.-> cada urna,
GANGAS PAMA CALCA A320KS.
Vende-se ganga para caifa a 320 o cova-
do, brim de cms para calcas de liaraem o
meninos a 400 rs. o covado, casemiras de
cores para calca c palitols a $$800 c 3,
O covado, nejad casemiras entestadas para
calcase palitots a 15 o covado, brim parlo
de todas as qualidades e brim branco de
todas as qualidades na ra da Imperatriz
n. 72.
Alpacas lizas a 49 rs.
Vendo se alpacas de cores lizas linas a
QiO rs. o covado, tarlatat as de cores a 320
rs. o metro
.\UD\POLAO ENFESTADO A 3-5500.
Wiid se pecas de madapolo enfestado
a -<500. pecas de madapolo inglez de 24
jardas a *. 05.00, 70, 84 e lo a peca.
Chales de merl.-a a 3-. '
Vende-se chales de merino estampados
a >, chales brancos e de cores a 15000
cada um.
CORTES DE BRIM CASTOR PARA CALCA
A 40 RS.
V:'i,de-sc urna grande porco do cortes
de brim castor paracal<;a de homcm, 040
rs. cada um.
Uraade porco de retalhos
Vende-se grande porco de retalhos de
chitas c cassas pretas a 100 e 00 rs. o
cava Jo, retalhos de cassas, la e chitas de
cores baratissimos.
LIQUIDABA A ROIPA FE1TA
Vende-se palitots de brim de cores a %?,
dilos de alpacas de cores a25, dios de
acta casemira a <> c 2 5 500. ditos de pan-
no preto bom a 8 e 10>. caigas de algo-
do azul para escravns a 040 rs. ditas de
algodo de listras a 800 e 15, camisas de
iscado de listras a 800 rs. cada urna, cole-
tes de brim e fusto de cores a 1,5 el #500,
coleles de cesemira de cores a 25500 e 35,
e potras multas qualidades de roupas feitas
que se vende por baratsimo preco.
Algodo de listras a 999' rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravns a 00 rs. o covado.
PEgA DE ALGODaO A 45.
Vendem-se pecas de algodo 45000,
55200 65O0Oe75, para liquidar,
lia!cs de arcos a 1 599.
Vende-se balSes de arcos pan senhoras
pelo baratissimo precn de I55IM) cada um,
Cortes de cambraia barras
a S&OOO.
Vende-se corlee de cambraias barrsa a
25 e 35 cada um.
LENCOS DE SEDA A 640 RS.
Vende-se lencos de sida a 640 rs. cada
um, para liquidar-
CARTEIRA PARA VIAGEM A 15.
Vende-se carteiras para viagem 15
cada urna.
Assim como vende-se chitas para cobert-s, a 240, 280 e 320 rs. o covado,
ellas antas que se acabem todas mais fazendas o roupas feitas. e que pelo preco que
m vender ou liquidar, poucos das poder durar, o quem se quizer sortir de fazendas
fi nmpas feitas para a festa polo preco que Ihe agradar, se peder dirigir a ra da
imperatriz armazem da ARARA, que estar aberto todos os das- otis, das 6 horas da
tnanha, s 9 horas da noite.
72. Ra da Imperatriz. 72.
.
CONVITE GERAL.
O proprietario do armazem de fazendas den iminado Garibaldi, na ra da Impe-
ratriz n. 5ii. declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
ser, e desojando diminuir esto grande deposito por meio de urna liquidarlo que fin-
Jar no dia 15 ou 2u do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
le de boas fazendas, e por diminuto preco. a saber:
CHITAS LARGAS A280rs.
Vwmlem-se cutas franeczas largas a 280,
320 e WO rs. o covado.
ALGODO ENFEST \D0 TRANCADO A
15000.
V 'nde-se algodo enfestado trancado para
Jencoesi a 15000. dito liso enfestado a 900
o rajtro.
i: \SSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Ve idnro-se cassas francezas para vesti-
dos di* senhora a 240 e 280 rs. o covado.
M\D\POLAO ENFESTADO A 35300.
Vendem-se pecas de madapolo enfes-
tado a 35300, dito inglez de 24 jardas ou
2* metros a 55, U, 75, 85, 9 e 105, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
O RS.
Vende-se lanziohas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320. 400 e 500 rs. o
covado.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Veude-se barege de listas para vestidos
a 800 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5 O rs. 0 COVADO.
7>Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhon.
SEDAS DB CORES A 15.
VendH-se sedas de cores para vestidos de
senhora a 15 o covado.
POHOO DE RETALHOS.
Vende-se urna porco de retalhos de cas-
sas. d la e sedas e de outras fatendas
por muito barato preco.
A' eU-s ant^s que se acabem.
CH VLY DE CORES A 800 RS.
PARA COBERTAS A 280.
chitas francezas para cuberas
Vende-se chaly de listas de seda a 800 rs. acabar.
CHITAS
- Vende-se
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 25500.
Vende-se casemiras de cores a 25500 e
35000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 35000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda a 105 cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para ca'cas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Gangas para cale a 399 rs.
Vendem-se gangas d^- 'cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSEUNA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado. dita de cores a 440 o covado.
Percales linas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 25.
Vende-se lencos brancos a 25 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 15000, para aca-
bar.
GRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Vende-se a roupa feta por menos 26 ou
30 por.cento do que em nutra casa: por
isso os pretendemos poderao vir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Vlbutina preta a 320 rs. o covado, para
O covado.
CHALES DE CASSA A 15-
Tendrt-se diales de cassa a 15, e de me-
rino a 25.
CORTES. DB LAA A 25400 RS.
Vendem-se corles de la de listra para
vestidos de senhora a SA^OO rs. para aca-
bar.
\LG0n\0 A PECA 45000.
Vend^-se p.ras de algodo a 45, 55, 65
e 75 a eca. E rauilas outras cousas que
seria enfadonho menri^nar.
BALES DE ARCOS A 15500.
Venden -se baloes de 20 e 30 arcos a
15500 cada iim: ditos modernos a 45.
BRIM HAMBLRGO A 85000 A* PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo a 85. vem a ser mais barato do que
algodosinho.
CORTINADOS A 145000,
Vende-se cortinados pina cama a 145
para liquidar. Ditos para janellas a 75.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na ra da Imperatriz n. 56.
tf.
45 RIJA
Di CADEIA
DE
M 45
SOB A
)
,'O & c,
D1RECQ0 Dt rO IIABILARTISTA
Launano, i fniatc.
? P/PrielJar0S dosto novo estabeleciiento. tendo experimentado a necessidade
SIL tercnafdire^0 d0 sua ofliclfla de roupas por medida, um artista perito, tcm
con. atado o Sr. Launano Jos de Barros para tal mister, convicios de que satisfar
com lodo o capricho a vontade do fregu.
Tem o mesmo estabelecimento nm bom s-Ttimemto de fazendas proprias para
roupa* do homem, como sejam: casimira de cor, indos padres, completo sortimento de
pannos lios, preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins brancos V de
cores, merinos de diversas qualidades, bombazina, lindos cortes de gorguro para collete,
gorguro Pekn, superior qualidade.
Os freguezes encontraro anda um variado sortimento de roupa feita, camisas
inglezas, collarmnos, ceroulas, grvalas pelas e de phantasia, meias para bomens, se-
nhoras meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
baKes de diversas cores e modelos, cambraias, malas para viagem, e outros muitos ar-
tigos que amodicidadc.de seus precos incita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45
Ra do Qtteimado ns. 49 c 57__
fojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de seus estabe-
lecimentos por tsso queram apre-
ciar o que bom e baratissimo.
Pecas de liras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
15500,25, 35 e..... 4.-00O
Caixas de liaba com 50 novclfos 500
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a......25000
Pares de sapatos de tpele
(s grandes) a......15300
Duzias de metas cruss para ho -
mem a........3*800
Tramoias do Porto fazssda boa
c pelo preco memor tOO attos a 5200
Livros de missss abreviadas a 25000
Duzia de baralbos francezea muito
finos a25iOO e..... 58CM
Silabario portuguez com estam-
pas a ........ (320
Gravatas de cores e pretas muito
finas a........ 1500
Cartoes com colcbeies de fato
fazenda fina a...... 020
Abotuaduras- de vidre-para cotete
fazenda Sna a. jJSOO
Caixas com penna dfaco morto
^ finas a 32, 400, 500 e 15000
CartSes de linha Alejandre qu
tem 200 jardas a 5100
Garreteis de linha Al^randre do-
70at200a. 5100
Caixas com superiores obreias
de massa a...... 5040
Duzias de agulbas para machina 25000
Libras de pregos 'ranczes di-
verso tamanbo a. 240
Livros cscripturado para rol dee
roupa a. ...... .. 5120
Tal he res para meninos muito
finos a. ,....... '5240
Caixas com papel amizade muito
fino a........ 5700
Caixas com lOOenvelopes muito
finos a........ ,5600
Pentes volteados para meninas e
senhoras a...... 320
Thezouras" muilo finas para
unhas e costuras a -. 500
Tinteiros com tinta pret muito
boa a 80 120 e 5320
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a...... 5160
Pecas de fita branca elstica
muito fina a...... 200
No vellos de linha com 400 jarda 60
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a...... 25500
Grozas de botoes de louca muito
finos a. ...... I6f
Ij9JA
DO
GALLO VIGILANTE
lina o Crespo n. 9
Os proprietarios deste bcoi conhocido estabc-Ie-
cimenlo, alnt dos muito* objrclos que tinham ex-
poslos a apreciarlo do rc#pilnvel publico, iiian-
daram vir e acaban) de rcteber pelo ultimo Tapor
da Europa um completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as qnaes es-
to resolvi-los a vender, como de seu cosame,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas do pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cures.
Mui boas e bonitas gollinhas c puniros para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes do tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sena ellos; esta fazeuda o que podo haver
de melhor c mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madrcpcrola,
marflm, sndalo e osso, sendo aqueiles brancos
W^2-
Grande c completo sortimento de machinas para
desenrocar algodaude nova invencao chegadas ui-
tunamente em direitura para a" luja de Manoei
Ueniu de Oliveira Braga C, na ra Direilan.
33. Garante-so que a melhor qualidade que SI?
o presento tcm viodo ao mercado : acliam-se em
esposicao aos compradores.
Bvstema decimal.
Grande e completo sortimento de pesas kllo-
grammos de melhor comprehensao d'is quo tem
vindo at o presente, assim como marcos de laio
at meio grammo pelo mesmo sistema, balaoeai
de tatito de forca de o a 30 kilogrammos, metros
de madeira e delatao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas o ferragens de
rodas as qualidades, ludo por precos que s a vista
faz crediui : na ra Direila u. 53, toja de Manoei
Bento.de Oliveira Braga & C.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Risquit Dubouch A C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se cm casa de Th. Just. ra do
commercio n. 32.
e 0880,
com lindos desenlio, o estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam^ir 30*000 l,ara 'azer manteiga, camas
a duria, entretanto que nos as vendemos por 20*, casados, solteiros e crianca
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes alguma muilo
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
BAZAR UNIVERSAL
Riia Novatt
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os arligos que se ven-
dem por presos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos ossystemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposico servidos a electos para alrao-
Co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveispara
senhoras, candieiros para sala e cima de mesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar fartnha, ditas
de ferro para
berros, cadei
ras longas para viagem, ditas de balaoco.
espelhos de todos qs tamaitos, molduras
i para quadros gaz, baldes americanos, gu r-
castao de marfim com lindas o encantadoras figu-1 da comidas, brinquedos para crianQas, nm
ras do mesmo, neste genero o quo de melhor se; completo sortimento de cestinhas, oleados
pode desejar ; alem destas temos tambem grande para sa|a e n esa> tapetes para sala, quarto,
Machinas vapor de
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balanzas para armazem e balc3o.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas. para copiar carcas.
Fog3o americano patent
nuanlidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos cuicotiulios do cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda c borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para ui jai-
as de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo do marflm e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por irossa vez tam-
bem asseguramus sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capelias para noiva.
Superiores agulhas para machina c para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrntho.
Bons baralhos de cartas para voltarele, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das raelhorc3 per-
fumarias e dos memores o mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magn-ticos contra as convulsoes, c
faeilitam a deniicao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodisiosos
collares, e continuamos a recebe-los por toaos os
vapores, aflm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros GoMares, e os quaes attendendo-se ao fim
Sara que sao applicados, se rendero com um mui
minuto lucro.
Rogamos, pois, avista d: enjertos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a viren
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarn
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pen> ir examinar.
Exlraclnm eantis
Scbonete de alcatrdo.
DB
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to bo
acceita?3o tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura cerU
das impigens, sarnas, caspas e todas ai
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34rna larjra do Rosario34.
Este producto alimeirtacao para doentes, mui
apropriada para cranlas epara as pessas saas;
indispen-avel a todos, porm, principalmente aos
viajantos, que tero netlo o recurso de poderem
ter alimentaran de carne fresca incerruptivel, e
que com facilidade se aprompta e se cunduz, por-
que n'un pequeo volume carrega-se alimentaciio
para muito lempo. Sobretudo chama-si- a alten*
ca-' d EXTRACTUM CARNIS o recurso de aii menta (ao
agradavel, hygienica e barata para seus fmulos c
seus doentes.
Este producto fabricado pelo prooesso do dis-
tinelo medico Dr. Ubatuba, Rio-Grande do Sol,
que acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victorino de Rezende & C, ra da
Cada, escriptorio n. 52, primeiro andar, venden-
do-se :
No deposito a ra da Cada n. 32.
as pharmacias dos Srs.:
Manoei Alves Barbosa, mesma ra n. 61.
Joaquira de Almeida Pinto, ra largado Rosa-
rio n. 10.
Antonio Maria Marques Ferreira, praca da
Boa-Vista n. 91.
N. B. As latas que contem o extracto trazem
urna guia para seu uso. .
CEMENTO
PORTLAND.
3fVendo-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa t Filho, defronte do arco da Con-
ceicao. em barricas grandes.
Vende-se ps de lan-ngeiras de um-
bigo e da china, de sapoti de fructa-pSo,
lima doce e de umbigo e palmeiras: na
Ponte d'Ucbfta n. 10.
Novidade.
UVAS E MACAS
Chegaram no nltimo vapor da Europa, e acham-
se venda no petit restan rant do Hotel Central,
rna estrena do Rosario n. 4 A.
Xarope de fedegoso
de Pintxo
E* de urna efficacia verdadeiramentc ma-
ravilhosa como calmante do systema nervoso
e applicado contra a paralisia, asthma,
tosse convulsa ou coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, suffocaces, catharros,
bronchicos, etc., e em geral contra todos
os soffrimentos das vias respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua virtude contra
o totano ou espasmos, e convulsoes in-
contestavel, e ninguem ha que a desconhe-
ca. Ra Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.
ASBUL'BAS L!RADAS _
E
todas as molestias syphiliticas.
PELO
ELEXIXDO DR.SEVIAL
nico depurativo sem mercurio que tan-
ta aceitado tem merecido no Brasil, as
repblicas do Sul e na AHemanha espe-
cialmente para cura das boubas, samas,
rhenmatismo, todas as molestias syphiliti-
cas e em geral todas aquellas provm da
empreza do sangue.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DB
Bartbomeu d C.
94Rna Larga m Horario34
Loja de miudezas de Ferreira da Cunhad
Temporal, ra do Queimado n. 03, est
quimando por todo preco :
Jugo de rispara a 400 e 500 rs.
Redes para coques a 240, 400 e 500 rs.
Linha de 200 jardas (duzia) t-5200.
Caixa muito fina para p de arroz 16500.
Relogio de sol 'fSO rs.
Latas com banha 160, 200 e 320 rs.
Agua florida verdadeira a 10300.
Agua divina idem LViOO.
Gravatas pretas para homem 4 0 rs.
Pentes de travessa para menina 320 rs.
Olio philocme verdadeiro 1$200.
Aderecos de plaqu 10500, 2,5 e 50.
Meias cruas para homem 30400 e 40 a
duzia.
Botoes enfeitados para vestido, 10200 a
duzia.
Leques do santol 50, cada um.
Dittos de madeira 30 cada um.
Coques de tranca, boa fazenda, 20,
20500 e 30 cada um.
Meias finas para senhora 40 a duzia.
Banha em frascos a 400,640 e 10200.
Frascos com extracto muito fino 20 e
20500.
Caivetes de duas folhas a 240 rs.
Sabonetes finos 80, 160, 200, 240 e
320 rs.
Olio baboza 400, 500. 600 e 800 rs.
Agua de colonia 400, 500 e 800 rs.
Cartas francezas 200 e 240 rs.
Caixa com extracto 20500.
Cartas porluguezas a 120 o 200 rs.
Pentes brancos com costa de metal
320 rs.
Dittos iretos 200, 240 e 320 rs.
GalQ de 13a para vestido (pessa) 400 rs.
Fila de sarja lisa e lavradas, 10500,
20 e 20500.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Dilto e dourado a 10.
Dittas com envelopes 500 rs.
Caixa com agulhas francezas 160 e
240 rs.
L3a para bordar de todas as cores (libra)
60800.
Bonets para menino 10,20 e 20500,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
M ias para menina (duzia) 30 e 30500.
Pecas de tranca liza e de corocol a 40 rs.
Sapatos de la para menino a 320 e 800,
Capellas francezas a 20500.
Facas e galios, cabo de balanco (du-
zia) 74.
Cbicotes para cavallo 600, 800 e 10500.
Bengalla de canna 10, 10500 e 20.
Vortas para luto 500 rs. (cada urna).
Papel almaco. greve (resma) 10500.
emporal pode ser procu-
rado era seu estabelecimento bo-
NAN, emporal contina a
vender na Bonanca, pelo mesmo
prego que vendia em sua loja
cora titulo de emporal.
21
A NOVA ESPHAKCA
Ra do Queimado 2)
Advertencia!
. A Nova Esperanza, ra do Queimad
ri. 21 tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resol via a vender suas mer-
cadorias pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes. e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempu to opportuno quando i
NOVA ESPERANCA convida-os pecbinri-
rem, pois que para comprar-se caro, alo
falta aonde e a quem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeigo, e ella (loja da Nova Es-
peranca) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca ra do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tina.
acab de receber mais o segumte :
Bonitos broches, pulceiras e brincos d*
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar botlos
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (tritio
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galles, franjas e tranca* d*
seda e de la, para enfeites de vestidos.
Bot5es de todas as cores e moldes noro
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilnos sendo con
pengentes e sem elles.
Botoes prejos com vidrilhos com pingen-
tesesem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
. Delicados loque de madreperula, mar-
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento d>
miudezas 'rea do Queimado n. 21, na
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magnett
eos contra as convulces das
creancas.
N*> resta a menor duvida, de que muito,
collares se vendem por ah intitulados Qft
verdadeiros de Rpyer, e eis porqae muito
pais de familias n5o creem (comprando-o}
no effeito promettido, o que s pdem dar>
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porte
que detesta a falsificado principalmente ne
que respeita ao bem estar da bumanidade,
fez urna encommenda directa destes collaret,
e garante aos pais de familias, que sao ai
verdadeiros de Royer, que a tantas creafc
Cas tem salvado do terrivel incommodo de
convulcoes, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 compra rem o salva vida, para sena
filhinhos, antes que estes sejam aeommetti-
dos do terrivel mal, quando entlo ser &
fficil alcancar-se o effeito desejado, embor
sejam empregados os verdadeiros collaret
de Royer.
Farinha
Na ra Augusta n. 10 so dir quem vende 9fc
saceos de farinha da Ierra de bm (|ualdade.
LiVAS
Completo sortimento de luvas novas dt
Jouvin de lindas cores escolladas ao ultime
gosto d'adual moda era Paris, ebegados pelo
vapor Oneida, ao aimazem do vapor fran-
eez ra nova n. 7.
Feijao
rnulatinho muito no o, em saceos : vende-se por
barato preco : no armazem de Jos Rodrigues d
Carvallio, na travessa da Madre de D<-os n. 5.
No rna do Vigario n. 19, e criptuno de Tho-
maz de Aqmno Fonseca & C, vende-so :
Merc.Drio.de 1 t|f libra em caixas.
Vmho engarrafado Mi-neres.
dem idem de ontros arrv'cantcs
dem em Inrris e aneoretas, speciat.
Cal de Lisboa vinda pelo uUim-> vapor de carga
Cera em velas de Li>b
Champagne e cojmac em caixas.
Carvao animal e vidro em caixas.
IAZ m GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster &
C, rna do Imperador, ora carregamento de saa
de primeira qualidade; o qual se vende em partida*
e a retalho por menos preco do que em outra qua-
juer parte.
I
lilil
Resta venda um escolhido sortimento de ob-
,ectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
:arand. mogno e amarello, obra nacional e estran-
jeira, de apurado gosto e por prqr,o- raioaveis:
a ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesnu
asa fazem-se com porfeicao todos os trabalhos d>
lalbinha, como sejam, empalhamentos de lastros
iara camas, cadeiras e sophs.
Vinho do Porto fino
Vende-se por 3000ft a dnzia igual ao qne w
vende por ahi a 3 5 e 5* a. garrafa ; na ra da
Cadeia n. 2t.
r
O verdadeiro e melhor cemento que tem
vindo ao mercado, vende-se por 10$ a bar-
rica de 14 arrobas, no armazem de Candi-
do Alberto Sodre da Motta, na travessa da
Madre de Deus n. 14. .
Predios novos
Tendem-se duas casas terreas muito bem cons-
truidas, solo proprio, e que se podo levantar so-
brado porter alicorees bem fundados, assim como
os oitd>?, na freguezia da Boa-Vista : a tratar na
ra do Mondgo, olaria, com Alexandre dos Santos
Barros.
Vende-se muito barato l sola, i consolos, i
mesa redonda, e 15 cadeiras, das quaes 1 sao de
bracos e 1 de balanco, com algum uso, mas em
muito bom estado : a tratar na rna ua Penha nu-
mero 31.
Vende-se urna casa terrea de pedra
ral na maior' arfe, sita na estrada da Bda-
Viagem. cora 40 palmos de frente, conten-
do duas salas e gabinete, dous qnartos e
grande cosinha f6ra, em terreno proprio, a
confinar pelo nascente com a mesma estra-
da e margena do Rio JordSo, e-pelo poente
com tenas do sitio do alto: trata-se na ra
Queimado n. 40, primeiro andar, ou na rna
do Hospici n. 28.
Vendem-i-e libras esterlinas, em ouro: no es-
criptorio de Carvalho& Nogueira, ra de ApoHo
n. 2o.
Vinho
Manoei,Jos Goncalvcs Poreira tem vinho fino,
(pnro) vindo do Porto, em caixa de 12 garrafags,
proprio para presentes, mimos, etc. aftaneando-w
sua boa qualidade. declara-se que deste genero
nao tem vindo a esto mercado ; na rna da Crui
do Recite n. 36.


lili*

Diario de Pernambuco Sexta feira 10 de Setenibro de 1869.
I
RIVAL SU mi
Ra do Qucimadon, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Main e Silva conhccido por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tom em seu
esUbeleciment para acabar c fazernovo
sortimento, por sso queiram vir ou mandar
ver o que bom e burato.
Caixas do linhas do gaz com
80 novellos a 500
Latas com superior banba a
120, 200 e..... 400
Frascos de oleo babosa muito
fino a....... 400
Duzias de meias (inglezas )
muito boas a 4#00C
Garrafas com agua florida ver-
dadeira...... lrit
Garrafas com agua divina dame-
fbor quadade .... i;>500
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos '. 2&>0b
Dita comJO frascos muito finos ,$800
Oleo baboza muito fino que s
^ a vista ...... #500
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... 240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... #600
Pecas de babadinbo com 10
varas ...... 500
Pecas de fita de c3 qualquer
largura ..... #50f.
Escovas para un has muito fi-
nas ..... #500
Escovas para denles fazenda
muito fina #240
Pulceiras de contas de cores
para meninos .... #200
Gaixas de linba branca do gaz
hd 30 novellos #600
Pecas de tranca lisa de todas
m cores ..... #040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 4,5000
Pares de botoes para punbos
muito bonito #120
Libras de 13a pa a bordados de
de todas s cores 8#000
Pentes com costas de metal
muito finos #320
Novellos de linba muito grande
para croxs ..... #320
Duza de linha froxa para bor-
dado ...... #480
Grosas de botoes madreperola
muito fino #500
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e..... #320
Pecas de fita de 12a todas as
cores ...... #500
Espelhos douiados para parede
l#00O e..... 1#500
Espelhos de Jacaranda muito
Gao ...... 2/91000
Pecas de trancas brancas c do
ores de caracol i #060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... #320
Caivete muito fino com 4 fo-
Ihas ..... 1 :;oo
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos a 15200
OR
J
EM CONTINUACAO
A DINHEIRO NA LOJA AKMAZEM
DO
(35)=wm m iiiaiyiiiaaiiajaa* s
DE
FLIX PEREIR1 DA SILVA.
O propietario deste grande estabelecimento tendo sido o arrematante da
extincta loja denominadaWA/70/ tf DAS DAMAS= ra da Imperatriz n. 36, e nao
Ibe tendo sido possivel, na mesma loja, concluir a liquidado da grande quantidade de
fazendas que all existiam, pelos poucos dias que leve at entregar as chaves, vio-se
obligado a passar a maior parle dessas fazendas para o seu estabelecimento, o=PAVO
onde o respeitavel puDlico encontrar um grande sortimento das melhores fazendas de
linho, 13a, algodo e seda, que se Ihe vender muito mais barato do que em ontra
qualquer parte, com o fim de apurar dinheiro, e as pessoas que negociara era pequea
escala, tanto da praca como do raatto. nesta casa poderao fazer seus sortimentos em
pequeas ou grandes porcoes, vendendo-se-lhes pelos precos que se compram, n s
casas inglezas; assim como as excellentissimas familias poderSo mandar buscar as amo*
tras de todas as fazendas, ou mandar-se-ba levar pelos caixeiros da mesma loja em suas
casas; > estabelecimento se acha constantemento aberto das 6 horas da manha s 9
da noite.
oBartholomon & 4
A AGUIA BRANCA tem convicio de quo a abundancia de objuctos do novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a soperioridas
de de qualidades, e a limitacSo de seus presos, esto na op ni3o do respeitavel publico
era.geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepeo d'aquelles objectos que cst3o alm do commum,
como bem sejam :
l Grande
de fazendas e roupas feitas
ra da Imperatriz n. lll
porta larga,
OE
PAREDES PORTO
Neste estabelecimento encontrar o res-
peitavel publico um bonito sortimento de
roupas e fazendas de todas as qualidades e
presos commodos, tem sempre um bonito
sortimento de casemiras de cores e pretas,
panno fino de diversas qualidades, brim d>
Bonitas cores e brancos de boa quadade,
flcarrega-se qualquer obra por medida e
preco muito commudo
ROUPAS FETAS
na loja da ra da Imperatriz n. 52, porta
larga, de Paredes Porto.
Tem neste estabelecimento um bonito
sortimento de roupas feitas do diversas
qualidades e precos coramodos, como sejam
alitots de alpaca preta e de cores a 3#.
O e 4#; ditos de panno prelo sacos a
7# e h#; ditos de panno superior a
2#, 14# e 16#; ditos sobrecasacados de
dito dito a 185. 20# e 255; ditos de case-
mira de cor a 5#, 6# e 10#: caicas, colletes
e palitots de casemira muito lina de cor a
20 e 25#; calcas de brim branco de cor de
(oda* as qualidades de 2# a 6#; ditas casemira preta e de cores do 4# at 12#;
Cj>llotes de todas as qualidades; ceroulas de
bramante a I #500. 2#000 o 2#500; camisas
ancezas de linho e de algodo de todas as
qialidades e preco raais barato do que em
Oblra qualquer parte ; colarinhos, gravatas;
fotuto sortimento de chapeos de sol de alpa-
O o de seda; meias inglezas a 6# a duzia;
b pechincha neste estabelecimento pelo
grande sortimento: todos os freguezes se
poderlo prever dos ps at a cabeca por
pYcco commodo.
FAZENDAS
Grande sortimento, orno sejam, chitas
baratas a 300, 32. e 360 rs. Madapolo
fino a 7#, 8# e 10# a peca. Algodo (pe-
chincha) a 5#500 a peca e oulras qualida
lea. Cambraia branca de todas as quali-
dades transparente e Victoria de 3#5<0 a
65 a peca. Lanzinhas de boailas cores, al
nacas bonitas, selecia a peca *fra 28 metros
28#000. Esguiao o mais lino pos 2$500 n 3# a vara, e outras nanitas fazen-
M por preco commodo, que seria enfado-
efeo meicmoar, na loja do
LEAO da porta larga
DE
Paredes Parto.
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitots e coletes de casemira, se pode imaginar, assim como' urna grande
de panno, de brim, de alpaca, e de todas porco de cortes da mesma fazenda, tendo
as mais fazendas que os compradores pos- de todas as cores e garantindo-se que neste
sam desojar, assim como na mesma loja genero nao ha nada mais bonito nem mais
tem um bello sortimento de pannos casemi- proprio para vestidos, e vende-se por pre-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer 50 muito razoavel na loja de Flix Pereira
qualquer pe?a de obra, coma maior promp- da Silva ra da Imperatriz n. 60.
ALTA NOVIDADE
EM POITELINAS OU GOIIGL'RO DE LINHO E
SEDA.
Pelo ultimo vapor chegou para a loja do
Pavao um elegante sortimento das raais
bellas poupelinas ou gorguroes de linho a
seda, com os mais delicados padroes que
Vende-se veidadeiro cimento ; na na da
Mato de D-ou n. 22, armazem de Jlo
Minios de Barros___________________
nn Wk
Ymeiras para passagem d'agoa, de diversas
grossom: ua ra do Quekaado, Avedo & Ir
O
tidao vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras proraet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
los dez uiil covados de cansa
francezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padres miudos e gra-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas sao propriamente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e alera dos padres
seren muito bonitos, sao todos lixos e seria
fazenda para muio mais dinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
tispartiiho* a 3#000 na loja do
Pavo
Vende-se ama grande porco do esparti-
Ihos modernos com o competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanbos, e
vendem-se a 3# cada um.
BRAMANTE PARA LENQOES COM 10
PALMOS DE LARGR\ A l800
Chegou para a luja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, una grande porco de
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
meuto de um lenco!, o qnal so faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
cora um metro e meio; e pend-se pelo
barato preco de 15800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
pcaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo prego.
Coraos de vestido do Pavo a
4000.
Vendem-se ''Onitos cortes de cambraia e
larlatana, ricamente bordados a 13a, pelo
baratissimo prego de 6$.
Ditos por estarem um pou" "machucados
a 4<5.
Dilos finissimos con. seda a 45.
Assim como os mais ni nos cortes de
poil de chvre, com duas saias, sendo fa-
zenda chetrada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caitinha com o competente figurmo,
a 18^: tinissimos cort sde cambraia bran-
ca, ricamen e bordados, que ato podem
servir para noiva, a 255000. e outros mui-
tos cortes de differentes fazendas que se
liquidam baratas na loja do Pavo.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-so urna grande porgo de cera de
carnauba em saceos, por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
CASSAS A 240
Vende-se cassas com delirados padroes e
cores tixas 210r. o covado: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 do Flix
Pereira da Silva.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavao as mais
ricas basquina de casaqninhos de seda
pretas ricamente enfeitados, sendo com os
feitios raais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muito em cotila.
GROZ DE COR
Chegaram os mais bonitos grosdenapoles
de cores, sendo verde, azul, lyrio. cinzento
e, branco muito alvo, que se \emiem mais
barato doqueem outn qualquer parte.
BASQUINAS DE FIL
Vende-se as mais modernas e mais ricas
hasquinas de filopreto, por preco emeonta.
VESTIDLNHOS PARA MENINOS A
25000 E 25500
Vendem-se ve-tiiliulios para meninos e
meninas, pelo barato preco de 25000 e
-5500, assim como ricos enxovaes para
baptisado.
MADAPOLO FRANCEZ A 7501 A PECA
Vende-se pecas de madapoln francez en-
testado com 20 metros a 75<0 a pega;
p chincha
MUSSELINAS DE COR
Vend -se as mais bonitas musselinas de
tres a OO re, o covado.
CELEZIAS
PANNO DE LINHO
ATOALHADO
Vendem-se as raais finas celezias de linbo
com 25 varas cada peca, sendo mais finas
ainda qu%ps mais linos esgui5es que tm
vindo ao mercado, a 455, 555, 605000 e
7o5000, tambem se vende em varas as
mesmas celezias, sendo preciso; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lences
com perto de 4 palmos de largura a 700,
8< c 1,-5000 a vara, sendo em pega tam-
bem se faz alguma cquidade ; bramantes
para lenges com lo palmos de largura a
15800 e 25500 o metro, e de linho muito
superior a 35200 e 355.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 25400, 35 e 35500 o metro, e
outras muitas fazendas brancas que se ven-
dein muito mais barato do que em outra
lualquer parte, com o fim nico de apurar
dinheiro.
CHITAS
MADAPOLO
ALGODlOSINHO
Vendem-se superiores chitas escuras e
claras pelo barato preco de 2*0, 320 e 36Q
rs. F as percallas a 320 e 360 rs.
Pegas do aljrodaosinho de todas as lar-
guras e qualidades. Pegas de madapolo
dos mais baratos at ns mais finos ; assim
como, superior algodosinho enfestado para
lenges, toalhas, tanto liso como trancado:
todas Citas fazendas se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte, para apu-
rar dinheiro.
PECHINCHA DO PAVO PARA ESCRAVOS
A 200 RS.
Vende-se urna grande porco do esta-
menha mesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e caigas para moloques,
sendo urna fazenda escura trancada e muito
enairpada, pelo baiato prego de 200 rs.
0 covado, fazenda que sempre se vendeu
por muitj mais dinheiro
VES 1 IDOS A 8O0rs.
Com duas saias
Chegaram para a loja do Pavao os raais
modernos, e mais bonitos cortes de vestidos
de cambaia, e orgamlys; com mais lindos
pad oes. e o competente figurino, tendo
cada corle 18 covados. que pode dar corte
para senhora, e menina, e vendem-se pelo
barato prego de 5000. nicamente na loja
e arma/em do l'iyo ra da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
ORGANDY DE COR A 3->0 RS. O COVADO
Vendem-se finissimos organdys do cores
para vestidos coiu lindissimos padroes pelo
barato prego de 360 rs. o covado; assim
como ditos oran ;os muito finos com listas
largas e eslreiiis, e de qnadros a 800 rs. e
L)0O0 a vara, tambera tem larlatana bran-
ca, e de todas as cores a 800 rs. a vara :
lils de flores a t>40 rs. a vara,edites li a hOO rs. a vara, e dd salpico a 15000:
isto na loja e armazem do Pavo, ra da
Imperatriz n: tiO de Flix Pereira da Silva.
CHALES DE CASEMIRA
Chegaram os mais modernas, c mais
bonitos chales de casemira com dezenhos
inteiramente novos. que se vendem a 95.
105, 125 e 14,-?; assim como urna grande
porco de ditos de menina que se vendem
mais baratos do que em outra qualquer
parte ; na loja e armazem do Pavo, roa
da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira da
Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se-um grande sortimento eos mn-
ihores-e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 125000 rs. cada par at 25500o rs.
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
BALES MODERNOS E SAIAS DE LA
Na loja do P.n > vende-se os mais mo
demos balees reguladores tanto de musse-
hna como de 15a de cor, e as mais moder-
nas saias d la en'estada, mais barato do
quo em outra qualquer parte.
SULTANAS
Chpgon para a loja do Pavo nm grande
sortimento das raais iinoas sultanas, para
vestMos, sendo muito larga e bonita fazenda
com listas de seda o os padroes mais novo*
que tem vindo a es o mercado, vendendo-se
a 15400 o covado, na loja de Flix Pereira
1 da Silva ra da Imperatriz n, 60.
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem. servindo ellas de carteira
luando abertas
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios dourados e de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com mus a.
Esjojos ou carteiras de couro com nava-
lhas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para onhas. denles, cabello e roupa.
Ontras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Loques, escovas para dentes, caetas,
dida-s, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capel as com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Oulras igualmente bonitas, e com pin-
gentos para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin doundo.
Botoes com ancora, e P. II. para fardas
e cohetes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prala dourada, para cohetes, cada um 55
Bolees de cristal, encastoados em prata,
para punhos. 45 o par.
Camisas de flannda para hornera, a me-
Ihor quadade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras c
creancas
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quera soffre de inchaco as pernas.
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Renda e bico de guipur, branco c
preto.
Fil preto, de seda, com salpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
pennas coloridas, proprios para piannos,
oratorios, t-tc.
Bonitos passarinhos de mclal prateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas,
de velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas. tres, quatro e cinco
peinas para Irisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a quadade d'essas agulhas, que
mereced ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusuUra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a dovida
estima por sua apreciavel quadade.
At agora nada se linha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouen abundarn
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuarao a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Dcscrever minuciosamente por seus no-
raes e qualidades a infinidade d'objectos
que constantemente se acham venda na
loja da Aguia Branca, seria seno impossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa c antiga fre-
quezia, e pedo aos que de novo queiram
reconheccr a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de comparecer loja "Agota
Branca roa do Oueimado n. 8.
VlKHO, PILULA9, XinOPE E TlNTllA.
HE JURUBEBA SIMPLES E FERntOlNOBO;
Oleo, Pomadae Emplastro da mbswa.
plantapreparados por
BRTHOLOMEO & C
Piiarmace uticos-Droguista
PEK.1AMBI < O
A Jurubcbi : esla plinia i boje rocoslK.iih
romo o mais poderoso tnico, como o rieln- r
IcsobMraente, e como tal applica'la nos pnleciranM
lo gtdoe baco, hcpaiiies, urasas, IWBOfM tier-
nos e especialmcnto i!o ulero, hydrupcMas, fttw-
1 illns. ilc; c associada ao ferro 6 til as palldji
coro, cbloroscs e falla de mcn>tru.~i<;o, dciarras-
jos do estomago, etc., e o quo dscolos aUetTU
innmeras coras inipoitantea oblidos com nosao^
pieparados ja bem coubreidos e asados pelos roaii
ilislinctos mdicos do pau l'orlugal. Em i h.i'M.s depsitos distribnimos gratis folbclos (to
inplbor fascm conhecer a Jurubcba seos resM.*JV
e applicafo.
Cnl novado Lisboa.
Vende-sena rund Ap;;lliarmazem de Reg.i
& Irniii n IX.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fajrlu do engeitho Todos os Sanios da vilb
do Ipojnca, un da ;J0 d- maio, o t'MTavo Goncah),
representa ler '.i> uinos de idade, pouro mais im
rneno?, cor vsrtnplha, alto, p:ros.o, ollios ppqupnoj,
cm bul:, c os ps raclia.ido, fui cscravo da Sra.
I). SenluTinba Mario do Livranicnlo, que inorou ra
villa de Scrialiaep: ; no dia imnicdialo da fu|tfi%
estere na mesma villa : suppoe-se estar acolitado.
o qne s proceder com o ripor da W\ a quem ri
tenha, e pede-o s autoridades poltciaes oo capia
tacs do campo a capttri donMsmo e entregar no
mesmo ongonho ao aliaixo asignado, ou ua na
da Moeila n. 5, '2' andar,a"Criptorio de Manuel Al-
ves Perrelra & fi, que ser geucrosameulo recom-
peusailo.
Miguel Paulino T'ilentino Peres Falrao
l'upin rio da M de aposto o escravo de nome
Constancio, panlo, alto, cabellos carapmlios, cal
bastante bexigusa, tom ".na bellide no olho csqtier-
do, e o< ps torios, julpa-se andar na cidade e
dormir n'nma taberna sita mi boceo de S. Joio,
d'oadi: sabe peln maolia e para onde volta a noi-
te qooni o capturar levem ra Nova, loja d*
Amida \ Irmai), onde sera gratificado.
AVISO
N. 23Largo do Ter SIMAD DOS SANTOS ff C.
Os proprictarios deste bem surtido armazem de secco e molhados. parlecipam
aos seus numenisos freguezes, tanto desta praca, como domatlo e igualmente aos ami-
bos do botn e barato, que teem um grande e vantajoso sortimento do diversas merca-
ria> e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retallio, por
iiif-nos preco do que em outr qualquer parte, por -er maior parte destas mercaduras
compradas por corita propria, por isso quem comprar al a quantia de 1005. ter cinco
por cento pelo seu promptp pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
-armazem.
GAZ AMERiaNO 95 a lat, a 400 rs.
a garrafa e 60 rs. o litro.
VINHO VERDADE1RO FIGUE1RA 60 e
640 rs. a garrafa, a 4fl500 e 45800 a cana-
da, a7i0e 940 rs. u litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
a 400. 440 e SK) rs. a garrafa, a 30 e
3<35!'0 a canada. 60(> e 640 rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA a 900 rs. a
ganara, e a 1& a canada.- 15340 o litro
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa. 45500 a ranada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
OO, 240 e 30 rs. a garrafa, 2500,
i 800 e 15400 a caada. 360 e 480 rs.
o litro.
MVNTEIGA INGLEZA FLOR 3 15440 e
15180 a libra, 35140 e 25800 o kilo-
gcammo.
DEM FRANCEZA ;i 960 900 e 850 rs.
a libra, e 25100, 15980 e 15870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 15400 o kilogramrao, em porc3o se
far abatimento
BANHA DE PORODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 15570 o kilogrammo, em
porcSo se far abatimento.
ARROZ DO MVRANHOEDA INDIA
120 e i 40 rs. a libra. 60 e 30o rs. o kt-
b'grammo e 35800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo. e 64 por 14 kilogrammos.
.AF EM GRAO 65 e fi$500 a arroba*
200 e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 440 rs"o kilogrammo, em caixa ha melhores que *.
abatimento 35200 a libra, 7,>U80 e 65540
620 rs. o kilogrammo, em porco ha aba-
timento.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a loa 15400a lata.
- VELLAS DE ESPARMACETE .1 70 rs. o
masso! em caixa ha abatimento.
PHOSPH0R0S DO GAZ E DE SEGU-
RANC-\. 280, 400 e 560 rs. o masso.
'352O e H 5500 a groza.
AMEIXAS EM I.MAS E CACHINHAb
DE MUITOS TA.MANH0S 35500, 55500
e 15 a titira.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, o em Cixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA a 100 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SEBVE.IA INGLEZA MARCA II 55500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS. VERDADEIRA HILERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 9-5 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MIRCAS a 15500, 15200, 13 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 75 c 65 a i'rasqueira, e 500 rs. u
frasco.
DEM de laranja doce aromtica.
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35. 23800 e 25400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra,' e 80 rs. o kilogrammo, e 115500 por
14 kilogrammos.
CHA FINO, GRADO E MIUDINHO os
33 e
o kilo-
As autoridades polwiaes o a
quem competir.
No dia 2!) de niaio do crrente aino fu-
gio o escravo Esequiel, rrioulo de 30 32
annos de idade, estatura regular, refrtreado,
cr bem preta. cabeca redon la. traja va ca-
misa azul c calca de casemira cmzenta; du-
raiile u dia costil na andar ganliando as
t ua-, ou em armazens de assucar ou as-
tabernas a conversar e a beber; duran e a
noite recoibo-se a telheirus abeitos 011 pe-
netraveis, a casas em construeco e a ou-
tros quaesquer lugares onde se possa abri-
gar: quem oapprebender tenha a bondad*
de o coiiduzir roa da Aurora 11. i6, untl>
ser gratificad.
Pugiram eniieiiiio t-'irnu-za
do termo da Escada, na noite &}
topara II dn eorrente, dous eg-
cravns innlatos, os q aes Coran
comprados ao Exm. Sr. bario do
Natareth ba 16 dias punco mala
eu menos, >endo Juan, idade do
30 a 32 anuos, bem barbado, pej-
toscabelludos, tem os dedos d >s ps. i-to os
mnimos curtos e quasi que, trepain nm no nutro,
tendo todos os denle* de frente, corno regular 6
|eva chapeo d* euiiro de sarlMoi, caiga azul do
algodo que Ihe ehaman pelle d'inica e enliertor
de hataescura e mais alguma roupa, foi escravo
do Iilm. Sr. tenente coronel Agostinho Correa dj
Mello, de Onricury. o natro de nmne Flix, na-
bre, alto, bom rorpo. idade iii annoa puuco mait
011 tneii'is. levoit eitap do couru de alia- larga.:,
calca azul dealgnda-i que Ihe cliamaiu pelle d'on-
ca e Cobertor de bata escura, foi escravo do
film Sr Eiitiardu Pereira de Sonta, da provincia
da Parabyba, que u reuduu por seu procurador o
Sr. Jos Ln|i s Allieifn ; quem u ajiprebeniler 9
levar ao inesin > ongenivi Firine-a escriptorio de f>>rningoe .Mve< Halhens, a ra do
Vivario u. 21, >i'r gWHrosaoienle r-To nnAns lo
Pugio uo iba 23 do e i rente, do engenho
Qnileba da frewnzia de Seritihaem, o e*cravo ca-
bra, de nome Flix, que repre>eula ler 3"i ano S,
mais ou monos, alt, grosso, cara larga, bem tal-
lante, levi u calca de. brim pardo, camisa de
dapolao. chapeo de cmiro ou um miro de f ll'
novo: cojo escravo talvez tenha lomado u eaml-
nho de Pao d'Alho : quem o pegar e levar ao dito
engenho, ou no H.-eife a ra do Imperador n. io,
S'-r gneros--ou-nte recompensado.____________
ANDA
MXSSAS PARA SOPA. MACARRAO, TA- grammo.
LH \RIN E ALETRIA. 800 rs. a libra c DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 257im>
16750okl-gtanimo. 2$KX), i-OO e 2J 3 libra, e 55450 e
SEVADINHA E SAF 5 280 rs. a libra e 43180 o kilogrammo.
Assim como ha muros muitos mais gneros, vinho em ancoretas, azeitonas.
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linuicas de Lisboa, marmelada. con-
sen-as ela de marmello, pcego. ervillias, peixe em latas, sar.lmtias de Naes..
vinho verde engarrafado', pomada canella, cravo. ervadoce, commhO. pimenta, granos
mullios de sebolla 15500, finalmente muito mais gneros que
menciona-los. ____________
Vendse
millioaovo em saceos grandes : para ver, na eom-
naiihia Peroambueana. e tratar, no annazem da
Estrella, largo do Paraizo n. 14.
Wnde-se uiiiexiavmlio peca
de 12 a 13 anuos ; na ra do
n. i3. Io andar.
m ulade
Vende-se um molequmbo d 7 para 8
anona, bonita figura e omito sadiu; nesta
typugraphia se dir quem vendo._______
Venile->e Utna mulata de 2S atitios
lava, engomma e cusiulia tudo o qH, se
:bama bom: na ra de Hurta* n. fl<).
Voiid st no t ca't torre de pedra eal,
rt&wprnpri-M *\lx nt ra do A-npafo da ctdale
Chliml-purgailvo edcpuralito
de thambara
ComniKto das llantas a^ mais odorferas e as
mais virtu^as dos montes os mais elevado-, o rflu
toni purgativo de Chambari ihisstie um g *to sab >
roso e uin aroma suavissimo, o as propnedade- as
hus noiaveis sobre os emtiaracos do estomago,
yueimaao do, n^tinos e do ligado, o de escellencia na c mstipacao do ventre, e nm tem
resguardo algum. Depurativo especial e directo
das Itile- e dos humores, refresca o sangue depu-
rando-o.
DEPOSITO ESPECIAL,
Pharmacia de Bariholotnea & C, ra larga d
Rosario n. 31.
Je Olinda n.
Io audar.
45 : a tratar ua ra da Cruz u. 21,
Vrgeieia
Gmcalves & Teix-iira te n p.ra
de |u 1I111 lo c Mi 'td ,ia> un di t
12 p 'lie; 1 li* i grasera : na es.jui:ia
da Penhi n. 8.
acham-se fgido- de-dn o anuo de 1866 os c>
vos Laurindo e Manuel, aquello higio do eofOnfcO
Queiie fivguezia da Luz ; fura cmoprailo ao :
.-ido Antonio Hicardo do letf en |S'S ;.
com 18 anuos, e hoja dove -ter 29 de i-lade, ma-
mado Laurindo como vai dito, pardo claro, gfis-
-o, de altura nguiar, rosto re-lortdo. inostr ni,'
algunssignaes debexipas, cabellos caxiados, i-liwfl
grandes, um ponen h ibilidoso, irnbalha mal do
sapaleir 1, diz seroffl'Mal de casa de ealdoira, tnel-
lido a valeiile. e simulando ser livre vai mentindo
descarado. E*te outro : M moel. fgido do enge-
nho Brejo, freguezia de Santo Amato Jaboatao;
lora comiirado tambem ucsla pia^a ao Sr. Artlo-
mo Jos Vteirade Suiza com 14 anuo- de i4e
u piideri boje ter 26. cabra oscuro, com o ape-
lidio de Manuel flaboeiilo por certa semelhanca a
dltraea; baixo. gMMO, bem espadando, ps
grandes o cliiti-, tem tanto Mkello i|ue .juasi Ihn
trina atesta, voHixco o paixola. Oueni appre-
hender referido-; eserivo. i|iiir eoirega-lo a;
si'U donoSf. Jos Mondes Rodrigues Caoipello 11
engenho R'cis Velh.s enmara do Cbo, ilisll
.la villa I legua e'meia, ou ao Sr Jesuino (".art?i
ro da Costa nesta pnc morador na ra do Cor-
redor do Bj*p' n. 25, corto de quo ter urna pa(9
umito agradavel.
Muita attenco
Fugio no dia 29 d junho o p*eravo Mno>-l. ti
nacao Angola, idade 50 annos, pou o mai-1 ou me
nos, com os signues seguintes : falta do den'ej 11
renU', andar vagaroso, perna-> fin s, marcas d>- bo-
xtgas, levo caiga o camisa de riscad nlv, cbap >
le palha n ivn : rea-se ao- -enhores capitaii 4->
eainpo de o prenderem e levaretn-no ra Dimit
n. 16. que sero generosamente gratificado?. Bel-
confia se que anda polos engenhos do Cabo.
'ligio no da 25 da jttiln |iroxioio pi-
do engenho lina, comarca do Cabo, o relo Auto
nk>, crinlo, idade 28 annos altura regular,
do corpo, cor fula, as nadaga- um ponen ge:
ps l'eios de crav.is o bichos que lew
tido ea-nisa n calca branca, Chapeo de
cor i usado: foi vendido p*bi Sr.
Vieira d Mello. de 11 i n iri ueiito e 1 engnlio Paciencia por la ter pai.
da ra a levar ao largo do Paraizo n. i,
enfandonho
vendar travos
baeta do
Lour-
Quem o \,
jara bem re



i



-_- .

impensado.
1






m*

8
Diario de Pernambuco Sexta feira 10 de de Sdeiubro l$69.
ASEMA GER.iL
CAMBA BCS SM. ZPTADOS
SBSSAO BU .1 HE susto
PHRSIOJEMM. DO ST. KEB4IS.
iMIUMf
no come-
d do meu decurso, eti ti ve a honra de
.a Hit an jiiizo da cmara, sinlo neees-
.de do (I ciara'r Y. Evc. que. M t nu-
da poltica propriamenle dita, e s nesse
i'iio, mei>proeedimento tem sidoe sn.
i > li'nne n de partido, cerrar os ouvidos,
vendar os nlho.N h seguir para dianle em
Auxilio de (jtialijucr gabinete que, como o de
10 I* julh*, represante legtimamente a idea
fons'-ivadoia. (Muito bem.i
Reservo me, purera, intcira liberdade
para tud i mais ({fenlo se ciilend r direc-
lameute com a poltica : o assim. Sr. pre-
siente, que en comprch-ndo os deveres de
representante de mn paiz livre. (Apoiados.)
Velo contra a emenda suprcsslva do I-
tustre depiitado da Batiia, porque, Sr. pre-
unle, essa cmimda tem por fhn eliminar
o te ceiro periodo do projecto que se dis-
cute, periodo que para mim o pedacinlio
de ouro do referido projecto.
Voto pela resposta Talla do tlirono, tal
como foi apresiitada pela honrida com-
lisso, nao obstante os reparos que liz so-
bre a deficiencia que nella eneontrei.
Esses reparos etao consignados no raen
titearen, e quanto me basta. (Apoiados,
muito bein, muito bem, o orador felicita
*ln por quasi todos Sis. deputados presen-
tes.)
A discussi Sea adiada pela fcora.
Oidi a ordem do dia, levanta-se a sesso
As quatro boras e um quarto da larde.

SESSO EM 4 DE AGOSTO.
PRESIDENCIA DO SR. NEBIAS.
Vo meio dia, feita a chamada, verifi-
carse baver numero suficiente, abre-se a
sesso.
L-se e approva-so a acta da a dece-
biente.
O Su. Io Secretario, d conta de se-
grate
EXrimiENTK.
Din cilicio do ministerio da agricultura,
enviando em resposta, a copia do officioda
presidencia da provincia do Para sobre u
contrato por ella celebrado com o Dr. J >s
Vieira Grato de Magalnes para o estabele-
cimento da navegacSo a vapor uos rios To-
cautins e Araguaya. A quem fez a requi-
iico.
Quinze do t secretario do senado, co n-
miinicando ter constado ao mesmo senado
que S. M. o Imperador consenle as reso-
tuces da asserabla geral que approvam
varias pensoes.Iiiteirada.
Outro do mesmo secretario, participando
que o senado adopten, e vai dirigir san-
elo imperial, a resoluto da assembla geral
que aulorisa o governo para mandar pas-
sar carta de eidado brasciro a Luiz Fran-
Cfsou Olio de Weidmann e a outros estran-
gptros.Inteirada.
Um re-juet im mo de D. Anaa Gertrudes
Tavares Rodrigues, pedindo o meio sold
correspondente ao posto de alferes de seu
llio Prncopio Antonio Rodsigues, morto em
caiopauha. A' commisso de marinha e
guerra.
Outro dos empregados da th -souraria de
fazenda da provincia de Santa Camarina,
pedindo para que a mesma seja elevada a
oiasse da de Mato-Grosso.A commisso
de fazenda.
Outro do secre-ario da polica da provin-
cia do Rio de Janeiro, Antonio Luiz Perei-
ra da Cuuha, pedindo umannode licenca
com seos vencimento*. A commisso du
pen.-.'S e ordenados.
Lcm-se, e sao approvovados som de-
batc, doiis pareceres de commisso remet-
iendo ao goveroo a prctenco dos alumnos
do curso pha maceutico da Faculdade de
Medicina do Rio de Janeiro ; e mandando
ouvir ao enverno sobre a jiretenco de Pe-
dro Theodoro Pereira de Mello,
Eniram successivameote em discusso,
3 sao approvadas sera debate, as redaeces
que Fungo a imprimir na sesso anteceden-
te, sobre o auxilio conierido obra do Dr
Antonio Pereira Pinto ; pagamento ao ma-
reclial de campoJos da Nir.toria Soare de
Andrea e sua irma o licenca ao iolli-
cial da secretaria do imperio Joo Baptisla
Callogeras e outros.
Entra em aisrussSo a redaeco do
art. 31 dos additivos ao orcamento, rela-
tivo ao auxilio confeiido a obra do Dr.
Mello Moraes, com o titulo Uiorograpliia
Histrica. Chronologica, Genealoga, .Vabi-
liai ia e Folili .a do Imperio do Brasil.
Depois de.algumas consideraces dos
Srs. Cruz Machado, Ribeiro da Luz, Caedo
C Mello Moraes. 6 approvada a redaccio.
- Entra era discusso o projecto decla-
rando que a p nso de 365 mensaes con-
cedida reparlidamenle as irmas do eserivo
extranumerario da arnjada Antonio Manuel
Fiitza deve entender-sc como concedida a
D. Maria Joaana Fiuza, D. Auna Auta Fiuza
e D. Si ivola Victoria Fiuza, irmas do
do mesmo eseriro.
0 Sr. Pohtei.i.a pede, e a cmara con-
sente, qae o pnrjecto tenha urna s discus-
SS<>, na qual culi ando, approvado sem
rem ttido commisso de redac-
co.
ORDEM DO DIA.
Continua a discusso do projecto de res-
posta (alia do tlnono, cora a emenda
apoiada.
- O SR. DIOGO VELIIO faz largas consi-
derarnos era defeza de seus actos, como
presidente da provincia do Ccar.
A discusso lica adiada pela Dora.
Dada a ordem do dia, levanta-se a sos-
so as horas e 1/4 da tard.
SF.SSAO EM S DE AGOSTO. .,
MUS 1)0 SU. NEBIAS.
Ao m.o da, feita a chamada, verifi-
ca-se ha ver numero suficiente, abre-se a
,1o.
e approvu-sc a acta da antocc-
Tres Jo T secretario do senado, part- j Babia, c ser admiilido a fazer acto do 1
cipando ter constado ao mesmo senado que anuo que fi
S. M. o imperador consenle as resoUi^oe
da asserabla geral que autorisam o goVer-
iio a mandar admiltir a exame das mate-
rias do Io aono da faculdade de direilo do
Recife, os estudantes Antonio de Scuza
Bandi'ira e Manuel da Trndade Peretti;
a readniitiir no quadro activo do exerdlo,
no posto em que fui reformado, o tenenle-
coronei graduado Joo de Suiza Fagundes;
e a cuncedet um auno de liceuc.i ao Dr.
J.io Jos Ferreira de Aguiar, lente cathe-
datrico da faculdada de diieito do Recife.
Inlcirada.
Outro do mesmo secretario, enviando a
proposieo que manda -pagar ao escrivSn
dos africanos livres Balbino Jos^ da Franca
Ribeiro os veneimentos que Ibe sao devi
doseoforem al que se declare supprimi-
do o lugar.A imrpimir.
Outro do mesmo secretario, enviando,
cora s respectivos documentos, com a
emenda feita e approvada pelo senado, a
proposieo desta cmara, que approva os
decretos concedendo privilegio a Charles
Pradez e outro, e a JosBolelho de Araujo
Carvalho.A imprimir.
Um requerimento de D. Adelaide Fontes
Rangel de Antas, viuva docaqito do esta
do raaior de arlilharia Anloni i Jos Rangel
de Vasconcellos Antas pedindo a rcmisso
da divida de 1:010)5168!.A' commisso de
fazenda.
Outro do tenente Jos Maria Marques de
Carvalho, pedindo* melhoramento de pen-
so.A' commisso de pensoes c ordena-
dos.
L-se e approvado um parecer de
comuiUsao, opinando para ser ouvido-o go-
verno sobro a pretenco da cmara muni-
cipal de Silveiras
Lm see vo a imprimir para serem
submettidos votaco cinco dias depois,
na forma do r<-giraenfo, os pareceres so-
bre eleicoes feitas em varias parochias do
4o dislricto da provincia -da Babia o 3J da
de S. Paulo.
Lm-se, e vo a imprimir para entrar
na ordem dos trabalhos, as redacoes so-
bre o melhoramento do porto de Pernam-
buco e concesso de loteras.
Entra em Ia discusso o projecto appro-
vando as pense concedidass aos soldados
Manoei Francisco de Souza, Jos Pedro de
Cerqueira, Joo Furtadi', a Israbel Alves
Pereira Simoes, viuva do soldado Augusto
Emiliano Tiburcio Falco, e ao alferes Ma-
noei Joaquim Caldoso.
O Sa. Diogo Veluo pede, e a cmara
cnsente, que o projecto tenha urna s dis-
cusso.
Em seguida o mesmo senhor oflerece
como emendas diversos projeetos conce-
dendo igual favor ostras pessoas.
Ninguem pedindo a paiavra, e pond >-sc
a votos o projecto, appro ado com as
emendas, e remmettido commisso de
redaeco.
Entra em !* discusso o projecto au-
lorisando o governo a contratar com o cn-
geiiheiro Andr R boucas o com os nego-
ciantes Stephen Busk a construceo de d-
cas as enseadas ca Sade Gamboa.
Aps breves consideratos dos S s. mi-
nistro da agricultura, Mello Reg e Andra-
do Figueira, o projecto approvado.
Entra cm Ia discusso, e passa 2"
sem debate, j) projecto que approva o de-
creto que reformou a secretaria do estado
dos negocios da justica.
ORuEM DO DIA
Contina a disscusso do projecto de
resposta falla do thauo, com a emenda
apo.ada.
OSR. DAS DA ROCHA faz alguinas
consideraces sobre a poltica da provincia
do Paran, da qual representante,
A discusso tica adiada pela hora.
Dula a ordem do dia, levanta-so asessq
s 4 horas da Urde,
^blorios feitos na faculdade
Recif. A' commisso de
validos es
4k direito
instruego^
Outro de Gervasio Jos da Cmz, ofi-
cial da secretaria da marinha, pedindo seis
mezs de licenca com to.tos os seu* venei-
mentos, par tratar de sua saudo. A'
commisso do pensoes o ordenados.
L-se, e vai a impiimir pira ser sub
mettido votaco cinco dias depois, na
forma do regiment, o pai%cer sobre as
eleicoes primarias feitas ras parochias de
Nossa Senhora da Luz e de$'. Jos dos In-
dios, do municipio do Paco do Lumiar,
perter oenles ao Io dsdricto eleitoral da
provincia do Maranho.
Lem-se, e vo a imprimir para entrar
na ordem dos trabalhos, as redaeces
sobre pensoes, levaniamento do recife do
porto da capital do Cear, canalisaco do
agua polavel na cidade de Goyanna cm
l'ernambuco, obras do caes do Rio-Grande
lo Sul.e isenco de pagamento do impasto
da decima addicional aos edificios das
pra$3S de coramorcio do Imperio,
O Su: Theodoro da Silva requer que na
sesso de araahla continu a d.scuso da
resposta filia do throno.
Consultadj a cmara, resolve pela afir-
mativa.
Procede se a votacao das redacoes
sobre o melhoramento do porto de Per-
nambuco c concesso de loteras, sao ap-
provadas sem debate.
Entra em Ia discusso o projecto que
aut jrisa o governo a mandar matricular na
academia de medicina desta corto o -il-
dante Manoei Rodrigues de Carvalho Borea.
O Su. Avi'KuvNO di: Carvaijio rquer
que o projecto tenha nina s discusto.
Consultada a cmara, resolve pela afir-
mativa.
Vem mesa diversas emendas, conce-
dendo igual favor outro* estudantes.
Ninguem pedindo a paiavra, e ponde-so a
votos o projeclo, approvado com todas
as emendas, t'remetlido commisso de
redaeco.
O Su. AiRF.i.uNo pe Carvalho pede que
as emendas sejam redigidas em projeetos
separados.
Consultada a cmara, resolve pola afir-
mativa.
ORDEM DO DL\.
Contina a discusso do projecto de
resposta falla do throno, com a emenda
apoiada.
O Sil. FERREIRA LAGE: Sr. presidente
na discusso da resposia falla do throno
de estylo entrar em largas consideraces
polticas, e creio que tambem 6 permitlido
tratar de questes, que tenham intimas re-
tacees com o establo do desen volv me uto
commercial, industrial c material do paiz.
o que, em minha humilde opinio, c a base
Mas nao depende de njssa vont
rorterminada essjguerra qiu absuve a
maior parte dos recursos de que carecemos
para o desenvo!viniente da riqueza interna.
o determinar o lempo jue ella deva durar.
(Apiados).
cima de tado est a honra da nacSo que
tendo feito o mais nao deixar por certo de
concern com o que anda-possa faltar para
sabir dossa I uta como entnpre qae saiauma
nar3o hrinsa que zela do sua honra e de
sua diguidade.
O nobro presidente do conselho em seo
referido discurso exprimi o pensam-rnto
desta cmara, a qua! den as suas palavras
os mais significativos signaes de adheso ;
lenhamos, pois, mais un pouco de resig-
narn e plena contanca no patriotismo c na
sahedoria do governo imperial.
Sr. presidente, lembra-ae de baver lido
em um foliieto escripto cm 854 ou 1855.
por um dos nossos mais eminentes estadis-
tas, o Sr. eonsclnciro Salles Torres-Homem
o seguinte: Um paiz que funda sua ri
queza sraeaio na agricultura pobre.
Nao serlo estas suas formaes palavras, mas
este o pensamenlo.
Confessoa cmara queistomuitoimpres-
sionou-me, mrmente por ser applicavel ao
nosso paiz.
Reconbeco com o nobre presidente do
conselho, que, apezar dos miles que nos
aflligem, nao temos retrogradado, e antes
ao contrario, avancado em nossa riqueza
publica particular, entretanto nao (levemos
desconhecer que mnilo mais poderiaraos
ter frito se, em vez do cuidarmos tanto dos
negocios dos nossos vsinuos, tivesseraos
applicado mais a nossa atteneo e recurso.
nos raelhoramentos de casa; se assim ti-
vessemos procedido o paiz achar-se-hia bo-
je em mnilo meihor posicSo para resistir
as circumslancias actuae?.
Um paiz em condicOes como o nosso ter
individuos muito riws, possuindo grandes
valores era fundos pblicos, ou pela mirar
parte, cm estabe!ecinentos e grandes pro-
prieiiades territoriaes representando de
facto um certo valor, todava esse valor se-
r rreasatel qaando ee quizer convert-lo
em mrtcda
Se nesse paiz, com a populaco, diss--
minada cm seu vasto territorio, crearam-se
valores e estabeleciment >s e povoacoes,
^era attender-se as distancias, que as sepa
rain, e as vas de communicaco indispen-
saveis para a facilidade do transporte e
permuta dos productos, taes valores nao
poderio dar seno resultados muito preca-
rios c negativos, se compararmos-o traba-
Iho, o capital e o lempo empreados cora
os beneficios obtidos. Tal iutIzmente a
situaco de grande numero das nossas pro-
vincias (apoiados) : a provincia de Minas,
m lis que qualqueroutra, rescente-se deste
mal.
Comereu essa provincia a ser povoada
ou o ponto de partida para a rcalisaco dos pelo interior, attraliida a populaco pela
1" Secretario di corda do se-
L-se
tete.
lite
RXPtMEVrE :
,I,n c o do imperio, en-
\iand o oficio com que a presidencia da
provincia de S. Paulo Iransraitte as actas
fo ia a qie se proceden
no collcgo de Pjrahybnna, do distreto
Bra pi tuto d i vaga do fallecido
Or. Antonio d Barbosa da Cimba,
e a da eleicSo prinjaria da parochia de Agua
Choca, do o d A 2* commisso
de poderes.
SESSAO EM DE AGOSTO
PMESIMNCMDO SR. NEBIAS..
As O-horase 3/4 da tarde feita a ch*ma-J
da, verilica-sc baver numero" sufliciehte,
abre-se a sesso
L-se o approva-se a acia *da antece-
dente.
O Su. Io Secretario di conta do se-
gralo
EXPEDIENTl. :
T es oficios do ministerio do imperio,
enviaudo os oficios das presidencias das
provincias do Para, Maranho e Cear, trans-
mitanlo as actas das eleicoes foilascm di-
versas ffeguezias das referidas provincias.
A' Ia commisso de poderes.
Ouiro do mesmo miui>t>rio, enviando as
copias dos decretos pelosquaes S. M. o Im-
perador houve por bem conceder pens&es
ao padre Antonio Tbomaz da Campos c a
D.- Carlota Guilhermina de .iraa c Silva e
D. Mananaa Candida de Lima e Silva.A'
commisso du pensoes e ordenados.
Outro do ministerio da fazenda, enviando
a consulta da seceso de fazenda do coselho
de estado do 31 de maio ultimo c papis
annexos, acerca do imposto do 50$ laucado
pela assembla provincial d i B.ihia sobre
as casas que venderem ma leiras e obras,
estrangeiras.A' commisso de fazenda.
Tres do Io secretario do senado, parti-
cipando que o me-mo senado adopten, c
vai dirigir sancc2o imperial, as seguintes
resolui;oes da assembla gerai :
. 1*. approvaudo as p nsSes concedidas
baroneza do Triumpho e a outrosi
2a, declarando que o auutio concedido
ao monle-pio dos servidores do estado
pola decreto n. t,26 de i de agosto de
1804 subsistir al que, a juizo do governo,
os effeitos da reforma daquella nslitoicio
o tornera dispensavel.
3a, aut trisando o governo a conceder U
conjpanhia Paul isla da estrada do ierro de
Jndiahy a Ciinpiuas. e a outra quo se or-
ganisar paca o prolungam rato da mesma
estrada desta tilti na cidade do Rio-Claro,
na provincia de S.. Paulo os mesraos fa-
vores concedidos cumpanhia ingleza da
estrada de ferro de Sarttos a JondiaBy.
Inteirada.
Outro do mesmo secretario, commiini-
etndo ter constado a senado yue S. M u
Imperador consente na resolw.-n d^
sembla geral quo*Spprova as dcosws con
cedidasa Joo Bernardo de Oliveira o outros.
Inteirada.
Ontro do Sr. deputado Manoe-I Pe
Guiuiarfs, communicaiido n'j poder eom-
nossos glandes melboramentos seciaes.
Esta discusso pnis, para que passa ser
til aopaiz c interess>r cmara, deve
ser sustentada s pelos mais eminentes e
conspicuos oradores. A cmara descul-
par entretanto que o ais obscuro de
seus membros (nao apoiados)...
O Sn. Gai/vAo:t'm dos mais distinctos.
OS. Fkriiera I.\ce: ... contando
cora a saa benevolencia, venha nests mo-
mento occupar-J.be a atlencio.
Depois do brilhanto discurso, proferido
pelo nobro ministro da agricultura, era res-
posta ao nobre deputado pelo 3o dislricto
da provincia do Bio de Janeiro, cu poderia
deixar de tomar parto neste debate, se,
como V. Exc. deve ter presente. Sr. presi
dente, i 3' discuss > do ore-amento, em
que eu poleria oceupar-me do assumpt'
queme chama boje a tribuna, nao se lives
se encerrado justamente quandor por con-
cesso do nobre'deputado por Goy.tt, oSr.
Dr. Cardoso de Menezes, me havia sido con-
cedida a paiavra.
A isto accresce o compromelliinento em
que estou, de dar algumas explicaces ao
meu distincto amigo, o nobre deputado
pelo 3" dislricto da Rio de Janeiro a quera
j me referi, e aesta angula cmara, a sa-
tisfaro devida as oeMBM dirigidas por
pesse nobre deputado ao honrado Sr. minis-
tro da agricultura, por actos m quoparti-
Iho directa responsabildade' como delega-
do do governo imperial ni dkvocia da es-
trada de ferro da D. Pedro I!. V pois a
cmara que um dever da minha parto su-
bir boje a tribuna.
Antes, pnrm, de entrar na discusso do
assuraplo que lM|p cm vista di ei, Sr. pre-
sidente, que se aturn reparo bouvesse de
fazer ao discurso da cora, seria o de nao
ter visto nclle reproducido o tpico queem
annos anteriores, recommendava a conti
miaco dos prolongamentos da estrada de
ferro de D Pedro II.
EntreUAto, reconhecendo eu as circoras-
tancias actuaes do paiz, son o pnmeiro a
explicar essa omisso e dedicado como sou
ao gabinete, a quera presto todo o meo fra-
co apoio, lenho a mais plena cotifianca que.
urna vez terminada essa guerra fatal a que
fomos arrastados pelo dictador do Paragu iy.
o governo concentrar toda a sua aclivida-
dee recursos na consecuco dos melbora-
mentos internos, e prestar toda a sua at-
teneo as vias da communicaco, c princi-
palmente a realisaco do grande pensamen-
lo da le de 1832 que decretou a airada
de ferro de D. Pedro II, ou con dendffHhe
toda a sua ronda lii|uida para a reafisaco da
sua vasta rle de commuuicacoes, ou Bar-
viodo-sedessa renda corno base para opera-
cu js flnanceiras, tendentes a conseguir o
raesmo resultado, e mais o reembolso ao
thesouro do capital despendido na estrada.
(Apoiados).
No'conheco. senhores, raeios mais po-
derosos nem mais efficazes, ou que taode-
pressa possam fazer desapparecer os m,ales
que nos tem causado essa guerra, e colto-
car o paiz cm condicoes de satisfazer os pe-
sados encargos que pesara sobre a gerajo
actual, como a realisaco dessas ideas.
Por muios 'annos. a marcha do nosso
progresso flear entorpecida, se sabias o
extraordinarias pedidas lo forera adopta-
das,, e execu'adas nesse sentido, c com
muita firmeza e sem parda de lempo.
O nobro presidenta do conselho em lea
importante discurso ltimamente proferido
tiesta cmara deixoa fra de duvida qu il o
seu pensamento, e o procedimenl que o
governo tem e contina a ter cm relaco ao
parear sess) de b>jenem ;i dos dias tan diedb termo da guerra, (\poiadog.)
que decorrerem emqnanlo csti\ur de nojo
p lo fall -cimento do sua irma. Manda ea
dcsannjar.
Um requerimento de Prancisoj Virginio
Rodrigues Campello Jnior, pedindo aer
matriculado na faculdade de ui-'dicina da
FacM f'M, senhores entrar na lula; a pa-
ca ofltondida em seus bros nao hes
nem poda hesitar ante o dever de desaf-
fruntar a sua honra, fossem qnaes fossem
os sacrificios o os horrores de urna guerra
em paiz longkjuo, inhspito e brbaro.
sua riqueza mineral: como era de prever,
emquanlo durou a facilidade de tirar o ou-
ro e os diamantes, mandaramse para Por-
tugal cacho de ouro em forma de cachos
de bananas: mas a Inglaterra com o seu fer-
ro e suas industrias levou todas essas |>re-
c.iosidades, c flcara-nos afinal um monto
d- cascalbos e as ruinas que se encontrnm
no interior da minha provincia com as col-
lossaes frgueiras silvestres que nasceram das
paredes das casas arruinadas dos
capites mores.
As povoaces decadentes com a sua po-
pulaco inerte, quasi nada produzem para
si, e nem podem concorrer para o augmen-
to da riqueza publica.
Foi nstas circumslancias que a popula-
Cao mais activa c emprehendedora abando-
nou o interior, e velo estabelecer-se na zo-
na quom a Mantiqueira. que d o caf,
a canna c outros productos ; c no centro da
provincia do Rio do Janeiro, coraeeando ha
poucos annos a emigrar para oCarancola.
S. Paulo de Muriahc e Esp rito-Santo por
consideraren! j caneadas as preprieda-
des que baviam supportado a primeira ex-
ploraco.
ElBqpanlo houve facilidade ds bracos de
sismaras c de maltas virgens aos precos de
400,-S a 1:0005, parecen ir ludo muito bem;
fundram-se esses grandes estaDelcimen
tos agrcolas, cuios proprielarioscm grande
parte clamara boje contra as facilidades e n
abuso do crdito, e (com raras exeepcoes)
pela falla de vias de communicaco, sem
poderem dar sabidas aos seus productos,
que sao quasi obsorvidos pela caresta do
prero do transporte e por em sera numero
de diffl uldadcs c onus que pesam sobre
esses eslabeleciraentos.
Nesta situaco, se as vias de communica-
co nao forem -cm perda de tempo em
auxilio de tanto traballio e de tantos capi-
tes comprometidos, nao vejo para a sortc
da nossa grande lavoura. seno um presente
insupportavel, e um futnro desastroso.
Nao sei, pois, o que de mais proficuo e
de positivo possam fazer os altos poderes
do estado, a nao ser tratar seriamente da
re*lzaco das vas de communicaco. sejam
quas lorem os sacrificios que nos possam
custar.
Nao quero dizer que.os iuteressados cru-
zem os bracos e esperem ludo do gover-
no ; nao; necessario que venham cm au-
xilio das municipalidades, c dos governos
provinciaes, offereeer seus rocursos e ser-
vicos para a realizaoao de caraiuhos vici-
naes.
Por rauitos annos, anda mesmo que me-
lliorem rauto as miajas Guaneas, nao se
deve esperar que o governo geral possa
cuidar, seno das grandes arteras, das
grandes vias de communicaco.
Os bracos, que nao podem ou nao que-
rra ampregar-se na agricultura, precisam
de outra ordem de trabalh que s o de-
senvolvimento dos trabalhos pblicos e da
industria pode fornecer.
A creago da.nscglas agrcolas bem diri-
gidas e bem e-Bocadas poikro muito au-
xiliar a inslrucco theorica e pratica d'e
carece a nossa classe agrcola para prepa-
rarle "a lutar com as grandes difflculdadcs
do futuro, proporeo que forera escassean
elemento servil.
Do poder legislativo depende a concesso
de algumas medidas, para aitrabir a essas
escolas os que ainda coucorrem de prefe-
rencia para academias de direito.
Oppoi tunamente terei a houra de apce-
sentar um projecto sua coiisideraco. Cabe
aqu agradeeor a menean honrosa, que lioo
tem -lirigm o nobre deputado pelo Paran
i directora da corapanhu Uoo c Indus-
tria, da quai fago parte.
Nao duvo alougar-me- mais nestas cons-
deracts, e entrarei no assuraplo principal
da questo, qua me trouxc Uibuna.
Nao espere o meo nobre amigo, a quem
respondo, que ajo possa acompanha lo
em sua eloquencia, de quo tanto sabo apro-
vmtar-ae o grande talento, que todos nos
respcitamos e que Ibe d a autoridade de
sua paiavra. A questao de algarismos, e
por consehomte a Me me limitarei.
Disse o nobre deputado que a estrada
de ferro de D. Pedro II estava custando..
3h,000:000. Creio qne S. Exc. enga-
nou-se, porque nos batneos dessa estrada
e no relatorio .que tenho presente, o seu
'aasto apenas chegou, e n l de dezembro
do anno passario, somma de..........
8,88 :G534875.
OSr. Pereira da Silva:Nao est ahi
incluica a somma de um milho e tanto da
libras.
O Sr. Ferreira Lace :Est, sm senhor;
e eu vou dar-llie a prora.
A somma despendida proveniente desse
emprestimo foi de t2,666:G6tW66, que
com o capital realizado pela companhia de
12.000:000;} tinha produzido a somma de
14,61)6:666^666, quando o estado adquiri
essa proprtedade. Foi depois de W65.
que a renda da estrada de ferro comeeou
a ser emoregada nos servieos que se fize-
ram do Desengao at alm de Entre-Rits,
com as quaes despenderara-se..........
3,926:9875209. A reuniao dessas par-
celias d o custo total da estrada, com todo
o material que ella possue, estaces, terre
nos, etc., na importancia de............
28,589:1535875.
O Sr. Pereira da Silla :Nao foi s a
renda que se despendeu; excedeu-se algu-
raa cousa mais, mil e tantos* contos de
ris.
O Sn. Ferreira Lace :Talvaz o meu
nobre amigo quizesse fallar em s-m dis-
curso dos encargos c garanta de juros que
o estado despea no tempo da companhia;
mas ainda assim, se tomarmos por ponto
de partida a considerado de que a estrada
de ferro comeen com muito pequeas cha-
madas, e a compahhia s havia realizado a
somma de 42,000:0005 quando passou para
o eslado, j dando a estrada ento 3 e 4 %
de renda para descontar dessa garanta de
juros; anda assim nio possvel poder
achar algarismos, que prefacam a somma
de 38,00O:q005, pirque esta quaalia foi o
capital nominal com quo se organisou a
companhia.
O mili nobre amigo censurou que
se tivesso organisado urna tabella com ele-
vacio de ordenados, o que suppe ter feito
subir a despeza ao duplo.
Para convencer ao meu nobre amigo do
engao em que est tambem a este respeilo
drei que a despeza proveniente do melho-
ramento do veneimentos do pessoal da es-
trada de ferro, que consta do qaadro da
tabella, > que comprehende, I*, o augmento
do numero de empregados da 2a di -iso do
trafego, indispensaveis pelo accrascimo de
servico, augmento esse que s de per si
importa dm 40:5305; 2i o augmento ac-
tual de 40:0005 do pessoal technico, com-
pivhend.ndo tima parte dos membros da
commisso, qne eslava fura do qnadro. com-
misso essa com a qual o governo despen-
da de 25 a 26,000:0005 por anno ; 3% o
augmento com o accrescimo de 4:0005 que
a cmara votou proveniente da emenda da
6a commisso de orcamento, offerecida
dita tabella, drei que ludo isso nao vai
antig.s alm de 118:4635000.
Accrescente-se ainda se se quizer a im-
portancia das gratifi --acoes do 10 dias de
seus veneimentos ananaes a que os em-
pregados das Ia e 2a diwses tm direito
por assiduidade em cada trimestre. Se
todos a ella tiverem jus(o que nao prova-
vel). importar essa verba cm 32:5115600
apenas. 5a^^^^
Estes dados sao tirados da estrada d^
ferro e de documentos que nao podem ser
contestados; por consegrante o augmento
de que-Lilla o mea nobre amigo nao chegou
e menos foi alm dos 200:0005, como elle
pensou.
A estrada de ferro de D. Pedro II tem
hoje tres divisos. O augmento de des-
peza na Ia divso constante da tabella ac-
tual c de 7:i305: o da 2\ que compre
hende a inspectora o o grande movim nto
do trafego, importa em 70:8335 e o da 3a
(pessoal) technico) monta a 40:0005 com-
preh ndendo o augmento dopessoai e o da
commisso de estudos que veio fazer parte
della: ludo isto. repito, perfaz a somma
de 118:4635000.
E nem pode servir de comparado a ta-
bella de 1855, de que trata o nobre depu-
tado, para'o estado em que eneontrei a es-
trada de ferro em m de 18U8; aquella
tabella j estava muito alterada.
O Sr. Ministro da Agkiccwi'ra :
Apoiado.
0 Sn. Ferreira LagE :E nao ha tabella
aiguma dada estrada de'feno, que, com
o seu movmento constante e progressivo,
nao tenha tido ou possa deixar de ter alte-
racoes.
0 Su. Pereira da Silva : E' a maior
accusaeio que se pode fazer ao ministerio,
de gastar mais do que marca a tabella.
0 Sr. Feukkir.* Laci::As tabellas an-
teriores podiam ser alteradas por decretos
e avisos, como o foram, por isso que nao
baviam sido ainda approvadas pela cmara.
Estou referindo-me ao que eneontrei cm
I88; sobre isto que aco hSlas conside-
races.
Para provar que o melhoramento que se
deu aos veneimentos dos empreados da
estrada de ferro, como j o justificou o
nobre ministro da agricultura, era reclama-
do nao s pelo pensamenlo que havia pre-
sidido estrada de Ierro antes da minha
direceo, como pelo augmento do servico e
da responsahilidade que pesam sobro estes
empregados (que nenhuma comparaco po-
dem ter com os mais cmpregadfts.de outras
repartices),. basta relectir que os empre-
gados de urna estrada de ferro nao tm
hora certa de trabalh, nao tm domingos
ou dias santos para descanso, e que ao
contrariro justamente oestes dias que o
servico se augmenta, porque quando ha
mais movmento de trens pela concurrencia
de passageiros. Nem mesmo noto se
pode considerar terminado o servico, por-
que, quando e servico de trens se augmenta
em urna lnha simples como a de D. Pedro
II, na forca da safra preciso trabalhar at
meia-noite.
Por consegrante, que relaco podo ter
com os veneimentos de empregados de mi-
tras repartieoe3 o melhoramento de venci-
iiKiitos dos empregados da estrada de ferre
nestas condicoes, muito pijm ainda dos
que tinham alguns delles, quando a estrada
pertencia a urna companbia, e quando ba-
viam apenas 18 ou 20 trens cm movmento
I c boje ha 40 ?
Darei algumas provas \pra que o nobre
deputa lo se convenga de que quando a es-
trada de ferro nao tinta metade do mov-
mento e snicos que hoje tem alguns em-
pregados do tempo da -extracta companha e
e com muito bons fundamento Unnam ven-
eimentos muito maiores aos da tabella ac-
tual.
Pagava-se directora no tempo da com-
panhia 38:1005000.
Em julho de 18(55 quando passou a es-
irada a ser propriedaiw da naci e admi-
trada por um s director, o Sr. consefheiro
Ottoni tinha o vencimento annual de.....
14:4005000. (Aviso de 5 de outubro do
mesmo anno).
Em dezembro de 1865 foi nomeado o
Dr. Sobragy com o vencimento qne tinha no
tempo da companhia, exeept o ajudante
do engenheiro em chefe. qoe. pela oVmis-
so deste, passou a vencer 14:0005 como
1" enenheiro, o o novo inspector do tra-
fego 9:0005:
Pelo decreto n. 3,627 de 16 de mareo
de 1866, que reduzio os veneimentos cons-
tantes da labellaque acnmpanhou o decreto
e se acha annexa ao relatorio do ministerio
da agricultura apresentado assembla em
186 (4a seccao da 12a legislatura).
Por decreto n. 4,733 de 20 de maio de
1869 foram alterados os veneimentos, fi-
cando o direetor com a graticarJo de 1/2
O/o sobre a renda bquida do trafego e o
demais pessoal com o vencimento cons-
tante da tabella que acompanhou o referido
decreto.
Pelo ultimo bataneo de 1868, a maior
renda que leve a estrada de ferro foi de..
1.566:0005 lquidos. Feita a applieaeo
do 1/2 0/0 de gratificaeo ao director tere-
mos 7:8305000, somma muito qu-ra da
minima marcada para o director, pela ta-
bella de 1866, de 9:0005000 annoies.
(Ha um aparte).
O que quer dizer, que se a renda eres-
cer de 1869 por diante em tal prnporeao,
que o director da estrada possa ser retri-
buido com a quantia de 100:000500o por
anno, o governo e a cmara ficarSo empra-
zidos a Ibe mandar elevar urna estatua,
porque ento ter feito subir a renda liqai-
da annual da estrada a 29.000:0005000 o
feito concorrer assim essa empreza con
a quarta paite da receita geral do impe-
rio.
Disse o nohre deputado que a despeza
dobrou com a nova ordem de cousas. Eu
vou provar que o semestre incompleto da
minha gerencia, com essa despeza aug-
mentada j em parte com o melhoramento
dos veneimentos -dos empregados, deu at
lim de junlio a renda bruta de.........
,256:7i;5l36, dos quaes dediizindo-se...
196:4275190 da quota pertenecido Unido
e Industria, ficaram para a estrada de ferro
2,060:3385240, qoe comparados orn a
renda bruta de igual semestre do anno an-
terior, no tempo do systema mais economi-
co como suppe o nobre deputado, e de-
baixo da influencia da tabella de 4865, offe-
receu o augmento de 928:1165659 a favor
da estrada de ferro, isto quasi o duplo
da receita desse semestre em o anao pre-
cedente.
A desp-za para so obler os i.........
1,132;2225I81 do 1. semestre do anno
de 1868 foi de 581:50^)582 ; e a despe-
za para se conseguir quasi o duplo foi de
822:15659 8, isto mais 257:6565390.
Ninguem dir, senhores, que cara mais
um despeza de 257:656539t>, qoe proda-
zio cerca de 1,000:0005, nao se atcancon
um feliz resurtida para a estrada de ferro
de D. Pedro II, tanto mais quando houve
grande augmento as despezas com o tra-
fego. i
(Ha um aparte.)
Quan lo com mais 25 o, de despeza se
produz 75 /, de renda era urna estrada de
ferro, nao pode baver resultado mais ven-
tajoso. Por consegrante, sendo a renda da
estrada da ferro no s Muestro de Janeiro a
juntio ultimo rte 2.080:3385240, e a despe-
zare 839:4766525, ticou liquida a quantia
de 1,218;005a favor. A despeza e l
para a receita na rao de 40 % facto
virgem as estradas de ferro do Brasil, que
por muito tempo nao se reproduzira, por-
que no tempo da adrainistracao que tanto
reduzio as despezas sob a influencia do re-
gimen de 1S66, nunca desceu ella a menos
de 43 a 44 %.
Perianto, j v o nobre deputado a van-
tagem que ha em gastar-se mais para obter-
producto superior.
O Su. PiaitiR.v da Silva:E' da ordem
natural das cousas: augmentando-sea des-
peza augmenta-so a receita.
0 Sr. Ferreiha Laoi: : Ento porque o
nobre deputado censurou o systema actual ?
Eu poderiaapreseularmuitos dadas para
provar a todos os respailes, qualque>* que
seja a comparaco que se faca entre opas-
sado e o presente, qoe ha serapre, guarda-
das as propnrces nina vantagem muito
sensivel a favor do presento.
0 Sr. Pkreirv da Silva: Porque a es-
trada vai augmentando.
0 Sr. Ferreira Lace: Eraflns de 1865
haviam qui ze em>enneiros, com os quaes
se gastavam 92:8805: s o engenheiro em
chefe recebia 22:0005. Entretanto fez-so
grande reparo por ter hoje 12:0005 o en-
genheiro em chele. Os engenlieiros actu-
almente empregados em servieos de cdns-
truccoes novas sao vate o seis, e nao trinta
e tantos, como disse o nobre depotado, e a
respectiva depcza de 117:0005000.
Sn..Pereira da Silva : De trinta e>
tantos compunlia-se o pessoal.
O Sn. Ferreira Lage :Eessc aJgarisrno
abrange, para facilitar o dlculo, conducto-
res da 1.a e 2.a classe. Desse pessoal sa-
hiram para consarvacio um chefe de seceo
c alguns condnjtorcs, que vencem o total
de 13:8005000.
Em 1865 a^h-cnlaco da estrada de ferro
era do 116 kilmetros, e em 1869 de
208, o que quer dizer que a conservaeo
deve elevar-se quasi ao dobro;
Era fins de 1865 gastava-se por kilme-
tro 1215 e em 1869 gasta-se 815, isto ,-
405 de menos.
Ivn 8>5 a despeza do conservado *oi
de 0,78 % sobre a renua hoje 6 0,47 /0.
0 Si.. Pereira da Silya : Por forca:
tinha menos xteusao.
O Sn. Ferreira Lagu:0 movmento es-
lava para a renda om 1865 na raza-, de
7 iai hoje a razo de 1,24% porque em
1865 erara s u-nte 13 os empregados,
que custavam 1!):3I55, boj sao 24. e a
despeza de 44.8005000.
(Contiwuar-s+ha).
i


<
',
1TP. LH> DIARIOBl>A IMS tUBZW 5
r HJGtVEl


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPIE4B7LX_Y6QBZG INGEST_TIME 2013-09-14T03:23:33Z PACKAGE AA00011611_11938
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES