Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11912


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'
_______ AMO XLV. NUMERO 180.____________
PABA A CAPITAL: LGAKS.OTOE IA6 SE PAGA POBL
or toas nezes aduntados...... ****
*Z?**>mL...... *|jH

TERCA FEIB4 10 n'
i flil DA PMVIIOA.

Propriedade de Maneel H



Gerardo AntonioAlves 4 Fjfhos, n*M; Gentes4 Pinto, no Murado; Joagofm /os de Olfvei, Cdar
Pereira d Almetda, i^ Aanguap;' Antoio AJeuodi de IAm, na.PMfcrlaf ** Jos GonW ,
_________________________' em za*kj Francao finte da Gesto, en AJag*; &r. Jos Martas
PARTE OFFICIAL
4 prorlucla.
ITBDiBNTK ASSKWABO PELO E1M. KB. M. ITABOE
M(MUI' HACHADA POIITELLA, VICB-
BA PaoVfXCM, Eli 5 DE SUJO DB
PCSIK.VTK
lecur a irim
destr fVtajjtalria medante
uiaemtsacao o eartuxame de mosquetera sem
mu raeeessrfi pura as salvas que tem de dar a
Bir nacioaal por ocrasiao do recoihimaoto da
preetsaae de Corpus Cbristi, que teta de saliir
aquella igreja no da 27 do correte.
7*^w'ta ao caplo do portu.Em resuosta
ao seu ofBeio de hantem hRado sob n. 64, tenbo a
diaer-fte-que mande presentar ao engenhciro Ra-
P'aoI Areluaj ti.ilv> Filtu :! dos oraticantes, a
qi*^- S" ^ Pit**> ofliirio mediante urna1 re-
iribiucao rasoavel que esta presidencia arbitrar,
segWMw o trahalho que prestarem.
M -me a *'Se?So.
R: 7.Portara a ehefe de polica interina.1
Lu resposta ao offlcio de V. S. do -i I do crrante
tenuo adieer-lo* qeem vista do que representoo
o juiz de direito da comarca de Flores a i deste
mez foifwc esta presidencia approvadp o augmento
de, viole pracas e um oflici.il por ellerequisitadas,
aocommandant superior da guarda nacional d'alli,
para reforcar o destacamento daqu.-lla villa de
N. 717.-Dita
suarda
de Francjco Aires d Merae* Pires, a que se re-
n.**n* intoreao de 18 do oorrentemei seb
n. 312.
f. 761Dito ao mesmo.O Ion. Sr. t rustre
sWeateda proviociade manda clarar a V. jBfra
*9Qi convenientes qne a (3 do
corrente reassumio o promotor publico de Hamfe
bacbawl Joaquim Guedes Corrda Goadim o ter-
celo de seu cargo.
as- H?ane
n. 198 que entrando ueste data no gose de tres
mwe d. ictnca que obture por deliberacao de 10
fe abril ulUmo passara a drereo daonella renani.
ao- ao seu ajadante
regulamento.
de Paria Fhos.
'

^u
nBa*, ^ Kfce** SpaTnW
~
nos
daquella reparli
tormos do respectivo
V." ser-cao.
j a~Omcio ao Dl' Ar"io Conolano Tava-
res dos santos i secretario da assembla legislan-
va pr vice-presdiente da prorineia transmiti por copia
a vi & para ser presente a assembla legislativa
provincial a inclusa informaco que ministroa o
i)r. laspecter mlerim da sade do porto em 21 do
corrente relativamente aos 3 periodos de que trata
o nffl.-iu que \ S. me dirigi em 7 do corrente sofi
n. 45, que flea assim respondido.
tino jaspe com cruze de mt eta ; as qnaes
tem de ocertpar differentes pW tx casa
TUAXFEftENCIA.O concurso quedeve ter
lugar para provimoutu de > escriturario da con-
tadora da tbesouraria provincial, m eeparado
para o dia 16 do torrente.
uaaIA;a-^oi di-ignU paranaminar
aria provin-
e-Aeciu
ai commandau'.e superior da
nacional deste municipio.Previno a V.
S. para seu conliecimento o llns convenientes, que
o arsenal de guerra tem ordem para fornecer a
irmandade do Santissimo Sacramento desta fre-
guezta mediante indemnisacao o cartuxame de
masquetaria se:u bala necessario para as salvas
e^ie tem de dar a guarda nacional por occasio do
recollnuieuto da proewsio de Ci.rp.us Cliristi, que
tem de sahir daquella igreja no dia 27 do corrale
mez.
N. 7i8Bita ao commandante do corpo provi-
sorio de policaMaude Vm'c. eliminar do corpo
sob sen coutmando o soldado Jos Paula de Anua-
nias, de que trata o sen offlcio n. 214 de 20 do
corrente. visto ter concluido o tempo do seu enga-
jaiueuto e nao querer continuar a servir.
3.* seccao.
N. 749.Portara ao Mector da thesourana
de faienda.Mande V. S. ajustar contas e passar
gua de soccorrimento ao lente do corpo n. i(i
de voluntarios da patria Joao Deeclenanojda Silva
Paula, quu segu para a corte no vapor Tocauttns,
que se espera do norte.
N. 730.Dita ao mesmo.Espera V. S. as suas
ordena para qne no dia 1 dejunlio vindouro, as
8 horas da manbaa. se passe revisu de mostra ao
1* batathao de arlilliaria e aos coutiugentes a elle
addidos.
ff. 751. Dita ao mesmo Transmuto a V. S.
P*r*-UtArviJos elleitos a liliaco dos tambores do
l" baliltab d iufantari.i deste municipio Jos
Custodio do Naschnentft, KranetSco Jos-da Rocha
Jos PraNclsco das Chagas, Jos Domnsues Gal-
vao, Jo> Joao Oamaceno, Jos Machado e Lauriano
do Soiu.a Barbosa, de que trata o offlcio do com-
mandante superior de 20 do corrente mez sob
n. DO.
4" seccao.
N. 752.Portara a cmara municipal de Our-
cury.Declaro a cmara municipal da villa de
Ourieury emjesposta ao seu offlcio de 7 de abril
ultimo, q ue nao toado sido sabmetlida a approva-
t;) da presidencia a rrematacao dos impostes de
que trata o seu citado offlcio, compre que amesma
cmara considerando-a de nenhuin etfeito proceda
a nova arrematlo na forma da lei, e quanto ao
archivo de que trau a predila cmara deve pidos
niaios ao seu alcance promover a sua acquisicao
fazendo cPTectiva a responsabilidade.
S. 733.Dita a mesma.Inieii ado do que me
communica a cmara mnnicipal da villa de Ouri-
eury em seu offielo de 10 de abril prximo lindo,
acerca da caresta dos gneros de primeira ne-
cessidade e fcbre, que ah reina, tenii > a dizer-lhe
em resposta que esta presidencia em 30 de inar?o
ultimo, j providenciou para que ao delegado
desse termo fosse remedida a quantia de l:300
par* ser anpcada despezas cun a prestaco de
soccorres as pessoas desvalidas desse municipio, e
do de Salgaeiro.
If. 734.Dita ao rcgeJor do CyMBasio Provin-
cial. Co:n a inclusa copia do parecer do Exm. e
Rvm. prela Jo diocesano datado de 17 do corrente
so!) u. 107, respondo ao que ao >jue Vine, dirigi
a esta presidencia em > de fevereiro ultimo sol)
n. 25.
N. 753.Dita aos agentes da companhia brasi-
lea de paquetes.Os senliorcs agentes da com-
panhia brasilcira de apijuetes a mandem dar
n.ui-porle para a corte por conta do ministerio-
da guerra no vapor Jbcanitns que se espera
do norte ao lente do corpo n. ii} de voluntarios
da patria, Joao Dcoeleciauo da SilvaPaula.
N. 736. Deliberaran. () vice-presidente da pro-
vincia altendendo ao que requereram os memlnos
(I i conselho airector da sociedaJe benellcen-
tc Dexisetc de Janeiro -instituida nesta cidade e
ao que informo'! o presidente do tribunal do com-
mcrcio em 20 do corrente, usando da attribuicao
due Ihe i 1" il i ai:. 2o Ja lei n. 1083 de
28 de agosto de IHoO e o Io do arlt7 do decreto
n. 2711 d 19 de dezerabro do mesm anno, appro-
os seu estatuto :edeu-lhe autorisa^ao
para poder funecionar.
KtPtDIBKTK ASS(ft"AU0 PKLO SU. DH. JOAQIM COR-
nrn rn An^fffQtjyi'fi"T*' '< oovkuhb, i,i Z!i
L* sec^
N. 757.OfTi m. Sr. general comman-
dante das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. vi-
c.'-presidenle da pr&vmca declaro a V. Exc. em
resposta ao seu offlcio desta dala sob nL .'108, que
DESPACHOS DA VICK-PRB81DBWCIA DO DIA 5
DE AGOSTO DK 1869
commissao nomeada para o Ata a
Drija-se a
que alinde.
Arsenio Arvellas Espioila.Nao tendo ainda de-
cerndo o praso de seis mozes, de que trata o ar-
tigo 45 do dec. n. 1130 de 12 de marco de Mft
no tem lagar o que requer. '
urea. OMniniana da Cruz Ferreira.Junte attes-
jaoo medico qne prove precisar a snpplicante da
ucenfa que pede para tratar de sua saude.
Amaro J#s do Amaral. Informe o Sr. Dr. di-
rector gerfll da instruecao publica.
Belarmino Liberato do Naeoimento.Exneca-se
ordo nii no seatido.que requer o suppliaanle '
Cathannade Luna Mattos. Informe o Sr Dr
director eral da instruccao publica.
Candido Moreira de Araujo.Informe o Sr. ge-
neral commandante das armas.
Evaristo Pereira da Costa. Informo o Set-
nente coronel commandante do corpo provisorio
de polica. '
Francisco Geraldo Moreira Temporal. Nao
tenuo o sopphcanie ainda requerido a liconca da
que trata a lei n. 887 de 23 de junho ultimo," nao'
tem lugar o qu requer.
Henrique Vianna.Indeferido.
Henry Law. Mo existindo na secretaria desla
presidencia^ o termo de que o snpplicante peje
certidao, nao Ihe pode esta ser dada.
Luil de Franca Mello Jnior. Nao havendo
quota na lei do reamente vigente para o adiam-
ntente que pede, nao tem lugar o que reqner.
Mxria Magdalena da Asumpeao.Era vista das
inloniKeoi-s nao tem lugar o que requer.
Manoel C.iei.iin. Domot ar.
MaiiKel D-GiovBnni.ln#PfrWo
Mano?l Caetano da Paz.Informe o Sr. Inspec-
tor da thewtraria provincial.
P. Maurer & CInforme o Sr. coronel comman-
dante superior interino da guarda nacional deste
municipio.
Paes de Mello & CEsta aberta nova concur-
rencia para o dia 14 do corrente.
Hacharel Paulino Ferreira da Silva.D-se.
Rogerio Lucio da Silva Mergulhao.Informe o
Sr. director geral da instruccao publica.
Vctor. Accioly Wanderley. Concedo sem ven-
cimento algum com a condiccao de ser gosada a
licenca dentro da provincia.
Visconde de Loures. Informo o Sr. impector
da thesouraria de fazenda.
era f/a
buS
*>-
dene de 9 do torrente.
ANirfVERSARKW.-Corrmftmi hontem 24 an-
nos S. A o Sr. duque dcSaxe.
Amardii coraplcta-se o 49 amiLvemrio da
creacao das Academias ite Direito.
AUGUSTOS VIAJANTES. No vapor mJh
IMturo, que se espera de 13 a 14 do correte de-
vem passar para a Europa Suas Altezas o Sr
duque e duqfeia.,d Saxe, e seusftlhos.
NAUFRAGOj-N dia do nassado as 10 lio-
ras i maonaa, naufiragon no lugar chamado Ma-
racajau, coa? da provincia 8o Rw-fira*Mle V>
-Norte, a bar.-a frauceaa Eleomr, capilao Diesnv,
pertenceute ao poqlo de Saint Vaait, e que a de
Cardiff para a Barna, carregada de carvao. Este
navio, apenas bateu, abri logo tanta agua, que
em menos de um quarto de hora afundou-se, sal-
vndole a tripuladlo.
MMORALIDADE.Moradores ira roa da Pires
se nos qnexnm do procedmiento immoral de cer-
tas quitandeiras, que se sentam as calcadas dea-1 f
sa ra; bem como contra n anusivo costume de
se fazer deposito de inmundicias a ufara que hV
na proximidade da travessa do Pires para os tri- m
IhQs urbanos. Chamamos para isso a attendo do
fiscal respectivo.
CONVITEPedem-nos a publicaciio seguinte:
Os estadantes do primeiro anno da Pacalda-
de de Direito, tendo de solemnisar o anniverario
da creacao dos cursos jurdicos do imperio, por
meio do acto da lbertaco de algumas
A*aat> Barros pjlhadt> aesim na rahunt f'wir
^n-salida e sse qne jolgondo quelda
as se dov-vaw ijuautu muik> su- Ted
-rrrr
de-AiibroM'o LaroeUa
Bija f<**t*jwe o juta
E era cotnj la dinv um

iisx
"S-Sfe JS:*? ?!**J!a"ii *^
juautia muite su- fl
HA lbe fra contada,, pedio a LioJ-
manarse a nuantia expressa ao sanf
_ TMUf w*^ ^r f*ueFranciscn 4ePaula W.
"THtoet&iav n^n*. a, LiJ^^^K%*fc222L 1Z
s u qte reconhecesse-dew-Me {aa^eftW' l ^T,wk,^
le q.ie.u,n.Jtoria1nea<( o^ Ihe ? querera a demarcago, o SWo*8e A'sfte i
r pir cmwegunte antes de de julho :
msensi
no caso de- ro devr-lh(j ^ins) ou
ineijHaiquer Saeesso, pedia saa Jealdade
desse dvisu, segundo os terions .da stta
ue evidentemente- e.tpamein o atujo di
f ficar em obri/jnijh'.
r*s|>ondemo5 nos que o Sr. Arauto Bar-
ros uea mandar contar s;b cusas antes de co-
bn-lipor estu modo; qu,e ii irregular e iuSunan-
e, imwno quanJo se trata siriaraente de cuitas.
Mas tridentemente o 9r. Arsujo Barros Bit) Ira-
uva o, porque nao crivol qoe m juit qua
pasonteinpre.por mullo sabido e versado n> re-
gimen de aislas, (queconhechlamcnte to par-
coj igmrajse i|ueem artigo cusas nao Ihe podia
>eraevt. tao grossa qaantia emtSo pouco lempo,
!>eria muta aiuoceiKiu, eui quuu nunca foi no-
cente. '
Sjnveonfessamos, o Sr. Aranjo Barros rnostrcu
videnBmente desejo de ijuerer firar em obriga-
cao pan. coro, Liu*. ' ^ Mas isto justamente que o compro-
l>ue p.ir trra ssu castelRnHo de papellao
r soiiro d-> lgica.
-nos impede de dizer ? logo' S: S..' pedio
que Ule uevia l.ins. e natnralmetato Ib.-
ver; |rque de ontro mod S. S. qne era
Lrat-taS^ffi nCar :" ',br;^ para C0",
agota d quc_a 28 do selembro que.saba.',..)
Oe*crivaodcausi, coatina. leve iiumenso
- irab.ilnu em recnbef as cusas coudas (n es-
tavam eontadaf e elle falla d* castas contadas,
' imaes sao as futras ? ) lo as rccbea inteaal-
mente :o advogo>o esUva por pagar e o pao-
curador tamb/jnem parte.
Estes motivos Ievaram-mc a exagerar as cr-
< cumstaacias eua qoe meachava como o uniso
meio de verse consegua o meu pagamento.
En-suraaja, o Sr. Araute Barros eonfessuu que
WfcnetiaaidfcMsoijeanMere* para <
*'. nu* aPfBUn na marcha i
teubo 7
homens,
ter bom seoao
aos nenecios, coouI-
m actos splenle o mtereate. e
B,<* 'teresc,.ee aohre* tstanL
n' en concedo de
_* taioefle qoe tana'se
oposswr. T-nho-me ^^^H|
por obrw impulsos, s*ertMM*os
IS- 1"!^; e. W es$3 ra.zta>9eu, nao eos*
**> diz-* modo a desTairar-me, ben eonneeide
Sim seo bem eonheaido nao pela irisfe eeibri-
* aquella-t^je me s*r*io de verdbfrparaM-
tisrazer visjancas allieta; escarrando as tjlnzas
ue seu nK Sou bem eanhecido por qualidades
que emAfecem o espirite-e o eoracao, pela minha
franqueza e siuceridiftle, pelo meu pronnacianun-
to vivo e ofcro pelas cosos e pelas pessoas, pela
minha reeenhecida leaWale, pela minha dedica-
tinba mentide: "que W>Tvl''iudaTeTas7m! .^"enn^^l?1 .Ma>P*>cr*''Mndo-aio. Sou
de. ledras, jam qjie magistrado fh iun P^^. J*" ''-!>'ontettendo os meus
pouoo (uveras, ja me despojando delles pan ser-
![L^s-.?ull,Q*.'.a tomando sobre mim encarswsn-
ierriuli
ao mee
mas*(
poda i
A escapatoria ouera; mas o cvnsmo'da con-
ressar um acto tan. indiyq^c torpe e notavel V Elle
diz que momio jura engazopar a Los no nteresse
sfiilido- de receber deste o dinheiro que Ihe de-
va.
. crean cas,
convidam aos distinctos corpos acadmicos o com-1 u qo e o miz tao pouco es -rnn
SEA.?S ^al ?. Pa W q* tageuSsna^ c-us.as, ? a'nanTJe arredondar
zerem honrar com suas presencas, a comparece-
rem ao referido acto, o qual tora lugar na,matriz
de Santo Antonio, amanha s 11 horas do dia.
mUj'RADICAL. Ftcou transferida para d. i-
Aquicabe urna nergunlinha.
O qflf e o juiz tao pouco es;r
gea de suas
e i Ira aellas *
O Sr. Aranjo Barros o o publico
que. nos respondam.
.Na>. Sr. ATailjo Barros, em artigo custas S. S.
nao poda ler direito a 673i000 em urna demar-
minfo prximo a conferencia, que devia ter-lugar ,<""> qoe durou apenas 13 das; e mesmoquand
ante-hontem, em consequencia da chva. I tivessej o meio d.-> cbralas nae era esse.
nap irativa de exigH-as
I.EILAOtkmfiM-me aal annuneido deve hoje API)F,J''-,iiau
lerjngar o leillo de panos o movis xistenies no Ar.'uJd ahms
arinaaem da ra lo lm|iei'alor n. "i?, o qual devo-
ra eomecar as 10 horas em ponto.
LOTERAA que se aeha a vendaa 1161 a
oenchcio da Santa Casa de Misericordia que corre
no da 17 do corrente.
CEMITEI1IO PUBLICO.-Obtuario do da 6 de
agosto :
Anna Mara dos Prazeres, Pernambuco, 33 an-
no, solteira, S. Jes ; tubrculos pulmonares^
Joanna Francisca da Silva, Pernambuco, .til an-
nos, casada, Santo Amonio; Rastro hepatile.
ftlttHlM \#A*S!2&
annos, solieira, S. Jos ; fobre adinmica.
Um liomem qne appareceu mnrto no caes do
Forte do Mattos, Reeife ; a togado.
N. 7M.
bwea d
corrente
sidad
niente ordem, nao so aos
^Htaileira para darem trans-
vapor Tocantiiu, ao tenente
Junte ros da patria Joao Deo-
^hu) tambera a thesoura-
iara ajnsUr-lbe contas e passar
em
2;' seccao.
ao commandante superior da
i po.O wii. Sr. vi-
ia manda declarar a V. S.
niente destino a filiagao dos tm-
Braia o seu offlcio n. 90 de 29 do
fuo.0 Exm. Sr. viee-pre-
unda declarar a V. S. em
co de hontem sob n. 92,. que
aveniente* ordens para no dia 1*
-e pasear revista da mostra ao
. ).s coRtiajente:- a elle
/
addidos s .71 de fiara eu manda da 17 doce aatavt a qu. irte lados. ^^Kr publico da comarca idate da provin-.ante do offlcio de V. S. qae communica ter a 131
deste nea u enercicw do sen cargo, o. da Hornea- que Ihe foi eance-m ultimo.
'spid ^kwuraria da fa/.e ^^^^Barovin-HHfcnt4 daspaciado requarafl
Rcparti^ao da polica.
2.* seccao. Secretaria da polica do Pernam-
buco, 9 de agoste de 1869.
N. 1168.Illni. e Exm. Sr. Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, segundo cousta das parli-
cipacoes recebidas n'esta reparticao foram reco-
Ihidos a casa de detenco os seguales individuos :
No dia 7 do corrente, ordem do Exm. presi-
dente do tribunal da rolacao, Jos Gomos Wan-
derley. at segunda ordem.
A' nimba ordem, Dionisio Jos do Espirito, para
averiguacao sobre sua verdadeira condiccao.
A' ordem do subdelegado do Reeife, Canuto
Caudido Ramos, por se achar pronunciado nos
arto. 167 e 261 do cdigo criminal.
A' ordem do de Santo, Antonio o portuguez Joao
BapiisU Colho, como curaplico em cnuio de
morte.
A' ordem do de S. Jos, Jacintho Ramos Macha-
do, Joaquim Ramos Machado eDiuniana Mara da
Coneeicao, aqyelle por crime de morte, e estes por
cumplioidade^ no mesmo crime; Mara Joaquina
d'Annunciacao, Auna Francisca do Espirito Santo;
Mara Joaquina do Espirito Santo, Dellna Joaqui-
na de Lima, Rutina Mara da Silva Ramos e Mara
l'inlielina da Silva Ramos, por desordeos; Svino
llenriques da Silva, Amonio Manoel do Nascimen-
to e Joao BaptisU de Vasconcellos, como indicia-
dos em crime de furto ; Francisco Rosa Pacheco,
Auna Joaquina da Coneeicao, Esmeraldina Maria
do Naseimenlo, Severiana Mafia de Souza Ramos
e Mana Rosa do Nasciajem, aquella por crime
de furto e espanramcute/e os detuais como cum-
plice do-mesmo cruuT
A' ordem do da Roa Vista, Manoel Mariano dos
Sautos por criue tie furto; Roberto Jos Goneal-
ves o Manoef.'escravo do capillo Weneeslo Ma-
ctudo Freii, coum. mjt^hmio soawe crime oe
roubo. 0
A' ordem do dos Afogados Jos Roberto de
Mello, por crime de ferimentos leves.
No dia 8 nao houve prislo alguma.
O delegado supplente em.exercicio do termo do
Brejo panicipou-ine em offleio datado do 1." deste
mez, que fra effectuada a prisio do reo Jos Cor-
reaje Araujo proeessado ao termo de Garanuuns,
de cuja cadeia linha-se evadido, eprouuneiado em
dois pjraeewtw ciigaaa no mesmo termo do Brejo
pelo que o passara a disposiclo do respectivo juiz
municipal.
Deus guarde a V. Exc, Hlra. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Nascimente Machado Portella vcg/pre-
sidente d* provincia. O chufe de polica iaterino.
Francisco d'.lssis Olaeira Mueiel.
FEBJAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
CASA DE CONVERTIDAS.-Para esse asylo,
cuja iustiuicao e dotacao devem-se piedade io
Exm conseiheiro monsaiior Muniz Tavarrs, aca-
bamde ehegar de Franca diflereates objecteu es-
senciaes.a sua ioauguracao.
Eatre elles sobresahem pelo primor d'arte, com
que sao oabados, urna rica imagem do Bom Pas-
tor, m vulto cuja proceridade alcaaca a 1 metro
e 21 ceutimejro ; um bello quadro oleo, repre-
seataade a fllha de Magdala era casa do puanseo,
pasirada aos pos do Rudempter era aceito da un-
gido do balsamo precioso, que figura o primeiro
toque providencial, a iaicicao daquella creatura
para-a conversao; e urna ambola do prata doura-
fla, em qu a oarivesaria se ostente opnleala de
taaileai, ate a ue doze iuiagons do Crucilicado em
Izidoro dos Anjns da Porcinncula, Pernambuco,
45 annos, casado, Poco da Panella : catarrho pul-
monar.
7
Antonio Jos de Barros Viegas, Portugal, 61 an-
nos, soltcro. Recito; evtelo chronico. .
Jos Joao dePaivn, Pernambuco, 31 annos, sol-
teiro, S. Jos ; assassinado.
Mara, Pernambuco, 7 dias. S. Jos ; espasmo.
Mara Joaquina da Coneeicao, Pornambuco, 42
anuos, solteira, Boa-vista ; cy'rro no (gado.
Manoel Velloso, Santo Antao, Maaunos, sol'.eiro,
Be*-vista ; anemia.
Mara Francisca dos Prazeres, Pernambuco, 23
ann.is, solteira, Boa-vista; cancro.
Paulo Jos Francisco, Periiainbuco, 41 anuos,
solieiro, Boa-vista ; hypetrophia.
Bertoleza, Pernambuco, 41 annos, casada, Santo
Antonio ; queimadura.
Dclfiaa Alaria da Coneeicao, Pernambuco. 2i
annos, olteira, Santo Antonio ; hepatite chro-
nico.
Antonio Norberto de Souzai Lealdade, Pernam-
Imco, 68 anuos, casado, Sanio Antonio : paralvsia
na bexiga.
- 8
Rosa Xari.i. frica, HO> annos, solteira. Santo
Antonio; diarrba.
Jos Martins de Souza, Pernambuco, 70 annos,
casado, Santo Antonio ; diarrba.
Jos Martins da Cruz, Pernambuco, 52 annos,
casado, S. .1 .s ; phtysica pulmonar.
Urbano, Pernambuco, 7 annas, Santo Antonio
bexigas.
Joaquim, Pernambuco, 7 annos, Boa-visU; con-
vulsoes.
Augusto da Costa, frica, 40 anuos, soltcro, S.
Jos; anemia.
Anna do Espirite Santo, Pernambuco, 7 annos,
solteira, Boa-vista ; interite chronico.
Approveiauos o ensejo para dizer ao Sr.
que o nico meio legal de hsver
o juiz o pagamento retardado de suas cusas o
exeeutivo ; e nao enviar urna an3 outras carias
conconjdas em terinas que fari.-m inveja a esses
espertalhdes que' cora lamoras e Ungidas des-
granas, pe'm em contribuirlo t bolsa dfts iran-
seuutes.
De todo isto v-se qne a tal historieta de co-
brar costes apenas urna tergiyersacao.
A verdade ue Lins foi sangrado por esse
juiz modelo e deitou saugue.
E demais nao disse o Sr. Araujo Barros qne a
praxe i 4ias o demar-
"^ep^a o_ Mbirern o* dwlials antea aW*J
iPtai^^^enNNniB^nfMVPfltannt^k*"-~mm*
ogo, anda S. S. que se eondemna qnando
diz : a praxe esta, porm eu nao a segu. Que
desfaeamento !
Au rttoa:
Reeife, 9 de agosto de 1869.
Ornar.
O cv-jiix nMiaicipal da cguutLi
vara Pt*aaeico le Aranjo Bar-
ros.
Finalismos o precedente artigo com estas pa-
lavras : as castas j estavam p;rga, oqueoSr.
Araujo Barros pedia era gorgta."
Sao as suas carta- q-.io o antm e a sna defeza.
Proseguiido era nossa tarefa cliamamos a atten-
cao do fciior para o seguate. Veja-se a vacillacao
e incoherencia do roconfesso.
Desois dos desp ictes a que cima flz referen-
cia, dizMte palavras formaes,a parte abando-
aoa a qln-stiio, (o\*rotr>a piralisidn como se v
da certklio publicada na aecusaelo que reluto.
Por coseqnencia, a ii de selerabro, data de mi-
rilla uiiieeira caria, eu nao pedia dinheiro parte
que ltygava perarrte mim.
Bem : a pii o Sr. Araujo Barros confessa de
plano ]ue houve pedido de dinheiro e nao cobran-
za de distas, lauto que, por toda a sua juslilicara.1.
embeti.-ga'qne o ped lo nao era mas a parte uto
peranE elle litigavj, puf,una a lo Lins liaba aban-
donad*.! qoestao.
Masjis j vimo que o ultimo despacho pro
feridoha causa fui era data de "> de agosto, man-
aadopl dar vista dos autos a Jeaqunn Marques
1 Si'.
agosto a 28 de seteMbf, data da pri-
espaee de um
houve nada
Isto pedia ser commentado largamente, porm o
Sr. Araujo Barros deu tanto de s... j trasborda
o assumpto.
Oque vale que o nome delle suppre o que nos
escapa.
Basta s dar o loia ou apoaiar a clavo, que o
resto... o publico sabe.
O'Sr. Artauje Barras juiz destaslofa, que diz
que elle podia, a tiliilo do cintas, assentar quauta
focada qnizesse nos litigantes, nina vez que aao
ira tava de cobral-as exocutvamente.
Eis as suas formaes palavras :
Dirio os meus aecusadores queeu tinba ohri-
gacaode fazer contar as castas antes do recla-
malas.
Rsponderei que eu
executivamenle.
< Da sorte que para o tal uiz ha dous modos
de haver cusas, um a ollio ou por atacado e outro
por conta :querem mais ca *
Mas as cusas, como disse elle mesmo, j esta-
vara contadas, tanto qoe o escrivao as procurou
oobrap: logo, o caseo que elle quena era sua
gorgela. *
Invocando, diz, a honra e o cavalheiri-mo de
Lins, en nao tinha por fira ser.io des|iertar a saa
lembranca e persuadll-o de pagar-me. E, de
certo,se elle nao fosse meu devedor a que vi-
nha apoellar eu para sua honra?
Esta nlt* m! appellava para a honra delle
exigindp a realisacao da promessa. O que admi-
ra e que nao o tivesse cantado em verso.
Sio assim m argumetato-. do Sr. Araujo Barros.
Quaiquer feado de estuiante se defendera me-
Inor.
Com estas e outras desculpas te papa trra onsa
elle ostentar ainda perante o publico, que o conho-
cc, capa de juiz honesto, fallando da perversidade
de seus mimigos, e dizendo que victima de atroz
calumnia.
Sna defeza um verdadeiro corpo de delioto.
Nao ha quera lendo-a nao se enveogonhe e alo las-
time tamo eynisml).
0 Sr. Araujo Barros, porm. fica o mesmo no
meio do pa~mo geral Os olhares se fixam nelle,
as admiraedes o rodeiara, as criticas cercam-no, e
ao seio mesmo dos proprios amigos elle sorprendido
nieias palavras e suspensjjes de duvda, que Ihe de-
viam atravessar o eoracao. Todava elle n5o seaco-
barda, porque o hmndo seu.
ir.
{Continuar-se-ha.J
PUBLICACOES A PEDIDO.
0 Sr. Araujo Barros.
arta, decorreu justaineate o
ale e tros dias orii i -
que iieou parado.
Araujo II
juestlo : logo elle podia
da Co:
De do
meira
mez c
nj lei
Dal a coarctada" dp Sr. Araujo Barros de qoe a
parte alia abondaaado a questio : losro elle uodia
pedir ie dinheiro.
ig n, ha maior cynisrao ? Fallamos para os
lime; iniparciaes e instruidos em direito, jui/.es
8 oao irevaricadores.
Si ir um lado a torpeza confessa dizer o pro-
prio jjiz que, e verdade, elle pedir o dinheiro,
mas ole a pessoa a quem pedir nao era mais par-
te, (peque havia um mez o vinte (res dias que a
oausalslava jiaradaI por outro lado v-se ahi a
Qnando aqui chegon o Sr. Aranjo Barros cons- j vacillio e incoherencia proveniente dos apuros
tou-nos que S. S. promettia mundos e fundos em em qu se debata o seu espiritoscm achar refu-
sua deesa. Igo, eiilm, aconfnsSo do culpado.
Nos que lemos o discurso do depulado Joao Al-
fi eUo, que teme e retemos aquellas tao corapre-
mettdoras cartas, diziaraos comnosco mesmo:
que defesa pode ter aquello hornera ? que provas
pode arranjar contra suas cartas ? Nao eonfessou
unas seu upprobrio ? E limamos seriamente coa-
iristado.
E* qne mesmo o crime accorda um echo de
sympathia e compaixlo pelo culpado.
Mas quando vimos em sua defesa o Sr. Araujo
Barros enredar tado e todos, descompor, calum-
niar, (leamos cntao convencido dos recursos que
tem aquelle espirito satnico.
Outro que nao fosse o Sr. Aranjo B?rros, e nao
tivesse aquella impudencia a proco de bomba,
aquelle desabuso de tudo que os homens respei-
tam, era para vi ver cabrsbarxo e contncto nesta*
sociedade que elle raauclia com sua presenca, era.
para curvar-se ao peso das leis em que cspio ;
era para respei lar aos outros a hoora qoe sacri-
llcoa....
E nem'&e diga que exageramos.
Ahi est a defesa do Sr. Araujo Barros, e-sc
enredo monstruoso de tudo que pode ser estranho
aojuz aecusafl pelo representante do povo de
veoalidadee corrupVao.
Na parte que propriamenle consume defesa o
Sr. Araujo Barros aecuson-se.
Pois bem, esse reprobo que ainda ousa levan-
tar a cabeca que dava estac vergada ao puso do
cnme,_ nos dizemos : sois um juiz prevaricador '
Sean, vejamos.
8 ,Sr- AIuJo Rafos eonfessou que pedir ao
Sr. Lins 673*000. Ora, o Sr. Lias era parte que
hligava. perante elle, qu alo. Sa cr parto o Sr
Araujo Barros um juiz prevaricador; U nao
era, o pedido toito naquelles teneos revela ocio
menos urna alma ignobif. ^
Mas o Se. Lins era parte, porque a Wwa esta-
va apenas suspensa. Logo o Sr Aranb Barros ,
como tesemos, um jnlz prevaricadorT
A.-sin,desta formal conassio dequeelTectivamca-
te pe'JrA a Lins a quantia de WfSgXO- BWL a 28
de sotaabro.. .( innilo engracida esta restric
va, mujo...) salta o Sr. Araujo Barros para o ar-
gumeilo das custas.
I revendo asearlas publicadas, pedia eu
Jinltiro eaiprest.ulo ou exiga o pagamento das
ctrsl s, que me erara devidas ?
Te,i s outra: aqui era indiflerentc que Lias ti-
vesse >adonado a questao, ou nao, erara castas ^i
, -aujo Barros a* quera haver, tiuha direildf
ellas I i eram devrdas.
A qblidade de parle stanto em jnizo da pessoa
de qum elie as cobra va alo ora mais embaraco,
nao (k la se-lo-, ao contrario era o-motivo di di-
vida, laxiaie nao toado ella caucionado o juizo.
De odo que o mesmo o Sr. Araujo- Barros
misen me titi!nem sabe a que se apegue. Ora
diz quj pedio dinheiro mais nao a parle ; ora que
c broi cusr.is : ilcou como o naufrago-em aneias
procui ndo at em dbil palba fluctuanto um
apolo. Triste situai'ao.
Cob iva custas : nao ha tal, as cartas nao se
falla n -so, falla-se de dinheiro que Lins Ihe pro-
mettei dar no principio de ontubro (expressio
repeta) alm d que us tenuo- dellas nao eram
de qum cobra** : eram labias, npplieas, chora-
deira, oino a d^sses snjeitos que alacam a gente
pacha do da sutiscTpcl e fallaldo de mnitas no*
cessid&s e dosditas, ora que a nnilher este em
cima'^ urna cama parida sem ter um caldo, ora
que oslfilhiulioj licaram em casa nus e morrendo
a teme -eram neste'.gosto.
A niha nccessWade obrigameeston atra-
sado
lia ritaa aehayse embarazada, nao
_ ilio senlo acoiher-me a sua sombra
ipero achar abrigo, meu amigo por todo
j), mandesne- com-que en possa saldar
a divida te honra de 430/000 e 225|0l)0
artel da casa em que nviro,
rmtirtofwo t>a idiota para nlo.
Est terminada a dscussito.
A historia simples e natural los Cactos, que fo-
ram se seguindo uns aos outros, sem a menor coo-
fusao, ora desceado ao narrativo, ura suhiadoconi
a mais profunda emscao as alturas do seatiraealo,
chogou a sua concluso.
A luz da verdade, dissipaudo a* sombras espa-
Iliadas pelos juizos e falsos coaceitos, que em um
tecido informe de frivolos argumeatos, todos tira
dos de incidentes deimperceptivel valor qne se an-
tepunham as vistes para obscurec-la, surgi ali-
oal com todo seu esplendor.
E um antagonista cegainenle obstinado a tudo
negar, vo-se obrigado a fazer a mais explcita
eonflssi.
Por catre a mal contda raiva do vencido, sem
moderar os impulsos de seu genio, sem adcar as
asperezas do seu estylo, foz nina larga incisao em
seu eoracao entumecido, derramando tudo quanto
nelle se guardava.
Vou cita-lo textualmente.
O Sr. Dr^ prestando depois disto todos os be-
neficios que allega, com as proprias proporcoes
qae Ihes da, nao fez mas do quo cumprir o seu de-
vcr.e jamis pode ter odireitode assumir por sso
a posifao de bemfelor de meu pai, para poder
coaslituir-se mou heaifeilor, quaado apeaas S. S.
mjito mais fez do que pagar urna sagrada divida
degralidaa.
Teado chegado essa ennfissao, est acabada a
questio ; e cu tenho conseguido o ineu Ihn.
Estabelecer a minha quaiidade social e provar o
meu reconhecimenlo aquelle que zelosamente se
encarregou de dirigir a minha educacao, foi a pro-
II i~\ liiln til t\ i -. inn Tul il'ii.->*n I <. i, < < i>t% n >imkif ^ .
penoresas minha- forras, sodjimdo por issIT dores
wm cruis, ora vendendo beis, ora despinOs-ine
Jos meus adornos para dar ..necessiudof, oh em-
prestar ao* amigos, aisisiioOo-os nos ltimos ex-
tremos de vida, e levando a miaba amisade inuito
alera do tumuw.
Pvr esses tekii sod-bum conbeeldd e devida-
mente apreciado nidos homens honestos o de cera-
co. Sou toreado a falhir de rntai, elo Tivanei-
pressoes-r-dalma, em acto de isla defeza.
Non sao esses sement os actos porque me dis-
tingo-na socieda.le. Se como hemem particular
possoreJatar caraneros (actos de extremosa dedi-
cac-io, como liomem publico sobajas provas pode-
ra dar de igual desiuteresse o dedicarlo ; mas
basta am so para pi'ir o meu antagonista em pa-
ralelo eomigo.
Dess^mesnw hoaiem, a quen>elle venden a sna
honra, separei-ia. no momento eH nai- elle me
julgava mais ligado a-.-ua pussoa, declaiando-ibe
irancamente que la discutir a sna adminstraco
para ser bel aos meus amigos MWcw nao me
demovewte desse pnq>s*ito, era as riMlItliiiffuJ
de amisade pessonl, nem os seus fiugjdue proles-
tos de adhesao a minha polilica Tjidos os meus
inlere-stisse ligavam entao -.o servio daqnollo ho-
rnera, ella me o fez sentir o eu u ciMpehendia ;
mas em primeiro Ingar esl.iva o meu dever, sou-
be cumpri-lo.
Discuta a sua adminislracao, e com taato ap-
plauso do todos os amigos da proviuca, que rece-
te um premio, o qqal para mira de um valor
raextimavel. Dous depotados os Etms. Srs. Ala-
noel Joaquim C II. e Jacintho Paes de Mendom-a
em Iionrpe.comiissa me olfereeerain era iiohic
lo partid una puUa d'ouro fwrcioso donativo
que vale-para ihrm mais do cp ludo quanto ine
podesse dar aquella rrirvincia.
l'or esses actos ie eu me aisngp, porvncy
sou bem tnkectde. E \s liomem sera f, sem eo-
racao, o quo que vos destingua ?
E' o ferrete infamante de Souza (iirval Para
serv-lo me levara ao extremo supplleio... Que
triste fatabdade acompaulia cortos homens... Oh
meu Deus! e corre deste sangue em mnhas
veas I!...
Todera em contra posiclo citar oraros tantos
toctos desse, para provar que nao tem a menor
sigmfica;ao moral, mas nao foi esse o flm a quo
me propuz, fiearei aqu.
Nao me vanglorio do Iriumplio que alcancei.
Nao tocarei nesta palma, nao eolito louros de tao
pouco valor, sirvam elles s para tornar o seu no-
mo BEM. CONDECIDO !...
Lourenro Bezerra Carneiro da Cunha.
P. S.liliiuiu Unco de luz;
Nao VMoreconlieoida a caifa de sua mao, deve-
nos cix-r que urna fixao, igual a da lettra do Jo-
hnstson, a qnal fui justamente a que eu remi, por
ella foi meu lio execuiodo, eu tambera esteva as-
sfgnado nella como declarou o Sr. Cunha Mederos.
em presenca do Sr. Manoel Alfonso, e para reun-
la passei outra s de meiL punho assigiiada, ecom
essa letra s do meu punko assgnada, !o qne 1-
vre a meu to de prislo. O Sr. Cunha M denos
mora no Monteiro, e explicni todo isso era pre-
senta do Dr. Beato Jom; da C-jjta, commendador
Manoel Cosa, Dr. Severjno Caneiro Monteiro, Dr.
Ilercidano Bandcira de Mello. Comprehenda o
ptabReo a qu;.nte dosco aquelle hornera para mis-
lillcar os factos. Pobre-ente .' Neo tem mais nada
i|ue dizer. J,i expliquw salisl'actriamente o fado
de applicar a inen pagamento dazentos oa trezen-
tos u ris qua nieu iiodou-me para seren entre-
gues ao Dr. Aguiar, a quera communiquei isso
mesmo, empraso a sua chegada para oiTerecer o
seu tcsteraunbo. Se o Sr. Dr. J. F. tem aiguma
carta, ou documento, que isso distrua presente.
Atienda liem o publico, em tao tengas relacpes foi
o nico acto com que pode ^.xprobar-me; e esse
mesmo ulo passou de urna pequea falta de deli-
cadeza.
posicao fundamental d'esta diseussao; prove" que
liaba pago ama divida sagrada, e pelo grande po-
der da verdade obriguei o meu ceg antagonista a
abrir os olhos e a recoahecer teda a sua injnslica,
quaado rae chaman mais que ingrato, prOfera'do
ello mesmo essas palavras : pagou urna tiivma sa-
grada !...
O que me resta, pois, a dizer ?
Nanea me quiz constituir bemfeitor de seu-pai ;
e se o modo por que paguei-lhe a minha di-
divida sagrada, obrga-o a fazer um publico reco-
ahecinieato, proclamaado-oie seu bemfeitor, erga-
se, nao hesite por mais tempu, veaha recener o
perdi do suas offensas. E' o uuico meio de sabir
do abatimento era qae caio.
E se alo o punge adaV do arrependimento, se
conserva-se impenitente, entao onca o que dicta a
razio.Nao val a pena riscar tante papel, salpi-
cando as faces do tiata, para a (mal chegar
urna concluso contraria ao que so propoi.
Ser esse o bom senso de qne tanto se jacta,
julgando-se autensadn a exproerar-me a sua
falta ?'
Todo o seu bom senso, e o conceito do que se
ufana, reflecten nesta diseussao, como a luz do
sol em lmpidas aguas.
Guarde, consenw essa riqueza, on faca descon-
tos, accumule, ou c me remedio com o pouco
qne tenho ; ao menos suffleiente para onhecer,
pensando com o amigo Erasmo, que eu sou bem
feliz... Nao quero ter mais, porque os grandes ca-
pitalistas d bom senso encerrara em sua caneca
as ntais doces faculdadeS d'alraa, e tom o eoracao
mitrado'; sao como os srdidos avarentos, qua en-
terrando os seus tbesouros, morrera raingoa.
Nao vejo, pois, a saa fortana. Mhotenha-se naJ
doce illusao em que se acha. Os mais fellzes de
Erasmo sao os que acreditara possuir Justamente
aquilte de qae sao inteiramente desprovidos.
se o boto senso pratlco da vida consisto em
Protectora das fa-
milias
Em cumplimento do prevenido no arl.
!29 do regulamenlo, so ceavida a lodos os
senhores contrihnintes a essa associa$to,
que ainda nao tivereift apresintado as certi-
des de. idade dos segurados, paca que fa-
Cam entrega d'ellas, na ra do Livrameiito
n. I!), 1" andar, alim ,ihs ser expedidas o
mais breve possivel para A inspectoria ge-
ral do Rio de Janeiro.
As certidiles devem ser selladas e reco-
DJiecidas. porta bellico.
---------------------------------------------------------------1--------------------------
() Amigo Lola.Se a minha carreira, se todo
meu futuro dependessem de um passeio que tu
deeses a esta ridadt de algnns das qne te demo-
rasses as anas proximtaTailes. Ui qne es o hontem
das dedicaffla e da geberosiilade, que sempae te-
tens mostrado meu aJif.'oado o me tens obsequia-
do, apezar a> vezes (por briucadeira) manifes-
tares diua|Btatauttaa>a hia es>*taereio, deixarias de estender a mao
salvadoi-a *e pobre n;mrago era risoo de aon-
dar-se '
Pois bem! confiado no cavalheirismo doteu
carapter o^ue eTrot solicitar de ti urna graca, da
3na! pode ser que estela dependente o trtu'mpho
o minha candidatura. Peco-te, supp|ico-te, e exi-
gira s tivesse poder, que estejas aqu immediata-
mente depoi%da eleicao primaria (qu-d a de no-
vemhro). Com a vista rae explicapeT cerca do
meu negocio, sobre o qual necessito de tata parto
o mais inviolavel sogredu.
Devo porm desde j declarar-te quo a verfl-
car-se urna hvpothese para que trahalho, t con
a tita vagom lucrars qusi tanto como en.
Lola, peco-te por tudo q^o nao facas pouco ca-
so deste pedido, Ueixando, de atiende-Jo completa-
mente.
Teu amigo.
.1. A. de Souza Carvallo*
Reeife, 7 de outiibro c 1836.
M
I MUTILADO





Recite, 5 de agosto de 1869.
-
3|39iari de Pernambuco -* Ter VJXG
Malta

Rectiicmdo o mea annuacio
prxima, psssada, declaro que
a corpoeo aigunia, nain
vos de devori). mas sita a pesa
serviram do meu
emprestado,* miss.
entrega do cartas
esta foi a razio, per qoe fe
annuacio.
Fr. Jwi Baptta m Espirao-$antu
rpoolBrigue sueco Prini 0$car Fr
pilao S. GraB ; carga aasucar a algod
nez ^^^H
8.' Joo Kopke, tul1 cadeir
1 dess uo tonada n
Coetho de Gu
t sabbatina ni
de junho.
!>lvmpio Braga Cavalcanti,
para
'IHante
rtlTAK
Protectora m familiae
AssociaeioVksileim d seguro muta sobre
vida, approyada por decreto do governo imperial,
de 13 deieabo de 1864, e gerida pelo Baneo Ru-
ral e Hypotbecaro do Rio de Janeiro.
Gommisso fisal. a
Veador Jos Joaquina de Lima e Silva cSobnho.
Comtneodador Jeronyino Jos de Mesquita^
Comineodador Boaventura Goncalves Roque.
Commeodador Guilherme Pinto de Magalhes.
Estado dessa associaca emt 30 de abril de 1869
contrato 1,802
Capital subscripto rs. 8,716:47A*N, a pesoas
que quiaerem inscrever-se podfjrlo dirigirse na
roa do Livramento n. 19, pnmelro andar : a tra-
tar com o Sr. N. de Vidal, enxarregado peto
Bauco Rural e Hypothecario do Rio de Janeiro,
ara promover asignaturas para a masaaa aseo-
uldade de Direi
os, 3 elusiva ltffQ
na 1*cadr
o Alvares Affonso, 5 aa Ia cadeira e.7
fute sabbaiina na 2*.
Joaquim Lopes de AieaWari
sive 1 sabbatina na cad
9 Antonio Serrano Goncalves,
f cadeira.
lioFlorajiaJ
nesto
6 iucl-
drade, i na
no, tMI'i
COMMERCIO.
PRACA DO RECIPE 9 DE AGOST DE 4869
as 2 1/2 noais a tamb.
Assucar bruto americano 3*230 por t kil.
(sahbado).
Algodio de Pernambuco sem aspeocao U144
or kil. (boje).
Curti sobre Londres 90 d/v. 18 34 d. por
1*000 (sabbado). t ^
Dito sobre dito 90 d/v. 18 5i8, d. por 1*000
m'Y F. J. Silreira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Caixa Filial do Banco
do Brazil.
A caixa filial do Brtco do Brazil em Per-
nambuco cm liquidarlo paga o 31* dividendo
das acc5es do iBanco do Brazil Inscriptas
nesta caixa, a razo de H por acQo.
Recife, lodejulho de 1869.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Descont lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em cont correte e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Ra do Commercio n. 36.
Saques sobre Londres
S0CIEDADE BANCARIA EM COMMAiNDlTA
Theodoro Simn Sf C.
Sacc3o sobre os Srs. Samuel Montagu &
C, banqueiros em Londres.
A' vista quantias 5 at 100, 3 das
de visla quantias cima de 100 at
,a 1,000 30 aj 90 dias de vista quan-
tms cima de 1,000 ate 10,000.
-laf^rdo Pelour'mho n. 7.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & 0.
Compram e vendem por cont propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
sbjj9| de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontm letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por cont alheia das mes-
mas transaccoes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em cont correte, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7. ,
Novo Banco de Pernambuco
em liquidadlo, 3 de agos-
to de 1869.
Os Srs. accionistas podem receber o
sexto dividendo de um e meio por cento
do capital: s quart-feiras e sabbados.
169:384*357
22: 858*251
Ia
I cadeira
\ki de
s, 11
abu-
ra e
falta
Taitas
abo-
3 in-
c 3 na
a i:
c luir e
final-
AS na 1
aada
Joaquim Guedes Alcoforado, 2 na i'cndelra
mtrAm lennc.fWu. In
*, Hato- f deltas nstr"abofTada
junho.
97 Manoel Mara Olympio de Seixas
na 1' cadeira e 16 na fr, sendo 1 destas
nada no mez de junho.
98 Adelino da Silva Pinto, 9 na *
inclusive 1 sabbatina na. i", sendo, est
nao abonada* no mez de junho.
Segundo anno.
2 Manee! Joaquim 4o Reg Brrelo, 1<|
na 1* cadeira e 8 inclusive 1 sabbatina na
nadas.
3 Agostadlo Mximo Noguera Peoid,
cluslve 1 sabbatina abonada na 1' cadeir
2* dem.
5 Jos Cavalcante de Albuquerque U roa, 13
na 1* cadeira e 12 Inclusive t sabbatina
7 Gaudino Eudocio de Brito, 4 na t
2 na fr.
8 Graciliaoo Augusto Cezar Wanderley
eadeira e 7 na 2'.
10 Martnho Cezar da Silvejra Garcez,3 na Ia
cadeira e 7 na 2a.
TI Simeao Faro Mendonca, 3 na 1* ctfeira
3 na 2'.
12 Elvidlo Clementlno de Aguiar, 3
dfira c 3 na 2a.
13 Goncalo Vieira do Mello, 3 na 1"
2 na -I*.
14 Jos Leandro Dantas de Auneida,
cadeira e 9 na 2
15 Sergio Uygino Dias dos Santos, 5
1 sabbatina na 1* cadeira e 3 na t
16 Adolpho Pereira de Burgos Ponce Len
8 na 1* cadeira e 6 na 2".
1" Ernesto de Carvalbo Pires Lima, 4
deira'e lina V.
18 Antonio de Souza Gouva Filuo, 5
1 sabbatina na 1' cadeira e 5 inclusive
tinas na 2*.
19 Alexandre Barbosa i- Souza, 1 na
rae loa 2a. ,
?i Thomaz Pompeu de Souza Brasil, 0
cadeira e 4 inclusive 1 sabbatina na 2".
21 Lindoro Augusto de Moraes Reg,
cadeira c 5 na 2*.
22 Francisco de Paula Cavalcante de Acera
a Almeida, 6 na 1 cadeira e 3 na 2".
23 Joao Jos da Silva Sarment, 8 na 1 cadei-
ra e 7 na 2*.
Rendimenlo do
dem do dia 9
ALFANDEGA.
dia 2 a 7
192:242*611
MOVTMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados
dem idem
com fazendas
goin gneros
Volumea sabidos com fazendas
dem idem com gneros
213
481
97
10*
697
200
Descarregam hoje 10 de agosto
Barca inglezaJ/npertuiormercaduras.
Barca inglezaNaoniamercadorias.
Brigue inglezJfe/ Barca francezaFgaroidem.
Patacho iogletVateledem.
Escuna norte-allemiio Caihwina dem.
Barca nglezaTravelterfarnha de trigo.
Brigue mglezAiezandrebacalbo.
Escuna norte-allemao-*Ge"it>otaboado.
Brigue soecoAnnataboado.
Brigue nacional-.,Aimeida Ucharque.
HECEBBDOmA DE RENDAS LNTEBJiAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia i a 7 9:993*734
>dem. do dia 9...... 6:517*225
CONSULADO
Rendimento do da 2 a 7
dem do dia 9 .
16:510*959
provincial"
. 16:247*009
. 6:776*645
m do ExfMr. l
co pmbliel*tt ^bV^lJ'
__i destWaMMIaL-4Mke' (tiie#?o>
nhu ultimo, com declara^ao das nao abonadas ues-
te ultimo, conforme a conferencia feita em
da congregaco de 24 do passado. gn
Primeiro anno. ''
1 Joaquim Jos Godinbo Jnior, 4 faltas na 1'
cadeira e 2 na 2a abonadas.
2 Livno Augusto de Ilollanda Chacn, 1 na 1"
cadeira e 1 na 2".
3 Joao Tetesphoro da Silva Fragozo, 1 na 1* ca-
i Antonio Clodoaldo de Souza, 1 na 1* cadete
etna*\
5 Braz Benardino do Louf**ro lavares, 4 na i*
cadeira e 3 na 2*.
6 Carlos Emiti de Andrade Peixoto, 11 na 1*
cadeira e 5 na t; sendo urna desla nao abonada
no mez de junho. 1
7 Manoel Pcssoa de gqttelra Campos, t na 1' ca-
deira e 3 Ba 2*.
8 Francisco Barboza Aranha da Frana, 9 oa 1"
cadeira e 10 inclusive i sabbatina na 2.
10 Eneas de Arroxellas GalvSo,' 6 inclusive 1
sabbatina na 1* cadeira e 0 na 2".
11 Augasto Emilio da" Fonseca Galvao, 1 na 1*
cadeira e 1 na fr.
12 Gentil Augusto de Moraes BUtencourt, 1 n
cadeir* e 1 na 2*.
13 Manoel Florentino de Albuquerqne Monte-
negro, f3 na 1" eafieira e 10 inclusive 1 sabbati-
na na 2*.
14 Manoel Tobas do Reg e Albuquerque, 1
sabbatina na 1* cadeira.
16 Honorio Hermeto Correa, de Brito, 3 na 1
cadeira e 2 na fr.
17 Jeronymo Alves da Cunha Lns, 5 na 1* ca-
deira e 7 na 2*.
18 Vicente Antonio do Espirito Santo Jnior, 4
na 2* eadeira.
19 Vicente SimOes Pereira de Lemos, 14 inclu-
sive 1 sabbatina na 1* cadeira e 13 na 2*.
20 Jovino Antero de Cerqueil-a Maia, 3 na 1*
cadeira e 4 na 2\
21 Manoel Augus'.o da Fonseca e Silva, 3 na 1*
cadeira e 4 oa 2*.
22 Liduino Lamberto Casle|pBranco,3 na 1* ca-
deira e 6 inclusive 1 sabbaiina a ', sendo urna
das faltas nao abonadas no mez1** junho.
23 Jos Rodrigues Elvas JunwF; 7 na 1' cadeira
e 7 na 2*.
24 Luiz Accioli Pereira Franco, 2 na 1" cadeira
e 2 na 2*.
26 Jos de Souza Reis, 1 na l* cadeira.
27 Joao Baptista Gitirana, 3 na 1" cadeira e 3
28 Manoel Flix Gitirana, 11 na cadeira e 10
inclusive 1 sabbaiina na 2*.
29 Antonio Alfredo da Gama e Mello, 5 na 1* ca-
deira e 6 na 2*.
30 Cao Lustosa da Cuuha, 14 inclusive 1 sab-
batina na 1* cadeira, e 14 inclusive 1 sabbatina
na 2-,
31 Jos Jacintho Borges Diniz. 2 na f cadeira e
3 na fr, sendo urna destas nao abonada no mei de
junho.
32 Juvenal fcidrigues Pinhero, 4 na I' cadeira
o 2 na 2\
33 Albino Zacaras de Carvalho, 6 na cadeira
0 8 na 2", sendo urna destas nao abonada no mez
de junho.
34 Francisco de Gouva Cunha Barrero, .3 na I"
cadeira e 4 na 2*.
35 Joao Francisco de Arruta Falcao Jnior, 12
na 1* cadeira c 7 na fr, sendo urna destas nao abo-
nada no mez de junho.
37 Luiz Jos de Franga e Oliveira, 11 na 1* ca-
deira e 10 na 2*.
38 Joaquim Ferrelra Chaves Jnior, 2 na 1" ca-
deira c 2 inclusive 1 sabbatina na 2*.
39 Theophilo Moreira Guerra, 2 na*l cadeira e
3 na 2*, sendo urna destas nao abonada no mez de
junbo. 37 Rmigo Silveira do
40 Yhomu Argemiro Ferreira Chave*, 1 na 1' tMku>.~-u
cadeira e 2 idcluslve 1 sabbatina nao abonada no Dau.na na 2\
mez de junho.
il Carlos Frederico da Costa Ferreira, 7 na 1'
cadeira e 8 na 2*.
43 Francisco de Castro Rebello, 2 na 2* ca-
deira.
4 i Estevao Carneiro Cavalcante de Albuquer-
que, 1 na 1" cadeira e 12 na 2*.
46 Olympio da Silva Costa, 3 na 1* cadeira e 5
n2\
47 Francisco Leal de Miranda, 5 na 1" cadeira
e 8 na 2*.
49 Joao Marnho Carneiro de Albuquerque, 5
na 1* cadeira e 5 na 2", sendo urna destas nao
abonada no mez de junho.
50 Joaquim Jos dos Reis Jnior, 3 na 1* cadei
ra e 2 na 2".
51 Eduardo Jayme Gomes de AraHjo, 2 na 1*
cadeira e 4 na -', sendo urna destas nao abonada
no mez de junho.
52 Calisto Aragao deSouza Lima,14 na 1* cadeira
e 9 inclusive 1 sabbatina na 2*, sendo 4 destas in-
clusive a sabbatina nao abonada no mez de junho.
53 Celso da Cunha Magalhos, 8 na 1" cadeira
e 8 na fr, sendo 1 destas nao abonada no mez de
junho.
54 Thomaz Accioly de Gusmiio Wanderley, 8 na
1 cadeira e 4 Inclusive 1 sabbatina na 2*, sendo i
inclusive a sabbaiina nao abonadas no mez de
junho.
55 Antonio Pereira Castro, 3 na 1* cadeira e 5
n% fr, sendo 3 destas nao abonadas no mez de
junho.
56 Candido Alves da Nobrega, 3 na 1" cadeira e
5 na 2*.
57 Barcinio Paes Barreto, 2 na fr cadeira.
58 Jos da Cunha Teixeira, 7 na 1 cadeira e
5 na 2*.
59 Augusto Pinto Alves Pequeo, 5 na 1* cadei-
ra e 6 na 2'.
60 Antonio Gomes Leal Jnior, 3 na 1* cadeira
e 4 na 2-.
61 Manoel Rodrigues Nogueira Pinhero, 7 na 1'
cadeira e 8 na 2".
62 Avelino Ildefonso de Oliveira Azevedo, 3 na
1* cadeira e 3 na 2', sendo 1 dess nao abonada
em junho.
63 Antonio de Amorm Garca, 2 na 1" cadeira
6 na fr.
64 Taciano Gomes da Silveira, 4 na 1 cadeira e
5 na 2*. ando 1 destas nao abonada no mez de
junbo.
65 Samuel Tertuliano Henriques, 4 na Ia cadei-
ra e na fr. "
66 Epaminondas Bandeira de Mello, 1 na 1* ca-
deira.
67 Jos de Barros Franco, 5 na 1* cadeira e 7
68 Mathias Joaquim da Silva, 1 na 1" cadeira.
69 Bernardo Lindolpho de Mendonca, 5 na 1"
cadeira e i inclusive 1 sabbatina na 2".
70 Antonio Gomes Tavares Jnior, 3 na 1' ca-
deira e 2 inclusive 1 sabbatina nao abonadas no
nez de iunho na 2' cadeira.
71 Julio Apolonio Vaz- Curado, 6 na primerae
*<|rtoHmno.
Gaspar Ferreira Frazo de


ea-
es Constancio Avelino, 3 na 1
es Pereira de Vaaeoncillos, 1 na I*
lusive
ca-
ilusivc
[sabtoa-
cadei-
na 1*
na 1
1 n
! ca-
2t Antonio Correa de Figueiredo,
dera!'
25 Carlos Franeisco de Araujo Costa, inclu-
sive 1 sabbatina na 1' cadeira e 8 inelisve 1
sahbatina na 2*. i
26 Antonio Agrpino de. Gusmao, 4 na^ I' ca-
deira e 4 na fr. ]
27 Antonio Elias de Aguiar, 4 na 1" (ttdeira e
4 na 2*.
28 Jus Anastacio da Silva Guimaraes, 14 in-
clusive 1 sabbatina na f cadeira e 9 inclusive
2 sabbatinas na 2*.
29 Jos Domingos da Costa, i na cadeira e
3 na 2\
31 Candido Auguste Xavier de Brito, ,2 na 1*
cadeira e 2 na 2*.
32 Emiliano Gomes de Andrade e Silva, 4 na
1* cadeira e 2 na 2a.
33 Antonio Jos de Almeida Pernambuco, 2 na
1* cadeira e 4 na 2a.
34 Elysio Alberto Silveira, 17 inclusive 1 sab-
batina na Ia cadeira e 16 inclusive 2 sabbatinas
na 2"-
35 Antonio Rodrigues da Silva e Souza, 6 na 1'
cadeira e 6 na 2*.
30 Gabriel Gomes Pereira, 2 na 1" cadeira e 3
na 2*.
Faria e MeUo, 13 inclu
Febronio
sabbatina a
Vieira da
tia
14
doira
16 J
cadeira e
17 Lourenco Freir de MesquUa Dantas, 8 n-
clujjve l sabbatina m 1" cadeira e 7 inclusive i
satasatinas na 2*.
t MannerBarbosa Alvares Ferreira, 2 na 1" ca-
deira e 9 inclusive 1 sabbatina na 2".
19 Manoel Ventura de Barros Leite Sampao, 9
na cadeira e 7 na 2".
Antonio de Oliveira Ribeiro Jnior, 3
e 1 na 2*.
'u de Aisis Pereira Rocha, 8 na 1* a-
a cStal*. ^
B Joo Polycarpo dos Santo Campo, 2 inclu*
arve 1 sabbaiina na Ia cadejra e 2 inclusive 1 sab'
tina na 2a.
23 Alipio Jos da Costa, 15 inclusive 2 sabbati-
nas na Ia cadeira e 6 na 2a.
14 Heuriquc Affons de Miranda Leal, 1 na I"
cadeira e 3 oa 2a.
26 Felippe de Azevedo Faro Juntor, 4 na 1* ca-
deira e 13 inclusivo 1 sabbatina na 2a.
27 Francisco Carvalho do Passo Filho, 2 na !
cadeira e 1 na 2".
28 Manoel Cardoso Vieira de Mello, 10 na Ia ca-
deira e 13 inclusive 1 sabbatina na 2*.
29 Franeisco Xafier Rodrigues Campelto, 9 in-
clusive 1 sahbatina na 1* cadeira a 9 inclusive 1
sbbatiaa na fr. |HpP^PaJa>-**^
30 Jos Clemente da Silveira, 1 na l* cadeira e
5 inclusive 1 sabbatina na 2a.
31 Ueurique Jos de Salles, 7 na Ia cadeira e 8
nelusive 1 sabbatina na 2a.
32 Joao de Spuza Marinlio, 2 na 1' cadeira e 2
n2\ ..
33 Francisco Manoel Wanderley Lins Jnior, a
na Ia cadeira e 6 na fr.
34 Geronclo Dias de Arruda Falcao, 9 na 1* ca-
deira a 8 inclusive 1 sabbatina na 2*.
35 Antonio Bezerra da Rocha Moraes, 2 na 1* ca-
deira e 4 inclusive 1 sabbatina na 2*. .
36 Flix de Figoeirta Faria, 13 inclusive 1 sab-
batina na 1' cadeira e 11 inclusive 1 sabbatina
na 2a.
37 Caetano Alberto da Fonseca Lima, 3 na Ia
cadeira e 4 na 2*.
38 Amaro Gomes Carneiro Beltrao, 2 na Ia ca-
deira e 1 na 2*.
39 Ignacio da Silva Coetho, 4 na Ia cadeira e 3
inclusive 1 sabbatina na 2a. .
40 Joas Polycarpo de Figueiredo, 4 na Ia cadei-
ra e 3 nelusive 1 sabbatina na 2a.
41 Jos Lopes Possoa da Costa Jnior, 1 na Ia
cadeira e 1 na 2a.
42 Joaquim Cavalcanti Ferreira de Mello, 7 na
Ia cadeira e 7 na 2a. .
43 Joao Francisco do Figueiredo, 1 sabbatina
na >' cadeira.
44 Joao Zenobio Accioli de Vasconcellos, 4 na
Ia cadeira e 6 na 2a.
45 Silvio Pellico Pereira Ferraz, 4 na 1" cadeira
e 12 na 2a. ,
46 Adolpho de Siquera Cavalcanti, 3 na 1" ca-
deira e 4 na 2a.
47 Elisiario Augusto de Moraes, I sabbatina na
Ia cadeira. .. ,
48 Jos Mara de Araujo, 19 inclusive 1-eabbati-
na na Ia cadeira e 19 inclusive 1 sabbatina na
fr
49 Francisco Antonio de Oliveira Prxedes, 4 na
Ia cadeira e 4 na 2*. ...
50 Miguel Archanjo de Figueiredo Jnior, 1 na
* cnl pin
5t Guilherme de SouzfCampos, 3 na Ia cadeira
e 2 na 2'.
52 Silvestre da Rocha Wanderley, o na Ia cadei-
I Gaspar Ferreira Frazo de Menezes Vaseon-
cellws de Drummoad, 4 fakas na fr eadeira.
. 2.Luiz Rodrigue Ferreira de Menezes. Vascon-
cellos de Dnim.noiid, 10 na Ia cadeir e J3 na 2.a.
3"Angido'Jansen" de Castro" c Alhuquerquev 2
na 1* cadeira e*3 n* fr.
4 Francisco Jos Monteiro, 3 na 1' eadeira e 6
a 2
5 Benvi
16 incl
6 Pn
eadeira o 2 loclu
'7 Anlouk) Sabi
3 inclusive l salibai
8 Jos Mariano Carneiro da
deira e i na 2:
9 Candido Vieira Chavea, 7 nal
na 2*.
10 Gamillo "Correa Dantas, 13 na cadeira e
10 na 2a.
II Hejtclio de Araujo Villar, 14 na 1' cadeira
slve 1 sab-
i sahbaliua
11 Hejiel
HrPedro.
23:023654
39 Pedro Baptista de Moraes Reg, 8 inclusive 1
sabbatina na Ia cadeira e 8 inclusive 1 labbatina
na fr.
40 Joao de Souza Reis, 2 na Ia cadeira.
41 Porfirio de Souia Freir, 9 na Ia cadeira e
7 inclusive 1 sabbatina na 2a.
42 Jos Antonio Mara Cunha Lima, 14 inclu-
sive 1 sabbatina na 1* cadeira e 10 na 2a.
43 XiMerico Araripe de Faria, 5 na Ia cadeira
e 4 na 2*. .
44 Benigno Marnho Lins Sicupira, 14 inclusive.
1 sabbatina na Ia cadeira e 8 inclusive 1 sabba-
tina na 2a
45 Joaquim Manoel Vieira de Mello, 7 na Ia ca-
deira e 2 na 2a. .
46 Francisco da Silva Saldanha, 9 na 1',cadeira
e 6 na 2*.
47 Joo Pedro do S Pereira, 2 na Ia cadeira e
1 sabbatina na 2a.
48 Manoel Quntiliano da Silva, 11 na Ia a-
deira e 8 na 2".
49 Joao Tavares de Mello Cavalcante Fihp, 1 na
1* cadeira e 8 na 2a.
50 Fiel Vieira Torres Grangeiro, 10 na Ia ea-
deira c 10 na 2a.
."il Jos Zeferino de Mendonca Uchoa, 1 na Ia
cadeira. ,
52 Aristides Cezar de Almeida, i na l'Cadeira
e 4 na 2a. ,
53 Jos Balhazar Ferreira Faco-14 na f cadei-
ra c 10 na 2a. 1
51 Jos Leonill) da Cunha Alcanfor, 1 na i"
cadeira o 2 na 2*. a ,
55 Jos'Gemrano'Mangabeira Jnior, 1| inclu-
sive 1 sabbatina na l" cadeira e 8 nelusivf 1
balina na 2
c/deira
Ina 1
56 Jos de OlveraCampos, 1 na 1
1 na 2a.
58 Eduardo Pires Ramos, 12 na Ia cad ira e 9
inclusive 1 sabbatina na 2a.
39 Joaquim Candido Ferreira Lisboa, i na Ia
cadeira o 6 na 2a.
60 Manoel Pinto de Souza Dantas Filho
cadeira e 1 na 2a.
61 Cantillo Accioli de Azevedo Silva, 3, na 1
cadeira e i na 2a.
63 Francisco Jos da Silva Porto, 12 iclusivc
1 sabbatina na Ia cadeira e 17 inclusive Jsabba-
tinas na 2a.
65 Francisco Pedro da Costa Moreira, |3 na Ia
cadeira e 9 ua #*. J
66 Joao Pereira Lagos Jnior, 9 na Ia cideira e
9 na fr.
67 Honorio Horacio de Figueiredo, 18 nelusive
1 sabbaiina na Ia cadeira e 13 inclusive Ssabba-
linas na 2a.
68 Manoel Ribeiro Barreto de Menezes, f inclu-
sive 2 sabbatinas na cadeira e 21 iniasive 2
sabbatinas na 2*.
69 Joaquim Xavier de Luna Miranda
na 1* cadeira.
70 Manoel Menelio Pinto, 1 na Ia ca< ira e 1
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entradot nfMfei 8.
Valencia57 dias,barca hespanhdla Virgemielas
Nieves, de 312 toneladas, capltao Jaures Escoto,
equipagem 10, carga*rinho e oueros gneros ;
a Pedro M. Maury.
Navios sonidos no mesmo dta.
maca bespanhola Adele, capillo Pe-
restanv ; carga algodao.
Rioda PrataPatacho dinamarquez Aura, capi-
llo Cariasen : carga assuear.
Rio da Prata Brigue brasileiro Claudio, capito
Joo Baptista Onete ; carga agurdente e as-
suear.
Navios saludos no din 9.
Torios do sulVapor brasileiro Cruzeiro do Sul,
commandante Joaquim de Paulo Gaedes Aleo-
forado ; carga dierentes gneros,
rorros do norteVapor brasileiro foraa. cota--
/ na 2
72 Anizio Augusto de Carvalho Serrano, 15 in-
clusive 1 sabbatina na 1' cadeira e U inclusive 2
sabbatinas na 2* sendo 10 inclusive as 2 sabbati
as nao abonadas no mas de junho.
73 Henrique de Athayd Lobo Moscoso, 4 na 1
eadeira.
74 Joo Americo de Carvalho, 3 na Ia cadeira e
4 na 2a.
75 Luiz de Almeida Araujo Cavalcanti Filho, 1
na 1* cadeira.
76 Ernesto Augusto da Silva Freir, 18 na Ia
cadeira e 15 na 2*.
77 Francisco Caracioli de Paula Freitas, 4 na Ia
cadeira e 4 inclusive 1 sabbatina na 2a, sendo 2 in-
clusive a sabbatina nao abonadas no mez de ju-
nho.
78 Francisco Fernandos Vieira, 6 na Ia cadeira
e 7 na 2a, sendo urna dostas nao abonada no mez
de junho.
79 Carlos Jos Augusto de Oliveira, 15 na Ia ca-
deira e 11 inclusive 1 sabbatina, sendo esta nao
abonada no mez de junbo.
81 Custodio Domingos dos Santos Jnuior, S na
1* cadeira e 2 na 2a.
82 Jusliniano Martins de Azambuja Melrelles,
11 na Ia cadeira e 6 na 2a, sendo 2 destas nao abo-
nadas no mez de junho.
83 Silvio Vasconcellos da Silveira Ramos, 3 na
i' cadeira e 1 na fr.
.,
auto, 1
73 Ulysses Segismundo de Araujo Batinn, 11 na
Ia cadeira e 9 na 2*.
74 Antonio Bernardino Monteiro de Bi ros, 16
inclusive 1 sabba'.inana 1* cadeira e 13 clusive
2 sabbatinas na 2*.
75 Eugenio Telles da Silveira Fontes3 nelusi-
ve 1 sabbaiina na Ia cadeira e 27 inclusiv, 2 sab-
batinas na 2a.
76 Manoel de Mello Cardoso Barata,! na 1'
cadeira o 8 na 2a.
77 Joao Vlanna de Mello, 6 inclusive i ssbba-
tina na 2a cadeira.
78 Boaventura Jos de Castro, 10 indusive 1
sabbatiua na Ia cadeira e 11 inclusive 2 labbali-
na na 2*.
79 Daniel Alves de Queiroz Lima, 16 iclusive
1 sabbatina na 1* cadeira e 12 na 2a.
80 Francisco Marcal da Silveira GarciaJB na Ia
cadeira o 7 na 2a.
81 Joaquim Moreira de Barros Oliveira Lima, 10
na cadeira e 10 na 2'.
82 Alexandre Gomes Ferro de Argojo, 4 na
1' cadeira e 6 inclusive 2 sabbatinas na 2t
Tereeiro asno.
2 Jeronymo Lourenco de Araujo, 6 faifas na 1'
cadeira e 4 na 2a abonadas.
3 Manoel Jeronymo Goncnlves, 3 na 1' eadeira
4 Jos Augusto Barbosa Coelbo, 1 na 1* eadeira
e 1 na fr.
ra e 5 na 2a.
53 Antonio Alexandrino Ribeiro Lima, 10 na Ia
da Silva Coqueiro, 4 na l'
2 na Ia cadei-
cadeira e 7 na 2a.
54 Ignacio Vieira
cadeira e 3 na 2*.
55 Benjamn Soares de Azovcdo,
ra a 1 oa \
& nmnirm llfnti d Mello. S na Ia cadoira e b
nu \
67 Francisco de Moncorvo Lima c Silva, 1 na Ia
cadeira e 1 na 2a.
58 Francisco Fernaodes Moreira, 13 inclusive 1
sabbatina na 1 cadeira e 2 inclusive 1 sabbatina
na 2a.
59 Manoel Barreto Dantas, 4 na Ia cadeira e 7
na 2a.
61 Arcelino de Queiroz Lima, 8 inclusive 1 sab-
batina na cadeira e 6 inclusive 1 sabbatina
na 2a.
62 Joo Gualberto Pereira e Souza, 2 na 1" ca-
deira c 2 na 2a.
63 Joo de S e Albuquerque Jnior, 4 inclusi-
ve 1 sahbatina a Ia cadeira e 4 inclusive 1 sabba-
tina na 2a. P
64 Manoel de Araujo Ges, 6 na 1" cadeira e 5
Inclusive 1 sabbatina na 2a.
66 Manoel Joaquim Cardoso Babia, 1 na Ia ea-
deira e 2 na 2a.
70 Manoel Pedro de Rezende, 3 inclusive 1 sab-
batina na Ia cadeira e 3 inclusive 1 sabbatina
na 2a.
71 Henrique de Almeida Costa, 3 inclusive 1
sabbatina na Ia cadeira e 2 na 2a.
72 Miguel Joaquim Ribeiro de Carvalho Jnior,
4 na 1* cadeira c 11 inclusive 1 sabbatina na 2a.
73 Antonio Fausto Neves de Souza, 6 inclusive
1 sabbatina na Ia cadeira e 7 inclusive 1 sabbatina
na 2a.
74 Joo Gualberto Henriques Pereira, 5 inclusi-
ve 1 sabbatina na Ia cadeira e 7 inclusivo 1 sabba-
tina na 2a.
75 Joaquim Pacheco Mendes, 6 na Ia cadoira e
8 inclusive 1 sabbatina na 2*.
76 Jos Izidro da Silva Galro, 13 inclusive 2
sabbatinas na Ia cadeira e 12 inclusive 2 sabbati-
nas na 2a.
77 Joo Ferreira do Araujo Pinho, 5 na 1* ca-
deira e 5 inclusive 1 sabbatina na 2a.
78 Benjamn Aristides Ferreira Bandeira, 4 in-
clusive 1 sabbatina na 1" cadeira e 11 inclusive 2
sabbatinas na 2a.
79 Antonio Francisco de Souza Braga, 10 na Ia
cadeira e 11 inclusive 1 sabbatina na 2
80 Jos Pereira Maia, 3 inclusive 1 sabbatina na
Ia cadeira e 9 inclusive 2 sabbatinas na 2a.
81 Joaquim Moreira Pinto, 8 inclusivo 1 sabbati-
na na 1* cadeira e 6 na 2a.
82 Salustino Gomes da Silveira, 2 inclusive 1
sabbaiina na 2* cadeira.
83 Daro Cavalcanti do Reg e Albuquerque, 11
na Ia cadeira e 6 nelusive 1 sabbatina na 2*.
84 Antonio Marta do Mirando, 10 nelualua l
sabbatina na 1* cadeira c 10 inclusive 1 sabbatina
na 2.
85 Horacio Olindo do Espirito-Santo, 3 na Ia ca-
deira e 3 na 2a.
86 Firmino Lopes de Castro, 17 inclusive 2 sab-
batinas na Ia cadeira e 14 inclusive 2 sabbatinas
na 2a.
87 Antonio Eulalio Monteiro Jnior, 4 na 1* ca-
deira e 3 na 2a.
88 Antonio Ferreira de Souza Pitanga, 2 na Ia
cadeira e 10 inclusive 1 sabbatina na 2a.
89 Aureliano Ferreira de Carvalho Ventura, 1
na 2a cadeira.
90 Plinio Augusto Xavier de Lima, 20 inclusive
2 sabbatinas na Ia cadeira e 21 inclusive 1 sabba-
tina na 2a.
91 Fabio Cesino Deoclecio da Nobrega, 2 na 1*
cadeira e 5 na 2a.
92 Mauricio Francisco Ferreira da Silva, 4 na
Ia cadeira e 4 inclusive 1 sabbatina na fr.
93 Alexandre Correa do Crasto, 13 inclusive 1
sabbatina na Ia cadeira e 6 na 2a., .
95 Durval de Menezes Fraga, /14 inclusive 1
sabbatina na Ia cadeira e 13 rtelusive 1 sabbatina
na 2".
96 Pedro Chermont de Miranda, 2 inclusive 1
sabbatiua na Ia cadeira e 4 inclusive 1 sabbatina
na 2a.
97 Jos Felippe de Gusmo Ucha, 8 inclusive
1 sabbatina na Ia cadeiaa e 5 inclusive 1 sabbatina
na 2a.
98 Felippe Jos de Lima, 2 na Ia cadeira e 3in-
clusive 1 sabbatina na 2a.
99 Antonio Vicente Magno, 3 na Ia cadeira e 2
nal*.
100 Carlos Hyppolito de Santa Helena Magno, 10
na Ia cadeira e 7 na 2a.
101 Flix Jos da Serra, 3 na 2a cadeira.
102 Manoel Armindo Cordeiro Guaran, I na Ia
cadoira e o na 2a.
Antones Barroso Sacramento, 15 in-
clusive 3 sabbatinas na A' cadeira e 13 na 2*.
14 JosAutonk)Guimaraes Nello, I na 1* ca-
deira o 4 inclusive 1 sabbatina na 2a sendo esta
nao abonada do mez du junho.
15 Ernesto Rodrigues Vieira, 3 na Ia cadeira e
5,iiiclusive 1 sabbatiua na 2a sendo,aaU nao abo-
nada do mez de junbo.
*1 Pedro Franeisco Correa d3 Aratij, 3 na 1'
cadeira e 4 na fr.
17 Braz Florentino Henriques de Souza Jnior,
2 na Ia cadeira e 4 na 2*.
18 Goncalo Paes de Azevedo Faro, 1 inclusive
2 sabbaLoas oa Ia cadeira e 10 inclusive 2 sabba-
tinas na 2a,
,*& Sancho de Barros Pimentel, 7 na 1* cadeira
ePha 2a.
21 Raymundo Joao de Moraes Reg, 4 na 1* ca-
deira e 4 na 2a.
22 Vicente Pereira do Reg Jnior, 20 ua Ia ca-
deira e 17 na 2a.
23 Aureliano Antonio Ribeiro e Silva, 3 na Ia
cadeir o 1t jia 3".
24 Manoel Ptalro Cardoso Vieira, 1 na 1" ca-
deira.
25 Jos Dantas da Silveira, 3 na Ia cadeir* e
4 na 2a.
26 Clementino de Mosquita Barro Wanderley,
7 na 1' cadeira e 6 na 2a. *
27 Flix Ribeiro de Carvalho Jnior, 2 na Ia
cadeira e 2 na fr.
28 Fernando Affonso Ferreira, 3 na Ia cadeira
e 4 oa 2*.
29 Francisco da Silva Madureira Freir, 1 na Ia
cadeira e 9 inclusive 1 sabbatina na 2* sendo etta
nao abonada do uiez de junho.
30 Hortencio Sebastio Peregrino da Silva, 10 na
Ia cadeira e 10 na 2a.
32 Manoel de Barros Wanderley, 4 inclusive 1
sabbatiua na Ia cadeira e 4 inclusive 1 sabbatina
na 2a.
33 Liberato Villar Brrelo Couliuho, 4 na Ia ca-
deira e 4 na 2a.
34 Timotheo Epifanio Ferreira Lima, 9 inclusi-
ve 1 sabbatina na Ia cadeira a 11 inclusive 1
sabbatina na 2a. .
33 Pedro Emygdio da Silva Rios, 4 na Ia cadei-
ra sendo destas 1 nao abonada do mez de junho
e 6 inclusive 1 sabbatina na 2a cadeira sendo 2
destas nao abonada do mez de junho.'
37 Jos Ferreira da Costa, 1 na 2 cadeira.
38 Ignacio do Reg Toscano de Brito Jnior, 10
na 1* cadeira sendo 1 destas nao anonada no mez
de junho, e 8 na 2a.
39 Jos Osorio de Cerqueira, 1 na 2a cadeira.
40 Horacio da Silva Rabello e Castro, 10 inclu-
ye 1 sabbatina na Ia cadeira e 9 inclusive 1 sab-
batina naJL*.
41 Marlnho de Freitas Vieira de Mello, 3 na Ia
cadeira e 7 na 2a.
42 Affonso Jos de Mendonca Uchoa, 1 sabbati-
na na 1" cadeira.
43 Jos Ferreira de Novaes, 2 na Ia cadeira o
2 a 2a.
46 Sydronio Lydio de Oliveira Magalhes, 1 na
Ia cadeira e 1 na 2a.
47 Cassiano Bernardino dos Reis e Silva, 7 na
1 cadeira e 8 inclusive 1 sabbatina na 2a sendo
esta e 2 das faltos nio abonada no mez de junho.
48 Joo Lins de Albuquerque, 4 na 2a cadeira.
49 Jos lldelfonso Cysneiro, 2 ua Ia cadeira e 3
inclusive 1 sabbatina na 2a sendo esto nao abo-
nada no mez de junho.
50 Joaquim Francisco Vieira de Mello, 10 na r
cadeira sendo 1 destas nao abDnada no mez deju-
uho, e 9 na 2a. '
51 Herculano Francisco Bandeira de Mello, 9 na
Ia cadeira, sendo 1 destas nao abonada do mez de
iunho, e 9 ineluivo 1 sabbatina na 2*.
52 Aristides Penalvade Faria, 1 na Ia deira e
1 na 2a.
.'i: Ceciliano Mamede Alves Ferreira, 3 inclusi-
ves 1 sabbatina na Ia cadeira e 4 inclusive 1
sabbatina na 2a.
5i Jos Leopoldino'de Queiroz, 3 na Ia cadeira
e 2 na 2*.
55 Aquilino Gomes Porlo, 2 na Ia cadeira e 2
na 2a.
56 Francisco da Cuuha Castellu Branco, 3 na !
cadeira c 4 na 2a.
37 Mizael da Silveira Amaral, 9 na Ia cadeira
sendo 2 destas nao abonadas do mez d junho, e
8 na 2a.
58 Aristharco Cavalcanti de Albuquerque, 3 na
Ia cadeira e 7 na 2'.
59 Alfonso Arthur Pereira Monteiro, 16 inclusi-
ve 2 sabbatinas na Ia cadoira e 17 inclusive 2
sabbatinas na 2a.
60 Jos Marcellino de Souza, 14 inclusive 2 sab-
batinas na Ia cadeira e 18 inclusive 2 sabbatinas
na 2a.
61 Miguel Ferreira Dias dos Santos Jnior, 1
na Ia cadeira.
6 Lourenco Bozerra Vieira de Mello, 7 na Ia
cadeira c 6 na 2a.
63 Francisco Antonio Vieira Caldas, 2 sabbati-
nas na Ia cadeira e 1 falta na fr.
64 Cesar Quirlno da Silva. 19 inclusive 2 sab-
batinas na Ia cadeira e 22 inclusive 2 sabbatinas
na 2\
65 Antonio Cnlho Machado da Fonceca, 5 na Ia
cadeira e 5 na 2a.
66 Jos Felippe de Toledo, 8 na Ia cadeira sen-
do 1 destas nao abonada do mez de junho, e 3
na 2a. t
67 Antonio Ramiro da Silva, 17 inclusive 2 sab-
batinas na Ia cadeira e 17 inclusive 2 sabbatinas
na 2a- t
68 Hannibal Frederico Fernandes da Cunha Ro-
cha, 3 na Ia cadeira e 6 na 2a.
69 Joo Baptista Cuimarcs, 13 inclusive 2 sab-
batinas na 1* cadeira e 16 inclusive 2 sabbatinas
na 2a.
70 Jos Flix Sampaio, 8 inclusive 1 sabbatina
na 1" cadeira sendo I falta destas nao abonada do
mez de junho, v.9 inclusive 1 sabbatina na 2a.
71 Antonio Trisco de Serpa Brando Jnior, 15
na 1* cadeira e 19 inclusive 1 sabbatina na 2".
72 Pedro da Cunha Beltrao do Araujo Pereira,
23 na 1* cadeira e 27 inclusive 1 sabbatina na 2a.
73 Jacome Martins BaggiMe Araujo, 6 na 1* ca-
deira e 6 na 2a.
74 Arthur de Carvall Moreira, 15 na 1* ca-
75 JoaquimAurelio Barreto Nauco ae Araujo,
28 inclusive abbatinas ua Ia cadeira e 29 in-
clusive 4 sabbatina na 2a.
76 Benedicto Onofre de Albuquerque Henriques,
10 inclusive 1 sabbatina na Ia cadeira e 10 inclu-
sive 1 sabbatina na 2a.
77 Lvcurgo de Albuquerque Nascimento, 5 na
Ia cadeira e 3 na 2a.
78 Paulo Leito Loureiro de Albuquerque, o na
Ia cadeira e 4 na 2a.
79 Jos Luiz Peixoto de Vasconcellos, 6 na Ia
cadeira e" 10 na 2a sendo 1 destas nao abonada no
mez de junho.
80 Jos Vicente Meira de Vasconcellos, 7 na Ia
cadeira e 5 na 2a.
81 Manoel Francisco Honorato Jnior, 5 na Ia
cadeira e 4 na 2a.
82 Ulysses Machado Pereira Vianna, 10 inclusi
ve 2 sabbatinas na Ia eadeira sendo i faltas nao
abonadas do mez de junho e 6 na 2*.
83 Marciano Goncalves da Rocha, 13 inclusive
1 sabbatina na Ia cadeira e 17 inclusive 2 sabba-
tinas na 2a.
84 Francisco Alves da Nobrega, 9 na Ia cadeira
e 6 na 2a.
85 Luiz do Souza Monteiro de Barros, 31 inclu-
sive 1 sabbatina na Ia Cadeira e 29 na 2*.
86 Jos Joaquim Itabaiana de Oliveira, 14 inclu-
sive 1 sabbatina na Ia cadeira e 16 inclusive 1
sabbatina na 2a.
87 Satyro Raymundo dos Santos, 2 na Ia ca-
deira e 2 na 2a.
88 Sebastio do Reg Barros, 6 na 1' cadeira e
8 na 2a.
89 Bazilisso da Silva Caldas, 5 na Ia eadeira e
10 na fr.
90 Arconcio Pereira da Silva, 4 inclusive 1 sab-
batina na Ia cadeira e 4 inclusivo 1 sabbatina
na 2a.
91 Henrique Kopke Jnior, 9 inclusive 1 sab-
io 1 sabbaiina
na fr.
" 92 J,
hatiita
a fr.
03. Qojnliao Rwwnw 4 *W. ti na- i' cadeira
sendo le junho e 15
mea de junho.
Arruda, 9 na
se, 3 na ea-
Rraislre, 12 na
do mez de ju-
jiiadasdo D
|ue, 3 nal' ca-
ra, 24 in-
clusive 1 sabbatina oa Ia cadeira e 20 m fr.
9a Francisco Prmenio de Araujo Cit, 8 na !
cadeira.
100 Francisco Antonio de Oliveira Sobrinho, 11
na Ia eadeira sendo 1 tiestas nao abonadas em ju-
nho e 13 na fr sendo i desta* nao abanada o
mez de junho.
Quinto anno.
1 Alexandre de Souza Pereira do Carmo Jnior,
1 falta na Ia cadeira e 1 na 3* abonadas.
2 Jo< Antonio de Almeida Cunha, 7 na t* ea-
deira, 2 na 2' e 7 1/4 na 3a. *
4 Candido Valeriano da Silva Freir, 2 na 1*
eadeira, 1 na 2a c 2 na 3a.
5 Carolino de Lima Santo, 3 na Ia eadeira e- 3
6 Cometi Ferreira Franca, 22 na t eadeira,
l na.fr e 12 1/4 na M
7 Ampiulophio liotlho Freir .de Carvalho, 10
na Ia cadeira, 'k na 2" e 13 na 3a.
8 Jnlo Ferreira de Almeida GnhnarSc*, 21 na
Ia cadeira, 10 na 2a e 20 1,4 na 3a.
9 Candido Jos de Moura Jnior, 4 ra ca-
deira, 2 na 2a e 5 na 3a.
10 Carlos Augusto Vaz de Oliveira, 9 M 1* ca-
deira, 7 na 2a e 11 na 3a.
..11 Jos Goncalves da Rocha, 6 na Ia cadeira, 5
12 Luiz Monteiro da Amorim Lima, 1 na 1* ca-
deira, 2 na 2a e 2 na 3a.
13 Padre Estanislao Ferreira de Carvalho, 3 na
Ia cadeira, I na 2" e 3 na 3a.
14 Antonio Jos Rodrigues dos Colias, i na 1'
cade ra e 2 na 3a.
15 Joaquim Francisco Paes Brrelo, 11 na Ia
cadeira, 5 na 2" e 14 aa 3\
16 Joo Antonio Alves Jnior, 6 na Ia eadeira,
3 na 2a e 6 na 3*.
17 Jos Ildefonso de Souza Ramos Sobriiibo, 5
na Ia cadeira, 1 na 2a e 5 na 3a.
19 Joaquim Francisco de Barros Baireio, 18 na
Ia cadeira, 14.na 2" e 21 na 3a.
20 Joo Baptista Rigueira Costa, 8 na fr cadei-
ra, 5 na 2* e 5 na 3a.
21 Antonio Silvio Ferreira de Carvalho, 17 na
Ia cadoira, 16 na 2a e 16 na 3a.
22 Manoel Gomes Viegas Jnior, 8 na Ia ca-
deira, 5 na 21 e 9 na 3a.
23 Manoel Messias de Gusmo Lyra, 10 na 1
cadeira, 5 na fr e 9 na 3a.
24 Angelo Pires Ramos, 7 na 1" cadeira, 3 na
2a e 8 na 3a.
25 Francisco Gomes Pinlo de Campos, 13 na
Ia cadeira, 6 na 2a c 17 na :'.
26 Manoel Francisco de Barros Reg, 5 na 1*
cadeira, 5 na 2' e 3 na 3a.
27 Jos Ayres do Nascimento, 7 na Ia cadeira,
1 na 2a e 9 na 3a.
28 Francisco Santiago Accioli Lins, 10 naj'
cadeira, 12 na 2a e 9 na 3".
29 Miguel Lucio do Albuquerque Mello Filho,
13 na Ia cadeira e 6 na 2a.
30 Ravmundo Joaquim Ewerton Maia, na 1
cadeira, 2 na 2a e 4- na 3*.
31 AITonso Barbosa da Cunha Moreira, 4 na 1*
cadeira, 4 na 2' e 4 na 3a.
32 Napoleo Silverio da Sil\, 6 na Ia cadeira,
4 na 2a e 4 na 3a.
33 Joaquim Correa de Oliveira Andrade, 16 na
Ia cadeira, 10 na 2a e 13 na 3a.
34 Cincinato Alves Cavalcante Caroboim, 5 na
Ia eaaeira, 4 na 2a e 5 na 3a.
35 Manoel Juvenal Rodrigues da Silva, 7 na Ia
cadeira, 2 na 2a e 7 na 3a.
36 Bellarmino Pereira de Oliveira, 10 na 1* ca-
deira, 7 na 2a e 10 na 3a.
37 Ernesto Alvim da Silva, 20 na l1 cadeira,
15 na 2a e 13 na 3a.
38 Rozendo Mauricio I.obo, 8 na Ia cadeira, 5
na 2a c 7 na 3a.
39 Gervasio Rodrigues Dantas, 5 na Ia cadeira,
3 na 2a e 6 na 3".
40 Manoel Godofredo de Alencaslro Autran, 13
na 1" cadeira, 8 na 2a e 14 na 3a.
41 Cnslodio Manoel da Silva Gnimares Jnior,
11 na Ia cadeira. 2 na 2a e 10 na 3a.
42 Adelo Jo dos Santos, 20 na Ia cadeira,
2 na 2a o 14 na 3".
43 Alexandre Jos da Costa Valente, li na Ia
cadeira, 1 na fr e 7 na 3J.
44 Ignacio Accioli de Vasconcellos, C na Ia ca-
deira, 3 na 2a e 6 na 3'.
45 Tobas Barreto de Menezes, 29 na 1" cadei-
ra, 22 na fr e .-!i na 3a..
46 Jos Eustaquio de Oliveira e Silva, 5 na l*
*v J
\
cadeira, 5 na 2a c 5 na 3
1 na
47 Francisco Augusto da Fonseca c Silva,
Ia cadeira, 4 na 2a e 1 na 3a.
48 Samuel Goncalves Avres, 10 na Ia cadeira'
13 na 2a e 13 na 3a.
49 Fructuoso Lins Cavalcante de Albuquerque
12 na Ia cadeira, 2 na 2" e 15 na 3\
50 Vicente Alves Rodrigues de Albuquerque, 7
na Ia cadeira, 2 na 2a e 9 1/4 na 3a.
ol Trislo de Alentar Araripe Jnior, 20 na 1"
cadeira, 6 na 2a e 14 na 3a.
52 Manoel Ambrosio da Silveira Torres Portu-
gal, 8 na 1 cadeira, 4 na 2a e 6 na :.'
53 Carlos Alberto Quadros, 16 na Ia cadeira, 5
na fr o 11 na 3a.
54 Severino Ribeiro Carneiro Monteiro, 23 na
Ia cadeira, 8 na 2a e 20 na 3a.
55 Jos dtCarvalho Cezar, 12 na Ia ead*ra, i
na 2a e 10 na 3a.
56 Antonio Joaquim de Senna Jnior, 17 na 1*
cadeira, 7 na 2" e 9 1/4 oa 3a.
57 Francisco da Cunha Machado Retino, 11 na
Ia cadeira, 4 na 2' e 12 na 13.
58 Joao Augusto do Reg Barros, 6 na Ia ca-
deira, 6 na 2a e 9 na 3'.
59 Miguel Archanjo Pereira do Reg, 15 na 1*
cadeira, 7 na 2a e 3/4 na 3a.
60 Jos Theodoro S Barreto Villas-Boas, 3 na
Ia cadeira e 3 na 3a.
61 Jos Leandro Martins Soares, 4 na i* cadei-
ra, 3 na 2a e 4 na 3\
62 Herculano Maynarle Franco, 7 na Ia cad> i-
ra, 6 na 2a e 7 na 3a.
63 Joaquim Smoes Daltro e Castro, 7 na l'-
Cadeira, 6 na 2a e 9 na 3a.
O Luiz Henrique Pereira de Campos, 16 na 1*
cadara, 3 na 2a o 6 na 3a.
63 Sebastin Pinto do Reg Sobrinho, 5 na Ia
cadeira, 5 na 2a e 9 na 3a.
66 Francisco Pires de Carvalho e Aragao J-
nior, 6 na Ia cadeira, 2 na 2a e 7 ua 'i\
67 Benigno Danlas de Britto, 7 na Ia cadeira, 4
6? Jos y Ellas Wmw miwun o, na < ca-
deira, 11 ita 2a e 19 na 3".
09 Bcujakiiin Alves de Carvalho, 6 na Ia ca-
deira, I na 2a e 5 na 3a.
70 Bernardo da Gama de Souza Franco, 21 na
Ia cadeira, 16 na 2a e 27 na 3a.
71 Luiz Vieira de Rezende e Silva, 19 na 1
cadeira, 18 na 2" e 24 na 3a.
72 Luiz Vianna, 13 na Ia cadeira, 2 na fr e 13
na 3*.
73 Domingos Antonio Rodrigues Guimares, 14
na 1* cadeira, 7 na 2a e 17 na 3a.
74 Manoel Thomaz de Barros Campello, 4 na
Ia cadeira, 3 na 2a e 3 1/2 na 3a.
75 Francisco Jos de Oliveira Tosta, 18 na 1*
cadeira, 6 na 2a e 19 1/4 na 3a.
70 Jo3o de Almeida Lopes, 2 na Ia cadeira 1
na 2a e 2 na 3*.
77 Salvador Borges do Birros, 5 na Ia eadein,
2 na 2a e 3 na 3a.
78 Manoel Jos de Oliveira Miranda, 8 na 1-
cadeira, 8 na 2a e 12 na 3a.
79 Jos Rodr?ues Alves Barbosa Jnior, 14 na
Ia cadeira, 7 na 2a e 20 1/4 ra
80 Sebastio Cordeiro Colho Cintra, 9 na i*
cadeira. 7*a 2a e 10 na 3*.
81 Luiz Vicente Borges Uchoa, 1 na J cadeira.
82 Feliciano Aniceto de Albuquerque Henri-
ques, 1 na Ia cadeira, 2 na 2a e 4 na 3*.
83 Pupulo Liberato Bandeira de Mello, 7 na 1"
cadeira, 3 na 2* e 11 na 3a.
84 Luiz Caet.ino Pereira Guimares Jnior, 29
na cadeira, 26 na fr e 33 na
85 Candido Jos Lisboa, 9 na 1' eadeira, 10 nn
2* e 12 1/4 na Jkfl
86 Manoel JjftaJWm Cavalcante de Albuquer-
que, 29 ^taVtra, 20 na 2a e 31 na 3a
88 JndpolMkne Alves Cavalcante, 16 na 1*-
eadeiraj^MP 17 na 3*.
I
IBVH


M de PCTam^ff| T*" fi" I ^ \^o^e0\m
r"ll'S??- i :0 r,C Jf>rias- ?nb I" ^ ^n^a c,,p'
wr^inaVlu!.! M"lMlttB il*m*nta, scm que
J
1 Ins J.irintho Aftoniu
1* e ."i Til 3*.
91 Julio AiJolpho Itiba?, 46
a*e 18 n 3.
95 Paul ir Amorirn Salgado
c, de.ira, 2 na 2* g ti na
.ift"Valfridn.- cMIfra; 1Tf!.i PfnS :f.
07 Antonio J .se de Souza Ficitas, 50 na i" c*
deira, (I na 2* o 1 aa 3*.
98 Alfredo T'ixeira Monde?, l' na 1' cadeira,
X na 2- c li na 3\ | Tfl
99 Antonio l'ereira Ji Silveira Castelln-Branco,
II na 1" cadeira, 7 na 2* e 14 e l'i na .
1(10 l,uiz |i.,.u:e da Silva, 13 aa 1' cadeira, 8
i V 13 ua
101 .oopoW i O'znr do Berrido, 18 na 1 ca-
deire, 12 ni 2' o 18 na :) .
^Secretaria da Facoldade de Dlreito do Recife, fi
Jo agosto de 1W>*.
O secretario
Jos Honorio Bezerra ilt Menezes
O Dr. Jos Ricardo Guies de Carvalho, juiz mu-
nicipal e do cominen-io do termo de S.mlo An-
tto, por S. M Imperial o Sr. I). Pedro U, a quem
Deus giarde, etc.
Faro saber aos 11ti omu prazo -iitflilonos dest juizo ha de tnizer publico pro-
gao de venda o arrematara.) a qnem mais dr, e
maior lauco ofterecer, ein o da l di eorrente as
'J horas da manhaa. a porta da rasa das audien-
cias deste juizo, o* bens ali.-u'xo declarado.*, penlui-
rados a viuva o lillios do Uado Jos Cavalcrati de
AHiuquerque S;i para pagameiilo Ja eseeueao *ws mwt o tenente-cronel Alejandrino Martin?
Correa de Harr. ; eojO bens sao os seguinles es-
_ outra os effei-
los fiesta venda.
lt & C. Huma caixa n. 1 com amostra*
deraanlefc^ tinda de Southamptou nava*1
porf \T^%fymida, estrado oeste porto em
27 e alApgbro.de 1868, consignada a
Keller A C.
I! I.^Vmte d|tas ns. 1 i *) cora cognac
viudas re Bordeaux no vapor francez Ex-
trmaditri om l e ikztubro do mesmo
anno, ccnr*%nndas orrfsm^ ,c
Dito.Huma dila n. I com tecidos de
pharrtazia, idem no vapor francez Nao^rre,
era 13 de Janeiro do eorrente anno, idem.
L 0.Huma dila, idem dcm.
N .\.~Duas ditas ns. 200 e 201, com
madeira em obras, vindas de Liverpool no
brigue Hglez h'lmnor, em 5 idem, a Nico-
demos Nutias.
J. WWI A C. Peruano cnsul do Para.
Huma dita sera n. com fazendas viuda de
Sotilbampton no vapor inglez L Plata, em
2G idem, ordi'm.
Alfandega de P.;rnam!)nco 5 de agosto de
1869. ,
O inspector interino,
L. C. Paes dr Audrade.
1
rn. ir., as.il
Pela secretaria da cmara municipal
desta cidade se fiz publico que nao tendo
sido arrematados nesta dala, como estavam
annunciados, o imposto de 500 rs. por'ca-
beca de gado morto para consumo as
n-eguezas rora da mesma ridade, ti nem a
obra da ponte que conduz ao cemiteriopa-
. PEiny
Companhia americana
ra de paquetes a vapor.
(At o dia 15 do eorrente esperado de New-
York por S. Tliomai e Para o vapor americano
Merrimack. o qnal dopois da demora do eostume
seguir para os porto do sol, para frotes e pas-
sagens trata-so eom os agentes Henry Forster &
C, ra do Trapiche n. 8.
GOMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Navegando costea par vapor.
Macei, escatas Penedo e Aracaj.
"S" W O vapor Giqui, commandaate Aze-
srflAk. ved. seguir para os portos cima no
HIb dia 14 do eorrente aso horas da tar-
de. Recebe carga at o dia 13, eneommeidas,
passagens e dinheiro a frete at as 2 hora* da
tarde do da da sabida ; no esoriptorio do Porte
do Mattos n. l.

XTINtIVEL.
R, E 5ANUO.
ssim coma
e muitas
uliliadi's,
COMPANHIA PEKXAMBUCANA
DE
Navegando costara por vapor
Fernando de Noronha.
O vapor Corwipe, commandante Pedro, seguir
para o porto cima m dia l do eorrente ao meio
dia. Iteeelie carga at o dia 11, encommendas,
passageiros e dinliein a frete at as 10 horas do
dia da sahida : BM-ripUirio no Forte do Malos nu-
mero 12.
.ravos : Antonio, erioulo, preto.com 30 amros dejWico, continuaro em praca no dia H do
idade, pouco mais ou menos, avallado por 1:300;
Agostinho, pardo, com 30 anuos de idade, pouco
mais ou menos, avallado por 1:.>00 ; I '.ao, crion-
lo, com 10 anuos de idade, poBco mais ou menos,
avahado por 1:OQ# ; tinilhuruic, nulo, com 50
annos de idade, ponco mais ou inenos. eom vmp-
tomas de rheuniatismo, avahado por 1:2004; Se-
verino, pardo, com 70 anuos de idade. poueo mais
ou menos, aeluoado, avahado por SU; Josepha,
erioula, eom 27 anuos de idade, poueo mais on me-
nos, avahada por l:iW* mocencia, lillia dosia,
cabra, com l annos de idade, pouco mais ou me-
nos, avahada por !)00 ; Josepha, erioula, com 9
annos de idade, pouco mais ou menos, avahada
fior 700J ; Alejandrina, cabra, com 3 anuos de
idade, poueo mais ou menos, avahada por 9003 ;
Francisea, filha desta, erioula, com 7 annos de
idade, poueo mais ou menos, avahada por 600.4 ;
Rutina, filha da mesma, erioula, com 6 annos de
. idade, pouco mais ou menos, avahada por 4503 ;
c Cusma, hlha da mesma, parda, eom 3 annos de
idade, pouco mais ou menos, avahada por 330S.
tiendo que o escravo Automo casado, e tem de ir
praft Mtn a inulher.
E quem nos mesinos quizer laiii;ar compareca
nesle juizo em o da aeima declarado.
E para constar s pjasM o pmwn emais dou
de Kiial theor, (|ue o poi teiro dos audit blicar a allixar nos lugares do estylo, lavrando
a competente certido, que sera jauta aos autos.
Dada c passado nesta cidade da Victoria, aos 6
das do mez do agosto de 186'..
Eu Belarmino dos SiMos Bnho, escrivao
siiscrevi.
___________Jone Ricardo Gomrs He Curcalko.
Faculdade de DireitoT
De ordem do Exm. Sr. director interino o con-
s.-lheiro Dr. Pedro Autran da Ma'ta o Albuquer-
que fa^.o publico que lica marcad) o prazo de seis
metes .Contados da data deste, para a inscripeo
dos que pretenderen) concorrer ao lugar de lento
substituto da Faculdade de Direito do liecife, vago
iejo accesso do substituto Dr. Joao CapislranoBan-
leira de Mello Filho, a cadeira de, i|tie era pi\>-
prieta rio o fallecido Dr. Jeronvmo Vilella de Castro
Ta vares
Pela que todos os pretendente ao dilo lugar se
podaran apresentar do-de j nt secretaria'desta
l-'acoidado para inscrever seos nomos no livro com-
[letcnte: o que Ihes permittido i.uer por pro-
curador 'estiverein a mais de vinto legoas desta
cidade, mi ver.-m justo injoedimonio.
S^p, porm, obligados A'apresentar documentos
luemostreui sua qnalidade de eidalao brasileiro,
e de que esto no goso de seus direitos eivis e po-
liticos, cerlidio de baptismo, folha corrida de lu-
gtf de seus domicilios e diploma de doutor por
urna das Faculdades de Direito do imperio, ou
publica forma, justiiicando a impossibilidade da
aprofontaco do original, e na mesnu oecasio
poderao entregar quaesquer documentos que jul-
garem convenientes, ou como titulo de habilitacao,
ou como provas de servicos prestados ao Estado, a
fcumamdade ou a sciencia, dos quaes se Ihes pas-
sara recibo: ludo de conformidade com os arfa.
:ifi e 37 do decreto n t,28 Ule seguintes de u. 1.368 do 2i de fevereir
de 1853. ,
E para que chegue ao conhecimento de todos
tuandou o mesmo Exm. Sr. director uterino, afi-
jar o presenta, que sor publicado as folhas
desta ci lado e as da corte.
Secretaria] da Faculdade de Direito do Recife, 2
de julho de 180'J.
O secretario,
Jos Honorio U. d.: ileuezes.
Peranie a cmara municipal desta ci-
dade, estar em pratja em os das II, 14 e
18 do crente, para ser arrematada por
quem menor prefo olTerecer, a obra dos
concertos de que necessita a ponte do Luca
sita a estrada do mesmo nome, oreada na
quantia de 880)5000 ; aqiuNes que prelen-
lerem arrematar, habilitem-so na forma
da lei, e comparecam nopaco municipal em-
os das mencionados.
O orr.imentoda dita obra, acba-se na se-
cretaria da mesma cmara, onde ser apre-
sentado as pessoas que o quiserem exa-
miuar.
-Paco da cmara munic pal do Recife, 4
de agosto de 1869.
Ignacio Joaquim da Souza Leo.
Pro-presidente,
Francisco Canuto da Boa-Viagetn.
Secretario.
corralo, aquelle imposto o a dita obra.
Secretaria da cmara municipal do Re-
lil'e, 4 de agosto de 1869.
O secretario,
Francisco Canuto-da BaViagcm.
A cmara municipal desta cidade,
contrata com quem por menos li/.er a re-
mocho de lodo o entulho e lixo existente
nos caes que circulara, as freguezias da
mesma cidade, depositando o mesmo entu-
lho e lixo na praca ao sul da casa de de-
tenv/o ; aquelles que pretenderem contra-
tar, apresenlem suas proposlas em carta
lechada, em o'dia 11 do eorrente, as
quaes designarlo o prego por que se encar-
regam daquellc servico.
Pago da cmara municipal do Recife 4
de agosto de 1809.
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Pro-presidente,
Francisco Canuto da la-Viagem,
Secreta rio
DECLARACOES.
COMPAMHIA
DAS
Messageries imperiales.
At o dia 14 do eorrente mez espera-se da Eu-
ropa o vapor francez Guienne, o qnal depnis da
demora do cosame seguir pira Babia e Rio de
Janeiro.
Para condi.ceoes, fretes e passagens trata-se na
agencia ra do Commercio n. S).
PARA O PORTO.
Segu com a psssivel brevidade o brigue por-
tuguez nitio que ja conta grande parte da carga
engajada : quem no mesmo quizer carregar on ir
de passagem trate com os consignatarios Thomaz
de Aquino Fonseca 4 <:., ra do Vigario n. 19,
primeiro andar. a ,
De O barrls com uaanleiga pa-
, QMMi Panana aadera stMtsdtaMlO bar*
nSia'2 manteifa ei" "" oumais lotes, torea-fei-
Da
I
iberna n. |9 ra do Hortas e.gene-
>s nella efstentes, do fallido Laurtano
facheco drJCoto, por mandado dolttnr
Ir.Dr. juido commerpo a eeajoerwiwi-
do depoBario1& nftisa. w
tornear,
aVpcol
wdrve
hs etc., etc.
iintual conipeientemejc ant irisada
araleilao de todas as machinas e nms perlencei
lia serrara a vapor no lugar do Mondego n. 00,
conforme a descripcap dos ohiectosea poder d
mesui.leilcro7bem")in*'das jn*diinfc- api
Birelliadis outrtt^por Apprepan fegJUHeiitas
tf. ^bVa MarimiiiaaMo 1*tm niNinis-
mo estar este em movimunto nos das II do cor
reate das a herasa* & e o dia if at lindar o
lellao qne devera ter fugar. .
Quintajfeira 12 do correine.
Na _mema sen-aria a vapor H hora*, onda
poderao os pretendemos ver o Irabalbo das ma-
chinase examinar os objectos indicados para o
leijao, garantindose ao mpradnr o armlllPn-
to do predio por 5 anuos, com as feondiedes d
cojatrald O ilo eorrente ao meto dia.
agente Bernardinu Guinurais, competente-
meote autorisado ven \< dierna, cuja ava-
liaoaopode ser examnala antes da hora indicada
na mesma taberna, ande lera lugar o leiSo.
Da 30 gigos com cervejaN franreza, .16 de-
cimos de vinho verde, 5 quintos de dito
ferez, 10 caixas de dito do Porto.
IHME
ao meio dia.
Por jntervenrao do agente Pinto c por occasiao
do leilo de movis no armazom da ra do Ihiir:-
57. '
M1L4I
ra|or n.
IjaHlliAO
Datura cabrielot dn 4 rodas americano, 1
baixa com arreios de casquinba de supe-
rior qualidade e 5 paves novos e bo-
litos.
HOJE.
a 1 hora da tarde.
Por nterveneao do agente Pinto, em frente ao
Rio Grande do Sul
Para o porto icraa segu com brevidade o pa-
tacho nacional Principe, recebe alguma carga a
frete, e trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo A C. ra da Cruz n. 57.
. O inspector interino da alfandega faz
publico, que existindo no armazem n. 11
03j[ptuines abaixo declarados, no caso de
serem arrematados para consumo nos ter-
mos do capitulo 6o titulo :i" do regulamento
de 19 de setembro de 1MG0, os seus donos
ou consignatarios dever ao despacba-los no
6001000
1704000
i8ieoo
178000
Pela contadoria da cmara municipal desta
cidade se convida a todas as pessoas que se acham
a dever imposto de porta abena, virem satisfa-
ze- lo at o ultimo de setembro, Ando o qual, en-
correrao as penas da le.
Contadoria da cmara municipal 7 de agosto de
1869.
O contador,
Emilio Americano do Reg Cazumh.
Santa Casa da Misericordia do
Reelfe.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico quena
sala de suasjjsessoes, no dia 12 de agosto, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
i tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECtttEXTOS DE CARIDADE.
- "Hua do Encantamento. .
Sobrado de dous andares n. 3. .
Ra do Padre Florlano.
Casa terrea n. 47 >-
dem n. 49 ...... .
Ra das Cacadas.
Casa terrea n. 36......
Ra do Calabouco.
Casa terrea n. 20...... 2424000
Rita da Mocda.
Primeiro andar do sobrado n. 37. 764000
Segundo andar dito...... 96000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do Amorim.
Sobrado de dous andares n. 21, dem 6004000
Pateo do Paraizo.
Loja da frente do sobrado n. 29 1014000
Ra da Guia.
Casa terrea n. 29...... 1924000
Ra ida Guia.
Casa terrea n. 27 lii^ooo
Roa da Cacimba.
dem dem n. 12...... 1464000
Ra do Vigario.
I." andar do sobrado n. 27. 2404000
Madre de Deus.
Sobrado de um andar n. 9. 3604000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................ 1464000
J81" 9,8........................ 2034000
den' n- 96....................... 2024000
dem n. 94.. ..................... 2034000
Mtto n. 5 no torno da Cal........... 1504000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematado as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 3! de julho de 1869.
O escrivao,
'- ______ Pedro Rodrigues de Souza
COMPANHIA PERNAMBUCANA
wt
Xavcgaco costeira por vapor.
Mamanguape.
O vapor Mondah, comman-
dante Penna, seguir para o por-
to cima no dia 12 do eorrente
as 6 horas da tarde. Recebe car-
. ga, encommendas, passageiros e
dinheiro a frete at as 3 horas da tarde do dia
da sabida : escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
DE
.VavegacSo eosteira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapama, commandanti
Torres, seguir para os portos
_ cima no'dia 14 do correte as 5 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 13, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da urde do dia da sahida no escriptork
do Forte do Mallo* 12.
WL
>'ao lendo sido realisado o contrato do for-
necimenlo de 400 fardamentos de panno azul para
uso deste eorpo (bonet, farda e calca), novamente
se convida as pessoas que se quizerem propr ao
dito fornecimento, apresentarem nesta secretaria
suas propostas at o dia 14 do eorrente.
O secretario,
Jos Geraldo de Lima.
AVISOS MARTIMOS.
Para o Porto
pretende sabir com apossivel brevidade o patacho
poriuguez Liberal, tem parteda carga engajada, e
para o resto que Ihe falta, rOTe Iratar-se com Da-
vid Ferrera Hallar, ra do Brura n. 92, ou com
o eapito do referido navio.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.Varegaco costeira por vapor.
Macei em direitura e Penedo.
O vapor Jaguar be, commandante Moura, segui-
r para os portos cima no dia 9 do eorrente
as 5 horas da tarde. Recebe carga at o dia 7
as 3 horas, encommendas, passageiros e dinheiro
a frete at as 2 h-iras da tard-' do dia da sahida :
no escriptorio do Forte do Mallos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
XavegacSo costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
0 vapor Parahyba, commandante
Mello, seguir para os portos cima no
_ dia 10 do eorrente a meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, n i escriptorio do Forte do Mattos
n.12.
rniazem da ra do Imperador n. o7, onde havera
anteriormente leilo oe movis.
IBIIAO
Da movis, lojK-a. vidros e obras
de praa.
A SAItKlt :
m piano, hamburgus e farte, 1 mobilia de
jaearanda, 1 jardineira, 1 rico espelho dourado e
grande, 1 candelabro e 2 serpentinas de ervstal,
casticaes e mangas, quadeos, 1 relogioamericano,
1 tapeto do sof, 1 cama franceza de Jacaranda,
1 loilet, 1 gnarda vestido, 1 guarda roupa, 1 com-
moda, 2 cabides, 2 cadeiras de viagein, 1 cama
de ferro, 1 dita para menino, 2 ellagers, 1 mesa
elstica, 2 apparadores, 1 guarda louca, 1 excel-
leilte caixa decostura, 1 sof, 2 consolos e 12 ca-
deiras de amarello, copos, clices, garrafas e
conipotelras.
Urna mobilia de amarello, 1 piano francez, 1
cadeira com correias (palanquimj, 1 bacatela (jo-
go) 1 enrteira, 1 estante, 1 oeulo, 1 mesa redonda
de Jacaranda, 1 cerna de faia para 2 pessoas, i
cadeiras de balanco, 1 deposito grande para agua,
1 quartinheira, 1 espingarda de 2 canos, 1 revol-
ver de 6 tiros.
Urna excellenie e magnifica estante de ferro pa-
ra msica com i faces e preparada a capricho na
fabrica Fennix de Lisboa.
HOJE.
Na ra do Imperador armazem n. 57.
O agente Pinto enrarregado por urna familia
Tudou do residearia, fan ll-ilo dos movis
e mais objectos cima descriptos existentes no
armazem da ra do Imperador n. 57, onde po-
deria ser examinados ditos objectos na vespera e
dia do leilo.
Principiar as 10 horas em ponto cm virtudede
seren muitos os lotes.
Para
Seguir brevemente o veleiro patacho poriuguez
Boa F. capitao Domingos Martins: recebe algu-
ma carga a frete razoavel, para o que se trata
com o seu consignatario Joaquim Gerardo de Ras
os, ra do Vigario n. 16, Ia andar.
Para S. Hlgnel e Tercelra
O patacho portuguez Mara, esperado de Lisboa,
sahir para as duas ilhas cima, poucos das de-
pnis de sua chegada a esta, desde j se engaja
carga e passageiros : trata-se com E. R. Rabello,
ra do Commercio n. 44.
LEILOES.
LEILO
De 20 barricas com cerveja al sap, 2 cai-
xas com frascos com passas e figos, 16
frascos com amendoas, 4 queijo* suissos,
20 frascos de can i, 3 barris presuntos,
37 latas de biscoutos.
HOdiE.
O agent Pestaa vender por couta e risco de
quem pertencer para fechar facturas e sem limi-
tes os goneros cima em lotes terca-feira 10 do
eorrente as 11 horas da manhaa no armazem do
Aunes.
D*ba*oa franeeza ALPHON61-N&-ci>eHadd
no banco de pedras das Garfas no Rio
Grande do Norte na sua ultima viagem
de Marseille a S. Francisco, seu appare-
Ibo, Velas, sobrscellentes e carregamen-
to avariado, sslvado e existente na alfan-
dega do Rio Grande do Norte.
A SABER :
Segnuda-felra 1 de agosto.
Em um s lote e tal qual se ada no lugar
do naufragio.
O casco da referida barca (que earregava 1,000
lonchadas), mastres reacs, gurups, 1 ferro eom
15 bracas de eorrente, 3 vergas grandes, 6 ditas
de gavia, 3 mastros de gavia, i paos e cerca
de 100 tonellidas de ferro fundido, 700 barras de
chumbo, (i." toneladas pouco mais ou menos),
cerca de 700 pedacos de marmore serrado e em
bruto.
Terca-feira 17 do eorrente.
Vender-se-ha em differentes lotes as velas, mas-
tros, eorrente, cabos, moitoes, amarras, pecas de
cabos, apparelho de rame, pecas de lona, fio, al-
catrao, verniz.ireu, sebo, fugao, caixa de medi-
camentos, sobrfcellente e mais objectos penen-
ceutes ao navi
Sin continuado
nos dias 18 e 19 do eorrente.
Vender se-ha tambem a parte do carregamen-
to avariado. constante de vinhos finos em barris e
caixas, licores, champAgne, azeite doce em cai-
xas, rlhas, sabao, marmore, obras de alabastro,
qarras de chumbo, barricas com onxofre, gomma,
iustrtimentos para agricultura, caixa com livros
e ontros objectos que fazem paite do carrega-
menlo.
Tudo por conta e risco de quem pertencer no
estado e lugar em que se acha, de conformidade
eom os annuncios alli publicados, no dia do lei-
lo e eondicedes declaradas no acto da arremata-
rlo
No dia 14 do correnie seguir o vapor Pirapa-
mo da companbia Pernambucana, o qual deve
chegnr no Rio Grande do Norte segqnda-feira
16 do eorrente, dia justamente em que deve co-
meejir a venda do casco e salvados da referida
barca.
AVISOS DIVERSOS.
LEILO
de mobilia?, pianos, dilTerentes movis, louca, vi-
dros, cerveja, vinhos, obras de prata e m ca-
briolet
HMMUB
Porintervenco do agente Pinto.
no armazem da ra do Imperador n. 57, (outr'ora
armazem da Allianga).
LEILIO
de fazendas e outras mercado-
rias em continuaqao.
Magalbes limaos continuaro o seu leilo de
fazenda e oulras inercadorias por intervenco do
agente Oliveira.
Hoje 10 do correte
as 10 horas da manhaa, em seu armazem a ra da
Cadeia.
A viuva do coronel Francisco Hono-
rio Bezerra do Menezes, seus filhos e netos
presentes Dr. Joao Honorio Bezerra de Me-
nezes, Jos Honorio Bezerra de Menezess,
D. Rozenda Candida Rezerra de Menezes,
Antonio Raposo Falc3o e Franci-co Raposo
Falcan, mandam sulfragar a alma de seu
presado marido, pai e av, por meio de
algumas missas, que ser3o celebrada; na
matriz da Boa-Vista, de seis as oito horas
da niauliaa, do dia quinta-feira 12 do cor-
rente, primeiro anniversario do fallecimen-
to do mesmo coronel, e rauilo penhorados
licaro s pessoas de sua amisade, que se
dignarem tomar parte em t"o importante
acto de caridade.
Ama
Na rua da Cada do Recife, n. 4, 4o
andar, por cima do armazem do Sr. Barro-
ca, precisa-se de urna ama que saiba co-
sinhar.
Hit
Esplendido leilo de vinhos da Figueira 'marca
acreditada em pipas e barris de 8, lotes a vonta-
de des compradores para fechar contas
Qnarta-fcira 11 do eorrente
no trapiche Barbosa largo do Corpo Santo ao meio
dia.
Por intervenco do agente
______________PESTAA._______________
LEILO
De dividas na importancia de
10:MM1*IH0.
O agente Martins levar pe* terceira vez a lei-
lo as dividas activas do espolio do subdito portu-
guez Jos Manoel Pereira de Mendanha na impor-
tancia de 10:881*180.
Quarta-feira 11 do correte.
Precisa-se de urna ama, forra eu escra-
va, de bous costumes, para servir urna
senhora, e fazer-lho algum servico de casa:
dirija-se rua dos Prazeres, na Boa-Vista,
casa terrea n. li.
A sociedade Instrucco Criminal, er-
rneamente denominada Jury Acadmico,
continuar a funecionar na casa 14 da
rua do Corredor do Rispo, sendo por con-
sequencia falsa a noticia inserta na revis-
ta diaria do dia G do eorrente, Tleclarando
que a dita sociedade passaria a funecionar
na casa n. 1 da rua do Imperador. Em
conclusao pedimos ao autor da noticia, que
nao publique mais escriptos de semelhante
natureza, porque do contrario passar pelo
dissabor de ser solemnemente desmeutido.
A MU AFAMADA
agua de florida,
DE
Hl Hit Al t l,AV t\.
He o mais delicado e mimoso e ao mes-
mo tempo o mais estavol de todos os per-
fumes, e enrerra en, no seu maior auge
de excellencia, o proprid aroma das verda-
deras flores, quanilu anda na sua flores-
cencia e fragancia natural. Como um meio
seguro e rpido allivio contra as dores de
cabeca, nervosidade, debilidade, desmaios.
flates, assim como contra todas as formas
ordinarias de accidentes hystericos; de
summa elicacia e nao tem oulro que o
iguale. Igualmente, quamlo desteuiperada
com agua, toma-se um dentilricio o mais
agradavel e exfolente, dando aos denles,
aquella alvura e apexolada apparencia to
altamente apreciada e desejada pelas 8e-
nhoras.
Como um remedio contra o mau balito
da boca, depnis de diluida em agua,
summamenle excellente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
criam roda dos dentes e das gengivas,
tornando-as duras, sadias c d'uma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
perman enca do seu fragrant aroma, ella
por certo n3o tem igual; e a sua srape-
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na-se um meio mui excellente, para fazer
remover de sobre a pclle do rosto, toda a
qualidade de brotoejas, ebolices, sardas,
pannos, manchas, impigens e espinhas.
Quando se queita senir dalla como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer um
destes disfiguramentos, e que tanto desfei-
am atradas feices do bello sexo; devora-
se usal-a n'iun estado de dilluicao, destem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; porm no
tratamento de qualquer espidia, usar-se-ha
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de com-
municar as feicoes trigueiras e paludas,
urna pelle macia e d'uma transparente al-
vura, dando-lhe urna linda cor de rosa :
para um tal fm, ella leva a palma a todos
os perfumes que se teem inventado at ho-
je, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a Agua de Florida de Muhray
Lanm.vn.
As imitacoes que se tem feito na Franca,
Allemanha, assim como em outras partes ;
sao inteiramente inuteis e invaliosas ; por-
tanto recommenda-se mui especialmente
as senboras, que tenham toda a precaucao
e cuidado, de quando compraran, estejam
certas que compram.
A Gem'ina
AGUA DE FLORIDA
de
MURRAY d LANMAN,
A qual preparada smente pelos nicos
Proprietarios,
LANMAN & KEMP, DE NOVA YORK
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo, C. P. Man-
rer & C. A. A. Barbosa Dnrtliolomou, A C.
Jos Antonio Travassos faz scienle ao publi-
co a especialmente ao corpo commercial, que len-
do ajustado suas contas con- o capitao Jos Lau-
renlino de Azovedo.e venllcando-as, eonheceu que
havia duvidas, dissolvida esta, declara que esta
saldo at hoje com o mesmo Sr. Laurcntino. Re-
cife 9 de agosto de 1869.
Aviso ao publico, que o annuneio que sahk
no Diario de 8 do eorrente, sabr a venda do Poca
da PaneJIa, falso tal annuneio, por quanto seos
donos nunca pretenderam negociar tal venda, e os
mesmos protestam toda e qualquer pessoa que
flzer com ella negocio.
Auscntou-se no ultimo do junlio deste anno
escravo Jacob, crioulu.de idade 33 annos, cor futa,
baixo e magro, rosto comprido, pouca barba, pel-
los estufados, denles da frente todos perfeitos, bem
fallante, pernas finas, e com um vinculo no meio
do dedo mnimo de ambos os ps, ji foi morador
no Rio-Formoso, c* tem sido visto nesta cidade r
seus arrabaldes, couio em Apipucos, etc. : quem o
apprehonder conduza-o rua da Iuiperalriz n. 'ti,
2o andar, que ser generosamente recompensado.
Irmandade do SS. Sacramento
da freguezia de Santo
Antonio
Nao tendo comparecido numero legal de irmos
para em mesa geral proceder-se a eleicao de um
procurador e dous definidores, no dia 8 do corren-
te, sao de novo convidados os nossos irmaos para
comparecerem na terca-fera 10 do eorrente, as 4
horas da tarde, para o (Ira indicado, e roga-sc os
seus compareclmeutos.
Consistorio da veneravel irmandade do SS. Sa-
cramento da freguezia de Santo Antonio 9 de agos-
to de 1869.
0 escrivao,
Modesto do Reg Raplista.
Na rua Formosa n. v(i precisa-se alugar ou
comprar urna cscrava que cozinhe.
PlLLAS
ANT BOUBATCAS
Cura radicalmente as boubas.
nico deposito.Pharmacia de Joaquim
de Almilla Pinto, rua larga do Rosario nu-
mero 10, junto ao quartel de polica.
XARQPE
deT
' SALSA PIIIILIU DO MU
ou
Depurativo do sangue
Usado as molestias de pclle, impigens,
dores rheumaticas* ulceras venreas,
NICO DEPOSITO
Rna larga do Rosario n. I .
JUNTO AO QUARTEL DE POLICA
Penmmbuco.
RUA
DO
CABUG
LS
DE OURO
|UA
EO
1E TCBM/^S
CABUG
esquina | Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
Ida na larffa do ven^e Por PreP0S que nenhuma outra casa pode vender. j
1 s vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.! rua *arKa*
Rosario.
Garante-se ser tudo de lei.
vados.
Compra-se ourc, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario.
A loja esta aberta atecas 9 horas da noute.
a




i
wm
_ ^Atei %t< teira 10 dfi Agosto V it.
AcpaOia Peraambu-
cana
:u que desejarem fnl-
magua do di i,' < aposto, poerao
a, a ma es-
lo*) de Sa e Albuquerque.
Secretario.
" ""
*++
I
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO ,^
Por orden da rhractflria e a reqoeri-
meiHo do amero 'le accionistas que esta
belece o art. 1<> dos estatutos, sao convi-
dados todos os Srs. accionistas papa reu-
nirer-se em assembla gem no dia 17 do
corrente, s 40 ltorss do dia n i salao do
Ctab Pernanabucatro, alim de se tratar de
completar o numero de raembros da di-
rectora e de otros pontos relativos s
encommendas do material qne tem de vir
da Europa, segundo rea o requerimento.
Escriptono da companhia, de agosto
de 189.
Io secretario,
_________________________Iheo. Just.
Club Perambucano
A, partida do corrente mor ter lugar na
noite do dia 14.
H
i" r PiLtti
R'ECTi 1NTIGA R CaBlTATA
FABRICA
M
HCtlTIi II CIUTlITIIIin III CtlHIIt HITIIini II
CHAPEOS Bl SOL:
Be'toda* ai qualidadei!
. De todof m ieitiot I
Be todas M presos I
------
RA DO CRESPO N' 4
AOS OUlftO^OOO
CASA-DA KOLT
Una lo t rp|H> B..9S.
O ibaixo .-ssiiimdoteT) ieenca da pre-
sidencia e satisfeito ai oulras Migeetas da lei,
avisa ao respeitavel pnbliro qne tm enipre
venda na seu statilecmtorUo bil lote-
ras do Rio de Janeiro, oujo premios serio pegos
proinHtamente vala da tatas cora o descomo
Matate la le.
Preces :InleiroB.. ttOQO
MeUw... 12*000
Quarto*. fi*0Q0
E cm qunntidadc maior do 100*000 aa razao
de 22000 por bilhetc.
Manoel Msrtirts Pioza.
CASADA FORTUNA
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
A. roa do Crespo n. 2.1 e casas do rostome.
0 abaixo assignado tendo vendido alm de nu-
tras surtes 2 quarto n. 774 cora 4:0001 da lote-
ra que se aeabou de extrahir beneficio da Santa
Gasa da Misericordia, convida aos possoidores a
viren receber na conformidade do costme sem
deseonto algum.
- Aetam-8a vonda os bilbetes da 27" parte da
Santa Casa (116") que se extrahir uo dia 17 do
torrente mez.
Procos.
Os do rstame.
Manoel Martina Fiuia.

Custodio A Beato, tendo de novo sortido osen tiem tonhecidoeslibelecimeato
de miudezas,- denominado AGUA D'O'JRO. partecipam a todws sea* fre|uoies e ao pu-
blico <*n geral, que-tem constantemente um completo sorliaiento de nmutezas finas, e
objectos de arta nocidade; vendendo tuilo 10 % menos do que em outra qualquer parto,
para o qae receben directamente de sua conta.
Prompttficam-se a mandar em qualquer casa, urna pessoa eom o mais dimimito
objeco que Ihes seja pedido, -esperando asstm a proteccao de seo freguezes, e garah-
ndo-fees o Custodio & liento, firmes. em seus tratos, e pontualidade em seusdeverds.
Sua do Cabug n. 1--A.
AMA
Prrcisa-se de nina ama boa eozinheira, e irra
iraeugomme beni, forra ous>crava, e que tenha
boa conducta : na na 4o Pires, sobradan.
Desappareceu
no da 4 do corrente uiez cm menino de or pre-
ta, de nonte Benedicto, <*ae ia em computna le
a sua lia, dando-se o deoappareeaaMHto o'tar-
80 da Santa Cruz ; tem t anos de itfeuie, e levou
vestido camisa do riscadiubo azul e catea du brm
grosso : roga-se, pois, k quem o tiver adiado, oti
tej-se olTereeido para 9sso,.|anda >ueii'nonie
trocado, o avor 4e o tevar ao Urge n. 26, printeiro andar.
AUGUSTO! PORTO & C.
11-BA DO QUEIM DO-11
f
Hontem ehegon da provincia do Gear, "ind de
passagem no vapor eosteiro Pirapamti, un cabo-
coliuho de idade de 10 annos pouco mais ou me-
nos, de nomo llayinutido, o <|aal hontem ruesmo
perdeu-se as ra* desta ndade ; trajava calca
de brimeom lisia, caini>a branca, chapeo de p-
lna, e estava dasaatoa ; pede-ae pessoa que o
encentrar, de o entrenar sua mii, a ra de
Hurlas n. 9C : protestase contra quem qur que
seja, que criminofamente o ocultar cm eu poder,
e que o nao v entregar referida ca, ou po-
lica, para que seja restituido aqueKa que pelo
presente annuntio o vean reclamar.
Recite, 7 de agosto de 1869.
Attenqo.
Na ra de Sr.nta Rita Vala n. 39, aprompta-se
com.perfeicao, bolos de tudas as quaiidades^.tam-
liem d-se. de vendagens : apronipta-se pre?uni..s
de fiambre, faz se pndins de todas asqualidades e
tedia es m.-iis pratos para j.-miar : as pessoas (ue
quizaren), avisaran r.mi anii'cid*nia ; ramo bou)
haver nos domingos c das santificados mao de
vacca, independente de avisn.
\ OO.S de Teado saludo bontem, as G horas da larde, um
carro para a Capunga, levando um bah de folha
grande cumrou>a e dentro urna caixinha cun nu-
ro, aconleceu o carroceiro parar iu praca da Boa-
Vista junto aoude se vende capim, e entrar eui
urna taberna, deixaudo a carroca lora, e ahi se
iraiislornou, a ponto de ir para o wu destino aon-
de cftegou as 8 1|2 horas eom o bah anombado,
aliand j a caixinha eom ouro e mais objectos,
aliaixo notados, nlo sabendu o cairocero, pelo
sen mo estado, dlzer como se arrombou o bah :
por isso peco s pessoas a quem tenham de ser
oTerecdos quaesquer desies objectos, avisar ao
abaixo aasigaado, na ra da CdSa n. 10* e peBc-
s autoridades policiaes todas as averiguagoes
precisas, afim de se descobrir os autores de tal
ronbo.Joio a Silva Leite.
9 camisinhas do meninas, marca M, 2 timozi-
'dios ioem de algodo, 8 vesiidinbos dem, 6 pares
de meias idem, 3 marcas M e 3 marcas A, S ro-
beras, sendo 2 encarnadas, lencoes marta M,
1 saia nova bordada eom tiras bordadas de cam-
b/aia branca, 1 botina de pellica blanca, 1 rologio
da patento eom correnie e chave, 1 mnel de ca-
b--U M J C I!, i dito do miro la menina M J ? L,
1 pardo brincos balaopequeos, 1 dito de ditos
chatos, 1 dito de ditos cornalina encamada, 1 dito
de ditos dita branca, 1 bracelete de sndalo, 1 dito
de cornalina encarnada, 2 ditos de coral para me-
nina, 2 ditos livellas do o->ro ontraneadas, 1 par
de rosetas, allinete e bracelete do besonro encar-
nados, 1 dito de. nobles do cornalina engastados,
1 dito de dilos de ouro om pedrw roseas (ame-
tistas), 1 dito de brincos eom pdras brancas, 1
vnha de trancelini malhetado eom urna ligainha
de azebiclie, l dito de dito eom requife,de menif
na, eom um S. Braz de- oaro, 1 liga de cora!, 1
dita de iinicorne, 1 bul de cual engastado em
ouro e urna cariaba eom um sol, 1 alfinete de
Jitenina, varias meedas de piafa novas, V& em
papel, e differentes efectos que nan lembram e
Uldo estava dentro de nm babuzinho de |ar-
4aruga dentro des te mitro.
attenW
Precisa- e de urna buhada eom todo? os
arranjos domeeticor. para un estranjeiro, que seja
nos bairros de Sanio Amonio ou da Boa-Vi>ta .
ea tiver nestas condicoes, dirija-s'c ra do
o n. 10, qne achara cowjfjuem tratar.
Tcndo chegado ltimamente ao seu e4abaJecimento grande variedade de
rendas denosto as pSem dispeBico de seus numerosos freguezes pelo mais raodicis
presos possiveis, send#:
*ournous de "cachemira brancos e de cores, o que ha de miis elegante para
hombros -de senhora.
No vos gostos de manteletes justos ao corpo denominado slphides, sirennes,
orientales de renda preta de soalines, o que lia de mais elegante para urna maga.
Uasquines dos deWond eom manta e capel la p-ira aoivas. Fronhas e toalbas decambraia de linko
bordadas. Cortinados bordados para camas e para janellas de diversas qualidades :
col-xas le seda e de 13a e de seda para camas de nmvos.
'Eprngl, lindo gorgur5o de laa e seda de cores, muito elegante fazenrla para
um lineo vestido. Sedas de cores e pretas, gorgurao de seda branco e de cores eom
listas assetifwdas, .panos, casemiras e mitas ouiras I'azendas cujos preeos sao em geral
muite mdicos. Grande sortimeolo 4e camisas para homem, tanto lisas como bordadas
e de *res.
Continua* serapro a ter gratule variedade de tapetes para sof, para cama e
paraipianno, porcao de tapetes em pecas para alcatifar saloes, e grande quantidade de
as da India para forrar salas.
-No collegio da Concetpo precisa-se de urna
?goamadeira perita, forra ou escrava._______
Negocio importante
Atexaudre SussaaraDDf'residente na pno-
ia do Cear deseja saber noticias do
portlguez Lino Jos Barbosa que morn ha
longos anuos na praea de Pernatnbuco ;
taaibem esteve na cidade de Baturit da
provincia vio Cear, aonde deixoo tinaslhas
a aMB asspn como *io HecM. 0 artnnn-
Otante ( rsado cm urna prente prxima
Jcldlto senhor.
leve mili filha que foU professora na
cidade do Redfe e como *) annunciafit-
tenl de tratar negocios de importancia;
faz ^ste anntincio, que espera resposta por
este jornal, ou no Cear .pek) Pedro I, ou
fcfc As pessoas que deram para concer-
tar, na roa das Crnzes n. 20 officina de
nineir', um sof, um lavatorio e outras
queiram vir busca-fas, por que se
desde muilo tempo promptas, no
de 8 dias, findos os quaes sero ven-
para pagamento do trabalbo.
Na aua do Oueiraado loja n. 44 vnde-
se bal&es de panno f 4W0 oftos de mossn-
4ioa 20500.
AOS 20:000^000
CASA fULIZ, ARCO DA CONCEICO N. 2.
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na for-
ma das les tem expoeto 4 venda os sens felizes
bilhetes das loteras do_ Rio de Janeiro, na casa
cima aoude se pagarao as sortea que sahirem
nos inesmus bilhetes eom o descont da lei s-
menle.
Billietcs nteiros. 2tJ(K0
Meto?...... 12*000
Onartos......080
E de 100 para cima a 22|obilbete.
Figueredo & Lte.
GGSTREIRA.
Cose-se costuras do alfaiate a moda fran-
caza, por prego commodo, na ra Augusta
.112, e d-se banca sobre as mesmas.
O adrogado
Alfonso de Albuquerqne Mello inudou o seu es-
critorio para a ra das Cruzes n. 37. defronte da
typographia do Diario.
COMPAMA PERlfAMBDGiHA
1 M INI
Os Srs. Saunders Brothers & C. Tasso Irmaos,
Luiz Antonio de Siqueira.
0 SE. F. F. BOEGES.
Restando anda emittir algumas accoes desta companhia, da qoantia nooaal de
200,j000 cada urna, das quaes s se aceitam em virtude da lei, 20 */ o 40^000 par
cada accao; convida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aoa Srs.
capitalistas e interessados no couiaaercio, que queiram dar emprego seguro aua itas
capilaes, disponiveis, a subscrever o numero deaccoes que Ibes approuer.
Algumas destas aeces j tem sido tomadas por pessoas que couhecem a vantagoa.
de na presente occasilo (conhecidamente a mellior). empregarem o dinbeiro de a
podercm dispr em objectos de valor real, comoAapores, predios etc., que Ibes garan-
ta m seus capitaes.
A companhia possue boje 10 vapores, 6 inteiramente novos, e destes o kMooesti
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alni disso esl edificando vastos.armazens, no terrenopue possue no largo (TAs-
sembla.
Seus dividendos tem sido ds 10 % ao anno nos ltimos 4 annos.
As aegoes que se emittirem gosam dos mesmos direitos, c percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que osantigos em proporcao da entrada.
Recebem-se assignatura| no escriptorio da companhia no seu edificio ao cae* a
Assembla n. 12.
DENTISTA II PARS
19Ra Nova19
rici:m:iti ;irurgiao-dentista, muito conbecido ha dez annos n'esta cidade. pela perfeicio de* teas
trabalhos, tem a honra de participar ao respeitavel publico que tendo feito mutas mt-
Ihoramentos na sua casa, pode d'hora avante receber as senboras no seu gabinete
ichar5o os commodos precisos para familia.
Acha-se tambem na sua casa e na sua companhia, o seu sobrinho e

CMIKO
COMMERCFAL DOS SIGNAES PARA USO
DOS NAVIOS MERCANTES DE TODAS
AS NAQUES.
TRAnOCf^AO
Conforme antima ei?5o original ingiera
POR
Joqwm Pedro Prente
Vndese na livcaria econmica junto ao arco
de Santo Antonio n. 2.
Aluga-se
na Passagem da Magdalena (entre as duas pontes)
urna casa torrea qow bastantes omuinadus, quin-
tal murado, coctilra, estribara etc.: quem pre-
tender dirija-se Eseadinha da Alfandejga n. 8.
Miguel Goncalves Rodrigues Franca, Olho.de
Manoel Goncalves Rodrigues, vende a lieranca que
em urna quinta Ibe deixou na ifha de S.Miguel
seu avo palerno Joao Goncalves Rodrigues : a tra
lar na ra do Crespo n. 12,1 andar.
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de tuna efficacia verdadeiraraenle ma-
ravilhosa ci^no calmante do systema nervoso
e applicado contra a paralisia, asthma,
tosse convulsa ou coqoelaehe, tos-c recen-
tes ou antigs, sufibeacoes, catharros,
bronchicos, etc., e em geral contra todos
os soffrimentos das vias respiratorias, e
na phtisica pulmonar, sua virtude contra
o ttano ou espasmos, e convulsoes in-
contestavel, e ntnguem ha que a desconhe-
ta. Ra Larga do Rosario n. 10,/Pernam-
buco.
Ouro e p'at
Compram-se moedas de ouro e prata de todas
as qualidades, por bom preco : na raa da Cadeia
do Kecifa n. 88, loja do azulejo.
r Anda nao vierara, no entretauto o negocio
de iateresse, e precisa-se fallar ra do Crespo
n. 17 eom os Srs. Paulino Ferrera da Silva, ex-
procurador da cmara, Dr. Francisco Pinto Pes-
soa.
----------------------------,t-. .;i__________________
Precisa-s de duas amas que saibam cozi-
nhar e engommar, prefere-se escravas : ua ra
das Cruzes n. 22. 2** andar.
Precisa-se de urna ama livre ou mesmo es-
crava, que cozinhe eom perfeicao o diario de urna
casa, e .que seja de boa conduela : a tratar na
ra do Vitara> n. 5, lerceiro aadar. '
MUDANZA DO
Alliin.i Bautista da Rncba participa
a todos osseos freguezes quemudou-
se eom a sua omeina da pra^a da
Independencia n. 12 para a ra das
Crines n. 23; previne, perianto, a
todos os amigos e Ireguezes que se
achara em-casa a ijualquer hora
do dia, para exentar todo e qualquer concert
que de sua arto., exigir pfissam, tendente a sua
profissao ; e eiii ana falta acharan eom quem
tratar- __________
Preeisa-sede nma ana deleite eom urgen-
cia : na ruado Amnrimn. 35, 2" andar.
Obstrueco
Do figado e 3o bago
Os preparados de JURUBEBA (vinlw,
.rarope, pitillas, oleo, emplastro e tintura)
s3o effi'cazes contra a obstru-cao do figado
e do bago, a ictericia, a hydropisia, as febres
intermitientes e dureaas, os desarraojos do
estomago, as faltes e sangtte e de mens-
truago, o catharro da bexiga, etc.
nico deposito, pliarmacia de seu autor
de J. dAlmeida Pialo.
Ra do Rosario Larga o. 10 junto ao
quartel de polica
so s
i. iii:iUH\
0 qual acaba de voltar de urna longa viagem a Europa, durante a qtial praltcav
feliz successo as primeiras casas de Pariz e de Londres, offerecendo assim as
garantas do bem desempenho para tudo o que for relativo a profissao ; por
annunciante pede aos seus amigos e clientes que por acaso o nao encontraren)
gabinete*, depositera no dito sea sobrinho a mesma confianga eom que o ten
a dez annos.
Dentaduras por todos os systemas: a press3o do ar e eom molas de euro,
vulcantte e um inteiramenle novo n'esta cidade.
Cura radical dos denles cariados.
Chumbagens (obturacoes) eom ouro e eom massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de dentes.
Agua e pos dentrificios fabricados pelo proprio annunciante, o que Ibe permitte
car sua boa qualidade.
1 Escovas para dentes. etc.
Perfeicao de trabalho e prepos moderados.
Viogens para fra medante ajusto previo.
0 gabinete a. ha-se aberto das 8 horas da manha atoas 4 da tarde de I
lias uteis.
afea-
11-Rua estreita do Eosaris-11
Este novo e modesto eslabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico este ele-
gante e bem fornecido hotel que situado n'uma posicao inteiramente saudavel, s sea-
do constantemente sombreado pelos doces zephyros da tarde, toraa-se preferivel bnV
quer outro d'este genero, as tres cousas mais necessarias ao genero raciona!ali-
mento do corpo, dslracao da alma, e socego de espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto muito profusa, da primeira urde ; so
primeiro andar, sala da frente, um excelleute bilharde mogno, para diveiiimeado. Ssfii
de traz um restaurante da primeira ordem. Quanto ao asseio e bemfeitoria das erada
rias, o delicado modo do pessoal do eslabelecimento, promptido e commodidade, s
aos Ilustres concorrentes dado fazer justica.
Fornece comidas para fra, tanto por mez como avnlsa. Todos os dias,
mcontrar-se excellente sonete, refrescos, caf, cha, bons vinbos Figoeira, Porto,
deaux, tendo bons commodos para hospedagem, salao e quarto mobiliado no segas
do andar.
NA
FLOR BA BOA-VISTA 1
MOLESTIAS DA BEXIGA. k maior parto d'erttt m**-
tias, como as scialicus, lginbagus, catarros, e todas as dores nervosu em
pat >:* cumris x*tts'Ptmbt.-M-oE caaeneA oc Ttmtaaunim 4o
BrrXlerUn: O proirssor Trousseau em sta Trmadole Ihcrapealct *con>
cUia se para scrcm tomadas na occasiis do jantar, na dse t 4 i 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.-
raiitiio puro e d primeira qualidade, om dos poucos apronte pela
Academia de medicina.
Todos esta *iedcammto$*fbftn aprovados pela Academia
imperial de medicina de Part.
DEPOSITO
r Varia, L. FHERE, I, raa Jacob
. uateo.
Ha para alugar aun moleque criolo de ti
annos de idd', asss diligente para o servico do-
mestico ou externo, eompavel eom sua forras
na ra da aarora n. 26.
Araga-ee o armaem n. 9 da ra da Moeda,
eom grandes proporcoes para recolhimento de g-
neros ou para prensa de algdio por ser perto do
deaembarqoe : a tratar na roa do naimauo n. 13,
1* a dar.
Attem?ao
Tendo-se furtado dama do (jueimado n.
3Bs Urna' cruz de ouro eom +1 brilbantes.
1 sendo um naior e dez mais pequeos, pe-
de-se sos Srs. suaves e mais pessoas a
(^yem a dita cruz for olToresnla o favor i't
tippreuliender e dar parte na dita casa pois
e gratificar sendo que a pessoa o exija.
^3
LOJA
DE
Precisa-se na ra da Pi
urna ame para emnhar, engommar e coai-
prar e tratar de ama moca e urna menina.
^PALOFEMNDESDEmLOGIMARAES:
*f$ SOB A DIRECCO DO MUITO HBIL ARTISTA
fe
Nesta officina encontraran os respeitaveis freguezes um dos primeiros arflkV
cm alfaiate para bem poder satisazer toda e qoalquer obra, tanto uo m>bi curte, caaH
no aperfefroamento dar mesma-.
Torna-se desnecessario recommendar este artista, pois que a soa-tbesonra ja-a
bim conhecrda, (e^om grande especialidado em fardas) poi muitas pessoas dteiBcasa
desta cidade
Acor-se-baa figulinos de todos os mexes, pelo que o ai lisia exeoaU debsisods
todos os preceitos darle qualquer urna obra em face dos mesmos
O mesmo estabeleeimeiiio so acha munido de um completo sornaento le ta-
zendas, como sejam : casemiras de cor, ditas preta?, pannos pretos. ditos ames, rie
de cor, ditos brancos, seda -para colletes,. merinos, etc. e mais fazendas proprta i
ullicina.
O grande sorlimento de roupas feitas que tem vende por menos OtyO d
que em outra qualquer parte.
EUA DA IMPERATEIZ N. 48.
junto padaria franceza.
cogitara dos ammzes
16 RA DA CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cb, fiambre, pastis de rfiSi
tes qualidades, vinbos de superior qualidade, cb Hissou preto, e miado, o aelber M
se pode encontrar no mercado, araendoas confeitadas, xarcmes refrigsrsstes, doces ds
calda, etc.
Incumbe-se de encommenda para grandes jantares, bales saptisadbi e
samemos, a saber:
Pecas de nougat. P5es-de-lot enfott.'
Ditas de po-de-lot. Bollos idtJHfl
Ditas do tmara de ovos. Pratos de ddHMvtos.
Ditas de caramilo. Tortas folbadas de crae e
Bandeja eom armago de assucar. Empadas.


I-
)
Diario de Pmambuco Ter<{a feira 10 1*9.
5

ERALDA
**%L.

Mforeira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug- n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a qu^m offoroocm tan en-
plendido sortiniento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
pra vel. Tambem compram euro, prata e pe-
dras preciosas
\ 5 1A DO CABUfi \ 5
ESTRADA DE FERRO
Recife ao S. Francisco.
(^superintendente, abaixo assignado, cha-
ma a attencao dos interessados, para o se-
gainte arligo do regulamcnto, dos transpor
tes:
Ai t. G3. A administracao nao responde
pelas avahas inherentes naiureza das mer-
caduras, taes come a determinaco de fruc-
tas, llames, peixe. carne, leite, queijos,
conservas, etc., diminuico ordinaria de
peso, combusto espontanea, eflervescencia,
evaporacao ou esgto do lquidos, ele.
Nao responsavel igualmente por avaras
deoutra- natureza, desde <|iie nlo forern
autenticados pelo chefe da eslaco antes da
entrega dos ohjeclos, e nio bouver nos in-
volucros es'ago condecido, procedente de
negligencia de seos etnpregados.
Escriptorio da superintendencia, villa do
Cabo, 7 de agosto de 18G9.
Htinif S)encer,
_____^_ Superintendente .interino.
Precisa-se faliar com urgencia aos
Sis. Jojfo Apolonio Cavalcante e Antonio
remandes de Almeldn ; na roa da Cada
do Recife n. 53, armazn^ de moldados.
Preoisa-se de uftia ama
nieroii.
COMPRAS.
na ra da Palen d. 30, d0 ma -,,
PFRDE-SE
gratlfleacio.
;aro pira pescoco, ao sabir da
Ma Mirada de JoAo de Barros ate
iro : nueo o acliar pode din-
' UotuBuruo r. 8, rima.
Cru/ji
octdi
pr-
gr.u
15
0 nrazeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 conipra-se ouro, prata
e pedras preciosas por presos mais vantajosos do
(rae- ein outra qualquer parle.
Na praca da Independela n. 33, foja de ou-
uves, eompra-seouro, prata, e pedras preciosas,
tambein se faz qualquer obra de encoinmenda, e
jodo e qualquer concerta.
A BflWCA
ALUGUEL
1 r a |,:,ra ""prv, cozinhar e en-
gontiar para casa de familia.
GOiTRM E ffiM-SE
Compram-sa e vendem-se diariamente para ra
e dentro da provincia escravos de tudas as idades,
cores e sexos, com tanto <|ue sejain sadios : no
lerceiro andar do sobrado n. 36, ra das Cruzes,
freguezia de Santo Antonio.
Compra-se
0 Dr. Erralr fdnfio' reside
ja na da Cadeia h. Ci, onde tem
Saberlo o seu consultorio medico, e
{podo ser procurado a qualquer bo-
ira para o ejercicio de sua profis-
sso.
na ra da Praia nu-
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
TOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descamar algodo, do
muito conhecdo fabricante Eagle Colln Gin.
MACHINAS ditas, tambem de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
godao do autor New York Cotton Gis.
!" !!! -taS df t0,0s os Umanho*ds carreta de ferro e mais toda a machina.
MALURAS ditas de Roller Gios, de cujo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo.
MACHINAS de facao do fabricante Plalt B. C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as meihores que tm
vinao ao mercado ; e para a sua apreciacao convidara-se os senhores agricultores "
virem a expsito das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, loja do Bastos, onde
encontrarao mais o seguinte:
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Precisa-se de urna ama, portugueza,
que saiba bem engommar e coser, e que te-
tilla bous costumes; tratar na piafa da In-
dependencia d. -'18, loja de calcado.
AlFSE-
n segundo andar e sola.. Vigario : a iratar na ni sina casa, das 9 lloras da
manliaa as i da tarde.
Ahga-se
CARAUNA
u do lerceiro andar da ra do Livramonto
ii.*, no dia 0 do crreme, djs 3 para i liora* da
Wrd), umacarauna (passaro) tendo todas aspemas
l'ivM : quem a Uver pegado, querando ter a bon-
dad: de entrega-Ja, pode leva-la ao referido tor-
cis andan ou toja n. 25 da ra do Livrainento,
quesera recompensado.
- Precisii-se de una ana que saiba bem coz-
nhT : no pateo da liiheiran. 1.').
larinlia de mandioca da trra : na rna do Coin-
owrci n, 17.
Sdalas de 1$ e 2$
Compra-se na casa de Tlieodoro Simn
d- C, largo do Pelourinho.
COMPRFSiT~
moedas de ouro e prata de todos os valo-
res, ouro e prata em obras inutilisadas, e
brilhantes e mais pedras preciosas : na lo-
ja do ourives do arco da Conceiio no Re-
cife.
4,
BCompra-fC chumbo velho : no armazem da bo':'
ama re la, nn nfi) da secretaria de polica.
Compnim-se duas carleiras proprias para
cseriplorio : na ra do Queimado n. 13, primeiro
andar.
* l'iveisu-se de una ama para c/iuiprar o co-
zinhr |iara una pessoa : na ra dasTriuclieiras
ti
o segundo o lerceiro andar da rna do Trapiche n.
46 : a tratar na mesma casa das 9 as 4 horas da
larde.
C'c/iuheii-ii
Prerisa-se de nina ama |ra euzinhar : a tratar
na ra do Mondejo n. 2i.
Ama.
Precisa-sc do una ama para cozinhar o com-
prar para una pessoa : na ra do Calabouco-ve-
Iho n. 9.
segu
Debulhadores para milito.
Cylindros para padaias.
Arados americanos.
Carrinlios de mao.
Machiilas para cortar apkri.
Cannus de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Tellias de ferro galvauisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e latid.
Ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
Machados amercaiios.
Faces di los.
Balaios e cestas de verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
diversidade seria enfadonlio ennumera-los.
Joaquim Percira Arantes faz ttenle ao pu*
blico e aos sens oYvedores que o Sr. Antonio Ja
nuario Cabial, a qm>m linha menrrogado a eo-
branca amiga do sna casa, ?ek) prestar contas e
satisfactoriamente, portanto hajam de suspender
qualquer jnizo dosl'avnravel ao mesmoSr.
Alaga-se uin sitio com lia casa de vivenda,
coacDoimodos para grande familia, na Patsagem
dvbgaalena, em Trente ao sitio dos Srs. Bnltar A
OWpra : a tintar com Domingos Alves Malheus,
a nado Vigario n. 21.
7
ATTENCAO
Casa
Ps de ferro dilas.
i Haldas dp. ny^'ii-.i i^g ^
jTernos dobandeins finas.
' Trens completos para cotinha.
Peneiras para padarias.
Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjaiTas.
Espingardas e rewolvers.
(nardo comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moiuhos para relinacoes.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Serras avnlsas para machinas.
Mancaes e todos os mais pertences para as
mesmas. '
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
/fwuk
CARVO DE BELLOC
PARS
ion. no campo,
AJuga-S una casa na Passiifrem fia Magdalena
n. 3, antes da ponte pequea, com bastantes com-
modos, dous quartos fra e um quintal murado :
quem pretender aluga-la pode entenderse rom o
Baro do Campo-Verde, em seu armazem rus
de Apollo n. 32. _____________
Notas das caixas liliaes do banco do ilrasih
trocam-se com moilico desconu, na loja de Manoel
Soares Pinlieiro, praca da Independencia n. 22.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava pa-
ra todo o servioo de una casa de (tequena fami-
lia : a tratar na ra Velba n. "9.
Ama
Precisa-se de nm ama para cozinhar e comprat
para casa de pouca familia : na ra das Grases
n. 28, Io andar ; preere-se escrava e pag-w
bem agradando.
ammmmmmmsmBmmaamB
Antero Aug^ustu Peixoto de Alencar agradece
sinceramente a irmandade do Espirito Santo, eree-
ta no convenio de S. Francisco, e ao lllm. Sr. Ma-
noel Rodrigues Teixcira, ointeresse que toruaram j
no enfcrro de sua muluer Marianna Barbosa de
Alencar ; e convida aos chrislaos para assislir a :
missa do stimo dia, que manda celebrar no mes-1
mo convento, no dia-ti do crreme, as C horas da
manhaa.
c. Clao 4 C, ra da ImpeMlr n. 77
a este grande e mil estabelecimento acabam de
clisar earregaH|y|H i, W(H de drogas e tintas
espiradas de encommenda propria. Aoja conne-
cid sortiniento de drogas, preparados, e titilas,
beil como de objecles e instrumentos necessarios
a ledieina, cimrgia e trabalhos artsticos e clii-
miips, acaba esto estabelocinienlo de enriquecer-
se < mi tres importantes remessas viadas das pra-
xis de Lisboa, Hamburgo e Paris. Experimntelo
e (l; mees e por una ostentacao (salvas as exeepces)
pa> ao menos se convenceren) deque na fre-
uezia da Itoa-Vista a nica botica importadora
doslnercados estrangeiros, e que por isso i;st em
meihores dondiefies, qnr em rela'qao as qualidades
qur ios preeos. .
Compram-se Diarios a S4000 a arroba: na
rna larga do Rosario n. 15.
Precisa-se
alugar um escrnvo, paga-se bom aluguel : a tra-
tar uo pateo do Terco n. 63.
VENDAS.
Pfftassa da RiiMla
a mais nova 00 mercado, a preco razoavel : na
ra do Commercio n. 13, armazem de Manoel Tei-
xeira Basto,
Novidade
A^botica de C. Clao & C, ra da Imperatnz
11. 77, acaba de receber um completo sortiniento
de scmenles do horlalice, todas muilo novas e per
commotlo preco.
Aluga-se
urna easa com bastantes commodos, na cidade nova
de Santo Amara : a tratar com Antonio Jos Go-
mes Jnior, ero-Santo Amaro.
abaixo assiiiiuulo* sc.ietililicam ao respei-
tavrl rorpo commercial dr-ra praca, que nesla
data lUssolvcram amq*avelmentc a sociedade que
tinham sob a razao de Vasconcelos & Malta, reti-
rando-se o socio Malta pago de seu capital, e livre
de qualquer rcsponsabildade-da extincta firma ,
cuja liquidacao lica a cargo do socio Vasconcellos,
a quem cxcl'.isi'amento, lica pertencendo a pro-
priedade e estabelecimento denominadoSaboaria
e Serrara do Recifesito s mas do Brum e Gua-
raranes, e armazem de madeira ra do Caes 22
de Novembro desta cidade. Recife 31 de iulho de
189.
Antonio Joaquim de Vasconcellos.
Manoel Vctor de Jess da Malla.
O Sr. Melquades que ourives e
mora na l.ijn do sobrado rna da Senzalla
Nova n. lo, queira vr a esla lypographia
a negocio.
Approvado e recommendado pela Academia imperial de medicina de Pariz para a
cura da gastralgia e em geral de todas as doentas nervosas do estomago e dos inlestinos.
t. eguaimente o remedio por excellena contra a retenco de ventre Finalmente em
razao de sua propiiedades abeorveales, rccx>mmendado como verdadeiro remedio nos
cazos de dmrrhea e choleriua. O uroo de iieiloe toma-se na occasiao das comidas
sob a forma de pos ou de pastilhas.
Deposito em Rio-Jarkiho, Duponciielle; Chevolot. m Pebsaubcco, Matirer k C".
Resta venda um escolhido sortimento de ob-
j lectos de marcineria, como sejara, mobilias de ja-
jarand,mognoearharello, obra nacional e estran-
geira, de apurado gusto e por DNtptx razoaveis :
a ra estreit do Rosario n. 32. Nesta meema
asa fazem-se com perficAO lodos os trabalhos de
aalhinha, como sejain, empalhainentos de lastro
jara camas, cadcii as e. snphs.
Caixeiro
Na ra da Lapa n. H precisa-se de um pralico
de taberna.
zn
tt
GOMES DE MATTOS IRSAOS
tendo feito completa mudarla em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-Die maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparfierem pessrohireiitc|
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
ROA DO CABUGA N. 4
onde encontrarao um completo sortimento do que ha le mais elegaaWt
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tUo trae em tAfttas
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREMOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de no vos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
obj ocies de prata para oso das igrejas,
Oompram e trocam qualquer jola ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
Comida.
Caf com leite.
Mao de vacca.
Na casa de pasto da ra da Lapa n. 11 se pre-
com todo esmero e asseio, e se tornees tanto
liara fra a accionistas, como as mesas em casa.
e dosabhado para o domingo a beHa mao de vacca
Na ra das Aguas Verdes n. 100, segundo
andar, se dir quem da urna pequea quaotia a
juro-.
Cozinheiro
Dewja-se um bom cozinheiro: na ra Lnrgado
Rosario n. 44.
Novo Atheneo.
Esta sociedade transferio sna sesso ordinaria
para quiuta-eira, pela manhaa, as 11 horas do dia,
no pateo do Carmo n. 9, 1 andar.
Da-se a jnro at 3:0003 sobre hypotheea de
casas dentro da praca : a tratar na ra'larga do
Rosario, loja n. S, se dir cm quem tem a tratar
A1A
Precisase desuna ama livre pnra cozinhare
comprar para easa de pouca lamilla : na ra da
Paz n. 2, taberna.
Precisa-se de chapeos ras do graspo n. R.
OSr. Elisiario Gomes queira dirigir-so i na
de S. Francisco n. 6, a negocio quo noignora.
TI
o mm m ios
MARTIMOS
COMTRAFOC.O.
A Cornpanhia fademnisadora, estaJjelecida
testa praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra logo
etn edificios, mercadorias e mobilias: a
oua do Vigarion. 4, pavimento ter oo.
Os Hi)reciadores de manjares delicados eneontra
fio todos o dias no .hotel central de Francisc
Garrido a verdadoira aopa de raviole, ao verda-
deiro geio Srias, mwseria enfaikmhomtmloiiar. AH se
niraraaainoa os mais asMiadot aposentos para
des, e-banhos, ntUiares e pianos para re-
oroo dos visitantes: na ra larga do Rosario n.
9, 1" andar.
Hfrfcwiuu,
0lio o lafjeareauos at qu;
Ena.rua.irtuu n. 53, l.gk.e7erragnns, .tpe
tedeaejf falbjr ao Sr. Anlohio Franciaco Duarte
pu seu rmao ex-deputado provincial Dr, Maxi-
iinano Francisco Duarte: deve saber quem ....
(i ran de
loja de fazendas c roupas fcilas
mu da Imperalriz n. 32,
porta larga,
DE
PAREDES PORTO
Neste estabelecimento encontrar o res-
puilavel publico um bonito sortimento de
roupas e fazendas de todas as qualidades e
precos commodos, tem sempre um bonito
sortimento de casemiras de cores e pretas,
panno lino de diversas qualidades, brim de
bonitas cores e bpancos de boa qualidade,
encarrega-se qualquer obra por medida- e
preco muito commodo.
ROUPAS FEITAS
na loja da ra da Imperalriz n. 52, porta
larga, de Paredes Porto.
Tem neste estabelecimento um bonito
sortimento de roupas feitas de diversas
qualidades e piceos commodos, como sejam
palitots de alpaca preta e de cores a 3J,
3#5 0 e 40; ditos de panno preto sacos a
,->, 7.) e 8;5; ditos de panno superior a
420, 140 e 100; ditos sobrecasacados de
dito dito a 180. 200 e 2o0; ditos de case-
.mira de cor a 50, 60 e 100; calcas, colletes
e palitots de casemira muito fina de cor a
20 C25,>; calcas de brim branco de cor de
todas*, as qualidades de 20 a 00; ditas de
casemira preta e de cores de 40 al 120;
colletes de todas as qualidades: ceroulas de
bramante a 10500,20000 e 2500; camisas
francezas de linho e de algodo de todas as
qualidades e preco mais barato do que em
outra qualquer parte; colarinlios, grvalas;
bonito sortimento de chapeos de sol de alpa-
ca e de seda; meias inglezas a 60 a duzia:
pecliinclia ueste estabelecimento pelo
grande sortimento: todos os freguezes se
poderao prover dos ps at a cabeca" por
preco commodo.
FAZENDAS
Grande sortimento, cuno sejam, chitas
baratas a 300, 320 o MO rs. Madapolo
fino a 70*80 e 100 a peca. Algodo ipe-
chincha) a 56500 a peca e outras quadu
des. Camhraia branca de huas as quali-
dades transparente e Victoria de &45U0 3
80 a peca. Laosianas de bonilas cutes, al
pacas iKinitas, selecia a pera eoo 99 MtNM
a 2H0OOO.
2,-$500 e 30 a vara, e outras umitas taHhj
das por preco commodo. que sena Mfado-
nho mencionar, na loja do
LEnO DA PORTA LARGA
l> K
Paredes Porto.
Loja de miudezas de Ferreira da Cuolia^
Temporal, na do Queimado n. 63, esi
quimaodo por tocio preco :
Jogo de vispara a 4 Redes para co<|ue$ a 2, i(X) e 500 rs.
Linha da 200 fiMas (dn/.in l#Ma
Caixa muito fina para \x> de arrtn 1 ViOt
Helogio de $i>\ ;i 120
Latas o>m lunlia .i 160, uo e
Agua Honda venladetra a 10300.
Agua divina dem 10i00.
Grvalas prelaspara homem 4 Or.
Puntes de trawssa para Menina .i >;0 rs.
Olio pliilocuie verdadeiro i 1-5200.
Aderecos de plaque 10500, > e 3.
Meias cruas para homem If .00 I
duzia.
Botoes enfeilados para vestido, IJ
duzia.
Leques do santol j 5,->. cada um.
Dillos de madeira 3-> cada um.
Coques de tranca, boa fazcntla,
205IK) e 30 cada um.
Meias linas para senhora \*> a duzia.
Banha em (nacos a too, Frascos com extracto muito lino 2
20500.
Caivetes de duas fallas l MO rs.
Sabouet linos 80, 100, 200, 0
320 rs.
Olio babosa 400. 500, ooo e 800 rs.
Agua de colonia ih). 500 e 800 rs.
Caitas france/..!s ^oo n MO is.
Clixa com extracto 2.->5(H).
Cartas portnguezas a 120 e 20) rs.
Peritos brancos com costa de metal
320 rs.
Dittos pretos 200. 240 e M8 rs.
Galo de lita para vestido (pessa) 100rs.
Fila do sarja lisa e lavradas, 11500,
2 0 e 20500.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papel amzadea 700 r>.
Ditto e dourado a 10.
ittas com envelopes 500 rs.
Caixa com agullias francezas 160 e
240 rs.
L3a para bordar de todas as cores Hibra;
60800.
Jionels para menino 10, 2i> e 2J500.
Linha de marca (caixa) 2o rs.
Al ias para menina (duzia) '' > e 3 ><
Pecas de tranca liza e de corocol a io
Sapatos de laa para menino a 32o e 800
Capellas francezas a 20500.
Facas c (talfos, cabo de balatK.o du-
zia) 7 v
Chicotes para eavallo 600, 800 e 1*500.
Bengalla de canna 10, I >500 c 20.
Vortas para luto 500 rs. eada uiua
Papel almaco, greve (resma i I >500.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabeleciinento bo-
nanza, Temporal contina a
vender na Bonanca, pelo mesiuo
preQQ que venda em sua loj*
com titulo de Temporal.
Ra do Queimado n, 49 c 57 foja
dt miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Silva conhecido poi
Jos Bigodnho.
Est queimando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazer nove
sortimento, por isso queiram vil ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de linhas do gaz com
SOnovellos a 50o
Latas com superior banha a
120, 200 e..... M)
Frascos de oleo babosa muilo
tino a.....
Duzias de meias (ingt
muilo boas a 14F
Garrafas com .agua florida ver-
dadera '..... 9fl
Garrafas con agua divina dame-
lhor qualidade I 00
Caixas com 12 frascos de che
proprio para mimos tfMI
Dita comlO frascos muito fiuo J MI
Oleo baboa muito aso que so
a vista ...... a* '
Sabonetes de caiuoga muito bo-
nito 4
Caixas de
aqpMSf
Pecas de
le arroz uiuito
po
.
babaditibo
coui 10
Farinha de mandioca
ila tetra muita tma, ltrn para vender M.iivV l.ni
dcliiii", uo trawss,- im Vfli>-w> mu i'xcflli'iitc .s.'ravo .lo [\ \i\s
de idada, pardo, oflteial da alnuato, rvftirtMkwa
ptimo [>.->i n:> rn.i ila l-'lnriiitm.i n 3S
Cadcinis do pinlio.
Cheffurain a* ntus e Immu onlwcW** esdrira
de pitillo, do alirn a Miar, DNBirlM para est.ali.-
leeiniontiis. pi la romnodldanc quo nfbneMii u'u
d-sc pelo prucu do coMunio, mis aniiajeiis de ui-
boadn de pinbo do l'nulo Jom* Oonio Oliroato,
caos 22 de imvouibro.
i,
varas a ......
l\\-as ilo u di Hit qualquw
laiiiura a.....
Baguito o mais lino posvei a Estovas, pan unbas anulo ti-
nas a.....
Ksoova* pan d!utes IknijM
uuulo lina i ....
Pukvtras k> m*Us d* Kuxas .lo Iwtu brtV4 4* fu
mu *> n*lkvs ^
IVcis ^ ir**** htt 4* MA
as rtws i ^
Ht\sina$ do \vipel jmwU.Vx Mit>
lino I* %
mi de boMM |vra pb.v*
muito bolita i .
labras de Da pan bM\WKW V
de todas > cAr i .
Itntvs oihm o.wiaa di m^M
muilo liaos a .
Novillos do linha muito raudo
para ,i,\es i .
Dlm de linha fhxa paraboi^
dado &......
(ivsas do botos madro^ioroia
muilo fino ;i.....
Sabonolo muilo Unos i 60. UO,
160, 240 o.....
Pecas de fiu dalaalodas as
cores i......
l-'.spelhos dourados para panda
1jOOO e .....
Espoihos de Jacaranda muito
tino ......
Pecas de (nocas brancas e de
. cores de caracol i .
Pares do meias cruas para me-
ninos ......
Caivete muito fino com 4 fo-
lhas ......
Frascos de sndalo e pateeboly
muito finos .

MU
Mi
Iflp
0M
I'OVOUIO
Vendo se una rasa oeste povoido, sita A rn
Bella, a qual *>.ti vintc palmos de frente e sossenu
o mitos do fundo s rilar na memua ra n. 32,
a de 10 do eorronte oni diante Uiniqem do lleeife,
s Cinco PooUs n. Hi.
Vende-so uuia taberna sita na ineHior localida-
Mfla.Ccsa Forte : a tratar na mesma rom Jos
Joaquim Das, e o me.smo senhor faz a renda por
iocnmmodo de saude.
Leite de vacca.
Na trovessa do Ouvidor, co-
rheira, veode-so leite de*racca,
das 9-horas da manhaa s 6, e
das V horas da tarde-s'6.
M9Q
UN
JDOO
M
m
l*SO
I 20.
Vede*4e*Ubcnusda n. l, bem afrei^iaaada para ai larra, por ter n
dono do retirarse para o serlao a tratar de
saude.
su
wrn
j HGtWl
1


Jfero 4e iWiaiubuoo Tei^ fe lft, ^.Ag**, <4* 406
I
72.
MKHKH
Ba da Imperatriz. -
72.

Alerta freguezes
qpe Arara vai caiitar,
Para vender suas fazendas (baratas)
que muito ha de agradar.
0 -propietario do3le estabelecimento, tendo grande porgao de fazendas em
; vaiproceder urna liquidago em todas as fazendas e roupas feitas existentes do
Itfecateoto, agora que occasio de quem lew pouco dinheiro poder.se vestir de
fezenda ebaratissima como se poder ver no annuncio abaixo mencionado.
MADAPOLN BARATO A 3500. BR.V.VANTK PARA LENCOES A 20.
Vunde-se bramante cotn 10 palmos de
largura para lenges, a 2#, i vara.
PECAS E ALOOltaO A 4|J
Vendem-se pecas de Dtgodfo muito eo-
corpado.i U, o\ t>->Si">Oe 7-v
fnde-se pecas de madapolao enfestado
4b 12 jardas 3,*50O. dito de -2 i jardas ou
Vi witro3 3& 6#, U'OO, 75300, 8.J00O e
DDO.
CHITAS FRANCESAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas para vesti- Cclerinhos econmicos a 8*0 a
toa a 2S0, 30 rs. o covado, ditas escuras! dnzia
talo Bata 360 rs. o covado.
Italia -un i lo Uno SOO rs.
Vende-se clialinparavestidos le senhora
i 800 rs. o covado.
PERCALES A 440 R&. O COVADO.
Veode-se percales muito" (nos para vts-
sos de. senhora a 440 rs. o covado.
Brllhantinas 40 rs.
Teode-se briibaoaas ou mursulioas de
raspara vestidos-de senhoras 4iO rs. o
covado. iazinhas muito finas para vestidos
b seahora 400 rs. e 500 rs. o covado,
. ates de quadrinhos 240 rs. o covado.
BCAOfrFRANCEZ A 360 RS. O COVADO
Vende-se riscado francez para vestido
&asiuhas a *4 rs. o corado.
Vendem se lasinhas para vestido de se-
Mun a 240, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
tmadb, chitas francezas finas a 280 e 320
**. e covado.
Chales de merino *.
Vende-se chales de merm estampados
*0e 20500 cada um, para acabar.
CORTES DE LAS ASERTOS A 23400
Teode-se cortes de 15a para osudos de
atmbora, 2>i00 cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vestios
fe senhora, 720 e 80Ors. o covado, d-
l> de listras 700 e 760 rs. o covado.
Chitas prnssianas 3SO.
Teode-se chitas prnssianas de listras de
res EHiito bonitas a 360 rs. o covado.
CHITAS PARA COBERTA A 320
Vende-se chitas incorpadas para coberta
320 rs.. o covado.
Baloes de O a SO arcos
i s :,
Vende-se baloes de 20 a 30 arcos
f^OO cada um, baloes modernos brancos
de cores 5.
Vende-se colerinbos econmicos a 320
a titta, s se vende assim barato por ter
grande poroo.
CASEMIRAS DE CORES
Vend-se cazemiras de cores para calsa
e palitt 2-? 20 e 3 > o covado.
Algodo enfestado f .$.
Vende-se algod3o enfestado proprio para
lenges e .toalhas, 1, a vara ou 900 rs. o
metro.
BRIM PARA CALCAS A 400 RS. 0
COVADO.
Vende-sc brim para calcas e palitots de
homem e menino 490 e 440 rs. o co-
vado, dito lizo a imitado de ganga a 360
o covado.
Algodo de listras a 800 rs.
o covado
Vende-se algodo do listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 RS.
Vende-se corles de i" brim castor para
caiga de homem, GiO 800 rs. cada um.
CARTEIKA PARA VIAGEM A li.
Vende-se carteiras para viagem 15
cada urna, cobertores de algodo 1(5300
cada um.
Cobertas de chita issoo
Vende se cobertas de chitas de cores a
15800 e 2-1 cada urna.
ALGODO TRANCADO DE EUAS LARGURAS A
I 201).
Vende-se algodo transado de duas lar-
guras, proprios para lenges e toalhas para
mesa, se vende a 15200 o metro.
Manas para grarata O rs.
Vende-se montas para grvala a 200 rs.
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 25600.
Vende-se atoalhado pardo para toalhas
de mesa 25000 a vara, toalhas escuras
15; cada urna. Ra da Imperatriz loja
da Arara i\. 72.
. 45 RA 1IA CADEIA I. 45*
i'*
SOB

-A
A DIRECgAO DO MUITO IIABIL ARTISTA
Launono, alfamte.
I NOVA ESPEMHC
fe-Ra do Queimado-
Queimado 2J
Advertencia!
21
A Nova Esprenla, i ra do
n. 21 tendo em deposito grande quantidat
de iniudezas, e como se approxima o
il/ii/l ll
Os p)pretarios dastnovo estalplecimento, tendo experimentado anecessidade
urgente de tet na direcco de soa oflicina de roupa por medida, um artista perit tem
contratado o-Sr. Lau'iano Jos deBarrispara tal mister, convictos de que safisfara
com todo o capricho a vontade do freguiz.
Tem o mesmo estabelecimento un bom sirtimemto de fizendas proprias para
roupasde homem,como sejam: casimira|ie c6r, indos padrees, completo sortimento de
pannos finos, preto e de cor, casimira peta, grande sortimento de brins brancos e de
cores, merinos de diversas qualklades, bojibazina, lindos cortes de gorgnro para cohete,
gorguro Pekin, superior qualidade.
Os freguezes encontraro anda un variado sortimento de roupa feita, camisas
inglezas, collarinhos, ceroolas, grvalas etas e de phantasia, meias para bomens, se-
nhoras. meninos e meninas, chapeos de^da para sol, colchas, bramante, atoalhado,
baloes de diversas cores e modelos, carabtiias, malas para viagem, e oulros muitos ar-
tigos que a modicidade de seus precus irrita a comprar.
A ra daCadeia n. 45

CONVITE GER4L.
O proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da Impe-
t-n. iili, declara ao respettavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
e desejando diminuir este grande deposito por meio de urna liquidado que fln-
srrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir sbrtir-
v de boas fazendas, e por diminuto preeo, a saber :
no dia 15 ou 20 do corrente, por
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas "francezas largas a 280,
320 e 300 rs. o covado.
ALGODO ENFESTADO TRANCADO A
15000:
Yende-se algodSo enfestado trancado para
feacoes a IfjOOO, dito liso enfestado a 900
Tttetro.
CASSAS FRANCEZASA 240 RS.
Vendem-se cassas francezas para vest-
ate de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
SttDAPOLO ENFESTADO A 35300.
Tendem-se pecas de madapol5o enfes-
ttdo a 35300, dito inglez de 24 jardas ou
metros a 50, 65, 75, 85, 95 e 105, a
cja.
LANZINffAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Tende-se lanzinhas para vestidos de se-
3ban a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
vado.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
2*9)0' e (iiO o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
50 rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 650
HO rs. o covado propria para vestido de
aabora.
SEDAS DECORES A 15
' Vende-se sedas de cores para vestidos de
saliera a 15 o covado.
POncAO DE RETALHOS.
V*nde-se urna porcao de retalbos de cas-
aai, de la e sedas e de outras fazendas
or muito barato preco.
A'elles antes que se acabem.
CUAL Y DE CORES A 800 RS.
Vende-se cbaly de listas de seda a 800 rs.
ovado.
CHALES DE CASSA A 15-
Vende-se chales de cassa a 15, e de me-
ara a 25-
)RTESDELAAA25460RS."
Vodem-se cortes de 15a de listra para
vestidos de senbora a 25400 rs. para aca-
ALGODO A PECA 45000.
Vsnde-se pecas de algodSo a 45, 55, 65
"W a pega. E moitas outras'cousas que
i enfadonbn mencionar.
CHITAS, PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 3i0 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 25500.
Vende-se casemiras de cores a 25500 e^j
35000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 35000.
Vendem-sc chapos de sol de a I pata pre-
ta a 35000. ditos de seda a 105 cada um.
RR1M DE CORES A 400 RS.
Yende-se brim de cores para caigas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
auga. para cal^a a itOrs.
Vendem-se gangas de cores para caiga e
palitots de bomens e meninos a 320 rs. o
covado. v '
MUSSELLNA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA VERDE A 320 RS.
Vende-se tarlatai.a verde e de cores a
320 o metro.
Lengos brancos a 25.
Vende-se lengos brancos a 25 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora a
500 rs.
Ditas de linho fino a 15000, .para aca-
bar.
GRANDE SORTIMENTO
DE IlOLPA FEITA DE TODAS AS QUAMDADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que em outra casa: por
isso os pretendentes podero yir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado. para
BALES DE ARCOS A 15500.
Venden:-so baloes de 20 e 30 arcos a
15500 cada um, ditos modernos a 45-
RIVAL SEH
Ra do Queimado ns. 49 c 57-1-
lojas de miudezaz de Jos tp
Azevedo Mata, est acabaa
com as miudezas de seus estaba
lecimentospor wo queram pri
ciar o que c bom e baratissim*r
Pegas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
15300.25, 35 e.....
Caixas de linfia com 50 novellos
Pares de sapatos de tranga fa-
zenJa nova a......
Pares de sapalos de tpele
(so glandes) a......
Duzias de meias cruas para ho-
mem a........
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo prego melhor 100 attos a
Livros de missoes abreviadas a ,
Duzia de baralhos fraoeezes muito
finos a25400 e....."&W
Silabario portuguez con estam-
pas a ........
Grvalas de cores e pretes muito
finas a ........
Cartes com clcheles de latao
fazenda fina a......
Aboluad uras de vidro par colete
fazenda fin a. .
Caixas com penna d'aco muito
finas a 320, 400, 500 e- .
Cartees de ld Alejandre que
tem 200 jareas a .
Carreteis de fmha Alexan*e de
70 at 200 a .
Caixas com superiores ofcneias
de massa a......
Duzias de guilas para machina
Libras de prege Iranceze di-
_ verso .tamanh*. a. ,. .
Lirres escripturado para rol de
roupa a. ...... .
Talhcres para meninos muito
finos a......,, .. ?5240
Caixas com papel amizade nuito
fino a........
Caas com lOOenvelopes muito
finos a........
Peales volteados para meninas e
sen horas a.......
Thezourae muito finas para
unhas e costaras a. .
Tinteiroscora tinta prela muito
boa a 80 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a......
Pegas de fita branca elstica
muito fina a. .
Novellos de linhacora 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Grozas de botoes de louga muito
finos, a........ 160
LOJA
DO
GALLO VIGILANTE
lina o Crespo u. 9
Os proprietari desle bcni conhficWu estabeltv
cimente, alen do* mio* olijeclos que tinbmn c\-
poslos a apruciacao do respeitavel publico, inan-
danim vir e acabam de recel>er pelo utinio vdw
Grande e completo.sortimento de machinas para
iar algodo de nova invcnraocliegadM ul-
linianiofe em direilura' pin a a" loja de Manuel
liento de Oliveira Rrapa C, na rua Direila mp
-T3. Garante-se (in(" amellior |ualidade que a:
o (resenle lem viudo ao mercado : acliau-se em
t'iu.ii^ao aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos iflo-
i.'rauimos de melhor comprehenso dos que tem
vrdo at o prsenlo, assim como marros de lalao
at meio grammo pelo mesmo systoma, balam.as
de lalo de forra de 6 a o kilogramiiH, metros
de nudera e de latao para medir falenda?, alm
de grande sortimento de mindezas e ferrajrens de
todas as qualidades, ludo por prw?>s que s a vista
faz crdito : na rua Rircha 53, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga i C.
ExtraelmiT larnis.
Este producto alimeittaao para doenles, woi
apropriaoa para enanca,e para as pessoas saas .
iudiiqwnsavel a lodos, purH prinopaliuenle aos
viijnirfcs, qrte terao netfe e recorto de poder
ter alimentacjio de carne fresca incorruptivel, 6
que eon facltdade se aproinaa e se conduz, por-
que u'uio pequeM vofuine carrejase alimentara i
para niurto tom|>o. Sokretuo chauw-se a atln-
eao dos Srs. (te- enRonli que enconlrarao no EX-
TBACTUM CARNJS o recurso de alimentario agr-
davel, bygienica t barata para seus fmulos e seus
doenles.
Este producto fabricado pelo proeesso> do dis-
lini-lo medico l>r. Ubaluba, no lo-Grande- do SuL
que acaba de crear um deposito nesta cidade em
4;MX0
5(0
3,580D
2oao
'4330
soo
$m
1^000
#100
#100
,5040
2*000
mo
#120
#700
#600
por precos
dos, com tanto tpie o folio....
Muito superiores ro^as de pellica, prelas, bran-
cas c de mui lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e punhos pora se-
nhora, neste genero o ojue ha do mais moderno.
Superiores nenies de tartaruga para coques.
Lindos e'riquissimos eneites para caberas das
Exilias, senhoras.
Superiores trancas pretas e de coros com vidri-
Ihos e sem ellos; esta fazenda o que pode ha ver
de melhor e mais bonito.
Superiores o bonitos leques de madreperola,
marlini, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 3030IW
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortintetito de
outras qualidades, entre as quaes algumas mdito
finas.
Boas bengalas de supenor canna da India e
castio de marflm com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desojar ; alm destas temos tambem grande
Jnanlidade de outras qualidades, como sej.un, nia-
eir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos clcotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de t a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de niarflm e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas, e do mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramss stra qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para croxe.
Liuha muito boa de peso, fjouxa, para cnchei
lahvrintho.
lions baralhos de cartas para voltarete, asshn-
eomo os tontos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das raelhores per-
fumaras e dos melhores e mais conhecilos jier-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convutsoes, e
facilitam a denticao das innocentes eriancas. So-
Nas pharmacias dos Srs. :
Manoel Alvos Barbosa, a mesiua rna n. 61.
Joaquim de Almeida Pinto, rna larga do Rosa-
rio n. 10.
Antonio Maria Marques Ferrara, pracaa
Boa-vista n. 91.
N. HAs latas que conten o nttraclv Irazmi
urna guia para seu uso.
COGNAC.
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aflm de que nunca fallem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aqucl-
#320 les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre eneontraro desles verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dwcbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muilo razoaveis aloja do gallo
vigilante, rua do Crespo n. 7.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Risquit Duboucb & C., em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa do Th. Just, rua do
commercio'n. 32.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicago as creangas.
quasi sempre mais atacadas de tao terrive)
e muitas \ezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
KA
Phariuacla e drogara.
DK
Rarthomeu & C.
94Rna Larga do Rosarlo34
#500
320
#163
200
60
2500
Machinas vapor de
forca de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Macbinas de fac3o e serrotes para desca-
rogar algod2o.
Halangas para armazem e balcao.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de Ubit-
Qeld.
Prengas para copiar cartas.
Fogo americano patente.
Cal nova de Lisboa
Vende Joaquim Jos Ramos, rua da Cruz
Boa raca.
Vende-se um casal de barros de raga Andaluz,
excellente para prodcelo : quem pretender e
quizer ve-Ios, queira dirigir-se coeheira con-
fronte a torre do arsenal de marinh, e para tra-
tar no largo do Corpo Santo n. 6,2* andar.
Burras.
Vendem-se duas faeeiras e ensinadas burras
para carro : a tratar na rua do Vigarion. 31.
Agulhas
para machinas de costura de Grover & Baker :
vendem-se na rua da Cadeia do Recife ii. 51, Io
andar, a i i a duzia.
8, Io andar.
Scbonete de edeatro.
Dt
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t2o boa,
acceitago tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas ai
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu 4 C,
34rua larga do Rosario34.
MASSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHI
Preconisados por todos os mdicos comr.i os I
DEKLUXOS, CATHARROS, E TODAS ASl
inillTAQOES DO PE1T0.
X. B. O Xaropc de Cadna que mereci a j
konra, alai bem rara entre os Mcdicamentvi j
nvios, de ser registrado como um dus medica-
mentos oflicina do Imperio Frontil iispenta\
quaiquer e'otjiu.
AVISO. Por causa da reprchensivil fals-I
ficaclo que lem anscitado o feliz resultado do
Xarope e ma.ssa de onUti &.int.ik Toreados ai
tnilirar qucesusmedicauieiilus lajusuuituluj
conecituados s tu
vciuli'iii em rjixin-
tiasi-rnisclevando ^~~^\3~J&Af?l^%'
a assigalura eui /" __rtS_^t'''"
fren le.
b. IUi' des Eculcs, e na l'luimucJa Oolra
de rtanro, 7, lint de Juity, em 'arit, c >.ui
todas u> i ii.'..: i ias iucip.:e do Biaii;.
IIPILULESGpSErvSCAUVIN
HmatU, 19, koalaTira MWiUf!. Pula,
Este precioso Purgativo fetal tao eommodo
coma agridavel o remedio mais infallivel par des-
irair u eoMtiiceea, as CTralajtaa, as mais re-
keldes, assim como a billa e a *1acMUaalea.
Elle eleai as gaHrltla, otMtnaef oca enxa-
ajaMCM, aatUmas. orea, eatarrboa, emplguta,
Mita e rmcainatUBM*.
O aurecimento das pllalaa oaarala pode reaa-
mir-ae aestai patarras : mcaufeeleccr ou oaataer
*ar a Mide.
Bitas lio Maca nem retfiardo aa comida aem
fcebidi;amdoclsuuuatee*eairalla,oaaaetoair
aUaa au lalaacflei: em dote anarfaUTa de ooite ao
aaitar-ae.
Paraaaajiiri MU- awarar et C.
Potassa da Russia
muito superior, chepda ltimamente pela escutfti
"lerna Cathartna: vende-seno armazem deas-
BRIM HAMBRGO A 8000 A PECA. ^1
Vendem-se pegas de brim lizo de Ha^^^Vde Jos da Silva Loyo, Filho & C, no Portal
burgo a 8$, vera a ser mais barato do jW**8"08-______________________________j
algodosinho. a !">* vi*Frm~~
CORTINADOS A i4,^000. i.FMFN
Vende-se cortinados para cama a 140 Vililla.II I V ,
para liquidar. Ditos para janellas a 1&. .. PORTLAND.
Todas estas fa7ndas v vpnrlpm mnitn ende-se no armazem amarello de Vicenta Fer-
oaas estas lazenaas se venaem mmto reira da Costa Fi|h defron,e do ,. da ^
barato na rua da Imperatriz a. 56. cao, em barricas grandes
POS DE ROG
Approvados pela Academia imperial
de medicina de Para
Din frasco do Pa> de Bog, dissolvido
em urna garrafa d'agua, d urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certa, sem causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parte dos outros purgantes. !* <
Ba>g, sio inalleraveis por isso empre-
gam-se fcilmente em viagem.
^^-^ j em RioJiBRO, Duponeheile, Cketolet.
BAZA1 UM VERSAL
o -Rua Nova ao
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por pregos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposigo servigos a electos para almo-
go e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveispara
senhoras, candieiros para sala e cima demesa,
parde e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianga, bergos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balango,
espelhos de todos os tamaitos, molduras
para quadros, gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criangas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e mesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se eneontraro
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a peni ir examinar.
Vinho verde
A' rua do Livramento n. 6 contina Iiaver para
vender por pregos razoaveis, o melhor vinho verde
at hoje viudo a este mercado.
PASTILHAS^ASSICARADAS
DO
DR. PATERSON
De bismnth c magnezla.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digestao, fortificar
estomago etc.
wirosrro especial.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34-------Rua larga # do Rosario------34.
Eap Princeza
DA IMPERIAL FABRICA DE VIFMRA GOMA-
RES COUTO,
DO RIO DE JANEIRO.
Vende-s*este excellente rap no escrip-
torio ae Joaquim Gerardo de Bastos, rua
do Vigario n. 16, i andar.
po em que tem de ser dado*o Iwdanco, fm
isso desde ja previne ao'respeitavel psV
co, que esta resolvida a vender suas mer*
cadorias pelo baratissimo prego, para asa
diminuir s grande quantidde das que
tem: assim pois, venliam os bons (Mfe-
zes, e os que nao forem venham ser fregas-
zes, em tempo lo opportuno quaado
NOVA ESPERANZA convida-os pecbiacka-
rera, pois que para compiw-se caro, nic
falla aonde e a quem...
Elle quer e ella quera
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer sea-
pre primar em nos remetler objectos a
gosto e perfeigo, e ella (loja da Nova Es-
peranza) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de lom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanga rna do Queimado n. .,
alero do grande sortineDio que ja tioba,
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, puleeiras e brincos da
madreperola.
Papel e envelopes bordados e awU-
sados.
Papis ^eprios para enfeHar boMos
bandeija*.
Biincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galloes, franjas e trancas de
seda e de laja, para en/eites de vestidos.
Botoes de todas as cores e moldes norot
par o mesmo fin.
Trangas pretas comvtdrirhos sendo coa
pengeales e sens elles.
Botoes [iretos com vidrilhos com pingeo-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurga e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados ieque de madreperola, mar
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas rua do Queimado n. 21, n
Nova Esperanga.
Collares anodinos ellecro-magnett
eos contra as convulces tas
creangas.
NSo resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ahi intitulados es
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitcs
pas de familias nao creem (comprando-os;
no effeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanga, porm
que detesta a falsilicago principalmente DO
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares,
e garante aos pas de familias, que sao os
verdadeiros de Royer, que a tantas crear-
gas tem salvado do terrivel incommodo ds
convulgSes, assim pois preciso, que ve
nbam a Nova Esperanga a roa do Queimadr
n. 21 comprarem o salva vida, para sens
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
4es do terrivel mal, miando en tao ser d-
fiQcil alcangar-se o effeito desejado, embor
sejam empregados os verdadeiros collares
de Royer.
tA.CRM%
Alegrai-vos myopes, e presbjtas, j po-
dis ver de kmge, j podis ver deperto,
n3o ha mais vistas curtas, nem cangaas.
F. J. German acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortimento de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tai-taruga, marfim,
ago, bfalo, ncar, unicornio e melchior ;
assim como binculos de urna a tres mudan-
gas para theatro, campo e marmita, da ulti-
ma invengSo ; duquezas, vienezas de 6, 8 e
!2vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
MOLE,ST[4.SH0prrro
HYPPHGSPHITOS
doDrHURGHILL
XAROPE de H YPOPHOSPHITQ de SODA
XAROPEdeHYPOPHOSPHITOdeCAL
PILULASdeHYPOPHQSPHITO de QUININO
CHLOROSEANEMIA
CORES PLIDAS
XAROPEdeHYPOPHOSPHITO deFERR
iLULASdeHYPOPHOSPHITDdsWANSAflESIA
TOSSE BRONCfilTIS
DEFLUXOS ASTHMA
PASmiAS PECTORAES-. CHUKCH1LL
Exigir para os xaropm o frasco qnairad t em
todos o produetot a aaalgoatura da D*> CHUH-
CHUJt, e o letreiro com a marca de fabrica da
farmacia IWAim, ruaCasliglione.PRIS
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRA
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronebites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
vemi>e-si:
PHARMACIA *E DROGARA
DI
Bartholomeu & C.
34RUA LARGA DO ROSARIO34
CHARUTOS
Os melhores charutos da exposigo e variedade
de outras qualidades, fines ; encontra-se no betel
Central de Francisco Garrido, ru larga do Rosa-
rio n. 37,1 andar, e rna estrella do Rosario n.
4 A. Vcndem-se-a reUlho e em grosso
l'IMIOIHSIHU
No armazem pintado de verde, sito a roa
do Caes 22 de Novembro n. 30, vende-se
superior madeira de piano da Suecia, com
3 polegadas de grossura, 9 de largura, e
14 ps de comprimento a 35000 cada orna*
taboas de forro a 8d, % e 10,J0OO a duzia
pinho americano de resina 200 rs. o p
Yiiilio Sherry.
o melhor que ha no mercado ; no armazem de J
O. C. Doyle, rua do Commereio n. 48.
Vindesfl breu barato : no armaiem da bola
amarella, no oitio da secretaria de polica.
CIMENTO
Vende-se verdadeiro cimento ; na rua da
Madre de Dos n. 22, armazem,J|| Joao
Martins de Barros,
1
MUTILADO


I *
-
I
b
fcordeiro prevdente
" Ma 4o <|neiiMlo n. t
Novo e rajado tortiBmto do perfuatvias
^H>> e outros pbjectos.
Alm do completo sorlimonto de pcrm-
marias, de que effectivamenle est provida a
oja do Cordeiro Providente, ella acaba de
receber ura outro sorlimento que so torna
ootavel pela variedade de objectos, supapion-
dade, qualidades e commodidades de pre-
sos; assim, pois, o Cordeiro Prevdente I1'']1'
e espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geraL e de sua
boa freguezia em particular, nao se abas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontraio os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. CoudrayA
Dita verdadeira de Murray 4 Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos memores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentricia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservado do
sseio da bocea.
Cosmetiques de superior quadade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos ingleses, americanos e
franoezes em frascos simples e enfeitados.
Esseneja imperial do fino eagradavel chei-
ro de violeta. ____. ,
Outras concentradas e de caeiros igual-
mente finas e agradaveis. .
Oleo philocorae verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior quadade,
com escolbidos cberos, em frascos de dille-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos maito finos em caixinha para barba.
Gaixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de raadeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, mudo propinas para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos,, e de
moldes nevos e elegantes, com p de arroz
e bone^ca.
Especial p de arroz sem composi^o de
ebeiro, e por isso o mais proprio para cran-
fas.
Opiata ingleza e francezapara dentes.
Pos de camphora e outras diferentes
qaaiidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aliada mais coques..
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e algons d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
G0LLINHA3 E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicjlo.
Flvellas e atas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
EM CONTfNUACAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
8(D6Da oa aiai?ai^waiiaia* s
DB
FELIY PERE1RA DA MLYA.
O proprietario deste grande estabelecimento lendo sido o arrematante da
extracta loja denominai\a=JARDIM DAS DAMAS=* ra da Imperatriz n. 36, e nao
Ihe tendo sido possivel, na mesma loja, concluir a liquida^ao da grande quantldade de
fazendas que all exstiam, pelos poucos das que leve at entregar as chaves, vio-se
obrigado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabelecimento, o=PAVO
onde o respeitavel publico encontrar om grande sortimento das melnores fazendas de
linlio, Ida, algodo e seda, que se lhe vender muito mais barato do que em outia
qualquer parte, com o fim de apurar dinheiro, e as pessoas que negociam em pequea
escala, tanto da praca como do- matto, nesta casa poderlo fazer seus sor-tmenlos ern1
pequeas ou grandes porcoes, vendendo-se-lhes pelos precos que se comprara, n s
casas inglezas; assim como as excellentissimas familias podero mandar buscar as amos-
tras de todas as fuiendas, ou mandar-se-ha levar pcloicalxeiros da mesma loja em suas
casas; o csraUerecimenio se acna constantemente aberlo das 6 horas da manilla as &
da noite.
Vinho deg*estivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
das digestSes difliceis e completas, a calmar
as dores gastralgias, e reparar as forcas
produzindo urna assimulaco completa dos
alimentos; sendo mais um excedente tnico.
VEJTDE-SE
PHARMACIA E DR06ARU
DB
Bartholonieu *fc C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
FUNDICAO DOBOWMAN
Riia do Bruta o. 58.
PASSANDO O CHAFARIZ
Tem sempre deposito de tedo o ma sbinlB-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
algodo.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de canna.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido fundido e de
cobre.
Alambiques.
Arados e instrumentos d'agricultura.
Descarofadores d'algodo etc. etc.
Havendo era tudo variedade de tamanho
desde $ menor at o maior que se costu-
ma empregar.___________^^^^^__^
m m (M
Chegoa ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, ora carregamento de gai
de primeira quadade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos prego do que em outra qual
quer parte.
CRTDOS CALLOS.
Pomada galonpean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo d C.
34------Ra larga do Rosario------34.
Mo mais cabellos brancos
A tintura japoneza, para Ungir os cabel-
los di cabeca e da barba, foi a nica admit-
tida Exposifo Universal, por ter sido
conhecida superior todas as preparagSes
at boje existentes, sem alterar a saude.
Vendc-se a i 000 cada frasco na
151-* DA MBJHL i
! ANDAR.
RAP
PAULO CORDEIRO
Vende-se rap Paulo Cordeiro Uno, viajado, meto
grosso o vinagrinho : no deposito cargo de Joao
Francisco da Silva Soare, ra do Vigario n. 11.
Faz-se vanlajens a quem comprar porco, e tro-
c-seo rap que nao sahir do agrado dos consu-
midora*.^^_______
~T COLA
Vende-sc superior cola da Baha : no escriptorio
4o Antonio Luiz de Oliwira Azevedo & C, ra da
Crru n. 57.
Vende-se urna escrava crioula de 15 annos
(k idade, sabe coziuhar, goamar e coser : na
nu do Jfaario n. 5.
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo caifas palitts o coletes de^casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
tid5o vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muito artigos
proprios para horaens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 00, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
.ios dez mil cavados de eassas
francezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. GO urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padroes miudos e grata-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas sao propriamente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e alm dos padroes
seren muito bonitos, s todos Dxos e seria
fazenda para maito mais dinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
Esparthos a :t.SOOO na loja do
PavSo
Vende-se urna grande porco de esparti-
Ihos modernos com o competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 3$ cada um.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1-5800
Chegou para a loja do Pavo, a ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porcao de
p:asde bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com om
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 1|>800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plcac5es para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo prego.
Alpacas brilhantes
a 640 rs. y
Chegaram para a loja do Pavo um ele-
gante sortimento das mais lindas alpacas
brilhantes com as mais delicadas cores, e
com os mais bonitos lavradinhos a mtac2o
de seda, as delicadas cores que existem
oeste bello sorlimento encontra-se o bonito
Bismak, o bello Lyrio, o delicado verde
assim como, perola, roxo, canna, azul caf,
etc. Vende-se esta bella fazenda pelo ba-
ratsimo preco de 610 rs. o covado por se
ter receido em direitura urna grande par-
tida superior a dez mil covados, seno
seria para muito mais dinheiro, isto na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60 de Feliz Pereira da Silva.
POUPELINAS A 500 RS. O COVADO.
Na loja do Pavo, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se um grande sortimento das
l.wlio nnnpalinaa nn I3n7nha trans-
parentes, propnas para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
nitas cores ; padros com ltetrinhas miudi-
nlias, que se vendem pelo barato' preco de
500 rs. o covado, pechincha que se acha
nicamente na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60^
Cortes de vestido do Pavo a
(MtOOO.
Vendem-se hondos cortes de cambraia e
tarlatana, ricamente bordados a la, pelo
baratissimo preco de 6#.
Ditos por estarem um pouco machucados
a 40.
Ditos fimssimos com barras de seda a i:>.
Assim como gs mais modernos cortes de
poil de chvre, com duas saias, sendo fa-
zenda chegada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caixinha com o competente figurino,
a 48#; inissimos crtsde cambraia bran-
ca, ricamen'e bordados, que at podem
servir para noiva, a 25,5000, e outros mu-
tos cortes de differentes fazendas qoe se
liquidam baratas na loja do Pavo.
BALES E SAIAS
Vende-se grande quantidade dos melho-
res balees de arcos a 2#, de panno e mu-
selina por preco barato, assim como gran-
de quantidade de saias bordadas de cor a
40, 5/5 e 6,J, na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60.
ALTA NOVIDADE
EM POCPKU.NAS OU OORGUaAO DE LINHO E
< SEDA.
Pelo ultimo vapor chegou para a loja do
Pavo um elegante sortimento das mais
bellas poupelinas ou gorgures de linho d
seda, com os mais delicados padroes que
se pode imaginar, assim como urna grande
porco de cortes da mesma fazenda, iendo
de todas as cores e garanndo-se que neste
genero nao ba nada mais bonito nem mais
proprio para vestidos, e vende-se por pre-
co muito razoavel na loja de Flix Pereira
da Silva, ra da Imperatriz n. 60.
CELEZIAS
PANNO DE LINIIO
ATOALHADO
Vendem-se as mais finas celezias de linho
com 25 varas cada peca, sendo mais finas
anda que os mais liaos esguioes que tm
vindo ao mercado, a 450, 55#, 600000 e
700000, tambem se vende em varas as
mesmas celezias, sendo preciso; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lences
com perto de 4 palmos de largura a 700,
800 e 10000 a vara, sendo em peca tam-
bem se faz alguma equidade ; bramantes
para lences com 10 palmos de largura a
10800 e 20500 o metro, e de linho muito
superior a 30200 e 30500.
Atoalbado adamascado com 8 palmos de
largura a 20400, 30 e 30500 o metro, e
outras muitas fazendas brancas que se ven-
dem muito mais barato do que em outra
qualquer parte, com o fim nico de apurar
dinheiro.
CHITAS
MADAPOLO
ALGODOSINHO
Vendem-se superiores chitas escuras e
claras pelo barato preco de 280, 320 e 360
rs. F as percallas a 320 c 360 rs.
Pecas de algodosinho de todas as lar-
guras e qualidades. Pecas de madapolo
dos mais baratos at os mais tinos; assim
como, supenor'algodosinho enfestado para
lences, toalhas, tanto liso como trancado;
todas etlas fazendas se vendem mais barato
do que era outra qualquer parte, para apu-
rar dinheiro.
PECHINCHA DO PAVO PARA ESCRAVOS
A 200 RS.
Vende-se urna grande porco de esta-
menha mesclada,< propria para vestidos de
escravas, camisas e calcas para mofeques,
sendo urna fazenda escura trancada e muito
encorpada, pelo batato preco de 200 rs.
o covado, fazenda que sempre se vendeu
por muito mais dinheiro.
ROUPA
EM LIQUIDAQO NA LOJA DO PAVO
Vendase urna-grande porco de roupas
para homens, sendo grande quantidade de
calcas de brim, castor, casemira e meia
casemira, de todos os precos e cores. Pa-
litts de alpaca, brim, casemira, meia ca-
simira e panno fino. Golletes de todas as
qualidades. Camisas de linh i e algodo.
Ceroulas e outros muitos artigos, por prego'
muito em conla.

JW-PWW SORTIMENTO
Agua-florida de Guis
lain
Tintura indelevel paratingr os cabellos,
m manchar a pelle.
A bem conceituada agua-florida de Guis-
lain que ento era desconheeida em Per-
oambuco, j boje estimada e procurada
pw seu eflicaz resultado, e anda mais se-
r, quando a noticia de seu bom effeito e a
periencia i tornar de todos conhecida.
! A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoffensivos, tem a
(B-opriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, e Ibes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de emblanquecer, sem
ser prejudicial de modo algum.
E' porm necessario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
, nao instantneo, como muitas pes-
oas tal vez supponbam, mais sim ser pre-
ciso fezer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
logo se obter o fim desejado, como bem
arovam lestemunhos de pessoas insuspei-
as, e d'entlo por diante, basta usa-la duas
rezes por mez, coatando sempre com o bom
ixko, podendo a experiencia ser feita em
outra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
ia na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ra do Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
fo de sua boa freguezia, tambera capricha
em nao Ih'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
j honram, e em prova ao que fica dito, d
como exemplo o explendido sortimento
que acaba de receber, anda mesmo achan-
do-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sio de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
e oraco, obras de apurado gosto e perfei-
Co, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
bonitos'.
Ditos com ditas de velludo, outro3 im
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guaruico, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
i
Assim como.
Grande e bello sortimento de leques
toJos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc. etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezeeenfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente do borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torcal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para bomens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra d(
muito gosto.
Entre-meios fines tapados e transparen-
tes com delicados bordados o proprios
para en liar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases .ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas de vidro enfeitadas
com pedias, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albons com msica.
Pinses ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama,-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonita
Os abaiso asignados, proprietarios cam
estabelecimento, declarara ao rcspeitndl
publico e com especlaltdade a seos >
Sos fregantes, que desta data em diantes*
mercaduras sero vendidas a presta, -
mdico. Isto r. solvcram os mesmo -
prictarios em consequencia de reteaite
pedidos de muitas pessoas por ser esfc f-
tema de vender o qoe mais garanta e oa-
flanea inspira ao comprador.
As rendas em grosso, sero feita cafe
os'abatimentos na razo wgninle:
Compras de 300 a 1000 descont 5^"*
de 1004 a 500*5 *T
deo()0> para cimr tS^*
Pagamento realisado no mesmo mez 4*.
compra.
Os proprietarios do BAZM! DA MOB4.
observam mais sfee. recebende todas m
mercadorias de conla propria, offeree a
quem comprar todas as vantajosascomlil
da casas importadora*.
0 estabeldrimento consena-se aberta
todos os dias uteis das 6 horas da
s'8 horas da noite.
RccitV, 1 de Agosto de 18G3.
Jos de Soma Soairs CHEGEM
OIWTES DO BARATO
que est finalisando a liquidaco da ra do
Crespo n. 17 de Antunes Guimares & C.
Gountw* bowkdM para senhoras, lencos de labyrinto, fronhas. bicos e rendas da
trra, cortes de tarlatana bordados para casamentos, cortes de vestidos de cambraas
bordados, alpacas de cores lisas e do listras, precalas ainda de bonitos gostos, casaqui-
nbos de casemria para senhoras, saias bordadas e baloes de todas as qualidades etc.
fra da iiquidatfo
Bicos cortes de vestido de blond, recebidos pelo ultimo vapor.
Pompolinas de gostos espeeiaes, que muito agradam.
Gorgores lisos do cores para vestidos, fazenda ltimamente chegada.
Colxas de seda de todas as cores.
Chitas afostuadas fazenda nova no mercado.
Ricos chapeos de palla para senhoras e chapellinas de novo gesto.
Esteiras da India proprias para forrar salas e quarlos.
Bons e bonitos tapetes de todos os tamanhos.
Tapetes avelludados para covados: e outros muitas fazendas -ue so vista se
a realidade do barateiro.
ElECTRIQUE
ROYER
VERITABLES
"eSt Martn
'JR VBSERVATIF..' ^ U_
ANNEAl)
LECTRIQE
1 .ROYEfi '

Castmiras da moda
NA
LOJA DO PATIO
Chegou pelo ultimo vapor francez, uml
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas easemiras para cal-1
Cas, paletots e coletes, tendo lisas, com lis-
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os precos, e aflanca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-'
te, assim como das mesmas se manda, fa-
zer qualquer peca de obra, a vonude do;
iregtfez, para o que tem ura bom alfaite.
Aos quinhentos palitts
a 18 e20#000. >
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porpo de pa-
litts sobrecasacados, e propriamente so-
brecasacos de panno preto, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de 183, sendo forrados de alpaca, e de
203 forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter fetto urna grande compra, seria
liara muito mais dinheiro, porm liquida-se
esla pechincha pelos precos cima.
tortiuados
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 123000 rs. cada par at 253000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Fefix
Pereira da Silva.
AS CAMBRAAS DO PAVO
Vendem-se finissimas peeaa de cambraas
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 53000 at 403000 a peca, assim
como inissimos organdys branco Uso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a I000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
* ?
Os Terdadciros COLLARES ROTEB, os nicos approvados pela
i Academia de Medicina, tem assim como os meos outros productos
attrahido a cupidei dos falsificadores, que para facilitar sua criminla
industria nao se pjad, nemreceiao annunciar vender fal-os Colxahei
com Me nona. En previno as familias para interesse de seus filhos
que, para evitar falsilicacoes, deven exigir, que meus Collares Ibes
sejao rendidos em caixas de tambas de encaixe e corredias cocerlas
por i etliquetas com a amiba marca de fabrica e encerrando nm
prospecto circunstanciado, e selladas por urna medalha com o lettreiro.
COLLAR ROYER, Re St-Iartin, 225. Pars.
INJECTION BRO
. J*.2le* ''u";' T^rl, jboluuii>io i uuica que cura wm DCDbum ddiiito. V.cdct
iTFnn
MENQAO DE BONRA
Vende-se em frasco
BE FIGADOS FRESCOS DE BACALHO fr< "-
lares, pharroacla Hoce,
2, ra de Casiiglione,
em Pars.
As conlrafnrrooa, os leo par.lo*, d'mu choiro fono, c mais coniposi<;8e* feitas com leos
de pei\es rouununa, taes como o esyNa.'o, a arrala, o phoca, a lixa, os oleo dot tm.artortt prscatlorct,
e mesmo u< teos vegrleet, foram maginados para substituir os verdadeiro* oleo* de ftgjido*
freaeo* de Unenlho de Terr.-vA'ota. Bstea oleo* coimnuiis ou seos sucerdaBroa to
ohdos na industria por precos mu baixos, em quanto que os verdadeiros leos de ligado de bacalh&o
fresco sao cl.uivmenle muito caro, visto me para obtel-os fnscut e sem mistura, cumpre exercer
grande vigilancia e ter os maiores cuidados nos proprios bisares das pesca, assim como manda fazer
M. Ilogg dosde O anno de I8j9. Estes leo puro* de Baenlba* d* T granci-aram para este precioso medicamento urna fama universal as molestias do peito, as e/ftifies
escrofulosase lumphaltcas, a mgica dos meninos,etc.,e por isso.dcram lugar a nocivas e aesleaas
imiucAes.
Sola. O oleo de noyg mu i fcil de digpak, distinguc-se entre os outros leos pela sus
cor de palha, o seo ebeiro suave e delicado, e se* pp*) de sardinlia fresca.
O RELATORIO favoravel do ebefe dos trabalhos chjmdco da PACULDADE DE MEDICINA DE
PAK1S concJue con* aegiie: O oteo cor de palha do V. Hogg conten urna ter(a parto de svria-
elpio* steOoa mal do que o* leos paraos t tuto aprsenla algum dot inconveniente! que se
revara n'estet, cuanto ao choiro o labor.
yVesde-ie esa lodau ata psutnvaeia* ais Frausoat e data stalae* eatrangeiro*. J
Para o armazem do Campos, na na *.
Imperador n. 28.
Nefe amito acreditado estabeledintia*
acba se constantemente um variado sorti-
mento de. gneros linos para asea c
cosnba tv entre estes tiomea-se apena* a>
especialidades seguintes:
(jiteijos do serlo sendo de manteiga >
coallia.
Camaroes seceos do Maranbo.
0 verdadeiro cale de .Moka,
0 superior e bem coubecido peixe miragiud
que se vende a lO a libra e 4 500 a
arroba.
TABELLAS
de redueco as mais iaceis e mais coiaV-
preltensivc., ludo ao
Armazem do Campos
folhTde-
FLANDRES
da fabrica Derwnnt ?:i|000 I C ou 2ia00
tida : na ra da Cadw n. 1.
Vende-se uina s-naria circulares con c9*
sorras de diversos tau.....Iius, movida por maneta:
vcrttlc-se junto ou soparjda : no larga do Pasaua
ti. 10
ESCRAVOS FGIDOS.
Escravo fgido
Fugio em 23 de Janeiro 1809, o escra-
vo Matlieus, de meia idade, cor prela, faMa
grossa, bexigoso, tem pelas costas clcat-
zes de bacaltto, tem urna verruga no asm
do nariz, os ps foveiros, corpo regular 4-
nba sido do ll!m. Sr, Agoslinlio Leocad
Vieira, em Panellas de Miranda, que ha
poucos mezes de l veio fgido ; pede-se
as autoridades e capites de campo de
pegar e trazerem a seu scnbor Jos Car-
dozo de S. na ra da Lingota no Ree*fr
n. 2 ; e o mesmo protesta contra qualfaer
pessoa (|iio o tenha acontado e gratfica-t*
com 10()t)00 a quma o pegar. Con&U.
andar pelas mattas de Olinda.
AVISO
As autoridades policiaes ea
quem competir.
No dia 29 de maio do corrente anno a-
gio o escravo Esequiel, crioulo de .'10 31
annos de idade, estatura regular, reforcada
cor bem preta, cabeca redonda, trajava ca-
misa azul e calca de casemira cinzenta.; da-
rante b dia cosluma andar ganhando a
ra-, ou em armazens de assucar ou nat
tabernas a conversar e a beber ; durante a
noite recolhe-se a tedenos abertos ou ptv
netraveis, a casas em construego e a oa-
tros quaesquer lugares onde se possa abri-
gar : quem o apprehender tenha a bondad*
de o conduzir ra da Aurora n. 20, onde
ser gratificado.
Fugio no dia 18 de julho. o esetavo E-
genio, preto crioulo, de idade do 50 annos
pouco mais ou menos, osa de bigode tor-
cido e barba cernida, j mesclada, um tanta
calvo, altura regular, magro, pernas finas,
suppoe-se andar pelas bandas do Affogada
at os Prazeres ; quem o pegar leve-oaru
do Trapiche no Hotel do Universo n. 2 qat
ser generosamente gratiQcado.
Fugio no dia 0 do corrente mez de
engenho Sant'Anna da comarca do Porte
Calvo, o cabra Wenceslau, eslalora regu-
lar, de 22 annos pouco mais ou meaoe,
sem barba, cabellos preto, e bem tar*'
pinhados, foi comprado na cidade do Be'
cife, para onde veio da provincia da Pa-
rahyha; e bem assim o escravo Mano**
crioulo, de 22 annos. estatura regalar,
tem um dente quebrado no queixo superior,
bem preto; quem os apprehender levo a
casa do negociante Joaquim Rodrigues Ta-
vares de Mello, no Recife, oo no referid
entrenho aue ser bem recompensado.
Fugio iln engeuho Todos us Santos da vita
de fpojiira o escravo tonealo, repiesenta lar
annos de idade, pouro mais ou menos, cor vttr-
nielha, alto, groaso, oilMS peiiuenus, sem um**,
os ps radiando, fot escravo da Sra. D. SertfMa*%a
Mara do Livramento da villa de Serinhaew, sisa-
poe-se estar acolitado, pois no outro diadaeomm
fugio o esteve na villa de Serinhaem, o que tte
j protesta o abano assignado, e pede- e s uta-
ridades policiaes ou capites de campo a captan
do mesmo e entregar no mesmo engenho ao ataa-
xo assignado. ou na ra da Moeda n. fi. 2* ndase
escriptorio de Manoel Alvos Ferreira 4 C, M
ser generosamente recompensado.
Miguel Paulino Tolentino Peres Faka.
Fugio no dia 3 de agosto, o escrava
de nome Constancio, caba alto, poaca
barba, olhos grandes, com urna belide *4*
olbo esquerdo, cara bexigosa, ps tortee-;
roga-se a quem o capturar que leve-e a
ra Nova loja do Amida Irmo, que sera
gratificado.
Ilinm
MUTILADO
1


ISSWSSk SER
y i- .
CMARA DOS SBS. DEPTADS
SESRAO EM 13 DE JULHO.
PMUBBN6IA DO Sil. NKB1AS.
(Continuaco)
A cmara v a grande dilTerenca que va
entre 12,500 para 75,000, de que j dedu-
zi muitos iudividuos para as isencoes. O
OH laucado |>i>puagao com o .systema
assim explicado um onus mnimo o me-
nor que se poderia desejar.
Mas anda peco licenca cmara para d-
Mtvilie que nio a 5* parte (]ue se exige
animalmente, menos, pur<|ue teremos de
dediiir los contingentes nocessarios em
6ada anno, os voluntarios, e anda mas de
subtrahir o numera dos alumnos dos dep-
sitos de inJlruccao que sao chamados para
e exercito.
Ora, este numero e aquello oulro dos
vuloatarios nao pode ser raeaor de 700 a
804) horneas ; e pois o cont rigente aunual,
para os 12,430 hornees de que falle, ll-
oara reduzido a .1,820 maucabos, os quaes

wmmmmmmmm
7n;a letra 10 de
Agesto
de 1869.
segundo as disposices do projeclo. devem em pratca.
o .projecto V. o Sr. cundo-d'Eu.
0 projeclo de 1868 d as seguales isen-
c5es: 1 defeilo physic : H h'Nrto. A
nobre commisso nio admittio esta excep-
Co. Nesta parla eu a acompaoho. (Apota*
dos.) .Nao me parece que hija degradaei
para o exercito na WSflo de libertos
(apoiados), quando Bid o forera para ase
eleito smeuie, guando ostiverem compre-
hendidos nos respSp.s alislamen
A 3* excepco a do filho, genro, etc.
A commisso nio wnsiguou claramente
esta excepco na cxleusan om que se acha
no outro projecto. Entenio qua poderir
faze-losem prejuizo.
Excepta tambem o projeclo de 18* 4
estudante das faculdades ou academias, e
os internos de seminarios ou collegios p-
blicos.
Estos duasexce
uobre commisso'
A commissio da anno passado nao ad-
raittia a exoneracao pecuniaria, que eu ji
disse, me parece que nao se deve recusar
as actuaes circumstancias.
Vejamos agora quaes so na legislacie
das outras nacoes as isencoes que se acham
PTUra^aasems, mas naquella occasio
pude- ba^eseayqWer o men pensa*
me i Ilustre
esta, po
illes que
sen tempo de ser*
a respeito das
rimeira e subsi
egoio porqwr naj harto ite gloria peto sangro qne vcrteti no-,
me
servir as arma nicamente cinco annos.
isto um tempo menor do que aquelle que
actualmente servemos proprios voluntarios;
posto que baja necessidade de snjeita-los
por mas algmn lempo evenlualkladeda
obrjgacio do servido das armas, conservando
porm, esses qua sahirem do exercito de-
pon de completado o seu lempo de serviro
romo licenciados, massujertosa sereunirem
aos seus corps, a tomaren de novo o ser-
vico militar em dous casos nicamente ; no
caso de guerra externa, ou no caso de
guerra interna.
Tendo ex posto a principal fefae do art.
i que se discule, eu repito o raen pe-
dido de licenf i cmara para descer ao
assumplo das isencoes de que trata o mes-
mo artigo.
Essas isencoes me parecem do summa
importancia ; e neste ponto que mais di-
vergen) as opiniees.
Primeiramente parece que as isencoes
que nao sao impostas pela- natureza, como
as de defeitos physicos, prejudicam a igual-
dade que deve h iver iva prestaco do ser-
vico das armas; mas no meu entender esta
difflouldade nao ser de grande valor.
.No meu entender a igualdade consisto
em que cada um preste ao seu paiz o ser-
vido que mais se compadece com o interes-
se do me-mo paiz.
Se o interesse m-litar de grande im-
portancia, os interesses das outras classes
da sociedade nao lem menos valia: devem
por consequencia sustentar-se mutuamente.
Aquelles que sao necessarios ao servico
dos diversos ramos de industria, aquelles
que se devem indicar a urna das principaes
conveniencias de um paiz, instroccao,
aquelles que se forem chamados ao servico
do exercito prejudiciriam gravemente a seus
pais valetudinarios, a suas mais viuvas, a
seus irmios orphios, a quem prestara ali-
mentos, sendo alias lio nteis ao Estado co-
mo esses outros que vo exercer a profis-
si i das armas. (Apoiados.)
Nio muito, porlanlo, que sejam cha-
mados ao servico militar os que nao se
a:liam em taes circumstancias. Tambem a
dispensa deve compreliender as pessoas que
se dedicam ao servido do culto, sem com
ludo alargar-se portal naneira esta isencio
que venha a ser occasio para abusos..
Com excepeo da legislarlo da Prussia e
da Austria, assim como de outros palzes
allomaos, as isencoes actualmente compre-
hendem as classes cojos interesses acabei de
indicar. Quanto ;i da Franra,_ al 1832,
era mais liberal a respeito de isencoes :
ltimamente, pela tai de 1868, restringi
um pouco essas mesmas isencoes. A' vista
dos clculos que ha pouco Uve a honra de
offerecer con>iileracao desta augusta c-
mara, pens que entre nos se pode adoptar
urna escala de isen$8s com largueza maior
que a permittida na lei franceza de 4832.
A Ilustro commisso, no artigo que es-
tamos diseutindo. ex<-foa a mor parte dos-
sas isencoes. -iHo as mesmas ou qnasi as
mesraas que se adiara no projeclo apresen-
tado o anno passado, e que tambem se lem
no da commisso militar presidida peloSr.
conde d'Eu. Pero nesla occasio aos hon-
rados depntados que quizerem tomar parte
na diseussao que offerec,ao tambera, "aquel-
las que porventure occorram de maueira
(jue se torne a lei em sua execuco a mais
suave possivel. (Apoiados.) Nao oulro
o desejo do governo.
Alas essa largueza de isencoes nao deve
ir ao ponto de prejudicar, em tempo de paz
ou de guerra, os contingentes necessarios
para occorrer-se ao servico.
Alm das isencoes de que tratei, o pro-
jeclo tambem ollerece dous meios de sentar
a qualquer do servico militar. O primeiro
o da ptestaglo de urna quatilia que fr
marcada na lei do ore-amento, e que ser
arrecadada na caixa militar para melhora-
raento do sold do exercito e para premio
de voluntarios.
Tem sido muito contestada em todos os
lempos esta especie de isencoes, porque
parece que somenle pode aproveitar ao rico ;
mas como se acha em nossos costumes, e
nao tem prejudicado em grave escala ao
servido do recrutamento, como nao deve
ser electiva em tempo de guerra, em que
o dinheiro serve muilo, certo, pois o
seu ervo principal, mas emfue oshomens
sao de mator necessiiade, essa isenco nao
te inconvenientes.
Deve prevalecer, e pode ser effectiva em
tempo de guerra a outra isenco que o
projeclo con-igna, pois que nen&um prejui-
zo far aos contingentes extraordinarios.'-
Esse meio a suhslitui?o do hornera pelo
homem. qjUv Ido admiltido deve nao
ter j nenhuma obrigaco do servico militar.
O exjrcitopor nenhiuui inaneira solre.
Assim, ao passo quo nao trar inconve-
niente para o exercito, haver vantagem
para o individuo que por qnaesquer moti-
vos nn puder prestar-se ao servico militar,
nem em tempo de paz, uem em tempo de
guerra. Esta substituicao admiliida no
projeclo que se discuto. No oulro a que
me referi nao se faz differenca: com tanto
que seja apto, nio exige outras condicoes.
O projeclo do anno pnswlo nao admilte a
substituicao seno em certa classe do pren-
les.
Eu adopto a opinio da illustre commis-
so. (Apoiados.) A substituicao deve en-
tender-se a qualquer individuo apropriado
ao servico militar. (Apoiados.)
Resumirei as isencoes que se acham no
projecto do anno pateado, e as que propoem
Na lei franceza orna deltas o defeilo ph)v
sico ou a enfermidade : essa temos nos. A
iseucaodo filho mais vetlio, orpho de pai
ou o filho nico ou neto mais velbo de
viuva, oa de pai ceg de 70 annos. Outra
isenco aceitavel da le franceza a do mais
velbo dos dous fillios chamados a fazer parte
da mesmo contingente e designados pela
sorie
Lu desejava que no nosso caso tambem
esta isenco da lei franceza fosse adoptada,
porque quando urna familia tem qualro mo-
cos capazes de servir no exercito. de cada
dous pode ser sent um, sm mais otitro
motivo, para nao recahir o peso do recru-
tamento somente sobre certas familias e li-
carem outras livres desse onus.
Por issa peco a illuse commisso que
se sirva consignar esta isencao da lu fraa-
ceza, que me arece adoptavel.
O Sh. Theodoro da Silva : Apoiado.
O Sr. Mimstiio da cuiuiA : Tamboai
a lei franceza stnta aquoile que liver um
irmo no exreilo. Eu creio que a inten-
Cao da nobre commissio nao rejeitar esta
isencao ; alguina cousa vejo no projecto
que me parece reconbecer a necessidade de
se adoptar tambem esta isenco como a ad-
mitie o projecto da commisso militar pre-
ic. de ter, quasi
connejidade de mah
STratar (Lu^jerva, quandi
esta enHdyc*ao nao trata
**: esfou, pois, fra da or-
(M u i tos
nio pode
tss* i sai
t^nr.
O Sr. Presidemk :A discussio do arL
1" sempre um pouco mais lata.
OSiu Ajutijo da Guerra :-|'assara
foram Idopladis pe|* agora a *fap aminJiaiopiRiiosObfe as emen-
sidida pelo Sr. conde d'Eu.
Mais tarde, quando se discutir o artigo a
respeito do sorleio, terei de eraittiro meu
juizo sobre a maneira porque deve ser fe-
io. Parece-me que agora est so em dis-
eussao o lc artigo, e eu nao devo descer a
fazer ponderacoes a respeito do 2B nem
Pens que, em geral, a mxima parle ou
quasi todas as ideas comidas no projeclo da
commisso militar devem ter cabimento no
projecto de que se trata.
(Juando tivea honra de ser ouvidapelo*-
Ulustres membros da commisso especial
nomeada para tratar desto assumplo, pon-
dere, aos nobres deputados que a nica
diihculdade que eu achava para a adei^ao
desse projecto da commisso militar era a
muitiplicidade de artigos que continha, e
que, no meu entender, basiava resumir em
iros ou quatro toda a materia desse projec-
lo, para.que pudesse elle ser absentado
consideraco desta augusta cmara. Foi
este o meu pensameulo.
Havia, porm, urna divergencia do projec-
to da eommmao m.iitar. ,.....'-^ -
Uve a honra de assigna-Ias aos nobres e
dignos membros da Ilustre commisso : foi
a respeito das reservas.
O Sa. Thkodouo da Silva : Apoiado.
O Su. .Ministro da guerra : Nao trata
o projecto a que me tenho ltimamente re-
ferido desse importantissimo ramo do ser-
viC" militar ; entretanto todos conhecem
que para existirem pequeos exercitos
necessario ter as maiores reservas.
O Sr. Theodoro da Silva : Sem maior
onus ao Estado.
O Sr. Ministro
que quasi axioma
grande reserva.
O Sr. Theodoro da Silva : Apoiado.
O Sr. Ministro da Guerra : A Frauca
como V. Exc. sabe, tem 400,000 homens de
reserva activa e, alm disto, a chamada
guarda nacional movel, que a segunda
reserva, isto hoje o exercito francez se
eleva de repente em tempo de guerra, ao
enorme algarismo de 1,200,000 soldados.
Entretanto o projecto da Ilustre commis-
so milmr nao trata deste objecto e nao
trati talvez com receio de parecer oneroso o
servico que pode pertencer a essa reserva.
Eu disse aos nobres membros da com-
misso que me pareca necessario comecar
afazeralguma cousa a este rspeiio, que
precisavaraos iniciar qualquer medida sobre
o estabelecimenlo da reserva.
Nao me conservo, confesso, na-opiniao
queentoemitli na presenca dos honrados
deputados, tenho-me restringido a menos
do que disse entao; hoje pens que-com
effeito nao se pode formar a reserva ira
pele systema francez, pens que a
Pelo que eu du^^r. presidenre, j se
v que adopto a emenda do nobre depu
tado pe provincia de Pemambiioo, pare-
ce que ella contera algumas das ideas,
tabre mais bamexpoatw, exportas /com
mais Iwcidei e mefcor amnjo do q\u e o
Mi Adopta, portanto, esta emenda, aflho
que ella devo sor incorporada DoipfO)to
para serdepois coordenada devidameie.
Tambem adopto estas meada** (Conti-
na a ler.)
Nao me opponho a isto> poeq* o p*-
saraenio na verdade qoe estf* estadales
miemos dos colegios pobleos-ao sejam
somenle os subsidiados pelo governo geral,
podem ser comprehendidos ianbetn ao dos
collegios das provincias, se-as pcavvac'ws os
;tiverera creado.
Ha urna emendo a que ou- tambera nio
dnviilo sutwcrever, e asegninte:
pilavras qne nunca solreram repnovj^
Cao sublituam-se pelas seguintt-s-assi-
duidade e a|>nvetami;nU>' nos Sews esto-
dos. Nao duvido aceitar esta emeadl,
[oslo que rae pareca um pouco perigosi;
ew desojara antes que, (ni vez d-assi-
duidade e aproveilamenlo nos estudos,
se dissessoaquelles que nSosoffraraniiais
da urna reprovapo.porque qualqaer es-
tudante naturalmente pode soffrer amare-
provogo, alias- sendo muTo aplicado, e
por isso s nao deve perder a isencSo; rae
breraenle em defesa da patria '
apoiados, muitoijem;. a gloria
ser a ignominia, apoiados).
Fe.ias, Sr praademe,- asti*otearvaes,
en rare. no-**,"" do-pM|eA que ae dt-
cule. Que pmpOe a coi0? Seu
systema, se Bem o oraprehTnlJ este
alistados mancebos de certa idade, recol
do^saaa nonwe a umi ama, sof^m
pai)mpreBi o exercito em que serven
nosemcoact.voporcocoanaos; era ama
resen-. quatro, e aiirfa em outra subsidia-
ria seis. E a cojseripct.
Em que ordern de ideas mnda-se o svs--
tema que a commisso apreseotou.aaita
^hII11^0 (uo ^ P veirr-discos^ !f-te.ftft 'wvHu in-
dicar seno duas consderacoe*: o ex m-
mos-lhes o peso.
Paraqueosexemplos possara ser invo-
cados cufcpre (piense atienda, devidami
ao lempo ao espaco e ao homemrern u
t.veram lugar; onde e por que motivo nas-
ceu e.-raaaieufcsa a conjcriacao ?
flompeodo a revolucaa franceza, sabe-o
aicamara. essa grande revolu?3o que abaloo
lodaa Europa, Europa, por cousa* que
nao vem a proposito averiguar, arremecou-
seconira a Franca. A Franca oppoz-se
Europa chamando todo o jkivo s armas.
Translwrdaiido de populaco, a Enropa
mal conm-se nos limites acanliados que
a aporta.
Filho da guerra, respirando a guerra, in-
telligente, vido de mudancas, de melhora-
inentos, o europeo esia divid.lo em nacio-
nalidde, verdadeiros acampamentos, ar-
mados, pristes a despedacarem-se a cada
momento. eitando-nos tranquillos, po-
'leraos acordar a estampido d-s c-inhoes
As Me qualro ou cinco niillics de europios
que vcm a seus campos de batallia para
salisfazer seus rancores concentrados, seus
interesses inconciliaveis, suas ambicoes im-
placaveis, suas contendas inlerrainaveis.
Efe como se explica a conscripcao, organi-.
saeo eacrgica e poderosa da forr,a publica
na Europa. Que tem tudo isto de com-
mum com o Brasil ?
O Brasil, sbelo a cmara, nao tem a ne-
cessidade desesperada da defesa que o
obrigue a sacrificios sobre-humanos. Ao
Carada honnm? Despre:
que a constituico consagra !
Sr. presidente, quando o espirito hum
mwse entrega aae^ranma nada escapa-
seis talbos aceiMKlos. Nos p^deriamos pas.
* pela mauna lei, senda talidos de ad-
*gadoa. ipaa atoa aqu parolar, divertir-
mo-nos era buscar empregos para nos ou
elles^que nos elegeram.
' de coatestar os virios do re
oto mas, em homenagera jnslica
aunpae racenJiecer que o mal esl mais na
e.xeccad da le, do que na propria lei.
(Apoiados.)
Meus senhores, a sociedade anliga que
assim qualiflco a que procedeu a coasli-
tiiiCOt tinha um defeilo que nio podemos
negar, a classe alia tomava parte nos governos de
Estado. Haje arta direito estendeu-se a todo
o poo.
Ms, afora este defeilo, as leis cram sa-
bias.e lendiaiaaoJiaai publica. Peco para
o passado respeito e honra, para que nos,
que un dia seremos passado, sejamos tam-
bem jntgados oom respeito a honra.
Mas qual o systema que vigora entre
nos para a composicio do exercito ? Est
elle consagrado as instruccSes de 10 do
julho de 1822 e legislaco subseqoente, que
assentam am principios sabios. Sua base
essencial o aHstamento voluntario.
E' osle o principio, o ideal para o qual
(levemos marchar eternamente. Governo
e particulares, erapreguemos lodos os nos-
sos esforcas para que a populacao volunta-
riamente saUifaga os servicos pessoaes, o
imposto de sangue para a defesa do estado
a que est obrigada.
E' elle insulliciente ? Appareca ento a
leva forcada, nico meio de compor a forca
publica. uma necessidade dolorosa :
mas indispensarel para a rnantenco da
ordem social,
Estabelecida a base fundamental do alis-
tamento voluntario, as instruccoes de 10 de
julho consagravam numerosas isencoes, a
bem de todos os interesses legtimos; no
iuleresse da familia, da humanidade, da
sciencia, da religio, da lavoura, do com-
mercio, da industria.
, mas do
*BIaN(MaMi-Nte hasalltoo sem
aliaismenlo. A quesiu dmmuT
O Sr. Araujo Lima :-| mostran-
do mcorreccSorredacco.
Dir anda pmbaiissao Uiam-se
os que tiverem defeito phvsi.-o oa enfer-
midade que os excluam de toda e qualquer
servico militar. Estas eipressoes todo r
qualquer seroifo militar prestrm-se a dovi-
das.
nem pode ser que se entenda que um
aleijado n3o est sent de todo e qualquer
servico mililar.
Na legislacSo franceza, de que a nossa
copia, se encontrara melhor redacSo.
Sr. J^eira :A nossa missio nio
era traduzir.
O Sr. Abaujo Lima : Traduzida a lei
rranceza, ou apresentada mesmo em fran-
cez, a obra seria mais perfeita.
A commiss?o omittio defeito moral.
Isenta sto ou nao do servico do exercito
e armada?
OSr. Jnqiira:-Esto comprenendi-
das entre.os que sollrem enfermidadas.
O Sn. Aracto Lima:Sao cousas diver-
sas. Em taes materias toda a ehJreta
pouca; ao passo que a redacc-So da commis-
sio a cada passo Offcrece duvidas. (Aooia-
d s.)
0 8 2" diz: o filho, o geuro, ou neto
de mulher viuva e pobre, que the sirva ef-
fectivamente nhia resida. Quando fftrem mohos fHuos,
muitos gencos, naitoa netos, a quat dalles
tocar a isenco ? Na lei franceza acharia
a commissio sol vida a duvlda a favor do
primognito.
modo. Como a lustre commissio deseja
parece-:ne muito severa: anda os melho-
da Guerra : Tanto,
pequeo exercito,
rrs cstudantes soffrem multas vezes repro-
vaco, principalmente nestes collegios de
instruccio secnndaria.
Ao mesmo | n. 0-e aos ministros de
outras regioes. Eu tambem subscrevo a
esta emenda. Sei que ha alguns individuos
brsileiros que se tm feilo ministros de
religiOes que nao sao a catholica e apos-
tlica romana; faz se um conselho de 30
individuos que se dizem protestantes, eele-
gemos como seu ministro isto basta, para
u,ue ets teubam us ttulos de ministro
dessa i-eligio,e por consequencia escapem
a o servico;
Euno desejo qua.o protestantismo te-
oha grande cxtenHoao nosso paiz, pelo
contrario desejo que, se elle lera algumas
faiz, essa raiz seja exlincta; nao me con-
formo com o projecto da Ilustre commisio
nesta pari, posto que tambem no projecto
da commissjmilitar venha isto como isea-
Cao. Ignore qne haja ministros broJK-
ros----- sei que ha algum, mas ,procuro
ignorar (fue haja-mittistros do outras rejigipas
Me parece essencial a e meada additiva
com o n. i do art. 1"; E sao excluidos
do servico militar os fque tiverem sido ex-
pulsus do exercito ou armada, os que tive-,
rem solfrido a pena de prisio portis anuos
ou gales ; uns e outros ficaro, porm obri,
gados a respectiva contribuido, se tiverem-
meios cora que possain satisfazer. Adop-
to esta emenda porque me parece que os
que foram expellidos uma vez do exercito
por uma sentenfa ou por uma pena, nao
pdemvoltar a elle; esta idea tambem esl
incluida no projecto da commisso militar.
Tambem ado razoavel que os que tiverem
sido condemnados a gales nao possam servir
no exercito.
E' por ora o que tenho de olferecer
consideraco da cmara-
O SR. FONSECA VIANNA justifica a se-
guinte emenda, que lida, apoiada, entra
conjuntamente em discusso
Artigo. O recrutameDto para o exer-
cito e armada se far por sorleiro sobrn o
alistamento auuual, dentro das idades du
18 a 21 anuos.
i. Sao mantidas as exclusoes e
isencoes contempladas as instruccoes de
10 de julho de 1822 e mais desposieoes em
vigor.
I 2." Sao permitidas as substituimes
a exoueracoe&. .^
3." O geverno, refundindo tedas as
desposieoes sobre recrutamento actualmen-
te em vigor, fotmar o regulamenlo, > qu
subinetier appiovago da asseoobl,
geral na sua prxima reunio.-^F.'/rci'n
Vianma.
O'SK. AHAUJ0L1MA: Sr. presidente
parece que poda provar a assididade deste rasi1 S0Dra esPaCo para conter 40 ou 50
vezes mais a populacao que conta. Nossa
omgem, nossa ndole e vida pacifica, nada
tem de bellicosa. Pouco ou nada temos
qne ambicionar ou que.recejar, porque de
uma parte o atlntico nos- separa do velbo
mondo, de outra muamos com repbli-
cas fracas, que nao nc#podem trazt-r pe-
nga graves. >
Isto posto, a consoripcio no Brasil est
em desaccordo com : as tradicooes do pas-
eado, as condicoes do presente e bem assim
cora as aspiracoes do futuro.
Mas, a igualdade A igualdade sera du-
vida um principio, um ideal para que de-
voraos marchar inalteravelmente. embora
jmais poseamos atlingi-lo completamente,
porque a perfeicao absoluta nao cabe as
torcas humauas. O que porem, a igual -
dade? Se ella exprimo alguraa cousa.
quer dizerapplicacao de regras em condi-
C5es idnticas com consequencias idnticas.
Sorteam-se o casado, o solteiro; o Ira-
balbador, o vadio; o ignorante, o Ilustrado;
o valente, o medrse ; o robusto, o dbil ;
etc., etc. As condicoes sao idnticas ? As
consequencias.sao idnticas? E' impossi-
vi'l cliz-lo.
Isto posto, sem que se attenda diversi-
dad* de circumstancias e de consequencias
que se apphquem aos individuos, a igual-
dade nao igualdade, o nivellamento de-
sigual, brutal, como a propria commissio
o reconhece em sua exposico de motivos.
Assim, Sr. presidente, exemplos e igual-
dade nao abonam a conscripcao.
Tenho, porem, para combate-la consi-
doraees de outra ordem; reputo a impra-
ticavel no Brasil.
O Sn. Souza Beis:Apoiado, -
O Sn. Aral-jo Lima :Com a facilidade
de meios de existencia ; multiplicidade de
carreiras, que conduzem fortuna, que
apaixodo secuto ; diversidade das condi-
coes ; desigualdade das fortunas; diversi-
de hbitos de ideas, de costumes que
E sem duvida, senhores, que a compo-
sico do exercito condieco essencial da
ordem social.
Mas os interesses, a que tenham alludido
nao sao menos imDortantes.
A familia, como se sabe, o embryam
da sociedade, o elemento de ordem, de
moratidade.
A humanidade nio poda ser desattendida.
No mesmo caso est a sciencia, que tanto
eleva e ennobrecc o hnmem, a religio,
pedra fundamental em que assenta toda a
sociedade.
Sem lavoura, commercio e industria nio
ha fortuna, nio ha ri pieza, nao se pode
manter nem exercito nem estado. (Apoia-
dos).
Assim o recrutamento como se achava
regulado pela Icgislaco antiga nao me me-
rece as censuras que geralmente se llie
razem; por isso que assenta em disposices
! sabias.
Eu nio feria duvida em introduzir no
systema que actualmente existe um me-
Ihoramento. O alistamento da popularn
c em sorteio que limite o arbitrio da auto-
rdade.
Uma Voz : a base do projecto em
diseussao.
Oitra Voz:Apoiado, a propria cons-
cripcao.
osn. Araujo Lima:Conscripcao cousa
diversa, lem umitas outras consequencias
que a ella se ligam. Alm de que o sor-
leio, que admiti, differe profundamenlo do
da conscripejh., porque nao tem publi-
cidade.
Se em urna freguezia, por exemplo, ha
100 individuos recrutaveis, lancemos os
seus nomes era uma urna, e sejam sortea-
dos em segredo.
O Sr. Jauuaiube: O segredo ser a ca-
pa de fraude.
aam provera, acreditis que pedis chamar
da
nossa reserva devexonstar dos tndMaltnnHacoopanliai aojnobre deputado qqe acal
que tendo servido no exercito tiverem com-
pletado e tempo de servico que ibes mar-
cado.
O Sr. Theodoro da Silva : Apoiado ;
a outra ilusoria.
O Sr. Ministro da Guer.ia : ... que
obtero sua licenca e comporo, m fim de
cinco annos, uma reserva igual ao exercito
que se tiver em^armas.
Assim, na evenluatidade de guerra, iaria-
mos mais de 40,000 pracas piestes a mar-
char para qualquer ponto, e essas 40,000
pracas adestradas as armas, os da reserva
com oscinco annos de intrucfio mmhr que
j tiveram. os do exercito activo, pelo me-
nos, com um anno dessa insiruccn.estavam
por consegrante em estado de apparecerem
em campo contra o inimigo.
Mas sto nio obsta a que se prepare anda
um bom numero daqoetles que podem tomar
armas, para que o exercito seja anda mais
elevado, se as circumstancias o exgrem,
lirendo-se das classes mais recentes do ul-
timo alistamento os contingenUs necessarios
e' succassivamente dos mais alistamentosj
al a idade era que o cidadio esta comple-
tamente livre do servico das armas.
Estas reservas de que acabo de fallar
seriam organisadas como a nossa guarda na-
cional actualmente e chamadas a servipo de
destacamento para completarem a forca e
dignamente de oceupar a attencio desta ca-
mar nos sentimeatos de respeito e dedi-j
cacao que tributa a;>Sr. rnin^tr da guerra,
si.ito, porm, divergir telle em um ponto?
Sou obrig-de a votar contra o artigo do
projecto, apresenlado pela Ilustre com-
misso. nao petos fundamentos qu expen-
de* o nobre UepAUaUo,, plalavn* da Mi-
nas, que encetou o debate, reputando a com-
as lileiras do exercito todas as classes
sociedade brasileira ?
Senhores, a bondade absoluta das leis
actualmente questo de criaucas ; boje o
principio geralmente aceito que as melho-
res leis sao aqiie las que mais se acommo-
dam ao estado da civiliMcad de um povo.
(Apoiados). Corris atris de uma utopia,
semelhante lei inapplicavel ao Brasil.
Queris o exemplo ? examinai o exercito.
Todas as classes cingem a banda, vestem a
farda ?
Queris outro exemplo ?
Observai a guarda nacional em uma para-
da na corte ou era qualquer parie do Im-
perio.
' Todas as elasses figuram entre officaes e
soldado? ? Ha individuos de certa ordem
deslocados?
Moltiplcam-se os corpos para arcommo-
da-los. Ha-os anda ? Adoecem, vo para
a reserva. Como soldados jamis os ve-
ris.
O Sr. Araujo Lima :Como quer que
seja, antes quero os perigos que podem ser
inherentes ao segredo do serteio, do que a
publicidade dos nomes dos sorteados,, que
torna iinpossivel a composico do exercito,
porque os sorteados desapparecero, cou-
verter-se-ho em criminosos.
O Sr. Jaguaribe:Appallamos para os
bros dos conscriptos civis, elles tero pa-
triotismo para reconhecerem a necessidade
de nao fugirem ao servico do paiz.
0 Sr. Arai jo Lima :Tenho, Sr. presi-
dente, exposto as minhas ideas; ellas mi-
tam-se conservacao do que existe, ao seu
melhoramento, accrescentando-se-lhe o alis-
tamento o o sorteio na forma que acabei de
ponderar. Acredito, minha convceo n-
tima, que a leva forcada as condces em
que tenho exposto o nico meio aprovei-
tavel de compr o exercito no Brasil.
Quando o Brasil tiver SO ou (50 milhoes
de habitantes, quando tiver as vizinhancas
estados em condicoes mas ou menos anlo-
gas, ento talvez o Brasil poder preocupar-
se do pensamento que parece dominar a com-
misso, a composico enrgica e poderosa
d exercito,
Uma Voz:Ficar para o seculo vin-
douro.
OSr. Araujo Lima:Ficar para nuan-
" "" ?kJ23 TJ?!J>ti o t p fr preciso e BpssiveJ. Para guando es,
tivermos as condicoes da Europa, de que
estamos lio longe como 1 de 100.
nivellamento brutal da conscripcao ?
S r mais urna lei que se far para ser
violada, ou que nao servir senao de instru-
mento de oppressio na mo dos partidos.
Aioda, Sr. presidente, por outra conside-
raco reputo a lei impraticavel. Sorteiara-
pos-co toreada do exerclo, peto..r^uta- ^20 75 oT mtKot
meato, comotyranow cignominia.
A ordem social nio pode manter-se sem
annunciam-se
Melhor seria que se prescindase da cir-
curastancia de amparo, como na lei france-
za, para evitar o arbitrio. A quatdado de
lilho, geuro ou neto faria presumir o am-
paro. A residencia em companhia novi-
dade que se nao funda em razo alguma.
A commisso isenta o irmio que sustentar
e alimentar irmaa que resida em sua com
panhia. Anda temos a mosma novidade de
companhia, alm do emprego de palavras
escusa das, ali Atentar o sustentar, que po-
dem prestar-se a abuso.
Contina a commisso : O viuvo que
tiver filho menor que educar e criar em sua
residencia. Prosegue a novidade da resi-
dencia, e com ella uma lingnagem que nin-
guem emende. Viuvo que educa e cria
lilhos! A mSi quem cria os filho* at
certa idade ; o pai nio cria filhos. (Hila -
nade.) O pai cuida da educaro dos fi-
lhos.
V-se, pois. que a commissio fez seu tra-
balho confuso e desordenadamente.
O Sr. Jinojkiha :Isso j l com o rela-
tor da commisso,
O Sr. Araijo Lima :Beiro-me ao rela-
tor da commisso.
Continua a commisso i Os estudantes
matriculados as facuMades e os internos
de estabelecimentos pblicos de ensino su-
perior sustentados pelo estado. Pergiin-
to : qual a razo porque os externos desses
estabelecimentos nio ho de estar isentos ?
A commisso sabe que no collegio de Pe-
dro II ha pensionistas, meio pensionistas* e
externos; se no interesse das lettras, a
commisso isentou estudantes que frequen-
tam estabelecimentos desta ordem, que ra-
zio leve para excluir os externos ?
Accrescenlou una condico: t Contanto
que provena, que nunca soffrram reprova-
Cio em exame. E' outra novidade que nio
lera assento em Icgislaco alguma. As dis-
posices antigs cram mais sabias; conce-
dam este favor aos estudantes que tives-
sera aproveitamento e boa conducta. E'
possivel que um moco soffra uma reprova-
Cao por jualqucr motivo, e repetindo o
anno prosiga com vantagem nos seus estu-
dos. Nao ha razo para nio gosar da isen-
co que se estabelece no interesse da scien-
cia.
A commisso isenta os clrigos de ordem
sacras e os ministros de outras religioes.
Esses mi/asiros de outras religiOes acredito
que foi copiado das legislacoes cstrangeiras,
porque nao me consta que haja sacerdotes
brsileiros de religioes diversas da do es-
tado.
O Sn. Figueira de Mello .-Alguns at
sao subveniconados pelo estado.
O Sn. Ah.u-jo Lima ;Pois bem, deixa-
rei isto de parte. Faco agora uma pergun-
ta nobre,commisso, ficam sujeitos ao
servico do exercito e armada, Io os casa-
dos, 5o os advogados, 3o os mdicos, 4*
os empregados pblicos de todas as cate-
genas, 4" os estudantes, mesmo aquelles
que sao mencionados as isengoes da com-
missio ?
As disposices de uma tal le devem ser
mu meditadas. Offendem lias classes to
importantes, apresentam tamanho rigoris-
mo, que bem podem produzir consequen-
cias funestas.
O Sr. Mlmstuo da Gi ehua d um aparte,
a que o orador responde.
O Sn. Araujo Lima : Sao estas, Sr.
presidente, as observacoes que tinha de fa-
zer acerca do projecto que se discute.
Bem v a cmara que combino em geral
com a^ idims du ngbre deputado que me
precedeu tao brilbaniementc no exame des-
materia. Meu pensamento este: con-
usn- "cilios Barreto :Na Europa do serve-se, melliore-se o que existe ai
que se queixam nao da conscripcao e cente-se o alstameoto
sortera, e sim da paz armada.
traordinaria do exercito, se a outra rasen-a
nao to3se ainda bastante.
Nio este o systema qua a illu&tne -com.
que seja defendida, no interior coma
exterior, pela forca publica
A razo nio descobre sead regulares para obteresta forca: o alista-
mento de voluntarios ou a leva toreada. Na
insuffieencia do allatamaolo, que lodos re-
conhecem, resta a leva forcada.
Assim o recrutamento nao pode ser qu>
librado de tyrannia; condico radspensa-
vel para a conservacao da ordem social,
que protege o direito no interior e colloca
a naci perante as domis nacss na p de
igualdade e grandeza de que impossivel
prescindir; porque, segundo diz um es-
cnptor, a torea publica a aristocracia das
nacoes.
Quando passo, Sr. presidente, por um
tnHes soldados de placas pendentes ao
ideados de ccatrite9 ou mutilados,
os seus nomes com pompa e convidamse-
os para que comparecam em tal dia e tal
^J lugar. Sabis os resultados- naluraes que
dahi virio?
digo sempre respetosamente entre i
acreditando que, exprimo os.atmentos do"
Brasil ntaiao (apoiados): eis um bravo co-
Adoptando uma phrase que popular no
norte, vossos. conscriptos dirio.Deus 6
grande, o mato ainda maior.(Risadas.)
Desappar|cem todos.
Assim espalhareis- de um jacto pelo Bra-
sil 2 ou 3,000 criminosos, porque o acto
nio ser reputado innocente. Assim se-
ris obrigados a empregar um exercito do
triplo, ou quadruplo, para capturar esses
entumosos.
O Sr. Jcnqueira :Nio apoiado,
Assim, Sr. presidente, segando o que te-
nho exposto, nem exemplos, nem igual-
dade, nem praticabilidade favorece a lei
que se discute.
Mas vejo bem que me pergunlam: < O
qne queris ? O qoe eu quero, senho-
res, muito simples: quero a conservacao,
o memoramento do systema que existe para
composicio do eaercito.
O Sr. Araujo Lima: Petos-, Sr. presi-
dente, estas observacoes com relacio ao
systema encera! que o projecto apresenta,
fare agora algumas ostras acerca da" frtrma
e das disposices, que elle contm.
Respeito altamente a Ilustre commisso
que apresentou este projecto; mas peco li-
cenca para dizer que o seu trabalho lio
imperfeito e confuso, qae mal poderia ser
submetlido ao exame da cmara dosSrs.
dep .lados. Indicare alguns dos defeitos
a que alludo.
No art#l do projecto designa a Ilustro
commissio as pessoas que ficam sujeitas
prestaco de servico no exercilo e na ar-
mada; misturando alistamento e sorteio de
que trata em aitigos dislinctos mais adiante.
Se a commissio lesse com mais attencio
a legislacio franela de que copiou seo pro-
jecto, acharia modello de redacio raats- per-
feita.
Na paragrapho 1 nota-se oulra incor-
reccio.
Logo no coameo diz a wnrniseao: fSJo
isentos do alistamento, quando devia ser
do servico; porque oparagyapbo refe
da populacao e o
sorteio; mas nio o sorteio para se annuu-
ciarera com pompa os nomes dos sortea-
dos, porque isso o mesmo que espantar
a caca. (Hdaridade).
Aceitas as ideas que fic5m expostas, acre-
dito qno o Sr. ministro da guerra estar
munido de todos os meios, que o estado do
paiz comporta para a composico do exer-
cito. A .conscripcao do projeeto em dis-
cussio em minha opinio, pura utopia,
como havemos de reconbecedo daqui a
pouco, reformando a lei que pon-entura se
faca.
Vozas:Muito bem I Muito bem t
A diseussao fica adiada pela hora.
Dada a ordem do dia, levanta se a sesso
s quatro horas d tarde.

No dia 14 nio,-hoave'sessao.
(Continuar-te-k^)
TIT, I lMUUfe-MMMfi CRIfZESr*

iMi
LinimuDo
<
I
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKKPSXO94_8IH8OW INGEST_TIME 2013-09-13T23:48:28Z PACKAGE AA00011611_11912
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES