Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11916


This item is only available as the following downloads:


Full Text
- ~



ANUO XLV. MEfiO 184.
PARA A CAPIfAl E LBCJJES OJTDE IA6 8B PACA Mlt
Por tres news adiajdos. 4
Por tai* ditos dem..... ..............
Por-mi aaoo idea .......
Cada nato* rabo .' .* .' .'...............
................
awoo
2400O
V SUBIDO 14 DE AGOSTO DE 1869.
PARA MW80 E fftA fiA PB0VCIA
Por.UAttlttHb^niN.
dtostem, .
Pornow Utos idem .
Poramam.....
6750
-------
________
A
Propriedade d Maaoel Figueira de Faria & Filhos-
-*


- ," SAO A41FVTJE:
O Srs. Guardo ^X^ -^ Antoje feB^-*^ F **!.*- Mar^, d, fe no
em Mamanguape;'Amonio Atexandrino da Lima, na Parahyba; Anteq Jos Gomes, na V da Pnha; BeJarwmo dos' Santos Baho, em Santo Antao; Domingos Jos'da Costo Braga,
em Nazareth; Franoao Tavare* da Costa, em Alagas; Dr. Jos Martins Aivetv na fiati* Jo* Riket Gasparinho, no Rio de Janeiro.
PARTE OmCIAL.
overa* da pro t ocia.
BKSPACHOS DA VICR-rRESID.NCIA DO DA 10
Dt A60STO DK 1869
t\4re Augusto Frauklin Moreir^d Silva.In-
focttS o Sr. inspector da thesonraria proun--
dmo iiia om mmtm: <*{>** .. sr.
ittwrtur da ttetfoaraha Je fazoada.
Caetana Prudencia do S Lcta ).Informe o Sr.
director interino do arsenal de guerra.
Hrneisea Rosa des Santos Barros.Coneeda-se
uee termos do regutaun-nlo do presidio.
Francisco Amonio tragul de Souza Rangel.
Xau teodo o upplieantc satisfeito o despacho no
aviso do ministerio da justicia de 10 de inaio de
19Wijneira ao goVerno imperial.
Ignacio Francisco Pereira da Silva.Em vista
cloque informa thcsoucirla, n5a pdeagorater
lugar o pagamento que requer o supplicant.
J> Francisco de Soma.oaoeda-se nos ter-
mosdo regUramntO do presidio
ioaqaia ATtoi)ie Jos Mam Ferreira da Cuulia. Junta esta pu-
lirlo aue allude o supplicauto-^iaW^O Sr. ius-
pecror d.1 thesonraria provincial
Lii Atlbnso Kerreira.Informe o Sr. I)r. chefe
de polica.
Lenaor Mara do Coulo Belmoute.Apresante a
suultcanle o menor de que trata para ser nspec-
dtwiWo, ao Sr. inspoctor do arsenal de marmita a
quem se remetter o presente re^uerimento para
informar cora o resultado da mspeccao de sade.
Marques Barr & CInforme o Sr. Dr. chefe
ilr palela.
Martinho tote de Sant'Ann).Xesta data se ex-
cede ordem no sentido (jue requer o supplcante.
Manoel Jo< de Almeida Soares.lufonne o Sr.
inspector da thesonraria de fazenda.
Pedro Cnvaleante do Reg e Albuqnerque.Ao
Sr. chef interino da repartcto das obras publicas
para satisfacer o que pede o Sr. inspector da Ule-
asurara provincial neste ollieio.
II
Abatate assignados fabricantes de chapeos de
sol.Informe o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda, ouvindo o da alfandega.
Pranclec i Corra d;i Silva.Informo o Sr. te-
nente-eoronel commandante do corpo provisorio de
paliis.
Jos Antonio de Moraes.- Conccda-se nos termos
do regnlametn do presio
Joaquim Jos Leandro.Informe o Sr. general
commandante das im.
Maree-lina Gomes de Andrade.Informe o Sr.
inspector da tuesouraria de fazenda.
QuiteriarMaria da Concento.Concedo nos ter-
mos do regulamento do pre:-idio.
STafim Alves da Rocha Bastos.Tendo os do-
cumentos que pede servido para fundamento o des-
pacho qtre concedeu a permisso, nao podem ser
entregues ao supplicante. _^
EXTEBIOH.
m iNTF.viniio, 30 dk ramo de 1869.
Suecedein-se cousas neste paiz verdadeiramele
e\ti.iordiiiurias, o que s por si sao sullicient
para revelar bou atraso mor!.
Pela ign rancia q te ostentam os que na cupola
socialjlingein os s'U destino-; pelamlcom
que procudem, calcando aos ps todas as nocoos
do justo e do honesto, se pode formar urna inste
idea do estado das carnadas inferiores do povo,
adas com falsas ideas de pundonor, eom apio
eiacies sempre errneas de patriotismo, e arresta-
das pelo prestigio dos caudilnos as mais oppostas
direcefles
Nd ha ioteresse deordem algoma, por mais
ido que Mija, que possa cuitar com a proiec-
cm dss poderes constituidos paradefende-lol O
desejo desenfilado do fazor fortuna rapidameme,
e os ejemplos perniciosos dos que tem sido bem
succedidos com o emprego dos- meios reprovadps
incentivos bastante fortes para fazer lavrar a
dlaga qae ha de corromper t ida a repblica
Oriental, se seus homens honrados e intelngentes
na i se colligarem |i ira salvar o paiz, e paca arre-
batado da voracidade dos audazes possoidores do
mando.
Nao possivel reprimir a indignarla diante de
tanta perversiiade; principalmente quando ella
fere grande interesses brasieiros, s porque con-
sidera-se aqui muito legitimo o esbulho proprie-
dade brasileira.
lia muito tempo que descrevendo a celebre
questao bancaria, acotnpanhando-a em todos os
seus desGiivolvimentos e peripecias, assignalei que
todo o fi.:i desta questao era guerra directa ao
banco Mau, e a seu respeitavel fundador. Qae-
ria-s a destruicao pura e simples desta casa qua
baria salvado a repblica Oriental da bancarrota;
que hav'ia Vesiabetecido seu crdito, e restaurado
saaa Bnaucas, que havia acudido sempre aos go-
vi'inus legaes nas linas je sua maior agonia.
Em ora momento dado para se realzar este
pensainento, porque nao se satislizeram certas
exigencias nao confessaveis, os directores da opi-
i publica esquecendo-se dos constantes e con-
FOLrfETIm
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POR
Paulo Fval
*rimeira parte
OBR\< \l. L.IVR.1DO
XVI
tinuos favores do banco Mau, a nacionalidade
oriental, attrilniirain^uma situacao, toda oriunda
destes favores, ma administracaado estabeleci-
mento, e sem tratarem de edificar alguma causa
solida qu opudesse substituir s trataram de
destrui-lo.
Mas atacar o banco Mau; festrjwft teu crdi-
to, tornar impostivel a-sua macal) era atacar a
repblica destruir as suas nnaiicas, orabaracar-lhe
je sea progresso": de fal modo s harta identifica-
do a, sort de ambos !
Os nomens, porm, que haviam resolvido a por-
St'do'barSo de Mau flzeram-se shrdos a ludo e
de desatino em desatino levaram o paix at urna
revoluto.
A' esta rovoluQao, a que foi completamente
estranho o bario de Man, nao presidia neuhuin
princqMo. NeHa se joga\-am interesses diversos
e nada mais. Portanto, foi possivel aflasta-la do'
caniinlio empregando-se sreorrapcao, e sacrifi-
cando-se a dignidade.
Quando eu refer que nao houve submissao,
dever trd6ti-fo integralmente, pan sefrtr do
toase aestmlo de nossos homens pefiticos, que
serao naMralmente chumados a discuti-lo.
Heereio regt*iB*itsr da lei de 7 de jumo
do Brrenle anHe.
Olsfxtttdo a lei que a liqnidacao dos bancos
deve pratiear-se immediatamente' depois de pro-
mulgada, e sendo indispensavei desvaneeer asdu-
vidas e nplainar as diflkoldades que tem obsta-
do t execueSo, o presidente da repftWiea, en
eoftseJho de ministros, aeorda o decreta :
Art !. PWn a intervengao requerida pelo
art. 2o da lei, o representante legal de nm nance,
no caso de soeiedade collectiva ou em commnn-
dila, o socio o^soclos da razao social, e no caso
de soefedade anonyma; a commissao ou o direc-
torio, expressamento aularisadee pos aewonis-
eonvocados por seus actuaes directores ge-
rentes.
< Art. 2. Em eoisequoncia, a commissao fiscal
fat saber ao bario de Man que se aprsente por
si ou por seu legitimo -representante, dentro do
a'Vwbart.
3C
*" *'.' "' ''-----------
urna peBosa^mKM fmpressao. A aoaior p:rrte
dos conercianmp)*|M7a iu>nMMeriawMe, so-
licuando qno e nan rtuniaiiiil a nica f&-
rantiaparaaooaafM4BaaDM4* banon Man
& C. se>>. mmum \at4e M Ketoefa-s que
a interaaafodajovecoa saja ato gnaatt nwl, e
que a saaatpKdaa, as niaaiiwi afaedag abanu
J art'gg* *w*i^ de taarto taloiw ter*e-
Nad eanpensa a respapaabilidade do govemo,
que nutla, porque nao tem crdito, nem meios,
os prejnim ineviiaveis aangsemelbante proesso
nado, para proeaaer liquidarn, e nao o veri-
ficando, depois (fe un segundo fequerimento oftl-
ciar ao juta letradodo eommercio para que no-
m'e quem dove representar ao banco de Man &
C. naquelle acto.
Alt. 3. Ae rommtssoes directivas dos
eos Italiano, Montevideano, e Commercial do
deverao convocar a sen* accionistas, para estes
noniearem seos representantes, dentro do |imo
improrogavel de vinte das, o nao a verificando,
seja qual fr o motivo, a commissao fiscal offlcia-
r ao juizado do eommercio para que as proveja
de representaeao legal.
termo para o banco do Salto comecar a
correr desde odia em que a commissao fiscal re-
eeaer o olHeio em que se Ihe communiqne este de-
creto.
Art. 4." Na avaliacao dos fundos pubjiuos,
compele ao devedor a escolha entre o pri da
compra e o da ultima amortisHeao. Para a divida
fundada da segunda serie servir de.typo a ulti-
ma amortisaeo da primeira.
Xo permittido nem ao menos entrar em dis-
cussao sobre differencas de cambio nos litlos p:-.-
iaveis em ouro ; porque o estado recebe como
miro, e se obliga a pagar em ouro os bilhetes
liancarios.
Art.i.0 O justo preco des valores territo-
riaes, em caso de dissidencia, se estabelecera por
meio de dous peritos, nomeados un por cada
parte.
O juiz do eommercio designar un terceiro
para deseui|>atar, e sem mai tramito prevalecer
a t*M uVstouilliuw.
Art. 6." t)s perilos tecario dar conta de sua
tarefa dentro do prazo prndoucfil que Ihes desig-
ne a commissSo dscal, e n3o o fazendo, se Ihes
marcar um novo prazo peremulorio, vencido o
qual, o que nao ti ver wjlisfeiM ser substituido
por quem de offlcio fr nomeado pelo juiz.
Art. 7 Os representantes dos bancos escrlp-
idlca
mas slm aocordo, e que Caraballo tinha levado a | prazo de vinte e quatro horas qae lhe fr assig-
nielhor, qnts-se por em duvida a authenticidade -
de ininhas noticias, e esla authenticidade esta
agora patente todos olhos que nao ficarain offus-
cados rom os fulgores dos fogos de artificio que
se qaeimara.n em festejo do general vetlcc-
nnr. r
Ainda nao se tinha extincto o ultimo lampejn, e
j* a farra do governo se toraitrvSf completamente
transparente, c o fata corar perante a opinlo sen-
sata e proba. *
A proposito de urna ordem do dia do quartel
general em que se chamava submeltidos aos re-
voltosos, publicoii o coronel D. Manoel de Aguiar
urna carta no Siglo de 24, dizendo que desconhe-
cia aquella phrase; porque nao houve subwttsao,
mas sun accordo entre os chefes do governti c os
sublevados, sem menoscabo da dignidade social,
poltica o militar de cada um dHIej. Que a primeira
expressao indicara que honve vencidos e vencedo-
res, o que nao era exacto; porquanto Caraballo
fea aquello coavenio toado o duplo ou triple da
for^a do governo. e qae entre ellas nunca houve
choque.
No mesmo da dessa publicaco, que causou
prfouoda mpresso, porque aquel le coronel tinha
sido chefe de eslado-mai >r de Caraballo, foi elle
preso por ordem do governo e posto incomnuini-
cavel no forte de 8. Jos, onde ainda se acha,
tendo-lhe sido concedido fallar de tres em tres
das com certas e determinadas pessoas.
A commissao permanente da cmara dos repre-
sentantes inrerpellou logo o governo sobre esto
incidente, e pelos documentos apresentados pirec?
que houve sabmissb: mas pelos que esto em
poder de Caraballo, nao houve realmente seno
arranfo' e concetsBes que provatn a franqueza do
governo.
O que verdade que se Aguiar publicoa a
carta, foi por conselho de quem pode sustentar, c
domis aflirmam alguns do chefes que aqui rest-
dem e tomaram parto (testa bernarda, que Maxi-
l'orez em troca Je sua fidelidade, mpz ao
presidente Battle a'rMWraeoftw postos do gene-
ral Caraballo e de seiur seqliaxee, a omeacio de
chefe pohtico de S. Jos a um tal Moura, dos
mesraos sublevados, e a de chefe poltico da Colo-
nia a Toloca, que taaibcm com elles ligurou.
Aecrescentou aquelle caudilln que se e presi-
dente nao comprisse o ajustado elle com Caraballo
faria ento urna seria revoluco.
A' vista, pois, disto, e do que lem feito o gover-
no, at hoje, c mais ainda com a prisao de Aguiar,
corre como certo que Mximo Prez tomar contas
ao governo com forja armada; pelo que tambem
corre, e os jornaes annunciam, que o ministro
Bustamante vai em breve a Mercedes, que o
lepartamcnto de Prez, para obter dclle- que desis-
ta de seus proposito?, u que muito duvidoso que
consiga.
O primein pensamento do governo foi metter o
coronel Aguiar es* conselho de guerra, mas avjsta
da repugnancia com que esta idea foi acceita, at
pelo Siglo, -que a combate como odiosa, elle re-
cuou, e mandou estender a causa pc-rum auditor,
para considera-la depois no foro civil, mesmo
porque, se o coronel Aguiar e seus companheiros
se submetteram, perderam ipso fado a sua coudi-
o militar.
Vamos a ver o qu resulta desta nova compli-
cacao.
Entretanto o governo ano se havia completado
com a entrada do eoroneTOebollo para a pasta da
guerra entendeu que podia tirar a mascara, e
efectivamente publicou um regulamento iniquo
para liquidacao de bancos,Tjue revela todo o seu
odio ao baro de Mau.
Em tempo aoiiciei a sanecao da lei que
foi promulgada fa 7 deste mez para liquidacao
dos banco* que suspenderam ou suspenderen! os
seus pagamentos.
Essa lei determinava em um dos seus artigos
que o poler execulivo regulamentava de accordo
com o que^ ella dispunha a forma de effectuar-se
.sua liquidacao.
|Mb bem ; o que faz o governo ? Publica no
dia 27 um regulamento que expolia completamen-
te a propriedade e obriga o bario de Mau a pro-
ceder, no praso do i horas, liquidacao de seu
cstabelecimcnto, quando concede a todos os mais
bancos o praso de 20 dias I
Este rfgulamento tao importante e fere to de
perto es interesses brasieiros, que julgo de meu
de iiquida?ao, que ontregajr meia duna d as-
pecutados pela decima paite de sen valor, pro-
priedade iniportantissinias.
Consta; que o mini-tro do Brasil j protostou
contra-aaHuinte procedimente do governo ocien-
tai, o asstat esta qnestao assume om carcter ain-
da uaaifiave.
E'esta a situaciio de negocios da Repubticn
Orieial,'*a paiz vizinlm nao sao mais risonlias
as diB>wtj|jes dtw espiritos.
Os nagachis' de S. Juan, que tanto haviam aba-
lado o edito do governo, oontiiiuam a influir na
marcha dS,acoii'eeiwentos, e a apieeiaoo que se
sustenta no senado forte e imponente.'
O candidato que substituio naquelle corpo ao
Sr. Sannieolo foi admittidn cum a maioria de um
voto, e ara candidato do governo !
O general tabeada tenme ujna posicao amea-
cadora, e receia-sc qae so coiloque testa do mo-
vimento de algumas provincias que protestam
contra o modo [loripie entendeo governo na-
cional que as dfve tratar era relacao ao poder
central.
E', pois. questao de aclualidade hoje a desiega-
lias e altriljuicoes das provincias, era cujos limi-
tes nmfueni esui de accordo, resultando dahi gra-
ves_cuullictos, at mesmo em Buenos Ayres, onde
estao em Incta os dous governos por causa das
obras do porto e contrato com Eduardo Madero.
Tem Cuito este anuo iio rigoroso, e constante-
mente reina o niao lempo.
di-st-qno ser para occuaar a povoaoao do Pa-
raguay, com o (ue, se nada mais consegairem,
poderiu ao abonos lil>ei lar alguu milhare de fa-
miliis paraguayas. Calcula-se en WbflQO almas
o numero de inulheres, criancas e velhos a4nda
na poder de Lpez. Alimedavn-.se com niiffio o
mandioca.
i&g2,jp!S aarars?
Ja varios recimentos iftm marchado
Foi exonerado Ignacio do Reg Barros Pessoa, d
lugar de escrpturarfo, servindo de secretario d;.
policia da provbjoia db Amazonas.
Por decreto de 21 :
Foi romeado o hachare! Scverino Enfogio Ribei-
ro do Retende, j'niz municipal o de hSte de
tero do Patrocini. na provincia de H!nas-G-
NaB:
vanos regimentos teem marchado para o Foram removul.w *winiidf>-
da^erra' ^ "** ****** **"** i S^^l^^Xx^ ^^^^
-> almirante brasi.eiro, fez sabir urna m^^^S&SS^SK
drilhade chatas armadas com ordem de subi-' (ls^T^Ir "1 g r'*m"
rem o rio Tobiqtiary at Villa Rica, ondVse sup- o-juix nmnirinil e de oruhaos Jos FortnnauV
IH-e^que devem achar-se concen.ndas amas 30,000 da^SiS^m^SS^^TSl
INTEEIOR.
hio ii: JiMir.o
:) DR >.i:osto.
S. M. o Imperador, aconujanhado de seus se-
manarios, enegou ao arsenal de marinlia hOBlem
s 9 horas da manliaa. e ertbaroando na galeota
imperial, segnio para a fortaleza ae S. Joao. All
S. II. visiiuu o estbeleciueoto Jjs aprendii^S ar-
tilheiros,exaiiiu: ndo diversos aturaiuis das mil is
que funccfoavam, percorrendu Jepois o* alja-
menos, aosmhas, enfecmlias e mais dependen-
cias. Em'feguida visit u tambem as obras das ca-
samatas da fortaleza. S. M. desciubarto* no arse-
nl 1 hora da tarde.
- i
Pelo paquete ingLz Amo, entrado hontem do
turaro ao estado os valores territoriaes qnea Hio da tota, uus Ayres
re/era o .Io do art. 2 da lei, coin a condco re-
solutoria nelle expressa.
Vencido o prazo concedido para o rsgate, a
commissao fiscal passar aviso ae governo, e so
preceder venda destes bens em remate publi-
co, e o estado os escripturar aos compradores.
i Art. 8. A conimissan scal exigir garantas
efcazes do banco de Mau & C, para a Iranslac-
co e entrega nesta.cidadede 7,'iOO ttulos do em-
prestimo Montevideano-Europeo, depositados ro-
mo garanta de eraisso no banco l.nndon and
Westnuntter ; e alm disso de 70 ttulos do mes-
Relatrvainante ao Paraguay, o telegrapho da pri-
meira desfts cidade iransmiitio para a segunda,
a 29 j de noite, o segnmle :
t Chcgot boje d i Paraguay o.vapor Guarany
com noticias de al iresse. Os esforcos
cajmriissiondosalliados para formar na As-
sumpcao um governo provisorio ii)m esbarrado
contra" a hostilidad'' dos paraguayos qne esto ac-
tualmente nos allia los. A' vista das
candidaturas levantada? pelo Ura btica Argentina, JcredlIirVa-sfl geralmcnte qne a
mo emprestimo, amortisados em annos antero- snlucao desta qnestao seria a fo
re-, e que existem depositados no banco de In-
glaterra.
Art. 9." Feita a liquidacao, e devolvido aos
bancos o escaseo de seus valores, como ordena a
le, a commissao fiscal publicar a acta que se la*-
vrr para os lins do art. 11.
Art. l. Emqnanlo nao se dictar disposicii "
em contrario, o poder execulivo concejera ou ne-
gar a autorisaro que sollicita qualquer banco
para volver k funecinar, de accordo a lei de 23
de marco de I8t)'.
Art. 11. Ficam expressamente salvos i direi-
tos dos Gradaras e dos accionistas, para exerce-los
na va e forma correspondente nn direito, e em ,
nenhum caso podora ser rehabilitado o banco con-;
tra o qual se deduzam ou existam reclamaces i
pendentes perante os tribnnaes, sem que arma-
mente ellas se resolvam no juizo competente.
Art. 12. Nos casos a ^que se refere o artigo
anterior, emquanto a lei nao minorar sobre o pro-
cedimento especial que deve observar-se, o juiz
de eommercio applicar a actual lei bancaria, o
cdigo e deuiais disposices vigentes.
Art. 13. As presentes disposices sid appli-
caveis ao banco commercial do Salto, e se obser-
varan igualmente pela, commissao que o lquida.
c Art. 14. Terminada as operaces da commis-
sao fiscal com cada banco, o juiz do eommercio
regular a jdsta corapensacao que se lhe deva as-
signar pelos servieos que tiver prestado alm dos
cumprehenddos no decreto de sua creaco.
Art. l.*i Communique se, etc.
Basta lr com attencao este monstruoso regula-
mento para reconhecer-se immediatamentc a ar-
bitrariedade com que se dispoe de interesses es-
tranhos de grande monta !
Apenas elle foi publicado, produzio na praca
ceratiu
rmaca-i
de nm g*--
* meialna Faaeaaetie.
(Coirtinuacao do n. 8I)
Teria a crao?a dez a doze annos; era
urna menina. Era pequen, mas formada,
e a blusa ciuzeBta, fortemente guarnecida
de trancinlw carate, resanhava urna ado-
ravcl estatura de mulher em miniatura. Ac-
cnsavam umbera as feices dezeseis annos,
pelo meaos. Eram delicadas, graciosas e
arrojadas.
O que sobretudo impressionava era a au-
dacia de dous olhos desmedidamente gran
des e branles, que illuminavam a pallidez
baca daqiella singular physionomia.
Ao beijo enviado, responden Fanchette
por ara dessa- gestos provocadores da que
abusa a travessura dos garotos de Pars.
.Viada citteauo outo ramaUete, disse
ella ; livraite quando sabires.
E desappareceu. O Sr. becoq empurrou
a porta.
S, em vasta casa de jantar, estava um
velbo secco, magro, e cujo rosto amarella-
do alegrara a vista de um amador de mar-
ns antigos. Molhava sensualmente alguns
palitos-delgado de pao de rafa n'um ovo
quente. Nao havia*oi}tra cousa na mesa co-
beita de oleado.
Bons dias, coronel, disse o Sr. Lecoq
quando entrn.
Est casada a minua interessante so-
brinas ? perguntou o velho em vez de cam-
primentar.
0 casamento est feito e perfeito, re-
plicou o Sr. Lecoq.
O coronel abaixou a cabera com mostras
de satisfaco.
Bonito raoo murmurou. E tem-
lo seguro, hoira, Amizade ?
O que temos raouro na costa,
disse o Sr. Lecoq. Acabou de almfar ?:
0 velbo afastou o copo.
Dei a minba demisso, replicn assa*
mindo ar deaconliSdo. Se para negocios,
dirige-te secretaria.
O Sr. Lecoq poz-lbe
da mesa, o passaporte
de Joo Antonio.
Oh 1 soltou o coronel com profun-
do espanto.
Bm seguida, depois de curto silencio
Hntjk) aqueHe animal do Lambrt re
insclto^
verno mili'
.Sgnns inglezes que Ingraram escapar das
maos ife Lpez depois de quatro anuos c dous me-
zes de captiveiro, temi sitio feitos prisioneirosem
C irrieTites a b irlo i! uin-vaaor. acham-se acta-
ilm ote na AsMimpc; i'mbarcados om nm navio
de guerra argentino'
A canlioeira inglpza Ci-'ivkh'r est fundeada na
pcJo.
A esqtmdrn brasileira ocenna todos os pon-
tos do rio Paraguay, e tem navios cncouracados
no porto da AsBumpcao, ontrns no Mantivir, e
ainda outros na bocea do no Paraguay, onde to
dos os navios qne passam bao' de mostrar os seos
papis.
t Segundo ns ultimas noticias, sabio a cauhoiioi-
ra francesa Decide da Assmii,e;o levando todos
os cnsules estrangeiros, qae, ao que parece,
recusara recoiihccer o novo governo qtie vai for-
mar-se.
0 Sr. ministro Paranhos sabio da Assump-
cao para o quartel-general de Piray a conferen-
ciar com o Sr. conde l.'o. Continuara os prepa-
rativos da atenu. Os 1,300 soldados brasieiros
que estavam de guarnico na Assuinpfao marcha-
ran para o qnart>*l-general, licanJo na cidads o
general Castro com a sua divisSo oriental, com-
posta de otros 1,560 homens, pela maior parte
prisioneiros.
. A posTcao de Lepez nao est claramente de'
finida e SQSMita-sc, porm, que esteja ainda
na Aburra com a sua genie,"e:n ira as mulhe-
res e soldados qne diariamente so passam para
os alliados dedarem que elle retrocede para pr-
se completamente fra do alcance de qualquer
ataque nos O primeiro movimento dos ejrcitos alliados
amibas paraguayas, e onde se espera o genera
Purtinho com o 3* corpo de excrcito braslleiro
A respeito da marcha do general Portinho te-
mos, porem, novelas posteriores e sobretudo mais
segara.
O nosso correspondente da Assumpcao avisa-
nos em data de t\ que na vespera foi all rece-
ido o seguinte telegramma dirigido de Piray por
S. A. o Sr. conde d'Eu ao Sr. conselheiro Para-
nhos :
Ha noticias do general Portinho, do da 13,
que considero mnito boas. Elle passotf para o
tyBIquary e o Periporoass, e oceupou sem resis-
tencia Yuguy onde libertou 3,000 familias, entre
as quaes a do alferes brasileiro Moura.
O nimgo, degolando quantas mulheres pode,
retirou-se em Torca de 1,500 homens, na direccao
de- Carosapa, pelo que o general Portinho, em cum-
primeuto das ordens que tinha, dispunhase a se-
guir Tebiquary abaixo, de modo que, em poucos
dias, poder ehegar aqui, por Corapoc e Carepe-
gu.
Em Bnenos-Ayres causavam alguma preoceu-
paeo as noticias' rindas das provincias do norte e
segundo as quaes o general Taboada se estava
alli armando para apear Sarmiento da presiden-
cia da repblica, e por Elzalde no lugar deste.
A arrogancia com quo se apresentava aquelle cau=
dilho fazia recejar que houvesse necessdadb de
correr as armas.
. O'coronel oriental completou-se, sendo chama-
do para a pasta de marinlia e guerra, que se acbava
vago, o coronel Rebollo, chefe do estado-maior
do exercto com que o presidente Battle sabio a
campo. O corpo legislativo foi ainda prorogado
para concluir alguns projectos importantes, como
o relativo aos bancos, c outro que devem crear
notos recursos para a fazenda publica, resolver
sobre as reclamares italianas e a via frrea para
Sr Jos e discutir a lei de alfandega.
Por cartas imperiacs do 28 ^ 31 de junho a\-
timo :
Foi nomeado Antonio Das Paes Leme pa-
ra o cargo de presidente da provincia do Espirito-
Santo.
Foram naluralisados : os subditos portugueses
Antonio (loncalves Mondes, Timotheo da Silva Al-
ves, Antonio "de (HiW.ii.i .Mulla, .Manuel Francisco
Laga, Antonio Jor Ferreira, padre Vicente Ro-
drigues da Costa Soares, Antonio Joaquim dos
Santos, Francisco Martins Coila, Arnaldo Luiz
Zigno, Joaquim Jos de Almeida, Manoel de Olivei-
ra Bittenconrt, Antonio Bardse de Siqaeira, l.uiz
djk Carvalbo Pinheiro, Joaquim Correa, Lino Jos
Peixoto de Amorim, Manoel Antonio da Coneeico|
Antonio Jos Machado, Manoel Pereira de Carva-
llio, Joao Jos Salsona, Ignacio Pereira do Valle,
Joo Francisco Kibeiro, Luiz Antonio Correa de
Oliveira, Al'exandre Coetlio Messeder, Vicente Ko-
drfgues da Silva, Ahef dos Santos, Joaqun de Oli-
veiru Netto, Jos Francisco Cardia, Antonio Fer-
reira da Silva, Joaquim Pinto de Magalhes. Joa-
quim Jjs de Almeida, Dr. Francisco llaptista
Marques Pinheiro, FiUncisco Augusto Mendes Pe-
reira de Yasoimoelios. padre Francisco Hara de
Hrito, Joaquim Haymundo Montas, Joaquim dos
liis, Jos Mareos da Silva Vianna, (naci Fer-
reira Netto, JdS Gonealves Pedro, Valentina Jos
Augusto de Faria, Jos Nabo do Amaral Lobo,
Joo Baptisia Alfonso Peixoto, Jos Fernanda- Li-
ma, Tliomaz Narciso Ferreira, Antonio Affoiiso da
Casta, Domingos Feruaudes Grillo, Joaquim Ifo-
drigues Lapa, Manoel de Souza*Pachcco, Joo Jos
Vieira Guimaraes, Antonio Jos liento de Almeida,
Manool Jos de Andradc, Miguel de Souza Cnnha e
Manoel Antonio Tavares; os subditos franceses
padre Pedro Clamlio Al.;gre, Aiulr Tarbourisch.
Joao Echegoin Portal e Dr. Jean Numa Cuerim ;
os subditos italianos Octaviano Francisco Nery e
Caslgnino' Luigi; o subdito argentino llenrique
Stegner; o subdito bespanliol padre Ignacio Es-
mralo ; os subditos nrussianos Dr. Gustavo Luiz
Guilherme Dodt o Joo Augusto llosa ; o snbdlto
belga padre Nicolao Ruller ; o subdito da coiife-
d raci Germnica Augusto Philippe Christiano
Uieke e 0 subditc do estado de Marrocos Moiss
Benedicto.
Por decreto de 28 do mesmo mez :
Foi concedida a exonerarlo que pedio o bacha-
rel Carlos Augusto Forraz de Abreu do cargo de
presidente da provincia de Santa Catharin.
5
Por decretos de 7 de jullio ultimo :
Foi reconduzido o bacharel Emygdio Jos Mar-
tins do Azevedo S, no lugar de juiz municipal e
de orphos do termo de Pilao Arcado, na provin-
cia da Babia.
o da Barra-Mansa, ambos na provincia do Ro de
Janeiro.
Foi recondnzdo o bacharei Carlos Augusto Nay-
lor no-lugar de juiz municipal edeorpbaosdo
ternio de Fidelis, da mesina provincia.
Pbran reintegrados :
O teen te-coronel Antonio Jos de Campos Bar-
bosa, no eliminando da I* corpo de cavaflaria d
guarda nacional da provincia de Pernambuco, fi-
cando sem effeko a ref>nna que lhe foi dada por
decreto de 30 de outubro de 1807.
O tenente-coonel Jos da Costa Villar, no lugar
de chefe do estado-maior do commando superior
dS guarda nacional dos municipios de Goyanninha
e annexos, na provincia do Rio-Grande do Norte,
(icando senv effeito o decreto de 13 de raao do
anno pnssado (|ue o reformou naquelle posto.
O'tenente-roronel chefe do estado-maior do com-
mando superior da guarda nacional do rmnieipio
de Oeiras, d provincia do Piauhy, Manoel Ignaek)
de Aranjo Costa, no exereicib do respectivo
posto de que fra suspenso por tempo indetermi-
nado-
Concedeu-se reforma :
Ao major eommandante to 4o esqnadrSo de ca-
vallaria da guarda nacional da provincia de Per-
nambuco, Vicente Ferreira Padilha Calumby, no
posto de tenente-coroncl.
Foram nomeados :
Os capitaes Joo Wanciseo Barbalho Bezerra e
Elviro da Silva Caldas, majores ajudantes de or-
dens do commando superior da guarda nacional
dos municipios de Asffi e annexn*, da provincia
do Hio-Gramb; do Norte.
Joao Martins de S. eapilfw secretario geral do
mesmo Commando.
Francisco Juslniano Lins Caldas, capitn cirnr-
gio-mr do mesmo multando.
Concednn-se a exonerarlo que |iedio :
0 bacharel Antonio Francisco da Costa Ramos,
do lugar de juiz municipal e de orphos do termo
de Nova-PrlSrge, na provincia do Rio de Ja-
neiro.
6
S. M. o Imperador, acompanhado de seus sema-
narios, chegou hontem ao arsenal de marinha as
9 horas da raanhaa, e alli visiten as oflcinas de
machinas em seguidu, einlaivaiidtw na galeota
imperial, foi a illia-do Bruu J-tm*, onfle tamlieiu
vsitou o asylo dos invlidos da patria, e urna
hora da tarde desemharcou no arsenal de guerra.
defropte, em cima
passado em nome
te, o armeiro de Sarteno, o horaem do
braral, o marido da sua sobriuha, que aca-
ba de casar com J. B. Schwartz em segun-
das nupcias.
O velho levantou-se inquieto. Era de
estatura elevada ; o corpo etico bailava-lhe
no fato completamente preto.
O que liabilava na cadeia de Caen,'
cuj s ferros o senhor limara em tempo.1
rproseguio tranquillo o Sr. Lecoq ; o que
deve ter recebidQ as ultimas confidencias de
Lambert, o que sabe ludo.
Tudo ? repeli o coronel, cuja corpo
se alquebrou novamente.
Sorri.
Tinba elle as feic&es da tal modo aqui-
linas que apresentavam curvas aduncas, a
t-sta estreita, mas alta, o crneo fortemente
desenvolved i naregiSo posterior. A bocea,
perdida a forma pela ausencia de dntes.
dava essa liaba senil qne se assamelba urna
cicatriz. As palpebras longas e quadradas,
cobriam-lhe quasi nteiramente os olbos,
onde brlhava aioda vivaz inWligencia. Sio
facis de conhe'cop os antigos soldados ;
nelle, cousa alguma havia que explicar po-
desse o titulo de coronel.
Por decretos de i do correte :
Foram nonvados, o brigadero Joao Guilherme
de Bruce, commendador da ordem de S. liento de
Aviz, e i" tenente da armada Joaquim Maria No-
gurira, cavaheiro dita ordem.
i'o concedida dispensa do lapso de tempo ao co-
ronel Raymundo iuisen Serra Lima para poder
tirar diploma de oficial da ordem da Rosa.
Pcrmittio-se que os padres Jos Alexandre Go-
mes de Mello cTargino Paulino de Carvalho, viga-
ros collados, este da freguesa de Nossa Senhora
dos Prnzeres c S. Miguel de Estromoz, provincia
da Rio-Grande do Norte, n aquelle da de Nossa
Senhora do Rosario da cldade de Penedo, na pro-
vincia das Alagas, bem como os padres Tito de
Barros Correa e Reoovato Pereira Tejo, vigarios
collados, o primeiro da frguezia de Santo Amaro
de l'aquaratinga, e o segundo da de Nossa Senho-
ra da Cnceico do Quipap, amba3 da diocesu e
provincia de Pernamlmco, permOlteffl entre si as
respectivas froguezias.
Foram concedidas as seguintes pensos, que li-
cam pondentesde approvacao da assembla geral :
A D. Carlota Guilhermina de Lima e Silva e D.
Mananna Candida de Lima e Silva, tubas do mare-
chal do exercto reformado, baro de Surtihy, a
de 0005 annuacs a caria urna. ; .
Ao padre Antonio Tliomaz de Campos, vigario
collado da frguezia do Bomlim da dioeese ae
Gov.z, a de 600 annuacs, em atteneo ai seu es-
tado valetudinario e avaneada idade, nao pudendo,
porm gozar desta morc sem uu'i remiBcie o be-
neficio em que est coUa*^.
Por decreto de 30 dejuiho ultimo foi rerirma.lo
o i tenente Joaquim Aflgust i di Costa Sa'^"?
no mesmo posto, na confnrmida.de da lei h. G-t7 de
31 dejuiho de 1851, com treze vigsimas qui
partes do respectivo sold, visto-tjflrer molestias
chronicas e incuraveis que o impossibilitam de
continuar a servir.
Por outro da mesma data foi transferido da i"
para a 2" classe o 2- tenente llenrique Cario* Ri-
beiro Lisboa, na conormidade ih V hypothese do
art. 2 S Io da lei n. 200 de 1 de dezembro de 18U
Estive cincoanta e dous annos em
activo servico. declarou com dignidade, sem
contaras bistorias de Italia nos bons lem-
pos que j l vao. Nanea a justiea me to-
mou satjsfacao senSo urna vez, e mesmo
1 dessa vez achou-se engaada comigo. Os
B|le n5o, patrio, mas Andr Maynot^v&res tomo podem ter sido limados poc
fulano como por sirraao: isso sao pie
guices.
Lambert conhecia o systonw.'plBWWfi-
ciou baypio o Sr. Loro .
Fecharam-se completamente as tongas
palpebras do vetea.
O systema j o venderam por mais
de urna vez aos juizes, replicou. Os juizes
nao querem crer. o cdigo um utensilio,
cujo monopolio suppoem possuir. E. aiinal
de contas, se e*se rapaz nos incommoda,
morreu ja uma vez.
Foi isto dito com m sombra.
Entend bem ? perguntou e.Sr. Lecoq,
depois de leve silencio. O sormor di6se :
K*se rapa j morreu urna vea.
Quem se inmortal a com o desappa-
recimento delle ? murmnron o coronel. 0
faUecimenlo de Andr Maynotte teve lugar
emDives; todos os jornaes o confirmarani.
E ha muita differenca, nao verdaAe,
patrao ? entre commetter um homicidro e
deixar operar a natureza. Se ningaem s
oceupar delle, o Maynotte dorme para nun-
ca mais acordar : por isso lieofea.'
0 coronel poz-se a passeiar lio qnarlo
com passos firmes.
O Schwartz da estofa ida qua saem
os grandes capitalistas, pensar t em voz alta.
Agora meu prenle. Gv.mpre que nqtte
o importune.
Depoi, parando da r pente diaate do
Sr. Lecoq, accreaeentou:
Ondeslesse Maynotte ?
A dormir ?... Foi o qne disseste,
se me nao engao.
Nao. Desfallecido.
Como foi isso ?
Em duas palavras contou o Sr. Lecoq a
scena de S. Roque.
0' coronel tomou do respaldo de um
movel uma ampia casaca de seda, que en-
tregan a. Lecoq. Este ajudou-lh'a a vestir.
Cumpre que nada importune o Schwartz
repetio outra vez o velbo. Cont mais
com aquelles que rae pertencem sem o sa-
ber, do que com os, que estSo contijo., O
Schwartz nosso ; ba de vjr a ser um ca-
pitalista de raao ebeia. Reservo-o para a
minba ultima eiapreza.
O Sr. Lecoq, quo estava por traz delle,
fazendo servico de criado de qtiarto, Orna
silenciosamente.
Ento ainda faz um negocio, palro ?
murmurou.
Eu disse isso ? replicn o coronel
enfadado. Vamos l ver o teu merlo.
Quando se dirigiam para a porta, ouvio-
se ligeiro rumor no pavimento. O Sr.
Lecoa abri a porta; a escada estava deser-
ta. No vealtbulo, approximou-se do amo o
criado velho, e poz-lhe na cabeca um cha-
peo de abas largas o caleou-lhe urna*- ga-
dlocbas. .
No pateo, havia agora um cocheiro, qne
Iancava baldes de agua nas rodas de uma
earroagenv de bem eslylo. Ouviam-se os
cavaltos raspar na estrenan.
0 coronel e o Sr. Lecorj sahirara i p.
Alm das galochas, levava o coronel un;
guarda chuva. Um minuto depois de terem.
transposto o portao, alravessou o pateo um
turbilbo e arreraessou-se para fora.
Fanchette I menina Fanchette gritn,
o porteiro.
Responderam-lhe :
Vou levar a palla verde do ave.
Effectivamente, o travesso e estrepitoso.
turbilhSo corria alraz do coronel agltaadt
urna larga palla de seda verde.
Ao voltar, porm, da ra Tbereea, parou
o turbilhSo.
Curto que uma palla verde, um guarda
chova e urnas galochas augmentan o res-
pailo que se dave ancioaidade. O coro-
nel era conhecido no bairro. Os logistas
cumprimentavam-o|quanlo passava.
A menina.Fancbetle assumira ar grave,
e seguj-o delonge, com os olhosJwixos.
A's vistas interrogativas dos logistas,
respondia modestamente ;
^)u levar a palla ao a\6.
Estava o quarto do Sr. Lecoq tal qual o
deixra ; levara este comsigo a chave. Do-
correra segunda meia hora. Estirado no
leito, Andr Maynotte nao se mover.
0 coronel tomou-lbe o pulso.
Bello rapaz I murmurou. No dia em
que lhe vendi o bracal n'um lote de ferros
velhos, disse-me elle: Com duas semanas
de trabalho.ganhocom elle mil asoados...
Pobre diabol
fCoalnwf-**-**,!-



~u--

T203A 30 M fffl8S8A2 DUurio ** Pemambuco Sabbado 14 de Agosto de 1869.
Por decreto de 4 do corrento, foi proJglfef^ cty9rbo.^jaiif Itado que ehegava a florecer nos
porto do captao para a 3' batera do.inBBHi*| rBWii*WM fumo Capaz de rivnlisar com ot;-
la arlilliaria a cavallo, contando antiguidade de 18 I paral francez, com a vantagem do ser aromtico
de janeifo do alono proxiro a*sadu. o i' teoente-
da mesan M Alfredo de. fUeragnoUe Taunay.
na Cnf i:io de nVlDlh) do torrente auno, tomada sol)
lelho supremo militar, c das'dis-"

consultado oe.n^.., *..,,.,. .......,-------
t>osicJes do art. 31 do regulamento approvado pelo
decreto n. 772 de 31 de^mareo de 18o). m p
Tiveram ii..nras do post^nili tares do exerato
oa seguiites indiridasa, eia ttenga*o ao relevan-
tes servidos prestte na juwra actual contra o
Paraguay:
De capitn, os ripitSes do 34 corpo da volunta-
rio da patria Antonio Luiz Alejandre Rbeiro, e
do 46 corpo dito Gailhenno Jos Hamos.
De lenle, o.extenento de voluntarios da patria
Th >m Fernandos de Castra Madeira Juaior.
De alferes, os alferes do 47* corpo dito Avelino
Alvares do S, do {arpo dito Joo Barbosa
de Ges.
7
Foi concedida lieenca aos Srs. duque e duqueza
de Saxe para residirem na Europa at dous annos,
I contar do da em que partirem desta corte.
-8-
Por decreto de 7 do correte mez foi aposent-
do o administrador do correio da provincia de Pi-
autay, Joao Femandes do Moris Jnior, cem os
venementos que lbe comperera, segundo os arts.
74,75 e 76 do regulamento que baixoii com o de
relo n. 399 de 21 do dezembro de 1844 visto as-
sim o haver requerido e atiento ao scu mo estado
de sade.
S. M o Imperador, acorapaoaado de seus sema-
narios e do Sr. ministro da marinlia, assislio lion-
tem, na illa da Cobras, ao laucamente ao mar de
urna cabrea fluetuanie construida por ordem do
governo nos estaleirosda Sociit nouvetle des ful-
ges el chantitrs do Mediterrneo.
Ejite apparelou poda levantar objectos al o peso
de ."50 03!) kilogrammas e tranportalos de um para
outro ponto da Babia, e movido por urna machi-
na da forca de 20 cavallos.
mais forte e poder ser vendido mais barato. Te-
mos agora noticia anloga de outro ponto da pro-
vinca.
Alguns norte americanos cslabelecid
municipio' da villa d Santa Barbara, c al I i appli-
cados a lavoura, irouxeram comsigo sementes de
fumo de Cuba, plantaran no c ja colueram u
got^Be aliente pruducto, demonstrando a
proertedale das trras e do clima para aquello ra-
mo foagriHturt. Nao lmitarara-se a is(n. Fol-i
to com a |iielle fumo, fot-nos offerecida a amosjH
de charutos preparados em Santa Barbara, que
nada desmercelo, quer nj fabrico, qoer na supe-
rior qualidade do Idmo, aos bons charubs da Ba-
ha.
baha.
S, Kxe. Rvma. o Sr. aroebispo alforriou um seu
cscravo e offereceu-o para o ser vico da guerra.
S. Exc. Rvma. publicou um Carta Pastoral
annunciando a indulgencia plenaria em forma de
jubilo, concedida- pelo santssimo padre Pi IX,
pelas letras apostlicas de 11 de abril do crreme
anno, por occaajao do concilio ecumnico.
Fallecern: na capital, o Rvm. conego E-
daardo Augusto de Souza e Mello ; em Nazaretb,
o coronel Viriato Freir Maia Bttcncourt.
A fragata ingleza Rifley, que separando-se
da esquadra iugleza, tinha lioado no porto, quan-
do aquella sabio para o Rio de Janeiro, seguir no
da 8 para a Inglaterra com cerca de noventa
guarda-raarinhas, que tinham vindo nos outro, e
cuja viagem de instruecao se limitara a esse
porto.
O cambio sobre Londres regulava 18 1/2 d.
por 1*000.
A alfandega rendeu de 1 a 10 de correnle...
177:835*893 rs.
REVISTA DIARIA.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RBCIFI 14 DE AGOSTO
NOTICIAS DO SUL DO IMPERIO.
Chcgou hontem pela manba o vapor
inglez
""'f'"> IIV1HVII1 pVIU IIIUIIIHM v >aL/t/t "IflUI.
Douro, irazendo jornaes da corle al 8 e da Babia
at 11 do correnle.
Sob as rubricas Exterior e Interior acharo os
leores por extenso as noticias mais importantes,
alm das quaes apenas encontramos nos jornaes
as que seguem.
nio d jan uno.
Pelo ministerio da agricultura foram publicados
dous decretos sob os. 4398 e 4399, que dispe as-
sim:
Tendo sido augmentado com 25,000 libras
sterlraas, dos termos do decreto n. 4039 de 11 do
tlezembro de 1867, o capital com que a compa-
nhia do gaz do Para principiou a funecionar na
coaformidade do decreto n. 3630 de 27 de marro
do anno anterior, liei por bem declarar que pelo
decreto n. 4376 de i 1 do mez passado foi auto-
risada a referida cempanhia a elevar a 150,000
libras e4erlinas o respectivo fundo social; de-
vendo fazer-se esla declararn na carta imperial,
passada em virtude do ultimo deereto.
Attendendo ao que me requereu a compa-
nliia brasileira de paquetes a vapor, devidarnente
representada e de conforniidade Com a ininba im-
mediata resoiucao de 21 do correnle mez, tomada
sobre o parecer da seceo dos negocios do impe-
rio do concilio de estado, exarado em consulla
do 6 do referido mez, hei por bem approvar as
alleracoes que cem este baixaui, fetas pela as-
semblea geral dos respectivos accionistas, nos ar-
tigos 43, 46, 48 e 52 d >s estatutos a que se re-
fere o decreto n. 4178 de 6 de mato do anno pas-
sado.
Art. 43. Compete ao secretario substituir in-
terinamente o presidente e exercer todas as suas
lunecoes nos casos de ausencia ou impedimenlo
temporario ao referido presidente.
Art. 46. Dos lucros lquidos, verificados nos
bnlaocos semestraes de opcracSes concluidas e li-
quidadas dentro do respectivo semestre, sero de-
smidas as seguintes quolas. a saber :
1." ,7 por cento para rotribuico da directora,
mas omcaso algumesta porcentagem devercahir
abaixo de 24:000* ou clevar-se cima do 40:000*
manualmente.
2.' para fundo de reserva 2 e.meio por cento
do capital realisado da companlua.
3.a 10 a 15 por cento para deteroraco do
material fluctuante.
4." 6 por cento para deteroraco das offic-
nas e gneros armazenados no trapiche, e bem as-
siiu dos proprios da companhia.
Do reslanto se far enlao o dividendo de que
trata o artigo antecedente, que, porm, nao pode-
r exceder a 12 por cento so anno, emquanlo o
fundo de reserva nao attingir a 40 por cento do
capital social.
Art. 48. A formado do fundo de reserva ees-
sar logo que este allinja a 40 por cento do fundo
social.
Art. 52. Os diulieiros e valores da companhia
.serao depositados em cunta corrente em um ou
mais banc >s acreditados desta praca, ou empre-
ados en Dilhetei ou outros ttulos do thesouro
nacional.
O senado approvou em terceira dscussao o
projocto reslabelecendo a disposicao do art. 45 do
cdigo do commercio.
Prosegua a discussao do voto de grabas.
Foi approvada em segunda discussao o projecto
de forca naval, tal como foi da cmara dos depu-
tados.
Na cmara dos deputados conlinuava oceu-
par a alinelo da casa a discussao da resposta
falla do throno.
Eis as noticias commerciaes da ultima data:
Cambio.Pars 516 res por franco a 30 d/v
(liontem), 518 ris por franco a 90 d/v (hoje.)
>JJ},|),;es Emprestuno nacional de.........
30,000:000* a 965*000.
Accoes.Banco Rural e Hvpolhecario a 1923
por aceao.
Fretes.-Um navio pva o Havre 20 francos e
l por cento, eugajainento no mesmo 25 francos e
5 por cento, para Buenos-A\res 975 natacoes for-
tes, para Montevideo 650 ditos, Mobile 30 s. e 5
por cento, Sandyhook a ordens 20 ?. o 5 por cento,
Pernambuco pan o Canal a ordens 27 s. 6 d. No-
EnH Ir,8-/ r Verde Para > o
io ris, dito (dito) para Santos 550 ris, Parana-
u.a e Antomna 650 ris, Montevideo 10 s. por tc-
ofrlJCliUnd,0pe(lna3 & em cambio,
errectuadas hoje, sobre Londres a 18 3/8 e 18 1/2
d papel particular, e sobre Franca a 513, 516 e
jio res por franco, sommam as operacoes em
cambio para o paquete inglez Domo :
non <^re .r2nd?9 cerca de l[brtS esterlinas.....
i'w .W.1, 1/id" PaPel bancano.e
^.car A '8 'A 18 3/8 C 18 1/4 d' PaPel
,J SobjreS?IICa cerca de fr- 2.350,000 aos ex-
tremos de 505 i 522 ris por franco.
pp *?.bre Hamburgo cerca de 60,000 de 950 a
Dou ris por libra.
Sobre Portugal vigorou hoje a tabella que de-
mos na nossa Revista.
Em soberanos lizeramse hoje pequeas trans-
sacccies a prazo a 13*100 e 13*150.
Negociaram-se hoje pequeas partidas de
apohees geraes de 6 por cento a 79 e meio e 80
PuL06"110' e 33 ditas do emprestimo nacional de
1868 a 70 de premio.
Venderam-se hoje 30 accoes do banco Rurai
e Hypoihecario a 192*000.
A laxa do descomo no banco do Brasil- nao
smfrea allerac,So. .
Saliram para Pernambuco os navios: tri-
pe escuna allemo Aunchen, no dia 5; polaca
hesjianhola Mercelita, a 6 ; brigue inglez Zens, es-
cuna norte-allemaa Bellona e brigue escuna nor-
te-allemao Atice, a 7.
tt>%*82o'dega rendeU ^ l 7 d Corren,e-
No da 30 do passado tomn cont da adminls-
trarao da provincia, o Dr. Antonio Candido da Ro-
cha.
Fora sanecionada pela presidencia a le pro-
vincial que autorisa o governo a despender an-
onamente at 20:000* com a compra de escravos
de lous ha quatro annos de idade, que sero des-
de logo declarados livres.
Chegira a S. Paulo, em caminho para a sua
diocese, o Rvm. Sr. Dr. Joaquim Goncalves d'Aze-
vedo, bl O Correio Panlislano de 4 do corrente noti-
cia o seguate:
Ha dias annunciamos provincia o resultado
lisongeiro que eslavam tirando os proprletarlos da
fazenda Lageado, em Campo Largo de Sorocaba,
o planto e preparo do fumo para cigarros e ca-
SLAS ALTEZAS O DUQUE E A DUQUEZA DE
SAXE.De passagen para a Europa, estiveram
hontem em nosso porto, bordo do paquete inglez
Douro, SS. AA. os Srs. duque e duqueza de
Saxe.
Em virtude de ncommodos da serensima prin-
ceza a Sra. D. Leopoldina, os Ilustres viajantes
nao poderam desembarcar.
Logo que pelo telegrapho foi annunciada a che-
gada do vapor, o Exin. Sr. Dr. Portella, vice pre-
sidente da provincia, cora o seu secretario, anu-
dante de ordens e mais alguns amigos,dirigiram-se
a bordo a comprimentar Suas Altezas e receberem
suas ordens para o desembarque.
Suas Altezas, porm, declararan] nao o poderem
fazer ; pelo que aps os comprimentos do estyllo.
o mesmo Exm. Sr. Dr. Portella regre>sou para
trra, e deu ordem para debandnr a brigada, que
aguardava o desembarque no largo de palacio.
S. Exc o Sr. vce-presidente, nos poucos dias
que intervallaram entre o annuncio da viagem e
sua rcalisacao, nao se poupou esforcos para qui;
so fizesse aos Ilustre* membros da familia impe-
rial urna recepcao digna da provincia, nomeando
para esse m as duas commissoes, de que demos
noticia aos le lores.
Gracas ao elo da commissao re. pecliva, pode
ella em dous dias preparar com suinptuosidade e
apurado gosto o palacio da presidencia, de manei-
ra a offerecer aos lluslros hospedes e sua comi-
tiva, todo* os commodos e aposentos exigiveis.
Sem fallar na salado docel, as do o>pcra e no
salo de. recobimento, que se viam conveniente-
mente decorados, linham sido aprovetadas as ou-
tras do edificio para aposentos particulares, estan-
do todas mnbiladas, tapetadas e ornadas segundo
o flm a que era cada urna destinada. A escolha dos
movis e ornatos tinha sido dirigida por um fino
gosto ; o salo de descanco, em que se va no cen-
iro urna cama de po-selim, estylo italiano, pruna-
va pela elegante simplicidade da decoraco*
A sala destinada ao toilette esta va rigorosamente
ornada de todos os apparclhos qae este servieo
exige. Em todos os aposentos havia profusao de
flores, artsticamente dispostas em vasos apro-
pnados. Todas as janellas do edificio erara guar-
necieas de cortinas.
No salo do interior, eslava disposta urna abun-
dante e profusa mesa, em que se combinavam a
variedade e symetria. Todo o servieo da mesa era
do meliior gosto.
No pouco lempo de, que dispoz, nao poda a com-
misssao fuzer loolhor. Oa cavallioiros que a conipo
zeram sao dignos de todo o elbgio.
Nao foram infelizmente aprovetados os seus
servicos. Ligeiraflttete constipada duranto a via-
gem, nao pode S. A. a Sra. duqueza de Saxe cor-
responder aos votos da provincia. Tinha-lbe sido
prescripto o repouso.
Suas Altezas trataran) com perfeita amabilidade
ao Exm. administrador da provincia e mais pes-
soas que com S. Exc. foram a bordo, mostrndo-
se sentidas por nao poderem desembarcar.
Varias pessoas gradas foram no correr do dia
comprimentar Suas Altezas, nolando-se, entre ou-
tras, os Srs. inspector do arsenal do marinha, ca-
pitao do porto e outros offlciaes da armada.
Desejamos prospera viagem aos Ilustres viajan-
tes, e prompto e feliz regresso ao seio do povo
braslleiro, que v na augn.ua princeza um penhor
da seguranza e firmeza do throno.
ANNIVERSRIO. -A sociedade recreativaJu-
ventudefesteja hoje o anniversaro de sua ns-
tallao com urna partida.
ASSAMENTO.Deu hontem alma ao Creador
o capitao do corpo de polica Luiz de Franca Mel-
lo Jnior. A' sua inconsolavel familia damos nos-
sos psames.
NCLEO PHILOSOPHICO LITTERARIO.-Re-
une-se amanha, em sesso ordiaaria, esta socie-
dad';. A ihese a discutirse Que ha p oduzido
de grande e de fecundo em todas as pocas o
amor da patria.
JUIZO DO COMMERCIO.As audiencias deste
juizo passam a ser, d'ora em diante, s quintas-
feiras ao meio dia.
NAVIO ENCONTRADO.O vapor inglez Sala-
din, chegado hontem de Liverpoor e Lisboa, fallou
com a barca ingleza I). Diogo, na lat. S. Io 15' e
long O- de Greenwch 32 37', indo no rumo do
norte.
PARA A EUROPA.Acompanha a SS. AA. os
Srs. duque e duqueza de Saxe, como medico o
Exm. Sr. senador do imperio baro de Itana.
CAPTURA. Pelo subdelegado de Grvala fo-
ram presos, Lourenco Bezerra da Silva, Joo Fer-
reira da Silva o Joao Bom Bezerra da Silva, como
ladroes de gado ; e Manoel Caboclo, como autor
do assasslnato do escravo Joaquim, no da 25 de
abril ultimo.
ALFANDEGAMENTO.Por aviso da fazenda,
de 8 do passado, foi remettida thosouraria de
Pernambuco a carta imperial, pela qnal foi con-
cedida Francisco Ferreira Borges, gerente da
companhia Pernambucana de navegacSo costeira
a vapor, permisso para o alfandegamento de tres
armaens eomprehendidos em um s edificio, sito
no Forte do Mattos, afim de receber nao s o al-
godo e mais gneros nacionaes importados as
provincias do Imperio, como tambem os gneros
estrangeiros constantes da tabella n. 7 do regula-
mento de 19 de setembro de 1860.
TCANTI.NS. E' este vapor da Companhia
Brasileira que sanio da corte a 15 do corrento,
para os portos do norte.
LICENCA.Por aviso da justica, de 7 do cor-
rente foram concedidos 3 mezes de licenca ao Dr.
Fernando Maranhense da Cunha, juiz de direito
da comarca de Souza, na provincia da Parahyba.
PORCENTAGEM' DE COLLECTORES. Por
aviso da fazenda, de 3 do eorrente, foi approvada
a decisao dada pela thesouraria de fazenda de Per-
nambuco reclamajo que fez o collector do mu,-
nciodo Cabo contra o acto da respectiva cohla-
dorla em nao Ihe ter levado em cont a commis-
sao de 10/0 pela escripturagao eremessa da ar-
recadacao da divida activada fazenda. visto como a
referida decisao declara que a ordem n. 171 de 31
de inaio de 1851, e a circular de 16 de novembro
do mesmo anno, nao tiveram por tlm se nao es-
clarHcer qrte dos 10 0/0 da lei de 29 de novembro
de 1841 e circular do 31 de outubro de 1857, deve
sabir 1 0/0 para os collectores que intervierem na
cobranca da divida, nao alterando de modo algum
a disposicao da citada ordem quanto a porcenta-
gem que estabeleceu aos eolleclores e seus es-
crives, em compensacao do trabalho e responsa-
bilidade da esenpturacio e remessa da supradita
arrecadagao.
DECISAO SOBRE TAXA DE EMOLUMEMTOS.
Pelo ministerio da fazenda, em 3 do passado, foi
expedido a seguinte circular:
O visconde de Ittborahy, presidente, do tribu-
nal do thesouro nacjonal, 4 vista das duvidas sus-
citadas em algumas das repartieses sobre o modo
porqae se deve coljrara laxa de 60
rouvr___
8:801*000
titulo de emolumentos, na forma do 104 da ta-
bella aunexa ao regulamento n. 4356 ue 24 de
abril do corrente anno, por cada linfa de 30 le-
tras que contiverem os termos lavrados as re-
fMtiMes publicas, sujeitos 5 mesma taxa, declara
H|ctorcs das thesouraras de fazenda,
Jcvera cobrar na razo do numero
l de 30 letras que contiver o termo, cuja
escripia convm que se faca regnlarmente, de
nod > que na augmento, naWyrliimn
moro de letras qae puder coi inha.
DINIIEIHO.0 vapor ingles
, para o< Sr% T. Simn & C.
Do Rio da ; Janeiro leva esse
vapor para a Europa O.OO) 4sBtouro.
EM TRANS ro. Com 16 rftttdos em nosso
porto, sefuirnio para a Europa 142 passageiros
VTSCONDE DE ITAPARICA.- A loja de mada-
ma Falque, a na do Crespo n. 4. acabam de chc-
gar alguns exemplares do bravo general visconde
de Ittanea, os qtuw W vendem a 2*0W rs. o
oxempiar.
C0NCERT03 PUULICOS.-IIoJe noute e ama-
nhaa a tardo baverao concertos huscaes, nos
jardins da imperial fabrica de cerveia, rua do
Sebo.
FESTIVIDADES RELIGIOSAS. Amanilla ha-
ver as seguintes testas :
No convento dos capuchinhos, festa de N. S.
Mae dos homens.
Na igreja da Misericordia, festa de N. S. do Pa-
raizo.
Na mesma igreja Te-Deum pelo anniversaro de
S. M. o imperador dos France?
OS ANNUNCIOS.Nao ha parte do mundo onde
o annuncio tenoa oceupado logar lo elevado, para
ser ldo por todos, enmo na America.
A mais recente invencao foi em Omaha, nova
cidade de Far Wesl. Um agente de annnncios
mandou imprimir um livro de oraflfis, que elle
di-trbue porta das igrejas todas as- pessoas
queentram. A pagina do lado direito ontm a
texto das oragoes, e a pagina esqnerda esta chea
de annuncios.
Houve, porm um concurrente, que te ve me-
Ihor lembranca ; alugou a frente do pulpito para
ah adlxar o annuncio de urna bomba de nova es-
pecie.
O conselho municipal de Chicago aceitou a pro-
posta de um especulador que offerece nma ele-
vada quantia de dinheiro para ter o^lreito de
eollocar os seus cartazes as costas dos agentes
de polica.
UESCOBERTA PRECIOSA.-O Courier de l'O-
rient diz que pelos cuidados de Midhat-Paeha aca-
ba de descobnr-se dehaixo da3 ruinas da antiga
Babilonia um palacio cheio de riquezas archeolo-
gicas. Entre os objectos os mais cur osos figura
urna bibliotheca composta de lijlos de urna finura
extrema, os caracteres de que estes lijlos ou an-
tes estas paginas eslo cobertas encontram-se em
um estado perfeito de conservaejio.
Quein os decifrar ? Revelarn alguma cousa
para a sciencia e para a historia ?
Sao dous pontos a resolver para no priraeiro a
descoberta nao (car intil o no segundo poder-se
conhecer a verdade histrica do que est* escripto.
MINISTERIO HESHANHOL.A Corresponden-
cia de Espaa faz notar qnc o novo ministerio tea)
tres engenheiros de pontos o estradas, os Srs, Sa-
gast, Ardanas e Echagaray, e a estes tambem
se pode aecrescentar o Sr. Becerra, ctijos conheci-
menlos mathematicos e physieo naturaes ihe do
tal vez grande imiwrtancia "para tambem adquirir
o titulo de engenheiro. Conclue que a anual ad-
ministracao deve ser conhecida com o ndme da
ministerio das scieucias exactas. O Sr. Topeto
comprehendido no numero, pela sna profisso.
FAMILIA DEORLEANS.Quasi todos os mem-
bros d'esla familia, residentes na Europa, achara-
se actualmente em Inglaterra. Ha pouco tempo
assistirain no theatro francez em Londres, os du-
ques d'Aumale, os condes de Pars, o duque de
Charlres, e o principe de Joinville. A duqueza de
Alencon deu ltimamente luz urna fllha, na sua
residencia de Buchy Housc, na proximidade da ca-
pital do reino unido.
EPISODIO.N'uma caricia de Inglaterra (conta
um jornal francez) estavam preso- dous irlande-
zes, um por haver roubado um relogio, outro ac-
cusado do roubo de urna vacca.
Tiuha anoitecdo, quando o segundo dirigi ao
priraeiro a segrate pergunta :
Sabes dizer-me quantas horas sao ? "
O roubador do relogio percebeu a picuinha, e
sem detcnca redarguio :
.Nao (o nosso dzer -a que horas estamos
prque nao '.eaho oeste momento reante cem-
go ; mas pelos trfeus clculos, sao horas 3e or le-
nhar as vacca?.
LOTERA.A qoe se ada .i venda al!6",
a beneficio da Sauta Casa de Misericordia, que
corre no dia 17.
PASSAGEIROS.-O vapor inglez Douro, vindo
do sul, trouxe os seguintes :F. de Paula Duarte
Souza, general Prado, D. Pardal, Manoel Antonio
I-raneo.
Seguem para a Europa :
Lourenco Geudani, Antero La Salva, Caelano
Ruggiero, Vigano Domenico, Bernardo Jos da
Silva Guimares Biare Nicola. J. Michel, Vicenzo
Gaetano, Joaquim Goncalves Caseao, Vctor Ac-
cioli Wanderley, Joo Evangelista de S. Antonio
Antunes Lobo, Antonio P. Caldas G.
Viudos de Tamaudar e Ro Furmosq no va-
por Parahyba :
Jos Manoel de Souza Oliveira, Antonio Jos P-
mentel Jnior, Joaquim Manoel de Souza Oliveira,
Candido Manoel de Souza Oliveira e 1 criado, Mi-
guel Flix de Carvalho, Antonio Cavaloanti dos
bantos, Adalberto de Hollanda Cavalcanfi, Fran-
cisco da Rocha HoUanda Cavalcanti, coronel Joo
Uaptisto Accoli, Dr. Ernesto Feliciano da Silva
Tavares e 1 criado, Jos Manoel de Barros Wan-
derley, Felppe Ferreira Chagas, Constantino Go
mes da Silva, Antonio Gomes do Aguiar, Jos Joa
quien AI ves da Silva, e 1 escravo.
Seguem para o Rio Formoso no mesmo
vapor :
Padre Jos Porfirio Comes, Gabriel Antonio e 1
escrava, Manoel Antonio Soares Jnior, Antonio
da Silva Braga Jnior, Joao Haplist de SouzMon-
teirq, Manoel Alves Moreira, Ludgera Pa-
dilla. .
Seguem para Fernando, no vapor Corurpe :
Manoel Joaquim de Oliveira, Mariana Mara da
Luz e 1 filho, 12 presos.
Seguem para Mamanguape, no vapor Man-
doln .Antonio da Silva Carvalho, Jos Italiano.
CEMITERIO PUBLICO.-Obluario do dia 11 de
agosto :
Luiz, Pernambuco, 1 mez, S. Jo* ; espasmo.
Anua Joaquina Rila do Carmo Ramos Medeiros e
Albuquerque, Pernambuco. 68 annos, vi uva,
Boa-vista; hydropisia cordita.
Felinto, Pernambuco, 4 annos, Santo Antonio ;
gastro hepatile.
Joo, Pernambuco, 4 annos, S. Jos; hepatile
aguda.
Jesuino Tavares de Souza, Pernambuco, 62 annos,
casado, S de Olinda ; repentinamente.
Pedro Ignacio da Conceico, 78 annos, solleiro, S
Josa; desynteria.
-12-
Joao, Pernambuco, 6 mezes, Santo AttWaio ; fe-
bre intermitente.
Joo, Pernambuco, 2 mezes, Santo Antonio : con-
vulsdes.
Antonia Sabina da Conceico, Pernambuco 60
annos, vi uva, Bba-vi-ta ; desynteria,
Clara Mara do Sacramento, Pernambuco, 90 an-
nos, vinva, Recifc ; congesto cerebral.
Joo Germano de Paula, Pernambuco, 52 annos
casado, Sanio Antonio ; gastro interite.
Maria Anglica da Conceico, Pernambuco 50
annos wuva, S. Jos; dyarrhea.
Umbelina Libaoia Ferreira da Cost, Pernambuco
20 annos, casada; apoplexia.
A' vista d'isto retirei-me, dizendo que a acca i
que pralicavam era indigna de-peasoa que se
savam, e que devam ter certo pudor, e em euja
conta, eu as tinha antes disso.
Se o quo acabo de r9ferir fossa pratioado pekt
plebe nada admirava ; porm por pesaos do com
mercio, que devem zelar sua repae*p por de-
maisestranhavel.
Desconfi que elles estivessem ebrios, porque
no interior da loja vi maa mea com garrafas,
copos e algaaas comid ,s, e st'i se estando fora de
si se pode praiicar fados da naiureza do que
acabo de axpor.
Cohibam^e, pois, os Srs. engracados, que esla-
vam n'essa loja, de p acejos tao estupidos, por que
um dirsaj ftu'i, c mu diz o adagio, e podem re-
sultar Ihes fmestas consequencias.
Srs. Redactores, dando Vmcs. publicaeo a estas
linhas, multo obrigarao
Jl O offendido.
Recife, 10 de agosto de 1869.
Rap Popular
Realmente o Arp Popular inguiet por domis,
fra desta provincia, os representantes dos Srs.
Mearon & C, faoncautas do Aria Pela 1
Nao se contentaran], no Rio e em Pernambuco,
com chamar a juizo os nossos agentes, por terera
onsado anntuciar que o fl-ip Popular tem toda
sinulhanca e fabricado pelo mesmo system, que
o Ara Preta.
Agora, a um protesto que fizemos contra a sua
pretencao obnoxia, respondem com um contra-
protesto, publicado no Jornal do Commercio de 27
de juiho prximo passado, no qual estabelecera o
seguinte dilemma : t Ou os fagricantes do Rap
Popular, na Baha, esto de posse do segredo da
fabrica do Ara Preta ou nao. Se eslo de pos>e
s por meio de abuso e de fraude poderam ble-
lo, e os fabricantes do Ara Prela tem direito
iuconlestavel a incemmoda-los n'essa posse in-
justa. Se nao eslo, cono certo que nao esto,
visto que o seu rap absolutamente diverso, em
todo sentido do rea Preta, da-se n'esse caso im-
postura que convm e est no direito dos fabri-
cantes do Ara Preta denunciar e combater. Des-
truindo-se urna das premissas, tem todo este di-
lema cahido por Ierra.
Neste seculo, em que a analyse chimica tem at-
tingido sua raaor perfeico, ser absolutamente
impossivel obter o agredo do fabrico do Ara
Preta ? Ningueiu o dir. Logo, sem ser por meio
de abuso e de fraude, poderla elle ser obtido.
N'esse caso nao teriam os fabricantes do Ara
Pret o direito de ncominodar-nos.
Anda mais ; por etasains e experiencias atura-
das nao poderiamos obter um resultado igual
aquello que, mediante ensaios, tambem e expe-
riencias repelidas obteve o inventor do Ara
Preta? E'certo que sim; logo, inteiramenle
falsa a premissa dos Srs. Meurou & C.
Mas suppondo que por outra qualquer forma,
sem nos soccorrermos a analyse, sem o liavermos
inventado, possuissemos o segredo de fabricar o
Ara Prt, quom nos tolheria o direito de usar
delle ? as sociedades aiodernas s tem o indus-
trial um meio de acautelar a propriedade do seu
invento o privilegio exclusivo concedido pelos
poderes competente*. Tein-a'o os Srs. Meuron
& C ? Nao nos consta. Logo pode quem quizer,
sem receio dos Srs. Meurou & C. fabricar o Ara
Prla, urna' vez que Ihe conlicca o segredo.
Mas, para que ludo isto, se os representante.-*
dos Srs: Meurou & C. que, alia se mostrara to
incommodados, declarara que o nosso rap abso-
lutamente diverso do Ara Preta ?
Que damno Ihe poderlo causar os nossos an-
nun- ios, se o juiz da conlenda nunca seremos nos
nem elles, mas o publico que em ultimo julgado,
ter de decid'r se o nosso ra|> ou nao era tudo
semillante ao Ara Preta ? Deixem que, conven-
cido o publico condemne nossa impostura.
Emquanlo o nao fizer, nao estojara os represen-
tantes dos Sis. Meuron & C. revellando nos tri-
bunaes e pelos seusannuncios, protestse contra-
protestos os serios recelos que est occasonando a
pequea fabricar nacional.
Babia, 9 de agosto de 1869.
Teixeira Vldorieo & C.
*a^fir*$ac?Ses, da cobranfa de letra da
ierra e de uutros ttulos commerciaes.
rVecebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo flxo.
Largo do Pelourinbo n. 7.
Novo Bttux) dft Pernambuco
em liquidado, :j de agos-
to de 1869.
Os Srs. accionistas podem receber o
sexto dividendo de um e meio por cenlo
do capital: s qoarta-feiras e sabbados.
ALFANDEGA.
Kendimenlo do da 2 a 12. .
dem do dia 13.....
244:297*971
14:8181470
II espere que, cetie anne, comme toutes
les autres, ils voudront assister en grand
nombre celta soleranit et manifester ainsi
l attachemem qu'iis coaaeri-ei t la Franca
et au chef quelle s'est donne
Le Cnsul de France,
____________ Oimn L
- O inspector inierino di aJtad^jk faz pobU-
co, que no da 16 do aorrenie, ieio du
o a porta da mesma repart?ao. sera levada hasu
publica, hvrede direitos ao arremaiante, nma ca-
xiilu da mai-ea Ce C, vinda do Porto no brigue
porloguez Ini&o, entrado em K e juiho prximo
rfado, contendo trese kilogrammas de roluk
papel a 2666 o Mlograiuma-:i4 ,(58 rs., a
qual foi abandonada aos direito por Cunha li-
maos & C. .
Alfandega de Pernambuco, 11 do agosto de
2K9:116*441
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas
dem dem cora gneros
Volumes saludos com fazendas
dem dem cora gneros
300
00
----- 900
54
47
52C
Descarregam hoje 14 de agosto
Barca franceza=C(7i/mercaduras.
Barca InglezaNaoniamercadorias.
Brigue inglezMeltte mercadorias.
Patacho inglezVeoletedem.
Escuna norte-allemoGcHeicotboado.
Brigue suecoAmbotaboado.
Brigue inglezAlezandrebacalho.
Brigue nacionalAlmeida //charque.
Barca hespanhola Virgem re la Seitavinhos.
HECEBEDIUA DE HUNDAS INTEKNAS GE
KAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 2 a It 18:973*684
|dem do dia 13...... 831*630
19:830*314
189.
O inspector interino,
L. dr C. Pues de Andrade.
Protectora das fa-
milias
Em cumplimento do prevenido no art.
29 do regulamento, se convida a todos os
senhores contribuintes essa associacao,
quoaituia nao liverem apres litado as certi-
does de idade dos segurados para que fa-
cam entrega (Pellas, na r n. 19, Io andar, afim de ser expedidas o
mais breve possivel para inspectora ge-
ral do Rio de Janeiro.
As certidoes devem ser selladas c reco-
nhecidas por tabellio.
Recife, 5 de agosto de 1869.
Narciso de Vidal
COMMERCIO.
PUBLICACOES A PEDIDO.
PRAQA' DO RECIFE 13 E AGOSTO DE 1869
AS 3 1/2 HORAS OA TARDB
Algodo da, Parahyba Ia sorte 1*273 por kl
posto a bordo, frete de 3/8 c 3 0/0 (hontem).
Dito de dita 1 sorte1*480 por kil. posto a bor-
do, frete de 1|2 d. sem capa (hontem).
Dito de dito i- sorte1*212 por kil. posto a bordo
frete de 1/2 d. sem capa (hontem).
Algodo da Parahyba sorte 1*287 por kil.
posto a bordo, frete de 1/2 d. e'5 0|0 (hontem).
Dito ae dito 2* sorte 1*219 por kil. posto a
bordo, frete de 1|2 d. e '3 0|0 (hontem).
Cambio sobre Londres 90 d/v. 18 1(2 d. por
1*000.
f. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Caixa Filial do Banco
do Brazil.
A caixa filial do Banco do Brazil cm Per-
nambuco em liquidarlo paga o 31 dividendo
das accoes do Banco do Brazil inscriptas
nesta caixa, a razo de 9# por acc5o.
Recife, 15 de juiho de 1869.
EHGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Descont lettras da praca taxa a con-
vencional
Recebe dinheiro em cont corrento e a
oraze fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
priacipaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Ra do Commercio n. 36.
MOVIMENTO PQ PORTO.
Navios entrados no dia 13.
Rio de Janeiro e Baha5 dias, vapor inglez Dou-
ro, de 1,767 toneladas, cominandanto R. Wiloo-
ward, equipagem 124, carga varios eneros < a
Adamson de C.
Rio Formoso e portos intermedios6 horas, va-
por brasileiro Paraliyha, de 104 toneladas, com-
mandante Mello, equipagem 17, em lastro; a
companhia Pernambucana.
Liverpool por Lisboa27 dias. sendo do ultimo
19, vapor inglez Saladin, de 346 toneladas,
eommandanle James Kellv, equipagem 23, car-
ga dlTerentes gneros; "a Sawnders Brothers'
& C.
Ncw-York32 dias, sumaca hespanhola Ondina,
de 137 toneladas, caplo Francisco Seusat, equi-
pagem 10, carga 1,210 barritas com farinha de
trigo : a Amoriin Irino.
Navios saludos no mesmo da.
Rio_de JaneiroBrigue brasileiro Siqueira, c.ipi-
tao Jos Francisco Alve* Jnior, carga assucar.
Mi da PrataBrigue norueguense Flora, caplo
E. Rustrup, carga assucar.
Rio de Janeiro-Barca ingleza Traieller, capitao
Penfield, em lastro.
Southarapton e portos intermediosVapor inglez
Douro, eommandanle R. Wllooward.
EDITAES.
Peranie a cmara municipal desta ci-
dade, estar em praca em os dias 11, Me
18 do crente, para ser arrematada por
quem menor preco olferecer, a obra dos
concertos de qu- necessita a ponte do Luca
sita a estrada do mesmo nome, oreada na
quantia de 88UJ00>; aquclles quo preten-
derem arrematar, habtlitem-se na forma
da lei, e comparecam no paco municipal em-
os dias mencionados.
O oreamentoda dita obra, acha-se na se-
cretaria da mesma cmara, onde ser apre-
sentado as pessoas que o quiserem exa-
minar.
Paco da cmara muojc pal do Recife, 4
de agosto de 189.
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Pro-presidente,
Francisco Canuto da Boa-Viagem.
Secretario.
Arsenal de guerra.
0 conseibo de compras do arsenal d>
guerra precisa comprar para l'ornecimenio
do mesmo o seguinti:
Casemira encarnada 4 met os.
Mappas (modelo n 9, mostra) 100.
Ditas para dieta (modelo dillerenle, idem i
1000.
Camisa de meia de algodo urna.
Luvas de algodo 38 pares.
Faca para cozinba urna.
Obreias 50 massos.
400 vassoras,dejunco.
As pessoas que se propuzerem a forne-
cer os ditos objectos poderao apresentar
suas propostos, acompanhadas das compe-
tentes amostras, na sala das sesses do
mesmo conselho at s 11 lf% horas do dia
18 do corrente.
Arsenal de guerra, 12 de acost de
1869.
Hygiito Jas Colito.
coronel presidente do conselho.
Jos Baptista de Castro e Silva,
______ vogal secretario.
Fiscalisacdo da freguezia da Boa
Vi*t ,13 de agosto de 1869.
Por esta fiscalisacSo se faz publico a
quem inieressar que se acham depositada*
quatro cabras (bixo) aprehendidas fazendo
distriucoes em um jardim: quem se jul-
gar com o direito as mesmas compareca.
que satisfazendo o disposto no art. 18 do
titulo 9o das posturas municipaes de 30 d<:
junho de 1849, Ihes sero entregues.
__________Jeronymo Jils Ferreira.
Por ordem do Sr. Dr. juiz substituto
do commercio, cm exercicio, se az publico
que as audiencias do mesmo jnizo ficam
transferidas para os dias de qainta-feira cu
todas semanas s horas do costme.
O escrivo de juizo
_______________Manoel Mara.
Vai praca no dia 17 do corrente irez, de-
pois de linda a audiencia do S. Dr. juiz dos or-
phos desta cidade, para ser ai rematada porquera
mais der, a casa terrea n. 36, sit ra dos Pu
com urna port e duas janellas, loda Iravejad* p
ter sido edificada para sobrado, c avahada por
4:000*000 ; cuja casa vai praca i equeriment:.
da viuva e herdeiros do finado Caitos Hess, eonvi-
da-se os Srs. licitantes coraparecerem da* 11
horas para meio dia do relendo dia 17, para ..-
effectuar a arremalaco de um oplmu predio e:u
terreno proprio.
Senhores Redactores. Muito me admira que no
seculo em que nos achamos, a que todos chamara
das luzosdeem-se factos, como o que vou
narrar.
Lendo eu um annuncio de fazendas, que iam a
leilao na lo a ou arraazcm de Magalhes Irmos
na ra da Cadea do Recife, no dia 9 do corrente'
para l me derigi a flm de ver se arrematava al-
gumas.
Ao entrar na dita loja vi ah muilos locistas
d esta cidade, e pouco depois, entre elles alguns
sacu.hrem pecas de fazendas: snppuz eu que
aquello gracejo, .npesar de inslito, fosse smente
entre amigos.
Enganei-me na ininha supposicao, e, quando
eslava bem longe do pensar semelhante cousa,
sou advertido que qneriam cassuar comigo e que
eu me retirasse. BraIon nm que ouvo a adver-
tencia que me foi feite: Olhem o alcoviteiro!
- Foi contar. Aps isto principiaran) a deMar fa-
rs. devidaa|zendasobreniiml <*wria
Saques sobre Londres
SOCIEDADE BANCARIA EM COMMANDITA
Theodoro Simn C.
SaccSo sobre os Srs. Samuel Montagu &
C, banqueiros em Londres.
A' vista quantias 5 at 100, 3 dias
de vista quantias cima de 100 at
a 1,000 30 at 90 dias de vista quan-
tias cima de 1,000 at 10,000.
Largo do Pelourinho n. 7.
Sociedade bancara
em commandita
Teodoro Simn & 0.
Compram e vendem por cont propria
metes, moedas nacionaes e estrangeiras,
sbj]9] de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontam letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por cont alheia das mes-
0 inspector interino da alfandega faz publico, que
no dia 16 do correnle depois do meio dia e a
porta da mesma alfandega sero levado em
hasta publica, livre de direitos as mercadorias
abaixo declaradas, compreheudidas as d-po
sicoes do cap. 6o ttulo 3 do regulamento de 19
de setembro de 1860.
Armazem n. 8.
Sem marca.Ura barril de vnho vasio sem nu-
mero vindo de Liverpool, no vapor inglez Pantlieon
em 26 de junho de 1868, ignora-se a consgnaco
no valor de 1666.
Marca C A M.Urna caixa n. I, viada de Lon-
dres no lugar oldemburguez Sagilta em 4 de
agosto, dem cora 12 1/2 garrafas de vinho do rei-
no com 3 litros, valor do litro 1200, ris 33600.
dem J-A P.Uraa caixa n. 16, vinda de Lisboa
no brigue portuguez Soberano em 2i de novembro,
idem com frascos de vdro n. 1 pesando liquido
legal 83 kil., valor de um kil. 666 ris, 551278.
Sera marca.-Urna tina vinda de Liverpool no
vapor inglez Alhambra^fa 22 de Janeiro do cor-
rente anno, idem com carne de vacca em salmo-
ra pesando liquido legal 15 kil., valor do kil. 400
ris, 6000.
Armazem n. 9.
Marca diamante H Ura fegareiro do ferro sem
numero, vindo Lipcrpool na barca ingleza Imogene
em 31 de marco de 1868, consignado a Shan Han
Kem 4 C, pesando 8 kil., valor de um kil. 160
res, 1^320.
IJem letreiro.Um embrulho vindo de Lisboa
no patacho portuguez Afana da Gloria em 9 de
novembro, idem a Maia & C, com palhas avulsa
pesando dous kil., valor de um 2j, 45000.
dem S.Dous fogareiros de ferro vindo de Li-
verpool na barca ingleza Seraphine em 24, Sawn-
ders rolhres & C., pesando 13 kil. valor de um
160 ris, 2158.
dem K H f.Urna caixa vinda de Liverpool no
vapor inglez Snphire, em 17, a Keller & ., com
urna figura de barro ordinario quebrado no valor
de 2 000.
dem letreiro.Urna caixa sem numero vindo de
Londres idem no brigue inglez Elena em 8 de Ja-
neiro do c urente anno a Johonston Pater & C,
como palhas avulsas pesando ligudo legal 6 kil,
valor de um 2. 123000.
dem idem..na dita vinda do Porto da barca
portugueza DespiqueII, em'll do feverciro, a Pin-
to & Barbosa com livro em brochura pesando 2
kil. valor de um 2f, 4000.
Ide n P.Um sacco, idem a ordem com nozes
pesando um kil. no valor de 260.
dem diamantes H M L.Dez barricas viuda de
New-York no patacho allemo Polkx, em 18 de
agosto de 1868 a H. M. Hane & C, cem marmore
em p peso legal 3:800 kil. valor de um kil. 666
ris, 2:5303800.
Idom idem.Cinco caixas ns. 955 a 959 e mais
trez va roes de ferro da merma marca, vinda de
New-York, idem com trez machinas para enge-
nho. com os seus pertences valor de um 200#000,
8:600000.
Sem marca.Urna caixa vinda do Rio Grande
do Norte na barca Flavia, em 13 de maio do cor-
rente anno, ignora- so a consignacao com duas
imagens de madeira valor de ambas 60000.
dem dem.Um barril idem idem cora 97 kils.
do pregos de ferro avahados valor isOQO.
Alfandega de Pernambuco, 12 de agosto de
1869.
O inspector interino.
____________L. de C- Paes de Andrads.
Correio geral.
Pela administradlo do correio deste cidade -<
faz publico, parajins convenientes, que cm vir-
tude da convencao posteJ, celebrada pelos govrr-
nos brasileiro e francez, sero expedidas mala<
para Europa no dia 15 do correnle pelo vapor
ingles #eu*u.
As cartas sero recebidas at 2 horas antes da
que for marcada para a sahida do vapor ; c os
jornaes al 3 horas anles.
Adniinisiraco do correio de Pernambuco 12 le
agosto de 1869.
O administrador.
Domingos dos Passos Miranda.
Uxwxi
FESTA AOCTURrf A
Para cuiuiiiciuorai* a assiiinp^o
de Nossa Sen hora.
A irnitaqao do jardim MabV
em Paris
DIRIGIDA POR MR. NOURY.
A qual lea lugar no espacoso jardim da bem
conhecida fabrica ae cerveja do Sr. Henrv Loyd<3ii
a na.do Sebo n. 35.
Sabbado 14 de agosto.
Urna excellente banda marcial, dirigida polo Sr.
Hermogenes Norberto de Gusmo, tocar a M
lindos o variados pedacos de msica.
Divisan da festa :
l." Concert instrumental.
2." Corrida burlesca.
3. Dansa popular.
4." Fogo artificial.
Tocar-se-ha a bcllicosaMarselliczano final.
P parte
1. Simphonia, da opera Nabucodonosor, do maes-
tro Verdi.
2." Silphide, ouvertura do maestro Orestes.
3." Ptolomeu, cavatina do maestro Donizetti.
!. Traviata, dem do maestro Verdi.
2' parte
Pela segunda vez, a jocosa scena burlesca
grand course en sacexecutada por urna duzia de
rapazes. Uraa commisso de tres membros, sob a
Inspeccao da autoridade local, tiscalisaro a corri-
da, afim de seren os premios distribuidos com
equidade.
O parco estar Iluminado a ardiles.
3' parte
A banda marcial executar dlTerentes quadri-
lha, polkas, valsas, etc. Quem quizer poder to-
mar parte na dansa, que ser inspeccionada pr-lo
Sr. Noury.
4a parle
Terminar o divertimento |*>r um lido fogo *
artificio (queimando-se dentro do jardim). fe'.o
pelo distincto e assas conhecido artista pyrothch-
nico o Sr. Alves.
O jardim estar brilhantemenle Iluminado com '
vidros de cores, e ha intervallos, cora chammas de
Bengala.
Preco da entrada U00O.
N. B.A grande quanlidade de familias distin-
tas desta capital que fizeram a honra de assistir a
nossa primeira festa, o respeito e tiencao dos ca-
valheiros para com as senhoras que a ella con-
correram, animaram-nos a dolirar de esforco,
afim de que esta segunda rest seja superior
primeira. Neste intento convidamos de novo o
mni respetosamente ao generoso publico desta
capital a que veuha tomar parte neste genero de
recreio, que de ver ser urna das agradaveis d,s-
traeces do presente vero.
DECLARARES.
Le cnsul de France sous-
sign a lTionneur
de convier Ise Francais rsidant Pernam-
buco, au Te-D eumqai ser5 chant di-
manche 15 du courant, 1 heure de l'aprs
midi. dans l'Eglise Notre Dame du Para-
so, l'occasiondela fte de S. M. l'Em -
pereur Napolen III.
RA DO SEBO N. 35

\
1
DE
Doi
HENRYLEIDEMG.
lingo 1& de agosto de 1W


Diario de Pefflffibue Sabbado li de Apeo 'c 1369.
2
-


\t
Grandes canilladas, ocyiu naiticas e u claro da
t.liins, dando lim com o
Segpedo do diabo
t a directo do ai lisia
JOS' UOHEIRA LEM<
Principiando as 4 horas e dando lira as 9 da
notte.
E.NTKADA MIL RIS
O mesmo artista cima espera do respeitavel pu-
Wico pernam&acano a sua coadjuvaco. ^
THEATRO
fiymnasio Canpestre.
GRANDE NOVIDADE !*
Domingo 15 de yosto de 1869
l.iu!o c variado expectacnlo
AS 0 HORAS DA TARDE-
Estreiu
jovem artista peraamfoncano
Vicente Ferrara
coahccldo por
Momem de Borracha
F. I>0 ATHI.F.T.V TAMBBM PKUN'AVni'CAN'l
Virgilio de Oiiveira.
Priraeira represenlaco da excelente, espirituo-
sa c multo applandida comedia cummerciai era
dous acto, ornada de msica, eomposta o olTereei-
da ao scinpro inspirado maestro Colas Fillio, pelo
talentoso Sr. V. P. Chaves Jnior, intitulada:
Fugo ao siji. fumo ao norte
Tomam parlo as Sras. D. Jesuina, D. Olympia,
o os Srs. Brochado, Pedro Augusto e Di-Gio-
vanni.
A msica desta comedia fo escripia expressa-
mente pelo maestro Colas Fiho, achando-se abri-
Ihanlada com hellissimas C pas, Lumias, Fados e
o inuito popular
Para o Rio Grande do
Norte.
:ha se a i '.c.-ich. d lotago de tre
mil arrobas : a traa/ n> eseriptoria do Alfredo
Je Cunha, uo caes da.AJl'andega Vefha.
PARA O PORTO.
Segu com a pessivel brevldade o brigue por-
tuguez Unido que j conta grande parte da carga
engajada : quem no mesmo quizer carregar on ir
de passagem trate eom os consignatarios Thomaz
de Aquino Fonseca & ., ra do Vigario n. 19,
primeiro andar.
Rio Grande do fttil
Para o porto cima segu com brevidade o pa-
tacho nacional Principe, recebe alguraa carga a
frete, e tratase com os consignatarios Antonio
Luiz de Oiiveira Azevedo Para 8. Miguel e Tercelra
O patacho portuguez Mara, esperado de Lisboa,
saliir para as dnas ilhas cima, poocos dias de-
pois de sua c Inga da a esta, desde ja so engaja
carga o passageiros : trala-se com E. R. Rabello,
ra do Commercio n. 44.
Para
TANGO
do general Prira-
Seguese pelo joven Vicente Ferreira, espanto-
sos trabalhosde
Seguir brevemente o veleiro patacho portuguez
Boa F. capito Domingos Martins : recebe algu-
ma carga a frete razoavel, para oque se traa
com o seu consignatario Joaquim Gerardo de Ras-
os, ra do Vigario n. 16, 1" andar.
Para o Porto
pretende sahircom apossivel brevidade o patacho
portuguez Liberal, tom parte da carga engajada, e
para o resto que Ihe falta, pode tratar-se com Da-
vid Ferreira Hallar, ra do Brura n. 92, ou com
oeapilo do referido navio.
fgpnda-etfa
as 10 horas da manda* no bem eonliecido arma-
wm ra da Cadeia n. S.
LEILAO
Industria agrietar
De G cadeiras, 2 consolos, i mesa de meio
de sala, 1 mesinha, I espelbo tocador,
1 bolsa de viagem, 1 par de botiies de
prata para punlio, i marqueza, 1 relogio
de ouro com crrente, atinis de ouro,
e l rewolver.
Terca-felra 17 do correte.
O agente Mirtins far leilao a re>|ueriinenlo do
teslamenleiro de Joaquim Pinlo Vieira e por des-
pacho p lllm. Sr. Dr. juiz municipal da segunda
vara dos objectos cima .pertencentes ao espolio
do dito Piulo Vieira.
No irmazcm da ra do Imperador n. iG, as H
horas do dia. "
PARA'
O patacho Protector seguir para o referido
porlo en poneos dias, por ter a maior pm-te do
seu carregamento prompto : para o que Ihe falta,
quem quizer carregar a frea commodo, pode diri-
gir-se ao consignatario Joaquim Jos Goncalves
Beltro, ra do Commercio n. 17.
LEILOES.
Depois a Sea. D. Jesuina e os Sr?. Brochado e
le-Giovnni cantaro a pedido, a graciosa e muito
aplaudida
Tonadilha hespanhola
(germinar o espectculo com maravhosos ex-
rcicios no TRAPKSl e surprehendentes equili-
brios pelos artistas
Vicente e. Virgilio
O divertimento principiar s 6 horas da tarde
Os bilhete.s aeham-se "na estaco dos trilhos ur-
banos no Reeife e no theairo, pelos precoa estabe-
locidos.
N. B.As pessoas que comprarem bilhetes, to-
iao passagem gratis era qnalquer Irem e a qual-
quer hora, antes do espectculo ; assim como de-
pois do mesmo, dar-se-ha conducan gratuita em
tren especial, ostylo.
Para maior commodidade, no trem das 5 horas,
ir pessoa eucarregada de vender bilhetes para
ivste divertimento.
AVISOS MARTIMOS.
C0M1IA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 28 de agosto o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata A. J. de Santa Barbara,
o qual depois da demora do cos-
lume soguira para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinlieiro a frete at o dia da sua sahida as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectosde pequeo valor equenoexcedam a duaf
.Tobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
jens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
i* andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oiiveira
Azevedo 4 C.
COMPANHIA fehnambugana
DE
Navegaco eosteira por vapor.
Goianna.
O vapor Parahyba, commandante
Mello, seguir para o poilo cima no
dia 10 do correte as 9 horas da noite.
Decebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, no escriptorio do Forte do Mattos
n.12.
3L
ra de paquetes a vapor.
At o dia 15 do corrente esperado de New-
York por S. Thomaz e Para o vapor americano
Herrimack, o (pial depois da demora do costume
seguir para os portos do sul, para fretcs e pas-
sageas trata-se com os agentes Hcnry Forstcr &
C, ra do Trapiche n. 8.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegagdo costea por vapor.
.Macei, escalas Penedo e Aracaj.
4**m v O vapor Gi(ui, commandante Aze-
y^AJLm ved> seguir para os portos cima no
iMttM, dia I i ilo corrente as S horas da tar-
de. Recebe carga at o dia 13, encommendas,
paasagens e dinheiro a frete at as 2 horas da
urde do da da sahida; no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12.
LEILAO
O agente Pontual competentemente autorisado
vender em leilao por conta de quem pertencor,
os salvados do incendio do armazem do caes de
Apollo, constantes de arroz, caf, sorreja, sabao.
Segunda-feira 14 do corrente.
No armazem da ruado lirum n. 66, as 11 horas
~1MM~
Da barca franceza ALPH0NS1NE encalbada
no banco de pedras das Garbas no Rio
Grande do Norte na sua ultima viagem
de Marseille a S. Francisco, seu appare-
lho, velas, subrscellentes e carregamen-
to avariado, salvado e existente na alfan-
dega do Rio Grande do Norte.
A SABER :
Segnuda-feira Itt de agosto.
Em utn s lote e tal qual se ada no lugar
do naufragio.
O casco da referida barca (que earregava 1,000
tonelladas), mastres reaes, gurups, 1 ferro eom
15 bragas de corrente, 3 vergas grandes, 6 ditas
de gavia, 3 mastros de gavia, i paos e cerca
de 100 tonelladas de ferro fundido, 700 barras de
chumbo, (43 tonelladas pouco mais ou menos),
cerca do 700 pedamos de marmore serrado e em
bruto.
Terca-feira 17 do corrente.
Vcnder-se-ha em differentes lotes as velas, mas-
iros, correntes, cabos, moitoes, amarras, pecas de
cabos, apparelho de rame, pegas de lona, Oo, al-
calrao, verniz, bren, sbo, fugao, caixa de medi-
camentos, sobrecellente e mais objecta perten-
ceules ao navio.
lm eontluiiaeo
nos dias i8 e 19 do corrente.
Vender se-ha tambera a parte do carregamen-
to avariado, constante de vinhos finos em barris e
caixas, licores, champAgne, azeile doce era cai-
xas, rlhas, sabao, marmore, obras de alabastro,
qarras de chumbo, barricas com enxofre, gorama,
iustrumentos para agricultura, caixa com livros
e oulros objectos que fazem paite do carrega-
mento.
Tudo por conta e risco de quem pertencer no
estado e lugar em que se acha, de conformidade
com os annuncios all publicados, no dia do lei-
lao c condiceQes declaradas no acto da arremata-
cao
No dia 14 do correnie seguir o vapor Pirapa-
ma da companhia Pcrnambucana, o qual deve
chegar no Rio Grande do Norte segunda-feira
16 do corrente, dia justamente em que deve co-
mecar a venda do casco e salvados da referida
barca.
De 50 ealxas eom ceblas e 18
barris com toncluho.
Segunda-feira 46 do crtente.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertencer dos gneros cima e sero
vendidos sem limites para fechar contas : segun-
da-feira 16 do corrente as II horas damanha no
armazorn do Sr. Azevedo na escadinha da alfan-
dega.
LEIUO
' HZ MOTIS.
Sendo urna mobilia de amarello, um guarda
roupa, 1 cama franceza de amarello, 1 meia cora-
moda, 1 berro, 3 paros de jarros, 2 tapetes gran-
des, 8 quadros ovaes com molduras douradas,
I me nhas, 1 candelabro, 1 apparador, 1 guarda ves-
tidos de mogno, 4 pares de lanternas com pingen-
tes, 1 carteira, 24 cadoiras de amarello, 2 conso -
los de Jacaranda com pedra, 1 machina de cos-
tura, un marqnezo, 2 marquezas estreitas, 1 me-
sa a imitacao de charo, 1 guarda lonja, um apa-
rador moderno, um fo/areiro econmico, 3 escar-
radeiras e louca de jantar.
Ter'ca-I'eira 17 do corrente.
O agente Martins far leilao dos movis cima
pertencentes a urna familia que se retir para o
Para, no armazem da roa do Imperador n. 16, as
II horas do da'.
AVISOS DIVERSOS.
Irmandade acadmica de N. S. do
Bom Conselho
De novo convocada a mesa geral da irmanda
de acadmica de N. S do Bom Conselho para no
dia 13 do corrente, depois da missa de sua Divina
Padroeira. eleger a mesa adminislraliva para o
anno de 1869 a 1870, visto nao ter comparecido
numero sulllciente no dia 8, para o qual havia sido
convocada.
Secretaria da irmandade em 11 do agosto de
1869.
Jos Furtado de Mendonca.
I
pelo novo
0 abaixo assiiado proprelan
beleciinenhM aliricl*, leudo d
Lisboa a tratar de sua saude, (Bbjfd
cu reo de suas operacg^huxMdo a venda o enge-
iili(> Slprtncri (mnccioiiaao actualmente com 50
a 60 escravos) distante legua e meia de lielem, com
a qual corresponde porteara e por agna.
.\ fabrieacao do asncat* afii se faz p
systema do racoio e do va|ior.
' A aguardentejpor dous alambiques, lendo um
do amigo sysleifcN oulro do'continuo. ^^
O material Infciramenle novo d'esto eslabeleci-
ment, saludo da casa bem conhecida de Henry
Claiton & C. do landres, o de primeira ordem
sua mstallaeio feita com luda a forca e perreicao
que se pode desejar.
O material o os apparclhos compoem-sc do se-
grate :
De umacaldeira,de 20 cavallos de forca. com
2 tornalhas intviores, dando consecutivamente
vapor de 4 a 5 athemospheras de; preceo : esta
caldeira est munida de todos sens aparelhos de
so;/manca, indicadores e assecorios.
De ma-machina a yapor-oriental de'alta prec-
eo, d forca do 14 cavallos, dando a sua trans
n
missao a umjogo de moendas da maior fora co-
nca (
icla.
ROUBO
300. de gratileaco
O abaixo assicnado manifesta fielmente o que Ihe
foi roubado no dia sexta-feira, 7 de agosto, as 6
horas da tarde, do Reeife para a Capunga, os ob-
jectos abaixo declarados, roubados do dentro de
um balui de (landres que conduzia urna carroca,
julgando ler sido feito o roubo na praca do capim
na Boa-Vista, aonde o carroceiro se demorou em
urna taberna. O abaixo assignado oiTerece a quan-
tia cima a quem Ihe entregar e delle souber, com-
promeitendo-se a guardar inviolavel segredo, po-
dendo vir ao meu poder por qualquer intermedio.
Joao da Silva Leite.
2 braceletes de ouro com fivella, entrampados, 1
dito do cornalina encarnada, 1 apparelho de be-
souros, completo, cncastoado em ouro (obra do
Porto), 1 hracelle de sndalo, 1 dito de dito de me-
nina, 2 ditos de coral de dita cora chapa de .ouro
e pdrinhas, 1 dito de menina de coniinhas bran-
cas, 1 allinete de ouro de menina com coraes (pe-
di as), 1 par de brincos de ouro com pingentes, ten-
do (parte superior) sobre a roseta uraa perola e
(parte inferior) para baixo uraa pedra, azul, 1 par
de brincos de cornalina encarnada e cncastoado
em ouro, 1 dito de ditos de ouro a balan, 1 dito de
rosetas pequeas com urnas pdrinhas de coral no
meio, 1 dito de brincos de ouro de menina com
pedras brancas, 1 dito de rosetas de ouro lisas, 1
annel de ouro de menina cora as letras MJSL, 1
dito de cabello de dita com as letras MJCR, 1 par
de botes de punho para menina, 2 ditos de ditos
de dito para hornera, endo 1 par de cornalina en-
carnada encasioado em ouro e 1 dito de ouro com
roseas no centro, 1 boto do camisa (de peito) de
besouro encastoado era ouro, 1 volta de trancelim
marchetado com urna Hgurinha de azeviche, 1 dita
de dito cora rejuifes, de menina, tendo um S. Braz
de ouro, 1 figa de cornalina encastoada era ouro,
1 dita de unicorne, 1 bola de cornalina encastoada
em ouro, 1 cara de ouro representando sol, 1
moedinha de ouro, 1 busiozinho encastoado em
ouro, 1 moedinha de prata encastoada em ouro,
1 relogio de ouro patente com corrente do mesmo
metal e chave, 1 imagem de dito representando N.
S. da Conceicao, tendo 2 pollegadas de compri-
mento e pesando d* 18 a 20 oitvas, 1 volta de al-
jofares imitando perolas, varias moedinhas de pra-
ta novas e 95 em papel, tudo dentro de um bah
de tartaruga, e dentro deste um pequenino de tar-
taruga tambera que continha o ouro das meninas,
9 camisinhas de menina guarnecidas cora renda,
e algumas com marca M, 3 vestidrahos de dita,
sendo 2 de chita, 2 de musselina e 1 de cambraia
com listra verde, 2 timoziuhos de chita, 5 cober-
tinhas, sendo 2 encarnadas, 1 lencolzinho com mar-
ca M, 6 travesseirinhos encarnados com fronhas,
6 pares de meinhas, 3 marca M e 3 marca A, 1
saia de cambraia branca cora lira bordada em ro-
da, de senhora, 1 botina de senhora, branca, de
pellica, e mais objectos miudos, 1 par de sapatos
de ourello, novos, de homem.
nhecida nos eslabelecimentos d'esta provim
De dois dossecadores a dohre fundo em com-
municacao com os feliros, systema Tavlord.
De urna caldeira a oMer no vacuo com todos
os seus aparelhos, e cofespomlendo etfm .t bomb.
do ar, mandada pela dita machina de vapor.
De 4 bombas para o movimento das diversas
operacocs, eummunicaudo com diversos depsitos
d agua tria, agua quente.mel para assucar, niel de
turbina e espumas etc.
De urna torbina a vapor gorrespondendo com
girador da machina.
De urna torbina ingleza, de um dimetro maior
movida por baixo pela ti ansmissao mandada pela
machima a vapor.
Estas obras forara montadas e installadas pelo
primeiro artista scientilico e pratico conhecido
n'esta provincia, que tem funrcionado com todos
estes aparelhos ; dando productos do um qualida-
de superior a lodos que tem aparecido at hoje
n'esta provincia.
Este estabelecimento pode fabricar regularmen-
te de 200 a 300 arrobas de assucar, e 2 pipas de
caxaya diariamente.
Pertence a este engenho um lago, cujas aguas
servem para moer actualmente una pequea ser-
rara de madeira.
_A casa de mcradia ospacosa e de boa construc-
cao : era fira, Oeste lugar acha-se uraa bonita
campia cercada de malas virgens onde se en-
contrara com muita abundoncia raadeiras tanto
para centrucrus naves como terrestres.
Para. 39 de juuho de 1869.
Jiis Antonio de Miranda.
Desappareceu o escravinho Gregorio, cabra
acaboclado, de idade 10 airaos, pouco mais ou me-
nos, veio ha po"co do mato, e empregava-sa em
vender na ra, tanto que levou um taboleiro de
(landres, eonteudo diversas chicaras de arroz doce:
3uem do mesmo escravinho tiver nolicia, poder
irigir-se ra da Aurora n. 88, 1 andar, que se
recompensar.
CHEGUEM!!
jUUNTS no BARATO
que est finalisndo a ^pidapSo da ra do
Crespo n. 1/ de Antunes Gu^arSes & C.
Camisas bordadas para senboras, lencos de labyrinlo, fronhas, Licoa e rendas da
trra, cortes de tarlatana bordados para casamentos, cortes de vestidos de cambraas
bordados, alpacas do cutes lisas e de Hstras, precalas aindade bonitos gostos, casaqut-
nliosde casemria para senboras, saias bordadas e bales de todas as qualidades etc.
fra da liquidado
, Ricos cortes de vestido de blond, recebidos pelo ultimo vapor.
Pompolinas de rosto especiaes, que muito agradam.
> u t.GorgQroes lisos de cores para vestidos, azenda ltimamenteebegada.
-o ?o9lxas ,lc P,-(l'1**! te[;,s as c^ea.
' Tliitas albstuadas fazenda nova no mercado.
I z0 Ritos chajjos de palla para senhoras e diapellinas de novo gosto.
---------Esleirs da India proprias para forrar salas e quartos.
_ Bous e bonikis.tapeies de todos os tamanhos.
n J Tapetes aveWudados para.covados: e outros muitas fazendas que s vista se
a rcalidade do barateiro-
Ama de leite
Pretisa-se de urna ama de leite sem lilho :
travessa do Veras n. lo, 1" andar. Nao se olha
a preco.
r. Joaquiui Jos do Campos dinjosladeMe-
deiros o Alcuquerque agradece do fundo d alma
a todas as pessoas, que Ihe fizeram o caridoso ob-
seguio de assistir ao funeral de sua querida nie,
particularmente aquelles de seus amigos, que Ihe
deram a mais significativa prova de dedicago e
affecto, ajudando-o a levar a effoito, com a possi-
vcl decencia, ussai manifestacoes ultimas de seu
extremoso amor filial; e a todos roga do novo se
dignem de assistir as missas e momento, que pela
alma da dita sua me se tem de celebrar na re-
ja do Espirito Santo (do Collegio), no dia 16 do
corrente. s 8 horas da manha.______________
Ao Sr. Manoel Rodrigues Lopes, natural do
Porto, freguezia do Margarao. lilho de Quitcria
Pereira Dias, necessita-se fallar na ra Imperial
n. 193.
LEILAO
De fazendas geraes transferido
para 1 do corrente.
Ferreira & Matheus transferirn! por motivo
Slausivel o seu leilao por intervencao do agente
liveira, de grande variedade de fazendas con-
sistindo estas em brins, pannos, casemiras e meri-
nos de differentes qualidades, madapolo francez,
sargelins sonidos, vestuarios para baptisados,
chapeos de la e seda para homem, esparilhos,
basquinas, lencos de seda, bonets, seroulas, ves-
tidos ae seda pretos e de cores, grosdenapes di-
versos, chales, corpinhos e camisas para senhoras,
sedas, cambraias de linho, gorguroes de seda e de
muitas que sero palenteadas, assim como oulras
a variadas.
Ensino
Offerece-se urna pessoa para lecionar
em casas particulares ou na de sua resi-
dencia sem designaco de hora e dia :
grammatica portugueza, principios de
arithmetica, nocoes de historia e caligra-
phia ; prometiendo alm de todo empe-
nho o mais fcil e adoptavel methodo,
que em breve dar bom resultado: a tra-
tar na ra do Queimado n. 33, primeiro
andar, das 10 horas da manha as 4 da
tarde ; a entrada pelo largo do Collegio.
Precisa-se urna ama, para amamen-
tar urna enanca: na ra do Pilar n. 63.
Fugiram do engenho Firmeza
do termo da Escada, na noite de
10 para 11 do corrente, dous es-
n a vos mulatos, os q..aes foram
comprados ao Exm. Sr. baro de
Nazareth ha 15 dias pouco mais
ou menos, sendo Joo, idjric de
30 a 32 anuos, bem barbao^r n-
tos cabelludos, lera os dedos dos ps, isto-e, os
mnimos curtos e quasi que trepara um no oulro,
tendo todos os denles de frente, corpo rogular e
leva chapeo de couro de sarlanejo, calca azul de
algodo que Ihe chamara pello d'onea e cobertor
de hata escura e mais alguma roupa, foi escravo
do lllm. Sr. tmenle coronel Agostinho Correa de
Mello, de Ouricurv, o outro de nomo Flix, ca-
bra, alto, bom corpo, idade 23 annos pouco mais
ou menos, levou chapeo de couro de abas largas,
calca azul de algodo que Ihe chamam pelle d'on-
ea 'c cobertor de hata ;escura, foi escravo do
film Sr. Eduardo Pereira de Souza, da provincia
da Parahvba, que. o venden por seu procurador o
Sr. Jos Lopes Alheiro; quem o apprehender e
levar ao mesmo engenho Firmesa ou no Reeife no
escriptorio de Domingos Alves Matheus, a ra do
Vigario n. 21, sor generosamente recompensado.
Ollerece-se um moco estrangeiro para ma-
chinlsta de engenho de assucar ou algodo, falla
portuguez : quem de seu prestimo se quizer uti-
lizar, dinja-se ao paleo do Terco n. 14.
FRANCAIS
32. RA DO IMPERADOR N. 32.
O
00
<>
i 2
u
S
Almocos
Lanches
Jantares
Ceias
Caf
SALONS
RKSEKVS
ou
l." ETAGE
Dejeuners
Lunclis
Diners
Soupers
Cif
32.
Sorvelcs Glaces
Licores Liquers
Vinhos Vins
Ccrveja Bire
etc., etc., etc.
Eua do Imperador n.
feo
-jr.
32.
TIULHOS URBANOS
DO
Secife Apipucos.
TISO
Em consequencia de pedido de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia para um trem
especial amanh s 9 horas a disposirao
de SS. AA. II. que se esperam no vapor
Douro, ficam supprimidos os trens de 9 e
10 horas da manha, de Apipucos, e o de
9 e 20 minutos da Jaqueira ao Reeife.
Escriptorio da companhia, li de agosto
de 1869.
0 gerente.
Wm. Rawlinson
Santa Gasa de Misericordia
do Reeife
Tendo de celenrar-se no dia i do cor-
rente^pelas 10 horas da manha na igreja
de N. Senhora do Paraso a festa da padro-
eira d'esta Santa Casa, de ordem da Illma.
junta convido a todos os irmos para assis-
tirem i semelhante acto.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Reeife, 12 de agosto de 1869.
0 escrivSo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Preciosa publicado
jurdica.
Commentario do cdigo criminal Portuguez
e Brasileiro.
Vende-se na loja do Sr. lleracHo Paula
Monteiro, a ra do Imperador n. 71, a
importante e moderna obra sob o- titulo de
annotae.d~es ao cdigo do commercio portu-
guez era 6 voluntes pelo Exm. Sr. conse-
iheiro Dr. Diogo Pereira Forja/, tk Sam-
paio Piraentel, lente cathedratico na tiniver-
sidade de Coi mora. Os subidos crditos
de que goza muito merecidamente aqoelle
eximio commercialista por si s bastariam
para recommendar to importante obra,
quando naoconconesse mais para isso a
grande vantagem de ser um ptimo com-
mentario ao cdigo commercial brasileiro
(na falta obsoluta que ha de qualquar oatroi
pala mxima homogeneidade de entre muitas
das suas despsteles, e as de mencionado
cdigo portuguez, que Ihe servio de texto.
Correi pressuroses, distincta mocidade do
4o anno da Faculdade de Direito desta ci-
dade e notaveis jetos, a prover-vos desse
poderoso auxiliar para vossos trabalhos da
sciencia, e pelo pref.o commodo de 20
toda a obra em 6 vol.
Publicado Iliteraria snbllme
sob o titulo de Memoria do
Bom .esus do Monte, em
Braga.
Acha-se venda na loja da ra do Crespo
n. 25 A, esquina da do Queimado, a pri-
morosa Memoria do Bom Jess, ilo Monte,
se-
Aluga-se o sobrado c grande sitio com bas'
tantes arvoredos de diversos frtelos, boa baixa de
capim, com tres frentes por ser entre os trilhos,
urbanos e estrada de Parnameirim, e Cruz de Al- e/u Braga ornada de gra\uras linas
mas, o qual foi do cirurgi Manoel Joaquim Pe-, gunda edic5o, obra da penna de ouro do
reir, enoje de seus herdeirosOlho de Vidro: mui Ilustrado lente da universidade de
quem o pretender entenda-se cora Manoel Ferreira Comb,.a 0 Exra. Sr. consecro Dr. DlO-
SeTfluiraares g | S Pereira Forjaz do Sampaio Pimentel.
' Quem tiver noticia da extraordinaria devo-
CRIADO
Na ra estreila do Kosario n. 33, primeiro an-
dar precisa-se alugar um criado de 12 a 13 an-
nos, livre ou escravo para o servico externo de
urna casa.
Yicente Alves Moreira, agenciador de ven-
das de escravos, mudou sua residencia da rna de
Hortas n.-94 para a rna da Paz n. 34, onde seus
freguezes o podero procurar para a mesina oceu-
paQo. Recebe escravos em commisso, c promete
prompta venda.
O abaixo assignado declira ao respeitavel
corpo do commercio, que desde o dia 26 do mez
prximo passado deixou de ter gerencia na adrai-
nistsaco de sua taberna, sita ra da Concordia
n. 91, o Sr. Joo Baptista de Barros Machado ; li-
cando, portante o mesmo senhor, sem os poderes
que Ihe hsvia outhorgado o abaixo assignado. Re-
eife 7 de asusto de 1869.
Clementino Goncalves de Farias.
Precisa-se fallar com o Sr. Francisco da Cos-
ta e Silva, negociante de fazendas, a negocio de
seu interesse : na ra de Santo Amaro n. 26.
Na ra da Roda n. 16 precisa-se de uraa
araaquesaiba cozinhar, lavar eengommar, paga-
se bem, ou na ra da Florentina n. 3, padaria.
Em casa de THEODORO CHRISTI
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se
efectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
Previne-se aos Srs. exportadores e vendedo-
res de bilhetes das loteras do Rio de Janeiro, que
caso saia qualquer sorle nos dous meios bilhetes
da 19* lotera a beneficio do hospieio de Pedro
II (290*) dens. l21oe 29:17, que nao paguera se
nao ao abaixo assignado na ra da Praia n. 70, o
qual foi perdido na mesma ra.
Dominaos F. A. Ferreira.
Cao que existe em Portugal para com
aquella milagrosissima imagem, ifloMo
sempre para o seu magestoso templo e*n
romaria, o numeroso povo do todas as
partes desse reino; quem souber avhal-
as brilhantcs descrip^es, e o bello estudo
daquelle con;umma(lo jursconsullow eximo
Iliterario portuguez, nao deixara de procu-
rar, quanto antes, prover-se de un exeui-
glar da dita memoria, pelo diminuto preco
onde j ha
A mciera do casal de JuoHenrique da Sil-
va, pede aos senhores que tem predios edificados
em terrenos do exlincto vinculo da ConceiQo dos
Coqueiros, quer no bairro da Boa-Vista, quer no
de Santo Antonio, a bondade de os mandar satis- .
fazer a seu fillio Jos Henriques, que se acha por de 35. na loja acuna indicada,
ella encarregado de os receber, na ra estreita do. pequeo numero deltas.
Rosario n. 2 primeiro andar, das 10 horas as 3 da _------------------------------_----------------
tarde. E com especialidade pede aos Srs. procura- A a tfYnrtiiiP'PftlA
dores das irmandades da Conceicao de Beberibe, AU WI11I1CJLWU.
Sant'Anna, Rosarlo e S. Goncalo da Boa-vista, a' Os abaixo assignados scicntifWam ao respeita-
quein jase tem dirigido cartas por intermedio dos vel publico e principalraenle ao corpo do e.nn
mquilinos que oceupam os predios
das referidas
iriandades". Bem como a qiiem tem direito as ca-
sas deixadas pelo fallecido Fr. Pavo, do convento
do Carmo, vir pagar igualmente os foros que es-
tes predios esto devendo ; e se alguma duvida os
mesmos senhores tiverem em seus predios serem
ou nao foreiros, podero ir tira-la a vista dos do-
cumentos e escripturas, pois, j se tem dado por
veses se venderem predios com chao proprio o
elles serem foreiros.
Mao de vacca e caf com leite,
Na casa de pasto ra da Lapa n. 11, se pre-
para com todo esmero e asseio e se- fornece tanto
para fura como mesmo cin casa comida e do
sabbado para o domingo a bella mao de vacca.
mercio, que nesta data dissolveram a sociedad
que nesta praija gyrava sob a (Irma de Custodii-
k Benlo ; retirndose o socio Bento pago de sen
capital e lucros, e licando de todo desonerado (>-
activo e passivo da dita firma, quo p.issa ros-
ponsabilidade de Custodio Antunes Guimares.
Recire, 10 de agosto de 18G9.
Custodio Antunes Guimares.
Benlo Alies Machado Guimeues
Ra do Crespo n, 9.
Bonitos albuns de photographia para presentes,
com encadernaejio de marroquim e. enriquecido-
com duas lindas peras de msica, sendo o prec
para 200retratos de 50$ e para 100 retratos a-
303000.
RA
CABUG
esquina
da ra larga do
Rosario.
AO AMEL DE OURO
RA
EO
HB
_________________________________________ CABUG
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. L
vista da qualidade e do preqo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.|a raa iar5aaoj
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario.
vados.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
>*.
-v
?
\ MUTILADO


Di
iano. de PrhttmLfco Sabbado 14 de Agosto de 1869.

DOS
MOS1SM
3
oldeul da
I0
Por (Videni da directora c a reqt'.bri-
nento do numero de accionistas que csta-
becce o arl. l*i dos estatutos, sao convi-
dados todos os Srs. accionistas para reo-
uirem-se em assembla geral ao dia 17 v
frrenle, s 10 horas do dia n i salao do
Club Pcrnarribucano, aflta de se tratar ilr
completar o numero de membros da di-
rectora e d; cutros pontos relativos s
encommendas do material que tem de vir
da Europa, segundo reza o requeiimento.
Lscriptorio da companhia, (i de agosto
de 18C9.
Io secretario,
Iheo. Just.

Club Pernambucano
A parlida do correle mez ter lagar na
noite do dia i i.
' r fliii
N'ESTA ANTIG CREDITATA
FABRICA

oio^ipa()3 a>a a
IICtlTlA || CHSIIITIIIITJ IBI CllfLITO llllllllll II
CHFEOS BE SOL:
De todu as qualidade* I
De todas os feitios I
De todas os preces I
-------------------
RA DO CRESPO
N- 4 1
ao *:ooo$ooo
CASA DA b'ORTUNA
Rua do Crespo u. f'J.
O abaixo assignado tendo obtido l.iceuca da pre-
sidencia e satisfello as outras exigencias da lei,
avisa ao respeitavel publico que ter scuipre a
venda no seu eslaboleelmento bilhetes das lote-
ras do Rio de Janeiro, cujos premio serSo pagos
promptametrte vista das listas com o desenlo
sincnle da le.
Presos :Inteiros., 4*000
Meios... 12*000
Quartos. 6*000
E cm quantidade malor de 1005000 na razo
de 2000 por bilhetc.
_______________Manocl Martins Pinza.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:00011
Bilhetes garantidos.
A rua do Crespo n.23 e casas do costume.
O abaixo assignado tendo vendido lera de ou-
tras sortea 2 quarloa n. 774 com 4:000 da lote-
ria que se acabou de extrahir beneficio da Santa
Casa da Misericordia, convida aos possuidores a
virem receber na conformidade do costume sem
descinto algum.
Actiam-se a venda os bilhetes da 271 parte da
Santa Casa (116a) que se extrahir no dia 17 do
corrente mez.
Precps.
Os do costume.
Manoel Martins Fiuza.

GOHPARHIA PERNAMBUCARA
Negocio importante
Alejandre Sussuarana, resiliente na pro-
vincia do Cear deseja.saber noticias do
portugnez Lino Jos Barbosa que inoiou lia
longos annos na praca de Pernambuco ;
tamben esteve na cidade de Baturit da
provincia do Cear, aonde deixou duaslilhas
e bem assim como no Recife. O annun-
ciatite casado com tima prente prxima
do dito senbor.
Tere urna ilha que foi professora na
cidade do Recite e como o annunctant-
tenha de tratar negocios de importancia,
taz este annuncio, que espera resposta por
este jornal, ou no Cear pelo Pedro II, ou
Oarense.
PILULAS
ANTI BOUBATICAS
toa radicaliMcnlp as botillas.
nico deposito.Pharmacia de Joaquim
de bsida Pinto, roa larga do Rosario nu-
saero 10, junto ao quartel de pokcia.
xahopi:
SALSA PAHI1ILIII DO PARA
ou
Depurativo do sangue
Usado as molestias de pelle, impigens.
dores rheumaticas e ulceras venreas,
NICO ISPOSITO
IIna larga dwRosario n. IO.
nano ao olahtel de polica
______Pernambuco.
Pn-cisa-s do dus amas que saibaui cua-
ntiar e engommar, prefure-se esclavas : ua rua
das Onuos u. ti. 2" andar.
Custodio & Bento, t-ndo de novo srbelo osen bem conhecidoestabelecimento
de rokulezas, denominado AGUA D'OURO, partetipara a lodos seus freguezos e ao pu-
blico em geral, que tem constantemente qm .'.orapleto sortimento de miudezas finase
objeclos do alta novidade; vendendo tudo 10 % menos do que em outra qualquer parle,
para o que recebem directamente de sua conta.
Promptilicaoi-se a mandar em qualquer casa, urna pessoa com o mais diminuto
abjecto que Ibes suja pedido, esperando assim a proteccao do seus freguezes, e ga>an-
tiudo-lhes o Custodio Bento, firmesa em seus tratos, e ponlualidade em seus deveres.
Rua do Cabug u. 1--A.
aora es hc3xe::tz
Rua larga do Rosario n.44.
lspecLlidade na prenaraej) dos genero* ali-
menticio?, pronidfn c asscio as encommendas
boa organisarao no estabelecimento. Reeebem-
^c asignaturas, para o estabelecimento e a domici-
o, facilita se. a leilura de jurnaes nacionaes e es-
irangeiros. Espacosa sala para o elegante jogo de
biliar, o ba decente e conimoda hospedagem.
AUGUSTO PORTO & C.
ll-RA DO QUEIM D0--11
Tendo ebegado ltimamente ao seu c-tabelecimenlo grande -variedade de fa-
icndas de gosto as pem disposii.ao de seus numerosos freguezes pelos mais mdicos
procos rjossiveis, sendo:
Boornous de cachemira brancos e de cores, o que ha de mais elegante para
hombros de seuora.
Novos gostos de manteletes justos ao corpo denominado silphides, sirennes,
orientales de renda pela de soalines, o que ha do mais elegante pira urna moca.
Basquinas de guipure preto, novo g)sto,enfcitados desetim de cores. Vesti-
dos d^ blond com manta e cauella pira noivas. Fronias e loalhas de cambraia de linho
bordadas. Cortinados bordados para camas c para jar.ellas de diversas qualidades:
colxas de seda e de 13a e de seda para camas de noivos.
Epmglcr, lindo gorguio de la e seda de cores, muito elegante fazenda para
um lindo vestido. Sedas de cores c pretas, gorguio de seda branco o de cores om
listas assetinadas, |)anos, casentiras e muitas outras fazendas cujos procos sao em geral
muite mdicos. Grande sorliinento de camisas para, homcm, tanto lisias como bordadas
e de cores.
Conlinuam sempre a ter grande variedade de tapetes para sof, para cama e
para piatino, porco de tapetes em pecas para alcatifar salos, e grande quanlidade de
Esteiras da India para forrar salas.
P 3' I 3
2 3 n -

Feitor
Brecisase de um bomem que unlcnda de todo o
servio de campo para feitor de um sitio : a tra-
t r n i largo da ribeira da freguezia de S. Jos, so-
brado n. 5.
Na rua das Cruzes n. II ha para alugar um
mofoqae de it a 18 anuos, propro para servios
interno e compras de qualquer familia c hotel,
Na praea da Independencia n. 33, se d di-
nbejra 90b pcnborss de ouro, prata e pedras pre-
ciosas, e s. ja qual fr a q*antia : na mc?ma casa
se compra e vende objeclos do ouro e prata, e
igualmente se faz toda e qualquer obra de encom-
inenda e todo e qualquer conceiio tendent" a
mesnia arte.
fsl:
3- -Jo
O CJ a o
w -: ^
g o
U> l/> SJ
v>

Aluga-se na Bsiraia nova
quartos, cozinha fra e cacimba :
da viuva Villaseca.
urna casa com 2
a fallar no sitio
Gabinete Portugus de Leitura
PEBYC0
Adirectoiia manda seientiQear aos Srs^assoeia-
dos que em consequciii-ia de se estar substituindo
parte da aniga illuminacao do Gabinete, resolven
transferir a solemnisacao do 18 anniversario, para
um dos domingos prximos, o que ser previa-
mente aununciado.
Secretaria 11 de agosto de 1869.
O 1* secretario,
____________Joaquim Xavier Vieira Ligo.
Na rua do Rangel 11. 9 admitfe-se urna pes-
soa que queira aprender o trabalho de padaria, pa-
gandosc-llie,
I'ivrisa-se alugar urna escrava que saiba
fazer o diario de nma ims.i do pequea familia : a
tratar na na do Crespo 11. 7.
Evaristo SioiSes Ja Bocha, tendo de retlrar-
lemporariamente tratar de sua saude, vcudeu
livre e dese ibaraca-Ja aos Srs. Joaquim Francisco
ItodriRues da Silva o Slaneel P.uto Duartc, a sua
taberna da rua dos Piros n. 16, pelo que ruga a
todos es senhores quo -e julgarem seus credores
ihe apreseniem suas cuitas para seren pagas nq
inesmo estabelecimento. Recife 7 de agosto de
*^*8____________p________________
Precisa-sede urna'- a para agradar
llar de um doente, na rua larga do Rosario
-fl. Al.
Aliigam-se at 6 oscraves para o ser vico da
smo adianta-se at seis metes de aluguel para
ada um : quem tiver ileixe sua morada na eo-
Muia d" Sr. Tlwma para ser pwcurado, na ru 1
-leSaiito Amaro, '.11 nji rua do Imperador n 45
tra ? i g J
.= 21
8 O "1
|lf||.
cra S.
2. -1 2 a.
52 = "
&> C eui a 0
S o H'|
n Jg^O
AOS 20:000^000
CASA FELIZ, ARCO DA CONCEICO N. 2.
s abaixo assignados tendo-se habilitado na for-
ma das bis tem exposto venda os seus felizes
bilhetes das loteras do Rio de Janeiro, na casa
cima aonde se pagarlo as serles que sahirem
nos mesmos bilhetes com o descont da lei so-
mente.
I Presos.
Bilhetes inteiros. 21*0(0
Mcios......12^000
Quartos.....6*000
E de 100 para cima a 22'o bilhetc.
Figueiredo & Leite.
"C0ST1EIE5T
Cose-se costuras de alfaiat- a moda fran-
caza, por prego commodo, na rua Augusta
n .112, e d-se flanea sobre as mesmas.
< o\i:lmio im:.iiiiu4 rio
Os Srs. Saunders Brothers & C Tasso Irmos,
Luiz Antonio de Siqueira.
<-FHE\Ti:
0 SR F. F. BORGES.
Bestando ainda emittir algumas accoes desta cora[janbia, da quantia nominal de
00i000 cada urna, das quaes so se aceitam em virtude da lei, 20 7?. oa 40000 par
cada accao; coavida-so pelo presente ao publico era geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, quo queiram dar empreo seguro aos seas
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes que Ibes approuver.
Algumas destas accoes j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vanlagem,
de na presente occasio (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objectos de valor real,-como,vapores, predios etc., que Ibes gar-
tam seus capitaes.
A companhia possuc boje 10 vapores, G inteiramente novos, e desles o ultimo est
a chegar de Jnglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno pue possae ro largo d'Aa-
sembla.
Seus dividendos tem sido ds 10 % ao anuo nos ltimos 4 annos.
As accoes que se emittirem gosam dos mesmos direitos, o percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que os antigos em proporcSo da entrada.
Becebem-se assiguaturas no esc iptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12.
O advogado
Alfonso de Albuqucrqne Mello mudou o seu es-
criptorio para a rua das Cruzes n. 37, defronte da
typograplna do Diario.___________^___
Miguel Goncalves Rodrigues Franca, lillio de
Manoel Goncalves Rodrigues, vende a heranca que
em urna quinta Ihe deixou na ilha de S. Miguel
seu av paterno Joao Goncalves Rodrigues : a tra-
tar na rua do Crespo n. 12, Io andar.
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de urna efficacia verdaderamente ma-
ravillosa eomo calmanle do systema nervoso
e applicado contra a paralisia, asthma,
tosse convulsa ou coqueluche, tose recen-
tes ou antigs, suffocaces, catharros,
bronchicos, etc., e em geral contra todos
os son'mentos das vas respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua virtude contra
o ttano ou espasmos, e convulsoes in-
contestavel, e ninguem ha que a desconhe-
ga. Ba Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.
Anda nao vieran, no entretanto o negocio
de interesse, e precisa-se fallar rua do Crespo
n. 17 cornos Srs. Paulino Ferreira da Silva, ex-
proeurador da cambra, Dr. Francisco Pinto Pes-
soa.
MUDANCA DO
AlbinoU.iptista da Rocha participa
a todos os seus freguezes quemudou-
se com a sua oflicina da praca da
Independencia n. 12 para a rua das
Cruzes n. 23; previne, portanto, a
todos os amigas e treguezes que se
achara em casa a qualquer hora
do dia, para executar todo e qualquer concert
que de sua arte exigir possam, tendente a sua
profissao; e em sua falla achanto
tratar.
DENTISTA BE PARS
19Rua Nova-19
FUEHEIUIO ftAUTIER
jirurgio-dentista, muito conhecido ha dez annos n*esta cidade, pela perfeicSo Jos sena
irabalhos, tem a honra de participar ao respeitavel publico que tendo feito muitos mc-
Ihoramentos ua "sua casa, pode d'hora avante receber as senhoras no seu gabinete onde
icharo os commodos precisos para familia.
Acha-se tambem na sua casa e na sua companhia, o seu sobrinho e discpulo
jr. &ekoix
o qual acaba de voltar de urna longa viagem a Europa, durante a qual praticoo com
feliz successo as primeiras casas de Pariz e de Londres, offerecendo assim as melbores
garantas do bem desempenho para tudo o que for relativo a profissao ; por isso o
annunciante pede aos seus amigos e clientes que por acaso o nao encontraren! no n
gabinete, depositem no dito seu sobrinho a mesma cbnfianga com que o tem honrado
a dez annos.
Dentaduras por todos os systemas: a pressao do ar e com molas de ouro, platina
vulcanite e um inteiramente novo n'esta cidade.
Cura radical dos dentes cariados.
Cbumbagens (obturacoes) com ouro e com massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de dentes.
Agua e pos dentrificios fabricados pelo proprio annunciante, o que Ihe permitle afiae-
var sua boa qnalidade.
Escovas pan dentes. etc.
Perfeipao de trabalho e presos moderados,
/' iogens para fra mediante ajusto previo.
0 gabinete adiase aberto das 8 horas da raanhSa ateas* 4 da tarde de todos da
lias uleis.
i
com quem
E MODISTA
LECOMTE
Precisa-se de urna ama
mero 26.
Ana.
na rua do Aragau nu-
Com toja na rua da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de partecipar ao respeita-vel publico e em particular seus frecue-
s, que. pelas relaces que acaba do encelar com algumas costuren as emodistasdas mais
amadas de Pars, que todos os mezes Ihe mandara figulinos, de vestidos man-
teletes e capeos que e,tao no ntawr gusto e mais modernos, se acha habilita
da para fazer vestidos para passeio e visitas, bailes e casaraentos. As senhoras que
a honra/eracom a sua freguezia, nao ddutSo de s^r satisfeitas, tanto pelo bom gosto como
pela barate dosprecos e promplidao na entrega das encommendas ; tambem tem bo-
nitos enfeites muito modernos e de lodasas cores. Fazem-se chapeos de todas as aualidado
tanto de fil como de | alha. '
ObstrucQo
Do ligado e do Irn^o
Os preparados de JURUBEBA (vtnho,
xarope, pitillas, oleo, emplastro e tintura)
sao efficazes contra a obstruccao do figado
e do bago, a ictericia, a hydropisia, as febres
intermitientes e durezas, os desarranjos do
estomago, as faltas de sangue e de mens-
'truacao, o catliarro da bexiga, etc.
nico deposito, pliarmacia de seu autor
de J. d'Almeida Pinto.
Rua do Rosario Larga n. 10 junto ao
quartel de polica
11-Rua estreita do Rosaris-11
Este novo e modesto estabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico este ele-
gante e bem fornecido hotel que situado n'uma posigao inteiramente saudavel, e sen-
do constantemente sombreado pelos doces zepbyros da tarde, torna-se preferivel qual-
quer outro d'este genero, as tres cousas mais necessarias ao genero racionalau-
mento do corpo, distracSo da alma, e socego de espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto raulo profusa, da primeira ordena; ne
primeiro andar, sala da frente, um excellente bilhar de mogno, para divertimento. Sala
de traz um restaurante da primeira ordem. Quanto ao asseio e bemfeitoria das comedo-
rias, o delicado modo do pessoal do estabelecimento, promptido e commodidade, so
aos illuslres concorrentes dado fazer justiga.
Fornece comidas para fra, tanto por mez como avulsa. Todos os dias, norte,
?ncontrar-se excellente son-ele, refrescos, caf, cha, bons vinhos Figueira, Porto, Bor-
leaux, tendo bous commodos para hospedagem, salao e quarto mobibado no segn
do andar.
Aluga-se o armazem n. 9 da rua da Moeda,
com grandes propoi coes para recolhimento de g-
neros ou para prensa de algodao por ser perto do
desembarque : a tratar na rua do Qneimado n. 13,
Io a dar.
AMA

FLOR DA BOA-VISTA t
Pr^cisa-se de urna ama boa cuzinlieira, e outra
que engomme bem, forra ou escrava, e que tenha
boa conducta : na rua do Pires, sobrado n. 27
AMA
E.

Precisa-se de urna ama, forra eu escra-
va, de bons costumes, para servir urna
senhora, o fazer-lhe algum servico de casa;
dirija se rua dos Prazeres, na Boa-Vista,
casa terrea n. 15.
Attenco
se urna pesioa para leccionar pri
jn.'ias b-tias mqualquer agenbo ou sitio : qm-m
mder dirija-se rua da Gloria n. 30, a qu; 1
|uer hora do dia.
Cozinlieiro
-i*recisa-sc de um cozioheiro pratco de casa de
: na rua da Lapa n. il.
Eseravos para alugar.
Na padaria da rua Direita n. 84 precisa-so alu-
jar escravos, e paga-se bem.
Precisa-se
na padaria da rua da S.-nzala-vellia n. 96, de oro
t&eiro e de um amassador.
VERDADEIRA3
r^
" Na i na Estreita do Rosario n. 35 Io andar prepa-
ram-se ricas bandejas de bolos para casam^itns.bai-
les e ha plisados, por preco niuitoconiinodo, com bolos
dedileieiites qualidades,liiMjuetsdefloresarliliciacs
o naturaes proprios para-eufeiies de bolos e para
casamentos e para qualquer offerta com fitas bor-
dadas a ouro e lelreiro agosto dos donos; as en-
commendas devem ser feitas dous-dias antes,
enfeitam-sc velas ricas por muito barato preco
para baptizados e enfeites de aliares; faz-se ca-
pellas e cenos para as tojas e llores para enhiles
de igrejas ; prepara-se (jualquer .;neominenda,
para lora com toda a presieza, de rosas, palmas.
capellas, festoes e roseiras para enfeites de groja
mais barato do que em outra qualquer parte e
rom toda presteza ; faz-se pao-de-l, pudins e do-
ce, tudo enlejiado para presentes.
al
PILULAS DE BLANGARD
CON IOOURETO DO rilINO WALTtlVIL
APPROVADAS PHA ACADEMIA DB MEDICINA DI PARS, WK,
Poooindo as psopriodades do lod do frr eonrera soeeiairaeiite ms Afnccoi^
scrofulosas, a Tsica no priDcipio.a fraqw%ai* temperamento tarabannoa e*Malt
Falta di c*. aMENpRRHr.A, em que precisa reaoib obm o sangui m* para reMituir
-Ihe sua riqueza abundancia normaos, ou para provocar regular o seu cuno pariodic
N. B. 0 iodexalo d ferro impuro oa iterado 4 am mticuaat inflo!,
irriunle. Como prora d* pnreta o da aolbcneidada das wtrtmtMrmm r%-
Sariaa lMH, iert-tt axijir notaa ata prata
i*#-sijMdicid, m a actu a parta
<> vara>. Dave-aa dafcoaflar das fafelijuai
ata
CNCER
Remedio efflcaz para erysipella, pelo vardadeiro
deacobridor, Pedro Buarqae de Macedo, cujos frB-
co9 serao rubricados pelo propricrario, eos que se
encontrar sem a rubrica do inesnjo, serlo falsos,
afiancando a todos que nao iearem coiiipletamentc
perfeitos, o autor seresponsabilisa, visto que ser
falso ledo aquelle que se encontrar sem a rubrica
do niesmo.
chaaa-ae eaa Sa4aa aa pbarmraiaa.
PhammmMe*, nu iwtayafta, jft, HrM
y
Feitor
Offercce-se um homem casado para feitor de
sitio, podendo a mulher do mesmo se oceupar em
fazer costuras : a tratar no becco das Crioulas na
travessa da Liugneta, casa une tem cbeh"a
an 0 a'iaixo asaignado scientill'-a ao rei-pei ar I
publico, especialmente ao oorpo eommercial davia
praea, qne passa a as-ignar-se por iustno Msaoal
de Sa Ramos. Recife 11 de agosto de 18*19.
Justino Manoel Ramos.
LOJ.i
DE
rrPLOFERAWDBSDEMELLOGUIfflARAES^
^ SOB A DIRECOAO DO MUITO HBIL ARTISTA
3 ALFAIATE PEDRO 1
Nesta oflicina encontrarlo os respeitaveis freguezes um dos primeiros artistas
em alfaiate para bem poder satisfazer-toda e qualquer obra, tanto no bom corte, com
no aperfeigoamento das mesmas.
Torna-se desnecessario recommendar este artista, pois que a sua tbesoura j;i
bem conhecida, (e com grande especialidade em fardas) por muitas pessoas distinctas
desta cidade
Arh^r-se-h3o ligurinos de todos os mezes, pelo que o artista executa debaixo t
todos os preceUos d'arte qualquer una obra em face dos mesmos.
0 mesmo estabelecimento se acha munido de um completo sortimento de fa-
zendas, como sejam : casi miras de cor, ditas pretas, pannos pretos, ditos azues, brins
de cor, djtos brancos, seda para cohetes, merinos, etc. e mais fazendas propria
bffiema.
O grande sortimento de roupas feitas que tem vende por menos 20 0/0 fe
que em outra qualquer parte.
RUA DA IMPERATRIZ N. 48,
junto padaria franceza.
COI-OTARIA DOS ANMZES
16 RUAD* CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de diHerin-
tes qualidades, vinhos de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o melhor {fra-
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
calda, etc.
Incumbe-se de encommendas para grandes jantares, bares, baptisados e car-
samentos, a saber:
Pecas de nougat. Paes-de-lot enfeitados.
Ditas de po-de-lot. Bollos idem.
Ditas e tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de earamilo. Tortas folhadas de reme e carne..
Bandeja cora armaco de assuear, Empadas.
K
*

t\
(
g^l



Diario de Pernambuco Sabbado 14 de Agoslo de 1869.
>
h
ESMERALDA um m moda
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug, n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
prapa, e por presos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata|e pe-
dras preciosas
\ s un do cuaja n 5
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os lmannos para descarocar algodo; do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
al-'
Os abaixo assijfados, proprieta ros (este
estabelecimento, declaram ao respeitavel
publico e com especialidade a seus nume-
rosos treguezes, que (testa data em-diante
as mercedorias scro vendidas a preco fixo,
e mdico. Isto resolveram os mesmos pro-
pietarios em consequencia de reiterados
pedidos de muitas pessoas por ser este
systcma de vender o que mais garanta e
conlianca inspira ao comprador.
As vendas em grosso, ser3o feitas com
os abatimentos na razao seguinte :
Compras de 50$ a 1003 descont 5%
de 100 a 500 IO/0
de 500$ para cima I .'i0"
Pagamento reafasado no mesmo mez du
compra.
Os propietarios doBAZAR DA MODA,
observara mais que, recebendo todas as
mercaduras de conta propria, offerecem
aquem comprar todas as ventajosas coinli-
ces lias casas importadoras.
O estabelecimento conserva-sc aberto
todos os dias uteis das 6 horas da raanlia
s 8 horas da noitc.
Recife, 1 de agosto de 1809.
Jos de Souza Soares & C.
I
ALUGEL
No Corarlo de Ouro se diz quem precisa de urna
escrava que sirva para comprar, cozinhar e en-
gommar para casa de familia.
AMA
O Dr. Ermiro Coutinlio .resido
ra da Cadeia n. G4, onde tem
aberto o seu consultorio urlico, e
pode ser procurado a qual(|uer ho-
ra para, o exercicio de sua profis-
sao.
Alugase um sitio com boa casa de vi venda,
(cin commodos para grande familia, na Paaaagrm
da. Magdalena, cm frente ao sitio dos Srs. Baltar &
wwna : a tratar com Domingos Alves Matheu*
na do Vigario n. 21.
ATTENCAO
Dr. Manool Enedino RegoValenea, me-
dico, ra da Camba do Carmo n- 21.
wm
Precia-se fallar com urgencia a s
Srs. Joo Aporinio Cavalcante e Antonio)
Fernandos de Almeda ; ua ra da Cadea
do Recife n. 53, armazem de moHiado?.1**
Precisa-se de urna ama, pnrtugueza,
que saiba bem engommar e coser, e que te-
tilia bonscostumes; tratar na praca da In-
dependencia n. 38. loja de calcado.
N. 24, ra. larga do Rosario
loja de miudezas denomi-
nada-a Generosidade.-
Flenriquc de Moraes & irmao participam ao res-
peiuivel publico, que com o titulo cima tem abol-
lo um estabelecimento eampteto de miudezas e
perfumaras ra larga do Rosario n. 24 A, onde
aobar-se-hao todos os arligos de vioda e laxo, por
menor preco que em outra qualquer parte. Esp-;-
ram, portadlo, os aimunciantes, que a Generosi-
dade merecer a benevolencia e coadjuvacao do
respeitatel putilico, a quem promoitem c afinram
as qualidades dos objcclos, assim como a promp
tidao que se exigir
C. Clao A C, ra da Imperatriz n. 77
A' este grande e mil estabelecimento acabam de
chafar cirregamentos especian de drogas e tintas
esperadas do encommenda pi opria. Ao ja conc-
rido sortimeBto de droga*, prcpar.idos, e tintas,
bem como de objectos instrumentos necessarios
medicina, cirurgia e traballios artsticos e chi-
micos, acaba este BSfabeloeimcnto de enriquecer-
se com tres importanles remesaos viada! ibis pr.i-
rs de Lisboa, Hamburgo e l'aris. Experimenten)
ilesenganem-sedos que all se inculcam sera raes
jy| meios e por urna wlmUcin (salv.is as eicepcoes)
para ao menos se convenceren) deque na'fre-
guezia da Roa-Vista a nica botica importadora
dos mercados eflrangoiros, e que por isso ert em
melhores doadieSes, qur lii relaraoas qualidades
quer ao* preeos.
Em S. Jos (1 i M mgniflho, casa n. 2, antes da
igreja, paga-se boni aluguel a duas amas qu.
jam de boa conducta, e entendam bem de engom-
an ado e cozinlia.
~ k
Na ra do Padre Floriano n. 3i, precisase de
ama ama para servir a duas pessoas, paga-se bem.
Alngam-se dous escravos proprios para cria-
dos : na na Augusta n. 10.
ovidade
A botica de G. Catao & C, ra da Imperatriz
n. 77, acaba de receber um completo sortimento
de sementes de bortalico, todas muito novas e per
rommMn preco.
Alffa-so
Aliiga-se
MACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar,
godo do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
xHACMNAS ditas de Roller Gins, do cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodao.
MACHINAS de faco do fabricante Plalt B. & C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
vindo ao mercado ; e gara a sua apreciaco convidam-se os senhores agricultores "
virem a exposicJo das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
encontrarlo mais o seguinte :
o segundo e tereciro andar da ra do Trapiche n.
iG : a tratar na mesnia casa das 9 as i horas da
tarde. ______________________________
Coziahelra
Precisa-se de urna ama para cozinhar : a tratar
na ra do Mmdego n. 24.
Notas das caixas filiaes do banco do Rrasib
trocam-se com mdico descont, na loja de Manocl
Soares Pinheiro, praca da Independencia n. 22.
Debulhadores para milho.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de mlo.
Machinas para cortar capia).
Camos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanizadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e latao.
Ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flaudres.
Machados americanos.
Facoes ditos.
Balaios e cestas de verguiuha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente amitos outros artg
diversidade seria enfadonho ennumera-los.
Folha de ferro.
Balanzas americanas.
Tinas de madera americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes d madera ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinba.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanizados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas. *
Ferros a vapor para engommar.
Moinbos para rolinaces.
Azeite de espermacele, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Macaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Litas de gaz,
osperlencentes lavoura e artes, que pela
Attenpao.
Precisa se de una casa mobilhada e com todos
os arranjos domsticos para um estrangeiro. que
seja nos hairros de Santo Antonio ou da Boa-Vis-
ta : quem a tiver oeataa coudiyoes, dirija-se na
do Vigario n. 10, que adiar com quem tratar.
Ama
Precisa-so de urna ama para cozinhar e comprai
para casa de pouca familia : na ra das Cruzes
n. 28, i' andar; preere-se escrava e.paga-s*
bem agradando.
urna casa com bastantes commodos, na cidade nova
de Santo Amaro : a tratar com Antonio Joi Go-
nes Juninr, cm Santo Amaro.
Os abaixo assignados scieniifieam ao res|iei-
tavel corpo commomal desla praca, que nest
data dissnlverain amigavelmenle a'sociedade que
linliam sob a razao de VaseoneeHoa & Mala, reti-
rando-seo socio Malta pago de sen capital, e livre
de qualquer responsabilidade da extincta firma ;
cuja liquidaran lira a cargo do socio Vasconcellos,
a quem exclusi-ament lica perteflcendo a pro-
prieda le e estabelecimento denominadoSaboaria
e Serrara do ReciteSo s rnns do Rriim e 6ua-
rarapes, e armazem do madeira a rea do Caes 22
de Novcmbro desta cidade. Recile 31 de jullio de
1869.
Antonio Joquini de Vasconcellos.
- ______Manoel Victor de Jess da Matta.
Na ruabas Aguas Verdes d. 100, segundo
andar, se dir quem d urna pequea quantia a
juros.
SEGUROS
MARTIMOS
E
CONTRA FOGO.
A Companhia Indemnisadora, estabelecida
aesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
raa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Quem quizer alugar o 2 andar do sobrado n. 40
da na da Cadeia do Recife, o qual se ach pre-
sentemente pialado, e esteirado e forrado a papel,
ludo em perfeilo estado : pode dirigir-se ao es-
criptono da companhia Pernambneana, no caes da
Assemblan. 12, que ahi achara com quem tratar
Precisa-se de um caixeiro de 12 a 14 aanos,
com pratica de. taberna, que de fiador sua con
duela : na ra da Concordia n. 94!
O Dr. Antonio da Cunta Figueiredo, ex-vi-
gario geral da dioeese de Pftiamburo, eantgo ad-
vogado nos auditorios do Recife, havendo chegado
da Europa restabelecido de seus incommodos, lem
de novo aberto seu escriptorio de advogaoia na
ra do Imperador n. 57, cidrada pelo caes 22 de
N irembro. e se propoe exercer o ministerio da sua
piolisso de advogado no foroecelesiastied, no ci-
vel, nocominercial. e no administrativo, para o
que ser encontrado das 10 horas da manhaa s 3
da tarde, em WrtoS os dias uteis no dito escripto-
rio, e fra des-as boras na Ponte de Uchoa, resi-
dencia de sen mano o conselheiro Jos Rento da
Cunha Kigueiredo.
Precisa-se de una ama para o servico inter-
no de una casa, com tanto que saiba bem cozinhar
e engommar, etc. etc. : quem esliver nestas con-
diei's. comprela no sobrado da ra do Impera-
dor u......, que ahi se dir quem pretende.
Precisa-se de una ama livre para comprar
e cozinhar : na travessa das Flores n. lo
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que cm outra qualquer parte.
Na pracA da Independencia n. 33, loja deou-
y ves, compra-se ouro, prata, e pedras preciosas.e
timbum se faz qualquer obra de encommenda, e
iodo e qualquer concert.
Gompram-se e vendem-se diariamente para (ora
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores e sexos, com tanto que sejam sadios : no
terceiro andar di sobrado n. 36, ra das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio.
Compra-se
farinha de mandioca da trra : na raa do Com-
mercio n, 17.

//>/m
CARVO DE BELLQC
PARS
Appiwado e recommendado pela Academia imperial de medicina de Pariz para a
cura da gastralgia e em geral de todas as doencas nervosas do estomago e dos intestinos,
b egualnienle o remedio por excelencia contra a retencao de ventee Finalmente em
razao de suas ^ropriedades absorveutes, recommendado como verdadeiro remedio nos
cazos de diarrhea e cholerina. O earvoo *c Beiioe toma-be na occasio das comidas
sob a forma de pos ou de pasulhas.
Deponto em RioJaneiro. Ikipenchelle; Chewbt. Em Perhahiuco, Haurer k Cu.
I
Resta venda um escolhido sortimento de ob-
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
iarand. mogno e ama relio, obra nacional e estran-
jeira, de apurado gosto e por prejjo razoaveis :
ia ra estreita do Rosario n. 32. Nesta inesma
sa fazem-se com perfetcao todos os trabalhos de
palhiaha, como sejam, empalhamentos de lastros
jara camas, cadeiras e sophs.
Mui ta attenqo.
Fugio no dia 29 de junho o escravo Manoel, de
naio Angola,idade 50 anuos pouco mais ou me-
aoe, com 03 signaes. seguintes: lalta de dentes na
frante, andar vagaroso, jieraas finas, atare* de
bexigas, levou caiga e camisa de riscadinho, cha-
peo de pal ha novo : ro;a-se aos Srs. capiles ile
campo de o aprehenderem que oleveni a ra i-
reita n. l, que ser geneosainente gratificado ;
desconfia-se (jue anda pelos enger pos do Cabo.
Precisa-se de urna ama que saiba comprar e
cosinhar, na ra larga do Rosario n, 21
Atteii Quem precisar de roupa lavada e engommada
pelo baratissimo preco, de : camisas de homem a
1'tO. calcas a 180, reinaras a 00 rs., rlleles 140,
I neos o nafas a 20 rs., eetartahoa a 40 rs. : dir,-
janj-se ao neceo dos P'erreiros, casa n. 17.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar
liem, para casa de pequeua familia : ua ra do
Sebo n. 29.
^n
GOMES DE MATTOS IRIHftOS \
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fin de
dar-lha maiores propor ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUG N. 4
onde eiicontrarao um completo sortimento do que lia de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubina e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RBINS
d novos gostos, assim como grande variedade de salvat e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectoa de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantera
a qualidade dos objectos vendidos.
C/2
_Os apreciadores de manjares delicados encontra
rao todos os dias no hotel central de Franei-ec
Garrido a verdadeira sopa de raviole, ao verda-
deiro gosto italiano, assim edmo outras excellentes
iguarias, que seria enfadonho mencionar. Alli se
encontrarn aiiuaos.mais asseiados aposentos para
hospedes, o bandos, bilbares e pianos para re-
creio dos visitantes: na ra larga do Rosario n.
37, Io andar.
Xo lardaremos at qne..........
E' na ra Direita n. 53, .loja de lerragens, que
se deseja fallar ao Sr. Antonio Francisco Duarte
ouseu irmo cx-deputado provincial Dr, Maxi-
miano Francisco Duarte: deve saber quem___
^^ Troca-se a nioradia de um l."
AJJMk andar da ra das Crines por um
MjP sobrado em alguma outra na do
CSSHSaa mesmo hairro do Santo Antonio,
preferindosc as proximidades da
Praga da Independencia; a quem convier eixe
ca la n'esia typographia com as iniciaes J. A. F.
para ser procurado.
Precisa se de una ama que saiba bem eoti-
nhar e fazer compras : a tratar na ra da Ca-
deia do Renfe n. 4, arntzem
AVISO
CZ5
0 MUSEO DE JOIAS
!
Os abaixo assignados avisam ao respeitavel pu-
blico e cora especialidade ao corpo do commercio,
que nesta data dissolveram asociedade que tiuham
na fabrica de cigarros, sita ra Direia n. SO, Pi-
cando lodo o activo e passivo a cargo do socio
Francisco Jos Hibeiro Braga, clicando o socio Mi-
guel Agostinho Hamos alachado desouerado de In-
da e qualquer responsabilidsde tendente firma
de Machado & Braga, assim como lira o mesmo
socio Miguel, desta data em diante, som direilo al-
ium a qualquer reclamacio que em todo c qual-
quer tempo qneira reclamar sobre dita fabrica.
Recife 11 de agosto de 1869.
Miguel Ageetinho Raraos Machado.
Francisco Jos Ililiciro Braga.
A' ra estrella lo (losarlo u. 35
i* :in4ar.
Fornece-se comedorias para fra, de urna casa
particular de familia, preparadas com lodo o as-
seio. protoptido e commodo prego : na ra estrei-
ta do Rosario n:'^ Io andar.
Sedulas de IS e %
Compra-se na casa de Tlieodoro Simn
& C, largo do Pelourinho.
COMPRA-SE
moedas de ouro e prata de todos os valo-
res, ouro e prata era obras ioutilisadas, e
brilhantes e mais pedras preciosas na lo-
ja de ourives do arco da Conceic3o no Re-
cife.
VCompra-se chumbo velho : no armazem da bola
amarilla, no oitao da secretaria de polica.
Ouro e pf>at&
Compram-se moedas de ouro e i rata do todas
as qualidades, por bom preco : na ra da Cadeia
do Recife n. 58, loja do azulejo.
ATTENCAO
No armazem da ra das Cruzes n. 25, compram-
se e vendem-se trastes novos e usados.
11
Compra-se romlas (fructas) grandes e
maduras, a pataca cada urna, na padaria da
ra do Brura n. 62.
VrNDAS.
Farinha de mandioca
da trra muito boa, tem para vender Maia & Lan-
delino, na travessa do Queimado n. 18 B.
Cadeiras de pmho.
Chegaram as antigs e bem conhecidas cadeiras
de pinito, de abrir e fechar, proprias para estabe-
lecinientos, pela commodidade que offerecem, en-
de-se pelo prego do costume, nos armazens de ta-
boado de pinho de Paulo Jos Gomes A Climaco,
caes 22 de novcmbro.
Cal nova de Lisboa
Vende Joaquini Jos Ramos, ra da Cruz n.
8, Io andar.
N
Campos, na ra do
Joo Evangelista de Sa tendo de seguir no
vip>r do dia 13 i'.!-'ionava, falta-lhe tempo para se despedir de
todas as pessoas que obonram com suas relacSes,
o (jue faz pelo presente, onerecendo-lhes seu fimi-
tado prestimo em qualquer parte que o desuno o
elevar.
JoaqHim Ferreire dos Sanio', proessorde
danea, natural de Portugal, e chegado ha pouco
da Europa esta pr vincia com sua esposa, tem a
Jionra de participar aos seus Ilustres habitantes,
e mui principalmente aos Ilustres chefes de fami-
lia, que miidou a sua residencia da raa do Impe-
ra^ur n. 75, 2o andar, para a ra eslreita do Ro-
Erio n. 31, 2 andar, d'onde contina a leccionar
Um danca, de baixo de toda a rega, alcm de urna
v.iriidade de dangasde roda, aao menos deonze'j
quadrilhas. diflerentes, sendo a mxima parle del-
tas de brliante elfeilo, as ter en-, e quintas a noi-
ie,e nos domingo de manhaa e a noite para as
pe$soas que nao podem ir nos dias uteis, o no re--
lo da semana uromptifica ir s casas particulares
e flollegios, se para.i'so for chamado.________
Attencao
A luga-se ama preta qnitandeira : a. tratar na
ruja do Pilar n. 47.___________________
Os abaixo assiimado *wsti8eam ao respei-
tawl publico c especialmente ao oorpe eommercial
desta praca, fjue leem eonstttuido ama soei>
coaimerettl ao sea estabeferimaato aV Aaaadfes
sito na A> LivramflH n. 6, a qaal gvraRi sob
a razao de S, Aiuorim *, C~ a contar do 1
eorrente mez. Recife 13 de agoslo de IS69.
Joio Evangelista de S.
Joao Antonio de Amorim.
Justino Manoel de S Ramos.
ni
Para o armazem do
Imperador n. 28.
Neste muito'acreditado estabelecimento
acha se constantemente um variado sorti-
mento de gneros Anos para meza e
coeinha e entre estes oomea-se apenas as
especialidades seguintes:
Queijos do serlao sendo de manteiga e
coalha.
Camares seceos do Maranho.
0 "verdadeiro caf de Moka,
0 superior e bem conhecido peixe miraguaia
que se vende a 100 a libra e 4500 a
arroba.
TABELLAS
de redcelo as mais facis e mais com-
prehuiisivoiS, tudo no
Armazem do Campos
Petasna da Hiiasla
a mais nova' n mercado, a prego razoavel : aa
ra do Commercio n. 13, armazem de Manoel Tei-
xeira Basto.
Vantagem.
Vende-se 3 dominios directos do terreno da ra
do Senhor Bom Jess ou travessa dos Qtiarteis
ns. 10, 20, 28 e 32 : guem quizer pode tratar no
pateo do Terco n. 34, loja.
Carro
Teude-se urna linda calega f.anceza era bom
ttgo.fcitioraoaemo : quem, a- pretender, dlrja-se
ao cae 2$ de Novemhro n. 33'.
p Na ra da AlecrJn n.. 7* vende-se urna pa-
relna do bicudos muito mansos e cantadores.
Loja de miudezas de Ferreira da CunliaA
Tempiiral, ma do Queimado n. .'J, est
quimando por todo piero :
Jngo de vispara a 400 e 500 rs.
Redes para coques a 240, 100 e 600 r?.
Linha da 200 jardas (duxia) I 200. .
Caixa muito lina para pode arroz 1)9500.
Iteldgio de sol 120 rs.
Latas rom binha i 100, 200 e 320 rs.
A'ua dolida verdadeira a I300.
Agua divina idem 1,-jiOO.
Gravatas pretas para homem 1 0 rs.
Paites de travessa para menina 320 rs.
Olio pliilocme veiilaileiro IStOO.
Aderecos de plaqu ;i r^300, !> e ")-5.
Meias criias para homem 3 (K> e 6 a
dtizia.
Botoes enfeiladospara rostido, i #M0a
duzia.
Leques do santol ;i .*>s. cada um.
Dittos de madeira a Sacada ara.
(>ques de tranca, boa fazenda, .".-,
;>iKi e :ir> cada um.
.Meias linas paja senliora \;f a duzi.i.
Banlia cm fraeoa a too, 640 e 14200.
Frascos com extracto meito lino S
2(5(500.
Caivetes de duas folhas a 240 rs.
Saboneles finos SO, 1G0, 200, 20 e
320 rs.
Olio bahoza 400. 500, 000 c 800 rs.
Agua de colonia 100, liOO e 800 rs.
Cartas friincezas 200 e 240 rs.
Caixa com extracto ;i 2#500.
Cartas portuguezas a 120 e 200 r.
Pentes brancos com costa de metal k
310 rs.
Dittos 3retos 200, 240 e 320 rs.
Gala de la para vestido (pessa) 400 re.
Fita de sarja lisa e lavradas, 1S0P,
-2> e SUSO.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
itto e dourado a \ft.
Ditlas com envelopes oOO rs.
Caixa com agullias francezas ICO c
240 rs.
Laa para bordar de todas as cores (iibi;;
6800.
Honels para menino l, 2> e 2o00,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
M ias para menina (duzia) :>> e :!>.i00.
Pegas de tranga liza e de corocol a 40 rs.
Sapatos de la para menino a 320 e 800,
Capcllas francezas a 2^500.
Facas e galfos, cabo de balaneo (do-
zia) 7&.
Chicotes para,avallo (00, 800 c U&00.
Bengalla de canna l,-5, 1 S'iOO e '2l.
Yortas para lulo 50*> rs. irada ama].
Papel almaco, greve (resma) I..jOO.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nanza, Temporal contina a
veuder na Bonauqa, pelo mesmo .
preqo que renda em sua loja
com titulo de Temporal.
Ra do Queimado n, 49 c 57 loja
de miudezas de Jos de Azcve-
dv 31 ata e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem em se::
estabelecimento para acabar e" fazer novo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de linbas do gaz com
SOnovellos a fjO
Latas com superior banlia a
120, 200 o..... 400
Frascos de oleo babosa muito
fino a. OO
Duzias de meias (inglezas)
muito boas a w 400
Garrafas com agua florida ver-
dadeira ...... 1920Q
Garrafas com agua'divina dame-
lhor qualidade .... 1^500
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos 2#o0fi
Dita com|G frascos muito finos $$00
Oleo baboza muito fino que so
a vista ...... &>00
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... (240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... ?>600
Pegas de babadinho com 10
varas ...... ,9500
Pecas de fita de cs qualquer
largura ..... #800
Escovas para unhas muito fi-
nas ...... #500
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... #240
Pulceiras de cenias de cores
para meninos #200
Gaixas de linha branca do gaz
com 30 novellos #600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores #'040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 40003
Pares de botoes para punhos
muito bonito #120
Libras de laa pa^a bordados de
de todas *s cores 8#000
Pentes cora costas de metal
muito finos i #320
Novellos de linha muito grande
para croxs ." #306
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... #480
Grosas de botoes madreperola
muito fino..... #HX)
Sabonete muito fiaos 60, 120,
160, 240 0..... |g0
Pecas de fita de Ha todas as
cores ...... #500
Espelhos dourados para parede
l#00O 1#800
Espelhos de Jacaranda muito
tino ...... 2#000
Pecas de trancas brancas e de
cores de earacl #060
Pares de meias cruas para me-
ninos ..... #320
Caivete muito fino com 4 fo-
lhas ...... 1#800
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos 15200
Vende-se off da-se sodeade cm um estabe-
leaowmo-demol*na weltoor nw rt>
de a tratar na travessa da Madw de wos
mero 16.


6
Diario de Peuiambuco Sabbado 14 de Agosto de 1869.
GRANDE LIQUIDACAO
NA
IjOJA
DA
72.
ARARA
Ra da Imperatriz.-
J. 45 RA
72.
Alerta freguezes
que Arara vai cantar,
Para vender suasazendas (baratas)
que muito ha de agradar.
0 proprietario destc estabelecimento, tendo grande porco de fazendas em
8^r, va proceder urna lquidaco em todas as fazendas e roupas feitas existentes no
estabelecimento, agora que occasio de quem tena pouco dinlieiro poder se vestir de
boa fazenda o baratissima como se poder verano annuncio abaixo mencionado.
MADAPOLO BARATO A 30500.
Vende-se pecas de madapolo enfestado
de 12 jardas 35300, dito de 2 i jardas ou
.2 metros i>, 6$, 0.#H)0, 7300, 8-$000 e
0,1000.
CHITAS FRANCESAS A 280 rs.
BRAMANTE PARA LENCOES A 2.
Vende-se bramante corn 10 palmos de
para lence* a 2, a vara.
PECAS DE ALGOD.U) A 40.
Venden- peras de algodo muito en-
cor] ado i '>. ;;-,. 6300c"5.
largura
Vendem-se cliitas francezas para vest-'CoScrnlios ccououaicos a 38
dos a 280, 320 rs. o covado! ditas escuras! liizla.
muito finas 360 rs. o covado.
chal innato flu a mm rs.
Vende-se chalin para vestidos le senhora
800 rs. o covado.
PERCALES A iW RS. O COVADO.
Vende-se percales muito finos para ves-
tidos de senbora a 440 rs. o covado.
lli'ilhantlnas a 44 rs.
Vende-se briiharitims ou mursulinas de
cores para vestidos de senhoras 440 rs. o
ovado, lazinhas muito finas para vestidos
de senhora 400 rs. e 500 rs. o covado,
ditas de quadrinlios a 240 rs. o covado.
HISGADO FRANCEZ A 300 RS. O COVADO
Vende-se rscado francez para vestido
de_senhora 3G0 rs. o covado.
Lasinhas a *4 rs. o covado.
Vcndem se laasinhas para vestido de se-
nhora a 210, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas finas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales 1c merino 9 A.
Vende-se chales de merino estampados
-2-S e 25500 cada um, para acabar.
CORTES DE LA AS A1H5RT0S A 25400
Vende-se cortes da la para vestidos de
senhora, 25400 cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vestios
de senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de Iistras 700 c 760 rs. o covado.
Chitas prnsslanas & 380.
Vende-se chitas prussianas de Iistras de
cores muito bonitas a 360 rs. o covado.
CHITAS PARA COBERTA A 320
Vende-se chitas incorpadas para coberta
320 rs. o covado.
Bales de' o a 30 arcos
14500
Vende-se bales de 20 a 30 arcos
1->500 cada um, bales modernos brancos
e de cores a 5(5.
Vende-se colerinhos econmicos a 320
a duzia, so se vende assim barato por ter
grande porco.
CSEMIRAS DE CORES
Vende-se cazemiras de cores para calsa
e palitt a 2-5 2#>00 e 3$ o covado,
Algorio enfestado t. Vende-se algodo enfestado proprio para
lences e toalhas, t, a vara ou 900 rs. o
metro.
BR1M PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas e palitots de
hornera c menino, 400 e 440 rs. o co-
vado, dito lizo a imitado de ganga a 360
o covado.
Algodo de Iistras a 900 rs.
o covado
Vende-sc algodo de Iistras para roupa
de escravos a 00 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 RS.
Vende-se cortes de brim castor para
calca de Iiomnin, 640 e 800 rs. cada um.
CARTEIRA PARA VIAGEM A ,J.
Vende-se caiteiras para viagem .4 i&
cada urna, cobertores de algodo i$i>00
cada um.
Cobertas de chita issoo
Vende se cobertas de chilas de cores
l<5K00 e 2|, cada urna.
ALGODO TRANCADO DE EAS LARGURAS A
15200.
Vende-se algodo transido de duas lar-
guras, proprios para lences e toalhas para i
mesa, se vende a 1^200 o metro.
antas para gravata o rs.
Vende-se mantas para grvala a 200 rs.
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
ca'da um.
ATOALHADO PARDO A 20500.
Vndese atoalhado pardo para toalhas
de mesa 23500 a vara, Ualhas escuras
15. cada urna. Ra da Imperatriz Ioja
da Arara n. 72.
DA CADEIA \. 45
DE
SOB
MIIIS, FALCiO & C,
DIRECCAO DO MUITO IIA BIL ARTIS TA
Lauriano, al fatale.
Os propietarios dcste novo estabelecimento, tendo experimentado anecessidade
urgente de ter na direcco de sua officina deroopas por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Launano Jos de Barrospara tal mister, convictos "de que satisfar
com todo o .capricho a vonlade do fregu*.
, Tem o mesmo estabelecimento nm bom sortimemto de fizendas proprias para
roupas de homem, como sejam: casimira de cor, indos padroes, completo sortimento de
pannos finos, preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins brancos c de
cores, merinos de diversas qualidades, bombazina, lindos cortes de gorgurao para collte,
gorgurao Pekn, superior qualidade.
Os freguezes encontrarao anda um variado sortimento de roupa feta, camisas
ingieras, collarmhos, ceroulas, grvalas pretas e de phantasia, meias para homens, sc-
i.horas, meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
balocs de diversas coros e modelos, cambraias, malas para viagem, e outros muitos ar-
tigos que a modicidade de seus precos incita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45

RIVAL M
huado Queimado rTs. 49 e 57
tojas de miadezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de seus eslabe-
hcimetilos por tsso qtieram apre-
ciar o que c bom e baratissimo.
Peras de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
L05OO, U, U e.....
Caixas de linha com 50 novellos
Pares de sapatos de tranca fa-
zen Ja nova a......
Parea de sapatos de tapete ,
(s grandes) a......" i500
Duzias de meias cruas para lio
N
46000
500
2000
CONVITE GERAL
0 proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da Impe-
i.driz n. 5, declara ao respeitave publico que tendo grande deposito de fazendas em
*;r, e desejando diminuir este grande deposito por meio de urna liqnidaco que fin-
uar no dia 15 ou 20 do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
se de boas fazendas, e por diminuto preco. a saber:
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
ALGODO ENCESTADO TRANCADO A
i#000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
tucoes a lj>000, dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLAO ENFESTADO A 330O.
Vendem-se pegas do madapolo enfes-
tado a 3,>;00, dito inglez de 24 jardas ou
22 metros a U, W, 74, U, H e 100, a
peca.
LANZINIIAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 800 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5.0 rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cyres a 500, "640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
cnhora.
SEDAS DE CORES A 10.
Vende-se sedas de cores para vestidos de
suahora a 1# o covado.
PORCO DE RETALHOS.
Vende-se urna porco de retalhos de cas-
sas, de la e sedas o de outras fazendas
por muito barato preco.
A' elles antes que se acabem.
CHALY DE CORES A 800 RS.
Vende-se chaly de listas de seda a 800 rs.
0 covado.
CHALES DE CASSA A 10.
Vende-se chales de cassa a Id, e de me-
rino a 24.
CORTES DE LA A 20400 RS.
Vendem-se cortes de lia de listra para
vestidos de senhora a 20400 rs. para aca-
bar.
ALGODO A PECA 4,5000.
Vende-se pecas de algodo a 40, 50, 60
a 70 a peca. E muitas outras cousas que
a enfadonbo menci-nar.
CIUTAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CSEMIRAS DE CORES A 20500.
Vende-se casemiras de cores a 2#500 e
3^000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30000.
Vcndem-se chpeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000. ditos de seda a 100 cada um.
BR.M DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para ca'cas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
Ciaagas para calca a 33 rs.
Vendem-se gangas de cores para caifa e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 20.
Vende-se lencos brancos a 20 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 10000, para aca-
bar.
GRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 .por cento do que em outra casa: por
isso os pretndenos podero vir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
BALES DE ARCOS A 10500.
Venden -se bales de 20 e 30 arcos a
10500 cada um, ditos modernos a 40.
BRIM HAMBURGO A 80000 A PEgA.'
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo a 80, vem a ser mais barato do que
algodaesinho.
CORTINADOS A 140000,
Vende-se cortinados para cama a 140
para liquidar. Ditos para janellas a 70.
Todas estas fazendas se vendem muito
barato na ra da Imperatriz n. 56.
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco melhor 100 attos a
Uvros de misses abreviadas a .
Duzia de baralhos francezes muito
tinos a204OO e.....
Silabario portuguez com estam-
pas a ........
Gravatas de cores e pretas amito*
finas a ........
Carloes com colchetes de kitao
fazenda fina a......
Aboluaduras de vidro para cofete
fazenda fina a. .
Cai.xas com penna d'aco muito
tinas a 320, 400, 500 e .
Cartoes de linba Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de linha Alexandre de
70 at 200 a......
Caixas com superiores obreias-
de massa a......
Duzias de aguHias pera machina
Libras de pregos irancezes di-
verso tamanho a. .
Livros escripturado pafa rol d&
roupa a. ...... .
Talheres para meninos muito
finos a. ,......
Caixas com papel amizade muito
fino a........
Caixas com lOOenvelopes muito
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezourae muito finas para
unhas e costuras-a ....
Tinteiros com tinta preta muito
.boa a 80 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. ..
Pecas de fita branca elstica
muito fina a.......
Novellos de linha cera 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Crozas de botes de louca muito
finos a........
Machinas vapor de
forca de 3 e 4 ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
nsar algodo.
Balancas para armazem e balcSo.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Uht-
field.
Prendas para copiar cartas.
Fogao-americano patente.
LOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo u. 5
Os proprietario* desle Jiem conhecido esfabele-
dmenlo, alm dos louitos objectos que ttnham ex-
posios a apiociaco do respeitavel pubtoeo, man-
daran vir e acanam de rereber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e rariado sortimento de
linas e mili delicadas especialidades, as qaaes es-
tao resolvidos a vender, como de seu cosnjme,
por precos muito banitinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito sopenores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cures.
Mu boas c bonitas goHiirlias e punhos para se-
nhora, neste genero o que ka do mais moderno.
Superiores pontos de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Grandc c completo sortimento de machinas para
descaroc.ar nlgodaode nova inven cao chegadas l-
timamente era direitura para a Ioja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C, na ra ireila n.
53. Garntese que a uiethor qualidade que at
o presente tem viudo ao mercado : acham-se em
exposicao aqs compradores.
Systema decimal.
Grande c completo soilimciito de peso- kilo-
grammos de melhor comprehenso dos que tem
vindo ;it o presente, assim como marcos de latao
at meio grammo pelo mesmo systema, balancas
de latao de forca de 5 a 20 kilugraminos, metros
de madeira e de latao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas c ferragens do
todas as qualidades, ludo por precos que so a vista
faz crdito : na ra Direila n. 53, Ioja de Manoel
Bento deOljviira Braga t C.
inem a........3-J800 Bios e sem ellos; esta fazend.- o que pode haver
4200
20000
'280f
0320
0500
0020
0500
1^000
100
,5100
mu
0240
Wo
0240
700
600
320
500
320
160
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aqueles brancos
com lindos desenhos, c estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quacs sempre se vendern* por 303000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
ajera destas, temos tambem grande sortimitnto de
outras qualidades, entre as quacs algunas muito
linas.
Boas bengalas do superior canna da India e
castao de marlim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
qnanlidade de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. ete.
Finos, bonitos e airosos ehicotinhos de eadcia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Kavalhas cabo de marfim c tartaruga para fazer
barba ; sao muito lioas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e n<'s por nossa vei tam-
bem assegurames sna qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para cmx.
Linha muito boa de peso, frouxa, para eneber
Jlabyrintho.
,!ons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tcntos naTa o mesmo Bm.
Grande e vanado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos memores e mais contiecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convuteoes, e
facilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por toaos os
vapores, afim de que nunca fallera no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
es que delles precisaren), vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros coNares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dDscbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis Ioja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Exlrncliiii) carnis.
Este producto alimentacao para doentes, mui
aprepriada para criancas. e para as pessoas saas ;
indispensavel a todos,' porm principalmente aos
viajantes, que terao nelfe o recurso de poder
ter alimentacao de carne fresca incorruptivel, e
que com facilidade se aprompla e se conduz, por-
que n'um |ie(|iit:no voliimc carrejase alimeuiaao
para muito lempo. Sobretudo chama-sc a atten-
cao dos Srs. de engenho que eoeontrarao no EX-
TRACTUM CAUNI o recurso de alimentacao agra-
davel, hygienica n barata para sea fmulos e seu
doentes.
Este producto fabricado pelo processo do dis-
tincto medico Dr. Ubntcba, no Rio-Grande do Snl,
que acaba de crear um deposito nesta eidade em
casa de Jos Victorino de Rezknde & C, ra da
Cada, escriptorio n. 52, 1* andar, vendeado-se :
No deposito a ra da Cada n. 52.
as pharmacias dos Srs.:
Manoel Al ves Barbosa, ranina ra n. 61.
Joaquim de Almcida Pinto, ra larga do Rosa-
rio n. 10.
Antonio Mara Marques Fenreira, prac* a
Boa-vista n. !)l.
N. B.As latas que conten o extracto trazem
nina guia para seu uso.
COGNAC.
De superior qoalk ade da mu-i accredita-
d fabrica de Bisquit Dubouch & C, em
cognac urna das qoe mais agurdente de
cognac, fornecem para o consuwmo do
Iteino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra do
commercio n. 32.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicac5o as cranlas,
quasi sempre mais atacadas de tao terrive)
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA/
Pharmacia drogara.
DE
Barthomeu 4 C.
84Rna Larga do Rosario9-t
200
60
20500
460
FOL1IA DE
FLANORES
da fabrica Derwent a 233000 I C ou 2i30 sor-
tida : na ra da Cadeia n. 4.
Burras.
Vendcm-sc duas faceiras e ensinadas burras
para carro : a traiap ua ra do Vigario n. 31.
Agulhas
para machinas de costura de Grover & Baker :
veadem-se na ra da Cadeia do Recife n. 51, Io
andar, a 2 a duzia.
BAZAR UNIVERSAL
O-Hua Nova *
Carneiro Vianna
Neste DAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: i'm
completo sortimento de machinas para eos-
tura de todos os systcmas, mais modernas
adoptados na America e approvadas n* ul-
tima exposicao servieos a electos para alrao-
Co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candeiros para sala e cima deraesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
batervos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e enanca, berros, cadei
ras longas para viagem, ditas de bataneo,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros. gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos Dar criancas, um
completo sortimento de Testinhas, oleados
para sala e nesa, tpeles para sala quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarao
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
A NOVA ESPERANQA
21 Ra do* Queimado 2)
Advertencia!
A Nova Esper?nca, ra do Queimad
n. 2" tendo em deposito grande quantidad*
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvda a vender suas mer-
caduras pelo baratissima preco, para assim
diminuir a grande quantidade das, que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo t3o opportuno quando i
NOVA ESPERANCA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nie
falta aonde e a quem...
Elle quere ella quer
' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeicao, e ella (Ioja da Nova Es-
perance) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanza ra do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinha.
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brincos de
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos t
bandeijas. #
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galles, franjas e trancas de
seda e de la, para enfeites de vestidos.
Botoes de todas as cores e moldes noroi
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes e sem elles.
Bote* pretos com vidribos com pagen-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados lcqoe de madreperula, mar-
fim, osso e faia.
Espartho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas ra do Queimado n. 21, 'na
!fova Esperauca.
Collares anodinos ellectro-megneti
eos contra as convulces das
creancas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
colkares se vendem por ah intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae raaitcf
pai& de familia nao creem (comprande-os}
no effeito promettido, o que s pdem dar'
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, porB
que detesta a falsificaco principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares;
e garante aos pas de familias, que s3o et
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
cas tem salvado do terrivel incommodo dt
convulcSes, assim pois preciso, qne ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimadc
n. 21 comprarem o salva vid*, para seu
filhinhos, antes que estes sejam acorametti*
dos do terrivel mal, quando entSo ser di-
fficil alcancar-se o effeito desecado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Royer.
0.CI"RJfc%
r->
Scbonete de alcatrdo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tao bot
acceitac3o tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para a cura cerk
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pe lie.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu & C,
34ra lar do Rosario34.
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
eeicao, e m barricas grandes.
MASSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHI
Preconisados par todos os meAeos contra os I
nEKLUXOS, CATHARHOS, E TODAS AS|
1HR1TAC0ES DO PE1TO.
N. B. O Xaropc dt Cofaina Avaro, ooj bem rara entre os Sttditamentosl
novo, de ser registrado como um dos medica-1
menlos o]itiats do Imperio francti dispcnsa\
qualqucr elogio.
AVISO. Por causa da *prchensivel falsi-l
ficaco qup li'in suscitado o feliz resultado do i
Xarope e massa do Dcrlbe sodios (breados a{
\ymbrar que eslrs mcdicameiMos lao juslamenlc
roiicciluadob s se
vendem' rm raixin-
iias i fr;scu leva mo
a .signatura eui
tome.
46. Ru des Keole.s, e na Pbarm icia Central I
de l'ranc a. 7, iuc de Joug, tai Varis, o cuil
iodos MPbuuicias pruci|tada Branl,
"*&&*&" Wl\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\WWT
Vinho verde
A' ra do Livramento n. 6 contina haver para
vender por oreos razoaveis, o melhor vinho verde
at hoje vindo a este mercado.
^a
Vende-s um ptimo piano de Jacaranda :
de arniario e tem pnuco uso : quem o preten-
der, dinja-se rna do Vigario n. 3, terceiro an-
dar, qualqucr hora do dia.
CIMENTO PORTLAND
vindo no ultimo navio de Londres : em
casa de H. Oetti & C, ra do Commercio
n. 3.
PILULESSSEICAUVIN
FkvaadM, koaletard MbuUpoL futa.
Este precioso t>oraailTo vegetal to commodo
como igradavel i o remedio mais infallivel para des-
iriir u eooatlaiacae, as Devralgla*, as mais re-
baldes, assim como a billa e a vlscoaldadea
Elle efOca as ajaMrlti, obslroeeoei enxa-
jaeeaa. aslhmaa. dore*, eatarrboa, emplgens,
Ma rfceaanattaaBM.
O mcrecimento das aMInlaa Caavln pode resa-
air-ee nestas palabras : Bcaukelecer ou camaer-
far a ude.
Bllas alo peJem nem rescoardo na comida aeai
feaaiaa; emdose laxante e separativa, atase tomar
ellas as refeoeoe em dote aau-aaUva i* bojW ao
deftar^e.
emumbuco:HH.m*wrtrtc:
POS DE ROG
Approvados pela Academia imperial
de medicina de Parit
Um frasco do pm de Bogtf, dissolvido
em urna garrafa d'agua. d urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parle dos outros purgantes. O* ale
Bofe, sao inalteraveis por isso empre-
gam-se fcilmente era viagem.
. I crr. Ilio-Jisamo, Dtponckclle; Cketoltt.
atfm* j M1 Pui,ulllca,i uttrer 4 c, a
PAST1LIIAS ASSltAH.UI.4S
DO
DR. PATlRSON
De bismnth e magnezla.
Remedio por excellencia para combale'
a magreza, facilitar a digestao, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34------Ra larga 4ft> Bosario------34.
Rap Frinceza
DA IMPERIAL FABRICA DE VIEIRA GIMA-
RES & COUTO,
DO RIO DE JANEIRO.
Vende-se este excellente rap no escrip-
torio de Joaquim Gerardo de Bastos, ra
do Vigario n. 46, Io andar.
Ainvkutt Si. ^
Aieg ai-\os niyopes, e presbytas, j po-
dis ver de long, j podis ver de parto.
uo ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. German acaba de receber pelo-ulti-
mo vapor umriso e variado sortmrnk) de
oculos, lunetas, pince-nez, lace -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim.
ac, bfalo, ncar, unicornio emelehior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invengo; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
MOLESTIAS d o PEITO
HYPPHQSPHITOS
doDrCHURCHILL
XAROPE de H YPOPHOSPHITO de SODA
XAROPEdeHYPOPHOSPHITOdeCAL
PILUL AS de H YPOPHOSPHTO de QUININO
GHLGROSE ANEMIA
CORES PLIDAS
XAROPE deHYP0PH0SPHITO de FERRO
lUUSdeHYPOPHOSPHITOdeMAI.RANFSIA
TOSSE BRONCHITIS
rLUX0S- ASTHMA
PASm&iS PECTORAESdoDCHURCHILl
Exigir para os xaropes o frasco quadrado e em
todos os productos a aarignatura do O*' CHDB-
CHIIX, e o letreiro com a marca de fabrica da
Puarmacla UWAXK, 12, mflCaa^ione.PARJS
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convuislvas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
VENDE-SE
NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
CHARUTOS
Os melhores charutos da exposicao e variedad*
de outras qualidades, finos ; encontra-se no hotel
Central de Francisco Garrido, ra larga do Rosa-
rio n. 37,1 andar, e ra estreita do Rosario n.
4 A. Vendem-se a retalbo e em grosso.
PMO DA SUCIA
No armazem pintado de verde, sito a ra
do Caes % de Novembron. 30, vende-se
superior madeira de pinbo da Secia, com
3 polegadas de grossura, 9 de largura, e
14 ps de comprimenlo a 3#O0O cada ama:
taboas de forro a 84, 9# e d0,$000 a duzia.
pinho americano de_resina 200 rs. o p$
Vinho Sherry
o melhor que ha no mercado.; no armazem de J,
O. C. Doyle, ra do Commercio n. 48.
Vende-se breu barato : no armazem da bola
amarella, no oilao da secretaria de polica.
CIMENTO
\

Vende-se verdadeiro cimento; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joao
Martins de Barros,



V
Diario de Pernambuco
Sabbado 14 de Agosto de 18G9.
id
-,!
Ccof4eiro previdente
Rua Novo e variado sdrtiffifito de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
marlas, de que efeetivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e eqmmodidades de pre-
fos; assim.pois, o Cordeiro Previdente pede
fi espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em gcral e de sua
boa froguezia em particular, nao so afas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melliores emais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservadlo do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
ro de violeta.
Oulras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escollados cheiros, em frascos de dille-
rentes tamanhos.
Sabonetas em barras, maiores e menores
para mqs.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
Eructas. .
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumarias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
a boneca.
Especial p de arroz sem composicSo de
'heiro, e por isso o mais proprio para crian-
zas.
Opiata ingleza e francza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
jualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Ai mi: mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
a alguns d'elles ornados de flores e fitas,
tao todos expostos apreciacSo de quem
)s pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicjio.
Fif ellas e Otas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
EM C0NT1NAC0
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
alaoa m Qin?ai2aTOi3-Ha m
DE
FLIX PEREIRA DA SI17VA.
b* ^tMAU6
NOVO EXPLENDIO SORTIMENTO
Agua-florida de Guis-
O proprietario deste grande estabelecimento tendo sido o arrematante da
exmela loja dcnominada==//lf DAS DAMAS=& rua da Imperatriz n. 36, e nao
Ihe tendo sido possivel, na-mesma loja, concluir.a liquidacao da grande quantidade de
fazendas que all existiam, pelos poucos dias que leve at- entregar as chaves, vio-se
obngado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabelecimento, o=PAVO
onde o respeitavel puolico encontrar om grande sortimento das melhores fazendas de
Imlio, la, algodo e seda, que se Ihe vender muito mais barato do que em outra
qualquer parte, com o fim de apurar dinheiro, e as pessoas que negocian) em pequea
escala, tanto da praca como do matto. nesta casa podero fazer seus sortimentos em
pequeas ou grandes porcoes, vendendo-se-lhes pelos precos que se compram, n s'
casasi inglezas; assim como as excellentissimas familias podero mandar buscar as amos-
tras de todas as fazendas, ou mandar-se-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas
casas; o estabelecimento se acha constantemente aberto das 6 horas da manha s 9
da noite.
Vinho degestivo de
chassaing*
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
las digestes difficeis ecompletas, acalmar
as dores gastralgias, e reparar as forcas
)roduzindo urna assimulaco completa dos
ilimentos; sendo mais um excellente tnico.
VEVDE-SE
PHARMACIA' E DROGARU
DB
Barlholoinen fc c.
34RUA LARGA DO ROSARIO34
FUNDICAO 00B0WMAN
Rua do atruni a. .V<.
PASSANDO O CHAFARIZ
Tem sempre deposito de todo o marinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
ntre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
algodo.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de canna.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido fundido e de
cobre.
Alambiques.
Arados e instrumentos d'agricultura.
Descarocadores d'algodo etc. etc.
Havendo em tudo variedade de tamanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar.
GAZ G.IZ ^ Chegpu ao antigo deposito de Henry Forster &
(X, rua do Imperador, um carregamento de gai
le primara qualidade; o qual se vende em partida.
e a retalho por menos preco do que em outra qual
qaer parte.____________
CURA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galonpeaa.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo 4 C.
34-----Rua larga do Rosario------34.
Nilo mais cabellos brancos
A tintura japoneza, para tingir os cabel-
los di cabera e da barba, foi a nica admit-
tida Exposigao Universal, por ter sido
conhecida superior todas as prepSraces
at boje existentes, sem alterar a saude.
Vende-se a I1000 cada frasco na
151RUA D.\ HAIDAR.
COLA
Vende-sc superior i-ola da Baha : no escriplorio
de Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo & C, rua da
':ruzn.57.
Aos Srs. joalheiros e ao
publico
Vendera-se lindas joias e com especialidade um
grande e elegante coracao de ouro : a tratar na
rua estrena do Rosario esquina da das larangeiras
qualquer hora.
Tinta rxa de Mnteiro
Vende-se tinta rxa de Mnteiro para escrever :
itaioja de calcado do sobrado araarello na rua da
cruz h. 21.
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RUA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitts e coletes de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tcm um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maior promp-
tidao vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-ls, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprbs para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na rua da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
Aos dez mil covados de eassas
francezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavo rua da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padrocs miudos e gra-
dos, assentados em todas as cores, estas
eassas saopropiiamente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, -e alm dos padroes
serem muito bonitos, sao todos flxos e seria
fazenda para muito mais dinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
Esparlkos a 3000 na loja do
Pavo
Vende-se urna grande porco de esparti-
Ihos modernos cora o competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 30 cada um. *
BRAMANTE PARA LENQOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1,5800
Chegou para a loja do Pavo, rua da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
p-cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 1(5800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
Alpacas brilhantes
a 640 rs.
Chegaram para a loja do Pavo um ele-
gante sortimento das mais lindas alpacas
brilhantes com as mais delicadas cores, e
com os mais bonitos lavradinhos a imitaco
de seda, as delicadas cores que existem
neste bello sortimento encontra-se o bonito
Bismak, o bello Lyrio, o delicado verde
assim como, perola, roxo, canna, azul caf,
etc. Vende-se esta bella fazenda pelo ba-
ratsimo preco de 640 rs. o covado por se
ter recebido em direitura urna grande par-
tida superior a dez mil covados, seno
seria para muito mais dinheiro, isto na loja
e armazem do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60 de Feliz Pereira da Silva.
POUPELINAS A 500 RS. O COVADO.
Na loja do Pavo, na rua da Imperatriz
n. 60, vende-se um grande sortimento das
mais lindas poupelinas ou lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
nitas cores ; padros cora listrinhas raiudi-
nhas, que se vendem pelo barato preco de
500 rs. o covado, $ pechincha que se acha
nicamente na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na rua da Imperatriz n. 60.
ALTA NOVIDADE
EM POUPELINAS O .G0RG080 DE LIN1I0 E,
SEDA.
Pelo ultimo vapor chegou para a loja do
Pavo um elegante sortimento das mais
bellas poupelinas ou gorgures de linho o
seda, com os mais delicados padrees que
se pode imaginar, assim como urna grande
porco de cortes da mesma fazenda, tendo
de todas as cores e garantindo-sc que neste
genero nao ha nada mais bonito era mais
proprio para vestidos, e vende-se por pre-
co muito razoavel na loja de Flix Pereira
da Silva, rua da Imperatriz n. 60.
CELEZL.S
PANNO DE LINHO
ATOALHADO
Vendem-se as mais finas celezias de linho'
com 25 varas cada peca, sendo mais finas
ainda que os mais linos esguioes que tm
vindo ao-mercado, a 45(5, 55$, 60;5000 e
7u,5000, tambem se vende em varas as
mesmas celezias, sendo preciso; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lences
com perto de 4 palmos de largura a 700,
8(>0 e 1)5000 a vara, sendo em peca tam-
bem se faz alguraa equidade; bramantes
para lences cora 10 palmos de largura a
1^800 e 2,5500 o metro, e de linho muito
superior a 3/5200 e 30500.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 2,5400, 3,5 e 30500 o metro, e
outras muitas fazendas brancas que se ven-
dem muito mais barato do que em outra
qualquer parte, com o fim nico de apurar
dinheiro.
CHITAS
MADAPOLO
ALGODOSINHO
Vendem-se superiores chitas escuras ef
claras pelo barato preco do 280, 320 e 360
rs. F as percallas a 320 e 360 rs.
Pecas de algodosinho de todas as lar-
guras e qualidades. Pecas de madapolo
dos mais baratos at os mais finos; assim
como, superior algodosinho enfestado para
lences, toalhas, tanto liso como trancado :
todas ertas fazendas se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte, para apu-
rar dinheiro.
lain
Tintura indelevel para tingir os cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceituada agua-florida de fiuis-
lain que ento era desconhecida em Per-
nambuco, j hoje estimada e procurada
por seu efficaz resultado, e ainda mais se-
r, quando a noticia de seu bom efleito e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta uni-
amente de vegetaes noffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, e Ibes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sem
*er prejudicial de modo algum
E' porm necessario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
cas talvez supponham, mais sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provara testemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
ratra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
la na bem conhecida loja d'Aguia Branca r
rua do Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
3o de sua boa freguezia, tambem capricha
em nao Ih'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravcl com que
< honram, e em prova ao que fica dito, d
como exemplo |0 explendido sortimento
jue acaba de receber, ainda mesmo achan-
lo-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
*3o de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
i oraco, obras de apurado gosto e perfei-
;5o, sendo: com capas de madreperola e
locantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
oonitos.
Ditos com ditas de velludo, outro3 im
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateada.
Coreas e tercos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello soflmento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns^
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas vollas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torgal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios fines tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
A O
drande
loja de tozadas c roupas feiias
na da Imperatriz n. 52,
Hita larca,
DE
CORTO
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos do flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas cora bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonita
Cortes de
vestido do
4000.
PavSo a
Vendem-se bonitos cortes de cambraia e
tarlatana, ricamente bordados a la, pelo
baratissimo preco de 6$.
Ditos por estarem um pouco machucados
a 40.
Ditos finissimos com barras de seda a 4#.
Assim como os mais modernos cortes de
poil de chvre, com duas saias, sendo fa-
zenda chegada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caixinha com o competente flgunno,
a 18/5; finissimos crt s de cambraia bran-
ca, ricamen e bordados, que at podem
servir para noiva, a 255000, e outros mui-
tos cortes de differentes fazendas que se
liquidam baratas na loja do Pavo.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porco de cera de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo rua da Imperatriz kn. 50. De Flix
Pereira da Silva;
PECHINCHA DO PAVAO PARA ESCRAVOS
A 200 RS.
Vende-sc urna grande porco de esta-
menha raesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e calcas para raoleques,
sendo urna fazenda escura trancada e muito
encorpada, pelo barato proco de 200 rs.
o covado, fazenda que sempre se vendeu
por muito mais dinheiro. ^
ROUPA
EM LIQUIDACAO NA LOJA DO PWO
Venderse urna grande porco de roupas
para homens, sendo grande quantidade de
calcas de brim, castor, casemira e meia
casemira, de todos os precos e cores. Pa-
litts de alpaca, brim, casemira, meia ca-
simira e panno fino. Cohetes de todas as
qualidades. Camisas de linh e algodo.
Ceroulas e outros muitos artigos, por preco
muito em conta.
H23 L RVATIVO
W. 23Largo do Terco.N. 23.
SMO DOS SANTOS & C.
Neste eslahdttiiiK'iito encontrar o res-
pciiavel publico um bonito sortimento de
roupas e fazendas de todas as qualidades >
precos commodos, tem sempre um bonito
sortimento de castmiras de cores e preta
panno fino de diversas qual dades, brim d
bonitas cores e brancos de boa qualidade
encarrega-se qualquer obra por medida e
preco muito enmmodo.
RLPAS FEITAS /
na loja da rua da Imperatriz n. 52, porta
larga, de Paredes Porto.
Tem neste estabelecimento um bonito
sortimento de roupas feitas de diversas
qualidades e precos commodos, como sejam
Ge-i* de ?I'lu,a P,e,a de core* a 3#,
i -i0 **i ditos de Panno Prct0 sacos a
Qtf e 8" dilos (le Panno superior a
o, IV3 e 10,5; dilos sobrecasacados de
dito dito a 18?, 203 e 255; ditos de case-
mira de cor a B, $ o l;>; calcas, colletes
e palitts de casemira muito lina de cor a
20 e 255; calcas de brim branco de cor do
todas as qualidades de a 65; ditas da
casemira preta e do cores de 15 at 12f ;
colletes de todas as qualidades; ceroulas de
bramante a 15500,25000 e 25500 ; camisas
francezas de linho e de algodo de todas as
qualidades c preco mais barato lo que em
outra qualquer parte; colarinlios, grvalas;
bonito sortimento de chapeos deso de alpa-
ca e de seda; meias inglezas a G5 a duzia;
pechincha nosl estabelecimento pela
grande sortimento : todos os freguezes sa
podero prover dos"ps at a cabega p>>r
preco commodo.
FAZENDAS
Grande sortimento, como sejam, chitas
baratas a :i00, 30 e CO rs. Madapoli.
fino a 75, 85 e 105 a peca. Algodo (pe-
chincha) a 55300 a pera^a-eatras qualida-
des. Cambraia branca de todas as quali-
dades transparente c Victoria de 35500 a
85 a peca. Lanzinhas de bonitas cores, al-
pacas bonitas, selecta a peca com 28 metros
a 285000. Esgniio o mais lino posfivel a
25500 e 35 a vara, e outras muitas fazen-
das por preco commodo, que seria enfad .-
nho mencionar, na loja do
LESO DA PORTA LARGA
'DE
Paredes Porlo.
POVOADO
DOS MONTES.
\ende se una casa m'ste povuado, sita a rna
Bella, a qoal tcm vintc palmos de frente e sessenta
e tantos de fundo a tratar na mesma rua n. '2,
a de 10 do correte em (liante lamqem no Reeife,
as Caneo Ponas n. 8o.
Vende-se um expeliente eseravo de i'j ani, -.
de idade, pardo, oflieial de alfaiate, Morcado, e
ptimo para pa s nSmSZTZlZt S,e,be!n Tl',d0 armazem de secco c molnmios. parlecipam
ros de?im hSt 5 >' *"? praCa' como domalto e igualmente aos m-
t^m^^U\l^mFm'l0evm^^^^tt^ de 'W rca-
menos nirrtn n 12 d? mer coran adTn i ZlZ.T qua,?aer parle' por ser maior Par"e **" mcrcadoias
DOrTento neln tZ UZP?*' ^ 'SS,qUem COn,Prar at a (iua"lia d l^, tora cinco
r cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sabido deste
Casemiras da moda
NA
JiOJA DO PAVlO
Chegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para eal-
cas, paletots e coletes, tendo lisas, com lis-
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os precos, e afianca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-
te, assim como das mesmas se man'da fa-
zer qualquer peca de obra, a vontade do
freguez, para o que tem um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitts
a 18 e 20#000.
Na loja do Pavo rua da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porco de pa-
litts sobrecasacados, e propriamente- so-
brecasacos de panno pretu, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de 185, sendo forrados de alpaca, e de
205 forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter jeito urna grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
4 ortinade
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas.e para janellas, que se ven-
dem a 125000 rs. cada par at 255000 rs,
isto na rua da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 50000 at 100000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 10000, a vara, na loja do
Pavo rua da Imperatriz n. 80, de Flix Pe-
reira da Silva.
armazera.
GAZ AMERICANO 95 a lata, a 100 rs.
a garrafa e 60 rs. o litro.
VJNHO VERDADEIRO F1GE1RA 5G0 o
6i0 rs. a garrafa, a 45500 e 45800 a cana-
da, a 70 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
a 400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 30 e
355U0 a caada, 600 e 640 rs. o litro
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 75 a caada, e 10340 o litro.
VINIIO BRANCO DE LISBOA a 000 rs.
a garrafa, 40500.a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 30 rs. a garrafa, 25200,
10800 e 10400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 3 15440 e
10280 a libra, 35140 e 20800 o kilo-
grammo.
DEM FRANCZA 960 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 10870 o kilo-
gramrao.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a "
bra, 10400 o kilogrammo, em porco
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 10570 o kilogrammo, em
porco se far abatimento.
ARROZ DO MARANHOEDA INM\
120 e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs.
logrammo e 35800 a arroba.\
ALPISTA 240 rs. a libra e 520 rs. o
kilogrammo. e 65 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 65 e 65500 a arrolla,
200 e 240 rs. a libra'. 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABAO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa lia melhores
abatimento. 35200 a
ii
se

;i-
620 rs. o kilogrammo, em porcao ha aba-
timento.
BOLACIIINIIAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, a 15 e I 400 a lata.
VELLAS DE ESPARMACETE 70 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPIIOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, a 280, 400 e 560 rs. o masso,
35200 e 65500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 35500, 50500
e 15 a libra.
GOMMA DE MILIIO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, o em caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IIILERS &
BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
VINIIO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 75 e 60 a liasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30, 25800 e 25400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 110500 por
li kilogrammos.
CHA FINO, GRADO E MIl'DIXHO os
que ha no mercado, 30 c
libra, 70080 e 65340 o kilo-
ESCRAVOS FGIDOS.
< Fujrio do engenlio Todos os Santos da villa
de Ipojiica, no dia ;)0 de maio, o eseravo Goncili,
-enta ter 45 anuos d.' idade, pouco mais ou
menos, cor vermelba, alto, grosso, ollios pequeo!-,
sem barba, e os pus radiando, fot eseravo da Si a.
D. Scntorinha Mara do lvramento, que morn Da
villa de SeriiihieiE ; no dia immedato da rugida
esleve na mesma villa : suppde-se estar Montado,
o que so proceder com o rigor da le a quem
tenba, e pede-e s autoridades policiaes ou capia
les de campo a captura dorae-iiiove entregar no
mesmo eogenbo ao ibaixo asignado, ou na roa
da Moeda n. ,", 2" andar,escriptorio de Manoel Al-
vos Perrcira d C, que ser generosamente recom-
pensado. ,
Miguel Paulino Tolentino Peres Falca.-.
AVISO
i
As autoridades policiaes e
quem competir.
No dia 29 de maio do corren te anno fu-
gio o eseravo Eseqtiiel, crioulo de 30 32
annos de idade, estatura regular, reforjado,
cor bem preta, cabera redonda, trajava ca-
misa azul e calca de casemira cinzenta; du-
rante o dia costuma andar ganliando as
ras, ou em armazens de assucar ou as
tabernas a conversar e a beber; durante a
noite recolhe-se a telheiros abertos ou pe-
netraveis, a casas em construeco c a ou-
tros quaesquer lugares onde se possa abri-
gar: quem o apprehender tenca a bondade
de o conduzir rua da Aurora n. 26, ondo
ser gratificado.
MASSAS PARA SOPA, MACABAO, TV- grammo.
LHARIN E ALETRIA, i 800 rs. a libra c DEM PROPRIO P.\RA NEGOCIO 25700,
1*750 0 kilogrammo. -j.,300, 25200 e 25 a libra, e !$450 c
SEVADINHA E SAF 5 280 rs. a libra e 40180 o kilogrammo.
Assim como ha outros muitos mais gneros, vinho em ancorelas, azeitonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguifas de Lisboa, marmelada, con-
servas gela de marmello, pcego, ervilhas, peixe em latas, sardinhas de Nantes,
vinho verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoge, cominho, pimenta, grandes
molhos de sebolla 10500, finalmente muito mais gneros que enfandonho
menciona-Ios.
t f i t
i
Este admiravel
Depurativo nao
ontememiimer-
urio, iodo ou
arsnico i om
vigoroso modifi-
cador para o sangue e cura radicalmente a moioslios de pelle, taes como a lepra, as implgens, as uerpes, as
espiabas, e s Pannos, etc.Emprqrado diariamente elle refresca a massa do sangue e consolida o saude,
A IRJECCAO C1DET
*a*i, 7, B< Oenain,
Cura
sangue
em 8 das os corrimeotos antigos ou
os mais rebeldes.
saude 1
recenta i
Fugio no dia 9 do corrento mez do
engenho Sanl'Anna da comarca do Porto
(Jalvo o cabra Wenceslau, eslatura regu-
lar, de 22 annos pouco mais ou menos,
sem barba, cabellos preto, e bem cara-
pinhados, foi comprado na cidade do Ro-
cife, para onde veio da provincia da Pa-
rahyba; e bem assim o eseravo Mauoel
crioulo, de 22 annos, estatura regular,
tem um dente quebrado no queixo superior,
bemj)reto; quem os apprehender leve a
casa do negociante Joaquim Rodrigues Ta-
vares de Mello, no Reeife, ou no referido
engenho que ser bem recompensado.
Fugio no dia 9 do corrente mez, o
molato Aquilino de 18 a 20 annos de ida-
de, eslatura regular, magro, ainda sem
barba, cabellos crescido e muito crespos,
beicos grossos, falto de um dente incisivo
da mandbula superior (dente da frente),
tendo no braco esquerdo junto ao pulso,
urna cicatriz muito -recente e circular de
queimadura, bracos e pernas compiidas, a
quando anda atira com estas para os lados,
e faz muitos movimentos com aquellos e
falla ifm tanto rouco. Gosta da andar
acorapanhado de camaradas, contador de
historias: foi al fevereiro do corrente anno
eseravo do Sr. Joao de Castro Guimares,
sahio de casa cora camisa de madapolo e
calca de casemira acimentada com listras
pretas dos lados externos das pernas, e
tem sido visto as ras das Cruzes, Quei-
mado, Rosario, largo do Carmo e na rua.
da Aurora que elle frequenta.
Quem pega-lo ter a bondade de leva-Jo
rua Nova n. 39.
Recfie 12 de agosto de 1869.
I nuTl


Diario de Pernamfcaco Sabbado 14 de Acorto de 1869.
tt
~r
ASSEfflEi SERAL
CMARA DOS SUS. DEPUfABOS
SESSO KM 16 DE JLHO
PRESIDENCIA DO SU. NEB1A9.
(Conrlumo)
Portanto. ea ma applaudo com o Ilustre
doputad polo municipio neutro, quando
i s. Exc, pairando na dubiedade, na
incerteza mesrao de que esse systema
o melhor, eomiudo no lina] do sea discurso
declaro que a ipi raste era urna violencia,
< que quera antes experimentar a onsrrip-
Mas o illus re depilado, chegand i i
osla concluso, quereado antes a sorle do
que a violencia, comtudo estabeleceu todas
a? IsencSo das instrucces de 10 de julho
de 18.
Eis-aqui, Sr. presidente, um outro ponto
em que o no re deputado est em diver-
gencia com a commisso ; nao possivel,
no esladi) actual, aceitarmos as sences nu-
merosas de iHi, que, tm por fim tewf
nicamente para o exordio a parte misera-
vel da populando, aquella que nao tem ab-
solutamente em que se occupe. E' contra
isto que en protesto.
0 exercito deve-ser composto de todos
os cidadaos dignos que tem por dever de-
fender o seu paiz; urna instiluico nobi-
lsima ; nao deve ser composta de reos de
polica.
As instrucces do 10 de julho do 1822
iseotaado a todos aquellos que esto em
nina certa posico, resentcm-se inuito das
ilas daquella poca : o principio da ignal-
dade est nellassuffocado, inteiramente cal-
culo aos pos.
Uoje, ni poca em que estamos, depois
da experiencia dolorosa de tantos anuos, ba-
vemos nos de conservar o exercito neste
p degradante 1 Havemos nos nicamente
de cooserVar sujeitos ao recmtamento vio-
lento e arbitrario estes pobres homens mi-
seraveis que nao tm proteceo ? Seria
nina medirla iniqua, alm de altamente im-
poltica **
Tambem, Sr. presidente, cu vejo que o
Ilustre deputado nao tem razo quando jul-
ga que as juntas de alistamento nao mere-
cein conlianca.
projecto que est em discusso estabe-
lece tres recursos; nao tem o nobre
deputado conlianca em tres recursos ?
Nao tem conlianca na junta da parochia, no
conseibo do municipio, uo da comarca, e
no da capital la provincia? Urna ordem de
processo que se inslitue desta maneira, com
o julgamento que passa por quatro instan-,
cas differentes, nao offerece ao Ilustre de-
putado a menor conlianca ? Em duas ins-
tancias as mais altas questes de proprieda-
rte hoje sai resolvidas; e n i entretanto o
nobre deputado julga que quatro instancias
nao offerecem a garanta necessaria. Creio
at que podemos reduzi-las sem inconve-
niente.
O illustre deputadojpelo municipio neutro
anda acliou que o symia de conscripto
nao se poda liarmonisar com o castigo cor-
poral, & mu se destribue no exercito.
En teria, at cerlo ponto, de applaudir o
Rustre deputado ; mas vejo que este casti-
go igualmente applicado aos voluntarios,
o dizer aquellos que se engajam pre-
sentemente, e, portanto, nao tem o menor
valor a questo Irazida para infirmar o prin-
ipio da conscripcao: una qnesfo para
outro lugar, para outro lempo ; para esto
momento, nao porque nao se Irate della.
Vou, Sr. presidente, responder agora ao
illustre d 'pillado pela provincia do Cear.
que, tomando a palavra ueste debato, foi
-nmmamente severo, com a commisso que
leve a sen cargo Formular o projecto.
S. Etc. comecou o seu discurso impug-
nando a idea da eonsnipco por ser urna
i lea copiada dos panes da Europa e funda-
da na i/uildade.
Sr. presidente, se o illustre dep .tado
pelo Cear quizesse fazer o elogio do pro-
i iinmisso, nao encontrava termos
mais honrosos; o principio da igualdade,
consagrado no projecto, eminentemente
lil 'cal, : o principio da constituido ; e o
exemplo I >s paites da Europa, longo de
nos fazer hesitar era a I optar esse systema,
devia, palo contrario sos animar, nos enco-
rajar a dar semelhanto passo.
A cyilisaco, V. Exc. sabe, Sr. presiden-
te, est principalmente naqoelles povos to
adiantados nos nao p idemis boje inno-
var nesta materia.
A conscripcao, adoptada no primeiro
imperio fraocez en substituigo aquellas
levas de patriotismo, que puderam fazer
com q i 800,000 liomens fossem aos cam-
pos de balaa defender a Franca, que es-
lava amea-ada. que produziram os Hoche
e os Moreau, leva em que apenas bavia o
espirito de Carnet, que as organsava. e
que por sso foi chamado o organisador
das victorias, a conscripcao foi o systema
definitivamente all consagrado. Hoje qnasi
todos os i-.aizes da Europa tem adoptado
esse systema.
Por que razio quer o nobre deputado
p do Cear encontrar essa differenca im-
men-a entre a Europa civilisarla e a Ame-
rica ? Nao vejo neuhuma. Pois nos, que
somos Americanos, havemos de conservar
o recrutamento toreado, systema brbaro
o arbitrario? Havemos de matar comple-
imente a igualdade, ella que faz com que
s designados para a guerra, pobres ou
liam igualmente, como disso o Sr.
Roohr na cmara franceza o anno passado,
las suas aldeas despedindo-se de seus pa-
rontes e amigos, fazendo juntos e frater-
nalmente a viagem para as fronteiras, indo
aos campos da batalha defender os mes-
iios principios e servir debaixo da mesma
handeira ? -
Porque razo havemos nos consentir que
! Entretanto, o nobre deputado peto Cear
que foi Uto severo com a commisso, que.
alm de condemnar a .conscripcao, achou
no seu trabalho incoherencias, incorrecces
e defeitos, o nobre deputado cahfo na
maior contradic3o quando disse que era o
seu ideal o alistamento.
O Sn. An\uo Lima :O alistament
luntario.
O Sn. Ji'.nqueira :Se o ideal do nobre
deputado o alistamento voluntario, ento
S. Exc. corre atraz de urna ulopia, porque
o alistamento voluntario nunca pode preen-
clier o quadro de qualquer exercito. Tem
sido sempre necessario fazer vibrar o sen-
timento nacional em um aso de guerra
externa para apparecerem voluntarios
grande numero, como acontecen no nosso
paiz em 1865 e 1860, quando Lope/, ma; -
dou soas cohortes invadir as provincias do
Rio-Grande do Sul e de Matto-Grosso, e o
imperador marchou nobremente para Uru-
guayana; fados que desenvolvern! im-
mensaraente o patriotismo dos Brasileiros
e lizeram apparecer essas brilhantes le-
gies de voluntarios.
Mas nos estamos legis ando para cir-
cumstancias ordinarias; as occasies ex-
traordinarias todo o cidado soldado. E
nem era preciso qft o art. lio da consti-
tuido o dissesse ; o sentiinento brasileiro
rahi eslava para o conduzir a tomar urna
espingarda e defender sua patria (Apoia-
dos). Legislamos, porm, para circums-
tancias ordinarias, para tempo de paz pro-
funda, e, pois, o ideal do nobre deputado
nao passa de urna ulopia pelo que temos
visto entre nos ha 47 anuos, e pelo que
temos observado que se passa na Eu-
ropa.
Por conseguinte o nobre deputado, que
devia ter a certeza, de que o seu ideal era
urna utopia, porque o trouxe a esta cma-
ra como meio de discusso ?
Sr. presidente, o nobre deputado per-
gunlou se consideravamos incluid s neste
projecto os liomens casados, os advogados.
e os mdicos. Quem lr atientamente o
projecto que est em discusso e as emen-
das que foram offerecidas ver que o sor-
teio tem da se fazer annnalmente sobre os
individuos que tenham 18 annos de idade
Estaro casados, sero advogados, se-
ro mdicos aos 18 annos de idade ? Nao
poderlo ser advogados nem mdicos tendo
a idade de 18 annos. Podero talvez ser
casados ; mas poucos, estarlo neste caso,
e ento soffram as consequencias de um
passo dado to precocemente.
Parece-me que urna instituido justa e
liberal quando toma o homem na entrada
da vida, quando mesmo o homem anda
nao tem tomado estado, porque os nobres
deputados sabem que entre nos raramente
se casa em semelhante idade, e ento ser
este facto urna excepeo que vira ainda con-
firmar esta regra.
Sr. presidente, como membro da com-
misso eu devo considerar as incorreccoes
com que o nobre deputado da provincia
do Cear julgou por assim dizer, hurailhar
a commisso.
O Su. Araljo Lima : Nao apoiados ;
nao foi esse o meu intento.
O Sr. Jlnqueir :S. Esc. disse que no
nosso trabalho
reecoes.
car ; apems se quiz mostrar a nihilida-
de'ielaliva ou supposta daquelles a quem
se dirigi.
O S*. Aiuno Lima: ipoiado, nao
tlve semelhante inlenr
O Sr. JmocEiRA:llMiHHite escre-
fveu o nobre disputado pelo hB de Janeiro
o projecto como seu relator, porque r-
pido o seo pensamen' bajanellu
essas faltas, ei '^HP(^^- qe
not ni o nobre d lear, ea
duvido.
O Sn. Arai-jo Lima: Nao houve demi-
u'ia parle dwejo algum de' offender, s
tive em vi.^a que hnrense tfida a clareza e
prei-iso.
O Sn. JiMjiKinv: Sr'. presidente, agora
duas palavras em relaco ao substitutivo1
do nobre deputado pela provincia do Rio
de Janeiro.
Quem laoraras vistas para e3se substitu-
tivo reconhecer que S. Exc, adoptando o,
systema da conscripcao, comtdo o desca*-
nou de tal maneira, tiroo-lho de tal modo
as suas roup.igens, qu o que fica um
esqueleto Ora, um esqueleto desta form i
nao pode satisfazer as asiraces na-
cionaes.
A idea capital do systema de conscrip
eBo como eu disse," a iguaklade do cida-
do perante a ler, a igualdade recommen-
dada pela nossa constituicao.
O laclo de que um mfividu exerca urna
industria mais ou menos lucrativa, que este-
ja empregado, dirig do una l'a/.enda ou
estabelecimento rural, etc., nao o moti-
vo para que o consideremos um ser privi-
legiado.
Eu sei bem que o pensamiento do illus-
tre deputado nao crear esta dislineeii> de
classes, sei que o seo pensamento todo eco-
nmico, em protocolo as indu-Urias.
Mas, Sr presiden! \ a is que tem
criticado o systema d** c)nscrjtcao em rela-
co as industfias. ainda nao r>ueaf*MM l'a/.er
tantas concessoes como o nobre deputido.
Ainda ha poueo l, que, tendo n associa-
cao econmica de Lyofl mandado fazer um
.rotatorio acerca da organisaco do exercito
francez, esse relatorio,apresc-ntando dados,
quoeu chamarei tenebrosos, sobre as des-
posas militares, e sobre a retirada de tan-
tas centenas de milhares de bracos utos s
industrias, nao ousou formular o principio
de numerosas isencocs.
Se disse nesse relatorio que os grandes
armamentos da Europa, e principalmente da
Franca, traziam industria, e com especia-
lidade lavoura, grande perda dos seusme-
Ihores bracos; mas nao se concluio pilas
sences; concluio-se pela necessidade do
desarmamento gorat.
O nobre deputado pela provincia do Ro
de Janeiro estabeleceu urna rede tal de isen-
coes que deve tornar .o nosso projecto in-
teiramonte manco. Por ellas o systema
cahe inteir-nmente por trra, e a belleza da
conscripcao, que consiste em chimar todos
ao servico de todos, se desvanece comple-
tamente.
(Ha um aparte,
Mas as excepfoos contirmam a regra;
pela adopeo da emenda do nobre deputa-
do licar sujeila a conscripcao sm'enle
classe desvalida e assim continuar
do projecto, como se estivessemos na l"
discusso.
Dahi tem resaltado, senhores. ojA o ob-
jecto pro Io nao tem m* con-
siderado
dade que tflfl oje-
lo te ve lugar nsacta ; mas
desde que esta augusta cmara resolveu
dera-lo em 2* discusso, cumpro dis-
uii lo no estado em que o achimos, isto ,
artigo por artigo, attendendo s disposicoes
especiaesdo cada um.
Todava como o novo processo do alista-
mento e sorleo se trava com as aptides e
sences da massa recrutavel, natural que
lenlia havido a discusso ampia que a c-
mara lia rjftweneiado a respeto do systema
da conscripta) comparado c^ia o systema
actual do recrutamento toreado. Eu mes-
mo as observacoes que vou adduzir a fa
vor da emenda terei de recorrer urna ou
a o'utra consideraoo geral, que se prenda
ao 1" artigo.
Meus senlior s, tem-se dito que o pro-
jecto de recrutamento, segundo o systema
proposto, reclamado urgentemente pela
opiuio publica do paiz ; d-se como urna
aapiracao. geral, urgente e irnpi escinilivel.
E concordo que com effeito a opinio
publica exige urna reforma das leis actuaes
do recrutamento ; mas coavidarei os meus
Ilustres collegas para studrmos os pon-
tos precisos dessas reclamarles.
Q.iaes sao os termos em que a opinio
publica pede a refurm do recrutamento ?
rPurveutara pele ella ama le paca alterar a
capacidade e aptido dos individuos que
sao actualmente recrutados ? Porventura
exige u.aa reforma da lei para roduzir as
sences existentes ? Eis o ponto preciso
da questo. (Apoiados.)
O honrado membro da commisso, que
lia potico occupoii lio ticillianlemenle a tri-
buna. Jirmou-se na redowio do numero
das isenc.es consagradas na legislaco actual
jQSO principio, que. segundo sua opinio,
deve constituir a melhor reforma.
Entretanto nao s o nobre deputado pz contrario, por agora estou provandoque
em queslo com isto um ponto em que nao \ nao por evitar a priso, a violencia, que
elle e recommenda.
mente os pais de familia nao vo para o
exercito.
Assim, senhores. nao no principio da
igualdade qne se pode fundar o novo sys-
tema, nem tambem as reclamares do
paiz, para reformas a semelhante ros-
peito.
Funda-se por ventura, como tambem
asseverou o nobre deputado, a reforma que
se quer mtroduzir, na necessidade do se
acabar com os meios violentos do recruta-
mento ? Ainda nesta parte permitla-me
que Ihe diriga, illudlo-se o nobre deputado
com toda a illustre commisso.
Senhores, a questo simples ; todo o
ex jrcito recruta-se; o recrutamento a base
nica e exclusiva de prover de torgas um
exercito ; assim, os engajados formam um
meio de recrulamento, porm voluntario;
os reengajados esto no mesmo caso ; resta
o recrutamento forjado queum typo|vestin
do diversas formas, formando combinaces
differentes.
Nos temos dous melhodos do recruta-
mento toreado ; temos o recrulamento tor-
eado individual, que aquello que se exerce
as ras apanhando o individuo que nao
tem sences por lei; temos o recrutamon-
lo collectivo, ^ue aquelie que faz mar-
char os balalhes da guarda nadonal como
corpos destacados para auxiliar o exercito.
Sao formas diversas de urna mesma idea :
recrutamento forjado.
O systema de alistamento, combinado
com osorteio, urna forma deste typo com-
mum; mas deixa porventura de ser recru-
tamento toreado ? Nao, de certo. Ahi
est sorteado o individuo, preciso procu-
rado, empregar a violencia e a torca para
segura-lo e reduzi-lo a jurar bandeira.
O Sr. Jc.NguEiuAd um aparte.
O Su. A.NORADE FiGuiiiiiA : urna se-
gunda cacada, aperfeicoada, menos o ar-
b itrio.
O Sn. Uarte de Azevedo ;Logo pre-
fer vel.
O Sr. A.ndrade Fic.ueuia :Nao digo o
por as-
ha \a imperfeifoes e incar-jsim dizer, o actual systema, licar a sorte
Eu devo observar, Sr. presiden-1 to circumscriptn que nao passar de urna
le, e a cmara o sabe, que a parte relaiiva; designado previa.
proprianictite redaeco compete ao l"j O Sn.'Kioieiha:Augmeata-se a idade.
ni as eu avoco a
com tudo quanto
signatario do projecto
mim, torno-mo solidario
elle escreveu.
Pode ser que baja no projecto urna
ou outra pequea falta propria de todos os
trabalhos humanos : mas o que certo
que o Ilustre relatar da commisso urna
pessoa de altos merecimeutos Iliterarios.
(Apoiados.)
O que certo que o talento transcen-
dente desse nosso collega d 'pillado pelo
Rio de Janeiro abrange de um golpe todas
as quesioes; o que certo que o sen
espirito caminha rpidamente ; mas tambem
verdade que as d 'scobertas do nobre de-
putado pelo Cear nao tem o mnima pre-
cedencia ; c se nao vejamos.
S. Exc. disse que a commisso andar
mal, dizendo:' Exccptuam-se do alista-
mento. Que se devia dizer : i Exccp-
tuam-se do servico. >
Se livessemos dito como entende o no-
bre deputado, Sr. presidente, teamos
indubitavclmenie coinmettido um grande
erro.
E neste ponto seja-me licito faltar mo-
deslia; este trabalho da commisso su-
perior a lei franceza, poique naquelia lei
se diz : Exceptuam-se do sorteio :
Os nobres deputados vem que deste mo-
do ainda o individuo que nao est no caso
de servir fica sujeito ao alistamento: s
exceptuado do sorteio : tiram-se os -nme-
ros subsequentes, e estes sao os que tem sustentado contra o Paraguay.
O Sa, Ji'xgiT.iuA:Ento, em vez de lo-
mirmos os mancebos aos 1S anhos de da-
de, sua entrada na vida, quando anda
nao tem urna vocaco, nem familia, quando
ao tm lanzado raizes, chamaremos para
o servico das armas individuos que tenham
j tomado eslado, e se lenham dedicado a
alguma prolisso vem a ser peior e mais
vexatorio.
O Sr. Figdira : Os casados eslo
isentos.
O Sr. Jr.vo! t.ia :Parece-me, portanto,
Sr. presidente, que o projecto com algumas
emendas qm a sabedoria desta augusta c-
mara Ihe suggerio. poder prover a urna
palpitante e urgente necessidade publica.
O systema que vamos estabelecer destina
se para as occasies ordinarias. Nao ex-
clue o alistamento voluntario; mas por
meio delle nao se obtem o numero de sol-
dados necessario aos quadros do exercito.
Temos urna experiencia de 47 annos para
demonstrar que esse meio. s nao pro-
ficuo.
Nao podem >s, Sr. presidente, flear esta-
cionarios ; o marco miliario nao pJe estar
sempre diante dos nossos olhos. Todos
vem que nao deve continuar o system1 da
cacada humana. Para as grandes occasies,
para as crises nacionaes surgir o sentimen-
te publico; teremos1 ento voluntarios em
numerosas legies para fazer frente a urna
guerra estrangeira, semelhante que temos
desig-
de precncher aquclles que j csto
nados.
Na lei franceza illimnam-se do servico
aquelles individuos que nao sao francezes,
e os que tem soffrido pena infamante e
aflictiva. J v o nobre deputado que n|o
podamos usar dessa loen ai, quando
nao nos referamos a excluses, c sim a
isences.
Portanto, dizendo nos; Exccptuam-se
do alistamento temos estabelecido maior
garantii.
Reconhece, pois, a cmara que este pri-
meiro reparo do nobre deputado pelo Cea-
r n3o lem a menor procedencia.
S. Exc. notoa que na 4* isenco se di-
zia: t O viuvo, que tver lilha menor, le-
gitima ou legitimada, e a educar e criar em
sua residencia. *
Entendeu S. Me, Sr. presidente, que a
palavracriarqueria dizer nicamente
amamentar.
Nao ba tal; consulte o nobre deputado
os nossos concidados se.jam arrastados os lexicographos, veja os diccionarios mais
lV\H nt >l.i \.t ii- PA.m^UiM.inA nnk!tAH!A n ..... J. J______ .1?________*____1_____ .... 1
por meio de um recrutamento arbitrario e
violento ao campo da batalha, e, que de
l aquelie que voltar coberto de cicatrizes
c do honras, em conversacio com os seus
conterrneos, nessas noites serenas e tran-
quillas das plagas brasileiras, elle nao pos-
sa dizer : Marchei, mas designado pela
|e: nao fui arrastado pela vontade de um
subdajgado. Nao, senhores, no occi-
dente da vida deste hornera nao hver
este ponto negro
\qiielle que vai levado pela lei, vai, mui-
to nobremente, a sorte, ministro da igual-
dade, como ha poseo disse; e cima da
sorte a lei que a instituto, quem levou
este individuo aos campos de batalha para
defender a sua patria I
Portanto, que differenca existo entre a
Europa e a America? Se ha differenca, a
concha da balanca pende em favor deste
t uro immenso e virgem.
acreditados, e ahi encontrar por exemplo,
no diccionario do Faria, que a palavra
criar claramente synonimo deeducar,
prover do necessario, ensinar, cuidar, ele,
Portanto, o pensamento desta isenco
est descripto conforme mandam os mes-
tres.
Assim, tambem a palavra enfermid
abrange a incapacidade physica e moral. E
a de que usa a le franceza, e que os seus
commentadores dizem que se refero a sur-
dez, myopia, epilepsia e loucura, alm de
outros soffrimentos.
Deste jaez, Sr. presidente, sao as ob-
jeccoes com que o nobro depotado quiz
atacar a commisso; mas mlendo que S.
Exc. nao foi feliz. muito fcil passar
com as azas ligeiras da critica sobre qual-
quer objecto ; mas pouco depois, entran-
do-so-em um exame minucioso, conhece-se
E em circumstancias communs nao prec-
savamossahir do'quadro dos mancebos de
18 annos. A nossa populaco livre que,
no mnimo, pode ser calculada em cinco
milhes, tendo-se em vista a estatistca da
Franca, que orea em 1 % numero de
mancebos de 20 annos, offerece com facili-
dade 50,000 jovens, sobre os quaes se far
o sorteio.
Assim se alcancar com promptidao em
cada anno os tres ou quatro mil homens
que forem necessarios para preencher-se o
quadro do exercito. Em circumstancias ex-
traordinarias, ahi est o patriotismo da na-
Co para levantar essas phalanges de bravos
que correram s armas para defender e
exaltar a bandeira auri-verde, para renovar
as jornadas de Valmy e de Jemmapes, onde
alguns batalhoes de voluntarios desbarata-
ran! os melhores exercitos da Europa. Re-
novar-se-ho as gloriosas batalhas de 24 de
maio de 1860, e de Villeta e Lomas Valen-
tinas 1
Por consegueinte, o projecto que discu-
timos est no caso de ser adoptado pela c-
mara, pois que se destiaa para os lempos
ordinarios e nao para aquelles em que a
melhor defesa do paiz est no coraeo do
lodos os brasileiros, (Apoiados; mudo
bem; muito bem.)
O SR. ANDRADE FIGUEIRA : Sr.
presidente, usarei da palavra para susten-
tar a emenda substitutiva que tive a honra
de enviar mesa.
Circunscripto como deve ser o dbale
ao art. r do projecto em discusso, parece-
me que a discusso havida na casa se lem
cooao que deslocado, nao considerando as
aptides daquelles que devera ser chama-
dos ao servio das armas e as sences que
devem favorece-los. assim que o debate
se tem alargado a respeto do alistamento,
objecto do art. 2o a respedo do sorteio, ob-
se firma a opinio publica, isto necessi-
dade de modificaces na legislado a seme-
lhante respeito, mas ainda preparou a ruina
de seu systema : porquanto, segundo o
systema da conscripcao, a igualdade para o
servico militar ser a mesma que se d
actualmente com o recrutamento toreado.
A igualdade da conscripcao antes perante
as eventualidades do sorteio, do acaso, do
que diante do servico militarque nem todos
os alistados sao chamados a prestir. A
sorle designa uns, deixa (car outros ; eis
ahi toda a desigualdade.
Seiihores, pelo systema adoptado no pro-
jecto desapparece Intoframente a igualdade,
o alistamento e o sorteio nao podem fir-
mar-se nessa base, que tantas vezes se tem
allegado. Por mais que se queiram excluir-
s isences nao ha"lei em paiz algum que
nao as consagre serent fundadas na diver-
sidade das vocaees, as considerages das
familias, na proteceo a certas industrias e
profisses.
Recorra o nobre deputado lei que creoa
a conscripcao em Franca, organisada pelo
general Jourdan, enella encontrar casos de
isenco, apezar da paixo pela, igualdade
que dominara a poca e o paiz.
A mesma nobre commisse, que a prin-
cipio se moslrou pouco inclinada s isen-
ces,'tem mudado de proposito propot*-
jfo que o deDate vai progredindo. Assim
uo seu projecto nao pode so dar a fantasa-
da igualdade; porque tanta desigualdade se
da na conscripcao, como no recrutamento
actual, em que tanto inflas o arbitrio da
autor, dade recrutadora. (Apoiados.) Que
ha arbitrio incontestavel ; o ponto prin-
cipal desta reforma cortar por elle.
Eu acredito, Sr. presidente, que o senso
moral da naco nao se olTende com as isen-
cjs que a nossa legislaco lem reconliccido;
eu acredito que o senso nacional acha fasto
e at mordisador que os casados, os viuvos
com filhos, os tilhos nicos d; viuvas c ou-
tros comprehendidos as excepces da lei,
continuem isentos, assim como que as pe-
quenas industrias do paiz continuem a ser
protegidas ppr meio de isences em favor
dos poucos que as exercitam.
Segundo o bom senso publico, devjm
figurar nos quadros do exercito smcnle
aquelles a quem as isences nao aprovei-
tam, a saber : a classe dos vagabundos, v-
veiros de criminosa ociosidad'. s:! i lo a
phraso apropriada do prembulo das ins-
truce's de 10 de julho de 1822, sem em-
prego e sem oceupago henest de que snb-
sistam e, ao contraro, perturbadores da
tranquillrdade publica ; ou a classe dos que
nao tendo 'os trabalhos manuas c profis-
ses protegidas pela lei, tem todava recor-
sos para se fazer substituir ou para pagar
a contribuico pecuniaria que a lei designa
como meio de exoneraejo do.servic/).
Assim mais devem ficar sujeitos. como
massa recrutavel, alm daquelles que ti-
0 Su. Duarte de Azevedo :Pode haver
[-violencia na priso, mas nao a ha na de-
signaco.
O Su. A.ndrade Figiieira : Meus senho
res, a aversio dos brasileiros, em geral-
pelo servico militar e a preferencia que do
com razo a carreira civil, sao asss co-
nhecidas; esta averso nao desapparecer
em prosenca desta lei; as disposicoes natu-
raes dos brasileiros nao raudaro porque
ha urna lei de mais na collecco de sua le-
gislaco, isto jamis pode alterar as conli-
C-oes de um povo. (Apoiados).
Feito o sorteio, ser ou nao precisa a
mesma violen jia para capturar os cidadaos
alistados que a sorte designar ? Semduvida
que sim. (Apoiados.) Eu desejo que a lei
passe, porque contera ideas boas emquan-
to impede o arbitrio ; mas a experiencia
vira em pouco demonstrar a realidade de
m'nhas apprehenses. Evita a lei o recru-
tamento-toreado como meio de prender re-
clutas ? Nao ; a questo, pois, de forma
apenas, mas o emprego da. violencia, esse
continuar.
Sendo assim, senhores, quaes as vanta-
gens que promette a reforma ? Eu indi-
quei-as ha pouco de passagem.e vou agora
oceupar-me mais detidamente com ellas.
A reforma util.eu" aceito de coraeo,
mas nicamente na parte que se refere ao
alistamento e ao sorteio ; porque no syste-
ma actual do recrutamento toreado por de-
signarlo arbitraria, faz-se/ degenerar a ms-
tituico era instrumento de perseguico.
(Muitos apoiados.)
Nao s instrumento de p'rseguico,
tambem um meio de crear de fado privile-
gios odiosos, porque individuos que sao
sujeitos ao recrutamento deixam de ser re-
crutados, ao passe que o sao outros as
ni 's-mas condices, e at aquelles que del-
les eslo isentos.
O Sr. Benjamn :E' objecto das perse-
go.icSes das autoridades.
O Sn. Anorade FicEira :Nao s ins-
trumento de perseguico, como diz o no-
bre deputado, mas um jogo ampio e pe-
rigoso de corrupeo para autoridades pou-
co escrupulosas encarregadas do recrula-
mento. (Apoiados.) Durante esta guerra
como Paraguay, sobretodo,. nao poucas
autoridades se tm locapletado com o tra-
balho gratuito de recrutas e de guardas de-
signados que oceultam e prolegem estes em
suas fazendas. (Apoiados.)
E nao para admirar, porque o sytema
actual jpresta-se a essp genero de corrupeo
desde que nao ha um alistamento, e por
consequencia a autoi idade superior nao po-
de saber qual o individuo snjeito ao recru-
tamento, nao pode exercer liscausaco al-
guma. Entretanto o exercito soffre, e des-
moralisa-se o principio da autoridade.
O Sr. Benjamn d um aparte.
O Sn. Anduadk Figukiba : A autoridade
verem recursos e daquelles que nao tiverem superior ignora em geral esses fados, e s
qne bouve desejo de destruir sem edifi- jecto do art. 3' e sobre o peasaraento eral
oceupacao as industrias, todo o pessoal
que .exceder as necessidades das profisses
uteis, tudo sar, todos quantos bracos imitis a ella re-
corran! por abuso e como meio de evitar o
recrutamento.
Comprehendeis, senhores, que a verda-
deira igualdade nesta materia, como disse
nm grave pensador da Franca, consis-
te em tratar desigualmente condc5es de-
sigoaes.
A-lei nao pode considerar na mesma
plana o homem casado, com familia, o o
que a nao lem aquelie que exerce a til e
pequea industria, como a nossa marinha
mercante, corno industrias fabris, as pro-
fissjs que se prendera aos inleresses ma-
teriaes e nioraes do paiz, o os vagabun-
dos qao pertutwm a tranquillidade, e para
os quaes o mais ellicaz meio de represo
o recrulamento. (Apoiados).
Esta a verdade pratica que todo o
paiz sent; em vez de pedir a reforma
neste ponto, ella revoltar-so-ba contra ella,
vendo marchfr o pai de familia deixando
os fitios, e campear o vagabundo. (Apoia-
dos).
Ua Voa :Nobilita-se o exercito !
O Sa* Andrade Fioueiiu :' Nobiliia-sc o
exercito I Mas o nobre deputado que assim
o diz procura .manter a chibata Chama
os pais de familia s fileiras, o ao mesmo
tempo sujeita-os ao castigo da chibata.
O Sr. Junqueiea :Esse castigo existe j:
nao se trata agora de crea-lo.
O Sr. Benjamn : Castigo que urna
vergonha para o paiz.
Q Sr. Fenipo : contra a consti
tuigo.
O SR ANoaAOK Figeira .0 castigo da
chibata j existe, verdade, mas. aclaal-
os vem a saber quando j nao tempo de
corrgi-los.
O alistamento e o sorteio tm esta vanta-
gem, acabam com a corrupeo das autori-
dades, acabam cora os privilegios de facto
e com o arbitrio, que faz degenerar o recru-
tamentD era instrumento de perseguico.
Tem ainda outras vantagens accessorias,
que eu chamarei econmicas: poupa a po
pnlaco. porque exige smenle o numero
de soldados precisos para os contingentes
annuos por um methodo previamente esta-
belecido. Preenchido o contingente, ficam
livres as popnlaces dessa grave preoecu-
paco, descansara era paz.
Assim evita-se o immenso mal econmico
que se liga ao nosso actual systema de re-
crutamento, terror indizivel e pnico medo-
nho que se apossaai das populaces. As c-
dades e villas do interior ficam dvspovoadas,
as lavouras sao abandonadas, as industrias
paralysam-se.o proprio commercio nao tem
o pessoal de que precisa para o transporte
dos gneros; e com sso soffre grandemen-
te a economa do paiz.
A reforma vai tambem favorecer as clas-
ses dadas ao trabalho.
O Sn. B-iNJAu.N:Favorece o casamento.
OSr. Andrade Figeira:E convm
que seja favorecido.
Pelo systema do alistamento e do sorteio,
aqueles que deixam de ser sorteado ga-
nliam sua lberdade plena para se applica-
rem s industrias, desapparece o funda-
mento e o pretexto para esse terror pni-
co, a eme me referia. .
Taes sao, senhores, as vantagens reas
que deparo no novo systema. Notai, po-
rm, que quanto ao alistamento, objecto
do art. 2, e ao sorteio, objecto do art. 3.
Quanto ao art. Io, que trata das aptides
o suas excepces, nao darei me* 'voto para
une se acabe com as sabias incoes actual-
mente estabeiecjdafr. y
GSr. Doai edo: Ap'oiado.
O Su. Andrade Kigleira :O hnralo
orador da commisso dizia a poHco que es-
tabelece a emenda urna rede tal de isen-
ces que abrange toda a massa recrutavel.
Mas, senhores, o nobre deputado nao at-
lendeu q;fe das isences acluaes eu n3o
consagrei no substitutivo aquellas n > tem
mais razo de existir, supprimi todas qne
a mudanc-a dos tempos e o progresso da so-
ciedade tem tornado inuteis ; e todava com
todas as isences acluaes, com um proces-
so defeituosissimo, com os grandes abusos
da sua pralica, a maleria recrutavel nao
lem faltado ao exercito vai para meio se-
cuto.
A emenda substitutiva, prevendo que as
isences desfalcam a irassa r. crutavel, pro-*
curou providenciar, ampliando a idade dos
recrutados, em vez de 18 annos, ficam so-
geitos ao recrutamento aquelles que 15o
tiverem isences al aos 21 annos.
O Sn. Feiireiua da Sii.w d um aparte.
O Sr. Andiiade Fu'ceira :Actualmente
csto sujeitos at aos 35 anuos.
O Sr. Ferreira da Silva :NIo estJo.
porque somente a respeito do primeiro
anno.
O Sn. Andrade Figeira:Refiro-me ao
recrutamento actual, que sujeita at aos 35
annos. En prefiro salvar as isences con-
sagradas a despeito de prolongar o alista-
mento por tres anuos, antes do que redu-
zi-lo somente a um anno, sacrificando as
isences.
O honrado relator da commisso lecla-
rou em seu aparte que a comniissSo acei-
tava no alistamento do primeiro anno todas
as ences da legislaco actual.
Senhores, urna idea esta da honrada
commisso com que nao posso concordar
no ponto de vista do systema por ella
adoptado. Se porventura o systema actual
condemnado at as isences que con-
sagra, para que continuar a observar-se
mais um anno ?
Se porventura esse systema deve ser re-
formado, se fica desde logo condemnado
e deve ser substituido, para que fazer um
alslamento que so tem de servir para um
anno ? E' urna incoherencia, urna con-
tradicao, que condemna ao mesmo tempo
o recrutamento actual e a reforma..,
O Sr. Pereira da Siwa :Nao tem ra-
zo.
O Sn. Andiiade Figeira:...porque a
nobre commisso a primeira a desj-ontiar *
da sua obra, a primeira a duvidar que a
reforma d logo promptamente no primeiro
anno o contingente necessario para satis-
fazer as necessidades do exercito.
Bem sei, senhores, que o honrado minis-
tro da guerra, respondendo hontem a um
aparte que Ihe fura dirigido a este respei-
to, referi-se aos fundamentos do relatorio
da commisso de exame da legislaco do
exercito para sustentar esta disposicao ex-
cepcional de um primeiro alistamento cora
as isences das inslrucces de 10 de julho
de 1822. Mas, senhores, nao acho pro-
cedentes as razes da commisso alludida.
Em .primeiro lugar nolarei que a dispo-
sicao intil, porque, se porventura o pri-
meiro alistamento tem de comprchender
todos aquclles que actualmente nao se
acham isentos, para que inserir-se na nova
le da reforma 1 Faca o governo o recru-
lamento por mais um anno, segundo as
disposicoes em vigor, e depois ponha em
execuco a lei, segundo um dos artigos fi-
naos do projecto da commisso.
O Sn. Preiua da Silva :Mas, se po-
demos organisar um exercito no primeiro
anno por meio da qualificaco e do sorteio,
para que havemos de querer organisa-lu
cora o recrutamento toreado ?
O Sr. Andiiade Figi kiiia :Mas, se a,
honrada commisso entende que as isen-
ces actuaes destroem ou prejudieam o sys-
tema da conscripcao, o que significa essa
combinaeo para o primeiro anno?
O Sr. Pi'iikiha da Sirva :Significa dar-
mos urna base mais larga para termos
maior contingente.
OSr. Andrade Fii;i"Ein.\:Pela cons-
cripcao ou pelo systema actual I
O Su. Pereiua daSilya:Pelo systema
da conscripcao estabelecido.
O Su. Andrade Fkteira :Pelo syste-
ma da conscripcao combinado com u actual
quanto a isences, ha de se recrutar
aquelie que recrutavel hoje.
O Su. Pnenu da Silva d um aparte.
O Sr. Andrade FinrEinv:O nobre de-
putado talvez nao se record que este sys-
tema de recrutamento por pigo j foi en-
saiado pelo ex ministro da guerra o honra-
do Sr. Jeronymo Francisco Coelho, no seu
regulamento do Io maio de 1858. Eu
acompanhava p ento a administraco de
urna provincia, e vi pr-se em pratica a
idea; o resultado foi nao haver esse anno
um s remita. Este regulamento estabe-
leceu que dous illezes antes de comecar
o recrutam nto violento, a cacada, como
se diz, se apregoasse em todas as fregoe-
zias que se ia proceder a elle; applicaya-se
at um edital de que o regulamento dava o
modelo. Durante os dous mezes erara re-
cebidos voluntarios, aos quaes o regula-
memo conceda favores e gratiicaces.
O Sr. Pinto Moreira: Era um ensaio
de conscripcao.
O Siu Amiradi: Figeira:Isto foi en-
saiado com tanta infelcidade que nao deu
resultado algum. O prgo do ediial foi
aviso aos recrulaveis para que se evadis-
sem I O regulamento caducou nessa parte,
nenhum presidente o pz mais em pratica,
apezar de nao ter sido expressamente re-
vogado.
Esse mesmo regulamento ensaiou outra
idea que a honrada commisso consgnou
no art. i" e contra a qual hei de faltar em
tempo, refire-me aos alistamwltos por fre-
guezias. Estabeleceu o recrulamenta e o
engajamento de voluntarios por freguezias:
provou to mal como o prgo para o re-
crutamento.
Mas, senhores, as razes da commisso
de exame da legislaco da exercito que
me propunha analysar sao estas : 1, que,
atrasados como nos adiamos em materia
de eslatislica, o primeiro alistamento nao
pode aspirar bastante cooanca.


(GantiHuav-se-ha.)
T1T. 1M> DIARIOBl'l pas ckTz^H
i
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E10833R5F_IWOR5L INGEST_TIME 2013-09-14T02:39:18Z PACKAGE AA00011611_11916
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES