Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11915


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Mi
1
V
.
'.
v

AMO XLK. NUMERO 3.
.0381

b Zl ti
Me A CAUTA! E IGABES OTO IAO SE PACA FUTE.
for tre* mezes adfantados. ... ___
Portis dkosidan...... ..".'.*......... JK
Por od amo idem. ............ Wm
wnrtj SEXTA FE1RA 13 DE AGOSTO DE ife
rA DENTRO E TORA DA PIOVWCIA
Pwr tro ws adraBt*d......
Prfkls ditos dem..... .......
Por no>i ditos idm .... *.........
PortniaKBOv
S
*
.'t.
'13$ (
61780
114100
aojM
274000
>.* r
---
1 '" "
.....
* i
______
rapriadOe de Stand Mgnera de Faria & Rife.
..ufe,
,------~
-------' ------------------------
^tm\ ^L ^^h B ^r-j ^^^.^ j
teta. Geranio ^w iM.hg *lh ol***r; Jo^j*** > <*<,-"""^
Ptreira d-Alraeida,
L"TSaf JfEJ?S^^/ **> ** **> <*!"*' ** 1 Antonio ****, da Siln, no NMH; *%,*,
_____
i-
PAITE OFFfCIAL
rL-
toTcrmm *r prortteta.
IW.yV.TOS BA TICW-nftSIBBfTCH DO DU 7
p.JJgj" B'WrradcVasconwtlo^ Jojrfor%Soja
italuq""" Venancio r-aWeira.Seja relevado da
Jg10*1 H3p,isU das -W.-Seja relevado da
9
Antonio de Deus Teixeira Rosas.A' vista das
mtonnanoes iio lera lugar o qoe reqoer.
Antonio -Jo** Rodrigues de SooM.-Conce-
*iaMw .
*d\4rge Mana Coelho.-A' vista das infbrma-
om nao (era lugar o que reqoer.
Jos de Carvalho Arante Cavalcanti.Informe o
Sr. inspector da thesourari.i provincial.
Joaquim RodriguesiMaia de Oliveira.Informe
or. Ur. chefe de poteia.
Jos Ferreira Seta.Concedo 15 das.
Jos Hereulano Tliotnai de Aquino.Encaml-
nhe-se.
Marliniano Francisco de Pauto.Informe o Sr.
coomiandairte do presidio de Fernando.
Manoel Vicente Ferreira de Mendonea.Informe
o Sr. general commandanie das armas.
Manoot Joaquim de Oliveira.Conceda-se nos
termos do regulanicnto do presidio.
Manoel de Carvalho Paes de Andrade.Informe
o Si. Dr. jutz de direito espacial do cominercio.
Eslas modificacdes devem, por outra parte, dei-
zar intactas as prerogatfvas que o poro rae con-
uoa do modo mais explcito, e ana sao as eondt-
fm escMdMstM nm poder, salvagoarda da or-
lante da soeiedade.
>da no pattrtofcSaint-adud, jofthode I8W
-ir-fc-;---------
Kcpartl^o da polica.
2." secro. Secretaria da polica de Pernam-
baea, tt de agosto de 1869.
N. 1189.Illm. e Bxm. Sr. Levo ao conheei-
nenio de V. Exc. que, segundo consta das parli-
'ipacdes rccehidas n'esla roparliro forain roco-
lindos a casa de detencao ossegnintes individuos :
-V ordem do subdelegado do Recfe, Jos Joa-
quim Nogiu'ira, por dfciarbios.
A' onlem do da Boa-vista, Mara do O' do Esps-
rilo-Santo, por insultos; e Jos I.eite de Aieredo
Ronde, por crime do olTonsas-pliysicas.
A' orj.-in do dos Afogadoe, Francco das Ca-
fr*. por crime de offensas physies.
Dein CTarde a V. Exc. Illm. e Exm. Sr. Or.
VaooM do Kaseimenm Machado Portilla vice-pre-
-idente da provincia. O chefe de pocia interino.
-Franrhro Ash OUrcira Maciel.
DIARIO DE PERMMBUCO
-------_-------------------,,------
r.ECIFE, 13 DE AGOSTO DE 1869.
.NOTICIAS DA EUROPA.
Ohogou hontem pela nianhaa o vapor fanuea
.'i-nf sendo porra dor de Jofatien, eotn dntas :
ihinibiirgo 20, Londres 13, Pana 21 e Lisboa 29
Mu pausado.
de ManHlinvi dtttJWa'pb), qtle coli-
irariava no todo o perrsampnto e a marcha do mi-
nisterio, alguns dos ministros ialgaram indispen-
>avel a sua retirada ; organisnte- o imperador o
novo ministerio da seguinm fnni : Duvergier,
juslica ; principe de la Tour d'A'avergne, estran-
geiros ; Forcatle de la Roquete; interior ; Magne.
fazenda ; Niel, guerra ; Rigault de Genowilly, ina-
rmha ; Bourlteaii, instrucrao publica ; Alfred Le-
roux, obras publicas; Cnasseloup Laubat, presi-
dente do consellio'deestiido ; jando supprimldos
os ministerios de estado s da casa do imperador.
Os nos-os ministros- da jnsTica, estrngeiros, ns-
iruccao publica, obras publica?, e o picsidente do
conselho de estado.
Acerca desses' botos personagens, diz um jor-
O Sr. Duvergier tem 73 anuos, e juriscon-
sulto celebre e conhecido pelas suas obras de ju-
risprudencia.
O principe de la Tour d'Aovergne era o mais
novo dos embaixadores de Franca. Tem 48 an-
uos, tem sido ministro em varias cortes o ltima-
mente ein Londres.
Bourbeau um jurisconsulto distineto, que j
ro depulado em 1848 assembla constituinle,
que foi professor de jurisprudencia, e publicon ira-
ballios importantes sobre processo civil.
Alfredo Leroux era uaa dos viee-presidentes
do corpo legislativo, ha muito tempo que entrou
na vida poltica eomo depulado, e anles disso era
conhecido por alguns eseriptos liUeraarios.
t o marquez de Chasseloup-Laubat senador,
foi deputado desde 1837, e ministro em 1851 e
em 18a8.
Entabolara-sc negoelacoes para se chegar a um
accordo entre os depulados da esqnerda o do ter-
ceiro partido. Julga-se possiveluma colligacao pa-
ra faier face tendetcias da iaioria para obrigar
o governo a ampliar a goas concessoes.
Reunio-se'o conselho de ministros para se tra-
tar da (|uostao do tentitus-consiUtos, ntts anda
nao sao cetiheeklos os termos em que ser dirigi-
do.
la'
Fr.VNC.v.Hodi/icaroex liheratt na pnlilica interna
fi sis modicnrofs. Condiiyes do principe de la
Ton, (TAtmrpU para entrar no ministerio.
ii 'uto du enmara dtCtiva.
l.\'iL\"iKKP.\..1 cam-ira idas feitat pela cmara alta ao biit sobre a
igreja Ja Llanda. A cmara alta mantem em
un a otacaa importante as emendas feitas. Que
l'irr ijorerno? Confinnacodat desordens na
Iran la.
Ai.i.iaiANH\ Observarao e ciumes entre a Prut-
tul e a llnssia. por causa do descncolrimento
wittl-atO dttqnella poteoria. Lkra termellt" da
u iv as recriminacoet do goret no da
eonfedente&o da Allemanha do Norte contra a
Auitvta, sobre o desenUtcedn qitestdo turco-gre-
ga e Nwfe i dif/i'-aldadi-s com Rwin.
Av.n'.Kh/k.Hicmiiposiaio ministerial, e adiamen-
m-nto do rongresso. Conspira/fio carlista, guer-
ili'i. I) Carlotaoha-se em Smarra. O go-
ilropai. Ogoverhoprende generaet
e .'fp'-ri -as para as i'.anarint.
rase ludo na capital da cliristan-
dad" ;. rra a renniao do concilio.
Oriehtr.Ctnslilacdo da Se. i
.i -..i.'.oucltuudiqui-stao franahl/tiya.
''iRTir y .Ci terit. on ^mprestimo.
Dtts
KI1ANCA.
Qitando ocMprtg'isiavo tr'atava de verfi-
r:ir o- ; adRs'^K seos membros, o a oppo>i
iitereoiro partido preparavam-sa para agresenui-
es sobre a necessidade de garantas e li-
" la'des, o imperador, desejoso de fazer de.-ap-
i,irecer qualquer prevenc,o contra o pensamento
IrsOTfvverno. dirigi essa cmara a segrale
men
Srj. depulados.Por declaraco de 28 de ju-
nlio mhecer o mea governo, que desde a
ibertura da prxima legislatura ordinaria, sub-
inettcra alta ai is resolncoes c os projectos mais proprios, em sen
eoneeito, i ara realisar os desjos do paiz.
(>>r|>n legislative parece ambicionar, todava.
i cAnhoraianto immediato das reformas acorda-
das pelo meu governo, e cu crcio dever anticipar-
K' mioha arme inieafo (a o corpo legislativo
iImM c.ompiehende-lo fcsslm) dar s suas attribui-
i;oes a cxtensaocompativcl com as bases funda-
uienlaes da rnnntilniojn e voo expor-lhe por
iueio tsta lacnsagem as deter.nmai)3ea que
tumei.
'.ouvocai'-se-ha o senado to promptamente
(manto seja possivel pera esammaf as questoesse-
goiotes
i.' Direito do corpo legislativo para fonuar o
scu ri'gutamento nteiioreeleger a sua mesa.
2" Simptit) re o modo de apresentar
o examiciiir as emendas.
i 3." Obrgai^ao do governo de submeltor ap-
.ovaeo legislativa as modilicacoes as pautas
das que de totora se estipulen! por
niojo de tratados internacionacs.
4." Votago-do orcamento por captulos, alim
i'd tornar mais cmplela a intervencao do corpo
i f?ac rait i t c".
c C." Supj>ress3o da ioc Miipatibilidade que exis-
to actualmente entre o cargo de deputado e o de
i .rtas funecoes publicas-, especialmente as de mi-
nistro.
6.a r>*ensao do cxercieie do direito de inter-
paUaoao.
. O ni' u governo esludar tambem as questoes
que locan s aniiljnicoes do senado.
t A aolidariedadi) ser estabelecida entre as c-
maras e o iaeu governo. A faculdade de exercer
-'ia vez as faoceoes d ministio e o cargo de
deputado. A presenca do todos os ministros em
arabas a amaros. A uVIiberacao, em couseiho,
dos uogoftios o eulido, e por ultimo, urna leal in
lelligeticlaean a maioria, conslilueni para o paiz
todas as garantas que httscamos em nossa cora-
iiium solieitude.
< J por nao poucas veas, tenho mostrado quo
'Usoslo erapre esWu para abandonar algumas
<1 miolias prerogalivas a bem do interesse pu-
blico.
As .raoAlicai/iea que mo decide a propr sao
o.^senvolvimento natural das que se io realtaa-
oo succesoivameote as inslitqicdos do imperio.
?p ufarla do imperador nada diz sobre as mo-
iliCMas qu(> se vao effeelar no senado ; circu-
im, pon'm minios boitos, que n5o mencionamos
por n*) serem revestidos da authenticidade; po-
rei ovlente tj(W a iatervencao do senado na
csnfcccao de Iway deve ser daqui em diaute mais
activa.
E' de crerqneseja conccSidoao senado o direi-
to de eineiHla, e por consecuencia o de regeitar a
leis, sera ser para sso necestario que ellas sejaiu
ipialihcadas de inconsiilueronaej. As sas attribui-
coes aproxiinr-sc-hao, pois, das cmaras altas
dos governos parlamentares.
Mr. Thiers, que contina a fazer forte opposicao
ao gnveruj DL;4oa,l uj> impar
reooio obiien o> gorern__
ludir por mais tempo. Acabou o poder possoal. Os
povos da Europa, j o nao querem. Qnaiido t
re, lem-se obrigaro de passar o estreito, c Ira-
zor para ca as instituicoes coostitucionaes da In-
glaterra. Se es reis nao quizerem atravessar a
Mancha, atravesaaro os powjs o Atlntico
Anda se naopublicou o manifest dos deputa-
dos ta opposicao: o terceiro partido persiste as
ideas e nos principios formulados no pedido de in-
terpellaeodcs ceiito a dezaseis.
O governo franco? resolveu nSo convocar o cor-
po legislativo rbffo qni o senado approve as mo
dilicacoes contita'eionaM. ma* convoca-lo para 26
de outuoro.
ReeoBhecem os governamentaes u necessidade
da dissoluijo da cunara, mas e>ta medida inop-
portuna antes determina^ verifieacao dos po-
deres. Esperan-se, pois. *ft|cfles gerae3 para os
pnmeiros mezes do [iroximo ame!"
Trabalha-se activamente em assgurar a cleijao
de Rocefrt na l1 u 7 circumsciapQoe, A^,-
gura-se que logo que l'r eleito, regresar Fran-
ea, apezar de se achar privado de diroitos pol-
ticos.
As condieoes apresentadas peto principe da La
Tour d'Auvergue para acceitar a pasta dos nego-
cios ostrangeiros parece que foram as seguintes :
A Franca continuar a proteger a soberana tem-
poral do Papa ;a sabida de Duruy, e a sua no
mea$ao para o cargo da seuador no mais curto
praso possivel. 0 principe Auvergne, leve ama
conferencia com o Nuncio do Papa, e afBancou-lhc I
qor o governo imperial, continuara a proteger*
os estados da igreja contra qualquer tentativa
mazzinisia ou garibaldina. Suspenderam-se j as
negociacoes encetadas por pona, com o marquez
de La Vallette, acerca da forma de se retirarem
le Roma as tropas francezas.
0 Sr. de La Valiette foi nomeado embaixador
em Londres. O Sr. Arnuud primeiro secretario
da embaixada de Roma, foi nomeado chefo do ga-
binete do ministerio dos negocios estrngeiros.
O Diario-Offkial publieou os decretos noniean-
do os ex-rainistros Vutn e Duruy senadores do
imperio; e o ex-mnistro Rouherj presidento do
senado.
Esta cmara foi convocada para 2 do crreme,
alim de encelar a discussao das reformas eoosilu
conaes constantes da mensagem supra, e mesuio
oe revisao da sua lei orgnica.
Os conselhos geraos dos departamentos vao re-
unir-se o raai; brevemente possivel.
Assignou so urna convencao sobra a axtra-
diccao dos malfeilores cutre a Franca e a Suissa.
Desta convencao foram excluidos tolos os crimes
e deudos polticos.
l.Nl.ATERBA.
.Depois da Franca inquestionavelniente a In-
glaterra a que attfahe presentemente a attencao
dos polticos. Os jornaes veem cheios da noticias
desfavoraveis as emendas que a cmara dos lords
introduzio no bil da igreja da Irlauda. Deb.ilde
Disraelj protesta contra as condemnacoes muito
summanaspara elle, dirigidas por Gladstohe con-
tra todas as emendas da cmara alta; os communs
rejejtaram as emendas.
A opniao publica ojie segu attentamenlo o an-
damento desta questao, tambem nflne no animo
dos deputados. Honre ora cojnicio na salla de S.
James, era que se flzeram os mais enrgicos pro-
lestos coBlraa* orneadas dos lords no bil de Ir-
landa para se approvar o bil por irrteiro. e s
o bil.
Continua a haver grande excitado na cmara
dos lords. Os_delegada das duas cmaras reoni-
ram-se mas nao ehpgaram a accordo algum.
A cmara alta resol ven por 173 votos contra
95, raanter as emendas do bil. A discussSo foi
addiada at o jeverno resolver o que deve fazer.
Honro novas desordens iva Belfnrt. Foram
atacadas algumas escolas ealholeas urna das qnaes
ficou compTetmente dwtrnida. A imheia foi ata-
cada pedrada; mas restableeeH-se a ordena
Em Surgar, tambem na Irlanda, foram destruidas
16 cansas catholloas pelos orangistas.
E' curioso, mas era cstnemo anventavel o es(ac:
taculo fue aciDalni'iite aprsenla a Ipglalejn:
duas cmaras qu o guerreiam ; dous povos que
que continuamente se hoslilisam ; a Cmara fres
lords sosientada materialmente pelos orangistas;
dos eommuns pela maioria do pavo.
Nesla luta parece devarem (car derrotados
aquejles quo querem fazer sentir o jugo da escra-
vidad a nm pVn q>w sen irmSo a todos os res-
pailes.
\.~A^**$*1l**4i*#*'* JMt, de n de jo-
Ino diz que AVareao OOHro* feniaoos visitaro*o
Kimbros do |ibllpBj%)i1B|l n governo que de
aBOjUHneo- ot JhtM9 precisos ^ra oltar a
Ibardade daa faiaooe 'Mandexo e americanoB
roooa em ota*Na
Pu-ao qm m flqa JNfttvo* o goooeoat womel-
leram apoor esta o.usio; mas que o Sr. Har
pelo oontrarto eondemnara forieraentc o fenianis-
mo, dizendo ihio as partidas iovasoras do Ganada
estavam compostas unicamenta de ladrees.
ai.lkmakha.
J*a Allemanha continua o antagonismo entre o
norte e o sul. A correspondencia de herlim ata-
ca vKdeBtamenw o Uvro vertntlko austraco
IRothbnck). Aqueile periodieo considora a fede-
raco do sul,. objectos dos $utdario* do Sr.de
Heust, como aforavel ao patriotismo austraco
unitario allemao.
Os despachos OBtidos nesta peca offloiaJ dvi-
dem-se cm trosi.fortes ; f as recriaaiaacoes do
jvoroo da Allemanha do on contra a Austria-;
' partn que a Austria tomn em apasiguamea-
to docoBflieto tureo-giego; 3? s suas dllioul-
dades com a corte de Roma.
Dr/em do Vioana q*ie sao sfsm fundameoto os
boatos relativos demissao do Sr. do Beust, qpa
o dijem doenle, e fjae precisa descancar, ou que
o dao como fatigado de luctar contra a camarlba
palaciana.
0 embaixador francez em Vienna o Sr. Grara-
mont continoava a negociar com o governo aus-
traco, sobre o procedimento que devero ter a
Franca e a Austria, por oceasia da renniao d->
concilio ecumnico. O chancceer austriaco, o
conde de Beust favoravel a urna completa abs-
ten cao.
Ja nao ter lugar a projectada entrevista entre
o imperador d'Austria e o imperador dos france-
zes ; assira o asseguram os jornaes inspirados pe-
lo conde de Beust.
O re Guilherme da Prussia renunciou defi-
nitivamente a sua viagem Kiel, parece que para
nao aurmpntar o descontentamente na Rnssia que
muitotsc inquieta com o deseavolvimento da mari-
nha t,prtisiara. I OITlJIlT
A i'fttssiai em conseqaencia dos progressos
fetos em toda a Europa vai moditicar o ar-
mamento das tropas prussiaaas, intnxluzin'do nma
nova arma de agulha, dopois do umitas ojyjefiHnf
ciae. A Russia, apertou as suas relai'oes- Franca, porque olli.i rom inquetaco i'al^^p
-----
.Ve'
isabellina, qae planeava entregar eiddeila ;' fo-1 numero, pi u i
ram presos os agentas da ooBspJfaco. lugat. ^1
oj ^l qi21-^ C,s 6 ^mjTbo" wilil) no car' de nosso correspondente de Lisboa
k as iw oroo oa notte da casa de oamneronfle fcopmo o que segu ;
eslava escondido e quo tomara o camio de a-I Volteo da ilb do S. Miguel a corveta E*t-
^-..,. l....... ... WJ IpiKinm Es restbeleeido o socogo, mas a fome
u ffeatratcarlista hilo, nnhi sabido c tomado a aprlava a waetaeao.'
mesma dw^lo 34 \mm bcb. Este vauoTval voli
O principe D. Alfonso de JoUrbOn, portio o>
non para Hospanha. O irmao do pretendJisnte D.
Carlos alferes do exercitri pontifcip.
O m.irechal Vega Inrtait preso eoi Matrd-nae
lem a menor ejimplicidooo na tentativa de asoas-
tmato de Serrano Pnn e Rivcro.
Os generaes Vaga Inola, IneitaL Villalongo e
lodos os mais offieiaes silperiofos que teem sido
presos em Hespanlw foram deport/idos para as Ca-
narias.
O sojwral I^fsoodi recnsou-se a lomar parte
nos projectos dos Babclbtas.
Oreseive do Wspantia general Serrano par-
lo para a Granja ta tarde do da 20: Sua alteza
era acoinpanbadi peVt Sk.- Lapes Ilwtlngucs e pe-
los ^etrs ajudantes, nrorqner de Aliada, c bario de
Bonifay.
. Os republicanos ltesnanlios D. Emilio Cas-
4 tellas, Orese e Figueras l'uram fazer urna digpes
sao a Franca. Conta-se que os republicanos fraa-
Cezps I he preparar urna rece.pcao condigna.
Dizein do Nova-York qua,foram capturados
os liubusteiros do xpodiejio do coronel Rejan, que
se haviaia esoapado; este rigor do governo ame -
ricano dever por termo a.Ues expedicoes.
Diz-so que*i) poucas as probabilidades dos in-
surreecionsuros' cubanos.
^0 estado' aanmirTirirra melhor, as febtes havlam
diminuido ; mas iusurrocrionadoB. sem hospi-
toes para so trataremr fianprtr foragidos e perse-
guidos pela tome, soffreram mais que as tropas re-
gulares.
ROMA.
Kazent-se na capital dos Estados I'unlilicios
grandes preparativos para o concilio, o qual se
reunir a Irasiliea de S. Pedro e nio na de S. Joao
de Latrao, onde era costme retmireiti-se os con-
oilios. Os discursos seo em latim. Os esteno-
graphos serio seaimaiistas ilc diterontes nades
por causa /a^llfurente maneint como o laliin
uncia lo am divers >s paiz.s. SuppHe-se que
4iHw m limde ontubro eshrao r*anniaosni Roma
mais dcitii)fl btspos. Muitos dos bispos serio un-
I is uviutes porque nao sabem Hallar'
r. J *ffr'2E C0!" a "aa-cru* da ord*m d*
i>nnsw o *er de Tonto,oeoo a-d Avia oooakai-
xaacr, eoOBo commeoda d* iboso oroom in-
rprete, e com o grao de offlcial da onteas'da
D)rrc vEspotteof 4atilitmq,eaoonoa*am
o general. t
^,awarwElrysvfc
PmNAMBUCO.
apor va rollar aos Acores, can,
ae mifto e ouarw neoeros para secorros b llame.
JSo cmara dos deputados foi approvaqa a au-
mnsacoo ao governo, pora eontratar, tem encaraos
as lintK submarinas do Portugal a Inglaterra, a
bibralta* ou Americ* do Norte, tocando nos Aco-
res, e fo approvado^or quarenta o oilo votos ca-
era vmte a daugj o poreoer da moiom do eommis-
sao sobro o projecto n. 40, qao trata do registro
oas aerv-Moes, refonmimo um dos artigos do c-
digo civil.
Foi baptisado em Bwsde o principe real de
Saxe, fjlhp do prncipe Jorge e da infausto prince-
za de Portugal Df Mari Anua, na capella parti-
cular,Jp principe Jorge.
Foram padnnhos o summo pontifice, a impe-
ratnz Carolina le Austria, vkiva doFraoejaco I, o
a rainha da Blgica.
Em Janeiro procedet-se-ha com toda a soleni-
nida le em Lisboa ceremonia da coRocacao da
Snmeira pedra do monumento que val ser rgui-
o no largo das corles, em memoria do grande
orador Jos Estevao Cocino deMagalhes. Parece
que est encarregado um habel artista de gra-
var a inscripcao na lamine que deve ser apresen-
tada.
O eonsul de Portugal no Cabo da Bba-Espe-
ranca parti para as trras do Transvaal. afim de Brasilsendb orador o Br. SMnphronio 'coutho
irar com o presidente da repblica de frica Entrada franca para lodos (pie quizerem ouvir
I
o
EEV1STA DIAEIA.
AUGUSTOS VlAJAStresPodendo dar-se ,
caw de-s vir larra S. A. o Sr. duque de Saxii,
S. E?so o Sr. vce-presiVoie da provincia resol-
ven ne oesse caso apenas- seja icado nos mastt'os
das torres do arsenal de inonba e telezrapho um
galhardele encarnado, dnmfe a fortaleza do Brum
tres tiros no caso, porm, de tambem saltar S
A a 5ra dnqueza, cima do galhardete encarna-
do jiera colloeado o pavilhi> brasileiro, dando a
fortaleza seis tiros.
Essa providencia foi. toma*, aflni de se nao in-
coramodarem as senhoras, caso s venha trra
o. A. o br. duque.
O ponto dereuni de todos- os convidados o
palacio da presidencia.
CLUB RAC.'CAL.Domingo, 15 do corren te. ha-
vera conferencia publica no-sala do Clol Per-
nambucanor sobre a tbeseO partido radical n
iiiii.ii ltlUl. 01 i 1
eniolvimento martimo da Prussia.' i,.,-, 0 itendam, e alguns do oriente nem cagara
E falsoo boato de ter o re da T>rus*m aceita- a entene-lo.
lo a mimo tle interceder, apoiaadoprpoaiao da oriknte.
corte romana para que o imperador c^nsinu qile.
os bispos da Russia, assistauv ao concilio ecum-
nica O uniierador de todas fis finala*; nnga-
ternunantamonte I cenla para os bispos toiuarea
parte nos trabalbos do concilio. A Russia est
resol vida a nao deixar introJuzir no imperio, o
principio de infalliblidade do |iapa,no caso do
concilio exigir a intlltiiidade da -.gina.
O imperador Aloxandre sahira brovemoute
a Crimea niiit tnc visitar dlUa>ate.
H80|JU
Realisou-se alinal a rocomposicSo mimsto
terial, Picando assim organisado : Priin, presidente
e gnerra ; SirwH, esto*; Zorilla, graca jw>ti-
ca ; Sagasla, govetWSytb'; Ardanar, i'azda ;
Echcgaray, fomenlo ; Topete. Jmariiilia ; Becerra,
ullr-Hoiar.
Desloa sao novas ministros os Srv /.orilla, Arda-
nar, Echegiray e Becerra, os qrtas represen'.am
os tres partiJos, que lizeram a rcvolneao.
Essa recnmposigo foi em goral bem aceita pela i,
impronta, sendo apenas censurados os rainsl
demcratas pelos jofnaes republicanos.
As cansaras foram adiadas, Meando no intor-
vallo das sessoes organisada una commisso para
velar na guarda da constiiuico.
A asiembJa d.i
conslituicao, cajos
.
Servia est disoutudo urna
.ionios fndameotaes sao : he-
reditartenie d tlirono no familia Obrenovftch ;
o poder legislativo exereldo pelo principe de 'ac-
cordo cuno o povo ; este elego !K) lepresentantes
oliusptsehina ou assembla legislativa ; o principe
nomeia os50 restante;; os representantes saojjpi-
los pur tres anuos ; .a aSsomWea iv convocada to-
das os iidados; divisodos
BodeJtii"?' Iibpribrte "*u' MlgJInB^; uuBtstrOs
P^Bueii; i', autonoma dos municipios.
Por Occasiao do oneerramonto da Sk-;iisehi-
na de Belgrado; foi lido um dioeurso da regencia,
que .diz o seguiste :
A Servia di.'poisile ->0 rtnos osaba a obra da
sua au! eiuinia^Odo a si mesma invi conslilui-,

EsUi conslilnifo aprsenla garantas para a
sg"uranc:a do mrorfo. Al-aneaoios a lberdade
-"n flerramamnto des.an^fue. Unamos aordem
liBerdado e d piipOospBrir
Um lelegra nina .. Urunn (Moraviai diz que
liouvealli serias desordfens. Deo>se um conflicto
entre operarios; a forca publica interveio, depois
de pedradas de-urna parte e tiro- ole mitra, lioavc
bnstamos-mortiiS e fefids. Oovertio mani i re-
Apenas fechado o congresso, descobro-e urna torcos,
consplracao carlista, que, sem ser muito numero- E^avcm de Conjuintsopla que e.-t:V quasi
sa, contavn eomtndo eotn alliad-is no o\-ereite, lerminada,.-! questao las illj^s Spores. Os habi-
Para sulfoc.i-la foram presos em "Madrid vario-tantes desas illia-ifiosir.nu rtpirito.de fonctliaco
olliciaes e sargentos, aos quaes foram apprelien- i |,.,ia com'.. Porta ; st5 orde;i >n que em c nse-
didos proelamacoes e cartas. Giras possoas fo- pteeJa das perd:is causa tas pelos ulmos tremo
ai" prisas em varios pontos. Tambem se q*eo-
lineara alguns deposito de armas. Pouco depois
enmoearam a apparecer alguns. bandos e guerri-
lhs em varias provincias, soltando o grito car-
lista. O governo publieou lei do 17 dj abril de
1821 contra os conspiradores, psrttrba'dores da
res de trra, aquellas iHias 'sojom is-mpla? duran-
I cinco anuos do pagamento de tuxu- c impos-
tes.
ordena guerriHias e salteadores. E.ta le cu
ser de urna poca liberar nao deixa de ser pela<
suas diaposicoes^um mouiumanto, diaua-dste eras do
absolutismo.
Em sognlrtofo* transcrevemos os ultimas tele'-
grammas acerca dos movimentos carllsta
^Os te|c;.'rammas das provincias mostrara ter
diminuido a effevercencia causada com os boa|oa
de prximos movimentos carlistas.
Na Mancha comecaram us movimentos car-
listas com diversos bandos, que se calculan! jun-
tos em quinhentos borhens.' O telegrapho de Ciu-
dad Real foi cortado, mas restaueleceu-se logo de
poi. Te ve lugar um primeiro encontr entre as
tropas e os insurgentes.
Os bandos carlistas, de que fez oac b m-
tem, foram completamente batidos, e dispersados
pelas tropas do commandapte Toinareti. As noli-
cas das provincias sao salisfatorias.
Continuara as prisoes dos a?entes carlistas.
Apontam-se alguns novos movimentos sem gran-
de importancia. Descobriu-se urna eonsp i
caruata em Pamplona, (me tinha por lim anode'-
lai-so da cidadella daijueJla cidada- Um Jos
principaes conspiradores foi morto e nutro fiociu'
terido. Grande euthusiasmo entre os beraesote
Pamplona.
Na Mancha appareceram fortes bandos carlis-
tas. O brigadeiro Sabariegos cominanda um ban
do composlo de quinhentos homens, bs quaes sao
perseguidos por forjas coasideraveis.
t Foram disDersas as nartidas carti
cha.
A Turqua prepara um reflu amento de adrarais- cabo que lhe sobron da lirdul
traeSo qwe ser aoplicaeo as Spori
l) re da Grecia ileoi- do re-taheiocimeiih)
Austral un tratada de commercio e limites entre
Portugal e aquella repblica.
Est gravemente enfermo o conde do Farro-
oo. Este fidalgo, outrora tooppulento, tem side
infeliz, soffrendo revezes sobre revezes, eom snc-
eessiyo detrimento de sua armiada fortuna.
Sao satis factoras as mclhoras do respetvel
patriarcha de LisbOa, o eminentsimo eardeal Ro-
drigues, que foi convalescer para a fornvosa viven-
da dos vscondes do Paco do Lumiar, no sitio d-
queila denominacao.
Tem-se cantado Te Deum em todas as fregue-
zias do patriarchado, em ac^fio de grabas.
Regressuu de Mogo-feres o Sr. Antonio Feli-
ciano de CashUio,.muito mcltior dos seus padeci-
mentos.
No Diario de Sovidades de hontem vfnha um
annuncio um que o Ilustre poeta convidav a
quem quizesse servir-lhe de secretario, o quo pro-
va que vai entregar-se novamente aos seus trba-
Ihos luteranos, o que 6 urna boa nova, de certo,
para todos quanros presam o relevante escripto do
tao jnsigne escrptor.
No domingo 23 de manhaa, sahiram do Laza-
reto, os 62 passageiros vindos no Extremadur dos
portes do Brasil.
Espalhra-se na capital uue ao lazareto novia
seis casos (Je febre auiarella. OtUcialmenle se des-
montio, declarando o ministro do remo que so
dous doentes havia a!li, um de tubrculos pulmo-
nares, e outro de febres intermitentes. Rstejul-
ga-se livre de perigo e vai melhor, pelo que se
estabelceeu a traniilldade nos nimos dos mais
t i mtalos.
. flBw9" a Lisboa D', Angr-lo Fernandez do los
itio?. novo ministro hesptroltol nesta corte.
Termip.-i no dia primeiro de agosto a exposi-
can distrlctal de Coimbra.- A concurrencia tem
sido grande, e muito maior ser nos ltimos dias
ein qtte ha trens do caminho de-ferro e precos re-
duzidqs.
< Acliam- presidente do conselho de ministros e ministro da
fazenda em 18oO, o o D. Havoteo Bscossnra, es-
criptor e esta muito conhecido nesta capital.
O governo portuguez receben nm telegramma
da conipanhia franceza do cabo transatlntico.
propondo assentar immediatamente nina linha te-
egrapMea submarina de Inglaterra a Gibraltar e
a Lisboa.
A corapanbja s pedio previlegio por 20 ary
nos, apodera para agosto prximo principiaros
trabalbos de coUocar, para aprovertar o resto do
do. Brest aos F.sta-
/
toj|k:!, teiiciona fazer urna visita,. alg
lieranas.aa Eprou,i, .i mi 11 .i rainba, entt'etantbj don informar a i'ste respeito
enr M-c.-e7.-hla da regencia.
para toaos (fue quizerem ouvir
o orador.
INSTITUTO' HISTRICO- F. PHaOSOPHICO
Iteunio-se hontem esta soeiedade, cia do Sr. II. Cavalcanti, e com Sstencia dos
Srs. A Barros, Bandeira df Mt-llo, Carneiro l.eao.
Reg IfottO, R da SilveiF.'. Albuqoerque Mara-
nhao, T. de Oliveira, Narciso de Carvalho e Po dos
Santos.
Foi concedida a eliminaran de socio effectivo,
pedida peto Sr. Anastacio Soimares.
Sendo pesio a votos nm parecer da commissao
de syndicanci, sao approvados socios effectivos os
Srs. Flix Riblro de Carvaih Jnior. Francisco
da Silvcira Carda o Josi'- Brando da Rocha J-
nior.
Depois de lonjro debate entro os Srs. Barros,
Molla oda, Carvalho, Lefio e RandVira ; foram eli-
minados : Os Srs. Silva Pinto, Alfredo Lnvola,
Parizio Valladares, Vaz Curado e Almeida Caval-
canti, a bem da soeiedade ; c Vicente S. Pereira
Lemos; Jos Fernandes tWlhei. e Jtiaquim Ribciro
Gnedos, como inctirsos no aft. 56"dos estatutos.
FESTIVIDADE.Termina-riTo hoje as novena?
de Nossa Senhora da Gloria na sua igreja na fre-
goezla da Boa-vista : tendo amanhaa lugar, s 5
o meia horas da tarde, as vsperos. No domingo
a 10 horas entrarii a festa, crendo no Ev.mgclho
o Rvm. Estoves Vianna. A's 6>da tarde entrar o
TeDeum, sendo oradoroBrm^'%iB|e!IujnTM
Espirito Santo. '
MATRIZ DE SA:rrO ANTONIO.Doixamos de
mencionar, na noticia quo demos ha alguns das
sobrest greja./is nome* das pessoaa que diri-
gem actualmeny a irmandade do Sacramento des-
ta freguezia, o/ime agora fazraos,
Juiz, Jos Jjcxamjrq Riheiio ; e-crivo, Modesto
do Reg BaD.sta : tliesouiwo, Jos*-Joaquim Bar-
lio de Miranda Santiago ; procurador geral,
Joaquim/Mymho Bastos; procnraiiores Jayme
Eneas Gomes da Suva, Joao Baplista Ferreira da
Annuaciacao Jnior, Joiio WalfrodO de Mederos .
e Fr.Tbcisco Jos Goncalvcs de Siqueira ; definido-
res Miguel Arcrfanjo Mradello, Francisco dc'Sou-
za liego Montciro. Tiliurcio Valeriano Baptista,
Joaqnim Leocadio v"ieas. Augusto Paulo Colom-
biez, Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro, Manoel
Januario de Amida. JoaoTtapista Pereira Lobo,
.'os Joaquim Barbosa da Silva, Francisc i Antonto
Pereira de Biko, Antonio Augusto da Fonseca e
Agslinho Jos Soarej.
E' fura de. toda a coUeatacJo^ quo o disuado
pcssoal dista me,-a ogodora, raapica a maior cou-
tiuita sol.re aexccllente adminislracio, que sab i'
desempenhar.
O pingue renJimcnto dacuiella irmandade xa
i
dos-Unidos.
A associaciij commercial de Lisboa.-j-epre-
-ent "ii contra'as quarentenas e o gover/ man- I miporlaucia de eefea de contos por anuo, a
I don informar a e-i" espeilo a junta unsnltativa| Par. .ua qualidades goralmonla reeonhecidas o
- de Alhenas qne o n ir ni.i.a | dar o seu parecer
de sade publica, que elegeu urna cotiimissao para
lenciona
Gregos.
a-sistir ao baptismo do lilhi do re dos
D"LIJICA.
J O conflicto franco belga csij definitivamente ar-
rnjadq peja c nixte a -j'V-uto dos
toxis plfzcs. As cunaras belga? vurecar-se para
apprpya a cnnreieo ;eiebni*ent psdousgo-
veTnOS.-
POIITIUM..
Reinando desde muito dblitminia entre o mi-
nistro di tzoiid.'yo a commissao respectiva da c-
mara dos debutados, o governo resolveu convocar
urna renniao da maioria dessa cmara, nlim de sa-
ber i\\\ a opmiao della em r -torio
.e sua forma de obrar. Hesai reuna o. depois de
algumas coteideraQdes pesailas contra alguns mi-
nislFos, Uch bem patenta a vontade amtnimoda
samara da que salara todos os ministro., menos o
$c Inspo de Vizeu.
Em vista de tal resultada, o governo deciaron
Jue dentro de dsx dias dara soluco aos desejos
a cmara, das estes que eonriaai. "
essfl respeito diz-aas nosso corrospondeate, no
dia 2! :
(Circuloo Imato deque grandes diftlculdades, edes.
dispersas as partidas carlistas de Mau-
Nas provincias ha tranquillidade. Em Pam-
plona o brigadeiro Lagunero de-coriu Tima c
pirata i isabelista, com o lim de so entregar a ci-
dadella ; os agentes desta conspirarlo foram pre-
sos.
Um boletim extraordinario .do governo de Ba-
dajoz, do dia 27 do passado, diz o seguinle :
O Exm. ministro da goveruacio eommunica-
me o seguinte :
c Itouve um encontr de tres companuias da
tropa de linha com urna guerrilha carlista entre
Pieou e Piedra Buena, tendo sido esta ultima
persada, de-|>iis do baver deixado muitos- morios
a feridos. Entre os morios acbava-se o antiga co-
ronel carlista Agapito Crespo, e entre os feridos
o brigadeiro Saburiego, quo conimandava a guer-
rilha. Dos nossos, apenas um official frdo e
tanto a iropa, como os voluntarios da lber, i
guarda civil, e muitos honrados culados dan :
ras prximas, que nos silo aaicoados, vao em decimenl : Ci de se-
je tem opposto reconsleacc i do gabinete, e que
o duque de Loul fora chama 1,^ para organisar
outra situaca Outrus dizem quo o conde d'A-
Tilla o encarragai pela eoroa de formar ministe-
rio novo!
i) Jornal do Cammerto, porm, d+z qao B inais
irovavel organisacao miuiscerial a seguinte :
t Anselmo Brsttncamp, presidente do conuelho
e ministro do reino ; Jos Luciano (te Castiv. jas-
tica ; Macelo Pinto, fazenda; Robelto do Silva,
obras publicas ; Salazar d Eca, gut-rra : quanto as
pastas, da marinha dos egoeios extranceiros,
diz nao so recordar quera saotjunavalbeiros ndi-
giados.
A 26 foi lido as cmaras o decreto prora-
gando at lo do, eorreute a se'ssaq acta!.
Nao se tendo realisadQ o erpreolirao Gyos-
chen;.i'oino a deolarou as cmaras.o ministrada
fazonia, enlabularam-se iicgociacrcs c c u.-luio-se
o einprestin i, 09 Londres.
S. M. a rainha ida d- seas pa-
lista commissao ficou assln composta :Jos
Ribeiro da Cunlw. prosidoHto -da associaco com-
mercial ; Abranches, presidente da junte tle sa-
de ; JMgalbes Coutinb>, lente da encola de med-
ciiw ; Dr. Pita e Dr. I'.anviios, chefe da repart-
caj de sade no minslerio da marinha.
A direcejo da associaco commercial do Por-
to api', sentn o relatorio concerncntc ao primeiro
semestre d 1869.
t Presidio o Sr. baro de Nova Cintra, c oceu-
parara os lugares de secrotarios os Srs. Guilherma
Freilerico da Costa Machado e Antonio Jos de Li-
ma Coinihra.
c m :ii de dezemftro de 18G8 existiam l:iCG
socios; durante o semestre foram admittidos
155 ; -deduzindo 13 que falleceram, e 11 que fo-
ram despedidos ou se ausentaram do reino, ficam
1:595.
t A receita foi de 8*9134086 ris a despez
montn a 2 Ootf'i'.'O ris, sendo 1:018^p00 res
ptdi a pensionistas por subsidios ; CrrjiiO rls
a varios socios por soccorros ; '383050 ris por
despezs graes..
Durante o semestre a direecSo empregou____
:l:339167 ris em ttios de divida publica e ac-
0 fundo disponivcl fla associaco de.....,.
18;6(i 360 ris; e o permanente de ris......
18:2123365.
' AcHS-se m Lisboa nm embaixador do boy de
Tunis acorapaouado de dous ofllciaes, oue eslo ao
servc do exercit francez. Depois do ter sido
espirito a-saz econmico O-XoJoso, plena ortbolo-
xia, e anipladjCHWosidado desses iUustrcs inesa-
rios, pnncipaimpnt'- dos dignoajar, the^onrere c
escriwtoso-portanio mu sejuroa peobores, de
que Viles cqnywenendendo itcvjdainenJo a sua
grandiosa missao, nvidaro tod is os-eofortjos para
elevar a dita sin Irmandade ao fastidio rompativef
de uma verdadeira instituida pa, ja afervorando
cada vez mais o COIto Divino, j pratic.indo mnt-
tos o iinportr.ntes-actos de btmefteopcia, como a
libertac de algumas crias, o (ratamente mofle i
dos pobres enfermes de sua freguezia etc., alias
sem rcreio algum de cortar para to carldosas
obras por cr-rtas dSpSZas i\>: fausto e pompa, que
em duyida sj muito osteri^s e improprias da
piedade religiosa.
GONDBfiORACOES KSTIvM-lllA.-Foi agra-
ciado, cora a comineada de Christo, por S. M.
Fidelrssima, o Sr. Dr. J. Corre i I.oureiro, cnsul
porluguez no Maranho.
TUNNEL DE li")NDi:i->. O Uioncl .te Tainisa,
que.servia de coinmunioaco entre Uotherite e
W'apping, comoc^dn em 18'i o acabado em 18i-',
costando Crea de seisccnlas mil libras.........
(2,700tOOO*(X)o) foi fechado ao publico como pas-
sagem por ter sido comprado pela companhia do
caminho de forro de leste.
TERRA LACIA.Parece que ser este verao
anda mais afeitada que Badn ou Biarritz. Espe-
cialmente os parisin-f sao o* qne mostrara mais
vontade de percorrer os logares onde se operou
o sacrificio do llomem Deu?.
Entre outras expedicoes aquellos logares, falla-
persegui^ao dos revoltosos. 0 governo agrade-
ceu a.uidos, reservando-se premiar conveniente-
mente tanto enthtisiasiBo e dedicacao.
A Gazeta publica a lei de 17 de abril de
contra os conspiradores.
O brigadeiro Saburiego cmnmando umi.gucr-
Iha, que secompoe- de 500 bnui<
O general Milans del Bosch sabia de Madrid com
nina columna volante para percorrec as provincias
flo norte.
Tem sabido para as montaBbs da Catalunba
mars algumas tropas.
Um telegrapima de ?6^ $* que as tcopas da g#-.
verno haviara dispersado a*gur'rilhas carlista* da
Mancha..
O general Caionoro loscabrio ujm conspitafio
i profuso.
S#re S. M., lomos na Prme de Vienna d'Aus-
tria, de 9 do passnd
Itonte nc'.io Imuv .m5o a 3ua ma-
l a rinb*v, no parque Iluminado uo.casiel-
o Leesdorf, p^pjrada peto-mairc de Haden, e pelo.
director de heairos K.Wrr.
Num-.-bsos fcboa, ollocados no terraeo do
castello, '.laminavam- o p ''o do qual
recebido pelo Sr. marquez de S da Bandeira na
secretaria dos negocios estrngeiros, designou-se
o dia em que sua magestade receberia, a embai-
xada, o que se verificou com todo o ceremonial do
costante no real palacio d Ajuda.
A audiencia assisliram o Sr. presidente do
conselho de ministros, efceiaes-inres da casa roal,
alguns ministros honorarios, e mais pessoas que
formara a curte.
. O chefe da embaixada, que o general Ayub
veio encarregado pelo sea soberano de aprsenla r
a el-rey|e Portugal as insignias cravejadas de
brhaotes da ordem equestre da familia Husse-
nita.
0 cmnaxador foi introduzido na primeiro sa-
la pelo reposteiro da real cmara e porttiro da
cana, entrou depois na sala do throno m que se
achara el-'rei.
t Lido o discurso, que depois foi traduzido
pelo iuireprcle, o emregnes' as insgalas, que
sao riquissmas, dignou-so sua magestade de res-
ponder.
< A cercraooipJWminou as tres horas da tarde.
< No diasBfSHPJjerabaixador assisto no
Campo Pequeo as manobras do batallio do qa-
estava a orcheslra, do estabcleemiento da banhos,[^adores numoro.6 e regiment do Itncdiros nu-
dirigid a pelo director Kl^i oa ; couwcaa-4raero 2. Foi muito grande a concurrencia do
do pe h, hyraao nacional poringuez, tecou-wh segu- povo,
da'jpecas^&musica. Terminados co exerwclooo.embaixador coovi-
. A raioaa manitestou- pe seu ; dou.para o seo jantar no hotel de Braganca, onde
c ontentaraetto applaudindo a naph.; se acha hospedado os ofliciacs supetwres de4otjBSJ
rapd I os oorpe
se de urna que saina de Pars de 13 a 20-do cor-
rente mee.
VAPOR SAtAMN.Sahio de Lisboa para o
nosso porte no dia 21 do passado, este vapor da
linha de Liverpool, trazando dosse porto : .'!() bar-
lis com tourinho. 400 ditos com cal, t caixas enm
cajfljk), 42 cora conservas, k com rap, 1 com
mereario, 282 com soblas, 310 com batatas, 2'i
com macaas, 12i cem velas do cera,* fardos com.
pas*, S saceos com cominlio?, 5 fardos e 7 bar-
rica cera em grumo c em pao.
MAVIOS CHEGADOS.-A' Lisboa AngeUca do
Maranho e Amorate do Cear, a 18, Florinda de
Pernambuco, a 19 Lhrwsotte idem, a a 2 ; ao
Porto Fe fue, Clementina Nota SympaJhia, do
Pernambuco, a 21. ,
NAVIO SAHiDO be Lisboa a 19, para o Para,
Maranho c Cear, o vapor tlaranhense.
CIDADE DE OI.INDAO fado que hontem
narramos, du-se com ePTeito em Olinda, tendo
harido algum xeesso de zelo da parte das duas
autoridades- no cuinprimento de suas obriga^oes:
mas ludo ficou samdo, pelas providencias tomadas
Sr. Dr. chefe de puficia, sendo ourida a parte
cuja casa foi vhrejada.
NOTICIAS COM.MERCIAES.-S2o as seguintes
principaes pfacas da Europa, trazidas hon-
te' pel Vapor francez :
1 Lotub-t^Sd dfju
0 algodao lica fu
V* o de PertlambU!
os ; de 12 a 13
o da Parahyba,
MUTILADO I






.6881 3Q 0T203A 30 6* AHlJi
TX&,
rio de Pernambuco Sexta fejra 13 de Agosto de 1869.
eai3
Pe-
de 12 a 12 V4 o do Macei, do U '/ *
Maranhao, d#4.a 13 '/i o do Hio Grande,
O do C.o:u V*[
0 as-uc:tr nUkMm (lea Urm aes procos do 26/
a 28/ o InMlHMi 18/6 a 24/ p niascavada do
O caei i M Parfvendc-e d 43/ a 53/.'
Liverpool, 20 de julho.
O algodio est fln
mos : Pernanibuco o
Paraliyba 12 % e
0 assucar (loa fio
A borradla do Pai
Hture, 27 de jitlh
O algodo est li
nambueo ordinario vendi fr*. 1B?>.
O coums tem mu*) ba proonia.
NAVIO A CARtlA,Ein Lislm;! Gra'
reir Bm-g-s e Billa Fifiuetimse, par Pemam-
uco, Vanda para o Gear, Angeli&i para o Mara-
mhio, e IJqelra para o Para ; no PortoLaura,
Sapkyra e S. Jodo para Pernambuco, Mara Caro-
Un o Formosa para o Marauhao, Amazona e
Ftr do Fm para o Para.
JEUOME.Esto vapor, da linha de Liverpool,
era esperado em Lisboa de 1 a 3 do corrento, era
viagem para o Para, Maranhao e Cear.
EM TRANSITO.Visrara da Europa, no vapor
francez Guien*, 197 passajeipo, sendo 12 para
a Baha, 67 para o Rio de Janeiro, 21 para Monte-
video e 97 para Buenos-Ayres.
Entre elles acham-se u Sr. Bueno de la Torre,
ministro do Per no Rio de Janeiro, e o pessoal da
legaeio ; e o Mr. Mariani, onsul francez na
Babia.
BtHEinO.O vapor francez Guente, trouxe
para os Sis. Augusto Frederico de Oliveira & C
1,000 *.
Esse vapor levou de nossa praca para o sul
10:0005 em moeda.
FBBI1K AMARELLAPela junta do sade de
Lisboa, foi declarado infeccionado de fcbre ama-
relia o porto do Rio de Janeiro.
FORJAS KAVAES DE HESPANBAAs cortos
constituintes approvarain recentemenle um pro-
jecto de li, flxando as toreas navaes hespanholas
para o anno de 18G9 a 1870*.
Eis, segundo essa lei, os navios de guerra de
que dispor no corrento anno econmico a visinlia
Hespanha.
7 fragatas encouracadas armadas cora lo6 ca-
nimes. ,.
5 fragatas, 9 goletas a 2 tran*portaa de hlice :
227 canuoes.
8 vapores de rodas eom 6i canhoes.
urca de velas e 1 transporte mixto.
2 fragatas, urna do fil canhoes e oulra de 28,
destinadas instruecio dos marnheiros.
3 vapores de roda?, 12 faluchos de vela, 70
escampavas, G lanchas e 1 ponlo, para guarda-
ren! as cosas o fazercm rospeitar a inviolabilida-
de do mar territorial.
Sao destinados a to&is esses navios 7,005' ma-
rinheiros e 3,050 soldados Je infanlarude raa-
rinha.
REGIOES POLARES.Esli actualmente em
viagem para a exploracao d'estas regioes ciuco
expedicoes, sendo tres allemias e duas nglezas,
mquanto que se prepara a expedicao franceza da
Mr. Lamber!. A primeira dirigida por Mr. Ro-
zenthal, no vapor liienen Korb, e lem por Gm a
expluracio da tena Gills, e do Groenland
oriental' a
A segunda d> Mr. Lamont, membro do parla-
mento inglez, no vapor de hlice Diana, ha de
vjsitar os mares entre Spitzberg e a Nova Zembla.
Fui para essas mesmas regies que parti o ca-
pitiu inglez l'.illiser. -
Mr. Rozentbal niandou para as costas da Si-
tiera outro vapor, o Albert, o qual sabio a 29 de
maio de Bremerhafen.
Emfim, a grande expedicao allemaa da Germa-
nia, que leva provisoe para dous invernos, e que
rcebeu, no acto da sua partida, a visita do rei
da Prussia, sanio de Bremerhafen no dia lo de
junho ultimo. O rei da Prussia concedeu esta
'xpedico um novo subsidio de 2,000 thalers.
GRANDE INCENDIO.Os jornaei da Europa
trazem a noticia de um grande incendio na cidade
de Ceflo, na Suecia. O fogo manifestou-se no sab-
hado10 de julho, depois do meio dia, litando urna
parte da cidade reduzida cinzas.
As chammas consumiram a municipalidade, o
tekgrapho, o correio, a casa escolar, os estaleii os,
us armazensde deposito, etc.
Geflo Oca a urnas dezesete milhas de Stockolm,
capital o remo ; era a residencia do governador
Ja ^wjneia. 4..Gefleborg, e urna cidade das mais
cornnMTciaes'n.i ouc".
A sua populacao de 13,315 almas.
O fogo consumi urnas setece^tas propriedades
e era consequencia d'este sinis yo mais de 8,000
pessoas licaram em abrigo. S escaparam as
chammas um eslaleiro e os navios que se acha-
vam no porlo.
Devemos notar que a cidade de Gefle, era cons-
truida de madeira, no entretanto os prejnizos das
sociedades de seguros nao inferior a 3,000,080
rixdalcr (860 contos de res pouco mais ou menos.)
COMPANHIA PERNAMBUGANA.-Hoje o ul-
timo dia em que recebem carga os vapores Pira-
pama e Giqui. para os porto* do norte e sul, con-
formo o anuuncio da mesma companhia.
LOTERA.A que se acha a venda a 116',
a Deuelicio da Sania Casa de Misericordia, que
corre no dia 17.
PAS.SAGEIROS.O vapor fraucez Guienne, viu-
do da Europa, trouxe os segrate :
Philipps Ludwig Kalkman. J. W. Stndart, Jakob
Eugsted, Tobia Pierri, Albert Kienzlev, Jeronymo
, Pereira Lemos, Desprey Charles Lion, Mara Can-
dida da Silva, Manoel Fernandos Duarte e sua se-
nhora.
Seguem para o sul :Luz Antonio Cardozo,
Johann Einil Pate, Antonio Jos Rodrigues de
Souza, Henrique Barroso e 1 criado.
ao
ineida Albuquorque i
Sr. desenibargadorMoUa.ApitelLacoesciveis: a|
p'ellatite. I). Joinna Ma'ria das Dores ; appella
o pardo- Antonio por eu curador. Appollat
Joaquim.Rodliguos Tavares de Mel ; appella
o Dr. Bernardo Antonia de.Vasconcellos. Appel-
laiito, a junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia; appellado, o visconde de Suassu-
=
m 0H3IWUH .VJX OWIA
os dictamos da conscicncia, e cabalmente antori-
i-la aUalar mxima do evaageino que enii-
> que de Cesen- e a Deus o que i
faWrlll|tdc taes consideraces nao duvida-
inos tocR.eq*o liera diffundir a mais excntrica ternura, e ex-
primeiros rendimentos da
eserntargaitof B.-tta ao Sr. doarmibarga-
I da Silva.AppeHaroes ctreis : ap-
Jia de Azevedo Gu^pi; appel
| das Neves Wandcrlepesn:i mu
ji.-llante, Domngues Gomes da Frota
iMipp Gomes da Frota. Appellan
laria da Sant'Anna; appellado, Jas
s-ue da S
i. Uabeli
a Imt d;
iui dio
lea, que-
lardoar
do ma-
pron*vem
CHRONICA JUDICIARIA.
TiuiiivtL n.% isi:i.a< lo.
SESSAQ EM 7 DE AGOSTO DE 1869.
PRESIDENCIA DO KXM. SU. CO.NSBUIEIBO CAETAN0
SANTUG0.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. desem-
bargadores Gitirana, Guerra procurador da cora,
Lourenco Santiago, Almeida Albuquerque, Motta,
Domingues da Silva, Souza Leio e Regueira Costa,
abrio-se a sessao.
Passados os feitos, derara-se os seguintes julga-
mentos:
Babeas corpls.De Jos Gomes Wanderley, foi
adiada para a sessiio de 18, mandando-se ouvir o
juz municipal do Cabo. Ex-officio de Felicidade,
lillia da escrava Christina, deram previmento para
o seu amigo estado de liberdade.
Recursos?Recrreme, o juizo; recorrido, Ho-
norio Bispo do ascimento.Relator o Sr. desem-
bargador Lourenco Santiago, sorteados os Sra.
dosembargadores Gitirana e Molta.Uerain provi-
ment. Heccorrente, Salvador B. Nunes Barbosa;
reccorrido, o juizo.Relator o Sr. desembargador
Almeida Albuquerque.Nio tomaram conheci-
mento. Reccorrente, Joao Jos de Medeiros; rec-
corrida, a justica.Relator o Sr. desembargador
Gitirana sorteados os Sra. desembargados Molta e
Domingos da Silva.Deram provimento.
Appellac5es crimes.Appellante, o promotor;
appellados, Espiridio Barbosa Silva eoutros.Im-
procedente. Appellante, o promotor; appellado,
Seraphim Gonealves Pinhiro.Improcedente. Ap-
pellante, Joao de S Lemos; appellada, a justi
S.Confirmaram a seoteflea em parto. Appel
ale, Joaquim Felicio Marques de Olveira ; appel
lada, a justica.Improcedente. Appellaate, o
juio; appellado, Pedro Vieira da Fonseca.Im-
procedente.
Accravo.Aggravante, Jos Antonio do Sacra-
mento; aggravado, Manoel Fereira Mergu-
Iho.Relator o Sr. desembargador Guerra, aor-
tados os Srs. deserabargadorps Almeida Albu-
querque e Souza Leao.Negaram provimento.
Appbu.oes civeis.Appellante. Policarpo los
Laine; appellado, Theodoro Christiano.Despre-
sados os embargos. Appellante, Manoel Jos Car-
neiro; appellado, Jeao Athanasio Botelho.Confir-
mada a sentenoa. Appellante, Bento Jos da Cos-
ta ; appellada, a irmandade de Sant'Anna.Rece-
bidos os embargos.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desem-
bargador Guerra.Appellaco civel: appellante,
Laurentrao do Andrade Lima: appellado, Jos
Pacifico da Costa.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuqaerqao.
Appellaco civel: appellante, Antonio AJves Muniz;
appellado, Bellarmino Gomes de Oliveira
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago.Ap-
pellaco crime: Appellante, o promotor; appella-
do, Domingos Alfonso Ferreira.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago, ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque. Ap-
pellaco crime: appellante, o jaleo; appellados,
Joao Jos de Souza e outros.
app
braf de Mello.
Ao Sr..dembarcador Souza Leao.Appellaco.
civel: ppeilante, o Rr. Gaspar de Manezes Yas-
chccllos de Drummond; appellados, os herdeiros
de Joao Marques da Silva.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Regueira Costa.Appellacoo*
eiveis: appellante, Ernesto Brasil de Mallos; ap-
pellados, os herdeiros de Miguel Alvos de Mel-
lo. Appellante, o major Bento Bezcrra Ferreira de
Mello; appellado, Antonio Guedes de Moura. Ap-
pellante, Joaquim Francisco de Albuquerque San-
tiago ; appellada, D. Francisca Thomazia da Cu-
nha. Appellante, Hilario Thomaz de Oliveira;
appellaila, D. Mara de Sao Jos. i..
Ao Sr. desembargador Gitirana. Appellaco
civel: appellante, o coronel Antonio Alves Van-
na; appellado. Jos Dias da Silva.
Do Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. des-
embargador Gilirana.Appellacoes eiveis : appel-
lanU, o curador geral dos orph'aos; appellado, o
procurador fiscal. Appellante, Manoel de Almeida
Nogueira ; appellado, Maximiano Carneiro de Oli-
veira. Appsllante, Jos de Souza ames Braga;
appellante, Francisco Gonealves da Silveira.
Assiguou-se dia para juigamento dos seguintes
feitos:
ApphllacBes civkis.Appellante, Jos Samico;
appellado, Pedro da Costa e S. Appellante, o
bacharel Bento Jos da Costa; appellada, a irman-
dade do Sant'Anna. Appellante, Flix Jos do
Reg; appellado, Jos do Bogo Granja. Appellan-
te, D. Isabel Joaquina de Souza; appellado, Anto-
nio Jos da Costa Imburana.
Appkllacofs crimes.Appellante, o promotor;
appellados, Espiridio de Barras e Silva e ou-
tros. Appellante, o juizo; appellado, Seraphim
Gonealves Pinheiro.
Com vista ao desembargador promotor da justi-
r.Appellante, o promotor ; appellado, Mauoel
aVares Bezerra Mende?.
As 2 horas da tarde encerrou-se a sessao.
TRIBUNAL DO COHHERCIO.
SESSAO JUDICIARIA EM 9 DE AGOSTO DE
1869.
PRESIDENCIA do f.xji. sr. desembargador a. r. PE-
RETT!.
Secretarlo, Julio Guimarftes.
Ao meio dia declarou-se aberta a sessao estan-
do reunidos os Srs. desembargadores Suva Gui-
maraes, Res e Silva, Accioh, deputados Rosa,
Basto, Mirando Leal e barao de Cruangy.
Llda, foi approvada a acia da sessao anlerior.
Foi lido o oflieio de 29 do mez passado do Exm.
Sr. conselheiro presidente do tribunal do commor-
co de Pernambuco, coramunicando que remette,
porm nao foram entregues secretaria, os autos
de revista entre partes, recorrentes, os adminis-
tradores da massa fallida do Pedro da Silva Rogo;
recorrida, a Caixa Filial do London and Brasilan
Bauk.
O escrivao Albuquerque registrn o ultimo pro-
testo de letra a 3 do corrente mez sob o n. 1788;
e o escrivao Alves de Brito a 5 do dito mez sob o
n. 1721.
ACT.ORDO assignado.
Appellante,'Felieio Jos Yaz de Oliveira; ap-
pellado, Custodio Collago Peroira Jnior.
JULGAMENTOS.
Juizo municipal e do commercio do Pilar, pro-
vincia das Alagas: embargante appellante au or,
Joao da Cunta Meirelles; embargados appellado
reos, os orphos filhos de Joao Cavalcante Accioli:
juizes os Srs. Reis e Silva, Silva Guiuiaraes, Mi-
randa Leal e barao de Cruangy.Foram recebi-
dos os embargos, sendo voto vencido o Sr. desem-
bargador Res c Silva.
Appellantes, Jos Francisco Ribeiro Machado e
outros ; appellado, Amaro Jos dos Prazeres : ap-
pellantes, I). Josephina Bomvinda da Cunha Souto
Maior e outros ; appellados, Mills Lathan & C. :
embargante, Augusto Colho Leito ; embargado,
Benjamim Tuckens : appellante, Antonio Joaquim
Salgado ; appellado, Amonio Gonealves Ferreira :
appellante, Francisco do Lago ; appellado?, os ad-
ministradores da massa fallida de Joaquim Jos
Goraes de Souza.Adiados a pedido dos Srs. de-
putados.
Appellantes, Oliveira Filhos & C. ; appellados,
Eduardo Burle & C.: o Sr. Miranda Leal jhrou
susptico por ser amigo intimo de um dos appel-
lantes, e adiou-so o juigamento a pedido de um
dos Srs. deputados.
Presidencia do Sr. desembargador Silva Guima-
raes: retirando-se da sala das conferencias o
Exm. Sr. presidente enlrou o juigamento d ap-
pellaco interposta do juizo especial do commer-
cio, entre partes, appellante, a junta administra-
tiva da Santa Casa da Mizericordia dcsta cidade;
appellado, Antonio Martns de Carvalho, testa-
raenteiro de Theotono de Oliveira Neves : juizes
os Srs. Reis e Silva, Accioli, Rosa o Basto.Con-
firmou-sc a sentenoa appellada, sendo voto venci-
do o Sr. Rosa.
' w PASSAGENS.
yo Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. dc-
senibargadur Accioli: appellantes, Jos Joaquim
de Castro Moura e outro ; appellado, Galdino
Francisco de Macedo
Do Sr desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Silva Guimaraes : appellante, Francisco
Leto de Carvalho; appellado, o Dr. Joaquim
Serapio de Carvalho.
Nada mais houve, e foi encerrada a sessao
urna hora e meia 'a tarde.
ressiva dedica
fleU.'V
'ianof po:
o Sr.Dr.
ciando esarve
isvellos dos i
o pebs principios
"*" si 110.
nto o Sr^fcfessor Manoel Eduar-
litar ejta Innoceme expus atina e reeonbecinienio.
, Frofucz de Nossa Sentara da Luz 31 de julho U
de im:
O vigano, Ignacio Alves da Cunha Souto-raaior.
.11iqJi A. Arauio PCrelra. ^. j
Manoel Melckiades Cavaleant! de Albuquerqne.
Jos Gemiuiano do Artujo Pinheiro.
Manoel Alves da Souza.
Joaquim de Araujo Pinheiro.
Ignacio dos Reis Carapello.
Lourentino Theodorco de Albuquerqne Lope.
Francisco Cavalcanti de Albuquerque S.
Jos Antonio de Souza Guimaraes.
Jos Pinto da Cunha.
Antonio Isidoro Goraes da Silva.
2 ditas ditas e perfumaras ; a madama Ado1
1 dita cutilaria ; a Manuel A
2 ditas gravaras e modas ; a ^VHHRF Mon"
2 ditas tecidos de la e de algodHe; a Manoel
Alcoforado.
2 ditas sanguesugas ; a A. Caors.
2 ditas ditas, 3 ditas miudezas e modas; a or-
den i. f^yk
3 ditos drogas ; a F. F.
50 ditas cognac. I dita modes;*B. J
1 ditas tej i de algodao eide
tfr. S'em marca.Tfha'caixa vlria do Rio Grande
do Norte na barca Favia, em 13 de maio do cor-
rente anno, fgnora-o a consigiiaco com duas
iraageers de madeira alor de'ambas UOIOOO.
dem dem.Um barril. dem dem com 97 kHs.
do pregos do fcrru.av4riados yalox 2^000.
Alfandega do Pernambuco, 12 de agosto de
1869.
Camisa de meia de algodao una.
LuVas de ntondUo 38 pares.
Faca para cozinlia urna.
Obitia 50massos.
As pesSoas que se propierem a forne-
ilitos obitjctos
c.
ditos*'
calcado
ditos ;
; aJ.
alimenticias ; a
i r)rrs
Protectora das fa-
milias
Em cumplimento do prevenido no art.
29 do regolamento, se convida a todos os
senhores contribuales essa asso'ciac3o,
que ainda nao liverem apresintado as certl-
d6es de idade dos segurados, para que fa-
cam entrega d'ellas, na ra do Livramento
n. id, Io andar, afim de ser expedidas o
mais breve possivel para inspectora ge-
ral do Rio de Janeiro.
As certidoes d'evem ser selladas e reco-
nhecidas por tabelSo.
Itecfe, 5 de agosto de 1869.
Narciso de Vidal
COMMERCIO.
PRACA DO REC1FE 12 DE AGOSTO DE 1869
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Cambio sobre Londres 90 d/v. 18 5[8 d. por
14000.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Seerotano.
PUBLICACOES A PEDIDO.
A correspondencia que o Sr Luiz Alfonso Fer-
reira fez publicar no Liberal de noje, carece de
um reparo meu, urna vez que nella vem meu
iiome autora.
Contesto o romance que engendrou o Sr. Fer-
reira para figurar-se victima de urna tentativa de
assassinator Eu tenho como urna farpa toda a
historia que refere o Sr. Ferreira, com o flm de
querer attribuir a mim, a meu irmao e ao subde-
legado de Panellas a autora de um crime.
E' ceno que, no correr da noite de 31 de julho,
o Sr. Luiz Alfonso e alguns desaffectos nossos, fl-
zeram em sua taberna um grande alarido, e nes-
sa occasiao vio-se um tiro disparado para o ar.
Accudio mais gente, e o Sr. Alfonso contou
multa cousa, disse ter havido militas caceladas, e
um s dos que estavam presentes nao eslava con-
tundido I
Ora, quem inventa historias destas, nao d boa
copia de si. O Sr. Ferreira sabe e est certo que
ninguem quer o matar, por que elle nao emba-
race a ninguem.
Se os que podiam ser embaraco nao teem re-
eeio de ser assassinados como o ter o Sr. Fer-
reira?
Quanto a Jos Nobre, a quera atribue a tenta-
tiva do assassinato, elle defene-se com o testemu-
nho do Sr. major Basilianu de Barros Correa, do
Altinbo, seis legoas distante de Panellas, onde es-
lava o mesmo Nobre na noite de 34 de Julho.
O Sr._ major Basiliano, que um carcter ho-
nesto, nao ser suspeito a opposicao porque pro-
gresista.
Na questo de Antonio Vaz com o Sr. Affonso,
nada tenho que ver com elle, Antonio Vaz o mal-
tratou de palavras, mas nao eslava armado, coma
diz o Sr. Affonso
Mas disto culpado Smc, porque nao se d a
respeito com certa gente.
Nao importa que Antonio Vaz seja acensado da
um assassinato em Quipap freguezia estranha.
Quem o prenden foi o subdelegado de Panellas,
e a polica fari. o seu dever.
Dispeaso-me de tratar do Sr. vigario Feij, que
invoea o Sr. Affonso, porque reputo-o pessoa de
bera e incapaz de calumnias.
Urna cousa pedirei ao Sr. Affonso, que nao
faca thesouro do que sabe, ponha ludo no olho da
roa. Nao quero meias palavras, quero frapqueza e
lealdade, quero ensejo para destruir a calumnia, e
confiar a justica do pas o calumniador.
Recife, 11 de Agosto de 1869.
Manoel Florentino dos Santos.
Os abaixo assignados penborados pelas manei-
ras Ihanas e carcter circunspecto do intclligente
Erofessor interino desta freguezia Manoel Eduardo
ras Wanderley, n5o se podem eximir de vir pe-
rante o publico tributar-lhe um voto de gratidao,
como bolo de plena estima, inspirada conforme
Caixa Filial do Banco
do Brazil.
A caixa filial do Banco do Brazil em Per-
nambuco em liquidagopagao 3 i* dividendo
das acc5es do Banco do Brazil inscriptas
nesta caixa, a razo de 9$ por ac?2o.
Recife, 15 de julho de 1869.
ENGLISH BANK .
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praga 4 taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
oraze llxo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lagares.
Ra do Commercio n. 36.
Saques sobre Londres
SOCIEDADE BANCARIA EM COMMANDITA
Theodoro Simn Sf C.
Sacco sobre os Srs. Samuel Montagu -
C, banqueiros era Londres.
A' vista quantias 5 at 100, 3 dias
de vista quantias cima de 100 at
a 1,000 30 at 90 dias de vista quan-
tias cima de 1,000 at 10,000.
Largo do Pelourinho n. 7.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & 0.
Compram e vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
sejpi de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontara letras da trra e outros ttu-
los comraerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das es-
raas transaccoes, da cobranca de letras da
terra_e de-ouico*t4ulos.commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7.
Novo Banco de Pernambuco
em liquidacao, 3 de agos-
to de 1869.
Os Srs. accionistas podem receber o
sexto dividendo de um e meio por cento
do capital: s quarta-feiras e sabbados.
ALFANDEGA.
Rendiraento do dia 2 a 11. .
dem do dia 12.....
. 1 dita
he
:tC ditas Beeres e conservas
'aupiquet.
8 ditas romas, rame, dregas e
vinbo ; a H. Leden & C.
1 dito dito ; a E. Didier.
i ditos dito; a lis*et frres.
1 caixa papel }erfnaturias; a I, A. Siqneira.
1 dita modas ; a Ed. de Moraes & C.
1 dita ditas ; a Vaz & Leal.
1 dita ditas ; a Silva & Neves.
1 dita ditas ; a madama Lecomte.
1 dita Hato; ao barao de Villa-Bella.
2 ditas marroquins, gravatas e tecidos de laa ; a
Cesto Irmee & C.
1 dito llores e ehapos; a Cbristiani Irmao.
1 dita ditos; a Aramio & C.
1 dita lavas e Aires ; a Augusto Porto & C.
2 ditas ditas e tecidos de algodao e seda ; a J.
A. Moreira Dias!
2 ditas ditos de laa e chapeos ; a Henrique &
Afevedo.
1 dita ditos; a J. J. da Costa Maia.
1 dita objeetos para photographia ; a A. Hens-
chel & C.
3 ditas livros ; a Nogueira & Medeiro.
4 ditas ditos; a Lallhacar & C.
1 dita ditos ; a Joao Walfredo de Medeiros.
1 dita tecidos de laa ; a Flix V. de Cantalice.
2 ditas ditos de dita, miudezas e roupa ; a H.
Leger.
1 dito joias ; a Manoel Antonio Gonealves.
1 dita urna machina ; a Chaix & Gassler.
1 dita espoletas ; a Maturino Barroso.
3 ditas miudezas, e tecidos de la e de seda ; a
Alves & C.
5 ditos ditos de li; a Keller & C.
1 dita chapeos de palha; a Phipps Brothers
&C.
1 dita calcado ; a irmaa Piangni. ,
1 dita relogios; a Linden Weydman & C
1 dita miudezas, 1 barril vinho ; a Mello, Lobo
& C.
lOditos dito, 15 caixas licores; a
Christiansen.
10 ditas e 1 barril vinho ; a Rafee Schmmettau
&C.
3 ditos e 7 caixas dito, licores e conservas ; a
J. Mendibonre.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimeto do dia 2 a 11 17:980*143
dem do dia 12...... 993*241
18:975*684
a Adriano, Castro &
L. Gonpilres Paire
^ apresentar
das com pe-
sessSes do
toras do dia
ente,
.le guerra,
12 de agosto de
229.131*629
15:160*342
244:297*971
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Voluntes entrados com azendas 287
dem idem com gneros 684
Volumes sahidos coro fazendas 84
dem idem cora gneros 475
971
559
Descarregam hoje 13 de agosto
Barca franceza=Ce/^nj/merca dorias.
Barca inglezaNaoniamercaduras.
Brigue inglezMelitemercaderas.
Patacho inglezVeoletedem.
Escuna norte-allemaoGenetivotaboado.
Brigue suecoAnnataboado.
Brigue inglezAfczandrebacalho.
Brigue nacionalAlmeida //charque.
Barca hespanholaVirgo re la Neivavinhos.
Importado
Vapor francez Guibmnb, viudo de Bordeaux
e Lisboa, tnanifestou :
8 caixas nuejos; a J. Gerardo de Bastos.
22 ditas ditos ; a Corga Irmaos.
15 ditas ditos ; a C. Alberto Sodr da Molla.
14 ditas ditos ; a J. M. da Rosa & Filhos.
20 ditas ditos; a Carvalho, Zenha & C.
58 ditas ditos ; i F. A. Monteiro Jnior.
13 ditas ditos, 25 ditas sardinhas : a J. J. Gon-
ealves Beltrao. ,
I dita miudezas ; a Prente Vianna & C. %
5 ditas conservas ; a Mederic Arnouet.
3 ditas tecidos de algodao e laa ; a Ferreira &
Matheus. *
1 dita chocolate; a P. Maurer & C.
30 ditas cognae; a C. Pinto de Lemos 4 C
1 dito calcado; a A. R. Pinto.
3 ditas dito ; a Joaquim Dias dos Santos & C
1 dita dito; a Porto dt Bastos.
2 ditas dito ; a Ch. Leclere.
1 dita dito ; a J. P. Arantes.
2 ditas dito e miudezas ; a Monteiro & Irmao.
2 dltu ditas ; a J. A. de Araujo & C
4 ditas dhas ; a Joao da Rocha e Silva.
2 ditos Joias ; a A. Hyvernat & C.
4 ditas dita* modas ; a Lehman frres.
anta Cmi da Misericordia
kSecife.
A Illma. junt administrad da Santa Ca d
Misericordia doneeife manda fater panuco qwtra
sala de suasgsessoes, no dia 19 de agosto, pelas
quatro hora&la tarde, tem de ser arrematadas
UMMMf fiil i| i n offerecer, pelo tempo de um
tres" annos;\s rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIME.NTOS DE CARIDADE.
Ra do Encantamento.
Sobrado de dous andares n. 3. 600*000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea-n. 47...... 170*000
Idra n. 49........ 184*000
Ra das Calcadas.
Casa terrean. 30....... 178*000
Ra do Calabouco.
Casa terrea n. 20...... 242*000
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37. 76*000
Segundo andar dito...... 96*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do Amorim.
Sabrado de dous andares n. 21, dem 600*000
Pateo do Paraizo.
Loja da frente do sobrado n.29 101*000
Ra da Guia.
Casa terrea n. 29.....192*000
Ra da Gula.
Casa terrea n. 27...... 144J0OO
Ra da Cacimba.
dem idem n. 12...... 146*000
Ra do Vigario.
!. andar do sobrado n. 27. 240*000
Madre do Deus.
Sobrado de um andar n. 9. 360*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 ...............
dem n. 98..................
dem n. 96.......................
dem u. 94.......................
Hi/gin Jos Curlho.
coronel presidente do conselho.
Jos* Baptista Se Castro e Silva,
vogal secretario.
Correio geral.
Pela administracao do correio desta cidade se-
ta publico, para (los convenientes, que em vir-
tude da convenci postal, celebrada pelos gover-
nos brasileiro e francez, serio expedidas malas
para Europa no dia 15 do corrente pelo vapor
inglez Douio.
As cartas serio rocebidas at 2 horas antes da
que for marcada para a saluda do vapor ; e os
jornaes at 3 horas antes.
Adrainistragao do correio de Pernambuco 12 de
agosto de 1869.
1 O administrador,
Domingo do Passos Miranda.
Sitio n. 5 no Forno da Cal.
Theodoro cu nr^tAni1i'nli> dAVArHn
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimeto do dia 2
(dem do dia 12.
a 11.
30:8193156
911*841
31:730*997
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 12.
Bordeaux 17 dias, vapor francez Guienne, de
1167 toneladas, comraandante Joret, equipagem
113, carga fazendas e outros gneros; a Tisset-
frres.
Buenos-Ayres22 dias, brigue hespanhol Pepa,
de 152 toneladas, es pitan Emilio Marxeroo,
equipagem 15, carga 3263 quintaos hespanhes
de carne; a Pereira Carneiro 4 C.
Navios sahidos no mesmo da.
Rio da PrataBrigue brasileiro Marmho III, ca-
ptao Manoel Antonio da Silva Beltrao, carga
assucar e agurdente.
Rio de Jane ro e Bahia Vapor francez Guienne,
commandante Joret.
Ilha de Fernando Vapor brasileiro Cururipe,
-commandante P. A. Nolasco, carga differeutes
genero-*.
Mamanguape Vapor brasileiro Mundah, com
mandante-Penna, carga differentes gneros.
EDITAES.
Perante a cmara municipal desta ci-
dade, estar empraca em os das 11, 14 e
18 do crente, para ser arrematada poi
quem menor preco offerecer, a obra dos
concertos de qu* necessita a ponte do Luca
sita a estrada do mesmo nome, oreada na
quantia de 880#0O0 ; aquellos que preten-
deren! arrematar, habilitem-se na forma
da lei, e compareijam no paco municipal em-
os dias mencisnados.
O ornamento da- dita obra, acha-se na se-
cretaria da mesma cmara, onde ser apre-
sentado as pessoas que o quiserem exa-
minar.
Pa?o da cmara municipal do Recife, 4
de agosto de 189.
Ignacio Joaquim de Souza Leao.
Pro-presidente,
Francisco Canuto da Boa-Viagem.
Secretario.
O inspector interino da alfandega faz publico, que
no da 16 do corrento depois do meio dia e %
porta da mesma alfandega serio levado em
hasta publica, livre de direitos as mercadoriat
abaixo declaradas, comprehendidas as dispo
sigdes do cap. 6" titulo 3* do regulamento de 19
de setembro de 1860.
Armazem n. 8.
Sem marca.Um barril de vinho vasio sem nu-
mero vind do Liverpool, no vapor inglez Pantlieon
em 26 de junho de 1868, ignora-se a consignacao
no valor de 1*666.
Marca C A M.Urna caixa a. 1, vinda de Lon-
dres no lugar oldemburguez Sagitta em 4 de
agosto, idem com 12 1/2 girrafas de vinho do rei-
no com 3 litros, valor do litro 1*200, ris 3*600.
dem J A P.Urna caixa n. 16, vnda de Lisboa
no brigue portuguez Soberano em 24 de novembro,
idem com frascos de vidro n. 1 pesando liquido
legal 83 kil., valor de um kil. 666 ris, 55*278.
Sem marca.Urna tina vinda de Liverpool no
vapor inglez Alhambra em 22 de Janeiro do cor-
rente anno, dem com carne de vacca em salmo-
ra pesando liquido legal 15 kil., valor do kil. 400
ris, 6*000.
Armazem n. 9.
Marca diamante H.Ura fegareiro de ferro sem
numero, vindo Liperpool na barca ingleza Imogene
em 31 de marco de 1868, consignado a Shan Han
Kem 4 C, pesando 8 kil., valor de um kil. 160
ris, 1*320.
dem loireiro.Um cmbrulho vindo Je Lisboa
no patacho portuguez Afana da Gloria em w d-j
novembro, idem a Maia & C, com palhas avulsa
pesando dous kil., valor de um 2*, 4*000.
dem S.Dous fogareiros de ferro vindo de Li-
verpool na barca ingleza Seraphine era 24, Sawn-
ders Brothres & C, pesando 13 kil. valor de um
160 ris, 2*158.
dem K H CUrna caixa vinda de Liverpool no
vapor inglez Saphire, em 17, a Keller 4 C, com
urna figura de barro ordinario quebrado no valor
de 2*000.
dem letreiro.Urna caixa sem numero vindo de
Londres idem no brigue inelez Elena em 8 de Ja-
neiro do c rente anno a Johonston Pater 4 C.,
como palhas avulsas pesando liguido legal 6 kK
valor de um 2*, 12*000.
dem idem.Una dita vinda do Porto da barca
portugueza Despique II, em 11 de fevereiro, a Pin-
to 4 Barbosa com livro em brochura pesando 2
kil. valor de um 2*, 4*000.
Ide n P.Um sacco, idem a ordem com nozes
pesando um kil. no valor de 260.
dem diamantes H M LDez barricas vinda de
New-York no patacho allemao Polhx, em 18 de
agosto de 1868. a H. M. Hane 4 C, cera maraore
em po peso legal 3:800 kil. valor de um kil. 666
ris, 2:530*800.
dem idem.Cinco caixas ns. 955 a 959 e mais
trez varos de ferro da mema marca, vinda de
New-York, idem comjrez machinas para enge-
nho, com os seos pertenec valor de um 200*000,
8:600*000.
146*000
203*000
,. 202*000
203*000
150*000
Os pretendentes deverio apresentar no acto da
arrematacio as suas flaneas, ou comparecerem
aeompanliados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 31 de julho de 18(59.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza
CORPO PKOVISOKIO DE POLICA
Nao tendo sido realisado o contrato do for-
necimenlo de 400 fardamentos de panno azul para
uso deste corpo (bonet, farda e eslea), novamenle
se convida as pessoas que se quizerem propr ao
dito fornecimento. apresentarem nesta secretaria
suas propostas at o dia 14 do corrente.
Secretaria do corpo provisorio de polica, 9 de
agosto de 1869.
O secretario,
Jos Geraldo do Lima.
Le cnsul de Frailee sous-
sign a rhomieur
de convier lse Francais rsidant Pernam-
buco, au Te-D eumqui sera chant di-
manche 15 du courant, 1 heure de l'aprs
midi, dans PEglise Notre Dame du Para-
so, l'occasion de la fte de S. M. PEm -
pereur Napolen 111.
II espere que, cette anne, comme toutes
les autres, Is voudront assister en grand
nombre celte solemnit etmanifester ainsi
l'attachement qu'ils conserven la France
et au che qu'elle s'est donn
Le Cnsul de France,
Osmin aporte.
O inspector interino da alfandega faz publi-
co, que no dia 16 do corrale,; depois do meio dia
e porta da mesma reparticio. ser levada hasta
publica, livre de direitos ao arrematante, urna ca
xinha da marca C. I- e C, vinda do Porto no brigue
portuguez Untao, entrado em 20 de julho prximo
passado, contendo trese kilogrammas de rtulos
de papel a 2*666 o kilogramma34*658 rs.,
qual foi abandonada
maos 4 C.
Alfandega de Pernambuco,
1869.
O inspeetor interino,
L. de C. Pues de Andrade.
a
aos direitos por Cunha Ir-
11 de agosto de
FESTA KOCTURltfA
Para comaietarar a assiimp$ao
de Noesa Seuhora.
A imitaqao do jmlim Mabtte
em Paris
DIRHJIDA POR MR. NOURY.
$A qual ter lugar no espacoso jardim da bem
conhecida fabrica de ceneja do Sr. Ilenry Lejden
a- rua'ido Sebo n. 35.
Sabbado 14 de agosto.
Urna excellento banda marcial, dirigida pelo Sr.
Hermogenes Norberto de Gusmao, tocar a noite
lindos o variados podaros de msica.
Divisao da festa:
!. Concert instrumental.
2.* CoVrida burlesca.
3." Dansa popular.
4. Fogo artificial.
Tocar-se-ha a bellicosaMarselhezano final.
1* parte
1. Simphonia, da opera abucodonosor, do maes-
tro Verdi.
2. Silphide, ouvertura do maestro Oresles.
3." Ptolomeu, cavatina do maestro Donizetli.
4." Traviata, idem do maestro Verdi.
2* parte
Pela segunda vez, a jocoa scona burlesca
grand cour/e en sacexecnlada por urna duzia de
rapazes. Urna commssao de iros memhros, sob a
nspeccao da autoridade local, liscalisarao a corri-
da, aflrn de seren os premios distribuidos com
equidade.
O parco estar Iluminado a archotes.
3* parte
A banda marcial executar difTerentos quadri-
lliaa, polkas, walsas, etc. Quem quizer peder to-
mar parte na dausa, que ser inspeccionad pelo
Sr. Noury.
4a parte
Terminar o divertimento por ura lindo fogo de
artificio (queimando-se dentro do jardim), feilo
pelo distincto e assas conheeido ar'isla pyrothchi-
nico o Sr. Alves.
O jardim estar brilliantemcnte Iluminado com
vidros de cores, e ha intervallos, com chammas de
Bengala.
Preco da entrada 1*000.
N. R.A grande quantidade do familias distrae-
las desta capital que fizeram a honra de assistir a
nossa primeira festa, o respeito e silencio dos ca-
valheiros para con) as senhoras que a ella con-
correram, anrajaram-nos a dobrar de esforcos,
afim de que esta segunda festa seja superior a
primeira. Neste intento convidamos de novo e
mui respetosamente ao generoso publico desta
capital a que venha tomar parle neste genero do
recreio, que dever ser urna das agradaveis
traccoes do presente verao. v.
Consulado de Portugal
Correudo por este consulado o inventa-
ro do finado subdito portuguez Joo Bento
Para, sao convidadoajem virtudo da con-
venci consular, lodos os credores daquelle
finado, a apresentarem suas contas nesle
consulado, dentro do praso de 15 dias para
serem conferidas.
Consulado de Portugal em Pernambuco
aos 10 de agosto de 1869.
0 chanceller,
______________Antunes Guimaraes.
Em conformidade com o disposto na
convenci consular, convidam-se os credo-
res da finado Padre Augusto Mafia Ferreira
Boielho a aposentaren neste Consulado as
suas contas dentro do praso de 15 dias afim
de serem verificadas
Consulado de Portugal em Pernambuco
aos 10 de agosto de 1869.
O chanceller,
Antunes Guimaraes.
Sao convidados pelo presente, em con-
formidade com o disposto na convenco
consular, todos os credores do finado sub-
dito portuguez Antonio Teixeira de Farias,
fallecido na cidade de Olinda. a apresenta-
rem neste consulado dentro do praso de 15
djas, as suas contas para serem verifica-
das..
Consulado do Portugal em Pernambuco
aos 10 de agosto de 1869.
O chanceller,
Antunes Guimaraes
Pelo presente, e em virtude no disposto
na convenci consular, sao convidados todos
os credores do espolio do finado subdito
portuguez Jos Maria Pereira de Mendanha,
para apresentarem suas contas dentro do
praso de 15 dias, afim de serem verifica-
das.
Consulado de Portugal em Pernambuco
aos 10 de agosto de 1869.
O chanceller,
Antunes Guinumes.
Inspe^co do arseaal de
marlaiha.
Faz-se publico que a comraisso de peritos
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, o casco, machina, caldeira, apparelho,
mastreacio, veame, amarras e ancoras do va-
por Ptrapama da companhia Pernambncana de
navegacao costeira, achou todos esses objeetos em
estado de poder o vapor navegar.
Inspeccao do arsenal de marrana de Pernambu-
co 12 de agosto de 1869.
O inspector,
____________H. A. Barbosa de Almeida.
Arsenal de guerra.
O conseibo de compras do arsenal de
guerra precisa comprar para fornecimento
do mesmo o segui nte:
Casemira encarnada 4 metros.
Mappas (modelo n. 9, mostra) 100.
Ditas para dieta (modelo differente, idem)
1000.
ds-
IMPERIAL FABRICA DE CiWEJ l
RA DO SEBO N. 35
DE
m:\iii ledo c.
Domingo l. de agosto de idlt
Grandes cavalhadas egymnasticase o elarao da
China, dando flm com o
Se^rdo do diabo
sobre a direccio do artista .'
JOS& MOHBIRA PMOS
Principiando as 4 horas e dando fim as 9 da
noite.
ENTRADA MIL RIS
O mesmo artista cima espera do respeitavel pu-
blico pernambui;ano a sua coadjuvacao.
AVISOS MARTIMOS.
(MAMA BRASILEIKM
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 22 do corrente o vapor
Guar, commandante o primeiro
lente P. H. Duarte, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder eonduzir, a qual devera
ser embarcada no dia desuachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas huras do dia da
sua saluda.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao exeedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medican.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
fens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
G0MPA1IA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portof do norte esperado
at o dia 28 de agosto c vapor
Paranu, commandante o capitao
de fragata A. J. de Santa Barbara,
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder eonduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as t
horas.
Nio se recebem como encommendas senio ob-
jeetos de pequeo valor e que nao exeedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
1* andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C.
1
I MUTILADO I


COMPANHIA PERNAMBUCANA
%;i\cz;\p'\o rssteirn |>r vafror.
i n danto
^opoiui cima no
~ is 9 horas da noite.
eirae e dW
Forte do Mattos
Diario de Pernambaco
g^l ?! -A *i. ku
de 1869.
**
O*? Par,
ir hrejremcnte o velwro [tatacha portugucz
A!HfiHM()
iMH
s 1 3 eorrenic.
oajasatondij annunotadeis
ente Olveirxi |e venderlo pe
faraeff ^ V|tia6aTariada
Para o Porto
pretende sahircoin a possivel brevidadc o nutaehi
?orlugnez Liberal, tom parle para o resto que Un- falla, pode tratar-sc com Da-
vid Ferreira Millar, a ra do Ilrum n. 92, ou com
o eapitao do referido navio.
------------1----------
Segunda-Teira Mr do correnle.
I atl yaBrmazem da ruado lirnm n. 66, as ii horas
I
CoDipanhii americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o da !.* do eorrente esperado de New-
York por S. Thomaz c Para o vapor americano
Merrimuck, o pial depois da demora do costnine
seguir para os portos do sul, para frates e pas-
sagons frata-so enm os agentes Hcnry Porstcr 4
<]., ra do Trapiche n. 8.
COMPANHIA PERNAMBCANA
' DS
Navegacdo costeira por vapor.
Macei, escalas Peuedo e Aracajt.
O vapor Giyur, conimandante Aze-
vedo, seguir para os portos cima no
__ dia 14 do eorrente as ;> horas da lar-
de. Recebe carga at o dia 13, encoramendas,
f assagens e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do da da saluda ; no ascrptorio do Forte
lo Mattos n. 11
LEILAO
Para o Kio Grande do
Norte.
Fecha se a barcuca Acacia, do lotacao do tres
tnil arrobas : a tratar no cscriptorio do Alfredo
<\ Cunlia, no caes da Alfandega Vellia.
PAH V O PORTO!
Segu com a pessivel brovidade o brigue por-
luguez L'ni'io (pie j cunta grande parle da carga
engajada r'quein no mesmo quzer carregar on ir
le passagem trate com os coasigualarios Tliomaz
de Aqtiino Fonseca & C, ra d Yigario n. 10,
prime i rn andar.
Rio Ciraade do Sul
Para o porto cima segu com brevidade o pa-
tacho nacional Principe, recebe alguma carga a
(rete, e trata-se com- os consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo A C. n:a da Cruz n. 57.
Da barca Sranceza ALPJIONSINE encalhada
no banco ile pedras das Garbas no Rio
Grande do Norte na saa ultima viagern
de Marseillc a S. Francisco, seu appare-
Uto, velas, so'orscelleiUes c ca regamen-
to avariado, salvado e existente na alfan-
dega do Rio Grande do Norte.
A SABER :
Seguiida-felra le de agosto.
Em um so lote o tal qnal se aclia no lugar
do naufragio.
O casco da referida barca (que earregva 1,000
lonelladas), mastres reaes, gnrups, 1 ferro eom
15 bracas de corrate, 3 vergas grandes, 6 ditas
de gavia, 3 maslros de gavia, i paos e cerca
de 100 lonchadas de ferro fundido, 700 barras de
chumbo, (15 tonelladas punco inais ou menos),
crea do 700 pedacos de marmorc serrado e em
bruto.
Terca-feira 17 do eorrente.
Vender-selm em dilferentes lotes as velas, mas-
tros, correntesjMbos. moilocs, amarras, pecas de
cabos, apparellio de rame, peras de lona, fio, al-
catrao, verniz, reu, sebo, fugao, caixa de medi-
camentos, sobreeelienie e mais objeetas perlcn-
ceules ao navio.
Em contlnua^o
nos fias 18 e id do eorrente.
Vender so-ha tambem a parte do earregamen-
to avariado. constante de vinhos linos embarrise
caixas, licores, champAgae, axeitc doce era cai-
xas, rlhas, sabio, marmorc. obras de alabastro,
qarras de chumbo, barricas com cnxofre, gomma,
iuslrumentos para agricultura, caixa com livros
c outros objectos que fazem paito do carrega-
mento.
Tudo por coma e risco de quem perleneer no
estado e lugar em que se acha, de conformidade
com os annuncios alli publicados, no dia do lei-
15o e condlcces declaradas no acto da arremata-
cao
No dia 14 do correnie seguir o vapor Pirapa-
ma da companhia Pernambucana, o qual deve
chegar no Rio Grande do Norte seguuda-fera
16 do eorrente, dia justamente em que deve co-
me car a venda do casco e salvados da referida
barca.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
DE
Navegado costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maca o, Mossor, Ara-
caty, Cearri, Mandali, Acarac e
Granja.
O vapor Virnpama, commandantt
Iones, seguir para os portos
, cima no dia 14 do eorrente as 6' horas
da tarde. Recebe carga at o dia 13, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida no escriptoric
do Forte do Mattos n. 12.
Para S. Miguel e Terceira
O patacho portuguez Mara, esperado de Lisboa,
ahir para as duas ilhas cima, poucos dias de-
pois de sua chigada a esta, desde j se engaja
carga e passageiros : trata-sc com E. R. Rabello,
iua do Commercio n. 44.
2L

LEilOES.
LEILiO
De 29 saceos com arroz marca A, {{ di-
tos com dito marca B, ii ditos com di-
to marca C, 1!) ditos com dito marca D,
76 ditos com (feriaba sem marca, 32
ditos com milho sem marca.
O jente Martins lar leUao a requerimento do
f apito do hiate nacional Joven A'tltur, por con-
ta e risco de quem pertencer e |ior mandado do
lllm. Sr. Dr. juiz especial do commercio de 81
saccas com arroz, 76 ditas com firinha e 32 ditas
com milho todas avadadas a bordo do mesmo
hiate procedente do Maranho.
HOJK.
No armazem baro do Livramento no Forte do
Matto n. 15, as 11 horas do dia.
AVISOS DIVERSOS.
Irmandade acadmica de N. S. do
Bom Consclho
De novo convocada a mesa geral da irmanda
de acadmica de N. S do Bom Consclho para no
dia lo do eorrente, depois da missa de sua Divina
Padroeira, eleger a mesa administrativa para o
anno de 18*9 a 1870, visto nao ter comparecido
numero sufliciente no dia 8, para o qual havia sido
convocada.
Secretaria da irmandade cm 11 de agosto de
1869.
Jos Furtado de Mendonca.
billiele da 19' lotera, n. 290, a favor do hos-
picio de Pedro II, pertence a Domingos Tasso 14
partes, e a Jos F. Machado, de Mamanguape 10
partes
Previne-se aos Srs, exportadores e vendedo-
res de bilhaes das loteras (jo Rio de Janeiro, que
caso saia qvaiquer sorte nos dous meios bilheles
da 19* lotera a beneficio do hospicio de Pedro
ii (290*) de ns. 1215 e 2937, que nao paguem se
nao ao abaixo assignado na ra da Praia n. 76, o
qual foi perdido na mesma ra.
Domingos F. A. Ferreira.
LEILAO
DE
fazendas geraes, a 13 do
eorrente.
Ferreira & Malheus farao leilo por interven-
$odo agente OKveira, de grande variedade de fa-
zendas, consistindo principalmente em brins, pan-
nos, casimiras e merinos de diilerentes anualida-
des, madapolo francez, sargelins sonidos, ves-
tuarios para baptisados, chapeos de seda e de la
liara homem, espartilhos, basquinas e lencos de
seda, e diversas outras :
HOjE.
s 10 horas da manhia era ponto, no bem conhe-
do armazem ra da Cadeia n. 8.
LEILAO
M
urna por$o de caixas coin
charutos
HOE.
Pelo agente Martins, no armazem do baro do
Livramento no Forte do Mattos n. 15, onde haver
leilao de arroz e farlnha avadada, s 11 horas
do dia.
,-* y*
Leopoldo Jos Felippe Santiago e
Francisca Senhorinha Mafra San
tiago, agradecem a todas as pes-
sas qae se dignaram acompanhar
ao cemeterio publico, o fretro de
seu sempre lembrado filho fallecido
a H do eorrente.
900-S de grailQcacfio
O ahaixo assienado mnifosta fielmente o que Ihe
foi roubado no dia sexta-feira, 7 de agosto, as 6
horas da tarde, do Recif para a Capunga, os ob-
jectos abaixo declarados, ronbados de dentro de
um balu de flandres que' conduzia urna carroca,
julgando ter sido feito o roubo na praca do capim
na Roa-Vista, aonde o carroceiro se demorn em
urna taberna. 0 abaixo assignado offerece a qnan-
tia cima a quem Ihe entregar e delle souber, com-
promeltendo-se a guardar fnviolavel segredo, po-
dendo vir ao mea poder por qualquer intermodio.
Jos da Silva Lclte.
2 braceletes de ouro com flvella, entrancados, 1
dito do cornalina encarnada, 1 apparelho de be-
souros, oompluto, encastoado em ouro (obra do
Porto), ll>racelle de sndalo, 1 dito de dito de me-
nina, 2 ditos de coral de dita com chapa de ouro
0 pdrinhas, 1 dito de menina de cominhas bran-
cas, 1 altinete du ouro de menina com coraes (pe-
dras), 1 par de brincos de ouro com pingentes, ten-
do (parte superior) sobre a roseta una perola e
(parte inferior) para baixo urna pedra azul, 1 par
de brincos de cornalina encarnada e encastoado
em ouro, 1 dito de ditos de ouro a balan, l dito de
rosetas pequeas eom urnas pdrinhas de coral no
meio, 1 dito do brincos de ouro de menina com
pedras brancas, 1 dito de rosetas de ouro lisas, 1
annel de ouro de menina com as letras MJSL, 1
dito de cabello de dita com as letras MJCR, i par
do botoes de punlio para menina, 2 ditos de ditos
do dito para homem, lendo 1 par de eornalina en-
carnada encastoado em ouro e i dito de ouro com
roseas no centro, 1 botao de camisa (de peito) de
besouro encastoado em ouro, 1 volta de tranceln)
marchelado com urna ligurinlia de azevlclie, 1 dita
de dito com reqnifes, de menina, tendo um S. Braz
de miro, 1 liga de cornalina encastoado em ouro,
1 dita de unicorde, 1 bola de cornalina encastoada
em ouro, 1 cara de ouro representando o sol, 1
moedinha de ouro, 1 busioziuho encastoado em
ouro, 1 moedinha de prata encastoada cm ouro,
1 relogio de ouro patente com eorrente do mesmo
metal e chave, 1 imagem de dito representando X.
S. da Conccico, leudo 2 pollegadas de compri-
mento e pesando d- 18 a 20 oilavas, 1 volta de al-
jofares imitando perolas, varias moedinhas de pra-
ta novas e 9 em papel, tudo dentro de um bah
ile tartaruga, e dentro deste um pequenino de tar-
taruga tambem que cuntinha o ouro das meninas,
9 camisinhas de menina guarnecidas eom renda,
e algumas com marca M, ii veslidinhos de dita,
sendo 2 de chita, 2 de musselina e 1 de cambraia
eom lislra verde, 2 timaoziuhos de chia, o cober-
linbas, sendo 2 encarnadas, 1 lencolzinho com mar-
ca M, 6 travesseirinhos encarnados com fronhas,
6 pares de menhas, 3 marca M e 3 marca A, 1
saia de cambraia branca com tira bordada .em ro-
da, de senhora, 1 botina do senhora, branca, de
pellica, e mais objectos miudos, 1 par de sapatos
de ourello, novos, de homem.
UEM
Elle um frpventivo seguro e rtJ *ift A "^CreSpO 11.
KiSS^ f j ,*,' Camisas bordadas para senhot as,
Liit dae estaura forca c sanidade a pee trra, cortes de tarlalana
-axte, nlpacr
siemi
DO BARATO
da a liquidacao da ra do
de Antunes Guiniares & C.
3
.U..J,
Ricos cortes' de
proser\3jU)t
Cbtas afostoadas h
Ricos chapeos de pallj
Bsteiras da India prc
Bons e bonitos tapet
Elle d grande riqqew M if*lf& au* ca-
Elle dojaa e faz ,
(jualffuer forma e posicSo que se deseje
n'um estado oiioso, liso e macio,
Ele fazerescor ns cabellos bastos e com-
pridos, >
Elle consetva a pelle e o casco da cabera
limpo e fivre de toda a especie de caspa,
Elle previne os cabellas
blancos^ **
Elle'coserva a caboca u'mn estado de fsoa
cura refrigerante e agradavel,
Elle n3o deraaziadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro desagra-
ilavel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservacao e arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenhum toucador de senhora se podo con-
siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e abrmosea
Acha-se a venda nos festabelecinientos de
A. Caors, I. da C. Bravo C. P. Manrer
crC,"M. Barbosa, Bartholomeu A C, e em
todas as piiicipaes lojas de periuinarius
e boticas.
{alias d crl
|i ia para ser
neo >te NibynMe, froitwt, bK-os e rendas da
rdaikii .pafa casamentos. cortes de vestidos de eafnbrtJas
isislrjh) stras, precalas anda de bonitos gosths, casafui-
ras,. iis bordadas e Iwles de lodasas qtialidadei etc.
fera da liquidado
vestido de bloni, recebidos pelo ultimo vapor,
josos espeeiaes.tque milito agradam.
Gorgoroes liso* de cures para vestidos, l'azenda ltimamente cliegada.
Colxas de seda de todas as cftres.
nova io mercado,
para senioras c chapellinas de novogosto.
irias para errar salas e quartos.
de todos os taannos,
ira covado: e outros muitas fazendas que
s ;i vista se
Offercce-se urna pessoa para leicionar
em casas particulares ou na de sua resi-
dencia sem designaco de hora e dia :
grammitica porlugfieza, principios de
arilhmetica, noQoes de historia e caligra-
pina ; promettendo alm de todo empe-
nho o mais fcil e adoptavel methodo,
que em breve dar bom resultado: a tra-
tar na ra do Queimado n. 33, primeiro
andar, das 10 horas da manha as 4 da
tarde ; a entrada pelo largo do Collegio.
tmm
Ao commercio.
Os abaixo assignados sccntiicam ao respeita-
vel publico e principalmente ao rorpo do com-
Industria agrcola.
O abaixo assignado proprietario de varios csla-
belecimentos aliricolos, lendo de retirar-sc para
Lisboa a tratar de sua sande, deseja diminuir o
curso de suas operaejies, expondo a venda o enge-
nho Mcrtuc (funceionando actualmente com 50
a til) escravos) disianto legua e meia de Uolem, com
a A fabricacao do assucar ahi se faz pelo novo
systema do vaccuo e do vapor.
A agurdente por dous alambique?, sendo um
do antigo systema e outro do continuo.
O material inteiramenle novo d'este establec-
ment, saludo da casa bem conhecida de Ilenry
Claiton 4 C. de Londres, e de pritneira ordem
sua installacao feila com toda a forca c perfecao
i que se pode desejar.
O material o os apparelhos compoem-sc do se-
grate :
De urna caldeira de 20 covallos de forca, com
2 fornalhas interiores, dando consecutivamente
vapor de 4 a 5 athemospheras de preccao : esta
caldeira est munida de todos sens aparclhos de
32.
FRANCA1S
RE DO IMPERADOR Y
<
r.

Almocos
Lanches
Jantarcs
Ceias
Cafe
SALONS
ISIHIIS
oo
\r ETACE
Dcjeuners
Lunchs
Dincrs
Soupers
Cif
AI)
32.-
Sorvetes Glaces
Licores Liquers
Vinhos Vins
Cerveja Bire
etc., etc., etc.
32.
c
i I
=
2
Ra do Imperador n.82.
mercio, que nesta data dissolvoram a sociedade seguranca. indicadores e assecoriixs.
que nesla praca gyrava sob a firma de Custodio
ic Bento ; retirando-se o socio Benlo pago de seu
capital e lucros, e Picando de todo desonerado do
activo e passivo da dita firma, qu passa res-
ponsabiliflade de Custodio Antunes Gumaraes.
Recife, 10 de agosto de 1869.
Custodio Antones Guimaides.
liento Alces Machado Gvmames.
Vicente Alves Moreira, agonciador de ven-
das de escravos, mndon sua residencia da rna de
Hortas n. 94 para a ra da Paz n. 34, onde seui
freguezes o poiero procurar para a mesma oceu-
pa?o. Heeebe escravos em commissao, e promet* torbina e espunas ele.
prompta venda.
A mieira do ca va, pede ao? senhores que tem predios edificados
era terrenos do extincto vinculo da Conceico dot
Coqueiros, quer no bairro da Ba-Visla, quer no
de Santo Antonio, a bondade de os mandar satis-
fazer a seu filho Jos Henriques, que se acha por
ella encarregado de os receber, na ra estreita do
Rosario n. 2 primeiro andar, das 10 horas as 3 da
larde. E com especialidade pede aos Srs. procura-
dores das irmandades da Conceico de Bebente,
Sant'Anna, Rosarlo e S. Gonzalo da Ba-vista, a
quem j se tem dirigido cartas por intermedio dos
mquilinos que oceupam os predios das referidas
irmandades. Bem como a quem tem direilo as ca-
sas deixadas pelo fallecido Fr. Pavo, do convento
do Carino, vir pagar igualmente os foros que es-
tes predios estao devendo ; a se alguma duvida os
mesmos senhores tiverem em seus predies serem
ou nao foreiros, poderao ir tira-la a vista dos do-
cumentos t escripturas, pois, j se tem dado por
veses se venderem predios com chao proprio e
elles serem foreiros.
Mao de vacca e caf com leite,
Na casa de pasto a ra da Lapa n. 11, se pre-
para cora todo esmero e asseio e se forneoe tanto
para fora como mesmo em casa comida e do
sabbado para o domingo a bella mao de vacca.
Offerece-se um moco estrangeiro para ma-
chinlsta de engenhe de assucar ou algodo, falla
fiorluguez : quem de seu presumo se quizer uti-
isar, dnja-se ao pateo do Tereo n. 14.
Deparando no Jornal du Recife do 10 do cor-
rente eom um annuncio a respeto dos trabalha-
d. res de estiva, nao posso deixar de responder era
nome dos mesmos trabalhadores ao autor do an-
nuncio, que nao contente em adulterar os factos,
qualifica o nosso procedimento de abusivo.
Mas nao sabemos onde est o abuso de nossa
parle quando usamos de um direilo que tem todo
o homem determinando os piceos de nossos ser-
vicos, que podem ser aeceitos ou nao pelo loca-
dor, de cujo lado est a escolha de melhor, o ar-
bitrio de escolher; assim como nao podemos absor-
ver-lhe do peccado que commetteu ou antes
perdoar-llie a m f, quando disse em seu annun
ci que bavamos exigido 6500 o que nao 6
exaetc, como podemos provar aos ultrainters-
sados em cuja classe est Vmc.; portanto ou Vmc.
foi mal informado e como tal nao devera ter es-
cripto, ou enio ignora os DI), de lodos os homens
de escolha.
Do una machina a vapor oriental de alta |nec-
c5o, d forca de 14 cavallos, dando a sua trans-
inissao a um jogo de moendas da maior torca co-
nhecida nos estabelecimentos d'esla provincia.
De dois dessecadores a dobre fundo em com-
municacao com os feltros, systema Taylord.
De urna caldeira a cozer no vacuo com todos
os seus .aparelhos, e correspondendo com a bomba
do ar, mandada pela dita machina de vapor.
De 4 bombas para o movimento das diversas
oaeracoes, comuuinicaudo com diversos depsitos
d'agua fria, agua quente,mel ra assucar, niel de
CRIADO
Na ra estreita do Rosario o. 3o, primeiro an-
dar precisa-se alugar ura criado de 12 a 13 an-
nos, livre ou escravo para o servido externo do
urna casa.
De urna turbina a vapor gorrespondcmlo eom
girador da machina.
De urna torbina ingleza, de um dimetro maior
movida por baixo pela transrasso mandada pela
maehlna a vapor.
Estas obras foram montadas e installadas pelo
primeiro artista scientilico e pralico conhecido
n'esta provincia, que tem funecionado cora todos
estes aparelhos; dando productos de um qualda-
de superior a todos que tem aparecido at hoje
n'esta provincia.
Este estabelecimento pode fabricar regularmen-
te de 200 a 300 arrobas de assucar, e 2 pipas de
cax.iea diariamente.
Perlence a este engenho um lago, cujas aguas
servem para mter actualmente urna pequea ser-
rara de madeira. ^^^t.
A casa de moradia espacosa e de boa construc-
cao : cm im, ntste lugar" acha-se urna bonita
campia cercada de matas virgens onde se en-
contrara com muita abundoncia madeiras tanto
para centruccoes naves como terrestres.
Para. 39dejunhode 1860.
Jos Antonio de Miranda.
AOS 20:000,000
Casa dafeicidade
N. 22 PRACA DA INDEPENDENCIA N. 22.
Os abaixo assignados, tendo obtido licen-
ca da presidencia e satisfeito as outras exi-
gencias da lei, avisa ao respeitavel publico,
que ter sempre venda bilhetes das lote-
ras do Rio de Janeiro, cujos premios sero
pagos promptamente a vista tas listas, com
o descont smentc da lei, pelos presos
seguintes :
Di I he tes inteiros... 245000
Meios.....12,5000
Quartos... 6000
Veras & Barbosa.
*'*!

.-.'..

Fugio no dia 9 do eorrente mez, o
molato Aquilino de 18 a 20 annos de ida-
de, estatura regular, magro, ainda sem
barba, cabellos crescido e muito crespos,
beicos grossos, falto de.um dente incisivo
da mandbula superior (dente da frente),
tendo no braco esquerdo junto ao pulso,
urna cicatriz muito recente e circular de
queimadura, bracos e pernas compridas, c
quando anda atira com estas para os lados,
e faz muitos movimentos cora aquelles e
falla um tanto rouco. Gosta da andar
acompanhado de camaradas, contador de
historias: foi at fevereiro do eorrente anno
escravo do Sr. Jo5o de Castro Guimarles,
sanio de casa com camisa de madapolo e
caifa de casemira acinzentada com stras
pretas dos lados externos das pernas, e
tem sido visto as ras das Cruzes, Qoei-
mado, Rosario, largo do Carmo e na ra
da Aurora que elle frequenta.
Quem pega-lo ter a bondade de leva-lo
i ra Nova n. 39.
Recfie 12 de agosto de 1869.
Ra do Crespo n, 9.
Bonitos albuns de photographia para presentes,
com encadernaco do marroquim e enriquecidos
com duas linda's pegas de msica, sendo o prego i
para 200 retratos de SO* e para 100 retratos de
303000.____________________________________
O abaixo assignado declara a* respeitavel
corpo do commercio, que desde o dia 26 do mez
prximo passado deixou de ter gerencia na admi-
nistsago de sua taberna, sita ra da Concordia
n. 94, o Sr. Joao Baplista de Barros Machado ; li-
cando, portanto o mesmo senhor, sem os poderes
que Ihe havia oothorgado o abaixo assignado. Re-
cife 7 de agosto de 1869.
Clementino Goncalves de Farias.
Precisa-se fallar com o Sr. Francisco da Cos-
ta e Silva, negociante de fazendas, a negocio de
seu inicresse : na ra de Santo Amaro n. 26.
A quem vai para a Europa,
Recommendamos o modestoHotel Particular
da cidade do Porto, ra de Sania Catharina n.
135, palacete, bem dirigido, commoddades para
homens e familias decentes, aonde so encentra bom
trataraento por mdico prego.
Precisa-se de urna ama livre para comprar
e cozinhar : na travessa das Flores n. 15.
Desappareceu o escravinho Gregorio cabra
acaboclado, de idade 10 annos, pouco mais ou me-
nos, veio ha po"CO do mato, e empregava-so cm
ender na ra, tanto que levou um taboleiro de
flandres, contendo diversas chicaras de arroz doce:
quem do mesmo escravinho ti ver noticia, poder
dirigir-se ra da Amura n. 88, andar, que se
recompensar._______________________________
Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife
Tendo de celebrar-se no dia 15 do cor-
rente pelas 10 horas da manha a fesla da
Padroeira desta Santa Casa, de ordem da
illustrissima junta convido a todos os irmos
para assistirem a semelhante acto.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife, 12 de agosto de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.____
.Na ra da Roda n. 16 precisa-se de urna
amaquesaiba cozinhar, lavar eengonimar, paga-
se bem, ou na ra da Florentina n. 3, padaria.
Ama de leite
Precisa-se de nina ama de leite sem filho :
ivessa do Veras n. 15, i" andar. Nao se ol ha
[a preeo. _____ w
TRLHOS URBANOS
DO
Recife Apipucos.
A73SO
Em conseqnencia de pedido de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia para um trem
especial amanha s 9 horas a disposico
de SS. AA. U. que se esperam no vapor
Douro, fleam supprimidos os trens de 9 e
10 horas da manha, de Apipucos, e o de
9 e 20 minutos da Jaqueira ao Recife.
Escriptorio da companhia, 12 de agosto
de 1869.
0 gerente.
Wm. fa wl i ns mi
Monte Pi Portuguez
Pergunta-se a directora porque at agora nao
tem expedido os recibos de um anno das mensa-
lidades dos socios vencidas em 30 de junho.e bera
assim, em tempo competente o cumplimento do
art. 2i dos estatutos. Vollarei ao assumpto.
Um socio.
PARA UZO INTERNO
Firmunos simple
Xarope lo jnmheba, Vinho de jurubel.i. Plalas i
jartiheha. Tintura le jurubeba. Extracto liydralcoolie
de jurubeba.
rniniuDos cearosTos
Vinlio de turabrba ferruginoso. Xarope de jurubeba
ferruginoso, Pilulus ile jurubeba Icrruginos.
fA IZO HXTEMO
Oii'o ni- turubeba. Pomada de jurubeba, Emplastro da
iuruuir... e
A JLItUBEBA.
Ella planta boje recoubecida como o mais poderosa
tnico, como um excellente desobstruente, e como tai
applicada non engorgilamentos do ligado e bato, na-
brpatites propriarneute ditas, ou ainda complicada*
com anazarebas, as inflammacoes subseauaotaa aa
febres intermilentes ou durezas, nos abeessos alternos,
as tumores especialmente do ulero e abdomen, noa
tumores glandulosos, na anazareba, as bydropetia,
crrsipellas; e associada as proparaces ferruiiuosas.
ainda de grande vanlagem as anemias, chloroses,
fallas de menstruaco. leucorrheias,desarranjos atavi-
eos do estomago, debilidade orgnicas, e pobre da
saague, ete.
0 qne diremos afflrmao oa mais dislinclos madieoa
desla cilade, entre os quaea podem os cilar os Miras,
Srs. Drs. Silva Ramos. Aquino Fonseca. Sarment,
Seve, Pcreira do Carmo, Firmo Xavier, Silva, etc. Todoa
ellos reconheceaa a eicellencia d'este poderoso medica-
mento sobre oa dentis at boje conbecidos para todaa
as casos citados, tanto que todos os dias fazem d'ella
applicada.
Apresenlendo aoa mdicos a ao publico em gcral di-
versos preparados da jurubeba, tivemos por fim gene-
ralisar man o uso d'este vegetal, fazendo dcsapparecer
a repugnancia que at hoje senliam os docntes de usar
dos preparados empricos d'ella, o mais das vezea repu-
gnantes a tragarem-ae, a que linliam ainda a desvanta-
gem de nao ser calculada a dose conveniente a appli-
car-se, o que torna multas vezea improfleoo um medi-
camento, que poderla prodozir ptimo resulladoa. #
Os nossos prepados s foram apresenlados depois da
bavermo canvenientemenlo esludadoa jurubeba, fa-
xendo as experiencia precitas para bem conhecer a*
propriedade medicameDloeas d'esla planta em anas
raizes, folhaa fructas ou bagas, a a dose convenate
appHcacao. tendo alem d'isto procurado levar os nosso
preparados ao maior grao de perfei^ao possivel, para a
que nao poupamoa ettorcoa, nao aos importando
pouco lacro que possames tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossoa
preparados podem ter a certeza de que elles oflerecent
a garanta, de qua aa pode encontrar a prompta e i nial
lirel cura de qualque dos soffrimenlos, que deixamo
innumerados, sa forem em tempo applicados tendo
alm d'isso, medico ou doenle a vaniagcm de escolher
naa nossas variadas preparates, aquella que melhor
he pode convir, j* pela fcil applicaco, o ja pela com-
SlicacAo das molestias, idade, sexo, eu ainda Mturexa
e cada individuo.
Aa nossas preparares ferruginosas sio feitas deforma
que se tornam completamente toluveis noa uceo
gstricos, porque procuramos os comoslos da ferro
qua como taes esli boje reconhecido*.
Para aquelles que mais minuciosamente queirar
conhecer as proprieilades da jurubeba, esaberem a ap-
plicaco de nossos preparado, deslribuimos graiuita-
meole em nosso deposito um folheto, onde Halamos
mais extensamente d'esla planta e dos mesmo prepa-
rados. ?
Deposito feral it lodoi i praffirndes li;li:a Drogara,
34, ru largo do Aoiario, 54.
RA
esquina
| da rna larga do
Rosario.
RA
AO ANNEL DE OURO
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. L
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.l raa lar&ado|
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se euro, prata e pedras finas por presos muito ele-
vados.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
CABUG
esquina
Rosario.



-#
Diario de Pr_a_>uco Sexta eir;

'i
COMPANHIA
0 IRILHOS'ffllBAIOS
DO
HIdll A' OliINDA.
Por ordein da directora e requeri-
mento do numero de accionistas qae esta-
beece o arl. I dos estatutos, sao convi-
dados todos os Srs. accionistas para reu-
nirera-se cid assemblea geral no dia i 7 du
correnle, s 10 horas do dia n i salad do
Club Pernambuoano, alim de se tratar de
completar o numero de membros da di-
rectora e d-i outros pontos relativos s
encommendas do material que tem de vir
da Europa, segundo reza o requerimento.
Escriptorio da companhia, (i de agosto
de 1860.
Io secretario,
______________________htO. Jtl3t.
Club Pernambucano
A partida do corrento mcz tere lugar na
noite do dia U.__________^_________
Negocio importante
Alexandre Sussuarana, residente na pro-
vincia do Cear desoja saber noticias do
portugaez Lino Jos Barbosa que morou lia
longos annos na praca de Pemambuco ;
tambem esleve na cidade de Baturil da
provincia do Cear, aonfle deixou duasfillias
e bem assim como n Recife. O annun-
ciante casado com ama prente prox*a
do dito senhor.
Teve urna filfoa qae foi professora na
' cidade do Recife e como o annunoiant'
tenha de tratar negocios de importancia,
faz este annuncio, que espera resnosta por
este jornal, oa no Cear pelo Pedtt t, ou
Gearense.
m
.
- r riLin
N'ESTA ANTIGA E CRED1TATA
________ FABRICA ________
IIGIIT11 || ClftiMITIlIITI IG1 CtlNHl IllIUHTl II
i J BU
CHAPEOS &< //^^^
De todu u qualidades I ^aMl fck
De todo* o* feitk I ^^ 1^^^
De toda oa pracos I
A DO CRESPO N* 4
lOi *o:oo*$ooo
CASA DA FORTUNA
Una do Crespo n. *3.
O abaixo asignado tendo obtido Ilcen^a da pre-
sidencia e satisfeito as outras exigencias da le,
avisa ao respeitavel pnblleo que lera sempre a
venda no seu cstabeleeimenlo bilhetes das lote-
ras do Rio de Janeiro, cujos premio scro pagos
promptaraenle vista dai listas com o descont
somonte da lei.
Procos--Inteiros.. 24*000
Meios... I2J000
Quartos. 6*000
E cm quantidade maior de 100*000 na razo
do 221000 por blliete.
Manocl Martina Pinza.
CASA DA FORTUNA
Aos 4A
Bilhetes garantidos.
A roa do Crespo n.23 e casa do costume.
O abaixo assgnado tendo vendido alra de ou-
tras sortes 2 quartos n. 774 eom 4:000* da lote-
ra que se acabou de extrahir beneficio da Santa
Casa da Misericordia, convida aos possutdores a
virem receber na conformidado do costume sem
descont alcnin.
Acham-se a venda os bllieles da 27' parte da
Santa Casa (116') que se extrahir no dia 17 do
P1LULAS
ANTI 80UBATICAS
Cura radicalmente as tenbas.
nico deposito.Pharmacia de Joaquim
de Almida-Wato, ra larga de Rosario nu-
mero 18, (jwito ao quartel de noticia.
XAROPfi
DE
SiLSA PARRILIA M AH\
ou
Depurativo do sangue
Usado as molestias d pelle, impigens,
dores liicumaticas e ulceras venreas,
NICO DEW&SIJP0
ia lar a do Honorio a. MI.
/UNTO AO QUAUTSL tBOOMCIA
Pernfimlweo.
AGUIA D'OOBO
Castodio & Bento, t-ndo de novo sortido osen bem conhecido estabelecimento
de tnwdczas, denominado GUIA D'ORO, parteripm l todos sena freguezes e ao pu-
blico tm geral, qae tem constantemente um completo sortimento de miudezas finas, e
ojbjertos de alta novidade; vendendo tudo 10 ?/<, menos do que em outra qnalquer parte,
pana o qoe receljem rectamente do sua tonta.
Promptilicaavse a mandar em qualquer casa, urna pessoa como mais diminuto
bjecto^ic Wies-seja pedido, esperando assim a protecc5o de setis freguezes, e gaian-
tindo-lbes o Custodio 4 Bento, lirmesa em seus tratos, e ponlualidade em seus deveres.
Ra do Cabug n. 1--A.
corrente mez.
Presos.
Os do costme.
Manoel Martins Fiuza.
Preoisa-s de doas a*s iqoe saibam cosl-
nbar e engummar. prefere-*e escravas : ua roa
das Cruzes n. 2. 2o andar-
HGTZL :: SG&E3TE
3Rua larga do Rosario 11.44.
Sftemlidade na -preparacao dos gneros ali-
n>eaieios, proraptidao e a^seio as encuinmendas
<*oa rganiMeao ni estrtfeelecinieiWo. Reeebem-
lio, facilita se a leitura de jomaes nacionaes e es-
tr:iugeiros. Espac^>sa sale tara-o elegante jogo de
Jili>ar, o ha decente e commoda hnSpedagem.
Precisa-se urna ama, para amamen-
lar tuna ciianca: na roa do Pilar n. -63.
A viuva UaneMier declsca qne desde o dia 3
o duu do e rrent aano arrendou a casa e es-ta-
boleciiHenw de padaria, soTua da Imperatriz
n. 0, io Sr Severino l.yra, tendo desde entao ees-
sado suaslransaceoes relativas ao dito estabeieci-
mento Declara tmbem que nada deve ptaca
Bem a pessoa alguma, nas se algnem se jtilgarsu
;redor, qneira no praso de orto dia-, apresentar-
Jheja conta mesma ra n. U, 1 andar.
Precisa-se de nma *nra de Wih; : na ra do
fiieimado n. 22, loja.
AUGUSTO PORTO & C.
ll-EUA DO ftlTEIM DO--11
Toado chegado ltimamente ao seu e-taUelecHueiH^) grande vaiiedade de fa-
aendas de gesto as pem- disposifio de seus numerosos freguezes pelos mais "mdicos
frecos possiveis, sendo:
Bournous de cadiemira brancos o de cores, o que ha de mais elegante para
hombros ci senbra.
Novos gostos de nunteletes justos ao corpo denominado silphides, sirenues,
orieotatcs de renda pela de soalim*, o que lia de mais elegante para urna moca.
Basquines de guipare preto, novo g)sto,enfeitados deselim de cores. Vesti-
dos drtWond com manta ecapella para noivas. Fronhas etoalhas decambraia delinho
bordadas. Cortinados bordados para camas c para jandllas de diversas qualidades:
colxas de seda e de lia e de seda para camas de noivos.
Epingl, limte gorguio e Ka c seda de c<*)TS, muito elegante fazenda para
om liado vestido. Sedas de cores o pretas, gorguro listas assetteadas, pasos, casemtras e umitas outras faneodas cujos precos sao emgeral
muiUi mdicos. Grade sorUmemo de camisas para homem, tanto bsas como bordadas
e de cores.
Continan! -sempre a ter grande vaiiedade e tapetes para sof, para cama e
para pianno, porcode tapetes e pecas para alcatifar salces, e grande quantidade de
Esteiras da India para forrar salas.
AOS 20:000^000
CASA FELIZ, ARCO DA CONCKICO N. S.
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na for-
ma das leis tem exposto venda os seus feliies
bilhetes das loteras do Rio do Janeiro, na casa
cima aonde se pagarao as sortes que sahirem
nos mesmos bilhetes com o descont da lei t-
mente.
Predas.
Bilhetes inteiros. 2i|C0
Meios......12*000
Quartos.....6*000
E de 100* para cima a 22*!o bilhete.
Figueiredo&Leite.
COMPANHIA PEWIAMBUCAM
mm
co\si:mio de ihrkcvA
Os Srs. Saunders Brothers & C, Tasso Irmos,
Luiz Antonio de Siqueira.
0 SR. F. F. BOEGES.
Restando ainda emiltir algumas accSes desta companhia, da quantia nominal de
004000 cada urna, das quaes s se aceitam em virtude da lei, 20 /. ou 406000-por
cada acfad; coavida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commereio, que queiram dar emprejro seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o lumero de accoes que Ibes approuver.
AJgomas destas accoes j tem sido tomadas por pesseas que conbecem a vantagem,
de na presente occasiio (conhecidamente a mellior), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, como.vapores, predios etc., que Ibes garan-
tam seus capitaes.
A companhia possue.hoje 40 vapores, 6 inteiramente novos, e destes o ultimo esta
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno pue possae bo largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido ds 10 % ao anno nos ultimo 4 annos.
As accSes que se emiltirea gosam dos mesmos direitos, o percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que os antigos em proporrSo da entrada.
Recebemse assignaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assemblea n. 12.
B
3
g
03 xn
- r. u
a ca
sr i
f?ftf
S. T c.
0 = 3-33
2 2 "S
a*
o
o
S.%H*
2.-o
o o
Si
Feitor
Precisa-se de um homem que cateada de todo o
servio de campo para feitor de um sitio : 'tra-
tar no largo da ribeira da fregaeeia de S. Jos, so-
toado n. 5.
'Na rna das Crows n. n hadara afufar um
moleque de 10 a 18 anno*, 'proprio para serveo
wtenio e compras de qualijuer familia c hotel,
Precisa-se de ama ama
o. 12. Io andar.
no largo da Penha
Na praga da Indupedeneia n. 33, se d di-
nl,''iro srrt) piimores de onro, prala e podras pre-
ciosas, e seja qual for a qnantia : na mesma casa
se compra e venfte objertns de ouro e pra|a, e
igualmente se faz toda e qualquer Obra de ciieoni-
meHda c todo e quakjuer cnerte tendent a
mesma arte.
en
^ S- o"-.
oB*o
o* -i-C-S _
* 5* o- S 'S*
B w ^ ( ro
^ O n O
s-q-o- g
B O SU o
* ^ B ft"
I O **
tt. 00
2 5S = ss
w 5 -CJ
a s-
S ^ = 2 -
B
I
I
r
* ps
I
9
%
3
S
;
o
o
o
Ir
Aluga-se na Estrada nova mna as com 2
Sturtos, cozinha (ora e cacimba : a faltar no sitio
a uva Viilaseca.
Gabiuee Portu^uez de JLeitura
POaXAlBlCO
A directora manda seienlificar aos Srs-associ.
dos que em consequeneia de e estar snbstituindo
parte da antiga illtiminacao de Gabinete, resolven
transferir a solemnisacao do 48* auniveivano, para
am dos domingos prximos, o que ser previa-
mente annunciado.
Seeretcfia ti de agosto do J869.
O f secretario,
Joaqnai Xavier Vieira Lija.
Na ra di> Raagel n. 9 admte-se nina pes-
soa que queira aprender o trabalho de padaria, pa-
jandosc-llu',
Precisa-se alugar urna escrava que aaitia'
fuer o diario de urna c.isa de prqueaa familia-: a
tratar na ra do Crespo a. 7.
COSTI Ittl PWSTA
Evaristo Simoes da Rodia, tendo de retirar-
se temporariamente tratar de sua saude, venden
Hvri' di'-emharaea'in aos Srs. Joaquim Francisco
Rodrigues da Silira e Manoel Pialo Duarte, a sua
ttiienia d.i ra dos Pires n. 46, pelo que roga a
todos os senhores quo -e julgarem seus credores-
pe apresentem suas coalas para serem pagas no
ni' -'no estabelecimento. Recife 7 de agosto de
1669.
_ ---- ....----------- -I..... -!- ..... -..
Piicisu-sc de una preta vtllia para agradar
tratar de um doente, na ra larga do Rorfo I
K 2!.
Com loja na ra da Imperatriz n. 7.
Tem a honra de partecipar *o reepeiiavel publico e em part cter i seus freeae-
zes, (|e. pelaslacoes que acaba e cnoetar com algamascosUireirasemelistas das mais
afamadas de Pars, quo todos os mezes Ihe mandam figarteos, de vestidos, man-
teletes o chapeos que esto no maior Apst e mais modernos, e acha habilita-
da para fazer vestidos para passeio e viakas, bailes e casamentes. As senboras que
a honraren) com a sulfi egueia, naodeixarSo de ser saUsfeitas, lauto pelo bom gosto, como
pela barateza dos presos e proraplid5o na eatrega das encommendas ; tambem tem bo-
nitos enfeites muito modernos e de todasas cor tauto de fil como de palha.
OOSTREIRA
Cose-se costuras de alfaiat- a moda fran-
coza, por pre?o commodo, na ra Augusta
n .112, e d-se Banca sdhre as mesmas.
O adv*galo
Affonso de Albuqaerqne Mello inudon o seu es-
criptorio para a ra das Cruzes n. 37. defronte da
typographia do Diario.
Miguel Goncalves Rodrigues Franca, lilho de
Manoel Goncalves Rodrigues, vende a ncranca que
em urna quinta Ihe deixou na ilha de S. Miguel
seu avo paterno Joao Goncalves Rodrigues : a tra-
tar na ra do Crespo n. 12, Io andar. ______
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de urna efficacia verdaderamente ma-
ravillosa como calmante do systema nervoso
e applicado contra a paralisia, asthma,
tosse convulsa ou coqueluche, tos e recen-
tes ou antigs, suffocacoes, catharros,
bronchicos, etc., e em geral contra todos
os solrimentos das vas respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua yirttide contra
o ttano oa espasmos, e covulscs in-
contestavel, e ninguem ha que a desconhe-
?a. Ra Larga do Rosario n. 10, Pernam-
buco.________________________
Anida nao vieran, bo entremeto o negocio
de interesse, e precisa-6 fallar ra do Crespo
n. 17 com os Srs. Paulino Ferreira da Silva, ex-
procurador da cmara, Dr. Francisco Pinto Pes-
soa.
Precisa-se de una ama Uvre ou incsino es-
crava, que cozinhe onm purieieao o diario de orna
caso, e que seja de boa conduela : a tratar na
ra do Vigarip n. "i. tereciro af dar,
DENTISTA DE PARS
*
19Ilua Nova19
FliEllUItlCO fiitTIEH
irurgilo-dentista, muito conhecido ba dez annos n'esta cidade, pela perfeicao dos seae
trabalhos, tem a honra de participar ao respeitavel publico que tendo feito raudos me-
'horameotos na saacasa, pode d'hora avante receber as senhoras no seu gabinete onde
icharo os commodos prettsos para familia.
Acha-se tambem na sua casa e na sua companhia, o seu sobrinho e discpulo
ar. unoiA
o qual acaba de voltar de urna longa viagem a Europa, durante a qual praticou com
fehz successo as primeiras casas de Pariz e de Londres, offerecendo assim as melhores
garantas do bem desempenho para tudo o que for relativo a profissao ; por isso o
annunciante pede aos seus amigos e clientes que por acaso o nao encontrarom no seu
gabinete, depositem no dito seu sobrinho a mesma confianca com que o tem honrad
a dez anuos. ,JU .
Dentaduras por todos os systamas: a press5o do ar e com molas de ouro, platina
vulcanita e um inteiraioente novo n'esta cidade.
Cura radical dos dentes cariados.
Chumbagens (obturacoes) com ouro e com massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de dentes.
Agua e pos dentrificios fabricados pelo proprio annunciante, o que Ihe permitte afian-
zar sua boa qualidad'1.
Escovas para dentes. etc.
Perfeicao de trabalho e prepos moderados.
Vingens para fra mediante ajusto previo.
0 gabinete atba-se aberto das 8 horas da manh5a at as 4 da tarde de todos ds
lias uteis.
MUDANCA DO
Albino 1ts|rtista da Rocha participa
a todos osseus fregnozes quemudou-
se com a sua olflcina dapraQa da
independencia a. 12 para a roa das
Cruzes n. 23 previne, portanlo, a
todos os amigos e rroguezes que se
achara em casa a qnalquer hora
do dia, para execntar todo e qualquer concert
que de sua arte exigir possjrm, tendente a sua
profissao; e em sua falta acharao com qnem
tratar.
ObsfrucQo
Do ligado e do bago
Os preparados de JURUBEBA finito,
xarope, piHthts, oleo, emplastro e tintura)
sao eflicazes esotra a obstruecao do ligado
e do baco.a ictericia, a hydropisia, as febres
intermitientes e durezas, os desarranjos do
estomago, as faltas de sangue e de men-
truaro, o catharro da bexiga, etc.
Ubico deposito, pharmacia de seu autor
de J. d'Almeida Pinto.
Ra do Rosario Larga n. 10 junto ao
quartel do polica.
Aluga-se o annazem n. 9 da ra da Moeda
com grandes proporgOes para recolhimento de g-
neros ou para prensa de algodo por ser perto do
desembarque : a tratar na rna do Qnemado n. 13,
1 a> dar.
AMA
Precisa-se de urna ama Loa coznhera, e outra
que engomme bem, forra on escrava, e que tenha
boa conducta : na ra do Pires, sobrado n.
AMA
Precisa-se de urna ama, forra eu escra-
va, de bons costumes, para servir umi
senhora, c fazer-lhe algum servico de casa:
dirija se ra dos Prazeres, na Boa-Vista,
casa terrea n. 15.
Attenqo
i as qoalidade
PILULAS oe BLANCARD
Procisa-M de urna ama que engomme bem : na
rna da Cniao n. ib, casa de pequea familia.
ATTEN CO.
Ja praca do Corpo Santo n. 6, 2* andar, dese-
a-se fallar com os Srs. Manoel Rodrigues Cardoso
Joaquiai Martins da Silva..
Ka ra Cstreta do Rosario n. 3o Io andar prepa-
ram-so ricas bandejas de bolos para Pasamentos, bai-
lesebaptisados.por pre^o niuitocommodo.com bolos
de4ifferentes qualidades,uoquetsde ll>resartiticiaes
e naturaes proprio? para enfeites de bolos e para
calamentos e para qualquerofferta com filas bor-
dadas a ouro e lelreiro agosto dos dono ; as en-
commendas devem ser feitas dous dias antes,
eteitam-so velas ricas por muito barato preco
para baptisados e enfeites de altares; taz-se ca-
pailas e cenos para as lojas e flores para eufeites
de igrejas ; arepara-ae quaU|aer encommenda,
para fora com toda a presteza, de rosas, palmas,
apeitea, esoes e roseara |iarnfeites de igreja
mais barato n que em outra qualquer parte e
com toda praHteza; ta-ee pao-de-l, pudn* e do-
ce, tudo enfeMarto para presentes.
11-Sua estreita do Sosaris 11
Este novo e modesto estabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico este ele-
gante e bem fornecido hotel que situado n'uma posico inteiramente saudayel, o sen-
do constantemente sombreado pelos doces zephyros da tarde, torna-se preferiwl qual-
quer outro d'este genero, as tres cousas mais necessarias ao genero racionalali-
mento do corpo, distrajo da alma, e socego de espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto muito profusa, da primeita ordem ; no
primeiro andar, sala da frente, um excellente buhar de mogno, para divertimento. Sala
de traz um restaurante da primeira ordem. Quanto ao asseio e bemfeitoria das comedo-
rias, o delicado modo do pessoal do estabelecimento, promptidad e commodidade, s
aos Ilustres concurrentes dado fazer Justina.
Fornece comidas para fra, tanto por mez como avulsa. Todos os dias, noite,
jocontrar-se excellente sorvete, refrescos, caf, cha, bons vinbos Figueira, porto, Bor-
deaux, tendo bons commodos para hospedagem, salao e quarto mobitiado no segn
do andar.
FLOR DA BOA-VISTA I
_^. COM tOOUMTO 00 pimo nmummel
APWOVADAS PEU ACADEMIA DE MEDICDIA DI PARS, ITC,
Peasulodo m proprtedades 4o Iota t da farra, eosTan aipacialmente iu Amocois
BSCBOFULOSAi, Tsica no principio, a fraqueatU MrnpMWMitfe a tamban sea caso da
Falta ds cok, anp.tfoanncA, am que precisa reagir iobrk o sakovs seja para restituir
Iba a aua riqueza a abundancia oarmaes, ou para r it rifnaar a aa fau prinHan
tf. B. 0 iodartto niMi a*i^ qni TspvwlDtlila, irat m kJi m Mr MM -a mb
rttm *m ai.-Pan m^uetmttr du fahaetcowT
'""P** ><4_?lj_1,!l!!*1** H^mmoemutet, n BuufrU, Si, P^j,
Remedio eftka* para rysipelta, pelo verdadeiro
deeeobridor, PedroluaHiue de llaredo, cujoa fras-
eos serio rubricados elo poprietario. e,os (pie se
encontrar sem a mbnea doniesmu, serio'falsos;
afiancando a todos ape nao flearem fomptetamento
perfeitoa, o autor se r*sjwnsablsa, 'isto que ser
falso lado aqaelle que se encontrar seu1* a rubrica
do mesmo.
Feitor
Olfereee-se um homem casado para feitor de
sitio, podendo a mulher do mesmo se oecupar em
fazer costuras : a tratar no becco das Crioulas na
travessa da Lingoeta, casa que tem cocheira.
_= PAULO FERKANDES DE MELLO GOIMARAES -^
* SOB A DIRECCAO DO MUITO HBIL ARTISTA I?3
3 ALFAUTE PED 1
Nesta oflidna cncontrar5o os respeitaveis freguezes nra dos primeiros artistas
em alfaiate para bem poder satisfazor toda e qualquer obra, tanto no bom corte, como
no aperfeicoamento das mesmas. ,
Torna-se desnecessario recommendar este artista, pois que a sua thesoura j
bem conhecida, (e com grande especialidade em fardas) por muitas pessoas distinctas
dcsta cidade
Ach^r-se-h5o figurinos de todos os mezes, pelo que o artista executa dbante de
todos os preceitos d'arto qualquer urna obra em lace dos mesmos.
0 mesmo estabelecimento se acha munido de um completo sortimento de fa-
zendas, como sejam: casenu'ras de cor, ditas pretas, pannos pretos, ditos azues/brins
de cor, ditos brancos, sCfla para coHetes, merinos, etc. e mais fazendas pDffias ;'
officna.
O grande sertiinento de roupas feitas que tem vende por menos 2Q(|0 do
une em outra qualquer parte. )
RA DA IMPERATRIZ N. 48,
junto padaria franceza.

C0NFE1TARIA DOS A1ME8
16 RA Da CRUZ16
Ha diariamente sftrtimento de bollinbos para cha, fiambre, pastis desuren-
les qualidades, vinios de superior qualidade, cha Hisson preto, e miudo, o rae**r que
se pode encontrar no mercado, amendoas confeitadas, xaropes refrigerantes, doces de
calda, etc. .
Incumbe-se de encommendas psra grandes janlares, bailes, baptisalot* ca-
samentos, a saber:
Pecas de nougat. Pes-de-lot enfeitados.
Ditas de pao-de-lot. Bollos dem.
Ditas de tmara de ovos. Pratos de doce de ovos.
Ditas de caramilo. Tortas folhadas de crme e carne
^ajjdeja com armagao de assucaj-. Empadas.


Diario de Pwaambuco Sexta Teira 13 de Agosto de 1860.
h*
Morera Duarte & G. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
pra^a, e por prepos o mais resumido possi-
vei. Tambem compram ouro. prata e pe-
dras preciosas
HL5 RIJA DO CAMJliA l S
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
BAZAR DA MODA
! Os abaixo assgnado, proprietai ios dcste
I estabelecimento, claram o respeltaveJ
I publico e com especialidade a seus nune-
rosos fregueses, que desla data em Oiante
as mercedorias sern vendidas a preco fixo,
e mdico. Isto resolveram os mesmos pro-
prietarios em consequencia de reiterados
pedidos de muitas pessoas por ser este
systema de vender o que mais garanta e
confianca inspira ao comprador.
As vendas em grosso. serao feitas com
os abatimcntds na razo seguinte :
Compras de 500 a 1000 descont
> de 100^ a 5000 >
de 500 para cima 15o/0
Pagamento realiasado no mesmo mez de
compra.
Os propietarios doBAZAR DA MODA,
observam mais que, recebendo todas as
mercaduras de conta propria, offerecem
a quem comprar todas as vantajosas condi-
ces das casas importadoras.
O estabeleeimtnto conserva-sc aberto
todos os dias uteis das 6 horas da manliaa
s 8 horas da noite.
Recife, 1 de agosto de 1869.
Jos de Souza Soares 5/.
io0/.
S Dr. Manool Enedino RegoValenca, tne-
* dico, ra da Camba do Carmo n- 21.
urgencia
as
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamaitos para descarocar algodao, do
multo conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
MACHINAS ditas, tambem de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
godao do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodao.
MACHINAS de faeo do fabricante Platt B. C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que lm
vindo ao mercado ; e para a sua apreciarlo convidam-se os senhores agricultores "
virem a oxposico das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
encontrado mais o seguinte :
Debilitadores para milito.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhos de mo.
Machinas para cortar apim.
Cannos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvantsadas.
Folhas de lineo finas.
Ditas de cobre e lato.
Ferro de todas as qualidaiies.
Arcos de ferro.
fiplha de Flattdres.
Machados americanos.
Facoes ditos.
Balaios e cestas de verguinha. .
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamaitos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
divcrsTdade seria enl'adoaho ennumera-los.
Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trehs completos paracozihha.
Penetras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para relinacoes.
Azeite de espermaceie, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avulsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
CARVAO DE BELLOC
PARS
ipprovado e recommendado pela Academia imperial de medicina de Part para a
cura da gastralgia e em geral de todas as doeucas nervosas do estomago e dos intestinos.
egualmente o remedio por excettencia contra a retenco de venlre Finalmente em
raro de suas propriedades absoryentes, recommendado como verdadeiro remedio nos
caios de diairhea e cbolerina. O carto le lcito* toraa-se na occasiao das comidas
sob a forma de pos ou de pastilhas.
D*potito em Rio-Jaheiro. Duponchelle; Chevolol. m Psuvaubico, Maurer & C".
Precisa-se fallar com
Sis. Joao Apolonio Cavalcante e Antonio
Femantes de Almeida ; na ra da Cada
do Recife n. 53, armasen de molhados.^gf
Precisa-se de urna ama, portugueza,
que saiba bem engommar e coser, e que te-
nlta bons costumes; tratar na praca da In-
dependencia n. 38, loja de calcado._______
AUJGA-SE
o segundo andar o sotao da casa n. 16 da ra do
Vigario : a ifatar na inesma casa, das 9 horas da
nianhaa s i da tarde.
Alnga-sc
o segundo o lerceiro andar da ra do Trapiche n.
46 : a tratar na mesina casa das 9 as 4 lloras da
tarde.
Coziuhelra
Precisa-se de una ama para cozinhar : a tratar
na rita do Mondego n. 34.
ALUGUEL
No CoiicJIode Ouro se diz quem precisa de tima
escrava que sirva para comprar, cozinhar e en-
gommar |iara casa de familia.
fttggfffif esa a ca BflOTKf R
O Dr. Ermiro Coulinho reskle
ra da Cadea h. Gi, onde tem
aberto o seu consultorio medico, e
pode ser procurado a qualquer lio-
i ptra o exercicio de sua profis-Jj
rao.
AUuja-se um sitio cotn Iwa casa de meada,
cun eommodos para grande familia, na Passagew
da Magdalena, em frente ao sitio dos Srs. Bailar *
Otiveka : & tratar com Dumiogos Al ves Maven*,
ra do Vigario n. W.
ATTENCAO
C. Catao & C, ra da Imperatriz n. 77
A' este grande e til estabeJecimento acabam de
chagar carregamentos ospeciaes de drogas e Untas
osperadas de encommenda propria. Ao ja conhe-
cido sortimento de drogas, preparados, e tintas,
Ijciii como de objeetos.e instrumentos neessarios
medicina, cirurga e trabalhos artistiens e chi-
niieos, acaba este estabelociuicnto do onriquecer-
po eom tres importantes retnessas viudas das pra-
gas de Lisboa, Hamburgo c Pars. Experimenten
e desengancm-se dos que alii se inculcam semtaes
majos e por una ostentaran (salvas tfi exceptes)
para ao menos se convenceren de qne nafre-
goezia da Boa-Vista a nica botica importadora
doa mercados cstrangeiros. e que por isso est em
melhores dondicoos, qnr em rclacao as qualidades
Njraospnv.i..
Novidade
A botica de C. Clao 4 C, ra da Imperatriz
n. 77, acaba de recebar um eompleto soniiiento
do setnentes de hortalice, todas muito novas e prr
com modo preoo.
Aluga-se
urna casa com bastantes eommodos, na cidade nova
de Santo Amaro : a tratar com Antonio Jos Go-
ales Jnior, em Santo Amaro.
Gasa no campo,
Aluga-se urna casa na Passageni da Magdalena
n.."!, antes da ponte pequea, com bstanlos eom-
modos, dous quartos fra 6 um quintal murado :
quem pretender aluga-la pode entender-se com o
Barao do Campo-Verde, em seu armazem ra
de Apollo n. 31 ______________________
Notas das caixas tiliaes do banco do Brasil;
troca ni-se com mdico descont, na loja de Manoel
Soares Pinbeiro, praca da Independencia n. 21
Attenco.
Precisa se de urna casa mobilhada c com todos
os arranjos domsticos para um estrangeiro. que
seja nos batrros de Santo Antonio ou da Boa-Vis-
ta : quem a tiver nestas condieoes, dirija-?e ra
do Vigario n. 10, que achara cm quem tratar.
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar e comprai
jiara casa de pouca familia : na ra das Cruzo?
n. 28, 1 andar ; prefere-se escrava e paga-sf
bem agradando.
Os abano wsignados scientificam ao respei-
tavel corpo cdmiuercial dasM praca, que nesta
dala dissolveram amiga vclmenle a sociedade que
linham sob a razao de Vasconeeos & Malta, reti-
rando-seo socio Malta pago de seu capital, e livre
de qualquer responsabilizado da extincta Orna ;
cuja liquidacao Oea a cargo do socio Vasconcelos,
aquem exclasi-menle tica pertencendo a pro-
pmda le e esUboleenento denominadoSaboaria
o Senaria do Becife-ilo s ras do Brum e Gua-
rtrapes, e armazem de madeira ra do Caes 22
da Xovembro desta cidade. Recife 31 de julho dt
1869.
Antonio Joquim de Vasconcellos.
Manoel Victor de Jess da Matta.
a ra das Aguas Verdes n. 100, segundo
andar, se dir quem d urna pequea quantia a
juros. '
SEGUROS
MARTIMOS
CONTRAFOSO.
A. Companhia Indemnisadora, estabelecid-a
esta pra?a, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadoras e mobilias: a
ra do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
I
Resta venda um eseolhido sortimento de ob-
lectos e nwrcineria, como sejam, mobilias de ja-
:arand. mogno eamarello, obra nacional e estran-
zeira, de apurado gosto e por prejjo< raioaveis :
a roa estreita do Rosario n. 31 Nesta mesma
asa fazem-se com perfeiQo todos os trabalhos de
lalhinha, como sejam, empalhamentos de iastrof
sara camas,cadenase sophs.
Precisa-se alugar um prelo ou moleque para
andar na ra cora fazenda : na ra. da Cadea nu-
mero n. 9.
Milita attenco.
Ftigio no dia 29 de jnnho o escravo Manoel, de
nago Angula, idade SO asaos pouco uiais ou me-
nos, com m signaos seguintes : falta de deutes na
fente, andar vagaroso, pernas Anas, marcas de
bexigas, levou calca e camisa de fisrftdinha, cha-
peo de palha novo : roga-se aos Srs. capities de
campo de o aproendercm que olevetu a ra D-
reita n. 10, que ser generosamente gratificado ;
desconOa-sc que-antfa pyios engenhos do Cabo. a
Precisa-se de urna ama
cosinliar, na rna farga do Rosarii
Os apreciadores de manjares delicados encontra
to todos os dias no hotel central de Francisca
Garrido a verdadeira sopa de raviole, ao verda-
deiro gosto italiano, cssiin como ontras exeellenles
iguanas, que seria enfadonho mencionar. Alli se
encontraro ainaa os mais asseiados aposentos para
hospedes, e banhos, buhares e pianos para re-
ereio dos visiuntes : na ra larga do Rosario n.
37, 1 andar. ________________________
lWlTi
Xio 9 largaremos t qne..........
VY na ra Direiia n. 53, loja de ferragens, qae
se deseja fallar ao Sr. Antonio Francisco Duarte
ou seu irmo ex-deputado provincial Dr, Maxi-
miano Francisco Duafte : deve saber quem
Atteiw}ilo
Quem precisar de roupa lavada e engommada
pelo baratisshr.o preco, de : camisas de homem a
140, calcas a 180, eeouras a 60 rs., rolletes H0,
l-ncosemeias a 20 rs.. eilarinhos a 40 rs. : diri-
iaa-sc ao boceo dos Ferreiros, casan. 17.
Os pruprielaris do sitio do Mondego n. 99
tazem sciente ao publico qut nao deram autori-
saco ou coi.sentimeto algnm para a declaracao
constante d<> annupejo de leilo das machinas e
serrara sitas no mesmo sitio, quanto ao traspasso
e continuacao do arrendamento as bases do
mesmo contracto; qne pelos arrendatarios tem
iido infringido, como melhormente farad valer
uue salba comprar JeiisdireUos, protestando desde j pelo presente.
Marin 21 "visto seretn ditas..machina'e serrara a garanta
:que pekis arrendatario foran dadas .ao eumpri-

^n
GOMES DE* MATTOS IRlftOS
tendo feito completa mudanza em sen antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com espeialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. k
onde encontraro um completo sortimento do que B...tle mais legniite,;
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubius eitndo qire ^m-obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQGS DE BRILHANTES, ESMERALBAS RBlfiS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
tiento das mndtrfoes do-Wesmo contracto.
mt
Troca-se a moradia de um 1.
andar da ra das Cruies por um
sobrado em alguiua outra ra do
mesmo bairro de Santo Aptonio,
preferindose as proximidades da
Praca da bidepeudencla; a quem convier eixe
carta nesta typographia com as inictaes i. A. F.
para ser procurado. _________ .
Precisa se de una ama que saiba bem cozi
nhar e fazer compras : a tralar na ra da Ca-
dcia do Recife n. 1, armazem. ..
M
Em S. Jos do Mangninho, casa n. 2, antes da
igreja, pagase bom alugnel a duas antas que se-
jam de boa conduda, o cntendam bem de engom-
uiado e colinda.
ML :
fa ra do Padre Floano n. :ii, precisase de
una ama para servir aun pessoas, paga-so bem.
Alitgam-sfi dous ojrravos preprios para cria-
dos : na ra Augusta n. 10.
Quem ipiizer alugar o 2a andar do sobrado n. 40
da roa da Cadeta do Rceife, o qoat se ada pre-
sentemente pintado, o esteirado e ft>rrado a papel,
ludo em perfeito esiado : pode dirigir-se ao cs-
eviptono da companhia Pernambncana, no caes da
Assemblan. 12, que ahi achara com Precisa-se de um caixeiro de. 12 a 14 annos.
com pratica de taberna, que d flador sua con-
ducta : na ra da Concordia n. 94.
COMPRAS.
0 miizeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
podras preciosas por procos mais vantajosos do
que em outra qualquer parte.
a praca da Independencia n. 33, loja de ou-,
uves, compra-se ouro, prata, e podras preciosas.e
tambem se faz qualquer obra do encommenda, e
iodo e qualquer concert.
ilrSi I
SCRAYOS
. 6ompram-se e vendeni se diariamente para lora
e dentro da provincia escravos de todas as idades,
cores c sexos, com tanto que sejam sados : no
lerceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
Ireraezia de Santo Antonio.
Compra-se
farinha de mandioca da trra : na rna do Com-
mereio n, 17.
Sednlas de 1$ o 2S
Coropra-sc na casa de Theodoro Simn
A C, largo do Peloutinho.
COMPRA-SE
moedas de ouro e prata de lodos os valo-
res, ouro e prata cm obras inntilisadas, e
brilhantes e mais pedras preciosas na lo-
ja de ouri'ves do arco da ConceicSo no Re-
rife.
Compra-se chumbo velho no armazem da bo'a
amarclla, no oitao da secretaria de polica.
Compram-se Diarios a oOOO a arroba : na
ra larga do Rosario n. 15.__________________
Ouro ep 'ata
Compram-se moedas de ouro e prata de todas
as qualidades, por bom preco : na ra da Cadea
do Recife n. .'8, loja do azulejo.
No armazem da ra das Crnzes n. 25, compram-
se e vendeni-se trastes novos e usados.
Compra-se romas (fructas) grandes e-
madnras, a pataca cada urna, na padaria da
na do Brnm n. 62.
VrNDAS.
Farinha de mandioca
da trra muito boa, tem para vender Maia 4 Lan-
delino, na travessa do Oneiuiado n. 18 B.
Os abaixo.assignados avisam ao respeitavel pn-
blico e couv especialidade ao corpo do comniercio,
qe nesta data dissolveram asociedade queiinhaiii
na'fabrica do cigarros, sita rua^reia o. SO, fi-
cando todo o activa ^pasaiwoia-eargo do 30Cio
FrancseoJosWbeiro Brajp, ewiaido o socio Mi-
guel Ag'istlaho Uaaios MaoLado desonerado de lo-*
da e qualquer n:sponsallidade tendente firma
de MTrh-idr IhQfT" ;l>'m ruino ,ii;i ]^ino
socio Miguel, desla data am *ante, sem ireilo al-
um a qimiqerreclaiiiaeao que em todo e qul-
quer teinpo quetra reclamar sobre dita fabrica.
Recife l de agosto de 1869.
Miguel Agosu'nho Ramos Machado.
Francisco ,Jns Ribeiro Braga.
cyo
0 MISEO DE $m
A ra estreita do llo*ario n. 35
1* andar.
Fornece-se comedoras para fra, de urna casa
partieoiar de familia, preparadas com todo o as-
seio. promptidao e couiuaodo proco : na ra ostrei-
ta do Rosario o. 35, l'aaaar._____________'
Ao Sr. Manoel RodrigWs Lopes, natural do
Porto, freguezia do Margarao. Blho de Quitcria
Pereira Dias, uccessiU-se fallar na ra Imperial
n.t33.____________________________
aqim I'errere dos Santo', professor de
danca, naiual.de Portugal, e chegado ha pouc-o
da Eurofa aelapr viticki cora ua esposa, tem a
honra de participar aos seus Hsares habitantes,
e mui principalmente aos Ilustres chefes de fami-
lia, que mudou a sua resideneia da roa do Impe-
rador n. 75, 2* andar, para a ra estreita do Ro-
sario n. 34, 8o andar, donde contina a lweionar
em danca, de baixod4oda rega, Mena de ama
variedade de daocas de roda, bo menos de nnze
quadrillias difTerentos, seudo a mxima parte dol-
as de brilhante efeito, as tercas, e quintas a ni-
te, c nos domlqgos de inanhaa e a noite para as
pessoas que nao-pndem ir nos dias uteis, o no re--
to da semana nroniptica iras casas particulaivs
e collegios, se parteo Ajr chamado.__________
Cateiras de pinho.
Chogaram as antigs e bem onhecidas cadeiras
de pinho, de abrir e fechar, proprias para eslabe-
lecimentos, pela commodidade que offerecem, ven-
de-se pelo preco do cosame, nos armazens de ta-
boado de pinho de Paulo Jos Gomes & Chinaco,
caes 22 de novembro. ____________
Vende-se um exrellenlc escravo de 14 annos
de idade, pardo, oflkal de alfaiaie, reforeado, e
ptimo para pagem : na rna da Florentina n. 28.
Vendcm-se dez pipas de muito bom niel de
furo, prompto embarcar, em barris de 3: na
ra nova de Santa Rita n. 19, armazem._______
Cal nova de Lisboa
Vende Joaqum Jos Ramos, ra da Cruz n.
8, Io andar.
Tinta rxa de Mnteiro
Vende se tinta roxa de Monteiro para eserever :
ua loja de calcado do sobrado amareilo na ra da
Cruz a. 21.
tU WT1
Para o armazem do Campos, na ra do
Imperador n. 28.
Nestc muito acreditado estabelecimento
acha se constantemente um variado sorti-
mento de gneros unos para meza e
csinha e entre estes nomea-se apeoas as
especialidades seguintes:
(jueijos do serto sendo de manteiga e
coalha.
CamarQcs seceos do Maranho.
0 verdadeiro caf de Moka,
O superior e bfiffi conhecido peixe miraguaia
que se vende a ltO a libra e 4^500 a
arroba. "
TABELLAS
de reduccao as mais faeeis e mais com-
prehensivt,.o, ludo no
Armazem do Campos
Potassa da Rusala
a mais nova no mercado, a preco razoavel : na
ra do Commereio n. 13, armazem de Manoel Tei-
xeira Basto.
" Vantagem.
Vende-se 3 dominios directos do terreno da rna
do Senhof'Bom lesas ou travessa dosQuarleis
ns.. 10, -.20. 28 e 32 : quera quizer pode trilar no
patao do Terco n. 31, loja.
Aluga-sc urna Bjeta
ra do Pilar n. 7.
Attenco
quilandeira : a tratar ,ua
'Veode-se um ptimo piano de Jacaranda :
de anuario e iem pouco uso : quem o preten-
der, dirjja-se ra do Vigario n. 3, terceiro an-
dar, qualquer hora do dia.
(MlO PORTLAHD
vindo no ultimo navio de Londres : em
casa de.U.-MU & C, ra do Commereio
$..
Veadose ou da-;esociedad era um estabe-
teciinonlo de nmlliaiJos naincliiui rna desta cida-
de : a tratar ua travessa ja Madre de Dos nu-
mero 16.
i HMIU
Loja de miudezas de Ferreira da CunliaA
Temporal, ra do Queimado n. 03, esta
quintando por todo preco :
Jopo de vispara a 400 e 500 rs.
Redes pan oqaes a 240, 40u e SWOrs.
Linlia <] 200 jardas (duzia) 1*200.
Caixa muito lina para p de arroz L>00.
IVelogio de l 120 rs.
Latas com banha iti, 00 e 320rs.
A'ua lloiida verdadera a lyJUOO.
Agua divina dem lo400.
Cravatas pretaspara homem a 4 0 rs.
Pentes de Iravessa para menina ,120 rs.
Olio pltilocme verdadeiro I M()Q.
Atliire^os de plaquea IdSOO, 2S e 5-?.
Meias cruas para homem :!> iXle Wa
duzia.
Botoes enfeilados para mudo, 1-V2O0 a
duzia.
Leques do santoi S5, cada um.
Dittos de madeira 3> cada oro.
Coques de tranca, hoa fazenda, ty,
2)500 e .1;> cada um.
Meias finas para seniora r> i duzia.
Banha cm frascos a 400, 040 e ft&OO.
Frascos com extracto muito fino 2- e
2500.
Caivetes de ditas fullias a 240 rs.
Saboncles finos 80, 100, 200, 240 c
320 rs.
Mis babn 40(), .'O. 000 o 800 rs.
AgtM de colonia 4lH>, KM e 800 rs.
. Cartas francezas 200 e 240 r>.
Caixa com extracto 2oo00.
Cartas portttguezas a 120 e 200 rs.
Pentes braucos com costa de melai
320 rs.
Dittos pretos i 200, 240 e 320 rs.
Galo de laa para vestido (pessa) 400 rs.
Fita de sarja lisa e la viadas, L$5Q0,
2-> e 2<$500.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amizade a 700 rs.
Ditto e dourado a if$.
Ditlas com envelopes 800 rs.
Caixa com agulhas francezas 160 c
240 rs.
La para bordar de todas as cores (libra)
6800. -
Bonets para menino 1$, 2.) e 2O0,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
M ias para menina (duzia) 3$ e 3fjf)00.
Pecas de tranca liza e de corocol a 40 rs.
Sapatos de la para menino a 320 e 800,
Capctlas franceras a 20500.
Facas c gallos, cabo de balanro (du-
zia) 7 v
Chicotes para cavallo 600, 800 e 1 .>i)00.
Bengalla de canna 10, 10500 e 20.
Vortas para luto 500 rs. (cada urna).
Papel almaco. greve (resma) 10500.
Temporal pode ser procu
rado era seu estabelecimento bo-
nanza, Temporal contina a
vender na Bonanca, pelo mesmo
preqo que venda em sua loja
com titulo de Temporal.
iMMlw
Ra do Quemadon, 49 c 57 loja
dt miudezas de Jos de Azevc-
do Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar c fazer novo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de linhas do gaz com
50novellos a
Latas com superior banha a
120, 200 e.....
Frascos de oleo babosa muito
fino a.......
Dttzias de meias (inglezas)
muito boas a .
Garrafas com agua florida ver-
dadeira ......
Garrafas comagua;di\1na dame-
Ihor qualidade ....
Caixas com 12 frascos de cbeiroS
proprio para.mimos .
Dita com|6 frascos muito finos
Oleo baboza muito fino que s
a vista ......
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ....... .
Caixas de p de arroz muito
superior .....
Pecas de babadinho com 10
varas ......*
Pecas de fita de cs qualquer
largura *.
Escovas para turnas muito fi-
nas ......
Escovas para dentes fazenda
muito fina .
Pulceiras de contas de cores
para meninos .
Gaixas de linha branca do gaz
com 30 novellos .
Pegas de tranca lisa de todas
as cores .....
Resmas, de papel pautado muito
fino ......
Pares de botoes para punhos
muito bonito i ....
Libras de la para bordados de
de todas ?s cores .
Pentes com costas de metal
muito iuos .
Novellos de linha muito grande
para croxs .
Duzia de linha froxa para bor-
dado ......
Grosas de botoes madreperola
milito fino .....
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e.....
Pecas de fita de 15a todas as
cores ......
Espelhos dou/ados para parede
40000 e.....
Espelhos de Jacaranda muito
fino ......
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol i \
Pares de meias cruas para me-
ninos ......
Caivete muito fino com 4 fo-
lhas ......
Frascos de samhlo e patecholy
muito unos i
500
400
. 400
40O<*
10200
IHQO
205Ot<
0800
0500
0240
0600
0500
0500
050-3
0240
0200
0600
0040
40003
Uto
80000
03-:o
0320
0480
0500
0320
0500
10500
2)000
#060
0320
10500
10200
Vle-te,im6craviBtaodel'ilni.
de, bem reforjado, er^oscura, l>om oflinai ..
faiate, e ptimo para wom : na ra da Aun a
n. 20.


6
'ferio de Pemarobiu* Sexta feira 13 ^;,i^ft|to de 1009.
GMNBE LIQUIMQAO
DA
ARARA
72. Ra da Imperatriz. -
72.
L
Alerta freguezes
que Arara va i cantar,
Para vender suas fazenclas (barata*)
que niuito ha de agradar.
0 prnprietario deste estabelecimento, teado grande porcao de fazendas em
ger, vai proceder urna liquidado em todas as faaendas e roupas"feitas existentes no
estabelecimonlo, agora que occasiSo de qiiem ten) ponco dinheiro poder se vestir de
boa' fazenda e baratissima como se poder ver no annnncio abaixo mencionado.
MADAPOLO BARATO A 35300.
Vemle-sc pecas de madapolo enfestado
de 12 jardas .'{$500, dito de 2jardas ou
SS metros 5$, 60, 6^500, 7&JO0, 8,->000 e
9-S00O.
CUITAS FRANCESAS A 280 rs.
Vendem-se chitas franeczas para vesti-
dos a 280, 320 rs. o covado, ditas escuras
muito finas 360 rs. o covado.
Chali n multo fino h SOO rs.
Vende-se chalin para vestidos ie senhora
800 rs. o covado.
PERCALES A 4i(\ RS.O COVADO.
Yende-se percales muito finos para ves-
tidos de senhora a 440 rs. o covado.
Brllhantlnas -II rs.
Vende-se brilhantinas ou mursulinas de
cores para vestidos de senhoras 410 rs. o
covado, lazinhas muito finas para vestidos
de senhora 400 rs. e 300 rs. o covado,
ditas de quadrinhos 240 rs. o covado.
RISCADO FRANCEZ A 360 RS. O COVADO
Vende-se riscado francez para vestido
de senhora 360 rs. o covado.
Lasinhas aIO rs. o covado.
Vendem se laasinhas para vestido de se-
nhora a 240, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas finas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales de merino 2.
Vende-se chales de merino estampados
2> e 2r?500 cada um, para acabar.
CORTES DE LAS ARERTOS A.20MH)
Vende-se cortes de laa para vestidos de
senhora. 25400 cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas do cores para vestid ^s
de senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de listras 700 e 760 rs. o covado.
Chitas prnsslanas 380.
Vende-se chitas prussianas de listras de
cores muito bonitas a 360 rs. o corado.
CHITAS PARA COBJSRTA A 320
Vende-so chitas incorpadas para coberta
a 320 rs. o covado.
Bales de O a SO reos
Vende-se bales .de 20 a 30 arcos
500 cada um, balos modernos brancos
o de cores 55.
BRAMANTE PARA LENCOES A 25-
Yiuule-.se iM-aniaoic com lu palmos de
largura para lew oes, a 2-.\ a vara.
PECAS DE ALGODaO A 40.
Veailem-se pecas de algodo muito en-
cobado a ty.ttt, WSoW.
Colerlnhos econmicos a 3SO
dnzia.
Vende-se colerinhos econmicos a 320
a duzia, s se vende asskn barato por ter
grande porc.To.
CASEMIRAS DE CORES
Vend-se cazemiras de cores para calsa
e paliit 2-? 2-).'>0O. o 3/5 o ovado,.
Algodo enfestado i..
Vendc-se algodo enfestado proprio para
lences e toalhas, 15. a vara ou 900 rs. o
metro.
BRIM PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vendc-se brim para calcas e palitots de
homem e menino. ;i 400 e 440 rs.. o co-
vado, dito lizo a imitaco de ganga a 360
o covado.
Algodo de Usiras a O rs.
o covado
Vcnde-sc algoilo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BH1.M CASTOR A 640 RS.
Veiide-se cortes do brim castor para
calca de homem, ;i CO 800 rs. cada um.
CARTEIKA PARA VIAGEM A lrS.
Vende-se carteiras para viagem 15
cada urna, cobei lores de algodo 1#>00
cadaum.
Cobcrtas de chita 1.&300
Vende s roberas de chitas de cores
15800 e 25. cada urna.
ALGODO TRANCAN) HE EUA1 LARGURAS A
I 200.
Vende-se algodo transado de dnas lar-
guras, proprlns para Iences e toalhas para
mesa, se vende a 15200 o metro.
Mantas para gravata OO rs.
Vende-so mantas para grvala a 200 rs.
cada urna, lencos de soda do flores, a 640
cada um.
ATOALUADO PARDO A 25500.
A5ende-se amainado pardo para toalhas
de mesa 2-vi00 a vara, tnamas escuras
15, cada urna. Ra da Imperatriz loja
da Arara n. 72.
CONVITE GERAL.
O proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da Impe-
ratriz n. 56, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
ser, e desejando diminuir este grande deposito por meio de urna liquidaco que An-
dar no dia 15 ou 20 do corrente, por issjo convida ao respeitavel publico a vir surtir-
se de boas fazendas, e por diminuto preCo. a saber:
CHITAS LARGAS A280rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
ALGODO .ENTESTADO TRANCADO A
15000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
lencoes a 15000,. dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 35300.
Vendem-se pecas de madapolao enfes-
tado a 35300, dito inglez de 24 jardas ou
22 metros a 55, 65, 75, 85, 95 e 105, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPAGAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5>/0 rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
e 720 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
SEDAS DE CORES A 15-
Vende-se sedas de cores para vestidos de
senhora a 15 o covado.
PORCO DE RETALHOS.
Vende-se urna porfo de retalhos de cas-
sas, de 13a e sedas e de outras fazendas
por muito barato preco.
A' elles antes que se acabem.
CHAI Y DE CORES A 800 RS.
Yende-se chaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 45. *,
Vende-se chales de cassa a 15. e de me-
rino a 25-
CORTES DE LA A 25400 RS.
Vendem-se cortes de 13a de listra para
vestidos de senhora a 25400 rs. para aca-
bar.
ALGODAO A PECA 45000.
Vende-se peca de algodo a 45, U, W
e 75 a peca. E muitas outras cousas que
feria enfadonbo mencionar.
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 25500.
Vende-se casemiras de cores a 25500 e
35000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 3^5000.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35000, ditos de seda a 105 cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para caicas de
homem e meninos-a 400 rs. o covado.
Cangas para calca a 3 SO rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-so musselina branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Yende-se tarlatana verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 25.
Vende-se lencos brancos a 25 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de liuho fino a 15000, para aca-
bar.
GRANDE SORTIMENTO
DE DOUPA FEITA DE TODAS AS QUALIDADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cent do que em ootra casa: por
isso os pretendentes podero vir examinar
para ver a realidado do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
" BALES DE ARCOS A 15500.
Venden-se baldes de 20 e 30 arcos a
15500 cada um, ditos modernos a 45.
BRIM HAMRRGO A 85000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo a 85, vem a ser mais barato do que
algodaesinho.
CORTINADOS A 145000,
Vende-se cortinados para cama a 145
para liquidar. Ditos para janellas a 75.
Todas, estas fazendas se vendem muito
barato na ra da Imperatriz n. 56.
x\. 45 RIJA DA CADEIA X. 45
DE
BIS, M & c,
SOB A DIRECgO DO MUITO "HBIL ARTISTA
Launano, alfoiac.
i
Os propritarios deste novo estabelecimento, tendo experimentado a necessidade
argente de ter nadireceode sua officina de roupas por medida, um artista perito, tem"
contratado o Sr. Lauriano Jos de Barros para tal mister, convictos de que satisfar"
com todo o capricho a vontade do freguez.
Tem o mesmo estabelecimento nm bom sortimemto de fazendas proprias para
roupas de homem.^mo sejam: casimira de cor, indos padrees, completo sortimento de-j
pannos finos, ptet e di cor' casimira preta, grande sortimento de brins brancos c de
corea, merinos d* diversas quaBdades, bombazina, lindos cortes de gorguro para collete, '"Jo ^ presente, a$?m como marco de latao
gorguro Pekn, superior qualfdade al meio grammo pelo me*mo sy?tema, bataneas
Aa r..a US t eguezes encontrado amda um vanado sortimento de roupa feita, camisas ^ midcira e de latSo tara med? fazendas, aim
mglezas, collannnos, ceroulas, gravatas pretas e de pbantasia, meias para homens, se- de grande sortimento de miudezas e fi-rragens de
nhoras, meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado, iodwsqoalidades,tudoporpreosque s vista
bales de diversas crese modelos, eambraias, malas para viagem, e outros muitos ar-
tigos que a modicidade do seus procos incita a comprar.
Grande a eoippteto sortimento de machinas para
descarocar algodfiode nova nvencao chegadas l-
timamente u direitura para a loja de Manoef]
nto de Olivara Braga A C, na ra Dircita n.
i. Garante-fe qtje# a mclhor qualidade que at
presente tem tiodo ao mercado : aciiani-se em
posicio aos compradores.
SysfeTiia decimal.
Grande e completo sortimento de pea kilo-
grammos de melhor compre he u sao dos qne tem
A ra da Cadeia n. 45
* 'V1 '
4->0OO
500
MM SEli
Ra do Quetmado ns. 49 e 57
tojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Maia, est acabando
com as miudezas de seus estabe-
lecimentos por isso queram apre-
ciar o que bom e baratsimo.
Pacas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
15500.2;>, 35 e.....
Caix: Pares de sapatos de tranca fa-
zenJa nova a......25000
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a...... 15500
Ruzias de meias cruas para ho -
mem a........
Tramoias do Porio fawnda boa
e pelo preco melhor 100 attos a
Uvros de missoes abreviadas a .
Duzia de baratos fcaneeies muito
finos a25400 e 'i580C
Silabario portuguez com estam-
pas a ........
Gravatas de cores e pretas muito
finas a........
Cartoes com eolchetes de latao
fazenda fina a......
Abotuaduras de vidro para colete
fazenda fin a......
Caixas com penna d'ae* muito
finas a H20> 400, 500 e .
Cartoes do linha Alexande que
tem 200 jardas a .
Carreteis de linha Ateaodre de
70at200a......
Caixas com. superiores obreias
de massa a......
Duzias de agu has para machina
Libras de pregos trancezes di-
verso tamanho a. .
Livros escripturado ^ara rol do
roupa a...... .
Talheres paia raonitos muito
finos a. ,......
Caixas com papel amizade muito
fino a.......*.
Caixas com 100 envelopes muito
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhorasa.......
Thezoura* muito finas para
unhas c costuras a .
Tinteiroscom tinta preta muito
boa a 80 120 e .
Varas da, franja para toalhas fa-
zenda fina a. .
Pecas de fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
3800
5200
20OO
f$320
fS500
026
500
4i5tOOO
5100
5100
040
25000
5240
Ai
'5240
5700
5600
5320
5500
5320
51GO
200
60
Grozas de botoes de louca muito
finos a........
25500
160
Machinas a vapor de
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar algodo.
alangas para armazem e balcao.
Camas de ferro.
Cofres do ferro de Milnez e de l'hit-
field.
Prencas para copiar cartas.
Fogo americano patente.
Scbonete de alcatrdo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tSo boi
acceitacao tem merecido n'esta provincia
muito so recommenda para a cura eerti
das impigens, sarnas, caspas e todas a*
molestias de p.elle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu d C,
34ra larga do Rosario34.
CEMENTO ~
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
reiA da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
ceieao, e m barrica grapdes.
Boas escravas
Vcndera-se 2 escravas que engbmmam perfeita-
mente, corinham e cosem'muito bem, figuras bo-
nitas, 3 ditas e 1 bom escravo para todo servico *
na traveasa do Carmo n. 1.___________ '
Carro
Vende-se ama linda caleca franeeza em bom
uso, feitie moderno : quem a pretender, diriia-se
ao caes 22 de Novembro n. 32.
JLOJA
DO
GALLO VIGILANTE
ixuat do Crespo n. 1
Os proprietario deste hem conhecid estabele-
eimento, alm dos muitos objectos que liefiam ex-
postos a apreciaco do respeitavel iiubttco, man-
daram rir e acaham i)r recber pelo ultruro vapor
4a Europa um completo e variado sortimento de
finas e ros delicadas especialidades, as quaes es-
tio resolvidos a vender, como de seu eustame,
por precas amito !)a*itm*os e conunodos para to-
dos, eoiii tanto que o Gallo..
Mnito superiores lavas- de prfea, pretas, bran-
cas e de mni lindas cores.
Mu boas e bonitas goBfnhas e punlios para se-
nhora, neste genero o qne ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqtiissimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ibos e sm elfes; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osSo, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias Do de Escossia para se-
nhoras, as quaes semprc se venderam por 303000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marlim com lindas e encantadoras lisu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
auantidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos cnicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marlim c tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramus sua qualidade o delicadeza.
Lindas e bellas capillas para Doiva.
Superiores agulhas para machina e para ctox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para cncher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarcte, assim
como os teios para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das roelhores per-
fumarias e dos raelhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
facilitam a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebo-Ios por todos os
vapores, afim de que nnnea faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois noderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sSo applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos,ipois, avista dM cbjectos qne deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
FOLHA DE
FLANDRES
da fabrica Denvent a 23000 I C ou 24^300 sor-
tida : na ra da Cadeia n. 4.
Burras.
Vendem-se duas faceiras e ensinadas burras
para carro : a tratar na ra do Vigarion. 3t.
Agulhas
para machinas de costura de Grover & Baker :
vendem-se na ra da Cadeia do Recife n. 51, 1
andar, a 21 a duzia.
MASSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHI
Preconizados por todos os Bellicos contra os I
DE1LUX0S, CATHARROS, E TODAS ASI
IRRITAgOES DO PE1TO.
N. B. O Xurope de Codetna qnt mtrtto a I
honra, aliai bem rara entre os Meditamentosl
novos, de ter registrado como ttm doi medica-1
memos o[Jicies do Imperio Francez dispensa I
quatquer elogio.
AVISO. Por causa da reprchcnshcl falsi-1
(icaco que tem suscitado o felii resultado do [
Xarope e massa de Berlu somos toreados al
lembrar qneesies medicamentos lajuslamootcj
coucciluados so se
frendem cm caixin-
bis e frascos lerando
a assiguatura em
trente.
48, /fue des cotes, e na Pharmacia Crolrall
| de I'ranc!. 7, liue de Jony, cm l'arii, e cm J
todas a* Pbarniaaa nrMpiuuts da R
PlLULESSSICAUVIN
nmta, SolTird SAutofrt. rnk
Esta precioso rsriallvo vegetal to commodo
I tfridtvel o remedio mais infallirel para des-
trtir as eowtlfaeoes, as nevralala*, as mais re-
beldes, assim como a MIU e a vtMoaMMles
Elle ericas as gastritis, otMtrmeeoes os.
fmeeaa, asininas, eres, eatarraos, ei>l>rmai
faz crdito : na na Direita n. Si, loja de Manuel
Benlo de Oliveir Braga ir C.
Extraclnm carns.
Este prudicto alimentario para doentes, mni
apropriada para enancas, c para as pessoas saa<;
iiidispcusarel a todos, porni principalmente aos
viajantes, qne terso nelle o recurso de poder
ter alirneulaifao de carne fresca incorruptivel, e
que.com facilidade seaprompta e se conduz, por-
que n'um petmeno votume carrega-se alitnentacao
pata muito ten*|)o. Sofcrcludo cbama-se a aiieu-
cSo dos Srs. de engonho que eneonfrarao no KX-
TKACTCM CAHNIto recurso de alimentacao agra-
davel, hygienira c barata para seus fmulos e seus
doentes.
Este produelo fabricado pelo processo do dis-
trnrto medico Dr. Ubuluba, no Ha-Grande do Sol,
iiue acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victori.no nu Hezende & C, ra da
Cadca, escriptorio n. 52, Io andar, vendendo-se :
No deposita roa da C.atlea n. 52.
as pharmaciaa dos 3rs. :
Manoel Alves Barbosa, mesma ra n. Cl.
Joaquim de Almeida Pinto, ra larga do Rosa-
rio n. 10.
Antonio Maria Marques Ferreira, pra^a da
Boa-vista n. 91.
N. B.As latas que conten o extracto trazem
urna goia para sen uso.
COGNAC.
De superior qualidade da moi accredita-
da fabrica de Bisqoit Duboucli & C, em
cognac urna das qne mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Tu. Just, ra do
comraercio n. 32.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo fficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as creancas,
quasi sempre mais atacadas de to terrivei
e muitas vezes fatal soffrimento.
UKICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Barthomeu & G.
4Una Larga do RosarloM
erecimento das rillas Caarrta pode resu-
mirse nesta* paiams : amealakelecer ou cernear
var a saade.
Ellas ue sedem nem resguardo aa comida em
bebida; em dose laxante e armaratl*a, osase tomar
ellas ats refeecoes em dose roadTa de noite ao
detur-se.
BAZAR UNIVERSAL
tO-Rua Hova *
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposico servicos a electos para almo-
co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima de mesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer raanteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros. gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
iara sala e uesa, tapetes para sala, quarto,
rente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarlo
venda no-mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
Vinho verde
A' ra do Livramento n. 6 contina haver para
vender por precos razoaveis, o melhor vinho verde
ate hoje viudo a ste mercado.
PASTILHAS ASMIUIUS
DO
DR. PATERSON
De bisimitlt e magnezla.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a dig?st5o, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu C.
34------Ra larga do Rosario------34.
Rap Princeza
DA IMPERIAL FABRICA DR VIEIHA GUIMA-
RAES COTO,
DO RIO DE JANEIRO.
Vende-se este excellente rap no escrip-
torio de Joaquim Gerardo de Baslos, ra
do Vigario n. Mi, Io andar.
WtESPERftNQA
do Quawmado 2J
dvertencia!
ANovatspennca, ra do Queimad
e. 21 tendo em deposito grande quanU^da
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dad o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas ner-
cadorias pelo baratissimo preeo, para assim
diminuir a frande quantidade das que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que n5o forem venbam ser fregue-
zes, em tempo to opportuno quando i
NOVA ESPERANCA con\ida-os pechineba-
rem, pois que para comprar-se caro, Dio
falta aonde e a quem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paiis) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto-e perfeic5o, e ella (loja da Nova Es-
peranca) qer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca rea do Qneimado n. 21,
alen do grande sortimento que j tinha,
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brincos de
madreperoa.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos t
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda ).
Fitas larga para cinto.
Modernos galloes, franjas e trancas de
seda e de laa, para enfeites de vestidos.
Botoes do teas as cores o moldes novo
para o mesmo (un.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes e sem elles.
Botes pretos eem vidrilhos com pingea-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, eamurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
nino.
Delicados taque de madreperula, mar-
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas ra do Queimado n. 21, 'na
Nova Esperanza.
Collares anodinos ellectro-magneti
eos contra as convulcSes das
creangas.
Nao reste a menor duvida, de que muito.
collares se vendem por ahi intitulados ai
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitca
pas de familias nao creem (comprando-osj
no effeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanca, por
que detesta a falsificaco principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares;
e garante aos pas de familias, que sao ea
verdadeiros de Royer, que a tantas crean*
cas tem salvado do terrivei incommodo da
convulcoes, assim pois preciso, que ve
nham a Nova Esperanca a ra do Queimadc
n. 21 comprarem o salva vida, para sen
filhinhos, antes que estes sejam acommetti*
dos do terrivei mal, quando ento ser di-
fficil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collarea
de Royer.
<.\.GERM%
v"
Aiegrat-vos myopes, e presbytas, j po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortim- ato de
oculos, lunetas, pince-uez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
aeo, bfalo, ncar, unicornio emelchior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invencao ; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
POS DE ROG
Approvadot pela Academia imperial
de medicina de Pars
Cm {[asco do Pos de Bog, dissolvido
era urna garrafa d'agua, d urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parte dos outros purgantes. Oa B* ale
(>, sSo inalteraveis por isso empre-
gara-se fcilmente em vkgem.
|_^. j emHio-Jio,l>q>e/Je,Cairel',
junte j tm Pau MOLESTIAS do PEITO
HYPPHOSPHITOS
doDrCHRCHILL
XAROPE de H YP0PH0SPHITO de SODA
XAROPEdeHYPOPHOSPHITOdeCAL
POLAS de HYPOPrtOSPHiTO de QUININO
CH LO ROSE ANEMIA
CORES,PLIDAS
XAROPEdeHYPOPHQSPHITO de FERRO
LAS de H YPOPHOSPHITO de M AN6AWESIA
TOSSE BRONCHITIS
OEFLUXOS ASTHMA
PASTnJUSl^CTORASH.i>'CIURCjmL
Exigir para os xaropes o fraseo quadrado e es
Udot o$ producto a assignatura do O*' CHUH-
OHIIX, e o letreiio com a marca de Fabrica da
Palmada IWUW,, naCaitWiont.l/iRlS
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do pito.
VEADE-SE
NA
PHARMAOA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
CHARUTOS
Os melhores charutos da exposico e variedade
de oulras qualidades, finos; encontra-se no hotel
Central de Francisco Garrido, ra larga do Rosa-
rio n. 37, i* andar, e ra estreita do Rosario n.
4 A. Vendem-se a retalho e em grnsso.
PIMO ll\ SI II h
No armazem pintado de verde, sito a ra
do Caes 22 de Novembro n. 30, yende-se
superior madeira de pinho da Saecia, com
3 polegadas de grossura, 9 de largura, e
1 i ps de comprimento a 3*000 cada orna",
taboas de forro a W, 96 e 1A0OOO a duzia
pinho americano de resina 200 rs. o p^
Vinho Skerry
o melhor que ha no mercado ; no armazem de J,
0. C. Doyle, rna do Commercio n. 48.
Vende-sn breu barato : no armazem d bola
amarella, no oito da secretaria de polica.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento ; na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joto
Martins de Barros.
KBaal


Diario
de Pernarnbuco Sexta feira 13 Je Agosto de 1869.
Ccordeiro previdente
Ra do Queimado n. 10.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros bjcctos.
Alm do completo sortimento d perfu-"
maa, de que eflectivamente est prvida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber om outro sortimento que se torna
f"bvel pela variedade de objectos, superwri-
*M*d, qualdades e commodidades de pre-
?og; aasim.pois, o Cordeiro Previdente pede
e spera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n2o se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontrara os
apreciadores do bom: '
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologue ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgia) para conservaco do
asseie da bocea.
Cosmeques de superior qualidade e ebei-
.ros agradaveis. I
Copos e latas, maiores e menores,, com
pomada lina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualdades.
Finos extractos inglezes, americanos e
franceses em frascos simples e enfeitados.
Essencia mperialdo fino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de difie-
ren tes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinba para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composic5o de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
zas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
estao todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLUNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfumo.
Flvellas e t tas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, cando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
EM C0NT1NIACA0
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
Q(D=mm m lia&aiaawaia-Ha. s
DE
FEIilX PEREIRA DA SILVA.
0 proprietario deste grande estabelecimento tendo sido o arrematante da
extincta loja denommada=/A/cDf If DAS DAMAS=& ra da Imperatriz n. 36, e nao
Ihe tendo sido uossivel, na mesma loja, concluir a liquidarlo da grande quantldade de
fazendas que aln existiam, pelos poucos dias que leve at entregar as chaves, vio-se
obrigado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabelecimento, o=PAVO
onde o respeitavel publico encontrar um grande sortimento das melhores fazendas de
linho, la, algodo e seda, que se Ihe vender muito mais barato do que em outra
qualquer parte, com o fim de apurar dinheiro, e as pessoas que negociam em pequea
escala, tanto da praca como do matto, nesta casa poderao fazer seus sortimentos em
pequeas ou grandes porees, vendendo-se-lhes pelos precos que se compram, n>s
casas inglezas; assim como as excellentissimas familias poderao mandar buscar as amos-
tras de todas "as fazendas, ou mandar-sc-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas
casas; o estabelecimento se acha constantemente aberto das 6 horas da manhSa s 9
da noite.
3i2Sm3***K
^A tGWuMW^*
$.
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de Gms-
lain
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
las digestes difficeis e completas, a calmar
as dores gastralgicas, e reparar as forcas
produzindo urna assimulaco completa dos
alimentos; sendo mais um excellente tnico.
NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholoincu & C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
FUNDICAO DOBOWMaN
Una do llruiu a. 53.
PASSANDO O CHAFARIZ
Tenvserapre deposito de todo o marinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
algodo.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de Ganna.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido fundido e de
jobre.
Alambiques.
Arados e instrumentos d'agricultura.
Descaro?adores d'algodo etc. etc.
Havendo em tudo variedade de tamaito
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar.
CAZ G4Z CAZ
Chegoa ao antigo deposito de Henry Forster A
C, ra do Imperador, um carregainento de ga>
de primeira qualidade; o qual 9e vende em partida*
e a retalho por menos preco do que em outra crnal
CURA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galonpeau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo & C.
34------Ba larga do Rosario------34.
Nao mais cabellos brancos
A tintura japoneza, para Ungir os cabel-
los da cabera e da barba, foi a nica admit-
tda Exposigo Universal, por ter do
conbecida superior todas as preparaces
at boje existentes, sem alterar a saude.
Vende-se a 10000 cada frasco na
I 51-IM M ttlIHL H
1* ANDAR.
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acba-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas patts e coletos de' casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desojar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc: etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maior promp-,
ttdo vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para horaens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
Aos dez mil corados de cassas
francezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padrSes miudos e grfi-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas sao propriamente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a-ehka, e alm dos padrees
serem muito bonitos, sao todos fixos e seria
fazenda para muito mais dinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
Espartiihos a 30OOO na loja do
Paro
Vende-se urna grande porcSo de esparti-
lhos modernos com o competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 3$ cada um.
BRAMANTE PARA LENQOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 10800
Chegoa para a loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
pegas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e raeio; e vende-se pelo
barato preco de l#i00 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras umitas ap-
plicacbes para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
Alpacas brilhantes
a 640 rs.
Chegaram para a loja do Pavo um ele-
gante sortimento das mais lindas alpacas
brilhantes com as mais delicadas cores, e
com os mais bonitos lavradinhos a imitaco
de seda, as delicadas cores que existem
neste bello sortimento encontra-se o bonito
Rismak, o bello Lyrio, o delicado verde
assim como, perola, roxo, canoa, azul caf,
etc. Vende-se esta bella fazenda pelo ba-
ratissimo prego- de 640 rs. o covado por se
ter recebido em direitura urna grande par-
tida.superior a dez mil covados, seno
seria para muito mais dinheiro, isto na loja
e armazem do ftvo, ra da Imperatriz
n. 60 de Feliz Pereira da Silva.
POUPELINAS A 500 RS. O COVADO.
Na loja do Pavo, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se um grande sortimento das
mais lindas poupelinas ou lazinbas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
nitas cores ; padros com listrinbas miudi-
nhas, que se vedem pelo barato prego de
500 rs. o covado, pechincha que se acha
nicamente na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60.
Cortes de vestido do PavSo a
ALTA NOVIDADE
EM POUPELINAS OU OOItGURO DE LINHO E
SEDA.
Pelo ultimo vapor chegou para a loja do
Pavo um elegante sortimento das mais
bellas poupelinas ou gorgures de linho 9
seda, com os mais delicados padr5es que
se pode imaginar, assim como urna grande
porgo de cortes da mesma fazenda, tendo
de todas as cores e garantindo-se que neste
genero nao ba nada mais bonito nem mais
proprio^ara vestidos, e vende-se por pre-
go muito razoavel na loja de Flix Pereira
da Silva, ra da Imperatriz n. 60.
celezias
panno de linho
Atoalhado
Vendem-se as mais linas celezias de linho
com 25 varas cada pega, sendo mais finas
ainda que os mais linos esguioes que tm
vindo ao mercado, a 45$, 553, 60#000 e
7#000, tambem se vende em varas as
mesmas celezias, sendo preciso; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lenges
com perto de 4 palmos de largura a 700,
800 e 1(3000 a vara, sendo em pega tam-
bem se faz alguma equidade; bramantes
para lenges com 10 palmos de largura a
I 3800 e 2|3500 o metro, e de linho muito
superior a 3,3200 e 3#5O0.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 23400, 33 33500 o metro, e
outras muitas fazendas brancas que se ve-
dem muito mais barato do que em outra
qualquer parte, com o fim nico de apurar
dinheiro.
CHITAS
madapolo
algodosinho
Vendem-se^ superiores chitas escjiras. e
claras pelo barato prego de 280, 320 e 360
rs. F as percallas a 320 e 360 rs.
Pegas de algodosinho de todas as lar-
guras e qualidades. Pecas de madapolo
dos mais baratos at os mais finos; assim
como, superior algodosinho enfestado para
lenges, toalhas, tanto liso como trangado;
todas etlas fazendas se vendem mais barata
do que em outra qualquer parte, para apu-
rar dinheiro.
Tintura indelevel para ungir os cabellos,
sem manchar a pelle. ,
A bem conceituada agua-florida de Guis-
lain que ento era desconhecda em Per-
aambuco, j hoje estimada e procurada
por seu eflicaz resultado, e ainda mais se-
r, quando a noticia de seu bom efleito e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta uni-
damente de vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, e mes restituir o brilho perdido, eas-
*im como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algum.
E' porm necessario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido j.ela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas talvez supponham, mais sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provam testemunbos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
outra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ra do Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
fo de sua boa freguezia, tambem capricha
cm nao lh'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a hearam, e em prova ao que fica dito, d
como exemplo ko explendido sortimento
que acaba de receber, ainda mesmo achan-
do-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
e orago, obras de apurado gosto e perfei-
fo, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
bonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros im
tando cbarSo machetado.
Ditos com ditas de marroquira com cruz
eguarnigo, dourada ou plateada.
Gordas e tergos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortimonto de leques
toaos de madreperola, madreperola e soda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abortas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torgal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios fines tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para entar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Armis e collares Roycr para creangas.
Bonitos cabases ou bolsinbas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trangas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonita
draU*
JIoja de toadas e roupas feitas
ra dalmpenlriz n. 52,
porta larga,
DE
PAREDES PORTO
Neste estabelecimento encontrar o res-
peilavel publico um bonito sortimento de
roupas e fazendas de todas as qualidades e
pregos commodos, tem sempre um bonito
sortimento de casemiras de cores e pelas,
panno fino de diversas qual.dades,'brim de
bonitas cores e blancos de boa qualidade,
encarrega-se qualijuer obra por medida e
prego muito cotnniodo.
ROUPAS FEITAS
na loja da ra da Impealriz n. 52, porta
larga, de Paredes Porlo.
Tem neste esUbelucimento um bonito
sortimento de roupas leitas de diversas
qualidades e pregos commodos, como sejam
pahtots de alpaca preta e de cores a 30,
35SU) e 4$; ditos de panno preto sacos a
6#, 7$ e 8fj>; ditos de panno superior a.
li, 14,5 e 16$; ditos sobrecasacados e
dito dito a m, 20 e 25*; ditos de case-
mira de cor a US, Cl e I0; caigas, colletes
e palitols de casemira muito lina de cor u
20 e 25r>; caigas de brim branco de cor de
todas as qualidades de 2$ a C.-s; ditas (le
casemira preta e de cores de 40 at 120;
folletos de todas as qualidades; ceroulas de
bramante a 10500,20000 e 20500; camisas
francezas de linho e de algodo de todas as
qualidades e prego mais barato do que em
outra qualquer parte ; colarinlios, grvalas;.
bonito sortimento de chapeos de sol de alpa-
ca e de seda; meias inglezas a 60 a dozia;
pechincha neste estabelecimento .pelo
grande sortimento: todos os freguezes se
poderao prover dos ps at a cabega por
prego commodo.
FAZENDAS
Grande sortimento, como sejam, chitas
baratas a 300, 320 c 360 rs. Madapolo
fino a 70,80 e 100 a pega. Algodo (pe-
chincha) a 50500 a pega e outras qualida^
des. Cambraia branca de* todas as quali-
dades transparente e Victoria de 30500 a
80 a pega. Lanzinhas de bonitas c>es, al-
pacas bonitas, selecta a pega com 28 metros
a 280000. Esguio o mais fino possivel a
20500 e 30 a vara, e outras muitas fazen-
das por prego commodo, que seria enfado-
nho mencionar, na loja do
LEiO DA PORTA LARGA
DE
Paredts Porto.
PECHINCHA DO PAVO PARA ESCRAVOS
A 200 RS.
Vende-se urna grande porgo de esta-
menha mesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e caigas para moleques,
sendo orna fazenda escura trangada e muito
encorpada, pelo -barato prego de 200 rs.
o covado, fazenda que sempre se vendeu
por muito mais dinheiro.
ROPA
EM LIQUIDACAO NA LOJA DO PAVO
Vende-se urna grande porgo de roupas
para homens, sendo grande quantidade de
caigas de brim, castor, casemira e meia
casemira, de todos os pregos e cores. Pa-
litots de alpaca, brim, casemira, meia ca-
semira e panno fino. Cohetes de todas as
qualidades. Camisas de linh e algodo.
Ceroulas e outros muitos artigos, por prego
muito em conta.
1 UM III Mil vi n
NO
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo do Terco.N. 23.
SIMO DOS SANTOS ft C.
Os propietarios deste bem sortido armazem de secco e molhados, parlecipam
aos seus numerosos freguezes, tanto desta praga, como do matto e igualmente aos ami-
gos do borne barato, que leemum grande e vantajoso sortimento de diversas merca-
dorias e as mais novas do mercado, as quaes vendem em grosso e a retalho, por
menos prego do que em outn qualquer parte, por ser maior parte destas mercaduras
compradas por conta propria, por isso quem comprar at a quantia de 1000, ter cinco
por cento pelo seu prompto pagamento garantindo-se qualquer genero sahido deste
armazem.
POYOADO
DOS MONTES.
Vende -se urna casa neste povoado, sita ra
Bella, a qual tem vinte palmos de frente e sessenta
e Uobn ile fundo a trhtar na mesma ra n. 32,
a de 10 do frrente em dianle tamqem no Recifc,
s Cinco Pontas n. 85.
COLA
Vende-sc superior cola da Bahia : to esenptono
de Antonio Luii de Oliveira Azevedo & C, ra da
Cnu n. 57._______________________
LIVROS.
Na ra das Trinchciras n. 48, Io andar, se dir
quera vende ama porco de livros de litteratura,
bem conservados e de bons autores, em portuguez
e francez._______________
Aos Srs. joalheiros e ax>
publico
Vendem-se lindas joias e com especialidade um
grande e elegante coraclo de ouro : a tratar na
roa estreita do Rosario esquina da das larangeiras
qualqper hora.
Vendem-se bonitos cortes de cambraia e
tarlatana, ricamente bordados a la, pelo
baratissimo prego de 60.
Ditos, por estarem um pouco machucados
a 40.
Ditos finissimos com barras de seda a 40.
Assim como os mais modernos cortes de
poil de ghvre, com duas saias, sendo fa-
zenda chegada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caixinha com o competente figurino,
a 180; finissimos crt s de cambraia bran-
ca, ricamente bordados, que at podem
servir para noiva, a 250000, e outros mui-
tos cortes de differentes fazendas que se
liquidam baratas na loja do Pavo.'
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porgo de cera de
carnauba em saceos por prego mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz ja. 50. De Flix
Pereira da Silva.
Casemiras da moda
NA
LOJA DO PAViO
Chegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para cai-
gas, paletots e coletes, tendo lisas, com lis-
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os pregos, e aianga-se venderem-se muito |
mais barato do que em outra qualquer par-!
te, assim como das mesmas se manda ia-
zer qualquer pega de obra, a vontade do
freguez, para o que tem um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitots
a 18$ e20$000.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porgo de pa-
litots sobrecasacados, e propriamente so-
brecasacos. de panno preto, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos pregos
de 180, sendo forrados de alpaca, ede
200 forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter feito urna grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos pregos cima.
Cortinados
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas para janellas, que se ven-
dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de F^Ja
Pereira da Silva.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 50000 at 100000 a pega, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 10000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
GAZ AMERICANO 90 a lata, a 400 rs.
a garrafa e 60'> rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FIGUEIRA 500 e
640 rs. a garrafa, a 40500 c 40800 a cana-
da, a 720 e 940 rs. o litro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
-400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 30 e
30500 a caada, 600 e 640 rs. o litro.
AZE1TE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro-
VINHO BRANCO DE LISBOA a 600 rs.
a garrafa, 40500 a caada e 900 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 20200,
10800 e 10400 a caada, 360 e 480 rs.
o litro.
MANfEIGA INGLEZA FLOR 10440 e
10280 a libra, 30140 e 20800 o ko-
grammo.
DEM FRANCEZA 960 900 e 850 rs.
a libra, e 2#100, 10980 e 10870 o kilo-
grammo.
DEM PARA TEMPERO 640 rs. a li
bra, 10400 o kilogrammo, em porgo se
far abatimento.
BANHA DE PORCODE BALTIMOOR
720 rs. a libra, o 10570 o kilogrammo, em
porgo se far abatimento.
ARROZ DO MARANH.lO E DA INDIA
120 e 140 rs. a libra, 260 e 300 rs. o ki-
logrammo e 30800 a arroba.
ALPISTA 240 rs. a libra e 320 rs. o
kilogrammo. e 60 por 14 kilogrammos.
CAF EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
ha aba-
200 e 240 rs. a libra, 440 e 520 rs. o
kilogrammo.
SABAO MASSA 260 e 200 rs. a libra,
570 e 440 rs. o kilogrammo, em caixa ha
abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 800 rs. a libra e
10750 o kilogrammo.
SEVADINHA E SAF 280 rs. a libra e
620 rs. o kilogrammo, em porgo
timento.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVEB-
SAS QUALIDADES, a 10 e 10400 a lata.
VELLAS DE ESPARMACTE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
302O e 60500 a groza.
AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAb
DE MUITOS TAMANHOS 30500, 50500
e 10 a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA 400 rs
o masso de urna libra, e em caixa ha aba-
timento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 100 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSA-
BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a^lnzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E AMBUR-
GUEZA 70 e 60 a iiasqueira, e 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30, 25800 o 20400, em caixa faz-se gran-
de abatimento.
TOUCINHO DE LISBOA 400 rs. a li-
bra, e 880 rs. o kilogrammo, e 110500 por
14 kilogrammos.
CHA FINO, GRADO E MIUDINHO os
melhores que ha no mercado, a 30 e
30200 a libra, 70080 e 60340 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20700,
20500, 20200 e 20 a libra, e 50450 e
40180 o kilogrammo.
ESCRAVOS FGIDOS.
Ausentou-se no ultimo de junlio deste anno o
escravo Jacob, crioulo,de idade 33 annos, cor fula,
baixo c magro, rosto comprido, pouca barba, pei-
tos estufados, denles da frente lodos perfeit03, bem
fallante, pernas linas, e com um vinculo no meio
do dedo mnimo de ambos os ps, j foi morador
no Rio-Formoso, c tem sido fisto nesta cidade o
seus arrabaldcs, como em Apipuco.', etc. : quem o
apprehender conduza-o ra da Imperatriz n. 4'>,
2" andar, que ser generosamente recompensado.
Fugio do engenho Todos os Santos da villa
de Ipojuca, no dia 3 de maio, o escravo Goncalo,
representa ter 45 annos di- idade, pouco mais ou
menos, cor vermelha, alto, grosso, blhos pequenos,
sem barba, e os ps radiando, foi escravo da Sra.
D. Senhorinha Mara do Lvramento, que morou na
villa de Serinhaeir. ; no dia immediato da fgida
esteve na mesma villa : suppoe-se estar acoutado,
o que se proceder com o rigor da le a quem o
tenlia, e pede--e s autoridades policiaes ou capia
tes de campo a captara do mesmo e entregar no
mesmo engenho ao abaixo assignado, ou na ra
da Moeda n. 5, 2 andar,escriptorio de Manoel Al-
ves Ferreira & C, que ser generosamente recom-
pensado.
Miguel Paulino Tolentno Peres Falca).
Fugiram de hontem para hoje do engenho Fir-
meza, do termo da Escada, os escravos de nomea
Jooe Folix, sendo o priiueiro mulato, bem bar-
bado, altara regular, os dedos niinimos dos \t*
bastante curtos, e os pellos fechados de cabellos;
e Flix bem alto, mofo, cor fula e pouca barba ;
foram comprados ao Recife ao Exm. Sr bario de
Nazareth, e quem os apprenendcr e lcvr no es-
criptorio de Domingos Alves Matheus. ra do Vi-
gario n. 21, ou no referido eugenho, sera genero-
samente recompensado. __________
AVISO
ea
Assim como ha'outros muitos mais gneros, vinho em ancoretas, azettonas,
passas, figos novos, charutos de diversas marcas, linguicas de Lisboa, marmelada, con-
servas gela de marmello, pcego, ervilbas, peixe em latas, sardinhas de Nantes,
vinho verde engarrafado, pomada canella, cravo, ervadoce, comtnho, ptmenta, grandes
molhos de sebulla 10500, finalmente muito mais generes que
mencionados.
enfandonbo
i -a-1 f
Este admiravel
Depurativo aao
[coiUemetnsimer-
rio, iodo ou
[arsnico ( um
vigoroso raotliG-
Ile, taes como a lepra, as impigens, as herpes, as
1 f i
cudor para o saogue eeura radicalmente as molestias de pe le, taes
espionas, e os Pannos, ele.Empregado diariamente elle refresca a massa do sangue e consolida o saude.
INJECCAO CADET
Wmmim, 7, B* Deaain,
Cura em S das os corrimentos
os mais rebelde*.
amigos ou recentes
As autoridades policiaes
quem competir.
No dia 29 de maio do corrente anno fu-
gio o escravo Esequicl, crioulo de 30 3'
annos de idade, estatura regular, reforcado,
cor bem preta, cabera redonda, trajava ca-
misa azul e caiga de casemira cinzenta; du-
rante o dia costuma andar ganhando as
ras, ou em armazens de assucar ou as
tabernas a conversar e a beber; duran o a
noite recolhe-se a telheiros abertos ou pe-
netraveis, a casas em construccjto e a ou-
tros quaesquer lugares onde se possa abri-
gar: quem o appielicnder tenha a bondade
de o conduzir ra da Aurora n. 20, onda
ser gratificado.
Fugio no dia 9 do corrente mez do
engenho Sant'Anna da comarca do Porto
Calvo o cabra Wenceslau, estatura regu-
lar, de 22 annos pouco mais ou menos,
sem barba, cabellos preto, e bem cara,-
pinhados, foi comprado na cidade do Ro-
cife, para onde veio da provincia da Pa-
rahyba; e bem assim o escravo Manoel
crioulo, de 22 annos, estatura regular,-
tem um dente quebrado no qneixo superior,
bem preto; quem os apprehender leve a
casa do negociante Joaquim Rodrigues la-
vares de Mello, no Recife, ou no referido
eneenho aue ser bem recompensado.
Ue^appareceu do engenho Jundki da fregw -
lia da Escada o'escravo Manoel, de naci Angola,
idade, pouco mais ou mono?, io annos, alto, secco,
com falta d* dentes em ambos os queijos, rosto
descarnado, ps compridos, tem cicatrizas aectv*-
tigo, muito ladino, foi da freguezia de Scrinhaent,
da familia Wanderlev. O abaixo assignado roga
a prisaodo dito escravo, e promette gratificar ge-
nerosamente a quem dello der noticia, ou o tev..r
ao mesmo engenho, ou ao largo do tarmo n.
Manoel Antonio dos Santos ura*.
MUTILADO


\y
I

I

V
CMARA DOS SIS. DIPOTADOS
SESSO EM 15 DE JUUIO
PRESIDENCIA DO SR. NEBIAS.
Cootestam alguns dos riobres depulados
que os Brasileros de que trata o art. Io as
tules de 18 a 33 annos devm estar sujei-
tjs ao recrutamento? Se contestam, eutlo
leduzam a idade; digan smente: sao ap-
tp* para o servir do exegvjte os rasilei-
que livciem a idade de 18 21 annos,
COOM dirija o nobi'e dopulado pela provin-
cia do MaranhSo que tioje allou em pri-
ineiro lugar.
Mas ento, se a cmara adopta este prin-
cipio, so restringe o alistamento a Brasilei-
io* que tiverem a idade d 18 a 21 annos,
considere bera come se vai establecer esse
principio, poique nio teromos soldados que
nao sejam entre estas las idades (apoia-
dos), e por conseqnencia nenhum soldado
cipaz de compr o exercito, que possa ter
este nomo, porque sabido que nao se
firma um soldado mesmo na arma de infan-
tina seno com mais de tres annos de
exereicio ; se formo* s armas scientilicas,
3 arma de artilbaria e mesmo de cavalla-
ra, o lempo para exercicio deve er muito
mais largo para que possa ter a necessaria
aptido e fazer parte de um exercito que
raeroca este nome.
Se fosse adoptada a idea de nao serem
obrigados ao recrulamcnto sen3o os indivi-
duos de 18 a 21 annos, teriamos que os
contingentes nao podoriam ser lirados seno
de ura numero muito limitado de individuos,
pesando por conseqnencia smente sobre
as classe e nao sobre as outras.
ftote-se, porm. qaando faco esta obser-
vadlo nao desejo que se considere que as
difirenos classes alistadas em cada um dos
annos a que pertencem entrera simultanea-
mente para o execito. Aqai me parece que
esta um dos fundamentos principaes do
desvio que tem sido notado na discusso.
O engao de alguns nobres deputados'
procede com effeito da redacoao do artigo
como se acha, redaccHo que foi adoptada
do projecto do anno passado, em vez de se
reproducir aquella qae se acha no projecto
offcrecido pela commissao militar, presidida
por S. A. o Sr. conde d'Eu.
Este projecto claramente distingue o que
eu ha poucos momentos tive occasio de
ponderar a casa, isto que cada urna clas-
se chamada annualmente para prestar o
sea tributo de recrutamento, de maneira
que o restante dessa classe Oca completa
ou quasi completamente exonerado do ser-
vico das armas, e so pode ser chamado, se
a lei o estabelecer, em tempo de guerra,
como estabeleee ama resera ou essa re-
serva seja formada de per si, como quer a
llustre commisso, ou Ha seja composta
da guarda nacional activa que se formar por
meio dos alistamentos- das differentes clas-
ses, podenuo ento ser empregada em cor-
pos destaca los em tempo de guerra, como
actualmente permita- a lei de 1850.
O que parece certo, Sr. presidente,
que todos os honrados deputado eslo ac-
cordes em duas ideas principaes, que sao
as ideas do projecto: a primeira que haja
o alistamento daquelles Brsileiros que de-
yom contribuir para o servico militar
(.apoiados); a segunda que estes brasilei-
- que ou ol.cmtingente, e anterior
|uelieetnqu o contingente sj faz effec-
tivo.
exisiem as emendas que se
das.
IfiavDortwto, que nao devo por mais
Apresentare, para md fczer comprehea fesqp oetupar a atlen* Ja casa com re-
der, um exempl. mais palpavel. Supr | detla materia :.ieos sobres
nlia-se que esta lei se executa em 1870; fl-' depMtvafetetom daMMro raaior
cam alistados todos os individuos caf ou menor numew- de seniles que devem
de pegar em armas, desde n idade de 18 |aar,,!tn*mittid;: poderito contnunr
a idade de 30 annos; 6 preciso um con- manifestar a pinioes a respeito ; as
tmgenle de 5,000 horneas para complet ,n y\ en nad^^Ei parece-me que
exercito, tira-se pela aorte-esse contingen-' pU toinba parte, n*. ontribuir para
te, e todos os mais qae nio foram aortead-i^ que a disiussio se prolbuflie mais. (Muito
Diario de Pemajnbueo fexta foira 13 de
pelas numerosas isences que foram conce^he gloriosas victorias de NapofeSo I todos
ficam absolutamente livrcs do servido mili-
tar, em lempo de paz, de coneorrer para
novo contingente. E' pneciso pn 1871 ou-
tro novo contingente de 4 or de M^l^j
mens para completar o exercito : enCSov
chamada a classe do 2.* anno, que nao
composta seno das pt-s oas de 18 annos, e
assim successivamente. Km 1871, en
1873, sempre a mesmn cansa.* alM<
moe alistadas sao os chamados para o con-
tingente mais prximo que tem di dar-se.
O Sr> Candido Ment>es : A idea est
bem explicada no projecto.
0 Sn. Ministro da Glerha : Jv, pois,
a cmara que o systema nao ofiorece difli-
culdade alguma em sua execucio neste pon-
to, que n3o pode comprehender seno urna
classe de individuos; e que o alistamento.
comprehendendo urna certa idade, pode
permittir que os outros que escaparam nes-
sa idade ao alistamento enlrem no auno em
3ue se reconheca que des nao foram incloi-
os no 1." alistamento : ento ficarn elles
suj tos conj unca mente com os da classe
respectiva prestarlo do contingente.
Este direito de serem inseridos na classe
respectiva dura emquanto o individuo nao
completa a idade de 30 annos, isto em
quauto o individuo nao pela lei juagado
incapaz ou improprio para o serveo.
Para mea proprio uso eu tinta reigidu
esta materia em alguns artigos, que peco
licencti cmara para ler, porque mo.pare-
ce que assim fafo, melhor comprehender
qual o meu pensamento, que tambem o
do governo.
Eu teria redigido o artigo da seguinte
maneira i Todos os cidadles braseiros
maioresde 18 annos e minores de 30 eslo
sujeitosao servifo militar do exercito, ex-
ceptuando-so :
1" Os que tiverem defeito physieo ou
enfermidade que os inhabilite Dora qoalquer
servico ; *
2o Os ecclesiasticos de ordens sacras e
alumnos internos dos seminarios.
E assim por diante. Ja ve" a cmara que
eu aqu tratavasmente de consignar sobre
quem recahia a obrigafo do servico mili-
tar ; agora no artigo seguinte que eu di-
zia qual era o modo porque havia do se
fazer effectivo este servico, e por isso o re-
digiria assim:
Art. 2o Na poca que for marcada no
regulamento do governo, proceder-se-ho ao
alistamentodos cidadosv-crutaveis. na con-
formidade do art. Io deveudo no 1" alista-
mento que seorganisar(note bem a cmara)
serem incluidos todos os individuos que nao
tiverem alguma das isences declaradas as
iosiruccoes de 10 de julho de 1822.
Torna-se mais claro o pensamento com
aquillo que vou ler : Do 2C anno em
diante o alistamento s comprefeender o
Cidado quo tiver completado 18" annos de
idade e os omittidos nos alistamenlos ante-
riores que nao forem maiores de 30 annos.
muito bedj
O Su. Gorwca : Mj -desSando oblar
i que se MMe cohh brevSl4d^) art. Io do
jrojecto, luito^weMrenviar a mesa a emen-
da substitutiva que passo a ler. (L.)
Vena mesa, e lida, apoiada, e entra
ceii/unctamente em- discussao, a emenda
ietiva. (fue -s* acaa pabidfeda*
< SR. FEnilErM V!.W\ faValgumas
obstfrviruei.
A dscusso fica adiada pela ho.
Hada a ordem do*d#J|vanta-se a sesso
s quatro horas da tarde.
SESSAO EM 10 DE JULHO
PUESTOENCTA DO SR. NEBMS.
\o meio dia, feita a chamad** verift
cn-se baver numero sumiente, aWe*se-a
sesso.
Ll-se c appnva-sc a arta da aitece-
dente.
O Sn. Io Scretamo dcenta;do-sej0u4e
EXPEDlEfTE
Um officio A) ministerio do imperto.'en-
viando as copias dos decretos pelos qtitfts
for.in conceoMai pensoes-aD. Rita de Oaeis-I
Alcibiades e aos m 'nirs Eduardo e JoJ,
filhos do macbinrsta' Jto Isidoro de Car-
valho.A' commissao de penses e orde-
nados.
Oatro o mejoio ministerio, enviando h
nformac^Hi prestadas pelo vic'-dirccterd
faculdade de medicini di cort' onr do
pedido que a- esta camarii dirigi o pbarma-
ceufico Jos Elias de Mrart. \ quem tez
a reqursico.
0,ttro do mesmo ministerio, commoni-
j cando que S. M. o Imperador tica inteirado
dis pessoas que compeem a -mesa-desta
camava que tem de sen'ir no terceiro mez
da presente sesso.Inte rada.
Um requerimento da cmara municipal da
villa de Xiririca,. provincia de S. Paulo pe-
dindo que se consigne no orcamento a qqan-
tia de 40;000;5 para a estrada denominada
Paranapanema. A' ll commissa de orca-
mento.
Lc.se, e approvado som debate, o
seguijile parecer:
Foi piysente commissj de constilui-
Co e poderes o officio em que o Sr. depu-
tado Antonio Joaquim da Rosa pede licenpa
a esta augusta cmara para ausentar-se
da corte.
Sendo attendivel o motivo em que o
nobre deputado funda 6 seu pedido, a com-
mijj de parecer que se conceda a Ii-
cenca.
Sala d;s commisses, IG de jullio de
18 -.9. Mamrl Francisro Qjrrea. Silva
filmes.
Lise, e fica adiad* por- ter pedido a
palavra o Sr. Costa Pinto, o paroeer sobre
tima represeatacao ds commerciaeles da ci-
dade de Porto Alegre, quexand i-se de actos
diiias as iustrueces de 10 de julho de
I82, que S. Exc. adopta.
O honrado dapatado pelo municipio neetro,
tocando em todas estas q4iestc*s, fe ara
dis;urso que retela o se* alte blento, mas
um discurso man humorstico do que cla-
ramente impugnativo das opini5es da com
misso.
S. Bxc; comeoen apoolando os perigos
que podem apparecer para onosso' paiz.
se porveatura a idea da conscripcio, tio
latamente desenvolvida, for .aceita, parque
reduzir o paiz a m estado de mililarismo
qtiejulga inconveniente.
Sr. presidente, essa honrado deputado
porm, cam o taco que lile peculiar, re-
cone'cea qoe nos de\'emos agoVa prover de
remedio s queixas que existen, grandes,
clamorosas, contra o systema actual.
Ora, reduziila a qoestie a este ponto,
tratanto esta caara de prover; remedio as
queixas urgeetes da poputoeie contra o
actual systema de recrutamento, me parece
que o remedio fcil, e se torna conbe-
eido. / il m^i 1 F.m
Sr. presidente, poncas opinies boje po-
dem. existir que sustentera como melhor,
mais conveniente e mais justo o actual sys-
\lema de cacada humana (apoiados)-: os cla-
mores sao urgentes e partem de todos os
ngulos do paiz. Os soffrimentas sao ge-
raes, reconhecidos por todos os partidos:
a ferida sangra a todos os momentos de
urna maneira dolorosa e cruel.
A desigualdad-: immen?a que existe no
lancamento desto imposto de sangue, a vio-
lencia de que elle e cercado o o arbitrio'
extraordinario que o circumda, tudo isto tem
levado a conviccao a todos os nimos do
que nos nao podemos, por bem da nossa
civilsaco, por beio da. luimanidade, por
bem dos foros de um paiz Ilustrado, a
que devemos qu.jrer attingir, conservir
1 por mais tempo semelhanie condemnado
systema.
OjSal de vos nao tem visto, nao tem sen-
do os terriveis exemplos daquillo que eu
acabo de ennunciar ? Quem nao tem visto
percorrendo as ras das nossas cidades e
villas esses grupos de mulhores e'crianzas
em demanda de seu pai, de sen mando,
de sen arrimo, que foi aeintcmente recruta-
do, arrancado violentamente do seu lar econ-
duzido para 0 servico do exercito, unici
mente por urna vinganea particular ? (.Apoia-
dos.) Qual de vos ainda nao vio por essas
ras a mumer injuirindo a todos os que
passam, perguntando que destino leve o
seu marido? Essas velhas, tssas ms,
essas avs, que percorrem distancias im-
meusas a p e na miseria em demanda da
capital da provincia, a proeurarem justica
que nao encontrara muitas vezes ? E essas
lilbas que para obterem, a soltura de seu
valho pai muitas vezes se lancam as esca-
das, para ellas impuras, dos potentados
dos lugares ? (Apoiados.)
Estas sceoajs, sentaras, r.Iio sao da civi-
lisaco moderna. E' preciso que este im-
posto de sangue, imposto necessario para]
manter-se a independencia e a integridade
O paiz, imposto a que todos os brasilei-
eslo igualmente sueltos pelo art. 115 da
constituir i do Imserio, seja repartido equi-
tativa e igualmente.
Portanto, meus senhores, para a condem-
sabemo3 que Luiz XI\r, tendo por
assim dizer imposto a sua vontade i Eu-
>pa pelee sem vatenias eiereitos, todava
feve'om momento no- coogresso de Ger-
mydenberg em que nem a voz de seos
rgwixadores, pedindo a pac, p6de serou-
vida. E' que a reaeco se forma contra
estos grandes armamentos, que as victo-
rias de um da sao seguidas dos desastres
-dft. outro: oo ha Austerlitz que nao tenha
o seu Walerioo.
Eu, portanto, nao
que
quero para o
E at dizia mais, accrescentava.oma re-
. J chartrados ao servico por conlm- serva
gentes, por meio da sorte com publicidade.
(Apoiados.) Apenas um voto discorde houve
Ja parte d) nobre deputado pela provincia
i C tara que des j.i o sorteio, nao. porm,
o sorteio publico, mas o sorteio frito ni-
camente pelas autoridas e no recinto que
ellas escolherem.
Sendo assim, o que resta ver seosno-
Lres deput idos tambem concordo as dif-
ferentes excepcoes que o alistamento ode
estabelecer e se eslo tambem accordes na
maeetra porque o alistamento deve ser rea-
liado. J, porm, en disse que esta ma-
teria pert ':r,.' ao art. 2.,
Cuanto h art. |.o, fio vejo dissiden-
ciaseoan a respeito daquelles que soobri-
I w ao servico ; une querem que compre-
oenda elle o individuo at aMade de 35
aaa >s, oulr s o reduzem e nao querem qua
se compreliendam os que tiverem mais de
21 annos.
J declarei que a opinio do governo
opimao tambem da nobre commissao, isto
e, que os braseiros sejam obrigados ao
servico das anuas al a idade de 30 annos,
e airo* porque ; j expuz |uma razio de
conveniencia do servico dilatado de indivi-
duos qu.; se alistaran.
Agora xpurei outra que me parece de
alguma importancia, e eHa que, se por-
veMora se nao :omprehendcssemno alista-
mento os individuos entre a idade de 18 e
J anuos, mas smente os de idade de 18
' -l annos, r<>mo*qoer o honrado deputa-
do, era muito possivel, era muito provavel,
era quasi certo, que a imior parte dos in-
"u\'; iliassemao alistamento, se
i a i recrutamento neste curto
le tempo, e assim fosso pesar ex-
' iiisivamente sbreos outros quo restassem
aessa idade lodo o contingente qre se tor-
"as .rio para o servico. Dando-se.
porem, u n prazo maior de obrigaco para
iic":it,'i! mais difcilque o indivi-
aao qie escapoa no l.annoao alistamento
tpe no i.; no 3.% no 4., no
at perfasttr 3fJ aanos : ha um periodo
ros a perconer, e nao, como de-
i o nobre deputado, um periodo smen-
' de 3 annos.
iba que ti ndividaps
-tfio constantemente no
'isiamento : >. Os individuos
urna vez alistados, nao o sao mais ; balis-
tamento permanece, mas seni resultado al-
a compelento classe teuba
-ario para o
exento,
B i piando o projecto consigna o
atamunto das idades de 1H a 30 anuos,
r dizer que este alistamento do 18a
faca em t>dos os annos, e que
contingente dos cidadSos que eslo
iinprehendidos. Peco liceoca para
repetir.esta dea, porque no mea peni
(..la card
O te-que se deve tirar dos indi-
le ls a 3 annos perlei.ee smeale-*
aww 1." em que esta iei fot posta em
O Sr. C.\\oido Mkndks :--Apoiado
O Sa. Mimstro da GniWRA : No2.' anno
o contingente seno dos indi-
que tiverem sido alistado com a
1' de 18 auno u por diante. No
' anno se tirar o contingento dos indrvi-
pialic.ido- pela presidencia da provincia do oacab do systema- actual tudo converge ;
I nao possivel que elle contine por mais
se n3o forem casados que vivam
conjog.dmente. O alistamento ser frito em
cada paroehia, ele.
Por aqui patenteei eu por urna maneira
que me parece nao poder deixar duvida so-
bre a obrigaco do servico militar, nos
termos em que deve ser cstabelecido no l
art. i"...
O Su. Diaute de Azevedo : Se dos
individuos de 18 annos de idade se pode
tirar todo o contingente, porque nao se
comeca desde logo alis'ando-se nicamente
esses individuos ?
O Su. Ministro da Guebra : Eu res-
pondo ao nobre deputado com aquillo que
judiciosamente (nao quero fazer passar isto
por meu; a commisso presidida pelo Sr.
conde d'Eu offereceu a este respeito. (L.)
Eis-aqui as ponderosas razoes quo tinha
a commissao presidida por Sua Alteza para
fazer excepro de egra, que depois era
adoptada no 2a anno do alistamento, fazen-
do-o recbir sobre todas as classes que tem
a idide da 18 a 30 annos.
Greio que o nobre deputado Bcajft sa-
tisfeito com a resposla que acabo de ler,
dada pela Ilustre commissao, que prevenio
a objeceo.
Mas eu la dizendo, senhores, que esta
mstitui'co do alistamento allieia inteira-
meote da nossa legislafao, jue parece ser
um enxerto procurado as leis de conscrip-
Co da Franca.
E preciso coafrssar que, pela maior par-
te, o projecto procuroo aquella tonta da
lormaco do exercito francez e do seu re-
crutamento ; mas nao se pense que a le-
gislaco portugueza antiga nao consignava
esta mesma lispisfrao.
Peco perdao cmara para oceupar-nv:
por alguns minutos com a frgislacjo queja
regeuemPortug.il : e o alvar "de 24 de
reverero de lG7i. (L.)
Este sorteio era frito co;n tanta publici-
dade que urna mesa era posta na prapa pu-
blica, onde se sentavam na cabeceira o ca-
pilo mor e nos outros lados es capilesde
ordenancas; e todos os recrutaveis am as-
sistir ao sorteio que ento se fazia.
O Sn. Feriveira Viasna : Mas a expe-
riencia foi tal que elle cahio sera ser revo-
gado.
O Sn. Ministro da Gerha : sm, se-
nlior, nao duvido : concebe-se bem o abuso
que podia baver dando-se aos-capites-m-
resdaqoella poca e aos de ordenancas o
poder de fazerem o sorteio, mas nao se
segu que actualmente os mismos abusos
hajam de dar-se.
E verfcdc que este meio de recrutamen-
to estove em uso no Brasil. A cmara sabe
pericamente qual a condicao do no&so
paiz no tempo da colonia.. A legislado da
metropole nao se permitle neste paiz; as
colonias, ella era especial a ortos respe
tos. Depois, as grandes distancias, a poii-
ca puvoaco do Imperio nao permittem o
Lem-se, e vio-a imprimir para entrar
na ordem dos trabalbos, as reaccoes sobra
o tranejto de chancellara-e ajuihi aecusto
^os bispos.
Entra eat la.discuss5o enrojeci que
approva as peoson concedidas por decretos
do 'i de novembro de 1808.
Ningoem pedindo a palavra, e poedo-se
a votos o projecto, approvado e remanido
gcommisso de redlccao.
O Sr. Diogo Vi:i.uo requer que as emen-
das sejam redigidas' em projecos separa-
dos.
Consultada acamara, approva o requeri-
mento.
Entra em Ia discasso o projecto au-
torisando o governo a mandar admittir i
raatricQla em qualqoer das faculdades de
direito do Imperio ao doutor em medicina
Rozendo Moniz Barreto.
O Sn: Alexcar Arauipi: pode c a cmara
consente em que o projecto tenha urna s
discusso.
Vem mesa, sao lilas, apoiadas, e en-
trara conjunctamente em discusso diversas]
ornen las, coucedendo igual favor outros
estudnntes.
Ningaem pedindo a palavra, c pohdo-se
a votos o projecto, approvado e remetlido
commissao de redaeco.
O Si. Vif.ira da Silva requer que as
emendas sejam redigidas em projecto se-
parados.
Consultada a cmara, resolve pela aBr-
matiya.
Contina a 2* discusso do art. do
projecto sobre a reforma do actual recru-
tamento, cora as emendas apoiadas.
_ O SR. JCNQBEIRA : Sr. presidente,
smente. o de ver que rae corre de acudir *
discusso, como membro da commissao es-
pecial que leve de elaborar o projecto ora
sujeito ao debate, faria com que eu toraasse
a palavra nesta occasio, depois de terem
oceupado a tribuna to distjnctos oradores;
aira de sustentar o trabalhp da mesma
systema que era adoptado em Portugal.
Mas me parece desuecessario continuar na
discusso do art. V desdo que a cunara est
concord*obre o ponto principal ; desde
que existem na mesa emendas' que j tem
sido suficientemente discutidas, me parece
que ja occasio propria para que a cma-
ra se pronuncie a respeito* dcllas. (Apoia-
dos.) Sobre urna idea nio ha divergencia;
sobra aquellas era que ha divergencia, isto
t nos altstados.no asno postenor tytofle em|, sobre as isences maiores oomenores,
commissao, que tem sido impugnado nesta
casa.
Eu tenb.0, Sr. presidente, de principal-
mente tomar em considerarlo as opinies.
manifestadas da tribuna pedo distincto de-
pntado pelo municipio neutro e por outro
nobre deputado pela provincia do Cear ; e
igualmente as opinies consignadas em al-
guns additivos, sendo um delles formulado
peto honrado deputado de 4* districto da
provincia do Rio de Janeiro.
Sr. presidente, neste debate esto prin-
cipalmente defroute um do outro dous prin-
cipios cardeaes que podera reger esta ma-
teria ; um delles o recrutamento pelo modo
porque foi estatuido pelas instruccoes de
10 de Julho de J822, e o outro o novo
systema que agora sepropde, do alstame,
lo e sorteio, isto o systema da conscrio--
cam F
O honrado debutado pelo municipio neu-
tro, discorrendo*ta dias nesta casa acerca
deste assumpto, aventou questoes impor-
tantes e fez appareeer as duvidas que sur
girara ao seu espirito Ilustrado acerca da
^reforma que. pretendemos adoptar.
E verdade que este Ilustre dopotado de-
clarou que nao impugnava positivamente as
ideas da commissi el, fwmatando as
suas proprias em um substitutivo que est
igualmente sejeito ao debate ve-sf qu9 o
pensamento principal da conafcsao est
salvo, mas alterado na sua foiia piatica
tempo, por honra nossa, por honra desta
cmara.
Mas, disse o nobre deputado pelo muni-
cipio neutro, e dissram muitos outros :
A conscripcao tem o grande perigo de
mililarisar demasiadamente^ paiz. (.Vpoia-
dos.)
Meus senhores, longo de mira, longe da
commissao o pensamento de querer mili-
larisar b paiz. E' preciso que o Ilustre
diputado pelo municipio neutro considere
que a lei que nos vamos votar tem por fim
estabelecer o systema de haver-se o pessoal
necessario para o exercito, mas essa lei
nao frxa o quantum desse pessoal.
0 Sn. Di*arte de Azevedo:Apoiado.
O Su Ju.NQiKiRA:Pertence assembla
geral marcar todos os anuos o contingente
que deve ser pedido: a lei da fixaro de
forras annualmente ha de decretar qual c
aquella que tem de ser conservada de-
baixo das armas. Portanto. onde fica a
objeceo do honrado deputado pelo muni-
cipio neutro ?
Ku, Sr. presidente, tainbem son muito
contrario a que porventtira se militarise o
paiz. Se bem que este o principal pe-
rigo o a maior desgraca que boje pesa
sobre os povos da Europa. Quando en
considero que existem hoje ^na Europa
3,500,000 hmens debaixo das armas, e
que esta grande qnantidade de soldados
cuita quelles estados tres milhares e meio
d>- milbes de francos, roubando assim
agricultura c industria tantos bragas ro-
bustos e validos, eu nao posso deixar de
entristecer-me; o imperio do cesansmo,
o imperio do despotismo.
J, Sr. presidente, Montesquieu dizia, em
meio do secuto passado, que pareca que
um fervor, una nova molestia se tinha apo-
derado dos reis e dos povos da Europa:
todps se queriam armar, e cada qual mais.
Isto dizia o Ilustre philosopho na occasio
em que pela paz de Aix-la-Cliapelle se pro-
clamava que perpetuamente ostava estabe-
lecida a paz entre a Frailea, a Inglaterra,
a Hollanda, a Hespaaba -e a Austria.
Mis para que nos reconliecamos que
todos os horneas sensatos tem em todos os
lempos profligado semelhante systema de
militarismo, de grandes exercitos, basta qne
qiialquer de vos abra urna pagina de Plu-
turcho, e ahi veris que os hmens pensa-
dores da Macedonia j se oppunham quelles
exorbitantes armamentos de *Alexandre
Magno.
Portanto isto urna doenca, que por
assim dizer devora os reis, devora os po-
vos; mas contra esta doenca, contrs
este mo exemplo que (levemos oppr as
barreiras, e as barreiras sao oppostas an-
nualmente por esta cmara, quando decrea
que o Brasil nao tenha seno 18, 19 ou 20
mil hmens de tropa de linha em tem[>o de
paz. Assim restricta a forra do exercito a
um quadro to diminuto, nao ha receto, Sr.
prudente, de que nos nos lancemos em
grandes guerras arrastados pela opinio e
iofluxo militar.
Eu serei o primeiro a negar o meu voto a
estes grandes armamentos, porquauto, anda
que por momentos um povo possa ser feliz
conservando fortes exercitos, tomando urna
posico aggressiva, como receiou o Ilustre
deputado peto municipio neutro, o reverso
da medama nao tarda a appareeer.
Todos nos temos presento o qne succe-
deu Franja em 1815, depois das grandes
portal to,
pair essas victorias esplendidas "de aggres-
soes aos seus vizinhos ; nao quero que o
Brasil seja ura paiz essencialmente militar
porque tambem nio quero sujeitar-me aos
desastres do da seguinte. Vhs entre um
extremo e outro ha um meio termo, ha a
vera le. Entre as exigencias do trabalho,
e das aspirac^es pacificas, e o espirito guer-
rero, ha urna opmio media, que se inspira
enjambo*os principios, rejeHando as suas
eaageraces. (Apoiados,).
Eu sei que pela nossa posico geogra-
phioa nSo devemos receiar-no6 de grandes
iuvases, mas o exeraplo do Mxico ahi
est para mostrar que o ocano pode ser
scindido por grandes armadas e que um
exercito invasor pode apparfeer, bera que
sem probabilidade de bom xito.
O Sr. Fehreira Via.\.\a : Mis tambera
ha Querelario.
O Sr. Junqeiea :Bem; mas anda que
haja Queretaro, e que este nome aprsente
no fundo do quadro o ponto negro do fu -
zilamento de Maximiliano, nao desejo para
o meu paiz semelhante victoria, porque a
victoria depois da lula desoladora ; a
victoria da necatombe nacional; nao isto,
Sr. presidente, que almejo para o Brazil.
Uuero a paz, se fyr possivel mant-la con
dignidade. Nio devemos provocar nem
guerras, nem victorias custosaa.
Mas, adiantando neste ponto smente
urna resposta ao Ilustre deputado peto
Cear, porque a materia inleiramente
connexa, eu dir-lhe hei que a sua observa-
c5o de que o Brasil est circumvizinhado
por algumas r.-publcas fracas nao tem a
mnima procedencia. Nos estamos sentindo
a todos os momentos o peso da guerra do
Paraguay; esta guerra nos demonstra que
nos estamos circomvizinhadoi por algumas
repblicas que nos podem irazer aggressoes
serias, e que precisamos estar preparados
para repelli-ias.
O Sr. Araujo Ges.- Principalmente se
fizerem urna allianca.
O Sn. JiNorciRA : Sr. presidente, ha
varios sysfrmas de organisaco de exercitos
e de fdrmaco dos mesmos. O exercito
pode ser formado ou por forras per-
manntes, ou por estas e outras de reserva,
ou nicamente pela milicia, pela gparda
nacional que defrnda o seu paiz.
A Franca antes da reforma do anno pas-
sado ppssuia nicamente o exercito per-
manente, mas os hmens pensadores do
paiz entenderara que era de mister urna
reserva, e o mareehal Niel, que ministro
da guerra, no seu discurso dirigido c-
mara dos deputados declarou que a Franca
nao se podia julgar segura sem ter 400,000
hmens no exercito permanente, 400,000
na reserva e 400,000 na guarda movel ;
mas, digo cu, antes desta reforma de 1888
vigorando a lei franceza de 1832, apenas
havia o exereito permanente. A Inglaterra
e a Russia igualmente s tem exercitos per-
manentes, m
'0 tempo de servico na Franca era 7
annos, antes da re rma ; agora sao 5
annos no exercito activo e 4 annos na re-
serva. Na Inglaterra o servico por 10
annos. Na Russia, o Cossoco, o pobre Cos-
saco, serve 33 annos. Mas, Sr. presidente
de todos estes systemas aquelle que tem
merecido maiores adbescs o systema
prnssiano.
Nesse paiz todo o individuo serve no ex-
ercito ; na frente do monumento da gran-
deza prussiana est escripto o*seguinte
mote: Todo o cidado se deve ao ser-
viro de sua patria. Ah que est a
grandeza da Prussia,-porque ellf est coito-
cada no centro da Europa, rodeada por po-
tencia muito fortes.
O prussiano entra para o exercito com
20 annos, serve at os 23 ; dos 23 aos 25
entra na reserva; dos 23 aos 32 faz parte
da lndhwer de l1 classe; dos 3 aos 39
faz parle da lndhwer de 2a classe; dos 39
ate aos 49 faz parte da -laudsturm, que'
apenas' urna milicia que est escripia no
papel, isto jamis chega a entrar na
linha de batalha.
O Sr. Duartb de Azkvkdo d um aparte.
O Sr. JuxQUEinA: 0 illustre deputi-do
pelo municipio neutro moslrou as suas np-
prebensoes a respeito da eonscripeao; S.
EJ*fi. pe-usa que por este meio os nossos
governos ser) arrastados e comraettimen-
tos que nao l'ariam se porventura nao t-
vessem ao seudispr um elemento tao forte.
Em parte esta objeceo do honrado de-
putado j est respondida por mim, porr
quanto nao possivel que o governo possa
dispr seno daquelles elementos annuaes
que o corpo legislativo Ihe dar.
Mas, Sr. presidente, cu o vejo que esta
objeceo do nobre deputado possa ter maior
valor, porque, abjiso por abuso, no re-
gimen das levas toreadas ptje o governo
commetter muitas irreflexes
eminentemente liberal. St, os queremos
tornar urna grande imbds o tjatema re-
presentativo entn de e-
pregar essas medidas indtepensatets afim
de qoe, quando houver de proceder-se a
urna eleico em todo o imperio, as autori-
dades nio tenham esses irregulares efetnen-
tos de actuar, como actnam d'* urna manei-
ra soberana e completa sobre a populacho.
(Apoiados). A eleico e o reerritamento eq
1887 ahi esto fallando bem alto.
Sr. presidente, quando em 1818 se dis-
cuta na cmara franceza a lei da conscrip-
Co, Rover Collard disse que todo o cidado
francez era igoal perante a lei, e que a
sorte, ministro da igualdade, presidia
recrutamento. E' a sorte mimstrj da igual-
dade. i
Mas se me objecta: < Esla igualdade
tyrannica: qem todos os individuos tm a
mesma aptfdao. Bis aqoi, Sr. presiden-
te, urna objeccSo a que nao presto grande
valor.
Se os nobres deputados querem dizer qne
nem todos os individuos tm a mesma ro-
bustez physica, a mesma aptidio, a mesma
coragem militar, que nao podem igualmen-
te ser mandados pira as fileiras do exer-
cito, ou entio nio sei como se appKcar
a generalfadv das leis nm paiz qual-
quer.
F'smente as phantasias do socialismo
que se pode encontrar esta igualdade, esta
igualdade a que o noftrc deputado qtter at-
tngir; smente no pbourierismo ou samt-
simonismo que se v a mxima de qu
cada um trabathar segundo as suas voca-
C-oes e desejos, e gozar conforme os
seus instinctos e tendencias. A pena para
os remissos 6 o ocio. Y o nobre depata-
do que isto urna utopia.
Portanto, a lei deve ser entendida com
referencia a todos; ella est coHocada no
centro como urna grande luz ; os seus
raios que se espargem tocara a todos igual-
mente.
Quando o individuo est inhabilitado por
ncapacfdade physica ou moral de concorrer
para o exercito, a isenco ahi est escripia;
mas quando.esta inapfido nao est motiva-
da, to pequea que escapa, por assim
dizer, ao conhecimento do legislador, ento
nao ha remedio seno fiearem sujeitos lei
todos os cidados. Serifo raras excepres
confirmando a verdade e a justica da
regra.
Mas, eu vejo que o honrado deputado
peto municipio neutro, ao passo que levan-
ta essas objeccTws contra a conscripcao,
objecces que ao principio qualiflquei de
um pooco humorsticas, porque S. Exc.
pareca nao ter urna opinio bem pronos
ciada contra semelhante idea, acabou adop-
tando a conscripcio e o sorteio.
Neste ponto, porm, o honrado deputa-
do me parece que nao foi muito feliz acei-
tando o sorteio, mas mostrando-se receto-
so ; pareceu a S. Exc. que nos nao poda-
mos entregar ao paiz urna instituico para
a qual elle nao eslava preparado ; julgou
qne o sorteio seria urna grande fraude,
que o alistamento seria urna grande simu-
laco.
Mas, Sr. presidente, se nos nao podemos
adoptar semelhante nstituiclo, se nao po-
demos raante-la com receto da fraude, ento
estamos profundamente desmoralisados ;
nao podemos possuir igualmente as insti-
tuices que temos, os tribunaes de justica,
porque em tudo a fraude entrar. O ar-
gumento, se prevalecesse, provaria contra
tudo.
A lei franceza de J832, corrgida em
parte pela do Io de frvereiro de 1868, cs-
tabeiecendo nos arts. 38 a 46 a penalidade
contra aquelles individuos qne se furlam
5o servieo militar: estab decendo-a tambem
contra os conselhrts revisores, contra os
mdicos que diio attestndos falsos, nao apre-
senta um s artigo especial a respeito da
fraude no sorteio.
0 Sn. Pinto Mori.iha :As disposices
eslo no cdigo criminal.
O Sr. Jr.NouEiRA :Diz muito bem o no-
bre deputado por Minas; as disposices
esto no cdigo criminal; o que se"foz em
1832 a experiencia vejo eomlirma-lo ; en-
tendeu-se ainda em 1808 que esla fraude
nao seria em to grande escala ; que nao
mereca urna penalidade especial na lei de
organisaco do exercito era Franca.
E' claro que essa fraude tem appareeido;
mas o que e certo, e a experiencia o de-
monstra, que esse crme se excrca mais
em relaco aos mdicos quo davam attcsla-
dos falsos para eximir os conscriptos; da-
vam-se em outras phases do processo do
alistamento, e apurarlo dos designados do
que em relaco ao sorteio.
Portanto, v o Ilustre deputado pelo mu-
nicipio-neutro que esta sua objeceo nao
tem procedencia : claro qne pode haver
algum-abuso nisto, como em tudo o mais :
eomo abusnm algumas vezes os tribnnaesde
justica ; como todas as instiluicoes que te-
mos podem dar lugar a sophismas c irregu-
laridades ; mis dalii nao s pode concluir
pela condemnnen dessns inslituices.
Se no Brasil, Sr. presidente, ia repug-
nancia para o servico das ai mas, como disse
o Ilustre deputado pelo municipio neutro,
eu vejo que em todos os paizes* esta repug-
nancia existe. Em Franca os conscriptos
do
_ da
Europa onde baja mais espirito' belilicoso.
Por ahi.se avalie dos ontros.
c atirar o paiz
em guerras impensadas. O actual systemajchegam a mutilar-se para eximirem-so
do recruramento, com todo o sen cortejo d*'servico militar ; e esse talvez o paiz
vexacSes, alm disso, considere o nobre "
deputado, um"grande perigo pira a liber-
dade: em nomo da libertarte poltica,
em nome da libardade dovto, que nos de-
vemos querer a reforma que est em discus-
so. (Apoiados).
Qual senhores, a primeira objeceo
que se aprsenla de todos os lados contra
a verdade das eleices ? E' a influencia das
autoridades policiaes, a influencia dos.re:
crutadores, a influencia do governo, agar-
rando acintemente os individuos que por-
ventura nao queiram aceitar a chapa dos
dominadores do dia.
Eu sei que a lei de eleices tem marcado
um -praso dentro do qual nio se pode fazer
o recrutamento, mas qualquer de vscom-
prehende que esta medida completamente
intil, Se n1) se pode recrutar o individuo
dentro dos 60 dias, a espada de Damocles
fica suspensa sobre a sua cabeca, e eHe
tem de mais dias menos dias soffrer a hc-s-
tilidado, a violencia que Ihe faca a autori-
dade policial de envia-lo para o campo da
batalha,' o que equivale s vezes a urna
morte quasi certa, quando se trata de
expeditfies- longmquas em paizes inhspi-
tos.
Pprtanto,, eu digo que o systema da con
soripclo, isto alistamento previo e de-
sjgnaflo por sorte, eminentemente igual,
Mas, o nobre depaado que apresentou
as suas objeccCes, e sustenten o pi e o con-
tra nesta queslo. nicamente como um en-
sato do seu bello talento, concluio quo an-
tes queria a fraude do que a violencia. Eu
tambem, feito o dilemmn, antes a quero do
que a violencia actual, antes a quero do que
esta cacada em que se traz para as capitaes
a esses pobres individuos algemados, con-
deranados por urna designacio arbitraria e
eapnehosa da autoridade-que Ihes contra-
ria, que sua toimiga, e que, chegando ao
porto do embarque, sao atirados sobrrt*-
convs do vapor, mendados ftira plagas
inhspitas, e sus familia l Sea na praia de-
samparada e triste, vendo esvaecer->e no
horizonte com a ultima nuvem de fumo a
ultima nuvem daesperanca. Eu ant s quero
este receio de que possa dar-se alguma vez
urna certa irregularidade, alias ponivel, no
alistamento e no sorteio, do que continu
imperar o terrivel estado actual.
ithumr-se-ha.)
nr. DO BULMO^-RU VMS CKBZfiS HY
I
/

I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUF12Q7R6_QXHVSU INGEST_TIME 2013-09-14T01:26:02Z PACKAGE AA00011611_11915
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES