Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11923


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.'
I
mo XL. HUMEBO 191. ,*,
JA A CAPITAL Z LUGARES fttffc IA0 SE flLSi FOTO.
Por anDo ktem........... I i B
Cada nwaero trulso............
fc&
SH

" DOMINGO 22 DE AGOSTO DE 1869.
Porra
PAHA DHffBO f FOSA DA PBOYHCIA.
zes adiantado?. ........
.......

* >
i3#600
ao*o
271000

i .'A
-------------------
ProprfedWe de Hanoel Kgueira de Faria & Fhos.


O Srs. Gerardo Antonio AJves
Pereira d*
AO ACHOTES
*

Fnkemo toares da Cosa, n Aiaft; Dr. Jw Martin lves, na Bahia; e Jos Rfceiro Gasparinho, no Rio de Janeiro. ^ ^'
ti fijurru.
EXTERIOR.
m.wij, 20 de jn.uo de 1869.
Se o hnmein da a(ierra liresse conservado as
tradiccoes desoldado romn, que le va va eomsigo
"veres para uinze das, iuuo man adiantados
andaramos nos. mas esses bons habito j >5o
louge, e boje lodo e quaiqoer exereilo lem de tra-
tar aps si os elementos dterios de allmentacao,
reduzidos e indispeniaveis se nao houverootro re-
medio, variados, se s* quizer ter homens robustos
e bem dispostos.
De todas a vilualhas, naturalmente o gado o
de mais fcil cenduergto, pois sobre os pe? marcha
elle, acompanhaodj es movimentos do exereitos,
guando elles se dhifem coin o alliado para o in-
ferior das trras alendando coda vez mais a linha
le comn umeacao cora a base de operardes.
I'ara sua obstenfWvcItam-se por issoas vis-
las, e, apezar de repetidas rerqmmendavfies tem
ella sido usa do aira para nossa prctfressao.
O fornecedor, semsre o Sr. I.anns, o qu:rt s com
sua proposta, fez fugir toda* as ontras, pois vai
ella se HrmnPemiim material conrideravel, cuja
Cominaam a passar demasiadamente paragnavos
e paraguayas de Aseurra para osttessos acampa-
mentos.
Segundo os depoimenlos de todos, extrema a
uMsefia do acampamento da Lpez, o que alfs
provaiq essas constantes desaseoes.
Os representantes do Brasil e da Repblica Ar-
gentina proseguoui nos mis trabaihos para a
creaeao do governo pravieorio paraguayo.
No dia 21 leve tugara casa *rSr, eoaaelbei-
ro Prannos unta reuniio de uns 00 paraguayos
dos mais importantes. S. Exe. o o seu collega Dr.
Prez, depois de dnrem conbecimento das' clausu-
las do accoroo celebrado pelas nacoes alliadas para
o lim de que se trata, os- exhortaram coueerdia
e uniao, nicos meios" que tem os poucos para-
guayas que restara para conseguira; a reorgani-
saeiw da sua nacionalidade.
O Sr. Paranhos, alludindo, a certas pretenroes
de uiq grupo que se poia na togio paraguaya,
fez ver em termos muito enrgicos que, ou os Pa-
raguayo so aviaui de cingir s- esriuulaooos dos
alliado? o notnearein pessoas, que uicrecaiii a ple-
na coa an^a dos seus represntenles, ou Dio te-
riam goveroo provisorio.
O pr. Porez fallou no inesuio sentido, e, depois
atemorisa aoi rr.ais concurrentes o for'neee- |Jft adunia discusso suscuada p*,r ua> dos ofll-
irece nio tar eomtudo ngnra'" srrn ealfte. aa^./Ji>iao paraguaya, que preUodi que os
por andar em poca d cainorlsmo : sossobram- seas*W*wos votasstii, o que' llie foi contestado
cainorl
llie navios, encaHtar. outros, o\ modo que o de-
liositaque se deviaforn.ar em Angostura a cus-
i vai reuebendo contingt-Bte.
Presentemente prurv-tteni-nos^lle maisregula-
ridade oas t6mes.v., c ja perto de 1,000 re/.os se
achaxn no Jaguar.'tc, n cinco leguas de distancia
daqoi.
-as dila^Ses, 11|;. unta do acaso, nutras da!
O fcombardamento foi multo bem dfrijjdo o du-
rou mais de duas b^ra.senis desdJHs espa-
csilu i Iib ^iijiiiui jU kwm u ut
- .,t
Bies
^aino aos
lo(parte in-
a esogrevi
Paraguay
cendiado.
As 1! "horas regressou sua alteza a Pirav, on-
de encontrou o Sr. oonsellieiro Pranlos que o ia
conjpnmenlar por ser o dia annvers*ro do nas-
cnuetOfl de ira alteza imperial a senhora princoza
0. Isaliel, e para tratar dos negocios que a ambos
incumbe.
O Sr. general Polydoro foi por aquella mesmo
motivo, e sem duvlda para concertar a sua nw-
'cna, que devia comcear hoje.
A[ tarde houve Te-Deum na igreja de Piray,
offlciando o reverendo fre Fidelis. Fuido este ac-
to rligioso, receben o principe os comprimeri-
tos dos generaes, offleiaes e ontra* Msn< gra-
das que s adtam em Pirav, ou alfl foram para
esse tim.
O Sr. Paranhos pernoitou no acampamento, re-
gressando hontem para esta ridadte.
Aqui continuain o nosso ministro e o commissa-
rio argentino a oceupar-$e activamente da dlffieil
tarefa ds que estao ineumbldns. e aguardara a
marclia dosexerchos paia eocetarem os trabaihos exercerem suas fan'-cTie?
. 'Jf,A coastmijcao di repblica, que i urna
loi roailaiiiental, tudo subordina a seus principios
a aas disposigoes.
* Garantindo ella a todos os habitantes, on-
ae uros- direitos naturaes, o de propriedaie,
Jamis pode esta deixar Aa sor iuiiolatxl.
J.* A propriedii&e nao consiste uos boas ou
as causas consideradas eni abstracto, mas sim
nos Airettoi adquiridos em relaro a estt* beus,
B-pap) numero figurara os'pi-opriot direits,
como cautas incorpreos.
4 Desde que lia direito; adquiridos na
ordern civil, quer emancra da natureza, quer da
le. mo te pode promulgar tei nova se un o para
protMe-fos.
a a. Por conseguinte, toda a Iei ou sanecao
ex pottJacio, e coin elTeito retroactiva, como con-
traria a constitulco, pode ser declarada inexequi-
vel pelos tribunaes de justica, nao obrigatoria em
cai'i caso particular em que se reclame, aropa-
rand-se iinaudialameiue em seus direilos pre-
exiHenles.
C^Naos (' istn daeifitc!(i das attnhnin'es
* ydw jBdlrtiil. cem rp entra nn linha' de
seusdtveir.i, subordina l,< con'titulcao que jn-
todos os mania4os do justi^ nlBs do
bem como os 3 do fierro-Alto c os 4 da Nativida-
de (ou do Hio do Peixe), pertencentesao collegio
ila Parahybuna.
Quanto s duis 1" parochias, a commissao
tenlo examinado as inferniaooes prestadas pelo go-
vornp sobre o numero de elitores que deve dar a
parochia deBuquira.segundo adeliberacocs presi-
''cnciaes de 31 de outubro e ll de deiembro de
1860, entende que esta parochia, que Dio se aclia-
va provida caytnicamente nesse anno e por tsso
o* respectivos votaates conenrrerain eleicaode
1860 ua parochia de Taubat, a queentio perten-
ciam, nao pode dar mais de 1 eleitor, como foi de-
clarado era portara de J7 do Janeiro de 1867 da
presidencia do S. Paulo, cooOrmada por delibora-
>ao da cmara dos Srs. deputados de 6 de maio
o mesmo anno. Assim, sendo reconhecido eleitor
pela grande maioria dos cidados preseates, re-
solveu se que houvess'e hontem urna reumao po-
pular para a eleicao de urna commissao autorisa-
da a entendor-e dufinitivainente cora os oito rc-
prosentantes sobre tudo que fr coucernente ao es-
talieleciraento do governo provisdrio, que aliual se-
r el.-ito pelo povo.
Teve cora effejtd lugar esss reuniao, e depois de
improvidencia ou nao exoeutio de ord ns, tm, alKuina discussao, aiuda provocada pelos ollieiaes
|i us, peado novas rosoiucoes," dando carcter de | ^ !ei:"10 P-U'aguaya, que prwndiam dominar, foi
tabilidade ar,cx'i ,'.'. que est prampto para o eleila uma commissao de vinte e um membros,
uiovimtmo. I lue 'era de uleger cinco para tratarem cora os Srs.
Ja na conferencia de 7, o commaodanle em ebe- eonselheiro Paranhos e r. Prez.
te adiara a marcha, coudescendondo cora o. gene-
ral Mitre, pon; n vesperas de completa
carencia de gdo. As promessas dos orueeedores
lixeram-o marcar outro prazo.
I)ispuzuiam-se as c, u.-a-. as ip^rueedas parli-* legados.
Ka acta dessa rcuuiao, por todos assignada, de-
clarou-se que es Paraguayos presentes se com-
liromettiam a aceitar e proclamar o que fosse as-
sentado entro aquellos ministros e os referidos de-
ulares a cada chelo ; eslavam dadas,'qnnndo fa
Ihaudo o numero de \ ezes que etam esperadas,
acharain-se repentinamente as funjas qnasi abso-
lulaBintc faltas do enruu verde e recebando es-
asacarnt' sce
Neste nmuuN!, i por coincidencia a bom
la demora, o vuinla^ e-wni deixou de t'niiccio-
nar ; as locomotiva! -,- chm-aram no da lo ; es-
liuracaram-se, mataram cinco a seis homens ; sal-
taram di liilho, a adiuinistracao pactieular latou
cun duvidas cierna-. einQm o twifeflo parou, e a
i cavlHda, cor.. :, cessacio- do alala e mi-
Hio, ach-n-se come o pes
coi:\er.
fesse estado aftiietive. muito .trabalharam os
homens e o iclegrnpho. As orden; suecediam-so
J se v, pois, que a tarefa do nosso ministro
vai-se adiantando, e ipie reina a maior harmona
entre elle e o seu collega, o que grato allian-
ca e urna garanta de respeitoa lodosos direitos,
assim os dos alliados cmo os da infeKz repblica
do Paraguay.
lisougeiro ver que todos os Paraguayos, qual-
quer que seja o grupo a que pcrlencam/uulrciu o
mesmo senUincato de avorsau a Lpez.
-31 -
Tenbo a satisfacio de communicar aos mcus
compatriotas que principiuu o muviineuio do mw-
qtiasi sem o que s0 "-'-rcilo, o que para mira o mesmo que dizer
que dentro de algn das podara Iraastniuir-lUes
iniportnntes notiwjs.
No dia 28 parti a vaagiurda do exercitoibra-
il.no 1'ara'nl.os remediara aos malas da sileiro, coraposa Je ;,0(> homens das tres armas,
geraaaia dajinha fearaa ; o ajudante de ordens
Salgado e o iatcnder.'.e l'eschainpsliieaiii frequen-
ti-s viagens Asuiiji;!". ,e logo s maniesterau]
ao matulo do general Joo Uauool ilenua Brrelo,
em direeca i ao Paraguary.
Hoje segu para o mesmo lado o general vis-
reaultadi iesga aciividade. Coacorlaraaa-se as conde do Herval, com o primeiro corpo do exer-
maehinaa, regulnrisarame as horas de viagooi,
lia tres dias, os ireii i 'in cliegade tres vezes no
lia, como forado eunvencao.
Ja o dissemos, o g ido vea viudo para e e ui-
i.mamcnte tem-se i''-':1 nido, seno boa, pelo me-
II is carne fresca
nlretanto, o periodo de difliculdade no forneci-
nlo anda ti i | So (lepas de'dcsassom-
lirado delle, que o commandante em chafa eui-
na e\eeiic,V) do que planejou, e nao poueo
irabalbo de e.-piv;u de corpo llie est reser-
vado.
cito.
A' iioite parte do Taquaral para Pirav o gene-
ral Polydoro coin o segundo corpo, que seguir
amanha ou depois a juntarse com o primeiro,
marchando cntao ambos son o commando era che-
fe de sua alteza o Sr. conde d'Eu. Nao sei com
certeza se o principe partir hoje com o primeiro
corpo, ou se ir com o segundo de Piray.
O general argentino Emilio Mitre operar em
frente a Aseurra. Cerro Lean e Paraguary. Con
este general deixa sua alfrza nm corpo de exerci-
lo de cinco mil e tantos homens. comraandado pe-
preliminares do estabelecimento do governo pro-
visorio.
Espero em Deus que a perseveranca e constan-
te Irabalbo do Sr. eonolheiro Paranhos teeao pro-
ducido o produziro frucios beneticos ao nosso
paiz. Quando o cstrangeiro d honroso tcstemu-
nho dos esforeos do nosso representante, alguns
de seus mais eminentes compatriotas s cuidara de
amesquinha-lo.
MONTEVIDEO, 9 DE AGOSTO.
As discussSes que tem havido em nosso parla-
mento na presente ftsAn, sobre os negocios do
Rio da Prata, despeftam aqui vivo nteresse c cu-
riosidade, e fornecem aos nossos iningos armas
terriveis para nos combato,-.
Nossos homens polticos revelara nm descado
imperdoavel eseolhendo este assumpto para os de-
bates. Se pretendessem formar um jnizd seguro
sobre elle, deviam loma-lo cm considerarlo em
Bossid secreta, onde o governo e a opposieai pn-
dessem usar de uma lininageni franca e verdadei-
ra, e chegassein a um aecordo sobre a marcha
que se deve imprimir aos negocios ijue aqni se
ventilara. Laucar, porora, i piiWicidade Bpftda-
cies mais ou-menos apaixonada sobre as qnes-
t'js externas e relativas a Tisinlw to prximos
e la identificados com os nossos destinos, oxpor
Q paiz aos mais graves perigos, crear compiiea-
que ditliciluienle se resoheui.
Qacm se lembrar que a magistratura deste paiz
ja aeu um bello exempio do integridade e de in-
dependencia quando so recusou a acensar o barao
de.J.-tu na oceasio em que elle esereveu nm
artigo que o'govertio consiilorou injurioso, j
nesta eterna questo hincara, p le alimentar a
esneranea de que nella encontr a administraciio
0 paradeiro a seos doiatinos, e que seja e pro-
testo a que me refiro a Origem de tao importante
acquieciraeiitih
Quanto crso rainistarial. acabo de ser infor-
uiaao quo termindu ella pela retirada do pedido
de demissao qde havia apresontado o Sr. Unsta-
uiente. Omio se arraniau este putei o que na*
taroirei a saber e communicar.
Drf repnliliea viziuha continuam a ser graves ;is
noticias que nos chegam. Sarmiento vai encon-
trando opposicjto, e tialiallia-se activamente etn
constituir as provincias do norte a base d; um
movimeuto armado contra o governo nacional,
pie por um lado previne-se retinin !> tojas as
1 oreas, de que pode dispOr, nos pontos convenien-
tes,. Para cumpromette.r-se
Iha-se que sen pensamento
I
ojnais votado (Jos 3 i:ouslantes da acia da apura-
cao dos votos da parochia de Buquira, iem como
os 2 uKiiuos elitores da de Taubat, devora ser
eliminados do numero dos elitores de Buquira, o
sqgundo e terceiro na ordem da votaco.
* Ouanto s parocliias de Bairro Alto e Nativi-
dad*, j> coiimiissao aguarda a recepeao das suas
actas para dar parecer a respeitu da legitimidade
dos respectivos eleiiwes.
Nao inltuindo no .resultado da eleiglo do novo
depuiadq, os votos dados pelos elitores das duas
ditas parochia*, en jo nnnxro niio excede de 9, dos
quaes apenas compareceram 7 no respectivo col-
legio, a commissao c de parecer :
t 1. Que_ sejam reeonhecidos elitores : os 2
uhimos da parochia de Taubat, e o primeiro da
de Buquira, "sendo eliminados da respectiva lista
o segundo e o terceiro elitores desta ultima ;
2." Que se ju!gne legal a votaco dos collegios
ic t'batuba. Giuratinguet. Pmdamonhagaba, S.
Um de l'araliytinga. reas, Banana!, Quo-
luz, Lorena, Jacarehy, Tauba: e Parahybuna, me-
nos o voto do segundo eleitor annullado de Bu-
quira e os dos elitores de Bairro-Alto e Nativi-
dade, que anda nao foram reconhecido-
3. Que seja reconhecido dcpulado pelo se-
guiido distrcto de S. Paulo o Sr. Dr. Francisco
de Pauia Toledo, sondo como t^l admillido a pres-
tar juramento e lomar assento na cmara.
t Sala das eommissoes, o de agosto de 1869.
llantera as 4 horar da urde largou do $aes
Hiaroux um bote c4m dwrs remadores caoilaan-
do para bordo do vapor Macakense, prOxfoM a
partir, um passageiro de Macab, aeompaahado
por nm caixeiro de rana asa emnmerdal'ilnu
praca.
Quando o bote se apprnujmou do vapor, este
coinecava a reeuar, niio obstante os do bote q'ui-
eram atracar e o resultado (o virarse o bote.
O caixeiro e nm dos remadores pud- agar-
/ar ao corrimao da escada, o passageiro e antro
remador foram ao mar, mas femronte salvtram-
se, graeas aos promptos socoreos dados pelo va-
por Mercurio.
1
A cmara dos deputados legan hontem para
membros da mesa que lem do fcnecionar durante
o correle niez os mesmo do mn passado.
Approvou era seguida, n>pes de orar o Sr. pre-
sidente do conselho, o prnjerto.de resposta faifa
do throno, sendo regeitadn* as emendas.
Tralou ainda da preferencia que se devia dar
entre d nrojacto e dous snbslulivos sobre a refor-
ma da Iei do recrutamento.
Depois de um debate entre o Srs. Costa Pinto,
Pereira da Silva, Figueira de Mello, GalvSe, mi-
nistro da guerra, Cruz Machado e Alencar Ara-
ra, ficou a discusso encerrada, nao se voten*
por (alta de numero legal.
Oconpou-se em ultimo Ingar cora a 2* discus-
so do proiecto n 19 deste unno, determinando
qoe o ministro do imperio na corto e os presiden-
tes as provincias eoncdderao litlos de natora-
sacio a todos os estrangeiros maiores de 21 an-
nos que o requer reni. Depois de algumas ob-
servacoes dos Srs Fausto de Aguiar e Correa, ti-
rn a discusso encerrada.
Foram offerocidas ao mesmo projecto as seguin-
tes emendas :
No art. 1"
corte.
No mesmo artigo, depois das palavras li-
vresde culpa acrescentese e exibam attosta-
Cao ou eertideaean de agente diplomtico ou conso-
lar, e na sua falla de duas peseoas residentes no
imperio, dignas de f, no quat afflrmem nada eons-
lar-lhes contra a moralidad
suppnmam-so as palams na
es-e governo, espa- res Filho, vencido quanto Buquira, por entender
.. acabar agora com que nutla essa eleicao.Perdigo Mnlheiro, ven-
Taboada, o caflho de prestigio ttq norte, para cido pelo mesmo motivo.C. 6". Funlcs.
lepiis faxer-sc o ajiisle do conlafi coillUrquin. 0
im il Im%>L.. .'I ... ...
lira da intriga bem patente, para que me canse
etn esbo^a-lo.
No mefo de tudo seenvolve o nomo do Brasil, e
.ia-seem comliinaces que teriam por llm dei-
rem-sedto tanto que o Brasil osla reduzdo ao xarntos o Paraguay, flcando a 'Confederara com
No din 2 i de, deu o acampamento lo brigadeiro Jos Antonio da Silva Guimaiaes. e
A curra signal de v.da : salvou de mania com
\nte e ua tiros o -inniversario natalicio de Sola-
no Lpez.
Os dez primeiros traui seguidos e qoasi sem
vallo : tm, pois, lo boceas ue fogo de gros-
-' calibre quee-ii a-sentadas no comeco da es-
da cordilbcir,' Ao meie dia e a larde nao
. ifive salva, oque indica qaeo hornera quer guar-
dar a suapolera para o contlcto. Para um ente
enfatuado como elle o o sacriiicio nao foi pe-
queo, r
De Aseurra a de & rra-Leon tem continuado a
vir alguns |ia-.-ad -.. enjas declaraeoes nao nodem
adiantar ao quo se sabe. Apenas de chegada, re-
ebem os primeiros soccorrosde aliinenlaoao esio
vestidos. Todos elle;, asiao muito contentes c civi-
lisam-so cora extrema facHIdade.
Km Asura|)c'.', ende a civilisacao caminha
tambein a pastoe lergav, ja se deu a eleicao para
iiomearem-se os incuA re; da junta, de onde sahi-
i., o governo provisorio. Heirairain-se 200 a 300
ignavos no taeatro novo e ah fallarain tanto,
i gritara a bem d* liberdado e da dignidade
do, que o Dr. ;oque P.-rez, com franca elo-
qoeflcia o airebaiade de colera, prorom|>eu em
utas palavras, que fizeram calara todos. Ali-
ual sahiram 'leito.s 2 idadaos, havendo-so ma-
nifestado claramente dotts partidos, sobre um dos
quacs pretende actuar a influencia argentina.
Conliniuiin tmbelo a vir do inimigo familias
-ao logo remttid;.- para Assnmpcao, onde sao
.ilhidas da inl'mpcries, em uma "grande casa
i te a caridad irasileira instituio para esse lira
te se chama, ew. nao umita razo Asvlo
(vluatro mil dolas foram, pelo? lados do sul do
l'araguiy.w aicc nlar ao general Portinho, o
qual a 13 dacorrento ronimiinieou aehar-se com
v'M l,5t>fain>qs bem montados, na murgera di-
.te do rio Piranorar. confnenle d > Tebicuary,
" pretender naquelfes riias ir atacar ao major Ito-
meiro, qaetm.Ctiavasaue, a cinco leguas de, dis-
tancia, tintn uma fori i qnasi igual em numero.
- a Wejh faaneii ineaie despachou para l o
ijudante de cam; o, o cap.tao Iteinaldo, e por
elle esperam-sc i.r.pwtantes noticias.
hora th q;- fddiamos esta carta vem che-
mdo de Jaaaarae -caro c tantas pessoas, entre
vofaos, mullieras e crianeas.
asu m>o '. < i nao os W69.
Acabo de ser infer.ado do que sahe hoje para
o limsita tran*erte Aviroht, o vou aproveita-lo
para escrover algi'ff.as nhas, dando as poucas no-
tic'Mp.qmimi f
Coma-.dtoii M'fnia1ta anteriores, a marcha de
nosso eXerrilfRJMWMo demorarla por dous moti-
hvos : prtawfaafNKMIs^nna do genoral argenti-
no por nm*'dentor lf aguns das i-ara rereber
^im eontiogenie.de MK0 bomons, qne esperava do
-eu governo, e segundo, a falta de depsitos suffi-
rienies de genero' ahmenieneios e de forragetis
para marnmmo > ta nossa tropa e cavathada logo
que se affastarem da linba forrea.
U contingente argentino nao veio, e portento'o
gdaeral Mitre niarclwRi sem eHe, segundo me
consta, conlentndo-se com o reforco de tropas
nossas (f fcBr**feKypora seb sua ordens. In-
fellnnente, poremf-n*"> desappareoeu a swgwida
raze.
4fc desartanjws da eafaada do kfm tfm impes-
siUtttedo os tnrtieflort de transportaren) daqni,
pianUdadreHriJLilla, ns gener* que Saa Al-
teza, jiii iHW etydefiosito. ___
HWPniWs nUvimWitns nwfiwn'
>d npri para e arampamente de Stn Altera
umcaniltrglMa'fas tropas qne' teriam partida
guarnitjao des! cidade. Tambera marchou no mes- ju*incheira
rlri'rta! t^astrtx.q
dividido em duas divisos, tuna do infantaria ao
mando do coronel Antonio da Silva Paranhos, o a
outra de cavallaria, de que commandanle o co-
ronel Carlos Nery.
Fieam guarnecidos e fortificados os pontos de
Piraj, Taquaral o Assumpcao, e assim protegi-
das a base de nossas operares e a lnha frrea,
que continuar a ser um poderoso auxiliar dos
exereitos.
O general Henriqne Castro com os seus Orien-
taos e Paraguayos deve estar a esta hora era J-
guaro, para onde marchou ha dias. Sua alteza
mandou forneeer-lhe tudo quanto faltava para que
esse nosso alliado pudesse emprehender a sua
marcha.
Tcnho noticias que completara c explicam o te-
legramma qne a respeito do general Portinho en-
viei a redaeco dessa folha, na esperanza de que
p'.ide*se anda alcanzar o paquete inglez em Mon-
tevideo.
Aquelle nosso brlgadeiro, com a sua tarca em
numero de mil e tantos homens, pela maior"parte
do cavallaria. atravessou o Tebicuary e foi at
Yuti, onde libertpu grande1 numero de familias ;
dahi seguio para o departamento de Caazap. on-
de avistou o inimigo em numero de mil e tantos
homens de infantaria c artilharia, commandados
pelo capto Boraer.
Fez entao o general Portinho recolher as fami-
lias a Yuti e Villa-Rica c seguio em direccao
margem do Tebicuary, tendo muito era vis: que
o immigo o fosse encontrar em lugar diTcil.
Alcaneou-o junio ap pas>o de Jara, atacou-o e
baten-o completamente, matando 100 horneas e
tomando 20 prisioneiros. C:dcula-se o numero dos
feriaos e n 200.
Nao pode persegair o inimigo, porqne o terreno
por onde elle fugio nao perraittia o movimenlo da
cavallaria.
Nos perdemos no combate 50 homens morios e
20* 23 feridos.
De Jara retroceden o general Portinho para o
passo de Santa Mara, oudc sa poz cm communica-
cao rom os navios da qnadra. que llie for-
ei'eram alguns vveres, trazendo um delles os
nossos feridos para esta cidade, onde chegaram
hontem aoite.
Mcrecem os maiores elogios os mportantissimos
servicos que tem prestado a nossa esquadra sob'o
commando do chefe de esquadra Elisiario Antonio
dos Santos. ir^fc' aM i L >
C un os poucos navios que ha aqui, alguns dos
quaes pou,co-proprios para o servieo qne esto fa-
zendo, tem-se explorado ros desronhecidos para a
nossa gente, Internando-se; como a expedicao de
Tebieoary, ateo eorafllo do terntorio inimigo. Os
perigos e difflculdades do todo o genero .nao tem
detido os nossos bravos da marinha, nue assim
prestam um poderoso anxflio aos sens dignos ir-
maos do exereilo.
Em uma dessas eupteracoes rip cima bateu o
encouracado Silvado wm notes pedras junto a
Manduvira. Esteve. a ponto de perder-se ; mas,
graeas s prompta e bem dirigidas providencias
nadas pelo almirante e aos esforeos do comman-
danle Goncalves edos'coUrpanheirosque o auxi-
liaram, acha-se sah esse nosso bello va? de
guerra, que soffreu algumas importantes a va-
ri as.
Ante-hontem pela mallilaiez-se nm reconheci-
mento em forca, commaiffad* por sna alteza, so
tire a poslo de Ascnrt* ''principe foi at mui-
to perto do acampamento de Lpez, e descobrio
juma forte Wnetetfa -<**rti aWftires e guarnecida
jde artilharia.
O inimigo fe algutis tiros^defuzilaria, que ape-
nas ferfram unt,*a'V^lb,'* *mc*brio-sB em sua
Sna alteza mandou collocar conve-
malhientemente a n IJ^Hy" e bombardear o
ultimo extremo, tem-se pintado com tao exage-
radas cores seus apuros financeiros, qu-s no Hio
da Prata vai calando a conviccao de que o Impe-
rio est moribundo, e de que nao ha risco em dos-
presa-lo.
Justamente o estado mais fraco, e o que mais
lle deve o quo prima pela arrogancia com qne
nos rdln.uta, instigado pelo circulo- que re-kleem
Buenos-Ayres, que vai proseguindo com perseve-
ranca na realisaeao de seus planos. A persegu-
alo feita ao banco Maui significa um faci polti-
co ;. a inaniloslacao mais cstrondosa que so po-
de fazer aqui da total deslruieo da ralliienca
brasileira, e neste conceto sao dados os golpes
cora que bera se quzera produzr a ruina com-
pleta dos jnteresses que estavam eoneenlrados na-
quelle_ grande estabelecimento. Es|iero, porra,
que nao lograr! i o seu perverso intento.
Temos experimentado varias imlitieas no lii i da
Prata e todas ellas sao cond-imnadas. A da in-
lervencao 8 ingerencia em todos os seus m-gecios
produzio-nos amargos dissabores ; a do meio ter-
mo ou poltica omciosa, alienou-nos todas as sym-
patiiias e a conlianca dos parlNoa militantes ; a
da abstencao, fui preconisada, est dando os bellos
fructos qiio apreciamos. Por canea dessa poltica
fatal cruzamos os bracos e deixaraos Montevideo,
morc de uma tropa indisciplinada que. obngou
6 general Flores, o no so melhor amigo e alliado.
a abandonar sua capital. Ainda nao tintura J-
corrido muitos rnezes e a indiflerenca que ent i
ostentamos servia talvez de incentivo a otro mo-
vimento revolucionario, que preludiava pelo as-
sassinato horroroso, em pleno da, daquelle Ilus-
tre imirlyr !
Nossa baso essencial de operacocs era assim
violentamente abalada; ahi mesmo o inimigo nos
combata sem treguas, procurando fazer uma iu-
versao que Ihe fosse proveitosa, e as encarava-
raos tudo como se nada nos nteressasse, como se
nos fosse indifTerente a domiaaQo deste ou da-
quelle partido, deste cu daquelle individuo 1 E'
verdado que assim respeitavamas os princi-
pios. Mas, quem accedila aqui %\ siuccridade
dcste respeito?
A abstencao, pois, niio servia para o grande fin
moral que tinhamos em vista, e tornando-nos
lospeilo aos olhos de lodos, eollocava-nos em um
isolainento que nao se coadunava cora nossa p i$i-
cao. Agora colhenns os fruct >s amargos desta
poltica inerte, incapaz de fazer o bem, o imp >-
tente para embarazar o mal. Estamos condem-
nados ou a cruzar of bracos perante a mais es-
candalosa c arrogante provocacao, ou a envol-
n r-nos em uma questo que pode ser o germen
de successos mais graves que os que se leera ori-
ginado da surra dada em Paysanrt a um subdito
brasjleir, facto que nos tez desembainhar a espada
com que at hoje ainda combate
Como se v", una situaci i dfncil e penosa,
que exige toda a prudencia e saliedoiia do gover-
no para serencaniiuhada com honra eaceito. Nao
ha ahi interesses de partido a debater, ma
interesscs nacionacs a resguardar. Se a proprie-
dade brasileira pode assim assaltada pelos altos
poderes do estado, na propria capital da repblica,
na presenca de nosso representante e da n
forga naval, quo garantas podern lor as importan-
tes estancias que os Brasileiros possuem em toda
a campanha oriental ? Os blatuot nao di-farc,iui
seu odio aos Brasileiros, mas nunca ousarm pra-
lcar uma aeco to indigna. Eslava reservado
aos colorados mancharem-se com esta nodoa.
Falla-so muito em cri^e ministerial, e alrma-se
que Buslamente apresentou uma renuncia de-
clinavel, sendo aeompanhado por seu collega da
telenda, autor dos trabaihos fioaneeiros qne esto
prodnzindo os vergonhosos resultados que ve-
mos. A cansa da erise est no convenio celebra-
do com Caraballo pelo presidente Battle. Aqaefles
ministros querem qne o presidente falte sua pa-
tarra : Mximo Prez insiste em que se exeriite
integralmente o quo foi ajoMado, e d'ahi a diver-
gencia.que se dicidir ou pida saluda dos ministro
ou por uma revolucao capHaneada pelo celebre
caudilho, como j disse_em mnha anterior. Daus
queira que este questo interna tenua por deste-
cho rodear o presidente de ministros mais previ-
denles e mais escrupulosos, qne saibain evitar o
escolho para onde os acluaea estao efteammliando
as relaces do Estado OrienfH com ofiraril. An-
da nao perdi as esperancas em atea solucao Mson-
geira; porqne aqui, as vezes, em nm memento,
a mulacao completa, e mais horrenda
tempestade poltica guccede a mais risbnha bo-
nanca.
l'm facto que talvez influa neste sentido o
protesto que o banco Commercial acaba de apre
etitar ao governo contra o seu clebre rgula-
mento. Este protesto, que foi hontem publicado
na Tribuna, faz cansidraces. trini fundadas,
varita a lllcgalidade dd acto do governo, e
a llanda Oriental. Sao cintos de Mep'iistpheles e
de outros correspondentes, mas que v5o fazendo
elTeito fn anima vi I i.
Do Paraguay cuasia que os combates vao prin-
cipjar de novo contra a dictador, que se consorVa
OQiptms e rdilbeirhs. A dias h 'ive um encontr
di f reas de Portinho com as do coronel Bome-
rflBrtahHno victoriosos.
C: en efe Lomba tn truid deste choque ii
leri los e G prisioneiros, que recebara no llenriquc
Martin -
O Ba'iiu agarrou na bocea do Manduvira um
paraguayo que desda em uma jangada do couro.
j de dade avancada, nr.iiti espirituoso. Cun-
parou elle a guerra, no esta 11 em i|ue se acha, a
uma fructa inudura, que est para cahir da ai -
voto.
0 Silbado esteve encamad" seriamente era urna
pedra em frente ao Mooie-Alto, no rio Paraguay,
pouco abaixo do Manduvira.
Safou, porui, coin pequimas avarias graeas
aos esfore is do prntcv-mer Etrhbarne e das
guarnieoes do Baha, Colombo IsabQ, Artufaay,
que o chefe Elisiario promptanetUe inaudoneni
socoorro.
A divergencia que, tem apparerido na Assump-
cao pira formado do um governo provisorio pro-
vm inti'iramente do empanho que ha em certa
circulo, para que prevalecara os candidatos que
possain dar preponderancia nos rdtros destinos
do Paraguay influencia argentina.
O commissario argentino esta em boa fe em
todo este negocio, que exclusivamente dirigido
pelo general D. Cmilij Mitre; e o nossa represen-
tante esforca-se em vencer mais esta difficuldade
que llie surge incsiieradamente, e ctifa solueao
sera um dos mais importables serviros que nos
p%sa prestar na actualidade.
INTERIOR.
rnnAiA. "'nl'.,'^l'j".~"" n' i"n'"' "7!""'"-,,l" n*"""-' lar-Ibes contra a iu iralid.nle delles em rea cao ao
^^ terapo de sua residencia na paiz donde tireram
Depois do 5 1" aecresrente-se : % 2o. O
governo imperial poder conceder os referidos t-
tulos, independenlemenle de prnva das condicoes
exigidas, fetas porem as declaraeoes requeridas
no art. Io aos estrangeiros maiores de 21 annos
que :
I." Forem distinclos por seas taleWo e me-
rerimentos.
2.' Tiverem prestado importantes serviros ao
Brasil.
3. Intrnduiirem inveneoes uteis.
i. Fundarem estabelecimontos mdustriaes.
S. Gomprarom Ierras o Mitas estabellece-
rem-se.
6." Forem collono*.
7. Estiverem servinde no oxcrcilo, na arma-
da em corpos policiaes.
Os g? o ;! passo o a ser 3 e 4 Vautta d-
Aijiiim.
Supprimam-se no art. as palavras na
corte..t. F. Corrfa.JwnfSfirQ.Aravja Gm.
Foi a imprimir o segninte parecer :
A 1' Ctmmiissao de poderes, leudo examinado
as eleicOe primarias das parochias de Nossa Se-
nhora da Concp(;!> de Totoya, Nossa Senhora da
Conricao das Barrcirinhas, Nossa Senhora da Con-
eei^ao de Arayoses e do Senhor do Bomtim da
Chapada, a que se procedeu no 2 districto ele-
tora da provincia do Maranho em 31 de Janeiro
ultimo, nao encontrn irregularidade ou vicio que
nnnulle as mesmas elecoes ; pelo que de pare-
cer sejam ellas approvadas pela cmara dos Sr?.
deputados.
t Salla da commissa, 9 T. J. Duque-Estrada Tciteira, L.A-da Sitia
Nunes.f. Calmn. M. F. Correa. Uarte dr.
Azetedo.
Reuniram-se hontem em assemlda geral, sob
a presidencia do Sr. conde de S. Maniede, os ac-
i-on-tas do Banco Commercial do Rio de Janeiro.
A raeia hora depois do ineo-dia o Sr. presidente
declarou achar-se presente numero suflicente de
accionistas para constituir a asserabla geral, e
convidou para secretarios os Srs. Carvalho Ramos
e Correa Le lo.
Lida e approvada sera discusso a acta da n-
terioc*esso da asserabla geral, declare ue Sr.
presidente que, tundo sido distribuido onporluna-
ineule o relatorio da directora c publicadas no
JiH-mU-as forras d'este documento, julgava Uis-
pensavol a sua tritura. Nao aupare im-
cao alguma contra esta deliberacao, procedeu-se
a leitora do parecer, fiscal, que concine pela ap-
provaco das coritas da directora at 30 de ju-
nho prximo lindo e que foi ltimamente appro-
vado.
Em seguida fnrara elcitos : director, o Sr.
Jos Carlos Mayrink : c fiscal, o Sr. Jos Borges
da Costa.
Foram apresentadas mesa as seguintes pro-
postas :
Proponho que se nsereva na arta um voto
de agradeciuiento ao Etm. Sr. con-elhero Joo
los dos Beto, pelos bous serviros que prestou a
este banco como iustallador c director. Hermene-
gildo Dtimtr Moateiro.
Tend a soite imposta por Iei designado o Sr.
conselhe.iro Joo Jo- dos Ruis para ser substituido
na direccao do banco Commercial do Rio de Ja-
neiro, o di vendolhe este servicos importantes
desde a sna instaaeo. proponho um voto de lou-
vor S. Exc. pela solicitado e val isa coadjuva-
com que procuren sempre promover os iute-
outr's citare as seguales:
\ RIO 13 14XK150
, 10 DE AGOSTO.
A cmara dos deputados approvou hontem, sem
debate, em oretnra discusso, o projecto n. 117
anno, conceden lo loteras S.ntaCasa di
Misericordia da corte.
Approvou em seguida, em una s discusso,
tamben) sem debate, o projeclo n. 7, do raes i no
anuo, aulorisando o governo a mandar fugar a
D. Candida Ludovina de Aranjo Ca-ueiro a pen-
o do rnonte-piu militar que teiu direito des-
de o fallecimento de sua m.
Approvou mais, em primeir discusso, igual-
mente sem debate, o projeclo n. 118 do regido
aiin-i, mandando faenar as casas de negocio na
ftidade do Rio de Janeiro nos d-nningjs e dias
santificados.
Approvou anda, em segunda discuta-*, o pro-
mas sim 1 jecto a. "3 do raaeionad aun i, conferndo o grao
*Je barharel aos alumnos di escola central.
Uecupou-se depois cora a .prkneira discusso do
^projecto n. l-'tO do dito auno, aulorisando o gover-
no a readmittir no ipiadi d > exereilo no posto
de tenente-coronel da anua de cavallaria o te-
nenie-coronel Egas Moniz Tollo de Sampaio. De-
pois de algumas observacoes dos Srs. Silva Nuues
e Pederneiras. ficou a discusso adiada, a reqne-
J/imento daquelle senhor.
Cmtinuou em ultimo lugar a discusso do pro-
jecto de resposta falla do Ihrohp. .Orou o Sr. mi-
nistro da justica, ficando a discusso adiada pela
hora.
Foi a imprimir o segninte parecer :
A segunda commissao de poderes, a quera
foram presentes as copias aulbenticas das actas
dos collegios de Taubat. t'batnba, Guaratinguet,
Jacarehy, Pmdamnhagaba, S. Bulz de Parahylin-
ga, Aras, Bananal, Queluz, Lorena e Parahybuna
na eleicao que se procedeu a 4 do mea prximo
lindo no segundo districto da provincia de S. Pau-
lo, para preenchimonto da vaga do fallecido depu-
lado Dr. Antonio Goncalves Ba-bosa da Cunha,
rerificeit que os ditos collegios, que formara o
mencionado districto, corren regulamentc o pro-
cesso eleitoral, dando o resultado s^binte :
Dr. francisco de Paula Toledo, alrfi
do vol do segundo eleitor de ftu-
2uira, que foi tomado cm senara-
e no collegio de Taubat.......
Dr. Jos Antonio Yaz de CarVj^H
Coronel Joaquim Antonio de ^^1
Machado................
Coronel Marcelino Jos de CartjP
Cdulas em hranco 2.
Comparoc referidos collegios^ 3il
elitores, e nS'
ttesles eJertMiU Pl W anldi roeonbecldos
fe los 2 ltimos
334 votos.
3 .
1 >
1
aa
tos.pela de tteqnir, d coDcgio dSquella cidade,
i esses do banco.Dr. Almeida Bastos.
Depois de algumas palavras pronunciadas pelo
Sr Dr. Almeida Bastos cm justilicacao do voto de
louvor que propozera, foram as duas propostas
approvadas por unanimidad.'.
O Sr. conselbeiro liis agradecen esta honrosa
manifestac", que di crescentou que a n.-Uallacaiado bmu'n Commer-
cial ha quatra anuos, em qnadra c lamilosa para
a praca do Rio de Janeiro, e sua manoteocao em
e-lado lisougeiro al agora, orara devidosein gran-
de parto ao generoso auxilio de muitos de seus
amigos oo commercio e dedieao de ^eus corapa-
nheiros da directora.
Em seguida o Sr. presi lente declaron que a di-
reotoria, competentemente autorsada, organisra
o projecto de reforma de estatuios que submeUia
apprdvoro da asseoblea geral. |Disse que, alm
de diminutas alteracSes sen importancia, e da
ellrainacao de algumas disposicoes dos antigos es-
tatutos, as i|uaes nao tinbam";nas razo de ser, j^ j oqq |1(
o projerto de reforma apenas continlia modifica-
eo essencial nos seguintes quatro pontos :
Ampliaco da faculdade de adniitlr ttulos a
descont, (icando o baaeo habituado a descoutar
letras de prazo maior de quatro mezes ;
Ampliado do circulo das operacoesdo estabcW-
cimento de modo a poder elle, como os outros da
uiasnia natureza, operar sobro fundos pblicos ;
Mais vasta constlnicao do corpo eleitoral, sea-
do adnittidos a votar* accionistas at de SO ac-
eoes ;
Elevaran da quota dos lucros que se deduz
Sarao fundo de reserva, elevando a laxa respec-
va de 5 a 10 por cento.
0 Sr. J. J. Dnarte requeren o adiameatoda dis-
cusso do projecto da reforma.
Depois de breve, debate era que, tomaram parte
os Srs. J. J. DSarte, Ferreira Braga, conselheiro
Iteis e Dr. Almeida Bastos, foi rejeitado o reque-
r ment de adiamento e approvado o projecto de
novos estatutos, aflra de, competentemente assig-
nado, subir presenca do goveino imoerial.
A cmara dos deputados approvou hontem os
pareceres da 2" comuiissao de podpres sobro as
elePees primarias de varias freguezias perteneen-
tes ao 1", f* e 3o dislrictos da provincia de S.
Paulo, e 2* e i" da da Babia.
Approvoa om seguida, sem debate, em uma so
discusso, om diversas emendas, o projecto n. 9/
deste auno, autorsando o governo a conceder
carta Oe natural'saco ao subdito italiano padre
Egydio d Paterno e ao subdito portuguez Joao
Jos de Aguiar.
Regeitou depois, tendo frito algumas observa-
roes os Srs. Melle Moraes, Taques e Coclho Ro-
drigues^i projecto n. 118 do mesmo anno, man-
dando fechar aos domingos e dias santificados as
casas de commercio na cidade do Rio de Ja-
neiro.
Continuouem ultimo lagar a discusso do pro-
BCto n. 74 do referido anno, sobre a resposta
alia do throno. Oraran o Srs. Correa de Oli-
veira e Ahlrade Figoeira, flcando-a discusso
odiada pela hora.
Foi olferecida a seguinte emenda :
. Supprraa-se o periodp que comeca pelas se-
guintes palavras : A cmara dos doputSdoi
aguarda fetla stlMMsos, etc.,at o flra. -.-Irt-
drade Figueira. ,
Entrn hontem o transporte de guerra Annic-
ta. As datas qne traz directamente de Paraguay
chegam apenas a 21 di passado, dia em que sa-
bir da Assumpcao, cen j sibiamos. Traz, po-
rem. do Rio da Prata folhas at 5 do corrente, e
alli haviam noticias p >sterores.
Segundo communicaces do Dr. Roque Prez,
ministro especial da Repblica Argentina para
tura d'nm governo provisorio para o ParagTi
nada se tinha adlant.ido relativamente a este ne-
gocio, estando os p'enipotenciartos na espertativa
d'um moviineuto que iam emiirehender os exer-
eitos alliado-
O general Mittro desistir de esperar mais tcm-
po pelos reforcos pedidos .13 sen prvenlo, o, pos-
tas sob seu commando algumas tropas brasileira,
ia operar com um exercitu de 10.0GO homens.
Relativamente a columna do general Portinho
rnmintrriea n masmo Boque pcivz que aqelle ge-
neral encontrara una-- 3,0*,) familias par
mas que, nao querendo diillcultar a gga marcha
com pesado coinhoi vista uma~lj^k hltmiga
pareca prepa
ma emboscada, mandara a piella grate para Villa
Rica, c atravessando o TI i izera cm
eommnnicaea, com os e^ercil >s afla
N'o 1" de agosto quera saber-so era Bnenos-Av -
res qne no dia 30 deviam ter sido al po-
firocs de Lpez na Aseurra, n^oimnettemlo-as o
gi'neral Portinho)rela esquerda, Mittre pela fronte
e Osorio pela ijireita. Ai n. nenhu-
ma noticia tinha chegado de une algnin ataqu
tivesse dado. Os ltimos telegramma, datados
de Buenos-Ayres, s 2 1/2 horas da tarde, dizeni
apena :
. c Ha noticias da Assumpcao. 0 geue al Qono
acha-se naquclla capital.
Esta ultima parte poderia dar lugar a difleren-
tes conjecturas, se a veracidade do telegramma
11S0 fosse a primeira cousa para averiguar.
Em Buenos-Ayres contiuuavam a inspirar re-
celos os negocio das provincias do n^rto. Em
Montevideo oraalhara-se que o ministro do go-
verno Bustamante dra a sua detnissSo, e qno o
ministro da fazenda Magarines o acompanbava
nesse pvs'.
A razo suppunha-se ser a execncao dn conve-
nio, mediante o qual o general t'.arabillo depaie-
ra as armas, convenio qie Mximo Prez quera
ver cumprido risca.
S. M. o Imperador, aeomparhaJ de seus sema-
narios, chegou hontem, s 9 horas da raimhaa,
ao arsenal de marinha, onda visitn as cfllrina^
e.machinas, e retiraudo-sc s 10 e 1/2, d'rigio se
o arsenal de gaerra, qne tambem visitou.
Por decreto n. 4,400 de 4 do rorrenl, foram
aDDiovados os novos estatutos do banco da Baha.
13 -
Na cmara dos deputados, hontem, logo depois
d\ fctura do expediente, o Sr. Castelta-Branco,
reqnerendo urgencia, fundamentou o segdinte ru-
ipaeriraento, que foi approvado :
Requciro que s peram ao governo nforma-
es sobre a eleicao de S. Miguel dos Caatpos, da
provincia das Alagflas.
Entrando-se na ordem do dia, a cantera ap-
pjovou o parecer da i* commissao de poderes so-
bro as elecoes primarias a que se proda as
parochias de Nossa Senhora da Luz e de^
dos Indios, pertenceatcs ao 1" distric^ 9Pv" da
-
provincia do Haranhao.
j'.1 ) 1.









.Mol 30 0T30DA*
Diaria le Pemambuco Domingo 28 de Agosto de 1869. ,161 0;
.VJX L
Aaprovou depois em V discussao o prej*cto de-
Mmuido que o ministro do imperio na tone e
os presdante* aas provincias coneedero titulo*
de aaturaisacao a todos o estrangei ros maiores
e SI anuos que a requererem, sonde torabam
approvada a eineu.la do Sr. Fausto do Agujar.na
o 3* parle, Meando prejudicada a do |Sr.
Oeeupou-se era ultimo logar cora a 3a discus-
sao do novo projecto substitutivo otterecido pata
commissio especial sobro a rearma do recruta-
ucnto, toado sido este o preferido entre os tres
aproseatedos. Orarain os Sr*. Pedernerraa o Ro-
drigo da Silva, (cando a discussao adiada pela
hora.
Foi a imprimir o segunte parecer :
A' i* commissio de poderes (orara presentes
as copias das actas da eleico primaria da paro-
cha de Varzoa-Grande e da secundaria dea eolle-
ios da Imperatriz e Granja, perteaceatos ao 2
distrirto eleitorai da provincia do Cear.
< No ame a que se procedeu das referidas
acta?, a 1 commissio nada encontroa que possa
inquinar de ficto aquellas elelcoes ; e por isso
de parecer :
Io Que seja approvada a elciro primaria da
parochia da Vanea-Grande, na provincia do Cea-
r, reconheuds os poderes dos respectivos elec-
tores.
2" Que sejam approvadas as eleicj* secun-
darias dos coHegio leitoraes da luperatriz e
Granja, da referida provincia.
' Sala das eoinmisses, II de agosto de 1869
L. A. m Silva Nttnes.Jos Calmon.Dios ia fo-
cna.BuarU de Azeoddo. Duqtte-Eitrna Tti-
xeira.JT. F, Correa.
Por cartas inperiaes da 7 do crrante, foram na-
turasados os subditos poriuguczes : Joo Jos
Monea Bandeira Antonio de Souza Pinto de Maga-
Ihie*, Pedro Celestino dos Santos. Jos francisco
Ribeiro, Manuel Joaquim Fernandes, Antonio Cve-
Iho de A vedar, Antonio Jos do Couto, Jos Ber-
nardo Pereira Soares, Manoel Antonio Rodrigues
Lima, Jos Ferreira Ribeiro Guimaraes, Joaqui n
Jos de Almeida e Silva, Manuel Ferreira Pinto,
do
e ha venda
foreri
7. Em re
direito.
i Aoart 3.
ment da com
do fr sorteado
t Ail art 4
com
que tot designado pelo
^^B*> diga
I paga-
se o albta*
corno u
-Podendo-con-
I B. M
Carlos Jan
do Mara-
tm
$ 3. parte
contrataren
rigacao de
se apresenUirem para o servico era eireurastuncias
de guerra alema oa externa dentro dos dous :
anuos subequenle.
Ao art. 6. i parte 4.* Aerreseente-se :
A snspenso nao obsta g que so-conserve em de-
posito a importancia da mulla.importa (lo pre-
sidente da provincia.
t | parle 5." Sapprimam-se as palavras
em virtude de ordem superior.
Ao art. 8. Sapprimam-se as palavras ao
refractarios.
Accrescente-se ao projecto o segainte :
Art 10. Os offleiaes nao tero, sob preUSUo
algum, qualquer praca impedida>eut servico parti-
cular. Os que forem empregados vencerao mais,
jiara o pagamento dos servidos de um criado, a
gratineacio arbitrada em urna tabella, une o go-
verno sugeilar appruvaco da assembia geral.
Manoet Francisca Correa.
droso de Oliveira, Augusto Vieira da Cruz, Jos
da Silva Quaresma, Joaquim da Silva Barbosa,
Ricardo Jos Teixeir.i, Domingos Jos Salaberl,
Germano Serro Araud, Jos Antonio Martins
padre Jos Antonio Goncalves e Jos Victorino de
Souza Azevedo ; os subditos italianos Joao Ray-
inundo Rodrigues, padres Raphael Massilo e Este-
vio Garbarini; os subditos baraburguezes Gusta-
vo Chrystiano Heymann e Carlos Ernesto Fredc-
rico Greve e o subdito francez Luiz Moreau.
Por decreto da mesma data :
Forain concedidas as seguintes pensdes, por
servicos prosudos na guerra contra o Paraguay, e
que ncam pendentes da approvacio da assembia
geral :
Ao teoente do 18" corpo de cavallaria da guar-
da nacional do Rio Grande do Sul, Manoel Rodri-
gues Pavo, a de 42<000 mensaes.
Ao alteres do Ki- dito idem idem, Rayraundo
Farias Vasques, a de 36000 mensees.
Por decreto de 11 do crrante foram Hornea-
dos :
Christiatio Luster, para o lugar de abridor che-
le de officina da casa da moada do Rio de Janeiro,
e Antonio Pereira de Almeida para o de 2* cunfe-
rento da alfandega da cidade do Rio-Grande, pro-
vincia de S. Pedro.
Por decreto de 6 do corrate foi conferida ao 2*
pharmaceutieo do corpo de saude da armada a
graduacao de 2* lente, na conformidade do art
18 do plano aunexo ao decreto n. 1981 de 30 de
setembro de 1857.
a 9 mandou-se levantar a clausula
com que foram promovidos os 2o* teuentes da ar-
Rodrigo funes da Costa e l.eopoldino Jos
sos Jnior, islo lerem sido approvados as
materia* de que trata o decreto n. 881 de 10 de
dezembro de 1831.
Por decreto de 11 do corrente foram concedi-
das ao~apito do Ir corpo de voluntarios da pa-
tria, Firmino Jo> Correa, as honras do posto de
capilio do exercito, em attencio aos relevantes
servicos por elle presta los na campanha actual ;
hmido se;n elfcito O Oacreto de l't do julho pro-
na) passado cjncedendo-lhe as honras de'teneu-
1 > mesmo exeroko.
Por portara de igual data foi nomeado repet
dor da e-eola preparatoria anoexi a militar,
Dr. Antonio Jos Moreira. p
Communcam-nos :
Fj entregue hontem direceo das obras
hydraulicis o internas da alfandega um vapor,
destinado ao servico dessa reparticao e cujas di-
men^Jes sao cmnnrimento 48 ps ; pontal 4 \*
calado 4 /
oito a nove
ps re e
militas por
ditos ; boca 10 ditos :
3 !/4 a proa ; marcha
hora.
Os empregados das obras da alfantega dese-
iando dar ao Sr. in?pecur, o Dr. Jos Machado
loetho de Castro, urna pmva de gratido pelo
muito que ba se interessado pelo progresso das
tbras, appellidaram ao vapor Coellto de Castro.
A cmara dos deputados oceupou-se hontem
coro a 3.' discussao do projecto determinando que
o ministro do imperio na corte e os presidentes
as provincias concederao titulo de naturalisacao
a loA.s os estrangeiros maiores de 21 annos que
a roquererem. Orn o Sr. Araujo Lima, ficando
a dtwussao adiada pela hora.
i ofterecida pelo mesmo senhor a seguintc
emenda substitutiva:
l. 1* A residencia de que falla o i. do
art |. da lei de 23 de outubro de 1832, ca rc-
dnzido a um atrae.
Este prazo do um anno pode ser an-
terior as declaraces perante a cmara municipal,
de que trata o 5 3. do art. 1. da referida lei.
Art 3.' Pica revogado o art. 6. da mencio-
nada lei
Art 4. Rerogam-sc as disposieoes em con-
trario, t
Tratou depois da 3." discussao do projecto sobre
a reforma do actual recrutamento. Oraram os
i>rs. Pereira da Silva e Correa, esndo igualmen-
te a discussao adiada pela hora.
Foram offerecidas as seguiutes emendas.
No art. 1. | 3." suppriinam-se as palavras
ministros das" outras religides.
wrao artigo g !. aecrescente-se depois
pena de gales o segrate e
OS liberto. Alea* Araripe.
S 3.* depois da palavra mai
ccrescente-se ou do mi solteira de-
crepita ao v*ietudinaria. .
81.*suiistituam-se as palavras
oe um offictal da guarda nacional nomead
peto gorerno pelas seguintes do eleitor mais
votado da parochia. >
3." accrescente-se este periodo :
O parocbo da freguezia fornecer annualmente
sta dos mancebos que tiverem completado
> 17 anuos extrahida do livro de assen-
xo de baptismos. >
| 6> substituam-se as palavrasde
Id do exercito ou da guatda nacioonal
i pelo presideotepvlas segnintes :do
ate da cmara municipal.
S 8* depois das .alavrasanno de
prae-ecrescente-8e : se d< seriar.
t i.* g 7." substitita i so as palavras
inundante superior da guarda nacional
luintos : edo presidera da cmara mu-
nicipal.
rt. parte 2' depois da palavra
-ccrescente-se e rustas. >
t 4. 3., parte f, substitua-se a pa-
i civil p.:la palavra commum.
? art. 6." | 1.% depon das palavras motivo I
slilicado accrescente-se :ao parocho que se
a^ar a tornecer a lista de que trata o art 1
sobsiitua-se o periodo que co-
kvras a ana cobra.tca o o que
Ua palavraseHas sero convertidas
peto enlato periodo : A soa cobranca se far
cc^liraldadc com o decreto n. 4181 de 6 de
Ellas serlo convertidas era orisao
tceda a 69 das, pe, iuiz da; execuedes
a piara o juiz dos feitos remetiera copia
ndo os condeinuados nao tivere-n
Entrn hontem o transporto de goerra Altee,
sabido da Assumpcao a 27 do passado. Em Mon-
tevideo, porm, donde o vapor sahio* 8 do cor-
rente, bavia oficias do Paragnay at 31 pelo
transporte Vassimon e por outro vapor at o 1.*
do correte.
Do quartel-generat do Plray recebemos urna
earta com data de K do passado, que cima vai
publicada ; e as folhas do Rio da Prata achamos
noticias at 31. Segundo cst.ts fez-se a 29 um re-
conhccimenln das posiefiea de Ascurra. Trocados
alguns tiros de espingardaria, o inimigo retrahio-
que nao
ranches.
ismpco
A vanguarda dos excrcitos alliados marenoo
sob o eommando de Menna Barreto. Hoje segu
Osorio com o !. corpo, e dentro de poueos dias o
movimento era geral.
Outra carta datada do rrc-nia dia do acampa-
mento de Guazu-Vir diz :
Hontem s 7 da manha a 2." divisan do eom-
mando do coronel Campos, teve ordem de apromp-
tar-se para as 3 horas da tarde de hoje, mas s 11
horas da manha tambem de hoje veio contra-or-
dem. Apezar disto cr-se que a marcha ser in-
fallivelmente amanha. >
Daqui o que parece inferir-se qjjc os exer-
citos estavam a ponto de raover-se, on pelo menos
assim o acreditavam todos. V-se tambera que tai
falso o telegrarama que dava o general Osorio na
Assumpcao,
Encontramos tambem a seguinte carta de sua
alteza ao general argentino D. Emilio Mitre :
Quartel-general cm Piraj, 20 de juluo de
1869.
a Tenho a satsfaeo do coraraunicar a V. Exc.
que, segundo noticia que acaba de chegar a este
acampamento, as forcas do eommando do briga-
defru Jos Gomes Portinho liveram no dia 18 a
pouca distancia da margem direita do Tebiqnary
Guaz, um reeontro com o inimigo que trazia
mais de 1,000 homens, e licaram victoriosas.
Ototil das nossas perdas entre morios e fen-
dos nao chega a 60 homens, emquanto o inimigo
deixou 200 morios e 18 prisioneirus. O terreno
desfavoravel e cortado de mattos nao permitlio
que elle fosse perseguido com vantagetn na sua
retirada.
Approveito a occasiao etc.^Gasto dOrleans.
Segundo urna carta da Assumpcao, houve alli
no treairo urna reuniao de Paraguayos, que, para
tratar com os plenipotenciarios das naces alliadas
sobre a creacao de um governo provisorio, ele-
geratn una commisso compusta de cinco metn-
bms, Ignacio Sup Segundo Decour, Hatheus
Collar, Bernardo Valiente e Miguel Palacios.
A Nacin Argentina de Buenos Ayres assegur
que na cidade do R tropas pgra urna expedi^ao contra Tabeada. O
ministro da guerra havia regressado.
Era Mim.'evido resolvera-se a crise ministerial,
retiraudo Uustatiunt o seu pedido de demisso.
Cutre as noticia* Jo 4*aielBi9e.ifttfiTain)-i nm
decreto do governo do Perd concodendo a qnaatos
quizerein eslabeleeer-se as margens do Amazo-
nas e seu afflucirtiiS muitos favores, onno passa
gem gratuita, trnmeiito#" agrcolas e Remontes,
data de trras, adunia neutos de dinheiw para
os pi unciros mrzes. etc.
S. M. o Imperador acompanhado de seu3 sema-
narios, chegou ao arsenal de marmita hontem s
9e 1/2 horas da manha, e embarcando na galeota
imperial, dirigio-se illia da- ~G bras, onde visi-
tn a fortaleza e o quartel do batalhao naval ;
dalli seguio para Armacaoe porcorreu s enfer-
maras do asylo provisorio ; depois foi a S. Do-
mingos e visitou o hospital do Sr. Dr. Pntente!,
regressando para o arsenal de guerra, onde des- \
erabarcoii s 2 horas da tarde.
OXts OIICIO-
L-o no M$rt3HtU do Petropolis de 14 do eor-
rente : awi
Dm-at oa quarU'feiBH passada, um destes
factos q em um excess > de desespero e de
lououra podeni adiar explkaeao.
O subdito p.)ituguez Sfanoel Franeiseo Pereira
BezeMa, ateo de H annos de idade, nutria des-
conflan^t sobre a tldelidode de sua mnlher Ange
lica Gomes, jovem, doJ8 auno?, tenlo se origina-
do dairoca de palavras por diversas vetes.
Nesta nHima altercayao parecen ter entendi-
do Manoel Francisco Pereira Bezerra achar-se en-
venenado por sua mulhec, que na vespera estando
elle incoramodado lite dera sal de azedas, deluido
em agua para beber.
Julgaado-se com effeito envenenado, concebe
e pe em execucao o crime.
* Esperaado-a junte porta da cozinha, desfe-
chou-lae ato tiro sabr a cabeca, qneima rou-
pa, cahindo ella instantneamente mora.
Manoel Francisco Pereira foi inmediatamente
entregar-sei prisao, declarando ter morto sua
mulher.
O Sr. Aatonio Baptista de Gliveira, subdele-
gado de pemea, apenas leve eflatheciraento do cri-
me dirigio-e logo para o Jugar do attentajio. e
tomou cenheeimento do facto depois de proceder
ao corpo de delieto; comparecendo em seguida
o Sr. Monteira de Barros, delegado de polica.
Casados havia apenas seto mezes, deu o esta-
do de gravidez da victima a este negro crime um
aspecto tanto mais hnrrivel quanto trgico.
t O desgranado assassino segundo nos infor-
mara, aprevena signaes evidente de alienacao men-
tal, sendo para lastimar que o Sr. subdelegado de
polica ara exercirio, nao tenha como Ihe cumpna,
feito as indagarles necessarias para reconhecer o
estado desse infeliz e proceder a un exame de sa-
nidade, aflmde verificar-se a demencia, e no caso
afirmativo, ser remettido para lugar onde possa
ser tratado convenientemente.
Fazemos esta nbservacao para evitar a rep-
llelo de um facto idntico occorrido com o ita-
liano B issi, que hoje se aclia no hospicio de Pe-
dro II. i
autora da morte de seu marido!
i de Oliveira, que se diz ter sido
venamento por ella propinado, o'as
^^fcelegado, petoa kifei
^ que priMwcU
Mara II i ca'da,
>anna de Baros, porm, jgj,
e Piada. ^ je ^
f^ador{nuJe"decW,s a re*ess & "> Miiplar do 1.
HU da Rocha, qoa, seguodo
pavera, ifue rsoa
fete contraria d'aquelle.
*1 TMULO:9bb "est titulo' co-
Iblioado, na capital da-Baha, um
(tonitor ilo espiritismo no Brasil,
^kqao do Sr. Dr. Luiz Olyrapio Tel-
"tjaembr do instituto histrico da
DIARIO DE PERNAMBUCP
RECIPE, 22 DE AGOSTO DE 1869.
NOTICIAS DO SUL DO IMPERIO.
Chegou hontem pela manhaa o vapor TocatUins,
trazendo datas da corte at 1S, da Baha at 19 c
do Alagas at SO do corrento.
Sob as rubricas Exterior o interior vo por .ex-
tenso as noticias mais importantes, alm dasquacs
s encontramos ns que segnem.
RIO DE J.VNKinO.
O sonado approvou em 3* discussao, para subir
sancho, os projeetos: de forca naval, e conce-
dendo isencao de dircMos empieza de illumna-
cao gaz do Cear.
Foi regetado o projecto j approvado na cma-
ra dos deputados, restabelecendo o recenso co-
ra.
Foi approvado o projecto de resposta falla do
tiiroii.i, sondo regeitada a emenda do Sr. Zaca-
ras.
Comecou a discussao do orcamento do imperio,
tendo j oceupado a tribuna os Srs. Zacaras, Cu-
nha e Pigueirdo, e Sayao Lobato-
Por deliberacao da presidencia da provincia
do Rio de Janeiro, foi adiada para o 1 de outu-
bro, a reuniao da assembia respectiva, qae se
ochava convocada para 8 de setembro prximo.
Eis as noticias commereiaes da ultima data :
Cambio. Loudres, 18 >/ d. a 90 d/v.
Apolices.Geraes de 6 % a 79 '/i /.
Aecfies.Banco Cnmmercial do Rio de Janei-
ro a 63 e 605 por accao.
Frates.Pemambuco a ordeos e d'alli para o
(^3nal a ordeos, 25 s. e 5%'; Marselha em drei-
tura, 20 fr. o-10/.
Gneros di versos,Caf lavado 71600 a 9*600
aJITPtm, centava 104 annos de Naide A nica
fraqueza mental, que se Ihe notava, era ter pre-
sumpeoes do na morado, e namorado sempre feliz:
excepcao 4kto, convwsava acertadataente. mon-
tava a cavallo, e viajava 4 e 5 leguas, seni des-
cancar.
Foi nasneidade lavrador abaMado, a ponto
oe ter no servltjo 40 escravos ; peta serte, porm,
ou por seus desvarios, cabio em indigencia, e era.
ja de muitos anuos, sustentado .com o pao un ca-
ridade, que fhe prastevam algous proprielarios
seus amigos. >
O cambio sobre Londres regulava 18 '/ d.
A alfandega reudeu de 1 a 19 do correle
347:207*381.
ALAGOAS.
Desta provincia apenas encontramos o seguinte
na l/Ufio Liberal:
Na noite de sabbado (14 do corrente) foi rap-
tada da casa de sea pai Marcelino de tal, hornera
pobre e doente, morador no outro lado da Levada
testa capital, a menor Francisca, orphaa de mi,
que viva honesta e capazmente em eomnanhia de
seu pai, manos e madrasta, como sabido e noto-
ro por toda a vznbaoca.
PEMAMBUCO.
Foi noraeado cavalleiro da ordem da Rosa Luiz
Giudce.
Por decretos de-11 do corrente :
Concedeu-se disponga de lapso de tempo ao Sr.
Dr. Braz Florentino ilenriqttes de Souza, para
tirar diploma de cavalleiro da ordem de Christo.
Foi promovido a offkial da ordem da Rosa
Franci co Antunes Marinho, ficando sera effeito o
decreto de 30 de novembro de 1866, que o no-
meou Cavalleiro da mesma ordem, por j ter elle
esla condecoradlo,
Foram concedidas as seguintes pensoes, por
servicos prestados na guerra, e ficam dependentes
de approvago da assembia geral :
A D. Mara Baptista de Oliwira, viuva dotenen-
le coronel commandaate do 14." corpo provisorio
dp cavallaria, JooBaptisla de Oliveira, a de 96
mensaes.
A D. Mara Catharina Nederauer, vuva do
coronel Joo Nederauer Sobrinho, a de 60*000
mensaes o de igual quantia reparadamente
a sens filhos Gabriella, Delphina, Joio e Jos,
sendo quanto aos dous ltimos smente at a gua
maioridade.
- 45-
O transporte de guerra Vassimon, de cuja sa-
bida da Assumpeo a 31 do passado j tiuharaos
noticia, entrn hontem com datas de Montevideo
at a manhaa de 10 do corrente.
Nada alli se sabia da guerra alm do que j no-
ticiamos, e nos negocios das duas repblicas pla-
tinas to pouco houver alterago alguraa sensi-
vel. As cartas dos nossos correspondentes con-
ten varios detalhes de interesse.
p-las, e segundo o disposto no cdigo
crmtiWH.Benjamn.
Ao art 1. a. 2. Su jpriraa-se a palavraia-
ternoB.
foscente-ae depois da palavra Estado
dos otasipariof.
i Saprimam -se as palvras e por
olle M paasabilisar no primeiro anno de praga.
i ieraaoeaie-se. N. 10. Os casados maiores de
| 6.* Era vez de do 1 jnizma-
airipal o tormo diga-ss do juiz de direito, |
Por decretos de 23 de julho ultimo foram no-
meados :
O tenente-coronel Luiz Liberato Ribeiro, coro-
nel commandanto superior da guarda nacional do
municipio de Cascavel e Aquiraz, na provincia do
Ccar.
O tenente-coronel Andr Epiphanio Ferreira
Lima, chefe do estado-tnaior do eommando supe-
rior da guarda nacional do municipio de Baturit,
na mesma provincia.
Pedro Jo^ de Castello-Branco, tenente-corone!
corainandante da> batalhao de infantaria n. 16 da
guarda nacional da mesma provincia. *
O capifio Francisco Xavier de Castro e Silva
lenente-cor.nel commandante do batalhao de in-
fantaria n. 31 da mesin. guarda.
Por decreto* de 3 do crrente:
Foram Horneados :
O bacharel Lnperco da Rocha Lnfl,juiz mum
cipal e de orpnos do termo de. Sant'Jtea do Pj
ranattyba, na provincia de Ma(t-Gros3 "'
O capito Antonio Alexandre R tyin, tenente-
coronel cominaudanto do batalhao'de infantaria n.
22 da guarda nacional da provincia do ffaranh&i.
0 capitn Carlos Frederico Ribeiro, m ijor aju-
daute de ordens do estado-maor do eommando su-
perior da guarda nacional dos municipios de Ca
xias e S. Jo>, na mesma provincia.
O alferes Manoel Goncalves Lima, capitao 'se-
cretario geral do mesmo eommando.
Foram designados:
O capitao do 6 batalhao do mfantaria da guar-
da nacional da provincia das Alagoas Joio Lan-
riano de Arroxellas Galvb para exercor as func-
edes de inajor do me-mo batalhao.
O capia i do batalhao TB infantaria o. 4 da
gu*rda naronal da mesma provincia Jos Vicente
Fernandes da Silva G unes, para exercer as func-
cVs de major do referido batalhao.
Conredeuite reforma:
A Benedicto Perreira de Carvaiho no posto de
cor.yel commandante superior da aguda oack-
nal do municipio de S. RaymuaaV ttaaVo. na oro I
vlnria do Piauhy.
Foram omceiudas as bonraa :
Dito o e superior 7600 a 8*700
Dito I* boa.......7,5*00 a 7*100
t DitolTRg.el-ord. SWOaUSflo
Dito i' boa....... 5*100 a f*90
i Dito 2- ordinaria.. 4*500a4*900
Dito capitana.....Nominal.
Algodo.Era rama de 1' qualidade do S.
Paulo, 17*300, 17*400 e 17*300 por arroba.
A alfandega da curte reudeu de 1 a 14 do
corrente 1,268:533*430.
. PAULO.
Li?-se na Revista Commercial de Santos:
Entrou no dia 5 a barca 7*>oi/ com immi-
grantes allemaes de Holstein, destinados s fazeo-
das do Sr. senador Sonza Queroz, nesta pro-
vincia.
Contta-nos, e o acreditamos, que gente Inda
morigerada o de excellentes disposieoes para os
trabamos agrcolas, o
Poram presos e remettidos de Jah para a ca-
dea de Campias o reo liento Jos dos Santos, au-
tor do assassinato do Dr. Bern.irdino Jos de Cam-
pos, e para a cada da capital Joan Pedro Macha,
do, aecusado por as tricos da Constituirn e M ig -mirim.
SANTA CATH.MftNA.
Alcancam a 7 do corrente as folhas da ca-
pital.
Deixou de publicarle o Mercantil, folha que
contava nove annos de existencia.
L-se no Despertador de 31 do passado :
< Ha mais de mez que chova I Se en um dia
f;tz sol, em seto e oto chove durante da e noileJ
Consta-nos quo no Itajahy, e em ontros logare?
por onde passam rios e arroos, tera bavido estra-
gos causados pelas aguas.
KSPIRITO-SANTO.
Temos folhas da capital at 7 do corrente.
Ao sul da provincia (refere o Jornal da Vic-
toria) j se vai turnando muilo sensvid a falta >
chava ; o rio de Itapetnirim, onda nao chove na
dous mezes,_achava-se nestes ltimos dias to ba-
xo quo j nao podiam quasi navegar as pranchas
e canoas do coramercio.
baha.
A companhia Commercial, de seguros martimos
proced' u, no dia 17 do corrente, a eleico de sua
mesa administrativa, que lcou assim & imposta :
presidente, Domingos Soares Pereira; vice-ditn,
ir
J1?0!*^ "E LETRAS-0 oscrivo dos pro-
IRMANDADE ACADMICA -N, reuniio de
qurata-feira oltuita da mesa administrativa desta
as segaiajas cominis-
REV1STA DIARIA.
INSTRUCgO PUBLICA.Por deliberaces da
presidencia, de 19 e 20 do crreme foram remo-
vidas as professoras de instrnecao primaria :
D. Francelna Cesarina, da caoeira da Varzea
para a de S. Pedro Martyr de Olinda ;
D. Leoncia de Luna Freir, da de Nossa Senho-
ra do O' de Ipojuca para a dos Arrombados;
D. Francisca Ludovina de Borja Ribeiro, da de
Abreu de Una para a da Varzea.
AJUDANTE DO PROCURADOR FISCALPor
deliberacao da presidencia, de 20 do corrente, foi
nomeado o Dr. Manoel Lopes da Cunha Maciel,
para ajudante do procurador fiscal da tnesouraria
provincial na villa de Barreiros.
SUICIDIO. No engenho Meio de propriedade
do Sr. Jos Antonio de Brito Bastos na freguezia
da Varzea, suicidoa-se o escravo Felippe enfor-
cando-se. Attribue-se o acto a acesso de lou-
cura.
ESQUADRILHA PERUANA.-Chegaram hon-
tem os dous vapores e um dos monitores, que se
achavam no Maranhao, em viagem dos Estados
Unidos para o Per, onde vo servir ua marmita
desse paiz. Vieram tomar carvo e devem seguir
amanha para a Baha.
FACULDADE DE DIREITO.Por aviso do mi-
nisterio do imperio, de 14 do carrete, foi decla-
rado ao Exm. Sr. conselheiro director interino
que, de conformidade com a Imperial resolucao
de 4, tomada sobre consulta da seccao dos nego-
cios do imperio do conselho de estado, foi decla-
rado vago, ua forma do art. 104 parte 2. dos es-
tatutos vigentes, o lugar de lente substituto da
mesma faculdade, que servia o conselheiro Dr.
Jos Liberato Barroso ; e mandou-se proceder
concurso para provimento do reerido lugar; l
cando sem effeito o aviso de 6 de abril ultimo, que
mandou tornar effecliva a dsposicao da parte 1.'
do citado art 104.
TARIFA DA ALFANDEGA.-Por aviso da fa-
zenda de 24 do passado, foi suspensa, at ulterior
revivi da tarifa, a clausula 2. do art 33 das
disposieoes preliminares que diz que os dircitos
excedan d 200 reis por kilogrammo.
SELLO DE PAPISSobre duvidas suscitadas
acerca Jo art. !> do decreto n. 4,334 de 17 de
abril ultimo, foi expedido, pelo ministerio da fa-
zenda, em 24 do passado, o seguinte aviso :
O viscoude de 1 laboranv, presidente do tribu
nal do thesouro nacional, no intuito de prevenir
as duvidas que possam occorrer na appiicacao do
art l." do decreto n. 4,334 de 17 de abril ultimo,
visto ter->e entendido que nao comprehende elle
alguns dos contratos sujetos ao sello proporcional
lelo regulamento de 26 de dezembro de 1860 ,
tectara aos Srs. inspectores das thesuurarias de
fazenda, para sua intellgencia e devidos effeitos,
de conformidade com a decisao dada nesta data
directora geral da contabilidade, que nao se de-
vendo considerar se nao como exemplificativos os
ttulos de que trata a l.3 classe do supracitado
artigo, claro que todos aquclles que nao se
ac.harem ah mencionados, mas que importarem
obrigacao por sommas e valores devem ser sujei-
u* ao sello proporcional; e portante esio am-
tiera sujeitos ao mesdio sello nao s os contratos
para a publicaoao dos debates das assemblas le-
gislativas, como quaesquer outros celebrados cm
o governo ou com as repartieses publicas, obser-
vando-se nos casos em que fr applicavel a dispo
sicao do art. 68 do referido decreto : intellgencia
esta qne procede da verdadeira interpretado da
le actual combinada com o regulamento de 26 de
dezembr, que nao exclua, antes sujeitava no
art. 6., I." do alluddo imposto, os ttulos de
que se trata.
contraria, foram nomeadas
loes :
Para con viles e recebimentos do joias c donati-
vos da juza, escriva, mordomas e lentes da Fa-
culdade : Furtado, Main Sobriuho e Goncalo
Faro.
Para tratar a msica e padres: Dr. Fgueirdo
e Furtado.
Pan pedir ao Exm Sr. presidente ama guarda
de honra e urna msica marcial : Dr. Tarqun io
e Braz Jnior.
Para esmellas na Faculdade :
L' anno : Jovno Antro e Epamineodas.
! dito : Helvdlo Aguiar e Lodro Reg.
3. dito : Miranda Leal e Flix de Figuera.
4." dito : Braz Jnior e afeira Sobrinho.
5. dito: Rvm. Estanislao e Candido Freir.
Na fesla de Nossa Senhora do Bom Conselho,
que deve celebrar-se, a 8 do mez prximo, can-
tara sita piimeir missa o Rovra. Herculano Mar-
ques da Silva.
SUFFBAGIO.-AmaBhia, s 6 1/2 horas da ma-
nhaa, o Revm. fre Joao Baptista do Espirito Santo
celebra una missa, oa ordem terceira de S. Fran-
cisco, por ser o da do i anniversario do pass-
menlo de urna irma terceira. Depois da missa
serao destribuidas eem esmolas de 500 rts aquel-
le pebres que apparecerem.
DINHEIRO.O vapor Toeantins frouxe as se-
guimos quantias para nossa praca, para os Srs. :
Notas.
Joao Jos da Grata. 8:000*000
Marques, Barros A C. 3:900*000
Francisco Goncalves Torres. 3:085*000
Antonio Jos da Costa. 1:896*000
Carvaiho & Xogueira. 500*000
Cobre.
L. Antonio Sequeira. 300*000
Mas.
H. Bium & C. 1:000*000
Bilhetes da lotera.
Manoel Martins Fluza. 3:000*000
Manoel Soares Pinheiro. 2 000*000
Fortunato Ribeiro Basto?. 600*000
Jos da C. de O. Figueiredo. 500*000
Alm dessas quantias vieram mais 500:000*000
em notas miudas para a thesooraria de fazenda.
Para as provincias do norte trouxe esse
vapor :
Notas.
Parahyba. 800*000
Cear. 25:200*000
Maranhao. 3:800*000
Para. 8:200*000
Cobra
Maranhatw 3:200*000
Para. m 2:000*000
Ouro.
Maranhao. 2:550*000
Para, 500*000
De Pemambuco para o norte Ievou o mes-
mo vapor :
Nota.
Parahyba. 76:084*000
Natal. 41:800*000
Pari. 32:000*000
CoDre.
Natel. 200*000
Bilhetes de lotera.
Cear. 400*000
Para. 1:200*000
CARUARU'.Desta cidade nos escrevem, em 16
do corrente :
Morreu, ha pouco, oeste termo D. Ignez de
tal, que contava nunca menos de 100 annos, dei-
xando tima grande descendencia. A finada pos-
suia alguma fortnna, e por occasiao de fazer-se o
inventario de seas bens, os herdeiros lbertaram
cinco escravos, sendo principalmente da nntar-se a
accao de um delles, o tenente Joo Correa de S
Brasil, o qual por si s, tendo ama molata muito
moca pedido a sua proteccio, invocando as cinzas
de sua mai, aquella finada, immeuTalamente enn-
cedeu-lhe a alforria, reqnerendo que fosse lancada
a respectiva importancia em sua legitima.
t Na semana passada houve chrisma em Alt-
nho, tendo sido muito concorrido, e hontem prin-
cipou em S. Bento. O Rvm. Trajano digno de
toda a consideraeo, pelo zelo que tem mostrado
no exercico das tuneces de seu ministerio.
LOTERA.A que se acha venda a 117" a
beneficio da Ordem Terceira do Carmo, para fun-
dacao de ura hospital, que corre no dia 26.
,----- _
POBM.I
aKTADA 0 CYM.XAM0 BIHI.^O POtl OCCASIAO D.
visita otR ao mksiio Taaxanirro se
NAfiAM MPAZtt K 11 Do COftRSirra SS. K\. >
SR WOtB A SnV. DQUKU BE SA
Eis, de novo, excelsa gloria,
Gyinnasio, nos teus umbraes
Indriama vez eos tea salo '
Tens persooagens reaes-1
Em outros ten.noeditsos, -
Aqu, em das tnstosos.
Visto o opsso imparudor ;
Vos agora a prole omave!,
I 0 Ilustre gcaro estiiuavel...
Exulta, exulta em fcrvor !
Hoja ao Pantlcon das letras
A realeza veio- honrar,
Das letras no Capitolio
Nomo eternoquiz gravar;
Culto suiliine e profundo
De um dos sob'ranos do mando
Aos primores do saber ;
Nobre amor pela scieneia
-Incentivo inteligencia,
Que a tanto sabe se erguer !
Resuma tudo tima scena
De tradicoes immortaes :
A scieneia e o re se estreitacv
Em amplexos fraternaes I
Do principe o egregio vulto
Conquista o mais n<.bre culto
Quando assim se faz amar ;
Ha de assim com immensa gloria.
as sabias lendas da historia
Sua fama eternisar.
A vos, senhor, quo quizestes
Das letras o throno honrar,
E do vosso alto civismo
Eximia prova hoje dar.
A vossa esposa adorada,
Do Brasil idolatrada
Por seu nobre coraco,
Rende agora a mocidade
Em prasenteira anciedade
Jubilosa saudacao I
Olhai -como em seu semblante
Se expande iinmenso prazer I
Como os raios de seus olbos
Sobre vostodos vio ter,
Seas coracoes que palpitara,
Nos sentimentos se agitara ,
Do mais nobre e paro amor,
Vos rendendo .ustos peitos,
Confirmando os sao< preceitos
De seu sabio director.
Florencio Gomes, professer do estabeleuieul^
Mano.?! Jqaquun Rodrigues; secretat1o<, Antoni.
Carvaiho Silva Leal, e Jos Joaquim Leita,Borpes.'
A mesa administrativa do Conservatorio Dra-
mtico ficou assim organisala, na eleicn i que se
procedeu, no dia 15 do correle : presidente, Dr.
Francisco Jos da Rocha ; vice-ditos, Dr. Frederi-
co Marinho de Araujo, o Domingos Joaquim da
Fonseca ; secretarios, Belannn Barrete, e Ale-
xandre Herculano Ladislao ; thesoureiro, Silio
Boccanegra; critico, Elisiario Pinto, o Paulo Mar-*
qnes.
A reparticao do corroio
juHto ultimo 4.806*045.
Procedente de Philadelphia chegra o hiate a
vapor Uruguay, com destino Montevideo.
Este navio fallou na latW. 14 19' e long. O. 25*
23' com a barca hespanbola Eleodora Blemar, indo
do Cadix para Manilha, com imraigrantes.
Fallecern: a baroneza de Piraj, o verea-
dor da cantara municipal da capital Manoel Affon-
so Paraizo Jioura, o conferenle da alfandega Ti-
burcio de Andfade.
Lomos no Jornal :
Foi o mwiroeato deste porto em julho do 265
embareaefies com 34,037 tradadas, tripulada- por
1.698 pes3o?s e de 1,244 pas-agairos, saber : d>
fora do imperio 35, sen fo uacionaes 1 e 34 es-
irangeiros ; das provincias 40, sendo nacionaes 23
o 17 osirangeiros ; dos portes da provincia 30 na-
cionao*; 27 vaporas, sendo mcionaes 13 e H <*s-
trangeiros, que trouxerara 554 passageiros, sendo
nacin es 256, estrangeiros 132, pracas 18, ex-
ditas 45, africanos libertos 30 o 73 escravos 1
transporte francez, 1 brigue-escuna nacoaal 1
fragata logloza.
Para Tora do imperio 29, sendo nacional 1 e
28 estrangeiras ; para as provincias 43, sendo na-
cionaes 29 e 14 estrangeiras ; para os portes da
provincia 30 oaemnaes ; 25 vapores, sendo nacio-
oaes 11 e 14 es'rangeiros, que conduziram 600
passageiros, sendo nacionaes 340, estrangero H5
iracas 81, africanos libertos 16 e 138 escravos 1
yapor de guern norte-americano, 1 transporte
rrancezel brigue-escuna nacional.
< A* 22 do passado loram remedidas pelo Sr
sabdelegiido do 2 astricto da freguezia do Rio^
Pund.1, capio teraldoi Awaslo da Rocha Urna,
deiegado de*ta ddaoV, e rocolbidos cada
arro* a Mana Ricarda, moradora no
PRE IDIO DE FER.VAN'DO.-Sobre a nomeaco
de alguem que edes e outros papis pblicos no presidio de Fer-
nando de Noronha, ii expedido, pelo ministerio
da fazenda, era 28 do passado. o seguinte aviso
ao ministerio da guerra :
i film, o Exm. Sr.Respondendo ao aviso, que
V Exc. se dignou dingr-rae em date de II de
junho do corrente anno, tran mittndo por copia
a ollicio n. 127 da presidencia da provincia de
Pernambuco do 28 de raaio ultimo, no qual re-
3Dista na s a conveniencia de liavcr no presi-
i-> de Fernando do Noronha, pessoa habilitada
oara passar procuracSes e intervr as transac-
coes que depeudem de instrumento publico, mas
anda que tenha em seu poder estamplhas para o
sello do papis em que devalo este imposto, te-
nho a declarar a V. Exc. que nao provindo as
difliculdades e inconvenientes indicados no offlcio
d'aquella presidencia do regulamento do sello,
mas da falta de um ofllcal publico residente no
presidio e competentemente habilitado para inter-
vr nos actos da vida civil sujeitos s formalidades
ao direito commnm, claro que, emqoan o algu-
raa providencia na fr estabelecida era ordem a
remover os
PUBLICACOES A PEDIDO.
8. A. r. duque e a Sra. du-
quesa de Saxe no gymaaslo
haitiano
Em sua passagem por esta cidade no dia 11 do
crtente visitaran SS. AA. o gyinnasio bahiano.
E a segunda vez que aquella importante casa
inconvenientes a que allude a presi
dencia de Pernambuco, o que curaprc ob-ervar,
quanto a cobranca do imposto de que se trata,
o preceito do art. 31 a. 2 do regulamento n. 4,354
de 17 de abril deste anno, at que se torne effec-
liva a disposcio do art. 27 do mesmo regula-
mente,
Em todo o caso devo ponderar a V. Exc. que
para o pagamento de vencimentos na corte e as
provincias aos empregados do presidio de Fernan-
do de Noronha, e d%s colonias militares estabele
del cdas grande distancia dos lugares em que ha
ubelliao, o thesouro tem permitlido que o paga-
mento e efectu vista de ura simples offlcio
dos commandanles, ou de procuraces partcula-
es, urna vez que sea reconbecida a firma por para honra da provincia e bftteflcio do paiz.
Ao capitao do bMalhao do infamara da gaar-1 amia! de 9. Bento do Inhala;
aprnaeira
*
indgi-
tabellio, como declarara as ordens nmeros 182
de 11 de junho de 1851, 4 do marco de 1853 e n
tt de 13 de marco de 1857. >
RFPAROS DE PO.1TES.-Por aviso do ministe-
rio da agricultura, de 31 do passado, foi declara-
da a jire-idencia deste provincia, que fioa poste
sua dsposicao a quantia de 4:960*880, para as
obras de que carecem s non tes Sete de Setembro
e de Santa Isabel; convmdo exigir novas infor-
rnaoes do proflsrional encarregado dessas obras,
rolajtvaraente ao roelhoramenlo das columnas da
1.* O aquellas ponte* para sua maior doracao-.
REPARTICAO DA VACCINA.Pur aviso do
immsteno do imperio, de 9 do correte, foi de-
clarad presidencia desta provincia, qne o go-
verno imperial na o ple conceder quantia alguma
para pagamento da pesada encarregada de abrir o
varrer a reparticao da v?ccraa, assim como de
-otivgar os offlcios eoncernentes ao expediente da
mesma, nao d p >rque o mesmo governo at ago-
ra tera prescindido do despezas com o expediente
Je tea.' reparticdes as provincias, mas tambem
aorqw o estado actual dos cofres pblicos n"
pennitte que sejam onerados com mais esse en-
cargo.
MINISTRO AMERICANO.-Do Jornal da Baha
transcrevemos o seguinte :
< Passnu para o Rio de Janeiro o novo minis-
tro dos fctados-Unidos da America, Mr. H. J.
W..W.
Consta que vem encarrogado de dar ao go-
arno imperial plena satisfacSo pelo procedimento
Jo mu Mfcassor o general Webb; e que deca-
de educado honrada com a preseuca de pessoas
da casa iraporia!.
Desta vez, como cm 1859 quando recebeu a sig-
nificativa e honrosa risita do monarcha, corapre-
Itendeu o gj'mnaso a notavel distineco de que era
objecto, e correspondeu dignamente espectativa
de tao altas personagens.
Ao apearein-se do carro, foram SS. AA. receb-
dos com fervorosos vivas pelos collegiaes que for-
raavam cm alas em teda a extenso da alameda
sombreada de frondosas a/vores que vai ter ao
vasto edificio do collegio.
Ao cntrarem, foram os augustos principes sau-
dades por entro Adres o vivas, cam o Ityutno na-
cional executado por urna canda de msica toda
composta de alumnos da casa, a qual tocou depois
algumas pecas de hartnonia, que mereceram jus-
tes elogios das pessoas quo acorapanharam a sS.
AA.
Os Ilustres hospedes, depois de ouvirera duas
poesas que lites foram offerecidas por um profes-
sor e por um alumno, nercorroram todo o estahe-
lecimento, manifestando plena satisfacao pela ele-
gancia da capelta, aceio dos dormitorios, systema
de recreios, etc., demoraudo-se algum lempo em
examinar os apparelhos e machinas de gabinete de
pnyalea e declarando S. A. o Sr. duque que sen-
ta nao poder gastar mais algamas horas em ouvir
os meninos as aalas e as exorcicos orticos de
conversaeo das lnguas franca' e ingleza, por
isso que o vapor tinh^ do parBnaqueTla mesma
tarde.
Retirararn-se SS. AA. s duas horas, tendo che-
gado a urna hora depois Ha meio dia, sempre vic-
t inados pelos alumnos daquella excelleute casa
do edueacao, na qual tem o benemrito Sr. Dr.
Abiho gasto os melhoros anuos de sua vida, desen-
volverlo urna vocacao decidida e admiraveldedica-
cao em favor da instnu$ao da mocidade, em cuja
regeneraco tem j prestado eminentes servidos,
13 de agosto.
S. 0. D.
4 4. Sr. taque e a Sra.
duquesa de Male.
SAOA^AO
que roa occasiao be sai vbita ao gvkkasio baha-
no, RECII0U UM ALUMNO 00 MRSMO E6TABEI.ECI-
Hrro.
Para saudar-vos a pretcnca augusta
Por esta nobre to feliz cidade,
as azas do respeijo o da alegra
Elevase festiva mocidade.
Salve I Penhares da affsigao profunda
Do povo, quo m rci v seu futuro I
Salve I Pnnceza.... que es princeza e anjo I
Anjo no coraco.... no olhar to p'iro !
Salve l Principe Ilustre, em enjo pello
Palpite rdante amor per este terra I
Do povo, que te abraca, a gloria e o nome
Tambem uas tuas alies boje s'encerra.
Quando corteado as ondas do occeano
Vos oceupar a mate este cidade,
Sentiris o perfuma deelas Odres (1) K
Quo sao flores da aawr.. a d saudade I
fJSl,DW& 'a,l0e *y"*m ,M ,fcM foram 0flfere"I '( **> eiacw q esto adiada dsat H-
Aasociaeio Comaaerclal
flceute.
( Cont innocuo.)
Eis chegada a sessao do da 6 do corrente.
Nesse dia ha crescido numero de 105 socios, qne
Knais se minio o edificio, o Exm. Sr. presidente
rao da Soledr.de declarou aberta a sessao. Pro-
eedeu-se a leitura do requerimente, em que m
pedia a nullidade da eleiea* no dia 2, e uot'voti.
le louvor aos mentiros da direceo transar!.
0_Sr. secretario procura justificar a diraedk, pr
nao ter mandado proceder ao segundo eserntlBi.
no da 2, conforme determina o art. 2 dos esta
tutos ; e disse que nao fez por dous motivos
primeire, porque nenhum dos directores queria
continuar; segundo, porque depon da votocw
desse dia, se haviam retirado muitos socios. O Sr.
Pedro Cascao apresentou urna moeo para que
fosse sinente milla a eleico dos dous novas di-
rectores eleitos na sessao d dia 2. e que nao ob-
tiveram maioria de votos, em cujo nninero esta va
elle incluido. Falla o Sr. cotranendador Lavo,
sustentando a nullidade de toda a eleiru da ses-
sao anterior, e fundamenta sua opraio nos arl?.
22 e 24, combinados. Quanto ao voto de louw
pensa o orador que deve ser approvado ; poi -
quanto a direceo prestou importantes serviw.-
monetarios.
Em seguida oceupa a atlencao da reuniao o Sr.
commendador Rabello, que leu um longo discui .
sbre a nullidade da eleico, cuja opinio eslava
firmada no parecer do advocado da Casa (1) Dr.
Joaquim Jos da Fonseca, do Dr. Brammond e
do Dr. Campes, os quaos deposita sabr a mesi>.
e em conclusa. disse, que ao voto de Mtvor dt-
viaacompauhar o de enfianca lodos o.-direc-
tores. Fallando o Sr. Bare, requer a leara da
acta da sessao passads, isto da de t de corrente,
3 que ful approvada, mas nao lida II
Tomn a palavra o Sr. Manoel Guirnaraes, e
sustenu a validada da eleico, nao s porque
nenhum dos directores quera continuar, ct.....
fra declarado pelo Sr. secretario; como porqu>-
dismindo o ail 22 dos estatutos, que devem s*r
reeleitos dous directores da transada direceo.
no art 24ordena, que se proceda asegundo es-
crutinio, para supprir a falla que honver dos di-
rectores da direceo passada que nao obiiveram
maioria. Ora, na hypothese ha doas dos novo-
que nao conseguiram maioria, existem tambem
sera maitiria os dous directores da direcsao flnds,
por conseguinte deve-se proceder segnudo ew.ni-
tinio para ver qual dos dous da direceo deve en-
trar, viste como s obtiveram maioria seto novo,
e a direceo se compem de 9, entre os quaes de-
vem estar dous amigos. Assim prafa, qne a elei-
co dos sete directores que tiveram maioria de
votos na eleico do dia 2 salida, a para aotori-
sar sua opini passou i ltrdons pan-ceres ds
advogados Drs. Moraes e Silva e Coste Ribeiro, os
quaes remelleu mesa, e quo goardava ootra
ordem de c*msid^ra55es para iuan> fallasse s>-
gunda vez. Quanto, porm, ao oto de louvor,
estranha qne os Srs. commendaderes Loyo e Ra-
bello se empenhem por elle; tendo ambo- pessoas
que do perto Ihes toram ; visto como na diroreSo
ha ura drerior socio des EMacionados cima, >;
outro prente.
Falla o Sr. Oeraldo Basto*, e dizqM a eleic'
esteva d pleno direito nulla vista do art. 22 ;
que quanto a maioria de quo falla o arl. 24 ama
excrescencia ; que (panto ao voto de louvor, po-
da ser que a direceo houvesso eonimetlid pel-
eados veniaes ; mas que nao havia raza para su
deixar de reconhecer servicos imiortantes ; n
que por isso era digno do voto da HMsvor e cor.-
flanca, como havia pedido o Sr. eomasaodador Ra-
bello.
O Sr. major Relarmino diz aap, para se julgar
da nullidade di eleico, nao preeisava de parece-
res de advogados, porque a asrembla compe-
tente para decidir ; pelo quo recaera encerr-
ment da dncasso. Centra o eiurmaraenlo fcl-
laram os Srs. Jos de Y.voncellaa a oalttx.
Levanla-se o Sr. commendador Laya, e diz quf.
nao v dosar algum justificando o vate de louvor
a direceo, onde tem um prente.
Oceupa a tribuna o Sr. Jos da Yasrancelfas
que, firmado no parecer do Sr. Dr. Drummond
(parecer j apresentado peto Sr. eommendad* >
Rabello) sustenta a nullidade d* tatele, qne co
parecer l'elle orador est nulla da (sata e de di-
reito ; e que se deve proceder feotas ateicSe*,
quantos forem necessarias para a entrada dos
dous directores da transacla-dVeccaO:
Concluindo. rasnd'Xt o orador mesa a segain-
te proposta :
y Se a assembia julgava a materia discu-
tida ;
2 Se a eleico esteva nulia ;
3. Se deveria correr escratink sobra os dous.
Em sognida, estando com a patarra o Sr. Ma-
noel Guimaros foi obrigado a ceder, porqae eram
repetidas as vzes jue psdiam a votaeao, de raa-
neira que a palavra do orador aJb se poda ouvir.
Posta a voia^a a proposta da 8r. Vascoocellos
loram approvados os dous primeiros artigas enre-
judicado o tercoiro.
Pede o Sr. Manoel GoWaares a rUm pela
orJem, a manda mesa o segaiala arotasio para
ser inserid na acta, e que para aaanropio :
O* abaiv assiguados aaasidsoaado, que i
dtoicaii que teve lugar n.i dia S do eerrenta foi
conforme os estatutos Testo asssociacao (art--.
21 e 22 :
Considerando que, fmsnla sao foram eleitc*
os dous membros da dfreeco traasaete, con-
forme prescreve o art. 22 ;
Giasideraado. que cssa tilla nao prajadica ;
mente
consi-
wsteiaaa dos dous
embros da dweec&i transaeta, so deve prece-
der a segundo escrutinio para preenrbiment
deesas vagas; vagas existentes nao s pela foi
te dos dous que dVtviam sor raaieitos, como.
porque os dous novos nao ebUveram maioria ;
considerando que essa faMa aa> vmapa* dos as- -
"ociados, devia ser tmmrsalamiata supprkU
pata direeciii, i quera aorrt a restricta aMga-
Sio da advertir os cgalos dos membras dassa
oiiastueranao, que cssa fina sao prajadic
elcicao de todos os escolbidos : mas sotn
donsqna ni ot-tiveram maiaria: assim cu
aerando que na falta da raetataSo dos t
f








Diario* de Psrnnmbiico Dojmngo 22 de Agosto
Iftedir !*
compre! leader
"'rt&S
nidos
ti, den pe;' ilml > os tes' all*
Ion uinjvaiuuuie olenos pira
ika por parle na
mimo aoa qae #0
^dos ** r-
t 71 i

ufa Hivel,

a eleirV) que dea o
wdulas" aparadas:
votos
13.1
134
133
li
im
IM
129
128
I2i
do* sapplentes
> Considnrauda, ft*e una vea abda & nutria
so fi.-a partoaccn.aa a direoeSo, que te
- pa tirjar nova miiorii, para darrotar os
eiatftv neutro da ftsr esfolln de outros,
qwafHRMmpra- pnfaAir ial : por imlo foto os
abaisos assigiiad >s impar ;cem unate p ira
i votar no* dous laembios fladircocio quelln-
dou, o ijuaps dcvem entrar ra vaga do don1
qa nao ohveram naaioria, risto Como eative-
ram presentes 76 eleitore*; pe o que aasim
m.iaifeiUm, os abaixo assignad* sep parecer,
e pretesiam contra qualqu -r a?lo em contrario,
oo eimprelicnsivu da ir>.'lid.ide i todos o*
memhros eloitos para nova direcrlo, e pedem
- quo sa transcrtva o pres-jn e na acto.
Mis, depois de lida pelo Sr. secretario, pede
palavra o Sr. Araujo e oii, qae nao havendo pe-
i ante -me ii, nem contra quem protestar, nao se
flevia aeceitar o protesto : o Sr. presidente su-
eita.o protesto vetapio. teno-se prenunciado
oulra esla rosolueao do Lv.i. Sr. presidente, o
Sr. Jos de Vasconcelos, que consideren o pro-
Fi*slo como un dircito das menoras ; pelo que
-e devia inserir na acta ; mas allnal toivensiuo,
- mdo ftgeilao u protesto I I
O Sr. BairiU dudaron qtw doixava de tomar
parte na voiaeSo, por se nao ter lid o a acta da
essio passada.
C:u seguida proeodeu-se
-rjuinto resullado^do 14C i
Senaofw:
Carao da Soledad*'
Tassa
Miranda Leal
V. Osar Hamos
J. Vegelln
Pedro Maury
S LeRao Jnior
WilliainOtto
E. V". Laadem
l outros, toad i o man volado
I i votos 11 _
A vista do e.xposto.quer na sessao de 2, quer
na de 6, o publico julgar, se as cen-uras
L-ita* a direceo passada orain ou nao proceden-
te! c justas :
Se, a direceo jusuncau-.se dos actos e censu-
ras qae Ihe foram dirigidas :
Se, o Sr. secretario orgao da mesma direceo
esto ou nao em contradicho com a acta de 17
da agosto prximo passado, e s explieacoes en-
'3o das, com suaos offereeen na snssSo de 2:
Se, a eleieao d. dia l di eorrente varia va no
seu resultado, revela um plano combinado, e urna
chapa batida; ou se, pelo contrario, e inaut-
tostamente provada na eleieao de 6 do eorrente ;
-cujo rasnltado no meu modo de pensar autonsa
o juizode que ella fui urna ainquista da plano
combinade e cabala preparada f
Se. a declaraco do Sr. searetario, oigo da dl-
ree{5o, de qu? nenlmm dos directores da direceo
passada quenam continuar, compavel com o
resaltad* da eleieao, e com o voto de eoulianca
podido pelo* Srs.'commendadore* Rabillo e Lovo,
o* quaes liaUain na direceo socio o [trente.
E se, esta declaraco co Sr. secretario, o re-
sultado da eleieao, e'a subsepient-i acciucao da
direceo passaila, sem explicacao algmna conten
ou nio uiystcrioquecoueeou no dia i e se co:n-
|)letou no dia 6 ?
Se o Iriampli > obtido pela direceo oo da 6, a
livra das censuras feilas, o:i se apenas manifesta
a na destas victorias eleitorae* que todos os dias
testeinunhamos, e pela* quaes se conquistan! e se
escallam as posieies, sem que todava sejam acom-
paohadas de verladoiros merecinicnlos e expon-
(anea eoulianca, c sincera dedicacio doselei-
-or. ,
Se, pelo contrario, o resultado do diaG nao tor-
na patente a justica o exiiintaneidad'i da eleieao
do dia 2 '
E se derrota do dia 6 nao honra e ennobroce
as vencedores do dia 2, se vencedores se pJem
chamar a aquelles, que de seus proprios, sem com-
ninacao, nem planos, solicitares e caballas obti-
\eram maioria naquella sessao de 6, apenas oble-
ve o insignificante numero de 3 votos, e os outros
"omito abaixo dos novamente eleitos.
Para mira testemunha oceular, e que proi*,urei
lazor ^u'ilicidaie t>do quanto se passou, nao
lia duvida qiw antea qwzera estar lora da direc-
eo, que della taier [urte, vista do*'lacto* i|ue
vo nirrades.
Ealretante, outros as^ini naipsnsanm; tira-
nem nao os censuro por esta nuneira de |H-
correr.
Mas, a verdade que a direecao d.we procurar
andar muito bem para evitar tactos desagradaveis
oque a powam prejudiear, nao n'uma eleieao,
mas no couceito dos horneos honestos, das autorj-
lades publicas, e no centro dos nuntbr. de tao
imponente classe, como a do cjmmercio.
E' preciso que por satisfacoes a amigos nao se
se offeudam os sentimentos d nacionalidades, pa-
iriotismo o regosijo publico, do que poder vir um
certo enfraquecimento a direecao o menospreso a
classe commercial, por parte das que Ihes sao es-
tranhas e das autoridades perantc as qnaes lem
de representar os ntcrcsCi iniiortan!issini)s do
commercio.
Se, porm. houvcr um desvio de modcraeao, sa
ber e justica que deve caracterisar a toda a direc-
eo, dentro em pouco tiremos de testemnnhar
tiesta praca a iristissima scena da classe commer-
cial dividida em dous campos de gladiadores para
so baterem, geni meditarem nos moios, pesarorr. as
cansequencias, s tendo em vista destruirem-se
reciprocamente sem vantigem da classe, j bas-
tante acabrunhada por oulras causas que me nao
.' dado aqui explorar,
E" pois, de suppor que as lulas tenham um pa-
radero, e que as cousas se restabetecam de urna
runeira conveniente da classe, embora nao con-
lorme o capricho e as demasas das susceptibilida-
dr:s de quera quer que seja.
Tenho chegado ao ponto que dosejava, esclare-
endo o publico para formar o seu jniio acerca
do que se deu na Associaco Commercial, repel-
lado essas intrigrinhas e historietas qu-j se espa-
thara, mais para deprimir. certos caracteres e
pxercer viogancas particulares, que para patcntear
a verdade e firmar a justica.
Assim julgando nio tor faltado a cxactidao dos
tactos e respondido cabalmentea puhlicacao do
j-jdido no Crrelo Pcriiw.nijucnno de 18 do cr-
tenle.
Goncluo repelindo, querespeitosamente aguardo
a oplnio, asseverando jamis tratar de semelhante
a?mmpto.
Rocife, 20 de agosto de 1869.
r
Os m&rtyres queleiam-Uma
palavra aos dyspepticos,
Soffreis martvrio, o s os que sabem o

aun dizoi', porta de
Es jiijrai'dio a sa
toce-la.
ha que bo tenha
defaT sai-a e vos rireis das indigealSea
e de todos os ser* coocouiiUnles e conse-
qrjein;
N'uma semana aliiviar o repleto deposito
desse perigoso material que Nato vos traz
a tonn etitado.
A flac#lneia, a iftmdto do stomago,
a taita de activdade tanto jJQjgrpt coim
lo eiprto, as vigMas, e as" angustias dd-<
rant o-din, a dores de cabera, as nauseas,
as indescriptiveis sonsacos que acopa-
nhan a dvspapsia, e aio ba nenhiima oulra
molestia, qin: 83o desappareca qual sombra
passageira.
Tira-rhe a prova, experimentai-a.
Acha-e venda as pharmacias de A.
Caors, M. A. Dar liosa, J. da Conceiro Bra-
vo & C, l. Miurer Q; t Bartholdmeo
A C.
COMPANHIA
Repar'icao das obras publicas de Per-
nambuco, em 6 de jutho de 1869 Illm.
Sr.Ameafando imraliiente perigo a ponte
provisoria que se est desmanchando por
parte dessa companhia entre esta freguezia
e a de S. Fr Pedro Gonralves, rogo a V. S.
de providenciar de modo a impedir, que
por ella se faga qualqufr transito.
Deus guarde a V. S. Illm. Sr. Dr. Sym-
phronio Cesar Coutinho, vice-director da
Companhia do Deberibe.O engenheiro aju-
dante, Manoel Lovrenfo de Mattos.
Conforme.O escripturario, Marcolino
Jos Pupe.
i,lem a
^H|Hrm*. lili
rBa a
km.
Smo. Q'ioj! *enden-ie a 170 per libra.
Toucnmoi-ff1 de Lisbfta regaba de #800 a
10 por rrofca.
ViNAoajr a* toatrau..Veaa>o-se de IIW
ViNUoa'3^e Pertoftl vndense de )S
l.WKWOeoestrangeiro de 190 a 208*,por pipa.
Vela*.-As de com.iosicao obliveram- 660 rs.
por libra.
D8co\toiO rebate de letras altcmou de 8 a
9 % M anno.
Paariw.o londao d'aqui para Liverpool a
vapor l/ d". por livra e o / e a reb 3H d. por
libra Mtrinai ; earrend<} em >**** pm o
mesmo porto a vela5'8d.5'/,; e tta Parahyba
dem idem a l/ d. por libra e 5 %. Do assucar
d'aqui para Livorpool a vela 15/ por tonelada sem
capa e para o Canal Mem a 20/ Idetttidera, nomi-
nal. Ha espermen de breve melhoratnento
COMPANH|.% PERN.\MBUC\KA
Navcx:i?io cAstelra
asacaras da
$s 3 fibra ,
I frete at a
fo escriptorii
l
anirrcrii''
ffft
!fft e dinheiro
di a (ksaWda :
relofflo de parede, uro guarda lonra, uro par de
iJldwr! dirjirhinf diversos re4ofiw ouro
para algib
nte laiBi* Baaent jtorispdo
dos objeetos ti ^nl(Jll^n>araia-
lem ra do Imperan t. horaa em
ponto sem roser
rara >
MOVIMENTO DO PORTO.
i
O patacho Protector seguir para o referido
porte era poucos das, por ter a maiyr parle di
seu carroiamente prompto : para o que Itie falla,
'ineintiuizTcarreiur-* lretetoanuno4ap#dc dnaV^
fjr-se ao consignatario Joaquim Jos Goncalves
Hpltrao, ra dp ^ommerckt n. 17.
Para oMaranho
i vi sabir breve poner a maior parle do carrega-
nfcnjp engajado, o palhabote |>ortugtlea Cdi-o/mu,
capkso Joo Panlo fe OTtVira, recebe carga a fre-
a : .trata-se >m E. R. Itabello, ra do 'iommcrcm
n.U.
COMMERCIO.
1869
kil.
ao
PRA^A DO RECIFE 21 OE AGOSTO DE
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Assucar bruto americano 3*200 por lo
(hontem).
Descont de letras de 5 c 7 mezes 8 0/0
anno (hontem e hoje).
Frete de assucar daqui para Yalparaizo 30/ por
tonellada e ,'i 0)0 (hontem;.
. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
N'trm entrado no dia t.
Rio de Jaaeiro o portos interaaed*7 dias, va-
por brasileiro Tocantins, de- 7^0- tonoladas,
eoiamandante l. M. Ferrira Fraoflo, eompagem
5J, carga diflerentes gneros: a A. L. de O.
Azevedo A C.
Aas.9 dias, malo brasileiro Nota apeimica,
de 76 toneladas, capiu Jalles, e(Uiipa|om 6,
carga sal; a II utiiolameu Liurcnco.
Trieste.118 dias, barea italiana nllu Placedla,
de 195 tonelaaV, caititii Constantino Bandtiii
equipagem 9. carga 217* barricas com larinha
de trifo; a Joaqoam Jos Goncalves Ballrao._
HarabOTgn. 73 dias, tugar dinamnrqaer Moran-
ne, de 105 torrelodas, caphno A. Jensen, emu-
dagem 6, carga varios gneros : a Candido Al-
berto Sodre na Motta.
Cear 5 dias, monitor peruano Prmetro, com-
mandantc capilao de fragata D. Gamillo fc Car-
rilno- r. 1:1
Cear5 dias, fragata peruana PacMea eomman-
dante capitn de fragata D. Aurelio Annecta.
Cardeir-i2 dias, brigue inglez Kxcelcion, de 227
toneladas, capilao T. Falla, equipagem 9, carga
carvo ; a Anloni L. de O Azevedo A G.
NewV-ork35 dias, hiate americano Mar y .UVi-
tham, de 118 toneladas capilao Partredye, equi-
pagem 7 carga 600 barricas com farinha de
trigo e ontros gneros; a Johnston Pater A C.
Navio suAido no mesnto da.
Portos do norle vapor brasileiro Tocantins,
commandanto J M. F. Franco : carga varios
gneros.
06jwtinic'7o.
Suspenden do lamaro para o Rio Grande do
.Norte o patacho norte-allemo Annclwn capilao
Mayer, com o mesmo lastro que trouxe do Rio de
Janeiro.
J.
Para Lisboa
okialacho pornaguz faWit,'c*pittf~Paro Martins
Blanco vai sabir bre>c por ter a**fhai4r p^rt dS
cairga engajada,.recebe o rcslu que Ine falta a fro-
te barato, e'pn'ssageirs : Irafa-se con E. R. Ra-
bello, ra do Gmimerck) n. 4'i.
De um plano francez. e forte, uma'mobiKa de i
no com 1 sof, 1 mesa o 2 coralos com le-
dra/, 4 cadoiras de braf/is e 12.de guarnido,
#*obilk esinful q*m 1 fofo,, 2 eadeiras de
brajeoe o t de j;u:irtiicrio, cajidieiras- a gaz, 2
vtaas. mezas.de. jotro, 1 uwsa mdawia de ja-
caranda, 2 espelhos, 3 redomas, 1 mes? elsti-
ca, Hinca e vidrof, mezas com .gavetas, 1 cania
de brotze. para duas besaas, t dita para me-
nino, djtTuteHles eadeiras, lavatorios, 1 mar-
qnezSo,' tlnndres, ireui de cosinha outros eb-
jectos.
Terca-foira 24 do corronto.
.No, 2?.andar da rtiaHe Trapiche n 8.
A. Du-amnt, tendo-ae retirado ,eom sua fami-
lia p/a Noa-York, faz leilao porjintorveuen do
agente Pinto, dos movis e ma4 objeetos cima
| luutll.uados, existentes no 2" anjlar do sobrado
effecluar o
Para o Porto
pretende sabir com a possivel brevidade o patacho
portaguez Uberfrt, h:;n parte da carga engajada, e
para o resto que Ihe- falta, pode tratar-se com Da-
vid Rjrreira lialtar, ra do Brum n. 92, ou com
o cjpitao do referido navio.
Para Lisboa
0 brigue
Lisboa com
portogoez Contante II sogne para
menor demora possiveL por j ter
parte de. sua carga prompia : para o restante e
passrgeiros, trata-so com os consignalarios Olivei-
ra, Filhos & C, no largo do Corpo Santo n. 19, ou
com o capilao n ora?a do commerrio.
da ra do Tjapicbe. ii- opde
Puncipiara as
10 horas.
ISTLBO M PllffAiATOMeS
com t*epe(ifio para m !
qnr tm de ffazer e\*mc eat
ovenibro.
Jos Soares de Azevedo, froesjor de
lingua e 1 literatura nacional no gyanftaio
provineial do Recifo, tem aborto ea Ma
easa, n Bella, n. 37:
Um eurso de
i.1nia fbanckza ;
philosophu ;
Amiaimiia e historia;
rf.tmuhic.v k pottica.
Os exudantes que pretenderen! fazer
exaroc em novembro ero qualquer destas
rnaterwo, podem dirigir-so indicada re
sidenci*, tarde, das 3 horas cm diaote
Ama.
bem colimar
: a tratar aa
LEILIO
De ama porcao de .ivreA de litleratora
bem conservados e de bons autores em
porluguez e francez.
TEIir.AFKfRA 2i DO CORRENTE.
Pelo agente Marlins no armazem da ra do
Imperador n. 16, a* 11 h ra* em poni.__________
Kendiraenio do
dem do dia 21
ALFANDEGA.
dia 2 a 20. .
46S:790ilo7
24:956*217
487:746*'i04
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volnmes ontrados com fazendas
dem idem com generes
Volumes sahidos cora fazendas
dem idem cora gneros
324
210
------531
17a
u 488
-.-------m 663
DECLARACOES.
Descarregam hoje 23 de agosto.
Barca inglezaGazella mercadorias.
Brigue inglezMeliteferro e carvao.
Barca inglezaNaoniaidem.
Brigue portuguezCoafanfe IIvarios gneros.
Patacho portuguezMarta diversos gneros.
Escuna hollandeza Anna Mara varios genero?.
Brigue norueguenseJarpfarinha de trigo.
Brigue hespanholPp/m charque.
Brigue norueguense.4rnn.< farinha de trigo.
Lugar dinamarquezJinWflna varios gneros.
Vapor brasileiro tocantiss, rindo dos portos
do sul do imperio, manifestov :
50 rolos de fumo ; a J. F. da Silva Novaes.
336 ditos dito; a C. A. Sodr da Motta.
Encommendas.1 volume a H. Oettli A C, 2 a
J. L. Gonjalves Ferreira A C, 2 a Lailhacar A C.
1 ao barao da Soledade, 3 a A. Jos de Azevedo, 1
a Jos A. da Silva Jacques, 3 a Clisses do Reg
Rangel, 1 a Joao Walfredo de Medeiros, 1 ao con-
selheiro Joao Silveira de Souza. 1 a Gomes de Mat-
tos A Irmio, 1 a Manoel Alves Barbosa, 1 a L. A.
Sequeira, 1 a AfTonso C. do Valle, 1 a Veras A
Barbedo, 1 a Thomaz de Aquino F. A C, 1 a Oli-
veira Filhas A C, la Manoel M. Rodrigues do
Nascimento, 1 a Jos Ribeiro da Konseca, 1 a Aris-
tides Jos Correa, 1 a Joaquim de Almeida Pinto,
1 a Francisco Marlins de Amorim.
RECEBEDOHIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERN'AMBCO.
rtendimento do dia 2 a 20 3t:3007.>8
dem do dia 21...... 2:l80*oob
Provincia "da Parahyba do Norte.
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector do thesouro
provincial, faco publico, para sciencia dos interes-
sados, que a dita reparticao compra toda pedia
de granito, conduzida como lastro, pelos navios
que forem carregar ao porto da referida provincia,
a razio de U por tonellada. posta em trra.
Recife 12 de agosto de 1869.
O agente de rendas,
Joao Rodolpho Gomes.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
COMPANHIA PERNAMBCANA
M
SaYegacao eosteira por vapor
Mamanguape.
O vapor Mniid-ili. comman-
danto Penna, seguir para o por-
to cima no dia 28 do crrenle
as 6 horas da tarde. Recebe car-
ga, encommendas, passageiros e
dinheiro a frote ate as 3 horas da tarde do dia
da saluda : cscriptoriu no Furto do Mallos n. 12.
Para o Maranliito
patacho oportuguez Mara, eapito Pedro Marlins
Branro, recebe carga a frete ; trata-se com E. l\
Rabello, ra do Commerrio n. 44. ______
LEILAO
De 50 saceos eom arroz do Ma-
ranhao.
QuartaTfeira 24 do eorrente.
0 agente Pestaa far leilao por conla e risco
de quem perleneer de 50 saceos com arroz do
MaranhFio e serao vendidas em lotes a vontade
dos compradores no dia cima as 11 horas da
manba no armazem do Annes.
AVISOS DIVERSOS.
Para
Seguir brevemente o veleiro patacho portuguez
Boa Fe. eapito Domingos Martins: recebe algu.
ma carga a frele razoavel, para o que se trata
com o seu consignatario Joaquim Gerardo de Bas-
o*, ra do Vig.trio n. 16.1" andar.____________
Para Lisboa
o palhoboto'portuguez Carolina, capilao Joao Paulo
de Otiveira, vai sabir breve por ter grande parte
docarregamento engajado : para carga e passa-
geiros trata-se com E. A. Rabello, ra do Coni-
mercio n. 44.
Sexta-feira a tarde voou do segundo andar
do sobrado da ra das Cruzes n. 41, una rola
hamburgueza muito mansa, c que canta constan-
temente, tomando para o* fundos das casas da ra
do Crespo ou Imperador : roga se, pois, a quem a
tiver apanhado o favor de a mandar levar A refe-
rida casa, onde se gratificar o portador._________
Precisa-se de urna mulher forra ou captiva
que saiba cozinhar o diario de urna casa na ra
do Queimado n. <8, 2* andar.__________
-- Ocollegio da Gonceice precisa de um lio-
mem idoso para oecoparo lugar do porteiro.
Joao Francisco de Souza convida aos seus
amigos e os do finado Joao Luiz Goncalves para
assisiircm a missa do stimo dia, na igreja da Ma-
dre de Dos, na terca-feira, 24 de agosto, as 7
Eaapreza Iyrlca italiana.
SEGUNDA-FEIRA 3 DE AGOSTO.
3* recita de assignatura.
Repetir-se-ha a applaudida opera de Ver-
di em '.
iT nniA iv ll i lilil
i BULO I)
Rio Graade do Mal
Para o porto cima segu com brevidade o pa-
tacho nacional Principe, recebe alguma carga a
frete, e trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo A C. ra da Cruz n. 57
LELOES.
LEILiO
horas do dia.
D-se at 4:0004000 a juro mdico sub bypo-
theca em bens de raiz, livres e desembarazados :
na encadernacao parisiense, ra do Imperador n.
71, se dir com quom tratar.
Preeisa-sede urna ama que saiba
ou engommar, prefercae escrava
ra Nova, loja n. 11.
CRIADII
Na ra estreita do Rosario o. 35, primeiro an-
dar paccisa-se alugar uai criado d 12 a 13 an-
nos, uvroou escravo para o ser vico externa de
urna asa._________________________.-
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, 1." ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
ca do Minho, em Braga, e sobre os aetruii-
teslogares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valen?a.
GuimarSes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]Famalic5o.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
mmmmm mm mmmwsum
can saoDKiQaRs*9 t^av^a iw^wwi^^p^w
Ensino
Offerece-se urna pessoa para teicionar
em casas particulares ou na de sua resi-
dencia sem designacao de hora e dia :
grammitica portugeza, principios de
arilhmetica, nocoes de historia e caligra-
phia ; prometiendo alm de todo empe-
nho o mais fcil e adaplavel metnodo,
que em breve dar bom resultado: a tra-
tar na ra do Queimado n. 33, primeiro
andar, das 10 horas da manba as 4 da
i tarde ; a entrada pelo largo do Collegio.
Engomma-se roupa tanto de homem comode
senhora, com perfeicao : na ra do Caldeireiro nu-
mero 16.
AMA
Precisa-se de urna ama para cozinhar
Nova de Santa Rita n. 53. ________
na ra
Os bilhetes vendem-se no dia do espectculo.
Principiar as 8 horas.
N. B. A ampreza grata do bom aeolhimenlo que
este illpslrado publico fez a sna companhia, nao
poupar trabalhos nem despezas para agradarme
sempre mais ej principiou os ensaios A
afamada opera de Donizett em 4 acto*
da muito
A FAVORITA.
AVISOS MARTIMOS.
33:481*314
PRAGA DO RECIFE
EM 21 DE AGOSTO DE 1809, S 3 HORAS DA TARDE.
REVISTA MSaVANAJL.
Cambios.Sobre Londres saccou-se a 18 1/4,
18 3/8 e 18 i/i d. por.l* ; sendo o total dos sa-
ques negociados durante a semana de 40,000.
Algodo.O de Pernambuco escolhido e regu:
lar, de 17*600 a 17*800 : o de Mace, posto a
bordo, a 19* boje, com frete de 1/2 d. e 5 / ; e
o da Parahyba, idem a 19* hontem por 15 kilo-
grammas.
Assucar.Vendeu-se o mascavado purgado de
3*300 a 37O0, e em bruto americano de 3*200
a 3*330 e do Canal a 3*050 por 15 kilogrammas.
Aguarde.\te.Vendeu-se de 92* a 94*000 a
pipa.
Couros.Os seceos e salgados venderam-se ue
260 a 280 rs. por libra nominal.
Abroz.0 pilado da India vendeu-se a 3*200
por arroba. m
Azkite-doce.Vendeu-se o de Lisboa a 3**oU
o galo. *
Bacalho.A rctalho oldcve 20* por baarica.
Batatas.Venderam-se a 2*000 por gigo.
Bolachinhas.Vendeu-se a 4*500 a barr-
quinha.
Caf.Vendeu-se de 2*200 a 2*800 a arroba.
Ckrvkja.Vendeu-se a 4*500, 5*200 e 73800
a duzia de botijas oa garrafas,
LoicaA ingleza foi vendida a 430 %
premio.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DK
\avea;a<"S costeira por vapor.
Porto deGallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Parahyba, commandanto
Mello, seguir para os portes cima no
dia 31 do eorrente a meia noite
Recebe carga, encommendas, passagoiros e di-
nheiro a frete, no escriptorio do Forte do Mattos
n. 12._______
iJc vemizes de diversas quih'dadcs
Segunda-fein 23 do eorrente.
A SABEIt:
Verniz de laque ao alcance de todos, em frascos
e botijas para mobilias.
Verniz real cm garrafas e fraseos para bijouterias,
quadros e refrescar pinturas a oleo.
Verniz crystal am latas e roeias garrafas para
envernizar papel para forro de salas, toctos,
junto com tinta ou sem ella,
f Verniz copal inglez em latas e meias garrafas pa-
ra envernizar caixas de sege ou qualquer
outro objecto exposto ao tempo.
Verniz bronze dos funileiros para qualquer obra
de folha.
Verniz espique em latas.
Verniz americano em dita?.
Verniz preto.
Bodv copal vernish.
Tdo ser vendido em lotes pelo agente Pestaa
no dia cima mencionado, as 11 horas da manlia
no largo do Corpo Santo caf commercial.
2L
Aos 20:000*5000.
CASA DA B.
Os abaixo assignodos fazem sciente ao respei-
lavel publico, qua teem venda os seus muito fe-
liztjs bilhetes do Rio, ra do Crbug n. 2, loja do
Sr.'Malheiro, pagando-se avi:ta das listas,somenle
cora o descont da le-
FUEGOS.
lnleiros 24*000
Meios 12*000
Ouartos 6*000
De 100* para cima a 224000 o bilhete.
Vieira A Hodrigues.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar
e fazer compras : a tratar na ra da Cadeia do
Recife n. 1, armazem.________________________
Aluga-se
o sitio da viuta de Diogo Jos da Costa, na estrada
da Torre, com grande casa de vivenda assobra-
dada, cocbeiras para carro e cavallos, e miarlos
para pretos, baixa para capim c aryoredos de
fructo : a tratar na sua Nova n. 12, loja._______
Quem quizer
ser ama de um menino ae 3 annos, fazendo o ser-
vico que for preciso ao uicsnio, o sahindo com elle
a passelo, c o mais que se contratar, dinja-se a
praca da Boa-Vista n. 30. 2- andar. ________
Para o armazem do Campos, na ra
Imperador n. 28.
- Neste muito acreditado estabelecimento
acha se constantemente um variado sorti-
mento de gneros finos para meza e
cosinha e entre estes oonrea-se apenas as
especialidades seguintes:
Queijos do serto sendo de manteiga e
coalha.
Camaroes seceos do MaranhSo.
O verdadeiro cale de Moka.
0 superior e bem conhecido peixe miraguaia
que se vende a 160 a libra e 40500 a
arroba.
TABELLAS
de redcelo as mais facis e mais com-
prehensiveis, tudo no
Armazem do Campos
de
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte 6 esperado
at o dia 28 de agosto o vapor
Paran, commandanto o eapito
de fragata A. J. de Santo Barbara,
o qual depois da demora do eos-
turne seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as 3
horas. T .
Naoserecebemcomo encommendas senao ob-
leeros de pequeo valor eque nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cubicos.de medicao.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
l* andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
De 24 dusias de couro de lustre
e 1 pacote de chapeos do Chy-
le linos.
Segunda-felra 13 do frrente.
As 11 boras.
Por conla e risco de quem perleneer c por n;
tervenco do agento Pinto ; em seu escriptorio
ra da Cruz n. 38. ____
LEILAO
Ama de leite
Precisa-se de una ama de leite, e paga-se bem :
na ra da Praia n. 34._______________
AMA
1
Na ra do Padre Floriano n. 3i, precisa-se de
umaescrava para alugar, paga-se bem.________
m
De urna mobilia do Jacaranda, um colre prova
de fogo, um apparador, um guarda vestido de
amarello, urna commeda de .Jacaranda, um san-
tuario de dito, urna mobilia de amarello. um mar-
quezo, urna cama franreza, urna carteira com
duas faces pro ria para um escriptorio, urna dita
de amarello
Precisa-so de urna ama, preferindo-se escrava,
para coiuhar e corap.ar, paga-se bem e allanca-
se bom tratamento : na ra Direita n. 32._______
l*ara a villa do Pilar
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRAFOSO.
A Companbra Indemnisadora, estabeleeida
esta pra?a, toma seguros maritimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar e comprar
para casa de pouca familia : na ra das Cruzes
n. 28, andar ;. prefcre-se eacrava c paga-se
bem agradando.
Saques
Joao do Reg Lima saca sobre a praca do Porto,
ra de Apollo n. 4.
Auga-se um sitio na Capunga, porto do Las-
Preci?a-se de um moco de 16 a 18 annos, pouco serr junto ao rio, o qual tem grande casa com 3
mais ou menos, para caixeiro, e qne tenha alguma saiias, 7 qaartos. cosinha fra, estribarla e coxei-
pratica de ferragens c raiudezas : quem se julgar ra. quartos para feitor e escravos, cacimba, cerca-
. i com estas habilitacoes e se queira empregar no do para galbnhas, etc. etc. Tudo acha-se retn-
menor, duas duzas de eadeiras de amarello a ndie.ado diriia-sc ra da Cadeia do Reci- Cado, caiado e pintado de novo : trata-se na ra
Luiz XV. 4 pares de lanternas, um candelabro de 'u"arf aA ^ acllJar com quem tratar. do Vigano n. 23 1 andar_____________
^XeKsVrSSSlf'Sa 3as,' um -^Tin^G^v^ltodrigues Franca, filho de Em casa de THEODORO CHRSTI-
^^toZ?dalS^.Ba para' jan- Manoel E^*^^^ ra da Cruz n. 18 encontram-se
ar na ra do Crespo n. 12,1" andar. 1 Bordeaux, Bourgogne e do Rbeno.

tar, nina commoda de am relio, um sof usado,
30 eadeiras de amarello com pouco uso, um la-
vatorio, um porta toalha, urna mesa elstica, um
RIJA
|DO
CABUG
MMl DE OURO
_*% DE iOAS
RITA
EO
CABUGA
esquina I Este Importante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimento sem igual,! esquina
I le vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender, da ra larra do
Ida ra larga do ^ vgta ^ qnalidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.1
Rosario. lGarante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedraa finas por presos muito ele- Rosario.
vados.
A loja est aborta at s 9 horas da noute.
a
UEGlVR


-VTT
v
*
I

Diario de Pernambuco Domingo 22 de Agosto de
GRANDE HOTEL
Ra larga do Rosario u. 44.
Esperiilip na preparacao dos gneros uli
mentidos, proroptidao e asseto as encomutendas
e boa organisacao no estabetecimenlo. Retobeen
se asomaras para o estsbelecmto domici-
lio, facilita-$ a talara d* juruat* paw.iww e *
tranfeiros. Espacia sala para c, ogauie jogo d.-
buhar, c lia docente e eoromoda bospedagem.
Na pra$a da Independencia n. 33, se da di-
nlieiro son penlitirts de ouro, piala c pedras pre
tosas, o seja qn.il for a quantia : na wesma casa
se compra e vende nbjoetos de ouro e prala,
igualmente se faz toda e qualquer obra de encom-
wnda o lodo e qnalqtier concert tendent- a
mema arte.
Ama de ieite
Pivcisa-se de urna ama de Ieite u-m filbo : .i
iravessa do Veras n. lo, i andar. Nao se lh.
a proco.__________________________
olas das caixas filiaos do banco do Brasil.
trocaa-M Mu uiodico descont, na luja de Manorl
Soaro Mnheiro, i praca da Independencia n. ti.
Madama Adour teta a liorna de par-
ticipar ao respeiWWl publico, amanto dos
nosss ttieatvos lyricos, que receben pelo
ultimo vapor da Europa, sahidas de baille
c bronss do ultimo gosto; ra do Imperador
o. 23 4 andar, e que vende por barato
preco.
Precisa-se de una ama de meia idade e de
boa conducta para andar coni meninos e engom-
mar para pouca familia na na da Caricia n. 10,
ou na Capunga porto do Jacobina n. 48.
-rriLQii
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
^^_^^g FABRICA
IICIITIl II CNlTilTUUTI IE1 ClIrLITI JUT11MTI II
CHAPEO BB
J RU
De todas u qualidades I
De todo os feitio t
De todee os preces t
A DO CRESPO N* 4
aos *o:ooosooo
CASA DA FORTUNA
ma 1I0 Creasto n. 3.
re-
tailoas oulras exigencia
avisa ao respeitavel publico que ter soinpre a
venda no seu cslabeleciMeut') billicles dw lote-
ras do Bio de Janeiro, cujus premio secao pagus
promptamento vista das listas com o descosto
fomente da le.
Preeos :Inteiros.. 2U0OO
Mos... 1*4000
Qnarlos. #4000
E em quantidade maior do 100*000 na razo
do 22*000 por bilhc-le.
Manoel Martins Fiuza.
Quem quizer alugar o 2 andar do sobrado n. 10
va ra da Cadeia do Recife, o qual se. acba pre-
sentemente pintado, o esteirado e forrado a papel,
tudo ein perfeito estado : pode dirigirse ao es-
eriptorio da compauhia Peniambucana, no cees da
Assembla n. 12, que ebi chara com quem tratar
mmmm
I Dr. ManoOl Enefino RegoValenea,me-
5 dico, raa da Camfcoa do Carmo n- 21.
s^ 6BUiisusiNiiiiiaa v^t caar t^v^^Kttttf^^xtftfi^*v
5^ IW^BSnB^BawBi 125 HH ^S^kSvSNHtK
Vicente Alvos Horeira, agenciador de ven-
das de esernvos, Mndou sua residencia da ra de
Hartas n. 34 para a ru,a da Paz n. :ii, onde seus
freguezes o poJeia procurar para a niesina oeru-
paco. decebe eseravos em coinmissao, o prometi
prooipta venda.
OS2O:0O0,00r
Casa da fe icidade
AUGUSTO PORTO & C.
11--RUA DO QUEM D0--11
Tendo chegado ltimamente ao seu o tabelecimento grande variedade de fa-
sen^as de gosto as poem disposicao de seus numerosos freguezes pelos mais mdicos
presos possiveis, sendo:
Bounous do cachemira brancos e de cores, o que ha de mais elegante para
hombros do senliore.
No vos gostos de manteletes justos ao corpo denominado silphides, sirennes,
orientales de renda preta de soalines, o quo lia de mais clegjnle para urna. mora.
Basquines de guipure prelo, novo g >sto, enfeitadus deselim de cores. Vesti-
dos de blood core anta e capella pira noivas. Froolias e toalhas de cambraia de linho
bordadas. Cortinados bordados para camas o para jantllas de diversas qualidades:
colxis de seda e de ITia e de soda para camas de uoivos.
Epingl, lindo gorguio de 15a e seda de cores, muito elegante fazenda para
un hado vestido. Sedas de cores e pretas, gorgui 5o de seda branco c de cores com
stas assetinadas, panos, casemiras g muitns oulras fazendas cujos preros sao em geral
muite.iBodicos. Grande sortimenlo de camisas para homem, tanto lisas como bordadas
e de oros.
Cotinuara sempre a ter grande variedade fie tapetes para sof, para cama e
para pianno, porcao de tapetes em pecas para alcatifar saloes. e grande quantidade de
Esteiras da India para forrar salas.
*
N. 22 PIUCA DA INDEPENDENCIA N. 22.
Os abano assignados, tendo oblido licen-
<;a da presidencia e salisfeito as oulras exi-
gaoeiasda le, avisa ao respeitavel publico,
que ter sempre i ven a bilhetes das lote-
ries o*iofle Janeiro, cujos premios ser*
pagos'promptamente-a vista das listis.com
o descento smenle da lei, pelos presos
segantes:
Bilhetes inteiros... 245000
IMo*.....125000
Una i tos... 0t$000 .
___^___ ______Veras & Barbrdo.
Aos 4:000^
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costme.
6 abaixo assignado. tendo vendido aJm de nu-
tras orles 2 quarto* n. tttl com4:000# da lote-
ra que se aesbou de extrahir benelicio da Santa
asa da Misericordia, convida aos possuidores a
virem receber na cunl'urniidade do costume sem
descont alguna.
"htlam-se a venda ns bflhetes da 4* parte da
lotwia da ordem tere ira do Carmo do Recife.
TU') 4oe se exirabir no da 17 do orrente
Ml.
Presos.
Os do cu.-tumo.
________________Mam>el Martnis Pinza.
Letra perdido.
Jtquim de Barros Wandertey, morador no Rosa-
inbi), tend.i perdido da cidade do Recife para
i'luellelngar, urna letra meicaniil, pm-elle saca-
da em 31 do mez prximo pass*do, a praso de 10
ineze< ea quantia de l:t"0000 acceda pelo Sr.
iMroael Antonio Pedro de S Barrete, pede quem
a tiveraehado queira ter a bondade de Ihe entre-
gar, u a seu procurador o Sr. Burgo Lotice de
Len, ra das Tiinelieiras n. 48. Entretanto
confiado^oii distincto carcter do Sr. aeceitante.
Ilie pede que nao pagne a referida letra seno ao
sacaor, por ser o sen imico proprictario delta.
Recife 18 de agosto do 1859.
JtHtquim de ti masWtmerley,
ATTENCAO
MigJwl Gomes da Silva, osiabeleeulo boje na era-
participa a todos os seus deviilores que cntregou
toda as sn.is dividas a sen procurador Joaquim
Jorge de Mello para cobrar udiciatment.
^gommadeira
No enllegio da Gwceieao precisa-9e4e iima.e-
gommad.-ira perfeita. patea-se bem apradando.
Alujsa-se o itio n. 16 da estrada dos Afilie-
tos, com urna grnete casa assobradada, om mui-
tas arvores de fructo : a tratar na rrfa da Impera-
trit n. 1&,indar.
- Prenata se bandeijas de tuiiiTe Mao* Ae
tudagas vitalidades por preeo mais conw em ontra (|ua4quer parte : ito o lio da matriz da
Boa Vi-la n. 1.
AOS 20:000^000
CASA FELIZ, ARCO DA CONCERNO N. i.
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na for-
ma das leis tem exposto venda os seus felizes
bilhetes das loteras do Rio do Janeiro, na casa
cima aonde se pagr.rao as sortes que sahirem
nos mesmos bilhetes can o descont da lei so-
Bilhetes inteiros. 2440C0
Meios......12000
Ouartos.....GJOO
E de 1001 para cima a 21* obilhete.
Ficueiredo & Leite.
COMPAUHIA PERHAMBCAM
IfillMi
Hffl
COMfiEIiHO DE
Os Srs. Saunders Brothers & C. Tasso Irmos,
Luiz Antonio de Siquera.
GERENTE
0 SE. F. F. BORGES.
5
COSTREIRA.
Cose-se costuras de alfaiate. a moda fran-
coza, por preco commodo, na ra Augusta
n .112, e d-se fianza sobre as mesmas.
O advocado
Affonso de Albuquerqne Mello mudoo o seu es-
criptorio para a ra das Cruzcs n. 37. defronte da
typographia do Diario.
Coziahelro
Precisa-sede umcozinheiroou mesmo ajudante,
com pratica de casa de pasto : na ra das Boias
n.S.___________________________________
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de urna elficacia verdadeiramente ma-
ravilliosa como calmante do systema nervoso
e applicado contra a paralisia, asthma,
tosse convulsa ou coqueluche, tos c recen-
tes ou antigs, sulTocaces, catbarros.
broncneos, etc., e em geral contra todos
os soffrimentos das vias respiratorias, e
na pfitisica pulmonar, sua virtudo contra
o ttano ou espasmos, e convulsocs in-
contestavel, e ninguem ha que a desconhe-
ra. Ra Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.
MUANCA UU
imeraui
AlliinoBajitistada Bocha participa
a todos ossens freguezes.uemudou-
so com a sua oflicina dapra^a da
Independencia n. 12 para a raa das
Crures n. 23; previne, portante, a
todos os amigos e tregoezes que se
ar*iar em casa a qualquer hora
do di*, para execular todo o qualquer concert
que de sua arte exigir possam, tendente a sua
profissao ; e em sua falta acharan com quem
Halar.
Obstruccao
Do fgado e do ba<;o
Os preparados d JRUBEBA (vinho,
tarop, pihuas, oleo, emplstroe Untura)
sao efecazes contra a obstruccao do ligado
e do baco.a ictericia, a hydropisia, as febres
intermitientes e durezas, os flesarranjos do
estomago, as faltas de sangue e do mens-
tniaciio, o catliarro da bexiga, elt1..
meo deposito, pharma'cia de seu autor
de J. d'Almeida Pinto.
Ra do Rosario Larga n. 10 junto ao
qiiartel de polici?.
Attenco
Na roa Eslreita do Rosario n. 33 Io andar prepa-
ram-sericastiandejasde bolos para casa mentes, ba-
lese ba plisados, por pre^o muito commodo, comblos
dedi(Terojitesqualidade#,bo e naturacs proprios para enfeiies de bolos e para
csamelos c.para qualquer offerta com filas bor-
dadas a uro e letreiro agosto dos dono* ; as en-
commoBdas devein ser feitas dous das antes,
enfeitam-se- velas ricas por muito barato preoo
pai a bapsados o enfeiies de altares; faz-se c-
pellas e cenos para as lajas e flores para enfeites
de igrejas; prepara-se qualquer cncummendn,
para fura com toda a presteza, de rosas, palmas,
eapellas,. festes e roseiras para enfeites de igreja
mais harato dn que em nutra qualquer parte e
com toda presteza; faz-se pao-del, pudins e do-
ce, tad Restando ainda emittir algumas acgSes desta companlwa, da quaotia nominal de
00^000 cada urna, das quaes s se aceitam em virtode da lei, 20 /,, ou 40^000 por
cada ac$o; comida-se pelo presente ao publico em geral c-especiaBnente aos Srs.
capitalistas e interessados no coinmercio, que queiram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero deaccoes que llies approuver.
Algumas destas aceces ja tem sido tomadas por pessoas q^w conhecem a vantagem.
de na,presente oceasiao (conhecidamente a melhor), empregarem o dinbeiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, como.vnpores, predios etc., que lhes garan-
tam seus capitaes.
A companhia possue hoje 10 vapores, 6 inteiramente novos, e destes o ullimoest
a ebegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alto disseest edificando vastos armazens, no terreno poc possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem 'sido ds 40 % ao ann nos ltimos I annos.
As accSes que se emittirem gosara dos mesmos direitos, e percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que os antigos em proporc,So da entrada.
Recebemse assignaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12.
DENTISTA BE PARS
19Ra Nova19
rite:ii:iti< o aittii.ii
;irurgi5o-dentista, muito conhecido ha dea annos n'esta cidade, pela perfeiclo dos seus
trabalbos, tem a honra de participar ao respeitavel publico quo tendo feito muitoe me-
Ihoramentos na sua casa, pode d'hora avante receber as senhoras no seu gabinete onde
icharao os commodos precisos para familia.
Acha-se tambem na sua casa e na sua companhia, o seu sobrinho e discpulo
S. IdfiROC X .
o qual acaba de voltar de urna longa viagem a Europa, durante a qual praticon com
feliz successo as primeiras casas de Pariz e de Londres, oflerecendo assim as melfaores
garantas do bem desempenho para tudo oque for relativo a profissao ; por isso o
annunciante pede aos seus amigos e clientes que por acaso o nao eneontrarera do seu
gabinete, depositcnr no dito seu sobrinho a mesma confianza com que o tem honrado
a dez annos.
Dentaduras por tolos os systemas: a pressao do ar e com molas do ouro, platina
vulcanite e um inteiramente novo n'esta cidade.
Cura radical dos denles cariados.
Chumbagens (obturac5es) com ouro e com massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de denles.
Agua e pos dentrificios fabricados pelo proprio annunciante, o queluo permute afian-
zar sua boa qualidade.
Escovas para dfcntes. etc.
Perfeico de trabalho e prepos moderados.
f^ingens para fra mediante
Ofabinetc acha-se aberto
lias uteis.
ra fra mediante ajusto previo.
das 8 horas da manhaa ateas i da tarde de todos ds
11 Ra estreita do Rosaris-11
Este novo e modesto estabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico este ele-
fante e bem fornecido hotel que situado h'uma posiro inteiramente saudavel, e sen-
do constantemente sombreado pelos doces zephj'ros da tarde, torna-se preferivel qual-
quer outro d'este genero, as tres cousas mais necessarias ao genero racionalali-
mento do corpo, distracio da alma, e socego de espirito.
No pavimente terreo urna casa de pasto muito profusa, da primeira ordem ; ne
pnmeiro andar, sala da frente, um exctente bilhar de mogno, para divertimento. Sala
detraz um restaurante da primeira ordem. Quanto ao assc0 e bemfeitoria das comedo-
rias, o delicado modo do pessoal do estabelecimento, promptido e commodidade, s
ios Ilustres concurrentes dado fazer justica.
Fornece comidas para fra, tanto por mez como avulsa. Todos os das, noite,
mcontrar-se oxcellente sorvete, refrescos, caf, cha, bons vinbos Figueira, Porto, Bor-
ieaux, tendo bons commodos para hospedagem, salao e quarto mobiiado no segur,
do andar.
Precisa-s^ do
um fetor pnrluguez para o
ongenhii Maitntiro.- comarca a tratar ecmi lio Bento de Gouvea no nie-nm
*B?5'hn ou f,m ^31 Irmo, ra da Caeia
n. m i.a andar.
^ i)esfja-sc cam urgencia salier onde reside o
8r. F-ancisro da Osla e Silva que se diz n?fn~
eiarcom fazendas, a-negocio que Iho diz respafco:
na de Santo Amrn n. 5.
Precisa se fatiar com os senliores proeurado-
r^s foneat), Sant'Anna. Rosario, Conceieao da P.te,
a negocio qoe diz repeiio mesmas, poda '
iir.ireniaJ.se Ifenrifluo da Silva, a ra es
ireita do RoKirn n. 2, no r ana>r,
la para ser prnetiradig
(0ST1 REIR E MISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja aa ra da Imperatriz n. 7.
Tm a honra de partecipar ao respeita*el publico e em particular seus fregue-
zes, qoe. pelas ivlacoes que acaba de encetar coa algumas costureiras e modistas das mais
afamadas de Pars, que todos os mezes llie mandam figurinos, de vestidos, man-
t-letes e ciapeos que esto no nwior gosto e mais modernos, se acha habilita-
da para fazer vestidos para passeio e visitas, bailes o casamentos. As senhoras que
ahoiiiaraiBoomasiwfregtiezia, nodeixarodeser^tisfeitas, tanto pelo bomgosto como
pela baratexa dos prectis e pjomptM3o na entrega -das encoraraendas ; tambem tem bo-
nitos enleites muito modernose de tadasas cores. Fasein-se chapos de todas as qualidades
" Y1
Tobia Pierri ag-adecc cordialmente a todas a
pessoas de sua ainizadea maneira por |ue sempre
o tralaram durante sua estada na Europa,
sim declara que cnnlinia a dsr Ikjdes de
o tralaram durante sua estada na Europa. Outro
leclara que contina a dar
canto, tanto em casas particulares a
piano e
residencia, para o que espera a protecciio de todos
os pas de lamillas que queiram se utilisar de seu
presumo, ra do Imperador n. 19. 2 andar.
ovidade
NA
r*3
-VISTA

A botica de C. Cato d, ra da Imperatriz
n. 77, acaba de receber um completo ortlmenio
de sementes de horUilice, todas muito novas e p< r
eominodo proco.
Aluga-se urna preta eserava que sabe lavar,
comprar, euziuhar e cugommar : na ra Nova
n. 43
AGENCIA
EM
tairto d fil -como de paliza.
I
^
NOVIOADE
ou annuncie :i
Ama de leile.
PKisa-se de urna ama. de.feitc
ma Kova n. 3.
a traufna
Por o Calvo
ttr na roa
menino
ii do lie
)^par eaixeiro,; a tra-
Te n.
10.
Criado.
No caes de A|Wo, armazem n, lio, preci>a-
do um criado de boa cundncti, pnra compras e al-
mpjpcTvico em um pequeo sido.
n. II apara srem alu-
af duas escravas, a s;ih : urna de 23 annos
tade.qoe cozinha o oromario do urna casa, en
b'omma i costura eliaa, e o bailante li
blitada ein se- da e mesa; o
anuos, que cozinha o wgnuui* bem, saben jo la
var ; ambas se aiugam para osses ser*
internos.
sendo
LkBg/tmde Cisboa para a Uvraria Fraaeeza a ohra d vieeaie
^; WOtf m TEBuffl
(Traducido de Alfredo Sarment.)
OS DRAMAS DE PARS
Primeira narte'do famoso romance
UCAMBOLE
PfJneira>MmMman& mysteriosa.
Segunda O clb dos vleles de copas.
Tereeira > As proezas de Rocambole.
Quarta A desforra de B.icrara.
Quinta Os cavalheiros do luar.
Sexta O testamento de gi
BMWsairseries sio alumes
Dr. Ajer.
PT'RAL DB CBKKJA
cura phtisica e todas as nmlwtiag do peilo.
SALSA IMRHILHA
cura Bkcras e dagas anapas,.empigen3 e darlos.
H)N|CO
oowerra e lunpa os cabello.
PtLLAS CATHARTICAS
pnrameutc veielaes e sem inerenrio, cura seoe?,
purpain e purifican tudo o systema humano: ven-
de^eumcamenie em casa do Samuel P. Jobnston
A C, ra da Senzala nova n. 42
J3 DE
r=PALOFEMAMSDEfflLLO GIMARES-
~*^ SOB A DIRFXCAO D MUITO HBIL ARTISTA
3 ALFAIATE PEDRO
Nesta oflicina encontrarao os respeitaveisfreguezes um dos primeitos artistas
m alfaiato para bem poder satisfazer toda e qualquer obra, tanto no bom corte, com
no aperfticoamento das mesmas.
Torna-se desnecessario recommendar este artista, pois que a sna thesoura ja
bem conhecida, (e com grande especialidade em fardas) por muitas pessoas distmefas
desta cidade
Ach-tr-se-ho figurinos de tojos os mezes. pelo que o artista executa debaixo de
todos os preceitos d'arte qualquer urna obra em faro dos mesmos.
O mesmo estabelecimento se acha munido de um completo sortimento de fa-
zendas, como sejam: casemiras de cor, ditas pretas, pannos pretos, ditos azues.'bWos
de edr; ditos brancos, soda para colletes, merinos, etc. e mais fazendas proprias i
oflicina.
0 grande sortimento de roupas feitas que tem vende por menos 20 OJO do
que em outra qualquer parte.
Alupa-e um sitio com ii&t casa de
vivenda cum commonV? pnra gran-
de familia, na Passagem da Magda-
na, em frente.iositio do Sr Bailar
& Oliveira : a tratar con Dominas
AIvm HatlMnii), ma il Vieario n.
Alu,ga-si< um rni. a margen) do rio api-
barifee, na |hvoaea. da T.irre, smi fresca^ tnnJo-
excellente agoa, e toado mais alguns arvoredos
>nnhn>A: par* eoairavu-.* a roa da Impera
(bir l"j dn inarmni-ft-n "20.
;----------^-
RA DA IMPERATRIZ N. 48,
junto padaria franceza.
5
C0.VFEI1AllA DOS A.\l \AZES
r
ir.
dd basMMt.
com enodoraa^io inteira
o-ritjl m* c ui:nih>
i
ALtir.UEI..
No t^oracao ds Onro se dii quem
urna eserava que sirva para comprar,
QMppoHftar, Pjtm ra-a de famijn.
precisa de
cozinbar e
ffi-BUA DA CRUZ 16
1 Jtf)
Ha diariamente sortimento d bollinhos para cha, fiambre, pastis de dif
tos qualidades, vinbos de superior qualidade, cit Hissoo preto, c miudoy o melhd
se pode encontrar no marcado, amendoas confeitadas, xaropes refrigrtes, de
calda, etc.
Incnmbe-se de encommendas para grandes jantares, baies, baptisados-
samentos, a saber:
- I%Yfn-se que ninguem faca uegocio com a Pecas de nougat. P%S-de-lot enfeiladiK
!Clttad*Sitt.da &J. u. $7, peftonce,rt a.fi*. #rhs do DO-dp-lrft IM MajfW Pauto U^Xevw. Zm pr.meir*n- Sta rU ?,-, Ip r 2?, TL a
temW-e rommieu* ri*d-n, sobre pma de ser J)"3 J* lamara de ovos- ^'3 d'Ubce d>0\T>S.
resp.-avei *jMgar t^ dbitos do mesmo senhor. "das de caramilo. Tortas folfi-da de crme e-c^rn*
Recue 18 de agosto do 1W9. Bandeja com armaco de assucar. Empadas.


Diario de Pernambuco Domingo 22 de Agosto de \H$.
I
A ESMERALDA
o sobrado n. I, n:i n. : mananbeira em 01
com ni
a^nhfimawmvJmoWmubf seto (miwK
e um para banho, sala do jantar, eozinha fra,
com lira rico ponai do fructas, sappiis, piobairai,
coqueiros, manguelras 0> espeRi (|OaU -orno jasiiiim e outras: a tratar no Recite arma-
zem n. 3 A, defronte da escadinba, das 9 horas da
inanha as 3 da larae.
EMPRESTIITO SOWfl
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug- n, 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
prapa, e por presos o mais resumido possi-
vel. Tambem compran ouro, prata e pe-
dras preciosas
N.5 Ib i DO lll C i \ 5
na
(SKM LIMITE.)
Na Iravossa da
das Ciros n, %
meiro andar, da-se qual-
quer quanlia sobre ouro,
prata e pedras preciosas.
O dono desto estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condices de ga-
rantir a transaccao que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e considerado s pessoas que se
dignaren! de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
ata c brillantes. ,
Obra da raa do Lhrifafe:
Aceitando nin convita que ao- Mita J
UMMiM da obra da m d* .vraav.t
tamo cu
dvP#Jtflfcra, e, d<
mos o segninte PARECER :
Pertencendo o_oitio em questao a ambo*, (como
aiWMseonressag) Canta Hreil* lem, um como mi-
troi; tanto est o predio de Guimaraes sobre o
ionio de Roa, como o predio de Rosa sobro o oi-
lo de Guimaraes ; pois que, me-hndo, vcrillcamos
qu, anda neuhum ullrapassou o centro commum;
oslando bso patente, como verificar quem qui-
zer, para que est a massar-nos. com estirados ar-
tigos, enriquecidos de latinorum, lingoa que ja sa-
bemos serom ambos mui versado.
______ ITm publico.
Aluga-ae um espacoso terreno mnitn frtil
para planta de capim e com varios arvoredos que
dao inicios : a tratar no-Mauguinlio, casa que faz
esquina cora as estradas dos Afilelos c a que val
para aponte de Uchda.
ALGODAO
LOJA DAS HACHEAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrle do todos os tamanhos para descansar algodo, do
muito conheeido fabricante Eagle Cotton Gin.
MACHINAS ditas, tambem de serrotes e de todos os tamanhos para descansar, al-
godo do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Rolicr Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
MACHINAS de laco do fabricante Platt B. & C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade o as melhores que tm
vindo ao mercado ; e para a sua apreciacao convidam-sc os senhores agricultores 2
viren a expsito das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
encontrarlo mais o seguate:
~ ,|batto signado, murador no engenho
Ilha do Maranlia, sito no Rio Grande da Sorte,
previne ao publico que ninguem faca negocio com
o Sr. Jos de Mello de Albuqucrque Montenegro
sobre tres eslavos, constantes do nina escriptnra
de venda, passada em 30 de novembro do 1868 ao
mesmo Sr. Jos, pelo ab.iixo assignado, visto como
polas razoes quem lempo e em juio compleme
mostrara, esta milla ; o prulestaml ) desdeja fazer
valeropportonameiiteo seu direito para obter a
nullidade da dita escriptnra. chama por este ao
dito Sr. Jos de Mallo vir receber do mfra assig-
nado a .quantia de 1:800*, nica qnanUa a que
tem dfroilo. Enjenho tilia do Marauh.o, no Rio
Grande do Xorte, 12 de julho de 1869
AITonso Leopoldo do Albuqucrque Maranliao.
Troco niudo.
espectculo
SOUPRS
Depols do
CEIAS-
no salo do
TtESTAURANT FRANCAIS,
ra do Imperador o. 31 Ia indar.
Casa de pasto
Mo de vaeca, eaf com leile o comida, prepa-
ra -se com todo esmero o assoio ra da Lapa n.
II, o se fornece tanto para.fra a accionistas como
as mesas, c do eabbado para domingo a bella
mo de vac.-a.
Precisase de Din aixoiro de 12 a 14 anuos
de idade : na ra do [mporador n. 32.
Precisa se alugar um preto para o servido
interno de urna casa: quem o tiver dirija-se a ra
do Rosario larga n. 10, junto ao quartel de poli-
ca.
n.
\o o lardaremos at que..........
E' ua ra Direita u. 53, loja de lorr.igeus, que
se desoja fallar ao Sr. Antonio Francisco Duarte
ou son irmo ex-depntado provincial Dr, Maxi-
imano Francisco Duarte : do ve saber quem ----
Debulhadores para milho.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhfis de mo.
Machinasjwra cortar pim.
Cannos de eltumhp.
Bgmbas de .lpy..
Ditas americanas.
Telhas de fno galanteadas.
Folhas de zinco fina*
Ditas de cobre e latao.
Ferro de todas as quididades.
Arcos de ferro.
Folha da Flandres.
Machados americanos.
Facoes ditos.
Balaios e cestas do verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os Umanhoe.
Tornos e safras para ferrerros.
Finalmente muitos outros artig
diversidade seria enfadonho ennumera-Ios.
Folha de ferro.
Balances americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Ternos de bandejas finas'.
Ti cus completos para cdzinha.
Pcneiras para parlaras.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engoramar.
Moinhos para renaces.
Azeite do espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidade*.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e lodos os mais pertenecs para as
mesmas.
Latas de gaz,
osperlencenles lavoura e arles, que pela
CARVAO DE BELLOC
pars
Apprevado e recemmendado peta Academia imperial de medicina de Pariz para a
cura da gastralgia e em geral de todac as doencas nervosas do estomago e dos intestinos.
K egualmenle o remedio por eicelHicia contra a retencio de ventre Rn&merrte era
razio de suas propriedades absorventcs, recowmendado como verdadeiro remedio nos
cazo> de diarrhea e cholerina. O earv&a lo Beiioc toraa-M na occasiio das comidas
sob a forma de pos ou de pa-otilbag.
Depoto em Rie-JEmo. Ouponekete; Chevolot. Em verkawoo, Mavrer k O.
Pfectea-se de ama ama de leite, na
ma da Imporairiz n. IA, preferindo-se
.) matto c sem fllho.
Ftigio indo da freguezia de Cabacuras para
a de S. Joo da Parabyba, cariri-vtllio ; o escravo
Justino, cor preti, denles limados, cabellos com-
pridos, estatura regular, secco do curpo, ladino,
ps compridos e largos ua frente, representa ter
de idade 2;t annos : portanto, roga-se as autorir
lades polieiaes a apprehenso do mesmo escravo
e leva-lo ao engonho Morojo, (Nazaretb) que ser
hem rec.impensado.
Criado.
lYecisa-se de um criado para o servico de casa:
na i na das Larangcii as n. ^9,, botel. .
i
*
i
O abaixo assignado, commertante em Buenos-
Ayres, e ora nesia eidade, cumprndo as ordens de
seu pai, o Sr. Joo Fernandos uaite, morarhr em
Barccllos, reino do Portapal, o nico iicrdefro de
seu finado lilho Antonio Fernandos Duarte de Al-
meida, commcrcianleqiie foi nesta eidade, faz pu-
blico para conheeimenlo daqneHe?, a quem pos-a
interessar, qoe li^a desde j prohibida a abonaran
de qualquer bein, o pagamento de dividas e qoal-
uquer nutra transaccao relativamente heraara do
ai finado, pois qne o pai do annunciante tem re-
tirado os ptideivs qurt conferio ao Sr. Fraucson
Fernando* Duarte para a arrecadacSo da dita He-
ranea. O annuucianle roga e3wciilmente aos se-
nhores tabeUies que nao lavnm oscripiura aigu-
ma de contrato qitanto a bens de dita heran^a,
mediante procnncSo de data anterior a do presen-
te annnncio. Recife 21 de agosto de 1869.
Ma!i(iH*FeTiwnde* Duarte. -
1 Ij2 0|Ode premio por sedulas de 1 c 2jtW0;
i 0|0 de premio |ior seduias de o, 10* e 204000
(nova e-tarpa), paga-so por tpiantias do l:000j a
5:(XK) : na caa de Theodoro Sunon
do Peourinbo n. 7.
C, largo
"-
COMPRAS.
Com omito Kiaior vantagem enmpram-se
moedas de ouro e piala : na loja do joias do Cc-
racaode Ouro n. 2 D, roa do (aboga.
Attenpao.
Loja de miudezas de Ferreira da CunliaA
Temporal, ra do Queimado n. C3, esl
quimando por todo preco :
Jogo de rispara a iOO e 500 rs.
Redes para coques a 240, 400 e 500 r*.
Linlia da 200 jardas (duzia) I200.
Caixa moito fina para pode arroz I;Jo00.
Itelogade sl 120 rs.
Latas com banba a 160, 200 e 320 rs.
Agua llorido verdadeira a 1.5300.
Agua divina idem 15400.
Gravatas pretas para bomem 4 0 rs.
Pentes de travessa para meiuna 320 rs.
Olio philocme verdadeiro 15200.
Adereeos de plaqu 10500, 20 e 50.
- Aleias ci-uas iaia bomem 30400 e 40 a
duzia.
Botoes enfeilados para veslido, 10200 a
duzia.
Lequcs do santol 50, cada um.
Dittos do madeira 3- cada um.
Coques de tranca, boa fazenda, 20,
W5O0 c 30 cada um.
Aleias Dras para senhora 40 a dozia.
Banba em frascos a 400, 640 e I0OO.
Frascos com extracto muito fino 20 e
21500.
Caivetes de duas folhas a 240 rs.
Sabonetcs finos 80, 160, 200, 240 c
320 rs.
i LUJA M MI
>5-Ba do Queimado55
A VEBDADE lendo en deposito grande
quantidade de miudezas e perfumaras, e de-
tajando apurar dicheiro e adqm rir bi; j-
guezia esl rssolvida a vender inuitissimo
barato, tanto a retalbo, como a mns
para esees tornarem a revender; por i
razScrconvida ao respeitavel publico a \ ir
compelentemente munido a soiNse do
bom e barato. Pois quando a '.DE
apparece, ludo mais (tesapparece....
Grande sortimento de bonecas de cera e
massa as mais lidas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Bicos globos paracandietro de gaz
ali00e.......20OGI
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino i 00
Garrafa com tinta a..... 800
Di la com agua florida a. 40OO
Frasco com oleo de babosa a 500,
OOOe......... 700
Dito com agua de Colonia a 300,
400 e........ 500
para
Garrafa com agua divina a.
Frasco com extracto lino
lenco a .
Labs pequeas com banlH a .
Sabonetes de diversas quali lades a
80, 160, 240e. : .
Finas escovas para denles a 100,
400. 500, 600 e 800 rs. Coqu^ modernos a.' .' ." ." ."
HVM
10000
uo
400
Compra-se farinlia de mandioca da
tratar na praea do Corpo Santo n. 21, Io
trra : a
andar.
0 muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 conipra-se ouro, prata
a pedras preciosas por presos mais vantajosos do
que em outra qualquer parte.____________
GMIrlM I flBMHf
Compram-s< e vendeni se diariamente para fra
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores o sexos, com uuito que sojam sadios : no
torceiro ambir di sobrado n. 36, rua das Cruzes,
!ro COMPRA-SE
moedas de ouro e prata de todos os valo-
res, ouro e prata em obras.inotilisadas, e
brilhantes e mais pedras preciosas: na lo-
ja de ourives do arco da Conceico no Be-
pife.

'JICiMiidia-se chumbo vclho : no armazem da Ijo*3
amarella, no orlo da secretaria de polica.
Ouroep'at
Comprfatn-se moedas de ouro e prata de todas
as quaMades, por bom preco : na raa da ('.adeu-
do Recife n. 50, loja do azulejo.
v Attenqao.
Compra-se ma escrava moca qns soja sadia,
nao se olba ao pre de Santa Thereza n. i, que se dir quem com-
pra.
Cotnpra-se'uma oa duas casas nosla didade,
de prefi reneia em ra coramercil : na cncader-
nafSo parisiense se dir quem quer.
Olio bal -/.a
Agua de colonia 400, 500 e 800 rs.
Cartas frneczas 200 e 240 rs.
Caixa com extracto 20500.
CartaS porluguezas a 120 e 200 rs.
Pentes brancos com costa de metal
320 rs.
Ditios pelos 200, 240 e 320 rs.
(alo de 15a para vestido (pessa) 400 rs.
Fita de sarja lisa e lavradas, 10500,
20 e 2S5O0.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Dittoe dourado a 10.
Ditlas com envelopes 500 rs.
Caixa com agolhas francezas 160 e
240 rs.
La para bordar de todas as cores (libra)
60800.
Bonets para menino 10, 20 o 20500,
Liuha de marca (caixa) 240 rs.
M ias para menina (duzia) 30 e 30500.
Peras de tranca liza e de corocol a 40 rs.
Sapatos de laa para menino a 320 c 800.
Capailas francezas a 20500.
Facas e galfos, cabo de bataneo (du-
zia) 70.
Cbicotes para cavallo 600, 800 e 10500.
Bengalla de canna 10, 10500 e 20.
Vorlas para luto 500 rs. Ccada urna).
Papel almaco. greve (resma) 10500.
-Temporal pode ser procu-
rado era seu estabelecimento bo-
nanza, Temporal contina a
vender na Bonanza, pelo mesmo
prec,o que venda em sua loja
com titulo de Temporal.
600
wm
320
700
500
24
200
mwsko
DE FERRO.
Precisa se comprar um portao de ferro j ser
vida, que teiiba sete palmos de largo, mais on me-!
nos : na ra do Crespo n. 16.
VrNDAS.
Joaquini da Silva Karhosa lem contratado a
compra da arm.ico da fabrica do cigarros da ra
de Santo Amaro n. 5, rom o Sr. Joao Vicente Ven-
tura : se alguem tiver de por embaraeos, apresen-
te-se mesma, no praso de tres dias, lindo o qual
araos
nenhnma reelama
i ser attendida.
Alracliin carnis
Grande
loja de tondas e roupas feilas
ra da Imperatriz n. .'12,
porla larga,
DE
PAREDES PORTO
ueste estabelecimento encontrar o res-
I peitavel publico um bonito sortimento de
I roupas e fazendas de todas as qualidadcse
precns commodos, tem sempre um bonito
sortimento de casemiras de cores e pretas.
panno lino de diversas qualulades, bi m de
bonitas cores e brancos de boa qualidade,
encarrega-se qualquer obra por medida e
preco muilo convmodo
ROUPAS FEITAS
na loja da ra da Imperatriz n. 52, porta
larga, de Paredes Porto.
Tem nest estabelecimento um bonito
sortimento de roupas feitas de diversas
Socictlade ltuaueipadora.
Sao convidadas todas as pessoas que a>signaram
a propala pi-A a instalraeo da sociedade Emanci-
padora, rcomptrocereui ter^a-fi-ira, 24 de agosto
corrate, as II huras d oia, na Club Permunbu-
eano. gratuitamente offerecido para este lira pelo
8r. Policarpo Layne.
zn
GOMES DE MATTOS IRMJOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA BO CABBti N. 4
onde encontrarlo um completo sortimento do que ha de mais elegante,
belfo e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e todo que era obras]
de ouro, prata e platina se pode dse jar.
ADEREQOS DE BRILHANTES. ESMERALDAS E RUBINS
de noros gostos, assim como grande yaHdade de salvas e pateiros de
prata contrastada e de gosto anda n&o viato, e completo sortimento de
objeHo* Ae prata para uso das igrejas,
Compra e trocam qualquer joia ou pedfa preciosa e gartmtem
aquaffda^e^hWobjectos vendidos.
Este producto alinifiitaran para doentes, mui
apropriada para cranlas e |>ara as pessoas saas ;
indispen-avel a todos, porm, princip.iliientc ao?
viajamos, que terio neHe o rconrsir d poderem'
ter alimentago de carne fresra Jncorruptivel, e ; quabdades e precos commodos, como sejam
que :o fariuUole sa aproinpla o se condui, por-
que n'um pequeo volume carrepa-se allmentago
para muito lempo. Sobretudo rhama-se a atten-
i;a dos genhores de engenhos ijiw eneontrarSo no
EXTR.ACTM CARNIS o re.-nAo de alimontarao
palitots de alpaca preta e de cores a 35,
3SJ' Oeii; ditos de panno preto sacos a
0\, 7#e5; ditos de panno superior a
MB, ih 8 IGf5; ditos subrecasacados de
agradavel, bygieaica o baratt para seus (minios e dito dito a 18$. 205 e 255 ; dos de cse-
seos nenies. mra de cor a 55, 65 e 405: calcas, Golletes
Lste prodoeto e fabricado pelo proeesso do dis-
rinoto roedrco'Dr. Uuatuba, no Rio-Grande d Sol,
que acaba de crear um deposito nesta eidade em
casa d? Jos Victorino do Heiende k C, ra da
Cada,escriploiie n. 5i, primuiru andar, venden-
do-se:
No deposito a'rua da Cada n. 32.
as pliarmacias dos Srs.:
Manoel Alves Bartiosa, mosuia nra n. 6t.
Joaquim de Almeida Tinto, ra larga do Rosa-
non. (0.
Antonio .Marta Marques Ferreira, praea da
Boa-Vista n. 91.
N. B.As lata* que contera <> extracte irazem
uma^iuia para sen uso.
VRmle se a ttVierna da travessa do (iitnpello
n. i, muito afreguezaila para a trra c para bardo,
propi'ia para um principiante: a trafar na nwwna.
- -------,-----.^----- "'
OQ:
Vende-se a armario do armazem da Liga ra
Nova n. S8 : a tratar no mesmo armazem.
Vende-se nma negrioha com t ana'* de
idad.a,bonita ftgnra a traiar na ra de Agoas-
Verdes n. 2i.
Vende-so b:eu barato : no annazein da
amarella, no oilo da secroiaria de prvticla.

i:
e palitots de casomira muito lina de cor a
20 e 2o; calcas de brim branco de cor de
lodas as qnalidades de 25 a 65', ditas de
casemira fireta e de cre3 de 45 at 125;
cuteles de lodas as qualidades; ceroulas de
bramante a I5o00,25000 e 25500; misas
francezas de linlto e de algodo de todas as
qualidades e preco mais barato do que em
outra qualquer |iartf ; colariuhos, gravatas;
bonito sortimento de chapeos dosol de alpa-
ca e de seda; meias inglezas a 65 a duzia:
pecltinclia neste e^abelecimenlo pelo
grande sortimento: todos os fregueses se
podern provor dos ps al a o a beca por
preeo commodo.
l'AZENDAS
Grande sortimento, como sejam, chitas
baratas a 300, 32o e 360 rs. Madapolo
fino a 7-S, 85 e 105 a peca. Algodo (pe-
ohincha) a 55600 a peca e outras qualida
des. Cambraia branca de todas as quali-
dades transparente e Victoria de 35500 a
85 a peca. Lanzinhas de bonitas cores, al
pacas bonitas, selocia a peca com 28 metros
a 285000. sguio o mais fino possiyel a
25500 35 a vara, e outras muitas fazen-
das por preo commodo, que seria enfado-
bola litio mencionar, na loja do
LEAO OA PORTA LARGA
DE
Pavios para gaz, dazia a. .
Escovas pai a fado a 0, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolbo a 160 e.
Brincos de cores bonitos a 160 o
Pecas de tranca de la com 8
varas por....... >0
Franja prela de laa pc?a com
10 varas a,...... 000
Fita prcta para relogio urna por ICO-
Oleo para machina de costura,
frasco a........ 6C0
Penas d aro finas Misas a 800 c 150(10
Dita d'aro Pery, caixa a. 15*00
Galio de algodo peca .... 'iSO
Latas com banha a..... 200
Lindos babadinlios e entremeios
peca de 500 a...... 155QO
Botoes de madrepcrol.i, groza a 'OO
Ditos de louca muito fino a IOO e 200
Ditos para calca a lr.0 c. 240
Caixa com papel amizade a. 700
Dilas com envelopes a. 488
Ditas com obreias a..... 0
Caixa comagulhas fundo dourado 280
Ditas de ditas dilas a. .... iGO
Thesoura para coslura a lfo,
210 e...... 500
Caixa com linha de marca a 80
Linha de cores em novelos (li-
bra) a........ 5(0
Ditas com 200 jardas em carre-
leis duzia a 70, 120. 0. I 200
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a...... 200
Cartas porluguezas, duzia a 15400
Dita francezas a 2200 e 35000
Papel almaco e de peso, fesma
a 35400, 35500 o 'i >>00
uia muilo fina para bordar, libia 0)700
Fita de algodo para debilita de
sapatos, peca a. 100
Dilas de Ka para"deofum de ves-
tido, peca a...... 480
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... 100
Ditos ditos de bfalo para alisar
a iO, 320 e...... 500
Caivetes grandes com molla a 320
Ditos para aparar penna a IOO
Carles com colxetes a 40
Rosetas pretas, par a ... 100
Penles de chifre para cc duzia
a 15500 e....... 25000
Trancas de la lisa caracol, peca
a .0 e....... Up
Fita para coz. pera a 't80 e 560
Alfinetes de latan a. .... 10t>
Sapatos de la para meninos a
240, 800 c...... 15500
Ligas para senhoras a. 160
Fitas de sarja ns. 1 c 2, peca a
800e........ 15000
Gravatas de seda de cores a 200
Renda* das ilhas por baralissimo
preco.
Os apreciadores das calcas apparecam
na loja daVERDADE -para se munirem
de suspensorios coin borracha pelo dimi-
nuto preco de 100 rs. o par, e taiuhem do
calcadi'ii as boas a 80 rs.; as pessoas que
nao poderem vir a este ostabilecinieiila
podem mandar seus portadores que serlo
fielmente aviados ; a Verdade mostrar o qne
diz i na do Q .eimado n. 5o.
0 MUSEO DE JOIAS
Vende-se verdadeiro cimwito; na rna da
Malre deD>o* n. 24, armazeaa de Joo
Martins de Barros.
Paredes Porto.
Rna do Qn-imado bija n. 44, vende-se ba-
ldes de musselina a e ditos de panno a t*.
Feijo a 8&000
VeDdem.sc saceos com lcija* branco c fradin!' i
a8bsacoo de tamanho regular : no trapiclie
Barao do Livramento, no Forte do Starto?.
No mais cabellos brancos
A tintura japoneza, para tingir os cabel-
los 't cabeca e da barba, foi a nica admit-
tida Exposiruo Universal, por ler sido
conhecida superior todas as preparacor^
at ho]e existentes, sem alterar a saudo.
Vende-se a 15000 cada Irasco na
MIVCMIHLfl
t* AUPAR*
OPERA ITALIANA
Encontra-se em casa do
AndiuL'DELSUC CABi:i.LEmErfio. para ihea-
tro, soire, etc., etc.
Um bonito sortimento de luvas pe peu.MH
marca garantida dp joiviv.
7 SW\ DO CRESPO-T A I" ANDAR
Vende ;^ urna bonita fela rt- 2 anuos
zinha, engumma e lava, tudo isto bem. Un
gura e tem bwa conducta : r rita d.. Pogo n. 9.
u\-
.11 1 I lili
^e a venda annunciada de um parto do sitio
Jmoninado Barbalbo, a imnvetndo CnjMbribe.
pelo Sr. Joan Pauln de Souza, amipn do Sr. Joao
Prsooisco PaeBarretn,.prteiieenl aerte* como
se presume, adverte^w i|p-l penhorada pon
uionijjo do Ernesto Jo< Felippe. Santiago, qe a
?" romove perante o juizo do commureio, escnvoi
af "VeniJo-se urna IwoiU ermU da, 18 annosj
eom urna cria de 4 metes, marho, Gibo damesHi;
coti'nna e cngotiima ijrTrivelmente : na ra do
Fogo n. 9.
.
Vinhover*
A ra do Livramento n. 6 continua haver para
vender ^ir preei rawavefci, cineihbr vinho *erdo
al boje vindo a eslemercadn.
Qii'-iii pretender comprar qual'ro vaccas ca-
da nma emu bezerro : dirija-se ao armazem do
sal da< 9 twr h'mwihaa em diante. Para mais
lofcrmaooea na jim da Cadma do Retife n. 31.
Gil iK.va de Lisboa.
Vende-sfina ruado AptHk) ..armasen de Ro
4 Iroiao n. 18.
ida
Guinda INpiittaeiirrie vnhwpor todo preco : no
armazem da Liga ra Nova n. 60.
Vfralte* uil eseravo pe^., de idade de "i*
anao%iHMKomawoaniBM : na roa doQueiroa-
d< n. 13,,1 andar.
---------------'' '--------------------------------__________________
IJicravos
Vcnde-te. umajfrva boa rorinheira, de iatfo
o WniMH, erttenWndo tamhm >- nn. < u*a
npgrmtML.fiUudesaa,'- : .rai.-.r *-v
ra do Oirredor do Bispo a .29. 'I
manba as 6 da tir&.
T


6
ffctpin de Puntatabuco Domingo 22 de A de 18G9.

GRANDE UQUIDAGAO
ll
IiOJA
DA
72.
ARARA
Ra da Imperatriz. -
72.
Alerta freguezes
que Arara vai cantar,
Para vender suas fazendas (baratas)
que muito ha de agradar.
O proprietario deste estabelecimento, tcndo grande poreo de fazendas em
er, vai proceder urna liquidaclo om todas as fazendas e roupas feitas existentes no
estabelecimento, agora que occasiao de quem tero pouco dinheiro poder se ves-tir de
boa fazenda c baratissima como se poder ver no anauncio aljaixo mencionado.
BRAMANTE PARA LENCOES A 20.
Vende-se bramante com' 10 palmos de
largura para lences, a 2$, a vara.
PECAS DE ALGODaOA 40.
Vendem-se pecas de algodao muito en-
corpado 4->, iri, 6-xJOOo 16-
Colei-lnhos econmicos a 3tO a
duzia.
Vende-se colerinhos economices a 320
a duzia, s se vende assim barato por ter
grande porro.
CASEMIRAS DE CORES
Vend-se cazemiras de cores para cala
e palitt ib 2500 e 3^C o corado.
Algodo enfestado 1*.
Vende-se algodao enfestado proprio para
lences e toalhas, 1$, a vara o* 900 rs. o
metro.
BRIM PARA CALCAS A 400 R*. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas e paKtots de
hornera e menino, 400 e 440 rs. e-ce-
vado, dito lizo a imitaco de ganga 360
o covado.
Algodao de llstras a O r.
o eovado
Vende-se algodao de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 R8.
Vende-se cortes de brim castor paw
calca de homem. i G40 800 rs. cada un-.
CARTEIRA PARA VIAGEM A \&.
Vende-se carteiras para viagem k t<5
cada urna, cobertores de algodao 1^500
cada um.
Cobertade chita a IHO
Vende se cobertas de chitas de cores
lf?800 e 25, cada urna.
ALGODAO TRANCADO DE EL'AS LARGURAS A
44200.
Vende-se algodao transado de duas lar-
guras, proprios para lences e toalhas para
mesa, se vende a 10200 o metro.
Mantas para grvala tOO rs.
Vende-se mantas para gravata a 200 rs.
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 24500.
Vende-se .atoalhadb pardo para toalhas
de mesa 2500 a vara, toalhas escoras
\&, cada urna. Ra da Imperatriz loja
da Arara n. 72.
MAAPOLAO BARATO A
Vcnde-se pecas de madapolao enfestado
e i2 jardas 35500, dito de 24 jardas ou
tti metros 5A, 6$, Ob'oOO, 7#500, 8 >000 e
1*000.
r CHITAS FRANCESAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas par vesti-
dos a 280, 320 rs. o covado, ditas escuras
muito finas 360 rs. o covado.
Challa multo Uno 900 rs.
Vende-S; chalw para vestidos ie seuhora
i-800 rs. o covado.
PERGALES A 4io RS.0 COVADO.
Vende-se percales muito finos para vts-
- tirios de sen hora a 440 rs. o covado.
Brilhantlnas 14 rs.
Vende-se brigantinas ou mursulinas de
(ores para vestidos de so horas 440 rs. o
covado, lazinhas muito finas para vestidos
de senhora 400 rs. e 500 rs". o covado,
~ ditas de quadrinhos 240 rs. o covado.
ARCADO FRVNCEZ A 360 RS. 0 COVADO
Vende-se riscado francez para vestido
de senhora 360 r. o covado!
lLasinhas a JiftO rs. o corado.
Vendem se laasinhas para vestido de se-
uhora a 240, 280; 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas finas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales de uterino **.
Vende-se chales de merino estampados
3$ e 25500 cada um, para acabar.
CORTES DE LAAS ABERTOS A 100
Vende-se cortes de lia para vestidos de
saahora, 25400 cada um
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vestiu ^
le senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de listras 700 e 760 rs. o covado.
Chitas prasslanas .
Vende-se chitas prussianas de listras de
cores muito bonitas a 360 rs. o covado.
CHITAS PARA COBERTA A 3i0
'Vende-se chitas incorpadas para coberta
-320 rs. o covado.
Bales de O a 90 arcos
Vende-se bales de 20 a 30 arcos
W500 cada um, balSes modernos brancos
e-de cores 55.
CONVITE GERAL.
0 proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da Impe-
ratriz n. 56, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
ser, c desejando diminuir este grande deposito por meio de urna liquidaco ojie fin-
dar no dia 15 ou 20 do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vie surtir-
se de boas fazendas, e por diminuto prego, a saber
CHITAS LARGAS A280rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
ALGODO ENFESTADO TRANCADO A
15000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
lencoes a 15000, dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLAO ENFESTADO A 35300.
Veadera-se pecas de raadapolSo enfes-
' tado a 35300, Ho inglez de 24 jardas ou
22 metros a 55, 65, 75, 85, 95 e 105, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BXREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5.0 re. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 15-
Vende-se sedas de cores para vestidos de
seofiora a 15 o covado. 0 '
I'ORCO DE RETALHOS.
Vende-se urna porco de retaibos de cas-
sas, de 13a e sedas e de outras fazendas
por muito barato proco.
A' elles antes que se acabem.
CHALY DE CORES A 860 RS.
Vende-se chaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 15.
Vende-se chales de cassa a 15, e de me-
rino a 25.
CORTES DE LA A 25400 RS.
Vendem-se cortes de 13a de listra para
vestidos de senhora a 25400 rs. para aca-
bar. ^
ALGODAO A PffcA 40000.
Vende-se pecas de algodao a 45, 55, 65
e 75 a peca. E muitas outras cousas que
na enfadonbo menear.
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para eobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 25500.
Vende-s^e casemiras de coree a 25500 e
350OO o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 35000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda a 105 cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para caicas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Gangas para calca a 3M rs.
Vendem-se gangas de cores para caiga e
palitots de bomens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 25.
Vende-se lencos brancos a 25 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 15000, para aca-
bar.
IGRANDE SORTIMENTO
DE RODPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADE.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que era outra casa: por
isso os pretendents poderao vir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covajk), para
BALES DE ARCOS A 15500.
Venden-se bafoes de 20 e 30 arcos a
15500 cada um, ditos modernos a 45.
BRIM HAMBURGO A 85000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo a 85, vem a ser mais barato do que
algodaosinho.
CORTINADOS A 145000,
Vende-se cortinados para cama a 145
para liquidar. Ditos para janellas a 75.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na* ra da Imperatriz n. 56.
! 45 RIJA DACADFJA
DE
W. 45
SOB A DIRECCO DO MUITO HABILARTISTA
Launano, alfaiate.
Os proprielarios deste novo estabelecimento, tendo experimentado a neceasidade
urgente de ter na direceo de sua oficina de roupas por medida, um artista perito, tem
contralado o Sr. Lauriano Jos de Barros para tal mister, convictos de que satisfar
com todo o capricho a vontade do freguez. .
Tem o mesmo estabelecimento nm bom snrtimemto de fazendas prfprias para
roupas de hornera, como sejan: casimira de cor, indos padre, completo sortimento de
pannos finos, preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins brancos e de
cores, merinos de diversas qualidades, bmbazina, lindos cortes de gorguro para collete,
gorguro Pekn, superior qualidade'.
Os freguezes encontrarlo ain(a*um variado sortimento de roupa. feita, camisas
inglezag, collarinhos, ceroolas, grvalas pretas e de pbantasia, meia para bomens, se-
nltoras, meninos e meninas, chapeos o> seda para sol, colchas, bramante, atoalbado,
bal5es de diversas cores e modelos, cambraias, malas para viagem, e outros ramios ar-
tigos que a modicidade de set precos trita a comprar.
A roa da Cadeia n. 45
Grande c completo sortimento de machinas para
descarocaV algodao de nova invencao elevadas ul-
timameotc em direilura para a loja de Manoel
liento de Oliveira Braga & C, na ra Dircita n.
53. Garntese que 6 a mellior qnalidade que at
o presente tem viudo ao mercado : acham-tc em
exposicao aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
grammos de mellior comprehenslo doi que tem
vindo at o presente, assim como marca? de lati
at meio graramo pelo mesmo systema, bataneas
de latao de forja de 5 a 20 kilogrammus, metros
de madeira e de tatito para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezns e ferrageas de
todas as (jualidades, indo por precos que s a vista
faz crdito : na roa Direila n. 53, loja de Manoel
liento de Oliveira Braga & C.
MIU SMISEGHN
Ra da Queimado ns. 49 e &7
tojas fe mrudezaz de Jop de
Azevedo Moia, est acabando
com as miudeza de scus esfade-
lecimenfos por isso queram apre-
ciar o que bom e baralissirm.
Pecae de tiras bordadas enm-12
metros, fazenda superier, a
-400O
15500, ib, 3e.
Ca xa de linha cava SOnovellos 500
Pares de sapatos de tranea ffc-
zentonova a....... 2Q00
Pares dfe sapatw de lapette
(s' grandes) a...... (SOG
Duzias d meis rroas para Mo^
mem *........ 300
Tramoia db- Pbrto fazenda Boa
e pelo precoraewr 100 attos-a* 00
Livros demissSes abreviadas a.- ^OOO
Duzia de Berallws franewesmuilCB
finos a2H0O'e..... ^2i580f
Silabario portuguez om estam-
pas a........ 320
fJravatas rooreso fretas-muito-'
finas a........ #500
Gartoes con cotehetw- de'lati
fazenda feaa a...... #020
M)tuadura8--de vidro pava col te
fazenda fina a. 500
gaixas cora peona d'a?o maito
finas a 32^1.400/50 e- 1j5000
Srtes de liaba-Alexsadre que
tem20OJ8rdis-a .... #100
Carreteis de- Imita Alestadfe de
70at20a...... #100
aixas conv superiores* ebreias
de massaa. ....... ^040
Duzias de agoihas par machina 2j>000
Ilibras de i-efs fraiwsaas di-
verso tamaaho a. >2iO
iivros escriplurado par, ral de
roupa a. ....... "iH2
Talheres para meninca- muito
finos a. ,...... [#240
8aix-as com papel-amiisda muito a
fino a........ "4700
100 enveloftee muito
finos a........ 5600
Pentes volteados paramaainas e
senhoras-a........ 320
Thezourafr- muito ftnas para
unhas o- costuras a 500
Tinteiros com tinta fiaeta muito
boa a 80 120 e 320
Varas de- fram'a paratoalhas fa-
zenda.fina a. 160
Pegas de fita branca elstica
muita fina a....... 200
Novellee-de linha coa 400 jardas* 60
Resmas de papei de pezo azul.
muito fino a...... 2#50O
Crozas- de botee- de louca mUo
finos a........ 160
IiOJTA
GALLO SIGILANTE
Ra do Crespo a. 9
Os proprietari deste bem conhecMfo estabele-
cimenter atm do muitos oftjcctos que (mtam ex-
postos a apreciaca db resjeitavel pufefieo, man-
daram vir e acataafcde receier pelo ulftmo vapor
da Europa um coraoteto e variado sortimento de
finas e mi delicada* especiaWales, as quaes es-
Itao resolvidbs a vender, come de seu eostwne,
por precos muito baratnhos e eommodus para to-
|dos, com taato que o Safio....
Muito superiores lnvas de pt+iiea, pret, bran-
cas e de mu lindas cures.
Mu boas e- bonitas gollinhas e punlios para se-
nhora, neste genero o que ba c> mals mocterno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e rituiiosimos enfeites para caberas das
Exmas. senlioras.
Soperiores trancas pretas e de cores con \idri-
Ihos e sem elles; esta fa-zenda o que pode ha-ver
de mellior e mats honifix
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenbos, e estes prelos.
Muito superiores meias do de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 204,
alm desta?, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior eanna da India e
casto de marflm com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambmn grande
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch 6 C, em
cognac urna das Tjue mais agurdente de
cognac, fornecem para o eohsummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Tb. Just. na do
commercio n. 32. _________
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de sen resulta-
do, ej pela fcil applieac5o as creangas,
quasi sempre mais atacadas de tao terrivel
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DB
Bartbomeu A C.
34Roa Larga do Rosarlo84
Machinas raporde
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavalles.
Arados americanos.
Machtaas de fac3o e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balanzas para armazem e baleao.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Mtloez e de Ubit-
field.
Prencas para copiar cartas.
Fogao americano patent
quanlid?de de oatras qualidades, como sejaui, ma-
aeira, baleia, osso, borracha, etc. etc.etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora c para meni-
nas do i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pulo fabricante, e nos por nossa ver tam-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capeltas para no i va.
Soperiores agulhas para machina c para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarcte, assim
coano os teios para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos melhores e mais conliecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsocs, e
facilitam a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-tos por todos os
vapores, afim de que nunca falem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-so ao fim
para que sao appiicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos'
declarados, aos nossos freguezes e amigos a vircm
comprar por precos muito razoaveis leja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7-
Scbonete de alcatrdo,
DK
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, qne Ufo boa
acceitacao tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura certi
das impigens, sarnas, caspas e todas u
molestias de pelle.
Deposito nnico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34roa larga do Rosario34.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
ceicao, em barricas grandes.
Balancas orzontaes
Pelo boto systeaaa de kflo-
grnmmn.
Vende-se no armazem de J. A. Moreira Dias
roa da Cruz n. 86._______________^
Vondem-se quatro escravas de ida ie de 18 a
16 annos, engommam bm, cozinham ptimamente;
ama dita de meia idade, boa quitandeira : pa tra-
vessa do Carmo n, i,
A10 M PROFESSORES
Primeiro e segundo
LIVROS DE LEITURA
pao
Dr. Abio C. Borges
SEGUNDA EDICCO MUITO MELHOR ADA E
AUGMENTADA.
Estes livros, os primeiros que com taes
Ututos appareceram no paiz, sao compos-
tos segn lo um systema natural, philoso-
pbico e ameno, que facilita aos meninos o
conhecimento da leitora, toreando-lhes rae-
nos penosos os primeiros passos na vida
Iliteraria,
Recommenda-os o fado de haverem sido
adoptados coi quasi todas as provincias do
imperio, e com tal acceitaoao, que, em dous
ennos, se acbou esgotada a Ia edirao de....
40,000 exemplares.
PRECO
4o livro de leitura....... 500 rs.
2a dito de dito.......... 2$000.
Vende-se na livraria franceza.
ORa do Crespo
BAZAR DA MODA
Os abaixo assignados, proprietarios deste
estabelecimento, declaram ao respeitavel
publico e com especialidade a seus nume-
rosos freguezes, que desta data era diante
as raercedorias serao vendidas a preco fixo,
e mdico. Isto resolveram os mesmos pro-
prietarios em consequencia de reiterados
pedidos de muitas pessoas por ser este
systema de vender o que mais garanta e
confianca inspira ao comprador.
As vendas em grosso. serSo feitas com
os abatimentos na razio seguinte :
Compras de SO a 400$ descont 5%
de 400 a 500$ 40%
de 500,5 para cima 45/
Pagamento realiasado no mesmo mez de
compra.
Os proprietarios doBAZAR DA MODA,
observam mais que, recebendo todas as
mercadorias de conta propria, offerecem
a quem comprar todas as vantajosas condi-
ces das casas importadoras.
O estabelecimento conserva-se aberto
lodos os dias uteis das 6 horas da manhla
s 8 horas da noite.
Recife, 4 de agosto lie 4869.
Jos de Souza Soares C.
' JTABERNA.
Vende-se a taberna da esquina da ra de Sania
Rita ni, a qual est muito afreguezada : quem
pretpnder dirija-se mesma, que achara com
quem tratar.
BAZAR UNIVERSAL
O lina Nova
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systenias, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposicao servicos a electos para alrao-
(0 e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecimademesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar familia, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solleiros e crianza, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de bataneo,
espelhos de todos os lamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
iara sala e n esa, tapetes para sala, quarto,
rente de sopb, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio
muitos outros artigos que se encontrarlo
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
CUBA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galonpeaa.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo ; C.
34------Ra larga do Rosario------34.
fASTILIUS ASSUCARADAS
DO
DR. PATERSON
De blsniuth e maguezla.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digesto, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu d G.
34------Ra larga do Rosario^------34.
Rap Princeza
DA IMPERIAL FABRICA DE VIE4RA GUIMA-
RES c COUTO,
DO RIO DE JANEIRO.
Vende-se este excellente rap no escrip-
torio de Joaquim Gerardo de Bastos, ra
do Vigario n. 46. \ andar.
k NOVA ESPERABA
21Roa do Queimado 2)
Advertencia!
A Nova Esporanca, ra do Queimad
n. 24 tendo em deposito grande quantdad*
de niiudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
cadorias pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a prande quantidade das qne
tem: assim pois, venbam os bons fregue-
zes, e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo 13o opporluno quando i
NOVA ESPERANCA con\ ida-os pechincha-
rem, pois qne para comprar-se caro, nao
falta aonde e a quem...
Elle quer e ella quer
' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos, a
gosto e pereico, e ella (foja da Nova Es-
peranca) quer sempre dividir com seus fre
goezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) a
Nova Esperanca ra doQueimado n.,
alm do grande sortimento que j tinha,
acaba dereceber mars o seguinle:
Bonitos broches, palceiras s brincos da
madreperola.
Papel e euvelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos
baadeijas.
Brincos pret os com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galfoes, franja e trancas da
seda e de la, para enfeites de vestidos.
Botoes de toda as cores e moldes novo
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes e sem elles.
Botoes pretos cora vidrilhos com pingen-
tes e sem eWes.
I.uvas de pellica, camurca e excossia.
Finas metas de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados lequo de madreperula, mar-
fm, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas ra do Queinado n. 4, "na
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magneti
eos contra as conmlces das
creancas.
Nao resta a menor duvida, de que muito.
cellares se vendem por ahi intitulado* o
verdadeiros de Roycr, e eis porqae muito*
pais de familias nao creem (comprando-os)
no e fie i tu promettido, o que so pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificado principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidadeB
fez urna encommenda directa destes collareij
e garante aos pais de familias, que sao o*
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
fas tem salvado do terrivel incommodo d*
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 24 compraren) o salva vida, para seca
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando entao ser i-
fficil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros coliare
de Royer.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites.
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
VE\I1I>SK
, NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
34RA LARGA DO BOSABIO34
FUNDICAO DOBOWMAN
Roa do Bi-um a. A9.
PASSANDO 0 CHAFARIZ
Tem sempre deposito de todo o marinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
ilgodao.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de oanna.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido fundido e de
cobre.
Alambiques.
Atados e instrumentos d'agricultura.
Descarofadores d'algod3o etc. etc.
Havendo em ludo variedade de tamanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar.
CAZ GAZGAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster a
C, rus do Imperador, um carregamento de gai
de primeira qualidade; o qual se vende em partida.'
a a rettlbo por menos preco do que em outra qual
quer parte.
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
Jas digestoes difficeis e completas, a calmar
u dores gastralgicas, e reparar as forcas
produzindo urna assimula^ao completa dos
ilimentos; sendo mais um excellente tnico.
VEMDE-8E
PHARMACIA E DROGARA
M
llartholoiaeu A C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
Eua do Crespo n. 17
ESTEIBAS DA INDIA PABA FORRAR
SALAS.
Gorgoroes de cores para vestidos.
Poupelinas de linbo c seda de muito bom
gosto.
Sedas de cores de lindos desenbos.
Alpacas de listas muito bonitas.
Ditas lisas de todas as cores.
GorgorSo em chitas, fazenda nova.
Brillantinas de cores.
Casaquinhos pretos de guipure.
Ditos de casemira de todas as cores.
Riquissimos cortes de vestido de Wond.
Ditos ditos de cambraia bordados.
Ditos ditos de tarlatana bordados.
Colxas de seda ltimamente chegadas.
Ditas adamascadas brancas e de todas as
cores.
Damascos largos e estreitos proprios para
colxas.
Bales de todas as qualidades.
Saias de cores,
Saias brancas bordadas.
Tapetes de todos os taannos e para co-
vados, aveludado.
Cambraias de cores c chitas de todas as
qualidades, e outras muitas iazendas que se
vendem por todo preco, somente para acre-
ditar a distincta firma de
AMEMIIMAMEUC.
CHARUTOS
Os melhores charutos da exposicao e variedade
de outras qualidades, finos; encontra-se no betel
Central de Francisco Garrido, ra larga do Rosa-
rio n. 37,1* andar, e ra estreita do Rosario d.
4 A. Vendem-se a retalho e em grosso._______
Tinta rxa de Mnteiro
Vndese tinta rxa de Mnteiro para escrever :
ua loja de calcado do sobrado amarello na rea da
Gru h. 21.
Venda de impostes
Manoel Barbosa da Silva, arrematante dos rn-
oste* provinciaes das comarcas de Tacarat, C-
rabo e Boa-Vista, e dos impostos de consumo das
afoardentes do termo de Olinda, avisa aos que
pretenderen! comprar ditos impostos, que pode ser
procurado i ra do Livramento n. 82, onde por si
ou seu procurador podem entrar desde j em ne-
gocio os pretndenos.
v


Diario de Pernambuco
Domingo
22 de
Agosto
de 1869.

*'
/
\
Ccordeiro previdente
Rua do itueiaiado n. IO
novo e variado sortimento de perfumaras
linas, e outros objoctos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que effoctivamente est provida a
Ioja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de prc-
Cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n3o se afas-
Undo elle de sua bem coaheckla uiansidao
e barateza. Em dita loja encontrarao os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos memores emais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrflcia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacSo do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaves.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
6 outras qiialidades.
Fiaos extractos inglozes, americanos e
francees era frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
ro da violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaves.
Oleo philocome verdadeiro. -
Estricto d'oleo de superior qualidade,
com escolbidos che tos, em frascos de difie-
ren tes tamanhos.
Sabonetas em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos milito finos em caixinba para barba.
Caixinhas com bonitos sabooetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contando fi-
nas perfumaras, muito propinas para pre-
aentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonkos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p do arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composicSo de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
Cas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tarabem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mais coques.
Um otilro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'eiles ornados de flores e fitas,
estSo todos expostos aprecia^So de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muitogosto e.perfeico.
Flvellas e fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
--------
x
EM C0NT1NUAC40
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
DE
FLIX PERE1KV DA SILVA.
O proprietario deste grande estabelecimento tendo sido o arrematante da
extracta loja denominada=74flO/tf DAS DAMAS^i rua da Imperatriz n. 36, e nao
Ibe tendo sido possivel, na raesma loja, concluir a liquidado da grande quantidade de
fazendas que all existiam, pelos poucos das que leve at entregar as chaves, vio-se
obrigado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabelecimento, o=PAVAO
onde o respeitavel puDlico encontrar um grande sortimento das melhores fazendas de
linho, laa, algoriiio e seda,. que se Ihe vender muito mais barato do que era outra
qualquer parte, com o fim de apurar diuheiro, e as pessoas que negociam em pequea
escala, tanto da praca como do matto. nesta casa poderao fazer seus sortimentos em
pequeas ou grandes porcoes, vendendo-se-lhes pelos precos que se compram, n s
casas inglesas; assim como as excellentissimas familias podero mandar buscar as amos-
tras de todas as fazendas. ou mandar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas
casas; o estabelecimento se acha constantemente aberto das 6 horas da manhSa s 9
da noite.
t**3mE**.
**
** tttlMAU^
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAYO A BA DA
IMPERATRIZ N. 60
RIVAL SI S
Rua do Quetmadon, 49 e 57 loja
dt miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Sdva conhecido por
Jos* Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazer novo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de liabas do gaz com
BOnovellos a 300
Latas com superior banlia a
120, 200 e..... 400
Frascos de oleo babosa, muito
fino a....... 400
Duzias de raeiss (inglezas )
luuitoboasa .... />00C
Garrafas com agua florida ver-
dadeira ...... i-joi,
Garrafas com agua divina darnc-
Ihor qualidade .... 1$500
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos 2oo0fi
Dita com}6 frascos muito finos ;'i 800
Oleo baboza muito fino que s
a vista i ..... ,5500
Sabooetes de catanga muito bo-
nito a...... 240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... 600
Pecas de babadinbo com 10
varas ...... 500
Pecas de fita de cs qualquer
largura ..... 50C
Escovas para unbas muito fi-
nas A....... 500
Escovas para dentes fazenda
muito una ..... 240
Puleeiras de oootas de cores
para meninos .... 200
(saixas de linda branca do gaz
com 90 novollos 600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores ..... 040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 4000
Pares de botos para punhos
muito bonito .... 120
Libras de lia pa- a bordados de
de todas e cores 8AO00
Feotes com costas de metal
muito fios i ..... 320
NovdHos de liaba muito grande
para crox 320
Duzia de liaba froxa para bor-
dado ...... 480
Grosas de botes madreperola
muito fino ..... 500
Saboneta muHo finos 60, 120,
60, 240 e..... 320
Pecas de fita de Ka todas as
cores ...... 500
Espeibos dourados para parede
10000 e..... 1500
Espetos de Jacaranda muito
fino ...... 2000
Petas de trancas brancas e de
ores do caracol a 060
Pares de melas cruas para me-
ninos ...... 320
Canwete moto fino com 4 fo-
fcas ...... 1500
Frascos de sndalo e patecboly
taulVo fiaos 1200
ALTA NOVIDADE
EM PGITF.UNAS OU GOnGURO DE LINHO E
SEDA.
Pelo ultimo vapor chegou para a loja do
Pavo um elegante sortimento das mais
Acha-se este grande estabelecimento com-' bellas poupelinas ou gorguroes de linho a
pletamente sonido das melhores roupas, seda, com os mais delicados padrees que
sendo calcas palitts e coletes de casemira, se pode imaginar, assim como urna grande
de panno, de brim, de alpaca, e de todas porcia de cortes da raesma fazenda, tendo
as mais fazendas que os compradores pos- de todas as cores e garantindo-se que neste
sam desejar, assim como na mesma loja genero nao ha nada mais bonito nem mais
tem um bello sortimento de pannos casemi- proprio para vestidos, e vende-se por pre-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer co muito razoavel na loja de Flix Pereira
qualquer peca de obra, coma maior promp- da Silva, rua da Imperatriz n. 00.
CELEZIAS y
A AGIA BRANCA tem conviccao de que a abundancia de objectos de novidade-
em seu constante e completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
de de qualidades, e a limitacao de scus precos, esto na opnio do respeitavel publico
era geral, e na de sua boa freguezia em particular; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da recepefo d'aquelles objectos que esto alem do comraum,
como bem sejam :
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa- Pannos de crochet para cadeiras.
das, contando navalhas e os mais necessarios Novo sortimento de toalhas de labyrin-
para viagem, servindo ellas de carteira tho, para baptizados,
juando abertas. Renda e bico d guipur, branco e
Outras conforme aquellas, proprias para preto.
senhoras. ( p|0 preto, de seda, com salpicos.
Outras machetadas, com thesouras c os Pequeos e delicados espanadores de
mais necessarios dourados e de madrepe- peonas coloridas, proprios para piannos,
rola para costura, obras de apurado gosto oratorios, etc.
Bonitos passarinhos de metal prateados,
Cal nova tic Lisboa
me Jnaquimlo- Cruz d.
Potas
a mais nova no mareado, a pre$o rszeavd : na
roa do Conimercio n. 1.), armazem do Manuel Tp-
xeira Bayln.
Fwinlia do uiantlioca da Ierra mnilo boa,
tem para vcisJt Maa A F.atideh'no, na travesa do
Qneimado n. 18 B.
PIMO III SI MI
No armazem pintado de verde, sito a rua
do Caes 22 Je Noverobro n. 30, vende-se
superior mndeira de pinbo da Suecia, com
3 polegadas de grossura, 9 de largura, e
14 ps de comprimento a 3000 cada ornar
tabeas de forro a 8/>, 9d e 106000 a duzia
pinho americano de resma 200 rs. o pi
tidao vntade do freguez, e n3o sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linbo e algodSo e outros muitos artigos
proprios para horaens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na rua da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da^Silva.
ios dez mil cornil os le cassas
francezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do PavSo rua da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padrdes miudos e grvi-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas sao propriaraente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e alm dos padres
serem muito bonitos, sao todos fixos e seria
fazenda para muito mais dinbeiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
Espartllhos a 3AOOO na loja do
Pavo
Vende-se urna grande porc5o de esparti-
Ihos modernos com o competente cordao,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 30 cada um.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 10800
Chegou para a loja do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, urna grande porc3o de
p-cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
raento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
cora um metro e meio; e vende-se pelo
barato prego de 10800 res cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicac5es para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
Cortes de vestido do Pavo a
OOO.
Vendem-se bonitos cortes de cambraia e
tarlatana, ricamente bordados a 13a, pelo
baratissimo preco de 60.
Ditos por eslarem um non) machucados
a 40.
Ditos nissimos con. 4 seda a 40.
Assim como os mais m nos cortes de
poil de cbvre, com duas saias, sendo fa-
zenda chegada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caixinha com o competente figunno,
a 180; lnissiraos cort s de cambraia bran-
ca, ricamene bordados, que at podem
servir para noiva, a 250000, e outros mui-
tos cortes de differentes fazendas que se
liquidam baratas na loja do Pavo.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos, por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo rua da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
CASSAS A 240
Vende-se cassas com delicados padrees e
cores (ixas 240 rs. o covado: na loja do
Pavo rua da Imperatriz n. 60 de Flix
Pereira da Silva.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chegaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeitados sendo com os
Ceios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muito em conta.
GROZ DE COR
Chegaram os mais bonitos grosdenapeles
de cores, sendo verde, azul, lyrio. cinzento
e branco muito alvo, que se vendem mais
barato doqueem outra qualquer parte.
BASQUINAS DE'FIL
Vende-se as mais modernas e mais ricas
basquinas de fil preto, por preco em conta.
VESTIDINHOS PARA MENINOS A
20000 E 20800
Vendem-se ve.-tidinooi para meninos e
meninas, pelo barato preeo de 20000 e
-05OO, assim como ricos enxovaes para
baptisdo.
MADAPOLO FRANCEZ A 70000 A PECA
Vende-se pecas de raadapolo francez en-
festado com 20 metros a 70UOO a peca;
pichincha.
MUSSEUNAS DE COR
VenoV-se as mais bonitas musselinas de
cores a 500 rs. o covado.
PANNO DE LINHO
ATOALHADO
Vendem-se as mais finas celezias de linho
com 23 varas cada peca, sendo mais finas
ainda que os mais finos esguies que tm
vindo ao mercado, a 450, 550, 600000 e
7U0OOO, tambera se vende em varas as
mesraas celezias, sendo preciso; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lences
com perto de 4 palmos de largura a 700,
8(K) e 10000 a vara, sendo em peca tam-
bem se faz alguraa cquidade ; bramantes
para ienges com 10 palmos de largura a
10800 e 20500 o metro, e de linho muito
superior a 30200 e 305 Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 20400, 30 e 30500 o metro, e
outras muitas fazendas brancas que se ven-
dem muito mais barato do que em outra
'jualquer parte, com o fim nico de apurar
dinh^iro.
CHITAS
MADAPOLO
ALGODOSINHO-
Vendem-se superiores chitas escuras e
claras pelo barato preco de 2H0, 320 e 360
rs. F as percallas a 320 e 360 rs.
Pecas de algodosinho de todas as lar-
guras e qualidades. Pecas de madapolo
dos mais baratos at os mais finos; assim
como, superior algodosinho enfestado para
lences, toalhas, tanto liso como trancado:
todas Pitas fazendas se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte, para apu-
rar dinbeiro.
PECHINCHA DO PAVO PARA ESCRAVOS
A 200 RS.
Vende-se urna grande porcao de esta-
menha mesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e calcas para moleques,
sendo urna fazenda escura trancada e muito
cncorpada, pelo barato preco de 200 rs.
o covado, fazenda que sempre se vendeu
por muito mais dinheiro.
ROUPA
EM LIQUIDACAO NA LOJA DO P WO
Vcnde-se urna grande porco de roupas
para horaens, sendo grande quantidade de
calcas do brim, casto*-, casemira e meia
casemira. de todos os precos e cores. Pa-
litts de alpaca, brim, casemira, meia ca-
simira e panno fino. Cohetes de todas as
qualidades. Camisas de linh o algodo.
Ceroulas e outros muitos artigos, por preco
muito em conta.
Aos quinlientos palitts
a 18.* e 20000.
Na loja do Pav-o rua da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porco de pa-
litts sobrecasacados, o propriamente so-
brecasacos de panno preto, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de 180, sendo forrados de alpaca, e de
200 forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter feito um3 grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na roa da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
RALOES MODERNOS E SAIAS DE LA
Na loja do Pavo vende-se os mais mo-
llero is balos reguladores tanto de musse-
lina como de la de cor, e as mais moder-
nas saias di 15a entestada, mais barato di
que em outra qualquer parte.
SULTANAS
Chegou para a loja do Pavo um grande
sortimento das mais linuas sultanas, par?
vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
com listas de seda 8 os padres mais novoc
que tem vindu a es'e mercado, vendendo-si
a 10400 o covado, na loja de Flix Pereira
da Silva rua da Imperatriz n. 60.
ATTEN (AO.
Vende-se ama porjau de grcdianiento de ferro,
i|ne foi do passadifo do Rprife a Santo Antonio, ,
igualmente se rende ama machina de furca de 3
l oavallos. em perldlto estado, e raldeira nova : *
tratar na Torre rom Andr de Abroo Porto.
e perfeicao, proprias paro um bello pre-
sente, tendo algumas cora musi a.
Estojos ou carteiras de ecuro com nava-
Ibas, e os mais necessarios para viagens.
ESCOVAS DE MARFIM
Para unbas. dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com machetados de ma-
dreperola para os mesmos fins.
ORRAS DE MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capelias com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Vottas de grossos aljofaes de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
genietf para o pescoco.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin dourado.
Rotoes com ancora, e P. II. para fardas
e cohetes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para cohetes, cada um 50.
RoiSes de cristal, encastoados em prata,
para punhos, 40 o par.
Camisas de flaneila para homem, a me-
Ihor qualidade que tem vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creaheas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de inchaco as pernas.
para segurar costuras, tendo almofadinbas,
de velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, qualro e cinco
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS NON-PLUSILTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as
honras d'um annuncio, e sem duvida me-
recer das intelligentes senhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tal genero, e ainda assim custa cada
papel apens 200 rs.
Provavelmente d'aqui a pouco abundaro
as falsificadas para serem vendidas barata-
mente, porm as verdadeiras continuaro a
vir especialmente para a loja da Aguia
Branca.
Descrever minuciosamente por seus no-
mes e qualidades a nflnidade d'objectos
que constantemente se achara & venda na
loja da Aguia Branca, seria seno impossi-
ve! ao menos infadonho por isso ella con-
fia na constancia de sua boa e antiga fre-
quezia, e pede aos que de novo queiram
reconhecer a comraodidade de seus precos
e a cinceridade de seu agrado, que nao se
esquecam de^ comparecer loja d'Aguia
Branca rua do Queiraado n. 8.
SE UM MIVIDARIHMIII
NO
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Ter S1MA0 DOS SANTOS & C.
Os proprielarios deste bem sortido armazem de seceo e molhados, parlecipam
aos seus numerosos fregueses, tinto desta praca, como do matto e igualmente aos ami-
gos do bom e barato, que teemum grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
duriaf e as mais novas do mercad, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
mrnos preco do que em outr qualquer parte, por ser maior parte destas mercaduras
compradas por conta propria, por isso quem comprar at a quanlia de 1005, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garanlindo-se qualquer genero sabido deste
armazem.
GAZ AMERICANO 90 a lata, a 400 rs.
a garrafa e 60 rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 560 e
640 rs. a garrafa, a 40800 e 40800 a caria-
da, a 7 Oe 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400. 440 e 800 rs. a garrafa, a 30 e
30St>O a caada. 600 e 640 rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro-
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 40500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA a
201, 240 e 320 rs. a garrafa. 20200,
10800 e 10400 a caada, 360 e 480 rs.
9 litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 3 10440 e
10280 a libra, 30140 e 20800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZA 960 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 10870 o kilo-
giammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a l
bra, 10400 o kilogrammo, em porc5o se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR ;i
720 rs. a libra, o 10570 o kilogrammo, em
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDL\
120 e 140 rs. i-fibra. 260 e 30o re. o "ki- lit,!5*SrieJS^LraS0/,
620 rs. o kilogrammo, em porfSo ha aba-
timento.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 10 c 10500 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE a 70 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PH0SPH0R0S DO GAZ E DE SEGU-
RANZA, a 280, 400 e 560 rs. o masso,
30200 e 60500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHIMIAS
DE MUITOS TAMANHOS 30500, 50500
o 10 a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, c em caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA a 100 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS-
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 70 e 60 a frasqoeira, o 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio do engenho Todos os Santos da viita
de Ipojuca, no da '-10 de malo, o escraju Gunratu,
representa ter io anuos d,' idade, pouco mais o
menos, cor v nnelha, alto, grosso, olhos pequeos,
sem barba, c os ps radiando, fui ecravu da ?rn.
D. Senhorinha Marid do Livrainentn. que moma Ba
villa de SerionSeiE ; no da immediato da fgida
estere na mesma villa : supp&e-se estar amulado,
o que f ? proceder com o rigor da lei a qnem ti
tenha, o pede- e s .-.utoridades policiaes ou capia
tos de C.mpo a captura du musmo o entregar no
niesnio engolillo ao abaixo assignado, ou na roa
da Moed, n. 5, S* andar.eseriptorio de Mam I Al-
ves Forre Ira & C., que ;er generosamente recom-
pensado.
________Migoel Paulino Totenlino Peres Falclk.
Afff
As autoridades poliemes ea
quem competir.
No dia 20 tle mato do corrente ai no U\-
gio o escravo Esequiel, crioulo de 30 32
anoos de idade, estatura regular, refbecado,.
cor bem prcta, cabera redonla. trajava ca-
misa azul e calt;3 fie casemira cinzenla; du-
rante o dia costuma andar ganhando B
ruaf, ou em armazens de assucar ou as
tabernas a conversar e a beber; drame a
noite reoolhe-se a telhiros abertos oo pe-
netraveis. a casas em construccSo e a por-
teo* qnaesquer lujares onde se possa abri-
gar: quem o apprehender tenha a hondada
de o conduzir rua da Aurora n. 26, ond
sera" gratificado.
Pugiram do engenho FMuer
do termo da Escada, na miiic (?
10 par 11 do corrente, don^ e-"
era vos mualos, os q aes hfsm
comprado* ao Exm. Sr. barao oNi
Nazar*4b ha 15 das pouco isa!.*
00 menos, Fondo Jio. idade Ib
O a ;t2 annos, bem barbado, pe-
tos cabelludos, tom os Vdos dos pea, i;-to e, i i
minimos curtos e qua* <|iie trepa ni um no outra,
tendo todos os dentes de frente, corpo regular o
leva chapeo de cohto de sartaneiu. calca azul de
algodao que Ihe chainam pello d onea e cobertor
de haeta escura c mai* aiguma roupa, foi esrrr.vo
do lllin. Sr. U nenie coron-i Agostialw Corra do
Heilo, deOuricury, o oulro de nomo Flix, ca-
bra, alto, burn corpo, idade 25 annos pouco i>
ou menos, livuu c lia peo do couro de aha- largas,
calca azul de algodao que Ihe chamam pello d'on-
ea e cobertor de baeta oscura, foi esir.ivo oV
lllui Sr. Eduardo Pereira do Soiua, da provinr-' i
da Parahyba, que o vendeu por seu procurador o
Sr. Jos Lopes Alheiro ; quem o apprehender e
levar ao inesnio engenho Firmesa ou no Recite "o
escriplorio de Domingos Alves Mathius, a rua do
V'jgarhi n. 21, sor nenerosamente recompen-ado
Fugio no ilia 9 do corrento iiii'Z, o
molato Aquilino de 18 a 20 anous de ida-
de, estatura regular, magro, ainda sera
barba, cabellos crescido e muito crespos,
lieieos grossos, falto de um dente incisivo
da mandbula superior (dente da frenti).
tendo no braco esquerdo junto ao pulso,
urna cicatriz muito recente e cumiar d
queimadura, bracos e pernas compridns, e
quando anda atita com estas para os lado::,
e faz muitos movimentos com aquellos e
falla um tanto roneo. Costa do andar
acuiupanhado de camaradas, contad r de
historias; foi at levereiro do corrente anno
escravo do Sr. Jo5o de Castro Guimaraes,
sahio de casa com camisa de madapulao e
calca de casemira acinzentada com listras
pretas dos lados externos das pern?s, e
tem sido visto as mas das Cruzes. (Jaet-
mado, Rosario, largo do Carmo e na rua
da Aurora que elle frecuenta.
Quem pega-lo ter a bondade de eva-lo
i rua Nova n. 39.
Recfie 12 de agosto de I8G9.
logrammo e 3^800 a arroba.
ALHSTA 2i0 rs. a libra e 20 rs, o
kilogrammo. e 65 por I i kogrammos.
IAE EM GRAO 63 e 65500 a arroba,
200 ttOrs. a libra. iO e 520 rs. o
kilogrammo.
SARAO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 f 4i0 rs o kilogrammo, em caixa ha
abatimento.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
3(J; 25800 e 25400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOCINHO DE LISBOA 100 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo.. e 115500 por
14 kogrammos.
CHA FINO. GRAl f)0 E MIUDINHO os
melhores que lia no mercado, 35 e
35200 a libra, 7;>080 e 65540 o kilo-
MASSAS PARA SOPA, MACVRRAO, TA- grammo.
a libra e
LH \RIN E ALETRIA, 800 rs.
15750 o kli -grammo.
SEVADINHA E SAF 3 2S0 rs. a libra e
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 2570),
25500, 25200 e 25 a libra, e 55150 e
45180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinlio em ancorlas, apitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguicas de Lisboa, marmelada. con-
servas gela de marmcllo, pcego, orvilhas, peixe em latas, sardinhas de Nantes,
erde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadope, cominho, pimenta, grandes
de sebolla 1.5500, finalmente muito mais gneros que enfandonho
menciona-los.
Fugio no da I) do coitiiiii) uiez do
engenho Sant'Anna da comarca do Porto
Calvo, o cabra Wenceslao, estatura rep*-
lar, de 22 annos pouco mais ou menos,
sem barba, cabellos preto, e bem cara-
pinhados, foi comprado na cidade do Ru
cite, para onde veio da provincia da P i
rahyba; e bem assim o escravo Mmoc
crioulo, to 22 annos, estatura regular,
tem um dente quebrado no queixi/ superior,
bem preto; quem os apprehender leve a
casa do negociante Joaquim Rodrigues Ta-
vares de Moli, no Recife, ou n< referido
encenho aue ser bem recoipeimde.
Escrva fapdn
Acha-se fgida a eseraya Auna, tend snhido do
casa com um vestido do laa quasi branco com eii-
feites azues, chales de merino azul com barra es-
tampada de cores, o uns briucos de ladras bran-
cas ; alta, de idade, pouco mais on menos, A.
rnnos, acha-se nutrida e tem os bracos muito pin-
tados de marcas de bexigas : qoem a pt'gar leve a
rua Direits, -:i.-a n. ;), que sf ra yratilirade.
INJECTION BROU

rrcwrvatlva, kwluianKiu vt.it* v* cura kiu ueuiium idun o.
(Eiiftf ttwiiiM ) (Mi U wnucu,) rui>, m. i
I MlWlU. MI.
AttencAo.
Vende-se um escravo com idade de 35 ut*
-w*usto para todo o servico ; a tratar na Yua Di-
reita n. ?.
Este admrate!
[p|iuriiio n.io
cciilemtmsiintr- i
rurio, iodo tmj
arsnico| um 1
tinoroo modifl-
cadnr jiaroo saogue ecura radicalmulem moleslijs depolir,la<3 tomo lepra, asimpigrn.t, asberpt, u
ripiabas, e os Pasaos, ele.Empreado diariamente elle refresca a mnssa do ganjiue e cnvolida o saudo, 1
1 IHJEGG10 G1DET Cn" Tahim, 7, B' Denaln,
t S i I
i
no dia IG do correute mez de agosto a ecrava de
neme Mara Joaquina, de idade 28 annos, ponen
mais ou mcuos, cor mulata acaboclada, cabelt ^
cuinpridos e annolados, tem pannos no rusto, aho-
ra rentar, cheia do corpa, (alia alio, (- fllha ro
hi'I do Haco do Ass. levoo s.iia de chita r "i
listras encarnadas, alguma cousa d^botado, BTB
casaqiiionti branco, vinha sempre da Capunga ron
ortalices e fracta-pio em um tahnlfirn d madeira
grande, e pn>sava sempre no Caminho-nuTo o
de-de j protesta-se contra ijuem a tiver acintad;
e pede-se autoridades policiaes e ca(iities de
campo a captura della, que sern bem reemaf.
sados, l-ivando-a na Capunga ao sitit. d.> J.Ai ot
da CunLa Lages, ou na rua do Vigari... taberna ,
n. 3.1.
Vj uta lo u.itcr." 4'* iv;> ,. ... .
do engenho Taquart. freguezia t Santo ArU..;,
um mulato do nomo Balihazar, escravo d> eapi-
tao Arsceles Carneiro da Cunta e AlbuquwiKi.
Levou calcji de algodozinho azul de qaadr^ e
camisa de rscado da mesma cor, e cmidozio u
rde. E'sertanejo, alto, espadad lo, p.iuco harbv
du e tem cabellos creiposAtinos ; em un do* k>
do rosto tem urna cicairR ama iiequena rupi:a
na aHnra do estomago, proveniente de urna tic*
da ; tem falla branda e bonita (laura. D.ve
iia-se que proearasso as proximidades do iu r*
1 Peixe, d'onde 6 natural. 8eri hem granoVa*
j quem o levar ao dilo cngenbo, ou icMade ft j-
c>, rua larga do Resario a. Meoau*} andar.
L.
W



n;5.rw
de rernambupo Domiiigo 22 de Agpio de 1069.
!
A
A GERIL
TOnbtetn com
CMARA SOS SRS. DZPDADOS
SESSAO EM 25 t>E Jl'LHO.
PRESIDENCIA IM) SR. NEMAS.
(Conliniincivi)
OSii.Perkiu da Sma : Lultknamon-
p0B\ urna correspondencia publicada [telo
F.v. Alee stre, creio que empregado na
secretaria da agrie altura....
O S. Ministro n.v Aowtci ura: E',
:.:m senhor.
Sn. Pkrkira da Silva:Portanto pes-
soa competontissima. I.i que a despera ve
nucida j co:n tuk'graplios monta a......
l,386:TflO#. No anno finaticeiro de 1806 a
18W gaston-so 23:OOOA. No do 1807 a
1808 0I:000J. Pedio o ministro de 1868...
:)il:0005. Pede o nr>brc ministro actual...
371:O00; eqial 6 o estado dos telegra-
phos ? Nao tomos linha qu lunceione. Se
i i um lia, endefluxa-se, adoece um
idas). daivlor pelos peridicos
qu -ix.i-se da secretaria por Ihe nao dar li-
berdades, queixa-se do ministro ntulan-
do-o eapMto de bandeira, e seus escriptos
publicados revelam um estado de anarchia
e de hita que nao podo e nem deve conti-
nuar por dignidad at do governo. O no-
bre ministro da marraba em um discurso
proferido nesta cmara declarou que quem
menos sabia dos lelcgraphos era o gover-
no, porque forma va esse servico publico
urna dictadura no paiz, mas esperava que o
eu col lega da agrien lima tomasse algum
tent no asswnpto. (Risadas.) Peco eu, a
ineu turno ao nokre ministro- que decida
i queslof 6 realizo a esperanza do scu
collega da nwrnha. Pens que estamos
gastando assim intilmente o dinbeiro com
telgraphos, o que melhor seria contratara
roustrurgo e cosieio das linhas necessarias
com oimpanhias i.acionaes ou estrange-
ras. (Apoiados).
O Sr. Andradf. Fir.iT.iRA: da digni-
dado do governo.
, OS. Pereira da Silva:Occopar-me-
tiei ;gora com a verba de navegaco a va-
por. A despeza voi tieada em 1860 a 1867
foi de 2,520:30331)00. orgamenlo vi
gente consigna 2,>20:303,A0O0. Gastou-se
no anuo do 1867 a 1868 2,336:119)01 .
Pe lio o ministro de 1800 ,786:00O#. O
actual Sr. ministro pede em 1860.....
3,0r2:>:000.
Examinando esta verba vejo que a maior
somma gasta com a companlii de paque-
te.-; a vapor que faz o servico do Para a
M.ini>'vdn. H'relie mmasubvenco esta-
belecida em contrato, o alm disto consta-
ble ''lo urna differonra de cambios para o
v u'-a i. segundo um aviso do governo. Ooco
aos d bies deputados das provincias do
norte e ao su! do imperio queixarem se
muitu da ruina dos navios,:.ta falta de
a immodarrjes, d, > '. lenta'c ate pc-
n; a...
O Sr. BmKNCOc.'iT :'O quo verda-
de 6 que este serviro precisa ser melho-
rado. Os vapores que navegam para o sul
sao ;>-'SsifMM,
Vo/.rs:-^ps qne navegara para o norte
(affibrm.
0 Sn. AnoRAfie Fioiua : 0 proprio
Sr ministro censura o servico no seu ro-
tatorio.
O Sr. Pf.rf.uu da Silva: Sei que ha
maito tempo findou o contrato; e porque
logo 'in so (tea este facto e mesmo antes
com antecedencia niio Iratou o governo de
provocar concurso para novo contrato, ex-
gindo meiores vapores e mais seguro ser-
vico ? Onvi qrje ha particulares que que-
rem fazer o serviro por 800:000# por anno.
6 por menas IWWKMH a 500:0005 do
actualmente se faz.
Pode a mesma companhia olferecer van-
tagens com coudigo do empregar nielho
es vapores. Pois nesta verba nao se p I-
obter a economa de 800:000$ pelo menos
pora-nos? Como o nobre ministro pede
mais amda dotjrto se gastara? A priora
kator de qae se pito obter a diminuirn
esta dcspczft qc a companhia actual se
tem !,h, dlstrihue dividendos ex-
Iraor linarios aos accionistas, conserva fundo
de reserva muito superior ao capital.
E perfantado. por que c queso agora-se
annoneta, depois do tanto tempo decorrido
le que so tcrnvnou o contrato, convi-
dando-se proponentes para una nova com-
a >jh.' faca este servico ? Nao se sal i
que se te.n d j construir novus vapores,
com o quo se gasta lenjpj, o serviro qne

Ihe, su
dita-1a.
paiz 'a pn
emigrantes Hezes ije^^
ult'nnnrwi
lio *< 11
riada,
flo ter
offerecer-
inos cmo a men-
aco, desacre-
giro muitos do
est com os
e oceuparam
1,101:000 o
fonitrs Fn.w> : i**
ina cunta
^h. Peheira da Silva :So ha
annunciado pela admiuisU-acio gera
reio, de
tura, que^^^BpMniava pro
om prazo Mt^ira urna comp
quisse contratar o aH^wTW
a vapor.
Tenhoaqni este annuncio transcripto no
Correiu Oficial d%J0 de juaho. Noto,
porm, que so m ('as
viagens. Km voz de tima q"'
far-a duas vezes por mez al^^^^Bfre o
norte e o sul, qiM o sol
econmico, communicando aSajm a^PWfr,
cias maritimas do imperio, com.i HimA 4
mente se verilica, descubro urna linha para
parado norte correndo duas vezes por mez
a costa desde o Para at o Rio d Janeiro;
urna segunda linha funecionando igualmente
duas vezes por mez entre o Rio de Janeiro
e Rio-Grande do Sul com escala por Santa
Catharina; urna 3.a linha qao do Rio (te 4- T,e rafa ma" pira colonisagao En
neiro siga urna vez por mez para Santos, ^seio seno a raca caucasiannn nr
iguape, Canana. Iguape e ontros portoS at
Santa Catharina ; urna '4.a linha por'imfe do
Rio de Janeiro a Buenos-Ayres, por Para-
nagu e Montivido ; ama 5. linha de Bue-
nos-Ayres a Corumb, com escala pete Ro
safio e Assumpcio ; urna 0.a linha cmTim
de Corumb a Guiaba.
No chegar de ^rto a somma consigna-
da para tantos servicos e tantas escalas. As
linhas imaginadas rae parecen) mal distri-
buidas. Para a Santa Catharina bao de ir
tres vapores por mez? Porque se n5o con-
trata com o que vai ao Rio-Grande qne siga
para Montevideo ? Ser a despeza menor
que urna linha directa do Rio de Janeiro
para Montevideo, e offereceria este systema
meios de communicaco entre o Rio-Oran-
d- 6 Montevideo.
Quando mesmo se pense (o que se niio
d, e perianto se nao precisa desde j gas-
tar dinheiro>, quando mesmo se pense que
deve haver ama linha de Guiaba a Monte
video, correspondendo-se com a do Rio de
Janeiro? para que ir a Buen.is-Ayres, e o
que mais, admittir nos rios bandeira es -
trangeira para vapores subvencionados pelo
estado, que os pode ter seus ?
Peco ao nobre ministro que reflcta so-
bre este assumpto, e esporo que ha de mo-
dificar o systema do annuncio, contentndo-
se por ora com duas viagens recalares por
mez desde o Para at M ntoviilo, em que
gastar apenas 800:00 por anno de snb -
vengo, fazendo a economa de .*i00:00!V5.
e conseguindo melhor serviro do ftosstfe
actualmente, e quando se (leva esoeleccr
mais tarde a navegago para Curaba, seja
Montevideo o ponto de partida, correspnn-
dendo-se com a linha quo segu do Rio de
Janeiro pelo Rio-Grande ;'.6 MontcA-rdfA.
Oura verba que naturalmente cheg.i
agoia ao meu exame a da colonisacSo e
ierras publicas.
Estas verbas, senhore?,'de-cote*isa(ao
e trras publicasj tm distado muito di
nheiro ao Brasil...
Um Sn. DKri'T.uo: Apoiado, e,em
pura perda.
OSr. Pkkkira da Silva :... 0 o re-
sultado da despeza nao tem corrcspondklo
aos nessos desejos e a nossa es|ictativa.
Temos gasto muito dinbeiro e sem syste-
ma algum : 'f)espendeu-se alian* mU- corV-
tos mandando vir custa do governo colo-
nos que recebiam os precos das passagens,
e eram sustentados pelo governo anios o
anuos esquecidos. Despondoram-se som-
mas importantes com ncleos cotoniacs, e
premios aos introductores de colonos esti-
pendiados. Mandou-s-. buscar colonos, e
nao se tinham trras e nem casas para os
receber....
Iniciju-se entao o systema de medir o de-
marcar trras publicas para se venderem
aos colonos. Ahi se tem gasto extraordi-
naria somma, que anda-na proposta do
actual Sr. ministro figura por 360:0005 an-
imalmente. Crearam-se depois as famosas
delegaciafi que nao do proveito algum.
.Nao se comprehrjndeii que a verdadeira
colonisaco a espontanea, e que os- nn-
cleos estipendiados s poderiam servir in-
teiramente para provoca-la. fApoiados).
A colonisaco. ou melhor, a emigracao es-
pontanea ha do vir quando no interior ti-
verm is preparado o paiz com elementos on
meios mraes e materiacs. I" necessario
para que veuliam emigrantes espontneos
que filies saibam quo achara no paiz garan-
ta de pessoa, de familia, de propriedade
rths
com
para as
esses
side-
Ciistram'TisxiCTi
It:470l8l; t-m 18
1.088:183*5!
em 1867,
l, Sobrando pora o ihewaiW nesses cinco
annos 4,98^59,^S3|fl^H) governo no
prolongamento desde a estaco dos M rades
at pouco alm de Eutre-Jos, .cerca de I i
legua >s cinco aunos,3,7i6:r) 171080;
portanto, com o sacrificio apias de
de juros edo disiwndio de 7i:79l5*OV,
alcancou o governo oais 1* leguas ile es-
trada, calculan'te-sc a legta a pouCo mate
U|erio||^Mom os Argc-|(le 30.OO0.S, incluid-s wlificios de esta-
(pwlnrafn perante* o ministro retes, ele.
Wnfl sot>re que eu pego esclareei-
mentos ao nobre ministro, alm de desta-
zar axrusices que Ihe foram dirigidas as
Tolhjs publicas.
Cliegmos at a mandar vir Climas, e a
cmara sabe o que resuUou. Muitos mor-
ieran) ahi miseria pelas estradas. E
n9o
raga caucasiannn para o
Brazil. Nao adopto assim a opiniiJo do no-
bre ministro que no seu relatorio enuncia
a necessidad ^diNlndar vir coolies da
China.
O Sn. MKrmir.vo Mvliieiro: At affu-
gentar emigrar.ao da Europa.
0 Sr. Preira da Silva : Seja o paiz
aborto pira todos, mis os emigrantes qae
nos eonvm sao os procedentes das ragas
caucasianna. (Apoiado-).
A despeza com a colon'rsaco e terra3 no
anno de 1866 a 1867 foi de 5."0:",t IA750.
0 ornamento vigente consignou 716:0004.
O ministro'de 1868 gastou at julho...
l,3S:6IO.-56'iO, excedendo assim a quantia
xada na lei em cerca de 67!:000v N.i
synopsc publicila so descobrem frotes de
vajiores para trzcVotn colonos dos Estados*
Unidos por quantias exorbitantes ; a fulla
de esclare'rimentos d ida nestes nltimos lem-
pos, a re.speito de desp zas verilicadas
chi'gou a ponto que em um alncele do
annos atrs eu li urna verba com litlo
iiicoinprohensivel, de despezas nao classi-
licadas na importancia de 1,100:000. Pe-
dio o minrsfro M I8G8 -
actual pede893:200;>000.
Ha um-grande melhoramen'o nesta verba
que eu applaodo do corarao. Pens, po-
rm, que aineia se pode mais economisar
Uiella, que poderia ser reduzida a.......
Oi)0:000,$000.
Examinando os balangos, wjo que os
contratos rom colonias obri^ara a urna des-
peza do 416:00JJ$ anios. Quero que se
cumpram rigorosamente, e qiie o governo
seja o primeiro a dar pro'vas de'bi fe.
Ora. as medigoes liguram por 360:000:), e
podem-sc suspender na mxima parte, as
delegacias podein desapparocer, e nao se
dove diminuir a despeza com agencias olli-
ciaes de coloiiisago o hospedaras, que sobe
a mais de i'JK)t>.3 ? Creio que sim, e
que aos i'00:000jj do? contritos basta ac-
crescentar mais a somma do 20:0000 para
a pouco e pouco se supprimir a despeza
euiii esta verba.
Posto me aehe summamente fatigado e
J se v o quanto nos deve mertcer eita
estrada esprranrr>3,a*sob todfls os pontos de
vista em que seja considerada, fi rcal-
m;nte um bello espectculo u3o s ter con-
seguido vencer as grandes dflBculdades de
furar-se os lais era serras lo acantila-
das, como^eiterwter j a estrada em cerca
de quasi 30 leguas, com sacrificios peque-
nos em relaco maguitude da obra, e ilas-
enormil vMtnfeffs que ella ha de trar
ao paiz (m-iitos apoiados), gragas perse-
vera ra dos bons cidados que se tm em-
penhado nesta tarefa I
0 exame dos algarismos que acabo de
ler convence-mc anda mais da necessidad
de continar-se no pro'ongamento da obra,
plcitamonie o trafialho do governo ; depois eo,
assim dejta sancri) o governo n5o pode
a primitiva companhia. Encentrando, po-
rm, no relatorio de 1800 deas de se levar
j a estrada ao rio de S. Francisco, seguin-
do-a ao Juiz de 1 ora, estremec, devo con-
fessa-lo. Nao puero que a estrada seja
s commercial, como o com as quatro
secges decretadas em lei, ba de ser po-
ltica, deve internar se na provincia de Mi-
nas, devf ir ao rio de S. Francisco. .
Mas emquanto.se nao concluir a 'i.1sec-
ro comegada at o Porto-Novo do Cuiiha.
emquanto se n3o construir a 3\ quo da
estar ao da Barra ir Cachoeira, em S.
Paulo, nao se deve emprehender obra nova.
(Apoiados.) Carecemos de firmar bem no
solo os aheerces, da estrada, dando-lhe
bases de alimento certo, que a base com-
mercia ,cssa base s as secgoes determinadas
na lei a forneuem. A 3a.secgo vai servir aos dis
tridos productivos do Rio de Janeiro
margem direitado i io l'arahyba, Bomposta,
Rio-Preto, Apparecida, Paquequer, Carino
c ponfos vizinhos de Canlagallo.
Serve igualmente aos districtos de Minas,
margem e*qaerua, e que actualmente cul-
tivan) muito o caf, como sao Mar de fies-
panha, Leopoldina, Ub, etc. A i1 secgo
naj menos importante, e era menos pro
veitosa Basta dizer que coramunicar e
approximar os termus da Barra-Maasa, Hr-
zende, RioCJaro e S. Joo do Principe da
RO de Janeiro, os districtos cafezeiros. de
S. Paulo, desde o Bananal at Rezende e
Barra Mansa, e os territorios de Minas en-
costados a estes dous ltimos municipios.
A prodjcgo ahi enorme, e offerece lodas
as garantas para as despezas com a sua
eonstruegao e custeio.
Desejo, pois, que se fagam quanto antes
estas duas secgoes, mas que depois se
porissodeixe de tratar de varios oajros trate de levar a estrada ao Juiz de Fura e
ao rio de S. Francisco.
Ao principo, calculando as sommas ne-
cessarias para o prolongamento, segundo a
at pelo menos cumprir-se o contra to com mesmo entendesse que eslava na attribuigo
assumptos interessantes, e ojae'se referein
ao erra:n.'nt". Jm me sentaret sah aven-
tar anda alarmas coasideraces a res-
peito da esrada de ferro dfl t) Pedio II. proporgo verificada nos cinc
li' um dos objectos mais importables para anuos, e tendo em vista as despi
o paiz. Sdu propugnador de esl'-afj/ de tejo e o quadro triste c carregadt
ferro ; tlevem ser ellas a liase de
liberdades civis e religiosas, torfW apro-
priadas ao cultivo, estradas c conimuniea-
<.0es facis, que einfim vem encontrar toda
intratar nao pode ser logo, e conyem a prosperide. Procurar nma palrlH nova
i comantecedcncrade ura anno tal vez escoHiem a que Ihes assegura c sua fa-
Psiinnli* r\ c i.i i--.l,. ci
radia ura futuro certo. Emquanto nao con-
seguirmos nao s estas vantagens para offe-
recer aos emigrantes, senao tambem era-
quanto n3o ganhar o nosso paiz na Europa
urna reputaro que os convd a vir, n5o
viro espontneamente, e essa repiihcjao
alar o contrato ?
O Su. Akdu.vdf. licri-rlt.v: Soria bom
HF V. Exc. analysasse a admiuistrag5o
a companhia ; veria os ronbos esoanda-
s que tem commeltido custa do
:do.
FOLHETIW
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
por.
Paulo Fval
t Segunda parte
THB fiATAl^
(Continuae do n. 188;
II
U IkcIo de qiiatorze libras.
No nos^a intenro airmar que a Agina
Meaux n. 2 fosse, naqnella noute, tbja-
iconUcimenlos melodramticos; ape-
nas apre.-entamos, por sua ordem e confor-
me so produziram, cortos fictos pequeos,
c&q enraamento 6 quanto basta para des-
pajar curiosidailes. quando muito urna
sena-iet de intesse. Porto dJ qui, pir.
li matti de B mdy o acaso mal largon urna
bilota, m^is pequea' quo urna nz, no ki-
gir onde ora.se eleva gigantesco roble.
A' urna legua para darito da equipagem
de Tres Patas, aquello mendigo quem as
gratlas ribeirinhas davara um baro por
banqueiro, e por favorita urna cBdessa,
dons homens pescavam linha, no longo
do Tamoso castello de Boisrenaud, que dis-
pjnha de um embarcadlaro para seo oso
exclusivo. O Sr. Schwartz, senbor di>
castello de Boisrenaud, e um dosprinclpas
ifetas, vala bm
disvellos.
Os nossos dous hoiirens eram vizinhos e
rivaes de gloria. Un pintor podera toma-
Ios por assumpto de um qnadro de geno -o.
intitulado : o Rico e o Pobre. O pobre,
anda mais maltrapilho que o nosso ambi-
cioso Similor, tinha seu todo de enfermero
em disponibilidade, e envergava o trajo dus
olliciaes de pharmacia. la nentave manto
usado: o aventul de serapiliuira cora suas
algibeiras j nao passava de um frangalln.
Era trgueiro, toucado de cabellos preos
encarapinhados, que appareciam por btivo
de ura chapeo de palha em ruinas, c ij is
ab s tinham dous ou tres clnnfros d baca
d*e Darba ; os farrapos do avenlal, quo Ihe
subiam at ao poscogo, cobriam largo pcito
e os hombros espaduados cancavara en !r-
gcamente o pannosorvado da vesta. En
contraposifo, as caigas, reluzmias de an-
canidade, era vez das triumohantes p i
de Similor, se envolviam du s flautas ossj^s
c cambaia?, apparentemente fraquisitnas
prosireridades do paiz. (Muitos apiades).
A mcao que as possue d pro va iirecu-
savel do seus adiantamentos na industria,
no comraoreio, na agricultura, e offerece
abonos claros de sua sivsago. (Apoia-
dos ),
li esta estrada, sonhores, a principal c
de mais futuro, do paiz (apoiados). Per
mitta-me, pois, a cmara que uinda Iho
roube algans momentos de attenc) para
materia de tanto interesse.
Tem custadt esta estrada ao gover m
cerca dj 36 a 38 mil tontos de ri; desdo
a cidade do Rio de Jamuro at pouco alm
de Entro-Ros. Eroittio o governo a plices
no interior para pagar os accionistas da
primilliva co.m.vmhia o seu capital na quan-
tia de 28 mil sontas. Tomn a si urna
divida contrahida em Londres em I8i>6 na
importancia da cerca do um millun e
quiuluri'.as mil libras sterlinas. Paga o
governo de juros por esla somma cerca de
,200:OOD,A a 300:000-5 annualmenlc quer
no iilerior quer no exterior.
Eu examinei o rendimenlo, os gastos de
custeio. c as despezas de prolongamento,
verilicadas nos anaos de 1864 a 1860, e
adiando interessante esto estudo, 'tomo a
liberdade de offerec-lo consideraco da
cmara.
Rendeu a estrada em 1864...........
t,ioS:73;)l!)ll: em 1865, l,73r5:l 48S5O:
om 1860, l,838:676$02'->; 1867.........
,53:9o\-372l ; e em 1868...........
2,808:34fS30 ; total, 10,194:736511 .
despezas e cus-
quadro leste ecarregado das nossas
grandes (nangas, convim emque bastava consignar-
se annualmcnte a somma do 2,000:0009000.
sto mais 600:000> do que .pedir no
orgamcnlo o ministro de 1868.
Agora, porm, percebendo que a renda pagamento das despezas necessarias
bruta calculada deve exceder do 2,5003000*.
mais modicar o seu traba Iho sen5o coi
Ora, para a estrada de fefri de D. Pedro
II n5o se concedeu e Mktfito, depois da
JrovyMUmplicila da tabella de 1866, e,
portanto, car. ce a nova de approvagSo para
ser execulada. Pode o corpo legislativo
delegar pothres ao poder executivo para
reoi^adslr orna rapartiro puMkra; logo
que O'-gavemo us3 da fccaldade concedida,
9 subante o seu acto ao corpo legislativo,
foi 9temp>e uso constante, approva-lo indi-
rectamente, mpiicitamente, dando-lhe os
fundos torrespondentes no orcamento, e
nunca expressamente em ama lei ou reso-
lug3o. (Apoiados.) Ofa, aostrada de'ferro
de D. Pedro II desde que se incorporen
administrado, e se sojeitou ao governo,
onvertea-se era urna perfeita repartigo
publica (apoiados), est submettida aos
mesmo principio, i mesma negra, que vigo-
ra para as demais repartirles publicas.
(Apoiados.) m -w
Tanto mais errdmnente, era mlDha opi-
niao, andouo nobre ministro, ordenando a
prorapta cxecoc3o desta nova tabella antes
de sua approvago pelo corpo legislativo,
que foi ella publicada em junho pretrito
com data de 20 de Maio de 1869, isto .
estando funecionando as cmaras. Quando
do governo augmentar empregados da estra-
da de ferro e seus respectivos vencimentos,
porque nao envo? logo o Sr. ministro ao
c irpo legislativo a sua tabella, visto que
funecionava o corpo legislativo, e Ihe nao
pedio a sua approvago immediata ? Nao
confia va no corpo legislativo ? Temia-sa
delle ? E era como se diz vulgarmente
sangra desatadaessa tabella,. que n5o
poda esperar um ou dous nrefces para ser
executada ? Perigava a cansa publica se se
demorasse espera da approvago do cor-
po legislativo'?
Ou porque estamos anda pensando
que o governo deve e pode' tudo fazer,
e o corpo legislativo no mais do q'ie
man chancellara por onde transitaaa sem
em argos as suas determinaces? (Apoiados
e rcclaraago'es.) Nao, u pela minha par-
te pr testo, como protcstei sempre. Sus-
tente os direitos, attrbugoes e proroga-
tivas do parlamento. (Apoiados.) J muito
cabio en re nos o systema representativo.
cumpre rehabilitado, e o meio ligar-so o
governo de boa f com o corpo legislativo,
pedir-lhe ura apoo consciencioso e inde-
pendenle, nada pralicar seno dentro da
esphera de suas funegos privativas, nada
executar que dependa de lei ou autorisago
sem que tenba recebido essa lei ou aulori-
saco (apoiados), no caso de duvida exigir
sempre a deciso do parlamento. (Apoiados.)
Sena reerguerraos o principio do systema
parlamentar nao teremos entre nos pra-
licado seriamente o systema representativo.
(Apoiados.)
O Su. Cuidoso Fontes :O nobre do-
putado nunca fez jpposieo to forte aos
seus contrarios.
(Troco-se muitos apartes.)
O Sr. Pkreiiia da Silva:Apczarde
se rne dizer que a tabella de 20 do maio
est j em execugao, e perder, portanto, eu
o meu tempo em langar sobre ella urna vista
cincos ltimos .d'olhos, desejo todava esbogar-lhe perfune-
toria, ligeramente alguns tragos para escla-
recimcnlo da cmara, que nao mereceu an-
da nem urna mraunicago oflicial de que
(ora ella organsada, devendo-o apenas co-
nbecer pelo Crrelo Oficial, quando a c-
mara quem fixa fundos no orcamento para
o farrapo de chita atado pelas qualro pon-
as, que Iho servia de rede continbaj boa
pratada de peixe, ao passo que o sea v-
nho, o segundo pescador, nao pnxra aiuda
o mais pequenno mugem.
E todava era verdadeiro pescador, pes-
cador o'assico e portador de um *>mp'e'o
arsenal di destruico. Cilgava sapatos im
pc moaves, eoberios de grandes polain is d
pumo couro, especialmente fabricadas em
Nqp-YcrK para a pesca da baleia nos mi-
re polares ; abarcavam as polainas uns
calcoes de pello de gamo, sobre as quae-
abotoava urna japona martima, do modelo
i:iglez, panno de Canad. O chapeo, em
forma de meio melo, viera da Nova Or
leans. Duas correias, um poucochinlio
menos largas que as dos gendarmes, sus-
tentavam de um lado o seu indispensave!
piscatorio, e do outro o farnel ; urna caixa
upplemcntar, que Continha, salvo o devido
respeito, abundante qnntidade de minhocas
como est na receija, e elevar-se a......
3,2O0:000> pouco mais ou menos; c notan-
do o augmento do despezas cora a pessoal
que se admittio pela nova tabella do 20
de maio, declaro que, a executar-se esla
tabella j, na) se pode-consignar menos de
2,"iOO:000;5000
O Sn. Ministro da Agriciltlra: Est
j em execugao.
0 Sr. Pereira da Silva :Pero liceira
para dizer ao nobre ministro que fez mal
em executar essa tabella" antes de sor ella
approvada polo corpo legislativo. Entcndo
que o numero dos empregados da estrada
de ferro de D. Pedro 11 e os seus respccli
vos voncimentos sao fixados o marcados
pelo corpo legislativo, como o numero de
todos os outros empregados o seus vonci-
inentos. Ao governo nao cabo tal attribui-
go. (Apoiados e nao apoiados.) Accresce,
para fundamentar a minha opinio, que a
ultima tabella e que eslava ein vigor, for-
mulada pelo Sr. Panla Souza, foi por elle
enviada ao corpo legislativo, pedirilo-lhe a
sua opprovago; que o corpo legislativo
implcitamente a approvou, lixando nos or-
camentos as sommas relativas e proporcio-
naos a ella. E'oque o corpo legislativo
tem feito com secretarias *c nutras repart-
roes publicas ; approva implcita e nao ex-
0 pessoal da estrada de ferro de D. Pe-
dro II custava por anno primitiva com-
panhia 281:160-5. comprehendendo 14:000,?
ao director, como ordinario e extraordina-
rio. Quando o governo a incorporan aos
bens do Estado e comegou a administra-la
reducid a despeza a cerca do 20!):0U0.->,
dejando ao director 10:000> nicamente.
Km 1866 o Sr. Paula Souza, ministro da
o Su. Pereia da Su.va: Tem razJo.o
srbilno concedido ao director para gratifi-
cacoes extraordinarios aos empregados,sem
limitar-lhe as sommas que com ellas pode-
riam ser no anno despendidas...
0 Sr. Ferreiha L.m Ser explicado
satisfactoriamente.
OSr. Peheira da Silva: Voii compa-
rar alguns angmentos que sobresahem; n3o
fallo na secretaria, no almoxarifado e outras
partes da admnistrago, cujas despezas To-
ram elevadas. O 'servigo, chamado na ta-
bella do Sr. Paula Scniza, com H empre-
gados, gasta va 5O:iO0J0O0 annaalmente.
Esto servigo, tomando na tabella nova o
nome de secgSo teconica, encerra 32 em-
pregados. cujos ordenados consomem....
138:800/ji por anno. A chamada inspecto-
ra, geral do trafico, quo custava 54:760*.
foi dividida em 4 seccoes, inspectora, trac-
gao, officinas o conservagJo, e gasta hoje
118:0005. J nestas duas verbas a eleva-
gao foi de cerca de 140:000(5 annualmente.
O Su. Fehreiua Lace : Crescendo o
rendimento e o servico como n3o ba de
cresccr a despeza ?
O Sn. Pereira da Silva :Sou do mes-
mo parecer, eatendo que a despeza deve
crescer com o augmento do sei -vico, que
exige at maior pessoal e graliGcac&s par-
ticulares. Mas entondo quo a despeta deve
cresccr em proporgo sempre menor da
receita, c nao crescer mais do que esta.
Dobrou a receita de ura anno para ou-
tro ? Nio. Como so dobia a despeza 7 Jul-
go que so deve augmentar a despeza em
proporgo, mas sempre relativaraeule me-
nor que a da receita, e que devo tambem
segui-la paulatinamente c nao de chorre.
O Sr. FerreirA Lase: O nobre dipu-
tado est engaado, bei de provar que todas
as despezas do pessoal nao excedeiam de
114:000,) por anno.
O Sr. Pereira da Silva Pelos esclare-
ciraenlos qua do as tabellas comparadas e
os balancetes distribuidos excede de.....
00:000^000.
E na aclualidade de urna situago iuan-
cera desastrosa, porque isto do thtsoure,
trala-se do dinbeiro do thesouro, trata-se
de dispendios pblicos, se deveria tanto ele-
var quer o pessoal, quer os ordenados dos
empregados da estrada de ferro ?
Sei qae devem ser b*.m pagos para se
eonseguir bons empregados, sei que tem
servicos especiaes, como os do correio e
outras rep'artiges, e nao horas certas de
servigo diario; mas nao se podia olbar um
pou;o mais para a economa na actual ida-
do. guardando para melhores lempos o que
melhor couviesse mais gastar ? NaVj se
nota que produz at nio ver para as outras
classes de empregados, que para uns as
circumstancias criticas do thesouro nao
permittem augmealos justos e para outros
se largo e quas prodigo ? E esses po-
bres nagistralos, que encanecen) e enve-
Ihecom no servigo sem quasi ter o pao do
alimento para si e mais familia, nao alcan-
gara ura pouco de augmento nos seus or-
denados, e elevam-se os de outros mais fe-
lizes.
Acho-me quas, senhores, na impossibi-
lidade de conlinuar o meu discurso, fal-
tani-me as forgas; deixo de parte muitas
outras observages que desejava fazer so-
bre a estrada de ferro de D. Pedro II, c
outras verbas de servigo publico a cargo
da admidistrago da agricultura. Conten-
to-rae com fazer un podido ao nobre mi-
nistro e ao Ilustre director da estrada....
O Sr. Cahuoso Fontes :Aqu nao ha
director da estrada, ha um depulado.
O Sn. Pi:iii;iiia da Silva :Em que of-
fonde a conveniencia a expresso director?
Enfo dovia tambera corrig-la quanto a mi-
nistro, porque dputado.
(Trocam-se varios apartes entre o Sr.
Cardoso Fontes, o orador e outros).
O Sn. Phksiikatk. :Rogo ao nobr de-
pulado que continu na discusso.
O Sn. Pereira da Silva:Pelo contra-
agricultura, reduzio-a anda de 16:620;^ to quo o governo celebrou com a primitiva
^
para supporiar o tronco athletico o a enor- indgenas e exticas, Ihe penda do cinto de
me cachola de preto desbotado. Entre elle
e Similor, apezar de urna dse de reali
pouco mais ou menos igual, hivla pdp.
perfeita dessemelhanca ; entretap'tff r^ei
como explique que a vista de ura am
sarno outro. a relageies su! se-
cretamente associam ideas; istachama-se
s veze3 ar de familia, e aquellos dons per-
tenclam ambos, dos bcs dos ps at
caneca, graodo familia dos tristes parias
parisienses.
^^B chamar-se pescador um hornera
que deixa descabir n'agua um cordel pen-
dente de urna bengala e munido de m
alflbete doblado ? Pode, se apahha pe
O infeliz ^an pescava cadozas sobre
dose3, apezar dos imperfeitos petrechos, c
-jm ir-
as sim-
pulimento. Ao p delle descansavara
nhas admirarelmente dispostas, amas
pies, outras de torniquete, um
prata cheio de sangue de boi o rauitafe .
de mo, para alliviar o crvo carregad)" de
peixw grandes em dema?fa.
E o proprio pescador era de si, se tal no
possivel cabe, mais Seductor anda que os
seus preparativos. Era elle senbor do for-
moso topete, que o meio melo mal cobria:
lopete louro e m nineiramente fritado ; as
faces cheias, redondas, apetec veis, conser-
vavam a freseora luzidia e levemente av6r-
mclhada do homem de cincoenta anhos,
cuidadosameate conservado ; os macabros
eramdetgios, mas ovenire refbitoUriiava
balo debaixo da japona, quo levantava era
baiTjquinha da raancira mais engragada.
Sustinha a caima cora toda a seredade, e
obedeca rsca s proseripgos do Manual
das pescas (luviaes, encadernado de marro-
quira vermelho e dourado por follias, que
jamis o abandonava.
Cumpro que reirraeiemos a pintar o
mutuo e profundo dosprezo quo os dou^
pescadores test?>munhavam um ao oulro. 0
pescador de cordel, que apauhava peixe,
abandonava o lugar do quando e:n (piando,
a airavessava o caminho para dar urna vista
illios certo objecto depositado no pr-
ximo campo do luzorna, e cida vez que isto
punha-em pratica, enternecia-se-lhc o rosto
jieterclto ; volta nunca dexava do ollnr
para o vizinho com ar provocador e sorra-
t aro ; o pescador proprietario dos petrccli is
aperfegoados, que juntos valara de certo
mais que quantos cadozos o. canal liona,
iangava entao ab seu mulo vistas eb quas,
e;n que a inveja jogava parellias com odes-
dera. Nao haviam anda trocado palavra.
Ento.'disso repoitinamenlo o triste
paria, tirando da agua um mugem boligoso
i algamas pollegadas da boia esplendida,
mas immovel, do amador, dvertem-n'o
muito estas pescas domingueras ? I
Eu, respondeu o outro, do alto da sua
grandeza, sao metledico esss Insectos,
com que o senhor se mostra to satisfeito.
A' que se dedica entao o senbor ?
Prometti om lucio, que peso ahi qua-
torz libras,.*. Sra. Carapeo... O que eu
' e peco qae se cale, porque os sons da
oz humana afugentam os peixe3.
Pois apezar de calado, o fe mor nao
(tem sido l muito feliz.
Endiritou-seo Sr. CampeSo, como quem
Kjder cortaT de prompto urna conversagJo
diminuindo o ordenado do director a
0:000>000.
At o fim de 1868 foi executada esta ta-
bella, qualannexando servigos accrescidos,
e numero maior de cstagos, qne se crea-
ram, e que receberara novo pessoal, custa-
va pouco mais ou monos, consta das tabel-
las, cerca do 220:000^000. N) so inclo-
em aqni serventes e operarios a jornal. Ora,
as tabellas do nobre actual ministro, execu-
ladas como elle declarou antes de approva-
ca i do corpo legislativo, sem contar jorna-
lemos e serventes, e nem o ordenado do
director, quo mudou de nalareza, porque de
9:00| passou a '/j / l,J l'eiu':J liquida, e
na) posso eu avalia-la, devendo ser no fu-
turo com o accrescimo da receita, elevara a
despeza com o pessoal amis de- 'i00:000<5!
O Sn. Andrade Figueira : Nao s
essa despeza, porque muito maior. II i
companhia se estabelecen qne o frete as
primen-as 20 leguas seria de 20 rs. -por
arroba de genero transportado, e para to-
das as leguas excedentes do 10 rs. Era o
systema de favorecer os iritis longiquos fre-
gnezes da estrada. A-companhia nao po-
da receber mais.
Ora, o governo comprando a estrada
companhia, receben-a com lodos os direi-
tos o onus.e subslituo-a comple tamen-
te as suas obrigages e preelegios. Vi
entretanto annunciado ha dias pelo Sr. di-
rector da estrada de ferro que de Entre-Rios
al o Porlo-Novr do Cnnha so pagara fre-
te na razo do SO rs. a arroba; creio que
o mesmo so far quanto 4* sesso quan-
do se construir....
OSr. Ferreir.v Lace:Sim, senhor.
(Continuar-se-ha.)
;vc
desagradavel, mas nao Ihe fui preciso re-
clamar silencio segunda vez. O triste paria
mudara 'repentinamente de continencia e
pozera-se cuidadosamente de uvjutj es-
cuta.
Onde ha agua, ouvom-se os rumores de
muito longo. Ura sora vago e surdo, bem
conncido dos habitantes das margens do
canal, vinha dolado de Pars. O sugeito do
cordel mal escutou um in.-tante, e logo o
rosto magro Ihe assumio solemne expres-
so.
O estafeta I murmuran. Basta.de
brinquemos. Chegou o momento de saber
tudo.
E ao raesrao tempo onrolou lesto a im-
provisada linha e melten-a na algibeira.
O Sr. Campco tossio, fez-se corado, e
disse :
Quanto quer pelos insectos, to !
Esp-rava o sugeito do cordel evidente-
mente aquella pergunta, porque responden
orrindo :
_ Afinal de contas, a sua senhora fica
to satisfeita com isto, como se Ihe levasse
o tal lucio de quatorze libras.
V-se d'aqu disse indignado o Sr.
Carapeo ; acha-me com cara de levar pe-
tinga para a familia ?
01) I isso nao, replicou o vznho,
nunca tal suppuz.
Compro-lhe o seus bixinhos para
fazer scas. Quanto quer por elles ?
Foi aberto olenpjeos pretendes cadozes
reluziram aa verdura aos ltimos raios do
sol.
Por mais qne fizesse, o Sr. Campeo nao
poda arredar delles as vistas concupis-
cenles. Ouvia-se j destnctamente o gaSpe
dos cavallos.
Ura sold por cabeca, disso o vizi-
nho, e por ser.para a.senhora.
Um franco por tudo, offerecou o Sr.
Campeao. .
la o vizinho regatear, quando as cabegas
dos cavallos desponlaram ladeira da pon-
te. Estendeu a mo, c nao tomou a moe-
da de vinle sidos, seno que a arrancou
dentro o ndex e o porgar do Sr. Cam-
peo. Sem accrescentar palavra, puxou do
lonco, dexando os peixes espalhados pelas
liervas, o conreu.para o campo da lueerna,
que se estendia -entre o caminho margmai e
a mata. Era lempo, se\ como adiaran)
verosmil, o sogeito de avenlal de pbarma-
ceutico tinha interesse en evitar o encontr
do barco. Largados todo galope, che-
gavam os cavallos ao. pedo pescador de lu-
cios, oceupado em juntar o producto da f-
cil pesca ; e nao pouoos cadozes ficavam
dispersos pela estrada, no momento era que
sa abaixou para deixar passar a sirga.
Ola Sr. Campo, gritou-lhe de bor-
do o capito Patu : sempre Jinme no posto,
lieim ? Tem-se boje pescado atrito ? .
Assim, assim, Sr; Ptu apezar do.
susto que esse novo methodo de navegar
incute nos habitantes das'ondas.
E ao dizer .isto. o soberbo. pescador mos-
trava com triumphal modestia os cadozes
do pobre vizinho.
A Agiua de Meaux n. 2 ptBSoa-hi p dianie como urna setta.
I
1
M

(Cojiwir-a-*.)
fP0 UIRIO-RIM.M8 CMIB81.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBAXIOWIN_AXJT1E INGEST_TIME 2013-09-14T04:22:01Z PACKAGE AA00011611_11923
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES