Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11917


This item is only available as the following downloads:


Full Text
NO .V. NUMERO 185.
mt A UmXL K ITCABS OIDZ lid & PAGA POBTE.
* MBiiB..............
Por uta wnoiog .....'.......
$5oeo
424000
245OO0
k*320
SiGUHDH FEIRA 16 DE MOSTO DE 1869.
fABA MTKO E IBA DA WWBCIA,
Por tres meses adianUdos.......,...... ^u.^
rto&w ditos ideai.......... inSnnn
Por no\i ditos dem................ wSaiso
Porufflaumo............. SJooS
'"' i
---------------_________
Propriedade'de Manft|. Figueir* de Faria & Ffaos,
------" ........ I 'Inri________________.________ .
1"
^l
ao Ai$^mn-
w~
em Nazareti; Frailo Tarares da' SX^^^'X^a6^^?3.^ */; ormino dM Sanio BulcSo, em Santo Anuo; Domingos Josefa Costa Braga,
PARTE OFnCIAl.
; Fnamo Tavares daCosta m bpJrRi. faJuT' V T, M; warmino dw Santos BulcSo, em Santo An
aaCQ8ta' ** ****"' Bp' /e8 Martuw Alv fe aia; e Jos fibeito Gasparinbo, no Ro d Janeiro.
uoAnetty; JoSo Mara Julio Chaves, noAss; Antonio Marques da Silva, no Natal; JoaJbstino
rrrno da pro t acia.
lAPEMBJTTt AS.Ifi.NABO PILO KX. SM. IR. NANOH,
O NASCfMIt.'HO MACHADO POBTBIXA, V1CS-HU>I-
BKTE DA PSOVWCIA, EM 2 D MAIO DR 186!*
v ac 9*ct*-
u 8**V01"1*"* ao cnef "Je polica interino.
_fTOTnience \. como entender conveniente,
esweo que representa no oficio junto por copia
* juu de direito da comarca de Limoe.re, relati-
vamente as freqnemes evasoes de presos da res-
jiecuva cadeia.
N. 8*4.
^f^JiS^^S^^:. I ir ^ de ** *> "*<> e Santo
Uieaa _em rife de Iwutem, sobn iOt, recom-'
rn.i ao. conjinandante superior interino
aguarda nacional do Recito.Expeea V. S. as
w venientes orden* para que, de conformidade
n a sua ratoruiacao do M 4o eorrente,
. n, seja dispensado de fazer parta do conselho
<*e qualillcaea.. do primeiro baUlHfti de inanta-
ru, o lente do mesmo batalbao, Francisco AITor-
m berrcira, visto serera os seus servidos necessa-
na alfar.dega desta capital, onde exerce o lu-

arde secundo conferente, segundo const deoffi-
no do respectivo luspector de 17 deste roe/.,
N. 845. Dita aoinesrao.Providencie V. S. da
modo a sorein substituido! por outros os guardas
o que trat a relneo que por copia be envi, e
ju se actual d-stacado* nn presidio de Fernando
de .Wonha, intormand, acerca do quo por ellos
toi declarado e consta das observaco* s de dita re-
tCjto. ^^
N. 840.Dita ao rommandante superior da
suarda nacional do Limoero.laorme v. S. cora
uegencia fcre o que representa o juiz de dimito
a. wmarca do Liaioeiro cin otlicio do 23 de abril
*irtimo junte por epia, sobre evasao de presos
'''siecliva cadeia e o destacamento dessa villa.
X. 817. Oila ao me*n>n.Em resfwsta ao offleio
Je V. S.^e SO do eorrente, tenho a dizeMbe que
cura -jaramente ao capnao notneado para a pri-
ineira couipanliia do bataifo n. 53 de Taquare-
iiaga, feto o que e assumindo elle o couiinandi)
oaito bataltii'. defirir a sea uirno o juramento
voo 6 *!Iliai' *** J'1 mesmo corpe.
N. 8S-ita ao juiz da tHretto Ja comarca de
Oanla.Em resposta ao offleio de V: S. de 3 do
orrenle, teoh(> a dectarar-llie que, eiu vista do
!*'* meilioo. juuto por copia, e do que dipoo o
an-l d-ii decreto n. 1H de 16 de dewmbro de
>i, poda o raen antecessor nomear, orao no-
J* lostiltuo. aa tbelli e escrivo do civel
'j** nMUiU'W .FHippe do Nascimeuto de Faria,
oelo qu.il devolito V. S. a petieao inclusa, de quo
. trat o sendiu,.-Hiri. H
R%?^IH;l ao juiz de direito da comarca do
la dala reeuimnendo an cliefede
* que !T.!-.ideni-ie como l'r o.iivonieutc, e do
iBuiaiair *~
meado a V. S. que mando entregar ao tbesourei
rodaquella repartlcao 1:0004 para occorrer as
despegas com os riyaros da cadeia da vrlta
Wiawro, os qaaes vao ser executados po? Mtfc'
atra;ao de cboormidado o a orden Je raen
antecessor de11 de marco ukiuio.
N- 861 Dita ao director das obras publicas.
e conlormidade com^ijueme sotciton o presi-
dente do Para em officio de 11 do eorrente, con-
trate Ymc. tando em vista a inforraaco de 22 de
abril ultimo, sob n. 16i, ura raestre pedreiro para
as obras publicas daqueJla provincia pelo preco
que liie parecer iaau rasdarei.
N. 863.Deiiberaaao.O vice-presidenleda pro-
sob I ,vin5uf'endendo aoflue requereu Tiburno Pin-
to de Almeida, collector de rendas provinciaes no
municipio de Santo Aatao, e tendo em vista o que
a este respnto mfortnouo inspector da thesoura
na provincial em oflicio de 17 de abril ultimo, sob
n. 195, e o parecer da junta medica cirurgica quo
o mspecconon nos termos do Io do art Io da
'n- *76de 7 de abril de 1851, resolve de confor-
uudade com o mencionado artigo com o-3o da lei
n. 486, de Iti o> maiv de 1860 e 1 da de n. 768
do 11 de junli,, de J8J7V conceder a esse empega-
uo a aposentadoria que sulicitou com o ordenado
proporcional aotempo 6 ervice, segundo a li-
quidacao a que a mencionada thesouracia dever
proceder.
J.864Dit.^0Aficaj^residente Ja provine!
esolve nomear na conformidade do art. 33 do re-
gulameBlo de 2t de juhVi do anno-passado, a Ale-
xandre Jos Mara de Hollanda Cavalean pi
ara
vlautc su|inir da guarda uacio#l deasl
iMQkMjiio. ftxjfliaformacaes sobre a materia do
alucio de V. S. do 23 de abril ultimo, com refereo-
4a a *Ta3o do presos da cadeia essa viila, e ao
iiwsma.
^W).rila ao juiz o>. diretto da comarca de
I-lores.Em resposta ao oflicio de V. S. de 28 do
ex Ondo, tenho a declarar-lhc que, seguudo in-
forma o inspector da Ihasourana da fazenda em 25
do corrate, M mesma dala do de V. S., renovou
a ordem expedida ao coliectur do municipio de
Flores, para que applicasse o rendimento da col-
laetoriaao pafa anuo dos vencimentos dos da>U-
eameatos tanta desse municipio orno do de Villa
Bella, iioJend-. ser que a demora ha vida s -ja por
w o reudimeoto inferiera quniitia necessariapara
aamnuMWo dos ditos destacamenta--.
R. 881.I'elilieraeao.() vice-presidento da
prdvini-ia,.il,! eooformidade com a proposta dor.
hete de |i ilicia aa Deie n. 7W de 20 do cor-
rente, resolve nomear para o cargo.Je primeiro
supplenle do subdelegado do distncto de Pedras
io IVigo, da termo de I tamb, a Joao da Cunba
iBUrakanti.
H8 ilDita.O vire-presidente da provincia.
<\; canformdade com a pro;>ost do cliefe de po-
hcia em atteio n. 749, resolve conceder a Jos
Henriq e da Handonea a exoneracao por elle pe-
diJa do cargo de pnweiro supplenje do subdele-
gado Jo distncto de Pedras de Fogo, do tormo de
I tamb.
N. UlDita.Para o conselho de julgamento
Jo soldado lio oorpo provisorio de polieia Antonio
Manoel da Cunta, aecusado por crime de iasu-
honlinacao e d -siilieilienna, designo para :pre-
rjaate, najnr Antonio Feitosa d Mello ; auditor,
l'r. promotor publico ; vogaes, tcnentes Lu Fe-
iippo Cavaleaojj de Albuquerqtie e Joaqnim Her-
Miao t'ereira Caldas Juaior, alferes Joao Pires
I orretra, Sebastiao Antonio do Reg e Manoel Ma-
theus Cavalcanii.
3L secca.
X. 851.Portara ao inspector da thesourarla
provincial.Tomando em consideracao o que V.
S. ospoz em seu oflicio de honteui, sob n. 294, o
an'oriso a passar por emprestirao da caixa le de-
!!' PST''' a da reeeita geral, a quantia de.....
O.OOOi, aflu du soccorrer-se as despezas no co-
me do maz de junho proxjmo vindouro, confor-
ma V. indica no citado oflicio, que tica assim
poadiao.
N. 855.Dita ao mesmo.Declaro V. S. para.
SOO conliecimento e l'ms convenientes, que ni-sta
dat resolv nouiear Alexandre Jos Mara de Hol-
landa Cavalcanti para o lugar de collector d ren-
das provinciaes no municipio de Santo Antao,
vago pela aposentadoria concedida a Tiburtino
t'iato de Almeida.
N. 85ti.Dita ao mesmo.Transmiti por copia
i V. S. para seu conliecimento e llns convenientes,
a deliberado desta dat) pela qual resolv conce-
der a aposentadoria que soliciten o collector de
randas provinciaes do municipio de Santo Antao,
Tiburtino Pialo de Almeida.
N. 857.Dita ao mesmo.Expela V.S. suas
ordens, para que em vista das inclusas conts em
dni>licat que me rrmetten o chefe de polica com
oflicio de hornera, sob n. 772, seja liquidada c paga
a Flix de Figueinia Faria a despi-za feit du-
rante os meter de rever-ro a abril deste anno,
rom o fornecimento de Inz e agua para o quartel
Jo destacamento de guardas nacionaes do termo
de Santo Antao.
N 838.Dita ao mesmoevolvendo V. S.
ja reformado, de conformidade com o parecer da
conudoria Jesss thesouraria, o certificado jne veio
annexo ao requerimento a yie se refere a sua in-
formado de 17 do eorrente, sob n. 271, o auto-
riso a BUTAttcr pagar a importancia da terceira
preslacao a que tena direito o arrematante dos re-
paros da ponte sobre o rio Trarunbaem na vai-
aea do engenho Buiary, Migvel Lanrentino de Si-
pieira Varejao.
H. 85A.Dita ao mesmo.De conformidade cora
parecer do chele da reparttfao das obras pc-
bticas couda em oQIcm da 94 do eorrente, sob
107, roe jwmendo a V. S. me mande pagar ao
weduciur i'jo Beaerra da Mello, a gratilicagao
aae \^ eempetir, por hatar exorcKlo ai rnnoeaes
Je engaaaeifo do tereeiro destrwta no impe*-
Bioato do respectivo proprietaro a contar do. 1 a
J5 Je fevereiro deste anao.
A. 8*0.Dita ao aieaaaav-*r\ecomrfHrado a V. S.
qw i ceafaroidade com o parecer junte por c-
yu Jo 4ireetor geral interino da instruccio pu-
blica, mande pagar o que-se astivor a dever ao
jTOJeesor (wt'ora da eaeira da Batroccio prima-
na ** lUberte na eoxaanada Boa Vista, AJaaaa.
-egaa Patxeio de Ateacar, proveniMite do ex-
Bft du ua aut a ceaftat *b JBft dezew-
^fcfroxinio naiioa razae dti U02J
lagar de coilector Jas reudas pfqWnwaes do mu-
nicipio de Santo Auto,
4* scelo.
N. 867Portara a Miara ..
hermoso.Itespondando ao oflicio
municipal da cidade d Rio Fonnv) me dirigi
em o do eQrrepte, tenko'a.dzer-Jhe que em vista
do art, 49 das posturas fles^a cmara decretadas
lela le n. WJ de 4 de ina de 1863, cessaram
as recoiBiaeijdaeoes feitas flor-est presidencia em
1 i le oatabro d- i86, quu .se refere o seu ci-
tado omcio.
JJ. 868.Dita a cmara municipal do Bom Con-
selho.Com a inlbnnacao juata por ccriiia mmi#-
trada pela thesouraria de liizenda em 24 do eor-
rente, sob n. 33, respondo ao oicio qnaa cma-
ra municipal da vSla do Bom Cousellio dirigi
a ot presidencia em 12 de abril ultimo, solici-
tando a ereaeo Je ma follectoria ne . 869.Dita a cmara municipal de Goyanna.
-Remetto p..r ix^a a- cajuai a municipal da cida-
de de (. lyanna cm resposta no seu oflicio de 19 de
fevereiro iiltinio. com fefrenria a restituir > das
rendas do munirlpie mfltmb o incluso parecer
do procaiaiior llscat da thesouraria provincial de
i de abril nroximo findo, para que a mesma c-
mara o ponua era execucao e participe o rebulta-
do para iue esta, uresidencta possa providenciar
sobre a respfbiiidad e qem aflkaar ora
culpa.
N. 870.Dita ao Sr. gerente dacompanhia Per-
nambucana.O Sr. gerente da companha Per-
nambucana mande dar passagem de estado a r,
ate a provincia das Alagoas no primeiro vapor nue
para all seguir a Leopoldina Eulalia da Silva Bea-
ba e a menor Firmina, sobrinha da mesma de
sete anuos de dade.
N. 871.Dita ao mesmo.0 Sr. gerente da com-
panha Periiambucnna mande dar duas passagens
de estado a r at a Parahyba ao promotor publi-
co da comarca de Mamauguape Dr. Augusto Car-
los Yaz de Oliveira.
If. 871Deliberarlo. O vice-presidentc dapro-
vincia resolve conceder a exoneracao que pedio
em offleio desta dala o Dr. Braz Florentino Henri-
ques de Souza, do cargo do raembro do couselhn
director da instruccao publica.
X. 873.Dita.O vce-presidente da provincia
resolve conceder a exoneracao que pedio em olfl-
cio desta data, o Dr. Braz Florentino ilenriques du
Souza, do cargo interino de director geral da ns-
iruccao publtca.
N. 874.Dita o vce-presidente da provincia re-
solve nomsar o Dr. Joaquim Goncalves Lima pa-
ra o lugar de membro do conselho director da
insiiuecao publica.
I. 87"5.Dita.O vice-presdeiite da provincia
resolvo designar o Dr. Joaquim Goncalves Lima,
para exercer interinamente o lugar de director ge-
ral da instruccao publica durante o impedimento
do respectivo proprietaro.
EXI'EDIENTK ASSICNAOO PELO DR. JOAQUIM CORREA DE
ARAUJO, SECRETARIO DO GOVERNO, EM 29 DE MAIO
DE 1869.
1*seccao.
N. 876.Oflicio ao ajudante director do arsenal
de guerra.Tendo fallecido o brigadeiro Jos da
Silva Guimaraes, director interino desse arsenal,
S. Exc. o Sr. vice-presidenle da provincia tem re-
solvido que por seuielhante motivo esse estabele-
cimento se conserve hoje fechado.O que commu-
nico para sua seiencia.
2"seccao.
N". 877.Offleio ao Dr. chefe de polica interi-
no. OExm. Sr. vice-presidente da provincia,
manda declarar a V. S. que de conformidade com
a sua propusta em oltcjo n. 749 de 20 do corren-
te, foi concedida a Jos Henriquc de Mend >uca a
exoneracao por elle pedida do cargo de primeiro
supplenle do subdelegado do distncto de Pedra de
Fogo do termo de ltamb, e nomeado para substi-
tuido, como se v do titulo que junto envo, o c-
dado Joao da Cunha Cavalcanti.
N. 878.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidenle da provincia, manda declarar a V. S.
em resposta ao seu offleio de honlem sob n. 772,
que a thesouraria provincial tem ordem para pa-
gar a Flix de Figueira Faria, a qnanla de.....
42720 constante d citado offleio.
N. 879.Dito ao coramandante do corpo provi-
sorio de polica.De ordem do Exm.. Sr. vice-pre-
sidente da provincia, transmuto a V. S. a ordem
junt do provpdor da Santa Casa de Misericordia
ao regente do hospital de alienados de Olinda, pa-
ra ser aili receido o alionado Jos Joaquim da
Veiga Figueiredo, de que trata o sea ofQoio n. 216
de 21 do corrale.
N. 880,Dito ao capitao Mariano Francisco de
Sonto, comraandante interino do batalbao n. 34
de Taoarat.O Exm. Sr. vice-presidenle da pro-
vincia manda aecusar o recebimento do oflicio de
V. S. de 2 deste mez, em que coinmunicou ter no
dia anterior assumido o commandante interino
desse batalbao.
3a seccao.
N. 881.Oflicio ao inspector da thesouraria de
taaanda.Tendo fallecido o brigadeiro Jos da Sil-
va Guimaraes, director interino do arsenal de
guerra, resolveu S. Exc. o Sr. vice-presidenle da
provincia, que aquella repartiere ae conserve hoje
faenada : o qae manda couimunkar a V. S. para
seu coobecmaata
N. 888.Dito ao inspector da alfandaga. a
Exc o 8r. nica-presidente a provincia, manda
deeUrar a V. & em resposta. ao seu offleio Je 17
do carranlc sob a. 322* ajaricaaa expadidas as
conveaieaaaa rdeas, para ser dispensado de faser
parle de eonsolbo de qaaUticacM do primeiro fea-
tlbao Je iafaniana, o sefuad conferente desea
aMaadega Franetsao AJfeae ftireiea.
N. Bit-Plia eacretaria Jo ginerno aa aclara
ao litio. Sr. Alexandre Jas Mona de Hollaada Ca-
aajeaa, #ara seu conieeiaaenio, e afiai da que
venba solicitar o seu ttulo, que S. Exc. o 8r. vi-
oa-pratidaaJ* da provincia resorrau Bmea.lo para
n o 4* seccao.
IN. 88*. OfflciojiajoSr. Dr.' Braz Florentino Man-
riques de Souza.S.-Exc. oSt- Vice-presidente da
P^y'new, tendo porUeliberafjoes dest data C3n-
cadido asexone;racoesque V. Exc. pedio era seu
offleio de boje dos cargos de mombro do coaselho
director d.a instraeeio puWica, e de director ge-
ral interino da mesma instruccao, assim o manda
conjmunifcar a-V.Etc.paTaseu conheCiBento.
N-886.Dito ab Dr.Armiho Corolauo Tava-
res dos Santos; primeiro secretario da assembla
legislativa provincial.X." 99.De ordem de g,
e.xc. o Sr. vice-presdertto da'provincia, transmit-
to por copia a V. S. '6111 respost ao seu offleio d>
7dc.irrentes|bn-'47, para ser presente a as-
sembla legisl-ttfiva provincial a inclusa informa-
cao ministrada pela cmara municipal desta ciia-
de, em J9fdo crtente sob n. 33.
N. 887.Diw ad Dr. lof jolm' Gonjalves Lirta.
S. Exc. o Sr. vtce'-presitieilte da provincia, leu-
do por deliberad desta dat resollido nomear a
'V. S. para o cargo de membro do consetlio direc-
tor da instruccao publica, asslm'o manda coramu
mear a V. S. para su "Ciahrieimertld.
,." 888.^-Ditd a ehgnlleiro Joaquim Gome de
Oliveira e,Silva-. S. Ext', d Sr. vice-presldnnie
da provincia, manfla delararque pelo seu Offleio
de 26 do corrertte, Ocou inteirado de haver V. S
deixado de dirigir interinamente as obra< geraes
nesta proVnria; ter o edgehherd Antonio Vi-
cente do Nascifien'to Feflosa, "rcissumdo o exer-
cieio do respectlvocargj rt) dia 22; e'agraleee "
V. S. os servic.s: gratuitamente prestados naquel-
l lugar. '
N. 889.Dte a sQperitndenle da'estrada de
ferro.Km addtahiehto ao meu pfflcodelJ-d
teita Ja Imeratriz, donde sabindo,
Lmiao c foi to ((un, atrave-wando
enhwi pelo I ao entre os aunos de 18671868 e 18681869
. d'ali ao pa- procede de augmento em todas essas verbas de re-
jyatfy.il*taraca polo qual sbio at a villa Je ":-
?'f'i,-?,'>'*'>"i*: '")no Atum^ r^loqual uaveaou
ib milhas a prtmeira cachoeira, d'onde re-
gressou. n i
Vo "^ Jaro um dos mais bellos e ricos do
valle de-JHzooas. Grandes guaraii res, caaflBae, aroita goiwna elstica, o raine-
raes.
. w. Lisb6a tronxe ricas amostras de sul-
o, quo actiou n:f cachoera. Se
aih i possivel qno outros raina-
ontrados n'esse no. As ierras sao
i veo-n beijai- o rio ; o soto, em
apropriado a a^icuHura. Abnn-
pidnetos silvestres sao tamlwra em
K o rio Atuma urna das poncas
Unlegiadas deste i inmenso valle ;
da praga. as uas margeos
wns industriosos oceupar-se durante
s labores, e descamar tranquillos a
fureto de
o rio esii
rae fo
altas; as
geral, o
Jantes Je
de lei, o*
grande
localidades
nao
poden) os
o dia nos
noite.
Sofni
que em alg
mesmo (|
mrMipinal Hn Hi 'corre"le. declaro o Ma. Sr.superentendente da
KTi ioJra Sstriul,a d,,.f,,r,'IJ ,lrt Rcirj 5- ^ancisco, de or-
:lsirae"ri3io ^^S.Exc.-oSr. vico-presidente da provin-
cia, que o inspector tls thesouraria de fazeoda
participnu em dat de 26 do corrate, quedas
coolas que vcram' artnexa a offleio de S. S. de
de 11 deste ujez; manflod pagar 'o que pertence
an ministerio do" imperio', na irnportanc a le.....
4-i60, deixando de fazer o mesmo quinto a jo
ministerio da gert-a,' na (Te 69*930 por falt- de
tTedito ria respectiva Verta: '
DBSPACHOS
DA .VJC*-PnBSIEfqA O DIA 12
; PE /CpST.0 QE 1869
Abaixo assigqadiis pmprietarios moradores a
marem as crcumyisjnhapeas Jo Rio Pipapama.
Informe o Sr. jitsiiector da Miewuraiu provin-
cial.
"Antonio Jos, de Andrajo.xpecn-sf ordem
para o suplicante ser aggregado uo ponto Je ca-
pit>o. ,
Adolpho, Lns. de Souza.indelerd vietg da
informacao.
Antonio Jos a;osSnt'os Sevina.informe o Sr.
inspector da.thesoqraria de.fazemla.
Antonio Ces^-io. Moreira l>ias.-rl
inspector da thesouraria de
Francisco Alvaro Ribeiro.Aprsente o menor
de que trata o Sr. inspector do arsenal de marinha
para ser inspeccionad", e junte osdoenmentos exi-
gidos pelo art. 18 do regulamento aunexo ao de-
creto n. 2615 de 21 de julho de 18G0.
George Merman Augusto Ehniarlidl.Informe
o Sr inspector da thesouraria provincial.
Joao Caris Ain.-Pagos os direilos devdos,
como rquer.
J ao Evangelista de S: Passe portara.
Manoel de Barros Brrelo.Encaminhe.se.
Ramos Populo de Audrade Lima.Seja elimi-
nado.
S uiedade Club Popular.Lavre-se deliberacao,
approvando os estatutos e eoacedeado aalerisacao
para associacao fiiuccionar.
Capitao Tiburcio Jlilano da Silva Tavares.Ex-
peca-se ordem no sentido que requer o suppli-
cante.
Vicente Ferreira da Costa.Informe o Sr.
pector da thesouraria-provincial.
A viaj
Ionio al a
ser peos
joven .em
gures 11
rar ce ai
le certo,
poeoa ma
De Veq
a nossa fru
en i-a o Jeae acorocoar o contrabando,
mediante guias inflois, a gomma
ricada no territorio desta proviucia.
venezolana, para licar isenfa dos di-
Comraando das armas.
QUARTEL-GRNBR.M. DO (OMMVNDO DAS ARMAS DR PER-
NAMBUGO, 14 0K AGOSTO DR 1869.
Ordem do ii, 44/>.
O brigadeiro commaiidaiite das armas, Eh cons
tar para os devidos effeitos, que em aviso do mi-
nisterio da guerra de 27 de junho prximo tind i
transmitlido por copia com-officio da presidencia
desta provincia de 12 do correte, foi declarado
que as gratiliearoes marcadas pelo decreto n. 3403
de H de fevereiro de 1865 devem ser consideradas
como substitutivas das de exerccio, rblituindo-se
as que cumulativamente com aquellas houvereui
sido pereebidas.
AssignadoJoaquini Jt Goncalves Fontes.
ConformeEmiliano Ernesto' de Mello Tambo-
rn, lente ajudante de ordons encarrogado do
detalhe.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 16 DK AGOSTO DE 1869.
NOTICIAS DOS ESTADOS-UNIDOS E DO PARA
Chegou hontom o vapor americano Merrimack,
trazendo datas do Para at 8 do eorrente.
Dos Estados-Unidos nada adiant, por termos
noticias mais modernas por va de Lisboa.
AMAZONAS.
Lemos o seguinte no jornal Amazonas :
Recebemos datas do forte S. Joaqnim, de 12
de junho prximo passado; sao as mais recentes.
O Sr. Dr. Coutinho suba esse ro, cujas cor-
rentesas eram impetuosas
Grande escacez de farinha se senta all; al-
guma que podia ser obtida, custava 20OOX) o pa-
neiro!
O invern comecou a 26 do maio, e choven
abundantemente al 10 de junho ; depois o sol
mostrou-se claro, vrarao de N. E. e pareca entrar
o verao.
Tendo havido dons repiquetes do rio, comeeon
sua enchente a 29 de maio e attingio a altura de
29 palmos, daodo a media de 2 palmos por 24 horas
de crescente.
No dia 12 do junho coraegava a baixar.
c O ar era fresco ; mas as myriades de pium e
rarapanase ram insuportavefc.
Na manliaa do dw 18 do agosto, chegou a
lancha a vapor, em que o Sr.a Dr. J. M. da Silva
Lisboa d'aqni sahlo em nm eommisso explora-
Jora aosrios Madeira, Camina, Abacaxis, Maus,
Aodir.'e Atum. A viagem de suhida ao alto
Madeira tol peaas de nove das. Chegon a lan-
cha at a caeaoeira de Sanio Antonio, a qnal nao
tentou sabir, apezar de ser possivel eonsegai-lo,
por pruiJeooi.
Sr. Dr. Lisboa, embarcando-se em ama po-
quena canoa, sabio al a cachoera do Theolooo,
cuja posicio fbi reeonhocer.
Deseando o re Madeira, entroa o Sr. Llslia
pelo furo Tnpinan*arana, foi posice de Canu-
mi, sabio parte de tfo do mesmo nome, foi i al-
dea do Abacaxis. e subi parto'dt rio, que um
dos mais cndalos'# d'esa moa; foi vida Ja
Concecao, urna das mais bellas peeMflee ". ubio nulo Manes at a aldea Hataja,
tuba o o Guarantaba al a povoaoao PatSeaWba;
Jeseeu ao m, Anir, eMmiu fregu, e em
outro povr.do mais aainaav mhM a rta. Des-
oen pelo &MNM ao AmaaeaM; Meve eea villa
sapoiie o Sr. Dr. Lisboa, o rio Atun5,
s pontos lao largo, e mais largo
T Negro, cursa por leira desta ca
Pitai taT^.em. urna distancia nao superior. 5
A sarta, que o Sr. Dr. Lisboa tem bosquejado
i uma ITJ* robusta da sua inteligencia, do seu
aefoeacuviJIde nndesempenho dos seas deveres.
O tia liras, que havia sido passageiro la
mesna laiwoaem'que o Sr. Dr. Lisboa, seguio da
caclKeira itS^n Antonio, em uma embarcacao
pequea, qu coma maor boa vontade Ihe fora
preporci.inaoa. pelo Sr. Arauz, vice cnsul da Bo-
uviaiiQst provincia a cuja delicadeza e bundade,
havia sido reeoniniendado Sr. Eiras.
Je subida da cachoeira Santo An-
laorto- d Santa Cruz de la Sierra deve
principalinente para |uc:n, como o
ajada, nao est habituado aos ri-
mas ; mas o Sr. Eiras logrn depa-
ro.nimio da diTi r.-.is canoas, o que
a .contribuido para suavsar-llio um
'toma ecaacassodesua lonja viagem.
ella ha noticias iviardadas ; gosava
Ira com esse estado visinlio de per-
feda tr.iipjiUidade.
Doscojjri nHiinaraente d'alli alguns negocian-
tes com (dfrog.iraeiitcis iuiporlantes, figurando
entre os gneros d'alli importados nao pequea
quantidaderdo gomma clstica. Os productos de
\ eui)zoi-IIa sao isenlos epodos os impostes geraes,
provinciae* e municipaei como sao os do Pon t
da BoIIh "
Esta
e ctaista
elasth-a,
H.ituralisa'
reitos I
Sejst exacto, as vistas das autoridades fls-
nfoi-uie n Sr_ oajs, ni (%ui asoa|M as medidas que previ-
e a puniciio dos que para isse concorrem.
Nao existe no canlao de S Fernando antoridade
alguma venezollaiia superior, qu seja conheci la,
nem agente brasil.tiro. que pissa alten ler para
esse commereo Ilcito, eommando de Cncuhy,
nao pode preencher cabajinente a (iscalisaeao.
Nao estamos anda habilitados para indicar-
mos adniinisti aeao di provincia medida alguma.
que tena a reprimir esse mam-jo srdido; mas
procuraremos iudica-la logo que a possamos co-
nhecer.
O vapor Madeira, retressoa, cora o bello c.ir-
regainentoj da sua primera riagem ad Per ; su-
bi elle se; i emlunieo algam at as barreiras Je
Hyulanahfi, mais de 300 passaxeiros com os
receben em Cnaojaz.
Esta r vBtgera fez pecaoliecer a impropriedade
do vapor par* a navgaao 4e rio Parts, que
sendo cstreito e mano sinuoso, nao permiti a
avafaci franca um barco da exjaesaa do .lf(-
di'ir.i.
U vapor que tver de ser emprendo na linlia
do Puns, nao deve ter mais de 100 pgs ioglezes,
o sua capacidade nao deve exceder de 30 tonela-
das de carga. Tudo quanto exceder destas di-
mensoes, exeessivo, nao podara satisfazer as
neeessidauct do mimainrcio e da industria em todos
os inezos do auno, principalmente quando o leilo
do rio tver descid meia vasanta
A eo.npauhia lluvial icoi necnisidade de man-
dar vir vapores apropriados essa navegacio,
que de da em dia se torna mais reclamada e
urgente.
O cheles dos macbipistas do Madeira, o Sr.
Naseiraento, teve a infelicidade de disparar um tiro
de espingarda, em oceasiio de diverlir-se cacan-
do, te, fatal esse successo desagradavel, tem privado
o Sr. Nascimeuto de andar lia tres semauas.
PARA.
A sociedade 28 de julho alforriou, no dia 31
do passado, uma cafusa de nome urea, de 18
meaos Je idade, que era levada praca publica
do Dr. juiz de orpbaos.
A alfandega rendeu de 1 a 7 do eorrente
59:091 267 rs.
O cambio regulava: sobre Londres 19 a
19 '12 d., e sobre Portugal 190 0.
O descont na praca era de" 12 a 18 % *
anno.
ras-
que
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
CA1XEIR0S BRASILEIROS.-Por torca dedispo-
sicao legislativa isensiiido do imposto de 20 por
cento sobre diversos estblecimeitoscomraerciaes
aquelles, cajos caixeiros sejam todos necionaes,
no anno prximo lindo de 18681869, montou a
cifra dessa isencao ou dispensa a 34:778->400.
. E esse um disposiu do le, quo carece de um re-
gulamento, qm, determinaiKlo precisamente as
condicoes constitutivas da obtencao do indulto, fa-
ga cessar por am lado o artlbrio de iatetiigencias
encontradas, e por oulro os diftereutes recursos
de que lauca mao a esperieza, para lograr seus
Ois de lluair a lei em seus efleitos benficos, fa-
sendo sen lambem ou compadrado de ora favor
para que se nao acha devidameiiie habilitado, an-
da que ostensivamente ou por raeios subterfugio-
ss se aprsente como em va Je safncieueia, que
se Ihe nao pode aflnal deixar de aceitar.
ARRBCADACOES DE WPOSTOS PROVIN-
CIAES. No anno financeiro ultima os impostes
provinciaes sobre genere* de exportaeao produzi-
ram a quantia de, 783:369*680, mais 6.49J*81o,
que o anterior de 18671868, e menO rs.......
72:S8?t41 qui-i o precedente de 1836-1867.
Basa arreesaiaoae total refrase aos sesuintes
producios as imporlaaoias parciaes quo da-
rnos :
Assuear......... 368:62876
Algodo......... 304:277*483
Couros.......... 39:3MVUW
Agurdenle...... *24#0
Diversos gneros. 24:3H#785
1M......"...... 3ifl#i4
Alcooi........... 46811220
783:369*886
A diflerenca para mais que resultada, compara-
ceita, menos a do algodo, cuja arrecadacio dimi-
nua em I2:312#1W.
A diflerenca para menos que tira-se da compa-
racao dos anuos de 18661867 e 18681869 as-
ienta quasi exclusivamente no imposto sobre o al-
godo que produzio 140:798^208 de genos.
O imposto addicional de 4 por cent creado pe-
la lei a. 777 para o estbelecimento de um asylo
de mendicidade, e deduzido daquelles impostes,
deu a quantia de 23:500*022.
&t cifra, porm, tem de ser anda accrescida
com a arrecidaco dos impostes lancados ; a qual
soraente encerra-se com a ultimaco do trniKJstre
addicional.
CONCURSO.Tem hoje lugar o concurso para
provimeato da vaga Je tereeiro escripturario Ja
Ihesouraria provincial.
OONBOLADo PROVINGIAL.-A casa em qae
fimaciona ossa estaoo, carece de reparos que ur-
gem pela respectiva execocao, nao s por con-
vemencia do servico all feilo, como por preven-
cao Je desastres.
Aa goteiras sao em grande copia, e as vidracas
de grande altara e pes* arham-se bastante e gadas na madeira e ferragem que as sustent, a-
meacando no primeiro e segundo terreces virem
sobre os empregadis, que assim m>rr#r posto, no tereeiro ja tem sido aliradas ao chao
pela torca do vento, como anda deu-se na sexta-
feir.i sua repeticio..
Tem sido fortuna eahirem para dentro, porque
se tomassetn a direccao da roa, ai Je quem pas-
sasse por ella, sendo para notar o grande transito
que all ha no decurso do dia.
Essa direccao, porm, quo reputamos uma
fortuna, qnando dr-se com retocan ao primeiro e
segundo torreos, bu de por certo fazer victimas
no pessoal da reparthjao, sondo- penante do ne-
cessidade uma providencia prorapta, quo isso a-
cautele.
TlBUNAl. DA RELACAO.Com o praso de 60
das, a contar d 12 do eorrente, se acha a con-
curso o prorimento do offleio de cscrvao de ap-
pellacoes deste tribunal, creado pela lei provincial
n. 907 de junho ultimo.
TIIEATRO DE SANTA ISABEL.Estra depois
de auianhaa a compauhia lyrica italiana, com a
o[ira em 4 actos, do maestro Verdi, Ifn 6aJ/o n
m-tschera. Sendo uraa opera nova para o nosso
publico, dainos em seguida am resumo do seu
enredo:
Esta, opera inlitulava-ieGustavo Ul, e foi
feita para ser representada no tliaatro de & Carlos
em Napojcs- no invern de 1838, mas a censura
tanto fez, e arada bem I que Verdi desgustou-sc,''
e em um bello dia ajunton todos .os seu* papis,
embarcou-se e voltou para a sua cana, apesar das-
ameacas de ura processo pvr perdaee damnos, em
virtudc dos quaes a direccao do thealro de S.
Carlos exig orna ndemnsca fabulosa.
Um anno passou-sem que Verdi se resolvesse a
da-la outro theairu, mas em lli consentio era
apresenia-la no tbeatro Apollo euj Roma, em
1839. Anda desta vez a censura impz novas
tmisformagoes, e entao Verdi mudou-lhe lambem
0 titulo, dando-Ule o defin bailo in w.tscltera.
A ac io passa-se em Boston.
Ricardo deWarwirh, governador de Boslon,
pela Inglaterra, tinha por secretario Rraaldo, na-
tural de Rosten, e casado com Amelia. Ricardo
apaixona-se pela mulher de seu secretario, de
quera se constitue o melhor amigo.
Tora e Samuel, cheles da opposieao ao governo
de Ricardo, conspirara, procurando sempre li-
vrar-se dalle.
Ricardo procura uma cigana chiromante, a
quem pede que llie prediga seu futuro, e esta
diz-lhe que elle ha de morrer ass.assiuado por ura
amigo, e que o seu assassino ser aquelle que
primeiro Ihe apenar a mao. Uinaldo a .primera
pe-soa que se aprsente, c recoiihecendo o gover-
nador apcrta-lhe a mao, mas nao obstante, Ricar-
do nao er na prophecia, nem del la se preoc-
cupa.
Ni podendo mais conter o sen amor por Ame-
lia, |ied-lhe una entrevista, que ella conwde, e
quando estao juntes, Rinaldo vera prcveni-lo de
uo os conjurados seguem-lhe os passoa, e assim
obriga a partir para escapar, prometiendo-Ihe
que proteger c condnzii a salvo a dama, que
nao reiiooliece por estar desfanjada.
Os conspiradores, nao encontrando Ricardo,
prorompem em imprcca!*oes contra Rinaldo e
Amelia. Cahindo o veo desta, o marido a reconhe-
ce, o para vingar o ultrage, une-se aos conspira-
1 oes. (; ,.|n um baile de mascaras mata Ricardo,
que, antes de morrer, declara a innocencia de
Amelia, e apreseiita-lhes uma ordem para parli-
reui para a Inglaterra no dia seguinte.
DINHEIRO.Os vapores Pirapama e Giqui
levaran) sabbado as segrales quanlias :
Pirapama para o norte. 94:1401I0'
Gequi para Maeei o Penedo. ij0:40O000
O vapor americano Merrimack, trotixe 700
para o Sr. Joao Fraueiseo da Silva Nnvaes ; e
levou de nossa praca 10:2003000 para a do Rio
de Janeiro.
NAVIO DE GUERRA.Procedente do Rio de
Janeiro, chegou sabbado pela amanhaa a curveta
de guerra americana Portsmouth, comraandante
Semines, montando 15 pecas, e'com uma guarni-
cao de 2(Xrpracas. Veio tomar vveres e segu
para New-York. Apenas fnndcoa, salvou tetra,
sendo-lhe a salva retrbuidaa pela fortaleza do
Brum.
PARA O NORTE.No sabbado passoa do sul
para norte, o vapor inglez Hallev, da linha de Li-
verpool, em viagem do Rio de Janeiro para
New-York.
RA NOVA.Temos serias queixas, de mora
dores de ura lado desta na, contra certosmocos que
habitara uma casa do lado do norte, que noute
andam mis na sala e quarto, tendo apenas o Ira-
dos dansantes, iara se aninbar as orlas, da
"rea que adoraavam o saHo.
Deus queira que essa auimacao e grata, alegra,
quetornarara a reuni tio notarei, aioaando-
nom mais os saloes do Club, e que de era avante
possa essa associacao conbr ledos os aones tantos
das venturosos quanlos conUva nos seus njellio-
res lempas.
CO^ISSAO DE LIBERTACAO.-A commisso
nomead pela presidencia pan dar comprimentb
a lei provincial qae estbeleeeu 20.000* para a
Jiberiacao Je crian{as, nSo tendo at agora tece-
bfdo sufllciemes propostas, conrida novamente os
interessadbs a fazerem-as com brevidade, viste'
estay a Andar-se o praso, e ter-se de verificar a'
ceremonia da entrega das cartas de lerdade no
dia 7 do prximo vindnuro mez, anniversario da
nossa emancipacao poltica.
A commisso, snlcita po eAiliInho f s* li-
bres funnjes, deseja nbtef o maor numero
possivel de pretondentes, afim de ter maor esphe-
ra de aceSn, e desse modo melhor execucao p der*
dar referida 1er provincial, qoe especillca que
seja a preferidas as crianrs do sexo femenino.
TE-DEtTMiTeve honlem lugar, na grrja da
Jlisencerdia, e Te-Devm, mandado celebrar polo
Sr. cnsul francez, pelo anniversario de S- M. Na-
polcao Ul. O acto foi concurrido pelas priaCipaes
autoridades da provincia, corpo consular estran-
geiro e grande numero de subditos francezes.
Fe as honras militares urna guarda de honra
do 1 batalbao de infamara da guarda nacional.
PROCLAMAS.Foram Kdos na matriz dafregue-
zia de Santo Antonio honlem as seguintes procla-
mas :
1." dbnunriaco.
Joaquhn Candido de Mamto, com Joanna Eu-
phrosina de Mendonca.
Ignacio Antonio d Oliveira, com Rachel Mara
da Concerrao.
Felino Dunistansc Ferreira Colho, com Anna
Emilia da Silva Guimaraes.
Menandro Eduardo Muhlcrl. cora Joanua Mara
Al ves Lima.
Galdino Francisco Guiarte, com Rosalina Mara
Francelina.
Marcos Francisco dePania Reis,com FeiirauHiia
Rosa dos Santos Callado.
Joao Ceban a Sjlles Peixoto, eom Helvna Eleu-
leria do Espirito-Santo.
2.' deauai^cao.
Manoel Jos do Naseiunato, cun L'nisina Mara
do Espirilo-Santo.
Custwlio Jos da Silva, eom Flavia Aagusla
Teixeira de Burgos.
Leonardo Jos Pereira. cont Euthalia Flora de
Oliveira Chilque.
Trajaao Lardoso da Silva, eom Rosalina Maria
Bernar& Pereira de l!i itn, com Alexandrina
Eulalia Ptreira de Brito.
3." denunciacao.
Thomaz Soares Botelho, com Coustantma Mara
~>a.
eliodoro Tiburcio Ferreira de Siqneira Varejao
com Maria Luiza Innatas da -lincha Barros.
Vital Jos dos Santos, com Sabina de Moraes de
Mello Paras.
Antonio Jos Pereira da Costa, cora Maria do
Carmo.
Jcronymo Pereira Marins, com Maria Leopoldi-
na Pires.
Manoel Francisco Tavares, com Constanca
TheoiJtnrca da Coneeicjio.
Joaquim Amancio de Lima, cora Maria'Ipnacia
da Conceiijo.
Pedro Tavares de Oliveira Mello, com Zulmira
Augusta de Lemos Cabral.
LOTERA.A que se acha a venda a 1I6\
a beneficio da Santa Casa de Misericordia, que
corre no dia 17.
PASSAGEIROSSabidos no vapor (leqiti pata
os portes do Sul:
Boavcntura J. de Castro Azevedo, Manoel Jo-
venete da Costa Pereira, Francisco Firmino do
Nascimento Jatob, Bellsrniino P. de Assis, R.
Pinheiro, Francisco Alfonso do Reg Mello, Fran-
cisco Xavier Temporal, Roberto Lns dos Santos,
Bellarraino B. Silva, padre Antonio Jo- de Oli-
veira, Manoel de Medeiros Capole, Jacintho Jus
Nunes Leite, Joaquim de Azecvdo Maia, Joaqui o
dt Souza Ferreira e Manoel Joaquim da Silva
Leao.
dem para o Norte no vapor Pirapama:
K.'ilkmann. J. Engster, padre Manoel Maria da
Concecao, Antonio Pereira da Silva, Victoriano
Vinagre, Bernardo Nora!, Francisco Albano Cha-
banbenjo i criado. Amonio Peseira da Uiinha,
Joaquim Ignacio Pereira, Jos Joaquim da Gist
Maia, Antonio da Costa BBrges, Jos Sotero Cor-
rea ue Carvalho, Henmlano Ignacio Fernando S.
Carvalho, Jos Paulino de Castro Medeiros, Abel
Jnaquiui da Silva, Leocailo Mariano da Luz,
Isdorio Lilio, Antonio Bornes Perada, S. Walpf,
Manoel Liberalin) Ferreira de Carvalho, Antonio
Martins de Faria.
dem sahidos no vapor americano Merrimack,
para os portes do Sul :'.
Michael John Caroll, Joaquim Cyrillo da Conha,
Daniel J. King.
dem chegados hnlem no vapor Merrimack:
Giibcrt Fewle e su familia, Samuel Moffet.
risiiti \ vi. do connBncio
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 12 DE
AGOSTO DB 1869.
PRRSIDENCIA DO EXM. MI. l>Esr:MUARGAHOH AWSKUO
notase perktti.
A's 10 horas da. manhaa, reunidos es Srs. Jepu-
tados Rosa, Basto, Miranda Leal e bario de Croan-
gy, 8. Exc. o Sr. presidente declaren aberta a
sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao de 9.
EXHMENTE.
Assignou-se a carta 'de rehabilitacao commer-
^J tCh^em S 'dr?CaS da Var.andr* mf' fW "do5"mernbros''de que"se c'.i.'n.Jnha a oa Pal
accendendo um candie.ro de gaz na sala, afim de Hda-Dencker & BarrcW
lereui ou passeiarein ritmando
rao oulro. Chamamos a atteiNpl da polica para
esses amantes da natairexa em exposicio.
EM TRANSITO.Com 3 recebidos em nosso
porto, o vapor Mtrrimack, levou para o sul do
imperio 36 passageiros.
DIPLOMATAS AMERICANOS. A' bordo do
vapor Merrimack vierarri" Urs. H. T. Wow e Sa-
muel G. Mofle, aquelle ministro americano no Rio
de Janeiro, e esle consol em Pernambnco.
CLUB PERVAMBUCANUAnte-hontem, sabba-
do, veriflcou-se a reunan dansante d eorrente
mez, sendo director o Sr. Minervrao de Souza
libio, que empregon os maiores esforcos am'de
toroar a reunio expleodidameoto bella.
Com effeito nos saldes do Club contayam-se
mais Je setenta senhoras, sujos taMt variavam,
desda a simplicidade elegante at o luxo sump-
tuoso, primando alguns pelo aparado bom gosto.
e delicado complexo dos atavos.
A reuniao esleve ammadisemia, dansando-se
at t horas da nenie, sempre na methor harmona
e no meto da mais cordial afobiMade: Jir-se-hia
ne voltaram os volhos tempes do Clab.sob a id-
aeacia de alguma magia on Je alguma fada de
pensar poticamente angeeite.
Ao servico de eh eai, etc., nada tittou para
lorna-lo de primera orJem, e aiwehestra enebeu
aqulle encantado re/mto das alais deces har-
msoAas, qo*, depolii'de embahdas petos coralitos
Aos Srs. Jeputados toram destribuidos os livros
Copiador e Diario de Braga i Villaca ma Nova
n. 33, Diario dos mesmns ra do Brum n. 64,
Copiador de Schafhetlin & G Diario de Henriqu
de Moraes & Irmao, Copiador de Campiano & Cor-
deiro, e o de Souza Moutinhe & C.
despachos.
Joao Francisco Otero, requerendo qoe se Ihe re-
istre a procnra aao Ignacio Nazaretli, para qoe ella produia os.
effeitos legaes.Re gistre-se.
Mariano Jos dos Sanios Ribeiro, com estbole-
cimento praca da Independencia n. 33, pedindo
por eertidao a nomeacao que Jera seu caixeiro
Francisco Jorge Henrique Paehet e que toi regis-
trada tn o anno prximo passado. Certinqoe-se.
Ferreira & Matheus, pediado lambem que a> Ibes
I certifique se as nomea^oes de seus caixeiros Jos
Joaqaim da Costa Lelte, Jos Ferreira da Gana e
Manoel Duarte Pereira acham-se registradas neete
meritissimo tribunal.Como requereai.
Guilherme Deffren, requerendo per eertidao o
theor de uma proenracao passada em agosto de.
1867 por Henry Wilmer em favor do peticionario,
rujo niMneem allemao Wm. Defren.D-se.
Lydio Alerano Bandeira de Mello, pedindo que
se J baixa no registro da nomeacao do caiteiro,
JoSo Je Santa Rosa Mnnix, vistanio eetar mate ao
seu' servico.D-se.
Bernardo Jos Je Oliveira Machado, razeodo
igual pedido com relarao a Alexandriao AlvjpdA

MUTILADO


fiario de Pernan^o^o Segunda -feira 16 de Agosto de 1869.
Silva, a quem despedir de ser se*eaixeiM.Co-
mo requer.
O inesmo, pedindo por certidao ge a nomeacie!
le sea caixeiro Antonio Florencio Goncalvcs Bra-
;;a se arha registrada' nesto meriiissiino tribunal.
Certiflqne-se.
Jos Canteso Ayres, pedindo se.lhe passe per
certidao o registro ua matricula to seu ealxewee
brasileires luio Francisco Cardeso Ayres e Anto-
nio Cardoso Ayres.Como requer.
Hanoel Siares RhViro, requerendo para que se
admita registro o contrato feito entra elle e Ve-
ras & Barbedo, o qual junta.Vista ao Sr. desem-
bargad *r Bseal. .
Joo Francisco Otero, natorai de Hespanha, e
Joao Ignacio Nazareth, de Portugal, ambos dotni-
ciliados nesta cidade com boteauim rna da Lin-
guete n. 8, pedindo que seIhes registre o scueon-
trat) de sociedade.Vista ao Sr. desembargador
fiscal. *
Jos Joaquim de Lima Bairao, requeren*) a
certidao de se achar ou nao inscripta neste meri-
tissimo tribunal a nemeacao deseu nico caixeiro.
Certiflqu*-se.
Hachado & Almeida, requerendo no mesmo sen-
tido quanto ao seu caixeiro Bomingos Ramos da
Cruz.Como requercm.
Domingos Teixeira Bastos, requerendo igual
certidao quanto aos seus caixi'ires.Passo-se.
Mdnteiro Correa & C., tambera requerendo cer-
tidao de se acharen) ou nao inscriptos no registro
publico do eomnercio os seu* caixeiros.Como
tequerem.
Joao dos Santos Coelho, no mesmo sentido quan-
to ao seu nico caixeiro.Certiflque-se.
Jos Pereira dos Santos, pedindo igual certi lio.
Certi lique-se.
Jos Firmino Ribeiro, pedindo que com a no-
ineacao, que junta, de seu caixeiro brasileiro Cae-
tano da Silva Kibeiro, seja este admitlido matri
cula.Regstre-se
Adriano, Castro 4c C, pedindo que seja registra-
da a nomeaco de seus caixiiros Jos Gabriel de
Helio Pinto e Manuel Vicente do Barros.Como
requerem.
S Leitao & Irmaos, pedindo o registro da no-
meaco de seu caixeiro brasileiro ATonso X.vier
de Macedo.Regstrese.
Vicente Jos da Silva, juntando a nomeaco de
seu caixeiro brasileiro SJdronio Sdvano Nunei
Selc, e pedindo que era vista da mesma nomeaco
seja elle matriculado.Registre-se.
O mesmo, apresentando tambem a nomeaco de
sea caixeiro brasileiro Ildefonso Jos da Silva, para
que tambera seja matriculado.Registre-se.
O mesmo, para que seja matriculado era vista
da nomeaco, que aprsenla, o seu caixeiro brasi-
leiro Antonio Jos da Silva.Como requer.
Joaquim Da- de Almeida Grata, pedindo o re-
gistro d.i nomeaco que deu a seus caixeiros bra-
sileiros Francisco Ignacio Lobo e Antonio Jos de
Mendonca. Registre-se.
Lydio Alerano Bandeira de Mello, pedindo o re-
gistro da nomeaco de seu caixeiro brasileiro
feebastin Antonio do Reg Barros.Registre-se.
Miguel Gomes da Silva, pedindo o registro da
nomeaco de seus caixeiros Biaz Ferreira deAl-
buqnerque e Jos Ferreira da Silva Santos, brasi-
leros Registre-se.
Henrique de Moraes & Irmilo, pedindo o regis-
tre da nomeaco de seu caixeiro Jos Elias do Es-
pirito-Santo. Regislre-se.
Francisco Teixeira Bastos, pedindo o registro da
nomeaco de seu caixeiro Joaquim Teixeira Basto.
Regislre-se.
Francisco da Silva Boa-vista, pedindo o registro
da nomeaco de seu caixeiro Jos da Silva Boa-
vista.Registre-se.
Taso Irmaos. pedindo o registro da nomeaca >
peilante autor, Mcaneisco do;Ug ; embargados
appeltados reos,-os administradores da massa fal-
lida de Joaquim Jos Gomes de Souza ; jases o-
Sis. Reis e Silva, Accioli, Miranda Leal e Basto.
Desppesads os embargos, send* voto vencido o
|*Sr.-Miranda Leal.
Appellantes, Oliveira Filhos & C.; appeliados,
Eduardo Burle A CAdiade a pedido do:*.* juiz
sorteado.
PASSAfilB-
Bo Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. de-
semttargador Accioli : appeXante, Maboel Tliomaz
de Albaquerque Maranhio ; appellado, o Dr.
Symphronio Cezar Coutinho.
AGGRAVO.
lurzo especial do commercio : aggravantes,
Marques Silva & C, cm liquidado ; aggravado,
Manoel Cameiro da Silva.
O Exm. Sr. presidente deu provimento em par-
te, e em parte negou.
Nada mais houve, e foi encerrada a sessao
ame hora e meia da tarde.
-de seu caixeiro Manoel Luiz Freir de Andra'de.
Com^ i requerem.
Martins & Irmao, pedindo o registro da nomea-
co de seus caixeiros brasileiros Gustavo da Silva
Antunes e Jo> Victorino de Paiva.Registre-se.
Rogo & Silva, pedindo o registro da nomeaco de
seu-caixeiro Joaquim da Silva Baptista,Como re-
querem.
Len Despres, pedindo que seja registrada a no-
i -meacao de seu caixro brasileiro Ludgero Antu-
nes de Oliveira. Registre-se.
Jos t .ocal ^es Ferreira Guimarae3, pedindo que
seja admittida a registro a nomeaco do sea cai-
xeiro brasileiro Ernesto Ferreira dos Santos.Re-
gistie-se.
Andr-Delsuc, pedindo que seja admittida a re-
gistro a nomeaco de seu caixeiro brasileiro Pe-
dro Francisco Theodoro (los Sanies. Regis-
tre-se.
Custodio Antunes Guimares c Bento Alves Ma-
chado Guiir.ara.es, pedindo qne se admilta a re-
gistro para os devino* eff-itos o distracto que jun-
tan, dissolvend'i amiga \vl mente a firma Custo-
dio & Bento. Vista ao Sr. desembargador fis-
cal.
COM INFORMACA0 DO SR. DKSEMBARGADOR FISCAL.
Francisco Ignacio Pinto agenle de leiloes pedin-
do licenca para ir ao Rio Grande do Norte, cffei-
tuar un leilao.Nao leu. lugar, visto como o sup-
pltcante aena-se provisionado soraente para servir
nesta praca, devendo vigorar para o caso o que se
a cha decidido no aviso do ministerio da justas .
83 de 44 de fevereiro de 1836.Foram vencidos os
Srs. Rosa e Miranda Leal por entenderein que o
referido aviso nao se estende ao caso vertento e
tambera pur nao encontrarem no decreto n. 858
instrucodes alguma? a respeito.
Felippe Carreiro Estrella, pedindo ser nomeado
agente de leudes >la eldade da Parahyba Pi es-
tada a flanea na forma da lei, volte para se passai
.titulo.
Thomaz Jos de Senna asignado por advbgado.
jodiido o registro de um contrato de sociedade.
O assignatario da petico junte a procura-
cao.
ADIADOS DA S-ESSAO DE 9.
"Viviano da Silva Caldas, oppondo-se ao registro
do contrato apresenudo por Thomaz Jos do Sen-
na.Pica adiado at que o supplicado conceda
poderes ao advogado que assignou a peticao cm
quo pedio o registro do coutrato a que allude o
supolicantc.
Joao Jos Leite Guimares, pedindo rehabilita-
cao commerciai. Averbouse de suspeito e Sr.
Miranda Leal e o tribunal re-olveu chamar o Sr.
deptit do supplonle S Leilao, para compltalo e
Nada maks ha vendo A despachar, o Exm. Sr.
presidente eacerrou a sessao as 11 horas e meia
lo dia.
me resta dtzer senao que dea-ltt a mais ampia a-
culdadepara continuar ainsaltr-meconu qqizec,
e a eiupregar os seas miiunj exforcos e
monstrar que ou
Carvalho, quera assiinlive
Preliro tudo isto, por ir
sa ser, ter sorvido de i
na sua torpe urdidura contra
valho, eoncorrendo para que
um acto em que neuliaraa p;
ve, e cuja autora si
em desabafo do olio i>
Kspero, porm, q
parciaes, devidamei
ao Sr. Br. Souza
pxhder a konra.
adavel que pos-
unen to de S. S.
Dr. Souza Car-
attribuido elle
absolutamente te-
la pelo Sr. doutor
^^Blho vota.
iBS'seneates e iin-
habHtfcii)j pela nossa dis-
ALFANDEGA.
itendimenlo do dia S a 13 .
'dera do dia 11.....
359:116*411
30:4534753
289:5704194
cussao julgarora-nos, :m5o esee respeito,
como em tudo o mais, a juila que tenht* di
reito. /
Recite, 13 de agosto de l:
joaquim Francisco de Hilo Cavbante.
PUBLICACOES A PEDIDO.
SESSAO JUDIQAR1A EM 12 DE AGOSTO DE
1869.
MEU>ENCIA DO EXM. SR. DKSEMBAROADMl A. F. PE-
RETT1.
Secretario, Julio Guimares.
Ao meio dia declarou-se aberta a sessao estan-
do reunidos os Srs. deseinbargadores SHva Gui-
mares, Reis e Silva, Accioli, deputados Rosa,
Bato, Miranda Leal e baro de Cruangy.
Lida, foi approvada a acta da sessao anterior
ttandou-se descer para o cartorio competente
03 autos de revista denegada pelo supremo tribu-
nal de jnsiiea, entre parles, reeorrente, Manoel
do Amparo Caj ; recorrido, Miguel Archanjo de
Figuoirdo: e igual providencia se ordeiwu a
respeito dos de revista decidida pelo tribunal d
commercio da corte a favor do recurrente, entre
partes, reeorrente, e administrador da massa fal-
lida de Pedro da Silva Reg ; recurrida, a caixa
lial do London and Brasilian Bank.
ACCORDAOS ASSIGNADOS.
Embargante. J.ao da Cimba Meirelles ; embar-
gados, os orphos filhos de Jo Cavalcant* Ac-
ci.di: appellante, a iunta administrativa da Santa
Casa de Mizerieordia desia cidade ; appellad., An-
tonio Mar ins de Carvalho, testamenteiro de Theo,
tonio de Oliveira Neves.
JULGAUEM70S.
Jaizo especial do commercio : appellanle* exe-
catados, D. Josephina Bemvioda da Cunha Souto
Makr e outros ; appelladas ex-quenles, Mills La-
than & C ; jnizes os Srs. Silva Guimares, Reis e
Silva, Miranda Leal o Basto.Confirraou-se a tenvja appellada, sendo voto vencido o Sr. desem
bargador Silva Guimares.
Juizu especial do commercio : appellantes reos,
lo Francisco Ribeiro Machado e outros apnel-
autor, Amaro Jos dos Prazeres: juizes >
lado
Sn. Accioli. Res e Silva, Miranda Leal e Mota.
Guflflrmou.se a sentenca appellada.
Joizo especial do commercio : embargos ao ac-
cordlo que dsspresou os embargos infringent*:
embargante exe-atado, Augusto 0>elho Leite
embargado exequente, Benjamim Tuckens : jni-
zes Accioli. Reis e Silva, Miranda Leal e Rosa.
Foram recebidos os embargos, sendo voto vencido
o Sr. desembargador Reis e Silva
Appellanle, Antonio Joaquim Salgado ; appella-
do, Antonio Gon^alves Porreira : adiouseojul-
gamonto, porque o appellante apresentou am te-
qoenmento pedindo ao Sr. Rosa para jurar sns
peico, e este senhor proferio o eguinto despa-
cho : C<>m quanto ignore os motivos que diz >
supplicante me sao conhecidos, don-rae por *as-
peno ; devendo apresentar est ao Exm. Sr. pre-
sidente. *
Jaizo especial do commercio; embargante ap-
Ainila dnas patarras ao Sr. Dr.
.uureavo Bezerra Carnelro da
Caka.
Recorro ainda imprensa, afim de dirigir duas
palayras ao Sr. Dr. Loureneo Bezerra Carnuiro
da Cunha era resposta ao seu ultimo artigo pu-
blicado no Diario de Peraambuco de 10 do corren-
te mez.
Esmagado completamente na discussao de que
a sua m estrcla o levou provocar-me, o Sr.
doutor com a desfacatez, que llie propria, ac-
ceitamlo no referido artigo a proposicao que desde
o co.neco de nossa discussao me encarreguei de
demonstrar, em relaCo sua queslo de benefi-
cios, deu por terminada a discussao, declarando
ter obtido com essa proposigo a concluso, que
sempre quiz chegar na mencionada questao.
A proposicao, a que me refiro, a seguinte :
0 Sr. doutor, prestando depois disto todos os bene-
ficios, que allcgon com as proprias proporcees que
Ihes d, (isto depois de haver recebido impor-
tantes beneficios de mcu pai) nada mais fez do
que cumprir com o seu dever, e jamis pode ter o
direito de assumir por isto a posicao de bemfetor
de meu pai, para poder constituirse men bemfei-
tor, quando apens S. S. nada mais fez do que
pagar urna sagrada divida de gratiddo.
Quem paga urna divida nao pode jamis arvo-
rar-so em bemfeitor do seu credor. Logo, o Sr.
doutor, tendo-se visto toreado acceitar a propo-
sito supra, lavrou a sua propria condemnacao,
chegando a urna concluso diametral mente op-
posta que tinha em vista, quando estultamente
se aprusentava como bemfeitor de meu pai.
Para chegar um tal resultado nao valia cer-
lamente a pena que o Sr. doutor travasse a luta,
que arrastou-me, dando em toda ella a mais triste
exhibico dos seus sentimentos, e tudo sacrifican-
do.at o respeito que por motivos mui valiosos lhe
cumpria ter as cinzas de meu pai.
Demonstrar que S. S. nao tinha o direito de
assumir a posicao de meu bemfeitor, em que
quera collocar-se, pelos servicos quoprestou
meu pai, foi sempre ornea maior empenho na
nossa fastidiosa discussao, como se pode ver de
todos os meus escriptos, e hoje o Sr. doutor, de-
pois de tantos esforcos desperdcar em seatido
contrario, obrgado reconhecer que nada mais
fez do que pagar urna sagrada divida degratidao.
Estamos pois de perfeito accordo esse respeito,
mas decidam os imparciaes quera ticou supplau-
tado.
Vamos ao ultimo troco de luz da Sr. doutor.
Tendo S. S. invocado o te'stemunho de minha me
para prova de um servico que disse ter prestado,
e haveudo eu apresenlado urna carta d'ella, que
prova o contrario do que o Sr. doutor. quera,
sahe-se_S. S. muito lampeiro, dizendo que es^a
carta nao eslava receuhecida, pelo que devia-se
acredit ir que ella nao passava do urna fieco.
Un" inimigo, que nao duvida recorrer aos meios
de defeza, de que soccorre-se o Sr. doutor, s me-
rece despreso, e hoje reconheco que milita razo
tiveram diversas amigos meus,quando me fizeram
ver, pnroceaslo da primera aggresso de S. S..
que por forma algmna deveria eu medir-me com
um tal contendor.
A carta, de que se trata, acha-se na typtgra-
plna deste. Diario. O Sr. Dr. requeira um exame
judicial sobre ella, aGm de Qcar recpnheddo, se
veidadera ou falsa.
E' assim que deve proceder quem tem conscien-
cia da verdade do que allega. E' assim que en
lirocederia para com o Sr. doutor, se livesse fun
damento para accredlar que era falsa qualquer
das cartas que S S. tem publicado no decurso da
dosm discussao sem quo entretanto nenhuma dellas
tivesse sido previamente reconhecida.
Disse o Sr. doutor que a letra, que eu publi-
quei, acceita por meu pai, e garantida pelo Sr.
Cunha Medeiros era priraeiro lugar, e por S. S.
era segundo, foi a que servio de fundamento
execuco promovida por Johnston contra meu
pai.
Se isto nao tocar a meta do cynismo, nao sei
o que eja.
Tenho felizmente entre ps papis deixado por
meu pai a propria preeatoria que na referida exe-
cuco foi expedida para a priso delle e a dita
preeatoria de data muito anterior a da mencio-
nada letra, que foi saceada em 29 de julho de
1816 vencer-se em agosto de 1847, pelo que
evidente que nao poda ser esta letra a que servio
de fundamento mema execuco.
Achando-o e presentemente n'esta cidade, onde
vim encontrar a ultima prodcelo do Sr doutor,
nao me possivel ja dar publciiladc a dita pre-
eatoria, quo deixei em Nazareth ; mas nao terei
duvida em faze-lo com alguma demora se S. S.
assim o exigir.
A letra'que deu lugar a execnco, de que se
trata, era, como ja disse, acceita pelo Sr. Dr. Jo*.
M. Cavalcanti da Rocha Wanderlev com garanta
de meu pai, tendo corrido a execuco pelo cartorio
do eserivo Mott, e depois da composicao bita
com o creder exequente a nica letra acceita em
favor delle foi a que eu j publiquei.
A declaraco do Sr. Cunha Medeiros, em qne
tanto se estriba o Sr. doutor nenhuma forca pode
"er em face da propria letra publicada, menos
que nao se prove a falsidade de sua firma exis-
tente na letra.
Logo o Sr. doutor persiste em sustentar o que
nao exacto quando diz que a dita letra foi que
servio de fundamento execuco promovida con-
tra meu pai, e que a letra acceita depois da com-
liosirao foi garantida lao -omento por S. S.
Ojindose chegaa perverso moral, que o
Sr. doutor locou, nao ha meio diante do qual se
recue para a consecuco do Jim, que se tem em
mente, e pois nao mo admirarei se aioda depois
de tudo isto o Sr. douior insistir era querer ven-
der gato por lehre
Occupando-se ainda com o facto de haver dis-
posto da quaotia que receben de men pai para
contratar um advogado, disse o Sr. doutor que
dispoz dessa quanlia, dando disio conhecimento ao
advogadOj o que pode provar com o testemunho
deste, e que autorisava-me publicar qualimer
carta sua em sentido contrario.
A circumstancia de haver o Sr. doutor disposto
dessa quanua com sciencia do advogado em nada
o aproveita, nem a nossa qnesto.
O qne esta liquido que o Sr. Dr. doutor, tendo
recebido a dita quanta diz hoje que enontrou
depois n ora pagamento, que lhe fez meu pai.
quando alias pesso provar so preciso fr. que a
esse tempo jjteu pai se achava completamente
quite com S. ^e tenho urna carta sua dirigida
elle em desembro de 1853, na qual diz qne fez en-
trena da raesraa quanta ao advogado.
Esta carta a que existe em meu poder, e
a pnbhcarei depois que S. S. mui expresamente
o exigir.
Nao sei que proposito lembrou-se o Sr. dou-
tor no sea ultimo artigo, de atlribuir-me riqueza
que ni pos>uo, declarando que nenhuma inveja
ella Ihecausava.
Mui diminutos sao os meas haveres, dos qnaes
nunca flz estentacao alguma, e son o prmeiro
reconhecer que muito e muito longe estao ellos
de cau-ar inveja um homem que s vive fallan-
do em eua posicao social, e mostrando-se sempre
superior a todo e a lodos.
Tambem nao sei tiara flm quizo Sr. dontor por-
se em paralello ,fiz.-n
do alarde de ama prova de apreco, que receben
em Alagoas, e consistente em urna penna d'ouro
que lhe uffvreceram alguns amigos.
Dusvaneca-w) o Sr. doutor nao poder mais
com esne donativo, mas (iipie corto de que. se eu
juizesse a wse respeito entrar em discussao com
3. S. nao me seria difflcil fazer menean de pravas
nem significativas da dintinrgao e apreoo, com que
tenho sido constantemente honrado pelos meus
amigos e comprevinniaaos.
Nao me sendo dad esperar que o Sr. doutor
chegue reconhecer que deve aband* nar o pni-
posito que se dedicou para comigo, nada mais
Transforma o systema
Urna das maiores maravilhaaka scieneia medi-
ca a rapidez com que a salsslrrilba de Bristol,
restkue as tercas perdidas aos oTeutes. Sa expe-
riencia pode permettir aos enfernos o realisarem
os seus effeitos nos casos de debdade geral. Fe-
co importa o estado de prostrao phvsica i que
o doente se veja reduzdo, pois, i salsaparrilha de
Bristol, Iba tornar a restituir.
Alguns mdicos teem suggerilo a injeccao de
sangue puro as vetas dos enfernos, porm, este
poderoso restaurativo converte oda ama gota de
sangue no cerpo do doente em un tnico efflcaz,
capaz de prestar novas tercas ae msculos, aos
ervos, ao estomago e a todo o machinismo ani-
mal. Que nenhuma pessoa por nis fraca e dbil
Jue seja perca a esperanca de viier at urna ida-
e mu a vaneada, porque nesta ireparacao existe
um principio vital, que restabeleie as tercas dos
mais debois como por encanto.
Vende-se por tona a parte do nando civilisado,
as pnneipaes boticas e lojaadef ja.
15 de agosto
(Recordafes)
Era urna note esplendida, maflufica.
Era no (oh desculpem-mL nao diret o lu-
gar onde se passou esta se -na.)
Eu vi-a na multido que se exflsiava aos har-
moniosos sons da msica, e imarinei-a am arijo
celeste, um ente divino.
Ella, com os olhos pardos, cakellos castanhos,
tez morena, realcava, brilhava Jntre as outras,
como o relmpago quando luz p&r entre as tre-
vas.
Foi um dos dias mais venturoso* da minha vida
esse em que encontrei-o.
Vi-n. Oh I era to bella, que (a nao sei des-
crever-lhe a termotura!
Procurar retrata! a agora seria^ebalde.
E hoje o primeiro anniversaro-de to feliz en-
contr, em que nossos coracoes cmo que se fal-
laram.
Que ar puro, embriagante, respfava eu quan-
de passava por junto della, e sent o bulicio das
fimbrias de seu vestido I
Quao enlevado ficava a reparar aquello rosto
mimoso, innocente e candido I
A morenipha (assim a chamava tu) estava nes-
sa noite radiante de belleza I
Seus olhos eram quaes estrellas no firmamento
azulado. "*
O coracao mais petrificado abranlar-se-hia aps
um olhar fascinante della.
Nessa noite em que vi-a, eu assiia testa de
um anniversaro, e boje talvez asskta tambem a
ella, onde me recordarei ainda nais d'aquella
scena lo sorprehendente.
N'esse terapo eu me iulgava felii, porque como
que va sempre a meu lado aquelle yo a seguir-
me os passos; porm hoje, escrevendo estas tos-
cas linhas, procuro apenas dar expansao aos pe-
zares que enchem o intimo de raiuh'alraa.
Es, pois, o fin deste meu escrpto.
E direi como Alencastro Aulran:
Hoje o mea prazer o despreso da vida
A minha vida ama chorosa endexa.
SI. R.
Protectora das fa-
milias
Em enmprimento ,dp preyaa^lo no art
9 do regulamento, B convioj a toaos os
senhores contribuinl'es cssa associacao,
que ainda nao tiveram apresjntado as certi-
d5es de idade dos segurados para que fa-
fam entrega d'ollas, na ra do Livramento
n. 19, Io andar, afim de ser expedidas o
mais breve possivel para inspectora ge-
ral do Rio de Janeiro. /
As certidoes devem ser selladas e reco-
nhecidas por tabellio. /
Hecife, 5 de agosto de 869.
Narciso de Vidal
COMMERCIO.
PRACA DO KKCIFK li DE AGOSTO DE 1869
M 3 1/ HOR\S DA TAHOK.
Cambio sobre Londres 90 d/v. 18 3i8 d. or
loOOO.
Descoito de Ietrs98 e 10 0/0 ao anno.
r". J. Silvcira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descorita lottras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinhiro em conta corrente e a
oraze fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principacs da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Ra do Commercio n. 36.
Saques sobre Londres
SOCIEDADE BXNCARIA EM COMMANDITA
Theodoro Simn fy C.
Sacc3o sobre os Srs. Samuel Montagu de
C, banqueirosem Londres.
A' vista quantias 5 at 100, 3 dias
de vista quantias cima de 100 at
a 1,000 30 ate 90 dias de vista quan-
tias cima de 1,000 at 10;00.
Largo do Peiourinho rt, 7.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & 0.
Comprara e vendem por coma propria
metaos, moedas nacionaes estrangeiras.
5"bj]9| de cambio, sedulas do governo e d<
naneo do Brasil.
Descootam letras da trra e outros tito-
Ios commerciaes.
Encarregam-80 por cont alheia das mes-
mas transaccoes, da cobrauca de letras da
trra e de outros ttulos coKiraeuciaes.
Recebem qcaesquer quantiss em deposi-
to, em conta corrente, e a prazq fixo.
Largo do Pelourinhon. 7.
Novo Banco de Peraambuco
em liquidiQilo, 3 de agos-
to de 1869.
Os Sr. accionistas podem receber o
sexto dividendo de um e m*io por cento
do capital: s qoarta-feiras e sabbados.
MOMMEJrrO DA ALPANDEGA
Volames entrados com fazeodas
dem dem com gneros
Volunte sabidos cora faiendas
dem dem com genero*
231
68
- 816
98
?17
315
'searregam hoje 16 de agosto
Barca franeeia=Ce//jn{/mercadorias.
Barca glezaVaoHiVi mercadorias.
Brigue ingler Melitimercadorias.
Patacho inglezVeoleUdem.
Escuna nofle-alleinoGenettMtaboado.
Bngue sneeoAnnataboado.
Vapor inglerSaladimmercadorias.
A1JELLA DOS PRBgOS dos oeneros sujf.itos a di-
11EITO DE EW0HTACAO. SESAKt DB 16 A 21 DO
HEZ D AGOSTO DB 1869.
Mercadorias: Unidades.
Abanos......... duzia
Algodao em caroco..... kilog.
dem em rama ou em laa. ... >
Carneiros vivos....... um
Porcos idera........
Arroz com casca...... kilog.
tdetn descascado ou pilado ...
Assucar branco.......
dem mascavado...... >
dem refinado.....-.
Gallinlias........ urna
Papagaios.......
Azeite de ainendoim ou men-
dobim......... litro
dem de coco.....
dem de mamona.......
Batatas alimenticias. .... kilog.
Baunilha....... >
Bebidas epirituosas o fermentadas:
Agurdente cachaca. .... litr.
dem de canna......
dem genebra ......
dem restilada...... >
dem alcool........ >
dem cerveja.......
Idemvinagre....... >
dem vinho de caj......
Bolacha tina, compruhendidos os
biscoit s......... kilog.
dem ordinaria, propria para
embarque........
Caf bom........
dem escolha ou restolho ... >
dem torrado ou moide. ... <
Cal branca........ >
dem preta........
Carne secca ( xarque ).
Carvao vegetal.......
Cera amarella. ......
dem de carnauba em bruto.
dem idem em velas, ....
Cha..........
Cocos soceos....... cento
Colla.......... kilog.
Couros de boi, seceos salgados.
dem idem espichados.... "
dem idem verdes..... >
dem de cabras cortidos um
dem de onca....... >
Doces em calda...... kilog.
dem era gela ou massa.
dem seceos.......
Espanadores de pennas grndes duzia.
dem pequeos......
lera de palha.......
Esleirs de carnauba .... cento
Idem propria para forro ou estiva
de navio........
Estopa nacional...... kilog.
Farinha de araruta......
Idem de mandioca.....
Feijao de qualquer qualidade.
Fumo charutos...... centro
dem cigarros......
dem em folha bom kilog,
dem em folha, ordinario ou res-
tolho .........
dem em roloe en< latas bom
dem, ordinario ou restolho.
Rap.........
Gorania de mandioca, (polvilho).
Ipecacuanha ( raz ). .
Angico (toros)......
Valores.
300
238
lilO
UOOO
21000
68
177
320
220
436
UOO
5000
937
675
515
102
51450
195
390
330
300
337
600
300
660
476
204
476
442
959
39
27
258
108
442
436
763
45360
41000
U'i38
560
632
370
350
101(100
15133
784
25180
483000
245000
125000
165000
125000
136
681
92
272
35000
320
15090
>

duzia
um
duzia
cento
9
um

kilog.
um
duzia
613
681
545
23180
170
15703
G03000
360
15500
5500
985000
33000
123000
6301K)
105000
102
53000
600O
Caibros
EuxuoM........
Frechaes........
Jacaranda (coucoeiras) .
Lenha em achas......
Idem em toros......
Linhas e esteios......
Lour s (pranches).....
Pao Brasil........
dem de jangada......
Quiris ,........
Vinhatico costadinho de 25 a 30
milmetros de grossura. .
dem pranches de dous costa-
dos at 50 millimetros de gros-
sura ......... t
dem taboado de menos de 25
millimetros de grossura duzia
Taboado divarso......
Tatajuba........kilog.
Travs.........urna
Varas para pescar.....duna
dem para aguilhadas .... <
dem para canoas .'.... urna
Cavernas de sucupira(em obra)
Eixos de sucupir para carro
idem..........par
Mel melaco........kilog.
dem de abelha .......
Milho......... kilog.
Ossos..........
Palha de carnauba.....molhos
Pechury. .'.....kilog.
Pedras de amolar
dem de filtrar ...... >
dem de rebollo. >
Pennas de ema ......
Piassava.........molhos
Pontas ou chifres de novilho ou
vacca. .,.......cento
Sabao ......... kilog.
Sal. ...,....,
Salsaparrilha....... ;
Sapatos de couro branco par
Sebo ou graxa em rama kilog.
dem em velas. ......
Sola e vaqueta......
Tapioca. .......
Unhas de boi.......cento
Vassouras de carnauba duzia
dem de piassava..... j>
dem de timb......
Alfandega de Penumbuco, 14 de agosto do 1869.
O 1." cmferente, Antonio Carlos de Pinhn Borges
O 2. dito.iooo Baptista de Castro e Silva.
Approvo.Alfandega de Pernambuco, 14 de a-
poslo de 1869.Poes de Andrade.
Conforme.Joaquim Tertuliano de Medeiros
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PEK.NAUBUCO.
Rendimente do dia 2 a 13 19:830531 V
Idem do dia 14..... 1:2665601
um 163000
205000
1444000
96S000
33
65000
23400
63000
15000
35500
165000
50
320
68
16
15000
817
31
18
34
43796
160
25800
348
10
25041
800
340
476
13333
20i
380
768
15300
960
Naeiot ntrales no dia S.
New-York por S. Thomaz Para23 dias do Impor-
to e 7.'/j do ultimo, vapor americano Merrimack,
de 2:000 toneladas, fonnnandante I. B. Slocum,
equipagem 73, carga diu*9rentes -gneros; a
Henry Forster 4 C
Lisboa24 dias, brigue portnguez Constante II,
de 252 toneladas, capitao Antonio Victor Pinto,
equipagem 16, car* vinho e outros gneros a
Oliveira Filhos & C.
JVtTriot saludos no mesmo dia.
Rio de Japeiro e B haVapor americano Jfeirj-
mack, commandante Slocum.
Ro Grande do Sulralacho brasileiro Principe
capillo R. P. Hagalhaes, carga assucar.
BarcelooaBrigue hespanhol Do* Hermanos, ca-
pitio Fernando Torres, carga algodao.
Observacao.
Fundeou nt lamarao um brigue hespanhol, at
meio dia nao tevo communicacao com a trra.
EDITAES.
Peranle a cmara municipal desta ci-
dade, estar em praca em os dias li, He
18 do crente, para ser arrematada por
quem menor preco olerecer, a obra tos
concertos de qu necessita a ponte do Luca
sita a estrada do mesmo nome, oreada na
quanta de 8800000 ; aquellos que preten-
eran arrematar, habilitem-se na forma
da lei, e comparecam nopaco municipal em-
os dias mencionados.
O ornamento da dita obra, acba-se na se-
cretaria da mesma cmara, onde ser apre-
sentado as pessoas que o quiserem exa-
minar.
Paco da cmara munic pal do Recfe, 4
de agosto de 18*9.
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Pro-presidente,
Francisco Canuto da Boa-Viagem.
Secretario.
21:6965915
3." seceso.Secretaria do governo de
Pernambuco, 16 de julho de 1869.=Pela
secretaria do governo sao convidadas^ as
pessoas, que quizerem contratar a cons-
truccio, nos termos da lei provincial n. 850,
de 5 de julho, do anno prximo passado
abaixo transcriptas, de urna estrada de
Teo desta capital villa do Limoeiro, com
dous ramaes para Nazaretn e Victoria,
a apresentarem suas propostas em carias
fechadas ao Exm. Sr. vice-presidente da
provinca no dia 30 de agosto prximo vin-
douro.
LEI N. 856.
ObarSo de ViHa Bella, presidente da
provincia de Pernambuco : Faco saber a
iodos os seus habitantes, que a assembla
legislativa provincial decreten e eu sanecio-
nei a resoluco seguinte :
Art. I." Fca o presidente da provincia
autorisado a contratar com o baro' do Li-
vramento ou com quem melbores garantas
offerecer, a construcc2o de orna estrada de
ferro desta cidade villa do Limoeiro com
os dous ramaes para Nazareth e Victoria,
passando pelos povoados, Caxang, S. Lou-
reneo da Malta, villa de Pu do Alho, po-
voaco de Tracunhaem, sob as condices
seguintes:
1. O coitratante obrigar-se-ha a apre-
sentar p anos est'idos da estrada no praso
de 2 annos, a contar da data e assignatura
do contrato.
2. O presidente podera fazer nos pla-
nos e estudos as alterac3es, que julgar con-
venientes e fixar a bitola e peso dos trilhos,
as dimenses das obras d'arte e tedas as
condicSes para seguranca e boa execueco
da estrada e ramaes.
3. 0 presidente poder liscalsar a
construccao e srvico da estrada e ramaes.
| 4." A est-ada e ramaes sero conclui-
dos, a primeira no praso de 4 annos a con-
tar do comeco das obras, as segundas at
3 annos depois de concluida aquella.
As multas por infracco dessa clausula
e a prorogaco dos prasos nella estipulados
por casos imprevistos, ser5o determinados
pelo presidente da provincia.
Art. 2." Fca o presidente da provincia
igualmente autorisado a auxiliar a construc-
cao da linha e ramaes com urna subvencao
kilomtrica de um quarto do valor das
obras oreadas, ou a conceder a garanta de
juros at quatro por cento do capital em-
pregado.
Art. 3. Ser concedido ao contratante
um previlegio por noventa annos para uso
e goso na estrada e ramaes co tando-se da
concluso das obras, nao podendo pessoa
alguma construir estradas semelhantes nesse
praso para os mesmos pontos, nem na di-
recelo dos ramaes e na zona de leguas para
cada lado das estradas.
Art. 4. A estrada e ramaes e todo o
material empregado fleam isent s dos im-
postes porvinciaes e municipaes.
Art. 5. Ficam revugadas as dsposices
era contrario.
Mando portante a todas as autoridades a
quem o conhecimento e execucSo da pre-
sente resol uco perlencer que a cumpram
e facam cumprir to inteiramente como
nella se contm.
O secretario do governo desta provincia a
faca impr mir publicar e correr.
Palacio lo governo de Pernambnco, o de
junho de 1868, 47. da independencia do
imperio.L. S.Baro de Villa Bella.
Sellada e publicada a presente resoluco
nesta secretaria do governo de Pernambu-
aos 5 de junho de 1868.0 secretario,
Dr. Francisco de Paula Sales.
Registrad i as fls. do livro de leis pro-
vinciaes. Secretaria do governo de Per-
nambuco, 5 de junho de 1868.O escri-
turario, Theodoro Jos Tasares.O secre-
tario, Dr. Joaquim Correa de Araujo.
Fiiculiiade de Direito.
jaro presente, que ser publicado na tolhas
desta eldade e as da corte
deSUdl8SFaCU,,,ade "^ ReCfc *
O secretario,
Jos Honorio B. de Menezes.
0\Dr. Caetano Jos da Silva Santiago, d.
conselho de S. M. o imperador, com-
mendador da imperial ordem da Rosa,
dezembargador, presidente do superior
tribunal da relata dePernanbuce,etc.
Faco saber pelo presente que, de confor-
midade com decreto n. 817 de 30 de agosto
de 1851, e aviso n. 252 de 30 de dezem-
bro do inesmo anno, se acha em concurso
o officio de eserivo de appellacoes d'este
tribunal ltimamente creado por lei pro-
vincial n. 907 de 25 de junho do corrento
anno; portanto os pi-etendentes ao dito
ollicio deverao apresentar-se dentro do
prefixo praso, < e 60 das contados da dala*
d'este, munidos dos documentos que sao
recomraendados por lei.
E para que chegue ao coubecimento do
todos, mande fazer o presente edital que
ser publicad- pela imprensa e aflixado no
lugar do costume.
Dado e passado n'esta cidade do Recite,
aos doze dias do mez agoste de mil oito
ceates e cessenta nove. Quadragessimo
oilavo da independencia e de imperio do
Brasil.
Eu, Jos Peres Campcllo d'Almed, se-
cretario interino o subscrevi.
Caetano Jos da Silva Santiago,
Presidente.
DECLARACOES.
Arsenal de guerra.
O conselho de compras do arsenal de
guerra precisa comprar para fornecimento
do mesmo o seguint::
Casemira encarnada 4 meos.
Mappas (modelo n 9, mostrn) 100.
Ditas para dieta (modelo difireme, idem)
1000.
Camisa de meia de algodao urna.
Luvas de algodao 38 pares.
Faca para cozinha urna.
Obreias Omnssos.
'00 vassoras de junco.
As pessoas que se propuzerem a orne-
cer os ditos objectos podero apresentar
suas propostos, acompanhadas das compe-
tentes amostras, na sala das sesses do
mesmo conselho at s 1 i "s horas do dia
18 do corrente.
\rsenal de guerra, 12 de agosto do
1869.
. Hygino Jr? Colho.
coronel presidente do conselho.
Jos Baptista de Castro e SHva,
vogal secretario.
Mauta Casa da Misericordia do
Recite.
A Filma, junta administrativa da Santa Cafa da
Misericordia do Recfe manda fazer publico qne n;i
sala de suasjsessoes, no dia 19 do aitosto, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
cjuem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CAWDADE.
Ra do Encantamento.
Sobrado de dous andares n. 3. 60500l>
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 49...... 1700000
Ra das Calcadas.
Gasa terrea n. 36....... 178J0OO
Ra do CalaboUyO.
Casa terrea n. 20 / ... M2,10fK)
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37. 765000
Segundo andar dito...... 96#000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do Amorim.
Sobrado de dous andares n. 21, dem 600500!)
Pateo do Paraizo.
Loja da frente do sobrado n. 29 101*003
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27...... 19t#00O
dem n. 25......... 1445000
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27...... iWJOOO
Ra da Cacimba.
Idem idem n. 12...... 46JO00
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 103 ................ 1465000
dem n. 98........................ 203*600
dem n. 96......................., 202*000
Sitio n. 5 no Pomo da Cal........... 160*000
Os pretendentes deverao apresentar co acto da
arrematacao as suas flaneas, ou compareeerenj
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretara da Santa Casa da Misericordia do Re-
cfe, 13 de agosto de 1869.
O escrivSo.
___________ Pedro Rndrioues de Soma
Fisctdisagdo da freguezia da Boa
Fui ,13 de vgosto de 1860.
Por esta fiscalisaco se faz publico a
quem interessar que su acham depositadas
quatro cabras (bixo) aprehendidas faxendo
distriucSes em um jardim: quem se jul-
gar com o direito as mesmas compareca,
que satisfazendo o disposto no art. 48 do
titulo 9o das posturas municipaes de 30 de
junho de 1849, Ihes sero entregues.
Jerontftni Jos Ferreira.
y*
Vmi praca no dia 17 do corrente irez, de-
pois de linda a audiencia doS. Dr. jaiz dee or-
phos desta cidade, para ser t rematada porqutni
mais der, a casa terrea n. 3d, sita ra dos Pires,
c ter sido edificada pan sobrado, e avaada por
4:000*000 ; cuja casa va i praQa requerimento
da viuva e henleiros do finado Carlos Hess, convi-
da-se os Srs. licitantes comparecerem das H
horas para meio dia do relendo dia 17, para so
eflectuar a arrematacao de um ptimo predio cm
terreno proprio.
CONSULADO PROVINCIAL
Rudimento do dia 2
dem do dia 14. .
a 13.
32:881*806
2:674*067
33:55o*873
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 14.
Rio de Janeiro 10 dias. corveta americana Por-
tsmouth, eommaiiilante Semines, tero 15 boceas
de tog i, e 2 X) mxs tas de ira irni ;o.
Trieste59 das, brigue norueguense Enegri, de
176 toneladas, capitn J. I versen, equipagem 8,
carga 1768 barricas com farinha de trigo ; a
Tasso Irmao.
Navios sabidos no mesmo dta.
Ro Grande do SulPatacho nacional Tupa, ca-
pitao L. Justiniauo de Sonza, carga assucar.
Rio d PrauBrigne brasileiro Victoria, capita->
Antonio Ca los Pereira dos Santos, carga assu-
car e agurdente.
CanalBrigue inglez Minora, capitao R. Caxou,
carga assucar.
Portn do Nnrt* Vap.ir brasileiro Pirapama,
commandante Turres, carga arios geueros.
Pirt-is do Sul Vapor brasileiro GeqM, eomman-
danie Aievedo, carga varios gneros.
Oomia -Vapor brasileiro Parakjiba, comman-
dante Mello,
De ordem do Exm. Sr. director interino o con-
selheiro Dr. Podro Autran da Matia e Albuquer-.
que faco publioo qne flea marcado o prazo de seis 9ue ir marcada para a sabida do vapor
ine*es contado da data deste, para a inscrpen jornaes at 3 horas antes.
Correio geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
Taz publico, para fins convenientes, que em w-
tude da convenci postal, celebrada pelos gover-
nos brasileiro o frincez, serao expeaidaa malas
para Europa no dia 15 do corrente pelo vapor
inglez Douro.
As cartas serao rocebidas at 2 horas antes da
e oh
dos que pretenderem concorrer ao lugar de lente
substituto da Kaculdade de Direito do itecife, vag<>
pelo accesso do substituto Dr. Joao Capistrano Ban-
deira de Mello Filbo, a cadeira de ne ra pr.-
prietario o fallecido Dr. Jerooyino Vilella de Castro
Tavires
Pelo que todos os pretndeme ao dito Ingar se
poderao apresentar desde j na secretaria desta'
Paculdade para insrrever sens mimes no livro com-
petente : o que Ibes permittido fazer por pro-
curador se estiverem a mais de vinte legoas desta
cidade, ou tiverem justo impedimento.
Sao, porm, obrigados a apresentar decnmentns
|ue mostreo sua qualidade de cidado brasileiro,
e de que esta i no goso de seus direitos eivis e po-
litices, certidao de bautismo, folha corrida de In-
gar de seus domicilios e diploma de dontor por
urna da< Facultades de Direito do Imperio, ou
publica forma, justificando a impossibilidade da
apresentaco do original, e na mesma occas"
poderao entregar qnaesqner documentos que jul-
garera ronvemenles ou como titulo de habihtacao,
ou como prova* de servicos prestados ao Estad >, a
humanidade on a scieneia, dos quaes se Ihes pas-
sar recibo: ludo de ronfonnidade com os art
36 e 37 do decreto n 1,286 de 28 de abril de 1854
aillo seguintes de n. 1,568 de 24 de fevereiro
de 1855.
E para que chegue ao conhecinwnto de todos
mandn o mesmo Exm. Sr. director interino, afr-
Adminisiraco do correio de Pernambuco 12 do
agosto de 1869.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda
Tribunal do commercio.
Por esta secretaria se faz publico que ficam re-
gistrados :
O distrato da sociedade do Jos Marcelino di
Rosa & Filhos, pela retirada lio socio Joi) Chry-
sostonm Goncalves Rosa, fleand-. a cargo do socio
Jos Marcelino a liqutdacao do activo e pas-ivo.
O distrato da sociedade de Jos Joaquim da Sil-
va Gomes e Jeronymo Joaquim Pinza de Oliveira,
que girou sob a firma de Jos Joaquim da Silva
Gomes A C, cuja tquidacao fica cargo e sob a
nica responsabiliftade do ex-sorio Gomes.
0 disirato da sociedade do Jol > Theodoro da
Silva e Joaquim Caeunn de Carvalho, que girou
>ob a firma de Theodoro & Carvalho, Arando
cargo do ex-socio Carvalho a exclusiva respoma-
bilidade do passivo e a posse do activo com todos
os seas omis e direitos.
O contrato de Manoel Joaquim Dias e Jos Ber-
nardo da Motta, entabeleciitoR nesta cidade com
negocio de mindezas, sob a Urina de Dias & Motta,
e o capitel de 4:000x000 fornecdo por ambo*.
O contrato de Jos Domingues Pereira Pedro
Ferreira de Araujo Braga, esubelecidoe oeste v
dade com taberna e casa de pasto, sob a firmado
y
J MHTILMNI L


Diario e PenKwwbuco Seguira fetra 16 Agosto- de 1999.
t
Peroira A Brajra, e o capital de 5:930515." forne- |
-ido por ani!
O distrato do Antonia AI vas Lelire e Patrelo i
Ignacio da Silva, I. a Ur-
ina de Labro & Silva, fie;.mlo a cargo do ex-
Silva o active, o ,1 raiponsabiMade do passivo.
O contrato de Custodio Jos Al ve Guimares,
Antonio Hibeiro Ponte e Jos Alves Machado Gai-
niarks.jjsiabelecidot nesta cldade sol) a firma de
t.ulmarae?, Puntes & C, con negocio de faada,
e o capital de 30:000|000, sendo 25:000*000 em
commandita.
O" contrato de Antonio Bernardo Quinteiro, Ma-
noel Goncalves Aurae Miguel Bernardo Quinteiro,
comestabelecimento de rarros fnebres nesta d-
lade. soh a firma de Agr & C, e o capital de
27:0004000, um terco do qual cin commandita.
0 contrato de Tbomax do Aquino Carvallio e
Antonio Francisco de Camino, establecidos na
povoacao de Tna, desta provincia, SHb a firma de
Caraiba & C, com negocio de fazendas, miurieza*
e ontros olijectns, com o capital de 8:000000 for-
necido por um dos socios.
0 contrato de Ballbazar Pinto de Gouvea c Da-
niel Antonio dos Reis, establecidos nesta cidade
com negocio e fabrico de calcad') nacional, sob a
tirina de liis de C, o capital de 2:901 7i0, sen-
"I" nm commandita &40U740.
0 contrato de Paulo Leite Ribeirp e Manoel Pe-
reir de Carvalho Sobrinho, estobel'ecldos na cida-
de do Pcnodo, com eslabelecimento vapor, c ae-
cesso ios para a manipularlo, descasque e aper-
lafeoanenlo da industria do arroz, extraccao de
nzeito de mamona e oleo de ricino e ontras, ser-
rara de madeira c decarocaroanto de algodao, sob
a firma de Carvalho Sobrinho i C, c o capital de
IO:OWOOd poruente a um dos socios.
O contrato de Jos Pinto de Magalh.aes e Germa-
no Pinto do Magalliae?, ostabelecidos nesta cidade
rom coebeira de carros de passeio, sob a firma de
Pinto lagaltraes A C, e o capital de 4:2004000
.'oruecido por ambos.
Secretaria do tribunal do eoaiuercio de Per-
nambuco, 12 de ago-to de 1869.
O olnVial-maior
Julio GuiiMives.
THETRO
DE
S. ISABEL.
a:ni ireza lyrlca italiana.
ESTREA DA NOVA COMPANHIA
Quarta-feira 18 de agosto.
I* recita de assignatura.
Ejcceutar-se-ha a nova e rrand11 opera em 4
actos de Verdi
COME. BLISILEIR:.
*T DE
Paquetes a vapor.
Dos porhis-do sul esperadi
at o dia 22 do correte o vapor
Tocantins, coramandante J. M.
T. Frarco, o ful deguir para
pois da demora do costme se-
os porteado norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ier embarcada no dia desuachegad. Encommen
las e dinbeiro a frete at as duas horas do dia da
4ua sabida.
Nao se rccebein como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que ni exeedam a
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao
Tudo que passardestes limites dever ser embar-
rado como carga.
Previhe-se aos Srs. passageiros que suas passa-
ens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
andar, escriptorio do Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & ('.__________
Para S. Miguel c Ter ce Ira
O patacho perluguez Maa, esperado de Lisboa,
sabira para as duas ilhas cima, poneos dias de-
pois de sua clpgada a esta, desde j se engaja
carga e passageiros : trata-se cora E. R. Rabello,
ra do Commercio n. 44.____________________
Para o Porto
pretende sahircom a possivel brevidade o patacho
portuguez Liberal, tein parte da carga engajada, e
para o resto que Ihe falla, pode tratar-se com Da-
vid Ferreira Hallar, ra do Brum n. 92, ou com
o eapitao do referido navio.
LE1L40
De 6 caJeiras, 2 conj los, I mesa de meio
de sal, i mesinia, l espelho tocador,
4 bolsa de viagem, i par de botes de
prata para ptinho, I naarqueza, 1 relogio
de ouro com corrate, t anneis de ouro,
e i rewolrer.
Terca-felra 11 do corrate.
, O agente M.trtins far leilo a requerimento do
testamenteiro de Joaquim Pinto Vieira e por des-
pacho do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da segunda
vara dos objectos cima .periencentes ao espolio
do dito Pinto Vieira.
No annazem da ra do Imperador n. 16, as 11
horas do dia.
PARA'
0 patacho Protector seguir para o referido
porto em poneos dias, por ter a maior parto do
sen carrosamente proinpto : para o quo Ihe falta,
quem quizer carregar a frete commodo, pode diri-
ir-se ao consignatario Joaquim Jos Goncalves
Bellro, ra do Commercio n. 17.
LEILOES.
i mij.il i\ j
\
> Bosehini.
Sra. Amaldi.
Pierotli.
Bellramine.
Sr. Znratti.
Gabassi.
Lombardclli.
R. N.
> Ilaineri.
niarujos, guar
Peraonuaas. Actores,
icaido, conde de Warwi.ch... Sr. Cesar!.
itinaldo, seu secretario, mariaS
de Amelia.................
Amelia, esposa de Itinaldo.....
tlrie.a, ciganade rara preta___
Osear, pagem......'..........
Silvano, marojo...............
^Uel{ipimigos do conde....
Um juiz.....................
Um criado de Amelia.........
Deputados, indgenas, offiejaes,
das, adherentes de Iota e Samuel, criados e "mas
arados.^
A accao no fim do seculo XVII, a scena em
'lloston c seus arredores.
A ompreza nao quer esses elogios a sua enm-
panhia mas esliera gmente na justica e illustra-
cao do publico desta cidade para que julgue sem
provengo do merecimento dos artistas e para esse
lim os aproaenta t"dos na priin' ira opera da pre-
sente estago lyrica.
U. B. Roga-s'e aos seuhores var as assignaturas pelas 2i noites do mandar re-
tirar o* competentes recibos durante o dia de boje.
Os bilhete sero vendidos no dia do espect-
culo.
Principiara as 8 horas em ponto.
AVISOS MARTIMOS.
C0SPA1A BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
al o dia 28 de agosto o vapor
Paran, coramandante o capito
de fragata A. J. de Santa Barbara,
o qual depois da demora do cos-
lume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dioheiro a frete at o dia da sua saluda as
horas.
.Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor e que nao exeedam a dua.'
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
pens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
t* andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
dc
Navegaco costeira por vapor.
Goianna.
m* "i w O vapor Parahyba, commandante
\A\ Mello, seguir para o porto cima no
JWB dia 16 do crrente as 9 horas danoite
P.ecebe carga, encommendas, passageiros e di-
r.heiro a frete, nj escriptorio do Forte do Mattos
ti. 12._______________________________________
PARA O PORTO.
Segu com a pessivel brevidade o brigue por-
tuguez Unido que j conta grande parte da carga
engajada: quem no raesmo quizer carregar on ir
de passagem trate com os consignatarios Thomaz
de Aquino Fonseca & C, ra do Vigario n. 19,
primeiro andar. .
Rio Cirande do Sial
Para o porto cima sege com brevidade o pa
tacho nacional Principe, recebe alguraa carga a
frote, e trala-se com os consignatarios Antonio
l.jiz de Oliveira Azevedo 6t C.rua da Cruz n. 37.
LEILAO
O agente Pontual competentemente autorisad"
vender em leilao por eonla de quem pertencer,
os salvados do incendio do armazem do caes de
Apollo, constantes de arroz, caf, serveja, sabo.
HOJE.
No armazem da ruado Brum n. 6G, as II horas
LEMO-
Da barca franceza ALPHONSINE encalhada
no banco de pedias das Garbas no Rio
Grande do'Norte na sua ultima viagem
de Marseille a S. Francisco, seu appare-
lho, velas, sobrscellentes e carregamen-
to avariado, s&lvado e existente na alfan-
dega do Rio Grande do Norte.
A SABER :
HOjE.
Em um s lote e tal qual se acha no lugar
do naufragio.
O casco da referida barca (que earregava 1,000
tonelladas), mastres rcaes, gurups, 1 ferro eom
l.'i bracas de corrente, 3 vergas grandes,
LEILAO
S2 MOTIS.
Sendo uina mobilia de amarello, um guarda
roupa, Icama franceza de amarello, 1 meia com-
moda, 1 berco, a pares de jarros, 2 tapetes gran-
des, 8 quadros ovaes com molduras douradas,
I meia elstica, 2 pares de lanterna, 4 banqui-
nhas, 1 candelabro, 1 apparador, 1 guarda ves-
tidos de mogno, 4 pares de laoternas com pingen-
tes, 1 carteira, 24 cadeiras de amarello, 2 conso
los de Jacaranda com pedra, 1 machina de cos-
tura, um marquezo, 2 marquezas estreitas, 1 me-
sa a imitaco de diario, 1 guarda louca, um apa-
rador moderno, um logara ro econmico, 3 escar-
radeiras e louca dc jantar.
Terca-feira 17 do corrente.
O agente Martins far leilo dos movis cima
pertencentes a urna familia que se retira para o
Para, no armazem da Tua do Imperador n. 16, as
II horas jlo da.
De um cofre de ferro, una carteira de duas fa-
ces, duas ditas de urna dita, 1 machina de co-
piar carta com mesa, 6 moxo* de amarello, 6
radeiras americanas em mo estado, um repar-
timento de amarello para escriptorio, ura lava-
torio, 40 livros e algumas bruxuras e diversos
objectos de escriptorio.
Qiiarta.felra f s do corrente.
O agente Martin* far leilo a requerimento do
depositario da massa fallida de Duarte & Medeiros
e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio dos movis cima existentes no 1 an-
dar do sobrad n. 17 da ra do Vigario as 11 ho-
ras do dia.
AVISOS DIVERSOS.
, G ditas
de gavia, 3 mastros de gavia, 2 paos e cerca
de 100 tonelladas de ferro fundido, 700 barras de
chumbo, (45 tonelladas pouco mais ou menos),
cerca de 700 podaros de marmore serrado e em
bruto.
Terca-feira 17 do corrente.
Vender-seha em difTerentes lotes as velas, mas-
tros, correntes, cabos, moitoes, amarras, pecas de
cabos, apparelho de rame, pecas de lona, lio, al-
catro.-verniz, bren, sebo, fugo, caixa de medi-
camentos, sobrecellente e mais objectas perten-
ceutes ao navio.
Km eontinnaeao
nos dias 18 e 19 do corrente.
Vender se-ha tambem a parte do carregamen-
to avariado. constante de vinhos finos em barris e
caixas, licores, champAgne, azeite doce em cai-
xas, ruinas, sabo, marmore, obras de alabastro,
qarras de chumbo, barricas com enxofre, gomma,
iustrumentos para agricultura, caixa com livros
e outros objectos que fazem parte do carrega-
mento.
Tudo por conta e risco de quem pertencer no
estado e lugar em que se acha, de conformidade
com os annuncios all publicados, no dia do lei-
lao e condiceoes declaradas no acto da arremata-
cao
No dia 14 do correnie seguir o vapor Pirapa-
ma da eompahia Pernambucana, o qual deve
chegar no Rio Grande do Norte segunda-feira
16 do corrente, dia justamente em que deve co-
mecar a venda do casco e salvados da referida
barca.
De AO calvas com cebla* e 18
barris com toncinho.
1IOJE.
- O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem pertencer dos gneros cima e sern
vendidos sem limites para fechar contas : segn
da-feira 16 do corrente as 11 horas damanha no
armazem do Sr. Azevedo na escadinha da alfan-
dega.
Ensino particular de preparatorios, tanto nn
cidade como fura delta.
O bacharel Amerieo Fernandos Trigo de Lou-
reiro, professor particular de inlrucco secunda-
ria, lecciona em casa dc sua residencia, ra da
Saudade n. 27, e por casas particulares, tanto na
eidad; como fura della, at onde houver trajelo
pelas vas frreas, um curso completo de instruc
cao secundaria, constante das seguimos disciplinas
preparatorias : analyse philosophlca da grmmatica
nacional, as lingoas latina, franceza e ingleza, rhe-
torica e potica, geographia e historia, arithmetica
e geometra, philosophia racional e moral; para o
3ue pode ser procurado na dita caja de sua resi-
encia, das 9 horas da manhaa ao meio dia, e das
3 as 5 da tarde, nos das uteis; e nos domingos e
dias santos a qualquer hora do dia. Outro sim,
acha-se disposto o mesmo professor a mudar a
sua residencia para quilquer engenho ou fazenda
rural, fra desta capital, ou mesmo fra da pro-
vincia, afim de exercer ahi a sua profisso, sob as
condices que para este lim se convencionarem.
Ensino
OfTerece-se nma pessoa para leecionar
em casas particulares ou na de sua resi-
dencia sem designaco de hora e dia :
grammtica portugueza, principios de
arithmetica, noedes de historia e caligra-
phia ; prometiendo alm do todo empe-
nho o mais fcil e adaptavel methodo,
que em breve dar bom resultado: a tra-
tar na ra do Queimado n. 33, primelro
andar, das 10 horas da manhaa as 4 da
tarde ; a entrada pelo largo do Collegio.
O abaixo assignado declara ao respeitavel
corno do commercio, que desde o dia 26 do mez
prximo passado deixou de ter gerencia na admi-
nistsaco de sua taberna, sita ra da Concordia
n. 94, o Sr. Joo Baptista de Barros Machado ; II-
cando, perianto o mesmo senhor, som os poderes
que Ihe havia outhorgado o abaixo assignado. !!<-
cife 7 de agosto de 1869.
Clementino Goncalves de Farias.
Para
Seguir brevemente o veteiro patacho portuguez
Boa F, capito Domingos Martins : recehe algu-
ma carga a frete razoavel, para o que se trata
com o seu consignatario Joaquim Gerardo de Bas-
0i, roa do Vigario n. 16, Io andar.
LEILAO
De fazendas geraes transferido
para lO do corrente.
Ferreira & Matheus transferirn por motivo
plausivel o seu leilo por intervenco do agente
Oliveira, de grande variedade de fazendas con-
sislindo estas em brins, pannos, casemiras e meri-
nos de difTerentes qualidades, madapolao francez,
sargelins sonidos, vestuarios para baptisados,
chapeos de la e seda para homem, esparilhos,
basquinas, lencos de seda, bonets, seroulas, ves-
tidos fle seda protos e de cores, grosdenapes di-
versos, chales, corpinho-- e camisas para senboras,
sedas, cambraias de linho, gorgorees de seda e de
multas que serio patenteadas, assim como outras
avaradas.
HOJE.
as 10 horas da raanha no bem conheeido arma-
zon ra da Cadeia n. 8.
Os sobrinhos do finado ioio Germano de Pnula,
tendo de mandar celebrar urna missa do stimo da
pelo eterno repouso da alma doste seu mu pre-
sado to, na matriz de Santo Antonio, pelas seis
horas da manhaa, convidara a todos os rmigos o
parentes do mesmo tinado a assistiren, esse acto.
Aproveitam a occasio para agradecerem ir-
mandade do Santissimo Sacramento, a lodosos
amigos, empregados e companheiros da alfandnga
que se dignaram acompanhar o seu corpo at o
cemiterio publico, assim como lamentara profun-
damente a pouca pbilantropia dos Srs. carmelitas,
que, esquecondo-so de que o finado foi vempreum
confrade amante daquella ordem, para a qual
serapro coscorreu com suas esmolas etc., nao te
se dignaran comparecer em seu enterro (era se-
qur um.)
Aos 20:000^000.
casa da i<::.
Os abaixo assignodos fazem sciente ao respei-
tavel publico, qu>teem venda os seus rauto fe-
lfees bilhetes do Rio, ra do Crbng n. 2, lojado
Sr. Malheiro, pgando-se a vi.ta das listas smente
com o deconta da lei.
PRECOS.
Inteiros 24*000
Meios 124000
Ouartos 65000
De lOO para cima a 224000 o bilhete.
Fierra & Rodrigues.
Santa Gasa, de Misericordia
do Eeife
Ted,o dc eeftrar-st! no dia lo do tor-
rente pelas 10 horas da manh na igreja
de N. Senhora do PaFajsoia festa da padro-
eira d'esta Santa Casa, de ordem da Illma.
junta convido a todos otviruioapara asis-
tirem semellMte acto.
Secretaria dafanta Casa de Misericordia.
doRecife, l de agosto de 1869.
O escriv5o,
Pedro Rodrigues de Souza.
Industria agricoIaT
O abaixo' assignado proprieta rio Je varios esta-
belecimentos ahricolos, lendo do retirar-se para
Lisboa a tratar de sua saude, deseja diminuir o
curso de suas operaes, expondo a venda o enge-
nho Mirluc (tinecionaudo actualienle com 60
a 60 escravos) distante legua e meia dc Beloni, cora
a qual corresponde por lena e por agua.
A fabricado do assucar hi se faz pelo novo
systema do vaccuo e do vapor.
A agurdente por dons alambiques, sendo um
do antigo systema e outro do continuo.
O material inteinmentc novo d'este cstabeloci-
ment, sahidu.da casa bem conhecida de Henry
Claiton & C. de Londres, e de pnmeira ordem a
sua installacao feita com toda a torca e perfeicao "
que se pode desejar.
O material o os apparclhos compoera-se do se-
grale :
De umacaldeira de 20 cavallos de forra, com
2 fornalhas interiores, daudo consecutivamente
vapor de 4 a 5 athemospheras de preccao : esta
caldeira est munida de todos sens apa'relhos de
seguranza, indicadores e assecorios.
De uwa machina a vapor oriental de alta prec-
cao, d1 foren de 14 cavallos, dando a sua trans-
missaoJt um jtgo de moendas da maior forca co-
nhecida nos estabelecinientos d'esta provincia.
De dois dessecadores a dobre fundo em com-
raunicacao com os feliros, systema Taylord.
De una caldeira a cozer no vacuo com todos
os seus aparemos, e correspondendo com a bomba
do ar, mandada pela dita machina de vapor.
De 4 llorabas para o movimento das diversas
operaeScs, cqaimunicando com diversos depo>itos
d'agua fria, agua quente.mel para assucar, mel de
torbina e espumas etc.
De urna torbina a vapor gorrespoudendo eom
girador da machina.
De urna torbina ingleza, de um dimetro maior
movida por baixo pela transraisso mandada pela
machina a vapor.
Estas obras foram montadas e installadas pelo
primeiro artista scientilico e pratico conheeido
n'esta provincia, que tcm funecionado cora todos
estes aparalhos; dando productos de um qualida-
de superior a lodos que tcm aparecido at boje
n'esta provincia.
Este estalielecimento pode fabricar regularmen-
te de 200 a 300 arrobas de assucar, c 2 pipas de
caxaca diariamente.
Pertence a este engenho ura lago, cujas aguas
servem para moer actualmente urna pequea ser-
rara de madeira.
A casa do moradia espacosa o de boa construc-
co : era fim, neste lugar" acha-se urna bonita
campia cercada de matas^irgens onde se en-
contrara com muita abundoncia madeiras tanto
para cenlruccoes naves como terrestres.
Para. 39 de junho de 1860.
Jos Antonio de Miranda.

CHEGEl
IJ\II1 1 Mil
FIO l*: VELA
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau C. Corpo
Santo n. 15.
SHERRY 0L0E0Z0.
Gelo seal.
COGMAC IIEWKSSV.
Em casa de Rabe Schmcttau A C. Corpo
Santo n. 15.
CHAMPAMA
SUPERIOR.
Koussillon, carte blanche.
Km casa de Rabe SchmeUau A
<;. Corpo snnt n. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATE.\U LA ROSE.
CIIATEAU KAl ZAA
Em casa de Rabe Schmettau & C. Corpo
Santo n. 15.
Os abaixo assignados scienliticam a respei-
tavel publico e especialmente ao corpo comraercial
desta praca, que teem constituido urna sociedade
commorcial no seu estabeleciraanto do fazendas
sito ra do Livramente n. 6, a qual gyrar sob
a razio de S, Amorim & C, a contar de Io do
corrente mez.' Becife 13 do agosto de 1869.
Joo Evangelista de S.
Joo Antonio de Amorim.
Justino Manoel de S llamos.
Ao commercio.
Os abaixo assignados scientilicara ao respeita-
vel publico e principalmente ao corpo do com-
mercio, que nesta data dissolveram a sociedade
que nesta praca gyrava sob a firma de Custodio
& Bento; retiraado-se o socio Bcnto pago de seu
capital e lucros, e ficando de todo desonerado do
activo e passivo da dita firma, que passa res-
ponsabilidade de Custodio Antunes Guimares.
Recife, 10 de agosto de 1869.
Custodio Antunes Guimares,
Bento Alves Machado Guimares.
jUBNRS DO BARATO
que est fmalisando a liquidaco da ra do
Crespo-n. 17 de Antunes Guimares & G.
Camisas bordadas para senhoras, lencos de labyrinto, fronbas, bicos e rendas da
trra, cortes de tarletana.bordados pata casamentes, cortes de vestidos de cambraias
bordados, alpacas de; ores lisas 0/ de ristras, preealas ainda de bonitos gostos, casaqui-
nhosde- casemria par senhoras, saws- bordadas e-baldes de todas as qualidades etc.
fra da liqmaco
Ricos cortes de vestido de Wond, recebidos plo ultino-vapor.
Pompolioas de gostos especiaes, que Oiuilo agradam.
GorgorSes lisos de cores para vestidos, faaenda ullimAmente cliegada.
Colxas de seda dj todas as fes.
Chitas afostuadas' fllzenda nova no mercarlo.
Ricos chapeos de palla para senhoras e capellinas de novogosto.
Esteirasda India proprias para forrar salas oquartos.
Bons e bonitos tapetes de todos os tamauhos.
. Tapetes a ve I ludadas para cavados: e outros-muitas- fazendas que s vba.se>
a realidade do barateiro.
32. Il \ DO lim 1D0IIV 'A
a
C5
Almocos
Lanches
Jantares
Ceias
Caf
Sorvetcs
Licores
Vinhos
1.'
Dejeuners
SALONS- Lanchs
RESERVES Diners
ou Soupers
ET.VGE Cif
Glaces
Liquers
Vins
Cerveja Bire
etc., etc., ele.
5
25"*
9
32.Ra do Imperador n,32,
Preciosa publicado
jurdica.
Commentario do cdigo criminal Portuguez
e Brasileiro.
Vende-se naloja do Sr. Heraclio Paula
Monteiro, a ra do Imperador n. 71, a
importante e moderna obra sob o titulo de
annotacoes ao cdigo do commercio portu-
guez em 6 voluntes pelo Exm. Sr. conse-
iheiro Dr. Diogo Pereira Forjaz de Sam-
paio Pimentel, lente cathedratico na univer-
sidade de Coimbra. Os subidos crditos
de que goza muilo merecidamente aquelle
eximio commercialista por si s bastariam
para recommendar to importante obra,
quando nao eoncorresse mais para isso a,
grande vantagem de ser um ptimo conir
mentario ao cdigo commercial brasileiro^
(na fala absoluta que ha de qualquer outro)
pala mxima homogeneidade de entre muitas
das suas disposires, e as do mencionado
cdigo portuguez, que Ihe servio de texto.
Correi pressurosos, distincta. mocidade do
4o- anno da Faculdade de Direito desta. ci-
dade e notaveis jetos, a prover-vos dess
poderoso auxiliar para vossos trabalhos da
setencta, e pelo prego commodo de 20$
toda a obra em 6 vol. ____
RIGAD
oa Llqotdo r*gn*rtdor
da oOr
priaHhrt do citmi.i.
Em olto dias o msis,
sem o imprego de aen-
hnuia oulra substancia,
faz com que o cabello
loma sua cor primi-
'ira, sem manchar a
pel.'e neni sujar a-roupa
e sem apresenlar o me-
nor perigo.
OColorigeneo difiere
inteirtmeote de todas
as tincturas tendo por
base o nitrato de prata e
3ue requerem o imprego
e duaa ou tras substan-
cias liquidas diversas.
AfianQa-se o successo
exigindo a assignatura.
*5>*
VERDADEIRO LE R)Y
de SIU.VSACCy Doctcui-Medcii
Ru d Seinos, 51. l I'Al'
PnMica^o Iliteraria ,itJiHie
soh o titulo de Memoria do
Bom dess do- Moote> em m ut,FX ',
Bpa_a Em Pernambuco, P. Maurer A C, a-
Achale a venda na_lojada cua do Crespo Macei, Paulo losada Costa Araujo.
q. 2u A, esquina da- do Queimado, a pri- j
morosa Memoria do. Bom Jess, d Monte, I
em Braga ornada de gravaras Anas, se- j
gunda edic3o, obra da penna do ouro do
mui Ilustrado lente da universidade de
Coimbra, o Exm Sr. conselbeiro Dr. Dio- i
go Pereira Forjaz de Sampaio Pimentel.!
Quem tiver noticia da extraordinaria devo-
C5o quo existe em Portugal para com
aquella milagrosissima imagem, aflluindo
sempre para, o seu magestoso templo em
romaria, o numeroso povo do todas as
partes desse reino; quem souber avahar
as brilhantes descripcVs, e o bello estudo
daquello coniuromado jurisconsulto e eximo
Iliterario portuguez, o9o deixar de procu-
rar, quanto antes, prover-se do um exem-
glar da dita memoria, pelo diminuto preco
de .'!">. na toja cima indicada, onde j ha
pequeo numero deltas.
Desappareceu o escravinbo Gregorio, cabra
acaboclado, de idade 10 annos, pouco mais ou me-
nos, veio ha po'teo do mato, e empregava-so em
vender na raa, tanto que levou un taboleiro de
(landres, conteodo diversas chicaras de arroz doce:
quem du mesmo escravinho tiver noticia, poder
clirigir-se ra da Aurora n. 88, Io andar, que se
recompensar. ________.
ent-
Rua do Crespo n, 9.
Bonitos albuns de photographia para presentes,
com encadernacao de marroquim o enriquecido?
com duas lindas pecas de msica, sendo o preco
para 200 retratos de 505 e pan 100 retratos de
30000.____________________________________
AMA
Precisa-se de urna ama para cozinhar e com-
prar : na ra Forcaosa n. 6.
CRIADO
Na ra estreita do Rosario n. 33, primeiro an-
dar precisa-se alugar um criado do 12 a 13. an-
nos, livre ou escravo para o servico externo de
una casa. _____________ _________
Vicente Alve Moreira, agenciador de ven-
das de escravos, mndou sa residencia ^*|
liortas n. 94 para a ra da Pa n. 3*. onde sed
freguezes o poderao procurar para a luesma oceu-
pajo. Recebe escravos em commtsslo, e promette
prompta venda.
Em oil:i prnfa, tai, mire a roitoc n i.. wiil
Him leva n wen s iiclr^wn l. ,
rollo com o Bi.t.o l i}ial t)>> Sj utr.% i u* <: i.
.'.i i -i \tp
,: t
llIC'.l-
i, C ib.i.
aom ixini't.
d'i hIcIuii -
QOCTEUR M 0EC1NV<^V
aattfr dcscottio,
Na raa da Roda n. 16 precisa-se de. om:>
amaquesaiba cozinhar, lavar eengommai-.&**
se bem. o na ra da Florentina n. J, packria.
"ittencfto.
No beSco da Carvalha n. 1, Breguczia de S. Jos'
precisa-se de um caixeiro que tenha pratica d i
taberna.
m
KRM ;
IDO
w CABUG
esquina
Ida ra larga do
Bosario.
RA
AO AMEL DE OURO r im
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. L
vista da qualidade e do prepQ das joias c$ada um pder-se-ha convencer daverdade.l raa larSad0
h ai* aa tfktf ^* ak _
Oarante-se ser tudo de lei.
vados.
Compra-SQ ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Eosario.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
utva



Diario de Peraambuco Segunda feira 16 de Agosto de 1869.

r-
COMPANHIA
POS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A.9 OliIMDA.
Por orem la directora e a reqoeri-
mento do numero de accionistas que esta-
be ece o art. 1G dos estatuios, sao convi-
dados todos os Srs. accionistas para reu-
nirera-se era asserabla geral no dia 17 do
corrente, s 10 hgras do dia n salao do
Club Pcrnamhucano, aliar de se tratar de
completar o numero de membros da di-
rectora e d- outros pontos relativos s
encommendas do material que tem de vir
da Europa, segundo reza o requerimento.
Eseriptorio da companhia, (> de agosto
de 1869.
Io secretario,
'' 7/ieo. Just.
Negocio importante
Alexandre Sussuarana, residente na pro-
vincia do Cear deseja saber noticias do
portuguez Lino Jos Barbosa que raorou ha
longos annos na praca de Pernambuco ;
tambem estove na cidade de Batnrit da
proTiucia do Cear, aonde deixou duas lilhas
e bem assim como no Recife. O annun-
ciante casado cora urna prente prxima
do dito senhor.
Teve unn filha que fui professora na
cidade do Recife e como o annunciant
tenha de tratar negocios de importancia,
faz este annuncio, que espera resposta por
este jorual, ou no Cenia pelo Pedro II, ou
Cearense.
Preeisa-s de duas amas que saibam eozi-
nhar e ongotnmar, prefere-se escravas : ua ra
cit Cru7.cs n. 21 2o andar.
HOTEL so b3ie::te
Ra larga do Rosario n. 44.
EspceLlidade na preparacao dos generes ali-
menticios, promplidu e asseio as encommendas
e boa organisacao no estabelecimcotn. Reeebem-
se asignaturas para o estabeiecimento e a domici-
lio, facilita se I leitura de jnrnaes nacionaes e es-
trangeiros. Espacosa sala para o elegante jogo de
billiar, c ha decente e rnmmoda hospedagem.
Feitor
Prerisa-se de traa preta vtlha para agradar
e tratar de mu doeme, na roa larga do Bosnrio
n. 21.________________________
Alugam-sc at G escravo* para o servieo de
campo, adianla'-se al seis raezes de alugnel para
cida um : quem tiver deixe sua morada na co-
cheira do Sr. Tliomaz para ser irocurado, m ra
lo Santo Amaro, ou ua ra do Imperador n. io,
eoeboira de Manoel Mara.
Precisa-se de urna ama
mero 26.
Ana.
na na do Aragao nu-
Sara leccionar pri-
i
r)IYerece-se urna pessoa
Miras letras em qualqner engenlio 011 sitio : quem
pretender dirija-se ra da Gloria n. 30, a qual-
quej- hora do dia.
Cozinheiro
Precisa-se de um cozinheiro pratico de casa de
pa^to : na ra da Lapa n. 11.
Escravos para alugar.
Na padaria di rna Direita n. 84 precisa-se alu-
gar escravos, e paga-se bem.
Precisa-se
na padaria da ra da Senzala-velha n. 96, de um
aixeiro e de um amassadnr.
Fugiram do engenho Firmeza
do termo da Escada, na nojte de
1U para II do corrate, dous es-
cravos mulatos, os q..aes foram
comprados ao Exm. Sr. barao de
Nazarctli lia 15 dias pouco mais
ou menos, sendo Joao, idade de
5^j3>30 a ;12 annos, bem barbado, pei-
toa cabelludos, tem os dedos dos ps, isto os
mnimos curtos e quasi que trepam um no nutro,
tendo todos os dentos Je frente, corpo regular e
leva chapeo d cooro de sartaneio, calca azul de
algndao que Ihe chamam pelle d onca e cobertor
de bacta escura e mu" alfWM roupa, Ca escravo
*-Uim. Sr. tenente-coronel Agostinho Correa de
Mello, de dttcary, o oulro de nouie Flix, ca-
bra, alto, bom corpo, idade ae mnos poaco mata
ou menos, levan, cliapo de cauro de ahaajareas,
caiga azul dealgodo que Ihecharaam pelle do-
ea e cobertor de bau escura, fui escravo do
film Sr Eduardo Peinra de Seitza, da provincia
da Paranyba, que o venden por seu procurador o
Sr. Jos La Alheiro quem o appreuender e
levar ao raemo engenho Firmes ou no Recite no
oscriptnrio de Domingos Alves Mathens, a ra do
Vigario n. 21, sor generosamente recompensado.
^F
-rmtii
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA

uciitii ii ciiiTiiTiiiiri mi ctmiiv iimiiiii n
CIAPltl Bl !
J RU
De toda u qualidadei I
De toda* os feitios !
De todas os preces t
RA DO CRESPO H* 4
ios ?o:oooooo
CASA D
Ra do Crespo n. *3.
O abalxo assignad a da pre-
sidencia e satisfeito as ootras exigencias da lei;
avisa ao rcspeitavel pobiieo que ter sempre a
venda no seu ealaboleeimeMo bilhetes da* lote-
ras do llio de Janeiro, cujos premio serio pagos
promplamente vista das listas com o descont
smente da lei.
Precos :Inteiros.. 24*000
Meios... 1**000
Quartos. 6*000
B era qnantidade maior de 100*000 na razio
de 22*000 por bilhele.
Manoel Martins Fiuza.
AUGUSTO PORTO & C.
1X-RUA DO QUEIM D0--11
Tendo chegado ltimamente ao seu etabelecimento grande variedade de fa-
llidas do gosto as pem disposiijo de seus numerosos freguezes pelos mais mdicos
presos possiveis, sendo:
Boarnous do cachemira hrancos o do cores, o que ha de mais elegante para
hombros de senhora.
Noves gostos de manteletes justos ao corpo denominado silphides, sirennes,
orientales de renda preta de soalines, o quo ha de mais elegante para urna mofa.
Basquines de guipure preto, novo g)sto,enfcitados desetim de cores. Vesti-
dos de blond com manta e capella para noivas. Fronhas c toallias de cambraia de linho
bordadas. Cortinados bordados para capas e para janellas de diversas qualidades:
colxas de seda e de lila e de seda para camas de noivos.
Epingl, lindo gorgui o de laa c seda de cores, muito elegante fazenda para
um lindo vestido. Sedas de cores e pretas, gorguro de seda branco e do cores com
listas assetinadas, panos, casemiras e muitas outras tondas cujos procos sao em geral
muile mdicos. Grande sortimento de camisas para otnem, tanto lisas como bordadas
e de cores.
Continuam sempre a ter grande variedade de tapetes para sof, para cama e
para pianno. porcao de tapetes em pegas para alcatifar saloes. e grande quantidade de
Esteiras da India para forrar salas.
Precisa-se dum hornea) que entenda de todo o
servieo de campo para feitor de um sitio : a Ira-
lar no largo da ribeira da freguezia de 8. Jos, so-
brado n. 5.
Na na das uzes n II ha para alugar um
moleque de 16 a 18 annos, proprio para servieo
interno c compras de qnaltjucr familia o lintel,
Na pr.ica da iiidepntdencia n. 33, se d di-
nheiro sob peabores de oaro, prala e pedras pre-
ciosas, e seja qual l'r a qnaniia : na mesma casa
se compra e wnde objectos de ouro e prala, e
igualmente seta toda e qualquer obra de encom-
menda e todo e qualquer concorto tendenr a
inesma arte.
Alaga-se na Estrada nova urna casa com 2
quartos, cozinha fra e cacimba : a fallar no sitio
da viuva Villascca.
Na ra do Rangel n. t> admitte-se urna pes-
soaque qneira aprender o Irabalho de padaria, pa-
gando-se-lhe,
LASA DA NITI1IU
Aos 4:000^
Bilhetes garantidos.
k na do Crespo n. 23 e casa do costme.
O abaixo assignado tendo vendido alera de ou-
tras sortes 2 quarto* n. 774 cora 4:000* da lote-
ra que se aeabou de extrahir beneficio da Santa
Casa da Misericordia, convida aos possnidores a
virem receber na conformidade do costume sera
descont algum.
Acham-se a venda os bilhetes da 27' parte da
Santa Casa (116") qae se extrahir no dia 17 do
correnle raez.
Precos.
Os do costume.
Manoel Martins Finta.
COMPAMA PERflAHBUGANA
AOS 20:000*2000
CASA FELIZ, ARCO DA C0SCE1C0 N. i.
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na for-
ma das leis tem exposto Venda os seus felizes
bilhetes das loteras do Rio de Janeiro, na casa
cima aonde se paga rao as sortes que sahirem
nos mesnios bilhetes com o descont da lei s-
mente.
'Presos.
Bilhetes inteiros. 24*0f0
Meios......12*000
Quartos.....6*000
E de 100* para cima a 2*'obilhete.
Figueiredo & Leite.
COSTREIRA.
Cose-se costuras de alfaiat- a moda fran-
caza, por preco comrrrodo, na ra Augusta
n .142, e d-se llanca sotire as mesmas.
O advogado
Affon-o de Alhuquerqne Mello mudoa o seu es-
criptorio para a ra das Cruzes n. 37. defronte da
typograpbia do Diario.
Miguel Goncalvcs Hodrigues Franca, lilhi de
Manoel Goncalves Rodrigues, vende a heraoca que
em urna quinta Ihe deixon na ilha de S. Miguel
seu av paterno Joao Goucalves Rodrigues : a tra-
tar na ra do Crespo n. 12, Io andar.
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de urna eflicacia verdaderamente ma-
ravilhosa como calmante do systema nervoso
i applicado contra a paralisia, asthma,
tosse convulsa ou coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, suflocac5es, catharros,
bronchicos, etc., e em geral contra todos
os soffnmenlos das vas respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua virtude contra
o ttano ou espasmos, o convu'ses in-
contestavel, e iiinguem ha que -. desconhe-
ca. Ra Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.
Ainda nao vieram, no entretanto o negocio
de interesse, e precisa-se fallar ra do Crespo
n. 17 com os Srs. Paulino Ferreira da Silva, ex-
procurador da cmara, Dr. Francisco Pinto Pes-
soa.
COX&EIjIIO DE DIRECTO
Os Srs. Saunders Brothers & C, Tasso Irmos,
Luiz Antonio de Siqueira.
GERENTE
0 SR. F. F. BORGES.
Restando ainda emittir algumas aeces desta companbia, da qoantia nominal de
00,-JOOO cada urna, das quaes so se aceitam em virtude da lei, 20 "/, ou 'aO^SOd por
cadaacco; coavida-se*pelo preserve ao publico em geral e especiaImeDle-.aoa&s.
capitalistas e interessados no commercio, que queiram dar empreco seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accSes que Ibes approuver.
Algumas destas actes j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vaolagem,
do na presente occasio (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem dtspr em objectos de valor rea!, comoivapores, predios etc., qu Ibes garan-
tan! seus capitaes.
A companhia possue hoje 10 vapores, 0 inteiramente novos, e destes o oltimocsta
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamenle para ella.
Alm disso est ediGcando vastos armazens, no terreno pue possae ho largo &S&-
sembla.
Seus dividendos tem sido ds 10 % ao anno nos ltimos 4 annos.
As accSes que se emittirem gosam dos mesmos djreitos, e percebero o beneficie
dos mesmos dividendos queosantigos em proporc5o da'entrada.
Recebem-se assigqaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12.
DENTISTA BE PAWS ~
19-Ptua Nova19
FREDERICO ^ .IVT1ER
:irargio-denlista, muito conhecido ha dez annos n'esta cidade, pela perfeicao dos seas
trabalhos, tem a honra de participar ao respeitavel publico que tendo feito muitos mc-
'horamentos na sua casa, pode d'hora avante receber as senboras no seu gabinete ofld*
icharlo os commodos precisos para familia.
Acba-se tambem na sua casa e na sua companhia, o seu sobrinho e discpulo
J. IiEROVX
o qual acaba de voltarde urna longa viagem a Europa, durante a qual pralicon coa
feliz successo as primeiras casas do Pariz e de Londres, offerecendo assim as metbores
garantas do bom desempenho para tudo o que for relativo a profisso ; por kso o
innunciante pede aos seus amigos e clientes que por acaso o nao encontraren) no sea
gabinete, depositm no dito seu sobrinho a mesma confianza com que o tem honrado
a dez annos.
Dentaduras por todos ossystemas: a press3odo are com molas de ouro, ftatina
vulcanite e um intciramenle novo n'esta cidade.
Cura radical dos dentes cariados.
Chumbagens (obturacoes) com ouro c com massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de dentes.
Agua e pos dentrilcios fabricados pelo proprio annunciante, o que Ihe permhte afian-
car sua boa qualidade.
Escovas para dentes. etc.
Perfeicao de trabalho e precos moderados.
. f'iagens para fra mediante ajusto previo.
O gabinete acba-se aberto das 8 horas da manh5a at as i da tardo do todos d
lias uteis.
MUDANZA DO
COSTl RER 1E MISTA
MADAMA LECOMTE
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de participar ao respeitavel publico e cm particular seus fregue-
zes, que. pelas relaces que acaba de encetar com algumascostureirasemodistas das mais
afamadas de Paris, que todos os mezes Ihe mandam Dgurinos, de vestidos, man-
teletes o chapeos que esto m maior gosto e mais modernos, se acha habilita-
Mto- para faaer vestidos para passeiQ e visitas, bailes e casamento. As seni.oras que
nonrarem coin^ualivgiiczia, nan deixaiode ser satisfeitas, tanto pelo bom gosto, como
pela barateza ds precos e pisnptid3o na titrega das encommendas ; tambem tem bo-
nitos alertos mwto ntodernose de lodasas cro6. Kazem-se chaoos de todas as qualidades
tanto de lilo como de palha.
J >.i-1:u u Jum de Campos da Costa de 3|e-
atojas as pessas, oju lte. Ikeram o-enridoso ob- -I
sefiio de assistir ao funeral de sua querida me, |
particularmeate a.;m'lle< de seus amigos, que Ihe
4eram a-mais significativa prova de dadlcacao e
aflect.), ajudando-o a levar a effeito, com a possi-
tI decencia, essas manifestaees ultimas do seu
extremoso amor filial: e a todos roca de novo se
lignem de a*-isi"r as iui alma di dita ua np ~e tem de eelelirar na igre-
ja do Espirito Sent (do Collcxio), no dia 16 do
ci i-^iiti-. < 8 ji.iran o sobrado c gran le sitio com bas-
tantes arvoredua do diversos /relos, boa baixa de
capim. cun tres frentes per ser entre oe trilito-
mianos o estrada de Parnameirim, e Cruz de Al-
mas, o qual foi do cinirgi Man iel Joaflulm Pe
rain, e I. >je de seus herc'eroOno de Vioro:
quem o pretender entemla-se com Manoel Ferreira
Hamos, na ruado Aragao n. 31, ou a Jos Anill-
aos Gumaraes.
Mflo Na casa de pa-to a ra da Lapa n. H, se pre-
para com todo esmero e asseio e se fornece tanto
para fora como mesmo em casa comida c do
sabbado para o dominen a bella man de vacca.
Ama de Mte
Precisa-w de urna ama>Ml'en
traversa do Veras n. 15, l andar. Nao
a<>reco.
se
: a
olha
iza
QUSNiM .ABARRAQUE
APPROVADO PEU ACADEMIA OE MEDICINA DE PARB
O Qnfotam Labarraqm, eminentemente tnico e febrfugo deve ser
preferido todas as entras preparaefles de quina.
Os vinhoa "de quina ordinariamente empregados na medicina preparam-se
core eascas de quina cuja riqueza em principios actives extremamente
variavel; parte disso, era razao de seu modo de pwparaco, estos vinhos con-
tera apenas vestigios de principios activos, e em proporedes sempre variaveis.
0 fiuinium tabarraqu*. approvado pela Acadami* de medkioa, con.
stitue pela contrario nm medicamento de composicSo determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes poden sempre contar.
O Qniaium Labarraqu prescripto com grande xito s pessoas fracas,
delibitadas, seja por niversascaiias d^otamenio, teja par antigs moles
tas; aos adultos fatigados por urna rpida cresfenca, s meninas qui tem diffi!
culdade em se formar e desenvolver; s mulheres depois des partos; aos vellioe
enfraqueeidos pela edade ou doenca.
No cazo de cblorosis, anemia, eflres plidas, este vjnho um poderoso
auxiliar dos ferruginosos. Tomado junto, por exemplo, com s pilulas te
Yllet, produz effeitos maravilbosos, pela sua rpida accao.
Baposito em Paria, L. FRERE, II, na Jacob
tUo-Jm*n, DOFNCUBLLE; CBEVOLOT. Pmmmi*, NAURBI et O
Albino aplista da Mocha participa
a todos osseusreguezesquemudou-
M com a sua offJcina da praca da
Independencia n. 1-2 para a ra das
Cruzes n. S3; previne, portento, a
todos os amigas e treguezes que se
achara em casa a qualquer hora
do dia, para executar tudo e qualquer concert
que de sua arte exigir possam, tendente a sua
profisso ; e em sua talla acharao com quem
tratar.
Obstracco
Do figado c do bac-o
Os preparados de JURUBEBA (tinto,
xarope, piluki, oleo, tmpt-stroe tintura)
sio efcazes contra a obstruocao do figado
e do baco.a ictericia, a hydropisia, as febres
intermitten'es e durezas, os desarranjos do
estomago, as faltas de sangue e de mens-
truaco, o catharro da bexiga, ete.
Unxo deposito, pbarmacia de seu autor
de J. d'Almeida Pinto.
Ra do Rosario Larga n. 10 junto ao
quarlel do polica
AMA
Pr. cisa-se de urna ama boa cozinheira, e outra
que engoiume bem, forra ou escrava, e que tenha
boa conducta : na ra do Pires, sobrado n. 27
ANA
11-Rua estreita do Eosaris 11
Este novo e modesto estabeiecimento, tendo aberto ao respeitavel publico esto ele-
fante e bem fornecido hotel que situado n'uma posicao inteiramente saudavel, e sen-
do constantemente sombreado pelos doces zephyros da tarde, torna-se preferivel i qual-
quer outro d'este genero, as tres cousas mais necessarias ao genero racionalali-
mento do corpo, distracao da alma, e socego de espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto muito profusa, da primeira orden; no
primeiro andar, sala da frente, um excellente billiar de mogno, para divertimento. Sala
de traz um restaurante da primeira ordem. Quanto ao asseio e bemfeoria das eomedo-
rias, o delicado modo do pessoal do estabeiecimento, promptido e commodidade s<#
ios Ilustres concurrentes dado fazer justica.
Fornece comidas para fra, tanto por mez como avulsa. Todos os *> i noie,
mcontrar-se excellente sorvete, refrescos, cal, cha, bons vinhos Figueira, PertOi Bor-
leaux, tendo bons commodos para hospedagem, salao e quarto mobiliario, nosogua
do andar.
O
Precisa-se de.urna ama, forra eu escra-
va, de bons costtimes, para servir urna
senhora, e fazer-lhe algum sgrvico de casa:
dirija se ra dos Pfazeres, na Boa-Vista,
casa terrea n. t.
Attenco
Na ra Estreita do Rosario n. 35 Io andar prepa-
ram-se ricas bandejas de bolos para casamentes, bai-
leeliaptisados, pormveo muito commodo, com bolos
dedifferentes qualidades, boqucls de flores artiliciaes
e naiuraes proprins para enfeites de bolos e para
casanientos e pura qualquer offerta com filas bor-
dadas a ouro e lelreiro agosto dos dones ; as en-
i'oinmendas devem ser feitas dous dias antes,
inleitam-so velas ricas por muito barato proco
para laptisadus enl'.iii's de altares; faz-se ca-
bellas e renos para as tojas e limes para enfeites
de igrejas ; |irepara-se qualquer encommenda,
para fora rom toda a presteza, de rosas, palmas,
i-apellas, fe>t5es e roseiras para onfeites de igreja
mais baralo do que em nutra qualquer parte e
com toda presteza ; faz-se pan-del, pudins e do-
ce, tudo enlejiado para preseate*.
= t abaixo assignado sciemifl"a ao n--peilar I
putilieo, especialmente a o corpo cmnmercial desta
praca, que passa a as oe S Ramos. Recife 12 de agosto do lf-fi9.
_______________ Jusiin.i M n. el Ramos.
A ieira do casal de Juan Hennque da Sil-
va, pede ao? senhores que icio pn-dios edificados
em terrenos do extncto vinculo- da Gonceicao dos
CH|ueiros, quer no bairro da Boa-Vima, quemo
de Santo Antonio, a bondadedo os mandar satis-
fazi-r a seu lilho Jos Honriques, que, se acha por
ella encarregado de os receber, na ra estreita do
Rosarion. 2 primeiro andar, das 10 horas as 3 da
tarde. E cmno-peeiab*la4e pode aos Srs. procura-
dores das irmafldades da Coiweioa do Bcberibe,
Saiit'Anna, Rosarlo e S. Goncalo' da Ba-vist, a
qtem jase tem dirigido cartas por intermedio dos
inquiKno que oceupam os predios das referidas
iro atulades. Bem como a quem tem direilo as ca-
sas deixada pelo fallecido Fr. Pavao, do conveat
do Carino, vir pagar igualmente os foros que es-
tes predios eslo devendo ; e se algufna duvida os
mesmo? senhores tiraran em seus predios serem
ou *> fureiro, podwio ir tira-la a vista dos do-
cumentos t esrripturas, pms. j se tem dado por I
veses se venderem predios com chao proprio o
elles serem foreinm.
^3
FLOR BA BOA-VISTA i
DE 3
^PA0L0FMABESDEMLL0GMABAE^
-^ SOB A D1RECCO DO MUITO HBIL ARTISTA
9 ALFAIATE PEDRO 1
Nesta oflicina encontrarlo os respeitaveis freguezes um dos primeirw artistas
cm alfaiate para bem poder satist'azer toda c qualquer obra, tanto no bom corle, coma
no aporfeicoamento das mesmas.
Torna-se desnecessario recommendar este artista, pois que a sua thesowa
bem conhecida, (e com grande especialidad^ cm fardas) por muitas pessoaa dwtioctas
desta cidade
Achar-se-liio figulinos de todos os-mezes, pelo que o artista execata detaixo de
todos os preeeitos darte qualquer urna obra em face dos mesmos.
O mesmo estabelecimenlo se acha munido de um completo soitimeato de fa-
zendas, como sejam : casemiras de car, ditas pretas, pannos pretos, ditos azuea. bfifli*
de cor, ditos brancos, seda para colletes, merinos, etc. e mais fazendas prepriaj
officina.
0 grande sortimento de roupas feitas que tem vende por menos 20 0/0: oV.
que em outra qualquer parte.
RA DA IMPERATRIZ N. 48r
junto padaria franceza.
"?

- Precisa-se urna ama, para amamea-
Ur urna crianca: na ra do Pilar n. 03.
C0NFEITARI1 DOS ANANAZES
16RA M CRUZ -16
Ha diananiente sorltnieato de bollinhos para cha, fiambre, pastis dedWfej|QD-
tes qualidades, vunhos de superior qualidade, chHisson preto, e miudo, o memoro
se pode eocoalrar no mercado, aajeiidoas confeitadas, xarojjes reirigeraales, doceaTfo
calda, etc. .
Incumbe-se de encommendas para grandes jantares, bailes, baptiatfos a. -
smenlos, a saber:
Pecas de nougat. Pes-de-lot enfeitados.
Ditas de p3o-de-lot. Bollos km.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ove.
Ditas de carnudo. Tortas folhadas de erme e earne
Bandeja com armacSo de assucar. Empadas.
\
^iHVH
'..


TNnwo de Peraamkueo Segumla feita 16 de
Agosto
a
e 1869,
0
ESMERALDA |4Z4R M *>*
^^~*
>>"**
Os abaixo as proprietij esle
cstahelecitnento, deofaram ao respeitave
publico e com especialidade a seus nume-
rosos Jreguezes, que desta data em diante
as mercedorias sero vendidas a preco flxo,
>IJX0- -asa, ra Bella, n.
e mdico. Isto resolvern! os mesmos pro-' t;m curso de
ISTlDO M mPAIAIVRfOS
tm repetido para o ahumos
que tat de fazer exime ent
novenbi-o.
Jos S-ares de Azevedo, professor de
iugua e lilteratura nacional no gymnasii
Tfovooial de Recite, tera aberto em sua
37:
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
prapa, e por prepos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, pratafe pe-
dras preciosas
\ 5 B1IA DO HU \ 5
ALGODO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os taannos para descarocar algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
MACHINAS ditas, tambem de serrotes e .de todos os tamanhos para descarocar, al-
godo do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algod5o.
MACHINAS de Eacao do fabricante Platt B. & C, Obduan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
vindo ao mercado ; e para a sua apreciaco convidam-se os senhores agricultores 2
virem a exposicao das mesmas na na da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
encontrado mais o seguinte :
{prietarios em consequencia de reiterados
[pedidos c militas pessoas por ser este
systeraa de vender o que mais garanta e,
con'ianca inspira ao comprador.
As vendas em grosso. serio feitas com
os a batimentos na razo seguinte :
Compras de 0,$ a i00 descont 5/,
de J0O> a 5O0 10/0
de 500 para cima 15o/'8
coma"*"1" ^t'-',,in*a,'', uo mesmo mez de
Os proprietarios do- BAZAR DA MODA*,
observara mais que, recebendo todas as
mercadorias de conta propria, offerecem
a quem comprar todas as vautajosas condi-
res das casas importadoras.
0 ostabelecimrnto conserva-se aberto
todos os dias uleis das t horas da matiha
a> 8 horas da noite.
Recife, I.de agosto de I8G9.
Jos de Soma Soares & C.
'
LINGUA FRANCKZA ;
PHILOSOPIIIA ;
GfcOGRAPHIA E HISTORIA;
RETUORICA E POTICA.
Os estudantes que pretenderem fazei
exame em novembro em qualquer desta;-
materias, podem dirigir-se inlicada re-
sidencia, tarde, das 3 horas em diante
"^* m, 5 ^''uir Coutinho reside
a roa da Cadcia n. o, ou u~v
aberto o seu consultorio medico, e
f piule ser procurado a qualquer ho-
ra para o exercicio de sua profis-
so.
AMA
Im S. Jos il i Manpuinho, caa n. 2, anl
,'eja, paga-se boin alagad a dua amas qc
jam de boa conducta, c cuteudam tan de eugoni-
iiiado"'' c i/.inlia.
Qui'in quizer .-durar o 2o andar do sobrado n. 40
da ra da Haden uo Recife, o qnal se acha pre-
senteincnlo pintado, e esleirado e forrado a papel,
todo om pe feito estado : pode dirigir-se ao es-
criptono da eompanhia Pernambucana, no caes da
Asseuiblan. t, que alii achara eom ipiem tratar.
Prneisa-se de um caixeiro de 12 a 14 aonos,
com pratica de taberna, que di: fiador a sua con-
ducta : na ra da ('.-incordia n. l.'.
' il.''iinto- Fiu.'ire.do, i'X-vi-
gano geral da chrese de Pernambuco.
Dr. .Man.mi Encdino HegoValenea, me
dico, ra da Camboa lo Carino n- 21.
*
N. 24, ra larga d Rosario
loja de miudozas denomi-
nada-a Generosidade.-
L. Cat3o & C, ra da Imperatriz n. 77
A' este grande e til estabelecimento acabam de
cbagar carregaientos especiaes de drogas e tintas
Frec'i;.a-se fallar com urgencia a sj esperadas de encimincnda propria. Aoja conhe-
Srs. Joo Apolonio Cavalcante e Antonio ? sortimento de drogas preparados, e timas,
FPi-mndo* iIa Mmoid n-i na fin Pirlri; m ?mo de. ohJecto* e instrumentos necessarios
peinantle do Aimcida na tua aa Lau. a a mediema, cirnrgia e trabalho* artsticos e elu-
do rtenfe n. o3, armazcm de molhados. micos, acaba este estabelocimenlo de enriquecer-
se cam tres importantes renicssas vindas das pra-
cas de Lisboa, Haniburgo e Pars. Rxperimentem
e desengauem-sedos'que abi se ineulcam senitaes
meios e por urna ostentaco (salvas as excep^oes)
para ao menos se eonvencerem de que na fre-
gue/ia da oa-Vrsta a nica botica importadora
Henrique de Moraes peitavul publico, que com o titulo cima tcm aber- me!"'vs dnndicoes, qur cm relacaoas qualidades
to um aslabeleciioento ompleto de miudezas e Lei'-ao* Precos.
perfumaras ra larga do liosario n. 24 A, onde
ichar-se-bo todos os ariigos de vioda e laxo, por
menor preco que cm outra qualouer parte. E

ram, pomnto, os anuunciantes, que a Gen. .tos- -7 ,''1?a f U' a ru'l .Ua I,DP?ra,rB
dade merecer a benevolencia e cowliuvacio doj 2 'J'fan, ,de.ret^r "'" ''ompleto ?ort;u.ento
respeitavel publico, a quem prometteme afiancarnT!:.;.^"^.1'.'.:.'1.''Iii'I;,Ik',:' Mas "1U"" "ovas e P,r
as qualidades dos objeelos. assim como a promp
tidao qne se exigir
at de PernainlTuco, imhi;?.. ail-
vogado nos aiulitorins do Recife, havendo chegado
da Europa rostahelecido de seus i icommodos, tem
Je novo aberto teo escriptnrio de advogacia na
: ra do Imperador n. 57, entrada pelo caes 22 de
N ivembro. e se propoe exercer o ministerio da sua
AlngV-fi um sitio cilMa. a9a de vmTmja, protiasaodo advogado no foro ecclesiastico, no ci-
com commodos para grande familia MI Rana geni vel- "'ommercial. e no administrativo, para o
da Magdalena, ein frente ao sitio dos Srs. Bailar & W sor ftncntrado das JO horas da manhaa s 3
Oliveira : a tratar com Domingos Alves Matheus (la tarJe' emt|)dos os dfas uteis no dito escripto-
rna do Vigario n. 21. j rio, e fra dessas doras na Ponte de Uchoa, resi-
- dencia de seu mano o conselheiro Jos Bento da
Ctinha Figueiredo.
Precisase de uina ana para o servieo inter-
no de urna casa, comanlo qne saiba bem cozinhar
e engoiomar, etc. etc. : quem estiver neslas con-
dieoes. compareca no sobrado da ra do Impera-
dor n. ;>7. que ah se dir quem pretende.
ATTENCAO
Preci>a-se de urna ama liviv para comprar
e cozjidiar : na travessa das Flores n. 15.
Novidade
AOS 20:000,000
Casa da fe icidade
N. 22 PRACA DA INDEPENDENCIA N. 22.
Os abaixo assignados, tendo obtidn licen-
fa da presidencia e saaAo as mitras exi-
gencias da lei, avisa ao res|>eitavel publico,
que lera sempra venda bilhetes das lote-
ras do Rio de Janeiro, cujos premios sero
pagos promptamente a vista das listas, com
o descont smente da lei, pelos precos
commodo proco.
Aiga-se
A lu
Debulliadores para milho.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carriohfis de mao.
Machinas para cortar capim.
Cahnos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Tenas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e lato.
Ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flaudres.
Machados americanos.
FacSes ditos.
Balaios e cestas de verguinha.
Vassouras americanas.
Folies oe todos os tamanhos.
Tornos safras para ferreiros.
Finalmente muitos oulros aitig
divorsidade seria enfadonho eunumera'los.
Folha de ferro.
Salangas americanas.
Tinas- de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para reftnaces.
Azeite de espermacele, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
PARS
ffk
^^ CARVAO DE BELLOC
Approvado recomraendado pela Academia imperial de medicina de Pariz para a
cura da gaslralgia e em geral de todas as doengas nervosas do estomago e dos intestinos.
t egualmente o remedio por exelleiiea contra a releneao de ventre Fin!inente era
razo de suas propnedades absorveiites, recoinmendado como verdadeiro remedio nos
cazos de diarrbea e cholerina. O cri. de Beiloe teina-M na occasio das comidas
sob a forma de pos ou de paslilba.
Depotito cm Rio-Jaseibo. DupoiichelU; Chevolot. Em Peiisaiiuco, Maurer & C\
o segundo c terceiro andar da na do Trapiche n.
46 : a tratar na mesma casa das 9 as i horas da
tarde. _________________-
Attenoao
O abaixo assignado, professor de consiruccao
naral, por despacho do govemo da provincia de
22 do junho de I808, e mestre de estaleiro, otere-1
cese ao respitavel publico para qualquer traba-;
Iho de sua profissao, qur ein vasos fluctuantes, a
velas qur a vapor ; e tambem encarrega-se de
tirar madeira para consiruccao do barcos, turne-
condo o contratante os desenhos on as proporcoi-s
das madeiras: os pretendentes podem dirigir-se
ra de Santa Rita n. 24.
Jos Elias Machado Freir.
iga-se
urna casa com bastantes commodos, na cidade nova
de Sant Amaro : a tratar com Antouio Jos (io-
aies Jnior, em Santo Amaro.
seguintes
Bilhetes inteiros... 245000
Meios..... 123000
Quartos... GlOOO
Veras < Barbedo.
Xa ra das Aguas Verdes n. 100, segundo
andar, se dir quem d urna pequea quantia a
juno*
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar e comprar
para casa de pouca familia : na ra das Cruzo
n. 28, 1 andar ; preferc-se escrava e paga-se
bem agradando.
1
L
i
Resta venda um cscolhido sortimento de ob-
ectos de marcinera, como sejam, mobilias de ja-
jarand, mogno eamarelln, obra nacional e estran-
/eira, de apurado gosto e por prejo razoaveis :
na ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
:asa fazem-se com perfeicao todos os trabalhos de
palhinha, como sejam, empalhamentos de lastro!'
para camas, cadeiras e sopbs.
Muita attencao.
Fugio no dia 29 de junho o cscravo Manuel, de
naeao Angola, idade ,"i0 anuos pouco mais ou me-
nos, com ai signaes seguintes : falta de denles na
frente, andar vagaroso, pernas finas, marcas de
bexigas, levoucali;a e camisa de riscadinho, cha-
peo de" palha novo : roga-se aos Srs. capilaes de
cani|H)de o aprehenderem que olevem a ra Di-
reita n. tti, (|ue s^r generosamente graiificado ;
desconfia-se que anda pelos engenhos do Cabo.
Precisa-so de urna ama (pie saiba comprar e
cosinhar, na ra larga do Rosario p, 21
Attencilo
Quem precisar de roupa lavada e engnmmada
pelo baratissimo preco, de : camisas de lioinem a
140, calcas a lO. ceouras a 60 rs., oolletes 14$).
I neos e meias a 20 rs., colarinhos a 40 rs. : diri-
ani'--i' ao berco dos Ferreiros, casa n. 17. ____
Precisa-se de urna ama quesaiba cozinhar
hem, para casa de pequea familia : na ra do
Sebo n. 20.______________________z______________
Engoii.ma-so roupa lauto de homeni como
de senhora, com perfeico : na ra do Caldeirero
n. 16._____________________________
Notas ilas eaixas liliaes do banco do Brasil:
trocam-M' com mdico descont, na loja de Manoel
Soares Piaheiro, praca da ladeiiendencia n. 22.
MARTIMOS
COITRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora,estabelecida
testa praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
"Os apreciadores de manjares delicados encontra
rao lodos os dias no hotel central do Francisc*
Garrido a verdadeira sopa de. raviole, ao verda-
deiro gosto italiano, assim comooutras excellentes
iguarias, que seria enfadonho mencionar. All se
encontraro ain ja os ra'ais asseados aposentos para
hospedes, e banhos, biHiares e pianos para re-
creio dos visitantes: na ra larga do Rosario n.
37, y andar.____________________________
'Gttl.
Xo o largaremos at que..........
E' na roa Direila n. 53, loja de lerragens, que
se desoja fallar ao Sr. Antonio Francisco Duarte
ou seu inno ex-deputado provincial I)r, Maxi-
nnano Francisco Duarte: deve saber quem....
Troca-se a moradia de um 1
andar da roo das Cruzes por um
sobrado em alguina nutra ra do
inesmo bairro do Santo Antonio,
preferndo se as proximidades da
Praia da Independencia; a quem convier dexe
carta n'esla typogrephia com as iniciaos J. A. F.
para ser procurado.
Precisa se de urna ama que saiba bem cozi-
nhar e fazer compras : a tratar na ra da Ca-
deia do Recife n. 1, arniazem.
Il
JOIAS
GOMES DE MATTOS
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exins.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute i>a
RA DO CABUGA N. 4
oiide encontrar&o um completo sortiuieulo do que ha (Je mais elegaiite*
bello e precioso em brilhanles, esmeraldas, rubius e tutfc) pe em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBrHS
de qwos goitos, assim como grande variedade de salvap e paliteiros de
prata contrastada e de gpato anda nao visto, e completo sortimento de
o>jectos de prata para uso das igrejas,
Comoram e trocas quakjuer joia ou pedra pref ia e garanten*
a qualidade dos objectos rendidos.
! A" ra estreita do Rosario u. 35
I andar.
Fornei-e-se omedoria* para fra, de urna casa
aular de familia, preparadas com todo o as-
seo, promptidao e commodo preco : na ra estrei-
ta do Rosario n. 35, Io andar.
Joao Evangelista de S tendo de seguir no
r do dia 13 para Europa, mais breve do que
lenoionava, falta-ibe tempo para se despedir de
t n qu faz pelo presente, offerecendo-lhes sen limi-
tado prestimo em qualquer parte que o desuno o
o levar.
Joaqunn Ferreire dos Santo, professor de
; danca, natural de Portugal, e chegado ha pouco
i da Europa esta pr vinca com sna esposa, tem a
honra de participar aos seus Ilustres habitantes,
le mui principalmente ao* Ilustres chefes de fami-
| la, que mudoii a sua residencia da ra do Impe-
rador n. 75, 2 andar, para a rna estreita do Ro-
sario n. 31, 2o andar, d'onde contina a leccionar
em danca, de b.iixo de toda a re variedade de dancas de roda, nao menos deonie
quadrilhas differwntes, sendo a mxima parte del-
las Je brilhaate eflHto, as tercas, e quintas a noi-
te, e nos domingo* de raanhSa a noite para as
pessoas jue nao podem ir nos dias uteis, o no re--
to da -emana i>romfttiAea irs casa* particular**
e eollesios, para isso for chantado.
Attencao
Ama
Precisa-se de urna ama para
milia : na ra da Palma n. 15.
casa de pouca fa-
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que em outra qualquer liarte.
Na praca da Independencia n. 33, loja deou-
u ves, compra-se ouro, prata, e pedras preciosas, e
tambem se faz qualquer obra de eucommenda, <
iodo e qualquer concert.
Gompram-se e venden) se diariamente para fra
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios: no
terceiro andar di sobrado n. 36, rua das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio.
Sediilas de IS e ->S
Compra-se na casa de Tlieodoro Simn
c C, largo do Pdourinho.
COMPRA-SE
moedas de ouro e praia de todos os valo-
res, ouro e prata em obras inutilisadas, e
brilhantes e mais pedras preciosas na lo-
ja de outives do arco da Concedo no Re-
cife.
1JCnmpra-se chumbo velho : no armazem da bola
amarclla, no oitao da secretaria de polica.
Ouro e p ata
Compram-sc moedas de ouro e | rata de todas
as qualidades, |>or botn prego : na na da Gadea
do Recite n. 58, loja do azulejo. __________
No armazem da ra das Cruzes n. i', c mipram-
se e vendem-se trastes novas e ufados.
Compra-se romaas (fruclas) grandes e
mad-iras, a pataca cada urna, na padaiia da
tua do Brom n. 6i.
VrNDAS.
Farinha de mandioca
da torra muito boa, tem para vender Maa& Lan
delinp, na travessa do Queimndo n. 18 B.
Cal nova de Lisboa
Vende-JoaquimJus Hamos, rua da
8, landar.
.i
Q uz n.
. se um preta quitandeira
rap do Pilar n. 47.
a tratar na
i -
AVISO;
s autoridades policiaes e a
(luem competir.
No dia 29 de majo do crtente anno, fu
feij o esejavo EsequieJ, ceiouJo de 0 3
pwios.d idade, osiatuia regular, reforfado,
pr hem pela, cabega redonda, trajava ca-
misa azul e rifa ^cas^qk^ c^^ula ; du-
rante o dia costuma andar gaobando as
ras, ou em'armazens de assuear, ou as
taberaas. a conversar e a beber; dorante a
niuie recolbe-se a tellwifus aberlos ou pe-
netraveis, a casas em.constrwceaoeaoiAtriOS
imaejvOtter lugares, onde se possa abrigar:
imefl}, o appreucnder tel>ba a'bondade (le o,
;ou.luai- rua da Auruia n. 6, oiuie sor.
gratificado.
S
Para o armazt-m do Campos, na ra di
Imperador n. 28.
Neste muito acreditado estabelecimento
acba sectistanteminte um variado sorti-
mento de gneros linos para meza r
cosinha e entre estes nomea-se apenas as
especialidades'seguintes:
Queijos do sertSo sendo de manteiga e
coalha.
Camaroes seceos do MaranhSo.
O verdadeiro caf de Moka,
O superior e bem conhecido peixe rniraguaia
que se vende a IrtO a libra e M50O a
arroba.
TABELLAS
de rethicc3o as mais facis e ma-s com-
preh^is\v.o. tudo no
Armazem do Campos
Prtatf,dJa,iini a
im ruado MiP'lego n.
&' ***#
.liar com oSr. hrui^sc!
ta e Silva, negociante de fazendas, a nepoclo
seu interesse : na ra de Santo Amaro n. 26.
de
= Tassi) Ir naos receberam pelo vapor Snlqdtn-
pojes con 18 libras de manle:a ingfeza de p-
meira qualidade. fazinda muito superior a que vem
eqbar.ris, e mnrto ciiinmoilo para casa* particu-
lares : vndese a dinheiro a \iiQ0 a libra, ou tf
o pote, sendo i^.custodo me>ino.
yi-ud' -se. una machina aipdajiao servida, por menos
ra dn Ranj^l o, 9t
Lojn de miudezas de Ferrcira da Caoba*
Temporal; ra do yueimado n. '.t, i
(juimariilo por todo preco :
Jogo de vispara a iOO e 500 rs.
Rede* para coques a 210, 400 e 500 *.
Linda de 200 jardas fduzia) MS00.
Caixa muilo lina pata p de atroz l^50.
elogio de sol 120 rs.
Latas rom banha 1(50, 00 c 320 rs.
Agua florida verdadeira a l-:0.
Agua divina dem I-5WO-
(jt abatas pivlas para liouicni i 0 rs.
Pestes de travessa para minina 320 r*.
Olio philocome Wfladmrn a* 1-viOO.
Aderecos de plaquti 1*500, 2-> e .'i;>.
Meias cruas para bonietn :'.(j 00 e 4$ a
duza. v_.
Bot5e; enditados para vestido, l.)-00
duza.
Leqtios do santol a "i"), cada um.
DpOS de madeira ,i .'M-aila um.
Coques de Iranca, boa fazenda, i 24,
2500 e 3| cada um.
Meias linas para senhora a ilnzia.
Banha em frascos a 100, 040e IA-0O.
Frascos com extracto muiio lino 2 e
2o00.
Caii\ek-s de duas folhas a 240 rs.
Sabciit'les linos 80, l, 200, 240 o
320 rs.
Olio^baboza 400, 00. 000 e 800 rs.
Agua de colonia 100, 500 e 800 rs.
Carlas france/.is 200 e 240 rs.
Caixa cesa extracto ;i 2BO0.
Carlas porttiguezas a I20e 200 rs.
Pentes brancos com costa de meta; i
320 rs.
Dittos jretoj 200, 240 e '10 rs.
. Galo do la para* vestido (pessa) 400 rs.
Fita de sarja lisa e lavradas, 1A500.
U fl 2S00.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Ditto e dotirado a 1<5.
Uittas com envelopes 300 i s.
Gaixa com agulhas francezas IGO e
240 rs.
LU para bordar de todas as cores (libra)
0t)800. y
Bonetspara menino !>. 2-> e 2;>00,
Linha de marca (caixa; 240 rs.
M ias para menina (duza) 3-> c 3.f>00.
Pecas de tranca liza e de cotocol a 40 rs.
Sapatos de laa para menino a 320 e 800,
Capellai francezas a 24500.
Facas c galfus, cabo de balanco (du-
zia) 7.
Chicotes para cavallo 000, 800 e loOC.
Bengalla de canna !>, l->500 e 2#.
Vortas para luto 500 rs. (cada urna).
Papel almaco, greve (resma) 1^500.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecunento bo-
nana, Temporal contina a
vender na Bonanqa, pelo rnesmo
preqo que vendia em sua loja
com titulo de Temporal.
se urna niachina de costara, penle.
do seu vator :
Ra do Quemado i, 49 e 57 foja
d( miudezas de Jos de Azeve-
do Mata c Silva conhecido por
Josr Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem cm seo
estabelecimento para acabar e fazer doto
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de linbas do gaz com
50novel!os a .
Latas com superior banha a
120, 200 c...... tOO
Frascos de oleo babosa muito
fino a....... 40J
Duzias de meias (inglezas)
muito boas a 4^00*,
Garrafas com agua florida ver-
dadeira ..... 10200
Garrafas com agua divina dame-
Ihor qualidade j 1 51500
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos 2*5150^
Dita coinJO frascos muito finos 800
Oleo baboza muito fino que s
a vista ...... 500
Sabonetes de calunga muito bo-
nito .......240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... 000-
Pecas de babadinbo com- 10
varas ...... 500
Pecas de fita de eos qualquer
largura ..... 500
Escovas para unhas muito fi-
nas ...... 560
Escovas para dentcs fazenda
muito fina ..... 240
Pulceiras de coatas de cores
para meninos 200
(aixas de linha branca do gaz
com. 30 novellos .. 000
Pecas de tranca lisa de todas
as cores, ..... 040
Besmas de papel pautado muito
fino 40QQ
Pares de botos para punhos
muito bonito lfc
Libras de laa paa bordados de
de todas s cores 800ty
Pentes com costas de metal
muito finos 320
Novellos de linha muito grande
para croxes k. 32S
Dqzia de linha froxa para bor-
dado ...... 480.
Grasas de botpqe madreperola
muito fino ..... 500
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e. 326
Pecas de Oa de Ha todas as
cores ..... 500
Espedios dottrados para, parede
. i000 e..... 1500
E$pelbo. de Jacaranda muito
Uop ...... 20p
Pecas de trancas brancas e de
cores dj.ca/acl 060
Pares de meias ijoas para me-
ninos ..... 3*C
Caivete muito fino com 4 o-
W& ......
Francos de sldalo ,0 patacboly
muito unos Id**)
na
ifarna do Alen-m n. 7i vomle-so una pa-
trelba de hicud amito jo ansoe cantadora.
- Vende-se^u da-sc socied.ide em um e>ube-
iqcimulb de toniwdbe na melbor n d.-ia ff,-
de a talar na travessa da Madre d:
*|cro 16.
1
j-
mm


18G9.
72.
ARARA
Ra da Imperatriz. -
45
RIJA BA <\I>1 11 \.
DE
72.
i as (baratas)
AJrta freguezes
Qle Arara vai cantar.
Para vender suas fazem
QEiiiuiio ha de agradar.
O proprietario deste estabelecmienio. londo granrto porfo do foncoas om
tk!' P-rCe"eruraa 'luiJi'-.o em todas as fazendas e roupas feitas existentes no
estabcTecirnento, agora que occasiao de qncm tan pouco dinbeiio poder se vertir de
boa razenda e baratissima como se poder ver no aonuncio abixo mencionado.
MADAPOLO BARATO A 34500.
FMO & C.
Vende-so pecas de madapoto enfestado
de 12 jardas i 35500. dito de 24 jardas ou
ti metros :;>, 8, c>"00, 7,5500, 8,$000 e
9,0000.
CHITAS FRANCESAS A 280 re.
Vendem-se chitas francezas para vesti-
das a 280, 320 rs. o covado, ditas escuras
muito finas 360 rs. o covado.
Chali multo flao SOO rs.
Vendc-se chalin para vestidos ie senhora
800 rs. o covado.
PERCALES A HO US. O COVADO.
Vende-se percales muito finos para vis-
tios de senliora a 440 rs. o covado.
tarllhantloas -140 rs.
Veode-se brilbantinas ou mursulinas de
cores para vestidos de se .horas 440 rs. o' metro.
BRAMANTE PARA LEN00E8 A a9C.
Vendc-se bramante com 10 palmos de
largura para lences, a 2, a vara.
PECAS DE ALfiOD/rt A 40.
Vendem-se pegas de algodao muito en-
corpado 16, 5|, 6$0O0 0 W.
C'leriahos eAutie duzia.
Vende-se colerinhoe econmico a 320
a dur, s se vende aSsinr barate por ter
grande poiro.
CASEMIRAS DECORES
Vend*-se cazemras de cores pan? ealsa
e palitt 2(5 .10500 e 3$ o* covado,
Algodo rafestadka 1.
Vende-se algodao enfestado- proprio para
lences c toalhas, l, a varaou 900 vs,9
covado, lazinhas muito finas para vestidos
de senhora 400 rs. e 500 rs. o covado,
ditas de quadrinhos 240 rs. o covado.
1USCADO FRANCEZ A 300 RS. O COVADO
Vende-se rscado fraucez para vestido
de senliora 360 rs. o covado.
Lasiuhas a 9O rs. o corado.
Vendem se tasinhas para vestido de se-
nhora a 240, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas finas a 280 e 320
f:i' o covado.
-Chales de merino 9&.
Vende-se chales de merino estampados
U e 2#i00 cada um, para acabar.
CORTES DE LAS ABERTOS A 25400
Vendc-se cortes de laa para vestidos de
senhora, a 2-5400 cada um
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vestit ^s
de senbora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de listras 700 e 760 rs. o covado.
Chitas priisslanas 3BO.
Vende-se chitas prussianas de listras de
cores muito bonitas a 360 rs. o covado.
CHITAS PARA COBBRTA A 320
Vende-se chitas incorpadas para coberta
320 rs. o covado.
Bales de O a 30 arcos
1500.
Vende-se bales de 20 a 30 arcos
1 $500 cada um, balees modernos brancos
ede. cores 5<$.
BRIM PARA CALCAS A 409-RS. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas e palitOtsde
horaem e menino, 400 e 440 re-, o co-
vado. dito lizo a imitaco de ganga a 360'
0 covado.
. Algodao de listras a OO rs
o corado
Vende-sc algodao de listras para rwipa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 SS.
Veude-se cortes de brim castor para
caira de hnmem, 640 e 800 re. cada na.
C.VRTEIRA PARA VIAGEM A U.
Vende-se carteiras para viagem f<5
cada urna, cobertores dealgodlo 1509
cada um.
Cobertas de chita k 1 NOO
Vende se cobertas de chitas de cores a
1 800 e 25. cada urna.
ALGODAO TRANCADO DE EAS LARGURAS A
IjttO.
Vonde-se algodao transado de duas lar-
guras, proprios para lences e toalhas para
mesa, se vende a 1^200 o metro.
Mantas para grarata OO rs.
Vende-se mantas para grvala a .200 rs.
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 2($500.
Vende-se afnalhado pardo para toalhas
de mesa 2 $500 a vara, toalhas escuras
i6. cada urna. Rua da Imperatriz loja
da Arara n. 72.
SOB A DIRECQO DO MlMrO 11ABIL ARTISTA
Launano, alfriat.
Os proprietarios deste novo estabelecimento, tendo experimentado a nfcessidade
urgente de ter na direceo de sua officina de roopis por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Launano Jos de Barros nara tal mister. rnnvirtne Ao na *t;<*>*-4
com todo O canriHin n ---- jo ireguez.
li'em o mesmo estabelecimento um bom sortimemto de fazendas proprias para
roupas de hornero, como sejam: casimira de edr, indos padrSes, completo sortimenlo de
pannos finos, preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins brancos e de
cores, merinos de diversas qualidades, bombazina, lindos cortes de gorgorito para cotlete,
gorguro Pekn, superior qualidade.
Os freguezes encontraro anda um variado sortimento de roupa feita, camisas
ii^lezas, collarnhos, ceronlas, grvalas pretas e de" pbantasia, meias para homens, sc-
nhoras, meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, aioalbado,
baloes de diversas cores e modelos, carabraias, malas para viagem, e outros moitos ar-
tigos que a modicidade de seus precos incita a comprar.
A rua da Cadeia n. 45
rival u mm
Ri/a do Queimado ns. 49 e 57-
lojas de nriudesaz de Jos de
Jlzevedo Mata, est acabando
com as miitdezas de seas eslabe-
Iccimentosp&r tsso qnerom apre-
ciar y que hom e haratwsimo.
rec^s de liras bordadas con f2f
metros, fazenda superior, a
iri00,2& 3#e.
CONVITE GERAL.
O proprietario do armazem de fazeadaS denominado Ganbaldi, na rua da Impe-
ratriz n. o(i, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de tazenda en
ser, e d.-sejando diminuir este grande deposito por meio de urna liquidacao que nn-
ir no dia 15 ou 20 do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
4*>00
Caixas Je Hoha com-Srtnovelloy 800
Paw de sapatos de anca fa*-
zeu#a nov a.....i 2|5000
Pare de sapatos- ^ tapetat
(s grande^ a...... 1^500
Duzts de meias eruas para-ho--
mem a......... 3|8O0
Tratr.oias do Bbrio fazenda boa.-
e peto- preeomeHior 10attes- a,: #200
vro de misaJe* abreviadas a .* 241000
Duzia-de baralhos francezes-muito-
lino a21400 ..... '2$80f
Sllabano portugus com ostam-
: pasa......... #320
Gravafeas de core* pretas-aauito
finao-a. .>.... -#500
Oartes com- cefebetes d^Itao
fazenda fina a....... #02C
Ab oluadoras de vico- para solete
Jazefida fina a...... i(S00
axas com penca d'a^o muito
finas-a &20, 46dy 500 e (W000
Gartae-de linb Aiexaadroque
tena 200 jardas : .... 100
garrote-de linba> Aluxanote de
70al-200a,. fc di00
Gaixas oom superiores obseias
de Bsassa a...... 040
Dtizias- da agulha&;para maaaina 2 Libras- de pregos- trancezes- di-
verso/ tamanho a. tf240
Livros escripturado para, neldo
'oupa a, ... dd20
Talheres para awninos awito
tinosa. ,...... #240
Caixascom papel amizade uito
fino a....., ^700
Caixas com 100 envelopes. muito
finos a........ ^600
Pentes volteados para meninas e
senhoras a...... 320
Thezouras muito finas, para
unhas e costuras a. 4500
Tinteiros com, tinta preta muito*
boa a 80 120 e 320
Varas de franja para ladinas a-
zendafina. a...... 160
Pecas de fita brausa elstica
muito fina a...... 200
Novellos. de linha com 400 jardas 60
Resmas de papel de pezo. azul
multo fino a...... 20500
Grozas de botoes. de lonja muito
finos a........ 460
dar no dia 15 ou 20 do corrente, por
se de boas fazendas, e por diminuto preco
CHITAS LARGAS A 280 re.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
ALGODAO ENFESTADO TRANCADO A
16000.
Vende-se algodao enfestado trancado para
lengoes a l&OOO, dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 35300.
Vendem-se pecas de madapol3o enfes-
tado a 3300, dito inglez de 24 jardas ou
22 metros a 5& 60, U, M, H e 100, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
B.VREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
6./0 rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 10.
Vende-se sedas de cores para vestidos de
sinbora a 10 o covado.
ORCAO DE RETALHOS".
Vende-se ama porc5o de retalbos de cas-
sas, de la e sedas de outras fazendas
por muito barato preco.
A' elles antes que se acabem.
CHALY DE CORES A 800 RS.
Vende-se cbaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 10.
Vende-se chales de cassa a 10, e de me-
rino a 20.
CORTES DE LAA A 20400 RS.
Vendem-se cortes de 13a de (istra para
vestidos de senhora a 20400 rs. para ac-
MAMA.
DO
GALLO VIGILANTE
Rua do Crespo n, 9
Os proprietario deste Den conlieddh estabele-
eknente, alm do* rnoitos objectos qoe tinliain ex-
postos v aprecia^ do respeHavel poMiro, man-
daran) ti> e araban ie recefter pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variadn sortimento de
finas e ratu detiradas especialidades, a niaes es-
tao resorbidos a vender, come de.see coshmie,
yor precos mnito baratinhos e- comoiodoj>ara to-
dos, com lanto (jue ? Gnllo....
Muito supriores ttwas de pettica, pretas, bran-
cas e de mu lindas eres.
Mni boa e bonitas goUinlias e punlios para se-
nhora, neste genero o (pe ha de nata moderno.
Superiores pentes de- tartaruga para coques.
Lindes e riqtiissimos enfeite para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores co vidri-
Ihos e sem elles; esta menda o que pode ha-ver
de melhor e nai> lionito.
Superiores o bonito tapies de mndreperola,
marim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores motos fo de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30^000
a du*ia, entretanto que nos as vendemos por 203,
aini destas, temos tambem grande sorlimeoto de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marllm com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quanlidde de oatras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as raeias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 4 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramas sua qualidade o delicadeza.
Lindas e bellas capcllas para noiva.
Superiores agu has para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos meloores e mais conhecidos i>er-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitan] a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
.orno j tem acontecido, assim pois poderao aquel
les que delles precisaran, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros collares, c os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista d cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, rua do Crespo n. 7
Grande e completo ortimeuto de machinas para
descarocar algodao de nova invengao chegadas l-
timamente em direitura para a loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C, na rua Direitan.
fi.'l fiarantee aue a melhor iualidaile nue .i:,'
. ;.!:" .,..."...u; Su uircaub: acham-se em
exposieao aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kHo-
grammos de melhor compreheasao dos qoe tem
viada at o presente, asim como marcos de lato
al meio grammo pelo mesmo systema, balancas
de latao de for^a de 5 a SO kilogramrnos, metros
de madeira e de fato para medir fazendas, alm
de grande sortimenlo de nndezas e ferragens de
todas as qualidades, tudo por precos que s a vista
faz crdito : na na Drrerta n. 53, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C.
bar.
V
ALGODAO A PECA 4,5000.
Vende-se pecas de algodo a 4& W, U
e 75 a peca. E muitas oatras coasas que
feria enfadonbo meDC^wr.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 3O rs. o
0> CASEMIRAS DE CORES A 2,5500.
Vende-se casemiras de cores a 2,5500 e
36000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 3*000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda, a 10$ cada um.
BR.M DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para ca'cas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Gangas para eal?a a SIO rs.
Vendem-se gangas de cores para caifa e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado. (
Percales finas para vestidos do senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de.cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 2,5-
Vende-se lencos brancos a 26 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 16000, para aca-
bar.
.GB.ANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Veude-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que em outra casa : por
isso os pretendentes poderSo vir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbntina preta a 320 rs. o covado, para
acabar.
BALES DE ARCOS A 16500.
Venden -se baloes de 20 e 30 arcos a
16500 cada um, ditos modernos a 44.
BRIM HAMBURGO A 86000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo a 86, vem a ser mais barato do que
algodSesinho.
CORTINADOS A 146000,
Vende-se cortinados para cama a 146
para liquidar. Ditos para janellas a 76.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na rua da Imperatriz n. 56.
Machinas a vapor de
forqa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar algodao.
Balancas para armazem e balcao.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uhit-
field.
Prencas para copiar cartas.
Fogao americano patente.
F0L11A DE
FLANDRES
da fabrica Denvent a 23*0001 C ou 24*500 sor-
tida : na rua da Cadeia n. 4.
Burra*.
Vendem-se duas faeoiras e ensinadas burras
para carro : a tratar na rua do Vigario n. 31.
Pelassa da Russla
a mais nova no mercado, a preco razoavel : na
rua do Commercio n. 13, armazem de Manoel Tei-
xeira Basto.
Scbonete de alcatrdo.
- DI
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tao bo>
acceitacao tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura ceru
das impigens, sarnas, caspas e todas a
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu 4 C,
34rua larga do Rosario34.
14SSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHEj
Preconados por todos os mdicos contra os I
DEFLUXOS, CATHAHROS, E TODAS AS|
1RRITACOES DO PE1TO.
K. B. O Xaropt de Codeina que mereci a I
honra, alias bem rara entre om Medicamento!!
notos, de eer registrado tamo um dos medica- [
ment o/iciaes do Imperio Francet dispensa |
qvulqver elogio.
AVISO. Por causa da rcpreliensivel falsi-l
(cacao que- tem suscitado o relia resultado doj
Xarope e massa de Berlb somo Toreados al
lembrar quvuticsmedicaoji'ulustaujustaiueitej
eoncciluadoH to se
Tviidem cm caixin-
hasc-frascos levando '~~^^tj!4
> asignatura em
frcnle.
48, Ru des coles, e na Pharmacia Central
de Krania, 7, Itue de Jouy, em J'aiit c cui|
todas os Pliaimacias prmei|iae> u'fi i;
PILULESSSCAUVIN
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
ceicao, e m barricas grandes.
Vende-se om ptimo piano de Jacaranda :
de armario e tem pouco nso : qnem o preten-
der, dinja-se roa do Vigario n. 3, terceiro an-
dar. qualquer hora do dia______________
WTPlTLAfiD
vindo no ultimo navio de Londres : em
casa de H. Oetti 4 C., rua do Commercio
n. 3.
kMla.irt 8fllopoL Ptrlt
Esta praeloto arU Tegeial to eommodo
como aerada! o remedio mais infallivel par des-
trair u eoatlBeea, >s evralaitaa, is mais re-
acides, assim como billa'e a *lacoaMa4ea
Elle aneas as aaauitu, obatnaecMb eaun-
km. aalhmaa. itrea, ciur rboa, plajfe,
Ma rbfalliaaiai.
0 erecinwnto das aMInlaa aila pode resa-
r-se oettu palanas: Reaubelecer ou
tar a stode.
Ellas alo (dea neta rearaardo na comida nea
ftsMda; aai doae tasaaae e aeaawatrra, aaaaa taaar
alias au refoecfles: em doae pauraaUta da aoita ao
deitar-ae.
PtnmimeiWL aaaarer t POS OE ROG,
Approvadot pela Academia imperial
de medicina de Parix
m frasco do Poa ale Bog. dissolvido
em urna garrafa d'agua. di urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
uro modo cerlo, sem causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parte dos outros purgantes. Oa a*a 4a
***, sao inalteraveis por isso empre*
gara-se fcilmente em riagem.
jj^jij I en HioJiwiiio, Duponekelle; Cketslet.
^ I n Paajuaaoco. Maurer C". A
Ml ""-iaapa^saaBaaaaaaal
ExtraeHini csrns.
Esto producto alimentacao para doente, mui
apropriada para criancas, e para as pessoas 5a<;
indispensaivt'l a todos, porm priaclpalmenle aos
viajantes, qne teo rreile o reesrso de poder
ter alimeiuaco de carne fresca incorruptivd, e
que com fcilidade se aprompta e se eondu?, por-
que nmii peipreno volutne carregase alimentacao
para mnito tiempo. Sobretodo ctiaraase aattrn-
c,ao dos Srs. de engenho que-encontraro no EX-
i'RACTUM CAR?ttS o rocurso-de alimentacao agra-
davel, Ijygienica ebarata para seus farrmlose sen
doentes.
Este preducto fabricado pelo processo do dis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Kio-Grande do Sul,
que acaba de crear uto deposito nesta cidade cm
casa de Jos* Victorino de Hezemik c< c., rua da
Cada, cscriptorio n. 52, Io andar, vendendo-se:
No deposito ro da Cada n. 52'.
as pbarmacias dos Srs. :
Manoel AWes Barbeea,. mesroa rua n. ffk
Joaquim de Almeida Pinto, roa larga do Rosa-
r n. 10.
Aatonio Uteria Marques Ferreipa, praca da
Boa-vista n. 01.
N. B.As latas que contem o extracto trazem
urna guia para su uso. _________
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquil Duboucti &.., em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consumo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se era casa de Th. Just, rua d
commercio n. 32.
Tabellas vermicidas
pe
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efQcaz, e preferivel a todos os,
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela faail applicac3o as cranlas,
quasi sempre mais atacadas de tao terrivel
e muitas vezes.fatal solrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DS
Barthomeu & C.
34Rna L,arga do Rosarlo84
BAZAR UNIVERSAL
SORua NovaO
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por pregos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposiejo servidos a electos para alrao-
50 e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecimademesa.
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar familia, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balaneo,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros. gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para enancas um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e n esa, tapetes para sala, quarto.
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontraran
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.___________________
Vinho verde
A' rua Livramento n. 6 contina haver para
vender por precos razoaveis, o melhor vfnho verde
ate boje vindo a este mercado.
PASTILHAS AWARADAS
DO
DR. PATERSON
De blsmuth e magoezla.
Remedio por excellencia para combate-"
a magreza, facilitar a digestao, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34------Rua larga do Rosario------34.
Rap Princeza
DA IMPERIAL FABRICA DE VIBIRA GUIMA-
RAES COUTO,
DO RIO DE JANEIRO.
Vende-se este exceliente rap no escrip-
torio de Joaquim Gerardo de Bastos, roa
do Vigario n. 16, 4 andar. %
A NOVA ESPERAHQA
21-=-Rua do Queimado 2)
Advertencia!
A Nova Esperanza, rua do Queimad
b. 1K tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem*
po em que tem de ser dado o balaneo, por
isso desde ja previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
caduras pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venbam os bons fregu*
zes. e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo to opportono quando i
NOVA ESPERANZA convida-os pechincaa-
rem, pois que para eomprar*se caro, nao
folla nonde V d qucHl...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer em-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeico, e ella (loja da Nova Es-
peranca) quer serapre dividir com seus fre-
guezes o que de bwn constantemente rece-
be, e por este lrdar continuo (d'ambos) a
Nova Esperanca raa do Qaemado ik l,
alm do grande sortimento que j tmha.
acab* de reeeber mai o seguint:
Bonitos Iwoches, pakeiras e brincos da
mdreperoa'.
Papel e- envelopes bordadot e mati-
sados.
Papis proarios para enfeitar bollos a
bandeijas.
Brincos pretos com. dourados- (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos gaH6es, frang e trancas de
seda e de lia-, para enfeite* de vestidos.
Botos de todas as crese moldes novoi
para o raesmo m
Trancas pretas com vidrilbos sendo com
pengentes-e sem efles.
Botoes pretos- cera vidrlhas com pingen-
tes e sem elles.
Linas de pellica, camua e excossia.
Finas raeias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicadas leque de madreperula, mar-
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um campleto sortimento de
miudezas rua do Queimado n. 21, 'na
Nova Esperanca.
Collares anodino ollectr+magnett
cas contra as convulges das
crcaneas.
N3o resta a menor duvida, de que muito.
cellares se vendem por ah intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae- muitct-
pais de familias nao creem (comprando-os)
no effeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeF86; a Nova. Esperanca, porB
que detesta a falsificado principalmente no-
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares-
e garante aos pais de familias, que sao oa
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
Cas tem salvado do terrivel incommodo da
convulges, assim poie preciso, que ve-
nham a No va'Esperan ca rua do Queimad
n. 21 comprarem o salva vida, para sena
filhinhos, antes que estes sejam axommetti-
dos do terrivel mal, quando entlo ser di-
fiicil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collarea
de Rover.
t.\OTM%
^'
Aieg ai-\os myopes, e presbjtas, ^ po--
deis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F- i. Germann acaba de reoeber pelo ulti-
mo vagor um rico e variado sortim- ato de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
ago, bfalo, ncar, unicornio emelchior;
asskn como binculos de urna a tres mudan-
Cas par tbealro, campo e raarinha, da ulti-
ma invencao ; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
MOLESTIAS do PETO
HYPPHOSPHITOS
doDrCHURGHlLL
XAROPE de HYPOPHQSPHITO de SODA
XAROPEdeHYPOPHOSPHITOdeCAL
PILULASdeHYPOPHOSPHITO de QUININO
\CHL0R0SE ANEMIA
CORES PLIDAS
XAROPEdeHYPOPHOSPHITO de FERRO
PHULASdeHYPOPHOSPHITOdeMANBAHESIA
TOSSE BRONCHITIS
DEFLUXOS ASI.
PASTILHAS PECT0RAES-.D-CHURCH111
Exigir para oa sarape* o frasco quadrado em
todos o* productos a aasa-natura do D*> CaVun-
OWTTil, e o lelreiro com a marca de (Marica da
Pharmacia SWAlTaT, 1J, ruaCastigtone. PARS
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrbos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, o outras molestias dopeito.
VENDE-SE
NA
PHARMACIA E DROGARA
Bartholomeu de C.
34RUA LARGA DO ROSARIO34
CHARUTOS
Os melhores charutos da exposicao e variedade
de outras qualidades, finos ; encontra-se no hotel
Central de Francisco Garrido, rua larga do Rosa-
rio n. 37,4* andar, e rua estreita do Rosario n.
4 A. Vendem-se a reUUho e em grosso.
riMiomsiiiu
No armazem pintado de verde, sito a rua
do Caes 22 de Novembro n. 30, vende-se
superior madeira de pinho da Suecia, com
3 polegadas de grossura, 9 de largura, e
14 ps de comprimento a 3000 cada orna:
taboas de forro a 80, 9$ e lOdOOO a duzia.
pinho americano de resina 200 rs. o p
Vende-s bieu barato : no armazem d
amarella, no oitlo da secretaria de polica.
bola
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento ; na rua da
Madre de Dos n. 22, armazem de Jo3o
Martins de Barros.___________________
Vende-se um eicHInte escravo de 14 annos
de idade, pardo, oficial de alfaiate, recreado, e
ptimo para pagem ; na rua da Florentina n. 28,


Diario de Pemamtuco Seguiida feira 16 de Agosto de 1869.
, '> ^=rr--------=-------------------------,___________________
7
Ccordeiro previdente
Ra do intimado o. I.
Novo e variado sortimento de perfumaras
tinas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que efectivamente esta provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, supcriori-
dade, quafidades e comraodidades de pre-
cos; assim, pois.'oCordeiro'Previdente pede
espera continuar a merecer a apreciacao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conbecida mansidao
e barateza. Em dita loja encontrar os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Lamman.
Dita de Gologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentricia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservac5o do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, cora
pomada fina para cabello.
Fraseos com dita japoneza, transparente
outras cualidades.
Finos extractos ioglezes, americanos e
francezes em frasees simples e enfekados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros ig*al-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadero.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos che ros, em frascos de difle-
rentestamanhos.
Sabonetes era barras, maiores e meneres
para mSos.
Ditos transparentes, redondos o em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas oem bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contend fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelSo igualmente bonitas, tem-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sera composicSo de
cheiro, e porisso o mais proprio para crian-
Cas.
Opiata ingieza e franoeza para dentes.
Pos de campbora e outras differenes
qualidades tambem para dentes.
Tor*^ oriental de Kemp.
Alada mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes con filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos espostos apreciacao de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHdS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
?ellas e Otas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ae gosto do com-
prador.
DE
EM C0NT1NUAC VO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
idm& m mvwMmiztii* m
DE
FLIX PEREIRA DA SILVA.
O proprietario deste grande estabelecimento tendo sido o arrematante da
exmela loja denommada=yA/i0/ tf DAS DAMAS= ra da Imperatriz n. 36, e nao
toe tendo sido possivel, na mesma loja, concluir a liquidaco da grande quantidade de
fazendas que all existiam. pelos poucos dias que leve at entregar as chaves, vio-se
obrigado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabelecimento, o=?AVO
onde o respeitavel puDlico encontrar um grande sortimento das melbores fazendas de
linho, Ha, algodo e seda, que se llie vender muito mais barato do que em eutra
qualquer parte, com o fim de apurar dinheiro, e as pessoas que negociara em pequea
escala, tanto da praca como do matto, nesta casa podero fazer seus sorlimentos em
pequeros ou grandes pencos, vendeedo-se-lhes pelos precos que se compran., n s
casas mgjezas; assira come as excellenssimas familias podero mansar buscar as amos-
tras de todas as fazendas. eu mandar-se-ha levar pelos caixeiros da sesma loja em suasl
casas; u estabelecimento se acba constantemente aberto das 6 horas da manha s 9-
da noite?
A ** ^tlMADfi
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de Guis-
lain
Expleiidido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVAO A RA A
IMPERATRIZ N. 60
ALTA NOVIDADE
EM POUPELtKAS O flOKGL'RAO 'BE LIMIO E
SOBA.
Pelo ultimo vapor chegou para a loja 4o
Pavao um elegante sortimento das mais
Acha-se este grande estabelecimento com- bellas poupelinas oa gorgures de linho o
plettmente sortido das melhores reupas, |seda, cum os mais delicados padroes que
sendo calcas palitots e ooletes de cssemira,' se pode imaginar, assim como urna grande
de panno, de bnm, de alpaca, e de todas porco de cortes da raesma fazenda, teado
Vinho degestivo de
chassaing-
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excedencia para cura certa
das digestes ditfieeis e completas, a calmar
as dores gastralgicas, e reparar as forcas
produzinde urna assimulaco completa dos
.alimentos; sendo mais um excedente tnico.
VEVDE-SE
PHARMACIA' E DROGARLV
DE
Bartholouiea & C.
3iRA LARGA DO ROSARIO34
FUNOICAO 00 80WMAN
Ra do Bruna o. .
PASSANDO O CHAFARIZ
Tem serapre deposito de todo o ma Cinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
Igodao.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies. .
Moendas de carina.
Rodas dentadas, para animaos, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido fundido e de
cobra.
Alambiques.
Arados e instrumentos d'agricultura.
Descarocadores d'algortao etc. etc.
Havendo era tudo variedade de Umanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar.
f.\Z GAZ GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster o

de prinvJra qualidade; qual se vende em partida.-
9 a retalho por m -do- preco do que em oatra qual
qper parte.
CUBA DOS CALLOS.
PECA
Pooaada galoapean.
Deposito espeial
Pharmacia de Bartholomeo d G.
34-Ra larva do Rosario------34.
Sao mais cabellos broncos
A tintura japoniza, para tingir os cabel-
los da cabeca e da barba, foi a nica admit-
tida ExpotiQo Utoertal, por ter sido
conbecida superior todas as preparacoes
al boje existentes, sem alterar a saude.
Vende-se a I flOOO cada frasco na
IMHBLiWttMIl-iM
1* A\II%K.
COLA
Vendo-sc superior >la da Babia : no escrptoro
de Antonio LaU de Oiiveira Azevedo & C, ra da
fj-OT n. 57.
Aos Srs. joalheiros e ao
publico
Vendem-se Nudas j"ia e eom especialidade uro
ci ande e elegante coralito de uro : a tratar na
roa estrella do Rosario esquina da das larangeiras
rnalquer hora.
Tiuta rxa le Muteiro
Vende se Unta rdu de Uonteiro para escrever :
oa loiadc! calcado do sobrado amaHIo na ra da
CruH.21f
as mais fazedas que os compradores pos-
sam desejar, assim coreo na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. ,pata se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
tido vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respaitavel publico uraello sortimento de
camisas francezas e ingk;zas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios paradiomens e senhoras promet-
tendo-e-lhe vender mais barato do que em
outraqualquer parte. Ka ra da .bapera-
triz n. (50, loja e armazom de Flix Perei-
ra da Silva.
Aos 4ez mil corados de eassas
fe a acezas
Covado a 308 Covado a 300
Corado a 300
Covado a 300 .Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavao ra da Jm-
peratriz n. mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padr5es miudos e gra-
do6, assentados em todas as cores, .estas
eassas sao propriaraeote francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quas como chita, e alm dos padroes
seren muito bonitos, sao todos fixos e seria
fazenda para muito mais dinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
fispartHhos a 3#000 na loja do
Pavo
Vende-ee urna grande porcSo d esparti-
llws modernos com o competente eordo,
tendo sortimento de todos os tamanbos, e
vendera-se a 3f9 cada um.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1(91800
Cegou para a loja do PavSo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol. o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 10800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicacoes para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
Alpacas brilhantes
a 640 rs.
Chcgarara para a loja do Pav5o ora ele-
gante sortimento das mais lindas alpacas
brilhantes com as mais delicadas cores, e
com os mais bonito* lavradinhos a imitarao
de seda, as delicadas cores que existen)
ueste bello sortimento encontra-se o bonito
Rismak, o bello Lyrio, o delicado verde
assim como, perola, roxo, canna, azul caf,
etc. Vende-se esta bella fazenda pelo ba-
ratissimo preco de 640 rs. o covado por se
ter recebido em direitura urna grande par-
tida superior a dez mil covados, seno
seria para muito mais dinheiro, isto na loja
e armazem do PavSo, ra da Imperatriz
n 60 de Feliz Pereira da Silva.
POUPELINAS A 500 RS. 0 COVADO.
Na loja do Pavao, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se um grande sortimento das
mais lindas poupelinas ou lazinhas trans-
parentes, proprias para vertidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
nitas cores ; padr5os com listrinbas miudi-
nhas, que se vendem pelo barato preco de
KM) rs. o covado, pechincha que se acha
nicamente na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60.
Cortes de
vestido do
AOOO.
Pavo a
Vendem-se bonitos cortes de cambraia e
tarlatana, ricamente bordados a 13a, pelo
baratissimo preco de 60.
Ditos por estarem um pouco machucados
a 40.
Ditos Qnissimos com barras de seda a 40.
Assim como os mais modernos cortes de
poil de chvre, com ditas cala, sendo fa-
zenda chegada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caixinha com o competente figur no,
a 180; fimssimos edrt s de cambraia bran-
ca, ricamen e bordados, que at podem
servir para noiva, a 230000. e outros mui-
tos cortes de differentes fosendis que se
liquidara baratas na loja do Pav5o.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcSo de cera de
carnauba- em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
PavSo ra da Imperatriz n. 80. De Flix
Pereira da Silva.
de todas es cores e garantindo-se que neste
genero nao ba nada mais bonito nem mais
proprio para vestidos, o vende-se por pre-
co muito razoavel na loja defelix Pereira
daSilva.' ra da Imperatriz n. 00.
CELEZ1AS
PANNO DE LINlfO
AIOALHADO
Vendem-se as mais finas celezias de linho
coin 25 varas cada pega, sendo mais finas
ainda i]u os mais linos esguies qne ttn
vkido ao .mercado, a 450, S5,% 60,1000 e
700000, "tambem e vende em varas as
nvsmas celezias, sendo preciso.; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lences
com perto de 4 palmos de largura a 700,
800 e .10000 a vara, sendo em pera tam-
bem se faz alguma equidade; bramantes
para lences com 10 palmos de largura a
10800 .e 20500 o metro, e de linho muito
superior a 30200 e 305oO.
Atoalbado adamascado com 8 palmos de
largura a 20400, 30 e 30500 o metro, e
outras muitas fazendas brancas que se ven-
dem muito mais barato do que cm outra
lualquer parte, com o fim nico de 3purar
dinheiro.
CHITAS
MADAPOLAO
ALGODOSINHO
Vendem-se superiores chitas escuras e
claras pelo barato preco de 2rf0, 320 e 360
rs. F as percallas a 320 e 360 rs.
Pecas de algodSosinho de todas as lar-
guras e qualidades. Pecas de madapolSo
dos mais baratos at os mais finos; assim
como, superior algodaosinho entestado para
lence*, toalhas, tanto liso como trancado.
todas e^as fazenlas se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte, para apu-
rar dinheiro.
PECHINCHA DO PAVO PARA ESCBAVOS
A 200 RS.
Vende-se urna grande porco de' esta-
menha mesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e calcas para moleques,
sendo urna fazenda escura trancada e muito
enoorpada, pelo barato preco de 200 rs.
o covado, fazenda que sempre se veodeu
por muito mais dinheiro.
ROUPA
EM LIQUIDACO NA LOJA DO P \ VO
Vende-se urna grande porco de roupas
para homens. sendo grande quantidade de
calcas de brim, casto casemira e meia
casemira. de todos os precos e cores.. Pa-
litots de alpaca, brim, casemira, meia ca-
s-mira e panno fino. Odeles de todas as
qualidades. Camisas de linh e algodao.
Ceroqlas e outros muitos artigos, por preco
muito em conta.
Tmtara indelevel para tingir os cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceituada agua-florida deGuis-
iain que entao era desjonhecida em Per-
aambuco, j boje estimada e procurada
por seu eficaz resultado, e ainda mais se-
r, quando a noticia de seu bom effeito e a
experiencia, tornar de todos cenhecida.
A agua-florida de Gaislam composta um-
amente Ae vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, oos, elhes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer,em
ser prejudicial de modo algacn
E' prm necessario fazer conhecer, que
> bom resultado .produzido pela agua-flori-
ia, nao instantneo, como muitas pes-
soas tarvez supponham, mais sim ser pre-
nso faaer uso d'olla, trez ou quatro vezes,
i logo e obterK) fim desejado, como bem
provam testemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-te duas
vezespor mez, contando-sempre c^m o bom
xito, podendo a experieacia ser feita em
mtra qualquer cousa.
Aseim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na tem conbecida loja d'Aguia Branca
nw de Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
yo de sua boa freguezia, tambem capricha
minio Ib'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
* honeam, e em prova ao que fica dito, d
-orno exemplo ko explendido sortimento
que acaba de receber, ainda mesmo achan-
lo-se bellamente provida do que de bom
e melbor se pode desejar nos gneros que
<5o de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
i oraco, obras de apurado gosto e perfei-
;o, sendo: com capas de madreperela e
wcantes quadros em alto relevo.
Ditos com dites de marfim igualmente
Tonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros m
tandocbar5o machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateada.
Coias e teircos de cornalina.
Assim como.
Grande o bello sortimento de leques
todos demadreperote, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia eitc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voJfas grandes de aljofares azues.
VoKas de crrente de borracha.
Mesas de seda para meninas e senhoras.
Dttas de fio e Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, ahas, e
cruas para me&iuas e senhoras.
.'laivas de fio d'Escocia, torcal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de lia para homens, mulberes e
meninos.
'Gollinhas e punhos bordados obra de
moito gosto.
'Entre^meios fines tapados e transparen-
tes com deKcados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e-rollares Royer para cranlas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
-setim para meninas ou senhoras.
Lindas ce6tinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas aixinhas devidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
-Bonitos albuns com msica.
4*inseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Ciatos de Utas largas com bonitas rama-
gens.
Bracos e alfmetes de madreperola.
Ditcs esmaltados, obras novas e bo:iiU
. SG AULUIM VIB.U
NO
UIAUI CONSERVATIVO
N. 23Largo do Terpo.N. 23.
S1MA0D0S SANTOS ft C.
,. M S PrPnearws desle bem sonido armazem de secco e moldados Darlecinam
aos seus numerosos f.eguezes, tanto desta prar,a, como do maltnfZ Traen teaos am
gos do bom e barato, que teera um grande e vaotajoso sorihnnio de d.\e sas merca
dur^easma.s novas do mercado, as quaes \ondem e^Troo e a re'a I ho no
menos preco do que em outr qualquer parte! por ser maior p"rS ZL Sr "iras
SflCSfJKf !* Wt?. P"r sso q^ra comprar al a quantia TSoRSfSli
qualquer genero saludo dcste
Grande
loja de fazendas e roupas Mk%
na da Inperalriz n. 52,
porta larga.
DE
PAREDES PORTO
Neste estabelecimento encontrar o res-
peitavel publico um bonito s*brtmento *'e
roupas e fazendas de todas as qualidades e
precos commodos, tem sempre um boniu
sortimento de casemiras de cores e prctas,
panno fino de diversas qualidades, bi-im do
bonitas cores c brancos de boa qualidade,
encarrega-se qualquer obra por medida e
preco muito commodo.
ROUPAS FEITAS '
na loja da na da Imperatriz n. 52, pona
larga, de Paredes Porto.
Tem nesle estabelecimento nm bonito
sorfimento de roupas feitas de diversas
qualidades e precos commodos, como sejam
palitots de alpaca preta e de cores a 3&
3v'i 0 e \b; ditos de jianno^reto sacos a
6;>, 7<> e 8; ditos de panno superior ;i
\1j>, I/ie 48A; ditos sobrecasacados tie
dito dito a 185. 20;J c >; ditos de casi-
mira de cor a 5, U c 10; cairas, colletes
e palitots de casemira muito fina de cor a
20 e 25#; calcas de brim branco de cor de
todas as qualidades do 1$ a 6->; ditas de
casemira preta c de cores de 45 at 12$;
colletes do ledas as qualidades; ceroulas de
bramante a I 500,2,5000 e 2*500; camisas
francezas de lindo e de algodo de todas ss
qualidades e preco mais barato do que era
outra qualquer parte; colarinbos, gravatat,;
bonito sorfimento de chapeos deso dealps-
ca e de seda; meias inglesas a 65 a duzia;
pechincha nesto estabelecimento pelo
grande sortimento: todos os freguezes se
podero prever dos ps at a cabeca por
preco commodo.
FAZENDAS
Grande soilimento, como sejam, chitas
baratas a 300, 320 c tO rs. Madapo!;-o
fino a 75, 8S c 105 a peca. Argodao (pe-
chincha) a BjjSOO a peca e outras qualida- .
des. Cambraia branca de todas as quai--
dados transparente e Victoria de 0,5500 a
85 a peca. Lanzinhas de bonitas cores, al-
pacas bonitas, selecta a peca com 28 metros
a 285000. Esguia) o mais fino possivel a
25500 e 35 a vara, o outras muitas faz-j; -
das por preco commodo, que seria enfao-
nho mencionar, na loja do
LEODft PORTA LARGA
DE
Paredes Poro.
Ciideiras de pinho.
Chep-an ns antigs c bom Ponlicridas cadeir. i
de piuho, de abrir e f.rhar, prpn;,s para estebt-
I* uemos, pela cnnwn.ididaJo que nfrererem i
de-se pelo pntfa dn oosiume, nos armatcns de ta-
b;.adodoPinhnd(.p.,il|oJ,. Gomes & Climas,
caes 22 de nevemhro.
Vantagem^
Vende-se .1 ([ .minios directos do terreno da i .
ZWEuPJ?"* m lravessa Qiwrt
n;n 'i ^ e 3 V?* 'luizer PdL' lr;"ar i.u
pateo do Tcrjo n. 31, toja.
ESCRAVOS FUGiCOS.
Casepiiras da moda
NA
LOJA DO PlVlO
Chegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para cal-
cas, paletots e coletes, tendo lisas, com lis-
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os precos, e a(ianca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-
te, assira como das raesmas se manda fa-
zer qualquer peca de obra, a vontade do
freguez, para o que tem um bom alfajate.
Aos quinhentos palitots
a 18S e20#000.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
dO, vendem-se urna grande porco de pa-
litots sobrecasacados, e propriamente so-
hrecasacos d panno preto, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos procos
de 185, sendo forrados de alpaca, e dr
205 forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter feto urna grande compra, serin
para muito piis dinheiro, porm liquida-Se
esta pechincha pelos precos cima.
Cortinados
Para camas e janetlas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 125000 rs. cada par at 255000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
AS CAMBRAIAS DO PAVAO
Vendem-se flnissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 55000 at 105000 a peca, assim
como ftnissimos organdys branco liso, que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 15000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatii n. 60, de Feux Pe-
reira da Silva,
por cento pelo seu prompto pagamento
armazem.
GAZ AMERICANO 95 a lata, a 400 rs.
a garrafa e 60 rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FlGUEIRA 560 e
640 rs. a garrafa, a 45500 e 45800 a cana-
da, a7z0e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 5t)0 rs. a garrafa, a 35 e
355(0 a caada, 60o e 640 rs. o litro
AZEITE DOQE DB LISBOA %>0rs. a
garrala. e a 75 a caada. 15340 tflitro-
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 45500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
2(X>, 240 e 30 rs. a garrafa, 25200,
'15800 e 15400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 15440 e
15280 a libra, 35140 e 25800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCEZA 9(50 900 e 850 rs.
a libra, e 25100, 15980 e 15870 o kilo-
gi arrimo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 15400 o kilogrammo, em porco
far abatimento.
BANHA DE PORGO DE BALTIMOOR
comprar
garantindo-se
se
620 rs. o kilogrammo, em porco h aba-
timento.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 15 e 15400 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em C*xa ha abatimento.
PH0SPH0B0S DO GAZ E DE SGG-
RANCA. a 280, 4 35200 e 65500 a gmza.
AMEIXAS EM LATAS E CACIHN'HAS
DE MUITOS TAMANHOS 35500, 55500
e 15 a libra.
GOMMA DE M/LJIO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e em caixa lia aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, era caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 5-vjOO
a duzia e 5(K) rs. a garrafa.
DEM BASS. VERDADEIRA IHLERSA
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 15500, I >200, 15 o
800 rs. a garrafa.
GENERRA DE HOLANDA E AMBUR-
- Fukio do pnfrenho Iodos os Santos da v i
de Ipojuca, no din 3 dn ntaio, o eteravo Gooeaii
representa ter 45 annus d,' idade, pouco mate
menos, cor verraelha, alto, crosso, ollios praaeno
em i) ,rb.i, o os ps radiando, foi escravu da Sra
D. Senhorinlia Manado Livraineiilo. que inorou na
villa de Seriober. ; no dia immediato da fivi
e>teve na mesma villa : si>p o queso proceder com o rigor da le a quem i.
tenha, epede- s autoridades policiacs ou cap.n
taes de campo a captura do mesmo e cnlrepar no
mosmo eiifsenhe ao altaixo assignado. ou ua rn
da Uoeda n. 5,* andar,escriptorio de Manoel Al-
vos Fe reir & i... que ser generosamente recom-
pensado.
________Miguel PanBflo Tolcntino Peres Palea .
720 rs. a libra, c 15570 o kilogrammo, em G^EZA a 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
portfo se far abatimento. i frase*.
ARROZ DO MARANHAO E DA INDIA IDEM DE NARANJA DOCE .VRO.MATICA.
120 e 140 rs. a libra. JO e 300 rs. o ki- lt& a fr*W|ora e 15 o frasco.
I.igrammo e 35800 a arroba. | QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o 3& 2d800 e W4u0- tin w b* gran-
kilogrammo. e 6 por U kil.grammos. (,e datimento.
-lAF EM GRAO 65 e 6*300 a arroba, TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
200 e 240 rs. a libra. 440 e 520 rs. o ^ra .e t80 rs- kilogrammo, c 115500 por
kilogrammo. kilogrammos.
SABO MASSA 260 p 200 rs. a libra, CHA FINO. GRADO E MU DINHO os
570 e 440 rs o kilogrammo, em caixa ba meltores que da no mercado, 35 e
batimento. 35200 a libra, 75080 e 65540 o ko-
MASSAS PARA SOPA. MACARRAO, TA- grammo.
Hi?fN. ? ALETBIA' 80 rs- a Iibra e DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25700,
15750 iiklugraiiimo. 2^500. 2-J200 e 25 a libra, e 55130 e
SEVADINHA E SAFU 5 280 rs. a libra e 45180 o kilogrammo.
Assim como da outros muitos mais gneros, viudo em ancorelas, nzeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, lingnicas de Lisda. marmelada, con-
servas gela de raarmello, pcego, ervildas, peixe era latas, sardindas de Nantes,
engarrafado, pomada canella, cravo. ervadoce, comindo. pimenla, grandes
ebolla 15500, finalmente muito mais gneros quo enfandonho
vinho
muidos
menciona-
venia en
s d>c
)na-lom.
?
Este admirare]
k'|iurni\0 mt
conten msimer-
>urio, iodo ou
[arsnico | i um
__Iviuroso modill-
eadnr purao MriKue ecura radicalmente as molestias depi-He, la-s conm u u pra, s* impinins. as lierpes, as
espiohas, ro-Panot, etc.Empreuado diariamente elle refresoa a massj do sonnue ecnn-alida osaude.
A INIFffAA f 4 i F T ^Ura ^'-- d-* ? c""T'nK'n,l) amigos ou recentes ,
Vaaos, 7, B' Deoai,
ff i
os mais rebeldes
As autoridades policiaes e&
quem competir.
No dia 29 de maio do correte amo li-
gio o escravo Esequiel, crioulo de 30 S"2
annos de idade, estatura regular, reforjado,
cor bem preta. cabera redon la. trajava ca-
misa azul e calca de casemira cinzenfa; i
rante o dia costuma andar gandando n,-.
ras, oti em armazens de assucar on as
tabernas a conversar e a beber; duran e a
noite reeolde-se a telheiros abertos ou pe-
netraveis, a casas era construrcao e a ou-
tros qtiaesqucr lugares onde se possa a
gar: quem o aprehender tenha a bondiiin
le o conduzir ra da Aurora n. 26, onde
ser gratificado.
Eligi no dia 9 do crreme mez engenlio S.mt'Anna da comarca do Poro
Calvo o cabra Wenceslau, estatura regu-
lar, de 22 annos pouco mais ou meno*;,
sem barba, cabellos preto, e bem oara-
pinhados, foi comprado na ddade do Re-
cite, para onde veio da provincia da P,>
rahyba; e bem assim o escravo Mano-1
crioulo, no 22 annos. estatura regula,
tem um dente quebrado no qneixo superior,
bem preto; quem os appredonder leve ^
casa do negociante Joaquim Rodrigues T&-
vares de Mello, no Recife, ou nt. referido
eiigenbo one ser bem recompensado.
Fujfio no dia 9 do coneiitu m.-i, o
molato Aquilino de 18 a 20 annos de
de, estatura regular, magro, ainda
barba, ctibellos ereacidn e muito crespos,
heicos grossos, falto de um dirue ine
da mandbula superior (dente, da frente),
tendo no braco es pierdo junto ao pnlso,
urna cicatriz muito recente c circular de
queimadura, bracos o pernas cumplidas, o
quando anda a tira com estas para os lados,
e faz muitos movimentos cora aqueles e
falla um fanto ronco. Gusta da andar
acompandado de cantaradas, contador de
historias: foi at fevereiro do correnle anno
escravo do Sr. Joao de Castro Guman>.\.
sadio de casa com camisa de madapolo c
calca de casemira acinzenuda com listras
pretas dos lados externos das perna^s, e
tem sido visto as mas da Grates, Quo-
mado, Rosario, largo do Carmo e na roa
da Aurora que elle freqnenta.
Quem pega-lo ter a bondade do leva-to
ra Nova n. 39.
Recfie 12 de agosto do 1869.
y


Jiario de Pernambuco
Segunda1
feira 16 de Agosto de 1869.
I
I
WWMk GE8AL
CMARA DOS SRS. DEPUTAOS
Si: L)E JULHO
WB? SR- NEMAS.
Esta hJ ^ftproducente, porque
ra^usiamenlo aquelle
que dtv nfinca: ser
reito citm boa mHHa uanto queros seguintes
i i detirpados pelos ardis da fraude.
O primeiro alistamento ha de ser feito
quando se nao conhecer anda o peso do
ufo militar a que o alistado se sujeitar,
s oulros alistamontos sero feitos quando
^ tiver reconhecido raaos effeilos do Bys-
Wma MB relaeo populaco.
Isio que (ligo do recrulamento veriicou-
se com a qnalilicaco para as eleioo. Os
Uonrados deputados sabem que a melhor
qualificaco fui aquella que se fez depois
da le de 1846 A melhor qualificaco de
jurados aquella que se faz logo depois
4a ereacao de um lerme, como foi aquella
(|uj se fez depois la lei de i 842. Com o
tmpo vera os iutoresses, vem os ardis da
frauda, e ludo se vai corrompendo.
Sj a Ilustre commisso pretende, com
a smceridade que Ihe reconheco, realizar
desde logo os principios cardeaes da sua
reforma, trate de expurga-la desse alista-
mento geral, comprehensivo de todos os
cidados at a idade de 30 annos.
Accrescenta a commisso de exame da
[istacaodo exercito que assim prudente
alargar o circulo des recrutaveis, afim de
quo a transir-o do antigo para o novo sys-
t'.ma se faca sem transtorno para a orga-
nisaejo do exercito.
Eu ueclarei ha pouco que achava impro-
cedente esta razo, porque estava n s maos
do governo demorar a execuco da lei at
que tivesse um contingente soYvel, se-
gundo a? necessidades do anno. Esta idea
est consignada em um dos ltimos artigos
do projecto da Ilustre commisso. Ou se
adopte o artigo tornando dependente de re-
galamento do governo, ou o alvilre que
suggeri ;i Ilustre commisso de ficar de-
pendente de autorisagao do corpo legisla-
tivo em li de fixacSo de torcas, ern todo o
riso pode ser demorada a execuco dessa
ler, que um ensaio de difficil execuco.
A commisso accrescenta que,.reparlindo-
98 actualmente o onus do recrulamento entre
todas as classes de 18 a 35 annos, e pas-
sando a recahir smente sobre as de 18 a
30 annos, releva dar algum lempo para as
familias se prepararen) para esla mudanca.
Mas, senhores, se o primeiro alistamento
tem de respeitar as isenQes actuaes, se
nao altera o estado do povo brasileiro
quanto ao recrutamento mi'itar, conforme
diz a propria commisso, como ha de elle
preparar as familias para a mudanca ? Se
o alistamento nada muda, como pode pre-
parar as familias para a p ojectida mudanca?
As familias d-'-.emser preparadas para a
mudanga que deve acarrelar a reforma com
nutras precauces da lei, com a sua execu-
C3o um pouco demorada, emquanto o go-
verno faz o sen regulameiito, emquanto por
cautela prov o extreito do contingente ne-
ssario durante o primeiro anno.
Para um recrutamento" p >rem, que res-
peda as isencoes actuaos, que nao altera em
ii o estad) das familias, de ceno ellas
iio se p )dem preparar, porque nao ha
iransico.
Assim, nao jolgo- attondiveis ou proce-
dentes as razes produzidas pela commis-
so. a que o sobre ministro da guerra se
referi; pelo contrario vejo nesta dispos-
i. jo urna descoafianca do systema novo :
seus proprios autores como que descon-
fiaran! de sua obra e preseniiram a neces-
sidade de experimentar a reforma, conser-
vando do systema actual aquillo que elle
ttm de bom, que tem provado bem durante
urna experiencia de 47 annos como efficaz
para fornecer torcas ao exercito.
E, senhores. tanto foi esta a idea da il-
lustre commissSo de exame da legislacn
do exercito, que ella consignou lambem
em um ultimo artigo do seu projecto (31)
que as .ou^.is exlr;;ord;.arias em quu fos-
se necessario augmentar o contingente para
c exercito, ou por motivo de guerra exter-
na ou de perturbacao da ordem publica,*)
governo licasse autorisado para proceder
ao recrutamento na forma dos reglamen-
tos actualmente em vigor, e respeiladas as
isencoes por elle3 eslabelecidas.
A mesma idea de desconfianca que dic-
iou o primeiro artigo dictou o ultimo: re-
crotaraeojo para o principio da execuco
da reforma para as pocas criticas em que
a sua eficaeia podia ser posta em dura
pro va, sempre o recrutamento com as sen-
cues actuaes e at com o mesmo processo
odioso usado: eis abi o que inspirou a il-
lustre commisso de exame da legislacSo do
exercito.
Mas a honrada commisso especial desta
augusta cmara, que nao aceitou o art. 31
do projecto elaborado pela commisso de
exame da Iegislaco de exercito, nao podia
aceitar esse outro artigo do i alistamento
com as isencoes actuaes, inspirado pelo mes-
mo pensamento.
E por ventura, Sr. presidente, dis-
posic5o indifferenlc osla io alistamento
om iseocfie actuaes at a dado de 30 an-
>S?
Nao, senhores; ao contrario um gran-
de vexatne que se laura sobre a populacho,
porque vawe fazer o sorteio sobre urna
classe oe cidados que tem j assentado
sua industria, adoptado na sociedade sua
profisso, e gue at agora, on fosse por
condescendencia aos costumes pblicos, ou
porque nenhuma necessidade havia de
recruta-los, nao supportavam semelhante
i ::us: nada menos do que sujeitar a massa
geral dos cidados desde a idade de 18 at
30 anuos ao onus do recrutamento, de que
sempre se julgaram isentos.
0 Sr. Camudo Murta :-E assim corta-
se-lhes as aspiracoes.
O Sr. Andbads Figugira : Basta que
ijam j estabeteddos; at aos 30 annos,
'i ser aquelle que nao loaba assentado
a sua profisso, a sua yrreira. Igto ve-
xatorio-----
O Su. Cannm Morta : Sem duvida
ihuma.
O Sr. Anoiudf. Fmuiu : -----e tanto
vexatorio quanto a ibuatre commisso
o pode julgar necessario sem manifesta
. porque (em plena confianca
iue o sorteio s na classe dos 48 annos
r o contingente necessario, da-
r at 50.000 boraens, segando os clcalos
e-latisticos aqu produzidos.

o reTiilamenlo nicamente i roes (fuaes aquellas e^ae ^eeatm ao frt*( emenda teaba-se esaoectdo mtis^tbei-al
a urna classe, a idade de 18 annos: a do art. I. histrias, a dos typog
materia de urna emenda offerecida ao
, raa" que devia t-lo sido ao art
porque aquelle trata do alistamento. e ni
da aptidio e da capacidade dos cidadios
recrucis.
AlKnda subslitnliva tem mallo em v.
ta a simplificar a economa da lei, reunmdo
no artigo 1' tudo quanto respeita s apti-
d5es, capacidade para o recrulamento, e
as incapacidades ou isenees.
A Ilustre commisso scindio materias
connexas, eslabeleceu isencoes nos arls. ia
e 2o, que deve crear erabaracos n5o so para
a discussao, como tem.acontecido, mas lam-
bem para a votaco.
A emenda, conservando as isencoes ac-
tuaes com algumas modificacoes, procura
alargar a idade, e estabeleoe o recrutamen-
to desde a idade de 1S a 21 annos \ tem
assim por fira fornecer urna base mais larga
de que o nobre ministro da guerra ha de
precisar para contar com um viveiro sufi-
cienle de recrufas.
Senhores, digam o que quizerem os no-
bres deputailos, entre nos com urna s clas-
se de 18 annos ser duvidoso obter annuak
mente todos os contingentes que o exercito
annualraente ha de pedir. Nao seguro
legislarmos para um paiz em circumstancias
muito especiaes, como o Brasil, sobre con-
jecluras,' o que mais sobre conjectu-
ras deduzidas das estastisticas da Fran-
ca (apoiados), que acha-se em outras mu
diversas condices, cuja pnpulaco densa,
compacta, conhecida, bem longe de volar
essa averso pelo servico militar caracteri-
za o Brasileiro, em regra posse o genio
bellicoso no mais elevado grao.
O Sr. JwifiEiRA:Mas em retaco s
idades a mesma por toda a parte.
O Sr. Andrade Figueira:Nao idn-
tica ; as mesmas estatistias europeas, que
inda boje consultei, nos elementos de es-
tatistica de Moreau de James, nota-se a
maior diverg ncia, a da relago de urna
idade determinada em a massa total da po-
pulaco nos diversos paizes, mesmo limi-
trophes. Accrasce que os proprios estatis-
ticos sao os primeiros a aecusarem esta
parte da sciencia como a mais imperleita,
e- a reconhecerem que nao possivel,
argumentar com os dados que se conhe-
cem...
O Sr. Jcnqceira:Nao ha outra.
O Sn. Andrade Figeika:Se nao ha
outra, vam>s marchando com as circums-
tan-ias do paiz, e legislando em vista de
suas peculiares condices
Um Sr. Dektado:Nos nao temos es-
tatisticas.
O Sn. Akdkae Figueira :Nao precisa-
mos fantasiar clculos ; demos ao governo
largueza; tres annos sao suficientes: cutre
os limites de 18 a 21 annos possivel achar
soldados. S com a classe dos de 18 eu
declaro que nao tomara a responsabilidade
de preencher a terca parte dos cntingentes
precisos para o exercito.
Mas, senhores, preciso atlender para
urna nrcumstancia: na Franca fcil co-
nhecer a idide do inolvTduo, porque existe
o registro do estado civil muito perfeito.
Um Sr. Dji-itado:Entre nos ha osas-
senos do baptismo.
O Sn. Anonade Figieiua: Entre nos
os registros esto entregues ais parochos
X!
a Ilustre commisso excepta todo o
Igeoro ou neto de mulher viuva, o ir-
mo que tiver lhos menores, etc.
Porlanto, a honrada cosamisso entende
que mais refpwavel e digno de attepcSo
o sentimento do irmo que sustenta a ir-
mSa, do que o sentimento do marido queJ
susti ia maHier, o sentimento
viuvo que sustenta-o filho, do que o
do pai
Whes ?
marido
mulher
alguma
{fia dirersos aparlesV
N5 se trata nicamente de nteressee
charos s familias; trata-se de urna, alta
questo de moralidade publica (apoiado
O Sr. Andrade Figcewa : fcu nao sei
se a industria dos tgrpapnji' mais
liberal; mas, nao t -la crear
novas isencoes, s cousiderei algumas das
consagradas na Iegislaco actual.
O Sr JAnraribe : na urna disposicao
legislativa relativamente aos typographos.
colloca-los em condiccSo desfaroravel em
lo aos ostra ngeiros.
O Sr. Ministro ba Guerra :Sr. presi-
dente, tambem sou da opinio que essa clas-
se sommamente ihleressautc ao estado e
precisa < Lcelo ; mas nao rou
30 V 11 la-la de um onus a que
esl sujeita a muito importante classe da
ooiados.) Desde que aquella
O Sn. Andrade (-'igieiha : Ko a en-fosseisenta, nao poderia esta dexar de ser
itrei na collecco; apezar de todo o
do cuidado que puz e:n proejar, s uocontrei
que juntamente sustenta urna especial i typographia nacional. To-
Eu flrffo vejo diffeqen^a
Javia,. se existir, coneordarei em algusn
additiro a esye respeilo, mis preciso li-
mitar o numero, porq;w de ordinario, as
provincias, as typographias se convertem
era fcv-odemdiwwos reerutafeis, que assim
; | procuram isentar-se do recrutamento ; com-
uo momento em que os maridos Uvereui meiiem-se muitos aousos, que convem re-
de abandonar suas esposas, para serwem' primr.
no exerato, lia a receiar-se qutas soenas Meus senhores, tambem o coramercio
immoraes e attentatorias do sagrad vinculo nacional nao podia deixar de mececer urna
conjugal. certa proteceo, qual esta um tanto nega-
Mas, nao s um interesse charo as fa- tiva da iseoco do recrutamento. Os cai-
milias e i imoralidade publica, tambem xeiros braeileiros j Imam boje com diffi-
hum interesse charo priacipsi. tteeessidade j cnlda'des serias para se encarreirarem no
(leste immenso paiz, ao augmento de sua
populaco.
Eu concebo pe feilamente que as naeSes
adiantadas CQmo sao as naces eropeas.
onde a populaco paloHa, onde o perigo
est smente na sua cxbuberancia e exces-
so, as leis militares aao isentam dej re-
crutamento os cidados casados. Mas,
commercio ; a concurrencia estrangeira con-
eorfe para isto.
Sujeitos os caixeiros brjsileiros ao recru-
tamento, mais se Ibes dificultar a car-
reir, porque na previsao da contingencia
do sorleio aos 18 annos, elles nao .sero
atritos as casas commerciaes, mrmente
altendendo-se a que precisamente na-
achamo-nos por ventura nasmesmas enndi quella idade que termina a -aprendisagem
rw^ ? Estaraos nos com ama popnlaro e comer o servico til. Assim, por pou-
exhuberante ? calx-eiros que a rtde do recru amento
Nao, senhores. as nossas circumstancias ha de apanhar, o projecto da honrada com-
so intetramente diversas; a nossa primeira misso tende a far.er classe um mal im-
neeessidade o augmento progressivo da \ menso, a nada menos do que
igualmente protegida.
Quantos caixeiros, porm, podero an-
nualmente concorrer para o contingente que
deve formar a forca do exercito no anno
respectivo? Em outra occasto eu j ti ve,
a honra de expr a cmara a minha convic-
f Jo de que em tempo ordinaaio os contin-
gentes nao poderlo exceder de 3 a 3,500
homens. Distribuido este contingente pelas
diversas classes mais numerosas da socie-
dade, qaantos caixeiros comprehender an-
nualmenle ? Note-se uue sero corapre-
hendidos smente os de 18 annos (apoia-
dos) ,- porque nao sero incluidos no con-
tigente os que tiverem chegado a idade do
19 annos e dahi para cima. Os dessas ida-
des j nao se incluem na classe que deve
contribuir.
O que resta, pois, senhores ? Se pelo
fado de poderem ser chamados algumas
duzias de caixeiros, deve a classe destes
ser isenta, com muito maior razio devem
s-lo as que pertencwc as outns industrias.
Se a regra adoptada pelo nobre deputado
na sua emenda tivesse fundamento, sera
preciso ampf]a-la, e ento o recrutamento
nao poderia ter lugar, desapoarecia o exer-
cito, ou se comporia unicamelte de volun-
tarios e engajados, que em todos os lem-
pos tem sido insuficientes para compor a
estabelecer; decima parte do exercito ordinario.
populaco (apoiados), animar os casamen- opiio desfavoravel aos caixeirtsnacionaes! O honrado deputado exoeptuou tambem
tos.faeuita-los... e acrear-lbes maiores embalaros do que j a classe O Sr. Ferbicao M^utohio : Apoiado ; aquelle cora que lulamj. (cao adoptada em diversos paizes, esse sys-
cinstiiuir a ramilla Accrcscentei anda urna outra isencn tema, bem longe de ser infenso a moral e
) i que escapou honrada commisso; mas ; a populaco, como o nobre deputado sup-
pz pelo contrario um grande remedio
o deseovolvimunto ao elemento gerador da I de primefra necessidade e reliro-me aos
populaco. Ora, teiiho por sem duvida I cerpos policiaes das provincias. Todos
que o projecto nao sentando os casados i aquelles que se acharem em circumstancias
do recrutamento vai restringir oscasanaen- de serein sorteados para o exercito, nao se
para os casamentos prematuros dos quaes
provm militas desgranas para as familias.
O nobre deputado cahe em um equivoco
(apoiados); porque, prestaro a engajar-se nos corpos de poli-' que consiste em suppr que
tos considera ve I mente
a previso d> sorteio ar com qae mudos I ca das provincias, que assim .vero rucres j maiores driSannos'queVo casados
nao se casem, poique aquelles que sao sor-1 cerem as difficuldades c m que j lutam b teados deixem de casar-se emquanto ser- para organisa-los.
vem, visto que os casamentos no exercito | Accrescentei urna outra isenco no inte-
so raros e convm embaraca-los. resse mximo da colonisafo ; refiro-me
Ora, nm paiz extenso e despovoado co- aos colonos e cidados naturalisados a qujra
mo este, que para prosperar s demanda teis especiaes concedam dispensa do re-
bracos (apoiados), qiie de exercito so ca-
rece tanto quanto demandam as suas piu-
cas necessidades' militares, a mamitenro
da ordem publica, pode estar a difficultar
os casamentos, a embaracar o desenvohi-
mento da sua populaco (apoiados\ a co-: vradores
crutamento. Fazendo nos boje urna lei
geral como esta, sem estabelecermos excep-
Cao, poder-se-hia autorisar a indueco de
que as leis especiaes fkavam revogalas.
O Sr. Candido Torres Fimo :E os la-
pnr leis dessas naces da Europa que nao
sabem o que fazer dos seus proletario?
(apoiados), que procuram a todo o dis-
to doscartar-sc dejles e onde se discu-
te eternamente o problema da populaco
at como um problema da ordem pu-
blica ?
O Sr. Ferreira Vianna : At se faz a
guerra para diminuir a populaco. (Apoia-
dos.)
O Sr. Andradk Figieira :Ali as mo-
dernas legislares estao cogitando um meio
de dili'-litar os casamentos, que reputam
inconvenientes: nao o encontraram
O Sr. Anduadk Figf.iha : Nao seutei
os lavradores, porque elles tem mais em
regra para se exiinirem do servio dando
substituto. Accresce que desde que per-
mitte-se a exonerafo pecuniaria, nao ha
razo" para que o fazendeiro seja isenlo
Nao qniz seno favorecer classe pobre,
a essa classe que exerce a pequea in-
dustria do paiz e apenas indstinctamenle
; individuos
tam
sujeitos ao recrutamento. Essa
supposiro nao exacta. As disposcoes
do projecto somonte comprehendem aquel-
les que maliciosamente se subtrahiram ao
alistamento a que sao obrigados nessa ida-
de, qnerendo por meio da fraude sobrecar-
regar os sefis concidados de um onus que
tambem sobre elles deve recahir.
J v t) Sr. deputado que nao ha aban-
dono das familias dos casados, nem da res-
pectiva prole. A objeceo do honrado
membro nao nova, muitas vezes se tem
repetido.- Mas nao tem podido prevalecer
a luz da razo e dos verdadeiros interesses
siiiiaes. Nao possivel que a malicia e a
fraude sejam recompensadas pelo modo
por que quer o honrado deputado.
O mesmo honrado memhro a quem me
refiro pronunciou-se tambem contra urna
dea que se acha inserta no projecto, isto
, que o primeiro alistamento comprendida
que se refere aos clrigos de ordens sacras
lo recrutamento.
Diz o nobre deputado: os clrigos, pe!
direilo cannico, nao podera receber ordens
antes de completaren) 22 annos, isto urna
idade superior daqueta flxada na lei, por
wnsawsncia-como isenta-los do servico do
Ma* nao reflectio o honrado deputado
que aquelle que pode ser clrigo ao> 22
annos, como S. Exc. disse, pode ter sido
omittido no alistamento do armo respectivo
se nao fra a senco, apezar de suas ordens,
elle seria obrigado a servir no exercito.
OSn. Andrade Figitira :Nro pjde,
porque tem isenco como seminarista.
O Sr. Minisero da Gueraa :E* por isso
que diz o artigo: se um individuo qualquer
tiver sido omittido no alistamento e depois
tomar ordens sacras, apezar da desposlo
que manda admitti-lo ao servico elle nao o
padera ser, porque j tem ordens.
Eisfahi o quer dizer a isencSo dos
clrigos.
O Sr. Andrade Figueira :EntSo in-
completo o projecto da commi.-slo, deva
tambem mencionar os magistrados, os ad-
vogados e os mdicos.
jb Sr. Ministro da Guerra :Em con-
cluso, Sr, presidente, eu nao arriscara as
observares que tenho feito cora pretenco
de refutar o nobre deputado, mas semen-
t para justificar a opinio que tenho con-
tra a admisso da sua emenda. Pego
cmara que a nao admita, porque se tal
fizer ficar destruido todo o systema.
melhpr ento votar ntuiramente contra to-
da a lei: rejeile se o projecto e nao cuide
mos mais de semelhante instituicao, por-
que ella nao poderia prevalecer do modo
porque a desej o honrado deputado. (Mui-
to bem).
O SR. RODRIGO DA SILVA :Sr. pre-
sidente, nao posso fallar a esta hora, per-
qu faltam dez minutos para terminar o
tempo da sesso c a cmara est cansada.
(Nao" apoiados). Desejo dar as razies por
que nao assignei o projecto que so discute,
tendo sido eleito por esta cmara para fa-
zer parte da coannisso especial que oela-
borou.
Mas j v V. Exc. que a esta hora nao
posso com bastante espaco tratar de as-
sumpto to grave.
Vozks :Nos ouviremos o nobre depu-
tado com muito prazer.
O Sr. Rodrigo da Silva :Por isso re-
servo-me para na 3a discussao tomar a pa-
lavra. nao abusando agora da bondade
com que os nobres deputados me esto
desafiando para fallar.
Nao havendo mais ningiiem com a pala-
vra, fka a discussao do art. Io encerrada,
nao se votando por falta de numero legal.
Entra em discussao o art. 2."
O SR. BEMJAMIN faz algumas observa-
Ces. f~
A discussao fica adiada pela hora.
Dada a ordem do da, levanla-se a ses-
so s dez horas c meia da noite.
E assim
sua idade prtr
baptismo.
at-
pela escola maltliusiaua, em cujas doutri-
nas ins{)irob-sc o projecto.
A honrada commisso fallou anda em
de
e no interior do paiz conhecdo o estado sagaz e proficuo do que o servico do re-
umiseraiido em que elles se conservan); nao crutamento, cuj duraco chegaram alga-
lia livros de assentos em ir.uias parochias,
em outras livros desapparecem, acerescen-
tam-se-lhes ou liram-sc-lhes folhas, em
summa, pralicam-se os maiores abusos.
(Apoiado
O Si. Ferheira Vianna :Nao lm au-
tlieaticidade nenhuma.
O Sr. Amobade FicutiftA
raro o recruta que prova a
meio de certido regular
(Apoiados). Os paroehos por meio de
testad^ que do ofioiosamenle.....
O Sn. Di -ote-Estrada Teixeira i Este
argumento prova de mais.
O Sn. Ani'hade Figueira :O nobre de-
putado diz que o argumento prova domis,
porque prova contra outros actos da vida
civil: eu responderei que estes referem-se
a questpes de interesses particulares, que
alias po'dem ser importantes.
O recrutamento muito mais serio, quer
para o Estado, quer para as familias; nella
trata-se da sida e liberdade de um povo re-
fractario ".ida militar, qual o Brasileiro,
que prefere suicidar-se a servir no excercito.
(Apoiados).
(parles).
E' preciso, senhores, se nao queremos
que esta reforma, benfica ao alistamento
e sorteio, seja, como tantas outras que se
lm feito, mero ensaio e experiencia, que
attendamos a estas condices praticas:
preciso que nao circumscrevamos o sorteio
nicamente a urna idade, pois difficil co
nhecer com exaccn, ao contrario, cumpre
que o alarguemos para que o alistamento
forneca viveiro sufficiente aos contingentes
do exercito.
Esse alargamento tem a vantagem de dis-
pensar o sorteio complementar que a hon
rada commisso conservou at a idade de
30 annos, alistamento muito pesado para
individuos que foram omittidos na lista
aos 18.amos, sem.a menor culpa s por-
que nao se foram denunciar as juntas alis-
tadoras.
Pela doutrina da emenda do-se tresalis-i
lamentos: o individuo que escapa de um
entra em outro; o individuo que lenta so-
phismar a sua idade nao o conseguir to
fcilmente em espaco de tres annos, nao
ser to fcil ao menos como escapar dos
18 para os 19 oy 17.
Sr. presidente, votarei pelas ideas car-
deaes do projecto por eonler o alistamento
e o sorteio, que reforma reclamada pelas
mais instantes solicitaces da opinio publi-
ca. (Apoiados).
Nao votarei, porm, para que se faca
urna transicao brusca do systema actual
das isencoes para o systema francez sera,
ou com poucas isencoes, porque a opiRo
nao reclama semelhante nnovaco.
Uma Voz :Nem conveniente.
O Su. Andrade Figueira:A desigual-
dade do recrutamento actual nao est segu-
ramente em excluirem os casados, os estu-
s Justificar a emenda substitutiva queenviei
mesa.
Ella nao altera era nada o systema do
inab a ampliar al os 23 annos. E' umj projecto a respeito do alistamento e sorteio;
meio preventivo geralmente aconselhado quanto massa recrutavel, estabelece ape-
nas dispOMces sobre incapacidades e isen-
coes. Todava era impossivel ti atar-se deste
aos que sao casados e aos que se dedicara todos os individuos que actualmente se
s carreiras luteranas pela especialidade achara sujeitos ao recrutamento, que sao os
das proisses. de 17 a 35 annos.
Tenho assim, Sr. presidente, procurado O Sr. Andrade Figueira :Combali o
systema da commisso.
O Sr.Mi.nistro da Guerra :Acha o'honra
assumpto sem combini-lo ao mesmo tempo
iuvo que liver filho menor.legitimooullgi- cora o processo a adoplar-se sobre o alista-
mento, e oi no presupposto -da approvac&J
da CoascripcJo e do sorleio que a redigi.
exclnindoda legislarao actual aquelles casos
de isencoes que pela mudanca dos lempos
timo
E' claro que o menor de 18 annos nao
pode ter seio lilho menor, e, portante, a
em ande contemplando apenas o viuvo com
filhos satisfaz sem necessidade de declarar-so
legitimo ou Ilegitimo, menor on maior.
Nao puz a clausula da creaco e educa-
co, porque entre nos raro o pai que
deixa de educar o filho. Qaando se d
nina excepro deslas, c fado lo anmalo
e singular que nao ha vantagem em con-
signado na lei.
A respeito dos estudantes a honrada com-
misso foi execessivamente restricta, porque
considerad os do cnsino superior e ex-
cluio os estudos secundarios. A emenda
amplia a isenco a todo o testudo secunda-
rio, e a todos os estudantes matriculados
s as faculdades mas em lodos os e=-
tabe'acimentos pblicos.
Nio faro dstincro de estabelecimen-
toa mentidos ou nao pelo Estado ou pelas
provincias, por associaces ou por qualquer
meio. Exige-so apenas, que sejam estabe-
lecimentos pblicos, para evitar os abusos
que poderiam praticar os estabelecimentos
particulares. A beneficio dos grandes in-
teresses da instmccSo publica, que entende
to directamente com o progresso moral e
at mesmo material do paiz, nao podemos
deixar de sentar os estudantes do recru-
tamento, um vez que provem assidu dade
e aproveitamenlo. Exclu os ecclesiasticos
de ordens sacras, porque segundo as leis
cannicas nao os ha com menos de 23
annos de idade.
Os bispos podem pelo breve decenal
pensar apenas um anno, ficaiu ainda
assim no mnimo de 22 anuos, que f idade
peror aos 18 annos do projecto, e aos
21 da emenda.
Alm dos interesses da nstruccao pu-
blica da fami a e da moralidade publica.
que determinan) as isencoes a que me tenho
referido ncluio tambem e rauilo de pro-
posito a isenco em favor das pendentes
industrias e nao um privilegio em favor
dos ricos, como o nobre deputado ; mas
smente dessas pequeas industrias, que
lo otis sao ao paiz e de que este nio
pode prescindir.
Por exemplo, da industria da pesca e na-
vegacao costeira, que al reputada o me-
llioc viveiro da marinha de guerra ; de
industrias fabril, acanijado, que vai de_
iuuaodo no paiz, e como que desappare-
ceno rpidamente diante da invaso da
importado estrangeira. Todas ellas me-
recem proleccSo, porqae formara as pe-
quenas industrias,' que sasfazem as
mais communs necessidades da vida e ser-
&vpr.
nao devera boje merecer o mesmo
Tenho concluido. (Moilo bem).
O SR. BARAO DE MURITIB (ministro
da guerra;.-Sou toreado a fazer algumas logo fazer recahir sobre um classe menos
do membro que aislo se revela uma especie
de dosconfianca acerca da execuco da lei,
que se nao confia que ella possa fornecer
os contingentes devidos' ao exercito e ar-
mada.
Senhores, o nobre deputado argumen-
tando por esta forma, e querendo excluir
do primeiro alistamento os individuos me
actualmente elle sao sujeitos___
O Sn. rAndrade Figueira :A prevale
cer o systema da commisso.
O Sr. Ministro da Guerra:... quer
perdoar um tributo enorme aquelles que
actualmente esto sujeitos a pega-lo, equer gVm7i>7anu^
SESS*EM 17 DE JULHO
PRESIDENCIA DO SR. NURIAS.
Ao meio da, feila a chamada, verifi-
ca-se baver numero suiciente, abre-se a
sesso.
L-se c .approva-sc a acia da antece-
dente.
O Sr. Io Secretario d conta do segrate
EXPEDIENTE
Um officio do ministerio do imperio, en-
viando a copia do decreto pelo qual se de-
claron que as penses concedidas ao l-
ente Laureniino Pereira de Vasconcellos
e ao alferes Jo > Lopes Goncalves Palorga,
com a causula de serem sem prejuizo do
meio sold, devem ser consideradas sem
esla clausula.A' commisso de penses
e ordenados.
Outro do mesmo ministerio, communi-
caudo, em respagta, que se expedir aviso
ao ministro da fazeuda para mandar entre-
is- d'-
las
i:, sur
dantos, os colonos e outroa.isentos do ser-
vico do exercito; est sim o priveregio aun utilmente as demais industras.
que o arbitrio impoe em favor de uns e Senhores, quaesquer que sejam as ii
contra outros. Corrigidos nesta parte palo
alistamento e pelo sorteio, desapparoc'
os abusos e a reforma satisfar s reclama-
coes da opinio publica.
Senbores, uma grave conlradicco se no-
ta no trabalbo da itastre commissSo; ape-
zar das suas apregoadas tendencias ao pjin-
Xos annos subsequentes a honrada com-1 cipio da igualdade, consignou varias sen
quaesquer que sejam as ideas
a respeito do systema proteccionista, con-
vem nunca esquecer a industria manufactu-
reira e fabril, nao para favorec-ias a ex-
pensas das outras e dos cousumidores, mas
para remover todo o embaraeo ao seu de-
senvoJvjraQto no paiz, que sobre todas sao
necessarias. (Apoiados).
O Sr. Jaguambe : E' pena que a sua
observaces sobre a emeiida apresentada e
sustentada pelo Ilustre deputado que acaba
de oceupar a atlen.o da cmara, at por-
que esta emenda deslre pela base o pro-
posto systema de recrutamento.
As isencoes a que se referen) as instru?
ces de 10 de julho de 1822 sao absoluta-
mente incompaliveis com o systema do
projecto e com qualquer outro systema de
conscripeo.
Concebe-se a largueza das isencoes com
o sy-tema de recrutamento que actualmente
temos, qnando a massa recrutavel se en-
tende al os 35 aimos de idade ; mas quando
se restringe a uma classe, a uma idade s-
mente, as largas e extensas isencoes das
inetrueces de 10 de julho nao podem ser
aceitas.
Quando mesmo se queira estender a
massa recrutavel, cmmdeseja o nobre de-
putado quem me refiro, .at a idade de
21 annos. nem por isso se melhorar no
seu quantum, esle elemento recrutavel.
J2 nem sei mesmo como se pode conceber
o sorteio successivo era cada anno, nessas
tres idades a que se)referre o nobre depu-
tado. Se no primeiro sortero forem com-
prebendidos todos os individuos de 18 a
21 noos de idade, no sorleio do anno se-
guidle quem ficar comprehendido ? Tor-
naro de novo aquelles que tenham 19 e
annos a eotcar no sorleio:' Nao. O
nbre deputado fundou a sua argumenta-
cao em uma base pouco exacta, nao quiz
prostar a sua attengo ao systema estabe-
lecido pelo projecto,- e adornado entre na-
ces mais cultas, aonde o alistamento nao
estende alem de uma s idade.
E' assim que todas as idades vm a pa -
gar o tributo pes oal para a defesa da pa-
tria, assim que cada uma deJIas tem con- i
tribuido para a commisso da forca publica.
O sobre deputado de quera muilo siutu
discordar, copiou quasi todas as isencoes
das instrucce3 de 10 de |ulho de 822.
Eu peco licenca a cmara para lr otda
uma dessas isencoes, e perguntar, se ai-
guera pode duvidar qu se fu>sem adop-
tadas no systema de recrutamento que se
quer estabelecer pelo projecto, se conse-
guira em tempo de guerra ou de paz preen-
cher a forca ordinaria ou extraordinaria.
Essas isencoes sao as seguintes: (L.)
Apenas duas dessas classes deixaram de
ser comprebendidas pelo honrado deputado,
sendo uma a que mais precisa de proteceo,
a dos lavradores. Entretanto o nobre de-
putado jnlgou necessario sentar a clafse
dos caixeiros, fundando-se na razo de
que essa classe necessaria para dar aug-
mento da industria ommercial e da pros
peridade publica, e, segundo parece, para
dar que fazer aos
O Sr. AnwaI'L Figueira : Para nao
numerosa o tributo que deve ser satisfeito
por nao menos de dezaseis classes mais,
isto que devemos distribuir por nma po-
pulaco dezasels vezes maior. E isto est
as regras da conveniencia e dajustica?
O Sr. Andrade Figleiha :A commisso
que quer abranger doze classes.
O Sr. Ministro da Guerra :-Mas diz o. de conduzir 0 expediente-lnteirada.
honrado deputado : Porque razao depois1
fazeis sobrecrregar este
rante o piimeiro semestre do exercicio de
180 a 1870, ao official-raaior da secreta-
ria desta cmara, bachaiel Antonio Pereira
Pinto, a quantia de 150(5 rjara o expedien-
te dsla repar'co ; ao porteiro graduado
Jos Joaquim de Souza a de 20i> para o
asscio do passo da mesma cmara, e a de
70 a Jos Manoel Madeira,
encarregado
tributo sobre uma
s classe? Eu repondo: Porque assim
necessario para que o systema possa co-
mecar a ter execuco.
Mas porque essa necessidade se pronun-
cia devemos desde jsatislaz-la? Nao ; s
quando o podormos fazer mais suave-
mente.
No primeiro anno, em que a populaco
anda nao est acostumada ao systein i
que nos vai reger, em que as fami-
lias nao esto anda acauteladas a
rospeito do futuro de sua prole, irmos e
prenles, nao seria uma occaslo propria;
Dar que a transicao se faca, esse occasio
deva ser escolhida, e deve-se quanto for
possivel atlender s conveniencias at que
possa ser modificada; para promulgaco e
execuco de uma Jei que vai por em pra-
lica um novo systema, ella deve reger pouco
a pou jo e nao de uma s vez.
Bis ah, senhores, porque o projncto
adopteu esta transicao e comprehendeu no
primeiro alistamento aquelles que esto
actualmente sujeitos ao
exercito e da armada.
Nao Sr. presidente, que eu tenha a
mais plena e inteira confianca de que esta
lei possa ser executada pontualmente.
O Sn. Theoboro da Silva:Apoiado.
O Sr. Ministro da Guerra :Isto basta
para qm eu adopte o remedio que o pro-
jecto applica. Nao tambem que eu des-
confie absolutamente, mas nao posso deixar
de notar que as instituicOes que comecam
quasi sempre encontrara innmeras diffi
culdades que preciso vencer, que pre-
ciso quebrar uma a uma, pouco a pouco e
com rauita prudencia e circumspecco.
(Apoiados)
Adoptando a lei uma medida desta natu-
reza, teve era vista este dctame da pruden-
cia, e n3 se pode" por consecuencia ar-
gui-la de ter caminhado neste lejfeno pouco
conhecido com cautela e passo % passo.
O Su. Theopobo ba Silva:Hasde 1828
que se trata disto.
O Sr. Anbbade Figueira :Mas to los
os projectos respeitram sempre all ene oes
eslabelecidas.
O Sr Miwistbo oa Guebba:O nobre
depui dar licenca para tambem di-
zer-! pplicou toda a sua tjUen-
Cao a* paragrapho da Ilustre comroissio.
Outro do mesmo ministerio, enviando o
officio em que a presidencia do Rio Gran-
de do Norte d cnhecmeate do acto pelo
qual negou saneco, por motivo de ncons-
titucionalidade, ao projecto de lei da res-
pectiva assembla legislativa, autorisando a
mesma presidencia a mandar pagar ao pro-
fessor.de geometra de Atheno Rio-Gran-
dense, bacharel Luiz Rodrigues de Albu-
querque, os seus ordenados relativos ao
lempo em que esteve suspejosp do exercicio
daquelle cargo.A' coinmiss2o de assem-
blas provinciaes.
Seis do Io secretario do senado, coramu-
nicando que* constara ao mesmo senado
que S. M. o imperador consente as reso-
luces da assembla geral que approvam
varias penses.Intcirada.
Um requerimento de Joo Jos Fagun-
des de Rezende e Silva, pedindo para ser
reconsiderada a sua peticSo, desejando que
seja ella enviada a cotoinissao de minas e
bosques.A' commisso de commercio,
industrias e arles.
L-se, e vai a imprimir para ser
recrulamento do submettido votaco cinco dias depois, na
forma do regiment, o parecer sobre elei-
Ces de varias parochias perlencentes ao Io
districto da provincia de Minas-Heraes.
Lm-se, jalgam-so objecto de delibe-
raco, e vao-a imprimir para entrar na or-
dem dos trabalhos. os projectos sobre ha-
beas-crpus, alteraco o cdigo do pro-
cesso criminal, e isonco de direilos de
imoortaco.
Entra em discussao, e approvs-da
sera debate, ar'redacao do projeoto abolin-
do o transito de chaecellaria das relacoes
das sentoncas, arecBtorias, al varas, man-
dados e quaesquer tros actos forenses,
de qualqner jmzo ou tribunal.
Entra era discussao a redaeco do
projecto concedendo aos bispos que forem
a Roma, afirn de assistirem ao concilio ecu-
mnico, uma ajuda de cusi as desperas
da viagem e trataaenta condigno de sua
elevada posie.au.
Depois de breves coosideraces dos Srs.
ministro do imperio, Jaqqueira e Candido
Mendes sobre o seguate requerimenlo, fi-
ca a discussao adiada pala hora.

v
>
(CwtintMefo:,
TVP. PO MARIO-Rl A011 OES K *


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E91VFVJDG_IDHLN8 INGEST_TIME 2013-09-14T02:18:15Z PACKAGE AA00011611_11917
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES