Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11921


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 189.
\\
k

PARA A CAPITAL E LGAHES OIDS SAI SI PAGA POITE.
rrwstwB^tditoijdQs..... GOGO '
Per seis ditos idom........'.'.'.'.'. I '.'.'.'. ', '. 124000
tOt um anno idem. MAnm
waa numero arulso ... mw
DIARIO DE
IEXTA FEIRA 20 DE AGOSTO 0E 1869.
PAJA OOmO tWk DA PROVINCIA.
Por tres mete* fuatados......... .
Porw ditos uke*............
te nefata fea...............
Por rasad.
61750
SUBO
3B
Propriedade de Manoel Figueira de Paria Se Fflhos.
' i'n mi


Ao acmburttos
Os 5rs. Gerardo Antonio Alves A Filfas, aoPsr; sotarte* Pialo, no Martlihao; Joaqnim Jos do OJveira, no Cear; Antosio* LiMfirm,,
_ ________ eo-rtetaM*; Poarto Tarares da Costa, em Afcyjas; Dr. Jos Martins Alves; na Bahia; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
i A.
tj; JoSo Mara Julio Chave, no Asan; Antonio Marques da &fr, no Natal; Jos
Braga,
PARTE OFFMAL
4&verm+ da provincia.
- MK) PKI.O EXM. R. DB. MANOEL
O* (KSOlfcTO HACHADO PORTKLLA, VrpB-FnESI-
1'SNTE DA nOVIXCIA. EM 3 DI JUNHO DE 1869.
I' seccao.
N. 90.Portaeia ao Exm. Sr. general comman-
Vlaute das armas.Communieo a V. Exc. para seu
Wntliccimento que, segundo consta do aviso da re-
parti*! da. guerra de 19 de maio ultimo, foi ele-
vada a 3100 rs. diarios a etapc do* aprendizes me-
oreado-arsenal de guerra desta provincia.
N. 91.Dita ao mesnio.Faca V". Exc. constar
i mulber do soldado do corno n. W de volunta-
rio da patria Jos Joaquini de Sant'Anna, que
a aoba no exercito en operaefies no Paraguay,
qto^wMo aviso do ministerio da guerra de til de
ii a .ultimo, junto por copia, Ihe ro concedida a
otap-db 300 rs. diarios na forma do decreto de 2
uitiibro de 4867.
-Dita ao mesnio.Faoo apreseutar a V.
K*c para ser alistado no excreito, se para isto fr
apto, o reerula llerculano Leandro de Lyra, que
ri-mettido pelo delegado- de polica do Santo
An!
:}Dita .toconsi'lheo'Jos Joaquim Rodri-
ftwe*'hopea< mwmrioao conselho supremo mili-
tar.Com a netas* copia do ofRcio do brgadei-
ro commandante das armas desta provincia, trans-
muto a V. S. a f dcoIBcios do alteres Quintiliano
Henrique da Silva Primavera, reformado por de-
creto de 2j de seteuibro de 1862, solicitada por V.
S em fflcio de 11 de utaio ultimo, para cumpri-
meato do ariso da secretaria de estado dos nego-
c.m*4f ^'Rerra de 4 do mesmo mez.
H. 91 Dita ao inspector do arsenal de mari-
nlia.Transmiti a V. S. para os lius couvenien-
'sdtjcnmemns inclusos relativos ao menor Joao
Mrrano Pedroza, neto de Thereza de Jess Pt-
dro7i, que por offlcio.de 28 de maio ultimo, man-
l i admitir oa companhia de apreudi/.es artilices
desee arsenal.
n. 'Jo Dita ao mosmo.Deconforniida'lc c tm
a-tUfomneao de V. S. do t" do corrente, so* n.
I.7W, o antoriso a mandar desligar da companliia
da npr ndizes ruarnheiros e entregar a Carlos Jo-
s de Sean, (como requeren) sen filho menor de
nort > Jos de Senna, que se acha alista-
da na me=ma enmpannhia, depois que o sindican-
te livor c.demni^ado a fazenda nacional da despe-
ra feita ti N OH. Dita ao commandante do presidio de
Fcrnaude-.Rucaba V S. naportnnaiimta nesse
presidio, como determina o Bm. Sr. ministro da
gastra em aviso de 24 de maio ultimo, quatro
ido de gales, que serio remeldos pela
pre iidencJa do Para.
N. 97.Dita ao ajudante do director do arse-
nal de guerra.epnndo me foi declarado em avi-
so do ministerio da guerra de til de maio ultimo,
,UBtti pir pin. fui '.-'0y,iH i Suh rs diario* adilitL')." sendo..t.n ri'i.s ^tHcJaes felaVO AO
qt oato ultimo e "- <\* \-vacas a segnncw tape dos aprendices menores desse arsenal, o
e.ommurrtro a Vrac. para seu conhecimento e di-
, reccao.
N. 98 Deiiberaco.O vice-presdmte da pro-
vincia attendendo ao que requeren Rernardino da
Silva Costa Cimpas, rewirs stmctfer^M lic^nei
para poder embarcar para o presidio de Fernan-
do no primeiro vapor que para all seguir os g-
neros constantes da reluci junta, assignada pelo
secre.ap i do i/overno. nao pudendo porm eff'c-
tuar o dajembarque dos referidos gneros seni
. (fnopu parte il M'oiiim.iinlanle do mesmo presi-
dio s pr "el." examo, atim do se verificar se ha
agurdente ou outra qnalquer bebida espirituosa.
2" se
N. Vj. vrtari i an chelMle polica interino.
'icierminando e Exm. Sr. ministro da guerra por
aviso de 24 de maio ultimo, em sattsfacao ao que
solie.itou -Ihe o da jusiica, que sejam recebidos no
ile Fernando, quatro coiulemna ios a p-
queserao remettidos pela presldenaia do Pa-
ra assimcimmunic > a V. S. alim de que oppor-
t'tnamente fa'ja de-embarcar ditos sentenciados e
il.-lne o conveniente destino.
S 10;).Dita ao mesmo.Com o ofllcio junto
por copia dojuiz municipal suppleute da primera
pondo ao de V. S de 22 de maio ultimo.
- ib n 6o8, sobre o sentenciado Germano Lopes
Kraao.
!. Dita- ao niosnn.C/unmunico a V. S.
que, SRgmrto o aviso Jo minjsterio da justica de
SO do mes IffHlo, nao (iodo o dito ministerio dis-
neadar qnantia alguma com a compra de umes-
ciiler para ser einpregado no servigo exclusivo
i repartieao, deyendo o da pulida'do porto sor
leito coijunctament com o da visita da sade, no
eommum escaler o^ue existe.
;). 104.Dita ao mesini.Approvo o contrato
celebrado pelo delegado de Saotn Antao do aluguel
de tima casa par.- servir de quartel ao destaca-
mento dalli, ao baeliarel Francisco Elias do Reg
i> totas, na razio de 4 obro do anuo prximo lindo, e ao qnal se re-
t'era o officio de V. s. de i do corrente, sob n. 799.
N. 10:-Dita ao mesmo.Em rcsposla ao offl-
cio de V. S. de 2 do corrente. sob n.' 802,tenho a
diser-lhe, que deferititei ao delegado de Iguaras-
s que mande orear os reparos de que carece a
cadeia daqueila villa, remettendo copia do orna-
mento pai a a vista delle osla presidencia provi-
denciar.
N. 10'*.Dita ao mesmj.Inteirao de quanto
me expSe em seu ofRcio de 11 do mez lindo,
i ib n. 757, relativamente a haver o delegado de
Ouricaiy, dissoivi lw o destacamento da guarda
aclouai je existia n^quelle termo, sob pretexto
de ser basrarile o de polica que all se acha, te-
nlio u diser a V. 8. que approro essa deliberacao.
convindo, porm, que V. S. recominende a diver-
Jelegados, que oriundo noforem mais preci-
i'.irt:cij(em,ar:ndsla pre-
sidencia mandar dispensa
N. 10B.Dita'an commandante superior interi-
nan; nal do Recite. Em vista de
saa irtfohnacaj do Io do corrente, sob n. 98, expe-
5a V. S suas ordens, alim dequeseja dispenso do
vico o guarda do 3a batalhao de infantaria, sob
sea commaudo superior Domingos da Silva Pe-
retra Jnmor, emquanloesver empregado no lu-
te'-RM (''l'f'"Jur de flrmas tfaea 3a companhia
Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Itamb.Dnvolvo a V. 8. as
relaces nommaes das deaieis pracas do bata-
lajo n. 15 de infamara da guarda nacional desse
municipio, destacadas nos mezes de novembro
dezembro do anno passado, o que acompanharam
o olflcio desse commando superior de 28 de abril
ultimo, aflm de que sejam datadas e assignadas pe-
I. commandante do respectivo batalluo, rubrics-
das por V. S. e venliam em duplicata.
N. 107. Dita ao cemmaadante superior da
Siarda nacional da Ba-Vista.Tendo nesta dala
anprevado a deliberado do delegado de polica
uricury de dispensar o destacamento da guar-
dasjaeional sob o seu commando superior na-
qiWle termo emquanto all houver o de polica ;
awjm Ih'o pqmmunico para sua intelligencia, d-
t-.-rnlnando-lhe que declare o da em que elTecti-
vamente se dissolver o dito destacamento.
N. 108.Dita ao juiade direito da comarca de
daranhuns. Itespondendo ao ofleio de 11 de
malo prximo Pind, em que V. S. me commuui-
r^ia ter-se desenvolvido urna epidemia eom o ca-
raeter de cmaras de sangue nos municipios e
Garanbuns c Bom Conselho, e solicita algumas
carteiras homepatbic.is, tenho a dizcr-lhe que
tendo naquella data enviado a cmara municipal
da villa do Bom-Conselho, urna earteira oontendo
remedios liomeopathioos apropriados ao trata-
mento daquella enfermidade, envi agora1 mais
duas para V. S. as conliar a pessoas habilitadas, e
que ifi. prestem a applicar convenientemente os
medicamentos aes indigentes que delles neoessH-
tacem..
MrMBci Dita ao jtz municipal da primera va-
ra dafA eidade.Determinando o Exm. Sr. mi-
mstro^ra guerra por aviso de f\ de maio nltimo,
em sattsfacao ao cpie solicitou-llm o da jusliea,
que sejam repolludos ao presidio de Fernando,
quatro condemnados a gales que sao remedidos
pela presidencia do Para ; assira coinmnico a V*
S. para seu conliecimento e direceao.
N. 1 ID Dita ao juiz municipa e de orphos
do tormo de Seriohem. Tendo nesta data indefe-
i ido o requerimento em que Vme. pedia para Ihe
seren abonadas as faltas que tem dado por estar
lora do termo de sua jurisdiecao desde I-i de de-
zembro do anno passado, determino-lhe que siga
quanto antes para o mesmo termo alim de reassu-
mir o exercicio do seu cargo.
N. 111.Dita ao promotor publico de Flores.
Inleirado de quanto V. S. me expoe era seu udleio
de 4 do mez lindo, sobre o estado em que se acha
o municipio de Plores, tenho a dizer-lhe qne esta
presdonciadar as providencias precisas.de for-
ma a seren attendidos os interessos da localidade.
N. 112Dita ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Mande Vine, apresentar ao che-
fe de polica, 1 inferior e 12 pracas do corpo sob
o seu commando para scoltarem at o termo de
Limoeiro seis reos que tem de responder ao jury
all, devendo a dita escolta se demorar em quanto
durar a sesso do tribunal, para rcconduzir os
mesmos reos para estacidade.
N. 113. Deliberacao. O vice-presidente da
provincia de eonformiuade com a proposla do che-
fe de polica em offleta n. 675 de 7 do mez Ando,
resolvo exonerar dos cargos de 2, 3o o 4" sup-
plentus do subdelegado do dstricto de Campo
Verde, 3o do termo de Barreiros, aos cidadaos se-
guinles: Jos Luiz de Barros, Francisco Alexan-
dre Dntra e Joao l.uiz de Barros Vsooticeltos.
N. 114.Dita.O vice presidente da provmi'a
i'onl'orinando-se cora a proposta do etaefe de poli-
ca em ofllcio n. ti/o de 7 do mez lindo, resoUe
nomear para os lugares de 2, 3" e 4o supplente
do subdelegado doBIstrifto de Campo Verde, 3
do municipio de Bsrreiro?. os cidadaos seguintes,
naordem em que vio c.ollocados: tenente-coronel
Jos Pewa de Meilo. Jaquini Symphronio Affonso
de Mello c JoaoJdarinho Barros."
3* seccao.
N. .113.Portara ao insMctr da thesouraria
Be fazenda Em vista da fulha e piet junto em
duplicata, que me retnetteu o commandante supe-
rior desta municipio com offlcio de hontem sob n.
100 mande V. S. liquidar e pagar os vencimentos
dos ollleiaese pracas do lu batalhao de animara
aqartellado no Hospicio e dos contingentes a elle
do mesmo mez.
N. 116Dita ao mesmo.Providencie V. S. no
sentido de ser pago a mulhor do swldaJo do 4o
corpo de voluntarios da patria Jos Joaquim de
Sant'Anna que se aha no exercito cm operaedes
no Paraguay a elapc de 300 ris diarios, de que
trata e aviso ministerio da guerra d3 19 de maio
ulnio, junto por copia.
*. 117.pita ao mesmo.Do conformidade com
o ue soliciten o commandante superior da co-
marca de Garanliur.5 em offlcio de 26 de mato de
ultimo, sob n. 43, recommendo a V. S. que depois
de liquidados, em vista da l'olha junta em duplica-
ta, os vencimentos correspondentes ao mez de mar-
co deste anno, do alferes Manoel Ferreira Barbosa
destacado-em Aguas-Bellas, mande pagar sua im-
portancia a Francisco l'ereira de Mendmca & C.
.\. 118.Dita ao mesmo.Recommendo "a V. S.
que, em vi.-ta das res inclusas eontas, que me re-
metteii o capito do porto com offlcio do 1" do
correntesob n. 67. mande pagar pur conta do cr-
dito de o OOOi, aberto por raen antecessor para
soccurros piiblicos. a quanta de 392000 prove-
niente das despezas feilas cum os que foram pres-
tados por aquella capitana por occasiao da ultima
endiente do rio Capibaribc.
N. 119.Dita ao mesmo.De conformidade etm
o que me solieitou o regedor interino do gymnaso
provincial em eflicio de 31 de maio prximo fiado
e nos termos do ar. ol2 S 23 do regulamento de
1!) de setembro de 1860 expeea V. S. suas ordens
afim de que na alfandega dejfa capital sejam des-
pachadas livres de direilos ;tcaixas com louca, fia-
da de Lisboa no vapor Chnpsotile com destino
aquelle estabeleeiniento eaque se refere o conhe-
cimento incluso.
N. 120.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S.
para os flns convenientes as inclusas eontas da r>
ivita e despeza da enfermara militar desta eidade
relativos ao (taz de abril ultimo com o parecer da
unta militar d? sade que as considerou confor-
me e regulares.
& 12I-Diti ao mesmo.Segundo me foi de-
clarado em avs;> do ministerio da guerra de 1!) de
maio ultimo, junte por copia foi elvalo a 50'J rs.'
a etape diaria do? aprendas menores do arsenal
lo guerra, o que comniunico a V. S. para seu co-
niiei-imento c lins convenientes.
N. 122.Dita ao mesmo.Attendendo o qne so-
lieitou o gerente da companhia Pernambucana no
incluso requerimento recommendo a V. S que
mande pagar-lhe a quanta de 11:1663666 pro-
veniente da subvengo, relativa ao mez de mareo
ultimo, com que o governo imperial auxilia ton-
salmente aquella companhia que segundo consta
do mencionado requerimento, satisfez seus eora-
promissos no precitado mez de maio.
N. 123.Dita ao mesmo.A Francisco Pereira
de Mendonca A C. mande V. S. pagar, depois de
liquidadas em vistas das folhas e prets juntos'cm
duplicata. que me remetteu o Comtrian lante supe-
rior da comarca de Garanhuns com ollcios de 26
de maio ultimo sob ns. 40 e 41, os vencimentos,
relativos aos mezes de margo e abril deste anno
dos guardas nacionaM destacados as villas de
Garauhons e Bom Conselho.
N. 124.Dita ao mesmo.Transmuto a V. S. a
relaeao nominal e pret jnntos em duplicata, aflm
de que mande liquidar" os vencimentos relativos
aos meses do tevereiro e marco deste auno, dos
guardas nacionaes destacados na villa de S. Bento,
e pasar a sua importancia a Francisco Pereira de
Mendonca A C, conforme sollctou o commandan-
te superior daquella comarca, um offlcio de 24 de
maio nltimo sob n. 38.
N. 123.Dita ao mesmo.Depois de liquidados,
om vista das folhas junta? em duplicata, os venci-
mentos relativos aos meros de mareo e abnl deste
anno, do capiio Manoel Alves Barrcto, ex-com-
mandante do deslacamento da Aguas-Bellas e do
?Malte all tambem destacado Tnom Gomes da
3ira acontar d- 7 a 31 de uezembro do anno
pronto passado c do primeiro do fovereiro a 31
do cado mez d marc, mande V. S. pagar a sua
importancia a Francisco Pereira de Mendonca A
C, coh/i*me sotcitou o commandante superior da
comarca de Garanlmes em offlcio de 26 de maio
ultimo sob n. ;;
!. tm.Dff o mesmo. Transmitto a V. S.
para seu conheoireuto copia do aviso circular do
ministerio da guerra de 20. de maio ultimo era
addtamenl;o a de ti do mesmo mez, declarando
que a et^pe^qii? deve ser abonada aos offlciaes do
exeliciio, qmrpasam a doentes em consequeucia
de ferlmyu>s recebidos m combates, ou de mo-
lestias adtftBHdarem campanil, a menor mar-
cada na taboHa do primeiro de maio de 1868, para
os respectivos postos, como em geral se acha cs-
tabelecido para os offlciaes doentes e inspeccinados
de sade. Avisla que se refere a portara supra.
N. 127.Dlt ao inspector da tiiesouraria pro-
vincial.Providencie V. S. para que, em vista dos
rnaueatos aooexos- ao iacluso requerimento, so-
ja liquidada e pugni|t #anini| prnTi-iiii-nin do gaz
cousumido com a illuininncao publica da eidade,
duranio o mez de marca ultimo.
-\*. 128.Diu ao mesmo.Mande V. S. pagar
ao gerente da cotnpaahia Peruambueana, que as-
sira^o solicita no incluo requerimeato, a quanta
de 'iOOOjOOO proveniente dipresuyo correspon-
dente ao iiiz de maio ullimo, coia que a provin-
cia auxilia aquella companhia, que segundo cons-
ta do attestado annexo ao mencioaade requeri-
mento ; cumprio com suas obrigaeoes no predilo
mez de maio.
N. 129.Dita ao mesmo.Cora as inclusas re-
lacoes, que me remetteu o chele de polica interi-
no, com ofllcio de hontem n. 798, dos presos po-
bres recolhidos a cadeia de Pao d'Alho, durante os
metes de marco a agosto do auno prximo passa-
do, satisfago as requjsicoes do V. S, coniidas em
seus ollcios do 18 de setembro do anime anno,
sob ns. 330 e ,"31, aos quaes vieram aonexas as
eontas que inclusas devolv para os flus coote-
presos, nos mezos cima indieados.
N., 130.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
seu conliecimento o lins convenientes, que alien-
deudo ao que me requer-eu o mordumo do Gym-
nasio Provucal Joaquim Jos daCo vista a ufuiMiaqio do director geral da instruc-
qIo publica de 20 de mai > ultimo sob -n. 143, re-
solv abona" as fallas que por lente detvo refe-
rido mordomo no mez de novembro do anno pr-
ximo passado.
4' secoo.
N. 132.OIBcio ao Dr. Vicente Pires da Motta,
vice-presidente da provincia do S. Paulo.Acen-
sando recobido offlcio de 20 de maio ultimo, em
que V. Exc. me coinmunica liaver no dia 49 as-
siiiiiido na qualidade de seu primeiro vice-presi-
dente a admiotstr&eao dessa provincia, para cujo
cargo fra Horneado por carta Beecil de 13 do
mesmo mez, tenho a dizer a V. Exc. que srei so-
lcito no cumprimonio de suas ordena, quer sejam
ellas relativas ao survico publico, quer ao uaiUcu-
lar de V. Exc.
N. 13 i.Dito ao director geral uterino da ins-
JOaaemujUrasimpressis j, Oocb,^ n.430! de 26 d
dezeiubro.do auno proumoatoado, dando,BCori-
dencias sobre o aneoraaecro o polica do< por-
to* d. jmaerio com relaci) aos navios do fusrra
n;|cion : angeiros.
N. 145.LH4 iguaes ao wspector do arsenal
fliraariata, cdmmaodjate do migue barca e
pttao 4s-parta?
N. 146.Dito ao eapilao do portoO Exm. Sr.
vice-prssiduBle da provincia manda deutaAr
V. S., em rasosla ao seu offieio do 1 do eonente,
3ue traasmiKio a lliesouraria de faMaAk para-oe
w convanlentes, as eontas (|ue na importancia
de Jli*M0 vieran aonexas ao citado oflicie.
2.* seeeao.
N. t*7.Offlcio ao Dr. caefc de policia interi-
no.De ordem do Exm. Sr. vico-presiente da
provincia transmiti a V. S. os litados junios de
nimeacio do *., 3. o 4.- supphmies do subdele-
gado duidislricto de Campo-Veide, 3." do munici-
pio d> Baiiciros, de conformidade cm a- sua
proposla em ofllcio n. 073 de 7 do mez dndo.
N. 148.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia manila declarar a V. S.
em regosta ao seu offlcio n. 7!)7 de 2 do crren-
le, qus nesta dala se urdeuou ao cominaadanto
do corfjia provisorio de polica que faga substituir
por outro u soldado d aquello corpa Fraarisco Jo
!.!",!g'.. ,as..'^peia3- !!"las &*, suslema de lae9 $ '^eeo, m ni lau l.,-e cmira este proceder na
da le pelo que consta o oilicio cima ei-
fbrma
Udo.
N. Ii9.Biio ao mesmo.Sua Bxe. o Sr. vice-
presidente da provincia, manda declarar a V. S.
em resposiano seu oficio de honiem, sob;.jf98,
que u lliesouraria provincial tem ordem para pa-
gar a quautia de 19i800, de qae traa o filado
oflicio.
N. 130.Dito ao mesnu.0 Exm. Sr. vioe-pre-
sideata ua provincia manda declarar a V. S. que
ne.-ta data; se ordenuu ao cummandanle o cerp i
proviorii de polica para apreseuUr a escolta re-
q i-itada em offlcio n. 8JI de i des:0 uh!..
N. 131.Hilo ao eoiirnaudante superior da
gualda nacioaal de Garanhuns.Sua Bxc. o Sr.
vico-pr^iiddanle da provincia manda declarar a V.
S. que tra'asinttio a thesouraria de fazeoda para
os lins convenientes as I'il'ias, relaeoes uominaes
e pret, que vieram anuoxos aos ollicios de V. S.
datados de |si o 26 de maio ultimo, sob mimaros
38, 39, 10, l e 3, os quaes lioam as-im respon-
ilidos.
132.Dito ao promotor publico da cejuarca
ato-
rado
paraassistir ao acto daaarUcao de tres raneas
em soleinnsaco da inanguracao dos carees jur-
dicos do imperio.
Outro da Arcadia Pcmamlraea&a, convidando
o Instituto, para assistir soaan magna, eaara-
4a aa, noute da dia ti da agesto. >
O Sr. secretario perpetuo declara que o Institu-
to tira repriiaaaiado naqueUm solemnidades por
ama eormnissao do sen seto.
Outro do director e collegiaes do Intrnate de
. Bernardo convidando o Instituto a se faaer re-
presentar no acto da hbertaco de algumas enan-
cas, om que os alumnos do mesmo ioternato. so-
lemnlsafBr e da a> seu padroetro.
Si i noateadas para emeommissao assistir aquel-
lo aeto i'3rs. Drs. Aprigio Guiniaraes, Soares
de Azevedo e Cmara Tamarindo.
Outro do Sr. Manoel Loureoco de MaMos, ac-
ceitaudo e^tgradecendo a sua eleicao de socio cor-
respondente.I uleirado.
Outro do Sr. Dr. Jos Nicolao Tolentino, fa-
zendo idntica communieaeao.Inteirado.
* O mesmo Sr. secretario perpetuo menciona as
seguintes olleras : Varios us. do fiama de Per-
nambtun. pelo consocio Dr. Figueira ; dous ns.
da Opiuiao Nacional e tres do Assutmse, pelas res-
pectivas redaeces.Todas estas offortas sao re-
eehidas com agrado, c mandam-se archivar.
Entra em discussao e approvado o parecer
adiado da commissao especial de estatuas relati-
vamente a ereccao de um monumento na praca
da Boa-Vista, eoinraeaioralivo de quatro hroes da
resiauracao de Pernambuco do poder hollandez.
E' distribuido pelos socios presentes o n. 13 da
Revista Trimetisal i Instituto.
mez. resolvido declarar sem effeito a lceuca de
tres mozos sem vencimentos concedida em 21 do
referido mez de ineio ao professor publico da ca-
deira da povocao de Baixa-Verde, JeronymoThco-
onio da Silva Louroiro. assim o cojuuuinico a V.
S. para sen conheciuiento, e rec*nmendando que
a respeito desse proceda i; )s tormo do iit. 5o ca-
"" e 14 do
tu a-
ilo 110 1037, poTTSiacTsT
dito delgalo litferario.
X. 134.Da ao mesmo. Convindo oxecutar,
em visia do que ponderon essa directora em offl-
cio de 13 de maio prximo lindo, sob n, 1,400, o
disposto no arligo 31 da le re-ula ocular n. 3l>9
de 16 de maio de 1835, propronha Vme. a me-
didas, (pie Iho pareccrem convenientes, afim de
sor ella observada.
.Y 1 !>.Dita ao mesmo.Tendo por delibera-
dlo desta data o en vista do offlcio dessa directo-
ra deJ7 de maio prximo (indo, sob n. 141, no-
meado" ao cidadao Francisco Procopm do
Valle, para reger mteiramente a cadeira de ins-
trueco primaria da povocao de Afogados de In-
gazeira, Medanle a gratilicacio anninl de -
res ; assim o communco a Vme, para seu eor-
nhociinonio. Quanto a prol'essora interina da vil-
la do Irfgazeira, d que trata o citad,) Offlcio pro-
ponha Vme. pessoa habilitada que a possa subs-
tituir.
'Ai. 136.Dita ao rnasme.Pelo seu offlcio do 1J
do corrente, sob n. 136, llquci uleirado de haver
Vme. transiendo para o da '7 do corrente o Con-
curso para preenehimento das cadeiras vagas de
nsirueoio primaria do sexo feminino que devia
ler hoje lugar.
N 13?.Dita ao regedor do gymnaso.Ree-
pondendo ao sbu offlcio de 31 de maio ultimo, te-
nho a dizer-lhe que fiesta data remoto ao ins-
pector da lliesouraria de faieoda o conhecimento,
que aeompanhou o citado offlcio, das tres caixas
com louca vndas de Lisboa com destino ^o gym-
naso provincial, alim do expedir as fon venientes
ordens ao nspeilor da altnmdega para seren
despachadas livre-.de diroitos. nos termos do art.
312 23 do regulamento de ) de setembro de
1860.
N. 138.Diu ao admitistradir do correiu.
Acabo do receber um olllaa dirigido a esta pre-
sidencia pilo Sr. minislro da marinba, e como' o
vapor americano, que uiliinimente veio dos por-
tes do Strl, ehegnn no dia 1", eiimpro qne Vme.
informe o motivo que den lugar ad'emira d'aquel-
le offlcio no con i-io; ii.v.ommendo-lhe que re-
mella com urgencia a iiilormacio podida c.n por-
tara do 13 de rwtio ultiinn.
o paleia dos poetes \ "utraaua
v.os dagnajya aa- I
3.J eooa.).
N. Kvl.-nlXi'io ao priileate di A^ociacao
CoJiwuercial Benelleenle. O Exm. Sr. viee-presi-
4ente da provincia manda Hemate)' a V. S. um
exainplar impres-o do decret i u. '..C)7, de 96 de
do aun i prximo -pascado dapdo previ-
ileii'-ias sobre oanenradouro
iliiiiuvjny myn re|f|eje |m i
cionae* e estriiiigoIroV
N. 131.Dito ao inspector da thesouraria de
fazenda.Sua Bxc \j Sr. vici-pnsiilente da pro-
vincia manda remellar a V. S. p ira seu conheci-
mcnlo e oxecii';i) na parle que Ihe tocar, dons
nanaanimn mateaos do docre.> n. 'i.:07 de V>
do doz nhro di) anno proxinu passado, dando
pr vd"!icia pobre o audoradejiro polica dos
porto; (I > imperio, com relaeao aos navios de
DINHEII10.O vapor Ipojuca trouxe 1:443*000
para o Sr. Viviano da Silva Cal las, 730^ para os
Srs. Goncalves Para A C, e 6005 para os Srs. S
Leito A Irmao.
TOCANTNS.Se este vapor, que 'se espera do
sul do imperio, chegar sahbado pela manha, sa-
ldr do mesmo dia para o norte.
THEATflO DE SANTA ISABEL.Nesto lliea-
iro fez ante-bontem sua estra a companhia ri-
ca italiana, que yem esle anno preeneber a bsta-
eao ihoatral, cantando a opera de Verdi cm quatro
antee,-Um baile de matwos,
Esla opera inteiraooiite nova para o nosso
lliealro, o bem pouco coubecida entre nos.
Os crticos sio discoides na* ameciacoes sobre
o B'i/l,- tle iiutsc/uas : uns olassiAeain n'^ como
urna das melhores do autor; outros, porm,no-
lita lugar secundario entre as operas do maeslro.
S. Do um o outro lado robustas upm'oes apoain a
13 de maio ulliuui.
N. 139.Dito m vice-firector da companhia d*
Ueberlbe.Nesta data e em vista do que me soli-
citon a directora da companhia do Beberibe em
oilioio de 29 de abril ulti.no, prov lencio no sen-
tido de ser dispensado do servco, o guarda do
d batalhao de infantaria, Domigpos da Silva Pe-
reira Jnior, enquanto estiver eaipreg.-wlo na co-
braiica das penuas d'ague da mesma eompanWa.
.X. 1*0.. Dehboracao. O vice-presnleiite da
provincia em vista do ofllcio do director geral in-
terino da instruyo publica de 26 de maio prxi-
mo lindo, sob n. 148, cora referencia ao db dele-
gado mterano do dstricto de Flores de 4, resol
ve declarar sem effeito a licenca de tres mezes
sem yeucimentus que por deliberacao do 21 do
reierido jnez de maio, foi concedido' ao professor
publico da cadeira de nstruccao prmaai da pu-
voacio do Baixa-Verde,JrobvmoTiie3tonio da Sil-
va Loureiro.
amN;,;!M'7Dm~0 vice Presidente da provincia
em vista do offlc.o do director geral interino da
ntrucca. publica de 17 de maio ultimo, sob n.
l'/," v i? nomear ao dda^ Francisco Proco-
pie do Vallo para reger interinamente a cadeira
de instruccaop uriana da povaacao de Afogados
Momo"*' m C a *<****$ aonual de
N. 142.-Dita.0 vico -presidente da provincia,
attendondo ao. querequereu LourencoGuedes Alco-
torado professor publico da cadeira da povocao
de Queimadas ltimamente removido para a da
guerra nacionaes e estrangoiros.
N. 133Dito ao momio.0 IX'0, Sr, v|e-p5
sidento .l-i provincia mam!; Iran-ioiitir a V. S. a
inclusa ordem de Ministerio da guerra datada de
2? d maio prximo lindo.
N. 136. Dito ao mesmo. O Exm. 9v, vioo-pre-
sidentc da provinra rrtanda commuucar a V. S.
para os Jias-coovenientes, que soguudo offlh I
II do maio prximo flndo do ha cha rol Pedro Af-
fonso Ferreira, ness nesmi data" reassnmio elle
o ekerciem do o irgo d- promotor pUbncd da co-
mnre i do Palmares.
X. 137.Dito ao m-m).O Ex n. Sr. vice-
presidente da pr ivin -ii ian la commumcar a V.
S. para os firis convenJemo que segundo offlcio
dn c'ioo de polica de 31 do mez lindo, sob n.
780,o deslacnmento do termo de Tacara!i no
ni>, de abril Qi'rao se romp iz i um alferes, nm
inferior o vinte pracas.
N. 138.Dito ao inspector da lhe3oarara pro-
vinciil.O lxm. Sr. vioe-prosilenie da i rovincia
manda declarar a V. S para o seu conliecimento
o flus convenientes rtue nesta dala foi approvado
pela presidencia o co-ilrato celobrado pelo delega-
d "de polica de Sanio Aulao Cora o Lachare!
Francisco Elias do Reg Dantas, de urna casa pa-
ra servir do quartel do de tar de setembro do anuo lindo o a rasSo de iiOOO
mensa k
BEV1STA DIARIA.
poveajao de Abreu de Uua, resol ve conceder Ibc
o praso improrogavel de 20 das sera prejuiso de
seus vencimentos pra entrar em sua nova ca-
deira.
EXPEDIENTE ASSICS.IDO FUI SU. H. JOAQUIM COR-
BA t)E ARAUJO, SECr.F.T.'.RIO l O GOVERXO, EM 3
DE 7U.NH0 DE 1869.
1* seccao
-Y 143. Offlcio ao'Exm. Sr. general comman-
dante das armas.S. Exc. o Sr. vice-presidente
da provincia manda remetter a V. Ex. tres exem-
Plares impressps do decreto u. 1,307 de.26 de
dezembro do anno prximo passad.\ dando pro-
videncias sobre o aneoradouro e polica dos
portos do imperio cora relac/Jo aos navios de
guerra nacionaps c ejrangeiro'.
N-it*L2,t>'-^-#^ Exc o Sr. vice-
presidente d rrovjneia'maada remetter para seu
conhecimento e excnclo, na' parte1 qtte ihe tocar,
IXSTinTO ARCHEOLOGICO E OEOtiRAPHI-
CO.Ueunio-se hontem esta sociedade, sob a pre-
sidencia do Exm. Sr. conaelhero ui msenfror Mo-
nz Tavarp, e com sssteneia dos Srs. Dr? Soa-
res de Azevedo, Aprigio Guio! imaraTa-
marhtdo, Rvm. Lin > do Monte Carmello. coronel
Leal a major Salvador.
Scmio lida o approvada s acta da anterior ; o
Sr. secretario perpetuo mcdCiotta o -oguinte ex-
pediento :
Um oilicio don Srs. Joaquim Fgtftfcfo di Barros
Lima, Faustino de Barros Lima o .nlunio Joa-
ipum de Barros lAaia, concebido nc_- ..'uintes
tolmos :
Julgamor corresponder aos flus do njtto
Arclieologico e GQQi'aphko Pernambucano, ofere-
cendo-llie, em nosso nomo e no da nossa lamilla,
a espada que perteuceu ao nosso av Jos do Bar-
ros Lima, eenhecido por LeSb Col'oado, com a qnal
ferio ello o Jjrigadero Mauoel Joaquim Barbosa
de Castro, na prematura revoKa' liberal de 6 de
marco de 1817. S a coaviegao que Peaosj nos e
nossa familia, ^le que proslamos um sorvico pro-
vincia, doando ao LutlMa rcltcnlogico. 'que tem
sabido tao bem coiiservar-liie as glorias, a espada
de um lilbo seu, que por ama-la omito 4 querer
veta livre, deu por ella a vida, nos fazia apartar
desse objecto, que guardavamos como deposito
sagrado de familia.
A ideolidade delle nao pode ser posl em du-
vda, desde que afflrmamos que nos foi ella resti-
tuida por Agostionho Cocino da Silveia. o paren-
amigo quem Jos de Barros procurou,
quando perseguido se oceultou lias maltas de seu
engeuho Musmpinlw, e que perseguido a seu tur-
no pela mesma pruteceo dada o seu infeliz pa
renie,retirou-sc em 1818 para a provincia das AJa-
gas, onde faBereu o anno passado, contando mais
de noventa amnos de idade.
Rogamos, pois, a V. S., que se*sirva de ser
inteprete popante o Instituto Archeolog'ico, dos
sentimontos-que temos manifestado e dos votos
pie formamos pela prosperidade do mesmo Ins-
tituto. .
Deus guarde a V. S.Illm. Sr. Dr. los Soa-
res de Azevedo, digno secretario perpetuo do Ins-
tituto Aneheologico e Geographico Pernambucano.
Ihteirao ; sendo recebda a oferta com espe-
cial agrado.
Oulro.offlcl da commissao do primeiro anno
da Faculdade de Direilo, convidando ao Instituto
critica sensata o Ilustrada, e se o Anilla de Milao
reprovuu a upera, os (ta nos de Pars applau-
Oio-a com luror, quando o maestro, mudando-lhe
o nomo, apie-eutou-a aos dilettantis.desse theatro
sob o titulo <|ue ho,e a cobre.
Para nos, que a ouvimus como curiosos, o Ilus-
tre maestro, antes d'essa opera, tinha publicado
mais luid i, que lem seuipro conido o uiun-
geral agrada e sem que a cnci leuha
wiullu uiiiiitm fc tu na
UUlllB*
Parece que, como om n;, calou pouco no es
piro publico as poucas bellezas da nmsiea do
Baile de mascaras*
No pri'neiro c segundo actos corre a msica
sem grnelo expressao, e o ryihmo c mnnotono,
sobresahindo apenas os concertantes linaes desses
actos.
Nos tercero e r|uarto actos, como que o estyllo
solTre urna inodilicacio : ha mai> vida, e rylhmo
mais euro. Nnta-se no tercero acto urna linda
aria da prima-dona e Utra do tenor, sem contar
um lindo terceto do tenor, do soprano o aO con-
tralto. No quarto acto sobresae um dneto do so-
prano e do barytono no primeiro quadro, no se-
gundo q.iadro riota-sc urna aricta do tenor, e II-
dalmente no tercero quadro o rond do pagem,
que milito mimoso.
Todos os coros sao lindos e sao por sem dovida
a u Ihur parte d'essa opera ; sobre todos lindis-
simo o coro das gargalhadas no tercero acto.
Toda a companhia cantn na opera ; mas, alm
de que diffleillino ajuizar de artistas na sua es-
tra, algutis eslavam destocados, como a Sra. Bel-
(ramiue no papel de pagem. que de um genero
que ella nao est habituada, e outros pelainsg-
nillcancia dos papis nao poderam ser apreciados.
E' por isso que a opniao que emittirmes sobre
cada artista, ser talvoz anda modificada, nao
o sendo todava a do complexo da companhia, que
muito sofi'rivel e sobretudo muto igual ; o que
um notavel fundo de hannonia.
O tenor, o Sr. Cesari, lem urna voz frosea e me-
lodiosa, e, bem que s vezes pareca esforzada,
nao isso habitual ; alm disso tem alguma ex-
tensao sna voz.
O Sr. Boschini tem urna bem agradavel voz de
barytono ; clieia, volumosa e ampia, vibra essa
voz'com muita meloda, subindo com facildade.
A Sra. Amaldi, a prima-dona da companhia,
um regular meso-soprano. Sua voz nao do glan-
de extensSo, nom ampia, mas harmoniosa e sua-
ve, sobretudo as nflcxoes do canto e nos tri-
nados.
A contralto,.! Sra,Pierolti, pareceunosterurna
boa voz, forte, vibraute e melodiosa, e o que ma'.
dstrleta a ura bom estyllo.
A Sra. Boltraiiimi, jo dissemos, trabalhou fra
do seu genero, n'ura papel ingralo, a que ella t ,-
dava soube dar importancia, elevaudo-o com as
notas liarmoniosfls do sen canlo.
Nao a primera vez que a Sra, Beltramini can-
ia no nosso theatro ; e, pois, conhcelda como do
nosso publico, abstemo-nos de emiltir juizo sobre
sua voz, oul'rora lio festejada aqu.
Os Srs, Gabassi e fx)mbardelli possuem vozes
syinpathicas, mas que nao podemos devidameato
apreciar, pelas crcumstancias em que foram ouvi-
das, crcumstancias casuaes da opera.
Os coristas de um e outro sexo pareecram-nos
bons;.pelo menos lem regulares vozes, que se
harmonisain bem, e sobreludo nao esli no caso
dos da ultima companhia quo aqni estere, que
nao salriam de sb a batuta do regente, taes erara
as dlgressdes que aziam.
A orchestra des^mpenhou satisfactoriamente o
sen mndalo', com pleno ag ado do publico. Nao
sabemos o nome do regente, mas pareceu-nos
mogo e intellgente.
A mise en scene esleve n*altura respectiva, e
de aecrdo cora o nosso theatro, e outro lano
pde-se dizer do vesluario, com pequeas oxcep-
coes no sali do Baile de mascaras, do ultimo
quadro do quarto acto, e de alguns dominas um
pouco estragados.
Emfim a companhia muito sofi'rivel por qual-
quef fado que seda considerada, e credra da be-
nevolencia publica pedida pelo director, o Sr. Ma-
rinaqgelr, para os seus artistas.
1NFECCAO. O lugar suecco Aoj/o.'chegado
hontem a este porto, procedente do Rio de Janeiro
com destin New -York, perdeu no seu tercero
dia de viagem am marinbuiroe no ultimo outro ;
arribando a este porto para desemnaresr o capi-
to e o l. piloto que se achara doente no lazareto.
DESAPPARECIM.NTO. Informam-nos que
desappareceu, ha alguns das, de nm dos eslabe-
lecimentos de caridade" um m or de 12 para 14
annos, pardo, ignorando-so qnal,o'seu destino.
Chamarnos para esse facto, que dvfe ser averi-
guado, a attenco do Sr. Dr. chefe de polica.
CIDADE DE 01JNDA-^fo pdltemos satisfarer
ao que nos pede o Sr. Manoel Jacome da Silva
Pessoa, porque o nosso informante nao dechnou o
nome dos professorei.dessa'cldade, que nao com-
pren com suas obrigacSe ; entretanto, foreoso
declarar que temos boas informadles subre aio-
do de proceder do Sr. Jos Candido da Suva
Pessoa. __
hUTntjVjfTJfRfbnRV BMtopHicc).
Funccionou noMem esu ioaKB^Wr% ptes
dencia doarHolUnd. Depoi- \l* IWa, for appru
'a sllntccldb Sr. Virz-fTtrrsdo Ifoi a sen pedido.
Procedendo-se votacao dos cargos vagos,
rain eleilos os Srs. Elisiarin A. de Moraes, presi-
dente ; Flix Ribeiro de Carv lho Jnior, orador.
Na sessao segoin'e ser disentida a tbseCa-
labar, face da historia, pode ser considerado
traidor ?
1P0JUC.Chegou hontem este vapor, dJ cam-
panbia Pernambucana, da Granja e pollos inter-
medios.
Pelo juiz de direilo da capital do Cear, liii
julgad improcedente oprocesso instaurado contra
ojuiz municipal Dr. Manuel da Cunta e Figueire-
do, aecusado de ter tirado dinheiro do cofre dos
orphaos.
A alfaudega renden de i a II dj correule.....
38:496*894 rs.
A Associacao Commercial, em sessao de 10 do
corrente, dehberou: que os precos e clculos so-
bre compra e venda de algadao, couros, ca, as-
sucar e seuielbantes se faya sobre ura kilogram-
ma ; que, alm dos cipos ou cordas, se tomom
para tiras de cada sacca de estopa grossa com
algodo 2 '/z kilogrammas, dita de estopa fiua 2
kilos, diu de algodao da trra 2 kilos,saccocom
caf e com assucar I kilojjr.uniua por cada um.
_A presidencia da provincia i-ontratou a publica-
cao de seu expediente com o Perno II, modiauto
2:400.3 annuaes.
Falleceu, a 7 do corrente, o membro do partido
liberal Alexaudre Sussuarana.
Lemos ua Yuz da Reliuiiio do Criri :
^ No dia 29 de junde verQcu-se a inaugura-
cao solemae da Santa Casa i: Caridade desta
villa.
t 0 acto foi solemuissimo e concorrido i>or nmi-
to mais de duas mil pessoas.
O veneravel padre (hiapioa deve seguir no
dia 3 de julbo para a povocao dp S. Pedro, onde
vai, a instancias do povo d'alli, edificar a capel la
do Sagrado Coracao de Mana.
E, concluindoesle servco, partir paraGoyan-
nlnha para pregar na iosti'v; lado da bencaa" so-
lemne da aageni le Nos-a Senhora da* Dores,
padruera da capella do lugar.
Consta-me q.ue seguir d pois para a villa de
Casajeiras Convite de seu rniaj e amigo o Rvd.
coininciidadur Ignacio de Souza Rolhn, para eri-
gir em casa de candado o a litigo edificio do cot-
legio d'alli, que para este flu foi doado pelO sen
Ilustre proprietario e fundador.
Em Muuu falleceu o administrador das ren
das provinciaes Alvaro deliveira Gundim.
Naufragou, nos parrachos de Maraeajaii, o
brigue francea Eleonor, c<>m carreganiento de
cafvgo de podra.
~ i ^ v*m .Miiiiiid"'-^ mwiiifc,dfl Rio firap-
de do Norte adiou para 2i d outnbro a eteieao
senatorial, que se achava convocada para 1! de
setembro, sob o protexto de nao haver lemp i pata
hegar as communicaces do primeiro praso do
alto sertao.
Da Parahyba uo? escrorem em data de 18
do corrente.
Conciuio-se no dia 9 Jo corrente, a feslivida-
de'de N. S. das Noves, percurrendo a proci-
de no&sa padroeira as ras da eidade, com rada
solemnidade e brilhantsmo,
t S. Exc. o ir, iiresidoiHo da provincia honrou
lodos estes actos, acompao..... ... ,. .
rio, ajudante d'ordens e mnitos funecionarios p-
blicos
As ultimas cinco no'ito. tiveram fogo de ar-
tificio, e inuitos balloes de cores de 'bellissiino
effeito.
Honvi-ran na mesma occasiao no palacio da
presidencia Iros SctrS danca:itos. que foram
honrados pelas familias mais' gradas desta ei-
dade.
O Exm. Sr. Dr. Venancio Lisboa, esmerm
se em bem tratar a seos hospedes, deixando a to-
dos penhorados de sua aflabihdade e cavalhei-
rismo,
Nao obstante a multidao que sempre concor- ^
reu aos festeijos da nossa padroeira, nenbum dta.
turbio occorreti que porturbasse a tranquilidade
publica, do que muito m i congratulo.
O chefe de seeeae do tbesooro provincial Sr.
Jos Custmlio de S Lcitio. foi aposentado am
conseqtiencia do estado precario'de sua saude,
sondo promovidos por essa occasiao tres empre-
gados liberaos na mesnia reparticio, tal o gran-
de numero dolles all agasalhados !
Semelhante proeodimento do governo, que
bem demonstra o espirito de moderaeio, lo'eran-
cia e justica da aetuaKdade administrativa, foi
reeebkn pela opposicao com vWvets nio-lras de
admiraban.
Cocerlo que, conduela igual nunca exihibi-
ram, os adversarios da situarlo, em todo temp" .
que doniinarain esla injeliz nrvincia,
icmrazao, pois, paia ospaular-se, fazendo
comparacocs que sao muito honrosas aos conser-
vadores.
Alguns Crimea importantes tan sido ltima-
mente commettidos no sertao da provincia, apezar
de todo rigor e vigilancia das autoridades l-
caos.
Na eidade de Souza fi i a-sastinado com nove-
Tacadas Vicente Ferreira de Soasa Pires por Joao
Tboodoro da Silva. O assassiuo foi preso e est
sendo processado. *
No-termode'AlagaNova. no lugar Canafis-
tula, Manoel Ignacio Casado, nalou Joao Alves da
Silva, sendo o autor do delicio preso em flagran-
te, e tuettido em processo.
t Urna escolta em diligencia, no dstricto de Ba-
naneiras, matou com um tiro a Ciaudiuo de tal,
criminoso, na occasiao do clfeeluar a sua captura
qual resistir.
Este estado de cousas desagradavel e eu
muto desejo ver melhorado.
Chegou do Rio de Janeiro a barca portugue/.i
Lusitania, carregada de paraleleppedos para o
calcamenlo de-ta capital, cando em descarga, pa-
ra seguir depois ao Asm, alim de lomar um car-
reganiento de sal paraa pielle porto.
. Est em despache o brigue inglez Solva/.
com um carreganiento de algodao para Liverpool,
e em abarrote o brigue inglez Rucltel Ixwis com
carreganiento do igual genero.
i O algodao Oca nesie mercado a l&ftSQQ por
arroba com pechincbas aos matulos, sendo as en-
tradas era maior escalla
Hcalsou-se no dia 12 do corrente o leilao do
*

- >
pancho naufragado Elisa Jane pela quanta da
6:7O0 ; passandoo navio a propriedade brasilei-
ra, eom o nome deNossa Senhora das Neves.
Dzem-me que o casco acha-se em boas con-
diQoes, precisando soraente de pequeos reliaros
parapoder navegar.
LOTERA.A que se acha a venda a 117%
a beneficio da Ordem Terceira do Carmo para
undacao do hospital, que corre no dia 26.
PASSAGEIROS.-O vapor Ipojuca vindo do
Granja e portos intermedios trouxe a seu bordo
os seguintes :
Luiz Jos,Esteves, Joao Pereira de Andrade,
desembargador Francisco Assis Pereira Rucha,
Dr. Joao Pereira da Rocha, Jdelfonso Coala Mortr-
ra, Francisco Pauto Frederico, Vicente Ferreira
Frederico' c 9 escravos. Jos Francisco Ramas.
Joao Pinto Ramos, Eduardo F. Moreira, Dr. Pedro
s
IIHVEI


.,..

m
ftfX^iario de Pernambuco Sexta eira 20 4* Agosto de 1869.
>

/
AITonso de Mello e i escravo, Joaquim Jeronymo
Jefforson Araujo, Koque Jacintho CNifeJra e So*w,
Francisco, Xaxier Cartieiro da Cunta, sua senho-
ra e 6 escravas, Manoel Joaquim Baptista, l>.
Joanna, JnGArra de Araorini. Francisco An-
tonio Cheflpum e seu companheiro, Antonio Alves
Teixeir,(#aMoj, Jos Joaquim Machado, Pedro
Virgolino Sonta Kilho, J s Bezerra Mendes, Fran-
cisco Paula Rodrigues, Equirio Jos Pereira, Jos
A. de Oliveira Pinto, Jos Paulino Duarte da
Silva, Vertobhno Paula Barbosa, Vicente Fe. reir
Giea Lira, A. >lubart e seis naufragados fraitee-
zcs, Maoocl Mari plantas Cavalcanti, Francisco
Uinbelino Damas Cavalcanti, Anna Mara Fran-
cisca, Jos Hibciro Dantas Sobrinho, 3 pravas de
polica, capito Galdino A. da Silva Freir, Gon-
calo Pinto da Silva, Jeronvmo Joaqun Finta de
Oliveira, Bnulduino V. do" Espirito Santo, Manoel
Gomes M rara, Joao llanoso de Souza, Amaru do
Barros Corral, Antonio Mendes da Sil, Maneel
Mara de Moraes. Jos Bolillo de Soma Kangel,
Jos Duarte de Souza, Manoel Gomes da Cunha,
e i criado.
CDRONIA JUDiriARM.
THIUIW.IL DA IllLAC i.
SESSAOEM14 DE AGOSTO DE 1869.
rftESIDBNCM DO EXM. SR. CONSELHElItO CAETANO
SANTIAGO.
As 10 horas da manliaa, prsenles os Srs. desem-
bargadores Gitirana, Almeida Albuquerque, Multa,
Doiningues da Silva, Regueira Costa eSouza Leao,
aluudo o Sr. desembargador procurador da cora,
Passados os feitos, deram-se os seguintes jura-
mentos:
- Rcubsos. Recrreme, ojuizo; recorrido, Ma-
nuel Vicente Ferreiia.Relator o Sr. desembar-
gador Lourt'nMkuiago, Mrteadosos Srs. desem-
bargadores AllINRla Albuquerque, Domingues da
Silva e Souza. Leao.Improcedente. Recrreme,
o juizo; recorrido, Joaquim Alves Bandeira.Re-
lator o Sr. desembargador Lourenco Santiago, sor-
teados os Srs. deseinbargadores Gitirana, Molla e
Regueira >sta.Improcedente. Recrreme, o
juizo; recorrido, Joio Francisco da Silva.Rela-
tor o Sr. desembargador Almeida Albuquerque,
sorteados os Srs. desembargados* Gitirana, Re-
gueira Costa e Souza Leao.Improcedente. Re-
crreme", o Juizo; recorrido, Jos Francisco da
Silva Carvalho.Relator o Sr. desembargador Al-
meida Albuquerque, sorteados os Srs. desembar-
gadores Gitirana, Lourenco Santiago e Mul-
ta.Deu-se provimento. Recrreme, o juizo;
recorr do, Antonio M. de Oliveira.Relator o Sr.
desembargador Gitirana, sorteados os Srs. desem-
bargadores Motta, Domingues da Silva e Regueira
Costa.Deu-se pavimento. Recrreme, Galdino
Jos Ferreira; recorrido o juito.Relator o Sr.
desembargador Gitirana, sorteados os Srs. desem-
bargadores Lourenco Santiago, Almeida Albu-
querqne e Domingues da Silva.Improceden-
te. Recrreme, o juizo; recorrido, Antonio Cibral [ lumnia, que se leoin honra, reputacao, um vis
presentante ei que priaaw dtaacMs caracte-
res, poHneo bcWo b deMrteresail, amigo desve -
lado de todos es infortunios, dadivoso e largo>jM|
todas-as boas obras, o bario de Ctinga nm cha- A razio ter sida a resultado 4a villora can-
co, assim como o venerando trbuaal /cuio jo
Sr. Olympio quiz ludir) desatar saber a razar
danuolle salto.
dio benemrito. Poucos o podom igualar; neahiun
la eni virtudes.
Presidente de longa data na caara da Esea-
da) eni qhe plantuu e fundn a mais merecida e
incontestada influencia, o Exra, toarao de Utinga
lea pKstadq^eoMrea, aa ardeta poltica como
na ordein moral, os oais notaveis srmeos. V-
M'-lhea uoine trente de todas as boa* obras ; o
infortunio honroso nanea balea (Ultmenle asna
porta. Dando ascua nobrea filkus o Unraplu de
ledas as virtudes sociaes, o nosso amigo sauba
pdaoar em cada um delles om digno sucoeasor.
A' ft-eatu de todos, e inspirando a todas o niais
profundo e inviolavel respeito, elle irapoe-se a so-
ciedade em que vivo pela rara forca prestigio
que Iho vem de urna numerosa deaceudeneia que
educou e dirige segundo os inais rgidos principios
de moral.
Addicto in vari a vel mente causa constitucin* I,
cooperador infatigavel da accao administrativa
sempre que o seu patriotismo tem sido redama-
do, o nobre baro personifica o elemento conser-
vador na importante comarca em que reside, pos-
snindo o segredo de ter reunidos em volta de si
um grande numero de amigos que nao se dedig-
nam de o ouvir e acudir seua conselhs. As
exigencias da causa publica nunca invocarara de-
balde o seu zelo e a sua dedicacao ; em todas as
crises de proscripeo sempre o encontraram os
amigos em seu po-do de honra.
E de homens desles que o paiz carece multo.
A accao administrativa seria por via de regra im-
ptenle se nao pedase a collaboracao de caracte-
res desta tempera.
E' uin nobre motivo que provoca esta ardente
mauifestaco. Pode parecer ser inconveniente ;
mas tem o mrito de uina importunidad-.- que s a
iodiseripcao nao respoitar.
O nobre bario nos querer perdoar si o vamos,
provavelmente, importunar em *eu honroso reti-
ro ; o reconhociment i nao sabe muito guardar
conveniencias.
Ao inimigo da calumnia e ao
Sr. Thomaz Jo deGus-
mo.
0 calumniador, infame, damnado, o refugiado, o
invejoso do prestigio e do mrito, que nunca exis-
ti, o locuplctador das fortunas alheias, o enca-
pado cora a redaccao do Liberal, o estellionatario,
bem entendido na lingusgem de quem tambem
soube so descrever, provoca aos autores dos com-
municados publicados no Diario de Pernambuco
de honlera e de hoje, assignados pelo Sr. Thomaz
Jos de Gusmo e por um celebro inimigo da ca-
AoIilm,Sr. Dr. chefe "de
polica
* Podera as autoridades (joJiciaes envol-
verse em questGes Je proprieu>de, onde
nao na crime, nem cousa que pareca"?
Pode urna autoridtde policial, acompa-
nhada de inspectores de quarteirao e do sol-
dados ir Mxiliar um proprietrio a fazer um
muro divisorio, que toma parte do terre-
no aleio para impedir que o espoliado
use do recurso legal da fortfa ?
Crema que as respostas s5o negativas
tanto pelo integro doSr Dr. chefe de poli-
ca, como por todo o mundo
NSo o serao, porm, por um certo sub-
delegado de polica desta cidade, que fez
tudo isto e a conselhava, na presenca -de
mais de 50 pessoas ao espoliador: t Po-
nha 40, (K), iOO operarios a fazer o muro,
eiba em qukstao KNTnANHADA no oitao MKEi-1 porque quando chegar o embargo, i a
1 ? ^gfjyr-se-na dahipara aotottelr par ou- obra estar acabada, e em logar de urna
acco de forca, que summaria ter y,
de defender-se de urna acc5o ordinaria.
Esta especie de advocada que se apoia as
bayonetas 6 de urna lgica irresistivel; mas
querwios parecer que nem o Sr. presidente,
era o Sr. chefe de polica podem consen-
tir nestes inqoalificaveis abusos de autori-
dade.
Um o&ermdor.
do Nascimento.Relator o Sr. desembargador Do-
mingues da Silva, sorteados os Srs. desembarga-
dores Lourenco Santiago, Almeida Albuquerque e
Regueira Co-da. Improcedente. Reeorrente, o
'uiio; recorrido, Joao Virissimo de Queiroz.Re-
attr o Sr. desembargador Domingues da Silva,
sorteados os Srs. desembargadore Gitirana. Motla
e Souia Leao.Improcedente. Recrreme, o jui-
zo; recorrido, Lourenco da Silva Nunes.Relator
o Sr. desembargador Reguoira Costa, sorteados os
Srs. desembargadores Gitirana, Lourenco Santiago
e Almeida AlbuquerqueImprocedente. Reeor-
rente, o juizo; reccorrido, Manoel Jos do Vas
concellos.Relator o Sr. desembargador Regueira
Costa, sorteados os Srs. desembargadores Motta,
Domingues da Silva e Souza Leao.Mandou-se
descer ao juizo a que para deligencia. Reeorrente,
o juizo; recorrido, Jeronymo Ferreira da Sil-
va.Relator o Sr. desembargador Motta, sorteado>
os Srs. desembargadores Gitirana, Almeida Albu-
querque e Regueira Costa.Improcedente. Recr-
reme o J uiz i; recorrido, Manoel Antoni > do Nas-
cimento.Relator o Sr. desembargador Molla, sor-
teados os Sr*. desembargadores Lourenco Santiago,
Domingues o"a Silva e Souza Leao.Improcedente.
Habeas corpus.Conce-ieu-se a soltura a Jos
Gomes Walderley. De Flix Jos da Soledade e
Jas Francisco Barros, ouvindo-se as respectivas
anayridades, marcou-se o dia 17 para os pacientes
apresentarem-se no tribunal. De Manoel Antonio
de Jess, lica adiarlo o jtilgamcnto para o dia 17,
ouvindo-se de novo a autoridade respectiva.
PASSAGBNS.
DoSr. desembargador Gitirana aoSr. desembar-
gador Lonreooo Santiago.Appellaco civel: ap-
ollanle. a fazenda provincial; appellado, Jos
lnes c Sonta WMflcriey. '
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago, ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque. Ap-
pellaco civel: appellante, Thomaz Pereira de
Araujo; appellado, B-mto Fernandos de Araujo.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador MottaAppellacdcs civeis: ap-
pellante, o curador geral; appellado, Manoel Elias
de Mourn. Appellante, Antonio Martins de Oli-
veira ; appellado, Jos Antonio da Silva. Appel,
laces crimos: appellante, o juizo; appellado
Francisco Moreira B. de Mello. Appellante, o
juizo; appajladn, Francisco Cancio de Athayde.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Domingues da Silva.Appellaco civel: appel-
lante, a junta da Santa Casa da Misericordia ; ap-
pellado, o jisconde de Suassuna. Appellaco
crime : appellante, o juizo; appellado, Thoin de
Amorm Lima.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador Regueira Cista.Appellaco civel: appel-
lante, Antonio Alves Menes; appellado, Bellarmino
Gomes de M ir:
Bo Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Regueira Costa. Appellaoes
civeis: appellante, Josepha Mara de Sant'Ana ;
appellados, o tenente-coronel Gabriel de Oliveira
Mello e sua mulher. Appellante, Sebastiao Jos
Gomes Pena Jnior; appellados, os menores Ma-
ra c Joanna. Revista civel: recorrentes, Jos de
I.acerda Gomes e sua mulher; recorridos, Alfem
.Alves de Carvalho e sua mulher. Appellacoes
crimes : appellante, a justica; appellado, Joaquim
Rodrigues Franco. Appellante, o promotor publi-
co; appellado, Manoel Goncalves liemos.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva aoSr.
desembargador Souza Leao. Appellaco civel:
appellante, D. UmbWlina Araujo Guerra; appella-
do, Bento Jo- dos Chaves Wanderley.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr.
desembargador Souza Lean.AppellacSes civeis :
appellante, Bento Beterra Ferreira de Mello; ap-
Sellado, Antonio Guedes de Moura. Appellante,
lanoel deAzevedo Pinto; appellado, Joao de Dio
Guimaraes.
Do Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. des-
embargador Gilirana.Appellaco civel: appel-
lante, Dr. Gaspar de Menezes Vasconcellos de
Drummond; appellado?, os herdeiros de Joao
Henriques da Silva.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos:
AppellacSes civeis.Appellante, Joaquim. Ro-
drigues Tavare de Mello; appellado, Dr. Bernar-
do Antonio de Miranda Castello Branco. Appel-
lante, o juizo; appiliada, Clara Francisca de
Souza Longuinho. Appellante, Manoel d'Almeida
Nogueira ; appellados, Cardim de Oliveira e ou-
tros. Appellante, Manuel Henriques Pimentel;
appellado, Thomaz de Aquino Cavalcante.
Prorogaco de inventario Inventarame, Joao
lAHo *">'!" inventariado, Maneel Joao de
lumbre sequer de dignidade e de vergonha, decla-
rem o neme d'este monstro, urna vez que pelo
modo vago com que de proposito se expressaram,
vedam-o de defender-e, salvo se quizesse con-
fundiese com quem, merc de Deus, acha-so mui-
to distante, ou acompanha-los nos meios de defe-
za que empregaram, fatendo--e victima de alguem
que chainaram calumniador infame, e de quem
nm ao menos declararam as iniciaes do nome.
Sim, este alguem, este escolbido mui de prop isito
para motivo da defeza pomposa daquelle senhor
provoca a que declinem o seu nome, sob pena do
publico flear ajuizando bem os caracteres, que
defendem-se por meios tao torpes, e do offendido
por sua vez votar o mais soberano despreso a um
couce de tal ordem.
Pois bem, saiba o publico, saiba o digno Dr. che-
fe de polica, que urna vez que o quarto supplenie
do subdelegado de Olinda Thomaz Jos de Gusmo
se defi-nde, tornando-se victima de um calumnia-
dor, de um invejoso, etc., este o provoca, bem co-
mo ao autor do communicado encemmendado e
pago pelo mesma Sr. Gusmo, a que declinem o
seu nome, sob pena do publico, j que a unica
defeza foi tornarse victima de um caluraniader,
icar bem apreciando tal defeza e taes caracteres.
.Nao. Este, a quem quizeram referir-se, nao as-
ceu na lama, d'onde sim jamis sahiram, e pelo
contrario habituado a outros modos de proceder,
nao desee ao terreno das descomposturass pro-
prio de quem nao se presa de quem enrommenda
e paga elogios, do quem alia I a. todo cuto quer
celebrisar-se, nao, senhores, este quem quizerain
referir-se leve outro berco, outros principi-sde
educaco, outros csannos etc., e se a I tefe, a
inexperiencia que tem dos homens leem euibara-
;r seus proprios offensores, reapparecor, confio em
Deus ; mas sequerem que aceite a luva, se que-
rem que o publico nos julgue, se nao temem sua
sentenca, se querem ser acreditados por algumas
horas ao menos, subam, deixem o vago, deseu-
bram-se de mal entendidas garantas das leis neste
caso, que osle a quem quizeram se referir a aceit i
com tiido o prazer, sob pena de se trocaren! as bo-
las, da licarem em p as accusacSes de beral,
do publico e do digno Dr. chefe de polica lica-
rem ajuizando devidamente de quem se defende
por tal forma, acobertando-se pelo indefinido com
as garantas das les, encommendando elogies e
pagando suas publicad-oes, fingindo-so victima de
calumnias que nao destroe com documentos, c de
um homem, cujas iniciaes do nome nem ao me-
nos declararam, mas que informado por quem
bem os conhece, sabo votar s suas pessoas o
apreco merecido.
Assim, pois, com esta solemne provocaco e sob
taes condices, cumpre, e cumpre rigorosamente
tao insignes campeoes, se nao querem ficar come
o calumniador, infame, damnado, locupletador das
fortunas alheias, estellionatario etc., que persona-
lisem quera se referem, descubram-se das ga-
rantas dadas ao anonymo, ao vago, pois seus brios
e dignidades hoje o exigem rigorosamente.
Recife, 18 de agosto de 1869.
0 Refugiado.
Jos de Amorm
Amorim.
Appellaco crine.Appellante, o juizo; ap-
pellado, Joaquim Jos da Silva Fragoso.
Deligencia.Com vista ao desembargador pro-
motor da justica.Appellaco crime: appellantes,
o juizo e Arsino Celestino Pimentel; appellados,
Joaquim Germano Lopes o outros.
As 2 horas da tarde encerrou-se a sessao.
PUBUCACOES A PEDIDO.
Voto de admirado.
Ha homens que a Providencia parece talhar com
todas as proporc/ws de fazer e derramar benefi-
cios, e nisto se empenham como em obra que se
uevem. Dlr-se-hia que recebendo do co urna sa-
grada missao, sao arrasiados por um pendor in-
vencivel a tudo que rande, bom e generoso
bao como insirumentos da Providencia, imagens
vivas dessa accao misteriosa que mantera a har-
mona das leis e principios nniversaes.
Ou porque a estima dos seus conterrneos Ihos
seja premio de mor valia, ou porque se desape-
guen! de consideracoes terrenas para olhar pre-
mios do eo, ha caracteres que parecem predes-
tinados para o bem, e a este supremo dal enca-
innham "todos os seus esforcos.
Os que conhecem a provincia, e a sua historia,
coart rao em attribuir esta honra um dos nossos
jnais prestantes concidados, o nobre barao de
utinga. Opulento sem fausto e sem vaidade, che-
X do urna familia numerosissima de que c o re-
Jos Das da Silva Gulmares.
ao Hr. Olyinpio Goufalves
Rosa. -
Fjquei muito satisfeito com a leitura da publi-
cago, que no Diario de hoje fez contra mim, o
Sr. Olyinpio Goncal ves Rosa. A mesma publica-
cao est cheia de falsidades, como vou provar ; o
seu fim prejudicar-me, prevenindo o animo dos
raentissimos julgadores, para quem recorr, e em
quem deposito a raaior confianza. Has Qquei sa-
tisfeito, porque escrupulisava em trazer para a
imprensa urna questao affecta aos tribunaes, e so
bretudo em patentear ao publico a serie constante
de Masticas e tropelas que tenhr. soffrido, nao
so do Sr. Olympio, como do Sr. Dr. juiz municipal
supplente da 1 vara. Entretanto, vista da pu-
blicaco, de que me oceupo, cumpr; que me de-
Tenda.
E' este o meu fim.
Desde que o Sr. Olyinpio pnneipiou a reedificar
o seu predio n. 16 do paleo do Livramenlo, co-
ndec que elle pretenda alargar as portas da fren-
te, custa do predio visraho, quo me pertence.
Com effeito, um predio que tem 31 palmos de fren-
te, e nell i tres portas, nao poda admitlir que estas
fossem alargadas.
Apenas o Sr. Olympio preparou para collocar
urna ombreira, que tinha de penetrar bastante na
parede do meu predio, o qual nao poderia depois
ser reedificado san prejuizo e destruico do ou-
tro ; oppuz-rae a obra.
0 Sr. Olympio, querendo continuada, sem demo-
ra, mandou-me dzer que se compromeltia a nao
oppor-se em qualquer lempo reedifica^o de meu
predio; mas, eiigindo eu que este cmnpromisso
fosse feito por urna escripttira, nao quiz elle Niijei.
tar-se a isso, insistindo sempre em dizer que dava o
ma palavra.
J se v que eu nao me oppunha a que meu
predio ficasse snjeito a urna servido (ficando in-
tromctlida nclle urna umbreira do predio visinho),
sojeitava-me at a trabalhos e questoes futuras ;
mas sera ridiculo, que dispensasse um documento
qualquer, fiando-me em urna simples promessa de
bocea.
Verba vofoni, scripla manent; o meu contendor
I te ve as suas razoes para nao assignar urna es-
criptura.
Deixo de parte algumas inexactdoes da publi-
eaco a que respondo, afim de nao rae tornar pro-
lixo; como porexemplo : dizer o Sr. Olympo, que
ontenden-so comigo antes de comecar a obra, e
que esta foi embargada apenas comecou a cons-
truecodo alicerce.
Diz o meu contendor qne, feito o emba go, re-
qiureu logo tuna vitteria ; mas, isto fez por chica-
na, pois, no inesmo embargo protestei, como era
de meu dever, pela vistoria; e nao hava razao
para que elle a requeresse. Em um embargo de
obra nova ao embargante que compete promover
a vstona.
Apenas fallou em vistoria, na sua publicacao, o
br. Olympio dea um salto e foi cahir ua cauco de
opera aentolienda.
Nao teooo boas gambias, e o respeitavel publi-
alotameiitfl favomrel a uiim e contraria ae Sr.
Olympio ; sondu que o propro perito desle, mai-
< vezes vio-se, fore ido a rocoahecer a verdade ;
isto e, que a obra inadmissivel.
Do auto da vistoria consta o seguate :
Qaanto aw quesitos do aunciado (Olvrapio).
Declararam (os peritos, ao primeiroque a
reedf licagfo que so est I atenu na fronte de sua
proiredad' sita roa do Ljvramoiiio n. 10,
i'os cacsar i>iiuc|K. c.Ba ir.rro, sob n. 18,
senfio e tomarom as providencias necessa-
ras.
Notarse que o perito do Sr. Olvnapio foi o pri-
meiro qoa den e>U resposia, por ser a vistoria
considerada feita a itqmeriasnta do mesmo senhor.
Foi par* ter esta preeedencu de retpondej- primei-
ro, que elle apressou-se em requerer o que j li-
nda sido pedido, e expressamento exigido por
lei.
Coaiina assim o auto de vistoria :
Qnanlo ao nono, finalmente :
Respmderam que no caso presente tendo-se
demolido a frente da casa n. 16 k estando a om-
< BREI
< BO.
(ra e abrir-se a parede para coliocac i da verga
poe raoouzR estb ti\bau alccu desaba-
ment, se nao tomarom as providencias precisas
e a obra nao for feita como melhor acouselha a
t a arle, isto no periodo da obra, no futuro
PniVA A DBJIOLICAO DA FRRNTE DA CASA NUMERO
DEZOITO, Pl-nniR ESTA DF.MOI.ICAO PoDER FAZER
ARRUINAR OOaiISABAR MKSMO O CANTO DA CASA
EM OUBSTAO NUMERO DKZESE1S DO NUNCiADO.
Digam os homens de consciencia, se eu tenho
uu nao o direito de oppor-me a que se faca seme
Ihante obra I
Fazemos anda a mesma observaeao de que es-
las respostas foram dadas primeira ente pelo pro-
prio perito do Sr. Olympio, com o qoal o meu se
conformara.
Devia eu consentir que se rasga:se a parede de
meu predio para collocaco de oinbreirKS, vergas,
ate, perteneentes ao meu visinho, ficando eu pri-
vado da redificaco que pretende fazer no raesmo
predio; ficando ale snjeito a algum desabamento.
como dizem os peritos? I
Vejamos anda, nao nos caneemos de ver o auto
da vistoria :
Pergunlado, so a frente da casa do nnnciante
podia ser demolida sem prejuizo da casa do
nunciado. Respon leu que anda assim nao.
A razao desleanda assim-'foi ter o Sr. Olym-
pio, para itrair os peritos, pergunlado ames se
a ombreira poda ser substituida por oulra mais
eslreita embnra com maior comprimento.
Continua o auto:
t Perguntado mais, se substituindose mesmo a
ombreira por urna outra menos larga tal como
elles peritos disseram que podia ser no estado
dos predio, anda assim poderia ser demolida
a frente do predio do nnnciante, quando este o
queira reedificar sem prejuizo do predio do nun-
ciado. Responderam negativamente.
Finis coronal opus, diz o rifao.
A ultima pergunla foi feita pelo proprjo Sr. juiz
e a resp >sta coroou perfeilamente a diligencia.
Perguntado finalmente pelo juiz se elles peri-
los como professionaes e mestres d'obras, enten-
diam que para que no futuro ambos esses prc-
dios, rjuer o do nunciante, quer o dos nuncia-
do nao so/lressem, quando qualquer um dos
proprietarios quizesse demolir a frente de seu
predio pan que tivesse outra forma ou fosse no-
vamente reedificado, fosse precisa torna-Ios in-
dependentes, ou os nunciados (Olimpio e sua
mulher) trazer quem a omlireira do ten predio.
' Responderlo que assim entrndf.m.
Eis ahi porque o Sr. Olimpio passon pela viste-
ria como gato por brazas !
Quem que tem razio ? De qnem a chica-
na ? Quem o prejudicado f
Depois da vistoria, tao contraria ao Sr. Olimpio,
requeren este qne fosse admiitido a prestar cau-
co de opere demoliendo, afim de continuar a obra
embargada. Apezar de nao terem deccorrido os
tres mezes necessarios para a admissao da cau-
co, tendo apenas decorrido pouco mais de um
mez depois do embargo, apezar de estar este pro-
vado com a vistoria, foi concedida a cancao.
Appellei do despacho que a concedeu, mas o
juiz indeferio meu requenmento.
Diz o Sr. Olimpio, que a appellaco foi indeferi-
da. Se quer dizer, que honve ap'peltacio nlgada
improcedente, diz urna grande falsidade ; pois nem
seadmittio aueeuauDellaaas.. -A--J
De.pols de prestada a cnucao e jiflgada por sen-
tenca, continuou a obra. Es o Sr. Olimpio a can-
tar victoria I Mas nao se coutentou com isio, nao
Ihe bastou sulisiiiuir a ombreira de seu predio por
aquella que lora examinada pelos peritos, mas ac-
crescentou-lhe urna cornija, e sobre a cornija um
arco, e sobre o arco urna outra cornija ; tudo
isto mettido na parede de meu predio, que fi-
oofl em condicoes rauto peiore?, que as que fo-
ram consideradas pelos peritos I I
A' vista flesse excesso de execucao da sentenca
que julgou a cauco. e contra a qual nao tive re-
curso algum, ped vista para deduzr o meu di-
reito.
Saiba o respeitavel publico, saibara todos os jui-
zes qu o Sr. Dr. Miranda deu o despacho :
INDEfERIBO I I I
Aggravei deste despacho, e o juiz mandou rece-
ber o aggravo-nos mesmos autos.
Entao o Sr. Olimpio, sabendo que em virtude
do effeito suspensivo do aggravo tinha de parar
com a obra, procurou dar-lhe o maior andamento
possivel.
Tomado o aggravo por termo, feito os autos com
vista ao meu advogado. entregues com a minuta-,
e feitos conclusos ao juiz; estaein vez de coatrami-
nula-lo sem demora,escrevau nos autos,que se ir-
timasse a mim ou ao meu procurador ou meu ad-
vogado para no praso de 21 horas se entregar
as pelicoes em que este declarou, que o aggravo
devia ser tomado em auto apertado I
Deste modo, Hcou o aggravo recluso, e a obra
continuando I
Antes disso eu tinha requerido ao Sr. Dr. Mi-
randa que em virtude do effeito suspensivo do
aggravo, que S. S. tinha mandado tomar nos pro-
prios autos, e, em atteneao ao venerando tribunal,
que ia decidir, mandass suspender a obra. J o
lermo do aggravo tinha sido tomado, j is autos
tinham ido com vista ao meu advogado. Pois
bem, o Sr. Dr. Miranda, vendo-so obritjado a man-
dar suspender a obra, leve nm reourso para nao
faze-lo,e foj declarar na petico que o aggravo (que
j estava lomado por ordem sua, nos proprios au-
tos) devia ser tomado em separado I I I
E a obra do Sr. Olimpio a continuar sempre,
sem a menor interrupeao, com se nada houvesse
succodido !
A' vista da constante narcialidade de que tenho
sido vctima, manifestada sobeiamente por actos
e palavras inconvenientes, requer ao Sr. juiz que
se averbusse de suspeito, ao que elle nao acca-
deu. \
Resolvi-me a apresentar meus artigos de sus-
peicao na audiencia de 13 do corrente, mas infe-
lizmente o Sr. Dr. Miranda nao deu audiencia na-
qnelle dia. Assim continuou a funecionar na cau-
sa, e o Sr. Olimpio continuou a fazer a sua obra I
Diz o Sr. Olimpio que requer carta testerau
nhavol que tuto tem razao de ser nem motivo\que o
justifique.
Isto, pelo menos, um desrespeto ao Exm. Sr.
desembargador presidente da relaco.que foi quera
declarou por seu venerando despacho, que o re-
curso que me competa era a carta testemunha-
vel.
Mas o Sr. Olimpio pouco se importa pom as de-
cisoes dos tribunaes superiores, basta-lhe as boas
grecas do Sr. Dr, Miranda.
Referindo-se aos dous abaixo assignados, o mea
contendor houve por bem supprimr varios no-
mes, c considerar os signatarios como interessa-
dos na causa, e meas dependentes; mas preciso
que elle nao se contente com urna simples afflr-
maco, nem snpponha, que sua palavr tem forca
de escriptura publica, como j suppoz nesta ques-
tao ; querendo que eu deixasse do fazer o em-
bargo, Mut'is dos signatarios sao commerejan-
tes estibelecidos na mesma ra, em que se st
fazendo a obra embargada.
Termina o Sr. Olimpio duendo que nao na do
recaar, qualquer que seja o numero que tenha
contra si. Na verdade rauo grande o numero
dos que particularmente me d5o razao, mas estes
nenhum mal fazem nem qnerera fazer ao meu con-
tendor, na lula udicial estou muito mais desam-
i amarrados barricas abatidas, I fardo erra-
doce, 4 caixftes fazendas; a ordem.
lo sacces gamma; a Jeaqnim Jos Martins.
?i ditos.fcijo, 9 ditos c apipa* gomma; a Fer-
nandez A Irmo.
423 meios de solaba Jo-' Lopes Davin.
150 ditos de dita, 47 couros salgados, 1 sacca
algodao, 10 saceos gomma ; a J. J. do Carvalho
Moraes & Irmo.
1 barrift selxo, 4 -acras algodao, 5 Barajaos
carne; a A. da Silva Paules Guiarles.
4 di losilla; Cunha Irraos & C.
10 ditos dita, 3 saceo algodao; a A. A. de
Souza Agolar. *
27 ditos dito; a Thomaz Jos de Senna.
<>2 ditas dito ; a Rocha Leal A C
RECEBBDORIA DE RENDAS INTERNAS CE
RAES DE PERNAMBOCO.
Rendimento do dia 2 a 18 29:0874617
dem do dia 19...... '1:593*317
-r~~
DECLARACOES.
30:680*934
' CONSULADO PROVINCIAL
Hendimentododia2 a 18. 43:879*221
dem do dia 19....... 2:663i42S
48:326i9
Fez-se urna grande e Importante
deseoberta.
as eminentes qualidades medicinaos da Anaea-
huita, arvore esta qne cresce as mmediacoes de
Tampico, no Mxico. O Peitoral Anacahuita com-
S|>slo e preparado com o balsmico sueco de
Ha arvore, tem enchido o mundo de espanto e
admiraco. Os proprios mdicos confessam, qne
nunca se Ibes hava entrado na ideia, de que se
podesse extrahr de nenhum producto da Ierra,
um especifico tao maravflhoso e completo para a
cura das enfermdades da garganta e dos orgos
da respiraco. A tosse d'um carcter o mais con-
firmado e violento, desapparece sua mgica in-
fluencia, dentro em poneos dias, e as vezes mesmo
dentro de algumas horas, depois, de se ha ver to-
mado urna garrafa do mesmo. A ronquido por
mais cavernosa e profunda que seja prompta-
mente desvanece e a voz dentro em pouco recobra
e adqmre toda a sua costumada clareza e sonori-
dade. 0> bronchites se alliviam mediante o sen
uso. Cura os pulmoes feridos e inflammados. Os
que padecem de aslhma principiara por respirar
com desafogo e regularidade, logo depois de se ha-
ver tomado as priineiras dses. O catharro decla-
rado incuravel desapparece de ordinariamente ao
cabo de urna semana. Emflm a sua excellencia e
grande eficacia nao teve, nao tem, e nem ter igual
por raeo de todas as mais medicinas tendentes
para o mesmo fim.
COMMERCIO.
PRAgA DO RECIFE 19 DE AGOSTO DE 1869
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE
Assucar canal3,1000 e 3*030 por 15 kl.
Cambio sobre Londres90 d/v. 18 3|8 d. por 1*000
(hontem).
Cambio sobre Paris 90 d|v. 315 rs. por franco
(hontem).
Dito sobre dito520 rs. por franco (hoje).
Frele de assucar daqui para Liverpool 15/ por
tonellada sem capa (hontem).
Frete de algodao da Parahyba para Liverpool1/2
d. e 5 OjO por libra (hontem).
Frete de assucar daqui para Montevideo = 4 rea-
les por barrica sem capa (hontem).
f'. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
ENGLISH BANK .
Of Jtio ..de Janeiro Limite Descorita lettras da praca laxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
oraze hxo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e iraitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares. ,
Ra do Commercio n. 36.
Saques sobre Londres
SOGIEDADE BANCARIA EM GOMMANDITA
Theodoro Simn 8f C.
Saceao sobre os Srs. Samuel Montagu &
C, banqueirosem Londres.
A' vista quantias 5 at 100, 3 dias
de vista quantias cima de "- 100 at
a 1,000 30 ate 90 dias de vista quan-
tias cima de 1,000 at 10,000.
. Largo do Pelourinho n. 7.
Novo Banco de Pernambuco
em liquidaQao, 3 de agos-
to de 1869.
Os Srs. accionistas podem receber o
sexto dividendo de um e meio por cento
co capital: s quarta-feiras e sabbados.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & C.
Comprara e vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
sbjj8| de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
escontara letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaeces, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo xo.
Largo do Pelourinho n. 7.
ALFANDEGA.
Kendhnento do dia 2 a 18. 377:1831033
dem do da 19......31:371*381
MflXIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 19.
Rio de Janeiro14 dias, lugar norueguense Ha-
litio, de 291 toneladas, capito Johan Gerard,
rauipagcm 7, carga caf; ao mesmo capito.
ArriDou, seguindo para New-York.
Liverpool 42 dias, barca ingleza Gazelle, de
271 toneladas, capito A. H. Pertee, equipagem
12, carga varios gneros; a Johnston Pter
Granja e porlos intermedios9 dia*, vapor brasi-
leiro Ipojucu, de 312 toneladas, comlndante
Rodrigues, equipagem 30, carga algodBTe ou-
tros gneros; a companhia Pernarabucana.
Trieste64 das, escuna norueguense Adjurance,
de 205 toneladas, capilb E. Tharsen, equipa-
gem 8, carga 1866 barricas cora farinha de tri-
go ; a ordem.
Navio sonido no mesmo dia.
BarcelonaSumaca hespanhola Chronometro, ca-
pito D. Samjuan, carga algodao.
ECITAES.
de
4.* Secco.Secretara do' governo
Pernambuco 14 de agosto de I8G9.
Pela secretaria do governo se declara ao
Sr. Ignacio Pereira do Valle, que existe na
mesma re larlicao, para ser-lhe entregue ?
depois de pagos os respectivos direitos, o
seu titulo de naturalisaco de cidadao bra-
silero.
0 secretario. Dr Joaquim Correa
d'Araujo.
Pela secretaria da cmara municipal
desta cidade se faz publico, que nao tendo
sido arrematada nesta data, como estava
annunciada, a obra dos rncenos de que
precio a ponte denominada do Luca, or-
eada na quantia de 880, contina em pra-
ca a mesma obra em odia 25 do corrente.
Secretaria da cmara municipal do Re-
cife, 18 de agosto de 1869.
0 secretario,
Francisco Canuto da Boa- Viagem.
Pela secretaria da cmara municipal
desta cidade se faz publico, que continuar
em praca em o dia 25 do corrente, para
ser arrematado por quem maior pre;oof-
ferecer, o imposto de 500 rs\ por cabeca
de gado morto para consumo as fregue-
sas do Poco da Panella, Affogados, Var-
zj.a, Muribeci, JaioalSo e S. Lourenco da
Mata, vistu qus nao toram arrematados
nesta data.
Secretaria da cmara municipal do Re-
cife, 18 de agosto de 1869.
0 secretario,
Francisco Canuto da Ba-Viagem.
anta Casa da Misericordia do
Hecife.
A Illma. Jirafa administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recifu manda fazer publico quena
*U do suas>*teS, o di* 1 de agosto, peto
qaatrn horas da tarde, tem de ser arrematadas
qnom mais rantagens offorecer, pelo n-mpo de ura
tres ann >9, as rondas dos predios em seguida clarados :
ESTAI1ELECQIEST0S DE CARIDADE.
Raa do Eiu-antamenlip.
Sobrado de dous andares a. i. 640JUMO
llua do Padre Borianr..
Casa terrea n. 49...... 170#0(X)
Ra da Calcadas.
Casa terrea n. 36....... 171J000
Ra do Calabouco.
Casa terrea n. 20......2124000
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37. 76JOOO
Segundo andar dito...... 961000
PATRIMONIO DOS ORPHA09.
Ra do Amorim.
Sobrado de dous andares n. 21, dem 600^000
Palee do Paraizo.
I^oja da fronte do sobrado n. 29 101 jOtXl
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27.......1954000
dem n. 2o........ 144#e00
Ra da Cacimba.
dem dem n. 12...... I46J000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................ 1464000
dem n. 98........................ 2O3|00O
dem n. 96......................., 2024
Sitio n. 5 M.Pnrno da Cal........... 1504000
Os pretendentes devento apresentar no acto da
arremstacao as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-'
cife, 13 de agosto de 1869.
O eserivao,
_________________Pedro Rodrigues de Souza-
Correio geral.
Relacao das cartas registradas vindas do Micei
e norte pelos vapores costeiros, para os senho-
res abaixo declarados:
Dr. Alvaro Carainha Tavares da Silva, Antonio
Borges da Fonscca, Dr. Antonio Jorauim do Mo-
raes Silva, Carlos Francisco Soaren de Brilo. Da-
vid Ferreira Bailar, D lingos Teixeira Bastos, F-
lix Pereira da Silva, Henrque da Silva Ferreira
Rabello (Pao d'Alho), Dr. Jorge Dornellas Ribeiro
Pssoa, Joaqaim Bernardo de Mendonca, Joao Theo-
philo de Marselhar, Dr. Jos Leandro Martin Soa-
res, desembargador Jos V. Rigueira Costa, Jes
T. Goncalves Fialho, Mara dai Nev Cantllo
Pessoa, Manoel da Silva Ponte.
THETRO
DE
S. ISABEL.
Empreza lyrlea italiana.
SARBADO 21 DE AGOSTO DE 1809.
2a recita do assignatura.
IVIUil l\ M.\SC1BA
Os bilheles vendem-sc no dia do espectaenio.
Principiar as 8 horas
N. B. A ompreza grata do bom acolhimento que
esto illuslrado publico fez a sua companhia, n..c
poupar trabalhos nem despezas para agradar-lbe
sempre mais e j principiuu os eosaios da muilo
afamada opera de Donizett em 4 actos
A FAVORITA.
polka
408:4544417
parado que elle, pois se tenho de meu lado a ra-
zao e a justica, elle tem do seu todos os actos to-
das as decisdes do juiz da eausa.
E' uira lula desigual, e eu desde j rae dara
por vencido se no vederando tribunal da relacao
nao estivesse o remedio para todas as tropelas de
que sou victima.
Como procurad-ir de Jos Das da Silva Grama-
res. Joaquim Ofw da Silva Guimarae.
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Voluntes entrados com fazendas
dem idem com gneros
Volnmes sabidos cora fazendas
dem idem cora gneros
36
------ 36
94
520
----- 614
Descarregam hoje 20 de agosto
Bngue portuguezConstante III varios gneros
Patacho portuguezMariodiversos gneros.
Barca inglezaNaoniaidem.
Brigue norueguenseEnergefarinha de trigo.
Brigue inglezMelitecarvo.
Escuna hollandezaAnna- Mariavarios gneros.
Importado
Vapor brasileiro ipojdca, vindo da Granja e
portos intermedios, manifestou :
. 8 garajos carne, t sebo em pao, 2 saccas al-
?idao, 194 meios de "ola; a Manoel Marques
into.
295 meios de sola, 4 couros salgados, 31 saceos
feijao, 12 ditos gomma, 1 volume sebo, 3 garajos
carne, 111 saccas algodao; a S Leito A Irmo.
225 ditas dito; a Sawders Brothers & C.
44 ditas dito ; a Tassolimaos.
48 ditas dito; a Parela Vianna & C.
99 ditas dito; a Gomes de Mallos & Irmo.
36 ditas dito ; 40 couros salgados, 15 moihos
conrinhos,*graj9s carne; alos Lopes Alhoiro.
O Dr. Manoel Jos da Silva Neiva, juiz de
direito da segunda vara criminal e subs-
tituto da do especial do commercio em
exerciew nesta cidade do Recife de Per-
nambuco por S. M. I. e constitucional o
Sr. D. Pedro II a quem Deu guarde.
Faco saber pelo presente, que Jos Joaquim de
Faria Machado me digigio a petiefio do theor se-
grale :
Illm. Sr. Dr. juiz do commer>*io.Diz Jos Joa-
quim de Para Machado, negociante desta praca,
que Fernando AITonso Coelho, Ihe devendo 20
ajera dos juros estipulados na letra junta, j. ven-
cida, quer o suppiicante para acautelar o seu di-
reito interpor o competente protesto, e porque o
dito devedur a acha ausente, sem que d'elle se
tenha noiicia, em lugar incerto e nao sabido, quer
o suppiicante dar a respectiva justificaran a fim
de ser intimado por editaos, para o que pede a
V. S. se digne marcar lugar, dia e hora, e depois
dejolgado por sentenca a justilicaco, se digne
outro sim de mandar passar os respectivos editaes
com o prazo do, estylo e publicados. Nestes ter-
mos : pede a V. S. defermento. E. R. M. Jos
Joaquim de Faria Machado.
Sello n. 280. Pagou 200 rs. Recebedona de
Pernambuco 12 de julho de 1869.Alcntara.
Franca.
E nesta pelicao de o despacho segrate:
Justifique no dia 14 do corrente as 10 horas da
manb.Cidade do Recife 13 de julho de 1869.
Neiva.
E sendo feita a distribuicao ao eserivao d'este
juizo Paes de Andrade, o respectivo eserivao inte-
rino era cumprimento ao meu despacho lavrou o
termo de protesto seguinie :
Protesto.Aos 13 das do mez de julho de 1869,
nesta cidade do Recife em meu eartorio peraote
mim o as testemunhas infra assignadas compare-
ceu o suppiicante Jos Joaquim de Faria Macha-
do, e disse que reduzia'a termo todo o contedo
de sua petica retro, que offerecia como parte do
presente, no qual depois de lido assignou com as
indicadas testemunhas.
Eu Manoel Silvino de Barros Falco eserivao
interino o escrevi.Jos Joaquim de Faria Ma-
chado.Antonio Maria Fernandes da Silva.
Christovao Gomes Pereira. Depois do que no dia I Pe! 5I t,olas "n0-
designado, produzio o supplioante as suas teste-
munhas as quaes sob o juramento dos Santos
Evangelhos que Ihes foi por mim deferido, jura-
ram convenientemente acerca da anzencia do sup-
plicado Fernando A. Colho. Em consequencia do
que o mesmo eserivao interino fazendo tndo autoar
sellar e preparar, me fez os autos conclusos, e
nellos dei a ^cnlenca seguinie :
Visto acbar-se provado pelo depoimenlo das tes-
temunhas de folhas 5 e ralbas 6, que Fernando
Alfonso Colho, se acha auzente em lugar incerto
e nao sabido, hei por jusliiicado o deduzido na
petico a folhas 2, e era consequencia mando se
passem editaes de citacao cora o prazo de 30 dias,
pagas as cusas ex-causa pelo suppiicante.Cida-
de do Rocife 31 de julho de 1869.Manoel Jos
da Silva Neiva.
E por forca desta sentenca o respectivo eserivao
interino fez passar o presente edtal, pelo theor do
qual, chamo, cito, e hei por citado ao dito suppli-
cado auzente, para que dentro do prazo de 30
dias, compareoa ante este Suizo por si ou sen
procurad ir allegando e prov.mdo o qaj for bem
de sea direito e justica, sob pona de revelia.
E para que o dito supplicado nao fique indefezo
toda e qualquer pessoa prente amigo ou contie-
ndo, poder-IUe-ha fazer sciente do qne aqui Oca
expendido
E para que chegue ao conhecimento de
todos mandei passar o presente que ser
publicado pela imprensa e a'lixado nos luga-
res do costume.
Dado e passado neste cidade do Recife de
Pernambuco, aos 6 de agosto de 1869.
Eu, Manoel Silvino de Barros Falc3o, es-
erivao interino, o escrevi.
lanoel Jos ia Silva Neiva.
THEATRO
(Yinnasio Campestre.
Domingo 22 de agosto de i 869
ULTIMO ESPECTCULO
.4s horas da tarde.
Primeira represenlaco da espirituoso e
muito applan lida comedia comraercial ci i
2 actos, ornada d> msica, composta e
offerecida ao sempre inspirado maestro
Colas Filho, pelo talentoso Sr. V. F. Cha-
ves Jnior, intitulada :
Fogo ao sul, Tumo ao norte
ACTORES
PERSONAGENS
Thom Maduro, antigo
caixeiro de cobran-
cas..............
Paulo, caixeiro desar-
rapado, pandego de
mo ebeia........
Braz, idem, id^m----
Barbara, velha namo-
radeira, querendo
passar por moca e
conquistar rapazes.
Laura, moca alegre e
calculista em namo-
ros.............. D. Jesuina.
A aecao passa-se em Pernambuco, na
actualidado.
A msica desta comedia, foi escripia ex-
pressamente pelo maestro Colas Filho,
abrilhantando-a com lindas coplas, lundus,
fados, e o mito popular
Sr. Brochado.
Dc-Giovanni.
P. Augusto,
D. Olimpia.
TANGO
do general Prim.
Depois a orebestra executar a i liitosa
Composta e dedicada ao Ilustrado
Corpo acadmico
Segue-se a representa fao de urna irHe-
ressante
Comedia,
Finda a qual a orebestra executar a mi-
mosa schottich
JESDIVA
Composta e offer-cida actriz D. Jesti-
na, palo maestro Colas Filho.
Terminar o espectculo com a graciosa
Tonadilha hespanhola
Cantada pela Sra. D. Jesuina c os Sr.-.
Brochado e De-Giovanni.
N. B,As pessoas que quizerem asis-
tir a este espectculo, tero passagem gra-
tis, antes e depois do mesmo, na .'rma do
costume.
Para mais aprazibilidade, no Irem Cas
5 horas ir urnaBANDA DE MSICA
a qual tocar durante a viagem escoltadas
pecas; regressando no wagn especial,
depois do espectculo.
Os bilhetes acham-se na staco dos
trilhos urbanos e no theatro pelos presos
ltimamente establecidos.
O divertimento principiar s C horas
da tarde, a fim de terminar antes das O
da norte.
IIEGVH





I
\

Diario de Pernambirm
Sexta /eir
20 de nodo
Orande e variado espectculo
de vmnaelicn
iVHUL r.UHL\ BE CfiRYBJA
fllA DO SEBN. 35
DE
HEMIY LEIDE\ i C.
Sob a direcfo du Sr. Jos Moreira
Lemos.
Domingo t de agosto de lttf
Tondo msica Menudo una linda walca da-
r principio aoslrahalho* ua ordem seguinte:
PROGRAMM A.
i' paito.
Milito applaudido trabnllio no triparto aerio por
'oda rompanhia, tomando parte o conhecido aero-
bata Virgilio Tavares Xil.pu?.
2a parte. i
A curda bamba por toda companhia, tomando
parte o artiga h-spanhol Julio Darla
:\' puto.
Muilo applaudiila escdalierea peto roconbecido
acrbata imperial Virgilio Ruques.
4" parte
O equllibh darmas pelo aerbata Antonio Pei-
nlo.
'>' parte.
Grand-: e extraordinario trabalho de destocado
obre duas cadeiras, pelo acrbata Virgilio Xil-
ques.
0' parte.
A iescida das oseadas lixas pe i acrbata Vir
gilio.
7" parte.
Grupos clinez%> pelos artistas Oliveira, Silva,
liduardo Peixoto, Virgilio Xilques e Juli.
8* pane
O hornera rato, pelo artista Silva.
Findar o espectculo com a engranada palha-
tada intitulada o preto no Brasil (lea braneo.
Principiar us 7 horas.
Para
Seguir hvererimte o reloira patacho portuguez
Boa IV. espita n -.Martins: recenc algu-
ma carga a frete rawavel, para oque fe trata
con o seu consignatario Joaquiui Gerardo de Has
os, ra do Vi gario n. 16,1* andar.___________
Para Lisboa
o palhobotejportugue Carolina, capitao Joao Panto
de Oliveira, vai sabir breve por ler grande parte
doc.irregameuto engajado : para carga e passa-
gelros trata-se com E. A. Rabello, ra do Com-
roercio n. Vt. __________
Para o Porto
pretende sabir com a possivel brevidade o patacho
portuguez Liberal, tein parte da carga engajada, e
para o resto que Ihe falta, pode tralar-se com Da-
vid Perreira Hallar, ra do Brura n. 92, ou com
oeapit.io do referido navio.
PARA'
0 patacho Protector seguir para o referido
porto mu pencos dias, por ter' a maior parte do
seo carrodameiito prometo : para o que Ihe falta,
quom qulter carr v-ar a frete commodo, pode diri-
Jr-se ao consignatario Joaquim Jos Goncnlves
lleltro, ra do Ommerrio n. 17.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
DE
nTavega^o eostelra por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamaudar.
Tiy O vapor Partthyba, eommandante
Jifa. Me"' sfg|,ir para os portos cima no
;_*&_; dia 20 do corrate a meia noite.
Recebe carga, encommendas, pa^^eiros e di-
nheiroa frete, ni escriptorio do Pe do Matlos
u.12.
CMPAMHA PERNAMBUCANA
di:
Navegado eostelra por vapor.
Macei em direilura e Penedo.
O vapor Jagnm^e, eommandante Guilherme se-
cuir para os portos cima no dia 1 do corrente
as 5 horas da tarde. Recebo carga at odia 21
;is 3 horas, encommendas. passageiros e dinheiro
a frete al as 2 Ir .ras da tarde do dia da sabida :
no escriptorio do Forte do Matas n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Ravegaco eostelra por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, ra-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
"*in^ vapor Ipoiuca, conmandantt
--^vtt Eustaquio, seguir para os portos
tMH_i cima no dia 31 do correte as .'i horas
4a Urde. Recebe carga at o dia 30, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at a?
J horas da tarde do dia da shida uo escriptorio
i Forte do Mattos n. 12. .______________
COMPANHIA PERNAMBCCANA
DE
r\avegaco eostelra por vapor.
Mamanguape.
O vapor Momik, eomman-
dante IVnna. seguir para o por-
to cima no dia 28 do crrente
as 6 horas da tarde. Recebe car-
ga, encommendas, passageiros e
Hinheiro a "frete at as 3 horas da tarde do dia
da saluda : escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
"COIPAIIA BRASlEiST
DK
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 28 de agosto o vapor
Paran, conmandanU- o capitn
de fragata A. J. de Santa Rarbara,
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua saluda as i
horas.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
/ctos de pequeo valor oque nao excedam a duas
*rroba*de peso ou 8 palmos cubicos.de medican.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs,, passageiros que suas passa-
: so se recebem n'a agencia ra da Cruz n. 57,
l' andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Aievedo 4 C.
COSraMA BR\SILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 22 do corrente o vapor
loemtins, eommandante J. M.
T. Frareo, o qual deguir para
pois da d- mora do costume se-
- portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
8-sr ambareada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro afrtente: duas horas do dia da
?ia sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jetos de pequeo valor e que nao excedam a 1
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes limi tes dever ser embar-
0 ido como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
S;ns s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
' andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C.
Para Lisboa
O briguo portuguez Constante II segu para
Lisboa com a menor demora possivel, por j ter
parte do sua carga prompia : para o restante c
passrgeiros,-trata-se com os consignatarios Olivei-
ra, Filhos A ()., no largo do Gorpo Santo n. 19, ou
com o capitao M nraca do commerrio.
Rio Craade do Snl
Para o porto achila segu com brevidade o pa-
tacho nacional Principe, recebe alguma carga a
frete, e trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevodo & C. ra da Cruz n. 57
Programma da festa (fe Nos-
sa Senhora Carmo, do
Frontispicio.
No sabbado 21 do corrente, ao meto dia as in-
signes msicas militares ito 1* batalhao de arti-
Iharia e 2.a de iofantaria da guarda nacional, an-
nunciaro, tocando na igreja do convento do
Carmo, algumas pecas de msica, que vai ter
lugar a festa do da 22, j publicada.
A's 7 horas da noite ter lugar o levantamento
da baudeira, depois de ter percorrido o paleo ; e
nesta occasio subiro aes ares algumas gyrando-
las de fogo do ar, e em seguida* um lindo balo.
Na madrugada de domingo, haver missa, to-
cando urna das msicas algumas pecas.
A's 10 horas da manh do domingo entrar a
testa, sendo celbrame o esperanzoso Rev. Sr.
Joao Olympio'de Souza Lyra, que se dignou olllcio-
smente escolher este da para a sua pr'uneira
missa, pelo que Ihe rendemos os nossos agrade-
cimeotos; orador, o bem conhecido e elnquente
pregador o Sr. padreinestre Antonio de Mello e
Albuquerque. A orchestra ser executada por
habis professionaes, cantando urna missa de sou
repertorio.
Finda a festa um outro balo subir aos ares.
A' tarde seguir-se-ha o liramento da handeira.
A's 7 horas da noite depois que a insigne m-
sica marcial tiver satisfeito aos ouvintes com
lindas c variadas pecas de msica, ter lugar o
Tc-Deum, sendo pregador o eximio padre-mestre
Sr. Leonardo Joao (Jrego.
Por ultimo se queimar um lindo e variado
fogo de artificio, preparado pelo pnmeiro artista
deste genero-
TfHtrJtt-110 .MEDICA DA SOENCI
O.
LEILOES.
LEILAO
DE
Fazendas geraes
a 20 do corrente
JFerreiro A Matheus continuarao por interven-
Sao do agente Oliveira. o leilao de grande varieda-
e de fazendas de diversas qualidades anterior-
mente annunciadns. e deixando de fazer leilao em
seguida ao ultimo, afim de fazer-sc a entrega das
arrematadas em 16 e 17 do corrente.
MR.
s 10 horas da manha em p^nto, no mesmo bem
cqhecido armazem, sito a ra da Cadeia n. 8.
LEILiO
De verm'zes de diversas quilidades
Segunda-feira 23 do corrente.
A SABER:
Verniz de laque ao alcance de lodos, em frascos
e botijas para mobilias.
Verniz real em garrafas e Irascos para bijouterias,
quadros e refrescar pinturas a oleo.
Verniz crystal am Litas e meias garrafas para
envernizar papel para forro de salas, tectos,
junto com tinta ou sem ella.
Verniz copal inglez em latas e meias garrafas pa-
ra envernizar caixas de sege ou qualquer
outro objecto exposto ao tempo.
Verniz bronze dos funileiros para qualquf- obra
de folha. \
Verniz espique em latas. \
Verniz americano em ditas. V .
Verniz preto.
Body copal vernish.
Tildo ser vendido em lotes pelo agente Pestaa
no dia cima mencionado, as 11 horas da manha
no largo do Corpo Santo caf commercial.
LEILAO
De urna mobilia do Jacaranda, um colrc prova
de fogo. um apparador, um guarda vestido de
amarello. urna commoda de .Jacaranda, um san-
tuario de dito, una mobilia de amarello. um mar-
3uezo, urna cama franceza, urna carteira com
uas faces pro ria para um escriptorio, urna dita
menor, duas duzias de cadeiras de amarello a
l.uie. XV, 4 pares de lanternas, um candelabro de
vidro, um par de apparadores de amarello, im
berro, diversas marquezas, mesas redondas, um
meto apparelho de louca de porcelana para jan-
tar, nma commoda de am relio, um sof usado,
30cadeiras de amarello com penco uso, um la-
vatorio, um porta toalha, urna mesa elstica, um
relogio ue parede, um guarda louc.a, um par de
cadeiras de balando e diversos relogios de ouro
e prata para algibeira.
Terca-felra 4.
O agente Martins competentomente autorisado
far leilao dos objectos cima descriptos no arma-
zem da ra do Imperador n. 16, as 11 horas em
ponto sem reserva de precos.
AVISOS DIVERSOS.
A cominisso encarregada de dar
cumprimenlo a lei provincial, que autori-
sou a libertacao de enancas, avisa as pes-
soas que Ihe apresentaram proposla que
se dirijana 5 ra do Imperador n. 73 Io an-
dar com as criancas que pretendem alfor-
riar nos dias 3 e \ do corrente as 11
horas do dia.
.1*1
Precisa-sa de urna ama, preferindo-se escrava,
para cozinhar e comprar, paga-se bem c afianza-
se bom tratamento : na ra Direita n. 32.
Para o Marankao
o patacho portuguez Marta, capillo Pedro Martins
raneo, recebe carga a frete trata-se com B. II
Babello, ra do Comnicrcio n. 44.
Para a villa do Pilar
Precisase de um moco de 16 a 18 annos, pouco
mais ou menos, para caixeiro, e qne tenha alguma
pratica de ferragens e miudezas : quom sejulgar
com estas habilitacoes e se queira empregar no
lugar indicado, dirija-se ra da Cadeia do Reci-
fe n. 56 A, que achara com quem tratar.
Na ra das Cruzes n. 11 ha para srem alu-
Sadas duaS eseravas, a saber : urna de %\ annos
e idade, que cozinha o ordinario de urna casa, en-
gomma pouco, cose costura cha, e bastante ha-
bilitada em sorvico de sala o mesa ; outra de 45
annos, que cozinba e engomma bem, saben do la-
var ; ambas se alugam para esses servlcos, sendo
internos._______________________________
Precisa-se fallar com os senhores procurado-
res das irmandades da Conceicao de Beberibe, S.
Goncalo, Sant'Anna, Rosario, Conceicao da Ponte,
a negocio qne diz respeito s mesmas, podendo
procuraren) a Jos Henrique da Silva, ra es-
trella do Rosario o. 2, no 1* andar, ou aununcie a
sua morada para ser procurado.
1 "",-:>
A sociedade beneficente Segredo e Amor da Or-
dem, manda celebrar no da 21 (sabbado), as 7
horas da manha, na matriz de Santo Antonio, urna
missa pelo reponsft eterno da Exm," Sr." D. Um-
belina Libania de C. Ferreira, esposa do socio
Francisco de Assis de Castro e Silva, e convida,
portante, todos os socios, amigos e parentes para
assistirem.
O secretario,
M. A. V. Jnior.
- Cs;.' .
M *
. *.- r. / .
Sociedade Juventude
0 presidente desta sociedade, convida
seus associados, amigos e parentes do fal-
lecido socio Thiago Jos dos Santos, para
assistirem a missa que pela alma deste,
manda resar na igreja de S. Pedro, do-
mingo 22 do corrente, as 6 e meia horas
da rnaiilia;).
Pedido.
Pedimos ao Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos
mande exp-dir portara para o fim ,de se
proceder a inventario dos bens queicaram
por fallecimento da tmillier de homem, que
cita as irmandades, e as testamntelas,
Oh qne seqnestro jst merec* e#t'lma
pia e caridosal... para saber o quanto
bom a perseguicao em nome da le; o ren-
dimento das uvas de meu sitio ou
A gratifica?o da surra.
Auga-se um sitio na Capunga, porto do Las-
serre junto ao rio, o qual tem grande casa com 3
sallas, 7 qaartos. cosinha fra, estribara e r.oxei-
ra, quartos para feitor e escravos, cacimba, cerca-
do para gallinhas, etc. etc. Tudo acha-se ivtili-
rado, caiado e pintado de novo : trata-se na ra
do Vigario n. 23 1* andar.
0 advogado Dr. Antonio de Vas-
concellos Menezes de Drummond,
mudou o seu escriptorio para a ra
do Imperador n. 20, onde pode
ser procurado para o exerccio de
sua prolissao em todos os das
uteis das 10 horas da manha at
as 4 horas da tarde. Fra dessas
horas, e para qualquer occorrencia
urgente, ser encontrado no seu
domicilio, ra da Aurora n. 26.
VlHOl'E
DE
S.ILVI PARRILHA DO PAR
ou
Depurativo do sangue
Usado as molestias de pelle, impigens,
dores rheumaticas e ulceras venreas,
NICO DEPOSITO
Rna larga do Rosario n. O.
AVISO
= Aos passadores de festa em Ulinda offerece-
se urna casa na ra de S. Pedro n. 5 : a tratar na
ra do Queimado n. 41, 2o andar.
As pessoas que se quizerem propr ao
lugar de archirista d'AssociagiSo Commer-
cial, poden dirgr-se a ra do Amorim n.
62, armazem.
.Mi
ATTEiVCAO
Gqmafrja Silva. i^tabcJelUp boje na pra-
-VisIfiP 32, esq_gfp rna do AragSn,
Em tempes modernos nenhunt -descubr'
ment operou maior revulucao no modo dr
curar anteriormente em vega do que o
PEITOHYL DE AWCAHUA
TANTO NO TRATAMENTQ DA
T0S*E, 3S> -CHOPO,
rticip a todoWl seus deredores qutlatrelo
todas as siras dividas a seu procurador Joaquim
ferge de Mello para cobrar judicialment.
Engommadira
No collcgio da Conceicao precis-se de urna e-
gaynyoW:! jierfeita, paga-se be agradando.
*" rna estrella do Koaaflo u. 3&
1* andar.
I"ornece-se comedorjas para fura, de ama casa
particular de familia, preparadas core todo o as-
eiO, promptidao e eommodo prego : na rua'ostrei-
t do Bosarto n. 33, 1 andar.
THISICA,
i
ASTHMA,
ROCQl'IDlO, RESFRIAMF.NTOS.
BRO.NCIIITKS,
frOSSK CONVULSA,
dorksV: Hffo, _
r.xprrJTCRAcAo dk sangue.
Como em Inda a grande serie de errfermi-
I.Mies lia GAJlGANTA, (ll) HEITO C dos ORGAOS
da REsrihAclo, que tanto atormentam e fa-
zemsoffrera humanidade. A maneira an-
tga de curar consista geralmente nu appli-
carotjfc vesicatorios, sangras,sarjar ou ap-
plcar eriormente ungentos fortissimos
compostos de substancias vesicantes, alm
de prodtazir empollias; cujus ditlerentesmo-
dos de curar, nao faziam senao enfraque-
cer dWltnuir as forras do pobre .doente,
contribuindo por esta forma d'uma maneira
mais fcil e certa para a enfermidade a des-
truicao inevitavel de sua victima Quem dif-
ferente pois o effeito admravel do
PEITORAL DE ANACAIIUITA I
EM VEZ DE IRRITAR, MORTIFICAR E CAUZAR
INAUDITOS S0FFRIMENTOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA E SUAVIZA A DOR.
ALLIVIA A maiTACAO
DESEMVOLVE O ENTENDI.MENTO,
FORTIFICA O COHFO
e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melliores votos em medicina da Europa (os
Lestes dos Collegios de Medicina de Berlim)
testificam serem exactas e verdaderas estas
retacos analgicas, ou alm disso'a experi-
encia de militares de pessoas da Amrica
Hespaiiliola, as quaes foram curadas com
este maravilhoso remedio, sao mais que
safficientes para sustentarem a opin40 do
PEITORAL DE ANACAHUITA!.
Deve-so notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, em quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, formam a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes tao
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composiro de Anacahuila Peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafada
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma eolher pequea: basta ge-
ralmente a applicacao dum ou dous frascos
para aeffectuac5o de qualquer cura.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo & C, P. Maurer
A C, M. A, Bai-bosa. Bartholomeu 4C e
em todas as principaes boticas e lojas de
urna escrava que sirva para comprar, cozinhar e
engommar, para casa de familia.
Previne-se que ninguem faca negocio eom ;i
cocheira. da ra da Sol n. 27, p'ertencento ao Sr.
Cosmo Jos Paulo Lopos Ncves, sem primeiro en-
lender-se com os seus credores, sobre p responsavel a pagar os detiilos do mesmo senhor.
Recite 18 de agosto de 1860.
A pessoa que precisar de um oflcial de chapel-
Jeiro das 8 as 4 horas da tarde, que tem traba-
Thad para todas as classes e com especialidade
para criancas e senhoras, tenha a bondade de vir
ra da Palma casa n. 81 C.
Letra perdida.
Joaquim de Barros Wanderley, morador no Rosa-
rinho, tendo perdido da cldade do Recife para
aquellelugar, urna letra mercantil, porche saca-
da em 31 do mez prximo passado, a praso de 10
mezes ea quantia de 1:670J0U0 acceita pelo Sr.
coronel Antonio Pedro de S Barrete, pede quem
a tiver adiado queira ter a bondade de Ihe entre-
gar, ou a seu procurador o Sr. Burgo Lonce de
Len, ra das Trincheiras n. 18. Entretanto
confiado no distincto carcter do Sr. acceitaute,
Ihe pede que nao pague a referida letra senao ao
sacador, por ser o seu nico propietario della.
Recife 18 de agosto de 1839.
Jouquimde BarrosWanderley,
r do engenho Taquary, freguezia de Santo Anlao,
um mulato de nome Balthazar, escravo do capi-
tao Aristteles Carneiro da Cuuha c Albuquerque.
Levou calca de algedaozinho azul de quadros e
camisa de ciscado da mesma cor, e conduzio urna
rede. E' sortanejo, alto, espadado, pouco barba-
do e tem cabellos crespos e linos; em um dos,l.ados
do rosto tem urna cicatriz e uina pequea ruptura
na altura do estomago, proveniente de urna faca-
da ; tem falla branda c bonita figura. Descon-
lla-se que procurasse as proximidades do Rio do
l'eixe, d'onde natural. Ser bem gratificado
quera o levar ao dito engenho, ou acidado do Re-
cife, ra larga do Rosario n. 21, segundo andar.
Precisa-se de urna
cozinhar bem : no pateo
ama que saiba soineute
da Ribeira n. 13.
Os abaixo assignados deelaram ao publico e
especialmente ao corpo do commercb, que tem
justo e contratado com os Srs. Pimenta & Irmos,
a taberna sita na ra do Rangel n. 10, livre e de-
sembarazada de qualquer debito: se alguem se
julgar com direito dita taberna, apresente-se na
mesma, no praso de tres dias, a contir desta data.
Recite 18 de agosto de 1869.
Manoel Tavares da Costa Ribciro.
Antonio Pereira de Magalhaes.
Jos Goncalves da Rocha, curador de Joao
Francisco do Oliveira, faz publico para que che
gue ao conheciinento de qualquer, a quera possa
nteressar, 'Hie o engenho Bom Destiuo, sito na
freguena de Agoa-Preta, que foi do finado Juliao
Pereira Maltoso, e boje de seus herdeiros, nao
pode ser negociado por estar snjeito ao pagamento
das dividas deixadas pelo mesmo Mattoso, entre as
quaes figura urna de mais de cinco contos de rls,
pertencento a seu referido curatellado, e que o an-
nuncfltnle vai cobrar pelos meios legues. Enge-
nho Lraoeirinho 8 de julho de 1869.
t
URGENCIA
No fioracao d?
ALUGUGL.
Onro se diz
quera precisa de
ESTLDO DE PMOTfOS
com repetir* para m aluataa
que tm de fazer exaaae em
novemfera.
Jos Soares de Azevedo, professor da
lingua e lilteratura nacional no gymnaik.
provincial do Recife. tem aberto em sua
casa, roa Bella, n. 37:
Um curso de
LIXOIA KIIANCEZA '
raiLosopiiiA;
GEOGBAPHIA E IIITOBIA;
RETHOniCA E I>OETICA.
Os estudantes que pretenderem fazer
exame em novembro em qualquer destas
materias, podem dirigir-se indicada re-
sidi'ticia, tarde, das 3 horas em diante
Alllil.
Precisa-sede urna ama que saiba
ou engommar, preferc so escrava
rna .Nora, toja n. 16.
bem cozinhar
a tratar na
Aluga-seo siuon. 16 da estrada dos Afllic-
tos, com una grande casa assobradada, eom umi-
tas arrores de fructo : a tratar na ra da Impera-
triz n. 20, 2 andar.
Aos 20:000^000.
cama i> a :>.
Os abaixo assignodos fazem sciente ao respei-
tavcl publico, que teem venda os seus minio fe-
lizes bilhetes do Rio, ra do Crbug n. 2, luja do
Sr. Malheiro, pagndose a vLta das listas smente
com o descont da lei.
PRECOS.
Inteiros 21000
Meios 12000
Guarios 6000
De 100 para cima a 224000 o bilhete.
' __________ Vtetra A Rodrigue*.
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de pequea
familia : na ra das Cruzes A 4.
A loga-s
o sitio da viiira de Diogo Jos da Costa, na estrada
da Torre, com grande casa de vivenda assobra-
dada, cocheiras para carro e cavallos, e quartos
Sara pretos, baixa para capira e arvoredos de
rucio : a tratar na sua Nova n 12, luja.
Perdeu-se
de Santo Antonio para a Boa-Vista nns oculos com
aro de ouro quem os tiver aMiado e quizer res-
tituir nesta tvpographia se dir quem .
Attenqo
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar e comprai
para casa de pouca familia : na ra das Cruzet
n. 28, Io andar ; prefere-se escrava e paga-se
bem agradando.
Bartholomeu & C,
Cozluhelro
Precisase de um cozinheiroou mesmo ajudanu .
com pratica de casa de pasto : na ra das Boia-s
n. 8.
CRIADO
Xa Na eslreila do Rosario o. 3'i, primeiro an-
dar precisa-se alugar um criado de 12 a 13 at*
nos, livre ou escravo para o servico externo di
urna casa.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltro
RA DO TRAPICHE N .17, i* ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
lo do Minho, em Braga, c sobre os semiin-
es logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenga.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de]FamalicSo.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
VassaJ (Valpassos).
MiradQelIa.
Beja.
Barcellos.
Siiif
Ensino
Offerece-se urna pessoa para bvcionar
era casas particulares ou na de sua resi-
dencia sem designacSo de hora e dia :
grammatica portugeza, principios de
arilhmetica, nocoes de historia e caligra-
phia ; prometiendo alm de todo erape-
nho o mais fcil c adaptavel methodo,
que em breve dar bom resultado: a tra-
tar na ra do Queimado n. 33, primeiro
andar, das 10 horas da nianbaa as 1 da
tarde ; a entrada pelo largo do Collegio.
33350 aMniangignoBBi
\
VlNHO, PlLULAS, XaROPE E TlNTURA
DE .ItinUDEBA SIMPLES E FEURUGINOSO;
Oleo, Pomauae Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEU & CA
P ii.mi mace uticos-Droguistas
PEHIAMBI i
A Jiiiulieba : esla planta c Imje reconliecda
romo mais poilerusn tnico, como o mellitr
ilrsnli-iriit'iiie.ecoinoial applicaila nospadcciinenio
ilu Ogadoa bafo, hcpaiiies, iluresas, tumores inter-
nos u espccialincnle fio ulero, lirilro|iesias, crysi-
plla<, 'Ir.; e aaaeewda ao trro ulil as pallidas
cures, cliloroscs e talla le menslruacn, dcsarran-
jos iln estomago, ele, e o <|iie uWiuos atteslo
iniiiiiiieras curas impoiianlcs oblidas oom nossos
prepara dislimlos mdicos do pan a l'orlugal. Km lodos os
nosnw deposito distriliiiimos gratis tolhelos que
iiirlli'ir (jm'id conhecer Jurubeba seo* resultados
e applicacao.
CNCER
Remedio efflcaz para erysipella, pelo verdadeiro
descobridor Pedro Buarque de Macedo, cujos fras-
cos serao rubricados pelo proprietario, e os que
se encontrar sem a rubrica do mesmo, sero falsos,
afianzando a todos que nao ficarem completamen-
te perfeitos, o auto/ se responsabilisa, visto que
ser falso todo aquelle que se encontrar sem a ru-
brica do mesmo : na ra Nova de Olinda n. 4.
11..
Para o armazem do Campos, na ra do
Imperador n. 28.
Neste milito acreditado estabelecimento
acha se constantemente um variado sorti-
mento de gneros finos para meza e
cosinha e entre estes nomea-se apenas as
especialidades seguintes:
Queijos do serto sendo de manteiga e
coalha.
Caraares seceos do Maranh3o.
0 verdadeiro cale de Moka,
O superior e bem conhecido peixc miraguaia
que se vende a i 'JO a libra e o.'ih a
arroba.
TABELLAS
de reducto as mais Tacis e mais com-
prehensivo.s, ludo no
Armazem do Campos
SEGUROS
MARTIMOS
COKTRAFOGO.
A Companma Indemnisadora, estabelecid
esta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Os apreciadores de manjares delicados encontra
rao todos os dias no hotel central de Francisco
Garrido a verdadeira sopa de raviole, ao verda-
deiro goslo italiano, assim como outras excedentes
iguarias, gue seria enfadonho mencionar. AH se
encontrarao ain Ja os mais asseiados aposentos para
hospedes, e banhos, bilbares e pianos para re-
creio dos visitantes : na ra larga do Rosarlo n.
37, Io andar.
L
Ll
Resta venda um escolhido sortimento de ob -
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de j*-
jarand, mogno e amarello, obra nacional e estran-
feira, de apurado gosto e por pre}jo< razoaveis .
a ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma.
asa fazem-se com perfeicao todos os trabalhos V
Dalhinha, como sejam, empalhamentos de lastro-
)ara Camas, cadeiras e sophs.
Em casa de THEODORO CHRST-
ANSEN, rui da Cruz n. 18, encontram-se
eflectivamente todas as qualidades de vinhr
Bordeaux, Bourgogne e do Rlieno.
RA
IDO
CABUG
esquina
AO ANNEL DE OURO
RA
EO
da ra
CABUGA
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
' 'e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. lardado
larga ao ^ vista da quaiidade e 0 pre(?0 ^ j0ias caa ^ p6der-se-ha convencer da verdade.l s
9
S
Rosario.
Garante-se ser tudo de lei.
vados.
Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele- Rosario.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
>
J MUTILADO I




Diario de Pernambuco Sexta feira 20 de Agosto de 1869.
GRANDE HOTEL
Ra larga do Rosario n. 44.
Espedalidadc na preparado dos gneros ali-
menticios, proniptidao c asseio as encommendas
s boa orpntlacao no estabelecimento. Recebem-
se assignatoras para o etahelen ment domici-
lio, faciii'a se a lenra da jornaes ii:ni<>napa o es-
igairos. Espacusa sala para q elegante jogo de
buhar, o ba decente e eommoda hspcdagem.
Na praca da Independencia n. 33, se da di-^
nheiro sob penheres de ouro, prata e pvdras pre-
ciosas, e seja qual for a qnantia : na mesma casa
e compra e vende olijoctos de ouro e prata, e
igualmente se faz toda e qualqner obra de eooom-
ui.uda e lodo c qualquer concert tendent-* a
mesina arte.
Alugam-se al ti oscravo* para o servico de
campo, adianta-su al seis mezes de alugoul para
cada um : quem tiver dei>:e sua morada na co-
cheira do Sr. Tliomaz para ser procurado, na ana
de Santo Amaro, 011 na na do Imperador n. 45.
eecbeira de Manto! Mara.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de leite sem filho :
travessa do Veras n. 15, 1 andar. No se olh&
a preco.
Notas das eaixas filiaos do banco do Brasil,
irocanwecom mdico descont, na loja de Manoel
Soares Pinlteiro, praca da Independencia n. 22.
Madama Adour tem a honra de par-
ticipar ao respeitavel pablico, amante dos
oossos tbeatros lyricos, que reeebeu pelo
ultimo vapor da Europa, sahidas de baille
B bronus do ultimo gosto; coa do Imperador
n. 23 Io andar, e que vende por barato
preco. -_________________
Precisa-se de tuna ama de meia idade e de
boa conducta para andar com meniaos e engom-
mar para pouca familia : na ra da Cadeia n. 10,
ou na <3apunga porto do Jacobina n. 48.
Quem qnizer alngar o 2 andar do sobrado n. 40
da ra da Cadeia do Recite, o qual se acha pre-
scnlemente pintado, e esteirado t forrado a papel,
ludo em perfeilo estado : pode dirigirse ao es-
riptono da companliia Pernambucana, no caes da
Assemblan. 12, que ahi adiar com quem tratar
iimis m m mmmmm
Dr. Manool Enedino llego Valenea, me- u
dico, ra da Camboa do Carino n- 21.
-rriLHE
PISTA ARTIGA E CREDITATA
FABRICA
os3^paa) asi 30)2
ISCIITIA II CniTlITIIIITI lu ClIfUT IIITIIIITI ||
chapem mm !:
D tedas u qualidades I
2 J RU
De todei m feitiot I
De toda o preces I
A DO CRESPO
AUGUSTO PORTO & C.
11--RUA DO QUEM DO-11
Tendo chejyado ltimamente ao seu e-talielecimento grande variedade de fa-
lendas de gosto as poem disposico de seus numerosos freguezes pelos mais mdicos
presos possiveis, sendo:
Bournous de cachemira brancos e de cotes, o que ha de mais elegante para
hombros de senhora.
No vos gostos de manteletes justos ao corpo denominado silphides, sirennes,
orientales de renda preta de soalines, o que ha de mais elegante para urna moca.
Basqnines de guipte preto, novo g)Sto,enfcitados desetim de cores. Vesti-
dos de blond com manta e capelia para noivas. Fronhas e toalhas de cambraia de luiho
bordadas. Cortinados bordados para camas e para janellas de diversas qualidades:
col.xas de seda e de liia e de seda para camas de uoivos.
Epingl, lindo gorgurao de la c seda de cores, muito elegante fazenda para
um lindo vestido. Sedas de cores e preias, gorgorito de seda branco e de cores com
listas assetinadas, panos, casemiras e muitas outras fazendas cujos precos sao em geral
muite mdicos. Grande soru'mento de camisas para hornero, tanto lisas como bordadas
e de cores.
Continuam sempre a ter grande variedade'de tapetes para sof, para cama e
para pianno, porcSo de tapetes cm pecas para alcatifar saloes. e grande*quantidade de
Esteiras da India para forrar salas.
Attenpo
Aluga-se urna preta quitandeira
ra 1o Pilar n. 47.
a tratar na
tten$1o
Urna nessoa com as habilitacocr. precisas para
qualquer casa do commercio. deseja ser emprega-
da, tanto nesta eidado como fra delta : a tratar
aa ra Bella n. 22.
Vicente Alves Moreira, agenciador de ven-
das de envs, mudou sua re-idencia da ra de
Hartis b. 91 para a ra da Paz n. 34, onde seus
fregaeies o poJero procurar para a mesma oceu-
nacao. Recebe escravos em eommissao, e promette
() rompa-venda.
"OSMiOOpOF
Casa da fe ioiilade
\. iI21'HACA DA NDKPKNBNCIA N. *
Os abaixo assignados, tendo oblido licen-
;a da presidencia e satisl'eito as ontrasexi-
-ciioias da lei, avisa ao respeitavel publico,
que lera sempre venda bilhetes das lote-
ras do Rio de Janeiro, cujos premios serao
pagos promplamente vista das listas, com
o esconl) smente da lei, pelos preces
seguidles :
Bilhetes inteiros... 20OOO
Mios.....tSOOO
Ouartos... 6^000
_______Veras & Barbedo.
8G3ISSDXB
IMIa directora sao convidados todos os tocios
liara emnparmenm em assemhla geral, sexta-
f"ira,20do oorrente, as 6 1|2 horas da tarde, na
sal de suas sessSes.
Secretaria da sociedado Uniao Boneficente Ma-
rtima 17 de agosto de 18M1.
O 2 secretario,
___ Jo Josepluna Thereztdos SerKot% Ji.aqnim d s
.Santos Mara LaneMiaa Santo; Joaoaraa Pinto
meas, Mariana Athanasia Mor.-na, M*ra* do Al-
meida Lima, Ko.lrgo Pinto Moreira, Mano.J Fran-
cisco Pocas, mulhcr, irmSn, cunliadas, cimbado e
f-mennhados de Tiago l<$ dos Santos, MleeMo
no da lo do corronie, agradecer cordialmenle o
todas peasoa que se dignaram acompanbnr os
restos mortaes ao cemiterio ; e de novo pedern aos
prenles .; imgoi do nifsino toado o obsequio de
assisiirem a mi ma manda* dizer na ordem terrena dedrmo, no
da 21 do crrante mez, pelas 6 Ij2 huras da
raanha.
y
3
a ai
3
w o
' V- ^* ^. 5*'
fif'
2 = 3 3 3
oisis
sr m -.
49
ios 0:000^000
CASA DA FORTUNA
Ra do Cres u. 3.
O abaixo assigMado tendo obllo urtica da pre-
sidencia e salisfeito as outras exigencias da lei,
avisa ao respeitavel publico que ter sempre a
venda no sen eslabeleeimento Ikhetcs das lote-
ras do Rio de Janeiro, ajoa premie serio pagos
pmmptnmente i vista das lisias com o descont
jomete da lei. *
Preoos :Inteiros.. 24*000
Meiee... 12*000
Qnarlos. 64000
E em quantidade maior de 100*000 na razao
de 22*000 |ior bilbele.
Manoel Martins Finia.
AOS 30:000^000
CASA FELIZ, ARCO DA CONCEJCAO N. 2.
Os abaixo assignados lendo se habilitado na for-
ma das leis tem exposto venda os seas felizes
bilbetes das loteras do Rio de Janeiro, na asa
adma aonde se pagaio as sortes que sahirem
nos mesmos bi I leles com o descont da lei s-
mente.
Bilhetes inteiros. 24*000
Meios......12*o00
Onartos.....6*000
E de 100* para cima a 22* o bilhete.
______ Figueiredo A Leite.
COSTUREIRA
Cose-se-costuras de alfaiate a moda fran-
caza, por preco commodo, na ra Angusta
n .112, e d-se fianca sobre as mesmas.
O adrogado
Alfonso de Albnquerqne Mello mndon o seu es-
criptorio para a ra das Crnzcs n. 37, deronte da
typographia do Diario.
Miguel Goncalvcs Rodrigues Franca, Qlho de
Manoel Goncalves Rodrigues, vende a herancaque
em urna quinta Ihe deixou, na itlia de S. Miguel
seu av paterno Joo Gongalves Rodrigues : a tra-
tar na ra do Crespo 11. 12, 1" andar.
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de urna elicacia verdaderamente ma-
ravilhosa como calmante do systema nervoso
e applicado contra a paralisia, asthtna,
tosse convulsa ou coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, suffocacoes, calharros,
bronchicos, etc., e em geral contra todos
os soffrimentos das vas respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua virtude contra
o ttano ou espasmos, e convulsoes in-
contestavel/e ninguem ha que a desconhe-
ca. Ra Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.
MLUANgA DO
a>

"i
-1
C6
'
S.-5 5
S ^ &"
2 t en 5
S-5"
=, C O
05 O
'Cu
a
3
O X
S-2
en
% 9 a S
"ni-**
w 3 3 5U.
(6 2.o
o
1=5
O
-*
B
S"
i
O
o
^ o
* S
u
o
AlbinoRaptista da Rocha participa
a todos os seus freguezes quemudou-
se com a sua ofiicina dapraca da
Independencia n. 12 para a ra das
Crines n. 23; previne, porlanlo, a
lodos os amigas e Iregtiezes que se
adiar em casa a qualquer hora
do dia, para executar tedo e qualquer concert
que de sua arte exigir possam, tendente a sua
l'iMlissSo ;'e em sua falla adiarlo
tratar.
com quem
Obsruccao
Do figudo e do bago
Os preparados de JRREBA (vitiho,
xarope, pimas, .oleo, emplstro e tintura)
s5o eflicazes contra a obsti-ur^ao do figado
e do baco.a ictei ici.i, a liytlropisia, as lebres
iiileimitten es c durezas, os desananjos do
estomago, as faltas de sangue e do mens-
truacao, o calharro da bexiga, etc.
Hinco deposito, [iharmacia de seu autor
da J. d'Aluieda Pinto.
Ra do Rosario Larga n. 10 junto
quartel de poiic
COMPAWHU PEMAMBCARA
COUSKIiHO HE TOREC^AO
Os Sr, Saunders Brothers & C, Tasso Irmaos,
Luiz Antonio de Siqueira.
0 SR. F. F. BORGES.
^SS**60 a,nda emillir a!Smas MSte* (,eila companliia, da quantia nominal.de
00#O00_cada ama, das quaes s se aceitam em virtude da lei, 20 %. ou 4Oi5O0O por
cada acc5o; eoavida-se pelo presente ao publico era geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que queiram dar emprego seguro aos seue
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes que Ihes approuver.
Algumas destas accoes j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
de na presente occasiao (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de qon
poderem dispr em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ihes garaD-
tam seus capitaes.
A companhia possue boje 10 vapores, 0 inteiramente novos, e destes o ultimoesti
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armarens, no terreno pue possue no largo d'A-
sembla.
Seus dividendos tem sido ds 10 % ao anno nos ltimos 4 annos.
As accoes que se emittirem-gosam dos mesmos direitos, e percebeio o beneficio
dos mesmos dividendos gue os antigos em propongo da entrada.
Recebem-se assignaturas no escriptorio da compaohia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12.
DENTISTA M PARS
19Ra Nova-19
FREDERICO U11T1ER
\
iirurgiao-dentista, muito conhecido ha dez annos n'estajidade, pela perfeifao dos seos
irabalhos, tem a honra de participar ao respeitavel puo que tendo feito
horamentos na sua casa, pode d'bora avante recbelas senhoras no seu 1
icharao os commodos precisos para familia.
Acha-se tambem na sua casa e na sua companbia, o seu sobrin'
p'.Uitoi oie-
oete ood
' diseipok)
.1. IiEROUX
o qual acaba de voltar de urna longa viagem a Europa, durante a qual ueoa con
feliz successo as primeiras casas de Pai*i e de Londres, offerecendo assim ^ melhores
^arantias do bem desempenbo para tudo o que for relativo a profiss3o ; por isso o
innunciante pede aos-seas amigos e clientes que por acaso o nao encontrarem no sea
?abkiete, depositem no dito seu sobrinho a mesma confianca com que o tem honrado
a dez annos.
Dentaduras por todos os systemas: a prssao de ar e cora molas de ouro, platina
vulcanite e um inteiramente novo n'esta cidade.
Cura radical dos dentes cariados.
Chumbagens (obturares) com ouro e com massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de dentes.
Agua e pos dentrificios fabricados pelo propro annunciante, o que Ihe permiti aas-
car sua boa qualidade.
Escovas para dentes. etc.
Perfei / ingers para fra mediante ajust preuio.
mete acha-se aberto das 8 horas da maahaa ateas 4 da tarde de todos d*
teis.
JWtei
ai
AMA
Prt-"cisa-ae de urna ama boa coainhcii a, c outra
que eagomme bem, forra ou escrava, e que lenha
boa conduela : a na do l'itct, sobrado n. 27
Attenco
^
Sao 'oo\ :J lAu ti pessoas com quom se rela-
"cosm nenia cidade n Mfeeianifl Julio Cesar Pinto
- d-i Olivoira, para assi>iiK'in na ,'ivja mairiz da
freguezia da Boa-Visto, una mis-a do rquiem.
que ser celebrada as 6 horas da manlia do dia
l do (\rrente, trigsimo do falleciuieuto em Lis-
boa de sua presadisima eoasurte I). Josepha Ma-
*ia Piulo d<> Olivea, a coja alma san applieadaa
referida missa.
-OJ
Juajuim Lopes Machado convida aos prenles e
amigos de seu amigo Dr. Joaqnim Jos de Campo
4a Cola ledeiros c Alboquerque para assistirem
a algumas issas, qun por alma da extremosa
sSla Miaiihaa do ti da cerreita, na atr de Santo An-
casa ha vmm
Aos 4:000$
Bilhetes -^arimtidos.
A roa do Crespo n. i'.i e casas do costme.
piado tendo vendido alem de ou-
sorles i (juaito- n. 1934 cmi 4:000* da lote-
lia que se ai'abou de extraliir bcnelicio da Santa
Misericordia, convida aos possuidores a
na confurmidado do costume sem
'lio algara.
Acuam-se a venda os bilbetes da 4' parle da
:n terctira do Carmo do Recife,
xralii-ra no dia 17 do cmate
Procos.
O do n slnnv.
Manoel Martn Fiuza,
cmsm E MODISTA
A LECOMTE
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de partecipar ao respeiUvel publico e em particular seus fregue-
zes, que, pelas rdaces que acaba dtOneetM eomalgumascistureiase modistas das mais
afamadas de Pars, que todos os mezes Ihe mandam figorinos, do vestidos, man-
t-Ietes o chapeos que cstao no maior gosto e miis modernos, se acha habilita-
da para fazer vestidos para pasela e visitas, bailes e casamentos. As sendoras que
a hunrarem com a sua -eguezia, nao d.ixaran de ser satisl'eitas, tanto pelo bom gosto, com
pela barateza dos piveos e promptidao na ealwga das eneommendas ; tambem tc'm bo-
nitos enfeites muito modernos e de todasas cores. Fazem-se chapeos de todas as qualidades
tanto d- fil como de palha.
Na ra Estrella do Rosario n. 3o Io andar prepa-
ram-se ricas bandejas de bolos para easametKos, ba-
lese baptizados, por prego muito coiumodo, com bidus
dedilTcrentes qualidades, boquets de flores artiliriaes
e naturaes prnprios' para enfeilos de bolos e para
casau-entus e para qualquer oferta com litas bor-
dadas a ouro e leireiro agosto dw- donos ; as en
coniiueadas deven ser Jertas dous dias antes,
enfeitam-se velas ricas por muito barato preco
para baplisados e enfeites de altares; faz-se ca-
pellas e cenos para as lojas e flores para eufeites
de igrejas; prepara-se qualquer cnconinienda.
para fura com toda a presteza, de rosas, palmas,
capellas, festOes e roseiras para enfeites de igrej
mais barato do que em outra qualquer parte e
com toda presteza; faz-se pao-del, pudins e do-
ce, tudo enfeitadn para prosentes.
GRANDE NOVTOADE
l hegon de Lisboa para a livi tria rraneeza a obra lo viscende
PONSON D TEBMIL
- (Traduccdo de Alfredo Sarment.)
OS BJ3AS DE PARS
Primeira Darte do famoso romance
Ti'bia Picrri ag;-adoro eordliaente a todas a
pessoas de sua amizadea maneira por que sempre
otrataram durame sua estada na Europa. Ootm
sim declara ^e contina a dar lices do piano e
canto, tanto ein easas parliculares como em sua
residencia, para o que espera a proteccao de lodo?
os-pais de tamilias que rpi.'iram se utilizar de sen
presumo, na do Imperador n. 19, 2 andar.
11-Eua estreita do Rosaris-11
Este novo e modesto estabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico este ele-
fante e bem fomecido hotel que situado n'uma posicao inteiramente sadavel, e se-
Jo constantemente sombreado pelos doces zephyros da tarde, torna-se preferivel qual-
quer outro d'este genero, as tres cousas mais necessarias ao genere racionalali-
mento do corpo, distracao da alma, e socego do espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto muito profusa, da primeira ordem ; do
primeiro andar, sala da frente, um excellente buhar de mogno, para divertimento. Saja
Je traz um restaurante da primeira ordem. Quauto ao asseio e bemfeitoria das comodo-
nas, o delicado modo do pessoal do attabelecimento, promptidao e commodidade, s
aos Ilustres concorrentes dado fazer justica.
Fornece comidas para fra, tanto por mez como avulsa. Todos os dias, noite,
ncontrar-se excellente sorvete, refrescos, caf, cha, boas vinhos Figooira, Porto, Bor-
leaux, tendo bons commodos para hospedagem, salao o quarto mobiiado no-segun
do andar.
at
NA
Oh
FLOR !A BOA-VISTA

Novidade
A botica de C. Clao A C, ra da Imperatriz
n. 77, acaba de reeeoer um completo sortimento
de semenies de liortalice, todas muito novas epir
eormnodn pre^o.
Engomma-se mupa tanto de homem como
de seiiliora, cpm perfeicao : na ra do Caldeireiji
a 16.
HU.
Prpd=a-3ede orna ama (pie compre e cozinhe,
psTa-drtaK peesoss, e paga-se bem : na ra da
Ouz n. 10, 2o andar.
^
DE ^t-j
^PAULOFEBNAMSDMELLOeDIMARiS^i
-^ SOR A DIRECTO DO MUITO HBIL ARTISTA Kl
ALFAIATE PEDRO
5
Aluya-se una preta escrava que sabe lavar.
comprar, cozinhar e engommar : na na Nova
mprar,
AGENCIA
Nesta oflicina encontrarSo os respeitaveis freguezes um dos primeiros artistas
em alfaiate para bem poder satisfazer toda c qualquer obra, tanto ho bom corte, como
no aperfeicoamento das mesmas.
Torna-se desnecessario recommendar este artista, pois que a sua thesoora j
bcra conbecida, (o com grande especiadadc em fardas) por muitas pessoas distinctas
desta cidade
Ach tr-se-iino figurinos Je todos os mezes, pelo que o artista exicuta debaxo de
iodos os pretseitos d'arte qualquer urna obra em face dos mesmos.
O mesmo estabelecimento se acha munido de um completo sortimeuto de fa-
zendas, como sejara: casemiras de cor, ditas pretas, pannos pretos, ditos azues, fcrins
de car, ditos brancos, eda- para colletes, mentios, etc. e mais fazendas piopiiae
officir.
0 grande sortiiaento de roupas feilas que tem vende por menos 20 0/| do
que em outra qualquer parte.
RA DA IMPERATRIZ N. 48,
junto padaria franceza.
r
Do Dr. Ayer.
de ba
Primeira serle A Nsranca misterios.
Segunda O cIh! dos valetes de copa-.
Tcrceira As proezas de Rocambole.
Ouari.'i A desmrra de Baecara.
Oninla Os cavalheiros do luar.
Sexta O testamento de grao do sai.
ruarte em 't- litSM
com encadernacao intehra
9- RIJA DO CRfiPO 9
PEIT UtAL DE CEREJA
cura phtisica o ludas as iu< Italia do pello.
SALSA PARB1I.HA .
cora ulceras e chavas antipas, empigen e darlos.
TUSilCG
conserva e hmpa os cabellos".
PILULA UA'ARTICIS
pnramoaleveetapsrenoiii raercnvio. cui-a sesfles,
purpam e purificara t 1 o systema humano : ven
de-e nicamente em'fasi de Samuel P. Johastoa
& C, ra da Senzala nava n. 42____________
Alupa--e um sino eom boa casa de
vivenda com commodos para gran-
de faiojlu, na Rassafem da Magda-
na, em -frenio no si(i do Sr. Bailar
A Oli\cna : a tratar com Domingos
Alves Mfiheus, rna do Vioaris n. .
Alng.i-sea casa terrea da rna de Henrique
Dias n. U, vulgarmente conltecida por Ettaacia :
a tratar na roa da Cadeia n. 39.
COMITMIA DOS AMtZES
16R DA CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollmhos para cha, fiambre, pastis de diAau,-
tes cualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhojkia
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, docee^e
calda, etc.
Incnmbc-se'1 iiDondas para grandes jantares, bailes, baptisadese *-
samentos, a saber:
Pecas de nougat. P3es-de-lot enfeitados.
Ditas de po-de-lot. Bollos idem.
Ditai de tmara de C Pratos de doce do ovos.
Ditas do caramilo. Tortas folhadas de crme e caree.
Bandeja com armacSo de assacar. Empadas.
1 MOTILADO


Diario de Penitmbuco Sexta feira 20 de Agosto de 1869.


*
ESMERALDA

Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabeleeimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-o ao res:
peitavel publico, a quem oflFerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem viudo a esta
prapa, e por presos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, pratage pe-
dras preciosas
ALGODO
Irmandwe do Senhor Bom
Jess das Dores m S.
Gonzalo,
De ordem da mesa Kgodora 'convido .103 nosso
irniaos para que eoropnregam uo nqsso consistorio
domingo S do crreme, jiHas 9 i|2 horas da ma-*1
ihaa, allm de reunidos em mesa geral, elegermos
os nossos funccionarios que teem de de servir nos
nos annos de 1869 a 1870.
Consistorio da irmandada do Senhor Bom Jess
das D-jres em S. Uonralo 17 de aghsto de 1869.
Haphael ArotaDjo da llosa Lima,
____________________fecrivao.
Ao commercio.
Os abaixo -assiimados, cstabelecidos-oa villa de
Cimbres, levam ao conheeimcnto do publico e -em
partioular ao commercio. que deixarain de ter
ransacpies eom a casa do 8r. Antonio Akes Lc-
bre, e que nada Uto devem, tendo durante o tempe-
de suas transascoes cuinprido tlclnientu com seus,
tratos.
Ilecife 16 de agosto de 1869. Q
____________Liberato Lopes Frazao 4 Irmao.
0 muzeo de jom
Nraa do Cabug n. 4 compra-sa ouro,prat
eja*W preciosas por oreos nait Tartajosos de
UlP-e otrtra itiabiuer parte.
A BOMA m m vawjB
II U'JimiI ya 55_Jtoa do Compram-se e vendein se diariamente para fra
a uentro da provincia escravos de todas as idades
cores e sesos, com tanto que sejam sadios no
ereetro andar do sobrado n. 36, ra das truzes,
trege de Santo Antonio.
Ama
t COMPRA-SE
moedas de ouro e piala de todos os valo-
res, curo e prata em obras nutilisadas, e
primantes e mais pedras preciosas: na lo-
ja de onrives do arco da Concedo no Re-
1'rcci.sa-se de una ama para cozinhar : na ra
da Imperatriz n. 46 rufmarao.
Ahigu-se
o sobradan, I, na ra da nnnga^eira eoi Olinda.
cnii milito Iii.i agua para beb r, 'que so vende
mensalmentc cerca de trinta mil res coi lempo
de vero, teudo tres sala* de frente, sete quartos,
e um para banho, sala de jantar, cnzinlia fra,
com um rico pomar defructas, sapolis. pinheiras.'
coqueiros, niangueiras do especiaes quaiidades
como jasmim e outras: a tratar no llecife arma
zem n. 3 A, defronte da escadiuha, das 9 oras da
manliaa as 3 da larae.
^Compra-se-chumbo vellio : no aruiazem da bola
amarella, no oitao da secretaria de polica.
Ouroep^tT
Comprani-se moedas de ouro e prata de todas
t! ul; r i'",r '""" ^^ "a rua da Cadeia
dg_Recifo n. &8, loja do azulejo.
EMPRESTIMO SOBRE!
MACHINAS
TOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarocar alod5o, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
M VCHINAS ditas, tambem de serrotes o de todos os tamanhos para descarocar, al-
godao do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina
MACHINAS ditas de Holler Gins, de cjo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodao.
MACHINAS de Cacao do fabricante Platt B. C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as meihores que tm
vindo ao mercado ; e para a sua apreciaco convidam-so os senhores agricultores "
virem a expsito das mesmas na rua da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, ond"
encontrarao mais o sequinte :
(SEM LIMITE.
Na travessa da rua
das 6razcs n, 2, pri-
meiro andar, da-se ijiiai-
! quer qiiuiilia sobre ouro,
prata c pedras preciosas.
0 dono deste estabeleeimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condic5es de ga-
rantir a transacc5o que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e consideraco s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
beleeimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
No armazcm da rua das Cruzes n. 2o, compram-
*e e vendem-se traites novos e usados.
Attenqao.
Compni-se urna escrava moca qus seja sadia
nao se ollia ao preco : quem a tive.r dirija-se rua
de Santa Tlicreza n. 24, que se dir quem com-
pra.
VENDAS.
Vende-se urna machioa
anda nao servida, por menos do seu vforTna'
rua do Rangel n, 9.
de costura, Menle,
valo
Debulhadores para mi I lio.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de m3o.
Machinas para cortar vipin.
Cannos de chumbo.
Bombas t 9&0f-.
Ditas americana.
Telhas do ferro ga!vaniada.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e lato.
Ferro de todas as quaiidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
Machados americanos.
Faenes ditos.
Balaios e testas do veiguinlu.
Vassouras americanas.
Fplles de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig.
diversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Bataneas americanas."
Tinas de madeira americanas.
Fas de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Ternes de bandejas linas.
Tiwis completos para ceaina.
Penetras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engoramar.
.Moinhos para refinat^es.
Azeite de espermaccle, proprio para machi-
nas de todas as quaiidades.
Serras avahas para machinas.
Mancaes e todos os mais perteuces para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospejtencentes alavoura c artes, que pela
O ahaixo assignado lendo iiiuitn breve de fa-
zcr urna viagem a Europa, a tratar de sua sade,
deixa por seus bastantes procuradores, em pri-
meiro lugar ao Sr. Antonio Martins do Couto
Vianna, em segundo ao Sr. Jos do Reg Borges,
c em terceiro ao Sr. Emilio de Soma Costa.
Iguarass, 16 de agosto de 18(19.
Joo Soterio tl'Alme''i.
Depois do espeelacnlo
CEIASSOUPRS
no salao do
RBSTADRAST KRAXCAIS,
rua "do Imperador u. 32, Io andar."
Precisase do urna ama pira servir a urna
s pessoa : na rua de Hortas n, 70._________ ?
A HE A, ~~~**
Precisa-se de urna ama Dar casa de duas pes-
soas : na rua da Uuiao n. 83. &Gf
Precisa so alugar um piulo para o servicp
interno de una casa: quem o tiver dirija-se a rua
do Rosario larga u. 10, junto ao quartel de poli-
ca.
i iirj
Xo o lardaremos at que..........
E' na roa Direita n. 53, loja de Ifrragens. que
se deseja fallar ao Sr. Antonio Francisco Duarte
ou seu n-niao i-x-ilP(Hitaik' provincial Dr, M.ixi-
nuano Francisco Duarte : devo saber quem ___
COMPRAS.
CARVO DE BELLOC
PARS
ApproTado e recommendado peta Academia imperial de medicina de Fariz para a
cura da gaslrrig^a e em eral de todas as doenc^s nervosas do estomago e dos intestinos
b plmente o remedio por excellencia contra a retencao de venfw Finaimente em
wao de soas propnedades absorventes, recommendado como verdadeiro remedio nos
cazos de d.arrl^ e cliolerina. O .r*o u, Deiio. tema-M, ns occao das comidas
soo a tonna de pos ou de pabtilha*.
Depo.;io cin Rio-Jahkibo Duponthelle; Chevolot. Em Pet.iui.bio, Mavrer O.
Com niuitu ;,i;iiir viiiiagom eoropram-se
moedas de ouro e prata : na loja de joias do Co-
raraodo Ouro n.-i D. rua d i i;abug;i.
AttenQo.
Comprase farinlia de mandioca da torra : a
tratar na praca do Corpo Santo n. 21, 1 andar.
Osa de pasto
Mao de cacea, caf com leite o comida, prepa-
ra-se com todo esmero e asscio rua da Lapa n.
11, e se fornece lauto para fra a accionistas como
as mesas, o do sabbado para domingo a bella
mao de vacca.
1'reeisa-se de um aixoiro de 13 a 14 amos
de idado : na rua do Imporador n. .
GOMES DE WfiTTOS IRM&OS
tendo feito completa mudanpa em seu antigo e
acreditado estabeleeimento de joias, com ofimde
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RUfl DO CABUGA N. 4
onde enoontrarSo um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubius e tudo que em obras
de ouro, prata, e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHWTES, ESMERALDAS E RUB!NS
de novos gostos, assim como ^and4variedade de salvas e paliteiros de
prata cnntr^fcla e de goslo anda Wo visto, e completo soitimeuto de
obj^ctos de prala para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e 2arantei
aqualiaade dosobjectos vendidos.
C/2
Rua do Crespo n. 17.
ESTEIRAS DA INDIA PARA FORRAR
SALAS.
Gorgorees de cores para vestidos.
Poopehnas de linho e seda de muito bom
gosto.
Sedas de cores de lindos desenhos.
Alpacas de listas muito bonitas.
Ditas lisas da todas as cores.
Goffiorao em chitas, fazenda nova.
Brimantinis de tres.
Casaquinlios pretos dii gitipure.
Ditos de Msemird de todas as cores.
Hiquissimos cortes de vestido de blond.
Ditos ditos de cambraia bordados.
Ditos ditos de tarlatana bordados.
Colxas de "seda ltimamente chegadas.
Ditas adamascadas brancas e de todas as
cores.
Damascos largos e estreitos proprios para
colxas.
Baloes de todas as quaiidades.
Saias de cores,
Saias brancas bordadas.
Tapetes de todos os tamanhos' e para co-
rados, aveludado.
. amb>-ai.i< et r/irr-s > chitas de todas as
quaiidades, e outras muitas iazendas que se
vendem por todo preco, smente para acre-
ditar a distincta fuma de
A\GUIMARAEUC,
Exiraelum carnis
Este producto ahmpntocao para doentes, mui
apropriada para creancas e para as pessoas saas ;
Indispensavel a todos, i.rm, principaLiente aos
viajamos, que terao nelle o recurso de poderera
ter alimeniacao de carne fresca inesrruptivel, e
<|ue com facilidade se aprompta c so conduz, uor-
(|ue n'um pequetio volume carrepa-so aliaientaeao
para muito tonipo. Soliretudo rliama-se a atten-
??.._ "s s,'n,1"i'<'s de engenlios que enconlrarao no
l'ATRACTUM CARNIS o re,-urso de alimentadlo
agradavel, hygienica e barata para seus fmulos e
seus doentes. .
Esto producto fabricado pelo processp do dis-
tincto medico Dr. batnba, no Rio-Grande do Sul,
quo acaba de crear um deposito nesta cidade em
cas:, do los Victorino de Rezendc & C, rua da
Cada, escriptorio n. ', primoiro andar, venden-
do-se :
No deposito a na da Cadoa n. 32.
as pbarraarias dos Sr^. :
lame! Alvos Barbosa, mesma na n. 61.
Joaqiiim de Almeiiia Pinto, rua
t a. 10.
Antonio Mam Marques Perreira, praca da
Boa-Vista n. 91. *
N. B. As latas que conten o extracto trazem
urna guia para seu uso.
Venda de impostes
Manoel Barbosa da Silva, arrematante do im-
postns proviaeises das comarcas de Tacarat, Ga-
brob c Boa-Vi-t;i: e d.is iui|ios!os de consumo das
agurdenles do termo de Olinda, avisa aos que
.pretendere! comprar ditos Imposto!, que podo ser!
pn'curado rua do Livramento n. 22, onde por >i
ou seu procurador podeui entrar desde j em ne-
gocio os pretendenfes.
Loja de miudezas de Ferreira daCunbaA
Tempoial, rua do Queimado n. ti, est
quimando por todo prefo :
Jogo de vispni a a 400 e 500 rs.
Redes para criques a 240, 400 500 rs.
Linha de 200 jardas (duzia) I200.
Caixa n>nito fina para p de arroz 15500.
Relogio-de sol 120 rs.
Latas com Itmua 160, 200 e :j20rs.
Agua florida verdadeira a 1)5300.
Agna divina idem 4t$400.
(ravatas pretaspara bomem 4 0 rs.
Pentes de travessa para menina 320 rs.
Olio philocme verdadeiro ;i 1:>200.
\-lerecos de plaqu ;i 1^500, 25 e 55.
Meias croas para liotoem 35iOO e 45 a
duzia.
Botes ejifeilados para vestido, 15200 a
duzia.
Leques do santol 55, cada um.
Diltos de madeira 35 cada um.
Coques de traBca, boa fazenda, 25,
25500 e 35 cada um.
'.Meias finas para senhora 45 a duzia.
, Banlia em frascos a 400, 640 e i 5:100.
I'i ascos com extracto muito fino 25 e
25500.
Canivetes de duas folhas a 240 rs.
Sabonetas linos a" 80, 160, 200, 240 e
320 rs.
Olio babaza 400, 500, eoo_e_ 800 rs.
Agua de colonia 400, 500 e 800 rs.
Cartas francezas 200 e 240 rs.
Caixa com extracto 25500.
Ca tas portngnezas a 120 e 200 rs.
Pentes brancos com costa de metal
320 rs.
Dittos ?.retos 200, 240 e 320 rs.
Galo de la para vestido (pessa) 400 rs.
Fita de sarja lisa e lavradas, 15500,
H e 2->o(J0.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Dilto e dotirado a {&.
I)itlas eom euvelopes 500 rs.
Caixa com agulhas francezas 160 e
2'irs.
La fiara bordar de todas as cores (libra)
65800.
Bonets para menino 15,25 e 25500,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
M ias para menina (duzia) 35 e 35500.
Pecas de tranca liza e de corocol a 10 rs.
Sapatos de 13a para menino a 320 e800,
Capellas francezas a 25500.
Facas e galfos, cabo de balauco (du-
zia) 75.
Chicotes para cavallo 600, 800 e 15500.
Bengalla de canna !5, 15500 e 25.
Vortas para luto 500 rs. (cada urna).
Papel almaro. greve (resma) 15500.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabeleeimento bo-
nanca, Temporal contina a
vender na Bonanca, pelo mesmo
preco que venda em sua loja
com titulo de Temporal.
Rua do Queimado
A VERDADE tendo em deposita grande
qiianlidade de miudezas e peilumaiias. e de-
sajando apurar rifad tro e adqm rtr boa Ire-
Ifwzia est rssjivtda a vender muitisimo
barato, tanto a retalho, como a mscate*
para esses tornarem a revenderj_por a
razo convida ao respeitavel publico a \ir
coiiipcieiilemenle munido a sortir-se dt
bom e barato. IV.is qnsitdo a VERDADE
appareC4, tudo mais desapparece___
Grande sortimento de bonecas de cora e
massa as mais lindas possi eis vestidas a ca-
rcter.
Ricos lobos para candieiro de gaz
a 15800 e.......2OGO *'
Grande sortimento de objetos de
louca para brinquedo de menino 100
Garrafa com tinta a..... 80*
Dita com agua florida a. IflO.M
Frasco com oleo de babosa a 500,
600 e......... 760
Dito com agua de Colonia a 300,
400 e.........800
Garrafa com agua divina a. 15500
Frasco com extracto fino para
lenco a........jflooo
Latas'pequeas com banli.. a 14 Saboneta le diversas auali lados a
80, 160, 240e.....\ 400
Finas escovas para denles a ICO,
320e.....
GQC-
Coques modernos a.....25S0O
320
700
806
240
20<
TJB2^C
Grande
laja de tondas o roupas IVilas
rua da Imperalriz n. !2,
parla larga,
DE
PAREDES PORTO
Neste estabeleeimento encontrar o res-
peitavel publico um bonito sortimento de
roupas e fazendas de todas as quaiidades e
pregas commodos, tem sempre um bonito
eu_ sortimento de casemiras de cores e pretas,
ctrai'tuh nlnNMan|?nlr!.',.Mr-l!!! ^colrar*) S Panno fino de diversas quaiidades, brim de
bonitas cores e brancos de boa qualidade,
encarrega-se qualquer obra por medida e
preco muito commodo
ROUPAS FEITAS
na loja da rua da Imperatriz n. 52, porta
larga, ile Paredes Porto.
Tem neste estabeleeimento uin bonito
sortimento de roupas feitas de diversas
quaiidades e precos commodos, como sejam
krga'do Rusa- P:ilit",s lle alpaca preta e de eres a 35.
353 0 e 45; ditos de pannqtpreto sacos a
Of, 7.) e 8|; ditos de panno superior a
125, 145 e 165; ditos sobrecasacados de
dito dito a 185. 205 e T6&; ditos de case-
mira de cor a 55, 65 e 105: caigas, colletes
e palitots de caseraira muito lina de cor a
0 e 255^5 caigas de brim branco de cor de
todas as quaiidades de 5 a 65; ditas de
caseraira preta e de cores de 45 at 125;
colletes de todas as quaiidades; ceroulas de
bramante a 15300,25000 e 25300; camisas
francezas de linho e de algodao de todas as
quaiidades e prego mais barato do que em
outra qualquer parte ; colarinhos, gravatas;
bonito sortimento de chapeos deso de alpa-
ca e de seda; meias tnglezas a 65 a duzia;
pecbincha neste estabeleeimento pelo
grande sortimento : todos os freguezes se
podero prover dos pos at a cabega por
prego commodo.
FAZENDAS
Grande sortimento, como sejam, chitas
baratas a 300, 32o o 360 rs. Madapoln
lino a 75,85 e 105 a pega. Algodao (pe-
chincha) a 55300 a pega c outras qualida
des. Cambraia branca de todas as quaii-
dades transparente e Victoria de 35500 a
85 a pega. Lanzinhas de bonitas cores, al
pacas bonitas, selecia a pega com 28 metros
a 28-5000. Esguio o mais lino possivel a
24300 e 34 a vara, e outras muitas fazen-
das por prego commodo, que seria enfado-
nho mencionar, oa loja do
LEO DA PORTA LARGA
DE
Pavios para gaz, duzia a. .
Escovas para fado a 5' 0, 600 e
Ditas para cabello a. .
Pentes para tirar piolho a lfiO e.
Orincos de cores bonitos a 1(0 e
Pegas de tranga de 13a com 8
varas por.......
Franja preta de la peca com
10 varas a.......
Fita preta para relogio urna por
Oleo para machina de costura,
frasco a........
Penas d'aco finas caixas a "800 c
Dita d'ago Pery, caixa a. .
Galo de algodao pega ....
Latas com banha a......
Lindos babadinhos e entremeios
pega de 500 a......
Roioes de madreperola, groza a
Ditos de louga muito fino a 100 e
Ditos para caiga a 160 e. .
Caixa com papel amizade a. .
Ditas com envelopes a. .
Ditas cora obreias a.....
Caixa com agulhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 100,
240 e........
Caixa com linha de marca a .
Linha de cores em novellos (li-
bra) a .......
Ditas com 200 jardas em carre-
teis duzia a 70, 120 e. .
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas francezas a 25200 e .
Papel almago e de peso, resma
a 35400, 35500 e .
J\a muito fina para bordar, libra
Fita de algodao para debrum d
sapatos, pega a.....
Ditas de la para debrum de yes-
tido, pu Pentes linos para segurar ca-
bello .......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 2'.0, 320 e......
Canivetes grandes com molla a .
Ditos para aparar penna a .
Cartees com colxetes a. .
Rosetas pretas, par a .
Pentes de chifre para cc duzia
a 15500 e.......2000
Trancas de a lisa caracol, peca
a 40 e.....
80
000
160
600
1500' 1
15400
480
200
15500
fiOO
200
240
700
48r>
0
280
160
500
28*.
500
I 200
200
45400
35000
'1 >30O
0A70O
160
400
500
320
100
40
IOS
Escravos
Vende-ge una escrava boa roiinhcira, de idade
da 2i anno<, entendido tambrin de roca, e urna
negnnba illha da mesma, de 8 anuos ; a tratar na
rua do Urredur A. Bispo n. 28, das 10 horas da
manliaa as 6 da tarde
Balancas orizontaes
Pelo ntv sysieuia de tyJo-
gramma.
\ende-se no aruiazem i'. 1. A. Moreira Dias,
rua da (Wat n. 26.
, Vnndem-s* qualrn ewM-as de ida e de 18 a
z() annos, eugommam bem, pozinham ptimamente;
ama dita de meia idade, boa quindeira : na tra-
Tessii do Garnio n. I.
Veode-ws a liberna da travessa do (impeli
n. *, muito afreguezada para a ierra e para bordo,
propria para um principiante,: a tratar na mesraa
\ ende-se a armar d.i arifiazem da Liga rua
Nuva 11. (iO : a tratar iw ine^oio arinasem.
Vende-se bmi Begrifih rom 12 annos de
jdade, bonita egort : a4rlar na roa de Agoas-
Vcrdes n. 24.
Vende-se una koblla |irc.ta"de~2> anuos, r,o
zmlia, engomma e lava, tudo ist.i bem. linda H-
gara e Um boa conduela : na ra de flogo 9.
Gruida Jiquidavaode viohos por todo preco
arniazom da Liga rua Nova n. 60.
n
Atteii^fio.
Vendos am-esaravo rn idade de 3* annos,
robusto para todo o servio* : a IraUr na rua l-
reita n. CP.
Paredes Porlo.
Ku.i do O '"i roado leja n. 44, vende-se ba-
los de ui'iselin.i a 2 e ditos de panno a li.
Vinho verde
A' rua do Livramento n. 6 contina haver para
veider por presos racoaveit, o melbor vinho verde
at hoje viudo a este mercado.
(ineni pretender comprar quatro vaccas ca-
da una com bezerro : dirija-e ao armazem do
sal da 9 bocas da manliaa em diante. Para mais
informacoes na jna da Oadpia do Recife n. 33.
Gal nova de Lisboa.
y.mde.e na ruado ApoHo .armazem de neg
& Irma? n. 18,
100
560
10tJ
Fita para coz. peca a 480 e .
Alliuetes de lata a.....
Sapatos de la para meninos a
240, 800 e......15500
Ligas para senhoras a.
Fitas de sarja ns. 1 e 2, pera a
800 e........15 M
Gravatas de seda de cores a 200
Renda < das ilhas por baratfssimo
preco.
Os apreciadores das caifas apparegam
na loja daVERDADEpara se niuiiirem
de suspensorios com borracha pelo dimi-
nuto preco do 100 rs. o par, e lamhem de
calcadeiras boas a 80 rs.; as pefsoas qm-
n5o poderem vir a este estabeleeimento
podem mandar seus portadores que sc-rao
fielmente aviados; a Verdade mostrar o qoe
diz rua do Q eimado n. 55.
LIVRARIAFRARGEZA
9.=Kua do Crespo=9.
Rinoculos demarfim e de tartaruga pan
theatro
Vende-se urna inorada do casa, de
pedia ^ cal, com 24 palmos de frente e 4S
de fundo, as frentes dobradas e os oitSos
singellos, em muito bom estado, 3 porta?
de frente a moderna, 2 sallas e 2 quartos,
cosinha, fog5o, forno e cacimb, om s';-
110 com 230 palmos de frente e 300 de
fund, na face da estrada da cidade d:
Victoria, adorado a 60 rs. o palmo: ven-
de se um terrena muito bom de plantar e
criar, na freguezia. do Curato do Bom-Jar-
dim, no lugar Olhos d'Agua, com 330 bra-
cas de trente e com dobrado de fundo,
punco mais ou menos, por preco commo-
do : quem o qnizer dirija-se a Tliomaz de
Aquino Cezar, na freguezia dos AfTogados,
no lugar Areias.
Vendem-seduas eseravas boas cozinheiras *
engommadi'irns, e urna muala eoxtnhelra soman-
te, todas de boa condorta : 110 3o andar do sobrad"
o. 36, a rua das Cruzes.
Fetjto a 8000
Vendem-so saceos com feijao branco e fradin.
a8*o*acoo 4e tamanho regulnr : do trapich
Barao do Livramento, no Forte do Malt is.
Nao jfm cabcSos "bisulcos
A tintura japoneza, para tingir os cabel-
los da cabeca e da barba, oi a nica admil-
tida Exposifo Universal, por ter sido
conbecida supe.ior todas as prepar.it,
at hoje existentes, sem alterar a saud.
Vende-se-a 1*008 cada fiasco na ,
L UUl M UMlS. fif
! A1DAR.
'


6
Diario de Pei-uambuco Sexta feira 20 de Agost de 1869.
GRANDE LIlilllAO
'HA LO JA
DA
72.
ARARA
Ra da Imperatriz. 72.
Alerta freguezes
q'E Arara vai cantar.
Para vender suaqfazeiutas (baratas)
que muito ha de agradar.
0 propriQtario deste estabelecimento, tendo grande porco de fazendas
ger, vai proceder urna liquida.-o cm todas as fazendas e roupas feitas existentes
estabelecimento, agora qtio oecasio de quem tem pouco dinheiro poder se vestir de
boa fazenda e baratsima cerno s poder ver no annuncio abaixo mencionado.
MADAPOLAO BARATO A 3500.
Vende-so pecas de madapolSo enfestado
em
no
d.5 12 jardas 35500, dito de 24 jardas ou
; metros o >, 6, 0>o00, 7j300, 8->000 e
.'iOOO.
CHITAS FRANCESAS A 280 rs.
BRAMANTE PARA LENCOES A 2$.
Vcde-so bramante com 10 palmos de
larcrura para lences, a 2|, a vara.
pecas de algobaa y.
Vm L-in-se pecas de algodSo muito On-
corpado 5, O.-JHOOeTv
Vendenvso chitas francezas para esti-'C'oIerSiiuos econmicos a 38
Aj a 280, :t20 rs. o covado, ditas escuras duzia.
muito finas 300 rs. o covado.
Chala multo fino 800 rs.
Vende-se clialin para vest; io3 ie senhora
800 rs. o covado.
PERCALES A 0 RS. 0 COVADO.
Vende-se percales muio linos para ves-
tidos de senhora'a 440 rs. o covado.
Kri i llantinas 44 rs.
Vende-se briihantinas ou mursulinas de
cores para vestidos de se horas 440 rs. o
covado, laznhas muito finas para vestidos
de senhora 400 rs. e 500 rs. o covado,
ditas de ipiadrinhos 240 rs. o covado.
RISCADO FRAN'CEZ A 300 RS. O COVADO
'Vende-se riscado francez para vestido
de senhora 36i7 rs. o covado.
liiaslalias a 8 JO rs. o covado.
Vetidem se lasinhas para vestido de se-
nhora a 240, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas finas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales de ineri.i 8.$.
Vende-se chatos de merino estampados
-25 e 25600 cada um, pan acabar.
CORTES E L VAS ABEROS A 25400
Vende-se cortes de la para vestidos de
senhora, 24400 cada um
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vestios
de senhora, 720 c 800 rs. o covado, di-
tas de listras 700e 76rs. o covado.
Chitas prnssianas 3GO.
Vende-se chitas prassianas de listras de
cores muito bonitas a 3G0 rs. o covado.
CHITAS PARA CU13ERTA A 320
Vende-se chitas incorpadas para coberta
320 rs. o covado.
aloes de 80 a 30 arcos
I4OO.
Vende-se bales de 20 a 30 arcos
00 cada um, baloes modernos brancos
ede cores 5 Vende-se colorinhos econmicos a 320
a duzia, s se vende assim barato por ter
grande porga).
CASEMIRAS DE CORES
Vend j-rse cazemiras de cores para calsa
e palitt 25 25-*>00 e 35 o covado,
Algoilo enfestado !$.
Vende-se algodo enfestado proprio para
lenres e toalhas, 15, a vara ou 900 rs. o
metro.
1HUM PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vende-so brim para calcas c palitots de
hornern e menino, 400 e 440 rs. o co-
vado, dito lizo a imitacao de ganga a 360
o covado. .
Algodo de listras a 800 rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para tpupa
escravos a 200 rs. o covado.
de
CORTES DE BRIM CASTOR A 040 RS.
Vende-se cortes de brim castor para
calca de homem, 640 e 800 rs. cada um.
CARTEIRA PARA VIAGEM A 15-
Vende-se carteiras para viagem .i 15
cada tima, cobertores de algodo 1#>00
cada um.
Cobertns de chita a lSOO
Vende so cobertas de chitas de cores a
15800 e 25. caita una.
ALGODO TRANCADO DE RAS LARGURAS A
I S'JOO.
Vende-se algodo transado de duas lar-
guras, prnprios para Mncftfl e toalhas para
mesa, se vende a 15200 o metro.
Mantas uara grvala 800 rs.
Vende-se mantas para grvala a 200 rs.
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 25900.
Vende-se atoalhado pardo para toaHias
de mesa 2500 a rara, toalhas escaras
a 15. cada urna. Ra da Imperatriz loja
da Arara n. 72.
M# 45 RA DA CADEIA X. 45
DE
MUtt & C,
SOB
A DIRECCO DO MUITO IIABIL ARTISTA
Lauriano, alfaiate.
Os propietarios deste novo estabelecimento, tendo experimentado a necessidade
urgente de ter nadireceo de sua om'ciua de roupas por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Lauriano Jos de Barros para tal mister, convicios de que satisfar
com todo o capricho a vontade do fregaez.
Tem o mesmo estabelecimento um bbm srrtimemto de fazendas proprias para
roupas de homem, como sejam: casimira de cor, indos padres, completo sortimento de
pannos finos, preto e de cor, casimira prets, grande sortimento de brins brancos e de
*res, merinos de diversas qaalidades, bombazina, lindos cortes de gorguro para collete,
gorguro Pekin, superior qualidade.
Os freguezes encontrado aiiida um variado sortimento de roupa feita, camisas
inglezas, collarinhos, ceroulas, gravatas prelas e de phantasia, meias para homens, se-
nhoras, meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colinas, bramante, atoalhado,
baloes de diversas cores e modelos, cambraias, malas para viagem, e outros roaitos ar-
ligos que a modicidade de seus preeos incita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45
CONVITE GERAL
O proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da Itape-
ratriz n, 88, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
.ser, ti desejando diminuir este grande deposito por nieio de urna liquidante que lin-
dar no dia 15 ou 20 do crrente, por isso convida ao respeitavel publico a vlr surtir-
se de boa; fazendas, e iwr diminuto preco, a saber: f
CHITAS LARGAS A280rs.
Y(!ii.Joiu-se chitas francezas largas a 280.
320 e 360 rs. o covado.
ALCODAO ENTESTADO 1RANQAD0 A
1)000.
Vende-se algodo entestado trancado'para
lengn a 15000, dito liso enfestado a 900
o nvn-o.
< VSSAS FRANCEZASA 240 RS.
Ve-idem-se cassas francezas para vesti-
dos d senhora 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLAO ENFESTADO A 35300.
" Ven1em-se pecas de madapolSo enfes-
tado a 35300, dito inglez de 24 jardas ou
22 m tros a 55, 65, 75, 85, 95 e 105, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
ora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BAIIEGE PARA VESTIDO A 500 RS.
V. le-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5j0 rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 15-
Vende-se sedas de cores para vestidos de
senbora a 15 o covado.
PORCAO DE RETALHOS.
Vende-se urna porco de retalhos de cas-
sas, de la e sedas e de outras fazendas
por milito barato preco.
A' ells antes que se acabem.
i UAL Y DE CORES A 800 RS.
Vende-se chaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 15-
Vende-se chales de cassa a 15, e de me-
rino a 25- (
CORTES DE LA A 25400 RS.
Vendem-se cortes de 15a de stra para
vestidos de sephora a 25400 rs. para aca-
bar.
ALGODO A PECA 45000.
Ver le-se pecas de algodo a 45, 55, 65
e 75 .. peca. E muitas outras cousas que
seria < nfadonbn menear.
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 25500.
Vende-se casemiras de cores a 2->500 e
3A000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 35000.
Vcndem-so chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda a 10;> cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para calcas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Gangas para calca a 380 rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado. dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a ''iO o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 25.
Vende-se lencos brancos a 25 a duzia.
Golh'nhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linbo fino a 15000, para aca-
bar.
GRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUAL1DADES.
Veude-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que em outra casa: por
isso os pretendentes podero yir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
BALES DE ARCOS A 15500.
Venden -se baloes de 20 e 30 arcos a
15500 cada um, ditos modernos a 45.
BRIM HAMBURGO A 85000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo a 85, vem a ser mais barato do que
algodaosinho.
CORTINADOS A 145000,
Vende-se cortinados para cama a 145
para liquidar. Ditos para janellas a 75.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na ra da Imperatriz n. 56.
RIVAL 1)1
Ra do Quemado ns. 49 c 57i
lojas de mudezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de seus eslabe-
leci/ncntospor isso queram apre-
ciar o que c bom e barattssimo.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
1550O,25,35e..... 45000
Caixas di linha com 50 novellos 500
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a......25000
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a. -. 15606
Duzias de meias croas para ho -
mem a........3.5800
Tramotas do Pwto fazenda boa
epelo preco mellior 100 mea a
Livros de missoe abreviada .
Duzia de baralhos frantrezes imito
finos 2-54O0 e .. .
Silabario portngue com estam-
pas a ........
Gravatas de cores r pretas muito
r

5200
25000
'2580
5320
5-jOO
finas ........
Cartcs com eolebetes de lato
fazenda fina a....... 5020
Abotuadoras de vidro> para coletea
fazenda fina-a...... 5500
Caixas com penna d'co multo'
finas a 320, 400, SOO e 45000
Cartoes efe linha Alejandre que
tem 200 jardas- a 5100
Carreteis de linha Akxandre de
70at200a...... 5100
Caixas co. superiores- obroias -
de massa...... 5040
Dozias de agulhas para- machina 25000
Libras de pregos iraaeezes di-
verso taaianho a. 5240
Livros estripturado pera rol de-
roupa-a1. ', > ,5120
Talhcres para meninos muito
finos a. ,...... ?5240,
Caixas com papel amsade muito
fino a......... 5700
Caixas coca 100 envetopes- muito
finos a........ 5600
Pentcs voheades para.meninas e
senhoraea.......- 5320
Thezourae muito finas para
unhas e costuras a. 5500
Tinteiroscom tinta preta muitc
boa a 80 120 e- 5320
Varas de franja pana toalhas nV
zendafina a...... 5160
Pecas de fita branca elstica
muito fina a...... 200
Novellos de linhacom 400 jantes 60
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a ..... 25500
Groaas de botes de louc* multo
finos a........ 160
Machinas a vaporde
forca de 3 e 4 c-
vanos.
Motores para 2 mallos.
Arados americanos.
Machinas de faeSo e serrotes para desca-
rocar algodSo.
Balancas para armazem e balc5o.
Camas de ferro.
Cofres do ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar cartas.
Fogao americano patent
Scbonete de alcatrdo.
DK
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tilo boi
acceitacSo tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura cer
das impigens, sarnas, caspas e todas ai
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34ra larga do Rosario34.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se. no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filbo, defronte do areo da Cou-
ceicao. em barricas grandes.
lamWM
vindo no ultimo navio de Londres : em
casa de H. Oetti d C, ra do Commercfb
n. 3.
Farinha de mandioca
da trra muito boa, tem para vender Maia & Lan-
delino, na travessa do Queimado n. 18 B.
IjOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. 1
Os proprietarios deste bem conliec*) estaliple-
ciment, aleSn dos muitos Ajectos que tinbam ex-
postos a apreciacao do respeitavel pubiiro-, man-
daram vir e acabam de*recfter pelo ultimo- vapor
da Europa nm completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especiaSdades, as quaes es-
to resolvios a vender, como de scu ewsttime,
por presos milito baratinhos e eommodos para to-
dos, rom tanto qde o Gallo...
Mtiio superiores luvas de peMfca, pretasr bran-
eas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, ueste genero o que ha de mais moderno.
Superiores nenies de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para canecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de eres com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o- que pode ha-ver
de melhor e mais bonito.
Superiores e botrilos Jeques de madrepetola,
raarflm, sndalo e osso, sendo aquelles braacos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores incias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se vendern! por 30*000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortimento do
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior" canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero 6 o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Juantidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinlios de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
parfsTgurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de martim o tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurames sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, fiouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
I como os tontos para o mesmo fim.
Oranoe e variad') surilmento das roelhores per-
fumaras e dos melbores e mais conliecMos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes crianzas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por toaos os
vapores, aflm de que nunca faltem no mercado,
eomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
los que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarn destes venia-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que so applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por preeos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7
Grande c completo sortimento de machinas para
descaroear ulgodaodo nova invencao chegadas l-
timamente em direitura para a loja de Manoel
Bcnto de Olireira Braga &-C, na ra Diicitan.
53. Garante-se que a melhor qnalidade que at
o presente tem vindo ao mercado : achain-su em
exposicao aos coropradores.
Systma decimal.
Grande e comptelo sortimento d pesos kilo-
grammos de melhor eomprehensao dos que tem
vindo al o presente, assim eomo marcos de lato
at meio grammo pelo mesmo systema, bateficas
de lati de for;a de 5' a Ckilogrammos, metros
de madelra o de latao par medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas o ferragens de
todas as qualidades, tudo por preco* que s a vista
faz crdito : na ra Direila tt. 53, loja de Manoel
Beato de Oliveira Braga 4 C.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Duboueb C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consammo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa
commercio n. 32.
do Tb. Just. ra do
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e prefcrivel a todos os
coabecidos, ja pela certera de seu resalta-
do, e ja pela fcil applicacSo as creancas..
quasi sempre mais atacadas de to terrivel
e imitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
os
Barthomeu A C.
94Una Larga dollosarlo34
Primeiro e segundo
LIVROS DE LEITURA
p 1.0
Dr. Abiho C. Borges
SEGUNDA EDICCAO MUITO MELIIORADA E
AUGMENTADA.
Estes livros, os primeiros qne com taes
ttulos appareceram no paiz, sao compos-
tos segn lo um systema natural, pliiloso-
pbico e ameno, que facilita aos meninos o
conbecimento da leitura, tornando-lhes me-
nos penosos os primeiros passos na vida
Iliteraria,
Recommenda-os o fado de haverem sido
adoptados em quasi todas as provincias do
imperio, e com tal acceitaejo, que, em dous
ennos, se achou esgotada a Ia edQ3e de....
10,000 exemplares.
PRECO
Io livro de leitura....... 500 rs.
2o dito de dito.......... 20000.
Vende-se na livraria franceza.
-IIua do CrespoO
BAZAR DA IHODA
Os abaixo assignados, proprietarios deste
estabelecimento, declaram ao respeitavel
publico e com especialidade a seus nume-
rosos reguezes, que desta data em diante
as mercedorias serao vendidas a preco flxo,
e mdico. Isto resolveram os mesmos pro-
prietarios em consequencia de reiterados
pedidos de muitas pessoas por ser este
systema de vender o quo mais garanta e
conlianca inspira ao comprador.
As vendas cm grosso. serao feitas com
os ahatimentos na razao seguidle :
Compras de 0 a 4003 descont 5%
de 1003 a 5003 10%
de 5003 para cima 15o/
Pagamento realasado no mesmo mez de
compra.
Os proprietarios doBAZAR DA MODA,
observam mais que, recebendo todas as
mercadorias de conta propria, offerecem
a quem comprar todas as vantajosas condi-
c5es das casas importadoras.
' O estabelecimento conserva-se aberto
todos os dias uteis das 6 horas da manhaa
s 8 horas da noite.
Recife, i de agosto de 1869.
Jos de Souz Soares A C.
BAZAR UNIVERSAL
SORa NovaSO
Carneiro Vianna
Neste BAZAR econtra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por preeos eommodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposicao servicos a electos para alrao-
co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecimademesa.
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar Cariota, ditas
para Cazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianza, bercos, cadei
ras longas para viagem*, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamaitos, molduras
para quadrbs.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para- mancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e n esa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e eyeo, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarao
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar. _____
CUBA DOS CALLOS.
PBLA
Pomada galonpean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo & C.
34------Ra larga do Rosario------34.
PAST1LHAS ASSllCARADAS
DO
DR. PATERSON
De bisnuith e magnezla.
Remedio por excellencia para combater
a magreza, facilitar a digesto, fortificar
estomago etc. *
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34------Ra larga do Rosario------34.
Rap Princeza
DA IMPERIAL FABRICA DE VIEIRA GLIMA-
RAES 4 COUTO,
DO RIO DE JANEIRO.
Vende-se este exceliente rap no escrip-
torio de Joaquim Gerardo de Bastos, ra
do Vigario n. 16. i andar.
A NOVA ESPERftNCft
21Ra (lo Queimado2)
Advertencia!
A Nova Esper?nca, roa do Queimad
n. 21 tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem
po em que tem de ser dado o balaneo, por
isso desde ja previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
cadorias pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venham os bons fregu*
zes, e os que n3o forem venham ser fregue-
zes, em tempo ta"o opportuno guando i
NOVA ESPERANCA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nao
falta aonde e a quem...
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente deParis) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeicJo, e ella (loja da Nova Es-
peranfa) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
bu, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca roa do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinta,
acaba de receber mais o segurte:
Bonitos broches, pulcew as e brincos de
madreperola.
Papel e envelopes bordados e anati-
sados.
Papis proprros para eaeitar boites t
bandeijas.
Brincos pretos com donrados (ultima
moda ).
Fitas largas par cinto.
Modernos gallees, franjas e trancas e
seda e de 15a, par enfeites de vestidos.
BotSe de todas as cores e moldes novo*
para o mesmo fim.
Trancas pretas com yidrilhos sendo com
pengentes e sem elle. .
Botoes pretos com vWrilhos com pingen
tes e sem elles.
Luvas de pellica*camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me
nios.
Delicados leque de madreperola, mar
fim, osso e faia.
Espartilho simples e borados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas ra do Queimado n. 21, na
Nova Esperaaca,
Collares anodinos etlectro-magnett
eos contra as convwlces das
creangas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ah intitulados o
verdadeiros de Royer, e es porqae muitci
pas de familias nao creem (comprado-os)
no effeito promettido, o que s pode dar.
os verdadeiros; a Nova Esperanza, porn
que detesta a falsificado pricipalmeate dc
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares.
e garante aos pas de familias, que sao o
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
cas tem salvado do terrivel incommodo da
convulcoes, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a roa do Queimadt
n. 21 comprarem o salva vida, para seca
filhinhos, antes que estes sejam acommetti*
dos do terrivel mal, quando ento ser i-
fcil ajeancar-se o effeito desejado. embora
sejam empregados os verdadeiros collartt
de Royer.
Vantagem
Vende-se urna parte do sitio denominado Bar-
balho, a margen- do Capibaribe, propria pare
planta de capim: quem pretender pode tratar
com Joao Paulo de Souza, ra Direiia n. 25.
FUNDICAO DOBOWMAN
itua do Briim n. 59.
PASSANDO O CHAFAR IZ
Tem sempre deposito de todo o machinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
algodo.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de canna.
- Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido fundido e de
cobre.
Alambiques.
Arados e instrumentos d'agricultura.
Descarofadores d'algodSo etc. etc.
Havendo em tudo variedade de tamanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar.
AZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster 6
C, ra do Imperador, um earregamonto de ga
de primeira qualidade; o qual se vende em partida-
e a retalho por menos pre^o do que em outra qual
quer parte.

Aw'nVfcraiSt. \/
f
Aiegt ai-vos myopes, e presbytas, j po-
dis ver de looge, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber ptlo ulti-
mo vapor um rico e variado sortim oto de
oculos, lunetas, pipce-nez, face -main, lor-
gnons, de. ouro, prata, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio emelchior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
cas para theatro, campo e marinba, da ulti-
ma invencao ; duquezas, vienexas de 6, 8 e
12vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa. *
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAD
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
VEX1ME-SE
KA
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
Vinho degestivo de
chassaing*
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
las digestes di (ficis e completas, a calmar
is dores gastralgicas, e reparar as forcas
produzindo urna assimulac5o completa dos
dimentos; sendo mais um excellente tnico.
. VEIDE-SE
NA
PHARMACIA E DROGARA
DI
Bartholomeu dt C.
34RA LARGA DO ROSARIO-34
CHARUTOS
Os melhores charutos da exposicao e variedade
de outras qualidades, finos ; encontra-se no hotel
Central de Francisco Garrido, ra larga do Rosa-
rio n. 37, t andar, e ra estreita do Rosario n.
4 A. Vendem-ne a retalho e em grosso.
FIMO DA SUCIA
No armazem pintado do verde, sito a roa
do Caes 22 de Novembro n. 30, vende-se
superior madeira de pinlio da Suecia, com
3polegadas de grossura, 9 de largura, e
14 ps de comprimento a 36000 cada orna:
taboas de forro a 88, 9$ e 10(5000 a duzia,
pinho americano de resina 200 rs. o p
ti
Vende-so. breu barato : no armazem da bola
amarella, no oitao da secretaria de polica.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Jo2o
Martins de Barros.
Farinha de mandioca da-terra muito boa>
tem para vender Maia & Landelino, na travessa do
Queimado n. 18 B.


Diari de Pernambqco Stxta feira 20
de Agosto Je
.
\y
C cordeiro previdente
Ra Jo neimado n. 16.
novo e variado sortimento de perfumaras
filias, e outros objectos.
Alm do completo sortimento do perfu-
maras, de que eifectivamente est prvida a
toja do Cordeiro Previdente, ella acaba do
receber ura outro sortimento que se loros
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e eornmodidades de pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Providente pedej
e espera continuar a merecer a apreciacao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguczia em particular, nao se afas-
Undo elle de sua bem coahecida mansidao
e barateza. Em dita loja encontraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Laraman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos rnelhores e maisacreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
assete da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japaneza, transparente
e outras qualidades.
Fiaos extractos inglezes, awricanos e
tranceaes em frascos simples e enditados.
Esseocia imperial do fino e agradavel chai-
ro de violeta.
Outras concentradas e de -oheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome veraadeip;
Extracto d'eleo de superior qualidade,
em escolhides che.ros, em frascos de dille-
rentes tamanbos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para m5os.
Ditos transparentes, redondos e era figu-
ras de atenaos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Gaixinhas-com bonitos-sabonetes imitando
fructas.
Ditas de raadeira inwrnisada contendo fi-
nas perfumera!, multo ^roprias pera pre-
sentes.
Ditas de^apelo igualmente bonitas, tam-
bem de pecl'umarias finas.
Bonitos wasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arre* sem composico de
sbeiro, e-per isso o mais proprio para crian-
cas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras dilerentes
cualidades tambern para dentes.
Tnico orental de Kemp.
Alada naals coquee.
Um oulro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filis de vidrilhos
e algoos d'ees ornados de flores e fitas,
estao todos expostos apreciacao de quem
os pretenda comprar.
GOLUNHAS E PUNHOS BORDADAS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fivella* e Otas para luios.
Bello e vanado sortimento de taes objec-
tos, fieando a &oa escolta ao gosto do com-
prador.
EM C0NT1NUAC10
A DINNEIRO NA LOJA E ARMAZEM
HE
FLIX PEHKI HA DA SILVA.
O proprietario deste grande estabelecimente tendo sido o arrematante da
rknnnMDirittlillUln rie ni uto .-.___ t___ ...
SlmA^mUS^RMV PAS DA*ih^ ra da Imperafm n. 36, e nao},
Z&"*J?SLU a-LSCt 5** a "*><*> d **>*> quaB*dade de 1 OutasSrme aqoeHas, proprias para
b* CtMA^
Cal nova Je Lisboa
no-, ra da Cj
8, i*andar.__________ _______
Vendc-sc um mualo olllcial \~t
idade de23 anu-, bonia iigura, i
achaques, e rm pcrfeita faooc : qnem o pretei
que se oir quera seu seuhor.
nTEcior
Vende-se ama porfi d* gradiainetilo de
qncfoi do passadiC dn Rccie Sanio Antn!
igualmente se vende una machina do f.rca do 3 a
l cavados, em perelto estado, e caldeira Bova : a
tratar na Torre com Andr de Alireo l'orto.
.m ,AGI.A BRAaNCA tem convtecao de que a abundancia de objectos de novidade-
S?d?S?i e 00^eu>Mrtimento, a boa escolha no gosto delles* a superioridas
3te; wm,a,C'a0 de seus Pri,*os' et5 na Pni5 d0 espeitavel publico
rf'.' e,"f de sua fregaezia em particular ; mas ainda assim ella julga de seu
, .sc,en,lficar a lodos. da recepclo *aiuelles objectos que esto alm do commutn,
<-omo bem sejam:
Bonitas caixinhas de maderas envernisa-
proco nzoavel
i*49taKfta da
a mais nova no ligereado, a proco razoavel : na.
ra do Coinniorci n. 13, aruiaiem de Haitoei Tu'
| xeira Basto. '_________^___
Tinta rxa de Mouteiro
Vende-fe tint^ rixa de Monteiro para i
ua loj.ide calcado do sobrado amarello na ra ila
Cruz h. 21.
das, contendo navalhas e os mais necessarios
para viagem, sen-indo ellas de carteira
fiweodas que alh' existiam,
obrigado a passar a
suam, petos poucos Utas que leve at entregar as chaves, vio-se Leonoras
tnator parte dessas fazendas para eeu estabetecimento, e=PAVAft' Outras
- .vapy.wra ^ultco encontrar um grandt
nho, 15a, aigodao e seda, que se Ihe \
em
s
cu*'.* m^Z, *"-.- f-v .o-ac-HTOs peius precos que so cempram, b s
? affl. f'm !?m "S excf l,eoU9S,ina8 famifias podere mandar buscar as amos-
nsa,. SliS f' ^ mandar-se*ha levar pelos caixeiros da m.
, o essbelecimento e acha constantemente berto da horas
da noite.
Explenido sortimento de
noupas ieitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRffi N. 60
Acha-se este grande eetabelecimento pleamente sordo das rnelhores roupas,
seedo caicas ,palitts e-eoletes de caeemira,
de panno, dg brim, de alpaca, e de todas
sma toja em swas
da manhaa is 9
ALTA NOVIDAUE
EM NUPELI.\.\S "-OU UORGUR.O BE LIM E
SEDA.
Pelo ultimo-vapor chegou para a loja do
Pavao um elegante sortmiento das mais
bellas poupeliuos ou gorguroes de linijo o
seda, com os mais delicados padrees que
se >pde imaginar, assim cano urna grande
porgo de cortes da mesma fazenda, tendo
as mais fazeadas que os compradores pos- de todas as <*res e garantiado-se queieste
sa desejar, asstra coa na mesma loja genero n5o ba nada raaisfconito nem mais
tem umbee sortimento de pannos asemi- proprio para vestidos, e vende-se por pre-
ras, bnns, te. etc. para se mandar fazer co muito razoavel na loja de Felix.Pereira
qualquer pe?a deobra, ooma maior.promp- daSilva. ra.da Impertir n. 60
CELEZIAS
RIVAL fIIBIDU
Ba do Quetmadon, 49 e 57 loja
de niudezag de J%6 de Azeve-
dv Mata e St/va cenhecido por
Jos Bigodiho.
Eat queimando tudo qoaato tem em seu
estabaecimento para acabar e fazer novo
sortimento, por isso queiram ir ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de linhas do gaz cora
SOnovellos a .
Latas com superior banha a
!20, 200 e.....
Frascos de oleo babosa muito
Ono a.......
Duzias de meias (inglezas)
muito boas a ....
Garrafas com agua florida ver-
dadeira ......
Garrafas com agua divina dame-
toor qualidade ....
Caixatcom 12 frascos de cheiros
proprio para mimos .
Dita com|6 frascos muito finos
Oleo baboza muito fino que so
a vista ......
jabonetes de calunga muito bo-
nito ......
Calas de p de arroz muito
superior .....
Pecas de babadinho cora 10
varas ......
Pecas de fita de eos qualquer
largura .....
Escovas para unhas muito fi-
nas ..... .
Escovas para dentes fazenda
muito fia.....
Pulceiras de contas de cores
para meninos #200
Sai xas de toba branca do gz
com 30 flfc-ellos #600
Peoas do tranca Itsa de todas
as cores ..... #040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 40000
Pares de botes para punhos
muito bonito 4 #120
Libras de 13a pa de todas 2s cores -. 8#000
Pontos com costas de metal
muito finos #320
Novellos de linha muito grande
para croxs #320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... #480
Grosas de botoes madreperola
muito fino #500
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e..... #320
Pecas de fita de 13a todas as
cores ...... #500
Espelbos dourados para parede
1#000 e..... 1#500
Espelhos de Jacaranda muito
fino ...... 2#000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol i #060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... #320
Caivete raoito fino com 4 fo-
lhas ...... 1#500
Frascos de sndalo e patecboly
rauito finos a i#200
500
400
400
4#00C
i #201
i #500
2#50ft
#800
#500
#240
#600
#500
#50C
#500
#240
tidao voatade do fregiiez, e nao sendo
obrigadosaacceita-las, guando nao stejam
cempletameate ao seu eontento, assim como
ageste vasto estabelecknento encontrar o
respeitavel .publico ura bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
nho e aigodao e outfos muitos artigos
proprios pana oomens e senhoras promet-
tondo-se-lhe vender mais barato doque em
outra qualquer parte. Ra ra da impera-
trk n. 60, loa e armazara de Flix iPerei-
ra da Silva.
A08 dez mil coTaCos de castas
francezas
Covado a S00 Covado a 300
Covadoa 3iO
Covado a 300 Covado a^OO
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavo ra da tfai-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil ovados das rnelhores casas francezas
para vestidos, tendo padroes.miudos e gra-
dos, assentados em tedas js cores, estas
cassa8 sao propriamente francezas, tendo
tran?prente e tepadas, com tanto corpa
quasi como a chita, e alm dos padres
serem nuito bonitos, sao todos Jjxos e seria
fazenda para muito mais dinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o ovado.
Esparilhos a &&OOO na loja do
Pavo
Vende-se urna grande porco Ae esparti-
Ihos modernos cora e competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
venHem-se a 3# cada ura.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1#800
Chegou para a loja do Pav5o, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porcio de
p--cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpli-
mento de um leacol, o qual se faz cora um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 1#800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
pltcaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
Cortes de vestido do Pavo a
eoof.
vendem-se bonitos corte6 de cambraia e
tarlatana, ricamente bordados a 13a, pelo
baratissimo preco de,6#.
Ditos por estarem um pomM. machucados
a 4#.
Ditos finissimos com ,j seda a 4#.
Assim como os mais m nos cortes de
poii de chorre, com duas saias, sendo fa-
zenda chegada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caixinha com o competente figurino,
a 18|; finissimos crt sde cambraia bran-
ca, ricamente bordados, que at podem
servir para noiva, a 25#000, e outros mui-
tos cortes de dilerentes fazendas que se
Itqutdam baratas na loja do Pavo.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcio de cera de
carnauba em saceos, por preco mais barato
do que ^em outra qualquer: na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 50. De Flix
Pereira da Silva.
CASSAS A 240
Vende-se cassas com delicados padtes e
cores fixas 240 rs. o covado: na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Flix
Pereira da Silva.
AS BASQUINAS DO PAVAO
Chegaram para a loja do Pav3o as mais
ricas basquinas de casaquinbos de seda
pretas ricamente enfeitados sendo com os
feitios mais novos que tera vindo ao merca-
do e vendem-se muito em conta.
GROZ DE COR
Chegaram os mais bonitos grosdenapeles
de cores, sendo verde, azul, Ivrio, cinzento
e branco rauito alvo, que so undem mais
barato doqueem outn qualquer parte
BASQUINAS M'! FIL
Vende-se as mais mode :,..s e mais ricas
basquinas de filpreto, por preco em conta.
VESTIDINHOS PARA MENINOS A
2$000 E2#500
Vendera-s vedidinhos para meninos e
meninas, pelo barato preco de #000 e
#500, assim como ricos enxovaes* para
baptisado.
MAAPOLO FRANGEZ A 7#000 A PECA
Vende-se pecas de madapol3o francezen-
festado com 20 metros a 7#000 a peca;
pichincha.
MUSSELINAS DE COR
Vende-sa as mais bonitas musselinas do
cures a 500 rs. o covado,
PAKNO DE UNHO
ATOALHADO
Vendem-se s-mais finas celezias deilmho
com 25 varas cada peca, sendo mais finas
aiada que os mais linos esguies que tem
vindo ao mercado, a 45#, 55#, 60*000 e
7u#000, tambem se vende em varas as
raesmas celezias, -sendo preciso; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lenGes
com perto de 4paSmos de largura a 700,
8 e 1#000 a vara, sendo em peca tam-
bera se faz alguraa equidade; bramantes
para lences com AH palmos de largura a
1*800 e 2#5O0 o,metro, e de linho muito
superior a 3#200 e .85O0.
Atoalhado adamascado cora 8 palmos de
largura a 2#40O, 8# e 3#500 o metro, e
outras muitas fazendas brancas que se ven-
dem muito mais .barato do que em outra
qualquer parte, cora e fim nico de apurar
dinheiro.
CHUTAS
MADAPOLAO
ALGOD9S1NHO '
Vendem-se superiotes chitas escuras e
claras pelo barato preco de 280, S20 e 360
rs. F as percallas a 320 e 360 rs.
Pecas de algodosinho de todas as lar-
guras e qualidades. Pecas de madapolo
dos mais baratos at os mais finos; assim
como, superior algodosinliu nfestado para
lences, toalhas, tanto liso como trancado:
todas ctas fazendas se vendara mais barato
do que era oulra qualquer parte, para apu-
rar dinheiro.
PECHINCHA DO PAVO PARA ESCRAVOS
A 200 RS.
Vende-se urna grande porco de esta-
meuha mesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e calcas para moleques,
sendo urna fazenda eecura trancada e muito
encorpada, pelo barato preco de 200 rs.
o covado, fazenda que sempre se vendeu
por muito mais dinheiro.
ROUPA
EM LIQUIDACAO NA LOJA DO P WO
Vender urna grande porco de roupas
para homens, sendo grande quantidade de
calcas de brim, castor, casemira e meia
casemira, de todos os precos e cores. Pa-
litots de alpaca, brim, casemira, meia ca-
simira e panno fino. Colletes de todas as
qualidades. Camisas de linh e algodo.
Ceroulas e outros muitos artigos, por preco
muito em conta.
Aos quinhentos palitots
a 18# e 20S000.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porcSo de pa-
litots sobrecasacados, e propriamente so-
brecasacos de panno pretu, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de 18#, sendo forrados de alpaca, e de
20# forrados de seda ; esta fazenda a nSo
se ter feito urna grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
\ Cortinados
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande sortimento aos rne-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 12^000 rs. cada par at 25#O00 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva
BALOES MODERNOS E SAIAS DE LA
Na loja do PavSo vende-se os mais mo-
dernos baloes reguladores tanto de mussr-
Ima como de la de cor, e as mais moder-
nas saias de laa enfestada, mais barato do
que em outra qualquer parle
SULTANAS '
Chegou para a
sortimento
vestidos, sendo muito larga e bonita" fid
com listas de seda e os padroes mais ovos
qa?.!SLvmdo a ?s'e meado, venderido-se
a 1500 o covado, na loja de Flix Pereira
da Silva a ra da Imperatriz n. 60.
proprtas paro um bello pre-
sente, tendo algumas com mus a.
Estojos ou carteiras de-cooro com nava-
lhas, ees mais necessarios paraviagens.
ESCOVAS DE MAMF1M
Para*ohas. detes, cabello e roupa.
Outras de balea com maclietados de mi-
dreperda para os mesmos fins.
OBRAS DE MADREPEROLA
Leqaes, escovas para dentes, caetas,
didaes, brincos, dfinetes etc. etc.
Ricas capelias om veos para noivas. '
Curtos de brim, com elstico
nhoras.
Voltas de gressos aljofaes
para circular os ^coques.
Outras igualmente bonitas, e
gentes para o^oacoco.
Outras com-aljofares coloridos, e tran-
selindourado.
Bot&es com aacora, e ?. II. para fardas
e colletes.
Abotoaduras d'aventuriae com o p de
prata dourada, ^ara cohetee, cada um 5#.
Bolijes de cristal, encastoados em prata,
para punhos, 4# o par.
Camisas de flaaeila para *omem, a me-
lhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado.
Meias de la para horneas, senhoras e
creaneas.
Ditas de dita, tecido de borracha, para
quem soffre de inchaco as peraas.
Pannos de crochet para enduras.
Novo sortimento de toalhas de labytin-
tho, para baptizados.
Beoda e bico de guiporo, branco e
preto.
Fil preto, de seda, com salpicas.
Pequeos e delicados spanadores le
pennas coloridas, proprios para piannos,
eratorios, etc.
Bonitos passariMhos do meta
ESCRAVOS FU6ID0S.
Furo do cngenho TixJos os Santos 6a iMla
d Ipojuca, no da 30 d niaio, o e*Cf>T0 Gon^n,
reprsenla ter 43 a unos do idade, pouco mais cu
menos, cor ven.ii-llia, aHo, jirosso, eUioe peqMttos,
sem barba, e os ps rachaudo, foi eaeravo da Sr
D. Senhorloha Mara do Livrammto, que moroo oa
villa de Serinhaecr. ; no da iminediato da fugi'i.i
DrateadS 3"I,,ve "a mesma villa : sup|)6e-se estar acontada,
k^\c 4_. J Que se proceder com o rigor da lt-i a qoem o
para seguw tosmras, tendo ataofadnmas, tenba, e nede- e autoridades pohelaM ou npin
ae velludo para agutines e alfinetes. I taes de campo a captura Aomeano e entregar no
Thesouras de duas, tres, quatro e cinco; mesmo engenho ao abaixo assignado, ou na ra
pernas ,para frisar balwdinhos. >da Moeda n- 5- *" andar^cripiorio de Manoet At-
! ves Ferreira U ( que sera generosamente recon-
pensado.
para "Se-
de efcres,
com pin-
AfiULHAS NON-PLUSULTRA
Tal a qualidade d'essas agulhas, que
merecen o fabricante o pomposo titulo de
Non-plosultra, merece a Aguia Branca as
honras d'mn anmincio, e sera duvida me-
recer das intelligentes seuhoras, a devida
estima por sua apreciavel qualidade.
At agora nada se tinha visto de to bom
em tel genero, e ainda assim custa cada
papel pens 200 rs.
Miguel Paulino Tolentino Pen-s-Falc:.-..
<
Amo
i As autoridades policiaes e
quem competir.
No da 9 de maio do crtente anno fu-
Provavelmente d'aqui a pouco abundaro gl ^ciavo Esequiel, crieulo de 30 a
asfakuticadas p;ra serem vendidas barata-; 3?'"'s de l,l;i estator regular, reforcado
mente, porm m verdadeiras continuaro al. bem Prcfa caBeCa redon la. trajava e
vir especialmeate para a loja da Aguia ms^ azu'0 <'o casemira cinsenta du- '
Branca. rante o da costuma andar ganhando nas
Descrever minuciosamente por .seus no- \l!?t' 5^.ypazens (i assucar ou j;8
S e Qlialda'.lps a iniuiHaiia <-l*<)bjeetOS
e qualiNlhles a innidade d
nsta utem-in
loja fia Agola Branca, seria seno i npossi
rnas a
conversar e a beber; duranie
se acham venS1na5J!5 recolho'se '' "'eiros abertos ou pe!
!,,.: I i a casas em construcflo --
recoohec>r a commodtdade de seus precos
8 a oiucendade de seu agrado, que nao se j
esquocam de comparecer loja d\guia,
Branca ra do Queimado n. 8.
Muita attenqo.
m w
Fngk no da Mdijtinho o escravo SI
SSfftt** 3 "Mospauro mais B
n"te t ,-lf;n;"JS S"gn'""S ; f'll,a "" *W"a
A''.'11; SSf080' ,wruas' >taM, mareas
c.\iaN lexuucalca e camisa de riscadinlm cha-
peo de palhi novo : roga-se aos Sn ea o A ,.
-ampode apreltenderem ..<. ,,!,,. '.'
ARMAZEM CONSERVATIVO
V. 28L?trgo do Ten?o.N. 23.
SIMAO DOS SANTOS ft C.
apnhenderem 1U o leven, a na,
rom n ib, m uri tenerosamentc mUdead
| de3wnna.se qaeanda pek* er,,.er,i,s,i, (;"[,'
Fugu-am dn engntw Firmeza
do termo da Escada, na noite de
10 para U do corrente, dous <-
cravos mulatos, os q,.aes fora i
comprados aoExA. 8r. bario de
Nacaren ha lo dias penco na,-.
ou menos, ocv1^*^*^- '>a 32 annos, bem barbad.), pr,-
103 cabelludos, tem os dedos dos pea o -
mnimos cortos ( .uasi .pie trrpam um no ootro.
.eiulo todos os d< rites de frente, corpo regular
-,, n,rv^ i ^a chapeo dn couro de s.irtaneio cali* arnl .,
molhaios, parlecipam aigodao que Ihe chaman. pelleVoea o e!:
e igualmente aos ami- u--badta escara c mai aigama roopa, foi eaeravo
to diversas merca-'l}'? /.""',Sr- tenenlecoi
.Mello, de Onricury,
Os proprietarios deste bem sorlido armazem de secco e
aos seus numerosos fregueses, tanto desta praca, como do mallo c
gos 4o bom e barato, que teem um grande e vastajoso sortimento
durw e as mais novas do mercado, asquaes vendera em crosso e a reta Im.'^ito'ie onricury, o .a,, ,j,
menos preco do que em oulr qualquer parte, por ser maior paite desUs mercStdorS!' :'n.et' Y"* C"T' i,,;u!" M
r cento pelo seu prompto pagamento garantiudo-se qualquer genero sabido deste i j ^or e baila.escura,
,'Illni Sr Eduardo Per.-ira de Soasa, da pro vi n
| da Parahyb.!, que o venden por seu procurador .
-r. Jos Lopes Atoeiro : quem o apprehend
armazem.
GAZ AMEBICANO i 91 a lata, a 400 rs.
a garrafa e 60' rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO F10UEIRA 560 e
640 rs. a garrafa, a 4#00 e i,$800 a cana-
da, a 70 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das raelbores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 30 e
30SOO a caada, 600 e 640 rs. o litro
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 7$ a caada, e 1,5340 o litro-
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 4#500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGBE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 2-?200,
IrJiSOO e 10400 a cacada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOB 5 10440 e
10280 a libra, 30140 e 20800 o kilo-
Agostinbo Correa
lo nome FHix. c
annos pouco m.'
ouro de aha< largan,
bamam pella .1!
foi escravo do
/ovar ao mesmn engenho Firmesa ou no Reelfei
)IVER- ,,='"ril>iono d.j Domingos Alves Matbeus, a roa
|a[a : v 'ario n. 21, sora generosamente recompenset,
900 e 850 rs.
10870 o kilo-
640 rs. a l
em porco se
DEM FRANCEZA 960
a Itb/a, e 20100, 10980 e
grammo.
DEM PARA TEMPERO
bra, 10400 o kilogrammo,
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, c 10570 o kilogrammo, cm
porc5o se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e 30800 a arroba.
ALPISTA 20 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo. e 65 por 14 kilogrammos.
CAFE EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
200 e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
_ SABAO MASSA 260 e,200 rs. a libra,
5/0 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa ha
abatim
620 rs. o kilogrammo, ern porco ha aba-
timento.
BOLACIIIMIAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 16 e 10400 a
VELLAS DE ESPARMACETE 720rs. o! ~ Fu8k) no ''"' do corrente mez, o
masso. em cjjxa ha auatimento molalo Aquilino de 18 a 20 annos de ida-
PIIOSPHOROS DO GAZ E DESEGU-i, Ves,at"[a regular, magro, ainda sem
RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso ? M[l>& crostdo e muito crespos,
' heicos grossos, fallo de um
30200 e 60500 a
groza.
dme
incisivo
AMEIXAS EM "LATAS E CACHINHW,,a .manm'Dula superior (dente da frente.
DE MUITOS TAMANHOS 35500, 30500!lendo no brago esiller e 10 a libra. uma cicatriz muito recente e circular )e
GOMMA DE MILHO AMERICANA 100 rs
o masso de
tmenlo.
urna cicatriz muito recente e circular .
queimadura, bracos e pernas comnidas, o
uma libra, e coi caixa ha aba- qaMo 'h a,ira com estas Para os 'ador,
: e taz muitos movimentos com aqnelles e
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs fa,la "n! Lan? rooco- Gosta ri "'" -
libra, em caixa faz-se abatimento. ac.mpanhado de camaradas, contador e
SERVEJA INGLEZA MARCA II a 5-CiOO I u,stonas-: ?' al f^creiro do corrente amo
i escravo do Sr. Jlo de Castro Guimaraes,
sahio de casa com camisa de madapoln e
calca de casemira acinzentada com llalras
pretas dos lados externos das pernas, e
tem sido visto nas ras das Cruzes, Quei-
mado, Rosario, Ian,'o do Carmo e na na
da Aurora que elle freqnenta.
i Quem pega-Io ter a bondade de lev;, o
; .i ra Nova n. 39.
Recfie 12 de agosto de 1869.
duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 40500, 1,5200, 10 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBR-
GUEZA 70 e 60 a frasqueira, e 30O rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30, 20800 e 20iOO, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 110500 por
14 kilogrammos.
CHA FINO. GRADO E MIUD1NI10 os
rnelhores
Fugio no da 9 do corrente me/, o
engenho Sant'Anna da comarca do P
Calvo, o cabra Wenceslau, eslatura n
lar, de 22 annos pouco mais ou me
sem barba, cabellos preto, e bem car,-
pinhados, foi comprado na cidade do Re
cife, para onde veto da provincia da I
rahyba; e bem assim o escravo Mano,
.crioulo, de 22 annos, estatura regular,
loja do PavSo um grande
mais lindas sultanas!^ para
OPERA ITALIAT
Encontra-se em casa do \
AndrDELSUC CvBELLEinEiRo.para titea'-
tro, soire, etc., etc.
Um bonito sortimento de luvas de peij ic\
marca garantida de jouvin.
7 ARA DO CRESPO-7 A,
Vende-M uma uberna em r
gar ; a tratar Pa ra Nova n. 48.
ento.
MASSAS PARA SOPA, MACARR.O, TA- grammo.
SEVADINHA E SAFU 280 rs. a libra e 40180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinho em ancorlas, aieitonas,
passas. itgos novos, charutos de diversas marcas, linguicas de Lisboa, marmelada. con-
servas gelea de marmello, pcego, ervilhas, peixe em latas, sardinhas de Naittes,
vmno verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, grandes
molhos de sebolla 10SWO, finalmente muito mais gneros que enfandonh.
menciona-los.
3 !iba,"a70O^oT605?b o ^0!^^f ^quebrado noqt^eixosuperio;;
u u,;oiu u MIU bem prtl0 qU(jm QS 3pprenendor |eve a
casa do negociante Joaquim Rodrigues la-
vares de Mello, no Recife, ou no referio
engenho oue ser bem recompensado.
Escrva fgida
Acha-se ugida a eeemva Auna, tend, san',:
ca.-a com um vestido de la (|uasi branco eom -
i feites azues, chales de merino azul com barra i
; lampada de cores, e uns iniucos de pedras I
eaa ; alta, de idade, pouco uiais ou bmbos i
rnnos, acha-so nutrida e ten os bracos muito di i-
; tados de marcas de bexigas : quem a ivpnr le
a ra .rea.-., casa n. ii, aue sera gra,Meado
INJECTION BROU
hrtIII*el e Prcaerrailva, (bMluuoicoiu a iu,iea hm cura koi utubum iduii.vu. V. uc
-1 00 dia It do ^orreute mez de agosto a i
neme Maii.i Joaquina, de idade 28 ani
maia ou meuos, cor muala acaborlada ea
j compndos e annelados, leu pannos no rosto,
Ira regular,?neia do corpo. falla alto. ai. filli
| ertau de Maco do Ass, levoa saia de chita
, hstras encarnadas, algnma cousa dastx4ado1
oasaquinlio branco. vinl.a bempiv.la Capuoga
ortalices e fructa-_pao era um Ubolein. rrande, e pa-sava wmpre no Camoo-nov
>lc i c pede-se a autoridades pulici
( campo a captura delta, ., Iwm ncom
sados, levando-a na Capunga ao sitio do Juio
idaCunha Lenes, ua na ra do Kosario, (al)
n. 33.


2

Diario de PernamBuco Sexta feir 20 de Asalo d 1860.
mmtk 6ERM,
CAMAM DOS SHS. DSPrADOS
SESSAO EM DE JULHO.
PnBSIDKCIA DO Sn. NEMAS.
Ao mojo da, fcita a cliamnla, veriflc se haver
numero snflftcfcnt, abre-so a sugsai.
L-se. o a|>,)i-.)vi se a acta rt anivlente.
O Sn. i." Sbrretaiiii, crvimlo re i da conla
4o vegui
FUTIDME.
io ofn-io do ministerio du Imperto, enviando
w offlcios com i|ue a presidencia da provineia da
Hka iraasmitt as actas das etoic-'s prima/lis a
lea n. parochi.n A? X, ssa Senli ira
Uo. Rosario do Gonlio c Nossa Sintr ,ra da B >a-
Viajan e Mmm, do ollegio de (Jsifot ; na de 8.
J*ao apti*ta, do collegi de ParagSass, e na de
.loss* S-rIi ira di Kosario do Riaclio de Saut'An-
M, do Mllegw do Mosto-Alto, todas pertenceiil.s
*o astricto eieitoral; e proMando as informa-
do* ratpfciMM or esta cmara -wcn das elei-
> reitas era duplcala na parochia dVSaoto
Antrnuo da villa do Urub, dando a raza > por que deix.m de remoller a acta
ti elelpio frita na paiwhia di Xo loria d villa <* Morro lo Chapeo, do 4.- dts-
> eleitoral, s. b a presidencia do juiz de paz
..)m votad f*o Florencio Baguio de .Miranda.
A i." eauumuSo de poderes.
Outro do n;smo minlstorio, enviando a? copias
McrMM pek iitiaes S. M. o Imperad* hou-
por bem conceder varias pensos.A' com-
e ordenados.
Oniro do-msmo ministerio, enviando o officio
xm qne a presi loneta da provineia do Rio de Ja-
ro proala infamia bJm o iran.im:tte documentos
M-.-.rr:\ das i iotas oecorridos na eleieo primaria a
se proceden-m abril ultimo na parochia de
noisa Stmhora do Desterro da Itambv, do rolle-
','10 d lial. .raliy. A (oem fez a requisico.
Oairo do minist.-rio da jnxtica, enviando o re
-liierimenio, deridameMe informado, de Antonio
.arlo da AInHd.-i. osen vio privativo do crime
> rte o en de d 1 poliria de Pernambuco e o df
1) da capital, pedindo urna pratifi-
'> da que peicebem os eserivies de
polica da corto.A' oommissf de pensoes e or-
Dntro do inesaio ministerio..enviando o reqiie-
110, (lev-idamente informado, di? Joaquim An-
1 da Silva Gidlnho, portoiro da chancellara
da Bdfora, pedindo augmento Je orde-
- A' mestna commteaM. v
lo mennjii nin'steric, cnminunreairdo que
vpedrf as necesarias ordena para ser dis-
'ftiKido d, servica tfa guarda nacional, rnqnan-
lo fraccionar esta cmara, o encarregado' da en-
trega .1.expeliente di mearas cmara, Pedro Se-
fli w df Alcntara.-fnteirada. ,
u n -qnerimento da sociedde musical de be-
"e/icflnrta, pedindo a concessao de algumas lote-
A' commisso d<^ fazenda.
Lecn-se
fliaiffieitioe do sortera. T" coinmio on nipedlr (jue os apresetUe fru artisfo voni a palavra ioverno er
eno seguir-s um svstema loatoo e shnpte-. P,m^Be asiste esse impedimento, que Tambem nao posso aceitar o S 1 n
seguir-se um gystcma lgico e stop!
adoptando a con.-ci ipeo franceza, como fe; a c
missao ojpecial do exercilo. lVjdla-haver incon-
veniente ne*sa transplanta cao, poder-so-hia duvi-
dar da exeoaibilidade des>a le, eoi vista das con-
diedes pecaliares do paiz, mais ah havia um
systoina condecido.
Pretender, porm, por ana execur^o todo os
systemas, o do recrutawento pela desgna^io ar-
bitraria, o da conscripcao, o da leva em loassa,
coudfiiina-los a todos e resignar-se a nao ler lei
de recrutamento. Nao evidente que qualquer
embaraoo na exocucao da lei ser pretexto inira o
governo lancar oao da tva em massa uu do re-
crutamento 7
Eu acredito Sr. pre-fenle, que til cautella
conservar o recrutatuunto aelnat jmra o ca-
reforma nlo prodiBir a f<.r?a snfflcientc que'o
exercito exige (apaiados) Mas nao conveniente
i|ue o fagamos uesta lei, porque por por dentis
clara a nossa uspeita ds s-ii.-i inefficacia e da sua
inexeqoibilidade, desaereditar muilo posiliv-
mente a lei.
Aooualmente o poder legislativo vota a tpr^a
de qoe o extreito se ha de compOr ; annualmen-
te lver opperttmidade de voltar.nos- parj o sys-
teina do rccraiamento actual, raso seja pela ex-
periencia demonstrado como o UMJcb praRcavel 110
paiz.
So por ventora honver una jmwr.i exlerna,
depois de votada a lei ordinaria H*acio> te
lorejs, facit recorrer ao poder legislativo-o ob-
ter uma le extraordinaria, convocando- extraer-
dinariamante a assembia gwai, conforme fac-
ta a entituicao. E guranza publica exigir, o governo far o qne fez
durante a guerra aetnaf, uo deixar db certo
era con-
que
se-
vtzes opposlo a quem
apresan taf.
te togMftcSb providon
to> tatis-fio recruia-
9 para a mari-
3 de de abrtl
ilanenio de 1 de
a diversos avisiis
minele
Te
ciando a
faento psra o
nlia : reliro-ni
Je I8il, art, I i,
ma'o de 1858, art.
a rospeito do rocrutaiwntc) ptira o xercilo';
(punto ao da marinlin. ah est o respectivo
ivotilameoto de I i de atyrffrfe 1855.
.V.iaoi easw cojwllr^aos na emeoiki
as citadas irtfrtiTiftges previnem mais : <
que pftle^'eTem a fuga dos rscrutaQVw, os
i|ue impedirem por qualquer ormai a af-
prlienso deHes, os que l'orom cansa qufc
depoi de recrote>s sejam por qualqwer
forma tirados do poder dos condtMHones.
Sao estes casos que conven .pre-vinir, jwrqw
posso aceitar o i* no qual
se diz : O gw roo dar regolamenlo, no
qual ixar a poca da eieeu$5o da presen-
te lei.
Se porventan- a corrfianr; trreform rrlo
ii tamanha que ella deva entrar logo em
execo'fS pode Boar a sua ex-cucio de-
pendeMe da declaracao do corpo legislativo
enf qtiafqrfer das le* annuas da nxaf.ao de
fopca de trra. Nao ijoc eu desconfie do
honrado m nls#o da guerra, n3o ; nao ha
aqui questao de cunnan^a ; smerite tctilio
por inconveuieute que facamos uma lei des-
las adiando a sua ttjeeor/10 para uma poca
que dtve ser flkaifo pelo governo ; acJio
improprio do poder legj!ativo.
O Si. Cntz .Macha&u :Apoiado;
at inconstitucional.
O Sn. Akoradb- Piototr* venlade:
sobretud' qnando temos oto meio pratco
lo que actualmente cota o recrutamento.
A tionradi coininisso no- previnio em
seu projeclo a questao da prewdencia dos
Cisellios, tamo de atstamento como de
revisSo : diz-nos-apenas no art. ^^ 40 que
(ver uma junta* de parochia para qnalifl-
c*r; no t (jne* tiaver um crtme-Hto da
revisaj uas capttatrs : nao declara tuw-
ridade que ha de presidir a estes dilLTentes"
perigar a-;causa pobtca por falta de leis adequa- 'coneelbos ; e i0 era-tanto mniis necesanri
das que fvem sohdos 't* fileiras do exertilo.
Mas introdbzr n'nma r!>)rnia. j de si nwsnia
de ditlicil eteueao, ama' de*eonfianea qne 2-d*s-
acredita, que a desmoraltsa ao- olhos do pan;
prejudiear prwri a eseuir^o : co;n este dea-
serlo coa? a refuraw imrHo tais frequeates de resolre'r a questSo quaf tornar exe-
quivel ;r lei em qualquer das fefs annuas de
IhacSor-dt? f)r<
O'artigo' evt at redigido coma formula
poi-que costoiuom ser ivdigidos o artigos
que aiitorisai r',glamcnt pho (fir. : c (Y guverno publicar oro rego-
lamenl* para a prompta execncr*v desea
iei.
Meus senhores, o groverno pela coswtilui-
ao tem r faculdadb', a- ailribnicao de-fa?ier
reglamenos para a execnco das leis- A
ijtwnlo uelles vo t'utjcCiooar iilividoo de
irdeiif Jivers:, de orden civi, deor(roft4doTitrina coesmucioai esUr facuifcd'b
milrtarda guarda nacional.
Ha atr drveusw questes de precedencia
10njn.1c.to de systemas *vers^d./.'m.>s .iipa.r- ,,,, potfer |},;ar para o regalafi':>to. m;s ..omoete ao' notl-r iulirtar-
aln esta uma novale de reci'irramento. oorem oe- .Ay^, ^.,h,. r.^^ ,* l.v jujicwpiu.
correndo embarac em sua execucio, recorremos pre*Hlett:ia couvem qoe-fosse ltxada'cmn ,Mas uma le como est*
ao systeuta qae'rtprovamos. E' isto digno df duas palrt'riW.
nos, digno do poder legislativo*! ( Apoiados)
Tiimbsm- conviri.i fixtivnwa a competen
S^S&JSZVttX *;!*! n^tem.d^onl^o, ^T^dLe^ ?****
o^'s^^rreXa^^ffii^M^tos pMieados^ pelos Mirantes xlen>
a vm a imprimir para entrar na
Ardem dos tntbalhos : um parecer sobro a eleicao
primarla da frgttezia de Itajub, em Minas ; m
dito approv.'sndo'a aposcntndoria do' desembarga-
dor A. 6. da R, Lobato ; autorisando a cooeesso
eeoea 1 Ignacio Jos Al ves de Souza ; e ap-
>nd 1 diversas ppasoes ; e mandando natura-
pessoas.
L-se, e approvado sem debate, o soguinte
requer ment :
Kopieiro que. pelo ministerio da guerra se-
jam remettidos eom urgencia n esta cmara todos
os documento* r-lativos i* dspotas feit s com o
?. coro de voluntarlos da provineia flmuhy,
desde a comarca de I'aranairii ata esta corte.
t Sala das sossoes, 21 de julho do 1869. A. C
Rodrigues >
O Sr. Figueira de Mello justifica e manda
mesa um projecto sobre reforma judiciaria, o
qual reirfettido ooinmissao de Justina criminal.
Enraiain suciwssivamente em discussio, e
-ao apprawtdw som debate, as redactos que fo-
rmo a imprimir na sessao antecedente, sobro a
Bxacao dafirca naval para o anno flnanc^iro de
187 a 1871, sobre a matricula do Dr. Rozendo
Mnniz forrlo e sobre a cuncessao do vanas pen-
1 es.
Go itina a 2." discussao do art. S." do pro
iecto sobre a refbnfia do actual recrutamento, com
as emendas da coramisso.
Ven mais a mesa, 6 lila, apoiada, e entra con-
jiin- 1 d scussa a segutute^
Supprimam-se do ultimo dos novos paragra--
|.li is a|ii--s"'iia I ta pe i commissao, as palavra*
a em animo caso, gurdalas estas instrucci5es
poder reerritar na forma djs regalamentos cm
i:- la promulgacSo de-ta lei. K f.
ra
O Su. PtuisiDE5T: Devo prevenir cmara
que a ses.-ii tem de continoar at as 6 horas da
arde durante a discssao do orcamento, como
O SI! A Vil" \ :-*r. presidente.
achan I 1 ri ultimo do* arte
pro| occastao de lan-
n 1 r|ii la >ttu>s sobre a* id u
earden amara.
8a 11::- las extrema vari-
dadedec s i--- distrabe a vista infelli-
de elementos tao
tapiantes ii. desrmjnncl que paree' antes
-i cn^'S do p -e ira latn
\loUct Ci f litenUn pomins.
Jo, de accordo com as ida ,iprsentadas pelo
honrado ministro da guerra en1 swr relatorio.
S. JSxc. all declaroipqfte nao era possivel ob-
te-nios o exercilo qa a consrripgao devia dar-
nos, seto constituir ao todo delfe a conveniente
reserva.
A Ilustre commrsao adbptna a Tdea. que foi
eoenpartilhada peta commiBao esrpecot da cmara
transacta, e a tormulou em-seu art. ia, weando
as duas reservas, que tao Gfcibiienfc f^ra* apar-
tadas por simples emendas.
A reserva, senhores, coni'ormv foi propoea ou
conformo se ontendoo melhiv ere*, constitua
com effoito mn vrveiro sulllcientr Kwa-recratar
annualmente o exnrcilo, e tinha sibretudb a van-
tagem de acabar com este consfcu.e apprehewao
sobre a ineficacia da nova lei; de,lomar disiwi-
savel esse apoello no recrutamcato s leves sm
massa que a honrada comraissSo se ttn' vfeto
obligada a propr proporcao qn adiecussfl
caminha na previsao da msufftcicneia dolwvo re-
gimen.
Uma vez supprimida a roserva, comeeam as-
deseonflancas, a* incertezas ; e, iiftrlranernte nito
serio variacoes do recrutamento pn>prostas pelo
nrwjecto que nos Uo deHvraroutra vez da ignonil-
ni derecorrermosaosgalsoaoslieVtos para-des-
aggravo da honra nacional em qaalhuer emer-
gencia da guerra externa.
N3o posso, portento, dar o neo voto a parir da
omonda que faculta voltar ao recrutamento nsta
lei ordinaria, nem ainda naqiella em que facnl-
ta chainar os cidada >s alistada das rla-ses ante"
rieres, sem proceder a sorto, sera hoatacjto1 d>
anuos.
Julgo mesmo desnecessario este appar
s classes anteriores, desde que facjilta-sw
bros dessv9'juni|as.
A.J multas- que aqui se aclsm-a hohnxla
coenmissr? innml que sejam tRtpostas pelo
govwno. AbIk> defectivo, porque tambem
os presidentes-oV provincia dtrwia tfer ess
ilireifo, e nao- si>ente o goterno
est r.a'emen-kii
Mas. afora as maltas, afora mesmo a
prisao administrativa, que porventora se
preten impdr, coi instar da legwlacao
*ual apontada,ha os dclislos previstos no
cedig-j criminal, quo^ polem ser eammelti-
dfts por occasiao d astamento e-do-sor-
te, caa vez rree figuran as ditrentes
jttnlas indi*iiluos de orttem di versa,. 'rJaro
que nao tendo sidO'adoptado pela mesa le-
gislado, ao-flinos' rspreseamente. o-pn-
cipio da inlivisibrHdde do proceseo por
cennexo 09 continencia do- crimes, -m."-
cessario acatelar oeste casos ao fios.
Pela .actual legisiaca- o railttar responder.!
so seu foro tatlilar, o- ju. de paz respon-
der parante o juhr de rtirerto, ollicral I do
guarda nacioaai, conforme delicio, res-
ponder tambem -perante o juiz de direito
00 aerante o consellio- da-gutvda nacionat
As-im comvnettkl -tu deiiet- pelos dille-
reates mMitibroe- de onda orna destas juntas,
poesivef'' de logar a .iros ifferentes processos : o|io
mas, uma vez que se quer formar novo
exercito, composio das classes distiftclas da
sociedade, sera distinecao, sem isencoe?,
impresciiidive! abolir os castigos corporaes.
Sem isso seta iovencivel a repugnancia qne
esta lei ha de encontrar no paiz.
Tae sSo, Sr. prwrdetife, as observacoes
que me occorrem sobre o art. 5. Acre-
dito qoe a Ilustre commissJo ha de melho-
rar extraordinarimente o projecto para a 3*
drscissao. Pois entSoreservme conside-
ra-lo-no seu todo, em suas desposiges com-
binadas.
Tenho concluido, (Mnfto bcm.)
O SH. BARA DE MUBITIBA (ministro
da guerra):Sr. presidente, sinto que a
ber Btejatao adiantadaj.desejava respon-
der a algumas observafoes feitas pelo ne-
bre deprtado que acabou de fallar; mas,
nSo quereodo retardar por mais lempo a ve-
tarlo sobre o artigo em discusso, peco It-
cenja a S-. Eac. para expr aa minhas ideas
na occasio em que este projecto entrar em
3a discuBsao. (Apoiados.) Entu ba de vir
elle mrtcn-ado pela emenda que foi ollere-
cido pefallonrada commisso, j approva-
da ; por outras que aguns dos uobre* de-
purados tTU-mandadomesa, eporaqueHas
que a honrada- commmSo, no lugar conve-
niente, ainda apreserrtar.
Limito-me smente a isto nesla occasttfo,
e pata salvar os escrpulos nao s do hon-
rado deputado que acaboe1 de fallar, como
do nobre depufaeo pola provincia do Para-
n, e talvez de alguns outros senbores,
n*> dnvido aceitar a emenda que oHima-
meme foi offerecida' pelo honrarlo depotado.
Excluida esta parfc do artigo; relativa ao
recrulamento que se pode fazw ero casos
extraordinarios pelo systema aefoaf. algu-
a*fiadaido governo em e essa Ira de ser refundida na dsposicao
(pie precede a essa outea cuja SRppressao
se requer.
9Sn. GntEA:Cnmo'onobre- ministro
aceita a emenda, posso dispensar-me de
justf&a-la, para nao demorar a passagem
do prrijecto para a 3* disesssao.
Ni*.sem ois pedindo a-palavra, e* pon-
reguiamenta* s leis euja; eTteewjao coinnete
ao governo, excepta as Ifeiti euja execucio
o uma lei essensdmente
o recrulamento
ndmioistrativa, da
nawanarro por nww de reflOlnnMRtos para
sua1 adequatla exe*ir;ao. J ae"V" portanio,
que nao en urna ier desta* 'ne honra-
da crt?r)rssao pod dar ao fterM uma
antnriSRo da> que o governo nao precisa,
porque a tem i*la costuii<;o. AttiJa nes-
comi> ta'parte, ado ocioso o artigo.
O- S; 6%va CKRot n\: !\ftf,era para
poder encartar a atorisarao aljm deses-
pender aexetuc5o da >i.
O'Sn. ffvsmKvt: PicUMMA-tShB1, se-
nhor, mus- sendo isso conveniente,- deve
desappareeer todo o paragrapho, cuja- db-
posiQo alias mu i t. commom as tiossa
leis. Ella Becessuia eotno importan*
auSorisarta'e as eis de direito privado, co-
mo foi n eodigo- oommereiai a respeito do
prososso puna mancar a erdwa do juizo; e
em outros agos-; mas nesta lei adimnls-
liratrva isteinamente superfina.
A honpada oomrniss3o, cm stia ultkna
emenda) tambern* aatorisa ogowrno, em
caso extherdinaH de guerra interna eu
recorrer ao recrutamento; porquanto desde i 6 om mcutfwniahfo grave. Pode e d*ve
que se mandan) guardar as isencoes actuaes*.
claro que governo chamar sarn:^:
trateer embarace, e.desde que estes crinas
bao de cosi sfir as mais das vezes erh at-
aqucllesque, pela legisiaeo attBa(reUaot]?Ma*A Wra eiadnb desfavorecidos-da
em condiedes de ser recrutados.
V. a prupria comiansao tanto o [tcoqjie*
c-'u. que salvou as isencoes das injruct
de 10 de julho de 1822, t;:nto para ocas!
das levas em massa, como para o caio
eventual do recrutamento.
A Inglaterra oceupa-se presentemente
com un projecto para reorgamsacSo do seu
exercito. Na correspondencia do Jornal
'/- donmercio de i8 do correnle vem o
fotlttna, seri! i coo-veniente estabelecer par
ellos o princi pi da eonnexo, nliin de faci-
qiw st'ja i i le vidaiaente sorteado ou alistado
a tres proerfs sos per. ote tres jurisdiceoes
lifii'retttes, o mesmn que dtzer-lhe : Nao
ped. o de outros que
recaera sobre os bjeetos, e que
onerim as aaesta* fon tes do renda.
Se principio coi rente om economia po-
ltica que os vellios impostes devera ser
respeilados, tambem principio aceito e
mais sagrado qoe o imposto deve ser igaaf.
Quanto a miiu o imposto s verdadei-
ramente justo qnando perfeitamente igual.
Dasde o momento em que fr desigual tor-
na-se odioso e deve consequememente ser
abolido.
Ora, alguns dos impostes, cuja suppres-
so a nobre coawnissao de orcamento pedio
se acham nessas condiedes. Cilarei, por
exeraplo, o imposto de expediente dos g-
neros estraogeiros despachados para con-
sumo e navegados comearla de goia. Este
imposto evidentemente desigual, visto que
nao pesa do mesmo modo sobre todas as
provincias. Assiro os gneros despachados
para'consomo das grandes provincias mar-
timas do Imperio s pagam di reaos- de im-
portaco, porque ellas os recebis dHfceta-
raente dos pmes estrangeiros.
Outro tanto, porem, j n*r aconteee eom
relaco s pequeas provincias marrfimas,
que recebendo das grandes as mercaderas
estrangeiras de que necessitim, por isso
qoe nao entreten) commercio directo com
as pracas europeas, donde ellas nos vera,
essas raercadorias nao so pagam direito?
de consumo, como estSo ainda snjeMas a
direito de expediente.
De modo que as provincias pequeas
pagam actualmente mais .'fr' de imposto do
qne as grandes pelos objecios estrangeiros
que* consom m.
Itesabeleiido e manlido esse imposto,
corno-pretende o nobre depnlado por Pter-
nambueo, as mercaorias estrangeiras virao
a loar as pequeas jirovincias maritimas-
por um piece- exorbitante, porqasnlo, alera
do imposto de consumo, que va ser ele-
vado a mais 40*/o, alem das desnevas do
reembarqoe e de novo fete, que- Mae so
l>equenacr, terio robem de pagar dittitos
de expediente.
Ora, se urna neeessidade do pair; como
. n!C^2T,'08_f>a l!" ^^P^i^10' ^PPr()-|proclamop'uw do* grandes oradores- dt'sia
[casa, unifcrmtsar oaosso systema trinuta-
qni
vado com-as- emendas ofterecidns.
._P.ro^t?.^.8 ^J1'^^830' m*Ho rio, para qm-mm provincial? nao ventiam
a ser mais onerada do que entras^ fsta
emtanm -respectiva commiesSo para o re-
digir cosftrme o vencido.
OftUEM DO DIA
ContipS a 3a HiseussSo da proposta l
neeessidade nao poder ser precnchida em-
(Tftanto subsistir semelhBnfe imposto.
Se nestas materias alguwia concesslft-8e
orcamento fixandb a despeza e oreando a> pm|esse fazor, se con^esse abrir uma 3X-
reccita gerat- do imperio para o exercioo j cepf50, deveriaspr Mfe em favor das pe-
n8cB :U? CSmaSCmen(ta-ap0ad*' 1mmi Provinsias mariUmas, que vend;-m
presi*- os Reductos do seu sc+3 por preco muito
menor do que aqoelle por q*e vendem as-
provincias grandes. Nao tendo commercio
directo eom as pracas estrangeiras impr-
tente, pero lieenca ao illuslre deputado
pelo prlmeiro districto de Pernambtrco para
aventurar afgamas breves considersces so-
breo importante diseurso qoe proferio nesta tadorae. :is provincias pequeas sao for-
caoa em uma das sesses passadao-, qnando cada a remetter os sr-ue productos para
externa, a saper*ler a sobstita-clo per I se tratava do assdmpto qne neste momento S grande-s mercados do natts, onde sao -ven-
din hetro,- II- aqui urna queotno de redac- i oa'wpti a nossa attenco. Quando ora va dtdos eom preiui o de mais-de 10%, em
cao qne-conviria. corrigir: a .mtetituico -| 9. Exc, eud alguns apartes. Baje, que q00 itnportam as despeo de frete, de ar-
possoal quan^O- o cidado ;wteado exi^jseaeha em dffeenss?n- a mesma materia mazenagera e de rommissio, enepluando
me-se do-servjf).por dintife ro hatna-se a sofire q e versou o discurso do nbre de-
isso exonerara-.*-. Dv-se o nomo- que qui-; put*1o, eu sirdo a neeessidade de susten-
aer, mas-nnne* O' de snbstiitfio1, porque j tar as ideas que naquella occasio ennun-
pde later entrar em duvida se oarligO'dvcier.
ou nao faeuldae- ao govetno de impedir 8 Dtvo, porent, desle jS declarar, segundo
substitutivo em *.empo de guerni.
O Sr.. Pweira. n/tSn.VA : ?So,. isso b
at conveniente.
O Sr. ANDitiEfi Ficcin.\ ::-Eniretanto
temos um-decreto de 14 de abril de 1859,
itarapomc. i. Reliar mu simpl s cidauan, n^nnado Sr. Ssbastioo do Rogo Barros, ite urna pequea provincia maritima, enm-
0'exeraplo dadfe por S. Exc, que nao te-
nho a vaidade nem a mnima pretenoao de
tnaaernovas Imtes a esee debate, em que
se tem empenhado to distietos oradores.
Venbo unicament como representante
(xi.leis tornar
daquelles qno
dando ao governo o- feoldade !e-su{)ender
a subs'tituifSo pessoal'ftm tempo de ..urii-i.
Ora, urna vez que-pelo nosso direito actual
vos oUinderam.
Mas, scohoi es, n- si) quanto
dieco para jt tlgar esses deliotos
a jiihis-
e juanto
Com effeito, a honrada eoramissao
tema habifulaJe de, era --.i misino projecto de
reerotainento, reoalr Wioe oadiflereote systemao
coRheeidoH aun tem sido pratteaam. Amo va-
mos tr o recraurmeato actual com todo o sou ar-
bitrio, com to( i- U9 sena projeclado* horrorc-, as
circiiMistiiicii- oxtraon'iuiri.is do gnem oxteroa
ou interna, conforme a emuuda noe st om dia-
ius-,i i. \a o i* iw o rocruiamunto actual com-
binad i com a c m ifi> .ii fi: e digo combinado rom a consejil
porqae intervem o sortfio. Vamos ter a cona-
cripeSi) as pocas ordinarias.
, Vamos ier a leva em massa no caso om que se
leona de recorrer a todos os cidadaoa alistados
intervedcii dosnrtoio as classes anteriores,
principiando das m*is modernas jiara as mais an-
tigs-. Vamos ter, finalmente, em o. lugar outro
'i-utainpnto, (pie o do alumnos
:ados pelo governo nos depsitos dos. mano-
res militare.
Esta m-iituM-o um germen que na Turqua
prodDS i a fam i-a tropT (Ios JainsaruS.
Alm disto a nobre commissao projioz essa
manea mena com a qual me oeeopei na ultima
si i.
Mas, senhores, ser posslvol que votemos um
projecto com disposicea lio heterogneas, qoe
consagra ao m wmo lempo cinco systemas diver-
le raer ilamato, repugnanle^ entre si, e que
mntnaineiite M Pode a corpo legisla-
tivo alirar ao paiz moa lei como est, que alTeeta
ao mesmo tempo os interesses mais caros das fa-
milia- e os internases econmicos mais mportan-
la sociedad* ?
A e > espeeial do exaitfe da legislcao
,1, ni um projecto simples em que
na ver la le pao conuu muio; porque estabele-
eiapara o l. anuo o alistamento dos eidadaos.
,- as isencoes das nstruecSes de 10 de
juHw de I8ii; e porque consagrava para as cir-
(uiiii^uuei is imprevistas e supremas o reeruta-
inento actual, como meio de prove- de torcas o
exercito. Porem essa commissao era franca :
confesaava a excrp0, a derrogacio ao systema
adoptado e o presenm das circumstancias difnceis
do paiz. di'ieniinadasj.ela uec.-sidade nnis evi-
dente, tai n o cunceito.'
Mas a commissao dc-ta augusta cmara nao
parti dosse presaposto; pelo contrario, apresen-
tou o -eu projeelo como suiciente para dar a
forra de que necessHa o exercito, quer em cir-
cias ordinaria?, qu t extraor linSTias. Ei-
o que se aelia exarado M p: precede ao
projecto.
Entretanto proporejio que a flis-rassao progn-
de, a nobi l>< tom abando-
rimordjal ;o. reunindo-lhe
tes fragmentos de systemas oppostos
e na i harm isam.
E' manifest, Sr. presidente, que a honrada
rijmmiwlo nao podia lor-se arredado de princi-
pios aceil asentadas sobre a reforma
do recrutamento som urn motivo suflieiente e
limito pondar.
, Ella autorisa-se aqui com os dilterentes provec-
tos qoe \i apresentados sobre o recruta-
mento de luirte : lal foi o elemento
higto todo. Inv a'. como
argumento os nomes de prollssiopaes que assigna-
ram van projecto, para provar ne-
idade da reforma no senndo da eonscripcao.
j bem cumnria aceitar esses irabalhos nos
termos oto que etles foram apresontados, isto ,
ransumpio das disposicbes capitaes d'cssefa08 pr0cessos .queoaoiual pjracisa scf c^b-
ta mhetn (juanto materia pe-
nal. O nosso cdigo criminal nao previo
omitas hypotl teses que podam con.-Lii.oii
Crimea e crino es graves ; nao dir;i dosin
dividuos que recrulam, nem daijuellos ipja
sao j rcruta dos, porque so pode dizer
que perteoce ao cdigo penal militar ;. mas
dos eidadaos -que nao tem obrigai;oes mili-
tares c que n ao podem coinmetter crimes
militares.
Os individu os, -por excmplo, que occul-
t im os sortea dos o os tirara do poder da
escolta que o s conduz. Sao fictos graves
que podem p erturbor a ordem publica, po-
dem crear a< i governo os maiores ombara-
ros em circu instaaciae criticas, e que con-
vm punir si .eramente, e nao apenas, co-
mo faza Iioi irada coiomisso, com unta li-
geira multa de 3Q0& que tem de ser repr-
tala por divursos..
preciso prevenir no cdigo penal o de-
licio civil : yctuatmente-alli nao existe pena
alguma a si^melhante rospeito, o facto Pica
impune, mfcsmo para aquelles qe tiram o
recruta do poder da t-scolta que o conduz.
irojecto, (jue foi apresentado ao parlamento t ptetado
pe. respectivo ministro da guerra.
Apeznr de n5o ser uma naeo militar, vai
seguir o modelo das naces coutinent-n^
em su is mo lernas orgartiar;oes militares,
montando uma reserva em vasta escala,
com as soas milicias.
Conviria, antes de entrarmos na definili-
vi relonivi do reerntamento, que (ixassemos
fj pensaiuetito ultimo sonre o eStiRO que
a guarda nacional ou essa milNa quB o Sr.
ministro da ustica propoe.
exactamente da massa da popularan
que tem de compor essa forrea de milicia
ou de guarda nacional que deve sabir a re-
serva do i'\ei\il4 qualquer que sejl I sua
organisacao.- ou cree-se a milicia, ou coo-
serve-se a guarda nacional reorganisada, ou
forme-se a reserva propriamente do exer-
cito, como julgo mais conveniente.
Em todo o caso o nobre ministro ter
uma reforma de recrutamento manca e in-
{coinptcta emquanto nao passar a le sobro a
gnarda nacional (apoiados). em planto nao
dxarmos o destino quo ella deve ter.
O Sn. Fchreira Viana : E como se
completa esta lei.
O Sn. Andrvue Figuf.uiv : Sem duvida:
e ah est o excmplo da Inglaterra..
O Sr. Pbruhra Viann \ : E mesmo
da Franca.
O Sr. Andraub Figueira : A Ingla-
terra, pelo projeelo a que alludi, contina a
seguir o seu autigo principio de eugajamen-
to de voluntarios, e disposla a nao recorrer
conscripto ; mas reconhece que o* enga-
jados nao sao surticientes para dar a forca
effectiva de que o paiz pode precisar cm cir-
cumstancias extraordinarias : recorre, pois,
a urna reserva, como asmis narScs cnti-
nentaes.
Feitas ejtas consideraces geraes, Sr.
presidente, eu descerei critica das di>po-
sicoesdo artigo em discussao. e das emen-
das a elle offerecidas. E ofarei, nao para
emendar j o artigo, que convem adoptar,
afim de proseguirem os estudos perante a
commissao, mas pa'a que sirva de lembran-
ga os reparos que Ihe vou suggerir afim de
os tomar na consideragSo que Ihe merecer
na redacto para a 3a discussi do pro-
jecto.
A honrada commissao proco i bele-
cer uma penalidade, pela emenda que otTe-
receu ao artigo em discusso. Nao foi fe-
liz, porque nio estabelecen medida com
pela, como convinha.
Um dos detictos frequentes na oxecucJSo
desta reforma ser sem duvida o de occnltnt
o cidadio sorteado, o de dar-lhe fuga ou
de toma-lo mesmo das escollas que ocon-
duzirem.
A commissao, a lal respeito, preveno
com milita parcimpnia os delictos, porque
apenas impoe bgeira multa a todo o indi-
viduo qne oconltar em su iesig-
nados ; de siHj que se um > ni >
ocultar o designado em "sua 'casa e sita em
casaafceia, fica livre da pena. Contina
etfectiva a responsabilidades govemo tem este arbitrio, conveniente
que as novas riMttbae sejam mntto claras
neste ponto.
O 5a PfigMaw da Silva :E'V exonera-
cao, neo substtoicaO.
O Sp. A\!nur+-. KiorKiax:Pois bem;
en quereri entae que se ttmeciiasse nesla
parte.
Sefbores, nata-das- lacunas> par mim
muito sensivel, de projecto que se tem dis
cutido, o escpjecime ilo em fue ficon o
ministerio da nwrinha a respeito de uma
Ier que nao d stinnda nicamente para o
recrutamento do exercito, mas tambera para
o recrutamento da armada.
O art. Io diz? que" esta lei destinase
tambam ao recrutaiaento da armada-: a
este recrutamentO'da armada aojeita os ei-
dadaos brasiteiros maiores de-18 annos e
menores de 'Of como para o- xcr\:i*o ; en-
tretanto no desenvolvimento p-atico- da sua
these o projetoesqueceu-se completamente
do recrutamento para a armada.
OSn. Pkrwa na Silva d um aparte.
O Sr. Anbaadk Fiockirk : Tem sido pe-
.qimnoat aqpi o contingente para a armada,
mas pode crescer; e por pequeo que seja,
nao ha inconveniente em qe- complete,-o
pensameuto da lei, e trtese do recruta-
mento para.a mariaha. umaj vez que tal 3.
Tratando-se de introdozir uma reforma des- ^mbemo objecu>do proje(to.
las, preciso tocar tambem na legislarlo
criminal para acorapanhar aa novas iafce-
Q5es a que pode dar lugar. Imitemos as-
legislares europeas, que propongo que
introduzen retirmas na lei do recrutaraent
retocam tambera a legislago. criminal.
Oomprehecdo que nesla discnsso n3o
ser possivel tomar ern coosiderago e sa-
tisfazer a estas ohsexvac-Des ; mas.
c-bd mstr0 gne,'ra-
aisse, so lembrangas quesugiro para se-
ren examinadas ao elaborar-se o prejeefo
para a 3* discusso.
T.imberanotarei ora defeilo dereiiir
que estas multas sero cobradas ewtnsi va-
mente pelo juizo civil. uma phrase mui-
to arapte : juizo civil se diz em cootraposi-
co ao j izo ecclesiastico, ao juizo.criminal,
o juizo dos feitos, o juizo civil, o juizo mu-
nicipal civil: a qual dos doos se d a
faculdade'da cobraoca de taes mullas ?
O Sr. Perkira. d\ Silva : Se nao se
fizesse a declaracjio, poda entendsr-se que
era somente o juizo dos feitos ; qualquer
juiz.
. O Sr. Aedrade Fgucma : Pois nao
convm. Ou d-se a jurisdicco conunum
aojuiz monicipal. como natural, porqua
o juiz territorial do lugar onde a molla tem
de ser cobrada, ou d-se a#^biz dos feitos;
mas dar se a ambos ao mesmo tempo crear
conOictos inconveniente.
O Sn. Pkueip.a ua Silva : l aquelle
quo o gowrho mandar.
O Sn. Anurade FiGiT.irtv: Mas desde
que se f uma lei melhor prevenir a com-
petescia da jurisdicc5o, que materia grave
e import nte. J declarei que nSo ao
governo geral, mas tambem aos presidentes
deve competir a impstelo da multa.
O Sn. Perora n\ Silva : Na pal"
governo est hiclutdo taamem o presit
O Sn. Amdrape Fiotor v : Neste
J nos dille-rentes artirjos esqueceu-se
tndoquantorespeitava ao recrutamento para
a armad, as jautas de alistamento de re-
visan, nos recursos estabelecidos no lempo
de durarlo do servido nessa reserva manca
que -ahfrficoa snbmefgid pelas emendas
(risadas): e, aflnal. al na caixa initar,
coja exclusiva administr.tfto cona aa mi-
0 St PtRewA n\ Suva d um aparte.
O Su. AxnnAnE PufrEtttA:O-nobre
deputado sabe que a fbrea da marinha
dnersa da do exercito; nao se exige apti-
doos diversas, mas tambem idades.difieren-
tes, ffa marinha admlltem-se individuos
paiaaprendizes marinbetres desde a idade
de 40 at 17 anuos.
Senhores, uma idea capital es'apou a
oommissSo, j qi^ se quer nobilitar o exer-
cito, mudar de systema, chamar os pais de
ternilla, idea capital para que a reforma te-
nha maAs uma chanca de viagar, refiro-oe
abojico dos castigos corporaes.
O S;r. Gama CerqueiraApoiado.
O Sr. Andrapi: FiacF.mA :Emqrjanto
alies subsistirem n30 possivel que o cida-
do bfasileiro aceite com prazer o servico
do exercito.
O Sn. Gama Cer(ieira--E' mister no-
bilitar) a classe das armas.
O $r. AndrabeFiguehw :A nobre com-
missao tem em vista nobilitar o exercito:
preciso, indispensavel abolir a chbala.
O Sr. Fehheira Vianxa: Abolir os cas-
tigos'corporaes.
O Sn. Anohadf. Figbira .E' um pen-
samento este que nao sei como escapou
nobre onmmissao, consignado como foi no
projecto da reforma da cmara transada.
Eu nlo sou daquelles que preconisam
a- bolirSo dos ratigos corporaes para o
nosso exercito actual; ao qual poucas veaes
se applicam, mas s5o otis pela intimidagao;
prir o de ver que me incumbe de pugnar
por seos4egitimos interesses e defender
suas justas asprales.
Recooheco que nao setr o mais cempe-
tente fno apo!edotv) para satisfactorhmen-
te desempenhap essa obr-igaeo, mas nem
por isso devo fOrlar-me ao seu cuaipii-
raento.
O nobre deputadn, a quem me reftro.
acompanhando ao nobre> deputado por S.
i indo no repare que lea iBostre Ia com-
missao de ornamento, por nao ter-se.-es-
forcado suHicientemente por equilil rar a
despeza com a receita, censurou ao mesmo
tempo n3o haver pro posto a snppaawSo
de alguns impoetos, que contribucm para
augmentar a renda do estado e p:ra me-
flmrar a siltiacr do thesoaro.
Segando a cpiuio de- S. Exc, da qnal
com bastante pezar eu me aparto, esses
imposlos, cujaextincco a nobre commissao
do orcamento propoz, devem ser, em vez
de abolidos, restabelecidos e conservados,
pois qne o povo brasileiro j;i esta habitua-
do a paga-Ios sem repugnancia.
E' verdade, rjr. presidente, que apopu-
lacao do nosso paiz at agora os tem tole-
rado, nao se oppondo ao seu pagamento ;
mas hoje que as contribnicoes anteriormen-
te creadas se-achara grandemente augmen-
tadas ; hoje, que vito ser establecidas no-
vas imposicces ; hoje, que todos os objec-
tos de consumo tem encarecido e subido
muito de vator, poder o nobre deputado
saber se a popuiacao estar disposta a per-
manecer no estado anterior da resignar^)?
Porvenltira o facto de reclamar em seu
relatorio o Ilustrado nciio que se acba
testa dos negocios da fazenda a abocao
desses impostos nao couriitus j uma prova
do que a populaco, cujos reclamos. S.
Kxo. por certo leve em vista e proenrou
altender,. os considera vexakirtos e oppres-
slvos ?
Pela minha parte eu estou inteiram nie
persuadido de quo o boarado Sr. Ministro
da fazenda, que tanto se tem esforcado,
com geral applanso da nago, para me ho-
rar o estado affltctivo do thesouro nacional,
nao reclamara do corpo legislativo a abo-
lido desses impostos, como medida til e
proveitosa ao paiz, Se conhecesse que elles
podiara |Siibsistir sem demasiado grvame
para a populacho.
Na decretaco de impostos eu enlendo,
Sr. presidente, quo o poder legislativo se
deve conduzir com todo o tino, com toda
prudencia o com a maior prudencia que fr
possivel. Cumpre nao estancar as fontes
de renda nacional gravando demasiadamen-
te as imposicoes. Quanto mais se abrir,
quanto mais se rasgar arterias lao abun-
dantes do paiz, taes como os impostos de
imporlaco e exporiacb, que soffreram
grande elevacab, tanto mais convm logo
fechar outras menos fecundas, para que o
sangra nao se esgote e nem venha a faltar
no meto da nac3o.
Senhores, sargrai tadas as grandes ar-
terias do paiz, deixai descuidosamente jor-
rar com toda a impetuosidade seu precioso
sangue, que dentro de pouco tempo, emjrez
de um estado vigoroso e cheio de vida, s
tereis uma naci manida e moribunda.
Portanto, propondo o augmento de alg'ms
impostos e a'creaclo de novos, a nobre
commissao de orcamento tinha o dever de
i ;is despews de transporte at o porto de
mar onde embarcara.
De moneara que as provincias que j
vendem os gneros de sua prodcelo por
perico mais- baixo ?erao ainda aqtwllas, a
coneervw-se esse ia^osto, qne terlo de
ciMnprarpor prego raerlo ma' nito as mer-
cadorias estrangeiras de que necessitarem
para o 3eu consumo.
Daqui al a cmara quanto ihni|lll_
e diret, smo quanto revoUante seme-
Ihante irapo-ta-.
Bepro;atar4e de uraa proviaota que re-
cebe da-Bahia e de Pernambuco os gneros
estrangeiros le qoe precisa, ea nao posso
dekar de applaudir a feliz lerabran^a do
honrado Sr. ministro da fazenda em recla-
mar, eo nobreempenho da Ilustre commis-
sao de ornamento era propor a suporesslo
imposto.....
@ Su. SotZA Res :Peco a palav;i.
Sr. Micniczes Prado : Eu nao posso
deixar de protestar contra a consenaco cm
legislaran de um impisto que estnbelece
urna desigualdade evidentemente olfimsiva
doa direitos de todas a pequeas previn-
ciae -marititiias do Imperio.
O Sr. Coeuio Rodrigues; Apoiado.
OSr. Menkzts Prado:Pelo que toca,
Stt. presidente, aos outros impostos, cuja
ab)licao a nobre cominisso de orcamento
tambem pedio, cu os considero igualmente
v:. utoik, Nao s estorvam e difficullam
a circulado dos gneros, sem grandes prc-
veito pemniario para o thesouro, como com
teda a razao notou em seu bem elaborado
relatorio- o honrado Sr. ministro da fazenda,
como entorpeeem a celeridade que hoje re-
clama o movimento mimercial do paiz.
Sao essas as ponderaces qne em apoio
ie minha ideas me ctmipria fozer sobre o
discurso d(> nobre i&puiado por Pernam-
btiro, a cuj taTcnte illuslraclo eu presto
toda homenagem, sentiudo achar-mc em di-
vergencia de sua opnijio.
Apruveito o ensejo, j que oceupo a tri-
buna, para dar acamara alguns csclareci-
mentos relalvamenle emenda que apre-
sentamos, hoje coavertida m artigo audi-
tivo, autorisando o governo a despender
at'a quantia de'13:000,5 cm a collocncao
de boias as barras da provincia de Ser-
gpe.
A collocaco de boias as barras de Ser-
gipe uma neeessidade de ha muit i sentida.
Ningucm ignora quanto s^rigosas as
barras daquella- provincia'*
O Sn. Tiieoboro da Silva : Apoiado.
O Sr. Menezcs Prado ::Quasi todos os
annos aellas so perdem embarcarSes, por-
que os seus cariaes" nao se acham clara-
mente assignalados. Barras d arca/os ca-
nses n3o s niudam frequentemente'. acn}-
panhando as variac3es dos ventos, como
esto ericados de baixios oceultos e do
bancas de ara que tornm muito arriscada
a navegaco.
Comquanto haja na barra da Contingui-
ba um vapor de reboqne, o m todas as
mais existam catraias que gniem os navios
as entradas e sahidrfs, todava um signal
mal entendido ou qualquer pequeo des-
cuido, traz a* perda de uma embarcaclo,
perda que se oritaria se os canaes das bar-
ras esliaassem visivelmente detefminados e
fossem fcilmente concedidos.
Para remover esse pevigo que ameaca
constantemente as fortunas particulares, e
para obviar a este inconveniente que causa
grandes prejuizos a tavoura e ao commer-
cio, foi que eo e os meus collegas de de-
putagao apresentamos essa emenda auto-
risando o governo a despender a somma
referida com o fino, cima indicado.
(Continuar-u-ho.)
TVP. 1>0 DIARIO-ROA DAS CRV2ES B. 4
\\
PAGINACAOINCORRETA


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8V43Z7ZJ_LNB1RL INGEST_TIME 2013-09-14T02:36:22Z PACKAGE AA00011611_11921
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES