Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11934


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 22.
ng^a,. t, lm^m
HIA A CAOTAl
Por um sano dem,
cada numero gvulso
E LUGARES QSDE IA0 SE FAGA POSTE.
S4BBID0 4 DE STEMBR D I89.
WBA DA PMfWeit
SffiS:::::::::::::::::;: B -^* gSTAtt ::::::::: '; g
DIARIO DE PRMMC0.
Propriedade de Manuel figneirta de Jkrla ft Mhoa.
-
------
-40 AMiltl'B!
O Srs. Guardo ^',^^ Pto no Maranhao; Joaqun M de Oliveira, no Ceara; Antonio de
Mamanguapa;J Antonio Alenndrino de Lima, na Parahvoa; Antonio Jos Gm n wE rf.iSSi.,^.u
Pereira d'Almeida,
^^^J?K?iSiJ!S* ""J" .. *m ***
PARTE OmCIAL.
overa* Ir provlucia
KXMSWBMTE ASiNMAM I EXM. SR. DB. MANOEL
0 NASCIMENTO XU'tflM PORTKLI.A, V1CB-FHKSI-
ItBST A I-HOV1M U. KM 12 Z.B jUNHO DE 18S9.
V lia *' *!i0Cau-
i ->-*J8-uriana ao Esin. Sr. general eomman-
Uaule da* arma*.-Maa4e V. Exc. por era libr-
onle o rumiu Manwi Jarimh de MaHo, visto r
prnvadn inen^a* legal.
Y 419 -Dita m raesiao.-Mflnd.', V. Exe. por
mu liberdade os recraUa Jos Alexaudre Pereira,
M-iaoel Josu do Nasrameeio, los Evangelista do
Vtsciuieiiio, Antonio Saan- da Silva e Jos Hen-
iques paw* do sarvcu doweroito como se v de termo
.mnexii zo tea offlcio do ti, sob n. 3i&
V. MI.Dita ao director do arsenal de guerra
-Por parle do de-embirpd.tr trovador da Sania
i., isa de Misericordia, sera mandado apresentar a
v. S. o menor Francisco Cavalcanti de Brito Je-
quitiba. filho de indi) Alberto de Brito Cavalcan-
ii, allm deque mji dito menor admitiido na com-
panhia de aprcodizes desso arsenal se estvernas
' cuneos lega es.
3* *eaio.
N. 4M.Portara ao rbefe de polica merino.
.-franamittoa V. S. copia do aviso circular do
ministerio da agricultura de 14 de mato prximo
nudo, afim de que as autoridades poikrfaes cora-
"tentes, faca a rerouimendaei que nelle se de*
termina para n aran (to**mpenlH) de oetnraissao
enoarregada da viagem de eaploraco a vapor d
me se trara pelos rs Yclhas e de S. Hraneftco.
X. Vil.Circular aes rommandanles superiores
la guarda Racional. Heeommeado aT. S. a re
meesa rom a water urgencia dos seguirnos map-
fjs que (feferao equi enegar no prazo do tres me-
tes : I." M.i|ipa gi-r;d da (brea da guar-Ja nacio-
nal sob mu coraman lo superior, gom declaraban
lo MPfteo de eada tyii dos corpos, (se do activo
"'i da reserva) e do numero dos officiaes e pra-
H que se achain ou nao devidamente fardadm
de oonformidade emn o modelo de outras vezes en-
viada ; i. Mappa timoneo da Ib rea da guarda
nacional que esliver destacada, eom declaracao
tea localidades cin que so aeham e natureza do
- i vico ein que se .oceupa ; 3. Mappa dos offl-
ctaee e prac.is que t.irain designados para o des-
tacamento emservi^ de guerra, qaants seguiram
para o sul e mantas dwxaram de faie-k, incor-
reede as penas de le ; Igualmente recommemlo
a V. S. a regular observancia do qua d-terminam
'.'*! 6, II, li, i:i e id do art. i do decreto n.
I 6 de abril de |&v
N. V. Purtaria ao commandante superior da
suarda nacional dtf LlntoeSro. Be.-lJre-me V. S.
un urgeni-iajr^sta em que se intlmoo para so-
liciiareni sitas DalAtes aos officiaes nomeados pa-
ra o batalhao 33 esse municipio, por portara de
de mareo prximo'Undo.
f. 445.Circular ansluizes de direito de Ca-
Wrob, Taearat e Ha-Vista.1'etnto o fomme
imperial mandado eonfraiar eom o engenlu-iro
llenriipic DumoQj urna viagem de exploradlo a
vapor pelos ns das veihas ede S. Francisco des-
de o porto de lagun ate o ponto extremo da na
icaodestc rio, e derendo faeer parle dessa
ruiumissao o eugenueire Ur. Eminauuel' Leaes,
que pelo governo imperial incumbido de varios
iraliallius ciincernentes ao ditos ri de confor-
luidade eom o quoa -ta pi'^-sideocia fui delermi-
n.ido por aviso circular do minsterij da agricul-
tura de 14 de maio prximo lindo, recommendo a
V. S. que preste a dita commssio representada
por aque|le engenhoiro3 to los os auxilios de que
precisar para o bou; desempenho de ua incum-
bencia.
N. 426.Portara ao Iqiz do drei:o de Cabro-
U'.InteiradirMo contedo do seu jflleio do Io de
maio ultimo, a que vieiam annexos os prels no-
loinaes e ein duplcala, relalives aos raieimeiitet
itoa guardas ua.-iunai s deMacades na villa do (ra-
nito, matar de I' do abril deete anuo at 16 do
litado mez de maio, tenho a dizer ein resposta,
que nesla dala recommendo ao inspector da the-
'iir.irla do-fazenda, que da importancia de taes
encimemos, mande credilar V. S. \h quantia de
VJ7900e pagar-lhe o saldo du 4J960 que s da
a seu favor._
i mesma'tnesouraria te::i ordera para reinet-
ter a V."S. (torintermedie de aiferee Cesario de
S "iza Leao a qnaniia de CfM.'j para eonlinuacao
do pagamento do mencionado destacamento, ate n
ii ii do actual exercicio,dcconlando-se dessa quan-
tia a importancia de dous mezes de sold d es-
ka, t|ue ,oi lirada do mcsino dtuucauteQto para
vr a eupradito
alteres, a qual onlenei que los- > entregue a este
por adiaulameiilo para tuanulcac5o dessa escolta
no seu re.u'i;esso, e ser levada em coala no res-
l.eetivo-pri't.
X. i.'".Dita ao ccmruajidante do eorpop_rovi-
- to de polica. -Em vista de sin oformacaocn)
nlBeto n. 243 de 10 do con ente, aulorso-o a des-
l gar do corpo son o seo (-.mimando, ao soldado
i a PraneMce Iralco admittmdo pelo resto du
i -mpo que me falta per c.iuipleUr o sen engaja-
monto o substituto por elle apresontado Hanoet
Antonio do Nascimeato.
N. 428. Deliberacio. O vice-preidentc da
provincia eonforinando-se n a propostado che-
i! de polica em olllcii. u. 863 de 14 do eorrente,
i.'solve noinear para o luuar vago de delegado do
MTi.ro ditrotg dacapilal ao baoharei Jos Fran-
cisco de Paula Correa de Araujo.
X. 429.^-Dta O vice-presidente da provincia de j eui benellciu das obras da m'ariz"dessa b-eguczi'a
'iiformidade rem a proposia do che/e de policial nao pode ser por ora extra.da.
ein offlcio n 808 de 3 desle mez, resolve nomear pa-1 expediente asinado pelo dr. joaquim correa de
i a os cargos do segundo c tereeir j Biippienles do araijo, secretario do Oterho, km 12 de ji niio
delegado de Hwrieto de Canb-draho do termo | di 1869.
do S. .-nto,' os cidados scpiiiites na ordem em i 2. secgao.
' que vo collocaitos : Joan Pedro 'oolfio da Silva '
e Thomaz da Aquinu Vieira.
N. ij). -l).u-0 vice-presidrnteda provincm de
.'iiifiidade eom a proposla do cuete de polica
m offlcio'n. 808 de 3 do cirente.resolve exonerar
des cargos de'segundo o terceiro supplentes do
ubd.legado de Canhobnic, do termo deS. Bento
.. Jos Pereira Ueste e teaqttfca Claudio de Mello.
N. 431.UiUU viccrpi'sideule da provincia de
c nfi'rni.'in i se eom a propona dor.bcfe de polica
NnoHicto n.fW'di'3 desto iiiez.resolre exonerar do
Migo de segando e quinto supptentes do delcga-
ilj termo de,S, Beojoa Jos Al ves da Silva Va-
:nra e Manuel Biidrigifcs dog Santos.
N. 432.Dita,O vice-presidente da provincia
(.informando so rom a propostado efcefe de po-
aa oDci'j n. 807 de^ dete mez, resolve exo-
ir do cargo do segando, tcrcoifo e quarto sup-
plentes do subelegaao (L 1* dt-tricto do termo
de S. Beuto Sevvrlaw C reir de Almeida e J -c .1- llollanda Vi lenca.
N. i:i I.O wee^resideete da provincia de con-
lormidaite eom a propost > do 'diefe de polica em
'tflcio n. 807 de 3 do oorrciite, resolve nomear
para os cargos de egun ''. tereniro e quarto sup-
; lentes Jj-lpjg^do do terina de S. Beuto, na or-
dem em que Vio indicados, i S.ypiSo Mahldo de
Moraes, captao Ani o d* JJHo e al-,
i''re* Jjmquii'ii-Purri-ln Cnido.
N, 43i.Dita.O sice-ptosidente da provincia
le contonniladii eom a .(imposta do cliefe de po-
l cia uin oticjo.n. 4Qf t 3 do eorrente, resol*
liotuear parae ekvpo:. da safomj, terceiro e
,4uartt suppioatt ito stidele^do de priniMn
Odilon Cordeiro da Fonseea, Jos Bento de Oli-
veira e Francisco Cordeiro da Foaaeca. N
3"secco. )
N. 435.Portara ao inspector da thesooraria de'
fazenda.Devolvendo a T. S. os prets nominaes
junios em dupiicaia, que me remetteu o jura de
direito interino da comarca de Cabrob, Sil vario
Lopes de Barros e Silva, coin omcio do 1. de
maio ulluno e relativos aos vencimentos, na m-
portaocia do 342<>8fiO dos guardas nacionaes des-
tacados ua VtUa do Graito, i coerar do i- de
abril desta auno 1(1 do citodo mez do maio, lenhe
a dizer que preceda a respeito de laes veoeimou-
tos de confonuidade eom o parecer da cootadoria
dessa thesouraria a que se refero a sua iniornti-
5ao de bontem, sob n 377, credilaudo-se o cnen-
conado juiz pela quantia de 537900 que para es-
sa daspeza recebeu o Dr. Aguedo Jos onzaga e
pasaooo-se-HM o saldo que so ua a seu favor de
4 980. Nos torraos do citado parecer, faca V. S.
! remetteraojiredito juza quantia dd 600000 para
a eouiiiiuacao do pagamento dos vencimentos da-
qnetle destacamento at o ttm do actual exercicio
sendo essa qmMMia ontregue ao respectivo com-
mandante o aliare Cesario de Souza Leao, que
para isso vew a esta capital eom urna escolta lira-
da do mesmn destacamento e composta das pracas
constantes da iuclusa nota. Oulrosim, mande V.
. desronlar dessa q^iantia a iuiportancta de dous
mezes do sold da dita escolla a qual para manu-
tenco desta no seurjjgresso dever ser entregue
por adianlamenlo^roalferes de que cima se trata
visto assim o ha-ver solicitado o Dr. ebefe de poli-
ca interino ein offlcio n. 825 de 5 do corrento.
N. 437.Dita ao mesmo.Recommendo a V. S.
que em vista da inclusa coula, que me remetteu o
Dr. chefe de polica eom offlcio de lionten, sob n.
886, mande pagar a quantia de 695240 provenien-
te da despeea oita cem-a Iripolaco da baleeira
que estove estacionada na freguezi da Varzea por
occasiao da ultima enchentc do rio Capiba-
ribe.
N. 438.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Ao bacharel Joaquim Jos Ferreira da
Rocha mande V. S. p:igar depois de liquidada,
em vista dps inclusos documentos, que me remet-
teu o Dr. chefe de polica eom offlcio de hontem,
sob n. 864, a importancia das despezas feitas no
mez de mato ultimo, eom o sustento e dietas tor-
neadas aos .vresos pobres da casa de deten-
cao.
N. 439Dita ao mosmo.Declaro a V. S. para
os tins convenientes e em resposta ao sea offlcio
de bontem, sob n. 319, qce approvo a arremata-
?o feila peranle a junta deesa thesouraria e polos
preeos constantes da noto qur reiu aunexa ao ci-
tado ollicio de- imposto de 20 % da aguardante de
prodaeeao da provincia que deve ser pago durante
o Irimestre que principia em ialho prximo vtn-
donro, nos municipios de Olinda e Iguarass o as
comarcas de Nazareth, Covanna, Pao d'Alho, Li-
moeiro, Rio Formoso, Palmares e Cabo, sendo ar-
rematantes o lente-coronel Joo Vieira de Mello
e Silva, Manoel Barbosa da Silva, Galdino Francis-
co da Rocha o Jos- Joaqulm da Silva Brrelo e
aderes ee individuos mencieaados em dita nota.
.\. 440.Dita ao mesmo.Accuso recebldo o
oEcio de lioatom, sub'm, 3^'0, ca quo V. S. parti-
cipiu haver-se elTectuaVt peranle a junta dessa
thesouraria a arrematar! dos toipostos pMventon
tes, que, no trenme ximo vndouro, devem ser cobrados as comarcas
do Bonito, Caruar, Flores Cal rolo. Tacarat e
Boa-Vista, e no municipio de Cimbres, sendo ar-
rematantes Manoel Barbosa da Silva e leme-
coronel Joao Vieira de Mello e Silva e os preeos e
liadores os constante-, da nota que veto annexa ao
citado offlcio. Em resposta tcnbo a dizer que ap-
provo essa arremata cao. i
4* seccao.
N. 445.Dito ao desembarcador provedor da
santa Casa de MiMricordia.Mande V. Exc. apre-
sentar ao director do arsenal de guerra, a queni
nesla data expeco as convenientes ordens, am de
ser admitiido na companhia do aprendzes do
mesmo arsonal, o im-nor Francisco Cavalcaale de
Unto Jt>iuiiiba de que trato o seu offlcio de 16 de
abril, n. 1,67.
N. 446Dito ao vice-presidente do Instituto
Agrcola.Estando anda no arsenal de mariiihu
a- 4 barricas eom sement "de algodo, que vie-
ram da corte para serem entregues ao Instiiuto
Agrcola desta provincia, e de que iralei em meu
offlcio de 26 de maio ultimo, convm que V. Exc.
as mande all receber allm de lerem o convenien-
te deslino.
N. 447.Cricular cmara municipal do Re-
cifi.Coasiaado-iue de aviso da reparlic,ao do
imperio, de 31 de maio praximo Ando, ler a Di-
vina Providencia felicitado este imperio como
naseimenlo de umprincipivque sua alteza sere-
nissima, a Sra. princeza I>. Leopoldina deu a luz
no da 21 daqueito mez as G herios e 50 minutos
da manlia ; assim o commuuico a cmara n uui-
cipal do Recito para seu condecimeiito.Ditas
iguaes s cmaras municipaes de Pao d'Aiho,
Olinda, Cab), Escada, Barreir'us, Bonito, Naza-
reth, Ingaseira, Ipojm-a, Serinhaem, Agua Preta,
Oaranhim*, Goyanna, liamb, Limoeiro, Victoria,
Rio-Fornioso, Caruar, B un Consecho, S. Bento.
Villa Bella, Tacarat, Brejo, Cabrob, Ouricury,
Huique, Iguarass, Floresta, Cimbres, SalgUeiro,
Flores, Boa-Vista e Granito.
N. 448 Portara ao vigario da freguezi de
1 acarat.Hespoudeudo ao sea offlcio de 29 de
maio ultimo, tenho a dizer-!he que nao tendo sido
contemplado na tabella das (otarias no exercicio
crreme como informa o respectivo tbesoureiro,
ein offlcio do 11 do correle, a que foi concedido
provincia, manda declarar a V. S. em resposta ae
son offlcio a. 841 de 9 do corrate que nesla data
se expeda ordem ao director do arsenal de guer-
ra, para tornecer-1 he as 20 armas de adarme:17
que nelle pedio.
4* seecin.
N, 433.Offlcio aa secretario da assembla
logMlalira provincial, Antonio Coriolano Tavaaes
dos Santo.N. 113.De ordem de S. Exc. o Sr.
viee-presidente da provincia, transmuto por co-
pia a V. S. para ser presente a assembla legisla,-
uva provincial a inclusa ia/ormaeo que ministriu
o iu>peetor da loesourana provincial em 9 do
corrcnie, sob n. 328, acerca da peueio que devol-
vo do coronel Joaqum Cavaleante de A'buquor-
qne qne acompanhou o offlcio de V. S. do 1 desle
mei sob a 79t
despachos da tics-prbsidsucia do da 1.
de setembro de 1889
Carlos Cyriaco Rodich.Bncaminhe-so.
Padre Francisco Virssimo Bandeira.Passando
recibo, como requer.
Felisraina Mara da Gonceic^o.A' visto da in-
formarlo nao tem lugar o que requer a suppli-
cante.
Francisca de Souza PoBtes.D-so, declarando
que segundo consta de offlcio do inspector do
arsenal de marraba n. 1806 de 1 do mez prxi-
mo lindo, o menor do que trata Foi julgado
apto.
Jos Paulino de Messias.-Ao Sr. capkao do
porto para attender ao supplicanle.
Joaqun) Pereira Arantes.Informo o Sr. coro-
nel commandante superior da guarda nacional
deste raonicipio.
Luiza Mara da Boa Hora.Km vista dahttVr-
maclo oao lera lugar o quo requer a supli-
cante.
Manoel Jos de Figunirdo.Em vista das in-
formacoes nao tem lagar o que reqner o siippli-
Capitao Manoel Ignacio de Albuquerque Mara-
ntao. Sellado volie quereodiL
Capilo Manoel Joaqotm Maoliado.Requeira
ao governo imperial.
striobi d -torra eVj 9
Ifttinto na oadeui aan
aos ciddao"8e-
caJIaaados: Jas
N. 449.Offlcio ao Dr. chefe i'.e polica interino.
S. Exc. o Sr. vicepresidente da provincia, man-
da declarar a V S. em resposta ao seu offlcio de
"> do corrate, sob n. 82?, que a thesouraria de
fazenda tem ordem para diautor dous mezes de
sold a escolta de guardas naciouaes, cn-lante
do citado offlcio.
N. 450.Dito ap mesmo.0 Esm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia, manda transmittir a V. S.
os ttulos juntos de noraeacao dos 2a o 5o supplen-
les do subdelegado do districto de Canhotinho ter-
mo de S. Bunto, de conforniidade eom a sua pro-
posta em offlcio n. 801 de 3 deste mez
N. 451.Dito ao ntosino.De ordem do Exm.
Sr. vice presidente da provincia, transmuto a V.
S. o titulo junto de nomea^ao do bacharel Jos.'i
Francisco de Paula Correa de Aranjo para o car-
go de delegado do 3 districto dastaeidade de con-
ormidad eom a proposta de V. S. cm offlcio n.
B63 de 11 do correte.
N. 432.Dito ao mesmo.O J^xm. Sr. vico-pre-
sidente da provincia, manda transmitir a V. S.
os ttulos juntos de oojucacao dos 2"', 3 e 4 sup-
ptootos do di'logaito e subdelegado do districto
do termo de S. liento, de cunfermidade eom a pro-
posta de V. S. em offleto n. C7, de 3 do eorrente.
N. 453 Dito ao Husmo.H, Eje o Sr. vice-
presidente da provincia, manda itedarar a V. S
pin resposta aos seu i offlcios de bontem, sob ns.
B64 K66, que expedio as convenientes ordens
(iara serem paos pela tatesnucaria provincial a
ouaotM de 2:787*458 rs. ao bacharel Jnaquim
/os Ferreira da Rocha Jnior c peta do fazenda
a d" 60*240 ra. constantes ib taes nucios.
N. 154.Dito ao commandante do orpe ^m-o-
visorio de polici*.O B.ur 'r vicc-presidente da
llovera* do bispado.
LISIA DAS UI8PKNSAS CHE(AAS ULTMAMK.NTK
DO RIO 1)K 3 VM'.tKO.
Jos Jaeques da Costa UtiimaiTies e llila-
dia da C *ta Gaima aes.
Antonio Barbosa de Liinr* e Francisca
Maria do Lima.
Jos Antonio de Olivcira e Joaquina Ma-
lina de Jess.
Jos de Aaeve.lo Maia e Maria Rosalina
de Jess.
Francisco Gongalves de Mello c Mara
Jovina da Conceicao.
Edmundo do Rgo Barros e Ananias Gao-
dida do Reg Barres.
Joao Antonio de Moura e Josepha Fran-
cisca da Fonseea.
BeJisario de Oliveira Lima e Tliureza Ma-
ria Vi-ira. <
Joo Simo Pereira ile Mello e Leonor
Maria da Conceicao.
Pedro Silvestre Goncalves Bezerra e Anua
Leonarda Brrelo Bezerra.
Candido Jos de Carvallio c Sahna Ma-
ria da Purificacio.
Antonio Jos Joaquim & Justa Maiia da
Conceicao.
Justino Francisco da Silva e Josepha Ma-
ria da Conceicao.
Miguel Antonio de Mello e Auna Mi: a
da Nazarelli.
Emygdio Lins lavares o Joaquina Mara
da Concoico.
Jos Alexatidre dos Sanios e Maria da
Gl' ra de Jess.
Bernardo Pereira Cardoso e Clemencia
Maria da Conceicao.
^ Manoel Francisco e Felismna Maria da
Conceicao.
Antonio Vicenle Honorato e Joaquina Ma-
fia da Conceicao.
Joaquim Maritiho de Ca vallio Jnior e
Maria Joaquina da Conceicao.
Pedro Soares da Costa e Felismina Maria
da Conceicao.
Florencio Lopes de Menczes e Cieilia
Lopes das Chagas.
Antonio Vicente ta Silva e Francisca Ua
ra de Jess.
J>3o Jes Baptista e Maria Joaquina de
Jess.
Marcos Aulonio dos Santos e Joanna
Maria da Conceicao.
Serafina e Veneranda.
Victd Luiz da Rucha e Maria da Concei-
cao.
Manoel Xavier do Naseimenlo e Isidora
Maria da Conceicao.
Joaquim de Freitas e Maria Thomasia.
enconjrtrmos oequelle orgao sobre taes
assuajptos, de ncontestavel mteresse pu-
Dfico, aqtri viremos regrs!rDlo, para inelbor
conhecimento dos nossos toitori.
Eis o segundo artigo:
Rio, n ie ntfotto.
A iniciativa individual, torca maravilhosa do
povos avre ta ser emancipa* dae rMeriecOes
ua* leisfe l*0,omo exige oilfastre onteinpo-
raneu. JJas nao bastar libar .a-la de imaeis cons-
tranglinhtos tegaes, para <|uc se expanda em toda
asua edergia, cumpro desperla-la pela instruc-
a popatar, de maneira qae, convencida do nmi-
to que vate, camnhe cem cor.scienca e seguranca
a completar us grandes designios que della deueu-
dem quasi etelusivamenie.
O espirito de associaeao, o mas f.k-lindo ele-
mento da civilisacao, t :vc entre m'w seus das de
'xcitacao, seno de febre. 'lomo era de prever-
se, seguir.im-se dacaitcees amaegas, que abaleram
suas, fes -legitimas, a^iiracoes, TenUram-se
as grandfs emprezas, porm sem serios estratos
preparatorios, 0 pessual das administraedes nem
sempre foi o uwis p>^ <,, m*t lodos 'os povos
que so iniciam na carreira do progresso, panamo
o inevitavel tributo da experiencia.
Entretanto par das vicissitudes das ampre-
/.ascoineondas. dosterilietoseoosuininidos e do
lataJ tlesaotiim que oiieryu o espirito da asaoaia-
cao, licaram reaes benetotos we cimlinnam as
esjierancaj deportadas na im'ciativ;; individual.
Nao sa perden tildo.
ttexpereuca adquii.la pelos revezes d a
mais segara garanlia do l'uti-ro.
Cqjillando na prxima teninicao da guerra,
julganios que lempo de preparar todos es meios
de renovar a Iota do trabalho em grandes propor-
Cora os reculaos que uos pode fornecor a ac-
tividad.- acanhada pido desanimo c retina, uo de-
venios esperar o restabeleciinento de nossas finan-
Cas e o progreso do paiz.
< Os profundos e-lragM quo nos deixa a guerra,
exigem a reaniniaciw do traba, da conliauca
e do espirito deeaipreza, como instrumentos re-
paradores.
r>enuilibrie financeiro nao resultar tanto
da amortisac/i da divida poto augmento as fla
Paa, eemu peto anguionlo la producejo, pela
onergla -aclarecida do tcabalho.
i Para sahii iriuoiphanti; ilesla situaeao vexa-
toria, prenso umita previdencia c anoteza, nao
touloda administrac.) pubfae. cuja posico o at ceno ponto Usada pelas eirenm tancas, oeiuo
da iniciatina imJividiial.
Os juro altos quo o tltesburo por torca m.iior
oHereee aos eapaes, tom desenvorrido a perni-
ciosa lendenca de ompraga-tos em fundos pu
blicos, arradaudo-os do comiuerciu, da lavoura
da idustria. A cessaejio d;i guerra, de crr
que lijes imprima direccan nnis productiva.
' Ksta toftlaaca opprime excesermnente o
comiiiefco, oano fauil de julgar, e restringe
Uxto a snaiitfQM, toikundo .suijio todos osontros
ramos de trnlialho.
As gssej-ras nao sao lo lemvefs pelas grandes
deqiezasde que sao causa, como principalmente
pela paralysacao fincada lo cmimercio e da in-
dustria, e a cessacao dos iueros.
Feta a coala re al. as guerras cuslam majs
l duplo do que lisura nos ore;.....ntos de despe-
zas. Entretanto, males ineviawis, eom<> multas
rezos sao, neeeesario oblar -mis desastrosos ef-
mVira do Livramenio, n igreja dessa denoinina-
$a. A contraria respectiva espera pie todas as
igrejas repicaro ao subirem aos ares as girndo-
las de fugelesauiinciadoraada roallsacao do acto
FERNANDO DE NORONHA.-Para rafe preai-
dto segu boje o vapor Coruripg, da companhia
ana. afim de lerar presos de Justina
Yi"*j^fc provinci
motiva fawtoe
baile que devia ter
da capftd em 2
_AJOCAXO.
ro tranferido, sem dia Ixo, o
lugar no dia 6 do eorrente.
P'ARAItYyA.-Escrevem-nos
do corrate :
Eueetuou-io no domingo,. 29 do passado, a
reuniao d>.> coflegio eletoral desta captol, afim de
proceder a eteir>> de um deputado", para preen
chunento da vaga, que abriu no 1" districto desta
fiscal**' ******"^,a ao Sr- desembvgadoi
De Joaquim Francisee Rodrigue; da Siha o Ma-
el Pinb. Duarte, juntando, para ser regLstrado [,
Sj t0Suci;i|-V'"taM Sr. da^argvdw
noel Pnarte Vieirj., para se Ib registrar
?,sU c*JxtfUriai JJoartelsjra.
S. Exc. obtere.p.iis, tanto m-ste
o* anntis.
cullegto com
iws* L1am"', i>* slm"*L'^ para se Ihe dar ar-
lidao de c^ar ou nao registrada a nonwatoife
seu.rarxeiro Manoel Joaquim da, Ciinha.-Perse
1X5 Antomo da Silva Pontos Guimariss, arase
autonsar a transferencia par a firma deTbaW
Gu.maraes A Basto, do livro copiador que fbe-pc-
tieia imtividnalmeate.Como m^aer:"
De_Manoel Rojendo Tongiatode Almeida,oap;
i nao registta/Eta.
xeiro de Feiiciaoo
allm do sereui
a Mauotl Bel-
Manoi-I Marques
armio de Albuquerque Mel'o e
Avila.
Na
de um d
mesma occas*,'
De Francisco (ioncalves Nelto, para que se Ihe
rtidao de sr ou nao commerciante matricu-
caractor.
6laalpr^tu.aiaes^ltK
UraiSaoae Rvd. padre Eduardo Marcos us Araujo. Id nCo1 lZ^
o mesmo, para registrarse Ihca nomeacae do
- u M."[",ro Jos van:i Cesar do Amara I Jnior.
dot reeahiuSr. Dr. Elias Frederieo de Atme-1 iV ,'Ti .- u
i Manoel Jos Moreira. pedlnd ao Exm. Sr.
ira antorisar o registro da procura-
.- ju.ilava, de Joo Evangelista de S ; e
nharse'u mandato coii a^'aiTe'iQi^, m 2T^ l*-w-por sen despacho ordenado que toa-
proxtoia reuni'VaLS'r^vS^ 5 ,tt?SSZfU "bU'iU 'SUU-
Falteccu ha tres dias de varios padecimentos -
compticado.s depois do um parto laborioso, a Exm.
Sra. I). Thereza de Lima Retumba, digna esposa do
fer. Francisco Soares Retumba, deixando seis li-
ihin.is de menor idade.
Dou ao sou desolado e poso, e a Exm. fami-
i mecido de um antrz, lia mezes passad^.
A vtaco, em ambos os coilegios mee
dos, reeah.u no Sr. Dr. Elias Frederieo de ,
da e Albuquerque, candidato escolludo pelo par- presdeme nar
bdo,para preenchimenlo daquella vaga. j EqKfl
, Espero quo o novs# deitu sabera desemue-1 K, R?.
De Jos Antonio da Mutla Onimaraes, ofTerecen-
do a r"gstro a numeaco de sea caxeiro Louren-
co .loaquim de Almeida.Registre-so
lie Veriato & DelUm, n-qui-rendoa transleren-
t para essa lirma, do livro Diario que servio a-
is uavtos, para arpo Luiz da Paz e Vietor Constantino de Met-
i", cidados brasileiros.Hegi!re-se.
ba
gajado, e quo
embarque de mesmo genero.
As entradas d'algodo vo augmentando dia-
riamente, cot.indo-sc hoje na iispeccao a lfOOO
por arroba ao> matulos, eom os agj-atlos do cvs-
tome. o
Do agente de liiles Jo> Maria Festona, mos-
tramlo eom o documente q'ne junta, haver satis
feto o importe de 4WJI11.! son offlcio.-Regs-
trese.
De Henrique de S Lciao, para ?e Ihe dar por
I ccrtdo se a nomeaco de seu caxeiro JoaoRap-
LOTERIA.A que se aclia a venda a H, alas,a ^ si,va Marques, se sena registrada tiesto
beneficio da, Santa Casa de Misericordia, une' oeritissimo tribunal D-se.
NCLEO PHILOSOPHICO U1TF.RAIII0.-Reu-
ne-se buje em sessao ordinaria.
que
fcitos em toda asna inteusidade, como rosmiicoes
de" previdencia e. at cerfo ponto, onsadia.
Cas, a illi
do doras
llepartl^o da polica
2" seceo.Secretaria da polica de Pernambu-
ce,3de setembrode 1869.
N. 1282.Illm. e Exm. Sr.Levo ao conhec-
mento de V. Exc. que, segundo consta das narti-
cipacaes recebidas nesta repartcao, foram bon-
tem recolnidos a casa de detencao osseguintes
individuos :
A'minha ordem, Joo Pedro do Naseimenlo, por
criini! de furto de cavallos.
A' -ordem do subdelegado de Santo Antonio.
Aquilino, escravo do Dr. Joaquim d'Aquino Fon-
seca, a requ'-rimento d'eslo,
A' ordem do de S. Jos, Francisco Rodrigues
Barbosa, por ferimenlos.
A' ordem do da Roa-Vista. Eleodoro, escravo
de Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior, a requermen-
to d'esto.
Dens guardo a V. ExcIllm. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Naseimento Maceado Prtella, vu,-
presideut da provincia. 0 chefe de polica.
Francisco ds ssis Olioeifa ilaciel

0 commercio, a lavoura e a industria, sao as
tres slidas columnas das naeOes, que as grandes
guerras podepi abalar, mas fa n paz logo conso-
lida. Ocimmerei faedidades e seguran-
liuinnando as ootes enai idiares, abrin-
onde a concurrencia de productos as
reclaman), aarada commodas e rpidas ao trans-
perte dos pr das ri.is, o |iro:u .v'.nilo. eniim, lodosos sy-tcmas
provada* aadipjtadoi de viaoa >.
t Estas ora> cstimiilum a actividad.! c compen-
san! largameiiloossaiTiliri.is. Da iniciativa indi
vidual, osi-lancida pela esaofieaeja B auxiliada
peto apoio eBicaz da admiiiisltiaii publica, eaae
ramos a realisaro da lio grandes quanto lucrati-
vos melhoramentos.
REVISTA DIARIA.
CI'AIIDA RACIONAL.Por delilnuacaoda pre-
sideicia do 2 do corrite, sob prnnosta do res-
pectivo commandan'e, furnm romeados para o 3"
batalhao do infaniari.i da guarda nacional do mu-
nicipio do Reetf : alteres secn'torto, Affonso do
RegO Birros; alfcres da 1" companhia, Faustino
Jos da Prfpsorj ; alfercs di V, ("andido Jos de
OHveira : alfercs da | Henrique Jos da Moraes :
altores da r, Joan Marques Correa Jnior.
SEC.REDO E AMOR nv ORDEM.-Havcr hoje
sessao dessa sociedade biincticeiite, s 6 e meia
horas da tarde, para a qual sao cunviJados todos
os socios.
0!MIODErailty|BJJCO.
GCkVK 4 E ski kmpk af I).
0 Mario do io de Jaimro prosegue, nos
termos abaixo. as consideraces que fez s
ideas que emittio no seu i artigo, que
transcrevemos a 3 do eorrente.
E' c m immensa satisfaco que vamos
dando cabimento neste Diario, essas pen-
sadas ideas, essas saraas reflwoss da il-
lustrada rerhco; e todos qrftntos artt
NAJRAGia -Do voli.i dos baixos da Juai-
mu,, ao norte da l'araliyba, onde foi ver con
s.-guia salar a alora ingle/a Lincaskire, que aln
eucalhou ni lio) do ni i- -. paseado, vollou bontem
o vapor f/V'/mVt.dJciimpatiliia Peruambucana, sem
nada ter ponido eaaaaguir, por aciiar-so o navio
fazeudo minia ai;iia.
Da capital da i'arahyba trouxe essn vapor parle
da carga do patacho ingle Elisa Jane, que
all naufragou o mez atrasado.
CONCl'RSO.lista, marcado o da t de outn-
bro vmdouro para proceder-so a concurso dos
lugares vagos tic ter ca ros .senplurarios e pra-
licanles da thesouraria de fazenda, alfandega e
reeebedoria de rendes d'esta provincia.
As provas de capacidade e Mifflcieada requeri-
das aos.primeiros. devem ser dadas na forma dos
t e 2 art. 1 do decreto de 27 de junho de
18(13 ; e as dos segundos na forma sonicnle do
referido t l.
MACDALUN.V. A p mtc dessa localidade, ie-
gundo no-lo informam, mesmo pelo lado do tran-
sito de pessoas a p, aeh-se coberta ie urna ve-
geia'o incommoda de capim d,' outras plantas;
e sobre tal se pede urna providencia no sentido
de serem ellaserra Iteadas.
E' um ped :il s;ui-f,icao, ao passo que
ppnpa-se assim aos Iransuenles o ncominodo que
soffiem.
SANIA CIU7.. Conn.-carara n'e.-sa igrcia o.-
exercici .-iosos do u\ti doloroso, sep a diecc-
'.'io do \\\ .lulk. Mosclia.
MISSAS FCXBBRES. Exm. Sr.
gador Jos Per.ir.i da Casia M<4la e sqa senho
ra mandaw celebrar missas, na segunda lora (16)
das 7 as 8 huras da mauha, ua matriz da Boa-
Vi-in. [cIodescanso eterno ile seo to amigo bri-
gadero Joio Manuel Menta Barrote, morto na to-
maito de l%atMbn>, era 12 iti mez passado. Para
essa bouunogeiua saudosa memoria de ora dos
mas disitoi-ios br.iv.s .la guerra contra o Para-
tu.iy,c-wvilam elica todos os scus amigos c paren-
tes, o aquellos que sapera aquilataraverdadoiro
mrito. ,
WafiB M IMAftEXS.-Arnanhaj, M 8 horas
Ja n beoy.ida a iaargeu So-
corre no dia 10.
PASSAGEIROS.-Obrigue portnguez Bella f'i-
iite., trmixi! os seguintes :
Jifflo Cesar Itoptista, l.ixit Antoni i de Sbnza,
Emilio Pereira Duarte, Manoel Ferreira Alberto,
Joao de Barros. Sapolongo de Francisco, Liborio
Vicente e seu hlho.
O vapor Ceqrti, viudo da Parhvba trouxe
os seguintes :
Lindolpho Malaquias do Rosario, Francisco do
Reg Toseano de Brito e RavmundoNevto.
CHMITER10 PUBLICO.btuari do dia 1" de
setembrn de 1669:
Cassiano, Pernambuco, 15 dias, Boa-Vista;
bronehile.
Guilherme de Sonza Bello, Portugal. :!S annos,
casado, Boa-Vista; hepro cordite.
Maria, Pernambuco, S. Antonio; ao nascer.
Adelina, Pernambuco, 3 annos, S. Jos : delin-
can.
Pedro Ferreira, frica, 82 anana, solteif, Boa
V isla ; 8|M)plexia.
Harto, Pernambuco, Sanio Antonio : cmaras
de sangue.
Januario Flix de S, Pernambuco, 50 annos,
solteiPo, Boa-Vista; hemopetizes.
Cusma Correa da Conceicao, Pernambuco, 25
anaos, solteira, Boa-Visia ; perilonito.
s
Anna, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista; be-
xigas.
Maximino Sobreira de Mello, Pernambuco. 36
anuos, viuvo ; bypertrophia.
Justino, Pernambuco, 5 annos, Bo&-YiSla : cvste
agude. j
Luiza Maria da Conceicao, Pernambuco, 't2
annos, solteira, Santo Antonio : phtysica.
Gemido, Pernambuco, 43 annos, Berife; delirio
tremores.
Recem-nascido, Manoel, Pernambuco, S. Jos;
asphxia.
Landelina de Soma Cavaleante. Pernambuco, 23
annos, ca-ada, hemorrli;.ga uterina.
Francisco Carlos Si ares de Avellar. Pernambu-
co, 16 annos, solteiro, Boa-Vista; pneumona
chronica.
De Lola Sund, subdito allemao, de idade do 33
anuos, residente na cidade da Fortaleza capital do
Ciara, e Hermann Sund, lambem'albina- emn 37
anno* de idade, re-uliiile em Leipzig, Saxonia ua
ConledetacSo da Allemanlia do Norte, estaheleci-
rais naquella sobredio cidade, eum commercio de
iniportafo e exportacao directa, p r grosso, sob
a lirma de Louis Sund* k C, pedintlo para serem
matriculados. Em abono de sua pretencao junlam
folha corrida em que se mostrara livres do culpa,
o attesiado dos commerciantes Joaquim da Cunha
Freir A Iraiio, Jos Joaquim Carneiro e Seve-
riaaa Ribeiro da Cunha A Innio, abonando osea
crdito coinmercial.Vista ao Sr. desembargado!*
fiscal.
De Gomes de Mallos Irmos, commerciantes
matriculados, (tediada registro da nomeaco que
I ora juntara, de seu caxeiro Rufino Gomes de
Mattos.Registre se.
De Jos Antonio dos Santos Oelho e Joo Bap-
tsla Goncalves de Oliveira. para registro do seu
distrete seaiat quftaanu uitimameuto o sello
competente.Vista ao Sr. descrobargador fiscal.
Nada mais se off.-recendo a desp char, o Exm.
Sr. presidente encerron a sessao s II horas e 1 2
do dia.
CHRONICA JUDICIA^H.
riiiiir.v%i, do cohheucio
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 2 DE
SETEMBdO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBAHCUiOR ANSELMO
FRANCISCO Pr.RETn.
A's 10 Iwras da manha, presentes os Srs. de-
pinados Rosa, Basto e baro de Cruangy, faltan-
do cora participaco o Sr. Miranda Leal, o Exm.
Sr. presidente abri a sessao. v
Foi lida c approvada a acta da sessao de 30.
exped KNTE.
Offlcio do Dr. secretario da presidencia de 31
de agosto ullinio, transmittindo de ordom da mes-
ma, dous exemplaresda coHeccfw das les a de-
csoes do governo imperial do anno do 1868.
Archvese e aecuse-se.
Dil'ialo conservador do commercio do Macei,
firmado de 28 do mejmo me/, apresentando a pe-
ttCo de .Numa Poiauiljo Passos, u\ qual reuuncia
o lugar de agente de leudes daqnella proca, e so-
licita o de correlor geral da me>raa, sugeitando-
se a qualquer deliboracio do governo geral quan-
to ao numero de coi rctores que bouver de fixar
e a prestar nova llanca.Foi con; visto ao Sr.
desembargador \WA.
Aos Srs. deputados foram distribuidos os dous
livros Diarios de Stmpson 4 C submettidos a ru-
brica.
DESPACHO'.
Ilequerimento de Ernesto 6t Lcapoido. eom es-
tabelecmsnto ra do Cabg n. 2 D, pediodo
certidaa de estar ou nao regi-trada a nomeaco da
seu caxeiro Antonio Jos Felippe Santiago.Cer-
tifique--e.
De Juio Vctor Alves Matbcns, apresentando i
sua nomea<"o\de caixeiro de Domingos Alves Ma-
Jim inbar-4 niieus.KegistreHie.
Do mesmo Joo Vctor Alves Matheus, para se
Ihe mandar certificar se Domingos Alves Matheus
negociante matriculado Como requer.
De Joo do Ama ral Rapozo, para se mandar dar
baixa ao registro da esc.riptiira de hypolheca ce-
tobrada por elle o sua inullier favor do Francisoo
Jos da Costo Ribeiro, visto oslar paga como coos-
tavada escripinrade distracto, que junta.Pago
Ojsello da escriplura de distracto, vclle a pe-
tijtio.
De Thomaz Antonio GuimaraV, juntando a pro-
cnrafii exigiila por despacho de 30 do asesto ut-
timo, aflm de ser autorsado ( registro Ae seu Ma-
iSESSAO JUDICIAIUA EM 2 DE SETEMRRO DE
1869.
PRESIDEN! ilA DO EXM. SR. DEsi:.MU VROADOR A. F. PB*
RKTT1.
Secretario, Julio lluimaret.
Ae iiico dia declarou-se abiTta a sassaa, estando
reunidos os Srs. denambargadoraa Si tirana, Silva
Gnimares, Res e Silva, Acciol, deputados Rasa,
Basto, bario de Cruangy c supplonte Sa l^iito.
0 Sr. Miranda Leal roinpareceu poneo antes do
so encerrar a sessao.
Lilla, foi approvada a acta da ultima sessao cora
a segrate declaracSo : no julgamento do feito
entro partes, appeilante. Antonio Ptaaetaaa da
Silveira; app-llados, J. U. Graf A C, o Sr. Rosa.
fataa pela nullidade da MBtmca de lis. 22 o pe-
nhora do lis. 33.
Foi ldo o offlcio do 21 do mez lindo do Exm.
Sr. eonselheiro presidente do tribunal do com-
mercio da captol do imperio remetiendo a copia
do accnrdo proferido por easa tribunal nos autos
de revista entre partes, recurrente, o vsconde de
Suassuna ; recorridos, os administradores da mas-
sa fall Ju de Joaquim Josii Silveira.
ACC0RDA0 ASSI0NADO.
Appellanlo, Antonin Francisco da Silveira : ap-
pellados. J. l. Graf dj C.
KtLGAMiwros.
Juizo es/iecial do commercio : appellanle, Alc-
xandre dos Santos Barros; aiipellaA, Manoel Jo-
s de Miranda : uizes os Srs. Silva Guimarfies,
Acciol, baro de Cruangy c Rosa.Ordenou-se a
deligencia pro|iosta pelo Sr. baro de Cruangy.
Appellanle, Francisco Leitao de Carvalho ; ap-
f"liado, o Dr. Joaquim Sernpio de Carvalho.
mbargan e, Jos liarlos Teixeira ; embargados,
Oliveira, Filaos & CAdiados a pedido dos $f%,
deputados.
DESIfiNACAO BE DIA.
AppellantP, Joaquim de S Cavaleante de Albu-
querque ; appellado, Manoel Joaquim do Reg
Albuquerque : appellanle, Jos Rodrigues de
Araujo Porto ; appellado, Izidoro Bastos A C.
Designou-se o I." dia til por nao estar presento o
Sr. Miranda Leal.
PAS8A0BM.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador ReB < Silva: appellantes, os ad-
ministradores da massa fallida do Bernardo Jos
Pereira ; appelladoi, Duarte rtnto A: C.
SDSPETr,oP.S.
O Sr. desembargador Silva Gnimares jurou
suspeir o o passon ao Sr. desembargador Ruis o
Silva : appellanto. Jos Joaquim Gomes de Abo a ,
appcllad.is, a vuva e bordeos de Jos Antonio
de Barros Wsiderloy.
O Sr. desembargador Silva Guimares jurou
suspeico, apresenton para nova di tribui,o e
distribuo-se ao Sr. desembarg-xtor Acetoti : ap-
pellanles, Augusto Octavian de8ouaa*C.; ap-
pellados, Augusto Frederieo de Olivara 4 C.
maaniaaitBai'i
Ao Sr. desembargador Silva Guimares : ap-
pellantes, Carlos Rooker; appollado, Lomlon aml
Brasilian Bank : appellanle, Matan Jos Ferreira
lia Cunha ; appellaao, Domingos Francisco T0-
AGGIIAVU.
Juizo especial do cominorCi.: aggr.uauto, Vic-
oria Rufina de Azevedo ; aggravado, Aodr Bar-
bosa Soares.
O Bsni. Sr. presidente negra previmoulo.
I
RtfilVH

v
---------



2
Diarto de l'eriwttubuoo Sabbailo 4 de Setembro Je 1869.

u
Nada mais houvc, c foi encerrada sessao a
meia hora da urde.
TI NI) ABA
Soma
usa os
ida e appro-
uc u junnu uo i, > rea pareee-lhe que ae pode eonceder.-Inrorme
o doartml systoma(Ie pesos e medula m- Je J h. ^ devo|ulo de
rico franrez, rocommenda a mesma cmara um 7 ou,ro if(j0
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS i DE AGOSTO
DE 189.
MSIDKNCIA DO R. DR. BAUBi
PELO SR. DR.
Preseoes os 8rs. Dr.
Muamies e Dr. Pitan
mais scnli i*--. abre-so a
vada a acia da antecedente.
Leu-se o segu nto
BXPKDIFKTB.
Um offlrio do Exm. vice-prcsidente da provincia,
de 28 de julho ultimo, declarando a cmara que
convindo providenciar para que indopendentemen-
te de cspacamento do praso marcado pela loi n.
1,157 de *G de junho de 1862, se realiie a sulis-
litllica
lo mtrict
que no orcamento da receila e despera que hou-
ver de apresentar a a^sembla legislativa provin-
cial ein sua prxima renuio, consigne a quanti
necesaria para acquisieao de um jugo de pesos e
medida do novo sy*to'ma, como acaba do deter-
minar o governo imperial por aviso circular do
ministerio de agricultura, cemmereio c obras pu-
blicas de 6 do dito mez.Que so respoudesse ja
ter a cmara o padro de uuia o outra cousa pelo
systcina mtrico.
Outro do mesmo, de 30 de julho ultimo, decla-
rando a cmara em resposla ao seu officio de 21
do dito mez, sob n. 62, que approva a delibera
ca i|ue lomou de acceitar a olterta que fez o ci-
Jado Henrique do Miranda Henriques, para en-
orregar-se de fazer os coneertos de que necesi-
ta o cano de esgoto das aguas que se.arcuinulam
nos quinlacs e sitios da Casa Forte, com o abati-
inento de dous por cento em qno foram e!les orea-
dos, isto nao ter apparecido licitantes na arrem i-
tacao.Que se fizes necessarias coramunicacoes.
otro do mesmo, de igual data, declarando a
cmara, em resposta ao seu officio de 21 de juiho,
sob 11. 61. que approva o orcamento na imporian-
cia de 880J000, do< reparos de que neco-siia a
aotiga ponto do lugar do Lucca. e autoriza a mes-
illa cmara a levar em praca seraelhan e obra, e
a despender com elfa a quantia cima menciona-
da.Que se pozesse em praca para os da II, 14
e 18 do corrente
Outro do mesmo, de igual data, transmitlind <
por copia a cmara para seu conhecimento e fins
convenientes, o acto da mesma data (30 de julho)
pelo qual resolveu approvar provisoriamente no~
termos do art. 2." do decreto de 2o de oatubro de
1831, a postura addicional que se refere o offi-
cio da me-ma c&mara de 21 do referido mez de
junb >, sob n. 63.Que se publique, o remetase
copia aos flseaes e ao engenheiro cordeador.
Outro do engenheiro fi>cal da e-trada de ferro
do Recife S. Francisco, com despacho da presi-
dencia de 27 de julho ultimo, mandando infor-
mar, no qual o me S. Exc. haver o fiscal da freguezia de S. Jos mul-
tado a companhia da mema estrada por nao ter
aerido o< pezos que servem para os seus irn-
jwrtes.alle.Rando ser abusivo semelhante proce-
der, nao s porque nao tem a cmara ingerencia
aigiima na estrada, snjeita a tima polica especial
pelo decreto n. 1,930 de 26 do abril de 1857, so
mo porque j o governo imperial deelarou em
aviso n. 235 de 31 de julho de 186o nao estar a
dita companhia obrigada a semelhante afericao
Que se informe com o oecorrido.
Outro do Dr. chefe de polica tambem com des-
pacho da presidencia de 3 do corrente, mandando
informar, o qual aprsenla a S. Exc as copias do
officio do Dr. delegado desta capital, de 26 de ju-
nho ultimo, e dos documento* q ie elle se refere
sobre o heto de urna moga que loi condtizida ao
cemterio puhlm para ser inhumada suppondo-se
estar anda viva ; tem por lim pedir a S. Exc.
providencias para que em ca-os semelhantes na >
ae d d^ ridade policial, e nem -e r-mrodusa a infraceo
do regulamento do cemiterio, que nos artigos 71
72 exige para a inhuinacao dos cadveres a
apresenjayao ali da guia da cmara.Posto em
dscu>a >, aprevena o secretario o officio do ad
ministrador do mesmo cemiterio, rc-mondendo so-
bre os q esitos que |he foram perguntados ni
Bessao ultima, com referencia ao facto de que
trata o Dr. chufe de polica ; e continuando a dis-
cussao, resolvea-se por lim que fossem todos os
pa|'is rmettdos a commissao do cemiterio.No
correr dessa discussao, o Sr. Dr. Barros Brrelo,
meinbro da cu nmis-o de polica aprsenla a ca
mar o parecer que se segu, o (pul loi tamben).
mandad > remetter a citada commissao do cern
ter i o.
A commissao de polica, por oceasio de exa-'
minar os balancetes da reedita e despezas, corres-
pondeatos ao trimestre de abril a junho do cr-
lente anno, depamii com tal irregularide e mu-
tnis-ao nos recebiinentos das laxas de 10 0/0
cobradas dos dono* dos carro- fnebre*, quejulga
de seu dever communicar a esta illustrissiina c-
mara o modo porque tem sido feta essa nrreca-
dacao
Durante o referido trimestre bonveram 80
inhumaeoes feitas no cemiterio publico desta
cidade.
No mesmo periodo apenas pagou-so a laxa
correspondente a de 287 carros fnebres, dexando
de ser paga a de 166 cnterramentos por sprom
considerados gratis, e a de 227 p.r motivos nao
desenmmados e que sao ignorados pela com-
missao.
Entretanto na parte 2." do 2." do art. 51 do
regulamento de 2 de junho d 185i, s devem
ser isentos da laxa os carros de candado e os da
quarta classe. Os nuaes nos termo- do 2. do
art 53 do mesmo regulamento s serao puchados
por n m s ca vallo.
Ora, sendo publico e notorio que raro o
cadver que cohduzido em calan, levado a mo
para o cemiterio, e que neiihutn carro fnebre
puxado por um s cavado, entondo a commissao
qu- 227 cadveres, eujos cairos nao pagaram a
laxa nao podera ter sido condimdos em caixo
levado a mao, nem em carros de quarta classe;
e anda menos era carros de ca ridade; visto como
estes ltimos cstao comprehendidos nos 116 en-
terramenlos gratis. Por conseguidle emende a
commissao, que a arrecadacao da laxa de 10 por
cento sobre os carros fnebres nao lera sido feta
com o zelo e fi-calisacaoexigidos pelo regulamento
do cemiterio; ma< sun com gran le detrimento
dos cofres muncipaes.
t Paco da cmara municipal 4 de agosto de
1869.-M de Bario.
O Sr. Gatneiro fez ver a cmara que 3endo tam
bem meinbro da commis iioii o parecer citado em c.onsequencia de enten-
der que a falta que se nota no recebimento da
laxa dos 10 por cento, devida aos enterramen-
tos feilos de pessoas desvalidas e d escravo*.
Urna represenlacio do ex juiz de paz do 1. dis-
tricto da freguezia de S. Lourenc,o da Matta, te-
nente-coronel Luiz Francisco de Barros llego,
com despacho da presidencia mandando informar,
cuja representara* se bazea em terem sido eleitos
cidados nao qualificado* para o cargo de juta de
paz da mesma freguezia. A' eummisso de pe-
tiedes.
Outro do secretario da presidencia, devolvendo
a planta do bairro da Roa-Vista, que acompa-
nho ao officio da cmara de 16 de junho ultimo
sob'n. 77.Que se remetta ao engenheiro cor-
deador para que faga as necessarias notas.
Outro do Ds. juiz municipal da 2.* vara, com-
municando haver as emprego no da 30 de julho ultimo, por ter cessa-
do o seu impedimento.- Inteirado.
Outro do advogado, comuuinicando que na
cauza movida contra o bngadeiro Joaquim Ber-
nardo de Figueiredo, foi proferida a sentenca.
que remelle por eopia, e que se fundou em nao
ter sido o termo devdamen'e lavrado, c ser a
obra dentro do sitio do referido brigadeiro. Taes
toctos revelam filia de atiencao ios flseaes, e dv>
lugar que a eamara pague as castas indevida-
mente. Appellou da sentenga e lera entao ocea-
sio de examinar se convm ou ni sognir a ap-
pellago.Que so remeta ao Sr. vereador Ua-
Outro do soliciudor rem-jltendo a centa das
despezas feias desde 18 de dezembro do anno
panado at 27 de julno ultimo, na importancia
da 91*600, e tendo em seu poder a quantia de
6U3tO, existe em saldo a seu favor de de 27 JMO.
pede para pagamento do mesmo e para occ.rrer
a mitras despezas a quantia de 2fl0|000.Que se
rdenasse ao procurador para entregar.
Outru do engenheiro cordeador, Informando
sobre o que pede Jos Oiyoipio das Santo*, tem a
dixer que pela postura municipal nao 6 permiltido
consiriiir-se casa do taipa na ra Imperial.4*-
doferido.
Outro do me*mo informando o requerimenlo oe
Jos Fausiino de Lemos; declara que nada tem a
oppor.oneedeu-se.
OuWo d' mesmo, informando sobre o re jueri-
taeulQ de Francco Antonio de Brito & Fiiho,tem a-
dizer qne o predio onde os supplkantes pretendem
fazer a obra pertence a Sania Casa e est mar-
cado na planta para ser demolido uns vinte pal-
mos para o alargamento da ra, mas a obra lao
diminuta que parece-llie nao haver inconveniente
em se couceder o que os mesmos pedem.Con-
ceden-so.
Outro do mesmo, informando o requerimento
de Souza Moiitnlio & C. cumpre-lhe dizer que
nada tem a oppor.Concedeuse.
Ontro do mesmo, informando o requerimento
Ule Manuel Antonio da Silva Ros, tem a dizer que
nada se I he offeivce a oppor dando-se-lhe cordea-
;o. Slandou-se cordear.
Outro do mesmo, informando sobro o requeri-
inento de Remigio Kneipp, para fazer a frente da
casa ein seu terreno a na do Caes do Capibaribc
tendo a frente dezesete palmos, cumpre-lhe dizer
que visto o supplicanto nfw dispr de maior ter-
Outro do mesmo, informando o requerimento de
Amelia Feliciana Ferrcira de Brito, enmprc-mc
declarar que nada tem a oppor, dando-se-lhe cor-
deafto.Mat^lou-se cordear.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento de Jos do Nascimentoe-Alliuquerquc para
murar o seu terreno na na de S. Miguel, cumpre-
llio dizer que nada se Ihe offerece a oppor, urna
vez que seja dada a cordeagao.Mandou-se cor-
dear.
Outro do mesmo. informaudo o requerimento de
Mauoel Julio da Silva, cuu.pre-llie dizer que nada
tem a oppor a prctengao do supplicanto, collocan-
do elle as soleiras das novas portas no nivel da
soleira oxstente.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o que pede
no requerimento junto Claudio de Santa Clara Pa-
checo, tem a dizer que nada se lhe offerece a
oppor, urna vez que se Iba d a competente cor-
deagao para a obra que pretende fazer.Mauduu-
se cordear.
Outro do mesmo, informando o requerimento
de Sertino Duarte, que pede para edificar no
lugar do Chacn una casa terrea entre muros;
declara gue nada tem a oppnr.Concedeu-se.
Outro do -Jiesuic, informando o requerimento
junto de Leoncio Gomes da Fonceca, que pede
nara edificar em seu terreno na estrada de Joo
de Barros urna casa recuada da estrada 130 pal-
mos, cumpro-lhe dizer qu nada tem a oppor.
Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento de Donina Luiza da* Dores do Panizo, pe-
dindo licenga para edificar urna casa na estrada
do Cabanga, freguezia dos Affogados; cumpre-
lhe dizer.que nata tem a oppor a pretengao do
supplicante, dando-se-lhe previamente cordeagao.
Mandou-se cordear.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento em que Joo Francisco do Reg Maia pede
para limpa as frentes de dous caixoe* de pedra
e cal na travessa do Outeiro de Apipucos, afasta-
dos da estrada mais de 300 palmos, cumpre-lhe
dizer que nada tem a oppor.CoRcedou-so.
Outro do mesmo, informando conlra o que pede
Joo Frailesco do llego Maia para concertar urna
sua casa no largo de Apipucos com a mesma ar-
ehitectura e nivelamento das demais.indeferido.
Outro do mesmo, infonnaodo o requerimento
de Antonio da Silva Azevedo, o qual tendo domo-
ido a casa no interior do seu sitio na Passagem
da Magdalena, quer mandar edificar no lugar
d'aqueua urna outra etc.; cumpre-lhe dizer que
nada tem a oppor, executando elle as obras de
conformidade com as posturas.Concedeu-se.
Outro do fiscal di Recife, com.nunicanlo que
Marques & Ferreira, a quem impoz a multada por
infraego do art. 2.* do regulamento approvado
peta le n. 284 de 9 de maio de 1831, j recolhe-
raui a importancia da mesma multa. Inteirada,
emeedeuse a licenga solicitada.
Outro do fi*cal da Ireguezia do Pogo, commui.i
cando que tendo cessado os seus emeoinmodos,
assumira boje o exercicio do seu einprego.In
le rada, fagatn-se as necessarias comniumcacoes.
O Sr. Dr. Pitonga, meinbro da commissao dos
negocios da arborisagao pede a palavra, e fazo
presente requerunento. t Nao havendo ainda as-
signado o termo d fianga o Sr. baro do Livrav
ment que fra offerecido pelo Sr. Manoel Guerra
pira substituir ao Sr. Dr.reilra*; requero que
seja elle convidado para esse lim, visto nao poder
o mesmo senhor continuar sem es*a clausula id-
dispensavel.Dr. Pitatiga
Posto ein discussao foi approvado.
O Sr. (ameiro fez a segainte proposta:
- Estando recouhecul.i a uecessidado de que,
nem do servigo municipal, sejain removidos provi-
soriamente, de suas freguezias para outras desla
cidade, os respectivos li-caes, proponho quo neja
removido o fiscal da freguezia de S. Jos para a
Santo i Antonio, o desta para a da Boa Vista,
e o da Boa Visto para a de S. Jos, indo todos
acompanhados de seus respect vos guardas.
Sala das Besados da cmara municipal do
Reeif, 4 de agosto do 1869. 0 vereador Ga-
metro.
Posta ein d*cussao, nao foi appr vada, por te-
rcio torneo! volado a favor os Srs. Gaineiro e Dr.
Moscoso. .,
O Sr. Gameiro pedio dispensa das conunissoes
de pocia fui-lhe concedida.
O mesmo Sr. requereu que se atitorisasse aos
liscaes para contralarem nina canoa que recebes-
se ein cada urna freguezia da cidade, o cululho e
lixo tirado dos caes, e fo.-sc depostalos na praca
ao sul da casa de detctigo, ou so contralasse
e>le servigo com quem quizesse delle se encarre-
gar, fazeudo o deposito uo lugar indicado Posto
em diseu'sa, foi approvad*, no sentido de ser
contratada a remogao, precedendo aniiuncio para
ft-se lim.
Tambem requereu o mesmo Sr. vereador, quo
se ordenasse aos liscaes das Ireguezias de lora da
cidade para que Cotnparegam ua pruneira seso
de cada mez, e apre>entassem um relatorio cir-
cuuistouciado do todas as oceurreucias havidas em
suas freguezias, aiiui de que pussa a cmara lo-
mar qaalquer solugo a respeito.Foi approvado.
O Sr. Dr. Barros Brrelo apresentuu as propos-
tas que se segueiii, as quacs seudo postas en dis-
cussao, foi approvada, a pruneira, e a segun-
da remeUida a commissao encarroada dos ne-
gocios da arborisagio.
1 Proponho que se recommende aos fiscae,
das difiranles freguezias do municipio, que te-
iiluin o maior cuidado em vigiar que os taltudo-
re* de carne nao coiiservom os pezos as conctias
das bataneas seno no acto de elfeciuar qualquer
pesada.Pago da cmara municipal 4 de agosto
de 1869.M. de Barros.
2' Proponho que se pouha em praga aconscr-
vago da* arvores que ja f.rain euirexues.Pac i
da cmara moicipal 4 de agosto de 1869.M. de
Barros.
O uiesmo Sr. vereader Barros Brrelo requereu
e foi approvado que o fiscal de Muribeca iuforme
se a eslraila do Cabo pan a Venda Grande, pus
sando pela frente da igreja de [fosea Senhora do
Loreto, continua a estar franqueada ao transito
publico.
O Sr. Dr. Moscos > requereu e foi approvado,
que se ordene aos liscaes que tenham todo e cui
dado e vigilancia para que nao continu o abuso
na maior parte dos estabeleciineiitos commerciaes
que vendem e compram pelos pe-os e medidas
abolidas pela adupgao do systeuia mtrico, actual-
mente em vigor, servindo-*e dos pesos e medida-
dcste sjsteii)3,o fazendo a reduccao, do que resul-
ta inuilo* abusos, que sao apadVinhados com o
pretexto do engao, o que redunda smente em
prejuiso do publico, o principalmente das classes
menos abastadas..
O mesmo Sr. anda requereu e foi approvado
que se recommende ao engenheiro cordeador, qne
com urgencia faga o orcamento do concert de
lodo o edificio da ribeira da freguezia da Boa-Vis-
ta que so acha em omito mo estado, dividiodo-a
em duas partes,': a primeira abrangendo o calga-
mento >por meio de cantara do Lisboa, devendo
cada pedra ter o tamanho de ."0 centmetros de
lado, ou o que parecer melhor, e o concert do
pilar desaprumado, reboco e lodo o mais servi-
go dentro do lance do agougue : segundo, abran-
gendo o reboco e guarneeimento de cal bran-
ca na_ frente, collocagao de um portad na frente,
caiago o pequeos rasparos nos outros lances.
Mandou-se remetter acoinmWsao encarregada da
arborisagao urna petigo do contratante Manoel Al-
ves Guerra, protestando contra os estragos e dam
nos cau*ados pela populago as arvores que tem
plantado.
O Sr. Dr. Moscoso loi nomeado para a commis-
sao de polica em lugar do Sr. Gameiro que pedio
exooeraeao.
Mandou-se que ficasse espagada para a sessao
le 11 do correte a arrematogo da obra da ponte
do cemiterio publico, e bem asaim o imposto d.
quinhentos ris p>rcabega de gn-o murto para
o consumo na freguezias da cidade
Despach iram-se as petiges :
De Antonio Jacintho B trgiw, Bento dos Santos
Coelh CoriolaBO Velloso da Silveira. Cnnha k C,
Claudio de Santo Clara Pacheco, Donina Luiza das
Dores do Parako, Elias Baptist da Silva, Fclix
Un Cavalcanli, 6eorge A Sitan-, Jeaquim Rodri-
gues Tavares de Mello, Joo Marques Airosa Braga,
Joaquim Jos Baplista, Joaquim Lopes Machado, Joao
Jos da Silveira, Jos Olvuipio dos Santos, JosDias
da Silva Guimarcs. Joo Luiz & Narciso, Jos Ja
come Tasso, Joaquim Gongalvcs Coelho, Jlo Fran-
cisco do Reg Maia, Jos Al ves Barbosa. Jos Al-
ves Barbosa Jnior, Joaquim de Oliveira e Mello,
Jos do Nascmento e Albuqueirque, Joanna Mara
Baptista, JosaWjrmpio dos Santos, Jos Joaquim
Barbosa da Silva, Luiz Jos da Costa Amorim, Ma-
noel Antonio da Silva Ros, Matbiai de Albuquer-
que Mello (2), Pereira k Braga, Pedro Alexandri-
no Rodrigues Lins, Remigio Rompes, Satyro Sera-
pliim da Silv (i), Vicente Jos de Oliveira, Zele-
rio Ferreira-Velloso, e levantou-se a sessao!
Eu Francisco Canuto da lloaviageni, secretario
a subscrevi.Ignacio Joaqwmde Souza Lro, pr-
pre*idente.Dr. Pedile ihaife Lobo Hoscoso.
Jos Marta Freir Gameiro. Bento Jos da Costa
Jnior.He. Praxades Gomes de Souza Pitanga.

prestimeso, o Illm. Sr. Joao Laiz Ferreira Rftjffi
sentir, por certo, palpitarIhe dq jubilo o orago,
porqne em quanto a prava do apreco do seu go-
verno, honrar-lhe o peito, as bengSo des que tem
recebido os favores e obsequios de S- S. influiro
tambem nos sentunentos que devem domina-lo.
Felicitamos o governo de S. M. Fidelsima, o
honrado Sr. Joo Luiz e a provincia de Pornambu-
co que anda esta vez v remunerados ervigos
roaos prestado* a iiuuianidade, por uut disiineto
inembro do cotntnercio desta provincia.
M. 8. J. P.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Jos Dias da Silva Ciiinares,
ao publico e ao Sr. Dr. Mi-
randa.
Tendo sido trazida discussSn da impren-
sa a minhn qustao com o Sr. Olympio Gon-
galvcs da Rosa, cumpro tambem participar
ao publico o desenlace della; que foi hon-
roso para mim, e patenteou a razo, com
que eu me qtieixava das injusticia do Sr. Dr.
Miranda, juiz municipal stipplento da 1.a
vara.
0 venerando tribunal da relago deu pro-
vimento ao aggravo, que interpttz do des-
pacho, em que o Sr. Dr. Mirand uegou visto
para eu me oppor ao excesso gao de tima sentenca. Mas antes Po foi
preciso avocar os autos porque o juiz nao
quera expedir o recurso!
0 tribunal decidi que a vista nao devia
ser negada, alim de apreciar-se e conhe-
cer-se a existencia do excesso allegado; o
qual s se poda avaliar desos da discussao,
e talvez visloria praticada na obra.
Depois de concedido o provimeuto o Sr.
Olympio mandou declarar por duas pessoas
respeitaveis que estaba prompio a assignar
a esenpturapublica, que eu xigiaj-eomo
Karantia de meus direitos, e sera qual con-
tina ria a oppor-me a sua obra.
Respond iminc.dialamente que Qcaria sa-
tisfeito com a escriptura, nos termos a que
me referi em um dos meus artigos; p lis o
meu lira era evitar prejuizos e nao iucom-
modar o meu vizinJio.
O Sr. Olympio obrigou-se por si, seus
herdeiros e successores a nao se opporem
nen tnbaracarem por forma abjuran
qualquer obraou reetlilicaco, que, eu, meus
herdeiros ou successores pretendamos fazer
na frente do predio n. 18 da ra do Livra-
mento e responsabilisou-se por qualquer
damno ou prejuizo, que por ventura possa
resultar da obra que actualmente est fa-
zendo em seu predio n. 16.
Na mesma escriptura se eslipulou, que
o (acto de haver a soleira enllocada ultima
mente passado a l i una divisoria da frente,
nao constituir servido em temp > algum
contra o predio n 18, podendo-se na reedi
ficacar, deste cortar-se o excedente da mestna
soleira, isto a parte 7ic passar da linha
divisoria.
Acc itei estas eslipulaces, que m> pare-
ceram suBcientes e abri mo do embargo;
tel-as-hia acceitado muilo antes, se me fos-
sem olereci.las.
Talvez se nao fosse a insistencia do Sr.
Dr. Miranda em atropelar o meu direito.
como sabiamente acaba de reconhecer o
tribunal superior, jtivesse ha muKo>tempu
acabado esta questao.
Honra ao veneraudo tribunal da rela-
cao.
Recife, 3 de setembro de 1869.
Gimo procurador dn Jis Das da Silva
Guimaraes.Joaquim Dias da Silva Gui-
maraes.
Fngit velul timbra.
E* sempro um tmulo objecto de venera-
cao. Ponte laucada entre dous mundos, monu-
mento de duas faces das quaes urna diz para a
trra e outra para a eternidado, urna simple*
pedra alva com o emblema da cruz encerra e
ensina na sua eloquente mudez nina fecunda e
proveitosa ligan. Est all o lim das va i* preoc-
cupagdes da vida e ao mesmo tempe a imagem do
eterno repooso.
E quando a alvura daquella pedra parece ser
o espeih da alma candida, de que guarda o* des-
potos, como que evoaga em torno do tmulo urna
idea confusa de feliz imiimrtalidado. Dir-se hia
qui. ineusageiros invisiveis o mysterio*os velam
junto da campa em que se rerolheiri restos esti-
mados; tu lo all no* falla di; immorlalidade, de
gozos inelfaveis, de premios e de bengaos. AUi, a
alma sinceramente christa expaiid-M cm vdo
siiblimis>imo mais gratas c encantadoras eapo
rangas de urna outra vida, que a patria do bem
c de todas as virtudes.
Estes foram os sentimentos com que voltamos
da misso piedosa de recolher sua ultima e
tranquilla morada os restos inanimados da Exma.
Sra. Isabel Ferreira Gomes da Silva. Exeni-
plar de virtudes, era a illustrc tinada digna por
muitos ututos do sincero culto de amisade e ter-
nura que lhe preslava a sua descendencia. Espo-
sa o mi de*veladissima, ten lo gosado a rara feli-
cidade de ver traQ*mittir-se seus lilhos as virtu
des que cultiva com tanto esnv:ro, foi a Exma. D.
Isabel urna verdadeira operara do bem. Mos
largas o dadivosas, coragao sompre aberto par.
todas as bjas inspirago*. D. Isabel viveu e mor
reu como vordadeira e pia christa.
Pilhos e hlhas faziam em torno de seu vulto
venern-e! um circulo do amisade e admra-
go. Todos a bem-diziam e intimamente respe-
tavam. E ter a todos junto de si, bem coochega-
dos e unidos en amistoso accordo, era a inces-
sante preoccupaeo e o nobre prazer de D.
Isabel.
Felzes os descendentes de tio Ilustre progeni-
tor a so, como ultimo tributo sua memoria, nun-
ca Ih'esquecerem as ternas ligos !
A morte um golpe fatal. Separago eterna,
ni|)6e ao coragao dolosas exigencias de sentimento
amargo.
Mas, quando o momento supremo permiti re-
cordar una tonga vida isonta de macula, a morte
a aurora de urna nova vida que se coinega e
em que se nao conliecem as desillusoes, osdesan-
fanw, os revezes e as dtkes.
Possam os lilhos de D. Isabel, e nomeadamente
a sua ti ha dilecta D. Rita defJHssia Ferreira Mon-
tenegro da Cruz, esposa do nosso amigo o probi-
doso Sr. Joaquim M nteiro da Cruz, imprimir bem
funda no coragao esta consoladora verdade :a
vtrludi va morir; muda de patria.
D Isabel pasou pela trra sem pezar sobre
ella; a tena lhe -eraleve.

Soguio na segunda-feira para a povoagiio de
Una o artist dramtico Sania Rosa com alguns de
i-us col legas qne ltimamente trabalbaram no
theatro de Saeta Isabel, alim de .'estejar nosso
lugar o di 7 de setembro, de esperar sejara
felizes, visto essa populugao estar vida de diver-
timentos dessa ordem, c os acolha com a sua
costumada benevolencia.
ije advogado de
Srs. redactores,
meu sogro o Sr. U nente coronel Gaspar
Cavalcaati de Albuquerque Ucha na ques-
lo de manuleneao do engenho Arataugil.
em que autor o Sr. tenenle -coronel Joao
de Sa e Albuquerque.
Esta condicao ein que rae acho, me obrl-
ga a dar resposla s insinuacoes insiridas
em-um artigo n. 00 do Diario de Per
nambttco, coberto com a assignatura do
Sr. lenle-coronel Joo de S e Albuquer-
que ; e taes explicagoes devo em conside-
rago para com o publico. Farei expost-
co fiel do quanto occorreu em relacSo a
sus|>eico por mim posta ao Sr, Lourenco
flezerra Alves Silva, na causa cima indi
cada em que o -mesmo ofQcia como juiz.
Por deferencia ao referido juiz cm peligo
respeitosa que lhe dirig, Iho fiz sentir
que em audiencia primeira do seu juizo
u averbaria por palavras de suspeito na
causa de que aqu se trata, pedindo-lhe
que em attencao a exposico de motivos
que o lornaram suspeito, e eram declarados,
assim se averbasse por seu despacho.
Nada disto valeu e foi por diante.
Agora algumas observaedes sobre urna
e outra questo, isto a de manuiengSo
suspenso.
Carece de verdade a asseveracSo feita
pelo articulista deque a suspeico fosse
posta depois de jalgado o processo de ma-
nuteoejo. Rem jra contrario d-issa sua
asseveracao dentro do praso de urna audi-
encia concedida ao tenente-coronel Gaspar
para contestar a manuteticio foi re |uerida
a sospeigo. E' fcil a confrontarlo dos
prasos de um e outro acto.
A audiencia em que se designou o praso
para a contestado foi a 23 do mez pr-
ximo passado. e o requerimento para a
averbacao de suspeico foi a 25.
Tambem carece de verdade a insinuago
de que fra d-i tempo hanil fosse apre-
sentada a suspeigo em audiencia; por-
quanto ua primeira do juizo, depois da de'
23, isto a 31, foi ella ofierecida em
juizo.
Ainda incada do mesmo defeito de
menos verdadeira a asseveracao feita pelo
articulista de que houvesse sido o tenente-
coronel Gaspar citado para assistir a prova
da manutengan. Tal nao houve Os autos
protestam contra semelhante asseverag >.
Assim pois tica fra de duvida e de toda e
qualquer razoavel contestago, urna verdade
me em muito eu preso. Que as causas
de manutenco e suspeico me dirig se-
gundo os termos regulares de direito ;
que nao fiz ento, n m fago neste momen o
mistificagoes no intuito jde fazer sorpresas
ao bora senso publico.
Nio tenho por costme le var a tela da
imprensa as causas jmliciaes de que sou
advogado ; tenho por habito requerer cora
a le em mos; usar de todos os recursos
legis, mas nao posso nessa circumstan-
cia deixar de abrir excepeo repelliudo as
insinu c5es menos cabidas do articulista.
'Piando assevera que fra de l" foi requerida e posta a suspeico, e que
correu a revelia o processo de manuten-
Cao. PorgVandi que seja o empenho que
tenha o Sr. tenente-coronel Joo de S ein
colorir a sua pertinacia, de modo a fazer
emhaimentos a verdade, nao pnsso, riera
devo eu consentir que opere o articulista
urna verdadeira transfiguraco dos fados
Miccedidos. adulterando-os de modo que I
ponha em compromeltimento a excellencia
do direito dos seus adversarios, e a dedica-
gao e intelligencia do advogado dos raes-
utos
Concilio declarando que estou prompto a i
fazer exhibico de documentos, assellan-
do toda a verdade das nimbas propo-
sigoes.
Tenho-me explicado de modo claro, res-
peitando-me a mim proprio, e guardando
cortezias d- me pod ra talvez considerar-
me dispensado pela injusta provocarlo que
me di igiili.
Recife 3 de setembro de 18i>9.
Gaspar Drummoud
(ornas, por mais arraigada e inveterada que
eache a molestia, nem por isso-doveis de-
sesperar.
Os casos reputados -como inenraveis
pelos mdicos osmaisexpe mentados eex-
penentes, sao alliviados e curados diaria-
mente, mediante o uso deste admiravel e
maravilhoso balsamo pulmnnr. Nao deixets
pois, se aprsente a apprpxiniacrto da enfennida-
de, jorqoaato existe um periodo as affec-
goes pulmonares, em que preciso infeliz-
mente perder-so tole*esperaoga. Nao
arisquis, pois, wssa vida por meio de mal
cabidas dilatos e titilte demoras.
Acha-se venda as pharmacias de A.
Caors, M. A. Barbosa, J. da Conceico Bra-
vo & C./P. Maurer A C. e Bartholomeo
4 C.
Lisbda, 28 dejllio de (869.
Illm. Sr.Participo a V. S. que tenho estabele-
cido o meu escriptorio de coiumissdes nesta cida-
de, ra do Amparo^66.
Kncarrego-me de tnp quanto seja concernente
a commercio, especiahnenie da :
VENDA de assucar, algodao, caf, arroz, ma-
deiras, agurdente e mais gneros do Brasil.
DEM de vinhos, cercaes e mais gneros da Eu-
ropa.
COMPHA e remesa de gneros ou qnaesquer
encominendas em grande ou pequea escalla.
DESCO NTOS por compra ou venda de lettras e
papis de crdito.
MOVIMENT de fundos para todas as pragas
ou lugares.
RECEBIMENTO e expedico de telegrammas ou
qnaesquer commiinlcagoes do Brasil, Rio da Tra-
ta e para qualquer parte da Europa.
COBRANCASliquidagoes informagoes, etc.
A longa pralica que tenlio do commercio e os
meus hbitos de trabalho fazem-me julgar que
saberei otimprir com zelo e actividade qualquer
commissaicom que V. S. quizer nonrar-me. Ob-
servar risca e com dedicagae as ordens que me
forem dadas ser o mea alvo.
Espero portanto merecer a apprnvagao de V. S.
com a sua eonfianga. Sou de V. S. amigo e criado
Guilherme Augusto Rodrigues Sette.
COMMERCIO.
PRACA DO RECIKE 3 DE SErEMBRO DE 186
AS 3 1/4 HORAS DA TAROh
Cambio sobre Londres 90 d/v. 19 Ii2 d. por
14000.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
ALPANDEGA
rtendiraento do dia 1 a 2. 67:&88i9t7
dem do dia 3..... 5:027*439
9*81*4386
MOVIMENTO DA ALFANDEGa
Volumes entrados com fazendas
dem dem com gneros
Volumes saludos cora fazendas
dem idem cora gneros
457
720
------1177
208
776
------984
escarregam hoje 4 de setembro
Vapor iuglezSaphiremercadorias.
Barca francezakousse de Nantes mercadorias.
Brigue ingiezUst Scottmercadorias.
Barca inglezaGazellaidem.
Escuna norte-alleuioA7a//*/7de idem.
RECEBEDURIA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAUBUCO.
Rendimonto do dia 1 a 2 ... 4 003393
Idem do dia 3...... 3:189*451
6.194*846
CONSULADO
lendimento do dia 1 a 2
Idem do dia 3 ,
PROVINCIAL
4:67837l
1:665*551
6:34:
359
MOVIMENTO 00 PORTO.
Navios entrados no dia. 3
Rio Grande do Sul36 dias, patacho nacional
Marques, 173Mulalas, capito Manoel Antonio
Marques, eqnipagein 111, carga 9,700 arrobas
de carne ; a Francisco fos da (osla Araujo.
Parahyba 14 horas, vapor brasileiro Giqui,
23 toneladas, commandante Costa, carga dif-
fercnlcs gneros ; a companhia Pernamhucana
Havre -36 dias, galera franceza Amelia, 310 tone-
ladas, capi' i Cavon, equipagem 13, carga dif-
erentes genero* ; a E. A. Burle k C.
New Port36 dias, brigue ingiez St. Culhlert, de
236 toneladas, capito Robussen, epuipagem 9.
carga carvao ; a A. L. O. Azevedo & Q,
Lisboa28 dias, brigue portuguez Bella Figueren
se. de 24 toneladas, capito J. C. Carneiro So-
brinho, equipagem 15, carga varios gneros ;
a E. R. Rabello.
i Genova por Ciara180 dias, barca italiana Rosa,
de 6 toneladas, capilo Jos Ferreley. equipa-
gem 10, carga diff-rentes gneros ; a E. Rafael
Rabello.
Afano sahido no mesmo dia.
CearBarca north-allemia Mary. capito A. T.
Dick, carga la-tro de a rea.
Consulado provincial
Pela administraco deste consulado faz-se
pubh'eo- a quem nteressar possa, que com
presente mez termina o recebimento dos
dilTerentes impostes provinciaes relativos ao
auno liuanceirofindodo 1868 1809, sendo
em seguida liquidados e remetlidos pelo
juizo os dibitoj dos contribuinles, omissos,
afim de seren exocutivamente cobrados,
na forma da lei.
Consulado provincial, Ia de setembro
delHOO.
O (administrador,
Antonio Carneiro Machado Ros.
Tribunal do commercio.
Por esta secretaria se faz publico que em dato
de 26 de agosto ultimo foi inscripto no livro da
matricula dos eonimerciantes o Sr. Jos Joaquim
Goncalves Bastos, cidadao porlugoez, tabelaeid*
nesta cidado con luja de fazendas em grosso e a
retalbo ; e em 31 do referido mez, o foram lam-
ben! os Srs. Joo Baptista Gomes, Antonio Lopes
Braga e Francisco Jos Gom*>s, cidados portu-
guezes, estabelecidos nesta cidade com negoeio ele
molhados em grosso o a retamo.
S '(-retara do tribunal do commercio de Per-
nambuco Io de setembro de 1869.
0olfical-maior
______T Julio Gh maraes.
Peranto a eamara municipal desta cidade e-
laraoem praca nos dias 9, 13 e 15 do corrente
p ira screm arrematadas por quem maior preen
olferecer as segnintes rondas mnnicipaes:
Imposto de afTerico de pesos o medidas pela
quantia de rs. 19:0001*000.
Imposto de 100 rs. por carga de farinha e ou-
tros legumcs vendidos nos mercados pblicos por
2:240*000.
Aluguel do talhn n. 16 do quarteiro do lado ito
norte do acougue da ribeira da freguezia de S fos
por 7505000.
As arrematacocs sero feitas por um anno
aquellos que pretenderem coneorrer a ella, doven
habilitar-se na forma da lei, e apresciitarem dou<
dias antes as suas liabiilacoes para serctn jujea-
das.
As condices para taes contratos sero declara-
das antes do entrar a praca.
Pace da cmara municipal do Recito 1* de se-
tembro de 1869.
Mauool de Barros Barreto,
Pro-presidente,
Franciseo Canuto da Boaviag- m,
________________________Secretario._________
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade se faz publico que na mesma nmara prin-
cipia a sua ten eir sessao ordinaria deste anno no
dia 9 do corrente.
Secretaria da cmara municipal do Recife 3 de
setembro de 1869.
O secretario,
____________Francisco Canuto da Boaviagcm.
O Illm. Sr. inspector da thesonrana de fa-
ada desta provincia, em virtude dar ordens em
vigor, manda fazer publico que tem marcado o
da 1 de outubro prximo vindouro pao con-
curso que se tem de abrir na mesma thusotiraria
para preenchimento nao .- das dos vagas de ter-
mina escrptu arios nella existentes, como das de
pratcantes da mesma, assim como da alfandega e.
da recebedoria de rendas. Versaio os exames
para praticante* sobre as materias de que trato
o 1 do art. Io do decreto n. 3114 de 27 do junto.
de 1863, a saber : leitnra, analyse grainniatical o
orthographia, arithmetica e suas npplicaces ao
commercio, com especialidade reduccao de moi-
das, pesos e medidas, calculo de descont, Jue
simples e compostos, theoria, de cambios e sua*
applicacoes : c para os de torcriros o.-eriplurarios
as mesmas materias exigidas para pr; ticante, e
mais a* do g i do dito decreto, a saber : tbeoria
da escripturaca mercantil por partidas simples e
dobradas, e sas applicacoes ao commercio e'ao
thesouro, iradnecao correla das lingoas ingloza c
franceza, ou pelo menos da ultima, principios ge-
raes de geographa c historia do Brasil, algebra
at equacoesdo 2o grao, e pralica du servido da
reparticao em que estivor servutoo : o canUato
ser dispensado do exatne em qualquer das mate-
rias cima mnconadase mostrar ter sido nella j
approvado. Os canddatos que nao forera empre-
gadospblicos llovern apresenur seus reqiieri-
mentos instruidos de documentos ,jue provem ida-
de completa de 18 annos, isenco do culpa o pena.
e bom comiiortomcnto.
Seiretara da Ihesourara de fazcoda de Pc-
nambuco 31 de agosto de 1869
Servindo de offirial-maior,
Manoel Jii Pinto
DECLARACOES.
0 diabo cocho
?

Peatanaeotos mcthaphisieos.
No axilado coo do vasto imperio da Santo Cruz?
os raios fecundadores do s.d tropical da abencoa-
da provincia do Pernambuco 1 desvaneceram as
negras nuvens qte o genio do mal de maos da-
das com a invejosa viuva da esperanza tinliam
impellido sobre a risonlia praia da linda Venen
da America do Sul pan devolver a horrenda tem-
pestado ? tinham envenenado pelo sopTO impuro
da corrupcao as sammidades da alta athemos-
phera das monstruosidades judiraes da cidade
do Recife I... a pacifica populaco assustada pela
ousadia do atrevido salteador ? ? expreitava com
olhos de-argo ao espadachim da chicana I.. Que
Conseiho de compras navaes.
O conseiho contrata no dia 6 de s^tem-
1 bro prximo vindouro sub as cundieres
do estylo e vista de propostas entregues
ate as 11 horas da manhaa o fornecimeuto
no trimestre de outubro a dezembro do cor-
rente anno aos navios d'armada e estabele-
cimentos de marinha de vveres, dietas, e
outros objectos de consumo, segnintes:
arroz do M iranbSo, azeite doce de Lisboa,
azeite dito inferior, agurdente de 20 graos,
asso-.ar bra ico retinado, aletria, araruta,
assucar branco grosso, baealho, bolacha,
bolachinba americana, cangica ou milhu.
pilado, oo era grao, caf muido, cha hy-
son, carue verde, sevadinha, carne secca do
THEATRO
DE
S. ISABEL.
l^mprcza lyrica UaMaua.
S ibbado 4 de setembro.
Rpt-ita livre de assignatura (7a do contrato;
Repetir-se-ha a muito applaudido opert d
Verdi em i actos
Os pouco> liilliHtes que inda exietom sero ven-
didos no dia do espectculo.
Principiar as 8 horas.
N. B. A empreza tem a saiisfaeao de participar
ao re-peilavel puhheu que tendo ebogarfi do Ri-
de Janeiro o Sr. Francelino, iim dos inelbor s ra-
beqnistas da corte. Iratou com elle e desde j
principia a fazer parte da orchestra.
ISZ^,!?."2LS,,M PSL.tte'SSiL l Rio-Grande do Sul, carnauba em velas, fei-
miseria e a desolacao I... Com nm de alirahir a
Acaba de ser agraciado, pelo governo deS. M.
PideUs Illm. Sr. Joo Luiz Ferreira Ribeiro com o habi-
to de N'ossa Senhora da Conccieao de Villa
Vico Semelhante condocoracii qno honra o governo
que aconeedeu ao msmo lempo que distingue o
ageaciado, urna prova bem robusta dos merec
menos reaes, e sobn modo valiosos, prestados
pelo referido Sr Joo Luiz qnor ao seu paiz natal,
quer a humanidade em gcral
Folgamos de ver, que to distincto menjbro da
colonia portuguesa nesta provincia e devdatnente
apreciado pelo governo irmao de Portugal.
B3i c'. J?.c!o, honrado cainmerciaute, amigo
si a fortuna alheia I.. desmoronava sem pie-la-
de I a humilde choupana do pobre lavrador I...
t^arregado de familia e arr.incava brbaramente?
pela incsqainha chicana judicial a nica oscrava
que possuia 7!.
O diabo cocho caifava com a rapidez da elcc-
tricidade, a heranea das viuvas I e deixava to
someote aos innocentes orphos ? os olhos para
verter lagrimas I ...........
Go o titulo Diaba cocho vai-se publicar
urna pequea brochara, em ane se avaliam im-
portantes verdades, acerca dosta entidad Diabo
cocho !... Ou o genio do mal t que flagella e
atropella este paiz Itl que tem levado algumas
vezes de vencida o genio do bem que o protege!....
cada exemplar custa mil reis, pag- s adiantados e
subscreve-se na ra da Impentriz n. 5.
' L. Pugi.
Todas rs dlla^dea ou demoras
sao perigosas --Quando a enfei midade
ataca os orgos da respirac3o, a sua mar-
cha progressiva, terrivel e rpida, e o do
ente nao deve perder urna s hora em lan-
zar mo do peitoral de anacahuita de Kemp,
quando a tosse, as sullocacoes, o catarrlm
e a dilBculdade do respirar anniinciam, que
a enfermidade comecou a desenvolverse e
a contaminar as delicadas membranas e te
cidos cellulares dos orgos da respiraco.
lima s dse tomada em tempo evitar
muitas dores e soffrimentos. Porm por
mais formidaveis que sejera os symp-
jo, farinha de mandioca da Ierra, gallinhas,
lenha, matte, manteiga ingleza. manteiga
franceza, pao. sab5o massa,salk toucnho de
Lisboa, tapioca, li.olo de alvenaria grossa.
vinho de Lisboa, velas stearinas, vinagre de
Lisboa, velas stearinas de 8 em libra para
lanternas.
Sala das sesses do conseiho de compras
na vaos, 31 de agosto de 1869.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade se faz publico para conhecimento de quem
interessar possa, que nao foi arrematada, como
eslava annuociada, em 25 do corrento, a obra do
concert da ponte d > Laca, oreada na quantia de
880i000, a qual continuar em (iraca cm o dia 9
de setorabro prximo vindouro.
Secretaria da cmara municipal do Recife 28 de
agosto de 1869.
O secretorio,
Francisco Canuto da R lavingcm
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidado se faz publico que nao foi arrematado no
dia 23 do corrente, como estava annunciado, o im
posto de 500 rs. por cabeca do gado merlo para
con nmo das freguezias do Poco da Panella, Var-
zea, Afogadbs, S. Lonrenco, Muribeca o Jaboatao,
o qual contina em praga no dia 9 de setembro
prximo futuro.
Secretaria da cmara municipal do Recife 28 de
agosto de 1669.
O secretario,
Franciseo Canato da Boaviagem.
AVISOS MARITOS.
cifiifliA mmu
DE
Paquetes a vapor.
Dos porto tonorieesperail
at o dia 7 e setcmsro o vapfr
Tocantins, commandante J. M.
Ferreira Franco, o qoal depois
da demora do tostame seguit/.
para os porto do sul.
Desde j recebem-se passafieires e engaja-se a
carga que o vapor poder condurir, a mial devera
wr embarcada no dia de suashegada. Bneommen-
las e dinheiro a frete at o dii horas.
Nao se receben! como enconunendas seno ob-
lectosde pequeo valor "quenoraceilam a duas
irrobasde peso ou 8 palmes cbicos de med.
Tudo que passar destes lirrtea derera er embar-
ca lo como carga.
Previne-so aos Srs. pUttMimqQfl "oas passn-
ens s se receben na agencia roa da firnz n. 87.
andar, escriptorio de Antn.} Luu de Oliveira
Vzevedo k C._________________ ____
COMPANHIA PERNAMBGf
DE
Navcgacdo costetra por vapor.
Macet em direitura c Penedo,
"*T\f OvxporQiquij onnandaotc A.<-
. lim. ve^< seguida para w portes cima \\< >
-1*""1!1 dia 9 do corrente as 4 horaada tar-
de. Rerebe carga at o dia I, cneomnendas.
passagens e dioheiro a freto alo as i horas da
no cripnrio do Fort.-
tarde do da da sabida ;
do Mattos n. 12.
Pai Lisboa
0 brigue portngnez Conatank t segne pan
Lisboa com a menor demora possml, por j ter
parte de sua carga pro rapta : pan o rstanle o
passrgeiros, trata-sn com os coofootariu Oliven
ra,Filh>s k C, no largo do Corpalaotoa. 19, c:i
eom o capito n uraca do coamtrfio.
MIMPANIIIA PERNAMH^IfA
DS
N'avejavo costeira pt vaoor.
Mamangoape.
O vapor oandani, eonman-
danto Penoa,ngnri pana por-
to cima no dia t do curreDkt
as 6 horas do tarda. Reetbe w-
_ ga, encommendae, paosageiros o
Jinhelro a (reto at as 3 ora da Urda do d.
da saluda : escriptorio no Fott ta atuaw a l*
]
:


Diario de Pernambnco Sabbado
i_________________________________________ _______

4 tfc Sefembro de
________
u*.---------?
1869.
3
COMPANHIV PEB3M1BIT.ANA
^avegacao cotcIr por vapor.
__ Goyauna.
Tji' ^ v:i|-11 eoniniaiidante
ski-- Mello, seguir para u pwio finia nu
rS^m d do crtente as 9 loras da noite.
iteceoe carga,' eaeommendas, passageiros e d-
unoiro a frote, o escriptorio do Forte do Mattel
COMPAVBIA BRASILEiRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos itrios do snl -speradt
,at* o dia 8 de setembro o vapor
i, cinimanduBte o i t-
ente P. H. Duarle, o qual de-
pota da deplora do costume se-
guir para os portos Ju iiorto.
Desile j reeebem-se pa.ss;treros e engaja-se a
carga quoo vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da desuarhegada. rcnrommen-
das e-dinheiro a fete at as duas horas do dia da
-na sn.liid ..
om r veb^m como enrominendas senao ob-
pctM de |Hipie:io valor c (pw nao exeedam a ?
arrobas do pe*o ou 8palmoscihiros de medirao.
Tudo que passar deslio limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros u,ue suas pasa-
geni sse receben na agencia na da Cruz n. o7.
1* andar, escriptorio de Antonio Luiz de Overa
Azevedo & C.


Gailherme Patrelo llezerra Cavalcanti e seus
irmos, Juo Viclor de Souza, sua mulher e ano
filhos, e ora, agradecem do iatimo d alma o fa-
vor de considerara, que Ibes acabara de dars
pessoas que se dignaram assistir aos suffragios
feitos por alma de sua virtuosa esposa, cunhada.
filha, i ruma canhada, Landelina a> Souza Caval-
canti ; e de novo convidara para asistirem as
missas e memento qae se resra na i^reja de S.
Jos de Hiba-mar, na ierra-foi ra 7 do crrente, as
7 horas da manha, stimo dia do *eu fallecimcu-
to ; bein como agradecem Uinibem a todos que no
momento rnais doloroso do seu ofrinwnto Ibes de-
rara a piova mais robusta de sua amizade e con-
siderae,
COMPANHIA PEI.XAMBUCAN
Xavegaco eosteira por Yapor.
Parahyba, Natal, Maoao. Amcaty. Cear,
Mantlili. Acarac c Granja.
O vapor Pie i pauta com mandan t<
Torres, seguir para os portos
_ cima no dia 13 do correte as 5 hora.-
mendas, passageiros e dinheiro a frot at a>
2 horas da tarde do dia da sabida uo escriptorir
do Forte do Mattos n. 12.
Para Lisboa
pretende sabir com muita hivvidde o palhabote
purtuguez Novo S. Ijourturo : para o resto da car-
Ha e passageiros, i rata-se co:;i os seus consignata-
rios T. de Aqumo Fonseca & C. ra do Vigario
n. 19.
Jato Victir de Soiua Jnior e sua miiUeFLaura
Augusta da Silva convidara aos seus parentes e
amigos qne nao paderem assirtir ao memento que
se tora' de c.!*hrar na igreja de S. Jos de Riba-
Mar ; |>ara i-mnpareeerem ya matriz de S. Jos,
onde tem de c.lobrar-iaMBM missa por alma de
sua mui pr>'M 11 irmaa e cuntila Lamlena de
Souza Cavalranii, terca-feira 7 d i crreme is 4
hora? da maniia.
Ama
Precisa-se do tima ama para o servico de urna
(asa de familia, que saiba coser : a tratar na run
do Ara gao n. ."12.
I'iecisa-se alugar una ivscrava boa cozinbei-
ra e onlra boa engommadeira : a tratar no arma-
zem da ra do Commercio n. 22.
S no deposito de po e cestas a ra larga do
Rosario acharo saimrosas mafias e uvas brancas
moscatel, devendo aotar-se que entre aquellas
existe algumas pezando mais de 1/2 libra, estas
serao para os primeiros que apparecerem.
Precisa-sede urna mulher capaz que qutir,
ir Mamanguape levar urna enanca a seus uais
dando se-ibe transpone e pagando se-lbe o traba-
lho : quera quizer dirija-se ra do Cabuga nu-
mero 7, loja de cera, onde se dir com quem se
deve tratar.______
Os abaixo assignados declarara ao publico e
especialmente ao corp i do commercio, que desde
o dia 19 de agosto prximo passado dissnlveram
amigavelmente a sociedade que tinham noestabe-
lecimento de taberua cita a ra do Sarita Rita
n. 1. sob a Arma do Guiuiaraes A Costa fleando
lodo o activo e passivo a cargo do ex socio Costa
retirando se o ex-socio Giraarfies saldo do seu
capital. Recifc, 1 de setembro de 1869.
Francisco Ribeiro Guimaraes
___________Francisco Torres da Oista
Precisa-se ne um caixeiro que tenha pratica
de taberna e d dador de sua conduela ; no paleo
da Ribeira n. 11
AMA
Precisa-se'ile urna para cosinhar eni casa de
familia ; a tratar no largo da Alfaudega armazn
p. 2.
AJuga-sa ara grande sitio denominado olbo
de viJro, entre Cruz de Almas e Paraanieinm,
com sobrado para m iradia, casa para escrav'os,
estribara, ea
nha, caciini'a cora boa agua de beber, bomba,
tem 0 dito sitio diversos arvuredos de fructo e
boa baixa para pl ratagao de capim : quera o pre-
tender diri|a-?e a na do Aragio n. 13, a tratar
com Jos Antunes Guimaraes oncom Manoel Fer-
r ira llamos na misma ra n. 31.
COMPANH1A PEIANAMUUCANA
DE
Navegandocosteuapor vapor
Fernando de Norouha.
O vapor Coruripr, cornin.rajante Silva, seguir
para o porto cima no dia 1(1 do eorrentc ao tncio
passageiros e iaMro a frete at as 10 horas do
dia da sabida : escriptorio no Fui le do Slalosn. 12
Para o Maranho
( palhabote portuguez Cnrona, cpitan Joao
Paulo de Oliveira vai sabir breve por ter grande
parte da carrogamento engajado : para carga e
passageiros, tr,ita-sc cora E. R. RaMIo ra do
?loraraercio n. 44.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio a venda, na do Cabug n. 2
Casa da F. Precos do eostumo.
CASA I \ Fl.
AMAS
Thnmaz II. Suramerson, eapitao ua galera de
err Lducashire, do 1177 toneladis, pertencente
ao porto de Liverpool eo'm destino d'aquelle
porto a Calcuta rom urna carga de sal, e agora
mcalhada duaa milhas distante do trra nos ar-
recifes entre Guragi e a barra do rio Gramame
na provincia da Parahyba, desejando proteger o
mais possivel os interesses dos propriotarios e
assegurados do dito navio, faz sciente pela pre-
sente que se acha prompto a reeober propostas
as seguintes eoadioOes :
Qeo navio sejaboiado, os mantimeotos e mais
pef tences do mesmo que se tiveroui d.'scarregado
para seren de novo postes a bordo, e o navio
posto no dique (dock) no Rio de Janeiro incluindo
es arrieos le um incrgulhador para examinar o
estado do casco.
Pagamento dcstes servidos ser feit na con-
elusao dotrahalho, estando a contento do mesmo
capitana quera se devera dirigir as proponas em
arta fechada no vico-consulado de S. M. Britan-
nica na Parahyba, at ao dia 9"do corrente, quau-
do serio abertas era presen;* do vicc-consul. O
eapito nao se responsabiliza de aceitar qualquer
das propostas.
A copia da vestoria que se fez sobre o navio
pode-se ver no escriptorio do Sawnders Brothers
A CAgento de Llovd largo do Corpo Santo nu
mero II.
Precisa-se de una para cosinhar e nroprar e
outras para engommar c andar com enancas, pa
ga-se bem : na praca. da Independencia n. 22, se
dir quem precisa.
Aos 20:000^006""
CASA DA FELICIDADE
i-Pracada Independencla-99
Os abaixi assignados tem exposto a venda os
seus felizes bilhetes da lotera 127-128 de Nithe-
roby, cujas listas sao esperadas at o dia 8 do cr-
reme sendo os premios pagos in continonti.
Veras A Barbedo.
A commisso administrativa da con-
traria de Nossa Senhora do Liviamento,
convida a todos os irmos e devotos, para
comparecer no dia 5 do corrente mez, as
oito horas da manh5a, afina de assislirem
abencao de Nossa Padroeira, assim como pe-
dimos a todas as confrarias o irmandades,
ao signa I dos logeles repicarem para o
brilhantismo do m smo acto.
Joao Manoel Lino da Rocha.
Secretario.
ATTM
Precisa-se de urna ama para casa de fami-
lia : a tratar na rna estreita do Rosario n. 18 B,
loja de miudezas.
OfTereee-se um hornera com muita pratica de
servico de campo, para feitor de engenho, sabe ler
e escrever : a pessoa que precisar, dirija-se ao
boceo do Peixoton. 27, para tratar,
Prectsa-se de urna ama de leite : a tratar no
pateo do Carmo, esquina da ra de Hortas n. 2.
LEILOES.
LEILAO
DE PREDIOS
O agente Puntual competentemente autorisado
vender om leilao um sobrado de nra andar o so-
to n. 98, em solo proario, sito ra Imperial e
urna casa terrea n. :i em solo toreiro sita cam-
pinarfa Casa Forte propria para paesaf festa.
BOJE.
So Io andar do sobrado n. 02, rna da Cruz,
as II horas.
LEILAO
DE FAZEMDAS
Hnjfl i de setembro.
A. C. de Abreu concluir o seu leilao de fa-
zondas inglezas e francezas i or intervencao do
jente Pestaa : hoje i de setembro as I i horas
ila raanhaa em seu armazcm ra da Cadeia.
LEILAO
t#e S caita marca K C o. Si
a OS, con latas com chon I-
cas viudas de Lfoboa no pata-
cho portugaez Mara.
Segnnda-feira 5 do corrente.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertcncer do genero cima mencionado
o qual ser vendido om om ou mais lotes a von-
tade :_segunda-feira 5 do corrente as 11 horas da
inanha no armazem do Annes defronte da al-
andega.
Precisa-sede una ama para comprare co-
zinhar : na ra do Queimado n. 22, loja.
Aluga-sc por festa ou annualmente urna casa
terrea com soto nos Arrombados de Oliuda, com
commodns sulllcientes para urna grande familia,
por ter 7 qnartos, 5 salas, cozmha Tora, casa de
pretos, quintal murado, arvor*s de fructo, e ca-
dma : quem pretender dirija-se ra da Roda,
atorado n. 44, que achara cora quem tratar.
Eu abaixo anigoado tenho justo e contrata
do a taberna sita ra Imperial n. 213, que foi do
fallecido Antonio Jos Goncalves Pleche, com o Sr.
Antonio Jos Pereira da Cunha, cunhado do falle-
cido, livre e desembarazada de qualquer debito
praca : por isso quem se julgar credor da misma
dirija-se ao annunciante na mesma ra n. 497, no
praso de tres das, acontar desta data. Recife i
de setembro de 1869.
Miguel Jos da Costa.
Offerece-se urna pessoa solteira para feitor
do sitio, com pratica bastante ; a tratar na ra do
Codorniz n. 3.
Rogase aoseuhor Adeliuo Theodoro Al ves
o favor de dirigir-se ra de Santo Amaro,
taberna n. 8, para entregar uns documentos qae
estiio em seu poder.
SITIO.
Precisa-se alngar um sitio que tenha baixa de
capim e alguns arvoredos de Iructo : a tratar na
ra do Queimado n. 12, Io andar.
Por engao foi entregue urna carta viada do
Rio de Janeiro para o Sr. Francisco Maciel de Oli-
veira : na secretaria da polica, onde poder ser
procurada.
Precis-se alugar uraa escrava que seja boa
quitandeira : na rna das Flores n. 37.
Precisa-se alugar um escravo parascrvico de
padaria : quem o tiver dirija-se ao pateo do Terco
n. 63.
CASA DA FOitTllNA
Aos 4:00011
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo assignado tendo vendido alm de ou-
tras sones 2 meios n. 1686 com 700* da lote-
ra que se acabon de extrahir beneficio da or-
dera tero-ira do Carmo do Recife (118*) convida
aos possudores a virem receber na conformida
de do costume sem descont algum.
Acham-se a venda os bilhetes da 28* parte da
lotera a beneficio da Santa Casa da Misericardia
(119a), que se extrahir no dia 10 do corrente.
Precos.
Os do costume.
Manoel Martina Fiuza.
AVISOS DIVERSOS.
Precisa-se de um caixeiro cora pratica de
| taberna : na ra do Sebo n. 54.
Na ra Nova n. 48 precisase alugar um
moleque de 12 annos, ou um preto velho para
I recisa-se de urna ama para tratar de urnas servigo de casa. Na mesma casa se vendem dous
meninas : na ra da Penha n. 23. corixs muito cantadores.
Extrahido do Jornal do Com-
mercio do Rio de Janeiro, de
20 de agosto do corrente
anno.
Arrematadles jndiciaes
No dia 6 de setembro prximo futuro s
portas da casa da relacao,' depois da au-
diencia do juiz municipal da 2a vara, se ho
de arrematar, a quem mais der cima da
avaliaciio d 2:500)5000 annuaes, os alu-
gueis do predio n. 53 K, da ra do Lavra-
dilho, penhorados na execugao que move
a sociedade Dous de Desembro, () contra
a sociedade Gloria do Lavradillio )) pelo
cartorio do cscrivo Caelano da Silva.
. () Do gran-de Oriente Benedictino,
(?) Do grande Orien- te do Lavradio,
ATTENCO
Ne dia 7 de agosto de 1869 fugio do engenho
Poco Redondo, comarca de Goianna, una mulata
de nome Rita, idade de 30 a 3o anuos, com os sig-
naos seguintes : altura regular, crpo maeru, o
i'i.deiras cnatas, cabellos cachiados,. semblante od-
farrus' ado, bocea tr mbetada, o estomago para
fra, bemoqiigada, pos bem feitos, dente- alvos
perfeitos, toda geitosa, sabe coser e faz rendas e
grades, e engorama bem ; assim como corta cu-
riosamente obrinhas para moninos ; quera a pe-
gar conduza-a ao referido engenho, ou entregue-a
nesta praca ao Sr. Dr. Laurindo de Moraes
nheiro, que ser bem recompensado.
Precisa-se
de um homem que cntenda da plantacao de urna
hurta : a tratar na estrada de Joo de Barros, sitio
n.24._________________ v
Ama de leite
Precisa- e com toda urgencia de nma ama de
leite : na travessa do Veras n. 15, Io andar. Nao
se olha a preco.
TRILHOS URBANOS
DO
Recife Apipucos.
Do;4 de setembro prximo em diante,
a partida dos treiis. ser regulada por urna
tabella qtie pode ser procurada na estaro
do Redfe desde j.
As horas das partidas as estacoes ler*
minaes, sero as sesuintes:
DAS uteis
l>n Recife Apipucos.
MnnhaafO' 7.10' 750* 4stY e 9,50.
Tarde 2,30' 3,30- 4,20' 4,W :>,:W t,35" 8,5- c 9,15'.
De Apipucos ao Recife.
Manbaa 6,20' 7,8,5*9, 10 e 11'
farde 3..1.T 4,35' 5.W 0,35' 8.201 e 9,20.
DOMINGOS E DAS SANTIFICADOS
Do Recife Ampucte.
Manbaa 6. 7, 8 e 9. *
Tarde 1, 3, i, 5, 6, 7, 8,20' e 9,20.
De Apipucos ao Recife.
Manbaa 7, 8, 9 e 10.
Tarde 2, 4,5, 6 5'7,.V 8,23* e 9,5\
Escriptorio da companliia, 28 de agosto
de 48GU.
O gerente,
Rawlinson.
AUGUSTO PORTO & C.
11--RUA DO QUEIM D0--11
ande variedade de fa-
us pelos mais mdicos
RESTIMO SOBRE*
Tendo chegado ltimamente ao seu e -tabc-l oten*
endas de gosto as pem disposii;3o de seus numerosevMI
precos possiveis, sendo:
Boumous de cachemira brancos e de cores,, o que ha de mais elegante para
hombros de senhora.
Notos gostos do. manteletes justos ao corpo denominado silptmles, sirenoes,
orientales de renda preta de soalines, o que ha de mais elegante para una mora.
Basquines de guipure preto, novo g>sto, enlatados desetim de cores. Vesti-
dos d- blond com manta e capella para noivas. Fronhas e toallias de cambraia de linho-
bordadas. Cortinados bordados para camas e para jancllas de diversas qualidades:
colxas de seda e de lita e do seda para camas de noivos.
Epingl, lindo gorgurSo de 13a e seda de cores, muito elegante fazenda para
um hndo vestido. Sedas de cores e pretas, gorgueo de seda bronco e de cores com
listas assetmadas, panos, casemiras e muitas outras fazendas cojos precos s3o em gerat
mutte mdicos. Grande sortimento de camisas para homem, tanto lisas como bordadas
e de cores.
Continnam sempre a ter grande variedade de tapetes para sof, para cama e
para pianno, porcao de tapetes em picas para alcatifar sales, e grande quantidade da
Esteiras da India para forrar salas.
ra
pri-
(SEM LIMITE.)
Na travessa da
das Cruzcs n, %
meiro andar, da-se qual-
j quer quanlia sobre ouro,
prala e podras preciosas.
0 dono deste estabelecimento,
competentemente, autorisado pelo
governo, est as condi^es de ga-
rantir a transado que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e considerarlo s pessoas que se
dignaren! de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
NOVIDADE
0 JAYMK, tend.iem vista sempre apresentar novas melhoras em seu estabe-
lectmenlo de cabelleiro ra do Queimailo n, 0, acaba de preparar com decencia e
gosto, urna sala especial onde o respeitavel pOHneo, com certeza, encontrar o que ha
de primor em perfumaras, bijoterjas, flores e tinturas para cabellos etc. ote. dos mais
afamados fabricantes de Pars e Londres. Elle cooscio de que o que ospende a pura
verdade, espera que o seu estaberecimento seja visitado por senhoras e cavalheiros para
o que desd j sao convidados.
AGECI/L ~
EM
CNCER.
CURA INFALLIVEL PARA HERISIPELA
Pedro Buanpae de Macedo, acaba de deseobrir
dopois de grande experiencia, uin remedio, que
tendo sido applicado militas pessoas homeopti-
camente tem obtido um resallado, que anda nao
faltou, quando o remedio applicado por elle pro-
prio, e observada a sua regia, em vista da sravi-
dade de sua preparacao. O mesmo senhor decla-
ra que nao expoe venda em parte alguma o seu
remedio excepeao de sua casa. Declara mais,
que os vidros do remedio serao rubricados por
elle com tinta encarnada, acompandando ao mes-
mo nma diieecae para o uso do remedio. Declara
Pi- ainda que est prompto a fazer qualquer cura con-
dicionalmente, para o que pode ser procurado em
Olinda, ra Nova n. 4.
A 23006 O FRASCO
AMA
Precisa-se de urna mulher livre ou escrava que
cozinhe o diario de urna casa de pouca familia,
paga-se bem : quem estiver nestas condicoes, ap-
pareca no escriptorio da ra da Cruz n. 60, ou na
travessa do chafariz n. 15.
Precisase de um ferreiro as obras da Re-
cife Drainage Company Limited, no largo das Cin-
co Puntas.
Ama
Precisase de urna ama livre ou escrava que
cozinhe eom perfeicao o diario de urna casa e que
seja de boa conducta : a tratar na ra do Vigario
n. 5, 3o andar.
AMA
Precisa-se de urna ama para servico interno de
casa de familia : na praca da Independencia n.
99. se d r.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar
engommar, para casa de pouca familia : a trata
na ra do Cabug n. i, loja de joia.
Cozinkeiro
Altiga-se um perito cozinheiro e dous boas offl-
ciaes de carapina, todos escravo; : na ra Direia
n. 21, Io andar.
Vicente Alves Moreira, agenciador de ven-
ias de escravos, mndou sua residencia da ra de
Hortas n. 94 para a ra da Paz n. 34, onde seus
freguezes o polerao procurar para a mesma oceu-
paclo. Recebe escravos em commissao, e promette
prompta venda.
Precisa-se de um criado para tratar de um
pequeo quintal: ra da Cadeia n. 39.
%os senhores de engentio
Urna moga habilitada em primeiras letras e com
pratica de ensino, propoe-se a lecciooar em al-
gum engenho as immediac5es da estrada de ferro
do Recife a S. Francisco : a pessoa que de seu
prestimo se quizer utilisar, dirij -se a ra da
Praia n. 53, 2 andar, qne achara com quem tratar
AVISO
Sitio
Precisatse alupar um sitio que tenha grande
baixa para eapim, e algumas arvores de fructo :
quem tiver annuncie ou dirija-se ra do Quei-
mado n. 12, Io andar. #
1'EITUUL DE CEREJA
cura pbtisica e todas as molestias do pcilo.
ALSA PAIIRILHA
cura ulceras tf chapas antigs, empigen* c darlo?.
TNICO
conserva e limpa os cabellos.
P1LULAS CATHART1CAS
purameute vegetaes e sem mercurio, cura seapes,
purgam e purilicam todo o systema humano : ven-
de->enicamente em casa d Samuel P. Jobuston
& C, rna da Senzala-nova n. 42
Em casa de THEODORO CHRIST1
ANSEN, ma da Cruz n. iS, encotitrara-se
ellectivamente todas as qualidades de vinhc
Bordeaux, Bourgogrie e do Rheno.
Opera Italiana.
Enconira-se em casa de Andr Delsuc,
cabellereiro, ra do Crespo n. 7, i an-
dar, um'bonito sortimento de luvas de pel-
lica, marca garantida de Jouvin.
Despedida.
Candido Alberto Sodr da Multa nao podendo,
pela brevidade de sua partida ao sul do imperio,
despedir-se de cada um de seus amigos, pede a
todos desenipa dessa involuntaria falta, c oerece
o seu limitado prestimo em qualquer lugar em
que se ache.
Obstrucpo
Do figado e do baco
Os preparados de JURUBEBA (vinho,
xarope, ptalas, oleo, empl-istro e tintura)
s3o efflcazes contra a obstrucc3o do figado
e do baco, a ictericia, a hydropisia, as febres
intermitientes e durezas, os desarranjos do
estomago, as faltas de sangue e de mens-
truac5o, o catharro da bexiga, etc.
Umco deposito, pharmacia de seu autor
de J. d'Almeida Pinto.
Ra do Rosario Larga n. 10 junto ao
quartel de polica
Acha-se ausente desde o da 1 do corrente a
escrava Felicidade, com os signaes seguintes : cor
fula, cabello repartido e preso por pente ou rede,
tem falta de alguns dentes na frente, anda desem-
baracadamente, falla bem e inculca-se algumas
vezes de forra, leveu vestido preto de chita, luto
fechado, muito conhecida as ras do Rosario,
Caldeireiro, Roda e Rangel : quem a pegar leve-a
ao abaixo assignado, que ser devidamente recom-
pensado ra do Queimade n. 12, loja, ou no 3
andar.
lo largo da Assembla n. 19 precisa-se alu-
gar um mole pie ou una negra, que seja tiel e de
hons costumes, mesmo sem habilidades.
Na Rfaca da Independencia n. 33, se d di-
nneiro sob penhores de ouro, prala e pedras pre-
ciosas, e seja qual fr a quantia : na mesma casa
igualmente so faz toda e qualquer obra de encom-
menda e todo e qualquer concert tendent-
mesma arte.
Troco miudo.
Da-se bm premio por sedulas do 1J000, 2;
5, 10 e 20 (nova c-tampa: na casa de Tbeo-
do-ro Simn & C, largo do Pelourinho n. 7.
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
No Recife arco da Concelclo n. 1
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na
forma das leis tem exposto a venda os seus feli-
zes bilhetes das loteras do Rio de Janeiro na casa
cima aonde se pagaro as sortes que sahirem
uo mesmo bilhete com o descont da lei somente.
*- PRECOS.
Bilhete inteiro 243000
Meios 125000
Quartos 6000
E de 100 para cima a 221 o bilhete.
Figueiredo & Leite.
Precisa-se de urna ama Dar cosinhar em
urna casa de homem solteiro : na ra do Crespo
n. 1._______________________________
Companhla Pernambncana
De ordeni do conselho de direceao da compa-
nliia Pernambucana se faz publico que somente
at o dia 30 do corrente mez sero aceitas assig
naturas de accoes da mesma companhia cuja
emisso se acha annunciada. Pernr mhuco 2 de
setembro de 1869.O gerente. F. F. Borges.
IlinqcRodr
pT
Antonio Ilenrique Rodrigues e Juo l'ertro
RiMlrigues, tendo de mandar celebrar urna m.sa
na matriz do Corpo Santo, scgnnda-feiri 6 do cor
rente, as 8 horas da raanhaa, por ser o l?nniver-
sario do passainento de sua prezada mai D. Car-
iota Maria Joaquina Rodrigues, con idam a seus
parentes e pessoas de sua amizade para assislirem
a este acto religioso.
Precisa-se de urna ama para comprar, cozi-
nhar e engommar para urna pessoa : na ra da
Senzala-velha n. 132, 2" andar.
Joaquim de Vasconcelos Pinto declara aos
seus freguezes amigos e conhecidos, que contina
a comprar assucar no armazem det'ronle da csta-
co, em Gamelleira, e pede a seus freguezes que
com elle tem relacoes de negocio?, faeam dili-
gencia de saldarem suas contas esta sala, bem
como fornece-se saceos para receber assucar em
pagamento.
Oozinheira e engommadeira.
Urna pequea familia paga 30|00u mensaes por
urna eserava que cozinhe bem e seja de boa con-
ducta, e 35 a outra que seja perita engommadei-
ra, se agradarem nao se duvida adiantar alguns
mezes a quem convier pode dirigir-se em carta
fechada a L. M. F., confeitana do Sr. Freitas, na
ra da Cruz do Recife,
Precisase de tres pretas para vender na ra
das tres horas era diante, psgando-sc a vendagem
a seus senhores : podetn contratar os mesmos na
ra da Guia n. 42, casa de um andar.
Elle um preventivo seguro e certo contra
a calvice,
Elle d e restaura forra e sanidade a pelle
da cabega,
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e posicao que se deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele faz crescer os' cabellos bastos e com-
pridos,
Elle consona a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa,
Elle previne os cabellos de se tornarem
brancos,
Elle conserva a cabecil n'um estado de fsaj
cura refrigerante e agradave!,
Elle n3o demaziadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro desagra-
davel,
Elle o incln ir c o mais aprasivel artigo
para a boa conservado e arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pin-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, I. da C. Bravo d- C. P. Manrer
4 C, M. Barbosa, Bartholomeu A C, e em
todas as principaes lojas de perfumaras
e boticas.
Aluga-se urna mulata cozinheira e costorei-
ra : a tratar com Albino Jos Fcrreira da Cunha,
no largo de S. Pedro n. 4._____________
Precisa-se do urna ama que cozinhe e en-
gomme : na ma do Cabug n. 18._____
Prccisa-se de urna ama que cozinhe e com-
pre : na ra Imperial, sobrado n. 1, 1 andar.
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na
ra Imperial n. 1. sobrado, 1 andar.
Precisa-se de urna ama
do '^aliaga n. 1C-. sobrado.
para cozinhar : na rna
Precisa-se de una ama para cozinhar e com-
prar : na na de Borlas n. 1.
Joaqun* Jos Gon-
nalves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimar3es.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalic3o.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
CABUG
esquina
da ra larga do
Rosario.
ANNEL DE OURO
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre jm sortimento sem igual,
e vende por prepos que iienhuma outra casa pode vender.
A vista da qualidade e do preqo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras linas por prepos muito ele-
vados.
RA
EO
A loja est aberta at s 9 horas dannoute.
CABUGA
esquina
da ra larga do!
Rosario. nj
a






:
1 '
v-



Diario de Pemanibo Sabbado 4. de Setembro de 1869.
yf'-g"""rnA-i--.
19
GOMPAMIA PERHAMBCAHA
Os Srs. Sannders Brothers & ., Tasso Irmaos,
Luiz Antonio de Siqueira.
CSERjEH'JPK
0 SE. F. F. BORGES.
Restando ainda emiltir algumas accoes tiesta companhia, daquardia nnwM,
2000000 cada nina, das quaes s se aceitara em \< .ude d i K 20 %. ou 40*000 poi
cada aceito; con'vi-se pelo prsenle ao jmli.n om eral c cspcciatraenlc a >s Srs
capitalistas e niercssados no cummercio, po .pito-mi tiai auprego seguro ans sen-
canitaes, dispouiveis, a sunscrever o numero deaece.- que lhes approuver.
Algumas (testas accoes j tem sido tomadas por pessoas que conheceu
de na presente occasiao (conliecidamente a melhor), mpregarem
poderem dispor en ohjectos Se valor real, couio vapoi
tain seus capilaes.
A companhia possue hoje 10 vapores, <> in'ciramente novns, p desteso ultimoesn
a cliegar de Inglaterra, onde loi construido expressamente para ella.
Alm disso esLredilieando vastos armazens.no terreno pue possue no largo d'As-
scmbla.
Seus dividendos tem sido ds 10 % ao anuo nos ltimos 4 annos.
As accoes que se emiitirem gosam dos mesmos direilos, e perceberao o benehcii
dos inesnios dividendos que os antigos cm proporcao da entrada.
Recebem-se ass'gnaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes
Assembla n. 12.
a wi. 'gt-ii.
o dinheiro de qu-
piv!if< etc., qiv Ibes garan
I N'ESTA
"f'ritOBE
ANTIGA CREDITATA
FABRICA
i
IIGtIHA II CIIIIilTIIIIII IDI COMPUTO I01TIIUT0 II
ClAPltl BB SOI:
T
J RA
De todas u quah'dades!
De todos os (sitios I
De todas os procos I
DO CRESPO N'
Tintura instantnea de Dcsnour, e real de Jayme : vende-se na do Quei-
mado d. 6,
Salao de cabelleireiro,
onde tambem se encontrar nm esplendido e variado sorimento de perfumaras finas,
e das melhores fabricantes de Pars.
sen.
Mikroskope achroraa-
lisehen. ObjetivLin-
Harometre e termo-
raetre. Centigrade
e reuumeure.
E crystal de rocha do Brasil.
F. I. ftJci uiaun. i,cmmenda ao publico, seus vidros periscpicos aperfeicoa-
dos; pwque, coai estes, \.'ros, a vista descansa, fortifica-se e nao a canea como om
os vidros ordinarios. Urna vez escolbido nm vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obligado a muda-Ios todos os aimos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o ciystalino do ho e deteimina quasi sempre do-
res de cabera. O alcance ordinJOtfe da vista perto de 30 centmetros do lho, e,
todas as vejes que o objecto est mais perto ou mais loiga, os raios que expelle slo
mui convergentes ou nui divergentes e a visao nao perfeita. Um grande numero de
pessoas tem o dofeito de azer convergir muito de sorte que a visSo n5o disncta.
Com a applicacSo de meas vidros pde-se vencer estas difficuldades. Para os que tem
n vista curta e rujo crystalino mui convexo (o que faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o que se chama myope, por meio de um vidro concavo alfasta-seo ponto de
vista, o que faz divergir os objectos e deixa ver 15o longe como as ootras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que sucoede aos que Um ebegado a urna certa idade,
> que se chama prcshyla, vem melhor de longe que de perto, e b5o enxergam senlo
um nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergar^o
lo distinctamentt como na idade de 15 annos. Servmdo-se destes vidros quando a
vista principia eufraquecer, previne-sc o mal.
V. 4. ;ermauu encarrega-se pela sua experiencia, tendente aos olhos, a es-
col her, a prime-ira vista, seja qual l'in a iade egro de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros??
NAO FOI PRECISO AGUA BENTft
O demonio mutlou-se por sua livre e espontanea vontade
VIVA O DA JJE S. BARTHOLOMEU
Agoranmguem presuma tpic foium demonioqmltjuei, fot
Para a vista myope, (vista curta;.
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, v es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista que as palpebras tremem
le flaqueza.
Para a vista*que os olhos sodesiguaes.
Para a vista qhe se turva com o iraba-
ho e a leitura. \
Para a vista prsbita (vista tonga).
Para a vista que n5o supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras estao cer-
cadas de sangue.
Para a vista quo um dos olhos myope
e o outro presbyto.
Para evitar finalmente que o crystalino
' nliio se cobra de catarata.
Mas nao sahio da Boa-Vista
CHEGOU-SE AT PARA INAIS PERTO DA MATRIZ
Sea dominio est hoje assentado, onde loi botica,
ESQUINA DA ROA DO ARAGAO R. 32
VEMHAI! VJE-IiO
Como garboso se ostenta
Como lepido se mostra
E as diabluras que faz!!!
Negra banca no coilo Ihc ondeia
Solta iriza ao mago desJem .
Dcita a fronte n'um peito e conhece
< Quantas maguas o seio contm.
L'sta linda e gentil creatBra tambern ______
Queijos, manteiga e ca,
Vinho, cha e bolaxinhas,
Doces seceos e licores,
De Nantes boas sardinhas.
Tudo barato
Para agrada ,
. Ventiam freguezes
Que h5o de postar,
N. B. Brevemente ser annunciado o dia, em que este importante armazem de mo-
Ihados ter principio a pratica de certa diabrura.que admirar mais do que o TEMPORAL
na BONANCA da ra do Queimado. Por ora venham os freguezes visitar o nosso es-
tabelecimeto, comprar os nossos superieres gener s por preeos muito rasoaveis.
Manteiga ingleza "flor a 13300 por 500 Vinho bordeaux em caixa, "-S000.
graromas
Wt
Sortiraeuto de l-inoculos
para tbeatro, c oculos alcance paia o campo e ina
rinha.
Tem tamliem grande sortimenU
qiina de mesa,dos iikiw hndi^ moni lo
Lunetas, pince-nez e
face--main, ouro, pra'a,
tartaruga, bfalo, a.o,
etc., etc.
,. ia paree, que d3o boras e para
R.-lo^ios |ara alfiibeira, de oitfo,
e onsoniaes do s melhores
'domada u Meada, inglezes, suissos
canlc*.-' -^
Vendas em gn.sso e a rWho. Km fcrnambnco.
N. gl^RuarVovaN.
prata, prata
e mais afamados fabri-
21.
DENTISTA BE PARS
19-Ilua Noya-19
FRE1IERICO G AUTIfilt
jirurgio-dentista, muito conliecido ha dez annos n'esla cidade, pela perfeic3o dos seut
trabalhos, tem a honra de participar ao respeitavel publico que tendo feito muitos me
horamentos na sua casa, pode d'hora avante receber as senhoras no seu gabinete ond
icharo os commodos precisos para familia.
Acha-se tambem na sua casa e na sua companhia, o seu sobrinho e discipnli
P. LEKOtX
j qual acaba feliz successo as primeiras casas de Pariz e de Londres, offerecendo assim as melhoref
garantas do bm desempenho para tudo o que for relativo a profissSo ; por isso c
annuncianto pede aos seus amigos e clientes que por acaso o n5o encontrarem no ser
abinete, depositem no dito seo sobrinho a mesma confianca com que o tem honradf
dez annos.
Dentaduras por todos os systemas: a presta do ar e com molas de ouro, platin*
vulcanita e um iutciramenle novo n'esla cidade.
Cura radical dos denles cariados.
Chumbagens (obturacOes) com ouro e com massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de dentes.
Agua e pos dentriicios fabricados pelo proprio annunciante, o quelhe permitteg aflac
;ar sua boa qualidade.
Escovas para dentes. etc.
Perfeipo de trabalho e prepos moderados.
Viagvns para fra mediante ajusto previa.
O gabinete acha-se aberto das 8 horas da manha al as 4 da tarde de todos d>
lias uteis.
Dita dita a lOO dem.
Dita dita a UOOO idem.
Dita franceza a 900 rs. idem.
Batatas novas a 180 rs. idem.
Cha tino superior a $500 idem.
Dito^Iito a 35200 idem.
Dito dito a 3;>000 idem.
Arroz pilado a 120 rs. idem.
Caf de carolo a 200, 240 e 280 rs.
idem.
Milho aipista a 2t0 rs. idem.
Toucinho de Lisboa a 400 rs. idem.
Vellas estiarinas, masso 720.
Potes com sai refinado a 400.
Krviltas franceza em manteiga, 9(0 rs.
a lata.
Eructas portuguezas em calda a 600 rs.
9 lata.
Ditas so de pec lat*.
Tijoi ira fa-is a 120 rs.
CIrjCoI. espanhol a 1-3000 o masso.
Era-,'m'"' un conserva a 900 rs.
Dito le ir.ustarda a 800 rs.
L,r < i can de jorco a SOO i s.
Saru ile Nantes em nsateiga a 800
rs. .
.jS finos para agua, duzia 48ti
oarrafas finas para meza, o par 5;jOOU.
Cognac engarrafado a 800 rs.
Azeite francez engarrafado a I 000.
Presunto em barril a 480 rs. por 500
grammas.
Vinagre branco engarrafado a 400 rs.
Bolaxinhas de differemes mrreas. a
1M00.
Fosphoros de seguranza, masso 500 rs.
Banha de porco a 720 por 500 grammas.
Vinho da.reino, garrafa a LSOOO.
Charutos do Lima a fi e dA a caixa.
Sabaode massa a 2 40 rs. por 500 gram-
mas.
Latas comameixas a \, t-->500, 2-^800
e 3*500.
Ditas de manteiga a 24800.
Ditas juliana a l por 500 grammas.
frascos com macas sectas a 2#000.
Serveja de differenl-s marcas, duzia 6.>.
Tapioca do MarauhSo a iO rs. por 500
gammas.
Fareflo em sacca com 21 kilo3 por 5.
:-as e paios a 8ji0 rs. por 500 gram-
M'.'i-.
t; z. i a a 8,5500.
Di'^ em girrafa a 400 r?.
Lata '. ;'cixe a 800 rs.
Bolaxihi. < beato Antonio a IA200 akla.
].->;.- o-de-l a 900 rs.
Ritei i garrafas a 800 rs.
L;"' finos como coracol, amisade, e
i' .uuitas marcas a idOOOrs.
Lslrinhas para 6?a 18OO rs. porKX
grammas.
Marrasquino de zero a l a garrafa.
Massa de tomate a 7* por 500 gram-
mas.
Os propietarios garantem tudo quanto cima est especificado, adverte a todos
que nlo conbecem o peso de 500 grammas, mais de una libra, e se evplicar aquello-
que nao entendem.
VEJAN QUE DIA6RUBA
Tirar premio em comprar bithetes
Isto s pode ser artes, do
t f t t
BOM DEMONIO
Est decid ido=o mundo marcha!
Leiam==ad mireni
K...... espalheni pelo universo
.SE TO EXTRANHO ASSMPTO CABE E!U VESO.
------------BOAS FESTAS-------------SEM CUSTAR DINHEIRO-----------
gnnmiu!4
No intuito de fazer urna fallada o na di:momio resoivoa mimusear don
em diaule com um bilhete a qualquer pessoa que de urna vez \im comprar 5^000 de
gneros, com dons a quem comprar 400000, e assim por diante sempre um bilhete
por cada 5000.
Cada om desses bilhetes dados de nulo lujada proporcionara ao portador
o direilo de receber um dos premios abaixo mencionados, se a roda da fortuna lhc for
propicia coincidindo o numero do dito bilhete com crio que tirar urna das tres sortes
maiores da ls lotera que correr nesta provincia no mez de dezombro vwdotro.

Wsii'.lCB Elaaw llflMBHBwHBWngnBitBralr *U^ilKBBanBHSB3B
RA i)0 CRESPO N. 7 A,
PRIMKihO ANDAR.
ANO'.tK DELSUC, cbell roiro dPars, tem a honra de informar ao respeita-
vel fiwWico. qiiH abeio letenteAeitfo, para os nivsteres , sua ari.'. ma lo Crespo
n. 7 A. fiiiiutiro andar, ohi filerrante salao a Luiz XV, ornado col? o maior &Me.
<:n:i a vautagein dej tr suo justafeenle apreciado pelo publico-pal inse <>
iado por lubeis ^mpregados francezes e brasileiros, ufterece a
iviitlieiios e i-; i'iceentisskiias senhoras que g bonrareai t;9iii sua i
ncairtgauTlo-st de qualquer p<>..ifatU) de baile [Lastro, soire, noiva. etc. '
fnn*ecendu foda a especie de uAjeetoe para ornamento dos, preciosos cabellos
de :-
AndlQ Delsuc, tendo em visla a utilid.ide dss frequentadoiv de seu es!.
ciment-). tem preparado, mitra, sala, com entrada especial, on le &: encontrar sempre
om-x i*i.i s 4,-masan pi-rfuinanas, ectrarb*, saboaes. pos d arroz, ditos para
tes, \u\ tarn, etc.. euifiai o m,ii> completo .sorlimento dos pr.-JuctOfs dos
jierfuiiiistis Lubin, Coudray. Piwr, itimme], Giosncll, ele, etc.
1 do desde j a todas as fimilias que r/jObtequisrcra, utJisaodo-se de
eus servil';, Aadr Delsuc oxnproniette-se a fazer tudo o qufleslive ao uu alcance,
para completa satisfar da boa frej-uezia pernamljucana.
ANORI BELSUC
C-lBELLEirtEIRO DE PAflJS 7 APA DO CRESPO7 A PiUMEJRO ANDAR.
fJMTARR DOS .WWtfflS
16-fiU O CRUZ -16
Ha diariamente sr.rtimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de difieren
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor quf
se pode encontrar no mercado, amendoas cpnfejtadas, xaropes refrigerantes, doces di
calda, etc.
Incumbe-se de encommendas para grandes jantares, bailes, baptisados e ca
smenlos, a saber:
Pecas de nougat. P3es-de-lot enfeitados.
Ditas de pfio-de-lot. Bollos idem.
Ditas de tmara de otos. -Pnitos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crme e carne.
Bandeja com artnaco de assacar. gmpadas.
MODISTA
iiiiHjI
gigo de champagne, valor....... MlXK
caixa de vinho do Porto(Menuics).. 430000
duzia de garrafas de cereveja (Bass) 0>000
presunto de fiambre............ ISAOQO
queijo prato................... 0)5000
l
1
I
i
i
1
G latas de marmelada lina.
i caixa de pacas.
dito flamengo.................. 3000
..... 60O0
...... 8>000
.lOOjsOO
r
utn_
i fi gigo de chanpagne, valor............ I$*$<
G garrafas de vinho do Porto (Menerts)... USiQ
G ditas de eerveja (Beae)......'........ M8QO
1 queijo prato....................... W00
t dito flamengo...................... 3-50OJ
I ii caixa de pagas..................... 11000
6 latas de marmelada................. ti000
TWOOC
Com Iqja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a Ik de partecipar ao refpeilavel publico e em particular seus fregue-
zes, que, pelas relceos que acaba d encetar com algumas costureirase modistas das mais
afamadas de IMris, ,\ue todos os mezes Ihe mundana figurioos, de vestidos, man-
P'leies e/diapeds qee 'tto no'maier gs*o e mus modernos, so ac|ia habilita-
da para fazer vestidos p'wa passeio e visis. bailes ecasamentos. As sennoras que
altonrarem com asuafreguei'**. n5l) deixarod&ser^ilisfcitos, tarto pelo bomgosto.eomo
pela barateza dos preeos e pr^ptidao na entrega das icommendas ; tambem tem bo-
nitos enfeites muito modernos e u* lodosas cores, Faaem-se cbapos de todas as qualidade-
tatito do fil como de palha.
Hll Pililo
G garrafas de vinho do Porto (Meneies), val :.
G ditas de eerveja (Bass)..................
i queijo prato...........................
4/ caixa de charutos de Simas...............
MAIS DIABRUEAS
LUSOp
WK("
2:,mo
I
Se a pessoa a quera a sorte houver fav; mt&) quizer trocar por ou'i">
os gneros cima mencionados ou preferirir receber o respetivo valor em dinheiro na.
se lera duvida cm satisfazer.
Venham, fregneaps
Da praqa e malo.
Comprar barato
A O BOM DEMONIO
Pra do Arago.
iKha


Diario de Pernambuco Sabbado 4 de Setembro de 1869.
5
.
3^
A ESMERALDA
*-
aos ?o:oooSooo
CASA DA rOETUNA
Rm 4o Crespo S.
O abaixo asignado tendo obtid Ifccnai da prc
sidcneia e satisfeito as outras exigencias da lei,
avisa ao respeilavel publico que lera seropre
venda no seu cstalicleeiuiento bilhctos das lote-
ras do Rio de Janeiro, cujos premio serio pagus
nimptamente vista das listas com o descont
gmenla da le.
Precos :Iuteiros.. JiO0Q
Meios... 000'
Quactos. 4000
E ein quanliJade maior de lOOjOO na razao
de 220O0 iior blhetc.
Manoel Martins Pinza.
COSTREIRA.
Cosc-se costuras de alfaiat a moda iian-
wza, por preco commodo, na ra Augusta
n .112, e d-se fianca sohre as mesmas.
O advocado
Aflam de Alhuqurrqne Mello mudon o seu es-
criplorio para a ra das Cruzes d. 37. defronte da
typographia dn Diario.
Moreira Dnarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecmento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitaval publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
prapa. e por preqos o mais resumido possi-
veL Tambem compram ouro. prata e pe-
dras preciosas
\ 5III t DO UBI (i i \. s
Dividas.
O abaixo assignado, arrematante das dividas do
espolio do Tinado Jos Manoel Pereira d* Menda-.
n'.ia, avisa aos llovedores do dito finado que man-
dem satUfazcr scus dbitos, no praso de 30 dias,
contad' da data diste, Hndo o qual proceder
cnbranca judicialmente ; na ra das Cinco Puntas
n. 82. Recife 24 de agosto de 18G9
Joo de Azcvedo Pereira.
Precisase de um feitor pettBgufl para o
engenlio Maito Gro;so comarca do Rio Formse ;
a tratar com Joao Rento de Gravea no me>mo
engenho ou eom Leal & Irmas, na da Cadeia
n. Sfi I. andar.
Preeisa-se de
ra Nova n. 3.
Ama de leite.
unu ama de leite
a tratar na
ALGODAO V
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamaitos pora descarogar algodao, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
MACHINAS ditas, tambem do serrotes e de todos os lmannos para dcscarogar, al-
godao do autor New York Cottop Gq.
MACHINAS ditas de todos os lmannos, de carreta do rorro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Kollur Gins, de cojo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodao.
MACHINAS de laeao do fabricme Platt B. & C, Obdlian f'atent- Liverpool.
Todas estas machinas sito de superior qualidade e as mellioies que tm
vindo ao mercado ; e para a soa apreciaco coavidam-se os senhores agricultores "
virem a exposicao das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
encontrarn mais o seguinte :
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Debuthadoros para milito.
Cylindros para padarias.
Arados -american os.
Carrinhos de mo.
Machinas para cortar japim.
Cannos de chumbo.
Bambas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro g;dv;misadas\
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e latSo.
Ferro de todas as qualidade.
Arcos de ferro. -
Folha de Flamlros.
Machados americanos. s
Faces ditos.
Balaios e cestas de verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamaitos.
Tornos e safras para forreiros.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes" de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinlios para refinacoos.
Azoto de espermacele, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaos e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
Finalmente rauitos outros artig ospertencentes lavoura e artes, que pela
diversidade seria eutaduno ennumera-los.
Superiores sedas de cor e lt%tras a 10600 o covado.
Lindas poupelinas de la, Com grande variedade de cores escuras e claras a
I>00 r. o covaio.
Pecas de musselina branca com salpicos e com sete metros cada peca, pelo ba-
atissimo preco de 45000 a peca : na lja das Columnas, ra do Crespo n. 13, de
Antonio Correa de Vasconcellos ti C.
Ama
Precisase de nma ama para eozinhar e eomprai
para casa de pouca familia : na na das Gran*
n. 28, 1 andar preferc-se escrava, e paga-e*
bom agradando. *
O achogado Di. Antonio de Vis- jjg
concellos Menezea de Dnimmond, <
niuiloii o seu escriplorio para a na |
do Imperador n. 20. onde pode g
ser procurado para o exeivicio de 1
sua prolisso lu lodos os dias j|
otis das 10 horas da manhaa at jgg
as 4 huras da tarde. Fura dessas es
horas, e para qualquer occorrencia g
urgente, ser encontrado no seu
domicilio, roa da Aurora n. 26.
Precsa-se de urna ama boa cozimVii a, torra ou
eserava, (iaga-se beta ; aa ra dos Wtes -^oliiaJ
n. 27.
Ama
Prerisa-se alagar urna ama forra
para comprar e cozinhar, pagase
Wa, lujan 11.
oU
biin :
eaonva
na rna
Preeia-ee de uma ama de leitc, na
jg ra da Imnieratrz n. 18, pivferindo-sc
ra do malti) c sem filbo.
AnNCA".
lteseja-se CRearccidamente saber onde reside o
Sr. Francisco da Costae Silva, que se diz aeg niar
com tazemlas, afim de pagar una sua letra pasea-
da aos Srs. Guimaraes & Silva, firma (aluda nesia
praca, O annunriante pede ao re-peitaiel publico
e ao corpo cominercial, ou a quem noticia ti'er
do mesnio anuuociado, dar-Uie algumns informa-
efies sobre sua residencia.
ITO Aiit^nio de Araujo Larangoira Leite, Jo.i-
quim Francisco de Alem, Manoel Joaquim de Ale.m.
Antonio Jcaquim de Alem, Alvaro Joaquim de A-
leiu, Mara da Piedade dos Santos Alem, Jos Joa-
qumi Das Fernandes Jnior, marido, filhos e cu-
ntiado, e mais prenles da finada D atarla do Mon-
te Coelho Aleui, agradecem cordialmente a todas
as pessuas que se dignarain.acoiiqianhar seu corpo
ao ceniitei io publico ; e de novo os convida para
assistir a missa do seliin
do corrente, as 7 horas da nianliaa, jia igreja da
Ma/lre de Dos.
- O ahaixu assiijnailoileclaia que tendo-se au-
sentado desta provincia para lugar inserto o Sr.
Antonio Joaquim da Costa e Silva, roga-se, por-
tan!, aos credures deste, para apresenlar suas
contal no praso de 4 dias. na B>a-Vista, ra do
Rosario n. 56, para se verificar seus dbitos em
razao de nina carta escripia pelo mesmo ao abaixo
asoiguadii, iflw de se deliberar o que melbor con-
vier. Recife 1 ae setembro de 1869.
Antonio Mrtins de (^ar va lito Azevedo.
Bom negocio.
Ouro e p *at
Compram-sc moedas do ouro e i rata de iodas
as qualidades, pr rxiin preco : ni na da Cadeia) *
ifi"
LOIA M VER DA BE
lo (tecife n. 5a, /iilejo.
).)Rundo Queimado65
A VEOABC t.mlo ,' fi di'posito
('nnipraawe o#edas de ouro e prata de tu-
rto- ii- val'-i 'S, oaroT rala eos obras inulili-ada*. i _.
I.rillianles e mais pedras preciosas: na loja de j itMnlldatle d |Wt fumante -
uurives ti arco 4a Omeeicjo, no Recife.
VrNDAS.
sejando apurar dh-heiro e ariq i rir fca in-
i "ifi rs.)lviila a vetuli-r u.uit barato, tanto a retalho,. ron i ra-srafe
para esset lernarein a revenar; jtor es
razao convida m i-ospeitav 11 a r
coTnpelenlemenle munido a siu-f* *
bom e barato. Pois qnafld-i VKBDA
ipfU ludo (7,rt; !i'-a^i|i.-!ii. i>-----
Grande sorttoicpiu iajiwn-it de rcra r
tinas, e outros objeetbs. j niassa as mais lindas posst >cis w itidac ae-
Aletii do completo sortimento de perfil- rarhtr.
narras, de que effectivamente est prvida a | Bicos etelws para -andiaim I
:0ja do Cordero Presidente, ella acaba de j a 1^00 e.......2JWKft
recebar um outro sortimento que se toma Grande sortimento de objetos de
aotavel pela variedade de objectos, superiori- i louca para brinquedo de m"
lade, quaidades ecommodidades de pie- Garrafa com tinta a.
feordeiro previdente
Ba lo inclinado o. ltt.
So\oe\aiiado sortimento de perfumaras;
pos; assim.pois,oCordeiroProvidente pede
i espera continuar a merecer a apreciadlo
io respeilavel publico em geral e de sua
ioa freguezi em particular, nao se afas-
.aiido elle de sua bem conhecida mansidao
i Laiateza. Ein dita loja encontrarao os
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dila verdadeita de Murray A Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melbores e maisacrecilados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odonUtlgico para conservado do
tsseio da bocea.
Dila com agua florida
a.
I 01'
Frasco com oleo de babosa a 50ft,
000 e...... -
Dito com agua de Colonia a 300,
400 o. .
Garrafa com agua div'ia a. .
Frasco com extracto fino pan
leneo a........
Latas pequeas com banhaj .
Sabonetes da diversas rjtiati ad s a
80, iGO, 240o.....
Finas escovag para dentts a CO,
320e. ........
son
JfWD
IM)
un
6CC
Coques modernos a.....25GV
Pavius para gaz, duzia a. .
Escovas para fado a ;; 0, G00 e
Ditas para cabello a.....
Cosmetiques de superior qualidade e chei- {Pe"t<'s para tirar pioHio a lW e
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
s outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
Feitor
Prccisa-se de um hoyem que entend de lodo o
servieo de campo, pan trabnlhar em um -itio : a
tratar no largo da ribeira da freguexia de, S. Jos,
sobrado n. S
Recoinmcndauos u modestoHotel P.utiiuilar
da eidade do Porto, ra de Santa Cathariua n. 135.
Palacete bem dirigido, com commodidades para
Iioinens e familias decente?, aOBtfcsi! oriCoiilra bom
Ir.itamento por mdico preco________________
Atten#io
Na ra Direita n. l precisa-e fallar rom o Sr.
Manoel Maria Pacheco, natural de Yiauna do Cas-
tello, a negocio de seu inleresse.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
Quem quizer emprestar t.OOsOOO a premio de
Mjjn a mez liara ser.emboieado em prestces de francezes em frascos simples e enfeitados.
80^000 mensff, annuncie per esta folha.
No esenptorio do Domingos Alves Mallieus,
a ra d > Vigario n. 21, deseja-se saber se tdate
nesta eidade o Sr. Francisco Augusto do Cont,
lilno de Joaquim Jos do Cont, da Ilha Terceira
(Aforos) com quem muito se deseja fallar, a nego-
cio de seu interesse.
Precisare de urna ama para comprar eco"
sinhar na ra Velha n. 15.
MUDANCA DO
Albino Baptista da llocha participa
a todos ossc'isfregiiezesqueinudou-
se com a sua offieina da praca da
Independencia n. 12 para a ra das
Cruies n. 23; previne, portante, a
lodos os amigos e Ireguezes que se
adiar em casa a qualquer hora
do dia, para executar todo e qualquer concert
que de sua arle exigir possam, tendente a sua
prolisso; e ein sua falta acharo com quem
tratar.
ALUGEL.
No Goracao d Onro se diz quem precisa de
urna escrava que sirva para comprar, cozinhar e
engommar. para cas de familia. __________
Notas das caixas frtiaes do. banco do Brasil,
trocam-fe com mdico descont, na loja de Manoel
Soares Pinhciro. a praca da Independencia n. 22.
GRANDE HOTEL
ORIENTE
do Rosario n. 4 A.
DO
RECIFE <_ ___*-%. Ra larga
Por ordem da directora s3o convidados! EspecKlidada ^prp*rac>> dos geayo k
os Srs. accionistas effecluarem no praso
de lOiiias (a contar do dia B_e setumbro
prximo) a 4*pre8tacIode suas acc'ca na tt*
z5odei07n- '>ara csse ''l!1 s'jra encon-
trado o Sr. thesooreiro todos os ilias uteis
desde as 11 horas da manhaa al s da
tarde no seu escriptorio, ra. Nova n. 3;i.
jEscriplorio da companhia, 30 di agosto
do taro.
\ secretario,
llieo. m.
iingoiniua-se roupa tanto de liomem como de
senhora, com perfeicao : na ra do Caideiroiro nu-
mero 16.
Na ra Direita loja de ralead.- n. 't pr'ci-
sa-se de um caixeiro ipietenlia pPatfea dea* ne-
gocio, preferiiido-sc portuguez. _____
Joso Martuis Alves da Croa, t'at
siicuto aos seus amifioa e comitentes, que
mudot sua residencia da roa do Fogn-.
9, para a de Horlas n. tH. aoinlo piomette
comprir suas orduns como do costme e
pralica.
0 MUSEO



C/D
GOMES DE WHTTOS IRMOS
tendo feito completa mudanza m seu antigo e
acreditado estabelecmento de joias* com oflmde
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUG N. 4
onde encontrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e preeioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREMOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS
de novos gostos, assim romo grande variedade de salva?
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
nenlicios, promplido e asseio as encommendas
e boa organisacao no estauelee'unento. Recehein-
lio, faeita-se a totora de jornae* tiaciunaes e es-
irangeiros. Espacoea sala para o elegante jogo de
billiar, e ha decenio e commoda hospedagem.
E RUBINS
e paliteiros de
.
0 MUSEO DE JOIAS
M.tn >el Itulrigue* de AUnoiila faz sciente ao
respeilavel publico ecom especialiilade ao corpo
do eomiiie.rcio quecomiirou a Illuminato Angii-to
Heoriqoe da Silva a armacao da loja da ra da
Imperatriz sita na.casi n. 5i, livre e desembara-
zada de quaesquer divids ou i.upostos, comludo
quem se julgar com alguin direito queira apre-
sentar-se no praro de 3 dias a contar da data
deste. Recife 3 de seiemh o do 869.__________
0 abaixo assignado, morador na ei-
dade de Nazareth, tendojde mudar-se para a
villa de Mossor, comarca do Rio-Graude do
Norte, declara que tendo sido negociante
naquella eidade por moos annes, uadaueve
a pessoa alguma, se por acaso mrgarem-se
credor baja de apresentar seus dbitos no
praso de 8 dias a serem pagos.
Cidade do Recife, 30 de aoslo de 186).
Ladislao Rodolpho d'Araujo Cesar.
OPERAiTALlANA
Depois do espectculo
Essencia im'perial do fino eagradavel ebei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
nente finas e agradaveis.
Oleo pbilocme verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
;om escolliidos che-ros, em frascos de diffe-
rentestamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
oara nios.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinuas com bonitos saboneles imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
ientes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
| moldes novos e elegantes, com p de arroz
9 boneca.
Especial p de arroz sem composico de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
cas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de carapuora e outras diferentes
jualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
'08 e bonitos moldes com filets de vidrilbos
i alguns d'elles ornados de flores e fitas,
s pretenda comprar.
G0LL1NIIAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Fivellas e fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
.os, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
Vendeni >e libras esterlinas, em ouro : no es-
criptorio de Carvalho & Nogueira, ra de Apollo
n. 20.
Brincos de cores bonitos a i60 e
Pegas de tranca do laa com 8
varas por. ... .
Franja preta de la pega com
10 varas a, ..... .
Fila preta para relogio urna por
Oleo para machina de cosiuia,
frasco a.....: .
Penas d'aco finas caixas a. 800 e
Dila d'aco Pery, caixa a. .
Galo de algodao peca ....
La las com banba a. .
Lindos babadinhos c entrnelos
peca de oOO a. .... .
Bolees de madreperola, groza a
Ditos de tonca muito lino a 100 a
Ditos para calca a ICO c. .
Caixa com papel amizade-a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a. ... .
Caixa comagulbas Ruido dowrado
Ditas de ditas ditas ar ...
Tliesoura para costuia a lOvi,
210 e.....; -
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novel ios (li-
bra) a...... .
Ditas rom 200 jardas em carre-
teis duzia a 70, 120 e." .
Grampos muito lino; coih pa (N-
ros, duzia a......
Cartas porttignezas, .luzia a .
Ditas francezas a 2i5OO e .
Papel almaro e de peso, resma
a .'^400, 3^5500 e. .
.a muito fina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum do
sapates, peca a.....
Ditas de 13a para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e......
Caivetes grandes com molla a .
Ditos para aparar penna a .
Cartes com cohetes a ... -
Rosetas pretas, par a .
M
7W
m
20C
8
JW-
l>
6fif!
lino
4V
2W!
Mt
200
2
*0t>
M
O
O
160
son
2WJ
5C0
1*360
&*
ymr
i$0
0d7H0
IM!
U-J
400
500
33
100
40
IM)
Charutos de Havana.
Chejjtaram casa de Jos Leopeldo Bourjtard
rna da Cadeia n. 15, os mais aeredados charutos
de Havana.
a
NO
32Ra do Imperador
+'ugio no dia 25 de julho prximo passade
do ciigenlio Umi, comarca do Cabo, o preto Anto-
nio, criuulo, idade 28 annos, ahura regular, secco
du ci\tpo, con fula, as nadega-t uiu ponen grandes,
pos feio de cravos e bich.is cpie levo ; levo ves-
tido camisa e calca branca, chapeo de bata de
cor j usado : foi vendido pelo Sr. Lourenco
Tidira de Mello, deseonna-se que seguir para o
engenlio Paciencia por l ter pai. Quem o pegar
e levar ao largo- do Parazo n. ti, ser bem re-
compensaao.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite para criar urna
enanca de idade de aneo e meto : a tratar na
ra do Apollo n. 4i.
Oarante-se a casaf portento faz cont. Restando
apenas algnma< mcrcadorias e armacao da liqui-
daban do armazem da loja ra Nova n. 60, fai-se
seinte ao publico interessado, que liquida-se a
armacao e mercadorias existente anda no dito
armazoiii, e por consof|uencia negocio ineontes-
i.ivolineniu vaolajoao, visto quo *e garante a casa :
quem pretender dirija-se a tratar no mesmo ar-
mszem.
A ra do Lnramento n. 6, contint'ta a ha-
ver para vender por precos rasoaveis, o
melhor vinho verde at hoje vindo a este
mercado.
Escrava a venda.
O procurador da viuva de Joaquim AuIimh
Pinto Scrodio Jnior autorisado pelo juio m-
plenle vende a escrava l.nna, erionla,idatb pe-
co mais ou menos de t annos, com habilidad
pertencentea esse casarpara pagamento dvf da-
dores do mesmo : rm Nova n. 60 i* andar,
(tas 6 as 9 horas da manhaa e das 4jis 6 Vcnde-se urna exceU nte casa ierra crt
Olnda confronte a Santa Ttwreza, toda reeduca-
da de novo, cora os coinmodos seguimos : siiau,
4 salas, muitos quarlos, coeinha indeicndenh,
sendo dita casa dividida em duas, com :i janelUs
em cada exlremidade, m grande porlao no ccj
tro, oplimo quiotel murado, com poco de execl-
lente agua, algumas fructeiras, plantaciio de ta-
pn, cocheira, estribara para 4 a 5 eavawe,
gallinheiro de pedra cal, um grande vivero,
banho salga* e porto para embarque no nna
do qumial onde tem 2 portes e mailas outri
commodidades par numerosa familia: os pi-
tendoutes poderao dirig r-sc a me-ma lano ira
examinaba eo o para tratar Ijaltquer negocio. *
Ai 11B /lilMllOA
POTASSftDARUSSU
A mais nova no mercado, a precu ranavel: w
armazem do Mantvl T Basto, rna d. i'.umtie
n. 13.
Jos Maria Palmeira contina ven ler em seu
escriptorio, largo do Corpo Santo n. 4, 1* andar ;
Pulassa da Kussia superior.
Limas da Raadla de superior qualidade.
Brinzi's da Bussia de superior qnalidale.
Cemento Portiand.
Dito Humano.
Pao de algodao do eommeiidador l'odroso.
Vlnhu Bordeaux.
COMPRAS.
Com muito maior vaniagem compram-sc
moedas de ouro c prata : na loja de joia? do Co-
racao de Ouro n. i D. rna do l^hug.__________
() imm) de joias
Na ra daCubdgi n. i compra-se ouro. prata
> pedras preciosa |ior pweos mais vantajosos do
que em oitira qualquer pal -
lfi IIPI-I
Gompram-e e vtmdew-se dwiriauniOle ^ara tura
e dentro da provincia escravos de todas as mades,
cores e sexos, cun tanto que sejam sadios: no
tereeim adar do sobrado n. 36, ru das GnHes,
fregueiia de Santo Antonio._____________
~~~ Cixlhos.
Compnmve* qaatro paca de eaixiftos para ja-
nellas : na ra larga do Bosario n. 34, botica.
MUio fresco e audavel
Vndese um sitio pequeuo, murado, com boa
casa de sobrado, casa para feitor, cocheira, estri-
bara, boa ajioa de beber, grande cacimba eom
iramba e tanque para banho e para lavar roupa,
muitos arvoredos e de muilas qualidades, etc. eia.,
ludo a beira do rio, no ponto uiais all* da Torre,
e o mais sandavel dos arredores desta cidade : a
tratar na ra Nova n. 19, Io andar
Vende so ou troca-se por urna casa na cida-
de. um ^iii" na Baixi-vcrde n. 5, cora tres casa,
sendo duas de plora e cal e nma de laipa, bem
plantado, com viveiro; quem quizer dirija-se
ra da Palma n. 47, que achara com quem tratar.
Vi-nd -se
milho novo em saeeos grandes : para ver, na com-
panliia Pernambucana, e ualar, no arma*em da
Estrella, largo do Paraito t4._____________
Vndese urna pequen mobia de amarello
com Algum a*o, muito em coutt : a tratar na ra
da Penha n. 3!.
Vinho
Manoel Jos Gonealves Pereira '.em vinho Gue,
(paro) vindo do Porto, em caixa ds ii garrafas*,
proprio para presentes, mimos, etc. aftaucaodo-se
sua boa qualidade, declara-se cut dpste geapro
nao tem vindo a osle iiin'.tdo u roa da Crux
do Recife 36.
Dia 7 de setembro
PARA BAILES.
Ricos cortes de tarlatma borda los a seda e*-a
salpicos pratiadus ptlo ceutro o que pede hinsr
de mlhor gosto oeste artigo : ven le se tu loja
do Paco ra do Crespo n. 7.____ ^____
CY
para encanainonto d'agoa
Canos de ferro forrados de Borcelana, e csta-
nhados, ae diveras grossuras : venda na re-
do Queimado, Azevedo Alema*
io_ii_a de mnllo boa q :i!ida#t.
Vende-se na ra do hi-Hna lo numero 13,
andar.________________________________
Vewtem-se duas preta bonitas, unta da **
annos o outra de 30, esta com habilidades, ej
la bruta : na rm de-Horfus a. 0.
Novidade.
UVAS E HACAS
Cbegaraui no ultimo vapor da Europa, e aekua-
se venda no petit restauran! o Hotel CmU;:l,
ru estrena do Rosario n H.
m gaz m
Chegon ao antigo deposito de Renry Curstei a
C, roa do Imperador, nm earrefameMD dn gua
de primeira qualidade; o qual se vmoV em p n M_i
e a retalho por menos preco do que em ouira .nier parte.
Reata venda um escoltado sortimento da b- -
ectoe de marcineria, como sejam, mutullas de p-
^rand.mognoeau.ar..ll., obra nacional ece__v
{eira, de aparado gosto e por pr^;o- rasnaver:
i* ra estreita do IV.vsario n. 33. Nesta aua
*e& fazem-sc eom porfet jalhinha, como sejam, empa__ncntos de la; I
ma camas, cade as.

ftGM


.. mJl 'V*


Diario de Pemambuco Sabbado 4 Je Seteiubro de 1869.
LlQUlDAllt)
SEEKi IGUAL
0 propnolai! > do armx'.ein -le fazendas denominado ARARA, ra da mpera-
triz n. 72, declara aorespoiljv.:! publico e seus fregueses, que est liquidando (odas as
fazends o roupas feita.-. que lem era seo- esU^aledownK) cyJOO se poder ver no seu
innuncio e preco tbaixo mencionados,
Chitas fraof^7is matizadas a
SJM rs.
Vend!-se-c!iil.sfra!icezas oscuras matiza-
bas a 320 rs. o covado por c<'c proco sna
r ja da Arara, ra da mperatriz n. 72.
LAZINhASA 240 RS.
Vonde-se l&urtQli&a para vestidos de se-
Algodno enfestado 0OOrs.
240, 280, ,*!0 e i09 rs. o co-
vado.
BAREGES LA A 300 US.
Vende-se barajes do 13a com lislras para
vestidos de leonera a 00 e 640 rs. o
covado.
Alpacas de 111*1 ras a rs.
Vendo-s alpacas de ii-lras para vesti-
dos de senhora a fOO rs. o covado.
CHITAS I i' fCEZAS A SO US.
Vbnd-se coila-, francezas claras a 280 rs.
o corado.
CORTES l)K LA PARA VESTIDOS A
(1400.
Vende se cortes d laa para vestidos de
senhoras a 2400 cada um,
PERGALES A fcfft RS.O -AOVADO.
Vende-se pcrcaie*.riiuilo linos para ves-
tidos soltaas hranca finas, a 300 rs. o covado,
brillantinas d cores, a 440 rs. o covado.
Males modernos de todas as
c-Ares.
Vendes baldes moderno sbraoco e de co-
res a #, 4#.> COBERTORES DB ADGODO A 1*800.
Vende-se cobertores de algodSo al5500,
cobertas d; chita; a 1*600 e 20 cada urna,
gangas Para calca a 320 rs.
Vende-se ganga para calcha 320 o cova-
do, brira de cores para calcas de hamem e
meninos g400 n o covado, casemiras de
Cores para eifej e palitots a 2*500 e 3*.
o oovad >, muas casemiras entestadas para
cagase palitots a 2* o covado, brim pardo
deludas as qrtalidades e brim branco de
tod;is as craalidades a ra da mperatriz
n. 72.
Alpacas llizas a <4 rs. I^JB
Vende-se alpaca* de cures lizas finas a
040 rs. o covado, tnrlataras de cores a 320
re. o metro.
M VDAPOLAO INFESTADO A 3*300.
Vende-se pe;,-,;, de madapoiao enfestado
a <00. pecas de madapoln inglez de 24
jardas a $0, .6#t00, 7*. 85 e 11> a peca.
Vende-se algodao enfestado proprio para
lences e tainas, 000 rs. o metro, dito
trancado a I >, metro.
Chales de merlu 2.$.
Vende-se diales de merino estampados
a 2|, diales brancos e dn cores a 16000
cada um.
COATES 1)K KR!M CASTOR PARA GALGA
A 640 RS.
Vei.de-se uma grande porfi de cortes
de brim castor para calca de homem, 040
rs. cada um.
(raudo poreo de reialhos
Vende-se grande porco de retalhos de
chil is o cassas pretas a 100 e 00 rs. o
cova lo, retalho de cassas, Ifta e chitas de
coree baralrssmos.
LKJffa'M A ROUPA FEITA
Vende-se palitots de brim de cores a 25,
ditos do alpacas do cores a25, dios de
mcia casomini a e 25300. ditos de pan
no prcto bom a 85 e 10*, calcas de algo-
dao azul panrescravns a 40 rs. ditas de
algodSode lislras a 800 e 15, camisas de
meado de b'stras a 800 rs. cada uma, core-
tes de brira e fusto de cores a l*e 1*300,
culi-tos de Ccsemira decores a 25500 e 35,
e potras umitas qualidades de roupas feitas
que se vende por baralissimo preco.
Algodao de lislras a SOO rs.
o covado
Vende-se algodao de listras para roupa
de escravo? a 200 rs. o covado.
PECA DE ALCOaO A 45.
Vendem-se pecas do algodSo 45000,
5)200, 65000a75, para liquidar.
Baloes de reos a 100.
Vende-se baloes de arcos pan senhoras
pelo baralissimo preco de I500 cada um,
Corles de eambraia barran
a 3!o no.
Vende-se corles de cambraias barraa a
115 e I cada um.
LENCOS DE SEDA A 040 RS.
Vende-s loncos de seda a 640 rs. cade
um, para quidar-
CYRTEIRA PARV VIAGEM A 15-
Vende-se earteiras para viagem l#
cada uma.
- --
]*. 45 RUADA tADKIA M. 45
DE
IH
I
k
SOB A DIRECgO DO MITO HABILARTISTA
Launano, alfaiate.
Os proprietarios deste novo estabelecimento, tendo experimentado a necessidade
urgente de ter na direccao de sus ocina de foupas por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Launano Jos de Barros para tal mister, convictos de que satisfar
com todo o capricho a vontade do freguez.
Tem o mesmo estabelecimento um bom s^rtimmto de fazendas pmprias para
roupas de homem.comosejam: casimira de c6r, indos padrGes, completo sortimento de
pannos fino?, preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de bros brancos e de
cores, merinos de diversas qualidades, bombazina, lindos cortes de gorguro para cohete,
gorgurao Pekn, superior qualidade.
Os freguezes cncontrar3o anda um variado sortimento de roupa feita, camisas
ingiezas, collannhos, ceroolas, gravatas pretas e de phantasia, meias para homens, se-
nhoras meninos c meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
ba.oes de diversas cores e modelos, cambraias, malas para viagem, e outros muitos ar-
ligos que a modiculade de seus precos incita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45
Ruado Quemado ns. 49 e 57
lojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Maia, est acabando
com as miudezas de sem estabe-
lecimenlos por isso queram apre-
ciar o que, c bom e barattssmo.
Pecas fie tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
15800,25, 35 e.....
Caixas e Rota con 50"novemos
Pares de s-apatos de- tranca fa-
zenJa no?a a......
Pares de sapatos de tapete
(s6 grande^ a......
meras cruas1 para lio-
4,^000
500
25O00
15500
35800
sete oomo vende-se chitas paracoberb ollas antes que m acibero lodas mais Tazendas e roupas bitas, e que pelo preco que
vai vender ou liquidar, .poucos di as poder durar, e qncm se quizer sortir de fazendas
e mapas feitas para a festa pelo preco que Ihe agradar, se poder dirigir a ra da
mperatriz armatcm da ARARA, que estar aberto todos os dias uteis, das 6 horas da
raanhaa, s 9 liaras da noile.
72. Ra da mperatriz. 72.
CONVITE GERAL.
0 proprietario Jo armazem de fazendas denominado Garibaldi. na ra da mpe-
ratriz II. "' 'i""'"" ?-:... ..i.i:-~.......-i..-----J~ J----:.j- -----j_.
jo. declara ao respeitave publico que tendo grande deposito'de fazendas em
ser, e desejando diminuir este grande deposito por meio de uma liquidaco que fin-
dar no dia 13 ou 2u do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
fazendas. e por diminuto preco, a saber:
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
sode
boa
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se cu tas fraocezaj largas a 280,
320 e 300 rs. o covado.
ALGODAO ENFESTADO TRANCADO A
1000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
lencoes a I50JO, dito liso enfestado a 000
o mitro.
CASSAS FRAXCEZAS A 240 RS.
Vendem-se cassas Graocezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 380 rs. o covado.
MVDAPOLO ENTESTADO A 35300.
Vendem-se pecas de madapolao enfes-
tado a 3 >300, dito ingloz de 24 jardas ou
22 metros a 55, 65, 75, 85, 95 e 105, a
peca.
LANZIXHAS P.ARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BVREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5..0 rs. O COVADO.
!*Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 15.
Vende-se sedas de cores para vestidos de
senhora a 15 o covado.
POncO DE RETALHOS.
Vende-se uma porcSo de retalhos de cas-
sis, de la e sedas o de outras fazendas
por muito barato preco.
A' ell^s antes que se acabem.
CU VLY DE CORES A 800 RS.
Veode-se chalv de listas de seda a 800 rs.
o aovado.
CHALES DE CASSA A 15.
Veqde-sa chales de cassa a 15, e de me-
rino a 25.
iRTESDELAA A25400RS.
Vendem-se cortes de laa de listra para
vestidos de senhora a 25400 rs. para aca-
bar.
ALGODAO A PECA 45000.
Vende-se pecas de algodao a 45, 65. 65
e 75 a peca. E muitas outras cousas que
seria enfadonbo meruyooar.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 2550O.
Vende-se casemiras de cores a 25500 e
35000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 35000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000, ditos do seda a T05 cada um.
BR.M DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para ca'cas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Cangas para calea a 390rs.
Vendem-se gangas de cores para caifa e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado. dita de cores a 440 o covado.
Penales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de coree a
320 o metro.
Lencos brancos a 25.
Vende-se lencos brancos a 25 a duzia.
Collir.has e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 15000, para aca-
bar.
IGRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALUADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que em outra casa : por
isso os protendentes poder vir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
BALES DE ARCOS A 15500.
Venden -se baloes de 20 e 30 arcos a
15500 cada um, ditos modernos a 45.
BRIM HAMBURGO A 85000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo a 85, vem a ser mais barato do que
algodaosinho.
CORTINADOS A 145000,
Vende-se cortinados para cama a 145
para liquidar. Ditos para janellas a 75.
Todas estas fazendas se vendem muito
1 barato na ra da mperatriz n. 56.
Dozias de
nent a
Tramoias do Porto fazeada boa
e pelo preco melhor lOO attos a 5200
vres de misso? abreviadas a 25000
Duziade bnralhofrancezes*muito
flnos-a2540O e..... 580
Silabario portuguex com estom-
pas ........
Grvala de cores r pretas muito
finas a ........
Cartoes com clcheles de latSo
fazenda-lina a......
Abotuaduias de vidre- para colete
fazenda fina a. .
Caixas corai penna d?aco muito
finas a 386, 400, 500 e ..
Cartoes de linha Alessndre qus-
tem 200 jardas a ... :
Earreteis ds linha Alasandre de
70at20a......
Eaixas com superiore obrejas
de massa a......
tufes de aguHias para machina
labras de piwgos franrazes di-
verso tamaoho a. .
lavros escriplurado para rol de*
roupa a. ..,..,.
Talheres pa** meninos muito
finos a. ,......
Caixas com popel amizauYmuito
8noa........
Caixas com WOenvelopes-muito
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhoras a......
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com. tinta preta- muito-
boa a 80 180 e .
Varas de fraaja para toaJbas fa-
zenda fina a. ..
Pecas de fita branca elstica
muito fina a......
Xovellos de Bohacom 400:jarda6
Resmas de papel de pezo azul
muito finoa......
Crozas de botoes de louca. maito
finos a........ iflf
4320
^500
5026
5500
15000
5100
5100
5040
25000
5240
5130
'5240
5700
5600
5320
5500
5320
4160
200
60
25500
Machinas vaporde
fbrea de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2'cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
nsar algodo.
Balancas para armazem e balclo.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhiu
field.
Prencas para copiar canas.
Fogao americano patent
' DO
GALLO VIGILANTE
Rna d Crespo n. 7
Os proprielarios dwfe hem coriiiecido estabele-
finwnlo, alcm dos muHo.* otijeefos qae finham cx-
pestos i .tpreciaeao do respertaTel pnhlico, rwro-
bran vir e acauam de recber pelo ultimo vafKir
da Europa om comploto c variado sortimento d<;
finas e mui delicadas especialidndes, as quaes es-
tao resoMdos a vender, eomo de seu costme,
por precos imrilo baratinlios e commodos* para lo-
dos, eorh tanto que o Gallo...
Muito superiores luvas de peHiea, pretas, bran-
cas c fc mui Rndas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punbos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores perrte de tartanig: para roques.
Lindos e riquissinaos en/eites para cabeeas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de eres com vidri-
Ihos e sem ctles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de roareperola,
marfim, sndalo e oaso, sendo aqudtes braaros
com lindos desenhos, e estes preto*.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se vendern por 300l>0
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas milito
finas.
Boas bengalas de superior canna a India e
castao de marfim com lindas o encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
3uanlidade de oatras qualidades, como sejain, ma-
eira, baleia, osso, borracha, e!<\ etc. etc.
Finos, bonitos c airosos chicotinhos de oadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora c para meni-
nas de 1 a 12 annos do idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
lahyrintho.
Bods baralhos de cartas para voltarete, assim
como os lentos pra o mesmo flra.
Grande f vanado sortimento -das melhores per-
fumaras e dos melhores e mais condecidos per-
fumistas.
COLABES DE BOEB.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunea faltetn no mercado,
tomo j tem acontecido, assm pois poderao aquel
les qne delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao ftm
para que sao applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Bogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loia do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
2)
k NOVA ESPERANQA
21-= Ra do Queimado
Advertencia!
A Nova Espewnca, ra do Quemad
n. 2! tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
cadorias pelo baralissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venbam os bons fregue-
zes. e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo 15o opportuno quando i
NOVA ESPEIIANCA convda-os pechincba-
rem, pois que para comprar-se caro, n5o
falta aonde e aquem...
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente deParis) quer sem-
pre primar em bos remetter objeclos de
gosto e perfeicao, e ella (foja da Nova Es-
peranca) quer sempre dividir com seus fre
guezes o que de bom consiantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca ra do Quetmado n. 21,
alm do grande sortimento qu* j linha,
acaba de receber mais o seguinle:
Bonitos broche, pulceiras e brincos dt
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos t
bandeijas.
Brincos pelo com dourados (oltaa
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos gallocs, franjas e trancas d*
seda e de la, para enfeites de vestidos.
Botoes de todas as cores e moldes novo
para o mesmo fim.
Trancas pretas coi vidrilhos sendo com
pengenles e sem ellos.
Botoes pretos com vidrilhos eom pingen-
tes e sem eltes.
Luvas de- pellica, cainarca e eicossia.
Finas meias de seda para senbora e me-
ninos.
Delicados lequc de madreperola, mar
fifi), osso e fa.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas (te baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas ru do Qucimado n. 21, n
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magneU
eos contra as convulcties das
creancas.
N3o resta a menor duvida, de que muito
cellares se vendem por ahi intitulados el
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitci
pais do familias nao creem (comprando-os)
noeffeitoprometlido.o que s pdem dar,
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, pornt
que detesta a falsifkaco principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez uma encommenda directa destes collareij
e garante aos pais de familias, que s5o o*
verdadeiros de Royer, que a tantas crean*
cas tem salvado do terrivel incommodo d
convulcoes, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
Loja de miudezas de Ferreira da Cunha* n- 21 comprarem o salva vida, para sen
Temporal, ra do Queimado n. 3, est filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
quimando por todo preco : dos do terrivel mal, quando.entio apr di-
Jogo de vspera a 400 e 500 rs. fDcil alcancar-se o effeito desejado, embora
Redes para coques a 240, 400 e 500 rs. sejam empregados os verdadeiros collare
Linha de 200 jardas (duzia) 1,5200. de Royer.

Grande e completo sortimento de machinas para
descarorar algodao do nova invencao el logadas l-
timamente em direitura para a loja de Manoel
Beuto do Oliveira Braga & C, na ra Direita n.
33. Garante-se que a melhor qualidade que at
(i presente lem viodo ao mercado : acham-so em
exposieao aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
gramrnos de melhor comprehensivo dos que tem
vindo at o presente, assim como marcos de lalao
li meio grammo |>elo mesmo syslema, balanzas
de latao de forca de 5 a 20 kilograiiiiims, metros
de inadeira e de lalao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas e ferragens de
todas as qualidades, todo por precos que s a vista
faz crdito : na ra Direita n. 53, luja de Manoel
liento de Oliveira Braga & C. ____________
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquil Duboucb C, em
cognac uma das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se era casa de Th. Just. ra do
commereio n. 32.
bazarCNversal
saoRa NovaO
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigo que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposklo servicos a electos para almo-
co e jantar,Divas, bandejas, tabofeiros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cimademesa.
paredee portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
baler ovos, ditas para aroassar farinba, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianza, bercos, cadei
ras longas para viagem, dilas de bataneo,
espelhos de todos os lmannos, molduras
para quadros gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e n esa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objeclos para escriptork e
muitos outros artigos que se encontrarao
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a peii ir examinar.
ExlraelHDi canus
Esto producto aSmentacao para doentes, mui
apropriada para creaneas e para as pessoas^aas;
indispen-avel a todos, porm, principalmente aos
viajamos, que lera nelte o recurso de poderem
ter alimentacao de carne fresca mcorruptivel, e
que com facilidade se aprompta o se conduz, por-
que n'um pequeo volume carrega-se alimentacao
para muito tempo. Sobrctudo cnama-sc a ajtea-
c5" dos senhores de engenhos que encontrarao no
EXTRAGTUM CABNIS o reearso de alimentacao
agradavel, hygienica e barata para seus fmulos e
seus doentes.
Este producto fabricado peto processo do dis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Rio-Grande do Sul,
que acaba de erear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victorino de Rezende & C., ra da
Cada, escriplorio n. o, primeiro andar, venden-
do-.se :
No deposito a ra da Cada n. 32.
as pliarmacias dos Srs.:
Manoel Al ves Barbosa, mesma rna n. 61.
Joaquim de Almeida Pinto, ra larga do Bosa-
rion. 10.
Antonio Mara Marques Ferreira, praca da
Boa-Vista n. 91. v
N. B.As latas que contem o extracto irazem
uma guia para seu uso.
Scbonete de alcatrdo.
Antonio Nimes de Castro.
Este acreditado preparado, que t5o bo<-
acceitacao tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura ceru
das impigens, sarnas, caspas e todas a
molestias de peile.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu & C,
34ra larga do Rosario34.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa dt Filho, defronte do arco da Con-
ceicao, em barricas grandes.
Balanqas orizontaes
Pelo novo systema de kjlo-
granna.
Vende-se no armazem de J. A. Moreira Dias,
ra da Cruz n. 26.______________
Cal nova de Lisboa.
Vende-se na ra do Apollo (.armazem de Reg
& Irmo n. 18.
Xarope de fedegoso
de Pinto
' de uma efficacia verdadeiratnente ma-
ravilhosa como calmante do systema nervoso
e ^ applicado contra a paralisia, asthma,
tosse convulsa ou coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, sufibeagoes, catharros,
broncliicos, etc., e em geral contra todos
os soffrimentos das vias respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua virtude contra
o ttano ou espasmos, e convulsoes in-
contestavel, e ninguem ha que a desconhe-
ca. Ra Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.
AS m.lS CLRAD.IS
E
todas as molestias syphiliticas.
PELO
ELEXIX DO DR. SEVfAL
nico depurativo sem mercurio que tan-
ta aceiiaco tem merecido no Brasil, as
repblicas do Sul e na Allemanha espe-
cialmente para cura das boubas, sarnas,
rheumatismo, todas as molestias syphiliti-
cas e em geral todas aquellas provm da
empieza do sangue.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DI
Bartbomeu d C.
84Roa Larga do Rosarlo34
Caixa muito fina para p de arroz 10500.
Relogio de sol lO rs.
Latas com biha 100, 200 e 320 rs.
Agua florida verdadeira a 10300.
Agua divina dem 10400.
Gravatas pretas para homem 4 0 rs.
Pentes de travessa para menina 320 rs.
Olio philocme verdadeiro 10200.
Aderecos de plaqu 10500, 20 e 50.
Meias cruas para homem 30500 e 40 a
duzia.
Botoes enfeilados para vestido, 10200 a
duzia.
Leques do santol 50, cada um.
Dittos de madeira 30 cada um.
Coques de tranca, boa fazenda, 20,
20500 e 30 cada um.
Meias linas para senhora 40 a dozia.
Han ha em frascos a 400, 040 e 10200.
Frascos com extracto muito tino 20 e
20500.
Caivetes de duas folhas a 240 rs.
Sabonetes finos 80, 160, 200, 240 e
320 rs.
Olio baboza 400, 500, 600 c 800 rs.
Agua do colonia 400, 500 e 800 rs.
Cartas francezas 200 e 240 rs.
Caixa com extracto 20500.
Cartas portuguezas a 120 e 200 rs.
Pentes brancos com costa de metal
320 rs.
Dittos iretos 200, 240 e 320 rs.
Galo de la para vestido (pessa) 400 rs.
Fita de sarja lisa e lavradas, 10500,
20 e 20500.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Ditto e dourado a 10.
Dittas com metopes 500 rs.
Caixa com agulhas francesas 160 e
240 rs.
Laa para borda de lodas as cores (libra)
60800.
Bonels para menino 10, 20 e 20300,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
M ias para menina (duzia) 30 30500.
Pecas de tranca liza e de cortvol a 40 rs.
Sapalos de la para menino a 320 e 800,
Capellas francezas a 20500.
Facas S galfos, cabo de balanco (du-
zia) 70.
Chicotes para cavallo 600, 800 e 10500.
Bengalla de canna 10, 10500 e 20.
Vortas para luto 500 rs. (cada uma).
Papel almaco. greve (resma) 10500.
emporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nanza, emporal contina a
vender na Bonanza, pelo mesmo
prego que vendia em sua loja
com titulo de' emporal.
Ra do Crespo n. 17.
ESTEIRAS DA INDIA PARA FORRAR
SALAS.
Gorgorees de cores para vestidos.
Poupelinas de linho c seda de muito bom
gosto.
Sedas de cores de lindos desenhos.
Alpacas de listas muito bonitas.
Ditas lisas de todas as cores.
Gorgoro em chitas, fazenda nova.
Brillantinas de cores.
Casaquinbos pretos de gnipure.
Ditos de casemira de lodas as cores.
Riquissimos cortes de vestido de blond.
Ditos ditos de eambraia bordados.
Ditos ditos de tarlatana bordados.
Colxas de seda ltimamente chegadas.
Dilas adamascadas brancas e de todas as
cores.
Damascos largos e estieitos proprios para
colxas.
Baloes de todas as qualidades.
Saias de cores,
Saias brancas bordadas.
Tapetes de todos os tamanhos e para co-
vados, aveludado.
Cambraias de cores e chitas de todas as
qualidades, e outras muitas iazendus que se
vendem por todo preco, someute para acre-
ditar a distincta firma de
W!lE,W,)tlnU:Ut,
Venda de impostes
Manoel Barbosa da Silva, arrematante dos im-
Eostos provinciaes das comarcas de Tacarat, Ca-
rob e Boa-Vista, e dos impostos de consumo das
agurdenles do termo de Oliuda, avisa aos que
pretenderem comprar ditos impostos, que pode ser
procurado ra do Livramento n. 24, onde por si
ou seu procurador pedein entrar desde j em nc-
gocio os pretenden les.
Farinha
Na ra Augusta n. 10 so dir quem vende 98
saceos de farinha da trra de boa qualidade.
Saceos com farinha de
mandioca.
Maia & Landelino vendem saceos com farinha
de mandioca, em porcao, e por preco commodo :
na ra estreita do Bosario n. 18
Vende-se a taberna sita no aterro dos Aro-
gados, boje ra Imperial n. 20o, com poueos fu-
os, e tem commodos para familia : quem preten-
der pode examinar, e a tratar na ra da Praia
n. 76.
LUVAS
Completo sortimento de luvas novas do
Jouvin de lindas cores escolhidas ao ultimo
gosto d'actual moda em Pars, chegados pelo
vapor Oneida, ao armazem do vapor fran-
cez ra nova n. 7.
~ lepo
mulatnho muilo no>o, em saceos: vende-se por
barato preco : no armazem de Jos Bodrigues de
Carvalho. na travessa da Madre de Deo n. S.
Vende-se um cylindro em bom estado, pro-
prio para padaria : quem pretender dirija-so ae
pateo do Terco n. 63. ._________
No ra do Vigario u. li), c criptino doTbo-
maz de Aquino Fonseca & C, vende-se :
Mercurio de 1 1|2 libra em caixas.
Vmho engarrafado Mcneres.
dem idem de ontros fabricantes
dem era birris e ancorctas, especial.
Cal de Lisboa vinda pelo ultimo vapor de carga.
Cera em velas de Lisboa.
Champagne c cognac em caixas.
Carvo animal o vidros em caixas.-


Diario de Pernambuco Sabbado 4 de Selcmbro de 1809.
---------------
rival mwm
Ra do Quemado n, 49 6 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
di> Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodi/io.
Est queimando tuilo quanto tura em seu
estabelecimento para acabar e fazer novo
sortimento, por teso queiram vir ou mandar
vero que borne barato.
Caixas de linhas do gaz cora
50 novellos a .
Latas cora superior banba a
lO, 200 e.....
Frascos do oleo babosa muilo
fino a.......
Duzias de meias (inglezas )
muilo boas a .
Garrafas com agua florida ver-
dadera r. .
Garrafas com agua divina dame-
lbor qualidade .
Caixas com 12 frascos de chorros
proprio para mimos .
Dita com|6 frascos muito finos
Oleo babaza muito fino que s
a vista ......
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ......
Caixas de po de arroz muito
superior .....
Pecas de babadinho com 10
varas ......
Pecas de fita de eos qualquer
largura .....
Escovas para unhas muito fi-
nas .....
Escovas para denles azoada
muito fina .....
Pulceiras de contas de cores
para meninos .
fiaixas de linha branca do gaz
comJO novellos .
Pecas de tranca lisa de todas
as cores .....
Resmas de papel pautado muito
fino ......
Pares de botoes para punhos
muito bonito ....
Libras de 19a pa a bordados de
de todas s cores .
Pentes com costas de metal
muito finos .
Novellos de linha muito grande
para croxs .
Duzia de liana froxa para bor-
dado ......
Grosas de botoes madreperola
muito fino .....
Saboneta muito finos 60, 120,
160, 240 e.....
Pecas de fita de la todas as
cores 4 ......
Espelhos dourados para parede
l000 e .....
Espelos de Jacaranda muito
fino i......
Pecas de trancas brancas e de
cores -de caracol i .
Pares de meias cruas para me-
ninos .
{anivele muito fino cora 4 fo-
lbas ......
-Frascos de sndalo e patecholy
muito finos 4 .
500
400
400
4600C
im.
10500
2<5oOft
4800
5500
5240
600
500
63QG
#500
,51240
0200
600
5040
40000
0120
80000
0320
0320
0480
0500
03i&
0560
10560
20060
EM C0NT1NUACA0
A DINHEIRO NI LOJA E ARMAZEM
aatoa m wapaaaaaaa* a
DE
FLIX PEKEEIM DA SILVA.
0 proprietario deste grande eslabelecimento tendo sido o arrematante da
extinctaloja denominada=JA/lD/t/ DAS DAMAS=ii ra da Imperatriz n. 36, e no
Ibe tendo sido possivel, na mesma loja, concluir a liquidaco da grande quaotidade de
fazendas que all existiam. pelos poucos dias que leve at entregar as chaves, vio-se
abrigado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabelecimento, o=PAVAO
onde o respeitavol puolico encontrar um grande sortimento das melbores fazendas de
linho, la, algodao e seda, que se Ihe vender muito mais barato do que em outra
qualquer parte, com o fim de apurar diuheiro, e as possoas que negociara em pequea
escala, tanto da praca como do matto. nesta casa poderlo fazer seus sortimentos em
pequeas ou grandes porctes, vendendo-se-lhes pelos precos que se comprara, n s
casas inglezas; assira como as excellentissimas familias podero mandar buscar as amos-
tras de todas as fazendas, ou mandar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas
casas; .. estabelecimento so acba constantemente aberlo das 6 boras da manba h 9
da noite.
Explendido sortimento de
roupas feitas
0320
1,5800
15200
Grande
loja de fazendas e roupas leHas
roa da Imperatriz n. 52,
porta larga,
DE
PAREDES PORTO
Neste estabelecimento encontrar o res-
puitavui publico um bonito sortimento de
roupas e faeendas de todas as qualidades e
precos commodos, tem sempre um bonite
sortimento do casemiras -do, cores e pretas,
panno fino de diversas qualidades, brim de
bonitas cores e brancos de boa qualidade,
encarrega-se qualquer obra par medida e
prego muito commudo.
ttOUPAS FEITA6
..a loja da ra da Imperatriz n. 52, porta
larga, do Paredes Porto.
Tem ub' estabelecimento um bonito
sortimento de roupas feitas de diversas
cjiflidade e procos comraodos, como sejam
patitots de alpaca prela e de cores a 30.
305 O e i i ditos de panno preto sacos a
60, 70 e 80; ditos de panno superior a
120, 140 e 140; ditos sobrecasacados de
dito dito a 160. 200 e 250; ditos de case-
mira de cor a 50, 60 e 106: calcas, adietes
e palitots de casemira muito fina de cor a
20 e 25; calcas de brim branco de cor de
todas as qualidades de 23 a 60; ditas de
casemira prela e de cores de 43 at 120;
colietes de todas as qualidades; ceroulas de
bramante a 10500,24000 e 20500; camisas
francezas de lindo e de algodao de todas as
qualidades e proco mais baratelo que em
outra qualquer parte; tolarinhos, grvalas;
bonito sortimeato de chapos deso de alpa-
ca e de soda; meias inglezas a 60 a duzia;
pechincha oeste estabelecimento pelo
grande sortiiocoto : todos os freguezes se
podero piower dos pes at a cabeca por
proco osmmodo.
FAZENDAS
Grande sortimento, como sejam, chitas
baratas a 300. 320 e 360 rs. Madapolao
tino a 70,80 e 100 a peca. Algodao (pe-
ohindia) a 50500 a peca e outras qualida
des. Gatnbraia branca de todas as quali-
dailes transparente e Victoria de 30500 a
80 a peca. Lanzinlias de bonitas cores, al-
pacas bonitas, selecta a, peca com 28 metros
a 280000. Esguiao o mais fino possivel a
20509 e 30 a vara, e outras inuitas fazen-
das por preto commodo, que seria enfado
nbo meooioaar, na loja do .
LEAO Di PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
CIMENTO
Voao-96 eradoiro cimento ; na n da
Ma Ir de Martina de Barros. ___________.
Pl AGOA
TMoaats pan pasugnu d'agoa, de diversas
gnwns: oaraa eto tueaado, Azevedofclr-
oo.
ALTA NOVIDADE
E POUPEUNAS OU GORGL'RAO DE LINHO E
SEDA.
NA LOJA DO PAVO A RA DA Pelo ultimo vapor chegou para a loja do
IMPERATRIZ N. 60 Pavao um elegante sortimento das mais
Acha-se este grande estabelecimento com-! bellas poupenas ou gorgures de linho 8
pletamente sortido das raelhores roupas, seda, cora os mais defecados padroes que
.sendo caigas palitots e coletes de casemira, se pode imaginar, asstm como urna grande
de panno, de brim, de alpaca, e de todas porco de cortes da mesma fazenda, tendo
as mais fazendas que os compradores pes- de todas as cores e garantindo-se que neste
sam desejar, assim como a mesma toja genero 3o ha nada inais bonito nem mais
tem um bello sortimento de pannos casemi- proprio para vestidos, e vende-se por pro-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer co muito razoavel na loja de Flix Pereira
qualquer peca d obra, coma maior promp- da Silva, ra da Imperatriz n. 60.
** CjtlMA^
A AGUIA BRANCA tem convicio de que a abundancia du objucloe Je uovidad*-
em seu constante e completo soilimonto, a DOa escolha no gosto dalles, a superior ida-
de de qualidades, e a limitac5o de scus precos, cstao na op niao o tespeilavel publico
em geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas alada ass;m ella nlga de sen
dever scientificar a todos, da recepeo d'apullo oijeclos que eslao alera docouunuffi,
como bem sejam :
tidao vontade do fregsez, e nao sendo
obligados a acceita-las, quando nao estejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroalas de
linho e algodao e otftros muitos artigos
proprios para homens e senboras promet-
tendo-se-me vender mais barato de que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Fetix Perei-
ra da Suva.
Aos cz mil cv:tilo de cassas
francezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 \
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pav3o ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
liara vestidos, tendo padroes raiudos e gra-
dos, assentados em todas as sores, estas
eassas sao propriaraente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e alera dos padroes
serem muito bonitos, sao todos txos e seris
fazenda para muito mais diuheiro, mas rc-
talha-se a :tOO rs. o covado.
Egpartilhos a 3&UOO na Aoja d
Pavo
Vende-se ama grande porc5o de esparti-
Ihos modernos com o competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 30 cada um.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 10800
Chegou para a loja do Pavo, i ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largurada faz^ndao cumpli-
mento de um lencol. o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e nieio* e vende-se pelo
barato preeo de 15800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras maitas ap-
plicaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preeo.
Cortes de vestid do Pavo a
64000.
Vendem-se bonitos cortes de cambraia e
tariatana, ricamente bordados a 10a, pelo
baratissirao preeo de 60.
Ditos por eslarera um pou machucados
a 40.
Ditos finissimos coi.. seda a 40.
Assim eqmo os mais m nos cortes de
poil de chvre, cora duas saias, sendo fa-
zenda cliegada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caixinha com o competente figurino,
a lS-s; finissimos crt s de cambraia bran-
ca, ricamene bordados, que at podem
servir para noiva, a 250000. e oulros mui-
tos cortes de differentes fazendas que se
liquidam baratas na loja do Pavao.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-so urna grande porcio de cera de
carnauba era saceos, por preeo mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da "Silva
CASSAS A 240
Vende-se eassas com delicados padroes e
cores fixas 240 rs. o covado: na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Flix
Pereira da Silva.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavao as mais
ricas basquinas de casaquinhos df seda
pretas ricamente enfeitados sendo com os
fetios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muilo era canta.
GROZ DE COR
Chegaram os mais bonitos grosdenapeles
de cores, sendo verde, azul, lyrio, cinzento
e branco muito alvo, que se vendem mais
barato do que em outn qualquer parte.
BASQUINAS DE FIL
Vende-se as mais modernas e mais ricas
hasqoinas de fil preto, ptir proco emeonta.
VESTIDINHOS PARA MENINOS A
2d000 E 20500
Vendem-s-1 ve-tidinho* para meninos e
meninas, pelo barato preeo de 20000 e
-20501), assim como ricos eoxovaes para
baplisado.
MADAPOLAO FRANCEZ A 70000 A PEA
Veude-se pecas de madapotSo francezen-
festado com 20 metros a 70000 a pe^a; 6
p< chincha
MUSSEL1NAS DE COR
Vend--se as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o covado.
CELEZIAS
PANNO DE LINHO
ATOALHADO
Vendem-se as mais finas celezias de linho
com 25 varas cada peca, sendo mais finas
anda que os mais linos esguines que tem
vindo ao mercado, a 450, 550, 6O&000 e
7HfjOOO, tambera se vende em varas as
mesmas celezias, sendo preciso; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lences
com perto de 4 palmos de largura a 700,
800 e 10000 a vara, sendo em peca tam-
bem se faz alguraa eqoidade; bramantes
(tai a lences com 10 palmos de largura a
10800 e 20500 o metro, e de linho muito
superior a 30200 e 305oO.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 20400, 30 e 30500 o metro, e
outras militas fazendas brancas que se ven-
dem muilo mais barato do que em outra
qualquer parte, com o fim nico de apurar
dinheiro.
CHITAS
MADAPOLAO
ALGODGSIMIO
Vendem-se superiores chitas escutas ej.
claras pelo barato preeo de 280, 320 e 360
rs. F as percallas a 320 e 360 rs.
Peras de altodaosinho de todas
guras e qualidades. Pecas de madapoln
dos mais baratos at os mais finos; assim
como, superior algodosinho eufestado para
lences, toalhas, tanto liso como trancado;
todas e.>las fazendas se vendem mais barato
do que era outra qualquer parte, para apu-
rar diuheiro.
PECHINCHA DO PAVO PARA ESCRAVOS
A 200 RS.
Vende-se urna grande poivo de esta-
menha raesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e calcas para moleques,
sendo urna fazenda escura trancada e muito
.eneorpada, pelo barato preeo de 200 rs.
o covado, fazenda que sempre se vendeu
por muito mais dinheiro
VESTIDOS A 8A0 rs.
Com duas saias
Chegaram para a loja do Pavo os mais
modernos, e mais bonitos cortes de vestidos
de cambaia, e orgamlys; com mais lindos
padres, e o competente figurino, tendo
cada corle 18 covados, que pode dar corte
para senhora, e menina, e vendem-se pelo
barato preeo de 0000, nicamente na laja
e armazem do Pav3o ra da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Bonitas caxnhas de madeiras nvernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de cartera
(uando anortas
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras c os
mais necessarios dourados c de madrepe-
rola para costura, obras de apurado gosto
e perfeico, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas com mus ;a.
Estojes ou carteiras de ce uro com nava-
lhas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unhas. dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas. para dentes, caetas,
dtdar-s, brincos, alflnetes etc. etc.
Ricas cpelas com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Vokas de grossos aljofaes de cores,
para circularos coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
genles para o pescoco.
Outras cm aljofares coloridos, e trn-
sela dourado.
Botoes com ancora, e P. H. para fardas
e cohetes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata, dourada. para cohetes, cada um 50.
BotSes de cristal, encastoados em prata,
para punhos. 40 o par.
Camisas de (lanera para hornera, a me-
IhoT qualidade que tem vindo a este mer-
cado.
Meias de 13a para bomens, senhoras o
creancas
Ditas de dita, teoido de borracha, para
queni soffre de inclwco as peinas.
Pannos de crochet pora cadenas.
Novo sortimento de toalhas de labviin -
tho, para baptizados..
Renda e bico de -riinur, bianco c
pelo.
Fil preto, de seda, ooin lpicos.
Pequeos e delicados espanadores de
peonas coloridas, proprios para pianuos,
oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de mclal plateados,
para segurar costuras, tendo almofadinhas.
de velludo para agulbas e alfineles.
Thesouras rio duas, tres, quatro e cinco
peinas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLLSULTRA
Tal a qualidade d'essas agffihas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-pisultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das inteligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e anda assim custa cada
papel apens 200 re.
Provavelmente d'aqui a pouco abundarlo
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por scus no-
mes e qualidades a infindade d'objeclos
que constantemente se achara venda na
loja da Aguia Branca, seria seno iinpossi-
vel ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e amiga fre-
quezia. e pede aos que Je novo queiram
reconhecer a commodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que no se
esquecam de comparecer loja d'Aguia
Branca a ra do Qucimadj n. 8.
ORGANDY DE COR A 3i0 RS. O COVADO
Vendem-se finissimos organdys de cores
para vestidos com lindissiraos padroes pelo
barato preeo de 360 rs. o covado; assim
como ditos bran;os muito finos com listas
largas e eslreitas, e de quadi os a 800 rs. e
10000 a vara, lambem tem tariatana bran-
ca, e de todas as cores a 800 rs. a vara ;
lils de flores a 40 rs. a vara, e ditos lisos
a 800 rs. a vara, e da salpico a 10000:
isto na loja e armazem do Pavao, ra da
emperatriz n: O de Flix Pereira da Silva.
CHALES DE CASEMIRA
Chegaram os mais modernos, c mais
bonitos chales de casemira com dezenhos
inieiraraente novos, que se vendem a 90.
100, 120 e 140; assim como urna grande
porreo de ditos de menina que se vendem
mais baratos do que era outra qualquer
parte ; na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira da
Silva.
Cortluados
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande sortimeuo aos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
BALES MODERNOS E SAIAS DE LA
Na loja do Pavo vende-so os mais mo
demos baldes reguladores tanto de mnsse-
lina como de la de cor, e as mais moder-
nas saias d la emestada, mais barato do
que em outra qualquer parte.
SULTANAS
Chegou para a loja do Pavo um grande
sortimento das mais linoas sultanas, par
vest los, sendo muito larga e honita fazenda
com listas de seda e os padroes mais oovo-
que tem vindo a ese mercado, vendendo-w
a 10400 o covado, na loja de Flix Pereira
da Silva ra da Imperatriz a. 60.
ABMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
SIMAO DOS SANTOS IV C,
Os proprietaros deste bem sortido armazem de secco e molhados. partecipain
as lar- aos seus numerosos freguezes, tanto desta praca, como do matto c Igualmente aos ami-
gos do bom e barato, que teem um grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
doria.1' e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a relalho, por
menos preeo do que em ontr qualquer parte, por ser maior parte destas mercadorias
compradas por conta propria, por isso quem comprar al a quantia de 1000, tora cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
armazem.
GAZ AMERICANO 90 a lato, a 400 rs. 620 rs. o kilogramrao, cm por$0 ha aba-
a garrafa e 60 rs. o litro. timento.
VINHO VERDADEIROFlGUEIRA360e! BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
640 rs. a garrafa, a 40500 e 40800 a cana- SAS QUALIDADES, a 15 o 10400 a lata,
da, a 7O e 940 rs. o litro. VELLAS DE BSPARMACETE a 70 rs. o
DEM DE LISBOA das melhores marcas, masso. em caixa ha abatimento.
400. 440 e 500 rs. a garrafa, a 30 e PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
305iO a caada. OOn e 640 rs. o litro. RANGA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
AZEITE DOQE DE LISBOA 900 rs. a 3(job e 65500 a groza.
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro AMEIXAS EM LATAS E CACHINIIAS
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs. DE MitS TAMANHOS 35500, 50500
a garrafa, 4$500 a cariada e 900 rs. o litro, e 13 a libra
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA a G<>MMA DE MILHO AMERICANA a 400 rs
200, 240 e 30 rs. a garrafa. 23200, 0 masso de urna libra, c em caixa ha aba-
I08OO e 10400 a caada, 360 e 480 rs. tmenlo.
0 litro- BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 10440 e a |ibr!l> eil. caixa faz-se abatimento.
108O a libra, .30140 e 20800 o kilo- SER VEJA INGLEZA MARCA 11 50500
f ammo. a j,,^ B g,K) ,s. a garrafa.
DEM FRANCEZA 960 900 e 830 rs. 1DEM BASSi VERDADEIRA IEILERS &
a libra, e 20100, 10980 e 10870 o kilo- BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
Rrain?u P4RA TP\iiFRn i fisnre i; VINHO DO PORTO ENGVRRAFADODE
JSum^SSSS mf^to' MVERSAS MARCAS l300, IJMO, fe
far abatimento. 800 rs. a garrafa.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOB ,2K*f Dr\ BSt^'LZ PR"
720 rs. a libra, t 10570 o kilogramrao, era UEZA 7^ 60 a ftwqoeiitf, e 500 rs. o
porco se far abatimento. ',!'A'. r^r. i .n,,,,. ., ,..
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA J?fM fDE LARANJA P\L AROMTICA,
120 e liO rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki- JJISJBTJUSk^w.. *
logrammo e 30800 a arroba. |o,QSf2S Sfi.ST' ^OWL
ALPISTA 210 rs. a libra o 520 rs. o1^' f J00 t**i00' e,a M,M faz"se ""
"ES Gilo^ellSa^ba, *, ?JbJ*
200 e 240 rs. a libra. 440 e 520 rs. o b"\ 88 S kll"Sra,nm3' e il&b0 Por
kilogramrao. 14 k.logrammos,
* SABO MASSA 260 e 200 rs. a libra, CHA FINO. GRAUDO E MILDIMIO os
570 e 440 rs o kilogrammo, em caixa ha melhores que ha no mercado, a 3> e
rtntmenlo. 30200 a libra, 70080 e 60540 o kilo-
MNSSAS PARA SOPA, MACARRO, TA- grammo.
LH \RIN E ALETRIA, 800 rs. a libra e DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20700.
10750o k logrammo. 20300, 25200 e 20 a libra, e 50450 e
SEVADINHA E SAF 280 rs. a libra e 40180 o kilogrammo.
Uartholomeu & C,
Vinho, Pillas, Xarope e Timtuiu
nr. JuniiBEBA simples e ferruginoso;
Oux), Pomadab Emplastro da mesma
. I'I.ANTA PREPARADOS POR
BARTH0LOME0 & C"
Pharmace uticos- Droguistas
rMivtuii < 4
A Jurnbeba : csia plano a boj rccooh'cida
como o mais |<9ilurosc> tonteo, como o melboi
ilcsobsiruentc.ccomo lal aivlioiila uos pkliroeiMo
Jo li0-adoe ba^o, hep-iiiies, Jutesas, iniBore iniar-
nos c especialmente do uleio, hyilro|ieias, eryai-
pollas, etc.; c atsociadn ao Ferro uti I as paludas
corr', cbloroscs e Taita de meuslniacao, a. -irru-
ios do estomago, etc., a o 400 Jisuuios altesUo
innmeras Mnu iinpoManles oblidns com notso
prepara .!:-tinttos mdicos do paii Portugal. Km lodos os
uossos depsitos dislnbuioos gratis rlbelos qoo
melhor fasem coobcccr a Jnrubcb* seo* rtsiUadcs
t applicacao.
XJkHWE
salsa mu i)!> m
Depurativo do sangtie
Usado as mort'sttai pA'lle, impigens,
flores rbeumnticas e \re?& \. itere..s,
nco Di'osno
itiia lai-s;.'oRaria n. G<5.
Vinho do Porto fino
- Vende-"! boj !<04000 n
veinte por th a :;j ,"i
Cadfia n. t.
tliuia tul m
carrafa ; m
1 ua da
ESCBAVOS fBGII
Fniu do i'tigpnli'i '!" > l:>s 'is S.-iiiins ra riifa
Je pojofia, no di.i :) rjn i,ii<>, o osrraru Goo^l,
represento leriSaniKW delade, para matsoa
menos, cor vcnnelha, alto, arossn. n|ln>a ihmiiimos,
sem barba, e os pe raclundo, fm csrrav.i da Rra.
D. Senhi>rnh:i Hiriado LhnBV.-nh>, une moran n.i
villa de Seriuhec: : no ili.i mmedialn i'a tupid.*,
esteve na nmsin.t villa : uppoe so esliir afontado.
o que M prnreder ron" o ntror da \< i : qtiem o
taMa. e |>edc-!e s aabNldMn poliri.tes on rapin
Sm de campo a eartura dojMMno o entregar no
fflestno engcnbo au tuiixo atvigoad, n na ron
da Moeda n. .', 2o andar.tjforipdrio de Manoal A\-
vo Ki'i reir k C,., que ser geiierosanieiiii- recom-
pensado.
____Miguel Paulino Tolentino Peres Patrao.
= Xo da l" il. rorceiile mfi e anuo rugi de
.asa >i'> Sr. Dr. Joan de Hmi uela da Cu ni, ra
de BemUca, m Pwsagem n. 4r<, onde se achar
aloyado, o mntoone rranet*, riouln, bantainV
proM.de l.*i annos de idado, enn um ifrnal de
queiniadura no hovbro wipwdu, Irijarn f,i\e t
piqueta de brim, cuasia que m ada ervindo a..
ioja de enip.illiaJ.ir. que pretende aprender eSM ofllrio. pe. que se,
protesia cintra qnem Ihe der attasalho : quem o
appieliender. qieira lvalo rua da Aurora u. 26,
onde ser graMeado.
Aelia-se rugida desda da 27 deag.i-tn lindo
a preta Lourenea da Costa, de 40 inntH pinteo
mais ou menos, eahcMos eurtiin, bem preta, esta-
tura alta, corpo regular: quent a pejar e levar a
sua serrlrnra liarla Bernarda de Ibad* na ra da
finia ser beiu recompensado.
. rugi ni. (Jia 2i de agosto o eseravo de nue
Constancio, partlo.'ulto, cabellos eaiapmhos, cafa
bastante bexigOM, trim 'una beibde no olh^esqner-
do, e w pee ortos. jolga-e andar na ridaa* e
dormir n'nnia taberna sita no becco de S. JSo,
donde salie pola inanUa e para onde v >Ha a noi-
te, quem o eapturar leve-o ra Nova, loja do
Arroda A trmo, onde ser gralifleado.
Assim como ha oulros muitos mais gneros, vinho em aacoroUs, aieitooas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguicas de Lisboa, marmelada. con-
servas gela de marmello, pcego, ervilhns, peixe em latas, sardinhns -le Nantes.
vinho verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervaaofe, cominho, pimenta, grandes
molhns de seholla 1^500, finalmente muito mais gneros que enandoaho
mencinna-liis.
0 mmmmm*m
i
i
SAHNAS DE BAILE
m
les,
Chafaran peln uimo paqmte vindo da ferro pa, lindissiraas sahidos do bai-
rioaiurTite t-nl> itadas, *. melhur gusto que tem vindo ao mercado : ruado
Crespo B.-I3. loja das columnas, de Antonio Correa de Vasconcellos.
Smn

V
As autoridades policiaca ea
quem competir.
No dia 9 de maio do enrrente amo u-
gio o eaeravo Rsequiel, crioulo de 3 32
anaos de idade, estatura regular, teforcado.
efir bem prela. cabrea redon la. tra>ava ca-
misa azul e calca de'casemira cirueott; du-
rante o dia costo na andar ganhando as
rua>, ou em annazens de assucar ou as
tabernas a conversar e a belur duran e a
noite recolhc-se a tolheiros abortos ou pe-
netra veis, a casas em consirucco e a on- '
tros quaesquer lugares onde se possa abri-
gar: quem o apprehender traba a bondado
de o conduzir ra da Aurora n. 26, onde
ser gratificado.
Fugiram do engenho Firmeza
do tcrriio da Esca.la, na noite de
10 para 11 do Brrente, don* e-
cravus iniilatns, os q je* forac
comprarlos ao F.xm. Sr. baran de
Na/arotli Ua 15 dias potito ni3>
cu menos, sendo Julo, idade de
^3-> 30 a 32 annos, bem barbado, pei-
.ibelludos, tem os doilus d'is ps, isto n
minime curts e quasi qnejrepam um no nntro,
tendo todos os dente-de fronte, enrpo regalar e
leva chapeo do conro do sariatij.i, calva aznl de
algodao que llio eoaman pello d on;a <; cobort.r
d'1 ba-ta escura e mai al^ruiiia fonpa, Tol oscir. o
do Illm. Sr. Menle coronel Agostinbo t^irrfia ?e
Moli, de Oiiricnry. o outro de anote Flix, fa-
bra, alto, bom corpo. idade 2o aiinos petteo ma<
ou menos. Icvou chapeo de eunro do abas lare.-.
ca!.;o azul de algodao que l'ic chamam pelle doi'-
ca cobertor de bata escura, foi seraYo do
Illm Sr. Eduardo Pereira de Souza, da protinci t
da Parahyba, que o vendou p^r seu procorador o
Sr. Jos Lops Alheiro : qucOa. o appreheader e
levar ao mesma engenho Firasa oa > Recifer. >
escriptorio de Dmoingos Ah> Mbthetif, a ra d
Vigario n. 21, sor geni-racamento r*jo|ieniad>
Fugio do engull i]ul!ogiii da Lux a r
prett Martinha, liaixa o delgada do corpu, coi'i
marcas do bexigas, muito Lobada o de muita lftia,
paga-M bem a quem a levar ao dito ons>n>i),
aos Sr* Dlivcia. Fillin> A C, no tterife.
Pugw uo da 23 do Ofrente, da en(-.
Qniliba da frestnzia de Serinhacra, o *crato ca-
bra, d noftie Flix, que raarawntta ter il anm s
I mais n menos, alio, grosso, ara larga, benj tai '
i lante.Jevi u calca de. brim pardo, camisa de ma-
I dapollo. ebapo de cooru ou mn nutro daenils
novo; rujo eseravotalvoz lenha turnado o eami-
nho de Pao d'Alh i : (uem o pegar e levar ao dito
engenho, ou no R-Hstfe a ra do Imperador n. 45,
s.'r.i goo.>r"<-"ii 'Ole n coni|.ensado.
INJECTION BROU
lalaaNvrl r frfrrtmtti*, akaelutammiv a wbiea H"* cura m*> ewi.un a4amo. V. uued
mm rtmrtfm" Uttm t mmt. (Kiictr a liiaia Me). rMOW XltUBdl.) Pttii; *m
aata.tisliiwi ***. na.
Fimi Ju enateHUti Bom Jardim da fregu.
da curada, na madrugada do dia 30 de asocio pro-.
ximo pa-sado o e crav.i preto de n me Manoel, :
iilade 30 annos, pmicu mais ou menos, cajo e:-.
vo lem os signa* s segnintfS: crioulo, cor f
secco do carpo, esUtura rejiniar, poo'-.i barba, btt-
nbaracailo, muito regrit-ta e ten (alta n
um pedazo da orelha direita, cujo eaeravo fnt c
imido ha piuc.w dias nesta eklade do Recita ao1
Pedro* Jorge : niga-se antoridad
sua apprehe.usa.i, as-, su gratificar
senhores capitn de campo oa qiiu,uer pe
] que o pegar e levar ao dito WJFSBti i on I "'
i tivita ilo Ra-ario n. 47. r. #*> R
. Aimoi'Ja A C

n


Diario de Pernambuoo Sabbatlo 4 de Setembro de 1869.
Ck'\U BSK.POrAOOS
SCSSO K'aorjE sumo.
ntEsmuM*-.m. s*. sKaraa.
(Coimacn)
Sr. presideata, o nobre general emchef
4aa eaercito* adiados recnnheceu que com
nefcraeciinentos a-Jaaug, cora, aquellos for-
neeMincvs. !lie iiBposwivel separar-se da
nitrada de Ierro o ilo rio, mas recia ante a
raMS*Hi i i.|h do rasciadir esses contratos
ecvVfcrar outros pelo tago esparo de
tmp> qoe liria de couec dvr aos novos or-
fiecrdorct para trufara tan os grandes
ranos d* pMwvtain para abastecer o
rserrilo desde que elle penetrar algumas
leguas'no paiz.
! fhrrmn *-que nathr rh estar!
realizar, dizi : Nao podo vencer a Ingla
trra, verdade, mas deixei-lhe cravado
no flanco ura dardo envenenado que ha de
sobrecarregar a geracao presente o talrez
esmagar a Ib tura.
0 dardo eoteoenado eram as dividas
enormes que pesavam sobre aquelle paiz. A
vit alidada da Inglaterra, o vigor das suas
instituicoes e o desenvolvimento extraordi-
nario da sua industria nao perrailtiram a
re.ilizai.ao da propheeia de Napolelo ; mas
quantos sacrificios nao se irnpoz a Inglat rra
para poder pagar os juros dessa divida Q
quanto ella portera alviar. os seos habi-
tantes e melborar sua aorlo, se ,t ti-
vesse de fazer face a empenhos tao onst
deraveis ?
Cada d a que se passa. Sr. pjesidente,
Lpez ganha urna victoria sobro oBras i.
no urna victoria contra o seu valoroso exer-
Ens nos acharaos a pequea distancia _
* Asmara auwi esta a poucas milbas j 2?' ,8 u,.n? vlc,ona,l0nlra a^ suas
4a pslrada ile ferro, e nao lanos anda
faeaodi-risiva !
Foi* bem ; quaes sin m ojeios de atacar
*ila posteo ? Tan) sido reconhecido que
ispossivel ataca-la de frente, que preciso
cas, urna victoria contra o seu presente e
enntra o sea futuro. Hlo o pode dizer do
alto dos seus bastes elevados, olhando o
nosso exercito immovcl em sua frente, im-
movel n3o por falta de bravura, mas de
da assembta geral aulorisando o governo
a conceder carta de naturahsaco a Herms-
o Fea ac de Mattos e a outros, e man-
dando aceitar em qualquer faculdade db
Imperio os lames de preparatorios feilos
oa do tociie pelo estudate Sfcnoel Rodri-
gues de Carvalho Borias.luetrada.
Ontro do mesmo secretario, participando
que o senado ailoptou, e vai dirigir sane-
cao imperial, a resolucao da assembla ge-
ral qne declara referir se ao msico do 20'
corpode voluntarios .la patria Geminiano de
Sotan Pacheco a paosau apwvadi pelo de-
.tetn. I.ilide 23 de soWmbro de 1SG7.
fnteirada.
l'm requerimeato do v'L-confle de Aljezar,
admmietrador do morgadu de Marapicii,
pedindo para conve-rter o dito morgado en)
apolices iualienaves da divida publica do
Imperto. A commisso de fazenda.
Ontro de Joaquim de Convela dti Cunha
Brrelo, pedindo que seis exames prepara-
torios (Hitos na faculdade do Recife sejam
validos para a matricula- na escola de me
dicina da Babia.A commisso 9e tasb
rao publica.
Lem-se o v5o a imprimir para entrar
pubfica, rum p r isso tttm de- ser riqae- provocar-nos de utn modo t3o inslito, cora- r5ps siin, n ,:,;, -
za para amelles que os pussujin. o cobrar meltcu a barbaridade de ordenar es'sas car- fa^ l*ogressisfa
cias,que nos tem borrorisado (apoia- k diSCUS|3o i^^u ^ .
dos); de ni hfmem, que, desprezando
Para
n-|a, e todas as correspondencias do *"** m*> onde conven.
nsrat lera sido unnimes em declarar' br PreS'dente, este assuinpto e vastiss.-
qKSHa) augmento-do elTeclvo do exercito, i'
an qw enviemos um maior
fardas, mpossivel a concluso da guerra,
panBO d5o podeado atacar-sc de frente
meios para peaetrar no centro do pwzparajna ordern dos trabamos : um projerto con-
cedendi) loteras ; dous pareceres do com-
ean da casa nesta
numero dejquefa,|o
abusar mais da atten-
bora tao idiantada em
njt6*s lio elevadas e t3o dfliceis, teremos
i-Bcfssidade de contorna-las para reduzir
n nmoigj), privando-o de recorsos c sepa-
cando-odi' resto do seu paiz.
(jai sejsji, senbores. o resoltado desta
'perafSo tara
rsperar mais 3. 8 ou 0 mezes, visto sct
Dvcdsaario rrforcarmos o nosso exercito
can mais 10.000 itotnens e que tenhamos
aili fe meios para emprehender a marcha
no interior do paiz ; qual ser o resultado T
O Alustre g neral, o Sr. conde d'Eu, de-
tara-o rouito positivamente era um nutro
tre-.ho do olTicio que acaoci de citar, e
l*ro ainda permissiio cmara para ler.
Vencidos em parte alguns dos obstculos
afiaoa enumerados, espero agora era breve
pftr-me de accordo com o general Mitre e
iniciar o moviment geral do oxercito.
Se B#!lle fnnaos felizes, como espero
a rYovidencia, que vela sobre o Bra>il.
conseguiremos seM a terminacao da guer-
ra, peto Renos a oceupacio de mais urna
xana importante do territorio desla repu-
ttaca.
Ora, Sr. presidenta valer a pena a es-
pera recursos, o sacrificio de tantas vidas, o dis-
pendio de lautas saramas, para este resul
ta*#oceuparmus mais urna zona do ter-
ritorio paraguayo? K quando tivermos
oecnjado mais esta zona do territorio para-
guavo, por acaso teremos dado um passo
ara a termnac>> da guerra ?
O Sa. Akbiiam: F#;mH\ : Teremos
dadit nm pa Ma do territorio inmigo.
O Sr. K. Bkj.isaiuo : Sr. presidente,
ser com o maior aeaw que verei o illus-
lr*l paiz. e une en apoio 15o francamente em
tudo atiaoao nao se refere guerra do Pa-
nfaay, kancar anda mo do reerntamento
para proseguir nasta guerra, esta guerra
qar, pr.rsn (lecl ar fiancamenm, nao
asats ama guerra nacional, urna guerra
aaaraaaenie oiiicial...
O S. Am'K.vi.k. Fii.i iais\ : Nao apoa-
do.
O 8a. F. BauBMal
O Sr. A.ndrade Fk.it.ik.v : NSo, se-
nhor ; estamos ouvindo com tnuitu prazer.
(Muitos apoiados.)
O Sr. F. BERis.\nio : Reconhe^o que
devo terminar, embora o assumpto exija
mais largo desenvolviraenlo. Goncluindo
;3o Staotii I *&%'. gy^"* y8.180 vjo aaas a
gloria do Brasil empandada na cootinuarao
de um fuerra que o direito reprova, que os
; nossus interesses condemnarn.
Vejo a gloria do Brasil boje na celebra-
gao da az, no nico procedimento que rae
parece rasoavel e nao em pratcar actos que
nao lendema una ora, um resultado, poltico
justificavel leante tao pesados sacrificios,
Cbegada a guerra ao ponto era que se
acha nao me parece que seja ainda glorioso
para o B as i contina-la, nao cinnprebendo
eu por sse modo a gloria do Brasil, c vou
ler, Sr. presidente, para terminar as m-
nhasobsenacSes, as palavras de um Ilus-
trado cidado. que dirigi com tanto bri-
ihantisra, com tanta prudencia, tanto sa-
ber e s gacidade, a imprensa do Brasil nos
difficeis annos dos nossosensaios polticos :
reliro-me a ura JcidadSo q te nos todos res-
peitamos, cuja ntetlgancia, cuj. bota senso
todos nos admiramos, Evaristo Fcrreira da
Veiga. (Apoiados.)
Em I88 um certo crculo po itico ani-
raava no Brasil a ida de intervir na guer-
ra da successao da cora de Portugal ; o
bom senso de Evaristo nao podia vero
Brasil comprometter-se em urna tal guerra.
Eis, Sr. presidente, as palavras com que
este presunta e til efclado responda ora
um dos artigos da Aurora, om I88, aqool-
les que queriam envolver o Brasil nessa
empieza, na qual, diziam, elle ira cobrir-se
de gloria.
Ni nos osquecamos, porra, que ai pa-
lavras que vou citar n3o se pideriam ap
pinar aul faatos que presenciamos : mfe-
riam-se idea, sobremodo exiravaganto e
insensata, qu^ aquelle jornalista combata.
A gloria nacional do Brasil nao
consiste em praticar desalines.. ; consis-
le em m dir cautelosamente seus meios e
posicio para se limitar a justos termos ;
consiste em trabalhar para augmentar a
nossa riqueza interna, e paranlo os nossos
recursos ola industria e economa... :
consiste em cuidar menos na superficie o
mais na realidade das cousas; ter menos
Bayonetas e mais lavradoras, menos fragatas
a apodreceiem e.mais machinas produoliva>
em acOvidade ; consiste, finalmente, no con-
irario de ludo quanto se tem feito e conli-
liona a fazer-s i. E' alu que nos encaramos
a gloria do Brasil, que est ntimamente
ligarla ;i su prosperidade ; e essa gloria
nos a desejamos BWU palr a como quem
Ihe consagra um culto de amor, de venera-
cao e de ternura >em limite, o
Voz-s : Muito bem I Muto bem I
A discussao Sea adiada pela hora.
Dada a orden do dia, levanta-so a scsso
fs onze boras c meia da nontfl.
-... urna guerra
jae a populacio repelle, urna guerra para
qae no podemos levantar soldados sen5o
Pmp!v-Mi) lo as ultimas violencias do reo u-
taaaaato, sealn turnaonmto asaos pobres ha-
BHaates do interior, to innocentes, tao pou-
co Golpa los dos Boatos arros, para l^va-los
ka Paraguay, donde eiles sabem cine nun'-a
ais volt nao pa \,; a piees que Ibes
sao charos.
O Sa. A\;m\-! Pan i:m\ : Declaro ao
obre depurado que anda ha voluntarios
t:ut ipiircm marchar para o Paraguay.
O Sa. F. B : Apezar do con-
rcito que rae merece a pamvra do nobre
dojoiado, ha de p 'ririittir que eu envide.
O Sr. AamiaM Fritura : Eu man-
do ijate e taums de Minas, a provincia mais
nAacuna d>> Imperio.
OSr. F. BnMaaio': Pois a provm-a
aatacUria do Imperio boje a mais belli
ro.va. porque nao me consta 'que em par!
ataaaaa isto se te,nha dado.
O Sr. Anbram PbWHMA : A queslao
r- querer aclia-los, conviih-!os.
O Sr. F. Bkusmuo :Como a questao c
deacfiar... Mas, Sr. presidente, feilos
aaai estes (sforcr*. ter por acaso a gner
ra dado mn oosto ? Nao, as dilliculdades
iao a; nasraas, seiiio muito maiores, por
ajoc Lpez nao se daixai por certo. apanha.-
caaao espera onoure ex presidente doeon-
sHlio: rfle se Ija de retir ai
dilheiras
N s das ;il de julho e Io de agosto alo
houve sessSo.
para as cor-
mais interiores do paiz.
E terem s nos meios. nos que tomos re-
vaUlo tanta incapacidade administrativa ncs>
fe guerra, p ,d.:rcmos a.-ompanhar Lpez
is 20, 30 ou qgaranta leguas noinbror
daqiitdie pa/. ? Poderomos esperar que
laaaai ooneinta em re'rarse do paiz que o
ap-iia. consintaeal sa j para que se
ara a p.z i gotnUfito, Sr. presidente,
io silo -las asnoss.. esperancas. Um
estadista, nm cidado q w j oceupou a
pasta dos n -gacios estran^eras, declarou
Boavaisenie no kh rdatwio que nao era
de aaaaaar qne o aaj rkhu egoistieo de um
s bomem -m sustentar son pessoa, em de-
fider-.s", pi por tamos annos mau-
fcr i;.-;..i guerra a&tre quatro nacSes, cujo
soreg. c..i paj nao deviara estar snjeiUis
aa> caprino pasaaal de um bomem.
Oh; Sr. presMeate capricho pessoal de
t.ojK'z Se nos d'o Brasil sem motive al-
. 9era inl te quahdade alguma.
julgauos d'ver persistir coo tepaeidade na
aolawaaoda gnarra, como pretender, qui-
ae def nde a sua 'Mina qoa defend
ti\~x da sua n. 5o, pois defende
ia, sua sobaran, dosm sa-
para (i!'1 iras attiada
paiwra. para y \ iz era sen
pvnreito f
Sr i['ir haje
t'-ra %is, quer
ral mus tuda lat :er depois de
paasado vez se dilficul-
Vo
verifi-
numero sulficiente, abre-se a
actas das a ite-
SESSAU EM 2 DE ACOST
meaiMBfCiA no sn. nkbias.
meio dia. feila a chamada,
ca-se haver
aaaale.
Lm-se e approvam-se as
cedenies.
O Sr. V Skuietario, da conta de se-
guinte
iMiiwiiir
Um pfficto do ministerio do imperio, par-
ticipando, nao s ter expedido aviso a pre-
sidencia da e-oviuria de Minas-Craes para
que facacomprir as decisoes desi cmara
acerca das eleicss primarias de varias p;-
rochias do l0districto da mesma provincii,
como tambera ler j enviado as actas dita
eleicoes das parocbtM de Vbre-Ca i.bo o
oulras da ine-ma provincia, requisitadas por
esta cmara. Inleirada.
Outro do mesmo ministerio, participando
ter expedido aviso as presidencias das pro-
vincias de Minas-Geraes e Itio de Janeiro,
para que' far.am cutnprir as decisoes desla
cmara acerca de vanas elciroes paroxhiacs
das mesmas provincias, cujo Mlgarneutu
foi adiadoInleirada.
Outro do ministerio da fazenda, transmt-
tindo o requerimento documentado que o
Io conferente da alfandega da provincia do
Espirito Santo, Antonio Jos de Mattos Lu-
cen i, dirige a assembla geral, pedindo um
anno de licenca om os respectivos venci-
mentos, para tratar de sua saude. A
commisso de pensoes e ordenados.
Outro do ministerio da agricultura, en-
miss5o as eleicfcs primarias de S. Bento,
as Alagas, o Santo Amaro, tfivina Pas-
tora, n do Banco, S. ChristovUo, Simo
Dias, Riacbrn, Estancia e Arana, em Ser-
gipe ; e a redactad das e nendasofferecdas
aoorcamento geral da receita e despeza.
Continua a diseusslo das emendas do
senado ao projecio relativo ao jnigamento
de certos crimes que podem sor cimmelti
dos em paiz ostrageiro contra o Brasil e
os Brasileiros.
J>pois de algumas consideraifn's do Sr.
Taques, flea a discussan ada la.
ORDE.M DO DIA.
Contina a diseusslo do projeeto de res-
posta a falla do llyono, com a emenda
apoiada.
O SH. VISCONDE DE ITABORAHY (pre-
sidente do conseibo): Sr. presidente, o
discurso pronunciado pelo honrado depula-
do pela provincia do Rio de Janeiro, na sos-
ts3o de sexta-feira, nao podia deixar de pro-
duzir irapressao desanimadora naquelles
que o ouviram, e principalmente nos que'
como e i, reconbecem nelle um espirito il-
lustrado, refletido e observador.
Procurarei, portanto, se nao desvanecer
ao menos diminuir essa impressSo.
O nobre deputado descreveu o Brasil
como tfio atrazado, to decadenu^, t3o obe-
rado de dividas, que se me figurou vO-lo
borda de um precipicio.
Quera depus de observar os progressos
.e melhoramenlos materaes da Europa,
disse o honrado deputado, percorrer o
nosso litoral, nao pode deixar de sentir o
coraco eonfrangido, vendo que nao tem >s
uma nica obra que facilite a navegacSo ;
uo temos uma dca, tu lo esta no estado
primitivo: a decadencia do Imperio man-
festa-se polo que se observa mesmo na
provincia do Rio de Jineiro ; temos exhau
rido a fundid ido do slo, urar.do dahi
grandes riquezas; mas o que resta deltas ?
Essa* riquezas pareeem ler desapparecid i,
un o ha obras, irlo ba estabelecimeoto que
attastora-aua existen-ia.
Plque tocaao estado denossas linan-
as, aioda qu guerra livesse de acabar
boje, o tbesouro Ikarii onerado cora a di-
vida de 8O0,00t):000A0O'J.
Se tal fijsse nosso estado econmico, Sr.
presidente, motivo hav^ria para deaani-
marmos de tolo procurarei, porem. de-
m -nstrar por algumas consideracoes e
com os elementos que ti ve tempo de co-
Iher, que o nobre depulado descrev ii com
aeres niiniameute escuras a situar*) em
que nos acharaos.
O Su. Cardozo Fonks:Apoiado.
O Sn. pREsmorre doConseuio:Sonho-
res, quem veai da Europa pira o Brasil e
vio os prodigios que l tem feito o bomem,
nao p le deixar do iceonbecer que estamos
muito longe de algumas nacoes ; daquella
parte do inundo, no poni a que se re-
feri o honrado deputado ; mas tambem
nao pode deixar de reconbecer que povos
envejecidos na cvilsagao, e accumulamla
o trabalbo e resultado dos progrossos dos
seclos que t a vivido, bajara cbeg.:do ao
ponto que nos, naro de hontem, nao pu-
demos ainda altiugir. (Muitos apoiadoa).
Porque algumas nacoes da Europa tm
construido inmensas dcas, cuniibos de
erro por toda a parte, melhoramenlos de
todo genero, segu se que o Brasil, paiz
tao novo, esteja no caso de fazer o mesmo?
(Apoiados).
Fra isso pretender medir as forcas da
um menino que apenas tem alguns mezes
pelas de um hornera que j etapa a ida-
de viril. Quando tivermos tanto lempo
de existencia como essas nacoes, estaremos
lahez cima do que ellas sao boje ; porque
nao s poderemos aproveitar-nos da sua
experiencia, paja tambera dos grandes ele-
mentos que a natnreza nos deu, e de que
f< i muito mas escasea com a mor parte
daquellas nacojs. (Apoiados).
Nio-temos ainda, verdade, dcas.que
sao de grande vantagera para a navegaran
e para e commercio, mas ha porventura
mudo tempo que ellas tra sido construidas
nos varios piiz's rfa Europa ? Seercap-
tuarmos a Inglaterra e a Hollanda nu
dada de muitos annos desenvolvimento qu'
a Franca e ootras nacoes poderosas Ibes
tm dailo. *
N5o as possuimos ajnda; mas em pri-
meiro lugar, n8o temos tanta necessi>tade
dallas como oulras naroes ; e demais a cons
ftKVs <( trirnara pi^; g vejo neii
de terminar a g ierra s n5 i pala colebragS.<
da paz. Tu I amua as pala-
yaastlaAtp le.V, m InajatorVa,
faando fin I8li !"torosa iw>ute ni
nffiio si i tsboroarem-
m todas sua propria
viando a copia do decreto e as bases for-
muladas para o contiato fue se tem de ee-
leMir com a sociedad jbMtrwM Silvcrio A-
C, com o lim de se obrigar o goviTnoiin-
porial pelas dividas -dos colanos o subroga-
do do direitos que sobre elles tem a
mesma sociedade. As coinraissOes de 11-
zeuda e colonsacSo. l
Outro do mesmo ministerio, prestando
informacSes sobre a prulen^ uiai :
Fagu ides do Rzendu e Silva, para plo-
rar diversos raineraes no Rio Cayap*
aftluenles.A quem f % a roquisujo
Dous do Io secretario do senado partici-
pando que constara ao mesmo senado que'
S. M. o Imperador consentu ras -reaolofoo!
trucrao de taes obras exige avultados capi-
taes,N homens capazes de dirigi-las, e ope-
rarios adestndos ; o qne tudo nos falta, c
s ha de vir com o tempo.
Quanto s riquezas que a provincia do
Rio de Janeiro tem extrahido do slo por
viada agricultura. n5o exacto que tenham
desapparecido, que nao .reslem vestigios
dellas. Se nao tm sido em grande parte
iramohilisadas, inamfestam-se sob* a forma
do thesouro o uro correspondente.
que o thosiuro pudesse vender ...........
121,700.0901 da apolices ao pablico, era
pre;iso que o publico pwseisse essa quaa-
lia.
N5o quero j fallar nos melhoramenlos
qnc tea t lo no>sos eslabelacimentos ru-
raae, nos machiuismos cuslosos que boje
se amproaoia, e n i extenso q ic se tem
dado cultu i.
Para reconbecer o progressivo augmento
que tem ido a lavoura basta olhar-se pira
os documentos oficiaes, que forara apr-
senla dos anda -ste anuo ao parlamento :
o cri'sciraento da renda (Miblica, e o da
prodcelo inqnestionavel; e o cresci-
mento da renda me parece signal muito
txpressivo do augmento da riqueza du u;n
paiz. mrmentj quando os impostos sio
em grande parto indirectos como acontece
entre as.
Os dalos csta'.iscos mostnmque, apezar
de todos o.; sacrificios que temos feito com
a guerra, u;i que nos acluunos oinpanhadoa
ha .') anuos, o crescmento da renda o da
producto do slo tem ido sempre aug-
mentando.
E se as rendas e a quanlidude de pro
dudo ro crescendo progresivamente.
apezar dos estorvos que se lhes tem op-
posto, nao se pode sustentar que 0 Brasil
est decadente.
Ainda que a guerra termiuasse hojo, ac-
Tesccntou-se. licariamos com uma divida
de 800,OO:OO)5uOO.
Nnguem desconheee, Sr. presidente, as
diculdades liranceiras com que estamos
a bracos, e as avultadissimas despezas a
que o Ihessuro lem do acudir; mas pira
demonstrar a necessi lade d- por cubro aos
gastos exiraoidiriari-'s ;i que a guerra nos
Abriga, no preefs i i0'urar-nos em rir-
cumstancas peiores do que ellas sao
(Apoiados >.
Compre nao extgerarmos o mo estado
do paiz. Nao nos rosull i B'abl vautagein
nenhuma ; pelo contrario, daremos moti-
vo para que as naroes estrangeiras fagam
do Brasil conceito ditferente ilo que na rea-
lidade merecemos. (Apoiados.)
Colligi e vou enumerar todos os itens da
divida publica para verificar os algarismos
a que s referi o nobre deputado; e po-
nho tanto mais empenho emfaz-lo, porque
creio ter-se tambem asseverado na outra
cmara que a divida do estado sobe ja a
800.000:000*000.
Tomei os dados.do relatoro apresentado
era maio deste anno; delles se v :
que a divida interna fun-
dada sobe a......... l01,OG6:000/>
A proveiiente de bilhe-
llietes do thesouro acerca
de................... 82,000:000
leposito do cofre dos
orpliaos..............- IO,G85:000,->
l)ito3 da caixa econ-
mica .................
Depsitos pblicos....
Divida exlerna.......
(e M.iiOrUX)) cenado
Assfra a divida que
vence juros se eleva a..
a qual se deve a juntar a de l23,0OCfcO00/5
de papel moeda.
A divida, pois, do imperio, sommada a
fluduante, com a fundada, a que paga juros
e a que nao paga eleva-se soinma de-----
520.532:000*000.
E' sem duvida j muito pesada para um
paiz que est ainda no comeco de seu de-
senvolvimenio: mas entre esta somraa o a
de 800,U00:000-\ de que fallou o nobre
dejutado, ha grande differenra. Era do
meu dever rectificar o engao ou inoxac-
tidS) da avallara. que setena feito delta,
afim de que nao se faca de nosso estado -
nanffeiro um juizo mais desfavoravel do que
so deve. CApoiados.)
Dir-seha, porm, que os emprestirnos
externo? e o di 30,000:000-5 contrabido o
anno passado pelo thesouro tm de ser pa-
gos em moeda metallca, ou ao par da
moeda metallica, c portanto no pdera ser
avahados era moeda corrente.
Bespooderei a isto, que se tivessemos
de pagar agora esses emprestirnos, de certa
nao pederamos deixar de contar com a
differenca de cambio ; mas cumpre nota.
que temos de resgatar esses empresti-
rnos por pardillas e em loncos pe-iodos, e
por conseguate no podemos avallar a im
purlancia delles, a moeda de papel depre-
ciada como hoje est.
E ainda que esta observarlo n5o tvesse
a forr,a, e se quzesse contar com a depre-
ciara.) actual da moeda corrente, o augmento
seria de 47.O00:00i, porque tal a dilTe-
renga que resultara calculai-se a importancia
daquelles emprestirnos ao cambio de 27.
Nete caso mesmo o tolal da divida do un-
perio seria de 558, e nao de___.......
800,000:000 s
E' verdade qu.) se deve accrcscentar
esta somraa a dos crditos j autorsaJos
pelo poder legislativo p ira fazer lace s des-
pezas extraordinarias da guerra at o m
do anno comtale.
Eslas despezas, como se sabe, furam or-
eadas em perto de 40,000:000/, as maos
reunidas somraa de 558.000:000$ ele-
vam o total da divida a (iOJ,000:000, p.raco
mais ou menos, o que ainda est muito
longe dos 800,000:0i)0->000.
2.5W:0Q#
,222:000
lI.O00:000;S
387,(i:i2:O0O.j
de riqueza mu el.
O capital reali ,ado Sos diSa/entes bancos
da praca do Rio de Janeiro sobe a cerca
de 40,000:0004, os depsitos desees bancos
a mais de 30,000:0004. as aeros da es-
trada de ferro de Pedro II a 28,000:0005
os emprestirnos Cuitas ao governo m b-
Hietes do thesouro a 61,000:0000. eos das
apolices da divida publica a 191,000:0004
e boa parto desta riqueza provra da ai
VOfi!
Kso "-algsrifemos raostram que temos
aetumutadef rande somraa de riqueza, caM
maior parto nao data de mu los ataos,
digo rigmrea, porque, se as apogees ,
'biibeei-doi -;> t'tutos de di.
Das observacoes que fez o nobre deputa-
do e do estado em que ligurou o Brasil.
tim i-lle a co clusSo que forros) ter-
mm ir <| lanto antes a guarna do Paraguay.
e que a guerra nao pode tem iar senao pela
paz com o dictador Lpez.
Que a guerra deve terminar, o convem
que termine quanto antes, Sr. presidente,
nao ha ninguem que nao o reconheca.
(Apoiados.) Os sacrificios que temos feito
e estamos fazendo nlo pdera prolongar-se
por muilo tempo; mas que se dora fazer a
paz con Lpez o que nao posso admittir :
nisto discord inteiramente do nobre depu-
tado. (Muito bem.)
Para fazer boje a paz com Lpez, fra
preciso que a solicitassemos directa ou in-
rectamente, c cu nao sei qual o corac5o
brasrleiro que nao se revollasse com seme-
Ihaote humilhacao. (Numerosos apoiados.)
O Sn. Jhfirvmiii: -Seria etwHKsar as
victorias obtidas.
O Sn. PiiF.siDK.NTi: do C'NSKUior De-
mais, fuz-se a paz cora um governo de quem
su osla couveucido que guardar a f dos
tratados, que lera recejo de passar por
fementido no conceito das naroes cvilisa las.
coin um governo que lenta mostrado u
erepenho de poupar a seus subditos a ca
tamidades qu; aeompanham a guerra; mas
du dictador do Paraguay, ^ue, depois de
aasim a opioiio do mundo civdisado, nao
dovidou saorifi ar sea paia, reduzi-lo a um
ormo para saciar paixoes ferozes, ou sats-
tazer um desmentido orgulho (apoiados), de
tal bomem poderiaraos espejar que cum-
prsse cora leaidade o tratado que cemnos-
co fizesse?
Nao o acredito. (Apoiados; rauto bem )
A paz com Lpez n5o podia dar-nos outro
resoltado senao o de retirar nossas forjas
do Paraguay, e fiearraos privados da nave-
gafo lo rio*; e neste caao foca preferivel
o abandono; porque elle teria o raosmo
resultado da paz que fhermos cem o
dictador, menos a bumilharo. (Muito
bem.)
Se me pudesse convencer de que tal n3o
seria o resultado da paz; que ella seria du-
ravel, e nos asseguraria a livre communi-
cacao com a provincia do Matto-Grosso, se
me convosse disto, pode ser que eu acon-
selhasse a paz com o dictador ; mas estan-
do, como eslou, convencido do contrario,
no serei eu que venha pronunciar nesia
casa urna opini5o favorave ou de accordo
com a do honrado deputado a quem me di-
rigi. (Apoiados; muito bem.)
Felizmente, disse o nobre deputado, te-
mos j dado um grande passo para a paz
com Lpez; o governo reconhe ;eu que a
honra nacional est vingada, que nos lemos
desforrado das alTronlas que recebemos do
despota do Paraguay; e, portanto, n2o ha
motivo para continuar a guerra.
Senhores, fui eu que nesta casa pronun-
cici as palavras a que alinde o nobre depu
lado ; mas accrescenlei que c >m isso nao se
hava concluido a tarefa que tinhamos de
ileserapenhar : que hava interesses, e mui-
to importantes que deviamos fazer preva-
lecer e firmar naquelle paiz. O nobre de-
putado, porm, entende que esses interes-
ses nao sao motivo para continuar a
guerra.
Mas, senhores, se os interesses de que
fallo ri5o sao motivo para a continuado da
guerra, como se nos vera dzer que o aban-
dono do Paraguay n5o sotucSo conveni-
ente ? Se a honra nacional est desaffron-
tada e nao temos alli outros interesses que
justiliquem a continaar.o da guerra, se-
gue-se qu o abandono um bom meio de
resolver a questao do Paraguay para aquel-
les quo entendem que, vingada a honra na-
cional, nada nos resta a fazer.
Uma Voz :A celebrado da paz.
O Sn. PnF.sinE.NTE do Consi.uo:A ce-
lebrado da paz garantira nossos interesses,
se pudessemos suppr que o governo de
Lpez pode ser ura governo regular.
(Apoiados.)
Mas, como j disse, a paz com elle nao
teria seno o resultado de fazer retirar
nosso exercito; de nao deixarmosura sol-
dado brasilciro no Paraguay; logo, porm,
que o dictador se visse desembaracado das
nossas (breas, mostrar-se-hia to nosso ini-
raigo como boje. (Apoiados.) 0 abandono
traria o mesmo resultado, com a vanlagem,
repilo, de nao nos humilbar, de nao fazer-
inos o papel de vencidos em lugar de ven-
cedores. (Apoiados.;
0 nobre deputado comecou o discurso
duendo que nao haveria liberdade neste
paiz, se>na*o se pludesse levantar uma voz
em favor da paz.
Senhores,nao haveria liberdade neste paiz
se qualquer. cidado e rauto principalmente
cada ura dos membros desla casa nao pu-
desse levantar a voz nao s a favor da paz.
mas para enunciar sua opinio sobre qual-
quer outro objedo de interesse publico.
Estou longe de levar a mal que o nobre
deputado enuncasse sua opinio que pode
ser tambem a de muilues outros brasileiros
que, como todos nos, desejem ardeutemen-
le a prosperidade e cngramlecimeulo do
Brasil.
Vou ainda mais longe. Como entendo
que na uossa forma de governo, o principal-
mente quando se trata de negocios de vital
interesse, ou do questoes que podem en-
tender com a honra nacional, ou causar
grandes abalos, nao cabe aos que governam
lomar resolucoes que nao tenham a seu favor
a opinio puoiica ; isto .que em taes casos
a opinio publica que devo dirigir o gover-
no, e nao o governo que deve impr opi-
nio publica; desejara mulo que o p-iz
pudesse pronunciar seujuizo a respeto da
questao gravssnna a que se referi o no-
ore deputado. Longe de levar-lhar a mal,
repito, desejara que todos os membros da
cmara enuncassera o sea pensamento.
(Muilo bem.)
0 governo j so declarou jjela guerra,
accrescentou o honrado deputado pelo Rio
de Janeiro. Sita, us nos decoramos pela
contimiaro di guerra; e nao podamos dei-
xar de la/ '-lo, porque a estamos continuan-
do efectivamente e continuando com todo
0 i'slorro.
Mas isto nao quer dizer que a guerra
deve ser interminavel ou durar ainda por
muito lempo. Nao, senhores, o governo se
empeuhaem que a guerra termine quanto
antes, e entendo que o paiz tem neressida-
de disso. Mas, quando t rmnar ella, nem
o governo pode diz-ln, nem asseverar que
os successos to contingentes da guerra nao
nos obrigario a procurar oulra soluco,
que depender nao s do resoltado dos I
combates, mas ainda do accordo com nossos
Seckkta* d conta do se-
Dida a orden da Ow. tevanta-se a sessf o
as ciaco horas e tres qoanos da tarde.
SE8SA0 K 8PBAGOSTO.
I'IUESIDKNCIA 0 S.lBIAS.
Ao meio dia feita a ritmada, verifica-
se haver numero suBkiente, abre-se a
sesso.
Lem-se e approvafltase as acias das an-
leoeienles.
OSn. I
guinte
EXPEDIF.MTC '.
Um ofl'icio do ministerio do imperio, aocj-
sando o recebimenlo do desta caraara trons-
raittindo copia do parecer da commisso de
constituigao e poderes da mesma camera,
sobre a representlo da eamara municipal
da capital da provincia da Baha, contra a
le provincial relativa i administrarn e ins-
peerjo do raatadouro publico. Inteirada.
Outro do mesmo ministerio, enviando,
em resposta, os docuraeotos concernentes
s deliberaces da presidencia da [irovincia
de Pernamhueo sobre as eleires de verea-
doresejuizes do paz, uffecluadas na mes-
ma provincia era setorabro do anm paisa-
do.A'quem fez a requisico.
Outro do mesmo ministerio, enviando ,*'
copias dos decreto* pelos quaes forara con-
cedidas pensos a D. Guihermina Herbst,
D. Paulina de Almeida Campos e ao alferes
honorario do exercito Augusto Barroso Pe-
rera.A' commisso de pensoes e orde-
nados.
Lm-se, o v5o a imprimir para serem
submettidos volacao cinco das depois, na
forma do regiment, os pareceres sobre va-
rias eleiciea (ellas no i." dislriclo da Babia e
nos I. e 2. de S. Paulo.
L-se e approvado um parecer da
commisso de commercio declinando para a
de minas, a prelencao deJ. 1. Fagundesde
Resende e Silva. ..
Lm-se, e va a imprimir jiara enlra-
rem na ordem dos trabalhos as redaccoes
sobre o auxiliocoaerido sobras dos Drs.
Antonio Perera Pinto aAlexandre Jos de
Mello Moraes, pagamento ao marechal de
campo J. da V. 5. do Andrea e sua irma, e
licenga a Joo Rptala- Callogaras e outros.
Entra em discuaso a redaeco da?
emendas approvadas por esta cmara pro-
posta do poder executvofixando a desp./ i
e orgando a receita geral do imperio para <>
NEircieio de I89 a 1870.
Depois de alguma breves considaraces
dos Sr. Perdigo Malheiro.Candido Mendos,
e Ribeiro da Luz, ella ajtprovada.
. ORDEM DO DIA.
Contina .a discusso do projeeto de res-
posta falla do throno, com a emenda
apoiada.
0 SR. JJJNQUEIRA:Sr.. presiden!?,
como memoro da coiumisslo de resposta
falla do throno, eu estou naobrigaro de vir
tribuna fazer algumas observaras relati-
vas aos discursos preferidos nesta casa
pelo honrado deputado pelo districlo dft
minha provincia e pelo nobre deputado pela
provincia do Rio de Janeiro
Tenh tambem, Sr. presidente, de con-
siderar a materia constitutiva da emenda
que o primeiro-desees Ilustres deputado?
envin mesa, mandando supprimir o ter-
ceiro periodo da resposta que a commisso
elaborou e que ora sa acha sujeita ao de-
bate.
Antes, porm, de considerar a metera
dessa emenda suppressiva, devo fazer al-
gumas rectifieaces da*uillo que disse o
nobre deputado pela minha provincia, e
que snto nao esteja agora presente na
casa.
No correr do sen discurso, quando o
nobre deputado nos putava cora cores assaz
vivas os tresvarios, os arbitrios, as prepo-
tencias commetlidas pela sittiaro decabida,
e que S. Exc. considerava ao mesmo tempo
as accusacCes injustas que a opposir.ao tem
levantado contra o actual gabinete e contra
a situarn inaugurada a 16 dejuihodoanno
prximo passado, escapou ao nobre depu-
tado a idea de que a dictadora eslava sendo
exercida pelo gabinete que agora dirige
destinos do paiz, bem que 8. Exc. procu-
rasse justifica-la.
Nao posso deixar passar sem rtapeela,
sem um protesto semelhante idea.
O gabinete de 16 de julho tem governa-
do al boje constitneionahnente ('muitos
apoiados); o gabinete de 16 de julho entrn
para o poder encontrando um orramento vo-
tado no anno de fSOT, para vigorar noexer-
cicio de 1*68180!); guiou-se por essa
lei al o lim le junho, e d'daln por diante
pela resolucao que mandn pforegar por
mezes aquelle orcaneoto : este ministerio,
para provar -s despezas extraordinarias e-
urgentes da guerra do Paraguay abri cr-
ditos extraordinarios, conforme est deter-
minado na lei de 12 de selembro de 18152;
s (ancn mo de uma medida extraor-
dinaria, e da emisso do papel-moeda.
Mas, Sr. presidente, V. Exc. se recordar
de que esta medida esta va na tela da dis-
cos >o quando te ve lugar a crise que fe-
lizmente trooxe a retirada daquelle ominse
gabinete te ^ de agosto; a questao do
pa|Hj|-n)Oftda eslava a ser rcsolvida, porque
era urgente, indispensavel prever dos re-
rursj.s prerisos para a ontindro da guerra
do Paraguay.
Mas alguem poder dzer em boa fr que
alliidos.
N3o podemos, porm, nem aceitar o que
nos indica o nobre deputado, nem antici-
par nosso juizo a respeito do que cumprir
faz/r as differentes hypotheses que os suc-
Tcessos da guerra podem fazer apparecer.
Parece-me que tambem se disse ter o ac-
tual commandaute em chafe das forras bra-
silairas no Paraguay exigido do governo
mais^0,000 horneas para reforrar o exer-
cito.
Posso 'affirmar tmara que o Sr. con-
ded'Eu nao fez ul exigencia, nem reclamou
augmento do forga ; o que sua alteza pede
, que se he mandein as pracas que forem
sendo precisas para preoncher os ciar ;s que
as d.lencas e os combates forem abrindo
as fileiras'do exercito, e isto o quo se
tem feito.
Talvez, Sr. presidente, n5o devesse eu
ter tomado parte na dscussSo, antes de ou-
tros oradores, masas palavras do honrado
deputado me flzeram tanta mpresso, qre
julgue necessario responder-ihe logo ; c
apresentar caraara algumas consideracjjes
que fizessera ver a situacSo financeira do
iinprto por um prisma menos assustador
que o do nobre deputado. (Apoiados; mui-
lo bem; milito bem.)
O SR. BENJ\MIN, faz largas consdora-
pelo fado-do ter o gabinete actual m agosto
do anno prximo passado lancado mao deste
meio, publicando o der.reto que ordena a
emissao at t0,<000)000| d o papel-moeda,
dos quaes apenas estovan) em ciiculacSo
cerca de 8,000:0004 at a data em que foi
apresentado o relatorio do ministerio da fa-
z.-inIj ao parlamento, poder alguem em
boa f dzer que esso ministerio exerceu e
tem exercido a dictadura ? (Apoiados.)
Pois o nobre deputado pela minha pro-
vincia que profligo!! to furteraenie as ac-
cusaces movidas petos liberaes, nao devia
lancar (.ara longe de si a idea -de que a
dictadura eslava sendo exea-ida, quando
isso nio exacto, pois que o decreto do
papel-moeda nio pede caravterisar essee.--
tado. quando principalmente o governo vio-
se na indecheavel nocessidade de tomar
essa medida pelo dever rigoroso e urgente
que nos temos de conduzr a bom lim a
guerra do Paraguas, isto fizer com que
a hunra nacional seja atada daquella. f-
ficil vereda era que desde 18i foi ir.tro-
.metlida ?
(Omtlumr'tfrkp.)
TVf. 00 MARW- Kl U) W CKZfiS S. 4


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBRZ0CW48_WAFTBX INGEST_TIME 2013-09-14T00:51:58Z PACKAGE AA00011611_11934
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES