Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11904


This item is only available as the following downloads:


Full Text
w
AMO XLV. NUMERO 172.
>l o,
PARA A CAPITAL K LOCARES OIDE IA6 & PACA P011X.
*wmm*t botados........f
*or res dhos dem
Par om mo idaau.............. IftWOO
6^(000
000
24*000
SABHDO 31 DE JULHO DE 1869. s
IUi MVTRO | TOA 01 MWiClA.
PoMfes mejs adiantado. ...
Por seis diu* fclea...... .....
Por mm ditofc'ifai...... .........
Por oto auno. ............
I
131800
304*80
27*000
Propriedae de Manol Kgnelrda fe Paria & SUta.
t
i
___
Os Srs
SAO ACEOTE*
""
Si*, no Natal; JosJostino
Costa Braga,
PAITE RICIAL
aH provincia.
ASSlrmBO FULO EX*. SR. DR. IfANOKL
IfAICIXKMTO HACIfM PflRTtLLA VTCR-FtntSF-
i oa momcrA BK T DE *AtO DB 1M59.
1." sedeo.
M. 4SW.Portara ao Exm. general commandan-
i armas. Commonico a V. Exc. para seu
-que por despache desta data eon-
i -t dia de praso ae reeruta Raymuodo Jos
de Moura para provar iseneio legal.
ti. 491. Dita ao mesmo. Remello a V. Exc.
poweeu'conheeiiiieato, copia do aviso circular ex-
pedido .peto ministerio da guerra omSdomez
correte, declarando qual a apa que pe devis
abonar aos oficiaos do oxereito que paasam do-
eates em conseqoeaca de lerimento* recetados em
embates ou de molestias adqueridas eiu-cam-
paaha.
2*seceao.
***Wtana a diese!' gwat-da juunm
ria de e^ado, tos negocios da jnstiea Andr Au-
gusto de P.iifcWeary.'-it.cuac^ reaeLimento do
ofhefeT OW. S. de S do corrente o igualmente dos
.tapiares dos decretos ns. 4331 e 43o5 de 17 "fc
attfil nttimo. que mandara exoeiitar os regulainau-
tos pVa a arrecadaro dos impostes do sello e de
transinisao de prapnedado.
N MV Bita ao commandante suprior da
jpiara nacional de Itamh.Km resposta -ao seu
officio de t di crrente tenho a dizeHhe que, pra
tor Idgar o fornoriounto dos Itvros de que traa,
mister, que V. S. envi urna relac.c dos que ne-
ee-ita MHn a< precisa; declaracoes, e orcamento
4o seu cttsto nos tennis d art. 38 do decreto n.
13 f iH .!, fevereiro de 18oi, alim de ser en-
tregu pela thesouraria ao quartel mostr desse
eoramanJo superior a quantia, que para isso for
juJgada safliriente.
"' ^- "Bala ao juiz do direito da vara desta
cidade. Na sendo encontrada a consulta Teita
por esse juizu no anuo de 1866, a que allude o
officio d- V.-S. de 16 de abril prximo Ando, re-
meti-I lie copia da rapista que o tenente-eoronel
ex-director do arsoaal de guerra Sehastiao Jos
Dssilio Phyrro den enri p r oceasHo de ser ou-
vido a respailo das impune** qne Itie faziam ou-
tros empreados do mesmo arsenal que estavam
asado preeassados que se aeha por 2a via junto
ao ottoio do general commandante das armas de
14 dequiJir. daquelle auno de 1866. Entretanto ao
gevarno Imperial me dirijo nosta data para que
me deca: Mita de que trata foi submet-
tida ao sen conheeimento, como de presumir.
.t. 497. Dra'ao uiz municipal de Pao d'Alho.
Km r.'spotn an ndieio de Vnir. de 8 do corren-
te. leiiiioa dher-lliij que cuuipre histaurarpni-
oeaso pete rime de resistencia como Ihe foi arde
umIo pelojuir de direito da coawa, e se desse
pnacess n-u!ia. enininalniade para a autorutaie
que praticou a diligencia, mande extrahir copias
as envi, ao dito juiz de direito para elle po-
ceder aa forma da lei.
.'3a seccao.
>. i'Jn. Purtaria ao inspector da thesouraria
de faioiHla.Mande V. S. alionar KWOOO a cada
um dos membros da commisso enearregada da
arrecadarao e inventario dos liens, objectos livrq?,
ermispap,-i-.d.i rxrtocta c >lonia militar de Pimen-
teiras. e rttrogar ao niPiuliro da mama commis-
so Joaipnm Pereira Bastos niais a quantia de. .
iMtOXi para occorrer as despezas como trans-
porte de taesli\ms u objectos. Para esse fin fica
aborto a ossa liiesouraria sob minha re*ponsabdi-
dade tat lerm >- do decreto n. 288i do l' de fe-
vereiro de 862 hm crdito d.: 30!)0l)(> por eonta
do ministerio da guerra.
V. l'.if. Dita ao mesmo. Expela V. S. mas
ordens para que di>pois de lipiidado, em vista do
netaso recibo, que me remotteu o delegado do
termo de Floresta com oflicio de ii de abril ulti-
mo, seja pago o aluguel vencido do 1 de setembro
do anuo prximo passado ate 13 de abril j cita-
do, a casa .jue- serve de quartel ao destacamento
de guardas n.tcionae~ existentes naquelle termo.
S. 500.Dita ao mesmo.Providencie V. S. para
que sejain pagos depois de liquidados em vista do
pret junto em duplcala, que me remetteu oconi-
mandante superior deste municipio com officio do
hoje sob iu87, os veneimento c nvspnndentes a
primejra quinzcia doste mez, dos guardas naci
UW do U kilaliao de artiiliaria aquartoLtdo no
Hospiei i e dos coiitingenles a elle adqidos.
H. riOl.Diia ao mesmo.Itemctto a V. S. para
seu m!i> cimento e exeau^io cjipia do aviso cir-
cular expedido pilo ministerio d guerra em a do
niez crrente, declarando que a etapa que se deve
abonar aos offlciaes dotxercito quepassareindo-
entes em ponsejuencia de ferimentosjicebidos em
cemlwte ou ui> molestias adquiridas em cam-
panha.
H. Mi.Dita ao mesmo.Em vista da ooata
junla que me remetteu o cuefe de polica com
ollicio de 115 do crreme sob n. 733, mande V. S.
liquidar e pagar ao delegado do termo do Limoei-
ro, ou ao seo procurador, o qu justamente se
ostiver a dever. provemeote de diarias abonadas
aoalorecruu>. constantes da mencionada conta,
os quaes vieram daquelle termo e foram api^
tados do bripdeiro eomma*4nle das armas afim
de lerem o cenvaniento destino.
N. 503^- i ita ao iospi.-ctor da thesouraria pro-
vincial. -Tnlcirado do comeado do officio que V.
S. me dirigi em 12 de abril ultimo sob n. 189,
tenho a dizer em resposta, que o contratante da
iir.pressu dos trahalhns das rcparlicoes provin
ciaes, Jmencio Anreliano da Cunha Cesar, nao
deve ser multado por haver excedido os prasos.
em q'ic 6 obrigado a dar impressos o relatono
dessa inspectora e o orcamento e balando dessa
tueaourara, alientas as rafias per elle apreseata-
ds fwreqiwtlfflento ubre qne versa a stia n>r-
maeio de 3 do crreme n. US.
X 504.Dita ao mesmo.Recommendo a V.S.
que em vista (Las inclu>as bodIIS documentadas,
ue me remetteu o ciiefe de polica com oflicio de
i do correlo sob n, 72, mande liquidar e pa-
Sir a ioaquin Jos Ferreira da Itocha Jnior a
espeza ierta dorante o mez de abffl ultimo, com
o sustrtito e dicta fornecidas aos presos pobres da
ca#* de deteac
N. 90S.Dita ao mesmo.Autoflso V. 8. nos
termos de saa nfuraiaco de 7 do corren te sob
o. 248, a maudar pagar ao ha rao do Livramento,
que assim o selieiti no reiiuetiment, que incluso
devolvo, a quantia de 9:885JJ0, por elle despeo
dkta na quaKdade de thesotireiro da commisso
enearregada da administracao das obras da igreja
matriz da freguezia de S. Jos desta cidade com a
coostruccio de taes obras e por conta da quota
de iO:O0V vetada pelo do art. 53 da lei do
owawwaao vigente*
N. Il0.-Dii
I.Diu ao ehefe da reparticao das obras
publicas.Para que posta esta presidencia provi-
denciar sobre a ata tena de que trata seajofflco
n. 150 d 16 de abril ultimo, preciso se faz que
pelMriaiqae
p
ga e ao qiwrtal do
? aaioOteia.
a'aeeoiav
N. aW^rTgaJari* a# l^spo dJocasaWr.*-ogo a
Y. Rxc. Rvak. e digne de dar t seo parecer
acerca, o qaeo. attauM de osWirt'e>l
Beato, pede ue mesmo reqaenmeM*' ras Vri
aaaaataahado da infortaa^a* do procurador fiscal
iajaija^a^alieeoiinhade-raarnda.
N. 508.Dita a cmara municipal do Recie.
CsmmuoftS) a cmara-municipal do Recife para
seu conhecjmento e Un? convenientes que, segun-
do consta do aviso do ministerio do imperio de 3
do correnle, foram approvados pela cmara dos
senliores dapntados para a 14" tegislalnra, as efel-
coes primanaa e secundarias do 1* districto eieito-
ral desta provincia com excepcao das primeiras
tas par^chias da Boa-Visla do coltecio desta capi-
tal e de Nossa Senhora da Luz do de Pao d'Alho,
cujas autben ticas at aquella data anda nao bavia
all eliegado
X. 509.Dita a cmara municipal da villa do
Pao d'Alho.Communico acamara municipal da
villa do Pao d'Alho para seu conheeimento e lins
convenientes, que segundo consta de avisa do
ministerio do imperio de 3 do corrente, foram
approvadas pela cmara dos senhores deputados
para a 14* legislatura, as eteicoes primarias c se-
cundarlas do 1" districto eletoral deta provincia,
eom excepcao das primarias das parochias da
Boa-Vista do collegio desta capital e de Nossa Se-
ahora da Luz do dessa villa, cujas autlienlieas
at aqtrefla data anda nao havia alli ehegado.
N. 510.Dita a cmara municipal de Carua-
n. Constando de aviso- db ministerio do imperio
de 5 do corrente, que a cmara dos senhores de-
putados approvou para a!4a legislatura aseleiedes
primarias e secundarias a que se procedeu as
parochias desse manieipio pertencente ao 4 dis-
tricto eletoral desta pri vinera, assm comunico !
cmara municipal de Caruar para seu conheei-
mento e lins convenierites.
N. 511.Igual a cmara municipal da villa do
Huique
N. 512.Dita a cmara municipal do Bom Gon-
selho.Constando de aviso do ministerio do impe-
rio de 5 do corrente, qne a cmara dos senhores
deputados approvou para a 14' legislatura as elei-
coes primarias e secundarias a que se procedeu
na parochia desse municipio pertencente ao 4"
districto eletoral desta provincia: assim o conj-
inuneo a cmara municipal do Bom-Consellio
para o seu conheeimento e lins convenientes.
N. 513Dita a cmara municipal de S. Ben-
to.Constando de aviso do ministerio do imperio
de 5 do correte, que a cmara dos senliores di-
putados anprovou para a 14" legislatura as elei-
goes primarias e secundaras a que se procedeu
na parochia desse municipio pertencente ao 4
districto eletoral desta provincia, assim o com-
munico a cmara municipal de S. Beuto para seu
coaheciraent) e lias convenientes.
N. 511.Dita a cmara municipal do Cabo
Constando'de aviso do ministerio do imperio de 3
do correnle, ter a cmara dos senhores deputados
approvadu para a dcima quarta legislatura, as
eleicoes primarias e secundarias do tereeiro dis-
tricto eletoral desta provincia, assim o communi-
co a cmara municipal da vla.do Cabo, para sea
conheeimento e lins convaajgues.
.V. 315.Dita a camac^^Kiiipal do Huidlo.
Communico a canfttt nra1af|aWno'*8on'.E
su cmiiccmentb e lln.-, conWnentes, qae segun-
do consta de aviso do ministerio do imperio de 3
do corrente, a cmara dos senliores deputados ap-
provou para a decima quarta legislatura as elei-
Qoes primarias e secundarias do quarto districto
eleitor.il desta provincia, e adi u a decisao relativa
aeleicao das parochias de Nossa Senhora da Con-
cao do Bonito e de S. Jos de Bezerros desse mu
nicipio, c a cujas autuenticas alli ainda nao ti-
nhaiii eliegado.
N. 316. Dita a cmara municipal de Garan-
nhuns.Communico acamara municipal de tiara-
nlmns, para seu cjcliecimeiito ctins convenientus,
que segundo consta do aviso do ministerio do im-
perio de 5 do corrente, a cmara dos senhores de-
putados approvou para a decima quarta legislatu-
ra as eleicoes primaras e secundarias do quarto
districto eletoral desta provincia, e adiou a deci-
sao relativa a ewjiaao da parochia desse municipio,
cujas authentieas all anda nao chegaram.
iN. 317.Dita a cmara municipal de azareth.
Communico a cmara municipal da cidade de
Nazarelli, que segundo consta de aviso do aiinisto-
ro do itnperio de 3 do corrente, foram approvados
pela cmara dos senhores deputados para a deci-
ma quarta legislatura, as eleicoes primarias e se-
cundarias do segundo districto eletoral desta pro-
vincia.
N. 518. Igual as cmaras municipae* de
Goyanna, Olinda, Limoeiro e Itamto.
N. 519.Dita a cmara municipal de Iguaras-
s.Constando de aviso do ministerio do imperio
de 3 do corrente, haver a cmara dos senliores de
potados approvado para a decima quarta legisla-
tura as eleigdes primarias e secundarias do segun-
do districto ele.iioral desta provincia, e teriniuado
que sejam eliminados da lista de oledores da fre
guezia de Iguarass. os cioadaos Jos Joaquim
Barbosa Joo Luiz Antonio da Silva, e reconhe-
ca-se como eleitor da diu freguezia o cidadao Joao
Soveriano Mendes de Azevedo ; assim o connnu-
nico a cmara municipal da villa de Iguarass,
para seu conheeimento e expedicao das convenien-
tes ordens.
N. 520. Deliberacao. O vicepresidente da
provincia attendendo ao que requereu o regedor
do Gymnasio provincial Dr. Joaquim Jos de Cam-
pos da Costa de Medciros e Albuquerque, resolve
conceder-lhe quiae das de lcenca sem venci-
meutos. '
N. 521. Dita.O vice-presidente da provincia,
attendendo ao que requereu a professora publica
da segn la cadeira da freguezia de Santo Antonio
de c tendo em vista a iuformaco do director geral
interino da iustruocdo publica de 10 do corrente
sob n. 1 3,resolve prologar por dous mezes, eom
ordenado somonte a licenca que Ihe foi concedida
por deliberacao de 6 de fevereiro ultimo, para tra-
tar de sua sade.
HXPEIKNTE ASSWNADO
Francisco Fwrora da Racha Lea.Informe a
Sr. Dr. chefe de poKeia.
Izidoro de Olinda Cajupelk).Informe o Sr. ins-
pector da thesoorarfa de ra5nda.
** arl Motfry e Jos Colho Hlrb*ia.In-
rorme a directoria do iheatro de Santa Isabel.
Joaquiat Antonio Pereira.Inorme o Sr. chefe
interino da reparlcao das obras publicas.
Joao Carlos de Souza Santiago.Entregoe-se
passando o supplicante recibo.
Joao Quintino Pereira.Conceda-se quioze das.
Jos Vicente de Arruda.Expega-se ordev pa-
ra o fim que requer, vindo oom a devida segu-
ranca.
Martiniana Francisca de Paula.Prve.quo tem
lilho no presidio, assim como as provas ile mora-
lidade que a supplicante tem em seu favor.
Maooel Rufino de Carvallio. Expeca-se ordem
para o supplicante vir com a devida wguraina.
Manoel Antonio do Aleantara.Diriia-so ao Sr.
PELO SR. DR. JOAQUIM COR-
REA DR ARAL'JO, SEP.RITAUO DO GOVBRNO, EM 18
DE MAIO DB 1869.
2" seccao.
N. |P. Officio ao Dr. chefe de polica. S.
Exc. o Sr. vicepresidente da provincia, manda de-
clarar a V. S. em resposta os seus oQlcios de 14*e
13 do corrente sob ns. 722 e 733, que expedio-se
ordem para seren pagos pela thesouraria provin-
cial a Joaquini Jos Ferreira da Rocha Jnior, a
quantia de dous contos quinhentos e dora no ve mil
quatrocenio e seis ris, e pela de fazenda a de
sessema e cinco rail ris, ao delegado do termo do
Limoeiro ou ao seu pracurador.
N. 0M>-Bltu ao delegado de polica do termo
de Ftoreeta.S. Exc. o Sr vice-presidente da pro-
vincia, mapdi declarara V. 8. em resposta aoseu
officio de ti de abril ultimo, qne a thejnrarla de
azenda tem ordem para pagar a quantia de trinta
mil re, comante do citado officio.
3* seceio.
N. Mi.^-OBleio ao inspector da theseoraria de
fazenda. S. Exc. o Sr. vicepresidente da pro-
viBCa, manda transmittlr a V. 8. as elnco Inclusa
brdeas, sedo tres do tribunHl do thteouro-nacio-
bal sob na. 57 a 59, e ditas do ministerio d guer-
ra, datada de 4 e 7 do corrente.
N. 523.r*a ao meMm> O Exm. Sr. vice-
oesembargador provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia em sessao da respectiva junta adminis-
trativa.
Vicente B*ruardo Ferreira.Informe o Sr. r.
chele ue polica,
Abaixo assignados moradores na travessa da
Ponte de Ucha.Informo o Sr. chefe interino da
reparticao das obras publicas.
Abaixo assignados propretarins e moradores da
ra do HOspioio no bairro da Boa Vista. Expe-
dio-se ordem para o calcatnento de qu tratara os
suplicantes.
Adolpho Cavalcanii de Olivara Maciel. Tendo
terminado no dia 31 de maio ultimo o p'raso mar-
cado para recebimento das propostas, nao pode
ser hoje recebido a que aprsenla o supplicante.
Padre Antonio Goncalvcs da Silva. Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Belarmino do Reg Barros.Prorogue-se o craso
por 18 din-:.
Bacharel Caclano Mara de Farias Naves.In-
forme o Sr. inspector d<> ar'onal de marinha.
Companhia Recife Drama-je Company Limited.
Junte prova authentica da sessSo que Ihe foi
leita.
Companhia dos trilitos urbanos do Recife a
Olinda.Inform com brevidade a cmara muni-
cipal da cidade de Oiinda.
Candido Emgdio Pereira Lobo. Volt'e ao Sr.
inspector da thesouraria provincial para informar.
Francisco Joao do Barros Dirija-se ao chefe da
reparticao das obras publicas.
Francolino de Souza Barros. Informe coronel
commandante superior da guarda nacional de
Olinda.
Felismina Maria da CooceieSo. Informe o Sr.
commandante da presidio de Fernando.
Helena Rosa de Jess.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincial.
IrmaiidaUo de .Nossa Senhora-do Rosarlo da fre-
guozia de Ssn( AntonioInforme o Sr. lo
rciro das loteras.
Joao Quintino Pereira.Informe o Sr. Dr. chefe
de polica.
Jos Cavalcanti de Albuquerque.Concdase a
licenca requerida por seis mezes, nos termos da
lei provincial n. .887 de 23 de junho do corrente
anno, combinada com a de n. 87 do 5 de junho
do 1868. J
Dr. Joaquim Francisco de Faria.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Joao Po da Fonccca. Informe o Sr. inspector
da thesouraria do fazenda, ouvindooda alfandega.
Joao Marinho Kalcao.Concedo 15 das.
Joao Ricardo da Silva.Concedo mais 20 dta.
Mara Amelia de Souza Campos.Informe o Sr.
general commandante das armas.
Manoel Clirisostonio Momo Negro.Informe o Sr.
tenento coronel commandante do corpo provisorio
de polica.
fwolo Veira da Silva.Informe o Sr. inspector
do arsenal de marinha.
Paes de Mello & C- Informe o Sr. tenante-co-
ronel commandante do enrp provisorio de polica.
Quiteri Maria da Conceiciio. Drja-se ao Sr.
inspector da ihesouraria provincial.
Comnaautlo das arma*.
ua'\i!Tel-of:xi.:iuldo commaxdo das armas de pf.u-
ambco, 29 de jlliio de 1869.
Ordem do dia n. 443.
O brigadero commandante das armas faz cons-
tar para os devidos effeUos :
1." Que a 29 do junho ultimo resignou o resto
da licenca com que se achava nesta provincia, e
embarcou nara a corte a 29 do mesmo nezo Sr.
capitn do 30 corpo de voluntarios da patria Fran-
cisco de Souza Ferreira Habello.
2. Que chegou da corle a 23 do mez prximo
passado, e apresentou-se neste quartel-general no
L- do corrente o Sr. lente em commisso do 1.
corpo de cacadores a cavallo Tlioraaz Augusto de
vasconcellos Coimbra, com tres mezes de lcenca
concedida por portara de 21 em virtude de ns-
peceo de saride por que passou em 9, tudo de
junho referido.
i 3'i?uJe a Presiaencia communicou era officio
ue 30 de jnnbo deste anuo, ter sido approvada
segundo constou de aviso da reparticao da guerra
19 do mesmo mi>7 a AattkiknSn ..^ #^,. a
Sr.flieateo agregado arma de infantatria Jba-
qium Aatomo de Mnraes.
10. ftue a presidencia aomeoa por deliberaeio
de 21 do corrente o Sr. capiti reformado Jos*
Ignac de Medeiros Reg iatro para servir
im^iaajirtente o higar de ajndante do director do
arsenaT de uerra.
Ouare siro, determina e mesmo bngadeiro rom
mndame das armas, que na manha do dia 2
vm*3oro se passe revista de mostra em seus res-
V**** quarteis a companhia de operarios mili-
tares do arsenal de guerra e depsitos existentes
nesta rovmoia pela ordem seguinte :
AA* noras a companhia de operarios, t 1/2
ao deposito especial de instruccao, s 7 ao dos re-
crutas. e s 7 1/ ao de presioneiros de guerra
paragaavos.
Aa%nado-yi./( jo$ Canev Fontes.
CoajJmeEmiliano Ernesto de Mello Tumbo-
rm, tenente ajudante do orden?
detalha.
t ----------
.ISA
encarrogado do
I Reparticao da polleia.
2.aaeccao. Secretaria da polica de Peraam-
huco, 30 de julho de 1869.
" fl.-Illin. e Exhi. Sr. Levo ao conheci-
mentade V. Exc. i|fl, segando consta das part-
cipacpki rect-Wdas n'esta nlaartieo foram non-
tom rajoiliidos a casa de deteaerw'os sexuiies in-
di vtdfflft:
ertem do subdelegado da Ba-Vista, Fran-
cisca ftrenca, por briga ; Jb5o BaritWa da Silva,
Jos macisco Harto, Augusto Kilhetm o D o-
usio_ierrcra llomein, como Indiciado em crime
de rojrtjo ; e Luciano, escravo do major Jos Can-
mito das .V -ves, a requerimento deste.
O uVhgado de polidia do ternio de18. Bento, por
lucio datado Ue 19 do corrente, eommunicou-me
que OiportuguoT Faustino Smes Ferreira, dirt-
gindo^-se de Qupap para S. Benedicto no dia 2ii
do mez passado, foi asrtssinatlo com di tiro, dado
de emboscad. Atlrilmindo-se a antora do'crime
a l.uciada de tal, qne conviva com o dito Faus-
tipo,jajptdelogttdo do districto da culpa depois
de preceder em continente a corpo de delicio deu
as^preeisas pr ividencas para ser deseoberta e
presa n referirla Lucinda, e re.ilisf.u a Captura do
individuo de neme Antonio Vez, por suspuitar-se
que tomara parte ao dito crime.
AccTescen'a oiiKsnw delegado,- que sendo, sol-
teiroo mencionado portuguez, o respectivo juiz
municipal liatn de fazer a ndispensavel arreca-
dacao do espolio para os lins conven-nles
Parljfipuu-iiie u delegado do Bonita, pur olcio
de 20 deste mesmo mez, que no da 29 de junho
prximo linio, no Inpar Rajado do Iodistricto da-
quelle termo, estaadn du.is raparigas menores
disputar, Manuel Joaquim, pai de umadestas o Ma-
nuel Francisco, pai de outra, compareceode no
lugar fla questao, travaiam urna lula entre si que
-altado fazer o pnmeir um feriincnto
gravaafo segnndn, e muro leve- aa pessa de'sna
irmaa, miilher deste, e ser o masmo BMMM Joa-
merectam u conro para deitar-se sobre a
de e cobrir-secoro a outra quando rhovia oa
na fro, poi, pea maior parte se achawm a
ponches expoatuaao sol achina. Todos esta;
aeorreniados, bbs eom ferros que pddlam. pe!
at uma arroba* eoolros com dous ou *e
inoes.
Alguns presos toram vistos sem grilhow,. m
isto foi em quanto trabalbavam em urna ferrara,
na oual nao ue faz outra cousa seno hbricar
gnihoes de dia e de aoata.
,OhaUhao n. 9 aaaapostode nns 300
nao fazia outro servieo senao guardar os
vignado cada posto eerto numero de preso que
pndesse fcilmente te-Ios sua vista.
Ao entrar no calabouco cada reo era lunaeio-
samente revistado, ti raudo- se-Ihe seu dinheir'e o
mais pequeo objecto que trazia, excepto o ves-
tuario qtle consen-ava al stta mOrte. 0 dinhero
e mais ohjectys erara recebidos pelo commaudan-
e a estado-mior.
T* cadveres dos frailados eram enterradorn^
como nasceram, menos as mSos irw. se cor!**!
pem punho, depeia de morios, por seren traido-
res. Dos vestuarios serviain-se os offlciaes e tro-
pa da partid., que havia fuzilado, dixando-setam-
D.-m ver com teda a sem vergonha vestidos dos-
sas mesinas roupas o major Aveiro, o capitao Ser-
rano e nlguna outros chufes e offlciaes liscaas. qne
se apropriavam igualmente dos cavados e dos
seus respectivos arreios. Ao aeelnar do sol eram
postea iodos os presos era- cepo de lac/i estirad
eiiiettllada, e aquella que nao poda caiiiinhar
mam,oqusuccedia (>uaodo. muito aioriaeutado
ou solirecarregado de cadeias, era arrastado petes
guardas ora um couro, para ser conduzido ao tl-
buDal.
0 trataiqento que se dava a todos era spero e
cruel : eram levados a empurroes violentos sem
a numor raanifestaeao exterior de corapaixao : sem
embargo, era perigoso manifestar compaixao pe-
los preso,*, por ser isto aos olhos de topea um
crime de complicidad.
A primetra palavr que diriga o preso, ebegap-
do ao ribntjal era senlior, um pouco d'agua
wnandaata Marr, coronel Rlvartfa) commao-
a Bogado, major Espinla (Manoe, major k*-
Sontiel""'"' lr,aiB 'cintos e e^mmaodarte,
A. vate e tantos de iulho rminio-se o printeiro
conselho de guerra em S. Fernando, ae qaal, por
ordem do marecha! Lopvz, assistio ura grande na-
mero &i chefes e ollfeiaes. devendo seren julea-
dc* mais de 38 preso, e assistiram tamben os
meoibros dos anbunaes com os seus aroeetsaa.
Cada um foi chamado por sua vez ao coaaalho
e interrogado sabr o motivo do sua prisa. ILaW
disseiam, inclwta os ajue tinham sido confesa*"
nos tpibimaes, qjie nada sabiam e q.n>, se tinham
dito adunia cauna, era por cansa dos acuites e
tormentos que seffreraro, e mni poneos responde-
rain que tinham oavtdo dber qae ?e iatentava fa-
zer uma-revoluco, mas nJo tomaram parte nella,
liersuailindo-se *]nelles desgracados eme por esse
modo podiaui saKar as snas vidas.
Os Sacaes viram-se ranito embaracado?. Levan-
tara m-ee o padre Maiz e o capitao Falcon a coa-
testar, porm o .rooselho, prevenido^aila retirar
imiiiMalamenlc o- preso. S o Dr. Roca insisti
em defender a sua Biaocenca o bateu completa-
mente ao padre Maz, e errtao foi paeciso sepra-
lo dos demnis reos, como se lez, e foram todos
viles sentenciados morte, confessos ou niio con-
fessos. O Dr. Roca foi outra vez posto, nessa mes-
ma uoits, ao tormento, e por isso logo mandn iH-
zer ao seu fiscal, que era o capitao ftllcon que de-
sejava faJIar-lbe o fezer una declanacao mais ve-
rdica e extensa. Foi cniao tirado do tormento, e
ao oolro dia fez una muito extensa derlararao.
pe.iindo perdan pete seu acto do dia passado, e di-
zendo que, por temor da morte, tinha-sf portado
tao nial no consrtho. Poneos dias depois foi taai-
bem fusilado.
Lope sabia ttnbr, porque, de instante em ins-
tante, sania do conselho um sen ajudante a levar-
me participacoes do menor incidente.
Desde eno o coiuelho romecim a proceder de
outra maneira de ordem de Lopz; rcunia-se em
ufares solitarios, e os liscaes apreseiiuivam urna
que se Ihe dava, e algumas""v:ezVs"o ph'uVdc Xn ^ti$Vg*T j,'fdo^ Prlen,en'es
caldo,.succediachegaraotribw,aJa hora emoue indSw m, 3 J T ,,s *'us nom e
,.<; nri.;.i .!..., '%,. ... ...i- -.mjJT.JL M'- ci aludas sobre ellcs, expressando se-
_ naasn .
quim assassmaao com um liro insparado pelo me-
nor Jos, lilho He seu cunhad i Manoel Francisco,
e com pauladas que Ihe foram dadas pela mnllier
deste.
Commiinica ainda o delegado que foram presos
Manoel Francisco, Tlieodora,, niiillier deste e sua
lilha Jo menor Jos, par se ter evamno. e bem assim que
o processo instaurad o contra os meamos se aeha
quas lindo.
Dus guarde a V. Exc. llm. e Exm. Sr. Dr.
Han I ao Nascimenlo Machado Pofl -!'a vice-pre-
sidente da provincia. 0 rtl 'fe de potitfa |inlerino,
Francisco d'Assis Oliceira Maciel.
os presos oomiam. "Nota va-se entao nelles Ana
visivol sntisfai*>, que w fazia proferir mil agra-
leeimevites. Eram msanaves e pediam agua a
tddos os momentos. Seu hlito era ftido como pro-
veniente de algum piitrefncca') ; tniliam o sem-
blante palllo e com signo-s mni mamfestos de
-peraco09 olhos hmidos e o entendimento
do to*> embotado ; solucavam conliniiainenle e
tvmiam a menof ameai-a qne-(lies driaiam os
tlseaeS.
Nos prmMrrts das o eastiao dos reos colSstia
em aenltes e no cepo de campauha, ambos icom
algnma ntoderaeao. Depois do soeeesso de ama^
do 16 de jalM em ffuroay. ordcBftft.tft ^
sassem ca-^pMtameiitc os dous castigos, injs foi
souiei le ;, tornarem com mais ritr-ir
Porni confessos ou nao.
19 do Ihesmo mez a deliber'acao'que toraeu
mesma presidencia nomeando o Sr. coronel ag-
pregado ao corpo de estado-maor de 2." classe
lygino Jos Colho para exercer interinamente o
lugar de director do arsenal de guerra desta pro-
vincia. '
1 Que a 7 deste mez conceden ao Sr. alferes
reformado Marcellino Jorge de Campos a dispensa
que pedio do nervico do deposito dos recrutas, e
inandou incluir no respectivo depasito de presio-
neiros de guerra paraguayos o alteres Ildefonso
Miaiva que chegou da corte no vapor Tocanlms
na mesma data.
mi* preaideate da provincia, manda transmitir a V. S.
conven en temen te despaehadey inclU9e requer
tnaotodocumeiltado **& l*MHi, d'Avila, a doe
le refere a sa informaoa* *% 'do correrte aeb
a.** ^^
--------^
- eurAiMos; a-A mm+mtvtmk Ke mi
DK WLW 01 Wlr
[Bacharel Vnmtowf- aMilho Soares ran-
aaataiawanf
Que apresenlaram-se neste quartel-general
a 8 do corrente os Srs. capitae, Jos Longuinho
rlt^t-U"'' ^ 8 bataln de oranlaria, Jos
lheodom.ro da Costa Monteiro e Antonio Jos de
trlitl ',nn,!;ari"sla,1 exercilo, e capello len-
le reformado Manoel Thomaz da Silva ; o l. com
3 mezes de licenca para tratamenlo de sua sade,
dovendo pagar a importancia de saa passagem da
?S Pa! etolIProT"> pela quinta parte do
sold, o 2. afim de aguardar decisao do eoverno
imperial e os dous ltimos com licenca para resi-
direm nesta provincia.
6. Que nao sendo mais precisos no arsenal de
guerra os servieos do Sr. capitao reformado Ma-
noel Alexandrino de Albuquerque Pilta, a presi-
dencia dispensou-o_a 9 do correnle da commisso
em que .se achava no mesmo arsenal, segundo
eomnruniebii em officio da mesOia dala.
7.* Que a 14 deste mez embarcaram para a
eorte no vapor Guar os Srs. tenente-eoronel do
estado mair de 2.' classe Alexaodre Augusto de
Fras Villar e alferes do 30 corpo de volnntarios
da patria Chrisphno Buarqe de Macedo.
8 Que por aniso do ministro da guerra de 30
de junho uliimo, transmitida por copiaxop offi-
tio da presidencia desta provmcla de 17 do cor-
d pret e offlciaes.reformados que ob'verem p>-
mlssao para residir as provincias, transferir r-
sidencia para a corte sem previa lcenca *> ver-
W> sepiWo comiminicon a presidencia em
doS* e foi declarado pelo Eira. Sr. conse,-
' Oa gms/ta em aviw de 0 '
Sr. eapitS
Drha ser 9nl|^^^H
prifa de1 WrtUdo"-d foro-
MKMOlilV 01-. \t.r,i;\s StJOCESSOiS OCCOWUDOS NO
KXEBCITO PAR VI'AVd PESDK O ACAMPAMEN-
TO KM S. FK'tm.\HM ATK 0 DK 1'tllVSVny N\
VILLETA.
0 quartel ireneral do m.areelial Lpez, no acaW-
pamento de S. Fernando, achava-se situado entre
duas espacosas e acoiadas pracas.
No extremo leste da calcada do sol da praca
posterior notavam se cinco quartos unidos e c-
benos de pnlha, construidos com alguma derencia
coinparatiranente as casas de acampamento.
Desde o ujez de abril do anuo do 1868 va-se
sabir d entrar nesta casa o presbytero evangelista,
liarrinl, arcadiago do senado ecclesiaslco do Pa-
raguay] Ramona liirusqiiiza, lernardo Artaza. es-
lrangt*o, duas senltoritas paragua^aa com appel-
lio deVlprreras, Mafia Antonia Deeoud e alguns
oulros vaYoes e mulheres, estas sob custodia e
aquelles sob custodia e agrilhoados. Achava-sc
lanibem Benigno Lpez debaixo'de nOmeTosaffuar-
da em um pequeo rancho de acampamento, e
Saturnino Bedoya, igualmente preso, ia e vnlia
para declaracoes i habilaco contigua ao grande
cercado do quartel general do coronel de cavalla-
ria Manoel Nunez (fuzilado depois com os mais)
Continua e diatinetamente se ouvam na piara
posterior do quartel general onde se aehavam os
presos o golpe brutal do acoite e os gritos lasti-
mosos do infeliz que soffria.
A e**a de cinco quartos aeima mencionada era
um tribunal onde se eserevia nressnntemonte dia
e noute, composto dos flsaaes presby teros Pial
Maiz e Justo Romn, e dos diconos Donato (ia-
marra o 5 Benltez, o primoiro escriv5de o segun-
do seu ajudante.
VisitaVaiii frequentemente a dita casa o major
iilvestre Aveiro e o capitao Germn Serrano, as-
.im como alguns aiudautes do marechai Lpez.
De 6 a 10 de julho urna descarga de espingar-
das deu-nos a c mhecer quo alguns individuas dei-
xavam d existir. Effoctiv.itnente,cincuenta e tan-
tos presos de urna numerosa partida que se acha-
vam eslendidos quasi em frente do quartel gane-
ral foram d una vez fuzilados.
De U_ a 14 do mesmo mez formaram-se mais
cinco tribunaes com a denominacao deCummis-
soes auxiliaresem conseqnenci de urna reqni-
sicao leita a Lpez pelos liscaes Maiz e Romn
vista da mullido de presos que se agglomeravam
nos calaboucos, o que obrigava os ditos tribunaes
a trabalharem sem deseangodia e noute.
O major Aveiro e o capitao Serrano de com-
mum accordo eocriam todos esees tribunaes, trans-
miitindo aos fiscaes as ordens para tudo e rece-
bendo suas consultas e participa$es do resultado
e fete as conferencias ou proeessos. Elles, assim
como o padre Maiz, se communicavam directa e
frequenlemente com o marechai Lpez.
Oij dous primeiros visitiivam com eropenho dia e
ooule os tribunaes e calaxmcos, observando se
Suas ordens eram ou nao cumpridas, e fazefido in-
terrogatorios ao reo tanto nos irbuuaes como as
arises. Alm delles, varios ajuuanles de Lpez
cruzavam sem cessaresses lagares. Ncnlmma ou-
tra pesada, a nao seren- Aveiro e Serrano, poda

al^'^L^i?L-'l50 P^61?.1?i as pracas .bltof cora'os presos-,, e-aobre sua causa somonte
podiam faae-fo como fiscaes. Alm do rolabenco
da frente do nuartebgeneral liavia outros dous, e
todos conaham numerosos preso*.
As mulheres esraawa ura pouco separadas, a
OI^WBoaB|HaiTo\r^^carrtas, ou a p com
rlhoes, ora a fcavafki dad* o porto at S. Fer-
qe distara pouco maLi ou menos legua e
seinpre q\it> sb accamulavara mutlos,' erajp
flo* pprgtupos. Feles oram os presos que.
n'lenta cruoldade. Eflfectivamente, a capilulacao
da malor parte das forras de Humavt sobrevrada
poneos das depois irritou e enfureceu de tal mo-
do a Lpez, que este acabou com os melhores e
mais fins servidores que tinha.
_ So se atufan naquelle acampamento desde en-
lan o tenido incessante dos grilhoes, o h >rrve|
golpe do acoite e os prantos dolorosos da humani-
dade martyrsada e vilipendiada.
No cepo de campauha. assentado o reo no chao
com as nemas encolhidas, tocando em trra as
plantas do pos, collocavam horismilalmente urna
espingarda debnixo das curvas das pernal, e pas-
sando os bracos por baixo da espingardas os nniam
pelos pulsos com um cordel, Arando assim cruza-
das as toaos sobre as barrigas das pernos. Para o
cepo do Urugnayana sentava-se o reo na mesma
posicao qne para o de eampanha, com a espingar-
da do mismo modo o manietado tambero, porm
iwr detr-; ; punham em soti hombros una, duas,
tres on quatro espingardas, segundo a m vonta-
de do fisca), e curvan.lo-o atavam as pspinganlas
de cira i com a do baixo por meio de cordeis que
tinham emanas ex-tremidades.
Esto tormento suffoca. e por isso os reos nao
podiam soffre I-i senao pun'os QjrnaWrs, sobreliido
M i 'ssoa era gurda. Apenas ehcgaVam os pre
feos ao acampameato, o major Aveiro dava, a cada
tribunal urna lista dos que elle devia chamar a de-
claracoes ; porm antes de seren co'nduzidos era
pri.....iro e precisamente interrogado cada preso
por Germn Serrano sobre a causa de sua priVi i,
e como nenlium a sabia, lio Ih'i cominunicava
dizendo-lbe que se negasse, deveria soffrer inuitns
acodes e tormentos de tal classe, explicando-lhe
e mostrando-lhe algum que honve-se por all no
tormentoque Fulano (algum amigo ou conhecido
do reo) o havia indgitado, eonfessando lisamente
seu proprio d-lirto, e qne se elle Bzesse do mesmo
modo sua conftsso, gozara de con. deracSes em
todo o sentido e poderia esperar clemencia ao go-
verno ; emfim, Serrano punha em jogo a mais
maligna astucia para conseguir seu proposito, e
se o reo nao se deixava engaar, afflrmando-lhe
sua innocencia, como geralmente succedia, era
alti mesmo atormentado e acuitado por Serrano,
li-ndo-se visto sempre maitos presos atormentados
iustamenle encarando-sc us aos outros nos cala-
boucos.
A respeito dos presos, nao se mova urna palha
sera ordem e disposicao de Aveiro e de Serrano,
os quaes sentiam certa satisfacao em mofar d'elles,
rindo-se e laxando de poltroes covardes os que ti-
nham chorado nos tormentos, e ordenando nos tri-
bunaes severidade eom eHcs.
Tambem tiveram a malignid;'.de de violentar al-
guinas mulheres .presa.-.
Havia ordem nos tribunaes de nao escrever-se
a deciaraeSo do reo, antes de achar-se confesso,
excepto quando se aovoximava um conselho de
guerra e entao se escrwy^ ora que elle negava,
ora que elle confessava ; porm tinha-se muito
cuidado em fazer constar no processo o indicio
que havia resultado contra o reo, e se nao exista,
punha-se por dados e indicios que resultara con-
tra elle, j
Conduzido o reo ao tribunal, prestava jura-
mento e era interrogado sobre a sua causa ; e,
apizar dos castigos e tormentos que j tinha sotfri-
do, ordinariamente nao sabia na Ja, at qne ca-
hiam Sobre elle nofos tormentos e aeoites ; e en-
trio se coraecava a formular urna causa de accnlo
com as referencias que so Ihe'communcava. e
ajudado, alm disso, pelos fiscaes que, seja por
nao querurein mais presenciar ou fazer exocular
actos tao inhumanos, seja por outros motivos que
ignoro, diziam ao rk\ quando este nao sabia ac-
coinTfWdsr s stia deelaracjlo ae plano imaginario
da revolucS : Ser assim ? deste ou daquelle
modo ? Sim, senhor : responda o reo, deeculpe-
me, pois tenho a cabera transtornada, ou outra
desculpa somelhante.
Os tribunaes tinham ordem de jamis deixar
apparecer as antoac^es ou proeessos as imlavras
soffnmentos ou tormentos -que varias yezes in
tentavam muitos dos reos fazer constar em saas
dantarapau.
Oa reos eram jatgados por um conselho de guer-
ra, d,ue se forraaya de sete chefes paraguaya, e
*> jual se dva todT a apparencia de legalidade ;
ddrem affl, cerno em tndo, nao imperava mais qae
ifonUde do marechaT Lpez, sendo esses mem-
ttros o conselho homens qoe apoaaa sabiam lr e
dserever, e smente faziam o. que o capitao hono-
rario Jos Falcon e o d cavallri Vicente Aba-
ros lhes diziam, como directores.
iJ>.i"iesi',en,e d***e'H era sempre o coro-
nel Toledo ; os damais variavam as reaes entre
eram, ou nao confessos.
todos eram condemnados a morte ej
guinlc fusilados. Em S. Formndonos ltimos fusi-
lamentos ainda loram compr, hendidos iihjWs p-
ragnavos e alguns cerreatinos sem-*rmtse qur
entrado nos tribunaes.
Na retirada de S. Ferand i para Vllela, foram
lanreadosjjHffos press daquelios que nao podiam
pajDHftar mais por i-nfeimos ou iwr canea* ; o
isto leve lugar, desde cerca de Siiiubiiiv, de or-
dem do luiiechal Lpez, o qual, nchnnilo-se mais
adlante, mandn mVr ao c uimaodante Hilario
Marco, por inleiuiclio de u ajudante, o alferes
y. Lopes, que apreesassea ua marcha, eamnbn-
,do tambera ilt noite, visto que rhegavam a!
encouracados, e que, quem nao podes.-u andar
mais, fosse lanceado. Tres grandes porr do pre-
sos marcharaia entao a pe, e pouco mais on me-
nos doze carretas de agrilhoados, todos sob aguar-
da do batalhiio n. 9.
Algons iropeiios, qneacompanliavam os iirpfius,
encontraram a um d'elles entenado vivo enBi
pantano com a cabera de fura, ao qual sem duvi-
da o commandante do batalhao n. 9, uiente Mura,
hnrorisado dessas atrocidades, nao qniz mandar
lancear e favorecido pela noite manaou enterrar
por aquello modo.
Este suecesso custou-lhc a demissiio do posto
de commandante.
Sabendo-se tamoem que no transito linham con-
versado os presos Simn Fidauza. Leite Pereira e
Gomesinho Bunitez, que iam juntos em nma car-
rea, e suspeitando. sem duvida, Aveiro que ver-
sara a coiiver-acao sobre assumplo h-t\o, feram
aquelles presds novamehte acodados e atormenta-
dos, ate que i.arinonisando snas declaracoes em
aignmas aeareaedes que bvernm, disserairi que
haviam fallado sobre a maneira de poder offerecer
mil oncas de ouro ao padre Maiz, allm de salvar-
lhes a vida.
Do raesmo modo, todos os presos, que eram
acareados, proa ravara e qneriam harmonisar
so.19 dedaracues, porque do contrario a cada
momento eram acodados e atormentados, c por
esas motivo, se se eonfessavam culpados, indigita-
vam todos os seis eoimecidos como sabedoras da
revolucao.
Quasi iodos os pr'esos soil'reram ao mesmo
lempo acones e totmentos ; |> irm, o obstante
isso, mudos tiveram a reWgaacM de antes mor-
rer que imputar a s e a ooiros consa alguma.
Para acodar um reo, o ostendiam no chao com
a bocea para baixo, agarravam-no pelos ps e
inaos, abaxavam-ihe a calca e no corpo despido
lliedavara com um acuite de vara e meia de
comiirido chamado no" paiz guareno Ca-
da pancada desse acoite rasgava a carne e fazia
saltar o sangne, e o reo na i poda gritar, por-
tille Ihe tapavatn a bocea com algum trapo ou
ponche.
Em algumas occasjdes, mu urgido pjlo fiscal
liara que se ContessaSsC culplo, o reo Ihe diza
m:i- eu n5o sei o (]ue devo dizer ; faca-me
Vmc. o favor de escrever o que Ihe agradar que
eu assignarei. '
Todos os reos que se eonfessavam culpados, ti-
nham tambem de declarar a quantia que haviam
recehido por conta da r>volucao, porque, lhes di-
za o fiscal nao pode Vine, comprometter-se em
um crime tao grande sem algum mteresse ; ea
maior parle delles confessava haver recebido dt-
uheiro do collector Paulo Goni
De sorte que. haviam centenas de aecnsaefies
contra este individuo o qual mais que todos solrea.
Foilo j nm cadver ensanguentado e hedion-
do, foi por ordem de Aveiro tratado era um pe-
queo rancho, com dorara, dando-se-lhe at ma-
pas.
Depois e algumas semanas achava-sc j ontra
vez em estado regular e coniecmi de novo a sof-
frer todos os rigores dos tormentos, at que por
lim chamado por Aveiro no dia em que foram fu-
silado:, o general Burgoez e outros, e fazendo-lhe
novas perguntss, elle responde:! que nao tinha
culpa qne confessar, e que so he llzesse o favor
qa fusila-I) como aos Ueste dia. considerandn-o
tambera culpado do mesmo delicio que elles, c foi
fusilado.
Todo o filo de Lpez neste sen modo de proce-
der era embargar osbens, e haveres dos fusilados,
como o fazia at com aquelles que niorriam sem
nada confessar, pujos papis embargou. A seguin-
te narracao servir para comprehender-se melhor
o que eram aquellas autoac
0 tenente cirurgiao Francisco Orlellado, pro-
cesado pelos liscaes da 3' commisso Silvestre
Cormona e Mauricio Benitez, foi cooduzilo por
ordem de Aveiro 2' commisso para ratificar
snas declaracoes, alguns das antes do combate
Je Tvahy em Santo Antonio, levando-se para alli,
portante, os respectivos autos.
AIH chegando, declarou o fiscal a Orlellado o
motivo de seu comparecimento.
Sesse momento levantou as maos para o eo,
dan o mil granas e dfceade que havia ja algomas
semanas que desejava vivamente fallar com Aval-
rp sobre Isso mesmo, teodo-o solicitado do com-
raandante da guarda. Leram-se-lhe as saas e-
aara^oas c aoareaooes qae tinha tido eom seus
irmaos Bernardo e Elias Ortellado, em que nao so
no reo ccaeeso da rnaoafUv
^ambera como leado con venc Jo e fea aaoi
raios cotfessoram ignal decto, aseado aaaa-
MUTILADO



2 (38. 30 OHJUl 3Q IE 0QA88A2 Diario d lVraambuco Sabbado 31 de Julho de 1869. TI 0(I3MUH VJX QWrW
,/
mo lempo citacdcs do Mineral Barrio e de ua es-
posa com quem havia mido.
Choran, uiarg;imcnle o disso que alguma cou-
sa fe Me havM representado deases successos como
fin un soaha, t que por esse motivo linlu pedido
vistar-se coi o utajor Aveiro,.que ora tuJo com-
pltamelo fal*, que so pel;t forca dos acoites c
tormentos hsm llrmado semelhautes declaraco
mas que urna vez que so Un- apreseulava oceai
de expurgar sua couscienwa, a aarovoltava
Tazer constar sua retractaba.
O fiscal Vi-ente Abalos eufureceu-se,
5.0U-0 proeurou persunli-lo exhortou-o ;
ni, porm, em ve. Diriflta-ae ento a d
te do oecorrido a major Aveiro e fez dar
acoites.
Perguulado notamente com mil astucias,
servon-se firme eiu sua P-lractacie, al que
do-se-llie cutres 5 acoites, eserewu-se ape
sua retractara, sendo poneos dias desos
lado.
Fazia-se tambem escrever lias dclarac3cs de
alguns ros que exponlaneamenle e so para satis-
sarao dajustica, compareciam nos tribunaes; po-
rtn, em ludo isso nao houve seno eoaceao
torturas.
A desgraca de meu paiz o a sustentculo da mais
monstruosa lyrannia em seu seio, tem sido devi-
das ao (acto de encontrar Lpez nao so servidores
fiis, mas tan-hem servidor s que, preslando-se,
inventa van mais do que este, os mcios de aterrar
o povo, fazendo crer a essa massa ignorante que
a declara cao era um de ver ; porm, mais torri-
veis eram aquellos homens como Aveiro e Serra-
no, qee por sua inlelligenem clara, eram astutos
e mu temiveis, sobresabindo a estes o geaeral
Kesftttw, hoinem que raras vezes se ria, tratando
sempre aos que se Ihe appi'oximavam, com a mais
brutal e picante aspereza, nao respirando seno
fuzHamentos e acoites, que olerecia a todos e
era d atroz verdugo de quasi lodos os ptisio-
neiru.
Sendo escrivao dn segunda commissao auxiliar
desde i i do julho de 4868, ti ve occasio de pre-
senciar com ineus oltios a mor parte dos sucres-
sos relatados, e aquelies que nao presencie!, os
eaube pelos mesmos fiseaes em conversa, por al-
fUns individuos do batallio n. 9 e pela leitura de
varios pracesos que eu ao bavia escripto.Btr-
irrito Valiente.
Nota.Li nos peridicos um diario dos nomes
des fuzilados e as datas dos fuzilamentos. E' elle
unja verdade pura, porm, faltam-lbe os ltimos
fuzilamentos que tiv ram lugar em 21 dezembro,
algnns dos primeiroe ; esse diario era (lto no
Xartel do commandairte Marc, onde tive occasio
v-lo.
A ordem e os empregados dos 5 tribunaes com a
d-'uominacao deCommissGes auxiliaresera a
eguiate:
1 commissao, fi Silvestre Carmona e eapitao honorario Chrysosto-
ino Centurin ; escrivao, alfares do corpo de ca-
i-abineiros N. Balmareda.
2.* commissao, fiseaes : eapitao de artilhara
Adolpho Saguier e capitao de eavallara Juan An
(onio, direclor e redactor do pmcesso, capitn de
eavallaria Vrente Abalos, escrivao, alferes do in-
fantaria Bernardo Valieute.
3.* commissao, fiseaes : eapitao honorario An-
drs Mariel, e tcnente honorario Mauricio Beni-
tez : e escrivio, alferes de allantara N. Tala-
vera.
4.* commissao, fiseaes : eapitao de eavallaria
Mathias Garbur, du ector e redactor do processo,
zenente honorario N. Valle ; escrivao, sargento de
artilhara Lema.Valiente.
PEMAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
GUARDA NACIONAL.Nao se arhando defini
tivaipeote organisado o batalho n. 48 de infanta-
ria do municipio deCabrob, a presidencia da pro-
vinria7por deTtbwacao de 27do corrente, de con-
formidadecom a pmposta di rommandante supe
rior respectivo, resol veu nomear ".
Estado-maior.Tenente cirurgiao Loutenco Por
Deus Guimares, tenente quartel-mestre Zeferina
Goncalves Torres, alferes secretario Desiderio Al-
ves (ios liis, e alferes porta-estandarte Ccsario
Barbo-a d;t S.
s^iSMaaanhia.-HCapilo Jo* Snaros de Mello
AveHtns, tenente francisco Moro dos Santos, al-
feres Fortunato Francisco dos Santos.
2' companhia.--Tenente Washington Ildefonso
do Novaes Caluin f, alferes Antonio Urbano dos
Santos e Alexancre Goncalves Torres e S.
3* companhia.4-Tenente Alexandre Gomes de
S Jiioior, alfere* Apngio Gomes de S Batinga e
.M|<' Avelinn ,1-, S.
Wrompaiiha f-Tenente Joan Qnintino dos San-
tos, alferes David Gomes de S Correa.
f* rompanhia.Tenente Joan Francisco de Gnu-
vea Ferraz, alferes Man >el Severiano de Gouvea
Xima o Joo Severiano de Lima Granja.
6* companhia.Capitao Antonio Ferreira Lus-
tosa, tenente Bi-nedirtn Leite llabello, alferes Jos
Franeisro Coelho e Curbiniano Alves de Jess
DELEGACIAS LITTER ARIAS Sb proposta da
directora geral da instrucrao publica, foi dividida
a delegara luterana do Brejo da Madre Deus, por
deliberarn da pre>idenra da provincia, de 28 do
correntej em qnatro distrir.tos, comprehendendo o
Io as quatro radeiras da respectiva villa, o 2 a da
povoa^n do Capim, o 3" as dns pnvoados de Man-
dasia, Santa Cruz e Poco Fundo, e o 4o a do de
Santo Antonio de Jac.
Foram nomeados deleitados litterarios, por
deliberaeo da mesma data : do 2 disiricto. Clan
dio Ladislao Cordeiro Mergnlhao ; do 3", Manuel
Claudio Bezerra de Menezes ; do 4*. Manoel Cesar
de Andrade.
FALLEaMENTO. Den hontem alma ao Crea-
dor o alumno da Facilidad de Dimito, doSanno,
Jo< Elias da Rosa Calheiros, natural das Ala-
toas.
FESTIVIDADES RELIGIOSAS.Amanhaa ser
festeja-ia aSenhor.i Sant'Anna :
Na Ordem Terceira do Carmo, pelos novicos, d(>s
Suaes padroeira, orando ao Evangelho o prega-
or imperial Fr. Joaquim do Espirito-Santo, e a"
Tt-Deim o Rvm. Antnniode Mello e Alhuqnerqne.
No convento de S. Francisco, pela irmandade ahi
erecta, orando ao Evangelho o Rvm. Antonio de
Mello e Alhuquerque, e ai Te- De um o Rvm pre-
gador imperial Fr. Joaquim do Espirito-Santo.
ASSASSINATO.No dia 26 do passado, foi as-
sassinado o portuguez Faustino SiindVs Ferreira.
quando ia em viagem de Qnipnp para S. Rene-
dicto, no termo de S. Bento, com um tiro dado de
emboscada ; attribuindo se a autora do crime
Lucinda de tal, que com elle vivia. Como cmpli-
ce foi preso Antonio Val
FERIMENTOS E ASSASSINATO.No lugar Ra-
jado, do 1 districto do termo do Bonito, no dia 29
do passado, estando dtias meninas a disputar, Ma-
noel Francisco e Manoel Joaquim, pais deltas, eum-
par-cendo ao lugar, travaram urna lula entre si,
qne den em resultado fazer o segundo um fer-
menio grave no primeiro, e um leve em sua ir-
ma, mulher deste, c ser o mesmo Manoel Joaquim
assassinado por um tiro dado pelo filho de Manoel
Francisco, de nome Jos. A pnliria local captu-
rou Manoel Francisco, sua mulher e soa filna
deixaudo de fazer outro tanto sen filho Joe, por
se haver evadido.
IGREJA DO BOM FIM, EM OLINDA. Aps
Suasi cinco mezes que S. Exc. Rvm. o Sr. bispo
iuresano declarou interdicta igreia do Sr. do
Dom Fim da cidade de Olinda, foi ella restituida
ao culto no dia 28 do crranle, por deliberaeo
do mesmo Exm. e Rvm. Sr., e esforcos do digno
zeloso capelln des*a igreja, o Rvm. Sr. Manoel
Joa Gomes. Praza a Deus que oovos abusos se
nao decm, que movam S. Exc. Rvm. a empregar
outra vez semrlhaute pena.
SEMINARIO DE OLINDA. O Rvm. Sr. reitor
acaba de receber, para as obras lo estahcleri-
tnento 170iOOO : r-, producto d'uma subscripen
agenciada na sua freguezia, pelo Rvm. parodio de
S. Bento, padre Antonio Alves de Carvalho; S0|
la Exma. Sra. D. Maria Jos da Fonceca, da villa
da Escada; e 20 le um Rvm. bemfeitnr.
O NOVO SYSTEMA DE PESOS E MEDIDAS.
Job esse titulo acaba de ser publicado, e acba-se
venda nosta cidade, um opsculo eontendo, ex-
g>! irado a o alcance de todos, o novo systema m-
trico decimal. E' urna obra til e indispenaavel
ao eomnwrcio, e as aulas de inslrucco primaria.
Aecommendamo-lo ao publico.
CONDBCORACAO ESTRANGEIRA.-O Sr. 2
fcnente honorario Joo Franci.-cn Pardemas, prati
o- mor das barras e porto de Pernamboc, acabe
eze, cota a medaiha de honra, %* clatse, pelos
siT vicos prestados oeste porto a (alera franeaxa
AUce.
DEaARACO NECKSSARIA.-atmfaiando ao
ue dos pede o Sr. Thomaz Bassic, do pevoado dos
ates, dctraoM3 quo vfc foi ell quera dos m-
f-irmou,daexistaaci|i d'attC a(W*|rticular na
ffegueaa de'Affc-miaylEn previa autorisae>
da auU)rdadoom|etenlo.
RA l'A LINGISTA.Moradores desta ra
pedem-ns que chamemos a alienco ao q*em
compete, para os escndalos e iinuiuralidades que
pcauea alguum d'uma para outra casa.-
ANNIVRSARK).CompleU hefe 37 annos S.
M. a luiperatriz viuva* '-rm W9T ]ti
TELGRAPHO ELCTRICO.Na cmara da \
pillados fi apn>seata -ao de 20 do cmalo :
Tai presente commissao do obras puUlieas
presentarn, em que a comotiasn incam-
n Assaciaca eomnaercial Beneficente de
meo, de | a telegraidMea entre a capital d imaerio
provincia, ..aolirrta desta cmara acon-
esse imp.irlaate mclhorainenfci; viste aae
licitado do governo imperial aulorisac.o
a-lo a efleito por mei i de urna companhia
ano. i, fui a sua peticao desattendida.
a commissao de obras publicas, apreciando os
fundamentos em qne assenta urna Ul pietencao, e
hiuvando os esforees com que a Associacao Com-
mercial Benellcente de Pernamboco procara rea-
lisar urna lio imprtante empreza, que grande e
proficua transforauco devera trazer ao comraer-
cio e industria maetonaes, nao pode deixar de
acoinpanUa-ta em suas aspiracoes e votos para
que no mais curto espaco possivel pussa a impor-
tante parte do imperio, a que se destina servir a
linha solicitada, gozar das grandes vantagens-da
communicaco por meio da telegraphia elctrica,
vantagens que nao precisam ser encarecidas, quer
sob o ponto de vista commercial, quer seh o poli-
tico.
Entende, porm, a commissao de obras publi-
cas, que estando o governo autorizado peta lei n.
'719 de 28 de setembro de 18S3 a contratar o esta-
belerimento da mencionada linha, a elle abe to-
mar a esse respeito a devida resolucao, a qnal,
Hionfia a comiHisse, nao deixar de ser ne sentido
de satisfazer aos valiosos interesses que se ligam a
essa questo, pelo que de parecer que ae mesnm
governo seja remedida a mencionada represen-
laro, para que seja tomada na merecida eonsi
deracaa
Sala das eommissocs, 20 de julho de 1669.
F. R. de Mello Reg.Diunysio Martint.
TRILHOS URBANOS DE OLlSDA.Termina
hoj de dez por cento, sobre o capital subscripto para
esta empreza.
ASSOCIAQO COMMERCIAL BENEFICENTE.
Segunda-eira devem reunir-se os associados,%n
asseinbla geral, para ouvirem ajeitura do relato-
rio annuo, o procederem eleicao da nova direc-
loria.
THEATRO DE SANTA ISABELA rompanhia
dramtica >b a direrrn do Sr. De Giovani, d
hoje neste theatro um espectculo variado. So-
liem arena as comedias Primo da California,
TribulaqSo e Ventura, Os Zuavos, e o duelo Pa-
tulla do Feitifo.
COMPANHIA PERNAMBUCA>A.Esta compa-
nhia manda capital da Parahyba, no dia 3. do
crrante (terca-feira), o seu vapor Parahyba, ex
pressam-nie para conduzr s pessoas aue deseja-
rem assislir festividade de Nossa Senhora das
Nevea^ que all deve ser celebrada no domingo 8.
A passagem de ida e volta de cada pessoa
aojan;
NCLEO PHILOSOPHICO L1TTERARI0.Reu-
ne-se amanhaa esta sociedade em sesso ordinaria
em sua nova sede, roa dos Martyrios n. 2, !
andar. Contina a discussao adiada da seguinte
these : Foi Colombo que primeiro aportou as pla-
gas d'America, ou houve quem antes delle as visi-
lasse ?
TRAESPORTE DE GUERRA PORTUGUEZ.
Tendo sido procurados na qtvnta-feira por um i
pessoa conhecida para darmos na Revista de non
lem una noticia sobre um juntar offerecuo pelo
Sr. Joo do Reg Lima Jnior officialidade do
transporte Martinho de Mello, accedemos de bom
erado, visto que se tralava de palomear um acto
digno de louvor ; hontem, porm, firm-is sor-
prendidos, sabendo do proprio Sr. Lima ser falso
semelhante facto, e por isso. pateateando esse pro-
ce-linento so digno de um misera ve!, damos espa
c.) seguinte explH>iv(f&o do mesmo Sr. Lima :
i_Srz. redactores, da Reritla Diaria.Em o
n. fn do sejl cjiucsiluajo Mario, de_30 do mez
que hoje finda.ab o tituloTramporUde guerra
poriiiguez, acha-sc inserida a noticia de um lauto
banquete, por mim offerecido distincta olficiali
dade do transporte de guerra portuguez Martinka
de Mello.
Nao sendo exacta essa noticia, pois que tal
facto nao se deu, lgico que essa publicar')
mira um alvo muito outro que nao aquelle, quo
parece querer attingir. Comprehendo, o compre
hendo perfeitatuente, o alcance moral daquella
publicagao ; mas, nao por amor dos escriptores
dVila, uja oceulta intengo de envolta com elles
proprios est to baixo que nem vale pena refu-
ta la ; massim em altencao aos Ilustres senhores,
quem se refere essa noticia, que venho franca e
desassombradamenle repellir o elogio, que, nn
sendo merecido, torna-se offensivo, e como tal o
repilo. E' certo que sou obsequiado pela amisado
Jes-a nobre offJciilidade ; mas, pequeo como
sou, e conseguinteineente nsnfkieute para mani-
festar meus sentimentos por arto de tanta oxprrs-
sao, jamis consentirei >|ue, abusando-se cobarde-
mente da inijirensa, de-se-me a paternidade de um
facto que nao exist, e que. quando assiin fosse,
nao permiltiria nunca que arrastassem em pasto
as ca/ilas sociaes o mais insignificante de meus
actos ntimos.
Com a publicar/to destas linhas, mui grato Ihe
ficar o seu criado obrigadoJoo do Reg Lima
Jnior. t
LOTERA.A que se acha a venda a 116.a, xt
Deneficio da Santa Casa de Misericordia que corre
no dia 4.
PASSAGEIROS.-O vapor brasilsiro Tocantins
sabido para os portos do sul conduzio os se-
guidles ;
Dr. Jos da Costa Carvalho Guiraares, Julio
Pedro da Silva, Manoel Ferreira Lima sua, senho-
ra 3 filhos menores e 3 criados, Joo de S. Caval-
ranle de Albuquerque, Dr. Benedicto Raymund
da Silva e sua senhora, Antonio Mrtins Alves,
Jos Antonio Hennqiies, Francisco Jos Alves de
Albuquerque, Jos de B., A. Joa inim da Silva,
Joo Sodre, recrutas Manoel Joaquim de Sant'An-
na e Antonio Francisco Coelho da Silva, Miguel E,
Delpbim Ignacio Alves, Antonio Jos de, D. Sabugo,
F. Antonio do Patrocinio Araujo e i creado, A.
Freitas de Barros, Gustavo de Oliveira Burgos,
Miguel Marques Nogueira, Caetano M. da Rasa,
Jos Mendes da Silva, Francisco Marciano Goncal-
ves, A. F. Monteiro, Luiza Mana da Conceican, 9
recrutas para o oxercito, A Dray, 7 escravos a
entregar.
CEMITERIO PUBLICO.-Obituario do dia 26 de
julho de 1869.
Dr. Joo Ferreira da Silva, Pernamboco, 84 an-
nos, casado, Santo Antonio ; ery-4pela.
Guilhermina, Pernambueo, 30 dias, Santo Anto-
nio ; tosse convulsa
J'ivino, Pernambueo, 4 mezes, Santo Antonio
gaslrg-intente.
Raymnndo, Cear, 22 annos, Recife ; molestia
Interior.
Cecilio, Pernambueo, C mezes, Boa-vista ; coi
vulscVs.
Anna Flora de Miranda, Pernambueo, 27 annos,
solteira, S. Jos ; phtysiea.
29
Mara, Pernambueo, 24 anuos, solteira. Boa-vis-
ta ; clica.
Luzia, Pernambueo, 30 annos, Santo Antonio ;
neritonite.
Estevo, frica, 70 annos, solteiro, Boa-vista;
interite ehrunico.
Joo Lniz de Basto Jnior, Pernambueo, 30 an-
nos, casado, S. Jos ; bronebite.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Consulta
Pedro, subdito Hespanhot, morreu do
Brazil. sera (leixur herdeiros conhecidos.
D. Mara que se diz Mae delle, e rcsi-
dent-. em Hespanba mandou procuradores
para receber a berauca, os quaes, em vez
de exhibirem habilitacSo judicial, em que
se prove ter aquella qualidade de Mili do
tinado e sua nica herdeira, apresentam
apenas certidao de bapsmo do fallecido, e
oulros documentos, donde apenas se pode
ikpreiender ser a dita sua constituinte
M3i do finado.
PERGUNTA-SE :
Pdera ues procoredores receber a heran^a
tem kabilit(Ko jtocial, precedida* de
annuncius
PARECER
Si pelo art. 10 (penltima parte) da'Con-
veavao Consular entre o Brazil, e a H&-
panlra (1)crotn. 3134 de 31 de jalho de
1863)o Cnsul de qitnlyitr clesses. Esta-
dios s'podfazer nureyi da heranca ja-
tente fisto,:san Uerdiiros presente*, e
aliis, seta teslatnenteiroa ou representan-
tes do (irado) ms lefitnint herdmo* ou
aasstns procuradoresbab, que dever-
se-ha iierantt; o ni -sino Cnsul provar cssas
quali-lades de legitimas kerfeiros, ou de
seus procuradores pelos meios ijudiciaes
competentes, e regalares, cvjh na pri--
meira bt-pothese a exhibido de urna ha-
bilitacao original, procedida peranteos Tri-
bunaes do paiz de fallecido, onde nicamente
se pdero verificar taes circtamslancias, nio
s, inedianteain|)la -discussao entre os pre-
tensos interesados, os ausentes, e a Fazenda
Nacional, aqual successoraem ultimo lagar
(quando nao ha herdeiros alguns, e a quem
se devolvem as herancas vagas por forca da
Ord. liv. i tit. 90 ^ i") ptos seus Cara-
dores, Agentes Fiseaes, etc., seno tam-
bera, depois de rigorosas prbva>, e de jul-
j-amenlo irrelractavel, ou com effeit de
cousa julgada, e em ultitaa instancia; o
que expressamente disposto no art. 35
do Regulamento n. 160 de 9 de maio de
1842, no art- 9 do llegulanenio a. 422 de
27 dejunho de 1815, e nos arts. 7 e 48
do Regulamento n. 2i33 de 15 de junao de
1859; e tambem constitue doutnna cr-
renle em jurisprudencia, e legislacao uni-
versal.
Do mesmo modo, na segunda hypothese,
s se deve entregar a heranca avista de
procuracio bastante desses herdeiros ja
assim reeonbecidos, e alijados legitimas.
nos termos- bem positivos dos arts. t, 2
e 3 das Instrucces n. 82 de 30 de marco
de 1849.
S a habilitaco tem a forca jurdica para
verificar a circurnstancia de ser -hbil- a
pessoa, de que se trata, ou para comprovar
as qualidades necessarias. a capacidade,
o direito e/fectico de successao universal
heranca do predefuncto L. 24 Dig de
petit hrered, L. 62 D de regulis juris, por
quinto esse estado de outro modo nao se
pode presumir, nem reconhecer cabalmente.
Emtim, a habilitaco o nico meio com
ptente, e regular em taes casos, como in-
sinaPerera e SouzaProcciv Not762,
1,011; dev-mdo ser por artigos, com
declaraco indeclitiacel do numero dos her-
deiros habilitando*. Corra TellesDou-
trina das Accoes% 122, Repert Ord
tom 1 paR, 235 nula 6, e a Oi-d liv1
tit62 | 38 ; com documentos originas e
aittltenticos, saino no cazo de verdadeira
impossibilidade de ?uaappresentac vara de 9 de Agosto de 17595Re-
soIuqIo de 29 de Swtembro de 1760; sendo
que sem essa habilitaco assim solemne, e es
pecial, nao se entrega a heranca jacente aos
respectivos herdeiros, ou aos seus pro-
curadores, isto estes tendo pode-
res especiaes, comodeclnraram trmin int-
rnente os AvisosN.53 de 15de Feve-
reirode 1858, eN116de 7 de Abril
dessa anno.
E nem mesmo pode supprir-se com ha-
bilitadlo, ou coofissSo eita em outra causa
citPerejra, e SouzaNot762, Maules
a Castro Part 1lio 3 Cap 21 n. 3 etc.,
etc.
Qiando-no ooiiieco deste parecer disse
que essa era a doulrina de jurisprudencia,
e legislacao universalfoi baseando-me, em
que assim tambenbdispe os art. 865, e
886 do Cod Civil fMIespanha, o os art.
372, 373 e 374 da Lei do respectivo Pro-
cesso Civil, que a elles se referem; os art.
361, e 409 da Novissima Reforma Judicial
de Portugal; os art812, e 813 do Cod
Civil da Franca, o art 1172 do da Hol-
landa etc., mutatis mutandis.
Entretanto, nao posso deixar de decla-
rar, que embora por aquella, e outras
Convences Consulares com o Brasil devam
ser afiual devolvidas taes herancas jacentes
ao Fisco da Nacjo do finado, nao se deve des-
conhecer, que esse accordo vai raanilesta-
raente de encontr ao alto principio de so-
berana territorial (alm de oulros de Di-
reito Vati\\co)quidquid est in territorio,
estetiam in territorio ,isto as Sa-
edesteem d minio eminente no seu territorio,
umaespeciedejus ai remsobre tudo
quanto nelle se acha sem possuidor, sobe
os bens vagos ou sem herdeiros a reclamar,
como dispe a Ord liv 1 tit 90 1; q que
ainda mais notavol, ou sensivel para a Bra-
sil, onde habita maior numero de eslrangei
ros, que assim podero fallecer, do que
Brasileiros em taes circumstancias fi*a do
Imperio.
Mas, como altas conveniencias polticas
assim aoonselharam ao Coverno Imperial,
por occasio de tae- ConvencOes Consula-
res, e estas hoje constituem Legislado patria,
cumpre apenas reepeita-lai e observa -as
(Legem habemusTollitur questio); anta
do que expnno-nos a algum bombardea-
mento ca qualquer dos nossos portos por
outro twoo cheje de Esquadra Pangas,
cofiw a mesma Hespanha praticou inespera-
damente no Chileem 1866.
Tal a minha fraca opinio, que submetto
apreciaco dos doutos.
Recife 23 de Julho de 1869. Dr. Antcnio
de Vasconcellos Menezes de Drummond.
no da oIBcina de mannore sita a rus da Impera-
triz n. 21, previne aos devedores da mesma, que
somante serio attendida< as dividas a elle pagas,-e
prntesla contra o pagamento fe i la a outra pessoa.
que o Sr. l>r. Pilanga nao quii desiguar indi vi-
dual meato, mas que se sabe quarer a mim refe-
rir se. .
O Sr. Dr. Pilanga nao dono da dita oficina
de mariaore, ella sempro lae perteaaeu at o da
em que o admitli, como socio, accumulaafo en as
funceees de administrador.
Faiumonto esse negocio j se acha em juizo, ao
qual o lesou o meu contendor. Ahi -lavemos de
discali r o nosso direito; aguardemos a d.-cisao
dos tribunaaa, perante quena oflereeerei as provas
e s valiosa d-jcuraentes, em que firmo minha
defeta.
Li nito-aa a estas ligeiras consideracoes, como
protesto, e aaacluo diieado que julao-me com di-
reito a receber as dividas da casa, como por mo-
tas vezes o tenho eito.
Heciro, 30 de julho de 1862. r
Frtiederico Sline.
A viuva e lillios do l)r. Joo Ferreira da Silva
agradecem extremamente a todas as pessoas, que
dorante a rpida e gravissima molestia, que levou
sepultura seu mui prezado esooso e pai, presta-
ram-lhe todos os divellos, principalmente a seus
distinctos collegas, os lllins. Srs. Dr*. Alexandre de
Souza Perwra do Carmo, Joaquim de Aquino Fon-
seca, Francisco Jos Cyrillo Lial, Francisco Piren
fachado .-'ortella, Joo Baptista Casanova e Jos
Joaquim de Moraes Siirmento, os quaes em ver^
d ide ^mpregaram os maiores esforoos posaiveis
para salva-lo, e ao mermo lempo motraram- seus dedicados amigos, bem como, aos Illms. Srs.
Joaquim de Almeitla Pinto e Dr. Bartholomeu Tor-
qualo de S-iUza e Silva, desembargador Francisco
D-imingues da Silva, Drs. Manuel Jo- da SHva
N.-ivas e Antonio de Vasconcellos Menezes de
Drumroond, reverendos Srs. religiosos capnchi
nhos e padre mestre Lino do Monte Carmelln, que
assistiram aos seus ltimos momentos de vida com
admiravel piedade evanglica.
Outro sim, a mesma viuva e seus fllhoe, teste-
munham o seu mais profundo reconhecimeat a
todos os oenhores que derama subida prova de
amizade, e praticaram o verdadeiro acto da ciriria-
de, assi e sempre chorado esposo e pai, se fiaeram na
igrej de N. S da Penha, e dahi acompanbado o
non fr>retro ao camlterio nublico._______
Atten^*
Proteato contra o annnncio que o Sr. Df. Pr-
xedes Gomes Souza Plfana, Ita pnhhear hon-
tem no Jornal do nife, no qnal iaculcando-so do-
O Dr. Jo5o Jos Pinto Jnior, tendo de
seguir para a Europa no primeiro paquete
e.no pudendo despedir-se pessolamenle de
todas as pessoas que o honrara cora as suas
rela^es, o faz pelo presente, offerecendo-
ihei all os seus diminutos prestimos.
Trilhos Urbanos para
Jaboatao.
Lista dos subscriptores de ac-
edes para a foraaaelo de uina
coaapaailila.
(Continnaco)
.V. de accoes. Importanc.
Antonio de Souza Guerra 5 1:000*000
Jos Antonio de Almeida Cunha S 1:000*000
Antonio Jos da Cunha Jnior 5 1:000*UOO
Luiz Manuel Rodrigues Valente 8 1:000*000
Manoel Pedro de Noronha 5 l:000O00
Francisco do Reg Baptista lo 3:000*000
Dr. Francisco G. de Moraes $ 1:000*000
Dr. Manoel T. de B. Corte-Real 5 1:000*000
Bernardo de C. C. Monteiro 10 2:000*060
Thomaz Fernandos da Cunha 10 2:090*000
Jos Lucio M. da Franca Filho 5 1:000*000
Dr. Manoel de Figueira Faria S 1:000*000
Alexandre dos Santos Barros 5 1:000*000
Manuel da Cunha W. Lins 25 5:000*01)0
Miguel Jos da Ota 5 1:000*000
Bernardmo Jos da Silva Maia 25 5:000*000
Francisco Jo- Goncalves da Silva 5 1:000*000
A bino da Silva Leal 8 1:000*000
Joao Flor -ntino C. de A. Jnior 10 2:000*000
D. Antonia Florentina C. de A. 3 600*000
Jos Antonio Pinto 0 2:000*000
Manoel Jos de Souza 10 2:000*000
Venancio Augusto de M. Neiva 2 400*000
Manoel Rolamberg Dantas 5 1:000*000
Acyndino Vicente de MagalhScs 2 400*000
Ignacio Luiz de Brit Taborda 0 10:000*000
Salustiano A. P. de Souza Peres 5 1:000*000
Padre Leonardo fro Grego 10 2:000*000
Miguel Bernardo Quinteiro 5 1:000*000
Vicente Alves Machado 5 1:000*000
Antonio Domingos Pinto 30 6:000*000
Antonio Joaquim de Vasconcellos 5 1:000*000
Thomaz Garrett 5 1:000*000
Manoel Thomaz. Um Caldas 10 2:000*000
Dr. Lourenco B. C. da Cunha 5 1:000*000
Anna A. de A., fllha de A. R. de A. 2 400*000
M.moel de Souza Tavares 10 2:00o*000
Francisco Jos Leite 10 2:000*000
Jos Antonio Soares de Azevcdo 10 2:000*000
Joo Ferreira Loureiro 5 1:00J*000
Luiz Bernardo Castello-Branco,
para seu filho Pedro Primo-
gnito da Rocha 8 1:000*000
Jos Ferreira da Silva Magalhes 10 2:000*000
Francisco Barbosa Arauha da F. 2 400*0 K)
.Manoel Joaquim Dias 8 1:0050IX)
Manuel Joaquim BaptiaU 50 10:000*0^0
Tiburcio Valeriano Baptista 50 10:0'.)0*0;J0
M idesto do Reg Baptista 10 2:000*000
Justino Jos de Souza Campos 10 2:000*000
Jos Moreira Lopes 20 4:000*000
Antonio J. F. de Carvalho 5 1:000*000
Antonio de Souza Leo 250 50:000*000
Miguel F. de Souza Leo 28 8:00>*000
Joaquim M. Pereira Vianna 80 10:0005000
J-.s Rufino Barbosa da Silva 25 5:000*000
Barao da Soledade 50 10:000*000
Kraucisco Ferreira Borges 50 10:000*0 K)
ferreira A Malheus 30 10:00000
Vicente de P. O. Villas-Boas 50 10:000*01X1
Manoel Geotil da Costa Alves 23 5:000*000
Jos Caetano de Albuquerque 25 5:o00*n00
Candido Alfonso M.reir 25 8:000*000
Tnomaz do A. Fonseca & C. 30 10:000*000
Albin, Jos da Silva 25 8:000*000
Adriano Augusto de A. Jordo 10 2:000*000
M .noel Jos Dantas 10 2:000*000
Joao de Castro Guiones 8 l:000*00o
Francisco Goncalves Netto 20 1:000*000
Albino Jos Ferreira. da Cunha 10 2:000*000
Bento de Barros Feii 25 8:000*000
M.moel Bento de Ohvcirai Braga 12 2:400*000
Au.onio V. Ferreira Lima 10 2:000*000
Dr. Miguel J. de C. Mascarenhas 20 1:000*000
Francisco Xaxier da Fonseca 10 2:000*000
Manoel Ferreira da Ota S 1:000*000
Vicente rtibeiro P-mtes 10 2:000000
Sebastio de C. da C. c A. 25 5:000*090
Ignacio Luiz de Brito Taborda 10 8:000*00:)
Joo Francisco da Silva S 1:000*090
J .s Joaquim da Motta 25 5.000*000
Custodio Jos Pereira 10 2:000*000
Ur. B. R.unos de Oliveira 10 2:00*0000
J .ao de Oliveira Leite e Souza 10 2:00*0,)0O
Francisco J. dos P. Guimarau-s 10 2:0O)*00O
Francisco de 0. L. Guiuiares 5 1:090*000
Bernardino Francisco Junqucira 5 1:00 000
Joao Fernandes Lopes 20 4:0005000
Honrique Gibson 10 2:000*000
Bento Magalhes 10 2:000*000
jmeirio Acacio de Araujo B. 10 2:0)0*000
Americo Nuues Correa 13 3:0003000
Dr. ClauJino de A. Guimnraos 3 1:000*000
Francisco Goncalves Netto 10 2:000*000
. F. S. Porto 8 1.090*000
Jos Alexandre Bibeko 5 1:000*000
Dr. Esteva C. dj Albuquerque 10 2:00.14000
Antonio J. da Costa c Silva 5 1:090*000
Luiz J. da Ota e Silva S 1:000*000
Jos Alves da Silva Guimares 10 2:000* Wi)
Jos Joaquim de Lima rtairo 5 l:00i)*0o0
Joa |Uim Jos da Cosa o Silva 5 1:009*000
A nonio C. Moreira Dias 10 2:000*000
J. A. M.reira Dias 10 2:000*900
Jos Antonio Silva Jnior 10 2:090*900
Antonio Baptista Nogueira 3 1:000*090
Antonio A. dos Santos Porto 8 1:090*000
Bento dos Santos Ramos 10 2:000*000
Jos Fernandes Lima 10 2:000*000
Francisco Fernandes Duartc 5 1:009*900
Antonio Jos C. Guimares 8 1 090*000
Manoel J. da Cunha Purto 5 1:000*000
Joao Evangelisto de S 10 2:000*091)
Antouio Moreira du Mondn a 8 1:000*099
Jos da Oto Bispo 8 1:000*000
Paulo Jos Gomes 8 1:090*000
Dr. Symphronio C. Coutinho 23 8:009*000
Domingos Teixeira Bastos 8 1:000*000
Jos Antonio de S Ixyto 3 1:000*000
Bernardino Corroa de.R. Reg S 1 0 i0*0O0
Manuel do Abreu Macedo 5 1:000*000
Jo> B. da Cunha Figueiredo 10 J:OjO*LOO
Jos B. da C. Figueiredo Jnior 5 1:000*900
Antonio Pinto Barros 8 1:090000
Manuel de Souza Tavares 10 f-^KW
arisio B. de Moraes Pires 8 :O00
Francisco Carneiro M. Ros J. 8 J{*"'
Francisco do Reg Barros B. 50 WOOO*0^
Manuel de Souza Leo IS^,
JeronymodeSoDzaLeo J >"W*juo
Jovino Celho da Silva ^ ?-JKJtW
J io da Cunha Soares G. 1:UO.i*hm
Joa J. da Costo Leite |0 | J 01
r. Ignario J. de S. Leo 5 5.XMW
Alfredo Jo- A. Guim.iraes 2o 6:090*000
Manoel de Mesquito B. W. 50 10:090*iK)0
Thomaz Lins de Barros W. 25 5:090*000
Dr. Gaspar Cavalcante de A. U. 8 1:000*000
Joo Florenno C de A. 2 m^
Joao M. d* M. Barros Wanderley 10 2:000*0)0
AJ.ilpho Wanderl-y Lins 5 1:000*000
Vicente Mendes Wanderley 25 5:000*1)00
Antonio Gomes Leal 8 1000*000
*. da Cunha Wanderley 100 20:000*000
francisco Monuel de Souza O. 13 3:009*000
Fran-tisco EJias d; Reg D. 28 8:000*000
Jos Honorio Bezerra de M. 8 1:000*000
Laurentino Jos de Miranda 20 4:0004000
Dr. Manoel do Vascimeuto M. P. 8 1:090*000
Joaqnim S. P. de S. Cavlcant 23 5:000*090
Dr. Joo Jos Pinto Jnior 5 1:000*000
Jos Francisco P. da S. Jnior 8 1:000*000
Dr. Luiz Salaiar da Vega P. 8 1:000*000
'arfCatartodW-V 1Sm
Antonio. *aquim B. de N.
D. Mario Amelia de G. Lyra
Felippe de Souza Lt- i
Jos 5. de S Berreto
Iguacio Joo da Silva
Antonio Pereira da C. Lima
Francisco de Paula de A. L.
Jos Podro Carneiro de A.
Manoel Theodoro M. Lins
Antonio Columbano S. A. C.
Jos F. deA*M:iranho
Major Francisco de Gouveia e S.
Dr. Antonio V. C. de A.
Ernesto A. de Barros Franco.
Francisco Manoel W. Lins
Major Joo BaptisU Paes B.
Bernardino da S. Costa Campes
Andr de Abreu Porto
Jes Pedro Velloso da S. J.
Coriolano Velloso da Silveira
Antonio Goncalves de Muraos
Olympio Guelio da Silva
Francisco de Barros F. C de A.
Marculiuo Dorneltas Cmara
Dr. Joao Francisco de Arroda F.
Vigario Antonio Pinto de Abreu
Dr. Jos Joaquim de S. Lima
Henrique Martins Saldanha
5 iM,
5
10
28
2
1
10
5
1
2
f
2
40
8
10
8
10
B
10
3
25
10
10
6
5
30
23
8
10
1:000*000
2:000*000
5:000*000
400*000
200*000
2:000*000
1:000*000
400*000
400*000
400*000
4004000
8:000*000
1:000*000
2:000*000
1:000*000
2:000*000
1:000*000
2:0004000
1:0005000
4:000*000
2:000*000
2:000*000
1:200*000
1:000*000
6:000*000
3:000*000
1:000*000
2:000*000
2:-,77 515:400*000
Continua a suhscrever-se na ra Nova, loja do
Sr. Nabuco e C. c no escriptojio do Sr. Goncalo
Jos Alfonso, corredor geral.
Protectora das familias
Associacao brasileira de seguro mutuo sobre a
vida, approvada por decreto do governo imperial,
de 13 de juuho de 1861, e gerda pelo Baaeo Ru-
ral e Hypothecario do Rio de Janeiro. .
Commissao fiscal.
Veador Jos Joaquim de Lima e Silva Sobrinho.
Commendador Jeronymo Jos de Mosquita.
Commendador Boaventura Goncalves Roque.
(Commendador Guilherme Pinto de Magalhes.
EsUdo dessa associacao em 30 de abril de 1869
contratos 5,802.
Capital subscripto rs. 8,716:470*580, as pessoas
que qulzerem inscrever-se podero dirigir-se na
roa do Livramento n. 19, primeiro andar : a tra-
tar com o Sr. N. de Vidal, encarregado pelo
Banco Rural e Hypothecario do Rio de Janeiro,
para promover assignaturas para a mesma asso-
Lof
COMMERCIO.
PRA^A DO RECIFE 30 DE JULHO DE 1869
AS 3 1/2 HORAS DA TARDB.
Couros eccos salgados577 rs. por kil. (hontem)
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Saques sobre Londres
SOCIEDADE BWCAKIAEM COMMANDITA
Theodoro Simn Sr C.
Saco sobre os Srs. Samuel Montagu A
C, banqueiros era Londres.
V vista quantias 5 at 100, 3 dias
de vista quantias cima de 100 at
a 1,000 30 aje 90 dias de vista quan-
tias cima de 1,000 at 10,000.
Largo do Pelourinlio n. 7.
ENGLISH BANK .
()f Rio de Janeiro Limited
Desconta latirs da praga taxa a con-
vencionar.
Uectibe dinheiro em tonta corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidade
[irincipaa 4a Europa, lera agencias na Ba-
hi-> Riienos-Ayres, Montevideo, New-York
[ a NevR)rleans, e imitte cartas de creblto,
' para os mesmos lugares.
Roa do Commercio n. 36.
Caixa Filial do Banco
do Brazil.
A caixa filial do Banco do Brazil em Per-
nambueo em liquidado paga o 3 Io dividendo
das accoes do ;Banco do Brazil inscriptas
nesta caixa, a razo de 9# por accSo.
Recife, 15 de julho de 1869.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & 0.
Compram e veudem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras.
rjioI de cambio, sedulas do governo e de
janeo do Brasil.
Dascontam letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta albeia das mes-
mas transacc5es, da cobranca de letras da
ierra e de outros ttulos commerciaes.
Reeebein quaesquer quantias era deposi-
to, em conta correte, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7.
ALFANDEGA.
Hendimento do dia 1 a 29. .
dem do dia 30.....
789:0114413
17:531*758
806:506*171
M0V1MENT0 DA ALFANDEGA
v*olunMa entrados com fazendas
dem dem com, gneros 145
----- 5
Voluntes sahidos com fazendas 74
dem dem com gneros 231
----- 305
Descarregam hoje 31 de julho
Patacho poriuguez=Bai J-"=mercadorias.
Barca inglezampera Brigue inglezJuunyscdefarinha de trigo.
Ungue norle-allenio-^'i 4 Antiondem
Sumaca hespanholaAdela^vinhos.
Brigue inglez.Wnoracarvo.
Briuue nacionalAlmeida //charque.
IECEBEDORIA DB RENDAS LNl'KRNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO.
Hendimento do dia 1 a 29. 45:575*077
,dem do dia 30...... 1:783*077
41:368*851
CONSULADO PROVINCIAL-
iendimentododiala29. !34:578*88"i
(dem do dia 30....... 1:058*119
135:637*004
MOVIMENTO DO PORTO.
EEITAES.
Faeuldnde de Direito.
De- ordem do Exm. Sr. director int-nno i
sclliciro Dr. Pedro Aiitran da Malta e AUiaaj-
(|U ico publico que Tica marcada o prazo e i
mezes contados da data deate, par a
dos que pretenderen! omvcurrer ao lafar de
substituto da FacolJade de Direito do RerhV,'
pelo aecesso dosulisiiliito Dr. Joao C.ipistraa "
deira de Mello Filho, a c.ideira d>- que era ptj-
prietorio o fallecido Dr. Juruoyino Viidia d Castro
Tarares
Pelo que todos os prctendente ao dito I
podcrfio apresenlar desde j na erreuria
Faculdade para inscrever seus anoies oo Mero cuav
petente: o que Ibes penuittido fazer ptt are-
enradur ae esliverem a mais dr rite kgoae dwtat
cidade, ou tiverem justo impedimento.
Sao, p.irein, obrigadus a apresenlar d que inostrem sua pialidade de cidado bratilriro,
e de que est no oso de seus dinitos cir t bo-
litcus, certidao de liayii gar de seus domicilins e diploma de duMar por
urna das Faculdade do Direito do liwoarW, o
publica forma, juslilicando a iiiiposwhilidao a
apresentaro du original, e na nn. iaaa uicania
poderao entregar quaesquer documentos qtie jal-
garem cenvementes. ou romo titulo de habibfao.
ou como provas de serviros prestado ao EtUdn, a
humanidade ou a scicncia, dos ouaes se Bte aaa-
sar recibo : ludo de con for mi dade com o arts
36 e 37 do decreto n 1,286 de iH de abril V 1K4
e Ul e seguales de n. 1,568 de 24 de lewrair
de 1855.
E para que chegue ao conliecneale da ttan
mandou o mesmo Lxm. Sr. director interino, -
xar o presento, que ser publicado as Moa*
desta ci lade e as da corte.
Secretoria da Faculdade de Direito do Recua, 1
de julho de 1869.
0 secretorio.
Jos Honorio B. de. Utntzts
t seceo. Secretara do (overo* dt Fw-
nambuco em 29 de julho de 1869.Peto
ria do governo se convida aos Srs. Lata Ai
Cordeiro, Manoel Alves Mariel. J. .>qu
de Barros Lima, Frago-o Austrciiaoo da Cela.
Joao Baptisu Gomes Prona e Albino do Revo Ma-
chado a irem ou ra ndareiu a administrar dn
correio pagar o porto dos sen* requera naw nt-
ramiohados ao governo imperial peto ouBiMerH da
justica, rara que possam ter o cooveaaaaa de-a-
no.O secretorio,
Dr. Joa uim Corrtia de Aratt/O.
DECLARACOES.
Santa Casa e Miseri-
cordia do Recife
Pela secretara da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife se faz publico, a rae in-
teresar, que o Illra. Sr. thesoureiro com-
mendador Jos Pires Ferrein, oo sali d*
casa dos exposlos no dia 2 de agralo pr-
ximo futuro, pelas 9 horas da manha far
pagamento do trimestre de abiil ajando
Gndo as amas, que se apreseutaren con a
criancas que Ihes foram nliaa*.
Secretaria da Santa Casa de MfMricord a
do Recife, 26 de junlio de 18C.
O escrivio,
Pedro Rodrigues de Souza.
* -- -...... .. .i .i ^
Arrematapo
Terca-feira 3 de agosto, na sala das aadieMa
linda a do Illm. Sr. Dr. juiz d'orphans. ae bada ar-
rematar a esrrava Reoi-diru, pertencento av aspo
lio da finada Claudina Gardner. vai praea a re-
querimeoto do herdeiro inventariante. a aMaa
praca. _____ _____
Aviso aos navegantes
O Illm. Sr. eapitao de mar e guerra, rapilan do
porto, manda fazer publico para ronherimrato da
navegantes, que o pharolete do Mnrnrioe. tu pro-
vincia do Guar. aatai de fnnrrioaar, n coaac
quencia de se ter incendiado na madmg.tda o t>
2 do corrente.
Capitana do Porto de Pernamboco 29 d> Wh"
de 1869.
O secretario,
Decio de Aqnino Fonseca.
0 inspector interino da aliando;;a fa
pulilico, i|iie exislindo no armazeo 6. -i.-
mesma repartco duas caitas, da toare i
C M ns. 4115 itC, com machinas, rindas d
Havre na barca franceza Veiidiana, entra-
da cm 25 de Janeiro d correle amo.
consignadas a Len Desprey : e achando
as ditas caixas no caso de serem am-ma-
tadas para consumo nos termos do rapio.
6", titulo 3o do Regulainenl > de 19 de te-
tembro de 18(10, os seus donos oo con-
signatarios deverio despacha-las no pras .
de 30 dias, sob pena de lindo elle, s;-rv: i
vendidas por sua cunta, sera que Ihesfqs"
competindo allegar contra os efTeitos desu
venda.
Alfandegade Peroanboeo -> de joaaodc-
1869.
O inspector nterin".
L. C Pues de A*drn4?.
TUEATR
DE
S. ISABEL.
Compnnhla dramtica adi
rccvo do artista
DE-GIOVANNI.
Sohbado Ul de julho.
Primara representaco da espirtnosa mactl a
em 2 actos, ornada com 23 numen de masar
original brasHaira to distincio escrptor o 5r. r
Joaquim Manoel de Macedo, intitulada :
0 primo da Cai.roro.aV
Tomam parte as Sras. D. Jesuina, D. Olyaaaia
e os Sis. De-Giovaiuii, Br.n liado, ISidro Aoe
Br. A msica d'esia comedia coaipusico o iu*
tro hrasileiro o Sr- pilas Filho.
Segu-se a exibicoda interessanto cmaadaaaaa
1 acto, ornada de msica, denominada :
Tribulapao e ventura
F.xecutada pela Sra. D. D.-raardina ot *.
Pedro Augusto e Florndo.
Em seguida a Sr. D. Jesuina e o Sr. De f ?
van ni cantarlo a sempre appl-udid ->
A PaU
Terminar o espetoeulo rom a sef uaal raara-
sentaco da graciosa e muito appboasda mawiFa
ornada de msica e daoca, intitulada
NFHMft
Natos entrados no da 30.
CardilT 46 dias- barca norte-allema Mary, de
286 toneladas, eapitao A. Ton Deeck, equipagem
10, carga carvo; a Antonio Luiz de O. Aze ve-
do & C.
Hamburgo 4o' dias, patacho norte-allemao Ca-
thurma, de 118 toneladas, eapitao Bockbam,
equipagem 7, carga mercaduras; a Rabe Scha-
mettou & C.
Navios sahidos, no mesmo dia.
Liverpool por LisboaVapor inglez Gladeator, ea-
pitao J. Reynolds, em lastro.
Rio da PrataBrigue portuguez rabe, capitao
Antonio Pereira Marques, carga assucar.
CanalPatacho n irte-allemio Johann, capitao A.
Nissan, carga assucar.
Liverpool Brigue inglez Fenton, capitao W. Je-
wlle, carga algodn.
Observando.
Fundeon no lamaro um briguo suoco, roas noleomaosta e. dedicada
tove communicaco com a trra. artista D. Jostsinj.
Os bilhetes acham-se a venda no aiiMlaaafW do
theatro.
Principiar s 8 horas.
DOMINGO Io DE AGOSTO.
Segunda ropresentoco do muito
drama cm 3 actos, ornado de mu-ura.
o pura wm
0D
OS MEmifOS D ALDEU
Toma parto toda a onapanaia.
i Segue-se a exhibic. da esptrtoasa faairfa "*
1 acto ornada de msica daiaiiaaa
Tribulaqo e ventara
Depois a-orefaestra tocar em seaaa atesta *
linda schotiscn
JESUINA
p4o wo Gai tit* i
i
aaaaaaaaaaal
/
IlBiHi
%


*mm
Diario e Pernambuco Sabbado 31 de Julho de IS9.

Qiii "! >ilu.

udnin," i "i ti tifimi
Terminar o w.*lQuln eom aplaudWriiiaaa
Tonadilha hespanhola
anttda pola Sra. U. Jcinia i c os Srs l)-Giovnni
ochada.
O biUiotoa ncliaii-/ no escriptorio do luealro.
Principiar as 8 hora*,
i

I
FESTA flWrURW.%
A imnaqao da Chateau des
Fleurs de pars
Rrilli'antcmente Iluminada com cores differen-
les (sobre vidro ele.) que lera lugar na fabrica de
eervej do r. H. Lovden. na do Sebo u. 35,
hajj, 31 de julho de 1869.
DIVIDIDA F.M QUATRO PAHTKS
l'IUMKIKA
Comer-ara pelo grande cuncerlo, sob a direceo
do Sr. J. Cocino Barbosa eme se segu :
i.*Cat>4tter$tica napolitana, raudo onvertu-
a 7 por 4 do maestro Merendante.
J..leja final do mbamhirmonico, obrigada a
iiiston por J. Colho Barboza.
\*(:uq nttte, schottich, pelo mesino.
VK nalisar a priuieira parte do comerte
4>e.la linda oovertara exeeulada por toda a orehes-
ira, denominada:
Os dous sargentos
SEGN'DA
l.*-Grana atarse continu, en *ac_(aa pessoa*
empentadas na lucia, que eslariu uwtlldos em
saceos al n peseoeo, detrerao pereorrer urna
etleSo determinada e Biabar o premio.)
TEHCKIlt.V.
i.'Cilliiii u Purigi, sympliania de Mr. Lauro
Hossi.
t'Pknnnsia, executada na flauta pelo distincto
artista o Sr. Saturnino.
3.S'.radelta, ouvertura do Mr. Flotow.
\.'Abordagem dnParnnhibi (a pedida), polka
militar, eemposiclo do Sr.'-J. Ciellio Barbota,
ornada mu asea* artiliciaes e abrazamunto de
ehaminas da bengala.
(JAIITA E ULTIMA PAUTE.
Terminar o espectculo, poi uin linde f 'jo de
artificio sob a direceo do bem conceitundo e dis-
tincto artista pernambucaoo, o Sr. Jos Alvos.
I'reeo ila entrada 1*000
Bm caso de mo lempo o espectculo ser trans-
ferido.
Com>e ir s 7 hoe< e 3/i da noite.
pendente do esfabelecimento, penna d'apua, tan-
que e gat, garante s casa aO comprador do es-
Majerimento (por soraeas* propria) Jurra-dw
impomos psra o eoartfimaor. r-l"*.
Qnarla-fcira i de. agosto
as 11 lloras do da no luesuto uslubolccimento.
' *

1IDE
Companhia americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
Al o dia 1* de agosto esperado dos portos do
sul o vapor americano Nortk Amero, o qual de-
pois da demora do eostume seguir para New-
York tocando no Para e S. Thouiaj, para fretes e
passagens trata-se com os agentes Hcnry Forster
4 C, na do Trapiehe n. 8. ____
I
O patacho Protector, esperado do referido porto,
sahir para o incsmo, doucps dias depois de su
chegada, por tnr a maior parle de seu carrega-
inento prompto : para o que Ihe falta, quem qui-
zer carri'gar a fete commodo, pode dirjtir-se ao
consignatario Joaqulm Jos Goncalves Beltrao,
ra do CommiTco n. 17.
PARA 0 PORTO.
Segu com a passivel brevid .ide o briguc por-
tnguez Unio que j conla grande parto da carga
engajada : quem no mesmo quizer carregar on ir
de pasagem trate com os consignatarios Thoniaz
de Aquino Fonseea 4 i'.., ra do Vigario n. 19,
primeiro andar.
Para o Porto
pretende sabir com a possivel brevidadeo patacho
portuguez Liberal, tem parte da carga engajada, e
para o resto que Ihe falta, pode tralar-se eom Da-
vid Ferreira Hallar, ra do Brum n. 92, ou com
o eanilao do referido navio.
Maranhao
Para o Maranlio pretende seguir com
brevidade o hiato nacional Hoza, para *
resto da carga que Ihe falta, trata-se com
Marques, Barros 4 C, no largo do Corpo
Santo n. 6, secundo andar.
IIYI1II
SaUlo do Oaes do Ramos.
AMANHA 1 DE AGOSTO DE .8t>!>.
Depois de urna esco hida o brilhante ou-
vertura, romper o explcndido baile po-
pular
GRANDE SUCCESSO.
O insigne artista bespanliol Julio Doria,
executar nos intervallos do baile os seus
admiraveis trabalhos gymnasticos, dtv.didos
^jm tres pe tes.
i.* parte.
\4najraviis equilibrios no trapezio.
2.a parte.
ifliceis trabalhos sobre a corda bamba.
3." parte.
Dtfficultsusimos equilibrios com diversos
objectos e posicoes.
Fiados os trabalhos gj-ranasticos, conti-
.ntat o grande baile popular, que fitialisar
as 2 horas com o galope infernal.
Previne-se aos Ilustres frquentadores que
ser em ludo observado o regulamenio do
Sr. Dr. chefe de i>olicia.
E* este o divertimento que o emprezario
dos grandes sales do Caes do Ramos esco-
llieu para offorecer aos illiislrcs frequenta-
dores que o protegem, e para o que nao se
tem poupado despezas, afim de que seja
em tu do urna verdadeira noite de delicias.
Principiar s 8 horas.
RIO DE J40
Para o Rio de Janeiro pretende sahir com
a maior brevidade possivel o brigue nacio-
nal Trovador, recebe carga e escravos a
frete : tratar com as consignatarios Mar>
ques Barros & C, no largo do Corpo Santo,
n. 6,Rgundo anlar.
AVISOS DIVERSOS.
Trilhos para Olinda
Por esse preco vendo-se cinco accoes aa
companhia dos trilhos de ferro para Olinda.
Quem pretender dirija-so esta typograpbia
para informaii's.______________
Ofahelro a jnrns
Dase t:300O00a jure sob hypotheca cm pre-
dio : a tratar na ra da Palma n. 63. _____
AMA
Precisa-sede una ama para eozinhar em casa
de una pequea familia : a tratar no Muzeu de
Joi.is. _________
Aluga-se
o segundo e tereeiro andar da ra do Trapiche n.
46 : a tratar na sesma casa das 9 as 4 horas da
tardo. _____________ |_____________
Precisa-se de urna ama de boa conducta que
seja capaz de tomar conta de urna casa de homem
lleno, qoe saiba lavar, eozinhar, engomniar^com
serfeicao : na ra da Lapa, no Recife.n. S, se
pira i|iiem precisa^______________^^^_^
Attencao
AVISOS MARTIMOS.
COMPWIHV BRASILEIRA
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 8 de agosto o vapor
tarn, commandante o capitn
de fragata A. J. de Santa Barbara,
o qual depois da demora do eos-
turne seguir para os porlos do norte.
Desde j recebein-se passageiros e engaja-se
carga que o vapor poder conduzir, a qual deveri
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sabida as i
horas.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
yectos de pequeo valor e que nao exeedam a duaf
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica.
Tudo que passar deslos limites dever ser embar-
ca lo como carga.
Prpvine-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gees so se rocebem na agencia ra da Cruz n. 57,
l* andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C.
PARA LISBOA
segu com toda a brevidade a barca portugueza
Constante III, por j ter parte da carga prompta :
para o que Ihe falta e passageiros, trata-se com os
consignatarios Oliveira, Filhos & C, largo do Corpo
Sanio n. 19, ou com o capilao na praga do Com-
mercio.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
Navegagdo costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Parahyba, commandante
Mello, seguir para os pollos cima
no dia 31 do corrente a meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, n > escriptorio do Forte do Mattos
n.18. _______________________________
Rio Grande do Sul
Para o porto cima segu com brevidade o pa-
tacho nacional Principe, recebe alguma carga a
frete, e trata-se com os consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo A C. rua da Cruz n. 57.
~~Part
Seguir brevemente o veleiro patacho portuguez
Boa F. capitao Domingos Martina : recele algu-
na carga a frete razoavel, para o que se trata
com o seu consignatario Joaquim Gerardo de Has
os. na do Vigario n. 16,1" andar.___________
Para S. Miguel e Tereeira
O patacho portuguez Mara, esperado de Lisboa,
sahir para as duas ilhns acinvi, puncos dias de-
pois de sua chegada a esta, desde j se engaja
carga e passageiros : trata-se com E. R. RabeHo,
rua do Commercio n. 44.
LEILOES.
MU
Da casa terrea da rua das Crioulas n. 43 na Ca-
punga, edificada em chaos Droprjos e com
grande quintal, a qual rende 10/1 inensaes.
Sabbado 31 de julho as 11 horas em ponto.
Por interveneao do agente Pinto, em seu escrip-
torio rua da Cruz n. 38.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Festividade de Nossa Seuhora
das Neves na Parahyba
No dia 3 de agosto prximo s 5 horas da lar-
de, seguir no vapor Pantuba, afim de conduzir
as pessoas que desejarem assistir a pomposa festi-
>idade de V-sa Seuhora das Noves, que deve ter
lugar no dia 8 do corrento mez.
O referido apor tornar a seguir para a Para--
hyffik no dia 8, afim de trazer os senhores passa-
geiros, sendo a volta para aqu no dia 9, s 5 ho-
ras da tarde.
Passagem de ida e volta 305000.
"Escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA BIAMIT
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte espera-
do al o dia 8 de agosto o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
J. P. G. Alcoforado, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual deveri
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete ate as duas horas do dia da
sua sabida.
Nao se receben como, encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a i
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao
Tudo que passar desloa limites dever ser embar-
cado ootno carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa
eos o se receban na agencia rua da Cruz n. 57,
andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
LEILAO
DE
Tres terreos na travessa do
Trindade
O agente Martins far leilo por autorisacao do
lllm Sr. Dr. Claudino de Araujo Guimares, cn-
sul de Portugal, de um terreno sito na iravessa do
Trindade com 32 palmos de frente e cerca de
180 de fundo, um dito com 28 palmos jde frente
e o mesmo de fundo, um dito junto ao rio com 60
palmos de frente e o mesmo fundo, todos perten-
cenes ao espolio de Joaquim Jos dos Santos An-
drade, bem como os terrenos onde esto edificadas
na rua Imperial, as casas ns. 142 o 152.
Seganda-feira 2 de agosto.
As 11 horas do dia no armazem da rua do Im-
perador n. 16,__________________________
mm DS PBEPARATORieS
com repetido uara o alttumo.s
que tm de fier exaue coi
ovemhro.
Jos Si "ares de Azevedo, professor de
lingua e lilteratura naciunal no gyiunasio
provincial do Recite, tem aberto em sua
casa, rua Bella, n. 37:
Um curso de
LlNC.l'A KKYNCEZA ;
piuujsopifiA;
GEOGRAPHIA E HISTORIA;
KETWOMCA E POTICA.
Os estudautes que pretenderen fazei
exatne em novembro em qualquer destas
materias, podem dirigir-se d in licada re-
sidencia, tarde, das 3 horas em diante
j cotvto fiof6\
Devo^to da Excelsa 8enhora
p-8ant'Anna no eonrento
& t. Eranci;
De ordem de nosso innao .
as njesos carissiaios irmios a comparecerem boje
.s da noite, flm de aeompanharmos
liand'ira da .'fissa Excelsa Padroeira, assim como
loras do da para essisi
,ra OTe-Dtnm.
1 de julho de 1869.
O secretario
Manoel da Silva
ainanha as
as 7 da noite
I Consistori
ira, assim como
asistir a fesia, e

va Ufl/Ao,
Bartholomeu & C,
Offerece-se um rapaz para caixeiro do co-
branza ou de armazem, enm boa letra dando
fiador a sua conducta: quemjprccisar annun-
cie por este Diario.
ATTENCAO
Quem quizer vender a prazo e somonte com
a garanta de leltras assignadas; engenhos,
casas, sitios na praia, navios, chcaras, la-
zendas no serto, jias de todas as qualida-
des, metaes preciosos, movis de todos os
gostos, fazendas em grosso, lou^as assorti-
das, escravos, bois, cavallos, burros, car-
neiros, porcos, cabras, gallinhas, homens
livres por escravos, etc. etc., dirija-se ao
termo de Serinhem entender-se com o
capitalista Pragas Caval :antt que no deixa-
r de comprar por oais alto que seja o
prego.
As lettras d'csse senhor sao descontareis
em qualquer parte do mundo, e pa:a maior
conhecimento indicaremos as pracas e lu-
gares que mais promptamente far3o o devi-
do descont : thesouro nacional, banco do
Brasil, pratja do Rio de Janeiro, do Recife,
da Babia, do Cear, em todas as pravas da
Europa, e especialmente na de Londres,
Paais, Francfort, Hamburgo, S. Petesburgo,
Rruxellas, Ma'.rid, Turin, Lisboa, Porto,
New-York, e com mais presteza anda na
imperial cidade de Lolaia, onde este senhor
muito conhecido.
Ama de Jeite
Pr< cisa-te de urna ama de leite sem filho, pre-
ferindo se wanca ou mulata bem claraba tratar
na Iravessa do Veras n. lo, 1 andar. ,_______
Precisa-se de urna ama secca para tratar de
urna menina em casa de homem solteiro: na rua
de Santo Amaro, como quem vai para Olinda, u.
6 : a tratar na mesma casa, das 6 da manhaa s
9 1|2, e de larde as 1 1|2 horas.
Precisa-se de urna molher livre on escrava
para ensaboar roupa : na rua do Hospicio n. 28

1*11
m

A
O
H-nS
D-se SOni a premio com hypotheca em
urna casa : nesta typographia se dir quem d.
Precisa-se de um cozinheiro que seja asseia-
do as suas obrigaedes : toda aquella pessoa que
estiver nestas circumstancias, queira dirigir-se
rua do Crespo n. 6 para se tratar.____________
Precisa-se de urna ama ecrava ou forra, e que
saiba engommar bem, para urna casa de pouca fa-
milia : a tratar na rua Nova n, 3.
:S*
i ""':
A viuva e fiihos do finado Dr. Jo5o Fer-
reira da Silva tm a honra de convidar a to-
dos parentes e amigos delle para assistirem
a algumas missas que, na igreja de Nossa
Senhora da Penha, devero ser celebradas
no dia 3 de agosto do corrente anno s 8
horas da manhaa por alma do dito seu
sempre chorado consorte e pai, fineza esta
que sobremaneira lhes agradecerao.
ManoeH!uizViraes manda celebrar urna
missa e memento na capella do cemiterio
publico, na terra-leira 3 de agosto, pelas 9
horas da manhaa, primeiro anniversario do
fallecimento do baro da Vera-Cruz, pelo
repouso eterno de sua alma.
PARA UZO INTERNO
rKPJBAlin (llfLES
Xirope ite jurubeha, Viulin il jurubcb*. Pilulas de
iiriibrh. Tintura le jmbete, Exiracie bydralcoolice
it jurubrt-a.
rMi'>n coaroToe
Vinbo ile jnnib. lia fenugiiiuiu. Xirope de jorubeW
ferrugiuuso, Pitillas de jurnbeha ferrnginoso.
< raat lio ntKaso
Ule* na luiubel, Pnuiadn de jurnbeba, Emplastro de i
nru'uc. t
A 41 ElDEBA. *
Eata plantj lime rrconhecida como o mais poderoso
loiiii., cuino mu evcrllt'iiln deanbslrurile, e como tal !
applicada nos eiiKrniinwnlos do fijado e bafo, na-
hepaliles pni|Tiainente ditas, on anda complicadas
cun aeaardia*. as inflammafes snb (ebres iulcrinitriites ou dmeos, notabeessos internoa,
as (Minores e|>ecialmente do tero abdomen, noa
tumores gtandnlosns, na anazarcha, as brdropetias,
erjriipellas; e asociada as proparacoes ferruginosas,
anda de grande vantagem naa anemias, chlorosea,
fallas de mcnstrna cos do estomago, debilidade orgnicas, e pobreza de
salgue, ete.
0 que dijemos affirmao oa mais distlnctos mdicos
desla citada, entre oa quaes poden oa citar oa Illlms.
Srs. Drs. Silva Ramos, Aquino Fonseca. Sarment,
See. Pereira do Csrmo. Firmo Xavier, Silva, etc. Todos
elles reconhecess a excellencia d'este poderoso medica-
mento sobre os dinaais at boje conbecidos para todoa
oa casos citados, lulo que todos oa da fazem d'ella
applicaclo.
Apresentendo aos mdicos ao publico em gersl di-
versos preparado da jurubeba, tiremos por lim geae-
ralisar mais o naa d'este vegetal, faiendo desapparecer
a repugnancia que al boje sentiam os doontes de usar
dos preparados empricos d'elle, o mais daa vena repu-
gnantes a tragarem-M, e que tinham anda a desvanta-
gem de nio ser calculada a dose conveniente a appli-
car-se, o que torna mnitas vezes impmllcuo um medi-
camento, que poderia produzir ptimos resultados,
% Os nossos prepados s foram apresentadoa depoia da
bavermoa convenientemente esludados jurubeba, ra-
teado aa experiencias precisas para bem couhecer aa
propriedades medicamentosas d'esta planta em suaa ;
rabee, folbas frnetas ou bagas, a a doae conveniente
applicaclo. teodo aiem d'isto procurado levar os noasos i
preparados ao maior grao de perfeicAo possivel, para
que aao poupamos esforcos, nio nos importando a
ponco lucro qoe possames tirar.
Por Unto oa que aa dignarem recorrer aos nossot
preparados podem ter a cereza de que ellas oflerecem
i garant, de que se pode encontrar a prompta a inlal-
livel cura de qualque daa soffrimeotoa, que deiamoa i
innnmerados, sa forem em lempo applicadoa tendo !
alm d'isso, medico ou doenle vantagem de eacolber
as noasas variadas preparaces, aquella que melbor
Ihe pode convir, j pala fcil applicicio, e j pela com- :
Slicaco das molestias, idade, sexo, ou anda naturau
t cada individuo.
As nossas preparaces ferruginosas sofeilaa deforma
que ae tomam completamente aoluveis nos suecos
gstricos, porque procora.uos os compostos da ferro
que como taes esto boje reconhecidos.
Para aquelles que maia minnciosameite queiram
eonnecer as propriedades da jurubeba, e saberein ap-
plicaco de nossos preparados, destribumos gratuita-
mente em nosso deposito um folheto, onde tratamos
ais extensamente d'esta planta e dos mesmos prepa-
rados, a) .
Deposito eral di lodo o preparados uolica t Drogara
34, rae laraa do foiano, 54
TI
LEILAO
De urna bonita casa de pedra e cal cons-
truida a pouco com t salas, 6 quartos
cosinha, paredes dobradas e chaos pro-
prios tendo o sitio 100 palmos de frente
e 420 de funde.
Terra-frira 3 de agoste..
0 agente Martin* tara leilao de urna elegante
casa, acabada de construir a pouco, na estrada de
Joao de Barros, iior onde tem de passar mullo bre-
ve os trilhos urbanos; os pretendentes querendo
ver a dita easa podem dirigir-se ad sitio da Bom-
ba n. 10 na mesma estrada, qaeabi enconlraro
quem lhes d qualquar informacao.
O teilao ter lugar porta da casa que m a
associaijao commen-ial defrontc da groja do Cor-
po Santo. *1 M horas do dia cima.
DE ENGENHO
OL
CMPANHLV PERNAMBUCANA.
DK
IVaregaeSo costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarac e Granja.
O vapor Ipojuca, conunandauk
Eastaquio, seguir para os portos
cima no dia 31 do corrente as 5 hora.'
da tarde. Rocebe carga at o dia 30, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a fete at a?
2 horas da tarde do dia da saluda no escriptoric
4o Forte do Mattos n. 12.
DE
DIVIDAS
O agente Martins far leilo por autorisacao do
Ulm. Sr. Dr. Claudino de Araujo Guimaies, cn-
sul de Portugal, das dividas activas do espolio do
subdito nortuguer. Jos Manoel Pereira de Menda-
nha, na importancia de 10:88!50.
i Segunda-foira 2 de agosto.
No armazem da rua do Imperador n. 16 s 11
horas do da.
ORATORIOPARTICLAR
VCNDEM-SE OS SEGMNTES ORNAMENTOS !
Um excellente e bem construido altar
dourado e o respectivo estrado.
(Jnatro castigaes e quatro palmas doura-
das para os mesmos.
Urna pedra d'Ara.
Um turibulo e naveta, prateados, tudo de
novo.
Um bonito calix de prata.
Dous ornamentos, sendo um d lies rica-
mente dourado a ouro fino.
Duas ricas alvas com todos os perten-
ces. .
Um missal.
Um banqninha dourada:
Seis bonitos quadros com finas ima-
gens.
Tudo por muto barato prego, a tratar
na loja da na Nova n. H.__________
il 1
FIO BETEIiA
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau A C. Corpo
Santo n. Ij.
SHERRY 0L0R0Z0
Gelo seal.
COGTAC IlEMilESSY.
Em casa de Rabe Schmcttau A C. Corpo
Santo n. 15.
SUPERIOR.
Roussillon, carte blanche.
Em easa de Rabe Kchmettandt
C. CorpoSant> n. 15.
VIMO
DE
BORDEAX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CHATEAU RAU3EAW
Em casa de Rabe Schmettau C. Corpo
Santo n. 15.
,n
f!s
i;-
1 s;i
Is-es.
3 >?
Z~3 a.
' O 2.
I
ile ithi preventivo so^uiijjS^,certo contra
a' calvice,
Kilo d e restaura forra e sanidad* a pdle
Ja cal)<;a, f~ <
Ello de pvompto faz censar a qtn.'da preaa-
tDra dos t-abellos.
Elle d grande ri'iueA, de lustro ao* ea-
' brios,
Elle doma e faz preservar os abellits tm
qualquer forma e [ttrin qnt) se deAje
n'm estado formoso, liso e luacio.
Ele faz crescer os cabellos b<
pridus,
Elle consena a pelle e o cateo da cabera
limpo e livre le toda a especie de rasfa.
Ello previne os.cabeUas de se tornarem
branros.
Elle conserva a cabeca u'utu estado de fwj
cura refrigerante e agiaada\el,
Elle nao tlciit.i/.iadamente oleoso, gorrin-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor ebeiro desagra-
davel,
Elle o melbor c o mais nprasivel artigo
para a boa conservagao e arraiijo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabellos v. barbas dos senao-
res,
Ni'iihum toucador de senhoni se pode con-
siderar como completo sea o?
O CABELLO.
Tonteo Oriental
o qual preserva, limpa-, fortifica e aformosea
Acha-se a venda nos eslabelecimentustla
A. Caors, I. da C. Bravo A ('-. V. Janrer
- C, M. Barbosa, Rartholometi A C, t cm
todas as principaes lojas de perfumara:*
e boticas.
P3
P3
1 2
' > n
3 s
i i
1-
Efl
m
SS
AVISO
ao commercio.
Manoel Jos de Bailo.) Mel!> ton just e mnlra-
tndn a compra da lja dn mtlrttanH !M r ai
Queimailo n. i", com o Sr. Alun > Mnri-ira Traa-
poral, livre a desemharacada de <|ti>l iiuem se jalgar preju.liclo queira apresenlar s*
dentro de tres dias desta dala. Recife 31 de jo-
Ihn de 1869.__________________________
OSeee-M urna iiiuIIht portii^n** pan
casa de pouca familia, enpoinma mi pt-rd-aro
sabe costurar quem pntonder pd itiri^ir-n ao
sobrado n. 2, ao pateo di S. Pedro, i>r'*> larjn.
onde mora um sapaleiro, que l achara coto jaca
tratar.
Aos senhores de ra*rab
Offerece-se uina pesso nahililada para aataa-
nistrar nm engenho : na roa do Cabaj o. 3, se-
gundo andar. _____
D-se t:60*000 a juros de 1 1 i o o
garanta : os pretendentes dirijam-* ni carta fe-
chada com ai iniciaos J. A. a e>la lypo^rapkia.
ATTENCVO
O Dr. Joo Jos Pinto Jnior, W-huVi fe aasea-
tar-se por algum lempo dcsia cidad1, deiu aja-
ra rregados de seus iie^iH-i' oreit-s ih Sr. Dr*
Olvmpio Marques da Silva, Praacfera de Faola
Salles e Francisco de l'anla reaaa, a.n .ruae e
podem dirigir os si-ns elientes, deTeado a amt*-
pondencia sor dirigida ao primeiro, ana e*criat>-
ri rua do Imperador n \. t* antar.
Aluga-se o segundo andar do soarad 'la ma
da Cadeia do Heeife n. V9, projiri aar* praaaaa
familia on solteiro : a Halar n kvja.
Criado.
Precisa-st! de um criado proprio para servir va
um sitio : informase na rua enreita ifc Hoawia
n.28.__________________________________
= Bernardo Corirueiri (lastro M aatoara rei.-
rando-se para a Barupa n < v.ip>r fiancex .%'*#?-
re de 29 do corrente, p ir dMiheraen loma la n
poucos dias visto torem-M a^gravailo ana a-
commodos por i por este meio, oleie.-adi-liu
de se achar.
i)
Na rua da Lapa n. II, torne-e--
JOMMaO por a^sisnatura lauto para as i.'
casa como para oia
aaa ra
Os apreciadores de manjares delicados encontra
rao todos os dias no hotel central de Francisco
Garrido a verdadeira sopa de raviole, ao verda-
dero gosto italiano, assim como outras excellentes
iguarias, que seria enfadonho mencionar.. AH se
encontraran anda os mais asseiados aposentos para
hospedes, e banhos, buhares e pianos para re-
crcio dos visitantes : na rua larga do Rosario n.
37, Io'andar.
PROGRAMMA
DA
LE1IA0
Da retina*? do pateo do Terco
a. 1.
O agente Martins far leilo da refinacao do pa-
teo do Ter?o n. 61, com todos es ulencilios, ca-
x5es de deposito para 3.000 arrobas de assucar,
randa quintal com portSo, telheiro para deposito
e carvao, accoramodacScs para empregados indo-
Precisa-se fallar com urgencia aos
Srs. Joo Apolonio Cavalcante e Antonio
Fernandes de Almeida : na rua dn Cadeia
do Recife n. 85, armazem de molhados.
O bacharel Benedicto Raymundo da Silva,
nao tendo tempo de so despedir pessoalmente de
seus amigos pela presteza de sua viagem ao Rio
de Janeiro, faz por meio deste offerecendo aos
mesmos o seu limitado presumo n'aqnelle lugar.
OITerece-se para caixoiro um rapaz com ha-
bilitacoes de armazem de molhados, padaria e ta
berna, para qualquer outro negocio : quem pre-
cisar procure na rua do Rosario da Boa-Vista nu-
mere 36.
Festa da Excelsa Senhora Sant'Anna, erecta
no convento de S. Francisco.
Hoje ae meio-dia a msica do segundo batalho
dte infamara da guarda nacional tocar variadas
pecas do seu inexgotavel repertorio.
As 7 horas da noite hastear-seha o estandarte
de Nossa Padroeira, que ser conduzido em um
rico andor que percorrer n roa desie convento.
As i horas da madrugada do dia primeiro, ha-
ver o santo sacrificio da missa, surgndo a auro-
ra em que commemoramos a tao Excelsa Pa-
droeira.
As H horas entrar a festa, regendo a orctaes-
tra o distincto professor Jos afifeoel; os solos se-
rao cantados por distinclos e habis cantores des-
ta cidade, alguns dos quaes se prestam isso por
^obsequio.
Ora ao evangolho o distincto pregador Antonio
de Mello Albuqnerque ; antes da qnal oeenpar
a attencao publica com a sua apreciavel flauta o
Sr. Salustiano.
No gloria distribuir-se-ha registros o versos.
As 7 horas da noite entrar o Tc-Deum, oceu-
pando a tribuna sagrada o pregador da capella im-
perial frei Joaquim do Espirito-Santo, findo o qual
ser lirada a bandeira, subindo nesta occasio um
rico bailo.
Consistorio, 31 de julho de 1869.
O secretario,
. Manoel da Silva Fialho.
Louca do Barbalho do Cabo.
O nico deposito de louca da fabrica do Barba-
lho do Cabo, mudou-se do pateo do Ten;o u, 12
para a rua do Imperador n. 37, com grande sorti-
inento de loucas e canos, da mesma forma que
eslava no pateo do Terco n. 12, aonde eipera a
concurrencia de seus numerosos freguezes._____
O abaixo assignado tendo perdido nina letra
de seu saque, aceita pelo Sr. Maneel do Nascimen-
to Wanderley, sacada em 26 de maio do corrente
anno, ha quatro mezes, da quanlia de 28M7fiO
previue pelo presente ao mesmo aceitante, para
nao pagar dita letra a pessoa alguma que nao seja
o annuncianle ; e caso (dita letra nao venha mais
apparecer em virtnde de nao ter traspasse algum
ao saccador, e por isso impossibilitado qualquer
outro de a receber, passar no devido vpncimento,
e quando receber dita quantia um recibo com as
precisas declaracoes, tnutilisando dita letra cm
qualquer tem|>o que appareca. Gameleira 26 de
Joaquim Jos Gon-
calves Beltrao
RUA DOtRAPICIIE N. 17, i." ANDAR.
Sacca por todos os paquetea sobre oBan-
o do Minho, em Braga, e sobre os efuift-
les logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimar5es.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Luna.
Villa Real.
Villa-Nova de]FaiaaliflOi
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Vvpaasoa).
Mirandella.
Beja.
Barcellos._______________________
Em casa ~de THEODORO aiHJSTt-
\NSEN, rua da Cruz n. 48, eocontranvso
efectivamente todas as qualidades de vinbo
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
julho de 1869.
Francisco Titto Xavier de Lima.
Aluga-so urna casa em Olinda, no Jogo da
Bolla, com commodos para familia : a tratar na
ruado Ampann. 10.
8, Chrispim e 8. Chrispi-
niuo.
De ordem da mesa rogedora desta irmandade
sao convidados todos os irmaos que estiverem no
gozo de seus direitos, a comparecerem em mesa
geral em nosso consistorio no dia l* de agosto vn
douro, as 9 horas da manhaa, afim de ser disculi-
do o novo compromisso.
Convenio do Carmo do Recife 28 de julho de
1860.
O secretario,
___________________M. N. R. Franca.
COSINHEIRA
Precisa-se de urna cozinheira de boa conducta ;
I a tratar na rua Nova n. 28.
Parte, 36, RuTrvjtWaM.
CHABLEMEOECIN
aiSENTEBJUDJLDAS DES SKXU AKS, AS i
COKS COTArTTUS.B ALTI3UCOMPOI
BBjHBjaaBBjpBjpBRa ON cana aa ai
DEPURATIF
i,. SAIVG
(M.*WN
_____ n mrm,
do tangu$. (laraaa vagaul a atartartay.
tonao-si dona por aaaaaa. lagaiala a
Depurativo: i fpwaao aaa
| lato Iitaii CHtm
farra aa cfilLB.
iataMdialaavMU
nxfc7i&
asta oa /uucoi /toras iraaea
lau Iriaaaai laailp api if *
Ctlraeao ata Farro.
aaiariiaaa, Faaaadata u
POMADA AMTIHEf.PgTrSA
Ctatrai aaa m/kefou ******* aaaaiaaa
PILULAS VEGETAE8 DEPURATIVA
o a* Ckaakto, aaa fraaea al iiil""
a foUitto.



Diario de Pernambuoo Sabbatk) &1 de Julho de 1860.
-~
-YPALQDI
v H'ESTA ANTIGA E CftEMTATA
FABRICA

I1CIITI1 81 CMSTIRTIIIRTI III CIIPLITI IIITIIIITI ll
cunt BE gOK
De todas as qualidades !
De todos os feitios I
D todu os presos !
RA DO CRESPO N' 4
DIVIDAS
O abaixo assignaao, hojc possuibr das dividas
do casal do fallecido Jos Haptista da Ponseea J-
nior, arrematadas cm leiiao publico, pode aos de-
vedores do mesan casal se dignen) saUsfazer seu>
dbitos no praso de 30 da?, a contar da dala des-
te ; Ando o jtial proceder judicialmente a dita
cobranc* : m ru das flinro Pontas n. 8i
Recife 13 de jumo de 4869.
Joio de Azevedo Pereira.
mn*mmmm>
O advocado Dr. Antonio de Vas-
a concellos Mciiezes ilo Druminond,
* mudou o seu esciiptorio para u ra
* do Imperador n. 20, onde pode
a ser procurado para o exe/cicio de
B sua proHssao em todos os dias
b uteis das 10 horas da manha at
s s 'i horas da tarde. Fra dessas
I horas, e para qualquer occorrencia
S urgente, ser encontrado no seu
S domicilio, ra da Aurora n. 20.
AGIA D'OURO
Na ra da Aurora n. 31, 2* andar, precisa
se ile taina boa ama de Me.
Trocam-se
is notas do banco do Brasil e das caixas liliaes
x>m descont inuito razoavel: na praca da Inde
'ndencia n. 22.

Custodio & Bento, t ndo de novo sonido o seu bem conheeido estahelecimento
de mradezas, denominado AGUIA D'OURO, particpala a todos seus freguezes e ao pu-
blico em geral, que tem constantemente um completo sortimento de miudezas linas, e b
objectos de alta novidade; vcndendo ttido 10 % menos do que em outra qualquer parte,
para o que recebem directamente de sna cunta.
Promptilicam-se a mandar em qualquer .'asa. urna possoa com o mais diminuto
objecto que Ibes teja pedido, esperando assim a |>rulec<;ao de seus freguezes, e gaan-
tindd-lbes o Custodio i liento, firmesa em seus tratos, e pontualidade em seus deveres.
Ba do Cabug n. 1--A.
Anda nao viuram, no entretanto o negocio
de iuterossc, e precisa-se fallar ra do Crespo
n. 17 c un os Srs. Paulino Ferreir* da Silva, ex-
procnrador da cmara, Dr. Francisco Pinto Pes-
-.*
AUGUSTO PORTO & C.
11--RUA DO QUEIM DO--11
Tendo chegado ltimamente ao seu e-tabelecimento grande variedade de la-
teadas de gesto as pem disposieo de seus numerosos freguezes pelos mais mdicos
precos poslveis, sendo:
Bournous de cachemira brancos e de corea, o que ha de mais elegante para
hombros de senhora.
Novos gostos de manteletes justos ao corpo denominado sllphides, sirennes,
rientales de renda preta de soalines, o qne lia de mais elegante para urna moca.
Basqunes de guipare preto, novo gf^sto, enfeitados desetim de cores. Vesti-
dos de blond com manta c capella pira noivas. Frondas e toalhas de cambraia de linho
bordadas. Cortinados bordados para camas o para janellas de diversas qualdades:
colxas de seda e de la e de seda para camas de uoivos.
Epi:igl,[lindo gorgur5o de la e seda de cores, muto elegante fazenda para
um lindo vestidp.j Sedas de cores e prelas, gorguro de seda bramo e de cores com
listas assetinadas, panos, casemiras e Antas outras fazendas cujos precos sao em geral
muite mdicos. Grande sortimento de camisas para homem, tanto lisas como bordadas
e de cores.
Continuam sempre a ter grande variedade de tapetes para sof, para cama e
para platino, por<-3o de tapetes em pecas para alcatifar sames, e grande quantdafle de
Esteiras da India para forrar salas.
tviftitir.it
Xo o largaremos at que..........
E' na rna Direita n. 53, loja de lerragens, que
se deseja fallar no Sr. Antonio Francisco Duarte
ou sen iruio ex-deputado provincial Dr, Maxi-
nnano Francisco Duarte : deve saber quem ___
ios so.oooooo
CASA DA KORTUNA
Hua do Crespo n. 93.
O nbfirto assijmfido tendo nbtide lieenr* da pre-
sidencia e salisfeito as* ouiras exigencias da le,
avisa o respeitarel publico que lera- sempre a
venda un sea estahelecimento bilhetes das lote-
ras o Rio de Janeiro, cujos premio soro^tagos
promptaniente vista das listas fom o descont
smente da lei.
Precos Interros.. 2.J0OO
Meios.... IfftOO
Quartos. 6*000
E em quantidade maior de lOOSOOO na razao
de 5080 por Mnete.
Manuel Martins Fiuza.
iEMPRESTIMO SOBRE
Precisa-se alugar urna preta captiva que
saiba engommar bem roupa de homem e de se-
nhora, i|ue .-eja de boa conducta : na ra da Au-
rora n. 40.
Joaqnlm Pereira Arantes faz scietrte ao
seus devednes quedeixou de ser seu cobrador
o Sr. Antonio Januario Cabral desde o dia 30 de
marco prximo passadoc por.iss* avisa que nao
paguem mais ao referido Cabral assim como se
|iede ao inesmo senhor para que venha ajostar
emita, visto nao ter apparecido e se ignorar sua
morada.
Wmpanhia
dos
URBANOS
DO
RECITE 1* OTil^'U i.
Por ofdn dadirwctoria sita convidados
os Srs. accionistas cffl'CttiaTeni no praso
Ule l-> dias (a contar tkidia K'i do curente)
a'terciara prestarSo de sitas afc es na w
zao trado o Sr. thr-soureiro todos os dias teis
desvie as 11 horas da mauli3a ale s 2 da
tarde rio sen escritorio, roa Nova n. :!o.
Quccioninta que ria realtevr a impor-
taneia-a jwcsftictto fw praso dt'tewuiikuio,
perder em favor du comptfttia'ws presta-
cues anteriormente realisa&u. (Alt. 8."
dos estatutos).
Recife, i dejiitilio de ISf).
V sfcrelai io,
Ihco. Just.
'J^- l'rS'Ki--e fie nina ama fiara eusaboadoe
jiMUfiminaitii : a tratar ua ra Nova n. 21.
Attenco
(SEM LIMITE.)
\\ Iravessa da rna
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se qual-
quer quantia sobre oiiro.
prata e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorsado pelo
governo, est as condicScs de ga-
rantir a transaccao qut se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e considerado s pessoas que se
dignarem de honrado em seu esta-
beleemento.
Na mesma casa compra-se oaro,
rata e brilhanlos.
jM
CASA DA fWnilU
Aos 4:000^
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n.23 e casas do costme.
O abaixo assignado lendo vendido alm de ou-
tras sortea o mek) biliiele n. 2952 com i:0003 da
lotera que se aeabou extrabir beneficio da San-
ta Casa da Misericordia, convida ao possuidor a
vir receber na conformidade do costume sem
descont algum.
Acbam-e a venda os bilhetes da 26' parte da
Santa Casa (113*) que se extrabir no dia 4 pe
agosto.
Precos.
Os do costume.
Manoel Martins Fiuea.
SOF- RINIEMTOS D ESTOMAGO. CONSTIPAQftO.-
i'ura em poucos dias pelo canvto de belloo em p on en tw^tilhaB.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Rssairaffec^ossiodii-
Mpadas npiJamenio pclus perolas D'ETHER SI*ClIHIU.
ANEMIA, A PALLIOEZ e .r, viUi-mientos que nccc$wt-un ao
aipreaa dos fcrnifino^is sio senipre combatidos com melhorf*sulfci,".o
pete PlLULAS DE VALLET. Cnda Pilula t^n incravado o uoine V1U.T.
PO DE ROG. Basta Jifsclver un fraseo d'cste p ern meio
ifa d'jgna para se obtr una limonada agra.Javel que purga sem .-
tt clicas. .
VINHO BE QtWMIUM de Labanaquc. Este vinfaa, um dos
UsmiqI garantida constante, urna das meihores pr
i *-\'j nolavel Sf*re os con\alesccn'.es, dajido-
Bwfii febres antigs que re-
sftO ao iruMlu de qumino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. t mJior uaHe h'&Cu m*es-
S^^^B ctarix, e todas as dores nervosas era
SfllU rLAS OE ESSENClA OE THEREB N+INA do
r. eiUii proit-ssor Trousseau em sea Trotado ie tncropeuiica sooa-
*t*n as iat WTcm toiaJas na occasiJo de jatitap na dse de4 *.
OLEO HE ttOADO Bt BAALHAO DE BERTH-
Ci-ai.ii ij poro de prtmetrt sjoalilade, uin dos poneos' apnmdos pels
SMlsssia 'le r "
MWP. Tk,'- uuultcdMeHtos (orara aprovaiot pela Academia
hn-frrid de tiitdicina de Pvris.
DEPOSITO
u> Pars, L. FRERE, 10, rna Jck
Bto-atetri. \ Pemambuco.. Mabbu et O.
balita..
. UusieiO.
Ceera.....Siimai et Ck.
A
Na rtia Estilita do Rosarion. 3a Io anisar prepa-
nini-se ro'bswleias J tkifa* para casamento!1,bui-
I les chapleados, por preco nidio rommodo, enni bolos
i dedlfTerentes qualidads.boqnetsdefloresartilciaes
e nsjtraes propfios para enlejes de btjlos e para
casamentas e para qualquer oflerla com litas bor-
; dadas a ouro e lelreiro agosto dos dmios ; as en-
ivmimendas deveui ser teitas dous dias antes,
enfeitam-so velas ricas por muito barato 'prsc/i
para baptisados e enfeites de altares; /az-se ca-
pella* e cenos para as lojas c flores para enfeites
de igreias ; pivpara-se qualquer oucomnienda,
para fora isom toda a presteza, de ros, palmas,
raptlias, festes c roseiras para enfeites de iprej
mais barato do que em nutra qualquer parte e
com i'da presteza; faz-se pao-delo, pudius e do-
ce, t;ido enfeitado para presentes.
mwm mmmmmm mmmm
O Dr. Enniro Coutinho reside
roa da Catteto i. 6 i, onde tem
aberto o seu consultorio medico, e
pode ser procurado a qualquer ho-
ra -ara o ';xerccio do sua profis-
so.
Ftigio no dia 9 do coi-rente Bienio
eUgeaho SantAnna da comarca do Porto
Calvo, o ctibra Wenceslau, slatttra recu-
lar, de -2-i anrves pouco mais ou menos,
sem barba, cabellos preto, e bem caia-
pinhados, foi comprado na cidado do Re
cife, para onde veio da provincia da P'a*
rahyba;e bem assim o esaavo Manoel
crioulo, do 5hi annos, estatura regular,
tem um dente.quebrado lie queixo superior,
bem preto; quem os apprehender leve a
casa do negociante Joaquim Rodrigues la-
vares de Mello, no Recife, ou no referido
engenfto que ser bem recompensado.
- Lu/ Januario da Gama e Horacio Antonio
Minyabeira, d^elaran que dissolveram amiffaveh
mente a s garros e charutos, sito aa traves-a do Qieimado
n. o, que pyrava sobre a tirina do Cama St C.
ficando todo o activo a cargo de I|racio Antonia
Mangabiri, e o pasivo at osla dota a cargo do
ex-socie Gma.
Recife, 17 de julho de'1869.
Sublime pitblicaco iliteraria sub a
titulo de Memoria do Bota Jess
du\Moute, em Braga.
Acha-se venda na loja da roa
do'Crespo n. 25 A, esquina da do
Queimado, a Primorosa Memoria
do Bom Jess do Monte em Braga,
'ornada de gravaras finas, segunda
ediiTu), obra da penna de ouro do
mui illuMtrado lente da oniversida-
de Coimbra, o Exm. Sr. conselhei-
r Dr. Diogo Pereira Forjaz de
Sampaio Pimentel: quem tlver no-
ticia da extraordinaria devocSo que
exisle em Portugal para cora aquel-
la milagrosisssima iinagem.affluiiidii'
sempre para o seu m^ges^)S(> tem-
plo em romaria numeroso povo
de todas as partes desse reino;
quem souber avahar as brlhantes
desc pges, o o bella estylo da-
quelle consumado jurisconsulto e
eximio iierato portuguez, n5o dei-
xar de procurar epiatito antes pro-
ver-se de um exemplar da dita me-
moria, pelo dimnuto preco de 3H,
na loja cima indidbda, onde j ha
pequeo numero deltas.
COMPAMIA PERMMBCAWA
COI^FIIIO IIK liraEC\O
Os Srs." Saunders Brothers & C., Tassolrmaos,
Luiz Antonio de Siqueira.
EREMTE
0 SR. F. F. BORGES.
Restando anda emitlir algumas accoes dest 200.5000 cada urna, das quaes s se aceitam em virtude da lei, 20" /?, ou 40<500t>lpor
cada acoSo; coHvida-se pelo presento ao publico em geral e especialmente aos Sw.
capitalistas e interessados no comniercio, que qaeiram dar empreo seguro aos seos
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes que Ibes approuver.
Algumas destas accoes ji tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vanlagem,
de na presente occasio (conhecidamenle a meihor), etnpregarem o dinheiro de que
poderem dispr cm objctos de valor real, como.vapores, predios etc., que Ibes garn-
talo seus capitaes.
A companhia possue boje 10 vapores, inteiramente novos, e destes o ultimo est
a chegar de Inglaterra, onde l'oi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno pue possue ho largo d'As-
sembla.
Seas dividendos tem sido ds 10 % ao anuo nos ltimos 4 atB0s.
As accoes que se emiltirem gosam dos mesmos direitos, e percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que bs amigos em proporcJo da entrada.
Recebem se assignaluras no esciiptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12.
CHEGEM
AMANTES DO BARATO
qne est finalisando a liquidaco da ra do
Crespo n. 17 de Antnnes Guimaraes & C.
Camisas'bordadas para senhoras, lencos de hbyrinto, froiihas, bicos e rendas da
trra, cortes de tarlatana bordados para casamento, cortes de voetidos de cambraias
bordados, alpacas de cores lisas e de lislras. precias ainda de bonitos gostos, casaspH-
nhos de casemria para senhoras, saias bordadas e baldes de todas as qualidades etc.
fOra da .iquidacao
Ricos cortes de vestido de blond, recebidos pelo ultimo vapor.
Pompolinas de gostos especiaes, quemuito agradam.
Gorooroes lisos de edres para vestidos, fazenda ltimamente chegada.
Coixas de seda de todas as cores.
Chitas afostuadas fazenda nova no mercado.
Ricos chapeos do paila para senhoras e i Capellinas de novo rosto.
Esleirs da India propras para forrar salas e quartos.
Rons e bonitos tapetes de todos os tamanbos.
Tpeles avellutlados para covados : e outros muitas fazendas que s vista se
a realidade do barateiro.
Precisase do una ama que compre e cozi-
nhe : na ra Oirta n. 79, 2' ailar.
H\xm,
Pedo-so ao Sr. F. F. V., e-tudaniu do pri-
meiro anno. que tenha a bondade de vir ao hotel
do Monleiro, a negocio que nao ignora.
Pr*ci9a-sc de nma ama livre ou mesmo es-
crava, qne oante com perleicao o diario de urna
casa, que sejn d^ ba conducta : a tratar na
na do Vicario n. o. terceiro andar.
OSTREIRA.
Coso-se costuras de alfaiat a moda frai -
caza, por prefo commodo, na ra Augusta
n. 112, e da-se fianza sor-re as mesmas.
Precisa-se de urna ama : ua ra do Imperador
r- 14, anna&sm de mojhado-.
Escrava Honoria
Saino a pretexto de procurar senhor, em 0 do
crreme, e como aiiida h voltnu, jiilga-se estar
fgida, a qual tem a idade de3-1.annos. e>I grvi-
da, cor preta, fpi.escrra de Giiimerme Sette, e
ulliman.cnte comprada a Francisco Alves Montci-
ro Jniorj iippS-ge estar acoutada, pelo que pro-
testo criminalmeile corira qum a tver acoBtnda.;
e roga s autoridades poiicaes e apies de cam-
po a captura da referida escrava, e a quem sou-
ber dar informaces na na nova de Santa Jiita n,
63, ou rna da Pr*ia a. 78, so gratificara.
Associaoo Coramercial itenef-
ceiile de Fewiatabuco
A dreceto da Associaco Commercial
Reneficente, de confonnidade com o dis-
posto no art. 0 dos estatutos, convida aos
Srs. associados a se reunirem em assem-
bla geral no dia t de agosto ao meio dia
no salo do edificio da mesma Assodacto;,
alim de proceder-se a leitura de relatorio
annuo, eeleicSode nova diieccao.
AssociacSo Commercial Benellcente, 28
de Julho de 1859.
D. C. Ramos.
Secretario.
AOS 20.0004000
CASA FELIZ, ARCO DA COXCE1CO N,
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na for-
ma das leis tem exposto venda os seus felizes
bilhetes das loteras do Rio do Janeiro, na rasa
cima aonde se pagarn as sortes que sahreh
bu mesmos bilhetes com o descont da ei s-
mente.
Presos.
Bilhetes iuteiros. 100
Meios......ti*o00
^aartos.....6*000
E 'lQOi para cima a 2i. o bilhele.
FigtPiredo & l.eite.
ITISTA i FABIS
10Rna Nova19
FREDERICO e- UTIEK
:irurgio-deiitista, rauito conheeido ha den anuos n'esta cidade, pela perfeifao dos sbs
:rabalhos, tem a honra de participar ao respeitavel publico que tendo feito maitos ttifc-
tioramentos na sua casa, pode d'hora avante receber as senhoras no seu gabinete oito>
tcharSo os commodos precisos para familia.
Acha-se tambem na sua casa e na sua companhia, o seu sobrinho e disputo
.1. lm:b*oi YnjAM CL311MA~
o aual acaba de voltar de urna longa viagem a Europa, durante a qual praticou com
feliz sticcesso as primeiras casas d Pariz e de Londres, offerecendo assim as meihor*
garantas do bom desempenho para tudo o que for relativo a profissao ; por isse o
mnunciante pede aos seus amigos e clientes que por acaso o nao cucontrarem no seu
gabinete, depositen! no dito seu sobrinho a mesma confianca com que o le hoirado
i dez anuos.
Dentaduras por todos os systemas: a presso do ar e com molas de ouro, platina
vulcanita e um htelramQle novo n'esta cidade.
Gura radical dos denles cariados.
Chuin'bagens (obturagoes) com ouro c com massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de dentes.
Agua e pos deritrilicios fabricados pelo propro annunciantc, o qoe Ihe perroitte afian-
Car sua boa qualidade.
Escovas para dentes. etc.
Perfeipo de trabalho e precos moderados.
Viatjms para fura medanle ajusto previo.
-'itbinote acha-se aberto das 8 horas da manha at as i da larde de todos ds
lias uteis.
Fngio no dia 1% do correiite e preto Sera1-
phim, de idado mais de 30 annos, crioulo, 7 pal-
mos de altura, espvda'lo, sem barba, j foi visto
nesta cidade : quem o anprehender levar ra
da Aurora n. 24, 2 andar.
O atfvogado
An*onco ,1e Amuquerqne Mello muden o seu es-
criptorio para a rna iras Cruzes n. 37, defrooie da
tjpograjphia do Diario.
MMC1NA
0 Dr. AWarrs tiiiimaies, cuja praii'-a
das clnicas data j de nao pooeos :in-
[ nos, faz publico que se prope aqu a
exercer a medirina em todos os seus ra-
mos, leudo iwr especialraWdade nem so
| as hydropesias, as niuestias uterinas,
das vas urinarias, da bexiga e l'ebris,
i como ainda as aniputaeocs, fraturas. hy-
| droreles e operacoes obsttricas (concern
nentcs aos partos); para o que tem : to seu consultorio, rita do. Imueradol
n. 17^ Io andar, onde dar consultas das
[_ 8 as 10 horas da nvinha e das 5 as 7
I da tarde.
Declara outrosim, que sart as mo-
Ilestias sypbilitlcas do tratamnio csta-
. behridn pelo celebre syphrtogrimho Hi-
I eard, qne na op raeo do ectroplon em- g
I pregar o rpido e proflroo prowsso do JK]
prwetisor Vida!, de Casoi, fra o que "f
1 tem apropriados instrumentos, e que *
| as dentis operacOes o molestijs pora.j
I ata |ntioa o methndo ott pnicesM, qne-
| Wr anis con 'entaneo i fceieam, 0 que
mais Tatagons possa aaferir ammm-
m.
Promctte, fluihnente, entrvj.ir ao li-
tro e generoso Jvedrio de seus clientes
a estimativa e pagamento de seus hono-
rarios, e curar gratuitamente pobres
offei ecendo-Ihes, aieui disso, alpuus me-
dican entos proprios A conjurar seus
males.
IWEITAMI DOS .IV1A1ZES
16 RA 01 CRUZ 16
Ha diariamente sortimento de bollinhes para cha, podios, pues de lo, bollo ingle:,
)rsuntos, ditos em feambre, pastis de diterentes qualidades. Papis para eortte,
lollos simples e enfeitados, nmendoas confeiladas e confeitos. Vinhos finos engarrfe-
los, superior cha Bisson, preto e tuiudtnho, fructa em xaropes, ditas seceas e ebrte-
isadas, as9ucar candi, xaropes refrigerantes.
Recbe-se encommendas de handeijas para casamento, bailes e baptizados, eora
bonitas armacoes de assncar, sendo estas preferiveis asdepapeiSo: bollos etc., pts
le l'enfeitados, qaalquer cncommenda para fra ser bem acondicionada.
11 Ra estreita do Rosaris 11
Este novo e modesto estabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico este efc-
{ante e bem fornecido hotel que situado n'uma posic3o inteiramente saudavel, e sec-
to constantemente sombreado pelos doces zephyros da larde, toma-se preferiwet qaJ-
pier cutre d'este gerjero, as tres cousas mais nec^ssarias ao genero ractonalalr-
nento do oerpo, dwtra?5o da alma, e scelo de espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto milito profusa, da pi iioeira ordera ;* ao
rimeipb andar, sala da frente, um exctente biih.tr de mogno, para divertimeoto. ^a
le traz um restaurante da primeira ordem. Quanto ao asseio o bemfeitoria das comedo-
ras, o delicado modo do pessoal do estabelecimento, promptidlo e commodidade, s
tos Ilustres concurrentes dado fazer justica.
f ornee a comidas para fra, tanto por mez eomo avulsa. Todos ee das, i no*e
ncontrar-se excellente sorvete, refrescos, caf, cha, bons vihhos Flgneira, Porto, Bor-
leaux, tendo bons commodos para hospedagem, salao e quarto mobiliado no]
lo andar.
INJECTION.BRO
jrcicaMa, iiuallnei e
m irlipni kmkm mumi. (Exigir a
I onoMw 1IOS. inhmi Mtvnu, mi.
* iiuiea |i-f cura mhu iwnlwt aOxiv*. *.
tim).{Niu*iitilNMa.)-nr>M







/
Diario de Pemamboco Sabbado 31 de Julho Je 1869.
5
A ESMERALDA
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no sea estbelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offereeem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem viudo a esta
pra veL Tambem compram ouro, prata e pe
dras preciosas
USBUA DOCABUfiAW.S
ALGODO
LOJA DAS ACIIIMS
PILUUS
ANTI BIAIBATICAS
Cura radicalmente as lioiibas.
nico deposito.Pliarmaoia de Joaquira
do Almida Pinto, ra larga do Rosario a-
mero 10, junto ao quartel de polica.
VtKOPE
DE
SALSA PARR1LU.V M Wk
u
Depurativo do sangue
Usado as molestias do pel!e, mpgens,
dores rheumaticas e ulceras venreas,
NICO DEPOSITO
Una larga dollosario u 10.
JUNTO AO QUAUTKJ. DE POLICA
Permimlmoo.
Ama
Precisase de nmi anta para ootmbar e comprai
para casa de nouca familia : na ra das Oruze>
n. 28, 1 andar ; preferc-se escrava c paga-f
bem agradando. _____________________
MARTIMOS
COXTKA FOGO.
A Coinpanhia Indemni6adora, estabelecida
esta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
rna do Vigario n. 4, pavimento terreo.
BASTO
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanhos para descarogar algodo, do
mnito cunheeido fabricante Eagle Cotton Gm.
MACHINAS ditas, taatoem de serrotes e de todos os tamanhos para dscrocar, ar-
gadijo do autor New York Cotto Gw.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, de carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas do Rotlor Gms. de cujo trabalho faz obtcr mais 2.000 em arroba
de algodo.
MACHINAS -le faca do fabricante Platt B. & C, Gbdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas, sio da superior qualidade e as lunares que tm
viudo ao mercado ; o para a sua apreciaco conridam-se as senhores agricultores j
vkem a exposiro das raesmas m ra 4a Cadea do Recife n. 36 A, loja do Bastos, onde
encontrarse mais o seL'uintc :
Debuihaderes para milk >.
Cyliodros para padaria.
Arados americanos.
Garrinhos de mo.
Machinas para cortar sapini.
Canaoe de chumbo,
donabas tk> Jap.y.
Ditas americanas.
Tethas de ferro galvanisadas-.
Folhas deainco n&
Ditas de cobre e lafo.
ferro de todas as qualidades.
Vrcos de -ferro.
Folha de Flandres.
Machados americanos.
Faces ditos.
Balaios e cestas de verguinha.
Vassouras americanas.
Folies de todos os tamanhos.

Tornos e safras para forraros.
Finalmente muitos ootrosrafligIospertencenes
diversidade seria enl'adonbo ennumera-os.
Folha de ferro.
Balan-as americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de ferro ditas.
Baldes demadetra ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinna.
Pene i ras para .padarias.
Baldes galvanismos.
Corrciites de ferro para lntanjairas.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engomiaar.
Moinhos para refinaces.
Azette de espermacele, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Scrns avulsas para machinas.
Mancaos e todos os mais pertenec-s para-as
racimas.
Latas de gaz,
lavoura e artes, que pela
Alnga-se o lJ andar e sotan do sobrado da
ra da Guia n. 31, fresco e rom milito bonita vis-
la : quem pretender envn la se cuta Jos Anto-
nes uimaraes : para wr a chave, na rna d.i
Senzala-vei i n. 58, no deposito do Sr. Oasrao.
PIBDEU-SE
_ degratiOearo.
Liacordio tkouro para pcecoon, a o lahir da
Cruz de Almas pela estrada de Joo de Barros ate
o cemiterio brasileiro : quem o acbar pode dir-
gir-se ra do Commcreio n 8, qne receber a
gratificaban cima.
Previne-se ao respeitavel publico que
as machinas e o mais que existe na serrania
e fabrica de chocolate, sita ra do Mon-
dego n. 99, em virtude do arrendamento
celebrado, servem de garanta nao so aos
alugucis como ao complemento do mesmo
contracto, protestando os proprictarios da
da dila prepriedade fazeretn valer o sea <
rejto; e para que niaguem possa chamarse
ignorancia ae faz o presente nnnuneio.
COMPRAS.
O inuzeo de joias
fia ra do CaUug n. V compra-se ouro, prala
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que em ontra qualquer parte.
.Na praca da Independencia n. 33, loja deou-
uves, compra-seonro, prata, e pedras preciosas.e
tambem se faz qualqner obra de oncommendaj e
jodo e qnalquer concert.
Ra do Queimadon, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Stlva conhectdo por
Jos Bigodinho. X
Est queimando tudo quanlo tm em seu
estbelecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Caixas de lintias do gaz com
Onovellos a oOO
Latas com superior banha a
lO, 200 e..... iOO
Frascos de oleo babosa muito
lino a....... 400
Duzias de meias ( inglezas )
muito boas a 4OO0
Garrafas com .agua florida ver-
dadera a ...... !20C
Garrafas coraaguadivina darae-
Ihorqualidade .... I.J500
Caixas com 12 frascos de cheiros
proprio para mimos a 2do00
Dita com|6 frascos muito finos 5800
Oleo baboza muito fino que so
a vista ......
SI ti
Comprau-oe e venden se dariamenUipara fura
e dentro da provincia, eseravos de tudas as idades,
cores o sexo?, com tanto que ejam radios: no
lerceiro andar d i sohr.iilo o. 36, rua das Cruzes.
nvgoeda de Santo Antonio.
Compra-se
(arinba de mandioca da trra : na rna do Coni-
mercion, 17.
Vrpinti ii'o, Fdiio & Subrmtio, ra ReaJ do
Manguinbo n. do, sacm sobro Hesfianba para os
ports sesHMiiles :
Ponte Vedra.
Santiago.
Vipo.
Puente Ardlp.
Redondetla.
Caiza.
Celatiova.
Orense.
Tuv.
VENERAVEL OKDKM!' TRCK1KA UE N.
S. DO CARMO DO RED1FE.
Em nonia da mesa regadura convido a todos os
nessN charUsimos irwaos a coinpareccrem em
M9M greja par:uiinlac{os com seus hbitos, nos
dias 31 do coi rente e de agosto pro-simo, jara
assisunem a* vspera*, testa e Te Deuui tli Clori'-
sa Seabora Sanl'.Aiii, padrueira do nuviciado,
enjos a'ilos seriocelelirado as horas do costme.
Socreiaria 8 do jufliu de 1869.
O ecretaiio,
Joaduim Xavier Vieira Uy<>.
!in^rolm^rCT!os7n'!iTe, Juio Jo^ (on-
prfves Plexo, Maria Carolina Plexe, Ie*< da Silva
Salgado, Maria Hita da Costa, Antonio Jos Perei-
ra da Cunha, Joaqnina FlorianadaCosta e Cunha,
esposa, fdhos, sogno, sogra o cunhaiiM do fallecido
Antonio Jos Goncalves Plexe, corlialmente ngro-
derem a todas as ^essoas que os obsequiaram em
acompanhar o mesmo Uado ao cemiterio publico,
e de novo eonvidam assistirem a missa do sti-
mo da, que uukBdam celebrar na igreja matriz de
S. Jos, segunda-feira 2 de agosto, pelas S I|5 ho-
ras da maimaa, -pelo que desde j se eonfessam
eternamente agradecidos por "t acto de cari-
dade._______________________
- Preisa-s^e una ama para comprar e cn-
zlnhar : na ron do Queimado n. 22.
CARVAO DE BELLOC
PARS
Afiprovado e recommendado pela Academia imperial de medicina de Pariz para a
ura-da gastiilgia e em gral de todas as doencas nervosas do estomago e dos iolestinos.
E egualmente o remedio por exceilaneia contra a relencfio de entre Finalmente em
raza* de suas pxjpriedades -absorvente*, recommeadado como verdadeiro remedio nos
cazos 4e diarrtiea -e cholerioa. O eanAo de BctkM toma-ke na otetao da* comidas
sob a forma de pe ou de pestilhas.
Depoito em Ro-Ja5eibo. upoxdulk, Chevoiot. Stri PEfixaawoa, Mairrer i O*.
Scdnlas de !S e 2S
Compra-se na casa de Theodoro Simn
A C., largo do Pelourinho. ,
rrr
i
li
Compra se farinha de mandioca da trra : a
tratar na praca do Corpo Santo n. 21. segundo
andar.
SEDLAS f.EKAES.
Compram -e com premio scdnlas geraes de 20
para baixo, sendo qusutla superior de l:000000 :
na ra do Vigariu n. 3, escriptorio de Jehnston
Patcr A C.
CPiUrSE
luoedas de ouro e prata de todos os valo-
res, ouro e prata em obras nutilisadas, c
bi uantes e mais pedras preciosas na lo-
ja de ou ves do arco da Couceicao, no Re-
i-fe._______________________________
Compra se urna escrava de meia idade com
algumas habilidades : a tratar na ra do Vigario
n. 33, taberna.
VrNDAS.
OHIIIA.
Vende-se urna ovelha, muito gorda e
mansa, e nova, pois qie teve apenas um
parto; dirija-so ra das Cruzes n. 20 se-
Folha tic ^landres
de superior marcaDerwenta 23*000 a caixa :
na nta da Cadeia n. 4.
(jurante-se a Cisa.
Veadc-se una armario inrniaada e parto en-
vidraeada, existente no pavimen o terreo oo sobra-
do h.'l, sito rtja do CotoveIJo, rjue faz quina
para a ra $, Goncalo, bem como as de mais
bemfeilorias, candieiw de gaz, canteirot>. etc., lu-
gar apropriadu para quabpjer estaheteeiuieuto,
mrmente taberna, c tem aocommodaeSej nos fun-
dos para familia I a tratar nao s sobre o sen alu-
guel com Manoel Ri eiro de Camino, rus do
Fuaio lio fiia 18 de julho, o escravo ICu- Queimado, luja de. fazendas, que garante a casa a
opnin nroto rrioulo de idafle rio M mam '}a'' '"':,r ,'"'" rn,aM B M eh incumbido de
genio, preto rnoino, umudoa no ou mnw. dzer mgocio sobre a me. pouco mais eu menos, usa de b.gode tor- -_vis;_in__le ^ma ^ ^
cido e bal-bu cerrida, ja meselada, um tanto, imperial n. -no com :c> bracas .d* frente e 113 de
calvo, altura regular, magro, pernas finas, fundo : quem pretender dirija-sq roa di Cota,
.*upp5e-8e andar pelas Itandae do Affogado mercio n. 9,1' andar,
at os Prazeres; quem o pegar leve-o-a ra
do Trapiche no Hotel do nwerso n. que
ser generosamente g atillcado.
Criada.
Precisa-se do urna criada, para andar com enan-
cas e tazer inain algum servioo : ta ra do Quei-
mado u. 30, entrada pelo largo de Pedro II, se-
gundo andar._____________
Alugase, na Esiradanova, um sitio cercado,
com arvoredos, cacimba, casa de pedia o cal, com
quatro qnartnj : a Miar no mesmo lugar, no si-
tio da vinva Villagaea.__________________t\
PBPAtAlltU)S
Francisco de fcoi-ja iecciona na a -4os Praze-
es n. i2. rhetonca. francez e grainrnatica latina.
- Proeza-s de um menino para
Liberna, eom pratica na sem ella.
eaixeiro de
0 MUSEO DE JOIAS


GOMES DE BifiTTOS IRIWOS .
tendo feito completa mudanea em seu antigo e
acreditado estbelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporooes e elegancia, coavidami
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente | Z/2
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUG N. 4
onde encontrro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubina e todo que em obras
de ouro, prala e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBIMS
de noros gostos, assiin como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram o trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
Novidade
Miguel Gimes da Silva, estabclccido na ra da
Imperatriz n. 42 com arnwzem de molbados deno-
minado o fioin Ueuiuaio participa a todos os
us freguezes que mudmi-so para a praca da
Roa-Vista n '!k ,'squina da ra do Aragau, onde
tem um completo sortimento, como sja : batjitas
em gigo a 1 e U800, manteiga ingleza a l^OOO
superior, presunto p irtuguez a 590 rs.

0 MUSEO DE JOIAS
8*, 94 e 10^
"Calendo para Jiomem,
ra da Cadeia do Recife
n. 45.
Mendos, Faleo & C, vendom em siiti estabele-
cuento caUad.) inglez, fresco o bem feito, de dife-
rentes qualidades, pelos precos cima ostiptiUdos.
A quem comprar u.) sor.tiiuento de 3Q ,pafe.s, se
dar um abatiraento razoarel, (joe muito convir
para negocio
A WJA BA .(SADEA DQBSC1RE N. 4S.
ttIl IM"
DE
siwmit mam
para linmen*, sehor.-is, memnas eriancas; ni
luja da S!ipo?iclio, ra Nova #. 8. r^jende-a*' por
pre^-o mais "rnimitf' *r"" em onfra jnalnuer parte.
Boa ra Vende-se uoi sal de burro- do- ruca Anialuz,
excellente tMtntjS'oducelo: ^tuem pretender e
qnizer ve im, guaira dirig*f-.-e c-iebeira con-
fronte a torre *w arsenal de marinha, e para tra-
_tar.no largo di CnrjM Santo n. 6,2o andar.
Armado
Vende-se urna arma cao de arflarello inveruisa-
da e eavidracuia, |ior cyaimodo erero : a tratar
na praca da Independencia as. 34 e,36i
PilliO 4 4IKI9I.IICO
Vende-wrap PaulotCordan^iao, ajado, ieo
urosso e vinagrinbo : no deposita cargo de Joo
Francisco dativa S.>areSi roa di> Vigario n. H.
Faz-ae vantageos p 49010 comprar porijao, t tro-
csnii rap que nao sabir do agrado, o eonn
mdyrra.
doOO
Sabonetes de calunga muito l>o-
nito ...... iJUND
Caixas de p de arroz muito
superior ..... #600
Pecas do babadinlio com 10
varas a #$00
Pecas de fita de cs cpialquer
largura ..... #500
Escovas para unlias muito fi-
nas ...... -5500
liscuvas para dentes fazenda
muito fina^..... #40
Pulceiras de contas de cores
para meninos 5200
Saixas de linlia branca do gaz
com ;K) novellos ... Od
Pegas de tranca lisa de .todas
as cores ..... #040
Resmas de papel pautado muito
fino ...... 4#000
Pares de botoes para punbos
muito bonito #120
Libras de la \r.v a bordados de
de todas s s cores 8#000
Pentes com costas de metal
muito finos #320
Novellos de linha muito grande
para croxs #320
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... #180
Grosas de botes madreperola
muito fino ..... #500
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e..... #320
Pecas da fita de la todas as
cores ...... #500
Espellios dourados para parede
l#000 e..... 1#500
Espelhos de Jacaranda muito
tino ...... 2#000
l'ecas de trancas brancas e de
cores de caracol A060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... #320
Caivete muito fino com 4 fo-
lhas ...... | #500
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos 1#200
Grande
loja de fazendas e roupas fcilas
roa da luperalriz n. ll'l
porta larga,
DE
A luja de iouca. vidros, porcelana e
christaes. da ra do Imperador n. 16,
alem do explendido sortimento que tem
destes artigos, tem porcelana propria de ir
ao fogo, fregideiras, cacarolas. pratos pro-
prios para podins e pastelons, cafteiras
etc., etc., tudo por precos mais cmodos
do que em outra qualquer parte. Tambem
figuras, va/.os, pinhas, lioes, globos, e bolas
panorama, tudo proprio parajardins, e cn-
fe-ites d-i cazas; rui do Imperador, n. 46.
Vend -se
a-taberna da ra de Hurtas n. 43, em virtu-
de de seu dono relirar-se para fra : a tratar
na misma.
Cal nova de Lisboa
Vende Joaquim Jos Ramos, ra da Cruz n.
8, Ioandar.
Aproveitar em quan-
to duram.
lialo-.'.s de iiiiis-elina com pequeo toque de mo-
fo a 3/ c a 3'j<>0. fazenda superior.
Kspanilbos a 2.45li0 o 3A, ctiusa nunca vista, #
no triumpbo Outras muita fazendas que se tor-
ra m por tudo o preco, ra do Qteimado n. 7
AEXPOSICiO
Nova loja de calqado estrangeiro j preco!)
PAREDES PORTO
Neste eslabelecimiuto encontrar! o res-
peitavel publico um bonito sortimento de
roupas o fazendas de todas as qualidades e
prteos cnuimulo-s, tun pempie nm boiittM
sortimento de casemiras de cores e prttas.
panno fino de diversas quahlades, brim de
bonitas cores e urlicos de ba qualidade,
encarrega-se qualquer obra por medida &
preco muito eommodo.
ROUPAS FEITAS
na loja da ra da Imperan i/, n. 52, porta
larga.de Paredes Pono:
Tem neste estbelecimento um bonito
sortimento de roupas feilas de diversas
qualidades e precos commodos, como sejam
palitots de alpaca preta e de cores a 3|,
3#S 0 e 4#; dito de panno preto sacos a
(i.-5. 7F8#^ ditos ile panno superior a
12#, IU e I6#; dito soliiecasacados de
dito dito a I8#. 20# o 25#; ditos de tase-
mira de cor a 5#, 6#e 10: calcas, ci(fletes
e palitots de casemira muito lina de cor a
20 e 25#; calcas de brim blanco de c6r d
todas as qualidades de *# a 6-5; ditas de
casemira preta e de cores de i# at 120,;
colletes do todas as (|ualidades: ceroulas de
tu amante a t?j500, 2#000 e L2#OO ; camisas
fraiicezas de linlio e de algodo de todas as
qualidades e preco mais barato do que em
outra qualquer parte ; oulaiinlios, grvalas ;
bonito sortimento de chapeos de sol de alpa-
ca e de seda; meias inglesas alija duzia;
peebiQha neste estbelecimento pelo
grande sortimento : todos os Ireguezes se
poderSo prover dos pes at a cabera, por
preco commodo.
FAZENDAS
r.rande sortimento, como sejam, chitas
baratas a 300, 320 e 360 rs. .Madapplpo
tino a 7#, 8# e I0# a peca. A'godSo f^ie-
cbincba) a 5#500 a ptea e outras qualida-
des. Cambraia branca de todas as quali-
dades transparente e Victoria de 3#50 a
8# a peca. Lanzinlias de bonitas Cores, ai-
pacas bonitas, selecta a pera com 28 metros
a 28#000. Esguiao o mais lino possivel a
Jv'iOO e S#a vara, e oulras militas fazer:-
das por preco commodo, que seria enfado-
uno mencionar, na loja do
LE&O DA PORTA LARGA
FE
Paredes Porto._____
IUIT0 BARATO SE VE.\I)E!!
NO
RU NOVA N. 50 ESQUINA DA DE SAW-
TO AMArtO
Os proprietarios Jos de Souza Soares A
C, alm dos baralissimos pucos por qw
eslSo vendendo a grande variedade de arti-
gos de moda c novidades de bom gosto
tanto para homens como para senhoras e
meninos, vendem:
CHAPEOS moda imperial, de castor
branco para homens, fazenda fina, a 10$!
(o preco ti#000).
COQUES enfeitados para noivas, grande
novidade a 4#500.
DITOS sem enfeito o de delicados mol-
des, sendo de seda ;'i imitacao de cabellos
a 3# e 3#500.
MEIAS superiores inglezas para homens,
a duzia de pares 7#800 (o preco de 9t
a to#000).
LEGUES de madeira sem dilferenca de
ndalo a 2#000 e 2-5-500, grande peohin-
dia!)
PITOS com lentijoulas a 3# e 4#000.
BARALHOS de cartas francezas boa fa
zenda, a 200 rs.
PAPEL inglez sem pauta, formato pe-
que io e fazenda superior, um pcete pd
t#000.
IJNDOS cintos de palha enfeitados para
senhoras (grande novidade em Pariaj) 8
2#500 e .'!#(K 0.
DELICADOS corpinlios de cambraia bel-
lamente enfeitados a 6#500 rs. (admira o
Ven les.- uaao&'d*lot*c8o de I.OOO fi.
jlos: qneni a pretender difija se rn* da Oldeia
ora n. 45, que e dir quem ^rewfc, a dinbMro.
YiHjrte-se I escra er^iula,bonita, ]4ade2Q
aanos, perita eozinheira, 3 dus de aade ifi a Vi
annos, acotuinadas. ao servijo de enpnho, i mn-
lataoptima efloiujoadeiri-, toiiaba bem e coae
p> y-MVe ti W Cayno n.1.
Eap Princeza
DA IMPERIAL TARRICA WtftRA GUJMAt
Vende*o et eioeeoie jM m ascrip-
4oro de bmytm Oerilo>A,VaMN. A ra
do Vigario n. i6, i'afiVIar.
para homens, senhoras e
meninas.
NA RA NOVA N. 8
em frente a camboa do Carino.
Lyra & Vianna, tendo pela experiencia
adquirido a certeza de que o publico desta
capital, era mal servido, pela falta de esta-
beleeimentos, sortido< de bons calcados,
situaram a sua nov loja. na ra Nova n. 8.
Lyra Vianna, convidan) por isso ao
publico, e com esp cialidade ao bello sexo,
para visitar seu novo extabelecimento de
calcados finos, manufacturados pelos mais
habis fabricantes da Europa; ali encn-
traro sem pro, todas as qualidades de cal-
cados, solidos pela boa manufacturac5o.
frescos, por serem muito novos, e vendidos
por preco commodo, para merecerem a
conanca de seus distinctos freguezes.
Comprometem-se a mandar vir encom-
mendas de calcados especiaes, e a exhibir
as obras de phantasia e de mais aprmo-
rado gosto, dim de que suas distinctas fre-
guezas calvem e mostrera sempre o chique
da botina franceza. Isto s na ra ficta
n. 8, loja da exposic5o de calcados de
Lyra A Vianna.______________-
Aos senhores de eiigenlio
Vende-se um escravo robusto, de idarie de 30
anuos, acostumado esa eogenho : a tratar no pa-
teo du Terco a. 63.
UMA grande variedade de lindos b
jectos para mimos, assim como muitos ar-
tigos de novidade e de apurado gosto -que
se vende por precos baratissimos
No Bazar da Moda.
i
Acha-se venda na typograpbia do Sr. Fran-
cisco f.oelbo de Lomos & C, a Delicias da Pieda-
de, tratado sobre e culto da S8. Virgem, obra do
mortal padre Ventura, traduzida pelo vigario A.
ti. de C.
Eui ca de Idanson liowle
Companhla
vendem-se 160 barricas de cerveja de superior
qualidadeM-.rra Tonnont.
Vendc-sa u na escrava moca, d<> bonita lisu-
ra, qne sabe onjMmmar e coser bem. coainliar
<>*riolmonte o faeer labvrintbn, rendas e bicos ;
a tratar na ru da San'a Crin, casa n. 16.
Burras
Vendem-se duas facetas e ensinadas burrofl
para carro : a tratar na ra do Vigario n, 31,
Para o armazem do Campos, na ra
Imperador o. 28.
Neste muito acreditado estbelecimento
aeha se constantemente um variado sorti-
mento de gneros finos para meza e
cosinha e entre estes uomea-se apenas' as
especialidades seguimos:
Queijos do sert5o sendo de manteiga e
eoalha. -
Camares seceos do Maranho.
0 verdadeiro caf de Moka,
O superior e bem conhecido peixc miraguaia
que se vende a 160 a libra e 4#500 a
arroba.
TABELLAS
de reducc3o as mais facis o mai corn-
prehens>.., tudo no
Armazem do Campos
Scbontte fieeUcatrdo.
w
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tsv> b^i
acceitac5o tem merecido n'esta provincia.
muito se recommenda para a cura certa
das impigens. sarnas, caspas e todas a?
molestias de pello.
Deposito nico,
Pbarmacia de Rarthooroei IC,
^4rna larga do Rosario34.
IMS ITJIS
Veodem Atipjsto F. de veta & C '
fommercin. o. *
-1 Vende-ae unaa mab mbncta, :pr^pna-pni
servico decusa, e urna negrinha de S asaos : i
ra do Imperador n. 77, i andar.
V


6
Pintol ifc^ l'eniainbuco Sabbatlo 31 Je JuJ|ie de 1809.

11

I*
-
MATO LIQUIBMO
IVA LOJ.-t
______ DA
ARARA
72.----Ra da Imperatriz.----72.
AJrta freguezes
o de Arara va i cantar,
Para vender suas fazendas (baratas)
que muito'ha de agradar.
'0 propietario deste estabelecimento, ledo grande porco de fazendas eni
gr, va proceder urna liquidaco em todas as fazendas e roupas feitas existentes do
estabelecimento, agora que occasto de quein tan ponto dittheiro poder se vestir de
boa fazenda e baratsima como se poder ver no annuneio abaixo mencionado.
MADAPOLO BARATO A 3*500. .
BRAMANTE PAIU LENCES A 2.
Vomle-se bramante con 10 palmos de
largura para lences, a >, a vara.
PECAS DE ALGOUaO A H.
Vndem-su pocas de algodao muito cn-
corpado '(->. 54, ft800>7&
pira ?esti- Coloranos econmicos a 39
dos a 280, 320 rs. o covado, ditas escuras! dnzia
Vende-se pecase de madapollo enfestado
de 12 jardas 3#500, dito de 24 jardas ou
A metros 5$, 65, OKOO, 7-5500, 83000 e
31000.
CHITAS FRANCESA^ A 280 rs.
Vendem-sc chitas francezas para ?esti-
muito finas i 300 rs. o covado.
Challa in.iltn flao .1 8I0 rs.
Vende-se *!;alin para vestidos ie sentiora
4"800-rs. o covado.
PERCALES A HA US. O COVADO.
Vende-se percalei muito linos para ves-
tidos de senhora a +40 rs. ocovado.
Biilhantlnas a 440 rs.
Vende-se briihantinas ou mursulinas de
aores para vestidos u senhoras 410 rs. o
covado, lazinlias mjiiito linas para vestidos
de senhora 400 rsi e 500 rs. o covado,
ditas de quadrinhos 240 rs. o covado.
RISCADO FRANCEZ| A 300 RS. O COVADO
" Vende-so'riseado francez para vestido
de senhora 360 rs. o covado.
Laslnhas a 940 rs. o covado.
... Vendcm se laasinh
nhora a 240, 280, 3
Vende-se cassas
as para vestido de se-
20 rs. o covado.
Cassas francezas i 280 rs. o covado.
francezas 280 rs. o
covado, chitas frano izas linas a 280 e 320
rs. o.ovado.
Chale de merino $.
. Yende-se ctales de merino estampados
25 e 25300 cada om, para acabar.
CORTES DE LA AS ABERTOS A 23100
Vende-se cortes do la para vestidos de
senhora, 2-3400 cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
JTende-se alpacas de cores para vestidas
de senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de listras 1700 e 760 rs. o covado.
Chitas prnssianas 3S<*.
Vende-se chitas prussianas de listras de
cores muito bonitas a 360 rs. o covado.
. CHITAS PARA COBERTA A 30
Vende-se chitas incorpadas para coberta
320 rs. o covado.
Bales de ftO a 30 reos
fl500.
Vende-se bales de 20 a 30 arcos
10300 cada um, bables.moderaos brancos
qde cores .50.
Vende-se colerinlios econmicos a 320
a duzia, s se vende assim barato por ter
grande poican.
CASEMIRAS DE CORES
Vende-se cazemiras de cores para calsa
e palitt 20 2*31)0 c 9$ o covado,
Algodo enfestado 1*.
Vende-se algodao enfeslado proprio para
toncos e toalhas, 10, a varajm 900 rs. o
metro.
BRIM PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vende-se brim para cateas e palitots de
homem e mentad) 400 e 440 rs. o co-
vado, dito lizo a imitacao de ganga a 360
o covado.
Algodo de listras a SO rs.
o covado
Vende-se algodo, de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 RS.
Vcde-se cortes de brim castor para
calca de homem, OVO e 800 rs. cada um.
CARTERA PARA VIAGEM A 10.
Vende-se carfeiras para viagem .i 10
cada urna, cobertores de algodSo 10500
cada um.
Cobcrtas de chita l$HOO
Vende se cobertas do chitas de cores
10800 o 20. cada ama.
ALGODAO TIIAXCAO DE EUAS LARGURAS A
l200.
Vende-se algodao transado de duas lar-
guras, proprios para lences e toalhas para
mesa, se vende a 15200 o metro.
Nautas para grvala 3 rs.
Vende-se mantas para grvala a 20Ors,
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALIIADO PARDO A 25500.
Vende-se ntoalh.ido pardo para toalhas
de mesa a" 20300 a vara, toalhas escuras
15, cada urna. Rna da Imperatriz loja
da Arara n. 72.
ff 45 RIJA DA CADEIA
DE
X. 45
Bf.

0 Garibaldt principia
Cortamente ha de agradar,
Que pelo preeo que vai vender
Ninguem o pode igualar.
0 proprieiario deste estabelecimento denominado Garibaldi, declara ao resp la
vel publico e seus freguezes, qu* tem recebido grande sortimento de fazendas, e esta"
constantemente roebendo por todos as vapores que chegam da Europa novo sortimen-
to de fazendas da moda, e que vender por preco mais hartito de que era outra qual-
quer parte, garantindo se a qualidade e cores, na ra da Imperatriz n. 56, de Lourenco
Pereira Mendes Guimaraes.
CHITAS LARGAS A280rs.
Vendem-se chitas francezas de cores fl-
xas a 280, 320 o covado, ditas matizadas
escuras a 300 rs. o covado.
MADAPOLAO ENFESTADO A 30500.
Vendem-se pecas de madapolao enfes-
ado a 35500, ditoinglez de 24 jardas a>
55, 65, 05500, 7*500,85, e 105 a peca.
ALGODO TRANCADO A 15200 O
METRO.
Vendem-se algodo de duas larguras pro-
prio para lenc-s e toalhas por ser muito
largo, a 15200 rs. o metro.
RISCACO FRANCEZ a 360 rs.
Vende-se flnissimos riscados francezes
proprio para vestido de senhora e roupa
para meninos por ser de bonitas cores a
360 rs. o covado.
BRAMANTES PARA LENCES A 20 A
VARA.
Vende-se bramante de dez palmos de
largura proprio para lences a 25 a vara.
Chitas amzonas a 360 rs.
Vendem-se ricas chitas de listras de um
de norae amzonas, para vestidos de se-
nhora a 360 rs. o covado, deste preco e
qualidade s na loja do Garibaldi.
;aos senhores donos de coxeiras.
a loja do Garibaldi, ha urnas casemiras
de listras muito encorpadas proprias para
forrar carros, e se vende muito barato por
ter muito largas, preco a 25500 o covado.
ALGODO ENFESTADO A 15 A VARA.
Vende-so algodo enfestado muito largo
proprio para lences a i* a vara.
.ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
oO rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas estampadas de cores
500 rs. o covado propria para vestido de
enhora.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30500.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 35500 cada um.
BRIM HAMBRGO A 85000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo com 20 varas a 85. 95 e 105 a peca.
Cortinados para Janellas a 96.
Vendem-se cortinados para janellas a 75
o par, ditos par? camas francezas a 145 o
cortinado.
Gangas para calca a 99Q rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado, brim de cores a 400 e 440 rs. o
covado.
I.asiulias de qiiadrinhos a
*4 rs.
Vendem-se laasinhas de quadrinhos para
vestidos de senhora a 240 rs. o covado,
ditas estampadas a 280 e 320 rs. o covado.
POPELINAS EM LA A 640 RS.
Vendem-se popelinas em la de listra
para vestidos de senhora a 040 e 800 rs.
o covado.
CORTES DE LA A 25400 RS.
Vendem-se cortes de la de listra arpa
vestidos de senhora a 25400 rs. para aca-
bar.
LA CHINEZA A 500 RS O COVADO
Vende-se la chineza para vestido de se-
nhora a 500 rs. o covado.
Casemiras para calcas.
Vendem-se casemiras cor de caf, preta
ft azul escuro com listras, para calcas e pa-
litots, fazenda muito encorpada, propria
para o invern, sendo de duas larguras
que 1 3/ covadi s d urna calca para ho-
mem pelo prfeo de 25500 o covado.
Alpacas lizas para vestidos a
8 rs. o covado.
Vendem-se alpacas lizas e dobradas para
vestidos de senhora 700 e 800 rs. o covado,
BALES DE ARCOS A 15500.
Vendem-se balos de 20 e 30 arcos a
15500 qada um, por este preco s na loja
do Garibaldi,
BRIM TRANCADO PARDO A 800 RS. O
METRO.
Vende-se brim pardo trancado a 800 rs.
o metro, dito muito fino a 15200 o metro.
BALES MODERNOS A 55000.
Vendem-se bales modernos e de cores
a 55 cada um.
CASSAS FRANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 280 e 320 rs. o covado.
chapeos de sol de seda a io.
Vendem-se chapeos de sol de seda a
105 e 125, na ra da Imperatriz, loja do
Garibaldi n. 56.
I1IS, WLCiO &
SOB A DIRECCO DO MUITO IIABIL ARTISTA
v
Launano, alfaialc. ,
Os proprelarios deste j^rvo estabelecimento, tendo experimentado a necessdade
urgente de ter na direceo de sua officina de roupas por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Laoriano Jos de Barros para tal mister, convictos de que satisfar
com todo o capricho a rontade do freguez.
Tem o mesmo esfabetecimento um bom sorthnemto de fazendas proprias para
roupas do homem, como seiam: casimira de cor, indos padres, completo sortimento de
pannos finos, preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de brns brancos e de
cores, merinos de diversas qo&lidades, bombazina, lindos cortes de gorgurao para cohete,
gorguro Pekn, superior qualidade.
Os freguezes encontrai 3o anda om varfcdo sortimento de roopa fe-Ha, camisas
inglezas, coftarinlos; eeroulas, grvalas pretas c de phantasia, meias para bomens, se-
nhoras, meninos e meninas, chapeos do seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
bales de diversa eftree modelos, carabraws, roaas para viagem, o otttros mottos ar-
tigos que a modieidade de seus precos incita a comprar.
A ra d&Cadeia n. 45
BIVAL SEM B
Rundo Quetmado ns. 49 e V7
tojas de mmdezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de seus estabe-
lecimentos por tsso queram apre-
ciar o que c bom e baratmimo.
Peras de liras bordad com 12
metros, fazenda superior, a
l:>500,i>, 35 c..... 45000
Caixas de Knha com SOnovellos 300
Pares de sapatos de tranca fa-
zenla nova a......25000
Pares do sapatos de- tapete
(s grandes) a. ..... 15300
Duzias de mem cruas para' ho -
mem a........35900
Tramoias do* Pono fazenda- boa
e pelo preco> melhor 10 attos a 520
vros de mkssoes- abreviadas a 20000
Duzia de baragos franceses muito
finos 325400-e- ...... -2580
Silabario portHguez con estam-
pas a ........ |320
Gravatas*de crese pretae-muito
finas a........ 500
Cartoes com eolchetes de lata
fazenda fin a>...... 5020
Aboluaduras tte-vidro paraoolete
fazenda fina-a...... 5500
Caixas com peona d'ac)' mnit
finas a 320v OO, 500 e 45000
Cartoes de liaba Alexandre qu
tem 200jawfa6 a 5100
Carreteis di* Rota Alexandre-dte
70at200-a....... 5100
Caixas com superiores- obreias*
de massa a>...... 5041
Buzias de agjimas para* machina. 25000
Libras de. pgegos (raooezes di-
verso taioanho a. 5240
Livros escripturado pura, rol de
roupa a........ 120
Talheres pava meninos muito
finos a. y...... "#240
Caixas com papel anaizade maito
fino a........ 41708
Caixas com 100 envslopes maito
finos a........ <600
Pentes volteados para.meninas e
senhoras a....... ,5320
Thezouras maito finas para
unhas c costuras a. 4500
Tinteiros com tinta preta- muito
boa a 80 120 e 320
Varas de franja para toallas fa-
zenda fina a. ^160
Pecas de fita branca elstica
muito fina a...... 200
Novellos de liohacora, 100 jardas 60
Resmas de papel de pezo azul
muito fino ...... 25500
Grozas de botes do louca muito
finos a........
21
Grande e completo sortimento de mncliinas para
descaroenr algodaode nova invenrao rhegadas ul
liinamenti' om direitura para a luja de Manoel
Bento do Oliveira Braga & C, na ra Uircita n.
."3. Garntese que a melhor qualidade que at
o presente lem viudo ao mercado : acham-se em
exposiejio aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo wrtimentode pesogkifc-
urammos de melhor eomprehensso dos que fem
viiMfc) at o presente, asim como mnreos de lati
at meio grammo pelo fiwsmo syslema, balanras
de latm de forca de o a 80 kilogramrm, metrw
demaftra o de telfw para medir fazendas-, al
de gran* sortimento de madezas c ferragens de
todas as juali far crdito : na rna Direita nv SJ, lija de- Manuel
Bento de Oliveira Braga k C.
160
Machinas vapor de
forca de 3 e 4 c-
vanos. (
Motores para 2 cavados. /
Arados americanos. *
Machinas de facao e serrotes par. sca-
rocar algodlo.
Bataneas para armazcm e balcao.
Camas de ferro.
Cofres do ferro de Milnea e do Uhit-
field.
Prencas para copiar-cartas. '
l-'ngao americano patente.
GALLO VIGILANTE
Roa do Crvpo n. 1
Os prnprietarios deste bem conheeido estabete*-
Jeimento, alm'dw muitos ofcjectos qnetmham e\-
postos a apreeia^ao do resieitavel poWico, man-
dara m vi; e acaftwn d>t recAer pelo ultimo vaw>
(1n> Europ.> um cmnpleto e Tariadl sortimento d
linas e mn-delicadas especiaidads, as quaes es-
t resolvios wiider, con de ser costme,
por presos muito-Hora linhos e eommodos para" o-
do, rom tanto que-o Gallo....
Muito snperioi9- tovas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui linda eres.
Mb boas e- bonitas gollinhas o punhos nara se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores nenies de tartaruga, para coqpes.
Lindos e riqtussiraes enfciles para cabrvas das
Exinas. senhora*.
Superiores trancas pretas e decoros cou> vidri
Ihos e sem ettes; esta fizenda e que pode- haver
de methor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de madrenerola,
marliin, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhosre estes preos.
Muito superiores meias lio de Escossia para, se-
nhoras, as qnaes seinpre se vendern por 3&J000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tarobem grande sortimento de
outras qualidadcs, entre as quaes algumas omito
finas.
Boas bengalas de superior can na da IiwHa e
castao de marflm com lindas e encantadoras iign-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tanibem grande
Juantidade de oatras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etr. ec. ele.
Finos, bonitos e airosos clucotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de martim c tartaruga pon fuer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegnramos sna qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capollas para norva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frooxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarcte, assim
como os tontos pan o mesmo fin.
Grande e vanado sortimento das roelliores per-
fumarias e dos melbores e mais conliecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes,- e
facilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebo-Ios por todos os
vapores, aflm de que nunca faltem no mercado,
tomo ja tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos qne deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7._______________
PASTILHS ASSICAHAAS
B0
DR. PATERSON
De hUmnth e magiaezla.
Remedio por excedencia para combate'
a magreza, facilitar a digestao, fortificar
estomago ete.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34------Ra larga do Rosario------34.
H0V1DADES
Servle** para mesa
Exccllentes toalhas de linho adamascadas., para
mesa e guardanapos correspondentes, vendem-se
por commodo preco: na ra do Queimado n. 31,
loja de A. M. Rolim & C.
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIRA FMDER1C0 & C.
Acaba de chegara este mercado umaporga des-
te ptimo rap, nico que pode supprir a falta do
princeza de Lisboa por ser de agradavel perfume.
E' fabricado com superior fumo e peto melhor
systhema conhecido, leudo tambem a vantagem de
sor viajado, o que para este artigo unta espe-
cialidade. as pracas da Baha, do Rio de Janeiro e
outras do imperio tem o rap Popular sido asss
accolhido, e provavelmente aqui tambem o ser,
logo que sejaconhecido e apreciado. Acha-se
veuda por preco commodo, e para quem comprar
de 50 libras para cima, ar-se-ha um descont de
K 0/0, e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no
escriptorio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao,
ra do Commercio n. 17.
Na ra Nova n. 00, armaem da Liga, vendem-
se sementes novas de hortalices e flores.
Msica
Grande liqnidacao de instrumentes para
msicas militares, 20 e 30 por cenlo menos
que em qnalquer nutra parte-,- se vende no
BAZAR DA MODA,RA NOVA N, 50,
ESQUINA DA DECANTO AMARO
Baixos, cla*icoFns, trompasrtromkones,
trompets, eornelinos, pratos linos e ordi-
ifirios, triaagulos, flaulins, diapazos, tim-
bos, boc?es do marfim, christal e metal cla-
rinetos, msicas para pianos, methodos ele.
Tudo em perfeito estado, garante-se, e
do primeiro autor Gantrot .Ihe, do Paris.
So he pechincha !..
BORDEAX
Napraca do Corpo Santo n_ 17, escriptorio de
Joaqnim Rodrigues Tavares do Mello, vende-se o
exceltenle vinhoJfdnc Vieux Extra o melhor
i|uo veta a este mercado. No mesmo escriptorio
ha para vender chapeos de chite muito tinos.
Extractara rariiis.
Este producto alimentacao paradoentes, mui
aproprkufa para criancas.e-para.as pessoas saas;
indispensavel a todos, porm principakaentc aos
viajantes, que terao nelle o recurso de poder
ter alimentacao de canto fresca incorroptivcl, e
que com facilidade seaprompla e se conduz, por-
que n'nm pequeo volunte carrega-se aumentara
para muito lempo. Sobretodo cnama-se a alten-
cao dos Sis. de engenho que eueontrarita no EX-
TR ACTUM CARN1S o recurso de aumentaeao agra-
davel, hygienica e barata para seus fmulos e seus
dnentes.
Esle producto fabricado pelo processo do dis-
tinelo medico Dr. baluba, no Rio-Grande do Sul,
que acaba de crear um deposito nesta cidade em
casa de Jos Victorino de Rkzkivre A C, ra da
Cada, escriptorio n. 52, 1* andar, vendendo-se :
No deposito ra da Cada n. 52.
.Xas pharmacias dos Srs. :
Manoel Alves Barbosa, mesma rna n. 61.
Joaquim de Almeida Pinto, na larga do Rosa-
rio n. 10. y
Antonio Maria Marques Ferreira, pra^a da
Boa-vista n. 91.
N. B.As latas que contom o extracto trazem
urna guia para seu uso.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch d G., em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
lleino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just, ra do
commercio n. 32.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos o*
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicacSo as cranlas,
quasi sempre mais atacadas de to terrive)
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Rarthomeu & C.
S4IRna l^arga do Rosarlo34
BAZAR UNIVERSAL
O Ra \ov. O
Carneiro Vianna
"^VT
Liqnidaca
Vende-se a serrara a vapor e fabrica de choco-
late ra do Mondego n. 99, urna machina a va-
por de forca de oito cavados, urna serra para ser-
rar pranchao, podendo serrar com 12 sorras de
urna vez, urna machina de fazer taboas de assoa-
tbo, limpando e lazendo macho e femea de nma
s vez. tambem para obra de carapina e marcinei-
ro, duas serras circulares, urna serra de volta e
outra de cortar desenlio na madeira, urna machina
de engradar e optra de fazer moldura, tornos de
tornear madeira, e todas as machinas necessarias
para fazer de 150 a 200 libras de chocolate diaria-
mente, tudo prompto a trabalhar, tendo tambero
diversas frramenos para fazer os ooncertos do
que possam precisar as machinas. Tudo pode ser
examinado na mesma fabrica, das 8 horas da ma-
nhaa ao meio da. vi
Agulhas
para machinas de costura de Grover & Baker :
-vendem-se na roa da Cadeia do Recife n. 51, I"
andar, a ii a duzia.
--------
Cabras com leite.
Esto venda tres cabras e todas com crias,
sendo multo mansas e proprias pata criarero
qualquer enanca : quem as pretender pode, que-
rendo aprecia-la, examinar tanto o leite como a
quantidade, dirigir-se ra do Imperador o, 15,
defroute do Sr. Francisco,
1ASSA e XAROPE
DE COOEINA DE BERTHI
Prtconisado por todos os mdicos contra os j
DEXOXOS, CATHARROS, E T00AS ASj
1RRITAQOES DO PE1TO.
M.M. O Xarope dt Codttna qu* aureeo a I
honra, alta ttm rara entrt gi Ikdicamcntotl
novot, di ttr regitlrado tomo um dot medica-1
ment oflictaa do Imperio Franett iupemaX
qualquer elogio.
AVISO. Por causa da repreheiuivcl (als-|
ficac&o que tem suscitado o felii resultado do I
Xarope e matsa de Berlh somos Toreados al
leinbrar queatesmedicameutos ta jusiamentej
coDceiluados s se
Tendcm em caiiin-
hast frascos leranilo
axignaiura em
ftcnte.
48, Bue da eotes, e na- Pharmacia Central!
de Kranca, 7, /le de Jo, em Parii, e
todas as Pliarmacias priucipaes do Brazil.
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos eommodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposicao servicos a electos para almo-
co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima de mesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e enanca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanbos, molduras
para quadros. gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e ir esa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarJo i
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pen ir examinar. _______
Nfio mais cabellos brancos
A tintura japoneza, para Ungir os cabel-
los da caneca e da barba, foi a nica admit-
tida Exposifo Universal, por ter sido
conhecida superior todas as preparacSes
at hoje existentes, sem alterar a saude.
Vende-se a IfJOOO cada frasco na
151RKA 0,1 ttlBHL 51
1* ANDAR.
NOVA ESPERANZA
lina do Queimado 2)
Advertencia!
A Nova"Esper?nca, ra do Queimad
i., ai tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem-
po cm que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mm-
cadorias pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que n5o forem venham ser fregue-
zes, em lempo lao opportnno quando i
NOVA ESPELUNCA convida-os pechacha-
rem, pois que para comprar-se caro, B5o
falta aonde e a qnem...
Elle quere ella quer
E' sempre a^sim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosio e perfei?5o, e ella (toja da Nova Es-
pera*nca) quer empre dividir con seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este Ifdar continuo ((Tambos) i
Nova Esperanca rita do Qaeimafle n. 21,
atm do grande sortimento que j liaba,
acaba dereceber mais o segntnte:
Bonitos broches, pulceiras e brint dt
madrependa.
Panel e envelopes bordadas e ma-
sados.
Paptis- proprios para enfeitar bobo
bandeijas-.
Brince pretos coa dourados- (ultima
moda).
Fitas Isfgas para cinto.
Moderno gal!5es, franjas e tranca d
seda e de 1%, para enfeites de vestidos.
Botoes de- toaas as cores-e moldes-novon
para o mesmo Om.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
peogentes e sem elles.
lotOes pretas com viJrirhos- com pmgen--
tes e sem elles,
Luvas de pellica, camurca^ e excossia.
Finas meias de seda para- senhora e me*
nios..
Delicados leque de madeperula, mai*
fim, osso e faia.
Espartilho simples-e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de>
miudezas ra do Queimado n. 21, "n*
Nova Esperanca.
Ceiiares anodinos ellecrvo-magneU
ees contra convulsoes das
creancas.
N3o resta a menor dvida, deque muito.
cellares se vende por ahi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muici
pais de familias nie creem (comprando-os)
no effeito promettido, o que s podem dar,
os verdadeiros ; a Nova Esperan?, porm
que detesta a falsiflcacao principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares:
e garante aos pais de familias, que s3o ot
verdadeiros de Royer, que a tanta crean*
?as tem salvado do errivel incommodo c'e
convulcOes, assim pois preciso-, que ve
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
u. 21 comprarem o salva vida, para sem
filhinhos, antes que estes sejam acommetti
dos do terrivel mal, quando entao ser di
fficil alcancar-se o effeito desejadn, emborn
sejam empregados os verdadeiros coliaren
de Boyer.
^.\.GERM%
Alegrai-vos myopes, e presbytas, j4 po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
n3o ha mais vistas curtas, nem cancat as.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado soitim+nto de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prala, tartaruga, marlim,
ac, bfalo, ncar, unicornio emelchior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invenrao; duquezas, vienezas de 6,8 e
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes d
Europa.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAD
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, esearros san-
guinos, e outras molestias do peito.
HA
PHAR.MACIA E DR0G.\RU
DB
Bartholomeu & G.
34RA LARGA DO ROSARIO34,
Potassa da Rnsnla
a mais nova no morcado, a preco razoavel : na
ra do Commercio n. i3, armazem de Manoel Tei-
xeira Basto,
ATTENCAO
No armazem de David Ferreira B-Jtar, rea do
Brum n. 92, ha venda os seguintes genMs por
precos razoaveis.- .
Bollaetea le halanc*
proprios para barcadas c hyatea, muUo smeriores.
Vlnko i* Porto
cm caixas de diuia de garrafas, e em barris da
dcimo, do Porto, muito fino.
Farinha de mandioca
ha em saceos, nova e de superior qualidade.
ledras de loan
muito proprias para lavagem de louca eta cc-
hnlias.
CHARUTOS
Os melhores charutos da exposicao a variedad*
de outras qualidades, finos ; encontra-se no hotel
Central de Francisco Garrido, ra larga do Rosa-
rio n. 37, andar, e ra estreita do Rosario n.
4 A. Vendem-se a retalho e cm grosao.
iiMiomsmu
No armazem pintado de verde, sito a roa
do Caes 22 de Novembro n. 30, vende-se
superior madeira de pinho da SHecia, com
3 polegadas de grossura, 9 de largura, e
14 ps de comprimento a 30000 cada orna-
taboas de forro a 80, 9 e 10*000 a duzia.
pinho americano de resina a 200 rs. o pe
1


Diario de PernamLuco Sabbado 31 de Julho de 1869.
7
K
Ccordeiro previdente
Ra do Quelmado n. 10.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se ton
notavel pela variedade de objectos, superori-
dade, qualidades e cormnodidades de pre-
Cos; assim,pois, oCordeiroPrevidente pede
e espera continuar a merecer a apreciaco
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bm conhecida mansidad
e barateza. Em dita loja encontraran os
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray 4 Lamman.
Dita de Cologne inglcza, americana, fran-
cexa, lodas dos melhores e maisacreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Da de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservadlo do
isseie da bocea.
Gosmetiques de superior quaiidade ecei-
ros agradaveis.
Copos e tatas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inferes, americanos e
trnceles em frascos simples eenfeitados.
Essencia imperial do fino e agvadavel chei-
to de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
awnte finas e agradaveis.
Oleo philocorse verdadeiro.
Extracto d oleo de superior quaiidade,
cora escolhidos che ros, em frascos dediffe-
rentestamanhes.
Sabonetas em barras, maiores e menores
para maos.
Ditos transparente, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos era caixinba para barba.
Caiatahas com bonitos sabonetes imitando1
frats.
Dilas de madeira iavernisada contendo fi-
nas perfumaras, moKo proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tara-
beas de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem oomposicede
chairo, e por isso o mais proprio para enan-
cas.
Opiata ingleza efranceza pera dentes.
Pos de campbcra e outras differentes
qualidades tamben para delitos.
Toaico orienta! de Kemp.
Airada mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com Hets de vidrilhos
e alguns d'elles -ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apseciaclo de -quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADAS.
Obras de muito gusto e perfeico.
Fivellase Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escotba ao gosto do com-
prador.
Vinho degestivo de
ehassaiag
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por xcellencia para cura uirta

A1IMMS FECMCHAS
QUE SE LIQJIDAM
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
8iaoa m mvvmmz---* w
DE
FLIX PEREIRA DA.-SH-VA.
O proprietario d'este estabelecimento convida aO respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se do grande sortimento que tem de fazendas, tanto da moda como ie
!ei, assim como de um grande sortimento de roupas para nomens e meninos, e as
pessoas que negociam em pequea escala, tanto da praca como do mat, tiesta casa
podero fazer os seus sortimentos em pequeas ou grandes porebes, venden lo*se-lhes
pelos preces que se compram as casas inglezas ; assim como as excellentissimas fami-
lias, poderjio mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou se Ihe as mandam
levar em suas casas pelos caixeiros d'este estabelecimento, que se acba aberto con-
stantemente desde s 6 horas da manhaa s 9 da noute.
Casemiras da moda
NA
Explendido sortimento de
Alpacas tarradas de edres a &
Alpacas a 5G0 Alpacas a 560
Alpacas de cores
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, vende-se uns poucos de mil covados
das mais lindas e modernas alpacas (avradas
com as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo entre ellas aeul, lyrio, roxo, cor
de canna, verde claro etc. e os lavrores
muito miudinhos assentados em ama so
cor; para se poder retalhar esta fazenda
pelo barato preco de 560 rs. o colado, foi
preciso facer-se una grande compra deste
artigo, o qual grande pechindha,
ios dez n ovados e cassas
fra acezas
Covado a 309 Cavado a 300
Osvado a 306
Covado a 300 Covado a "300
Colado a 300 rs.
Vende-se na toja do PavSe ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidae de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padrees miudoso gra-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas sao propramento francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tasto corpo
quwi como a chita, e alm dos padrees
serem muito bonitos, sie todos fiaos e seria
fazenda para muito mais dinheiro, mas rc-
talha-se a :<60 rs. o covado.
Uspartllbos a 30-MM aa loja do
Pava*
Vende-se ama grande porcG de esparti-
Ihoe modernas com o competes te cordo,
tendo sortimento de'todos os tasnanhos, e
vendem-se a 35 cada rara.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3*6*30, SO
NO PAVAO
Vendem-se pecas de madapolo enfesttdo
coea l jardas, sendo muito incorpado.pelo
barato prec* de 3$68*3 ris, assim no
pecas de afegodaoslnho com 16 jardas
4$SO0 e 5*000 ris.
GIADE PECHINCIA
EM
A pataca covado
*ERCALLaS A 320 RS.
AOS DEZ MIL COVADOS
PERCALLAS A 320 RS.
Na loja dO'Pavao ra da Imperatriz n
das digestoes diffieeis e completas, a caknar 60 vende-se urna grande porco de per-
AiAtm* imstra!:M*. erenarar as forra? callas francezas proprias para vestidos, sen
a3 dores gastralgicas, e reparar as forjas
produzindo urna assimulaco completa dos
alimentos; sendo mais um escolente tnico.
NA
PHARMACIA E DROGARA
DB
llurtlr.ffio.net. & C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
FNDICAG DOBOWMAK
Kna do Brum a. 9.
PASSANDO O CHAFARIZ
Tem sempre depo?ito de todo o ma -.hinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar c para
algodlo.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de uaima. "
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taifas de ferro, batidw fundido e do
cobre.
Alambiques.
Arados e instrumentos d'agricitura.
Descarocadores d'algodo etc. etc.
H vendo em tu do varedade de Umanho
daede o menor at o maior que se costu-
ma empregar. ______
XAROPE PEITORAL
DE
ABO DE TATli
PLANTA DO BRASIL
E expectorante e recommendado as
affecefies do peito, bronchite chronica, he
inoptse, e tosse chronica. .
PREPARADO POR
JOAQUIM DE ALMEIDA PINTO
PHA R MACETICO
Ptrnambuco ra larca do Rosario n. 10.
i
Vt*ode-se terrenos de produccao e com
arvores fructiferas e prximo a esta-
c3o dos trilhos urbanos do Recite
Olinda e Boberibe, no becco do Espinheiro,
podendo quem quiser diriifir-se nos domin-
gos, ao sitio n. 6 na estrada de Joo de
Barros, c nos demais dias, ra da Impe-
ratriz n. 68. ______________________
64Z SAZ IJAZ
Oiegoa ao aotign liepoaito de Henry Forster 6
C, roa do Imperador, am earreganwnto de ta
Aa primara qn.ilida e a retalho per rnenen pre^o do aoe em oatra ijaai
qofcr oarM.
CORA. DOS CALLOS.
POLA
Posnada galoapcau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo 4 C.
34^------na tarara do Rosario------34.
proprias para
do 3e cores fixas e mais larga que as chi
tas, tendo os pannos muito encorpados e
com es desenlies mais bonitos que tem
vindo ao mercado, tendo padres miudos e
grandes e vende-se pelo baratissimo proco
de 320 rs. o covado, garantido-se estar esta
fazenda em perfeito estado, e vendendo-se
por este baratissimo prero para apurar di-
nheiro.
BRAMANTE PARA LENC0E6 COM 10
PALMOS DE LARGURA A l(J800
Chegos para a loja do PavSo, ra da
Imperatrizn. 60, urna grande porc5o de
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol. o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco do 15800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras murtas p-
i
AttencSo.
** $UIMA15
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
florida de Guis
Na roa Direila, tab.ina .i Viad-i llranco,.
vonde mfiho feijiu imvo em porro a re-
Uiltio.
Milho novo
VoiHkrn e sacras com tillio nove a "fi, a di-
nheiro vista : no nrwazcm da Companhia Per-
namburann.
ESCRAVOS FGIDOS.
Acha-se fiigida ba oito" meres a prett e-
crava, de nai;"\o, de nume Maria.com 40 annos de
idade, baixa cor fula, consta que dir ser forra,
anda vendendo na freguezia da Boa-Vista, eon>
urna bandeja pintada de encarnado, com fugio : gratilica-se bom a uuem a apprehender e
leva-la a ra Imperial n. J03.______^
Agua
lain
Ditos com ditas de velludo, outros im
tando charSo macbetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
o guarnieSo, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortimento do leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
LOJA. DO PAVO
Chegou polo ultimo vapor francez, om
grande o verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para cal-
cas, patetots o coleteo, tendo usas, cora lis-
tras e cora Kstra ao lado, tendo para todos
os precos, o afianga-se venderem-se milo
mais barato do qae em outra ^ualquer par-
to, assim orno das mesmas se manda fa-
cer qoalquer peco de obra, a vontado do
freguez, para o -que tem am bom aBaiate.
Aos qinheiitos palitots
a IVA e 2$000.
Na loja do Pavo roe da Imperatriz n.
60, vendenneo urna grande poroSo de pa-
litots sobrocasacados, propriamente so-
brecasacos de panno pretu, oeado obra
muito bem acabada tpelos baratos precos
do 185, sondo fornidos de aipaca, o de
20S forrados de soda; esta fasenda a b5o
se ter comprado urna grande compra, -seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechtncha pelos precos cima.
POUPELINAS A-600 RS. O COVADO.
Na loja do Pavao, na ra a. 60, vende-se uaa grande sortimento das
mais liadas poupebnas ou laezinbas trans-
parentes, proprias para vestidos e raspas
de cranlas, cornos mais modernas e bo-
nitas edres ; padraos com listrinhas miudi-
nlias, que se vendem pelo barato preco de
500-rs. o covado, o pechineha que se acba
nicamente na loja de Flix Pe reir da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. '60.
AS CAMBKAIAS DO PAVO
Vendem-se finiasimas.pecas de cambraias
lizas transparentes tanto ingiezas como suis-
sas tendo mais do vara de largura, pelos
presos de 50OOO .at 1008G a peca, assim
como iinissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser-muito
transparente a 14000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Fea Pe-
reira da Silva.
CArtinadofl
Pare camas e.janeHas.
Vende-se um grande sortknento eos me-
lhores e maiores -cortinados bordados pro-
prios para camas e para janollas, que se ven-
dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO ai'A DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sorlido das melhores roupas,
sendo calcas palitots e coletos de casemira.
de panno, de bnm, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimesto de pannos casemi-
ras, brns, etc. etc. para se mandar fazer
qualquerpeca de obra, coma maior promp-
i tido vontado do freguez, e nao sendo
obligados a acceita-las, %uando n3o stejam
completamente ao seu contento, assiio como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bollo sortimento de
camisas francezas e inglesas, ceroulas de
linho e algod5o e outros muitos artigos
proprios para nomens e seahoras promet-
tondo-se-lhe vender mais barato do que em
ontraqualquer parte. Na rita da Impera-
Tintura indelevel para Ungir os cabellos,
sem manchar a pello.
A bem conceiluada agua-florida de Guis-
lain que enlo era desconhecida em Per-
nambnco, j hoje estimada e procurada
por seu eflicat resultado, e ainda mais se-
r, fwmdo a noticia de seu bom efleito e a j sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
plicaces para arranjos de familias, sendo j triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
graftde pechineha pelo preco. ra da Silva.
COBERTORES DE LA PAA 0 INVERN
DE 35000 60000
Chegou para a loja do PavSo, um gran-
de sortimento dos memores cobertores, de
muito encorpados, que se vendem de 30
at 6;>0t'0 cada um, em relacSo s diffe-
rentes qualidades, pechineha: a elles an-
tea que se acabem.
ATTENCO
S PECH1NCHAS QUE SE LIQUIDAM
NA LOJA DO PAVAO
Cortes de organdy listrados com 10 va-
ras cada ura e que tambem servem para
luto a 30000.
Lanzinhas de cures para vestidos a 200
rs. o covado.
Cortes de cambraia com barras bordadas
o muito finas a 30 e 40000.
Cassa toda preta para vestidos a 320 rs,
avara.
E' pechineha para fechar contas.
Alpacas brilhantes
a 640 rs.
0 aoamado do PavSo,
Veade-se superior atoalhado de algodo
om 8 palmos de largura, adamascado a
0200 a vara; dito do linho fazenda muito
l de carneiro, sendo muito grandes e operior a 30200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a 40500 a duzia e muito
ino8 a 80000, e ditos econmicos a 30501
i duzia.
ALPACO DE CORDO PARA VESTIDOS
A 10000
Na loja do Pavao, vonde-se superior alpa-
co ou gurguraopara vestidos, sendo n'es-
te genero o mais moderno e raai* bonito
que tem vindo ao mercado com differentes
cores, sendo mais largo que alpaca e ven-
de-se pelo baratissimo preco de 1000o o
covado.
Novldade TVovIdade
GRGROES DE SEDA PARA AS FESTAS
DO MEZ D", JONHO
Chegon pelo vapor do 14 do corrente,
para a loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, um brilhante sortimento dos mai<
moderaos e mais bonitos gurgures de seda.
experiencia i tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Gwslain composta uni-
damente de vegetaes inofensives, tem a
propriedade extraordmaria de dar a c6r pri-
mitrva aos cabellos, guando ostiverem br a ri-
cos, e Ibes restituir o brilbo' perdido, e as-
iim como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algwn.
E1 porm aecessario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como umitas pes-
soas tal vez supponham, mis sim ser pre-
nso fazer aso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provam testemunhos de pessoas msuspei-
tas, e d'entae por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a euperiencia ser feita em
>utra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se i ven-
la na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ra do Qooimado n. 8,
A Aguia Branca, contando cora a protoc-
;5o de sua boa freguezia, tambora oapricha
^m nlo Ih'a desmerecer, procwraado sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
< honran, o em prova ao que fica dito, d
como exemplo iO explendido sortimento
pie acroa de receber, ainda mosmo achan-
lo-se e meJber se pode desejar nos gneros que
sao de-sua competencia.
Haje vista aos necessarioslfvTOsdeiuissa
a oraceo, obras de apurado gosto e perfei-
i^o, sendo: cora capas de wadreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marftm igualmente
ion i toe.
e fea etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escoca, torcal, o seda
para meninas e senhoras.
Meias de 15a para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, c lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com pedrag, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de llores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonita
VV1S0
s autoridades policiaes, aos
capitales de campo, e a,
quera mais competir.
No da 29 de maio do crrente anno,
fugio o escravo Ezequiel, crioulo, de 30 a
32 annos de dajfc;, estatura regular, refor-
Cado, cor bem pftta, cabeca redonda, tra-
java carniza azul e cal?a de casemira cln-
zenta: durante o da costuma andar ga-
rlando as ras, ou armazens de assucar,
ou as tabernas a conversar e a beber; do-
rante a i.oite recolhe-s a telhciros, abar-
los ou penetrareis, casas em construeco e
outros quaesquer lugares, onde se possa
abrigar : quem o apprehender tenha a bon-
dade de o conduzir a ra da Aurora n. 26,
onde ser'grat'rficado. Segundo s infor-
macoes, parece estar em SerinhSem, nos
ene^nhos prximos respectiva villa.
00&N
OO
00?
ooo*
o
OO-'i
008
000?
0080*
008
008
008
* b 8|3iioo cred-eJe ap saoaog
........ opnsoA
op rar.jqap ued i'irj ap suJo^
.....soaanbad soikj
........ pejnop
Bjnpioaj uioo sapaej? soqj9dsa
*o53Jd opoj 'BJ33 op sea.iimy
suopjo Z, SaiOXJ03 U103 0SUB3
e ewnp snpji'f QQ8 9P eMu!l
* e o)3||oj fjcd sejupeoioqv
*........e bjz
np siwuioq cjbI st'iu.) sci.>iv
........0vi
'008 '0*t sojiaqo moa so3bj j
B oqiind B.ied soojoq op s;ui: 'sobm BJed so.iueaq so5u^i
- Euogj eiuj raoo B^ejjeo
OOOrl
O 8
05C
09
008*
091
00V
OfT
006
b EJno op sooioq ap ezojo
eui.vip t'nflc moa ejimjco
' o 008 '00 '009 '00
E S0I3UI-UIU3- 9 soquipEqeu
" a 006 081 '001 '08 ? S'-ip
-Bp'.jcnb su sepoj op ojouuqi.-s
? csoqeq ap oa|0 moo soascj j
.......;__[_ b sep
-jeoo'/ moa nqui| ap sojjoaom
juqjoq B.iRd sequi| ap tfJiqn
a sj 001 E ciuii uioj soasejj
..... b sequ,
a Binjsoa Bjed SB.inosaqi
.........B SEU
-iaauj ejed cssoABJi ap saiuat
.....B CJiapC|)JdA J3AI biuo]03 ap co8b moa sodsbjj
No ia tf) de junho pas>ao, fugio
da padara allem3a (segundo avisou o res-
pectivo dono), onde estava ahigado, um
mulalinho escuro, de nomo Justino, de
13 para 14 annos, baixo, reforjado, gago,
ortlhas grandes e um pouco viradas, traja-
va camisa de algoduzinho e cal^a de brim
grosso cor de rap : costuma quand foge
inculctr-se como forr' ouorphSo Consta
que tem andado por Olinda, Arraial, Poco
da P^nella, Monteiro, Apipucos e CaxangJ
a" servico de alguem, contra o qual se
protesta fazer eflectivas as penas da le.
Entretanto, quem o apprehender queira
leva-lo ra da Aurora n. 26, onde ser
recompensado. Roga se s autoridades po-
liciaes qne hajam de diligenciar a appre-
henso delle.
Eseravo fgido
Fugio em 23 de Janeiro 1869, o escra
vo Matheus, de meia idade, cor preta, falla
grossa. bexigoso, tem pelas costas cicatri-
zes de bacalho, tem urna verruga no canto
do nariz, os ps foveiros, corpo regular ti-
nia sido do ll!m. Sr. Agostmho Leocadio
Vieira, em Paiiellas de Miranda, que ha
poucos mezes de l veio fogido ; pede-se
as autoridades O capites de campo de o
pegar e trazerem a seu senhor Jos Car
(hizo de S. na ra da Lingota no Recifa
n. 2 ; e o mesmo protesta contra qualquer
pessoa que o tenia acoutado e graiifica-se
rom 10i'-$000 a quem o pegar. Consta
andar pelas maltas de Olinda.
:sd}um3ds so6aad so^ad sopBJ
-Bioap oxiBqB so^oafqo so opnBUiiaiib bjs^
IVHOdMX YlSHOH OSMOMV
aa
NVK3II1IW wlff TPOI
ss MflraaiO oa vi-s \
L
Do xarope Vegetal Americano especi.alidade de Bartholomeo&
34,RA LARCA DO ROSARIO.34.
Vcnde-e um itio nos Hemcdio, ou permu-
ta-M por am* oaa non* praca : e pretendwies
rijm-w ra do Caldeireiro n. 4.
Chegaram para a loja do Pavo um ele- para vestidos, tendo padres miudinhos e
graudos, com lindas listras matisadas, as-
sentadas as mais delicadas cores, como
sejam, verde, bismark, lyrio, azul, perela.
etc. etc., assim como ditos lisos de todas
as coras, garantindo-se que na actualidade
n5o ha urna fzenda de mais gosto nem de
mais pbantasia do que estanqese vende por
preco muito rasoavel,. no estabelecimento
de Flix Pereira da Silva.
Bbadinhos baratos na loja
do Pavo.
Vende-se urna grando porcSo da bba-
dinhos de todas as largaras, sendo com os
bahados verdadeiros, por urna terca parte
de preco que se vendem emputra qualquer
loja, so com o flfft de acabaf-se com este
artigo, assim como tambem so vende urna
grande parte d'entremeios, pelos mais li-
mitados precos para acabar, na loj o ar-
mazn) do PavSo, rni da Imperatriz n. Ot'
d Fe'ur Porelra r5a Suva.
gante sortimento das mais lidas alpacas
brilhantes com as mais delicadas cores, e
com os mais bonitos lavradinhos a imitacSo
de seda, as delicadas cores que existem
ueste bello sortimento encontra-se o bonito
Bismak, o bello Lyrio, o dolicad verde
assim como, perola, roxo, canna, azul cafe,
etc. Vende-se esta bella fazenda pefb ba-
ratissimo preco de 640 rs. o covado por se
ter recebido em direitura urna grande par-
tida superior a dez mil covados, seno
seria para muito mais dinheiro, isto na loja
e armazem do PavSo, ra da Imperatriz
n 60 do Feliz Pereira da Silva.
Vestidos com dnas salas a *
Chegaram para a loja do PavSo ra da
Imperatriz n. 60, os mais modernos cortes
de poil de Chvre com duas saias para ves-
tidos, sendo n'esto genero oque ha de
melhor e mais novo do mundo, e vendem-se
pelo barato preco de 3^000 oa |oja do
Flix Pefeira da Silva.
Mol eolnmmos procurar Miniados para acreditar
ovo preparado*, e deiamos qae ana applca;io c os
rtanliadoa obtido* pela*pefoajqiie i* digaaramacreita*
loa. Ik'ea deem crerfit* e oia ; porqna rio srmpre os
alUMaiio* considerados frumio, e dells qne tanca
tu o cbarlaUDiaaoo; mas ni qnerendo oflender aa pea-
toaaqueespoiilaneamenle dos ofT^receraro, os qoe abano
Taoirawcriptoi. os fazemos pnblicar roanifeslaudo-Ihes
asa (mullo pela allenco. esjtrando qne venbam
alies corroborar o conceilo. e acceiiacii> qoe lem mere-
Cit> IMI9 larop*. sr/A(Woifo k C
TTfSTiDOS.
Illma. Sra. Bartholomeo A C coa mais sabida
Mbabcao qn declaro sar o xarope Americano de ama
tapkacia extraordioaria. pois qne soflVrndo ba dias de
laMaM toase, i pooto de nao poder dormir noiie a
Vtaakiite mesmo de medirameoloe qoe tomara, a elle
raeorri e u terceira colber fui alliviado. e de todo me
acno boje reatakelecido com o aso smente de qaasi
pe frasco.- grato pois t esse resallado manifest a
Vs, Ss. neo recaabecimenlo. De Vr. Ss. amigo, ve-
Dwador e obrigado. Na noel Antonio Viegas Janior.
Saa casa iO de abril de iM*.
Illasa. Sra. Barthelomeo 0. Pcnboradissinio com
favor qoe ma lizeram de aconsalbsr o oso do xarope
Vegetal Americano, de sua eomposicAo, quando me
arheva bastante doen'.c de ama consiipaco. que me
tomn completamente ronco c que trouxe urna forte
tosse. me impuesibililnn de cumpriros mcus deteres
de ranlor da emprrza lyrica, rou auradecer-lbe* men
completo reMabeletimenvo, qne oblive com am so ridro
do mrsmo xarope, depois de barer recorrido a muitos
Iraiamcntos. Descjarei qne outros como en recoiram
ao seo xarope para se verem aliviados de Ha terrvet
incommodn, to fatal oeste paiz. Com maior conside-
rado conlino a ser de Vr. Ss. aliento, venerador e
obrigado. Luix Oemooa. Ilecifc 25 de setembro
de 1868.
Illma Sra Darlbolomco C.-O xarope Vegetal Ame-
ricano qoe Vr. Sa. tem expnsto i eoda de toda efli-
caeia para o enratiro d'istbma, caoforme obserrei ap-
plicando-o a meo Dlbo Joaquim. menor de qnatro
annos; riclima d'esse flagrllo. qne al entiopor cspuco
excedente a doos annos bata resislido.a ostros xaropes
de grande nomeada. Qoeiram poi V. Ss. acollar a
expressoaltamrDte sincera de meo recouberimeoto ao
merilorio serrlcn qne Ihe prestaram com o ii.dicado
xarope, acreditndome para sempre de.Vr. Ss. criado,
atiento e obligado. Amrrco (Sello de Mtudonca,
Recie 2 de oulokro de 1868.
i.'hihh
MENCO DE HONRA
&s
Ba^JatasaHa^asaa^sSaMaVaasiaBsasa^LaaiasaBal Vcnde-se un frascos
DE FI6AD0S FRESCOS DE BACALH40 <*> <<" ?.
lares, pharmacia Hooc,
3, ra de CasUgUonc,
em Parla.
V.bW
As contrafac?*r, os uleos pardos, d'nm clioiro forte, e u.ji coinposi(5c-s feitas com leos
cir pei\oa i ouimuna, tai romo o csqua'o, n arraia, o phoca, c liza, os olms no a-/a>/orrs pnrailorn
e moBio w> oleo* regrla". inram imaglnaalos para sulistiiuir os verdadeiro* oleo de liyadoa
fresco* de KaralUAo'de ierra \oa. F.ites leos conimuns ou si^s sneerdoneo -So
n idos nn industria [> >r precos mu bai.os,eui quanto ijuy os verdadeiros oloos de timado de bacalliao
; fresco wo rehiiianioiiie m.iito caro, tUto que para obtcl-os frenos c tem mistura cumpre exercer
! prande vipilancia c ter o mainros cuidados nos proprios hirares das pei-ca, assfm como manda fenf
M. Ilojtg desde o anuo de 18i0. Estes oleo- puros de Baeulliuo de Trrra-Xota dr Hueja
ginnci-anim p::ra o.-tc precioso medicamento una fuma miiversal as molestias do prita, as u/fe ele
icn:!ulmase lumphatuut, amenttia ios fKmnos.eic.e por i&so.deram lugar a nocivaa e desleres
f
O oleo de IToag 6 mni fc] de digerir, dibliii^--se onlre oa outros oleoa pe SUa
:ib, o ~co clioiro Nuave o deli-ado, e seo gosto de sardinha fraiext.
O r.t.LATORIO (annavt do che* dos traballioa cliymicos da FACULRADB DE MEDICINA DE '
1 P\BIS conrlue como aegiie : 0 or. ItuTdt M. logtj rnulrm utna t*ffa parir eiplos nri aa nial db que o* oros paraos e rulo aprsenla alaum do* inco-.venimta uue sm
rn n'utrt, quanlo tu elieiro e sabor. "
Vende-* eau tedas ata aharniutlas da Frausoa e doa petizos cstraagclroa.
^a
As autoridades policiaes ea
quem competir.
No tli.i 29 de majo do correte ai no fu-
gio o escravo Esequiel, crioulo de 3(> 3i
amos de idade, estatura repujar, reforcado,
cor bem preta, cabeca redn h. irajava ca-
Imisa azul e calca de casemira cinzenta; du-
rante o da cotuna andar panliando as
rua>, ou im armazens de assucar ou as
i tabernas a conversar e a b<*ber: duran e a
' noite recolhe-se a temeiros aterios ou pe-
|netraveis, a casas em coiistriKc3i e a ou-
i tros quaesquor lugares onde se possa abri-
gar: (|iiem o apprhender tenha a bondade
de o ctinduzir ra da Aurora n. 6, onde
sera gratificado.
Desannareierjin, sabliado a
noite, 3 uo conenle, do enge-
nlio l'erercas. fregu zia do
Hio Formse os escra vos se-
guintes : Luiz. alto, preto cheio
do corpo, ps mal leitos, rom falla de
um dfdo. idade 35 annos, vindo da Para-
hyba do Norte, e vendido por Damin Pe-
|reir deOliveira; Francisco, idade de 8
annos, bem preto, mas muito chato, bom
corpo, cria de casa; Izac. que foi preso non-
ti m no Recite disse terem aquelles lirado
na estago da Escada. Ped-se a appreben-
so dos mesaba, que devoran ser entregues
n'aqnelle engenho, no de Massauass, fre-
guezia da Escada c no Recie, escriptoi io de
Leal & Irmo, prometleudo-se Ma gratiti-
caco.
Aoscapiiaes de campo
Pigin nn da 17 d'j rorrete do cntreuho Indt-
pWaiMite fresinvia da Escoda, o eseravo crioulo
ile ni iine Jos, cora os rijgnaea segnintes: 25 an-
nos pouco mais ou iiK'.iiov 7 palmos de altura,
cor fula, rosto redondo, 4enta perleitna c os d;>.
frente largo, nariz chato, com pouca barba, mcs
j peqmnas, as pernas um tanto cambetas, andar
! iiaiizi'iro, ps pequeos o rolo cikii tifosas bt*>
eadun< de envot B sulre as solas dos pos de.
uns frnnchos que as vezes Ihe appanve, os dedo*
mnimos dos ps nao tem unlns, lamhom lem fal-
U de cabellos na era da eabe$a provenienie de
pesos que carregava, natural do Brejo da Ma-
dre de Doos o qual foi comprado ao Sr. Antonio
i Pereira Barnizo; quem o pegar leve o ao dito
etigenhoou na ra do Crespn. 5 A, que ser
(fenerosaTrcnie recompensad >.
Fugio no da 2i do Brrenle, a escra va L ti iza
ciioula, idade 40 annos, lem falla de den es na
I frente, tem os olh< empapujados etem tuna rrar-
Ica preta no ruste do lado esquerdu. levou veslido
de cambraia de quadrinbo escuro e chale amarel-
j lo di bolado : quem pegar leve-a Boa-Vista,
becco dos Ferreiros n. 3.
*
Fugiram do engenho Araripe de clnut, no lermo
de Ignaras ao amanliec^r di da 2fi do correntc,
' tu pseravos seciiintes : Domingos, mulato, alto,
secco do corpo, cara curta o pouea barb, peroaa
Anas, ps estragados de eravos, idade, piuco mais
m ni'iios. 3a' a :8 anuos; e sua mother, Alejan-
drina, cabra, secca do e.'.ipi, caliera pequen:;,
omito ladin?, IddQ 32 a 35 atino., e -oa filha,
finilliermina, conhecida pet nomo de Peinha,
cabra escura, rosto curto, alia, seeea do crpo,
pos muito estragados de (travos, e ort presenU)-
| ii ente solTrcndo de frialdad^, de idade 16 a 19
annos Foram encontcdi- na estrada ,*ic v.i
pan essa cidaile, aonde. nau lmenle qucrerii
pWMT por iivres. Levam Itao
com facilidad^ poderao illuJir : rig--c ator.-
dades [vilieiacs a apprehi.'U>a) d>ts referido e.- vi*, bem como a qualquer pe-oa que iWle* te-
nham milicia, de os Cun luzirem r.o memo cnp.-
nho, pelo que imcnie retvyiuoii-
sad-)?.
Wswm


l
BB

Diario de P^rjiainbu

>co
Sabbado 31 de Julho de 1869
ASSEMBLfci GERAL
CMARA DOS SRS. DEPUTADOS
SESSO EM 6 DE JULHO.
PRESIDENCIA DO IR. NEBIAS.
(Coa|teKj
Art. 5. Os que exarcerera estas pro-
' fisses sem ttulos legalizados no Brasil pa-
jeril para o tln'sotiio publico i>UU de
multa esoffrerao a pena jjile um auno de
eaV
t Art. 3." Nejihum esliangi-ro pder
MHteiter nos tribunas* lo Brasil em Reg-
nos alheios de qualquer nntnren que
Ari. 4. Os iaracttuvs incorrerao as
eaK ponas do art. 2.
t Art. 5.* A junta central de liygiene pu-
teka. creada pelo decreto n. 598 de 14
de seterahro de 1850 ticu abolida, e passa-
rio as suas atiriteiiciies .liscaes para as c-
maras mimicipaes de seas respectivas loea-
lda les.
t Art. <>." Os medicamentos offirinaes
as pharmarias em todo o imperio, quer
allopljacos quer homueopaticos, s pode-
ro ser aviados por phaniiaceutices forma-
dos, e nao os havendo as pharmaeas ho-
ttopalicas serio ellu* forneci ios pelos
proprios,medicas horoe^acos como res-
ponaaveis pelos seus curativos perantc a le.
Art. 7." Os infractores incorrerao as
Milis penas do art. 2.
Art. 8. O pharmaceulico que adminis-
itrar medicamentos por qualquer forma, sem
prescripcims do medico, ou se empregar
por MM Mata em curativos das enfermida-
do art. 2.
Art. t(." As casas de commercio qu.*
uverem dentro da cidade plvora, fogos
artittotaes. materias irillaminaveis. depsi-
tos de baldearlo de vinhos, fabricas de
velas de sebo iucorrero as mesmas pe-
nas do arl. 2.
Art- 10. O governo fica antonsad)
para determinar o bairro para habitacao ex-
clusiva das mulberes publicas.
Arl. 1!. A polica ficar encarregada
tic fazer o regulamento respectivo.
Art. 12. A pesan* que comprar escra-
vas para exp-las prostiticio pagar a
multa de 300$ e um auno de cada.
Art. 13. Ficam abolidas as capitanas
dos portos bem como as visitas sanitarias
feitas pelos mdicos de saude do porto, que
caro a cargo das alfandegas.
Art. ti. Ficam revogadas as leis, de-
cretos, e sposices em contrario.
Paco da cmara dos deputados, em C
de julho de 1809.Dr. Alexandrc Jos de
Mello Maraes. >
Lm-se, e vio a oprimir para entrar
fa ordenados trabalbos, as redacccs dos
projectos sobro pensoes e matricula de
estodantes.
Precefie-se a volaco do projecto em
i1 discusso, concedido aos bispos que
forem a Roma, alim de assistirem no con-
cilio ecumnico, urna ajuda de custo para as
despezas da viagem c tratamento condigno
de sua elevada posicao, approvado e passa
a ;* discusso.
O Sn. Jcnqueika pede para que o pro-
jecto seja dado para a oudem do dia se-
gninte.
Consultada a cmara, resolve pela aflir-
mativa.
Procede-se a votaco do requermen-
to de adiamento offerecido pelo Sr. Vieira
da Silva ao projecto suspenderlo o recru-
lamento todas as vezes que se houver de
fazer qualquer eleico da eleilores, juizes
de paz a venadores, e rejeitado.
Continua, prtente, a discusso do pro-
jecto ; e ninguom pedindo a palavra,
approvado paca subir saucco.
Continua a discusso do requerimen-
to de adiamento oftered(lo pelo Sr. Casado
ao projecto prohibmdo ter abertos as ci-
dades e villas d.o Imperio os.estabelce-
mentos de commercio, em grosso ou reta-
dlo, nos domingos, dias santificados e de
lala n iconal.
O Sn. COELHRQWUGES faz algumas
cnsideracitas contra oreauerimento.
O Sr. MELLOMi >RAES(pela ordem):-Sr.
presidente, guando redigi o meu projecto,
e o art. 8o, relatvemenle ao foctiam-nto
das portas aos domingos e das santificados
nao sabia que o nobre depulado pela)' pro-
vincia do Piauby linha a mesma idea, por
que se eu soubesse me teria cohVgado com
elle, para o mesme m, assignando'o sen
prejnizo do met projecto que vi entrar
em discusso.
O Sn. Casado, depois de algumas consi*
deracoes, p-de para reirar'o seu re^H
ment de adiamento, e a cmara a deddi
pela allirmativa.
Contina a discusso do projecto; ?
ningucm pedindo a patevra, posto a votos
e rejeitado.
Entra em 1* discusso um projecto
approvando pensot i dkersos.
Ninguem pedindo a palavra, e pondo-se
EXPEDHLvrK: -HTiAr-meenrhostdTdade com os
Um olficio do ininsteiio do imperio, en! gosgkritjcot
JMaaojicio da presidencia da provincia porque tero meui amigos poli ti
Na eoaA-qual transmitte as actas dltej Os conservadores, da ptwincia de Per-
io prmam aq se [
ciria do.Nossa Senhort do
*eg do faateUQ^.perte
eou to pequea forra em Pernam- f
Jen na paro*
-Novo, do
lo 2* dis-
provincia.A' 2
eommissa-
Ontro do mesmo MAisteno, enviando
copia do aviso ilo nynistorio da guerra, no
qual deel.tia que lioatw duplcala na con
a votos o protefl.>. approvado com as ces,sj0 A ()l.I)5r>0 ^'^ ,ift|fca0 so|fiari0 do
emendas, e mellido cominissao de re-
daccio.
Entra em Ia dlspusa* o prejecto
que aulorisa o governo a conceM"fM
anno delicenca, com todos os seus venci-
mentos, ao 3" escripturario da alfandega da
corte Carlos ds Santos e Oliveira Pinto.
O Su. Cauz Machado pedo que o pro-
jecto tenlia urna s discusso.
Consultada a cmara, resolve pela atOr-
mativa.
Vem a mesa, lida, apoiada, e entra
conjunctamente em discusso a seguinte
emenda :
Igual favor a Manoel Januario de Oli-
veira, 2o conferente da alfandega do Para,
para tratar de sua saude.Pivheiro.*
OS 8RS. HENIUQUES E PINHEIRO fa-
zem breves eonsideraces justificando o
projecto e a emenda.
Ninguem mais pedindo a palavra, e pon-
do-se a votos o projecto, approvado e
vai a commisso de redaeco, sendo reje-
tada a emenda.
Entra em V discusso o projecto quo
autorisa o governo para mandar matricu-
lar no 2 anno da faculdade de medicina
do Rio de Janeiro o estudante Felippe
Bazilio Caldoso Pires.
0 Sn. Cruz Machado pede e-a cmara
consente que o projecto tenln una se ds
cusso.
Vero mesa, sao lidas, apoiadas, e en-
tram conjuntamente em discusso, disi isas
emendas concedendo igual favor outros
cstudantes.
Ninguem pedindo a palavra e ponde-se a
votos o projecto, approvado com as emen-
das e remettido commisso de redaeco.
ORDEMDO DIA.
Entra em 2a discusso o projecto sobre
a reforma do actual recrutamento, com o
parecer da commisso especial.
Vem mesa, e. lida, apoiada, e entra
conjunctamente em discassSo, a seguinte
emenda:
Ao art. 1 accrescente- no lugar
competente : 2. Alem deslas excepcoes
no Io anno da exccuccio desta le sen ad-
mitidas todas as mais estabelecidas as
instrueces de 10 de julho de 1822 e as
mais disposc5es da legislaco vigente.
01 2o passa a ser 3."
Neste paragrapho. em lugar das pala-
vrascomtanto que n5o pertenca classe
dos alistadosdiga-secomtanto que es-
teja isento pela sortee o mais como esi.
Pereira da Silva. Pederneiras. Jnn-
queira.*
O SR. JOO MENDES requer o adiamen
to por 24 horas, alim de poder ser bem
estudada a materia.
Depois de inpugnar o requerimento o Sr.
Pereira da Silva, elle approvado.
Entra em Ia discusso o projecto que
autorisa o governo a conceder a Tbomaz
Duthon Jnior a isenco fte dire.to sobre os
objectos para a ifluminaco a gaz da cidadfe
de Campos,
O SR. ARAUJO GOES pede e a cmara
consente que o projecto lenba urna s dis-
cusso.
Vem mesa, lida, apoiada c entra con-
junctamente em discusso; urna emenda
concedendo ig jal favor outras companhias.
Fazem ligeiras eonsideraces os Srs.
Acamo Ges, Cruz Machado, ministro da
agricultura. Benjamn, Henriques, Pereira
da Suva, Souza Reis e F: Belisario.
Ninguem mais pedindo a pajavra, c pon-
do-se a votos o projecto, approvado com
as emendas, excepto a do Sr. Cruz Ma-
chado, que rejetada, e vai commisso
de redaeco.
O SR. AUGUSTO DE OLIVEIRA pede
que as emendas sejam redigidas em sepa-
rado.
C insultada a cmara, resolve affirmativa-
mente.
-Entra em l3 discusso o projecto que
proj"cto ; porrn cont do o que tive a hon-
ra de offereeer a sabedoria da cmara dos
Srs. deputados, materias de summa impor-
tancia pan o paiz, eu nao me opponho a
que seja discutido em separado.
Sr. presidente, o nobre deputado pelo
Pianby quer que o seu projecto nao. vi a
commisso e que se discuta ja, e eu con-
cordo com isto.
O Sn. Coki.iio Rodrigues :O nobre de-
putado que h-mbre o adiamento que se dis-
erte, quer que o projecto v a commisso,
nao tem razao.
O Sn. Mkllo Moraes.:Eu digo que
pode ser discutido o projecto do nobre de-
putado pelo Piatihy, iiidepeiidenta do que
oiferec a sabettoria da cmara, por que
embora elle seja extensivo a todo o Impe-
rio, tive vistea particulares ao Xecbaoteato
daa partas na capital do Rrasil: e por isso
pode ser discutido o projecto do nobre
deputado pela provincia do Piauby sem
approva o privilegio concedido a Banjamin
Upton para o fabrico e venda de lijlos de-
nominados American buiduim bhck.
O SR. CRUZ MACHADO pede, e a cmara
consente, que o projeclo tenha urna s dis-
cusso.
Srs. Henriques, Araujo Ges, Cruz Machado,
ministro da agricultura, Araripe e Taques,
ica a materia adiada.
Dada a ord.em do dia, levonta-se a sessao
s 4 horas da tarde.
" hatalho dn nfantaijiMloel Pereira de
Si.A' comoiisalo d<^jtjjiVse ordenad, s
(ketro do tewfch-ro ,|a justtea, commih
trican (te ter expedido aviso ao \ice-pr<- si-
dente da provincia da Bahia, para que iii
forme sq\w o epotedo do ofcio destn
cmara, do % do-corrente, e ewidndo co-
pia do aviso Mteitivo reapnsalilidade dos
# 4e potiria da provincia de Mmas-
r.cnes nos annos "de IfWI tOt.A'
quem fez a reqoiaifajo.
Um requerimento de Joo Bernardo de
Azevedo Colmbra. pedindo para momea-
do para um lugar de offlciat '4a.secretaria
desta cmara.A' commisso de polica.
Ottero de Joao GavatcaMi de Hollanda
Chacn, ex-collector das rendas genes na
cidade da Victoria, provincia de Pemambu-
co, pedindo romisso o debito da ^uanlia
de fttfSH 10 para t'om fazenda nacional.
A' commisso defaenda.
Outro do provedor e mais membros da
Santa Casa de Misericordia dcala tele, pe-
dindo por mais daz annos a continnaro das
I ''lias concedidas a mesma Santa Caa.
A' mesma conwriss3o.
Outro de Fortunato Jos de Almeida Ti-
noco, pedindo que se tome em- censidera-
co o requerimento por elle apreamtado
em 24e julho de t8(58. no qu,d pede uina
graca plumaria.A' commisso de pen-
soes e ordenados.
Leom-se o vito a imprimir dOM pa-
receres de commisso sobre el>^oi>s prima-
rios do Para e concedendo antorisaro para
ser nafuralisado Joo Jos -Jewira d'Agniar.
Leem-se e vo a imprimir as reda^es
dos projectos de forra de trra e conceden-
do loteras.
Procede-se successK'amente votaoo redaegoes dos projectos sohre. ponsoes e
matriculas do estudante Antonio Jos da
Silva Rabello Jnior, que foram a imprimir
na ultima sessao, e sao approvadas.
O SR. CONDE DE RAEPENDY (para ne-
gocio urgente):Sr. presidente, peco c-
mara que se digne conceder-me urgencia,
alim de que eu fundamente um requerimpn-
to relativo a negocios da provincia de Per-
nam buco.
Eu poda reservar-me para sabbado, mas
sendo necessario que lea diversos 'documen-
tos, nao me seria lacil noite. Assm, es-
pero que se me conceda perrausso de jus--
lincar o meu requerimento.
Consultada a casa, concede a urgencia
pedida.
O Sn. Phksidkntk: Tem a palavra o
Sr. conde de Baependy.
O S:t Condi: de Bav.pf.ndy :Sr. presi-
dente, V. Exc. sabe que. itepois de mngu-
rula a situaco poltica actual, os distinctos
membros do gabinete, que ento se formn
entendram dever convidar a alguns de
seus amigos, afim de tomarem atart^de
dirigir as adminislracoes das provioas;
eu fui um dos lemhrados, posto que sQa o
primeiro a recohneeer que sem mrito
(muitos nao apoiados), porm com muta
dedicaco e sempre procurand > pautar os
meiis actos pela moderaco.. (Muitos apoia-
dos.)
Sendo convidado para dirigir a adminis-
trarn de Pernambuco, eu hesitei, porque
me pareca ser urna das .administrares
mais difficeis stuacSo que acabav de
inaugurar-se.
A cmara sabe que a opposico, deixnn-
do o poder, contara encontrar todo o ajsio
as provincias da Baltia, Pernamlv.ic.o', S.
Paulo. Minas-Graes e Rio-Grande do Sol.
O Su. Correa w. Ouvkha : Enganava-
se; em Pernambuco nao tnha apoio.
O Su. Conde d:-: Rxei-kmo :Assim, Sr.
presidente, nao era ppssvel que. eu nao ti
vesse algum rteeio de encarr-'gar-tne de
urna admimstraco, que se me afigotava
cheia de difflcdldao"et ; mas en nao dovia
deixar de corresponder a confianza com que
me honrava o governo Imperial, muito prin-
nanjbeje, cedi 4 do S."Paulo, de.Miaas-
Gerawnnkf Todas as ptotincias do impe-
rio. (Mnits afoUdos.)
Tomando pesie, coiao |4||se, da admi-
mstraco no dia-23 de ageste, e querendo
corresponders vistas do governo imperial,
ii5o cotgetrlando-iea cote a iteclatecio que
ha ponoo r feri, feito verbalmente, eu a fiz
tambem^m circulares dirfgtdas ao ctiefte
de poln, aos commuidantes da guarda
naconar c aos jiiizes de direito e munici-
paes;* e todo envidei para que foase urna
verdade aquillo qm m dicta aas circulares.
(Apoiados da depotaco pernambucana.)
G Su. Aii.imo DfcOuvsnu:A opposi-
co Riodou de linguagem-depois da derro-
ta na etoieo.
O Sn. Gmt)E rr BAr.pK.vnr:Disse e ao
Sr. chete de polica, que entilo era o muito
dlustrado Sr. desembargattor Froitas Hen-
riques (apoiados), distincto magistrado que
muito me ajudoe neste empenho, e que
acaba de ser rwmoado firesidente da pro-
vincia (to-'Cearl, o legiiinle:
Em 28 de agosto de IM.Sendo
um dos principaes devepes dos governos
e das autoridades que Ihe sao subordinadas
manter a ordem e a tranquitdade publica,
prplmente em pocas oan pie o cida-
dos tin de exercer s us dreitos polti-
cos, evitando que, sob qualquer prete*to,
se procure coagir a liberdade que elles
(ievem ler na escellia de seus directos re-
preseiiantes: locommeudo a V. S. queor-
deae .mteto expressamenles a todas as au-
toridades policiaes que 0 abstenham de
servii-se da posiyo oflkial qio orcupam
para ntervirem no pleito eleitorai do dia 7
de -setembro j-o.\imo.
E' obrigaco das mesmas autoridades
velar pela manutenco do "socego publico
de seus disfrjetos, rotjuiiitando para esse
tim, e quiHido perigue a ordem, a torga
precisa da guirda nacional ou do corpo de
ii. Coad dk Babpendy :Na capital
(.eu invoco a este respeito o teitemunho dos
fconrados depatados por Pernambuco)
OSr. Souza Res :IWo ha quem o con-
teste seriamente. (Apoiados)
O fie. Conde d Bakfkidv :... na ca-
pital eeaolrei aquartefada urna forra de
1,026 pracas da guarda nacional, qual
apenas aandei addir algumas pracas de ca-
vallariao isso mesmo ereio que em numero
de 20, que erara necessarias para condu*
zir ofQcios a diversos pontos, porque havia
telta de safficientes pracas de linha desta
arma, e V. Exc. bem sabe que nao pos-
sivel fazer clwgar officios coa promptido
a seu deslino, nlo sendo mandados por pra-
cas montadas. Pois bem, dessa torca, des-
tinada aoservieo ordinai-io da goarnico,
nao sabio urna s praca durante o processo
eteitoral. Tudas as matrizes da capital ti-
veram suas portas abertas (apoiados);
nellas nao entrou urna praca.
OSr. Sotza Res .Caso virgem na pro-
vincia.
0 Sr. Portelea :Eu presen,ciei a elet-
fSo na freguezide Santo Aatonio, e nunca
vi etoicllo mais Irire.
O Su. Correa de Oliveira:Santo Anto-
eio, S'. Jos, Boa-Vista, etc.; nunca havia
asnas urna praca.
(Ha outres apartes).
O Sr. Conde de Baepndy :Apenas, Sr-
presidente, depois de encerrados os trba-
teos do dia, eu manda va por desposicao
dos presidentes das mesas parochiaes a
torga que ellos proprios pediam para a
guarda da urna___
0 Sr. Souza Reis:Que se retrava no
outro dia apenas se abriam os trabal ios.
O Sn. Conde de Baependy:... com
ordem expressa de se retirar no dia se-
guinte, logo que se apresentassem os mem-
bros da mesa.
A guarda de palacio conservou o mesmo
minero d< pracas que sompre teve.
O presidente da provincia nao se cercou
etivo : isto responde a
polica ^ mas ella deve ser empregada cominesses dias de autoridades, e s, com o
devida discripro, de accordo com os
presidentes das assemblas parochiaes...
E' necessario ^jue declare rar.ara qu
eran todos, ou qoasi lodos, esses presiden- bucana.)
cipalmento esperando encontrar nesta pro-
viica bons amigos, no que nao me enga-
iie, e contando com o apoio dos Pernam-
ucanos, qu-, desejando o bem de sua
tena, n se deixam levar por ceg espi-
rito de partido. (Apoiados.) Aceitei pp'r-
Depois de algumas eonsideraces dos tanto, a commisso e sega i para Pernain-
pas-
No dia 7 nao houve sessao.
Ao
FOLHETlin
dS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POK
Paulo Fval
Prirneira parto
SESSO EM 8 DE JULHO
PRRSIDHNCIA DO NEW AS.
meio dia feita a chamada, verifica-
se ha ver numero sufficienle, abre-se a
sessSo.
L-se e approva-se a acta da antece-
dente.
O Sr. 2* Secretario, servindo-se do t,
d coita do seguinte
BU l, AL lYirtltlM
XIV
Km Franca.
(Continuac3o do B. 167)
Magdalena, disse And/, que s pa-
rou ao pe delta, nfo estou morto. Pode,
se quer, apalpar-me.
Eu apalpa-lo I exetamou horrorisada.
Magdalena, tornou Andrcom branda
e resignadla \press2o, oto mereco inspi-
rar tai horror is pessoas honradas. Pela
sejnida paitio de Crtete, Ihe juro que
esloa innocente t
Tambem ella o alftrma, pensou em
wt alta Magdalena, que espreitou por en-
tro o dedos eolreaberte*.
E alia], eslava um sol espleodido. Nao
ha palores qoe resistam luz do dia. Mag-
dalena murmurou :
Nao son juiz, Sr. Maynotte. Beus
se amercie de si.
Depoia, tomada de outro terror, contra o
qual nada poda o esplendor do sol.
Mas, desgranado, infeliz homem I ex-
clmou. Olhe que andaj procura do que
deilou tpgo aos moinhos de Posson. O
sitio est intestado de gendaraaos l se-eMes
encontram i Vmc. 1...
O* gendarmes es to em sua casa,
Magdalena. A :abo de fallar com elles.
Abl exciamou a ama, que acou boqui-
aberta. Em minha casa ? os .gendarmes ?
e falln com elles 1... Swaa-s dopressa.
-Sr. Maynotte... por alli, dtfseindicando as
trazaras da horta ; exigem os papis de
toda a gente.
J me pediram os meas, Magdalena.
Ah I Santo Deas, se o prendem em
minha casa I
B*>ra que a Magdalena saiba isso.
para nao contornar chamando-me Maynotto.
Tomei ontro nome...
Ah!... proferie pela terceira vez a
ama; tambem ella tambem ella ?
Desviau os teos.
buco a 15 de agosto do anno prximo
sado.
Chepando cidade do Reeife a 22 do
mesme raez, tomei posse e entrei no ewr-
cio da presidencia no dia seguinte.
Estando prxima a eleicao do juizes de
paz ede vereadores, euprocarei conveneer
a todos, qner de urna quer de oiUia |iar-
cialdade poltica, .qie luziam o favor de
proenrar-me, qrre eu nao era coraraissaro
eleitorai, que a minha miso era teter cen
que aseis tossem respeitadas, havend
com moderaco (apoiados): que nada tnha
o triamiteti desta ou daqwelte eeraa-
Iktede. (Apoiaflhs.) E tanto exacto o q^
acabo de clarar cmara, rito laostreo-w eettetefta, e dtete qnei en
.................*........
-------------------------------------------------------------------------------------------------------,.^
Este bem uradadov arttoulmi.
Sim, pronundMAjKbem vozJiaiaa,
be taadao f O me Steo Rao rm co-
iiheceu.
TraTw os omos e^HBBHB ot5 avaa, o
bom coracao e Hia|dalena compungia-s.
Ella veio t pei^untou Andj, depoii
de curto sienciu,
Veio, respondeu a boa mulhei; vete
tres vetes.
fres vetes s murmurou Andr.
Paris tica loage, e a cousa nio est
no rol do eequecinaento.
- Nunca mostron desejes de levar eejp-
sigo o menino ?
Nunca. EXIa bem sabe que a crean-
cinha est bem na nossa compannia.
Boa^Magdalena, Deus lb'o pague!
Andr pareceu hesitar, depois porguntou
com voz commovida:
Ella faliou-M de mim ?
Nunca, respondeu outra vez a ama.
Cambaleo Andr, e foi obrigado a es-
sentar-se no sacco das batatas, A ama con-
doeu-se.
Mas, accrescentou, falla por ella o
fato. Est de luto pesado.
Obrigedo, balbucou Andr. Nao
posso ctmfgo de cansado; devo, port(u
tes das mesas parochiaes, pertenc ntes
parcialidade da opposico. (Apoiados da de-
pHtacao pernambucana.)
(Continuando a ler.)
-----quando tenha de intervir no re-
cinto das matrizes, e nicamente no caso de
altoracodo socogo, usando aquellas au-
toridades de todi'a prudencia para acal-
marem os eapiritos exacerbados e traze-los
razo.
Compenetrado V. S. das intences
desta presidencia, que sao garantir aos c-
dados a mais completa liberdade no exer-
cicio de seus direitos el conservaco da
tranquillidade publica", espero do seu zelo
que usar de todos os meios a seu alcanco
para conseguir esse resultado, declarande
s inferidas .uitondadus que ser;i tomado
em muita cnosiderai;3o o procedimento quo
tiverem a emilhante respeito, e que neste
data ce pordena aos commandonte ssuperio-
resdos respectivos districtos que facam
com que os immandanles e oftieiaes dos
corpos, que llies estao-subordinados, .eres-
tem requisic*) das mencionadas aitori-
dades a frca que reclamaren, se verli-
car-se o caso cima previsto.
Aos commandantes superiores da guarda
nacional eiliciei nos mesmos termos, fazen-
do-lhes sentir bem que elles nao podiam
fazer pressao sobre a guarda nacional.
E, Sr. presidente, a guarda nacional da
provincia de Pernambuco esteva entregue
opposico (apoiados da deputaco per-
nambucana). e ainda boje ost (apoiados da
mesma deputacao), com juilQ poucas ex-
cepcoes.
Aos juizes de direito e municipaes, que
na maior parte eram da parcialidade oppo-
sicionista, dirig- uc por circular do seguinte
dieor :
Seccao.Palacio do governo de P i -
nmbuco, em iU de agosto de 1868.Con-
vindo qae as autoridades judicianas desta
provincia se conservem nos dstrictos de
sua jarisdieco durante as prximas elei-
Ces de vereadores c juizes de paz, para
que possam tornar todas as providencias
que couberem em suas attribuces, ou so-
licitar immediatamente as que dependerem
desta presidencia, alim de evitar-se a al-
tei arao da ordem publica, reeommendo a
Vmc. muito positivamente que nao se afaste,
durante a processo das ditas eleicoes, do
districto de sua iucisdicco, e proroova por
lodos os meios legaes ao seu alcance a ma-
nutenco da tranquillidade publica; tra-
zendo ao conhecimento deste governo
quaesquer oceurrencias que se derem.
Assim, Sr. presidente, ao passo que da va
estas providencias, nao manilei forca para
foca da capital, seno a que era absoluta-
mente indispensavel, o smente para os
seu secretario, nunca teve motivo para ver
alterada sua constante tranquillidade de
espirito. (Apoiados da deputacao pernam-
lugares em que a guarda nacional nao a
presiava para o servio ordinario, por es-
pirito de opposico ; e ainda assim o nu-
mero de pracas foi to peqneno qoe nao
crivel podess; causar tenor populaco.
Talvez V. Exc. se admire sabendo que
para a extensa provincia de Pernambuco,
isto i>ara os lugares foca da capital, ape-
nas foram 146 pracas. (Apoiados.)
O Sr. Socza Ruis :Ist > muito sabido.
O Sn. Correa de Ouyeira :Nunca se
melter-me caminbo. Quero ver Julia.
Para isso tenho pisado militas leguas.
J o dissemos. Magdalena condoera-se.
Era, porm, da Normandia.
E o dinheiro tem n'o ella comsigo
em Paris ? perguntou.
Expresso de verdadeiro desespero fallou
nos olhos de Andr Maynotte, que murmu-
rou n'um gemido :
E, todava, conhecia-nos bem Magda-
lena f
Como chamavam elles aquella cousa
de ferro ? tilubeou a ama. O braca!, nao
era ? Podiam cem lesterounhas jurar : o
Sr. Maynotte commetteu o crime, que eu
respondera : nao pode ser I... impos-
sivel f.... Mas o bracal-I... Que eu
nao quero saber disso, porque coitadinha da
creanca nao temefltpa- o pobrezinho do
innoeente! w
XV
fcoi Parle.
Levantou-se Andr.
Vim c para 5aber onde posso encon-
trar minha mulher, pronuncrou cote voz
firme mas triste. Nlo la*o levo a mal,
Atempo exoedi as convenientes ordens
para que os commandantes da torca aquar-
telada nao satisfizessem requisico alguma
das autoridades policiaes, qoe nc fosse au-
lorisada pelo digno chele de polica ou por
mim.
Assim o fiz, Sr. presidente, nao porque
o delegado e os differentes subde egado.s
nao me mereeessom contianca; porem por-
que, pela exoerioncia que tonho, por minha
idad e porque tenho presenciado as lulas
eleitoraes, sei que nao se guarda semore
nellas todo o sanguc-frio, toda a prudencia
necessaria; poderia haver alguma impru-
dencia, e a faoilidade em fazer marchar
forca, em qualquer caso, poderia trazer
era resultado difliculdades, conflictos e con-
soqueadas desagradaveis, que muitas vezes
se evitan nao empregando-se a forca.
Assim, pois, Sr. presidente, nao dei pro-
videncias apparatosas, nao procurei cha
mar ao palacio o comniandante das armas
com o seu estado-mater....
O SnfSenrA ! riormente.
O Sr. Conw: de Baependy:.... e mui-
tos outros funcionarios publico?, porque
eu jnlgava que. se a torca moral nao fosse
suficiente para garantirme, a mim, autori-
dade, nao seria a forca armada que o con-
seguira. (Apoiados.)
OSr. Soiza Res : E V.Exc. sonbe
sempre manter essa forca moral. (Apoia-
dos.)
O Sr. Conde de Baependy :Como disse
Sr. presidente, as matrizes da capital esti-
veram sempre com as suas portas abertas:
votaram todos aquelles que quizeram.
(Apoiados.) Na parochia da Boa-Vista,
parechta mais populosa da capital, parochia
que d 55 eleilores, o juiz de paz era libe-
ral, embora moderado, pelo que ultima-
mente tem sido hostilsido pelos seus pro-
prios amigos polticos com a maior injus-
tica. (Apoiados.)
Eu alludo ao Se. lonente-coronel Deco
de Aquino Fonceca. Era presidente da
mesa, como eu diza, o Sr. tenente-coronel
ecio ; foram eleitos para membros da mesa
parochia! o Sr. consellieiro Joao Silveira de
Souza, que acabara de deber um lugar nos
conselhos da corda, e o Sr. Eloriano Cor-
rea de Brito, que M ullima legislatura
oc rapara urna, das cadeiras desta casa pela
provincia do Pernambuco. Sendo assim,
Sr. presidente, nao comprehende V. Exc.
que, se titSesa a opposico metera de ro-
lantes, como tinha na mesa, nao havendo
um s soldado na groja, nao tendo havido
questo alguma, vencera a eleico na pa-
rochia da Boa-Vista? Nao veueea, porm ;
nao venceu, Sr. presidente, porque nao
tinha a seu favor a populaco. (Muitos
apoiados).
Um Sr. Depitado : E do envergonha-
dos abandonaram. (Apoiados.)
O Sn. Conde de Baependy :No segun-
do dia da eleico os Srs. conselheiro Sil-
veira de Souza e Florano Correa do Brito
mandaram um ofieio declarando que se
achavam incommodados, e nao podiam com-
parecer.
O Sn. Souza Res :Nao apresentaram
as apparencias eram' contra
Magdalena
mim.
A morada est l em casa no meu
livro de Moras, rospMdeu a boa mulher
o nome da ra na prirneira pagina, o nume-
ro na ultima. Encontra o livro o > parapei-
to da janella. Boa jornada, Sr. Maynotte...
e se lhe sobejar dinheiro !embre-se da
viuva e dos Albos do Sr. Bancelle, que
estas horas andam a pedir esmola pelas
ras de ftris.
Afastou-se Andr vagarosamente, e a ex-
cellente creatura volveu a sachar as suas
batatas. la trabalhando e pensando :
Nao, nao, naquelle tempo nao atre-
ditava qne elle fosse capaz de tal... E a
final para que ?... como anda desprezi-
vel!... E to paludo ?... Como el|a,
tal qual !... Sempre bem certo que
com bens mal adquiridos sa nao medra..,
O melhor era que elle nao tornasse a por
aqui os ps... o ella to pouco... Ainda
que o innocente nlo tem culpa, coitadi-
nho !
Havt'am os gendarmes partido em busca
do incendiario dos mtenos de Poissnn.
Andr achoa
Se, Conde de Baependy :Na frebe-
za Vanto Antonio (eu peco a cmara
qoe me releve ser um pouco nuis extenso,
porque n3o me possivel d ixar de te-
lo)...
Vozes :Vai muito bem : contorne.
O Sn. Cri'z Machado:- O direito de
defesa sagrado.
OSr. Conde de Baependy:Na fregoe-
zia de Santo Antonio, freguezia onde os li-
beraos sempre ouquasi sempre trhimpharam
naeleicio de eleitores especiaes, em28 de
junho, bateram-se duas parcialidades, isto
, a parcialidade liberal e a parcialidade
progressista, porque, necessario, Sr. pre-
sidente, que eu faca urna declarado.....
O Su. Cruz Machado : EnlSo ainda
l nao tinba chegado a noticia da fttsao ?
O Sr. Conde de Bactexbt :... tmtPer-
nambuco a pohtica durante es cinco
annos....
O Sr. Cardoso Fontes :Seis annos.
O Sr. Cruz Machado :Seis annos e
dous mezes, bem contadinhos! (ffllari-
dade.)
O Sr. Conde e Baependy :Be. Em
Pernambuco, durante os seis annos e doas
mezes....
O Sr. Cruz Machado:Seis c nraacria.
(Hilaridaile.)
O Sn. Conde de Baependy:....excep-
tuado o periodo da adrainistraco do Sr.
Castello-Branco, nomeado pelo ministerio
do Sr. conselheiro Furtado, a exeepeo
deste- periodo, que deixou grata recordacSo
em Pernambuco (apoiados)....
O Sn. Correa de Oliveira :E um ca-
rcter muito digno o do Sr. Castello-
Branco.
O Sr. Conde de Baependy :.... porque,
necessario dizer s>fnpre a verdadero Sr.
Castello-Branco, pelo que ouvi e pelo que
observei seus actos, fez urna administraco
imparcial e de rigerosa justica na provin-
cia de Pernambuco. (Apqiados.)
O Sr. Tiieodoro da" Silva : Nmg'iiem
mais honrado, oem mais digno do que o
Sr. Castello-Branco.
O Sn. SorzA Res:Wo nos fez favo-
res, mas procedeu sempre com rigorosa
justica.
O Sr. Crcz Machado : urna mani-
festaco muito honrosa a esse Piauhyease :
urna especie de julgamento dos Egip-
ciacos.
O Sr. Souza Res : Foi esta sempre a
nossa linguagem.
OSr. Pinto Lima:E foi o nico presi-
dente que deixou de ser condecorado.
0 Sr. Conde de Baependy : Mas, dizia
eu, Sr. presidente, ejeepeo do periodo
da admimstraco do Sr. Castello-Branco,
em Pernambuco a poltica foi sempre pro-
gressista.
OSr.Souza Res :E cor.ipressora.
0 Sn. Conde de Baependy :A mim nao
compete fazer aecusaro a ninguem, faco o
histrico.
O Sr. Joj Calmon :Mas bom que o
Sr. tachygraph tome ntjta do aparte.
O 45r. Conde de Baependy :Como eu
lizia, a poltica foi toda no sentido progres-
sista, qnasi to prejudicial aos liberaes
como aos conservadores. (Apoiados.)
O Sr. Cruz Machado : Que nao tinha
systema, nem norte algum: nunca ndap
comprehender o tal monstro horaciano.
O Sr. Correa de Ouveira:m Per-
nambuco ento, eu duvido que baja quem
explique.
OSr. Conde de Baependy : Assim, Sr.
presidente, na parochia de Sanlq^Antonio
a lua, na penltima eleico primaria de
senadores, (oi entre liberaes, unidos aos
conservadores, e progressistas: venecram
estes.
Vozes : Em parte.
O Su. Sori.v Res :Houve um certo nu-
mero de eleitores oppoafcionslas.
O Su. Conde de Baependy : Mas na
eleico anterior, de deputados geraes, nao
aconteceu isto, venecram os liberaos que
lzeram os eleitores, e os progressistas fize-
ram os supplentes, de maneira que para a
organsaco da mesa (eis o fim a que eu
quera chegar) nao tiveram paite os conser-
vadores, porque eram apenas os que vota-
vam liberaes e progressistas, ltimamente
fundidos.
O Su. Correa de Oliveira::Mesas un-
nimes contrarias tinham os conservadores
em quasi todas as parochias.
O Sn. Conde di: Baependy :Ainda assim
vencern) os conservadores na eleico de
Santo Antonio, qm durou muitos dias, na
maior paz e tranquilidade, e venceram por
mais de 100 votos.
O Sn. CoflREA de Oliveira :E a oppo-
sico nao reclamou contra acto algum de
violencia.
(Ha outros apartes.)
O Sr. Conde de Baependy :Na frerae-
zia de S. Pedro Gongalves, onde a mawria
da mesa era tambem da opposico, os con-
servadores venceram igualmente e por
mais de 200 votos. E note-se que nestas
duas freguezias a opposicSo sustentou o
pleito at final.
Nao fdlloda freguezia do S. Jos, porque
esta sempre procurou dar triumpho aos
conservadores (apoiados)....
O Su. Correa de Oliveira:Foi o thaa-
tro das facanhas do Sr. Silveira Lobo. "

(Continuar-se-luc.j
pagina eslava escripto ra da Sourdire;
na ultima lia-se o n. 21.
Occultou urna lagrima ao beijar a creaa-
ca, e parti com o fardo s costas.
Dous dias depois. pelas dez horas da
manha, mas enfiade aiuda e caminbando
custo, saha Andr, em Paris, do pateo|das
diligencias, e perguntava pela ra da Sour-
dire, ao moco da esquina.
Era por" um formoso da dos fins do ve-
r5o. Entregava-se Pars aos labores da
manha e assemelhava se activo eolmeai.
Aturdido no meio daquelle movimento des-
conliecido, a Andr pela ra de Santo Ho-
norato tora, conforme lhe indicara o do
Auvergne ; passou a igreja de S. Roque,
cujo relojo raarcava dez horas e meia ; na
esquina de urna viella direita, seas estreita,
solitaria e triste, leu este letreiro : /tea
da Sourdire.
Parou.
rafio.
Qae agona era, pois, aquella, que de tal
arte lhe conturbava o anime no momento
em que ia ver de novo a sua Julia ?
Mi de ac lhe comprima o od*
I
i
A

(Continuarse-ha).
as Horas no parapeito. Pe
gou neffas, pretexto de mostrar ao peqoe-j'
no a magetn do frontespicio. Nt pnmefral'TIT. m BIARie le DiOCKfflBMI. 4,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7IE67X9E_ZE5WK6 INGEST_TIME 2013-09-14T00:59:25Z PACKAGE AA00011611_11904
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES