Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11891


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
w
AMO XLV. NUMER 159.


ABA A CAPITAl E LfiAMS OIDE HA0 SE PACA FORIL
Por tres neias bastadas
ai* ditos idea. .
auno idem. .............
SEXTA FEIRA 16 DE JULHO DE 1869.
fk
PABA DEHTM I ffOBA BA PBOVIMCIA.
es mozos adiantados.
P6rs.is ditos idem.
Por no\ -\ ditos idea
Por um anno.

SIi?1- <9B UK PortresmczcsadianUdQi........ __
/n^'fX;............... ^P^ J* edites idem....... {*
^ttfu j\ui*u............. -t\* Por noM ditos idem ... ........ i
^^ Por iim anno...................... Bo
BIARIO DE PERMMBIJCO.
Proprietted* de Maaocl Kgneira de Faria & Fflhos.
-
----
;
sao AcaranrjEs
t
____________________alteare; Frito 1^ Co,, em Al*; Br. to tatos Aives, M5S%S^GaS^B^Tei*'"1'0^** < Braa-
PARTE OmCIAl.
!
para com os


*
vvfrM da provfaela.
LE N. 892.
O Dr. Manoel do ttveimento Hachado Portella, viec-presidentc
a proviucia de Nnumbuco : Fago saber a lodos os scus nabitantes
sota S^sSinJ'? 'Va |)ruV"K'il retoii e en sanecionei a
5 de ti+nt** ^^^ d art- dS ld 75 *
ML i.-O* gomeros deque (rata a mencionada lein.703, nao do-
derao ser recolludos a armazem nem trapiche do qualquer nalure-
za, foiii mas especiaes do confutado provincial, observando-sc
rcspeiio do iite-nios a eseripturaeo que lea havido
IWWs trapiches aliande gados".
Art .'! Fican revotadas as disposiees ciu contrario. .
Mando, purla i*., a luda as autoridades, a queui o coanecimen-
w c exueocfto da presente resolugo perteneer, que a cumpram e
wcaiii rumpnr, lao inteiramente como nella se coiitui.
O secretario do governo desta provincia a laca imprimir, publi-
var c (o i'cf*.
Palacio do governo de Peina labueo, 85 de junho de 1869. qua-
aragcsiinooilavu da independencia do imperio.L. S.r Ma-
noel 00 .\asiuntno Motilado Portella.
..J?0i'ad e l,ul/,ica,1''a presento resolucao nesta secretaria do go-
\erno de Pernambuco, 25 de jando de I8li .-O secrelario, Dr. Joa-
*#< Corita de Arimjv.
Registrada a II. do livro de leis provinciaes. Secretaria do go-
verno le Peruamhueo. 23 de junhe de 1869.-0 chele da 4a seccao
Francisco dr Lemos huirte.
LEl N. 893.
O Dr. Manoel do Nascimento Machado Portilla, vicc-presidente
da provincia de Peniambuco : Fago saber a todos os seus habitan-
tes que a assetubla legislativa provincial deerelou o eu sauCcionei
a resoiueao seguate :
Art. 1. Ficam concedidas irmaudade de Nossa Senhora da
centia do povoado de Gamelleira. duas loteras de enscala contos de
res cada urna, para a< obras do eemiterio Jaquella freguezia.
*rt- ?* Ficam revogadas as disposieoes em contrario.
Mando,frotante, a todas as autoridades, a quem o conhecimen-
to c.execucao da presente resolucao perleucer, que a cumpram c
facam eumprir lki inteiramente como nella se eontiu.
rctario do poverno desla provincia a faca imprimir, publi-
car e crter. F
Palacio do governo de Pcrnambuco, iS de junho de 1869, qua-
dragesinio odavo da independencia o do imperio.L. S.Dr. Ma-
me! ment timhadn l'urtella.
Sellada e piibiicai.i a presente resolucao nesta secretaria do go-
verno de lVroambfico. 35 de jtinlio de 1869.-6 secrelario, Dr. Joa-
qutm Lorrru de Aianjo.
la a fl. do livro d leis provinciaes. Secretaria do go-
verno de PernauUic... 29 de jm.lio de 18G9.-0 diefe da 4 seocao,
FranciscoeLemvs Dimite.
UU X. 894.
Dr. Banoel d Nascimeni> Mu-hado Portella, vicepresidente
da PBWlBCta de i'ernanibuco : Paco saber a todos os seuV hahilan-
uu que a asscmWea legislativa provincial deerelou e eu sancekinei a
resolnrao -eprjnle :
Art i." Fieaaatprisada, a cmara municipal da villa do Cabo,
a contratar con, Muak|aei nacional ou estrangeiro, a conslruccao
b um odilicio com as accommodaces uecessarias para seren reco-
ttido>, Kiwrdados e vendidos os gneros e legumes trazidos feira
da mesma villa.
-. MA"- 2-' '1o'ralo sera lavrado sobro as sesuinte- bases :
;g.l. A cmara mmrieipal dar o plano do edificio, a dotermi-
jiara a estruptura. a frma o qualidade do material, que nae podera
ser fenao tijolo ou pedra, e o lempo em que duvem estar concluidas
as obras.
2. U edilkio ser construido ao lado do oitao da mairiz, fa-
aado-sc um pareda" que se ligue ao (pie ja existe no fundo da
mema matn?, e procedendo-se as escavacoes e demolicoes necessa-
nas do peqiwno outeiro que existe no referido oitao, reservando-sc,
porem, pelo menos vinte palmos para a dita matriz.
J. contrato resera as multas impostas pelas nfraccSes do
mesusfl ou do ptaoo dado.
| 4.' U conlratante percober durante dez annos, a contar'do
dw da abertura, a taxa das mercadorias entradas e guardadas, se-
gundo mira tabella que era approvada polo presidente da provincia
no-respectivo regnlamento.
5'' J^ndo '" asu do Para^raplio antecedente, passar o men-
cionada ediHcio a pertenec- cmara municipal, que o receber
no mcMiio estado em que foi aborto ao publico, e cobrar de ento
por.dianie as tasas eslipuladas.
Art. A eamari municipal da mesma villa organisar um
regnlamento para a pohcia da feira, assim como para o aseio, fis-
calisacao e conserva fao d.) edillcio, marcando os dias e horas em
le podera estar aberlo, assim como a taxa cobravel pelas mercadu-
ras am repolludas e guardadas, sendo que as feiras deven, ter lu-
ir nos sal,baos o as vesperas de Natal, Paschoa ou Ponteoste, e
oeveni litar desde logo prohibidas as barracas, balcoes e quitandas
evantadas as mas e largos da villa para venda de mercadorias,
legunics, etc.
Art. 4- Ficam revocadas as disposicSes em contrario.
Mando, perianto, a todas as autoridades, a quem o eonhecimen-
wcj>xecucaoda prsenle resolufaapAefleeiV oue a cumpram o
Tacam cumprir lao interamento como uolla se co-m.
O secretario do governidcsta provincia a fae imprimir, publi-
car e correr.
de 1869, qua-
S.-Dr. Ma-

Palacip do governo de Pcrnambuco, 25 de junH
dranesimo oitai da independencia e do imperio-
noel do NasriMnto Machado Portella.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretaria do go-
vernode Pernambuco, 2o do junho de 180'J. secretario, Dr. loas
quii Coi rea de Aravjo. 1. ^S
Beistrada a fl o livro d leis provinciaos. Secretark-^o go-
verno de PcrnumbOM; S5 do junho de 1869O chefe da P-seccao,
Francisco dr lsrnos. Duarte.
LE N. 893.
O Dr. Manocl do Kascimento Machado Portella, vicc-presidente
da provincia de Pernambuco : Faco saber a todos os seus, habitan-
tes que a asscmbla legislativa provincial decretoue eu sanecionei a
resolucao M-guinic : I
Art. 1." Fica o presidente da provincia autorisado a teonceer
ura anno de licenra com todis os seus v-euciiiM-ntos ao Dr. Luciano
Xavier de Moraes Sarment, ciqM^a. hospital Pedro II, para, tra-
tar de snvsadc, onde Ihe'eonviei T1raiti" ue deisar quem
o suhstitua :'-;.Ui!,uuaiU, no rH/fktt
Art. 8.' Fica lamben o prHHPv provincia autorisado a
conceder un anno ^^^H|t<<: ios veucimentes ao pro-
(eteor publico Se'm, Jos Martinianlo de Sou-
xa, para tratxr vicr ; e o mesjno spaco
de lempo ewn e-imenios, para tratar teaibem e
sua sade onde Ihe convier, psw^Hnblica de Santo Amaro
das Salinas, t. Mari a Florentina Seraphico de Assis GarvaMho.
Art. S. Ficam revogadas as^^^Htfes em coolrario.
Mando.porlanlo, a ludas as anlorttaes, a quem o contiecimon-
to e oxecucio da presente resolucao perlencer, qne a cumpram e
facam eumprir tio intoiramenle cerno neila so contm.
O secretario do governo desta M cia a faca iraprintir, pubh-
- Palacio do governo de Pernambnet)s- de junho de lfe6), qua-
dngosimooiiavo da independencia e^fbTfcperio.L. S.f-Dr. Ma-
ntel do- Ntecimnto Michado Portella.
Sellada e publicada a presente jltsolueao nesla seereta\ria do go-
vwno de Pernambnen, SSdejunlfo'de 18oJ.-^)eeretar|o,Or. loa.
yiim Cmtia de Aravjo.
rada a fl. do livro de leis provineiae*. *ecr
verno de Pi raambuco, 25 de janho de 1869.O hefe i
LE N. 86.
j^sBr.4tam)e4 do Nascimento Machado PorteHa, vic
^^Mmcia de- lyrnaintmc* : Faco saber a todos os s
m, qoe avaeaembla legislativa provincial decretu e ei sanecionei
a r guite ; J
Art. 1. Kicr> a cmara municipal-de AgnarPreta, Morisada a
cer aqnim Virissimo do Reg Barros, o abete ile nn. cont
ebre o pre^o da arrenr.ta$ao das passagens los Montes e
iaparanduba. /
Art, 2.* Firam revogadas as disposieSes em (potrerio.
* Maado.'aortanto, a todas as autoridades, aqoem o eonhecimen-
- to e exeearo-da presente resolucao Mrteaeef, lao inteiramente eomo.*ella se eMtaa.
-rateredo governo desta prenneja asaca Hprimiri
rer. f
do yoverno de Pernambneo, tS de janho de
looitav'da independencia e do inerie^fL.
-wJgmmo+u.enio Machado Portella. WW"T
.pellada e poMtcajIa presente a resolucSo aesta secretaba do
aWeff-Petltt.weo, 15 de junho ielM[> relario, Br
/eBfp'wr'gen
dogo-
seeoao,
-presidente
fus habitan-
fecrelaiia do
secretario, Dr.
Registrada a fl. do livro de leis provinciaos. Secretaria do go-
verno de Pernambuco, 23 de junho de*.O chefe da 4- seccao,
rmutsco de Lentos Uarte.
_ LE N. 897.
O Dr. Manoel do Nascimento Machado Partella. vice-presidente
aa provincia de Pernambuco : Faco saber lodos os seus habitan-
tes que a assembla legislativa provincial decretou c cu sanecionei
a resolucao secunde :
it i^"' Presidel1 a provincia mandar vk dos Estados-
Unidos ou de outro paiz, onde se adiar mais aperfeicoado o fabrico
do assacar da can na, desusis meslres de assucar e outros tantos
mesires de assentamenb, para exercerem suas prolisse* no dis-
inclo que a cada um ur designado.
Art. J!. Os meslres de asseni.imeatos excrcero sua pruAssao
nos engenhos de seu dislricto, pagos pelos respectivos proarielarios
ou rendeiros, sondo obngados a recabar os discpulos que se Ihes
apresenlarem. pereebendo pelo encino de cada um a aralilicaco
que for convcncionada.
Art. 3. Os meslres de assucar, durante a colheiu das sa-
leas, sao obngados a percorrer todos os eugenhos de seu distnelo,
examinar a fabrica de cada um, notar es defeitos do assucar e suas
causas, e ensmar os meios de raethorainento, e por este Irabalho
lerao agratificacao que se cowreacioiiar.
Art. 4. Poderao exereat ua prollssao em um dos engenhos
mais centraos do seu distrieto, quemis vantagens offerecer, onde
receborao os discpulos que se Ibes offcrecerem, mediante as grati-
licaeoes que por i-ada um se coiivenciooar.
Art. S." As gratilicacoes, de que tratam os arligos antecedentes,
.ao pelos cofres provinciaos.
a...*J1 6i* zona :'ri*tt'a da provincia Oca dividida em dezeseis
distr.cios, da forma seguale :-o 1 comprebende as freguezias de
Afogados Jaboatao e Murifeeea ; o 2- Vanea S. Lourcr.eoda
Malta ; o 3 lranguape, Iguarassii e Iianmraca ; o 4 Pao d'Allio,
uoria e Luz; o 5- Victoria ; o O Escada ; o 7" Nazarelh ; 8
iraeunhaem; o 9 Labo ; o lf>Ipojuca ; o 11 Goyanna, O' e Te-
jucupapo ; o 12* Serinhaem e Gameleira ; o 13 Ilio Formoso e
una ; o 14* Barrciros ; e 13" AguaPreta e Montes; o 1 Vi-
cente e Ilambe.
Art. 7.- Para execucao da presente lei se consignar, no orca-
oeooo-oooes|)eza do anuo de l86 par* 1870' a qu:""i:t dc......
Ai-'. 8.u Ficam revogadas as disposicoes em contrario.
Manto, porlanto, a todas as autoridades, i quem o conliecimento
e execucao da presente resolucao perlencer, que a cumpram e fa-
cam cumprir tao inleiramenlo como nella se contem.
O secretario do governo desta provincia a faca imprimir, pu-
blicar o correr. v e *
Palacio do governo dc Pernambuco, 23 de junho de 1869, qna-
dragesiiiio-oilavoda independencia e do imperio.L. S.~Dr. Manoel
do Nascimento Macliudo Portella.
Sellada e publicada a prsenle resolucao nesta
governo de Pernambuco, 23 de junho de 1869.-0 s
ioaqutm Correa 4'Aran jo.
Registrada a fk do livro de leis provinciaos. Secretaria do
governo de Pernambuco, 23 dc iuuno de 16li9wT*f>jOkefc da 4"
sercao, Francisco de Unios Dumle.
Lll N. 898.
O Dr. Manuel do Nascimento MaahadD Porlclla, vicepresidente
i !25*,^ Pernambuco : Faro saber a todos os seos habitan-
tes ire a assembla legislativa proviucial decr-tou e eu sanecionei
a resolucao seguinte :
Art. 1. O presidente da provincia mandar construir urna es-
irada que, parlmdo da actual do jul, v terminar no povoado de
nazatwlh do Cabo, comecando a nova estrada do lugar que fr mais
conveniente ou lu'oxiiup d'aqudlc fovmdo.
Art. 2. Pan a lactun dessa nova, estrada o presidente podera
despender ate a quanlia de 12:0004 no exereicio de 1869 a 1870.
Art. d. Ficam revogadas as disposicoes ero contrario.
Mando, porlanto, todas as autoridades, quem o conlieci-
mento e execucao da presente re-olucao perlencer, que a cumpram
e racain cumprir lo inteiramente como nella se conten.
O secretario do governo desta provincia a faga imprimir, publicar
Palacio do governo de Pernambuco, 23 de junho de 18G9,
quadragesinvvoitavo da independencia e do impeno.-L. S.Dr.
Manoel do Nascitnento Machado Portella.
Sellada e publicad?, a presente resolucao nesla secretaria do
governo de Pernambuco, 25 dc junho de 1869.u secretario, Dr.
Joaqum Correa a"Aravjo.
Registrada a fls. do livro de leis provinciaes. Secretaria do
governo de Pernambuco, 23 de junho de 1869.O chefe da 4-
seccao, Franasco de Ismos Duarte.
LEI N. 899.
O Dr. Manoel do Nascimento Machado Portella, viec-presdeme
da provincia de Pernambuco : Fago saber todos os seus habitan-
tes que a assembla legislativa provincial decretou e eu sanecionei
a resolucaoseguinte :
Art. 1.' Fica o presidente da provincia autorisado a mandar
fazer, desde ja, urna estrada do rodagem que, passando pelos povoa-
dos Venda Grande, Loreto, Candeias c Picdade, v encontrar que
existe desta cidade para a villa do Cabo, no lugar fronteiro e.-ta-
eao dos Prazeres na via-ferrea, podendo despender com tae< obras
at a quantia de 9:0004, servindo-se para a construccao da referida
estrada do orcamento e planta j feilos.
Art. 2. Ficam revogadas as disposicoes em contrario.
Mando, porlanto, todas as autoridades, quem o conhecimento
e execucao da presente resolnclo perlencer, que a cumpram o fa-
cam cumprir lao inteiramente como nella se contm.
O secretario do governo desta provincia a faca imprimir, publi-
car o correr.
Palacio do governo de Pernambuco, 23 de junho de 1869,
(quadragesimo-oita\ da independencia e do imperio.L. S.Dr.
Manoel do Nascimento Machado Portella.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretaria do
governo, aos Me junho de 1869.-0 secretario, Dr. Joaqum Cor-
rea d Araujo.
Registrada a fls. do livro dc leis provinciaes. Secretaria do
governo de Pernambuco, 25 de junho de 1869.0 chefe da 4.'
seccao, Francisco de Lentos Duarte
LEI N. 900.
O Dr. Manoel do Nascimento Machado Portella, vice-presidente
da provincia de Pernambuco : Faco saber lodos os seus habitan-
tes que a assembla legislativa pruvincial deerelou e eu sanecionei
a resolucao seguinte:
m Aj' '.;* P'*sident0 da prov'incia mandar colleccioaar as
obras do illustre nado Fr. Joaqu m do Amor Divino Caneca, seu
processo ante a eoramissao militar, sua defeza com urna introduccio
biographica. *^
h.iKA"" i Pre3itk,|1,e da provincia'contratar ambos esses tra-
5OWMOo" q0em raa'S vantaecns oBereccr, podendo despender al
Mando, Borlanto, todas a& autoridades, quem o conhecimento
..w^T? P*CDle resolugao perlencer, que a cumpram e facam
cumprir tao inteiramente como nella se contm
.,r '.?^T}mo do eoverno desta provincia a faca imprimir, publi-
car o correr.
Palacio do governo de Pernambuco, 23 de junho de 1869,
quadrages.mo-oitavo da-,^dependencia e do njpcrio.-L. S.-Dr
Manoel do Nascimento Machado Portella W
J2?aaa DpUhlicfda aaPre?ente resolucao nesta aecrelana do
7Tqt SSBtBli d" ah0 d '^9.-rSecretario,
n^gl8^"diL a "l" d0 lroJae leis Provieciaes. Secretariado
governo de Pernambuco, 2b de junho de 4869.^0 chefo da"4."
seeeao, Francitcthie Lentos Duarte.
LEI N. 901.
O Dr. Manoel do Nascimeuto Machado Prtela, vifo-presidente
w provlneia de Pernambuco Fago saber a todos os seus babitan-
aa-a-aoaembla legislativa provincial decretou e eu sanecionei
a reswaaao seguate :
Art 1 A d,espoza das amaras muuicipae da provincia oir
?aaTnlnflnanero doft lo outubro de 1869 a 30 de setembro de
1870, oreada em 19Ji0rf46i5.
CAPITULO I.
-.A,. DSs-EZASaUNlUPAKS.
Art. 2 A cmara municipal da cidade do-Racife autorisada
imolT*oanC(Kn 0i uh9et0i abaxo desigoados, a quantia de......
150:925*000.
4o
Com a secretaria,
secrelario, 1:6004 &
600
inordenado
de gntificacio
Idjm do ofltatel rnor 9004000 de' ordenado' e
mOJMOde grtalcagao....................
IdeaVdo amanuense servindo-de poeieiro \fjm,
de ordeoado e 9S4090 de gnflcagao............
./v-l? 8doas antntienstfs (rcebendo cala um
tO-de ordenado o W0400!) de grattflcacio...
Idwi do continuo servindo de eorreio 460*000
d^ ordenada elieOI de traMfeacao.......
% Ordenada do
2:OQ4000
1:300|000
-liMtiOOO
8:400*000
7M|*0a0
e-W
de graliiicacao..................
Poreeniageai do procuratlor, na razio de Jous
por ceate das rendas que arrocadar...............
{, Eaiprwgados externos
r Ordenad) do advagido.................
deai do sobeitador.........................
Idtin d,is Usca.a d it troinm&s da S. Jos' e d
.,?f',J!\A>e,rc,!"ndj'c:"11 U:B 30400 de ordenado e
. J0J4U.K) de gratilicaei 1.....................
Liem do liscil d'j StaU AuDaio W400 de or-
denavlo c 6OO4OOJ do gr iuti ;aci......T.........
dem do liscal da ti ,.i- Vista 70J4OJJ de ordena-
do e WOitM) de grahlicagao.....................
,Jj"' dos tiscaes das fre;,'ue.'.ia.s do Pogo, Vanea,
Attug;uas, d. Lourengo da Malta, Jaboalao e Mariue-
*a, pereebendo cada um 2i0d0 de ordenado.....
dem do trozo guardas a 720003 ca.la um.....
ldoiu d) cirulgio..........................
i ^T^ nsh.iro 1:6004000 de ordenado e
4094OUO de gralilica o.........................
dem d. administrador do m iladouro 600000
de ordenado e iOOjiMW da erjtilicacao............
Despezas geraes.
4 txpedieato e impresue*................
Aluguel do paco da cmara.................
Jury 0 eleigoes.............................
Cusas eiu que decae a ju?liea publica.......
Despozas jadiciaes..........................
Desapropriagei...........................
Para pa^auwufc.' da dcsaprupriea dos Vnlhos
urbanos........................._...........
Concerioj de predios uiuiucpae..............
Para coiiliuuae. da obra do nialadjuro.......
Planiio das arvores, send > prohibidas as gamel-
leiras, s .lv.aau> luj-ares onde ja as houverem......
Dividas passivas o evenliuos.................
Liinpe<.i da e; Ja I:.........................
Para obras novas...........................
Para comego di pago municipal.............
5 3" Cenlileno do Koeifo :
Ordenado ilo administrador..................
dem do capelJa 1...........................
Ido.11 do saclinsio.......................
Idesu il i porloiro...........................
dem do jardiueiro...............
dem dos dous guardas, sonto '8OO4 para
cada um......................................
Vciiciuienus deaove irabalnadara, sendo iros
coveiros a 1 cada um, e um podreir a 4*000 diarios..........
Ceuiile io do Poco :
r leado do a Ituiuistrador.....1............
dem de um servente...............1.......
Ceiiiiterio de S. Lonrenjo da Malla :
Ordenado do admiuistrador..................
dem do serveule, que ser pessoa livre........
Cemilerio de Jaboaio :
Ordenado do admini.-trador.................
dem do servente...................;.......
(-e.niterio da Vanea :
Ordenado do adminislt ador..................
dem do servente..........................
1:800*000
3:1004000
300*000
4004000
1:600*000
1:200*000
1:3004000
i:tt0O00
9:3604000
1:**000
2:0004000
1:0001000
1:80040 JO
1:000*000
2:0004000
1:0004000
1:2004000
1:200*000
4:300*000
7:0004000
8:0004000
3:0004000
4:0004000
9:0004000
3i:00*000
2O:O00*0(X)
2:0004000
900*000
400*000
7204000
4804000
1:6005000
04000
6OO4OOO
365*000
180*000
2404000
300*000
.240*000
300*000
240*000
130:92.1*000
. Art 3* A cmara mumcaiaida cidada^ayiRV
a.JZ'e-~'3r'cai* os 'jhi',n-H ,);so (lesigBadj^Mfctia de
e aulorieado
8:208*750.
i" Ordenado do seci
I
2" dem do advogado___
3* Mem do porteuo......................
, 4" Porcentagem do procurador, sendo seis
par cent o da rauda Nue arrecad ir................
S 5* Ordenado dos liscaes ;
Ao da freguezia de S. Podro Marivr..........
dem da S.....................___t,___
dem de Beboribe..........................
dem de Maranguape......................
6' Administrador do eeuiiterio.............
dem dj servente...........................
5 7" Despezas ordinarias :
Expediente e assignatur do jornal offlcial.....
Cusas....................................
Aguao luz p;ua as pri.-oe-........'.'.'...'.'.'...
rara o concert dos ,pre los munieipaes, calca-
manto das ra, u cjipella di cemerio............
Eveutuaes.................................
800*000
160*000
306*000
6124000-
3004000
2004000
250*000
2504000
7004600
400*000
120*000
IOO4OOO
150*000
2:836*730
6004OO
8:208*750
Art. 4- A cmara municipal da eiJa.de de Goyanna autorisada
a despender, com os 'objtctos abaixo designados, a quantia de____
3:986*600.
1 Ordenado do secretario.................
2 dem do porteiro.......................
i 3o dem do liscal da cidade................
4o dem do de Nossa Senhora di) O'.........
S 5 dem do de Tejucupapu................,
S 6J dem do iulmimstrador do uialadouro.....
7a Agua e luz para a cad;ia...............
% 8* Para pagamento de custas..............
$ 9 Aluguel da casa quserve do mercado___
i 10. Jury e eleigoes.......................
11. Porcentagem do procurador............
I 12 Expedioni.'o assignatur do jornal otlieial.
S 13. Para mclhorameato e luupeza da cidade..
i li. Eventnaas...........................
4004000
300*0o
2O04O0O
1504000
150*000
60*600
200*000
300*000
96*000
100*000
:i(H400O
80*600
1:3004000
13O.4O00
3:986 600
Art. 5o A cmara municipal da cidade da Victoria ?utorisada
a despender, com os objectos abaixo designados, a quantia de.....
1:390*000.
$ 1 Ordenado do secretario................. 500*600
2 dem do porteiro...................... 150*000
3o idem do ajudante....................... 1()'>*000
5 4" dem do seal......................... 3004006
i o" Porcenlagem do seis por cento do procu-
rador......................................... 3004000
6o Expediente e assignatur do jornal offlcial. 60*600
S 7* Ao guarda do acoupue................. 120*000
3 8* Jury e eleicocs ....................... 200*600
9* Agua e luz para atadeia................ 120*000
S.10. Pagamento de cusas.................. 400*"00
11. Com a couslrueeio do eemiterio........ 1:646*000
% 12. Aluguel do pago-da cmara............ 180*006
13. Imposto geral sobre o aeougue......... 404600
5 14. Foro dos terrenos oceupados pela muni-
cipahdade..................................... 404060
% 15. Asseio das ras....................... 200*000
i 16. Eventuaes........................'___ 100*600
4:390*000
Art. %' A cmara municipal da villa de lguarass autorisada
a despender,eom os objetos ajaixo designadas, a qiuutia de..
8:4404000.
* Ordenado do secrelario___,............ 400*000
2" dem do 1 guarda..................... 130*000
3 dem du 8 dilo........................ 100*600
4 dem do fiscal da villa.................. 200*000
5 dem do de Itamarac.................., 100*000
S 6 dem do proeu ........ 250*000
7 Agua e luz para a eadeia.............. 30*000
i 8*. Jury e eteiedes..................... 50..060
9- Cuatas de processos.............. 350*000
10. Expediente e assignatur do jornal 01-
-...:................................. W*000
I H..venioaes........................... 6*600
S 18. Coneartos dos predios monicipaes, assim
como das ras e calfamento das mesmas..........
Acial
716*600
2,440*600
Art. -7* A cmara
a despandaro com os
8:488*600
8 1" Ordeiudo do *>
i t* Idom do porteii
. 8 3* dem do liscal.
H' Idcn do praara*ir
villa do Bonito autorisada
deaignados, a quanlia de.
468JW0
5* Expediente* assignatur do jornal ofllcial
I v Jury e aleigdes........................
1' Agiia o luz para a cadeia........
a Arfw?ag;"nan,ado Cl,itas- '"o'* qnan'th
ae 30u*00 por conta do que je osla a dever ao 0--
crivi do erime Joao Gomes da Silva 100*600 ao es-
envao do jury Patricio Gomes da Suva, e 100*000 ao
eapitao Francisco Quintino da Vieira da Silva ex-
escrivao do Jury...........e....................
8 9 Eventuaes.............................
_. 1 10- Para dar principio ao muro da Boa-
S 11. Mobilia para a casa da cmara___......
=
300*000
60*000
73i*600
004OOO
2:481*660
Art. 8." A cmara municipal da villa do Brejo da Madre de
fL*?fr.!S-?de,w,M,er' com *Jc'os abaixo designados, a
quantia de 6094490.
1.* Ordenado do secretario.................
dem do porteiro.....................,.
dem do ajudante.........;.......
dem do liscal....................,..,
Luz e agua para a cadda..............'.
Jury e cleicoes........................
Expediente assignatur do jornal offlcial
Eventuaes............................
9. Obras munieipaes..........
46. Custas..................
2.
3*
4.-
3.
6.
7."
8.
80640011
304000
254600
10*000
30*000
20*600
464000
404001
100*000
44*490
609*490
Art. 9." Acamara municipal da villa deSalgueiro
"despender, com os objectos abaixo designados, a
!. Ordenado do secretario.................
t." dem do p. .riciro.....................
3." dem do liscal.........................
4." dem do procurador....................
B.* Expediente c assignatur do jornal official
6." Jury e oleicocs........................
7-* Eventuaes......................
autorisada
quan'ia de
120*000
40*000
70*060
70*000
M)*(XK
46*000
90*000
480*000
. Art 10. A cmara municipal da villa do Bom-Conselho an-
1 despender, com os objectos abaixo designados, a quantia
de 970*000
!. Ordenado do secrelario................
2.* dem do porleiro......................
g 3o Porcentagem do procurador.............
i 4.* Jury e eleicoes.. n.....................
5. Expediente'e assignalnra do jornal official
8 .' Agua o luz para a ada...........
1 7." Custas...........................
i 8. Eventuaes............................
8 9." Edifiearau do paco da cmara...........
200*000
4O*0fiO
56*600
50*000
40*000
40*000
IIHI4000
40*000
410*060
970*000
Art. II. A cmara municipal da cidade de Nazarelh auto-
^ada1 a despender, com os objectos abaixo designados, a quantia dc
8 l. Ordenado do secrelario.................
8 2. dem do porleiro......................
ta*snm3.<> idem do continuo..... ..........
4." dem do liscal da cidade...............'.
.$' Porcenlagem Jo procurador.
P*.* Expediente e assignatur do jornal official
5 7. Jury e eleicocs........................
Agua e luz para a cada.............
Ordenado do secretario nos annos anle-
8.
riores___
i 10. Custas.............'.".".".".'.''.'.'.'.'.'.'.'.'".'
Sil. Eventuaes.........................
12. Obras munieipaes.....................
Art. 12. A cmara municipal da villa do Cabo
despender, eom os objectos abaixo designados,
2:151*000. 7 *
8 1.' Ordenado do secretario.................
2." dem do porteiro......................
3." dem do fiscal.........................
4. dem do administrador do eemiterio......
5. Porcentagem do procurador............
6. Expediente c assignatur do jornal offlcial
7." Jury e eleicSes........................
8. Agua e luz para a cada................
9. Custas...............................
10. Dividas dos annos anteriores............
11. Eventuaes.................. .........
12. Custas de accoes da cmara............
13. Obras munieipaes.....................
300*000
130*600
150*000
100*000
180*000
60*000
604000
2404000
316*600
300*600
30*000
2:6244889
4:471*189
e autorisada
a quantia de
400*000
160*000
60*000
180*600
180*000
60*000
50*000
100*000
2004000
29C4000
100*000
50*00
735*000
2:451*000
Art. 13. A cmara municipal da villa de Barraros auto-
risada despender, com os objectos abaixo designados, a quantia de
1:3224276.
1." Ordenado do secretario.................
2 ldom do porteiro......................
3- dem do fiscal........................
4. dem de dous ajudantes................
5.- Expediente e assignatur do jornal offlcial
6. Jurv e eleigdes........................
7." Custas...........-....................
8. Agua e luz para a cada...............
9. Eventuaes...........................
10. Aluguel do pago......................
11. Obras munieipaes....................
300*000
50*000
130*000
ioo*oo
604000
50*000
100*060
80*000
50*000
100*060
482*170
i:
872"
76
Art. 14. A cmara municipal da villa de Pesqueira autori-
'ada despeiider, com os objectos abaixo designados, a quantia de
870 *000.
Ordenado do secretario................
dem do porteiro......................
Porcentagem de 6 por cento ao procurador
Expediente e assignatur do jornal offlcial
Jury e eleicoes........................
Para pagamento do custas..............
Evenaaaas............................
8 8. Para o mercado e mais obras munieipaes.
8 9. Agua e lorpara a cada...............
l.
i-
3."
1."
!
6."
7.
200*606
304000
45*006
50*060
50*000
G0*000
40*006
ftl*M0
50*000
870*000
Art. 15. A eamara municipal da villa de Ipojuca autpnsada
a despender, coa os objectes abaixo designados, a quanlia lie
!. Ordenado di) secretario................. 230*000
2. dem do potaico...................... 50*000
3" dem do fiscal......................... 40*000
"4." PorcenlaRen do procurador............. 424000
5. Expediente e assignatur do jornal offlcial 40*000
6.- Jury eleigdes........................ 20*000
7.' Cusas............................... 100*000
8." Eventuaes............................ 30*000
................ 2734660
'.).' Obras munieipaes.
815*660
Art.
16. A caojira municipal da villa de Pao d'Alho autori-
sada a_despeBder, com os objectos abaixo designados, a quantia de
i l.0 Ordenado do secretario................
.1 i." Idenvdo porleiro e eorreio.............
i 3. dem do fiscal da villa.................
4." Porcenagam do prteurador.............
$ 5. Cuelas, sondo 068*400 ao eserivo Ran-
ga!, 66*768 ao eserivo Caelano Bessoni, 43*500
esen vo Benedicto Bezerra do Mello,, e o que so
estiver a dever ao promotor Joo Alvos Mergulhao..
6. Expedante o leigdes..................
7." Lu e agua para a cada...............
1-9A Lmpea do acougue e pateo da feira.....
'ttS&tt.^:::::::::::;:::
1
170*003
103*030
804303
8Q
n
I MUTILADO
T


Diario de Pernambuco Sexta feira 16 de Julbo de 1869.
>
II. Eventoae*............................
11 Assiguatura do jornal offlcial..........
13. Ordenado do administrador do cemiterto
14. dem do -crvente do cemilerio..
I Lu para a capella do ecmitcrio.
W. Obras rounieipaes.............
100*000
27*000
120*000
80*000
25*000
1:557*720
1:539*710
Are. 17. A amara municipal a villa d> Floresta autori-
sada despender, com os objectos abaixo designados, a quantia de
1-028*020.
1. Ordenado do secretario................
2. dem do porteiro......................
3. IdeiDdo riscal........................ '
. dem do procarador....................
a.* Assignatuia do joraal e expediente.. -U
6. Aluguel do paco....................
7?*Tury c eleves...!
8 Agua o luz para a cada...............
9.* Gustas...............................
10. Eventuacs..:.........................
11. Obras municipaes.....................
150*080
10*000
40000
o000
32*000
4*5000
m$tm
tsoaooo
100*000
80*000
348*050
1:028*020
ArL 18. A cmara municipal da Villa-Bella
despender, com os objectos abaixo designados, a
1:1IUS80.
| 1. Ordenado do secretario................
I 2." dem do porleiro......................
3." dem do procurador...................
i* dem do fiscal.........................
5. Aluguel do paco.......................
b. Jury e eleicpes........................
7 Cusas...............................
8. Lu e agua para a cada...............
9.* Expediente e assignalura do jornal.......
10. Obras municipaes.....................
autorisada
quantia de
200*000
40*000
50*000
30*000
48*000
30*000
ie6*ooo
40*000
30*000
530*290
1:161*290
Art. 19. A cmara municipal da villa d'Agua-Prcta autori-
sada despender, com os objectos abaixo designados, a quantia de
3:284*000.
I !. Ordenado do secretario.................
dem do fiscal da villa..................
dem do llscal dos Montes..............
dem do porteiro.......................
Poreentagem do procurador............
Expediente e assignalura do jornal.......
Jury e eleicpes........................
Cusas...............................
Asseio do paco e mobilia...............
Aluguel do raesmo
5
2.
:t.
4."
t>.
7.
8."
9.
10.
11. Factura de catacumbas................
12. Ordenado do administrador do-cemilerio.
13. Limpeza das ras.....................
14. Luz para a cada e qarteis............
15. Eventuaes............................
16. Continuado das obras do cemilerio......
500*00f
150*000
130*000
120*000
228*420
6050Q0
80*000
400*000
100*000
192*000
300*000
120*000
130*000
130*000
50*000
333*580
3:284*000
Art. 20. A cmara municipal da cidade de Caruar autori-
sada a despender, com os objectos abaixo designados, a quantia de
1:590*000.
1. Ordenado do secretario.................
2. dem do porteiro.......................
3.* dem do fiscal...
4." dem do administrador do cemilerio'. i
S. Poreentagem do procurador.............
6." Exped-ente e assignatura do jornal.....
7.* Jury e eleicoes........................
6. Agua e luz para a cada...............
9. Cusas...............................
10. Evcntuies...........................
11. Obras municipaes.....................
3004000
300*000
100*000
200*000
100*000
60*000
80*000
80*000
200*000
60*000
310*000
1:390*000
Art. 21. As demais cmaras regularao as despezas de confor-
midade com o que dispde a le n. 853 de 5 do junho de 1868, Pican-
do a cmara de Serinhaera obrigada a dar ao seu fiscal de ordenado
a quantia de 300* aunuaes.
CAPITULO IL
RKCBITA.
Art 22. As cmaras municipaes llcam autorisadas a arrecadar,
.1 tirante o anno flnanceiro desta lei, as rendas provenientes das dis-
posices especificadas nos seguintes paragrapuos :
" 1. Alugueis de predios municipaes.
2." Foros e ladennos de terrenos municipaes.
3.* Aferiepes de pesos e medidas.
a 4." Licencas para edificacoes e cordeacJes, fleando as cama-
ras obngadas a mandar o seu cordeador ao lagar das edificacoes,
aflm de cordear e fazer o mais que necessario fr.
8 5.* Repesos dos acougocs.
6.a Taxa de 2*000 pag.i animalmente por cada cenca que
lirarem as boceteiras, para vender dentro do municipio, e 5*000 pa-
gos tamben) annualmente pelos maseates que venderem nomonicipio.
g 7.' Taxa do 2*000 sobre engenhoca.
j 8.* dem sobre passagens.
9. 80 ris por carga de farinha e egumes vendida nos mer-
cados pblicos, (cando as cmaras obngadas a fornecer gratuita-
mente aos vendedores de taes gneros as medidas em vigor.
8 10. Mullas por infraecoes de posturas.
gil. Imposto do capim de planta no municipio de Olinda, que
se vender na cidade.
8 12. 500 ris por cabeca de gado vaceum, 200 ris por saino
e 100 ris por ovelhum e caprum.
13. Imposto do ogos artillciaes, pagando o duplo do actual-
mente em vigor aquelles fogueteiros que tiverem as suas casas de
trabadlo dentro das circumscripepes das villas c cidades.
14. dem sobre as casas de negocio.
g 15. dem sobre enrraes de peixe.
16. dem de 60 ris por cada p de coqueiro para negocio.
\ 17. Dividas de annos anteriores.
6 18. Saldo dos mesmos.
\ 19. Cemilerio publico.
20. Costas.
21. Multas das cmaras.
22. Imposto de 2*500 sobre depsitos.
13. dem, dem sobre lomos de cal.'
24. dem, dem segundo o art. 22 22 da lei n. 371 de 8 de
junho de 1833.
8 25. Taxas sobre pontes e estradas municipaes.
5 26. 80 ris por carga de carne secca, bacalhu e outros peixes
seceos que fazem expostos venda nos mercados pblicos dos mu-
nioipios que nao forem do Reeife, Picando isentas d<5ste imposto as
carnes chamadas de sol.
27. A cmara municipal de Flores percebar o imposto das
mitineas e legamos, e cinco por cento sobre as rapaduras.
% 28. Dez por cento de cada licenea para soltar fogo de artifi-
cio, e 4*000 para sollar fogo do ar.
% 29. 6*000 por cada carroca no servicp da capital, salvo a-
qnettas que forem empregadas no servicp da lavoura.
S 30. Quaes pier outras taxas que as cmaras estiverem auto-
risadas a cobrar por lei anterior esta, e que nao tenham sido ex-
proasamente derogadas por lei desla assembla.__________________
DK9MCBOS
31. Fica em vigor o 31 do art. 36 da lei n. 776 de 1867.
32. Fica igualmente em vigor o 36 do art. 29 da lei n. 698
4 i
CAPITULO IIL
- DISP0SIC0K8 GBBAKS.
Are 4 Fica o presidente da provincia automado a mandar
proceder remo fr de direito, aflm de ser cumprido u preeeito da
iei de 12 de agost'de 1834, para que as cmaras municipaes nao
deixem de pre-tar as suas coalas, condetermina o art. 46 da lei
de 1 de oaiubro de 1828.
Art 14. Ficam em vigor os arte. 31, 31 9 da Iti n. 546 de
31 de jando de 1862, nao p)dendo as carairas municipaes do Itecife
e Olinda deis a r lo salisfa/.er em caso algum o que determina o art.
31 da referida lei.
Art. 21 Fiea igualmente em vigor o art. 41 da lei n. 645 de 3
de junho de 1863, bem como os arts. 50 o 34 da lei n. 776 de 1867.
Art. 26. Cjuiinnam em vigor as dispo |3 e 25 da lei u. 853 de 5 de junho de 1168.
Art. 21 Ficam as cmaras municipaes autorisadas a pagar as
cristas juJieiaes que estiverem a dever, assim como quaesquer en-
tras dividas, observando** as disposicoes dos paragraplios seguintes:
g !.? A cmara municipal da cidade do Recita manijar pagar
Caudillo de Souza Miranda Couto o quantum do que lbe deverde
sua aposentadora, co:.io amanuense e porteiro da mesma cmara,
razio de 1:603*000 e a contar do dia 20 do maio do corrente anno
em diante. Trabem mandar pagar a Jos Francisco de Menezes
Araorirn a quantia de 273*230 que Ihe est a dever de custas.
i 2. A cmara municipal de Olinda pagar Joaquim Candida
das Cliagas, cscrivo do jury n'aquelle lugar, a quantia de 212*839,
que Hie Ueve de custas de processos em que decabio a justica pu-
blica. Tambem pagar ao Dr. Rufino Colho da Silva o que llio
dever de custas em processos findos.
| 3* A cmara municipal da villa do Limoeiro pagar Luiz
Paulino Vieira de Mello a quantia de 511*750, que Ihe deve de cus-
tas, ao actual juiz municipal o quanlo Ihe dever De custas, e (
Hermino Dellino do Nascimonto 571*690, que Ihe deve de custas.
4.* A cmara municipal do Romto pagar ao procurador
Antonio Gomes da Silva, o quantum do que Ihe dever de seus or-
denados.
5.* O secretario da cmara manir.ipal do Rio Formoso ven-
cer de ordenado dora em diante 200*030 o o fiscal de freguezia de
Una 50*000, llcando approvadas todas as despezas feitas por aquella
cmara, que funecionou no quadriennio. com a factura do acougue
e outras obras da respectiva mumcipalidade.
g 6. A cmara municipal de Buique mandar pagar Olavo
Crespo, o que Ihe esliver dever de seu ordenado como advngado
na razao de 200*000 annuaes, ficando a mesma cmara autorisada
a despender a quantia que for necessaria para a construccao de um
cemilerio.
g 7. A cmara municipal d'Aguas-Bellasm andar pagar a Ma-
thias Pinheiro da Costa, o que Ihe dever de seu ordenado como
fiscal.
8* Fica em vigor para a cmara municipal de Ingazeira o
art. 15 da lei n. 698 do 1." de junho de 1866, limitando se o orde-
nado dos cinco liscaes de que traa o g 3. um s, devendodiicr-se:
ordenado do fiscal 30*000.
9. A cmara municipal da cidade da Victoria mandar pa-
gar ao Dr. Jos Jfaquim de Souto Lima a quantia do 57*000, que
he deve de custas de processos em que a mesma cmara foi con-
demnada.
10. As sobras das rendas do oreameiHo municipal da villa do
Iguarass sero applicadas construccao do cemilerio, e em quanto
nao for este concluido, far-sc-hao os enterramentos as igrejas.
11. As cmaras municipaes de Tararat e Floresta pagano ao
Dr. Francelino bernardo Quinteiro e ouiros empregados de justica
o que lhes deverem de custas.
11 A povaco,denominadaMaria-Farinhano municipio de
Iguarass, se chamar daqui por diante Nuva-Cruz.
g 13. A cmara municipal de Caruar pagar ao Dr. Paulino
Ferreira da Silva a quantia de 162*640 que Ihe deve de cusas.
g 14. Fica autorisada a cmara municipal de Nazareth a pa-
gar ao Dr. Joaquim Eduardo Pina a quanlia de 103*000 que lbe
est a dever de custas.
Art. 28. Ficam revogadas as disposiWies em contraria
Mando, portante, a todas as autoridades, a quem o conhecimen-
to e execucao da presente lei pertenec-, i|iie a cumpraiu e faeam
cumprir I inteiramente como nella se conten.
O secretario do governo dosta provincia a faja imprimir, publi-
car e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, 23.de junho de 1869, qua-
dragesuno oitavo da iudependencia e do imperio.L. S.Dr. Manoel
do ascinmnto Machado Porlelltt.
Sellada e publicad^a presente lei nesta secretaria do governo
do Pernambuco, 25 de junlio de 1869.O secretario, Dr. Joa-
quim Correa de Araujo.
Registrada a fl. do livro de leis provinciaes. Secretaria do go-
verno de Pernambuco, 25 de junho de 1869.O chele da 4.* sec-
eao, Francisco de Unios DtutiU.
LE N. 902.
O Dr. Manoel do Nascimento Machado Porlella, vice-presidento
da provincia de Pernambuco: Facp saber a lodos os seus habitan-
tes que a assembla legislativa provincial decrelou e eu sanecionei a
resolucao seguinlo :
Art 1. Fica approvado o compromisso da irmandade do Senhor
Bom Jess das Portas do Arco, erecta na igreja da Madre de Deus
desta cidade.
Art. 2.* Ficam revogadas as disposicoes em contrario.
Mando, portanto, a todas a-: autoridades, a quem o conhecimen-
to e execucao da presente resolucao pertencer, que a cumpram e
facam cumprir to inteiramente como nella se eootom.
O secretario do governo desta provincia a faca impriu ir, publu
car e correr.
Palacio di governo de Pernambuco, 23 de junlii de 1869, qua-
dragesimo oitavo da independencia e do imperio.L. S.Dr. Ma-
noel do Nascimento Machado Porlella.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretaria do
governo de Pernambuco, 23 de junho de 1869. O secretario, Dr.
Joaquim Correa de Araujo.
Registrada a fl. do livro de leis provinciaes. Secretaria do go-
verno de Pernambuco, 25 de junho de 1869.O ctaefe da i* seccao,
Francisco de Lentos Daarle.
LEI 903.
O Dr. Manoel do Nassimento Machado Porlella, vice-presidenle
da provincide Pernambuco : Faco saber a todos os seus habitan-
tes queassembla legislativa provincial decrelou e eu sanecionei a
resolucao seguinte :
Art. 1.' Ficam creadas duas escolas de ensinn primario para o
sexo femenino, sendo urna na povoaco da Luz na comarca de Pao
d'Alho e uutra na povoacao de Duarte Dias.
Art. 2. A cadeira de instruccao primaria mandada funccionai,
por determinacao do director geral da instruccao publica, no lugar
denominadoCruz das Almascontinuara a funecionar no lugar
em que se acha actualmente e tera denominacao de cadeira do En-
canamento.
Art. 3." Ficam revogadas as disposicoes em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem o conhecimento
e execucao da presente resolucao pertenec-, que a cumpram e fa-
cam cumprir to inteiramente como nella se contera.
O secretario do governo desta provincia a faga imprimir, publi-
car e correr.
Palacio do governo de Pernambuco, 25 de junho de 1869, qua-
dr gesimo oitavo da independencia e do imperio.L. S Dr. Manoel
do Nascimento Machado Porlella.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretaria do
governo de Pernambuco, 25 de junho de 1869.O secretario, Dr.
Joaquim Correa de Arauio.
Registrada a fl. do livro de leis provinciaes. Secretaria do go-
verno de Pernambuco; 23 de junho de 1869 O chefe da 4.' seceo,
Francisco de temos Duarte.
dos mesmos individuos (ora Coila pelo
Manoel Cavalcaoti de Albuqaei
segundo declarou o subdetegi
qaefle dislrlcto Claurindo Ca
Em data de 9 do dito mez,
mesme delegado, que no dia 2
DPtHEIRO.Os vapores To'.engl c Phapama
levaram hontem as seguintes qnanlias :
Para o Cear 68:034*380
. o AraraHl 800*000
Macul 50:000*000
IVSTITLTO HISTRICO E PIIILOSOPHICO PER-
NAMBUCA.NO.Reunio-se hontem, em sessao or-
assasainado rop diversas lacadas o individuo de jnaria, esta sociedade, sob a presidencia do Sr.
nomeJoo Antonio, pai de numerosa familia, por
um tal Manoel Mendonca.
O delegado deu tod**s providencial ao sen al-
cance para ser preso ei iminoso qne se bata
evadido loga depoisde perpeirado o crime ; mas
nenhiim resnltodo tinha produzido as diligencias
feitas, porllaver Manoel Mendonca se dirigido pa-
ra a proieia da Paraliyba, a cujo chelo de po-
lica nesta dala requisito a sua prisao.
Deu- gnarde V. ExcIllin. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Nascimento Machado Porlella, yice-pre-
' sidente da provincia.O chefe de polica interino,
Francisco de Astis Oliveira Maeiel.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIABIA.
RECLAMACAOContinuara as queixas contra
a maneira porque nos mercados tem-se posto em
pratica o novo systema melrico, proseguindo em
alia escala a delraudacac do povo pela troca das
medidas. .
Segundo no-lo informam, lem-se dado islo mais
especialmente com o litro, nos seceos, vendendo-se
uin litro de farinha por 240 rs., como se tivesse
porcao igual a urna cuia, quando esta tem mais
de 2 litros; de sorlc que a mesma porcao de fari-
tnha, que se venda antes por 240 rs., cusa hoje
480 rs., quando a farinha manletu-se sem dille-
renca de preco, ou si a tem, em diminua pro-
por^o e nunca na dupla de valor; e islo s por-
que impinge-se a populacao, u n litro como se to-
ra dous e vinte sete centilitros, equivalencia exac-
ta da cuia.
Quando pelo systema novo a medida for mawr
3ue a correlativa no antigo, faca-se para mais a
fferenea proporcional, como por exemplo com o
kilogrammo, que tendo 2 '/ libras, e vendendo-se
urna libra de carne por 200 rs., custe um kilo-
grammo 430 rs. Mas scmelhanteraente, quando
fr menor, faca-se igual dilferenca para menos;
e assim, lendo a cuia 2 litros e 27 centilitros, nao
pode o litro da farinha cuslar mais de 100 rs., sal
vas as alteracpes porque possa passar tal genero,
alteracoes que de presente nao podein assumir a
proporcao de s um lilro cuslar 240 rs., como se
venae por alu !
De nevo, pois, chamamos a attencao e toda a vi-
gilancia dos Srs. fiscaes para ste ponto; e nos
mercados pblicos onde urna e outra se devem
exercer mais imrfiediatamenle, corrigmdo os abu-
sos que indicamos. E a proposito vejara o que
essa medida grande pela qual se pede em farinha
480 rs., como nos consta que d-se na ribeira. _
Para melhor intelligeueia da nossa populacao
ignorante, damos ein seguida urna ola compara-
tiva do novo e velho systema mtrico, com rela-
e,o aos pesos e medidas, de uso ordinario, as
quantidades vulgares e de dianas iransaeepes.
SYSTEMA NOVO SYSTEMA ANTG
- lgrammo corresponda 20 graos,
c 9,216 graos fa-
zendo urna libra,
segue-so que
459 gruimos e
5 centigram-
mos
229 grammos e
625milli-
grammos
114 grammos e
76"2 mili i-
grammos
formara...
bem como
sao equivalentes
assim como
/ libra
V, Ulira
lU
de libra.
fazem tambem....
Ora, tendo 2 li-
bras; 22 oitavas
e 60 graos
1 kilogrammo igual a........2 V librat
D'abi resulta
ainda, que tendo
31 libras, 214 oi-
tavas e 37 graos,
15 kilogrammos vein a ser igual a| jj* /j
bem como
7 kilogrammos tem o valor de... 15 Vi '*&'
V: garrafa,
i lilro, eorreepoud, na
lquidos, -----
de sorte que
665 mtllitros fazem.......-----1 garrafa;
e sendo a garrafa
pelo padro offl-
cial antigo a quar-
ta parte da ca-
ada.
litros e662
millilros representara..... 1 caada.
1 litro
c( rresponde.
seceos, ...
e assim
nos
tigela,
1 litro e 13 cen-
tilitros
2 litros e 27 cen-
tilitros
7 /leos
iguala......... Vtcni'fl ;
bem como
fazem........... 1 cuia
Ora, lendo a
cuia, segundo o
padro offlcial an-
tigo 3 V2 tigelas,
sao precisamente. 3 cuias;
e d'ahi
DIA 11
DA VICB-PRESIDENCIA D3
DE JOLHO DE 1869
Antonio Platuni. Indeferido.
Flix Francisco da Cunta.Informo o Sr. capi-
ao di porto.
Flix Paes da Silva Pereira Expcdio-se ordem
no sentido que requer.
Irmandade de Nossa Senhora do Terco desta
cidade.Nao tem logar o que requer, vista do
que dispde o-artigo 70, do regulamento de 21 de
ulho de 1868.
' Dr. Joan da Silva Ramos.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouriria provincial.
D. Maria Magdalena Carneiro Rios Vilella.In-
lnforme o Sr. eonselheiro director interino da
Faculdade de Direito.
Manoel Antonio de Alcntara.Informe o Sr.
inspector da thesonraria provincial, ouvindo o Dr.
'procarador fiscal.
D. Maria Barbara de Almeida Neves.Informe
o Sr. inspector da thesonraria de fazenda.
Vicente Ferreira da Costa Miranda.Prove o
supplicanie que recolheu a thesouraria como cus-
as, qaantia superior a que recebeu.
13
Andr Cordeiro Colho Cintra.Indeferido
vista das infonnaedes.
Alexandre Jos Maria de HoManda Cavalcante
Em vista da informacao da thesouraria, preste o
snpplicannte a flanea na forma exigida, e dentro
do praso qne Ihe foi marcado.
Antonio da Cunta Soares Gumaraes.Pagan-
do o supplicanie o que for dovido em virtudo da
parlara desta presidencia de 2 de jaaeiro do cor-
rate anno, e marcando a directora do Diestro o
dia em que deve ler lugar o expectaeulo, como
requer.
Abaixo assignados proprietario e locatarios das
ras da Aurora e Uuie Informe o Sr. chele in-
terino da reparticao das obras publicas.
Cezario de Souza Leo.Dirija-se ao Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
Ernesto Soares de Aievedo.Informe o Sr. Ins-
pector da thesonraria de fa enda.
Fortunato da Silva Neves.Indeferido.
GraeiRaaa Felississima Cabral.Reqneira por
intermedio do Dr. director geral da instruccao pu'
blica.
(iuilherme Henrique Chapnan.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Irmandade de Nossa Senhora da Conceico dos
militare.Informe o Sr-. inspector da thesonraria
provincial.
Joba Carlota de Aeevedo.-Pagaaio a suppli-
*uiu e qne fr devido em viriude da portara
desta jrttidencta de t o jaott do corrate as-
no, e marcando a directora do thcatro o dia em subdelegado da Magdalena que pronunciara,como
que deve ter lagar o expectaeulo, como requer, ineuro as penas do art. 193 do cod. crim., aSe-
Jos Ribeiro da Silva.A vista das informaepes,' vero Emiliano Moreira, que no dia 11 de abril
nao tem lugar o que requer. i ultimo assassinou, na entrada da Torre do mesmo
Jezuino I) miingiies Carneiro.Informe o Sr. districto, o prelo Innocencio, escravo do barao de
inspector da thesouraria provincial.
Jos Macario Pereira.Entregue-se, passando o
supplicanie recibo.
Joao Gernncio de Carvalho.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Manoel de Giovanni.Pagando o supplicante o
3ue fr devido por cada expectaeulo em virtude
a portara desta presidencia de 2 de Janeiro do
crreme, e marcando a directora do theatro os
dias em que elle devem ter lugar, como requer.
Manoel Francisco de Anjo Reg. Concedo,
quinze dias.
Manoel Leiiio Figueira.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
Mana Francisca de Leles.Dirija-se ao Sr. dc-
sembargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia, em junte.
Severina Anna Maria Rocha.Informe o Sr.
inspector do arsenal de marraba.
Qaintiliano Henrique da Silva Primavera.Diri-
ja-se ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda,
a qnem nesta dala se officia acerca do que o sup-
plicanie requer.
Reparticao da pjlrta.
! seccao.Secretaria da polica de Pernambuco,
15 dejulho de 1869.
N. 1019.Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
consta da participacoes recebidas nesta ropar-
ti$ao, foram hontem recolhidos casa de detencio
os teguintes individuos :
A' ordem*subdelegado de S. Jos, Francisco
de Paula fweira Cmara, por crime de feri-
mentos. _
A' ordem do dos Afogados Joaquim Thomaz de
Aqiiino, como cmplice em crime de tacto.
Por officio de hontem datado, parflHpou-ine o
subdelegado do districto de Santo Antonio, que o
individuo de cor preta, do qual tratara em ten of-
ficio de 12 do- crreme, como communiquei V.
Exc. em data de 31, apresentou-se-lhe, declarando
chamar-se Luiz e ser escravo de Ignacio Gongal-
Nazareth, o" que j communiquei N. Exc. em
minha parte diaria de 12 do dito mez, sob n. 519.
O delegado de polica do termo de Buique, em
officio de 18 do mez passado, participeu-me que
o subdelegado 2. supplente do |. districto Ber-
nardino Joaquim de Almeida effeetuara a prisao
de Eloy Gomes da Silva, que em fins do anno
atrasado assassinou, dentro raesmo da villa, a um
individuo de nome Manoel Rezerra, ficando o cri-
minoso recolbido respectiva cadeia.
Por officio de 29 do dito mez communieou-me
o delegado do Bom Conselho, que na noitc no dia
23 do mesmo mez, no lugar denominado Olho
d'agua da Conceicao Antonio Lucas ratou com
um tiro a Antonio do tal e ferio na mesma occa-
siao a Theotonio de tal.
O subdejejado do lugar expedm urna forca em
perseguica do criminoso, o qual ainda nao linba
sido capturado; mas constando haver elle seguido
Sara a provincia das Alagas, ao respectivo chefe
e polica requisito nesta data a sua prisao.
Sobre este facto accrescenta o delegado que,
apezar de o darem (odas as informaepes comidas
como casual, procedea-se todava exame no ca-
dver e a corpo de dencto na peseoa de Theotonio,
cujo ferimento foi considerado grave.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. vice-
presidente da provincia Dr. Manoel do Nascimen-
to Machado Porlella O chefe de polica interino
F. de Assis Oliveira Maeiel.
i' seccao.Secretoria de poucia de Pernambu-
co, 15 do julho de 1869.
N. 1037.Illm. e Exm. Sr.Em additamento
minha parte diaria de hoje, sob n. 1,029, levo mais
ao conhecimento de V. Exc. que por officio de 29
do mez passado, communicou o delegado de Bom
Conseibo, que fra all preso e remettido para o
districto da culpa, em virtude de jreqnisicao da
respectiva autoridade, o criminoso Manoel Telles
de Carvalho, processado e pronunciado em Palmei-
ra dos Indios, da provincia das Alagas.
Em officio de 17 do mesmo mez, participou-rae
10 litros representan!.
18 litros e 13
centilitros
36 litros e 27
centilitros
1 quarta
tigela,
e 1
silo corresponden-
tes 4..........
'/i alqueire,
fazem.......:... i alqueire
Anastacio Guimaraes, e cora a presenca do Sr.
Adelino Pinto, Feliciano Praieres, Luiz Demetrio,
Carneiro Lea., Alhuquerque Barros Hollanda,
Bandeirs, Maranliao, Pi dos Santos, Parisio dts
Valladares, Alberto Lopes. Ahdon de Loyola e
Muoiz Pyrrbo. Tomaram asseuto como socios
effeclivoeosSrs. Vicente Simoes Pereira de Leinos
e Joaquim Pelino Guedes. Passando- do dia, ez a leitura da sua tliese o Sr. Jos Sim-
plicio Narciso de Carvalho, e procedeu-se elei-
cao da mesa, que assim fieou composta :
Presidente, Jos Anastacio da Silva Guimaraes.
Vicepresidente, Jos do Hollanda Gavalcanti.
1* secretario, Joaquim Alhuquerque Barros.
2 dito, Bellerophontes d8 Castro Chaves.
Orador, Elisiario Augusto de Moraes.
Thesoureiro, Sebastiao Basilio Muoiz Pyrrbo.
'Commissao de syndicancia.Luii Demetrio Dias
Simoes, Galdino Pi dos Santos e Antonio Ribeiro
Maranhao.
O Sr. Parisio propoz em seguida a nullficacao
da eleicao, fundado era princioios que elle estabe-
leceu, o que, depois de fallarem os Srs. Anastacio
Guimaraes, Prazeres, Parisio, Hollanda, Simplicio
e Barros, foi adiado por falta de numero legal.
O Sr. vice-presidente Adelino Pinto, oceupando
a cadeira da presidencia, declarou eliminado o Sr.
Jos de Hollanda Cavalcanti, em vista do art 41
dos estatutos nesta sociedade.
TRILHOS URBANOS DE APIPUC0S.-0 Sr.
gerente desta hipreza procurou-nos hontem para
dizer-nos ser inexacto que houvetsem ante-hon-
tem feriinenlos o contusoes leves nos descarrlha-
mentos que se deram de duas locomotivas d'a-
Suella linlu forrea. Nao temos duvida em modi-
car a noticia qua hontem demos nessa parte, de-
clarando todava que aquella inforina?o nos foi
ministrada por um empregado da erapreza.
ERRATA.O navio norueguense Flora, entra-
do de Hamburgo, veio consignado a Candido Al-
berto Sodr da Motta, e nao a Alfredo Jos da
Molla, como por engao foi hoje publicado.
LOTERA.A que se acha a venda a 114', a
Denelicio da Santa Casa da Misericordia, que cor-
re no dia 21 do corrente mez.
PASSAGEIHOS.O vapor brasileiro Jagaaribe,
v'rado do Penedo por Macci, trouxe os seguintes :
Conego Marcolino Pacheco de Amaral, Luii Pe-
reira de Carvalho. Francisco de Assis Pereira
Freir, Vctor Francisco, R. Alves da Silva Leite,
Joao Agrepino de Figueiredo.
Seguem para o norte no vapor Pirapama :
Benedicto da Silva G., Francisco de Assis G. e 1
criado, Manoel J. Lobato", sua senhora, l lilho, 2
escravos e 1 cria, padre Leonardo Joao Grego,
Antonio R. Amaral, Manoel F. Mello, Martins J.
Souza e 2 portadores, Fr. David, Dr. Virgino Car-
neiro Cunha, sua cunhada e 2 criados, Jos Boni-
facio Cabral M. C, Trajano Jos Cavalcauti, Mi-
guel Francisco de M., Jos A. de C. Moura, Paulo
A., Manoel da Silva Sedv, Manoel M, C, Eduardo
G. Vleme, Antonio G. V., Manoel de Mello M. N.
P., Francisco Autonio M. M., commendador Fran-
cisco A. S. Carvalho e 1 criado. Manoel Joaquim
de Sania Anna, Jos D. de Faria, Affooso P. A.
Maranhao c 1 criada, D. Antonio de M. S., Fran-
cisco S. Silva Retumba, D. Maria Lins F., Fran-
cisco F. Pessoa de A. Jnior, sua senhora e 1
criado, Maria Souza de M., Dr. Pedro Alfonso
de M., Dr. Euclides Deocleeiano A., Antonio O. R.
F., Antonio Ferreira A., Ismael Gaudcucio F.'M. c
l criada, Jos Lima, Julia (escrava),
Seguem para os portos do sul no vapor Po-
4engi:
I). Alexandrina M. dos Prazeres, Albano Domin-
gos M., Jos Joaquim do Oliveira Barros, Antonio
Joaquim dos Santos Filho, Jos de Mello Carneiro,
Antonio H. da Frota, lenente-coronel Jos Vieira
de A. Peixoto, J. C Gates. F. B. de Vasconcellos.
Segu no vapor Tocantins com o mesmo
destino :C. G. Julier.
CEMITERIO PUBLICOObluario do da 12 de
jnlho de 1869.
Emiliano Cyriaco Firmo do Paraso, Pernambuco,
18 annos, solteiro, S. Jos; pneumona aguda.
Jos Ribeiro de Vasconcellos, Pernambuco, 62 an-
nos, viuvo, S. Jos; absorpcao purulenta.
Rosa, Pernambuco, 28 mezes, Santo Anloaio ; be-
xgas.
Manoel, Pernambuco, 4 mezes, S. Jos; convul-
ses.
Luiz. Pernambuco, 11 mezes, Reeife; tubrculos
pulmonares.
Silvestre Ricardo Neves da Silva, frica, 60 annos,
S. Jos; infeccao purulenta.
Jos Vaz do Oliveira, frica, 62 airaos, solteiro,
Boa-Vista; interite chronico.
Jos Ribeiro de Souza Queiroz, Rio de Janeiro. 27
annos, casado, Boa-Vista ; anazarca.
Jeronymo, Pernambuco, 2 mezes, Boa-Vista; ana-
zarca.
Rosa, Pernambuco, 4 mezes, Sauto Antonio; be-
xigas.
Francisco, Pernambuco, 3 mezes, Reeife; convul-
ses.
- 13-
Balbina Francisca, Pernambuco 40 annos, solleira,
" Boa-Vista; tubrculos pulmooares.
Mara, recem-nascida, Pernambuco, S. Jos; es-
pasmo.
Manoel, Pernambuco, 6 annos, Reeife; febre cere-
bral.
Emilia de Paula Correa, Pernambuco, 38 annos,
casada, S. Jos ; phtvsica.
Theodomiro, Pernambuco, 8 mezes, Boa-Visla; in-
terite.
Marinho, Pernambaco, 4 mezes, S. Jos ; convul-
soes.
Ananias, Pernambuco, 4 annos, Santo Antonia ;
bexiga?.
Augusto, Pernambuco, 3 mezes, S. Jos; convul-
soes.
Appeliante, Joaquim Symphronio Alfonso de Mello ;
appellado, o bacharel Manoel Firmino de Mello.
DoSr. desenibargador Almeida Albuquerque ao
Sr. depmbargador Motta. AppelUeoea crime*:
Appellante, Jos Antonio da Silva ; appeliada, a
justica Appellante, o jpizo; appellado, Sabina
Gonealve. Appellante, o juizo ; appellado,
raciaim, escravo.
Do Sr. deseaargador Motta ao Sr. deseuibarga-
dor Domingncs da Silva. Appellaro civel :
Appellante, olgizo ; a|>pellada, Clara Francisca de
Souza LungaiAbo.Appellaco crime: appellante,
o juizo appellado, Targino Pereira da Silva.
Do Sr. deseinbargadnr Domingties da Silva-aoSr.
desemliargador Souza Lefio.Appellaeao civel:
Appe liante. Joaquim Antonio da Silveira"; appella-
do, Garca Fernandos Rodrigues do Passo e ontros.
Appellaeoes crimes : appellante, o juizo ; ap-
peliada, Josepha Maria do Espirito-Santo. Appel-
lante, Jos Vidal da Motta; appeliada, a justica.
Do Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. des-
emliargador Freilas Henriqnes.Appellacao civel:
appellante, Knzebio de Paula Pinto; appeliada,
U. Maria Jos da Felicidade Brrelo.
Da -DE APPAnECEn.Appellante. Joao Lucro-da
Costa Monleiro ; appeliada, D. Josepha Justina de
Jeras Goncalv.->.Appellaeoes crimes : appellan-
te, o juizo ; appellado, Joao Francisco Alves. Ap-
pellante, o promotor ; appellado, Seralim Goneal-
ve* Pinheiro. Appellante, o jurzo; appellado,
Manoel Theodoro da Silva.
Assignou-se dia para julgamento ito segoinle
appellacao civel: appellante, Manoel Fefl^^R-
mes de Menezes; appellado, Anastacio Franr
Dii.i,;:m:ia cniMK.Com vista ao Sr. desembar-
gador promotor da justica.Appellacao crime :
appellante, o promotor ; appellado, Paulino Sera-
flra. da Costo.
s 2'horas da larde eiieerrou-se a'sessio.
1 metro corresponde l
e assim tendo o
metro 5236 pontos
o a vara 5760, se-
gue-sc que
!4palmos,4pol
legadas, 4 li
nkas el pon-
tos,
1 metro el dc-
c metro
11 metros
6 decmetros e 6
centmetros
2 metros
igual perfeita-
raente a.......1 vara;
bem como
correspondem pre-
cisamente 10 varas,
sendo que
equivalem ...... 1 cavado,
assim como
fazem o completo
vea da Silva, e bem assim que motiva de ter j o delegado do termo do Huique, que ficavam na-
andado com tal precipitaco, que despertara a des-1 quelia data recomidos cadeia Anteo fiezerra de
eonflanca da patrniha, foi o receio de ser preso
na occamio que procarava reesHur-ee a eocbeira
ende trabalhava, sendo que, por isso, atirara-se ao
rio, e agarrase a um esteto da ponte da Boa-
Vista, no qual conservou-sc at romper o dia.
Por ffleio da aesraa data, participoo-me o

Vasconcellos, Joaquim Jos de Aranje e Anto-
nio Bezerfa de Araujo, oe dous primearas par
nverem tentado tomar o ultimo (que havia ido
preso) do poder de um inspector da fregoeti? de
Aguas-Bellas, do que resaltara a morte de me
persea e diversos ferimentos; sendo que a priei?
de............3 cavados
TRIBUNAL DA RELAC-AOPor aviso de 3 <
corrente, do ministerio da justica, foi communica-
do ao Exm. Sr. presidente da provincia que Sua
Magestade o Imperador houvo por bem ordenar.
Sue os desembargadores Jos Nicolao Rigneira
osla e Bernardo Machado da Costa Doria, este da
relacao da Bahia, e aquello da do Maranhao, te-
nham exercicio no tribunal de Pernambuco, opri-
mero durante a ausencia do desembargador Joao
Antonio de Araujo Freitas Henrique?, presidente
nomeado para a provincia do Cear, e o segundo
durante o do desembargador Alvaro Barbaliio U-
cha Cavalcanti, ora com assento na cmara tem-
poraria.
PASSAMENTO.Deu alma ao Creador, hontem
pela inanha, victima de urna hemorrhagia, o re-
verendissimo Augusto Maria Ferreira Botelho.
GUARDA NACIONAL.-Por deliberacao da pre-
sidencia, de 12 do corrente, foram nomeados para
o batalhao n."l de infamara do municipio de
Buique :
Alferes cirnrgiao, Jos Firmo Vestemnndo Lica-
rilo. _
Alferes porta-estandarte, Antonio Lourencp Be-
Mrra- ....
! companhia. Capillo Alexandnno Marques
de Albuquerque CavalcanU, tenente Jos Paes de
Mello Cavalcanti, e alferes Antonio Cezar de Vas
concellos Campos.
2- companhia.Capitao Manoel Cavalcanti Car-
neiro de Albuquerque Lacerda, tenente Pedro mu-
niz do Alcaatara, e alferes Marcelino Barbosa da
Silva Mello.
ROUBO.Na nene de 12 para 13 do corrente,
penetrara os ladros no armaiem de gneros di-
versos, na ra da Ponte Velha n. 43, do Sr. Joo
Pereira Padroso Lima, e levaram 1641 e um eor-
do de ouro, safando-se inuito eu salvo. Infor-
mam nos que o aubdejeg d> Wjiirir nrenden
um indwdno, sobre o qual neabem gravesi sus-
peitas. Seria bom qne fosse el aeito depou
de beia averiguada sua innocencia
f
CHRONICA JUDMIARM.
I l41! \ti, DA lli;i-A AO.
SESSAO EM 13 DE JULHO DE
PRESIDENCIA DO EXM. KR. CONSELlIElRp t
SANTIAGO. /
As 10 horas da manhaa, presentes j?i Srs. desem-
bargadores Gitirana, Almeida ATa4uerque, Lou-
rencp Santiago, Motta, DomincueS'da Silva, Souza
Leao, faltando os Srs. desembargadores Guerra,
procurador da cora, e Freitas Ifnriqucs, abri-
se a sessao. I .
Hahkas-cobpus.De Manoel Joaquim de Santa
Anna.Negaram provimento.
AcGBAVos.-Aggravante, Basilio Al ves de Miran-
da ; aggravado, o juizo.Relator o\Sr. desembar-
gador Doiningues da Silva. Sorteados- os Srs.
desembargadores Souza Leao e Alm que.Negaram provimento. Aggravajlk oaiu-
dante do procurador fiscal da cidade de Olinda ;
aggravado, o juizoRelator o Sr- desembarga-
dor Motta. Sorteado? os Srs. desembargadores
Domingues da Silva e Lourencp Safltiaae.nega-
ram provimento. Aggravante, Majoei Costa
Mangericao ; aggravado, Antonio llves da Silva.
Relator o Sr. "desembargador Souzk I-eao. Sor-
teados os Srs. desembargado! es o Molla Almeida
Albuquerqu.Nao tomaram conhecimento.
Appellaobs crimes.Appellantej o inii do di-
reito ; appellado, Manoel Goncalves do Nascimen-
to.Nuilo b processo. Appelfante, LVntonio de Al-
meida Ferreira ; appeliada, a justfta Improce-
dente. Appellante, Juliao Alves Galvao ; appella
da, a justica publica.Novo jurv.
AppELLACoBScrvBis.AppellanteAManoel Fer-
reira Gomes de Menezes ; appellaqo, Anastacio
Francisco Braga.Nao tomaram onhecimento.
Appellante, o juizo ; appellado, Lui Corr
renco.Nao tomaram conhecimento,
Habeas corpus.A Izidro FerreiraJGampos con-
cedern] a ordem para o dia 17 do frrente, ou
vindo-se ao Dr. chefe de poflcia.
passaodis.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Siv desembar-
gador Guerra. Appellacao civel :\appeliante,
Polycarpo JosLaync ; appellado, Theodoro Chris-
tiansen.
Ao Sr. desembargador Lourencp Santiago.Ap-
pellacao crime : appellante, Francisca Alves de
Madureira ; appellado. o juizo. .
Do Sr. desembargador Lourencp Santiago, ao
Sr. desemliargador Almeida AibuquenjOe. Ap-
pellacfies crimes: appellante, e juizo; appellado,
Joao Patrieio da Silva. Appellante, Francisco das
Ctaagas Macdo; appeliada, a jutica. -Appellnde
civeis : appellante, Jos Jeronymo Montero ; ap-
peliada, a irmandade de Nessa Senhora da Estan-
cia. Appellante, Victoriano Jos de Mello i appel-
lado, o capilao Feliciano Cavalcante da Cunha Re-
g. AppeBaMe, Antonio Valentim da Silva Bar-
roca ; appellados, o presidente e directore da cai-
xa filial. Appellantes, Adriano & Castro; appella-
dea,BeJlaraiM e Antonio. Appellante, Jo^ Pinto
Telxeira; appellado, Jeronvmo Pereira de I Itlltl \ \l. DO (OHMUIICIO.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 12 DE
JULHO DE 186'J.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR ANSELMO
FRANCISCO PERETTI.
s 10 horas da manhaa, reunidos o? Srs. depu-
tados Rosa. Miranda Leal, barao do Cruangv e
supplente Sa Leitio, S. Exc. o Sr. presidente de-
clarou aberta a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao de-8 do
corrente.
EXPEDIENTE.
Officio do administrador da recebedoria firmado
de 9 do corrente solicitando as precisas ordens no
sentido de seren salisfeilos os direitos fiscaes dos
leudes que tem sido feiu s de 10 do maio ultimo
at o presente, e dos que se fizerem d'ora era
diante conforme o disposto no regulamento n.
4,335' de 17 de abril prximo pretrito.Resolveu
que se offlciasse aos agentes de leiles para re-
metieren una relacao dos bens movis e semo-
ventes exceptuados os escravos e embarca^des
que hajara vendido depois do dia 10 de maio, em
que foi posto era execucao nesta cidade o decreto
n. 4,335, afim de satislazer a requisicao do raesmo
administrador.
Officio do presidente e secretario da junta dos
corretores. firmado de hoje, apresentando o bole-
tn) commercial da semana prxima linda.Ao
archivo.
Aos Srs, deputados foram distribuidos os se-
guintes livros Entradas e saludas do_Trapiche
da CompanhiaDiario de Mendes, Falcao & C
dem e Copiador de Cunha limaos & C dem
dem de Agr de C.
O Sr. secretario officiou ao agente do Banco
Mau aecusando a recepcao da participacao feita
de ter cessado de funecionar nesta cidade a caixa
tilia de dito banco.
Foi presente o conhecimento de se adiar reco-
Ihida thesouraria de fazenda a somma d.....
2:0074904 saldo dos emolumentos arrecadados na
secretaria no exercicio de 18681869.O tribu-
nal mandn registrar dito conhecimento o que
feito fosso entregue o original ao ihesoureiro Di-
namerico Augurto do Reg RangoI.
Foram ainda presentes os raappas demonstrati-
vos do movimento dos armazens ds. Companhia
Pernambucana e do de Jos Luiz sito ao largo da
Assembla n. 9.Tiveram o soguinte aespacho.
Confira-se com o antecedente.
DESPACHOS.
Requerimcnto de Francisco Ribeiro Pinto Gui-
maraes, para registro da nomeac.ao de seus cai-
xeiros Francisco de Panla Goncalves Ferreira,
Faustino de Barres Lima e Ra>mirado Guimaraes
da Silva.Regislre-se.
Dito, de Antonio Bernardo Quinteiro, Miguel
Bernardo Quinteiro e Manoel Goncalves Agr,
idem de seu coulrato social.Visto ao Sr. desem-
bargaJor fiscal.
Dito de Joao Antonio dos Santos Collio, idera
de sua nomeaepo de caixeiro de Jos Antonio dos
Santos Oollio.Registre-se.
Dito de Joaquim Caetano de Carvalho, idem do
distrato social da firmaTheodoro & Carvalho.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Dito de Joao Francisco Antunes A Irmfio, idem
da nomeacao de seas caixeiros Eduardo Phampli-
lo de Farias Albuquerque Maranhao e Francisco
Damazio dos Santos Honorato.Registre-se.
Dito de Antonio Hermelmdo de Miranda, idera
da do sen caixeiro Manoel de Souza CirncRo-
gistre-se.
Dito de Francisco de Lyra, certidao do theor do
registro da nomeacao de sea caixeiro Candido de
Lyra.D-se.
Dito de Antonio Hermelmdo Miranda, registro
a nomeacao de seu caixeiro Manoel de Souza
Cirne.Regislre-se.
Dito de Manoel Antonio Vieira, certidao de es-
tarem registradas as nomeaepes de seus caixeiros
Jos Martins Saldanha e Francisco Antonio do
Amaral.Certilique-se.
Dito de Ges & Bastes, registro da nomeacao
de seus caixeiros Antonio Pereira Leite e Manoe!
Zeferino de Castro Pimentel.Como requerem.
L-Hito, de. Jos Augusto de Araujo, dem da de
seu caixeiro Joao Antonio MonleiroRegislre-T*.-
Dito de Antonio Jos Ferreira Monteiro, idem
da de seu caixeiro Mauoel Augusto Peieira Lima.
Registre se.
Dito de Jos Gabriel Carneiro da Cunha- idem
da de seu caixeiro Claudino Jos Rodrigues dos
S ratos.Registre-se.
Dito de Sebastiao Jos da Silva Braga, dem da
de seu caixeiro Ignacio Jos da Silva Braga.Re-
gistre-se.
Dito de Joao Baptisla A Mendonca, idem da do
seu caixeiro Elias Baptisla da Silva Ramos.Re-
histre-se.
Dito de Eduardo Fenton, eertdao de q aes os
seus caixeiros, cujas nomeaepes foram registra-
das. Como requer.
Dito de Amorim A Flllio, idem, idem.Como
requer.
Dito de Henri jne Forster A C, idem, idem
Como pedem.
Dito de Jeao Francisco Borges Ferreira, idem,
idem.Como requer.
Dito de Antonio Francisco das Nevos, idem,
dem.Dse.
Dito de Joaquim da Cosa Ramos, idoin, idem.
Como requer.
Dito do Antonio Robertb A Filho, dem, idem.
Como requerem.
Dito de Manoel de Souza Cordeiro Simoes J-
nior, dem, idem.Como requer.
Dito de Joao Licio A C, idem, idem.Como
requerem.
Dito da Martins A Leopoldo, dem ideui.Como
requerem.
Dito de Bernardo Jos da Silva Guimaraes, idem
idem.Como pede.
Dito de Marcellino Ausberto Lope?, registro da
nomeacao de seu caixeiro Joao Antonio da Silva
Oliveira.Registre-se.
Dito de Daniel Antonio dos Res A C, idem da
de seus caixeiros Eulampio Leandro de Gen vea e
Joao Flix do Albuquerque.Registre-se.
Dito de Joao Pedro de Mello, dem da de seu cai-
xeiro Deomedes Bezerra de Mello.Como requer.
Dito de Castello Branco A Moreira, idem do do
seu caixeiro Joao Martins Pereira.Registre-se.
Dito de Antonio Jos da Costa Reg, dem da de
seu caixeiro Jo3o Tolenno Figueiredo Lima.
Registre-se.
Dito di! Moreira A Irrno, idera da de sea cai-
xeiro Celestino Alves Muniz.Registre-se.
Dito de Francisco de Freilas Barbosa, idem da
de seu caixeiro Francisco Athanasio da Rocha Bra-
ga.Registre-se.
Dito do Lourencp Ribeiro da Cunha Oliveira,
idem da de seu caixeiro Joaquim Mendes da Silva.
Registre-se.
Dito de Antonio Jos dos Res, certidao do theor
do registro do contrato social da firma Marque-,
Santos A C Como requer.
Dito d Moreira A Duarte, registro da nomea-
cao de seu caixeiro Joaquim Orestes de Moura.
Gondin.Registre-se*
los Alijos Barros, c
orno caixeiros da
C, Msnoel Joaqiui da
I
t
-
-


. i
_
v-j
V
MUTILADO
""l IBP




Diario de Peraam^co Sexta feira 16 de" Julho de 18.
Costa Cimlho, Justino dualo Lima e Jjs Le-
ca i .

er,i i
ser a
i dem
s Fran-
1 i llames. Jos li Klrip
JKilZ,
lo a
i Regno do Ama/al, natural da
i, com dade do 33 annos esta-
B Sobral pon comroercia do fazend.s e
icwnaes o eslrangeiros, pedindo
i matrirula do eoiuiuerciaute.Em
abono do sua pretendo, junts um attestodo dos
comuiei ranles Luiz Antonio de Siqueira, Alfredo
Hearqu.'s (Jar Moreira Lopes.Vista ao-
Sr. 4o Wlo de Trnjano lo<6, Cavalcanti, natural da
mesma^ provincia e eslabelecido na sobredilaaida-
lo de Sobral e com igual commercio, pedindo ser
lambein matriculado commorciantcAtiestan em
ra, A rnardo Vaz de Carvalho e Adrin)
Castro & C.Vista ao Sr. dosem hurgador fiscal.
Dito d'! Augusto Muniz Machado, como procura-
dor de W. W. Rubilliard subdito britnico, nego-
ciante oiabcloeidi em Jangua, provincia (!: Ala-
gnas com de 80:000*000, dedicando-se a
oomprn .1 algoda, nssucar c outros ge;
i-diado lambem ser seu constituirte aiinitti-
coiniiiereiarte.Atiestan) o;n
concellos & Mocaos, Joaquim da
e Jos Jo,i(|iiimde Oliveira.-A pe-
lanhou o prsenle n 11 oi
.reclmenle.' por qno
na) i .curador daqneKo oni nome de
quem
nam W. Robilliard, sub.lil
^^^^Ht britannc.i d- S annos de idade, ro-i-
i capital ile S'):OO0HH |itl
-tiutikalaJn. Vista ao Sr. desoiuli Ihcal.
lim Gura ido Bastos, pedindo
tinque a verdadeira intolligenc
larrasdescarga por contada
Replica do Francisco Leilao de C
er ro lo o despacho d
I he denegara a matricula de r
impel
Dada a hora ill o l|2j I
lo adiados para a prxima ...sau ..- i'oquen-
mentis, vind'uscom parecer fiscal, de Custodio Al-
ves Guimarcs e outros, de Manuel Alves Guerra
A Filbo, de Antonio Alces (.obre c Patricio Igna-
cio da Silva e Associaoao Commercial Bonofiente.
principaes da Europa, em agencias na Ba-1 soccessor de Gama fr Sito, contra o casal
para os mesmos lugares,
llua do Commeruo n. 3(3.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & C.
Compram e vendem por conta propria
metaes, moedas naciopaes e eslrangeiras.
sbj)| de cambio, scdulas do goteroo e do
qanco do Brasil.
Descontam l"tras da Ierra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conla alheia das mes-
mas transaccoes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebera ijuaesqoer quantias em deposi-
to, em conta correute, e a prazo Qxo-
Largo do Pelourinho n. 7.
ALFANDEGA 9B
Kondimento do dia I a ti. 4i2:12GWJ
Idem do dia 1.1......52 O'J205l
B-
SE3SA0 Jl'DICIARlX EM rt OE J.nO DE
1869.
PRESIDENCIA DO BX1I. SR. DESEMBARUAOR A. F. PK-
RKTTI.
Secretario, Julio Gutmiiws.
..o m<'io dia, declarou-se alierta a sossiio, estan-
do presentes os Srs. doseinhargadui-rs S.lva Gui-
maraes, Res e Silva e Accioli, e fl^^HM Rosa,
Miranda Leal. La rao de Gruangy o depiita l.i sup-
plente S Lei tan.
Lida, f i approvada a acta da sessao anterior.
O escrivao Albuquerque registrn o ultimo pro
d) corrente
MOVIME.N'T!) DA ALFANDEGA
Volumes sahidos com fazendas 317
dem dem com gneros 44
------361
carregam boje 16 dejulho
Barca inflenIK7<-A of the Waveferro o carvao.
Brigue inglezllio Grandemercaderas.
Brigue inglezMinoramercadorias.
Lugar inglezMnraneecarvao e ferro.
Bripi lemoGnztllafaiinha de trigo.
Brigae naetonal.\hnruU: IIcharque.
kec:ehedoria de uexdas i.nteu.vas
u-clem do lllm. Sr. inspe
thesomaria de fezcoda dast provincia se
faz publico que, se nao- teodo arrematado
no da 7 do corrente a aetade da casa
terrea adjudicada fazenda, sit a ladeira
da Misericordia na dade de Olinda, ser
de novo posta em arrematacjto perante a
thesouraria no dia 2i oeste mesmo m^z,
ac itando-se propostas em cartas fechada.
at as duas horas da tarde desse dia, sendo'
que as pessoas de Olinda que pretenderen
a dita casa porKo entregar ao respectivo
collector at o dia 23 as snas propostas
que serlo por elle encaminhadw esta
thesouraria.
Secretaria da thesouraria de fazenda de
Pernambuco, 9 de juluo de 1809.
O official-maior,
Manoel Mainede da Silva Costa.
Com- a ocurso de Mr. de Lajournad e
do Sr. (na Rocha, ai ti.->ta dramtico, que
hia, Buonos-Ayres, Montevideo, New-York'Bnados Antonio da 4>>sta Rysal e sua
ittenfJo
| pbeneOnaOo.
O Sr. E. A. Clinton espera do Ilustrado
.... da Misericordia do Recife, tcm d* tecessidas)
i--__.mandar edificar no lugar em que existe o
_ GE
RAES DE i'Ell.NAMIHICO.
Uendimcnto do dia 1 a li. 22:0I8422
dem -do dia 15...... 2.081 *3>JC
24:100 618
CONSULADO PROVINCIAL""
dendimento do dia I a 14. 77-8984570
(dem do dis 15....... 0:139*271
87:
0*7*60
Rrite
Diez sob on. 1774
a 9 d) dito inoz so!) o
testo de letra a *
e o osrv.ii. AtTcs d
n. 1713.
JnLQAUfTTOS.
Jnizn especial di cominero o : appcttnto, rao
Antonia J i:i|iiim Fornandes; appellada, autora
D. Alexaudrina Mara dos Santos : juizes os Srs.
Silva Guimaraes, itei* e Silva, limo de Cruangy
e S Leiti).Ref irmou: -: a seutenea appellada.
sendj voto vencido o Sr. dusembai-gador Silva
Guimaries.
Juizo especial do ommercio : a; au-
tores Rabe Scharaettau k ('.. ; appelUdo, reo o
curad >r da lieraac.i jaconte de Minoel liuarque
de acedo Lima : juizes os Srs. Accio, Iteis e
Silva, S Leitio e barao de Cruanjy.Contirniou-
-30 a sen tenca appellada, senda voto vencido 0 Sr.
desembarjador Ar.ioli.
Jaizo especial do commercq,: appcllante, reo
Manoel Antonio de. Albuquerqnc Jlacliado ; ap-
pellado, autor Amiro Jos dos l'rateies : juizes
os Srs. Silva Guimaries, Accioli, Miranda Leal e
bario de Cruangy. Contlrmou-su a sentenca ap-
pellada.
Appallante. Andr de Abreu Porto ; appellado,
Joaqulm Furreira Valente o ou'ro.0 Sr. Rosa
jurou suspeieao ; c sorteado outro Sr. deputado,
requere:) e f>i d'i'eiid) o adiamento.
Appellante. Gaspar Havalcante de Albuquerque
Ucltda ; appellado, Ipao de S e Albuquerque :
uppellantes, os adminislradores da mas-a fallida
de Antonio Jos de Figueirdo ; appellado, Jos
Alves da Agruiar : appellante, Joao Pinto de Le-
cooa Jnior ; ippe/lado, Manoel Aire Ferreira :
.appellantes, Honriiiue A Azeveda; appellado, An-
toiuo Gonfalves Fcrreira Casca'.Adiados a
dido dos Srs. deputados.
l'ASS.UJENS.
D) Sr. desembargado!- Silva Guimaries ao Sr.
desembargadr.r Res o Silva : appollaute, Jos Cc-
zario de Mello ; appellado, Joao da Cunha Reis :
appellantes, Tasso lrmaos; appellado, Antonio
Moreira Reis.
Do Sr. desembaigador Accioli ao Sr. de?embar-
gador Reis e Silva : appellantes, os administrado-
res da massa fallida de Antonio Jos de Figueir-
do ; appellado, Francisco Jos de Oliveira.
Nada mais houve, c fo encerrada a sessao s
duas horas menos um quarto da tarde.
pe-
PUBLICACOES A KDIDO.
Para S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia
ver.
Ha entre nos um professor de instruegao
publica, que ao mesmo tempo serve de
coadjutor da freguezia onde mora e lec-
ciona; ep rcebeda iesouraria provincial
ambos os ordenados. llavera lei que isso
permilta ? Chamamos, por tanto, a alten-
:5o do Exm. Sr. presidente da provincia
para semelnantc abuso, que ha muito
tempo tolerado.
0.vigiado cofre.
Tacarat I de Jnlho de ts.
Senhores reaactores. Lendo o Liberal n. 69, de
de 26 de maio do corrente anno, nolle deparei
com um comnuinicado deste termo, cajo corres-
jwndonte se intitulou por Justo, no qual calumnia
e fere nao s a mim, como ao juiz municipal snp-
pente em exercicio, liberal distincto e imparcial,
que apezar de sua dedicacao as ideas liberaes nao
dixa de fazer justica aos conservadores, pelo que
acabo de ser calumniado c ultrajado.
Por rolnha parte entend qne seria descer de
minhadignidade, respondendo a um calumniado!
covarde, que acoberta-se com a capa do ano-|
nymo.
A arma da calumnia s fere a quetu della usa!
visto que tem o effeitij ralroactivo.
O meu flm, portanto, outro, como delegado
este termo tenho de responder perante as auto-
ridades a quem sou subordinado, e a estas e s
a estas a quem lenho de dar satisfacao e nao o
vil calumniador, porlanto, peco aos Exms.Srs. pre-
sidente e Dr. chefe de polica, que sobre o meu
procedimento na qualidade de delegado, se imor-
me do Dr. Jos da Costa Carvalho Guimaraes |t>ro-
motor desta comarca, que (levo estar nessa ca-
pital.
Qoeiram, Srs. redactores, publicar ests linhas
o qne muito Ihe agradecer este sea criado
Francisco Cavalcanti de Albuquerque.
COMMEBCIO.
PRA^A DO RECIFE 15 DE JLHO DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARO!.
Assucar de Maeei = 3*677 por 15 kil. posto a
bordo.
Cambio sobre Londres 90 d/v 18 7i8 d. por
1*000.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da prac-a txa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em cont corrente e a
prazo fixo.
Saca vista on r-rmoab:
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio saltillo no dia 14.
CanalBnguo inglez Belle o[ the Cli/J, capilao l.
Graffetes, carga assticar.
Nano futrado no dia 15.
Penedo por Maeei i das, vapor brasileiro Ja-
uuartbe, de 459 toneladas, coinniamlante Manoel
R. de Muura, equipage.ii 30; a Companhia
I'eriianiijucana.
. Navios sahidos no mesmo din.
Aracaj e portos iutennedios Vapor brasileiro
P>en ren tes gneros.
Granja e por los intermediosVapor brasileiro Pi-
rapama, commaudanlo Torres, carga varios g-
neros.
S. TboraaxLugar dinamarquez Familia, capilao
Mansen, em lastro.
CanalEscuna nono allemia S. & /}., capitao N
F. Nommensen, carga assucar.
Liverpool Brigue norueguense Nanna, capilao
M. S. Maurlzen, carga varios gneros.
sobrado arruinado n. 33, da ra Direila,
um armazem com duas frenles, urna para
a mesma ra, e outra para a ra da As-
sumpeo, com tres portas em cada nma
dessas frentes, tendo as portadas de pedras
lavradas, podendo para esse lim aprovetta-
rem-se as pedras que all existem; deven-
do serem as frentes construidas desde o$
altcerces. Contraa, pois, com quem por
menor preco izer similhante obra, c por
isso convida as pessoas que se* propoze-
rem a efectua-la que apresentem suas
proposlas em cartas fechadas, at as duas
horas da tarde do dia 29 do corrente me/,
podendo os pretendentes para o (im de
examinarem as obras a fazer-se, procurar
as chaves daquelle sobrado nesta secre-
taria.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Itecile, 9 de junho de 1869.
O escrivao,
Pedro liodiiaues de Sonza.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santff(invenc do celebre Hume no' palacio das
publico Peroambucano a avaliosa coadju-
vaca, que sempre costuma dispensar aos
artistas que a elle recorrem.
O programiiM, completamente variado,
foi organisado pelo Sr. Clinton, d sajando
assim. offereoer a io Ilustrado publico
nestasduas hor.vs de iixuso
Um noite agradavel
Intervallos de lo minutos
nos quaes urna cscolhida orcheslra desem-
penbara varias pecas no salo do theatro
PRIMEIR.V PARTE
Logo que a orebestra, dirigida pelo in-
sigue professor naciual o Sr. J. Coelho,
tenha executado a grande polka imitativa
Abordaren, do Parnalivba
composico do mesmo artista, seguVse-ha
pelo prestidigitadorEduardo Alves
O jarctim das Hesperidcs
COMPANHIA PERNAMBUCAKA
1)8
.YaregacSe coslelra po* vapor.
Puaedo cm direitasa..
(1 *3DtJkpmrioei oommandaatB Mtoura, sean i-
ra parOV port as* horas da tarde, llead^i carga at odia 17
s 3 hofts, cncomnimas, passageiros e dinheiro
a fuete al as 2 fc .ras da tard do dia da sabida :
no eseriptorio dogForte do M;qtns n. 1*.
COMPAWIA PERNAMBUCANA
EDITAES.
Perante a cmara municipal desta eidade
estarao em praca nos das 14, 17 c 21 do corrente
para seren arrematados por quem maior preco
ofTereccr, os alaguis dos quatro ospacos existen-
tes no acougue publico da ribeira da freguezia de
S. Jos, sendo tres no quarleirao do lado do norte
e um no do sul, todos oceupados com talhos esta-
belecidos por diversos; a arrematacao a fazer ter-
minar qnando terminar a dos oul'ros talhos da
mesma ribeira. Anneltc* que pretenderen! arre-
matar, compareeam no paco municipal era os dias
mencionados, munidos de llancas na forma da le.
Paco da cmara municipal do Rocife 8 do iulhn
de 189. J
Ignacio Joaquim de Souza Leao,
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Boavairem,
_________________Secretario.
Domingos Atonso Nery Ferreira, corone
chefe do estado maior commandante su"
perior interino da guarda nacional do
municipio do Recife, e presidente do
conselho de revista da mesma guarda
por S. M. o Imperador etc., etc.
Faco saber que, na 31 dominga, 18 do
corrente mez, se reunir o conselho de re-
vista da guarda nacional, como determina
a 2a parte do art. 2 do decreto 1,130 de
12 de marco do 1853, na sala das sessoes
da cmara municipal, as H horas da manhaa
na conformidade do art. 41 das inlruccoes
n. 722 de 25 de outubro de 1850; aGm
de tomar conhecimento dos recursos que
versarem sobre os casos indicados no art.
33, e que forem interpostos pela maneira
determinada no art. 38 das ditas ins-
truefoes.
E para conslar. a quem convier, mandei
publicar pela imprensa. Qnartcl do com-
mando superior interino da guarda nacional
do municipio do Recife, 10 de julho de
1869.
___Domingos Affonso Nery Ferreira.
Conselho de compras
navaes.
O conselho promove no dia 17 do corrente mez,
vista da proposlas recebidas al as 11 horas da
iianlia, a compra sob as condicoes do estylo dos
ohjcctos do material da armada sYguinles : 2 bules
de Ierro estanhado, 2 houibag de Japy n. 3. 12 du-
zias de brochas surtidas, liO eolheres de ferro, 200
alqueires de cal branca, 200 alqueires de cal pre-
0 croques de ferro, 1*0 bracas de corrente de
f#b de 1,2 pollegada reforjada, 20 arrobas de
estopa de algodao, 10 lencoes de ferro inglez de
l|i de grossura, 10 livros le papel branco pautado
deiOO folhas, 30 lvros de papel branco pautado
de 100 folhas, 20 livros de panel branco paulado
de 50 folbas, 10 livros de papel branco pautado de
25 folha*, 8 arrotas de inialhar branco, 10 libras
de obreias Irancezas, 80 arrobas de oleo de linba-
?a, 6 panellas de ferro para derreter bretf, 50 pin-
ceis para caiar, 10 quartolas para lquidos de 3 ps
3 3|4 pollegadas de comprimento, 100 raspas d
ferro, l,G00 libias de tinta branca de zinco, 600
libras de tinta verde iugleza, 40 grosas de torcidas
para plurol, 2 terrinas de ferro eslanhado, 20 tira-
linhas e 1,000 tijolos de fogo.
Tambem o conselho no mencionado da 17 do
corrente mez, contrata por igual Corma o forneci-
mento de cangica ou milho pilado, c de mho seni
ser pilado, aos navios da armada e estanelecimen-
tos ne marinha no correute trimestre de julho a
setembro.
Sala das sessoes do conselho de compras navaes
13 dejulho de 1869.
O secretario
__________Atexandre Rodriga** dos Anjos
O inspector interino da alfandega, u
publico que existindo no armazem alfande-
gado n. 13, da alfandega velha, oilo saccas
com algodo da marca I C A C, com o pezo
de 444 '/i kilogramma, viudas do Aracaty,
no hiato nacional Novo lnveucivel, entrado
neste porto em 31 de outubro da 1855, e
depositados no dito armazem, por Silva A
Alves, em 2 de novembro do dito anno;
e acbando-s-i as ditas saccas no caso de
serem arrematadas para consumo, nos ter-
mos do cap. 6o titulo 3o do regulamento
de 19 de setembro de 1800, os seus donos
ou consignatarios deverSo despacha-las no
prazo de 30 dias sob pena de findo este,
serem vendidas por sua conta, sem que
Ibes fique competindo allegar contra os
eTeitos desta venda.
Alfandega de Pernambuco 14 de julho
de 1869.
O inspector interino,
L. C. Paes de Andrade.
Perante a cmara municipal desta ei-
dade, estar em praca nos dias 14, 21 e28
do corrente, para ser arrematado por quem
maior preco offerecer o imposto de 500 rs.
por cabeca de gado vaceum, morto para
consumo as freguezias do Poco de Panella,
Varzea, Affogados, Muribeca, Jaboalao e
S. Lourenco da Malta; as pessoas que qui-
erem arrematar dito imposto, habilitem-se
forma da lei e compareeam no paco
municipal em os dias referidos, r,,
0 da cmara municipal do Recife 8
Iho de 1800.
Ignacio Joaquim de Souza Ledo.
Pro-presidente,
Francisco Canuto da lia-Viagem,
Secretario.
DECLARACOES.
Pelo presente se faz publico quem nteres-
sar, que as contas dos impostas de 20 por cento
sobre o consumo de agurdenle, 4 por cento sobre
diversos eslabelecimentos se acham em poder do
escrivao Bandeira, em cujo eseriptorio a ra do
Imperaflkn. 44, poderaooscontribuintes solicitar
as reeaflJpM gaiu, independente de ciUtcao ;
assim coa as dotnpostos do 20 por cento sobre
diversos estabelecimentos, e 8 por cento sobre cs-
criptorios e consultorios mdicos, no eseriptorio do
escrivao interino Miranda, a quem foram distri-
buidos, e para (al (m se concede o prazo de 30
dias, a contar de boje
Iho de 1869.
solicitador da fazenda provincial,
J. F. Coira de Araujo.
Correio geral.
RelacSo das cartas registradas existentes na
administracao do correio desta eidade,
para os seguintes senhores :
Alvaro Paulo Nvblat, Alfredo Saldanha, Antonio
Moreira Porto, Barao de Villa-Bella, Christovo
Gomes Pcreira, Custodio Joaquim Lopes de Souza
Jnior, Carvalho A Kogueira, desembargador Cae-
tano Jos da Silva Santiago, Catulino Goncalves
Lessa, Demetrio Hennillo Cavalcant, Fonseca A
Sanios, Firmino Theotomo da Cmara Santiago,
Francisco de Assis Pereira Bocha, des mbar^ador
Francisco Baptista Gitirana Costa, tenente-coronel
Francisco Camello Pessoa de Lacera, monsenhor
Francisco Mumz Tavares.Francisco Moncorvo Lima,
Francisco Xavier Pereira de Brilo, Getulio Augus-
to de Carvalbo Serrano, Guiseppe Bartholomeu,
Galdino Ferreira da Silva, Hermn Blem & S.
Wild, tenente Henrique Saraiva de Araujo Mello,
Ismael Cesar Duarte Bibeiro.Dr. Inocencio Serfico
de Assis Carvalho, D.. juiz municipal da 1* vara,
Dr. Joaquim Jos de Campos Costa Mederos Albu-
fefrancisco da Silva (Fernando), Joao
Uva Novaes, Joao Pereira Bego,
Jos Antonio Aft de Brito, Dr. Jos Antonio de
Figueirdo, Jos Antonio Pires, Jos Fernandes dos
Santos Bastos, Jos Ignacio da Silva, Jos Morera
da Silva, Jos T. de Aguar, Luiz Goncalves da
Silva A C. Maturino B. de Mello, Miguel Ferreira
Das dos Santos, Dr. Manoel Ambrosio da Silveira
Torres Portugal, Manoel Coelho Cintra, Manol
Gomes Vegas, Fr. Nicolao do Bomflm, Prente
Vianna 4C., Pedro Tavares da Costa, Dr. Sil vino
Cavalcanti de Albuquerqne, Venancio Augusto de
Magalhacs Neiva, tapitao Vicente Antonio do Es-
pirito Santo.
Administracao do correio de Pernambuco 15 de
julho de 1869.
A destreza "de Claverman
Inexplicavelum p oblema de physica
Urna sorte indiana
( l'insiar de Davemporl)
terminando a pi imeira parle com o
ESPELI10 DE ARCIHMEES
OIJ 1;m TUtO E PIKTOLA
Intermito de 16 minutos.
Escolhida- pecas de msica tocar-se-ho
no salo do theatro.
SEGUNDA PARTE
Variadas surtes de magia egypciaca pelo
Sr. Lajournad, que voluntariamente se
presta a tomar parte neste dicertimento,
escolhendo para isto as mais applaadidae
e mais sorprendentes sortes de seu grande
repertorio.
Intervallo de 10 minutos.
TERCEIRA PAUTE
O Sr. Cotilo Rocha presta-sc graciosa-
mente a r -presentar ama de stins scenas
dramticas.
Intervallo ae 15 minutos
Ql'ARTA E ULTIMA PARTE
Experiencias de physica joco-
serias
pelo prestidigitador Sr. Eduardo Alves.
Urna lico de magia aos espectadores
O n gurdio de Hermann. Um bolso
impagavel ou o diabo no joyo,
lina sorte dos cilios na imite do festn
Terminara este ISo variado diverlimento
cun a surprendente experiencia denomi-
nada :
A CARTA ELSTICA
0 Sr. E. A. Cliton ensillar ao respeita-
vel publico de quem espera a sua valiosa
coadjuvaeSo urna de suas experiencias que
rene
0 TIL E 0 AGRVBWEL
Os bilheles podem ser procurados no
hotel Oriente, e no dia do espectculo no
theatro.
Principiar s 8 horas,
Domingo 18 dejulho de 1869.
BENEFICIO DA ACTRIZ
Fll.l\C'IM<-.t B. DA *II,VA
Grande e variado espectculo cm que toma par-
i lo por especial favor o prestidigitador portujiucz
O Sl. KIWAUDO ALVES CLINTUX.
Representar-se-ha a comedia em 3 actos
MELLA EM ACG&O
Tomam parte os Si-s. Brocha lo, Florindo, San-
ta Bosa, Couto Bocha, D. Carolina e a beneficiada.
Segue-se pelo Sr. Clinton
5 di/ferentes sortes de sua pres-
tidigitagdo.
O actor Couto Rocha recitar a poesa do Sr.
Pinheiro Caldas
0 OPULENTO
Terminar com a comeda em 2 actos
0 CONNE DE -PARAGAR
DO
5 milhoesno dinheiro de c.
Actores Brochado, Florindo, Santa Rosa, Gil e
Couto Rocha, actrizes D. Carolina e a beneficiada.
A beneficiada espera toda a proteecao do res-
peitavei publico, assim como agradece desde j
ao Sr. Clinton e a seus collegas que tomam parte
neste espectculo.
Principiar as 8 horas.
2L
DE
\'avegaco eosteira por vapor.
Siamanguape.
O vapor Coruripe, commandante Penna, segui-
r para 0-porto aciml.*o dia 28 do corrente as 6
horas it tarde. Roeehe carga, encoraniendas,
passag* edinheiro afrete at as 3 horas da
tarde no escriptori') do Forte do Mallos a. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCAX
DR
\avegafSo eosteira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarac e Granja.
O vapor lpojuca, eommandantt
Eustaquio, seguir para os portos
. cima no dia 31 do corrente as o horas
la tarde. Recebe carga at o dia 30, oncom-
meadas, passageiros e dinheiro a frete at as
i horas da tarde do da da sabida no eseriptorio
lo Forte do MaUosn. B.
HODEJiUIM
Para o Rio de Janeiro pretende salar com
a maior lnevidade possive o brigue nacio-
nal Trovador, recebe carga e escravos a
frete : tratar com as consignatarios Mar-
ques Barros A C, no largo do Corpo Santo,
n. G, segundo an lar.___________
Maranhao
Para o Maranhao pretende seguir com
brevidade o hiato nacional Ihza, para u
resto da carga que llie falta, trata-se com
Marques, Barros & C, no largo do Corpo
Santo n. 6, segundo andar. .
rTAMUSBOT-
seue com toda a brevidade a barca portugueza
Constante II, por ja ter parto da carga prompta :
para o que Ihe falta e passageiros, trata-se com os
consignatarios Oliveira, Flhos & C, largo do Corpo
Santn. 19, ou com o capitao na praca do Com-
mercio.
AVISO
s autoridades poliches, aos
'"^capitrie^de campo; e a
quem mais Competir.
No da 2!) de maio-do corrente anno,
fugiu o escravo-JSaequiel, crnalo, de 30 a
3 annos de idade, estatura refular, refor-
cado, cor bem pc.eta, cabMi redonda, tra-
java carniza azul e calca de casimira cin-
wnta: durante o dia costuma^ andar ga-
nhando as ras, ou arowzeoa de assucar,
ou as tabernas a conversar e a beber'; du-
rante a noite recolhe-se a t.iheiros, aber-
tos ou penetraveis, casas cm construcelo e
outros quaesquer lugares, onfle se possa
abrigar : quem o apprehender ftnha a bon-
dade de o condnzir ra da Aurora n. 26,
onde ser gratificado. Segundo as infor-
maros, parece estar em 8erinh3em, nos
engenhos prximos respectiva villa.
COMPANHIA PEKNAMBUCANA'
DE
Vavegaco eosteira por vapor.
Goyanna-
O vapor Paraht/ba, com-
mandante Mello, seguir para
o porto cima no dia 16 do cor-
rente as 9 horas da noite. Recebe
carga, encommendas, passageires
e dinheiro a fete uo eseriptorio do Forte do Mat-
ts n. 12.
PAI1A
Para o referido porto segu com muita brevida-
de o pathabote pnrtuguez Novo Protegido, por ter
a maior "parte da carga tratada ; e para o resto
que Ihe falta trata-se com o consignatario Joaquim
Jos Goncalves Bellrao, a ra do Commercio
n. 17.
No dia l.'i de junho passado, fugio
da padaria allemia (segundo avjsou o res-
pectivo dono), onde estaxa a&gado, un
mulatinho escuro,. de nome Justino, de
13 para 14 annos, baixo, reforjado, gago,
orelhas grandes e um pouco viradas, traja-
va camisa de algodaoaaibo e calca de brim
grosso cor de rap : costuma quand foge
inculcar-se como forro ou orpho. Consta
que tem andado por Olinda, Arraial, Poco
da Panella, Monteiro, Apipucos e Caxang,
ao servido de alguem, contra o qual se
protesta fazer effeclivas as pena3 da lei.
Entretanto, quem o apprehender queira
leva-lo ra da Aurora n. W, onde ser
recompensado. Roga se s autoridades po-
liciacs qne hajam de diligenciar a appre-
henso del le.
ttM fflffli 919188 SISHtt
g} 0 advogado Dr. Antonio de Vas- 8B
m conccllos Menezes de Orummond,
i mudcu o sen eseriptorio para a ra 1
do Imperador n. 20, onde pode ^
m ser procurado para o exercicio de S
W Sl|a profisso em todos os dias w
g nteis das 10 horas da manhaa at |
g s i horas da tarde, l'ra dessas 2
^ horas, e para qualqucr occorrencia
urgente, ser encontrado no seu
domicilio, ra da Aurora n. 26.
LEILOES.
U
De fazemlaa em coutiuuaco.
HDlfi.
Magalhacs lrmaos continuarlo por inlervencao
do agente Oliveira, o leilao de grande sortmento
de fazendas nglezas, francezos e allemaes, de al-
goddo, liuho e seda, sendo parte a vanadas por
conta e risco de quem pertencor
Sexta-feira 16 do corrente
as 10 horas da manhaa, em seu armazem ra
da Caeia do Recife.
AVISOS MARTIMOS.
Sexta-feira 11! do corrente, depois da
audiencia do Dr. juiz de orphSos, vai a
praca, de venda, tres moradas de casas
terrea n. 12,14 e-16 sitas na ra da Ami-
sade na Capunga. pelo valor de 4:3500000
a requerimento de Flix Pereira da Silva,
O administrador,
Uonunoos dos Passos Miranda.
THEATRO
S. ISABEL.
Sabbado 17 de julho de 1869.
EXTRAORDINARIO ESPECTCULO
GRANDE DIVERTJMENTO
ULTIMA REPRESENTACO
DE
MAGIA MODERNA
fSem auxilio de aparelhas)
Pelo prestidigitador porgaez o Sr.
EJduarto Alves Clinton
BM SE BENEFICIO
C0MPA1IA BRASILEIRO
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 21 de julho o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
Alcoforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de suachegada. Encaminen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as i
horas.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a duat
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medcae.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
fens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
andar, eseriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & G.
LEILAO
Da armaeo e gneros pertea-
ceates a taberna sita a ra Dl-
reita a. 9t,
O agente Ponlual vender em leilao publico por
mandado do Illm. Sr. Dr. juiz do commercio a re-
i|iicrimento de Manoel Jos Luiz Ribeiro, taber-
na cima pertenennte a Francisco Jos Luiz Ri-
beiro, a qual olterere Vantagens a qualquer que
quizer principiar no mesmo negocio.
Segunda-feira 19 do corrente.
Dever ter lugar na mesma taberna ss 11 ho-
ras.
AVISOS DIVERSOS.
O inspector interino da alfandega faz publico
que achando-se no armazem n. 'i da mesma re-
partirn duas canas da marca EH n. 098 c 388
AF, com ferragens, viudas de Liverpool no vapor
inglez Otinda, entrado neste porto em 19 de se-
tembro de 1868, a consignaco de Rabe Schamet-
tau & C, comprehenddas o caso de serem ar-
rematadas para consumo, nos termos do cap. 6*
tit. 3" do regulamento de 19 de setembro de 1S60,
os seus donos ou consignatarios devero despa-
cha-las no praso de 30 dias, sob pena de findo
elle, serem vendidas por sua conta, sem que lhes
lique competindo allegar contra os effeitos dess*
venda.
Alfandega de Pernambuco 14 de julho de 1869.
L. de C. Paes de Andrade.
AVISO
COMHIA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos porto "t norte esperado
at o dia 26 de julho o vapor
Tocantins, commandante J. M.
Ferreira Franco, o qual depois
a demora do costume seguir
para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condorir, a nual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a S
arrobas d peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
t* andar, osoriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C
COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
Nauegagdo eosteira por vapor.
Porto de Gailinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Parahyba, commandante
Mello, seguir para os portos cima
_ no dia 20 do corrente a meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, no eseriptorio do Forte do Mallos
0.13.
WL
No sitio grande do brigadeiro Joaquim Bernar-
do de Figueirdo, na estrada de Joao de Barros,
existe um boi que foi apprehendido ha 10 dias.
destruindo a lavoura e o arvoredo : quem for seu
dono appareca, que dando os sgnacs certos, Ihe
ser entregue, mediante, porm, o pagamento do
darano causado, sustento e despeza do presente
annuncio ; do contraro ser recolhido ao deposi-
to e arrematado em praca cofno bens de evento
para o pagamento cima descripto.__________
SAITJERKOHX
na fabrica de cerveja, ra do Sebo n. 35.
Atten$lo
Da-se 2:000 ou nnis a juros sob bypotheca om
bens de raz : na ra do Aragao n. 15 se dir
quem os d.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A* OLI\l>A.
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas effectuarern no praso
de ludias (a contar do dia ludo corrente)
a terceira preslaco de suas acc'es na ra-
zodelO%- Para esse im ser encon-
trado o Sr. thesoureiro todos os dias uteis
desde as 11 horas da manhaa at s 2 da
tarde no seu eseriptorio, ra Nova n. 35.
O accionista que nao realisar a imporm
tanda da preslaco no praso determinado,
perder em favor da companhia as presta-
Coes anteriormente realisadns. (Art. 8.tt
dos estatutos).
Recife, 15 de junho de I8G9.
1" secretario,
.________________Iheo. Just.
Escravo fgido
Fugio no dia 2 de julho, o cabra por nome F-
lix, comprado ha dias do mez passado ao Sr.
Eduardo Persira de Souza, de Agua Branca, termo
de Pianc, com o> signaes seguinies : cor cabra
escuro, idade 25 annos, estatura regular, chelo do
corpo, caa larga, mal encarado, olhos fundos e
quando olha de revez, tem falta do denles no
queixo de cima, em barba, falla descansada, le-
voii chapeo de couro, calca do brira pardo, camisa
de algodaozinho, dizcm que val em direccao ao
serlao. Fugio mais no dia 2i, o mulato MartinHv,
idade 40 annos, alto, cabello pintando, barbado,
um tanto amarello, anda a titulo de procurar se-
nbor, foi comprado ao Sr. Luiz Barbalbo Caval-
canti, morador no lugar P Secca, prximo Tin-
baba ou S. Vicente, dizem que anda procurando
senhor por onde elle foi escravo, levou calca de
brim, camisa de cbila, chapeo de chile velho:
quem apprehender estes dois escravos, leve-os em
casa do abaxo assignado, ra da Imperatriz n.,M,
que ser bem recompensado.
Jos.; Lopes Alheiro.
O Dr. Joao Ferreira da Silva, de volta,
da viagem que llzera a Caris, continua
como d antes no exercicio so medica: em sua residencia ra lar-
ga do Rosario n. 20.
50.--B.ua d'ssembla.50
Os abaixo assignados tem a honra de
participar ao respeitavel corpo commercial
desta praca, que abriram seu estabeleci-
mento de fumos o casa do coramisses.
nesta eidade, ra da Assembla n. 50,
tendo sempre completo sortimento de fumo
em folha, das melhores e mais acreditadas
marcas de Nazareth e Cachoeira (Bahia) fa-
zendo negocios de sua e alheia conta, re-
cebem escravos, navios e qualquer ootros
gneros consignaco, prometiendo res-
tricto e ponlualidade no comprimeuto de
qualquer mandato de todas aquellas pessoas
que se dignarem obsequiados.
Rio de Janeiro 8 di julho de 1869.
Vasconcelos & Malta.
A. & Carvalho Veras.
PROPOSTAS
em carta fechada para os concertos do brigue in-
glez Search actualmente neste porto ; pede-se que
sejam entregues no consulado mglez antes do meio
dia de segunda-f'ira, 19-do corrente, declarando
o custo delles e o tempo em que se pode faxer os
referidos reparos. As particularidades da avaria
pode-se vera bordo d mesmo brigue fundeado
defronte da Lingoeta,_________
D. Hermelinda de Carvalho Monra, vinva do
capitao Manoel Erasmo de Carvalho Monra, convi-
da a soga parentes e amigos e os de seu finado
marida ira assistirem a algumas missas que man-
da celebrar sabbadn, 17 do corrente, as 7 horas
a manhaa, na matriz da Boa-Vista, Io anniversa-
rio de seu passamento, e desde j se confessa eter-
namente grata aquellos que comparecerem neste
acto solemne.
Cosinheira
Precisase de nma boa cozinheira para casa de
homem solteiro : na ra do Queimado n. 41, toja*
= Precisa-se alngar um moleque : na ra dr
Cadeia do Recifo n. 53, loja de cliapos.
Costa A Castro participan) ao publico e ao
respeitavel corpo do commercio que desla data
em diante toem lixado sua residencia em a tra-
vesea da ra da Florentina n 1, onde todas as
pessoas com quem teem transaccoes podem dlri-
gir-so. Recife, 9 de julbo de 1869.
ATTENCiO
Precisa-se alugar um escravo para ser-
vico de urna casa de familia: i tratar
no largo do Corpo Santo n. 6, segundo
andar.
Precisa se comprar um escravo tanoeiro,
ainda mesmo que nao seja perito nesse officio : a
tratar no eseriptorio de /os Victorino de Rezende
A C. ra da Cadeia n. 52, !. andar______
- Precisa-se de urna prela escrava que sirva
para comprar, lavar e vender : quem tiver dirija-
se ao pateo de Pedro II n. 2, loja de bas.
A sociedade Beneficente Conciliacio convida
a todos os seus me'mbros para assistirem urna
missa que manda celebrar na igreja matriz de. S.
Antonio no dia 19 do corrente pelas 8 horas da
manhaa pela alma do seu Ilustre socio Antonio.
Jos de Oliveira e Miranda. Recite, 15 de julho
de 1869.
O secretario intorino.
Antonio da Costo Reg Lima.


M
Mftta
iHni)i<


i.itafc
Diario de Pernambuco Sexta feira 16 de Julho de 1869.
-
I N'E
-YFAL0II
TA ANTIGA CREDIT
FABRICA
T
>
QB&PGaQS 5D0J 32.
CtlSTAlIIlIRTI ltl C01PLII0 SIITIIIITI II
CHAPEOS SOI.:
De todas as qualidades I
De todos os feitios I
Da todas os presos!
RA DO CRESPO N' 4
(ME BE- HAMMAM
S ADVOCAOA.
O hacharcl Augusto C z de
g Oliveira, tem aberto sea cscriplorio de'1
3 advocada ni cidade lo Mamangnapn
g ninivincia da Paralnba; mi Jo podo ser
M procurado.
Nesta cap;:..l podoni entomlcr-se
jw son huan o Sr. Justino J. de S. Gam;
ruado Hospicio n. 23.
Grande officina de
alfaiate
LIMA. LESSA A COMPNHIA
Ra Novan. 14
Tendo rhegado, ltimamente contratado para
nossa (juicios, eni tos nuris peritos alfaiatcs de
LisRia, o Sr. Manoel Marlinlio Alvos ar ia, a
qom confiamos a direceao da masina ; nortanto
convencidos como estamos de sua importante te-
foura, vemos prevale o respotaycl publico, que
na j liavei^ quem possa rxocntar (| alqucr obra
con) mais perfoieao o por man ranriejinso que seja
o fregu/., eomu o dito Sr, Mariinho Alvos Garca;
assim como temas grande sorlimcnio de rase-
miras, pannos lino?, brins de toda a qnalidade,
c:imi ', -oda, grvalas o eulariiilios, e completo soitmonto
de Calendas linas.
. ..^i.i. y.aiyjJI
Ir. Krmirio Coutinho,
ni;i da Cadeia n. O
aberto o tan consultorio me Hco, e
pedo ser procurado ;'i r ho-
ra para o ejercicio do sua profis-
s5o.
No da 2:1 de abril fugio do sitio Mandiles-
r, cidade da Pnrahyba, o eteravo Manoel, cabra,
nariz chato, cabello nm tanta earapinho, e repre-
senta ter 30 anuos do idade ; consta que elle fura
na estrada de Iguarassti : qriero o apprel
der plc li'v.n-b ao -cu Fcnhor Bariliolomeu de
iyva Machado n dito sitie, on %csia eidsde na
da [mueratrizan. 14, 1 andar, que ser generosa-
nii'iile gratificado.
0-1
scriptorio de advocada
O Dr. Jeito fhom nn Silva transferio
ij n son esrriptnrio do advocara da ra do
tJ Imperador para a ra do Quemado n
Sg} 31, Io andar, por cima da toja de fazon-
das do Sr. Antonio de M. Itolim, entrada
BS pelo pateo de Pedro II, aonde pode ser
procurada das 10 horas da nianha as
3 da (arde.
aos >:oooooo
CASA DA i-ORI!
Rea do Crespo a. *3.
O abaixo assignado ten 11 ;a da pre-
sidencia o is da lei.
avisa ao r. i wHWlw ttas
rias do l ij'>s premios sero p
promptamente a vista das.listas coui o descont
somonte di le.
s :-Inteiroe.. tt $000
lelos... 12 000
Quartos. 6|000
E em qnsntidartc maior do lOOjJOOO na razao
de 2ii>00 por bilheto.
Manoel Martina Fioza.
Precisa-so de uiua ama para cozinliar e en-
gommar para (toas po-sras, qne seja cscrava :
quem t i ver pode dirigir-so a ra do Hospicio nu-
mero 88.
Ama dr- ieile.
Prorisa-
ra 1U
tratar*
Mu
Urna nm..,los na
Cidatl ico
Antoi (ornes Junioi anto
Anwrfl.
Ari
Precisa-so do nma ama para cambar e comprar
de ponca ra das Crines
.va e paga-se
Ama1
MB
19fina Nova19
FREDERICO AUTIJER
Trocrua-se
a notas do banco do Brasil e das caixaS flliae?,
v>m descont muito raioavel : na praea da nde-
Modencia n. 22.
Afuga-sC o Si'Kundo andar e sntao da ca-a
da ra da Senzalla Velha n. 2 v- qiiein pretender
lati c un Jos Antonio Gutnwrcs, on com Tho-
m.'iz Fcroande da Cunha, na da r.adeia n. 4.
Farnguay.
cirurjHkKlenlista, muito conhecido ha dez atinos u'osi.i cirlade, pela perfeicao los seus
trabarnos, lera a tenia do participar ao respctavcl publico que leudo feito muilos me-
tome,,.,,, ?uac,a, de tm lJL> rebe,- m^mmmm pHn* onde Jt^^Jf J^SVSMSi
acharo os commodos precisos para familia.
Aca-so lauibein na sua casa e na sua companhia, o seu sobrialio e discpulo
I. ISIROUX
o qaal acaba de voltea de urna longa viagem a Europa, durante a qua! praticou com
feliz successonas priaeiras casas do Pariz o do Londres, olloiecoinlo assito as'moihon s
arantias do hom desempenho para ludo o que >\- relativo a protissao ; por isso o
annunciaiito pede aos seus amigos o clientes que por acaso o nao enconlrafttu no sen
gabinete, deposite no dito seu sobrinlto a mesma contianca com que tem honrado
a dea annos. .
Dentaduras por lodos ossystemas: a prossao do are com molas Je o'ro, platina
vulcanite e um inteiraraento novo n'osla cidade.
Cura radical dos (lentes cariados.
Chuinbag.ins (oduraces) cora ouro c rom massas diversas, segundo os casojlfe
Ueinediopara acalmar as dores de denles.
Agua eps dentiiicios abricadus pelo pr.tprio annunciante, o quelite pemftta afian-
ar su boa qualidade!
Escovas para dudes, etc.
lacro algum, dande-se disso garanta.
= Da-se l:0U0.-5 a premio sob hypoihera, ou
compra-so nina casinba at essa (uaiilia : na ra
Direi'a n. 2i, padara, se dir.
Muito so precisa fallar com o Sr. Manoel Caval
canii de Si AibaqoerqQe, na praea do Corpo Santo
n. 17, a negocio de seu inleres.-e.
Feitor
Precisase de ato feitor de
soja casado : a tratar" na ra
fabrica i'.i: rap.
boa conducta e que
do Mondego n. 107,
Gratificacao.
Tomlo-se perdido una pequea caixa redonda,
de tartaruga preta. c un nina chapa de ouro solir
Perfeiijo de-trabalho e preeos moderados. S^'^^
Picgens para fura medanle ajusfo previo.
O gabinete aolia-s aberto das 8 horas da inanbaa atoas i da larde de todos ds
dias uteis.
C01E1T4MI
16RA DA CRUZ
mora de u;u seu mu prezado, paren!'', roga-se a
pessoa qoe a tiver a. I.a I >, que i bondad
ueira leva-la ao estalteiecimcnto de cabelleireiro
Sr. Ja\ me, a ra do Quemado, sobrado n. 6
1 andar, a qual recebero valor da mesma caixa,
alm de Ihe liear sws agradecido.
-16
Troca so nina imayeni do ?eniur i'.rucifica
di, deinarflm, obra fcitana India, propria para
capclla de eogoho p ir ser eia ponto grinde, com
acompetenta cruz de psanio, eraws, resplan-,
! dor de rala, obra do inuio gosto : na ra da
Guia, taberna n. 7.
S. AIT>^IOo S. JOAO B S. PRO.
Ha diariamente s .rtiment de bollinhos para cha, podios, pites de lo, bollo inglez,
presuntos, ditos em feambre, pastis de diTerentes qualidades. Papis para sorles,
bollos simples e enfeilados, amendoas cojjfelladas e coufeitos.
dos, superior cha llisson, preto e miud'mbo, fructa em xaropes, ditas seccas e christa-
isadas, assucar candi, xaropes refrigerantes.
Recebe-se encommendas de bandeijas para casamento, bailes e baptizados, com
bonitas armaces de assucar, sendo estas preferiveis as de papelo: bollos etc., pues
de l enfeitados, qttalquer encommenda para ra ser bem acondicionada.
, 11-Eua estreita do Rosaris-11
Este novo e modesto cstabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico este ele-
gante e bem fornecido hotel que situado n"uma posicSo uteiramente saudavel, e sen-
do conslantoraente sombreado pelos doces zephyros da tarde, torna-se preferivel qual-
quer outro d'estc genero, as tres cousas mais necessarias ao genero racionalali-
mento do corpo, distrae*) da alma, e socego de espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto muito profusa, da primeira ordem ; no
primeiro andar, saia da frente, um excellente biiliar de mpgno, para dive tmenlo. Sala
de traz um restaurante da primeira ordem. Quanlo aoasseio e bemfeitoria das comedo-
rias, o delicado modo do pessoal do estabelecimento, promptido c commodidade, s
aos Ilustres concorientes dado fazer justica.
Forneco comidas para fura, tanto por mez como avulsa. Todos os dias, a noitc,
?ncontrar-se excedente sorvete, refrescos, caf, cha, bons vinhos Figueii-a, Porto, Bor-
deaux, tendo bons commodos para hospedagem, salao e quarto mobiliado no segn
do andar.
SB9 '/>
Sg" ."
2 CD ZT
.'f, !. E? o. cr>
2 a a f o"
3 = 35 3
mu
g a =5
Arrcnda-sc uu vende-se a Migeno Palormo.
Vinhos finos engarrafa-' ioetite com iodos os sem otrncilios,
situado no Pao i do Saiiiarajnbe, yj yincq das Ala
goa--. ejubtaineiitc a parte dj terreno ilnonlaaVl
i Gandido, perleucenl ?mo engenho : a ir.i-
lar din Antonio II iberio i Fios, ra Nova nu-
13.
O abaixo assignado, boje possoidor das dividas
do casal do fallecido io<6 Uaptista da Pbnseca Ja-
;nior, arrematadas em leilao publico, pede aos de-
vedores do mesinn casal se digiiem salisfazer seus
] dbitos no praso de 30 dias, a contar da data des-
ite; lindo o qnal proceder judicialmente a dita
cobranca : na ra das trinco Ponas n. S2.
Recite 13 de julho de 1860.
_____________ Joo de Azevedo Pereira.
COM URfiENeA.
A pessoa que qizer dar 200 a juros, dando-
uautia segura de seu dinheiro, dirija-se ao
quartel de polica e procure ao abaixo assignado.
Camilo Gandido llamos.
PAG.a-SE BEM
a ma ama qae tenha boni leite e nao tenha filho ;
na travessa do Hoflleiro, casa terrea CWB poiiiio
de ferro ao lado, confronte ;i campia do gaz nu-
mero 18.
COSINHEIRO
Prcisa se de om cosinheiro ou cosinheira que
seja perfeita para este lim, nacional ou estrange-
: a tratir na ra Nova n. 22. ___________
O advogatlo
Alfonso de Albuquerqne Mello muden o seu es-
criploro para a ra das Cnues a. 37, defrontc da
lypographia do Diario.
Prccisa-seal'igar nina ecrava que saiba cozi-
nbar e comprar : na roa de S. Francisco n. S4.
litiga su na excellonle
comprar < coxihar ora casa de familia : qncni
precisar dirija-se em Santo Amaro ao sobrado jun-
io do cinitorio inglez.
= A viuva e herdeiros de Jubao Pereira '
toso declaran' a quem inleressar nessa, que. nun-
ca preteiideram vender o son engento Bom Desli-
no cora o iiu de eximirein-se do pagamento dos
dbitos legitimse por litulos legaes do dito fina-
do, conio quer fazer crer o nterpelivo annuncio
que o Sr. Jos Goncalves da Rocha fez publicar
no Ihmio dt l'eni'imliuco de 10 do eonente mez.
Esta declaiacao Cazm os annunciantes por aSHHi
de sen,crdito, rae niuilo zelam ; e convidara o
inosino Sr. Hoclia a apresentar os ttulos deque
se julga eredor ,or si ou pelo seu curatelado Joilo
Francisco de Obveira.
RAVIOLl
Os apreciadores de manjares delicados
encontrarn lodos os domingos, no hotel
central.de Francisco Garrido, a verdadeira
sopa de Ravioii do verdadeiro gosto italiano:
assim como nutras excedentes iguarias que
seria enfadonho mencionar. Ah se en-
contrarilo anda os mais asseados aposen-
tos para hospedes, banbos, buhares e piano
para recreio dos habitantes: ra larga do
Rosario n. 37 Io andar.
Ei'iiiaiuladc das almas na matriz
do Corpo Sanio.
De ordem da mesa regedora convido todos os
iriujs desta rniandade para raes?, geral no da
18 do presente mez, as 10 horas da inanbaa, aflu
do tratar-se de negocios de interesse mesma r-
mandade.
i. 1. Lima Barao,
Escrivao.
-r- O Sr. Elvidio Gleinentinodo Agolar tem una
carta vinda do Maranho, no escripioro de loa-
quira Gerardo de Bastos, ra do Vigario n. 10,
Io andar.
Preeisa-se
Para acompanbaruma familia que se retira para o
Ilio de Janeiro, de duas criadas acosturaadas a
viajar e cuidar de criancas : a tratar na ra do
Coinmerco n. H.
Precisa se de um rapaz que tenha pratic.1 de
loja de calcado : na roa do I.ivram.'nto n, 37.
Pilulas de Bravina
Eslas prodigiosas plalas sendo applica-
dasnas pessoas acommellidas de febres in-
termitientes, sao incomparaveis emsuaefii-
cacia para completamente vencer as ditas
febres, aehando-se nicamente tend na
botica n. .'1 rita DireitJ desta cidade.

O abaixo assignado, testamenteiro in-
ventai iar.to dos bens deixados pelo talleci-
do subdito franco! Wto Vigncs, convida aos
credores do mesmo, a apresentarcm-lbc as
contas de seus crditos, para por ellas sc-
rem altendidos no inventario que se esl
procedenio pelo juiz manicipal da a vara
desta cidade, o isto no mais breve termo
possivel, visto estar a concloir-se dito in-
ventario. Rccife 21 do junho do IStiO.
Garpar Antonio Vieiru Guimres.
Ooziheira
Prccsa-se de unta criada para cozinhar : na
roa do Imperador n. 73, segundo andar.
. Precisa-so efe uto caixeiro
ra do Brum n. (>-'i.
na taberna da
11 UIll i
FIO MTEIiA
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau 6 C. Corpo
Santo n. 15.
SHERRY 0L0R0Z0.
Gelo seal.
COCtKAC MESWESS1.
Em casa de Rabe Sdimellau A C. Corpo
CHAMPAMIA
SlTPERsiOIl*
Roussillon, carie blanche.
4:111 casa de Ilabc Kchmcttau A
O. Corno.!!* o. 15.
Pedro Pinto da Silva
Pie, isa-e saber noticia corla, c para seo inte-
de Podro Pinto da Silva, (litio de Joao Pinto
a, natural do villa de Mesaefrfe, reten de
Jfugal, vindo para esta provincia lia Irinta c
lanos :::; -. Sabo-se que Rii caixeiro em una
loja na ra do Grespo, e depnis consta que fui para
o centro da provincia. Pode-se ainda a qualquor
pessoa que o conhecesse, 011 delle possa dar noii-
cia oa nforinacao, de dirigir-sn l.'iiz Leopoldo
ijos Guimaraes Peixoto, ra larga do Rosario, bo-
tica do Rnrlliolomeu fe C, n. 3t.____________
Ama de leite
Precisaose de urna ama de leite. o paga-so bem,
sendo boa: na ra da Praia n. 1. Na mesma
casa veiideni-so charutos linos, sondo das marea-
exposicao, Ilor desuspiro, lricos, palmearas, para-
fruaBus, almirantes, brasilciros, lembranca d fa-
hncante.
BORDEAUX SUPERIOR.
Em casa de aMie Sclnnetiau & C. Curpt
Sanio n. lo.
TR1UMPH0 .MEDICA DA SCIENCI




'&
&
m
*---.^i-''.
Precisa-!' de um rapaz portugnez. de 20 a
i'2 ar.r. >- de i I ido, para saixeiro de nolhados fra
desta 1, (mj-ie d fiador a sua eondncta,
paga-se bou ordenado : a tratar na ra do Cres-
po 11. 10 lija -i !u 1 las, das 10 horas ao meio
ilio.___
!'. -i-, i- .. ihiii ama que saiba cozinliar
milito boi, preere-se escrava : na ra do Que-
mado 11. 5ft
AMA
PILULAS
ANTI BUBATICAS
Cara radicalmente as bubas.
nico deposito.Pharmacia de Joamaim
de Almida Pinto, ra larga do Rosario nu-
mero 10, junto ao ujuartel de polica.
IAKOPK
DE
jgPrecsa-so de nina ama para andar cora urna
rianca : ua ra do catinga n. 2- audar.
mmm wmm mam mmmm
IEIHPRESTIWO SOBREI
I DO PARA
Depurativo do sangue
Usado as molestias de, pello, impigens, g comperentmente autorisado pei

(SEM LIMITE.
Sa Iravcssa da rna
das Cruzes n, 2, pri-
ieiro andar, da-se ({nal-
(|?ier quanlia sobre ouro,
| prala e pedras preciosas. ""
0 dono deste estabelecimcnto,
m
KS^on
O
g W 9- ? -
S 5L S- S 3
s.s -^
u A as o
i z. a r"
"3 o M
" S ^ 2
? Z a i*
oS2e
i 3 a
Q C -
Aluga-se uuia ajna para todo o servico do
una casa de pouca familia, e se fir casa o>tran-
liera ujelhor : quom preeissr dii ija-se k ra da
Paz n. 9, casa terrea.
CASA DA 0R1
Aos 4:000J
Bilhetes garaitidos.
A "ra do Crespo n.23 e casas do costme.
0 abaixo assignado tendo vendido nos sena mui-
to felizes buhles garantidos 1 inteiro n. 2433 com
a sorte de 4:0004, 1 meio n. 813 n#i sorte de
700 e outras mutas surtes de I00, 40| c 20
leria que se acabou de extrahir era bene-
lieio do patrimonio dos orphaos (H3a) convida aos
pwsuidores a virem receber seus respectivos
premios sem os descontos das leis, na casa da
Fortuna ra do Grespo n. 23.
Aeham-se a vend os da 23* parte da lotera
beneficio da Santa Gasa de Misericordia (114*)
que se extrahtr qunta-fera 22 do frrente mez.
Preeos.
Rbete.....41000
Meio.....*000
Quarto.....IJOOO
Emporcae de 1004 para cima.
Bilhete.....33300
Meio......M750
Quarto..... 873
1________________Maaoel Martins Pinza.
Multa attenco.
Fugio no da 29-de passado mez, as 7 horas da
manlia >, o escravo Manoel. nacao Angola, idade de
"f annos, pouco raas ou mono-, com os sgnaes
seguiites : falto de deafes na frente, andar vaga-
pomas finas o mantas- e.Jtexigas, levou ca-
misa e calca de riseadi uno '.chapeo de pal ha ainda
novo : roga-se aos seobores capitaes de campo.
fe so o appreliender leire-e ra Direita n 16,
ora i generosa mente gtatiftea.1
dores rheumaticas e ulceras venreas,
NICO DEPOSITO
Rna larga do Rosarlo n. I O.
lOirtO AO OL AUTKL DE POLICA
Pemambuco.
MEDICINA
Tliomaz Me. Cownian, subdito britannico, va
ropa.______________
reneravel ordem terceira de N.
S. doCarmo do Recife.
Em nome do n -so charissmo irmao prior, sao
convidados todos os rrmaos tereeiros desta vene-
ordem, a com;arecerem em nossa igreja pa-
ntados com seus hbitos, sexta-feira 18 do
corrente, as 10 horas da nianhaa e 7 da tarde,
para, encorporados, assistirmos a festa e Te-Deum
de N, S. do Ca mo, que ser celebrada na igreja
do convento ; correspondendo assim ao obsequio-
so coavite do nosso Rvm. padre [irovincial.
SecreUria 14 de juio de 1860.
O secretario,
___^____________J. H. V. Liga.
O nrofessor de latiin da fregueaia de S. Jos
desta cidade, abaixo assipado, declara ao publico
que contina a estar aberta a matrcula de sua
aula : quem se quizer matricular na mesma, di-
rija-se ao sobrado n. 5, no largo da ribera da re- conhecidos, na presente \
ferida l'reguezia. Lisboa tratar de sos S*^^
Janoel Francisco Coeiho, 'jto, em cojo lugar offerec^
B
O Dr. Alvares Guiniariies, cuja praoa
5 das clnicas dala ja de nao poucos au-
5 nos, faz publico que se propoe aqu a
3 exercer a medicina em todos os seus ra-
5 mos, tendo por esjiecialialidade nem s
y as hvdropesas, as molestias uteinas,
das vas urinarias, da bexiga e febrs,
S como ainda as amputacoe-, trataras, hy-
8 drocles e operacoes obsb'trteaa (eoneer-
| nenies aos partos); para o que tem aber-
5 to seu consultorio, i ra do Imperad >v
| n. 17, Io andar, onde dar consultas das
i 8 as 10 huras da inanbaa e das 5 as 7
5 da tarde.
I Declara outrosira, que usar as rao-
I lestias syphililcas do tratamemo- esta-
| belecido pelo celebro syphilographo Bi-
1 card, que na operacao do ectropion em-
| pregar o rpido e proficuo procosso do SB
^S profossor Vidal, de Cassia, para o que ^
JW tem apropriados instrumentos, e que s
| as domis operacSes o molestia-' pora f
r em pratica o methodo ou processo, que S
3 formis con-entanco scienca, o que 1
mais vantagens possa auferir aos doen- 5S
2 tes.
Promette, Qnalmente, entregar ao li- S
S vrc e generoso alvedro de seus (dientes fjg
gm a estimativa e pagamento de seos tono- *
rarios, e curar gratuitamente os pobres
ofToreoondo-lhcs, alm disso, alguns me- S
dicarrentos proprios conjurar seus S
fS niales.
mmmtmmmm SszBMBXmmm
Confraria de *. Jos da
Agonia
Pelo presente convido aos nossos rniaos a cora-
pareccreui em nom corrento, pelas 10 horas da manhaa, para assistir-
mos a festa de X. S do Carmo, por convite do
livm. provincial ; assim como sao convidados para
domingo 18, as tO horas, comparecereai igaal-
meate para, cni reumao de mesa geral, se prece-
der a cleico de secretario.
Castro Guimaraes,
Secretario merino.
governo, est as condicoes de ga-
rantir a transaecao que se fizer em
sua casa, prometiendo tollo e zelo
e consideraco s pessoas que se
taren de honra-lo em seu esta-
jelceimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
pra'a o brilbantes.
Precisase de duas amas para casa de fami-
lia, urna que cozinhe o diarlo da casa e oulra que
engommc : na ra da Concordia n. 10, primeiro
andar.
com perfeicao : na
Em ti'inpos in tiernos ncnlium descubri-
mento operou maior revolurao no modo de
curar nteriortn leem virado que o
PE1TMYL DE ASUCOmi
TANTO NO TRATAMENTO DA
tossk, laioeo.'
ASI'IIMA, TIIIMCA,
ROOQUDKO, ISi-lSI IAMKNTO.
BHONCHISKS,
TOSSK CONVn.SA.
DORES DE PKI10.
KXITCTl'RACAO M SANOC:.
Como emlodaagrand erie de enfenni-
dades da cahoanta, do riaro e ohoaos
MiRUPin-Ario, que tanto ilonnciilain tt-1*-
zetii soffrer a humanidade. A maneira an-
liga de curar consista feralmente na appli-
caco de vesicatorios, sangrias.sanar ou ap-
plo.arcxteriormctite unguentiw lorttesiBios
composlos de substancias vesicantes, alem
le proiluzir empoi niit'i'rentesmo-
dos de curar, nao fazam senao enfrat|ue-
e"r o diminuir MKt^s do pulir (lente,
contribuindoplfl i (Turna maneira
a cnfpnnidadc a des-
truirao inevila lima Ourin dif-
feren! (iiavH do
I'KITORAI. \M ANAIVIUITA !
km ws nt: mo.iiAi!. jtonrincAn i-: CAi'a*n
nvrnrros sorrntMP..vTf)? ao ookmi .
CAIMA. MIIHllCA K sr.VMZA ADOR.
AI.I.IVIA A iRlilTAK .0
r.'KSKMvor, i: o kntt.ndime'STO,
roivri! ;ka o cmtl
e faz rom qoe o sysfctna
Desaloje d'uma maneira tiroinpta e rpida
al o ultimo vestigio da enfermdde. Os
memores votos em medicina ''a Etirnpa (os
Lentes dos CoHgios de Medicina de Berln)
tcsfiicam seren exaclas e vei'dai'eiras estas
relacesai -. oualm disso'a experi-
encia de milbares de pessoas da America
Ilespanhola, as ipiaes fevam curadns com
este oo mais que
i do
m
ns?

Lava-s i c engomma-se
rna da f li n. \.
Prjcsa-3-a de u.iu pessoa habilitada para
tomar contado urna taberna com sol. le por
tor sea dio de reiirar-so para fora: no neceo
dos Por'.os n. 4, se dir quem precisa.
Ama de leite
o de nina ama de leite que i
filho: na roa larga do Rosar n. 12, 2 andar.
a de nina ama para ongommar*
eozthar: na rna estreita de Rosario n. 21.
urna ama para "^^^Brapnz
solteirn : na ra do Agoas Verdes n. W, segn lo
andar. ____________
PADAHtA. 7~
Taso Irmaos nrecisa contratar para o Rio Gran-
de de Norte dous trahall
masselr
qaei.i i-stas condicoes queira dirigirse
ra do Amorim n. -
Precisa-se de um caixeiro pequeo para ta-
berna: a tratar na rna a Aurora n.
!\ .'
i se acha
nos, tanto mine-
ni (jtianto que porm,
particularmenti'
s"'n a fnnna de Opio
ico, feiii:i,i o
- quaes tiki
liuiidado ilo pu-
de Atiacahuila Peitn-
ral acba-sc linflPcnriosmrif'nte ongarrafada
em fraseos da medida d de meio
nartilbo cada um. e cuino a dose que se to-
ma os (l'mna colbcr pequea: basta ge-
Wtnfnto a are s frascos
para aelecUi-ii icrcuiti.
Arka-se a ntos de
dragas.
Precisa-se de urna ama que seja boa c. z ulieira:
na ra do Quemado o. 46, foja.
WiM M im
com repeiicao para o alcimno
<|sic ten de fazer cxanie em
wrembro.
jos*' Azevedo, professor de
:ura nacional no gymnasio
cife, Uun aberto em sua
asa, n. 37:
_Mm
Criado
nilia : na ra do Imperador n. 73, >
Paris, 36,RaVMenne, r
CHABLEmeoecin
ASENTEKBIUADAS DKSSKXUAES, AS i
__________________^ALTERAQOISDO SAHOUK.
tOMaantiuimpingtm
~l*i. hervu, mtm
SPM.eurtMMM^aJV
t, ricioiiM 4o i
QEP.
SAN
-------------------1 vinu, t alUracom
roj Tegeul ten sreirio). r
Ui

Precisa-se alugar mna cerava coznheia p;
ervico de urna cusa de pequea familia : na i
larga do Rosario n. 3, botica,_________
Jos Goacalves Frreira
lempo de desped r-se de i

ionioa k roma
ie pretenderen! I
uo-se dom por Mman, fuiaSeo trieumal
erado bis mtwu aolMtlaa.
* bu Xuom Cimeto 4*
ferr* d CBULB. un
m. Poaidatuucara miraaka>
POMADA ANTIHERPETrCA
* IjmViim I
i ama para cozinhar
as Trincheiras 17.
WLLA8 VEGETAE8 DEPURATIVA
%m fBiksto.
lUGtVH



*it


Diario de Peraambaco Sexta fira 16 de Julho de 1869:
RALBA
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento 1
de joias da ra do Cabug n. 5, {junto a |
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res- W
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
pra$a, e por prepos o mais resumido pbssi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciosas
N. 5 811,1 m
i]
cao jurdica.
Commentaria do cdigo comiih
porigmz r tlrasi&i
Vcnde-se na loja o Sr. Reraclio
de Paula Monteiro. a roa da Impe-
rador n. 71, ;i iViperlaute e moder-
na obra sob n titulo de Annota
ao Cdigo do Commercio /' r'MjjiM
cm G voluntes pelo Exm. Sr. con-
sellieiro Dr. Diogo Pereira Forjaz
do Sampaio Pimentel, lente cate-
drtico na univcrsidado de Com-
bra. s subidos crditos de que
goza muito merecidamente a pielle
eximio commereialista por si s
baslariam para recomniend ir" rao
importante obra, qaatnio nao cou-
corresse mais para i;so a glande
vanlagcm ie ser um ptimo com-
meulai io ao cdigo coinmeviai bra-
sileiro (na Falta absoluta que ha de
qualquer oulro) pola mxima lie-
infgneidade entre militas dassuas
disposieoes, e as do mencionado
cdigo p irtngiioz, que llie servio
de lente. Corro pressurosos, dis-
tincta mocidade (la Factildade de
Diieito desta cidade, e mais nta-
las veis jurisconsultos, a" prover.-vos
ao desse poderoso auxiliar para vossos
jE Irabaliios da scienoia, c pele preco
| aWEDIC'O Jillfill/ timnm
P Ra do Q Ion, 49 c 57 fojo,
na jj! dt tniudezas de Jos de slzeve-
rma ial n. 17. D flS > > /r, ,
do Jtlaia c Silva couhectdo por
Jos It/'fjoclinho.;
Es! i qneimaiido ludo quanto tem emseu
. 1 ernambllCaUO Pa' *bar e fazernoi
Em cnnseqiienoia de muilas familias se! S01.llRK1 ,ss" 1ueiram vir ou mandar '"
10 hera*.
E' por cerlo para admir indo
em u.ii.i ra de pi ma loja com
um completo idezas linas,
e nao ten ha ainda por este Diario pa-
tenteado a todos scus i o sea
'o e snir i e 06
retiraren! para o campo no mez do dezem-
bro, a directora rcsolveu mudar obail
auoil de Io da dezembro para o dia
selembro prximo futuro.
G de i
ver o un c barato.
agua florida ver-
dad..;!,, ;......
MARTIMOS
E
commoil.i de WW toda a obra emG
volapis.
as roas da ci-
das !) horas -da
CimS
pira descarorar algodo, do
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamaitos
muito conheeido fabricante Eagle Colln Gin.
MACHINAS ditas, tambem de serrotes e de todos os tamanbos para descarorar,
godao do autor New York Colln Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamaito, de carreta do ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Holler Gins, do cnjo traba/lio faz obter mais 2.000 em arroba
de algodo. /
MACHINAS de faci do fabricnnle Plalt B. C,/Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidada o as melhores que lm I juigami's""nodireitode~ffianrar~ que v
vindo ao mercado ; e para a sua apreciacao onv.dam-se os seflhores agricultores dem suas mercadorias por precos as me-
virem a expeeicae das mesmas na ra da Cadea do Recite n. iiti A, loja do bastos, onde! ihorea eoiulices a dinheiro
encontrarlo mais o seguidlo : ---------------:---------------------
Com csii(iodao[.i.ion)]i()
dado lodos os das uteis
manhaa as da Urde, urna eaixa contendo
aitigos das ultimas modas de Pars"para
' sr.vmius
Como sejam:
lucas e bellas cbapelinas.
Lindos e elegantes chapesinhos.
Casaquinlios de guipuro.
Fichas de renda pretos.
Delicado sorlimenlo de cintos.
Coiitinlios de cambraia enfeilados.
Borros de lan e seda, ciaros.
Coques enfeilaiios e lisos, etc. etc.
E muitos ai ligos de novidade tanto para
senhoras como para bomens e criancas.
As pessoas i.jue prctenderent alguns des-
tes objectos, queiraia ter a bondade de
al-mandar dizer suas moradas no-----BAZA 11
DA MODARA NOVA N. 30aflm de
serena procuradas.
Os propietarios do= azah da moda,=
cortos na optimescolhaa destes artigos,
por seu mui Lbil correspondente emParis,
Garridas com agua divina dame-
Ihorquaiidade .
Lalas cora superior banhafran-
ceza ......
Caixaseum ii; (rseos-de cheiros
proprio para mimos .
Dita coraJG irascos mito linos
Oico boboza muito fino que s
a vista ...
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ......
Cahas de p de arroz muito
n CONTRA VOCiO.
A C-.iiipai,liia iiiueminsadora, eida
praoa, loma seguros martimos sobre
navios e seus carregameiitos e contra fogo L sul^rior i .
am ediiicios, mercadorias e mohnas: a iVes ''1 loa'>'"''0 cornil)
ra do V!;ario n. 4, paviuiento terreo.
m--------------------------j. i
varas a
'Cixas red
emitando
r-
laruga
0 muz;;o de joias
Na.ni.-i doCaljug u. 1 conipr*-se iro, pr.Ua
mais rtatajoss do
lile 8Ri culraqiia|!|Ui'i' i tarto.
Xa piae-a da IinlejierWHcia n. SJ, luja deoa-
|jtw, cpiniira-scntiro:|>rafa, c pedras |ire.iosa?,(
Pecas de lita de tlquer
largura i.....
: EBCtas para unhas millo fi-
nas ......
Escoras para denles fazenda
omito lina;': .....
Pulceiras de contas de cores
.
para
tanibetnse faz (pwkpier obra do enco'inpnla, e para meninos
loao e naalqncr eonfBrw. Caixas
COMPRA-SE
do gaz
as ile liaba branca
com 50 novellos .
Caixas de liulta branca do gaz
moedas de ouro e prala de todo7os valo- o, COm :l nOVoHos *
res, ouro c prata em obras inotisadas, e
do todas
brilbantes e mais pedias preciosas: na to-
ja de ourives do arco da CoiHM'eo no Re-
cifo.
PrecisHe
ceas de tranca lisa
as cores a .....
Reamas de pupel paulado muito
lino ......
Pares de Ixiles para punhos
muito bonito .
Debulhadores para milito.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinltos de mo.
Machinas para cortar iapim.
CaiMO (l.l .'lllliolln.
l{om!>as > Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
Follias de zinco linas.
Ditas de cobre c lato.
Ferro do tejas as qualidadtf. .
Arcos do ferro.
Folha da Flaudres.
Machados americanos.
Facoes dilos.
Balaios e cestas de verguinlia.
Vassouras americana*
Folies de todos os tamnMML
Tontos e safras para fprretros.
Finalmente inuitos outros artig
diversidade sera enfadonbo ennumera-los.
Folha de ferro.
Balanzas americanas.
Tinas do madeira americanas.
Ps ile ferro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Tersos de bundfjaa linos.
Treas completos pata coziuba.
Peneiras para padarias.
Baldes palvanisados.
(airrentes de ferro para almanjarras.
Espingardas e. rewolvcrs.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para relinacoes.
Azeite de espermacele, proprio para machi-
nas do todas as, qualidades.
Senas avuisas para machinas.
.Mancaos e lodos os mais perlences para as
. mesmas.
Latas de gaz,
osperlencentcs ; lavoura e ai ios, que pela
PARS
CARVAO DE BELLOC
Arponado e r.-coramcudado pela Academia imperial de medicina de Parfi para a
cura da gastralgia e em geral de todas as doenoas nervosas do estomago e dos intestinos.
igualmente o remedio per excellencia contra a retenrao de ventre Finalmente em
razo de suas propriedades absenentcs, recommendado como verdadeiro remedio nos
cazos de diarrtiea e cholera. r.ao d iwio tornan na occasiao das comidas
sob a forma de pos ou de pastiUias.
Depotito om Rio-Jasuro, Dltponchellc; Chevotol.
Km PenitAyncoo, Matirer k Cu.
Joaquim Jos Gon-
RA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobro o Ban-
1 x do Minho, em Braga, c sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde-
Arcos de Val do Vez.
Vanna do Caslello.
Ponto do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famaco.
Lamcgo.
Lagos.
Covillia.
Vassal (Va'iwtssos).
Mirawlella.
Beja.
liarcellos.
Ainda nao vieram, no entretanto o negocio
| de nteresse, c precisa-sc fallar ra do Crespo
n. 17 cornos Sis. Paulino Ferreira da Sirva, cx-
; procurador da cmara, Dr. Francisco Pinto Res-
MKL
Em casa de TH'ODORO CHRISTI-
ANSEIf, ra da Cruz n. 18, cncorrtram-se
| efectivamente todas as qHalidades de vinhc
I Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
Comprar una escrava moca, prendada, e carinho- Libras de laa pa'a bordados de
sa para criancas : a tratar na ra do llanccl n. las : s rcs .
jt, sobrado, das 8 :i< 10 horas da manhaa, e da Pent, s rom cnsfns de inet-il
i da lardo om dianle. n.a com lOstas UC metal
------ mu.-o linos a .
N" linlia muito grande
ma doCom-'rjU2a
Compra-se
Esta ra a piodigiosa ra do Gjug,
agnUl 8'ouio
urna das mais sortidas ueste gi (oc
lesd seos princtpios usa <
1^500 titulo: mndosto porquo nunca I | do
ueste jornal, e modesta porque Btuitos o
olvidaiTio, porhav enj emaiasade
pasto, un ent-etar1 ,ito
ie antigoidade, vamos dcslinguir o nosso
com
que a vi f>/
inna I liudezas a ra d i n.
I A. sor-
tiir.ei linas, c por menos
i Ojodo que em oiiiu qualquer parte, ci
; :
Guip toe
branco. litas la. a-, as toroso
rom visli -'.
Fui n inpli'M sort. .; i de
vi iluto.
Fronhas com dr
lii f. iles para i; !n .. .
..;;(ll Caixinlias (le jar'j.rand fui om seda
o com espelho na lampa, com a
tei.'e chave, | para
juia*
Fntr-.-m. i. de
t.alas as larguras.
Albuns finos para 50, 100 FCtratas.
Bnoclos dectagrem e n Musa muilo
superior.
Espetos dourados proprios para sala.
Um completo sortimento de loques de todas
as qualidades.
Um completo sortimento de perfumara
de todos os autoi
Lnvas Jouvin <' ni^Hprn e frescas.
E outros mais ultj. denles ao mesmo
genero que tudo se vender da forma per-
mltida, na ra do Cabug n. 1 A, aguia
d'ouro, de Custodio & Rento,
lr>20t.
JOO
2;>50O
0800
0240
jCK)
IfSOO
$200
mermo n, I".
!
Coropra-x) lima prota nttu saiha cozinliar,
e tambem compra-sc um negro .le meta idado : ;ia
Prara da Indcpendenda h 39.'
)do
.ia fresa
.
para bor-
r.te
Giosas do bules ntadreperola
muilo fino .....
a.ie muito linos 00, 1-20,
IGO, 240 c .....
Pecas do lila de laa todas as
. cores ..... .
Espelims domados para parede
I000 e .....
os de Jacaranda muilo
lino ......
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol ? .
Pares de rneias cruas para me-
ninos ......
Caivete muito fino com 4 fo-
llias ......
Cartbas da doutiiua as mais
_ modernas .....
H^^-^;^^^rm'"U k- !'^ i-Wo o patecholy
~>DEiKAS AMERICANAS A 2.-5500.
Vcndo-se as mais beul construidas do lechar .
IM i'im^tiptiHt n. .11.
BORDEMJX
Xa praca do Corpo Sanio n. 17, escriptorio de
Joaqun) Itodripiea Tararos de Mello, vende-sc o
esteHedte viuhoMdoc Vieux Extra o melbor
que vem a esto morcado. N'o incsmo escriptorio
ha para vender chapeos do cliilo muito finos.
Queijos de manteiga
Vende-se excellentes cfiieijos do sertao, os mais
Aproveitar em quanto
duram.
Balocs de murcelina com peqtnad toque do'mofo
a 33 ea 35500, hienda superior, ditos de arcosa
2*000, cspartillios do i'iOO o 3J. cousa nunca
vista, s no Triumplio: Ocras muilas Calenda^
que c torram por todo o prec : na ra do Quci-
madi n. 7, loja doTriiiinplio.
^800
ffl>
mo
4000
mo
8^000
* 320
320
i80
yoo
320
500
1,0500
2)000
,?I060
320
I :>500
iOO
I 200
MllTO HABATO SE VEXDB I
>'0
I T
(raiuie
oja na da loipcrafriz n. 82,
porta largar
Potassa da Itnssla
a niai nova no mercado, a preco razoavel : n,a
ra do Commercio n. l.'l,armazem de Manoel Tei-
xeira Basto.
=3
GOMES BE MATTOS MIMOS
tendo feito completa mudanca em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com ofimde
dar-lhe maiores propor ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoabnente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
^n

onde
bello
de ot
iruo
ADEB
l*ftC
A.
prau
obie
a
RA DO CABUG N. 4
um completo sortimento do que ha de mais elegante,
brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
se pode desojar.
BRILHANTES. ESMERALDAS E RUBINS
de de salvas e paliteiros de
e completo sortimento de
la ra Nova n. 60, nrmazcm da Liga, vendem-
se gementes novas do horlalices e flores.
KSCKAVA A' VENDA.
Na roa do Hospicio n. 81, porto do ferro, ven-
do-c una parda mora, que coziuba, lava, engom-
tna e cose.
S barato.
Vendo-se urna casa nova de pedra- e cal, bem
construida, em chao proprio, com graude terreno,
do Encanamento, e (lea junto a estacao do Pama-
oieirim : a tratar no mesmo lugar, na taberna do
Sr. Simuio, ou Forte do Mattos, becco da Boia nu-
miro 10.
Vende-se
(mperatriz,
Piano.
liauo em bom estado
do n. 15', '2' andar.
na ra da
Vende-se um excclleute sitio na estrada do
Roorinho n. % com Loas baixas para capim, a
com bastantes fructeiras o. boa casa demoradia : a
tratar no mesmo.
Loja do "Arantes

>mo grande
oslo anda n
grejas,
ra preciosa e garantem
Botinas de vaqueta para homem RjfiOfl
Botins do dita para monillo 1J0O0
Ditos do bezerro pira menino 2500
Bolinas gaspiadaa p#ctu para senhora 5j00<)
- para menino, de couro 2ji00t)
Dilos para dilo, ordinarios I4OOO
Botinas amazonas para nicnina 3O0O
Ditas inglezas de pellica para senhora t000
Ditas ditas de dita francezas 7000
Botinas de cor para menina :)*000
Sapatos de brim com snlto para senhora 3000
Uitos de tranga (de Li>lma) 2000
Botinas de bezerro de ames para bumem 800
CZi

rMM
NOVA N. 50 ESQUINA DA DE SAN-
TO AMA rlO
Os propriularios Jos de Souza Soares &
C, alm dos baratissimos precos por que
esto venciendo a grande variedade de arti-
gos de moda o novidados de bom gosto,
ara hoaiuns como para seuboras e
ineuiios, vendem:
CHAPEOS i moda imperial, de castor
btaaco para homens, fazenda fina,'a 100!
(o preco 14^000).
COQUES enfeilados para noivas, grande
novidade a #500.
DITOS sem enfeite e de delicados mol-
de?, sendo de seda imitarlo de cabellos
a M e 3aOO.
JdEIAS superiores inglezas para homens.
a duzia de pares 73800 (o preco de 95
a 10*000).
LEQUES de madeira sem differenfa de
ndalo a .>000 e 2-5500, (grande pc': in-
cba
DITOS enm lentijoulas a 3 o 4#000.
OARALIIOS de cartas francezas boa fa
zenda, a 200 re.
PAPEL inglez sem pauta, formato pe-
quono c fazeuda superior, um pacote por
LINDOS ciatos de palha enfeitados para
senlioras (grande novidade em Paris) a
2#i00 e IhWO.
DEUCA0OS corptnhos de cambraia bel-
lamente enfeilados a G{>u00 rs. (admira o
preco I)
UMA grande variedade de lindos ob-
jectos para mimos, assim como muitos ar-
tigos de novidade e de apurado gosto que
se vende por precos baratissimos
No Bazar fa toda.
N
urna porcao de metal velho.nroiirioparafundicao:
n ra do Ara(o n. 17.
lELlDE^ISCO.
Vendemse tolha
11*0 : na rna da Im
de zinco
fl).
com algum
Campos
i
na 1 na
du
l
Vende se um gamao cora pedras de marflm
ra da Imi eratnz n. 9.

PJBIIBA
para miras
m-so podras marmorp, re^^H
Vendem-s^,
para mesas dB hotes e casas de pasto
imperatriz u. 60.
proprias
na ra da
CHARUTOS
Os raolhflras charutos dexpiirSo e wrieAule
de outras qualidades, finos; eneontra-se no betel
Central de Francisco Garrido, ra larga do Bosa-
rio n. 37, andar, c ra eatreita do Ro;
i A. Vendem-se a retalhy em grogso.
Para .0 armazem do
Imperador n. -28.
Neste muito acreditado-, estabelecimento
acha se r mente um variado sorli-
menlo de gneros finos para meza e
cosinba o entre estes oomea-se apenas as
especialidades seguint>
1 de manteiga e
iba.
lo Maranbo.
rdadeiro caf de Moka,
O superior e bem conheeido peixc miragoala
que se vende a ioO a libra e 4500 a
arroba.
TABELLAS
as mais facis e mais com-
>fcM, ludo no
m do Campos
Miliar
Vende- se um bilhar moderno com
oes: na ma do Hospicio n. 38.
sen? penHP
Taberna
1 taberna da na da Concordia n. 94,
1 areguezada e tem poneos fundos
propm pan algum principiante; o motro da
r-so-ha ao pretndeme n parfleotar : a
i l'onte-Velha n. 14 das as 9 da ma-
rocle estabetecimento cuc ntrar o tet-
pellvel publico um bonito sorttetnlo do
roupas e fazendas de lod^s as qualidades o
precos commodos, ti ni sempre um bonito
sorlimenlo de a^t miras de con s o [tretas,
panno fino de diversas quafdadts, brim de
bonitas cures e blancos do boa qualuide,
cnrnirepa-se (jualqucr obra por medida 1;
prero muilo commodo.
ROUPAS FEITAS
na luja da ra d Imperad iz n. 52, porta
larga, de Paredes Porto,
Tem neste estabelecimento um bonito
sortimento de roupas leitas de diversas
qualidades e'precos commodos, como sejam
palitots de alpaca prela o de cores a 3,
'iY 0 e 4f>; ditos de patino preto sacos a
('">, 14q%&; ditos de panno superior a
12S, 14,-> e 16(5; ditos sobrccasacadbs de
dito dito a 18^, 2(). e 254; dilos de case-
mira de cor a Sfi, t-> e I()f>: calcas. coHetes
e palitots de casemira muito lina de cor a
20 e 2'>; calcas de brim branco de coi do
todas as qualidades de 2 a :5; ditas ele
casemira preta e de cores de al 124;
colleles de todas as inalidades: ceroolas de
bramante a I 500,20(MJ e 25500; camisas
francezas de linlio e de algodlo de todas as
qualidades e preco mais barato do que em
outra qualquer parle ; colarinlios, grvalas ;
bonito sortimento de chapeos de sol de alpa-
ca e de soda; meias inglezas a G6 a duzis;
pechincba neste estabelecimento pelo
grande sorlimenlo : lodos os Ircguezes se
podero prover dos ps at a cabera por
preco commodo.
FAZENDAS
Orande sorlimenlo, cumo sejam. cinta
baratas a 300, 32 e 360 rs. Madapolab
fino a 7,A, 8.J e 10o a peca. Algodau (pe-
chincha) a 5:>500 a peca o Otilias qua
des. Cambraia branca de ludas as ipj
dados transparente e Victoria de 3,- ."XO a
84 a peca. Lanzinbas de bonitas cores, al-
pacas bonitas, selecta a po?a com 28 meiros
a 2S?)000. EsgniJo o mais lino possivel a
a vara, e outras muitas fazen-
das por prero commodo,
nbo mencionar, na loja do
LEIO DA PORTA LARGA
Pandes ?%rk.
' A EXPSTCIF
Nova loja de calqado estrangeiro
para homens, senhoras e
meninas.
NA Hl'A NOVA N. 8
em frente a cantbsa do Csrcso
Lyra & Vanna, tendo peJa ex;
adquirido a certeza de que o publico dt.a
capital, era mal servido, pea Salla de e
beleeimentos, sorlidos le bons calcados,
situaram a sua nov loja, na ra Nova n
Lyra & Vianna, convidam por isso ao
publico, c com especialidade ao bello a
para visitar seu novo extabelecimento de
calcados finos, manufacturados pelos mais
habis fabricante da Europa ; ali 1
traro sempre, lodas as qualidad< s de calr
Cados, solido pela boa ntanufacturac,
frescos, por serem muilo aovo- ;dos
por preco commodo, para 1 m a
inca de seus distinctos fregus
oBetem-ae a mandar vir encom-
lcado8 espe^i.;
de phantasia e do mais
alim deque su
vem e mostrem sempre
da boima franceza. Islo s na ra >
n. 8, loja da
Lyra dt ViaiNia.
Dl
cm diante n'esta typograpbia I urna cria de 7
Vende-se urna prea riooM
idade, bonita figura, com al

tnezes : u,.


Diario de Peinambuco Sexta eira 16 Je Julho de 1869.
GRANDE LIUIMO
MA
IiOJA
DA
ARARA
Ra da Imperatriz. 72.
Alerta freguezes
que Arara va cantar,
Para vender suas fazendas (baratas)
que muito ha de agradar.
O proprietario deste estabelecimento, tendo grande poreao de fazendas em
r, vai proceder urna liquidacjto em todas as fazendas e roupasfeitas existentes no
estabelecimento, agora que occasio dfr'quem tem i)ouco dinheiro poder se vestir de
boa fazenda e baratissima como se poder ver no annuncio abaixo mencionado.
MADAPOLO BARATO A 3-5501). MAMANTE PARA LE.Nf.OES A 2.
Ve:ulc-se pecas de madapolo enfestado! Vendc-se bramante com 10 palmos de
de 42 jardas A 35300, dito de 24 jardas ou largura para lences, a 2-V a vara.
* metros W.M, 00300, 7*500, 8>!)00 e PEGAS DE ALGODO A W
9#000. Veadem-se pecas de algodo muito en-
CIIITAS FRANCESAS A SO rs. cornado ;i 16, 5|, OIOO e 7 v
Vendem-se chitas francezas para ^sti- Colcriuhos econmicos a 3tO
dos a 280, 320 rs. o covado, ditas escuras! duzia.
muito finas A 3G0 rs. o covado.
Challo mullo fla *t> rs.
Vende-se clialin para vestidos le seuhora
i 800 rs. o covado.
PERCALES A 410 BS.0 COVADO.
Vende-se percales muito linos para ves-
tidos de senliora a 440 rs. o covado.
Briihantiuas 44 rs.
Vende-se brigantinas ou mursulinas de
cores para vestidos de scolioras 440 rs. o
covado, llazinhas muito finas para vestidos
de senliora A 400 rs. e 500 rs. o covado,
ditas de quadrinhos 240 rs. o covado.
-RISCADO FRANCEZ A 300 RS. O COVADO
Vende-se riscado francez para vestido
de senliora 3(50 rs. o covado.
Lasinhas a ?40 rg. o covado.
Vendem se ISasinlias para vestido de se-
nhora a 240, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas finas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales de merino *.
Vende-se chales de merino estampados
2??c 25300 cada um, para acabar.
CORTES DE LAAS ABERTOS A 45*00
Vende-se cortes de la para vestidos de
senhora, 25400 cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de coros para vesiiuoe
de senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de listras 700 e 7(50 rs. o covado.
chitas prussianas 3ttO.
Vende-se chitas prussianas de listras de
cores muito bonitas a 300 rs. o covado.
CHITAS PARA COHEHTA A J2
Vende-se chitas inculpadas para coberta
340 rs. o covado.
Balos de SO a 30 arcos
Vende-se baldes de 40 a 30 arcos
li>500 cada um, bales modernos blancos
Je cores 5j.
M. 45 RIJA Di CADEIA N. 45
DE
g SOB A DIRECCAO DO MUITO HABILARTISTA
Laurwno, alfaiate.
Os propiietarios destenovo estabelecimento, tendo experimentado a necessidade
urgente de ter na dirceco de sua officina de roupas por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Lauriano Jos de Barros para tal mister,.convictos de que satisfar
com lodo o capricho a vontade do freguez.
Tem o mesmo estabelecimento um bom sirtimemto de fjzendas proprias para
roupas de homem.como sejam: casimira de cor, indos padrees, completo sortimento de
pannos finos, prelo e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins brancos e de
cores, merinos de diversas qualidades, bombazina, lindos corles de gorguro para cohete,
gorguro Pekn, superior qualidade.
Os freguezes encontrado ainda um variado sortimento de roupa feita, camisas
inglczas, collarinhos, ceroulas, gravatas prelas e de phantasia, meias para homens, se-
Mmoras. meninos e meninas, chapeos de seda para sol, -colchas, bramante, atoalhado,
baloes de diversas cores e modelos, cambraias, malas para viagem, e outros muitos ar-
tigos que a modicidade de seus precos incita a comprar.
Vende-se coicrinhos econmicos a 320
a duzia, s se vende assim Garato por ter
grande porclo.
CASEMIRAS DE CORES
Venlj-se cazemiras de cores para calsa
e p:iliit A 2;> ,)500 e 35 o covado",
Algodo entestado 1.
Vende-se algodo enfesiado proprio para
lences c toalhas, !>, a vara ou 000 rs. o
metro.
BRIM PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas e palitots de
homem e menino, i 400 e 440 rs. o co-
vado, dito lizo a imilaeao de ganga a 360
o covado.
Algodo de listras a 300 rs.
o covado
Vende-se algodao de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 RS.
Vende-se cortes de [ brim castor para
calca de homem, A 640 800 rs. cada um.
CARTEIRA PARA VIAGEM A 1#.
Vende-se carteras para viagem l,-?
cada urna, cobertores de algodao I 300
cada um.
Cobertas de chita lSOO
Vende se cobertas de chitas de cores
16800 e 23. cada urna.
ALGODAO THANCADO DE EUAS LARGURAS A
14200.
Vende-se algodo transado de duas lar-
guras, proprios para lences e toalhas para
mesa, se vende a U2O0 o metro.
Manas para grvala O rs.
Vende-se mantas para grvala a 200 rs,
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 23500.
Vende-se atoalhado pardo para toalhas
de mesa 25500 a vara, toallus escuras
A 13, cada urna. Ra da Imperatriz loja
da Arara n. 74.
A ra da Cadeia n. 45
0 Garibaldi principia
Cortamente ha de agradar,
Que pelo pre^o que vai vender
Ninguem o pode igualar.
O proprietario deste estabelecimento denominado Garibaldi, declara ao resp ita-
vel publico e seus freguezes, qtw tem recebido grande sortimento de fazendas, e est
constantemente recf bendo por todos as vapores que chegam da Europa novo sortimen-
te de fazendas da moda, e que vender por preco mais barato de que em outra qual-
quer parte, garantindo se a qualidade e cores, na ra da Imperatriz n. 50, de Lourenco
Pereira Mendes Guimares.
CHITAS LARGAS A280rs.
Vendem-se chitas francezas de cores fi-
las a 280, 320 o covado, ditas matizadas
escuras a 360 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 3*500.
Vendem-se pecas de madapolo enfes-
tado a 33500, dito inglez de 24 jardas a
50, 63, 63500, 73500,83", e 103 a peca.
ALGODO TRANCADO A 10200 O
METRO.
Vendem-se algodao de duas larguras pro-
prio para lences e toalhas por ser muito
largo, a 13200 rs. o metro.
RISCACO FRANCEZ a 360 rs.
Vende-se linissimos riscados francezes
proprio para vestido de senhora e roupa
para meninos por ser de bonitas cores a
360 rs. o covado.
BRAMANTES PARA LE^pOES A H A
VARA.
Vende-se bramante de dez palmos de
largura proprio para lences a 23 a vara.
Chitas amzonas a 360 rs.
Vendem-se ricas chitas de listras de um
de nome amzonas, para vestidos de se-
nhora a 360 rs. o covado, deste preco e
qualidade s na loja do Garibaldi.
AOS SENHORES DONOS DE COXEIRAS.
Na loja do Garibaldi, ha ornas casemiras
de listras muito encorpadas proprias para
forrar carros, e se vende muito barato por
ser muito largas, preco a 24500 o covado.
ALGODO ENFESTADO A 13 A VARA.
Vende-se algodo enfestado muito largo
proprio para lences a 13 a vara.
ALPAGAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5'jO rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas estampadas de cores
500 rs. o covado propria para vestido de
.enhora.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 3500.
,Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 33500 cada um.
BRIM HAMBURGO A 8*9000 A PECA.
Vendem-se pecas de Brim lizo de Ham-
bargo com 20 varas a 8, 9 e 100 a peca.
Cortinados para Janellas a 1.
Vendem-se cortinados para janellas a 73
o par, ditos para camas francezas a i 40 o
cortinado.
Gangas para calca a 3SO rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado, brim de cores a 400 e 440 rs. o
covado.
Lasinhas de quadrinhos a
S40 rs.
Vendem-se lasinhas de quadrinhos para
vestidos de senhora a 210 rs. o covado,
ditas eslampadas a 280 e 320 rs. o covado.
POPELINAS EM LA A 640 RS.
Vendem-se popelinas em la de listra
para vestidos de senhora a 640 e 800 rs.
o covado.
CORTES DE LA A 2460 RS.
Vendem-se cortes de la de listra arpa
vestidos de senhora a 20400 rs. para aca-
bar.
LA CHINEZA A 500 RS O COVADO
Vende-se 13a chineza para vestido de se-
nhora a 500 rs. o covado.
Casemiras para calcas.
Vendem-se casemiras cor de caf, preta
e azul escuro com listras, para calcas e pa-
litots, fazenda muito encorpada, propria
para o invern, sendo de duas larguras
que 1 3/* covados d urna calca para ho-
mem pelo preco de 2500 o covado.
Alpacas lizas para vestidos a
OOrs. o covado.
Vendem-se alpacas lizas e dobradas para
vestidos de senhora 700 e 800 rs. o covado,
BALES DE ARCOS-A 10800.
Vendeos-se bales de 20 e 30 arcos a
l$5O0 cada um, por este preco s na loja
do Garibaldi,
BRIM TRANCADO PARDO A 800 RS. 0
METRO.
Vende-se brim pardo trancado a 800 rs.
o metro, dito muito lino a 10200 o metro.
BALOES MODERNOS A 50000.
Vendem-se baloes modernos e de cores
a 50 cada um. *
CASSAS FRANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 280 e 320 rs. o covado.
CHAPEOS DE SOL DE SEDA A 10/.
Vendem-se chapeos de sol de seda a
100 e 120, na ra da Imperatriz, loja do
i Garibaldi n. 56.
MAL m
Rua do Queimado ns. 49 e 57
tojas de miudezaz de Jos de
Azevedo 3Iaia, est acabando
com as mudczas de seus estabe-
lecimcntos por tssoqueram apre-
ciar o que c bom e baratissimo.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
10500,20, 30 e. 4_Q00
Caix.is de linha cm 50 novellos 500
Pares de sapatis de tranca fa-
zenia nova a......20000
Pares de sapotea de tapete
(so grandes) a......10500
Duzias de meias cruas para ho-
mem a...... 30800
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco raelhor 100 attos a 0200
Livros de missos abreviadas a 20000
Duzia de baraihos francezes muito
linos a 5400 o.....08OC
Silabario p'ortuguez com estam-
pas a ........
Gravatas de cores e prelas muilo
finas a ........
Redes prelas lizas muito finas a
Carles com clcheles de lato
fazenda fina a. ..... .
Abotuaduras devidro para coleto
fazenda fina a. .
Caixas com peona d'aco muito
tinas a 320, 400, 500 e .
Carles de linha Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de linlia Alexandre de
70at200a......
Caixas com superiores obreias
de massa a......
Duzias de agalhas para machina
Libras do pregos irancezes di-'
verso taiaanho a. .'
Livros escripturado para rol de
roupa a. ...... .
Talheres para meninos muito
linos a. ,......
Caixas com papel amizade muito
fino a........
Caixas com iOOenvetopes muito
linos a. ...... .
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta preta muilo
boa a 80 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. .
Pecas de fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linhacom 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Grozas de botes de louca muito
finos a........
LOJA
Grande o completo sortimeulo de machiuas para
doscarogar algodao de nova inveneo rlicgadas ul-
!mameato cm dircilura para a loja do Manoel
Hecto do Oliveia Braga A C, na ra Direila n.
o3. Garante-se rpie a mcllior ijualidadc que al
o prsenle lein viudo ao mercado : acham-sc em
uxposioao aoj compradores.
ftystema decimal.
Grande e completo sortimento de pesokilo-
granimos de mellior cuinpreliensao dos que tem
vindo al o presente, assim como marcos de lalao
al meio grainnio pelo mesmo systema, bataneras
du lalao de forca de 5 a 20 LUogranunos, metro*
de madeira e de lalao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudeys e ferragens de
todas as qualidades, tudo por precos que s a vista
tai crdito : na ra Direila n. o, loja de Manoel
liento de Oliveira Uraga & C.
320
500
320
02G
500
1,5000
100
100
0i
2000
240
Il20
,'240
700
600
320
500
320
160
200
60
2500
16C
Scboncte de alcatrdo.
M
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que tao boa
acceitac5o tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu 4 C,
34ra larga do Rosario34.
Librase o uro nacional, moedas
de 5 francos.
edoende-se no arco da Conceic2o na loja
Vurives, no Recife.
DO
GALLO VIGILANTE
Riia d Crespo n. 9
Os proprielarios deste ben conlmcido estabele-
cimento, alm dos muitos objectos que linham ex-
poslos a apreeiarao do respcitavel publico, man-
daran! vir e acabam de receber pelo ultimo vapor '
da Europa um completo e variado sortiiienlo'de
linas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu coslume,
por pregos muito bar.itinbos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo...
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e'de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinlras e punhos para ?e-
nlmra, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindse riquissimos enfeites para caberas das
Exilias, senhoras.
Superiores trancas pretas e de eres com vidri-
Ihos e sem ellcs; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques V madreperola,
marlim, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muilo superiores meias lio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por .'lOlXW
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 203,
alm destas, temos tambem grande ?ortmento de
outras qualidades, entre as quaes algnmas muito
tinas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marlim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, nesle genero 6 o que de mellior se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quanlidade de outras qualidctdes, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos e eadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha j
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a l anuos de idade.
Navalhas cabo de marlim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguratuos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas eapellas para noiva.
Superiores agulhas para machina c para erox.
Liona muito boa de peso, frouxa, para eucher
lahyrintho.
Bons baraihos de cartas para vollarete, assim
como os tontos para o mesmo flm.
Grande e variado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos melhores e mais couheeiios per
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores dostes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca fallem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aqlid-
ies que delles precisaran, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarlo desles verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao flm
para que sao applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista djscbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
21
A
NOVA ESPERAHCA
Kua do Queimado
Advertencia!
2J
POS DE ROG
Apnrovailo$ pela Academia imperial
de medicina de Pari
m frasco do P de Bog, dissolvido
ein urna garrafn d'agua, d urna limonada
agradare), qu purga rpidamente e de
uin modo cerlo, sem causar a menor
inilacao como acontece cora a Biaior
parte dos outros purgantes. Oa Va de
ttogi: sao inaltcraveis por isso anpre-
gara-se fcilmente em viagem.
atllM llMUl, DtpcnckeHe; Ckentlot.
em riu-Aiimoa, iluurcr 4 C. A

DpisiU
PASTIUUS ASSKAIIAAS
DO
DR. PATERSON
De bismuth e magnezla.
Remedio por excellencia para combate^
a magreza, facilitar a digestao, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34------Ra larga do Rosario------34.
AVISO
aos convalescentes e s pessoas
(rocas e debilitadas
O QUINIUM UUMRRAQUE approv: lo
pela Academia imperial de medicina de
l'arii i o Inico por excellencia.

DeplU
cm Rio-Juuuo, Dhf.nuktUt; Ciemlol.
cm I'icmvbdco, laurer 4 (.'".
CUBA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galonpeau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo A C.
34------Ra larga do Rosario------34.
A Nova Esperanca, ra do Queaud
n. 21 tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resokida a vender suas mer-
cadorias pelo baratissimo prego, para assim
diminuir a grande quanjidade das que
tem: assim pois, venham- os bons fregue-
zes, e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo to opportuno quando i
NOVA ESPERANZA convida-os pechincha-
rcm, pois que para comprar-se caro, nSo
falla aonde e aquem...
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos rcmetter objectos de
gosto e perfeigo, e elia (loja da Nova Es-
l>eranca) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanra rua do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinba,
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brincos de
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galloes, franjas e trancas de
seda e de lita, para enfeites de vestidos.
Botoes de todas as cores c moldes novo
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes e sem elles.
Botoes pretos com vidrilhos com pingen-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados loque de madreperula, mar-
lim, osso e faia.
Esparlilho simples -e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miodezas rua do Queimado n. 21, 'na
Nova Esperanca.
Collares anodinos eectro-magntU
eos contra as convulces das
crezcas.
N3o resta a menor duvida, de que mate
collares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitci
pais de familias nao creem (comprando-os)
no effeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanca, por
que detesta a falsiicacao principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez umaencommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sao o
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
cas tem salvado do terrivel incommedo de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a roa do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para sena
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ent5o ser di-
iUcil alcancar-se o effeito desejada, embora
sejam empregados os verdadeiros collarea
de Bover.
Do superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa do Th. Just, rua do
commercio n. 32.
GAZ GAZ GAZ
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIRA FREDERICO & C.
Acaba de chegara este mercado umapor^ des-
te ptimo rap, nico que pode supprr a falta do
princeza de Lisboa por ser de agradavel perfume.
E' fabricado com superior fumo e pelo melhor
systliema conhecido, tendo tambem a vantagem de
ser viajado, o que para este artigo urna espe-
cialidade. as pracas da Babia, do Rio de Janeiro e
outras do imperio tem o rape Popular sido asss
accolhido, e provavelraente aqu tambem osera,
logo que sejafeonbecido e apreciado. Acha-se
venda por preco commodo, e para quem"comprar
de 50 libras para cima, far-se-ha um descont de
5 0/0, e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no
escriptorio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao,
rua do Commercio n. 17.
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster A
C, rua do Imperador, um earregamento de gai
de primeira qualidade; o qual se vende em partida.'
e a retalho por menos preco do que em outra qual
quer parte.
-----------------------------------------------------------------1i-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------^,
Na fabrica do fallecido subdito fran-
cez JoSo Vignes, existe um bom sortimento
dos muitos acreditados pianos, os quaes se
vendem mdicamente para liquidagao.
A' exposi?o
A loja de calcado na rua Nova n. 8 em frenle
camoda do Carino, tem grande sortimento de boti-
nas para hornera, recebido neste ultimo paquete manteiga ingleza a 800 rs. : na rua da Maogueira
I.7.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicac5o as creancas,
quasi sempre mais atacadas de tao terrivel
e umitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Barthomeu & C.
84Una Larga do Rosarlo34
^A.GERM%
AMmutn4 c. \)
. Alegiai-vos myopes, e presbytas, j po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
n3o ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico c variado sortimento de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main,. lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfi,
ac, bfalo, ncar, unicornio e melchior;
assim como binculos de urna a tresmudan-
Cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invenco ; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
Vende-se a verdadeira graxa do bem conhecido
abricante Day & Martin n. 97 : no armazom de
J. A. Moreira Da?, rua da Cruz n. 26.
YE\1)E-SB
e vende barato
No mais cabellos brancos
A. tintura japoneza, para Ungir os cabel-
los da cabera e da barba, foi a nica admit-
tida Exposigo Universal, por ter sido
conhecida superior todas as preparacoes
at boje existentes, sem alterar a saude.
Vende-se a I 000 cada frasco na
151-Ri U CADEIAS. i
1* ANDAR.
MSAME
LECONTE
VENDE oleo brillantina perfumado, baiunia para
amaciar oa cabellos e barba, a l a onca na rua
da Imperatriz n. 7.
numero 2.
MASSA e XAROPE
DE CODEINA DE BERTHI
Preconisados por todos os mdicos contra os I
DEKLXOS, CATHARR08, E TODAS AS|
taniTAgoES do peito.
Jt.M. O Xarope de Cudna que nuncio a I
honra, aliat bem rara entre ot lledicamunleil
notos, de ter reentrado tomo um do medica-1
mcntoi ofliciact do Imperio Francez dupental
quaiqner elogio.
AVISO. Por cama da reprebenslvcl falsi-l
Ccaco que tem suscitado o feliz resultado do I
Xarope e massa de Bcrlli tomos Toreados al
Icmbrar que estes medicamentos taO jnslumcnle|
conceiluados s se
vendem em caaio-
liase fiascos levando
asslgutura em
Crete.
6, Ru de cotes, e na Pharmacia Centra! I
de tranca, 7, Une de Jouy, em, Paris, e em]
[ todos as Pbarmacias principies do V.
BAZAR UNIVERSAL
ORua \ova SO
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposc2o servicos a electos para almo-
Co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima de mesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e enanca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, gu-r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontraro
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a peni ir examinar.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAD
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
NA
PHARMACIA E DROGARA
M
Bartholomeu & C.
34RUA LARGA DO ROSARIO34
Batatas baratas
Vende-se a 800 reis o gigo,
Madre de Dcus n. 22,
rua
Vendem Augusto F. de Oliveira & C. t*
Commercio, n. 48.
Vende-se
a-taberna da roa de Horlas n. 43, em
de de seu dono retirar-so para fra : a
na.'mesma.
virtu-
tratar
ATTENCAO
No armazem de David Ferreira Bailar, roa do
Brum n. 92, ha a venda os seguales gneros por
precos razoaveis: ^
Bollnetes de halan?
proprios para barracas e byates, muito superiores.
Vluho do Porto
em caixas de duzia de parrafas, e em barris de
dcimo, do Porto, muito tino.
Farfulla de mandioca
ha em saceos, nova e de superior qnalidade.
Pedras de louza
nito proprias para lavagem de luusa em ctH
Libras sterllnas
Ha para vender em casa de Amorta Irroaos 4
"-, rua da Cruz n, 3.
Vende-se urna boa escrava de todo o servi-
go, robusta, aadia e sem defeito algum : a tratar
na rua do Brum n. 8i. 3 andar.
LOJA
Rua Novan. 14
Acabam de chegar para esta loja grande quan-
tidade de fasto*, sendo branco e amarello, assim
como temos grande pecnincha eic laazinhas e al-
pacas de todas as qualidades, chita?, cassas o ou-
tros mallos objectos por preces commodos.
r
r
V
IbbbI
i



1

t
fu

I
> -
7
\
IV
^
i
Diario de Peruambuco Sexta feira 16 de Julho de 1869.".
-
Ccordeiro previdente
Ra do (lueiiuado u. tu.
Novo e variado sortimento de pwfumarias
finas, e outros objectos.
^ln do completo sortimento de perfu-
maras, de que Directivamente est provida a
loja do Cordoiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que torna
notavel pela variedade de objectos, suneriuri-
dade, quatldades'e commodidades de pre-
sos; assim.pois, o Cordciro Providente pede
e espera continuar a merecer a apreciaco
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conbecida mansido
e barateza. Em dita luja encontrara-. os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Goudray.
Dita verdadeira de Murray tfc Lamman.
Dita de Cologiie ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos memores e maisacreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
asseit da bocea.
Gosmetiques de superior qualidade e cnci-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos c
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel ebei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolliiilos che ros, em frascos de dille-
rentes tarnaatoos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixigkas com bonitos sabonetes imitando
frnctas.
Dkas de raadeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito propinas para pre-
sentes.
Ditas de papelo iguslmente bonitas, tam-
bem t perfumaras tinas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e 4e
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e beneca.
Especial p de arroz sem composico de
cheiro, e por isso o mas propriopara criaa-
cas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras dillererrtes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada atis coques.
iJai outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhes
e alguns d'elles ornados de flores e fitac,
estio todos exposles apreciaco de quem
os pretenda comprer.
GOLLINHAS E-PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeieio.
Flvellas e nas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS.
O que de melhor -se pode encontrar neste
genero,' sohresahindo. os delicados ramos
orvalhados para coques.
QUE SE LIOUIDAM
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
Vinho degestivo de
chassaing
OM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cara certa
das digestoes difficeie o completas, acalmar
as dores gastralgicas, e reparar asorcas
produzindo urna assimulaco completa dos
alimeatos; sendo mais um xcellente teaico.
VEVIIE-SE
PHARMACIA E ROGARA
DE
Bartholomea dfc C.
34RA LARGA DO ROSARIO34-
FUNDICAO DOBOWMAN
lina do Bruna o. 59.
PASSANDO O CHAFARIZ
Tem sempre deposito de todo o maminis-
m empregado na agricultura da provincia,
ntre o qual:
Machinas de vapor, para assuear e para
ilgodao.
Rodas d'agoa.'-^B
Motores de diversas especies.
Moedias de oanna.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batidor fundido' e de
cobre.
Alambiques.
Aiados e instrumentos d'agricultura.
Descarocadores d'algodo etc. etc.
Havendo em tudo variedade de manho
desde o menor at o maior que se costu-
ma emprear.
o
Vendem-se duas barraras de 24 caixas cada
tima : a tratar no escriptorio do Sr. Jaao Pereira
dos Santos Farofa, largo do Corpo Santo n. 7.
XAROPE PE1TORAL
DE
RABO DE TAT
PLANTA DO BRASIL
E expectorante e recommendado as
affeccjcs do peito, bronchite ebronica, he
moptise, e losse ebronica.
PREPARADO POR
JOAQUIM DE ALMEIDA PINTO
PHARMACF. UTICO
Ptrwmbuco ra larga do Rosario n. 10.
A
WJ^aVJ^M
8a iiiai?aiaa'iaiisoa. m
DE
FLIX ?EREIR1 IIV Nlf/VA.
O proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se do grande sortimento que tem de fazendas, tanto da moda como ie
!ji, assim como de um grande sortimento de roupas para homens e meninos, e as
pessoas que negociam em pequea escala tanto da praca como do mata, tiesta casa
podero fazer os seus sortiraentos em pequeas ou grandes porcSes, venden io-se-lhes
pelos precos que se compram as casas inglezas ; assim como as excellentissimas fami-
lias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou se lhe as mandam
levar em suas casas pelos caixeiros d'este estabelecimento, .que se acha aberto con-
stantemente desde s 6 horas da manha s 9 da noute.
Explendido sortimento de
Alpacas tarradas de cores a 50
Alpacas a 500 Alpacas a 560
Alpacas de cores
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vende-se uns poucos de mil covados
das mais lindas modernas alpacas lavradas
com as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo entre ellas azul, lyrio, roxo, cor
d canna, verde claro etc. e os lavrores
muito miudinhos assentados em urna so
cor; para se poder retalhar est fazenda
pelo barato preco de 560 rs. o covado, foi
preciso fazer-se urna grande compra deste
artigo, o qual c grande pechincha.
Aos dez mil covados le eassas
fraacezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 0 urna grande qnantidade e
mil covados das melhores casas rancezas
para vestidos, tendo padrees lidos e gra-
dos, assentados em todas as cores, estas
eassas sao propriamente fr-ancezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto cerpo
quasi como a chita, e olm dos padrees
serem multe bonitos, so fazenda par-a muito mais dinheiro, mas re-
talha-se a 800 rs. o covado.
Espart&kos a 3.$eo na loja do
Pavo
Vende-se urna grande -.porco de esparti-
Ihos moderaos com o competente erd3o,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 3$ cada um.
MADAPOLAO ENFESTMO A 35GOS, S
NO PAViO
Vendem-se pecas de madapolSo enestado
com 12 jardas, sendo recito incorpado pelo
barato preco de 396O0 -ris, assim oomo
pecas de filgodaosinho cem 16 jardas
4#00 e ,3000 ris.
mm pequcha
EM
PERCALLAS
A pataca o ovado
PERCALLAS A 320 RS.
AOS DEZ MIL COVADOS
PERCALLAS A 320 RS.
Na loja do Pavo ra-da Imperatriz n.
60, vende-se orna grande .porco de per-
eallas francesas proprias para vestidos, sen-
do de cores xas e mais larga que as chi-
tas, tendo os .pannos muite encorpados e
com os desenlio mais booilos que tem
Casemiras da moda
NA
LOJA DO PAVlO
Chegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para cal-
Cas, paletots ecoletes, tendo lisas, com lis-
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os precos, e afianca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-
te, assim como das mesmas se manda fa-
zer qualquer peca de obra, a vontade do
freguer., para o que tem um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitots
a 181 e 201000.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porcSo de pa-
litots sobrocasacados, e propriamente so-
brecasacos de panno preto, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de 18^, sendo forrados de alpaca, e de
203 forrados de seda; esta fazcBda a n3o
se ter cooprado on grande compra, seria
para muro mais dmheiro, porm fcquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
POPELINAS A 500 RS. O COVADO.
Na loja do Pav8o, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se om grande sortimento das
mais lindas poupelinas ou liazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creancas, cora as mais modernas e bo-
nitas ores ; paraos com listrishas miudi-
nlias, que se vendem pelo barato preco de
500 rs. o covado, pechincha que se acha
nicamente na .toja de Flix Peneira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vo?.dem-se ussiinas pecas de cambraias
lizas sas tendo mais de vara de largura, pelos
preces de 50000 at 104000 a peca, assim
como finissimos organdys bronco liso que
serve para vestidos de bailes, .per ser muito
transparente a 4(5000, a vara, na loja do
Pavio ra da Imperatriz n. 60, -de Fex Pe-
reir*da Silva.
Cortluados
Para camas ejanellas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
lhores e maiores cortinados tardados pro-
priosspara camas e para janelas, que se ven-
dem. a 12,5000 rs. cada par at 253000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Fex
Pereica da Silva.
roupas feias
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este graade estabelecimento com-
..... uv^TOo ..m>. u^n.-.a Muc k, Patamente .ortido das melhores roupas,
bdo ao mercado, tendo padros miudos e sendo calcas palitots e coletes de casemira,
11-RUA DO QUEINADO-11
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
SAHIDS DE BAILEde cachemira branca ede cores o que ha de mais lindo.
BASQUINESde renda preta, e de gorgurao preto, o que ha de mais
elegante.
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
RALOESbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e saias de 13a com barras de cor.
GORGURAOde seda branco e preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados.
** $UIMAB6
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de Guis-
lain
grados e vende-se pelo baratissimo preco
de 320 rs. o covado, garantide-se estaresta
fazenda em perfeito estado, e -vendendo-se
por este baratisaimo preco para apurar di-
nhetro.
BRAMANTE P.4IA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 11800
Chegou para a loja do Pav5o, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largurada fazenda o eumpri-
mento de um lenco!, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
de panrw, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desojar, assim como na mesma loja
tem um beo sortimeitfo de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
tido vontade do freguez, e n3o 6endo
abrigados a aceeita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linbo o algodao e outros muitos artigos
com um metro e meio; e vende-se pelo proprios para homens e senhoras promet-
barato preco de 15800 ris cada metro, j tendo-se-Hie vender mais barato do que em
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-j outra qualquer parte. Na ra da Impera-
Vende-se terrenos de produeco e com
aores fructferas e prximo a esta-
cad dos trilhos urbanos do Recife
Otinda e Reberibe, no boceo do Espinheiro,
podendo qoem quiser dirigir-se nos domin-
gos, ao sitio n. 6 na estrada de JoSo de
Barros, e nos domis dias, ra da Impe-
ratriz n. 68,________________________
Vende-se estopa para calafeto a 3/JUO : na
roa da Seniala Nova n. 1.________________
= Vende-se affi? vacca tooru, prxima a pa-
rir, com na twm garrote : aa ra Formosa
numere 9,
plicaees para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
COBERTORES DE L PARA O INVERN
DE 3,5000 a 65000
Chegou para a loja do Pavlo, um gran-
de sortimento dos melhores cobertores, de
l de carneiro, sendo muito grandes e
muito encorpados, que se vendem de 3<5
ate 65000 cada um, em relaco s dGe-
rentes qualidades, pechincha: a elles an-
tes que se acabem.
ATTENCO
S PECHINCHAS QUE SE LIQUIDAN!
NA LOJA DO PAVO
Cortes de organdy listrados com 10 va-
ras cada um e que tambem servem para
luto a 35000.
Lanzinhas de cores para vestidos a 200
rs. o covado.
Cortes de cambraia com barras bordadas
e muito linas a 35 o 45000.
Cassa toda preta para vestidos a 320 rs,
avara.
E' pechincha para fechar contas.
Alpacas brilhantes
a 640 rs.
Chegaram para a loja do Pavo um ele-
gante sortimen.to das mais lindas alpacas
brilhantes com as mais delicadas cores, e
com os mais bonitos lavradinhos a imitacao
de seda, as delicadas cores que existem
neste bello sortimento encontra-se o bonito
Bismak, o bello Lyrio, o delicado verde
assim como, perola, roxo, canna, azul caf,
etc. Veode-se esta bella fazenda pelo ba-
ratissimo preco de 640 rs. o covado por se
ter recebido em direilura orna grande par-
tida superior a dez mil covados, sen5o
seria para muito mais dinheiro, isto na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60 de Feliz Pereira da Silva.
Vestidos com duas salas a
Chegaram para a loja do Pavo ra da
Imperatriz n. 60, os mais modernos cortes
de poil de Chvre com duas saias para ves-
tidos, sendo n'este genero o que ha de
melhor e mais novo no mondo, e vendem-se
pelo barato preco de 205000 na loja de
Flix Pereira da Silva.
triz n. 60, loja 6 armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
O atoalhado do- Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
m 8 palmos de largura, adamascado a
52O0 a vara; dito de linho fazenda muito
mperior a 35200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a 45500 a duzia e muito
Inos a 85000, e ditos econmicos a 35500
i duzia.
ALPACO DE CORDO PARA VESTIDOS
A 15000
Na loja do Pavo, vonde-se superior alpa-
co ou gurguropara vestidos, sendo n'es-
te genero o mais moderno e mais bonito
que tem vindo ao mercado com differentes
cores, sendo mais largo que alpaca e ven-
de-se pelo baratissimo preco -de 15000 o
covado.
Vovhlade Vovidade
GURGURES DE SEDA PARA AS FESTAS
DO MEZ D<5 JUNHO
Chegou pelo vapor de 14 do corrente,
para a loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, um brilhante sortimento dos mais
modernos e mais bonitos gurguroes de seda,
para vestidos, tendo padroes miudinhos e
grados, cora lindas listras matisadas, as-
sentadas as mais delicadas cores, como
sejam, verde, bismark, lyrio, azul, perola.
etc. etc., assim como ditos lisos de todas
as coras, garantindo-se que na actualidade
nao ba urna fazenda de mais gosto nem de
mais pbantasia do que esta,quesevendepor
preco muito rasoavel, no estabelecimento
de Flix Pereira da Silva.
Bbadinhos baratos na loja
do Pav&o.
Vende-se urna grande porco de bba-
dinhos de todas as larguras, sendo com os
babados verdadeiros, por urna terca parto
de preco que se vendem em outra qualquer
loja, s cora o flm de acabar-ee com este
artigo, assim como tambem se vende urna
grande parte d'entremeios, pelos mais li-
mitados precos para acabar, na loja e ar-
mazem do Pvo, ra da Imperatriz n. 80
de Flix Pereira fa Silva.
Totura ndelevel paratingir es cabellos,
sem manchar a pello.
A bem conceituada agua-florida de Guis-
lain que ento era 4es;onheckJa em Per-
nambuco, j boje estimada e procurada
por seu efficaz reswKado, e anda mais se-
r, quando a noticia de seu boa elfeito e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Onislain cetnposta uni-
damente de vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, e Ibes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de iodo algum.
E' porm neoeesario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas talvez supponham, mais sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logt se obter-o fim desejado, como bem
provam testemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
outra qualquer oousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem contagia loja d'Aguia Branca i
pa do QueimadSir. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
co de sua boa fteguezia, tambem capricha
i nao Ih'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a bonram, e em prova ao que fica dito, d
como exemplo a explendido sortimento
que acaba de receber, anda mesmo achan-
do-e bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos generes que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
a oraco, obras de apurado gosto e perfei-
cSo, 6endo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em ako relevo.
Ditos com ditas de marOm igualmente
bonitos. .
Ditos com ditas de velludo, outros im
tandocbaro machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guamico, domada ou prateada.
Goras e tercos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortimento de leques
m do mmm i n
licoaowla, ufllidade e moderno
ulereado.
CIIEGCEH A' PECHINCHA.
!iilni'< tmeettt, trCSS pp^uenosc gran-
des, pj.r.1 lenlioca a 2J00S
Casemiras inglezas, houiios padiCcs, cora
hsiras larga?, eovndo 4J.'J0t
Ditas frarre/as. Idon dem, com listras
tarifas, rovado 44000
Dilas dilas melladas, covado 3S20O
arotozas lar-jas com listras de seda para
senhoras e proprias de montara, co-
vado. r<. 900-
l'alctots de alpaca prctos e de cores 4< e i*S0O
Alpacas lisas de cures muito linas c bous
goslos jiara .-euln>ra, covado, rs. ROO
Cambraias de cores, variados padrSe?,
corado, rs. fio
Ditas de cores, mais fina?, covads, rs. 'M'ii
Ditas miudas, inojernas, linissiioas, cuva-
.do, rs. 400
Ditas de flores grandes e listras, co-
vado, rs. son
Colarinhos de linho de diversos goslos, r*. WO-
Ditos de dito muito liaos, chepudos no ul-
timo paquete, rs. 600-
Chitas claras, boas tintas, covado, rs. 2lO
Ditas escuras, bellos padroes, covado rs. 40*
Ditas coloridas, tinas, proprio para familia
covado, rs. 40f
Dilas riscadinho?, variados padroes, co-
vado, rs. 30O
Ditas escuras econmicas, covado, rs. 36#
Ditas de boa eomposic^o de tintas, covado 320
Ditas claras econmicas, covado 3M>
Houpas e mais artigos que tiea a pedido da res-
peitavel freguezia, dando-se ama'tfa de tudo.
= Vndc-s( 1 escraa reeoltiida, perfetta en"*
gommadfira, cozinba e cie moito bem. I dita, p-
tima cozmheii'.i. i ditas proprias para engenho por
serem muito robustas, e a esse servico .icostutiia-
das, Snjulccas de Idade 17 a 18 auno-, i escrava
parda para todo o servieo |ior 1:000 : na tra-
vesea do Carino n. I.
ESCRAVOS FGIDOS.
Acha-se fgida ha oito mezes a preta es-
erava, de naeao, de nomo Maria.com 40 annos de
idade, baixa e cor fula, consta que diz ser forra, e
amia wndeudo na freguezia da Boa-Vista, com
uina bandeja pinlada de encarnado, com que.
fugio : gratifiea-sc bem a quem a apprehender o
leva-la a na Imperial n. 103.
FUGIO.
Acha-se fiipila desde < da i'i de jrmlio
prximo Dassadff, a escrava Antonia, de idade
df 40 annos crioula, com os signaesseguir-
les : cor preta, oihos pequeos, falla de
, dentes na frente e quando ola do revez.
todos de madreperola, madreperola e seda, |Cvou vestido de cassa bran a rr,m palmas
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros jappnezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia aberlas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torcal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, muflieres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios fines tapados e transparen-
tes om delicados bordados e proprios
para tifiar fita.
rxas i! chale prelo de fil: quem appre-
hender leve ra do Grirag n. 9 que ser
generosamente recompensado.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Est Ingido desde o dia 15 de Janei-
ro do crtenle anno, o escravo Filippc.
com os. signaes seguintes: cabra, idade 25
a 27 annos mais ou menos, corpo e altura
regular, sobrancelhas pretas e serradas,
cabellos enroscados c acaborolados, que-
rendo principiar a barbar, as vezes incha-
llie as peinas, tem urna marca de caustico
do lado direito sobre o figado, quando
anda fica duro e com passos avanzados,
lem o venire um pouco crescido, pescoco
grosso, muito rcgrisia, c quando foge diz
que forro, c lera por custu me trocar
O nomo, e botar a camisa fra da calca.
Este escravo j foi preso e esteve na ca-
deia, por andar fgido, levou no corpo
calca de brim de quadrinhos preta, camisa
de madapolo, chapu de la preto redondo,
natural do lugar Canbotinse da < omarca
de S. Bento desta provincia, e foi escravo
do Sr. Eduardo Jos Altes de Mello, mo-
rador no mesmo lugar. Este escravo ji
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas, foi visto em Gloria de Goit districlo do
Delicadas caixinhas de vidro enfeitadas! Pao d'Alho, e em Limoeiro pi esume-se
compedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas
que se conserve nestes lagares, ou tenlia
seguido para o centro ; pede-se as autori-
dades policiaes e aos Srs, capiUSes de
campo a captura do mesmo escravo, e eu-
com, trega-lo ao seu senhor Jos de Miranda
Cimba morador no Recife, caes de Santo
'Amaro, sobrado n. i.% do fallecido Manat
Custodio ou na ra da Cadein do Recife ti.
33, que o mesmo gratificar generosamente.
oom b 9)0|ioo BJed o5b op saojog 09
oos OO^f
ap ranjqap caed cjij op seo'ad OOO^
oos
ooo^s *.......epemop Bjnp|om raoo sapucjS soqjodsa O?
ODo^d opoi 'eaaa op seaaung 05C
08 suapjo g saaxjoo moa orubo 09
wm B BIZnp SBpjB OOS 9p Bqun
008 ' k o)d||03 BJcd sejiipeoioqv 0081?^
OOOtf 09
-np suomoq BJBd scojd sb9j\[ OO

'008 'O1 sojtaqo raoo soosbjjI oge'
OOS b oqund BJed soQioq op sojbj
OOS -sogra BJcd soauBjq soouaq 006
008 BUOOi BJUIJ moO SBJBJJB9
Bellarmino
e Bnoj op saoioq op BZ0J0
eu.iAtp cnSe moo jbjjbo
0 008,00 '009'OOS
e soiom-ajjuo o soqmpBqBfl
" '-8 00E0Z 'OO '08?sop
-cpijunb se sepoj op oiouoqcs
c Bsoqeq op oo[o moo soosbjj
.........B SBp
-JBfOO uto-5 Bquqop so|daom
Jqjoq BJcd Btiuq op SBjqri
' 9 SJ OOr B EJUIJ UIOO SOOSBJJ
........B SB([U
o cjnisoo cjBd SBjnosaqi
.........B SBU
-10UI EJBll RWiBJI 8p S31U9J
b BJiepepjOA j.>a),j
ciuoioo op cnSe moo soosbjj
Evadio-sc do engenho Marrccas, na comarca de
Porlo Calvo, e no dia 18 de niaio do corrente an-
no, o escravo Bellarmino, cabra escuro, do Idade
de 28 annos, alto e seeco do corpo, sem barba, pea
grandes, tem estado nesta eidade, e o seu maior
passeto pelo bairro da Boa-Vista, pode ser que
elle se cncaminhe para a freguezia da Escada,
onde foi elle, criado, c conbecido : quem o pe-
gar e levar ao referido engenho, ou tiesta praca,
na ra da Cruz n. 51, l" andar, receber boa gra
tilieaeao.
:s9;uinas soajd sodd sopBJ
-Bpap zraqB so^oafqo so opnBnnanb w\$%
ivaotoi vmaow mmm
aa
sv/:in mi
S 'HKIVIHIIO
Oa V18-5 X
mmu
Eugiram no dia 25 do passado mez, 2
escravos dos pngenhos Concec3o e Piu-
bcla do termo Sermhaem, pertenecnte jira
de nomo Jos, ao major Manoel Germano
Bczerra Pereira de Baslos, e outro de no-
jmeLuiz, pertencentc ao Dr. Jte Eugenio
i da Silva Ramos; o primeiro tem os simaos
seguintes; com 30 e tantos annos de idade,
crioulo, baixo, cheio do corpo, cor fula,
rosto redotido, tem marcas de chicote as
costas o as nadegas, levou camisa de ris-
cadinho verde j velha, calca c jaqueta, e
chapeo de bata ; o segundo crionlo, idade
20 e tantos annos, estatura regular, bem
preto. rosto cheio, beicos grossos. olbos
grandes e abolucados, cachaco grosso, com
marcas de chicote as costa, sobre as cus-
tellas do lado direito, levou camisa de ris-
cado de algodao, com grande remend n.ts
costas, seroula de algodao de sacco, e urna
copa de chapeo de palha sem abas.
Estes escravos foram comprados h um
anno pouco mais ou menos, na eidade to
Recife. Qupm os pegar queira aprsente-
los ao Dr. JoSo da Silva Ramos, na eidade
do Recife, que ser bem recompensado.
cmm
uenqIo ob honra
Vende-se em frteos
DE FIGABOS FRESCOS DE BACALHO *> <* .np,-
lares, phanuada Hoce,
2, ra de Castiglione,
em Paria.

As eontrafnccOrm os Icn paraos, d'um clieiro fone, c mais composic&es fcltas com oleo
de poiie coiqmuns, taes como o eu/ua'o, a arrulu, o phoca, a iza, o o/eo o omiailore$ petcadarei.
t ii'.i'omo o> olton vegetaes, foram ii:aginados para substituir os verdadeiro* ole*a de Blgadoa
frcHco de llaealho de Tcrr.-\-!\'ov. E-tes leos ccmaiuns ou seos iacecdtwt sjo
ohliilos na industria por precos piui bai&os, em quanio que os verdadeiros leos de figado de bacalhio
fresco sao relativamente multo caro, \ Isto que para obtel-os fresiut e sem mistura, cum'pre exercer
gruid* vigilancia e ter os maiores cuidados nos proprios lojraros das posea, assim coao manda fazer
M. ItoRg desde o anno de 1840. Estes oteo- paro* de Haeolbao do Te
ra de
f
W graiigearam para este precioso medicamento urna fama universal as molestias a peito, as affei ces
e It/mphalkas, a magma aos meiiinof,etc,e por itso.dcram lugar a nocivas e desleaes
[escrofulosas e
imi'.ac&es.
-uta. O aleo de opa 6 mui fcil de cVgerir, disiinguc-se entre os outros oleo* pela sos
edr (ic palha, o seo cheiro suave e delirado, e seo gosto de sardinas fresca.
O RBLATORIO fawaravel do chefe dos traballios cbymicos da FACULOAOE DE MEDICINA DE
PAB1S conclue como segu: 0 oleo or de palha de i. Hogg conten urna Urca parte da asa
ripio act vos mais do que os leos pardos e ni aprsenla algum dos inconvenientes qu* se
repara n'tstts, quanto ao chairo a sabor.
X. Veado-oo eas todas as paoi martas
das
Acha-n fgido desdo o mez de dezembro do
anno passado o escravo Jacob, crioulo, de SO.an-
B08, pouco mais ou menos, olhos vosgos.com falta
de alguns dtntes na frente, estatura regular, anda
meio corcttndo, tem urna reina Curada para ar-
gola, (: cachacciro, o falla quasi como se fosse an-
gola, tem metado alternada e melade captiva, e
julga se estar dentro desta capital de Peruambuco,
lauto i|ne tem sido valo por varias vezes junto;-,
i-adeia nova : quem o apprehender leven a Ver-
tentes doTaquareting, a entregar a Francisco
Ferreira fiongalvcs Carneiro, que ser gratificado.
AVISO
Fugiiam bontem, 7 de julho, do sitio das Pal-
meira, na Torre, os seguintes escravos : Gcraldc,
preto crioulo, tira pouco fulo, idade 38 annus, mais
ou menos, cara bechigosa, barba serrada, mas um
pouco rala, com falta de dentes na fenle, estatura
e corpo regulares, levou vestido camisa de aigod?to
branco e calca de brim pardo j usada. Antonio.
ireto crioulo, idade 50 annos, mais ou meno>, com
alta de dentes, estatura e corpo regulares, ps um
pouco apalhetados, anda um pouco corcovado para
diante, levou vestido camisa de em riseadtnhti
azul com listras da mesma cor e calca do brim
pardo com algum uso ; este escravo veto do Hio
Formoso e era all do Sr. J.st- Gomes Ferreira : te-
tarlo tambem urna trouxa contendo dous cober-
tores de laa escuros e mais ronpa.eouira
quem os pegar leve-os < ra da Concordia quo so
gratificara com generosidado.
\
.....i
*-r
f


8
- Diario de Pernambuco Sexta
16 ile
-
Julho
A
de 1869
*
ASSEMBLA GERAL
i.. .. .-----------...... -----------
CMARA D03 SRS. DISPUTADOS.
SESSO EM 15 DE JNHO.
mninnn- uo r. viscondk bk cama-
bamm.
(CotUinuaco)
L-se, e approvado sem debate, o se-
grate requerimento:
Requeremos que se papa com urgencia
ao ministerio da marinlia copia das parece-
res e intormacoes fornecidos pelo capito
Miento Gabaglia, acerca do melhornmento
Uo porto de Pernambuco.
Sala das sessoes, em 15 de junho de
I8S9.Augusto de Oliveira.Barro Bar-
reto.Theodoro da Silra .Manoel Clemn-
tino.Souza Reis.Portclla.
Entram sucesivamente cm discusso,
sao approvados sem debato, os pareceres
da 2.* comraissito (te poderes sobre as elei-
0c das parochias de Santo Antonio de
i Jacotinga e S. Joo Baptisla de Merity, per-
tencentes ao 4. districto da provincia do
Rio de Janeiro ; do Jaboticabal, do 3. de
"S. Paulo ; de Ara caj, Larangeiras, Cotin-
goiba, Propri, Porloda Follia, Villa Nova,
Pacatuba, Capeila, Nossa Senhora das Do-
res e Japaraluba, do i." de Sergipe; Ita-
poranga, Ihbavana, (lampos do Brito, La-
garlo, Lagoa-Vormellia, Itabayaninha, Geni,
Campos rio Rio-Real e Santa Luiza, do 2."
da mesma provincia ; e do LiubJtts, S. Se-
bastian de llatinas o da Barra de S. Joo,
du provincia d > Espirito-Santo.
Entra cm I* disrussaVJ'e projecto de-
clarando que no decreto que approvou a
poaso de Quj> pinsaos concedida a I) Mi -
ria Amalia Femara, viuva do teneole-coro-
nei Jo2o Simplicio Ferreira, moi-toem com-
bate, ceinprehendf-sea melade desta quan-
tia concedida a sua lima no caso de sobre-
tmdlaj fi arrriidq por agtms Eol
quera ajradecoi, do ala
minhas palavres, eenio parecia-me q<
devia parar e nao continuar na di
Entretanto, S digno*- prosej,_
fazer algumas' obi afo-s, e, lemaimc
como ponto de par lila o que eu buha dito,
respondeu ao nobre deputado por S. Paulo
doixaoo entreveFque nao tinha plena con-
fianza na cmara, e tanto que assim expri-
raio-s*: que os representantes da nato
traban os meros de revelaren) em
opportuna o grao de confia., a qne por veiP
tura S. Exc. hes raerecesse, -desojando ser
julgado severamente, porm corn imparcia-
lidade.
A maneira por que S. Exc. uxplit-ou-.se
pode dar lugar a interpretac5cs menos acer-
tadas. Parece-mo que S. Exc. deve contar
com o apoio desta cmara ; c se tem al-
guma desconflanca de que nao ost em um
terreno solido, em um terreno seguro, en
tao, usando da phrase militar apropriada ao
tempo de guerra, S. Ese. explore o campo,
reconheca as posices e encete as opc-ra-
C3es, porque ento a luz se far. (Apoiados)
S. Eic. retempere as anas torcas na forca
vivencia.
Sr'. Diogo Vmio pede, e a cmara con-
senle que o projecto tonta urna s diS-
CUSS.
Depois de breves considerares dos Srs.
JMteneoiirt e Araujo Lima, o projecto
approvado e remullido commisso de re-
daceo. -*
Entra em 1.a discusso o projecto que
autonsa o governo pan mandar admittir a
exame do f. anno da facilidad.! de medi-
cina da corle o estallante Cypriano de Son-
sa Petates.
O Sr. Fausto w: Aihiah pedo, e a c-
mara confetti que a projecto tenlia urna
s discusso.
Vm mesa,sao lida?, apoiadas e entram
conjuntamente em discusso diversas emen-
das coneedeado igual favor outros estu-
dantes.
Ningjem pedindo a palavra, e pondo-se
a votos o projecto, approvado com todas
as emendas e remettido commisso de
redaccao.
O Sb. Faustof. Aguar requer que as
emendas sejam redigidas em projectos se-
parados.
Consultada a cmara, rejeita o requer-
mente.
Entram successivamente em 1.a dis-
cusso, que a requerimento dos Srs. Mello
Reg e Diogo Vellio se consideram nicas,
e s5o approvados sem debate o remettidos
commisso de redacra >, os projectos au-
torisando o governo a conceder um anuo
de licenca, com os resp divos vencimentos
aos Drs. JoSo Jos Ferreira de Aguiar e
Lourcngo Trigo de Loureiro.-lentes cathe
draticos da faculdade de dircito do Be-
cife.
-Entra em 1 .* discusso, que a requeri-
mento do Sr. Diogo Velbo se considera
nica, e approvado sem debate e reraet-1
tido commisso de redaccao, o projecto
autorizando o governo a transferir para o
quadi'o dos elteqflvos do exercilo o cirur-
gi3o de brigada Dr. Antonio -Jos da I'un-
seca Lessa.
ORDKM DO DA
Contina a 2." discusso do irt. I. da
proposta do govaranque lixa as tercas de
terra para o anno linai.ceiro de 1870 a
1871.
0 SR. ARAHJO 0>E8 :--Depois do dis-
curso proferirlo, em minlia ausencia, pelo
bonrado Sr. ministro du juslica, na SflSSo
de sabbado, corria-me o dever de voltar
tribuna, e oceupar por alguns momentos a
attencSo da cmara.
Quando encetei o debate da fixaco de for-
cas,poroccasiodetraiar-se daguarda nacio-
nal disse a S. Exc. oSr. ministro da guerra
que na situacao passada a provincia da Ba-
bia soffreu mudas injusticas as designa
coes, sospensas e demissSes de officiaes
da guarda nacional; e declarei que conliava
summamente no actual ministerio para que
elle roparasse todas e.->sas injusticias.
J v, pois, V. Exc. que, exprimindo-me
assira, nao Uve menor iutenco de diri-
gir qnalqucr censura ao actual Sr. minis-
tro da guerra, *em *o Sr. ministio dajus-
ca.
S. Exc. o Sr. ministro da Justina, porm,
informado do que se ha va passado (.por-
que nao eslava presente), procuru respon-
der-me na ultima sesso.
No Jornal do Commerciode lioje vi o que
S. Exc. disse quando tral u dost assump-
to. Eu reclamei do actual governo repara-
cao s injnsticas que so haviam praticado,
espera-ido-a, seno j, pelo menosmais logo.
O nobre Sr. ministro da justica respondeu
aos termos seguintes: (Le).
Sr. presidente, nao ostou habilitado com
s dados precisos para declinar nomos;
mas sei, como deputado da provincia da
Baha, que anda ha inuito a fazer em rela-
tao reparacao devida poriujusticas com-
mettidas contra cidadas nolaveis. O nobre
ministro, como membro do governo, ha de
estar perfeitaiftente habilitado, melha- que
um simples deputado. para examinar e ve-
rificar as quoixas que aiii se levantan). Ha
modas reparaodes a fazer-se c vagas a pre-
eneber.
S. Exc. n3o se persuada que eu-tenha
a menor iatencfo de iuconmioda-lo ; j me
eciarei minijtarfl e asaegero hei de acom-
fanha-lo at aos oltimos iomentos.
Nao digo, porque nao eostunio hypolhe-
carmeu voto, que hei de aeompanha-lo em
tudo quaoto, Sr. presidente, julgar conve-
iente, poique haver.1 alguma idea acerca
4a qual eu esteja em divergencia; poro a
eooto com o m;u apoio ieal.e decidido. A
eoormidade servil n8o honrosa a nds
'ambos.
P90 permisiio, Sr. presidente, para
4esta tribuna solicitar do ministerio rapara-
^Sos ifijusiicasqoe se pratiearam na mi-
aba provincia.
linde di sorte dos voluntarios,daquel-1
.ravos 4 g|.jr aii
as de Ilumiili. c as serra-
llos torra de I'.; Itio
re, ere pcetio oiecto
im*oai87fmllWnuasse a
la lei que st cm vigor ; isto
.WjUlIa qoe peph-sibisL-nt s os privi-
legise favores concedidos aos voluntarios
da patri .esto silencio podia ser
mal hterprii dfg-^irjoniens de
sonso, maAofhomoip fe i fjmar aquel-
es que noscormTatrJm por loas as^ formas
[ue nao trepidan (liante dos meio*, ainda
msmo di.mt d.i
le aconsolliTU : esse
poderiam dizer que o governo c ocoipo
legislativo esqueCB:-am-se da sorte dos vo
lunlarios.
1! >jo ha nticna espaeule com tudo, Im
qnem abuse de tu lo, das cousas mais siias
ver s
rcvoUiro que ahertamea-
sses ijuo assim pro?eneT
obstante julgar com elle que a forra seria
iiisiiilfcteqtt', i n3o po*ilei"ipeli-la maior
sem wMo attender s circumstancias a
l'arcce-me que na primeira Tc que tive
aliona di fallar ne-tn casa declarei moti-
vflayiaolhantes nos que f*on tenho ex-
^^^^Bpara juslilicar o nuinu'u de preces
poda ; o Iz urna breve ivrsenha da
trtbu(;jogMUM devia dar a essa raes-
Olmnrarlo deputado a quem mo ostou refe-
e no vigor desta cmara, sabida, nite-direi o favr*> concedidos aos voluntarios.
da victoria das urnae, poique s ve/.es a
victoria das urnas o resultado da fraude
e da violencia (epoiados); direi, retempere
as suas torcas na forca da cmara sabida da
opinio publica do paiz, onde tem largas e
profundas raizes (apoiados ) Cont S. Exc.
com apoio franco e decidido e lome a ini-
ciativa sobre os diversos ramos da admi-
nistrarlo a seu cargo, para que nao tenha-
mos urna sesso esteriLem piejuizo do
paiz. (Apoiados.)
Por mera curiosidade coobe-me cncetar
o dbale do projecto em diseussio; mas
felicito me de o ter feito, porque chegaTnos
a um duplo resultado, seno o primeiro n
incidente que se deu com o Sr. miistro da
justifa. e o segundo o quo occorreu entre
a nobre commisso e o honrado mini-tro
da guerra ;$. Exc. pedindo commisso
que iniciasse urna medida no sentido de
afastar do exercilo horneas i uprestareis pela
idade avancada, dadas certas circumstancias
a commisso, pelo org3o do seu illastrad.
relator, pareccu de alguma maueira con-
trariar isso.
O Su. Rodrigo da Silva : Perdo ; eu
s apresentei ideas minhas.
O Sn. Alucio Ges: Mas afhwl deu-se
um tal ou qual reconhecimento de ser ne-
cesssaria urna medida neste sentido.
prociso, Sr. presidente, abrir claros
no quadro do exercilo para que possrn S
ter generaos mais novos em circumstancias
de prestaren) servicos ao paiz.
Lembro-me que durante a situacao passa-
da o ministro da marinha apresentou nesta
cmara, urna medida, pedinmi a eleva-
Co dos quadro, afim de que podessem ser
promovidos alguns officiaes da armada, que
cstavam presos aos postos por nao haver
vagas: pouco mais ou menos a medida
que deve haver no exerc te para que pos
sam chegar at as summidades militares
alguns olliciaes mais robus'.os e em idade
tal que possam prestar bous servidos.
O Sr. Lamego : Um augmento do qua-
dro do exercilo.
O Sn. Amacjo Ges : Sem dnvida eu
eslimo bastante merecer o ascenso do hon-
rado deputado, que pros-ional na ma-
teria. O mesmo que se fez na marinha
se deve fazer no exercito, c p consequew-
cia a honrada commisso deve apressar-se
quanto antes a traduzir < m projecto de lei
as ideas do Sr. ministro da guerra a este
respeito, ideas que tem assento na legi la-
<;o da Europa culta e civisada, como elle
fez ver.
Sr. presidente, continuando aiadj a abu-
sar ila pactencii da cmara (nao apoia'iosj,
eu felicito o gabinete por urna medida to-
mada ltimamente no assumpto relativo
guerra e marinha. Durante a siluaco
passada, que (nao cessarei de repetir) dei-
xou o paiz envolvido em urna guerra que o
teni devastado, o thesouro dcsbaraU jo, a
constituico e as lois violadas (apoiados) ;
durante essa situacao entendeu-se que a
acquisico de bracos escravos era ama me-
dida de summo alcance, desanima vaota-
gem para se debellar o inimigo, que tinha
affrontado a honra e a tntegridsde nacional.
Para osle ramo de servico expediram-se
diversos agentes por todas as provincias, e
despendeu-se urna aomma fabulosa. Sna
minha provin spenderam-se.......
adiara conveniente que nesta ei se repro-
duzifS, ainda'que nao seja na presenta dii-
cusso, o assumpto do projecto que est no
senado, determinando que contina em vi-
ior a disposicjSo a respeito dos privilegios
lac
4
qu
em um paiz
:va na fi
Ji v, poi
liltrahida
loife tal
Smente
51 necesiftae de
l etsenolal.
tadl^ue, ^i
e mais santas. (Apoiados.) Portanto,:ej rm*>deolarou que aprovincii da Minas-Ge-
raes havia concorrido com fortes contin-
gentes para o csercKo que combate nos
campos do Paraguay.
E' emi qu.'-sto essa, Sr. presidente, em
que nlo quero ter a m mor ingerencia (mu
to bem); nio desojo d^cutir quaes foram
as provincias que deram maiores contingen-
tes (apoiados), quaes aquellas que os de-
ram menores (apoiad >s); ente:nlo que to-
das as provincias fizeram o sacrificio que
Migaran poder larcr para susicntar a honra
e a dignidde nacional. (Muitos apoiados.)
P->r esta occisio pei;o venia ao nobre
depuUdo, que fallou em um das snsiSes
pass idas acerca la guarda nacional, repu-
tan lo-a ronissi ao servico di guerra, para
iL'i-larar-lh pi; le:iho alquil! escrpulo
de conf iruiar-m-.! com a sua opinio. Pela
minha pacte cateado, e 6 esta tnmbem a
opinio d i g tv.'in i, que a guard r na.'io-
nil tem prestid i os mus relavantesser-
vicos, nlo s dentro do imperio, como nos
campo?do combit's. (Muitosapoiados.)
Aqui m-smo, senliores, estou vendo um
illustre deputado que levou para aquellas
paniipos liila'iio-s do guarda nacional que
se iltostrarnm, como elle se illuslrou, pela
suaedragem, o disciplina e pelos importan-
tes espieos que preslaram napielles lu-
gares.
A coico, essa especie de coaco que se
emprepva por parte do governo, e que se
antomou ao nobre orador a quem me refi-
na como urna prora de reluctancia da guir-
di nacional, en a explico coma un acoa-
tecimento natural; nem todos se prestam
2,388:3 i 2:5360.*.
O Su. Cardoso Fo.ntes : Dos quaes
nao se pre-Uam contas. ,* >
OSr.
OSr.
O Sr. Aiiaijo Ges : ..; sendo pela
marinha 2,088:138^560 e-pela guerra...
29):70'i>. Quaes seriam os bracos adqui-
ridos ? Teriam relies prestado todas as
vantagens, todos os proveitos, que o paiz
tinha direito de esjaerar em vista de um
dispendio taoavult.do ?
Felizmente o actual ministerio &ugpjgulcu
immediatam-snte esta medida, e nssifciao
connuou-se na acquisico de bra?os es
cravos para faze-los hombrear comeidadaos
brasileiros que esto pleiteando' a. cansa da
civilisaflo e da redempe-o do Paraguay.
Pareca, Sr. presidente, que o "Brasil tinha
chegado aos ltimos tempos da decadencia
romana, armando escravos para a defesa da
ciliado e das instituicSes. (Apoiados
Um Su. Deputado : E degrad <
O Su. Araijo Ges : E dqfcndados |
Felizmente o Brasil ainda nao chegou a
este tempo, temos ainda muito patriotismo ;
quando fr preciso os nacionaes ho de de-
fender e cortamente continuaro a detmder
os seos penantes ee honra do paiz. (Muitos
apoiados.)
Sr. presidente, por ultimo, eu me diri
girei ao honrado Sr. ministro da guerra,
pessoa da minha amiga estima e amizade, e
fque n5o pode duvidar do apoio sincero que
Ihe presto e tenho prestado *m todas as.
pocas, desde que comecmos a vida pu-
blica. Peco permissSo a S. Exc. para di-
zeNho que sabia achar-sc no senado o.pro-,
jeoto de fixaco de foffcas para o anno de
1869 a 1870 e que o projecto em dis;uMBoj
era relativo ao anno de 1870 a 18-71. S
Exc. respondeu-me que esperava acabar a
guerra no exercicio da lei de 1869 a 1870,
e que portante, as minhas observa
tinham applieaco alguma ou eram impor-
tunas, vislo que na poca daex-cucoda
(eij naohaveria voluntarios da paria. Per-
mitame S. Exc. dizer-lhe que em mi
de guerra tio possivel fixar um praso
certo e determinado, dentro do qual as ope-
raeoe* deterjo cessar entre nos mesmo na
guerra actual, ig provieoen dos nossos gane'
hws iiBo se tem reattsaflo. as pre\
Pi.viiEito : E em teda a parte, averno tem falhado por mais de
Aiuwo Oes : "Qaando S. Etc.
por couwfliuucid, dvtfldo cnid-ir-
com
Eu no quero dar conselhos ao ministe-
rio, compre-hondo ptvfuwente a distancia
em que estou quer defls, qeer de qualquer
dos honrados cavalheiros que -ocompoem,
a mesma que separa o rasleiro noctivoo do
altivo o soberbo cndor dos Andes : mis
desejo que o governo do pai/. foja, evite
quanto poder coastitalpe mquella p isic-i
de um anUgo general a quem osen so!a>
rano |wrgunt.avi : 0,i I: est > as minhas
legiBes?- 'Eu nao jjeere-'qoyem tempo
algum se possa perfumar ao governo. aos
pedfeitss [i jWc-ts ilo paiz : Onde esta" I
os bravos que foram desalfrontar a hoara
nacional ?
A!i Sr. presidente, a rasada, de multes
l est fiTlilisa-i lo as campias do Para-
guay D go fortilifindo, pfrqde ella v.d
ser a base do edificio, da civilisaro daquel-
le povo muitos a)aiados);e o rstente,
symboto vivo do patriotismo invjavel e de
inexcedivol de Icario0! Em nome desse
restante, em nomo dessas reliquias sagre-
ras, eu redamo do governo protecr;*) e am-
paro .' Tenho concluido. (Muito bem, mui-
to hem !
O Sil. BAR.VO DE MURITIBA (ministro
da guerra): V caawra laom v que estou
na ohrigaco de dar algunas OAplicaces
aos dousiiobros deputados (pie occaparara
a sua attenco. Cmiecurei pe'o lionralo
deput;:do que fdlou u.n ulliuia lugar e jo
insisti n'mna opinio, j aqu omittiJa, de
inserir-si no projecto em discusso a dis-
p.isico que se ach no OttU'O projecto de-
pendente di ap)iovaco do senado, fixando
as forfas de Ierra para o anno linanceiro de
l8J9aH70. Esta disposico se refere a
algumas van! i^ens eouceJidas aos volanla-
rios da pal ia.
Quando pela primeira vez o nobre depu-
tado olere -,eu as c. >nsid>'raco,-s que ora
repeli a esta augusta cmara, cu tive a
honra de dizer-Jheqiie nao me pareaa mais
necessaria osla disposico da lei, oa que no
anuo della teriam eessado todos os motivos
que deterininaram a sua existencia as leis
passadas e no acuial projecto que corre no
senado. S. Exc. agora com summo criterio
disse-me que pode sajaue a guerra nao es-
leja terminada nessa^oca.
Quando mesmo nao tivesse as mais bem
fundadas es|>ermiciis e- rjne nessa suppost-
co do honrado membro, ha alguma cousa
que senao pode admittir, nem por isso rae
conformara ainda com a opinio do Ilustre
deputado porque, se desgraciadamente se-
melhantcs circumstancias perdarassem, nio
era difficil pedir s cmaras, no principio
da sesso futura, a necessaria autorisaco
que agora deseja o nobre deputado que se
insira no projecto actual.
Parece quf o publico ficaria seriamente
impressionado se o governo insslisse pela
insercao de que trata o nobre deputado;
poder-se-hia pensar que o governo nao ti-
nha urna conviccSo profunda de que a guer-
ra se terminara em muito mimos do um
anno. on no anno de 18159 a 1870.
Senliores, aeho tan npossivel de reali-
zar-so a hypolhese que o nobre depulado
gurou, que nao posso deixar de recor-
dar-lhe que urna senrelhante hla impute
ria urna desesperancegeral;
Nao seria eu, portante, Sr. presidente,
que concorreria para que essa desesperanza
se manifestasse e invadisse todo a popula-
r) ; nao seria eu que animara a crem;a ou
receio que pudesse alimentar J populaco
do imperio de ter ainda de caantimiar nos
enormes sacrificios que at agora.'tem feito
para sustentar esta guerra de honra.
Demais, todos os gloriosas successos
que se tem passado nestes ultimos .seis
mezes convencem mesmo aos* mais incr-
dulos, que a guerra se appTox*ima rpida-
mente ao sen (im. (Apoiados.)
Aind-boje, noticias as mais satisfactorias
se leu) espalhado^poiados), e essas noti-
cias assevero A cmara que sao exactas ;
rece si deltas participadles officiaes. Posso
assegurar cmara que a cada hora es-
pero ainda noticias mais completas e mais
decisivas.
O Sn. Pinto de Campos : Deus as
tenga I ^4
O Sn. MiMSTfio da Gi'F.ura : Como,
pois, neslas circumstancias ea ncertaria urna
idea que cantraria a todas essas noticias,
a todas essas fundadas previs'S ? Creio
que n3o o poderia fazer. (Apoiados.)
Perde-mc, portento, o honrado deputa-
do se agora mesrao nao posso conformar-
me cem a sua Ilustrada opteiSo : pareco-me
que assim seria cauteloso' de mais; nao
irtJlo longe.
O honrado deputado.pela proiiacia de
Minas-Genes, que fallou em prio^iro lu-
gar, emittio o sen juizo sobre a insnfflcien
ia da forga pedida pelo govereo para o
servif-o do anno financeiro a que O projec-
to se refere; disse que essa forca nao se-
ria 8ulTiciente para guarnecer toda a nossa
coste, para.ocmpar todas as nossas fron-f
teiras, e para ser empregadas em todas a$
nossas guarniges e fortalezas.
Conformme inteiramente nesta parte
com o nobre deputado : nem s esta forc
porm inesmo a Uobrada, e nem ain+i
da "40,000 homens que se padissem sej
riam bastantes para guarnecer todas as
CWjas do Brazil e todos os ontros pontea
do imperio que o nobre deputado suppS
deverem sor guarnecidos.
Mas, senhores, na fixaco da forca dq
eaercito nio se atiende smeote necess
da"de das fortifleafbes qua se tm a guar
liras ne
essfdadcsde naturas anloga; precis
rom a mesma boa vontade para o servico
por mais importante que seja : rtesgrapaa-
ente a E' preciso, pois, que o governo uftqj.1
armada de agu:n meio coercitivo pan que
ceses refractarios sejam tambem levailos a
partilhar o peso com que os ontros volun-
tariamente cacregam ; e porque, senliores,
foi preciso este moio de eoaeao para a guar-
da nacional? N > meu humild
foi porque a guarda nacional se tinha traias-
formido em um exercilo de voluntarios.
(Apoiados).
O Sr. DvARTti de AzBVF.no :Peco licen-
Ca a V. Exa para observ.ir-lhc que alguns
delegados do seu ministerio me apoiaram
na occisi em que eu falla va.
O Sr. TiiEOoono da Silva :Eu psr ej-
emplo.
O Sn. Mhwstro da Gt>a:auiA: No meu
entender guarda nacional e os voluntarios
da pal ria se confundiam fwreitamonto ; po-
der-se^hia dizer que os voluntarios da pa-
tria eram ero outros seno .os mes
guardas nacionaes (apoiados), com um an-
gu! >'de mais no braco esquerdo, e t.ilve:
com algumas ouiras vantagens que desde
logo foram dadas aOs guardas nacionaes.
(Apoiados.)
Nao quero com isso dizer q:e ainstitui-
co da guarda nacional estoja par tal ira-
todos os recursos para nHIes rccolher osses
i ssos briosos militares
que nio tem meies com que possam acudir
nos seas curativos.
amito que exija uaa parte dos
venrrmcntras queellestem quando com sati-
de.tpera aitenuar despezas 10 vezes maiores
que tetera nos hospitaes; urna pequenis-
sima lempensac^o.
E alm disto, o honrado deputado sabo
que este disposico nSo vera de hoje, nem
privativa do Brasil.
Emtoda a parte os soldadns e officiaes
nos hjjyjitaes perdem urna parte de seus
venciDtos, e s vezes todos elles.
O honradodeputedeporesta eccasiio tra-
lou tambem da meequinhez dos vencimentos
que tem os officiaes que abandonando tudo
vo servir sua patri1.
Eu sou o pi imairo a reconhecer que em
t-mpo de paz os vencimentos dos olliciaes
nio sao te I vez correspondentes s necessi-
dades que elles tem de prover; mas a
questo ni) se esses vencimentos sao
um pouco insnflicientes para um tratamen-
to de cerla ordem, e sim se as fnancas do
paiz podem dar a estes dignos militares
vencimentos maiores do que aquelles que
Ihes esto marcados.
A assembla geral por proposta d) gover-
no o outras vezes de sin nropria iniciativa
lera por dilerenles occasies elevado os
vencimentos dos officiaes do exercilo. Eu
teria o melhor desejo de ueste momento
pedir augusta cunara um augmentodestes
vencimentos; mas confesso ao honrado de-
putado que nao vejo prnporcos as finaocas
do Estado para occorrer a despeza que esse
augmento acarretaria.
O honrado deputado tambem criticn ou
censurou a le que ordena que os olliciaes
incapazos do servico por qualquer incapa-
cidade phy.sica, ou seja proveniente de mo-
lestia adquirida om servico. ou seja em
consequencia de ferimentos, sejam refor-
mados. Mas eu peco ao honrado deputado
que in! diga qua! seria o destino que se
deve dar a um ollicial que esteja comple-
tamente incapaz de prestar-se ao servico
de sua profisso. a nao ser corrceder-lhe o
vcncimenlo marcado em lei com o repouso
que necessario para descancar das tai-
gas e trabajaos que ji nao pode fazer.
Ou eu nao co.nprehen li b am o que o
honrado deputado disse a este respeito, ou
ento necessitava alguma indicacao do meio
pelo qual se poderia prover sorte destes
afiicaes difieren te daquella que actualmen-
te est em pratica.
A caera sabe perfeitamenle que os olli-
ciaes incapi/.es de servico, e qui tem mais
de 2-j anuos de praea, sa reformados
com o sen sold por inteiro, e quando pas-
sam de 'M annas, e en oulrai circumstan-
cias que nao ref-srire para nao tomar tem-
po a casa, com vanlagens uperiores.
Se, porm, estes officiaes sao landos em
entender cmbale, qualquer que seja o lempo de
servico, a sua reforma se faz com os mes
mos vencimantos do posto em que levo
a infelicidade da ser ferido.
Ealm disto, Sr. presidente, tem sido
tal o desejo do governo de nao deixar sem
gyiuneraco os servicos prestados ao
paiz, priricipalmentu na guerra actual, que
a muitos desle officiaes, quando por actos
de notavel bravura, quando por actos de
grande inlelligencia, ehegaram a licar inu-
tilisados por ferimentos, tem concedido,
alm-flo-sold da reforma, algumi penso.
J nao fallo de outras honras que se lhes
tena conferirlo; isto c pnBTfco, toctos elles
tem attestados bem .vsiveis do desejo e
da procedimento do governo em relac-ao ao
premio dos seus s-rvifos.
' Nio s
disse alguma cousa mais a que eu tivesse
obrigaco de responder. Por on, recor-
rendo aos apontamenlos que tenho, nao
;i se nlgum dos honrados membros
da casa. ''Muito bem I Muito bem!)
Ningnem mais pedindo a pa avra, e pon-
do-sj a votos a propo3ta, 6 approvada em
ambos osartigos, e passa3* discusso.
Entra em 2a discusso o projecto de-
terminando que o tempo de priso, imposta
em virtudo de redueco de multa, quando
o reo nao puder paga-la nunca ser maior
que o da pena prtaeipal nos (Times aflan-
caveis, e de matado nos crimes inaan-
caveis.
Ningnem pedindo a palavra, fica a dis-
cossSo encerrarla, nao se votando por ter
dado a hora.
Ddda a ordem do rla, levanta-sc a ses-
so as quatro horas da tarde.
DE
verifi-
ncira feita, que prbduza ledos os resulte- julgo conveniente r-ecupar mais attenco
dos que convinha esperar; mas, qualquer
que seja a organisafao que se Ihe der, es-
tou convencidissimo qtie os resultados nao
ho de ser muito dilerenles dos que at
hoje tem apparecid .
Peco de novo desculpa ao honrado de-
pu'ado pela provincia de S. Paulo por ter
discordado da sua opinio. Folguei muito
ilo ouvi-lo; as consid^raQoos que fez sobre
o estado da guerra foram cheias do mais
intenso amor do paiz. Mas o honrado de-
pulado emittio um juizo com o qual tem-
bem lenho algum escrpulo de conformar-
me ; e foi, senhores, sobre a excqoibilida-
de, ou antes, como se exprimi o honrado
diputado, a ti li dad o que poderia haver
em tratar se com o dictador Lpez.
Tenho escrpulo, Sr. presidente, nao
porque o tratado da trplice allianca hou-
vesse imposte lissa coadico, mas porque
depois das atrocidades pralicadas contra
os Brasileiros (muitos apoiados), contra os
prisioneiros do guerra (continan) os apoia-
dos.)
O Sr. Pinto de Campos:Contra ahu-
manidade em geral.
O Su. Ministiio da Guerra :.. por isso
esse homem feroz (numerosos apoiados),
e'i teria muita dfficuldade summa dilicul-
dade, e mesmo repugnancia quasi inveaci-
vel, em tratar com semelbaute hornera...
Sn. Pinto de Campos :Apoiado : que
alm de perverso, excommungado (Apoia-
dos e risadas.) Nao poupou o proprio bispo.
O Sn. Ministro da Guerra :... anda
mesmo que as eondicoos da paz por elle
offerecidas nao fossem desvantajosas ao
paiz. (Apoiados ; muito bem.)
Espero em Deus, que n3o teremos ne-
cessidade de recorrer ao remedio lemlara-
do pelo honrado deputado para obtermos
Gom muita brevidado urna paz honrosa e
duradoura...
numero sufficiente, abre-se a
e approva-se a acta da antece-
Repito, Sr. presidente, sinto muito dis-
cordar da opinio de to Ilustrado depu-
tado....
O Sr. Duarte deAzevedo:Mullo abri-
gado.
O Sr. Muistro da Guerra : mas S.
Exc. me permittir que eu manifest os
escrpulos que tenho em seguir nesta par-
te a opinio que emiltio.
O bonrado deputado pela provincia de
Minas Genes, de quem eu fallava ainda ha
pouco, achou mesquinhos os vencimentos
dos officiaes quando se achavam nos hos-
pitaes para curarenM das doencas adqui-
ridas nao sei'se em campanha, ou era todo
o caso.
Itenhores, eria excellente se as finenca*
de-qualquer paiz, nao digo s do nosso,
podessem-dar essa classe grandes venci-
mentos-ea eccasiio em que taes officiaes
mais pfwtetm.
Mas note o! honrado membro me o Esta-
do flao'criflcio de ter hospitaes monta-
SESSAO EM 16 DE JNHO
PRESIDENCIA DO SI\. VISC0NDE
CAMARAGIBE.
Ao 1/2 da, feita a chamada,
ca-se have
sesso.
' Le-se,
do nio.
O Sr. Io SMnamue d conla do se-
guinte
EXPEDIENTE.
Um ofliciodo minis!erio do imperio, de-
clarando que se expedir aviso s presi-
dencias das provincias de Minas-Genes e
Pernambuco, acerca das decisoes desta c-
mara a respeito de variaseleicoes parochiaes
l'etas as mesmas provincias.Inteirada.
Outro do ministerio da guerra, aecusaig
do o recebimento do olficio desta cmara,
communicando quo a mesma cmara deli-
herou que se copsignasse na acta um voto
de felicitaco e reconhecimento ao exercito
e armada, voluntarios da patria, generaos
de mar e terra e ao inclyto duque de Ca-
xias, que com tanta proliciencia e valor < s
dirigi aos diversos campos de combate no
Paraguay, onde alcancaram para a patria
gloria iuimorredoora e para si renome e a
gratido do paiz, e declarando, em respos-
ta, que se expediramas necessarias ordens
para que a integra do referido officio seja
publicada em ordem do da do commando
em chefe das torcas brasiieiras em opera-
Ces e na repartico do ajudante-general.
Inteirada.
Quatro do 1* secretario do senado, de-
volvendo, por nao ter podido o mesmo se-
nado dar o seu consentimento, as proposi-
Coes que antoris'o o governo a mandar ad-
mittir matricula e exame os estudantes
pedindo o lugar de continuo da mesma c-
mara. A ootnatesu do polica.
Outro dos 'genies de leiloes da praca
do Rio de Janeiro, pedindo que seja re-
considerado o | T do art. 19 da lei n.
1,507 de 86 de oultibro de 1867.A*
comraissSo de fazenda.
Outro do Meldiiades Correa Garca, pe-
dindo para que sr*jam nceifos na faciddade
de direito do n-ciff os e.xames de prepara-
torios por elle feitos na Babia.A' com-
missJSo de iiislrucc5o publica.
Ootro de Chrislovo Francisco de An-
dnde, pedindo para fazer acto do anno
medico da Babia, raostrando-se antes habili-
tado em inglez e philosophia A' mesma
commisso.
Outro de Raymundo Francisco de Vis-
concellos, alumno do 3o anno pharmaceu-
lico o ouviiite das aulas de anatoma, pe-
dindo para ser matriculado no y meo me-
dico da faculdade da corte, depois de mos-
trar-se habilitado em anatoma.A' mesma
commisso.
Outro de Alberto Francisco do Espirito
Santo, pedindo para se matricular no 1*
anno medico da Babia, prestando antes do
acto o exame de-algebra, que Ihe falta.
A' mesma commisso.
Outro de Pedro de Andrade Freitas, es-
tallante do pharmacia da faculdade da Ba-
bia, pedindo para se matricular no *
anno medico, fazendo antes os preparato-
rios que Ihe falten.A' mesma commis-
so.
L-se, e (ice adiado por ter pedido
a palavra o Sr. Gama Cerqueira, um pare-
cer de commisso concluindo assim :
Sendo, portento, incontestavvl a lega-
lidade da nomeaco do cidado bresileiro
bacharel Antonio Augusto da Fonsew para
o cargo de presidente da provincia do Pa-
ran, a commisso de parecer qae seja
archivada a representarlo da aesemMa
legislativa da mesma provincia.
f Sala das rommssoes da cmara dos
depuiados, 10 de Junho de 1860.Ma-
notl Francisco 6&rf$a.>L. A. da ilva
Ninirs J. M. Figttcira de Mello.
Lm-se, e vo a imprimir para en-
trar na ordem dos trabalhos, as redatf-oes,
sobre transporte de verbas e abertura de
crditos, matricula de esludantes e natura-
lsaces.
- Procede-se a-votecjto do parecer da
2a commisso de poderes sobre a eieicao
primaria da parricida de Ouobrangolo,
pertencente ao coll go da Assembla, do
! dislricio da provincia das Alagas, e
approvado.
Vai-sc proceder i votac-o do art. Io
do projecto, cuja 21 discusso iicra en-
cerrada na sesso antecedente, declarando
que o tempo de priso imposta em virlude
re reduce*) de multa, quando o reo nao
poder paga-la, nunca ser maior que a da
pena principal nos crimes inaliancaveis. E'
rege i lado.
Contina a discusso do requerimento
de adiamanto offerecido polo Sr. Paranhos
Jnior ao projecto que marca os limites
entre as provincias de Goyaz e Matto-Grosso,
com o addiamento do Sr. Cruz Machado,
pedindo que; no cso de ser adiado o mesmo
projecto, fosse sem prejuizo da Ia discus-
so.
Fazem ligeiras^ consideracles os Srs.
Mello Mattos e Paranhos Jnior.
Ninguem mais pedindo a palavra, e pon-
do-so a votos o requerimento, approva-
do. em seguida tambem approvado o
additamenlo.
Contina, portento, l discusso do
projecto, e, ninguem mais pedindo a pala-
vra, igualmente approvado sem debate
e remeliido coinmi.-so estetistica.
ORO KM DO DA
Entra sm 2a disdusso o art... i* da pro-
posta do governo que fixa a forca naval
para o anno fmanceiro de 18701871.
Sao lelos, apoiados, e ficam reservados
para occasiSo opportuna, os seguintes ar-
tigos addilivos:
O governo fica autorisado a rever as
tabellas de vencimentos que sob a denomi-
narlo de .materias e comedorias se abonara
aos olliciaes do carpo da armada e classes
annexas, alim de reduzi-las a urna s para
que, com mais simples e fcil classificago,
se atienda s diversas conveniencias do
servico, proporcionando-lhes mais equi-
tativas gratificacoes, de modo que a des-
peza total nao exceda verba votada.
Sala dsa !esso>s, em 1( de junho de
1869.Jesuino lamego Costa.Rodrigo
da Silva./. Pedernciras.
O governo fica autorisado a conce-
der carta de cidado brasileiro aos estran-
geiros que a requererem e se acharem ao
servico da armada nos corpos de machi-
nistas e officiaes marinheiitas, urna vez
que contem dous annos de praca ou um
anno de campanha.
c Estas cartas sero expedidas livres de
toda a despeza para os agraciados,
c Sala das sessoes, em 16 de junho de
1869. Jesuino Larnego Costa.Rodrigo
da Silva./. Pedernciras.
O SR. FERREIRA DE AGIAR : Sr.
presidente, pedindo a palavra c fazendo
agora uso della, desvi i una norma
jdeconducta que me liava imposto, isto ,
vina tribuna mais cedo do que pretenda.
Era meu proposito aprender primera-
mente, aprender muito tempo, e nao por
to cedo em contribuico a Ilustrada atten-
co de meus notares collegas, nem to cedo
fazer exhibico deminhainsufficencia. (Nao
apoiados).
Agradeco aos nobres deputados a anima-
co que acabara de dar-me e de que muito
careco; mas ella nao far com que eu dei-
xe de escotar os brados da conscenca,
que rae falla liguagem bem dv ,m a
franqueza com que sempre nos falla essa
conselheira severa e imparcial.
' Esqueci, Sr. presidente, o proposito que
havia feito, porque vejo qae-sao passadas
as discusses do orcamento e de?iWacao
das tercas de trra, sera que errores mais
habilitados e palavras mais prestigiosas se
tenham oceupado de certos assuniptos, que
eu desejava ver tratadas nest casa, e nos
Joaqun) Onofre Pereira da Silva, Manoel P?8 P0^ isso mesrao tocarei, ainda .que
Ferreira de Mello, Misael Ferreira Penna e
Francisco de Paula Barroso Nunes. Intei-
rada.
Outro dqlr. barfodr?'Mamangnape,cou>
momeando que no da 15 do correnle
prestou juramento c tomn assento no se-
nado como senador eseoJhldo pela provin-
cia da Parahyba.Inteirada.
Vta reqnertnaento de-Jolo Jos da Sil-
dos eoarfriide Aspendos, prvidos d foia, fuf das galeras dista cmara.
hgeiramente, -vencendo todas as difficada-
des que rodeiam na tribuna*urna palavra
pobre como a minha.
Uma Voz:E' modestia.
(miamr-se-lia.)
iwmuMi9-^umt:wuMir
"
Ip
-ljl
f
I.
^v

!


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1IY218FG_XF3I1B INGEST_TIME 2013-09-14T03:14:12Z PACKAGE AA00011611_11891
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES