Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11890


This item is only available as the following downloads:


Full Text
4M0 XLV. NUMERO 158.

j


.
k
r
h a ettTAi i ivum mt hao sr na- rom.
Por tres mezes abantados.....
J?or sais ditos idom. ... ..,. 60000
Por nm aono klem. .....' ........ ***
Cada Damero avulso ... nfc:" "..... 2*J00
............... 13
QUIOTi niM 15 DE JULHO DE I86S.
PAHA MRBO I rOSA. DA PBflfOCIA.
Por tres nuzes adiaoiadM........
Por wb ditos idem...........'
^wi ditos kta...........
Por os anuo. ....
6,57
*
Propredade do Manoel
s. 0,^0 ^^r^r^^^ o-*; **
Antonio AlexaodriD.de Lima, naParaJ^ht; Antonio Jos Gomes, na
em Nazarena; Frwcao laores da Costa, em Afag**s; J>. Jos Martins Al
PARTE OFHCIAL
Malftterfo da gnerr*.
I M. 1,588 DE 30 DE ICNHO DE 1869.
ria aefppas de ierra para o anuo finauceiro de
1869 a 1870.
D. Pedro If, por graea de Deus e unnime ac
eramacio dos povos. Imperador constitucional e
defensor porpetuo do Brasil : famnn saber-a to-
dos os nosso subditos, que a assembtea eral de-
creten e nos queremos a le sega inte :
Art. t* A le n. 1,471 de 23 de setembro de
7 que fliuiu as forras de trra para o anno ti-
naneerre de 1888 a 1869, continuara em mor ha
amo flnancoiro de 1869 a 1870.
Art. 2.* Pica desde ja o gorerno autorizado:
$ 1." Para adiniltir no primeiro posto do exer-
cito o* offleiaes e pracas de pret dos corpos de
voluntarios da patria e da guarda nacional que
lenham prestado por dous annos bons serv eos de
campanha.
g 5. l'ara transferir de urnas para oulras ar-
mas, cotnureliendidos os corpos especiaos, os offi-
ciaes do exercito, que na guerra actual tenham
mostrado aptdo para arma differente da soa,
urna vea que para ella tealiam as habiliucees ne-
oessaria* o exigidas pelas leis em vigor.
Art 3. Coniiouarao em vigor as dsposie5es
dos argoj 4. e 5., L- da le n. 1,246 de 28 do
junho do 1815
Art. 4. J*ieam revogadas as disnosiioes em
contrari
.Mandamos, portante, a todas as autoridades a
quem o conheemento e execucao da referida lei
partencer._ que a cumpram e facam comprir e
guardar ta< inteiramente como nella se contm.
O secretario de eslado dos negocios da guerra a
faca imprimir, publicar e correr.
Dada oo palacio do Rio Tte Janeiro, aos rinta
'lias do mez de junho de 1869, 48.a da indepen-
dencia e do imperio.Imperador com a rubrica e
guarda.ftiruo de Muritiba.
Carta do lei, pela qual V M. Imperial manda
exeeular o decreto da asscmbla geral que houve
*por bem sanecionar, fixando as forcas de trra
para o anno finauceiro de 1869 a 1870.
Para V. M. I;nperial ver.Custodio Joaqun
Morara, a tezJos Martiniauo de Menean.
Transituu na chancellara do imperio, em 2 do
julho de 1869.Rndr Augusto de Padm Flettru.
Foi a ('rsente lei publicada nesta secretaria de
estado dos negocios da guerra, em 5 de julhe de
1869. Mariano Carlos de Souza Correa.
H$i por bem conferir aos generaos, offleiaes e
o praoas.d* pret, constantes das duas inclusas re-
lceos que com este baxam, assignadas pelo ba-
rao de i Muritiba, conselheko de estado, senador
do Imperio, ministro e secretario de estado dos
ncgociosjia guerra, a roedalhade mrito milito
1868, em pttenca* aos actos de bravura por "ellos
iraticados em diversos combates, segunda as in-
ormac,es que subiram minha augusta presen-
ca. O mesmo ministro e secretario de estado dos
negocios da guerra assim o tenha entendido o faca
executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 28 de junho de
1869. 48 da n lependencia e do imperio.Com
a rubrica do saa niagestade o imperador.Baro
de Muritiba.
Relaro dos genaraes a que se refere o decreto
desta data, concedendo a medalha de mrito mi-
litar creada pelo decreto n. 4,134 de 28 de marco
de 1888
Tenente-general reformado conde de Porto-Ale-
gre, pelos combatos do 3 e 22 de setembro de
1866 e 3 de novembro de 18G7; tenente-general
Polydoro da Fonseca Quintanilha Jordao, pelos
combates do 16 e 18 de .julho de 1866 ; mare-
chai de campo Guilherme Xavier de Souza, pe-
los combates de 24 de niaio, 16 e 18 de julho
da 1866.. J
Palacio do Rio de Janeiro, em 28 de junho de
1869.=Brtro de Muritiba.
Relamo dos generaes, offleiaes e pracas a q*e se
refere o decreto desta data, concedendo a meda-
lha de mrito militar creada pelo decreto n. 4,134
de 28 mano de 1868.
Divisao provisoria auxiliar.
Coronelcommandante Antonio da Silva Pra-
nnos, pelo combate de 27 de dezembro do 1868.
fc divisao de ca vallara
Coronel couunandandanle Caetano Goncalves da
Silva, pelos combates de 11 e 21 dito.
2* brigada de infamara.
Corouel commxndante Domingos Rodrigues Se-
xas, idem de 6, 11 e 21 dito.
da 1* oolumna do
Sampaio
hro do
(iodo
fo de VI
reir do
Thomaz
s ordens Themotheo fiircia da Rocha, CamiUode
Mello, Vustar de Olweira Barrete e Fructuoso Jos
Lema, dem.
Eslado-maior db conmando
exereile.
Toaente ajudante de campo Fredorieo Augusto
da Gama e Costa, e lente ajudante de ordens
{ MAagasto.de Serra Martins, pelo combate do,
EUdo-maior do commando da f dwjsio de in-
fantaria.
de campo Frederico Soln de
rpefo combate de 6 de derem-
nontes scriptararios da reparti-
do ajudante general Jos Loaren
lites Chaves e Melanio do* Res Pe*
idem; alteres ajudante de ordens
dezembro deTges"'^^' '* ^^ d M de
Estado^maior da commando da 3" divisao de in-
_ fanuria.
Capitao assistente do depntado do ajudante ge-
neral Manoel Francisco Soare?, pelo combate de
II de dezembro de 1868 ; dito dito do quarlcl-
mestre general Garlo Augusto da SHva, idem ;
dito ajudante de ordens Candido Alfredo de Amo-
run Caldas, dem ; ajudante de campo, Antonio
da Vera-Cruz Doria, dem: alferes escripturario
da reparticao do depulado do ajudante general,
hvaraldino Martins de taan, dem ; cadete
1 sargento amanuense da mesma reparticao Joao
Machado da Cuaba, idem; tenentes Delphim da
Cmara, Francisco Pedro da Cunha e Aureliano
Augusto de Azevedo Pedra, idem.
Kstado-maior do commando da 4" divisao de in-
fantera .
Capihw assistente do depulado do ajudante ge-
neral Joao Francsao Akes, idem; lente es-
cripturario da repartir* do deputado do ajudan-
lo general Iganacio Antonio Gomes de Oveira,
dem.
Estado-maior do com-nando da 5 divisao de in-
famara.
Capitao eseripturario da reparldao do deputado
do quartel-mestre general Antonio dos Santos Lon-
tra, idem; lente ajudante de campo Joao Ma-
riano de Jess, idem ; alferes ajudaute de ordens
rraneisco Salustiano da Silva, idem ; tenentes es-
cnpturarios da raparticao do deputado do quartel-
mestre general Jos Luz Fagundos de Brito e
Francisco Joaquin Pereira Caldas, idem.
ndo-maior do commando da Ia brigada de in-
fanta ria.
Capitao as>istente do depurado do ajudante ge-
neral Clao Augusto dos Santos Roxo, idem ; te-
nente assistente do deputado do quartel-mestre
general Helvecio Moniz TelJes de Menezes, pelo
combate de 21 de dezembro dito ; tenentc ajudan-
te de ordens Antonio Carlos da Silva, dem ; 2o
cadete sargento amanuense Hvgiuo Martins de
Almeida, pelo combate de 6 dte.
Estado-maior do commando da 2' brigada de n-
ijuibw 4la^i
1 corpo do exer-
5* brigada do nfantara.
Coronel commandante Joao Antonio de Oliveira
Valporlo, idem dem.
3* brigada de cavallara.
Coronel commaiidanie Antonio Jacntho Pereira
Jnior, idin de 11 e 21 dito.
9" brigada de cavallara.
Coronel commandante Severino Ribeiro de Al-
meida, idem dem.
Estado-maior do general commandante em chefe
do exercito.
Tenente-corone] assistente do chefe do estado-
ruaier Jos Mara de Alttncaslro, pelos combates
de 6, 11, ir. I. 1$ e 27 de dezembro de 1S68 ;
capitaes ordens l'lysses Augusto de Albuquer-
quo Salle?, Jos Pereira da Grana lunior, Geraldi-
no Gomes Pacheco, Jos Antonio Pereira do Noro-
nha e Silva, 8e.lv Jos de Souza e Maxunano Jo-
s Gomes de Paiva, idem idem ; capitao escriptu-
rario Salusiiano ac Bmms e Vasconcellos, idem
idem ; lente escripturario Antonio Garca de
Miranda, dem idem ; tenentes s ordens Theodoro
Marque* Ramos, Alfredo Miranda Pinheiro da Cu-
nha e Jos Mara Marinho da Silva, idem; 2o te-
nent s ordens Jos Ribeiro Nogueira Soares,
dem ; alferes s ordens Alipo Ferreira Fleurv
dem. '
Eslado-maior do commando do
cite.
Canino asstente do deputado da reparlico do
ajudante-general Estevo Joaquim de Oliveira
Santos, [do combate do 11 de dezembro de 1868 ;
capitaes erapregados na dte repurlicio Honorio
ementino Martins, Manoel Clementino Carneiro
da Cuiiia Aranha e Luz Alves Leit de Oliveira
Migado, dem : capitao empregado na reparlico
do quartol-moJlre-general Pompilio da Rocha Mo-
reira, dem ; alferes empregado na .dita reparticao
Antonio Lwiano da Silva, Joao Soares de Souza
Fngo, Canos. Mara da Silva Telles e Frederico Ce-
sar Viaana, idem ; alferes empregado na dita re-
part llantas Bacellar, pelo combate de
21 do dito ; capitao ajudante d'ordena Antonio
Vieira deMacedo, pelo combate de 11 dito ; capi-
tao secretario militar Carlos Machado de Bu>n-
court, idem ; capitao ajudante de campo Leocadio
Jos Rodrigues, idem ; alteres ajudante de campo
Jos Pereira de Macedo, idem ; tenantes ajuman-
tes de campo Manoel Jos Pereira e- Hanoro Ho-
racio de Almeida, dem ; capitao escripturario da
reparttoia cto deputado do ajudante general For-
tunato Meatuaiea Ferreira Lobo, idem ; atieres
empregado na ambulancia Manoel Pinto da Costa
Brando.jdom.
Eetade-tmior do commando do 2> corpo do aur-
cito.
Major secretario Joao Jos de Mello, idem ; ta-
nener ajudante de campo Jos Joaqain Menta
Birreo^ Mein ; capitao commandante do piquete
_-*Jv*ujuailie fe
genral Candido Jos CoeNio de Moura, idem de 21
dijo ; capitao assistente do quartel-mestre Joao de
Souza Castello, dem ; tenente ajudante de ordens
Jos Salustiano Fernandes dos Res, dem de 6 di-
io ; capitao asssstente do depulado da quartel-
mestre general Luiz+Yancisco de Souza, idem de
21 dito ; tenente ajudante de ordens Deocleciano
Aurelio ee Menezes, idem.
Estado-maior do commando da 3' brigada de in-
fantaria.
Major s ordens do commandante Antonio Au-
gusto Sarment de Mello, dem de 6 dito ; tenen-
te as ordens do commandante Antonio do Freitas
Travassos, pelos combates de 6 e 21 dte.
Estado-maior do commando da 4* brigada de in-
famara.
Capitao assistente do deputado do quartel-mes-
tre general Saturnino Ribeiro da Costa, pelo com-
bate de 21 dito ; capitao assistente do deputado do
ajudante general Manoel Bezerra de Albuquerque
Jnior, dem ; alferes ajudante de ordens Domin-
gos Venancio de Azevede, dem.
Estado-maior do commando da 5a brigada de in-
fantera.
Tenente Joao Luz Alexandre Ribeiro, pelo com-
bate de 11 dito ; alferes ajudante de ordens Ade-
lino Rodrigues da Roeha, Idem ; tenonte assistente
do deputado do quartel-mestre-general P..mpilio
Goncalves de Albuquerque e Silva, idem ; 2o ca-
dete amanuense Joao Antonio de Amorim Car-
valho, pelo combate de 21 dito ; pelo sargento dito
Antonio Mana de Jess, idem.
Estado-maior do commando da 7" brigada de in-
fantera.
Tenente assistente do deputado do ajudante-ge-
neral Jo^ Pinto Freir, peloa combates de 11 e
-1 dito ; capitao assistente do deputado do quar-
teUmestre general Antonio Francisco da Costa, pe-
lo eolhbate de 21 dito ; alferes ajudante de ordens
Pi'iko Nicolao da Silva Telles, dem.
Estado-maior do commando da 8a brigada de in-
fanta ria.
Capillo assistente do deputado do ajudante-ge-
neral Antonio Gomes Pimentel, pelos combates de
11 e 21 dito ; tenente-ajudante de ordens Jere-
mas de Araujo Costa, dem ; alferes empregado
na brigada Segismundo Augusto de Mcndonca Lo-
" pelo combate de 6 dito.
brigada do in-
Francisco de Paula Lima, dem ; alferes ajudante
de campo-Lun Lopes da Rosa, Idem; 2 cadete
amanuense Bernardo Von Ever, idem.
Estado-maior do commando da 2* dvisio da ca-
vallara.
GapHia assistente de deputado do ajudante ge-
neral Jos Simeio do Otiveire* petos combates de
H 27 dita ; alferes eseripturari da reparcao
do depntado do ajudante general Delflno Albino
bonealres, dem ; aWerea-daguarda nacional Luz
de tHiveira Goytacnzes, dem; tenente da guarda
nacional Israel de Lemos Pete, pelos embates
do 11-o 21 dito ; tenente da guara naetonal An-
tonio da Cruz Viegas, dem-; capitao as ordens
Mauoel Rodrigues de Macedo, petVconibate de 21
dito.
Estado-maior do commando da 3* divisao de en*
. va Maa.
Major assistente do depulado do ajudante gene-
ral Joao Baptiza Barrete Lete, pelos combate* de
He 17 dito; capitao assistente do dependo do
quanel-mastre-general Paulino Caeteno de Souza,
dem de 17 dito ; tenente escripturario da repar-
ticao do deputado do ajudante general Jos Joa-
qun) de Andrade Correa, idem de-11 ddo ; alfe-
res ajudante de ordem Joe de Oliveira Ne,ves.
dem ; alferes ajudante de campo Jo Prospero
da Silva, idem.
Estado-maior do commando da 31 devisie de ca-
vallaria.
Capitao assistente do deputado do ajudante-ge-
neral Jos Thom Salgado, idem ; capitao assis-
tente do quartel-mestre-general Joaquim Sabino
Pires Salgado, idem ; tenente de commissao aju-
dante de ordens Jos Christino Pinheiro Btten-
coui t, dem; tenente ajudante de campo Cypriauo
Nelsis da Cunha, idem ; alferes eseripturario da
reparticao do deputado do ajudante-general An-
tonio Mendes de Oliveira, pelo combate de 14
dito.
Estado-maior do commando da Ia brigada de ca-
vallara.
Capitao assistente do depulado do quartel-mes-
tre-general Antonio Leal de Macedo, peles com-
bates de 11 e 21 dito; tenente assistente do aju-
dante-general Leonidio Antero da Silveira Filho,
dem ; alferes ajudante de ordens Manoel de Oli-
veira Bueno Filho, pelo combate de 11 dito ; !
cadete amanuense Joao Adolpho de Oliveira Bue-
no, idem.
Estado-maior do commando da 2* brigada de ca-
vallara.
Tenente assistente do deputado do ajudante-ge-
neral Marcos Ferreira de Araujo Cardoso, pelo
combate de 21 dito ; tenente assistente do quar-
tel-mestre general Benjamn Pereira Monteiro.
jdein ; alferes ajudante de ordens Manoel Eneas
Flores, idem ; sargento amanuense Henrique
Joaquim Rodrigues, dem ; segundos sargentos
amanuenses Guilherme Pinto de Athayde e Jca*
quim Custodio Machado, idem.
Estado-maior do commando da 3* brigada de ca-
rptti? ;*.%umtm v? lUpaififlo do ajndante^n-
neral Joao da Cunha Silveira Filho, pelos comba-
tes de 21 e 27 dito ; tenente ajudante do ordens
Sebastiao Ferreira Prestes, idem; alferes ajudan-
te do ordens Antonio Goularte da Silva, idem ; 2o
sargento amanuense Manoel Mximo da Silva, pe-
lo combate de 21 dito; furriel s ordens Felico
Pereira Borges, idem.
Estadw-maior do commando da 4a brigada de ca-
vallara.
Capitao assistente do deputado do ajudante-ge-
neral Jos Mara Epaminondas de Arruda, dem ;
2 sargento amanuense Clarndo Xavier, pelos
combates de 11 e 21 dito.
Estado-maior do commando da 5* brigada do ca-
vallara.
Capitao assistente do deputado do ajudante-
general Germano Jos da Rosa, pelo combate de
11 dito; capitao assistente do quartel-mestro-ge-
neral Jos Ignacio de Andrade, idem ; tenente
ajudante de ordem Tito da Cunha Rodrigues, pe-
los combates de 11 e 17 dito; sargento quartel-
mestre amanuense Luiz Purpurarte dos Santos
Costa, pelo combate de 11 dito : sargento ama-
nuense Frankln Machado da Silva, idem ; alferes
ajudante de ordens Genuino da Cunha Ruis, pelo
combate de 17 dito.
Eslado-maior do commando da 7a brigada da ca-
vallara.
Capitao assistente do deputado do ajudante ge-
neral Graciano da Costa Pacheco, pelo combate
de 11 dito ; tenente assistente do quartel-mestre-
general Gabriel Rodrigues Portugal, idem ; alte-
res ajudante de ordena Francisco Rodrigues Por-
tugal, dem ; prmeiros sargentos amanuenses
Pedro Rodrigues Portugal e Antonio da Costa Pa-
checo, dem.
f iSSJrif /D,i0 ^f8!' Io -M AtAoaio M^W*8 dl Sun, no Natal; Jos Justino
i Sanos Bokao em Santo Aatao; Domingos Jos da Costa Braga,
nam Gaapannho, no Rio de Janeiro.
Ropa
Antonio |
aiferea i
d#nc,a I
Das da
Castro
adjunto
adjunio,
deputado do ajudaate-gMaraJ junte
mando em ebukt do exercito.
onripttirario nervindo da assiitente
M* Silva, pelo combate de 6 dito ;
rano Beiarmino Augusto de Men-
dem; capie adjunto Antao Jos
m; tenente adjumo Manoel de
pelo combate de 21 din; alferes
io da Silva Castro, idom ; capitio
-ello da Silva, idem.
Reparticao V> debutado do m irtel-maslre^encral
junto ao commando do 1 corpo do exercito.
C^rtjavtfswjaiite interino Onofro J. Amonio
Repartjeoa^deiwud:*) qfiarte^menWe-general
junte aeyomroMoo do corpo da exercito.
^IM Hlente AifUjirto Joaquim da Costa Gui-
^ae' **' fe'teWe irosdjuvante Feliciano Tei-
:xnra de Apneida, pelo combate de 6 dito; alfra;
mpregaaOna seccao de mnnicoes Vfcancio Leite
Penteado, p-tos combatea de 21 e 30 dito.
Kepartieaepdo deputado do quartel-mestre-scnoral
. J/wto ao 3o corpo do exercito.
Major addido Manoel de Azevedo do .Nascimente,
pelo cmbale de 21 dito..
Reparticao 4o depulado do quartel-mestn-general
, junto i 3/ divisao de infantera.
Alferes escripturario Jovita Duarte da Silva,
dem.
Iteparticofjo depulado do quartel-meslre-generai
juutofcdivisio l>ri visoria de intentara.
Tenente assistente Andr do Paula de Athayde
Seixas, pelocnmbate de 27 dito.
Repartcoaja depulado do quartel-mestre-general
june 3a brigada de infantera.
Capitao assistente Kolson Janscn Muller, pelo
combate do41 dito.
Esquadro5e transporte do i corpo de exercito
Capitao cnnnianitente Fianeisrn da IJmlia Sil-
veira. Pekajrvombates de
zembro da
Ca pilas
combates
11,21, 25 e27de do-
Almeida. Pelos
oel Joaquim de
^M, 25 e 27 dito.
Tenente Bernardo da Costa Bandeira.dem.
A teres ajudante JuoHenriiiue Dauo.dem.
Alferes epnrtel-mestre Francisco da Costa Pei-
xote.dem.
Alferes Jos Correa Pinto, Luiz Martins de Avila
Sebastiao anchado da Silveira, Claro Jos do Souza
o Domingos'Jos Borba.Idom.
Alferes Sera ti m dos Santos Jnior.Polos com-
bates de 6H1 dte.
Alferes Joo Jos Vaii. Pelo combato do 21
dito.
Alferes encarregado da polica Thomaz Jos
Alves.Idem.
Sargento ajudame FranciscodePniae Jaaohaon.
fulos comtotia de SS y tlitn-----------
Sarfeoto quarfel-mestre Gavino Machado da Sil-
vt""a-Fetos combates de.21, 2oe 27 dito.
-sai-iigjnm tiriA Pedt., de Oliveira.dem-
* sargento Jos Silveira Datra.Pelo combate
de 21 dito.
2~ cadetes : tbomaz Antonio Costa Bastos e
GnudencKi da Costa Ferreira.dem.
2* rgimen praonri de ariilhera casallo.
Coronel commandante Manoel de Afcneida Gama
u*o d'Eca.Pelos combates de 21, 2 e 27 de de-
zembro.
c 1?0 Miaoei*>* Pereira.Pelos combates de
6, He 21 dito.
Major Joao Lu Gomes.Petos combates de 6,
21, 2 e 27 dito. ^
Major Joaquim da Coito Reg Monteiro.Pelo
combase de 21 dito.
Capitao Luiz Carlos Monrae PinheiroPelo eom-
bafede 6 dito.
Capite Antonio da Rocha Bezerra Cavbante.
-Pelos combates de il, 2*, 25 e 27 dito.
Major de cmoda* (guarda nacional) Candklo
da silva Barboso ..Peto combates de 6, H e 21
dito.
Major (voluntarios! Rnphael do Prado Pereira.
Pdos conibatea 11 e 21 dito.
Tenente ajudante Jos* Maris de Morae?.Pelos
combates de O, II e 21 dito.
1* tenente Joao Carlos Lobo Botelho.Pelos com -
bates de 6 e 11 dito.
Io tenente Antonio Fernandes Barbosa.Pelo
combate de 6 dito.
1" tenente Miguel Vctor de Andrade Figueira.
Petos combates de 6, 11 e 27 dito.
i* tenente Antonio de Vasconcellos Jardim.
Petos ombates de 11 e 21 dito.
! tenente Augusto da Cunha Galvo.Pelos
combates de 11, 21, 25 o 27 dito.
Io tenente Joao Brrelo Picaneo da Costa.Pe-
los combates de 11 e 21 dito.
! tenente Idalino l%worino Ferreira Vllaca.
Peto combate de 11 dito.
1* tenente secretario Jos Bernardno Bormann.
Pelos combates de 6 e 11 dte.
! tenente de commissao Carlos Schottes.Pelo
combate de 11 dito.
Tenente addido Eagenio Augusto de Mello.
Pelos combates^de 6 e 11 dito.
Dito de infamara Antonio Jorge Moreira.Pelos
combates de 11, 21, 2o e 27 dito.
Tenente de cacadores cavallo- Francisco Ser-
vido de Oliveira Porto.Pelos combates de 11 e 21
dito.
2" tiento* Carlos Augusto Pinto Pacca e Joao
Vid-'ji'pcreira fe Silva.Pelos combates de 6 e 11
d'o.
1 tenentes Luiz Rapado e Joao Rodrigues
Alferes : Jrtio Aires Chaves e Eduardo IMfeerto
ae Bruce Pelos combates de 6 e lidiar
Alferes : Joao Manee I Menna Barrete, Joamia
Barrete da Gama Lobo Pitia, Antonio MaehadoV
ffiLf l09L\Mt Cat>ral da Ounha
Godolpbiin.Pe*) combte de 6-hO. '
Alteres de commissaj Anselmo da Mala Braga.
i,,,, '- i_. ,. .... loiHfiiies l,uiz iapauo e joao nourigues
MfarffSS.r,achado--Pt,'0tcombate de 6 dito. Moreira dos Sanlos.-Pelos combates de H e 21
dito.
brigada do ca-
bo, .
Estado-maior do commando da 9
fantaria.
Major assistente do deputado do ajudante-gene-
ral Manoel Mara Camiso, pelos combates de 6 e
11 dito ; tenente dito dito do quartel-mestre-ge-
neral Joaquim Americo de Moraes, idem d> 11 e
21 dito; alferes ajudante de ordena Francisco
relixde Araujo.
Eftado-maior do commando da 10" brigada de in-
fantera.
Capitao assisleae do deputado do ajudante-ge-
neral Jos Thamaz Ferreira Neves, pelo combate
de 21 dito ; dito dito do quartel-mestre-general
Joao da Costa Maia, idem ; alferes ajudante de
ordenS Joao Marcos de Freitas, idem.
Estudo-maior do commando da 11a brigada de in-
fantaria.
CaptSo Aflbnso Fagundes do Nascimente, pelo
combate de 21 dito ; tenente de commissao Rami-
ro do Sonza Gastao, dem.
Estado-maior do commando da 12a brigada de in-
fantera.
Capitao assistente do deputado do ajudante-
general Leopoldo Augusto da Franca Amarl, pelo
combate de 11 dte.
Esfado-maior do commando da 13" brigada de in-
fantera.
Teticnte-assstente do deputado do ajudante-
general Theodomiro de Mello Barrete, idem do 21
dito; alferes ajudante de ordens Joaquim Antonio
Mattoso Ferraz, idem.
Estado-maior do commando das forcas de caval-
lara.
Major s ordens Vasco do Nascmento Lima,
dem ; capitaes s ordens Jos da Rocha Camargo
e Acacio Joaquim Correa, idem; tenentes s or-
dens Carlos Luz de Andrade Nevos, Manoe| Anto-
nio de Moraes e Jos Rodrigues de Freitas, idem ;
alferes s ordens Vctor Jos de Figueiredo Neves
e Rodrigo Jos de Figneiredo Neres, idem.
Estado-maior do commando da Ia divisao da ca-
vallara
Capitao assistente do depulado do quartel-raeB-
tre-general Germano Julio da silva, pelos comba-
tes de 11 e 21 ditos ; capitao s ordens Paciflcode
Vargas, idem ; tenente as ordens Cosario Alves de
Oveira, dem ; Unente-ajedante de ordaV, pac.
llcoGoulart Pinto, pelo combate do 21 tto
Estado-maior do commando da 8a
vaaria.
Tenente assistente do deputado do ajudante-ge-
neral Manoel Roberto Ferreira, idem ; alferes aju-
dante de ordens Jos Cavalheiro Leite, dem ; ca-
pitao assistente do deputado do quartel-mestre-
general Fehsberto Olmto Caldeira da Fontoura,
pelo combate de 27 dito.
Estado-maior do commando da 9a brigada de ca-
vallara.
Capitao assistente do deputado do ajudante-ge-
neral, Maximiano Jos do Monte, pelo combate de
21 dito.
brigada de ca-
Estado-maior do commando da 10
vallara.
Alferes assistente do deputado do quartel-mes-
tre-general Jos Mara da Silva Jnior, idem ; al-
feres ajudante de ordens Francisco Centino Ruttes,
polos combates de 11 e 21 de dezembro dito; !
sargento amanuenses Joa |uirn Goncalves de Frei-
tas, dem ; 2o cadete 2 sargento amanuense Vi-
cente Pinto de Almoida Jnior, pelo combale de
11 dito; 2 sargento amanuense Alberto Severo,
idem de 21 dito.
Estado-maior do commando da brigada de ar-
tilharia.
Tenente assistente do deputado do quartel-mes-
ire-general Pedro Flix de Medeiros Mallet, pelo
combate de 27 dito ; tenente assistente do ajudan-
te-general Antonio Julio de Medeiros Mallet, idem ;
tenente de commissao ajudante de ordens Julio
Placido Severa!, idem ; 2o. tenente coadjuvante
Luiz Augusto Pereira de Campos, dem; 2 sar-
gento amanuense Bernardno de Senna Dinz,
idem.
Reparticao do deputado do ajudante-general junto
ao 2* corpo de exercito.
Capitao asltente do deputado do ajudante-ge-
neral Luz Antonio de Miranda Freitas, petos com-
bates de 6, 11 e 21 dito; lente coadjuvante Joao
Severiano Macial da Cosa, idem ; tenente eserip-
tnrario Antonio Damascono dos Santos, pelos com-
bates de 6 e 21 dito; 2 tenente amanuense Jos
Loiz Bastos, pelo combate do 6 dito ; alferes am-
nsense Joao Emiliano de Araujo Lopes, idom.
Reparticao do depulado do ajudante-general junto
_ao 3 aorpo de exercito.
CapUae Joao Candido Gonlart, pelo combate de
11 dito; tenente Joaquim Elias Amaro, idem ; al-
teres da guarda nacional Domingos Jos da Silva
Fimo, dem.
Repartido,do deputado do ajudante-general juuto
'2' columna do exercito.
AWeres amanuense Jos Joaquim de Freitas, pelo
combate de 21 dito.
Reparlico do deputado do ajudante-general junte
, Ia divisao do infamarte.
Din., iiuu> Gommanaame ao piqaeie neououian rano, peto comeare ao st Attn io. > *riri'iiin9minnm= i, *~.a jn- .
Viseo Aflonv. de Andrado .Noves, idem ; tenentes nenies escrtpturarios Antod Claro ^\ ctri? iff araanuens*s ,0, ** de tt*WM-
1" cadete Jeronymo Jos do Castro.dem.
Forriel Juvenco Juvenal da Costa.Pelo com-
bate de 6 dito.
Soldado Joao Alves.dem.
Soldados Fiiicisco Rodrigues de Oliveira, Ma-
noel Alves dos Santos e Manoel Joaquim Pereira.
Pelo combate d 21 dito.
Commissao de engenheros.
Major Raymundo Mximo de Sepulveda Ewe-
rard.Pelus combates de 2i e 27 dito.
Capitao Luiz Francisco Monteiro de Barros.
Pelo combate de 6 dito.
1* tenente Jo- Antonio Rodrcue.s.Pelos com-
bates de 6 c 1! dito.
1 tenente Guilherme Carlos Lassance.Pelos
combates de 6, 11, 25 e 27 dito.
2o tenente Emilio Carlos Jonnl ni.dem.
Balalhao de engenheros.
Coronel commandante Conrado Mara, da Silva
Bitlencourt. -Pelo combate de 11 dito.
Capilo Innncencio Galvo de Quairozdem.
Tenentes Mauricio Gelunes Alves Pereira e Ma-
noel Euphrasio dos Santos Oas.dem. \
1- tenentes Juliano Jos de Amorim Gomes,
Etico Rodrigues da Cosa e Antonia Bezerra Tei-
xeira Cavaleanti.dem.
2" tenente Tertuliano de Campos Duarte.dem.
Corpo de pontoneiros.
Capitao fiscal Jos Manoel Teixeira Ros.Pelos
combatas de 6 c 11 dito.
Capitao Thom Pires CerveiraPelo combate de
6 dito.
Capitao Francisco Jos Martins Filho.Pelos com-
bates de 6 e 21 dito.
Capitao Joao Capistrano de Aguiar Montarroyo.
Pelo combate de dito.
Tenente Pedro Jos Quedes.dem.
Tenente Luiz Emilio Garca Fres.Pelos com-
bates de 6 e 21 dito.
Tenentes : Manoel Ignacio de Souza e Andr Rie-
re.Pelo combate de 6 dito.
Alferes : Nicolao Rlter, Antonio Jos da Silva
Rosa, Francisco Herzov, Angelo Josx da Silva e
Joaquim Jos de Oliveira.Pelos combate de 6 e 11
dito.
Alferes ajudante Jesuino Melchades de Souza.
dem.
Alferes quartel-mestre Pedro Jos de Lima.
Pelo combate de 27 dito.
Alferes : Rozendo Ferreira Basto. Jacob Eran-
zen, Manoel Emigdio do Espirito Santo o Jos Luz
VargasPelo combate de (i dito.
2* cadete Antonio Pereira de Souza Guedes.
Pelo combate de 21 dito.
Kregiment de artilheria a cavallo.
Capues : Antonio Jos Maria Pego Jnior 6 Joao
Vicente Leite de Castro.Pelos combates de 21, 25
e 27 dito.
C pitaes de comniisso: Marcos.de Azevedo Sou-
za, Nicolao Ignacio Carneiro da Floatoura, Luiz Pe-
reira de Magalhes Castro e Roberto Jamos Reo.
Idem.
Io tonente Francisco Teixeira Poixoto de Abreu
Lima.Idem.
! tenente do commissao (ajudante) Raymundo
Ribeiro do Amaral.dem.
1" tenentes de eannissSo : Sebastiao Dalizo
Carneiro da Fontoura, Joaquim Alves da Costa
Matlos, Bernardno da Silva Torres, Patricio Jos
Teixeira e Jos Bento Pereira Tobias.dem.
Tenente de commissao Justino da Silveira.
Idem.
2* tenentes: Francisco da Rocha Callado, Emig-
riio Oraste da Silva Turres, Eloy Marinho Carncii'o
de S, Luiz Roberto de Vasconcellos,Fernando Au-
gusto da Silva Veiga, Joaquim Pedro da Costa o
Benedicto Brusque de Oliveira.dem.
2"" tenentes do commissao : Ezequiel Jos Gon-
calves do Macedo e Bernardo Antonio do Araujo.
dem. '
Alferes addidos : Francisco Flix do Bruce, Ber-
nab Floriauo de Oliveira e Felisuuuo Jos Caldas.
dem.
Sargento ajudante Jos Moreira de Queiroz.
dem.
I0' sargentos: Joao Rodolph') Sutter, Toiaas
Carlos Coimera, Ramiro Antonio da Costa o Joao
Mara-dos, Santos.dem.
S~ cadetes 1" sai-gentes: Diogo Felico dos San-
tos aGaldino Susano Ozorio de Araujo BJsouro.
Wea.
2"-cadete-2" sargento; Manoel Elculerio Alvares
do Araujo,dem.
2 tenente Theodoro Alves Fernandes de Andra-
de.Pelos combates de 11, 21, 25 e 27 dito.
Sargento quartel-mestre Joaquim Alves da Costa
Ferreira.Pelo combate de 21 dte.
1* sargento Joao Rodrigues de Lima.PntOecom-
bates de 11 o Sldjto.
""^"Sargento Flix Antonio Claudino.Pelo com-
bate de 11 dito.
2* cadete sargento ajudante Abilio Augusto Pin-
to.Pelo combate de 21 dito.
4* corpo provisorio de artilheria.
Major commandante Joao Nepomuceno de Me-
aeiros Maller.Pelos combates de 21 e 27 dito.
Capitao- Jorge Dinz de Santiago.Pelos comba-
tes do 21 e 27 de dezembro de 1868.
Capilo Filinto Gomes de Araujo.Pelo com-
bate de 27 dito.
Capitao Amstides Arminio Guaran.Pelo com-
bate de 21 dito.
Capitao de commissao Francisco Ramos de Oli-
veira Guimaraes.Pelo combate de 27 dito.
Io tenente Joao Jos de Toledo Ribas.Pelo cora-
bate de 21 dito.
Io tenente de commissao Zeferino Jos Teixeira
Campos.Pelos combates de 21 e 27 dte.
Ia-tenente de commissao Custodio Jos do Me-
deiros.Pelo combate de 27 dito.
Ia tenente de commissao Guilherme Von Esteu-
bem.Pelo combate de 11 dito.
1 tenente de commissao Pedro Mximo Barbo-
sa. -Pelo combate de 27 dito.
1 tenente de commissao Joao Marinho Falcao.
Pelos combates de 21 e 27 dito.
Ia tenente ajudante Joao Nepomuceno ds Cunha.
Pelo combate de 27 dito.
Tenente do commissao Camillo Bernardo Galvo.
dem.
Tenente de voluntarios Alexandre de Oleirav
Martins.Pelos combates do 25 e 27 dito.
2a tenente Francisco Clementino Santiago Dan-
tas.Pelos combates do 21 e 27 dito.
Tenentes: Manoel Thom CordeiroeJos Can-
dido dos Reis Montenegro.Pelo combate de 27
dito.
Tenente secretario Emigdio Cavalcante de Mello,
dem.
Tenente de commissao Francisco Rodrigues de
Oliveira Verez.Pelo combate de 21 dito.
Alferes Carlos de Oliveira Sa itos.dem.
2* cadetes Ia" sargentos : Daniel Joaquim Ro-
drigues Lima, Jos Candido da Costa Maia.Pelo
combate de 27 dito.
Ia cadete Jeronymo de Moraes.dem.
Contingente de artilheria a cavallo.
2a tenente Joao Baptista do O' do Almeida.
Pelo combate de 11 dito.
Piouete s ordens do commando em chote.
Alferes Eloy Rodrigues de Almeida Menezes.
Pelos combates de 11 e 21 de dezembro de
1868.
* sargentos : Pacfico Antonio d. Silva c Theo-
doro Soares.Pelos combates de 6 e 21 dito.
Cabos de esquadra : Placido Pereira da Silva,
Antonio Soares da Porciumcula, Joao Jos Vi-
cente Rodrigues, Francisco Goncalves de Assis e
Bonifacio Eustaquio de Araujo.Pelo combate de
21 dte.
Anspecada Felico Rodrigues.dem.
Soldados : Hilario Pereira Fraga, Gaspar Cor-
rea de Figueir e Manoel Leopoldo da Cunha.
dem.
Soldado Angelo Jos de Vargas.Pelo combate
de 6 dito.
Piquete s ordens do commando do 1" corpo de
exercito.
Tenente Boaventuia Senandes.Pelos combatos
de Ge H dito.
Ia sargento Saturniuo da Silva Borges.Pelo
combate de 6 dito.
Piquete s ordens do coiiunando do 2 corpo de
nareatOj
Capiteo Vasco Antonio do Andrade Neves.Pe-
los combates de ti e 21 dito.
2a sargento aple) Goncalves de Meirdies.
Pelo combate de 6 dito.
Forriel Jos Maria da Casia.dem.
Cabos de esquadra ; Manoel Paulo, Joaquim
Antonio de Figueir e Raphael Marques.:Idcm.
Anspecadas :. Jos Antonio de Figueir o Ama-
rolino Diogo de Quadros.dem.
Soldados: Victorino Jos Martina, Jos Alves
Pereira e Ignacio Jos de Camargo.Jdem.
__ 4 corpo de cacadores cavallo.
Capitao eonunaudania inierno-Joaquim Francis-
co Moreira.Petes combates de U o 21 de dezem-
bro de 1868. r
Capilo Joao Baptista da AlmoidaPelos com-
bates de 5 e 21 dito.
Tenente fiscal Jos Fernandos Jnior.Itnm.
Tenente Jacintho Ferreira da Silva.Pelo.com-
bate de 6 dito.
Alferes ajudante Trajano. de Menease Cardoso.
Pelos combatos.de 6 e H dito.
Alferes: Antonia Braz de Carvalho e Anuncio
Fernandes de Freitasdem.
da Silva.dem. I
'aliara l-geira. \
Diogo dos Res.Peto '
2a sargento Fredprieo Luiz Ven-Sthonettz.^ I Alteras. David Antonio de Oliveira,Pefo cora-
Idejn. I bate do-11 dito.
Sargento ajudante Candido Marques da Bocha.
Petos combales de 6 e 21 dita
Alferes quartel-mestre Manoel Marques^araiv
do Amaral.Pelo combate de 6 dito.
Sargentos : Jos Antonio Baptista e Joouira Pe-
reira Cunha -dem. ^
Porrtel Virgilio Nrnaseo Rodrigues.dem.
_ r regiment de cavallara lgelra.
Mejor commandante interino Adolpho Sebastiao
Capilo Jos Borges de Abreu.-Pdes combates
de 11 e 21 dito.
Tenente Patricio da Costa aues.Pelo emnbate
de 21 dito.
Tenentes : Francisco de Castro Canto e Mello e
Joaqumi Alves de Macedo.Peto combate de 11
dito.
Tenente Joaquim Melchiades Ferreira Lobo!
Pelo combate de 21 dito.
Tenente da guarda nacional Joao Olaro Carnei-
ro da Fontoura dem.
Alferes Joao Carlos do Camio dem.
Alteres : Joao Ignacio de Carvalho, Juvenco
Jos Fraga e Jos Victorino de Moura.Pelos com-
bates de 11 e 21 dito.
Alferes Joaquim da Rocha o Sousa.Pelo com-
bate de 11 dito.
Alferes : Fernando da Gama I/.bo d'Eca, Anto-
nio Jos Ferreira Jnior e Manoel Joaquim Cabral
da Silveira da Cunha Godolphm.Pelo combale
de 21 dito.
Alferes ajudante Jos das Neves Pinheiro.
dem.
Alferes de commissao : Joao Propicio Carneiro
da Fontoura, Joao Jos do Oliveira Freitas e Ja-
nuano Jos de Oliveira dem.
Alferes de commissan : .los Antonio de Souza
Augusto Cesar da CunhaPelos combates de 11
e 21 dito.
Alferes de commissao : Candido da Rocha Tei-
xeira e Basilio Guiones.Pelo rmbale de 21
dito.
Ia sargento Demetrio de Macalhes Faria.-Pelo
combate de 11 dito.
Soldado Geraldo Moreira da Silva.dem.
3a regiment de cavad
Major de commissao Jos
combate do 21 dito.
Capitao Dionyslo Jos de Oliveira -Pfti-y ew
bates de JJ c A* dito.
Tenente da guarda nacional Joaquim Sebastiao
de Aqumo.dem idem.
Alferes Venancio da Gama Lobo.Pelos comba-
tes de 21 e 27 dito.
Alferes Florencio Pereira da Silva Garca.Pe-
tes rombales de H. ti e 27.
Alferes Joo Rodrigues Bcmfica.Pelo combate
de 27 dito.
Alferes quartel-meslre Jos Ignacio Ribcrffr
Pelos combates de II e 21 dito.
Alferes : Jos Leite Ribeiro, Camillo Martins
Baptista, Jos Hermenegildo Monteiro de Albu-
querque o Serafim Machado da Rosa.dem.
Alferes : Ananias Pereira Chrispim de Vascon-
cellos, Vasco Pereira das Neves, Joaquim Antonio
de Alencastro, Manoel nutra Fialho, Jos Parias de
Oliveira Lima, Candido Rodrigues do Oliveira, An-
tonio Cesar Martins c Francisco Manoel de Azeve-
do.Pelo combale de 21 dito.
Alferes (guarda nacional) : Cyrillo Jos Coelbo
e Angelo Francisco de Souza.dem.
Alteres (guarda nacional) : Luz de Quadros.
Pelos combates de 11 e 21 dito.
Alferes (guarda nacional) : Manoel Rufino de
Camargo.Pelos combates de H, 21 e 27 dito.
Sargento-ajudante Jos Rodrigues de Lima.
Pelo combate de 21 dito.
Ia sargento Jos Alvares de Siqueira Fortes.
dem.
Ia* sargentos : Juvenco Pereira Gomes o Pedro
Pereira Gomes.Pelos combates de 11, 21 e 27
dito.
2a" sargentos : Jos de Lima Borges, Antonio
Jos, Jacintho Ignacio da Silva e Estevao de Souza
Franco.dem.
2'' sargentos : Francisco do Oliveira Pinto e S-
meo Antonio de Avila.Pelo combate de 21
dito.
Ia* cadetes 2' sargentos : Hygino Beraldo da
Silva, Antonio Ignacio Beraldo da Silva e Jos Fer-
reira Borges.dem.
Furriel Sebastiao Frederico.dem.
Furriel Mariano Leocadio AviesPelos comba-
tes de 11, 21 e27 dito.
Cabos de esquadra : Bellarmino Correa, Quirino
Jos Rodrigues e Joaquim Girino de Bastos.Pelo
cmbate de 21 dito.
Cabo de esquadra Domingos Gervasio da Silva.
=Pelo combate de II dito.
2a sargento Jos Luiz Ferreira.dem.
Anspecada Joao Victoriano.Pelo combate do
21 dito. '
Soldados : Manoel Cardoso da Cunha, Jos Lo-
pes o Bonifacio Amaro.dem.
Ia corpo provisorio de cavallara da guarda
nacional.
Capitaes : Claudino Soares das Noves o Fran-
cisco Marques XavierPelo combale de 11 de de-
zembro de 1868.
Tenente Joao Soares do Lima.dem.
Alteres : Jos Luiz Brrelo e Tristao Led de
Araujo.dem.
Alferes porta-estandarte Jos Ignacio de Quadros.
dem.
Sargento quartel-mestre Antonio Francisco Ma-
chado.dem.
t- sargentos : Ignaefo Goncalves Onrique e
Ubaldinn Solero de Almeida llein.
2a sargento Potencian'} Ferreira Guimaraes.
Idom.
Cabo de esquadra Antonio Monteiro de Souza.
Idem.
6 corpo provisorio de cavallara da guarda
nacional.
Capitao Bernardo Antonio de Quadros.Mos
combates de 6 o 11 de dezembro.
Tenentes : Francisco Antonio de Souza Franco,
Manoel Rodrigues Pereira e Domingos da Silva
Barbosadem.
Alferes : Constancio Rodrigues da Silva e Nico-
lao Tolentiuo Das.dem.
Alf res : Antonio Goulart da Silva e Candido
Loureuco de Souza Medeiros.Pelo combate de 11
dito.
Alferes: Ignacio Jos Mamor e Pedro Nolasco
da Silva.Peles wmmatm de 6 e 11 dito.
Alferes Joo Cancio da Silva Ruvu e Pedro
^orlarg.Pelo combato de 11 dito.
Alferes secretario Jos de Souza Brasil.dem.
Sargento-ajudaate Joo Machado.Pelo combate
de 6 dito.
2a sargento Cecilk Mendes da Luz.Pelos com-
bates de (i e 11 dito.
Cabos de esquadra : Candido da Rosa Lemos o
Mauricio da Silva Porto.Pelo combate do 11
dito.
Soldado Valenm Jos da Silva.Pelo combate
de 6 dito.
7a corpo provisorio do cavallara da guarda
nacional.
Major Bonifacio de Oliveira Mello.--Pelos com-
iAafes de 11 e II dito.
K
V-

MOTIUDO





OT
astaaoH ia -a jw3h
Diario de Pernambuco Quinta feira 15 de Julho de 1869.
.83! wmm
XI
Poz.Pelos
Capitao Felisbino Antonio Mena.-"
bate da 21 dito.
Capito Aureliano de Figueire
cmbales de it e !1 dito. ,
Teaeote-ajudante Julio Mariano da Silva.Pelo
combate de ii dito.
Tenentt : Juiio Manoel de Meraes, Jos rato-
Balseroao e Ismael Soares de Soma.Pelos com-
bates de 11 e 21 Jilo.
Alferes seeretarjo Zorimo I?lncisco Gonealves.
dem. '
Alfcres : Marciano Fernandas Cruz, Romn-:
dio, Antonio Francisco Boreife c Felisberto Ca4-
deira da Fonlonra.Idea.
Sargentos-ajudantes : Manoel Antonio de Omel-
lasji Nicolao Valentim do*-Santos.Peto combale
de U dito. ..!
1- sargentos : Joao Igaacioe Soui,e Joao Jos
de Oliveira.dem.
9o eorpo provisorio de cavaaria da guarda
nacional
Tenente-coronel commandante Jos do Amara!
Ferrador.Pelos combates de 6, 11, 21 u 2 de de-
zembro de 1868.
Major Antonio Candido do Menezes e Silva.
Pelos -combates de 6,11, 1,15 e 27 dito.
Capitao Jos Tavares da *ilva.-Pelo combate
de 6 dito.
Capitao Candido Jos da Silva.Pelos comba-
tes de*, 11 e21.
Tenente Joo Fernandos Barbosa.Pelo comba-
le de 6 dito.
Tenente Manoel Alves dos Santos.Pelos com-
batea de 6, 11 e 21 dito.
Tenente Jos Francisco da Costa.Pelos com-
bates de 21,23 e 27 dito. -
Tenente Jos Gomes de Quevedo.Pelos comba-
tes de 11,21, 25 e 27 dito.
Alferes ajudante Joo Antonio de Ol vena.Pe-
los combates de 6, 21, 25 e 27 dito.
Alferes secretario Antonio Martms Beltrao.Pe-
los combate? de 11 e 27 dito.
Alferes Candido Alvos Machado.Pelos comba-
tes de 21, 25 e 27 dito.
Alferes : Joaquim Basilio Ferreira, Agostmho
Rodrigues Marques e Antonio Israel Lucas.Pelo
combates de 6, 11, 21, 25 o 27 dito.
Alien* Francisco Antonio de Mello.Pelos com-
bates de 6, H, 25 e 27 dito.
Alferes Sinieao de Souza Netto.Pelos combates
de 6 e 21 dito.
Alferes Paulino Antonio Alves.Pelos combates
de II, 21, 25 e 27 dito.
Alferes Ismael Antonio Alves.Pelos combates
de 11, 21 e 25. _
Alferes Francisco Alves da Silva.Pelos comba-
tes de 11 e 23 dito. ,.' .
Sargeato-ajudante Duarte Prannos de Oliveira.
Pelo combate de 21 dito.
Sargento-ajudante Francisco Jos Pinto.Polos
combates de 6,11 e 21 dito.
! sargento Propicio Antonio Garca.Pelos
combate de 21, 25 e 27 dito.
1^ sargentos : Joao Pereira dos Santos e Ma-
Hoel Paz de Camargn.Pelo combate de 21 dito.
! sargento Salvador Alves de Castro.Pelo
combate de 11 dito.
2 sargento Izidoro Baptista de MelloPelos
combates de G, 11, 25 e 27 dito.
f sargentos : Joaquim Curt de Souza e Leonel
Jos da Rosa.Pelo combate de 21 dito.
2- sargentos: Leonardo da Silveira Pernoto e
Domingos Jos de Souza.-Pelos combates de 21,
25 e 27 dito.
2 sargento Manoel Vieira AfilliadoPelo com-
bate de G dito.
Sarsento quartcl-mestre Jos Ramos chaves.
Pelos combates de 6, 11, 21, 25 c 27 dito.
Furriel Francisco Idaliuo da Foutoura Pupc
Pelo combate de 6 dito.
Cabi Pedro Luiz de Oliveira. dem.
Soldado Francisco Ferreira Borges.dem.
EXTERIOR.
THEATRO DA GCKRBA.
(Correspondencia.)
A circurastanca de ter estado ltimamente um
mes entre os exercitos alliados e sido tes-tcmunha
dos acontecimentus mais recentes que teem tido
lugar un rrtflt'v.. fierra., me habilitara a recti-
ficar -os muitos erros em que teem incom&i tyav
si todos os correspondentes
Vou, pois, fazer um resumo de guante se tcm
passado minha vista, afim de que baja um pon-
to de partida para apreciarse a stuacao actual
dos beligerantes denaixo do ponto de vista estra-
tgico e econmico.
Antes de ludo quero estabeleccr como principio
' tosido do conheeimento das cousas, que, se
durante o lempo deeorrido de 27 de de7cmbro at
lioje, a guerra nao acabou, porque o Sr. Casias
nao quiz que assim aconteces*'.
Nao acho termos convenientes neste momento
para manifestar a conviceao que tenho sobre este
ponto : temo offender a susceplibi idado o emba-
ciar lalvcz as honras concedidas >o ex-general em
cliefe em cousequeneia da guerra do Paraguay.
Porm basto dizer que e no exercito francs
ou no de outra naco europea, um general tivesse
procedimento seniellianlc, nao deixaria de incor-
rer na censura de seu govcrnoe de seus proprius
soldados. .
Alguma cousa se tem dito a respeito da indiuni-
da prolongacao da guerra, mas nao quanto baste.
O que ainda se nao disse que Loma Valenti-
nas foi o Walerloo de LopesL que teve seu Grou-
du, por quem esperou em vo.
Quando Lpez ainda contava 11,000 homens em
Lomas e Angustura, Caminos, coronel e ministro,
estiva em Assumpeao com 3,000 homens e 22 pe-
cas de arlilharia.
O ataque, todos o sabem, comecou a 20 de de
icnibro tarde, e a 21 Lopes expedio ordem para
que Caminos se puzesse em marcha c atacasse os
Brasileiros pela retaguarda. Era que noite de marcha, e assim no dia seguinte os bra-
sileiros deviam ser atacados pelas costas.
Bmquanto Caminos se niovia, Lpez se manteve
firme; o combate durou sete das: Lopoz teve
dous cavallos morios ; Mme. Linclt recebeu tres
ferimentos c seu filho Panrhilo. joven de 14 an-
nos pouco mais ou menos, teve quatro cavallos
morios. .
Fosse eobardia, t sse impericia militar de La-
minos, este so se rtioveu a 24, e, em lugar de ir
directamente em auxilio de Lpez para atacar os
Brasileiros como Ihc fra ordenado, tomou o ca-
minho de ferro com sua gente e materiaes de
guerra, dirigindo-se a Paraguay, onde ebegou a
47, e d'alli foi reunir se a Lpez, isto de oeste
a leste, esquivando-se por consegumte de encon-
trar-se com os Brasileiros.
la nessa direecao quando Lpez j eslava em
fuga, e entao, reuni lo-se, segniram para as cor-
dilheiras de Ascurra, onde ainda se acham.
Lopes tinha deixado intacto o caminho de forro,
por distraeco ou esquecimento. Apenas foi des
truida a ponte de Yuquery. Esta ponte passa
sobre um arroio que ter dez metros de largura
quando muito, e para con?trui-la foi preciso cinco
mezes de trabalho, sendo obra apenas para oito
das. Ajuize-se quanto temp'o sera necessario, se
os Paraguayos trvessem destruido as outras
ponte.
Tudo que e fes durante cinco mezes que o
exercito esteve em buque, redus-se reconstruc-
cao da ponte de Yoquery ; nesse mesmo ponto
encontrou o conde d'Eu o exercito, c so no rocia-
do de maio se pz em marcha para o interior.
Quando se sai de Asumpcao, o caminho se
gue para o noroeste paral lelamente a urna curva
que o rio descreve, fas um emi-eirculo at que
se ehega a Paraguary, ponto que se ada em la-
titude inferior de Assumpeao. De Paraguary,
em diante, o caminho recto at Villa-Rica : nes
la ultima parte nao ha mais que os terraplenos
preparados para a coltocacao dos trilbog : mas
na primeira a via frrea esta o mpletae construi-
da com bastante solides. A ex tensan da linha
4esde Assumpeao at Paraguary de 22 leguas e
passa pelas seguinte estacos :
Luque quatro leguas de Assumpeao ; Yuquery,
duas leguas; Aregu, duas ; Patinocu, duas;
Taqnaral, tres; Pirah, tres e Paraguary, quatro
leguas.
Desde Luque at Taquaral, parte norte do ca-
minho est coberta por urna lagoa do urna legua
de largura, pouco mais ou mono, ainda que en-
trecortada por pequeas colinas.
Depois da lago i seguem banhados transitaveis
por algn pontos ; depois todas essas aguas ter-
minam por um pequeo arroio, o Pirah, que
passa pela cstacao do mesmo nnme.
Depois de sua sabida de Luque, o coude d'Eu
collncnn o exercito na mesma estrada, no trajecto
que fica entre Taquaral e Paraguary.
O primeiro corno do exercito, ao mando do ge-
neral Polydoro, est acampado em Taquaral ; o
conde com o segundo corpo em Pirabri, a cavalla-
ria s ordens do Menna Barrete, em Paraguary, e
03 argentinos na retaguarda.
Este plano est bera combinado, pois facilita os
jBwvimcatos da tropa.
Pelo com- ] O-eaercitobra^etopndcr-hojoter entre *ons
e enfermos corale 13,300 harnete caso ten lia
de- operar as nontanhas ni poder fazer uso de
sua arlilharia.
O exercito argentino canta 3,300 horneas e 400
de eavallara, e 6 pecas, setdo 4 do niontenha.
(Jaanto ao exeteito oriental nao pud'ver o sen
pessoal, por mais esteros que ompregasse.
r.j. un.- podo calcular- o i'xeri'ito-nl-
le 10 al UNO lionwns protoptos a formar
em linha de liatalha.
^m villa do Rosario, SS leguas ao norte de As-
sumpeao, ha eeiiea de 3)000 horne ao mando do
ganeral Cmara,* 2,000 as guarnieses de As-
sompcao, Luque e Humayt.
estado sanitario iln exercito noc bom : nao
posso dizer qual a epidemia que o' affiige, mas
me parece que cerco le metade estadoente.
A cavaltoria rie-grondense merece eJogios, nao
obstante o pessimo estad dos cavallos, que ja v.io
sendo substituidos.
O servieo da provedoria so fas fcilmente pela
estrada de ferro; nao acontece o mesmo conduc-
cao do gado que e sumraamente diffied e dispen-
diosa, pelo que o exercito brasileiro sosleuta-se a
miudo de carne salgada.
Atora os vapores e caminho de ferr, todo os
mais meros de transporte pode dizer-se que sao
negativos ; donde resulta que o exercito st aeha
na impossibilidade de fazer jornadas de raai de
cinco leguas por dia, sobre tudo quando se achar
entre as serranas, das quaes apenas est distanto
urna legua.
Urna vez entre as moutanhas o exercito nao po-
dar mover-se, e daqui at que o possa fazer nao
ir menos de cinco 'meses.
Relativamente boa intelligencia entre o allia-
dos, dir-lbe-hei qued cousa muila duvidosa ; nao
ha dia em que nao se d um conflicto ou um as-
sassinato.
Parece-me que o conde d'Eu nao tem a energa
que se requer para moralisar sua tropa; tenho,
porm, fundamento para crer que sua aetividade,
que ninguem contesta, e sua inlelligeaca que
infinitamente superior a de seu predecessores,
sao mal gastas na lula que tem de sustentar con-
tra a corrupeo administrativa, em satisfazer as
exigencias, dos partidos polticos e em conciliar os
zelos dos generaes no proposito de r formando sua
popularidade.
A tropa brasleira sent falta de dinheiro : a
administracao tem perdido sua tradic<;o de libe-
ralidade, por que os sidos sao pagos com grande
difficuldade.
Quando chegou o conde d'Eu o exercito estava
com 10 mezes do saldo por pagar e de entao para
c pouco se Ihe tem dado.
A menor irregularidade que se nota nos vive-
res, os soldados queixam-se, e tem havido casos
de seria msubordinacao por semelhante motivo.
Durante minha viagem aconteceu que nm dos
fornecedores teve de pagar urna multa de 20.000
patacoes por causa da irregularidade com que fa-
zia o fornecimento. Isto nao de sorprenender
por que o servieo tao difflcil que se acontecer,
como diz, que o condo d'Eu tome outros fornece-
dores, necesariamente haver grande transtorno.
Tal resumidamente o estado da allianca : ve-
jamos agora o que ha na margem opposla.
Lpez se retiran de Lomas com 70 homens so-
monte, mas no dia seguinte se lhe encorporaram
uns 1,000 soldados, logrando ello formar dous ba-
talhoes. Caminos tinha 3,000 homens e 22 percas
como j disse. Nao faeo mencao dos prisioneiros
de Angostura, cuja maior parte deserlou. Xo_Cer-
ro Len; entre doentes e feridos, havia de 4 a 5,000
homens ; metade destes, pouco mais ou menos,
voltaram s fileiras.
Mais ao norte havia tambem 1,600 homens ; os
mesmos sem duvida que a divisad brasileira en-
controu ao desembarcar no Rosario. Fazendo um
resumo de tudo Isto, v-se que Lpez deve ter pr-
ximamente de 6 a 7,000 homensf
O que se sabe de positivo qpc L.ope,est mui-
to falto de armamento, havendo,roandadov1Po;uetes
busca-lo em Lomas, o que nao houa puotn a- v'*
gilanca dos generaes brasileiros.
Essas idas e vindas dos paraguayos a Lomas,
enjo fim s tarde se sonbe. nao deixou de inquie-
tar muitas vezes os alliados. Vi prisioneiros em
Luque armados com as espingardas e carabinas
dos brasileiros.
Este facto suspeito, c explicado pelas vagens
que tos soldados de Lopoz faziam ao campo de ba-
la'flirt irtj \MMft, ., .
Lopes nao tem falta nem TI viveres, \^f. %*
raunigoes. Nos valles das montanhas tem gado,
etc. Faz um anno que 150,000 mulheres oecupa-
vam-se em plantacdes e seu trabalho est hoje
assegurando a vida do3 que se retiraran) para ,as
montanhas.
Garanto que sem fundamento ter Lpez envia-
do seus thesouros para a Europa : esto clles as
cnrdheiras para onde foram transportados em
carretas tiradas por bois.
Passo agora a dar-lhe alguns detalhes da topo-
graphia do Paraguay.
A baixas cordilheiras formam urna serie de
cerros em forma de triangulo, sendo um de seus
lados a grande cadeia de montanhas que vai do
sul ao norte, desde Villa Rica at o rio Apa. Esta
serrana ter a altura de 1,200 metros cima di
nivel do mar.
O outro lado comeca peno de Assumpeao e se
estende at 23 leguas abaixo de S. Joaquim, isto .
como 80 leguas ao norte de Villa Rica.
Toda esta serrana est cortada pr varios ar-
rojos e corremos de agua que dcscem das monta-
nhas, sendo Mandarica o principal.
Por ultimo, base do triangulo que a parte
mais inleressante, parte de perto da Assumpeao,
segu paralelamente ao caminho de ferro do ou-
tro lado da tagua de Iguavay e continua at unir-
se cadeia de montanhas prximo de Villa Rica.
Ha alguma* povoacoes situadas as alturas des-
ta parte do triangulo que formam as cordilheiras
e sao, partndo de Assumpeao : Altas, dez leguas
mais adianto de Ascurra,antigo cantad e hoje acam-
pamento de Lpez ; Perebuey onde reside o vice-
presidente desdo a evacuacao de Assumpeao c on-
de se imprimem os diarios officiaes.
As cordilleritat ou serras baixas de que fallei
nao tem mais que 120 mstros de altura, porm
elevam-se medida que se avanca para o norte.
Suas faldas verdes, que olham para o sul at o
campo dos alliidos, estaocobertasde bosques vir-
gens quasi impenetraveis.
Para uhegar all s ha tres caminhos muito es-
treitos, tortuosos e inclinados.
Tenba-se agora em considerado que Lopes se
acha estabelecido as alturas de Ascurra c Valen-
suela ; os alliados abaixo paralelamente desde o
Taquaral at Paraguary ; considere-se que entre
as (inhas ha de urna e meia a duas leguas de ter-
reno quasi naccessivel e se ter urna dea perfei-
ta da situacTio actual em que se acha Lpez.
D'aqui at quecomece a desenrolar-se o novo
drama, ha alguma cousa que andar.
Antes diziam que nao havia gov<*mo provisorio
por uossa causa, que queramos arreeadar os des-
pojos da nacionalidade paraguay
Oontra essa gente nao lia que oppOr send se^
ronidade-efirmeza, edeixar quo o futuro,qae asa
bem prximo, revele a verdade a todo o mundo.
Tenho alguns pormenores do ataque quo os pa-
raguayo levaram ao general Joao Manoel Menna
Ilarreto, .quando re8HF"MP lili por
elle libertadas, para'Pirayti. 'JetAeneial tr.-mal
consigo fps 12,000 p.-s-oaj qudP obiigavaiu a
marchar eom muita-teniida^Hnaa marcha teve
de atra< \tensao, e, teiulo-a transposlo com a sua van-
guarda, neampou para descansar. A' noite vi-
ramos paraguayos com fircw-de Infantariae ar-
itil'.iarinpelo bosque re^minamente
sobro a pobres mu! as, l'u/.endo ama
\ huirivel mataba e.arrebatando parle dossas des-
I grabadas. Menna Brrelo rotroeedeu, e, apezar
das enormes difflcnldades do terreno, baten com-
pletameute o paraguayos, matando para cima de
duzentos; nao pone, porm, pof falla de infanta-
ria, salvar a sua retaguarda, que lera corlada, e
se compunba de 150 homens. "Estes bravos,
coramandados por Dent Martina e Chananeco tra-
taran), segundo as ordens que tinjjhni, de gaohar
o nosso acampamento, o que conseguir ni, pas-
sando pelas maiores priva^es. A excepeo de 10,
todos os horneas de que se compunba a retaguar-
da do Menna Brrelo acham-se era.Pirayd, leudo
trazido conisigo diversos prisioneiros. Desses 10
3 morreram envenenados por terem comido man-
dioca crua. FaKam portante, apenas 7, que na.
turalroente bao de apparecer.
' O resoltado da expedicao foi, nao obstante este
revs, muito importante, polas 4,000 familias que
sal vou, pelo roconhecimento do terreno e tomada
de varios prisioneiros. Quem qulwsse que nesla
guerra tudo se faca com mxima seguranza, eter-
nisaria o desfeebo de to prolongada lula, porque
o inimlgo nao confia seno nos segredos de sua
posigo. *
No dia 18 do corrate fez S. A. $Sr. conde d'Eu
um reconheciment geral sobr Ascurra. Foram
morios alguns paraguayos dos postes avancados,
nao tendo nos perda alguma a lamentar. Espera-
-------------------------------- ''
teneno destinado para esta obra ter.......
lOO/KK) metros de superlicie, &ent as dependen-
cias.
^25,000 mi'tros sero cobertos e formarlo o pavi-
llwio principal.
25,000 ditos sero consagrados s machiaas em
movimento.
25,000 ditos serio divididas em pequeos qua-
dradOpero semftados de plantas propnas para
2",0fl0 ditos serio consagrados exposicao dos
instrumentos e machinas aralorias.
-.'urnas senhoras disunctas de Buenos-Ayres
cabaqt de apreseaUr una subsci-ipcao a favor
das familias paraguayas que foram resgatadas pe-
i lo pi'neraJMeiuia Brrelo, e consta que teem en-
contrado generoso acoiiiimeulo esta philautropica
idea, i ;[.
A noticia de um rompimento da liolivia com o
Per inexacta.
O cnsul da Bolivia acaba de desmenti-la offl-
cialuiente.
que acUialmsnte se sabe com eertesa que
tanto o Per como o Chile reconheceram os revol-
tosos de Cuba cono belligerantes.
Morwu em Santiago D- Benigno Wigl, que l-
timamente foi representante do Per no Brasil e
ItiodaPrata.
va-se que at odia 22 teria lugar o ataque a posi-
gao de Lpez. Se esta fra nlo conseguir esca-
par, estar em Ascurra terminada a guerra, pois a
victoria nao pode ser duvidosa.
A Assumpeao j tinbam chegado milhares de
familias das libertadas pelos generaes Cmara e
Jod Manoel. Causa horror ouvir a descripcao do
estado de miseria em que ehegarara essas desgra-
nadas vctimas do brbaro tyranfla que tem as-
sombrado o mundo com suas crueldades: mulhe-
res, mancas e velho, alquebrados pela fome e
soffrimentos, e na maior parte completamente
ns I
S. A. mandn distribuir racoes esses desgra-
nados, e os nossos officiaes "e os negociantes de
Assumpeao tm tratado de vestf-los. Aqni em
Buenos-Ayres organisou-se urna commissao de
senhoras para agenciar roupa para os mesmi5s._
O estado em que se acha essa infehz populacao
terna ainda mais urgente a organisacao do gover-
no paraguayo qudellese dever encarregar.liber-
tando-nos de mais esse onus. Assumpeao um
rabos, com tanta populacao accnmulada, sem go-
vernos civil e nacional. Assim o disein todas as
pessoas de boa f. Essa grande necessidade e
primeiro passo dado para a reorganisacao dessa
infeliz naconahdade vao ter, emtim, lugar, gracas
aos estoicos de to calumniado imperio do Brasil.
BUENOS AYRES 26 DE JONHO DE 1869.
Na minha ultima annuneiei a prxima partida
do Sr. conselheiro Paranhos para Assumpeao,
onde ia assistir installacao do governo provisorio
paraguayo. Essa viagem foi adiada, e S. Exc. deve
partir amanha pela manha.
Segundo me consta, esta demora foi devida a
algumas difficuldadfs que appareceram na nomea-
cao do commissario argentino que lera de acom-
panhar o nosso ministro. Foi nomeado em pri-
meiro lugar o Dr. Manoel Quintana, nm dos dis-
ti icios advogados desta capital e presidente da c-
mara dos deputados. Esta, porera, negou-lhe a
licenca que pedio para ausentar-se. Um dos mo-
tivos da recusa foi segundo me asseguram, a ne-
cessidade que a maioria da mesma cmara tem
do auxilio do Dr. Quintana na celebre materia
velha da mudanca da capital da repblica.
Recorrea entao o governo ao Dr. Pico procura-
dor geral da repblica, o qual escusoa-se allegan-
do prejuizos que sua ausencia causara a nume-
rosos e importantes proeessos que tem entre mqs.
Foi por fim nomeado o Dr. Roque Peres, im-
portante advogado tambem, homem de instruccao
e que, segundo me dizem, conhecido antigo do
Sr. Paranhos.
Com o nosso ministro seguem para o Paraguay
o dito Sr. Dr. Roque e os membros da commissao
Earaguaya Bedoya e Egusquiza. O terceiro mem-
ro, Valente, j seguio.
Tem apparecido alguns artigos na imprensa
desta cidade contra o accordo para o estabeleci-
mento do governo provisorio, e um protesto para-
guayo contra o facto de figuraren) na 'commissao
nomes paraguayos que foram amigos amigos
funecionariot de Lopes. Semelnantes artigos nao
mereeem importancia, pois todos aqu sabem que
sd manejos de inmigos do Brasil, de pessoas des-
pertadas pelo mo xito de pretenedes menos ho-
nestas, e de tres ou quatro paraguayos antigos
emigrados que entendem que deviam ser em tudo
consaltados e imperen) suas condiccoes, e estad
irritados por verem que os alliados chegaram aos
seus fins sem carecerem de tad pretencioso au-
xilio.
A Repblica e a sna gente, desesperado por nao
ver rota a allianca, ah vieram logo com os pro-
jectos ambidtotos do Brasil.
MONTEVIDEO, 29 tlB JUIWO.
Nao ha nada mais aborrecido do que ter de es-
crever urna correspondencia sem noticias que lhe
sirvan) de nimiamente,como succedeagora, apar-
tida do Amo, em que nada, absolutamente nada
de interesse ha a referir. Entretanto o paquete
deve levar alguma cousa- que satislaca a curiosi-
dade, e eu vou tentar reunir os pequeos factos
que chegaram ao ineu conheeimento para ver se
com clles coinsigo formar uro trabalho que possa
ser lido.
A revoliicad fica no sfotu quo. Quer o gover-
no, quer Caraballo, evitan) um choque, c procu-
rara soineute reunir os elementes com que respec-
tivamente pretendem vencer.
A crer o que espalbam os amigos do Sr. Busta-
mante e a sua iinprensa, o general Batlle nao tar-
dar a castigar aos traidores, pois que as adhe-
sos chovem de todos os departamentos, os defen-
srnw, ?ai Miruyaoi aos iiiilhuro, e o poder legal
recoOliecido a restabeleeido cui toda a parte, s
pelo effeito moral da altitude enrgica assumida
pelo governo. ^K
O lado, contrario, porm, que tem em
Ayrcs um importante orgo, como a Tribuna vallara
d'alli, desmente todas estas asseveracoes. e aftinua
que nunca Caraballo se achou mais forte do que
agora, encontrando muila sympaihia no paiz o mo-
vimento que encabeca.
O facto que no dia 25 o presidente da repbli-
ca se achara com o grosso do seu exercito ero Sa-
rundi, a urna legua do passo Pulauco, sobre o rio
Yi, achando-se Caraballo acampado do outro la-
do deste rio, que apresentava-se cheio e invadea-
vel.
Mximo Prez, em urna carta que escreveu a
Busta maule, diz que teda a infamara de Olave es-
t j montada, c quo cuntam com 2,500 homens
pn raptos.
O Sigb, que provocou revolueao, e que a
combate com mais ardor, confessa que Caraballo
tem um milhar de homens a sua dsposcjio.
Duuinuiudo all e augmentando aqu na mesma
proporco, o que se pode rasoavelmente depre-,
hender quo as torcas de lado a lado se equili-
brara e que me6ino quando o rio podesse ser
transposto, o general Battle nao se arriscara a fa-
z-lo.
Quanto tempo se conseryard os beligerantes
nesta innocente contemplacd das aguas do Yi 1
E' provavel que pouco ; porque os habitantes da
campauha desta repblica, como verdadeiras be-
duinos, nao gostam da vida sedentaria e as palas
dos cavallos os ajudam a satisfazer os gostos de
urna vida errante.
Tenho nono de divulgar urna noticia que corre
aqu surdanieute, e que acho con algum funda-
mento. Ja me inscreveram no numero dos revol-
tosos so porque soube tirar consecuencia lgicas
de factos couhecidos; quanto mais agora fazendo
urna revelacao ?
Pois nao ba remedio senao faz-la. Consta que
Mximo Prez j nao est em muita harmona
com o presidente Batlle e seu governo. o que lhe
declarara que havia pegado em armas para vingar
a morte do general Flores, persuadido que esse
era o fim da lua; mas que observava que justo-
mente eram o assassinos indigitados os que goza
vam da proteecao oficial, e que assim nao devia
permanecer leal a semelhantc governo.
Accrescentam, como apon a esta declaraco,
que effectivainente aquello chefe conserva luto em
seu braco esquerdo, e que seus soldados trazem
as divisas encarnadas salpicadas de preto.
Nao faco mais do que repetir o que oueo.
Hctor Varella, principal redactor da 'fribuna
de Buenos-Ayres, em bem cscripto artigo jusliticou
a revolueao, e atacou fortemente ao Dr. Ramrez,
do Siglo, responabisaudo o pelas scenas deplo-
rave que se estad dando. Considerando-s in-
sultado por este escrpto, o Sr. Raiiirez parti
hontem para aquella capital, seguudoconsta, dis-
posto a bator-se em dueilo com aqueile jorna-
lista.
E' de suppr que os negocios se arrtglem, sem
correr sangue.
Emquauto a eituacad militar da campanha a
que tica descripta, esta cidade aprsenla um as-
pecto bellico eom o exercicios frequentes que fa-
sem os guardas nacionae, cajo divertimento favo-
rito disparar as armas pelas ras no regresso de
to un occapacao. Por ahi nicamente se conbe-
ce que estamos em guerra.
As cmaras oceupam-se na tarefa, hoje quasi
que geral em todo o mundo, de augmentar os
imposto, para verem se assim salvara o paiz da
baucarola.
E' tambem quanto a poltica o que ba de mais
notavel.
O commercio fica completamente paralysado, e
ninguem se atreve a fazer operares em grande
escala, porque ba mais probabilidade de perda do
que de lucro.
a visinba repblica as sessoes do congresso
nacional foram ltimamente mu animadas por
causa das importantes questdes poltica que nelle
se debateram. tratando-se de definir o limito das
attribuieoe reservadas ao governo nacional em
relacao ao governo das provincias, assim como
dos direitos atribuidos ao soberano congresso pa-
ra com o poder executivo da naco.
Anda lica pendente a discussao, mas julga-
se que sero resol vidas taes questfies de accor-
do com os principios sustentados pelo governo na-
cional.
Pensa-se seriamente em estabelecer urna expo-
sicao universal, no anno vmdouro, em Buenos-Ay-
res. A poca flxada para esta grande fasta, que
deve faxer echo na America, o mea de outubro
de 1870, mareando-te o dia primeiro para a aber-
tura da exposicd.
Uto de Janeiro
2 DE JILHO.
Pelo vapor ingles Hipparchut, entrado anle-hon-
tera do Rio da Prata, recebemos folhas de Buenos-
Ayres at 24, e Montevideo 26 do passado.
As ultimas noticias do Paraguay constan) dos
segrales telegrammas elcialinentc remettidos ao
governo imperial.
c O serenissiroo senhor principe roarechal con-
de d'Eu ao Exm. Sr. chele da esquadra.
i 15 de, junho.Chegaram o Godinho e mais
70 homens dos que tinham ticado extraviados na
expedicad de Joo Manoel. Asseguram que todos
os mais esto tambem salvos, tendo tomado a di-
reced do rio Paraguay. Vem descalcas e trazem
alguns prisioneiros que fizeram.
17 de junho.Queira transmittir a Buenos-
Ayres o segrate : Sabe-se que o Bento Martms
acha-se na fundicao do Ibicuhy coro o resto dos
homens extraviadas. Nao ooderam vr cpor es-
torera extenuados por falta de ahmentacao. En-
contraran) apenas urna plantac.o de mandioca que
se arreraessaram a comer cra, o que produzo a
morte de alguns. Ainda teem comsigo alguns pn -
sioneiros que fizeram.
t O coronel Bento Martms e o tenente-coronel
Chanaueco esto em Ibicuhy com a forca do seu
ominando, e marchara a reunlr-se a este exer-
cito. Foi urna foiea nossa ao seu encontr.
t 18 de junlto.Hontem tarde o inimigo ap-
pareceu na lagoa Ipacarahy com duas chalanas.
Encontrando, porm, os postos, Unto brasileiros
como argentinos, do Aragu, Juquery ePatinho-
Cu, promptos para receb-lo, retirou-se. Nao
obstante, resolv estabelecer no Aragu um reduc-
to com quatro pecas de 12 para proteger a lancha
armada que tem de vir para esta lagoa.
t Hoje os exercitos hzeram o reconhecimento
geral sobre as subidas do Aseurras e Pedresa,
que fra adiado por causa da chuva. Ainda hoje
levantou se una cerraco que nao permittio fazer
observacoes proveitosas'. Alguns paraguayos, po-
rera, morreram s mos do regiment argentino
que formavaa vauguarda. >
t 19 de junho.Acaba de chegar a este acam-
pamento a brigada de Manduca Cypriano, trazen-
do o Bento Martms e o Chananeco. Vem magros,
porm com sade, nao obstante as prvac,oes por
que. passaram.
20 de junho.A forca da dvso ao mando do
general Joao Manoel, que se havia dispersado, j
est toda reun >a ao nosso exercito, com a diffe-
renga apenas de dez homens, dos quaes tres mor-
reram envenenados por haverem comido mandio-
ca brava. >
Sao estas tambera as noticias referidas as cor-
respondencias da Assumpqo publicadas as fo-
lhas do Ro da Pra. Sobre o reconhecimento do
dia 18 accrescenta urna d'ellasalgumas particula-
ridades :
A infantera postou-se margem esquerda do
iray, emquauto Alvarez, Acost e Ascona pas-
saram o rio com eavallara argentina, e atacaran)
as guardas inimgas, formadas por um batalho di-
vidido em vanos postos, mas iiue se tpuio a
Bueno fprimeiro tiro, o que bao Impedio quo a
com
acompanhado do ministro argentino Dr.
Roque Prez a dos membros da eommisso
paraguaya Bedoya e Egusquiza, loado o
terceiro, Valiente", j-partido anteriormente.-
No congresso argentino ainda se discuta-
a <|oesto da provincia de S. Juan. Annun-
ciava-se no senado ama nterpellaco ao
governo peloou>;ac5o de ministro para o
Paraguay e celebraeid do respectivo tratado
sem o haver snbmettido ao congresso.
No Estada Oriental a revolueao parec
j conservar-se pouco mais ou menos no
l mesmo p.
As povoacoes da margem do o man-
tinham-se fiis ao governo o a capital es-
tava bem guardada. A reluctancia que havia
de parte a parte em vir as m3os no campo
da bata I lia acorocoava a esperanza de ver
terminada a contenda por meio de um con-
venio e concessocs reciprocas.
esmente-se officialmente a noticia de
urna guerra entre a Bolivia e o Per.
as repblicas de Pacifico nada occorria
que possa interessar os nossos leitores.
O vapor Proteecao, entrado hontem dos
portos do Sul, truxe datas do Perto-Ale-
gre at 24, Rio-Grande 28, e Santa-Catha-
rina 30 de junho.
Da capital da provincia de S.Pedro tinha
ehegado cidade do Rio-Grande o marechal
de campo Victorino Jos Garneiro Mon-
teiro e devia seguir para o theatro da
guerra.
Pelo subdelegado de polica do Pove
Novo foram remettidos presos, disposico
do respectivo delegado, Agostinho Jos
Ferreira Rodrigues e Manoel Silveira Maciel
indiciados como autores de assassinato do
vigario daquella freguezia, padre Estev5o
Semiglia.
Fallecer em Pelotas o antigo negociante
Christobal de Len.
Tinham chegado ao Rio-Grande no pa-
tacho allemao Cathnrina, procedente de
Hamburgo, 119 colonos por conla do go-
verno da provincia.
De Santa Calharina nada temos que no-
ticiar.
Por carta imperial de 30 de junho ul-
timo foi naturalisado o subdito portuguez
Jos de Araujn Leal.
Por decreto de 1 do correte foi conce-
dida ao baio de Itana a demisso que
pedio do cargo de presidente da provincia
de S. Paulo.
Por carta imperial da mesma data foi no-
meado presidente da provincia de S. Paulo
o bacharel Antonio Candido da Rocha.
A galera ranceza Tijuca, da linha de-
Havre, sabida ante-hontem de manhaa, foi
levada pela correntia das aguas para junto
das ilhas de Marica, onde teve de dar
fundo s 74/2 horas da noite.
Hontem, s 8'/ horas da manha, saben-
do-se que o navio se achava em pos cao
perigosa, porque, ancorado a poucas brabas
iia rocha, nao poda velejar para o largo,
sabio o vapor Vencedor, o mesmo que o
rebocara, para fra da barra, levanda a
seu bordo o Sr. Villas-Boas, gerente da
companha de vapores de reboque, e con-
duzio a Tijuca at 15 milhas ao mar,
donde pode fazr-se de vela para o seu
destino.
vetra para o .primeiro dos supradtos lu-
gares.
-0-
Por decrete de 30 de juidw ultimo foi
nomeado o bacharel Domingos Ramos Mella
Jnior, pora o lugar de proessor da cadei-
ra de historia media e moderna do imperial
collegio de Pedro II.
por decretos de 7 do corrente foram no-
meados :
O baoaarel Benjamn Constant Botelbo
de Ma,j-.ilhaes para o lugar de director do
impci I instituto dos meninos cegos.
O i. Joaquim dos Remedios Monteiro
para o logar de medico 8o mesmo insti-
tuto.
Foram apresentads.
O padre Francisco Vicente Stmoes, em
urna cadeira de conego de meia prebenda
na cathedral metropolitana.
O padre Saturnino Dantas Barbosa, na
igreja parochial de Nossa Senhora Mai dos-
Homens da cidade de Bagagem, na diocese
e provincia de Minas-Geraes.
O padre Joao de Deus Gusmo, na igreja
parochial da Conceico Iminaculada de
Nossa Senhora do Norte, da diocese epro-
vincia de Goyaz.
Foram concedidas as honra de conego da
S metropolitana ao padre Serapiao Fran-
cisco de Campos, vigario collado da fre-
guezia de Nossa Senhora da Boa-Viagem e
Almas.
Por portara da mesma data foi nomea-
do o director do imperial instituto dos me-
ninos cegos, bacharel Benjamim Constant
Botelho de Magalhes/ para servir o lugar
de thesoureiro do mesmo instituto.
Por decretos de 7 do corrente:
Foi nomeado thesoureiro da thesooraria
de Goyaz o Io escripturario Lub Pedro
Xavier dos Guimares.
Foi demittido Maximiano Francisco Pei-
xoto Duarte do lugar de 1" conerente da
alfandega do Rio-Grande provincia de S.
Pedro.
nossa ca-
nina rpida carga, he puzesse fra
de combate 12 homens. 0 inimigo foi perseguido
at um reducto guarnecido por tres pegas, das
quaes una de ferro, que nao fueran) fogo. Depois
retirou-se a nossa eavallara, tendo apenas de la-
mentar um soldado ferido e um cavallo roorto
(estylo Viten).
Segundo pessoas autorisadas que assistram
ao reconhecimento, parece que Lpez tem mnito
poucas forgas e nao poder resistir um ataque.
No dia 17, diz outra correspondencia, os para
guayos residentes na Assumpeao reunirara-se e es-
colheram por candidatos a um governo provisorio
Joo Francisco Decoud, Carlos Loizaga c Cyrillo
Rivarola.
A commissao paraguaya embarcou a 24, em
Buenos-Ayres para a As>uinpco, e dzia-se que u
Sr. conselheiro Paranhos seguira a 27, no trans
oorte Galgo, para o mesmo destino.
O governo argentino nomeou D.Jos Roque P-
rez seu representante na Assumpeao.
Da revolueao no Estado Oriental nao se sabia
seno o que o governo mndava publicar as fo-
lhas de Montevideo. Segundo ellas o general dos
insurgentes icaco Borges tinha sido batido e fu-
gira para Entre-Ros, Orando Caraallo s c com
pouca forca, ao norte do Rio-Negra
Por decreto n. 4,379 do 16 do passado, foram
concedidas aos vapores de propredade de Alfredo
Boath & C, empregados na linha de navegacao
entre Liverpool e as provincias do Cear, Mara-
nhao c Para, as vantagens de paquetes.
Por portara datada de 30 do corrente foi no-
meado o l- tenente da armada Francisco Soares
de Andrea engenhero de seceo da reparti ge-
ral dos telegraphos.
No arsenal do niarinha embarcaram hontem de
manha, no transporte Vassimon, com destino
Santa Catharina, crea de 600 pracas.
Sua magestade o Imperador, acompanhado de
sous semanarios e do Sr. ministro da guerra, as-
sistio ao embarque daquella forja, retirando-se as
10 horas.
-3-
Por decretos de 2 do corrente;
Foram concedidas as demissoes que pediram
Carlos Prospero Ralln do lugar de 2 official ad-
ddo secretara de estado dos negocios da fazen-
da, e Antonio Tavares da Costa do de procurador
fiscal da thesouraria do Piauhy.
Foi nomeado o bacharel Agesislo Pereira da
Silva para o ultimo dos referidos lugares.
Por titulo de 28 do mez passado foi nomeado
2o escripturario da thesouraria do Rio Grande do
Norte o praticante Jos Gomes da Silva.
Per decreto de 25 de junho ultimo foi reforma-
do com o sold por intero, e as honras de 2* te-
nente da armada, nos termos dos arts. 22 e 23 do
decreto e regulamento n. 3,208 de 24 de dezem-
bro de 1863, o mestre de 1' classe do corpo de
officiaes marinheiros Justiniano Martina, visto
contar mais de 30annos de servieo e achar-se un
possibilitado, por mol stia, de nelle continuar.
Por portara de 1 do corrente foi nomeado ad-
junto dos ajudantes da directora do arsen I de
guerra da corte, o teuente honorario do exercito
Felippo Pereira Nery.
Escrevem-nos : A 21 do passado huve tem-
poral em Santa Catharina ; a 22 nterrompeu-se a
communicaco com porto do Desterro ; a ro
extraordinaria a encbonte do rio Itajahy, que ar-
rancou o poste telegraphico na margem direita,
levando as linhas e cabo ; felizmente pde-se
prender este na margem opposta. A 26 o vapor
Iguapense, descerni da Ribeira pela volta dt
Iguape, arrebentou as lnbss quebrando os sola-
dores at a estaesw. A 27 o temporal destru? um
pedaco da linha no mangue de Santos ; nao se
pode concertar logo definitivamente por cansa dos
altos mares e enchentes, conseguindo-se entretanto
fazer alguns reparos provisorios. >
Do Rio da Prata entrou tambem hontem
o paquete iuglez Amo com folhas de Bue-
noa-Ayres e Montevideo at 28 e 29 do
passado.
Do theatro da guerra n3o haviam chega-
do noticias posteriores s que tinhamos.
O Sr. conselheiro Paranhos parti effecti-
Ivamente no dia 27 para a Assumpeao,
Por decreto de 3 do corrente foi refor-
mado com o respectivo sold por inteiro e
as honras de 2o tenente, o mostr de 1"
classe do corpo de officiaes marinheiros,
Florencio Jos Martins, na conformidade
dos arts. 22 e 23 do regulamento que bai-
xou com o decreto n 3,208 de 24 de de-
zembro de 18G3, visto contar mais de trmta
annos de servigo, e achar-se impossibilitado
de nelle continuar.
Por ouiro d* mesma data concederam-se
as honras de Io tenente a Antonio Silveira
Maciel Jnior, eommandante do transporte
Alice, em considerado aos bons servicos
que tem prestado durante a guerra actual,
e a circumstancia de haver sido contuso na
passagem da batera inimiga do Timbo.
Por outro de 6 mandou-se levantar a
clausula com que oi promovido o 2o te-
nante Manol Maria do Carvalho, visto ter
sido approvado as materias assignadas as
instruccoes que baixaram com o decreto n.
884, de 10 de dezembro de 1851.
Por decreto de 7 do corrente foi nomea-
do vogal de conseibo supremo militar o
brigadeio oHenrique Beaurepaire Roban.
Por decretos da mesma data:
Foram concedidas as honras do posto
6 de major do exercito ao capito do 6* corpo
*y m. i^iiMji-i^iwfiiiao-d-w* jjg cav^narra era guaras nacional da pro-
de
Ju-
ba-
se-
semnarios, ohegou hontem s 9 horas da
manha ao arsenal de marinhi, onde visitn
as oficinas de machinas, retirando-se s 11
horas.
Por titulo de 3 do con ente foi nomeado
o capitao reformado do exercito Pedro
Braulio Lessance Cunha para o lugar de
commandante da companhia dos guardas
da alfandega do Rio de Janeiro.
Por cartas imperiacs de 2 de julho cor-
rente foram naturalisados o subdito francez
Alfredo Doux e o subdito portuguez Ma-
noel Moreira.
7
Por decreto de 2 do corrente, foram ne-
me ados :
O bacharel Reinaldo Gomes de Oliveira
juz municipal e de orphSos do termo de
Caldas, na provincia de Minas-Geraes.
Para a guarda nacional das seguintes pro-
vincias :
Cear. O tenente Chrizanto Pinheiro
de Almeda e Mello, major commandante do
Io esquadro de eavallara.
Maranhao. O tenente-coronel Manoel
Rodrigues Marques, chefe do estado-maior
do commando-soperior dos municipios
Cururup e Turyass.
O tenente Luiz Antonio de Oliveira
nior, tenente-coronel commandante do*
talhao de infantaria n. 11.
Foram removidos a seu pedido os
guintesjuizes municipaes e de orpbSos:
Bacharel Joaquim Antunes de Figueiredo
Jnior do termo de Araruama para o de
Cabo-Frio, ambos na provincia do Rio de
Janeiro.
Bacharel Fernando Alfonso de Mello dos
termos reunidos de Benevente e Guarapary
para os da Victoria e Espirito-Santo, todos
na provincia do Espirito-Santo:
Foram reintegrados:
O coronel Antonio Carneiro da Silva Oli-
veira no commando-superior da guarda na-
cional do municipio do Pastos-Bons, da
provincia do Maranhao; ficando sem ef-
leito o dec eto de 27 de maio do anno pas-
sado, que o reformou naquelle posto.
O tenente-coronel Jos Joaquim da Silva
Vveiros. no commando do batalho de in-
fantaria n. 25 da guarda nacional da mesma
provincia; ficando sem effeito o decreto de
0 de maip do dito anno, que o reformou
naquelle posto.
Foram reformados a seu pedido :
O tenente-coronel commandante do ba-
talho de infantaria n. 22 da guarda-na-
cional da provincia do MaranhSo, Luiz
Vieira da Silva, no posto de coronel.
Tenente-coronel chefe do estado maior
do commando superior da guarda nacional
dos municipios de Cururup e Turyass,
da mesma provincia, Jos Gongalves Tei-
xeira, no referido posto.
Foi aceita a desistencia que fez Francisco
Goo$alves Valente da serventa vitalicia do
officio de escrivSo de jury e execucSes cri-
mnaos do termo da Fortaleza, na provincia
do Cear.
Por decretos de 30 do mez passado
foram nomeados o 2o escripturario da the-
souraria de Pernambuco Jus Goncalves de
Medeiros para o lugar de 1 escripturario
da mesma thesouraria, e o chefe de seccao
da do Paran Antonio Jeronymo de Oli-
vmcia do Rio-Grande do 'Sul, Christovo
Barum, em attenco aos relevantes servi-
cos por elle prestados na campanha actual
contra o governo do Paraguay.
Por portara de 7 do corrente foi exone-
rado o engenhero Virginio da Gama Lobo
do lugar de chefe da commlss3o encarrega-
da de medir trras na colom i de Santa
Leopoldina, na provincia do Espirito-Santo.
Em substituirlo desse engenhero, foi
nomeado Luiz Emilio Gingembre, perec-
bendo os vencimentos de engenheiro de 2
classe e transporte mnimo, na forma do
decreto n 2,922 de 10 de maio de 186-2.
Por portara de 8 do corrente foram
nomeados, para o lugar de estacionario de
2a classe da repartido geral dos telegraphos
o adjunto Jos Joaquim Raposo Jnior, c
para adjuntos, os praticanles da mesma rs-
particao Joaquim Garcez de Lima Bastos e
Juliano Florianodo Espirito-Santo.
No dia 2 do corrente deu-s navarra de
Itahapoana um lamentavel sinstro.
O patacho Paraguassu, de propredade
do Sr. Joaquim Antonio Lobato de Vas-
concellos, estava a sabir para o nosso porto,
onde entrou hontem, e mandara urna lan-
cha dentro da barra para receber a cor-
respondencia commercial.
A entrada da b*rra a lancha que ia tripo-
laia por 14 pessoas sossobrou, morrendo
affogados dous escravos do Sr. Lobato e
conseguindo salvar-se, mas muito maltrata-
das, as 12 pessoas restantes gracas ao au-
xilio promptamente prestado por algumas
embarcacoes que se acbavam prximas do
lugar do sinstro.
I
I
-
DIARIO DE PERNAMBUCO
IIBCIFE, 15 DE JULHO DK 1869.
NOTICIAS DO SUL DO 1MPEHIO.
Chegou hontem o vapor ingle La Piala, tra-
zendo dalas, da corte al 9 c da Babia at 11 do
corrente.
Sub as rubricas Parte Official, Interior e Exte-
rior, encontrarn os leitores as noticias mais im-
portantes, quer da guerra, e quer da corte; alem
das quaes encontramos as que seguem.
RIO DS JANEIRO.
No senado, depois de longo debate entre os
Srs. Silveira da Mutta, Souza Franco, barao das
Tres Barras, e Dias Vieira, foi approvado o pare-
cer de commissao de eonstituicao annulando a
eleicao de senador pela provincia do Amazonas.
Prosegua a discussao do voto de gracas.
Na cmara dos deputados, na sessao do !.-
do corrente, foi apresenledo o seguinte, projecte,
e approvado em duas discussSes:
Art. 1. Pica concedida aos reverendos bis pos
que forem a. Roma afim de assistirem ao concilio
ecumnico, que deve reunir-se brevemente, urna
ajuda de custo para as desperas da viagem e tra-
tainepte condigno de sua elevada posicao.
Art. 2. O governo arbitrar essa ajuda de
custo quando os reverendos bispos lhe comrouni-
carem a sua inlencau de retirarem-se lemporaria-
men.e do imperio para cumpriram o dever do as-
sistir ao concilio..
< Paragrapho nnico. Para a fixacao dessa aju-
da de custo attender-se-ha ao maior ou menor
rendimento das dioceses.
c Paco da cmara dos deputados, 14 do junto
de 1869.Joao Jos de Oliveira Jnnquetra. Dtogo
Velho.Mello Moraet.Paranhos Jnior. Barv
de Anajatuba.Perdiglo Malhetro A. P. de Sal-
les.T. Alencnr Ararme.Mello Reo.Ferreira
de Aguiar.F. J. da Gama Cerqueira.]. M. Fi-
gieira de Mello.Ftrnandes Braga.A. A. G. de
Azatnbuja.J. Evangelista de N. S. Lobato.Al-
fonso de Carvalho.J. O. Nebias.Dionisio Mar-
tins.Souza Reit.Portella.ioao Mendes.Ba-
ha.- Araujo Gu.BUtencourt.V. de Fineire-
do.Mendes de Anuida.Joaquim PedV.^Lamego
A
1 MUTILADO



Diario de Pernambuco Quinta feira 15 de Julho de 18C9.



\
\i

fc
Gome* Un
evedo. 'igueircd ste-
'-n'o
Lmi.-F,
Mallos. Duque-Estrada Te
jet Monteiro.L Carlos.Jernimo t. A. Penido.
Antonio P Pinhehv.Antonio Prado.1. A.
Vereira Franco.A. Coew Rodrigues.Aurelian
r. de CnnaUo.J. Del/iiw R. da Luz. Rosa.
Conde de Baependy Caimito Brrelo,
Foram mais approvados os seguiutes pareceres:
Cinccuta o >es Srs deputados indicam que
as sossom desta augusta cmara as Scxtas-feiras
e sabbados sejam acebradas nuile.
A. commissao de polica, examinando essa ndi-
cacao, nota que a rta ele fuitccionar a cmara
norte j tem assento no regiment interno, quando
faculta que no mosmo dia possa haver duas sos-
6es, comecando a segunda s 6 horas da tarde.
A indicaio, porm, ptetende que as sessoes nos
(lias ospe ejam transferidas para a noite.
A co: ] polica nao cncontra iucon-
veniente em tioput-te a i l'-.i aventada, que, pelo
numero de seus ajurente*, signatarios da indi-
cacao, parece achar apoio na materia da cmara;
> asuro prop
Q:te as sessSes as scxtas-feiras o no< sabba
dos (J-: cada serna:.;; principiem s 6 horas da
tardo ; observando-se nellas todas asdispxjoes do
regiment itlemo.
P.aeo da cmara dos deputados 1 de julho de
WQS.Jouquim Octavio Sel/tas, vico presidente
Dio;p Velko C. de ilbuquerque, 1 secretario.
Joaquim P. Machado Portilla. 2." secretario.L.
A. Vieira da Silva, :!." secretario.Cumulo da C
Figueirtdo, 4.* secretario.
A commissao do polica, quem foi presente
o requerimento do Sr. dMitaio Ferreira Vianna,
para nomear-se ui Hpsao de 21 inambros
afira de cKam>aad| ^Hutttico lem sido ob-
servada do 18oz l boje, confronten-o com as
disposioues do regmmto interno desta augusta
cmara, e notou que o raesmo re |uerimento cn-
contra o art. 40 deste, dispondo que nerthuma
coma, ita de menos de tres indi-
viduos, na *1 ^Hp finco.
Rntendc, portm, a commissao de polica qae
tratando-se no caso <;ijeit i de una commissao ex-
traordinaria para objeclo tao inomentsu, nenhuin
inconveniente resulla do abrr-se una excepcao a
regra do regiment, sendo o numero dos membros
da mesma commissao o indicado pelo autor do re-
querimento.
t Paco da cmara dos deputados, 1 de jaldo de
1869.Joaquim Octavio Nebias. vicepresidente.
iogo V-elho C. de Albuquerque, 1 secretario.
Joaquim Pires Machado Portella, V dito.L AA
Vieira da Silva, 3 dito.Cumillo da Cmae F-
yuriredo, 4" dito.
Depois de algum debate entre os Srs. Andrade
Fijrtieirwfc,. Figueira de Mello, Perdigo, Malheiros
> Alencar Ararlpe, foi adiado na tercena discusso
v projecto viiulo da senado, prdiibind> a venda
de escraros dcbaixo de pregao em praca publica.
Pelo ministerio da marinlia foi publicada a
seguinte lei da assembla geral, que S. M. o Im-
perador sancciouou-a :
Art. L Pica concedida s pjswa* que actual-
mente sao oflciaes da armada e aos olDriaes do
exmete corpo de artilharia da marinlia, quj du-
rante aluta da independencia serviram, qtir como
offletaes, qur como simples pracas da armada ou
doexereio. una diaria de i}, correspondente
etapa concedida aos otliciaes do exerciti pelo de-
creto n. 12o4 de 8 de julho de 186o.
Esta disposigaa extensiva aos oflciaes e pracas
do pret, que deixaram de pertencer ao ejerct)
depois dos serviros cima indicados, o actual-
cenle porlencem armada, e bem assim aos ofl-
ciaes c pracas que deixaram de pertencer arma-
da depois dos mesmos servidos, e actualmente per-
tcm ao exercito.
Art. t. Abonar-se-ua tambera a etapa de 400
rs. diarios ? praras.de pret reformadas, tanto da
armada, como do exercito, que serviram na po-
ca de que trata o artigo antecedente.
Art. 3." O beneficio da presenta lei, assim como
e concedido pelo decreto n. 1254 de 8 de julbo de
186o, s compete aos oQlciaes e s pracas de pret
reformadas, que soffrerem falta de meios do sub-
sistencia, e contarem servicos de campanha, pres-
tados em sustentaijao da independencia do Brasil,
exceptuados cm todo o caso os otliciaes reforma-
dos por irregularidade de eondiicta, nos termos
do art. 9." 3 2." da lei n. 648 de 18 do agosto
de 1852.
Eis as noticias coramerciaes da ultima
data :
c Incluindo pequeas transaccoes em cambio,
effectuadas hoje sobre Londres, a 18 J/i para o
iapel bancartu c 18 '/j e 15 d. pra v partica-
ar ; s,bfe Franga, de SOI a 508 rs. por fran-
co, e sobre Hamburgo, a 297 rs por M/B, sommam
as operacj5es em cambio para o paquete inglez
La Plata.
a Sebre Londres, cerca de 370,000 a 18 Vi d.
para o papel bancario, e 18 3/> 18 V e 19 d. para
o particular.
t Sobre Franca cerca do 1,850,000 aos extre-
mos de 500 a 510 rs. por franco.
Sobre Hamburgo cerca do M/B 130,000 de
927 a 943 rs. por M/B.
< Sobre Portugal vigoren a tabella que demos
na nossa Revista de hontem.
t egociaram-se boje cerca de 40,000 sobera-
nos a 124750, 124760, 124780 e 124800, varios
lotes de apolices geraes de 6 % a 80 '/ %. 80
ditas do emprestimo nacional de 1868 a 524 de
premio, e urna pequea partida de acces do ban-
co do Brasil a 1625000.
Venderara-se cerca de 1,000 fardos de algo-
dio de S. Paulo a i6000.
A taxa do descont no banco nao soffreu al-
teracSo. %
A aBudega da corte rendeu de 1 a 8 do
corrente 181:5874780 rs.
Procedente do Pernambuco chegou, a 5, o
brigue Isabel.
Sahiram : a 6, polaca bespanhola Amable
Uolmt, para o Maranhao ; a 7, brigue ingloz
Sofii, brigue dinamarquez Danmark, barca fran-
ceza Sirino, e patacho inglez Ibernica, para os
porto do norte do imperio.
Aenavam-se carga : para Pernambuco
brigue Santo Amaro, e para o Maranhao a barca
porlugueza Mara.
s. PAULO.
A Revista Commercial de 5 do corrente refere
o seguinte :
0 vapor Hamboldt, que havia desaferrado
fiara seguir para o Rio de Janeiro no dia 3, enca-
hou e at hontem nao havia podido safar-se.
O Plotemy, que entrou hontem pela manhaa
daquelle porto, foi immediatamente em seu soc-
corro ao lugar do encalho, mas nada pode conse-
guir em razao da baixa da mar.
t Querendo dispensar os praticos, tao essen-
ciaes para o servido de entrada e sahida, pelo
nosso porto, multa vez atrazam os vapores suas
viagens, como succedeu agora com o Humboldt.
L-se na mesraa folha, em data de 28 do
passado:
Achando-se enfermo ha dias na cadea publi-
ca um dos gales ao servico do commando militar
da praca, foi remettido pela autoridade compe-
tente para a santa casa de Misericordia, aflm de
all curar-se.
c Sob a vigilancia de dous pardas nacionaes
conservava-se o dito gal, quando ante-hoatem pela
manhaa pedio para levantarse e ir ao quarto pr-
ximo enfermara satlsfazer urna necessidade cor-
prea. O guarda consentio, mas notando, algum
tempo depois, qae o enfermo demerava-se de
mais, foi busea-lo, e o nao encontrando no quarto
nem na enfermara dirigio-se ao quartel para dar
parte do occorrido.
c Immediatamente toram dadas providencias, e
sahindo urna escolta aoencalgo do infeliz gal.en-
controu, no morro contiguo santa casa, em pe-
quena distancia do edificio, o cadver do preso de
trucos sobre o chao I
O pobre hemem enfraqnecido pela molestia
nao resisti ao esforjo que flzra, pretendendo
- galgar o morro e d'ah evadir-se.
O Dr. delegado de-policia compareceu Imme-
diatamente ao lugar para proceder ao corpo de
delicio, o que verificou-se.
__O Crrelo Paulistano de 2 do corrente narra
o seguate desastre : < Em Canana. per occasiao
das fe3tas de S. Joo e Espirito-Santo, que all fo-
ram feitas a am tempo, deu-se o seguinte :
c Estando a dar salvas no largo da igreja urna
pequea peca, e passando dous meninos por diantt
delta no momento em que foi disparada, ficou um
gravemente queimado por se Ihe terem incendiado
as vestes, e outro com a perna esquerda, do joe-
Iho para baixo, completamente esmigalhada, por
ur recebido toda a bucha cora que lora carregada
aarma.
* Esperava-se salvar o pnmeiro, mas julgava-se
que raorreria o segundo, principalmente porque,
por falta de recursos, nao se poda effectuar a am-
pujacio da perna com a brevidade que o caso exi-
ga.
baha.
A directora para os festejos do dia 2 de ju-
i Uarte de S70, compoe-se
Mtmitt. Camlllo
Srs. : Dr. J. i. Fer-
nandes da Cunta, presidente ; harSW de Sergi-
niri d Gonuw a do t'.att. lVs. frai
>io Garca. Pac
Eloy Jo- Jor-
Akndes
da Queta i Eduardo Freir de Carva-
Iho e Francisco da Costa Abrou, tenentes-coroneis
Jos Texeira Bahia, Manoel Ignacio da Cunha Me-
nezes, Domingos Americo da Silva, capitaes La-
zare Jos Jambeiro e Francisco Jos Ramos, e de
Lino Porpbyrio da Silva, Antonio Jos de Araujo
Lima e Aurelio l'ereira Espinheira.
Os pnsioneiros pai residentes na
provincia, dirigiram urna petiao a governo, para
Ibes perniittir que se reunam s forras alliadas.
aim de concorrerem tambem para que sua patria
seja libertada do tyranno que a opprime.
Com cincoenta e dous dias de viagem, do
Per para Inglaterra, arribara a barca inglesa
Santiago, capitao Benv, carga ia e cobre, a or-
dem, eonduzindo trinta pessas de tripnlacao da
galera inyleza Grassendalt, que foi a pique no dia
16 de junho, lat. 56", 20 s. e 63 e 50 w. long., que
ia de Inglaterra para S. Francisco da California,
com carga de e*rvao e ferro.
i To dia 5 de maio ultimo, nodislricto doBre-
jo do Espirito Santo, foi assassicnado com urna
facada o preto Jos, por Antonio Rodrigues dos
Santos.
O criminoso foi logo rccolhido prso parares-
pouder o processo.
No dia 6 entrn, proeedente de Toulon por
Teneriffe, o transporte de guerra Alceste, enm-
mandante Brosset, cora destino California, eon-
duzindo 337 passageros.
Lentos no Jornal :
t Un preto velhoe doente donme Joaquim,
africano, escravo de Manoel Alves Caf, aprovei-
tando-sc da auzencia deste, tentou hontem incen-
dia r-lhe a casa de morada, na freguezia da Penha,
e cm seguida lancou-se contra urna senhora, mu-
Iher daquelle Caf, armado de um punhal, o fez-
Ihe diversos fTimentos, se bem que leves.
t Foi inmediatamente preso pela autoridade
ocal, que o remellen para ana casa alim de in-
terroga-lo, mas em cauiiiho teve um ataque e
morreu, por forja de molestia thronic, que sof-
fria, ("anemia') .conforme vcrillcaram os mdicos,
que lizeram o corpo de dolicto.
O cambio rcgulava : sobre Londres 18 3/4 a
19 d., e sobre Pars 500 a 505 rs.
A alfandega rendeu de 1 a 10 do corrente
122:78644(57 rs.
Sahiram para Pernambuco, a 7 do corrente,
o brigue Marmho III o o hiato Ganbaldi.
REVISTA DIARIA.
MINISTERIO DA FAZENDA.Por este minis-
terio, cm 30 do passado, foi expedida a circular
seguinte sobre recolhiniento de notas de 54000 c
104600:
t Circular n. 25. Ministerio dos negocios da
fazenda.Rio do Janeiro em 30 de junho de 1869.
t O visconde de Itaborahy, presidente do tribu-
nal do thesouro nacional, declara aos genitores
inspectores das thesourarias de fazenda que fica
prorogado at o ultimo de setembro deste anno o
troco sem descont das notas de 54000 da sexta
estampa o do 104000 da quarla, e que se deven)
inderanisar as quantias descontadas antes do rece-
bimento da presente ordem, correspondentes a
substituido etTectuada no decurso do trmesUe de
julno a setembro, comecando do primeiro de outu-
bro seguinte o abatmento progressivo de 10 por
cont cm cada mez, at ficarem as mesmas notas
sem valor algum, na forma da lei de 6 de outu-
bro de 183o.
E recommenda outrosiin aos ditos Srs. ins-
pectores que, fazendo dar a esta ordem a maior
publicidade, remettam sem demora ao tbesouro,
devdamente inutilisadas, as notas das referidas
eslampas, recolhidas por substitu rao, ou em pa
gamento de mpostos, c bem assim em rada mez
as que se trocaren) no anterior.Visconde de Ita-
borahy.
CONCILIO ECUMNICO. Por aviso de 5 do
corrente, foi concedida brenca ao Exm. c Rcvm.
Sr. bispo do-Rio-Grande do Sul. para dexar sua
diocese e ir assstir ao concilio ecumnico em
Roma.
NORTII AMERICA. Esto vapor da liaba de
New-York, chegado hontem dessa procedencia, S.
Thomaz e Para, nada adiantou em noticias daquel-
la repblica, por serem mais atrazadas as datas
f Europa. '9tI^___jBflMH
No Para nada occorreu^que mereca men-
(ao.
DINIIEIRO.O vapor inglez La Plata trouxe as
segrales quantias, para os Srs. :
PereiraCarncirocC. ..... 33:7404000
Tasso Irmaos.......... 28:0004000
Marques Barros & C....... 16:0004000
Manoel Martins Fuza...... 2:0004000
Este mosmo vapor levou de nossa praca pa-
ra a Europa 1,000 .
O vapor Guar lerou as segnintes quan-
tias :
Para Macelo.....20:7004000
o Rio de Janeiro.. 129:7614195
sendo desta parcella 112:5814195 rs. para o the-
sonro nacional.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO. Encerrou-se
hontem a exposicao do chapeo armado do pre-
sidente da repblica do Paraguay, e da espingar-
da tomada a um de seus soldados em 21 de de-
zembro ullimu em Lomas Valentinas, concor-
rendo 87 pessoas que, reunidas s dos anteriores
dias, prefaz o total de 199.
Embora encerrada a exposc5o geral, qualquer
pessa, que desejar ver aquelles objectos, poder
entender-se com o Sr. segundo secretario do Ins-
tituto, que de bom grado se prestar a mostra-
los.
TENTATIVA DE ROUBOs 2 horas da ma-
drugada de 13 do corrente, os ladrees arromba-
ram urna porta da casa n. 114 da ra Direita, na
freguezia de S. Jos desta cidade, com o intento
de loubarem ao seu morador, o Sr. Gregorio Na-
tiezeno Baptista Duarte, o que nao conseguiram
por haver despertado pessa da familia, que os
fez afugentar.
ASSASSINATO. Indo o portuguez Faustino
Ferreira Simoes, morador em Quipap, no dia 26
de junho ultimo, em viagem para a povoaco de
S. Benedicto, com algumas fazendas para negocio,
foi ferido em aminho com um tiro, dado de em-
boscada, do qual morreu 48 horas depois.
Nao so tinha podido dcscobrir o autor.
NAO MORREU.O individuo, que se lancen ao
ro no caes da ra do Sol, foi o preto Luz, escra-
vo do Sr. Ignacio Gomes da Silva, que, querendo
evitar a pesquiza da ronda, atirou-se ao rio, agar-
rando-se um esteio da ponte da Boa-vista, oude
se conservou at o clarear do dia.
TRILHOS URBANOS.Hontem tarde descar-
rlharam duas locomotivas qve conduziam trens
dessa lnha frrea, urna no lugar do Caminho No-
vo, ende ha urna curva muito pronunciada, c ou-
tra no Culdeireiro. Esta sahio muito fora e ar-
redada dos trilitos, de nwdo. que por poucos mi-
nutos impedo o transito; aquella, porm, empa-
tou per mais tempo o livre raovimento da lnha.
Houveram alguns fermentos eeonlusdes leves.
PARA A EUROPA.O vapor La Plata, com 18
recebidos em nosso porto, conduzio para a Europa
105 passageiros.
EM TRANSITO. O vapor americano North
America trouxe para o sul do imperio 7 passagei-
ros.
MOLEQUES.Chamamos a attencao do Sr. sub-
delegado de S. Jos para urna sueia de moloques
vadlos, que, todas as tardes, se rene no pateo
externo da estacao do Cinco Pontas, provocando
desordens e entregando-se variados jogos, com o
3ue incomraodam os viajantes que desembarcan)
a va frrea.
LARAPIOS.ltimamente tem-se desenvolvido
nesta cidade e seas arrabaldes urna successao de
fados que provam evidencia que urna quadri-
Iha de ladrees se acha organisada e praticaado
proezas. Anda segn la-feira ultima alguns es-
pecimens das proezas desses demonios foram pos-
tas luz dia no bairro de S. Jos, onde, fra de
horas, se flzeram ouvir gritos de pega ladio
etc.,etc,
E' necessano que a polica empregue toda sua
vigilancia na perseguido de e inimigos da publica tranquilidade, visto como
sua audacia tem chegado ao ponto de atacarem os
viandantes que encontram tarde da noite as ras
da cidade.
ESTRADA DE FERRO DE S. FRANCISCO.
No semestre de Janeiro junho ultimo rendeu
esta via de communicacio....- 443:2414670
e despendeu..................... 260:9524110
dando de saldo cm favor da garan-
ta de juros.....................
182:285560

1 resultad) subtrahido dos juros d
garantido pelo governo que importa
em............................ 373:3335334
d como resultad.............. 191:0434774
que o que tem de despender o governo com a
garanta correspondente ao .citado semestre.
ESPECTCULOO que devia ter lugar hon-
tem em beneficio do Asilo de Mendicidade, ficou
transferido para hoje, em eonsequoncia de en-
commodos do prestidigitador o Sr. P. de La-
jouraad.
EMENDA EM TEMPO.Publicando hontem em
nos'a Revista sob o tituloTenentecoronel lirias
Villar, a noticia da offerta feita as Instituto, deu'
so as linhas 22 e 23, o erro de reporttrio em
vez de repositorio.
B1LHETES OFFERECIDOS. Numera$ao dos
bilhetes da lotera 144.' offereridos pelo thesonrei-
ro das loteras, para auxilio das despezas da
guerra.
Ililhetes ns. 3035 a 3044.
LOTERA.A que se acba a venda a 114', a
oeneflcio da Santa Casa da Misericordia, que cor-
re no dia 21 do coi-rente mez.
PASSAGEIROS.Vndos do sul no vapor inglez
La Plata :
Miguel Joao Carrotl, Antonio Fclppe, Francisco
Pinto dos Santos, Manoel da Costa, Joo do Sotiza
Lopes, Ernesto Beltriio e Edwin Freir.
Viudos dos porios do sul no vapor America-
no North America :
Joanna J. Dann e Manoel Delgado.
Sabidos para a Europa no vapor inglez La
Plata :
* Geovan Battista, Domingos Jos Perera, Manoel
Domingues Fernandes Marques, William Jenscs
Caynes. Manoel Antanio Peres, Joo Francisco
Otero, Manoel Antonio dos Santos Fontes, Goncalo
Ferreira Costa, John H. Boawell, Domingos Gomes
Loureiro, Thomaz M. Connan e Francisco Luiz de
Oiiveira Azevedo. *
Saliidos para o Ro Formoso no vapor bra,
sileiro Parahyba :
Antonio dos Santos Vidal, Joao Paes Barrete,
Antonio Gomes da Cunha, major Thomaz L. Cal-
das, 1 creado e 3 escravos, Dr. Galdino Augusto
ila Natvidado e Silva e 1 escravo, Joaquun M.
dos Santos, JAntonio de Soma Cunha. Leoncio R-
beiro Campos de Vasconcellos. Antonio Philadel-
pho Perera Dutra e sua senhora.
Entrados no mesmo vapor de Tamandar o por-
tes intermedios.
Gaspar Mauricio Wanderley e um creado, Dr.
Sebastio Accioly Lins Wanderley c um eseravo,
Francisco Lins Wanderley, Dr. Joo M. de Barros
Wanderley cum creado, Antonio dos Santos Vi-
tal Jnior,' Mara Feliciana Lopes, Joao Evaristo
da Costa, Antonio da Silva Ramos, vigario Anto-
nio Eustaquio Alves da Silva, major Francisco
Manoel do S. Oiiveira e tira escravo, Manoel la-
rio de G., Manoel J. do Nascimento, Jos D. dos
Passos Bastos e sua sogra.
PUBLICACOES A PEDIDO.
(nica resposta ao Sr. capito
VI raes.
Regulamento que bai-rou rom o decreto
n. 447 de 1.9 de mato de 1846.
Art. 61. Os individuos nacionaes em-
pregados na vida do mar, tanto no trafico
do porto, e pequeos nios, como na nave-
gaco dos grandes ros e lagoas, na pe-
quena e grande cabotagem, as viagens de
longo curso, e na pesca, sero matricula-
dos NA CAPITANA DO PORTO E NA FORMA DESTE
REGULAMENTO.
Art."68. Todos os individuos embre-
gados na vida do mar, sero isentos da
GUARDA NACIONAL 6 dOS IBaS OHUS CVS.
Serao, porm sujeitos ao servico naval da
marinha de guerra todas as vezes que for
necessario, segundo suas circumstancias.
Quanto ou mais do que fallou o Sr. ca-
pito Vires com referencia capitana do
porto, Ihe aconsejarnos, que procure 1er o
mesmo regulamento, para nao dizer no pu-
blico o que nao sabe.
MOVIMSNTO DA ALFANDEGA
Volnmes sabido* com fazendaa
Despedida.
O abaixo assignado, retirando-se hoje
com sua familia para a cidade da Bahia,
seria muito ingrato se nao. patenteasse um
voto de saudade e gratido ao deixar Per-
nambuco.
Ao publico em geral, ao digno empreza-
rio o Sr. Duarte Goimbra, aos seus collegas
d'arte, e a todos os seus amigos, (especiali-
sando sem offender a ninguem) os Srs. Do-
mingos Brasileiro, Francisco Ferreira Maia,
e Rodrigo Lopes de Oiiveira, o abaixo assig-
nado se confessa sinceramente penhorado
e reconhecido. Quando a alma falla, como
neste momento, a saudade e a gratido
exprimem se nesta nica phrase:adeus.
RecifeU de julho de 1869.
Jos Victorino da Silva Azevedo.
COMMERCIO.
dem dem com geucros
Volumes ont n fazendas
'dem dem com gneros
W8
TZtwr
-----2436
Dsscarragam hoje lo de julho
Barca ingleeaWM ofthe WavefeFro o carvao.
Bnfue inglez Rio Grandemercadorias.
Lugar inglwMurancecarvao.
Lugar suecoAmia farinlia de trigo.
Brigue inglezTtfint'ribacailio,
Itrigoe inglezMinoramercadorias
Brigue nacionalAlmeida //cliacq)e.
RECEBEORIA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 13. a;8DJS230
dem do dia 14...... i:ll!)2
22:018*422
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do da 1 a 11. .
dem do dia 14........
as clwves
lar/a.
Secretara
Recite, 9 do j
daquelle sobrado nesta sccre-
nta Ca
186.
de
do
O inspector hncrrno da alfandega faz peblico-
/em n. 4 da mesnu re-
p.irtico d da marca HH n. AF, com ferrase de Liverpool no vapor
- Wftez OtmM e.ntr*do*cste porto em r9 de e-
bro de 4868, a coflUgnacao de Rabo Schamet-
-------------------tau & C-, comprehendidas ite serem ar-
la A PflTflTlTfl Q -ftlUds para ronsum ios do cao. S*
**\/ t/uuip *o lit 3. do regulamento de I S60,
charlas
navaes.
1 ^&s^Jrxssx a^K&,asrs x^
u-anliaa, a compra sob as condicoes do
objectos do material da armada seguintes : 2 I
de ferro estaohado, 2 fiombas de Japy n. 3. i du-
zias de broohag sorlidas, 600 colheues de ferro, 200
alqueres de cal ranea, 200 alqueros de cal pre-
ta, 100 croques de ferro, 120 bracas de correte de
ferro de 1/2 pollegada reforjada, 20 arrobas de |
estopa de algodao, 10 lencoes de ferro inglez de :
l|i de grossura, 10 livros de papel branco pautado;
7?:16538.")4 ; de 200 folhas,30 livros de papel branco pautado
73272o do 100 fo!h;fs, 30 livros de papel branco pautado j
de 50 folbas, 10 livros de papel branco pautado de I
2o folha-, 8 arronas de malliar branco, 10 libras'
de obreias franeczas, 80 arroBas do oleo de lnha-!
natarios devetao despa-
feb pena de Ando
que lhes
dess
venda.
Alfandega de Pernninburo 14 de jnfea de 1869.
L. de C. Paes de Andrade.
78:898*379
MOVIMIENTO 00 PORTO.
--------------*o.________________________
dvios entrados no dia 14.
Boston46, dtds, barca americana Kremlin,d: oOI
toneladas, ctyitao F. P. Emerson, equipagem
12, carga radeira ; a Henry Korster C. Veto re-
frescar e seguio para Montevideo.
New-York porS. Thomaz e Para21 dias, se
5 dias do ultimo porto, vapor americano Nertk
America, de 2,100 toneladas, commandante W.
Wier, equinagem 73, carga differentos gneros;
a Henry Forster C.
Ro de Janeiro e Baha6 da?, vapor inglez La
Plata, de 1,757 toneladas, commandante A. Ho-
le, equipagem 124, carga .varios gneros; a
Adamson Howi A C.
Babia7 dias, hiate brasileiro Garibaldi, do 109
toneladas, ppitao Custodio Jos Vianna, equi-
pagem 8. carga fumo, charutos o outros gene-
ros ; a Tasso Irraao.
Rio Grande do Sal,10 dias, brigue portuguez
Boa F, de 182 toneladas, capitao Joaquim da
Silva Loureiro, equipagem 9, carga 13,000 ar-
robas de carne ; a Amorim Irmo.
Hamburgo44 dias, brigue norueguense" Flora,
de 166 toneladas, capitao E. Rostanf, equipagem
9, carga mercaderas; a Alfredo Jos da
Motta.
Nucios salalos no mesmo dia.
Itio de Janeiro e portes intermediosVapor bra-
sileiro Guar commandante Io lente Pedro
II. Dunrte, carga varios gneros.
Rio do Janeiro e BabiaVapor americano North
America, commandante \V. Wier.
Southampton o portos intermediosVapor inglez
Im Plata, commandante Hoto.
Rio da PrataPatacho sueco La Plata, capitao
C W. Ahman, carga assucar.
EEITAES.
JUIZ DOS FEITOS DA FAZENDA.
O Dr. Abilto Jos Tavares da Silva, juz dos feitos
da fazenda nacional, etc.
Faco saber aos que este vretn, que no da lo
de julbo prximo vndouro, se vender em praca
publica deste juizo, as 11 horas da manhaa, de-
pois da audiencia, a requerimento de Francisco
Antonio Pontnal, cessionario da fazenda nacional,
um terreno denominadoAurora,na freguezia
dos Afiigados, com 1,160 palmos de frente e 1,630
de fundo, com una casa arruinada, dous fornos
de olara tambem arruinados, o alguns alvoredos
de fructo, percencente aos herderos de D. Marta
Joaquina Machado Cavalcanti, avahado por quatro
cont s de res.
E para que chegue a noticia a todos mande
passar o presente que ser alllxado no lugar do
costume e publicado pela imprensa.
Eu Luz Francisco Barrete de Almeida, escrivao
o subscrevi.
Recife, 14 de junho de 1809.
Abilio Joi Tavares da Silva.
THE1TR0
DE
S. ISABEL.
Inspe?co 4l arsenal de
marinha.
Faz-sc publico que a commissao de peritos
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, o casco, machina, caldeira, apprelho,
mastreacao, veame, amarras o ancoras do va-
por Potengi da companhia Pernambucana de na-
vegacao costera, achou tolos esses objectos em
astado de poder o vapor navegar.
Inspe.ccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co 14 de julho de 1869.
O inspector,
H. A. Birbosa do Almeida.
ESPECTCULO DE PRESTIDIGITADO
por
ea, 6 panellas de ferro para derreter breu, 50 pin-' Quint- feira If de ttlJlO d 1869
ceis para caiar, 10 qu.irtolas para lquidos de 3 ps
3 3|4 pollegadas de comprimente, 100 raspas d
ferro, 1,600 libras de tinta branca de zinco, 660
libras de tinta verde ingleza, 40 g/osasjle torcidas
para pharol, 2 terrinas de ferro estauhado, 20 tira-
linhas e 1,000 tijols de fogo.
Tambem o conselho 110 moneionado dia 17 do
corrente mez.'contrata por igual forma o forneci-
mento de cangca ou niiiho pilado, o do niilho sem
ser pilado, aos navios da arpiada e estabelecimen-
tos de marinha no corrente trimestre de julho a
setembro.
Sala das sessoes do conselho de compras navaes
13 de julho de 1869.
O secretario
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
MR. PEVBES DE LUOlrMD
bu in:NBri(no 00.
Asylo de mendicidade desta
provincia.
PIUMEIIIA PARTJ2.
Ligeireza de maos (destreza.)
O orculo de Delpbos.
Urna metamorpliose.
O roubo phantasliro.
A sorte de Home.
SEGUNDA PARTE.
O baralbo rhnez.
A carta sem carcter.
Illusao e realidade.
Una transfiguraran a olhos vistos.
O acaso da magia.
TBRCElRA E ULTIMA PARTE.
O copo de Davpmport.
A cadea de Lamuhana.
A multipliearao.
O rabe physiro.
O poder da magia.
Os intervalos serao preenrhidos 'pela orchestra.
Em consequenca de incommodos do Sr. Lajour-
nard, foi transferido para boje o espectculo an-
i nunciado para hontem.
Comecar as 8 horas.
Sabbado 18 de julho.
GRANDE DIVERTIMENTO
BEMKFK IO
DO
PRESTIDIGITADOR PORTUGUEZ
EDUARDO ALVES CLINTON.
O programma por extenso se dar amanliaa.
DECLARACOES.
PRAQA DO RECIFE 14 DE JULHO DE 1869.
as 3 1/2 horas |da tarde.
Algodao da Parahyba 1" sorte 171250 por 18
kil. poste bordo a frete de 1/2 d. e 5 0|0
(hontem).
Dito de dita 1* sorte17*080 por 15 kil. posto a
bordo a frete de 5|8 d. e 5O|0 (hentem).
Algodao de Mace i sorte17*973 por lo kil.
posto a bordo.
Dito de dito sorte 17*922 por 15 kil. posto a
bordo a frete de 1|2 d. e o 0/0
Algodao de Pernambuco sem inspeccao 1*095
por kil.
Cambio sobre Londres 90 d/v 18 7(8 d. por
1*000.
Dito sobre dito90 d/v d. por 1*000 (hontem).
f. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secrotarto.
ENGLISH BANK .
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Roa do Commercio n. 36.
Sociedade bancaria
em commandita
Teodoro Simn & C.
Comprara 8 vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
sbji9| de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontam letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
utas transacc5es, da cobranca de letras da
torra e de outros ttulos coramerciaes.
Recebem quaesquer qantia* em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7.
ALFANDEGA.
Rendimento do da 1 a 13. 421-.980*722
dem do dia 14...... 20:145*717
do
Mauta Casa da Misericordia
iieclfe.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no da 15 do julho, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offereeer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios era seguida de-
clarados :
ESTABELECMENTOS DE CARIDADE.
Ra das Calcada?.
Casa terrean. 32........130*000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 47...... 170*000
dem n. 47. 49....... 170*000
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 30...... 177OO0
Idam idem n. 30....... 178*000
Ra do Calabouco.
Casa terrean. 18......300*000
dem n. 20.......242*000
Ra da Moeda.
Primeiro andar dd sobrado n. 37.
Segundo andar dito.....
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1......
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27.....
Ra da Cacimba.
dem idem n. 12.....
Ra do Vigario.
1." andar do sobrado n. 27. 240*000
Madre de Deus.
Sobrado de um andar n. 9. 3G0*0O0
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................ 1463000
dem idem n. 103.................. 202*000
dem n. 98........................ 203*000
Idem n. 96........................ 202*000
dem n. 94........................ 203*000
Sitio n. 5 no Forno da Cal......... 150*000
dem da Mirueira n 4..... 106*000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematacao as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 17 de junho de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodriques de Souza
763000
96*000
100*000
lsoeo
146*000
AVISOS MARTIMOS.
C0MPA1IA BRAS1LE1BA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portes do sul esperado
at o dia 21 de julho o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
Alcoforado.o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
portes do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommcn-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 3
horas.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedan) a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
{ens so se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
0 andar, escrptorio de Antonio Luiz de Oiiveira
Azevedo 4 C.
Precsa-se alugar
ra da Praia n. 47.
Attencao.
um escravo : na padara da
aos *o:ooo^ooe
CASA DA l-'ORTUNA
Ra do Crespo u. 'i:i.
O abaixo assignado lendo obtdo licenca da pre-
sidencia e satisfeito as mitras exigencias da lei,
avisa ao respeitavel publico que ter sempre
venda no seu estabelecimento bilhetes das lote-
ras do Rio de Janeiro, cujos premio-t serao pagos
promptamente vista das listas com o descont*
smente da lei.
v Precos :Inleiros.. 24*000
Meios... 12*000
Qnartos. 6*000
E em quantidade maior de 100*000 na razio,
de 22*000 por bilhete.
Manoel Martins Fuza.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegando costea por vapor.
Porto de Gallnhas, Bo Formoso e I
Tamandar.
O vapor Parahyba, commandante
Mello, seguir para os portes cima
no dia 20 do corrente a meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, ai escrptorio do Forte do Mallos
PARA LISBOA
segu com toda a brevdade a barca portugueza
Constante III, por j ter parte da carga prompta :
para o qne Ihe falta e passageiros, trata-se com os
consignatarios Oiiveira, Filhos & C, largo do Corpo
Santo n. 19, ou com o capitao na praca do Com-
mercio.
Sextajeira 16 do corrente.'depois da
audiencia do Dr. juiz de orphos, vai a
praca, de venda, tres moradas de casas
terrea n. 12,14 e 16 sitas na ra da Ami-
sade na Capunga, pelo valor de 4:350<5000
a requerimento de Flix Perera da Silva,
successor de Gama 4 Silva, contra o casal
dos finados Antonio da Costa Rosal e sua
mulher.
442:126*430
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa
Casa da Misericordia do Recife, tem de
mandar edificar no lugar em que existe o
sobrado arruinado n. 33, da ra Direita,
um arraazem com duas frentes, urna para
a mesma ra, e outra para a ra da As-
sumpeo, com tres portas em cada urna
dessas frentes, tendo as portadas de pedras
lavradas, podendo para esse fim aproveita-
rem-se as pedras que all existem; deven-
do serem as frentes construidas desde os
alicorees. Contrata, pois, com quem por
menor preco fizer similhante obra, e por
isso convida as pessoas que se propoze-
rem a effectua-la que apresentem suas
propostas em cartas fechadas, at as duas
horas da tarde do dia 29 do corrente mez,
podendo os pretendentes para o fim de
examinarem as obras a fazerrse, procurar
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Kavega^io costera por vapor.
Goyannar
O vapor Parahyba, com-
mandante Mello, seguir para
o porto cima no dia 16 do cor-
rente as 9 horas da noite. Recebe
. carga, encommendas passageires
nheiro a frete no escrptorio do Forte do Mat-
tos n. 12.
PAIV
Para o referido porto segu com muita brevida-
de o palhabole portuguez Novo Protegido, por ter
a maior parte da carga tratada ; e para o resto
que Ihe falta trata-se com o consignatario Joaquim
Jos Goncalves Beltrao, a roa do Commercio
n. 17. ______
LEILOES.
LEILAO
Quinta- feira 15 de albo as 11 horas por-
ta da Associaco Commercial Beneficente
O agente Euzebio vender por conta c ordem
de diversos:
Um sobrado de n. 18, sito ra do Brum, com
2 casinnas no fondo e fronte para o caes.
Urna casa terrea, de n. 19 sita ra da Con-
ceicao na freeuezia da Boa-Vista.
lima casinha n. 29 na roa do Calaboucc.
Qaatio casas de ns. 690, 92, 94 e 96, na ra
Imperial, chao proprio.
Um sobrado de n. 17 na roa do Pilar, eora
fundos para o mar.
Os pretendentes queiram antecipar a vestori
aflm ae fazer urna boa aequisieo.___________
LEUlO
De fazendas limpas e avariadas,
A 15 do corrente.
Magalhaes Irmaos farao leilao por intervenco
do agente Oiiveira, do grande sortmento de fa-
zendas inglezas, francezas e allemaes, de algo-
does, linho e de seda, sendo parte avanadas, por
conta e risco de quem pertencer inclusive algu-
mas miudezas.
Quinta-feira
as 10 horas da manhaa, em seu armazem ra
da Cadeia do Recife.
O Dr. Alvares Guimaraes, cuja pratica
das clnicas data j de nao poucos an-
nos, faz publico que se propoe aqu a 1
exercer a medicina cm todos os seus ra-
mos, tendo por especialialidade nem s
as hydropesias, as molestias uterinas,
das vias urinarias, da bexiga e febris,
como anda as amputacoes, fraturas, hy- i
droceles o operacoes obsttricas (coneer-
nentes aos partos); para o que tem aber-
tlV sott consultorio, i ra do Imperador
n. 17, Io andar, onde dar consultas das j
! 8 as 10 horas da manhaa e das 5 as 7
| da tarde. j
Declara outrosim, que usar as mo-
lestias, syphiliticas do tratamento esta-:
, belecdo pelo celebre syphilographo Ri- ]
[ card, que na operacao do ectropion em- i
pregar o rpido e proficuo processo do
professor Vidal, de Cassis, para, o que ]
i tem apropriados instrumentos, e que i
! as demais operacoes e molestias pr !
\ em pratica o methodo ou processo, que
formis con'cntaneo sciencia, e que j
mais vantagens possa auferir aos doen- !
tes.
Promettc, finalmente, entregar ao H- j
i vre e generoso alvedrio de seus clientes.
; a estimativa e pagamento de seus hono-
rarios, e curar gratuitamente os pobres
offerecendo-lhes, alm disso, alguns me-
dican" entes proprios conjurar seus
males.
MOFINA
Roga-se ao Sr. Jos Joaquim de Aguiar, tenh*
a bondade de apparecer na ra Nova n. 46, loja, a
negocio.
Lava-se oengotnma-se
roa da Roda n. 4.
com perfeico : na
Pr3Cisa-sa de urna pessa habilitada, para
tomar conta de urna taberna com sociedade por
ter seu dono de retirar-se para 'fora: no neceo
dos Portos n. 4, so dir quem precisa.
Ama de leite
Precisa-se do urna ama de leite quo nao tenha
fllho: na ra larga, do Rosario n. 12, 3 andar.
= Precisa-se de urna ama para cozinhar em
casa de familia : na roa nova de Santa Rita n. 53,
2o andar.
A!uga-se urna tcellenle eecrava robusta,
boa cozinhoira e engommadeira, e um escravmuo
de 12 annos : a tratar atraz da matriz da Boa-Vis-
ta n. 26, andar. ......_______
O professor de latim da freguezia de S. Jos
desta cidade, abaixo assignado, declara ao publico
que contina a estar aberta a matricula de sua
aula : quem se quizer matricular na mesma, d-
rija-se ao sobrado n. 5, no largo da ribeira da re-
ferida freguezia.
Manoel Francisco Coelho.
ANA
Precsa-se do urna ama : na roa da Cadeia n. 9,
joja-________________________________
= Precsa-se de duas amas para casa de fami""
lia, urna que cozinhe o diario da casa e outra que
engomme
andar.
na roa da Concordia n. 10, primeiro
AVISOS DIVERSOS.
Acha-se fgido desde o mez de deaembro do
anuo passado o escravo Jacob, crioulo, de 50 an-
nos, pouco mais ou menos, olhos vesgos, com falta
de alguns dentes na frente, estatura regular, anda
meio corcundo, tem urna orelha furada para ar-
gola, cachaceiro, e falla quasi como se fosse an-
gola, tera metade alternada e metade captiva, e
jnlga-se estar dentro desta capital de Pernambuco,
tanto que tem sido visto por vanas *ezes junto
cadi'ia nova : quem o apprehcnder leve-o^ a Ver-
1 lentes de Taquarctinga,' a entregar a Francisco
Ferreira Goncalves Carneiro, que ser gratificado.
= Permuta-se ou vendo-se urna casa terrea no
Poeo.da PaneHa, em muito bom estado e local, por
outra nesta cidade: annutictand o pretndeme.
t







&.
. -
Diario de Peruaiubuco Quinta (eir 15 de Julho de 1869.
-rriLin
fl'ESTA ANTIGA CREDITATA
FABRICA
iieiiTii ii ciiiTiiTiiiiri m ciinm ihtiiiiii n
(HiFEtS BE IOL:
De toda as qualidades I
De todo* os feitios!
Be todas os presos I
RA DO CRESPO N* 4
(ME m MVMANGIWE
ADVOCACiA.
0 tachare! Augusto Carlee Vaz de
Oliveira, em aben sea escriptorio de
advocaci na cidade de Mauangnape
(provincia da Parauyba) onde podo ser
procurado.
Nesta capital porteen entender-se rom
seu irmao o Ar. Justino J. de S. Canatos,
ra do Hospicio n. S3.
DENTISTA BE FAMS
19Ba Nova-19
FREBERICO U ILTIEIt
eirurgio-dentista, muito cpnhecido ha dez annos nosta cidade, pela perfeico dos seus
trabalhos, tem a honra de participar ao rcspcitavcl publico que tendo feito muitos me-
Ihoramentos na sua casa, pode d'hora avante receber as senhoras no sea gabinete onde
acharao os commodos precisos para familia.
Acua-se tambem na sua casa e na sua companhia, o seu sobrinho e discpulo
a. LE^KOIV
o qual acaba de voltarde urna longa viagem a Europa, durante a qual praticou com
feliz successo as primeiras casas de Par* ede Londres, offerecendo assim as meihores
garantas do bem desempenho para tudo o que for relativo a prosso ; por isso o
annunciante pede aus seus amigos e clientes que por acaso o nao encontraren! no seu
gabinete, depositem no dito seu sobrinho a mesma confianza com que o tem honrado
a dez annos.
Dentaduras por todos os systeinas: a presso do ar e com molas de ouro, platina
rukanite e um inicuamente novo n'esta cidade.
Cara radical dos dentes cariados.
<:humhagens (obturaces) com ouro e com massas diversas, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de dentes.
Agua e pos deatrifieios fabricados pelo proprio annunciante, oquelhe permitte afian-
zar sua boa qualidade.
Escovas para dentes. etc.
Grande ofEcina de
alfaiate
LIMA. LESSA de COMPANHIA
Ra Nova n. 14'
Tendo chegado, ltimamente contratado para
nossa oficina, um dos piis peritos aHaiates de
Lisboa, o Sr. Manoel Martinho Alves Gar ia, a
quem confiamos a direccao da inasina ; portanto
convencidos como estamos de sua importante te
toara, vemos prevenir o respeitavel publico, que
nao baver com mais perfeirao e por mais caprichoso que seja
o freguez, como "o dito Sr. Martinho Alves Garcia;
assim como temes grande sortimento 'de case-
rata, pannos tinos, brins de toda a qualidade,
camisas e ceroulas francezas, chapeos do sol de
seda, grvalas e colarinhos, e completo sortimento
do hiendas linas.
Trocam-se
a notas do baaco do Brasil
^om descont muito razoavel :
>endencia n. 22.
e das caixas filiaes,
na praca da Inde-
Aluga-se o segundo andar e soto da casa
da ra da Senzalla Velha n. 22 : queur pretender
falle com Jos Antonio Guimaraes, o. com Tho-
maz Fernandos da Cuaha, ra da Cadea n. 44.
Paraguay.
Na ra Dircita n 53, recobe-se qualquer quan
ta de dinheiro para entregar no Paraguay sem
iuero algum, dande-se disso garanta.
= Da-sc l:000 a premio sob hypotheca, ou
compra-se urna casinha at essa quahtia : ua na
Direila n. 24, padaria, se dir.
ATTEN CO.
Muito se precisa fallar com o Sr. Manoel Caval
canti do S Albuquerque, na praca do Gorpo Santo
n. 17, a negocio de seu interesse.
Feitor
Precisase de um feitor de boa conducta e que
seja casado : a tratar na ra do .Mondego n. 107,
fabrica de cap.
Gratificapao.
Tendo-se perdido una pequea eaixa redonda
do tartaruga preta, com nina chapa de ouro sobre
Perfeiqao de trabalho e prepos m0drad. sfi^Ti^VCUJL- tK&SS
mora de um seu mui prezndo prente, roga-se a
[essoa que a livor adiado, que, por sua bondade
quoira leva-la ao estabelecimento de cabelleireiro
do Sr. Jayrne, a ra do Queimado, sobrado n. 6
Io andar, a qual recetar o valor da mesma caixa,
alm de se Ihe liear asis agradecido.
Viagens para Jora mediante ajusto previo.
O gabinete acha-se aberto das 8 horas ta manha ateas i da tarde de todos ds
dias uteis.
COif EIMI4 DOS AAM4ZES
16RA DA CRUZ16
$. AUTOOTO, S. JOAO K S. PEDRO.
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, podins, paes de l, bollo inglez,
presuntos, ditos em feambre, pastis de differentes qualidades. Papis para sortes,
bollos simples e enfeitados, amendoas confeitadas e confeitos. Vinhos finos engarrafa-
dos, superior, cha Hisson, preto e miudmho, fructa em xaropes, ditas seccas e christa-
lisadas, assucar candi, xaropes refrigerantes.
Recebe-se encommendas de bandeijas para casamento, bailes c baptizados, com
bonitas armacoes de assucar, sendo estas preferiveis as de papelo: bollos etc., pues
de lo enfeitados, qualquer encommenda para fra ser bem acondicionada.
11-Rna estreita do Eosaris-11
Este novo e modesto estabelecimento, tendo aberto ao respeitavel publico este ele-
gante e bem fornecido hotel que situado n'uma posicao inteiramente saudavel, e sen-
do constantemente sombreado pelos doces zephyros da larde, toma-s prel'erivel qual-
quer outro d'este genero, as tres cousas0mais aecessarias ao genero racionalali-
mento do corpa, dislracao da alma, e socego do espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto muito profusa, da primeira ordem ; no
primeiro andar, ala da frente, um excellente bilhar de mogno, para divertimento. Sala
de traz um restaurante da primeira ordem. Quanto ao asseio e bemfeitoria da? comedo-
rias, o delicado modo do pessoal do estabelecimento, promptido e commodidade, s
aos filustres'conrorrentes dado fazer justca.
Fomece comidas para fra, tanto por mez como avulso. Todos os dias, noite,
encontrar-se excellente sorvete, refrescos, caf, cha, bons vinhos Figueira, Porto, Bor-
deaux, teudo bons commodo para hospedagem, salao e quarto mobiliado no segn
do andar.
Troea se nina imapctn do Srobor Crucilic,-;
do, de niarllm, obra feria na lmlia, propria para
capella de engenho pv ser em ponto grande, com
a competente cruz de pao santo,'eraros, resplan
dor de prata, obra de mui gosto : na ra da
Guia, labrrna 11. 7.
Aluga-se urna escrava que engonrma njnito
bem, perita cozinbeira ,e ensaboa com perfeico:
a tratar na ra da Mangueira n. (i, sobrado.
Arrenda-se moenle e corrente, emii todos os "sens (Rencihos,
situado no Paco de Camaragibe, provincia das Ala
goas, e juntamente a parte do terreno denominado
Condado, perteuocnte ao mesmo engenho : a Ira
tar com Antonio Roberto & Filhos, roa Nova nu
mero 13.
DIVIDAS
O abaixo asignado, hoje possuidor das dividas
do casal do fallecido Jos Baptista da Fonseca J-
nior, arrematadas cm leilao publico, pede aos de-
vedores do mesmo casal se dignem satisfazer seu>
dbitos no praso de 30 dias, a contar da data des-
te ; Ando o qual proceder judicialmente a dita
cobranca : na rus das Cinco Ponas n. 82.
Recife 13 de julho de 1861.
Joiio de Azevedo Per-ii t.
Cosiiiheiro
Precisa-so de- um cozinheiro que entenda bem
destacarte: n*hoti>lLisbonense.
COM URGENCIA.
A pessoa que quizer dar 200 a juros, dndo-
se garanta segura de seu dinheiro, dirija-so ao
quarlel de polica e procure ao abaixo assignado.
Canuta Candido Ramos.
Dr. Ermirio Coutmbo, reside
na da Cadeia n. 84, onde tem
aberto o seu consultorio me Jico, e
pode ser procurado quaiquer ho-
ra para o exercicio de sua profis-
so.
No da 23 de abril fugio do sitio Mandaea-
r, cidade da Parahyba, o scravo Manoel, cabra,
nariz chato, eabello um tanto carapinho, e repre-
senta ter 30 annds de idade; consta que elle lora
visto na estrada delguarass : quem o apprelien-
der pode lea-lo ao seu senhor Uartliolomeu de
Paiva Machado no dito sitio, ou nesta cidade na
da lmperatriz*n. 14,1 andar, que ser generosa-
mente gratificado.
Escriptorio de advocacia
O Dr. Joiio Tlmui da Silva transferio
o sen escriptorio de advocacia da ra do
Imperador para a ra do Queimado n
31, 1 andar, por cima da loja de fazen-
das do Sr. Antonio de M. Rohm, entrada
pelo pateo de Pedro II, aonde pode ser
procurado das 10 horas da manhaa as
3 da tardo.
COSINHEIRO
Precisa-se de um cosinhero ou cosinheira que
seja perfeita para este fin, nacional ou estrangei-
ro : a tratar na ra Nova n. 22.
O advogndo
Alfonso de Albuquerqne Mello mudou o seu es-
criptorio para a ra das Cruzes 11. 37, defronte da
typograpbia do Diario.
rVIOLi
Os apreciadores de manjares delicados
enconlraro todos os domingos, no hotel
central, de Francisco Garrido, a verdadeira
sopa de Ravioli do verdadeiro gosto italiano:
assim como outras excellentes iguarias que
seria enfadonho mencionar. Ahi se en-
contraran) ainda os mais asseados aposen-
tos para hospedes, banhos, buhares e piano
para recreio dos habitantes : ra larga do
Rosario n. 37 Io andar.
Precisa-se
Para acompanhar urna familia que se retira para o
Rio de Janeiro, de duas criadas acostumadas a
viajar e cuidar de criancas : a tratar na ra do
Commercio n. 34.
Precisa se do um rapaz que tenha pratiea de
loja de calcado : na na do Lvram_'i)to n, 37.
km de leile.
Precisa-se de urna ama de leitc :
ra Real (Estancia) n. 8, tifia.
a tratar na
COMPANHIA
, DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A9 OliIMDA.
Precisa-se comprar para as obras dos
trilitos urbanos para Olinda e Beberibe 7
ou 8 mil sulipas. Qaem pretender esse
fornecimento pode apresentar, at o dia 15
de julho, sua proposta em carta fechada
ra do Commercio n. 32 2o andar, es-
criptorio da companhia, declarando os pre-
cos. As sulipas devem ser de 2 25 m. de
comprimento, 20 a 25 centmetros de largu-
ra e 10 a 12 de grossura, e das seguintes
madeiras: sicupira, embiriba, mariapreta,
barab, -arueira, oiticica, babatimo, pao
ferro, jatob, coraco de negro, sapucaia,
011 pinho creosotado. Todas estas madeiras
deverao ser do milo edirigidas ao
Superintendente,
Andr Pono.
Anda nao vieram, no entretanto o negocio
de interesse, e precisa-se fallar a ra do Crespo
n. 17 com os Srs. Paulino Ferreira da Silva, ex-
procurador da cmara, Dr. Francisco Pinto Pes-
soa.
Em casa de THEODORO CHRIST1-
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se
efectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
Criada
Precisa-se de urna criada forra ou captiva para
engommar : na ra do Imperador n. 73, segundo
andar.
Ama1
Prensa-.se alujar urna cera va que saiba cozi
nhar e comprar : na ra de S. Francisco n. 54.
= Aluga se 1 ma excellente e fiel escrava para
comprar e cozinhar em casa de familia : quem
precisar dirija-se em Santo Amaro ao sobrado jun-
to do cemiterio inglez.
Pihuas de Bravina
Estas prodigiosas pilulas sendo applica-
das as pessoas acommellidas de febres in-
termitientes, sao incomparaveis em sua efli-
cacia para completamente vencer as ditas
febres, achando-se tnicamente venda na
botica n. 3 ra Direi desta cidade.
0 abaixo assignado, testamenleiro in-
ventariante dos bens deixados pelo falleci-
do subdito francez Joiio Vignes, convida aos
credores do mesmo, a apresentarem-lho as
contas de seus crditos, para por ellas se-
rem atlendidos no inventario que se est
procedendo pelo jniz municipal da 2a vara
desta cidade, e isto no majs breve termo
possivel, visto estar a concluirse dito in-
ventario. Recife 21 de junho de 1809.
Garpar Antonio Viru Guimar&et.
Cozinbeira
Precisa-se de urna criada para cozinhar :
roa do Imperador n. 71', segundo andar.
na

iVISO
Fugiram hontem, 7 de julho, do sitio das Pal-
meiras, na Torre, os seguintes escravos : Geraldo,
preto crioulo, um pouco fulo, idade 38 anuos, mais
ou meaos, cara bechigosa, barba serrada, mas um
pouco rala, com falla de dontes na frente, estatura
e corpo regulares, levou vestido camisa de algodao
branco e calca de brm pardo j usada. Anwnio.
preto crioulo, idade SO annos, mais ou menos, com
fallado dentes, estatura o corpo regularos, pesnm
pouco apalhetados, anda um pouco corcovado para
diantc, levou vestido camisa de um riscadtnhu
azul com listras da mesma cor e calca de bnm
pardo com algum uso ; este escravo veio do Rio
Formoso e era all do Sr. Jos Gomes Ferreira : le-
varo tambem urna trouxa contendo dous cober-
tores de lia escurse mais roupa.eouirascousas,
quem os pegar leve-os ra da Concordia que se
gratificara com generosidade.
-= A viuva e herdeiros de Julao Pereira Mat-
toso declaram a quem ioleressar possa, que nun-
ca pretenderam vender o seu engenho Bom Desti-
no com o fim de exiinirem-se do pagamento dos
dbitos legtimos e por ttulos legacs do dito tina-
do, como quer fazer crer o interpelivo annuncio
que o Sr. Jos Gon?alves da Rocha fez publicar
no Diario de Pernambuco de 10 do corrente mez.
Esta declaracao fazein os annunciantcs por amor
de seu crdito, que muito zelam ; e convdam o
mesmo Sr. Rocha a apresentar os ttulos de que
se julga credor por si ou pelo seu curalelado Joo
Francisco de Oliveira.
Jos Goncalves Ferreira Costa nao tendo
tempo de despedir-se de todos os seus amigos c
conhecidos, na presente viagem que vai fazer
Lisboa tratar de sua saude, o faz por esto Dia-
rio, em cujo lugar offerece o seu fraco prestimo.
Iriaaidaile das almas na matriz
do Corpo aillo.
De ordem da mesa regedora convido a todos os
irmaos desta innandade para mesa geral no dia
18 do presente ui -r., as 10 horas da manha, aflm
de tntar-80 de negocios de interesse mesma ir-
inandade.
J. J. Lima Bairo,
Escrivo.
ILSr. Elvido Clemenlinode Aguiar tem urna
carta vmda do Maranho, no escriptorio de Joa-
quina Gerardo de Bastos, ra do Vigario n. 10,
Io andar.
Erasmn Jos da Malla retiran,ln-se. hry para
o Rio de Janeiro, despede-se de todas as pessoas
a quem deve esta prova de estima o respeito, pffe
recendo-lhes o seu exiguo presumo all ou cm
qualquer parte a que o destino o conduza.
Precisa-se de um caixeiro
ra do Brum n. 60.
na taberna da
Atten^ao
Ajrra A C. encarregados da liquidaeSo da ex-
mela firma de Quinteirs A Agr, vem pelo pre-
sente rogar a todos os devedores da mesma, para
que su dignem saldar seus debito* at o fim do
corrente mez, ao contrario terao de recorrer aos
meios legaes afim de seren indeinnisados, visto
tambem terem de pagar o que a oxtincta lirma fi-
cen a dever.
= Preeisa-se alugar um moleque de 12 a 14
annos : a t.atar na ra oa Moeda n. 17.
n. 114
Precisase de urna ama : na ra de Hurta3
PAGA-SE BEM
a urna ama que tenha bom leite o nao tenha fllho :
na travessa do Monteiro, casa terrea com porto
de ferro ao lado, confronte campia do saz nu-
mero 18.
Aluga-se urna anta para todo o servioo de
urna casa de pouca familia, e se fur casa Bstran-
geira melhor : quem precisar dirjase a ra da
Pz n. 9, casa terrea.
CASA DA NITDltt
Aos 4:0005
Bilhetes garantidos.
\ ra do Crespo n.23 e casas do costme
O abaixo assignado tendo vendido nos sensmui-
to elizes bilhetes garantidos 1 inleiro n. 2433 com
a sorte de 4:0001;, 1 meio n.813 com a sorte de
700 e outras muitas sortes de 100, 403 e 1(
da lotera que se acabou de extrahir em-bene-
ficio do patrimonio dosorphaos (113*) convida aos
possuidores a virein recaber seus respectivos
premios sem os deseclos das leis, na casa da
Fortuna ra do Crespo n. J3.
Acnam-se a venda os da 25* parte da lotera
beneficio da Santa Casa de Misericordia (114")
croo se exlrahir quinta-feira 22 do corrente mez.
Precos.
Blheto.....44OOO
Meio.....24000
Quarto.....1*000
Em porca de 1004 para cima.
Bilhale.....3*.5O0
Malo......1*750
Quarto..... 875
_________________Manoel Martina Pinza.
Muita att^ipao.
Fugio no dia 29 do passado mez, as 7 horas da
manhaa, o escravo Manoel, naeao Angola, idade de
50 auos, pouco mais segninles: falto de denles na frente, andar vaga-
roso, pemae finas e marcas de bexigaa, levou ca-
misa e calca de riscadinho e chapeo de palha anda
novo : Toga-se aos senho.es capities de campo.
queae o aparehender leve-o i rna Direitan 16,
que rao generosamente gratrtJeados.
PILULAS
ANTI BOUBATICAS
Cura radicalmcnlc as lioiihas.
nico deposito.Pharmacia de Joaquim
de Almilla Pinto, ra larga do Rosario nu-
mero 10, junto ao quartel de polica.
WltOPE
DE
SALSA PIHILII.1 DO Mili
ou
Depurativo do sangue
Usado as molestias de pelle, impigens.
dores rheumaticas e ulceras venreas,
NICO DEPOSITO
Rna larga do Rosario n O.
JUNTO AO QUAHTEL DE POLICA
Perminibuco.
Thculro de Santa Isabel
Pedro Pinto da Silva
Precisa-se saber noticia eerla, c para seu inte-
resse, de Pedro Pinto da Silva, fillio de Juao Pinto
da Silva, natural do villa de Mesaefrio, reino de
Portugal, viudo para esta provincia ha trinta e
tantos annos. Sabe-se que foi caixeiro em urna
loja na ra do Crepo, e depois consta que foi para
o centro da provincia. Pede-se anda a qualquer
pessoa qiio"D conhcccsse, ou delle possa dar noli*
ciaou nformacao, de drigir-se Luz Leopoldo
do3 Guimaraes Pexoto, ra larga do Rosario, bo-
tica de Barlholomeu & C, n. 3.
Ama de leite
Precisacse de urna ama de leite. e paga-se bem,
sendo boa: na ra da Praia n. 1. Na mesma
casa vendem-se charutos finos, sonde das marcas
exposicao, flor de suspiro, lricos, palmeiras, para-
ruasiis, almirantes, brasileiros,*leinbranea de fa-
bricante.
Precisa-se de um rapaz portugnez. de 20 a
22 annos de idade, para faixeiro de roolhados fra
desta provincia, e que de fiador a sua conducta,
paga-se bom ordenado : a Iratar na ra do Cres-
po n. 10, ija de fazendas, das 10 horas ao meio
dia.
Precisa-se do una ama que saiba cozinhar
muito bem, preferc-se escrava : na ra do Quei-
mado n. 30.
Aluga-se
Urna casa com bastantes commodos na
Cidade Nova de Santo Amaro, a tratar com
Antonio Jos Goncalves Jnior en Santo
Amaro.________________________
Ama
Precisa-se de nma ama para cozinhar e comprar
para casa de pouca familia : na rna das Cruzas
n. 28, Io andar ; prefere-se escrava e paga-se
bem agradando.______________
ESTIBO DE PREPARATORIAS
con repllelo para os alnmnoa
que ieni de fazer came cm
no ve ni hr o.
Jos Soares de Azevedo, proessor de
lingua e litteratura nacional no gymna sio
provincial do Recife, tem aberto cm sua
casa, roa Bella, n. 37:
Um curso de
LINGUA VRANCEZA \
PHIL0S0PH1A J
r.EoonAPiiiA e historia;
RETHORICA E POTICA.
Os estudantes que pretendercm fazer
exame em novembro em qualquer destas
materias, podem dirigir-se indicada re-
sidencia, tarde, das 3 horas em diante.
Na rna da Cruz n. 11, 2 andar, Drecisa-se de
urna ama para o servico de cozinhar e engom-
,111 i-.-sc ue una ama para comprar e co-
zinhar : na ra do Queimado n. ti loja
Lili lili MU
FIO 1)1 VI II
Barbante
Em casa de I\abe Schmetau <& C. Corpo
Santo n. 15.
SHERRY 0L0R0Z9.
Gelo seal.
COGNAC HENWESSYa
Em casa de Rabo Schmcttau & C. Corpo
Santo n. 15.
/L.1
SUPERIOR.
Roussilloii, carte bianche.
Sm casa de Rabe Kelinietiau A
Ci. Corpo *iau( n. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
CIIATEAU RACKAM
Em casa de Kabc Scbmettau & C. Corp
Sanio n. 15.
AMA
n
^Precisase de ama ama para andar com urna
enanca : na roa do Cabug n. ?, 2" andar.
EMPRESTIMO SOBRE'
Veneravel ordem terceira de M.
S. do Carroo do Recife.
Em nouie do nosso charisimo irmao prior, sao
convidados todos os irmaus terceiros desta venc-
ravel ordem, a comparecerem em nossa iereja pa-
ramentados com seus hbitos, sexta-feira 16 do
corrente, as 10 huras da manhaa e 7 da tarde,
para, encorporados, assistirraos a festa c Te-Deum
de N. S. do Ca mo, quo ser celebrada na igreja
do convento ; correspondendo assim ao obsequio-
so convite do nosso Rvm. padre provincial.
Secretaria 14 de julho de 1860.
O secretario,
______________________- H. V. Liga.
Contraria de *. os da
itgonia
Pelo presento convido aos nosios irmios a com-
parecerem em nosso consistorio, sexta-feira, 16 do
corrente, pelas 10 horas da manhaa, para assstr-
mos a festa de i\VS. do Carmo, por convito do
Rvm. provincial ; assim como sao convidados para
domingo 18, as 10 horas, comparocerem igual-
mente para, em reuniao de mesa geral, so proce-
der a eleigao de secretario.
Castro Guimaraes,
Secretario interino.
AMA
(SEM LIMITE.)
Na travessa da ra
das Croies n, 2, pr-
meiro andar, da-sc qual-
quer quanlia sobre ouro,
prata e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condices de ga-
rantir a transaccao que se iizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e consideraco s pessoas que se
dignarem do honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
e brilhantes.
Precisa-se alugar urna ecrava cozinhera para
servico de urna casa de pequea familia : na ra
larga do Rosario n. 3i, botica,
Thomaz Me. Cowman, subdito britannice va
i Europa.
Preeisa-se de urna ama para
gommarpara duas pessoas, que
quem tiver pode dirigir-se
j mero 20.
cozinhar o en-
seja eserava
Pilulas assucaradas de Brislol.
NAO CONTEN NEM CALOMELANOS NEM NENHl'W
"!' I !',<> MINERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
thartico ou de tuna medicina ^purgativa, na
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
vo, como mesmo por meio da faculdade
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer que sentimos, em pdennos com
toda a confianca e seguridade, recommendar
as pilulas vegetaes assucaradas de-Bristol,
como uma excellente medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes essencaes, tornando-se em um
perfeito, seguro e agradavel catbartico de
familia. Este remedio nao 'composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composicSo dessas pululas, que por ahi se
vendem, mas sim, sao preparadas com as
mais finas e superiores qualidades de raizes
medicinaes, berras e plantas, depois de se
baver cliiraicamente cxlrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicina!,
daquellas porcoes fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
dophgtn, a qual segundo a experiencia
tem demonstrado, possue um poder o mais
maravilhoso possivel sobre as regioes do
figado, assim como sobre todas as secre-
tes biliosas. Isto decombinaco como
li'ptandrn, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, cons-
tuem e formam uma pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer uma oulra medicina da meama
natureza, que jamis lora apresentado ao
publico. As pilulas vegeiaes assucaradas
de iristal, achai-se-hao sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente efi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam .as seguintes.
Hydropesia'dos mem-
bios ou do corpo,
Mecces do figado.
Ictericia,
Uemorrodias.
Mau balito, c irregu-
laridades do sexo
femenino,
Resto venda um oscolhido sortimento de ob-
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
sarand, mogno eamarollo, obra nacional eestran-
rira, de apurado gosto e por prqtyM razoaveis:
ia ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
asa fazam-se com pcrfeicao todos os trabalhos de
ra do Hospicio nu-1 palhinha, como sejam, empalhamentos de lastros
1 para camas, cadeiras e sopns.
Dyspepsia, ou indi-
gestan,
Adstringencia, ou..
priso do ventre
habitual,
Azia do estomago e
flatulencia,
Perda do apetite,
Estomago sujo, Dores de caneca.
Em todas as molestias que derivan ?
sua origemda massa do sangue: a salta
parrilha de Brislol esse melhor de-todo*
os purificadores deve ser tomado conjun
tamente com as pilulas, pois que estas
duas medicinas, tendo sido expressameate
preparadas para obrarem de harmona uma
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos resta a menor duvjda em dizer[
que no maior numero dos casos, podemos'
aiiancar nlo s um grande alivio, como
tambem uma cura prompta c radical, isto
est bem visto, quando o doente n5o se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
= Precisa-so de uma ama para cozinhar para
1 duas pessoas: na ra das Trincneiras n. 17.






' I" I

\\
f
Diario de Pernamboco Quinta feira 15 de Julho de 1*69.
.Esta" fgido desde o dia 15 de janei-;
ro do correle auno, o escravo Filippe,
com os signaes seguintes: cabra, idado o
a 27 annos mais ou menos, corpo e altura
regular, sobrancelbas pretas e serradas,
cabellos enrsscarJos e acabocolados, que-
rendo principiar a barbar, as vezes incta-
me as pernas, tem urna marca de caustico
do lado direito sobre o figado, quando
anda fica duro e com passos. avanzados,
tem o ventre um pouco crescido, pescoco
grosso, muito regrista, e quando foge diz
que forro, e tem por custu uie trocar
o noma, e botar a camisa fra da caira.
Este escravo j foi preso e esteve na ca-
deia, por nidar fgido, levou no corpo
caifa de brim de quadrinltos preta, camisa
de madapolo, chapu de 15a preto redondo,
natural do lugar Canhotinho da comarca
de S. Bento desta provincia, e foi escravo
do Sr.Eduardo Jos .Vives de Mello,"mo-
rador no mesmo lugar. Este escravo j
foi visto em Gloria de Goit districlo do
Pau d'Alho, e em Limoeiro presume-se
que se conserve nestes lugares, ou tenba
seguido p;ira o centro ; pede-se as autori-
dades policiaca e aos Srs, capiles de
campo a captura do mesmo escravo, e eu-
trega-lo ao sen seulior Jos de Miranda
Cuaba morador no Kecile, caos de Santo
Amaro, sobrado n. do tallecido Manoel
Custodio ou na ra da Cadeia do Recife n.
35, que o mesmo gratificar generosamente.
m
MEDICO
O Dr. L. J. Corroa "de S;i usa de sua
protlssao ; para o que pode ser procura-
do a qualquer hora do da em casa de >>ua
resideacia, ra das Ninphas n. 17. D
consultas grati3 aos pobres todos os das,
Bg das 8 as 10 hora?.
Snow m m mmmmm&
Club Peruambucano
Em consequencia de muitas familias
retirarem para o campo no mez de dezem-
bro, a directora resolvea mudar o bail
annual de Io de dezerabro para o dia (3 de
setembro prximo futuro.
Criado
Predsa-se de um criado liel e activo, para rasa
de pouca familia : ni roa do Imperador n. 73, 2"
andar.
Alfredo & Cunlu, com escriptorio no caes da
alfandega velha, sacan sobre Lisboa, a praso e
vista.
se
MARTIMOS
COtfTRAFOGO.
A Companhia Indemnisadora, estabelecida
nesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e raobilias: a
ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Alaju-se um excellout* azinlieiro : na ra
Direita n. 21, Io andar.
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas [or precos mais vantajosos do
qup em outra (iualquer parte.
>';i |;<> uves, tompra-seonro, prata, e pedras precosas,e
tambein se faz qualquer obra de encommenda, e
iodo e artalqner concert.
WPRA-SE
moedas de ouro c prata de lodos os valo-
res, ouro e prata em obras inulilisadas, e
brilhantes e mais pedras preciosas: na lo-
Ccordeiro previdente
Una do Queiniado o. itt.
Novo e variado sormento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alera do completo sortimento de perfu-
oiarias, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber am oatro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
lade, quaKdades e commodidades de pre-
sos; assim.pois, o Cordeiro Previdente pede
i espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansidao
a barateza. Em dita loja encontrarlo os
preciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray Laminan.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
oeza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes.e vilete para toilet.
Elixir odontalgco para conservacao do
sseio da bocea.
Cosmetiques de superior quadade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japeneza, transparente
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino eagradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros -igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Estrado d'oleo de superior quadade,
com escomidos che.ros, em frascos de dille-
rentes tamanbos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras-de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinbas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
I Bonitos vasos de metal coloridos, e de
, moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composico de
cheiro, e por isso o mais proprio para'crian-
icas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de carapbora e outras differentes
qualidades tambera para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Ainda mais coques.
Um oatro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e algans d'elles ornados de flores e fitas,
est3o todos expostos apreciacao de quem
os pretenda comprar.
GOLLIXHAS E-PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto c perfeicao.
Fivellas e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS.
O que de melhor se pode 'encontrar neste
genero, sotii esdUlilUU os delicados ramos
orvalhados para coques.
QUE SE LIQIJDAM
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
sa=ao& u)^ mflupaaawanaa @
DE
FLIX PEREIU1 DA SILVI.
O proprietario d'este estabeleciraento convida ao respeitavel publico- desta ca-
jrtal a yir surtir-se do grande sortimento que tem de fazendas, tanto da moda como 4e
le, assim como de um grande sortimento de roupas para homens e meninos, e as
pessoas que negociam era pequea escala, tanto da praca como do mat, aesta casa
poderlo fazer os seus sormentos em pequen ou grandes porcoes, venden lo-se-lhes
pelos precos que se compram as casas ingletas ; assim como as excellentissimas fami-
as, poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou se Ihe as mandam
evar em suas casas pelos caixeiros d'este estabelecimento, que se acba aberto con-
stantemente desde s 6 horas da manilla s 9 da noute.
11--RUA DO QUEINADO--11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noi*aarque
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
SAHIDAS DE BAIL.Ede cachemira branca ede cores b que lia de mais lindo,
ele ant ASUINESde ren(la Preta> e Je gorgurlo preto, o que ha de mais
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
a* BALDESbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e satas de laa com barras de cor.
H-fe k n G0RGURA9-de, seda brancoe preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tque blanco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas
alpacas de muitas cores, e lindos"cortinados bordados.
pretas,
Explendido sortimento de
Alpacas tarradas de cores a &GO
Alpacas a 560 Alpacas a 560
Alpacas de cores
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vende-se uns poucos de mil covdos
das mais lindas e modernas alpacas lavradas
cora as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo entre ellas azul, lyrio, roxo, coi-
de canoa, verde claro etc. e os lavrores
muito miudinhos assentados em urna so
cor; pju-a se poder retalhar esta fazenda
pelo barato preco de 560 rs. o covado, foi
preciso fazer-se urna grande compra deste j
artigo, o qua! grande peciiinclia.
los dez mil corados de cassas
franeczas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padroes raiudos e grata-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas sao propriamente franeczas, tendo
transparentes e. tapadas, rom tanto corpo
Casemiris da moda
NA
liOjr.i no pavo
Chegou pelo ultimo vapor francez.'um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para eal-
cas, paletots e toletes, tendo lisas, com lis-
tsas e cora listra ao fado, tendo para todos
os precos, e alianca-se venderem-se muito
mata barato do que em outra qualquer par-
te, assim como das mesraas se manda fa-
zer qualquer peca de obra, a vontade do
freguez, para o que tem um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitois
a 18$ e 2G$000.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
...i tfnua,fc

f4
ft.
<*\x*s

** SvtmA*6
j 60, vendera-se urna grande porc2o de pa-
litots sobrecasacados, e propriamente so-
jbrecasacos de panno pretu, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de 18#, sendo forrados de alpaca, e de
205 forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter comprado urna grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-sc
esta pechincha pelos precos cima.
POUPELINAS A 500 RS. O COVADO.
Na loja do Pavo, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se um grande sortimento das
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de Guis-
lain
quasi como a chita,- e alm dos padroes' mais lindas poupelinas ou lazinhas trans-
serein maito bonitos, sao todos Gxos e seria
fazenda para muito mais dinheiro, mas re-
lalha-se a :tOO rs. o covado.
Espartilhos a 3000 ua loja do
Paro
Vende-se urna grande porcao de esparti-
lhos modernos com o competente cordo,
tendo sortimento de todos os lamanhos, e
vendem-se a 3$ cada um.
MADAPOLO ENTESTADO A 3600, S
"NO PAVAO
Vendem-se pecas de madapolo enfestado
com 12 jardas, sendo muito ncorpado pelo
barato preco de 3)5600 ris, assim como
pecas de algodosinho cora 16 jardas
4.0500 e 5^000 ris.
(ME PECHINCHA
EM
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excedencia para cura
erta
j ourives do arco Umm ,,o ^^^H^TZl^^Z
Precisa-se
Cooptar una eserava moga.-prandada, c rarinbo-
sap;ir.i enancas: a tratar na na do Haugcl n.
5i, sobrado, das 8 :a lo liona da maaha, e das
.'i da tirdii em dianto.
Compra-se
farinha de mandica da torra :
mercio n, 17.
na ma do Cuui-
Gnpra-so urna prcta (|ue saiba eozinbar,
i tamliem eonpra-se um negro du meia idada : ;ia'
Praca da Indcpt-ndenria n. .'IJ.,*
VENDAS.
Taberna
Wiidc-se a taberna da ra da Concordia n. 9i,
a (jual et bem afrego/zada e tem poucos fundos
propria para algum principiante ; o motivo da
venda dir-se-ha ao prctendente em particular : a
tratar na I'onte-Veha n. H das 6 as 9 da ma-
niaa e desta hora em diante n'esta tvpographia
BRDEAUX
Na praca do Corpo Sanio n. 17, escriptorio de
Joaqun) Rodrigues lavares de Mello, vende-se o
excellente viulio Medoc Vieux Extra o melbor I
quo vem a este mercado. No mesmo escriptorio j
ha para vender chapeos de chile muito finos.
Queijos de manteiga
Vende-se excellenies queijos do sertao, os mais
frescai's pissivois, fabricados no^Serid, a 2* o ki-
logramina: na ana Augusta n. 31.
CADEIRAS AMERICANAS A 25500.
Vende-se as mais bem construidas de fecbar :
na ra Augusta n. 31. V
as dores gastralgias, e reparar as forjas
produzindo urna assimulaco completa dos
imentos; sendo mais um excellente tnico.
VESDE-SE
PHARMAaA E DROGARA
DE
Bartholomen <& C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
FUDICAO DOBOWMAN
Kua do Urinu u. A9.
PASSANDO O CHAFAR IZ
Tem sempre deposito de todo o marinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
algodo.
Rodas d'agoa.^
Motores de diversas especies.
Moendas de caima.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido/ fundido e de
cobre.
Alambiques.
Alados e instrumentos d'agricultur a.
Descarocadores d'algodao etc. etc.
Havendo em tudo variedade de Umanho
desde o menor at o maior que se coslu-
rna empregar.
Aproveitar em quanto
duram.
Balocs de murcelina com pequeo toque da'mofo
AS a :,*'iW' fazenda superior, ditos de arcos a
2*000, espartilhos de 200 e 3, cousa nunca
vista, so no Triuojpho! Outras muitas fazenda-
que e torram por todo o preco : na ra do Quei-
mado n. 7, nja do Trinmpho.
ramas de caneleirae de outros arvoredos para fes-
tas : no nitio-do Sr. aUrceiiao Jos Lope, na es-
trada do Arr.iial, no primoiro portao pintado de
encarnado e branco.
aueU penurda em carabraia, a melhor que
pissivel, a 14 a libra : na ra do Mondego, ota-
ria o. 13.
= Vatilje 1 escrava recomida, perfeita en-
gommaleira, cazioha e cose muito beui, 1 dita op-
tiiui ci/.iuneira. 2 ditas proprias para eugenho por
serem mirto robustas, e a esse^ervieo acostuma-
ilas, 2 malocas de tdade 17 a 18 annos 1 eserava
parda para tid) o servico por 1:000,1 : na tra-
vessa d.iCarmo n. 1.
Piano.
Vende-se un pao em bom estado
Imperatriz, sobrado u. l', 2 andar.
ua ra da
Vendem-se dnas barracas de 9i caixas cada
urna : a tratar ao escriptorio do Sr. Joo Peroira
dos Santos Farofa, largo do Corpo Santo n. 27.
XAROPE PE1TORAL
DE
R4B0 M TAT'
PLANTA DO BRASIL
E expectorante e recoramendado as
affecces do poito, broncliite chronica, he-fgante sortimento
moptise, e losse chronica. -
PREPARADO POR
JOAQUIM DE ALMEIDA-PINT9
PHARMACEUTIOO
Pernambuco ra larga do Rosario n. 10.
ilVU IX lili.
Vertde-se terrenos de proiaccao e com
arvores fructferas e prximo a esta-
?3o dos trilbos urbanos do Recife
Olinda e Beberibe, no becco do Espinbeiro,
podando quem ijuiser irigir-se nos domim
gos, ao sitio d. 6 na estrada de Joab de
arros, e nos domis dias, ra da Impe-
ratriz n. 68,
Vende-se estopa para calafeto a 3209 : na
ra da Senzala Novan. 1.
= Vende-so um.-> vacca tourina, prosima a pa-
rir, com um famoso
omero 9,
garrote : na ra Formes
I'KKCAEjL.IK
A patuoa o covado
PEUC.VLLAS A 320 RS.
AOS DEZ MIL COVADOS
PERCALLAS A 320 RS.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vende-se urna grande porco de per-
callas francezas proprias para vestidos, sen-
do de cores fixas e raais larga que as chi-
tas, tendo os pannos muito encorpados e
com os desenhos mais bonitos que tem
viudo ao mercado, tendo padroes miudos e
grados e vende-se pelo baratissimo preco
M 320 rs. o covado, garantido-se estar esta
fazenda em perfeito estado, e vendendo-se
por este baratissimo, preco para apurar di-
nheiro.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 1800
Chegou para a loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
p^as de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
raento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de I800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
pcaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
COBERTORES DE LA PARA O INVERN
DE 3O0O 6,^000
Chegou para a loja do Pavao, um gran-
de sortimento dos melhores cobertores, de
l de carneiro, sendo muito grandes e
muito encorpados, que se vendem de 3
at 6;>OuO cada um, em relaco s diffe-
rentes qualidades, pechincha: a elles an-
tes que se acabem.
ATIENCAO
AS PECUINCUAS QUE SE LIQLTDAM
NA LOJA DO PAVAO
Cortes de organdy listrados com 10 va-
ras cada um e que tambem servem para
luto a 3000.
Lanzinhas de cores para vestidos a 200
rs. o covado.
Cortes de cambraia com barras bordadas
e muito nas a :},> e 4S000.
Cassa toda preta para vestidos a 320 rs,
avara."
E' pechincha para fechar contas.
Alpacas brilhantes
a 640 rs.
Chegaram para a loja do Pavo om ele-
das mais lindas alpacas
brilhantes com as mais delicadas cores, e
com os mais bonitos lavradinhos a imitaco
de seda, as delicadas cores que existem
neste bello sortimento encontra'Se o bonito
Bismk, o bello Lyrio, o delicado verde
assim como, perola, roxo, caima, azul caf,
etc. Vende-se esta bella fazenda pelo ba-
ratissimo prego de 640 rs. o covado por se
ter recebido em direitura urna grande par-
tida sqperior a dez mil covados, seno
seria para muito mais dinheiro-, isto na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60 de Feliz Pereira da Silva.
Vestidos com duas salas a SO
Cbegaram para a loja do Pav5o ra da
Imperatriz n. 60, os mais modernos cortes
de poil de Cbvre com duas saias para ves-
tidos, sendo neste genero o que ha de
melhor e mais novo no mundo, e vendem-se
pelo barato preco de 2O0OOO na loja de
Flix Pereira da Silva.
pareates, proprias para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
nitas cores; padros com lstrinhas miudi-
hIkis, que se vendem pelo barato preco de
500 rs. o covado, pechincha que se acha
nicamente na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas cmo suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5^000 al 100000 a peca, assim
cerno inissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a I^OOO, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
rara da Silva.
Cortinados
Para camas e j-neHas.
Vende-se um grande sprlmento eos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 120000 rs. cada per at 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palrtots e coletes de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
satn desejar, assim come na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maior promp-
tido vontade do freguez, e nao sendo
obligados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parle. Na ra,da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
O atoalhado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
m 8 palmos de largura, adamascado a
i(52O0 a vara; dito de linho fazenda muito
raperior a 30200 a vara ; guardanapos de
inbo adamascados a 40500 a duzia e muito
inos a 80000, e ditos econmicos a 30500
t duzia.
ALPACO DE CORDO PARA VESTIDOS
A 10000
Na loja do Pavo, vjnde-s superior alpa-
cao ou gurguro para vestidos, sendo n'es-
te genero o mais moderno o mais bonito
que~tem vindo ao mercado com differentes
cores, sendo mais largo que alpaca e ven-
de-se pelo baratissimo preco de 10001) o
covado.
MoTidade \ovidade
GURGRES DE SEDA PARA AS FESTAS
DO MEZ DS JUNHO
Chegou pelo vapor de 14 do corrente,
para a loja do Pavo, roa da Imperatriz
n. 60, um brilhante sortimento dos mais
modernos e mais bonitos gurguroes de seda,
para vestidos, tendo padroes \miudinbos e
grados, com lindas listras matisadas, as-
sentadas as mais delicadas cores, como
sejam, verde, bismark, lyrio, azul, perola.
etc. etc., assim como ditos lisos de todas
as coras, garanlindo-se que na actualidad)
nao ha urna fazenda de mais gosto nem de
mais pbantasia do que esta,que se vende por
preco muito rasoavel, no estabelecimento
de Flix Pereira da Silva.
Babadinlios baratos na loja
do Pavita.
Vende-se urna grande poccao de baba-
dinhos de todas as larguras, sendo com os
bahados verdadeiros, por urna terca parte
de preco que se vendem em outra qualquer;
loja, s com o flm do acabar-se com est
artigo, assim como tambem se vende urna
grande parte d'entremeios, peles mais
mitados precos para acabar, na lo* e ar-
mazn do Pavo, ra da Imperatriz, n. Cu
de Flix Pereira da Silva, .
Tintura indelevel para Ungir os cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceiluada agua-florida de Guis-
lain que ento era desjonhecida em Per-
nambuco, ja hoje estimada e procurada
por seu ellicaz resultado, e ainda raais se-
r, quando a noticia de seu bom effeito e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, elhs restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algum.
E' porm necessario fazer conhecer, que
-o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
ioas tal vez supponham, mds sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o Dm desejado, como bem
provam testemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita era
outra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ra do Queimadon. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
fo de sua boa freguezia, tambem capricha
im nao Ih'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravul com que
a honram, e em prova ao que Gca dito, d
como exemplo to explendido sortimento
rae acaba de receber, ainda mesmo achan-
lo-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
a oraco, obras de apurado gosto c perfei-
$0, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfira igualmente
nonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros im
tandocharo machetado.
Ditos com ditas de mai roquim com cruz
e guarnico, dourada ou pateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortimeruo de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
cora 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abortas, tambem
para meninas c senhoras.
Ditas muito finas d'algodao, al vas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torca I, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e pnnhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios finas tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas ceslinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albons com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de litas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas
oos
oos
000*5
08
005? I
ooc
0009*
0088
005
005
008
b d\9\\od ciud oe op saopa
........ 0pflS9A
op raiuqap cied co op sejoj
.....souanbed soiiq
........ epcjnop
e.inp|oui uioo sapucjS soqiadsg
oaid opoi 'BJ33 op seDoung
suapjo 5 sajaxjoo uioo ogi-ieo
b Biznp SBpjef 005 P cqun
b ojo||oo Bjed scjnpBojoqV
.........B BZ
-np suotuoq cjBd senjo sbiori
........*om
'008 'OOv sojiaip uioo soosbjj
b oqund BJBd saojoq op sajBd
' 'SOEm BJBd soouBjq soJua'i
Bqaoj Bjuij moo sbjcjjbo
09f b Bino] op saQioq op ezojq
OOfF c"!MP enB moD cjcjjco
OOO 9 008 *00 '009 '00S
b soioiu-OJjuo o soi|upcqca
0*5 005 051 '001 '08 % sop
-Bpt|Bnb se SBpoi op OlOUOtIBS
056 'B Bsoqeq op oajo moa so?scjj
09 .........B SBp
-JBfOO* u,0') cquii ep S0U0AOJ.J
008^ Jeq-ioq cjed sb|ui| op saiqn
091 9 SJ 001 <' E)U!J U103 S03SBJJ
00* ........b eequi.
o bju)soo caed sejnosoqx
0?S' '.......b seu
-inora Bjed bsso.vbji ep soiuoj
006 .....B BJt0pBpJ0\ J0A14
BIU0[09 Op BUB m03 S0DSE.IJ
:s9;nmS8s sooojd so{3d sop^J
-Bjoop oxreqB so^oafqo so opuBimanb ^sg;
IVHOdMI YHiattOM OSMOMV
aa
svz:b< iee aa tfot
s iHmiHM od ra-ss n
IVHOdKHJ.
MENCO OK HONRA
Vende* em truc
DE FGAJUS FlESCOS fifi MCaLHO r> tn^u.
Iires, phanmcla Hoac,
J, ru de Ctstigtione,
em Pari.
As con.'.rafacvAea, os Icos pardos, d'um c:.cro forie, a mais conootfeoM feitu rom olwv.
de pones comrauus, um como o est/ualo, arnuoyO-Baoca a Usa, o, leos dos armoforr* Prim
e mcinio o. cito* vegetar*, foram m.aginados j.ara sulistiuir os verdadeiro* olean di ---^--'
frr-o, de Baerdtaao de Terra-Kovn. EM oleo, communs -,, \mS^m7Z
ol.lldos na tnduu-i por pre<;os mu bailas, em quanto que os verdaderos leos de Ikado de h'.clh.
fresco orelativamente m.nio caro, visto que para obtel-os frum e sem mistura cuwiire 'oieri?
grande viuhnaa e ter os matoros cuidados nos proprios tusares an -mra, Msm ciSrlU^S,
U. Ilogg doide o auno de 1610. Lstfs oleo- r-----.- ,,-, f ^ %_'"?"'_"'_ *""ef
grangj.aram para este nrocioso medicamento urna (ama universa, na molestia, dpeUu a)Tt/rT?S"l
escrofulosa,elymphatUas, a maurtta do, menino-,etc.,e por isso,deram lugu- l nocir e de*^
cor
ola. O oleo de n.0fl d mui fcil de digerir, dianguo*) entre oa ootros leos neta
t de jaljia^o *eo cheiro'suave e delicado, c seo gosto de sardinlia fresca.
O RLATOniO fasorattl do chafa dos trabalbu chyncos da FACUtDADE DE MEDIfN RE
AlilS conclue como segu: 0 oleo cor de alha de M. Iloga coulem urna Urca parte de ton
daloa ae os man do que os oteo, pardos /o aprsenla algum dos inconveittenle, oueit
repara n estes, quanto eo chetro t sabor. Y /
v^Jmdo-ae m oda. a pbaraaaciaa da >>tt e doa pala atrajoaeiroo.


6
Diario de' P.niambuco Quinta eira 15 de Julho de 1869.
GRANDE LIUUIDAO
MA IiOJA
DA
72.
HHHHH
Ra da Imperatrz. -
72.
Alerta freguezes
que Arara vai cantar,
Para vender suas fazendas (baratas)
' que ni ni to ha de agradar.
0 pioprietaro (leste estabelecimento, leudo grande porrao de fazendas em
tr, vai proceder urna liquidaco em todas as fazendas e roupas feitas existentes no
stabelecim^nto, agora que occasio de quem tem pouco dinheiro poder se vestir de
boa fazenda e baralissiina como se poder ver no annuneio abaixo mencionado.
MADAPOLO BARATO A 3500. | BRAMANTE PARA LNCOES A if.
Vonde-se pecas de madapolo entestado' le-se bramante com 10 palmos de
h 12 jardas .1 3-?o00. dito de 24 jardas ou, largura para lencc?, a 2\ a vara.
PEGAS DE ALGODO A 4.
Vendem-se. pecas de algodo milito en-
corpdo ;i 60800 e 7-v
3_ metros u>, 6#. Gj00, 7300, 8-5000 e
WOQO.
CHITAS FRANCESAS A 280 rs.
"uiidem-se chitas francezas para vest- C-'oicriahos econmicos a 3*0
dos a 280, 320 rs. o covado, ditas escoras! duzia.
uuito finas 360 rs. o covado.
Cballu inulto fino 8O0 rs.
Vende-se chalin para vestidos ie senhora
a 800 rs. o covado.
PERCALES A 4M RS.O COVADO.
Vende-se percales imito, finos para ves-
taos de senhora a 440 rs. o covado.
Brilhantinas 44 rs.
Vende-se briihantinas ou mursulinas de
cores para vestidos de senioras 440 rs. o
covado, ISazinhas maito linas para vestidos
de senhora 400 rs. e 500 rs. o covado,
ditas de quadrinhos 240 rs. o covado.
RISCADO FRANCEZ A 360 RS. O COVADO
Vende-se riscado francez para vestido
de senhora 360 rs. o covado.
JLaasinhas a 4 rs. o covado.
Vendem se lasinhas para vestido de se-
nhora a 240, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas finas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales de merino 24.
Vende-se chales de merino estampados
2#e2r?500 cada um, para acabar.
CORTES DE LA AS ABERTOS A 2:* 400
Vende-se cortes de la para vestidos de
senhora, 2J400 cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vesta xs
de senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de listras 700 e 760 rs. o covado.
Chitas prnsslanas :*.
Vende-se chitas prussianas de stras de
cores milito bonitas a 360 rs. o covado.
CHITAS PARA COHERTA A 310
Vende-se chitas incorpadas para coberta
i 320 rs. o covado.
Baldes de a 30 arcos
1500.
Vende-se baloes de 20 a 30 arcos
!.5#O0 cada um, baloes modernos brancos
ede cores i5#.
Vende-se colerinhos econmicos a 320
a duna, s se vende assim barato por ter
grande porcao.
CASEMIRAS DE CORES
Vendj-se cazemiras de coses para calsa
e pautla 2| 2000 e 35 o covado,
Algodo entestado LS.
Vonde-se algod5o cnfeslado proprio para
lences e toalhas, 1$, a vara ou 900 rs. o
metro.
RR1M PARA CALCAS A 400 RS. 0
COVADO.
Vende-se brira para calcas o palitots de
homem e menino, 400 e 440 rs. o co-
vado, dito lizo a imitago de ganga a 360
o covado.
Algodo de listras a 900 rs.
o covado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES E BRIM CASTOR A 640 RS.
Vende-se cortes de [ brim castor para
calca de homem, G40 e 800 rs. cada um.
CARTEIRA PARA VIAGEM A U.
Vende-se carteiras para viagem Ift
cada urna, cobertores de algodo I #500
cada um.
Cohertas de chita 1*8
Vende se cobertas de cintas de cores
l800 o 24. cada urna.
ALGODAO TRANCADO DE EUAS LARGURAS A
IJ300.
Vende-se algodo transado de duas lar-
guras, proprios para lences e toalhas para
mesa, se vende a 1$200 o metro.
Mantas para grvala a rs.
Vende-se mantas para gravata a 200 rs,
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 20500.
Vende-se'atoalhado pardo para toalhas
de mesa 2-500 a vara, toalhas escoras
i&, cada urna. Ra da Iraperatriz loja
da Arara n. 72.
3. 45 RIJA DA CADEIA 45
DE
INDIS, 1M0 & C,
SOB A DIRECCO DO MITO HBIL ARTISTA
Lauriano, alfaiate.
Os proprielarios deste novo estabelecimento, tendo experimentado a necessidade
urgente de ter na direceo de sua officina de roapas por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Lauriano Jos de Barros para tal mister, convictos de que satisfar
com todo o capricho a vontade do freguez.
Tem o mesmo estabelecimento um bom sortimemto de fazendas proprias para
roupas de homem, como sejam: casimira de cor, indos padroes, completo sorlimento de
pannos finos, preto e de cor, casimira preta,; grande sortiraento de brins brancos e de
cores, merinos de diversas qualidades, bombana, lindos cortes de gorguro para collete,
gorguro Pekin, superior qualidade.
Os freguezes encontrarao ainda um variado sortimento de roupa feita, camisas
inglezas, collarinhos, ceroulas, gravatas pretal e de phantasia, meias para homens, se-
nhora?, meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
baloes de diversas cores e modelos, cambraias, malas para viagem, e outros muitos ar-
tigos que a modicidade de seus precos incita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45
4*000
500

0 Garibaldi principia
Certamente ha de agradar,
Que pelo prego que vai vender
Ninguem o pode igualar.
0 proprietario deste estabelecimento denominado Garibaldi, declara ao resp'ita-
*el publico e seus freguezes, qu* tem recebido grande sortimento de fazendas, e esta
constantemente rec-bendo por todos as vapores que chegam da Europa novo sortimen-
to de fazendas da moda, e que vender por preco mais barato de que era outra qual-
quer parte, garantindo se a qualidade e cores, na ra da Imperatrz n. 56, de Lourenco
Pereira Mendes Guimares.
RIVAL SEM_______
Ra do Queimado ^s. 49 e 57-
lojas de miudzaz de Jos de
Azevedo Mam, est acabando
com as miudeas de seus estabe-
lecimentos por isso queram apre-
ciar o que bom e barahssimo.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
[$900,24, 3#e.....
Caixas de linha com 50 novellos
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a......20000
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a...... 1$500
Duzias de meias croas para ho-
mem a........3#800
Tramoias do Porto fazenda boa
epelo preco melhor 100 artos a #200
Livros de misses abreviadas a 2#000
Duzia de bamlhos francezes nsaito
. finos a25400 e.....'280C
Silabario portuguez eom estam-
pas a ........
Gravatas de cores e pretas mwto
finas a ........
Redes pretas lizas muito finas a
Cartoes com clcheles de latao
fazenda fina a..... .
Abotuaduras de vhfro para cotete
fazenda fina a......
Caixas com penna d'aco muito
finas a 320, 400, 500 e .
Cartees de linha Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de linha Alexandre de
. 70 at 200 a......
Caixas com superiores obreias
de massa a......
Duzias do agulhas para machina
Libras de pregos francezes di-]
verso tamanho a. .
Livros escripturado para rol de
roupa a........
Talheres para meninos, muito
finos a. ,......
Caixas com papel amizade muito
fino a........
Caixas com 100 envelopes muito
finos a....... .
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta prela muito
boa a 80, 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. .
Pegas de fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a...... 2#500i
Grozas de botoes de louca muito
finos a. ....... 16G
CHITAS LARGAS A280rs.
Vendem-se chitas francezas de cores fi-
las a 280, 320 o covado, ditas matizadas
escuras a 360 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 30500.
Vendem-se pecas de madapolo enfes-
tado a 30500, dito inglez de 24 jardas a
54, 65, 60500,70500,80, e 100 a peca.
ALGODAO TRANCADO A 10200 O
METRO.
Vendem-se algodo de duas larguras pro-
Eio para lengo.-s e toalhas por ser muito
rgo, a 10200 rs. o metro.
RISCACO FRANCEZ a 360 rs.
Vende-se finissimos riscados francezes
proprio para vestido de senhora e roupa
para meninos por ser de nanitas cores a
360 rs. o covado.
BRAMANTES PARLENLES A 24 A
VARA.
Vende-se bramante de dez palmos de
largura proprio para lences a 20 a vara.
Chitas amzonas a 360 rs.
Vendem-se ricas chitas de listras de um
ie nome amzonas, para vestidos de se-
hora a 360 rs. o covado, deste preco e
ualidade s na loja do Garibaldi.
AOS SENHORES DONOS DE GOXEIRAS.
Na loja do Garibaldi, ha urnas casemiras
b listras muito encorpadas proprias para
torrar carros, e se vende muito barato por
ser muito largas, preco a 20500 o covado.
ALGODO ENFESTADO A 10 A VARA.
Vende-se algodo enfestado muito largo
proprio para lences a 10 a vara.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5uO rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas estampadas de cores
500 rs. o covado propria para vestido de
..enhora.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30500.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 34500 cada um.
BRLM HAMBURGO A 80000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Hara-
burgo com 20 varas a 80, 95 e 100 a peca.
Cortinados para Janellas a 9.
Vendem-se ebrtinados para janellas 70
par, ditos para camas francezas a 140 o
cortinado.
Gangas para cal^a a 3 SO rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado, brim de cores a 400 e 440 rs. o
covado.
Lasinhas de quadrinhos a
40 rs.
Vendem-se lasinhas de quadrinhos para
vestidos de senhora a 240 rs. o covado,
ditas estampadas a 280 e 320 rs. o covado.
POPELINAS EM LAA A 640 RS.
Vendem-se popelinas em la de listra
para vestidos de senhora a 640 e 800 rs.
o covado.
CORTES DE LA A 20460 RS.
Vendem-se cortes de la de listra arpa
vestidos de senhora a 20400 rs. para aca-
bar.
LA CHINEZA A 500 RS O COVADO
Vende-se la chineza para vestido de se-
nhora a 500 rs. o covado.
Casemiras para calcas.
Vendem-se casemiras cor de caf, preta
azul escuro com listras, para calcas e pa-
litots, fazenda muito encorpada, propria
para o invern, sendo de duas larguras
que 1 3/i covads d urna calca para ho-
mem pelo prco de 20500 o covado.
Alpacas lizas para vestidos a
800 rs. o covado.
Vendem-se alpacas lizas e dobradas para
vestidos de senhora 700 e 800 rs. o covado,
BALES DE ARCOS A 10500.
Vendem-se baloes de 20 e 30 arcos a
10500 cada um, por este preco s u loja
do Garibaldi,
BRIM TRANgADO PARDO A 800 RS. O
METRO.
Vende-se brim pardo trancado a 800 rs.
o metro, dito muito' fino a 10200 o metro.
BALOES MODERNOS A 50000.
Vendem-se baloes modernos e de cores
a 50 cada um.
CASSAS FRANCEZAS A 280 RS.
Veadem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 280 e 320 rs. o covado.
CHAPEOS DE SOL DE SEDA A 10*.
Vendem-se chapeos de sol de seda a
104 e 124, na ra da Imperatrz, loja do
Garibaldi o. 56.
0320
4500
4320
4020
0500
10000
4100
4ioo
0040
20000
240
01
4240
0700
0600
0320
4500
0320
0160
200
60
liOJA
DO
GALLO' VIGILANTE
Riia do Crespo n. 9
Os proprielarios deste beui conhecido estabele-
cimento, alm dos muitos objectos que tinliam ex-
postos a aprecucao do respeitavel publtco,-W>an-
daram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de scu costume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para canecas das
Exmas. senhoras. .
Superiores trancas pretas e de cores com vidn-
lhos e sera elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 305000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 205,
alm destas, temos tambera grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior caima da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Suantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotrahos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias. .
t Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para eucher
Iabyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo lim.
Grande e variado sortimento das memores per-
fumaras e dos memores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsdes, e
facilitam a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por toaos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7f_______________
Scbonete de eUcatro.
DK
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, qne tao boa
acceitac5o tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certs
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34ra larga do Rosario34.
Libras e o uro nacional, moedas
de 5 francos.
edoende-se no arco da ConceicSo na loja
Vurives, no Becife.
GAZ GAZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, um carregamento de gaj
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos preco do que em outra qual
quer parte._____________________________
Na fabrica do fallecido subdito fran-
cez Jo5o Vigaes, existe um bom sortimento
dos muitos acreditados pianos, os quaes se
vendem mdicamente para liquidacao.
A' exposleo
A loja de calcado na ra Nova n. 8 em frenle
camba do Carmo, tem grande sortimento de boti-|
as para homem, recebido neste ultimo paquete
e vende barato.
fto mais cabellos brancos
A tintura japoneza, para tingir os cabel-
los da cabega e da barba, foi a nica admit-
tida Exposigo Universal, por ter sido
conliecida superior todas as preparacoes
at boje existentes, sem alterar a saude.
Vende-se a 1|$000 cada frasco na
l SI-* U (MHL 51
1* ANDAR.
MSAME
LECONTE
VENDE oleo brilhantina perfumado, baiunilla para]
araaciar os cabellos e barba, a 14 a onca : _a ra
da Imperatrz a. 7.
PASTILHAS ASSIICARADAS
no
DR. PATERSON
De bismath e magnezla.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digestao, fortificar
estomago etc.
OEPOsrro especial.
Pharmacia de Bartholomeu C.
34------Ra larga do Rosario------34.
Grande e completo sorlimento de machinas para
descarocar algodo de nova Inven cao eneradas ul-
tiraanieritc em direitura para a loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga A C, na ra Direita n.
53. Garntese que a nwlhcr qualidade que at
o presento km vindo ao mercado : acham-se em
exposirao aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimenlo_ de pesos kilo-
granimos de mellior comprehenso dos que tem
vindo at o presente, asim como marros de latao
atl meio grammo pelo rnesmo systema, bataneas
de latao de forca de i a 20 kilogrammos, mrtros
de madeira e de latao para medir fazendas, alm
de grande sortimento de miudezas e ferragens de
todas as qualidades, tudo por precos que s a vista
faz crdito : na ra Direita n. >3, leja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C.
POS DE ROG
Approvadot pela Academia imperial
de medicina de Pariz
Um frasco do P_a de Bog, dissolvido
em urna garrafa d'agua, d urna limonada
agradavcl, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parte dos outros purgantes, o. P_a de
H_iS sao inalteraveis por isso empre-
gam-se fcilmente em viagem.
H __U I em ''o-Jeiiio, fuponchelle; Cketotot.
k ein Puimkco, -iwfr 4 O. A
AVISO
aos convalescentes e is pessoas
fracas e debilitadas
- O QUINtUM LXIARUQUC tpprovado
pela Academia imperial de medicina de
Pariz 6 o tnico por excellcacia.
' I em PEaxiMDCO. ilaurer t C".
A NOVA ESPERANZA
21= Ra do Queimado 2)
Advertencia!
A Nova Esperanca, ra do Queimad
n. 21 tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
caduras pelo baratissimo preco para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venbam os bons fregue-
zes, e os que nao forem venbam ser fregue-
zes, em tempo to opportuno quando i
NOVA ESPERANZA convida-os pecbincha-
rcm, pois que para comprar-se caro, nao
falta aonde e a quem...
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosio e perfeico, e ella (loja da Nova Es-
peranza) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca ra do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinha,
acaba de receber mais o seguinte:
Ronitos broches, pulceiras e brincos de
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos 6
bandeijas.
Rrincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galloes, franjas e trancas de
seda e de 15a, para enfeites de vestidos.
Rotees de todas as cores e moldes novo
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes e sem elles.
Rotes pretos com vidrilhos com pingen-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados leque de madreperula, mar-
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas ra do Queimado n. 21, 'na
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magneU
eos contra as convulges das
creangas.
N3o resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ah intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitca
pas de familias n5o creem (comprando-os)
noeffeito promettido.o que s podem dar,
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificac5o principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sao 01
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
cas tem salvado do trrivel incommedo da
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seus
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do trrivel mal, quando ent5o ser di-
flicil alcancar-se o efeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Rover
CUBA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galoupeau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo & C.
34------Ra larga do Rosario-----34.
R_E_POPUL__R
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIRA FREDERICO & C.
Acaba de chegara este mercado urna porco des-
te ptimo rap, nico que pode sUpprir a falta do
princeza de Lisboa por ser de agradavcl perrame.
E' fabricado com superior fumo e pelo melhor
systhema conhecido, tendo tambem a vantagem de
ser viajado, o que para este artigo urna espe-
cialidade. as pravas da Bahia, do Rio de Janeiro e
outras do imperio tem o rap Popular sido asss
accolhido, e provavelmente aqui tambem o ser,
logo que sejajeonhecido e apreciado. Acha-se
veuda por preco commodo, e para quem comprar
de 50 libras para cima, far-se-ha um descont de
5 0/0, e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no
escrintorio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao,
ra o Gommercio n. 17.
197.
Vende-se a verdadeira graxa do bem conhecido
abricante Day & Martin n. 97 : no armazem de
J. A. Moreira Das, roa da Cruz n. 26.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Risquit Dubouch & C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra do
commercio n. 32.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermifugo eflicaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de sen resulta-
do, e j pela fcil applicaco as creancas.
quas sempre mais atacadas de t5o trrivel
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Rarthomeu A C.
34Una Larga do Rosario34
VEXUJB-SE
manteiga ingleza a 800 rs.
numero 2.
na ra da Maugueira
MASSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHl
Prwonisados por todos os medico! contra os I
DEILUXOS, CATHARROS, E TOHAS ASI
IBRITACOES 00 PEITO.
" B. O Xarope de Codeina que mereci a I
honra, atlas bem rara entre o Medicamentos!
nonos, de ser registrado como nm dos medica-l
ntentoso/}iches do Imperio Francs dispcmal
quutqucr elogio.
AVISO. Por causa da reprebensivel falsi-l
cacao que Icm suscitado o felia resultado do|
Xarope e massa de Berlh somos Toreados a]
terebrar que este* medicamentos tao justamente |
conceiluados d so
fendein em caixin-
hast frascos levando
assignalura ein
frente. "
i 6, Ru des coles, e na Pharmacia Central |
de r'ranca, 7, Ru de Jouy, em Pars, e
todas as Parmacias principues do BrhiiU
BAZAR UNIVERSAL
ORa XovaSO
Carneiro Vianna
Neste RAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por preCos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os ystemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposico servicos a electos para almo-
Co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima deraesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinba, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros.gaz, baldes americanos, guar-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinbas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de sopba, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarSo
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.

\

j
Alegrai-vos myopes, e presbytas, j po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortim' nto de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio emelchior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
Cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invencao ; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12vidros, ludo dos melhores fabricantes da
Europa. -
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAD
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
YE.\_F>SE
PHARMACIA E DROGARA
DB
Rartholomeu C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
Batatas baratas
Vende-se a 800 reis o gigo, ra
Madre de Deus n. 22,
Vendem Augusto F. de OHvelra & C i
Commercio, n. 42.
i>
Vendt -se
a-taberna da ra de Hortai n. 43. em virtu-
de de seu doao retirar-se para fra: a tratar
na.msma.
ATTENCAO
No armazem de David Ferreira Bailar, ra do
Brum b. 92, ha venda os seguintes gneros por
precos razoaveis:
Bolinetes de balando
proprios para barcadas e hyates, muito superiores.
vinho do Porto
em caixas de duzia de garrafas, e em barris de
dcimo, do Porto, muito fino.
Farinha de mandioca
ha em saceos, nova e de superior qnalidade.
Pedras de lotiza
muito proprias para lavagem de louca em co-
linhas. ^^^^
VEINDE-SE
urna machina de costura de alfaiate, trabalhando
com dous pesponto : quem pretender comprar di-
rija-se a ra do Pilar n. 26.
Libras sterllnaa
Ha para vender em casa de Amorim Irmaos &
C, roa da Cmz n. 3. _________
Vende-se um preto de 30 annos, robusto, pro-
prio para engenho, tambem se permuta o mesmo
por urna preta : a tratar na ra do Fogo n. 9
= Vende-se urna boa escravx de todo o serv-
co, robusta, sadia e sem defeito algum :. a tratar
na ra do Brum n. 94,3" andar.



\


Diario de Pernanibiiuq Quinta eira 15 de Julho de 869.
A ESMERALDA
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem ofFerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
pra vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciosas
N. 5 RUA DO C.UDG i \ 5
RIVAL SI IDO
Ra do Quetmadon, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
dv Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodinko.
Est qneimando ludo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazernovo
> ortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Garrafas cora ,agua florida ver-
dadeira...... 1^200
lbor qualidade .... 1;>500
Latas com superior banha fran-
ceza ...... $200
Caixascom 12 frascos de cheiros
propro para mimos 2#50O
Dita comJ6 frascos muito finos 8u
Oleo baboza muito fino que s
a vista ...... 500
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... ,$240
Caixas de p de arroz muito
superior ..... 5600
Pecas de babadinho com 10
taras i...... 500
Caixas redondas emitando tar-
taruga ...... 1^500
Pecas de Ota de cs qualquer
largura ..... 500
Sscovas para unhas muito fi-
nas ...... -Vino
Sscovas para dentes fazenda
muito fina ..... 240
ulceiras de contas de cores
para meninos 200
C aixas de liaba branca do gaz
com 50 novellos 800
i'Iaixas de linha branca do gaz
IlllDOLIllUimSG
Heonomia, ii til idade e inodern*
mercado.
CHEGUEM A' PECHINCHA.
Cales fraucezes, arcos pequeos e gran-
des, para senhora, a 24000
Casemiras inglezas, bonitos padroes, com
listras largas, corado 4*900
Ditas franeezas, idcm dem, com listras
largas, corado I OOO
Ditas ditas mezcladas, covado 32O0
Baronezas largas com listras de seda para
senhoras c proprias de montaria, co-
vado, rs. 900
Paletots de alpaca pretos e de cores 44 e ioOO
Alpacas lisas de cores muito finas e bous
gostos para senhora, covado, rs. 800
Cambraias de cores, variados padres,
covado, rs. 540
Ditas de cores, mais finas, corada, rs. 360
Ditas miadas, inoaernas, Qnissimas, cova-
do, rs. 400
Ditas de flores grandes e listras, co-
vado, rs. 300
Golarinhos de linho de diversos gostos, rs. 400
Ditos de dito muito finos, chegados no ul-
timo paquete, rs. 600
Chitas claras, boas tintas, covado, rs. 380
Ditas escuras, bellos padroes, covado rs. 490
Ditas coloridas, finas, propro para familia
covado, rs. 400
Ditas riscadinhos, variados padroes, co-
vado, rs. 360
Ditas escuras econmicas, covado, rs. 360
Ditas de boa coraposicao de tintas, covado 330
Ditas claras econmicas, covado-^__^ 340
Roupas e mais artigos que flea a pedido da re
peitavel freguezia, ando-se amo-tra de tudo.
com 30 novellos 00
Pecas de tranca lisa de todas
as cores 040
Resmas de papel pautado muito
fino 4|J000
Pares de botoes para punhos
muito bonito .... 1120
Libras de 13a para bordados de
de todas ?s cores 8000
Pentes com costas de metal
muito finos 0320
Novellos de linha muito grande
para croxs 32
Duzia de linha froxa para bor-
dado ...... #486
Grosas de botes madreperola
muito fino ..... 30C
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e..... ,5320
Pecas de fita de 15a todas as
cores ...... #500
Espelhos dourados para parede
14000 e..... 1)5500
Espelhos de Jacaranda muito
fino ...... 2,5000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol i 5060
Pares de nielas cruas para me-
ninos ... .320
Caaivoto muito fino com 4 fa-
llas ..... 41500
Cartilhas da doutrina as mais
modernas ..... #400
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos MMQ
A EXPOSPO
Nova loja de calcado estrangeiro
para homens, senhoras e
meninas.
NA RUA NOVA N. 8
em frente a eamba do Carao.
Lyra Vianna, tendo pela experiencia
adquirido a certeza de que o publico desta
capital, era mal servido, pela falta de esta-
belecimentos, sonidos de bons calcados,
situaram a sua nov* loja, na ra Nova n. 8.
Lyra Vianna, convidam por isso ao
puMico, eoora especialidade ao bello sexo,
para visitar seu novo ex&abelecnenlo de
calcados finos, manufacturados pelos mais
habis fabricantes da Europa ; ali eteon-
irarao serapre, todas as cualidades de cal-
cados, solidos pela Ma maRufacturaco,
frescos, por serem multo novos, e vendidos
por preso eownodo, para merecerem a
confianca de -seus distinctos freguezes.
Comprometem-se a mandar vir encom-
mendas de cacados especiaes, e a exhibir
asobeas de phantasia e de mais apr mo-
rado gosto, afim de que suas distinotas fre-
guezas calvem e mostrem sempre o chique
da botina franceza. Isto s na ra Nova
n. 8, loja da exposicao de calcados de
Lyra A Vianna.
IM m FAMILIAS
Ra Nova n. 14
Acabam de ebegar para esta loja grande quan-
tidade de fustoes, sendo branco e amarello. assim
como temos grande pechincha em laziabas e 3l-
pacas de todas as (nulidades, chitas, eassas e ou-
tros amitos objsetos por preces commodoe.
Para o armazem do Campos, na ra de
Imperador n. 28.
Neste muito acreditado estabelecimento
acha se constantemente um variado sorti-
mento de gneros finos para meza e
cosinha e entre estes nomea-se apenas as
especialidades seguirles:
Queijos do serto sendo de manteiga e
coalba.
Camaroes seceos do Maranho.
Q verdadeiro caf de Moka,
O superior e htsai conhecido peixe niii agala
que se vende a loO a libra e 45300 a
arroba.
TABELLAS
de reducc5e as mais facis e mais com-
prehensivt.s, tudo no
Armazem do Campos
Grande
loja de fazendas e roupas feitas
na da Imperalriz n. 52,
porta larga,
DE
PAREDES PORTO
Neste estabelecimento encontrar o res-
peitavel publico um bonito sortimento de
roupas e fazendas de todas as qualidades e
precos commodos, tem sempre um bonito
sortimento de casemiras de cores e pretas,
panno fino de diversas qualidades, brim de
bonitas cores e brancos de boa qualidade,
encarrega-se qualquer obra por medida e
preco muito commodo.
ROUPAS FEITAS
na loja da ra da Imperatriz n. 52, porta
larga, de Paredes Porto.
Tem neste estabelecimento um bonito
sortimento de roupas feitas de diversas
qualidades e precos commodos, como sejam
palitots de alpaca preta e de cores a 3$,
3#o 0 e 4$; ditos de panno preto sacos a
G#, 7d e 8; ditos de panno superior a
120, 14<9> e 16; ditos sobrecascados de
dito dito a 185, 20S e 25)$; ditos de case-
mira de cor a 5, ti$ e 105; calcas, colletes
e palitots de casemira muito tina de cor a
20 e 25;$; calcas de brim branco de cor de
todas as qualidades de 2$ a 65 *, ditas de
casemira preta e de cores de 45 at 125;
colletes de todas as qualidades; ceroulas de
bramante a 15500,25000 e 25300; camisas
franeezas de linho e de algodo de todas as
qualidades preco mais barato do que em
outra -qualquer parte; colarinhos, grava tas;
bonito sortimento de chapeos de sol de alpa-
ca e te seda; meias inglesas a 65 a duzia;
pechincha neste estabelecimento pelo
grande sortimento : todos os freguezes se
podero prover -dos ps at a preco commodo.
FAZENDAS
Grande sortimento, como sejam, chitas
baratas a 300, 32o e 360 rs. MadaporSo
fino a 75,85 105 peca. Algodo (pe-
chincha) a 55500 a peca e outras qualida
des. Cambraia branca de todas as quali-
dades transparente e Victoria de 35500 a
85 a peca. Lauzinlias de -bonitas cores, al-
pacas bonitas, selecia a peca com 28 metros
a 285000. Esguilo o mais fino possivel a
25800 e 35 a -vara, e outras muitas fazen-
das por preco commodo, que seria enfado-
uno mencionar, na loja do
LEiO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porlo.
I A, onde se encontrar um completo sor-
timento de miudezas linas, o por menos
1 0|odo queenioiilra qualquer parte, come
ijam:
Guipeur com urna e duas larguras preto c
branco, fitas largas de todas as cores e
com vistas.
Um completo sortimento de enfeites para
vestido.
Fronhas com diversas inscrip.es.
Enfeites para cabeca.
Gaixinhas de Jacaranda forradas com seda
e com espelhtf na tampa, com a compe-
tente chave, propiias para guardar
joias.
Entremeios transparentes muito finos e de
todas as larguras.
Albuns finos para 50, 100 e 200 retratos.
Binoclos de chagrem e marfim cousa muito
superior.
Espelhos dourados proprios para sala.
Um completo sortimento de leques de todas
as qualidades.
Um completo sortimento de perfumara
de lodos os autores.
Luvas de Jouvin constantemen'o frescas.
E otros mais objectos tendentes ao mesuio
genero que tudo se vender da forma per-
mittida, na ra do Cabug n. 1 A, aguia
d'ouro, de Custodio A Bento,
S abarato.
Vonde-so urna ca*a nova de pedia o I, l
construida, em chao proprie, com grande terreno,
no Enranamento. e lica junto a estaco do Parr i
neiriio : a tratar no mesmo lugar, na tabrna*to
Sr. SimiSo, ou Porte Uo Mattos, boceo as ora i-.u-
mero 10.
ESCRAVOS FGIDOS.
Aeba-se fgida ha oito metes a prela **-
crava, de naci, de nome Maria.cum iO annos da
idade, baixa e cor fula, consta que da ser om, t.
anda vendendo na freguetia da Ba-Vista, eom
urna bandeja pintada de encarnado, eom que-
fugio : gratilica-e bem a quem a appreueder
levarla a ra Imperial n. 103.
FUGIO.
MUITO BARATO SE VENDE I!
NO
Acha-se fgida desde t da 2.4 do ).unho
prximo Dassado, a escravaAntonia, de idad
de 40 annos crioula, com os signaesseguin-
les: cor preta, olhos pequeos, falta de
dentes na frente e quando olna de revez,
levou vestido de cassa branca cum palmas
rxas e chale preto de fil: quem appre-
hender leve ra do Cabug n. 9 que ser
generosamente recompensado.
BeUarmino
BUhar
Vende-se um bilhar moderno -com seus penen-
ees : na ra do Hospicio n. 38.
Vendc-se uma preta erioola de 22 annos de
idade, bonita figura, com algumas habilidades, coa
uma cria de 7 meze: na ra da fiuia n. 7.
E' por certo para admirar que existindo
em uma ra de progressos, uma loja cm
um completo sortimento de miudezas finas,
e nao temha anda por este Diario pa-
tentado a todos seus freguezes, o seu
agrado sinceridade, a soa vigilancia, e os
modas do seu basar.
Esta roa a prodigiosa ra do Cabug,
e esta loja a antiga loja daaguia d'ouro
uma das mais surtidas neste genero, e que
lesde seus principios usa deste modesto
titulo; modesto porque nunca foi estampado
oeste jornal, e modesto porque muitos o
otvidaro, por jiaver igual em uma casa de
pasto, no entretanto como temos direito
de antiguidade, vamos destinguir o nosso
com alguns annuncios, para o publico saber,
que a verdadoira ^aguia d'ouro
uma toja de miudezas a ra do Cabug n.
RU NOVAN. 50 ESQUINA DA DE SAN-
TO AMAftO
Os proprietarios Jos de Souza Soares A
C, aim dos baratissimos precos por que
eslo vendendo a grande variedade de arti-
gos de moda e novidades de bom gosto,
tanto para homens como para senhoras e
meninos, vendem:
CHAPEOS moda imperial, de castor
branco para homens, fazenda lina, a 10$ I
(o preco 14,-SOOO).
COQUES enfeitados para noivas, grande
novidade a 4#500.
DITOS sera enfeite e de delicados mol-
des, sendo de seda imitacSo de cabellos
a 3 MEIAS superiores inglezas para homens,
a duzia de pares 7J800 (o prego de 90
a 105000).
LEQUES de madira sem differenia de
ndalo a 2#000 e 20500, (grande pechin-
cha I)
DITOS com lentijoulas a 3)5 e 4,5000.
BARALHOS de eartas franeezas boa fa
zenda, a 200 rs.
PAPEL inglez sem pauta, formato pe-
queno e fazenda superior, um pacote por
1000.
LINDOS cintos de palba enfeitados- para
senhoras (grande novidade em Paris) a
2500 e (OTO.
DELICADOS corpinhos de cambraia bel-
lamente enfeitados a 6<5500 rs. (admira o
preco!)
UMA grande variedade de lindos ob-
jectos para mimos, assim como muitos ar-
tigos de novidade e de apurado gosto que
se vende por precos baratissimos
No Bazar da Moda.
Evadio-se do engenho Marrecas, na coraarra it
Porto Calvo, e no dia 18 de niaio do correte an-
no, o escravo Belfarmino, cabra escuro, de idade
de 28 annos, alto e ?ecco do corpo, sem barba, pa
grandes, tem estado nesta cidade, e o seu rnaior
passeio 6 pelo baino da Boa-Vista, pode ser qa
elle se encaminlie para a freguezia da Escadn,
onde foi elle criado, e conhecido : quem o p-
gar e levar ao referido engenho, ou nesta prata,
na ra da Cruz n. 51, Io andar, receber boa gra
licacao. ____
-Fugiram no dia 2a do passado mez, 2
escravos dos engenhos Conccicao e Pitt-
bela do termo Sennhaem, pertencentc um
de nome Jos, ao major Manoel Germano
Bezerra Pereira de Bastos, e outro-de no-
me Luiz, pertencente ao Dr. Jote Eugenio
da Silva Ramos; o primeiro tem os signaos
seguintes ; com 30 e tantos annos de idade,
crioulo, baixo, cheio do corpo, cor ful.'..
resto redondo, tem marcas de chicote nss
costas e as nadegas, levou camisa de ris-
cadinlio verde j vellia, calca e jaqueta, e
chapeo de bata ; o segundo crioulo,- idade
20 e tantos annos, estatura regular, bem
preto. rosto cheio, beifos grossos. olhrs
grandes e abotucados, cachaco grosso, com
marcas de chicote as costa, sobre as cus-
tellas do lado direito, levou camisa de rip-
eado de algodo, com grande remend as
costas, seroula de algodo de sacco, e um:i
copa de chauo de palha sem abas.
Estes escravos foram comprados ha um
anno pouco mais ou menos, na cidade do
Recife. Quem os pegar queira aprosenta-
los so Dr. Joo da Silva Ramos, na cidac'c
do Recife, que ser bem recompensad .
Potassa da Rnssia
a mais nova no mercado, a pre?o raznavel : na
ra do Commercio n. 13, armazem de Manoel Tei-
xeira Basto.
Na ra Nova n. 60, armazem da Liga, vendem-
se sementes novas de hortalices e flores.
ESCRAVA A' VENDA.
Na ra do Hospicio n. 84, porio de ferro, vo-
de-se uma parda moca, que cozinlia, lava, engom-
ma cose.
ESCAVA FGIDA
No dia 12 de mareo do corrente auno fugio ri>
casa do eorretor, onde eslava para vondpr, a e -
crava Caetana, com os signaes seguintes ? o>r
preta, alta, com falta de dentes na frente, um pou-
co pancuda, olhos grandes e um tanto apitomba-
dos, nariz quebrado e um tanto largo, casaca
com um preto de nome Joaquim, foi escrava de 3).
Cesara It. Carneiro Leao.senhora do engeuho Con-
tra-Acude : qnem a pegar e levar a seu senher,
na ra estreita do Rosario n. 41 ser bem recim-
pensado.
No dia 8 do corrente ausentou-se da casa ie
seu senlior a escrava de nome Janeara, com os
signaes Beguiotes : alta, magra, cor fula, testa pe-
quena, olhos granues, beicos gmssns, dentes ah*
o perfoitos, ps grandes e chatos, andar vagaroso,
falla muito descantado, levou vestido de chita rxa
ja usado, casaveque de laa azul j vellm, saia de
algodozinho branco, camisa de madapolao ; na-
tural do Cear, d'onde veio ha um anno, e suppe-
se ter seguido para a estrada dos Afogados : por-
tante pede-se aos capitcs de campo ou as autori-
dades policiaes, ou mesmo a qualquer pessoa, que
a capturo e leve ra Direita n. 120, 2o andar,
que ser generosamente gratiticado.

LISTA GERAL
115

DOS PREMIOS DA Wa PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCL\L N. 74o , A BENEFICIO DO PATRIMONIO DOS ORPHOS, ETRAfflDA EM 14 DE JULHO DE 1869
S. PREMS. NS. PREMS. XS. PREMS. fe. PREMS. NS. PREMS. VS. PREMS.NS. PREMS. INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. SREMS. NS. PREMS. INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PItEM. NS. PREMS. NS. PREMS.
i 44 203 44 467 4* 729 14 947 44 1236 44 1429 44 1682 44 1925 44 2187 44 2409 44 2658 44 2890 44 3117 44 3311 44 3506 44 3795 44 4012 4f 4240 44 4460 44
i 68 68 36 70 37 38 83 26 88 10 61 93 20 42 72 ~ 98 15 47 67 -ai
16 69 72 41 77 44 45 __ 92 32 97 _ 14 65 95 24 47 73 3812 21 53 73
18 72 73 44 82 47 47 __ 93 _ 34 tmm 99 ... 23 68 99 30 57 93 84 14 26 57 74 M
59 77 81 47 84 50 64 97 38 2201 28 71 2904 84 35 58 98 i i* 24 29 60 78
33 79 92 52 89 63 65 _ 1702 41 4 41 73 5 44 44 59 3606 33 - 42 01 86
35 8* 83 506 57 95 54 66 _ 4 54 204 1-2 _ 42 74 15 47 68 8 _ 34 43 67 89
36 4* 86 12 404 58 1007 _ 50 69 32 _ 55 44 23 ^p^ 44 76 16 48 204 75 2024 20 ^^ 39 - 54 69 91
47 87 21 44 63 19 84 58 70 36 ^ 75 41 _ 45 85 20 53 84 79 44 21 ^B- 41 62 70 4500
52 93 36 65 22 44 59 73 37 204 77 42 _ 47 97 22 54 44 90 23 ^. 42 - 66 :: 5
53 9o 39 71 23 63 83 39 44 83 46 ... 49 2713 __ 30 57 91 29 _ 43 71 77 8
54 98 46 72 32 67 87 45 83 52 __ 51 19 __ 35 65 1 32 . 44 - 73 82 19
60 309 53 73 42 74 92 51 _ 84 56 53 4:0004 22 __ 36 80 96 36 _ 45 - 76 84 91 23
67 10 __ 55 7o 49 _ 85 1503 _ 52 . 89 _ 60 _ 57 44 39 __ 40 82 3400 _ 40 _ 48 77 -44 92 48
85 20 56 78 52 86 7 _, 53 _ 90 63 __ 58 43 ^ 43 8o 3 ... 45 54 81 94 54
89 36 84 66 84 58 90 9 __ 69 __ 2006 04 61 ^_ 46 __ 47 87 1 __ 40 ^^ 60 83 98 56
92 41 44 77 85 59 91 ~ 16 _ 70 20 74 60 _ 49 __ 49 93 10 __ 50 _ 62 95 4302 __ 57 aam
101 40# 48 80 93 6o 93 84 18 84 71 __ 23 7o 71 _ 55 84 50 95 13 _ 57 ._ 64 99 17 _ 58
2 4* 53 83 95 70 94 44 22 44 74 2o 76 73 _ 56 44 56 3201 1G _ 62 84 66 - 4105 84 20 p. 60
4 __ 54 84 98 75 97 27 8o 26 94 204 75 _ 57 __ 59 10 18 __ 65 44 72 6 44 22 __ 67
9 , i 61 91 803 _ 78 98 84 37 __ 94 32 2304 44 76 60 _ 65 11 30 __ 81 74 7 24 _ 81
17 M 6o 93 10 _ H 1300 44 51 99 33 8 81 - 61 71 15 404 36 85 _ 95 11 _ 25 ... 85
27 _ 66 95 13 7004 89 2 55 1802 36 9 84 64 __ 72 21 44 41 __ 87 ^^ 96 - 15 _ 30 __ 95 _
W _ 70 96 14 44 94 10 60 14 37 11 93 69 ""V _ 94 24 44 91 _ 97 84 18 32 _ 4602
34 _ 82 97 15 97 14 79 19 44 16 98 71 97 30 u 94 _ 3903 i 20 34 __ 8
38 84 84 99 25 _ 1100 _ 18 80 23 48 17 2560 72 __ 99 36 49 93 M 4 29 35 __ 16
42 il 86 605 26 _ 5 __ 21 204 81 24 49 84 1 7 80 __ 3002 44 50 99 ... 10 31 53 20
44 89 _ 7 33 -_ 10 ^_ 22 44 93 27 52 44 22 19 86 _ 13 __ 53 66 _ 3712 ... 16 33 60 --- 23 ^^
47 91 14 34 _ 11 ^^ 32 _ 95 32 67 24 30 88 17 84 54 69 14 17 38 84 61 24
55 - 93 _ 21 _ 35 ^ 13 -^_ 34 __ 96 47 73 32 35 91 --- 18 44 56 72 15 --- 22 39 44 63 84 26 ...
69 84 95 22 ^ 42 _ 14 ^ 46 _ 1600 52 75 37 45 96 --- 19 57 85 17 --- 23 - 42 94 8* 31 _
67 4* 96 ^B 26 __. 44 _ 21 __ 47 _ 2 54 80 42 48 98 --- 42 84 02 88 22 --- 28 il 9o 44 40 >
76 411 28 ^. 45 _ 30 pJ 1 ... 3 55 86 44 49 2801 M 47 44 63 89 36 --- 33 - 4o 9fi 45 84
78 13 32 ^^ 53 i 31 ... 65 _ 9 58 2108 .. 47 56 4 __ 49 6o 91 42 41 46 4402 48 44
85 14 . 40 M. 55 w 33 _ 66 _ 10 63 15 __ 48 65 1 6 aJ 50 79 84 97 45 42 47 i 53
90 1S ,, 41 M_ 59 40 _ 67 17 71 21 52 66 9 ^^ 54 80 44 99 48 48 48 14 54
9? 20 M 43 66 --- 43 77 24 72 27 67 83 21 _ 58 84 3505 52 49 - 49 21 55
205 23 -__ 44 m^ 7 --- 44 86 33 77 28 204 69 92 22 _ 60 3307 11 56 53 54 25 64
7 28 w 46 mm 72 )| 48 94 404 35 81 _ 32 44 71 . 93 33 i 67 8 13 59 54 - 77 84 29 65 1004
19 34 64 77 4# 50 __ 95 204 41 91 35 77 98 34 84 68 *^m ' 9 19 62 59 83 44 36 84 66 44
27 37 68 __ 78 55 97 44 49 93 38 _ 78 2602 _ 49 44 74 12 20 69 62 84 38 44 75
28 46 73 88 : 99 61 94 47 84 16 _ 53 75 13 > 25 75 68 - 9G 39 76
29 50 85 92 1401 53 - 1905 50 wmm 88 21 _ 58 _ 80 28 29 77 69 - 99 42 80
33 51 89 93 1205 - 9 54 6 2 _ 89 22 __ 63 __ 81 30 36 78 72 4201 - 45 81
43 84 55 93 909 7 15 55 10 61 M 96 . 26 __ 76 _. 86 31 84 44 82 73 14 47 83 _
47 41 57 709 12 18 16 59 14 65 __ 98 31 _ 82 _ 88 33 44 45 83 75 - 23 5o So
48 4 12 13 19 21 60 20 - 66 84 99 35 84 3105 34 53 85 80 - 30 58 91
5C 63 13 15 31 23 67 21 76 84 2402 84 41 87 7 38 61 - * 81 - 35 62 92
61 64 - 18 42 35 - 25 i 69 i 4 81 44 I 5 44 49 88 12 39 63 1 ? 96 - 38 m 99


lll' l

Diario de Pernawbuco Quinta feira 15 de Julho de 1869.
ASSEMBL k GERAL
CAliRA DOS SRS. DEPTADOS
SSSSO EM 12 DE JUNHO
tmmmmctA do sr. visco.nde de camara-
GIBK.
fCnntinuaiSo.J
O Sr. Duarte de Azevedo :.... e imb-
cil seria o presidente de provincia, que con-
fiasso nos meios ordinarios da lei de 1850
para o elelo de orgausaco de corpos
destacados. Nao, o que ficoa bam prova-
do com a ultima guerra e com o proced-
. ment dos governos passados, que a
inania naaonal nao servio de nada mais
seno de presso eleitoral. (Apoiados e
Dio apoiados.)
Uax Voz:Houvo exeepcSes.
0 Su. Bittf.sooi'ht :Eu reclamo urna
das exceptos para a minha provincia.
O- Sr. O cari-e de Azkvedo J saltei as
exoapc&es *, apptaudo o procedimento da-
quelles oliciaes e soldados que correram
persuroaos ai servico da patria t apoiados);
Ii>vo o patriotismo daquelles que, compe-
netrados do sea dover, acudirn desde lo-
(fo.s vozes do governo que os chama va.
Mas nom por isso desconheco qae este pro-
cedimanto nao fui a regr, fi a excepco.
Daruais, senhores, se a guarda nacional
se prcstasse como devera ao servico de
guerra, porque razo o nobre ministro da
ustiea propria a reforma, ou a quasi sup-
presso della ? (Nao apoidos.)
O Sr. Bittencourt :Precisa reforma.
O Sr. Diarte de Azevedo :O projecto
do nobre Sr. ministro da justica substituo
a guarda nacional por urna milicia.
Uma Voz :Mas nao a supprimo.
O Sr. Benjamn : E eu opino que seja
snppriraida.
O Sr. Duarte be Azeudd :Diz o no-
bre depurado que a danta wwonal de ve
ser suppi imilla.
Senhores, eu sou daquelles que enten-
dern que a guarda nacional (leve soffrer
urna reforma profunda, radical ; nao duvi-
daria mesmo votar pela sua suppresso;
nao sou porm daquelles que entendem que
a guarda nacional dova ser substituida por
urna milicia disposicjio dos delegados de
polica ; enxergo mais perigo em urna mi-
licia disposico da polica local, de que
na guarda nacional com sua organisaco
presente. (Apoiados.)
Mas, supprimida a guarda nacional, de
. que modo se faria o servico das guarnieres
e da polica das provincias ? Com o exe-
cito e corpos de polica.
Em minha opnio, entendo que a me-
Ihor reforma seria o augmanto do exercito
e dos corpos policiaes, que os presidentes
do provincia poderiam destacar contorna i
as necessidades do servico. Mas para isso
nao bustam os 20,090 homens pedidos na
lei de torca, como me parece essencial que
os corpos policiaes sejam augmentados.
Eis-aqu, Sr, presidente, porque sou de
opmio que (levemos votar urna forca suf-
ficienie, nao s para manter o estado da
paz indispensavel nossa prosperidade,
como anda para auxiliar os corpos de po-
lica no servico das guarnicoes e no mais
que dosta torca se exige.
O Sr. Affonso de Carvalho : Ento
mande urna emenda..
O Sr. Dharte de Azevedo : Nao du-
vidaria faze-lo.
Filas estas consideracSes, Sr. presiden-
te, sobre a cifra da forca reclamada no pro-
jecto, direi algumas palavras a respeito da
questo que boje se susctou nesta casa.
Entendo o nobre ministro da guerra que
ao governo convm o arbitrio de reformar
ou pelo menos de transferir para a 2a
classe, aim de esperarem pela sua refor-
ma, os offl;iaes que excederem de certa
idade. de 02 annos, segundo o algarismo
consignado no relatorio do nobre Sr. mi-
nslro da guerra.
A' primein vista, Sr. presidente, parece
que esta medida indispensavel. Pola que
nesta trra, em que a idade de 60 annos
nao o comeco da decrepitudo, daremos
por invlidos os militares que tiverem che
gado a semelhante idade ?
Nao condece a cmara os nomos de tan-
tos oliciaes superiores, que.na idade de
60 e 70 annos ainda conservavam toda a
Torca do seu braco e toda robustez do seo
espirito? Nao liaba o grande Turcnne 6i
annos, quando cabio morto no campo da
batalha ? Em Waterloo, Bulcher nao linda
mais de 70 annos ?
Na ultima guerra da Crimea, e na recen-
te guerra da-AHemanha, tantos sexagena-
rios nao foram her s ? E para que ir
mais longe ? Ainda na guer.-a do Para-
guay napcobriram sede loaros os soldados
sexagenarios do paiz ? Aquele dslinclo
general, que deixando os seos comniodos
toi atrar-.se ao campo da batalha para co-
Iher novas glorias, e elevar mais alto do
que nnguem o estandarte brasileiro, nao
era um hornera sexagenario, o invicto du-
que de Caxias ? (Muilo bem.;
Polydoro, Herval, Triumpbo, Itaparica
e oulros, nao er^m homens sexagenarios ou
quasi sexagenarios ? E o que direi daquelle
que lign o seo nome a um dos maiores
feitos do mundo moderno, a passagem da
umail; daquelle por quem cbora'a nossa
marinha de guerra, a quem deu exemplos
de nunca excedido valor e herosmo ; da-
quelle que, por desgraga do paiz. j deseco
ao tumulo, mas cuja memoria urna hon-
ra, um symbolo de gloria para o Brasil, que
direi do eminente e sompre lembrado vis-
conde dirlnhama ?
Vanear. Muilo bem I
Su. Diarte de Azevedo : Mas, Sr.
presidente, estes facto- sao ox;epcionaes ;
ordinaria nenie o vigor do braco, a destre-
za do corpo, e, direi mesmo, a"fortaleza do
espirito, nao acompanham o hornern alm
de ceda idade ; convm, pois, que o go-
verno. conheeedor das conveniencias pu-
blicas, Qquu habilitado para fazer as-subst-
tuicoes, quando os militares nao cstiverem
mais no caso de prestarem, por sua idade,
o servc>-de guerra.
Nao mo assusto, Sr. presidente, coma
maior despeza que porvQgtjira se faca com
semelhante medida ; nio ser por termos
a:n maior -quadro de officaes fia 2a classe
ou de oliciaes reformadla que ho de car
compromwtdas a3 rendas do Estado; desde
que a necessidade do servico reclamar a
reforma ou a passagem para a 8* classe
de certos offkiaes, entendo que esta pas-
sagem deve ser feita, pirque o exigem
conveniencias de ordem superior.
Sr. presidente, muitas oulras consdera-
C&es tinha de fazer sobre a OcacSe de tor-
cas em te npo de paz. mas como a hora
sst adiantatla, e eu nao desejo alMisar da
paciencia da casa (muitos do apoiados)
passarei 2* parte do meu discurso.
Mais urna vez, Sr. presidente, se trata
da possibilidade de elevar-se o exercilo a
60,000 homens; mais urna' vez essa possi-
bilidade coostitae o estado ordiaario das
cousas, a realidade permanente dos factos;
mais urna vez o governo se v obligado a
pedir ao parlamento os recursos indispen-
saveis para continuac5o da guerra do Para-
guay I
Sr. presidente, a guerra do Paraguay
tey sua utilidade, ergueu o espirito pu-
blico do imperio, ennobreceu o seu nome
no conceito das potencias ua Europa...
Deu-lhe perante o mundo civibsado nina
posigo muilo rcspeitavel, porque fcla-
mente os fastos da historia patria bao- e
inscrever nomes gloriosas, e suceessos
nunca excedidos por nenhoraa naci-do
giobo.
A memora vel marcha de flanco por Hu-
mada, a assombrosa mareba do Chaco, os
combates gloriosos do Itoror, de ViUe*
ta, de Angostura e de Lemas Valentinas, a
par de um fado superior, do'grand* re-
ndme, a passagem da esqadra apela* du-
zentas boceas da fortaleza de Humarla, facto
julgado impossivel pelo homens mais com-
petentes, atleslarao sempre ao mundo o
valor e denodo do soldado braseim e a
pericia de seus valentes chefes. (Mbitos
apoiados.;
Mas, senhores, por urna triste contin-
gencia das cousas humanas, os benficos
effeitos da guerra do Paraguay fcaram con-
trastados. Conhece V. Ene. as dtfifcalda-
des extremas em que o Brasil se lera \isto
por ttr sido obrigado a sustentar una guer-
ra tio penosa e por tantos annos. Sabe-
mos todo, Sr. presidente, que de 1863
para c a divida do Estado creseeuover-
ea de 350,000:000^, accrescimo ale ^ue
tem sido pago com valores de deposites,
com empresiimos externos, com apoboes,
papel moeda e bilhetes do thesouro, istoi
sempre com dinheiro emprestado, porque
todos esses ttulos sao ttulos de crelito
em favor dos possuidores contra o thesouro
nacional. Mas, Sr. presidente, um indi-
viduo nao pode constantemente occorrer s
suas necessidades com o dinheiro de em-
prestmo, tambera um Estado nao pode
viver por semelhante modo..
Aindamis: a enorme divida externae
interna que temos nos d urna responsabi-
lidade de juro* de cerca de 30,000:000.5
annuaea, isto de quasi metade dareceila
do imperio. Ore, Sr. presidente, se os
juros da divida absorvem quasi metade da
receita do Estado, a que chegaremos *6
se prolongar-se demasiadamente esta pugna
que ha. tantos annos trazemos contra o dic-
tador do Paraguay ? O espirito se confun-
de, a razo se desvair.em affigurar o es-
tado medonho, a situacao panosa a que por
ventura teremos de chegar se esta luta ti-
ver de se procrastinar por longo tempo ain-
da. (Apoiados.)
Sr. presidente, segundo as esperances do
digno Sr. ministro da guerra, a guerra do
Paraguay como que vai tocar a seu termo.
Mas de que maneira se pora termo a esta
luta de tantos annos ? Conseguido hemos
ponta de bayoneta, forca de armas, ou
por meios diplomticos ? Eis aqui, senho-
res, urna questao que me parece melin-
drosa, mas em que, digo fransamente, nao
tenho receio de entrar.
Sr. presidente, o tratado da trplice al-
lianca estipu.ou como termo da guerra do
Paraguay a expulso do dicrador daquella
repblica. Este accordo poda ter a sua
vantagem : era ligar as tres nacTies para
um acontecimento, que devia por termo
guerra ; era assegurar o concurso deltas
at o extremo da luta, e conseqentemente
garantir ao Brasil ludo quanto era necessa-
rio para a continuado da guerra. Mas
por outro lado a quaotos compromissos,
por ventura difflceis de curaprir nao nos
obrigou semelhante convenci?!
Direi ais : o ajusto n?stes termos seria
o mais conveniente para nos conciliar com
a opnio publica dos povos civilisados ?
Teriamos nos o direito de intentar urna
guerra com o fim de expedir o chefe de
um Estado que a nacao aceitava f V. Exc.
comprehende o melindre desta questo ;
eu nao quero aprala e liraitar-me-hei a
apreciar as consequencias do tratado em
relaco situago em que nos achamos.
Eu disse, Sr. presidente, que o accordo
de que acabo de fazer menco collocava-nos
em circumstancas diliceis ; e com offeito
se em um tempo dado entendesse o Brasil
que estava desaggravada a sua honra e des-
affrontados os seus bros, por jue nao havia-
mos nos de ter a possibilidade de dar por
concluida a luta ? E nao teremos chegado
a este ponto ? E' o que me parece incon-
teslavel. O Sr. ministro da guerra declara
com o paiz que a honra do Brasil est des-
aggravada, que o pundonor nacional est
sufieienlemente vingado.
E como nao ? Nao vemos nos derrocado
o poder militar de Lpez ? Nao taraos nos
oceupada a capital do Paraguay ? Os nossos
exercitos nao varrem a oxtenso do terri-
torio daquella repblica ? Ha exercito ini-
migo boje ? O que resta apenas o des-
troc, as reliquias daquilloique escapou das
grandes forcas do dictador. O que nos fal-
la, pois, a nos, que destruimos fttimt,
que tiyemos Itoror, Angostura e Lomas
Valentinas, e que hastemos o pavilho bra-
sileiro as ameias da Assumpco, o que
nos falta a nos para verraos desaggravado
o pundonor nacional ?
Entretanto porque continuamos a luta ?
Respndelo : < O fim da guerra nao est
completamente satisfeito. Mas qual o
fim da guerra, senhores ? porventura a
livre navegagodo Paraguay ? Esta urna
questao que pode se'4ecidir em um trata-
do de paz. porventura a expulso de
Lpez ? mas ser este fim da guerra
de tal maneira.indispensavel aos bros bra-
sileros que nao possamos prescindir dclle?
Su. Cardoso Fontes : Mas a guer-
ra nao pode acabar em quanto Lpez esti-
ver armado contra nos. (ApoiaddtlB
O Sn. Ji'nqueira : Nm ao menos elle
nropoeices" de paz. (Ha outros apar-
tes.;
O Sr. Dl'.-vrte d:; Azevedo : --HLonge
de mira aconselhar ao govano do nit'u paiz
um acto que Ihe fique indecoroso : entendo
que urna naco sem honra um ente mais
ignobil do que um individuo sem reputa-
Co; Longe de mim, Sr. presidente, acon-
selhar ao governo que, vencedores, procu-
remos a Lpez nos seus escondrijos para
Ihe propormos a paz.
Nao, nada de propo3tas de paz a Lpez.
Mas porq'ie nao nos havemos de habilitar
para aceitrraos urna proposla, de paz, se
Nao apoa-
ella nos fr feila do modo o mais honroso o
o mais satisfactorio para o pundonor nacio-
nal ? Se Lpez nos esteoder *ao sup-
plicante, se provocar oan acto, direi mt*-
rao, de caridade do vencedor, se potencias
amigas solicitara a indulgencia do Brasil,
porque razio havemos de Qcar inhibidos
de.daaos por acabada a guerra ?
Um Sr. Diputado : Qae garanta nos
podia dar Lpez ?
O Sn. Dparte de Azkvkdo : Que garan-
ta nos pode offerecer ? A garanta de
quem fraco ; a garanta que d ao forte
aqueHe que tica humilhado e vencido; a
garanta que d quem nao pode lutar mais.
A garanta da impossibilidade da aggres-
aio:
OS*. Carboso Fontes : Mas o oobra
depulado est fallando para o futuro.
Uji Sr. KHjrABo : EHe tera dado pro-
nas de grande energa.
O S. Di/artp. de Azevedo : Da maneira
porqoe elle faz a guerra actoalmeme nao
failtesta energa algoaa ; era urna guerra de
recursos...
O Sn. CARMSO Fontks :
do:
O Sn: Osarte dk Azbvkdo : ... qual
quer inimigo resiste: todo o hornera de
emboscada maou meooseforie.
Mas que necessidade temos nos de pro-
curar Lopenioafons escondrijos, nos que
oceupamos quasi todo o territorio' do Pa-
raguay? BiMB-hia, Sr. presidente, que
do (acto de procurarmos os destrocos do
exercito de LopeK nos escondrijos- em que
eHe se acha, as eordilheiras em quo e^t
abrigado, s oolheriamos a resultado de sa-
crificar o resto da populaco do Paraguay.
(Nao apoiados).
O Sr. Jasuaruhc : Tem per fira con-
sumar a oUr^ cmaecada.
G S. Dcartk de Azkvedo :A obre
omecada, aeatores, nao poda ter-por fim
a conquista, no> podia ter por fim a ex-
pulso de um governo legitimo: a obra
comecada ao poda ter senit um lira, a
desaffrouta da honra e do pondunor nacio-
nal.
O 8a. Pomelo Malhb: E a defesa
do oosso direito e a garanta da nossa tran-
quillidade.
O Sr. Duarte de Azevedo :Esse est
defendidoy
O Sr. Jamiaribe :A existencia de L-
pez oo governo imcompativel com a civ-
lisaeio da America ; abi esto os factos de-
monstrando-. Todos os diplmalas de-
nimeiam-o como inimigodabumanidade.
Sr. A:\drade FmeeiRA d um aparte.
O Sr. Di-ahi-k de Azevedo:As potencias
da EuuopacoMigaram-se contra Napoleo :
o principa de O muge tratou a J.ic juos H
como niraigo da Inglaterra; mas ser dif-
ficil ao nobre deputado deseobiir nacoa-
lisai.^o de 1814, e na guerra contra Jac-
ques H, oirtro motivo que nao fosse a U-
bertaco apregoada d.j um povo oppri-
raido ?
O Sr. A.\drade Fwpbwa :Nao apoiado
em relaco Franca nao ha tal. (Ha outros
apartes).
O Sn. Diarte de Azevedo :Nao eslou
fazendo comparatoes; digo simptesmente
que nos nao teriamos o direito de expedir
a Lpez do Paraguay, desde que o povo
desse paiz admittisse esse chefe.
Um Sr. Deputado :O meu collpga nao
ha de mostrar-rae que o povo paraguayo
qeira Lpez.
O Sr. Duarte de Azevedo :feto menos
nao tenho sabido do contrario.
(Cruzam-se alguns apartes, o Sr. presi-
dente reclama a attenco.)
"Sr. presidente, eu folgo de ouvir a ma-
nifestaco dos sentimentos patriticos dos
nobres deputados : deve ser grande o paiz
em que o amor da patria est de tal ma-
neira arreigado no corceo dos seus repre-
sentantes ; mas cumpre tambem ouvir que
os sentimentos que me animam nao ex-
cluem os sentimentos de patriotismo dos
nobres deputados.
Diversas vozes : Fazemos justica aos
seus sentimentos.
O Sr. Duarte de Azevedo Eu nao acon-
sejara a paz no caso de nao ver comple-
tamente desaggravada a honra nacional....
Ujia Voz:Tolos os brasileiros a dese-
jariam.
OSr. Duarte de/VzevEDo:....mas por
que estao desafrontados os bros do impe-
rio ; porque temos lavado ponta de espa-
da, com o sangue braseiro, a injuria que
o dictador do Paraguay nos atirou em face;
porque estamos perfeitamente Tingados em
ludo aquillo que tnhamos de mais nobre e
mais precioso em nossa honra de ncelo,
entendo que o caso de se dizerbasta!
Porm basta, em urna hypothes-, se Lpez
humilhar-se : basta, se houver urna media-
co aceitavel; basta, se nao frem sacrifica-
dos nem de leve os brios e o pundonor da
naco. Em outro qualquer caso, nada de
paz.
Mas, na hypothcse figurada, qne perigo
podia haver ? Absolutamente nenhura.
O Sr. A.nrade Figueira :Fazer
com Lpez adiar a gu rra.
O Sn. Cardoso Fontes:Tudo islo
extemporneo.
Um Sn. Deputado : -Mas que perigo flbr-i
romos nos ?
dasgentes.
O Sr. Duarte di Azevedo :Eu aconse-
Iharia ao governo, para. occorrer a esta
dilDculdade, que re;oramendasse a revso
triplico affanca foi um atenrttdo ao direito I do-se a legalidadede taes actos emanados
do tratado s nac&es alfadas : porque nao
(>. hahililapn tnrlv, o Jigmi gsf(J gStadO
paz
O Sr.""Darte de Azkvedo :Pergunli o:
nobre deputado que riscos estamos corren-
do. Estamos cprrendo o risco de termos.
um dficit de 70,000:000^ a 80,000:000
todos os annos Estamos correntio o ris-
co de vermes agorentado o presento e
compromettido o futuro do'Brasil I (Apoia-
dos e nao apoiados.) Estamos correndo o
risco de vermos as classes pobres na ne-
cessidade de soffrerem novas imposicSes
mdispensaveis para occorrer s despejas
publicas ; finalmente,- de termos ha muitos
annos a naco em guerra, quando poda-
mos ha mais tempo gozar dos beuetiicios
iueffaveis da paz.
O Sn. Jaguaribe :Confiemos no patrio-
tismo brasileiro, na energa do governo e
nos recursos naturaes que nao nos assus-
taremos.
O Sr. Diarte de Azevedo:Sr. presi-
dente, manifest! edm liberdade a miaba
opnio: para mim foi um erro o tratado
da triplico da allanca na parte em que es-
tablecen, o ajuste da expulso de Lpez
do Paraguay....
Uma Voz'.Se foi erro, hoje est eito
preciso cumpri-lo.
O Sr. Duarte de Azevedo :A revis3o
do tratado no-, sentido de acetarmos uma
honrosa, me parece meio de occorTer
ama necessidade publica de grande t-
0 Sa. Aneosro Prado:O tratado da
se habittarSo todas a modificar
de cousas se porventura entenderem que
do seu nteresse fazer semelhante modifi-
caclo?
O Sr. Leandro Maciel :Isto j seria
offerecermos a paz.
O Sr. Duarte de Azevedo:Nao sera
offerecermos a paz, mas collocarmo-nos em
posicao de acetarmos do inimigo uma paz
honrosa, se no-la offrecesse.
O Sr. Leandro Maciel :Seria nio co-
Ihermos os fructos das victorias obtidas.
(Apoiados.)
O Sr. Duarte de Azevedo :E nfim, Sr.
presidente, a hora se auwnta, e eu nio
quero affronlar por mais tempo os senti-
mentos patriticos dos nobres denotados ;
a hora se adianto.; e o melindre desta que*
15o nao permute que ella seja completa-
mente discutida.
O paiz acha-se dirigido por homens emi-
nentes ; preside a pasta, da guerra o nobre
bario de Muriliba, de quem se pode dizer,
que anda mesmo no caso de sossobrar a
a nao poltica, ha de elle conservar bem
alto,- no topo do mastre grande, o pendo
de seu partido, (Muitos apoiados.)
O paiz tera plena conflanca nos homens
que o dirigem : confiemos nelles. O que
peco ao nobre ministro que, ou pelas ar-
mas, ou por meios pacficos, promova o
termo de uma guerra que causa ao paiz
tantos e tao incalculaveis males.
O Sr. Jaguaribe :Qs jornaes ainda boje
publican o lim prximo dalla.
O Sn. Duarte de Azevedo : -Sao viren-
tes os louros que temos colhido da guer-
ra, mas eu preiro os loaros da paz, dos
quaes resceude como delicado perfume, a
felicidade dos povos. (Moito bem : muito
bem.)
OSR. CARDOSO FONTES faz algumas
consideracSes.
O SR. J. ALENCAR (ministro da justica):
E' aind para uma pequea explicaco
que peda a palavra, Sr. presidente. Es-
cuso-me quauto posso de dar apartes, por
que nao s corlara ao orador o fio do dis-
curso, como enunciam o pensamento de
urna maneira incompleta. Prefiro antes a
pratica admittida no parlamento inglez, em
que os representantes da naco, quando
discuten] materias importantes, levantam-se
todas as occasies em que assm faz-se
mis ter, para tratarem nicamente duque I le
ponto a respeito do qual nutrem algumas
duvidas, ou sobre quo foram directamente
provocados.
As explicaces que ha poucos momentos
ti ve a honra de dar esta augusta cmara
provocaram da parle do nobre depulado
da provincia do Espirito-Santo jiovos repa-
ros, c reparos talvez mais directos do que
foram os do nobre deputado pela provincia
da Baha, que hontem fallou e nao se ach.a
a.ora presente.
Sinto qun em hora to adiantada seja
obrigado a roobar alguns momentos c-
mara, j fatigada e j satisfeito, sobretudo
depois do elequente discurso proferido pe-
lo nobre deputado por S. Paulo.
Mas, a casa comprehende que nao posso
deixar sera explicaco as palavras por
mim a pouco proferidas, as quaes nao
foram de certo bem interpretadas peto
nobre deputado da provincia do Espirito
Santo.
Entendeuelle que o ministerio da justica
se tinha retrahido at certo ponto, em re-
laco s reintegraces de oliciaes suspen-
sos e reformados da guarda nacional, pelo
receio de ser denominadoministerio da
guarda nacional, denominado que j Ihe
fra attribuida por seus adversarios, como
tiveoccasio de o declarar.
Mas, Sr. presidente, nao foi este o pen-
samento que enunciei, e appello para o tes-
temunho dos nobres deputados que me ou-
viram.
OSr. Jaguaribe:Apoiado.
O Sr. Ministro da Justica: Disse eu
que o reparo, reparo de amigo, feito pelo
nobre deputado pela provincia da Babia,
bem como as adheses que tinha merecido
esse reparo de tres dos meus Ilustrados
collegas, me defendiam contra aquella im-
putaco a que me referia. Disto, a ceder
ao receio de uma censura injusta, e deixar
de cumprir com os deveres do cargo pelo
lerror das aecusacoes infundadas de seus
adversarios, ha uma grande distancia, uma
profunda diterenca.
Tendo assim restabelecido o verdadei-
ro sentido de minhas palavras, creio-me
dispensado do encargo de defender-me dessa
parte das observarles. feitos pelo nobre
deputado pela provincia do Espirito Santo.
. Fez ainda S. Exc. algumas considera-
eses no sentido de mostrar que o governo
deve sustentar os amigos que o acoinpa-
nharain na opposico o luterana durante a
adversidade em favor do boa causa.
Entend dessas palavras do nobre depu-
tado, Sr. presidente, que elle quera ex-
primir nos uma verdado de que estou
bem compenetrado. Os governos, no sys-
tema representativo, saben lo seio de m
partido; devem por censeguinte, viver da
forra que lh.es d esse partido, (levem-no
poder realizar as ideas e opnioes que com-
bateram durante a opposico e obtiveram
finalmente o triumpbo.
Mas tambem verdade, Sr. presidente,
que tirados do seio de um partido alguns
homens pela confianca plena que esse par-
tido nelles deposita,, a ponto de entergar-
Ihes a direcelo do estado, torna-se indispen-
savel que o partido rnantenha o princi-
pio da confianca, emquanlo esta nao fr
abalada; torna-se indispensavel que o par-
tido deposite f na prudencia e no criterio
dos homens que esto a tesjta da adrainis-.
traco, e que melhor devem conhecer as
exigencias do servico,
A moderado una necessidade do go-
verno ; nao :foi, porm, a moderaco ni-
camente a razo que determinou o proce-
dimento do ministerio da Justina em rela-
Co materia de que se trata.
Nao seria digno do governo resolver a
respeito da reintegraco de oliciaes da
guarda nacional sem examinar os motivos
que tinham dado lugar suspenso e ao
nenhura -fuadamento desses motivos. Do
contrarise rompera a:solidariedade que
ideve existir no governo,- como instituico;
a solidariedad prende, em relajo ao prin-
cipio da autordade, os gabinetes passados
;aos gabinetes futuros. Do contrario se
condemnara os actos de uma administra-
Co sem restriccoes em massas, repudian-
de ora governo legitimo.
E' neoMsario tempo para esse exame.
O Sr. Murta:E' as noraeacoes para
postos vag06 ?
O Sr Ministro da Justica :Tambem
dependera da*examc e informacSes. Por
maior que eeja a confianca do governo
em seus deJagados, o acto da competencia
do governo geral; a responsabihdade -
sua; deve, portento, proceder omaneces-
sara ^prudencia.
Os nebes deputados sabem os varios e
os importantes servicos que correm por
cada ministerio, em grande parle por causa
do d-feituoso systema centralisador de
nossa adMuistraco.
Nao poaatvet fazer tudo de uma s vez
e com-a presteza dos desejos de cada um.
O Sr. Silva Ncnes :Pde-se fazer
mais alguna cousa, de vagar. Na> desejo
tambem que imite o seu antecessor que
tudo fazia a vapor.
O Sr. Ministro da Justica :4r. pre
sidente, parece-me que nao poderei nunca
satisfazer a impaciencia dos nobres depu-
tados.
O 9r. Suya NbNEs:NSo apoiado. N5o
ha impaciencia.
O Sr* Ministro da Justica : O servico
tem marchado regularmente, e se isto nio
verdade, se o contrario succedesse, os no-
bres representantes da naco tem os meios
de revelarem em occasiSo opportuna o
grao de confianca quo por ventura Ibes me-
p-c por seu procedimento nesta materia o
actual miuistro da justica. Elle nao deseja
outra cousa. Quer ser julgado severamente,
mas com imparcialidade.
O Sr. Silva Ncnes :O que eu disse nao
implica desconfianca.
O Sr. Ministro da Justica :Perdoe-me
o meu nobre amigo. Se o ministro da jus-
tica ao tem sido bastante activo para sa-
tisfazer as necessidades publicas neste ramo
de servico, a concluso lgica ser que elle
nao apto para exercer o cargo, o que alias
sou prmeiro a reconhecer.
O Sb Silva Nunes.Nnguem disse
Isso, nem podia dizer V. Exc. est perfei-
tamente na altura do cargo que oceupa.
(Muitos apoiados.)
O Sr. Ministro da Justica:Agradeco
aos nobres deputados sua manifestaco; e
deixarei este ponto ao qual.volte nica-
mente para restabelecer o sentido de mi-
nhas palavras, que nao foram bem com-
prehendidas pelo ultimo orador.
Tomarei agora nicamente algumas pro-
posites que no correr do seu discurso pro-
ferio o nobre deputado por S. Paulo.
S. Exc, tratando da le de fixai;o da for-
ca trra, enten leu que nao era sulficiente o
numero pedido por meu honrado collega,
o Sr. ministro da guerra; porque pre-
vendo a abolico da guarda nacional, en-
tenda conveniente ser substituida pela
forca de lnha e por corpos policiaes.
Nesta occasio o Ilustrado depulado tocou
na proposta relativa guarda nacional que
foi pelo governo imperial apresentada nesta
casa.
Embora o nobre deputado proenrasse
justificar, a opportunidade de suas palavras
com a necessidade de augmentar a forca
pedida, comtudo parece-me que houve da
parte de S. Exc, alguma impaciencia.
S. Exc. trouxe questo uma proposta
do poder executvo que est presentemente
sujeitaa exame de uma commisso da casa.
Como de estylo esta augusta cmara, aca-
bando de ouvir aquella proposla, enlendeu
conveniente remett-la a uma commisso
especial, que examinando o assumplo com
a necessaria pausa, dsse a respeito seu
parecer. Essa commisso 6 composta de
cavalheiros muito distinctos, de pesssoas
autorisadas.
Ora, se antes de trazer ella a casa o re-
sultado de suas lucubrares, de seus estu-,
dos aprofundados sobre a materia, vamos
nos instituir um debate precoce sobre o
assumplo, de alguma maneira desamora-
mos essa Ilustrada commisso.
Como que Ihe diriamos: Vossa op-
nio nao nos c precisa, temos perfeito co-
nhecimento da materia, podemos discutla
sem a base do vosso estudo.
Parece-me que essa precpitacao (dcscul-
pe o nobre deputado a palavra que nao
leva a mnima intenco offensiva), que
essa pressa nao conveniente. Perturba-
ra os trabalhos regulares da casa, perturba
as funecoes muito importantes do meu Ilus-
trado collega o Sr. ministro da guerra,
membro de outra cmara, que viudo a esta
casa pedir uma lei to necessaria e grave
qual da fixago de forcas, ter de esperar
pela concluso de um longo debate, como
ha de ser o da guarda naci mal, assumpto
do mais palpitante interesse, que chama a
attenco de todas as classes, de Udos os
homens que se oceupam oi ^negocios p-
blicos.
O Sr. Dtarte de Azevedo :Toquei na
materia pela relaco intima que tem com a
lei da ixaco de forca.
O Sr. Ministro da Justica :Bem com-
prehendi o pensamento do nobre deputado.
Nao tem intenco de tratar desde logo da
materia, mas aventando opinio a respeito
collocava-me na necessidade do instituir
agora um debate pleno e inopportuno. Me-
lhor fra que nao avenlurasse juzo sobre
a proposta que ainda nao est sujete
apreciaco da casa.
Emitiindo sua opnio acerca dessa pro-
posta, manifestando sua discordancia cm
um ponto, dando-lhe umu intelligencia que
nao tem, obiigou-me a restabelecer o ver-
dadeiro sentido do projecto da reforma, e
desvanecer uma preocupaco em que pare-
ce achar-se o nobre deputado pela provin-
cia de S. Paulo.
O
Sr. Mp.sfH0 da Justica-:-Bem;
mas ento nao e ahol^o da guarda naci-
prvir ZSP50' e s,ml,les restriccao do
servico da mesma guarda
9m?n; jAr,A',,,!K :~E providencias para
dona" ^ eSU,Vam f6ra da g^da na-
O Sr. Ministro da Jistica :Sr. presi-
dente, quem leu de. animo desprevenido a
proposta do poder eieeutivo, ter compre-
hendido que nessa refoima. se mantevea
instituico da guarda nacional, e que apenas
se miciaram aquellas modficaces que pare-
ciam exigir os fins da instituicio e as cr-
cumstoncias do paiz. O nobre deputado,
pois foi naturalmente arrestado por algo-
ma prevenco que nutre sobre a proposta.
O Sr. Duarte de Azevedo :Pelo tra-
balhos de V. Exc. eu tenho sempre pre-
venco favoravel.
OSr. Ministro da Justica:Muila-obri-
gado ; igual prevenco sinto eu enualacao
a V. Exc.
Quanto a outra paite, em que oaobre
deputado annunciou a/sua discordancia sob
a idea da. creaco de uma milicia para o
servico subsidiario da poiicia, nao a con-
lestarei presentemente; lere occasio,
quando se discutir proposta, de ouvir cora
o prazer costumado o n bro deputado ex-
pender suas ideas e esclarecido por ellas,
submettere tambera cnsidera$io desta
augusta cmara os motivos que determina-
rain as diffrentes disposicoes daquella pro-
Direi nicamente que nadasoinnovou abso-
lutamente, em relacoao servico policial; o
sen-ico a que ser chamada a milicia o
mesmo servico a que est actualraente.obri-
gada a guarda nacional em circumstancas
ordinarias^ A milicia nao posta a dispo-
.Co da autordade policial, para ser por
ella movida discricionariamente. A ordem
e processo do servico ser o mesmo que
ja est adoptado. A autordade. policial,
quando necessita de torca auxiliar para
objecto de sua competencia, tem direito de
requistar do commandante superior oa
commandante do corpo de guarda nacional
a torca necessaria para fazer executar seus
actos e effectuar as diligencias redamadas
pela seguranca publica e individual. Como
pas, se entrevo, se lobrigadesde ji um
novo pretexto para compresso naquillo
mesmo que j existe na lei e que se con-
servou, revestido, porm, das garantas
precisas, para evitar o abuso ?
Sr. presidente, o assumpto bastante
vasto, eu poderia, se a occasio fosse azada
oceupar por algum tempo a alteareab da
cmara: mas, j odiase e repito, nao de-
sejo nem devo discutir agora a materia.
Est ella sujeita ao exame de uma com-
misso muito competente, e teremos oppor-
tunidade do instituir um debate largo e
profundo a respeito da reforma da guarda
nacional reforma que tonto commove os
espirites em nosso paiz, porque ella real-
mente interessa todas as classes, com es-
pecialidade as classes menos favorecidas,
sobre quem recahe o maior vexame desso
onus, alias indispensavel.
Por emquanlo limito-me a estas obser-
vacoes; creio t r desvanecido qualquer pre-
venco que ponen ora incubo no animo
de algun3 a palavra muito autorisada do
nobre deputado por S. Paulo.
Vozes .-Muito bem! Muito bem /
A discusso fica adiada pela hora.
Dada a ordem do da. luvauta-se a sessao
s quatro horas e vinte minutos da tarde.
Nos dias 13 e li nao houve sesso.
SESSAO EM 15 DE JUNHO.
presidencia do sn. v. de cauaragibe.
Ao meio da, feita a chamada, verificado
haver numero suficiente, abre-se a sesso.
Lm-se e approvam-se as actos das
anteced ntes.
O Sr. Io Secretario d conta do se-
grate
expediente.
Ura officio do ministerio do imperio, de-
clarando que a penso de 36/? mensaes
concedida ao alfares do 31 corpo de vo-
luntarios da patria Cecinio Antunes Pereira
Pinto entende-se cora Cecinio Antunes Pe-
reira Pitia.
Outro do mesmo ministerio, comrauni-
cando que se expedir aviso presidencia
da provincia do Rio de Janeiro para que
mande proceder com toda urgencia a nova
elei'cao, a fim de preencher-se a vaga dei-
xada nesta cmara pelo Sr. Francisco de
Paula de Negreiros Sayo Lobato, que
^prestou juramento e tomou assonto no se-
nado em sessao de 8 ifb' corrente mez.
Inteirada.
Outro do m-srao ministerio, enviando
officio com que a cmara municipal da ca-
pital da provincia *de Goyaz transmiti a
authentica da apuracao dos collegios de
Flores, Arraias, Cqnceicao, Porto Imperial
e Boa-Vista.A' 3* commisso de poderes.
Tres do 1" secretario do senado, devol-
vendo, por nao ter o mesmo senado po-
dido dar o suu coasentimento, as proposi-
tes auterisando o governo a estabelecer
o monte-po militar, a rever o plano de
organisaco do carpo de saude da armada,
V. Exc. enxergou na proposta do minis-
tro da justica duas ideas capitaes: a aboli-
Co da guarda nacional e a sua substituto
por uma milicia posta disposico da auto-
rdade .policial.
A primeirada, a da abolico da guarda
nacional, parece-me que nao pode ser sus-
tentada a simples leitura da proposta. Diz
o seu art. Io que a guarda nacional ins-
tituida para a defesa do imperio contra os
seus inimigos, para manutenco da orekm
publica nos casos de rebellio, sediccao e
iusiirreico.
Em vez de referir-so a i9 de setembro
de 1850, como o podia fazer, o projecto
de reforma delirando, mute expressante,
o fim da instituico ddguaia.Bacional, sem
duvida que d a prova mais evidente de
que est no pensamento do governo impe-
rial a sua manutenco.
O Sn. Duarte de Azevedo:Cnanto
guarmcao e a polfcia, fica de fado suppri-
mida. rr
f-e a rever e. alterar o regulamento do corpo
de saude do exercito.nteirada
Outro da presidencia da provincia da
Baha, enviando dous exemplares- impres-
sos do relatorio com que foi passada a ad-
ninstraco da mesma provincia no da 29
de abril passado.A archivar.
Quartoze requerimentos de Marios habi-
tantes de diversas cidades e villas da pro-
vincia de S. Paulo, pedindo para quo as
respectivas thesourarias da fazenda da
mesma provincia sejam elevadas 2a classo
de Ia ordem.A' commisso de fazenda.
Outro de Francisco Luiz Tavares, pe-
dindo para se matricular no Io anno me-
dico da corte, fazendo antes os exames de
historia e geograpba que Ihe faltam. A'
commisso de insli uceo publica.
L-se, e vai a imprimir para entrar
na ordem dos trabalhos cinco dias depois,
na forma do regiment, o parecer sobre as
eleicoes do 3o districto da provincia do Rio
de Janeiro.
Lm-se, julgam-se objectos de delibe-
raco, e vio a imprimir para entrar na or-
dem dos trabalhos, diversas projectos ap-
provando pendes, e mandando matricular
estudantes.
(Continuar-se-ha.)
- i

TP. 1M) DIARIO-BlAMSCMiBSII.
BBBl


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERVAZRAS8_UAGV73 INGEST_TIME 2013-09-14T02:37:44Z PACKAGE AA00011611_11890
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES