Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11922


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MHQ XU. NUMERO 190.
*r tres auzeg 4iiniMMk
or -g*^. ; ; ........... emo
*<* 1 HW.ML W1"**"."M........... tUMB
*Cda numero avSo ................. irfwoa
SBBDO 21 D AGOSTO D 1869.
PARA MIISO PORA DA ROVDfOlA.
Por tres mezcs adiaotados......
Por *-fe ditos dem................
Por no\i ditos dem......"'".'.....
BflBm armo.
U i
I
ftopriedade de Manod FLgue&k de Faria & Rlhos.
llamingos Jos 4a Cesta Braga,
MML
V,J)
-lil>*B0 fSLO Kllf. SR. DI. MUWl
A?'M NTi' MACHVDO IHMITBLLA, VICK-
04 PHOVISCU, EM 4 BE Jf.MIU DX

__
assim o manda coiumuuicar
onec mean.
s na nm- *!*"
yvOfflcio ao pnmeiro
secretario da as-

do arsenal de
aviso expedido
1.'
V"**Portara ao raspector
*" *Para cumprirnento do a.
feas misterio da marinha nlide maio ahlmu,
r*"*1"1* v* s no ta de cada anno flnanewro ura
momee du reeeita e despeza da companhia de
aprcndizc. marinlieiros desse arsenal.
N. I6J igo.O Exm. Sr. vice-presi-
*ente danrovmeia attendea-J ao que roquereu o
alteres re/orinado do caer cito amoragada ao depo-
sue as remitas Alvaro Conrado Ferralra de
AffBiar, e tonta en vista a nformaao do Exm.
** rgdeiru coramaitdaote das armas datada de
n 4e ntaiu ultimo sob n. 921, resolve conce-
or-tte tres nezes de tteeoca de conformidade
vjm o ait. jt 4" de decreto n. 3379 da 3 de Ja-
neiro de im para ir a provincia do Cear tratar
ir aagaete de sea interesse, percebendo nica-
mente o sido que llie rmpete como refor-
mad*.
Jt H4.(iftield *) Exm. Sr. presidente do su-
-prento tnlmnal de jasara.Passo as mos de V.
*** ceojunarao junta'que acerca de sua anti-
giitihdc dirige ao supremo tribunal de justiea o
iuit de -direito da comarca de Lfmoeiro, Adeliuo
.Antao de Lana Freir.
-V 163.IVrtaria ao commandante do corno
proviso* de | olida.Procada Vmc. na forma rta
m eoatr a prac i do corpo sob o seu commando,
l-rancisea lo>e Pacheco pelo que consta dos offl-
*** 9'11 e polica n. 797 de do crreme,
ta delegado V termo Je Cimbres, de 10 do mam
Mvxnaa flr.di junto por copia, e faca substituir
pjr nutra a dita jirafa.
3*. s?ccao.
.Y 167.lula ao mesmo.Tomando e:n consi-
uaraea* He V. s. eapaz em sua informacao de
koaleiu n. 337, resolv abrir a essa tliesouraria
sob mila responsabilidade, nos termos do art. 3o
$ r*daderel (I' I88, uin crdito supplementar,
a Impartan :i a de 2:07606S, para contmuacao
das Vspeza? por eoata da verbaCommisses
mititare(K. Biimsterio da guerra at o lim do
a*:ial cxcrcicio. O que Ihe declaro para sea
aeheetment" e fms convenientes. '
X. ***-Dita so inesmo.Anuuindo ao que
^a^eu o elii fe interino da policia em olliciode
IwtaU'nt, ob ii. 803, recommendo a V. S. que em
vista da con!;, e documento junto, mande liquidar
r pjgir a di | -7:i feita pflo delegado d termo de
a. liento, cem o -aliiguel do cavaiios para condu-
ztr o viv.i:'- rcin.'iiiiJ.is pai soccorros aos
>KsvaJdt_ d:t comarca de Florea e cota o foraeei-
laento fcit, a escolto que acompanhou taes vi-
vares.
N. Itt.Dita ao uusrao.Em vista da conta
panta en duplcala, que me rmiielleu o cliue de
policia UUanno cora olli-ii de hon!>nn sob n. 803,
mande V. S HqnJdar e pagar a Olympio Coelho
la Silva a dwpcia felta nos raezes do jaoetro a
warri destt aaao com o fornecuncnio de luz e
itgua p uacaocuci exiatente no termo do limito.
!7P. Uita ao Inspector da tliesouraria pro-
vincial., i v. s. para seu conheci.nenio e
lin crttveoiectes, (pie o chefe interino da repart-
oda* obr.is pnblicaa participen em ollleio de
}MiUMu, soS n. ii.', cpii' achanao-seem b un esta-
da de Baaservudio a obra da estrada do Porto de
Ualakas, mandara lavra ro termo de entrega deli-
mtiv daquella obra e paasar ao respectivo arre-
matante o enmpetente eectifica lo.
X. 171.Dita ao mesino.Declaro a V. S. para
sea conbcciinenti, que attendendo ao que reque-
ran o arofessor publico da cadeira de Tacarat,
Antnoio Rtfantslo de Carvalli i tendo em vi>ta
ana tnlecmacao de 2 do crrante, e do director
trerat interino da in~triicr.ao publica de 17 de
fitaio prximo findo, reraM abonar as faltas, que
per doeme d<-u u referido profcssor desde o da
lita abril ultimo at 12 de maio citado, em que
obieve a eiiaJHbilai
>'. 172. Pila ao mesmo.Pode V. S. de con-
temidade cun a sua informacao de 2 do crrante
** a. 310. mandar en regar a m ira da
rmandade de Xussa Senoora da lli.a-Viagem,
mediante lian .Ti idnea a quantia de 861-3310, que
eha recolhida ao cofre des*a thesouraria, pro-
veni'ntc*d'ibeiiriii-io da lotera extrahid.i ultuna-
naentea favor das obras da. igreja daquella povoa-
cia devendo essa quantia, euma iulica sua citada
inlonua^io ser empregada em obras novas, e nao
para iadewnisa^ao de despezas ja feitas e para as
>|Oaes ho leve ;. mesina irmandade aulorisacao.
X. 173 bila ao chafo da repartieao das obras
p-dMcjs Palo seu oflicio de li mle'in sol) n. 213,
liiiuei ialpjrado de havor Vmc. mandado lavrar o
tTmode entrega definitiva da obra da estrada do
INmio de SfaNInbas e pasaar o competente certii-
c.ida,vHio aehar-se aquella obra em bora estado
de eoaervacao.
4." seccao.
V. I7VOfficio ao Exm. Sr. presidente da pro-
Tiucta da Rio-Grande do NorteNao harendo no
arsenal da guen a desta provincia espadas o pisto-
las para pravas da cavallaria, segundo informa o
respeeii\. r em officio de 2S de maio pro-
xkna nta, sen tendo pparecita quem as queira
rnneer, apegar do* annuncio- por uuis de urna
\ conpnis, na1 p ijes i satisfeito o pedido de V.
Ras. paaido em sQ officio de 19 de abril ultimo
a ano respondo.
-V. 173 I>tu ao inspector interino da sade do
Sarta.Djclatiudo o goverao imperial por aviso
a miaisterb da justiea de 20 de maio prximo
*d*, ai nder quantia alguma
oca a eaaapra de um csc.ilcr |iara o servico s-
le da p dicia do p to*e r elle ftito conjuncinonte cun o davisi-
la. da sade do mesmo p irto, recommendo a V. S.
Bel aetermiaarao do citado aviso, aOm de que
aajnMes servaos se'facam simultneamente, indo
n % 5. ne nestno escaler o eaapregado encar-
Slinda polica do porto.
BB1KNTK AS^ICVADO PELO Dn. JOAQI'Dl CORREA DI
vajtoro, tti svrABio do cvbbwo, em 4 de ii'mho
mam.
t secano.
. X .176.Oi.ciu ao Exm. Sr. general cotnman-
daate das armas.De ordem de S. Exr. o Sr.
vee-prcsente da provincia, declaro a V. Kxc.
n resposla ao *eu officio do do ciifVente sob
n. 3ti, if ae aesta data se mando/i abrir o crdito
ece'sacia pai r ao pagamento de qui
Mao Jtsdo oflicio de V. Exe.
. t* seeeSn.
S. 177.O eo oaDr. eltefe de polica inleri-
a.-=4>"Bim. Sr. vire-presidente da provincia,
uunda doclar; a V. <*uo tranamittio a thesou-
raria de faat fmsncanvenientes, as
caalas, que fcrajn aaneas aespfficios de V. S.
datadas de non ten e sob ns. ***W e 805, os quaes
ira ajM idos.
IM& ..o nsiccta-tja 0o*quia/ia da
.Xajnajja. -presidente da pro-
nK a, i-wSviJ a exonaracio que pe-
d a Wr. Draz Flprtao rtewque da Sutuar
sembla legislativa provinci-il, Dr. Arminip Coro-
^prandent.' da provincia, a qoem foi presente
2J^^HV; S- m dfHlrig nesta dato, sob n.
"2? ,ecl8r*rdle, iflm "de o faaer candar
assemMna tefislnriva provincial, que no dia 7 do
enmona, a ana bora tarde, reoaner no pala-
"""Pfwarno a comm5a qne em de apreseu-
tarMaT?s actos ,tirt,'*< a sanecaode 8. Ex.
!*. <*Dito ao mesmo.N. 105.De ordem
op 5. Exc. o Sr. nee-presidente da provincia,
trannitte por-copia V. 3., em resposta ao seu
oajeio de;lS de maio ultimo, sob n. 67, a ineftisa
mrormacao que ministrou a thesouraria provin-
cial em 2 do correte, acerca de quauto se dero
em exercicio findo praca do corpo de polica,
Sebastian de Sooxa Hibeiro.
CXMDiaiCTE ASSI6XABO PBL0 EXM. SR. I. MANOEL
0 NViCI.ME.NTO MACHADO PORTBCLA, VICE-PRESI-
tNTE DA P80V1NCIA, EM 5 DE JNH0 DE 1869.
m* i o l'secco.
83 Portara ao Exm. Sr. gaera) com-
nneeiment, espeiando ejna aceite essa commissao
com agrado e a desempenhe com zel0 que tos to-
ma, prestando asslm um servico ans es^Oeleoi-
nientos a cargo da mesma Santa Casa e a pro-
* nit'1,1. j a i f i
oN w^TI** %* ^^ Pereira do Re-
g 0 Sympllrenlo ftar CouflnhrV
iSLsr,"'TS!.to adl,,Bflwal interino da na-
rererencia aos inclusos requerimentas ao nro(es-
sor e professorapubliros das cadelras de"insirac-
cao priraar>d Mnribeca, bem carao da do ns*
peclor da thesouraria provincial de i do oorren
te, sob n. 312, autariso a Vina a elevar a lOiOO
na tabella que lea de apreseatar em julho prxi-
mo vindouro, a quyita que peicebem aquelles
proressores para Tiluguel das casas era que func-
conam as snas aulas, como propoe a cuntadoria
dauuella llieAugfrf..^^ O
-V 2tt.Dim ;W intimo.Declaro a Yuie. que
a respcito dos punbis parao coucurso. de que tra-
ta o sou officio n. 189" de S do eorrente, ol qnal-
qner outru deve observar-se a delfearario. desta
N.903.
quun de Moraes e Silva, Vicente Pereira do Hego Funwn akirriad k i ,-,,,
e Svmiilininin r^.. o_.;_i. -----.N ____*r* ruH"J aiiuiiiado> .) i-i,;jn(vu< as qaaes reeane-
itO ll Illa h.i.-li. .....1.......... i v
mandante das armas.Mande V~Exc"Wanv 7- ^"c'i r""J *eTf ?58rvar"s* a *l*"raeio. desta
bardada os recru.as fep"jnJ'daAoS, E el ffi a T'C,'''d"m1'dei,rI ^^junla joano-
elementa de Sonto^lnar; aaqmm aUl'doNM-ffc P*** *s ^^rja a JtMde 1
cimento, Juan Luiz .Gmuaga Jnior TVauoe! Joa-
quim visto terem sido jnlgados ncapazes do ser-
vico do'exercito, como consta dos termos de ins-
peegao que vieram annexos ao sea officio de 4
do eorrente, sob n.-331.
v: ,8i~Dila anaeno de compras navaes.
ricam approvados os contratos qae celebrouo
conselho de eompras navaes com diversas pessoas,
como me participou em seu officio de 28 de maio
ultimo a que respondo, para fornecimento do al-
moxanrado do arsenal de marinha, da enfermara
do me*an.arsenal, dos objectos mencionados cm
dito Officio.
N. 18o.Deliberacao. O vice-presidente da
provincia resolve nnmear o coronel aggrecado ao
corpo de estado-maior de segunda classo Hvgino
Jos Coelqo, para exerrer interinamentt o fugar
ac director do arsenal de guerra, durante o impe-
dimento do respectivo proprietario.
.** seccao.
A. 18t>.Oflicio ao eoiiiinandante superior da
guarda nacional de Palmares.Q Exm. Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar V. S.,
em resposta ao seu oflicio de 18 de maio ultimo,
que a thesouraria provincial lera ordem para pa-
gar a Alfredo A Cunha os vecimentos constantes
Jo citado offirio.
N. 187.Dito ao onmmandadte interino do bala-
lliao n. 52 da puarda nacional domunicipi do
K\u. O Exm. Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar V. S., am respnsta ao seu offl-
cmdc.1l de maio ultimo, que a thesouraria de
tazenda tem ordem para pagar ao procurador do
alfares Cosario de Souza Leio, os -----'miratof do
pret nominal, que em duplcala veio annexo ao
citado oiciii.
DtAK1)fi PERNAMKUCO.Se cngar boje o
nt"Lv i *"'**' distribuiremo ainanhii noeso
nnmero deaeganda-feira.
OttiiUl TERCEIRA DE S. FRANCISCO. Os
g^*^."^""". festejam amanhaa Nos
^nora-d^ftjoda, sua padroeira. na c^ella do
nnMnvoaando ao Evsntrelbo o reTeremssimo
retador da capel la imperial, fni Jua ttto sanio.
., Aorelreftra ser regida pej,j profosw.r Qiagas
' rt?T,0 ? ^W eseruta,,l iwr diversos aristas
uesta culadc.
n-naaqne ore me*tre dos novteo
n FRO.'wfach)I)<)(:ARMO Tambom rma-
nhaa sera ten-jada Xossa SenhorA do Carmo, do
E^SS^ft Weain desta aidade. Oraio ao
an" ^n Vin- A'rt"n,f) de Mcili' p Alnuquer-
q n l ^t ? Rvm. I^maido tirano.
U Hvni. Jim Olympio de Son/.a Lvra, que rece-
n Icbrara sua nnmeira missa.
lndnr!Srr!ggB^,'s T" D"""> "nr
IHou-se hornera a fe*ta an-
annos, solleira, Boa-Vista; tubrculos pulmo-
nares.
Benedicta, frica, 70 annos, Bcn-Vista ; tobercu-
ros pulmonares.
tridai Mara, Pernambnca, 40 apnos, solleira
Boa-Vista; ttano.
Recem-nascido, Manoel, Peroaaiboeo, S. Jos : as-
paxia
Manuel Jos Xafaea, Pernambuco, $t annas, vio-
vo. Se de Omla tryrisipela.
i, 19
>
Bento, Pernammtco, 7 mezo?,
i las. '
' Fe'ix Manoel Henriqoes, Pernambuco, 65 annos
casado, S. Jos; insuflJciencia as vaivnlas. ,
Mara, Pernambuco, 3- annos, Boa-Vista ; ma-
rasmo.
Joao, Pernambnco, 9 aonos, S. Jos; convnJ-
soas.
LrS3lu ffS^> i* appmvada.
m^Z^^' "> <* *reccao.
i Sito *?^??Z a ^ *" "l*lK*^ a nW
Que a dareecao tiaha procedida rnubruMiic
, raquerando a tribmial do- mo~ a oa'wr* o ?* ^no^6umarieaaco--
-.
oceupado ^imV^i^^ pedida. Tote-
Genoveva Mara do Rosario. Pernambuco, 58 an- JSHt S "MSa!Te9n > que-agradeca"a de^
nos. vinri Rnn.Vi.i. C-,-u:. _i -___ e atteneno.
PP|ib^^T *&*&fiS"Z da assembla le-
gislativa provincial..\. Klii. De ordem do S.
lixc, o Sr. vice-presidente da provincia Iransmit-
to por copia a V. 8. para ser presente a assem-
bla legislativa provincial a inclusa r^rmacap
que em 4 do eorrente, sol) n. 315, ribislrou a the-
souraria provincial acerca da peticao que junio
drvolvo de Prxedes da Silva Cusniao. Pica assim
satisfeita a requi.'icao da niesnia aseemMa cons-
lante do oflicio du V. S. de 2 de maio prximo
lido.
A* carga gral da uatrucjao argidos pelo deputado wiximianQ. Lopes Macha-
fazeuda a pagara Franeheo Canuto da Boa-Via-
gem os vencimentos consiantcs das folhas, que
em duplcala vieram annexas ao officio de V. S.
datado de 31 de maio ultimo, o qual fiea assinr
respondido de ordem do Exm. Sr. vice-presidente
da provincia.
3* seccao.
N. 189.Portara ao inspector da thesouraria
de fazeuda.Mande V. S. liquidar e pagar, em
vista da cuma junta que me remclteu o conunan-
dante superior deste municipio, com officio de 3
do eorrente sil n. 102, a despeja feita no mez de
maio ultimo, com o fornecimento d'agua para as
pracas du nimeiro batalbao de arlilharia aquar-
telado no Hospicio e dos contingentes a elle ad-
didos.
N. 190. Dita ao mesmo.Tendo nesta data
approvado os contratos constantes do termo junto
par copia, que celebrou o conselho de compras
navaes com diversas pessoas, para fornecimento
lo almoxarifadn do arsenal e da enfermara de
marinha ; assim o communica V. S. para seu
eonhecimentb.
N. 191.Dita ao me?mo.Expeca V. S. snas
erdeM para que, em vista lae contas juntas cm
duplcala que me remetteu o commandante supe-
rior deste municipio com oflicio de 3 do correte,
sob n. 103, seja liquidada e paga a despeza pro-
veniente do fornecimento d'agua feito nos mezes
de dezembro do anno prximo passado a fnvereiro
ultimo, s -
jarla.
N. 192.Dita ao mesmo.Tendo, por delibera-
cao d'e corpo do estado maior de segunda classe Hvgino
Jos Colhe, para exercer interinamente o ugai
de director do arsenal de guerra durante o impe-
dimento do respectivo proprietario ; asslm o com-
munico V. S. para seu conherimento.
X. 193.Dita no mesmo.Em vista do pret no-
minal junto obi duplicata, mande V. S. pagar ao
procurador do alferes Cesario de Souza Lean,
conforme solicitou e commandante interino do ba-
talbao n. 52 de infanlaria do DMoieipio do Ex,
em officio de 31 de maio ultimo, os vencimentos a
contar de 17 a 31 do citado mez Be maio dos
guardia narionaes destacados na villa do Gra-
nito.
N. Mli Dala ao mesmo.Recommendo V.
S. que, em vista das fulhas juntas em duplcala
que me remetteu o alfero* commandante do gas-
tacamento da villa do Granito com officio de 81 de
maio ultimo, manda liquidar e pagar Francisco
Canuto da Boa-Viapein os vencimentos do mencio-
nado alteres, relativos aos meios de abril e maio
deste anno.
N. 195Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Expee.a V. S. suas orden para que, em
vista do pret nominal junte em duplcala, aejam
liquidados os vcociaievtos relativos ao mez de
al.nl ultimo, dos guardas nacionaes destacados na
villa do Barrenos, e paga a sua importancia a Al-
fredo c C, conforme solicitou o oommandante su-
perior de Palmares, em alucio de 28 de maio ul-
timo.
H. 198.Dito ao Exm. Sr. deiambargador pro-
vedor da Santa Casa de Misericordia.Annuind
ao que V. Exc. sajicitou pea parte da junta ad-
ministrativa di ,Sinta Gasa da Misericordia em
ollicios de 29 (Je paio piotune indo, sob n. 1927,
resolv, por Hberaeae d'e.da apta, nomear urna
commissao composta dos Drs. Antonio Joaquim
de Moraes e Silva, Vicente Pereira do Reg e
Sympbronio Cesar Coutinlio, para proceder um
rigoroso jnquerilo sobre os factos argidos pelo
deputado Maxiraiano Lopes Machado, em dscur-o
proferido na ses?3o da assembla legislativa de 12
daquelle mea, e trazar o resultado desse trabalho
consideracao d'esta presidencia : o que )'ho
commuaJcduara seu coiibeeimento, e em resposta
ao seu citado oflicio.
X. 499.Dito ao Dr. Antonio Joaquim de Mo-
raes e Silva.Annuindo ao que solicitou em ofli-
cio de 29 de maio prottimo liado, sob n. 1,927, a
junta administrativa da Sama pa de Misericor-
dia, por intermedio do rospuotwo provador, resol-
v por delibaracao dasu data, nomear nina com-
'M#t oomposla de V. S. o dos Drs. Viaetite Perei-
ra do Bago e Svmphroio! Casar Coultbho, para
proiasder a um rigon so ini|u#rilo sabr os factos
ebymplromo Qsar CoutiuJio, para proceder
um rigoroso inquerito i.os estabelecmenlos a car-
ge da mesma Santa Casa sobre os factos argidos
pelo deputado Maxitmano Lopes Machado, em dis-
curso proferido na sossao da assembia legislativa
provincial de 12 daquelle mez e uater o resultado
desse iranalbo a consideragao desta presidencia.
-N- 20*-Dito ao Sr. gerente da rompanliia Pe
nambucana Sr. gerente da compaahia Per-
nainbucana mande dar trausporle para o presidio
de 1-eruando por conta do muisterij da guerra
no primeiro vapor que para all seguir Gentil
tlomem Rodngues de Suza que vai exercer lu-
gar de escrivao do almoxarifado do luetmo re-
sidi. ^ j
EX#EUIENTK ASStOHABa PELO SR. DH. JO.VQIIM OOUIIEA
a ARAJO, SI.RRTAHIO Wl CVBRNl, fiv 3 DE '
JIMIO DE 1S'..
1." scceio.
. 203.Officio ao Exm. Sr. general cemmnn-
antc das aranas.-De. ordem de t. Rae o Sr.
vico-presidente da provincia, declaro aV. Exc em
respbsta aa seu oflicio de 4 do cj.rcaie mez, sob
n. J29, que nesta datase mandn satisfacer o pe-
dido que veio aunexo ao seu citado oflici .
X. 206.Dito ao mesmo.De ordaui de S. Exc.
o sr. vice.-preMdeute da provincia couununico a
\. Ese. para sen eon',ecimenl,que nesta data fui
tjomoado para exercer interinamenle o lugar de
N.MB.-IH10 ao aJferes connandanla^ dea-,Sl'^ZZ,^!^'0,1' 'Ugi""JH
tacamento de guarnas nacionaes da vllalo Gra-1 TV,*m^:^?"*m+*<>*el agregada
nito.Nesta data aulorisou-se a thesouraria de
rain na piabapn-inal o- nomes de Eoslaquto Ma
noel, Mana.eEnphrasia,servindf de pranvmnhos
do pr.iiieiroo Exm. Sr. barao a baroneaa de Villa
Bell.i, do segnndo oBxni, Sr. barao a haroneza
de Guaraj-apes, da terceira o Sr. tenente-eoronel
commandadte. do rorpo de polica e Exma. Sra
Ibaroncta u\MBIa-Bclla, e da quarta Dr Antonio
de Vasconcellaa M,-a,./,-s e Drummond e'aExma
ara. baroneza de Bnararapcs.
Depnls de concluido 0 acto, pr.inunciaram allo-
cncaos aiwlopas a festa os Srs. Victoriano Palha-
res, Oilisica, Pnnedo e coltegial Oliveira Pinto
THEATHODE SAXTA 18AB1-X. Sobe baje i
sceua pela ^eguuda vei a opera Uu bullo tu mus-
i'lutra, do maestro Verdi.
.GYMNA9toCAMPESTRE.-Ne5.te theatro have-
ra amanhaa o iiliimo es.ieclacnK) drama.ico. com
o variado pogramma noutra pune pulilicado
COMI'AXHIA PEU.N'AMBir.ANA.-nevenili -e-
gir para ilaceio e Panada cm diratlara nu dia 23
do correte, o vapor Juyimiibr, lo.-la companhia
so receher carga para es'ses portos al hoje.
PilCEDER HEW1EUEXSIVUL. A desfacatoz
com que proceden unas muiheres perdidas ra
das Lnrangeiras, onde moram em um sobra
um escndalo constante mu bous aostumes, urna
offeusa vi va pudor das..J.initiasanm incommo-'
du iuuppoaaitei vi.si!iain-a.
nos, viuva, Boa-Vista; Svperlroiihia no cora-
cao.
Manoel, Pernambuco, 30 anno, Boa-Vista ; hepa-
Maria Pernamlmco, 3 annos, Santo Antonio ; con-
vulsoes.
Afaria.Peraambnco, 5- mezes, Santo Antonio ; din-
tincan.
Mana" Francisca de Jess, Pernambuco, 40 annos,
solleira, S. Jos ; febre.
Mirla Ferroira de Barros, Pernambnco, 26 annos,
yiura, S. Jos; tubrculos pulmonares.
Joao.Lmz Goncalves, Portugal, 38-anuos, soltelro,
Recife; hepatitechronico.
nraanr aa^agenal de giwrn'CoroRel aagratada uu "-HM^a- ----.-.-
ao corpo de estado-maior de secunda clTse'lfv-' lLni>1P"'' de familias honestas, morando
mo Jos Cnlli... hi pesoa respeitareis, sao tidas Coreadas a te-
g'no Jos Coollio.
X. 20".Dito ao brigadeiro rei'ormado presi-
dente da commissao de ayodiCancia. I)i; ordem de
b. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia com-
inunico a V. Exc. para o seu coaheeuncuio, que
nesta data foi Horneado para exercer interinamen-
te o lugar de director do arsenal de guerra o co-
ronel aggregado ao corpo do e.-laVinaior da se-
gunda classe Ilygino Jos Coelho.
N. 208.Dito ao coronel Hvgino Jos Coelho.
De ordem deS. Exc. oSr. vice-presideu e da pro-
vincia communko que por deiiperaca i desta oai i,
foi V. S. nomeado para exercer interinamente o
laxar de director do arsenal da guerra durante o
impedimento do respectivo proprietario.
X. 209.Dito ao ajudaute do director do arse-
nal de guerra.De ordem de S. Exc. o Sr. yice-
presidente da provincia declaro a V. S. para sen
conhecimento, que foi nesta dala nomeado para
exercer interinamente o lugar de director desse
arsenal o coronel aggregado au corpo do estado-
maior de segunda classe Hvgino Jos Coelho.
3.a seccao.
N. 210.Oflicio ao inspector da ihesouraria de
tazenda.8. Exc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia manda devolver a V. S. competentemente des-
pachado o indos requerimeulo de Manuel Coc-
liio I'iiiheiro, a que se refere a sua informacao do
Io do eorrente, sob n. 319.
4.a seccao.
211.Officio ao Dr. Aruiinio Coriolano Ta-1
DESPACHOS
DA VICK-PRESIDENCJA DO DU 17
DR AGOSTO DE 1869.
Padre Antonio Freir de Carvallio. Informe o
Sr. inspector da th souraria provincial.
Companhia dos trilhos urbanos do Recife a Olin-
da Entregue-se medanle recibo.
Domingos Jos do Amorm.Informe o Sr. in<-
pertor da tiesouraria do fazenda.
Jos de Vaseoucellos.Agiuude o pagamento na
forma do parecer dp Sr. inspector da thesouraria
provincial ii. 49 de 14 do correnle.
Jos Belizario Marialio FaUo.lofurme o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Joaqumi Francisco de Barros Brrelo. Iade-
terido.
Joaquina Mara da Conceieao.Prove a suppti-
canta a que allega.
Joao Ricardo da Silva.Inlorwe o Sr. Dr. che-
te de pulicia.
Joci Cancio Ribeiro do Amaral.Informe o Sr.
i oronet commandante superior interino da guarda
nacional deste municipio.
Bacharel Luiz de Albuqaerquc Martins Pereira.
Informe o Sr. inspector da tlwsouram de fa-
zeuda
Mara Matbilde,Cavalcanti.Ao Sr. nhefe inte-
rino da repartieao das obras publicas, para infor-
mar sobrea diHrenca de que aqu se trata.
Wilsuns di Iett.Volle a.) Sr. inspector da tlie-
soorara de fazenda para informar se os snppli-
canies podem ser pagos pelo erodito de que trata
o aviso do ministerio da marinha de 27 de julho
prximo lindo, de que se ihe fttaetieu copia em
10 do eorrente.
William Richaids>-Inlarme co* urgencia o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
PEENAMBUCO.

REVISTA MAB1A.
ASSASSIXATO. ffc lugar -Berra, preprieftide
de oaeate-cerooel Tbomaz Alves Maoiet, d 8 ho-
ras danoite de 44do correte. Tai .ananiaad
can um .tiro ftu&oo Gatdnso,da. VnconeeMoa, aa
dojiitligitfMlos autore Antonio. aa e um seu ir-
inao. na wv intrigada! m LlOao, por. ha.
rem as portas fechadas, a lim de nao'varen o es-
pectculo lie lion lo da prostii;'! ;:n mus daseara-
ila, que nao tem horas ne.n iesy:iaraos para se
notar am todo o cynismo.
Espectculos .es 'devem-se retirar avista das
familias; o pois cbamanas n aUencao da polica
para as taes miillieres. ruja comlucia desregrada
e escandalosa asss conhecida na referida ra
ATE DIARIOS?At de Diarios ha ladroes.sim
senhur; e ladros que para bavtroiu a presa, em
todo piiicedem cerno os coltegis (bis entras rlas-
ses, 00) que se divide iminenain"nte a seita !
Um nossoassignanic ha umito qu norcccbn o
seu Uiihio. Reclam.icoes de sua parte, providen-
cias pela nossa. asseveracao do distribuidor no
sentido de ser exacto na entrega, e sempre a mes-
ma falta.
Ora, era para desesperar;.
E nesse entretanto o assigaapto semassignainra
ibeiia a diaiiamento enqiaimanifo o jornal, re-
lirando-o logo muito celo do fngar, em que o
distribuidor o deixava sempre, e antes que alguem
da casa o viesse apandar.
A luuibranca corra felizmente em seus elTeitos
pratcosi mas l diz o rifao amigo, que tanto cm
o caneco '.o puro que um din pea no fundo.
O nosso filante, pois, quando lalvez menos o
pensasse, foi filada espada em accio de apanhar
o Diario all deLxado pelo distribuidor.
A falla de bom xito n'essa sua matinal empre-
za, desorienta entao o filado ; seu cerebro enene-
>e de imagens negras, alignrando-se-lhe, que fe-
chava-se a porta em unjo corredor eslava, e que
o fnnp rscvrecia. Nada v mais, porem sent
caliiiem llie as costas maos poncu costu nadas
meiguiee, e que afloal impllem-n'o a ra ; onde
o fresco da inaiiha, a luz do dia, o tumultuar dos
transentes deu-lhe a coiisciencia da rc.ntidade, o
com esta a vsolucio de rccolber-se casa, enfiado
e mais apressado do que sahira dola.
Se o curvo da fbula teve para si, que a licao
da raposa valia bem um queijo, o nosso homcm
setn duvida nao pensar, que afilanca correspon-
da ao susto.
TRIEMOS URBANOS.-Alguns assignantes nos-
ans, morailore.s ihs arr.'dialiles atravessados pela
via frrea de Apifiucos, nos soliciiam (jue lemoTe-
mos ao Sr. gerenie d'aquelia empreza a conve-
niencia de ser estabelooidii um tren depois dn-
peclaculos lyricos da actual companhia do Sania
Isabel.
Achande por demais razoavel o peJido, visto
como incontestavel a concurrencia a esses trens,
apatro'rinamo-lo jnnto niTSr. gernte.a n d
veja elle favoraveiuicate deferido. Eremos que
nisto vai o interesse da'vntprezadas trilhos urba-
nos de accordoeom essa eoavviiiencia publica; e,
pois, esperamos que seja a Hendido o pedido.
LOTERA.A qae sepela randa a 117" a
beneficio da Ordem Tererira aV>-Carmo, para fun-
daco de um hospital, que corre no dia 26.
PASSAGEIROS. Sahidos para o Aracaty no
hate brasileiro iossa Scnliora ihs Navegantes :
Antonio Borges da C ta, Jo< Rayinnndo Bor-
tres da Costa. Antonio Leandro Bezerra e Manoel
Baptista do Nascimento.
CEMiTERIO PUBLICO. Obluaaio do dia i6 de
agofto:
Marta, Pernambuco, 8 dias, Santo Antonio ; e.s-
1110.
Joaquim, Pernambuco, 6 annos, S. Jas ; tolano
epi mtaneo.
Thiago Jos dos Santos, Portugal, 32 annos, easa-
Santo Antonio; ulcera intestinal.
Romilo, frica, 3t3 annos, Boa-V"ita ; tubrculos
pulmonares.
Mara, Permambiieo, d mcaej/ S.-los; aanasmo.
Mara, Pernamnico, 10 aus, .Safio Anaanio ; es-,
pasma rq n
Berna Senlwrmha de Alleluia, Pernambuco, 10 an-
nos, sokeira, Boa-Vista; pj*siaa
Joao, Afriea, 5B annos, Afogadas: totano.
Maris da Soledado Gananraes e lilla, Pernambu-
co, 32 anms, casa>a, BoaY{pto ; congesto ce-
rebral.
ir
Jaaana Cavalcnriti de AHmquewni Pnhoiro, Bar-
namafan, *'rf annos, sclteh-a; hepatite chro-
Felisnop Marta dK^iMVh. Ptrnambueo, 30
PUBLICAC0E3 A PEDIDO.
ANMoclitvo Cominei-ci.il Bencfl-
ceute.
Sabe o publico que a Assoeacao Onmereial
desta provincia reunio-se duas vezes, em assem-
bia geral, no correte mez.
A prim.'ira reunito foi convocada para lekura
e apprpvacao do relatorio, e nova eleieao da di-
rectora, que ttve lugar no dia 2.
O publico Iu os noinoj do deitos nesse dia;
bem romo os dos amigos directores que foram re
eleitos no dia ti.
Portanto passarei.silencioso pelas pessoas, para
so e so narrar os factos que se deram nessas reu-
niaes da ns Rompo o silencio ; porque pens, que "as pu-
blicacoes feitisnao tornaram patente os factos que
alh se passaram, o que tem dado lugar bisas
interpretacoe., que de proposito, e por ignorancia
sao orensivas do carcter de qualquer homem, e
com maieria daquelle, que, se empregmi palavras
enrgicas, nao continham ultrage, calumnia ou
injuria, como inconvenientemente so tem pretn-
delo insinuar sem calcular as tristes circums-
laneias, qne se podem originar.
A verdade fara disipar o erro, e dar lngar
que os espirites imparciaes julgnem, e decirtam
de que lado esl a razia e a justiea : tranquillo
cypj miuha, consrencia, abracado com a justiea,
esporo coinT venia le .lis t:\cm, W "jmbWAy- ^
sjoteressado, pronuncie seu juizo, que respettoso
aguardo.
No dia 2 hora marcada o Sr. onimendador
Tasso, servindo de presidente da direceao, decla-
rou aborta a :isssembla geral, pason a fazer a
leitura do relatorio, que t posto em diseassio,
sem se ter lido a recoita e despeza.
Abena a discussSo, toiuou a palavra o Sr. Ma-
noel Gnimaraes, qne fez alguns leves roparos so-
bre o relatorio, e pedio que a direceao Ihe expli-
casse os seguintes pontos :
t 1." Se a direceao nao julgava que o linal da
acta de 17 de agosto prximo passado knpor-
tava urna eensnra ao proceilimento dos associa-
dos d que fallara o Sr. commen la tor W
na sua propona que fora recusada por maioria
> de votos da direceao ?
. 2." Xo caso" negativo, como consentirn) na
i redacrao do final da mesma acta tal qual ;c
acha*
3 No caso afflrmntivo, como regeitaram a
proposta do Sr. coinuiendador Tasso?
4.* Qner n'um tjner n'outro caso, nao pat
direceao, haver ponlradiccao inanife i ua i esoiucao ao menos na redaccao ?
t 3." Leitura do oflicio dirigido pela direceao
ao presidente da provincia, conforma o final da
.mesma acia, e qual a resposta que obieve ?
6." Quaes os fundamentos ou provas que teve
a direceao, do que esses associados solicitarn)
qualquer cou-a do Exm. presidente da provra-
cia, e em nome da AssoftiacJo Comuierei.il ?
7." Se a direceao entend.', que qualquer ne-
gociatlte Bsta provincia esta inhibido de solici-
tar por si, e em nomo de alguns amigos, ao
t Exm. presidente da provincia grncas >u med-
das que tornen mais hrilhantes e solemnes os
< actos de, festejos e regosijos nacional e publico,
cujs pedidos nao involvem materia commer-
cial, ou de interesse geral, apresentados por pc-
ticao, qucxa ou representacao, como precepta
c o art. 46 dos estatutos?
8. Como a direceao declinou de s a honra
de representaros inlcressesgeraesdesta provin-
cia, especialmente do comniercio, abrndo mi)
de resolucao, que fura approvada na renoin
convocada aos 6 de abril de 1868, pela qual
fra decidido que a Associacao Coinmercial, re-
presenlasse provincia acerca da linha telegra-
phica, podendo chamar auxiliare^ cstranhos ?
9. Se a direceao julga que o tribunal do
eommoreio desta provincia a repartieao com-
petente para marcar os usas e costumes com-
Xrciaes. que nao tem sido examinados e reco-
cidos nesta nem n'outras praQas commer-
ciaes
10 Pela alllrmativa, como explica a resposta
do tribunal da eommercio a peticao que esta
direceao enderessou ao mesmo tribunal t
11 No caso negativo, como dirigi uiua peti-
cao aa tribunaL pedindo que estabeteca urna
unidade da pesos para os gneros do produccao
c do paiz ? i >
Condujo o Sr. Manoel Gm'maraes, declarando
que esperava as aKplicacoas pedidas, para>quo
podesse dar um voto esclarecido e justo.
Em seguida o Sr. presidente da direceao deda-
rou que-Uassem adiida<.
PondVJra o Sr. Manoel Guimaraet, qae as per-
guntis feitas sao Armadas nos actos da direceao,
que era obligada a fazer ao seu relatorio a reca-
quo ci& mwajwio > *"! nu """" anus ae aiteuiter a aualquer uedido en
pitulaco. de sua aduunislracao ; por Unto deviaj do eommercio, seja envida esta direceao
ter-se orenarado nara resoonder. nrincinalmente i dirono5n n^ ..-.-------------._ '
IMUlIrf*,'.^ UO Ull rtUll|UIISf| ter-se preparado para responder, principalmente
porque as factos eramimporuntes, e nao podiam
passar dfisapercehidaa pelos directoras, de maneira
a nao seren justilitados, e que a falta deseas es-
clareemeptos era contraria ao art. 28 dos estatu-
tos, e iocampativel eom os precedentes, a hbitos
do Sr. presidente'; pelo que cusa va acreditar no
que ouvira, a Ihe oslavam soando mal as patavras
do adismento.
Portanto, eonllava qae a direceao daria as ex-
plieacocs pandas.
O Sr. commendador Loyo occtipa am seguida a
attencao da reunio, e dsse, que s devia primei-
ro approvar o relatorio, para depo entrar-so aa
sprcciacSo do pedido do Sr. GuimaHes !! f
OSr. Manoel Gnimaraes Kafaton a opinao do
praaedante orador; '^qiae^dizk.apBaaaado o re-
latorio, me a narraeaoA dos actas da direccap,
parect-ie absurdo Xvatir Vnos. e?ses mestrn
,.* P^> a alynr todas os trochos
nLt j da f ."oluio a primeira parte
S lo *J*>Ui*& i. 2, a, 4, o a 6) demons-
trando que o >r. secretario eslava eontraditorio
creTi'/aacU."""" esclan#i",en")- Pra aqai taaps-
Acta da lenia da direceao da Associaaao
Commeraa Benetleenie, aas 17 do BwTda
agosto de 1868. "" aa
Presidencia do Exm. Sr. barao da Soledade.
A urna hora da tarde etc. oteO Sr Tasso
petado a palavrH. faz ar a dinocia que em
" das da semana auterior, apparecendo nos ior-
uaes um aoimucio eouvklaudu-se o commereio
desta praca, sem destinecao de nacionalidades
para umajeua.ao, aim ,ie proceder-se urna
mamfesUcao pnblica en -igual de regosiio n--
" a v!'lm"s:i welu ltimamente recendas
do tt'eajro da guerra, e constando-lha mais
- que nao so essu reunio liria lugar no edificio
ua associacao, como que urna cammiss tora
ao txm. Sr. presidente da provincia em nome
ao eoininercio ,m; srufiartieocs publicas, l.-niamlo assim feriado
' o ma 14 jo eorrente, que elle so tendo de nado
' tuto noticia como simples particular, suppunha
que e-se prt-eder de quem pier que (.ae,
i QWrneiiU> sendo socio da associacao, importna
um posuiro menoscibo digni.lade da dnsc-
cia, anea legitima representante do eantnar-
co desia praca, am vista da que propuoha que
se reunisse a tsaoiabfa geral e so pedisaa um
voio de censura sobre os autores dense irregu-
lar, prsedimento; dando em falta a diree.t u-ia
sua demisso.
0 secretario, pedindo a palavra, procura at-
tenuar as appareucias que comoMmettem o
acontecmiento em quest, nao t pelo pedido
reito ao director de semana para permiltir a
renniao no edificio da associacao, como pela
acquiasooncia que a direceao em sua maioria
dra ;io convite que Itie Rra feito, ceompa-
nnando o nu nemso grupo que parti da asso-
ciacao a aamprimenUr as primaras antorida-
des da provincia, e que em sua opinao julgava
para^queseniio tratas.-, mais da
O Sr. Sa Leitao, como dirertor que se achava
de semana, loova-se as ideas do secretario, e
declara que nao s em attencao mau'nitude
do objecto quo dava lugar a renniao, como pe-
la imguagem uzada para ean elle, na i trepida-
ra em apnuir ao pedido que Ihe havia sido feito
sem previa consulta i direceao;. aas que se
esta regrovasse o seu acia ou uzasse de qual-
quer medula tpie isso signifloattanj ver-se-hia
obrigado a darse desde logo por demittido.
0 Sr. Olio, n,indo da palavra, pronuncia-s
fortemente en favor das idean do Sr. Tasso, e
diz j>m conle-laeio ao secretario e ao Sr. S -
Leilo que, qner a pedido feiio este ultimo co-
mo o convite aos me nbros da direceao na sata
. das sesaes. foram lando- e lissodo erro coinmetlidi. e que se accompa-
nhara o grapo, foi em altenoae para com o pu-
bheo e os membros a-esimiesda direceao, pelas
c reflexes que esles se dignaratn fazer-lhe no
semillo de se nao criar supposicao de que a di-
rectora reprovava tio jn-m motive de alegra
para o paiz mas que nem assim julg va dflMr
a dnerco pasar desappercebido um acto irre-
guiar de socios da casa.
Os Srs. Wenelin e Laman significando em
ii 'liras patarras astanm de acrordo com o Sr.
i Olio, o Sr. presidente ,i pedido deste ultimo
snbmetta a votos a pnweau di Sr. laa, que
ea ranala pelo nata de qaadada do Sr. pre-
t sidenle.
O Sr. Tasso tisiifica ter votado contra sua
i pr|)iia idea, em virinde das explicacoes do se-
cretario e do Sr. i Leilo.
O Sr. (Uto, porem, declara que nao se d por
satisfeilo e pode a sua demisso.
t Estando presente o Sr. t'wlro Maurv toma as-
sent, e sendo o tentado pelo secretario do oe-
corrido na presente sesio, pede a palavT.
Concorda em ludo eom a; ideas por esto ex-
pendidas, mas que em vista do urna tal dtpast-
cao do Sr. Olto, propunha para que se modili-
casse a proposta do Sr. Tasso somonte para
que i direceao sem mais replica pedase a sna
i di missao em assembia geral. Gomparecendo
o Sr. Miranda Leal, toma parto na sesso, c
ainda ouve a ezposieao do Sr. Manrv.
X ivamente cooceiiida a aataan n secretario,
sustentando a opino i eunitiila independeu-
te da conlestacao do Sr. Uo, rcenla que lora
o Sr. presidonte da associacao o proprio qne
atesta do grupo qne subiia ton os demai<
c membros da direceao ao palacio da presidencia
da provincia, e se constituir o orgo das feli-
t eitacoes. Pondera nao ser admissivel a prapos-
ta do Sr. Maury, porque viria reaovar ama
questn j apreciada e deeidida nesta mesma
sessad. Peda da novo a p .lavra o Sr. Maury e
em seguida o Sr. Miranda Leat o S Leitao, e
todos dissertando sobre i materia, procuran
mais ou menos despersiiadir o Sr. Olio de sua
t resolucao, de que por lim desisti, em conside-
a racao ao pedido do Sr. prwidonte e mais Srs.
directores, pedindo porin que -esta asta seja
t pubheoda, consignando se nella que o procedBr
dos socios autores da reunio do dia 14 foi Ir-
regular e de-attoncioso para com osia direceao,
e que em virtude do art. 46 dos estatutos* da
associacao. se ofllciasse em termos respeitOM
ao Exm. Sr. presidente da proviecia, para qm
aotes de attender t|uaiquer pedido em nomo
A direceao resolw conhnaar-se com o ped-
n dn do-Sr. Oto, e aada mais hivendo a tratar.
o 9r. presidente levanta :t sesso as 3 1/1 ho-
ras da tarde, marcando o dia 53 para nova
leunin.
Assignados.Barao 4a Soledade, presidente
D. (',. Ramos, secretario.
(Diario de 27 de agosto de 1868.)
Que a cKreejio regeitando a proposta do Sr.
commendador Tasso com o voto de seu autor, taa-
vwae 8ugeitado oondieo imposta pelo Sr. Otto
a pretexto de que se demittia ; pelo que praticira
um acto contrario todas as praticas, sem jnsti-
flaacao aos eantutos, que nao Ihe concedem o dl-
reito de censurar os associados ; prinripahnente
por se terem retiido para actos de regosijo pu-
blico, e manifestacao nacional, oceasionadas petast
hrilhantes victorias obthlas no Paraguay (onde L-
pez podsria ter esso procedimer

\
.q
I
I urin



mm
Diario de Pernambuoo Sabbdo 21 de Agosto de 1869.
Que senta o Sr. secretario nao ter dito cousa
Iguina relativamente a 8* pergunta ; porquanto
vista da Lwposta approvada n sessao de o ax
abril dMPouassado,que paraaqui coi'io elmente.
Proponho que a Associacao Commerc.al Beneti-
cont se consuma o-orgo da provincia onflt. wr
preeteo-oara tudo quanto for de uiister a res-
{Jeito do wtabcleciaienlo da linha telegraphica
proiectada, podendo a associacao accudir-se
os auxiliares qu* tha-uarecefwn precisos, pro-
movendo por lodo os meios o concurso da pro-
vincia, reunir pato esle nm n qnando Ihe pare-
car necesario o cidatioe que so moslrarcm in-
leressados para osla eprtea. .
Parecia-lhe qoe, a direi^o d'Asspitt^o nao
devia delegar ecir-estranho a honra de represen-
tar os interesses geraes o commemaes desta pro-
vincia nacreacao tefe graphiea, que toado a feito
nao zeloii sitas attribuicoes, desdenhou a honra
3ue liic coon-am, mostrousc quem da coa-
auca que a assemblca outorgra. Nao prevalo-
cendo eni favor da di roe ci o facto-de fazerem
parto da commssao encarrujada dos tclegraphos,
:t de seus niembros ; porquanto fra de duvida,
Jae nao a couiiiiissao existente, a que fora crea-
a pela proposta, nem a direccao andou bem
avisada.
Continuando, lastima o orador que a explica-
cao do Sr. secretario relativa peticao dirigida
pela direccao ao tribunal do commercio, nao ca-
lasse no son espirito, o pasma peraoto a deelara-
fio 00 Sr. Miranda Leal, depulado do uiesmo ine-
retissimo tribunalqM a petico fra legalpor-
quanto a vista da resposta do tribunal do commer-
eio edoart. 25 do decreto de 25 novembro de 1850,
que passava a ler, e que para aqu copio : S
podem ser admittidos como usos mandados
guardar pelo cod. oom. as praticas eoirmer-
ciaes a favor das quaes conoorrem copulativa-
mente os dous seguiutes requesitos essenciaes :
seren conforme aos saos principios da boa
fe e mximas commerciaes, e gura luiente prati-
cado* entre os cominercianlos do lugar onde se
acbarcm ostabelecidas : 2 nao serem contra-
ras i alguma disposicao do Coft Ccm. ou lei
depois delta publicada, a Se v, que o illus-
iraio tribunal, somenle competonte para decla-
rar usse costumes os seguidos na praca ; por-
tante aao poda marcar uvu unidade de pesos c
medidas para servir de n e cnsturoe u'uma
praca, que se servia de varios.
A vista do que julgava elle orador, que a direc-
cao nao tinha procedido cora reflexao; que com-
metlera um erre crasso.
Concluio, diiendo, que outn lira nao leve, que
profligar alguns factos da direccao, para que as
as successoras nao seguissem o mesmo caminho,
que julgava ter conseguido.
Toma a palavra o Sr. Burle, e diz que a direc-
cao uitrapassava os limites de suas attribuicoes,
tornando-se cessores dos associados, e at de si
propria ; porquanto fez parle da reiuiio, e acoin-
panliou os autores da manifestacao.como confessou
o Sr. secretario na apasto de 17 de agosto ; por-
tante a direccao censurou a si, o que contra-
ditorioe improprio ; alm do que, nato est as
suas fuaccoes a attribuicao de censurar os asso-
ciados.
Levanta-se o Sr. Gomes de Oliveira e em poucas
palavras,mas frisantes, diz que ainda quandoo art.
46 dos estatutos permittisse (o que_ contesta) a di-
reccao censurar os associados, nao o devia ter"
feito ; porque os festejos eram occasionados por
actos de bravura e patriotismo patriados pelo
exercito e armada, na guerra contra o Para-
guay.
Km seguida lallou o Sr. commendador [tabello,
flue Derguntou se o Sr. Guimaraes nao Hcra sa-
tisfeito com as explicaeoes do Sr. secretario (seu
socio i).
Responde o Sr. Guimaraes que, sondo a censu-
ra depois das respostas, como se poda admittir e
justificar a perguuta do precedente orador o Sr.
commendador Rabello ? I
Esgetada a discussao, porque nao houve qnem
pedisse a palavra, fui approvado o relatorio, sem
que urna s voz pedisse votos de louvor para a
direccao.
Procede-se em seguida eleicao, que depois de
apuradas 76 sedulas, numero recohido, den o se-
grate resultado :
Senhores:
Swtt
Needham
C. A. Moreira
A. Ignaeio
Luiz Guimaraes
Burle
Commmendador Santos
Loyo
Casco
Daniel
Tasso
M. Leal
Man iv
Simpson
Wegelin
S Li'ito
Shafheulin
Silva Jnior
lamber
Manoel Guimaraes
Bario da Soledade
Braga
Barao de Cruangy
Landan
Couiicly
Otto
Gommendador Rabello
Borges
Bastos
Azevedo
Seguindo-se raais 10 com um voto.
Depois do que se derain por concluidos os tra-
bamos, o Sr. presidente levantou a sessao.
E eu retirei-me para miuha casa, nutrindo a
lirtne conviccao de que a nova direccao entrara
logo na administraran, vista do art. 35 dos esta-
tutos, ou dentro em poucos dias ; conviccao Ar-
mada no silencio e ordem que reinou durante a
sessao na diseusso calma e reflectida que houve
e na eleicao Laseada e destacada, que se procede-
r, e que fazia crer nao ter havido capricho, e
cabala na escolha como ose appareceu.
Entretanto apenas haviam decorrido 24 horas,
eis que de mira se aproxima um amigo, e assegu-
ra-me, que a direccao transada havia expedido
cartas convidando os no vos directores para a ses-
sao de posse no dia 7, mas que alguns directores
lindos promovala e pediam asignaturas por in-
termedio de 3eus amuos para um requerimento
u abaixo assignado direccao pedindo uraa no-
va assembla geral no intuito de julgar milla a
elcicio do dia z, sendo reeleita a antiga direccao,
que devia tambera na mesma reuniao ser-ihe dado
um voto de louvor I I
Entao senli estremecida minba conviccao, vi
que eslava iludido, e que havia errado na apre-
eiacao dos motivos, que servram de fundamento
meu juiso. Aguardei, porm, os faetos para
ante elles vericar se me tinha de veras enga-
ado.
Piquei, pois, na espectativa at que li o annun
co da direccao transada, convocando a nova as-
seiobla dos socios para a reumao, que devia ter
lugar no da 6 do corrate mez, vespera do que
designara para a sessao de posse da nova direc-
cao.
A* vista deste tacto, certo de como se fazem en-
tra nos todas as eleiedes, convencido de que os
angot directores nao convoeariam urna nova as-
sembla ; se por ventura nao tivessem com auti-
cipicao raaioria ; tanto raais tendo alguns dentre
a direccao solicitado por seus amigos assgnatu
ras para o requerimento ; por Indo isto conven
c-ra* que a nova reuniio devia ser bem diversa
da que ti vera lugar ao da 2.
O publico julgue a vista do que vou narrar,
prometiendo guardar a nesraa ordem na expsi-
ta dos lacios, e exactidao c Adeudado as pala-
was dos oradores oomo o liz na sessao aaterior.de
que acabo de fallar.
{Continuarse-ka.)
ir bm da mira nlmarSes.
ao Sr. Olymplo 4.our.il ves
Rosa.
Eu disso hontera, que escrupulisava em trazer
para a imprensa uraa questao alTecta aos tribu-
naes, e sobre tudo era patentear ao publico a
serie constante de njusti^as e tropelas qoe leoho
sotlrido, nao s do Sr Olympio, como do Sr. Dr.
juiz municipal supulenle da 1* vara; mas que
visu da publicacao, cora que o mea contendor
pretendeu, com talsidades, prevenir o animo dos
merilissimos jalg*lores, para qu-m reccorri, e
em quem deposito a maior confianca : cumpna-
me defender r rae.
E' anda ueste utuito que vou fazor mais al-
guraas coasideraedes, que ometti no meu pnmeiro
artigo, para nio me tornar prolixo.
Principio observando, que at de figuras orato-
rias servio-se contra mira o Sr. lympio; pois
dizendo que. nao quer discutir a questao, sen
embargo disso a vai discutindo, a seu modo; di-
indo que nio qu?r (ng?rir-*; na uspelcSo offe-
racida ao Juizgia oausa, mosira lar s Jo sto um
dos llns de sua publicacao.
Procurando negar a importancia dos dous ahui-
xo assignados, ,cora que fundajncntei o inouaggra-
vo, o Sr. Ovmpio pretende confundir o quo^e da
era cada uni dollos. Diz o meu contendor, depois vr .^il1111n J pnminnil,inA
de meneiomir eom-alieracoe*, os nomos de sHgu* INOVO UUlCO Rcebetn quaeequcr quaotias em deposi-
t, era conta coirente, e a prat fixo.
Largo do Pelourinhon. 7.
votos.
65
59
50
45
44
U
44
38
34
33
26
20
19
18
18
15
14
12
10
10
8
8
4
3
3
3
i
2
j
2
ignatarios, o seguale : ... J*4"' "" "/|Jr"
nu ler tu trabulliado a noute com franje ^"'j4|j
e feito grande c ca do predio do Sr.
Guimaraes, puf-i parede mtieira.
A excavado nao se fez a Oouw, mas em pleno
da, chiiio se ve lo um dos ab.iixo Signados, qoe
aestes ternes :
Os abaixo assignados declara p ir terem
presenciado nesle monionto treskoraeum qunr-
lo i* tarde que os pjdreiros e mais trabalha-
dores occuiiados em levantar a frente do pre.-
- dio n. 16 de Olympio G mcalves Rosa a-oa* de
fazei um grnnde rombo m pirede do lad do
t predio de Jos Dias da Silva Guimaraes para
assentar nm arco, cujo rombo alm de penetrar
t na tneiardo, de Jos Dias, a ponto de- chemr
t quasi ao cimo ou cubero da sua o/mrefrtt, poob
i AT PRODUZIB DSSABAMENTO DA PARTE DA PAREDE
PKRTENCESTE A JOS DIAS.
Se no auto da vestoria os peritos doclararara
que a obra, como eslava sendo feita, poderla dar
lugar a ura dosabaraento, o que nao ser agora,
com os accressimos c excavarles de que os peri-
tos nao tveram ronliecimento !
O Sr. Olympio nao pode negar aquillo que esta
patente, e qualquer pessa pode ir examinar com
os seus propros olhos no paleo ou ra do Livra-
ment n. 16. Por isso serve-se de meios indirec-
tos, supprimindo nomes, alterando outros, e ame-
acando os signatarios com o charaamento a juizo.
Esle argumento ad terrqrem urna quicholada,
feita com o Ara de conseguir alguraas assignatu-
ras para um abaixo assignado que o Sr. Olympio
prometteu pubPicar.
Depois de feito o abaixo assignado cima trans-
cripto, ainda augmentou muito raais o prejuizo,
que a obra embargada est causando ao meu
predio ; porquanto para a collocaeao do arco se
fez urna cornija em cima da ombrelra, e sobre o
arco uraa grande cornija com" tres palmos de al-
tura I .
Apenas um outro juiz tome conliecimento da
causa, requererei inmediatamente una nova ves-
toria ; nao porque a priineira nao soja bastante
"para provar o meu direito quanto ao embargo,
mas para provar cabalamnte o extraordinario ex-
cesso depois da caucrio.
Has independente de um exame judicial, demo-
rado e cusioso, o qiHS o meu contendor procurara
embarac.ar e confundir o mais possivel; peQo co-
mo um favor, que todo equelie, que desojar saber
ijuem que lera razio nesta demanda, J um
passeio at o paleo do Livramenlo, e lance as vis-
tas pira os predios ns. 16 e 18.
Alera de abaixo assignado, de que ja fal-
le!, apresentc um outro, em que se declara ter si-
do admittido grande numero de obreiros, para le-
vantarse com bievidade a frente do predio u. 16.
Nao sao soraente os signatarios que podem at-
testareste facto ; sao innmeras as pessoas que o
presenciaran).
Basta a consideracao de que em dous das ro
levantada a frente de um predio, para conh-ecer-se,
que isto foi feito por rauitos operarios durarte
rauitas horas era cada dia, e com o maior atr-
pelo.
O Sr. Olympio confessa que durante a noite es-
tuve na obra com alguns corapaulieiros. Alcm
de ter sido presenciado o ajuntamonto de gente na
obra, em a noite de 11 do correte ; accresce ter
um caixero do Sr. Olympio declarado ora pre-
senta de alguraas pessoas, que naquella mesma
noiie, as 3 horas, scu patrio mandara buscar pao
quente (era urna padaria) raanteigae vinho para a
gente que eslava na obra.
Portanto era de suppor que tivessem trabalha-
do noite ; tanto mais quanto parece ridicu-
la a lembranca de fazer sentinella obra com al-
guns companheiros, para que eu a nio fosse des-
manchar.
Esia boa I Pois se eu deixe de usar de meu
direito de oppr-me incontinente excavacao Ile-
gal e attentatoria feita em meu predio; sendo inne-
gavel que em laes casos a lei permute o desforro
immediato ; se prefer sempre recorrer aos meios
judiciaes ; se a ombreira de que se trata estove
tanto lempo escorada no lagar onde ia ser collo-
cada (bastando que eu retirasse um caibro que a
sustiaha, para que ella viesse a baixo), como
que o Sr. Olympio roceia que depois de collocada
a mesma ombreira eu fosse arranca-la I
Demaif, vista da parcialidade que o Sr. Dr.
Miranda tom manifestado contra iniai, um atten-
lado qualquer de minha parte vii ia peiorar ainda
mais a minha situaban.
Que capricho tolo seria este de desmanchar a
aoia o .|uj se fosse fazendu durante o dia 1 Nem
a ta de Penelope !
O Sr. Olympio concluio dizendo, que nio faz
maisque usar de seus dretos sem fazer inju-lica a
mira, nem causar-medarano eprejuizo. Pois nao !
Usar do meu predio para melhorar o seu, a
cousa mais simples deste mundo Irapossibilitar-
me do concertar o meu predio, c arriscar-me a
ser victima de ura desabaraento nao prejuizo,
no entender do meu contendor. Negar lodos os re-
cursos, embaracar-me constantemente no uso do
meu direito, nunca foi njuslica, segundo parece
ao Sr. Miranda.
A posicio de aggreddo, em que diz estar o Sr.
Olympio, justamente aquella era que rae acho,
e em que estarei al que o juiz da nossa causa
dcixe de ter exclusiva influencia em scu anda-
mento.
Do tribunal superior, espero justica, e com ella
a ressarao deste indeferiraento constaate, i cusa
do qual tcm progredido a obra do Sr. Olympio.
apezar de todos os recursos que a lei rae coa-
cede.
Como procurador de Jos Dias da Silva Guima-
raes. Joaquim Dias da Silva Guimaraes.
em Uqddacto, 3 Awigos-
to de 186
O- i recebar o
sexta (Usirtendo di aieio por corito
o canB: s quarta-fcwaS e sabbado3.
^B alkaN'dkga.
. 40S.i54*417
, 54:3381740
aLKAN'DSGA.
ttendimenlo do dia 2 a 10.
'di-ra do dia 20 '. 1
462:790; 157
65
-, MOVIMIOTO DA ALFANDEGa
v'olunir.s entrados cbm l'aaendas n
faera dem com gneros 48
Yolumessahidos com fazendas 237
dem dem com gneros 270
----- 507,
Descarregara hoje 21 de agosto
Patacho portuguezAmv'a diversos gneros.
Brigue portuguezConstante //varios gneros.
Escuna hollandezaAuna Maravarios gneros.
Barca inglezaNaoniaidem.
Briguo inglez.lf/teferro e carvao.
Brigue norueguenseEnergefarinha de trigo.
Barca inglezaGazellamorcadorias.
Brigue hespanhol Pepa charque.
ECEBEDOUIA DE 11E.NDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO. w
Rendimento do dia 2 a 10 30.680934
fdera do dia 20...... 6191824
Fogo
ao
CONSULADO
rtendimento do dia 2 a 10.
(dem do dia 20 ...
31:3001758
PROVINCIAT-
. 48:542*649
2:7711922
muilo applau lida comedia commcrcial
actos, ornada dj msica, compota e
lferecida ao sempre inpirado maestro
Colas Filho, pelo talentoso Sr. V. F. Cha-
ves Jnior, mtitulada :
snl, rumo ao norte
ISNAGeT ACTBF.S
Tbomfc Maduro, antigo
i:aixeiro de cubraa-
cas..........
Panlo, ctki.iro dcsar-
ranjado, pandego de
tnao ebeia........
Braz, idem, idim-----
Barbara, velha namo-
radeira, querendo
""pa*ar por oca e
conquistar rspazes. D. Olimpia.
Laura, moca alegre e
calculista em namo-
ros.............. D. Jesuina.
A acelo passa-se em Pernambuco, na
actualidade.
A msica desta comedia, foi escripia ex-
pressamente pelo maestro Colas Filho,
abrilhaotando-a com lindas coplas, lundfts,
fados, e o muito popular
:=::

COMPaNHIA pernambucvna
DB
\'avcga^So costeira por vapor.
Mamanguape.
com man-
dante Peana, seguir para i
^a m dia 28 no correle
Sr. Brochado.
De-Giovaoni.
P. Augusto,
Qfao
W91I
TANGO
Depois
polka
do general Prim.
a orebestra executar a chistosa
51:3141571
AVISOS DIVERSOS.
Quem qiiizer
ser ama de un mtdNrwrWhm, fizendoo ser-
hmdo cora di*
eiymisquu >^fgnr.,i,i, dirija-ao
da "M
Paquetes a vapor.
Bos portes do norte
~at o dia ?8 de agosto o vafwv
Paran, eomniandantf o eapnia
defnnla A. I. de Santa Barbara,
o qual depois da demora do cos-
para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual deven
*er embarcada no da de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua saluda as i
horas.
Nao se recabem como
jectos de pequeo valor e que nao excedam a duar
arrollas de peso ou 8 palmos culjieos.de medicae.
Fado que passar deetes limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passagoiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Orna n. 57,
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Olivein
Azevedo & C.
. Na ra 1 Podre l'loriuno n. 3'i, preelsa-ee de
uraaescrava para alagar, paga-se bem.
Roga-se ao Illmo. Sr. cliefe t polica
que se digne dar [irovidencia, sobre um
morador da ra das Cinco Pontas n..., o
qual anda pelas ras dessa cidade com urna
sucia de meninos, asbordoando quanlas pes-
soas encontra e a desaliar oiilios meninos
encommcndaa sanio ob- de certo collegio para espanenrem-se.
CMFAXiA BRAS1LEIRA
DE
ASIA
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio sonido no dia 20.
AraMV hiate brasileiro .V. S. dos Navegantes,
capitio francisco Antonio da (josta ; carga dif-
reates gneros.
Observacao.
Nio houveram entradas.
EDITAES.
Pela secretaria da cmara municipal
desta cidade se faz pubho, que n5o tendo
sido arrematada nesta data, como estava
annunciada, a obra dos & ncertos de que
precisa a ponte denominada do Luca, or-
eada na quantia de 88U#, contina em pra-
5a a mesma obra em o dia 25 do corrente.
Secretaria da cmara municipal do Re-
cite, i 8 de agosto de 1869.
O s-cretario,
Francisco Canuto ola Bfa Viaqem.
COMMERCIO.
PRAGA DO RECIPE 20 DE AGOSTO DE 1869
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE
Algodo da Parahyba sorte 1*293 por kil.
posto a bordo, frete de 1/2 d. sera capa.
Cambio sobre Londres 90 d/v. 18 Ii2 d. por
11000.
Frete de algodao de Gnarapes para Liverpool
l[2d. e5 0/0(hontem).
P. J. Silvcira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descorita lettras da praca taxa a con-
venciosar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
oraze fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Ra do Commercio n. 36.
Saques sobre Londres
SOCEDADE BANCARIA EM COMMANDITA
Theodoro Simn fy C.
SaceJo sobre os Srs. Samuel Montagu A
C, banqueiros em Londres.
A' vista quantias 5 at 100, 3 dias
de vista quaoiias cima de 100 at
a 1,000 30 at 90 dias de vista quan-
tias cima de 1,000 at 10,000.
Largo do Pelourinho n. 7.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & C.
Compram e venden por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
sbji| de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontam letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta aiheia das mes-
mas transaccoes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Pela secretaria da cmara municipal
desta cidade se faz publico, que continuar
em praca em o dia 25 do .".orrente, para
ser arrematado por quem maior preco of-
ferecer, o imposto de 500 rs. por cabeca
de gado morto para consumo as fregue-
zias do Poco.da Panella, Affogados, Var-
za, Muribeci, Ja->oal5o e S. Lourenco da
Mata, visto qui nao foram arrematados
nesta data.
Secretaria da cmara municipal do Re-
cite, 18 de agosto de 1869.
0 secretario,
Francisco Canuto da Ba-Viagem.
DECLARACOES.
MINERVA
Composta e dedicada ao iilustrado
Corpo acadmico
pelo Sr. Colas Filbo.
Segue-se a representado de urna inte-
ressante
Comedia.
Finda a qual a orchestra executar a mi-
mosa schotticli
JEMll^i
Composta e olTer cida actriz D. Jesui-
na, palo maestro Colas Filho.
Terminar o espectculo com a graciosa
Tonadilha hespanhola
Cantada pela Sra. D. Jesuina e os Sr*.
Brochado e De-Giovanni.
N. B.As pessoas que quizerem assis-
tir a este espectculo, tero passagem gra-
tis, antes e depois do mesmo, na forma do
costme.
Para mais aprazibilidade, no trem das
5 horas ir urnaBANDA DE MSICA
a qual tocar durante a viagem escelhidas
pecas; regressando no wagn especial,
depois do espectculo.
Os bilhetes acham-se na estaco dos
trilhos urbanos e no theatro pelos precos
ltimamente estabelecidos.
0 divertimento principiar o 6 horas
da tarde, a fim de terminar antes das 10
da noite.
os portos
Paquetes a vapor.
Dos portos at o dia 22 do corrente o vapor
Tucuntins, iMiiunandante J. M. i
T. Frarc >, o qual denuir para
pois da demora do cosume se-
oro.
Desde j recebem-se passageros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sabida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a_ 1
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao
rudo que passar desteslimites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa
fens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
Para o Maranhilo
o patacho portuguez Marta, eapito Pedro Martn?
Branco, recebe carga a frete ; trata-se com E. R
Rabello, ra do Commercio n. ii.
Precisase do tima aoia, nreferindo-se eserara,
par* cozinhare cunip.ar, paga-si- lira o afince-
se hwlirm : na ra Bireila n. 32.__
Para a villa do filar
Precisa se de um moco de 16 a IR annos, ponco
mus o menos, para caixeiro, e qie lenhaulgonm
praticade ferragims e miudezas ; quem se julgar
com-estas haliilitacoes e se qnera empregar no
lugar indicado, dinja-se a ra da Cadoia do Reci-
fe n. 5fi A. que achara eom quem tratar.
Miguel Gonrahi's Rodrigues Franca, limo de
Manuel Guncalve Rodrigues, vende a horaocaque
em una qumla Ihe deixou na illia de S. Miguel
seu av paterno Joao (oucalves Rodrigues : a tra-
tar na ra do Crespo n. 12, Io andar. ^^____
tp/25%
Para
Santa Casa da Misericordia do
Reetfe.
A Jlma- junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas;sessoes, no dia 26 de agosto, pelas
qnatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo lempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMEXTOS DE CARIDADE.
Ra do Encantamento.
Sobrado de dous andares n. 3. 600*000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 49...... 170*000
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 36 ....". 178*000
Ra do Calabouco.
Casa terrea n. 20.....242*000
Ra da Moeda.
Primsiro andar do sobrado n. 37. 76*000
Segundo andar dito...... 96*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do Aniorim.
Sobrado de dous andares n. 21, dem 600*000
Pateo do Paraizo.
Loja da frente do sobrado n. 29 101*000
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27...... 192*000
dem n. 2o........ 144*000
Ra da Cacimba.
dem idem n. 12...... 146*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................ 146*000
dem B. 98........................ 203*000
dem n. 96......................., 202*000
Sitio n. o noForno da Cal........... 150*000
Os pretendemos devero apresentar no acto da
arrematacao as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivo* fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 13 de agosto de 1869.
O escrivao.
Pedro Rodrigues de Souza
Provincia da Parahyba do Norte.
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector do thesouro
provincial, faco publico, para sciencia dos interes-
sados, que a dita repartieao compra toda pedra
de granito, conduzida como lastro, pelos navios
que forem carregar ao porto da referida provincia,
a razio de 1* por tonellada. posta em trra.
Recife 12 de agosto de 1869.
O agente de rendas,
Joao Rodolpho Gomes.
Seguir brevemente o veleiro patacho portuguez
Boa Fe, capitn Domingos Martius : recehe algu-
ma carga a frete razoavel, para o que se trata
com o seu consignatario Joaquim Gerardo de Das
os, ra do Vigario n. 16, Io andar.
Para Lisboa
o palhobote'portugucz Carolina, capitao Joo Paulo
de Oliveira, vai sahir breve por ter grande parte
docarregamento engajado : para carga e passa-
geiros trata-se com E. A. Rabello, ra do Com-
mercio n. 44.
Grande e variado espectculo
de gymnastica
\ DE w
RA DO SEBO N. 35
DE
IIEMIY LEIDE\ iC.
Sob a direccao do Sr. Jos Moreira
Lemos.
Dominico t de agosto de 18411)
Tendo a msica executado urna linda walca da-
r principio aos trabadlos na ordem seguinte:
PROGRAMMA.
1* parle.
Muito applaudido trabadlo no trapezio acrio por
toda compannia, tomando parte b conhecido acr-
bata Virgilio Tavares Xilques.
2' parte.
A corda bamba por toda companhia, lomando
parte o artista hespanhol Julio Daro.
3* parte.
Muito applaudida escada aerea pelo reconhecdo
acrbata imperial Virgilio Xilques.
4* parte
O equilibio darmas pelo acrbata Antonio Pci-
xoto.
5* parte.
Grande e extraordinario trabalho de deslocaeao
sobre duas cadeiras, pelo acrbata Virgilio Xil-
ques.
6* parte.
A descida das escadas fixas pelo acrbata Vir-
gilio.
T parte.
Grupos chinezes pelos artistas Oliveira, Silva,
Eduardo Peixe>te, Virgilio Xilques e Julio.
8" parte,
O homem raa, pelo artista Silva.
Findar o espectculo com a engracada palha-
cada intitulada o preto no Brasil lica branco.
Principiar as 7 horas.
Klo .runde do ftiul
Para o porto cima segu com brevidade o pa-
tacho nacional Piincipe, recebe alguma carga a
frete, e trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo t C. ra da Cruz n. 57
LEILOES.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DB
Vavegacao costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamndar.
O vapor Parahyba, commandanle
Mello, seguir para os portos cima no
dia 31 do corrente a meia noite
decebe carga, encommendas, passageros e di-
nheiro a frete, n escriptorio do Forte do Mattos
111
JL
THETRO
DE
S. ISABEL.
EHpreza lyrica italiana.
SABBADO 21 DE AGOSTO DE 1869.
2a recita de assignatura.
i BVLLO M HISCIU
Os bilhetes vendem-se no dia do espectculo.
Principiar as 8 luirs.
N. B. A empreza grata do bom acolhimento que
este iilustrado publico fez a sua companhia, nao
poupar trabamos nem despezas para agradar Ihe
sempre mais ej principiou os ensaios da muito
afamada opera de D mizett em 4 actos
A FAVORITA.
THEATRO
tyninasio Campestre.
Domingo- 22 de agosto de 1869
ULTIMO ESPECTCULO
As horas da Urde.
Primeira representado da espirituosa e
COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
.Vavegaco costeira por vapor,
Macei em direitura e Penedo.
O vapor Jaguaribe commandante Guilherme se
guir para os portos cima no dia 23 do corrente
as $ horas da tarde. Recebe earga at o dia 21
as 3 horas, encommendas, passageiros e dinheiro
a frete at as 2 h >ras da tard do dia da sahida :
no escriptorio do Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
NavegaeSo eosteira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
, caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vafwr Ipojuca, commandante
Eustaquio, seguir para os portos
cima no dia 31 do corrente as 5 hora?
ia tarde. Recebe carga at o dia 30, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at af
! horas da tarde do dia da sahida no escriptork-
lo Forte do Mattos n. 12.
M,
LEILaO
De vernizes de diversas- (u tildada,
Segunda-feira 23 do corrente.
A SABER:
Verniz de laque ao alcance do todos, cm frascos
e botijas para mobilias.
Verniz real cm garrafas e frasco- para bijouterias,
quadros e refrescar pintaras a oleo.
Verniz crystal ani latas e meias garrafas para
envernizar papel para forro de salas, teclos,
junto com tinta ou sem ella.
Verniz copal inglez em latas e meias garrafas pa-
ra envernizar eaixas de gege ou qualquer
outro objecto exposto ao teiripo.
Verniz bronze do3 funileiros para qualquer obra
de folha.
Verniz espique em latas.
Verniz americano em ditas.
Verniz preto.
Body copal vernish.
Tudo ser vendido em lotes o i agente Pestaa
no dia cima mencionado, as 11 horas da manhaa
no largo do Corpo Santo cal oommercial.
De 24 dusias de couro de lustre
e 1 pacote de chapeos do Chy-
le finos.
Segunda-felra 93 do corrate.
As 11 horas.
Por conta e risco de quem pertencer c por in-
tervencao do agente Pinto ; cm seu escriptorio
ra da Cruz n. 38.
LEILAO
De urna mobilia d Jacaranda, um coie prova
de fogo, um apparador, um guarda vestido de
amarello, urna commoda de .ja-zaranda, um san-
tuario de dito, urna mobilia de amarello. um mar-
3uezao, urna cama franceza, urna carteira com
uas faces pro ra para um escriptorio, urna dita
menor, duas duzias de cadeir.-.s de amarello a
Luiz XV, 4 pares de lanternas, um candelabro de
vidro, um par de apparadores de amarello, un
berco, diversas marquesas, mesas redondas, um
meio apparelho de louca de porcelana para jan-
lar, urna commoda de-am reUo, usa Ma usado,
30 cadeiras de amarello com pouco uso, um la
vatorio, um porta toalna, urna mesa elaslica, um
relogio de parede, um guarda.fouca, um par de
cadeiras de blanco e diversos relogios de ouro
e prata para algibeira.
Terea-feira 94.
O agente Martins competentomenie aulorisado
far leilao dos objecin cima descripos :io arma-
zem da rna do Imperador n. lo, as 1 horas em
ponto sem reserva de precos.
PARA'
O patacho Protector seguir para o referido
porto en poneos dia, per ter a maior parte do
seu carregamento pramplo : para o que Ihe falta,
quem quizer earragar a frete coinmodo, pode diri-
girse ao consignatario Joaquim Jos Goncalves
Beltrao, ra do Commercio n. 17.
Para Lisboa
O brigue portugnez Constante II segu para
Lisboa com a menor demora possivel, por j ter
parte de saa carga prompta : para o restante e
Dassrgeiros, trata-se com os consignatarios Olivei-
ra, Filhos & C, no largo do Corpo Santo n. 19, ou
com o casillo P praca do commercio.
De um piano fraocez e forte, urna mobilia de mog-
no com 1 sof, 1 mesa o 2 eomoios com pe-
dias, i cadeiras de bracos e 12 de guamico,
I mobilia estufada com 1 sof, 2 cadeiras de
bracos e 2 de guamico, candieiras a gai, 2
vists, 2 mezas de jogo, 1 mesa redonda de ja-
caranda, 2 espedios, 3 redomas, 1 mesa elsti-
ca, louca e vidros, metas com gavetas, I cama
de bronze para duas pe-ssas, I di:a para me-
nino, dfferenles cadeiras. lavatorios, 1 mar-
quezao, Oandres, trem de cosinha e outros ob-
joctos.
Tercafeira 24 do corremo.
No 2 andar da ra do Trapiche a 8.
A. Da-Mont, tendo-se retirado com sua fami-
lia para New-York, faz leilao por interveucao do
agente Pinto, dos movis e raais objeetos tema
mencionados, existentes no 2* andar do sobrado
a ra do Trapiche n. 8, onde s* effectuar o
leillo.
Principiar- u
Elle 6 um preventivo seguro e certo contra
a calvice, *
Elle d e restaura for<;a e sanidade a pelle
da cabeca,
Elle de prompto faz cessai a queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em.
qualquer forma e posico que se deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele faz crescer os cabellos bastos e com-
pridos,
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa.
Elle previne os cabellos de se tornaren
brancos.
Elle consena a cabeca n'um oslado de fso.i
cura refrigerante e agrailawl.
Elle nao -demaziadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro desagra-
davel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservacao e arranjo dos ca-
bellos das senlioras,
Elle o nico artigo proprio para o pin-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenltum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo cm o
O CABELLO.
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica o, aformosea
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, I. da C. Bravo & C- P. Maurer
4 C, M. Barbosa, Bartholomeu A- C, e em
todas as principaes lojas de perfumarins
e boticas^___________________________
Preciosa publicacao
jurdica.
Comwitlario do codiyo criminal Pottttfuez
e Brasili'iro.
Vende-sena loja do Sr. lloradlo Paula
Monteiro, a ra do Imperador n. 71, a
importante e moderna obra sob o titulo de
annotaedes ao cdigo o commtrdo portu-
guez em 6 volumes pelo Exm. Sr. conse-
llieiro Dr. Diogo Pereira l'orjaz de Sam-
paio Pimenlel, lente cathedratico na univer-
sidade de Coimbra. Os subidos crditos
de que goza muilo merecidamente aquella
eximio cbmmercialista por si s bastariam
para recommendar tao imprtame obra,
quando nao enneorresse mais para isso a
grande vantagem de ser um ptimo com-
mentario ao cdigo commercial brasileiro
(na falta absoluta que ha de qualquer oulro)
pala mxima homogeneidade de entre murtas
das suas disposicoes, e as do mencionado
cdigo portuguez, que Ihe servio Je texto.
Correi pressurosos, distincta mocidade do
4o anno da Faculdadn de Direito desta ci-
dade e notaveis jetos, a piover-vos desse
poderoso auxiliar para vossos trabalhos da
sciencia, e pelo preeo commodo do 20<>
oda a obra em 6 vol.__________________
PiihTicaco Iliteraria ubllaie
sol o titulo de HcMorla Bo
Bom Jess do Wonte. m
Braga.
Acha-se venda na loja da ra do Crespo
n. 25 A, esquina da do Queimado, a pri-
morosa Memoria do Bom Jess, do Monte,
cm Braga ornada de gravaras finas, se-
gunda edicSo, obra da penna de ouro do
mu Ilustrado lente da universidade de
Coimbra, o Exm. Sr. conselbeiro Dr. Dio-
go Pereira Forjaz do Sampaio Pimentel.
Quem tiver noticia da extraordinaria devo-
co que existe em Portugal para con
aquella milagrosissima imagem, affJuindr
sempre para o seu magestoso templo eir
romaria, o numeroso povo de todas a
partes desse reino; quem souber avahar
as brilhantes descripcoes, e o bello estudo
daquelle on litterarlf) portuguez, nio deixard de procu-
rar, quanto antes, prover-se de um exem-
glar da dita memoria, pelo diminnto preco
de 3f>. na loja cima indicada, onft j na
pequeo numero deltas.
Os apreciadores de manjares delicados encontra'
rao todos os dias no hotel central de Francjset.
Garrido a vordadeira sopa de raviole, ao veraa-
deiro gosto italiano, assim como outras excellentw
iguarias, que seria enfadonho moncionar. Al so
eneontraro ainjaos raais asseiados aposentos par^\
hospedes, e banhos, buhares e pianos pan re-
cre dos visitantes: na ra lar?- do Knario n.
37, Io andar.
lumfN.



Diario e Pernambnco Sabbado 21 le Agosto
lil------*i______I___________________
*J-------------------1.
de 1869.
______________
MDALHA-A EXP034QAO UNIVERSAL D 1867
P^i-n n Superibrid;
ct'a
PERFUMERA ORIZA
hTeiudt por LEGRAND, Ptrutsu \mptnbt ta FraMNM.
PARS. 07, Ron SnlaU-Houorr,
OjR.fi jYIfcl ORIZA
*E NlNON DK LBNCLOS
rara dar /fritura d pelle, dmlruii al njii Ja cara,
ea*rcar ehruumtala a bcUom ia juctnlui.
91.
PARS.
ORIZA LA-OXlt
LHT AffTF.PHKLICO
Para nfrtirar, bronquear (idveer a >wf, faienia
itioppareter al nodoai t ai tardai.
T***0 ORIZA....... D'uma maasa excesivamente suave e d'um perfume dos mnis delicados.
(IZA-C.'EAU Moi'smse. Mana e|>rcalmenle preparad pura os bandos e a barba.
JD........ Pomada fortificante e nutritiva para consonar oscabellos eempedilos de quebraren!,
Teluno de boi e oleo de arela com base de quina para os cabellos.
Oleo liniisimo perfumado para lustrar os cabellos empedos de quebraren),
ji'tallisado onM \iolela, para dar brilhn ao rnbcllos e barba.
Agua iiironi|oravel de mu perfume MlM c delicado, para forliOcardo la pelle.
VJnagM do loiicadoi, aroma e anlepbilito.
Perfumo concentrado para o lencos prnduclo mullo delicado.
Perfume do bom tnni e da alta sociedade pe a M lencos.
Flor de arroi da Carolina para a cara e a belleza da pelle.
OlMZ A-DI'.VI'li'lUGK.. I'ara alicjar os denles r conservar as Ri-iigltas.
UltlZA-DtN'l'AlRE ... Nova masa para alrejar os denles seai destruir o esmalte.
AGUA TNICA DE QUINA E POMADA DE BALSAMO DE TANNINO
fin liapii i silniritidt ttrj, tMificwfe n nbt Id, n f riirit 4i cAir c fiMit mwi npidimeitt.
DEPOSITO GEM, na Caza de
ORIZA PUII.OCOME..
(Mtl/.A-OII...........
ORIZA-BniLLANTlNE.
OHiZA H.OWKRS....
Oiti/.A-.vciULme...
E8SEIVCE-OR1ZA.....
ORIZA I.YS..........
01ll/.\-l'0\VUF.ltS___
E em Caza de iodos Perfumista do Brazil.
ara
XA R O P E
VEGETAL AMERICANO
tSALIDADE
B A R T NO LO MEO& C
l'irt cara cerU im husos angas e receUts, cala-rlus putrnonar, asinina; tosse convulsa, eaUrrbti
renlas, era goral contra todos os soffrimcutos das vas respiratorias.
DEPOSITO (.Ellil.
BOTICA JES DROGARA
3, RA LARGA DO ROZARIO, 34
PERNAMBUCO
A tberapeutica das diversas molestias Uo peito, desde
plurrngilc oo mal da garganta at a tuberculaclo
pulmonar, passando pelas diversas bronchites calarrhaes
e caiphysema acaba de ser enriquecida com mais
rste medicamento, qne tomar a primeira ordem cutre
todos at hoje conhacidos. O xarope Vegetal Americano,
garanlindo paramente vegetal, nao contm em sua
eompoicao um s tomo de opio, e f im somente soc-
eos de plantas indigenas, cujas propriedades benficas
na enra da molestias qne pertencem aos orgios de res-
piracao fnram por Dos observadas por longo lempo,
com ptimos resultados cada vez mais erescentes; pelo
que nos jnlgamos autorisados a compar o xarope que
"ora apreaeatamot. e a ollerece lo aos mdicos e ao
publico. Provamos com os attestados abano o que le-
vamos dito, e contamos qne o conceilo de que j gosa
xarope Vegetal Americana crescera do da a dia,
donando muilo aps de si todos os peiloraes em voga.
film. Sr. Bartbalomeo t C.-O xarope Vegetal Ame-
ricano, preparado em sua conceituadissima pbarmacia,
< un til remedio para combaler i terrivel aslhma.
Sofra en aquella molestia ba qnalro mezes, sem anda
Mr combatido os ataques mensaes qne tinba; este nlmo
que tue foi fortissimo que me prostoo por 8 dias, osei,
porm o sea milagroso xarope, tomando apenas trea
ddses, e at o presente nlo fui de novo atacado. Prasa
ttaat, qu eu uqao restabelecido por orna ves. Rendo-
Ihe, pois os measagrdecimentos por me ler aliviado .le
Uo horrivel mal. Com a mais aignificaliva gratidan,
snbscrevo-me deVmcs. aSectnoso e reconbecido criado.
Sewrtno Duarie.Sua Casa 11 de fevereiro de I8G8.
Illms Srs Bartholomeo k C. Depois de qnasl seis
mezes de sorimento com orna tosse ineessanle, fa-lio
extraordinario, expectorar, de um catarrbo amarclla-
do. e perda total das forcas. que o menor passeio
me faligava completamente, cansado de tomar mnis un-
iros remedios sem resollado tiveafelicidadedesalen]!
Vmcs. prepararan) o xarope Vegetal Americano, e com
elle, gracaa a Deas, me acbo restabelecido ha maisdr
dois mezes, e robusto como se nada livesse sotlndn. A
gratido me forca a esta declaracio, que podero Vmcs.
fazer o uso qoe qnizerem. Son com eslima de Vmcs.
mnilos respeitador e criado. Antonio Joaquim da
Castro i Silva. Recife 8 de fevereiro de I8C8.
Atiesto qne osei do xarope Vegetal Americano, da
composieao dos Srs Bartholomeo A C. para cara de um
forte defini qne me trouve ama rouquidao. que me nlo
fazia edlender, inflammacto e dor nagargania, tosse,
grande falla derespiracae, e liquei completamente res-
tabelecido com nm SO vidro do mesmo xarope; pelo
qoe Ibes protesto eterna gratido. Renfe 10 de Ja-
neiro de 1868. Joaqun fretro AraxJei+Jmiior. -
Esto roeonhecidos.
sax*mGm
h xarope Ve^ettAieiricai.0 espeiaa^e^Bartholomeo&Cr
34,RA LARGA DO
Noi costumamoi procurar attestados para acreditar
nos-os preparados, e deixamos qne sua applicaolo e os
resaltados oblidos pelas pessoasqoe se Jiguaram acceita-
loa, Ikes deem crdito c voga ; porque sio sempre os
attestados considerados gratuitos, e delles qoe lanca
mo o charlatanismo; mas ni querendo otfender as pea-
MiMqaeespontneamente nosofTereceram.os qoe abaixo
vio transcriptos, os fazemos publicar manifestaudo-lbes
nossa granillo pela alinelo, esperando qoe venham
lies corroborar o coiccito, e acceitaclo qne tem mere-
cada nosso xarope. BartAolonieo 4 C.
ATTESTADOS.
Illms. Srs. Bartholomeo C. com a mais sabida
aaliafacao qoe declaro ser o xarope Americano de ama
etficaeia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias de
intensa tosse, 1 ponto de nao poder dormir a noite a
despeito mesmo de medicamentos qne tomara, a elle
iflcorri e na terceira colber fui allmado, o de todo me
che boje restabelecido com o uso sement de quasi
meio frasco; grato pois esse resoltado manifest a
Vt, Ss. oieu reconhecimento. De V. Ss. amigo, ve-
nerador e obrigado. Nonoel Antonio Viesas Jnior.
Sua casa W de abril de iHW.
litas. Sis. Barlliolomco 4 C. Penhoradissimocom
a favor que me liurau de ocynselhar 9 uso do xarope
Vegetal Americano, de sna composiclo, quando ma
ai heva bastante doente de ama conslipaco, que me
tornou completamente rouco e que trouxe urna forte
tosse, e me impnssibiliton de cumpriros meas deveres
de cantor da empreza Ivrica, von agradecer-Ibes mea
completo recubaUrimsnio, qn* nlilirc com um S lidro
do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos
tratamentos. Desejarei que outros como en recorram
ao seo xarope para se verem aliviados de to terrivel
incommodo, to fatal neste paiz. Com malor conside-
raclo contino a ser de Vv. Ss. alenlo, venerador o
ohrigado. Loiz Cremona. Recife 25 de selembro
Illms Srs Barlholomeo AC.-O xarope Vegetal Ame-
ricano que Vv, Ss. tem exposto 1 venda de toda efPi-
cana para o curativo d'asibms, canforme observei ap-
plicando-o a meo lllho Joaqnim. menor de qnatro
annos; viclima d'esse flagello, qoe al eolio por espaco
excedente a duus annos havia resistido a onlros xaropes
de grande nomeada. Queiram pois Vv. Ss. acceitar a
expressao altamente sincera de mea reconhecimento ao
meritorio servicn que Ibe presiaram com o indicado
xarope, acreditndome para sempre de Vv. Ss. criado,
aliento e obligado. Anu-rico Nello de Hendonca.
Recife 2 de oulubro de 1SW.
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
THARalACBUTICO, 2, RU OES L10NS-SAIMT-PAUL, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Com IODIHKTO Je POTASSIO
O Iodoreto de potassio um verdadeiro alterante, um depurador de incontestavel effl-
cacia; combinado com o xarope de cascas de laranjas amargas, e aturado
aem perturbaco alguma pelos lempcramenios os mais Iracos, sem alterar as func$5es
do estomago. As doses malhemuticas que elle eontem permitlem aos mdicos de receilal-o
para todas as complieacScs as a rosas nos accidentes intermittentes e terceiros; alm d'isso, 6 o
agente o mais poderoso contra as doencas rheumaticas.
XAROPE TNICO ANTI-NERVOSO XAROPE FERRUGINOSO
de cascas de laranjas amargas.
35 annos de successos attesto a sua effi-
cacia par^ curar: os doencas nervosas,
agudas ou rhronicas, as gastrites, gastral-
gias ; e facilitar a digesto.
de cascas de laranjas qnassia amarga.
E' soba forma liquida quemis fcilmen-
te se assimila o ferro; n'esta forma prefe-
rivel as pilulase pastilhasen lodosos casos
em que sio prescriplos os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QUIRA, PYRETHKO E CAIACO
9b dentifrieio, com base de magnesia
para a alvura e conservacio dos denles,
Elxir deni.(Vicio, para a alvura e con-
servacio dos dentes, curando as dores
causadas pela caria ou produzidas pelo
coutado do calor ou do fro
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reproducSo.
Deuisito em ftio di Janeiro, B. Ghevolat; em Pernambuco, P. Maarcre C; em JVacrio,
ralrP Din; em Pillas, Antera Lelvaa; em fiAia, Da Racha; em Poro Alegre, lame
Bella; em Maranhio Ferrrlrav t> C'| em Ouro Prito, C. I. V. Weleraan \ em Saato Cal/io-
i rtna. 8. Schutel \ em Montevideo, G. Imbrri j em Buenos-yres, Btebepatreboirdai.
Programma da festa de Nos-
sa-tSenhoiu do Oanw>r-do
Frontispicio.
No sabbado 21 do corrate, ao meio dia as in-
signes musirs mililares do l. baiallio de arti-
lharia e_2. de infanlaria da suarda nacional, an-
nunciarao, tocando na igreja do convento do
Carino, algumas pegas de msica, que vat ter
lugar a fesia do da 22, ja publicada.
A's 7 horas da noite tera lugar o levantamcntn
da bandeira, depois de ter percorrido o pateo : c
nesta occasio subirio aos ares algumns gyrando-
las de fogo do ar, e em seguida utn lindo balo.
Na madrugada de domingo, haver missa, to-
cando una das msicas algumas pecas.
A's 10 horas da manha de domingo entrar a
testa, sendo celebrante o esperancoso Rev. Sr.
Joan Olympio de Smiza Lyra, que se ilignoa offlcio-
samente escolher este dm para a sna primeira
missa, pelo que Ihe rendemos os nossos agrade-
cimentos; t orador, o bem conhecido e eloquente
pregador o Sr. padre-mestre Antonio de Mello e
Albuquerque. A orcheslra ser executada por
liabeis professionaes, cantando urna missa de seu
repertorio.
Finda a festa um otitro balao subir aos ares.
A' tarde seguir-sc-lia o linimento da bandeira.
A's 7 horas da noite depois que a insigne mu-
sica marcial liver salisfeitn aos ouvintes com
lindas c variadas pecas do msica, ter lugar o
Tc-Deum, sendo pregador o eximio padro-mestre
Sr. Leonardo Joao Grego.
Por ultimo se queimar um lindo c variado
fiign de artificio, preparado polo primeiro artista
leste genero.
TRlUMPHO MKtrHLA I).\ SGffiiCl
L
y
**\
V>v
i'.dn<
1?
de
Na ra das Crnzs n. 11 lia para seren alu-
gftdiH duas eseravas, a saber : unta de 23 annos
de idade, que cozinha o ordinario de urna casa, en-
gomma pouco, cose costura chaa, e basiante ha-
bilitada em servico de sala c mesa ; outra de 43
annos, que cozinha e engomma lem, sabendo la-
var ; ambas so alugam para esses servidos, sendo
internos.
I'recisa-sc Tillar com os Madores procurado-
res das irmandades da Conceicao de Beberibe, S.
Goncalo, Sant'Anna, Rosario, Conceicao da Ponte,
a negocie qno diz respeito s mesmas, podendo
procurarem a Josu Henriquo da Silva, ;i ra es-
treilado Rosario n. 2, no Io andar, ou annuncie a
sua morada para ser procurado.
A sociedade beneficente Segredo e Amor da Or-
dem, manda celebrar no da 21 (sabbado), as 7
Imras da manh.ia.na matriz de Santo Antonio, urna
missa pelo roponso eterno da Exm.' Sr.* D. Um-
belina Libania de C. Ferreira, esposa do socio
Francisco de Assis de Castro e Silva, e convida,
portante, todos os socios, amigos e parales para
assistirem.
O secretario,
M. A. V. Jnior.
Sociedade Juventude
O presidente desta sociedade, convida
seus associatlos, amigos e parentes do fal-
lecido socio Thiago Jos dos Santos, para
assistirem a missa que pela alma deste,
manda resar na igreja de S. Pedro, do-
mingo ii do corrente, as 6 e meia horas
da maullan.
HaHBaMSHLHalBaKBBHBflHHHaH
Auga-se um sitio na Capunga. porto do Las-
serr junto ao rio, o qual tem grande casa com I)
sallas, 7 quartos. cosinha lora, estribara e coxei-
ra, quartos para feitor e escravos, cacimba, cerca-
do para gallinhas, etc. etc. Tudo acha-se retili-
cadn, calado e pintado de novo : trata-sc na ra
do Vicario n. 23 1* andar.
O advogado Dr. Antonio rio Va-
concellos Menezes de Drummond,
mudou o seu escriptorio para a ra
do Imperador n. 20, onde pode
ser procurado para o exercicio de
sua protisso em todos os dias
uteis das 10 horas da manha at
as 4 horas da tardo. Fura dessas
horas, e para qualquer occorrencia
urgente, ser encontrado no seu
domicilio, ra da Aurora n. 26.
Era.tompos.modeiTio.s neiriium descubr*
monto operon maior revoluco no modo de
curar anteriormente em vojja to qu !b
PEITOBVL DE AMUVUTi
TANTO NO TRATAMENTO DA
Tosse, chopo,
ASTHMA, THISICA,
nOUfJlDTfa, HKSKIUAMK.MOS,
f BRONCHITES,
fOSSK CONVULSA,
jVoRESAE VOM), iQCgq
i:\Pr8TlTlAClO de s.\.\(.n-:.
Como em toda a gratule setie de enformi-
dades,da oai.ganta, do i>eito e dos orcaos
da hespiraco, que tanto atormentan! e fa-
zem soffrer a humanidade. A maneira an-
tiga de curar consista gerfmete na appli-
caco de vesicatorios, soBgrias.sarjar ou ap-
plicarexteroimeiite unguentus foitissimn?
composto de stiiisiwici.is veaieapteB, alm
de produzir empolhas: cujos (lilleontcsmo-
do#de curar, d3o faziam senao en/raque-
cer e diminuir as forcas do pobre doente,
contribuindo por esta forma d"uma maneira
mais fcil c certa para a enfermidade a des-
truico inevitavel de sua victima Quem dif-
ferente pois o effeito atlmiravel do
PEITORAL DE ANACAHUITA !
KM VEZ DE lltntTAH, MORTIFICAR E CAZAB
INAUDITOS SOIKHIMENTOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA E SUAVIZA A DOR.
ALLIVIA A IRRITACO
DESEMYOI.VF. O ENTKNDIMKNTO,
FOltTIFICV O CORHO
e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prwnpta e rpida
at o ultimo vestigio da enfennitlade. Os
melhores votos em medicina da Europa (os
Lentes dos CoHegios e Medicina de Bertim)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relaeoes analgicas, oualm disso^a experi-
encia de milhares de pessoas da America
Hespanliola, as quaes foram curadas com
este maravilhoso remedio, sao mais que
sufOcierites para sustentaren) a opinio def
PEITORAL DE ANACAHUITA!
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, em quanto que porm.
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, formam a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes to
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composieao de Anacahuita Peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafada
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma colber pequea: basta ge-
ralmente a applicaco d'um ou dos frascos
para aeffectuacao de qualquer cura.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Rravo & C, P. Maurer
& C, U. A, barbosa. Bartliolomeu ck C, e
em todas as principaes boticas e lujas de
dragas.
m sy diz qrjem pro
ama escrava que sirva (igra romp
fifUJonimar, para casa de Tamil
Previne-se une nin^uem facaliegncio com ,-i
,copeir* da Bii.i i* Fol n. 27, perfcncenlo ao Sr.
Cosido Jo Paulo Lupos Noves, sea primeiro ort-
r-^ejum os seus credores, sope pena de sor
Vvela pagar os dbitos dolnesino senlior.
cTfe 18 de agosto de 1869. B>>
Am 20:000^0067
cama di i:i;.
O^ BbftiBB--*r*sigoeay) (izem miente o respei-
lavel publico, que teem venda os seus muilo fo-
lises buhles do tlio, na do Cii'itg n. i. luja do
Sr. Malheiro, pagando-se avta d'asjislas smenla
oom o discoiil da lei."
l'RF.COS.
Inleiros 4*000
Meios 125000
uarlos f5|000
De 100 para cima a 223000 o bifielc.
Vtetra 4 juarigiteg.
saiba ctwi
Saqi
i'rccisa-se de tima ama que seiba cn7.inh.1r
e fazer compras : a Halar na ra da Catlcia do
Meoife n. I, aitTKizern./ II I
--------------------- > ----------^p---------------------
Aluga-se
o sitio da viuva de DTogo Jse da Costa, na estrada
da Torre, com grande casa do viveuda assobra-
dada, coclieiras para carro e cavallos, e quartos
para pretos, baixa para capim e arvoredos de
fruelo : a tratar na sua Nova n 12. leja.
Duqnes
Joao do lies" Lima saca sobre a praca do Porto,
ra de Apollo n. I._____________________
E DE PKEPAKATM
con repetlfi para os alumnos
que tem de fazer t\;\mc en
uovenibre.
Jos 9f>are3 de Aze^edo, professor de
lingua e litleraiura nacional no gymnasic
provincial do Recife, tem alerto em sua
casa, nua Bella, n. 37:
Um corso de
I.IMIIA MANCEBA ;
I'HII.OSOI'III \;
GEOunAPHiA e iiistohia;
RKTHOKICA i: l'OKTICA.
Os esludantes que pretenderem fazer
exame em uovembro em qualquer destas
materias, podem dirigir-se in licada re-
sidencia, a tarde, das J horas em diante
Ama.
Precisa-sede urna ama que saiba bem co*inha-
ou engommar, prefere-se escrava : a tratar na
na Nova, luja n. II.
Bartholomeu & C,
XAROPE
DE
M\ PMILHl BO PARA
ou
Depurativo do sangue
Usado as molestias de pelle, impigens,
dures rheumaticas e ulceras venreas,
NICO DEPOSITO
Rua larga do Rosarlo o IO.
Ama
Precisa-so de urna ama para cozinhar e comprar
para casa de nouca familia : na rua das i;ruze>
n. 28, Io andar ; prefere-se escrava e paga-se
bem agradando.
Vinho, Pilulas, Xarope e Tintura
de juruueba simples e ferruginoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & CA
P h a rmace uticos-Droguistas
i-ri.Yttiiti < o
A Jurulicba : eslt llanta hoje reconheclila
comn o mais poderoso tnico, como o melhor
di-sobI renle, c como tal applicaila nos pailecimenios
ilo lil-.i '-i e baco, liepatiles, iluresas, luniores inter-
nos cs|Htcialinenta Jo ulero, byilropetiai, erysi-
pella*, '!<.; e assoctaila ao ferro til as p.illnlas
cores, cliloroses e falla de incnslrua;io, desarran-
jos do estomago, ele, e o qne diemos (tlestao
innumeras curas impoilanles oblidas oom nossos
preparados ja bem conhecidos e usados pelos mais
diMinctos mdicos do paiz e Portugal. Em todos os
nossos depsitos distribuimos gratis tldelos que
melhor latera conhecer a J un beba seos resultados
e applicaco.
3 i jiJhvn oDMUTkTraj uia
loto ltrj 3\3iiouohq 'oinm-f-oiu
uioSjtiu b outoo mnjid
vjroo uia opABj8 iba joiusaui op autou o
'apeptailuaqiiiB cus cp eiiubjcS e bjbj
^^b^ -saiuap so aowgauua osou
mk Wk -tSnjjaj sisa eounjr *sbob.ij
fl Q soaminsuoa se jb3i|ujoj a
W mm 'sisaioiqa c juna ejed ojiva
^^*9r joiBni o uioa SBpe2ojduta obs
zijej op Bupipaui ap Euiduit ennepusv
e; o J sepeAojdde iha p iud sy
mrnvA na
, VESTIDOS A 800 rs.
Com duas saias
Chegaram para a toja do Pavo os mai*.
modernos, e mais bonitos coi tes do vestidos
de cambaia, e organdys; com mais lindos
padioes, e o competente ligurino, tendo
cada corte 18 covados, que pode dar corte
para senhora, e menina, e vendem-se pelo
barato preco de 5000, nicamente na loja
e armazem do Pavao rua da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
ORGANDY DE COR A UO RS. 0 COVADO
Vendem-se finissimos organdys de cores
para vestidos cora lindissimos padrees pelo
baralo preco de 360 rs. o covado ; assim
como ditos bran:os muito finos com listas
largas e eslreitas, e de quadros a 800 rs. e
1)5000 a vara, tambem tem tarlatana bran-
ca, e de todas as cores a 800 rs. a vara ;
tilos de flores a 640 rs. a vara, e ditos lisos
a 800 rs. a vara, e de salpico a I 1000 ;
isto na loja e armazem do Pavao, rua da
Imperatriz n: 60 de Flix Pereira da Silva.
CHALES DE CASEMIRA
Chegaram os mais modernos, e mais
bonitos chales de casemira com dezenhos
inteiramente nov/s, que se vendera a dS,
I0#, 12$ e IU ; assim como urna grande
porco de ditos de menina que se vendera
mais baratos do que em outra qualquer
parte ; na loja e armazem do Pavo, rua
da Imperatriz n. 60, de Flix Pereira da
Silva.
Pereu-se
de Santo Antonio para a Boa-Vista uns oculos com
aro de ouro quem os ti ver adiado c quircr res-
tituir nesta typographia se dir quem c.
Attenpo
. A pessoa que precisar de um oftlcialde chapel-
leiro das 8 as 1 horas da tarde, que tom traba-
Ihad para todas as classes e com esneciahdade
para criangas c senuoras, tenha a bondade de vir
rua da Palma casa n. 81 C
Industria agrcola.
O abaixo assignado propietario de varios esta-
beleeimentos ahricolos, tendo de retirar-se para
Lisboa a tralar de sna saude, desoja diminuir o
curso de suas operac.ie*, expondo a venda o enge-
nhn Mt?rtuc (funecionando actualmente com 50
a 60 escravos) distante legua e meia de Relem, com
a qual corresponde por Ierra e por agua.
A fabrieacao do assucar ahi so lar. pelo novo
systema do vaccuo e do vapor.
A agurdente por dons alambiques, sendo um
do anti'go systema e outro do continuo.
O material inteiramente novo d'este estabeleci-
mento, sabido da casa bem conbecida de llenry
Cliilon & C. de Londres, e de primeira ordema
Son insillnoo fa oom todLi n forca o |u>rfei(;n
que se pode desejar.
O material o os apparelhos com|Kem-se do se-
guinle:
De nina caldeira de 20 cavallos de for?a, com
2 fornalhas interiores, dando consecutivamente
vapor de 4 a 5 athemospheras de preeeao : esta
caldeira est munida de todos seus aparelhos de
seguranca, indicadores e assecorios.
De una machina a vapor oriental de alta pree-
eao, d forcji de 14 cavallos, dando a sua trans-
missao a un jogo do moendas da maior forca co-
nhecida nos eslabelecimentos d'esta provincia.
De dois dessecadores a dobre fundo em com-
municacao com os feltros, systema Taylord.
De urna caldeira a corar no vacuo com todos
os seus aparelhos, e correspondendo com a bomba
do ar, mandada pela dia machina de vapor.
De 4 bombas para o movimento das diversas
operagoes, communicando com diversos depo>tos
d'agua fria, agua quente.mel para assucar, niel de
torbina e espumas etc.
De tima torbina a vapor gorrespondendo com
girador da machina.
De urna torbina logiota, de um dimetro maior
movida por buixo pela tiansmissao mandada pela
machina a va|K>r.
Estas obras foram montadas e nstalladas pelo
primeiro artista scientifico e pralico conhecido
n'esta provincia, que tem fiinrcionado com todos
estes aparatos ; dando productos de um qualida-
de superior a todos que tem aparecido at hoje
n'esta provincia.
Este eslabelecimento pode fabricar regularmen-
te de 200 a :t00 arrobas de assucar, e 2 pipa de
caxaca diariamente.
Pertonce a este engenho um lago, cujas aguas
servetn para moer actualmente urna pequea ser-
rara de madeira.
A casa de moradia espaoosa e de boa construc-
cao: em im, neste lugar adiase urna bonita
campia cercada de matas virgens onde se en-
contram com muita abundoncia madeiras tanto
para oentrucQes naves como terrestres.
Para. 39 de junho de 1869.
Jos Antonio de Miranda.
CRIADO
Na rua estreila do Hosario a. .')*, primeiro an-
dar pieeisa-se alagar um criado de l a l-"t an-
nos, livre ou escravo para o sorvico externo de
urna casa.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RUA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os segato-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porte.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova deJFamalicao.
Lamcgo.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Miraodella.
Beja.
Barcellos.
Ensino
Ollerece-se urna pessoa para lc-cionar
em casas par'iculares ou na de sua resi-
dencia sem designadlo de hora e dia :
grammitica portugeza, principios de
arithmetica, noches de historia e caligra-
phia ; prometiendo alm de todo empe-
Dho o mais fcil e adaptavd methodo,
que era breve dar bom resultado: a tra-
tar na rua do Queimado n. :i.'), pihuelro
andar, das 10 horas da manhaa as 4 da
tarde ; a entrada pelo largo do Collegio.
GMN1 TTKO
Para o armazem do Campos, na rua do
Imperador n. 28.
Neste muito acreditado estabelecimento
acha se constantemente um variado sorti-
mento do gneros finos para meza e
cosinha o entre estes uomea-se apenas aa
especialidades seguintes:
Queijos do sert5o sendo de manteiga e
coalha.
Camares seceos do Maranhao.
0 verdadeiro caf de Moka,
0 superior e bem conhecido peixc miraguaia
que se vendo a 160 a libra o 4$500 a
arroba.
TARELLAS
de reducc5o as mais facis e mais com-
prehensivo., tudo no
Armazem do Campos
MARTIMOS
E
CO\TltA I O-O
A Companhia Indemnisadora, estabelecida
esta praca, toma seguros maritimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
roa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
AVISO
As pessoas que se quizernm propor ao
lugar de archirisla d'Associacio Commer-
cial, podem dirigir-so a rua da Amorim n.
62, armazem. ,
LI
Resta venda um escolhido sortiinento de ob-
lectos de marcineria, como sejara, mobilias de ja-
jarand. mogno e amarello, obra nacional e eslran-
jeira, de apurado gosto e por pre$o< razoaveis:
ia rua estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
asa fazem-se com perfetco todos os trabalhos da
palhinha, como sejam, empalhamentos de lastros
Sara camas, cadeiras e sophs.
Em casa de TIIEODORO CHRIST1-
ANSEN, rua da Cruz n. 18, encontram-se
eflectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, Bourgogne c do Rheno.

RUA
id
CARUG
ANNEL DE OURO
BITA
EO
CABUG
esquina
Rosario.
esquina
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem i^ual.!
, e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. ida ma lardado I
da rua larga do ^ vista da qualidade e 0 preQo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade-lUtt lua liU5auu^
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Eosario. f
vados. lat
A loja est aberta at as 9 horas da noute. m



'Y.
ft
Diario de Pernambuco Salbado SU de Agosto d 1869.
GRANDE HOTEL
Ra larga do Rosario n.44.
Espeeiolidade na preparacao dos gneros ali
menucios, promptidaoe asseio as encorarn. ndas
e boa organisacao no estabclecimcnt. Recbelo
se asignaturas para o cslaUdcnmento o a domiei
lio, facilita se a Icilura ele jomaos nacionaet
trangeiros a sala pan o elegante jogo d>
billiar. e lia decenio MMMUodn liospcdagcm.
Na praea da Independencia n. 33, se d di-
uhi-irn sob penheivs Ue ouro, prata e pedias pie
ciosas, o seja qual for a quautia : na mesma casa
mmpra e vwulo objectos de curo o pota, >
igualmente se faz toda e qualquer obra de eneom-
' i c <|ual.uer concert tendn! ;.
nesma irte.
Ana de leite
l'recisa-so ilo urna ama de leite sem lilho : a
ravessa do Veras n. 15, Io andar. Nao se olh
a iirego._____ ____ __________________
Notas di cmxjm aa do banco do Brasil,
trecMHN tnm mlico descoatp, na luja de Mauoe
Soares Pinbeiro, praca da, liiuj'pendenria n. 22.
Madama Adour tem a honra de par-
ticipar ao respeitavel publico, amante dos
nossos tbeatros lyricos, quo recebeu pelo
ultima vapor di Europa, sabidas de lu I le
e bronus do ultimo gesto; ra do Imperador
n. 23 1* andar, e que vende por barato
prego.___________________________
Precisa-so de urna ama de meia idade e de
ba conducta para -andar cotu meninos e ungom-
mar para pouca familia : na ra da Cadeia n. 10,
ou na Capunga porto do Jacobina n. 48.

_=
-*
- r ruin
Quem quizer alugar o 2* andar do sobrado n. 40
da ra da Cadeia do Reeife, o qual se ada pre-
sentemente pintado, e esleirado e forrado a papel,
tudn em perfeito estad o : pode dirigtr- criptorio da companbia Pernambucana, no eaes da
Assembla n. 12, que alii achara eom ae_ tratar.
Dr. .Manool Enedino RegoValeaca, me-
dico, ra da Camlxia do Carino a- 21.
lT
ESTA ANTIG1 E CREDITATA
FABRIcJ
iKiirii ii etimiTuiiTi mi ciifli.i iiiiiiuh ii
CliPltg
_:
De todas as qualidadei I
Do tedM o feitioi I
De toda es preces I
DO CRESPO
N' 4 ]
Attencao
Aluga-se urna preta quitandeira : a tratar na
ra lo Pilar n. 47.
Vicente Alvos Muieira. agenriador de vn-
.las d<' eseravos, adoii sea infidencia la ra de
Hurtas n. Di para a rita ra f*a? n. 34, onde, seas
reguezes o polerao procurar |iara a niesinn oceo-
pac. Recebe escravos en commissao, e promette
irompta venda.
TOS20:00O;0flr
Casa da fe icidade
N. PRAljA DA INDEPENDENCIA N. 22.
Os abaixo assiguadus, tendo obtido. licun-
ea di presidencia e salisfoito as outras exi-
gencias da lei, avisa ao respeitivoj publico,
que lera sempre a venda hittwks das lote-
ras do Rio de Janeiro, cojos premios sern
pagos prninplatiienle a vista das lisias, eom
o descont smeute da lei, pelos precos
seguimos :
Bilhetes ioteiros... 245000
Meios..... i 6000
ouartns... (flu
Yeros < Bailad,,.
A UGUSTO PORTO & C.
11-RUA DO QUEIM DO-11
Tendo chegad ltimamente ao seu etabeleciraenlo grande v.niedade de fa-
tendas de gasto as poem dispwsico de seas numerosos fregoezes pelos raais mdicos
precos possiveis, sedo;
Boutiious ite cachemira forneos e de cores, o que lia de mais elegante para
hombros de sentara.
Novas gostos de manteletes justos ao rorpo denominado stlphides, sirennes,
ineatalcs de renda preta de soalines, o que ha de mais elegante para urna moca.
^S(P* de gutpuie preto, nov) g)sto.enfeitados desetim de ci-es. Vest
Jos d- blond com manta e capclla p-ira noivas. Fronhas e toalhas de cambraia de linho
tiorttedas. Cortinados bordados para camas e para janellas de diversas qualidades:
eolxts de seda e de 15a e de seda para camas de noivos.
Epigl, lindo gorgmao de 15a e seda decores. muito elegante fazenda para
iirrt lindo vestido. Sedas de cores e pretas, gorgorSo de seda branco e de cores com
listas asftgnadag, panos, casemiras e muitas outras l'azendas ctijos precos sao em geral
muite mdicas. Grande sortimento de camisas para homem, tanto lisas como bordadas
e de cores.
Continuam sempro a ter grande variedade e tapetes para sof, para cama
para ptanno, perego de tapetes em [cas para alcatifar saloes. e grande quantidade de
Esteiras da India para forrar salas.
Si) > nviJadas a: pessoas com ijuem so rela-
Uoon nesla ridado n MjjMBtM Julio Cesar Pinta
de Oliveira, para assi-Urein u ifr^l matriz da
freguezia da Boa-Vista, tuna oiissa do rquiem.
\ ic .; i i-alebrada as horas da manhaa do dia
ti do crreme, trijiesim do falieemionij em l.i-
bo.i de la fre-adissima consorle t>. Josipha Ufa-
na Pinto de Oliveira, a coja alma ser applicada a
referida missa.
N>J
Ik'i' -' )'
Joaqnini Lopes Machado convida :\n~ prenles e
amigos de spii amigo Dr. loaink Jos de Campos
1a 0>sta Medeirose Alliui|aerque para assistirem
t aljjumas missa*, que por alma, da extremosa
mu ilaquelle jeobor, manda ri*ar, 'as 8 hnra> da
manliaa de 23 do corrente, na matriz de Santo \n
CASA 1)4 VOKTMjfc
A os 4:0005
Hilhetes g-arantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costme.
0 abaixo asonado tendo vendido alm de eu-
tras sortes 2 ipiarto- n. 1311 com'i:400* da lote-
ra que se acabou de extraa! benetk-io da Santa
Casa da Misericordia, convida aos pusouidores a
wm nesfeer na con1.>rm*dade do crn-tuuie sem
- 7tcbam-se a venda os bilbetcs da 4' parte da
!otem da ordem ier-ir:i do Carmo do lleoile
(U7")4ue se extralr no dia 17 do crreme
I'reons.
Os do e* stnine.
______________ Manoei Martms Pinza.
CASA DA K0RT1
Riia do crespo u. <3.
0 abaco assjgnado tendo obtido lieenca da pre-
sidencia e satisfeito as outras exigencias da lei;
ansa ao respetavcl publico que ter sempre a
venda no sen estabcleeinjento bilhetes das lote-
ras do Rio le Janeiro, enjos premio* sero pagos
promptamento vista das listas eom descont
somonte da lei.
Precos :Inleiro?.. 54*000
Meios... tta.000
Quartos. OjJOOO
E em quantidade maior de lOOOOO na razao
de 220O0 iior bihcle.
Manool Martins Finza.
20:0004000
CARA FELIZ, ARCO DA COKCEICO N. .
Os abaixo assigaados teodoso habilitado na for-
ma das lea tem eposto venda os saos helaos
bilhetes das loteras do Hio de Janeiro, na oasa
cima aonde se pagaro as sortes que sahirem
nos mesinos bilhetes com o descont da lei so-
mente.
Precos.
Bilhete? inteiros. 245000
Meios......12*000
Quartos.....(5000
E de 100| para cima a 225 o bhete,
Fiaueiredo A Leite.
COSTHEIRA.
Cose-se costuras de alfaiat a moda fran-
caza, por preco commodo, na ra Augusta
n .112, e d-se f i anca sobre as mesmas.
O advogado
Alfonso de Albuquerque Mello uiudou o seu es-
eriptorio para a ra das Cruzos n. 37. defronta da
typographia do Diario.
loKinkeir*
Precisa-sede umcozinheiroou mosmo ajudante,
com pratica de casa de pasto : na ra das Boias
n. t*.
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de tima efficacia verdaderamente ma-
ravilhosa como calmante do systema nervoso
e applicado contta a paralisia, asthma,
tosse convulsa ou coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, suflbeaedes, calharros,
broncneos, etc., e em geral contra todos
os soffrimentos das vias respiratorias, e
na phlisica pulmonar, sua virtude contra
o ttano ou espasmos, e convulses in-
contestavel, e ninguem ha que a desconfe-
la. Ra Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.
MUDANCA DO
C8MPAHIA PERNAMBCAHA
ro:fiEiiiio 1MB Jm*ECA.e
Oi Srt. Saundersrothers & C, Tasso IrmSoS
Luiz Antonio de Siqueira.
0 SR. F. F. B011GE8.
Restando amda emiltir algumas acc5es desta companbia, da quaDtia &omittal da
20tJ#0fl0 cada urna, das quaes s se aceitam em virtude da lei, 20 70, ou iftflfflrO tm
cada accao; coBvida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos Sh
capitalistas e interessados no commercio^ que queiram dar empreito seguro m se
capaes, disponiveis, a sobscrever o numero de accoes que Ihes approuver.
Algumas deslas aeces j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vxttasKaa,
de na presente occasiao (conliecidamente a melhor), empregarem o dinbeira de que
poderem dispr em objectos de valor real, como,vapores, predios etc., que les "aran.
tam seus capitaes.
A companbia possue boje 10 vapores, G inteiramente novos, e destes o nbiaoesll
a cijegar de Iuglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso esl edificando vastos armazens, no terreno pue possue no lam d*Aa-
sembta.
Seus dividendos tem sido ds 10 % ao auno nos ltimos 4 aonos.
As accoes que se emittirem gosam dos mesmos dtreitos, e perceberao o bcaalda
dos mesmos dividaiidoa qe osantgoe em proporcSo da entrada.
RecebemseassgnaUras no escriptotio da companbia no seu edificio ao caes da
Assembla n. DENTISTA DE PARS
19-Rua Nova-19
FUEIdEKKII AUTIHR
AlbinoRaptistada Mocha participa
a todos osso'is fregiH.'zes quemudou-
se eom a sua offielna dapra^a da
Independencia n. 12 para a ra das
Crusea n. 23; previne, portanto, a
linios os amigas e Ircguczes que s
achara em casa a ijualquer hura
do dia, para ejecutar todo o qualqjier concert
que de sua arte exigir possam, tendente a ua
prolissao ; o em sua falta achanto com quem
tratar.
Obstrucpo
Do fiando e do bago
Os preparados de JRURliBA (vioho,
xarope, pimas, oleo, emplastro e tintura)
s5o elficazes contra a obslru.^cao du ligado
e do baco.a ictericia, a hydriipisia, as febres
-intermitientes e durezas, os desarranjos do
estomago, as faltas de sangue e de mens-
truarao, o catharro da bexia. etc.
fu co deposito, pliarmacia de seu autor
de J. d'Almeida Piulo.
Ra do Rosario Larga n. 10 junto ao
quartel de pulici;.
iUija-
iam cap
^rurgiao-dentista, muito conhecido ha dez annos n'esta cidade, pela perfeicSo
trabalhos, tem a ho/tra de participar ao respeitavel publico que tendo eit^
horamentos na sua casa, pode d'Jiora avante receberas senhoras no seo !
tcharao os commolos precisos para familia.
Acha-se tambera na sua casa e na sua ompanuia, o seu sobrin!
t't al. IjEROUX
o qual acaba do voltar de urna longa viagem a Europa, durante a qual ,
feliz successo as primeiras casas de l*ariz e de Londres, otfereceodo assim
garantas do bom desempenUo para tudo o que for relativo a profissao ; por aso o
mminciante pede aos seus amigos e clientes que por acaso o nao encontrare ao sai
gabinete, depositem no dito seu sobrinho a mesma conflanca com que o tem fwuiii
a dez annos.
Dentaduras por todos os sy&temas: a pres6i5o do ar e com molas de ouro, pialn
vulcanite e um inteiramente novo n'esta cidade.
Cura radical dos denles cariados.
Ghumbagens (obturares) com ouro e com massas diversas, segundo os oasffi-- -
Remedio para acalmar as doi'es dedentes.
Agua c pos dentrificios fabricados pelo proprio annunciante, oquelhe permita afiaih
car sua boa qualidade.
Escovas para (lentes, etc.
Perfeipo de trabalho e presos moderados.
Itagens para fra mediante ajusto previo.
0 gabinete a ha-so aberto das 8 horas da manh5a ateas 4 da tarde dtodos ri
lias uteis. N
Attenpao
Na ra Estrella do Rosario n. 3a Io andar prepa-
ram-se rieasbandejas de boles para casamentos, ba-
lese baptisados, por nreeo muito commodo, com bolos
dedilferentes qualidados.txHjuelsdeDi.iesiirlificiao
e naturaes prnprios para eneiies de bolos e para
MHamsotos o para qualquer ofl'erin com lilas lar-
dadas a ouro e letreiro agesto dos donos ; as en-
cominendas deven ser feitas dous dias antes,
enfeitan-se velas ricas por muito barato preco
para baptisados e eofeites de altares; faz-se a-
pellas e cenos para as lujas e Iteres para enfeites
de igrejas : prepara-se qualquer eucommenda.
para fura com toda a presteza, de rosas, palmas,
capellas. fem e roseftai para eufeitas de. igreja
mais barato do que em outra qualquer parte e
eom toda presteza; faz-aa pao-de-l, pudins e do-
ce, tudo enfejlado pra presets.
COSTUREIRA E MODISTA
COMTE
Toba- Pierri ag'adeee cordiahuente a todas a
pessoas de sua amizadea inaneira por uo sempre
o ira tara m duranie sua estada na Europa. Outro
sim declara que contina a dar liees de piano e
canto, tant. em casas particulares como em sua
residencia, para o que espeta a protecco de todos
os pa|s do familias que queiram se u'ilisar de.eu
presumo, ra do Imperador n. 19, 2" andar
11-Rua estreita do Rosaris-11
Este novo e modesto estabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico rsta ele-
fante e bem fornecido hotel que situado n'uma pusico iuteiramente saudaveL t ta-
lo constantemente sombreado pelos doce, zepbyros da tarde, torna-se preferweW aai-
j,uer oatro d'este genero, as tres cousas mais necessarias ao genero rariona*ali-
mento do corpo, distrac3o da alma, e socago de espirito.
No pavimento terreo nma casa de pasto muito profusa, da primeira ordem nt;
pnmeiro andar, sala da frente, um excediente bilhar de raogno, para diveitimeato. *Sata
de traz um restaurante da primeira ordem. Quante ao asseio e btmrfeitoria dasetaaedo-
nas, o deitcado modo do pessoal do eslabeleeiraento, promptidao e commodidade. st>
ws Ilustres concorrentes dado fazer justica.
Fornece comidas para fra, tanto por mez como avulsa. Todos os das, 5 caite
incontrar-se excellente son-etc, refrescos, caf, cha, boas vinhos Figueira Porto Bor-
eaux, toado bons oommdm para bospedagem, sabio e quarto mobibatk nosegu
Novidade
Letra perdida.
eaqntm de Barros Wanderley, morador no Rosa-
ihIiu, ten>lo perdido da cidade -do Recito para
aquel le lugar, una letra mercaiiiil, por elle saca-
da em Jl do mez prximo passado, a praso de 40
mezes ea-quantia de 1:670*000 acceda polo 6r.
eoroacl Antonio I'edro de S B,irr to, pede iiueiu
aaifer aehado queira ter a fe.idacV de Ihe entre-
ar, ou a sen proceirador o Sr. Hurgo Lonce de
Len, ra das Trinclieiras n. 48. Entretanto
aliado no distinelo carcter do Sr. acceitaate
ib,- pede i|Ue nao (-age a referida letra senao ao
saeador, por ser o seu nico proprielario dell i
Jtecife 18 de agosto de 1839.
____*J> '"krleij,
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
,0. Jeni a hnr- de P^cipar ao respeitavel publico e em pat lirular seos frenie-
S?m? i / *fr8tQES q,l acaba ,le enccUr cnmalgumascosturelraseraedistasdasmals
, S ? ,8, qm tmios "s mezes lhe man(lam fiwino, de vestidos, man-
tj-ieies o chmeos que esto no inaiyr gosto e mais modernos, se acba hablita-
( a para fazer vestidos para pas.seio e visitas, bailes e casamento?. As sentioras que
rl?^!!!5,<*i**,,%fcflBM** "'"^'^'^desersasletas, tanto pelo bom gosto, com
LaoV^m,K^ V*^ 'ntrega das encommendas ; tambera tem bo-
mtos enfcoesniuitomodernosedetodasas cores. Fazem-se chapeos de tod;
A botica Je C. Catao 4 C., ra da Imperatriz
n. 77, acaba de receber um completo sortimento
de sement* de bortalice, todas muito oras e pi r
coifinodii pi
Engomma-se rou|ia tanto de homem conTo
de senhora, com perfeicao : na ra do CaWeireiro
16.
FLOR M BOA-VISTA

tanto-de Gl como do palba.
! chapeos de todas as qualidades
AltElNCAO
% Si**, etabelec,| boje ao pra-
participa a todos os s.^1 deveuVes quo entramo
taias as siias dividas a seu procurador Joaquim
J'ffge d.; Mello para cobrar judicialmcnt .
ngommadeira
lo Ja Conceieio precisa se de urna en-
u-s) -m agradan ;
A' roa estrena do Honnrio m. 35
1* andar.
medorias para fra, de urna casa
! de familia, preparadas com todo o as-
prumptidao e commodo preco : na ra estrei-
ta do Rosario i
Aiuga->e o sitio n. M fla esteada dos Alllic-
tos, rom urna grande eaaa assobradad*. enm umi-
ta* ar.,,ies de frtelo : a tralar na ruada Impera-
trie a. 10, f andar.
CHANDE NOtTDADE
^SOK de Usboa pan a Uvi-urla Franeeza a obra do vis, < nd,
PORSON B TE8RAIL
(Traducgdo de Alfredo Sarment.)
. OS OBJAS DE PARS
Primeira Darle do famoso romaneo
ROCAMBOLE
Aluga-se urna pjeti esrrava que sabe lavar,
comprar, cuzinbar o ongouuuar : na ra Kova
n. 43
AGENCIA
EM
- DE K~J
^PADLOFMMDSDMELLOGUIHABES^
-^ SOB A DIRECOAO DO .MUITO HBIL ARTISTA t"3
PEITRAL DE CEKEJA
cura pbtisic.i e todas as m>>l<-^tias do peito
SJWLSA PAKKILHA
cure ulceras e chagas antigs, empiens e darlos
To.MlX)
conserva e limpa og eabelhw.
PILi;LAS CATHARTir.AS
pursmeule veiietaes esem mercurio, cura seses,
purjm e purificara todo o systema humano: ven-
de-enicamente >m rasa de Samuel P. Jolmston
4 C, na da Senzala nova n. 42
rte A hcrarifa mysierios.i.
Segunda a O club dos vleles de copas.
Tcrceira As proezas de Rocambola
Ouarla A desforra do liaccara.
ytiinta Os cavallieiros do uar.
O testal: g.-ao d sal.
Estos sois serien s "m l volumea
df 1)5.-
^luga-.-e un ailio coiu b i casa de
viv.'nda cam enmmodos para gran
de familia, na Passagem da Magda-
na, em frente ao sitio do ir. Billar
& 01ioira : tratar com Domingos
Al vea Matheas, j ra do Vigario n. 21.
rna do Heuriqut
por Estancia :
com encadernacao inteira
-RA DO CRESPO 9
Aluga-ie a oasa tai rea da
Das n. 12, vulgarmente conlicrida
a trUr-oa wta d QSdei-. 39._____________
Os abaixo assignadds decliram ao publico e
*epecalmeub> .* m^ Uo cetumerci >, que tem
justo e contratado cm a taberna sil na ra do Itangel n. 10, livre e de-
sembaraeada do qualquer debito.- se alguem se
julgar com direito dita taberna, aprescute-se na
mesma., ou puso j!VHos;dias, a.cenUr desta data.
Recite tfl de agosto de W9.
Manoei Ta va res da Costa Rbeiro.
^fljkSj'ejajprtra'd' ShfslhSes.
= Aos pa*sadore> d fusta em liuda idferece-
se urna casa na ra de S. Pedro n. 5 : a tratar na
ra do Queimado n. 41, 2a andar.
UFARTE PEDRO
Nesta officina cncontraro os respeitaveis fre^uezes um dos primetros artistas
en\ alfttiate para bem poder satisfazer toda e qualquer obra, tanto no bom crte-, cono
no a>erfcicoamento das mesmas.
Torna-so desaecassano recommeudar este artista, po3 que a sea thesrueja ja
besa conhecida, (e com grande especialidade etn fardas) por muitas pessoas disuadas
Aclnr-se-liSo ligurinos de todos os mezes, pelo que o artista exeurta ejafeaixo de
todos os prewitus darte qualquer urna obra em face dos mesmos.
O raesrao estabelecimento se aclia munido de um completo sortimeai* da Ca-
zendas, como sejam: casemiras de cor, ditas pretas, pannos pretos, ditos aaoa^ ata
de cgV, ditos brancos, seda gara col lotes, merinos, ele. e. mais fazeudas propasa
ofliciaa.
O grande sortimento de roupas fetas que tem vende por menos 20 Cija alo
que em outra qualquer parte.
BA DA IMPERATRIZ N. 48,
junto padaria franeeza.
*_______________________
cStaa dos Imm
16 -RA DA CBUZ-16
Ha diariamente sortimento de bollinlios para cha, fiambre, pasleis de
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cJilIissoo preto, e miudo, o merboi
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xarooes refrigerantes, doeajLJ
calda, etc.
Incumbe-se de encommenaV p^ra grandes iantares, bailas, baptisatos-,s>a-
samentos, a saber:
Pecas de nougat. Paes-de-lot enfeitados.
Ditas de po-de-lot. Bollos idem.
Dita* de tmara de otos. pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas fumadas de crme e C4nwv
Bandeja com armado de assucar, Empadas.

H6fVa [


Dfarib d* Perufflolwco ^ S^Udo 21 <]* Agorf de 1*69.
ESMERALDA
j-se
o sobraJo a. 1, m ra 4a nAnc alicira m Oiind.
coni uiuilo bo.i ag .. ,Ut. itl ^-jT'
menialiucal; cerca iFem ^H
de tfrao, tendo tres ,,. quat^T]
e um para b.-Niho, sala de jamar, cozinlia fura,
eom um rico pomar de frucjas, sapolis, pinlteii as,
roqueiros, inau? tamo Mam e ootras: a tratar no Recite arma-
rern n. 3 A, defronte da escadinha, das 9 horas da
manhaa as 3 da taroe.
0 nrazeo de Mus
ferj do Cata* n. i compra-se oaro,orate
;**<< por preso ais.-vaotaiDs* dk
i parle.
onniti-s e
EMPRSTITO SOBRE
ra
pri-
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabeleeimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
pra vel. Tambem compran ouro, prataie pe
dras preciosas
_JL5 eWJOCiBlfii X 5
(SEM UMITE.)
travessa di
Crazes n, 2,
ueiro aiilap, da-se (jal-
quer qnanlia sobre ouro,
pfaa e pedras preciosas.
O dono deste estabeleeimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as. condicoes de-ga-
rantir a transacc3o que se fizer em
I sua casa, promettendo ludo e zelo
j |g o consideraco s pessoas que se
I gg dignarem de honra-lo em sen esta-
i W belecimento.
Na mesnia casa compra-se ouro,
yrata e brilhantes.
a dSKTS e VeUdCm se dfi;"lepara fra
SSaSar**
- f0MPME~~
raoedas de ouro e prata de todos os valo-
LaLS P i,rata em ob,as 'oulHisadas, c
.tapantes e mais pedras preciosas na lo-
jaOa oerives do arco da Goncoirio bo He-
I le.
m m

Loja de roiudezas de Ferrara da Cintilad-
temporal, ra do Queimado n. 63, est
quimando por todo prego :
Jogo de vtspara a 400 e 500 rs.
Redes para coques a 240, 400 e 500 rs.
Lroba s 200 jardas (doria) 1,5200.
Cap milito lina para pode arroz 15500.
Rclogio fle's! .1 120 rs.
LHas romshanlia 'lfiO, 200 e 320rs.
Agoa Horma verdadeira a I 300.
Agua divina idem 10400.
Grvalas pelas para horaem 4 Ors
Peiites de travessa para menina 320 rs
Olio pnilocome verdadeiro 15200
Aderecos de plaque 1*500, 2* e 5$.
Metas cruas para liomem 3,->iOO e U a
&>Ra do Queimado
A VI' HDADE tendo em deposito grande
quanlidade demiodezase perfumaras, e de-
sojando aporar dinheiro e adquirir boa %
gnezia est rssjlvida a vender luoitissimo
barato, tanto a retalho, romo a mscales
para esaes tornaran a revender; 'por esta
razao convida ao respeitavel publico a vir
jmpetenlemeBte munido a sorlir-se do
bom e barato. Pois qosmdo a YERDAUK
appareee, tudo mais desapparece___
Grande sortimento de fanecas de cera e
massa as mais lindas poseis vestidas a ca-
rcter.
Ricos globos para camlieiro de uaz
ai-jHOOe....... 50C0
Grande jnaeufu de objetos de
totea para brinquedo de menino
amnrclla, no oKao da secretaria de polica.
Ouroep-atft
mi-se moeda? de ouro
as (realidades, por bom preco ;
*> Hecife n. 58, loja do azulejo.
rala do todas
rna da Cadcia
Attenqao.
'" . Uotoes enfeitados para vestido, 15200 a Garrafa 'om tinta a.
uzia- I Dita com agoa florida a. .
Leques do santol 55/cada um. fHOm com oleo de babosa a 300,
00
80
l#)
TIIEATRO LRICO
_Comjira-.sc uuia eserava moca us seia -ada
:;" SA "^ -JIM ^ liv^r di, .ja-se a ra
i^Santa Thereza n. 24, ,|Ue se dir ouem cora-
- p^a-se urna ou du*t casas nosia didade,
de pref-rencia em rna co.ninerci.il : na encade?
nacao parisiense se dir <|nein per
Dcpois do espectculo
CEUSSOUI'HS
no salao do
RESTAURANT FRANCAIS,
rna do imperador u. 3, i- andar.
ALGODAO
LOJA DAS IAGIINA8
BASTO
(Jasa de pasto
Mao de vacca, caf com leilc e c unida, prepa-
ra-sc com todo esmero e asseio rna da Lapa n.
i i, e se Ibrneee tanto para fra a accionistas como
as mesas, e do sabbado para domin-'o a bella
mao de vacca.
MACHINAS amercanas de serrote de todos os tamaitos para desearocar ateodo ,1o
MACHINAS ditas, tambem de serrotes e~de todos os tamanbos para descarocar
w^,,,.,, S?dao do autor New York Cotton Gin. P oescarocar, al-
M.1CIHNAS ^j^jRoHer Guts, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em anota
MACHINAS de faclo do" fabricante Platt B. & Obdhan Patent-Liverpool.
vindo ao mJ- a o TJftti! ** V****** e as meLres que tm
v rem S a bUa 'Preciacao convidam-s os senhores agricultores '
SSASff 0,arna rua daCada do Recif n- 3 a- ^a d *
i'recisa-se de um aixeiro de ti a 14 aunos
de idado : na rua do Iniporador n. :i.
Precisa se aJugarTaaTpretopara o servico
interno de urna casa. quem o ver dirija-se a rua
do Rosario larga n. 10, junio ao quariel de poli-
,DE PERRO.
vid.enfp rf,!mprar lin ^-[5o de Ierro j ser-
m n.i na do Crespo n. 46.
-jy uu WVU
9 laarcBio8 al que..........
E nariiaDireila n. :,:,, loja de lerragens, que
se deseja fallar ao Sr. Antonio Francisco Duarte
ouseu irmao ex-depiado provincial Dr Maxi-
nnano Francisco Duarte : deve saber quem
J,,ru'TS* ae.ll"wama de leite, Da
J do m?n'"1)eralr^,n- l8> Prererindo-se
s o mallo e sem ltho.
- Fugio indo da ftwiMiia de Caft^uraTiS
a do S. Joao da l'araljyba, cariri-velho ; o escravo
Justmo, corpret., deutes limados, cabellos c-
pridos, estatura regular, secco do corpo, ladino
d7S3lP?i0, la''g0S na lrMte' reprc'senta ter
de idado 2.1 araos : portante, rnga-se as antori-
ladea polisiaes a apprehenso do mesmo escmvo
lova-lo ao engenho Morojo, (Xazarelu) que ser
bem recompensado. H
COMPRAS.
Com nmito waior vantaeem compram-se
moedas de ouro o prata : na loja de joias do Co-
racao de Ouro n. i D, rna do Dabn-
Criado.
I'recisa-se de um ciiado para o servico de easa-
na 1u.1dasLuaegeir4sn.2O, holel. '
VrNDAS.
Debulhadores para milio.
Cyindros para jiadaria?.
Arados americanos.
CajTiflb.es do mao.
Machinas para corlar japim.
Cannos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Telbas de ferio galvaoi&adac.
Folbas de zinco finas.
Ditas de cobre c laf,r:>.
Ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
Machados ainericauj-.
Facoes ditos.
Balaios e cestas de veiguiulia.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamaitas.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos utros artfg
diversidade seria enfadouho ennunaera-los.
Folha de ferro.
Balanzas americanas.
Tinas demadeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes demadeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinlia.
Peneiraspara padarias.
Baldes galvanisados.
Coirentes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para relinafes.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avolsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para 3S
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
Attenco.
Comprase farinba de mandioca da ierra : a
tratar na prae.t do Corpo Santo n. l, 1 andar.
Criado.
No caes de Apollo, armazem n, 69, precisa-se
de um criado de boa conducta, para compras e al-
gum servido em um peoueno silio.
Vendase urna machina ,
anda nao servida, por menos
rua do Hangel n.!).
de costura, patale,
do seu valor : na
Espen bao Barbosa da Silva, ao reiirar-se d^
casa do dotencao pela libertado em que fui poslo
por acto o mais justiceiro do venerando tribunal da
relac-ao seria ingrato se nao agradeces) ao ues-
soal daadnwnistracSo da casa de deleneao, com
especialidade ao sea digno administrador e'aiudan-
te, pelo b.m tralamcnlo que sempre Ihe deram
durante o te.mpo de sua pnso, e em geral aos de
mais empregados e pessoas particulares, de quem
receben pro vas de auude, pelo que nao ||,e sendo
possivel fazc-lo pessoalmenie a cada um em parti-
cular,, o faz pelo pre-nie, pedindo a todos descul-
pa, aos quaes olfereee os seus servil
Prepara-so bandeijas de bolos e boUqtHM de
todas as qualidades por preeo mais eommodo que
neutra qualquer parte : no o tao da matriz da
Boa Vista n. I.
1 ~ >"T.isas1,* ma r#i,*r IXTtugUM para o
; onfenbo Matto Gross.) comarca do Uto Formo***
tratar com Joo Rento do G .Uva no me$m
CARVAO DE BELLOC
pars
engenbo
n. S6 t.'
ou com
anrlar.
Leal & frmo, rua da Cadeia
Pleito en, RkhIbeim MponchelU; Chevolot. S Pbhu.koo, Mavrer t
Des^ja-se com urgencia saber "onde reside o
sr. fancaoo da c ,,ia o Silva qne se diz nego-
nar con) Rmndas, a negoco qae Ihe diz respeilp
na de Sarita Amaro n. a. '
Aluga-se unrn cas, marjem do rio Capi-
baribc, napowoaea, da T ,rro, senl, fresca, leudo
relente agoa, e tendo m.us algnns arvorelos
somlinos : para conlrat.ir-.se iu rua d Impera-
dor l.ya de marmore n 20.
l'r.i.-is.i-.-e de
rua Nova 1. a.
Ama de litc.
nina Km do lote : a tratar ua
Por o Calvo
Preeisa-sc de um menino para caixeiro ; a ira-
lar na rua da Cadeia do Uecile n. 10.
GOMES DE MaTTOS lAMOS
tendo feito completa mudanca em seu aatgo e
acreditado estabeleeimento de joias, com o mu da
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao poblieo em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a compareeerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RUA DO CABUGA N. 4
on,, eencontaurio um completo sortimento do que ha de mais elegaBte,
deou oPrr.eT, ,lhan,e3\eSmeral,la8' 2i3 lu'J" 1',e em^ras
ae ouro, prata e platina se pode desejar.
AOERECOS DE BRILHANTES, ESMfBALDAS E RUJBfUS
de rovos gpstos, assijn como grande variedade de dv.- r* j
praU .ontraatada e de gosto a^da *> ^e co^JS^ di
objertos de prata para uso das igrejaa, P
a cualidad! dos objectue vendidos *^ ^wsa
Rua do Crespo n. 17.
ESTEIRAS DA INDIA PARA FORRVR
: SALAS.
Gi.rgorries de cores para vestidos.
Poupelinas de linho e seda de muito bom
gosto.
Sedas de cores de lindos desenhos
Alpacas de listas muito bonitas.
Ditas lisas de todas as cores.
Gorgoro em chitas, fazenda nova.
Bi Ihantinas de cores.
Casaquinhos pretos de guipurc.
Ditos de ca.-emira de todas as cores.
Riquissimos cortes de vestido de blond.
Ditos ditos de cambraia bordados.
Ditos ditos de tarlatana bordados.
Cultas de seda ltimamente, chegadas.
Ditas adamascadas brancas e de todas as
cores.
Damascos largos e estratos proprios para
colxas.
Baloes de todas as cualidades.
Saias de cores,
Sias brancas bordadas.
Tapetes de todos os tamanhos e para cu-
vados, aveludado.
Cambraias de cores e chitas de todas as
qualidades, c outras militas iazendas que se
v.ndem por todo ureco, smente para acre-
diiar a dwtincta Qrma de
A.V IVS liimiRES C
Dittos de madeira 34 cada um.
Coques de tranca, boa fazenda, 2-5
mo e U cada um.
Meias finas para senhora U a duzia.
lianha m fra-scos a 400, 640 e l.-^OO.
Frascos com extracto muito fino 25 e
-'3500.
Caivete de duas folhas a 2i() rs
Sabonetes linos 80, 160, 200, 210 e
j20 rs.
Olio bal.oza 400, 500, 000 e 800 rs.
Agua de colonia 400, 500 e 800 rs.
Caitas francezas 200 e 240 rs.
Caixa com extracto 2)5500.
Carta! portugriensa 120 e 200 rs.
Pentes brancos com costa de meta!
320 rs.
Dittos Jretos ;i 200, 240 e 320 rs.
GalSo de la para vestido (pessa) 400 rs.
Fita de sarja lisa e lavradas, 1^500
2,-> e 2:3500.
Caixa cun obreias de maco 40 rs.
Cixa com papel amizade a 700 rs.
Diltoe dourado a 14.
Dillas com envelopes 500 rs.
Caixa com agulhas francezas ICO e
240 rs.
La para bordar de todas as cores (libra)
(;>800.
Donis para menino I% 2 e 2500,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
M as para menina (duzia) 34 e 35O0.
Pecas de tranca liza e de corocol a 40 rs.
Sapatos de laa para menino a 320 e800
Capailas francezas a 2,^500.
Facas e gaifos, cabo de balanco (du-
zia) 7$. "
Chicotes para cavallo 600, 800 e 1,^500.
Rengalla. de canna 14, 1^500 e 23.
Vortas para luto 500 rs. (cada urna).
Papel almaco. greve (resma) I 500.
-^-Temporal pode ser procu-
rado em seu estabeleeimento bo-
nanca, Temporal contina a
vender na Bonanqa, pelo mesmo
preco que vendia em sua loja
com titulo de Temporal*.
000 a,
Dito com agua
400 e
de Colonia a 300.
700
5)
14500
pira
Orande
loja de Iazendas e roupas fritas
' na da Imperalriz n. 52,
larga,
DE
garanten.
Ali-acliM earnis
Este pinduet.i alimentadlo para dopntes, mui
apropnada para ereancas e |>ara as pessoas sas :
indisp-m-avel a todos, pnrm, pn'ncipaWienle aos
viajantos, que (ecao nelle o recurso de poderem
ter jihmenta.-ei de carne fresca incurruptivcl, e
que com taeilidade se aprnmpfa o se cenduz, pr-
<|ue n um pequeo votme carraga-so alimentaran
para muiUi tempo. Sobretudo ehaina-se a alten-
bXTRAUIJM C\K!t& o reenrso de alimentncao
agradavel, liygieuica e barata para seus fmulos e
seus doentes.
Kste producto fabricado pelo prneesso dodis-
finctu medico Dr. hatuba, np Hio.rande do Sul,
que acaba de crear um deposiio aesla eidade em
casa le Joj Vtctarmo de llezeatte & U,, rua da
taiioa, e$i*fptoro n. 5f, prhireift andar, venden-
do-se :
Nn Aposito a rua da Gadea n. Ji.
Na pharmaaas d*s"Sn. :
Marwe Alves Barbosa, mw.ua na r>. 61
rlon qiOm ,le MmMi Pin0' riu 'a^ado Rosa-
Ant-.nio Mata Harques Ferreira, praca da
uya-Visia n. 9t.
u^&iatggn1,^"'^ ^"'^ "'"^
Venda de Impostes'
Manuel Barboia da Silva, arremtente Aw im-
postes provinei.teadas comareas de TacarM, Ca-
tuoo e Boa-Vista, e dos imnostos do consumo das
agoardentes do termo de Olinda, avisa aos que
pretenderen* comprar ditos impostos, que piide ser
procurado rua do Livrfhento o. 82, onde por i
ou seu procurador podem entrar osde i em ne-
gocio og preieudenle?.
Escravos
BE JOIAS
Vndese una escrava uoa.czifte:a, de dade
n ?nn,,1: ee*'"* towhm de Bca, e urna
negnnba mita da itesma, dnSanni .tratar na
rua do Corredor do Bispo D. m, das !0 horas da
tnanhaa as C da tar,te.
Vende se a tauuqu da Uravessa do Campeik)
n. 4, muito afreguezada para a trra enara bordo,
manira iviro >.,, n.;n..v.1._... '.__.._.._ _.
propria para_utn .principiante: a tratar na nwsma!
PAREDES PORTO
Nesle estabeleeimento encontrar o res-
peitavel publico um bonito sortimento de
roupas e fazendas de todas as qualidades e
precos commodos, tcm sempre um bonito
sortimento de casemiras de cores e prctas.
panno fino de diversas qualidades, lirira de
bonitas cores e brancos de boa qoalidade,
encarrega-se qualquer obra por medida e
prego m ui lo comm, ido.
ROUPAS FEITAS
na loja da rua da Imperatriz n. 52, porta
larga, de Paredes Porto.
Tem neste estabeleeimento um bonito
sortimento de roupas feilas de diversas
qualidades e precos commodos, como sejam
palitots de alpaca prela o de cores a 3,
'!>') 0 e 4*5; ditos de panno preto sacos a
6;5, 7^ e H; ditos de panno superior a
12/5, e IGjS; ditos sobrecasacados de
dito dilo a 18,5. 205 e 255; ditos de case-
mira de cor a U, t e 105: calcas, colletes
e pahuas de casemira moito lina de cor a
20 e 255; calcas de brim branco de cor de
todas as qualidades de 25 a 65; ditas de
casemira prela e de cores de 45 at 125;
cdletes de todas as qualidades; ceroulas de
bramante a 15500,25000 e 25500; camisas
francezas de linho e de algodao de todas as
qualidades e preco mais barato do que em
outra qualquer parte ; colarinbos, grvalas;
bonito soilimoiito de chapeos de sol de alpa-
ca e do seda; meias mglezas a 65 a dozia:
pecliiucha neste estabeleeimento pelo
grande sortimento : todos os freguezes se
poderte prover dos ps at a cabeca por
preco eommodo.
FAZENDAS
Grande sorlintento, como sejam, chitas
baratas a 300, 32o e 360 rs. Madapol3o
fino a 75 85 e t05 a peca. Algodao (pe-
cuinclia) a 55500 a peca e ootras qualida
des. Cambraia branca de todas as quali-
dades transparente e Victoria de 35500 a
85 a peca. Laozinhas de bonitas cores, al
pacas bonitas, selecia a peca com 28 metros
a 285000. Esgnio o mais fino possivel a
25500 e 35 a vara, e outras muitas fazen-
das por preco eommodo, que seria enfado-
nho mencionar, na loja do
LElO DA PORTA LARGA
Garrafa com agoa divina a.
Frasco com extracto fino
lenco a.....
Labpequeas com banln a .
Sabonetes de diversas qoali iades a
,.80, WSO, 240e. .....
Finas escovas para denles a 10,
320 e. ........
Coques modernos a.....
Pavios para gaz, duzia a. .
Escovas para fado a 5 0, 600 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolho a 160 e.
Brincos de cotes bonitos a 160 e
Pecas de tranca de laa com 8
\aras por.......
Franja preta de la peca com
10 varas, a.......
Fila pteta para relogio urna por
Oleo para machina de costara,
frasco a........
Penas d'aco finas caixas a 800
Dita d'aco Peiy, caixa a. .
Galn de algodao peca ....
Lilas com banha a.....
Lindos babadiuhos e enlremeios
peca de 500 a......
Holoes de madreperola, groza a
Ditos de looca moito lino a 160 e
Ditos para calca a lt;0 e. .
Caixa cora papel amizade a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas com obreias a. .
Caixa com agulhas fondo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para cosluia a KM),
240 e........
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a........
Ditas com 200 jardas em caire-
lis duzia a 70, 120 e. .
Grampos muito linos com pesa-
ros, duzia a......
Carlas porluguezas, duzia a .
Ditas francezas a 25200 e .
Papel almaco e de peso, resma
a 35400, 3,0300 e .
Ja limito lina paia bordar, libra
Fita de algodao para debitan de
sapatos, peca a..... 160
Ditas de. la para deliruin de ves-
tido, pega a...... igo
Pentes finos para segurar ca-
bello a....... 4(mj
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240,320 e...... 500
Caivetes grandes com molla a 320
Ditos para aparar penna a 100
Cartes com colxetes a 40
Rosetas prelas, par a loo
Pentes de chifle para cc duzia
a 15500 e...... 250OO
Trancas de (5a lisa caracol, pera
a M) e ; iqd
Fita para coz. peca a 480 e 5(50
Alliuetes de lata" a..... 100
Sapatos do la para meninos a
2W, 800 e....... 1*00
Ligas para senhoras a. 160
Fitas de sarja ns. 1 e 2, peca a
800 e...... LiOOO
Grvalas de seda de cores a 200
Renda- das ilhas por baralissimo
preco.
Os apreciadores das calcas apparecam
na loja daVERD.IDE -para se munirem
de suspensorios rom borracha pelo dimi-
nuto preco de 100 rs. o -par, e tambem de
calcadeiras boas a 80 rs.; as pessoas qqe
nao poderem vir a este estabeleeimento
podem mandar seus portadores que ser*)
fielmente aviados ; a Verdade mostrar o que
rtz rua do Q eimado n. 55.
LIVRARIAFRAlEr
9.=Rua do Crespo=9.
Binculos de marfim e de tartaruga para
theatro
15000
140
400
6(10
25: CO
320
760
500
240
200
80
90D
IflO
600
I (J00
15400
4KO
200
15500
oGO
200
240
700
4H)
0
380
160
500
280
506
15200
200
15500
35OOO
00
<;atoo
DE
Vende-se a armaeao do arraaze da Liga rna
"* "* QP 4rater nojoewno arwaaae
..7.*"^ f ma nprll> Md!
Paredes Porto.
f.ua do Queimado loja n. H, veade-se ba-
lees de musselina a 2 e ditos de panno a 1 j.
Vinho verde
A' rua do LivFamento n. 6 eomina haver par
vender por pi''C9 ranavcis, o meltwr vinho verde
at hujo viuda a este mercado.
I~=r0S'm P*"* conprarl^o^accar-
d.i urna com bezerro : diriia-se ao armamm ,i>
,al da. 9 b.ra.d ma.H^,U%L. "nat
1^' JM da G,doia do feife q, 33
v M ovaideTSSoa;
Feijdo a 8S00Q
Vendem-se saceos coni feijo branco o fradinho
i 8j o sacco de tainanuo regular : no trapi.'i.e
Barao lo L*ivrameirt.j no Fortt do Maltes.
Nao mais cabellos broncos
A tintura japoDeza, para fingir os cabal-
los di cateca e da barba, foi a antea adniH-
tida Exposifo Univertal. por ter sido
conbewda superior todas as prepara.
at hoje existentes, sem alterar a sande.
Vende-so a 15000 cada frasco na
1 Mffl MCMM.il
OPERA ITALIAT
Eoeoutrarse em casa do
ANotDELSC C.\W;l.i.Kiiu:iito,para thea-
tro, soue, eic., etc.
Um bonito aortimento de n vas debi i m
marca arajtda de jot vi.\.
7 A-RUA DO CRESP0-7_,V i^AxnAt.
. Vend-seViri bonita.pret de 3 Wnos,
wnn, engonw I*, mdo isu, bwn, linda
1 boa conducta : na rna do F,y.i p t
t
l"
Grande lifidaca de tajtos por iodo prego
Rnaaiaw aa/t.iga a rua Nova n. CQ. ^
Venda. qni .ascraw pega, do dad.
enno, p,mco mais on menos : na rna d
(lo u. 13, l,andar.
*r
m



6
Darid de Peiiiffmbttco _v~ gabbado 21 de Agosttt d 1869
UTA
7a.
ARARA
Ra da Imperatriz. -
X. 4*
RIJA DA CADEIA W. 45
DE
72.
Alerta iVeguezes
que Arara vai cantar.
Para vender suas (neuritis (baratas)
que muito ha de agradar.
0 propriotario desio estabelecimento. lonilo grande portto de fazenda:
g.v, m proceder'nma liquida**) em todas a? Rendase roupas. feilas e
no
e-labelecimcnto. agora que Otoasq de qncm tero poncb dinheiro poder se vestir at
_oa fazenda e baratissima coma se poder ver tn aimunrio abaiso mencionado.
MADAPOLN) BARATO A 3 .300.
Vende-se pecas de nadarpotSo enfestado
12 jardas 35500. dito Je -21 jardas ou
<_* metros 3-5, 61. 8 300, :;j00, 8-5000 e
95000.
CUITAS FRANCESAS A 280 rs.
Veud chitas fi i para
d.)3 a 280, 320 rs. o covado, ditas escuras
muito Tinas i 300 rs. o covado.
Chalis milito fino a SOO rs.
Vende-se chalin para vestidos ic senliora
900 rs. covado.
PERCALES A 4W RS. 0 OVADO.
Vende-sc percates muito tinos para ves-
tios de senhora a 440 rs. o ovado.
IBi'kantlaas 44 rs.
Vende-se brilhaniinas ou mursulinas de
cores para vestidos de se .horas 440 rs. o
covado, lazinhas muito linas para vestidos
de senhora a 400 rs. c 300 rs. o covado,
ditas do quadriubos 2 iO rs. o covado.
RISCADO FiUNCEZ A 300 KS. O COVADO
Vende-se riscado francs para vestido
de senliora 380 rs. o covado.
Laaslnhas a 940 rs. o covado.
Vendem se lasinhas para vestido de se-
nhora a 240, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas unas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales de merino *.*.
Veode-se chales de merino estampados
i 25 e 2^300 cada mu. para acabar.
CORTES DE LAS ARERTO8 A 25400
Vende-se cortes de 15a para vestidos de
senhora. ;i 25400 cada mn
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpaca* de cor* para vestir. \>
de senhom, 720 e 800 rs. o covado, di-
. ns de Letras 700 e 700 rs. o covado.
Chitas prnssiaaasSeO.
Vende-se chitas pnissianas de listras de
cores muito bonitas a 300 rs. o covado.
CHITAS PAN K COUERTA A 320
Vcnde-se chitas iaoorpadas para coberta
i 320 rs. o covado.
Bales de 8 a 3 arcos
1oOO
Vande-se balos de 0 a 30 arcos
t $500 cada um, baldes moderaos brancos
ede coros 35.
BRAMANTE PARA LENCOES A 25-
U*nde-se bramante com 10 palmos de
largura para teuces, a 10, a vara.
PECAS DE ALGODaOA 40.
V -adem-se pecas do algodo muito efl-
eorpado 45. H, 05St>Oc75.
esti-'Colerlahos ccoao.micos a 3O a
um, i mo k t
SOR A DIRECCAO DO MUITO IIABIL ARTISTA
Lauriano, alfaiate.
Os propritarios dcste novb estabelecimento, tendo experimentado a necessidade
urgente de ter na direcco de sua oflicina do roupas por medida, um artista perito, tcm
contratado o' Sr. Ludano Jos de Barros para tal misten convictos de que satisfar
com lodo o capricho a vontade do freguez.
Tem o mesme estabelecimento um bom sirtimerato de fazendas propnas para
roupas de hoinem.como sejam: casimira de cor, indos padrSes, completo sortimento de
pannos finos, preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins- brancos e
. j. Jir____.- ____._.!_ A j-_. i____i___.-_-, i:~ 4 aA*4a^ An n>ioiiplln nin P/
de
Grande e completo sortimento de machinas para
desca ocar algodo de nova inveneau cliegadas l-
timamente cm direilura para a luja de Manoel
liento de Olivara Braga & C, na na Diieitan.
33. Garante-se que a melbor qualidade i|ne ale
u presente tem viado ao mercado : acbam-sc em
expoijao aos compradores
dnzia.
Vendo-so colernhos econmicos a 320
a duzia, s se vende assim barato por ter
grar.de porcito.
CASEM1RAS DECORES
Vend-se cazemiras de cores para calsa
e palitt 25 25300 o 35 o covado,
tigodo eafestado 1#.
Vende-se algodo enfestado propo para
tenres e toalhas, 15, a vara ou 900 rs. o
metro.
BRIM PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas C palitots de
homem o menino, a 400 e 440 rs. o co-
vado, dito tizo a imitacao de ganga a 300
o covado.
Algodo de listras a 3 rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 RS.
Vende-se cortes de brim castor para
Mica de homem, 640 e 800 rs. cada um.
' CARTE1RA PARA VIAGEM A 15-
Vende-se carteiras para viagem 15
cada uma, cobertores de algodo 15300
cada um. ,
loberas de chita 1.SSOO
Vende so cobe'rtas do chitas de cores
15800 o 25. cada urna.
algodAo tran;Ano de eas larguras a
15560.
Vende-so algodo transado de duas lar-
gura?, proprkis para toncos e toalhas para
mesa, se vende a 15200 o metro.
Mantas para gravata SOO rs.
Vende-se mantas para grvala a 200 rs.
cada uma, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 25300.
Vende-se atoalhado pardo para toalhas
mesa 25300 a vara, tialbas escuras
.nglezas, collarinbos, ceroulas, gravatas pretas e de phantasia, meias para
nhoras, meninos e meninas, cbapos de .seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
bales de diversas cores e modelos, cambraias, malas para viagem, e outrw mottos ar-
tigos que a modicidade de scus presos meita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45
ut
15, cada ama.
da Arara n. 72.
Roa da Imperatriz toja
'^mS^;
JTT HT\
J
O propietario do.a.mazem de fazendas denominado^bald., na ru, da Impe-
respe.ta.e. publico que toado grande de^s o le fazendas em
Ra do Quemado ns. 49 't 57
lojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de scus estabe-
lecimcntos por isso qtieram apre-
ciar o que c bom e bamttssirfto.
Pecas de tiras bordadas com #2
metros, fazenda superior, a
15300, 2f>, 35 e..... 4-jOOD
Caiws de buha com 30novellos 300
Pares de-s-apatos de tranca fa-*
zena ora a......25000
Pares de sapatos. de tapete
(s grande) a......
Dnziaa d metae cruas para ho -
me a........
Tramoias do Pbo fazenda boa
epeto preco-melhor 100 attOs-a
Livros de misse abreviadas a .
Duzia de baralhoe francezes muito
finos.a25400e..... .580C
Silabario portugus com estam-
pas a ........
Gravatas- de-crese- pretas muito
finas a ........
Cartees com colcietes de latSo
fazenJa fina a......
Abotuaduras de vidro para colete
fazendhfma a. _, .
Caixas com penna 'co muit
finas a-320, 400, 500 e .-
Cartees le linha Aiosandre que
tem 200 jardas a -
Carreteifrde linha j^texandre d-
70at-200a......
Caixas com superares- obreias
de massa a......
Dasifts de agulhas pera, machina
Libras de pregos iraneezes di-
verso- tamanho a. .
Livros escripturado'flara rol de.
roupa-a. ..,....-
Talheres- para meamos muito
finos a. ,...... ;f#240
Caixas om papel amixade muito
fino a-........
Caixas com lOOenwetopes muito
finos a. ......
Pentes^ volteados para meninas e
senboras a.......
Thezouras muitdi finas para
unhas e costuras a-. .
Tinteiros com tirtte- preta muito
boa a 80 120- e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. -
Pecas- de fita branca elstica
i muito fina a......
Novellos de linhacom 400 jarda.
I Resmas de pstpel de pezo azol
muito fino a......
Grozas de botes de louca maito
finos a........
DO
GALLO VIGILANTE
Grand
gra imnos
Systema decimal.
e e completo sortimento de pesos!
-_ip)eto sortimento de pesos fcito
de loeihor eomprehensao dos que tem
assim como marcos de lalo
grande
todas as qiMidades, ludo por preco ie so a vnta
at crdito : na na DrefM n. 53, teja de Manoel
Benlo de Oireira Braga & C. _____________
45COO
35800
5200
25000
5320
5300
5020
5300
45000
-5100
-5100
.*04 s5ooo
5240
512
5700
#600
#320
4300
5320
5160
Ra do Crespo n. 1
Os propritarios dwte berp condecido estabete-
cimenfo, alm dos nwitos olijectos que tinliam es-
postos a apreciagac di> respeitavei poblieo, man-
da ram- vir e acaban de receber peto ultimo vapor
di Earopa um compfcto o variado sortimento. ote
finas e mui delicadas especialidades as quaes es-
tao resentidos a vender, como d seu costume,
por preces muito baratahos e comraodos para le-
dos, com tanto que o frailo....
Muito superiores linas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cres.
Mui boas e bonitas gollinhas e pnnJios para se-
nhora, neste genero o pie ha de mas moderno.
Superiores pentes de tartaruga para etiques.
Lindos e riquissimos enfeitcs para calieras das
Exmas. seuhoras. ...
Superiores trancas preas e de cores com yidn-
Ihos e sem efles; esta faaenda o que pode ha ver
de mellior e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aqoeRes brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as qnaes sempre se venderam por 30,8000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20i,
alm destas, temos tambera grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algunias muito
finas
Boas bengalas de superior canna da India e
castaode marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode deseiar ; alm destas temos tambem grande
quanlidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc. .
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de oatras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senliora e para meni-
nas de 1 a t2 annos de idade.
Navathas cabo de marfim e tartaruga pan tazer
barba ; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurames sua qualidade o delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, fiousa, para encher
labvrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tcntos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das roelhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas. __
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores dcstes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
los que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarlo destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao tn
Sara que sao applicados, se renderao com um mui
minuto lucro. .
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muilo razoaveis loja do gallo
vigilante, roa do Crespo n. 7________________
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisqoit Dubooch & C, em
cognac uma das que mais agurdente de
cognac, t'ornecem para o con9ummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa do Th. Jast, ra do
commercio n. 32. __
Tabellas vermicidas
Mi
Antonio Nunes le Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, jj)ela cwteza de seu resulta-
do, e j pela fcil applicacao as enancas,
quasi sempre mais atacadas de t3o ternvel
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
M
Barthomeu A C.
31-Hiia Largad*Rosario
rale n. 38, declara ao
sef, o lesejando diminuir este grande deposito
pOl met .>i1.rt ,,.;. curtir.
dar no dia 15 ou 20 do corrente, por isso convida ao rcspe.tavel publico a vir surttr
se de boas fazendas, e por diminuto preco
CUITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
ALGODAO ENFESTADO 1RANQAD0 A
15000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
lencoes a 15000, dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZASA 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 re. o covado.
MADAPOLAO ENFESTADO A 35300.
Vendem-se pecas de madapol5o enfes-
tado a 35300, dito inglez de 24 jardas ou
22 metros a 55, 65, 75, 85, 95 e 105, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 300 rs. o
covado.
BAREGE PARA VESTU)0 A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5jO rs. 0 COVADO.
Vndem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 15-
Vende-se sedas de cores para vestidos de
senhora a 15 o covado.
PORpAO DE RETAL1IOS.
Vende-se uma porco de retalhos de caa-
sas, de la e sedas e de outras fazendas
por muito barata preco.
A' eil*s antes que se acabem.
CUAL Y DE CORES A 800 RS.
Vende-se cbaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 1*.
Vende-se chales de cassa a 15, e de me-
F'a CORTES DE LA A 25400 RS.
Vendem-se cortes de 13a de bstra para
.vestidos de senhora a 25400 rs. para aca-
^ ALGODO A PECAJPf.
Vende-se pecas do algodSo a 45, 55, W
e 75 a peca. E muitas outras cousas que
seria enfadonbn menrJwiar.
200
60
25300
160
3 CHITVS PARA CORERTAS A 280.
Vende-se chitas francesas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 30 rs. o
^ CSEMIRAS DE (XXRES A 25300
Vende-se casemiras de cores a 25500 e
APE0SCDE SOL DE ALPACA A 35000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda a 105 cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para ca'ijas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
c; a ligas para calca a *0 rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
"mUSSELINA BRANCA A 500 rs.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos -de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 25-
Vende-se lencos brancos a 25 a duzia.-
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs. unrn
Ditas de linho fino a 15000, para aca-
bar.
JGRANDE SORTIMENTO
DE ROIPA FE1TA DE TODAS AS QUALIDADES.
' Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que em outra casa: por
isso os preteoderrtes poderao yir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutma preta a 320 rs. o covado, para
BALES DE ARCOS A 15500.
Vendea -ee balbes de 20 e 30 arcos a
15300 cada um, ditos modernos a 45.
BRIM HAMBURGO A 85000 A PEQA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ilam-
burgo a 85, vem a ser mais barato do que
algodSosinho.
CORTINADOS A 145000,
Vende-se cortinados para cama a 145
para liquidar. Ditos para janeas a 75.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na ra da Imperatriz n. 56.
Machinas vapor de
forqa de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 cavalUxs.
Ardos americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balancas para armaiem e bak3o.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de l'liit-
fteld.
Prencas para copiar cartas.
Fogo americano patent
BAZAR UNIVERSAL
SORa Mova
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposicSo servicos a electos para almo-
CO e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cimademesa.
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de bataneo,
espelhos de todos os tamaitos, molduras
para quadros. gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e n esa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e c")C0, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontraran
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pen ir examinar.
CURA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galonpean.
i Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo C.
34------Ba larga do Rosario------34.
ft NOVA ESPERNCA
21 Ra do Queimado 2)
Advertencia!
- A Nova Esper?nca, ra do Queima
n. 21 tendo em deposito grande quantidatto
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o bataneo, por
isso desde j previne ao respeitavei publi-
co, que est resolvida a vender soas mer-
cadorias pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quanUdade das que
tcm: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que n5o forem venham ser fregue-
zes, em tempo t5o opportuno quando *
NOVAESPERANCA convida-os pecbmeba-
rem, pois que para comprar-se caro, no
falta aonde e a quem...
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos d
gosto e perfeic5o, e ella (leja da Nova Es-
perance) quer sempre dividir eem seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) 1
Nova Esperanra ra do Queimado n. 21,
alm lo grande sortimento que >a tinba,
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e briocos de
madreperora.
Papel e envelopes bordados e aati-
sados.
Papis proprios para enjertar bollos
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos gallees, franjas e trancas de
seda e de lia, para enfeites de vestidos.
BotSes de todas as cores e moldes novoa
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes e sem elles.
Botoes pretos com vidrilhos com pingen-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Fmas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados teque de madreperula, mar
fim, osso e fa.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas ra do Queimado n. 21, na
Nova Esperance.
Collares anodinos elhctro-magnett
eos contra as convulces das
creancas.
N3o resta a menor duvida, de que muito.
collares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitca
pas de familias nSo creem (comprando-oa)
uo effeito prometdo, o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanca, por
que detesta a falsificaco principalmente na
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez uma encommenda directa destes collares;
e garante aos pais de familias, que sao O
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
Cas tem salvado do terrivel incommodo da
convul<;bes, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimadi
n. 21 comprarem o salva vida, para seca
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, piando entao ser di-
flicil alcancar-se o effeito desejado, embor
sejam empregados os verdadeiros coarea
de Royer.________________ ___
S4
^.\.GRM%
Primeiro e segundo
LIVROS DE LE1TURA
P-1.0
Dr. Abiho C. Borges
SEGUNDA EDICCAO MUITO MEMORADA E
AUGMENTADA.
Estes livros, os primeiros que com taes
ttulos appareceram no paia, sao compos-
tos segn lo um systema natural, philoso-
phico e ameno, que facilita aos meninos o
conbecimento da letura, tornando-lhes me-
nos penosos os primeiros passos na vida
ttitpnrn
Recom'menda-os o fado de baverem sido
adoptados em quasi todas as provincias do
imperio, e com tal acceitac5o, que, em dous
ennos, se achou esgotada a 1" edi.ae de....
10,000 exemplares.
PREGO
Io livro de leitura....... 500 rs.
2o dito de dito.......... 25000.
Vende-se na livraria franceza.
9-Rua do Crespo
PASTWUS ASSUCARADAS
DO
DR. PATERSON
De bismuth e magnezia.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digesto, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeo A- C.
34------Ra larga do Rosario------34.
Rap Princeza
DA IMPERIAL FA8RICA DE V1B1RA GUBIA-
RAES & COUTO,
DO RIO DE JANEIRO.
Vende-se este exccllente rap no escrip-
torio de Joaqoim Gerardo de Bastos, ;i ra
do Vigario n. 16. i andar._____________
Aiegrai-Yus myopes, e presbytas, j po-
dis ver delongc, j podis ver d_.perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. 1. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortim- Bto de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio emelebior;
assim como binculos de uma a tres mudan-
Cas para tbeatro, campo e marinha, da ulti-
ma inveneSo; duquezas, vienezas de 6,8 a
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.___________________
Scbonete de alcatrdo.
DK
Antonio Nunea de Castro.
Este acreditado preparado, que tao boa
acceitacao tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura certi
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu d C,
34ra larga do Rosario34.
CEMENTO
PORTLAND.
f Vende-se no armaiem amarello de Vicente Fer-
roira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
ceicao, cm barricas grandes._______________
Balanzas orizontaes
Pelo novo systema de kylo-
graaiaaa.
Vende-se no armaiem de J. A. Moreira Dias,
roa da Cruz n. 16.___________________.
Vondem-se quatro escravas de ida e de 18 a
36 annos, engommam beaH cozinham ptimamente;
ama dita de meia idade, boa quitandeira : na tra
vessa do Carmo n. 1.
BAZAR DA MODA
Os abaixo assignados, propritarios deste
estabelecimento, declaram ao respeitavei
publico e com especialidade a seus nume-
rosos Ireguezes, que desta dataem diante
as mercedorias serlo vendidas a preco lixo,
e mdico. Isto resolveram os mesmos pro-
pritarios em conseqnencia de reiterados
pedidos de muitas pessoas por ser este
systema de vender o que mais garanta e
cOnfianea inspira ao comprador.
As vendas em grosso. serio feitas com
os abatimentos na razo seguinte : i-
Compras de 505 a 1005 descont 5%
de 1005 a 5005 !_%
de 5005 para cima lev
Pagamento realiasado no mesmo mez de
Os propritarios doBAZAR DA MODA,
observam mais que, recebendo todas as
mercaduras de conta propria, offerecem
a quem comprar todas as vantajosas condi-
Ces das casas importadoras.
O esUbelecimnnto conserva-se aberto
todos os dias uteis das 6 horas da manhaa
s 8 horas da noite.
Recife, 1 de agosto de 1869.
Jos de Souza Soares & C.
----------------JTABERNA.
Vndese a taberna da esquina da ra de Santa
Rita n i, a qnal est muito afreguezada : quem
pretender dirija-se mesma, que achara com
quem tratar.
FUNDICAO DOBWMAN
lina do Brnna u. 53.
PASSANDO O CIIAFARIZ
Tem sempre deposito de todo o machinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
lgOlO.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de canna.
Redas dentadas, para animaos, agoa e
vapor. 3J ,' .
Taixas de ferro, batido y fundido e de
cobre.
Alambiques. .
Arados e instrumentos d agricultura.
Descarocadores d'algod5o etc. etc.
Havendo era tudo variedade de tamanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar.
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao ango deposito de Henry Forster A
C. ra do Imperador, um earregamento de ca-
de prneira qualidade; o qual se vende em partida.-
e a retalho por menos pre^o do que em outra qual
quer parte.______________________________
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
las digestoes difficeis ecompletas, acalmar
is dores gastralgicas, e reparar as foreas
produzindo uma assimulacSo completa dos
tlimentos; sendo mais um excellente tnico.
TEMDE-SE
Nr __K NA
PHARMACIA E DROGARLV
Bartholomeu C.
34RA LARGA DO ROSARIO-34
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedie por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
VENDE-SE
KA
PHARMACL4 E DROGARA
DK
Bartholomeu d C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
CHARUTOS
Os melliores charutos da exposicao e variedade
de outras qualidades, finos ; encontra-se no hotel
Central de Francisco Garrido, ra larga do Rosa-
rio n. 37, Io andar, e ra estreita do Rosario n.
4 A. Vendem-se a retalho e cm grusso.
MODA SUCIA
No armazem pintado de verde, sito a ra
do Caes 22 de Novembro n. 30, vende-se
superior madeira de pinho da Saecia, com
3 polegadas de grossura, 9 de largura, e
14 ps de comprimento a 35000 cada umir;
taboas de forro a 85, 95 o 105000 a duzia,
pinho americano de resina 200 rs. o p
Vcnde-se bieu barato : no armazem da
amarella, no oitao Da secretaria de polica.
bola
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento ; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Jo5o
Martins de Barros.
Farinha de mandioca da trra muito boa
tem para vender Maia & Landelino, na Iravessa lo
Queimado n. 18 R.


Diario de Pemawbuco Sabbado 21 de Agosto de 1869.

Ccordeiro providente
Ra do <|uciiuado n. 10.
Novo e variado sortimento de perfumaras
tinas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento do perfu-
maras, de qae efectivamente est provida a
toja do Cordeiro Previdente, ella araba de
receber ura oatro sortimento que se torna
ootavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades do pro-
cos; assim, pois, o Cordeiro Providente pede
e espera continuar a merecer a apreciacSo
do respeitavel publico em geral e de sua,
boa freguezia em particular, nao so afas-
tando elle de sua bem condecida mansidSo
t barateza. Em dita loja encontrarlo os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos memores emais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor do larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacSo do
isseio da bocea.
Gosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agrada veis.
Copos latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos cora dita japoneza, transparente
outras quattdades.
Fiaos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino eagradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade, j
com escolhidos cheros, em frascos de difie-
ren tes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores o menores
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos rauito finos em caixinha para barba.
Caixinhas cora bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contend) fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
noneca.
Especial p de arroz sem composicao de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
fas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras difterentes
qoalidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda ni .lis coqnes.
Um oulro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
est5o todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PXHS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fi%ellas e Utas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
CBA1E UHflttUl
B'ei& mm
DE
EM C0NT1NACA0
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
80-m& m niair^aavans-Ha. s
DE
FLIX PEREIK1 DA SILVA.
O proprietario deste grande estabelecimento tendo sido o arrematante daj
Unca loja deammaa=JARDI V DAS DAMAS= ra da Imperatriz r. 36, e nao
Ihe tendo sido possivel, na mesma loja, conclair a liquidacio da grande quantidade de
fuendas que all existiam, pelos poucos das que leve ate entregar as chaves, vio-se
obrigado a passar a maior parte dessas faiendas para o seu estabelecimento, o=PAVAQ
onde o resieitave4 puDlico encontrar um grande sortimerrta das melores fazendas de
Ifflho, la, algedo e seda, que se Ihe vender muito mais barato deque em outra
qualquer parte, eom o fim e apurar diheiro, e as pessoas que negociara em pequea
escala, tanto- da praca como do matto. Tiesta casa poderlo fazer seos sortimentos em
pequeas ou grandes poreies, vendeado-se-lhes pelos procos que se cempram, n s
casas inglezas; assim como as excellentissimas familias poderlo mandar bascar as amos-
tras do todas as fazendas, oa mandar-se-ha levar pelos eaixeiros da mescua loja em suas
casas; o estabelecimento se acha constantemente aberto das 6 horas da manhaa s 9
da noite.
ALTA NOVIDABE
E Oi'PEUNAS O GORGUBAO DE LINHO E
SEDA.
Pelo ultimo *apor chegou para a loja do
Pavu um elegante sortimento das mais
beilas poupelinas ou gorgorees de linlio o
soda, com os ais delicados .padrees qae
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ *L 60
Acha-se este grande estabelecimento-com-
pletamente sordo das raelbores roupas,
sendo calcas palitts e coletes de casosiira, se pode imaginar, assim como urna grande
de panno, de brim, de alpaca, e de todas porco de cortos da mesma fazenda, tendo
as mais fazendas que os compradores pos- de todas as cores e garantindo-se que neste
sam desejar, assim como na mesma loja genero nio ha nada mais bonito nem mais
tera um bello sortimento de pannos casemi- proprio para vestidos, e vende-se por pre-
ras, brins, ete. -etc. para se mandar fazer eo muito razoavel na loja de Flix Pereira
qualquer peca deobra, coma maior promp- da Silva, roa da Imperatriz n. 60.
tidao vontade do freguez, e nao sendo
obligados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
Q'este vasto estabelecimento encontrar o
*
Ca novn de Lisboa
Vende J 8, i'aojlar
?otassa ila Ki
a mais nova n<
ra (Id Con
neira asto.
Tinto rOxide Jlonteiro
i n'ix.-i do Moiildro pura esem
na lujado r.lo;ulo do sobrado amarellu na n
Craa a. 21.
6* ^ttMAl^
A AGUIA BRANCA tem convieco de que a abundancia de objectos de novidade-
uJLeu con5tante completo sortimento, a boa escolha no gosto delles, a superioridas
ee qualidades, e a limitacao de seus precos, esto na op niio do respeitavel publico
o geral, e na de sua boa freguezia em particular ; mas ainda assim ella julga de seu
dever scientificar a todos, da rocepcao d'aquelles objectos que esto alm do commuin,
como bem sejam:
ESCRAVOS FGIDOS.
Bonitas caixinhas de madeiras envernisa-
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, servindo ellas de carteira
luando abenas
Outras conforme aquellas, proprias para
senhoras.
Outras machetadas, com thesouras e os
mais necessarios domados e de madrepe-
rla para costera, obras de apurado gosto oratorios, etc.
- perfeico, proprias paro um bello pre-
Pannos de crochet para cadeiras.
Novo sortimento de toalhas de labyrin-
tho, para baptizados.
Henda e bico de guipur, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com sal picos.
Pequeos o delicados espanadores oe
pennas coloridas, proprios para piannos,
Fiigin di-rnpenlio Todoa m Santo* da vtiia
du Inojiira, u; (Ha M de maio, o NHVVO Gonc.a!i,
remenla k-r -> utno* do idade, poueo mais cu
meaae, eor vemu-lha, alto, silfo, ollu< piviuenc
>em barba, r ns p' rarhando, foi escrav da ft"a.
D. Sfihorinli,. Hara dn LivraineiiUi, i|iit: moroa i a
villa de Scriabieet ; no da iaanediaia da fugiila
tH69 na HNSiua villa : suppoesu estar ao ulaik,
u(|iies|ii imortttor da le a que o
lenlia, o pe ^nturdaaes pohci; es un rapn
lrs de caatpo a i-nplura doinesino e onlregar no
inesniu engeiil a an ab.ii >n aMigudn, ou na tu*
da Moedj n. .*>. 2 and.uv'.-^nplork' de Manuel Al-
vea Ferreira A. que ser generosamente wcon
pensado.
Miguel Paulino Tolentino IVres Fnk':.'.
respeitavel publico um bello sortimento de
RIVAL IIIHIM
Ra do Queimado n, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Sdva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazer novo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de linhas do gaz com
SOnovellos a 300
Latas com superior banha a
lO, 200 e..... '00
Frascos de oleo babosa muito
fino a....... 100
Duzias de meias ( inglezas )
muito boas a .... >00C
Garrafas com agua florida ver-
dadeira ...... 1-5200
Garrafas com agua divina dame-
Ibor qualidade .... >.'O0
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos 2aOCN
Dita com)6 frascos muito finos 800
Oleo baboza muito fino que s
a vista ...... >3O0
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... 210
Caixas de p de arroz muito
superior ..... 000
Pecas de babadinho com 10
varas r. 300
Pecas de fita w cs qualquer
largura ..... 30f.
Escovas para unhas muito fi-
nas ...... 300
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... 240
Pukeiras de contas de cores
para meninos 200
(saixas de linha branca do gaz
com 30 novellos 600
Pocas de tranca lisa de todas
as cores ..... 040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 000
Pares de botoes para punhos
muito bonito 120
Libras de 13a pa' a bordados de
de todas *s cores 8000
I'entes com costas de metal
muito finos 5320
NoveHos de linha muito grande
para eroxs 320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... 480
Grosas de botoes madreperola
muito fino ..... 300
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e..... 32(i
Pecas de fita de 13a todas as
cores ...... 300
Espelhos dourados para parede
10000 e 10300
Espelaos de Jacaranda muito
fino a...... 2000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol i 060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 320
Oanrtete muito fino com 4 fo-
Ihas ...... Frascos de sndalo e patecboly
mnito finos 1*200
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linlio o algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-ihe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
tos dez mil covados de cassas
franeezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do PavSo ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil corados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padroes miudo6 e gra-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas s5o propriaraente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e alm dos padres
serem muito bonitos, sao todos fixos e seria
fazenda para muito mais dinherro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
Eapartilhos a :iOO( na loja do
Pavo
Vende-se urna grande porc5o de esparti-
Ihos modernos com o competente cordSo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 3 cada um.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A I800
Chegou para a loja do Pav5o, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porejo de
p-cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 1800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
Cortes de vestido do l*avo a
Vendem-se bonitos cortes de cambraia e
tarlatana, ricamente bordados a 13a, pelo
baratissimo prego de 6.
Ditos por ostarem um poum machucados
a W.
Ditos finissimos coiu ; seda a 4.
Assim como os mais tu nos cortes de
poil de chyre, com duas saias, sendo fa-
zenda chegada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caixinha com o competente figurino,
a 18; finissimos crt s do cambraia bran-
ca, ricamene bordados, quo at podem
servir para noiva, a 253000, e outros mui-
tos cortes de differentes fazendas que se
liquidam baratas na loja do Pav3o.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcSo de cera de
carnauba em saceos, por prego mais barato
do que cm outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
CASSAS A 240
Vende-se cassas com delicados padroes e
cores fixas 240 rs. o covado: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 do Flix
Pereira da Silva.
AS BASQUINAS DO PAVO
Chcgaram para a loja do Pavo as mais
ricas basquinas de casaquinhos de seda
pretas ricamente enfeitados sendo com os
feitios mais novos que tem vindo ao merca-
do e vendem-se muito em conta.
GROZ DE COR
Chegaram os mais bonitos grosdenapeles
de cores, sendo verde, azul, lyrio, cinzento
e branco muito alto, que ?e vi ndem mais
barato doqueem entra ffnalqoer parte.
BASQUINAS i)K FIL
Vende-se as mais modernas o mais ricas
basquinas de fil preto, por preco em conta.
VESTIDINHOS PARA MENINOS A
24000 E 20500
Vendem-se vestidinhoj para meninos e
meninas, pelo barato prego de 2000 e
500, assim como ricos enxovaes para
ba plisado.
MAOAPOLO FRANCEZ A 7000 A PECA
Vende-se pegas de madapolSo francez en-
fiestado com 20 metros a 70000 a pega;
pichincha.
MUSSELINAS DE COR
Vende-se as mais bonitas musselinas de
cores a 300 rs. o covado.
OELEZIAS
PANNO
DE
LINHO
ATOALHADO
Vendem-se as mais finas celezias de linho
com 25 varas cada pega, sendo mais finas
ainda que os mais linos esguies que tm
vindo ao mercado, a 45, 55, 60O00 e
7o000, tambem se vende em varas as
mesmas celezias, sendo preciso; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lences
com perto de 4 palmos de largura a 700,
800 e 1000 a vara, sendo em pega tam-
bem se faz alguma equidado ; bramantes
para lenges com 10 palmos de largura a
1800 e 2500 o metro, e de linho muito
superior a 3200 e 35o0.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 2400, 3 e 30500 o metro, e
outras muitas fazendas brancas que se ven-
dem muito mais barato do que em outra
qualquer parte, com o fim tnico de apurar
dinhuiro.
CHITAS
MADAPOLO
ALGOD0SINHO
Vendem-se superiores chitas escuras e
claras pelo barato prego de 280, 320 e~360"
rs. F as percallas a 320 c 360 rs.
Pegas de algodosinho de todas as lar-
guras e qualidades. Pegas de madapolao
dos mais baratos at os mais linos; assim
como, superior algodSosinho entestado para
lenges, toalhas, tanto liso como trangado:
todas etas fazendas se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte, para apu-
rar dinheiro.
PECHINCHA DO PAVO PARA ESCRAVOS
A 200 RS.
Vende-se urna grande porgo de esta-
menha mesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e caigas para moleques,
sendo urna fazenda escura trancada e muito
oncoipada, pelo barato prego de 200 rs.
o covado, fazenda que sempre se vendeu
por muito mais dinheiro.
ROUPA
EM LIQUIDACO NA LOJA DO PAVO
Vende-se urna grande porgo de roupas
para homens, sendo grande quantidade de
caigas de brim, casto1-, casemira o meia
casemira. de todos os pregos e cores. Pa-
litts de alpaca, brim, casemira, meia ca-
simira e panno fino. Colletes de todas as
qualidades. Camisas de linh> e algodo.
Ceroulas e outros muitos artigos, por prego
muito em conta.
Aos quinhentos palitts
a 18.* e 20000.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porgo de pa-
litts sobrecasacados, e propriamente so-
brecasacos de panno preto, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos pregos
de 180, sendo forrados de alpaca, e de
20 forrados de seda ; esta fazenda a nao
se ter feito urna grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
Cortinados
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande sortimento oes me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
OALOES MODERNOS E SAIAS DE LA
Na loja do Pavo vende-se os mais mo-
dernos balees reguladores tanto de muss -
lina como de la de cor, o as mais moder-
nas saias di la enfestada, mais barato do
que em outra qualquer parte.
SULTANAS
Chegou para a loja do Pavo um grande
sortimento das mais linuas sultanas, para
vestidos, sendo muito larga e bonita fazenda
com listas de sdae os padres mais novos
que tem vindo a es'e mercado, vendendo-se
a 10400 o covado, na loja de Flix Pereira
da Silva ra da Imperatriz n. 60.
ATTEN Q6T~
Vende-se urna porpio de gradiamonto de ferro,
qne foi do passadifo do Rerife a Santo Antonio, e
igualmente se vende urna machina de torca de 3 a
4 cavallos, em perfelto estado, e ealdeira nova : a
tratar na Torro com Andr de Abreo Porto.
sent, tendo aigumas com mnsi a.
Estojos ou earteiras de cooro com nava-
lhas, e os mais necessarios paraviagens.
ESCOVAS DE MARF1M
s Para unhas. dentes, cabello e roupa.
Outras de balea com macheUdos de ma-
dreperola para os mesmos fins.
OBRAS E MADREPEROLA
Leques, escovas para dentes, caetas,
dida^s, brincos, alfinetes etc. etc.
Ricas capelias com veos para noivas.
Cintos de brim, com elstico para se-
nhoras.
Voltas de grossos aljofae* de cores,
para circular os coques.
Outras igualmente bonitas, e com pin-
gentes para o pescoeo.
Outras com aljofares coloridos, e tran-
selin domado.
Botoes com ancora, e P. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventurine com o p de
prata dourada, para colletes, cada um 5.
Botoes de cristal, encastoados em prata,
para punhos, 4 o par.
Camisas de flaneila para hornera, a me-
Jlor qualidade que ten vindo a este mer-
cado,
Meias de la para homens, senhoras e
creangas.
AVSQ
Bonitos passarinbos de metal prateados, Aa onfAwJa para segurar costuras, tendo almofadinhas! Ab aUtOndaftCS pOllCliieS (
de velludo para agulhas e alfinetes.
Thesouras de duas, tres, quatio e cinc
pernas para frisar babadinhos.
AGULHAS N'ON-PLUSL'LTRA
e a emceriaaae ao seu agrado, que nao se
Ditas de dita, tecido de borracha, para esquegam de comparecer loja dAguia'
quem soffre de inchagao as pernas. Branca roa do Queimado n. 8.
quem competir.
No dia 2 do maip do corrente auio Li-
gio o escrav,. Esequiel, crioulo de 30 3a
annos de idade, estatura regular, reforeado,
I cor bem pre'a. cabera redon.la. trajava ca-
Tal a qualidade dessas agulhas, que jmisa azul e ] ('e casemira cinzenta; du-
mereceu ao fabricante o pomposo titulo de|ran,e ^''' costuma wtdar ganhandb as
Non-plusultra, merece a Aguia Branca as Jrua u em armaznis de assucar ou na;;
honras d'um annuncio, e sem duvida me- tabernas a conversar e a beber; duranie a
rocera das intelligentes senhoras, a devida noile recolhe-se a telheiros abertos ou pe-
estima por sua apreciavel qualidade. netraveis, a casas em conslrucco e a o.t-
Alagora nada se tinha visto de to bom tros em tal genero, e ainda assim custa cada'oar: qem o ajlpreheiider tenha a bondade
papel apens 200 rs. e o condtizir rna da Aurora o. 26, onde
Provavelmente d'aqui a pouco abundaro i ^E_?^i^?j____________,__________
as falsificadas para serem vendidas barata- IWllita ottonnoo
meato, porm as verdadeiras continuaro a JttUll* al*tCAlL/clU.
vir especialmente para a loja da -Vgua' Fi'io "> di;, 20 .h-jui.lio o earrairo Manoei.;,..
Branca. na-a" AnS",;^ l'''ll!" 30 aanos pooeo mais ou m. -
,, nos- com o rfpnaes segutatps: falta de denp
escrever minuciosamente por seus no- Hntc, andar vagar, so, peroN linas, marra
mes e qualidades a inlinidade d,0*|eelOS^,^,{fattCal*cca,M'l> de riscadinho. cba-
que eonstantemmte se acham venda na Kff L*2!: ,r"=a"se a"- 9a- "P* '
ils i r i cimjKi de o anri; wni fre tiuc olevemarna i.
loja da Aguia Branca, sena senao .mpossi-'reita n. |, ,,'u, ser garosamente gratm^riV
vel ao menos infadonho por isso ella con- de*wnte jae and |>rtos engenhosdo Cabo,
fia na constancia de sua boa e antiga fre-i" j^gi FngTrTiTdn engenho Firme:a
quezia, e pede aos que de novo queiram I 'rfrW (i" l''"l>" ,la Em';u,;i> "a noiie >v
reconhecer a commodidade de seus pregos I \Jm$l 9Dara n do cmrtnto. dous es-
:incetidade de seu agrado,
SI MHI Nill.ll l'L\i.l 11
VATRO
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
SIMAO DOS SANTOS ft C.
cravos mualos, os q aes foran
"omprado3ao Exm. Si. bario de
Nazaretli lia 15 dias pouco ma..
ou menos, seade Jiao, idade Ce
r-sap=^ O a ,)i anuos, bem barbado, p< :-
j tos cabelludos, tem qs dedos d-~ pea, sto es
niinloHM cortos i quasi qiie trepaui um no outru,
, tendo todos os Jentos de Trente, corpo regular u
1 leva chapeo de. i-i,uro de sartanejo, calca azul Ha
algodo t|ue Ibe cbamam pelle d onca cobertor
I de baeta escura e raaisalgona roupit, fui esenvo
. do iim. Sr. lenle coronel Agosubo Correa i*o
Mello, de Oiu-ieury, o oulro de nonie Flix, ca-
; br.i, alto, Ihiiii corpo, Maoe o annos poueo Blis
ion menos, levou chapeo do eouro de abas Ir
I calca azul de algodo que Ihe chaman paita 1! an-
tea e cobertor de bata escura, foi esenvo do
flhn Sr. Eduardo Pereira de Sonza, da provin. .
da Paraliyba, que o venden por seu procurador o
Sr. Jos Lopes Albeiro; quon o appreltoader u
levar ao mesmn engenho Firmesa ou no Booihi
seriptorio de Domingos Alvos Matheus, a roa
Vicario n. 31, aor seneri.^nnienti; rreoiii|ten?adc
Fugio no da 9 do corrente mez. o
molalo Aquilino de 18 a 20 annos de ida-
|dc, estatura regular, magro, ainda sem
Os proprietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados. parteoipam
aos seus numerosos freguezes, tanto desta praca, como do mallo e igualmente aos ami-
gos do bom e barato, que leem um grande e vantajoso sortimento de diversas merea-
doria e as mais novas do mercado, as quacs vendem em grosso e a retalho, por!b;,!"un' caDel|,1s crescido e"muito crespo--.
menos preco do que em outr qualquer parte, por ser maior parte destas mercaduras i be'cos S,ossos. {'M d,? um (lpn compradas por conta propria, por isso quem comprar al a quantia de 100 \ ter cinco mandbula superior (dente da frente).
por cento pelo sen prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste ten(l no l}rav esquerdo junto ao pulso.
armazem. i'ima cicatriz mnito recente e circular
GAZ AMERICANO 9# a lata, a 400 rs.
a garrafa e 60' rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 560 e
OiO rs. a garrafa, a 40500 e 4800 a cana-
da, a 720 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a U e
305(10 a caada, 600 e 640 rs. o litro.
AZEITE DOCE DE LISBOA i 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 40500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 20200,
10800 e 10400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 10440 e
40280 a libra, 30140 e 20800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZA 960 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 10870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 10400 o kilogrammo, em porcSo se
far abatiinento.
BANHA DE PORO) DE BALTIMOOR
720 rs. a libra, c 10570 o kilogrammo, em
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e 30800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo. e60 por 14kilogrammos.
CAF EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 *> 440 rs o kilogrammo, em caixa ha
abatimento.
620 rs. o kilogrammo, em porco ha aba-!tuemadura' 1)r;'cs c Perna* compridas, e
tmenlo. quando anda abra com estas jiara os lado-.
BOLCHINHAS EM LATAS DE WVERlf." niuitns "nentos com aquelles e
SAS QUALIDADES, a l o 10400 a lata. ,illla um, ,1anti) rooco. Gosta da andar
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. 01 Compaiibado de i-amaradas, contador de
historias; foi ate fevereiro do corrente anno
eseravo do Sr. Joo de Castro GuimarSes.
masso. em caixa ha abatimento.
PH0SPH0R0S DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
30200 e 60500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHIMIVS
DE MUITOS TAMANHOS 30500, 50500
e 10 a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 160r8
0 masso de urna libra, e em caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS6
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10300, 10200, 10 e
800 rs. a garrafa.
GENERRA DE HOLANDA E AMBCR-
GEZA ;i 70 e 60 a l'rasqueira, e 500 rs. 0
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30, 2*800 e 204OO,_ em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 110500 por
14 kilogrammos.
CHA FINO. GRADO E MIDINHO os
melhores que ha o mercado, 30 e
30200 a libra, 70080 e 60540 o kilo-
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA- grammo.
LH \RIN E ALETRIA. 800 i s. a libra e j DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 2*700,
1075Ooklogrammo. 20500, 20200 e 20 a libra, e 50130 -3
SEVADINHA-E SAF 280 rs. a libra e 40180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinho em ancoretas, azeil
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguicas de Lisboa, marmelada, con-
servas gela de marmello, pecego, ervilhas, peixe em latas, aardinhas de Nai
vinho verde engarrafado, pomada canella, cfavo, ervadoce, cominho, pimenta, gran s
sahio de casa com camisa de madapolao e
calca de casemira ncitizentada com listrv.
pretas dos lados externos das pernas, e
tem sido visto as mas das Cruzas, Que-
mado, Rosario, largo do Carmo c na na-
da Aurora que elle frequenta.
Quem pega-lo ter a bondade de leva-lo
ra Nova n. 39.
Recfie 12
de agosto de 1869.
Fugio no dia 9 do crreme mez do
engenho Sant'Anna da comarca do Poro
Calvo o cabra Wenoeslau, estatura rega-
ta*, de 22 annos pouco mais ou menos,
sem barba, cabellos preto, e bem car-
pinhados, foi comprado na cidade do Re-
cite, para onde veio da provincia da P-*
rahyba; e bem assim o escravo Mano-J
crioulo, de 22 annos, estatura regular,
tem um dente quebrado no queixo sopera.
bem preto; quem os appreheader leve a
casa do negociante Joaquim Rodrigues Ta-
vares de Mello, no Recife, ou no referido
ensenho oue ser bem recompensado.
Sscrva fgida
Acha-se fgida a eserava Anua, tendo sabido de
casa com um vestido do Ka quasi branco com \-
fcites zoes, chales de mei in azul com barra
lampada Je cores, e un brinco do pedias l*MA
cas ; alta, de idade, pouco mais ou manos,
rnnos, acha-se nutrida e tem os bracos muito pin-
tados de. marcas de bexigas : quem pegar lev .i
ra Direiu, casa n. 32, qn sera gratificado.
molhos de sebolla
menciona-los.
10500, finalmente muito mais gneros que enfandonk
INJECTION BJRO
uo dia lt do corrente mez de agosto a e;ciava !n
nome Maria Joaquina, de idade 8 annos, ponen
mais ou mouos, cor mulata acabildada, cabe1 '
compridos e annelados, tem pannos no rosto, all i-
ri regular, rheia do eorpn, falla alio, filh.i 'lo
erlio de Maco do Assii. levou saia de eblO
lislras enivirnadas, alguma BMUa de^bolado, e i i
casaqTiinho brauco, vinha .-ompre da ('.aponga r i
onahres e frucia-pao eui un laboleiru de duhIi i i
grande, e pausara prniprc no aminho-novo e
desde ja proteett-te contra quem a tiver aronlad.;
o pede-se a autoriiiades polieUifll o capitaes do
campo a *\ptnra de'.la, que serao bom recompr i
ados, levando-a na Capui.ua ao sitio de Join Jo
da Cunha Lagos, ou na ra do Vigario, taber.ia
'i. 3:1.
ygtalea MUallliei e PrMervalIva, bttluUBeDW t >* H-* cun leo ueobuiu iaflno. V -a**
M filililpMi WtioM < a*4*. {Bxlfir a lnmi|ll om). (M arnt 4e txItUacil.) Pui, tm M
D.fcMlmri **!. Mi.
m
1
I
a
mu
Attencao.
Vende-se um escravo com idade do 3.ifc>os,
robusto para todo o servico : a tratar na ruaDl-
reita n. 69.
Fste ii'iffiirwl
Depurativo nnu
I Jlllclll l DI
i-lirio, co ou
arsenlcn j um
ii|(oroso uodifl-
cador para o sanjue cura radica Intento as molcstitet de pello, laos como a lepra, uimpigens, aslieip
espiaba*, eosPaaao, etc.Empreado diarumenle elle refresca a mussa dosangue e consolida ouwk. |
Cura eaa S dias os orrimenlos anligrs ou reaettei
os mais rebeldes.
111
1 INJECCAO GADET
Pn, 7, B* Otnain,
:io uia 18 do corme mez de ag
do engenho Taquary, freguezia de Santo \n .. ,
ummul.uo do soma liiltli.uar, escravo do eapl-
tao Aristteles Carneiro da Culilia e Albuquorque.
Levou caiga de algodaozinhu azul de quad;
raraisa lo da mesma eftr. e conduzio
rede. E -ortanejo. alto, espadado, pnue.o barba-
do e tom c ii. dios crespos o iinos ; em un dos lodi i
do rosto te.m uuia cicatriz o uaia pequea rujH i
na altura do estomago, proveniente dt urna i.
da ; tem Ma branda e i bomn Itgnra. [te
lia-se que procurasse as proslmida^les do Rio t-i '
Feixe, d'ondo natural. Ser hem gratiin
quem o ovar ao dito cug.njw, ou cidade do
cite, ra i?.ra do Rosarlo u. 4,:egundo an-I


Diario de Pernanabuco Sabbado 21 de Agosto de 1869.
:
GERAL
por in
tenares
CMARA DOS SHS. DEPUTADOS
i EM S DE JLHO.
PREsrofrciA no sn. nemas.
Quando outras:
termedio de seus
e t militar
ifte carerem, milito ra 16:000$ para m
l:ir mima compara ti van i
msignifio acairelar grande
(.i s ao thesnat'o. nem to ponen desfalcar
a rendas da estado.
Entretanto, pequea orno oHa satisfaz,
ama neressidae de tongo tempo redama-
da, e preendhe um justos desejo da pro-
vincia (jtie. represento.
'<
peito do Uoco da^
theaour,
nonet;;
IIH-
[ .ivsiltilite, e que nos prive de diseutir-mos
< de votarmos no lempo competente o or-
namento do seguirtte anuo flnanceiro, nao
e p >r certo lixar annualmentc a despeza
publica nos termos do artigo citado ; nao
o, a ttvu ver, cumprir a disposico cons-
tan. iolKll.
Se em condicoes normaes, se em cir-
cti nstancias ordinarias esse. dever deve ser
e.imprido annualmente, como to positiva-
mente prescreve a constituido, porqae as
necessidad.'s publicas pod m variar e re-
clamar da parte do poder legislativo a
adopr i ile novas medidas nesse ramo de
servico publico, no estado de incerteza em
que hije estamos, as circumstancias ex-
traordinarias em que nos adiamos, a bra-
cos com urna, guerra que ninguem sabe
qumdo terminar oque sacrificios ainda
exigir do paiz, a restricta observancia
desse precedo constitucional quanlo a
mhn, alm do tima obrigacSo, urna impe-
riosa necessidade.
Voz es :Maito bem muilo beui!
OS SRS. AIVU.R) GES E BUTEN-
COUKT fazem algumas considerares.
A discusso lica adiada pela hora.
Dada a ordem do dia, levanta-se a ses-
s3o s seis horas di tarde.
veruo iinpi
de 54 e 10$ mandadas re
ria, e que p
naquella pcacYfO
Depois de br
Costa Pinto e ministi o .. r |
i approvado.
OHDEM I
Contina a 3 oposta do
orcamento fixando a desp lo a
receita gera! do imperio p
1869 a 1870, eom as eniandas apeiadas.
O SR. PHgjUtA DA SILVA :A qne*
tao sujfita nesto momento ao exa
deliberaco da cmara dos^-Sto. J^pflav
consiste no ornamento geral do un
isto na fixacao'da receita e da despeza
dos diversos ministerios que coropoem a
administraco publica. Da receiu j traa-
mos na presente scsso da legislatura, em
i.1 discusso, e so se ventila boje a 3.*;
achamo-nos, portanto, bem esclarecidos
pelo longo e desenvolvido debate que se
suscitou na easa. Da despeza, porra, de
cada urna das repartiere tu relaco aos
servidos a seu cargo, aceitamos a proposta
offerecida cmara passada em 18(18 pelo
ministerio que antecedeaao actuil, e talqual
^foi approvada por outros deputados, que
' nlo por nos. Temos, portanto, a seu res-
oeito urna s discusso, a terceira, para
aprecia-la, compara-la com a do ministerio
que ora se aoha frente da adiministraco
do paiz, e resol v la convenientemente, dis-
cusso geral sobre todas as verbas do ser-
vico publico, sem que possamos tomar co-
nhecimonto particular de cada urna rapar-
pelo regiment
em 2* discusso.
Comprehende, portanto, a cmara que
mal nos sobra tempo para examinar um
tal assumpto to vasto e tan abundante de
materias differentes. E' de rigorosa obri-
gacSo do corpo legislativo fixar a despeza
publica, e para o fazer precisa de estuda-la
esdarecer-se completamente. Assim, peco
dinario
da rece-
do anno de IRBfl a TR7T
di) orcamento
amavogr
Portanto eu espero que a cmara nao
[iBlfUena quantia que pedimos
para a realisaflo d" um melhoramento to
itecessario a nossa provincia.
Dflvo, antes de concluir, fazer ainda
urna observadlo qoe a Robre commisso dd
ort*ment toniaf na considerar*) que hV,
merecer. M* parece que contraria a
a disposir:) do art. 43 additi-
vo que di/, assim : i O presente orca-
iiu.'iit'i vigorar.) no auno Unanceiro
a 1871.
A constudte dispe expressamente no
art. i'6 | 10que o a assembla oral com-
pete liaar amumlmento (note bem a cma-
ra a forca desta oxpressoi a despeza pu
blica e repartir a contribuidla directa.
Ora, determinar que o orcamento deste
anuo vigore tamben-no ejercicio vindouro, ucao, como'si'j se admitte
s i;i que baja crtivo algum que nos
SESSO EM 2 DE JULHO
PESII.i:\CIA DO SR. NF.BIAS.
\o mam dia, felta a chamada, verifi-
havflr numero sulliciente, abre-se a
sesso.
L-se e appr^va-se a acia da a dece-
denie.
0 Sit. Ia Secrktabo, servindo de Io d
contai do s guile
Kpedknte
l'm officio do ministerio do imperio, ac-
cusaud i o receltimenlo dos desta cmara

ai-liando
^J^ffiscussttk nem de d-
Mtes poltico*, >dem e devem
teM^do^*w"niais faeilidaO>
_ Iciowie'eessarios c as reformas pdr
xiindas. Assim pensa o paiz e por
cssa mesma razo cabe cmara actual
urna antier somma do raspqwabilidude.
Nem se diga competente e apto para effectuar ecoaoniias
no dispendio e gesto dos servigos publi-
co?. Posto seja venl i Jadoira esto doutriua,
compre todava ao corpo legislativo, que
lem de lijar as despezas, mostrar igu.il-
rnente por sua parle que deseja ecouomi-
*ar, cortandoe diminuindo verbas sis.ep-
veis de se modificaren! para menos, votan-
do so o nicamente o que redw a ne
cessidade urgente do servico publico.
A |>oca de cr le e dolorosa .provanca.
Urna guerra de cinco annos e ainda b5o
linda, e Dees sabe quando fiadar, ao praso
que nos devorou copia immensa de solda-
dos, e eeifou tantas vidas predosas, qut; o
paiz ha de por muilo tempo lamentar i mi-
tos apoiados), paiz pobre de popuiacao, c
esteosissimo om terertorios Bsers que
recamam babitadores, laborisos. twn-noa
consumido cerca de 3;iO,0OO;O0O5, eflge
ainda quantias incalculavois. Nosso tho-
souro est acabrunhndo. iiissjiMftmcas des
baratadas
E' um labor ineessante .e inglorio o que
nos cabe de arranjaiin >s dinlieiro para nao
deixari o estado sem alimento. Nesta po-
ca, pois, em despezas ordinarias so execu-
de mim fallaram para os nao acomptinliar
no campo da poltica geral, em qne algnns
se enmaranharam, no das queMbes provin-
lyse de materias concernentes a artigos
ollerecidos como additivos ao ornamento, e
e alneias a sua especialidade, como o lm
oroposto varios dos meus Ilustrados col-
tegas.
Um delles discorreu verdade. sobre
um dos additivos appr vados em 2a discus-
so pela cmara, acerca dos bens das ordens
regulares^ e releripdo-se commisso que
o propuzera, linha particular direito a me
i'U respondesse s suas observacoes, visto
caber-me a honra de ser del la o relator.
Gomo, porm, um dos meus collegas da
cmmisso, depulado por Minas-Geraes, e
jurisconsulto illustradissimo, tomou sobre
si a tarefa de analysar a impugnadlo offere-
dda, e mais habilitado do que eu (nao
apoiado) melbor a desemprnliar, espero
pie me perde o digno representante da
provincia doMaranhio, se me nao incumbo
do dever de considerar o attender a seu
importante discurso.
Desejo s e nicamente tratar de quistos
do orcamento. afim de para elle chamar
exclusivamente os cuidados da cmara, e
poder ella votar cssa lei ahnul, recommen-
dada pela eoristiiuico polilica do imiteHOi
do modo mais conveniente, e o mais digno
do corpo legislativo.
Foi um verdadeiro. um relevante sen
desculpa jios honrados deputados que antes temos o que fr urgentsimo o ndispensa-
vel. Adiemos os dispendios mestnot raaoa-
veis proficuos para memores opportnni-
dades e lempos mais bonancosos. Cesse-
na senna poltica do
sos ap
MlHO-
os H'iitres membros
p^^BHnl^^^TO ''infw-o, jti'1 >()<
em ludo quanto ole parscej' onveniente aos
nteresses pblicos. Ji tenho dado provas
exuberantes nesta mesiaa sossao legislativa,
tomando parte em projectos e trabamos de
importancia. (Apoialae ) Ten'o ditfft ao
meu partid > poitiiv) u continaari a dar-lhe
abonos serios e seguros le quanfo sej e
folgo de guardar-llie a devida fidelidadj, e
urna lealdade siaeer;) quer na prosp;ridjde,
quer nos tempos da desventura c das pro-
vaneas porque tem pastad.). .(Apoia*)6.)
ConsertaYei, pWm, rnin'ia n tepenten-
cia. Aventare sempre minhas opinies, em-
bora cantrariaao vaer;s deimniislrotoj
meirpani'i-prtlrtfC', sem Irte* faltar om
apoio necesario para se maaterem no po-
ih;r, sem procurar embanco algum qae
o egtoi-vo oo empaca ni sua imrclii a ad-
ministrai;"o ; considrenla o[tnio solida,
djstiocta, mas da amig bvra, queso
que acedera e goveraem bem o paiz.
Fetas estas daas declar^ces, tratare
com franqueza de fallar na discusso do
presente orcamento.
Nao me ser possvel, r > cab." as (at-
utas forras, nao me amsente mesiH) o re-
giment da cmara dando-uie i)raz> deler-
rainmlo e bxo |iara fallar, que eu seja m-
numioso como desejra em um s discurso.
Profuncloriamentc portanto farei observa-
coes sobre os varios sm vicos publi
cupaodo-me particularinenle s d
ministerios que formam a administradlo do
pnit. v
No orfamonto da neparticSo da fazenda
nao descubro mesm que se possam fazer
corlea ou dininuico..s as verbas em que
no' 1 e n
futura
que depois d
) poder tres aquatro mni-
otes. Pertencem s a historia,
(ipoiados.) ue teuho quixado
^Kaisadas. Raz3o essa e
iHrmos ao governo que as
.f*l>aus de t^Mentos discrimi-
ne, repare, distinga, minucie as verbas do
ornamento 4esnglobando-es o mais que
for pessivel, emboca as augmente em noves
periodo? do artigo correspondente.
A emos merlior exercer a scali-
sai^lo q\ie nos ctjrapete, na occasi3o de li-
xarmjs a despeza, Todovia com os escla-
recimentos que pude obler, vou agora fa-
'.er um passeio mais demorado pelo-minis-
terio da agricultura, de certo orna das mais
importantes repartieses publicas pelos as-
sumplos que llie eslara subordinados, inle-
resse ofricokis, coaamercio, industria, te-
legraphos, caminhofe de ferro, obras publi-
cas, riavegacao, etc. verdadeiras bases da
riqueza nacional, ruodamenfo principal da
prosperidade do paiz. (Apoiados.)
Ah pretendo ser mais deseo volvido, por
pro drscntl esta qu^sto nn legislatura pas-
sada com o ministro qoe entSo oceupava a
pasto, e a quem eu fazia opposicao. Exig
entilo economas neate ministerio porque
uw pareeo o mais susceptivel de admitti-la
nos servii;os a seu cargo, suspendendo,
pelo ranos emquanto durar a guerra mal-
aventurada que nos preoecupa t-Mlbs os
cuidados e aDsor\'e as foceas vivas da na-
co, todas as despegas que se possam adiar,
ainda pro*ettbsas, disjwnsando desde ji
quantasjulguei que eram mal feitas, en3o
davam ao paiz as vanlagens que se tinhain
em vista.
Assim posso mais habilitado conversar
um pouco com o actual Sr. ministro a
bucos, n agricultura sobre assumptios da sda rep.ir-
'. ixn dos lico, pcdir-lhe algumas economas, que
julgo possiveis. rogando a S. Exc. a quou
ivipcito, astnio e venero, nao tome minhas
observacoes como raeins de opposicao sua
administraco, e sm como ideas de om
umgo, que deseja fazer prevalecer sucs
se consignara as sommas necessarus para opiuioes pela convieco e raciocinio. No
em que com-mnilca as decises da mesma | senhores, que a cmara pre^tou ao paiz,
cmara solee varias eleir'S paroehiaes das i elevando a resella publica, quer com a reor-
provindas d i Para; hauhy e Rio-Grande
do or!'', cojo jufgamento fra adiado; e
declarando que se expedir avisos s pre-
sidencias das referidas provincias afim de
l'' aquellas deesoos sejam exactamente
cumpridas. Iteirada.
Oulro to mesmo ministerio, enviando o
i' com que a presidenta da provincia
de Sergipe traitsmitte as actos da eleico
primaria ili-- pamebias de Santo Amaro de
Brotas. Divina |*asl ra e IV do Branro, do
1" disiricio : S. i: ni-! i\.l ,. Simo Dias,
Rmcbo, Estanria r \rao dSP, bem como
a da secu'i lar d i de Japara-
tulu. di 'i -l!e distrid -A (fltora fez a re-
quisica -i.
Ootro do ministerio da fazenda, enviando
c requ'-rim nio em que os continuos o cor-,
reioa da alfaodega da provincia de Pernam-
buco pedem augmento de seus venci-
meutos.a commisso dcpens5es eorde-j
ffad
pa tro do I" secretario do senado, par-
ticipando que o mesmo senado adoptou e
vai dirigir a sancfiio imperial as resolu-
C'es que approvam varias pensos.-In-
teir.i 11.
Oulro no mesmo sentido, ommunican-
do ijue constara ao senado -pie S. M. o Im-
perador couseute na resoluco que autori-
sa ogvornu para transferir para o quadro
dos is do exercito o cirurgio de
brigada l)r. Antonio Jos da Fonceca Les
sa.Ioieirada.
I))ii> d> mesmo secretario, participando
que o senado adoptou, c vai dirigir a sanc-
c3o imperial, as resobcOes que autorisam
o governo a mandar aceitar jlm qualquer
facoldade do imperio os exanes de prepa-
ratorios fedos na do Jtecife pelo ustadaiitt
Mancel l idrigues r Garvalbo Bortaes, e a
conceder carta de naturalisaciio de cidadao
brasileiro a Hemiario Franco de Mallos e
i.ulros.Intciada.
I v3o a imprimir: um pare-
cer de commisso, sobre o projecto de re-
forma policial aposentado pelo Sr. ministro
da justica; e um projecto, mandando natu-
i alisar ;i diversas pessoas.
Sao litios e approvados: um parecer
decomm:s cmara municipal da capital da Babia; seis
ditos sobre as pretencScs de D. Rita Maria
de Oveira Fernandos, Alanoel G. Ribeiro
Rocha, A. F. Campos Pecanha, Jos M. de
A velar Brotero, Elisa A. Verselense da Costa
e Antonio Garlos de Aludida.
a-se e vao a imprimir diversas
reda obre pens s e matriculas de
estudantes.
P a' ^'olacao do parecer da
3" 00mrafs3o de poderes sobre as eleroes
ja-imarias das parochias de Marianna, Paulo
''ira, Caclioeira dolrumado. Saude, S
Gaetano. Pnheiro, S. S-Dastio, Camargo,
Infecccmado e Furquim, pertencentes ao
collegio de Marianna. do l"distrrclo cleito-
ral da provincia de Miuas-Geraes, c ap-
provado.
Entra em discusso o parecer da com-*
/nissilo de fazenda sobre a representacao
.nada por 297 posseao residentes mi
gnoisacao, quer com o augmento de varios
impostos. Apresentava-se um orcamento
aunual em que a receita era inferior des-
peza ordinaria de nove mil e tantos coritos
ile ris. Alm da despeza ordinaria, exi-
gamos a continuadlo da guerra, em que
lia tanto lempo laboramos, gastos extraor-
dinarios. Aon e liamos parar, se nem
mesmo para saldar as desp'zas ordina-
rias da administraco bastavm as rendas?
(Apoiados).
Era dever rigoroso da cmara attender
as vozes patiiulicas do honrado Sr. minis-
tro da fazenda, que exiga devano da re-
ceita publica, para poder fazer face s des-
pezas decretadas; era obrigaciio penosa,
mas mevitavel, sua fundar urna renda su-
perior existente, afim de arrancar o tbe-
souro dos apuros e perigos que o cerca-
vara e o ameacavam a cala instante (apoia-
dos). Nao trepidor, portanto, a cmara
ciaes, >que tm outros suscitado, e na ana- mos todas as despezas que se possam dis-
pensar sem detrimentos graves do servico
publico. Esta a obrigacao nao s do go-
verno, como do corpo I gislativo; seja este
o peasamento de ambos; seja suabandeira,
sua regta de procedimiento mvariavel, in :-
xoravel, um rigorosa eeonomia.
Precisa-se provra-lo ao paiz para qne elle
menos impressionado, nos preste de melbor
vontade os sacrificios de impostos que llie
exigimos de novo e mais pesados. Fique
o paiz saliendo que Ihc reclamamos esses
sacrificios depois de ter cortado e diminui-
do todas as despezas dispensa veis no mo-
mento, para que elle mais convencido da
dura necessidade nos auxilio com o seu
poderoso apoio.
Assim procodeui todos os governos e c-
maras patritica*. Loffibro-m t que ha tres
anuos pedindo o governo italiano ao seu
p i lamento elevacao de impostos, apresen-
loudhe na mesma occasio nma serie de
economas quo se deviasa admittir as d 's-
p.-zas. extingiiiildo grande numero de pre-
feltos, e d empreg dos pblicos llcehcian -
do urna parte do exercito. e cortando ver-
bas do orcamento qoe llie paredaa dispen-
sa veis.
Assim proceden igualmente o actual mi-
nisterio portuguez, presidido pelo Sr. hispo
ile Vizou, que, pedindo s cmaras aug-
mento de impostos o el vn ao da receita
ariruia mais de S.OOWXKK t h ts co-
nbecimento immK'uato de que diminuir o
governo a dejpeza ordinaria do armo em
cerca de 2,000:000*, isto em um orcamen-
to de I i i lo,Oi)0:OJI)> fortes.
Sirva-nos este exeraplo de salntar adver-
lencia e de sabio conselho. Peco, portanto,
acamara que na discusso actual aWede de
si i|ii ilquer outra i lia qrM nao seja a da
pratica e observancia da mais severa eeono-
mia. Bogo ao governo que nos ajada com
suas luzes e experiencia para resolvernos
com maior criterio e sabedoria.
Com8carei, portanto, por implorar a
meus nobres collegas que retinan todas
essas emendas e ad wSvos que em to eres
cido numero forana apresentados mesa, e
ipie leuaem a crear despezas novas de obras
publicas interessantes. que se poilem toda-
va adiar para *|oca nnis favoravid, i au,'
mentar ordenados de tVnccionarios pblicos
em tempos lao crticos, e a tozar crescer
servidos nao previstos e nem estipendia los
al aqu; fiquei triste quando os vi lerpelo
Sr. Io secretario, porque, alera de nao
serem propr os do orcamento, augmentam
as despezas ; fatjomos um orcamento modelo
urna lei regular e siraplieima, tixan lo g-
mente a despez publica ordinaria e indis-
pensavel, e tirando-Ihe a loriga lista de ad-
ditivos. que o convertem em um verdadeiro
cahos, e muitos dos quaes sao impossiveis
at derealizar-se aduaiuuMile.
E lei annua o orcamento, terumos occa-
sio azada para euidarmos dos diversos as-
sunptus inclu I i{ as emjndis e a^litivos,
equepodem ser apr*seutad m em projectos
separados e distmetos. Por agora s a
lei do o i amento, mas ama lei une compre-
beoda nicamente a receita e despeza de-
cretada j e ordinaria, eis o que as cum-
pre ajiprovar, e enviar ao senado, e ao go-
verno. (Apoiados.)
Passo agora a examinara propos'n de or-
os serviros a seu cargo.Inoluem-sc pagamen-
tos de dividendos da divida fundada, de
juros de divida fluctuant de differenca,
cambii>s pela bnixa que lera solbido o novo
padro monetario, e gastos necessarios cora
arrecadaco de rendas. Pode ser que o
honrado ministro encontr economas que
se possam verificar. A cmara nao pode
eonhece las. Deve todava confiar no sen
espirito severo de economas, que o nobre
presidente do conseHio as ha de realisar
sempre qile^bjoare possibilidade de o fazer
porque ningOi*m ha aqui mais animado do
desejo, e mais decidido de cumpri-lo, de
effeetuar diminnieoes ib despeza. ('Apoia-
dos.)
Em relaco aos ministerios da justica e
do imperio, em presen.u das verbas de
despezas que lb.es cabe, nao me lembra
Lambem de nenbuma diniiouico que o oor-
|io legislativo posea verili nr por si Nao
tem tido augmentos as verbas de ha muilo
tempo, cabe portanto mais aos ministros
respectivos effecluar economas proporui i
que ellas se tornarem ooasiveis, e devemos
jante esta laree, que a devia amargurar
pr.'fundamenle, por que sobrecarregava o
povo e o paiz com ouus mais pesados esa-
criiicios mais dolorosos. Ouvio os conse-
Ihos da raza >. os avisos da necessidade ur-
gente da siluacu linance'ua, e pedio ao
paiz e ao povo que secuivassm dura
provanca, afim de salvar-se a si mesmo*
salvando o estado. (Apoiadd.i.
Elevou-se, portanto, a re cita polilica
Mas, como os augmentos dos impostos reor-
ganisadosno podem no primeiro anno fl-
nanceiro de 18(W a 1870 ser realizados e
cobrados senao em relacao ao segundo se-
mestre, attiugc unicaraente nesse anno a
elevacao da receita quantii calculada
pela commisso de 8U68:959fl iquando
no seguinte de 1870 a 1871, em que deve
igualmente vi. orar e3ta lei do orcamento.
montar a receita acerca de 87,1(00:000^1000,
Assentada esta base, resulta que se
na discusso actual da despeza nao dimi-
nuanos algumas quanlias lixadas as va-
rias verbas do servio publico, e as dei-
xar-mos com as sommas pedidas na propos-
ta do governo, apparecer ainda um dficit
no orcamento no anno de Q9 a 7 de cerca
de dous mil e tantos contos de rU, moles-
tar-nos-ha ainda o desiquibrio ei tro a re-
ceita e a despeza ordinaria, quanto maior,
se comprehendermos a despeza extraordi-
naria da contimiac' da guerra !
Ser um grande mal, urna calamidaite
ainda, e nao s do presente orno do fu-
turo. Gonvm-ios assegurar o presente e
acautelar o futuro, nao lira deixamto dilfi-
culdades talvez invendveis. Por ora lampo
ainda de remediar, mais tarde quem o p
prover?
E* piis, mi iba opfoiio que aos compre
a a dizer a minha opitD sincera, franca e
niiependente sobre as verbas respectivas
que convm approvar, as que compre di-
minuir, e as que me parecom susceptiveis
dosapparecer do orc-amonto.
Tratando de desenvolver as minhas opi-
nies, devo fazer antes de tudo duas decla-
radies que entendo necessarias. a pri-
meira que nao emiti ideas e pensamentos
que nao fossem por mim nesta mesma c-
mara, e durante muitos annos proferidos por
varias vezas, owr esa opposicao a rims-
terios, quer prestar. 1 > meu fraco
upeio. Kepolirei, i meen)'- que j
jue dirigem estas duas repartices.
Quanlo repartirn dos negocios estran-
geiros, pens que alguma cousa, posto di-
minuta, em vista dos orcamentos respecti-
vos, se poderia conseguir as verbas de
evenluaes e extraordinarias n ) interior e no
esli.-rior. Su o nobre ministro dos negocios
estrangeiros, quer o seu muilo illu-drado
proprielario, quer o cidadao que tao digna-
mente exerco interinamente esle cargo, aqu
estivesse, chegariamos, pens, a um aocor-
Jo. Todava so to diminuios esses cor-
les, que podemos votar as sommas laes
quaes pedidas na proposta, na e-peiarica de
que se bao de re.aliz ic nesta reparticao as
economas possiveis, visto as nao pdennos
combinar desde ja com os nobres ministro-.
Sobro as repartidas da guerra c da ma-
rinha, acham-se ellas entregues a dous esta-
distas notaveis e inspirados das melhoces
iuteneoes. ComprelienJen; estas verbas
deapozoa ordinarios de paiz em e lado dd
l>az, e despezas extraordinarias da guerra,
em que nos adiamos ainda empentados d <
granadamente. Se estivessemos em 1 dis-
cossSo dest s orfamenlos, eu pedira a SS.
EGx. que reJuzissera as verbas ao estado
normal do paiz, visto qu i os orcamentos s
devem comprehender estas ; e que se se-
parassera todas as despezas qoe s deman-
da a guerra, para formar verbas espcciaes.
l'Vam-se estas despeaos, mas como extraor-
dinarias, mas uo se coaaplete'n os servaos
ordinarios com o que 6 extraordinario. Ex-
plica r-me-he melbor.
Julgo que em eslado normal se nao pre-
cisa de tantos ari.im:>nt9S, muuicoes. Ir.-
polacoes de navios completos, arseuaes oc-
cupados era lanos trabadlos.; separe-se.
portanto, esse escesso exigido pela guerra
do que normal e do tempo da paz, em
que se nao preenchem todos os servaos.
Lance-se na conla de despezas extraordi-
narias da guerra o- referido exc^sso, al
mesmo para no tlm deba podermos compu-
tar o que cuslou ao tuesouro. (Apoiados.)
Hednzam-se as verbas de reamentoas des-
pezas s propri is do estado de paz.
Gastem-se as sommas exigidas "pela con-
tinuaco da guerra, abiiudo-se-lhes crdi-
tos, que todos nos baveinos de approvar,
porque lodos nos somos brasileiros e deve
que eu errar S. Exc. me corrigir.
As economas que eu lembrar, e que S.
Exc. considere inaceitaveis, nao tome em
consideracjra, mas convenca-me, e disfa-
ca-me algtunas impressoes que nutro de
que te n, verdade, melhorado a actual
admiiistraco debaixo do ponto ,-!e vista
de economa, mas que podia ter ainda
conseguido maiores proveitos.
Combat, senhores, a proposla do go-
verno de 1883 a rlspeito do orcamento da
agricultura, por me parecer exagerada as
sommas pedidas para as despezas de ser-
vigos a seu cargo.
O Sn. Axoaadg Figckira. :Todos nos
em opposicao diziamos isso.
O Sr. Pkrf.ira d\ Silva :Com, pois,
deixarei passar sem observacw e reparo^
a proposta do 1869 apresenlada pelo no-
bre ministro ? Gomo representante do
piiz, nao me licito conservar-o silencio.e
deixa-la passar desapercibida, visto que
pensei e panso que se podem dar nesta rc-
parti'co 2 a 3,00:000.) de eeonomia.
(Trocara-se varios aparta entre osSra.
igualmente confiar nos cid a daos illstrt' Gardoso de Meneaos, A. Figueira e o aro-
feclur os olbos a consideracbes secunda- etnbora desagrade s
ras, e corlar e diminuir a despeza publca vezes, poTcpie estou firme no proposito de
ordinaria as repartices qne firmnm a' snsteirtar minhas ideas e opimoas, esletom
4ifecg.o geral do estado. Eiauiineioos|ou nao amigos meus na posse da aituacao
os orcamentos parculafas de despeza d
cada um ministerio, aceitemos as lembran-
Cas dos nobres ministros sobre diminuidles
susceptiveis de realizar-se as suas ropar-
tiC&es, lembremos-lhes igualmente as que
nos parecem admissiveis sem grande detri-
eiiio do servico publko^onamo-nos todos
provincia de Porto- queixando- se fia'boa f, cmara" e ministros, para conse-
dos ios praticados polo presidente da 'jujrmos fazer descer a despeza publica or-
pohtica.
Consiste a segunda declaraco em bem
altos e claros termos proclamar que apoio
sustento o min -.- actual, nao s porqqe
commungo as ftpjHdas polticas, e
aprecio o zel Je seus membros
illus a.certa e parti-
edar venerarn qc obra presi- _
dente do cons^tbo tetras mais | despezas efectuadas, n5o pode mais tomar
tual nenie esta discrimac i. pirque na >
s nos cabe nicamente a ;J' discusso do
orcamento na actual legislatura, como poi-
que a base sobre que deliberara >s da pro-
posta de 1868. Esperem s para o anno
fuluroe estou certo de que os nobre minis
tros nos salisfaro, porque com isso uo
pretendemos seno illustrar-nos.
Assim a respeito destas duas repartices,
eu por miaba parte nao tenbo a fazer ou-
iras obercoes, continua*jdo certificado d.;
que o zelo dos nobres ministros nos d
c implela garanta de un excel ente fisca-
lisaco.
Gumpre-rae aqui fazer anda urna obser
vacio, e que nem o corpo legislativo se
p de convenientemente mostrar acerca das
despezas ysjjfcadajlt c tomar cotilas ai go-
verno, pelo .sistema nao adoptado p.do ac-
tual ministerio mas j.i detras, j de muilos
annos., de s se destribuirem bataneles
qualro e cinco annos depois do enno finan-
ceiro raspeclivo...
O 8a. Anbraok Fkubira : Que de-
viam ser annualmonle distribuidos.
JSr. PEHniA da Sh.vv : Quando
cmara tem assim cimliecimento das
dor.
O Sn. Pkrkiua ha Silva :Aos nobres
deputados que nao admittirem minhas opi-
nies pe?o que rae nao iiiterrompain, e
exijam a palavra para fallarem....
i) Cuidoso de Mumoes :Ha de se dis-
cutir.
O Sa. Pi:imuiA da Silva :E' o que de-
sejo, mas cada um por sua vez. Como ia
dizmdo, o ministro de 18lH pedio na sua
proposta para despezas da reparticao da
agricultura a quantia de U,8l9:0)!)710,
qnaudo elle gastara no anuo linanceiro de
1867 a 1808 12,y;>:)47->270, apocar de
que o orcamento vigente Ihe dava apenas
a somrna de cerca de 10,000:000^. En-
tretanto no anno anterior de -186** a 1807,
sob o dominio dos nossos adversarios, n >
exceder a despeza realizada nesta repart-
Cao de mais 10.000:001)3, comprehenden-
do lo lavia s ni verbaColonisaco e Ier-
ras publicas1,900:000$. De um auno
para oulro subi assim a despeza a mais
cerca de 2,000:000$ cim osla s reparti-
Co.
Vejamos agora a somma lotal de riaipe-
za pedida era 18'i) pelo nobre ministro
liara a sua reparlico da agricultura
U,0;0:8:il^H0-.iiais mesmo-1,1:000:S
do que o seu antecessor. Como posso
eu, que fillei na sesso passada corita
essa despeza, deixar silenciosamente pas-
sar ella e augmentada agora s por ser,
ministro o meu digno amigo, deputado por
M nas-Geraes ? Faltara a um dos meus
mais imperiosos deveres imposto pelo mm-
11 lo que rec.ebi dos meus eommUtentes
peJo 5 distcicl i do Rio de Janeiro.
I)ir-se-liia com fiiodamoiito"resoavel que
adopto procedimento de circ imtaoca, que
aos amigos poli lieos mostr Urna face e
aos adversarios outra. Nao aceito este pa-
pjl, lie de ser coherente. E boje parti-
cularmente em que eu como deputado com-
prehendo a criiica situi;aa guanceira, op-
poiilio-mj a todos os aug neutos de despe-
za e apoio todas as economas.
Entretanto, senhoro, posto a proposta
de 18d!) augmente UO.-OOO.s de 1863,
leve o abatimento do 40:000.,? na verba de
Huminacio por diminuico do combus-
tores; de 800^)00* na verba de ga-
rantia de juros s estradas de ferro de
S. Paulo, Pernambuco e Babia, porque as
duas primeiras produzem um augmento de
renda nessa somma com que dalla exuner.i
o therauro; na de ierras e coloaisaco do
160.000,), por se terom terminailo varios
contratos onerosos; isto utn abatimen-
to de l,iy:00OA, _e devido s ciroums-
lancias quasi exclusivament-. Como, pois.
em vez de pedir, tendo esta diminuico.
o nobre actual ministro.reclama mais....
110:000.) de que seu antecessor ? E em
lempo de guerra, que exige grandes e ex-
traordinarios dispendios, e em que todi's
os governos suspendem despezas no inte
rior para nao acabrunbar as suas Snancajs
e o futuro do paiz ?
E' que o nobre ministra actual exige aug-
mento de 1,300:0000' as vertas seguintes:
do 10:001)4 na secretaria de estado, de
50:600 > na verba de aspecto de obrap
publicas da corte, de 150:000,) na de
obras publicas geraes e provmciaes, de
71:000,>5l na de telegraphos, de200:OO0na
verba na verba da estrada de ferro de Pedro II,
alm de eorreios, esgoios, muzos, etc o
que tudo excede aquella diminuico que
as circumstancias iba irouxeram e que re-
fer. ,
mas d*s veri tos, pre-
xaaaar a- s respectivos de
cada urna verba, e mostrar a divergencia
aue existe entre mim oiostro,
divergencia que nao poltica, mas que
repousa em questes administrativas que
Ihe devem embarazar a marcha, o nem ti-
rar- he meios e reursos de continuar a ge-
rira repartifo de que se ada cnenrregado.
Primein verbaS de estado.
Foi sempre ^sde sua creado a despeza
consignada nos orcamentos para esta verba
oa 150:0005. A despeza verificada at
1868 nao excedeu. A do anno financei-
ro de 1807 a 1868 foi de 142:000$. Que
raz5es pode o nobre ministro apresentar
para este augmento de iO:000;J ? Refere-
se no seu rotatorio a expediente, impres-
soes de obras c outras, etc. Pois tudo
isso seno effectiiava at agora dentro da
cifra da verba?
Segunda verbaEventuaes. Em todos
os orcamentos, inclusive no vigente actual-
mente, consignou-se a quantia de 8:000??.
ultimo anno, o de I8ti6 a 1867, de que
lomos noticia o contas olTiciaes, despenden
():8969G. Para que, pois, se exige a
quantia de 20:000? s Nao ha explicacjfo.
Terceira verbaInspecclo de obras da
corte. No afino 'financro de 1866 a 867
gastou-sc 590:26-10189. O orcamento vi-
gente levbu essa somma a 798:011 #190.
O antecessor de S. Exc. gastou 868:01;?,
isto mais 74:0005 do que Ihe permitta
o orcamento, e mais 268:200$ do que no
anno anterior se bava despendido. 0 no-
bre actual ministro exige agora.........
898:0410190. Examinemos de vagar esse
servico.
Corridos pelos olbos os balancos reco-
nheco-se que 98:7070 se applicam ap pes-
soal superior, e cerca de 60:0005 aos guar-
das e pessoal inferior. Calcul3m-se.....
300:01)00 para encanimento de aguas,
180:0000 para desapropriacao de naseen-
tes de agua', 1 f2!6D2-> para a planta cadas-
ira I, etc. Eiige-se, 4W3, quasi 800:0000
annualmente para abastecer de aguas a c-
dade do Rio de Janeiro, por.qe qnasi toda
a somma da verba se appca s aguas.
Quantas sommas lemss j gasto comas
aguas da edite:' Por diversas vezes se
tem despendido ora 2,000, ora 1,000, ora
3,000 e varias vezes 4,000 c '5,000:000*
extraordinariamente. Todos os annos at
1867 400 a 450:0000 ordinariamente. De
epto para c pretendo-s 800:00001 Com
compras de nascencas, durante os cinco
u seis annos ltimos, mais de........
100,000:0000 talvez, .ainda agora, no anno
de 1869 a 1870, se prdende despender
180:0000. Sao, de certo, senhores, muto
abundantes as nascencas d agua que pos-
suiraos, e muto prximas cidade.. .
O Su. Andbade Fhhiiiiu :E o povo
morre de sede. (Apoiados.)
0 Sn. Peuliha da Silva:A Providen-
cia dotou estas montanhas que cercana a
capital do imperio de grande abundancia
d'aguas, e era proximidades dellas: ao me-
nos esle o pensar de bomens professio-
naes que tenbo ouvido a respeito. E' pos-
svel que lautos contos de ris se despen-
dam animalmente com compras de nascen-
cas vio aguas? J,\ ludo devia estar com-
prad, com a metade talvez da somma al
aqu gasla. (Apoiados. > E tantos mil con-
tos com os encanamenlos ? Parece-me tudo
isto excessvo. (Apoiado.)
Eu, senhores l'erharia os olbos a tantos
dispendios, se ao menos o povo tivesse
agua, que nem para beber ti m (Apoiados.)
Este auno, particularmente no vero e at
agora no invern, ha falla immeosa d'agua.
O Sn. Ministro n\ Ac.nicn.TiiA:
Ento o ministro o so! que secca as
aguas ?
O Sn. Pkreiiia dv Silva: Lada-sc
assim urna questn quando finan pHeres-
ponder-lhe de frente. (Uisadas.) NSoitlr-
buo de forma alguma ao nobre ministro o
ser cansa'da secca das agow. Censuro as
admmistraces que tem despendido tanto
dinheiro com aguas e nao tem dado agua.
Este anno soffre.H milita a popnlaco do
Rio de Janeiro COS a falta d'agua. Refiro
o fado nicamente, naotornando-o capi-
tulo de censura ao nobre ministro. Quei-
xo-rae de que tanto dinheiro se tenha gas-
to neste objecto, e se nao lenham colindo
vantagens proporcionadas aos dispendios.
.Mas pergunto ao nobre ministro : Nao
ser preferivel contratar com alguma com-
panhia o servico das agttaa da Cidade do
Itio de Janeiro? Nao se aliviada o thesou-
ro das enormes despezas que faz, o gover-
no da acensar) f.'ia pelo povo, que o tor-
na responsavel pela falta d'agua, e nao se
conseguida in Ihor abastecer d'aguas aci-
dado ? Njo ha propostas de corapanhias
que so pretoiulem crear para este lira, a
exemplos das principaes cidades da Europa,
e at | do algumas do firasil ?
Porpio se nao decide csti questo ? Poi-
que so repeliera essas companhias ? Porque
se nao d mesm i despacho aos pedidos
dellas ? minha opin-Jjo que o nobre mi-
nistro teria fej'o um )ionj servico se desde
que est na administraco tivesse decidido
este assumpto importante e contralado com
alguma ompanhia...
O Sn. Cardoso Fo.ntes. :Mas lanzando
um grande imposto sobre a popuiacao.
0 Sn. Amuivoe Figi uua : Para nao
deixar a popuiacao morfor a sede : o pavo
prefere pagar o imposto.
O Sn. Cmz M.vnivr.o : Ainda a c6rte
nao ten agua precisa.
(lia varios aparte mais.i
O Sr. PpnKiiiA da Su.va : Os aparte?,
confesso-o, perturbam-me e incomraodam-
me. (RisadasJ Peco a V. Exc, Sr. pre-
sidente, roguo aos nobres deputados qu
me deixem. contingar.
0 Sn. PaEsiDr.MK -Peco aos nobres de-
putados que nqo uicrropara o orador.
O Su. Ciuz .Machado :-^-Mas sou-aebro
da commisso e quero que meo aparte fi-
que consignado.
O Sr. Pkreiiia da Sji.va. :Gasta-so tanto
pelo thesouro, tein-se despedid enorme-
mente com. agiros, at aqu, e nao temos
agua E eotiviaul > os propretarios qoe
*5o recebem aguq ppgam o seu preoo ao
thesouro: nao o pagamento suspendido
emquanto .ha .falta. (Apoiados.) -ftmso,
pois, que se deve de prefereacia contratar
com alguma comoanhia, para ver ss>assim.
nos nao falta agua, o rogo ao uobi'O minis-
tro tome na cojisiderac i deyida esta mi-
nhas observacoes.
Passo agora, a .quaala wrta.Teiejjra
phos!... t,.,,a
O Sn. Andrad: Figieira:Os telegra-
phos tambera s- surwra pva commoaica-
Coes das secretarias do estado, nada ais.
(Gontihuawte.)
/
V
Ora, eu esperara diminuics as soa. TIT. 1H)IH\U10 IUADA8ltDU8I. <
\
1 FAGINACAOINCORRETA


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZGN3YKLL_XAEU9X INGEST_TIME 2013-09-13T23:49:11Z PACKAGE AA00011611_11922
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES