Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11889


This item is only available as the following downloads:


Full Text

~
\
monU^Uiimin 157.

PARA A CAPITAL E lGAlfe ONDE IA6 SE FAGA POBTE.
r*or tre.meaoa adiantatios.
Por satdtosjcrem.
Cada numero avulso
mm FEIBA 14 D JLHO DE 1869.
PABA DEITBO E FOHA BA PROVUCIA.
Por tres mezes achantados.
Por fc ditos idem.
Por no\i ditos dem
Por um atino.
SZ7dTm.................. ****> |V Ir Por tres mezes adietados. .
uTiStS........*? .-. ..... (99000 W Por .ditos idem. \ v 6730
SJ?J5^WT.................... *# ^T^F Por no\ i ditos idem................... <3#500
la numero avulso................... 320 V Poromanno. ...... J.............. 20*60
T,_____ ______ ________ > ........... *7*0
DIARIO DE PEMAMBCO.
Propriedade de Manoel Kgrneirti de Faria & Filhos.
MO ACHOTE:
i

Os Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Filhos, no Par; Goncalves* Pinto, no Maranh5o; Joaqnim Jos de Otveira, no Cear; Antonide Leaos Braga, no Aracarr- Jnlr ib..- ir ni.
ape;' Antonio Alexaadrino de Lima, na Parabyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Peona; BeJarmino dos' Santm ri o'es' **-"* iijucs ua rra, *w
em Nazareth; Fraocioo lavares da Costa, em AJagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Baha; /os Bibeiro Gasna ho R ^ AnB' i)omT>^oa los da Cosa Braga,
Pereira d'Almeida, em Mamanguape;,' Antonio Alexandrino de Lima, na
no Ass; Antonio Margues da Silva, ro Natal; Jos Justino
PAKTE 0FTICIA1.
Vvermm *. provincia.
MMMlGHDS BA VICE-PRBSIDKNCIA DO OA 10
DR JULHO DE 1869.
Valonlo Francisco Monleiro. Informe o Sr.
inspector d* thesouraria de fazenda.
Andr Cureino Marques Vianna.Dse.
Ana* Mara de Carvalho Pinto. Aprsenle a
sapplir.aute o menor ao Sr. inspector do arsenal
dooiariaha para ser inspeccionado e admittido na
companhia de apreudizes marnheiros, e r jul-
jra Candida Rosa Fernandes Pires.Ao Sr. desem-
bargador provedor da Sania Gasa de Misericordia
para informar.
Candi Jo Emygdio Pon-ira Lobo.Informe o Sr.
inspector da theseurara provincial.
Domingos da Cnnha e Silva. Informe o Sr.
Rd. *i*ario da freguezia de Agua Preta.
Francisco Rbeiro da Silva.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Francisca Josephina Grego Guimares.Infor-
ma o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
FrMlil H ii Mara dos Prazeres.Indeferido.
Francisco de Pinho Borges.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Henriqueto Amalia de Brto Burlamaque.In-
forme Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Bachure) Jos da Costa Carvalho Guimaracs.
Informo o Sr. l)r. juiz dos feitos da fazenda.
Invenal Xavier Torres Inlorme o Sr. inspec-
tor da tltwMouraria provincial.
Mara Joaquina de Jess. Junte o ttulo de
aforamento do terreno a que allude e a planta
eligida pelo decreto n. 1,105 do 21 de fevereiro
te 1868, e Velare o preeo porquanto pretende
transferir o dominio til do mesmo terreno.
Banunda 6 C Infirme o Sr. inspector dathe-
miraria provincial.
Tranqm'lino Pedro de Alcntara.Informe o Sr.
director do arsenal de guerra.
[tcpartlcfio da polica.
f seccao.Secretaria da polica de Pernambueo,
13 tejuino de 1SIS9.
N. 401B.Illni. e Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao cnnhecimento de V. Exc. me, segundo
consta das parlicipacoes rccebidas nesta repar-
ticao, foram hontem reeolhidos a casa dedetencao
OS segantes individim? :
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Mi-
guel Joaqnim das Chagas, para ser conservado in-
<5omm nica vel.
A' ordem do da Boa-vista. Manoel de Snuza Fer-
raz, Leandro Sev ria da Silva e Jos Sergio Pe-
reira da Costa, por briga ; e Daniel, escravo de
nm fulano Barbosa, por embriaguez.
Parlicipou-me o subdelegado do districto de
Santo Antonio, em offlcio de hontem datado, que
na madrugada desse da, sendo um individuo de
cor prata seguido por urna praca de polica da pa-
tranca que imidava, pe qaf paseana aufOia*d*~
menle, ao eliegar ao caes da rua do Sol preeipir
tou-se no ro, e desapparereu, sendo improflcuos
os esforcns cmpregados por aquella autordade
para descobri-lo.
O metilo sub.li'legado, em outro offlcio de igual
data, parlicpou-me maiqw j foram interroga-
dos o- individuos do nomes Miguel Rodrigues dos
Aajc, Joan Duarte de Oliveira e Miguel Joaqnim
das Chagas. indiciados como autores do crime de
roiib" perpetrado na luja da rea Direta n. 45, de
frac fi7 neflcao na parte que dei a V. Exc. no dia
i8 do mez passado.
Den guarde a V. Exc.Illra. e Exm. Sr. vice-
presidente da provincia Dr. Manoel do Nascimen-
lo Machado Portella. O chcfe de polica interino
F. dr Ansia Oliveira Alaciel.
D1BBI0 DE PERNAMBUCO
RKCn:, lt DK JLXHO DE 18G9.
N',)TIC1AS DO NORTE DO IMPERIO. .
Ilohr-'in < 10 o 1/2 horas da manhaa fundeou
em nos-o porto a nm do Amazonas 27 de junbo, Para 'i, Maranhao 7,
Cear 9, Rio Grande 11 o da Parahyba 12 do
corrtftr.
kJUJWNAS.
Os cofres da thesouraria proaoial tinham a 13
do roet pjssadu 08:236-5674
PAti.
A presidencia da provincia, atteudendo falta
de numerario suffieirnte, as cofres da thesoura-
ria geral, para o resgale das notas de oOOO e
iO0D. prorogon o prazo do recolhimento at 10
do corrente.
No da 19 do passado a Assocacao Commer-
Cal Hcgeu para sen ibrectur, em substituieao do
Sr. Jos A. Alfonso qu> seguio para a Europa, ao
Sr. Bernardo Barbosa, socio da casa coramercial
de Karas 4 Barbosa.
A alfandega renden no aez de junho.......
De Liverpool chegra o vapor Paraense, da
Rr.d Cross Lint, de propriedade dos Srs R. Sin-
glelmrsl 4 C.
Acbava-se no porto o brigue de guerra Ma-
ratihiut, rindo do Mar anillo para ah estacionar.
Tendo havido grave desintelgeneia entro o
commandaote e o eapellao da oionia Pedro II o
prcident" da provincia mandou ali syndiear das
accHsacoe; mullas ipie faziam, o tenente-coronel
Camizii.
Na occasiao de seren vendidos emhata
puWira dirdfsos -eraros penhorados ao prior do
convento do Carino, foram alforrados, pelas pes-
sas presente-, tros delles.
O cambio regulava : sobre Londres 18 e 1/2
a 18 e 3/i d., sobre Paris 510 rs, sobre Hambur-
go 960 rs.. c sobro Portugal 190 %
' O descont de leltras regulava de 12 a la
", ao anno.
Ficavam carga os navios : Cora. Saint
Iaw'i e Caemtais para o Havre ; Nova Palmyra
t Uf$trn para Usboa; Ratrlfe e Lia para Liver-
uoil; tete Sun e Lucia Ilendrika para New-
Vork.
MASANHO.
Gnlinuava a funeelonar a assembla provin-
cial, cuja mean administrativa eslava assim orga-
nisada para o mez de julbo : presidente Manoel
Jiutlmo Maa, secretarios Joao da MatU Ferreira e
Antonio da Cosa Araujo.
Naufragou, no dia 23 do passado, juuto
pasta de ara, a barca fjanceza UtuiieUe, com
carregamento de rarvao de pedra.
O Pmtilicadnr Mnranlmse narra asfim o facto :
. A barca franceza denominada Hennette tomou
m carregamento de quatro cenias e tantas to-
naiadas de carvio, no porto de Swansea em In-
glaterra i lu.'.ir a este porto por conta da
rvmpanhk br paquetes a vapor.
< Cbeg iagem de 38 das, e en-
trando na baha do S. Marcos, vinha a encontrar-
se com a lancha dos pralco?, e acbando-se j pr-
xima do forte da Ponto d'Ara, ilhididos os offi-
caes portan vallo que se lle oflerecia vista,
de onde -partiara algnns fofos, e suppondo que
cram sijf faziam para se approximar
eaottiT completamente pelo lado do oeste do for-
te, qnbrando doos mastros na oceasSo do en-
oaJae.
O cemmandante do forte mandou para bordo
(porque o navio fira inteiramente a secco na bai-
xa nar) toda a gente do forte de que pode dispor,
com a* fim de prestar ao navio os soccorros (iue
delle dapendease.
a Hontem de manhaa veio o capillo a trra para
entender-se con o consignatario do navio que o
Sr. Manoel Antoaio dos Santos e com o viee-con-
sul de Franca, a quem nao encontrou nessa occa-
siao, e depois de lia ver dado parle do occorrido
voltou para bordo, afim de salvar quanto pudesse
tendo sido aprmeira lancha que se apresentou no
lugar do sinistro a da galera Amisade com o seu
capitao e o p;lolo e que reeeberam a bardo da soa
lancha aiguns mantimentos, velas do navio, eou-
iros objectos.
A lancha do arsenal, ou da capitana do porto
apresentou-se depois, nao podendo, porm, encos-
tar ao navio.
0 Sr. inspector da alfandega, nao tendo rece-
bido participacao alguma do sinistro, logo pela
manhaa de hontem seguio para Ponta d'Ara,
afim de dar as providencias que Ihe compete. Mais
tarde alli se apresentou o Sr. vice-consul de Franca,
que tomou a sen cargo dar todas as providencias,
que o caso exiga.
< O navio est inteiramente perdido, podendo
apenas salvarse mcame, ancoras, velas, etc., e
nao sendo la I vez possivel tira-lo do lugar do nau-
fragio.
Quanto ao carregamento de carvao, pode ser
aproveitado em parle delle ; mas com despeza
euo me e ter de ser arremado por alli mesmo |ior
contado seguro.
Am de prevenir novos snislros nesse lugar
mandou a presidencia collocar ah duas-boas.
Durante o exercicio de 1868 1869 arreca-
dou a thesouraria provincial 721:3705451 e des-
pendeu 676:6855373.
O imposto pessoal, no mesmo exercco, pro-
duzo 1.7U376.
Fallecerain : o negociante Joo Pereira Bes-
sa, e o conego Raymunilo de Alinela Sainpayo.
Entraram no dia 4 no porto, un monitor pe-
ruano, armad* com duas pecas, e um transporte
de guerra da niesnia naca, vindos de Nova-Or-
leans, onde foram construidos, e d'onde sahiram
ha sote mezes, tocando em diversos porto*. A
officialilade peruana, com|K>ndo-se a lrpolac3o
de americanos do sul, allemaes e peruanos. O
monitor devia demorarse no porto espera de
mais dous, ao encontr dos quaes sahio de novo
o transporte.
No semestre ultimo entraram no porto da
capital 105 navios, sendo : 1 dinamarqus, 1 hol-
landez, 1 norueguez, 1 sueco, 2 hespanhes, 4 al-
ternaos, 5 francezes, 7 americanos, 10 porluguezes.
II) inglezes. e54 brasileros.
A alfandega renden no mez de junho......
243:689I04.
Durante o semestre ultimo foram exportadas
37,216 saccas de algodao, sendo :
Pasa o Havre 531
> Barcelona s.'in
ysboa 974
t o Poru 4,387
Liverpool 30,472
No mez de junho ollmo vieram ao mercado
da capital : 4,284 saccas com algodao, 125 pipas
com agurdente, 236 barricas con assucar, 5,796
alquelras de arroz com casca, 10,052 ditos de fa-
rinha de mandioca, 1,301 couros de boi.
Firavnm carga os navios : Nova Amizade
para o Porto, e Danish Princess para Liverpool.
PIAUHY.
Lemos no Piauhy .
As chavas de mao, segundo nos consta, nao
passaram do municipio de Oeiras e Valenca. de
sorle que a secca continua a lavrar do maneira
eoiitrisiadora nosfnunicipos superiores de Picos,
Jaics etc., ameaoando reduzr tudo a mais com-
pleta miseria. Em Jaics e Picos ha criadores que
achani-se presentemente sen urda cabeca de gado
de qualpicr especie que leja Fazendas ha (esao
das que menos tinham soffrido, ao que nos afir-
mam) em que o numero de ratea moras eleva-se
cifra enorme de feOO, 900, e mesmo 1,000 A fa-
rinha que o governo mandara comprar ao Brejo
para soccorrer a populacao daquclles nfelizes mu-
nicipios, dizem-nos que anda se acha em S. Gon-
Salo a espera da conducao que a presidencia man-
ara vir das fazendas naconaes para transpor-
ta-la.
O governo. que mais que todos se afflige com
a miseria publica, tem sido o mais solcito possi-
vel em promoverlos meios de dimjnuir os snffri-
menlos do povo ; e nos por isso nao podemos dei-
xar de tecer-lhe os mais sinceros encomios.
CBAR.
No dia 4 do correte a Associacao Typogra-
phica Ceaiense elegeu para sous presidente e
vice-presidente honorarios os Srs. Drs. Bemvindo
Gurgel do Aniaral o Paulino Nogueira Borges da
Fonseca.
A alfandega rendeu no mez de junho.......
191:424*862, ede 1 a 5 docorrente 8:479*835.
Seguio para Liverpool, no dia 2 do corrente,
o vapor inglez Ambrose.
No exercco de 18681869 foi recolhida ao
cofre da the-ouraria de fazenda a quantia de
134:019*070 eradinhero de ouro, arrecada na al-
alfandega, sendo :
Julho 7:151*979
Agosto 9:681*493
Setembro 2:512*972
Oulubro 15:572*643
Novembro 12:079*168
Dezembro 7:921*702
Janeiro 6:039*910
Fevereiro 7:431*615
Marco 7:781 820
Abril 11:519*910
Mam 11:535*540
Junho 24:808*318
Lomos no Pedro II :
Foram presos no dia 29 do mez passado, no
logarKgado, districto doTrahiry, os criminosos
Candido de Almeida e Francisco Joanna, que em
29 de juiho do anno passado roubaram e assassi-
narjuR o portuguez Joo Martina de Aguiar, mo-
raflor na ribera de S. Goncalo, districto do
Siup.
10-GRAND8.
Tendo o presidente da provincia lancado-se
nos bracos dos lberaes da provincia, os conserva-
dores abandonaram-o, passando o orgo do parti-
do a analysar seas desmandos.
, A' bordo do Ipojuca seguir elle para o
Ass, para ver, segundo se dzia, se podia abafar
a iraprensa assuense, que Ibe faz acrrima guerra.
Fui exonerado, seu pedido, de director ge-
ral interino da instruccao publica o Rvm. Joao
Manoel de Camina.
pahahyba.
Nada occorreu digno de menead.
PERNAMBUCO.
eado o prazo do 30 das, qaa vencer-se-hi a I de
agosto prximo.
CONSELHO DE REVISTANo domingo prxi-
mo, 18 do corrente. rene se esteconsolhu no paco
da cmara municipal, afim de tomar conhecimento
dos recursos interposlos ni forma do art. 38, e so-
bre os casas especHcados no art. 33 das instruc-
coes n. 722 de 25 de outabro de 1850.
LANCAMNTO PROVINCIAL. Acha-se em
comeco o lan(ainento annuo .dos iinpostos provn-
ciaes votaos para o corren le anno de 1869-70,
tendo sido designados para as freguezias do Recifo
c Santo Antonio o Sr. laacador Jaao Pedro de Je-
ss da Matta, para a de S. Jos o Sr. escripturano
Amonio Rodrigues d'Albuquerque, e para a da
Boa-vista, Poco, Afogados e partes da Varzea e Ja-
boalao o Sr. lancador Isidoro Theodulo de Mattos
Ferreira.
TENENTE-CORONEL FRlAS VILLAR. -O_/-
titulo Archeotogico e tieographwo acaba de dirigir
este bravo e distinelo militar o seguate honras*
offlcio de agradeciinento pelo "importante prsenle
que Ihe fez :
t Secretaria do Instituto Archeologico e Geo-
graphico Pernambucano, 13 de julho de 1869.
Illm. Sr.Em sessao de 8 do corrente julho
fo presentero Instituto o chapeo armado c aga-
loado de ouro, que fo do uso do presidente do
Paraguay Francisco Solano Lpez, e assim urna
espingarda tomada a um de seus soldados no
combate de 21 de dezembro ultimo en Lomas-Va-
lentinas, objectos ambos que V. S. se dignou offe-
recer ao mesmo Instituto, por seu olficio de 3 des-
te mesmo julho.
Tenho a maor satisfacao em communicar
V. S. que fo a offerta receida com especial agra-
do, e em patentear-lhe o reconhecimento do Insti-
tuto por este acto patritico, tanto mais de agra-
decer quanto o Instituto sabe que fora por V. S.
preferido o nosso muso qualquer outro reper-
torio nacional ou estrangeiro, onde depozesse es-
tas reliquias de nossos recentes triumphos.
Deus guarde 'V. S Illm. Sr. tenente-coro-
nel Alexandre Augusto de Fras VillarO secre-
tario perpeluo do Instituto, Jos Soares de Aze-
vedo.
SUICIDIO.Na madrugada do da 12 do cor-
rente, sendo u.u individuo de cor preta, que cau
toptiSSi? N"""e'rElecleur ** u
A este numero dere unta**, 0 rAvant-Garde,
de Lylo, que ja esta ciado, wresentando-se-lhe
cono aeeasaea.t ataques a religa catholica.
FACTO DrFFICIL DE CREB-S(l_m passagei-
ro do vjpor Alatcu. rhegado deCokm-Aspimvala
cid^ade Nova-York, dirigi ao Cm-ier de* Estis-
ma carta em nuo amargaaionte se queixa
do profdimonto qoe as autoridades sanitarias li-
veram^ara com os passageiros do dito vapor.
viM^sT,e fM" W>aca a bordo a r. leseml)aiVador Gitirana.-Appellacao
viMta naasaniro alfoetado de varila, o qud lomara i\io< Theodoco Christiansen
lugar qnando o vapor tocara em S. Franrisco da
California.
appellado, Anastado Francisco Braga^-Appella-
^.tf u'mes : aPPellante, o /oizo ; appellada, Ja-
v i i a d EsP'rito-Sant. Appellante, Jos
v ual do Monte ; appellada, a juslica. Apellante,
J""10,; ^pellada, Luiz Correa Loorenco.
lio Sr. descmbarga,dor Domingues da SHva ao 9r
desembargador Souza Le5o. Appellaio cvel:
'Ppeilante, Euzebio de Paula Pinto "appellada.
" auna Jos da Fecidade Brrelo.Appelta-
1, rim^ : al'Pellante, o juzo ; appellado, Ma-
noel Iheodero da gilva.
Ao Sr. desembargador
Agora o vers. O illu tro esculapio declana que
vao l*mr-sc as mais enrgicas medidas alitn de
que a bdta eidade de N..v, York noseja invadida
ile t.io prni'osa epidemia ; e o6ma nico nvode
evitar ua demorada quarentena, iam todos os
pas^ageros ser vaccnados: e logo, horneas, ma-
lhers bcriancas, em numero de 500 foram man-
dados dsemliarcar e encurcalados csu salas que
mal os todiam comer.
Immdiataiivnle se ordenou que toitos pozessem
um diwbracos n. Algnmas senhoras recusaran
a prinepio, mas depois sujeiaram-*o ; preferindo
cornto* alguiu.is dHIas rasgar a manga do verti-
do no itio em que deviam reeebiv a picada a des-
cobrin braco todo.
Uni.bonv que desmaior depois de receber a
vacc.
A veiferagao corara lamanha violencia era ge-
ral, lato mais que ningiiom sabase a vaccinaque
Ihe irtculacam era boa ou ruiui.
Avfiguado bem o fundamento de lo singular e
esirardmario vexame, chegoe-se ao conhecimen-
to (rVe ainda tal carta) que o vac.cinador, a ti-
tulo dtpreservar a eidade de urna epidemia de
bexigs recelria um dolar por cada plantla que
dava ip bracos dos pobres najantes, conseguindo
asshn hinir em menos de meia hora mais de 100
lti-.v.soilinas !
Osjssageiros, qnando os intimaram, ereram
que a brincideira, mas em breve reconheeeram
qne e| a serio.
RA.A que se acha a venda a 113, a
benefio do patrimonio
Do Sr. desembargador Souza Lead ao Sr. des-
nnl-argador Freilas Henrques.-Appellantes, Tas-
so innaos ; appellada, a fazenda provincial.
Appellacoes crimes : appellaule, ojuzo; appella-
do Joao Jos do Nascimeuto. Appellante, Manoel
n e }Ves appellada, a juslica.
Uo Sr. desembargador Freitas flenriques ao Sr.
deseinbargador Gitrana. Appellacoes crmes:
appellante, Francisco Alves Medeiros ; appellada,
a justica. Appellanle, Manoel Gomes de Araujo
Pereira ; appellado, Severno Ferreira de Souza.
Assignou-se dia para o julgamento:
Appellacoes crmes.Appellante, Juliao Alves
wivao appellada, a justicia. Appellante, o juizo;
appellado, Manoel Goncalves do Nascimento. Ap-
pellante, Antonio de Almeida Ferreira ; appellada.
a juslica. Appellante, o juizo; appellado, Joao da
Silva Iloreira. Appeilante, o juizo; appellado,
Joaquim Jos dos Santos.
Dilirscia crimk.Foi com vista ao Sr. desem-
bargador promotor da juslica : appellanle, Jos
Alves de Souia ; -
Vicente Ferreira
tem a oppor urna vea que o snpplicante cofloquo a-
nova solera no mesmo nivel da velha e iguahnen-
le enlloque cano enterrado na paredb para esgoto
das aguas pluviaes. :oucedeu-so.
Outro do mesmo, informando sobre o reqoeri-
imnio de Pedro Manoel da Coueeico, que pede
para construir urna eaaa terrea em seu terreno de
tenia palmo.- na traman do Monleiro, freguedi
oe i. Jos; tem a dizer oie nada tem a ospr, dan-
do-se previamente cordeac;ao. Mando-se enr-
Oiuro 4o mesmo, infontand. o requerimente da
francisco Jos Alves Guimaracs, propriettrio da
casa em consirucca a rua da casa Forte, em que
pede heenca para desmanchar urna casa de tama
em rumas contigua aquella, com dezenove palmos
de treme, fazer um terraco 9 collocar nm portad
com sete palmos, fechando o resto do terreno con
um gradeamento; tem a dizer que parece-lbe qne
se p conceder, dando o snpplicante ao poni
dez palmos de largnra.-Coneedea-se de conlbr-
imdade com a informaco.
Ojitro do mesmo, informando o requermento
ae Antonio Martins Duarte, no qual pede para fa-
zer aiguns reparos na rasa n. 5 da rua da Moe-
1 e 11? ar duas soleiras I tem a dzer que I
ua.se ihe offcrece a oppor, urna vez que as nc
soleiras
oa-
._ que as novas
sejam ceilocadas 1,0 mesmo nivel da*
existentes, e bem a-sim estabeleeidos canos en-
%VZ12?**n** das aguas plu-
viae.Coiicedfu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
menio de Thomaz de Carvalho Soares Branda
jusuc* appeuame, .ose SSffi 'o'r Clil!*.!^ ,"'' P^ S?S
anneJIado o iuizo A miel linn. I lll : ^' J!-M"lu faz a entrega definitiva da
aU,, ^Araiifo Cilo n,1' d *,rco d;l eslrada do Rosarinho, que havia
^^T'JFJtlUOA0J["Z0: arrematado ; declara oue a dita obra est en.
Appellante, Jo? Pedro e 'Mello";" appellada" a
justica.
Ale meia hora da tarde encerrou-se
a sessao.
sava suspeitas, seguido por urna praea de polica, ";l,,;!'u dl-'s orphos, que corre
na fregucza de Santo Antonio, a-, chegar ao caes ""J1-,
da rua do Sol alirou-se ao rio Capibaribe, desap
parecendo em continente.
IMMORALIDADESTemos queixas dos mora-
dores da rua do Socego, contra a maneira inmo-
ral de proceder dos habitantes do eortico do pa-
dre Jos Antonio. Segundo nos informam raro o
dia em que ah se nao perpetra nm crime contra
alguem ou contra a m u alidade publica.
No dia 12 do crreme, dizem-nos, fo barbara-
mente espancado um pobre hoinem que, &b,
ahipeneirou; nao apparecendo iienimn inspector
de quarteirao.
Chamamos para esse lugar a alteneao do Sr.
subdelegado respectivo.
a, uracunano nos >antos vital, capitao Oh-
red, piloto Debhrope e 8 niarinhciros. Rav-
Goncalves Valle Guumr-s, Manoel Mo-
Btifherme R. LeSo, Francisco Antonio C.
Esnri
REGOCIJO.Per ter vindo pelo vapor One-ida *\u<& tmagaes Pereira.
noticia de ter sido S. A. o Sr. duque da Torre, ae-: Rapta de Msgalhes.
P*AGEIROS.0 vapor Guar, vind dos por-
tos (tiorte, trouxe os seguimos:
Amio Pinto de Miranda, Jos Francisco de
Oliv a, Gratuliano dos Santos Vital, capitaoOli-
ver.
lUlllj
tein
de slloe 1 escrava. Luci 1 Riheiro Guhn.iraes e
1 ni, oao Baptista Siqneira, Jo. Barcellos, Er-
nes|D.AIbuqnerquo, Jos Claudio Dnbeux, Thoo-
dorjEiessen, Dr. Antonio Monserrate, Francisco
S. < Sva Retumba, Fr. Flix Helio, Antonio Je-
Konlciro, Antonio Joaqnim Sodre, Violante
Viicem, Donado Angelo, vigaro Joo Jos do
EHiri Santo, Leonci 1 Pereira de Axevedo, Ma-
jos 5 de Carvalho, loao
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 14 DE M\IO
DE 1869. .
PRESIOENCIA DO m SU. SARAO BE MIMHO.
Presentes os Srs. Dr. Souza Leo, Dr. Ikirros
Barrete, Dr. Costo Jnior, Dr. Lobo,Moscos e Ga-
....... que a dila obra est em
oom estado de conservacao. no caso de ser recebi-
da dehnitiramente, e paga ao arrematante a ter-
ceira presiafao. Mandou-se pagar.
Outro do mesmo, informando sobre o que re-
quer Matheus Austin & C. cumpre-lhe dizer que
o motivo presentado pelos supplicantes nao
simicieme para deixarem de murar desde j o
seu terreno rua da Concordia ; as meas-agnas
de que tratam elles, e que existeni edificadas no
fundo do terreno no alinhamento da travessa pro-
jectada em seguimeiito do Monleiro, nao tem
maro, faltando com cansa os mais senhores abre- i janellas nem portes do lado da dita Irav'essa, mas
se sessao, e foi lula approvada a acto da an- wtea acham-se na frente do lado do terreno o
leepdento loilo n trillo.. ,. o...,.,;.., ... ........-......___, .'.
clamado regente de Hespanha, o con-ulado e os
navios hesnanhes surtos em nos ram emhandeirados.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO.Visitaram hon-
tem a cxposiijao do chapeo do presidente da rep-
blica do Paraguay, 31 pendas. A exposicio linda
boje.
NUFRAGOS.Vieram hontem do naonhio,
no Guar, o c.i|ilao e a trpolaaio da barca fran-
ceza lenriettv, que naufragou na ponta do forle
da ara na barra d'aqucllo |>ort\
PARA A CORTE.Dos porlos do norle vieram
76 escravos a entregar.
SYNISTRO NO MAR.A barca ingleza Ckarlu
Jackson,, que se achava tundeada no lanarao,
tendo levantado ferro na segina-feira a tarde
para seguir seu deslino, cabio sobre a proa do
brigue inglez Searcli, que eslava fundeado prxi-
mo; partindo-lbe o gurups e a roda de proa. A
burdo da barca nao havia pratico da barra.
DINHEIRO'.O vapor Guar trouxe as segato-
tos quantia? para os Srs.:
J. Jos Gongalres Beliro......... 1:29 >*>)
1. Geraldo oe Bastos............. 800*000
J. O. O. Doyle.................. 309*000
Justino J. de Souza Cimpos...... 115$000
Trouxe mais esse vapor :
Para a Babia........ l:180*0f>0
o Rio de Janeiro. 485:976*000
sendo desta parcella, 472:383*000 para o thosou-
ro nacional.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECI-
FE.O pessoal dos estobclccmicntos cargo desta
corporaco, no mez de junho, loi o seguinte :
Hospital Pedro II. Enfermos naconaes 1 ffi,
cstraageiros 23, mendigos 12, filhos de enfermos
10, empregados 18, serventes o lavadeiras, 16to-
tal 242.
guetn para o sol :
Joj Francisco do A111 iral, Antonio Martina de,
Fari Innor, gnarda-msriHR Juvencio N. de
Mor: Antonio Joaquim da Silva, Joo Antones
I.op fcwde Mattos, Jos'1 Kmnteeo Duarte, Ma-
noel Nascimento, alteres Manoel R. B. H. Ca-
valcji.
t'IIRONHX JUDICIARIA.
Hft! \ II. Di UKLM'AO.
SESSAO EM tfl Dfi II LIIO DE 1869. "
prbsncia 01 KM. sn. i:ow::lii"i:io carta.no
SANZUOO.
AJB horas da manhaa, fifesentes os Srs. desem-
Dargores Gitirana, Guerra, prt curador da co-
ia,iOurenco Santiago. Alai.'ida Albuquernue,
HottB eniugiies da Silva, .Souza La*0 O Freitas
lleiques. brte-sc a so--ao.
Piados os feitos deram-se os seguntes julga-
IllelH :
Bunsos ciiim s. Recorrente, o juizo ; rocor-
ridj). Cvpriana Dantas de Godoy.Relator o^Sr.
des}bargador Souza L'o. Sorteados os Srs.
descargadores Ahaeda Albuquei-'iue, Motta e
Gu/na-Improcedente. Recorrente, o juizo ;
ei'rido, Sebastian los .le Mello. Relator o Sr.
dembargador Souza Leo. Sorteados os Srs.
dombargadnres Domingues da Silva, Lourenco
SJiago u Motta.Improcedente.
ppeix \coi.- crmes.Appellante, o promotor;
aietlado, Joo de l'inbo Pessoa e outros.Nullo
rocess<. A ipellante, Manoel Jos de Carvalho ;
iiellada, a iasticaA'novo jury. Appellante, o
izo ; appellado. Manuel Jos do NasCimcnto
ovo jury. Appellante, o juizo ; appellados, Pedro
iera da Fonseca.Adiado. Appellante, Francis-
b Alves de Moura; appellada, a justicaNovo
Hospital dos Dizaros.-mermos 30, eniprega- 'a^pellacoks ,:1VKls. -Appellante, Jos Camello
dos^G," serventes 2-total 38 fo"^ BriW; appeUado,* Dr. Francisco Joo
1 f$&j!imaim I1"-1 /"'tml'rtlSaT,arneiro da Cunia-Desprezar.m-se os embar-
do tutotal w. ft,,gos. Apnelante, Antonio Ferreira da S'lva ; ap-
Casa dosexpostos. Educando-se na casa 93 ad WM ,'D ,ra de Souza._NuUo o pro-
em creapo fora 69, empregados 13, servente 1-,^,, \|ipi.:illt,., j ls Rodrnaes Paz ; appella-
toui 170. A, Helena Mara do Carino.Desprezados os
Cotojio dos orp/Kio.-Educandos 69.omprega, Tp',)a '/ Aw,ihnU,_ a irmanade do Divino
dos 1 serventes e lavadmras 7total 87. tpirito Santo appellada, a irmandade de Nossa
Collegio das orphaas. Educandas 134, emprfr r
gados 12, serventes 2total 148.
Secretaria.Empregados 7, advogado 1, solii-
tad ires 2, cobradores 2total 13.
Ao todo 856 pessas^ias quaes 235 pertencen
les ao patrimonio dos orphaos e 621 ao ;de cari-
dade.
CLUB RADICAL.Hoje na sessao s C horas da
larde no salo do Club Pernambucano.
Joaquim de Santa
nna conceleram a ordem para" o dia 13 do cor-
tote, ouvindo-se ao Dr. hefe de polica.
TRANSFERENCIA.-Era consequencia de ser ^ c f*S8tanw.
Jioje o beneficio do Asvlo d. M.'ndicidade, fica Do Sr. desembargador t.it.tana aoSr.^sembar-
transfendo o concorto de Mr. Nourv para quando ad,,r fierra. Appellado *H*'&**g!
fr annunclado. 'anoel Jos Garneiro ; apellado, Joao Athanasio
COMPANHIA PERNAMBUCANA.-Hoje o ul- M^r doseiDbargador Lourenco Santiago.-Ap-
!T- n plT6^TUm CfgBA os val),'ei,P,ra-Ulacao crime : ppellante, o promotor ; appel-
pama o Poteng para os porlos do norte e sul, con- .,.. i).H1ijnn cpT\\m ,1 Costa
forme o anotncio da mesma compannia. adD' SJ^qSS!m Sr. desembar-
GUARA .Este vapor tira a mala hoje s 3 ho-gador Lourenco Santiag'o.Appellacoes civeis :
ras da tarde, no correio, para m portos do sul do ppellanfes, Adriano 4 Castro : appellados, os par-
imperio. HeHarmino e outros. Appellante, Antonio Va-
CONSULADO AMERICANO.-Tendo sido trans-(tentim da Silva Barrera ; appellados, o presidente
terido para o cargo do con-ul dos Estados-Unidose disectores da c ixa filial. Appellante, Joaquim
em Honolul, o Sr. Thomaz Adamson Jnior. q*M Syinphronio ADonso de Mello ; appellado, o bacha-
exercia igual cargo nesta provincia, foi para ell re Manoel Firmino de Mello. Appellante, Victo-
nomeado o Sr. Moffat. rio Jos de Mello ; appellado, Feliciano C'vatcaa-
IPOJCA.-Este' vapor da companhia Pernam da Curta Reg. Da de appan-cer : appetton-
bucana, em viagem para o norte, ficava descarre a "-mardade. da imperial cabella das Fronteras
.pirito-Santo: appell
nhora da So'Iedade.Desprezados os embargos.
appellado, Joa-
processo. Ap-
appellado, Jos
lorberto de Souza LealJade.Reformada a sen-
nea.
Habeas corpi.'s.A Manoel
.' I apellante, Jos M.iria de Souza ; aj
' ini do Souza Oliveira.Nullo O p
Hilante, Manoel Ignacio Pereira: a|
REVIST1. DIARIA.
DEVEDORES A" FAZENDA PROVINCIAL.As
relaeoes dos imposlos do consamo d'aguardente e
de 4 por cento do anno findb de 1867-68 foram
dKribaidas ao escrivao Bandeira ; e as de 20 per
cento sobre diversos estabelecimemos e8 por cen-
to sobre escriplorios, consultorios etc. do mesmo
anno o foram ao escrivao Miranda.
Os respectivos devedores poderad nos oompe-
tcntes cartorios solicitar a gaia do seo debite in-
denendente de citado, sondo-lhes para isto mar-
gando no porto'da.Fortaleza ; devendo seguir atdanEs,iJncf [ appellao, J^ e^ronymo Montiro.
6 Do Sr, desembargador Lonrcnco Santiago, ao
' Sr. desfabargador Almeida Albajiuerquc. Ap-
a Granja a 8 do correte.
CONSULTORO MEWCO.-O Sr. Dr. AmericJ
Alvares Guimaraes acaba de estabelecer seu con1
sultorio medico-crurgico, rua do Imperador r.
17, Io andar, onde pode ser procarado qualqne"
hora do da ou da noite, para os mistures da scie
ca que professa.
SEMINARIO Dfi OLINDA.-O Rvm. Sr. reittr
acaba de receber, de ama senhora protectora do
estabelecimeoto, a quantia de 109$ para as obras do
anana.
JORNAES EM FRANCA.Acbam-seTietualmen-
le ntrafues .a atcao dos tribunaes vnte e iros jor-
naes, sendo cinco dos qne se publicara era Paris :
naco crmes: appeilante, m Airtonio da
ippellada. a jnsii.i. Appellanle, o juizo;
app.-lla), Sabino Jos Gon^^H
Do SI desembargador .Mmeida AJbnquerque ao
Sr. deaknbargador Motta. AppcHaeoes civeis:
A|peMe, Flix Jos do Rogo ; appellado, Jos
do RegoGcauja. AppeMante, o Jnizo ; appellada,
Clara aacisca de Souza Longinho.Appellacao
crime: apellanle, o juizo appellado, Targiao
Do arJesembargador Motta ao-Sr. desembarga-
tlor Itodngues da Silva. Appellacao ci)el :
appeUam Sfctnel Beweica. Gomes dn Meezes :
tecedente.
Lu-se o segninto
EXVBO!E"ITK
Um offlcio do Exm. Si', vice-pre&idente da pro-
vincia, de 7 do corrente, eomiiiunieando acama-
ra para conherimento da niesnia, que a (tendeado
ao qne requeren Andr de Ahreu Porlo, eonees-
sionario da hnha de trilitos urbaoos ilo Kecife a
Olnda, e ao que informara as reparticoes das
obras publicas e thesouiari;,provincial, resolveu
por deliberacao da mesma diAa prologar por seis
mezes o prazo designado no rt. Io da le n. 801
de 2 de mao do anno passado- para eoneao da
respectivas obras.Inteirada.
Ouiro do mesmo, d 11 do corrente, doclarau*
do a cmara baver na mesma dala ollieiado a
companhia de Beberibe. afim de phivideuciar no
sentido de cessar a falla d'agua potave\ no bairtu
do Recite, como solicilou a dila cmara, em seu
offlcio de 29 do abril ultimo, soba. 27.Intei-
rada. 1
Outro do Dr. Francisco de Assis Oliveira Ma-
ciel, comniunicando ter sido designado' pela pre-
sidencia para exercer o cargo de rbofe do polica
interino desta provincia em substituieao ao Dr.
Francisco de Farias Lemos,que obteve urna liceuca
para ti atar de sua sade, assumira o exercco
do dito cargo om 8 do corrente, no qual o encon-
trar a cmara sempre disposto a prestor-se a
tudo quanto fr do servico publico.Iim-irada.
Ouiro do Dr. jnix de brote da segunda vara,
Manoel Jos da Silva Neiva, remetiendo urna cer-
tido de cusas a que tem direito na importancia
de 23-5400, roga a cmara que s>> digne ordenar
que Ihe seja paga aquella quantia. Que se pas-
sasse mandado.
Outro do Dr. Joaquim Jos de Miranda, comniu-
nicando que na qnalidade de primeiro supplente
do juiz municipal da primeira vara, aehava-<''
en exercicio, visto acbar-se en exercicio da de
direito o Dr. Paulino Rodrigues Chaves. lulei-
rada.
Ouiro de Kede Botherhood, procurador de An-
tonio Gomes Netto, participando a cmara que em
vrtudii de autorisac/o do director das obras pu-
blicas, vo ser feitos os trabamos para collocacao
dos canos precisos para a limpeza paWica desta
oidnw, e que para este tim tem de ser desman-
chado parte do ralcamento actual para ser depois
posto no mesmr. estado, am do que nao naja im-
pedimento lelos iscaes.Que se respoiidesse fl-
car a cmara inteirada, devendo ser tirada a li-
eonca o pago o imposto.
Outro de Bernardino da Silva Costa Campos.
offerecendo a cmara dous exemplarosRcduccao
de arrobas, arrales, o oras e killogrammas e re-
duccao do preeo da killogramma ao arratel e do
arrat-l ao killogramma.Que se archivasse e se
respondesse.
Outro do procurador, remetiendo o conhecimen-
to da qaantn de 73*703, que recolheu a thesou-
raria de fazenda, importancia dos tres por cento
deduzidos os vencmentos dos empregados em o
mez de abril ultimo.Ao archivo.
Outro do mesmo, remetiendo o balancete da re-
ceita e despeza municipal em o mez de abril pr-
ximo findo.A commisso ilo polica.
Outro do engenheiro cordeador,- informando so-
bre o requermento de Joaquim Pires da Silva, no
pial se i>ropoe fazer 05 coneertos da estrada que
i-ouduz a Cabanga, cumpre-lhe dizer que a obra
mais urgente e necessaria que se tem de fazer o
tapamento do rombo do aterro para prevenir que
as aguas salgsdas as mares nao continuem a
damnificar esta obra tanto mais urgente, que o rombo va i
augmentando todos os das, sem duvda nenhuma
a construccao do maro lera de garantir o aterro
contra os eTeitos das mares, etc. Posto em (lis-
cassio, deliberou-se que se mandasse oficiar ao
engenheiro para que Uzease o ornamento da olira
indispensavel e segura para a estrada.
Ouiro do mesmo, informando sobre o requer-
mento de Jos Goncalves Ferreira Costa, que |>ede
para fazer aiguns reparos na coberta e frente de
sua casa n. 1 da rua dos Goanrapos, cumpre-lhe
declarar que nada tem a op|K*ir, derendo o snp-
plicante collocar ranos enterrados na parede pa-
ra esgoto das aguas pluviaes.Conceden-^.
Outro do mesmo, informando o requermento de
Antonio Rodrigues Pinto, que pede para concer-
tar a coberta, rebocar a frente e fazer o passeio
de sua easa n. 30 da rua dos Pires ; lem a dizer
que nada se Ihe offerece a oppor, ronstruindo o
suplicante as obras de conformidade com as pos-
turas e collocando cano enterrado na parede
Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requermento
deTheodora Benzer. proprietario da casa sem nu-
mero em eaxSo, sito a travessa do Pourinho, fre-
guezia de Santo Antonio, que esto edificada at a
aliura do respaldo; requer para fazer cornija,
I impar a frente e collocar cano enterrado na pa-
red e fazer a coberta; cumpre Ihe dizer que nada
tora a oppor.Conceden-**.
Outro do mosmo, informando o reqncrimcuto de
D. Josepha Mara da Kxallacao Pirette, que pede
4>ara fazer de-uiaa janella porta, assim como soba
litur nina solera por ontra nova ern-sua casa a.
74 da rua.dos Piros ; eunjpre-llwdizer qne nada
lodo o nralteo o-servieo se efteta por ah, e para
dar saluda aos moradores das mencionada* casi-
nhas, baste deixar um portad no muro em frente
a na da Concordia.A' commiss. de edlicacae.
Ouiro d> fiscal da IregaesM da Boa-vista, infor-
mando o requerimenio de Hermenegildo Jos de
I aula, em que pede para abrir una pequea ta-
berna no parti da casa n. 23 da rua do Jasmim ;
ten a dizer que nada se Ihe offerece a oppor.
Concedeu-sc.
Ouiro do. mesmo, informando o requermento de
Joao Antonio Velloso, pedndo licenca para conti-
nuar com a padaiia ua casa n. 11 da rua do Lima,
a qual se acha fechada, tem a dzer que nada se
^&ss^as^^k-mc m -
Outro do mesmo, comniunicando baver nmll.ido
- D. Bernardia* Franceliua deCarvaQlo, por estar
rcciUcaudu a sua casa n. 72 da roa da Santa Cruz,
sem que feouvessp dubrado os oiiocs, que cran
smgellos, e gil*nente ao mestie pedreiro encar-
regado da obra, Jos m^i dos Aajoa, e os respec-
tivos termos havia enln-gj.do ao procurador.
Inteirada.
Outro dermesmn, remetiendo a conta das despe-
zas que fez com o passadico da rua do Hospicio
para a ilha dos Ratos, o qual foi exeeutado de-
baixoda inspeccao do engenheiro que observira na
occasiao de ser desmanchado o uiesmo passadico,
acbar-se a madeira toda podre e ser intil qual
quer concert; sendo aulorisado a mandar proce-
de-I o, assim o fez, despenden 1.1 a quantia do___
183*320 ris, que consta dos documentos que re-
meltia.Mandou-se pagar.
Ouiro do fiscal da freguezia de S. Jos, commu-
nicando que, tendo mandado proceder a limpeza
da rua das Cmco-Poulas e das nuc Ihe firain conti-
guas, observan que o cano de esgoto geral se acha
obstruido desde o concert da calcada da igreja
do Terco at a travessa do Marisco, iraz ao conhe-
cimento da cmara, e roga-lhe que se digne pro-
videnciar.Que se offlciasse presidencia.
Outro do fiscal d freguezia do Poco, informan-
do sobre o requerimenlo de Joo Francisco do
liego Barros, que representa contra a existencia
de mais de vnte porros sollos de canga e corda
naquella freguezia ; tem a dizer que nao pode pre-
cisar o numero dessrs aniaos que andan sollos,
sem que elle fiscal tenha podido evitar que assuu
continuem, porquanto a postara manda apanha-
los laco ou mo, para o que necessario oc-
cupar, urna porcao de peasoas, alm da despeza de
cordas para esse fim, e sem autorisai;o nao poda
fazer esta despeza.Que se respondesse ao fiscal
que procure saber quem sao OS dOBO de taes ani-
maos, mponha-llies a mulla de que trata a pos-
tura, e remeta os loemos ao procurador.
Outro do Useal da freguezia de Munbeca, infor-
mando o requerimenlo de Migu 1 Meadas da Sil-
va, que pede para augmentar a sua propriedade,
sita povoaeao daqueUa freguezia, faienda mais
um accrescinio de obra no oiiao do lado do sul ;
tem a dizer que o predio do supplieanle acha-se
110 alinhamento de outros no mesmo lugar, e pa-
rece-lhe que nao ha inconvenienle ein conceder-
se o que requer.Concedeu-se.
Ouiro da fiscal da freguezia de Jaboatrt, infor-
mando sobre o que pede Zeferino Ferreira Vello
so, de murar o seu terreno de vintc e quatro pal-
mos de frente, collocano nm parti', isio boira
da eslrada da Victoria, lado do sul, tem a dizer
que o dito terreno acha-se entre duas casas qoe
e.-to no alinhamento da mesma estrada, por isso
nada v que oppor soiuelhaute pretonco.
Concedeu-se. .
rf"i approvado um parecer da commisso de
edificacao, oppondo-se ao projeclo de posturas
presenlado pelo Sr. Or. Mosccso na esso de
12 de abril ultimo, relativamente para que nin-
Lguem podsese exercer o emprego de laeslre de
obra e de ouiro qualquer oiBno, sem ter licen-
ca da cmara.
O Sr. Gameiro pode a palavra, e faz a seguinte
proposta:
Proponho para supplenio ilo fiscal da fregue-
zia de S. Jos, a Francisco de Paula Marinho Fal-
ro. Em 11 de maio de 1869. -O vereador Ga-
meiro. .Posta em discusso. foi approvada.
Mandou-se offlciar presidencia, pedindo auto-
ri-aeo para despender com a obra do matadouro
a quantia de 1:9584, conforme consta do respec-
tivo orcamento.
Mandou-se remetier commisso de peticocs
um reqoeriinenlo de Antonio Luiz de Almeida Fu-
niaea. propondo-se a arrecadar das qnitanderas
um im|ioslo que a cmara autorisar qne paguen
a piellas que venderem fructas e verduras, obn-
gando-se a entrar antecipadamente para os co-
fres do municipio com a quantia de 400*.
Mandou-se tambera remoller corarais lo do
polica um requerimenlo de Vidorini de Almeida
Rabello o Manuel Rodrigues Teixeira. pedindo li-
cen?a para continuaren! com a padaria n. 3 da
rua da Florentina.
Prestou juramento o cidado Thomaz Antonio
Maciel Monleiro, supplente do flcal da fregoeaa
da Boa-vista, nomeado na sessao nllima.
Despacharam-su as petiooes de Antonio Poraira
da Cunha, vigaro Antonio Manoel d"Ass"n,ESr
Antonio Jos Gomes, Antonio Ferroira da niv.


2
Diario fie Peruambuco Quarla feira 14 de JulTio de 1869.
.....para plantar *5r. dido que or. Casoar, nem pedio ",* *rr?I
ctotenas, nem o reauereu o juiz. I;fn*)
liouve recusa de miiilla pirtsnem injusta aa
parte do -juiz. Tendo, scm r por *
raeios, o r. tasj*r entrado sWentt e ^T^
Sote m engenta, para delle lomar PO."
Kr em ocucao legal da senlen?a superior o p-
essa forma desoo-
Maia, Antonio Jos dos assos, Cecilia Joaquina cofdao da refaro. e qne recuse 4ar rancho o tei-
Baptista, Elias Baptista da Silva, Hemiino Tibe- ras para plantar eSr. Gaspar, que '" ;}1^
rio Capistrano, HermenegMu Jds de Paula, J
Ignacio de lledeiros Reg, Jos Joaquim da SllvO
Maia, Jos Francisco de Souza Urna? Jos Luda
Lins, Jos Goncalves Ferreira e Silva, Joao Corroa
Loureiro, Jos Francisco do Re^o, Joaquim Alv.-s
Torres, Jos Ignacio Hibeiro, Joau Mauoel lo Pa-
rias, Manoel Antonio Vieira, aria Amalia da Al-
buqnerque Mello, Miguel Archanjo da Cruz Mnniz.
Manoei Goncalves Ferreira" e Silva, Manoel Mar
lins de Carvalho, Moreira 4 Campos, Manuel Piulo
de Queiroz, Manoel Antonio de CarvalUo, Mala-
fluas de Lagos Ferreira Costa, Ott Sehueider, Pe-
dro Manoel da Coneeicao, Silva & Nunes, Thomaz
de CarvalUo Soares Brandio Sobrinho. Vcriato
Senteio Lopes &C., W. R.iwlisMra, e levantouse a
sesso.
Eu Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario
a escrevi.Ignacio Jonqnim ie Sonzi Lea, pro-
psesidente.Dr.PcJio ele Athayde Lobo Moscoso.
Jos Mara Freir Gameiro.Bento Jos da Costa
Junitr.Dr. Joiio Mara Seve.
PUBLICACOES A PEDIDO.
O capito Vircs ao publico.
>'ao exacto o que diz o Liberal de 7 do cor-
rente, relativamente a prisao do guarda nacional
Justino do Espirito Santo. Elle nao menor de
18 annos, nem fui qualicado guarda nacional
era tempo cm que eu'commandasse o balalbao
dtsta cidade ; elle foi qualifirado em 1868, estan-
do no commando o Sr. tenente-eoronel Queiroz
Fonseca. *
Se houve injn*tica nessa qualilicacao, nao foi
praticada, nem dirigida por inim ; rol* devo di-
zer, em abono da verJade, que injustica nao se
praticou.
Justino raaior de 19 anuos, e tendo sido ma-
triculado na capitana do porto, em 18G7, como
mcio de se livrar do servido da guarda nacional,
nao exerceu at hojo a vida martima, sendo, co-
Ino notorio e (testado pela? autoridades de Be-
berbe, mpregado no servico de canoeiro.
Pela lei, o matriculado que abandona a vida
martima, perde as garantas que Ihc d a matri-
cula, c tanto isto acunteceu com Justino, que nao
so foi qualificado guarda nacional, como nao con-
.eguio renovacao da matricula em 1868.
So depois de estar preso, no da 23 de junho,
foi que altos protectores conseguiram a renova-
r o da matricula, tendo sido o Sr. capitao do por-
to Iludido por informacao do capataz de Beberibe
E devora en, no cumprimento do meu dever, e
de accordo com a minha consciencia attender a
urna matricula indevida, antes que precedesse
reclamadlo da capitana do porto, e prova ineon-
otrsa de que o guarda seria voltado a vida mar-
tima 1
Nao me arrependo do que liz ; e como proced
desU vez, procedirei de outra. Ao que n.ao cstou
dsposto faltar com os nieus deveres para con-
sentir que eeftM poderosos arrangein trabalhado-
res sob condicSo de nao servircm na guarda na-
cional, e por isto que tanta questo se faz por
causa de Justino.
Olinda, 13 dejullnde 1869.
Francisco Luiz Viraes.
DESPEDIDA.
O artista dramtico
Thomaz A. E-pica, tendo de retirar-se para a
Bahia, cm rujo theatro se ada eseripturado, c
nao podend despedir-se pessoalmente deseus be-
nevolentes amigo?, fa-lo por esta forma.
0 artista cima, tendo de voltar ao theatro des-
ta provincia, so temporariamente se achara ausen-
te de um publico, ao uual se acha preso pelos
mais fortes vincules de gratidao ; outro sm, offerc-
00 o seu limiladissimo pivstimo na provincia pa-
ra onde se dirige no vapor que ter do sabir
hoje.,
... exc-eucao lega
puz-me -sse meio Ilegal, a -
uhecida em dircito para execrarse o ulgad o.
2." E' falso que ei despedisse a raaUos, farMfa
dows, J orq'ue preparou urna **
outro por furnecer carne verde aos ^**
muitos.norque se apreseutam ao >r. Gaspar, que
qu.Mii ha de car no engenho. r!-,nh0
Apenas foram por mim despedidos do en
Aragil dois avradores, **&*
Mello e Manoel Caetano de Mello,
Euzebio de
ha mais 4e
m*o, e muto antes do Sr. Gaspai' chegar| ao
engenho, os <|uaes nao sahiram logo porque tinlum
caima a colher e demoraram-so ate concluir este
ultimo trabalho de sua cultura
O que tem porem o Sr. Ga-par com o rae ue
eu despedir la viadores meus?
escndalo est em que elles sejam despedi-
dos, por aiacaras e violencias, pelo Sr. Gaspar,
que nada tem "com ellos. .
:.' E'falso que tenha conseguido faser do juiz
o meu manequim; qtr.e nao o prese c deMSlime a
este senhor, que tenha-lhe posto faca aos peitos,
exigindo e arrancando despropsitos que o des-
acreditan).
Pelo contrario, o meu respeto constante as au-
toridades e a csse juiz honrado e independente,
tem sido manifestado por mim, cm muitos e re-
petidos actos.
Nada tenho fcito por mim, sem ser precedido
de despacho e reqnerirnento. Que o juiz nao tem
platicado despropsitos, dizom os advocados dis-
tinctos deste furo da capital, cujas consultas ja
foram publicad*. Assim o diz anda o proprio
Sr. Gaspar Cavalcanti, que nenhum indifermento
receben do mesmo juiz. .
O qno ha |Kirem de verdade, em relacao ao juiz
que o Sr. Gaspar Cavalcanti, foi-lbe pedir que
se ittte de tnsnea, e como nesta arrojada preten-
cao foi repellido com dignidade, dahi oasceu todo
furor com que se calumnia e insulta todos os
dias aquello magistrado, com o lim de ver se elle
desgosta-so e larga a vara.
4." A calumnia do que ha lo annos iz entrada
em Aratangil, como brbaro depredador e selva-
gem, e coni a forca publica fiz agarrar e expel-
lir as mocas da casa de vivenda, nao merece res-
posta. E'' lio grosseira e lao calva, (le cahe
por si mesmo sem refutacao alguma.
Nao liz entrada no engenta; recebi-o dos arre-
dores.
Anda quando eu fosse oatr'ora esse brbaro t
selvagem o mea proceder nao pdia justificar i'
vandaismo que hoje arrojadamente pratica o #
Gaspar Cavalcanti.
Era do seu dever de fulalQO e cavalleiro, ft^r
e contraste das minhas depredacoes, por um con-
ducta delicada, e toda pautada'pela le, e iones-
lid.idi. _
Estou eerto que o Sr. Gaspar Cavalcn"!'. nao
me imita no vandalismo, por simpathia/ adn
cao a minha pessoa, mas nicamente tor
O segando dos motivos foi o desej > de aprcei
o-Sr. Saeedo, artista de inconte papel de 29, principal da peca deste titulo, c
der-empeuta st temara de tanta maior n
blliilfide, quanto tem sido esse papel entre nsPa
tisfactoriamenle interpretado pelos primeiros/ar-
tistas do theatro brasileiro. Entretanw o di9*inc-
to actor conseguio um completo tnurapW- u
seu trabalho fui applaudido jior quato seisena-,
ram no espectacalo de domingo. /
O Sr. Maeed apraveltou bem os poneos fia de
folga que por aqu m tido, pois que grngeou
mais um bello florao para a sua eora de artista.
O Sr Santa Rosa {Escopeta) como beneleiado e
actor do sympathias foi muito festejado. ;
A Sra. D. Julia Azevedo (Mana) moslfqi anda
una vez os recursos de sua bella jntellg/ncia.
O papel de Batatndo, parte urna peqaia exa-
geracao,' leve bom desempenho por parte do Sr.
Iloriudo. '
Os Srs. Couto Rocha e Jos Victorino satisflze-
ram.
Cabe-me aqui notar os exoellentes traeainos oe
prestidigitaban exccutados nessa noito pelo insig-
ne prcstidigiudor portuguez o Sr. Clenton, em
obsequio os beneficiados.
No linal da peca, foram chamados a scena os
beneficiados c o Sr. Macado, recebendo este um
lido ramaihete de flores artificiaos e o Sr. ine-
maz respirou outro nao menos bello, isto no meio
dos mais frenticos applaasos de todos ts expec-
tadores. .
Finalmente, a noute de domiugo deixou agraua-
ves recordares, no imo daquellcs que nussa
moute concorreram ao/TiJ^so theatro.
Protec^ra das familias
issodacafl bi/i'cira de seguro mutuo sobre a
vida imirovaiMl""" decreto do governo imperial,
deTi:i d unirlo l86i. e Pe,'ida Pel DaBeo ,lu-
ral e HvpotbiTar'0 ll0 ltio ,le lan''iro-
Commssao fiscal.
Veador Jo* Joaquim de Lima e Silva Sobrinho.
l/unmend/'01* Jeronymo Jos de Mosquita.
(ommeniJor Boa ventura Goncalves Roque.
CommeV-idor Guilhermo Pinto de Magaluies.
Estibo nessa- associacao em 30 do abril de 1869
contrds 5,802.
C'tal subscripto rs. 8.716:i"03580,aspe3sas
l|Urt',|uizerem inscrever-s podero dirgirse na
Wdo Lvramento n. 19, pnmeiro andir : a tra-
a/ com o Sr. N. de Vidal, encariado pelo
gmeo Rural o Hypothecario do Rio Cra promover assignaturas para a mema asso-
Lfwf
causa
COMMERCEO.
PRAgA
DO RECIFE 13 E JULHO IE 1869.
AS 3 1/2 HORAS |0A TABDE.
Assucar bruto americano 38200 poi 13 kil.
Asraear americano purgado 33300 pr 15 kil.
Algodao de Pernambuco scm inspeec,o 1C440
kil..
cao a minna pessoa. mas nicamente Tr tau?" ..P^Ly.._____i.___. anrto_7iift das tendencias de sua natureza e sua,ropr ib- A,gla)nJ,Sjail,buC0 sorte-,7*,8SPor
Algodao de Macei 1* sorte17973 poi!3 kil.
posto a bordo a frete de 1|2 d. sem cap
Dito de dito 1* sorte 17*923 por lo kil.posto a
bordo a freto de 1|2 d. e o 0/0 (hontem)
Algodao da Parahyba 1* sorte l#16ior kil.
posto bordo a frete de 5/8 d. e 5 0|0 fmlem)
Dito de diU 1- sorte1*177 por kil. posto| bordo
a frete de 1(2 d. sem capa Mientem). i
Dito de dito 2'sorte-l$l09 por kil. posto .bordo
a frote de 1/2 d. sem capa (tanlem)._
sem inspeegao Hii090
dol. i
5/ E' falso que eu tenha procedido de modo a
inutilizar o engenho Aratangil, pndo-o sem cer-
cas, inutilisando os pateos, pondo os edificios em
ruina etc.
Os qno escrevem em defeza d> Sr. Gaspar Ca-
valcanti, sao homens de urna agudeza que espanta
e causa inveja I
Eu arruino e estrago o engenta, e ao mesmo
lempo quero reto-Jo I
Que estpida contradice*) I
Para que reto- urna cousa, que julgo mi, e que ; Algooao de Pernambu.o
estrago! por kil.
Pensam os defensores do Sr. Gaspar Cavalcanti,
que o publico to imbcil, que nao veja nessa
mentira da ruina do engefiho, urna defeza prepa-
P02SIA.
recitada por occasio da chegada, a esta
cidaile, da noticia da elevaco ao senado,
dos Exms. Sis. visconde de Camaragi-
bo, e consellteiro Jos Bento da Cunlia e
Figueircdo.
rada para ao depois neAarem-sc as bemfeitorias
qne tenho feito no engenjhol Triste agudeza '
No pantheon da patria ci-los sentados,
l'eb re, pelo povo, proclamados
Excelsos cidadaos!...
y. trwni d infoitiimo sn cnlevra
Aos olhos da na^ao a tempera rara
D'illustres anciaos !...
Jamis das ambieSes seguiramtrilho,
Jamis se deslumhraran) pelo brilha
Que rodeia o poder..
Firmesn'tjm principio sacrosantj,
Lntam por elle, c e: Holocausto santo
Entregam-se ao soffrer f...
Bem atienta a naejio os vio na imprensa,
Do povo no comido, cm luta immensa
De extrmalo esforcar...
Era a luta da idea, que a maldad
Em um Instro, da patria a flicirfade
Tentn anniquilar I
A naco convenecu-se da verdade,
E briihaute surgi a claridade,
Que as trevas dissipou
O povo desse sonrao de descren^a,
De magnas, de per ir, de inuiLeren '...
Em ancias dispertou !...
E o re, que do povo a sorte vira,
Que o feu desojo ardeute assim sentir,
Por um outro vi ver;
Provocou-a ento solemnemente
Aos anhelos mostrar, uiais Sitamente,
N'um rasgo de saber...
O povo respondeu: Senhor, queremos
As nossas leis cumpridas, que nao temos:
E nao, bellas theorias I
A ordem, a harmona, a paz externa,
Que ha um lustro na nossa vida interna
Sondamos utopia I...
A vos, senhor, c aos nossos delegados
Altos caractereshumens Ilustrados
Que livres elegemos...
O futuro da patria, a Hicidade
De um povo, que vos vota lealdaih",
Contentes con liemos...
Possam vos, e ellesno presente,
Nos males de que a patria se resenle,
Pressurosos cuidar.
Com os olhos em Deus, em'nobre lida,
Ao futuro a nacao agradecida
Grandioso levar I...
No panthuon da patria ei-los sentados,
Pelo rei, pelo povoproclamados
Egregios senadores I
loria a Pernambuco I que pujantes
All cm Pigaordo e Cavalcanti
Tem mais dous delfensores !
S. Accioli S.
n.
Questo Aratangil.
Os meus adversarios eontinuam a aggredir-me
ao Jornal do Recife. No numero 156 deste jornal
de 12 lio crreme sob a engracada epigraphe o
que se diz e o que nao se diz volta o meu con-
. endor, nao tratar da ultima questo da invaso
tumultuaria do engenho, mas para revolver ques-
loes antigs calumnia, velhas, i obsoletas e ple-
namente respondidas e refutadas.
Suppfle o meu contender, que o publico est es-
quoctdo das respostas que outr'orahe foram dadas
pela imprensa.
Pois bem: se tal a sua convc$o, fique elle
corto, e seus patronos jurdicos, que se continua-
ren, a renovar a publcacao de antigs aggresses
u mandar reimprimir por minha parte, toda a
jefnucao que emo foi publicada, inclusive a
.parte que se refere a ausencia de olhot jucaes para
exigir o pagamento da ciza da eompra do en-
genho.
O systema de abandonar os Licios e a questo
*la actualidade, para distrahir a attenco do pu-
blico, cora UiseuKues pretritas, recurso que
mais ama vez rnostra a scm razo do meu con-
tendor, para justiflear a posse estravagante e cri-
minosa qne ihe deu o tabellio.
Responder a todos os tpicos mais uouveis
desse artigo a que me redro, sem transcrever
nenham dos'seus trechos, para nao prolongu-
muito a presente eontestac5o\
4." E' aiso quo eu esteja i
Se nao teaho feito obr/is e bemfeitorias no en-
genho, questo para raais tarde: nao se affadi-
guem os amigos da invfso. As visturas, c outras
especies de provas oppdrtunamenle diro de que
lado est a verdade. Desde ja porm afflrmo, que
longe de estragar e aifuinar o engenho, pelo con-
traro, Lmho feito obfes, concertos e bemfeitorias.
6." E' falso que Comprando o emprazatnento
do engenho Arataigji pozesse era derrota urna
amiga e distincU lamilia do lugar, que tenho
posto todos os sews beus em caneca de terceiro
comprando algn e importantes em nome de att-
frns, alienanoV e Bypotboeande as que tinha.
Eu nao compre nuda aos hordeiros, mas so-
mento aoy credores: um acto lcito e honesto
que as Us permittem, e muito proprio para que
eu neUo me envolvesse, por ser relativo agricul-
tura que do que vivo.
Se essa^familia soffreu alguma derrot, comple-
ta ou nor entenda-sc com o Sr. Gaspar Cavalcan-
ti. Foi esse senhor quera fez contrato de compra
e venda com os herdeiros, que dzetn assignara let-
tras do preeo da compra, e afmal nao as pagara.
Prtalo, foi esle senhor quem os reduzio i mise-
ria. Eu recebi os direitos que desfructo, dos cre-
dores, e nao dos herdeiros.
Em 20 de dezerabro de 1854, foi que me fizeram
os credores, traspasso do engeno Aratangil; ne-
nhnm negocio liz com os herdeiros porque o en-
genho ja ha dous annos se ochava entregue aos
credores S. 0. Bieber c outrus, pai a pagamento do
delicio.
7.a Passa d'ahi em diante o patrono do meu
contendor a urna serie de insultos, e ataques, que
nao preciso, nem devo responder. A minha mas-
cara est uespedacada, escapei da pena de Taleo,
(qual, a de Genipapo ?) e outras amabilidades, sao
t, proprias e diguas dos meus adversarios.
Entretanto, eu chamo e peco encarecidamente a
attenco das autoridades superiores da provincia,
para a seguinte amea^a que se l no artigo que
respondo:
Mas nao va folgando muito o Sr. tenente-co-
ronel Joo de S, com essa demora em descer dos
cus o seu bem merecido castigo. Elle vira um
dia. >
Duude me vira esse castigo ? Dos ceos cm que
reside o verdadeiro Deus, ou dos ceos onde habi-
tan) os fidalgos Cavatcantis de Serinhein, mais
omnipotentes na trra, que o proprio Deus, que
tudo fazem, sem dar cuntas a niuguem, se n no-
minilla rosponsabidadci
Sou pescador, e contncto aguardo os raios divi-
nos, poique conllo na misericordia infinita.
Para o que, porm, eu nao tenho valor, extremo
sem recurso, se o governo nao acudir-mo, para
algozes e scelerados que surjam hoje na provin-
cia, dentre o seu seio, como outr'ora surgiram pa-
ra a liorrivel carneficina de Genipapo, que licou
oscandalosaracnte impune.
Digam-me os parnos do Sr. Gaspar Cavalcan-
ti, responda mesmo e meu contendor: no engenho
Aratangil, com certeza e infalhbilidade, vo appa-
rcer as scenas do horror da amiga e audaz Ge-
nipapada f
Como "asseveraes o mea futuro o merecido cas-
tigo, oude recebestes o dom daprophecia: as ins-
pirocGes divinas, ou nos resoluedes e planos oceul-
to de vosea vontadel
Anda esto guardados e apnarelhados, para
os erros do Sr. tenentc-corouel Joao de S, gran-
des acintes da sorte.
E' a confiruiaco da ameaca. Ninguem alBan
?a com lanta certeza e infall bilidade a sorte fu-
tura de outrem, seno quando essa sorte depende
smenle de sua vontade. E' evidente que meu
castigo c'o um dia, mas vira do Sr. Gaspar Ca-
valcanti, que me ameaca com tanta certeza e es-
cndalo.
Eu invoco a vigilancia legal era meu favor, eu
peco a proteego das autoridades em prol da mi-
ulia seguranca individual, e de minha familia.
Eu tremo, verdade : mas meus amigos me di-
zem o aconselam que me auqnillize, porque :
Os horrores sanguinarios da Genipapada, nao
se praticam duas vezo. >
Becife, 13 do julho de 1869.
Joao de S e AUmquerque.
1*[8
Cambio sobre Londres 90 d/v 18 3(1,
18 15]16 por 1*000.
Cambio sobre Paris vista 51o rs. por fra|o do
Cambio sobre Portugal 60 d/v 178 ./ dpre
mo (hontem).
Frte de assucar de Macei para Liverpool
por toneliada sem capa.
Frete de algodao de Macei para Liverpool
por libra sem capa
Frete de assucar daqui para Valparaizo 31
toneliada e 5 0(0
P.J. Silveira
Presidente
Leal Seve
Secretario
Of
17/6
3/8
por
'dera do diaj 13.
4:950*584
77:1654832
MOVIMENTO DO PORTO.
Q flmacos entrados no dia 13.
portos do norte9*dias e 18 lioras, vapor
nacional Guar, d 99 toneladas, com-
raandaote PcJro H. Duarte, equipa gem
)3, carga dilTerentes gneros; A. L. de
O. Azevedo C.
Rio Grande do Sul21 dias, escuna norte
allemanha Em, de 90 toneladas, capitao
r. Fock, equipagem 6. carga 2,450
saceos com farinha de mandioca ; Oli-
ve ira Filaos d C.
Qbtenac&o.
Nao houve sabidas.
ECITAES.
ENGLISH BANK.
Rio de Janeiro Liited
Deseonta lettras da praga taxa con-
vencional
Recebe dinheiro em conta corrte e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as iades
principaes da Europa, tem agenciasa Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, Ne-York
e New-Orleans, e imitte cartas de ebito
para os mesmos lugares.
Ra do Oommercio u. 36.
Sociedade bancaia
em commanditi
Teodoro Simn & C
Compram e vendem por conta \sf-e
melaes, moedas nacionaes e estrarjiras.
sbj|8| de cambio, sedulas do governe dt
qanco do Brasil.
Descontam letras da trra e outrotitu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conla alheia das tes-
inas transac^es, da cobranza de letrc da
trra e de outros ttulos ^ommerciaes.
- Racebein quaesquer qutias em detsi-
to, em conta corrente, e a prazo xo.
Faculdade de Diieito.
De ordem do Exm. Sr. director interino o con-
selheiro Dr. Pedro Autran da Matla e Albuquer-
i|ue Caen publico que ca marcado o prazo de seis
metes cornados da data deste, para a inscripeo
dos ijiie pretenderen) concorrer ao lugar de lente
substituto da Faculdade de Direito do llecife, vago
pelo accesso do substituto Dr. JooCapistranoBau-
deira de Mello Filho, a cadeira de que era pro-
prietario o fallecido Dr. Jeronymo Vilella de Castro
Tavares
Pelo que todos os pretndeme ao dito lugar se
podero apresenlar desde j na secretaria dosia
Faculdade para inscrever seus nomes no livro com-
petente : o que Ihes permittido (azer por pro-
curador se esliverem a mais de vnte legoas desta
cidade, ou tiverera justo impedimento.
Sao, porm, obrigados a apresenlar documentos
que mostrem sua qualidade de cidadao brasileiro,
e de que esto no oso de seus direitos cvis e. po-
lticos, certidao de baptismo, folha corrida de lu-
gar de seus domicilios e diploma de doutor por
urna das Faculdades de Direito do Imperio, ou
publica forma, justificando a iinpossibilidade da
apresentajo do original, e na mesma occasio
podenio entregar quaesquer documentos que jul-
garein convenientes, ou copio titulo de habiiitaco,
ou como provas de servieos prestados ao Estado, a
liuinanidado ou a scicncia, dos quaes se Ihes pas-
sar recibo: ludo de ennformidade com os arts.
36 e 37 do decreto n 1,286 de 28 de abril de 1854
e 111 e seguintes de n. 1.568 de 24 de fevereiro
de 1853.
E para que chegue ao conhecmento de todos
mandou o mesmo Exm. Sr. director interino, afi-
xar o presente, que ser publicado as folhas
desta cilade e as da corte.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife, 2
de julho de 1869.
O secretario,
Jos Honorio B. de Menezes.
JUIZ DOS FEITOS DA FAZENDA.
O Dr. Abilio Jos Ta vares da Silva, juiz dos feitos
da fazenda nacional, etc.
Faeo saber aos que este virem, que no dia 15
de julho prximo vindouro, se vender em prac,a
publica de-le juizo, as 11 horas da manhaa, de-
pois da audiencia, a requerimento de Francisco
Antonio Pontnal, cessionario da fazenda nacional,
um terreno denominadoAurora,na freguezia
dos Afogados, com 1,160 palmos de frente e 1,630
de fundo, com urna casa arruinada, dous fornos
de olaria tambera arruinados, e algnns alvoredos
do fructo, percencente aos herdeiros de D. Maria
Joaquina Machado Cavalcanti, avahado por quatro
cont s de res.
E para que chegue a noticia a todos mandei
passar o presente que ser aflixado no lugar do
costume c publicado pela imprensa.
Eu Luiz Francisco Barrete de Almeida, escrivao
o subscrevi.
Recife, 14 de junho de 1869.
_____________Abilo Jote Tavares da Silva,
Perante a cmara municipal desla cidade
estarn em praga nos dias 14, 17 e 21 do corrente
para serem arrematados por quera maior prego
olTerecer, os alaguis dos quatro ospacos existen-
tes no acougue publico da ribeira da freguezia de
S. Jos, sendo tres no auarteiro do lado do norte
o um no do sul, todos oceupados com talhos esta-
beleeidos por diversos; a arremataco a fazer ter-
minar quando terminar a do* outros talhos da
mesma ribeira. Aquelles qul pretenderem arre-
matar, comparegam no pacv^iunicipal em os dias
mencionados, munidos de Cianeas na forma da le.
Paco da cmara municipal do Rocife 8 de julho
de 1869.
Ignacio Joaquim de Souza Leo,
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Uoaviagem,
Secretario.
Ba do Pilar.
Casa terrea n. 105 .. _............
dem dem n. 103_______..........
"e"i u-98........_...............
dem n. 96.. .. _.............
dem n. 91.....................'. ..
Sitio n. i no Fumo-da Cal...........
dem da Mirueira u 4. .
Os pretendentes devero apresentar
146*000
202^000
2035000
202*000
203*000
136*000
106*000
no acto da
arremataco as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 17 dejauho de 1869.
O escrivao,
__________________Pedro Rodrigues de Souza
Consulado provincial.
O abaixo assignado lanzador do consula-
do provincial, avisa aos Srs. proprietarios
de predios urbanos, e donos de estabeleci-
mentos da freguezia da Boa-Vista e fra da
cidade; que sendo romeado por portara do
Sr. administrador do mesmo consulado, da-
tado em 10 do corrente mez, para proce-
der aos differentes lang.amcntos dos impos-
tes decretados pela lei do orea ment vi-
gente, e pede aos mesmos Srs. que tenham
promptos os seus recibos o mais documen-
tos inherentes ao que diz respeito, alim
de que possa proceder com regularidade
e sem vexames das partes. Outro sim de-
clara quo d principio aos seus trabadlos,
no dia i:{, pela freguezia da Boa-Vista.
O lanzador, *
Isidoro Theodttlo de Mallos Ferreira.
Perante a cmara municipal desta ci-
dade, estar em praga nos dias Ji, 21 e28
do corrente, para ser arrematado por quem
maior prego offerecer o imposto de 500 rs.
por cabeca de gado vjecum, morto para
consumo as freguezias do Poco de Panella,
Varzea, Afogados, Muribeca, Jaboato e
S. Lourenco da Matta; as pessoas que qui-
serem arrematar dito imposto, habiiitcm-se
na forma da lei e comparecam no paco
municipal em os dias referidos.
Pago da cmara municipal do Recife 8
de julho de 1809.
Iijnacio Joaquim de Souza Leo.
Pro-presidente,
Francisco Canuto da JJa-Viagein,
Secretario.
Largo do Pelourinho n. 7.
ALFANDEGA.
tlendimento do dia 1 a 12. 387:322*0
(dera do, dia 13......34:658*71
s
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Vol times saludos com fazendas
dem idem com gneros i'i
Totumes entrados com fazendas 27
dem idem com gneros 959
421:980*78
THEATRO OE 8. ISABEL.
Teve logar no domingo, como .cstava annuo-
cado, o beneficio dos Srs. Thomaz Espiea e San-
ta Rosa, cora o drama de costuraos militares
29 ou Honra e Gloria. Houvo o que se chama
urna enchente real; nao so via um lugar vago em
tudo o vasto recinto do theatro.
. Esu immen8a concurrencia teve dous podero-
s>s motivus.
O primeiro, e quic o mais fortea despedida
de Thoaz Espiea, um grande artista e am ca-
rcter de prohidade cxeraplar, p>r quem o nosso
publico tem manifestado serapre as mais decidi-
das srapathia, e a quem o publico bahiano pres-
ura ora breve igual humenagem, visto como o
genio e a vrtude sao dotes apreeiavai *m toda a
parte, aboncoadas do todos os ooraode^ nomna t.
quo eu esteja em ojytiifb ao ac-{ primea elleVTallianSa do co e o^toTM.
Descarregara hoje 14 de julho
Barca inglezaWilch of the Waveferro e carvj
Bngue inglezRio Grandemercadorias.
Lugar inglezMarancecarvo.
Lugar suecoAnna farinha de tngo.
Brigue inglez '/Van/abacalho,
Brigue inglezMinoramercadorias.
Brigue nacionalAlmeida //charque.
Importadlo.N
Vapor brasileiro ..guara' viudo
Para e portos intermedios manifestou :
6 fardos e 1 caixa fazendas;
&C.
O Illm. Sr. inspector da thecourana de fazen-
da desta provincia, em virtude do officio da presi-
dencia de 8 do corrento mez, manda fazer publico
para conhecimento de quem interessar possa, que
no dia 17 do dito mez, pelas 2 horas da tarde, pe-
rante a junta da mesma thesoui aria, sero arre-
matados a quem maior lanco offerecer, os medica-
mentos que vieram da extracta colonia militar de
Pimenteiras.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 10 de julho de 1869.
O ofncial raaior,
__________ Manoel Mamede da Silva Costa.
Domingos Alfonso Nery Ferreira, corone'
chefe do estado maior commandante su-
perior interino da guarda nacional do
municipio do Recife, e presidente do
conselho de revista da mesma guarda
por S. M. o Imperador etc., etc.
Fa^o saber que, na 3a dominga, 18 do
corrente mez, se reunir o conselho de re-
vista da guarda nacional, como determina
a 2a parte do art. 2.> do decreto 1,130 de
12 de man;o do 1853, na sala das sesses
da cmara municipal, as 11 horas da manha
na conformidade do art. 44 das intrueces
n. 722 de 2o de outubro de 1850; afim
de tomar conhecimento dos recursos que
versaren) sobre os casos indicados no art.
33, e que forem interpostos pela maneira
determinada no art. 38 das ditas ins-
trueces.
E para constar a quem convier, mandei
ipublicar pela imprensa. Quartel do com-
imando superior interino da guarda nacional
qi I lo municipio do Recife, 10 de julho de
I8G9.
Domingos Alfonso Nery Ferreira.
Sexta-feira 10 .do corrente,"depo3 da
audiencia do Dr. juiz de orphos, vai a
praca, de venda, tres moradas de casas
terrea n. 12, 14 e 16 sitas na ra da Ami-
sade na Capunga, pelo valor de 4:350OUO
a requerimento de Flix Pereira da Silva,
successor de Gama & Suva, contra o casal
dos finados Antonio da Costa Rosal e sua
multar.
Pelo presente se faz publico quem interes-
sar, que as conlas dos impostes de 20 por cento
sobre o consumo de agurdente, 4 por cento sobre
diversos estabelecimeiitos se achara em poder do
escrivao Bandeir, em cujo escriptorio ra do
Imperador n. 44* podero os contribuintes solicitar
as respectivas guias, independente de cita cao ;
assim como as dos impostos de 20 por cento sobre
diversos estabelecimentos, e 8 por cento sobre es-
critorios e consultorios mdicos, no escriptorio do
escrivao interino Miranda, a quem foram distri-
buidos, e para tal fnn se concede o prazo de 30
dias, a contar de hoje.
Recife, 6 de julho de 1869.
O solicitador da fazenda provincial,
/. F. Correa de Araujo.
A cmara municipal desta cidade, faz
publico que nao tendo comparecido licitan-
te a obra dos concertos de que necessita o
cano que d esgoto^as aguas, que no tem-
po invernoso se accumulam nos quintaos e
sitios da Casa Forte, oreados na quantia
de 1205000, continuar em praca a mesma
obra nos dias 10, 12 e 14 do corrente :
quem pretender arrematar, comprela nos
dias indicados, munido de flanea idnea.
Paco da cmara municipal do Recife, em
scsso de 7 de julho de 1869.
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Pro-Presidente,
Francisco Canuto da Ba-Viagem
Secretario.
De ordem do Illm. Sr. inspector da
thesouraria de fazenda desta provincia se
faz publico que, se tio tendo arrematado
no dia 7 do corrente a metade da casa
terrea adjudicada fazenda, sita ladeira
da Misericordia na cidade de Olinda, ser
de novo posta em awemalagao perante a
thesouraria no dia 2i deste mesmo mez,
ac*itando-se propostas em cartas fechadas
at as duas horas da tarde desse da, sendo
que as pessoas de Olinda que pretenderem
a dita casa poro entregar ao respectivo
collector at o dia 23 as suas propostas
que serlo por elle encaminhadas esta
thesouraria.
Secretaria da thesouraria de fazenda de
Pernambuco, 9 de julho de 1869.
O official-maior,
Manoel Mamede da Silva Costa.
di
DECLARACOES.
do
Santa Casa da Misericordia
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico quena
sala de suas sesses, no dia 1S de julho, pelas
a Kellequatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quera mais antagens offerecer, pelo tempo de um
2 ditas ditas; a Linden, Weydman & C. efios"0*'M rendasdos predios em seguida de'
I dita ditas; a Lopes & Oliveira. ^ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
5 ditas ditas; a Adriano, Castro d C. Ra das Cateadas.
100 saceos arroz, 80barris banha deCa8a terrea n-31.......130*000
porco; a A. L. de Oliveira Azevedo AC Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 47.....
18 paneiros tapioca ; a Joaquim Vieira
deoBnT,S' a-* c d L r Calcadas.
30 ditos dita; aSeixas & Borgs. Casa terrea n. 30 V^
346 saceos farinha de mandioca e milho-Para idcm D-3
a Lino de Faria C. ''
Encommeu i volme a A. Correa
de Vaseon e#s 4C, 1 a Gentil Wusto
de M Bittencourt, 1 a Lailhacr & C, l ao
conselheiro Jo3o Silveira de Soma, 1 ao
Dr. Abilio Jos Tavares da Silva.
KECEBEDORIA DE RBNDAS INTERNAS GI-/
iAES DE PSRNAMBUCO.
1705000
170*000
177*000
178*000
Ra do Calabouco.
18...... 300*000
... 242*000
Ra da Hoeda.
rlmairo andar do sobrado n. 37.
legunio andar dito.....
Areal do Forte.
(asa terrea n. i, .....
PATRMONIO DOS ORPHAOS.
Idem n. 47. 49
i terrea n.
em n. 20 .
76*000
96*000
100*000
Rendimento do dia 1 a 12.
Idem de dia 13 ,
1:592*210
:304*OJO
CONSOLADO PROVINCIAL
*;89fi*230
Rendimento do dia la 11
!;11{#268
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27
Roa da Cacimba,
dem idenv n. 12.....
Sua do Vigario.
1. andar do sobrad* n. 87. .
Madre de Dous.
Sobrado de um andar n. 9,
m*ooo
146*010
240*006
360*0001
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa
. Casa da Misericordia do Recife, tem de
mandar edificar no lugar em que existe o
sobrado arruinado n. 33, da ra Direita,
um armazem com duas frentes, urna para
a mesma ra, e outra para a ra da As-
sumpeo, com tres portas em cada urna
dessas frentes, tendo as portadas de pedras
lavradas, podendo para esse fim aproveita-
rem-se as pedras que all existem; deven-
do serem as frentes construidas desde os
alicerces. Contrata, pois, com quem por
menor preco fizer similhante obra, e por
isso coBvida as pessoas que se propoze-
rem a effectua-la que apresentem suas
propostas em cartas fechadas, at as duas
horas da tarde do dia 29 do corrente mez,
podendo os pretendentes para o lim de
examinarem as obras a fazer-se, procurar
as chaves daquelle sobrado nesta secre-
taria.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 9 de junho de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
O abaixo assignado, tendo sido nomeadu por
portara do Sr. adrainUrador, de 10 de julho, pa-
ra fazer o laneamento da decima nrbana e mais
impostos da freguezia de S. Pr. Pedro Goncalves o
Santo Antonio para o exerccio de 1869 e 1870,
dar principio ao referido laneamento no dia 13 do
corrente, pelo que faz saber aos inquilinos dos pre-
dios para qne tenham seus recibos ou arrenda-
raentos mo para ser apresentado no acto da col-
lela afim de por elles se fazer o laneamento, nao
se attendendo aos que pareceretn dolosos ou lesi-
vos fazenda, fixando-se neste caso o preco pro-
vavei do aluguel que poderla render em relacao
a capacidade e localidade delles, ou aluguel pagos
por outros semelbante.
Ia scelo da raesa do consulado provincial 12 de
julho de 1869.
O lancader,
Joo Podro de Jess da Malta.
Inspeecao do arsenal de
marlDjia.
Faz-se publico que a coutmissio de perito
examinando na forma determinada no re-nilamenlo
annexo ao decreto n 1324 de 8 de fevereiro de
1854, os cascos, machinas, caldeiras, apparelho?,
mastreacnes, veame*, amarras e ancoras dos va-
pores Pirapama 0 Cururipe da* companhio Pcr-
nainbucana de navegdlSo costea, achou todos
objectos em estado de poderem os vaporea
navegar.
Inspeecao do arsenal de marraba de Pernambu-
co 13 de julho de 1869.
O inspector,
'______________H: A. Iiirbosa de Almeida.
Conselho de compras
navaes.
O conselho promove no dia 17 do corrente mez,
vista de nropostas recebidas at as 11 horas da
n.anliaa, a compra sob as cond^oes do estylo dos
objectos do material da armada seguintes : 2 bales
de ferro estanhado, 2 bombas de Japy n. 3.12 du-
zas de brochas sortidas, 600 colber.s de ferro, 200
alqueires de cal branca, 200 alqneires de cal pre-
la, 100 croques do ferro, 120 bracas de corrente de
ferro de 1/2 pollegada reforcada, 20 arribas de
estopa de algodao, 10 lencoes de ferro inglez de
l|4 de grossura, 10 hvros de papel branco pautado
de 200 folhas, 30 lvros de papel branco paulad
de 100 folhas, 20 lvros de papel branco pautado
de 50 folhas, 10 livros de panel branco pautado de
23 folhas, 8 arronas de malhar branco, 10 libras
de obreias Iranceza-, 80 arrobas de oleo de traba-
ja, 6 panellas de ferro para derreter breu, 50 pn-
ceis para caar, 10 quartolas para lquidos de 3 ps
3 3[4 pollcgadas de comprimento, 100 raspas d-'
ferro, 1,600 libras de tinta branca de zinco, 600-
libras de tinta verde ingleza, 40 grosas de torcidas
para plurol, 2 terrinas de ferro estanhado, 20 tira-
linhas e 1,000 lijlos de fogo.
Tambem o conselho no mencionado dia 17 do
corrente mez, contrata por igual forma o forueci-
inento de cangica ou milho pilado, e de milhn sem
ser pilado, aos navios da armada e estabelecimen-
tos de marinha no corrente trimestre do julho a
setembro.
Sala das sesses do conselho de compras navaes
13 de julho de 1869.
O secretario
Alcxandre Rodrigues dos Anjos
COR IiEIU _
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico que hoje (14) pelas 3 horas da tarde
fechar-se-hao, para os portos do sul, as malas
que o vapor brasileiro Guar tem de conduzir.
Os jornaes serlo recebidos at meio dia, e as
cartas a registrar at 1 i/2 hora da larde.
As cartas ordinarias postas no correio mea
Mira depois de lindo o praso cima declarado, se-
guirlo seus destinos com o porte duplo.
Administrado do correio de Pernambuco 14 di;
julho de 1869.
O administrador,
Domingos dos Ptasos Mirauda.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
Quarta-feira 14 de julho d 1869
ESPECTCULO DE PRESTIDIGITADO
pon
MR. PEYRES DE LAJOIMAD
EM BENEFICIO DO
Asylo de niendii'idade desta
provincia.
PRIMEIRA PARTE.
Ligeireza de raaos (doslreza.)
0 orculo de Delphos.
Urna raetaraorpliose.
O niibo phantastico.
A sorte de Hume.
SEGUNDA PARTE.
O baralho chnez.
A carta sera carcter.
Illusao e realidade.
Urna transliguracao a olhos vistos.
O acaso da wiiga.
TERCEiHA E ULTIMA PARTE.
O copo de Davmpurt.
A cadeia de Lainiubana.
A multiplicacao.
O rabe physico.
O poder da magia.
Os intervalos serao preenchidos "pela orchestra.
Comecara as 8 horas.
O beneficio da actriz Francisca R. da Silva quo
deva ler lugar hoje 13 do corrente lica transfe-
rido para
Domiugo 18 de julho
com todo o espectac.lo annunciado.
AVISOS MARTIMOS.
Contpanliia americana e Irasilci-
ra de paquetes a vapor.
Ateo da 16do corrente esperado de New-
York por S. Thomaz e Para um dos vapores da
companhia, o qual depois da demora do costume
seguir para os portos do sul, para fretes e pas-
sagens trata-se com os agentes Ilenry Forster &
C, ra do Trapiche n. 8.
COMPAMIIA PERNAMBUCAflA
DE
!Vavcgacao eostelra por vapor.
Macei, escalas, Pencdo e Aracaj.
O vapar Potengi, commandante
Pereira, seguir para os portos cima
no dia 15 do corrente as 5 horas da
tarde. Recebe carga at o dia 14, encommendas,
passageiros c dinheiro a frete at as 2 horas
da tarde do da da sahida no escriptorio do Fos-
c do Mattosn. 12.
COMPANHIA BRASTeI
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 21 de julho o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
Alcoforado, o qual depois da dc-
. mora do costume seguir para os
portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros o engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
sr embarcada no da de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as i
horas.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
lectos de pequeo valor eque nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medican,
Tudo que pausar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros qne snas passa-
gens so se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacdo costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Ilio Formoso c
Tamandar.
O vapor Parahyba, commandante
Mello, seguir para os portos acim
_ no dia 20 do corrente a meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, n i escriptorio do Forte do Mattos-
n. 12.
2k
PARA LISBOA
segu com toda a brevidade a barca portogueza
Constante III, por j ter parte da carga prompta :
para o que Ihe falla e passageiros, trata-se cora os
consignatarios Oliveira, Filhos & C., largo do Corpo
Santo n. 19, ou com o capito na praca do Co-
merclo.
t
.


N
D^smo de Pemambuco Qnarta feira. I4 Je JaUo
(hr 8G9.
-
.
\

K,
v.
1
WL
COMPANHIA PEIINAMUUCAN. Xarope tle Fedecoao, co Pinto.
tes ou antigs, sufiocaces, catarrhos bron
chicos etc. e a Anal contra lodos os soffri-
menlos das vas respiratorias, e na ptuisi-
oa pulmonar, sua virtude contra o ttano
ou espasmos, e convulcoes incontestovel
e ninguem ha que o desconheca.
M DESCOBRIMENTO ESPANTOSO t
* Illm. Sr. Joaquim d'Almeida Pinto
Braga, 25 de Janeiro de 1868. Meo
amigo, aqu chegoei com alguma melho-
ra; depois de ter tomado tres garrafas
do seu preparadoXarope de Fedegoso
isto c, pelo mar, porque logo que che-
guei em Lisboa, principiei com mais f
a tomar o dito xarope, por conhecer pelo
mar que elle fazia grande beneficio, pois
vista da grande quantidade de sangue
que eu botuva pela bocea, vi queme hia
desappartcendo com rapidez, depois que
continuei a lomar o dito jarope, e tao
milagroso foi para minha molestia que
hoje me acho de todo restabelecido, e at
rnesmo bastante nutrido, e por isso pode
* Vmc. fazer sciente ao publico o milagre
que o seu preparado obrou na minha en-
fermidade. Sem lempo para mais, sou
De Vm.
Amigo atiento venerador e muito obligado
Manoel Jos Gonsalves Pereira.
O vapor Pirupama corainamiaut
Torres, seguir para os portos ci-
ma no da 15 do crrente as 5 hora?
da tarde. ReeeM efrga at o dia li, encor-
mendas, passagoir e dirdieiro a freto at as
i horas da tarde do dia da saluda no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.________'
COMPANHIA PEUNAMBUCANA
DE
Navegado eosteira por vapor.
Goyanna-
O vapor Paralujba, rom-
mandante Mello, seguir para
o porto cima no dia 16 do cor-
rente as 9 horas da noitc. Itecebe
carga, cncommeiula:, |.assageres
e dmheiro a frute no escriptorio do Forte do Mat-
tos n. 12.
PARA
Para o referido porto segu com muia lirevida-
de o palhabote portufiiM Novo Protegido, por ter
a maior parlo da carga tratada ; e para o resto
3ue Ihe falta traase com o consignatario Joaquim
os Gonralves Beltrao, a ra do Commercio
n. 17.
RIO DE JOTRO
Segu com brevdarie para o porto cima, o bri-
gue nacional Damiio ; tem parte do seu carrega-
ment engajado, para o resto que Ihe falta trata-se
eim os consignatarios Antonio Luiz do Olivcira
Aievedo 4 C. ra Ja Cruz n. 57.
LEILOES.
Quinta- feira 15 de i til lio as 11 horas a por
ta da Associaco Commercial Beneficente
agente Euzebio vender por conla e ordom
de diversos:
Um sobrado de n. 18, sito ma do Brum, com
2 casinhas no fondo e fronte para o caes.
Urna casa terrea de n. 19 sita ra da Con-
ceicao na frecuezia da Boa-Vista.
Urna casinha n. 29 na ra do Calabouce.
Quatro casas de ns. [90, 92, 9i e 96, na ra
Imperial, chao proprio.
Um sobrado de n. 17 na ra do Pilar, com
fundos para o mar.
Os prelendentes queiram antecipar a vestona
aOm de fazer orna boa acquisirSo.
De fazendas limpas e a variadas,
A 15 do corrente.
Magalhaes Irmaos faro leilo por intervencao
4o agente Oliveira, de grande sortimento de fa-
zendas inglezas, francezas o allemaes, de algo-
des, hnho e de seda, sendo parte avariadas, por
wnta e risco de quera pertencer inclusive algu-
mas miudezas.
Qninta-feira
as 10 horas da manha, em seu nrmazem ra
da Gadeia do Bccife.
Illm. Sr. Joaquim d'Almeida Pinto.
Ha muito que ouvia proclamar as exced-
ientes propriedades do Xarope de Fede-
goso contra a tosse e asthma, soflrendo
eu de urna tosse pertinaz, e tendo usado
de toda a sorte de medicamentos, valime
pois do Xarope de Fedegoso e urna gar-
rafa smente foi bastante para restabe-
lerer-me, e me vejo to robusto como
d'antes; suecumbiria de ceno a nao ter
usado do Xarope de Fedegoso.
A' visla disto nao tenho expressoes
com que exprima a V. S. a gratidae de
que llie devedor o de V. S. atiento
venerador e criado
Joao da Costa Reg.
COMPANHIA PERHAMBCAKA
4 o^si:lm.o De direccao
Os Srs. Saunders Brothers & C, Tasso Irmaos,
Luiz Antonio de Siqueira.
c. rente
0 SU. F. F. BOEGES.
Restando ainda emiltir algumas ac$es desla companhia, d;i quantia nominal de
200f*O00 cada urna, das quaes s se aceilam em vclnde da lei, 20 %, ou iOjJOOO por
cada aeco; convida-se pelo presente ao publico: em geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commereio, que queiram dar empreo segaro aos seus
capitaos, disponiveis, a stibscrever o numero de acces que Ihes approuver.
Algumas destas aeces j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vanlagem,
de na presente occasio (conhecidamente a mclbor), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, como.vapoies, predios etc., qu Ibes garn-
tala seus capitaes.
A companhia possue boje 10 vapores, G inteiramefttojnovos, e destes o ultimo est
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno pue possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido ds 10 / ao anno nos ltimos 4 annos.
As accoes que se emittirem gosam dos mesmos direitos, e percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que osantigos em proporejo da entrada.
Receben se assignaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12.
ECONOMA
AVISOS DIVERSOS.1
Attencao.
lrecisa-se alugar um escravo.:
rua da Praia ni 47.
na nadara da
AOS OMMftOlOOO
CASA DA FORTUNA
ilua do Crespo n. *3.
O abaixo assignado tendo obtido licencia da pre-
sidencia e satisfeito as outras exigencias da le,
avisa ao respeitavel publico que tera sempre a
venda no seu estabRlcemonto- bilhetes das lote-
ras do Bo de Janeiro, cujos premios sero pagos
prornptamente vista das listas com o descont
sement da lei. -J
Preros : Intciros.. M00O
Meios... 123000
Quartos. 6*000
E em quantidade maior de 100|OO0 na razao
de 22*000 por bilhete.
Manoel Martins Fiuza.
MEBICIN4
O Dr. Alvares Gnmaraes, cuj3 prauca
das clnicas data j de nao poucos an-
uos, faz publico que se propoe aqu a
Bxercer a medicina era todos os seu ra-
mos, temi por especalialidade nem s
as hydropesia9, as molestias uterinas,
das vias urinarias, da bexiga e febris,
como anda as amputacoes, fraturas, hy-
droceles e operacoes obsttricas (concer-
nentes aos partos); para o que tem aber-
to seu consultorio, i rua do Imperador
n. 17, Io andar, onde dar consultas das
8 as 10 horas da manha e das 5' as 7
da tarde.
Declara outrosira, que asar as mo-
lestias syphiliticas do tratamento esta-
belecido pelo celebre syphilographo Bi-
card, que na operario do ectropion em-
pregar o rpido e proficuo processo do
profeesor Vidal, de Cassis, para o que
tem apropriados instrumentos, e que
as demais operacoes e molestias pora
em pratica o methodo ou processo, quo
formis con mais vantagens possa auferir aos doen-
tes.
Promettc, finalmente, entregar ao li-
vre e generoso alvedrio de seus clientes
a estimativa e pagamento de seus hono- ;
rarios, e curar gratuitamente os pobres W
offerocendo-lhes, alm disso, alguna me- g|
dicatrentos proprios conjurar seus >t<(
males.
Illm. Sr. Joaquim d'Almeida Pinto.
Tenho a ventura de communicar a V. S.
que gracas ao maravilloso Xarope de
Fedegoso, estou cora o meu escravo Jor-
ge completamente restabelecido da mo-
lestia dospulmoes que ha tanto tempo o
persegua.
Accete V. S. esta minha declaraco
como prova do meu i econhecimenlo pelo
bere que V. S. acaba de fazer-me e cu-
jami|cordaco ficar internada no cora
c5o do
De V. S.
Atiento venerador e criado
Bento Joaquim Gomes.
Illm, Sr. Joaquim d'Almeida Pinto.
Cumprindo um dever de gralido, part-
c'po a V. S. que pormeio dosen aben-
coado Xarope de Fedegoso, bS*i pe.-eita-
rrente restabelecido dos seus longos sof-
i fi imentos o meu escravo.
Como sabe, este meu escravo tinha
chegado ao estado mais afflictivo da mo-
i lestia de pulmoes ; nao obstante um nao
interrompido uso de remedios, e urna
i demorada viagem ao nosso serto.
Pois bem; a enfermidade, que seha-
via tornado rebelde a todos os meios
empregados para combate-la, cedeu de
urna maneira quasi milagrosa, a quatro
garrafas, apenas, do seu fedegoso.
i Hoje, grabas a Deus, tenho o meu es-
cravo restabelecido ; e nao fcil mos-
trar todo o reconhecimento que sinto pelo
bem que V. S. me acaba de faer.
Sou de V. S.
Criada agradecida
Mario Norberta Scheffer.
aico deposito, rua larga do Rosario n.
10, junto ao quartel de polica, Pernambu-
co.
Continuadamente se nos apresentam no-
vos testemunhos da efficacia do fedegoso
Pernambuco.
s
MOFINA
ttoga-se ao Sr. Jos Joaquim de Aguiar, tenha
x bondade de apparecer na rua Nova n. 46, loja, a
egocio.________________________________
Lava-se e eogoinma-se com perfeico : na
rua da Roda n. 4._________________________
Pncisa-sa de uiua pessoa habilitada para
tomar conta do urna taberna cora sociedade por
tsr seu dono de retirar-se para fibra: no becco
dos Portos n. 4, se dir quem precisa.
Joaquim Jos Gon-
ralves Beltrao
RUA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os segra-
les logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
GuimarSes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do CasteUo.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de; FamalicSo.
Lamego.
Lagos.
Covilhaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Ama de leite
Precsa-se de urna ama de leite que nao tenha
fllho: na rua larga do Rosario n. 12, 2* andar.
= Precisa-se de urna ama para cozinhar em
casa de familia : na rua nova de Santa Rita n. 53,
2 andar.________________________________
Aluga-se urna excellenle escrava robusta,
boa cozinheira e engommadeira, e um escravinho
de 18 annos : a tratar atraz da matriz da Boa-Vis-
Un. 30,1* andar.____________________
O professor de latim da freguezia de S. Jos
desta cidade, abaixo assignado, declara ao publico
que contina a ostar aberta a matricula de sua
aula : quem se quizer matricular na mesma, d-
rija-se ao sobrado n. 3, Vio largo da ribeira da re-
ferida freguezia.
Manoel Francisco Coelho.
Ll
Resta venda um escolhido sortimento de ob-
lectos de raarcineria, como sejam, mobilias de ja-
jarand. mogno e amarello, obra nacional e estran-
?eira, de apurado goi-to e por prefco< razoaveis :
a rua estreta do Rosario n. 32. ISesta mesma
jasa fazem-se com perfeico todos os trabalhos de
palhnha, como sejam, empalhamentos de lastros
jara camas, cadeiras e sophs.
Thomaz Me. Cowman, subdito britnico, vai
Europa. _______________
Preeisa-se de um rapaz portugnez. de 20 a
22 annos de idade, para eaixeiro de molhados tora
desta provincia, e que d fiador a sua conducta,
paga-se bom ordenado : a tratar na rua do Cres-
po n. 10, loja de fazendas, das 10 horas ao raeio
dia.
Precisa-se de una ama quo saiba cozinhar
muito bem, prefere-se escrava ; na rua do Quei-
mado n. 50. ___
= Precisa-se de urna ama para cozinhar para
dras pessoas : na rua das Trincbeiras o. 17.
AH
Precisa-se de urna ama
|oja.
na rua da Cadeia n. 9,
Vinlio.
SOFFRIMENTOS DESTOMAGO, CONSTIPACAO.
Cura em poneos das pelo carvo de BELLOC cm'p ou em pustillias.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Vm*an#tm*+
jipadas rpidamente pelas PEROLAS O'ETHER 4 CUITAS.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os sonVimcntosque nccessiLimdo
emprofro dos farraginoso! sao sempre eonibalidos com o mclhor resullado
pebi PILUlAS DE VALLET. Coda I'ilula tem ucravado o nome VAUF.T.
p DE ROG. Basta dissolver um frasco d'csle p em mcio
parala (Tagua para se obti'-ruma limonada agradavel que purga sen f.i-
icr clicas.
VINHO DE QUINIUM de ljibarraque. Esle vinlio, um dos
poucos cuja composieao garantida constante, e urna das mrlhores pre-
paraeocs de quinino, sem accao notavcl sobre os convalescentes, dando-
Ihes forcas e aprestando tolla a saudc. Cura as febres antigs que re-
sislao ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maiox parle d'estas moles-
tias como as scialicas, lumbagos, catarros, e todas as dores nervosas em
gerl sao curadas pelas PEROLAS DE ESSENCIA DE THEREB.HTINA do
Dr. Cierta n. 0 proAssor Trousseau em seu Troludo de tierapeulica acon-
selha as para seren tomadas na occasio do jantar, na dse de 4 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH
Garintido puro e de primeira qualidade, um dos poucos aprovados peto
Academia de medicina.
AVISO. Todos estes medicamentos foram aprovados pela Academia
imperial de medicina de Patis.
DEPOSITO
\ Em Parla, t FRERE, It, raa Jaroa
PupoNcoEttE; llnx.iini i Pernambuco. AORta et O.
Ccara.....HrBER el Cu.
Palia..
TEsiwr.ru.
IaM et C".
OPPRESSO SOFFOCAQAO
A. rrot.. dVher no Morn Clfktas approvadas pela Academia imperial
d medicina dePariz acalmara quasi sempre utantmeememle os ataques d'asma,
onpress, soflocacrio, assiin como as dores de cabeca e enxaquecas. E suffi-
cientc na occasio em que apparecer o mal, o engohr-se urna ou duas perolas
com urna pouca d'agoa. com certeza o medicamento mais lacil de tomar para
esle genero de docncas.
A Poro! d irrel.entl.lna do DOOTOB Clertan sao imprcgadas diariamente
com "rande xito para a cura das nevralgias, rheumatismo, sciatico c catarrhos
da heVa, Estas perolas foram sempre rccomiuendadas por um grande numero
de mdicos e especialmente pelo Doutor Trousseau, que indica esle medica-
mento como o mais eflcaz. conveniente tomar de 4 at 8 na occasio das
comidas. ... iu_
A approvacao da Academia imperial de medicina 6 sem duvida a inelnor
rarantia da boa preparucao d'stes medicamentos e de sua efficacia.
Depoaito em !-..-Jamiiko. Uuponchclle; Chetolot. tm Piuamna, Vamrer & V'.
esez?:j>
QUINIUM LABARRAQUE
APPROVADO PELA ACADEMIA CE MEDICINA DE PARIZ
0 Qulnimn l.abarraqn, eminentemente tnico e febrfugo deve ser
preferido todas as outras preparacSes de quina.
Os vinhos de quina ordinariamente empregados na medicina preparam-s
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; parte disso, em razao de seu modo de preparacao, estes vinhos con-
ten apenas vestigios de principios activos, e em proporedes sempre yanaveis.
0 Qnlninm ^abarraque, approvado pela Academia de medicina, con.
stitue pela contrario um medicamento de composicao determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
0 Qainium Labarraque prescripto com grande xito s pessoas fracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'csgotamento, seja por antigs moles,
tias; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem diffi.
culdade em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aos velhos
enfraquecidos pela edade ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cOres plidas, este vinho um poderoso
auxiliar dos ferroginosos. Tomado junto, por exemplo, com as pimas de
Vaixet, protfau effeitos maravilhosos, pela sua rpida acedo.
Deposito em Paris, L. FRERE, 19, ru Jacob
Rio-Janeiro, DUPONCHELLE; CBEVOLOT. Pernambuco, MARER et C
CURAS IMPORTANTES
Do xarope Vegetal Americano especialidade de Bartholomco&fr
34,RUA LARCA DO ROSARIO.34.
PARA
entregar as chaves ao propriet&rio do pre-
dio.
O arremalanir do oslalielefimenio de hMdM ila ma da liiiperatriz n. 3G,
intjlokido JAllIM DAS DAMAS, tem resolvido liquidar todas as fazendas que nelle exis-
lem, aflm de em jjoucos dina poder entregar as chaves ao proprielano do predio, por-
tanto convida ao respeitavel publico a vir sorr-se do grande sortimento de fazendas
que existan no mesmo; podendo comprar por menos SO o/u do que em outra qualquer
parte, e algumas lalvez por menos ainda.
Entre o grande sortimento de fazendas que existe nesta loja lem o seguinte:
Finas percalas de cores (xas.
Chtate finas claras e escuras, cores fixas.
Cassas francezas muito linas.
Finissimos bareges com listas de seda.
Ditas transparentes com lisias.
Lanzinlias muito finas com listas e flores.
Alpacas lavradas com flores.
Corles de cambraia
bordadas.
Dilos de duas saias, com figulinos.
Ditos de cambraia branca, bordados.
Ditos de velludo para colletes.
Dilos de gorgurSo de seda.
Saias bordadas, com quatro pannos.
Ditas com lianas de cores.
Ditas de lan, bordadas.
Punhos com goHiohas de cambraia.
Alpacas lisas com listas.
Ditas lavradas de urna s cor.
Hrins do linho miudinbos para meaitos.
dem idum com padroes mais grados.
Gros-de-napoles pelos e de cores.
Pannos finos pretos c azues, do mais bai-
xo ao superior.
Casemiras de cores para calcas, de todas
de cor com barras as qualidades.
| Finissimos manguitos com gollinhas de
cambraia transparente.
Manguitos com punhos.
Puniros com gollinhas.
lVl-rinas prelas, Je fil c croch, borda-
das.
Finissimas tiras bordadas para entre-
meios.
Ditas para babadinho, lendo de todas as
qmlidades e larguras.
Assim como
um grande sortimento de roana para bomens, tendo paletots, calcas e coletes de todas
as fazendas e qualidades ; e outros muilos artigos que seria impossivel nomea los todos.
0 nue o arrematante deste cstabelecimento pode garantir ao respeitavel publico que
ser bem servido e por procos muito commodos, por ter grande urgencia de esvazear
o estabelecimento, pela razao que j den de ter de entregar as chaves em poucos das.
Isto na loja da rua da Imperatriz n. 30. que tem um rclabulo com o nome de
LIQUIDACAO
Liquidado !!! Liquidado!!!
a de precos
reduzidos, na rua do Crespo n. 17
ac
Camisas francezas e ingiezas ae tooas as quiiiJajoo.
Ditas bordadas para senboras. t
Saias bordadas para senboras e bales de todas as cores (noyos).
Ricos cintos de setim com enfeite da mesma cor para caneca (novo gosto).
Muito sortimento de lencos bordados, fronhas, bicos c rendas, tudo da trra,
bom gosto, e ricos cortes de vestidos de tarlatana bordados, fazenda de gosto, propnos
para casanentos. e vestuarios de baptisado de muito gosto.
\lpacas lisas de todas as cores, fazenda nova.
Ricos cortes de vestidos de b'ondo para casamento?.
Pompolinas de linho e seda, gosto inteiramente novo.
Sedas de todas as cores e de lindos padroes.
Setim macu branco o gorgoro preto, grosdenapoles -de todos os precos e-
qualidades.
VEGETALAMERICANO
t SAUDADE
BARTHOLOMEO&C
Pan i ear. cerU .as Iojs antigs e recente, ealarrh.s pnlmonar, aslbmi; tone eonruUa, eatarr^i
kronchijs, o em goral contra lodos oj soffrimeilos das Tas respiratoria.
DEPOSITO GEBAL
SO'X'XG.A- WB X**.C GARXA
34, RU\ UWK DO R0ZAR10, 34
PERNAMBUCO
A tbenpeutic das dijeraas molestias do pello, desde
, ph.ryngile oa mal da garganta al a tnberculacao
pulmonar, pssndo pelas diversas bronchiles caurrhaes
e o emphsem acaba de ser enrequecidi com mais
este medicamento, que tomar* a primeira ordem entre
lodos at boje conhecidos. 0 aarope Vegetal Americano,
garanlindo paramente vegetal, nao contem em sua
composicao nm s alomo de opio, e sim somenie sue-
co (Je plantas indigenas, cujas propriedades bcnclicas
na cura da molsiiaa que perlencem aos orgos de res-
piraco foram por nos observadas por longo lempo,
com ptimos resultados cada vea mais crescenies; pelo
qne nos iulgamos antorisados a compor o xarope que
agora apresenlamos, e oflerece lo aos mdicos e ao
publico, Provamos com os tusudos abaixo o que le-
vamos dito, e contamos que o conceilo de qne ja goss
o xarope Vegetal Americano crescer de da a da,
deixando muito ape de si todos os peitoraes em voga.
Illm. Sr. Barthalomeo tC-0 xarope Vegetal Ame.
ricino, preparado em sua eonceimadissima pliarmacia,
nm alil remedio para combaier a terrivel aatbma.
Sofra eo aanella moleatia Ha qnalro mezes, sem anda
ter combatido os ataques mensaes qne tinha; este ultimo
qne tive foi fortissimo que me proslon por 8 das, use,
porm o sea milagroso xarope. tomando apenas trea
dses e ata o presente ato fui de novo atacado. Presa
Dea, que en Oque restabelecido por ama vex. Beado-
meusagrdecimentos por me ter aliviado de
Uo horrivel mal. Com a mais signiflcaliva gratidio,
aubscrevo-me deVmcs. afTeclaoso e reconhecido criado.
- Senerino Duorle.-Sua Casa 14 defevereiro de 1868.
Illms Srs Barlholomeo *C. Depois de qnasi eeif
mezes de sofTrimento com urna tosse incessante, lastio
extraordinario, expectorato de nm catarrho amareHa-
do e perda total das forcas, que o menor passeio
me fatiaava completamente, cansado de tomar mus ou-
tros remedios sem resullado tive a felicidade d saber qna
Vmcs. prcparavsm o xarope Vegetal Americano, e eoui
elle, eracas a Deus. me acho restabelecido ha mais da
dois eies, e robusto como se nada Uveese, soffrido. A
gralido me Torca a esta declaratao, qne podero \ mes.
fazer o uso que quizerem.- Sou com estima de Vejes.,
muitos respeitador e criado. Antonu'Ma* Castro t Silva. Becife 8 de feveteiro de 1868.
Atiesto que nsei do xarope VegeUl Americano, de
composiio dos Srs Barlholomeo t C. para cura de om
forte defluxo que me trouxe orna rouquid&o. que me *
fazia edtender, inflammacio e dor o garganta, tosse.
grande Talla de respirado, e Uquei complciamenle rea-
tabelecido com um e vidro do mesmo xarope; pelo
one Ibes protesto eterna gralidio. Hecife 10 de ja-
eiro de 1868. ajia PtrttT* ArMltt^hm.
Esto reeonbecidos.
'recisa-se de duas amas para casa de fam"
lia ama que coznhe o diarlo da casa e outra que
euBomme i na raa da Concordia n. 10, pruneiro
andar.
A' raa do Livramente n. 6, tem para vender em
barris de quinto e roeia pipa, o melhor vuho ver-
de at hoje, vmdo a este mercado, e vende-se por
presos razoavei9. __________
Vendem-se dous bonitos escravos, um rao-
leque de 16 annos, bom cojiubeiro, e nm cabri-
nha de 10 annos: no tercoiro andar d
n. 36 da rua das Gruzes.,
NoA costnmamos procurar attestados para acreditar
ossos preparados, e deixamos que sua applicaflo e os
resultados oblidos pelas pensoasque se dignaramacceila-
loa, Ibes deem crdito evoga ; porque s4o sempre os
ittestados considerados gratuitos, e dalles qne lanca
Dio o charlatanismo; mas ni qnerendo offender as pes-
soas que espoutaneamente nosoffereceram.os qoe abaixo
vio transcriptos, os tazamos publicar manifestaudo-lhes
dossb gratulio pela attencao, esperando que venham
elles corroborar o conceilo, e acceilacao qn ajm mere-
cida nosso xarope. ariAelomo t C.
ATTfSTADOS.
Illms. Srs. Barlholomeo C com a mais sabida
aatiafaco que declaro ser xarope Americano de urna
eTQcacia extraordinaria, pote qne soffrendo ba dias de
intensa tosse, A ponto da ate poder dormir a noite a
despeito mesmo de medicamentos que tomava, a elle
recorr e na terceira colher fui alliviado. e de todo me
acbe hoje restabelecido com o uso somenie de quasi
Vegetal Americano, de sua composico, qnando me
acheva bastante doente de urna constipasao, que me
lornou completamente rouco e que trouxe urna forte
tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres
de cantor da empreza lyrca, vou agradecer-lhes mea
completo reslabelecimenio, qne obtive com um s vidro
do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos
tralamentos. Dcsejarei que onlros como eu recorram
ao sen xarope para se verem aliviados de tie terrivel
incommodn, lAo fatal neste paiz. Com maior conside.
raco contino a aer de Vv. A, atiento, venerador a
obrigado. Lniz Cremona. Hecife 25 de selembro
de 1868. -
Illms Srs Bartholomo 4C.-0 xarope Vglal Ame-
ricano qae Vv. Ss. lea axposto i venda de loda effi-
cacia para o curativo d'asthms, canTorme observei ap-
plicando-o a mea Ulho Joaquim, menor de quatro
annos; viclima d'esse Oagello, qoe at entiopor espejo
exeedenle a dona annos havia resistido a outros xaropes
de grande nomeada. Queiram pois Vv. Sa. acceilar a
expressAoallamenUaincera de mea reconhecimento ao
aBoritorio servio qe lbe prestaram com o 'nd'."do
Jarope, acredilandome para sempre de >. Ss. criado,
aliento e obrigado. Americo Netla de Mendonca. -.
Illms. hrs. Barttiolomeo 11.. l'enhoradissimo com alenlo eohrigaao. """
I a favor que me {zeram de aconselhero oso do xarp.po | Recite 9 de oalobro de 1>,
Os verdadeiros WI&A&H B.OTKH, os nicos apdrovados pela
a Academia de Medicina, tem aasim como oa meos oulros productos
attrabido a wpidex dos nlsiCcadores, que para facilitar sua cr.rn.noxa
industria nao sepjad, nem recciao annuncUr vender falsos Coxxa*
con alare? *0aM. En previno as familias paia interesse de seus fimoa
que, ara evitar falsificacies, devem exigir, que meus CoixamM Ihes
tao vendidos em caixaa de tambas de encalxe e cerredlas eoberlu
por A etqueua com a minha marca de fabrica e encerrando nm
prospecto circunslanciedo, e sellada, por urna medalha como lettre.ro.
COLLAR ROYER, Rae St-Barti, 225. Pm?.
i'
i-.,
!


Diario de Pernambuco Quarta, le[tA U e Juih0 de 1869.
-,

r riLin
ANTIGA CREDITATA
FABRICA
B
IIGOHTU 81 COISTsHTIIIITI 101 C01PLET0 SOITIIIIT* II
CHAPEOS BE SOI;
De todas as qualidades I
De todos os feitios I
De todas os precos I
RA DO CRESPO N9 4
AMA
Na ra do Torres n. >.0, j. da,, pfjei. dt
una ama que compre., coziulie e ei^omae oara
urna pessoa. ^
tmamwmmwumi
O Dr. Ermirio Goutinho, reside
ra da Cadeia n. 6i, onde tem
aborta o seu cnsul torio me lico, e
pode ser procurado quatquer ho-
para o exercicio de sua profis-
E ABIS
19Rna Nova19
FREDERICO ttAIJTIER
ciruryiSs'Qentista, rauto conhecdo lia dez asaos n'esa cidade, pela perfeicao dos seus
tratoalics, lem a honra de participar ao respeitatet publico que tendo feito muitcs me-
ihorametos na sua casa, pode d'hors avante receberas senhorss no seu gabinete onde
tobarlo os commodos precisos jara rarc.iia.
Aeha-sa tambero, na sua asa e Ka sua coaipanhia, o seu sobrinio e discpulo
JT. UB.ROUX
o qual acaba de voUarde na longa viagetn a Europa, dorante a qual praticou com
feliz tsccesso as pritaeiras casas de i'ariz ede Londres, offerecendo assim as me1hor>s
garantas do bem deserapenio para tudooqee for relativo a profissao ; por isso o
aanuneiante pede aos seos amigos e clientes que por acr.so o nao encontraren! no seu
gabinete, depositom no dito seu sobrinho a aesma confifinca com que o tem honrado
a dez anuos.
Dentaduras por tolos os sysleiEas: a prasso do are v,om motos de ouro, platina
vulcanite eura nl-iramente novo-n'esla cidaile.
Cura radical 4m dentes cariados.
OuumbapViis Viiracoes) com ouro ecom massas diversas, segundo os casos.
hemedio para aculnrar as dores de den' !8.
Agua eps dentrficios fabricados pelo proprio anr.uiciante, o quelite permitte afian-
ear sua boa QaalHJsd.
Escovas para, denles, etc.
Perfeicao do trabaio e precos moderados.
JT-cnxjem reara frn mediante ajusto precio.
O gabinete -ache-sii aborto das 8 horas da BMabaa at as i da tarde de todos ds
dias uteis.
CIDADE DE itMllAPE
ADVOCAC.IA.
O baoharet Augusto Carlos Vas de
Olivara, tem aberto sea escriptorio de
advoeacia na cidade de Mamauguape
(provincia da Parahj ba) onde pode ser
procurado.
Nesta capU.il poriem entenderse cora
seuirmao o Sr. Jusiino J. de S. Campos,
ra do Hospicio n. 2.1.
Grande offleina de
alfaiate
LIMA. LESSA COMPANHIA
Ra Nova n. 14
Tendo begado, ltimamente intratado, para
nossa oficina, um dos mais peritos alfaiates de
Lisboa, o Sr. Manoel Martiafco Alves feria, a
quem confiamos a direcrao da Miasma; portan!"
convencidos corad estamos de sua importante le-
soura, vemos prevenir o respetara] publico,, quo
nao liaver quem possa exeeirfar q alquer obra
cora maia perfecto e por mais caprichoso *pie seja
o l'reguez, como o dito Sr, Martinln Alves Garca;
assim como temes grande sortimento de case-
miras, pannos finos. Urina de toda a qua'fdade
camisas e grolas raneexaa, chapeos de sol de
seda, grvalas c colarinhos, e completo sortimento
<: f.iZ'Tiilas inns.______
Trocam-se
is notas do banco do Brasil e das caixas flliae>,
:om descont muito razoavel : na praca da Inde>
eudeucia n. 22.
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Billietes garantidos.
A ra do Crespo n.3 e casas do cestume
O abaixo assignado tendo vendido nos seusmoi
to felizcs brlhetes garantidos 2 quartos n. "tjti com
a sorte de 4:OO0 e outras muitas sortes de lO,
405 e 20 da lotera que se acabou de cxraliir
oiii beneficio da Santa Casa de Misericordia
(112*) convida aos possuidores a virem re-
ceber seus respectivos premios sera os des-
enntos das leis, na casa da Fortuna ra do
Crespo n. 23.
Aeham-sc a venda os da 9* parte da lotera
beneficio do patrimonio dos orphSoS (113*) que
se extrahir quarta-feia 14 do crreme inez.
Procos,
Bilhetc.....45000
Meio.....2*000
Quarto.....SOOO
Em porcia de 100* para cima.
Billwte. ... 3*500
Meio......1^780
Quarto..... 875
_____ ____ Manoel Harona Piusa.
O Sr. Bernardina de Sena da Silva
Guinianes, qneira apparecer na ra- do
Hospicio n. 84: i negocio que nao gROFfc
Mediante moa iidemnisaeao de emfcitnrias,
; cede-so urna casa terroa com 'opumo quintal, em
muito boa na ao hairro da Uoa-Visla, com ex-
liaordinaiios eon,modos para urna familia : a
tral.tr na roa do Hospicio n. 47.
No da 83 de abril fitgio do sitio Mandaea-
r, ndade da Parahyba, o escraTo Manoel, cabra,
nariz chato, cabello um tanto carapinho, e repre-
senta ter 30 anuos de idade; consta que elle fura
visto na estrada de Ignaras** : qncm o apprehen-
ilor pode lera-to ao seu senhor Bartbolomeu de
Paiva Machado no dito sitio, ou nesta cidade i roa
da Imperatrhn. 14, Io andar, que ser generosa-
mente gratificado.
Escriptorio de advoeacia
O Dr. Joao Tbom ila Silva transferio
isa o seu esniptorio de advoeacia da ra do
^ Imperador para a na do Queimado n
^ 31, Io andar, por cima da loja de fazen-
g das do Sr. Amonio de M. Rolim, entrada
5 pelo pateo de Pedro II, aonde pode ser
i^l procurado das 10 horas da maubaa as
rsa 3 da tarde.
COSINHESRO
Precisase de um cnsinheiro ou cosinheira que
seja perfeita para este lim, nacional ou estrangei-
ro : a tratar na ra Nova n. 22.
O advocado
Aflbnso de Albuquerqne Mello mudon o seu es-
criptorro para a ra das Cruzes n. 37, defronte da
typograplna do Diario.
RAViOLl
Os apreciadores de manjares delicados
encontraro todos os domingos, no hotel
central.de Francisco Garrido, a verdadeira
sopa de Havioli do verdadeiro gosto italiano:
assim como outras excelentes iguarias que
seria enfadonho mencionar. Ahi se en-
contraro ainda os mais asseados aposen-
tos para hospedes, banhos, buhares e piano
para recreio dos habitantes: ra rarga do
Rosario n. .17 1 andar. ^
Precisa.se de una ama forra o i captiva para o
servico interno e externo de urna casa de pouca
familia : a tratar em trente a ra do Vigario n. 2,
taberna.
Os sennurea rredorm do fallecido Antonio
Ferrclra Gomes queiram, dentro do preso de 13
dias, apresentar as suas contas ao seu te^tamen-
teiro Manoel Ferreira Pinto, praea da Indepen-
dencia, para seren verificadas e. pagas do que Ibes
tocar em ratcio. Recifc 6 de jullio de I8i).
Precisa-se
Para acompanhar una familia que se retira para o
Rio de Janeiro, de duas criada- acostumadas a
viajar e cuidar de enancas : a tratar na ra do
Coinmereio n. 34.
? Airroino, 8. joJlo e h. peiiiio.
Ha diariamente sbrtmoutude bollinhos paradla, podas, pacs de l, bollo inglez,
presuntos, uitos i m eaabre, pastis de diSereates qualidades. Papis para sortes,
Dallos siifiles e e:.loi t*os, aineuCoas cnfestat^s e confesos. Vinhos finos engarrafa-
dos, superior eha H;sfiJon, pretoc miudir.ho, ftmGta em xaropds, ditfs seccas e chrisla-
asaaas, assuear candi, xaropes refrigerantes.
hAu?JS ""Y-'""*'"*1,1* ae liail(ieiJas pawt casamento, bailes e baptizados, com
.-es de assmar, ser*o estas preferveis asdepapelao: bollos etc., paos
encommenda para tijra ser bem acoudieionada.
de fo enfeiiados, qualquer
Aluga-se o sexuado andar o sotu da casa
da roa da Senzalla Yema n. 22 : quem pretender
falle eom Jos Antonio Guimaraos, ou com Tho-
maz Fernandes da Cnnha, roa da Cadeia n. 44.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de IG a I* annos com
pratwa de taberna : na ra de Santa Hita n. 1 se
dir quem precisa.
Fugio nudia 8 do crreme o eseravo d>' ao-
me Simplicio, cabra, alto, dllios grandes, beie*
grossos e ps grandes, muito conheeido por ser
capoeira e estar sempre alagado em casas de pas-
to ; quera o capturar leve-oa roa Nova, loja de
Amida t-Irmao.
Precisase alugar urna preta para vender na
ra : a pessoa que ti ver dirija-se ra do Pilar
n. 76.
Ama de leite.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RE1FE A9 OLIVDA.
Precisa-se comprar para as obras dos
trilhos urbanos para Obrada e Beberibe 7
ou 8 mil sulipas. Quem pretender esse
fornecimento pode apresentar, at o dia 15
de julho, sua proposta em carta fechada
ra do Commercio n. ',1-2 2" andar, es
criplorio da companhia, declarando os pre-
cos. As sulipas devem ser de 1 25 m. de
comprimento, 20 a 25 centmetros de largu-
ra e 10 a 12 de grossura, p das seguintes
madeiras : sicupira, embiriba, mariaf
barab, arueira, oiticica, babatimao, pao
Trro, jatou, conigao denegro, sapcaia,
ou pinho creosotado. Todas estas madeiras
deverao ter do milo edirigidas ao
Superintendente,
Aiidn' Porto.
NOVIDADES
11 Ra estreita do ilosaris-11
ao
pi
genero
qual
raciotw!ali-
Aiada se precisa do um caixeiro com pratica
de taberna, dando lianca de sua conducta : no
pateo da Ribeira n. 13.
Paraguay.
Na ra Direita n 53, recebe-se qualquer quan
ta de dinbeiro para entregar no Paraguay sera
lucro algiini, dande-se diaso garanta
genere, as tres cousas m;:is necessarias
ment do corpo, dislracao 4a atoa, e so.^go de-espirito.
7 nmL!la'rentc' "celtente buhar de mogno, par" divertimento. Sala
ri c. 32IS f a pr,me'fa ordem- ,-)uflilt0 ao asse0 e iJemfeitoi ia das comedo-
aSiiin?r.n raododo(pessoal aos illuslres concvrrentes e dado bzcr ustica.
do anda **mU(A para hospedagea, salao e quarto wobiado nosegun
Luiz Justimano de Souza Harta previne a
quem tateresgar possa, quo n.o facam negocio al-
gum com Feliciano Joaquini de Aguiar Costa e ou
tros herdeiros do finado Justino Justin'iano Jorge
de Sonta, por nao ter passado em julgado a sen-
tenca que julgou a partilha do iuventario de ditos
bens pendendo de recurso
nal da iclaian.
que se acha no iribu-
= Da-se 1:000 i a premio sob hypoihcca, ou
compia-se urna casinha ate essa quahtia : na ra
Direita n. 24, padaria. se dir.
ATTSCT"
Muito se precisa fallar com o Sr. Manoel Cavat-
canti de S Albuquerque, na praca do Corpo Santo
n. 17, a negocio de seu nteresse.
Multa attencao.
Fofjram em dias do nu-z de abril docornnle
armo, do cngtnho Donrado, tern o de Ipojuca, os
eseravo seanintes : Delflna, crionla, eom idade
de 40 anuos pouco mais ou menos, alta e secca
dB i.rpo, i.-llios apitombados, beicos grossos, ea
rallas e ps compridos : Claudio, crioum, marido
da referida oscrava, regulando a me-ina idade, al-
tura e grossura regular,-Djeos grossos, barbado
e j.i eom a I- iins cabellos brancos, tem em um dos
bracos um lobinbo ja grande, ps cora crav i e
rachaduras. Ambo* estes escravos sao bem co-
nbcctos Da povoacSo de Muribeca, onde letn elles
niia;- e primas, a bem assim no engenho Bartno-
! roeu : at 18G2 foram escravos do fallecido Mi-
guel ilos Anjos Nogueira, e boje de Francisco Al-
ves de Miranda.Varejao.
I'riesla-se desde ja, contra querquer ipie, dr
coito a ditos escravos: presmese assim tenba
acontecido, porque um dos referidos escravos foi
dneito a ceno engenho,e do qual s passados dias
se dirigirn] ao senhor destes referidos eseravo*,
abra de compra-Ios, nao querendo, porin. dita
senhor vende-los, para alli inaodou'tgo ara porta-
dor atim de o pegar, mas ebegado este ao tal
certo engenho, foi-lhe ahi respondido que dito es-
eravo ja -lahi se tinha ausentado! para ostra-
nhar semelhante prosdar, o i entretanto, Qca-sfl
na espeetativa, c roga-se as autoridades pociaes
le-
Com estiaodo!0|jJ93nlo as ras da ci-
dade todos os dias uteis das 9 horas da
manhaa s 5 da tarde, urna caixa contendo
artigos das ultimas modas de Parispara
9EXH0IUS
Como sejam:
Ricas e bellas chapelinas.
Lindos e elegantes chapesinlios.
Casaquinhos de guipuro.
Fiches de renda pretos.
Delicado sortimento de cintos.
Corpiatas de cambraia enfeitados.
Uorns de lan e seda, claros.
Coques enfeitados e lisos, etc. etc.
E muitos artigos de novidade tanto para
senhoras como para homens c enancas.
As pessoas que pretonderem algu'ns des-
tes objectos, queii-ain ter a bondade de
mandar diiter suas moradas noBAZAR
DA MODA,RA NOVA N. 50atim de
serem procuradas.
Os proprietaros.do=n.\7,An m hbsjjlj i
certos na opiimescolhaa destes artigos,
por seu mui hbil correspondente em Paris.
ju!gam-se no direilo de affiancar que ven-
dem suas mercadorias por precos as me-
Ihores condices a dinheiro.
Ainda nao vieram, no entretanto o negocio
de inleresse. e preeisa-se fallar ,iria do Crespo
n. 17 ceos S.s. i'anlino l'orreira da Silva, ex-
procurador da e n i: ra, Dr. Francisco Pinto Pes-
soa,
THEUDORO CHRIST1-
Ijn i
ANSEN, ra da ruz n. 18, encontram-se
eectivamei Le t las as qualidades de vinho
Bordgaux, Bourgogne e do Rheno.
Criada
Prccisa-se de urna criada forra ou captiva para
engommar : na ra do Imperador n. 73. segundo
andar.
Precisa-se de urna ama de i
ra Real (Estancia) n. 8, sitio.
a tratar;
Aluga-.se
Urna casa com hasteles, eommodos m
Cidade Nova de Santo Aaaro. tratar ooo
Antonio Jos (oncalves Jcmfor en Sania
Amaro.__________ ____________
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar c comprar
para casu de pouca familia : na rna das Crues
n. 28, 1 andar : prefere-sc cscrava c paga^je
bem agradando.
Advoeacia
O abaixo asignado mndottdo
'n. 32 para o n. 4i, primeiro andar,
da ra do Imperador (quasi dcfroD-
te da typograplna do Jornal do fe-
cife), seu escriptori de advoeacia.
, onde pode ser procurado das 10
| horas da manlia as 3 da tarde.
Alvaro Camiulta T. da Silta.
ESTO DE PREPABAMfdS
com repetico para os alnntaoa
que ttu de fazer exame essn
Rorenihro.
Jos Soares de Azcvedo, professor de
lingua e lilteratura nacional no gymnasio
provincial do Recife. lem aberto em sua
casa, ra Bella, n. 37:
Um curso de
i.inoiw i"ii.\m:i;z.\ ;
'iiii.osopuiA ;
GEOcnAPiiiA r: historia, ;
11ETIIORICA E rOETia\.
Os esludanles que pretenderen) fazer
exame em novembro em qualquer destas
materias, podem dirigir-se in litada re-
sidencia, tarde, das 3 horas em dianta.
Quem precisar de urna pessoa habilitada para
administrar um engenho, dirija-se ra Direita
n. 131.
Na ra da Cruz n. II, 2 andar, precisa-se de
una ama para o servico de cozinhar e engom-
mar.
Prccisa-se de urna ama para comprar c to-
zinhar: amado Queimado n. 22. loja.
Nutrimento
MEDICINA!
Ama'
Prccisa-se ahgar urna eterava que saiba cozi-
nhar e comprar : na ra de S. Francisco n. 51.
w
i capitaes de campo, o favor aprehende-Ios e
nr a ra do Vigario n. i, a Joao Carduzo Reb
var a ra do Vigario n. l, a Joao Carduzo Rebel-
lo, ou ao engenho Dourado a Francisco Alves de
Miranda Vareiio, que ser generosamente recom-
pensado. I
Precisa se de um rapaz que tenha pratica de
loja de calcado : na rna do I.ivramnto n, 37.
Feitor
i-se-de um feitor de boa conducta e que
seja csalo t tratar na ru.i do Mondego d. 107
(alinea do rape.
' Gratiflcago.
Tcndo-se perdido urna pequea caixa redonda
de tartaruga preta. com urna chapa de ouro sean
o tampo, coatentio a firma J. P. S. A., e a cuja
caixa liga o dono a maior estima, por ser urna me-
moria de uta seu mui prezado prente, roga-se a
pessoa que a tiver aebado, que, por sua bondade
pira eva-la ao estabelucimento de cabelleireiro
ao br Jayme, a ra do Queimado, sobrado n. 6
I" andar.a qual revebero valor da mesma aixa
ajem de ae llie ficar fl.sss agradecido.
Troca se ama imapem do Senhor Crueiica^
do, de marllm, eapelia de engenho por ser em ponto grande, com
a competente cruz de pao santo, cravos, resplan-
(lor de prata, olira de muito gosto > na ra da
Ouia, taberna n. 7.
Aluga-se urna escrava que enfomma muito
bem, perita coanlieira e ensaba com perfeicao
a traUr na rna da Mangneirn n. 8, sobrado
Pilulas de Bravina
Estas prodigiosas plalas sendo applica-'
das as pessoas acommettidas de febies in-
termitientes, sao incomparaveis emsuaeffi-
cacia para completamente vencer as ditas
febres, achando-se nicamente venda na
botica n. 3 ra ireitj.dcsta cidade.
O abaixo assignado, lestamenteiro in-
ventarame dos bens deixados pelo falleci-
do subdito francez Joao Vignes, convida aos
credores do mesnao, a apresentarem-lhe as
contas de seus crditos, para por ellas se-
rem attendidos no inventaro i que se esta
proeedendo pelo jm'z municipal da 2 vara
desta cidade, e sto no mais breve termo
possivel, visto estar a concluirse dito in-
ventario. Recife 21 de junbo de I86f.
Garpar Antonio Viriru Gaimarars.
MVltlEUA FR.1WCEZ.%
Aea chegar de Paris
Uta completo sortimento de papis bran-
cos e doura os, assim como guarnicoes di-
versas para forro de salas devisilas.de
jantar etc. etc.
9Ra do Cr*apo9
Preciosa publica-
pao jurdica.
Commentario do codujo commereial
portuguez e brasileiro
Vende-se na loja do Sr. Heraclio
de Paula Monteiro. ra da Impe-
rador n. 71, a importante e moder-
na obra sob o titulo de Aunoarcs
ao Cdigo do Commercio PorUdjncz
em (i vlumes pelo Exta. Sr. con-
selheiro Dr. Diogo Pereira Forjaz
de Sampaio l'imente!, lente calhe-
datico na umversidade dQ Coim-
bra. Os subidos crditos de que
goza muito merecidamente aqelle
eximio commercialisla por si s
baslariam para recommendar lio
importante obra, quando nao cou-
corresse mais para isso a grande
vantagem de ser um ptimo oom-
metilario ao cdigo commercial bra-
g sleiro (na falta absoluta que ha de
M qualquer outro) pela mxima he-
ig mogeneidade entre umitas das suas
I disposicoes, e as do mencionado
* cdigo portuguez, que Ihe servio
|w de lente. Correi pressurosos, dis- i
g| tincta mocdade da Faculdade de j
gg Direito desta cidade, e mais nota- j
| veis jurisconsultos, prover-vos
I desse poderoso auxiliar para vossos
I trabalhos da sciencia, e pelo prego '
M commodo de 20 toda a obra emG !
Iqj volamos.
Cozinheira
Precisa-se de urna criada para cozinhar : na
ra do Iiuperador n. 73, sagitado andar.
= Aluga-se urna escrava que coziuha, lava e
engonima : na ra nova de Santa Rita n. 4i, se-
gundo andar.
AMA
AVISO
Arrenda-se u vende-se o "engenho Palermo
oioeate c correte, com todos os seus utenS
suuaao no Paeo do Camaragibe, provincia da^S
Roas, e junlameote a parte do terreno denominado
,ondad,perienceato ao mesmo enaenhe aira-
ErSs ROhert F"h06' TtU *wa "u-
Fugram iioatem, 7 de julho, do sitio das Pal-
maras, aa Torre, os seguintes escravos : Geraldo,
preto crioulo, mu pouco fulo, idade 38 annos, mais
ou menos, cara bechigwsa. barba serrada, masum
pouco rala, eom falu de denles na frente, estatura
e corpo regalares, levou vestido eawiea de algodao
branco e calca deirim pardo j usada. Antonio.
preto crioulo, idade i amos, oais ou meiw>, cora
falta de demes. estatsira e corpo- reculares, pea ora
Precisa-se alugar nm< oc^^.___. ; I pooeo apalhetados. amfa mn pouco coreoTado para
i^Ti^^^^rtanS^l0^ "S? w?,d0 can,fea T Mnh"
10 azul com listras da mesma cor e calca de brim
pardo com al gum uso ; este eseravo veio do Rio
Puhikmw e oa aIJi ilo Sr. Jo GoaiesFerreira : fe-
varo umbem urna traua comeado dwss eetoer-
tores de-^la e#cnros e mu* rowpw, o oaSrat e fuem os pegar le\e*s raa da Concordia qae se
gratiear com genemidmte.
precisa-se de urna ama para andar com
changa : na ra do Cabug n. ?, 2U andar.
una
1EMPRESTIM0 SOBRE
PUKPARADO POR
l.'tnnutn VARA
Tisica e toda a
qualidade de do-
encas quer seja
na garganta, pei-
to ou bofes."
E x p r e s s a-
mente escolhido
dos melhores li-
gados don quaes
se extrahe o
Oleo, no banco
da Terra Nova
imrilkado chi-
mcalmeute, e
suas valuaveis
P i npriedades
conservadas
rom todo o cui-
dado, em todo o
frasco, se garaa-
ie porfeilamen-
te puro.
Este oleo tem
sido sulimeltido
a um exame
muito severo, pelo cbimi-o de mais talen-
to, do governo hespanhol em Coba, e foi
por elle, -a conter.
MAIOR l'(IH(.;AO 'IODINA
do que outro qualquer <>!<'o, oae clio ten
eanmioado
I0UINO E' UM PODER SALVADOR
Em todo o aleo de ligado de bacalhi,
e naquelle no qual contm a maior porfa
d'esta avaluare) propriedade o uuici.
meio para curar todas as docrtcas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Tisica, bronchites, asma, calarrlM>, tusse,
resfriaiiientos, etc.
ns poucos frascos d carnes ao maito
magro que seja, clarea a vista, e d vigor a
todo o corpo. Nenhum outro artiga co-
nheeido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodastlo
quasi nada o estomago.
As pessoas cuja organisac3o tem sido
destruida pelas aleccoes das
ESCRFULAS Q RIIEUMATISMO
e todas aquella.- coja digesto se acbacoot>
pletamente desarrapada, devem tomar
O OLEO DE FIGADO DE BACALHAO
nE
Laniuan & Kemp,
Se que desejam ver-se li\res eisentas
de enfermidades.
Acha-se venda nos estabelecimenlos
de A. Caors, J. da Conceigo Bravo & C.
M. A. Barbosa, P. Maurer & C. e Baiibolo-
meu 0.
E em todas as priu..-ijiaes lojas de rlerfu-
marias e boticas.
e iazer as compras
n. 32, 2a andar.
dn^. ^ ? a^i^nado, boje possuidor das drridasl
do easatdb faUetdo Joo- Baatiata da nniMuM
mor, arrematadas-om IStliomSTie^ edMi
dbitos ne nraso de W^^SS^TS^k^
te ; flndo o qmi. proeederi jndicialmante a L
cobranoa: oaraa das Cinco tSaK
Reaife 43 de julho d-lW9L-
Jew^t AsavedoPeretra.
Preciss-se de nm caixeiro
ra do flrum n. 08.
na taberna, da
Uoanftaro
um cozinheiro
* hotsl Libonenie.
destoeS'SC--tU'C"'Dh8r0 que ntendalenl
- Wiiliam J. Hapnes, gerente do Lan-
m < Brazifian Bank; Limited, tendofe :fti-
zer urna viagem a Europa, dci.u coaipe-
tentemierita-amliorisiidos para tratarem dos
negocios do ditcPbanco du'rnt a sua an-
tear., in. Thomax \yilfciusoa eal l9
lugar, o foto' Bernadino Botero em s-
gundf.
(SEM LIMITE.) .
Ka travessa da rna
das Crazes n, 2, pri-
meiro andar, da-se qual-
quer quantia sobre ouro,
praa e podras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condicoes de ga-
rantir a transaecSo que se iizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e consideracao s pessoas que se
digna^em do bonra-lo em seu esta-
boecimeflo.
Na mesma casa compra-se ouro
prata e brilhanies.
'Ss^itt
FIO DETEIsA
Barbante
Em casa de Rabo1 Sehmetau & C. Cerpo
Santn. K>.
SHERRY 0L0R0Z0
Gelo seal.
COC*AC\ !ll>\iss>.
t.m casa de Rabe Schmettau t C. Corpa
Santo n. lo.
CHAMPANHA
_ WPfiMOR
Koussillot, carte Wandie.
Brn casa de Rabe Hrhmettanlk
. Corpo *;uit.. tr. 15.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CIIATEAU LA RfXSf
CUATE Al HAVtoAX
Era .casa de Rabe Schmettau & c. Corr*
Santo n. 13. *
s


'
' ,--'


;
!/
;

i
Diario de Periiambuco Quarta eira 14 de Julho de 1869
-r. ;. -..,-, t
ESMERALDA
Atteii$lo
Est fgido desde o dia 15 de Janei-
ro do correte anno, o cscravo Filippe,
ate rojiar a todus os devedoiv* da mesma, pan
que se dignen) saldar seus debite* ale o lim do
correte inez, ao contrario torio de recorrer sos
meios legaas afim de seren indemnizados, visto
tamlieni terom de pagar o (ue a exlineta Arma li-
cou a dever.
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
ioja de cera) acabam de reabri-o ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca, e por presos o mais resumido possi-
vel. Tambern compram ouro, prata e pe-
dras preciosas
* 5 Mil M CIBICA \ 5
ALGO
AS MACHIMAS
a 47 annos mais uu menos, corpo e altura
regular, sobrancelhas pretas e serradas,
cabellos enroscados e acabocolados, que-
j rendo principiar a barbar, as vezes incha-
Ihe as pernas, teni urna marca de caustico
do lado direito sobre o ligado, quando
anda Oca duro e com passos ayancados,
lera o ventre um pouco crescido, pescoeo
grosso, muito regrsta, e quando foge diz-
que 6 forro, e lera por custu me trocar
o Dome, e botar a camisa fura da caira.
Este escravo j foi preso e esteve na ca-
dcia, por andar fgido, levou no corpo
caifa de brira de quadrinhos preto, camisa
de inadapolo, cbapu de 13a preto redondo.,
natural do lugar Canliotinho da comarca
de S. liento desta provincia, e foi escravo
do Sr. Eduardo Jos Alves do Mello, mo-
rador no mesmo lugar. Este escravo j
foi visto er Gloria de Goit districlo do
Pau d'Alho, e em Limoeiro presume-se
que se conserve uestes lugares, ou tenha
seguido para o centro ; pede-se as autori-
dades policiaes e aos Sis, capites de
campo u captura do mesmo escravo, c eu-
trega-lo ao seu senbor Jos de Miranda
Cimba norador no Recife, caes de Santo
Amaro, sobrado n. 22, do fallecido Manocl
Custodio ou na ra da Cadeia do Recife d.
33, qino mesmo gratificar generosamente.
MiKDICO 1
m O !r. L. J. Concia 'do S nsa Je sua g
a i; para o ipia pdc er procura-
? do :i f|.i; li|i.i r hora do da cm casa de sua
resid acia, ra das .Nimphas n. 17. Da
.onsultas gratis aos pobres todos os das,
SIS das 8 as 10 hora?.
Club Pernambucano
Em consequenci;; de muilas familias se
retirarem para o campo no mez de dezem-
bro, a directora resolveu mudar obail
annual de lude dezembro para o dia G de
setembro prximo futuro.
Triado
Precisa-se de iim-friado Bel e activo, para casa
do pouca familia : na ra do Imperador n. 73, 2"
andar.
Alfreda & Cunta, com escriptorio no caes da
ailandt'ga velha, sacara sobre Lisboa, a praso e
visla.
A (|uem couvenha vender ou traspassar urna
laja de miudezas, seudo na na da Imperatriz. di-
nja-sc u rna do Arapao n. 12.
= l'recisa-se alugar um moleque de 12 a ti
annos : a t.ntar na ra o Moeda n. 17.
1'recisa-sc de um
n. 114.
ua na do Hurta"
PAGA-SE BEM
a nina ama que tenlia bonfleite 0ao tenha illin :
na lr.yw8sa do Monujird, easa terrea com porlio
dy ferro ao jado, confroute campia do paz nu-
mero 18.
Paria, 36,RnaVivienne, V
CHABLEMDECIN
H

OEPUHATIF
dv SANG
PLUS de
COPAHU
MACHINAS americanas do serrote de todos os tamanhos para descarocar aigodo, do
muito cormecido fabricante Eagle Colln Gin.
MACHINAS ditas, tambem de serrotes c de todos os tamanos para deserrorar, ai-
godo do autor New York Cotton Gin.
MACHINAS ditas de todos os tamanhos, le carreta de ferro e mais toda a machina.
MACHINAS ditas de Roller Gins, de cujo traballio faz obter mais 2.000 em arroba
de aigodo.
MACHINAS de faco do fabricante Platt B. 4 C, Obdhan PatentLiverpool.
Todas estas machinas sao de superior qualidade e as melhores que tm
viudo ao mercado ; e para a sua apreciaco conwdam-se os senhores agricultores '
ww a e i das mesmas na ra da Cada do Recife u. JO A, loja do Bastos, onde
encontrarlo mais o seguintc:
A' sociedade Bancaria em comman-
ditc de Theodoro Simn & C, mudou sen
escriptorio para o largo do Pelourmho n. 7,
m mmmmmwm&
ilt Sublime pnbUcacao Iliteraria sob o fifi
& titulo de Memoria do Bnm Jess gf
do Moide, eiihDraya..
la-se vetla na loi
Achs
loja da ra
segunda
Debulhadores para milho.
Cylindros para padarias.
Arados americanos.
Carrinlu-is de mo.
Machinas para cortar japiui.
CsMKH dfl chumbo.
Bombas 6> Japy.
Ditas americanas.
Telhas de ferro galvanisadas.
Folhas de zinco finas.
Ditas de cobre e lato.
Cerro de todas as cualidad s.
Aros de ferro.
Folha de Flandivs.
Machados americanos.
Facoes ditos.
Bafaues e cestas de verguiuha.
Vassouras americanas.
Folies de lodos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos outros artig
diversidade seria enadouho emiumera-los.
Folha de ferro.
Bataneas americanas.
Tinas de madeira americanas.
Ps de forro ditas.
Baldes de madeira ditos.
Temos de bandejas linas.
Tren completos pora cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldea galvanisados.
Correntes de ferro para almanjnrrr.
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferros a vapor para engommar.
Moinhos para refioacSea.
Azeite de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Senas avulsas para machinas.
Maucaes e todos os mais peteaces para as
mesmas.
Latas de gaz,
ospericncentes lavoura e artes, que pela
do*(jrespo n. 25 At esquina da do
Queimado, a Primorosa Memoria
do Bum JttlM do Monte em Braga,
ornada de gravaras finas,
edico, obra da penna de ouro do
mui Ilustrado lente da universida- |
de Coimbra, o Exm. Sr. conselhei- ji
r Dr. Diogo Percira Forjaz de S
Sampaio Pimentel: quem livor no- &
ticia da extraordinaria devoco que }|j
existe em Portugal para com aquel- i;
milagrfliaadmfl knaeem, alfluindo
sempre para o sen rrragesloso tem-
plo ein romaria, *j numeroso po\-o
de todas as paites desse reino;
quem souber avahar as brilhantes
di'snipcoes, c o bello eslylo da-
quelle consumado jurisconsulto e
eximio ltteralo portuguez, nao dei-
xar de procurar quanto antes pro-
ver-se de um exemplar da dita me-
moria, pelo diranuto preco de 3$,
na loja cima indicada, onde j ha
pequeo numero dolas.
CARVAO DE BELLOC
PARS
Approvado e reconimendado pela Academia Imperial de medicina de Paiiz para a
cura da gastralgia e em geral de todas as doencas nervosas do estomago e dos iiiteslinos.
E igualmente o remedio por exoelleneia contra a reiencao de ventre Finalmente em
razao de saat propredades absorvenlcs, recommendado como verdadeiro remedio nos
cazos de diarrhea e cholerina. O rarv&o de Bcoe tcma-se na occa;i5o das comidas
sob a forma de pos, ou de pastillias.
Deposito em Rio-Janeiro, Duponchclle; ChevGht. Em Pebsbico, Maurer h C*.
i?mm^:'
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Compaohia Indem:iisadora,estabelecida
aesta praca, toma seguros marimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
ra do Vigario u. i, pavimento terreo.
Na ra da Aurora n. 34, i" andar, precisa-se
de urna boa ama d?. Icite.
COM URGENCIA.
A pessoa <]'ie quTzer dar 2O0.i a juro
dnndn-
se garanta segura de eu dmhniro, dirija-se ao
ASENTERHIDADAS DESSKXUAES, AS AFRO
CUTAlfEAS. P. ALTEBACQESDO SANGUK.
1^0 000 curia das impingan
iiiIuoj. herpes, tarn
k'omixoes. acrimonia, e {-
vrfOM, vicioiat do on-
-------------^gut; virut. i alUrafou
lo 'ijue.(Xrope vegetal sera mercurio). Bepa-
rei.. vesetaea BAllstO* HIThfi
tomao-se Jus por semana, eguindo o iractament*
Este Xarope Citraeto d*
ferro de ('.HABLE, ean
Iatmediaiameniequalqaef
puroacoo, rilaxacao,
t debilidade, e igual-
enle oa fluxoi e ftorei brancas das multeres..
Esta injecfao benigna emprega-se com o Xarepe de
dtracto de Ferro.
Hru.prsidas, Pomada que as cora em tres din.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: as a/feccoei cutneas e cornisn.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
o tv Ch.uie, cada frasee xai aMeaipanade 4s
___tai folheto.___________
Anula restam algamtrs col lee oes de
Biograpiiias de alguns poetas, e outros ho-
mens rllustres d provincia rio Pernambuco,
tres tomos escriptos pelo commendador A.
I. de Mello: ra Augusta n. 04.
Agradecimento.
Tendo sido, no Io de junho do correntc anno,
atacado de nina pnenmonia, loria suecumbido, so,
rmilliidn ao hospital da guarnicao no Humavl,
na.i encoDtrasso o Iilm. *r. Dr. Jos Joaqaim de
Souz.1, rflajor cirurgiio de brigada, <|iie com tuda
a solicitndo mfdicon-me, envidando udososes '
torcos a seu alcance. Cnliado a seus cuidados I
aeuo-me do presente re>tabeleeklo, pelo que peco
aos Srs. redactores se dignem pultlicar estas A-
nhas em signal de agradecimento ao Sr. Dr.
Snu/.a.
Hospital era Uumayl. .'i de jostra de 8G9.I.i-
boro A/fonso aitiibaria a |i em Ilnmayi.
Alaga-so urna ama para lodo o servico de
urna casa de pouca familia, e se fur casa e>lran-
geira melhor : qoein precisar dirija-se a ra da
Paz n. 9, casa terrea.
1^300
^00
800
Na ra Augusta n. IIS cose-so rjnalquer
qualidade de costura por prego commodo, dndo-
se liador.

Compra-se um escravo que
entenda do olicio de lanoetro:
a tratar no escriptorio deAmo-
rim IrmSos & C, na ra da Cruz
n.3.
O iiluzco de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por presos mais vantajosos do
irap em outraojualqtiei paita.
Ouro e prata em obras velbas, assim
como brilliantes sendo de primeira quali-
dade; compram-se por maior i reg que
em oulra parte. Na Iojt de joias (Esme-
ralda) ru i do Caboir n. 5.
Na praca da Independencia n. 88, loja de ou-
uves, compra-se ouro, prata. e pedras precie-
tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
iodo e qualquer concert.
< COMPRA-SE
moedas de ouro e prata de lodos os valo-
res, ouro e prata em obras inntilisadas. e
brilbautes e mais pedras preciosas! na lo-
ja de ourives do arco da Conceic3o no Re-
rife.
Precisa-se
Compiar lima escrava moca, prendada, e earinlio-
sa para enancas : a tratar na ra do Rangel n.
Si, sobrado, das 8 s 10 boras da maullan, c das
3 da tarde em diante.
Compra-se
tartana de mandioca da tena
ineicio n, 17.
ua na do Com-
quartel de poheia e procure ao
Gnalo Candido Hamos.
nnpra-se urna prea que. saiba nzinuar,
e tambem compra-fe um negro demeia idado : aa
unja-se ao pra da independencia n. 39.
ana xo assignado. v ____________ -_______
GOMES DE MATTOS IRMOS .
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores propor^oes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontraro um completo sortimento do qu ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tu'do que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
| de hotos gostos, assim como grande Tariedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia oo pedra preciosa e garanten,
a qualidade dos objectos vendidos.
i
C/2
02

0 MUSEO DE JOIAS
mm
VrNDAS.

Taberna
Vende-se a taberna da roa da Concordia n. 94,
a qual s ttem alreguezada tem poucos fundos
propria para algutn principiante; o motivo da
venda dir-se-ba ao pretndeme em particular : a
tratar na Ponte-Velha n. 14 das 6 as 9 da ma-
nha e desta hora em diant n>3ta typograpm'a
BRDEAX
Na praca do Corpo Santo n. 17, escriptorio te
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, vende-se o
excedente vitihoMdoc Vieux Kxtra o melhor
que vem a este mercado. No mesmo escriptorio
ta para vender chapeos do chile muito Unes.
f im si um
Ra do Queimadon, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mam e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est qneimando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para apabar e fazernovo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
vero que home barato.
Garrafas rom ,agua florida ver-
dadcia ......
Garrafas com agua divina da me-
lhor qualidade .
Latas com superior banlia fi an-
ceza ......
Caixascom 12 frascos de cheiros
proprio para mimos .
Dita corojo" frascos muito finos
Olo baboza muito fino que so
a vista a......
Sabonetesjle calunga muito bo-
nito ......
Caixas de p de arroz muito
superior .....
Pecas de babadinlio com 10
varas ......
Caixas redondas emitando tar-
taruga ..... .
Pecas de fita de cus qualquer
largura .....
Escovas para unhas muito fi-
nas a ......
Escovas para dentes fazenda
muitoli.va.....
Pulcciras de contas de cores
para meninos .
Caixas de linlia branca do gaz
com 50 novellos .
Caixas de linda branca do gaz
com 10 novellos a .
Pecas de tranca lisa de todas
as cores .....
Resmas de papel pautado muito
fino ......
Pares de botoes para punhos
muito bonito .
Libras de la pa- a bordados de
de todas >s cores .
Pcnles com costas do metal
muito finos .
Novellos de linha muito grande
para croxs .
Duzia de linha froxa para bor-
dado ......
Grosas de botoes madreperola
muito lino .....
Saboneta muito finos DO, 120,
1G0, iO e.....
Pecas de fita de laa todas as
cores ......
Espelhos dourados para parede
!;5000 c.....
Espcllios de Jacaranda muito
lino ......
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol .
Pares de meias cruas para me-
ninos ;i......
Caivete muito fino com i fo-
lhas' ......
Cartillias da doutrina as mais
modernas .....
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos .
Grande
loja de Tazendas e ronpas fritas
rna da toiperalriz n. 82,
porta larga,
)-

DE
:s
500
fHO
G00
mo
mm
1800
iiOO
^240
200,
^800
600
040
45000
f5!20
8$000
320
320
480
oOO
320
500
]500
2000
OfiO
320
1.j00
400
1200
Neste estabelecimento encontrar o re?-
peitavel publico um bonito sortimento de
roupas e fazendas de todus as qoalidades'e
pteeo commodos, lim sempre um bonito
sortimento de casi miras (fe v^fts o pn tas.
panno fino de diversas qual d;,de<, tuin de
bonitas cores e brancos de boa qualidade.
encarrega-sc qualquer obra por medida
preco muilo cinimcdo.
ROUPAS FEITAS r
ra loja da ra da Fmperatrr n. 52, perta
larga.de Paredes Porto.
Tem nosic estabelecimento um bonito
sorlimento de opas feitn de diversas
qualidades e procos commodos, como sejain
palitots do alpaca preta e d itots a 3.
!') e M; ditos ile paiiwvpreio sacos a
6A "> e s->: ditos 125, f -> e lii<: ditos sobrecasacdoa de
dito dito a Ins. 201 e M; ditoe da <;::-
mira de cor a ."i>. B e M >: c.-lcas. ci.IItfrs
e palitots de casemira muito lina de cor a
20 o .'o; calcas de luim branco de cor de
todas as qualidades de 2,) a (!>; ditas de
casemira prcla c de cores de 4 at 12;
Golletes de todas as qualidades; ceroulas de
bramante a I jSOQ, 2000 e 2oOO ; camisas
liaiiiczas de linho e de algoilao de todas as
qualidades e preco mais barato do que en
oulra qualquer parte; eolarinlios, grvalas;
' bonito soi imenlo de chapeos de ol de alpa-
ca e de seda; meias inglesas a 64 a dtuia;
pccliincha neste estabelecimento pelo
grande sortimento : todos os fregueses se
poderao prover dos ps at a cabeca por
preco commodo.
FAZENDAS
Grande sorlimento, c^imo sejam. clirtas
baratas a 300, 320 c 300 rs. Madaprln--
lino a 7, 8 e 10 a peca. Aigodo (pe-
chincha) a rjOO a peca e otitras qualida-
des. Cambraia branca de todas as qiiali-
dades transparente e Victoria de 38O0 a
85 a peca. Lanzinhas de booHas cotes, ai-
pacas bonitas, selecia a peca cem 28 metros
a 28(>000. EsgniSo o mais Bno posstltl a
t500 e 35 a vara, e otitras muitas fazen-
das por proco commodo. que seria enfado-
uno mencionar, na loja do
LEAO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
B!L\ DO LIlDMIEYfl) l n ,
Economa, iiiliriade e moderno
mercado.
CHEGUEM A' PECHINCHA.
BaliJes franceze?, arcos pegenos e gran- '
des, para senhorn, a 23000
Casemiras inglezas, boiriios padrocs, com
Ifstraa larcas, covado 4^300
Ditas francezas, idem idem, com listras
largas, covado 4000
Ditas ditas me-cladas, covado 3200
Baronesas largas com listras de seda para
enhoras e proprias de montara, co-
v:ilo:rs. 900
Palctots de alpaca pretos e de cores 13 o 4J500
Alpacas lisas de cores muito finas e bons
gastos para sestera, covado, rs. 800
Oamhraias de cores, variados padroe?,
corado, rs. 240
Ditas do cores, mais finas, covado, rs. 360
Ditas Baladas, moaernas, finissimas, cova-
do, rs. 400
Ditas de flores grandes e listras, co-
vado, rs. 500
Colarinho de linho de diversos gostos, rs. 400
Ditos de dito muito finos, chegados no ul-
timo paquete, rs. 600
Chitas claras, boas tintas, covado, rs. 280
Ditas escuras, bellos padroes, covado rs. 400
Ditas coloridas, linas, | ropriopara familia
covado, rs. 400
Ditas riscadinhos, variados padries, co-
vado, rs. 360
Ditas escuras econmicas, corado, rs. 360
Ditas da boa conposifo de nulas, covado 320
Ditas ciaras econmicas, covado 340
Roupas c mais artigos que tica a pedido da res-
peitavel fregnezia, dando-se amo-tra de tudo.
S barato.
Vende-se urna casa nova de pedra e cal, bem
construida, em cbao proprio, com gi'ande terrino,
no Enranamenio, e tica junto a e.sUcao do Parna-
meirim : a tratar no mesmo lugar, na taberna do
Sr. Simiao, ou Forte do Mattos, becco da Boia nu-
mero 10.
minar
Vende-se um bilhar moderno com seus perten-
ees : na ra do Hospicio n. 38.
Vende-se nina preta crioula de 22 anuos de
idade, bonita figura, com algumas habilidades, crt ;''a botina Iranceza.
una cria de 7 mezes : na i ua da Guia n. 7.
Vende se um preto de 30 annos, robnsto, pro-
pito para engraho, lambem se permuta o mesmo
por urna pela : u i raa r na ra do Fogo n. 9
AEXPOSIQAO
Nova loja de calqado estrangeiro
para homens, senhoras e
meninas.
NA RA NOVA N. 8
em frc.tic a cambda o Carino.
Lyra d- Vianna, tendo .pela experiencia
adquirido a certeza de que o publico desta
capital, era mal servido, pela falta de esta-
.!>elecmentos, sorlidos de bons calcados,
situaram a sua nov loja, na ra Nova n. 8.
Lyra A Vianna, convidam por isso ao
publico, c com especialidade ao bello sexo,
para visitar seu novo extabelceimento de
/{.calcados linos, manufacturados pelos mais
habis fabricantes da Europa ; ali encon-
traro sempre, todas as qualidades de cal-
cados, solidos pela boa manufacturaco,
frescos, por serem muito novos, o vendidos
por preco commodo, para merecerem a
confianga dj) seus distinctos freguezes.
Compromelem-se a mandar vir encom-
mendas de calcados speciaes, e a exhibir
as obras de pliantasia e de mais apr mo-
rado gosto, afim de que suas distinctas fre-
guezas cal vem e mostrem sempre o chique
Isto s na ra Nova
;n. 8, loja da exposicao de calcados de
'Lyra A Vianna.
Vead-s urna boa escrava de to*o o servi-
co, robusta, sadia e sem defoito algum : a tratar
na ra do Brtffl n. 84. 3' andar.
Vende na linda Wcrava crtoula de 20
annos, com KaWlidadfs, Cem urna orla de 1 anno,
e com leite : ua ra da Praia, ^.gndaLn. 47. Wg
i ni ----- i. ., fi,. i------*3E
Queijos de manteiga
Vde-sa excettentei Heijas do erfio, os mais
fftsws pHsiveis, fabricad :,s no8eridl, a f 6 t-
lO^rtffim' na rrta AQgastSn. sf.
vendd-s'^ s rais Beni construidas da lechar
na ra Augusta n. 31.
E' por cerlo para admirar que exislindo
em urna rna de progressos. urna loja .con
um completo sortimento de miudezas linas,
e nao tenha anda por este Diario pa-
tentoado a todos seus fregoesBs, o seo
agrado e sinceridade, asna ngancta, e os
modas do seu basar.
Esta ra a prodigiosa ra do Cabrjgi,
e esta loja a antga loja daagaia d'ouro
urna das mais surtidas neste genero, e que
lesde seus principios usa deste modesto
litlo; modesto porque nunca foi estampado
neste jornal, e modesto porque muitos o
oivdarfio, porbaver igual em urna casa de
pasto, no entretanto como temos direito
de antiguidade, vamos desungoir o eosse
com alguns annuncios, para o publico saber,
que a verdadoira aguia d'omo
una loja de miudezas a ra do Cabug n.
I A, (dide se encontrar um eempteto sor-_
limento de miudezas linas, e por nv nos
I 0|o do que em oulra qualquer parte, 11 no
sejam :
Gupeur com urna e duas larguras pelo e
branco. lilas largas de todas as cores e
com vistas.
Um completo sortimento de enfeites para
vestido.
Fronhas com diversas inscripces.
Enfeites para cabeca.
Cantabas de Jacaranda forradas com seda
c com espelho na lampa, con a compe-
tente chave, proprias para guardar
joias.
Entremeios transparentes muito finos e de
todas as larguras.
Albuns finos para 80 100 e 200 retrate
Binarlos de chagrero e marfim cousa mnito
superior.
Espelhos dourados proprios para sala.
Um completo sortimento de loques 4etodas
as qualidades.
Um completo sortimento de per fumaria
de todos os autores.
Ltivas de Jouvin constantemen e frascas.
E outros mais objectos tendentes ao nesas*
genero que tudo se vender da forma p miltida, na ra do Cabug n. 1 A, aguia
d'ouro, de Custodio & Bcrrto,
ra ra Nova n. 60, armaren da Llgfc, ventlfem-
Isa sementes novas de hortalices o flores.
flirt para Imprimir
Vds em latas dft 23 a 26 libras tmta forte
par imprimir : na ra do Imperador n. W5 de-
fronte defvFrancisro.
Posma* da Rnasltn
,aibus aova iM mercdn, a-proco raioirtol: .ni
Tua do Coramercio n. 13, armazora de Slanoel Tei-
xeira Basto.
i 1.1
Para o armazem do Campos, na ra do
Imperador n. 28.
Neste muito acreditado estabeleciment
acba se constantemente um variado sorti-
mento de gneros finos para meza o
cosinha e entre estes nomea-se apenas as
especialidades seguinles :
Queijos 'do serlo sendo de inanleiga e
coa I lia.
Camares seceos do Maranho.
O verdadeiro cal de Moka,
0 superior e bem clSfccido perie miragiwia
que se vendo a i m a libra e 4^500 a
arroba. ,
TABELLAS
de reduccao as mais Leis o mai3 com-
prehenshv.s, tudo ao
Armazem do Campos
IM D1S FAMILIAS
ua Novan. 14
Aatiam de rtwjtar para cata tnja grande ma
tidad* de fustes, lenoferanco e amarello. wwi'o
como temos grande pechtncha ei>: liirlnhas e ai-
rwwfas de toflas a'quaHdades, chitas u-
trtis maitoa objeotrx por precos ranmodo.
RSCHAVX A' VEXDA.
, i! tus do ItoOiciO n. 84, parti fe ferro, ren-
de-se urna parda moca., que cozinha, law, engwBr
nia e cose,


Diario de l'cniambuco Quaria feira 14 Je Julho de 1869.
!

GRANDE LIQOMC40
DA
72. Ra da Imperatriz. 72.
Alerta freguezes
qde Arara yai cantar,
Para vender suas fazendas (baratas)
que muito ha de agradar.
0 proprietario deste estabelecimento, tcado grande porfo de fazendas em
Mr, vai proceder urna liqoidac5o em todas as fazendas e roupas feitas existentes no-j
estabelecimento, agora quo occasio de quem tem pouco dinheiro poder se vestir de
boa faada e baratissima como se poder ver no annuncio abaixo mencionado.
MADAPOLAO BARATO A 3;>300. BRAMANTE PARA LENCES A Ib.
Vende-se pecas de madapolo enfestado Vende-so bramante com 10 palmos de
de 12 [ardas i 3,->300, dito de 2i jardas ou largura para lences, a h a vara.
26 metros 5,*, 65, 60300, 7/1500, 8,->000 c PECAS DE ALGOD0 A 40.
90000. Vondem-se pecas de algodjb muito en-
CHITAS FRANCESAS A 280 rs. I corpado i U, 5->, 6$8Q e 7
A'endem-se chitas francezas para vesti- Colcriahos economices a S0
doa a 280, 320 rs. o covado, ditas escuras duzia.
muito finas 360 rs. o covado. Vende-se colerinhos econmicos a 320
Challa milito fa H99 rs. a duzia, s se vendo assiia barato por ter
Vende-se clialin para vestidos ie senhora
800 rs. o covado.
PERCALES A 110 KS.O COVADO.
Vende-se percales muito finos para ves-
tidos de senhora a 410 rs. o covado.
Brilhantinas -14*1 rs.
Vende-se briihantinas ou mursulinas de
cores para vestidos de se horas 410 rs. o
covado, ISazinhas milito linas para vestidos
de senhora 100 rs. e 500 rs. o covado,
ditas de quatlrinhos 20 rs. o covado.
RISCADO FRANCEZ A 300 RS. 0 COVADO
Vendc-se riscado fraucez para vestido
de senhora 300 rs. o covado.
Lasinhas a 84 rs, o covado.
Vendem se lasinhas para vestido de se-
nhora a 210, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas finas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales de merino a Vende-se chales de merino estampados
2-5 e 2?300 cada um, para acabar.
CORTES DE LA AS ARERTOS A 2;>100
Vende-se cortes de la para vestidos de
senhora, 2-SiOO cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vestid "s
de senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de listras 700 e 700 rs. o covado.
Chitas prnssianas 3BO.
Vende-se chitas prussianas de listras de
cores muito bonitas a 300 rs. o covado.
CHITAS PARA COBERTA A 320
Vende-se chitas incorpadas para coberta
-320 rs. o covado.
Balcs de SO a 30 arcos
1*500.
Vende-se bafes de 20 a 30 arcos
1 AjOO cada um, baloes modernos brancos
ede cores 5$.
grande porcTb.
CASEMIRAS DE CORES
Vende-se cazemiras de cores para calsa
e palitot \ 2-> 2#500 e $1 o covado,
Algodo enfestado 1.5.
Vende-se algodo enfestado proprio para
lences e toalhas, l, a vara ou 900 rs.o
mero.
BRIM PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas e palitots de
horneen e menino, 400 e 410 rs. o co-
vado, dito lizo aimitaco de ganga a 3G0
o covado.
Algodo de listras a 900 rs.
o corado
\Tende-se algodao de listras para ronpa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 010 RS.
Vende-se corles de [ brim castor para
calca de homem, G10 800 rs. cada um.
CARTEIRA PARA VIAGEM A I >.
Vende-se carteiras para viagem l->
cada una, cobertores de algodao I 500
cadaum.
Cobertas de chita lSOO
Vende se cobertas de chitas de cores
10800 e 25, cada urna.
ALGODAO TRANCADO DE EUAS LARGURAS A
13200.
Vende-se algodo transado de duas lar-
guras, proprios para lences e toalhas para
mesa, s vende a 15200 o metro.
Mantas para gravata a rs.
Vende-se manas para gravata a 200 rs,
cada urna, lencos de seda de llores, a-040
cada um.
ATOALHADO PARDO A 2$500\
Vende-se atoalhado pardo para toalhas
de mesa 20300 a vara, toalhas escuras
1(5, cada urna. Roo da Imperatriz loja
da Arara n. 72.
0 Garibaldi principia
Certamente na de agradar,
Que pelo pre^o que vai vender
Ninguem o pode igualar.
O proprietario deste estabelecimento denominado Garibaldi, declara ao resp ita-
vel publico e seus freguezes, qm tem recebido grande sortimento de fazendas, e est
constantemente rec-bendo por todos as vapores que chegam da Europa novo sortimen-
to de fazendas da moda, e que vender por preco mais barato de que em outra qual-
quer parte, garantindo se a qualidade e cores, na ra da Imperatriz n. 50, de Lourenco
Pereira Mendes Guimares.
CHITAS LARGAS A 280 rs. *"
Vendem-se chitas francezas de cores fi-
xas%a280, 320 o covado, ditas matizadas
escuTas a 300 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 3,5500.
Vendem-se pegas de madapolo enfes-
tado a 30500, dito inglez de 24 jardas a
50, 03, 60500,70300,80, e 10,5 a peca.
ALGODAO TRANCADO A 10200 O
METRO.
Vendem-se algodo de duas larguras pro-
prio para lenc-s e toalhas por ser muito
largo, a 10200 rs. o metro.
RISCACO FRANCEZ a 300 rs.
Vende-se finissimos riscados francezes
proprio para vestido de senhora e roupa
para meninos por ser (Je bonitas cores a
300 rs. o covado.
BRAMANTES PARLENLES A 20 A
VARA.
Vende-se bramante de dez palmos de
largura proprio para lences a 20 a vara.
Chitas amzonas a 300 rs.
Vendem-se ricas chitas de listras de nm
de nome amzonas, para vestidos de se-
nhora a 300 rs. o covado, deste preco e
qualidade s na loja do Garibildi.
AOS SENHOrTBS DONOS DE COXEIRAS.
Na loja do Garibaldi, ha urnas casemiras
de listras muito encorpadas proprias para
forrar carros, e se vende muito barato por
ser muito largas, precia 20500 o covado.
ALGODAO ENFESTADO A 10 A VARA.
Vende-se algodo enfestado muito largo
proprio para lences a 10 a vara.
ALPAGAS DE CORES PARA VESTIDOS A
8j0 rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas estampadas de cores
500 rs. o covado propria para vestido de
enhora.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30500.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 30500 cada um.
BRIM HAMBURGO A 80000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burge com 20 varas a 80, 90 e 100 a peca.
Cortinados para Jaaellas a 94.
Vendem-se cortinados para janellas a 70
o par, ditos para camas francezas a 140 o
cortinado.
Cangas para calca a 3'Ors.
Vendem-se gangas de cores para calca c
palitots de homens e .meninos a 320 rs. o
covado, brim de cores a 400 e 440 rs. o
covado.
Lasinhas de quadrinhos a
S-IO rs.
Vendem-se lasinhas de quadrinhos para
vestidos de senhora a 240 rs. o covado,
ditas estampadas a 280 e 320 rs. o covado.
POPELINAS EM LAA A 010 RS.
Vendem-se popelinas em la de listra
para vestidos de senhora a 040 e800rs.
o covado.
CORTES DE LA A 20460 RS.
Vendem-se cortes de la de listra arpa
vestidos de senhora a 20400 rs. para aca-
bar.
LA CHINEZA A 500 RS O COVADO
Vende-se 13a chineza para vestido de se-
nhora a 500 rs. o covado.
Casemiras para calcas.
Vendem-se casemiras cor de caf, preta
e azul escuro com listras, para calcas e pa-
litots, fazenda muito encorpada, propria
para o invern, sendo de duas larguras
que 1 V' covad1 s d urna calca para ho-
mem pelo pr-'CO de 20500 o cojtado.
Alpacas lizas para vestidos a
800 rs. o covado.
Vendem-se alpacas lizas e dobradas para
vestidos de senhora 700 e 800 rs. o covado,
BALOES DE ARCOS A 10500.
Vendem-se baloes de 20 e 30 arcos a
10500 cada um, por este preco s na loja
do Garibaldi,
RRIM TRANCADO PARDO A 800 RS. 0
METRO.
Vende-se brim pardo trancado a 800 rs.
o metro, dito muito fino a 10200 o metro.
BALES MODERNOS A 50000.
Vendem-se bales modernos e de cores
a 50 cada um.
CASSAS FRANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 280 e 320 rs. o covado.
CHAPEOS DE SOL DE SEDA A !0#.
Vendem-se chapeos de sol de seda a
100 e 125, na ra da Imperatriz, loja do
Garibaldi n. 50.
RA DA CADEIA
DE
MUS, IMI & C
SOB A DIRECQO DO MUITO HBIL ARTISTA
i Lauriano, alfaiate.
Os propietarios de3te novo estabelecimenlo, tendo experimentado a necessidade
urgente de ter na drecc3o de sua officina de roupas por medida, um artista perito, tem
contralado Sr. Lauriano Jos de Barros para tal mister, convictos de que satisfar
com todo o capricho a vontade do fregez.
Tem o mesmo estabelecimento umbomsirtimemto de fazendas proprias para
roupas de liomem.comosejara: casimira de cor, indos padrSes, completo sortimento de
pannos finos, preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins brancos e de
.ores, merinos de diversas qualidades, bombazina, lindos cortes de gorguro para collete,
gorguro Pekin, superior qualidade.
Os freguezes encontraro ainda um variado sortimento de roupa feita, camisas
inglezas, collarinhos, ceroolas, grvalas pretas e de pbantasia, meias para homens, se-
nhoras, meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
bal&es de diversas cures e modelos, cambraias, malas para viagem, e outros muitos ar-
ligosque a modicidade de seus precos incita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45
rival n simio
Rua do 'Queimado ns. 49 e 57
logas de miudezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de seus estabe-
lecimcntos por isso qtteram apre-
ciar o que bom e baratissimo.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
10500,20, 30 e..... 4-.000
Caixas de linha com 50 novellos 500
Pares de sapatos de tranga fa-
zenda nova a...... 20000
Pares de sapatoa de tapete
(s grandes) a. ... 10500
Duzias de meias creas para ho-
mem a........30800
Tramoiaa do Porto fozenda boa
e pelo preco melhor 100 attos a 0OO
ivros de misses abreviadas a 20000
Duzia de baralhos francezes muito
finos a20iOO e.....208OC
Silabario portuguez cor estam-
pas a ........ 0320
Gravatas de eres e pretae muito
finas a....., 0500
Redes preta lizas muito finas a 0320
artoes com colchetes delato
fazenda fin a...... 0020
Abotoaduras e vidro para colote
fazenda lina a. 0500
Caixas com penna d'aco Muito
finas a 320, 400, 500 e ... 10000
Cartoes de linha Alexandre que
tem 200 jardas a 01OO
Carfeteis de linha Alexandre de
70 at 200 a...... 0*00
Caixas com saperiores obreias
de massa a...... 0O1M
Dusias de agullias para machina 20OO
Libras de presos francezes di-.'
verso tamanho- a. ." 02*0
Livros escriptwado para rol de
roupa a. ...... 0128
Talheres para meninos mwto
finos a. ,...... ;02'4O
Caixas com papel amizade muito
fino a ....... 07O
Caixas com lOOenvelopes maito
finos a........ $600
Pentes volteadas para meninas e
senhoras a....... 0320
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. 0500
Tinteiros com tinta prela muito
boa a 80 120 e 0320
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. 0160
Pecas de fita branca elstica
muito fina a....... 200
Novellos de linha com 400 jardas 60
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a...... 20500
Grozas de botoes de louca muito
finos a...... .______16C
Scbonete de alcairdo.
M
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to boa
acceitacao tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu & C,
34ra larga do Rosario34.
Libras eouro nacional, moedas
de 5 francos.
edoende-se no arco daConceico na loja
Vurives, no Recife.
GATGAUAZ
Chegon ao antijfo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, nm carregamento do tu
de primeira qualidade; o qual se vende em partida;
e a rotalho por menos preco do que em outra qual
quer parte.
Na fabrica do fallecido subdito fran-
cez Joo Vignes, existe um bom sortimento
dos muitos acreditados pianos, os quaes se
vendem mdicamente para liquidaco.
A' expsita
A loja de calcado na roa Nova n. 8 em frenle
camoda do Carmo, tem grande sortimento de boti-
nas para homem, recebido neste ultimo paquete
e vende barato
Nlo mais cabellos brancos
A tintura japoneza, .para tingir os cabel-
los da cabeca e da barba, foi a nica admit-
tida Exposi(o Universal, por ter sido
conhecida superior todas as preparacoes
at boje existentes, sem alterar a saude.
Vende-se a 10000 cada frasco na
l H-Ml DA UNUHL 51
1* ANDAR.
IiOJA
DO
Grande e completo sortimento de machinas para
descarocar algodao de nova invengo chegadas l-
timamente em dircilura para a luja de Manocl
Dent de Oliveira Braga A C, na ra Direita n.
,">;!. Garante-se quo a mellmr qualidade qu.
o presente tem viudo ao mercado : acham-se em
exposicao aos compradores.
Systema decimal.
Grande e completo sortimento de pesos kilo-
grammos de melhor comprehensao dos que tem
viudo al o presente, a-sim como marcos de latao
al meio grammo pelo memo systeiiia, balancas
de latao de forea de 5 a 20 kilogratnmos, metros
de madeira e de'latao para nedjr rateadas, alea
de grande sortimento de miudezas e ferragens de
todas as qualidades, tudo por preros que s a vista
fax crdito : na roa Direita /i. 5, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C.
GALLO VIGILANTE
Rua do Crespo u. 9
Os proprietarios deste bem conhecido estabele-
cimeuto, alm dos muitos objectos que tmfcam cx-
postos a apreciacao do resfwitavel publico, man-
daram vir e acabam de receber pelo ultime- vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
linas e raui delicadas especialidades, as quaes fio resolvios a vender, como de seu costame,
por precos muito baratinhos e eommodos para io-
dos, com tanto qne o Gallo....
Muito superiores luvas de pellka, pretas, bra-
eas e de mui Radas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ba de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras. .
Superiores trancas pretas e de cores com vidrt-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
ele melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
eom lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias to de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 205,
alm destas temos tambem grande sorlmiento de
outras qualidades, entre as quaes alguraas muito
linas. .
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de martim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero 6 o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. ete.
Fiuos, bonitos e airosos chicotinlios de eadea e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas do 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boaa,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiwes agulhas nara machina enara crox.
Unha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyriutbo.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tontos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das raelbores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitara a denticao das innocentes crncas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
corno j tem acontecido, assim pois podero aquel-
es que delles precisaran, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applieados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, roa do Crespo n. 7.
rASTII HAS ASSICAIIADAS
DO
DR. PATERSON
De bisimith e magnezla.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digesto, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu 4 C.
34-------Rua larga do Rosario-34.
RFS POPULAR
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIRA FMDERICO & C.
Acaba de chegara este mercado urna porco des-
te ptimo rap, nico que pode supprir a falta do
princeza de Lisboa por ser de agradavel perfume.
B fabricado com superior fumo o pelo melhor
systhema conhecido, tendo tambem a vantagem de
ser viajado, o que para este artigo urna espe-
cialidade. as pracas da Bahia, do Bio de Janeiro e
outras do imperio tem o rap Popular sido asss
accolhido, e provavelmente aqui tambem o ser,
logo que sejafeonhecido e apreciado. Acha-se a
veuda por preco comraodo, e para quem comprar
de 80 libras para cima, far-se-ha um descont de
5 0/0, e de 300 libras para cima o de 8 0/0 : no
escriptorio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao,
rua do Commercio n. 17.
AL 97,
Vende-se a verdadeira graxa do bem conhecido
abricante Dav & Martin n. 97 : no armazem de
J. A. Moreira Dias, rua da Cruz n. 26.
LECNTE
VENDE oleo brilhantina perfumado, baiunilla para
amactar os cabellos e barba, alia onca : na rua
da Imperatriz n. 7.
manteiga ingleza a 800 rs. : na rua da Mangueira
numero 2.
POS DE ROG
Approvadof pela Academia imperial
de medicina de Pariz
Um frasco do 9Am de Rog, dissolvido
em urna garrafa d'agua, d urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo cerlo, sem causar a menor
irritacao como acontece com a maior
parle dos outros purgantes. Os Po de
Bogt-, sao inalteraveis por isso empre-
gam-se fcilmente em viagem.
j. ( c'TD llio-jA.xt.ir.o, FlHiutnckc'le, Ckftotot.
AVISO
aos convalescentes e spessoas
frats e debilitadas
O QUINIUM LABABRAQUE appTOVado
pela Academia imperial de medicina de
lai'U e o tnico por excellencia.
Depilo
cm Rio-Jakeiho, OnfoncMlt; Ckctlol.
em rniMDOco, iUiun-r i C.
A NOVA ESPERANCA
21-= Rua do Queimado=2J
Advertencia!
A Nova Esper?nca, rua do Queimad
ti. 21 tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanro, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
caduras pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que nao forcm venham ser fregue-
zes, em tempo to opportuno quando i
NOVA ESPERANCA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nSo
falla aonde e a quem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeigo, e ella (loja da Nova Es-
peranza) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca rua do Queimado n. 2!,
alm do grande sortimento que j tinba,
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brincos de
madreperoia.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos 6
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galles, franjas e trancas da
seda e de la, para enfeites de vestidos.
Botoes de todas as cores e moldes novos
para o mesmo m.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes esem ejles.
Botoes pretos com vidrilhos com pingen-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados leque de madreperula, mar-
lini. osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas rua do Queimado n. 21, 'na
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magneti
eos contra as convulces das
creancas.
N5o resta a menor duvida, de que multo
cellares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muito
pas de familias nao creem (comprando-os)
no eleito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificaco principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidad;
fez urna encommenda directa destes collares,
e garante aos pais de familias, que sao os
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
cas tem salvado do terrivel incommedo ds
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a rua do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para sem
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ento ser di-
fficil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Rover.
CURA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galonpeau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo A- C.
34-------Rua larga do Rosario-------34.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just, rua do
commercio n. 32.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos o$
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as creancas,
quasi sempre mais atacadas de tao terrivel
e muitas vezes fatal soffrmento.
NICO DEPOSITO
KA.
Pharmacia e drogara.
DB
Barthomeu A C.
34Rna Larga do Rosarlo.14
MASSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHI
Preconindos por todos os mdicos contra os I
DEKLXOS, CATHARROS, E TODAS AS I
IRRITA QOES DO PEITO. I
H. S. O Xarope de Codeina que mereci a I
honra, alta* bem rara entre o$ Medicamentos |
novos, de ter registrado como um dot medica-
mentot ofliciatt do Imperio Franctz dispensaX
qualquer elogio.
AVISO. Por causa da reprehenslvel falsi-l
ficacao que tem suaciado o felix resultado do I
Xarope e massa de Bcrlh somos Toreados al
lembrar que esles mcdicameulos lajusiamcnlej
conceituados ti se
vendem em caixin-
has e frasco levando
a assiguatura em s"~"
frente.
46, Rut des eolet, e.^, Pharmacia Central I
de Franca, 7, Ru d'J jouy, em Purit, e em|
toda asPliarma:,,, principaes doBratil.
BAZAR UNIVERSAL
O-llua WovaO
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos'que se ven-
dem por precos eommodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposicao servicos a electos para alrao-
co e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecimademesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, amas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanbos, molduras
para quadros, gaz, baldes americanos, guar-
da comidas, brinquedos para crianfas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que se encontrarSo
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
V.GERMdA^
lmvil#cMu.ct. \--'
Ategt at-vos inyopes, e presbytas, j po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortimento de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
aro, bfalo, ncar, unicornio emelchior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invenco; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
IJ
N
j;r
Vendem Augusto F. de Oliveira C. i *'
Commercio, n. 4.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAD
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, broaehites,
catarrhos, tosses convuislvas, escarres san-
guinos, e outras molestias do peito.
VENDE-SE
PHARMACIA E DROGARA
DB
Bartholomeu 4 C.
34RUA LARGA DO ROSARIO34
Batatas baratas
Vende-se a 800 reis o gigo, rua
Madre de Deus n. 22,
ATTENCAO
No armazem de David Ferreira Bailar, rua do
Brum n. 92, ha venda os seguintes cenaros por
pregos razoaveis :
llollnetes de halando
proprios para barcacas e hvates, muito superiores.
Vlaho do Porto
em caixas de duxia de garrafas, e em barris da
dcimo, do Porto, muito fino.
raiinba de mandioca
ha em saceos, nova e de superior qnalidsde.
l'edras de louza
muito proprias para lavagem de louw em eo-
lia has.
VENE-SE
urna machina de costura de alfaiate, trabalhando
com dous pesponto ; quem pretender comprar di-
rija-se a rua dn Pilar n. 86. ,,
Vu^^se
a-taberna da rua de Ro-rtas n. 43, em yirTO^
de de seu dono retirar .^ para fra,; & traUr
na rofsma.
um cavallo ruco, andador do passo at meio, muito
novo e sem deleito : a tratar na cocheira da rua
da Paz n. 13.
Libras fttcrllnas
Ha para vender em casa de Amorim Irraaos 4
C, rua da Cruz n. 3.




Diario de Pernambuco Quarta feira 14 de Julho de 1869.
\

Ccordeiro previdente
Ra do laciniado o. lo.
novo e variado sortimcnto de perfumaras
finas, e outros objcctos.
Alm do completo sortimento de perfu-
marlas, de que effectivamente est provida a
loja do Gordeiro Presidente, ella acaba de
receber una outro sortimcnto que se torna
notavel pela variedade de objcctos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
sos; assim.pois, o Gordeiro Previdente pede
e espera contipuar a merecer a apreciacao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao so afas-
tando elle de sua bem conhecida mansidao
o barateza. Em dita loja encontrarao os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melliores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacao do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos che ros, em frascos de diffe-
rentes tamaitos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
QUE SE LIQUIDAM
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
ll-RUA DO QUEINAD0--11
M -- DE
AUGUSTO PORTO & C.
JlITO BABATO SE TEME!!
. xo

DE
FEMX >i:iti:ilt t DA *IXVA.
U propnetario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
Jitai a yir surtir-se do grande sortimento que tem de fazendas, tanto da moda como ie
le, assim como de um grande sortimento de roupas para homens e meninos e as
pessoas que negociara em pequea escala, tanto da praca como do mato, aesta casa
podero fazer os seus sortimcntos em pequeas ou grandes porcSes, venoen io-se-lhes
peos precos que se compram as casas inglezas ; assim como as excellentissimas fami-
ias, poderao-mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou se I lie as mandam
evar em suas casas pelos caixeiros d'este estabelecimento, que se acha aberto con-
stantemente desde as 6 horas da manha s 9 da noute.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas cora bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de raadeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com po de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composic5o de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
cas.
Opiata ingleza e (ranean para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda inals coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
estao todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Fivellas e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS.
O que de methor se pode encontrar neste
genero, sohresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA B DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
das digestes difficeis ecompletas, acalmar
as dores gastralgias, e reparar as forcas
produzindo urna assimulaco completa dos
alimentos; sendo mais um excellente tnico.
VE\DE-SE
PHARMACIA E DROGARA
DB
Bartholomeu 6 C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
FUNOICAO DOBOWMAN
Ra do Briim n. 59.
PASSANDO O GHAFARZ
Tem sempre deposito de todo o maihinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
algodo.
Rodas d'agoa.""^
Motores de diversas especies. .
Moendas de canoa.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido fundido e de
cobre.
Alambiques.
Aiados e instrumentos d'agricultur a.
Descalcadores d'algodao etc. etc.
Havendo em todo variedade de Umanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar.
Vendam-9C duas barracas de 24 eaixas cada
urna : a tratar no eseriptrio do Sr. Jaao Pereira
dos Santos Farofa, largo do Corpo Santo n. 27.
'XAROPE PE1TORAL
DE
RABO DE TATU
PLANTA DO BRASIL
E expectorante e recommendado as
aecces do peito, bronchite chronica, he-
raoptise, e tosse chronica.
PREPARADO POR
JOAQUIM DE ALMEIDA PINTO
PIIARMACEUTICO
Pernambuco ra larga do Rosario n. 10.
Explendido sortimento de
Alpacas labradas de cores a &GO
Alpacas a 560 Alpacas a 560
Alpacas de cores
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
00, vende-se uns poucos de mil covados
das mais lindas e modernas alpacas lavradas
com as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo entre ellas azul, lyrio, roxo, cor
de canna, verde claro etc. e os lavrores
muito miudinhos assentados era urna so
cor; para se poder retalhar esta fazenda
pelo barato prego de 560 re. o covado, foi
preciso fazer-se urna grande compra deste
artigo, o qual grande pechincha.
los dez mil eovados de cassas
ra acezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padroes miudos e gra-
dos, assentados era todas as cores, estas
cassas sa"o propriamente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e alm dos padroes
serem muito bonitos, sao todos fixos e seria
fazenda para muito mais dinheiro, mas re-
talha-se a :t00 rs. o covado.
I-Skii liios a 3#000 na loja do
Pavo
Vende-se urna grande porcao de esparti-
Ihos modernos com o competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 30 cada um.
AADAPOLO ENFESTADO A 3^600, S
NO PAVO
Vendem-se pecas de madapolo enfestado
com 12 jardas, sendo muito incorpado pelo
barato preco de 3^600 ris, assim como
pecas-de algodosinuo com 16 jardas
4,5500 e 5#O00 ris.
GRANDE PECHINCHA
EM
tERCvrir,t*
A pataca o covado
PERCALLAS A 320 RS.
AOS DEZ MIL COVADOS
PERCALLAS A 320 RS.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60. vende-se urna grande porcao de per-
callas francezas proprias para vestidos, sen-
do de cores fixas e mais larga que as chi-
tas, tendo os pannos muito encorpados e
com os desenhos mais bonitos que tem
vindo ao mercado, tendo padroes miudos e
grados e vende-se pelo baratissimo preco
de 320 rs. o covado, garant;do-se estar esta
fazenda em perfeito estado, e vendendo-se
por este baratissimo preco para apurar di-
nheiro.
BRAMANTE PARA LENGOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 10800
Cliegou para a loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porcao de
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 16800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
COBERTORES DE LA PARA O INVERN
DE 30000 a 60000
Chegou para a loja do Pavo, um gran-
de sortimento dos melhores cobertores, de
l de carneiro, sendo muito grandes e
muito encorpados, que se wendem do 30
at 60UO cada um, em relacao s diffe-
rentes qualidades, pechincha: a elles an-
tes que se acabem.
ATTENCO
AS PECHINCHAS QUE SE LIQUIDAM
NA LOJA DO PAVO
Cortes de organdy listrados com 10 va-
ras cada um e que tambem servem para
luto a 3;>000.
Lanzinhas de cores para vestidos a 200
rs. o covado.
Cortes de cambraia com barras bordadas
e muito finas a 30 e 40000.
Cassa toda pret para vestidos a 320 rs,
a vara.
E' pechincha para fechar contas.
Alpacas brilhantes
a 640 rs.
Chegaram para a loja do Pavo um tle-
Oasemiras da moda
NA
LOJA DO PAVlO
Lliegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para eal-
cas, paletots e coletes, tendo lisas, com lis-
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os precos, e aianca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-
te, assim como das mesmas se manda fa-
zer qualquer peca de obra, a vontade do
freguez, para o que tem um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitots
a 18$ e20#000.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porcao de pa-
litots sobrecasacados, e propriamente so-
brecasacos de panno pretu, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de 180, sendo forrados de alpacaf e de
200 forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter comprado urna grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
POUPELINAS A 500 RS. O COVADO.
Na loja do Pavo, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se um grande sortimento das
mais lindas poupelinas ou lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
oeberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
" rwr precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
haStwE B;ULE_e cachemira branca ede cores o que ha de mais lindo.
uAsguiNES^-de renda prctar e de gorguro preto, o que ha de mais
R?^Ar2S ?E S0L~Para senhoras delicadamente bordados.
dadas P St^lZ .S e dc,cor,es Pa senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
aaaas, e saias de raa com barras de cor.
ule.
J^R??~de. Seua branc?e pret0 Para vestidos' scdas de cores> moirean-
Scas^'nftc Sdenap'r 5ranC0, de core8 epret0> Pri^zas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados.
..tlSMlli,
^
?ra5o*j
u.
^ ^VXx
^ <*
<*j,
60 C^EIMAO
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de Guis
nitas cores ; padros com listrinhas miudi- miuva aos cabellos, quando estiverem bran-
lain
Tintara indelevel para Ungir os cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceituada agua-florida de Guis-
lain que ento era deswnhecida em Per-
oambuco, j hoje estimada e procurada
por sen efficaz resultado, e ainda mais se-
r, quando a noticia de seu bom efleito o a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
nhas, que se vendem pelo barato preco de
500 rs. o covado, pechincha que se acha
nicamente na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se tnissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 50000 at 100000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
sene para vestidos de bailes, por ser muito
eos, e Ibes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algum.
E' porm necessario fazer conhecer, que
o bom resaltado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas talvez spponham, mais sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provam testemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
transparente a 10000, a vara, na loja do veze8 Pr mez> contando sempro com o bom
Pavo ra da Imperatriz n. 60, dejfebx Pe- exit0' podendo a experiencia ser feita em

JilVU I
Vende-se terrenos de produeco e com
arvores fructferas o prximo a esta-
cao dos trilhos urbanos do Recife
Olinda c Beberibe, no becco do Espinheiro,
podendo quem quiser dirigir-se nos domin-
gos, ao sitio n. 6 na estrada de Joo de
Barros, e nos demais dias, ra da Impe-
ratriz n. 68,___________
Vende-se estopa para calafeto a 3#JO :~a
rna da Senzala Nova n. 1.
= Vende-se um? vaeca toarina, prxima a pa
nr, com um fcmose garrot : na roa Formosa
uoaiero 9,
gante sortimento das mais Imdas alpacas
brilhantes com as mais delicadas cores, e
com os mais bonito* lavradinhos a imitaco
de seda, as delicadas cores que existem
neste bello sortimento encontra-se o bonito
Bismak, o bello Lyrio, o delicado verde
assim como, perola, roxo, canna, azul caf,
etc. Vende-se esta bella fazenda pelo ba-
ratissimo preco de 640 rs. o covado por se
ter recebido em direitura urna grande par-
tida superior a dez mil covados, seno
seria para muito mais riinheiro, isto na loja
e armazem do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60 de Feliz Pereira da Silva.
Vestidos com duas salas a tO
Chegaram paja a loja do Pavo roa da
Imperatriz n. 60, os mais modernos cortes
de poil de Chvre com duas saias para ves-
tidos, sendo n'este genero o que ha de
melhor e mais novo no mundo, e vendem-se
pelo barato preco de 200000 na loja de
Flix Pereira da Silva.
reir da Suva.
Cortinados
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande snrtimentn os me-
mores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
roupas feitas
NA LOJA DO PAVAO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sonido das melhores roupas,
sendo calcas palitots e coletes de casemira,
de panno, de bnm, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maior promp-
tido vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-Ias, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
0 atoalhado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
;om 8 palmos de largura, adamascado a
20200 a vara; dito de linho fazenda muito
mperior a 30200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a 40500 a duzia e muito
inos a 80000, e ditos econmicos a 30500
i duzia.
mtra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ra do Queimado n. 8.
A Aguia Branca, contando com a proUc-
;3o de sua boa freguezia, tambem capricha
em nao lh'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a honram, e em prova ao que fica dito, d
como exemplo ko explendido sortimento
me acaba de receber, ainda mesmo achan-
do-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
*_orac5o, obras de apurado gosto e perfei-
;o, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
bonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros i m
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou plateada.
Coreas e tercos de cornalina.
Assirn como.
Grande e bello sortimento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e sedai
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torzal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, muflieres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios fines tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
R NOVAN. 50 ESQUINA DA DE S1N-
10 AMA no
Os proprietarioi Jos de Souza Soares 4
G., alm dos baraMJaKM precoi por que
esto vendimio a grande v;ni< dade de arti-
gos de moda e novidadea le boa ?0sto.
tanto para homens como para senhoras e
menino*, vendem:
6HAPEOS moda imperial, de castor
branco para homens, fazenda /na, a 10r
(o preco n>ui;0).
COQUES eufeitados para noivas, "rable
novidade a 'i s'oo.
DITOS sem enfeite e de delicados mol-
des, sondo de seda imitarlo de cabellos
a H e :a;;oo.
MEIAS superiores malezas para home.
a duzia de pares 7>80O a 100000).
LEQI/ES de madetn sem diiliienca de
ndalo a ->M0 e i >500, (grande pechtft-
cha !)
DITOS com lenlijoulas a U e i^tOO
BARALIIOS de cartas fra&CMM boa fa
zenda, a 200 rs.
PAPEL mglez sem pauta, formato pe-
queo c fazenda superior, um pacute p<*
1 >000.
LINDOS cintos de palha enredados para
senhoras (grande novidade em Pars) a
DELICADOS corpinhos de cambraia bel-
lamente enfeilados a 0,>50O rs. (admira o
preco I)
DMA grande variedade de lindos ob-
jectos para mimos, assim como miiilos ar-
tigos de novidade e de apurado gosto que
se vende por procos baiassimos
No Bazar da loria.
Aproveitar em quanto
duram.
BaBeafe murfclinn rnrn pequeo foinv dOwfc
a 5 ea 3O0 fazenda superior, iHm a* arroaa
*O00,epn.ho M.-ln, so no Iriiitiiphn! Oulras amitn hztnn
ESCRAVOS fgidos;
Acha-se fngid.i tu orto roes a preu e-
craya de naeao, denom.iMai;
idade, baixa c cor fula, con>la qu di. res f. rr
anaavendmdo na fregueiia da BhhTN rom
urna bandeja pintada da enrarn.Hl,., n;,', ,,
fngio : gratlflea-M bem a quem a anprfhendfr e
leva-la a ra Imperial n. 103
FUGIO.
E OS paonir.iosos
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com podras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de llores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de titas largas com bonitas rama-
gen s.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas
Acha-se fgida desde da 2i de jonfo
prximo nassado. a escravaAntonia, d
di iOannos crioula. coa m ^Darswfi
les: cor prcta, olhoa pequeos, falla d
denles na frente e quando etba de rere,
levoa vest.do de cassa bran-a ci-m palma*
rdxas c chale prelo de tilo: quem appre-
hender leve ra do Cabug n. 0 que %tn
generosamente recompensado.
ALPACAO DE CORDO PARA VESTIDOS
A 1 Na loja do Pav3o, vjnde-se superior alpa-
co ou gurguro para vestidos, sendo n'es-
te genero o mais moderno e mais bonito
que tem vindo ao mercado com differentes
cores, sendo mais largo que alpaca e ven-
de-se pelo baratissimo preco de 1000 o
covado.
Novidade Novidade
GLRGUROES DE SEDA PARA AS FESTAS
DO MEZ D^ JUNHO
Chegou pelo vapor de 14 do corrente,
para a loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, um brilhante sortimento dos mais
modernos e mais bonitos gurgures de seda,
para vestidos, tendo padrees miudinhos e
graudos, com lindas listras matisadas, as-
sentadas as mais delicadas cores, como
sejam, verde, bismark, lyrio, azul, perola.
etc. etc., assim como ditos lisos de todas
as coras, garantindo-se que na actualidade
nao ha urna fazenda de mais gosto nem de
mais pbantasia do que esta,que se vende por
preco muito rasoavel, no estabelecimento
de Flix Pereira da Silva.
Bbadinhos baratos na loja
do Pavao.
Vende-se urna grande porcao de bba-
dinhos de todas as larguras, sendo com os
babados verdadeiros, por urna terca parte
de preco que se vendem em outra qualquer
loja, s cora o flm de acabar-se com este
artigo, assim como tambem se vende urna
grande parte d'entremeios, petos mais li-
mitados precos para acabar, na loj-i e ar-
mazem do Pavo, roa da Imperatriz n. 80
de Flix Pereira da Silva/
OOSJ'I ? 9J8HO0 cred o5e ep saoiog
OOS ... 0p,lsm
ap ranjqap ejed cjg op seSaj
005 .....souanbad soijfj
0000?........epenop
Bjnpiora uioo sopuejS soqiadsg
oSa^d opoi 'bj9d ap sejauna
08 suapjo 5 sajaxjoo moo oguBQ
00^' b cjznp SBpjBf 005 ap equn
008 b eiaiioo Bjcd SBjnpBOjoqv
OOOS1?.........B BIZ
np suaraoq wed sen.iD sBiam
OOSS'g........f0')f?l
'008 '005 so-nau/D moo sodsbjj
005 b oqund BJBd saoioq op sajBj
005 "sogra BJBd suBjq soSuaq
0Q8 eqaQj bjuij moo sbjbjjbo
091 b BJnoj op saojoq op bzojq
OOS'F buiaij) nnfe moo bjbjjbq
OOO0F a 008 '001 '009 '00S
b soiaui-dJ)uo 3 soqupBqc}i
OS 8 005 051 "001 '08 t sop
-Bpnenb se sepoj ap oiouoqes
05C 'P Bsoqeq op oo|0 moo sodsbj j
09 .........b sep
-JBOO' moo eijuijop sohoaom
008^a Jcqjoq BJd sbijuji op SBjqi'i
091 o sj 001 b Bjurj uioa soaseij
00 ........e SBqu,
o BJntsoo cjud scjuosoqx
0?' .........B SBU
-mora BJBd cssoabjj op soiuoj
006 .....C BJjOpBpJOA J0AI SOOSBJj
Bellarmino
Eva.lio-st jo f ngenho llamea, u r marra ,-
Porto Calvo, e no da 18 de nui do rrrr- ntc an-
po,o escravo Bellarmino, eabn mnm, r Wa>!
paslo pelo bairro da Boa-Vi>i.l'. [.Ip'Wo
cite h enramlnhe para a frrfneua r. K-raka.
onde fui olio criado, e ttmktao : onom n m,Z
gar elevar ao referido encano, ou ne*la praci.
na ra da Cnu n. SI, 1 andar, recetori M m
liliencao. ^
.., <> cfuaiu ncii.iiiiniio, runra m in.. do Wat
de 28 annos. alio o seeeo do r..r|io, moi bwli m
grandes, tem estado neata eMade, e o -n nau
biuo|03 op enSe meo
:sajuinS9s soajd sopd sop^j
-Bpap oxiBqB sojoafqo so opuBraienb ^^s^
IVaOrJMI V&I3H0I (MOMV
aa
ss voavnnD oa raw u
IVUOdMJ,
Fugiram no dia 25 do passado n. z, i
escravos dos engenhos ConcciiTi-i a Pih
bela do termo Sormhacm. partwacla um
de nome Jos, no major Kanod forma
Bezerra Pereira de Hastos, e ovtr
meLuiz, perlencente ao Dr. Jo.- Eog
da Silva Ramos ; o primeiro lean os a nafi
seguintes ; com 30 e tantos annos de Mt,
crioulo, baixo, cheio do corpo, cr ah.
resto redolido, tem mareas t dw
costas e as nadegas, levoaeaaaaa Itiir-
cadinho verde j velha, calca e jaqnela, a
chapeo de baia ; o segundo erioolo, id:
M e tantos annos, estatura regular, tr\
preto. rosto cheio, heleos pross-.v olhM
grandes e abotocados, cachaco nal
marcas de chicote as costa, mire aa rv-
tellas do lado direito, levou caanba da ria-
cado de algodo, com grande naMta !
costas, scrouia de algodo de lace <. i urna
copa de chapeo de palha sem afeas.
Estes esclavos foram coirpiad, li v i
anno pouco mais ou menos, na caMe do
Recife. Quem os pegar queii ..i*.
los ao Dr. Joo da Silva Ramos, na ririaJij
do Recife, que ser bom rrasBfnsdo.
Vende-te em truco*
DE FIGADOS FRESCOS Di, BAGALHAO *> frcos .ngu-
lares, pharmacii Hoco,
2,*raa de CastigUone,
em Paria.
As rontrafnr?Acs, os oleoa partios, d'uiii cheiro Rtrte, e maK composieoes ftltas com leos
de peixcs coainiuiis, laes como o ut/ua'o. a arruta, u pAoca, a lixa, os leos dos tmnailores pe>radurts
e mesmo o leos vegetaes, foram imaginados para substituir os vrrdadriroa Icos de flaada
freacoa de Uaeallia de IVrra r.o.a. Estes oros commims oa seos aaceedaneoa so
ohlidos na industria p!ir prepos niui baiios, em quanto ijue os verdadeiros leos de Hgado de bacallukn
fresco io relatiimenle muito caro, visto que para obtel-os fresi.us e sem mistura cumnre exeiw
grande ngilancia e ter os maiores cuidados nos proprios lueares das pesca, assim como manda f r
M. ilogg desde o anno de 1840. Estos oleo paro* de Bacalhao dr Terra-Nova de Ka
grangiiram para este pwcioso uicdicamento urna fama universal as molestias do peito as ar a*
escrofulosas e lymphattcas, magreu dos meninos,etc.,e por isso, deram lugar a nociva a iuif
imitav'oea.
.Vola,
cor de
nocivas o desleaea
. O oleo de Boga e mui fcil de digerir, distinguo-a entre os outros ateos iveh ..
palha, o eo cheiro suave e delirado, e seo gosto de sardinha fresca. "^ w*
O RELATORIO favoravel do chefe dos irabalhos chymico* da FACULDADE DE MFnirivi td
PARS conriue como segu t O oleo cor de palha de U. Ilogg conten urna terca parte a>--
Iplo. a oa mais do que os oleo parios e nao aprsenla algum dos incWnienienta a^7.\
reiiara nestes, quanto ao cheiro e sabor. *uauca que se,
^Veade-ae ca todaa aa pisararia da Fraa?a e doa paUea eatranaelroa. J
, ESCAVA FGIDA
No da 12 de maro., do correal.- iiim, fucio d
ca?a docurretor, onde eslava para vend-i a e--
crava Caelana, com o si^naes sepuim
preto, alta, com falta de dentes na freni.. no. r..-
co panzuda, ulhor grandes e um tonto afiomU-
dos, nariz quebrado c um lauto largo, cauda
com um preto de nome Joaquim. f..i mnvn <* t>.
Cetaria H. (^irnciro Leno.s.nliorado ira-Acude : quem a pipar < levar
na ra eslrnta do Rotario n. H B ncom-
pensado.
No da 15 de jonho passado, fugio da
padaria alienta (segundo avisen o uspec-
tivo dono), onde eslava alugado, um mu!a-
tinho escuro, do nome Justino, ca 13
para 14 annos, baixo reforcado, gago, ore-
Ihas grandes e um pouco Mas, Irajava
camisa de algodapsmho e erip de brn
grosso cor'de rap : costuma quaoi fef
inculcar-se como forro ou orpiifl ; consta
que tem estado em Olinda, u de
alguem, para onde lora .1 vea
leite em urna cesta pertenec!( q < lia
daria : quem o aprehender qm':. a !e\a- *
ruad'Auroran. onde >.;;.
do. Roga-so as autoridades piit'iaeaq>je
haJam ,J diligenciar a apprehensao (Wi..
AVISO
No dia 8 do corrente aojenton-v da ra?a m
sen leaJwr a aaanna de nome Jannaria. em n
siffnaes seguintes : alto, magra, ror futo, tota **-
quena, ollios grandes, bejot grom, denle alvn
e perfeito?, n< grande a chatos, andar vafaroM,
falla muito descansado, levou v.
J asada, casaveque de la aiul ji v. ii.. saii n
dgodaozithn branco, camisa do madapeS; **-
lural do Cear, d'onde veio ba um anao, e >cp>lb-
w ter seguido para a estrada dos Afofados: poi-
tonto pede-se aos cap aes de campo oa a aolen-
dades imiIcaps, ou mesmo a qualquer pessaa,
a capture e levo na Oireiu n. I), f aaaVr,
que 3er gencroameiiie gralicado.


-
8
Diario de Pernambuco Qnarta feira 14 de Julho de 1869.
1
A8SEMBLA GERAL
CAABA DOS SRS. D2PTAD0S
SESSAO EM 12 DE JL'ISHO
MUtfQKNClA DO SR. VISCONDK DE CMARA-
gibe.
fCiinlinuiiriw.)
Sr. presidente, as coosiderages feitas
j*elo nobre deputado da Babia que ene
< debste e pelo me nobre" amigo o Sr.
deputado pelo Rio-Grande do Sul, j foram
satisfactoriamente respondidas pelo honrado
ir. ministro da guerra, Pens que S.
lxc. esto satisfeilas, e eoiiseguinteinente
a csmmisso defendida das soas censuras.
Passarei. Sr. presidente, qoesto mais
mpurtante deste de jale, que se prende a
ca consignada pelo nobre ministro em
sen relatorio e reproducida no discurso
transferir do servico effectivo para a 2a
classe do exercito os ofliciaes superiores e
subalternos que-completaren) a. idade in-
dicada por S. Exq.
S. Exc. pedio commisso que apre-
.entasse um additivo ness sentido, e que
".stava autorsa-io a declarar que essa me-
dida era reclamada pelo Ilustre chele de
nussas forgas em operaces na Repblica
do Paraguay.
Por rninha parte darei a rainha opinio
sobr este assumpto com toda a franqueza.
Acanha-me a idea de que vou tratar de
assumpto estranho minha prolisso; mas,
certo de que o nobre ministro da guerra
desculpar ineus erros e aproveitar o en-
sejo de praticar a lei de misericordia,
que manda ensinar os que erram, enlrarei
a materia.
Um Sr. Disputado : A obra de miseri-
cordia castigar os que erram.
O Sh. Rodrigo da Silva:O nobre mi-
aisiro desojar ensinar-me, castigar-me nao.
(Risadas).
A idea apresentada pelo nobre ministro
aceitavel em these. Reconheco que a idade
tambera um enfermidade e que nem sem-
pre o olicial j curvado ao peso dos annos
pode prestar bons servidos no exercito.
(Apoiados).
Alm de que conveniente abnir-se espa-
do as iloiras superiores para os ofciaes
mocos que se destinguirem no campo de
tataib. (Apoiados).
Mas, Sr. presidente, encontr serias difi-
culdades no desenvolvimento desta idea.
Nao sei mesmo como possa, como membro
da commisso, olerecer nm additivo sem
convencer-me do que de um lado nao en-
contraremos o arbitrio que pode offender
mteresses legtimos, e do oulro tima des-
peza muito onerosa aos cufies pblicos.
Julga o nobre ministro que os officiaes
generaos, os tenentes-coroneis e os subal-
ternos approximando-se a urna idade avan-
zada, devem ser transferidos para a 2a clas-
se do quadro di) exercito. Permita S. Eso.
que eu, remontando origem da creaco do
mesmo quadro, d as raze? por que pare-
cem-mc maceitavel urna idea assim consig-
nada em um additivj.
Pela lei de 1 de dezembro de 1840, que
tnnr.ou os primeiros fundamentos da nossa
^rganisago militar, o exercito foi dividido
em quatro classes : a 1* cumprehendendo os
i-.ectivos; a 2a os aggregados: a 3a os avul-
sos; a Ia os reformados.
Posteriormente esto quadro doreu algu-
mas modiiieacoes, at que pelo decreto de
1881, Merendado pelo fallecido Sr. conse-
ftaeiro Manoel Felizardo, de saudosa recor-
darlo para esta casa (apoiados.....)
Voces :E para o paiz.
O Sr. Rodrigo da Silva :.....o qua-
dro foi redu/.ido a ditas classes, a dos elee-
tivos e a dos aggregados.
Vamos, pois, origem da creago da
classe dos aggregados, isto da 2a classe
do exercito, para onde S. Esc. Bateado que
devem ser transferidos os oilieiaes que se
3proximarcin da idade de G. 55 e 50 an-
rios.
DispSe a lei de 1 de dezembro de 1840
.que a i1 classe ser imposta dos officiaes
lfeilivos, isto dus ofliciaes que estiverem
habilitados para todo o servico de paz.e de
guerra. poriQ que por circumstaaeias espe-
ciaos nao podem ser contemplados no res-
pectivo quadro por falta de vagas.
Uma Voz:()u de cstudos.
O Sb. Rodriio da Silva :Ora, se a
classe dos aggregados deve compor-se s-
mente dos oJIiciaes que esto habilitados
para o servico de paz e guerra, como trans-
ferir-so para esta classe os officiaes que por
causa da idado avancada, nao esto habili-
tados nem pira o servido de paz nem para
o de guerra ? (Muito bem).
Dir o nobre ministro que o parlamento
pode abrir urna exeepeo a esta lei, autori-
ando o governo para transferir somonte
tes officiaes para a 2a classe.
Mas, senhores, ou esta classe perdera a
natureza que lhe deu a lei de 1 de dezembro
de 1840, e nesse caso essa autorsaco vai
modificar profundamente a organisa.o m-1
litar, e com grandes inconvenientes para o
exercito, porque licaro pertencendo mes-
ma classe ofliciaes habilitados para a paz e
para a guerra e outros inhabilitados para
estes servico, ou os transferidos de boje
em (liante por causa da avancada idade fi-
cam as mesms condicoes dos outros, e
ento a aulurisagao concedida nestes termos
ao governo nao produzir o effeito que o
mesmo governo espera, porquanio os offi-
ciaes aggivgad >s tm o direito de entrar
para o quadro effectivo logo que baja vaga
ou promocSo,
No primeiro caso confuso de individuali-
dade, confuso de habilitar-oes com inliabi-
ltaces, confuso finalmente na mesma clas-
se, na mesmo ordem, de officiaes activos e
de officiaes invlidos... No 2o caso, arbi-
trios sem vantagens c desclassficaro sem
os effetos que se desejam.
Se considerar tambem a questo por mi-
tro lado, anda me parece de difficil solu-
co: supponhamos que autorisamos o go-
verno para transferir o olficial, cuja idade
indica inliabililago de servico para o estado-
mi: lo.....
(O sephor ministro da guerra faz signal
negativo);
il n'-mo V. Exc, argumento porhypo-
Encontrando duvidas sobre a transr
ferencia para a 2a classe di) exercito, quero
ver ivel, se razoavel, aulorisa-la
.para o estado-m-iior da 2* classe.
J disse, e de novo repito, quero escla-
recr-ine o nada mais. Todos nos lucra-
remos com a discosso de uma idea que,
convertida em lei, pode ser muito utl ou
muito prejudicial a administraco.
Djveremos autorisar o governo para trans-
ferir essos officiajs para o estado-maior da
2a classe ? estado-maior da 2a classe,
est incluido na calsse do exercitoisto ,
na classe daquelles que esto habilitados
para o servico de paz ou do guerra. Taes
sSo a disp->sicoes, salve o engao, dos
decretos de 25 de abril de 1842 e 19 de
abril de 1851.
Consegointemente todos os officiaes que
fazera parte do estado-maior de 21 classe
ra estar habilitados para o servico de
paz ou de guerra, e so permaaecem nessa
ifieago por circumstain :i< extraordina-
rias, como por exemplo, o olicial que nao
completou seus estudos as armas scenti-
licas.
Nem se diga que o art. 20 do regulamcnto
de 1851 deu autorsaco ao governo para
transferir para o estado-maior de 2a classe
os officiaes que nao se acharem hab itados
para o servico de paz ou de guerra. R
seja dito de passagem, este artigo do decre-
to citado tem servido de pretexto para
grandes abusos; n3o me consta que o ac-
tual senbor ministro da guerra os tenha
commettido, mas posso assegurar que ou-
tros ministros abusaram desta disposico,
transferido para o estado-maior de 2a clas-
se officiaes incapazes para qualquer servico
de paz ou de guerra.com prejuizo daquelles
que devem fazer parte de respectivo qua-
dro.
Mas, Sr. presidente, o nobre" ministro da
guerra que nao tem abusado, ,c que, ao
contrario, mostra-se superior ao patronato
(apoiados), nao desejar de certo que o par-
lamento lhe d uma autorsaco para trans-
ferir do quadro tffectivo p*ira o estado-
maior de 2a classe officiaes que, na opinio
do governo, devem se* considerados sem a
necessaria habililaco para o servico de paz
ou de guerra.
Devoremos autorisar o governo a refor-
mar os officiaes que por sua avancada ida-
de nao podem prestar bons servigos f
Senhores, se os reformados tivessem os
meios necessarios de subsistencia, eu nao
duvidaria dar meu voto para que o parla-
mento concedesse semelhante autorsaco
ao governo; mas a reforma entre nos a
miseria, e os reformados, salvas as excep
coes dos que podem contar' com outros
meios de vida, sao verda-leiros proletarios
da classe militar. (Apoiados).
Como decretar-se a reforma de um official
superior, quando em idade avangada os seus
bons servaos sao mais dignos de recom-
pensas, sem que o Estado, que nao deve
nem pode ser indilerenie sorte de seus
servidores, d-lhe, ao menos, os meios de
subsistencia? E semelhante procedimento
sera uma iniquidade.
A reforma em taes circiimstancias, redu-
zindo miseria os velhos officiaes, levara
o desalent ao coraco dos mocos que re-
llectissem no deslino que os esperava. Isto,
repito, seria uma grande iniquidade. (Apoia-
dos).
O Sr. Nemas :E' ingntido.
O Sr. Rodrigo da Silva:A idade avan-
cada em regra indica incapacidade para o
servigo activo. Neste ponto concordo com
o nobre minstro da guerra. Entretanto ha
exemplos muito significativos em contrario.
L esto em-cainpaiiha velhos servidores do
listado. O bravo baro do Triumpho nao
senlia o peso dos annos no ardor das bata-
Ihas. (Apotado?). 6i qiiH asta incapaci-
dade est consignada na organisaclo mili-
tar da Franca, da Italia e de outros paizes;
mas a nossa organisaco militar outra,
fallam-nos as reservas franceza e italiana.
L'mv Voz:Nem podemos ter s.-melhante
organisaco.
O Sn. Rodrigo da Silva:All, os olli-
caes que se approximam a certa idade vo
para a reserva. Mas cumpre nao esrpiocer
que a reserva daquellas organisacoes mili-
tares bem remunerada, tem garantas e
pertence a paizes onde os meios de subsis-
tencia sao mais facis.
Demais, Sr. presidente, ou esta faculdade
que vamos dar ao governo obrigatoria ou
nao. No primeiro caso, scriam transferidos
para a 2a classe todos os ofliciaes que com-
plelasseni a idade indevida. Esta lei alm
de iniqua sena horrivclmenle onerosa ao
nosso thesouro, porque, em poneos annos,
(cariamos com uma classe dupla de ofli-
ciaes; no segundo caso, seria arbitraria, e
daria lugar a abusos repetidos.
Confio muito no carcter do nobre Sr.
ministro da guerra, confio no sen espirito
de justiea (apoiados). S. Exc. hornea) de
carreira feita. esta prestando grandes servi-
:io paiz oceupando est pasta (apoiados);
sobre isto nao ha a menor duvda. (Apoia-
dos.) Mas poiiliamos de parte os nomes
proprios, a administraco nao tem carcter
permanente. (Apoiados.)
S. Exc. pode relirar-se e vir ontro mi-
nistro que nao nos merera a mesina conli-
anga, e o veremos armado de urna autorisa
gao que pode s r muito olTensiva a uma
classe do exercito que tem prestado rele-
vantes servigos ao paiz.
Eu quizera, pois, que o illustrc 5r. mi-
nistro da guerra conciliasse a sua idea dp.
modo que, de um lado, o olicial que che-
gasse a essa idade fosse garantido em os
seus direitos, quando ainda pudesse pres-
tar servicos a seo paiz; do oulro lado,
que ficasse tambem com"meios necessarios
de subsistencia. Em resumo, quizera que
o nobre ministro apresentasse uma idea que,
pondo do parte o arbitrio, ou o limilasse
muito. abrisse espago conveniencia do
servigo publico,
Eis a diffieuldade que encontr : nao sei
se os meus collegas de coaratissao concor-
dam com estas ideas que tenho apresenta-
do ; mas se o additivo nao fr concebido
nestes termos, declaro que terei repugnan-
cia em*votar por elle, porque julgo esta
quosto muito seria, tendo-se em vista inte-
resses muito legtimos do nosso exercito.
(Apoiados.)
Tenho concluido. (Muito bem, muito
bem.)
O SR. BARAO DE MURITIBA (ministro
da guerra):Sr. presidente, a diecusslto da
materia a que se refurio o honrado deputa-
do pela provincia de S. Paulo rae parece
um pouco estemporanea; por ora nao est
em discusso essa ideas, porque nao ha m-
nhuma emenda neste sentido, segundo creio.
Eu liavia pedido Ilustre cominissao que,
considerando a Iigera observaro a este
respeto apresentada ao ro alono, olfere-
:esse cmara dos Srs. deputados alguma
medida naquellc sentido ; nao indiquei, po-
rm, os termos em que essa medida deve
ser adoptada, nem aquelle em que a nobre
commisso poderia formula-la.
O nobre depittado fez-me a honra de
adherir ao fundo da idea, acha que ella
pode sgr adoptada ; na forma porque deve
ser, que o nobre depotado baseou toda
a sua argumentaco, urnas vezes adiando
que se vai dar um arbitrio fatal ao governo.
em relaco aos officiaes qao attingirem
idade que fdr marcada, outras vetes figu-
rande ser h\9 summamente eneroso- ao
toesouro pel accrescimo de ofliciaes que
porventura pode hav.r, adptando-sc qual-
quer disposico no sentido indicado. Eu
creio que poderei inustrar sem esforco (jue
nem lia inailo maior arbitrio doque- actu-
almente existente, nem onus consideravel
em relaco ao thesouro.
Nao ha milito maior arbitrio, porque o
official general d>' qualque? graduaco que
seja, que tenha atlingido certa idai.' e por
ella ostlver incapaz de servir em tempo de.
paz e d*fe guerra, o deve ser promovido
ao posto s jperior, a menos que se preten-
da prejudicar o servigo para que a promo-
go o habilitara e cuja'primeira eessenctal
condigo o vigor indispeiisavel para os
arduos trabalhos que lhe sao incumbidos,
principalmente em tempo de guerra.
Tambem a transferencia para a 2.a classe
do exercito !he nao tira a elle nenhuma
parte de sen vencimento. O posto tem
uma re*Huico que lhe privativa, mas nio
importa necessariaiaeate nenhuma commis-
so que lhe d outras vantagens. 0 olicial
nestas circumstancias, pasando para a 2.a
etasse. como o nobre deputadofigurou, nio
veni a perder parte algnma do sen sold :
este lhe rica seinpre salvo, como se eslivesse
na classe activa, que a primeira.
A' commisso tambem direi que elle a
nao perde com a passagem para a 2.a clas-
se, desde qne o governo aehar ipie ri pode
empregar em alguma onde v servir coco
proveito proprio e do Estado.
Nao ba, perianto, perigoeai relagSo aos
officiaes* genenee, nao ha o largo arbitrio-
que se lignrim ao nobre depotado por S.
Paulo. Nao lia tambem onus ao tuosbufo
to consideravel, como julg-a S. Exc, por-
que primeramente a dasse dos officiaes
generaos muito limitada, e nessa m sina
classe a autorsaco que se poderi conferir
ao governo, alm de facultativa,' restricta
nicamente a dous dos postos, ao de briga-
dero e ao de marechal, isto a vinte qua-
tro individuos apenas. Ora, nem todos
esses individuos lm attiugido idade de
65 annos, nem mesmo a de <53.
O Sr. Rogrioo da Silva : E os coro
neis 9
O Sr. MimistuodaGerra:E por coose-
quencia oarbro rednz-se aquellos que j
tiverem chegado a tal idade, e por elia es-
tiverem incapazes de continuar a servir.
Nao portanto. grande o arbitrio, nem
podem ser passado para a 2.a classe seno
um numero muito liinitado.dessesofficiaes.
Eu reconheco que confund um pouco a
argmentaco, porque trata va nao j do ar-
bitrio mas do onus ao thesouro; entretanto
urna cousa importa tambem a outr.
De-de que sao poneos os officiaes que
pod-m passar pela idade para a 2.' classe,
na bypolbese sujeiti, o onus do thesouro
tambem nao consideravel, ou osera tanto
como quando estes officiaes, em consecuen-
cia de molestia ou desastre, nao podem con-
tiuuar a estar na classe dos olDciaes activos
e obrn a sua reforma.
Agora, em relago aos officiaes de ou-
tras patentes menores, como estas sao com
effeito mais numerosas, nao digo que o ar-
bitrio aao soja un pouco maior; mas note
o nobre deputadoa qua do posto de caca
i$l para bao raros sao os officiaes que tm
idade de G;) annos ou mais. Os penosos
trabalhos da vida militar ordinariamente tra-
zem enformidades antes dessa idade, e por
consequencia a reforma por este motivo.
Demais que interesse pode ter o gover-
no, q.ialquer que seja, em langar lora, nao
do exercito. mas da classe acva, olliciaes
que possu:-m a necessaria capacidade physi-
ca para o servigo ?
Nao acho, pois que se possa ter os es-
crpulos de olferecer considerago da c-
mara dos Srs. deputados a medida formula-
da, por modo que a classe activa dos oli-
ciaes do exercito so conserve em estado
de prestar es bons servig is, que delles se
exige, abrindo aos mais mogos e robustos o
necossario espago nos postos superiores,
nao os deixando jazer nos inferiores, qursi
sem esperanca de serem promovidos.
Na conversaco que a este respeito tive
como iliuslre deputado offereci ao seu ju
dioso criterio um br ve apoutamento fobre
a materia, nao para qne o aceitasse desde
logo, mas para servir de base nobre com-
misso, de qne faz dignamente parte. Abi
.isto consignadas algumas eautellas para
moderar o arbitrio, a que o nobre deputado
.se referi, e para nao trazer ao thesouro
grandes onus, sem todava deixar sera re-
medio aquelle mal por todos conhecido, de
permaneeerem no quadro do exercito offi-
ciaes qne evidentemente nao podem exer-
car com eficiencia as funecoes dos seus pos-
los por falta de intelligencia, mas por falta
de forgas physicas, da idade qne om si
mesma j uma enfermidade que nao per-
mute a continnag > no servico com a van-
tagem indispensavel, ao passo qne inbibem
aos ofliciaes dos postos interiores o accesso
aos superiores.
O nobre deputado, reportando-se 'ei
franceza, diz que ella offereee garantas de
subsistencia aosellieines que attingem certa
idade, que a Idea por mim apresentada |o
offerecia.
O Sr. Roomoo DA Silva : O que eu
disse o seguinte: se tivessemos um qua-
dro de reserva, como osiste neste paiz, os
offi iaes licariam com meios de subsis-
tencia.
rio, para admittir na classe dos aggregados
mais una espacie, alrn das existente.
Mas nao se tratava disto, nao bavia fr-
mala a este respeito; o nobre depotado
argomentava por uma hypothese nica-
mente...
OSn. Rodrigo da Silva : Sm, senhor.
O Sr. Ministro da Gokrrv : E s por
esta hypothese tambem estou eu emittiudo
a minlia humilde opinio.
0 noVe deputado dechrou que tinha
havdo abusos (posto que nao em meu tem-
po), de officiaes passados para o estado-
maior de 2a classe, sem quo fossem aptos
para todo o servigo de paz e de guerra,
O Su. Rodrigo da Silva : Nao no tem-
po do V. Esc.
0 Sr. Ministro da GneiMu : Eu disse,
posto que nao fosse no meu tem-
po. Tenho, at certo ponto, uma certa
solidariedade com os meus dignos anteces-
sores, e quando apparece uma proposigo
que pode parecer aceusagio, corre me a
obrigago de dizer qual a verdades dos
fados: Que baja officiaes incapazes por
molestia de servir no estado-maior de 2a
classe. eu nao posso affirmar, mas tambem
podem existir temporariamente ofliciaes
incapazes de servir no quadro activo do
exercito-: affinuo, porm que nenhum del-
les foi l admtttido por ter esta incapaci-
dade.
O art. 26 da lei de 1850 nao auto-
risou isto, como bem diz o nobre depu-
tado.
Tem passado alguns officiaes para o esta-
do-maior da 21 classe, por m tivos legaes;
mas em -onsequencia de enfermidades, pa-
go licenga ao nobre deputado para duvidar
desta sua asserco ; porquanto os officiaes
de qualquer classe que tem essa incapaci-
dade sao logo reformados, seja qual fr a
classe que pertencem, desde que por exame
de saude sao jolgados incuraveis o impro-
prios para o servico de paz e do guerra.
O Sr. Ronamo da Silva: Independonte
de pedido?
O Sr. Ministro da Guerra :Pode ser
que alguna ofieial de outra classe passasse
para o estado-maior da 2" classe aehando-
se incapaz do servico; mas nao passou por
essa causa, e sim por quaesquer outras
petas quaes a passagem pode ser feita.
Sr. presidente, en acho, como disse a
principio, esta discusso extempornea: o
art. Io da proposta, em discusso, nao auto-
risa urna volaco sobre esta materia ; era
preciso que o honrado membro houvesse
mandado mesa algumi moco para que
so instituisse o debate em regra e fosse sns-
ceptivel de maior desenvolvimento.
O Sn. Bod ico da Silva d um aparte.
O Sn. Ministro da cuerra :.lulgeui-me
na obrigaco de dizer algumas palavras
em attenco ao honrado membro a quem
muito respeito.
O Sr. Rodrigo da Silva:Muito obri-
gado.
O Sr. Ministro da (:krra : Talvez eu
nao tenha compreliemlido bem o pensi-
mento do mesmo honrado membro, porq ie
ao passo que S. Exc. reeonnece que a
idea apresentada no relatorio aproveita-
vd. a repello simultneamente por onerosa
ao thesouro, prejudicial aos ofliciaes e ao
servico
O Sr. Rodrigo da Silva : O que eu
disse que se todos os officiaes que ciie-
gassem a idade que V. Exc. designou no
san relatorio, l'oaacm rafoTmndfM l'ori'osa-
meirte, witao n ttiesooro (icaria muito one-
rado. Foi uma hypothese.
0 Sr. Ministro da Guerra : verdade
ter o nobre deputado accressentad) que
aceitara a transferencia dos ofliciaes que
attingirem certa idade, com tanto que se
Ihes dm, Io, meios de vida; 2" lugaivga-
rantir que se lites dm tambem outras ga-
rantas.
Nao especificou S. Exc. quaes as garan-
tas : a respeito dos meios de vida, direi
ao nobre deputado anteriormente j os indi-
quei, e vera a ser que a transferencia nao
diminuir o sold nem os inhabilitar para
certas commissoes compaliveis com as suas
forcas. E itretanto nao se deve dissimular
que taes commissoes nem sempre appare-
cem, e com effeito os transferidos (Icario as
vezes reduzidos ao so do da patente como
acontece tambem aos officiaes da Ia classe
principalmente dos corpos especiaos; po-
rm este inconveniente deve ceder diante
do interesse do Estado.
O Sr. Rodrico da Silva :Erara essas
as garantas a que me refer.
O Sr. Ministro da Guerra :Quando o
servigo exigir o emprego dos transferidos,
elles podero ser aproveitados concedendo-
se-lhe as respectivas vantagens; em todo o
caso o sen sold sempre fica salvo.
O offigial transferido para a 2a classe li-
car mesmo em melhores circumstancias do
que o reformado, porque este como que
se pode dizer que, abandonando a vida mi-
litar, nada mais tem esperar; o do 2a clas-
se vai esperar a vantagem de sua reforma
em melhores condieces do que se Ih'a
fosse dada desde logo.
Nao me demorarei mais as explcaces
que mecumpria olerecer ai honrado de-
putado : se a materia fr apresentada em
lempo opportuno hoi do procurar discut-la
com mais alguma amputado.
O SR. RODRIGO DA SILVA faz algumas mittiam as suas forgas e os encargos
observacoos.
0 SB. J. DE ALEN" IAR (ministro da jus- expediente.
Accrcscentou S. Exc. que era necessario
uma reparar jo aquel les officiaes da guarda
nacional que tinjiam sido suspensos de seus
postos.
Sioto a necessidade de dar a esta augus-
ta cmara urna pequea explicago, a respei-
to de ambos os tpicos do discurso do no-
bre depotado.
Sobre os abasos das dcsignacoes duran-
te a administrago anterior, direi, como e
meu Ilustrado collega o Sr. ministro da
guerra, que nao compete ao governo julgar
o passado, nem instituir exame sobre elle.
Se o nobre deputado, porm, se referisse
actualidade, ^Tactos occorridos durante a
administraco do gabinete de fB de julho.1
ento lhe respondera que ao ministerio da
justiea nenhuma roclamac3o tem chegado a
respeito de abusos dados no processo de
desgnaao.
Se taes abusos tem havido, o que pos-
sivel, os dignos delegados do governo na-
turalmente providencaram dejmodo a fazer
cessar qualquer vexame.
Uma Voz:Nem houve mesmo ainda
designaco alguma.
O Sr. Ministro da Justica :Estoa ape-
nas dando uma .breve explicago. Nao
ouvi, como disse, as palavias do nobre
deputado pela Babia, que hontem fallouem
ultimo lugar. Por consegrante, nao lhe
posso dar uma resposta cabal, limito-me
pois a um simples esclarecimento a respei-
11 desse ponto. Estou prompto a dar
quaesquer outros que forem necessarios
para os representantes da nago.
Quanto a reparago, que o nobre de ja-
lado enlende ser devida aos officiaes sus-
pensos sem fundamento legitimo, devo pon-
derar, que nao a provincia da Baha a que
mais razo teria para, nao direiqueixar-
se, porm fazer algum mesmo leve reparo
depouca actividade do governo actual, em
relago a este objecto.
O Sr. ArroNso df. Garvaliio :Elle n3o
fez censura alguma, falln em geral. Disse
que tinha havido tantas injustigas, que es-
perava que o governo geral providen-
ciasse.
Uma Voz:Faca a idea quantas nao lla-
vera as outras provincias.
O Sn. Cof.lho Rodrigiks : Apoiado ;
quanto mais pequeas, mais soffreram.
O Sr Ministro da Justu;a :Se o nobre
deputado pela provincia da Babia fallou em
geral, como pondera meu Ilustre collega,
foi comtudo induzido pelos fados peculia-
res a sua provincia, e dos quaes sem duvida
est mais informado. Procede portanto
minha observago.
Sr. presidente, logo que subi ao poder
o ministerio de 16 de jtslbo, comprehendeu
tanto a necessidade de reintegrar nos seus
postos aquellos officiaes indovidamente sus-
pensos em pocas anteriores, por virlude
do decreto de 4 de agosto de 1865, que
promulgou logo o decreto de I de agosto
do anno passado.
0 Sr. BrrrENCOtTRT: Que fez mnitos
beneficios miaba provincia.
Vozes A' mokas.
O Sr. Ministro da Ji stica : Este de-
creto autonsou os presidentes de provincia
a fazerem taes reintogracoes quando en-
tendessem que eram justas, submettendo
seus actos approvacao do governo tape
rial.
Nos annexos do relatorio do ministerio
da justica eslo especificados todos os
actos de reralearacito tuer (lt iffi'aes re-
formados, quer de officiaes suspensos, que
submettdos ao governo imperial foram
por elle approvades.
epois de publicados, o relatorio e os
documentos a elle annexos, novos actos
otcorreram de quo esta cmara j tem
conhecmento pela folha olicial.
Eis um pequeo mappa, confeccionado
boje na secretaria de estado dos negocios
da justica, mappa que demonstra o nu-
mero dos officiaes que tem sido reintegra-
dos at esta data, e o numero das reinte-
grages effectuadas pelos presidentes e
submettidas ao conhecimonto e approvacao
do governo imperial.
Na Babia, diz este mappa, furam reinte-
grados dez lucaos e existem actualmente
pendentes apenas quatro actos da presi-
dencia, sobre os quaes o governo resolver
opportunamentc como entender de justica.
O Sr. Febnandes da Cumia: Precisa-
mos muito de medidas a este r speito.
0 Sit. Ministro da Jistica: as outras
provincias d-se qnasi igual proporgSo,
com exccpgo da de Pernambuco: o qne
mellior se ver do mappa cuja integra ha
de ser publicada.
Senhores, o governo imperial tem outras
necessdades muito importantes c muito"
urgentes a que attender; nao pode dedi-
car-se exclusivamente a este servico, sgp
brelndo quando os actos de reintegragao,
para os quaes eslo habilitados os pres'i
dentes de provincia, produzem os seus d i-
vdos effetos inmediatamente. Parece-me
pois que nao est no caso de ser aceito o
reparo que fez o pobre deputado pela pro-
vincia da Babia, cuja provincia t-m visto
reparadas qnasi todas as sospensoes de-
cretadas sem justo fundamento.
O governo tem consciencia de baver
cumprido com q seu dover ("apoiados)
neste assumpto. tanto quanto lhe per-
da
avultado
nos, m
adminislrago, onerada com to
0 Sr.' Ministro da Guerra:Gonsta-me,
porm, que os officiaes da reserva em Fran-
ga, nao temas vantagens dos effectivos e
apenas o sold com a diminuco da 5.a
parte, e nao podem ser erapregados seno
no interior em caso de guerra.
E' por consequencia pouco exacta a pro-
posigo aventada pelo nobre deputado;
mesmo contraproducente, porque os offi-
ciaes, no caso que S. Ex. (igurou, passan-
do para, a 2.a classe do exercito licaram
com o sold inteiro, at que possam ter os
annos da lei necessarios para se reforma-
rem com vantagem superior.
O Sr. RoDniGO da Silva: Sem duvida,
elles na 2a classe Reara cora menos van-
tagens.
O Sr. MiNismo da Guerra : esta
a utilidade da transferencia dos officiaes,
que tem altingido o limite da idade. O no-
bre deputado julga pouco legal esta nova
especie na 2a classe como se acha consti-
tuida ; nao deu atteacSo a que o poder le-
gislativo, tem direito d- alterar a respecti-
va composigo da classe modificando a lei
de 1841, a que o nobre deputado se refe-
tiga):Sr. presidonte, retirei-mo hontem
da casa antes de concluida a sesso, por*
motivo justo ; e ret, ei-me porque nao sup-
punha que esta discusso podesse, por
qualquer incidente, chamar-me a tomar
parte pella.
Leudo porm, as folhas desta manha vi
que um nobre e Ilustre deputado pelp pro-
vincia da Babia, pedindo a meu distinct"
collega o Sr. ministro da guerra alguus
esclareciraentos a respeito da proposta que
se discuta, tocara embora do passagem,
no servigo da guarda nacional.
O nobre deputado a quem me retiro,
supponho quinao est presente ; mas na-
turalmente as miuhas palavras lhe sero
transmitidas.
Segundo o extracto muito resumido que
li, disse o nobre deputado que se tinhara
dad/, e nao sei se se davam ainda, alguns
abusos em relago ao processo de de^igna-
cao de gu rdas nacionaes destacados para o
servigo da guerra.
O Sr. Affonso de Carvaliio : Fallou
com referencia ao passado.
O Sr. Gama Cerqeira: E pedio repa-
rago da injustica coramettida- durante a
situaco anterior, pela administraco pas-
sada.
O Sn. Ministro da Justica : Bem,'
modifiearei o que tinha de dizer, neste sen-
tido.
Limito-me a estas explicages, Sr. presi-
dente. Estimei que o nobre e Ilustrado
deputado pela Babia me dsse oecasio de
explicar o procedimento do governo a este
assumpto, para prestar a cmara estas in-
formages. Agradego a S. Exc. e aos
nobres deputados, cujas manifestages a
cmara acaba de ouvir, o reparo que fazem
em relago parcimonia com que se tem
havido o ministro da justica (apoiados),
em materia de guarda nacional. Em ver-
dade, Sr. presidente, eu nao poderia dar
mellior nem mais eloquente resposta s
censuras acres e injustas que tem sido di-
rigidas ao actual ministro da justica, a
quem seus adversarios j chamaram mi-
nistro da guarda nacional, insinuando assim
que se dedica s e exclusivamente a fazer
altcrages no pessoal dessa instituico.
Um Sr. Deputado :Nao se lembram dos
seus precedentes.
Outro Sr. Deputado: Nao d impor-
tancia a essas aecusagoes (Apoiados).
0 Sr. Ministro da Justica: Satisfaz-
me, pois, bastante, Sr. presidente, ver que
a.moderaco do governo imperial rc-
conhecida pela quasi totaldade da cmara
dos Srs. deputados. (Mudos apoiados;
muito bem, muito bem).
0 SR. DUARTE DE AZEVEDO : Sr.
presidente, se permittido aos marinbei-
ros repoosarem, quaado assiste ao lome
um piloto amostrado,' nunca para
navegantes dos mares putfcioos,
occasio mais azada de repens, do om a
presente. Dirige os destinos do pon, na
cumiada do poder responsavel, om cidadao
que um symbolo de boma para par-
tido conservador e de gloria para o
(Muitos apoiados").
sem pretender fazer comparaeSes, I
estabelecer preferencias, vejo que a
exulta de ejjmtrar-se agora com o 8r.
de iritiba, dirigodo a pasta da
elle ama das mais
es espnmgas (muitos apoiados), osa
penb ir seguro de bita e de soccesso para a
opinio que professamof. (Huilos apoia-
dos).
Mas, senhores, quando a tempestada
desfeta, e o vento ruge, e o raio estala
na amplido do espaco, cuaspre a todos
os raarinbeiros oceuparem com presteza o
seu posto, aira de que aessa occasio
solemne todos concorram para a obra da
salvago geral.
. Isto posto, Sr. presidente, eis-me aqoi
tambem no humilde lugar em qae me
colloca a pouquidade dos meus recersos
(nao apoiados), procurando quanto em mim
cabe cumprir com o meu dever.
as consideraces que tenho de dirigir
casa e ao nobre rain stro pretendo fallar
cora a maior liberdade. Nao traduza, pois,
S. Exc. como expressT.es de bostilidade
aquellas que eu tiver de dirigir. Todo go-
verno forte, que vive da opinio, deve de-
sojar que os seus amigos se exprimam
lvreraente sobre a marcha da administra-
Cao. CApoiados).
Nem basta que os ministros conhegam o
modo d pensar daquelles que os sastontam
por detrs dos reposteiros ou as salas de
palestras dos seus palacios. E' no seio
da represenlaco nacional, perante o
paiz, <]ue cada um deve dizer o que en-
tende, porque assim que cada qual com-
pre com o sen dever. (Apoiados).
Sr. presidente, a leitura do projecto de
lixaco de forcas de tena offereee base para
duas ordens de consideraces; ;as qoe se
prondem i fixaco da forga em occasio
de paz, e em occasio de guerra.
Divdire, pois, o meu discurso em duas
partes. Exarainarei primeiro a proposta
do governo quanto a determinaco da for-
Ca de tetra em tempo de paz, e farei depois
as observages, que a materia me suggerir,
sobre a fixaco da forga em tempo de
guerra.
0 nobre ministro pede, e a commisso
propBe, o numero de 20,000 pragas de pret
as circumstancias ordinarias.
Devo diz-lo francamente: adopto esta
cifra, e eslaria disposto a concorrer com o
meu voto para o augmento della, se o no-
bre ministro julgasse necessario.
S. Exc. nos fez sentir a conveniencia de
termos sempre uma forga respeitavel as
provincias do Rio-Grande do Sul e de Mat-
to-Grosso ; e a ultima guerra e considera-
cees de ordem publica deixam a limpo a
seguinte theseque a qualquer paiz para
viver em paz cumpre que esteja prepara-
do para a guerra. (Apoiados.)
Um Sr. Depi i ado :SI vis pacem, para
bellum.
O Sr. Diiarte pe A/.i.vedo :Nao ha mui-
to tempo que neste recinto dizia-so que o
Brasil nao precisava do exercito, mas de
estradas, -.felizmente n brasileiro dislinc-
to quo apregoava a |iii este erro deploravel
resgatou como martyrio em trra inimiga a
illuso em que eslava.
O Sr. Junqeira:Elle nao disse isto :
disse quo era preciso redu'zir o exercito,
porm dsciplinaudo-o.
O Sr. Di arte de Azevedo Estamos
cercados, senhores, do Estado que, pela
forma do seu governt, ou porque, como
dizia Thiers, nao estavam preparados para
essa forma de governo, vivem quasi sem-
pre no seio da auarehia, ameagando a
tranquilizado do imperio, a cujo governo,
bem como aos seus representantes, nao
sao desconhecidos os ciuraes que o Brasil
inspira como primeira potencia da America
do Sul.
Ainda nao ludo, Sr. presidente, o no-
bre ministro da juslica propdz a reforma
da guarda nacional no sentido de tolher
esse meio de que os partidos tanto tem
abusado para a compr. sso do voto eleito-
ral. Est na consciencia de todos que a.
guarda nacional mal t-m servido no gran-
de mister para que a coustituico e a lei
da sua orgauisago a chamaram.
Um Sn. Deputado : A do Rio-Grande
do Sul tem prestado relevantissimos servi-
Cos.
O Sr. Doarte de Azkvedo :Reconheco
e proclamo excepges honrosas, quaes as
que -se deram com a guarda nacional do
Rio-Grande do Sul, da Baha e porventura
de outras provincias mais-; porm, est na
consciencia de todos que a guarda nacional
do imperio nao prestoa os servigos que
erara do esperar do seu numero. (Ilecla-
macoes e apartes.)
Os nobres deputados reclamara contra
um facto que todo mundo reconheco como
verdadeiro. Seno, perguntarei: por que
motivo a lei de 19 do setembro de 1850
foi modificada por decretos do governo no
sentido do so tornarem mais severas as
suas disposiges ?
Porque raoiivo os conselhos de designago
foram substituidos em decretos de 1865 o
de 1867, pelo arbitrio dos commandantes
de carpos h dos commandantes superiores*
Porque razo a ordem das classes estabcle-
cida nos artigos 121 e seguintes da lei de
I8jO foi supprimida, permiltindo-se a de-
sigaefo em todas as classes, excepcio
de viuvos com ilhos e casados com fi-
Ihos? Foi porque as primeiras classes,
aquellos que eram chamadas de prefe-
rencia para o servigo de guerra, nao so
prestavam a semelhante servigo, e o go-
verno se vio na dura necessidade de de-
signar guardas uacionaes da 2* e at da
:<' classe para a composigo dos corpos.
(Nao apoiados.)
O Sr. Theodoro da Silva :E' mais f-
cil fazer um recmta, do que remetter inri
designado para a guerra!
O Sr. Duahte de Azevedo :Senhores,
to reluctante era a guarda nacional em
prostar-se ao servico da guerra, que todo
o mundo sabe que a designaco da guarda
nacional, anda nos ltimos lempos, fazia-
se maneira de recrutaraento....
O Sr. Theodoro da Silva: E ainda se
est fazendo.
(Continitar-se-ha.)
TP. IK) 1)1 IBIO-Rtf A AS t'RnBS H.


I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFAJTPGAF_7FDCRY INGEST_TIME 2013-09-13T23:24:14Z PACKAGE AA00011611_11889
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES