Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11911


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I




-


I

4WH0 XLV. NUMERO 179. .mi-*
- -------"
FU A,CAPITAL LOCASES OJOS IA0B PA4U POBTI.
*-'------mu nt
i*or mm ditos tem.
**or Oda autairu a vidao
9t 6 tiV'A nHtMH&
ooJinsiTj'f al o
SKUKD FEIRA 9 DE AGOSTO OE 1869.
i
PAIA mm K rOBA DA PBOVIICIA.
Por :res mate Maulados. .....
Par u ditas idea. .
Por n Poromtmo.



i*
Propriedade de Maaoel

~
.
.

-
_______,
1 'i.....
Os Srs. Gerardo Antonio Al ves
Pereira d'.
AGESTE:
m FHhos, no Par; Gon^alres & Pinto, no SlaitaBnJp; Joaqum-Jo de Ovmn no Cear; Antonio do Lemos Bnn. u Anuir- JoaV Mara Juta* en a vea bdAwi- Ai*a h.. *., i*. .-. *^i -'
Alme.da, em Manu^a^AotonJoAwmUi toU, WS **h.{ Kl'il 2 *>HW,no
em Neaittb; Feueino Tavareidt ost, en AJagM; r. Jos Martins Atol, na Baha;'e Jos Rtbeiro Gasparinho, no'wVStfnt.
*W:
PAETE 0F1CIAL
Mialsterfe m Inprrlo.
Programma que te dtve seguir a toltmnidae do
baptismn de su a aUeiu. o principe filho de 88.
AA. o Sr. duque de Saxe e a serenissinm prin-
cz+a Srts. D. Leopoldina.
A soleanidade do baptismo de Sua Alteu rralt-
zsr-se-lia no da 29 do eorrenta mez, pelas II
lluras da manilla, na capella imperial ; e llave-
ra nesse da as salvas, repiques e luminarias do
costme.
No da indicado colloear-.e-hao dentro da gru-
ja, no lagar conveniente, sobre urna mesa ooberta
de velludo verde: en unu bandeja dourada a
veste candida ; mu um prato deorado a coros de
massapio guarnecida-de pastilhas; e em ontn
pTatemaior, tanbem dounido, um lyrio lavrado
e ornado de ouro, em torno do qual estarlo era-
vadaseni forma do cruz qtiatro pecas de 10*000 ;
ha vendo alca disto, sobre i mesma mesa, tres
toathas, de que se bao de servir as pessoas que
tivsrera de conduiir aquellas insignias.
Em outra mesa dentro da igreja estarlo o sal,
a trana rica e o auto do baptismo, (pie, conclui-
da a ceremonia religiosa, ser lido pelo Exm. mi-
nistro do imperio.
Dentro da igreja, no vio opposto ao baptisterio,
ao lado direito da entrada, se coltooar o prmei-
ro laitn para Sua Alteza, e junto delle estarlo
ditas aliuo.'adas du velludo sem guarnieao, que
servirlo para a ama. Ao lado direito ha ver
urna mesa, e sobre olla um sacco de velludo com
os preparo* necessarios para a pensadura de Sua
Alteza.
No lugar do costume se preparar outro leito
com tudo idntico ao prmeiro, e com os mea-
mos objectos que se niaadam colloear junto da-
quelle.
Nos lugares proprios, dentro da eapolla-mr e
no corp da igreja, se levantarlo o? thronos de S.
M. o Imperador, com doeel e espaldar, e o solio do
Rvm. bispo capelllo-mr.
Na manlma do dia da solemnidade os archeiros
lieario de guarda pia da capella at o lim da
mesma solentnidade.
As tnulheres dos ministros de estado, dos con-
selheiros de estado, dos grandes, dos camaristas,
dos vead'irese dos otliciaes-mres, asshn como as
titulares viuvas, occuparlo as tribunas das- da-
mas ; as dos guardasroupa e mdicos da impe-
rial cmara a denominada de S. Sebastian ; para
as quae- serlo conduzidas do paco, onde de-
vem reunir-se," pela pessoa que disso fr enrar-
regada.
As nruJhores dos membros do corpo diplomti-
co, e a* dos senadores e depntados, que nlo per-
teneeren algama das clases mencionadas no
paragrapho antecedente, oeeuparao, lien: como es-
tes, as tribunas que Ihes forem designadas.
O corpo diplomtico ir para a respectiva tri
lendo esperar o prestito no
minado do rrincipc.
QuandoSrM. o lmpeador ordenar, ir ada-
ma defi. A. a serenissima prineeza a Sra. D. Leo-
poldina respectiva cmara, de onde recebendo
o principe, o conduzir nos bracos para a sala
do doeel entre os representantes dos augustos pa-
drinhos.
ahi sabir o prestito por dentro do paco na se-
cruinte ordem :
As pessoas que Forman) a corte ;
A dama de S. A. a serenissima prineeza Sra. D.
Leopoldiua com o principe recem-naseido nos
bracos, aire o Exm. ministro de S. M. Imperial e
reafapjstolica c aSxmn. Bra. D. Mara Imbelina
Machado de Castro, dama de S. A. a serenissinia
prineeza Sra. D. Leopoldina, representantes dos
augustos padrinlios SS. AA.o Sr. Archiduque
d'AosIria Jos Carlos Lniz e sua esposa a Sra.
priuceza real de Saxe Cobargo Qotha, Maa Ade-
laide Clotilde Amelia.
Ao chegar a dama com S. A. o principe porta
que d;i entrad.' pira a eapetla do Seuhordos Pas-
sos, os mocos da cmara ou os que zerem suas
\<:vs, que at eulo estavam ahi sustentando o
pallio, o entregarlo as pc--.oas nomeadas para o
cunduzireni ; e estas receberlo debaixo delle a
mesma dama com S. A. o principe nos bracos, en-
tro os representantes dos augustos padrinhos.
Ao chegar o pallio ao prneiru leito, as pessoas
que o conduzireni o entregarao as inesmas de
quum o receiwram, as quaes irlo pastar-se com
elle junto da referida mesa ; e a dama deitar
Sua Alteza o principe atpriineiro leito ; devendo
estar all presente a ama.
A este linpa lera o ftrm. bispo capctlao mor
feito a aspersaj a SS. MM. iiuperiaes e altezas.
Concluida e-l.i cerenonia ir o Rvm. hispo ca-
onllao mor i icio na capella do Santissiino
Sacraoi '.lio, SS. M"M. imperiaes e allozas o se-
guirlo acuiai ile sua comitiva. Dajui
alo SS M e altezas para o throno, o
o livai. bispo c.ipeU) mor para o solio do corpo
da igreja.
Depms qne o Hvoi. hispa capelln mor tiver
puriflead as ni-. a dama ir bascar ao primai-
ro leito S. A. o principe, que ser cendazido de-
haixo do p:lio sustontad.) pelas pessoas para islo
gnadas, inJj adiaute o rei d'armas, arauto t
passavante, lugo iepos as pessoas que levarem as
-insignias, p ir sua ordem, e em ultimo lugar a
dama coui S. A. o principe.
Logo que o rei d'annas,' araula> e passavante-,
chogareiu quadratura, pu.ua i: n, eniraud as
pessoas que oouduzrem as insignia, feitas as de-
vidas reverencias a SS. MM. imperiaes e altezas,
que oceuparao o throno do corpo da igreja, irao
isitar na credencia principal da capella mor,
d8 mancira que fique o cyno no uwio : a veste
candida direita e o na -querda ; e ahi
deporao tambem as loalhas e iiioeacorporar-se
N'esla occasEo S. A. o principe sera apresen-
lado ao Rvm. hispo eapollo mor, no corpo da
igreja, acoojpantiado pelos represeutautes dos au-
gudtos padrina >>
Perm inei'.ea.lo todos cu p, excepgio do_Rvm.
hispo capella > mor, este far as iuterrogaQoes, e
exoressar todos os nomos de S. A. oprincipe, os.
qaaes estifinscriplos oai uai carlao.
O rcpresenunjte o augusto padriaho responde-
r as perg i atM e descohrira o peito de S. A. o
principe, quandose flzerem as cruzas.
Terminando estas eeremonias, se dirigir o Rvm.
bispo capellao mor ao meio da igreja, onde aa
achara S. A- o principe aoompanuado dos repre-
s.-ntante3 dos augustos padrinhos, pronunciar as
palavras np*' templum, e entao entraalo
todos at os caaellos da capella mor, para lerem
lugar aa ceremonias do estylo.
Ser depois levado S. A, o principe para o se-
modo leito, odo ticar durante a Lwani-i e mu-
dea de paramentos braneos.
Logo que o Hvm. hispo capellao mor csliver pa--
ramenUdo.de branco e de mitra pasaara o sou,
e chegando S. A o principe subirao es represeo-
Untes dos augustos padrinioe ao presbiteri >.
Sngotr-se-iba o esameda a que responder o
representante do augusto padrinlio; e logo tepois
a anecio e as mais ceremonias, lindas as quaes
voltar S. A. o principe para, osegoado leito, onde
carate uraiioar a earemonu. religiosa.
Antes do se cantar o T$-Deiu, sata lido pean
Eaat. .ministro do imperio o auto do baptismo,
quelite ser apresentado pala paiaoa para Uso
anonada, a ejua! o tirara aa respectiva mesa pVa
Ih o entregar, easwn que o T*-tk>m eomecar, os
mriqaes dos sinos e aagiraadaia de foguetes ser-
sallo deuo-* vwao aviso as fortalezas c embareactes de
guorra para as devidas salvas.
Finde o Te-eum, e dirgindo-se SS. MM. impe-
riaes e altezas a fazer oracao ao Santissimo Sacra-
mento, ajoelhar-se-ha, ao lado esquerdo dos mes-
ios- augustos senhores, a dama com 8. A. o prin-
cipe nos bracos.
Ao sabir da capella do Sacramento estar
prompto o palljo, sustentada pelas mesmas pes-
soas que HoueMwm condundo ; e, entrando de-
baixo delle a dama com 9. A. oprincipe, ir a ca-
pella do Senteor dos Passos : deiado all o patito,
seguir o prestito na mesma ordem em que tiver
ido para a igreja, at o paco onde haver cor-
tejo.
Secretaria de estido f negocios do imperio,
em ti de jnlho de AW9.*-Jit Vicente Jorge.
Repartl?5o 4a pollrla
5.* seccio. Secretaria da polica de Pernaov-
buco, 7 de agosto de 1860.
N. lilIttm. e Exm. Sr. Levo ao conlieci-
menio de V. Exc. que, segundo consta das parli-
cipacoes recebidas n'esta reparticao foram hon-
tem recolhidos a cas"a de detenclo os seguintes in-
dividuos :
A* ordem do subdelegado db Recife, Henrv Mil-
ler e Sflnave Arnaud, francezes, a requisicao do
respectivo cnsul.
A' ordem do de Santo Antonio, Hiloar Peter, por
embriaguez e insultos.
A' ordem do de S. Jos, Januario, escravo de
Jos Luiz Netto de Mendon?a, por fgido.
A' ordem do de Jaboatlo, Izidoro Das dos Pra-
zeres, para ser procesado por crirae de offensas
physicas.
Parlicipoit-me o subdelegado do primeiro dis-
trlcto de Jaboatlo, por oflicio de houlem datado,
que proceder o corpo de delicio na pessoa de
Antonio Jos de Sanl'Anna, que fora gravemente
ferido s horas da tarde do dia anterior, em
Ierras do engenbo Goiabeira daquclla freguezia,
por Isidor Das dos Prazeres, cima referido.
Por fflcios desta data, participaram-me o teen-
te-coroqel commandante do corpo de polica e o
subdelegado do districto de Santo Antonio que,
havendo sido hontem, pelas 11 horas da noite, as-
sassinado o cabo do dito corpo, de nouie Jos Jlo
de Paiva. na ra d'Aguas-Verdes, pira onde se di-
rigir aquelle infeliz, afim de auxiliar a priso de
uns turbulentos, foram presos Joaquim Ramos
Machado e scuirmlo Jacintho Ramos Machado,au-
tor do crime, e Lem assim o portuguez Jlo Bap-
tsta Coelho, nlo tendo sido anda descoberlo um
outro irmlo d'aqueUes, que segundo consta tomou
parte no conllcto quo all se deu.
O respectivo subdelegado, depois de tomar co-
uhccimeuto do farto criminoso, procedeu corpo
de deudo c ca tratando da instauradlo do com-
petente processo.
Deus guarde a Y. Exc. Illm. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Nascmento Machado Portella vice-pre-
sdente da provincia. O chufe de policia inturino
tim Peisoto
batalnio
de
de
VascoU'
infanta-
DTERIOE.
RIO DE 9AMBIRO
27 DB JCLHO I)F. 1869.
Coronel Joio
cellos, commandante
ria n. 6.
Teiiente-coronol Trajano Ra>mundo Egvdio de
Almelda, commadante do batalliao da infanta-
ra n. 10.
Teaenle-coronol Vicente Joto da Costa, caminan
danto di baUlhaa de infamara n. U.
Tenante-coronal Manoel Pereira Rorges, com-
mandante do haulhao de mfantaria n. 8.
Tenente-coronel Jlo de Mello Azdo, comman-
dante il i batathlo de afamara n. 9.
Coneedeu-se reforma :
Ao teneute-roronel commandante do 7 batalhlo
de Infatuara da guarda nacional di provincia do
SergipQ, Gottcalo Vieira de Mello, no posto de
coranjT
Fi transferido para a reserva, fieando aggrega-
do ao estado-inaior do comm^ndo sujierior da
guarda nacional do municipio de Baturit, na pro-
vincia ilo Coer, o lenente-eoronel ehefo do esta-
do-maior da mesma guarda, Jlo Fraucisco Bar-
bosa Cordeirix
Foi demitlido do exereicio o,:lenente-eoronleoni-
mandanin do halallilo de nfantaria n. 3i 4ajgua<-
d naeonal da previncta do Para, Sulpicio Car-
doso de Oliveira.
Faz-se raer-e da serventa vitalicia :
A Antonio Pinhairo da Fraga, do offlcio de por-
teiro dos apdiiurios do termo de Ltraugeiras, na
proviociaJa'Sergipp.
A Elpimo^Gonclves Nina, dos offleios de label-
lilo c escrivlo de orphlos e ausentes do termo de
ijffnfh, na provincia do Martmnno, nena do onri
gado a pmstar ao ex-srvenlo ario a terca parte
do rendt monto* dos mesrn* ofUcios, segundo a
raspeetlva lotacJa.
36
Hontem, dia de grande gala, per ser o do armi-
versario natalicio do S. A. a Sra. prineeza im-
perial, houve cortejo a SS. MM. imperiaes e Alteza
no paco da cidade.
K-tiveratn einnoadeirados aslegaedes e consula-
dos estrangeirs surtos ne porta, os quaes ueram
as salvas do estylo.
A' hora previamente marcada, teve lugar aa ca-
pella imperial o acto solemne da baptismo do prin-
cipo, lilho de SS. AA. o Sr. dqqua de Saxe e a Sra.
prineeza D. Leopoldina.
Nesse acto reeebeu o priacipe ottna e Jos
Fernando Francisco Mara Miguel Gabriel Rapkael
Gonzaga.
A' noite Suas Magosta les o Altezas assistiram no
X
iadcaco ou leiutraaca para ser dirigida, mwma
commiiiso, a qnem convidava a ipie propoxesse
as medidas que jplgae mais convenientes para
estabeiecer maor ecouomia.e melbor svstema ni
administraclo Jo banco.
Os So. presidente, conscflleira Di*i de Carv3-
vaiao e Dr. Asss Vieira Bueno observara que a
orcaslania.ara a opportuo* para a aprwentorlo
e dlseussao das questes aventadas, iiuo, importan-
do reforma dos estatutos, s podiam ser tomadas
em coasideraclo em sesso para isso espeirialmen-
t convocad, na forma dos meamos estatutos, e
que, demais, as indicacoes apreseatalas ro po-
diam ter nutre carcter senio o de pedios ou re-
comraenda.;otS cpiqmiaso de cjntas, que Ibes
dara o apreso de que as julgasse iMrecedoraei
) Sr. Dr. Fernandes Morcira roquereu que a 2
parte do parecer em discusso, propondo a reforma
de algn* artigo* dos estatutos, Itrasse adiada, nao
sa eonvoeando rennilo espeeil para sua discusso
senao depois que a eommissle de con tas que se ia
eleger apresentasse seu parecer.
Encerrada a discussle e posta a votes a materia,
foi adaptado o parecer da commissln .de 1808, na
parte em qu'i approva as con tas apresentadas pela
reeturia at 30 de junho dessu auno, e igual-
mente o requerimeato de adiamento do Sr. Dr,
Fernandes More ira
Em seguida proceden se eleiclo daconunisslo
de cuntas do anno baueario findo' em 30 de junho
ultimo. Sahiram eleilos os Srs. :
Votos.
Bario do Rio-Negro:.................___ Vb\
Antonio jMves Ferreira................... -150
Dr. Candido Jos Rodrigues Torres........ 103
Dr. Jiia Fernandes Moreira............... 91
Jordn (j-euse.......................... 80
Seguindo-se os Srs.:
Jlo Jos dos Reis....................... 69
Luiz Antonio Alves de Gaeraltat........... 47
Dr. Venancio Jos Lisboa................. ti
Commendador Candido Torras............ S3
laaugnrau-se ante-hontem a estaelo telegraplii-
ca de Macan. Os primeiros telegrammas foram
trocados entre a estaca i, onde se achava o Sr. di-
rector geral dos telegraphns, e a quinta imperial
de S. Christovao. e cmslaram de comprimentos
S. M. o I aperador e familia imperial, aos quaes
S. M. o imperador reapasnt agradecendo.
Em seguida trocaram-se itspaeoas erare.a c-
mara municipal e o pre lente da provincia, o
chefe de policia e varias autoridades. Depois "-
theatro lyrico ao espectculo cm grande gala dado versa* pessoas omprimenJararn pelo telographo
pela companha italiana. iseus amigos na corte e em Cabo-lirio.
Diversos edilieios pblicos e particulares estivo-
rain illuminados.
0 conservador do jardim do largo da Cousiitui-
cao illuminou os quatros tanques do iiiesuio jar-
ilini. crcumdando-os de globos de gaz. D'entre a
folhagem dos repudios sahiam bicos de gaz. que
formavaui llores e cujas chaumas faziam hrilnar os
esguichos d'agna que unncavam em torno. 0
povo apinhava-se volta par4 gosar do
culo.
foram nomeados.
da provincia da
S. M. o Imperador, acompauhado de seus sema-
rios. chegou hontem s 9 horas ao arsenal de ma-
rinha. onde visitou asofllcisas de machin.as, e s
11 V horas retirou-sc para o arsenal de guerra,
onde tambem visitou as dependencias daquelle
estahelecimento.
8 -
Por decreto de 2 do crreme fez-se merc ao
bacharel Uippalyto Jos Soares de Souza Jnior
da serventa vitalicia do oflicio de Io tabellilo do
publico, judicial e notas do termo da capital da
provincia de S. Paulo
Foram nomeados :
0 promotor publico bacharel Manoel de Azeve-
do Montoiro, juiz municipal e de orphlos do ter-
mo de Petropolis, na provincia do Rio de Ja-
neiro.
O majnr reformado Antonio Luiz do Lavor Paes,
lenente-eoronel cotnenandante do 2' batalhao de
infamara da guarda nacional da provincia do Ma-
ralo.
0anitao la\ mundo Mariano de Araujo Cor-
rea major ajudante de ordens do commando supe-
rior da guarda nacional do municipio de Alcnta-
ra, na mesma provincia.
O capitn Joab de Deus Moreira de_Carvalho,
teiiente-coronol commandante do batalhao de "in-
famara n. 14 da guarda nacional da provincia do
Piauln.
O major Manoel Modesto da Assumpcao, tenente-
coronel commandante do batalhao do nfantaria n.
31 da mesma guarda.
Jos Mariano de Oliveira Rayol, tenente-coronel
commandante do hatalhlo de nfantaria n. i\ da
guarda nacional da provincia do Para.
Foi recouduzido o hachare! Luciano Rangel de
Aievedo, no lugar de juiz municipal e de orpliaos
do termo doPomba, na provincia de Minas-Gcracs.
Foram reinlegiados, a seu pedido :
Jos Francisco Lopes Lima} no posto de coronel
c aiiaiauJaiiie superior da guarda nacional do mu-
nicipio de Nazarelh, da provincia de Pernarabuc'o.
Jos Cavalcanti Ferrsf.de Azevedo, no de coro-
nel chefe do estado-maior do commando superior
dos municipios de Santo Antao e Escada, na mes-
ma provincia.
O tenontecoronel Manoel Joaquim do Reg Albu-
querque, no commando do batalhao de infantaria
n. C da guarda nacional da mesma provincia.
O tenente-coronel Amaro Gomes da Cunha Ra-
bello no commando do batalhao de nfantaria n.
ic da guarda nacional da mesma provincia.
BontoJos das Noves Wanderley, no_ posto de
tenente-coronel commandante do batalhao de in
fantaria n. 13 da guarda nacional da mesma pro-
vincia. .
Braz Nunes de Magalliaes, no de tenente-coronel
commandante do batalhao de infantaria n. 32 da
guarda nacional da mesma provincia.
Joaquim de Almeida Catanho, no de tenente-
coronel commandante do hatalhlo de infama-
ra n. 37 da guarda nacional da mesma pro-
vincia.
Antonio deSiqueira Barbosa, no de tenenie-coro
nel commandante do batalhao de nfantaria n. 38
da guarda nacional da mesma provincia.
Foram mais reintegrados no exercicio dos res-
pectivos posto?, sob representado do presidente
da Parahyba, os seguintes otficiaes da guarda na-
cional da mesma provincia :
O coronel hachare) Luiz Cavalcanti de Albuquer-
que ftury. coinmaudante superior do municipio
de reas'
Coronel Jlo Dantas de Oliveira, comman-
dante superior dos municipios de Pumhal e
annexos. ^.
Coronel Francisco Xavier de Andrade, com-
raanilaaie superior dos municipios da independen-
ciae annexos.
t^oronel Antonio Jos Alves Pequea, cemmaa-
uta superior dos municipios de S. Julo e Ca -
Runo Guedes de Miranda Henr^Mtajbee do
estado-maior do commando superior da dRaicipio
Toaante-coronel Eufrasio de Arroda Cmara,
cbttdo e*tado-maor do commando superior do
municipio de Campia-Grande.
Por ttulos de 24 do correte
para a thesouraria de fazenda
l'arahy ha:
2.* escrpturaros, os pralicant's Jos Estanislao
da Fonseca Lopes c Jos Pedro '
ves.
Amanuenses* Antonio Joaquim de Vasconccllos e
Francisco Paulino de Almeida Albtiquerque.
Pratcante, Joao da Silva Guimaraes Ferreira.
Por decretos de 28 foram nomeados :
Memhro do conselno, inspector e fiscal da caxa
econmica e monte de soccorro desta corte, Militan
Mximo de Souza.
Inspector em commisslo da thesouraria do Ama-
zonas, o Ioescripturarioda da Babia Aiisdes Jos
Correa.
Dito dito da das Alagoas, o Io escripturario do
tbesouro nacional Leandro Ferreira de Campos.
Chefe de scelo da thesouraria de Matto-Grosso,
o 1" escripturario Jos Estevlo Corroa.
1" escripturario da mesma thesouraria, o 2.dto
Jos Joaquim da Costa Leite.
Foi demittido Henrique Joao Cordero do lugar,
que servia em co;umisso, de .inspector da thesou-
raria do Amazonas.
B*la nova scelo da liulia lelegraphica foi toda
construida a expensas dos habitantes dos munici-
pios de S. Joao e Macab.
L* de agosto
Do Rio da Prata recebamos folhas al 27 do
pa&sado peto paquete iagtaz Pul agona, da linba
do Paciuco, entrado hontem.
Nada trazein de interease. Em Mentevidco d-
especta- ziase mis havialguma diveraeiii'; i entro os mi-
nistros sobre os termos da convencao feta com o
general Caraballo, sem que comtu'do se suppozesse.
que tese islo motivo.de crise.
No P'Uagonit viera de pnssagem, e seguem
paiaa Europa, o general Mac Mihon, ex-miRis-
tro dos Eutados-Unidos no Paraguay, e o Sr. Wor-
Baptsta Guacal- thingten, que na mesma qualidade servio na Re
publica Argeutiua.
Por decreto de 23 do corrente, fui reformado
com o suido por nteiro, o furriel do corpo de im-
periaes marinheros Faustino Quirno de Freitas,
na conformdade do arl. 29 do regulamcnto annexo
ao decreto u. ill A dt o de junho de 18io.
31 -
S. M. o Imperador, ae.onipanhado de seus sema-
narios, visitou hontem o arsenal de raarinha, as-
sistio ao emliaritue de um contingenta de tropa
no transporte leopoldina, com_ destino ao sul, e
retirou-se s 11 horas da manhla.
Por decretos de 28 do corrate :
Frz-se merc de foro de mago fldalgo com exer-
cicio na casa imperial a Domingos Custodio Gui-
maraes, filho legtimo do visoonde do Rio-Preto.
Foram nomeados:
Cavalleiros da ordem de S. Bento de Aviz o ma-
jor Antonio Eneas Gustavo Galvao, os capillos
Jos Lihanio de Souza o Jlo Antonio da Costa, e
o Io teneute da armada Pedro Antonio do Monte
Bastos.
Foram concedidas as seguintes pensoes, que fi-
cam ponderaos da approvaclo da assembla gera!:
A D. Guilheriuiua llerust, vuva do capitao ho-
nurano do e.xercito Joao Luiz Herhst, fallecido.na
campauha do Paraguay, a de 60* meneaos,
A 1). Paulina de Almeida Campos, vuva do al-
fares do 21 corpo de voluntarios da patria Virgi- nosso ministro o esquerd o coiuiuissario arg*n-
lio Jos de Almeida Campos, *
DIARIO DE PERWAM6UC0
RECIFE, 9 HE ACOST DE 1869.
NOTICIAS DO SUL DO IMPERIO.
De-se lado do imperio chegou hontem o vapor
hrasdeiro Paran, trasendo jornaes ila corte At
1.", da Balda at 3 e do Macei at 7*do corrente
Soh as rubricas Paite oficial e Interior encon.-
trarao os lejtorcs por rxten.-1 a< noticias maisi.m-
portantes, alm dasqaaes apupas adiamos nos jor-
naes s que seguem.
TllliATUO DA (UKIUtA B HI0 I).V 1'liATA.
Chegou corte, no da 27 do passado, o va-
por francez iourgoyne, trasendo datas de Montevi-
deo at I).
De Assumpcao escrevem em 13 o segrate:
No dia 9, annlversario da independencia da
Repblica Argentina, derara os ollciaes o pessoas
dessa nacionajldade, que aqu se achaxn, um gran-
de banquete, presidido polo coinmissario argenti-
no Dr. Roque Peroz, e fio qual assistiram o nosso
ministro, Sr. conselhqiro Paranhos, o general com-
maudanlc desta praca, muitos oflicraes brasileiriis,
argentinos e orientaes, o outras pessoas de des-
lincean.
t Na occaslao conveniente foram pronuncao?
diversos brindes abusivos allianra, aos lins da
gberra e prxima reorganisacao do Paraguay. O
Sr. eonselheiroP.iranlnsproiiuurio'.i dous helios
discursos, orando por dilloiviili's vezas o Dr
Prez.
Terminou oMianquete depois das 9 horas da
noite, tendo reinado a maior cordialidade o har-
mona durante esta testa commemoratva de urna
das paginas brilhantes da historia sul-auericaiia.
No dia 11 teve lugar uina grande revista pas-
sada por S A. o Sr. conde d'u no seu acampa-
mento de Piray. Para ella convfdou o prncipe
o Sr..conselheiro Paranhos o o eomniissario argen-
tino, ipie daqui paitiram no piiuieiro trem as 6
horas da manliaa. Sua Alteza foi esperar
os seos convidados estagao e cunduzio-os sua
ha hila cao, onde foi servido o anioo. Fiado este,
montou o principe cavallo, temi sua direita o
fallecido em conse-
auencia de fermentos recebdos era combate, a de
J6jt monsaes.
Ao alferes honorario do exercito Augusto Bar-
roso Pereira, invalidado em combate, a de 3JOD0.
Por decreto de il do corrente :
Foi nomeado o capujo Raymuudo Mariano
Araujo Cerveira, e nao Raymunda Mariano
Araujo Correa, como se publcou, major ajudante
de ordens do commando superior da guarda na-
cional do municipio de Alcntara, provincia do
Maranhao.
Reuniram-se hontem os accionistas do Banco do
Brasil, sob a presidencia do Sr. conselbero Salles
Torres-Horaem, servindo de secretarios os Srs. Dr.
Jos Fernandes Moreira e Antonio Jos dos Santos.
Achando-se presentes 102 accionistas represen-
lando 178 votos, o Sr. presidente declarou instal-
ada a assembla geral. Foi apraseniado o rela-
toro das operaces bancarias effecluadas no auno
lindo era 30 de junho ujaximo passado, beiu corno
o parecer da commisslo do contas concernente ao
anno econmico Rodo em 30 de junho de 1868, o
qual nlo pode ser apreseutado antes por nao se
ter reunido o numero necessario de accionistas
para constituir assembla geral.
Entrando em discusso este parecer, travpa-se
breve discussio.em que tomanun parte os Srs. Tei-
xeira de Car valu, Dr. Caedo, conselbeiro Das de
Car val lio e Drs. Assis Bueno e Fernandes Mo-
0 Sr. Taix*iradeCarvalho recommeQikwcom-
misslo de contas, cuja cleicio se ia proceder,
que altendesse necessidado de reformas nos ac-
tuaes estatuios do banco, e cawio priraeira e es-
sencial a reduegio do numero dos directores
cinco.
O Sr. Dr. Caedo apresentou, por escripto.ui
l'roseaaewa patnaraliwa para a pronsma
archa, qae tan suta de*enMta- pelea olivos
que dei na minea ullisni corsaepondennta, islo
, a adiamanto de alguns das reclamado peto ga-
era! argentino. Entretanto o principe augmenta
os seas deposil0s.de gado e de forragens.
Conlinuam a a afresantar diariamente pas-
eadas ffaiwn aiiampamensos, na ua* das
vieran mais de eem, entre maUtores, vaffins t>
crancas : apparecerafu tambem algn* homvns
validos, desertados do emercito de Lpez. Nao
pode ha ver prova mais patente da decadencia do
tyranno. Estes inubses, a proporelo que vio
chegando, sao agora reeoHdos ao asylo aqu
creado por iniciativa ao incansavel De. Luiz Al-
vares dos Santos, que ueste sentid > tem prestado
servieo digaos de recompensa nacional.
c Os Srs. conselheiro Paranhos c Dr. Roque
Prez tem fido conferencias entre si com os gene-
raes dos exercitos allados e com alguns das pa-
raguayos mais importantes sabr a execaclo da
importante missio que Ibes fora confiada. Espe-
ra-si- que hrevemente conseguirlo por em pralira
o accordo celebrado pelas potencias adiadas para
a ereaclo do governo paraguayo provisorio, cuja
aeceteidade, repilo, evidente. Esta tarefa nao
iwdia ser conliada espiritas mais conciliadores,
uem vornades tnais decididas de corresponde-
rom ao que de sua illustracao e patriotismo de-
ven esperar, os governos allados.
Acaba de cefobrar-.se coa festa religiosa a
inauguracao do supracilado asylo. Houve mi-s
e sermlo na eaihedral, e depois a visita ao asylo.
O espectacalo das victimas da tyrannia, soccorri-
das pelos poros queui Lpez inoveu guerra de
exterminio, era dos mais tocantes. B' um facto
caracMKstieo da presento guerra. Estireram pre-
sentes os Srs. oonselheirus Paranhos e Dr. Prez,
e o general Salastiano, commandante da praca, e
muitas outras pessoas de differentos nacionalida-
des, militares e paisanos
OSr. Dr. Prez impnvisou um eloquente
discurso, raostrando os horrores da tyrannia que
combatamos e a pllantropia dos alijados. O Sr.
Paranhes aeompanhou o sea collega e amigo na
mesma domonstracao, exliortando os Paraguayos
a que por sua uni.-io auxiliem os allados a com-
plctarcm j\ sua victoria militar, deixando aqu
'!. ntados, auaudo se retirarem, os elementos da
re onslyjorijp e futura prosperidado do Para-
guay.
A tepulica, da Montevideo, publcou a se-
uinte carta do presidente dos Estados-Unidos ao
despota do Paraguay :
Ulvsses S. Grant, presidente dos Estados-Uni-
dos a Exc. o presidente da repblica do Para-
guay.
t Grande e bom amigo.Estando prestes a re-
tirarse deese paz o Sr. Martin T. Mac-Mahon,
que por algum lempo residi junta do governo do
Paraguay, com o carcter de ministro residente
dos Estados-Unidos, ordenei-lhe que se despega
de V. Exc.
O Sr. Mac Mahon, cujas iostruccSes tinham
sido de cultivar com o vosso governo relacoes da
mais ostreita amzade, recebera ordem de trans-
uiiuir a V. Exc. ao deixar o Paraguay a seguran-
ca de nosso sincero desojo de retornar e eslreitar
as relacoes amigaveis que felizmente exislom ago-
ra entre os dous governos, c assegurar aos poyos
de ambos os paizes a continuadlo dos beneficias
provenientes dessas relacoes. O zelo com que
cumprio suas instrucc5es anteriores, me faz espe-
rar que executar este ultimo encargo por ma-
aeita agradavel a V. Exc.
Dada em Washington, a 13 de marco do an-
no de Nosso Senhor de 1869.
Vosso bom amigo, pelo p.esidonte U. S. Grant.
Hamtlton Fh, secretario de estado.
coute.
continava a discusso do vJo
tino, e acompanhado do sep cstado-makir seguio a
passar revista ao 1." corpo do nosso exercito, quo,
em numero de perlo de 12,000 c formando um
quadrado mu exlenso, apresenlava uiji aspecto
imponente pelo seu ar marcial e magnifico arma-
mento e anlamento.
c fina a revista, djrimn-sc Sua Alteza com as
pessoas que o companhavam urna linda capella
levantada ou meio do campo, onde foi .ar-lebrada
urna niissa. Terminada esta, foram hentas diver-
sa- liandeiras, de que foraiu padrinhos o principa
c o Sr. Paranhos, destinadas a substituir em di-
versos corpos as que foram gloriosa menta destrui-
das pela metralha Inmuja, hem como a supprir a
falla dosse emblema nos corpos de cacadores. Em
seguida montou Sua Alteza a eavalfo e.procedeu
destribuicao das mesmas bandeiras, que foram ep-
tregues aos commandante;. dos corpas, e de dver-
sa< medalhas de bravura concedidas pelo principe
a diversos olficHes e soldados que se tm ltima-
mente distinguido. Na oecasio era que cada rae-
dalla era entregue, raonconava o coronel Pinheiro
Gujiixiraes.s.factos de bravura pralicados pelos
agraciados.
c Terminada esta imponente ceremonia, digiri
Sua Alteza urna bella aJtocnclo s suas tropas.
t Ante-hontem. deu-se um lajnentavel desastre
devdo ao m;iis ndoscu)pavel los deleixos. Uin
irin vndo do exercito entrn s 2 horas da ma-
nilla a. toda a-forca na esfciclo e foi de, encontr a
urna focomotva que all se achava, resultando de
choque s mor te de dous soldados e formenlo
grave de cinco. 0 chelo do trem teve as duas
rernas espedacadas e acha-se era estado deses-
perado '- o machinista licou com um braco parti-
do e dous foguistas queiraados gravemente pela
agua que a caldelra exnelli no choque.
Estou certo de que o nos>o ucansAvel
asprovidoocas que o cafo exige. (timo i
No senado
o" Sr". vsconde de S. Vicente pronuncou, por
parte do senado, o seguinte discurso na occasilo
do cortejo pelo 23" anniversario de S. A. a Sra.
condessa d'Eu:
t Senhor.0 senado brasileiro manda-nos pe-
rante o throno nacional, para offertar a Vossa Ma-
geslade a sua fiel e respeitosa congratulaclo pelo
anniversario natalicio da Augusta Prineeza Irape-
rial- J- J U I
t O dia de hoje nlo smente um da de juoyto
eamor da Augusta Familia do Imperante, e sim
tambem de-amor e jubilo de toda a grande fami-
lia nacional.
Vossa Magostado Imperial, hem como o Brasil
inteiro nlo contemplara nelle smente as virtudes
pessoas da Excelsa llerdeii a do Throno, divisara
demate um alto principio, o penhor sagrado da ura-
dade, e estabilidade de um vasto imperio, a base
lirme da ordem, e da liberdade, o impulso cons-
tante para o prQgresso, e grandeza da naci.
Senhor, esse, e ser o labor continuo da dv-
nastia, qu funou o imperio, que o mantera unido
e qae serapre identificada cora as sabias institui-
edes, que o regom, ha de eleva-lo a grandiosa al-
tura, que a Providencia o destinou.
Por duplicados motivos, pois, o senado deseja,
que este dia se reproduza por longa seria de anuos,
sempre ptadnteiro para Vossa Magostado Impe-
ri ti, para Sua Magostado a Iniperatnz, para todo
o povo brasileiro.
Qneira Vdssa Mageslade Imperial aceitar estas
respeitosas ecordiaos homenagens do senado do
Brasil. .
Na cmara do* depntados foi approvada, cm
3* discnsso, a proposta do orcamento geral do im-
perio para o exercicio de 18691870.
O Sr. consolheiro Antonio Jos llenriques pro-
nuncios por parle da cmara, o seguinte discurso
na occas'ao do cortejo pelo 23 anniversario de S.
A. a Sra. condessa d!Eu .
Senhor.0 dia hoie, commemorando o fetiz
nascmento de Sua Alteza Imperial a Scnhora
Prineeza D. Isabel, desperla no coraclo de Vossa
Magestado c no de Sua Magestad a Imperatriz,
nao raenos que no de todos os braeileiros, as mais
vivas c doces emocoes di' contentanifiulo e rego-
sijo .
nclita, e querida fllba de Vossa Magestad
Imperial; primoroso renov da augusta dynastia,
qne Vossa Mageslade to dignamente representa ;
herdeira presumptiva da cora, os brasileros,
Senhor, vm na Sra. D. Izabel o mais seguro, e
ncontestaVel penhor de suas esperancas, e aspira-
c5cs patriticas; a estrella feliz, e radiante de seus
rutaros destinos; o symboto magestoso do final en-
grandecimento, e prosperklade nacional.
11o gratas e importantes tecordacoes expli-
cara, Senhor, esses transportes de prazer, que aos
braseiros inspira o nniversario natalieio de Sua
Alteza Imperial, e os semimentos de respailo, amor
e adheslo, que elfos tributara aos augustos pro-
genitores de tao excelsa e-idoiairada pnncaia.
< Interprete fiel dos sanlimeatos da naci, a c-
mara dos depntados nos enva em commisslo ante
o augusto throno de Yossa Mageslade imperial,
i ineumbiado-aos de em tao solemne occasilo apre-
iwrttrjr^ iwncatalesnanta Vossa Mageslade as
anas mais sinceras a reseitasas cnogratulaooos
per tao inecessante-aapfaiivel motivo, e os seus
" mais acdpates votos pela oontnuacao do reinado
Miz atorio30 de Yossa Mageslade imperial. >
fita sa Si, comoeou nesta cmara a discusso
da tesposta talla do throno, encalando o dbate
toa Srs. Pinta Lima e Beliaario.
a Pelo raioistrio da justioa foi pubhaado u se-
' d 19 de julho ul-
I0S0O
81800
74S0O
fi800
oiOO
34001
SS900
Hei por bem, sobrt' consnlta do tribunal do
cooiqiercio da cyrte, dacreur o segjlnte :
Art. I- O registro dos contratos e dlstratos de
sociedades commerciacs, regulado pelo art. fll do
decreto n. 738 do 23 d? norembr de
feito dV eonformldade com o art io |
^'/Art^tW'ptr^C^
exemplares oo respectivo instrumento, un dos
quaes Ihes- ser restituido om a nota *termmada
na segunda parte do art. ft. do referido decreto n.
2,711, e o outro sor archivado na secreirla do
tribunal com igual ola.
Art. 3!" De cada registro- se cobrar a i
lia de ', alm da de l do oflicio do daaed.
gador llscal,. nos casos em qur-efle ouvido.
Art. 4.* Picam revogadas todas as diqj&ic&e*
em contrario. >
Pelo 3*'districto eleitoral dh provincia- do Hio
do Janeiro, foi deifo deputado a assembla geral, o
Sr. Dr. J. J' Teiseira Jnior.
Eis as -noticias commerciacs da ultima dataS
Cambio.Londres 18 V W Vi d. a 9f> d v
Apolices.Graes de 6 / a 80>%,
Metaes.Soberanos a 12*980,- e; ditos a
i3050 at 13 de agosto prximo futuro.
Fretes.De Buenos-Ayres voltar ao Rio deJa-
neiro 5:000*;. Hnrapton Roads ordem pata um
porto do norte dos Estados- Unidos- -ijVe 3 % ;
para Montevideo 150"-pe"sos'fortes, patacoes ; para
Huenos-Ayres f-.OfJO pesos fortes, patacoes; idera
carvao 17/ por tonelada; Rosario de Santa K,
carvlo 22/ por tondada ; Havre 20fr?.e 10 % ;
para Aracaj, da e- volta 3:000* e 5 %; de San-
tos para Liverpool, algodli a',', pennv e 5 / ;
para o Havre, navio dn linha 30 frs. e )'/.
Gneros diversos.Assucar niascavo de 1*-
nambnco, em saceos, a 3*700 a arroba.
Caf lavado 7*800 a
lino e superior 7*800 a
1* boa 7*200 a
1" regular e 1' ordinaria 3*fl00 a
2' boa 5*200 a
2' ordinaria 4*400 a
> Capitana
Effectuaram-se insignificantes transaecws em
cambio sobre Londres a 18 l|i d. papel hancario.
Negociaram-se varios leles de soberanos de
12*9*0 a 13* a dinheiro e a 11*030 para 13 do
corrente, e pequeas partidas de apolices geraes
de 60/0 a 80 e 79 1/2 0/0:
Sahiram para os portes do norte do imperio :
a 28, o hrigue MaYa i Virginia; e a 29, o brigue
norte-allenio Lnlzbuig.
CO*AZ.
No dia 1 do passado romecaram os traba-
Ibos da assembla provincial.
MINAS SElt.VES.
No dia 7 de mam do corrente anno falleceu em
S. Goncalo da Campanha, a Sra. D. Sahna Mara
de Lemos, rali do finado bario do Rio-Verde,
com 115 anuos de idade.
O bario do Rio-Verde foi assassinado a 30 de
dezembro de 1865, com W anno,e deste successo
nunca teve noticia ana vellia rali, que conservou
sempre em perfoito estado sitas faculdades, e que
acredita va acbar-se no Rio de Janeiro sen lilho.
Deixa mais de 300 descendente?, c muito autos
de fallecer dzia : minba bisnot d-mo leu neto.
s. tuno.
No du 30 do pausado tomou posse da presi-
aencia da provincia o Sr. Dr. Antonio Candida da
Rocha.
Lemos no Diario de S. Paulo :
' Da cidade da Franca coraraunicara-nos o se-
guinte :
Falleceu no dia 24 do raez prximo passado
Custodio Jos Moreira, com I3o;.nnos deidad*!
Era o homem mais velbo dos arredores da Franca
e lalvez da provincia. Natural di Portugal, dei-
xou de tralialhar ha 8anno< ponen mais ou me-
nos : alimentava-se com qneijo ralado, vnho e
assucar !! Morrea no goso completo de suas
facilidades.
Este velho era muito devoto, ouvio missa
sempre at o domingo anterior sua morter As-
sistio (dzia elle) ao salimiento fnebre de D. Jlo
V rei de Portugal.
Este facto verdico, o attestado pelo sacer-
dote que o confessou, e por mais pessoas de crite
rio do lugar.
Por ordem do tliesouro provincial eomeci a
execulai-se em Santos no dia 21 o arl. 48 da le
do orcamento provincial em vigor, qne reduzio
') O/t o dizimo da exporfacln de todos os gneros
de prodcelo da provincia,e sentn de direitos os
productos das fabricas de teciaos.
BMIIA.
No dia 4 do corrente, a assembla geral da
Associacao Comniercial elegeu para seu presiden-
te, lugar que se achava vago por morte de quem
o servia, o Sr. Joao Cczimbra;. para secretario, o
Sr. Domingos Soares Pereira ; e para ihesoureiro,
o Sr. Anlonio Pereira de Carvallm.
Ficava no porlo, a curveta de guerra ame-
ricana PonluUon, em viagem de Montevideo para
New-York.
No dia 2 do corrente, chegaram ao porto,
procedentes de Plymouth, a fragata ngjcza- hner-
pool, de 35 pecas, arvorando o jiavilhao do almi-
rante Horhsby, seguida das fragatas Ufley, Bris-
tol e Eendymion, e das crvelas Barrosa e Scglla,
as quaes, cora a Pluvbux forraam sete-navios da
esquadra volante ingleza, aqui esperada com des-
tino ao Rio de Janeiro.
Seis desses vasos seguiram, no dia 4, para o Rio
de Janeiro.
A assembla provincial foi convocada para a
1 de marco de 1870, sendo designado o ultimo
domingo de noremoro para a respectiva eleicSo.
Lemos nn Jornal:
Hontem (31) perante o Rvm. Sr. conego viga-
rio da Victoria, antorisado por S. Exc. Rvnia, ab-
jurou a sua seila Frederico Brosses, chrisLao cal-
vinista, recebendo, depois de inslniido nos dogmas
da religilo cathoiica, o sacramento do baptismo.
Foram padrinhos o cnsul da repblica argentina
Joaquim Elisio Marinho e sua Exma. senhora t>^
Helena Marlnlio. Assistio ceremonia um nume-
roso concurso de (ums.
Falleceu hontem na Iluta do S. Joao, o im-
portante proprietario coronel J3o de Moirelles.
Pelo delegado 1" suppleule da villa de Nossa
Senhora. do Rio das Egas, foi capturado e remet-
ido para as cadas da villa de Carinhanha, onde
se acha, o criminoso Florencio de Abren Neiya,
qup, ha annos, assassinara a seu infeliz lio, Jacin
tho de Abreu Neiva, o que por esse crime est
pronunciado.
No dia 19 do passado, na estrada da Cachoei-
ra para o Joazeiro, districto de Belm, Manoel .Isi-
dro, cabra, trabalhadar da estrada de ferro, matn
a Vicente, tambem trabalhador da mesma estrada,
filho de um ceg de norae Florencio da Motta,
para Ihe roubarjsegundo coista, 5*000 !! !
Deu-lhc um tiro de pistola na bocea, diversas
faoadas pelo corpo, o raoeu-lhe completamente a
capeca a pao.
< Pelos seus mos folios foi Manoel Isidro recru-
tado, ha lempos, a mandado para o Sul; de 11.
voltou com baxa, e, em lugar de emendar-se,
continuou na sua antiga vida, de desordens, eslra-
polas e furtos, acabando pelo assassinato.
Felizmente foi capturado, achando-se anda
coa) as vestes ensanguontadas.
0 cambio sobre Londres regujau 18 5/8 a
18 3/4 d.. sobro Paris 503 rs., o sonte Portugal
188 0/0
Oabiaie brasileiro Garibaldi, <^fid*,^^'
nambuco no dia 5, ficava carga para esto porto.
-*
V



' I
30 DPQ3A 10 6 A8I33 JaGMUWO de Pernam^uco ~ Sefiiida feira 9 de Agosto de 1869, \\ QIGHIUH .ViX QHHH
_------- I p' _^__________------_-----------------------__-------------
SHRCIPE. ...
A alfandega de Aracajti rendalea mes de
juaho 23:^61^537.
ALAGOAS.
Novias* que fez no centro da provincia o
Exm. Sr. Dr. Jos Bento, foi eollocada no Paulo
Affonsnuma chapa de bronze, commemorativa da
visita d S. imperador cachoira desse nome
m SO de outubro de 1859. *
Falleceu, no di.i M corrente, no eidsieido
Macei, o Dr. Ideario Peraira da Rosa Los, pro-
curador fiscal da lueaou rafia provincial.
- Lejana BO
* O mmelo


CL'JB POPULARPor aviso do rattWterie da sc< eaixeiros Carlos Estanislao da Costa, AqM^
calaros j justica, de 31 do passado, foi declarado, presi- lo Marti ns Morera e Hagoliuo Hachado da Cunta,
regulares nesta docesc ( qual se cownoe JfVtlllSqa, dajfpvincia, nrt" nnvcr loeeeoaoienle m -*.Beg*stre-se.
provincia e da do Phulrv) de 113 : ssutfWlrja- raftfrnvaca'o dos estatutos da associacSo poHtio* ttn> de Ferreira 4 Mitheus, en*focurado-
Iidad no correte anno' tem sido -espanto*'m|t!lrP)iHr. \~ ; ^rae Marc. Maffln & C. e Marc T^affln. & Jacquds
relajo ap seu algarsmo : porquanlo de 2* Je ja- h. VAI.RS DO CORREIO.Em 98 do nassaeo'f Xoller, requerendo o registro d\fMM escriplura
ueiro deste anno at hoje tem fallecido 11 facer- ^pp^jo quinte aviso, poto ministerio da agri-
dotes, a saber:7 parochos, 1 coadjattr eocarre- cultura, ao director geral dos correios o ira-
gado, 4 conego e 2 sacerdotes dos avisos. Jperio^_______ ^,
i de mato ultimo
i ruf ubiiii-nto n. 3M3 de
aviaii&JM'i idalo da sello
43">'i de 17 .la abril do ente
NOTICIAS DO KORTfi DO IMPERIO
Tonibem chegoa hontom o vapor brasileiro Cru-
zeiro do Sul, inserido joniaes do Para at 31 do
Sssado, Maranbao at 2, do Coar al 4, do Rio
ande at 68 da Parahyba at 7 do carente. Eis
o qac colliemos.
PARA.
Emdata de 31 escieve-aos nosso correspon-
dente :
No commercio ainda contina a crise das que-
Ora* ; outras tem apparoctdo, come consequeucia
das que j houveram.
Entreunto o commercio nio est desanimado;
ba mais conlianca as transacedes, por isso os g-
neros desta parte do Brasil, sustentara no estran-
geiro bous procos, especialmente a borracha, ter-
mmetro de lodo o commercio do Par.
O calor vai assnmindo, no presente verlo,
alguma intensidade; tanto que tem havido alguns
casos de eholerina, tanto na capital como por
fra portn, nao tem sido molestia de funestas
consequeocias.
Espera-se por estes das o novo paquete Ma-
rankense da Europa, da nova companhia ingleza
de Liverpool Rd Crtss Lyne, de porte 1,318 tone-
ladas, como o primeiro que aqu chegeu, denomi-
nado Paraenu.
Estes vapores sio magnficos tantono tamanho,
velocidade da marcha e accomodaeoes para eas-
sageiros, alm de grande epaco para carga
t Estamos bein servidos de communicacoes r-
pidas para a Europa, porque temos j dous va-
porar quiozenacs que ao Para chegam directamen-
te, nao fallando nos paquetes mensaes norte ame-
ricanos.
Este porto vei se tornando importantisiirao,
como ponto commercial; agora mesmo dizemque
tambem vai se estabelecer urna linha, de vapores
peruanos, do Para Iquitos no alto Solimoes.
A companhia recen (emente inaugurada, sob o
nome companhia fluvial do Alto Amazonas, j tem
fruido boas iateresses; s na ultima viagem que
acaba de fazer ao rio Purs, ainda pouco explora-
do, eonduzio de Manus a Idifferentes pontos de
escalla no dito rio 321 passageiros I
Espera se por todo o moz de agosto prxi-
mo, o segundo paquete, que deve vir de Liver-
pool, coin o nome Pars; sendo o seu comman-
dante que acaba de ser nomcado o capitao tenen-
le Antonio da Silva Teixeira de Freitas, que fra
da corveta de guerra nacional Beberibe.
A sociedade 28 de Julho, que l'i aqai csta-
belecida o anno passado, pelos fllhos do Mara-
nhio, ileuanle-hpntem posse nova directora ;
liouve muila animaco ao acto solemne do ani-
versario e posse dos membros elcilos, assim come
coacorreram commissoi^s de varias sociedades,
aoloridades da provincia, emfm maltas pessoas
gradas que abiilhantaram asolemnidadc.
A' bordo do aras voltou do sua visita pasto-
ral Chaves e escalas do vapor, o Exm. e Rvm.
Sr. bispo diocesano.
E' esperado o vapor Annjs, pertencenle a
companhia fluvial Paraense, construido em'New-
York, donde saino a 25 do corrente. "
A alfandega rendeu de 1 a 30 do corrente
284:3701345 rs.
O cambio regulava : sobre Londres 18 3/i a
19 d., sobre Paris 505 a 510 ris, e sobre Pertu
gal 190 /-
Ficam, carga os navios : Cora, Rio Grande
e Saint Aiuit pai a o Havre ; Linda para Lisboa;
Salinas e C. E. Mooioy para New-York ; e Fan-
lee para Liverpool.
MARANHAO.
Foi nomeado promotor publico da comarca
da Carolina, o Dr. Emiliano Jos Rodrigues.
Falleceram : o coronel Antonio Onofre Ri-
beteo, unidos principaes lavradores de Alcntara;
e o empregado da secretaria do governo Ray-
mundo Joao de Azevedo.
Achava-se de, volta de S. Bento, aondo foi
por ordem da presidencia da provincia, o Dr. che-
fe do polica, tendo deixado tudo em paz e tran-
quil! idade.
A asscmbla-conUuaava a nio funecionar,
por falla de depulados.
Reinando em Arary febres ntermittentes de
mao carcter, a presidencia mandou para tratar
dos affectados o Dr. Tolentino Augusto Machado.
A.cmara municipal da capital nndou o no-
me da ra do Giz para 28 de Julho.
' No dia 23 do passado chegm ooutro moni-
tor peruano, que se esperava. Chaua-se Atahal-
a, de 1300 tonelladas, tem dous canhoes de 600
ibras e 120 pracas de guarniao. Seu comman-
dante o capitao de fragata ). Jurn Guillerme
More. Trouxe 7 dias de viagem das ilhas da Sau-
dc (Guiana Fraoceza).
Chegaram tambem os dous transportes da mes-
ma uacao Maranon e Pac-hiela, rebocadores.
Lcmos uo Publicador Maranliense :
Hontem (28) houve Te-Deum na cathedral
para solemnisar o anoiversario da adherencia do
Maranhao causa da independencia. Estiveram
embaodeirados os navios surtos no porto, salvou
urna hora da tarde o forte S. Luiz, e ooite
estiveram Iluminados os edificios pblicos e omi-
tas casas particulares, destinguindo-se a Ilumina-
cao da casa do* educandos artfices, e a que fez
em frente de sua casa o Sr. J. J. Alvcs Bezolla.
Como eslava annunciado foi inslallada a so-
ciedade 28 de Julho no salao do "theatro, hontem
s 7 horas da noitc, tomando posse do lugar de
presidente o Sr. Dr. Frederico Jos Correa, nomea-
do pela presidencia e dos demais cargos da mesa
administrativa os senhores para elles cleitos na
sessao anterior.
A sessao foi presidida pelo Exm. Sr. Dr. Braz
Florentino Henriques de Soma, presidente hono-
rario da sociedade.
O Sr. presidente effectivo Dr. Frederico Jos
Correa em discurso simples mais eloqucnle e pa-
tritico, expoz o Qm da sociadade, drgtndo-lhc
expressoes de animaco para que continu a con-
correr para a realisacao da idea humanitaria e
grandiosa que se propoz. Seguio-se isto um
helio improviso feito pelo infaligavel fundador da
associacao, o Dr. Tolentino Augusto Machado, so-
bre o objecto da reunio, conclundo com entu-
sisticos vivas S. M. o Imperador, ao dia 28 de
Julho, socieJade e ao Exm. Sr. presidente da
provincia.
Coube tambem a palavra ao Dr. Ovidio da
Cama Lobo, depois do que foram entregues pelo
Exm. Sr. presidente honorario as cartas de sete
enancas do sexo femenino, libertadas pela socieda-
de assim como as de oais tres libertadas por seas
senhores em regosijo ao dia 28 de Julho, acom-
panhando S. Exc. a entrega das cartas de algumas
palavras apropriadas occasiao.
Eis a relacio das enancas alforriadas :
< Benedicta, de 5 anuos, cafuza, de D. Joanna
Clara de Mracs.
c Alda, de 4 annos, preta, de Custodio Goncal-
ves Belchior.
< Beuedicla, 5 mezes, mulata, de Jos Mathias
Alves Serrao.
Victoria, 3 annos, cafuza, de D. Ernestina
Cid.
Leonor, 3 annos, mulata, de Diniz Alvaro Tel-
es de Mello Malheiros Machado.
Lucia, 1 .anno,mulata, de Francisco Autrand.
Felinla, 6mezes. mulata, de D. Anna Floren-
cia Freitas dos Reis.
Pedro, 2 aanos, cafuz, de D. Anna Rita Gomes
Con
Emilio, 3 anaos, cafuz, do Dr. Francisco An-
tonio Brandao.
t Como a sociedade manumissora, a sociedade
Harmona Maranhense, nuebo muito modesto de
artistas, quiz dar urna demonstracao de que tam-
bem trabalba oa obra da civilisaco e do verda-
dero progresso com o mesmo ardor que qualquer
outra. Ha nella alguns jovens que abracam de co-
racao a* grandes ideas e ellas se dedicao com o
febril eniusiasino da mocidade. Estes mancebos,
auxiliados por outros socios, nbriram urna snbs-
cripcao e em poneos dias reuniram orna quanlia
necessaria para libertar qnatro erianeas, cujos no-
mes nao pnblieamos por nao nos ter sido enviada
a lisb. Estas quatro alforrias pode se considerar
como um brilhante resultado, attendendo-se ao,
lempo e ontras clrcumstancias que difficultaram
a empreza.
Terminamos esta noticia registrando ainda um
acto nobre. O Sr. Francisco Joaquim de Mello,
para solemnisar o aniversario da independencia
da provincia, alforriou por urna subscripcaj, o
menor Eaja, escravo ao Sr. Luiz Antonio No-
nes. *'
Otnarnhom-a ees enil.5r*o-*nspori
fpernaoos, gente e todas u naco, fc todos m
cosiames e procedencias, *igam pokcidaJe ppo-
movonio desopdens entre sio proveeando aos que
patsnm. As consaquoncias destes actos nao sao
ilifBeeis de prever-fe. e j iverao df lias urna
amostra.
Ante-nnntem entorna qaiUndada ra do Tra-
piche o martaheirt lames Judge, ir|andex, do
monitor Mmnc Capac, foi assassmado pelo mari-
nlieiro ManMl osa, exieano, do ni.iuilor A/-
hulpa. E>le crime oi ommetlido quasi a san-
gue fri, pois a pequen* disputa que o precedeu i^ ^ammunlpo' a %.$. para seu" conhecimento e
este respeiio o ministerio dos ne-
da, a-aba elle A daelarar-nie no
te n vales de-
nidos a parte do ai t. H i
recrlNMlHRo, gofviwo peftanto na
iscneio do sello, tanto llxo como proporcional. O
liencta q
le ana
Cunha. d
ftilhAMfe tt do que acliialmcnie.
. Com a satisf ipn deslasduas importantes, e in
dUpensovete necesidades,.priaeipAlinento da ulti-
ma, pollera o governo desdo log) marcar um
prase, nao multo longo, flndo o qual' 11 caria para
sempre xtmcia no imperio- a eseravatura bnrsilet-
ra, antitliese verdadeira de nova civilisaco, eliber-
Tendo osjfricWes dbTlieiro a joros molcos.
como o do 6 por cento ao anuo, ainda que sobre
hypotheca em sua propriedade, nio smente se
animaran! a adquirir, e a introduzir em suasplan-
llie ftzera rektivanOnt') ao registro- lacoes os naelhoramentos modernos que Ibes ira-
de quitacao e desobriga que deraoti Lopes i Oiv-
vera.Registre-se.
Dito de Maqool Percira da Cun
rendo tamben o registri
xjOT 'o2Mb Carino jRrreift
tre-se.
Dito ile Jote Mara Ranviada
f.izendo a exi-
ato social com Antonio Percira da
mo q:ie sao socios em dtlo contra-
to Graf que iroii com a quantia de dez coifos
l il<> r.'it A AMitui.i Proir foi entr o assassnato c outrb marinheiro,
go e companbeiro de assassino, a que t
irmo.
c O assassino foi prese no becco da alfandega,
por algumas pe3soas que o perseguan! e pracas
da guarda. O subdelegado do districto, Sr. Da-
vid Freir da Silva, compareceu immediauniente,
assim como o Sr. Dr. Saulner, mas este intil-
mente, porque do ferimento orle mediaram
poucos minutos.
Informam-nos que algumas testeraunnas, ma-
rinheiros peruanos, tem dito que esta a oitav
morte commettida pelo assassino. Este que nega
tudo, mesmo ser autor do crime, apezar de ser
preso com a faca ensanguentada e ter sido o laclo
viste por muilas pessoas, querendo principio
negar o que diziam os seus eonipanheiros, anal
contasen que essas mortes feram na guerra dos
Estados-Unidos. >
A alfandega renden de i a 31 do passado
188:6924000.
Ficavam carga os navios: Trew frires
para o Havre; Buriatia para Barcelona; Jotephina
para o Porto; e Orleber para Liverpool.
PIAUHT.
No dia 13 do passado sanio para a villa de
S. Goncalo, o Exm. vice-presidente da provincia,
coronel Theotonio dg Souza Mendes.
CIAR.
Por occasiao de passar a presidencia da pro-
vincia, o coronel J. da Cunha Freir ao Exm. Sr.
desembargador Freitas Henriques, offereceu-lhe
um lauto janUr, que foi muito concorrido o ani-
mado.
Lemos no Pedro II:
A cmara municipal d'esta eapital mandou
felicitar ao Exm. Sr. coronel Cunha, pelo modo
porqne administroa a provincia cook. 2." vice-pre-
sidente no espaco de mais de tres mezes.
Esta homenagem que a cmara rendeu ao
Sr. coronel Cunha, mais urna prova de que elle
dirigiu bem os negocios -seu-oargo.
< De S. Matbeas nos communicam ter fallecido
allrepentinamente, victima de um ataque apo-
pltico, o delegado de polica Jos de Souza Be-
zorra, um dos maia imporuntes da localidad*, pai
do vigario da freguezia, e chele de urna numerosa
familia, a qual damos os nossos pezames.
A alfandega rendeu uo raez passado........
HliiiUiol liquido, sendo:
Importaco 76:752*050
Em ouro 13:28i#669 90:036*619
Exportacao 19:488*591
Interior 1:869*011
Evadio-se hontem (3), as 3 horas da Urde, o
gal Antonio Poreira Santiago, por antonomasia
Curingao, que se acliava trabalhando em urna
rampa, que se est fazendo atraz da cadeia. >
RIO CHANDE DO NORTE B PARAHYRA.
Nada oecorre1, que mereca menco.
PERNAMBUCO.
KEVISTA DIAEIA.
AUTORIDADE POLICIALPor deliberaeo de
5 do correte, foi nomeado 1 supplente de dele-
gado do termo do Buique, Leonardo Balbino Pes-
soa Cavalcante.
DINHEIRO.O vapor brasileiro Pirapama trou-
xe 808*000 para o Sr. Raymundo Candido M. de
Oliveira, e 201*000 para o Sr. J. J. Goncalves
Beltro.
Os vapores Paran e Cruzeiro do Sul trou
xeram as seguintes quanlias paraos Srs:
5:076*000
4:300*000
4:000*000
3:300*000
1:611*000
1:400*000
1:000*000
600*000
500*000
500*000
300*000
279*IKK)
200*000
160*000
trouxeram
MWMaJS^
do norte e sul
14:408*000
8:310*000
38:000*000
726*000
3:369*250
544:557*700
543:552*700
para
Joao Quirino de Agiiilar & C.
Jos Rodrigues de Souza
Manoel Martins Fiuza
Francisco Goncalves To res
Isabel Pires Just
J. O. C. Doyle
Carvalho & Nogueira
Jos Mathens Ferreira
Tbeodoro Simn
J. da (J. Oliveira Figueircdo
Euzebio R. Rabello
J. A. Pinto Serodio
Antonio Jos de Freitas
Paulo Jos Gomes
Para as provincias
elles :
Para
Maranbao
Cear
Parahyba
Babia
Ria de Janeiro
Sendo dosta ultima parcella
o Ihesouro nacional.
Alm dessas quantias vo mais 1,470:000* no
Ci uzeiro do Sul, para as thesourarias de fazenda
do Cear, Maranhao e Para.
COMPANHIA LYRICA.-Veio hontem da Baha
a e mipanhia lyrica, que deve trabalhar no thealro
de Santa Isabel, sob a direceo do Sr. Jos Mari-
nangeli. Compoe-se ao lodo de 28 pessoas.
FERIMENTO GRAVE.Em trras do engenho
Goiabeira, da freguezia de Jaboato, Antonio Jos
de Sant'Anna foi ferido gravemente por Izidro Das
dos Prazeres, na sexta-feira ultima. O criminoso
foi preso em continent >.
PARA O SUL E NORTE DO IMPERIO.Tiram
hoje malas, s 3 horas da tarde, na |administraco
do crrelo, os vapores Cruzro do Sul e Paran.
aquello para o sul e este para o norte do imperio.
LIVROS FURTADOS.Quem r dom de dous
volumes do duas obras diversas, que foram ap-
prehendidos um individuo, appareca na secreta-
ria de polica, que dando os signaes cortos, Ibe
sero entregues.
FACULDADE DE DIREITODesde a creacao
das Academias de Direito, tem nellas recebido* o
grao de doutor 110 pessoas, e de bacharel 3,424,
sendo 37 doutores e 1,971 hachareis na Academia
on Faculdade do Recife, 73 doutores e 1,458 ha-
chareis na de S. Paulo.
CORRECCO INDISPENSAVEL.No discurso
do Exm. Sr. conde de Baependy, que publicamos
em nossa Revista de sabbado, onde se lapezar
de haver approvado em terceira discussao, la-se
apezar de haver approvado em segunda dis-
cusn.
SARGETAS DA PRAtjA DA INDEPENDENCIA.
Continnam, com grave incoramodo publico, al-
guns moradores das proximidades dossa praca, a
fazer o despejo do quanta agua servida, cisco e
materias fcaes tm em casa, as boceas das sar-
getas da entrada do lado da ra do Cabug, tor-
nando esse lugar quasi intranstavel, pelo mo
cheiro que dellas sahe, sobretudo oas horas de
maior calor ou cm que a mar est proamar.
ROA DA RODA.Os moradores desta ra tm
a sua sade ameacada, pela grande quantidade de
aguas ptridas aglomeradas do lado do pateo do
Paraizo, e por isso pedem quem de direito se
lumbre que tambem elles pagam imposto, e como
tal tm direito nao seren privados dos commo-
dos pblicos.
CAES DA ASSEMBLA.Agradecemos ao Sr.
fiscal do Recife a manera porque se servio provi-
denciar de sorte que no dia om que lhe lembr-
inos, nesse mesmo flcou desobstruido o caes da
Assembla confronte aos trapiches Cunba e Angelo
onde os taaoeiros do fim da travessa do Forte do
Mattos estavara enchendo agurdente.
Agora pedimos ao mesmo senlior que,com o zelo
que o destingue, se sirva impedir que o largo no
fim da travessa sobre o qual d o oilo dos arma-
zens da viuva do commendador Manoel Concalves,
esteja constantemente obstruido com caceos vasios
em numero superior a 108, e que ahi se encba
agurdente, a qual fica por vezes exposta por ami-
tos das ao ogo etc. Em geral s trancamos as
portas depois de roukido*. Sr. fiscal aUeod
grande responsablidade que pesa sobre & 8., e
corte direito de olhos fechados.
PAQUETE 1NGLEZ.-0 tk)ut estava annun-
ciado, na corte, para sahir no da
s 8 horas da manhaa.
devidos elfeites.
t Beus twrde a Jf. S.foaquim Anio Per-
nandes Leo.
VAPOR CAM0SS1M.-Acerca duste vapor da
companhia Maranhense, encontramos o teguinte
no Commercio do Cear :
Este vapor da companhia Maranhense, ten-
do batido no caneco a sota-vento da barra do
Camossim, e tomando umita agua, foi Toreado a
entrar na uta barra s 10 on 11 horas da noito;
chegandu ao lugar denominado pedra do feijo
ahi desgovernou, e nao podendo seguir por causa
da grande avaria, enealhou ; conservoa-se a-sim
al o dia 26 do correte (julho). O vapor Pira-
pama, commandado pelo hatiil Sr. Torres, fazendo
sua viagem peridica aquelle ponto, ebegou a
ftmpo de safva-lo, rebocando-o at a prafa em
frente no armazcm da c impanhia, aonde o de'xou.
Assim est o va*>or Camossim salvo e capaz
de ter os reparos precisos, alim de continuir a sua
viagem.
Presnme-se^ que a carga est totalmente
avariada, por quanto o vapor quasi encheu-se
d'agua.
Os valiosos servicos prestados pelo Sr. com-
mandante Torres ao navio e aos infeltzes naufra-
go?, devem ter a devida remuneracao, j da com-
panhia Maranhense, j mesmo da Pernambucana,
da qual elle um dos mais habis empregados ;
alm disto obteve o digno commandante ura pti-
mo lucro para sua companhia na importancia de
2:000* pelo dito trabadlo.
PROTESTO DE LETTRAS. O escrivio dos
protestos Jos Marianno, est de semana, ra de
Santo Amaro n. 20.
PASSAGEIROS.O vapor Cruzeiro do Sul, viu-
do dos portos do norte, trouxe os seguintes :
Manoel Domingos Romn, Jos e Thereza escra-
vos, liento Jos Antones e sua familia, D. Joanna
Francisca dos Reis, D. Anna de Castro Antones,
D. Antonia E. de Castro Antunes e i escravo, Jo-
s Januario de Carvalho Paes de Andrade, sua
irma D. Clara Adelaide P. de Andrade, e um ir-
mo Manoel J. P. de Andrade, i criado e 7 escra-
vos, Antonio Matheus Dias Fernandes, 3 escravos
a entregar a B. Norat, Jos Meirelles.
3egueni para o sul :
Jos Clemente Dias de M., Pedro Gomo do Re-
g, Jo do Couto F., Jos Lopes, Antonio Jos
VilarNova, Ray mundo N. Rbeiro Belfort, Anto-
nio Carneiro da S. Oliveira, capitao Silverio Jos
da C, Jacob Alegra, Jos B., D. L. da Enearnacao
Basto fi sua familia, Manoel P. Pinto de Vascon-
celos, 11 pracas para o exercito, 2 ditas para a
niai inha, 30 escravos a entregar.
Vindos do sul no vapor Paran :
Jos Antonio de B. Bastos, sua senhora, urna fl-
ua c 2 criados, Gamillo Lelis Fonceca, Domingos
de Mello Rodrigues de G_ D. Isabel Pereira da
Conceicao, Jos Nativdade, padre Manoel Mara
da Come cao Ricardo Reg, Antonio Martins V.,
Dr. Jos de Cerqueira Lima, Joao Sudr, Caetano
Jos de Brito, Antonio de A. II. Cavalcante, Joa-
quim de A. Maia, Manoel Joaquim da Silva Leao,
Jos de S. Brandao, Francisco F. do Nascimento
Jatob, Guilliermc de Souza Bastos, Jacintho Jos
utios Le te, Manoel Francisco de P. Cavalcante,
Dr. Miguel Felicio Bastos da Silva, Bavard Leo-
poldo de S. Magalhaes, Antonio Ferreira da Silva,
Manoel Lourenco da Costa Pereira, Boavenlura
Jos da Costa Azevedo, Antonio Jos Ferreira M.,
Joaquim de S. Ferreira, Luiz Antonio C, Antonio
Silvcira Cordero e sa muliier, Paulino Jos, Je-
suino Jos da Jess, Jos de Souza Lopes, Andr
Noronha da Silva, Argemiro (Jiberto), Eduardo F.,
M. Dray, Marinangeli, um fllho e mais 28 pessoas
da companhia lyrica italiana, Antonio de Aze-
vedo; sargento Symphronin O. dos Santos, 10 pra-
cas, urna mulher e dous lilhos.
Seguem para o norte :
Fernando Leite Castro, major Jos G. da Silva
Coqueiro, H. Eibert, Antonio Jos Ferreira S.,
Martiniano Furtado de Mendonca, Antonio Joa-
quim da Silva, capitn Manoel Pereira de Brito
Meirelles, Francisco (criado), 30 pracas do exer-
cito e armada.
de reis, e Antonio Pereira da Cunha com a de
cinco coulaa.Vista ao Sr. deserobargador fiscal.
Dito de'FrtiTMisco Nune* da Silva A C, pedindo
para que se mande registrar a matrcula de seus
eaixeiros Antonio Luiz Rodrigues de Almeida, Poncajuntagem
Thomaz da 6oeta Kibeim e illysses da Silva Mou- "
ra.Registrese. rO que os requerehtes tfenomi-
nam matricula, urna nomeacao por elles passa-
da aos sobreditos eaixeiros.)
Dito de Satyro Seralim da Silva, pedindo por
certidM o 'egistro das nomeacoes de seus caixei-
r mtU$ Marinho Cavalcante de Albuquerque
em 1868, Bernardo Ferreira da Silva e Jos Ma-
ra Rodrigues de Almeda em 1809.Certifiqu-se.
Dita de Antonia Mooiz Machado, para se me
certificar a sua matricula de commerciante.Cer-
tfiquese.
Dito de Januario Jos da Costa, para certilicar-
se-lha a sua ioscripcao como caixeiro da casa
eommercial matriculada de Antonio Moniz Ma-
chado Certifique-se.
Dito de bidoro Bastos & C, requerendo para
ser admittdo registro a nomeacao de seus eai-
xeiros Francisco de Paula Graca, Fabio de Albu-
querque Nascimento e Eduardo Fragoso.Regis-
tre-so.
Dito d>) Vicente Ferreira da Costa e Jos Fer-
reira da Costa, socios da firmaVicente Ferreira
da Costa & Filho, declarando terem dissoivido di-
ta firma em 31 de dezemhro de 1868, ficando a
liquidaco cargo de ambos os socios, e que es-
tando esta de presente concluida, pediam que
fosse seu requerimento registrado como contrato
de dissolacio de dita sociedade.Nao tem lugar,
devendo apresentar o seu distrato para ser devi
(lamente registrado, depois de ouvido o Sr. de-
sembargador fiscal.
Autos de rehabilitacao de Dencker & Barroso.
(Adiados por o tribunal nio estar completo.)
Ditos de Joao Jos Leite Guimares. (Adiados
pelo mesmo motivo.)
COM INrORMACAO DO SR. DESEXBARGADOR FISCAL.
Offletos dos agentes de leiles Francisco Ignacio
Pinto e Jos Mara Pestaa.-O tribunal resolveu
qoe se respondesse aos mesmos que procedan) de
conformidade com o parecer fiscal, cuja copia
Ihes ser enviada, que se remettesse copia dos
ditos offklos ao Sr. administrador da recebedoria.
Nada mais havendo a despachar, o Exm. Sr.
presidente encerrou a sessao s 11 horas e me a
do dia.
' fQCl^reas scm creaca IW banco rural liy-
poliecaTo7 e de emisso, ao passo que com o
fHROXIf A JUDI1URIA.
I Itlltl V il. DO COMMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 5 DE
AGOSTO DE 1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARCADOR ANSELMO
FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. depu-
tadns Rosa, Basto e bario de Cruangy, faltando
com participacao verbal o Sr. Miranda Leal, o
Exm. Sr. presidente deelarou aberta a sossio.
Lida, foi approvada a acta da sessao de 2.
EXPEDIENTE.
Aos Srs. deputados foram distribuidos para os
rubricar os seguintes livros :Copiadores (2) de
Marques, Barros & C. e 1 de Cardoso & Irmao.
Foram expedidos com assignatura do Sr. secre-
tario os offlcios que se seguem :
Ao Sr. deputado supplente Jos Francisco S
l.eitao agradecendo em nome do Exm. Sr. pres-
dante a promptido e assiduidade cm vir ao tribu-
nal servir no impedimento de molestia do Sr. de-
putado Basto.
Ao conselheiro inspector da thesouraria da fa-
zenda, declarando-lhe que por annuncios nos or-
naos em diversas datas e ltimamente por dias
consecutivos foram os responsaveis pelos emolu-
mentos constantes dos papis que acompanharaiu
o officio de 18 de julho ultimo chamados para vi-
rcm satsfazer taes emolumentos.
Ao secretario do tribunal do commercio do
Maranhao, acensando a recepcao de seu officio de
16 de julho.
E ao presidente e secretario aa junta dos cor-
retores no sentido do que se resolver em sessio
do da 2 relativamente a remessa do bolelim eom-
mercial.
Visto o livro de registro da correspondencia,
achou-se regular at n. 160.
DESPACHOS.
Requerimento de Joaquim Hugolioo da Silva
Fragoso, juntando nma procuracao bastante com
.que se acha autorisado a pedir por certidao o re-
Ristro das nomeaedes de eaixeiros de que tratam
as peticoes de Mathias Jorge da Silva, Joaquim
Francisco da Silva Salles, Eduardo Moraes & C,
e Antonio Domingos Pinto apoesentadas na sessao
de 29 do mez prximo (lodo. Dem-se as certi-
ddes requeridas pelo supplicante.
Dito de Rosa Antones de Oliveira Monteiro e
Augusto de Castro Monteiro, pedindo que se min-
de registrar a procuracao com que seu marido e
patrio Bernardo de Cerqueira Castro Monteiro,
aulorisa-os para gerrem todos os seus negocios
cm sua ausencia.Registre-se.
Dito de Manoel Bento de Oliveira Braga & C,
pedindo registro para a nomeacao de seus eaixei-
ros Daniel Francisco Pinheiro e Manoel Lourenco
dos Santos Colho.Registre-se.
Dito de Luiz da Fonseca Macdo, fazendo igual
Sedido quanto do sea caixeiro Rufo Daraaceno
e Castro.Como requer.
Dito de Marcolino de Souza Travassos, pedindo
ao Exm. Sr. presidente do tribunal, para que
mande registrar a nomeacao de seu caixeiro An-
gelo Affonso Villaea, a qual junta^-Registre-se.
Dito de Jos Pinto de Magalhaes e Germano
Pinto de MagalhSes, requerendo o registro do con-
trato social que formaram relativamente urna
coxeira de carros do passeio sita ra das Flores
do bairro de Santo Autonio, n. 35.Vista ao Sr.
desembargador fiscal.
Dito de Antonio de Souza Botelho, para quo se
lhe registre a nomeacao, que junta de seu caixei-
ro Manoel Pereira de Azevedo.Como requer.
Dito de Osorio & Irmao, para o mesmo fim
quanto que deram a Felino Jos da Cruz e Jos
Jeronymo Moniz, para caixeiro de seu estabeleci-
mento de fazendas ra da Imperatru n. 28.
Registre-se.
Dito de Gaspar Antonio Vielra.Gaimarles, com-
merciante matriculado, fazendo igual pedido qnan-
to de seus eaixeiros Bazifio da Rocha Oliveira,
auo Alves Ferreira da Fonseca e Jg.no Luiz de
Oliveira Azevedo.Registre-se.
8 do eorreots, I Dito de Alvaro Augusto de Almeida & C, tam-
I bem no rnesmo sentido quanto i que derara aos
gam augmnte de producao com en prego de menos
bracos, cono nao Ibes faltaram brac-is livres na-
cionaes paradupliea-tes, e assim usufmirem utaio-
res lucros, dcixanJo, que a coloaisacSo nos ele-
gasse expontanea, como nos Estados-Unidos, e
tiio a poder ouro como tem querido alguns
dos nossos estadistas.
tiraremos do estabelecimento
PUBUCACOES A PEDIDO.
Srs. redactores.^0 vesso conceituado Diario
de 27 do corrente foi publicado um meu escripto,
dirigido ao partido conservador, e como em sua
publicarn alm das faltas de pontos e virgulas,
vem suppresses, c trocas de palavras e de frases
inteiras, som duvida por irem coliocadas entre II-
nhas canselladas e riscadas, apresso-me em pedir-
vos, que as ratifiquis publicando o de novo em
seguida a esta minha declaracio, para que o meu
pcnsamenlo alm de mal exposto, nio fique des-
virtuado : como o que muito agradecido Ihes fi-
carei.
Ao partido conservador.
J que se acha no poder o patritico partido
conservador, que tem sido o autor das grandes re-
formas praticas que hoje gosames, e que na pre-
sente legislatura ter de realisar outras, que o paz
reclama como indispsnsaveis, para que possa go-
sar de urna mais robusta, e livre existencia a elle
me dirijo, pedindo-lhc, que por um momento preste
atteneao a rude, mais verdadeira exposicao que
lhe passa a fazer um seu correligionario, sobre o
cancaro, que est acabando cem a mrbida exis-
tencia da agricultura brasilera e sobre a ignoran-
cia de mais de dous tercos da nossa populacao.
Em quanto ao meu fraco pensar, nao tanto a
falta de bracos que oncorre para acabrunhar a
nossa agricultura, e sim atlribuo a tres cousas
principaes, e remediaveis, que sao : 1* a inoros-
dadejna condcelo dos gneros: 2' a caresta dos
fretc destes na conduccao para o centro dos mer-
cados : 3' e principal, a usura dos agiotas, e cor-
respondentes. "
Em quanto as duas primeras, pens que s as
vas frreas nos trario rapidez de conduccao, e
barateza de fete, porque aeabariaaa com a con-
duccao dos gneros agrcolas embostas de ami-
naes, que alm da morosidade, nos traz o estravio
o deterioramento dos mesmos gneros, por serein
condusidos expostos as intemperies do lempo, e por
isto o pesado onus de 500 a liOOO em arroba so-
bre o preco corrente do mercado, o que reduz o
agricultor a pouco oa quasi nada lucrar, alm dos
costeios de suas fazendas, tendo ainda os do norte
do imperio de lutar com as seccas, ou irregulari-
dades das estacoes, que as vezes os reduzem em
alguns annos de pequea produccao a nao terem
os lucros sufflcientes para occorrerem as mais
urgentes, e vilaes necessidades, e se yeem por isso
forcados a reccorrerem aos usurarios e corres-
pondentes, veraadeiros zangos da agricultura
brasilera.
Em quanto a terceira causa pens, que o meio
nico de a remediar, e sanar, o estabe|ecimento
quanto antes de banco rural, e hypoihecario estabe-
lecido na capital do imperio, com liliaes em todas
suas provincias agrcolas, para que estas fornecam
smente ao agricultor dinheiro a 6 por cento ao
anno, e a prasos annuaes, e longos, mediante a
hypotheca era sua propriedade agrcola, dando-se-
ihes smente at dous tercos do seu valor real,
cuja avaliacao se poder conseguir pelos meios ju-
diciaes, pagas as despezas pelos pretendeutes.
O governo deverser o principalmente ou quas
o exclusivo accionista do banco, ainda que para
isto tenha de contrahir algum mprestimo dentro
ou fra do paz, e fazer alguina emisso, porque
sendo a agricultura a principal fonte da riqueza
do estado ou a principal arterea, que o vivfica,
florecendo ella ter este de ver os seus cofres
abundantes de ouro, que servir nao smenlo para
amortisar a grande divida publica, como para ser
empregado em outros melhoramcntos moraes, e
materiaes, que sao por elle tio reclamados.
Poder florecer a agricultura de urna paz quan-
do d< os tercos de seus agricultores (digo isto em
virtude do que occularniwnte observo nesta comar-
ca, e em toda provincia de Pernambuco, donde sou
filho, e onde sou morador) alm da falta de bra-
cos, e das machinas, que a estes supprem, e vivendo
uns j affogados, e outros prestes a affogarem-se
no pelado da usura, se veem ainda forcados em
annos menos productivos a recorrerem aos agio-
tas e correspondentes para que estes lhe fornecam
dinheiro a 2, 3, 4, 5, e at 10 por cento ao mez
(como observo continuadamente) em prasos de 6,
8 e 10 mezes para suppriremsuas neessdades, por
terem a vezes entregado a aquelles o pouco que
lucraram, e que reverte novamente para seu poder
mediante nova usura T E com taes meios, e redu-
sidosa tal estada, podem os seus agricultores me-
Ihorarem os utencilios da lavoura, supprirera os
bracos por mel da introduccao das machinas
aperfeicoadas, e lavrarem a trra em malor esca-
la 1 mo por certo : um tal paz vera, que no
correr1 de anuos a pobreza o invaderia, e que seus
agricultores ficariam reduzidos a miseria com
suas familias (como centenares de exemplo vos po-
derla apresentar) por se verem dispojados dos
bracos, que possuiam, e de sua propriedade, que
ou ir ncar inculta o em abandono em poder dos
usurarios, ou passaria para o poder de outrem,
que mais tarde tem de ser victima destes, a assim
indefinitivamente, o que por certo nio succedena,
se elles achassem mediante a hypotneca em sua
prepriedade, dinheiro a 6 por cento ao anno, nao
para os s-xcorrer na escacez da produc-
cao, como para melhorarem os seus utencilios,
e lavrarem a trra em maor escala.
Nio tem o governo gasto centenares de contos
de ris com a colonisacao ? O que tem consegui-
do ? Pouco ou qnasl nada: por tanto orgaoise
j um banco rural hypoihecario, e de emissio, ten-
do em vistas as razdes expostas e ver, que os
agricultores brasileiros o bemdizem por os terem
arrancado das arras dos usurarios abutris, e Ihes
porpocionado meios para pagaron suas dividas
lamente, e assim granjiarem fortuna para
a seus descendeutes, ao passo que o paz
con M grandes plantacSes e com maior quantida-
de de bracos upprido pelo empreo das unchinas
modernas, oo mente recuperara o prejuizo cau-
sado pelo ornte dos eapitaes contrahidos, como
veri entrar logo tw anno seguate, e nos vindouros
eslabelecimenlo dejte, e sm a creacao daquellas
muito lucraramos, porque de pouco serve a rpi-
da conduccao, e a barateza de frele, quando aca-
brunhados com a usura nio podem os agricultores
achar meios rasoaveis de pagaren suas dividas,para
assim adquirirem novas machinas, e augmentar, e
mesmo duplicar as suas plantaces, e um triste
exemplo desta verdade nos offjrece a via frrea
do Recife ao S. Francisco, estabelecida ao sul desta
provincia, onde todos tem rapidez de conduccao, c
barateza de frele. porm a sua grande maioria nao
podendo pelas razes expostas augmentar as suas
plantaccs, para assim terem maioros lucros, se
acha hoje tanto ou mais subca regado de dividas
da que antes do estabelecimento daquella estrada,
motivo porque ella nao tem tirado lucro suflkiente
para que o governo deixasse de lhe pagar os 7 por
cenio que le garanti, o que por certo nio teria
succedidii se anteriormente tivesse sido creado o
banco alludido.
Tambem a creacao do banco do Brasil em vez
de proporcionar algum beneficio a agricultura,
tem concorrido para o seu maur atraso, porque
apenas priocipiou elle a funecionar, quo a seus
cofres recorrern) os agiotas, e quasi a tolaldade
dos correspondentes, e lhe tomaran) dinheiro a 8 e
a 10 por cento ao anno, para o dareni aos agricul-
tores, es agiotas a 24, 40. 50 e 80 por cento ao
anno, e os correspondentes a 30, 40, 50 100 e 120
por rento tambem ao anno, como tenho verificado
entre meus parentes, e amigos, cujos juros parle
declarado na letra, que assigna o agricultor, e
parle lhe estorquido pelos ltimos na compra,
que fazera dos utencilios da lavoura, das fazendas,
e dos gneros, que remettem ;,para o costeio das
fazendas, alm de 3 por cento que tiram do que
compram, e vendem, 80 rs. que tambem tiram de
corretagem da venda de cada sacea de assucar ou
caf, e mais 100 rs. que alguns subtraem no valor
porque vendido o genero no mercado, o que por
certo nio succederia se estabelecid) o banco, os
agricultores a elle podessem recorrer, e adquirido
o dinheiro cora elle pagassem a vista tudo quanto
comprassem.
Nao tendo o banco do Brasil prestado utilidade
alguraa a lavoura, e antes pelos motivos expostos
tendo concorrido para sua decadencia, visto que
os agricultores nao podem satsfazer compromisso
de dinheiro temado por 4 e 6 mezes, nao prestou
igualmente utilidade alguma ao commercio, porque
nao florescendo aquella nao pede florescer este, e
por isso intil parece ter sido a sua creacao.
Ainda na cmara dos senhores deputados, na
sessao do 4 de junho do corrente anno disse o
nohre presidente do conselhoque nio nos fiemos
smente na uherdade do nosso slo; a fertilidade
de nossas trras, nossos ros caudalosos, e nossas
maltas de nada serviran) se o trabalho do homem
nio viessem fecunda-lasporm como poderc-
raos aproveitar a uberdade de uosso slo, se
quem o podia cultivar se v impossiblitado de o
fazer porsc acbar esmagado com o peso da usura,
e seo achar meios para della se livrar?
Emendo que s os meios cima apontados po-
dero concorrer para que os agricultures, e por
conseguinte o estado tire proveito da fertilidade
de nossas trras, de nossos rios chalosos, e de
nossas mattas; portanto hoje mais que nunca
convm, que os altos, Ilustrados, e patriticos re-
presentantes do paiz cuidem da agricultura, para
que ella se torne a alavanca, que o tem de erguer
do abatimenlo em que se acha, devdo a patritica,
mas disastrosa guerra do Paraguay,_ cujo estado
anda mais se agravar com a creacao do imposto
de 40 por cento sobre os gneros do consumo.
Sobre a ignorancia em que jz mais de dousher-i
eos de n-ssa populacao, enlendo que dous sio os
meios, que muito coeorreriam para que ella des-
aparecesse em grande parle, ou de todo, priuioro
creando o gooerno escolas publicas em todos os
lugares onde podessm haver mais de 10 erianeas
aptas para adquirirem a insiruccao primaria; se-
gundo reformando os altos poderes do Estado a
actual lei eleitqral, e substituindo-a por outra,
cuja base principal fosse, que ficaria privado do
direito do votar todo cidadao brasileiro, que nao
soubesse lr, e escrever ainda, que milhionario
fosse, porque este seria o maior incentivo para
que os paes raandasseni, ainda com sacrificios, os
seus filhos as escolas, afim de que e-tes para o
futuro podessem concorrer com os seus votos para
a escolha dos altos representantes do seu paiz, do
que se achavam elles agora privados por nio te-
rem os seus antepassados os mandado ensinar, e
para melhor explicar o meu pensamento a tal
respeito, aprsente em seguida a maneira porque
enlendo que a reforma deve ser feita
Art. 1." Fica abolido o actual systcma de elei-
coes, que ser substituido pelo comido nos para-
graphos seguintes:
Art. 2. No dia marcado pelo governo as 10 ho-
ras da raanhSa se reunir na igreja matriz de cada
freguezia o povo, que voluntariamente quizer, e
poder concorrer a eleico, que se deve proceder,
e posta no corpo de dita igreja urna mesa com
assentos lateraes, o Io juiz de paz do Io districto
da matriz tomar assento em seu topo, c convidar
os seus dous immediatos na ordem da votaeio
para juizes de paz, os qnaes j deverao ter sido
convidados pelo primeiro 30 dias antes, e com
estes compor a mesa da assembla parschial, que
tem de receber, e apurar as sedulas dos cidadaos
que quizerem, e poderem votar.
Art. 3. Volaro directamente para senadores,
deputados geraes, e provinciacs, juizes de paz, e
vereadores todos; os cidadaos brasileiros, que tendo
um meo do vida honesto.e publico.esliverem sen-
tos de crime passado ,cm julgado, se apresentarem
com um vestuario, limpb, e decente, e souberem
lr, e escrever.
Art. 4. Para que a assembla parochial possa
verificar, que o cidadao, que se aprsenla para
vetar sabo lr, e escrever, e nio smente sabe
desenliar a sua assignalura, como muitas vezes
succede, nio sendo elle conhecido ao monos por
dous Kiembros da mesa, em como sabe lr, e es-
crever, o presidente lhe dar a lr algum dos arti-
gos da presente lei, e verificado que elle o sabe
fazer, ainda que nao muito corrente, mandara que
o votante assigne o seu nome em um livro, findo o
que peceber de sua mo urna chapa contendo o
nome ou nomes das pessoas, que ello acha dignas
de merecerem os sous sufragios na eleico que se
est procedendo, cuja chapa ser immediata e pu-
blicamente apurada, sendo lida pelo presidente, e
escripto o nome ou nomes dos votados pelos ou-
tros deus mesarlos, cada um em seu livro para
qoe se venfiquo se houve algum engao na escri-
tura ci.
Ar.t. 5.* O livro em que tem de assigriar o vo-
tante ser aberlo, e rubricado pelo secretario do
presidente da provincia, e por despacho deste dado
no proprio livro, assim como os dous de que trata
o artigo antecedente serio rubricados pelos juizes
de direito das comarcas, e todos tres remettidos
or qhem os bouver rubricados com antecedencia
o dia da eleico ao 1* juiz de paz do 1 districto
de cada mairiz, e as suas faltas serio supridas
por outros abertos, e rubricados pelo presidente
da assembla parochial na occasiao se proceder a
J eleico.
Art. 6." A eleico se concluir em nunca menos
do cinco dias, principiando as assemblas paro-
chaes os seus trabalhos as 10 horas da manhia, e
terminando as 4 da tarde de cada dia.
Art. 7. Nao poder a assembla parochial so-
bre pretexto algum recusar receber a cbapa do
cidadao que se apresentar, e que tenha as qualida-
des exigidas no art. 3o da presente lei, sobre pena
de poder o votante intentar contra ella, ao depois
de findo o processo eleitoral, ,uma queixa dada ao
juiz de direito da comarca, perante quem sendo
ella provada exhuberantemente elle a condemoar
no artigo do nosso cdigo criminal que pane um
tal delicio.
Art. 8.* Passadas duas horas, que nio comp-
rela mais nenlium votante ao depois de encelados
os trabalbos do 5 dia, ou nos que a elle se segui-
rem, o presidente da assembla parochial annun-
ciar, e.dar por findo o recebimento das cdulas,
ao depois do que nao ser attendida reclamaran
alguma, publicando em altas vozes o nome ou no-
mes dos votados, e o numer de votos que cada
o, o que se lavrar um edita), quo
signada f*MWntaaana -du ^^^^ paru.
cl.ial sera immedul*ento aflaadonaporla da ma-
triz, e em x-guitfa manda i ,;uie f |iamar a
um dos esenvaes do loro, ou *) julio de paz me
pra jibricado a eoaipary* MettaAiMnie'so
pena de responsablidade, para que este tome en>
seu livro denlastodo o resuJladii da votaeio de-
v diantea |K) Art '.'. Do resultado do toda a eleico, e antes
de se dar ella por linda, serio extrahidas duas.
copias pelos dous secretaria da assembla paro-
hial, as (|uae aero remetiidasuma ao presidente
a provincia, e outra ao ministro do imperio pur
Intermedio deste.
Ari. 10 Os tres I i Tro, que tem de servir na
eleico sern guardadas durante o seu trabalho, e
lindos os de cada dia, em nm cofre bem construi-
do, arqueados com bai ras de ferro, e com tres cha-
ves fornidas, e differentes, que deverao ficar urna
em mo de cada mesario, para que assim fique
elle salvo dos golpes dos inimigos da liberdade e
da ordem.
Art. 11. Findo todo o trabalho eleitoral sero
os tres livros recolhidos immediaiamenie ao ar-
chivo da cmara municipal do respectivo muni-
cipio.
Art. 12. Sessenta das depois da iastallacio das
assemblas pamchiaes da provincia, o presidente
desta remetiera cmara municipal da capital to
| das as aulhcnticas recebidas sobro a eleico de se-
nadores, e depulados geraes, e provinciacs, para
que ella faca a apuraco no oitavo dia, ao depois
do recebimento aellas,annunciando pela imprensa
o dia e nota, cm que ella devora ter lugar.
Art. 13. jila elaicii para os quatro jones de paz
de cada districto, copias da acia da apnracao Incs
serviro de diplomas, as quaes sero extrahidas
pelos dous secretarios, e por estes remettidos a
aquelles com jepuranea, e sobre responsablidade
ate o dcimo dia ao depois de concluidos os traba-
lhos eleitoraes.
Art. 14. Na eleico para vereadores a cmara
municipal de cada municipio far a apuraco da
votacSo das differentes freguezias trinta das ao de-
pois do recebimento dos livros, ? por estes : co-
pias desta apuraco serio remettidos aos sete ci-
dadaos mais votados, quando o municipio coinpre-
huuder villa, e aos nove quando comprchender ci-
dade, para Ihes servirem de diplomas.
Art. 15. Na eleico para vereadores a cmara
municipal da capital remetiera ao senado por in-
termedio do presidente da provincia, una copia do
apuraco, arsignada por todos os sous membros
presentes, e outra ao ministro do imperio para
presentar a S. M. o Imperador, afim de que esle
por ella escolha d'enlre os tres mais volados um,
3ue precncha a vaga existente, ou entre os seis se
uas forem as vagas, e assim por dante, e na
eleico de deputados geraes o grovncaes ser re-
meltida urna copia da apuraco a cada urna das
assemblas, c outras serviro de diplomas a cada
um dos eleitos, cujo numero sera o que existe
presentemente.
Art. 16. A verificaco dos poderes dos senadores
e deputados geraes, o prvinciaes, continuar a
ser feita como actualmente.
Art. 17. O governo expedir regulamentos para
a boa f c fiel execucao da presente lei, revogadas
todas as disposicoes em contrario.
E' esta a le que no meu fraco pensar muito
concorrera nio smente para a instrueco do filho
do povo, de quem s o partido conservador tem
sido o leal e verdadero protector, como para que
as nossas eleicoes exprmissem simplicdade, liber-
dade e conhecimenlo do que vai o votante fazer, e
nao a confuso, a ignorancia, e a compressao como
acontece actualmente, e que nao obstante isto nao
fura aquella lei reformada pelos falsos apostlos da
liberdade, estando seis annos no poder.
O que observamos por occasiao de se proceder
a urna eleico fura da capital da provincia ? Ve-
mos que os man.loes das aldeas reunem com pro-
messas, e ameacas a todos quantos se sujeitam a
estasduas condicoes, e com elles marcham para a
eleico, sem saber esta pobre, mal vestida e igno-
rante gente o que vai fazer, e all chegada, recebe
do mando um papel literalmente fechado, o qual
diz a cada umesta a chapa que Vine, deve en-
tregar na mesa quando for chamado o seu nome,
ou o de nutro, que nao compreos, c as vezes lhe
entrega quatro c mais chapas para elle as ir entre-
gando pelos que forem faltando, e o pobre assim o
faz ou esperando a recompensa, ou teniendo a.
ameaca ; e una tal eleico pode nunca exprimir
verdadeira execucao da le, liberdade e reconlicc-
mento do que vai o votante fazer ? Nio, por cello ;
perianto, emendo que tambera deve merecer mul-
ta atteneao dos altos representantes do paiz a ins-
trueco do filho do povo, c a falla de liberdade
que esle tem por occasiao do se procederem as
nossas actuaes eleicoes.
Quera assim vos falla nao um especulador, o
sim um agricultor, que possuindo um bom enge-
nho nesta romaica, soffrivelmento montado a va-
por, e cora 35 escravos em numero, tem todava
sido victima da usura (que deve ser punida entre.
nscomo o na Franca, berco da civilisaco mo-
derna, onde em 1866 foi levado barra do tribu-
nal correccional o conego Bcaujeau pelo crime de
usura) e que nao obstante nao ter intelligencia e
conhecimentos, lera todava a pratica do que v e
observa, pedindo-vos que suppracs estas c lhe per-
doeis a affouteza que leve era escrever estas tos-
cas lnhas, e a vos as dirigir.
Comarca de Nazaratb da Matta da provincia de
rnambuco, 29 de julho de 1869.
0 agricultor nazareno H. C. S. A'
O papa da Parahyba.
OESPOSTA AOS ARTIROS PASSAD0S, P1IF.SKNTES E FU-
TUROS DOOESPEnTADORCONTRA AS DOCTRINAS
JESUTICAS.
Na occasiao de se terem prohibido, at que se
modifiquem algumas expressoes (duner corrigaiur),
as obras do noss Ilustrado Monte pela sagrada
congregacio do Index, a Idea Liberal do ultimo
sabbado re julho, em lugar de propor uina nova
impresso das mesmas obras com aquella pequea-
mudanga, que tornra-se ndispensavel desde 1864,
a saber, desde a publica?ao do Syllabo de Po IX :
propoj aos Brasileiros o projecto diablico de re-
nunciar a re|io catholica apostlica remana dos
nossos antepassados; formando um monstro, que
o articulista chama igreja catholica nacional bra-
sileiro, a qual nunca poderla ser catholica, por-
que esta urna s, fallando o Credo em numero
singular t Creio na santa igreja catholica j : alm
da contradi'ceo, que aprsenla a reunio destas
duas palavras, nacional e catholica, que na lingua
greca significa universal, isso esp.ilh.nda ern todo
o mundo. Porm quem chama dispotico e guasi
pagua o goterno de Roma, separa-se j por si mes-
mo da igreja de Jess Chrsto, cujo chefe visivel
o legitimo suceeasOf de S. Pedro, o santo padre
Pi IX. Duas cousas requercm-sc para se ejecu-
tar o impo projecto : a primeira laucar mao do
cargo do ero, para constranirer os disidentes
que nao quizessem repetir, como os Judeus Pi-
latos : Ns nao temos outro rei, seno Cesar
(S. Joao XIX 15) ; nem quizessem gritar contra o
chefe visivel da igreja, o que contra Jess Christo,
chefe invisivel, gritavam os desgranados filhos de
Jacob, crucifica-o, erveifica-o (I. cit. 6); no que-
remos que esle seja nosso rei (S. Lucas XIX 14);
anda que Jess tivesse dito j ao presidente : Bu
sou rei (S. Joao XVIII 37). A segunda escolhcr
um papa nacional. Direi francamente o meu pa-
recer sobre esta hypothesc em duas palavras: se
por um lado sera difficil achar um ero s oin
todo o Brasil, por outro lado seria mu fcil, achar
um papa. Para quem o quizer, o papo brasileiro
existe j. Elle' um articulista do Despertador,
que se publica na Parahyba, e provenios logo.
Desde maio at hoje o Despertador publica ar-
tigo.* cheios de descomposturas contra as doutri-
nas jesuticas, copiando mutos lhellos infamato-
rios, por exemplo, o que tem por titulo t Os jesu-
tas ou a revelacao da sua doutrina e outros.
Quem seja o Sr. articulista, nio consta anda; uns
afllrmam que um padre, outros dizem qu nm
casado ; cu, porm, snspoito que rena urna o
outra prerogativa. Seja o que for, certo, quo
est exorcendo as funecoes papes.
Acaso nSo pertence ao Summo Pontfice con-
demnar por herticas as do trinas, que se ensi-
nam por um ou mais escriptores ? e o Sr. papa da
Parahyba fez isto, quando no n. 626 do Desperta-
dor deelarou os jesutas por i mestres de mximas
absurdas e herticas, erendo seriamente venia-
deiras as mentiras calumniosas que est copian-
do ; nem reparou, que Bento XIV na bulla Com-
tanlem de 1748 diz, que os religiosos da compa-
nhia de Jess se distinguem < pelo modo singular
de ensinar todas, as sciencias, particularmente as
sagradas, e por isso merecen) nova9 demonstra-
rse? de apostlica benevolencia.
De que serve, quo o proprio Clemente XIV no
breve Celeslium munerum de 12 de julho do
1769 chamasse aos jesutas < trabalhadores fervo-
rosos da vnha do Senhor ? Ao papa da Parahy-
ba aeradou melhor chmalos (n. 622) < ine ansa-
veis inimigos da Igreja de Josus Christo > e o ora-
culo d'elle deve se preferir. Pois nao.
Quando sua santidad* da Parahvba no n. C26


'-
proniinm, pie o Insij
pernicioso, piuco
hulla Apo
contradiga duendo
de de-
' H nte nnn :ilno Ai CCIIC pOfS
Q4# 4b Jil,,igM(6 de tf&fj
^ ^=^--
a
cada
m be-
gente, que aWm
panhia de J
falsasflnfVMa*, nao Vi) f'+>
-?s.enfBlPw--- friendo i-
este modo a igrja do Jess Christo, como
se f.vesse calal e* cMano, iulgando e declaran-
do solemnendr*.|r pfcdoso o que em si mesmo
tosse ininio e irreligioso, tolerando por mais de
<|luentoi W yvTW JtWjO'lii'ial eom suuuuo
O Santo Padro Pi Vil na bulla Solii-itudo de
ioli assim talla aos prelados eoclotasiicw :
Eneommeiiilamii m venera veis raos
arcebispos e bisos a companhia de Jesaj.W
um dos seus indkiduos, para que os Aoiso
Dignamente, ele. mMeiramente contrario o con-
selbo, que o puntillee parahybano da ao nosso dig-
no prelado no n. 6i6 ; poripianta llie aconelha
de tirar em sea hispa.lo s jesutas a cura do al-
mas, e de |> t a concurso as iegueias vagas, oc-
capadas boje por jesutas cneoimnenilados : t
nisto ser obedecido ; porque n niiuina fregnezia
' cenoi.b pn-jesutas; porm eontradizemlo
l'io Vil gaima-se aquella beneao, que lanea o
l'*Oa nu condoli da bulla citada : A ninguem
soja licito eontradixer esta nossa ordenaeSo. Se
alguem *e atrever a fnzer isto, lique saliendo, que
incurren na indignaeao do Todo Poderoso, e dos
seus bomawntiirados apostlos Pedro e Paulo.
O leitor jodicioso talvez so admiro de sua sa.ni-
dade parabvbana ter escripto tantas injurias e,
contumelias contra pessoas religiosas das rpiaes
nenhuma offensa receben, por ser islo muito con-
trario a caridade evanglica. Porm lique saben-
da, que o evaiigclhi) em qui mais er o papa da
l'arabyba, sao os livns, que conten mais descom-
posturas contra os religiosos.
Agora em resposla aos artigos ponados, pre-
sntese futuros, contra asdoutrinastheologieasdos
jesutas, suasaniilade parabybaoa lentia a bondade
de Mr o que. um brasiloiro publicara no Jornal do
Recife de i de juuho n. lO que os Jansenistas
dos seclos atrazndos ataeassem a douirina Hieo-
logica da companhia de Je em odlede* corrompidas, ora eerroitpondo os tex-
tos de !>. Tbomaz e de Santo AgosUnho para op-
po-los aos jesutas, nao 6 de admirar ; porm que
se ataque boje, depois que se responden milhares
de vezes as argucoes ou inerimuwcoes ; hoje que
j imprimise trila e sote vezes a Theologia Dog-
mtica do jesuta Perrone, que anda vive, nao In-
durado as tradcenos, e tcm geral aceita rio, um
verdadeiro absurdo. Em qve consiste toda a theo-
logia moral de S. Alfonso? consiste em eommcn-
tarios escrptos sobre o livro do jesuta Busem-
baum I E para o santo escrever os seos cuiiiinen-
tarios, a que autores recorreu reeorreu aos
ibeologos mais acreditados, entre os qnaes cita
frequentemenie os jesutas Decano, Comtolo,
Suarez, Bellarmiuo, Dcastillo, Jagundez, Azor,
Crdenas, Escobar, Lugo, etc., (o militas outros,
que o papa da Parahyba qniz condemnar por tan-
nenes, hereges, blaspfiemos, rcprodutmlof alnm-
a:as refutadas j.) O compendio do tbeologia mo-
ral do jesuta Gury, imprimia-se pela primeira
vez em 1850 ; no correnle anuo de 1869 est im-
primindo-se a vigsima edieao em Roma, e em
Len de Franca se fez urna edieao estereoiypa .
(oi adoptado pelos seminarios do Kranca, Reigica,
Hulianda, Suissa, Italia, Inglaterra, Estados-Unidos
e al da China e da Coehraeliraa, onde ha nao
pmira ebristandade e coegios nascentes. Assim
dentro de quasi todas as escolas catholicas de
theologia, ou assenta-se um lento jesuta, ou adop-
ta-so um autor jesuta... E' corto alm disso,
<|ue nenhum daquelles autores jesuilas foi con-
demnado, exceptuando o padre Mariana ; o que
sem duvida imluz a crer, ou que nunca sustenta-
ban! as doutrnas que >e Ihes allrbuem, ou que
as defenderam com argumentos e autoridades
bastantemente graves, dentro dos limites da sa-
merai rathoiica. t
Nao era:n necessariis tantas palavras para re-
futar sua santidade parahybana : bastava consi-
derar o modo novo e curioso de provar que os
thologos Jesutas ensinaram oroubo, o homicidio,
a incrcilulidade e todos os < ulros erros (fra ca-
sanienio dos padres). U que fez elle ? Despregou
dos contextos urna ou ontra troiMsi^ao, para
viciar o pensamento, e tirar-lhe o nexo: por
quanto fora do contexto, e, por assim dizer, des-
membrada, nao se sabe, se pcloescriplor aeja sus-
tentada ou combatida, ou tao smente referida,
como perlencenle outros amores!
Continu |wis sua santidade parahybana a di-
vertir o publico com as sua j descomposturas con-
tra os jesutas, nao obstante o contrario precedo
da S apostlica; porm nunca mais olfenda os
robres sentimentos dos pernainbueanos.assim como
fez, quando no n. 626 ehamou-os de zelosos jesu-
tas de knbito curto; porque dilcl que o eaval-
leiristJip delles solfra com paciencia as descompos-
turas inoivis d'uin fanalico da Parahyba, que lhc
nlereceram esta muito moderada resposta.
O mparcial.
fVei >la w| c a
O Cuinaries
spontanei-
essas
dcmoDSlrac3o de
"Stsjot^
0 IWI*b Sr.
5 palavras como
profiima astima. CiiiHO signal da derla tra-
Mdt>, J
cime
Rec
Manad Dia de Carvalho.
Protectora das fa-
milia?
r" do fegulamento, se convida a todos os
senlwres contribuinies essa associaco,
quo anda uno liverem apresuntado as certi-
dos de dado dos segurados para que fi-
Cam entrega d'ellas, na ra do Livramento
n. 19, 1 andar, alim de ser expedidas o
mais breve possivel para iuspecloria ge-
ral do Hio do Janeiro.
As certidoes ilmem ser selladas e reco-
nhecidas porlabellio.
Recife; 5 de agosto de 18G).
narciso de Vidal
l'"'~ *' !'Jl-8C qpin 130 por cenlo
7ljt|nl00a!3iS0
aneeza a rJ res a lft>
s.\8?3l eT
e*fcii*Mfl-* alejoW.
Salsopairilha deBristol
Por certo espago de tempo briibaram
sombra de desesperados e mendazes em-
bustes, numerosas saisaparrilhas d'uma
fraudulenta natureza, porem a sua existen-
cia findou logo que se apresentou no mundo
este grande especifico. Pelo espaco de
trinta e cinco annos consecutivos tem mar-
chado sobre os restos naufragados dos
competidores embusleiros, cuja existencia
tem sido concorde com os seus incompati-
veis Iriumplios. Tem seguido os rastos da
molestia d'onde quer e em qualquer forma
que se acbasse, e sua carreira tem sido
marcada com as curas as mais admiraveis,
que tanto lustre e fama tem dado arte de
curar. As escrfulas, as effeccoes, do li-
gado, as febres intermitentes e remitientes,
a dyspepsia, a neuralgia, e todas as enfer-
midades ulcerosas e cancerosas, cedem ante
suas mnravilhosas propriedades, cota a
mesma certeza crm que o ofFetto segu a
causa. Acha-se venda em todos os prin-
cipaes estabelecimenbjs de drogas.
e a fran
Ha
Oleo db likhaca.dem a 34 por galao
Passasdem a ViOO a caixa.
PnEsuitTos.dem a lJ e 201 arroba.
Qkijos. Os namengos vendoTam-*e a 2*300
cada um.
SabIo.Vendeu-se o ingez a *70 rs. por libra.
Toucinho. O de Lislxia vendeu-se 10|200
a arroba.
Vinagre.O do Portugal vendeu-se de H0 a
125 A por pipa.
ViNtio.O de Portugal obteve 30* e de outros
paiiM de I98J a 205 por pipa.
Velas.Venoeu-so o pacole de 6 velas das de
composieao 40 rs. .
DsscoNTo.Hegularam de 8 a ti 0/0 ao anno.
raKTEs.Do algod.i) para Liverpool, carregan-
do aqui, a 1/4 d por libra e 8 por cenlo ; de Ma-
cei 3/8 d. e 5 por cento ; e da Paralwbn a 1/2 d.
por libra sem capa. Do assucar para o referido
porto, d'aqui a lo/ sem capa para o Canal a 20/
dem.
do Recife
berador, e
Fa?o sabe
do mez de
uva iNeiva, jmz de
inal e substituto "
o em exercicio nesta cidade
tfr81!!!
que m *a
mno, se
MOVIMENTO DO PORTO.
COMMERCIO.
Caixa Filial do Banco
do Brazil.
A caixa filial do Banco do Brazil em Per-
nambuco em liquidaco paga o 3 te dividendo
das accoes do |Banco do Brazil inscriptas
nesta caixa, a razao de 95 por aeco.
Recife, 15 de julho de 1869.
ALFANDEGA. Kendimento do da 2 a 8 (dem do dia 7.....- . 139:0664467 30:3174890
169:3844357 MOVIMENTO DA ALFANDEGA Volumes entrados com fazendas 10't dem dem com gneros 598 -----702 Volumes sahidos com fazendas 114 dem idein com gneros l8
Acha-se entre nos o Sr. Dr. Americo
Alves Guintaraes, o merecido crdito de
qoe j goza, os louros que tem colliido nos
tpreUos scieutilicos, e sua constancia no es-
tudo sao justos ttulos que o tornam re-
commendavel por mais de nina considera-
dlo ; todava nao so somente estas as qua-
lidades que o fazem digno do concedi que
tem, sua amabilidade e Ihaneza sao real-
mente captivadras ; niis que ti vemos a fe-
licidade de o communicar, mais ainda de
reco!lier-mos o beneficio de seus trabalhos
pela cura de urna pessoa de nossa casa
que, lia quatro annos, padecendo de ner-
voso csterico e receitada por alguns mdi-
cos so veio adiar lenitivo aos seus soffri-
mtntos no apurado estudo de S. S., falta-
riamos a esse dever bem santo, se n3o Ihe
patenteasse-mos nossa gratido; mas ac-
c.-esce que o publico o deve j conhecer;
por tanto estas palavras sao nada mais do
que tima nota qne se juntar a voz. unni-
me dos homens serios e honestos que amam
a virtude e admiram a sciencia.
Fique, poie, o Sr. Dr. Guimaraes no
pacifico remasso de sua gloria, nos que o
vimos, que recebemos seus favores, que nos
felicitamos'pela acquisio5es que fez esta
provincia, recebendo-o tao lisongeiramente,
amos-llie o nosso modesto agfcfleci-
mento, seno cheio de encomios e elogios,
njpassado com ludo de sinceridade.
Desejamos-lhe que nao pare na senda
ebeia de flores que vai seguindo to prs-
peramente, para bem nao s da humani-
dade, como para gloria de seus amigos e
patricios, que intimamente se rogosijam
pelos floretes que ornam a sua fronte, e
-----262
Descarregam hoje 9 de agosto
Barca inglezaImperadormercaderas.
Barca inglezaNaoniamercadorias.
Brigue inglczJ/eWmercadorias.
B.\rca francezaFgaro dem.
Patacho inglezVateleidein.
Escuna norte-allemao Calharin dem.
Brigue suecoAunatabeado. ^
Escuna norte-allemaoGentico taboado.
Barca inglezaTrarellerfarinha de trigo.
Brigue nacional Almeidn 11charque.
Brigue mglezAlezandrebacalho.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PEIINAMBUOO.
Hendimento do dia % a 6 9:340*814
dem do dia 7...... 6324920
Navios entrados no da 7.
Rio Grande do Sol.21 dias, barca brasi-
leira'iVotjfl Carolina, de 27:) toneladas,
capiiio Virginio Lucio de Mallos, equipa-
gem 10, carga 40,000 arrobas de carne ;
David Ferrcira Baltar.
Terra Novai8 das, brigue inglez Alejan-
dra, do 225 toneladas, capitao David,
equipagem 12, carga 2,850 barricas com
bacalho ; Johnston Pater C.
Navios sahidos no mesmo da.
Maranhio Hiate brasileiro Roza, capitao
Antonio Francisco de Oliveira, carga dif-
ferentes gneros.
BabiaBrigue inglez Sttinside, capitoTe-
violdale, em lastro.
BahiaGaleota norte alemaa Eclepica, ca-
pitao F. Struve, carga farinha de man-
dioca.
Nanos entrados no dia 8.
Bio de Janeiro e portos intermedios 8 dias,
vapor brasileiro Paran, de 850 tonela-
dfls, commandante Santa Barbara, equi-
pagem 62, carga varios gneros ; Anto-
nio L. de O. Azevedo & C.
Para e portos intermedios 7 dias, vapor
brasileiro Cruzeiro do Siile 1,144 tonela-
das, commandante Alcoforado equipagem
65, carga diflereitfes gneros; Anto-
nio L. de Oliveira Azevedo & C.
Observaro.
Al meio dia nao houveram sabidas.
lo presente,
jlo do corrente a
de arrematar por venda a .,uem m;iis der
em piara publica deate juiso. depois da
audiencia re.spectiw, os bo*6 segnat
Dous m^\h^r\J serviuP\pBt es
tande bastante magros e em mu estado,
avallados, por fetfQOO quatro rodas para passeio, com o n. i05,
coit todo,, seus arreios e ponKifeA eflM*
mu estado, avahado por 400, mitro dito,
dito, com ou. ititbua] lodos seos an
e pertences. em melhor estado, avahado
por 600. Osquaes vo a praca por ,cxe-
cuc3odeJos|Pereira da Cunha d- Fillios,
contra Elpidiotfeliciano Pereira do Lira.
K na falta de foncadgf qni cubra 'o preco
da avaliacao, aera ar arreffratacro fefta^elo
preco doadjudicar.au com o balinioutu da
ei. ^^ -%.,
F. para que chegiM ao conhecmonto de
todos mandei lazer o'presente edkal que
ser afflxado nos luoares do costume e pu-
blicado pela iiriprensa.'
Dado o passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco, aos 17 de julho de 1869.
Eu, Manoel Silvino do Barros Falcao,
esenvo interino, o subscrevi.
Manoel Jos da Silva Nemas.
DI
elr
man
Ova
da ute
to cima no dia
jUwfteaanmSndas
dinbefro a frete at as 3 horas
aoaanjiS'yscriplorio no Forte d
TDMP,
'por.
an-
te
corren*!
. Recebo car-
passageiros t
tarde do da
Mattos n. 11
PANHIA PEHNAM
NA.
ECITAES.
9:9934734
CONSULADO
Hendimento do dia 2 a 6
(dem do dia 7 .
PROVINCIAL
13:8783326
2:3684683
16:2474009
PRACA DO RECIFE
KM 7 DE AGOSTO DK 1869, AS 3 HOHAS DA TARDB.
HEVIST.t WiHniL
Cambios.Sobre Londres regnloa a 18 5/8, 18
3/4, 18 7/8 c 19 d. por lOOO, c sobro Pars a
310 rs.. por franco. Sommando o total dos saques
feitos durante a semana para a Europa em
30,000.
Algodao.O de Pernambuco escolhdo e regu-
lar vendeu-se o de primeira sorte a 13210, e sem
inspeccao a 14144 ; o de Macei, primeira sorte,
posto a bordo, a 14223 ao frete de meio e 5 por
cento ; e o da Parahyba, idem, primeira sorte, ao
frete de meio sem capa, a i 5232 ris por klo-
gramma.
Assucah.Vendeu-se o branco e somenos sem
alleracao, o de Macei, porm posto a bordo, a...
34673*por lSkilogrammas, o mascavado purgado a
34300, o americano uuibem purgado de 34400 a
34430, e o bruto a 34000 or igual peso.
Agurdente.Vendeu-se a 944000 1 pipa.
Gouros.Os seceos e salgados venderam-sea
377 rs. o kilogramma.
Arroz.O pilado da India vendeu-se a 34200,
e o do Maranhao a 24900 por arroba.
Azeitb-doce.Vendeu-se o de Lisboa a 3*400,
e o do Estreito a 34200 o galao.
Bacalho.Vendeu-se em atacado a 204, e a
retalho de 214 a 224 por barrica.
Batatas.Venderam-se de lfiOO a23000 a ar-
roba.
Bolachinhas.Vendeu-se a 44300 a barri-
qninha.
Caf.Vendeu-se de 5*500 a 64500 a arroba.
Cha.Vendeu-se de 25900 a 25830 a libra.
CerveiaVendeu-se a 45500, 35200 e 758OO
a duza de garrafas e botijas.
A cmara municipal desta cidade faz pu-
blico para conhecimento de seus munici-
pes o artigo de posturas abaixo trans-
criptos, que foram approvados provisoria-
mente pelo Exm. vice-presidenle da pro-
vincia, em 30 de julho ultimo.
Paco da cmara municipal do Recife, 4
de agosto de 4869.
Ignacio Joaqnim dt, Souza Leo,
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Ba-Viagem.
O secretario.
4.* seceo.Palacio do governo de Per-
nambuco 0 de julho de 4869. O vice-
presidente da provincia tendo em vista o que
ponderou a cmara municipal da cidade do
Recife em officio de 21 do corrente, sob
n. 63, resolve approvar provisoriamente
nos termos do art. 2 do decreto de 25 de
outubro de lf*3I, os artigos de posturas
addicionaes abaixo transcriptos.
Art. "4. Fica prohibido construir ja-
nellas com arcadas as soleas, ainda que
os andares da casa as teoham, subsistindo
com ludo a altura de treze palmos, mar-
cada do assoalho ao t'rechal, para as mesmas
sotas; os infractores ser5o multados, o
proprietario em 30$, e o mestre da obra
em 20$, sendo obrigado a desfaze-la e cons-
tru-la de occordo com o exposto.
Art. 2. Fia revogada a ultima parte do
art. 7o das posturas de 2 de maio de 4868,
que promette as referidas arcadas das ja-
nellas das sotas. Dr. Manoel do Nasci-
mento Machado Portella.Conforme Anto-
nio Annes Jacorae Pires.
Facidade de Direito.
De ordem do Exm. Sr. director interino o con-
selhciro Dr. Pedro Antran da Matta e Albuquer-
que faco publico qoe tica marcado o prazo do seis
miv.es contados da data desle, para a inscripcao
dos que pretenderem coneorrer ao lugar de lente
substituto da Faculdade de Direito do Recife, vago
pelo accesso do substituto Dr. JoaoCapistranoBan-
deira de Mello Filho, a cadeira do que era pro-
prietario o fallecido Dr. Jeronymo Vilclla de Castro
Tavares
Pelo que todo os pretndeme ao dito lugar se
poderiio apresentar desde j na secretaria desta
Faculdade para inscrever seus nomes no livro com-
petente : o que Ihes permlttido fazer por pro-
curador se estiverem a mais de vinte legoas desta
cidade, ou liverem justo impedimento.
Sao, porm, obrigados a apresentar documentos
que mostreo) sua qualidade de cidado brasileiro,
e de que esto no oso de seus direitos civis e po-
lticos, certidao de baptismo, folha corrida de lu-
gar do seus domicilios e diploma do doutor por
urna das Faeuldades de Direito do Imperio, ou
publica forma, justificando a impossibilidade da
apresentacao do original, e na mesma occasiao
poderao entregar quaesquer documentos que jul
garem convenientes, ou como titulo de babilitacao,
ou como provas de servidos prestados ao Estado, a
humanidade ou a sciencia, dos qnaes se Ibes pas-
sar recibo: ludo de conformidade eom os arts.
36 e 37 do decreto n. 1,286 de 28 de abril de 1834
e 111 e seguintes de n. 1,568 do 24 de fevereiro
de 1855.
E pra que ohegue ao eonheeimento de todos
mandou o mesmo Exm. Sr. director interino, afi-
xar o presento, que ser publicado as folhas
desta cidade e as da corte.
DECLABACOES.
.,-----------------------
Conselho de compras do arsenal
de guerra.
0 con seibo de compras Ai arsenal do guerra
precisa comprar para provmiento dos arniazcns
do almoxarifail o seguate :
Para o deposito especial de mslruceo, ordem da
presidencia de 5 de maio.
1 camisa de niea.
i lencos.
38 pares de luvas.
58 ditos de meia.
136,20 metros de algodozinho.
Para a fortaleza do Bnim, ordem de 3 do corrente.
40 arrobas de plvora.
Para enfermara militar, ordem de 3 do corrente.
1,000 mappas para dietas de doentes.
100 ditos conforme o modello n. 9.
As pessoas que quizerem vender os o bj ce tos
cima declarados, aprescntein suas proposkas na
salado conseibo com *< respectivas amostras, as
U horas no dia 9 do corrento.
Sala do conselbo de compras do arsenal de
guerra de Pernambuco 5 de agosto de MWfc
llygino Jos Coelho.
(kironel director interino.
Jos Baptista de Castro Silva,
Secretario.
Pela contadura da cmara municipal desta
cidade se convida a todas as pessoas que se acham
a dever imposto de porta aberta, virem saiisfa-
ze- lo at o ultimo de selembro, Iludo o qual, en-
correro as penas da lei.
Conladoria da cmara municipal 7 de agosto de
1869.
O contador,
Emilio Americano do llego Cazuaba
Aviso nos navegantes
O Ulm. Sr. capiiio de mar e guerra, capitao do
porto, manda fazer publico para conhecimento dos
navegantes, que o pharolete do Mucuripe, na pro-
vincia do Gear, deixou de funecionar, em conse-
quencia de se ter incendiado na madrugada do dia
22 do corrente.
Capitana do Porto de Pernambuco 29 de julho
de 1869.
O secretario,.
Decio do Atfoino Konseca.
vapor.
ord, Ara-
*e
ranja.
O vapoi /', rapan*, commandante
Torres, seguir para os portos
cima Jio dia 14 do crrante aj 5 horas
"Recebe carga at dia 13, encotn-
mendas, passageiros e djheiro a frete at as
i horas da tarde do dia da sabida no eseriutorio
do Furto dp Mf ttos n. 12. ^^^^^^^^^ t
COMPANHIA PKHNAMULTANA
M
\avegafo costeira por vapor.
Macei .em linniuia e Penedo.
0 rapor Jagunrh,' coinuian jante ajoura, segui-
r para os portos cima no dia 9 do correnle
as g- horas da tarde. Decebe earfo at-odti 7
as 3 horas, cnconuuendas, pissageiros e dinheiro
a freto at as 2 h-iras da tird lo dia da sabida :
no eseriptorio do Forte do Mallos n. 12.
LEILAO
De 400 cala* com chartrt*.
Terca-feira 10 do corrente.
0 agente Pestaa far leilo, por conta o risco
de q..em pertencer de 400 caixas cora charutos
para fechar contas, tersa-feira 10 do corrente as
11 horas da nianh,aa no armazem do Annes.
LEILAO
O patacho Protector seguir para o referido por-
to em poucos dias, por ter a maior parte de seu
carregamento prompto : para o que Ihe falta,
quem quizer carregar a frote coramodo, ptide di-
rigir-se ao consignatario Joaqnim Jos Goncalves
Delirad, ra do Coinmercio n. 17.
COMPANHIA PfiKNAMBUCANA
DK
Xavegaco costelra por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamamlar.
O vapor Parahtfba, commandante
Mello, seguir para os poitos cima no
_ dia 10 do frrente a meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, n 1 eseriptorio do Fort do Mattos
n. 12.
!L
Para
Seguir brevemente o veleiro patacho portuguez
Boa Fe. capitao Domingos Martins : recebo algu-
ma carga a frete razoavel, para o que se trata
com o seu consignatario Joaquim Gerardo de Das
os. ra do Viprio n. 16,1" andar.
ara H. llignel e Tereelra
0 jj|tachi) portuguez Mara, esperado de Lisboa,
sahira para as duas ilhas cima, poucos dias de-
pois de sua ch^gada a esta, desde j se engaja
carga e passageiros : trata-se com E. II. RabeHo,
ra do Commereio n. 44. '
LEILOES.
LEILAO
de

AVISOS MARTIMOS.
Para o Porto
pretende sahircom anossivel brevidade o patacho
portuguez Liberal, tem parte da carga engajada, e
para o resto que lhc falta, pode tratarse com Da-
vid Ferreira Rallar, ra do Brum n. 92, ou com
o eapilao do referido navio.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
Navegando costea por vapor
Fernando de Noronha.
O vapor Corurpe, commandante Pedro, seguir
para o porto cima no dia 12 do crtente ao meio
da. Recebe carg.i at o dia 11, encommendas,
passageiros o dinheiro a frete at as 10 horas do
dia da sabida : eseriptorio no Forte do Matos nu-
mero 12.
COJIP
DAS
Mcssagcrics imperiales.
At o dia 14 do corrente mez espera-sc ita- Eu-
ropa o vapor francez Gnienne, o qual depois da
demora do eos tu me seguir para Bahia e Dio de
Janeiro.
Para eondiccoes, fretes e passagens trata-so na
agencia ra do Commereio n. 9.
PARA 0 PORTO.
Segoo com a possivel brevidade & brigue por-
tuguez L'niiio que j conta grande parte da carga
engajada : quem no mesmo quizer caregar on ir
de passagem trate com os consignatarios Tbomaz
de Aquino Fonseea & C, ra do Vigario n. 19,
primeiro andar.
lllo raade do Saal
Para o pootoacima segu com brevidade o pa-
tacho nacional Principe, recebo alguma carga a
frote, e trata-se com os consignatarios, Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo t C. ra da Cruz n. 57.
dividas n lapertanelr
I Oil.JM
O agente Martins lar leilo a re juerimento do
inventarame dos boas do fallecido subdito por-
tuguez Jos (lomes do< Santos Correia e por auto-
risaeao do Illm. Sr. Dr. Claudino de Araujo Gui-
maraes cnsul de Portugal, das dividas activas do
mesmo espolio na importancia de 1:026|730.
HOJE.
No armazem da roa do Imperador n. 16, as 11
horas do dia.
De 99 barris eom uiaotelga pa-
ra fechar conta.
Terca-feira 10 do convnle.
O agento Pestaa vender sem reserva W bar-
ris com manteiga em nm ou mais lote-, terca-fei-
ra 10 do corrente as 11 horas da mauhaa no
armazem do Annes.
Da taberna n. 39 k roa do Horlas e gene-
ros nella existentes do fallecido Lauriano
Pacheco do Couto por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz do commereio a requerimen-
to do depositario da massa.
AflMnha O do corrate ao
meio di;.
O.'gento Bornardino Guimaraos, competente-
mente autorisado vender essa taberna, euja ava-
liacao polo-ser examiaada antes da hora indicada
na mesma-ahorna, onde ter lugar o leilo.
LEILAO
De 30 gigos com cerveja franceza, 36 de-
cimos de vinho verde, 5 quintos de dito
cherez, 10-caixas de dito do Porto.
Terca-feira O de agosto
ao meio dia.
Por mtervencao do agente Pinto o por oceasiao
do leilo de movis no armazem da ra do Impe-
rador n. 57.
iii:iiiA<*
De um cabriole! dn 4 rodas americano, 1
caixa com arreios de casquinha de supe-
rior qualidade e o pavoes novos e bo-
nitos.
Terca-feira f O de agosta
a I hora da tarde.
Por ntervencao do agente Pinto, em frente ao
armazem da ra do Imperador n. 57, onde havera
anteriormente leilo de movis.
LEILAO
de
De dividas na importancia
I0:N14I50.
O agente Martins levar novamenle a leilo por
autorisaco do Illm. Sr. Dr. Claudino de Araujo
Guimares cnsul de Portugal, das dividas acti-
vas do espolio de Jos Manoel Pereira de Menda-
nha na importancia de 10:884 i 130.
HOjE.
Ho armazem da ra do Imperador n. 16, as U
horas do da.
LEILAO
De fazendas geraes.
A 9 do corrente.
Magalhin Irmos farao leilo por interven cao
do agente Oliveira, de grande variedade de fazen-
das ib' seda, la, linho e de algodao as mais pro-
prias do mercado, assim como de algumas ava-
ri:.das por conta e risco de quem pertencer.
MB<
as 10 l>oras da manha, em seu armazem ra
da Cadeia do Recife.
De 40 caixas com ceblas.
Hoje 9 do corrente.
O agente Pestaa far leilo ao correr do mar-
tillo e para fechar contas, por conta c risco de
quem pertencer de 40 caixas com ceblas no ar-
mazem do Sr. Azevedo no largo- da escadinha da
alfandega as 10 horas da manha.
LEILAO
De 20 barricas com cerveja al sap, 2 cai-
xas com frascos com passas e figos, 16
frascos com amendoas, 4 queijos suissos,
20 frascos de carri, 3 barris presuntos,
37 latas de biscoutos.
TERCA-FEIRA 10 DO CORRENTE.
O agent Pestaa vender por couta o risco de
quem pertencer para fechar facturas e sem limi-
tes os goneros aoima em lotes tnrea-teira 10 do
corrente as 11 horas da manha no armazem do
Anne.
IHIIAO
De movis, loncarvldroseomra
de prata.
A SABER :
Um piano hamburguez e forie, 1 mobilia de
Jacaranda, 1 jardineira, 1 rico espelho dourado t
grande, 1 candelabro e 2 serpentinas d crystal,
casticaes o mangas, quadros, 1 relogio americano,
1 tapete de sof, 1 cama franceza de Jacaranda,
1 toilet, 1 guarda vestido, 1 guarda roupa, 1 eom-,
moda, 2 cabillos, 2 cadeiras de viageni, 1 cama
de ferro, 1 dita para menino, 2etlagers, 1 mesa
elatica, 2 apparadores, i guarda louca, 1 exeel-
lente caixa de costura, 1 sof, 2 consolos e ti ca-
deiras de amarcllo, copos, clices, garrafas o
cqmpoteiras.
Urna mobilia de amarello, 1 piano francez, 1
cadeira com correias (palanquim), i bacatela 1 jo-
po) 1 carteira, 1 estante, 1 oculo, 1 mesa rsdonda
de Jacaranda, 1 cama de faia para 2 pessoas, i
cadeiras de balanco, 1 deposito grande para agua,
1 quartinheira, 1 espingarda de 2 canos, l rewoi-
ver de 6 tiros.
Urna exoellenie e magnillca estante di-forro pa-
ra msica com 4 faces c preparada a capricho na
fabrica Fennix de Lisboa.
Terca-feira O de agosto
Na ra do Imperador armazem- n. 57.
O agente Pinto encarregado por nina amiba
que mudou do residencia, far leilo dos movis
e mais obieetos cima descriptos existente no
armazem da ra do Imperador n. 57, onde po-
derao ser examinados ditos objectos na vespera e
dia do leilo.
Principiar as 10 horas em ponto em virtude do
spre.m mttitos os lotes.
LEILAO
movis, lonca, vi-
de prate e um ca-
de mobilias, pianos, differentes
dros, cerveja, vinhos, obras
briolet
Terqa-feira 10 de agosto
Por interyenco do agente Pinto.
no armazem da rna do Imperador n. 57, (out
armazem da Allianca).
ora
LEILAO
Da barca franceza ALPHONSINE encalhada
no banco de pedras das Garcas no Rio
Grande do Norte na sua ultima viagem
de Marseille a S. Francisco, seu appare-
Iho, velas, sohrscellentes e carregamen-
to avaiiado, salvado e existente na. alfan-
dega do Rio Grande do Norte.
A SABER :
Segnnda-feira i de agosto.
Em um s lote e tal qual se acha no lugar
do naufragio.
O casco da referida barca (que carregava 1,00
tonelladas), maslres reaes, gnrups, t ferro eom
15 bracas de corrento, 3 vergas grandes, 6 ditas
de gavia, 3 mastios de gavia, 2 paos o cerca
de 100 tonelladas de ferr fundido, 700 barras de
chumbo, (45 tonelladas pouco mais ou menos).
cerca de 700 pedacos do marinero serrado e em
bruto.
Terca-feira 17 do corrento.
Vender-se-ha em differentes lotos as velas, mas-
tros, correntes, cabos, moildes, amarras, pecas di
cabos, apparelho de rame, pecas de lona, (lo, *l-
catro, vernz; bren, sebo, fug'o, caixa de medi-
camentos, solirecellente e mais objectos perten-
centes ao navio.
Rn contlmiacao
nos dias 18 e 19 do corrente.
Vender se-ha tambem a parte do carregamen-
to avariado, constante de vinhos finos em barris <
caixas, licores, cbampAgae, azeitc doce em cai-
xas, ralbas, sabo, marmore, obras de alabastro.
RA
DO
c
CABUG
esquina
da na larga do
Rosario.
AO ANNEL DE OURO
RA
EO
CABUG
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
e vende por presos que nenhuma outra casa pode vender. L
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.l rua ^^ d0|
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario,
vados. I
A loja est aberta at as 9 loras da noute.
* ..
<#


_
7*M*&
rr
gric
leas ci
-s coat onxtfre, gomma,
a, eaixa com livros
paite 4o carrega-
bnrras de ch,
iusirumen
e outros
jnenlo.
Tudo M&<*ni*c<-"4| estado e l4jai jai que .-> acha. de contormi Jad.
com os annun o? all publicados, no da do tai-
lao e condicc&Vs declara la? no arlo da nrrcmala-
c5o
No da 14 do correnie seguir o vapor Pirapa-
wa da companhia Pernambueana, o qoal deve
.liegar no Rio (irande do Marte tsegunda-leira
16 do correnie, da justamente em jjue deve co-
inccar a venda docaseo e salvados da referida
batea.
AVISOS DIVERSOS^___
Arcadia Pernambu-
cana
Os acadmicos e as peatoas que desejarem fal-
lar nasesso magna do dia II de agosto, poderlo
inscrever-se na secretaria da Arcadia, a ra es
tfeita do Rosario n. 31, 3 andar.
Recite 6 de agosto de 1869.
Joa-j de S e Albiiquerqne,
Secretario.
--------------------1-----------
COMPANHIA
DQB
TRILHOS URBANOS
DO
REC1FE A9 OLI\UA.
Por ordem da directora e requer-
meato do Quinero de accionistas fe esta-
belece oart. 16dos estatutos, sa convi-
dados todos os Srs. accionistas para reu-
nirem-se enratsewbla gura! na dia 17 do
torrente, s 10 horas do dia n i salo do
Club Pernambucano, alim do se tratar de
completar o lionero de mcabros da di-
rectora e d otros .pontos relativos s
encommendas o material qe tero de vir
da Europa, segundo reaa e requerimento.
fiscriptoiio da compatakia, G de agosto
4e 1869.
*ecretario,
Ibeo. Just.
i i i i
i-i-miii
TESTA ANTIGA E CRED1TATA
FABRICA
>
HCMIIi II CtlSTlIIIIlITI I CtlPLIH 8IITI1IHTI II
IHlPItl BB !,<
. J RU
Da toda u qualidade I
Da todo o* feitio I
De todu os precos |
A DO CRESPO
N4 1
A.OS OIOOO^OOO
CASADA KORTNA
Ra do Oaaaa a. CS*
O abaixo assigaado tendo obtido lieenca da pre-
sidencia e satisfeito as mitras exigencias da lai.
avisa ao respeitavel publico, que lera sempre
venda no seu ustab'ileciioeMto biicte das ja-
ras do Rio de Janeiro, cujos premios sera paaps
promptameute vista das listas com e descont
Hiciilc da lei.
Precos :Inteiros.. M0O0
Moios... i 000
Quartos. 6*000
E em quan'idade iiuior de 100*000 na razio
de 20O0 |ior bilhete.
Manoel Marlins Fioza.
Custodio i BeQto, tendo de novo sortido o sen bem conhecido estabelecimerrto
de miuezas, denominado AGUA D'OIJRO, partecipa i todos seus freguezes e ao pu-
blico etn geral, foe'lem constantemente um completo sortimerrto de miudezas finare
objectos-de aftaeovidade; vendendo ludo 10%menos do que em outra qualqner paite,
para o ^uo reeebem directamente de sua corita. >
Pronptilicam-se a mandar em qualqner casa, urna peesoa como mais -diminuto
objer^n que'Mies seja podido, esperando assim a protocolo deaeus freguezes, e garan-
liudcv-Mi.cs -o"Custodio Rento, firmesa em seus lalos,e pontualidade em seus deveres.
Rua do Cabug n. 1--A.
-----._
Club Pernambucano
A partida do correte raez ter lugar na
noilc do dia 14. _________________
Aluga-se a padaria ik Chora-menines com
seas per tunees para transitar, assim come m:t
boa casa no principio da entrada dos Aflctos. con
boas comirmdos para familia, perto da estarlo4o
Maehamhoialia : a tratar do Chora-meamos* om
Jes Antonio Marques.
CASA DA rORTOltt
Aos 4:0001
Bilhetes garantidos.
A rua do Crespo n. 28 e casas do costme,
O abaixo assignado tendo vendido alm de ou-
tra* aertes qnartos n. 774 com ft**M>* da teje-
ra que so acabou de axlrahir beneficio da Baltt
Casa da Misericordia, couda aes possaoret a
virem reeebcr na conformidade do costme sem
descont algum.
Acuam-se a venda os bilhetes da 27' parte da
Santa Casa (116*) que se extrahifa no dia 17 do
correnfe mex
Precoe.
Os do eoEtame.
Manoel Marns Fiuza.
COHPAKHU rcnuDiiuiu
WIA
Pr. ciea-se deurnaanu boa coainheira, e ostra
que eagomme bem, forra ou eserava, i|ue teaha
boa conduela : na rua do Pires, sobrado n.
'Precisa-se de mu raixeiro que tonha pratica
*le taberna, para a 114a da Aurora n- 50.
Precisa-se de um trahaihador de lasseira,
na padaria da FloresU, eui <"linda ; a tratar na
raesma : se fr poriii{iiii, ser moibor.
AUGUSTO! PORTO & C.
ll-EUA DO QUEIM DO-11
Tendochegado ulltmamente ao seu etabelecimenlo grande variedade de fa-
wndas procos posstveis, sendo:
Bouroous de caefecraira brancos e de cores, o que ha de mais elegante para
hombros de oaliora.
Noves gustos de manteletes justos ao corpo denominado silphides, sirennes,
orientales de renda preta de soalines, o que lia de mais elegante para urna moca.
Basquines de gaipure preto, novo gasto, enfcitados dcselim de cores. Vesti-
dos de blond com manta e en pella para noivas. Fronhas e toalhas de cambraia de linho
bordadas. Cortinados bordados paraacanas e para janellas de diversas qualidades:
colxas de sefia o de la c de seda para camas de noivos.
Eaiufil, linde gorgurao de la e seda de cures, mnto elegante fazenda para
um lindo vestido. Seas de cores e pretas, gorgurao de seda bronco e de cores com
lista* kMmd, pit**, casemiras e'uauilfls outras fazendas cujos preces sao cmgeral
muite mdicas. GraMic sormenlo de camisas para hornera, tanto lisas como bordadas
e de cores.
Centrnuam sempre a ter grauic variedade de tapetes para sof, para cama e
para panne, porfi de tapetes em pecas para alcatifar saloes, e grande quarrtWade de
Esteiras da India para forrar salas.
AOS 20:000^000
CASA FELIZ, ARCO DA CONCEIQO -N. 2.
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na for-
ma das leis tem exporto venda os seus felizes
bilhetes das loteras do_ Rio de Janeiro, na casa
cima aonde se paga rao as sortes quo sahirem
nos mesinos bilhetes com o descont da lei so-
mente.
; Prepon.
Bilhetes inteiros. 24OT0
Meios......1O00
Qoartos.' .... 6*000
E de 1001 para cima a Wlo bilhete.
Figueiredo & Leite.
COISIEIiiro. DE IIIKEC^AO
Os Srs. Saunders Brothers & C. Tasso Irmaos,
Luiz Antonio de Siqueira.
C.ERENTO
o sr. f. r. B0R6E8. *
Restando anda emitlir algumas aeces desta companbia, da quanla nominal de
200t000 cada urna, das quaes s se aceitan em vlrtude da lei, 20 "/ ou 40*000 por
cada accao; eoBvida-se pelo prsenle ao publico em geral e especialmente aos *.
capitalistas e interessados no commercio, que queiram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de acc5os que Ibes approuver.
Algumas destas acedes j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vaatagem,
de na presente occas5o (conhecdamente a mentor), empregarem o dinheiro de que
podercm dispr em objectos de valor real, como/apores, predios etc., que Ibes garan-
tam seus capitaes.
A companhia pssue boje 10 vapores, 6 nteiramente novos, e destes o ultimo esta
a ebegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente paro ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno pae possne no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido ds 10 % ao anno nos ltimos 4 annos.
As accoes que se emittirem gosam dos mesmos direitos, o percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que os antgos em proporc5o da entrada.
Recebem-se assignaturas no eseriptorio da companhia :no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12.
C08TREIRA,
Cose-se costuras de alfaiate a moda fran-
caza, por preco commodo, na rua Augusta
n .112, e d-se fianca sobre as mesmas.
O advocado
Affonso de Albuquerqne Mello mudou o seu es-
eriptorio para a rua das Groan n. 37, defronte da
typographia do Diario.

Desaparecen
no dia 4 do correnie mea un menino de or pre-
ta, do nome Benedicto, iue a em-uomiianhia dn
uuiasua lia, dando-se o desapparadnsnto no lar-
go da Santa Cruz ; te;u 12 anuos de idade, elevou
vestido caioisa do tscjiJih azul ralea de brini
grosso : roga-sc, pon, ;i queiu o tiver achado, ou
que o tenha tomado para criada, visto cuaui pode
ter se otfereeido .pura isso, aiuda <|uo cota nouie
trocado, o favor de o levar ao largo do Carmo
di 9i iiiniinirA '^tiilia*
Precisase de um eaiaciio quo tnba boa
c aln.8.
AVISO
Hontera chegou da proyinci.. do Cear, viudo de
passagein so vapor eostelro Pinipoma, am abo-
coliabo de ldade lie 10 anuos pauco mais ou me-
nos, do nome Raynnindo, o qoal hontem mesuio
perdeu-so as ras desta ciasde ; trajava calca
de brim com lista, camisa branca, cbapi* de pa-
llia, e eslava descalco ; pedese passoa que o
encontrar, de o emreuar i sita mS, a rua de
Hortas n. (JG : protesta se contra quera qur que
seja, que rriaioosameutaa octiiur ui seu poder,
e que o nao v entregar referida ca- a, eu po-
cia, para que seja restituido aquella que pelo
presente annuncio o vem reclamar.
Recite, 7 de agosto de 1869.
FMg<
Attencao.
Na roa de Santa Rita Velha n. 39, aprompta-?a
com perfeicao, bolos deludas as <|iialidades,e tam-
bem d se de vendabas ; aaramptt-se prasnotos
de fiambre, fa-.e pntbiis de todas as quididades e
tod' s os mais prates pau jantar : as pessoas que
qurzerem, avisarao com antecedencia ; como berr.
Iiavor nos domingos e das santilicados uio de
vacca, independente de aVtso.
IIIIU O
Tendo sabido hontem, as 6 horas da tarde, um
carro para a Capunga. levando um bai de loma-
grande com roupa o dentro ama eaixiaba com ou-
ro, aoontocca o carrocciro parar na praca da Boa-
Vista junio aoftde se vende capkn, e entrar em
-urna taberna, denando a carro*}* fura, e ahi se
transtornou, a ponto de ir para o s$u destino aon-
dechegou as 8 1|2 huras com o bali arrumbado,
faltando a caixinha com ouro e mais objectos,
abaixo notados, nao sabendo o carroreiro, pelo
aeu mo estado, dizer como se anombou o bah :
por isso perjo s pessoas a qnem tenham de ser
offerecidos quaesquer destes objectos, avisar ao
abaixo assignado, na rua da Carca n. 10 e pedt-
se s autoridades polieiaes todas as aveflgnaeoes
_j>recisa?, afim de fe descobrir os autores de tal
ruaba.- Joao da Silva Leiu-.
) caniisiiihas deneniass, marca M, t timaozi-
R t '
Sg 3
.
a 2.Sa
a t. o" -5'
.9.3
o
i
* =
2 2 ?
3 S"1 2
."2 o '
B|o"oS
) n o
ggso
*' 3
-So
<-c c v
3 -0 3 S
o- es s as
i 3 3 t^,.
"'i I-
3 E '3 ua
2 ~i 'o-
= 3 a-o cj -
||
S u
I*-
o o
6 e 3
3
t?P
ibes idora de algodao, 8 vestidmnos dem,
de ineias idem, 3 marcas He3 marcas A,
bertas, sendo 2 encarnadas, 2 lencoes mara M,
em, C purs
as A, a ico-
t saia aova bordada com tiras bordadas de ram
hraia branca, 1 botina de pellica branca, 1 relogio
de palante com con ave, 1 annel de ca-
bello MJCH,I dito de ..uro de menina M J 5 L,
1 par de brincos balo pequeos, 1 dito de ditos
dalos, 1 dito de ditos cornelina encarnada, 1 dito
de ditos dita branca, 1 bracelete de sndalo, 1 dito
do coraaliua encimada, 2 ditos de coral para me-
nina, J ditos fivellas de o'iro entraadas, 1 par
de rosetas, aUiaete e iraealati! de besouru encar-
nados, 1 dito de boloes ao cornalaa eigastados,
4 dito de dilos de ouro eom podra* roseas (ame-
), 1 dito de brincos cofn pedras brancas 1
voHa de tranceliin malhetado com urna flgufha
de anbiche. 1 dito de dito eom requife, de meni-
na, ton um 3. lirax de onro, 1 Iga de coral, 1
dita de unieprne, 1 bul de coral engastado em
ouro urna carinha com um sol, 1 alflnete de
menina, varias moedas da prata novas, U em
papH, e differea bjectes qax eio leabrai o
que tuo esta va dentro de um- bahuzinho de tar-
tarosa dentro deste outro.
ATTEN CIO.
Precisa-.'e de urna casa raobilhada eom todos os
arraBJos domsticos para um ettrangeiro, que seja
nos bairros de Sanio Antonio ou da Boa-Vista :
quem a tiver nestas condites, diriia-se a rua do
V^ario n. 10, que adati coi qrjem tratar.
No collegio daCoBfleieae precisa-se da una
ngoaamadeira perita, forta ou eserava.
t 2 a.
ilillll.ll
PARA USO
E TODAS
GOMMERCIAL DOS SIGNABS
DOS NAVIOS MERCANTES
AS NAQUES..
TRADUCAO
Conforme a ultima edicSo original ingleza
pon
Joquim Pedro Prente
Vndese na livrara econmica junto ao arco
de Santo Antonio n. 2.
Aluga-se
na l'assagem da Magdalena (entre as duas pontes)
nina casa terrea com ba tal murado, cocheira, estriharia etc.: qiem pre-
tender dirija-se Escadioha da Alfandega n. o.
Miguel Goucalvos Rodrigues Franja, lilho de
Manoel Goncalves Rodrigues, vende a heranca que
em urna quinta Iho deixou na ilha de S. Miguel
seu av paterno Joao Goncalves Rodrigues : a tra-
tar na rua do Crespo n. 12,1* andar.
Xarope de fedegoso
de Pinto
E' de urna efkaca verdadeiramenle ma-
ravitosa como calmante do systema nervoso
e applcado contra a paralsia, astlima,
tose convulsa ou coqueluche, tos"o recen-
tes ou antigs, suffocaces, catharros,
broncneos, etc., e m geral contra todos
os soffrimentos ,das vias respiratorias, e
na pbtisica pulmonar, stia virtude contra
o ttano ou espasmos, e convulsocs n-
contestavel, e ninguem ha que a desconhe-
ca. Rua Larga do Rosarioji. 10, Pernam-
buco.
Ouro e prat
Compram-se moedas de ouro e (rata de todas
qualidades. por liom preco :
do Recife n. 58, toja do azulejo.
as qualidades, por liom preco : na rHa da Cadeia
Arnda nao vieram, no entreunto o negocio
de interesse, e precisa-se fallar rua do Crespo
n. 17 com os Srs. Paulino Ferreira da Silva, ex-
procurador da cmara, Dr. Francisco Pinto Pes-
soa.
DENTISTA BE PARS
19Rua Nova19
1 HKIIKRICO U VLTIKK
cirurgifio-dentista, muito conhecido ha dez annos n'esta cdade, pela perteifao dos seas
trabaluos, tem a honra de participar ao respeitavel publico que tendo fetto muitos me-
Ihoramentos na sita casa, pode d'hoia avante receber as seuboras no seu gabinete onde
icharo os cpmmodos precisos para familia.
Acba-se tambem na sua casa e na sua companhia, o seu sobrinbo e discpulo
af. U KOI \
o qual acaba de roltar de urna longa viagem a Europa, durante a qual pratieou con
feliz successo as primeiras casas de Pariz e de Londres, offerecendo assim as melhores
garantas do bem desempenlio para tudo o que for relativo a profissio ; por isso
annunciante pede aos seus amigos e clientes que por acaso o nao encontrarem no seu
gabinete, depositem no dito sea sobrinho a mesma confianza com que o tem honrado
a dez annos.
Dentaduras por todos os systemas: a pressio do ar e com molas de onro, platina
vulcanite e om nteiramente novo n'esta cidade.
Cura radical dos denles cariados.
Chumbagens (obtaracoes) com ouro ccom massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de denles.
Agua e pos den trfidos fabricados pelo proprio annunciante, o que lhe permute afian-
car sua boa qualidade.
Escovas para dentes. etc.
Perfei Viagens para fra mediante ajusto previo.
0 gabinete atha-se aborto das 8 horas da manha at as 4 da tarde de todos ds-
lias uteis.
11 Sua estreita do Eosaris 11
Este novo e modesto estabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico este ele-
gante e bem fornecido hotel que situado n'uma posicao nteiramente saudavel, e sen-
do constantemente sombreado pelos doces 2ephyros da tarde, torna-se prefer vea qoal-
quer outro d'este genero, as tres cousas mais necessarias ao genero racionalali-
mento do corpo, distracSo da alma, e socego de espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto muito profusa, da primeira ordem ; no
primeiro andar, sala da frente, um excellente bilhar de mogno, para divertimento. Sala
de traz um restaurante da primeira ordem. Quanto ao asseio e bemfeitoria das comedo-
rias, o delicado modo do pessoal do estabelecimento, promptido e commodidade, s
aos Ilustres concorrentes dado fazer justica.
Fornece comidas para fra, tanto por mez como avulsa. Todos os dias, notte,
ncontrar-se excellente sorvete, refrescos, caf, cha, boas vnoos Figueira, Porto, Bor-
deaux, tendo bons commodos para hospedagem, salao e quarto mobiliado no segn
do andar.
Precisa-se de um caixeiro para taberna
rua da Cadeia-nova n. 7.
na
Precisa-s do duas amas quo saibam cozi-
nhar e engommar, prefere^se escravas : ua rua
das Crezes d. 22,2 andar.
l'recisa-se de urna ama livre ou mesmoos-
cr.iva, que eozinhecom iierleicfio o diario de orna
casa, e que seja de boa conducta : a tratar na
rua do Vigario n. 5, tereeiro andar*
Ml'DANCA DO
es
3
.
SOFFRIMENTOS DESTOMAGO, CONSTlPAgAO.-
Cur cnt (wucos dias pelo carvKo DC BELLOO cmpoii ein pastilbas.
SNXAQUECAS; MEVRALfiiAS. fc.....msWMa-
ipad rqiiduue:ite pilas PEK.*S D-ETHE l'CLIKIAN. -. "* "|
ANEMIA, A PALLIDEZ e os nffi-imcntos que necessitam do
iprcgo MI fcr'niginosc itoeempreOoiiUJisidos com o mhor i. uludo
pelas pilul*6 oe vallet. Cada I'tlnh teiniacravado o ngne VllUI.
/ .
PO DE ROG. Basta diawlver nm frasco d'este pi en meto
garrafa d'agua ptra se obtr ama limonada agradavel que purga sam fa-
jer clicas.
" VINHO DE QUINIUM it Ubarrm*,. Este nho, u. 4
jwwgos cuja cona>esica & garantida constaate, urna das melhores pre-
paracix* de quinino, sem accSo notavel sokre os convalesqeales, daado-
Ihcs iorcat e apregmnaa i volla a sauSe. ftira as febres antigs que re-
istJo ao sulfato de quinino. _^^
MOLESTIAS DA BEX1GA. i autor parte d'eatas notas-
tis, como as sciaticas, lombjw, catarros, e todas as dores nertdsn em
geral s&o curadas pelas PESLAS DE ESSENCIA DE THEBEBENTINA do
Dr. Cler-an. j rofr f kmsm-m sea Tr**o a* (henprntiet *.-
selha as para acrem tomadas na occasiia de jantar, na dse de 4 i 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH
Garantido puro e c jiriuicira qualidade, um ios poucos apretadas {la
Academia de raedictaa.
AlISf. 7'tdo etti wdicamentos fmm aprovadot ptU irnWiTwaa
imperial de medicina de Parit.
M-laneir.
BahlM.,
DEPOSITO
Cas Paria, Z.. FREBE, I, raa Jacak
BsNBCRsua; Hsaiuini i Ptnamtmeo. Miuiaa et C.
Jrannasa ,1
AawetC". \ <*"* *!*>
Albino Baptista da Bocha participa
a todos ossons freguezes quemudou-
se com a sua ofllcina da praca da
Independencia n. l para a rua das
Crnzes n. 23; previne, porta tilo, a
todos os amigos e Ireguezes que se
adiar em casa a qualqner bora
do dia, para executar todo e qualqner concert
que de sua arte exigir possam, tendente a sua
prolisRo; e ent Ba falta acharan com quem
tratar.
i
Precisa-sede urna ama de laite com urgen-
cia : na rua do Amoriiii n. J.'i, 3 andar.
Ao corpo commercial.
Um rapaz natural desta provincia, com immen-
sas habitacoes, otferece-so para tomar cunta de
qualquer casa commercial, eniendendo o mesiim
deescriptuiagao mercantil, tendo magnifica letra
e muito expediente. Encumbe-e de effectuar
qualqnrr traasaccao fura desta praca, visto j ter
estado em qoasi todas as provincias do imperio e
repblicas do sol : quem de seu prelimo preci-
sar, dirya-se ao Eim. Baro do vraincnto para
inforreioaes ______
Obstrucco | m
Do figHdo e do baco
Os pgepirados'de JVRUBEBA (vinho,
xarope, 'pttulas, leo, emplasl ro e titUH ra
o efficazes contri a obstrucco do ligado
e dofaacf a icteriea, a hydropsm.ts febres
intermitientes e durezas, os desarranjos do
estomago, as taitas de amgoe e de mens-
truacao, ocattarro daAMtga. etc.
nico deposito, pharmacia de seu autor
de J. d'Almeidi Pinta.
Rua do Rosario Larga n. 10 junto ao
quartel de potte.i UQ
t
FLOR BA BOA-VISTA S
W

liOJTA
DE
rPALOFEMRDESDEMELLOGOIMARAES^
-S^ SOB A DIRECCAO DO MUITO HBIL ARTISTA
3 ALFMTE PEDRO |
Nesta oflicina encontrar5o os respeitaveis freguezes um dos primeros artistas
em alfaiate para bem poder satislazcr toda e qualquer obra, tanto no bom corte, com
no aperfeigoamento das mesmas. /
Torna-se desnecessaro recommendar este artis, pois qne a sua thesoura j "
bem conhecida, (e com grande especialidade em fardas) por muitas pessoas distinctas
desta cidade
Achar-se-ho figulinos de todos os mezes, pelo que o artista executa debaixo de
todos os preceitos d'arte qualquer urna obra em face dos mesmos.
0 mesmo estabelecimento se aelta munido de um completo sortimento de fa-
sendas, como sejain: casemiras de cr, ditas pretas, pannos pretos, ditos azues, brins
de cor, ditos brancos, seda para colletes, merinos, etc. e mais fazendas propinas
Tifficina.. **y
O grande sortmanto de roupas feitas qne tem vende por menos 20 0/0 to-
que em outra qualquer parte.
RUA DA IHLTERATRIZ N. 48,
junto padaria franceza.
COWfjTAIU DOS AMNAZES \
16 RUA EU CRUZ 16
Ha drarianente sortimento de bollinhos para cha, fiambre, pastis de Merc-
les qualidades virihos de superior qualidade, cha Hisson preto, e mido, o melher oue
ZiloT'i amaie^! na 6e P** enwrtrar' no mercado, amendoas ooofeiladas, xaropes refrigeraMes, doces^de
calda, etc.
Incumbe-se de encommendas para glandes jantares, baHes, baptisados e-ca-
samentos, a saber:
AJga-se
a easa terrea, sita na rua da Concordia, n. 107,
Ha para alugar nm moleque crioulo de 15
annos de idade, asss diligente para o servico do-
mestico ou externo, compativel com tas forcas
nanpadfaarafi.n.ag.
Aluga-se o armaiem n. 9 da rua da Hueda,
eai fraaias pespatinnnni risittewiitto e s-^
ene oa aara prensa de algodao por ser perto 4o
deseesberqae: a tratar na roa do Qaeimado n. S.%,
1* aadar.
Pecas de nougat.
Ditas de plo-de-lot.
Vftm de unM t*'de vtts.
Das de caramilo.
Bandeja com armac5o de assucar.
P5es-de-lot enfeitados.
Bollos idem.
Pratos de doce de ovas.
Tortas tomadas de reme o
Empadas.

./
>


Divio de Pernambuoo Segunda fcira 9 de Agosto de
A ESMERALDA
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
pra vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciosas
N.S KU DO CABUG \ 5
ALGODAO
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descansar algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Cotton Gin.
MACHINAS ditas, tambem de serrotes e de todos os tamanhos para descarocar, al-
godo do autor Ne_w York Cotton Gia.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de erijo trabalho faz obter mais 2.000 em arroba
de algod3o.
MACHINAS de faco do fabricante Platt B. A C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
vindo ao mercado ; e para a sua apreciactio convidam-se os senhores agricultores 2
virem a expsito das mesmas na ra da Cada do Recife n. 56 A, ioja do Bastos, onde
encontrarSo mais o sesuinte:
ESTRADA DE FERRO
_ M ___________ *
Recife ao S. Francisco.
0 superintendente, abaixo signado, cha-
ma a attengao dos interessados, para o se-
guinte artigo do regulameuto dos transpor
te*:
Art. 03. A administraco nao .responde
pelas avarias inherentes natureza das mer-
caduras, taes como a determinaeo de fruc-
tas, ligumes, peine, carne, leite, queijos,
conservas, etc., diminuicao ordinaria de
peso, combuslo espontanea, efervescencia,
evaporaco ou esglo de lquidos, etc.
I^jio responsavel igoalmenle por avarias
de outra natureza, desde que nao forem
autenticados pelo ibefe da cstavau antes da
entrega dos ohjectos, c nao houvcr nos in-
volucros estrago coohecido, procedente de
negligencia de sous empregados.
Escriptorio da superintendencia, villa do
Cabo, 7 de agosto de 1869.
Iknry Spencer,
___________Superintendente interino.
Precisa-se fallar com urgencia a^s
Srs. Joo Apolonio Cavalcantc e Antonio
Fernandos de Almeida ; na ra da Cada
do Recife n. 53, annaaDta de molhados.
.., \f'i4m
I'rwfca-* da urna aioa para
para cas. |e jwu aiapiaa
n. *, 4* Indar : prefre
e comprai
*b Oru
Precisa-se n
para cncarr"
prar, co:
nliorn <
AMA
'% Palma n. 50, de urna ama
> lervico de urna casa, eom-
tnar tratar de nina se-
llll.t.
,900 degra.lQcaco.
,Um '.'iio de ouro para Descoco, ao sahir da
qrui Ue Alna, pe estrada de Joo de farros at
o cemiterio brasileiro : quem o adiar piide din-
g"tr-e a rna do Cooiinercio n. 8, que reeeber a
paMcaeSo aemia.
i
GIMPIMS.
muzeo de joias
Na rna do Cafiug n. 4 compra-se ouro, prai
a pedras preciosas por preeos mais vantajosos do
qu* em outra quahiuer parte.
_____
Debulhadores para milho.
Cylindros para padaiias.
Arados americanos.
arrinhes de mo.
Machinas para cortar apim.
Cannos de chumbo.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e lata.
Ferro de todas as qualidades.
Arcos de ferro.
Folha de Flandres. ??>
Machados americanos.
Facoes ditos.
Balaios o cestas de verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferrefros.
Finalmente muitos outros artig
diversidade seria enfadonho' enoumera-Ios.
Folha de'ferro.
Balanzas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldos de madeira ditos.
Ternos de bandejas finas.
Trens completos para cozirtha.
Peneiras para padaras.
'Baldes galvanisados.
Correntes de ferro para almanjarras.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refina?5es.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Berras avulsas para machinas.
Mancaos e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospertencentes lavoura e artes, que pela
Casa no campo,.
Aluga-se una casa na Passagem da Magdalena
n. 3, antes da ponte pequea, com bastantes eom
CARVO DE BELLOC
PARS
ApprowAi recenmiendado pela Academia imperial de medicina de Parir para a
cura da gastralgia e em ^eral de toda* as doenfas nervosas do estomago e dos intestinos.
E egualmente o remedio por excellencia contra a retencSo de Tentre. Finatmente em
rato de Mas propriedades absorventes, recomme__ado como Terdadeiro remedio nos
cas de arrhea e choterina. O MnK *e Be*, toma-se na occasiSo das cnidas
*ob a foma de- pos ou de pastilbas.
Deporto em Rio-J*biro, Duponehtlle; Chevotflt. Em Pemumcco, Mpurer t C'\
Prca-sc de urna ama : na rna da Pcaia nu-
mero H.
o be_co do P.minlio n. 27, ftlSe c engou-
'Precisa-se de urna ama, portugueza,
que saiba bem engommar e coser, e qae te-
tilla bons costumes; tratar na praca da In-
dependencia n. 38, hja de calcado.
Vicente Alves Moreira, agenciador de vendas
de escravos, mndon sna residencia da ra de Hor-
tas n. fti para a rna da PM n. 31, onde seus fre-
guezes o poderao prorurar para a mesma oceupa-
cao. itecclit! (tscravos <:in coiiiiiiissaK. e prometi
proinpta venda.__________^_^^_
ALlfiA-SE
o segundo andar c sotao da casa n. 16 da ra do
Viga rio : a iratar na nicsnia casa, das 9 horas da
inanlian as i da tarde.
ALGUEL
5o Coracao de Ouro se diz quem precisa de urna
esorava fjoe sirva para comprar, cozinnnr e en-
gommar para casa de familia.
Criado.
Precisa-se alugar um criad.) lvre ou escravo
para oertjnas ewvieo iftterno de urna casa de
ramrlm, menor de 10 a rannos : a tratar na ra
IkJIa B.M. _____ _____
{j 0 Dr. Ermino Coutiolio reside I
| ra da Cadeia h. (i, onde tern jj
aberto seu consultorio medico, e |
pode 6er procurado a qual^uer ho- |
ra para o exercicio de sua .pro lis- c
sao. g
iNa praca da IndcpendMeia n. M, loja de ou-
pves, compra-8eouro,prata, e ptdraa preciosas,*
tambem se faz qualquer obra oe eneonuaenda, t
|odo e qualuuer concert. .
i
, FJCEJ&Y0S
bomprani-se e vendemse diariamente para fra
e dentro da provincia escravos d todas as idades,
corea e sexos, com tanto que sejam sadios : no
terceiro andar do sobrado n. 36, ra das Uruzes
freguczia de Santo Antonio.
Compra-se
tarinha de mandioca da trra : na rna do Coni-
mefcioa, 17.
Sdalas de i$ e i$ u
Comnra-se na casa de Theodoro Simn
A C, largo do Pelourinho.
C0MPRA-SE~
moedas de ouro e prata de todos os valo-
res, ouro e prata em obras inutilisadas, e
brilhaotes e mais pedras preciosas: na lo-
ja de ourives do arco da Oonceicao no Re-
cife.
Alna-se
Quem quiaervender a prazo c somentecom
a garanlia de leltras assignadas ; engenhos,
casas, sitios naptaia, navios, chcaras, fa-
zendas no serto, joias de todas as qualida-
des, metaes preciosos, movis de todos os
gostos, fazondas*m grosso, lou^as assuiti-
das, escravos, bois, cavados, bunios, car-
neiros, pceos, cabras, gallinlias. homens
livres por escravos, etc. etc., dirija-se ao
termo de Serinhaem entender-Si; com o
capitalista Pi ayas Gaval anti que nao deixa-
r de comprar por mais alto que seja o
preco.
As lettras d'esse senhor sao descontaveis
em qualquer parte, do mundo, e pa: a maior
conltecimento indicaremos as pracas e lu-
gares que mais pitnplamente laio o devi-
do descont : thesouro nacional, banco do
Brasil, praca do Rio de Janeiro, do Recife,
da Babia, doCear, em todas as pracas da
Europa, e especialmente na de Londres,
I'aais, Francfort, Hamburgo, S. Petesburgo,
Bruxellas, Ma rid, Turin, Lisboa, Porto,
New-York, e com mais presteza anda na
imperial cideule 4e Lolaia, onde este senhor
miMto conhecido.____________________
CARAUNA
Voou do terceiro andar da ra do Livramento
n. f>, no dia (i do forrante, d; s 3 para 4 horas da
modos, dous q'uartos' fra e um quintal murado : tarde, urna carauna (passaro) tendo todas aspernas
quem pretender aluga-la pcide entender-se com o
o segundo e terceiro andar da roa do Trapiche n.
46 : a tratar na mesma casa das 9 as 4 horas da
tarde.__________________________________
< oziiiheira
Precisa-se de una ama para eozinhar : a Iratar
na ra do Mondejo n. 24.
Ama.
Precisa-se de urna ama para eozinhar e com-
prar para urna pessoa : na ra do Calabouco-vc-
lho n. 9.
Joaquiui Percira Arantes faz sdente ao pu"
blico o ans sens dovedores que o Sr. Antonio Ja
uiiario Cabial, a queut linha nearregado a co-
branza antiga de sua casa, veio prestar cuntas e
satisractoriaincule, portanlo hajam de suspender
qualquer julio dosfavoravel ao mesmoSr.
RCompra-e chumbo velho : no armazem da bola
amarrlla, no oitao da secretaria de polica.
Compram-se duas rarteiras proprias para
escriptorio : na ra do Queimado n. 13, primeiro
andar.
VrNDAS.
CIMENTO
Vcnde-se verdadeiro cimento ; na ra da
Malte Martins de Barros.
Vmho Sherry
o inelhor que ha no mercado ; no armazem de J.
C. Dovle. rna do Commercio n. 48.
I
Vaode-se breu barato : no armazem da bola
amarella, no oltao da secretaria de polica.
Barao d i Campo-Verde, om
de Apollo n. 32.
seu armazeai a ra
Notas das caixas liliaes do banco do Brasil,
trocam-se com mdico descont, na loja de Manocl
Soares Pinheiro, praca da Independencia n. ti.
Aluga-se o segundo andar, silo ra estrei-
ta do Rosario n. 31, com bastantes commodos para
familia : a Iratar no armazem do mesmo.
Precisa-sc de una ama forra ou escrava pa-
ra todo o servico de nma casa de pequea fami-
lia : a tratar na ra Velha n. 59.
Verso
Se o capito corcundo.
Nao Ihe falta ligereza.
A prova ti ou patente.
No annuucio sperlcza.
O carra dos morios.
0 Sr. Melquades que ourives e
mora na loj; do sobrado a ra da Senzalla
Nova n. I, queira vir a esta lypographia
a negocio.
ptvtas: quem a tiver pegado, oucrendo ter a bon
dnde'de enircga-la, pode leva-la ao referido ter-
ceiro andar, ou loja n. da roa do Lirraiiicnto,
q/$ ser recompensado. ,________________
Precisa-se de una ama que saiba bem coli-
ndar : no pateo da ftibeira n. 13.
Precisa-se de urna anta para comprar e oo-
zhjbar fiara una pessua : na ra das Ti inebeiras
n. IV_____________
Aiugase um sitio cfirn boa casa de vivenda.
com commodos para grande familia, na Passagem
da Magdalena, em frente ao sitio dos Srs. Baltar A
liveira : a tratar com Domingos Alves Matheus,
a ra do Vigario n. 21.
C. Cato & C, ra da Imperatriz n. 77
A' este grande e til estabelecimento acabam de
chagar carregamentos especiaes de drogas e tintas
esperadas de eneommendapropria. Ao ja eotihc-
cido sortimento Ae drogas, preparado?, e tintas,
bem como de objectos e instrumentos necessarios
medicina, cirurgia c trabalhos artsticos e chi-
micos, acaba este eslaheloeimanto de enriquecer-
se com tres importantes remessas vindas das pra-
gas'de Lisboa, Hamburgo e Paria. Experimenten!
I
Resta venda um escolhido sortimento de ob-
jectos de niarcineria, con sejam, mobilias de ja-
arand, mogno eamarclln, obra nacional e estran-
jeira, de apurado gosto eporpre);o razoaveis :
aa ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
asa fazem-se com perfeicio todos os trabalhos de
palhinha, como sejaai, empalhamentos de lastros
para camas, cadeiras e sophs.

OO
GOMES DE MAHOS IRMAOS
tendo feito completa mudanza em sen antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o flm de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em gerl e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmen
1 das 6 horas da manha s 9 da nonte na RA DO CABUGA N. 4
oade eneontrarfto un completo sortimento do que ha $e mais legantei
bello e precioso m brilhantes, esmeraldas, rubins e tu#>^^*e ^m>4bsas
-4e o*h=o, prata ^ platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS i .RUBW&
de ovos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros 4e
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para usadas igrejas,
Compram e trocaai qualquer joia ou pedra preciosa a gfantom
a qualidade dos objectos vendidos.
% MUSEO DEAS
I II II" II
Para o armazem do Campos, na ra do
Imperador n. 28.
Neste muito acreditado estabelecimento
acha se constantemente um variado sorti-
mento de gneros Gnos para meza e
cosinha e entre estes nomea-se aperras as
especialidades seguintes:
Queijos do serto sendo de manteiga e
coalha.
Camaroes seceos do MaranhSo.
0 verdadeiro caf de Moka,
O superior e bem conhecido peixe miraguaia
que se vende a ItO a libra e 4(5500 a
arroba.
TABELLAS
de redcelo as mais facis e mais com-
prehensiva, tudo no
Armazem do Campos
Grande
loja de fazendas e roupas feilas
ra da Imperatriz n. 32,
porta larga,
DE
HIEDES PORTO
Neste estabelecimento encontrar o res-
peitavel publico um bonito sortimento de
roupas e fazendas de todas as qualidades e
presos commodos, tem sempre ura bonito
sortimento de casemiras de cores e pretas,
panno fino de diversas qualidades, brim de
a dengani m-se dos quo ahi se incucam semlaes bonitas cores e brancos de boa qualidade,
meios e por urna ostentarao (silvas as cxcep&es)
para ao menos^e itivencerem de que p na fre-
guczia -da Boa-Vista a uniea *otii*a n>pwtadora
do mera*tes ptran{fp1ro3, "^e pr isso et em
iqelhores dondicoes, qur ora relacao as (juadades
q ti r a os procos"._________________________
Novidade
A botiea de C. Cato 4 C., ra da Imperatriz
n. 77, acaba de reeeber um completo fortimento
de sement* de liortalice, todas muito novas e per
commodo prego. A- _______
Jos Antonio Travasso, tendo acpitsdo' em
diaa de julho prximo pausado do Sr. Jos Lanren-
tino de Azevedo, estabelecido com loja do ferra-
gens na ra Dircita destaridade, una letra da im-
portancia de lSOfiOOO, previne ao publico quo nin-
gnem poder fazer transaccSo com a referida le-
tra, pois tendo o aaaanejante aceitado-a em face
de urna conta(luejheentrcgou o seu dito credor,
recolhendo-se MsS* conferin'd conta, verif-
cou nao se adiar aella acreditadas ao annuncianto
certas (Juantiasj'de qne lein roCibo prn stu poer ;
pelo qil fWesIa j peranie o jao do amiinertfo
desta ddade oftn prflcedrmenio credor. Recif-7>d agosto de WW. ^4
Loja de raiudezas de Ferreira da CunhaV
Temporal, rna do Queimado n. b'3, esl
'fumando por todo preco :
JngQ de vispara a 400 e 500 rs.
Bedes para coques a 240, 400 6 500 rs.
Liaba da 200 jardas (duna) IWOO.
Caixa muito fina para p de arroz l500.
Hetogio de sol 120 rs.
Latas cun bauha IGO, O e 30rs.
Agua llotida verdaddra a 14300.
Agua divina idem a I $100.
Grdvatas pretas para liomem 4 0 rs.
Fentos de travessa paca menina ;i 50 fs.
Olio philocme verdadeiro lOO.
Adem-os de plaque IJ500, 25 e 55.
Meias cruas para homem 36OO -e 45 a
duza.
liotoes enfeilados para vestido, 15200 a
dtizia.
Leques do santol i 5>. cada um.
Dittos de madeira 35 cada um.
Coques de tranca, boa fazenda, 2-i,
255$ e 35 cada um.
Meias finas para senhora 45 a duzia.
Banlia em fraseo a.400, 40 e 15200.
Frascos com extracto muito lino 2:$ e
25500.
Caivetes de duas folhas a 240 rs.
Sahonctc linos ;i SO, ICO, 200, 240 e
320 rs. ret
Olio baboza i 400, 500, 600 c 800 rs.
Agua de colonia 400, 500 e 800 rs.
Cartas francezns 200 e 240 rs.
QaiM eom extracto 25500.
Cartas portuguezasa 120 e 200 rs.
Fentos brancos com costa de metal
320 rs.
ittos pretos 200, 240 e 3 rs.
Galao de laa para vestido (pessa) 400 i,
Fila de sarja lisa e lavradas, 15500,
25 e W500.
Caixa com obreias de maco 40 rs.
Caixa com papal amizade a 700 rs.
itto e do tirado a 15-
Ditlas com envelopes i uu t.
Caixa com agulhas fraocezas 160 e
240 rs.
La para bordar de todas as cores (libra;
65800.
Oonets para menino 15, 25 e 25500,
Linha de marca (caixa) 240 rs.
Meias para menina (duzia> 35 e ^5500.
Fefas de tranca liza e de cornela 40 rs.
Sapatos de lia para menino a 320 e 800,
('.apellas francezasa 25500.
Facas c galfos, cabo de balanco (du-
zia) 75.
Chicotes para cavado 600, 800 e 15500.
Bengalla de canna 15, 15500 e 25-
Yorlas para luto 500 rs. (cada urna).
Fapcl almaco, gr&ve (resma) 15500.
Temporal pode ser procu-
rado em seu estabelecimento bo-
nanza, Temporal contina a
vetider na Bonanza, pelo mesmo
prego que venda em sua loja
com titulo de Temporal.
Alusm-se
urna casa com bastantes commedwvoa cidade nova
de Santo Amar : HMratar com ,:JBitonio Jos Go-
mes Jnior, em Santo Amaro.
Osnb..i* asswMdo? scientificam n respei-
ftivel corpo (Bftmmefcal desta 'pra^a, qtu- nesta
ata disfolveram amigavclmente a1 soeiedbde qne
(linbam sob a razao de Vasconceilos & Mntta, reti-
ando-seo-rorio Matta pago de seu capital, e livre
e qualquer.uesponsabilid uja liquidacao fica a cargo do socio Vasconceilos,
l quem exclusivamente tica pertencando a pro-
prieda(Je.e,sIabeleciiKnto dnominado-uSabliaria
Serrara,do Uecifesito s ras do Bruine Gua-
rarapes, e armazem do madeira ra do Caes 22
le Novembro desta cidade. Recife 31 do jdlho de'
1869.
Atopq lo&'yum ie Vaseoncellos.
Manel Vicor de Jess da Malta.
Comida.
Caf com leite.
Mo de vacca.
Na casa de pasto da ra da I^pan. ti se pre-
para eom todo esmero e asseio, e se forneca tanto
para/fra a accionistas*, como as mesas em casa,
e do sabbado para o domingo a bella mao de vacca
-Na ra das Aus Verdes n. -180, ?egtmdo
adar,sWfarf|ii juro?. ______J_Zl__Z-__L_-
~^SZHa5S>0
Deaeja-se um bom-eotibelto: a tuo. larga &>
Rosario n. H,
encarrega-se qualquer obra por medida
preco muito commodo.
ROUPAS FEITAS
na loja da ra da Imperatriz n. 82, porta
larga, de Paredes Porto.
Tem neste estabelecimento um bonito
sortimento de roupas feitas de diversas
qualidades e pre?os commodos, como sejam
palitots de alpaca preta e de cores a 35,
353.0 e 45; ditos de panno preto sacos a
65, 75 e 85; ditos de panno superior a
125, 1*5 e 165; ditos sobrecasacados de
dito dito a'185, 205 e 255; ditos de case-
mira de cor a 55, 65 e 105; calcas, colletes
e palitots de casemira muito lina de cor a
20 e 255; calcas de brim branco de cor de
todas as qualidades de 25 a 65; ditas de
casemira preta e de cores de 45 at 125;
colletes de todas as qualidades; ceronlas de
bramante a 15500,25000 e 25500; camisas
francesas de linho e de algodSo de todas as
qualidades e preco mais barato do qae em
outra qualquer parte; colarinh'os, gravatas;
bonito sortimento de chapeos de sol de alpa-
ca e de seda; meias inglezas a 65 a dtizia;
- pecbmclia ueste estabelecimento pelo
grande sortimento : todos os freguezes se
podero prover dos ps at a cabeca por
preco commodo.
FAZENDAS
Grande sortimento, como sejam, chitas
baratas a 300, 320 e 360 rs. Madapolo
lino a 7& 85 105 ai.peca. Algod5o (pe-
chincha) a 55500 a pega e outras qualida-
des. Camhraia branca de todas as quali-
dades transparente e Victoria de 35500 a
85 a peca. Uniiuhas de bonitas cores, al-
paca b.qnUas,.seleca. a peca com 28 metros
a 2850O.. sguiSo o mais fino possivel a
25500 e 35 a ,yara, e outras mudas faaen-
das por prego commodo, que seria enfado-
nho mencionar, na loja do
jLft;0AP(ffiWURG
DE
Paredes Porto.
_____________________________________'
Vinho verde
A' ra do Ligamento n. G contma baver para
vender, por precs raoaveis, o melhor vinho verde
attfctje vindo wte mercado.
Familia de maudioca
da trra multo *oa. Wm.para vender Maia A Lan-
delino, na travessa do Queimado n. 18 B.
Ruado Queimadon, 49 c 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Silva conhecido put
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanlo tem cm seu
estabelecimento para acabar e fazer novo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver que bom e barato.
Caixas de linhas do gaz com
50novellos a 500
Latas com superior banha a
120, 200 e..... 400
Frascos de oleo babosa muito
tino a....... 400
uzias de meias (inglezas )
maito boas a 45000
Garrafas com agua florida ver-
ddein...... 15200
Garrafas com agua'dlvtaa da me-
lhor qualidade .... 15500
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos 25500
Dita com|0 frascos muito finos 5800
Oleo baboza muito fino que s
a vista ...... 5500
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... 5240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... 5600
Pegas de babadinho com 10
varas ...... 55G0
Pecas de fita de eos qualquer
largura ..... 5500
Escovas para unhas muito fi-
nas ...... 5500
Escovas. para denles fazenda
muito fina ..... 5240
Pulceiras de contas de cores
para meninos .... 5200
Gaixas de linha branca' do gaz
com 30 novellos 5600
Pegas de tranca lisa de todas
as cores ..... 5040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 45000
Pares de botoes para punbos
muito bonito 5120
Libras de laa para bordados de
de todas rs cores 85000
Pentes com costas de metal
murtg finos 5320
Nfeflos de linha muito grande
para troxs |KW
Dmia do linha froxa para bor-
dado ..... W80
Grosas de botoes madreperola
muito fino ..... 5500
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e..... 5320
Pecas tde fita de Ka todas as
cores ...... 5500
Espedios dourados para parode
15000 e..... .5500
Espelhos de Jacaranda murto
fino ....... 250OO
Pecas de trancas brancas e de
cores de .caracol i 506O
Pares de Metes cruas para me-
ninos ...... A320
Caivete maito fino com 4 fo-
lhas ...... 15600
Frascos de sndalo e patecboly
muito finos 15200
Queijos.
Vendem-se qaeos do tarid aWiflOokiM-
ramma, em porcao se ar abatimento: na rtw
reita n, 16, Viado Brnco.


UIGVEL


6
.PWW ci| Pwaambaco Segn la felfa 9 Jfl4.AgUi de I8fi(j
XI fc
VI
72.
ARARA
Ra da Imperatrz. -
DA CADEIA
DE v ^C
72.
Alerta freguezes
que Arara vai cantar,
Para vender suas fazendas (baratas)
que muito ha de agradar.
0 proprietario deste estabelecimento, tendo grande porcao de faaendas em
gftr, vai proceder urna liquidacjfo em todas as fazendas e roupas feitas existentes no
estabelecimento, agora que occasiao de quem tem ppoco dinheiro poder se vestir de
boa fazenda ebaratissima como se poder ver no annuncio abaixo mencionado.
MADAPOLO BARATO A 3300.
Vende-se pecas de madapolao enfestado
de 12 jardas i 35500. dito de 24 jardas ou
12 metros U, 6, 603OO, 75300, 8*000 e
9*000.
CHITAS FRANCESAS A 280 rs.
Yendein-se chitas francczas para vesti-
das a 280, 320 rs. o covado, ditas escuras
muito finas 3G0 rs. o covado.
Chali u muito Ono \ 800 rs.
Vende-se chalin para vestidos le senhora
a 800 rs. o covado.
PERCALES A 440 RS.O COVADO.
Vende-se percales muito (nos para ves-
tidos de semora a 440 rs. o covado.
IBrilhautluas 44 rs.
Vende-se briihantinas- ou mursulinas de
cores para vestidos de senhoras 140 rs. o
covado, lazinhas muito finas para vestidos
de senhora 400 rs. e .300 rs. o covado,
ditas de quadrinhos 240 rs. o covado.
RISCADO FRANCEZ A 360 RS. 0 COVADO
Vende-se riscado francez para vestido
de senhora 360 rs. o covado.
JLasinhas a 40 rs. o covado.
Vendem se liasinhas para vestido de se-
nhora a 210, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas finas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales de merino 8.
Vende-se chales de merino estampados
i 20 e 25300 cada um, para acabar.
CORTES DE LAS ARERTOS A 2#400
Vende-se cortes de 13a para vestidos de
senhora, 2400 cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vestios
de senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de Iistras 700 e 760 rs. o covado.
Chitas priisslanas SAO.
Vende-se chitas prussianas de Iistras de
cores muito bonitas a 360 rs. o covado.
CHITAS PARA COBERTA A 320
Vende-se chitas incorpadas para coberta
4 320 rs. o covado..
Baldes de 90 a 30 arcos
16500. .
Vende-se balBes de 20 a 30 arcos
1#500 cada um, bales modernos brancos
ede cores 5#.
BRAMANTE PARA LENCOES A 2.
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura para nces, a -2, a vara.
PECAS DE Af.GO.vO A W.
Vendem-so pecas de algodo muito en-
corpado 4->. 3S, 0.->K00e7.
Colcriuhos econmicos a 390
duzia.
Vende-se colerinhos econmicos a 320
a duzia, s se vende assim barato por ter
grande poroatv.\
"CASEMIRAS DE CORES
Vende-se cazemiras de cores para calsa
e palitt 2f) 2^300 e 3* o covado,
Algoilo enfestado 1 $.
Vende-se algodo enfestado proprio para
lennes e toalhas, 1#, a vara oa 900 rs. o
metro.
BRIM PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas e patotsde
homem e menino, 400 e 440 rs. o co-
vado, dito lizo a raitacao de ganga a 360
o covado.
Algodo de Iistras a SOO rs.
o eovado
Vende-se algodo de Iistras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 RS.
Vende-se cortes de [ brim castor para
calca de homem, 640 e 800 rs. cada um.
CARTEIRA PARA VIAGEM A 10.
Vende-se carteiras para viagem l&
cada urna, cobertores de algodo I 5300
cada um.
Cobertas de ehita l *HOO
Vende se cobertas de chitas de cres
1-5800 e 25, cada urna.
ALGODO TRANCADO DE EAS LARGURAS A
i 200.
Vende-se algodo transado de duas lar-
guras, proprios paA lenccs e toalhas para
mesa, se vende a 13200 o metro.
Hautas para gravata tOO rs.
Vende-se mantas para gravata a 200 rs,
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 20500.
Vende-se atoalhado pardo para toalhas
de mesa 2-5500 a vara, Ualhas escaras
1(5, cada urna. Ra da Imperatriz loja
da Arara n. 72.
iiis. wiio rt

SOR A DIMECCO DO MUITO HABILARTISTA
Lauriano, alfaiatc.
Os proprietarios deste novo estabelecimento, tendo experimentado a necessidade
urgente de ter nadireceo de sua oflicina de roupas por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Lauriano Jos de Barros para tal mister, convictos de que satisfar
com todo o capricho a vontade do freguez.
Tem o tnesmo estabelecimento umbom sortimemto de fazendas proprias para
roupas de homem, como sojm: casimira de cor, indos padroes, completo sortimento d>
pannos finos^preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins brancos e de
cores, meninos de diversas qualidades, bombazina, lindos cortes de gorguro para collete,
gorguro Pekn, superior qualidade.
Os freguezes encontraro ainda um variado sortimento de xoupa feita, camisas
inglezas, collarinhos, ceroulas, gravatas pretas e de phantasia, meias para homens, se-
nhoras, meninos e meuinas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
bales de diversas cores e modelos, cambraias, malas para viagem, e outros muitos ar-
tigos que a modicidade de seus precos incita a comprar.
A roa da Cadeia n. 45
i 500
3A8O0
200
GERAL
O proprietario do armazem de fazendas denominado Garibaldi, na ra da Impe-
ratriz n. 36, declara ao respeitavel publico que tendo grande deposito de fazendas em
ser, o desejando diminuir este grande deposito por meio de urna Jiquidaco que fin-
dar no dia 15 ou 20 do corrente, por isso convida ao respeitavel publico a vir surtir-
se de boas fazendas, e por diminuto preco. a saber :
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas largas a 280,
320 e 360 rs. o covado.
ALGODO ENFESTADO 1RANCAD0 A
1*000.
Vende-se algodo enfestado trancado para
lencoes a 1#000, dito liso enfestado a 900
o metro.
CASSAS FRANCEZAS A 210 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 240 e 280 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 30300.
Vendem-se pecas de madapolo enfes-
tado a 3S300, dito inglez de 24 jardas ou
22 metros a 50, 60, 70, 80, 90 e 100, a
peca.
LANZINHAS PARA VESTIDOS A
200 RS.
Vende-se lanzinhas para vestidos de se-
nhora a 200, 240, 320, 400 e 500 rs. o
covado.
BAREGE PARA VESTIDO A 500 RS.
Vende-se barege de listas para vestidos
a 500 e 640 o covado.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5u0 rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas de cores a 500, 640
t1 720 rs. covado propria para vestido de
sanhora.
SEDAS DE CORES A 10.
Vende-se sedas de cores para vestidos de
senhora a 10 o covado.
POUCO DE RETALH0S.
Vende-se urna porcJo de retalhos de cas-
sas, de la e sedas .e de outras fazendas
por muito barato preco.
A' elles antes que se acabem.
CHALY DE CORES A 800 RS.
Vende-se chaly de listas de seda a 800 rs.
o covado.
CHALES DE CASSA A 10. 80|
Vende-se chales de cassa a 10, e de me-
rino a 20. ...
CORTES DE LA A 20460 RS.
Vendem-se cortes de la de listra para
vestidos de senhora a 20400rs. para aca-
bar.
ALGODO A PEQA 40000.
Vende-se pecas de algodo a 40, 54, 64
e 7-* a peca. E muitas outras coasas que
seria enfadonhn mencinv.
CHITAS PARA COBERTAS A 280.
Vende-se chitas francezas para cobertas
a 280 o covado, dita encarnada a 320 rs. o
covado.
CASEMIRAS DE CORES A 2500.
Vende-se casemiras de cores a 20500 e
30000 o covado.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30000.
Vcndem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 3>000, ditos de seda a 100 cada um.
BRIM DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim de cores para calcas de
homem e meninos a 400 rs. o covado.
angas para ralea a 380r.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado.
MUSSELINA BRANCA A 500 RS.
Vende-se musselina branca a 500 rs. o
covado, dita de cores a 440 o covado.
Percales finas para vestidos de senhora
a 440 o covado.
TARLATANA'VERDE A 320 RS.
Vende-se larlata&a verde e de cores a
320 o metro.
Lencos brancos a 20.
Vende-se lencos brancos a 20 a duzia.
Gollinhas e manguitos para senhora.
500 rs.
Ditas de linho fino a 10OO, para aca-
bar.
; GRANDE SORTIMENTO
DE ROUPA FEITA DE TODAS AB QUALIDADES.
Vende-se a roupa feita por menos 26 ou
30 por cento do que em outra casa: por
isso os pretendentes podero vir examinar
para ver a realidade do annuncio.
Velbutina preta a 320 rs. o covado, para
3(*3n3r
BALES DE ARCQS A 10500.
Vendem-se bales de 20 e 30 arcos a
10500 cada nm, ditos modernos a 40.
BRIM HAMBURGO A 80000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
borgo a 80, vem a ser mais barato do que
algodosinho.
CORTINADOS A 140000,
Vende-se cortinados para cama a 444
para liquidar. Ditos para janellas a 70.
Todas estas fttzendas se vendem maito
barato na roa da Imperatriz n. 56.
RIVAL M
Ra do Queimado ns. 49* c 57-*'
lojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de seus estabe-
lecinentos por isso queratn apre-
ciaj- o que bom e barahssimo.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
10500,20, 30 e..... 40000
Caixas de linha com 50 novellos 500
Pares de sapatos de tranca fa-
zenlanova a......20000
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a......
Duzias de meias cruas para ho-
mem a........
Tramoias do Porte fazenda boa
e pelo preco melhor 100 attos a
Uvros de missoes abreviadas a .
Duzia de baralhos francezes muito
finos a204OO e.....208OC
Silabario portuguez com estam-
pas a ........
Gravatas de cores e pretas muito
finas a ........
Cartees com colchetes de lato
fazenda fina a......
Abotuaduras de vidro para colete
fazenda fina a. <, .
Caixas com penna d'aco muito
finas a 320, 400, 500 e .
Cartoes de linha Alexandre qne
tem 200 jardas a .
Carreteis de linha Alexandre de
70 at 200 a......
Caixas com superiores obreias
de massa a......
Duzias' de agulhas para machina
Libras de pregos francezes di-
verso tamanho a. .
Livros escripturado para rol de
roupa a........
Talheres para meninos muito
finos a. ...
Caixas com papel amizade muito
Ono a........
Caixas com lOOenvelopes muito
finos a........
Peo tes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta preta muito
boa a 80 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. .
Pecas de fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Crozas de botes de louca muito
finos a. ...... .
LLOJA
00
GALLO VIGILANTE
lina do Crespo u. 7
Os propietarios (leste bem conhecido estabele-
cimento, alm dos muitos objectos que tinham ex-
postos a aprueiacao do respeitavel publico, mnn-
daram vir e acabam de reeeber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
linas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu co?tume,
Sur precos muito baratinhos e commodos para to-
Ds. com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeiles para cabcas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode baver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
martim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
20000 com !'Hds desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 304000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm tatas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
Unas.
Iloas bengalas de superior canna da India e
castao de inarfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desojar ; alm uestas temos tambem grande
0320
0500
0020
0500
10000
0100
0100
0O4
20000
0240
012
0240
0700
0600
0320
0500
0320
0160
200
60
20500
160
Machinas vapor de
forpa de 3 e 4 ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
. Arados americanos.
Machinas de fac5o e serrotes para desea-
rocar algodo.
Balancas para armazem e balco.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de L'hit-
field.
Prencas para copiar cartas.
Fogao americano patente.'
3t1anlid3.de de outras qualidades, como sejain, ina-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos cbicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas d seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
N'avalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguram^s sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas rapellas para noiva.
Superiores agulhas para machina c para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para eneher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os lentos para o mesmo fim.
i Granee e vanado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitara a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois podero aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros callaros, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dosebjectos que debamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Grande o completo sortimento de machinas para
descaroear algodode nova invenco chogadas l-
timamente em direitura para a loja de Maooel
Bento de Oliveira Braga 4 C, na ra irelta n.
53. Garante-s que a melhor qualidade que at
o.presente tem viudo ao mercado : acliam-sc em
expesicao aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos ko-
fflapmos de melhor comprehensivo dos que tem
vitado at o presente, assim como marcos de lato
al meio grammo pelo mesmo systema, balancas
de madeira e de lato para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas e ferragens de
todas as qualidades, ludo por precos que s a vista
faz crdito : na ra Direita n. 53, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga 4 C. _
Exlraetiim earnis.
Este producto alimentacao para doentes, mui
apropriada para criancas. e para as pessoas saas :
indispensavel a todos,' porm principalmente aos
viajantes, que toro nelle o recurso de poder
ter alimentacao de carne fresca incorruptivol, e
qne com facilidade se aprompla e se conduz, por-
que n'um pequeo vulnnie carregase alimentacao
para mnfto lempo. Subretudo chama-se a attn-
co dos Srs. de engenho que encontraro no EX-
TRACTUM CAlt.MS o recurso do alimentacao agra-
davel, hygienica e barata para seus fmulos e seus
doentes.
Este producto fabricado pelo processo do ilis-
tincto medico Dr. Ubatuba, no Hio-Grande do Sul,
que acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Josk Victorino de Rezendk & C, a ra da
Cada, escriptorio n. 52, Io andar, vendeudose :
No deposito ra da Cada n. 52.
as pharmacias dos Srs.:
Manoel Alvos Barbosa, mesma ra n. 61.
Joaquim de Almeida Pinto, ra larga do Rosa-
rio n. 10.
Antonio Maria Marques Ferreira, praca da
Boa-vista n. 91.
N. B.As latas que contm o estrado trazem
urna guia para seu uso.
COGNAC.
De superior qnalidade da mn accredita-
da fabrica de Disquit Dubouch C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just, ra do
commercio n. 32.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nuues de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil appticacao as creanras.
quasi sempre mais atacadas de to terrive)
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
ns
Barthomeu 4 C.
34Rna Larga do Rosario34
Boa raca.
Vende-se um casal de burros de raga Andaluz,
exeellente para prodcelo : quem pretender e
quizer ve-Ios, queira dirigir-se coeheira con-
fronte a torre do arsenal de marinlia, e para tra-
tar no largo do Corpo Santo n. 6,2o andar.
Cal nova de Lisboa
ra da Cruz n.
Vende Joaquim Jos Ramos,
i Io andar.
Scbonete de alcatrdo,
Antonio Nnes de Castro.
Este acreditado.preparado, que Ufo boa
acceitacao tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu 4 C,
34--rua larga do Rosario34.
Burras.
Vendem-se duas faceiras e ensinadas burras
para carro : a tratar na ra do Vigario n. 31.
Agulhas
para machinas de costura de Grover & Baker :
vendem-se na ra da Cadeia do Recite n. 51, 1
andar, a 21 a duzia.
MASSA c XAROPE
DE CODEINA DE BERTHI
Preconisados por todo os mdicos contra os]
DEKLUXOS, CATHARROS, E TODAS AS|
milITAQOES DO PEITO.
N. B. O Xarirpt de Codelna que mereci a I
honra, alia bem rara enlre ot Medicameittotl
notos, de ter regutiado como um dos medica- i
menlot oljiciocs do Imperio Franca dispensa j
qualquer elogio.
AVISO. Por causa da reprehensm I fal.-i-l
hcacao que tea suscitado o feliz resultado do j
Xarope e massa de Berlh sanios Toreados ni
(embrar queesicsmcdicaiucutos tad justamente I
conceptuados o se
renden) cu caixin-
a assigentura frente.
46. Rut des culet, e M Pbttrmacia Central
de Kiac.-a. ", '' -te Jotiy, ,m i'aiis,
todas as Phant.nias princ^paes do I
BAZAR UNIVERSAL
O Una \ova ifO
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por pregos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposico servicos a electos para alrao-
co e jantar, salvas, bandejas, taboleiros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecimademesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para l'azer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e enanca, bercos, cadei-
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros, gaz, baldes americanos, gur-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarifo
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
Carro
Vende-se urna victoria com arreios para dous
cavallos : na ra do Imperador n. 49.
Vende se urna armacao de taberna, boa para
qualquer negocio : na ra da Matriz da Boa-Vista
n. 52.
Potassa da Russia
mnito superior, chegada ltimamente pela escuna
allemaa Cathartna: vende-se do armazem de as-
sucar de Jos da Silva Luyo, Filho & C., no Forte
do Mattos.
SEDE
SSICAUVIN
rkinuda, B, boul.iir* SAutoyoL rute.
Este precioso paroailvo vegetal to commodo
como agradarel o remedio sais infillirel para det-
trair u o>lte>ci, as emlglaa, >s mais re-
leldei, assim como a kliti e a *UeaUa4eii.
Elle efleu nu astrttlt, oUMme^oe emxa-
jaieeaf, astkmat. dore*, eaurrkot, tmHutnt,
f$AU e rheaaaatUnaoe.
0 erediMito das ralas cauris pode resa-
air-t* nestu ptlarru : neeukelecer oa
tar a ude.
Blas Uo (dea nem resfuaroo na comida aea
ida; tm dse late e taaratira, usase teaaar
ellas ata nteceOe*: em dose raraadra de aoite ao
deitar-ee.
/erahice/ UM. BMBW et O.
POS DE ROG
Approvados pela Academia imperial
de medicina de Parix
Dm (rasco do rda de Rog, dissolvido
em urna garrafa d'agua, d ama limonada
agradavei, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parto dos outros purgantes. Oa fea da
Mof, sao inalteraveis por isso empre-
gam-se fcilmente em viagem.
-~ I em Bio-Jihiiho, Duponehelle,CkertUt.
BfiHBI ( em pBUUBiI,00i furtf o. A
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se rio armazem amarello de Vicente Fer-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
ceicao, em barricas grandes.
PASTILBAS ASSll AiiADAS
r>o
DR. PATERSON
De bisiuulh e magnezla.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digest5o, fortificar
estomago etc.
BEPOSITO ESPECTAL.
Pharmacia de Rartholomeu 4 C.
34-------Ra larga do Rosario------34.
SPUANQA
QueSado 2)
vertencia!
A Nova Esper?nca, ra do Queimad
n. 24 tendo em deposito grande quantidat*
de miudezas, e como se approxima o te,
po em qne tem de ser dado o balanco, por
isso desde i previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas meiv
cadorias pelo baratissimo preco, para assin
diminuir a grande quantidade das qoa
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que nao forcm venham ser fregue-
zes, em tmpo (3o opportuno quando i
NOVA ESPERAN^ convida-dl pecbmcha-
rcm, pois que para comprar-se caro, nlo
falta aonde e a quem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeicao, e ella (loja da Nova Es-
peranca) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca ra do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinha,
acaba de reeeber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brincos de
madreperola.
Papel e envelpes bordados e mati-
sados.
Papis proprios t para enfeitar bollos
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (nltim
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galloes, franjas e trancas de
seda e de 13a, para enfeites de vestidos.
Flotees de todas as cores e moldes novoi
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes e sem elles.
BolSes pretos com vidrilhos com pingen-
tes e sem elles..
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados leque de madreperula, mar-
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miodezas rna do Queimado n. 21, na
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magnett
eos contra as convulces das
creancas.
Na resta a menor duvida, de qne muito.
cellares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitce
pais de familias n3o creem (comprando-os)
no effeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, pora
que detesta a falsificagao principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collareij
e garante aos pais de familias, que sao ot
verdadeiros de Royer, que a tantas crean
Cas tem salvado do terrivel incommodo de
convulcbes, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para sec
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando entio ser di-
fficil alcancar-se o efjito desejado, embor
sejam empregados s verdadeiros collar
de Royer.
l
t.\.GERA%^

Alegrai-vos myopes, e presbjtas, j po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de reeeber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortimento de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio e melchior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
Cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invenco; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
"tasaa da Rsala
a mais nova no mercado, a preeo raaoavel: na
ra do Commercio n. 13, armazem de Manoel Tei-
xeira Basto.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAD
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
VENDE-SE
NA
PHARMACIA E DROGARA,
DE
Bartholomeu & C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
Vendem-se seis casihas mei-agoas de pedra
e cal, em chao proprio, na travess de Joo de
Barros ns. 1,3, 5, 7, 9 e 11 : a tratar na ra do
Gotovello n. 17.
MOLESTIAS do PEITO
HYPOPHOSPHITOS
aoD^CHURGHlLL
XAROPE de HYPOPHOSPHITO de SODA
XAROPEdeHYPOPHOSPHITO de CAL
PjLULASdeHyPOPHOSPHITO de QUININO
CHLOROSE-ANEMIA
CORES PLIDAS
XAROPEdeHYPOPHOSPHITO de FERRO
ULASdeHYPOPHOSPHITOdeMANSANESIA
TOSSE BR0NCHITI5
DEFLUXOS ASTHMA
PASTUHAS PECTOBAESjod- CHRCHILL
Eiijir para os xaropm o frtuco quadrado t m
lodo m productos a Mil|ataTa do 0*' CBtUK-
CHILZ., e letreiro com a Barca de fabrica da
Puarmacia IWillV, 1J4 rmC^nigUone. PARS
ATTENCAO
No armazem de David Ferreira Baltar, rna do
Brum n. 92, ha venda os seguintes gneros por
precos razoaveis :
itollnea'es de balanco
proprios para barcacas e hvates, muito superiores.
vinho do Porto
em caixas de duzia de garrafas, e em barris de
dcimo, do Porto, muito fino.
Farinha de mandioca
ha em saceos, nova e de superior qnalidade.
Pedras de lotiza
muito proprias para lavagem de louca em co-
linhas.
CHARUTOS
Os melhores charutos da exposico e variedMh
de outras qualidades, finos ; encontra-se no hetel
Central de Francisco Ctorrido, ra larga do Rosa-
rio n. 37, i andar, e roa estreita do Rosario n.
i A. Vendem-se a retalho e ero grosso.
HMIOIUSIIIH
No armazem pintado de verde, sito a ra
do Caes 22 de Novembro n. 30, vende-sa
superior madeira de pinho da Suecia, com
3 polegadas de grossura, 9 de largara, e
14 ps de comprimento a 3f$000 cada urna:
tabeas de forro a 80, 9$ e 10(5000 a duzia.
pinho americano de resina 200 rs. o p.

\


Diario de Pemanibuco Segunda feira 9 de Agosto de 186).
7
r
#"
Ccordeiro previdente
Una do Qiieimado o. f
Noto e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objeelos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superori-
dade, qualdades e comraodidades de pre-
' tos; assim.pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciacao
do respeitavel publico em geral- e de sua
boa freguezia em particular, nao se abas-
tando elle de sua bem conbecida mansidao
e barateza. Em dita loja encontrarlo os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
cesa, todas dos melhores emais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacJo do
issei da bocea.
Cosmeques de superior quaUdade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japooeza, transparente
outras qualdades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel ebei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de dife-
rentes tamanhos.
Sabonetas em barras, maiores e menores
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
las de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes no vos e elegantes, com p de arroz
e b o eca.
Especial p de arroz sem composif3o de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
cas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualdades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
lida mals coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filis de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS fc&UNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Flvellas e fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador. ___
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
das digestoes difJficeis ecompletas, acalmar
as dores gastralgicas, e reparar as forjas
produzindo urna assimulacao completa dos
alimentos; sendo mais um excellente tnico.
VEVDE-SE
PHARMACIA E DROGARL\
M
Bartholomen fc C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
EM CONTINUADO
A DINHEIRO A LOJA E ARMAZEM
DO
aa-aioa m w^aavaiiao. m
DE
FLIX PEREIRA DA SIIiVA.
O proprietario deste grande eslabelecimeato tendo sido o arrematante da
exlineta loja denommada=.Mfl0/tf DAS DAMAS=& ra da Imperatriz n. 36, e nao
Ihe tendo sido possivel, na mesma loja,, concluir a liquidado da grande quantidade de
fazendas que all existiam, pelos poro dias que leve at entregar as chaves, vio-se
obrigado a passar a maior parte dessas fazendas para o seu estabelecimento, oPAVO
onde o respeitavel publico encontrar um grande sortimento das melhores fazendas de
linbo, 13a, algodo e seda, que se lhe vender muito mais barato do que em outra
qualquer parte, com o fim de apurar dinheiro, e as pessoas que negociara em pequea
escala, tanto da praca como do raatto, nesta casa podero fazer seus sortimentos em
pequeas ou grandes porches, vendendo-se-lhes pelos presos que se compran), nis
casas inglezas; assim como as excellentissimas familias podero mandar buscar as amos-
tras de todas as fazendas, ou mandar-sc-ha levar pelos caixeiros da mesma loja em suas
casas; o estabelecimento se acha constantemente aberto das 6 horas da manha s 0
da noite."
ALTA NOVIDADE
EM POL'PKUNAS OU (iOHGUBO DE LINHO E
SEDA.
Pelo ultimo vapor chegou para a loja do
Pavo um elegante sortimento das mais
FUNDICAO DOBOWMAN
lina do lruin u. 5 <.
PASSANDO O CHAFARIZ
Tem sempre deposito de todo o marinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
algodo.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de canna.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido fundido e de
cobre.
Alambiques.
Arados e instrumentos d'agricultura.
Descarofadores d'algodo etc. etc.
Havendo em ludo variedade de tamanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar._____________________
~m~m gaz
Chegou ao antigo deposito Ae Henry Forster &
C, ra do Imperador, um carregamento de ai
de primeifa,qualidade; oqual se vende em partidas
e a retatto por menos prego do que em outra qual
quer parl:
CRATDOS callos.
PBLA
Pomada galoupean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo & G.
34------Ra larga do Rosario-----34.
Nlo mais cabellos brancos
A tintura japoneza, para ungir os cabel-
los di cabera e da barba, foi a nica admit-
tida Exposifo Universal, por ter sido
conhecida superior todas as preparacSes
at hoje existentes, sem alierar a saude.
Vende-se a 10OOO cada frasco na
l H-Ml li mHL 51
1* AIPAR.
RAP
PAUIO CORDEIRO
Vende-se rap Paulo Cordeiro fino, viajado, meio
grosso e vinagrinho ; no deposito cargo de Joao
Francisco da Silva Soares, ra do Vigarjo n. 11
Fai>se vantagens a quem comprar porcao, e tro-
ca-seo rap que nao sahir do agrado dos consu-
midores: __^___
Vende-sc su
de Antonio L
Cruz n. 57.
COLA
uperior cela
uiz de 01ifira A
: no escriptorio
& C, ra da
Vende-se urna eserava crioula ft 15 annos
de dadc. sabe eozmhar, mfoupw. t #*er i na
roa do Vifario n. 5.
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitts e coletes de'casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os* compradores pos-
sam desejar, assim ^orao na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer pefa de obra, coma maior promp-
tido vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-Ihe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
Aos dez mil -ovados do cassas
francezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padroes miudos e gra-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas sao propriamente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e alm dos padroes
screm muito bonitos, sao todos fixos e seria
fazenda para muito mais dinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
rEspartilhos a S000 na loja do
Pavo
Vende-se urna grande porco de esparti-
Ibos modernos com o competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 3 cada um.
BRAMANTE PARA LENQOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A ii$800
Chegou para a loja do Pavo, ra da
ImpbTatriz n. 60, urna grande porco de
pecas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpli-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 13800 ris cada metro,
tendo estalarga fazenda, outras muitas ap-
plicaces para arranjos de familias, sendo
glande pechinchapelo preco.
Alpacas brilhantes
a 640 rs.
Chegaram para a loja do Pavo um ele-
gante sortimento das mais lindas alpacas
brilhantes com as mais delicadas cores, e
com os mais bonitos lavradinhos a imitnrao
de seda, as delicadas cores que existem
neste bello sortimento encontra-se o bonito
Bismak, o bello Lyrio, o delicado verde
assim como, perola, roxo, canna, azul caf,
ele. Vende-se esta bella fazenda pelo ba-
ratissimo preco de 640 rs. o covado por se
I ter recebido em direitura urna grande par-
I lida superior a dez mil covados, sena
seria para muito mais dinheiro, isto na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60 de Feliz Pereira da Silva.
POUPELINAS A 500 RS. O COVADO.
Na loja do Pavo, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se um granfle sortimenlo das
mais lindas poupelinas ou laainhas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
nitas cores; padros com listrnhas miudi-
nhas, que se vendem pelo barato preco de
500 rs. o covado, pechincha que se acha
nicamente na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60.
Cortes de vestido do Pavo a
4000
Vendem-se bonitos cortes de cambraia e
tarlatana, ricamente bordados a 13a, pelo
baratissimo preco de H-
Ditos por estarem um pouco machucados,
a y.
Ditos finissimos com barras de seda a 4$.
Assim como os mais modernos cortes de
poil de ctavre, com duas saias, sendo fa-
zenda chegada pelo ultimo vapor, cada um
em sua caixinha com o competente figurino,
a 18$; finissimos crt s*de cambraia bran-
ca, ricamen'e bordados, que at podem
servir para noiva, a 250000, e outros mui-
tos cortes de differentes fazendas que se
liquidara baratas na roja do Pavo.
BADOES E SAIAS
Vende-se grande quantidade dos melho-
res baldes de arcos a 20, de panno e mus-
selina por preco barato, assim como gran-
de quantidade de saias bordadas de cor a
4(5, 5/5 e W, na loja do Pavao, ra aa Im-
peratriz n. 60.
bellas poupelinas ou gorgures de linho 9
seda, com os mais delicados padroes que
se pode imaginar, assim como urna grande
porco de cortes da mesma fazenda, tendo
de todas as cores e garantindo-se que neste
genero nao ha nada mais bonito nem mais
proprio para vestidos, e vende-se por pre-
co muito razoavel na loja de Flix Pereira
da Silva, ra da Imperatriz n. 60.
CELEZIAS
PANNO DE LINHO
ATOALHADO
Vendem-se as mais finas celezias de linho
com 25 varas cada peca, sendo mais finas
anda que os mais finos esguioes que tm
vindo ao mercado, a kU, 550, 600000 e
700000, tambem se vende em varas as
niesmas celezias, sendo preciso; assim co-
mo, pannos de linho do Porto para lences
com perto de 4 palmos de largura a 700,
800 e 10000 a vara, sendo em peca tam-
bem se foi alguma equidade ; bramantes'
para lences com 10 palmos de largura a
10800 e 20500 o metro, e de linho muito
soperior a 30200 e 30500.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 20400, 30 e 30500 o metro, e
outras muitas fazendas brancas que.se ven-
dem muito mais barato do que em'outra
qualquer parte, com o fim nico de apurar
dinheiro.
CHITAS
MADAPOLO
ALGODAOSINHO
Vendem-se superiores chitas esuoras ift
claras pelo barato preco de 280,320 e 3.60
rs. F as percallas a 320 e 360 rs.
Pecas de algodosinho de todas as lar-
guras e qualdades. Pecas de madapolo
dos mais baratos at os mais finos; assim
como, superior algodosinho enfestado para
lences, toalhas, tanto liso como trancado;
todas estas fazendas se vendem mais barato
do que em outra qualquer parte, para apu-
rar dinheiro.
^jAtfKBUBRIt^
SA

b$ tytelMA*6
5s.
a NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de Guis-
lain
Tintura ndelevel para ungir os cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceiluada agua-florida de Guis-
lain que ento era desconhecida em Per-
aambuco, j boje estimada e procurada
por seu efiicaz resultado, e anda mais se-
r, quando a noticia de sea bom efieito e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoffensvos, "tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos*cabellos, quando estiverem bran-
cos, e lhe restituir o brilho perdido, e as-
an como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algum.
E' porm necessario fazer connecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas UWez supponbam, mais sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provam testemunhs de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser leita em
outra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conbecida loja d'Aguia Branca
ra do Queimado h. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
co de sua boa freguezia, tambem capricha
em nao lh'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a honram, e em prova ao que fica dito, d
como exemplo o explendido sortimento
que acaba de receber, ainda mesmo achan-
do-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
e oraco, obras de apurado gosto e perfei-
co, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
bonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros im
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateada.
Coroas e tercos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortimento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seMa, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torcal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e puniros bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios fines tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Rover para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de filas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e b >:i;iu
1
Os abaixo assignados, proprietarios desle
estabelecimento, declarara ao respeavd
publico e com especialidade a seus numero-
sos fiegiazes, que desla data em diante ss
mercadorias sero vendidas a preco fixo, e
mdico. Isto r. solvcram os mesmos pro-
prietarios em consequencia de reiterados
pedidos de muitas pessoas por ser este sys-
tenia de vender o que mais garanta e con-
lianca inspira ao comprador.
As vendas em groseo, sero feitas com
os'abatimenlos na razao seguinte :
Compras de 500 a 1000 descont .r0/*
de 1000 a ;iOO0 10 /
de 5000 pura cirar 15 7"
Pagamento realisado no mesmo mez da
compra.
Os proprietarios dp BAZAR DA MODA,
observara mais que. tecebendo todas as
mercadorias de conta propria, offerecem a
quera comprar todas as vantajosascondicis
das casas importadoras.
O estabeldciuienio conserva-se aberto
todos os dias uteis das 6 horas da manhi
s 8 horas da noite.
Recife, 1 de Agosto de 1869.
Jos de Souza Soares Vendo-se um exrelleule escravo de 14 aneos
de dade, pardo, ofllci.il de atfaialc, reforjado, e
ptimo para pagem : na ra da Florentina n. 28.
FOL1IA DE
FLANDRES
da fabrica Derwcnt a 23000 I C ou 24*500 ,r-
tida : na na da Cadeia n.Jfc_________________
Vende-se nina serrana circulares com set
serras de *vcr*os t::manhos. movida por manejo :
vende-se junto ou separada I no largo do l'arai.o
n. 10
PECHINCHA DO PAVO PARA ESCRAVOS
A 200* RS.
Vende-se urna grande porcao de esta-
menha mesclada, propria para vestidos de
escravas, camisas e calcas para moleques,
sendo urna fazenda escura trancada e muito
encorpada, pelo barato preco de 200 rs.
o covado, fazenda que sempre so vendeu
por muito mais dinheiro.
ROUPA
EM LIQUIDAQO NA LOJA DO PAVO
Vende-se urna grande porcao de roupas
para homens, sendo grande qnantidade de
calcas de brim, castor, casemira e meia
casemira, de todos os precos e cores. Pa-
litts de alpaca, brim,- casemira, meia ca-
semira e panno fino. Colleles de todas as
qaalidades. Camisas de linh i e algodo.
Ceroulas e outros muitos artigos, por preco
muito em conta.
Casemiras da moda
NA
IiOJA DO PAVlO
Chegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para cal-
Cas, paletots e coletes, tendo lisas, com lis-
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os ptecos, e afianca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-
te, assim como das mesmas se manda fa-
zer qualquer peca de obra, a vontade do
freguez, para o que tem um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitts
a 18$ e20i000.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porco de pa-
litts sobrecasacados, c propriamente so-
brecasacos de panno preto, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de 18)5, sendo forrados de alpaca, e de
20$ forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter comprado urna grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
^. Cortinados
Pan camas e janeHas.
Vende-se um grande sortimento aos me
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 12000 rs. cada par al 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5/5000 at 10(5000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 1(5000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Feux Pe-
reira da Silva.
CHEGEM
BUHES DO BAR4T0
que est finalisando a liquidaco da ra do
Crespo n. 17 de Antunes Guimares & C.
Camisas bordadas para senhoras, lencos de labyrinto, fronhas, bicos e rendas da
trra, cortes de tarlatana bordados para casamentos, cortes de vestidos de cambraias
bordados, alpacas de cores lisas e de listras. precalas ainda de bonitos gostos, casaqui-
nhos de casemria para senhoras, saias bordadas e balSes de todas as qualdades etc.
fra da liquidadlo
Ricos cortes de vestido de blond, recebidos pelo ultimo vapor.
Pompolinas de gostos espeeiaes, que muito agradam.
Gorgorees lisos de cores para vestidos, fazenda ltimamente chegada.
Colxas de seda de todas as cores.
Chitas afostuadas fazenda nova no mercado.
Ricos chapeos de palla para senhoras e ciapellinas de novo gosto.
Esleirs da India proprias para forrar salas e quartos.
Bons e bonitos tapetes de todos os tamanhos.
Tapetes avelludados para covados: e outros muitas fazendas que s vista se
a realidade do barateiro.
O* verdadeiros OOXXA&ES BOTIB, os nicos approvados pela
Academia de Medicina, tem assim como os meos outros productos
Bttrahido a capidei dos falsificadores, que para facilitar sua criminla
industria nao se pjaA, ni-ra recciad annunciar vender falsos Coitares
com mit HOME. En previno as familias paia interesse de seus Glbos
que, para evitar falsificaces, devem exigir, que meus Coliajles Ibes
sejao Tendidos em caixas de tambas de encaixe e corredias cobertas
por & ettiquetas com a nnba marca de fabrica e encerrando nm
prospecto circunstanciado, e selladas por urna mcdalba com o lettreiro.
COLLAR ROYER, Roe St-Iarlii. 225. Pars.
INJECTION BROU
Hialeatea infinite! e Preservailta, baoluumento a uuica que cura Km oenhum addiUvo. Vd.de?
Mt atMClpaui totk*i 4o mundo. (Eligir a MrMfftt B>w). (Maaaw exiiUBcit.) Parii," es M
4 Iraawr Bien, aalwart Haiwu. lia.
rmim
UENQO DE HONRA
Vende-se ero frascos
DE FIGADOS FRESCOS DE BACALHAO **i0 fr tri"8u-
lares, pliarmacia Hoco,
3, ra de Csstiglione,
em Paria.
As rontrafncfAcs, os olean pardos, li'um clieiro fono, e mais umiposicoes feitas com leos
de pcixc* communs, taes como o ttquaio, e mesmo o* o/eo vegetaes, forain inalginao para sustituir os verdadeiro* oleo* de tigndoa
freoeas de Baeallio de Terracota. Estes oleo* communs ou seos SMieccdaaieoa sao
ohtidos na industria par precos mui bauos, em quanto quo os Tcrdadeiros leos de flgado de bacaUio
fresco sao rlativamentc muito caro, \ isto que para obtel-os frettot c sem mistura, cempre exercer
grande vigilancia e ter os maiores cuidados nos proprios lugares das pesca, assim como manda faxer
M. llogg desde o anno de 1849. Estes oleo puros ale Baealhao de> TcrraAota de iloyg
cranpenram para este precioso medicamento nina fama universal as molestias do pello, as affectiu
escrofulosas e i yin i I, a ticas, a magrent dos meninos, etc., e por isso, deram lagar a nociva e desleaes
Sola. O ole* de Ion mui fcil de digerir, distingue-ee entre oa outros oleo* pela sua
cor de pallia, o seo eheiro anave e delicado, e seo gosto de sardinba fresca.
O RELATOIUO favoravel do ebefe dos traballios chymicos da FACULDAOE DE MEDICINA DE
PVBI9 conclue como aegue: 0 oleo cor de palha de t. Hogg conlem tima terca parte de prtav
eiploa e o mais do pie o* leos parios e nio apresenta tlgum ios inconvenientes que se
revara n'ettcs, quanto ao cheiro e sabor.
V Vewde-oe can todaa pauaranaclaie ate Fraasse* e doa padaeo eatraagelroa. y
Rap Princeza
DA IMPERIAL FABRICA DE VIBIRA GEtfA-
R.VFS & COTO,
DO 1UO DE JANEIRO.
Vende-se esle excei.'nle rap no escrip-
torio de Joaquim Gerardo de Bastos, ra
do Vigario n. 10. i andar.
ESCRAVOS FUGBOS.
EsGravo fgido
Fugio em 23 dp Janeiro 18(59, o escra-
vo Mathcus, de r eia :dade, cor prela, falla
grossa, bexigosu. tem ,)elas costas cicatri-
zes de bacallio* 'em urna verruga no cauto
do nariz, os ps fi veros, corpo regular ti-
nha sido do Il!m. Sr. Agostinho Leocadio
Vieira, em Pancllas de Miranda, que ha
poucos mezes de la veio fgido ; pede-se
as autoridades e capitaes de campo de o
pegar c trazerem a seu Senhor Jos Car-
duzo de S, na ra da Lingota no Recifa
n. 2 ; e o mesmo protesta contra qualquer
pessoa que o tenha acoutado e gratifica-se
com iOOOOO a quem o pegar. Consta
andar polas mattas de Olinda. ______
AVISO
As autoridades policiaes ea
quem competir.
No dia 20 de maio do corrente anno fu-
gio o escravo Esequiel, crioulo de 30 32
annos de idade, estatura regular, reforcado,
cor bem preta, cabei;a redonda, traja va ca-
misa azul e calca de casemira cinzenta; du-
rante o dia costuma andar ganhando as
ra?, ou em rmaseos de assucar ou as
tabernas a conversar c a beber; durante a
noite recolhe-se a telheiros aberlos ou pe-
ni'traveis, a casas em construeco e a ou-
ros quaesquer lugares onde se possa abri-
gar: quem o apprehender tenha a bondade
de o conduzir ra da Aurora n. 26, once
ser gratificado.
. Fugio no dia 18 de julho, o escravo Eu-
genio, preto crioulo, de idade do JO annos
pouco mais ou menos, usa de bigode tor-
cido e barba cerrada, j inesclada, um tanto
calvo, altura regular, magro, pernas finas,
suppoe-se andar pelas bandas do Affogado
at os Prazeres; quera o pegar leve-o a ra
do Trapiche no Hotel do Universo n. 2 que
ser generosamente gratificado._______
Fugio no dia 9 do crreme mez do
engenho Sant'Anna da comarca do Porto
Calvo, o cabra Wenccslau, estatura rega-
lar, de 22 annos pouco mais ou menos,
sem barba, cabellos preto, e bem cara-
pinhados, foi comprado na cidade do Re-
cife, para onde veio da provincia da Po-
rahyba;e bem assim o escravo Han
crioulo, de 22 annos. estatura regular,
tem um dente quebrado no queixo superior,
bem preto; quem os apprehender leve a
casa do negociante Joaquim Rodrigues la-
vares de Mello, no Recife, ou no referido
ensenho aue ser bem recompensado.
Fugio do engenho Todos os Sanios da villa
do. Ipojura o escravo Goncalo, representa tei >
annos do idade, pouco mis ou menos, ror ver-
mcllia, alio, grosso, ollios peuuenos, sem barba, e
os ps rachando, foi escravo da Sra. D. Scnhorinba
Mara do Livramento da villa de Seriuhaem, sup-
poe-se estar acoutado, pois do outro dia da compra
fugio e esleve na villa do Se'rinhaem, o que desde
j prolesta o abaixo assignado, e pede--e s auto-
ridades policiaes ou capitaes de campo a captura
do mesmo e entregar no mesmo eogcnho ao abai-
xo assignado, ou na ra da Moeda n. 5, 2o andar,
escriptorio de Manuel Alvos Ferrelra A C, que
ser generosamente recompensado.
Miguel Tauliuo Tolentino Peres Falcao.
do engenho lina, no dia 23 de julho prximo pas-
sado, o escravo Antonio, crioulo, idade 28 ancos.
cor fula, estatura regular, secco do corpo e com a*
nadefas um pouco grande, tem os ps cheios < e
cravos e bichos, tevou chapeo de bata de cr j
usado, camisa de madapolo e calc,a de brim brin-
co ; tem-se por noticia que andou por Sanio .
ro das Salinas. Peixinho o na cidade de Otada, e
que seguir para Paulista : quem o pegar lt
ao largo do Paraizo n. li, que ser recompensado.
Fugio no dia 3 de agosto, o escravo
de nome Constancio, cabra alto, pouca
barba, olhos grandes, com urna belide
olho esquerdo, cara tosigosa, ps torios;
roga-se> a quem o capturar que leve-o a
ra Nova loja de Anuda Irmo, que s
gratificado.




Diaria de Pernambuco Segunda /eir 9 de Agosto de
T
GEB4L


1
1
Cilifll D9SS.DEPrAOS
SESSO EM 0 DB JULHO.
ltlESne.lGU DO 8*. NKMASk
O
Formado, organisado o exercito, no anno
lintc s s3 podo ao pajz o numero ne-
irio pira preencher as vagas. S5o
isas, por exentlo, duas, tres, qnatro
mil pracns. Engaj3o-se nacionnes e asirn-
03 com premios e vantagens. J o nu-
men) assim obtido di minu o que se exige
do sorteio. Este procede-fe nicamente
sobre, por exemplo, 40;000 ou 50.000 mi
que completaran os i H innos de idade no
periodo anterior, e nos omittidos n cons-
eripro ultima por culpas proprias. O ex
ercito recebe assim bracos jovens, vigoro-
sos, ebeios de vida e de esperanra. No-
bilita-se com esta acquisigo, em ve* de se
compor do refugio da sociedade. (Apoiados).
Os que escaparan! aos sorteios esto li-
vres, desembaragados, podara entregar-se
s varias profissoes da sociedad*, desap-
parece o susto, o alarma, abandooa-se
espada de Damocles que boje pesa sobre
todas as cabecas, folga a industria, o com-
mercio, descansam as familias, e nio isto
urna vantagem alcangada pelo projecto
(Apoiados.) Ni poca anormal do sorteio
lia de haver alarma, sustos, natural ;
passada ella, porem, todos estes effeitos
funestos desapparecem, e nao 6 preferivel
passar a sociedade por urna s poca, a de
um da ou de quioze (lias, por exemplo,
D i anno, do que vi ver ella todo
sob a presso do horror do
forcado ? (Apoiados).
Fallou-se em casados, que nao sao isen-
tos, e ento0u-8e o camico em sen favor;
engao perfeito, qmmo se trata do pri-
meiro anno ou do primeiro alistamento :
projecto os excloe, porque perlencem
isenses por elle adoptadas da legislacan
de 1822. Nao se alislam os casados. Quan-
to ao segundo anno, quanto aos mais annos
se s se alistam e se sorteiam os jovens
que completarais os 18 annos, no anno an-
terior, e que ainda portauto se nao entre-
garam a profisso civis, que receios se
podem conceber ? hamamtse s os desta
idade para as llleiras do exercito, nao esto
olles as circumstancias, nao querem, exi-
mo-se pelos dous meios consignados, que
(levemos confessar sao facilimos de conse-
guir-se e realizar-se. (Apoiados).
Tanto desejamos iwbilitar a classe militar
torna-la classe moralizada e especial, que
consignamos premios "s" sorteados que se
apresentam espontneamente, que determi-
bamos que todos que tjverem servido no
exercito o prazo fixalfo sejam preferidos
para os cargos civis e militares, e se lhes
cont para aposentadoras o lempo passado
exercito; que se cree urna caixa militar
o anno
recfntamento
no
destinada educacode teus filhos, ali-
inentago de suas familias, c nao sao racen
tivos para favorecer e animar a carreira das
armas ? (Apoiados).
Estabeleeido o principio de conscripgo
sorleio no Io artigo, ixa-sc o modo de pra-
ticar-se o systema, no 2o c 3' organsa-se a
forga publica, no 48e no Be combinam-se as
disposices geraes que devem regular a
xecoco da lei. A porporgo que adian-
tarmos o debate, vamos melborando e aper-
feigoando o projecto para o tim de torna-lo
mais aceitan [tela populago, de facilitar-
ilie o processo e do provar quanto elle
preTerivel actual legislarlo. Governa-se,
senliores, pela moderago, pela tolerancia
de todas as opinies. pelo respailo dos di-
reitos de todos e por um sem numero de
concessorfs razoaveis, qoe s o lino poltico
concede ios estadistas, afina de piuparem e
prevenircm contra-tempos e difficuldades,
a(im de conciliar os interesses do Estado e
do governo com os dos individuos. (Apoia-
dos.)
E no caso de guerra, perguntou-se, bis-
tam as disposices do projecto ? Respon-
do. Elle el.ili irado para o lempo de paz.
A guerra s deliberada com approvaco
do corpo legislativo. Compete a este, quan-
do se da to funesto fado, to desastrosa
necessidade, facultar meios extraordinarios
ao governo a(i:n de promove-la. Pode re-
solver o parlamento o que na Vcasio en-
tender conveniente, e na conjeetnra desas-
trosa de urna guerra sabe a cmara que a
previdente constiluigo poltica do Imperio
estatu de modo que admitte remedios ex-
traordinarios. (Apoiados.)
Assim raesmo. com um exercito de vinte
mil homens, disciplinado, instruido e com-
pleto, com urna reserva licencia ia de mais
de 40 ou 50,000, que podem ser chamados
a sondeo, prevemos alguma cousa extraor-
dinaria, adoptamos algnmas providencias de
futuro. (Apoiados.)
De urna das disposices do ultimo artigo
do projecto tirou o nobre deputado por
Minas a llaco de que a propria commisso
nao tinha fe no seu trabalho, deixando- ao
governo o tempo que quzesse p3ra executa-
lo. Nao era elle assim, na opinio do ta-
lentoso orador, seno um ensaio, ou tenta-
tiva, e portante, sem valor e nem impor-
tancia.
Divirjo ainda aqui do sentir do Ilustre
representante por Minas Geraes. O citado
paragrapho recommenda a promulgado mais
prompta do regulamento ; e, como consi-
dera qoe a lei particular, necessita de
mais lempo e de mais trabalho do que outra.
qualquer, ordena qoeemquanto a nao puzer
o governo em pratica contina a legislarlo
em vigor.
porlanto, a disposigo do paragrapho
muito diversa da opinio emitlida pelo no-
bre deputado. f)izei-me, senhores, urna lei
que deve ser conhecida as mais recnditas
partes do Imperio, desde Goyaz at o Ama
zonas, de Malo-Grosso al o Rio Grande do
Sul, de Minas ateo Grao Para, urna lei que
crea juntas de qualificacoem todas aspa-
rochiasdo Brasil, que tem de faw-ias(u.oc-
cionar o mais regularmente possivel. q-ie
deve fazer chegar a.todos a accao do gover-
no, nao necessita de algum, de SBnte
tempo mais que as outra> lis para ser
ticada ? (Apoiados.)
For conbecer a3'flifDculdades inherentes
a. to importante oxecugao e que a commis-
so deu mais alguma folga ao governo, afini
de bem ponderar os effeifos do seu regula-
passoque se amoldarlo Art: 3*" O governo cucan egar loBtm.
arcebi pj metropolitano pjra de accordo
da Santa S apostlica, re
oJens mencionadas no
lo aos flna^a, presente ro-
gualmeule os sonlimentos" do povo s dis-
posices da lei, pfoporcSo que fr coohe*
cendo qoe ella preferivel ao que elistt
actualmente.
Ser um ensaio; pois bem, seja MI_otH
saio, adoptare a opiniJo do meu Nlulra#o
collega ; espero, porenf, muilos roeraora-
mentos e vantagens deste ensaio, qoe ser
um grande progresso. (Apoiados.)
Precisamos cainmhar com a f
as luzes modernas, com a ciTjpw que
raia e resplendo por tod a parte. Quero'
para e estaca no cainiuhe atraza-se e per-
de-sc. (Apoiados.)
O hQtnem como as sociedade*, vite para'
o progresso. (Apoiados.) Ji se foi o Wm-1
po em que o povo era escravo ou servo, e
entao fazia o governo soldado quem queria,
deminava s o arbitrio, lloje deve ser urna
proflsao, e honrosa, a carreira militar, e
itlo deve depender do arbitrio de governo
fazer soldado quem elle quer. A lei igual
para todos, o povo tem direitos. As lber-
dades polticas e civis conquistario-se coat
o seculo. Nao se pode rolrogadac. Mir-
che-se para diante.
Este ensaio ha de, conio eu, aproveitar
ao Estado, ao governo, ao povo, mitigando
os soffrimentos, extinguindo o arbrt, e
quebrando os instrumentos da persegoK?"
e das vingancas, que no recrulamento for-
cado, e vontade e escolha das autoridades
encoBtravam campo vasto e ptimamente
affeicoado.
No me record, senhores, de oWefiCo
mais nenhuma dirigida contra o projetto;
ser talvez defeito da memoria enflaquecida,
e de nio poder verificar olas e aponta-
mentos. Acho-me igualmente fatigado ;
termino, porlanto, o meu discurso, pedindo
todava perdao cmara, cuja benvola,
singular e lisongeira attencSo gradeeo, por
Ihe haver roabado tanto tempo. (Maito
bem, muito bem.)
A discusso tica adiada pela hora.
Dada a ordem do dia, levanta-se a sessfio
3s dez horas e um quarto da noute.
e contrario.:
* i'
c AtsefflBl
h
do cdigo comawr
vogadas andisposic^es
da cama:
aiDj eral resol
e julho de 1869
Maraes.
il ve:
W. 83 do cap. 7a
quejeoncede mora*
Nos dias 10 e -41 nao houve sesso.
SESSO EM 42 DE JULHO
PRESIDENCIA DO Sn. NI?BUS.
Ao meio dia, feita a chamada, verifi-
ca-se haver numero sufflciente, abre-se a
sessSo.
L-se e approva-se a acta das antece-
dentes.
O Sr. 4o Secretario d conta do segninte
EXPEDIENTE
Um ofcio do ministerio do imperio, de-
clarando que se expedir aviso a presiden-
cia da provincia do Cear, acerca da requi-
sico desta cmara sobre a remessa das se-
guintes copias : 4a, do oficio da mesma
presidencia de 30 de Janeiro de4867ares-
peito da incompalibilidadedo 4 juz de paz
da fregfeezia de Mrangunpe, Reginaldo Be-
nevolo Ferreira de Pinho ; 2a, das actas
installaco das mesas eleitoraes a que na
dita freguezia se procedeu nos dias te 47
de fevereiro daquelle anno ; :,\ duas por-
taras da dita presidencia suspendendo os
vereadores da (amara municipal da villa do
Maranguape e logo depois levantando a
suspenso ; 4\ finalmente, da decisao da
referida cmara, mandando pagar aquelle
juiz de paz a quantia de 4:090$. Intei-
rada.
Gutro do mesmo ministerio, enviando o
oficio com que a presidencia da provincia
do Rio de Janeiro transmitte as actas da
formaeo da mesa e.das tres chamados dos
vitantes da elcieo primaria a que se proce-
deu as parochias de Sant'Anna de M'icac
e S. Jos da Boa-Morte do municipio de
Santo Antonio de S%A' 2* commisso de
poderes.
utro do ministerio da agricultura, re-
metiendo o decreto e papla concern :ntes
ao privilegio concedido a Antonio Augusto
Goelho, para empregar no transporte de
gado das provincias do Paran e Santa Ca-
tharina para o Rio de Janeiro os barcos a
vapor construidos segundo o desenlio apre-
senlado ao dito ministerio. A' commisso
de commercio industria e artes.
Dous do 4o secretario do senado, parti-
cipando que o mesmo senado adoptou, e
vai dirigir a sanccao imperial, as resolucoes
da assembla geral que elevam as pensles
concedidas a Arsenio Delcerpio Velloso da
Silveira e a Braulino Jos de Farias.Intei-
rada.
Um requerimento de Candido Pereira
Monteiro, pedindo loteras como subvencSu
a urna companha de opera lyrica.A' com-
misso de 'azenda.
Outro de D. Mermelinda dos Goimares
Pexoto. pedindo que se restabeleoa a clau-
sulasem prejuzo ,do meio sold com
que lhe fdra elevada a 4:200A annuaes a
pensao mensal de 48$ que lhe foi concedi-
da pelo governo Imperial. A' commisso
de pensoes e ordenados.
Outro de Edaardo Pellen Wilson Jnnior,
pedindo ooncesso de um privilegio pira
fundar urna empreza destinada inlroduc-
co do gado da provincia do Paran para o
consumo da cidade. A' commisso de,
commercio, industria e artes.
Lem-se e so-opprovados sem dbate, o.>
pareceres de commisso : remetiendo .a.0
governo para deliberar sobre as preercoes
das irmandades das Almas do Pilar das
Alagas, e da Misericordia de Goritiba no
Paran e da Sra. da Ba-Morte da Limeira
em S. Paulo ; indeferindo as pretendes de
Joaquim de Atmeida Pinto, e de paulo Rap-
t rii ao c waaiiciante, ba extensiva ao la*
ttador em todas 45 sufe^aMes.
far.0 d 1 caiaara, 10 d > julho do 4869.
^.Wlk Moraes.
1 A assembla geral resolve :
Art. 49 Os individuos formados naa
academias ostrangeiras em medicina, cirur-
gia, parto, em dreito, on em onira* quaes
i|uer {acuidades niw.aa poderlo osongef no
Brasil sem fazem exames vagos, envtodas
as materias de que se cempuz'rem os men-
cionados cursos as a'cademias ou escolas
do Brasil.
Art. 2o Os que oxereorom estas pro-
(issilas sem ti tolos tegaHsades no Brasil pa-
gar para o thesooro poMico 500o de molla
e soffrero a peno de um anno de codeia.
t Paro d cmara, em 42 de jumo de
4809.Meth Morcus.
A aseembla geral rasoivo :
t Art. Io O* medicamentos oflBoinaes
as pnarmacias em lodo o Imperio qoer
allopalhicos. quer hnmeopaiKIcos, s pode*
rio ser aviados por pharmseeetieos forma-
dos, e nao os havendo as phnrmacias lio-
meopathicas, serlo clles fomecidos petos
proprios medidos homeopatnicos, como ros-
ponsaveis pelos seos curativos aerante a
lei.
A. 2" Os infractores incorrerlb -na
-multa de 0000 e sollrero um anno do
cadeia.
Art. ;t' Os pharmaceuticos que admi-
nistrarem medicamentos por qoaijuer for-
ma, sem preumpco do medico, ou se
empregar por sua conta am carativos das
enfermidades, verificado o faci incorrero
uas penas do art. 2".
Paro da cmara, em 42 de jolho de
4809.Mello Monee.
A assembla geral resolve 1
i Art. 4. As casas commercia^s me ti-
verem caixeiros brasileiros ficam sentos:
I 4.* Do recrulamento.
2." Do servigo activo e de reserva
da guarda nacional.
_ Art. 2." \?tj gozarem os caixeiros na-
cionaos das isengoes deelar adas, basta
que exhibam suas nomeacoes passadas de
confonnidade com o art. 4" do cdigo cri-
minal.
Art. '." Todos os caixeiros brasileiros
empregados no commercio, soro conside-
rados despachantes da casa commercial,
ndependenle de rcqueriracnlo a que se re-
fere o art. 051 do regulamento de 49 de
deze.mbro de 48GO, subentendendo-seaCan-
Cidos conforme o 2' do art. Go.
Art. 4," O caixeiio nacional desarru-
niando-se da casa commercial onde esteve
e se nao se empregar no espago de seis
mezes em ottra casa commircial, Picar
sem elfeito a isenco legal cima referida,
o Paco da cmara dos depu'.ados, em
difT-rontes proje
iiijsmo asswtpt
Camaii das
julho de 486!
Malhetro. Isidoro
reforma sobre o
^fc-CJMtra.
di, em8de
\ferdiao
Wleiro.J. J.
de lima e Stl> medo Jos
Calmon.Fhriano de Godoy.Rodrigo da
Silva. V. J. de Figneired"). Fortes.
Pereira da Silva. -- Ferreira Viamna.
So$j)Hrneis.Cruz Machado. Vkira Silva.Joao Mendos.Gama Cerqueira.
Castello Branca.Msll Movaes.Laine-/o.
Bardo de Anajaiiibu. Gandid Mrndes
de Aliwid'. $iftetra Maules.-Finan-
de* Jiragu A. A. G. de Azambuja, Fi-
aiieira de MelUt.alDo.piHenanurt.
P. Voreira.Menezes Prado.Araujo ti-
tita. Gtilmaraes. Mdnorl Femander
Vieira./. Capanema.C. de Baepcndy
A. J. ila Rasa,Antonia Prado. J,
Evangelista de N. S. Leba. Domin-
gties. ^_^^_^
Sendo posto em discuso, fjzeui algu-
mas breves --coitsiderace os'Sro. mtoiro
da juslica, Andrade Figueira, Ferreira Vian- )>
na. (oicsde Gistro, Fernandos da Cunha
e Pei^ira da SUSas depoi do -que tV o-re-
querimento regeitad''.
Dada a hora, levanlou-se a sesso s 4
horas da larde.
Mello Moraes.
resolve:
casas de commer-
"da-eidade pMvora.
42 de julho de 4800.
A assembla geral
Artigo nico. As
e ooe tierem-dentro
fogos artliciaes, materias inllanunaveis, de-
psitos de liahlengao de vinhos, fabricas de
velas da sebo, incorrero na multa di 500$
e um anno do cada.
Paco di cmara, em 12 de julho de
181!). -Mello Maraes.
A assembla geral resolve.
Art. nico. As casas do commercio
na cidade do Rio Janeiro, capital de Impe-
rio, se fecharan aos domingos e dias santi-
ficados, especialmente o de sexta-feira da
paixo e morte dj Nosso Senhor Josas
Christo, excepto das tabernas, casas de
gneros alimenticios, que podero funecio-
nar al o meio dia; os hoteis. casas de
pasto, lajas de barbeiro e boticas se conser-
varo abortos P'lo tempo qti3 convler as
necessidades publicas.
Paco da cmara, em 42 de julho de
4869.Mello Maraes.
Vem a mesa e lida a segninte
moro :
Na forma do irt. 474 da constttrjIr^So
poltica do Imperio do Brasil, proponho a
ampliaco do | 2o do art. 95 da mesma
constituicao, alimde equipara os direitos pa-
liticos ti o cidadao naturalisado aos dosnas-
cidos no Imperio do Brasil.
Paco da cmara, 7~de julho de 18G9.
Mello Moraes.
O 80. Presidente : Esta moco, para
proceder, preciso que seja apoiada boje,
pela terca parte, ao menos, dos Trombros
presentes, na forma do arU 174 da consti-
pra-
ment: nio qniz que acontecesse como a
lei do censo, que foi o governo constrangi-
do logo a praticar, nunca se consegoio levar
a effeito, e foi revogada : a commissa'o tfeve
em mira marchar paulatina e pensadamente
e recommendar igual previdencia aogover-
no, afim de realisar ama innovago que se
precisa amoldar a'os colotttes, ioddle e ten-
tista^)rnano.
Lem-se e vo a imprimir diversoopre*-
jectos, appr"ovando pensoes, e mais os se-
guintes:
A assembla geral resolve :
Artigo nico. A concesso de quatro
loteras annuaes, determinada pelo decreto
n. 4,009 de 2o de setembra de 4858, em
prol da santa casa da Misericordia da corte,
continuar, durante dez annos mais com as
fliesmascondices e favores, fixados.na re-
ferida lei, para o im de conclirem as
obras do respectivo hospital.
Sala das commissoes, em 12 de julho
de8G9.Pereira da Silca.A. Figueira.
Cardoso de Menezes.
A assembla geral resalvo :
* Art. 4o Ficam os prelados das ordens
franciscana e benedictina autorisados a con-
servarem opessoal de cem religiosos em
cada urna das dus provincias da soa ordem
no Brasil.
Art. 2" Esses religiosos serio empre-
gados :
i* Na catechese e civilisacao dos in-
dios.
g 2 as missoes em todo o Brasil.
3* )nde existirem conventos e mos-
teiros, na instrcgo da moctTade desval 3a.
luico ; segair-se-ha, depeis disto, as tres
leituras que recommenda o art, 475 da mes-
ma constituicao com o intervalo de seis dias
do urna oittca. para afinal tomar-se defi-
nitiva dcliberaciio.
O Siu MeijIi Mhaks:Eu desejava dar
as razos porque offereci consideraco
da ranaaf.i esta;moco.
0 Su. Presidente :0 regiment nao o
permiti, na presente occasio. '
O Su. Mello Moraes : Mais tarde ento
eu as darei.
Post a moco a tolos nao apoiada.
Lm-sc e vo a imprimir para entrar
na ordem dos trabalhos, as redaeces que
te Bcbam publicadas no Jornal de T3 do
correte sobre concessoes de direitos afho-
maz |Dulhon Jnior, de licenga a Carlos
dos Santos e Oliveira Pinto e de pensoes
ao soldado Crispir Alves de Oliveira e
outros.
Procede-se votaco das redaeces
que foram a imprimir na ultima sesso,
sobre matricula de estudantes e naturaltsa-
fSes, eso approvadas sem debate.
Procede-se eleicSo da mesa, que
tica assim cornposta.
Presidente (91 cdulas), Joaqoim Ootavio
j^ebias 79 votos.
Vicepresidentes f81 cdulas) A. R. Fer-
nandes Jraga 4., I. M. de Araujo Ges
2., Antonio J. Henriques 3o.
Secretarios (69 cdalas), Diogo Velho
1., J. Porlella 2., Vieira da Silva 3.,
Coelho Rodrigues 4o.
Vem a meta, (ido e approv;
seguinte reqaertmento:
Requeremos que o projecto sobre o n.
243 de:4884, sobre reforma jodiciaria,
approvarJo em 2* discussSo, seja enviado a
urna commissSo especia I de cinco membros
para offerecer as emendas substitutivas que
entender convenientes, teudo em vista os
SESSOTEM 43 DE JULHO
presidencia do sn. nemas.
Ao meio dia feita a chamada, verifica-
se haver numero suflicientc, abre-se a
sesso.
Lfi-se e approva-se a- acta lia .mleee-
denie.
O Sr. Io Seciietario, d conta do se-
guinte
expediente :
Um officio do ministerio do imperio, en-
viando os nflkios da presidencia da pro-
vincia do Paran!, transmiiiido copias dos
actos pelos quaes, fundada em raines de
inconsltucionatidade, nao s nsgou sanccao
aos projectos da respectiva assembla le-
gislativa, mandando contar para aposenta-
dona de D. Geraldina da Metta Bandeira e
Silva Bello o tempo que servio de profes-
sora particular e contratada, e autorisando
o governo a contar a Jos da Costa Rodri-
gues Guimares, quando reqnerer aposen-
tadoria, todo o tempo que servio como
professor definitivo o interino na cidade do
Ponta-Grossa, como suspendeu a publicaco
da resolugo da mesma assembla, decla-
rando que varios impostos de importaco
faiam parte das rendas da cmara muni-
cipal da cidade de Paranagu. A' commis-
misso de assemblas provinciaes.
Outro do mesmo ministerio, enviando o
oficio com que a presidencia da provincia
de Goyaz transmitte as actas da eleic"o pri-1
maiia "a que se procedeu na parochia de
l'ouso-Alto. A' 3' commisso de poderes.
Outro do mesmo ministerio, enviando os
officios com que a mesa da assembla "le^-"
gislativa da provincia do Paran transmitte
duas representaces documentadas, em que
expoe as razos pelas qnaes a mesma assem-
bla nao s adoptou por dons tercos dos
votos dos seus membros diversos projectos
de leis, a que a presidencia da provincia
negou sanego, como fez publicar, vista
da recusa da presidencia em faz-lo, duas
resolugoes qne nao dependiam de sanccao.
e cuja publicaco a 'mesma presidencia
su pendeu posteriormente.A' commiso
de assemblas provinciaes.
Outro do ministerio da guerra, aecusando
o recbmento di officio desta cmara, e
declarando qne fica de posse do requeri-
mento documentado, para ser tomado em
consideragao, em que o- capilo honorario
do exercito Pedro Correa de Albuquerque
pede urna pensSo correspondente ao seu
sold." Inteirada.
Outro do Io secretario' do senado, par-
ticipando que o mesmo senado adoptou e
vai dirigir sanccao imperial, diversas re-
solugoes da assembla geral sobre pensoes.
Inteirada.
Dous do raesmo secretario, communi-
cand ter constado ao senado qu S. M. o
Imperador consente no decreto da assem-
bla geral fixando a forca naval para o anno
linanceiro do 1869 a 1870, e na resoluge
declarando a isenro de direitos de impor-
taco concedida companhia Hydraulica
Porto-Alegrense.Inteirada.
Um requerimento de Joaquim Mara Carlos vemo%rrcinda
Veram, porteiro do salao desta cmara,
pe lindo dispensa de lodo o servico com
seus vencimentos.A' commisso de polica.
Outro de Minoel Jos Rodrigues Braga,
pedindo orna penso mensal em remunera-
go dos servicos que tem prestado. A'
commisso di pensoes e ordenados.
Outro de Florinda Campos Lpez de
Souza, rrma do 2 lente do i" batalho
de artilharia a p, pedindo urna penso.
A' mesma commisso.
Lem-se. jolgam-se objecto de delibe-
raco, e vo a imprimir para entrar na
ordem dos trabalhos, diversos, projectos
approvando pensos, e a eleco primaria
de Bag.
L-se, julga-se- objecto de deliberago
e vai a imprimir para entrar na ordem dos
trabalhos, o seguinte projecto :
. A assembla geral resolve :
t Art. 4." Os limites entre as provincias
sobre a (cenca concedida a Carlos dos San
>twpvHntfc aditicio de
*1 non* Datbon Jnior o a pensoes a Chri
J*n Atas de Oliveta a ontros, e sao ap-
paovadaasam debato.
Entra em 3* discusso, e appro-
do sem debate, e remettido commisso de
redaeco, o projecto concedeodo aos bia-
pos que foram a Roma afim do asoiotirem
ao concilio ecumnico, urna ajuda do custo
para as despezas da viagem o tratamento
Condigno de sua elevada posigJo.
Entra em 3*iliscuis|o, e igualmentaj
approvado tem delate, o projecto abolindo
o transito p-'- rlnnrrlhrio dan Miaroco das
sentencas, )recatorias, aliars, mandados,
e quatsquer outros acto forenses, de qual-
quer juizo ou tribunal.
Contina a 2* discusso do art !?
do projeeto sobre a reforma do actual re*
cruiamento. com as emendas apoiadas.
Vem mais a mesa, sao lidas, apoiadas e
enlram conjntamele em discusso as se-
gnmtes:
Substitua-se o primeiro periodo do
art. pula seguinle desposigo:
Sao obrigados ao servieo rnthlar, e para
elle serao annualmente alistados, todos os
cidados maiores de 48 anuos, e previso-
riamente os de idade superior a esta at
2k*nos completos. Para o mesmo im
serao incluidos no alistamento emquanto nao
excederem de 30 anuos os qoe por omisso
ou culpa dei.xarem de ser alistados no
tempo de sujeicao ao servieo.
Substita-se o n. 2 do | 4 do art. 3*
pela seguinte deoposioo:
< 0 lilho, genro ou neto que sirva de am*
paro mulner, viuva ou a pai, maior de 60
annos, ou valetudinario.
Substtua-se o n. 3 do citado paragrapho
deste modo :
O nino mais idoso de orphos de pai
e nui, e menores de 18 ranos, se por elle
forem alimentados.
Accresccnte-se o seguinle additivo ao
citado paragrapho.
0 que livor perdido algum irmo no
exercito por ferimciito recebido em com-
bates.
Accrescente-se mais este outro additivo:
0 que j tiver um irmo no exercito
como praga de prel, sem ser por substitu-
gao.Theodoro da Silva.
Ao Io n. 2 accrescente-se :=ou de
pai decrepito ou valetudinario as mesmas
condiges.
Ao mesmo n. 3, depois da palavra
sustentaraccresccnte-se: irmos orphos
menores artigo.
Ao mesmo n. 4:As palavras.
filha menor legitima, etc.substituam-sc
pelas seguales:lilhos menoros legtimos
ou legitimados, a quem alimente, e eduque
emsua conpanhia.
Ao mesmo n o: depois das pala-
vras.TB^elo Estadoaccrescente-sec pro-
vincias.
Ao mesmo e numero:As 'palavras
que nunca soffreram reprovagos em exa-
messubsttuam-se pelas seguintesassi-
duidade e aproveitamento nos seus esta-
dos.
Ao mesmo n. 6:Snpprimam-se as
palavrasos ministros de outras religes.
Silva Nuncs. >
Ao art. 1 4o:Sao Gxcluidos do
servieo militar os que tiverera sido expulsos
do exercito ou armada, ou qne houverem
soffrido a perra de prso por seis annos 011
gales. Uns c outros sero, porm, obri-
gados respectiva contribuigo se tiverem
meios com que possam satisfaz-l.Silva
Manes.
O SR. BARO DE MUR1TIBA (ministro da
guerra):Pego permisso cmara para
expr o que pens acerca da materia que
se aclia em discusso.
Todos reconhece que' o systema ac-
tual de recrulamento nao pode continuar
por mais tempo. A represontago nacio-
nal, especialmente a cmara dos Srs. depu-
lados, desde mais de 40 annos que* traba-
dla para fazer orna le capaz de evitar os
inconvenientes que se observam no syste-
ma que rege este imporianlissimo assumfjto
relativo ao exercito e marinha.
Mas, a difliculdade da materia, os re-
ceios de que talvez nao fossem praticaveis
certas medidas, e se achasse as^m o go-
necessario pessoal
para compor o exercito, tem frustrado o
apparecimento de urna medida, a'is 'lo
necessaria.
Grande 4em sido o desnjo, nao si das
d.rcitoe, tomuui p^ o fc,1,-1JMj ^ dNflMr vo.
lunlaos paran servieo. e neate intuito nao
lea despreudo engajamento de estraagn-
ros para, em certa escala, comporem o
coalingonte nocessai io ao completo do exer-
citot esto, porm, como diste, nio tem
sido bastante ; tem sido preciso reorrer a
outro meio para a satisfacio daquella obri-
gago constitucional.
A forma, todava, porque esta obrigagao
sido cumplida, toda a cmara reconhe-
ce que suscepti vel de grandes abusos;
que colloca os cidados, capazes de pegar
em arma, em constante incerteza sobre o
sou destino; j porque as paixoea actuara
'ortemeate na occasio 4o recrulamento, j
porque, ainda quando osla* nio existam,
da natureza do assumpto que grandes erros"
se pratiquem na melhor boa t.
As isenges numerosas marcadas as ins-
trneges de 10 de julho do 4822 e em ou-
tras leis posteriores precisfo muitas vezes
ser provadas; nao sao patales, evidentes-
irrecusaveis, e para que se dm, se apre-
sntem as provas dessas sengoes, muitas
vezes faltara aos recrutaveis os meios nes
cessarios.
D'aqui provena que o ejercito tem em si
bom numero de individuos que, apezar de
estarem isenlos pela lei, acham-se de facto
obrigados ao servieo.
Era preciso, pois, adiar outro meio de
evitar esses inconvenientes.
O imposto, que, talvez com exagerago,
se chama de sangue.deve ser paulado pelos
mesmas regnas qoe* imposto pecuniario,
e o pela constituieju : todos devem ser
sujeilos aquello como o sao ao outro, se-
gundo as suas posibilidades. Nisto consis^
le principalmente a igualdade do imposto,
aui recommendada.
Mas, para que se possa conbecer quaes
sao as pessoas que podem e devem pagar
o imposto, preciso conbecer primeiro as
differentes condiges em que ellas se acham
collocadas, os bens que possuem, a quota
que podem pagar; o que se deve igual-
mente fazer ua applicaco do imposto, que,
como j disse, su tem denominado de san-
gue.
A primeira operago para bavor-se o im-
posto todos conheuem, fallo do imposlo di-
recto, o langamento delle: esse langa-
mento verifica quaes sao as pessoas habili-
tadas para o pagar. E' este mesmo pro-
cesso, a mesma operago que se deve por
em pratica quando se trata do outro impos-
to a que me tenho referido.
O projecto consigua esta operago no art.
1., que se discute, mandando fazer um
alistamento do todas as pessoas que sao
consideradas idneas para o servigo das ar-
mas ; mas como'algumas delias nao po-
dem, por certas circunstancias, pagar o
imposto, porque sera muitas vezes contra
o interesso social, o projecto declara pelo
alistamento quaes sao as que caro isentas
do contribuir, como manda tambera verifi-
car quaes sao aquellas que esto na impos-
sibilidade absoluta de presta-lo.
Nada me parece mais simples, senhoros,
do que este processo; *que resta saber ,
se porvenluia elle ollerece segurangas de
fornecer a gente necessaria para acudir ao
recrutamunto do exerdto.
Pretendo mostrar com algnmas conside-
ragoes cstatisticas, que o processo dar em
resultado< um numero sufliciente de indivi-
duos, dos quaes podem ser cliamados an-
nualmente s armas quelles de que o exer-
cito necessitar.
Todos sabem que os dados estatisticos
nos faltara, nao temos conhecimento perfei-
to do quantum da nossa populago. Nao
sabemos mesmo a relago em que se acham
os dous sexos entre.si, nao sabemos pro-
pramente a quota das dades respectivas;
mas podemos estar convencidos de que a-
poprlago livre do imperio nao pode ser
menor de 6,000,000 de habitantes.
A Ilustre commisso do anuo passado
elevou a populago a urna cifra mais subi-
da; disse no seu relalorio e ni tabella que
juntou ao projecto sobre o qual se baseou
o que est em discusso. aue a populago
livre do Brasil ia a 8,000,000. feejiius
porm, para o calculo o algnrismo que ha
potito refer, isto ,000,000.
Se nos quizessemos regular pelas estalis-
licas das pepulaces europeas, que esto ao
alcance de todos, reconheceriamos que a
populago de 20 a 30 annos de idade, na
mxima parte dos paizes ou quas geral-

do Paran e Santa Catharina sero na con-
formidade das- provsoes de 11 de agosto de
17:t8 e de 20 de novembro de. 1749, auto
da demarcago de 2 de maio de 1771 e al-
var de 9 de setembro de 1820,-pela baraa
do rio Sahy-Guass a rumo de leste a oeste,
at a aberta formada na serra; do Mar,
entro os morros de Araracuara e Ikrim. e
djhi pelos rios Negros e Iguass at o en-
contr deste com o ribeiro de Santo An-
Iobo, nosea divisa como Estado de Corri-
entes.
Art. 2. Ficam revogadas as dsposiges
em contrario.
t Sala das sessoes 10 de julho de 1800.
^jsmego .Galvo.
Vem mesa, lida e vai commisso
de constiluigo a seguinte indicago :
c Indico que a commisso de constiluigo
inlerpoaha com urgencia o seu parecer
acerca do projecto vindo do senado na
sessio de 4867 e submettido a seu exaroe
relativamente a direito dos principes con-
sortes de princezas imperiaes de terem as-
iento no conselho de estado.
Salo-das sessoes, 43 de julho de 1869.
Pereira da Silva.
Lm-se e vo a imprimir para entrar
na ordem dos trabalhos as redaeges que
se acham publicada, sobre matricula de
estudantes e isenco de direitos a diversas
emprezas.
ORDEM DO DIA.
Procede-se votad das redaeces
que foram a imprimir na ultima sesso,
das na camaca dos Srs. deputados me fa-
zem esperar que estes receios sero agora
vencidos, e que a augusta cmara confeccio-
nar um trabalho que possa satisfazer a esta
urgente necessidade do servieo, como es-
pero qne a mesma camaaa ha de tambem
cuidar de outros nao menos importantes
assumptos que foram offerecidos sua con-
sideraco no discurso da coroa.
Senhores; ha dous meios condecidos e
talvez nicos para que a forca que todos re-
conhecem ser indispensavel seguranga in-
terna e defesa do paiz se possa tornar
effectiva.
mente, sempre a 6a parte da sua totali-
As capacidades, porem, que vejo reun- da(le Sendo as$im tcremos no Bm, um
milho pelo menos de habitantes de idade
de 20 a 30 annos.
As relages entre os sexos tambem em to-
dos os paizes sao quasi sempre de metade de
cada um delles: a diflerenga que existe em
alguns to pouco sensivel que nao so po-
de presumir que se realizo entre nos. Te-
mos por consegrante urna populago de
mancebos de 20 a 30 annos de idade, igual
a 500,000 individuos.
Fazendo a diviso desta populago as
idades de 20 a 23 annos, nos apresentar
250,000 mancebos, 00 50,000 de cada um.
Dos 250,000 mancebos, suppondo que
dous tercos tenham isenro qualquer que
ella seja do servigo do exercito, ainda nos
resta urna populago de 75,000 mancebos,
dos quaes pode ser tirada a quota necessa-
ria para preencher o exercito.
Levo o meu calculo anda mais longe.
lteparttido esta paradla de 75,006 ho-
mens pelos 5 annos que se comprehondem
na idade de 20 a 23 anuos, hovera 46,600
mancebos de cada idado, dos quaes em cada
anno se -pode deduzir o contingente neoes-
sano para o preenchimento do exercito.
Mas como deeejo ser mais seguro no meu
calculo, dou a estes 46,600^ manceboi M
escoimados das primeiras iseng5es por d~
feitos -physicos e outras eircumstaf^H
Estes meios sao: 4., os soldados volun-
tarios que por vocago e por outros hones-
tos e confessaveis motivos se offerecem a
tomar sobre si este dilic servieo ; 2., o
cumprimento da oDrigago que a nossa lei
fundamentalmpc a todos os brasileiros
para defenderem a sua patria dos ininvgos
internos e externos.
Nem era preciso que isso fosse declarado
na lei fundamental, porque urna condi-
co essencial da sociedade (apoiados), condi-
go de que nao pode ella prescindir.
O primeiro meio, senhores, tem sido en-
saiado entre nos, posto em.ortica por todas
as formas modos possiveis: j os avulta-
dos premios que spj)recarregam grande-
mente a despeza publica, j o offerecimento
de collegfos militares e dj instruego mili-
tar para onde concorrem os jovens que tem
vocago para o servigo das armas.
Este meio, porm, na pratica, nao tem
produzido resultados satisfactorios ; apenas
um diminuto numero de voluntarios coa-
cerre annua'mente para o servigo, e com-
posto, pela maior parte, daquelles que j
serviram no exercito, e tem contrahido os
hbitos dessa vida, que tem-lhe experimen-
tado as difficuldades, e por quaesquer mo-
tivos nao podem dedicar-se a outra profis-
so. Todos esses compoera annualmente
urna classe que nio passa de 600 a 700 in-
dividuo! : o exercito, porm, por mais pe-
queo que seja, nio pode dispensar um con-
tingente menor de 3 ou 4,000 pracas an-
nualmente para compor a sua forgaordina-
ra, pois que me reflro s ao tempo de
paz.
gaes o a batimento de t %, e ento *
mos ainda por anno 42,490 manee!)
Suppondo-que o esewito soa fonnado de
individrros que devam servir smente [emeo
annos, teremos qne dlle ser reforraavel pe-
la quinta parte todos os airaos, a depois de
um certo numera estes ter necessidade
de contingentes tgnwe quinta parte 43 sua
forca total.
Ora, a forgo total do nosso exercito vo -
tada para lempos ordinarios* apenss de
20,000 pragas: por consegrante, em t
anno ser o-ontmgente a quinta parte
4,000 mancebos. '
Httnmr-se-ha).
TfF.
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXTA3ZP5I_V1ZU11 INGEST_TIME 2013-09-14T02:00:41Z PACKAGE AA00011611_11911
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES