Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11888


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.

-1

t

i


)
/

V
I
ANNO XLV. NUMERO 156.
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE.
4*or tres mezes actiantadog.................. 64000
Por seis ditos dem....................' 120000
Por um anno dem.................... 240000
Cada numero avulso................... 320
DIARIO
TERCA FEIRA 13 DE JLHO OE 1869.
PAHA DEITRO E FORA DA PROVflCIA.
Por tres mezcs adiantados..............
Hor s*,' ditos idem...........
Por dom ditos idem...............'.
Por um armo.........
M750
43*500
20(5230
270000
-
Propriedade de Manoel Fignei^Oa de Faria & Filhos.
Os Srs. Gerardo Antonio Alves d Filbos, no Para ;
Pereira d'Almeida, em
NAO ACiEXTE:

Sifi? ,* PntA,' D0 *?*%**' '. Joa1aim Jos de 0,iveira> no ttor* Antn/** temos Unga, no Arecary; Jo3o Mana Julio Chaves, no Ass; Antonio Marones da Silva no Natal Jos Justina
Mamai^pe^AmoDra Ateaodmo^de Lima, if^jbaLAntomo Jos Gomes, na Via da Penha; Betemino dm Santos Bulco, em Santo Anto; DomingaK?Costa Dr'^a? *>***
em Nazareth; Francino Tavares da Costa, em Alagas; Dr. Jos Martins Alves, na Bahia; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
PARTE OmCIAL.
Ciovemo da proviuela.
IMtSPACHOS DA Vir.R-PRRSIDKNCIA DO DA 9
DK JULHO DK 1869,
Antonio Jos de Andrade.Informe o Sr. ins-
pector da Itmsouraria provincial.
Alejandrina Mariada Conccieo.Informe o Sr.
ojroaeJ commandanie superior da guarda nacio-
nal dos municipios de Olinda e Iguarass.
Antonio Platune. Informe a directora do thea-
tro de Sania Isabel.
Gerdiiliua Alvc-. Ferreira.Informe o Sr. ins-
pector ta tliesouraria de fazenda.
Francisco de Soma Poetes.Informe o Sr. ins-
pector do aesena] de roarinha.
Geraldina Peres Campello Jacomo Pi.Infer-
as* o a'r. inspector da tticsouraria de fazenda.
Hanniuo Mnor dos Santos.Expeca-se ordem
para ser o supplicanle substituido.
ioe Marcelino Alves da Fonseca.Indeferido.
John Demnelly.Pagos os iinpostos devidos, co-
mo requer,
esepba da Invencio da Santa Cruz.Indeferi-
do visia das iuformacoes.
] M Marcelino Alves da Fonseca. Sejam en-
tregue.- Mediante recibo.
Dr. Jos Joaquim de Soma. Ao Sr. inspector
da taesouraria proviucial paraattender ao suppli-
ciitte no (ue pede.
Joaquim Jos de Carvalho Siqucira Varejao.
Remetdo ao Sr. Dr. director geral da instruccio
publica para attender ao supplicante nos termos de
sua informara n. 197 de :i do correte.
Luixa Maria Severa.Passando recibo, sejam
entregues.
Manoel De Giovany. Informe a directora do
thoatro de Santa Isabel.
Manoel Martins Fiuza.Pagando o supplicante
o imposto decretado pelo 23 do art. 48 da lei n.
89! do orcamento vigente, lavre-se deliberacao
eoncedendo a brenca pedida.
Manoel Ferreira da Silva.Informe o Sr. teen-
te-conmei fommaiidant; do corpo provisorio de
polica
Seoundifto Prediliano Gomes de Oliveira.Diri-
ja-*! a thesouraria provincial.
Vicenu.- bernardo Ferreira.Concedo os quinze
das pedi -.
Vic-acia Alves de 'Carvalho Dacia. Junte o
a snpjdieanto as eortidoes das secretarias do es-
tado eickida- pelo decreto n. 89 de :1 de julho de
mi
DIARIO DE PERNAMBUCO
KCIFE, 13 UE JULHO DK 1869. .
A oficia da Itaropa.
fApnr framvz Xavirre, chegado liontem pela
manhaado- portosda Europa, foi portador dejor-
uaes : de llamburgo at 20, de Londres at 23,
de Piris al 24 e de, Lisboa ate ii do passado.
BsaraiatA.JteOfnO o duque du Torre general
Serrano. Juramento de Sun Alteza. Inaugn
raco do Pantheon do oco ministerio. Discus-
suu dos enrmenlos.
WnJkaQt, SeeefO restabelecido. Crise ministerial.
Gratules manoliras em Chalona.
HaitA.ofscM diversas sobre o concilio ecum-
nico. Passo iludo pela Batuta ; sea pouco
xito.
BflMMCA.-Otiie ministerial. Conflicto entre o se-
nado e o ministro da justira. Commissao frail-
e belga para a soliigo d questo das caminhos
de ferro.
Inglaterra.Grande agilacao por cansa da op-
posiro (ue encontra o bil sobre a liberdade da
igreja iri'indeza. Na segunda leilura foi ad-
miUid'i o bil, por 170 votos contra 146.
Italia. Mantfeslarda tumultuosas em Milao, Tu-
rim. aples, le gamo, Reggio e Genova, ne-
je i ro dos convenios ftnanceiros de Cambray-Dig-
!// Crise ministerial.
Allkhanha.Man acolhimento ao rei du Pruss'm
no llaiwvci. liejeiro pelo partimiento aduunei-
ro dos impostas sobre a entrada do petrleo,
ilncerramento do zolverein e do reichstag.
AiiKiticA.O governo dos listados-Unidos recusa-
se a apoiar a poltica de Mr. Webb. ministro d'a-
ijHclles (fiados no Brasil. Qnesldo Alubamn.
Cabo transatlntico entre a Franra e a Ameri-
ca. O governo americano reprov os trabalhos
dajukla revolucionaria de Cuba em Nova-York,
t'iudumentos em S. Geronim (Porto Principe),
e Cienftieijos.
Portugal.Crise Ministerial passageira. Subfi-
uqo interina do ministro da justira. Parti-
da da vainita. Diversas.
IIKSI'AMIA.
As cortes approvarain a lei da regencia de Sur-
rano por 193 contra 15, depois de um discurso
de nu.zaga em resposta a Castellas. No da 18
fui prestado solemnemente o juramento do regen-
te pato duque da Torre.
ceremonial ampregado foi idntico ao que se
tcui euipiegado com o.- antigos soberanos. O re-
gente cutrou no salo das canea sendo acompa-
nuado por urna commissaii especial. A sua en-
trada tjdes os deputado'- se levantaran! licando
sentado, o presidente, o Sr. Ilivero.
O regente ajoeihou diante do presidente que
lite perjjuntou : Juraos guardar, c fazer guar-
t dar a aonatitiiijSo da nacao hespanhola de 1H69,
e as leis do paiz, nao attendendo em quanto fi-
zerdes, senao ao bein o liberdade da patria '.'
Serrano respondeu : Sim, juro, e se no que
t bei jurado, ou em parte zer o contrario, nao
devo ser (decida, antes tudo aquillo em que
conlravir soja nullo e de nenhum effeilo.
O presidente replicou : Sj assim o izerdes
c Deus e a patria vos prcmeiem e se Diovos tor-
ne :u responsavel.
Sua alteza.'o regeute, depois do juramento, to-
iou assento c leu o seguinte discurso :
t Srs. deputados Com a ereaeao do poder
constitucional que vos haveis dignado confiarme
e que acceito reo.mnocidu, eomeca um novo pe-
riodo da revolugao de setembro. A poca dos gra-
ves perigos passuu ja, e comeca outra de reorga-
isacao em que nada tomos que temer a nao ser
nossa impaciencia, nossa desconuanca ou nossas
exagera'.
Levantemos primeiro a lousa qae pesava 60-
bre Hespanha e nos constituimos depois debaixo da
forma uonarebica, tradiccional em nosso povo;
porm rodeada de instituicSes democrticas. Ago-
ra' ehogado o momento de desenvolver c con
solidar as conquistas roalisadas e de fortalecer
a auloridade que o amparo de todos os inte-
resses ociaos, estreitando ao mesmo teuipo nos-
sas nUcfies bplomaticas eom as raais potencias.
Difliril a empreza para minhas debis forcas
porm infundem-me. confianca no xito vossa
alta sabedoria, a adliesao decedida do todo o exer-
cito de mar c trra, o grande patriotismo da mi-
licia cidadoa e o espirito sensato e nobilsimo e
noesa naci regeneradora.
Dselo o posto da nonra a que me baves ete-
V3i nao vejo os partidos politices, vejo o cdigo
todos obligae
e lealmente a eonstituicio do estado, se exercam
pacifica e ordenadamente os direitos individuaes,
^e afflance o crdito dentro e fra de Hespanha,
e se augmente a liberdade sobre a baso rmissi-
ma da ordem moral e material, para que o me-
narcha eleito pelas cortes constituintes comece seu
reinado prospero e feliz para a patria, a qual te-
nho consagrado e consagro todos os meus afrans,
todos os meus disvelos e loda a minha existen-
cia. >
O presidente Sr. Rivero, respondeu que as cor-
tes tinham ouvido cem agrado as nebros palavras.
e leaes propsitos do regente do reino.
Terdinados os discursos levantou-se o regente,
abracou o presidente, e retirou-se, saudando o au-
ditorio que novamente se poz de p, dando entliu-
statfooa vivas ao regente, Hespanha, constilui-
cao, soberana nacional e ao presidente das cor-
les.
0 regente nomeou o seguinte ministerio; Prim.
presidencia e guerra ; Topete, inarinha e ultramar
(interinamente); Silvella, estado ; Sagasta, gover-
naco ; Herrer graca ejustica ; Zorilla, fomen-
to ; Figuerola, fazenda. Nenhum membro do par-
tido monarcbico-democatrico quiz fazer parte do
novo gabinete apezar dos esforQos empregados pe-
lo general l'rim, e outras pessoas importantes af-
fectas ao governo.
A Gazeta publica um decreto dando forca de
lei a lodos os decretos do governo provisorio.
Topete em resposta ao monumental discurso de
Castella, declarou que nem elle, nem os seus col-
legas pensarao em intuir, fosse o que fosse ao
paiz ; que a decisao pertence s cortes ; mas que
entretanto elle er que a eleicao do duque de
Montpensier a grande e nica solugao.
O deputado Serraclara interpcllou o governo
acerca da circular dos ministros do reino e da
juslica. Sagasta declarou que seriam castigadas
todas as manifestacoes contra a constituieao.
Os deputados republicanos reuniram-se para
concordar sobre o comportamento que deveriam
seguir em vista daquellas declararles; alguns
deputados opinaram que adoptado esse systema,
a iniuoria devia protestar de um modo ostensivo,
outros que deviriam abandonar as cortes.
Os republicanos Bceram em Madrid manifesta-
coes por oceasiao do annversario de 22 de junlio
de 1866. Houve o maior socego, mas notase al-
g.ima agitacao por ter sido preso o presidente de
um club republicauo, por ter em um discurso di-
rigido phrases pouco ag adavuis para a i egenria.
0 governo hespanhol dirigi urna circular aos
representantes de Hespanha no eslrangeiro, notili-
eaudo Ihes a nomeacao do regente e constituieao
do novo mi'iisierio.
0 regente tem sido felicitado pelos ministros ple-
nipotenciarios da Prussia c confeJeracao da Alle-
mauha do Norte, minjstro residente dos Paizes-
Uaixos, ministro plenipotenciario da Suecia c No-
ruega, ministro plenipotenciario de Portugal, c en-
earregado. de negocios da Inglaterra, toaos os
quaes manifeslaram as boas disposicoes de seus
respectivos governos para com o regente.
O introddctor de embaixadorcs o viscoude del
Cerro, desempenhou suas funegoes nesta recep-
efia.
No domingo 20 effectuou-se a inauguraciio do \
pau'heon nacional; o cortejo era milito brilhante
lisa cao, e dsse-: t Conservai o espirito militar, e
aleancareis o triumpho das nobres paixoes, so-
bre as paixoes vulgares. Prosegu na vossa de-
dieacao patria, e seris sempre dignos lilhjs
' de urna grande naci.
Parece que na abertura do parlamento se pre-
para urna interpellacao sobre a questo de Roma,
logo que conclua a discussio das actas. Caleulam
alguns jornaes em 150 o numero de deputados
que se sabe seren affctos ao poder tomporal du
papa.
Fazem-se amitos conimentarios sobre a intenta-
da viagem a Italia do senador Cont, que se diz
estar encarregado de urna commissao especial do
imperador. Citase o projecto de ser nome ido re
presentante de Franca em Florenca o general Fleu-
ry, que estava em liorna, quando se effectuou a
evacua^o das tropas francezas. Falla-se iiiuito
em negociaces pendentes para regressarem a
Franca as tropas que all se acham.
Dizse que falleceu repentinamente, o celebree
eloquente deputado opposicionsta Julos Parres.
BOMA.
Dizetn de Roma, que apezar dos,boatos em con-
trario espalhados p -la imprensa eslrangeira, con-
tiuuam activamente os preparativos para o prxi-
mo concilio.
Afflrfna-se que sua santidade resolveu nao fa-
zer modillcacoes algumas, nem na data da reuniao
nem no progr.imma.
Dizem ser falsa a noticia do ter o Sr. Bonnevil-
le feto propostas algumas a sua santidade acerca
do concilio.
O governo da Baviera expedio urna circular aos
outros governos calholicos, cnsul lando os sobre
os seguintes pontos acerca do concilio :
1." Que modifiracoes se introduzirao as re-
lacoes da igreja e do estado, se o concilio adoptar
como dogmas as dotitrinas do Syllubas, e da infal-
libilidade do papa?
_2. Os profossores de direito canouico jnlgar-
sehao obligados a proclamar dogma da f, e abr-
gatorio para tidos os chrislaos, o da supremaca
do papa .sobro os soberanos ?
3. Reconhecerao, como do direite divino as
inmunidades reaes e pessoaes do clero f
4. lia motivo para decidir que as allocucoes
do papa ex-cathedra tem o valor de dogmas, sen-
do, portanlo, pontos de f para os catholico-, seja
qnal fr a materia sobre que verseas r
5." No caso do concilio se prenunciar acerca
destas questocs, que mllu-iicia tero as suas re-
solugoes na instruciao publica ?
Os governos consultados sobre este programma
responueram com evasivas Parece, porm, que o
gabinete Meuabra, est de acconlo com o minis-
terio da Baviera, sobre o projecto de impedir a
reunio do concilio, e que uestes casos se acham
mais alguns governos.
Sao limito cerdeaos as relaeoes da corle de Ro-
ma com o governo hespanhol.
O governo hespanhol oncarregou o nuncio de
transmittir ao santo padre as suas felicilacocs pelo
motivo do annversario da sua eleicao e de Ihe en-
tregar seis mil duros, conla dos dez mil qu
iee dar a Hespauha para sustentacao da ba-
slica do Vaticano.
Diz-?e que se malloranim completamente as
IT\LI\.
A Gazeta Oficial de Florones annunciou que na
noute da 21 para 2* de junno hnvia|i rebentado
manifestate de pouca impnriaiiciJ^lm. Mllao,
Turim, Npoli.'s, Bersamo e Reggio. Parece que o
povo daquellas cidades nao tonwu parto estas
manifestames. as (temis cidades da Italia a or-
dem era perfeita. Os grupos forain dispersos sein
ser preci o empregodas armas.
Os grf* dos indjvkluie que tomaram parta
nestesamus, demonstravam que esta va m prepa-
rados, c ertru dirigidos |wr agentes secretos.
m despacho Oo ministro do interior de 22 aos
p'refeitos, diz que noiie todas as provincias esta-
ecumenico e as gracas e indulgencias que o sanio
pidre concede a todos os liis que cumprirem
vam tranquillas ; consta, porm. que em Turin, de meios. antorisando o governo ia proceder V co-
temporananiente da pasta da justi'ca, em quanlo
durar a impossibilidade, por motivo de molestia.do
Sr. Pequto de Seixas! 0 decrete de 18 e refe- n
rendado pelo presidente d..conseiho de mimstros, ^fl Viteffi 2o*" ^ apWtol"
marqnez de S da Bandeira. uP,,i "L _i!Tj_________,. ,_____.-.-
V se, pois, que o Sr. Peqnito se retirou as
bastidores, e se a deim'sso b&r foi definitiva, rte-
se que para o ministro interino da justira poder
adiar a solncao de alguns negocio* mais spiibo-
sos com a erte de Roma, a pretexto da prornaa
nterin dade.
Soffren.pois.asituacao- o primeiro golpe. Nikt
rfea, porem, aqni.
J tinha passado om ambas as cmaras- a lei
e multo numeroso.
Comecou' a discutir-so as cmaras o ornamen-
to da receita. Foi regeilada, depois de caloroso
dbale, a emenda abolindo o imposto pessoal, por
121 votos contra 84.
Regeitaran tambem a emenda do ornamento
que lancava um imposto sobre o juro da divida
interna.
Foram j adoptados os 7 primeiros captulos do
orcamento da despeza, e julga-se que o orcamento
da despeza entrar em discusso nos principios de
julho; depois da approvaeao do orcamento ser a
cmara addiada para outubro.
FRAN.CA.
Rcslabeleccti-se o socego em Franca. A ins-
irucco preliminar feila aos individuos presos e
transferidos para Bictre, den em resultado paa-
sar-se ordem de priso contra 200 pessoas, sobre
1,033 que alii se achavam.
Alm destas averiguac-oes judiciarias, procede-
se a uina devassa a respeito dos actos de vanda-
lismo prnlicado por alguns individuos em Belle-
velle, Mnilmontanl, liaslilha, ra Rambuteau e
em casa dos espingardeiros.
Em todas as visitas domiciliarias, procurava a
polica apoderar-se de urna certa caria de Mazzini,
e que era necessaria polica, para provar que
havia conspiracao contra a seguranza do oslado,
e assim motivar, as medidas de represso que se
leen i cmpregado.
Entretanto, parece que nao foi adiada tal carta,
nem copia alguma dalla, se realmente existi. Diz-
se que entre as pessoas presas em Paris ha mutos
allemes, e acrescenta-se que o circo prussiano
nao foi indiffjrenie a estes tumultos.
Diz um jornal que no dia 11 de junbo, sahiram
do Paris uns 42 mil estrangeiros, em consequen-
ca dos ltimos acontecimentos.
Foram igualmente reprimidas as desordens dos
mineiros em S. Etienne. O general Niel, comman-
danie da divisar militar de LfOn, envin retornos
para S. Etienne, e mandou que se adoptasse me-
dulas rigorosas para se evitar que se reptam os
tumultos.
Chegou ha haver um contlicto com a tropa de
que resultou haver morios e feridos de urna e ou-
ira parte.
Tem sido perseguido varios jornaes da provin-
cia e de Paris, por delicto de noticias falsas por
oceasiao das desordens do Paris, Bordeaux e Nan-
tes.
O imperador teve urna larga conferencia com o
principe Napoleo, e o marquez de Lavallete, mi-
nistro dos negocios estrangeiros, c falla-se de gran-
des modificaces no gabinete.
O Sr. de Persignv foi encarregado de offerecer
urna pasta ao Sr. Obviar, mas este estadista ne-
goo-ae decididamente a fazor parte do ministerio
O principe de Talleyrand, deixando as suas fuuc-
,;oes de embaixador de Franca em S. Petersburgo,
vai ser nouieado senador.
O corpo legislativo deve abrir-se no dia 28 de
junho ; um dos motivos que segundo se diz leva-
ram o, imperador a convocar as cmaras para es-
se dia, foi a necessidade de apresentar o orcamen-
to extraordinario da cidade de Paiis, para o qual
preciso dinueiro, e que leno algumas irregula-
ridades deve produzir violentas discussoes. Dcvi-
du tah-ez a este acontecimento foi aceita a demis-
so pedida poh prefeito do departamento do Sena,
o Sr. Haussmann, que segundo se afrma sera
substituido pelo Sr. Chevreau.
Parece que a abertura do corpo legislativo te
far sem solemnidade, e que o imparador nao pro-
nunciar o seu diseurso do costume.
Foi nouieado o Sr. Sebaeier, presidente do cor-
po legislativo, e aos Srs. Alfredo Serroux, Jcrdme
David e Dumiral vice-prosidentes.
O imperador parti para Chalons no dia 21 de
junno eom o principe imperial, sendo all objecto
de na enthusiastico reeebimeato. O imperador
tencionava all demorar-ee -al o dia x7, devendo
ne#se dia visitar a expesico agrcola de Beau-
veus.
Armunciavam-se grandes manebras, sendo no
dia 23 as manobras eammandadas pelo impera-
dor ; o (|uc tora victoriado com entliusiasmo pelo
negociaces entre a corle romana e a de S. Petis-
fundamental quo a lodos obriga e a mua e pri-
moir* e que ser por todos obedecido e acatado :
vajea nossa querida patria taoanewMdo estabi- povo e pelo exercito.
bdacedc repouso como vida de progressoej O discurso do imperador
liberdade : e por ultimo, como suprema aspiraoio
no deeaapeobe de aten honroso canto, o flm de
um interregno durante o qual se praljuo sincera
faz ver qae senao es-
n da grande causa porque tem combatido ha
dez anrms; a da Italia. Fez a. bitoria das guer-
ras, assim como a historia do progresso o da civi-
burgo, acerca da questo da igreja catliolica da
Polonia.
Anuunciava-so em consequencia deste rompi-
menlo una alloeacjto do papa, condemnando a ty-
rannia do governo moscovita, e animando os Po-
lacos a continuaren) a ser liis religio dos seus
pais.
O consistorio para as nomeaeOes de areebjapos
devia ter lugar no dia 25 do jdnho. Consderava-
se segura a promocao dos Srs. Chigi, Falanelli o
Gianelli ao cardinatato.
III'LGICA.
Dizem de Bruxtllas que o ministerio belga est
e.m crise. Urna lei apresealada por liara, ministro
da jnstica, ^- passou no sanado depois do grandes
emendas. Esta opposicao causada por aquello
ministre provocar Constantemente e sem utilidade
alguma os membros do partido oalbolicu.
Dz-se que Frere Orlan hesita em dissnlvcr o
senado, porque considera como provavel a reelei-1
cao dos membros da maioria, e nesta hypothesc
todo o gabinete se verla obrigado a retirar-se.
Comtudo, segundo diz um jornal (ranees, anda
que baja mudanca ministerial, nao seraj pertur-
badas as boas relaeoes que existem entre a Franca
c a Kelgica ; e que pelo contrario os sead -res
que ileram o voto desl'avoravel ao ministeriik
lavoraveis a um accordo com a Franca sobre a
questao dos caminhos de ferro.
No da 22 de junho reunio-se em Paris a com-
loisso franco-belga encarregada de resolver a
queslo pendente, e jma-se que em breve se che-
gar a uina soiucao satisfactoria.
1NGLATKRHA.
Ha urna grande effervescencia e expectativa pe-
la posiyo tomada pela cmara alta em relaeo ao
bil da liberdade da igreja de Irlanda.
Todos os jornaes se oceupam com a resolucao
i|tie parece terem tomado os lords conservadores
de reg itarem o bil. ,
O conde de Harrowby estava encarregado em
nome do seu partido de propor a regeicao por oc-
easiao da segunda leilura-. Lord Harrowby goza
de grande auloridade pessoal. e tem amigos em
todos os partidos. Tem-se orgamsado em Londres
varios meetings para dar aos lords o apoio moral
de que neeesstani.
Lord Derby respondendo a urna deputac,o, de-
clarou que estava resolvido a apoiar a mocao de
Harrowby.
O Tymes escreve: Prevaleceu a poltica do
desespeio Estamos em vesperas de crise. Nin-
guem ignora o resillado provavel da lucia. O bil
passarsem alteraran niportaule uas suas prin-
cipaes clausulas autos de acabar o anno.
A maioria do gabinete pronuncou-se contra a
opinio ni; nfestada em alguns circuios de que
seria conveniente appellar de novo para o paiz,
da decisao da cmara dos lords, no caso della per-
sistir em regeilar o bil.
_0 Sr. Gladstone respondendo a urna interpella-
cao disse que o governo nao intenta eslorvar a
accao da cmara dos lords ; e accrescentou que
nao aeonselhava se celebrassem meelings, se a
cmara alta regeiiar o bil.
No dia 14 houve em Birminghaa um mceting
para se lr urna carta de Brght, que ameaca a
cmara dos lords, caso regeile o bil.
A segunda leitura do bil sobre a igreja da Ir-
landa teve lugar no dia 15, levantou-se nm Wan-
da e animadsimo debate que durou at o dia em
que foi approvada a segunda leitura por 179 vo-
tos contra 146 ; sendo a maioria s de 33 votos i
Na cmara dos communs foi apresenlado um re-
queriraento em que .-etenta mil operarios pediam
que o estado Ihes abrisse os seus museus e gale-
ras de quadros, nos das feriados, depois dos offi-
cios divinos. A supplica era certamnte justa o
attendivel, mas os rigoristas observadores do do-
mingo, escandalisaram-se com tal pe.iicao. Sobre
ella se levantou urna larga
devia proceder vot '
numero sufflciente na sala 1
O Sr. Otway respondendo a urna interpellacao
ua cmara dos communs disse que o governo ame
ricano sustenta que o navio Mary lawell fra
aprMonado as aguas ingleas ; mas a Hespanha
sustenta que fdra aprisionado no alto mar ; e ac-
rescenton qne os aprisionameotos feitos pela
Hespanha estao acuiahnente a ser examinades pe-
los legistas lngtezes.
aples, Pava e Padua, se baviain preparado al-
guns gritos sediciosos. Neese 4lta Mihio^estava
tranqnilla. Em Genova, |Nniin,- no da 23 linda
continua vam as manifestacoes. O governo tem to-
mado providencias enrgicas, e tem-se procedido
algumas prisdes.
0 deputado Lea aprosentou na cmara
o parecer da couunissai encarregada do ex ame
dos tres con venios linonceros do ministro Cam-
br^y Diguy, e conforme com a opimo manifestada
pela grande maioria das secces, a commissao
propoe ieamara a regeicao dos ditos coavenios.
A Opininne publica m artigo milito violento
contra o Sr. Dtgny, pedindo ao rei que o afaste,
para salvar a monarchia.
Diz a Gazeta Oflicial que os convenios flnancei-
ros; depois de modificados, seriam novamente
apresentades cmara na prxima legislatura.
Consta que a duqueza de Aosto nao tem ex-
perimentado melhoras no sen estado de salido.
O general Cialdim experimenta algumas me-
lhoras.
Garib.ildi acha-se de cama e bastante doente,
em consequenchi de um vilenlo ataque de rheu-
ma ti sino. Seu (libo Menotti Garibaldi esperado !
em Londres, durante o mez de agosto.
Allema.na.
O rei da Prussia, restablecido do seu incotn-
in do. parti para u Hanover no dia 15 dejiinho;
indo em sua coin,ar.hia o conde de Bismark. O
rei foi al'i recebido com extrema frieza.
Todas as familias principaes tinham partido da
cidade na vespera
e as paredes de
grandesViva o rei Jorge /So as tropas loma
rain parto narcepcao. Bismark nao se mostrava
branca dos impostos c mais rendmentos pblicos
relativos ao exercicio de 18691870 e applicar o
seu producto s despezas do estado, corresponden-
tes ao mesmo exercicio. A autorisaeao concedida
ao governo vigorar tmente at ao fim da actual
sesso legislativa, se antes nao for convertido em
le o orcamento geral da receita e despeza do es-
tado para o mencionado exercicio.
Seguir, no dia 14, bordo da corveta /<-
tephama, para a Allemanlia, S. M. a rainlia, sondo
acnmpannada at bordo pela familia real e nume-
ro conj ueta do povo. No da W chegou a Este-
Shania Brdeos, com feliz viagem, seguindo S.
[. a ranha para Paris, o d*abi para Stutgard.
Don dias depois do seu casamento, a Sra.
condessad'Edla^ecebeu a agua do baplismo. pas-
sando da religio protestante, que ponencia, para
a catrfolica romana.
Foram agraciados : com a graa-cruz da
Torre e Espada, os generaos Prim e Serrano, este
regente e acuelle presidente doconselho de minis-
Enlre os 322 membros provaveis do concilio
ecumnico, contando com .'7 cardeaea, compre-
bendem-se 23 bispos porlugne7.e, 77 brailelros,
mexicanos e americanos do su!.
Eis o plano dos sonhadores ibricos. Eixlra-
Imo-lo do Diario Popular :
Toda a Hespanha ser dividida em eftwo esta-
dos, a saber;
O do norte, capital Burgos, que se compara-
da Navarra, Vascongadas, Asturias, e parte de
Castella Velha e d& Lean.
O do occidente, capital Porto, que se formar
com Portugal e Galliza.
O meridional, capital Granada, que se orga-
nizara com a Andaluzia, Granada, parte daBre-
inadura o Murcia.
Oriental, capitil Saragooa, que seri consti-
tuido com o Aragao, Catalunha, Valenca, o parte
de Murcia.
O central, capital Madrid, que ahranger a-
Castella Nova, Mancha, parte da Extremadura, de-
Leao; e de Castella Vplha.
A capital da eonfederaco ser Lisboa, cidade
Ivtbj e porto franco.
Nesta parte ha divergencia, pirque ha quem
queira que Lisboa seja a capital do estado occi-
dental, Toledo a capital do estado central, e que
Madrid como- ponto mais central seja a capital do
estado geral.
tros; e com o habito de A^t, o escriptor hespa- um fundo falso n um bahu com volumes de
nhol D. Benigno Joaquim Martnez.
Foram titulados : conde de Avilez o filho
primogemto do fidalgo desse nome ; bara de Pa-
ranhos, or. Sebaslio Mara de Gouva ; bario
de Lonredo, o. Sr. Manoel Lnurenco Bacta Neves,
residente em Minas-Geraes ; viscoude de Caria, o
bario desse nome ; bario de Alcantarilla, o Sr.
Sebastiao Jos de Mendonca.
Fizeram-se as eleifoes supplementares no da
: 20, sahindo eleitos : por Beja (circulo 86) o Sr.
jaueilas estavam fechadas, i Vasconcellos de Gusmao ; pelo circulo 77 (Abran-
algumas ras ha.-se em lelras tes), o Sr. Dr. Boiras ; pelo circulo 21 (Villa-Nova
de Gaya), o Sr. Mogo de Macodo.
as elcices do ultramar sao candidatos go-
vernamentaes : por S. Thom e Principe, o Sr.
Caldas Aolte ; por Mocambiquo, o Sr. Dr. Hol-
bech ; por Angola, o Sr.' Elias Garcia ; por Maco,
o Sr. Jos Horla ; pelos estados da India, os Srs.
Osorio de Vasconcellos e Bernardo Francisco da
Costa. Em Cabo-Verde ha dous candidatos pro-
postos, um o Sr. Antonio Rodrigues Sampaio, e
oulro o Sr. Dr. Thomaz de Carvalho.
Os duques de Montpensier transfenram sua
residencia para Hespanha, onde foram muito mal
acolhidos pela populaban.
Dizia-se que, apenas se fecharem as cmara?,
seguir para o Ro de Janeiro o ministro portu-
guez junto corte brasileira, o Sr. Carlos Bento.
Achava-se morte, de graves e anlgos pa-
o re pai onde no decimentos asthmaticos, o cardoal patriarcha de
inaugurara do porto de | Lisboa. D. Manoel Monto Rodrigues.
Na alfandoga de Lisboa doscobrio-se ha dias
doce
Pinto
admirado com o aspecto da populMao, e disse ao
biirgn-mestro, i cpiem o rei ('tiiihne Una falla-
do com (cande frieza : Nos bem sabemos que
nao Hinos aqu grandessvnpalbias ; mas sso
-nos iodilferente, c untanto <|'.ie sejamos os mais
fortes.
O burf-mestre responden que com o tempe se
modilieaMiin as dispusieres di povo. Bismark
respondfp com intimativa, e como desejando que
as suasgalavras ios sen envidase repetidas. As-
sim o spero e desojo, a bem da cidade ; alm
disso com o^tndar dos tempos, veremos anda
militas cousas I
Apenas, o re sabio da cidade, voltaram todas as
familias ue se tinham retira lo na vespera
D*A
dia 17 se S
guerra na bahia de Jah 1. A' uianguraco assistio o dislincto poeta
o rei, os grao-duques de OldemburgoSclnv'crin, |cm convalesconoa.
conde de Bismark, miuisffo da marinba, c o mi-
nistre da guerra general Roon, que leu urna ex-
ao historiea acerca do porto.
governoda confbderacan do norte foi veneilo
no parlamento das alfandegas, em una questo da
paulas, em quo j o parlamento federal Ihe-dra
voto contrario. Tratava-se do lanoar um direito
de entrada sobre o petrleo na alfandega de Zol-
verein. A cmara regeitoo a proposta governa-
niental per KJ3 v los contra 83.
Parece que o governo, om consequencia da ro-
cusji dos iinp si indirectos pedidos ao reichs-
tag, nensa na possibilidade de urna redueeao con-,
-ideravel no exercito, porque espea que no pr-
ximo O'.iton-) e-ieja sigura a paz europea.
Os discursos do re da Prussia quandoencerrou
o parlamento adnaneire o o reicbstag, sao intcira-
menle consagrados a assnmpl internos.
AHEBICA.
Recebeu->e na Europa um lelegramina de \S"as-
hington. dizendo quo o governo americano se re-
cusa i ap'iar a pritica ao Mr. Webb, ministro dos
Estados-Unidos ueste imperio.
portugus Castilho fleava
- Fallocoran : o anlgo cnsul do Hanovre o
negociante da praca de Lisboa, llenriqne Jorge
Schollz, com 76 annos ; os Srs. Francisco Alvos
da Costa Guimaraes, Joaquim Jos de Andrade
Basto, Manoel Ferreira da Silva, to capitalistas, que foram negociantes nn Brasil.
A associacao commercial de Lisboa elaboren
urna representado, que pretende dirigir s cama-
ras, pedindo ao governo os seguintes alvitres :
1 Que soja eliiniuada a taxa sobre a exporta-
cao dos vinhns, e substituida por um imposto m-
dico de 1 por cento ad vulorem, sobre toda a ox-
i irtacao.
2." A nao approvaeao do imposto de 4 S propos-
to por cada cabera de gado bovino exportado, o
qual deve liear sujeito regra geral de i por sen-
t para toda a exportacio, c o estabeleeimento c
urna taxa annual de 200 rs. por eabeca de gado
grosso existente no paiz, eomprehendondo as espe-
cies bovina, eavallar e mnar ; de 60 rs. sobre as
especies azinina e suina, e de 20 rs. a fanisera e
caprina.
3. Um imposto uniforme de 200 rs. por metro
i larga discussSo e miando se
cio vericousenao 'haver
-As insli uceos do novo representante cm cubico de carga para qualquer vapor nacional ou
Inglaterra, o Sr. Montley, sao que tama a.aecu-1 ostrangeiro, o metade para os navios de vell
i das negociaces. relativas ao A'abama, e
que s quando esteja acalmada a irriUCftQ, se po-
der esperar que a Inglaterra entabolar as nego-
ciaces.
O Sr. Monlley dover fazer constar que a pro-
clamacao da ranha coHcerncnte neutralidade,
nao o motivo da reclamaqao americana ; mas
que era pouco amigavel, e que seguida de actos
semejantes, occasonou perdas que devem ser re-
paradas.
No dia 21 parti de Brest o vapor Grca-
Kastern pava a collocacao do cabo transatlntico
qu deve porem communicacao directa a Franca
com a America. Tem-se verificado com bom xito
a imm rsio do Cabo.
Os membros da junta revolucionaria de Cuba
cm Nova-York, forain presos por oraem do go-
verno americano a podido do represntame de
lle-q.anha, por vtolarcm as leis da noutralidade.
Fwam, porm, postos em liberdade mediante
daas caneos : um i, de cinco mil duros para ga-
rantir a sua apresentacao perante o tribunal; e a
segunda de dous mil e qunhentos duros para ga-
rantia de que re-peitarau a paz de Hespanha.
Nao leve bom resultado a nova tentativa feta
cabanos para o governo' dos Estados-Unidos
os reconheeer como bolligei antes.
Fofam passados pelas armas cm S. Jeronymo,
urisdiccio de Porto-l'rincipo, o tio do cabeclha
Q.teada, D. Jos Manuel Queada, e em Cienfuegos,
o cabecilha Ramn Cabrera, e tres dos seus
companheiros D. Manoel de Jess Ramiez, Rambo
e D. Benito Cancio Figueir'.a.
0 ministro liespanhol mforinou ao Sr. Fi-h
ijue a Hespanha retira a sua aeeitaea. da media-
cao dos Estados-Unidos entre a Hespanha e o Pe-
ni, em consequencia do Per haver reconhecido
aos insurreccionados de Cuba.
rORTUGAL.
Retrou-se temporariamente do ministerio o
Sr. Antonio Poquito Seixas de Andrade, ministro
da juslica, ficando Interinamente encarregado da
pasta o Sr. bspo do Vizeu. .Nosso correspondente
de I.i-ba diz-nos o sofuinto sobre esse fado :
Ha dias na cmara dos deputados o ministro
da juslica, o Sr. Antonio Poquito Seixas de Andra-
de, refemdose ao antis o partido conservador pro-
ferio inconveniencias nao s Improprias d'um par-
lamento, mas anda mais de um ministro da co-
16a. chegando a
se tinha abotoado em importan!. _
Jando-o a entender, empregandy para isso a tal
cxprcsso clitila, o que bastante escandalisou a
eamara e a propria maioria. "Na cmara dos pa-
rqp, o conde de Thoraar, antigo chefe desse parti-
do, boje desmoronado no campo da poltica, podio
serias explicaces por aquellas phrases, e tanto
apcrtoii que. o ministro do reino (hispo do Vizeu)
ifve e> responder me fdra inconveniente a expref-
sao do seu collega ; que ello se achava ausente
por motivo de molestia, mas aue nan duvidaria
vir cmara responder, logo qiic o sen estado de
sade m'o. permitlsse. E' faci novo tambem um
ministro eonfessar no parlamento as inconvenien-
cias dos anltegas. No Diario do Governo de 19,
^creto encorregando o hispo de Vizeu
100 rsi por metro cubico de eabottgem para
aquelles e metade para estes, sendo porm a taxa
da tonelagem para os minerios 100 rs. por mil ki-
logrammas.
4. Conservacio do typo nico da pauta actual
para o assucar,' at que o imposto em vigor possa
ser reduzdo.
5. Modiflcacie radical no dispo-to no art. Io da
proposta n. 4 do governo e na doutrina em igual
artigo do n. 5, nao devendo exceder a .f por cento
o imposto sobre os dividendos dos ttulos das so-
ciedades anonvmas, abrangendo nossa drsnocao
todos os esllbelecimentos para que nao haja isen-
coes on privilegios, lancandn-se igual imposica.)
sobre os ttulos de divida interna ; o sentando-se
as ohricraeoes da companhia de crdito, o altera-
cao do n. 2 d i art. Io da proposta n. 4 e do art. 2
da mesma proposta.
6.o_^np.^jg,-lrt d0 todos os ttulos a que se refe-
rem a tabella n. 2 do decreto de 4 de setemhro de
1867, e a tabella n. 2 da lei u. 13 agora proposta,
do sello de 1/2 por mil, com excepcao dos docu-
mentos on ttulos que nao representem valor
maior de 404000, nem menor de 58000 (pois es-
se Bearao sentos), os quaos pagaro o sello de
20 reis e d'abi para cima 5 reis per cada dezena
de mil, ou fraccio della ; e a ixacio da inulta de
20 por cento do valor do ttulo que se subtraia a
favor do denunciante.
7.Lancament do sello de 00 por cento por
cada novo pertence ou indosse de ttulos de 1003
e augmento proporcional nos de maior valor.
8.Acclaracao da disposicao do art. 7 da pro-
posta n. 16euTre!acao aos depsitos das fabricas,
e iseneao de imposto para os armazens de relem
a que se refere o artigo n. 5.
9. Terminaoio da faculdade de quo g .zam os
negociantes extrangoiros de pagarem a sua eollee-
ta ou no respectivo gremio, ou pela renda da ra-
sa, sugeitando-se lei commum.
10."Substitucio do imposto predial de repar-
ticao, pelo imposto de quota hincado por forma
que metade seja iixe e reca sobre o valor venal
da propriedade, e a outra metade vanavel e pese
sobre o rendimento liquido, com tanto porm que
estajtima parte nunca v alm de 5 por cento
do Aro rendimento. .
Toilos estos alvitres foram approvados pela as-
. sembla geral da associacao commerei.il, monos
di/or que algiiem desse partido os que iratam das tonelagens, que (fcaram substi-
i m iaapaciantes wmnus, ou luidos por um anico em que que os na-
" vio* quo entrarem em lastro e sahirem com an
nacional, incluidlo 2/3 de sal, gosem do beneficio
que a lei em vigor concede.
Lemos na arta de nosso correspondente de
Lisboa : ,
c.LadvFrauklin, viuvi do celebre navegador,
sahio do Porto ha dias para fazer urna digres-ao na
provincia do Minti, voltando por Braga e Guima-
raes. Ir visitar as ricas e preciosas caldas de
Vicella. *-
< O Sr. Feij, bspo de Cebo Virde pedio licon-
c'a ao governo para assistir ao concilio ecumnico.
O arcebispo de Braga, primaz 4as Mespanhas aca-
ba de publicar urna pastoral parliatpando aos pn-
vos da sua diocese a reuinao do prximo concilio
pertencente ao Sr. Julio Cesar de Oliveira
ehegade do Brasil no vapor Guienne.
' lo fundo falso estava escondida urna poreao
de tabaco em charutos, o n'um segredo seis notas
de differente valor do naneado Brasil c urna caria
sobrescnidada ao Sr. Du. rio Pinheiro, commer-
cante da na dos Fanqueiros e juiz eleito da fre-
gueaia de Santa Justa.
O Homem foi preso e remellido ao primeiro
juizo criminal, onde a carta foi aborta dias depois,
o mhooenilo-se que tratava unicamcuto de nego-
cios particufares.
Desconliava-se que as olas besan para ser-
vir de modelo a nutras qre se projeetase fabricar
aqu. Era fundada a desconuanca, nao s pela
cautela com que ollas vinham escondidas, mas por
nao ser natural trazer-so notas brasileiras para
Portugal, onde ellas nao tem curso.
Agora jiareec sabor-sc j i|ue nao havia ten-
tativa criminop;., c que o homem apenas as quera
esconder o* companheiros. O delicio do homem
de querer furtar o direito do tabaco.
Braga distmgoi-se entre as cidades onde foi
eommemoradn o 23." annversario da ascensio de
Po IX ao soleo pontificio. Eis como o Commer-
cio de Braga narra a solemnidade do dia 17 d'estc
mez:
Foram brilbantes e com grande animacio as
festas que nesta cidade lveram lugar no dia 17
*m honra dff 23." Mmiversarln da oxaltacao de Pi
IX ao throno pontificio. O Te-De un foi cor.corri-
dissimo, assistindo a este religioso acto todas as
autoridades ecelesiastieas civis o militares, bem
como nm concurso immen;o de povo. A S eslava
ricamente decorada, vendo-se sobro o arco da ca-
pella mor a Uara papal no moo de todos os tro-
phos e insignias do pontificado. Em frente do
templo achava-se portada urna guarda de honra
do regiment de ir-fantaria n. 8. A' noite toda
cidade apparecoii "Iluminada, pe.reorrendo diffo-
rentcs bandas de musir as nas da cidade tocando
o liymno do pontifico. Eram militares as pessoas
que apinhavain as mas tomando parte n'eslas
festas de sunmi regocijo. A liento da calhedral
eslava vistosamente Iluminada, bem como a ra
do Poco aoinlo muila gente eonooi ron a ponto de
se tornar diliicil o transito publico. E' inquestio-
navcl que om Braga as festas om honra do papa
sai) aquellas que chogam a tocar o enlhusiasmo
do povo.
Aquelle celebro monomaniaco de Braga, de
cojos altoutados fizemos mencio cm tempo compe-
tente, quiz aiinia alargar o nmero das desgraca-;
que j so me devem. O Bracarense, referindr>se
a> tristemente celebre Antonio Lopes, conta o se-
guinte :
t Esto celebre autor das tres mortes, na quinta
do Populo, acaba de dar mais urna pro va da sua
fereza e de seus instnrtos sanguinarios. No sab-
bado passado indo o ebaveim du aljube mnistrar-
Ihe o alimento qiiotidiano, Antonio Lopes como ti-
vesse mais sede de sanguc que voutade de comer,
tentn soflaca-k) e cousegui-lo-bia* se nio sobre-
vi '-sem outros presos, attrahidos al pelo barulho
que ouviram. 0 cbaveiro licoii de tal modo as- i
sustado, prevondo lalva a sorle que o esperava,
que pouco depois Ibe sobrevela una vertigem, que
Ihc amoacava a existencia. A autoridade deve aK
tender ao que acaba de passar-se, e fazer remover
e-te homem para o lugar que l'ie foi destinado,
depois de ser julgado como desmente.
m subdito portuguez ltimamente chegado
do Brasil vai croar em Braga um estabeleeimento
de moagem por vapor. Os trabalhos preparato-
rios acham-se muito adiantados. E' para louvar
a inieialiva de urna empresa que pode dar largas
vanlagens ao consumo.
A exposicao distrietnl de Coimbra dever abrir-
se no dia 2 de julho. Espcra-se grande numero
de visitantes, coincidimlo a fasta industrial com a
religiosa em honra da rainha Santa Isabel.
De 21 para 2o houve grande trovoada sobre
Coimbra, e caiti un rao na capella do hospital da
universidade, fazendo graudcs estragos. A cruz
da fronUria desappareeen.
O Jornal de SHubal, em urna noticia intitula-
da triste relebridade, publicou o seguinte :
No dia 27 do mez passado suecumbiu a urna
pneumona, no hospital da misericordia d'esto ci-
dade, onde dera entrada piucas horas antes, um
homem. que re oosentou nm papel execrando em
urna das nossas discussoes polticas. Era o sapa-
tero Manuel da Silva, natural d .ue sendo
soldado do 10 batalhi > da guarda nacional, e es-
tando de sentinelta s portas de Alcntara, inatou
o ministro de estado Acrostinho Jos Freir, que
se diriga para Relem. Narravaclle este, faci, van-
glorianilo-se do que tinha pratieado, e teodo-sere-
tirado para esta cidade pouco depois de ser dissol-
vida a guarda nacional, exorcia aqu a sua profis-
sao, c era conhocdo pela alcunha de mata minis-
tros. Actualmente centava 61 annos de dade: era
de estatura regular, o usava a barba toda cresci-
da ; apesar de ser casado viva s, tinha um ca-
rcter taciturno e nunca larga va o capoto, quer
de vero, querde invern. O seu comportameuto
em Setubal foi sempre regular,
t L se no Vimaranense :
Na note do 14 para lo tomos testemunbas de
um phenomono, quo muito nos assombrou.
Eram 2 horas e a leste desta cidade apparc-
ceu sobrancoiro serr de Santa Catharina, um
fogo vivissimo do formn triangular, quo se ele-,
vava a certa altura, caminbando depois para o
norte o deixando aps si azuladas Macas
t Este meteoro despeiia em alguns momentos
urna luz lio viva ime mal se odia filar I Desap-
parecou confpletamento dentro em meia hora,
pouco mais ou monos.


'
-
f
IU6VEI



Diario d Fernambuco Tertja feira 13 d JuJl de 1869.
PEENAIBUCO.
EEVI3TA DIARIA.
ACCIDENTE.Ante-huntem s :i horas da tar-
de, quando voltava Jo Apipues o treni expresso,
o menor Jos, filho 1j Si. Eduardo da Silva, pre-
tendeu subif pura um dos canos na ra Formo-
8i ; calo, porm, e tan infelizmente quo pa
Itie sobre nina das p nas urna roda do eixotra-
zeiro do ultimo carro, esmigalhando .1. Cottdimdo
para a casa de sens pais, foi-lhe amputada a por-
na pelo Sr. Dr. Pitafiga ; e acha-se a infeliz crian-
za em pergo de vida.
CONCERT,-Mr. Poppe da boje um segundo
concert musical ne mesmo li>g>r era qu
iugar ooutro, fabrica de ceneja da ra co Sebo.
O jardim estar mellior Iluminado e contera gran-
de numero do avenios. Caso chova, sor transfe-
rid!) para quando fr anonadado.
ESPANCAMK.NTO No da 8 do corrente no lu-
gar da bomba da estrada do Joao de liarrs Jos
Francisco de Suuza, leve urna altercacao com um
tal Sr. (Miveira ; no dia subsecuente, este, auxilia-
do por dous outros individuos, um dosqua
-lavo, espaucou aquello no mesmo bigarda nxa.
(Miveira e o jutro individuo erara ambos inspee-
tores de ouarleirao e dzom-nos que j so acliam
demittidos.
A autoridado competente tonina conbecimento
do crime c mandou proceder necessaria vistoria
c formacao do auto do corno do delicio.
A"NMVER.SABI0.Con pela hoje ii anuos S.
A. a Sra. duqueza de Saxe.
CONDECOH.\i;oES ESTR A NT, EIRAS.Pelo go-
vernode S. M. Fidelissima foram agraciados : eom
a commenda de Christo o Sr. Jos Jarnme Tasso ;
e com o habito da Conceicao o Sr. Dr. Claodno de
.Vraujo Snimartes, cnsul de Portugal nesta pro-
vincia.
DLN'IIEIROO vapor francez Notan* tronx
da Europa 1.000 para os Srs. Augusto F. de Oli-
veira A C, 800 para os Sis. Tisset frres e 101
ranedas portuguezas do ouro de 53 para o Sr. ba-
ti de Nazarelli.
PARA O SUL.Com 6 recebidos cm soaso por-
to, levou o Navarre 191 passageiros para o sul.
VOLTOU DA EUROPA.-Vea hontem, nn .V-
varee, o Rvm. Sr. Antonio da Cimba e Figucire-
do, depois de alii ?e demorar cerca de dous anuos.
Felicitamo-lo pela sua volta.
NOVA TENTATIVA AOS MARES DO PI.O
-NORTE.Parti de Glasgow para os mares do polo
do norte uina expedicao particular digna de mon-
ean .
O Diana, que assim se chama o navio expedi-
cionario, um vapor de ferro, com tres mastros,
guarnecido com urna couraoa do peo ferro, para
resistir ao embate dos gelos". Tom :to,0o metros
de comprimento c l.iO metros de bocea. Tem
duas machinas de condensador, cada una da tor-
ca de 20 cavallos. Na parto central tom dous
compartimentos, que podem hermticamente ve-
dar-se, e destinados a arrnazenar oleo do phnea e
debale, para aquecer a machina na falta de
combu O vavio pertence ao Sr. Lnmont, proprietario
escossez, que sna cusa o mandn construir.
O vapor leva mantimento para dous annos. A
tripolacao 6 de 20 homens habilitad is uavegaeao
nos mares do polo.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO. -Hontem visita-
ram a secretaria rUtsta sociedade para verem o
chapeo armado do nso do dictador do Paraguay
11 pessoas.
A exposicao do mesmo aseim como da espin-
garda tomada em Lomas Valentinas, linda quar-
ta-feira.
LOTERAS DO RIO DE JANEIRO.Consta-nos
que o Sr. Manoel Martins Fiuza, tendo sasfeito o
imposto de 5:0005 exigido pela le do orcameato
provincial vigente e obtido a necessaria lieenca da
presidencia, abre hoje no seu estabelechnento
roa do Crespo n. 23, a venda de billietes das lote-
ra-; do Rio de Janeiro, pagando os premios a vista
das listas.
1P.MANDADE DO SENBOR DOM JESS DAS
CHACAS.Domingo esta irmandade procedou.
eleicao da mesa administrativa para nrrente
anuo; sahindo eleitos: provedor, Simplicio da Silva
Barbosa; secretario, Luiz de Franca Pereira ;
thcsoureir i, Ignacio Francisco doi "Santos; l.
procurador, Manoel Siraplicia-do Naselraewn ; 2.
procurador, Joao Antonio Francisco da Luz ; pro1
curador geral, Ludgero Lopes Lima: definidores
Becja nin do Carme Lopes, Joao BantMa 'la Sil-
va, Marcelino da Costa Lima, padre Valeriano de
Alclluia Correa, Liberato Morenciaoo de Sones,
Leopoldo Pinto de Sorbonna, Manoel Lopes Fer-
reira, Manoel Antonio Moreira Leal, Francisco
lleuriqucs de Alcntara, Antonio Jns Galvao,
Joao Sabino da Silva; e Quiri.no Antonio do Espi-
rito-Santo.
THEATRO DO POCO.Assistimos no domingo
ao cxpectaculo de macacos e caos, dado neste
theatro por Mr. Pintura, e agradon nos bastante a
comprohia, sobretodo o macaco cosinheiro, os
res que imitaran) os saltos do carneiro, c o bello
cao d'agua nos seus exercicius .gimnsticos.
O Sr. Julio Dorio, gymnastieo maracaio, ti um
hbil artista, que se. destingue pela simpheidade
com que executa trabalhos difliceis no trapezio e
corda bamba.
Sendo um expectaculo lio variado e agradavel,
bom seria que ainda fosse repetido, para ser por
todos apreciado.
GLADIATOR E AUGUSTINE.Estes v poros da
linha de Liverpool, eram esperados em Lisboa,
este de 4 a 5 do corrate em viagem para o Para,
Maranho e Cear, e aquello de 3 a 4 para er-
Tiambuco.
NAVIOS A CARGA.-Estavam : cm Lisboa
Coaslmtle II e Mara para Pernambuco ; no Por-
toLaura e Sapliyra para Pernambuco, Mara
Garolma para o Maranho, Amazona e Flor do
Vez para o Para.
, NAVIOS CHEGADOS.A LisboaMara a 1-3
de Pernambuco, Jeromea. lodo Cear; ao Porto
Saphyra a S de Pernambuco.
NAVIOS SAHD05.-De Lisboa a 18 Boa-F'
para Pernambuco, do Porto a 22 Despique II p r 1
Pernambuco va Sc.lubal.
FUNDOS BR ASILEMOS.-Eram assim colados
na praca de Londres, a 26 do passado :
5 /o le 1869-83 a 90 nom.
5 % de 1865-82 a 82 >A \
i A % de 1852-58-60-72 a 76
I 'A Vo NOTICIAS CO.VIMERCIAES.-Saoasseguintes. as
ultimas da Europa :
Londie.^ 26 de junho.
O algodao est firme aos procos Jo 12 V, a 13
V d. o de Pernambuco, de 11 \'2 a 12 o da Para-
hyba, de 11 J/4a 12 '/* o do Macei, do 12 a 13
V o do Maranho, de II J/4 a 13 o do Rio Grande
do Norte, a 12 Vs o do Cear.
O assucarc vendido de 26/ a 28/ d. o branco.e
de 20/ a 24/6 o mascavado.
O caf dem de 39/ a 76/, segundo a qualidads.
Havre, 27 de junho.
O algodao est rme ; vendendo-se o de Per-
nambuco ordinario a frs 147.
O cacao do Para llca do frs. 73 a 77, sem com-
pradores.
A borracha do Para tina vende-se de frs. 730
a frs. 7-40.
QUARENI-ENA.Pelo eonselho de sade pu-
blica de Lisboa foram declarados inficcionados de
choleramorbus os portos de Ruenos-Avres, os da
repblica do Paraguay, e todos os das margens
do rio Paran.
Os passageiros idos do Brasil no vapor mglez
One da foram condemnados ao lazareto de Lis-
boa II
CABAVER.Foi encontrado as margens da
Tacaruna, no dia 9 do corrente, o cadver do pre-
to Luiz, de 15 annos de idade, ollcial de tanoeiro,
que sotTria de dcsarranjo cerebral. Os peritos de-
clararam ter sido a uiurle produzida n^r asohvvia
por submersao. '
BOUBO.Tendo ipparecido violentada a cvela
dobalcao da parlara n. 133 da roa Imperial
do br. Antonio Pereira Bastos, foi preso pelo Sr'
jiMadide S. Jos, como autor do crime, o
trabalnaoor do raesmo estabelcimenle Thomaz da
ilva Reg. ^
LOTERA.A que se acna a venda a 113- a
beaencm do patrimonio dos orpbos, que corre'a
14 'lo corrente.
PASSAGEIBOS.-O vapor francez Navarre, che-
gado d* Europa, trouxe os seguiotes :
Alfred Arnoult, Jean Numa Baignres, Nicols
^ gnes Magdalena Fischinger, Jos Antn Ernest
Wagner, Rvm. Antonio da Cunha Figueiredo,
Charles Lnzier o sua moJher. Pergentino Jos
ferrnira, Magdalena Bravand, Miguel da Fonseca
Barbosa, mademoiselle Anda Akert, e Perreira.
Seguem m mesrao vapor para os portos do
sol:
Maristanv, Agosdae de C. Bard, Hara
Raffray, Charles Heurv Watiroth, Tlieophilo Do-
mingos Alvos Ribeiro, Goiseppe Barttolontei
A escuna portugaeza Delpjtn, saluda para a
'Iha,! 1:Mana de Jess, Maria
Jalla, Virginia de Jess, Julia Henriqueta.
O brigue, Trovador vindo do Rio de, Janeiro,
trouxe os segantes :Jos Candido de Macedo, c
Luiz Francisc 1 Das! is e 3 lillios menores.
MITEHIO Pl'BLICO.-Obituario do dia 10 do
nte.
Afro; Pernambuco, 8 meses, Boa-Vista ; llena-
dle.
Casshniro, frica, i2 annos, S. Jos ; hej.atite.
Francisca do Paula Xavier, Pernambuco, 38
anuos, solteira, Santo Antonio ; pleunioma.
Mana Rozen la da Costa, Pernambuco, 17 an-
Iteira, Poco ; pulmomle chronico.
Joanna, Pernambuco, 13 das, S. Jos ; es-
pastno.
Jos Domingues Velloso, Portugal, 40 annos,
solteiro, Boa-Vista ; eerebrlte.
.Mana, frica, 40 annos, lieeife ; estupor.
Maris, Pernambuco, 10 dias, Recito'; espasmo.
Francisco, Pernambuco, 13 mezes, Santo Anto-
nio ; eclampsia.
AjMonio. Pernambuco, 1 da, >. los ; ttano.
Muia, Pernambuco, 3 dias, Boa-Vista ; con-
vuleoes.
-11-
Linbelma Maria do Rosario, Pernambuco, 33
annos, solteira. Iloa-Visia ; escrfulas.
Francisco, Pernambuco, 7 annos, S. Jos ; de-
zinleria.
Maria, Pernambuco, 6 mjzes, Boa-Vista ; hc-
patite chronico.
Juv uo, Pernambuco, 9 annos, Santo Antonio ;
l'bthysica.
FUBLiCACOES A PEDIDO.
1:1.1: 10.
dos julxes, escrives e mordo-
iuos, que ho de festejar a Se-
nliosa da Boa-Via;cui a snno
de OB a 1M70.
Juiz por eleicao
O Sr. Joao Fernandos Lopes.
Juiz por devoran
O Sr. Joaqun) Francisco do Espirito Santo.
Juiza por eleicao
A Sra. D. Isabel de Figueiredo liis e Silva.
Juiza por devecao
A Sra. D. Anna Josephina do Oliveira.
Escrivao por eleicao
O Sr. Dr. Francisco Al ves da Silva.
Escrivao por devocao
O Sr. Joao Alves do Quintal.
Eserma p >r eleiclo
A Sra. D. Olympia Caetana Mendos.
Escrivaa por devoca>)
A Sra. D. Folicidade Gomes da Silva.
Mordemos
Os Srs. :
Jos Thoniaz Pires Machado Portella.
Dr. Gervasio Pires Campello.
Dr. Josa Ignacio Fernandes Barros.
Antonio Jos Leal Iteis.
Dr. Francisco de Reg Baptista.
OUion de Oliveira.
Minervinodo Souza Leao.
Ge-vasio Jos da Costa. -
Jos da Silva Loyo.
Jos' Francisco da Andrado Jnior.
os Marcelino Ja Rosa.
Tenente-coronel Francisco Carneiro Machado Rios
Jnior.
Mordomas.
As Exilias Sras. :
D. Paulina Augusta Fernandes Barros.
D. Francisca de Paula de Souza Leao.
1). Mara Carneiro de Souza Laceria ViUa-Secca.
D. Joaqnina Pires Portella de Soqza LeSo.
I). Erotides de Oliveira Castro
1). Thereza Portella de Souza Leao.
D. Josepha Augusta Barros do Almeida.
D. Anoa Ambrosina de Oliveira Fonseca.
D. Maria Virginia de Oliveira Fonseca.
D. Francisca, esoosa do Sr. Ds. Manoel Carneiro
Leao.
D. Eraeteri esposa do Sr. Dr. Joaquim Elvirio de
M. Carvalbo.
D. Isabel, esposa do Sr. capitao Joaquim Pedro
Camairo C.
Firmino Theotonio Caraira Santiago.
Joao Ciarlos Augusto avalcanti Ve.'lez.
- da Cjsla Machado.
RoheriO'Goiiies de Fraga Vieira.
Huberto G mies de Fraga Jnior.
Luiz da' Cunta da Ama ral.
rpa Brandan.
Fiaii"sco Leitio da Cosa '
Manuel Brasilino de Arruda Cmara.
Luiz Saveriano Mari] iza.
Pedro Antonio Alvos Madi
Luiz Manaos Bacal I
Jua 1 Vieirsf de Fr
los Vieira de Fraga.
Joao Francisco do Amara!,
Francisco Joaquim Cavalcanti Galvao.
Manoel Francisco do Aijada Fraga.
Ismael Gaudencio Futido de MendodW
Joao Luik de Almeida Ribeiro.
JoJo Luiz de Almeida tima.
Joao Evangelista du Almeida.
Antonio Muniz do Cfluto Vianna.
I aquim Antonio de Franca Cmara.
Francisco Tavares da Silva Cavalcanti.
Luiz Francisco Muniz.
Joao Baptista Teixeira Cavalcanti.
Francisco Xavier Cavalcanti
Vicente Joaquim de Caldas Brandad.
Benedicto Manoel do Rosario.
Francisco Cesario de Mello Jnior.
Jos Ignacio da Fonccca Silva.
Francelino da Rocha Lima.
Joao Dourado da Cunha Azevedo.
Jucundino Dourado da Costa Azevedo.
Joa i Zeferino Dourado de Azevedo.
Adolpho Bandera Lobo de Albesti.
HyginoJos Pereira.
Jos Luiz de Andrade Lima.
Jos Francisco de Barros Lima.
Hemeterio Floripes de Andrade Lima:
Estanislao Augusto de Andrado Lima.
Nstor Carneiro da Silva Bcltrao.
Antonia de Menezes.
Antonio Correa de Araorim.
Mauoel Forroira da Silva.
L'mbolino Antonio da Silva.
Licivio Antonio Carneiro da Silva.
Luiz Antonio de Camino Silva.
Cesario do Nascimento Silva.
Germano Antonio da Silva.
Antonio da Cunha Vieira de Magalhaes.
Quintino Dourado da Cunha Azevedo.
Antonio Joaquim Machado.
Ktbelvino Daniel do Araujo Machado.
Benlo Jos Tavares.
Anizio Jos Tavares.
dem idem cora gneros
760
ELEICiO
dos juizes e escrivaes que hao de
concorrer para afestado glo-
rioso S. Miguel Avchanjo, no
futuro auno de 1869.
Juizes.
Os Illms. Srs.:
Firmino Jos de Oliveira.
Jniio Flix dos Santos.
Jos Joaquim Antunes.
Escrivaes.
Os Illms. Srs.:
Miguel Jos Barbosa Gumaraes.-
Antonio Muniz Machado Jnior.
Luiz Leopoldo dos Gumaraes Peisoto.
Juizas.
As Exmas. Sras.:
D. Joanna Baptista de Araujo Bastos.
D. Francisca, niulher do Illm. Sr. Joaquim da
Silva Costa.
D. Luiza Lasne de Mello, mulher do Illm. Sr. Jos
Luiz de Mello.
{Escnvihs.
As Esmas. Sras.:
D. Maria da Conceicao Rogo Motta, mulher do
Illm. Sr. nwjor Claudino Benieio Machado.
D. Amalia Augusta da Fonceca Arruda, mulher
do Illm. Sr Manoel Januario d'Arruda.
D. Maria Adelina de Siqueira, flha do Illm. Sr.
major Pedro Ernesto^Rodrigues da Silva
Consistorio da i imandado das Almas, erecta na
na matriz de Santo Antonio d Recil'e, 25' de outu-
bro de 1868. :
SOLETO
DEDICADO A UM SEMHOB, A QLEM DIRIG L'MA
O.VnTA, NARRANDO O TRISTE ESTADO DE BOA
IRMA, A QHAL LOGO PUBLICAREK
/
A carta nao responde, enfadouha,
Nom mesmo ao portador palavra diz?!
I'eis juro-lhe senborque idea fiz
De arrancar-lite da lingua est peconha.
Se na intelligeneia vosso crneo sonha
De man loas gloria. Oh I Pedro-cem feliz.
Se vires vossa irmaa cga infeliz,
Vosso rosto nao cora de vergonha ?!
Ninguem pen-e ser isto fantasa,
Ser calumnia, ser falso, ser intriga,
Ser inveja, ser odio e ousadia I
Escreveu o Bocage:E' cousa anliga,
Salyra presta-se verdade pa.
Se o vicio, o crime, a infamia ella castiga.
13 de julho de 1869.*
Amonto
o,
de Cattka.
Protectora cas familias
Miguel Fontoura.
AO PUBLICO
Os abaixo assignados, lendo no Diario de Per-
nambuco de 21 do corrente mez a resposta que
den o Sr. captao Joao Carneiro Leitao de Mello,
morador oeste termo, ao anonymo quo procura
inaraa-lo no artigo que fez publicar no Liberal de
i do referido mez, sob a epigraphe polica de
iguarassil, e vendo que esse distincto cavalhci-
ro, defendendo-se, provocou os infra assignados
para que man.sfestassem o juizo que formam de
sua conducta civil e moral, vem, smentc para
tributar culto a verdade c a justiga, dizer com in-
genuidade o que julgam a respeito.
Entendem os abaixo assignados que o corres
poniente do Liberal, que, se quem dizem ser, de
Associacao brasiloira de seguro mutuo sobre a
vida, approvada por decreto do governa. imperial
de 13 de junho de 1864, e gerlda rteto TS&hco Ru-
ral e Hypulhecario do Rio de Janeiro.
Commisso fiscal.
Vcador Jos Joaquim de Lima e Silva Sobrnho.
Commendador Jeronymo Jos de Mesquta.
Commendador Boaventura Goncalves Roque.
Commendador Guilherme Pinto de Magalhes.
Estado dessa associa^ao em 30 de abril de 1869
contratos 5,802.
Capital subscripto rs. 8,716:470*580, aspessas
que quizerem inscrever-se poderao dirigirse na
na do Livramonto n. W, primeiro andar: a tra-
tar com o Sr. f. de Vidal, cncarregado pelo
Banco Rural o Hypothecaro do Ro de Janeiro,
para promover assignaturas para a mesma asso-
Laof
Descarregam hoje 13 de julho
Barca ingiera Witck of the Waveferro.
Brigue mgiezRio Grandecanos.
Lugar inglez Veraneecarvao.
Lugar suecoAuna fariuha de trigo. '
iirigue inglezTYan/dbacallao,
litigue ingJei.Minorapulvora,
irigue nacional IImeida IIcharque.
Ini]orta^o.
. Vapor frunce: Navarr, vindo de Brdeos e
Lisboa, mamifcsluu :
2 caixasazee ; a L. Creton.
18 ditas aucijos ; a Carvalbo, Zenha 4 C.
'> ditas ditos ; a F. A. Monteiro Jnior.
11 ditas ditos ; a Corga & Irmao.
" ditas ditos; a J. Gerardo de Bastos.
i i ditas ditos; a J. M. da Rosa & Filhos.
lo ditas ditos, 100 ditas ceblas; a J. J. Goncal-
ves Beltrao. ^
1 dita papel, i j' ditas queijos ; a C. A. Sadr da
Malta.
2i> ditas ditos, 10 ditas cognac, 2 ditas sangue-
sugas; a ordem.
1 dita mudezas ; a Ed. de Moraes & C.
2 ditas ditis ; a Vaz & Leal.
2 ditas ditas ; a Costa, Irmos & G.
1 dita ditas ; a Souza Soares 4 C.
1 ditadila; a Maturino Barroso.
1 dita ditas; a M.mlciro 4 frn>ao.
3 ditas ditas ; a Joao da Rocha e Silva.
2 ditas ditas; a Joaquim A. de Araujo 4 C.
2 ditas luvas e leques; a J. A. Moreira Das.
1 dita livros ; a Joao Walfredo do Medeiros.
2 ditas dilos ; a Lailhaear 4 C.
1 dita ditos ; a Ignacio F. dos Santos.
1 dita ditos ; a Jos Barbosa de Mello.
2 ditas ditas ditos ; a Noguoira 4 Medeiros.
2 ditas calcado; a Joaquim Dias dos Santos
4 C.
2 ditas dito; a Ch. Leclerc.
3 ditas dito, luvas eroupa ; a Joao Pereira Mou-
unho.
2 ditas chapeos e movis; a Clirisiiani Irmao.
2 ditas objectos religiosos ; a Paul Guelphe.
1 dita dilos ; a irmaa Lezat.
1 dita ditos ; a irmaa Chauveroehe.
1 dita medas e calcado ; a barao de Villa-Bella.
2 ditas chapeos de sol; a madama Falque.
I dita gales de ouro e prata ; a J. J. da Costa
Maia.
5 ditas drogas ; a F. F. Borges.
3 ditas obras de ouro e prata ; a Lehman
frres.
1 dita roupa ; a Gregorio P. do Amaral 4 C.
1 dita joias ; a Hyvernat C.
1 dita tecidos de laa ; a Alves 4 C.
3 ditas ditgs de algodao ; a Ferrera 4 Ma-
neo*.
2 ditas ditos de dito ; a Adriano, Castro & C
2 ditas ditos de dito; a II. Leger.
1 dita ditos de dito; a E. A. Burle 4 C.
2 ditas ditos de laa; a Carneiro 4 Nogueira.
2 ditas dito de dita ; a Linden, Weydman4 C.
1 dita ditos de algodao, 4 barris vinho ; a Kcl-
ler 4 C,
2 ditos dito ; a Cliaix 4 Gassier.
I dito dito ; a Meuron 4 C.
II ditos dito, 1 caixa azelte ; a H. Leiden 4 G.
1 dita sodas ; a Manuel 4 C.
18 ditas vinho ; a Antonio Pereira da Cunha.
6 ditas conservase licor, 4 fardos rolhas, 2 bar-
ris vinho ; a J. Mendiboure.
12 ditos dito ; a F. Dubarry.
10 ditos dito ; a Til. Christiansen.
2 ditos dito, 1 caixa tecidos de laa : a Monhard,
Metller 4 C.
1 dita ditos de dita ; a Flix do Cantalice.
1 dita drogas; a A. Caors.
1 dita joias falsas e luvas, 12 ditas e 12 barris
cognac; a H. Oeltli & C.
30 caixas dito ; a Flix Souvage.
2 ditas azeite ; a L. Crtou.
2 ditas mudezas : a Jos L. Goncalves Ferrei-
ra 4 C.
3 ditas ditas ; a madama Adnur.
i dita ditas ; a Ilurlamaque 4 C.
1 dita tecidos de algodao ; a Manoel Alcofo-
rado.
i dita chapeos ; a L. A. Siqueira.
1 dita sedas ; a Prente Vianna 4 C.
3 ditas papel ; a Estovo da Cunha Medeiros.
1 dita conservas, 5 barris vinho ; a Tasso Ir-
mos.
2 ditas dito ; a-L. Pueche,
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Readimento do dia 1 a 10. 1:59046I4
dem do dia 12...... 3.00U526
apresentaea do original, e na mesma occasrao
o poderao entregar quaesquer documentos que jul-
garem convenientes, ou como titulo de babiliU
oucomo loovas de servios prestados ao Estado, a
iiumanidade ou a seiencia, dos .quaes se Ibes pas-
m1 o- ,: llld'J de confonnidade com os arls.
JO c 37 do decreto n 1,286 de 28 de abril de 1854
de 1835 SUgU"U';s de n- 1'308 Ul{ 2i -de 'evereiro
E para que eheguo ao conbecimento de todos
mandou o mesmo xm. Sr. director interino, afi-
dLriacK"enasqdtacS ^^ ^
de^K^8u!l:acu,!adedeDircUodoRecifc *
O secretario,
._______. Js Honorio B. de Menezes.
Perante a cmara municipal dosta cidade
estarao em praca nos dias 14, 17 e 21 do corrente
para seren arrematados por quem maior preco
ouerecer, os alugueis dos quatro ospacos existen-
tes no a^ougue publico da ribeira da fregnezia de
S. Jos, sendo tres no quarieirao do lado do norte
e um no do sul, lodos oceupados com talhos esta-
belecidos por-di versos; a arremaiacao a fazer ter-
minar quando terminar a dos ouiros talhos da
mesma ribeira. Aquelles que pretenderem arre-
matar, comparecam no paco municipal em os dias
mencionados, munidos de ancas na forma da le
de 1869 Camara munic'Pal d0 Rocife 8 de julho
Ignacio Joaquim de Souza Leao,
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
___________________Secretario.
O Illm. Sr. inspector da thecouraria de fazen-
da Oeste provincia, em virtude do ollcio da presi-
dencia de 8 do convino mez, manda fazer publico
para conliecmienlo de quem interessar possa, que
no da 1? do dito mez, pelas 2 horas da tarde, pe-
ante a junta da mesma thesouiaria, serio arre-
matados a quem maior lauca ouerecer, os medica-
mentos que vieram da extracta colonia militar de
Pimenleiras.
Secretaria da thesouraria do fazenda de Per-
nambuco 10 de julho de 1869.
ollcial-maior,
.______ Manoel Maniedo da Silva Costa.
dos finados Antonio da Cosa Rosal e sua
mulher.
DomingosAtibuso Nery Ferreira, coronel
chefe do estado maior commandante su-
perior interino ta guarda nacional do
municipio do Recife, e presidente do
conselno de revista da mesma guarda
por S. M. o Imperador etc., etc.
Faco saber que, na 3a tlominga, 18 do
corrente mez, se reunir o conselno de re-
vista da guarda nacional, como determina
a 2a parte do art. i do decreto 1,130 de
12 de man-o do 1853, na sala das sessoes
da camara municipal, as 11 horas da manliaa
na conformiilade do art. 41 das intrucres
n. 722 de 25 de outubro de 1850; afim
de tomatrconbecimento dos recursos que
versaren; sobre os casos indicados no art.
33, e que Ibrem interposlos pela mancira
determinada no art. 38 das ditas ins-
truece^.
E para constar a quem convier, mandei
publicar pela imprensa. -Quartel do com-
mando superior interino da guarda nacional
do municipio do Recife, 10 de julho de
1869.
Domingos Affonso Sevy Ferreira.
- No .ha 1., do corrente, depois da audiencia do
juizo de orpliaos, tem do se arrematar una escra-
va cozmheira eengommadeira, avahada era 1-200*
r^., assim come um lillio da mesma, de idade de
Sannos. avahado cm 300J, cujos esclavos TO a
praca a requer ment do arador do desacedo
Antonio Casemiru Gom
Polo presente se faz publico quem interes-
sar, que as contas dos impostos de 20 por cento
o consomn de agurdenle, '( por cento sobre
diversos eslabeleeiiiolos ae achara em poder do
escriv i BaBdera, em cujo escripiorio a rna do
Imperador n. 44, podtrao os eontrbuintes solicitar
as respectiva; guias, independente de citaco;
assim co no as dos impostes do 20 por cento sobr
diversos cstabelccimentos, e 8 por cento sobre es-
critorios e consultorios mdicos, no escrlptorio do
escrivao interino Miranda, a quem foram distri-
buidos, e liara tal lm so concede o prazo de 30
dias, a coniar de hoje.
Recife, 6 do julho de 1869.
O solicitador da fazenda provincial,
__________________J. F. Correa de Araujo.
A cmara municipal desta cidade, faz
publico que nao tendo comparecido licitan-
te a obra dos concertos de que necessita o
cano que d;i esgoto as aguas, que no tem-
po invernoso se accumulam nosqnintaes e
sitios da Casa Forte, oreados na quantia
de 1206000, continuar em praca a mesma
obra nos dias 10, 12 e 14 do corrente :
quem pretender arrematar, comparec nos
dias indicados, mimido de fianca idnea.
Paco da camara municipal do Rtcife, em
sessao de 7 de julho de 1809.
Ignacio Joaquim de Souza Leao.
Pro-presidente,
Francisco Canuto da Ba-Viagem
____ Secretario.
De ordem do Illm. Sr. inspector da
thesouraria de fazenda desla provincia se
faz publico que, se nao tendo arrematado
no dia 7 do corrente a melade da casa
terrea adjudicada fazenda, sita ladeira
da Misericordia na cidade de Olinda, ser
de novo posta m arrematado perante a
thesouraria no dia 24 deste mesmo mez,
ac-itando-se propostas em cartas fechadas
at as duas horas da tarde desse dia, sendo
que as possoas de Olinda que pretenderem
a dita casa poro entregar ao respectivo
collector at o dia 23 as suas proposlas
qu.e serla por elle encaminbadas esta
thesouraria.
Secretaria da thesouraria do fazenda de
Pernambuco, 9 de julho de 1869.
O ofllcial-maior,
Manoel Mamede da Silva Costa.
DECLARACOES.
19:S92210
CONSULADO PROVINCIAL
rtendimentododiala 10. 64:7113302
dem do dia 12...... 7:803*966
72:2153268
COMMERCO.
v.a mais do que elles pugnar pela dgnidade
Sr. capuao Joao Carneiro Leitao de Mello e do
do
=uu r uo SUa
exccllentissima consorte, qtjo alm de injusto, foi
leviano em ludo quanto disse contra aquello se-
nhor, quo se nao e indefectivel, por que nem um
liomem o .
O Sr. capitao Joao Carneiro, na parte quo res-
peita a sua vida publica, nao tem certamenle pre-
cedentes qae o deslustrem; as suas acedes ho
sempre sido reguladas pelos dictamos de sua bern
orinada consciencia; e na que se refero a particu-
lar, apenas os infra assignados, que nao costumam
penetrar no sanctuario das familias, ou indagar
da vida privada dos seus semelhantes, podem aflir-
mar que o Sr. Joao Carneiro sempre gosou entre
ellos conceuo de bom esposo, bom pai e bom ami-
go, quahdadea estas que o bao tornado credor de
bem marecidas attencoes de todos que o conhe-
VClli.
S baixa vindicta, poderja levar o correspondente do
Liberal a invectivar por modo tao aviltante um
liomem a quem por mais de um titulo devia elle
ser o priraeiro a acatar o fazer acatar.
Os abaixo assignados sabem que o Sr. capitao
Joao Carneiro, nunca servir do instrumento de
quem quer que seja, e nem se cobrir tambera
com o manto do anonymo para refutar os maldi-
zentes; tera eonsciencia do que diz, e valor para
sustentar os seus acfcx, flrmaodo-os, e tomando
i a devida reapon^abilidade, como leal e nobre ca-
valhero. Assim, emittindo por tal modo o juizo
que formam da conducta civil e moral do Sr. ca-
pitao Joao Carneiro Leitao de Mello, que tao van.-
lajosamente defendeu-se das arguiedes do sea in-
justo detractor, nao tera, como ja disseram, outro
fim, se nao o de, eorrespondendo ao appello do 8r.
Jo Carneiro, obedecer ao salutar preceito :
suum caique tribwre.
Termo de iguarastu 38 de junho de 1869.
Raro do Rio Furmoso.
Manoel Cavalcanti de Al^uquerque Lins.
Francisco Xavier Cavalcanti Lins.
Jo J.iaguim Cavalcanti Lins.
Joao Luiz Antonio da Silva.
Joao Severiano Uendes de Azevedo.
Joao Dourado Pereira de Azevedo.
Francisco Xavier de Andrade Jnior.
Pedro Correa de Amorim.
Manoel Francisco de Souza Leao
Fraucisco Tneophilo de Souza Leo
Agrypino de Souza Leo. uzaM*
PRACA DO RECIFE 12 DE JULHO DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE
Assucar americano purgado 2*200 por 10 kil.
(sabbado).
Algodao de Pernambuco sem nspeccao 82"6i
por 50 kil. (sabbado).
Algodao da Parahyba sorte56S168 por 80 kil.
posto a bordo a frete de 1/2 d. sem capa (sab-
bado).
Algodao de Macei 1' sorte17*370 or 15 kil.
posto a bordo a frete de 1|2 d. e5 0/0 (sabbado).
Algodao de Pernambuco sem inspeccao 54*466
por 50 kil. (boje).
Cambio sobre Londres 90 d/v 19 d. C do
banco 18 3|4 d. por 1*000.
Cambio sobre Pars 90 d(v 507 rs. por franco.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
M ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Lityiited
Desconta leltras da praca lxala con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as oidade*
priacipaes da Europa, tem agencias pa Ba-
ha, Buenos-Ayres, Mootvio, New-Yort
e New-Orleans, e imitte cartss de ctebito
para os.mesmos lugares.
Ra do Commercio n. 36.
Sociedade bancaria
em commandit
Teodoro Simn & C.
Compram e vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras.
s'bjjoj de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Desconum letras da trra e outros tito-
Ios commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
tnas transaccSes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta correte, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho n. 7.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 11.
Rio-Grande do Sul 22 dias, patacho brasileiro
Graca, de 236 toneladas, capitao Francisco Jos
Fernandes, equipagem 11, carga 12,722 arrobas
de carne; a Araorim Irmos.
Rio-Grande do Sul43 dias, palhabotc portuguez
Carolina, de 147 toneladas, capitao Joao Paulo
de Oliveira, equipagem 8, carga 9,536 arrobas
de carne; a Francisco Ribeiro Pinto Guma-
raes.
Rio-Grande do Sul 24 dias, patacho brasileiro
Nlo, de 266 toneladas, capitao Antonio Jos de
Carvalho, equipagem 10, carga 13,300 arrobas
de carne; a J. V. Rezenle A C.
- Navios e irados no dia 12.
Buenos-Ayres 35 dias, briguo iuglez Zambeze,
do 338 toneladas, capilo James Hearson, equi-
pagem 12, em lastro; a ordem. Seguio para o
Rio-Grande do Norte.
Bordeaux e portas intermedios 13 dias, vapor
francez Navarre, de 2,271 toneladas, comman-
danie Massenet, equipagem 113, carga fazenda>
e outros genero< ; a Tisset frere.
Maco12 dias, hiato brasileiro Novo Invencivel,
de 43 tonelada-;, capitao Vicente Ferreira da
Costa, equipagem 6, carga differentes goneros:
a Silva A Alves.
Maranbio -12 dias, hiato brasileiro Rosa, de 120
toneladas, capitao Antonio Fraucisco d'Oliveira,
equipagem 10, carga differentes gneros; a
Marques Barros & C.
Rio-Grande do Sul25 dias, hiato portuguez No-
vo S. Lourenco, de 121 toneladas, capite Ma-
noel Antonio Vieira, equipagem 8, carga 7,800
arrobas do carne ; a Thomaz d'Aquno Fonceca
&C.
Ro de Janeiro11 dias, brigue brasileiro Trova-
dor, do 220 toneladas, capitao Antonio Dias de
Lima, equipagem 11, carga differentes gneros ;
a Marques Barros & C.
Trieste 81 das, brigue norie-allemo Gasehle.
de 198 toneladas, capitao H. Kruger, equipagem
10, earga 1,970 barricas com farinha de trigo ;
a Keller & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
IIha de S. MiguelEscuna portugueza Dolphin,
capitao Francisco Sodr de Medeiros, carga as-
sucar, mel e outros gneros,
libas MauriciasBarca ingleza Jenne Marie, capi-
tao G. Leggi'te, em lastro.
Bana e Rio de JaneiroVapor francez Navaire,
commandante Massenet,
Santa Casa da Misericordia do
Recife.
A Illraa. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no dia 15 de julho, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quera mais vautagens offerecer, pelo lempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 32........1303000
Ra do /adre Floriano.
Casa terrea n. 47...... 170J0OO
dem n. 47. 49....... 170*000
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 30...... 177OOO
Idara idem n. 36....... 178*0u0
Ra do Calabouco.
Casa terrea n. 18...... 300*000
dem n. 20........ 242*000
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado.n. 37. 76*000
Segundo andar dito...... 96*000
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1....... 100*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27...... 144*000
Ra da Cacimba.
dem idem n. 12...... 146*000
Ra do Vigark.
1. andar do sobrado n. 27. 240*006
Madre de Deus.
Sobrado de um andar n. 9. 360*000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 103 ................ 146*000
Idem dem n. 103.................. 202*000
dem n. 98........................ 201*000
de"11 n- 96......................., 202*000
Idem n. 94........................ 203*000
sitio n. 5 no torno da Cal........... 150*000
dem da Mirueira u 4..... 106*000
Os pretendentes devero apresentar no acto da
arrematacao as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cite, 17 dejunhode!869.
O escrivao.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa
Casa da Misericordia do Recife, tem de
mandar edificar no lugar em quo existe o
sobrado arruinado n. .'13, da ra Direita,
um armazem com duas frentes, urna para
a mesma ra, e outra para a ra da As-
sompfSo, com tres portas em cada urna
dessas frentes, tendo as portadas de pedras
lavradas, podendo para esse fim aproveita-
rem-se as pedras que alli existem; deven-
do serem as frentes construidas desde os
alicerces. Contrata, pois, com quem por
menor preco fizer similhanle obra, e por
isso convida as pessoas que se propoze-
rem a effectua-la que apresentem suas
proposlas em cartas fechadas, at as duas
lioras da tarde do dia 29 do corrento mez,
podendo os pretendentes para o fim de
examinarem as obras a fazer-se, procurar
as chaves daquelle sobrado nesta secre-
taria.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 9 de junho de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Pedro Rodrigues de Souza
ECITAES.
Consulado provincial.
O abaixo assi^nado laucador do consula-
do provincial, avisa aos Srs. proprietarios
de predios urbanos, e doiios de estabeleci-
mentos da freguezia da Boa-Vista c fra da
cidade; que sendo nomeado por portara do
Sr. administrador do mesmo consulado, da-
tado em 10 do corrente mez, para proce-
der aos differentes lancamentos dos impos-
tos decretados pela le do orcamento vi-
gente, e pede aos mesmos Srs. que tenham
proraptos os seus recibos o mais documen-
tos inherentes ao que diz respeito, alim
de que possa proceder com regularidade
e sem vexames das partes. Outro sim de-
clara que da principio aos seos trabalhos,
no dia 13, pela freguezia da Boa-Vista.
O lancador,
Isidoro Timdula ds Mallos Ferreira.
ALFANDEGA.
Kendimento do dia 1 a 10. 358461*221
dem do dia 12....... 28:860*796
387:322*017
MOVIMENTO DA ALFANDEGa"
Volamos sabidos com fazendas 240
dem idem com gneros 520
Volme* entrados com fazandae 136
560
Facnldade de Direito.
De ordem do Exra. Sr. director interino o con-
selheiro Dr. Pedro Autran da Matla e Albuquer-
quo faco publico que flea marcado o prazo de seis
mezes contados da data deste, para a inscripeo
dos que pretenderem concorrer ao lugar de lente
substituto da Facnldade de Direito do Recife, vago
pelo accessodosubslituto Dr. JooCapistrauoBan-
deira de Mello Filho, a cadeira de que era pro-
prietario o fallecido Dr. Jeronymo Vilella de Castro
Tavares
Pelo que todos os pretendento ao dito lugar se
poderao apreseotar desde j na secretaria desta
Faculdade para inscrever seus mimes no livro com-
petente : o que Ibes permittido fazer por pro-
carador se esverem a mais de vinte legoas desta
cidade, ou tiverem justo impedimento.
Sao, porm, obligados a apresentar documentos
qae mostreo! sua qualidado de cidado brasileiro,
e de qae estn no goso de seus direitos ci vis e po-
lticos, eertido de baptismo, folha corrida de lu-
gar de seus domicilios e diploma de doutor por
urna das Faculdades de Direito do Imperio, ou
publica forma, justificando a impossibilidade da
Perante a camara municipal desta ci-
dade, estar em pra^a nos dias 14, 21 o 28
do corrente, para ser arrematado porquem
maior ureco offerecer o imposto de 800 rs.
por cabeca de gado vaceum, morto para
consumo as freguezias do Poco de Panella,
Varzea, Affogados, Mari beca, Jaboatao e
S. Lourengo da Matta; as pessoas que qm-
serem arrematar dito imposto, habiiitem-se
na forma da lei e comparecam no paco
municipal em os dias referidos.
Paco da cmara municipal do Recife 8
de julho de 1869.
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Ba-Viagem,
Secretario.
O inspector interino da alfandega faz
publico ma acbando-se no armazem n. 4
urna caixa da marca diamante J. F. n. i
contendo 46 kilogrammas de conf itarias.
vinda de Liverpool no vapor inglez Sapphire
entrado oeste porto em 43 de dezembro
de 1868, consignada ordem, no caso de
ser arrematada para consumo nos termos
do cap. n tit. 3o do regulamento de 19 de
seiembro de 1860, o seu dono .pu. consig-
natario dever despacha-la no prazo de 30
dias pena de findo elle ser vendida por
sua conta sem que I he Oque compelindo al-
legar contra os effeitos desta venda.
Alfandega de Pernambuco, 9 de julho
de 1869. O inspector interino, 1
__________L. de C. Paes d'Andrade.
O abaixo assignad... tendo sido no-m-ado por
portara do Sr. administrador, de 10 de julho. pa-
ra lazer o lancamento da derima urbana e mais
impostos da freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves e
Santo AntoBio para o exercicio de 1869 e 1870,
dar principio ao referido lancamento no dia 43 do'
crreme, pelo que faz saber aos inqmlinos do pre-
dios para que tenham seus recibos ou arrenda-
mentos mao para sor presentado no acto da col-
leta afim de por elles se fazer o lancamento, nao
se attendendo aos que parecerem dolosos ou lesi-
vos a fazenJa, jxando-se neste caso o preco nro-
vavel do alugul que poderla render em reteeao
a capacidade e localidade delles, ou aluguel naios
por outFos semelhante.
Ia secco da mesa do consulado provincial 12 de
julho de 1869.
O |ancador,
Joao Pedro do Jesii* da Matta.
JUIZ DOS FE1TOS DA FAZRND----------
0 Dr. Abiho Jos Tavares da Silva, juiz dos feito^
da fazenda nacional, etc.
Faco saber aos que esto vircm, quo no dia Vi
de julho prximo vindouro, se vender em oran. .
publica de.-te juizo, as 11 horas da raanha, de-
pois da audiencia, a requerimento de Francisco
Antonio Pontual, cessionario da fazenda nacional
um terreno denominadoAurora,na freguezia
dos Af.igados, com 1,160 palmos de frente e 1,630
de tundo, com urna casa arruinada, dous tornos
do olana tambem arruinados, e alguns alvoredos
de tructo, percenecnte aos herdeiros de D Maria
Joaquina Machado Cavalcanti, avahado por quatro
contosde res.
E para que chegne a noticia a todos mandei
passar o presente que ser afDxado no lugar do
costme o publicado pela imprensa.
Eu Luiz Francisco Barreta de Almeida, escrivao
o subscrevi.
Recife, 14 de junho de 1869.
Abilio Joi Tavares da Silva.
/>
l-l
Sexta-feira 16 do correte, depois da
audiencia do Dr.juiz de orphos, vai a
praca, de venda, tres moradas de casas
terrea n. 12,44 e 16 sitas na ra da Ami-
sade na Capunga, pelo valr de 4:3500O0
a requerimento de Flix Pereira da Silva,
successor de Gama 4 Silva, contra o casal
THEATRO
DE
S. ISABEL.
Quarta-feira 14 de julho ESPECTCULO DE PRESTIDIGITADO
POR
M TEYRBSIE LUOllMD
EM BENEFICIO DO
Asylo de mendicidade deUa
provincia.
i.pPTaJ?mJ* por ex,enso se PwMicari nos
joraaes do diado espectculo.
O beneficio da actriz Francisca B. da Silva qae
devia tor lugar boje 13 do correato flea transfe-
rido para
DoMlago 18 de julho
com todo o espectaejo annuociado.


Diario de Pernambuco Terqa feira 13 de Julho de 18C9.

I
I
Terga-fetra 13 de julho de 1869.
SEGUNDO FESTIVAL
NA *
ffABRIOlLDBGBRTBJJL
Ra do Sebo n. 35.
1. Zampa (oavertura a pedido)............. Herold.
i'. Co pete (Sehottisch).................-.. J. Cfcelho Barbosa.
3. Philemon et Baucis (entr'acto)............ Ch. Gounod.
4. Stradella (ouvertura)................... Floton.
>. Marcho nuptialc.....t................. Ch. Gounod.
i>. Abordagem a P.irnabvha (Polka imitaliva).. J. Coelho.
ENTIUDa 1:000
Rcmis dans le cas de mamis temps.
COMMKHIA PERRAKBCMA
AVISOS MARTIMOS.
I O agente Marfil far IciISo por orden e conta
(le urna familia qne M Mira para fura da provin-
cia, dos movis cima, os qiiacs se acham cm mui-
lo honi eslado, DO primeiro andar do sobrado n. 9
na praga da lina-vi-ta. as 11 horas do dia cima.
Companliia americana c brasilei-
ra de paquetes a vapor.
Al o da 10 do corrento i esperado de New-
York por S. Thomaz o Para un dos vapores da
companhia, o qual depon da demora do costme
seguir para os porto? do sal, para fieles e pas-
sagens trata-se com os agentes Ilenry Porster &
C. ma do Trapiche n. 8.___________________
"iMPANHLV PERNAMBCANA
DE
Navegado coseira por vapor.
Maeei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vap.-.r Potentji, cuininandante
Pem'ra, seguir para os portos1 cima
no dia 15 do correlo as o horas da
tarje. Recebe carga al o dia ti, encoinniendas,
passageiros e dinheiro a frete at as horas
da tarde do dia da sabida no escriplorio do Fas-
e do Mattosn. 11
COMUNA RA&ILEIR
di-;
Paquetes a vapor.
Dos porto? do sul esperado
at o dia 21 de julho o vapor
Cir.ciro do Sul. eonunandante
Alcofiirado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para o?
portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de suachegada. Rncommen-
das e dinheiro a frete al o dia da sua sahida as 3
horas.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
Jectos de pequeo valor e que nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos eubicos de medican
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros qne snas passa-
ens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
COMPANIIIA PEKN A.MBUCANA
DE
Navegacdo costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Parahyba, commandante
Mello, seguir para os pollos cima
no dia 20 do eorrente a meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros o di-
nheiro a frete, n > escriptorio do Forte do Mattos
" PARA LISBOA-
segu com toda a brevidade a barca portugueza
Constante III, por j ter parte da carga prompta :
p ira o que lhe falta e passageiros, trata-se com os
consignatarios Oliveira, Filhos & C, largo do Corpo
Santo n. 19, ou com o capillo na pra^a do Com
roercio.
COMPANIIIA PEILNAMIiUCANA.
DE
JUarega^o costeira por rapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e Granja.
O vapor Pirapanu commandante
Torres, seguir para os portos aci-
_ ma no dia 13 do eorrente as 5 hora?
da tarde. Recebe carga at o dia 11, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
J horas da larde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattosn. 1-2._________________
COMPANUIA PERNAMBUCANA
M
Navegacao costeira por vapor.
Goyanna
O vapor Parahyba, com;
mandante Mello, seguir para
o porto cima no dia 16 do cor-"
rente as 9 horas da noite. Recebe
carga, eucommenda', passageires
e dinheiro a frete no escriptorio do Forte do Mal-
tos n. 12.
LEILAO
Quinta- feira lo de inllio as II horas por
la da Associacio Commercial Benefkento
O agente Euzebio vender por coma e_ ordem
de di ver; os :
Uin sobrado de n. 18, sito ra do Drum, com
2 casinhas no fnndo e frente para o caes.
Urna casa terrea de n. 19 sita ra da Con-
ceicao na frecuezia da Boa-Vista.
Uina casinha n. 29 na ra do Calabonce.
Qualro casas de ns. 90, 92, 94 e 96, na ra
Imperial, chao proprio.
Un sobrado de n. 17 na ra do Pilar, com
fundo? para o mar.
Os prelendentes queiram antecipar a vesloria
afim de fazer una boa acqnisicao.
De fazendas limpas e avariadas,
A 15 do crtente.
Magalhaes Irmaos Carao leilao por inlervencao
do agenle Oliveira, d(\ grande sorlimento de'fa-
zendas inglezas, francezas e allcmes, de algo-
rines, hnho e de seda, sendo parle avadadas, por
cQnla e n*co de queni perteucer inclusive alga-
mas miudezas.
Quinta-feira
as 10 horas da manha, em scu armazem ra
da Cadeia do Recifc.
AVISOS DIVERSOS.
i
William J. Haynes, gerente do Lon-
don & Brazilian Bank Limited, tendofde ; fa-
zer tuna viagem a Europa, deixa compe-
tentemente authorisados para tratarem dos
negocios do dito banco durante a sua au-
zencia, aos Srs. Thomaz Wikimon em i"
lugar, e Joao Bernadino Botelho em se-
gundo.
COXSEIiHO E DIRECTO
Os Srs. Saunders Brothers & C, Tasso Irmaos,
Luiz Antonio de Siqueira.
CiEREWTE
0 SE. F. F. B0KGES.
Restando ainda emittir algumas accoes desta companhia, da quantia nominal de
OO^OOO cada urna, das quaes s se aceitam em virttide da le, 20 %, ou 40#000 por
cada aeco; convida-se pelo prseme ao publico em geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessaxdos no commercio, que queiram dar empreo seguro aos seus
capilaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes que Ihes appromer.
Algumas destas acgoes j tem sido tomadas por pessoas que conheeem a vanlagem,
do na presente occasiao (conhecidamente meibop), empregareni o diulieirp de que
poderem dispor em objectos do valur real, como.vapores, predios etc., que Ihes garan-
ta m seus capilaes.
A companhia possue hoje 10 vapores, 6 nieiramente novos, c destes o ultimo .est
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno pue possue ro larg d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido ds 10 % ao anno nos ltimos i annos.
As accoes que se emittirem gosam dos mesraos direitos, e percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que osantigos em propongo da entrada.
Recebem-se assignaluras no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12.
ECONOMA
PA1A A
AVISO
No dia 8 do eorrente ausentou-se da casa de
seu senhor a escrava de nome Jannaria, com os
signa.k seguintes : alta, magra, cor fula, testa pe-
quena, olhos grandes, beicos groseae, dentes alvos
e perfeito?, ps grandes e chatos, andar vagaroso,
falla muito descansado, levou vestido de chita rxa
j usado, casaveque de laa azul j velho, saia de
algodozinho branco, camisa de madapolao; na-
tural do Cear, d'onde veio ha um anno, e suppoe-
se ter seguido para a estrada dos Afogados : por-
tante pede-se aos capitaes de campo ou as autori-
dades policiaes, ou mesmo a qualqner pessoa, que
a caplure e leve ra Direita n. 120, 2o andar,
que ser generosamente gratificado._____________
Ama
Precisa-se alugar urna escrava que saiba cozi-
nhar e comprar : na ra de S. Francisco n. oi.
Cosinheiro
emenda bem
PARA
Para o referido porto segu com muita brevida-
de o palhabote pnrlii!;ii"z novo Profeyido, por ter
a maior parte da carga tratada ; e para o resto
Sue lhe falta trata-se com o consignatario Joaquim
ose Goncalves Reltrao, a ra do Commercio
RO DE JANEIRO
Segu com brevidade para o porto cima, o bri-
gue nacional Damao ; tem parte do seu carrega-
niento engajado, para o resto que lhe faita trata-se
eim os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C. ra da Cruz n. 37.
LEILOES.
LEILAO
Precisa-se de um cozinheiro que
desta arte : ne hotel Lisbonense.____________
Attencao.
Preci?a-se alugar um escravo : na padaria da
ra da Piaia n. 47.
Ama de leite
Precisa-sc de urna ama de leite que nao lenha
(libo : na ra larga do Rosar o n. 12, 2 andar.
A quem vai para u-
- ropa
Recommendamos o modestoHotel Particular-
da cidade do Porto, ra de Santa Catharina n. 133.
Palacete bem dirigido, coi commodidades para
homens e familias decentes, aonde se encontra bom
tratamento por mdico preco.
Arrenda-se ou vende-se o engenho Palermo,
moente e correte, com todos os seus utencilios,
situado no Pago de Camaragibe, provincia das Ala-
goas, e juntamente a parte do terreno denominado
Condado, pertenecnte ao mesmo engenho : a tra-
tar com Antonio Roberto & Filhos, ra Nova nu-
mero 13.
e
9 SO caixas comsabo niassa
HOJIi.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertencor de 230 caixas com sabao mas-
sa em um ou mais lotes jo dia cima terca-feira
13 do eorrente pelas 11 horas da manhaa/no ar-
mazem do Annes, largo da altandega
MLAO
Precisa-se alugar una escrava para cozinhar
e fazer as compras : na ra estreita do Rosario
n. 32, 2- andar._____________________-
Precisa-se de urna ama para comprar e eo"
zinhar : na ra do Queimado n. 22, toja._______
= Precisa-se de urna ama para cozinhar em
casa de familia : na ra nova de Santa Rita n. 53,
2* andar.______________ ____________
Aluga-se urna excellenle escrava robusta,
boa cozinheira e engommadeira, e um escravinho
de 12 annos : a tratar atraz da matriz da Boa-Vis-
ta n. 26, l- andar.____________^^
O professor de latim da freguezia de S. Jo^
esta cidade, abaixo assignado, declara ao publico
que contina a estar aberla a matricula de sua
aula : quem ?e quizer matricular na jnesma, di-
rija-se ao sobrado n. 3, no largo da ribeira da re-
ferida freguezia.
Manool Francisco"Coelho.
CE KED7BS.
Unta mobilia de Jacaranda, conu-ndo 18 cadeiras
de guarnio, 4 ditas de bracos, 2 dita de Dalan-
co, 2 consoJos com pedra, mesa redonda, 1 grande
anislo cora espelho, 1 toilette de Jacaranda, 1
'candelabro de bronze, 1 costurara de Jacaranda,
1 cama franceza de amarello, i commoda de dito,
l lavatorio, 1 columna de inogno, um sof de ama-
relio. 2 consolos, 2 cadeiras de braco, 2 ditas de
balance, 1 mesa redonda, 2 aparadores de ama-
relio, tancas para cortinados, 1 banquinha par p
de cama, 2 banquinhas, escarradeiras, di
enfeites para sala, 4 grandes quadrM, 1 marque-
zao, 1 marqueza, c outros muitos objectos.
IIOJE,
DIVIDAS
O abaixo assignado, hoje possuidor das dividas
do casal do fallecido Jos Uaptista 4a Fonseca J-
nior, arrematadas em leilao publico, pede aos de-
vedores do mesmo casal se dignem satisfazer scu:-
dbitos no praso de 30 das, a contar da data des-
te ; findo o qual proceder judicialmente a dita
cobranca : na ra das Cioco Pontas n. 82.
Recife 13 de julho de 1869.
Joo de Azevedo Pereira.
ANA
SFFRIMENTOS DESTOMAGO, CONSTIPAOAO.
Cura em poucos din pclu cabvao de belloc em p ou cm pastllbas,
ENXAQUECA8; NEVRAL6IAS. KuwaiT^Ow><-
sipadas i-.ipi ANEMIA, A PALLIDEZ c os sofTcimontos que necessitam do
emprepo dos leniigincos sip seinnrc coinliatidos com o mcllior resultado
peta pilulAS d: vallet. Cada l'Kula tem incravado o noine VALLt.T.
PO DE ROG. Basta disolver um frasco d'rsle p cm meio
parrafa d'agua para se obt>r una limonada agiadavel que purga scn fa-
xcr clicas.
VINHO DE QUINIUM de Uibarraque. Esle vinho, um dos
poneos cuja compusu.au garantida constante, 6 urna das mclliores pre-
paracoes de quiuino, sem acQo notavel sobre os convalescentes, daudo-
Hks torca e apressaudo volta a saude. Cura as febres antigs que re-
sistao ao sulfato de quinino. .,
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parte d'cstas moles-
tias, couio as sciat.cas, lumbagos, catarros, e todas as dures nervosas em
gcral sao juradas pelas PEROLAS DE ESSENCIA DE THEREBrNTINA do
Dr. l'.liitan. U profissor Trousseau em seu Tratado de teraputica acon-
sellia as para seren tomadas na occasiao do jantar, na dse de 4 12.
OLEO DE FiGADO DE BACALHAO DE BERTH-
Ganntio puro e de primeira qualidade, um dos foucos aprovados pela
Academia de medicina.
Toaos estes medicamentos foram aprovados pela Academia
imperial de medicina de Pars.
DEPOSITO
Cm Paria, L. FRERE, 10, rae Jacob
IIi-i'um ni:i.i e ; II: i:m vns 4 Pernambuco. UlCRE ct C*.
Tesdui.I'U.
Hami et O.
Ceara.
Magreb et C1'.
OPPRESSAO SOFFOCAgAO
As pto1b% d'niirr do DouTon Ci.fRTAS apprnvadas pela Academia imperial
d> medicina de Pariz acalman quasi sempre instaatnnertmente os ataques d'asma,
oppressSo,'80Tocag3o, assim como as dores de caheca e enxaquecas. sul'fi-
eienlc na occasiao em que apparecer o mal, o engolir-se urna ou duas peclas
com una poma d'agoa. (jum certeza o medicamento mais fcil de lomar para
este genero de doencas.
a icr.ios de trrehenriiina do DODT0R Clebtaj* sao imprecadas diariamente
com grande xito para a cura das nevralgias, rheumatismo, sciatico e catarrlios
da bexiga, Kslas perolas foram sempre recommendadas por um grande numero
de mdicos e especialmente pelo Doutor Trousseau, que indica esle medica-
mento como o mais efficaz. conveniente tomar de 4 at 8 na occasiao das
comidas.
A approvacao da Academia imperial de medicina sem duvida a inelhor
garanta da boa preparacao d'stes medicamentos e de sua efficacia.
Bqpoulo em l'.i.i-J.v.\t:ii:n, DttponcheVe; Chetxtlot. Em Pirsahioco, ilaurtr ICP.
sama
QUINIUM LABARRAQUE
APPROVADO PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARIZ
O Qainium Labarraqu, eminentemente tnico e febrfugo dove ser
preferido todas as oulras preparacOes de quina.
Os vinlios de quina ordinariamente empregados na medicina preparam-se
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; parte disso, em razao de seu modo de preparac3o, estes vinhos con-
tera apenas vestigios de principios activos, e em proporcoes sempre variaveis.
O Quinlnm I-abarraque, approvado pela Academia de medicina, con.
slitue pela contrario um medicamento de composigo determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
0 Qainium Labarraque prescripto com grande xito as pessoas fracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotamento, seja por antigs moles_
tias; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem diffi.
culdade em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aos velhos
enflaquecidos pela edade ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, efires plidas, este vinho um poderoso
auxiliar dos ferruginosos. Tomado junto, por excmplo, cora as pilulas de
Vallet, produz effeitos maravilhosos, pela sua rpida accao.
Deposito em Pars, L. FRERE, 19, ru Jacob
Rio-Janeiro, DUP0NC1IELLE; CHEVOLOT. Pernambuco, MARER et O
CURAS IMPORTANTES
Ooxarope Vegetal Americano especialidade de Bartholomco&C?
34.RA LARCA DO ROSARIO.34.
Precisa-se de ama ama
loja.
na nrj da Cadeia n. 9,
No costnoiimo proenrar ttestados para acreditar
nos*os preparados, deixamos qne >* applicacao e os
resultados obtidospelas pensoasque a dignaramacceila-
los, Ibes deein crdito e or ; por^ne sio seaipre os
ttesiarlos considerados gratuitos, e dedra que lanca
nao o cbarlatanisiB.; mis ni qnerendo ofTender as pes-
soas que espontneamente nosonVrecersm.asqae abaito
Tao transcriptos, os fazemos publicar manifestando-Ihes
nossa gratuito pela alleno. esparando qne eiiham
lies corroborar o conceilo, e acceilacao que tem mere-
cida dosso xarope. ariAolome. A C.
ITTtSTtDO.
Illms. Srs. Barlholomeo k C. com mais sabida
atufadlo que declaro ser o xarope Americano de ama
ttflcacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias de
intensa tosse, i ponto de nto poder dormir a noite a
despeito mesmo de medicamentos que tomara, a elle
recorr e na terceira colber fui allmado, de todo me
acho boje reslabelecido com o uso somenle da quasi
meio frasco; grato pois i esse resollado manifest a
V, Ss. men reconliecimenlo. lie Vv. Ss. amigo, re-
nera.or e obrigodo. Hanoel Antonio Viejas unior.
Sna casa '0 de abril de 18*8.
Illms. Srs. Bartholnmeo Je C. P-eahoradissuaocom
favor que me lizeram de lrontlhar o uso do xarope
Vegetal Americano, de sna composico, qnando me
%rbeva bstanle doente de urna constipaco, que me
tornou completamente ronco e qne troaxe urna forte
tosse, e me impussibililou de cumprir os meus dereres
de cantar da empreza lyrica, Ton agradecer-Ihes meu
completo resiabelecimenlo, qne obtive com um so idro
do mesmo xarope, depois de haver recorrido a mullos
traiamentos. Desejarei que outros como eu recorram
an seu xarope para se rerem aliviados de to terrtvel
iucommodn, to fatal nesie paii. Com maior conside-
raclo contino a ser de Tr. Si. atiento, venerador .
obrigado. Luiz Ciemona. Recife 95 de settmbro
de 1868.
Illms Srs Barlholomeo tC.-O xarope Vegetal Ame-
ricano qne V>. Ss. lm expnsto i Tenda de toda effi-
cacia para o curativo d'asihma, canforn. obserrei ap-
plicandO'O a men ti 1 to Joaquim, menor de quatro
annoa; ticlima d'esse flagello, que at entopor espato
excdeme a dous annos bavia resistido outros jaropes
de grande nomeada. Queiram pois Vv. Ss. acceitar i
expresso altamente sincera de meu reconhecimenlo ao
meritorio servicn qne lhe prestara* eom o indicado
xarope, acreditndome par semrre de Vv. Ss. criado,
atiento e obligado. Americo Netto de Mendonca.
Itecife 3 de ouiubro de 1868.
PARA
entregar as chaves ao proprietario do pre-
dio.
0 arretnaUnle do estabelecimeoto de (azendas da rita da ltiiiicratriz n. 3(>,
intitulado JAHDl.M DAS DAMAS, tem resolvido liquidar bulas as fazendas quonclle exis-
lem, aOm de em poucos dias poder entregar as chaves ao proprietario do predio, por-
tan to convida ao respeitavel publico a vir sortir-se do grande sorlimento de fazendas
que existem no mesmo; podendn C'imprar por menos 50 o/ do que em ouira qualquer
parte, e algumas tatvez por menos ainda.
Knlre o grande sorlimento de fazendas que existe nesta loja tem o seguinte :
Finas percalas de cores fixas. ( Ditas lavradas de ama s cdf.
Chitas linas claras o escuras, cures fixas. lirias do Hnho niudinhos para meamos.
Cassjjs francezas muito linas. dem dem eom padffies mais grfidos.
I'inhfeimos baregns com lisias de seda.
Ditas Iransparenl's com lisias.
I.anzinhas muito linas com listas e (lores, xo ao superior.
Gros-de-napotte pretos e de cores.
Pannos linos pelos e zoes, do mais bai-
Alpacas lavradas com llores.
Cortes de cambraia de cor com barras as qunlidades.
Casemiras de cores para calcas, de todas
bordadas.
Ditos de duas galas, com figulinos.
Ditos de cambraia branca, bordados.
Ditos xle velludo para Golletes.
Ditos de gorgurjo de seda.
Sajas bordadas, rom quatro pannos.
Dias com barras de cores.
Ditas de lan, bordadas.
Punbos com gollinhas'de cambraia.
Alpacas lisas com lisias.
Finissimos manguitos com gollinhas de
cambala transparente.
Manguitos eom punbos.
Ptinhos com gollinhas.
Pi'ltaas pietas, de fil e croch, borda-
das.
Finissimas liras bordadas para entre-
meios.
Dilas para babadinlio, tendo de todas as
quilidades e larguras.
Assim como
um grande sorlimento de roupa para homens, tendo paletols, calcas e coletos de todas
as fazendas c qtialidades; e outros muitos artigos que seria impossivel nomea los todos.
0 que o arrematante deste estabelecimento pode garantir ao respeita el publico qae
ser bom servido e por procos muilo commodos, por ter grande urgencia de esvazear
o estabelecimento, pela razao quoj den de ter de entregar as chaves em poucos dias.
Isto na loja da ra da Imperalriz n. 30, que tem um rclnbulo com o nome de
SMCffM 5)AS 3)AMA& i
LIQUIDACAO
Liquida(?o!!! Liquidapao!!!
de precos
reduzidos, na ra do Crespo n. 17
ac.
Camisas francezas e inglezas do todas as qualidades.
Ditas bordadas para senhoras.
Saias bordadas para senhoras e balos de todas as cores (novos).
Ricos cintos de setim com enfeito da mesma cor para caheca (novo gosto).
Muito sortimento de lencos bordados, fronhas, bicos e rendas, tudo da trra,
bom gosto, e ricos cortes de vestidos de tarlatana bordados, azenda de gosto, proprios
para casamentos, e vestuarios de baptisado de muito gosto.
Alpacas lisas de todas as cores, fazenda nova.
Ricos cortes de vestidos de b'onde para casamento?.
Pompolinas de Hubo e seda, goslo inteiramente novo.
Si'das de todas as cores e de lindos padres.
Setim macan branco e gorgnrao prelo, grosdenapoles [de todos os precos e-
qualidades.
VEGETALAMERICANO
E SAL DA DE
BA RTHOTOMEO aC
Par i cora eerU das tosses antigs e rcenles, tarrhaj pulmonar, aslbmi; Ion eonvolia, eaUrrh
bronthi.'.s, o em oral contra loto os soffrimenlos. das vias respiratoria!.
deposito geral
botica e: drogahia
34, roa larga do r0zari0, 34
PERNAMBUCO
lhe, pois os meus agrdecimentos por me ter aliviado de
lio borrivel mal. Com a mais signiflctiira gralidao,
snbscrevo-me deVmcs. affectuoso e reconhecido criado.
A therapentica das diversas molestias do peito, desde
t pbarvngite ou mal da garganta al a tubcrculacao
pulmonar, passando pelas diversas broncbiles caiarrbaes
e o emphjsema acaba de ser enreqnecida com mais
este medicamento, qae lomar* a primeira ordem entre
todos at boje condecidos'. O xarope Vegetal Americano,
garantindo puramente vegetal, nao conten em sua
composi^ao um s tomo de opio, e sim somenle sue-
cos de plantas indgenas, cujas propriedades benficas
na cura da molestias que pertencem aos orgos de res-
pirarn foram por nos observadas por longo lempo,
com ptimos resollados cada ve mais crescenies; pelo
que nos julgamos autorisados a compor o xarope que
agora apresentamos, e a offerece lo tos mdicos e ao
publico, Provamos com os aitestados abano o que le-
vamos dito, e contamos qne o conceito de que j gosa
o xarope Vegetal Americano crescer de dia a dia,
eiiando multo aps de si todos os peitoraes em voga.
Illm. Sr. Barthalomeo t CO xaropa Vegetal Ame-
ricano, preparado envina conceiloadissimJ pharmacia,
um til remedio pira combater a terrivel asibma.
Sofra en aquella molestia ba quatro metes, sem anda
ter combatido os ataque mensaes qae tinha; este ultimo
que tive foi fortissimo que me pros ion por 8 dias, nsei,
porm o sen milagroso xarope, tomando apenas tres
dse, e at o presente nio fui de novo atacado. Prasa
Dea, que eo fique reslabelecido por urna vei. Rendo-
Sererino Dwrte.Sua Casa 14 de fevereiro de 1868.
Illms Srs Barlholomeo ftC. Depois de quasi sti
mezes de foffrimenlo com urna tosse ncessante, fastio
extraordinario, expectoraco de um catarrho amareHa-
do, e perda tolal das forcas, qne o menor passeio
me fatigara completamente, cansado de tomsr muis on-
tros remedios sem resultado tire a ftlicidadc de saberqn.
Vmcs. preparavam o xarope Vegetal Americano, e eom
elle, gracas a Dens. me acho reslabelecido ba mais de
dois mexes, e robusto como se nada tivesse soffrido. A
gratidao me forca a esla declara;o, que poderlo Vmcs.
fazer o uso que quizerem. Sou com estima de Vmes.
muitos respeilador e criado. Antonio Joaqun dt
Catiro i Silva. Recife 8 de feveteiro de 1868.
Atiesto qne nsei do xarope Vegetal Americano, im
composicio dos Srs Barlholomeo k C para cura de nm
forte defluxo que me trouie una rouquidan. que me nlo
fatia ediemier, inflammaco e dor na garganta, tosse,
grande falta de respirarlo, e liquei completamente res-
labelecido com um s vidro do mesmo jarope; palo
que lhe* protesto eterna gralidao. Keeife 10 de Ja-
neiro de 1868. laaquim Ptrcir reate!"tuMor.
Estio reconhecido.
A VERITABLES _
>{ reo'^^Martin/
.NNEAU
tECTRIQUE
' RQYER
7. *
^NE ELE,
^RRET,, 'MQUf
Os terdadeiros OOUABU ROTIB, os unicos approvados pele
t Academia de Medicina, tem assim como os meo outros producto
ntlrahido a ctipidex dos falsificadores, roe para facilitar sna criminla
industria nao sepjafl, era receia annunciar vender falsosCox.1.
cwxc xut momb. En previno as familias paia inleresse de seus filho.
>que, para eritar hlsificatdes, devem exigir, que meus Coi*** Ibes
sejao vendidos em caixas de tambas de encaixe e corredias coberta
por a ettiquetas com a minh marca de" fabrica e encerrando nn>
praipecto circunstanciado, e selladas por urna medalba com o lettreiro.
COUAR ROYEB, Rne St-Iirtii, 225. Par.
*::
/



Diario d Pmamimco Ter " PALOB
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
SI
IIClNTIl SI CIST1BTIIIRTI IB1 COlPLITt S01I11ET0 II
CHFEOS II SOL;

.
De todas as qualidades t
De todos os feitios I
De todas os presos I
RA DO CRESPO
Ra
Imperador
26
n.
Ha diariamente neste novo es labe 1- o
ment completo sortimento de doces para
cha, pastis de varias qualidades, empatias,
podio*, plo-de-l, bollos inglczes, pre-
suntos ditos ein iambre, superior cha hvs-
son e miudiaho, chocolate fino hespanhol,
xaropes, conservas de superior qualidade.
Fructas de Lisboa e francezas, lombo de
porco assado, marmelada muito fina, vi-
nhos finos do Porlo, Xerry, Madeira, Bor-
d.'aiiN, Moflate! c da Figueira. Cognacs
finos, verdadeira genebra de lollanda, li-
cores finos e marasqiiinho, cerveja Basa
vei dadeira, branca e preta. Bouquets arli-
finaes de muito gosto.
Recebe-se encommendas para casamento,
bailes e baptisados, ludo cum muito asseio
e promptidito.
AMA
l%r^SM Nova19
FREDERICO tt AIJTIER
dentsta, muito conhT.i-.lo ha de/, ar.nos n'esla cidade, pela perfecSo dos seus i
trabalhos, tem a honra de participar ao respeitnvel publico que tendo feito muitos m
'horamectos na sua casa, pode d'bora avante receberas senhoras no seu gabinete ondejfi
acharo os commodos precises para familia. j5|
Aeba-se tambem o sua casa e na sua companhia, o seu sobriho e discpulo S
Na ra do Turros n. 16, 2o andar, precisa-se de
urna ama que compre, coziulie e engomme para
una pessoa.
mm
o qual acaba de voltar de urna longa viagem a Europa, durante a qual pralicou com '. 1
feliz sticcesso as primeiras osas de Parra ede Londres, offerecendo assim as mellions
garantas do bom desempenho para tudo oque for relativo a profissao ; por isso o
annuucante pede aos seus amigos e dientes que por a.-iso o nao Encontraran no seu
gabinete, depositen! no dito seu sobrinho a mesau confianra com que o tem honrado
a dez annos.
Dentaduras por tolos os sysiemas: a nressaodo are ora molas de ouro, platina
vulcanite e um int innr.eiile novo n'esta cidade.
Cura radical dos denles cariados.
Cbrabagens < obturantes) com ouro e com massas diversa?, segundo os casos.
Remedio para acalmar as dores de denles.
Agua e pos dentrifioios fabricados pelo propro annunriante, o queme permiUe afian-
;ar sua boa quadade.
fe IffitH
CID.VDE DE MAMiM'Jtfl .
ADVOCACIA.
O bacharel Augusto Cari* Yaz de
(Hiveira, lera aborto sen escriptorio de
advocaeia na cidade de Mamanguape
(provincia- da Parahyba) onde pode ser
procurado.
Nesta capital podem ontcndeTTe com
seu irmao o Sr. Justino J. de S. Campos,
ra do Hospicio n. 23.
ODr. Ermirio Continuo, "reside
na da Cadeia ti. Gi, onde tem
aberto o seu consultorio me lico, e
pode ser procurado quaiquer ho-
para o excrcicio de saa profis-
No da 83 de abril fugio do sitio Mandaca-
r, cidade da I'arahjba, o escravo Manoel, cabra,
nariz chato, cabello um tanto carapinho, e repre-
sento ler 30 anaos de idade ; consta que elle foca
visto na estrada de Ipnarassu : (piem o apprehen-
ilor podo leva-lo ao sea Fenhor Barlliolomeu de
Paiva Machado no dito sitio, oa mata cidade i roa
da Imperatriz.n. li, 1 andar, que ser generosa-
mente gratificado.
'\M Escriptorio de advocada
Q| O Dr. Jn-io Thom da Silva transfiri
s o seu ewtptorio de advocara da ra do
j~> Imperador para a ra do Queimado n
jjjjg 31, 1 andar, por cima la luja de fazen-
e-T das do Sr. Antonio de M. Kolim, entrada
a polo patpo de Pedro II, aonde pode ser
"BJ procurado das 10 horas da manilla as
3 da tarde.
wmmmm
Grande officina de
alfaiate
Escovas para denles, etc.
LIMA. LESSA COMPANHIA
Ra Nocan. 14
Toado chegado, ltimamente contratado para
nossa ufllcina, um dos mais peritos alfaiatcs de
Lisboa, o Sr. Manoel Marliiiho Alves Gar ia, a
quem ronliamos a direccao da masina ; noranto
conven rid 9 eomo estaraos de sua importante te-
' eoura, vemos prevenir o respeitavcl |tahiico, qn
1 nao lia .-er quem
Com mais per
ttem possa execntar q alqner obra
' 1c ii e por mafe caprichoso que leja
C0S!NHE!R0
Precisa se de um eosinlieiro oii cosinheira que
seja perfeito para este fim, nacional ou estrangei-
ro : a tratar na ra Nova n. 22.
O advogado
Aflbnso de Albuqumme Mello mndou o seu es-
criptorio para a ra das Cruzcs n. 37, defronte da
typograplna do Diario".
RAVIJJ
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
REC'iFE A9 OEIWDA.
Precisa-sc comprar para as ohras dos
trilhos urbanos para Olinda e Beberibe 7
ou 8 mil sulipas. Quem pretender esse
fomecimenlo pode presentar, at o dia 5
de julho, sua proposta em carta fechada
ra do Commetcio n. :\i i" andar, es-
criptorio da companhia, declarando os pre-
cos. As sulipas devem ser de 2 25 m. de
comprimento, 20 a 25 centmetros de largu-
ra e 10 a 12 de rossura, e das seguintes
madeiras : sicupira, embiriba, mariapreta,
harab, arueira, oilicica, babalimo, pao
fcrro, jath, coracao de negro, sapucaia,
ou pinito creosotado.^ Todas estas madeiras
devero ter do milo edirigidas ao
Superintendente,
Andr Porto.
Ama de leito.
Procisa-se de uina ama do Fefre :
ra Real (Estancia) n. 8, sitio.
a tratar m
Aluga-se
Urna casa com bastantes commodos na
Cidade Nova de Santo Amaro, a tratar com
Antonio Jos Goncalves Jnior en Santo
Amaro.
Amo
Precisa-se de nma ama para cozinhar e comprar
para casa de pouca familia : na ra das Truzes
n. 28, Io andar ; prefere-se esotra o j.aga-se
bem agradando.
Advocada
0 abaixo a signado muden o
n. 32 para o n. 44. primeiro andar,
da i Ha do Imperador (quasi delron-
te da typographta do" Jornal do Re-
(//'), seu escriptorio de advocada.
onde pode ser procurado das 10
horas da manha as 3 da tarde.
Alvaro Camiitha T. da Sitwt.
Os apreciadores de manjares delicados
encontrarn todos os domingos, no hotel
central, de Francisco Garrido, a verdadeira
sopa de Ravioli do verdadeira gosto italiano:
assim como ostras excellentes iguarias que
seria enfadonlio mencionar. Ah se en-
contraro -linda os mais gaseados aposen-
tos para hospedes, banhos, buhares e piano
para recreio dos babitaotea: ra larga do
Rosario n. 37 ld andar.
Precisa.se do urna ama forra o captiva para o
snico interno e externo do urna casa de pouca
familia : a tratar em frente a ra do Vigario n. 2,
taberna.
'Perfeicao de trabalho e precos moderados. ffi'W^^^^
*r- ... r, j .miras, pannos finos, brins de toda a qualidade
/ ingers para jora medame ajusfo previo. camisas o ceroulas francmtas, daseos desold
O gabinete acha-sc aberto das 8 horas da iKinhaa ateas I to tavde de todos ds aed?' ^*a,va*f ohrlnaos,; completo sorfimeMe
'IL LIZ( l,l,i'' Illl*-.
dias otis.
Trocam-se
; notas do banco do Brasil
m descont muito razoavel
i icuijenea n. 22.
e das cates filiaes,
na piafa da Inde^
S. AUTOPIO, 'S. JT0.1O E PjERO.
Ha diariamente s ,rtimento de bolnhos
presuntos,
bollos simf.
los, superior che ffisson, preto e miudrnho, fructa em xaropes, ditas seccas e christa-, i'*'
saoas, assQCsr eanol, xaropes refrigerantes. eeber
-se c;iO!ii!nendas de baadeijas para casamento, bailes ebaptizados.com q
casa da loanrvA
As 4:000S
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n.23 e casas do costume
O abaixo asignado tendo vendido nos seus mu
^ Os seftbores crdores d > fallecido .Antonio
Ferreira Gomes queiram, dentro do preso de lo
dias. apresentar a- soas notas ao seo te-tamen-
tero Manoel Ferreira Pinto, praea da Indepen-
dencia, para seren rarificadas e pagas do que Ihes
tocar em rateio. Ilecife de julho dc_i8().
Precisa-se
Para acompanharnma familia que se retira para o
Rio de Janeiro, de dnas criada acostumadas a
viajar e cuidar de enancas : a tratar na ra do
(jommercin n. Mi.
o-
da
Prccisa-ie alugar urna preta para vender na
roa : a pessoa que tiver dirija-so ra do Pilar
n. 7t.
Com esn(iodc)!0|jj8.-)ino as ras da
dade todos os dias uteis das 9 horas
manhSa s 5 da tarde, urna caixa contend,
artigos das ullimas modas de Parispara
SKMIOIUS
Como sejam:
Ricas e bellas chapelinas.
Lindos e elegantes chapesinhos.
Casaquinhos de guipuro.
Fichas de renda pretos.
Delicado sortimento de cintos.
Corpinhos de cambraia enfeitados.
Borns de lan e seda, claros.
Coques enfeitados e lisos, etc. etc.
E muitos artigos de novidade tanto ara
senhoras como para torneos c enancas.
As pessoas que pretenderenralguns des-
tes ohjedos, queiram ler a bondade de
mandar dizer soas moradas noBAZ-Mt
DA MODARA MU N. 50alim de
serem procuradas.
Os prop ietarios do=BAZB r<\ moda,=
certos na" opiimescolhaa destes rticos,
por seu mui hbil correspondente em Paris,
julgam-se no direito de alliancar que ven-
den) suas'mercadorias por presos as me-
Ihores condicoes a dinlietro.
ESTIRO 1)E PREPARATORIAS
com repciico para os alisamos
novcnibro.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua e lilteratura nacional no gymnasio
provincial do Recife, tem aberto em sua
tas, ra Bella, n. 37:
Um curso de
LlNOl-A 1-IlANCKZA ;
1'IHI.OSOPIIIA ;
r.EOGiupiii.\ e trrsTORiA;
UETHORICA E POTICA.
Os estudantes que pretendenm faier
exame em novembro em qualquer destas
materias, podem dirigir-se m licada re-
sidencia, tarde, das 3 horas em diante.
Quem precisar de urna pessoa hTHiitadTpara
administrar um engenbo, dirija-so ra Direita
n. -13!.
.Va rna da Cnu n. 11, 2o andar, precisa-ic oV
urna ama para o servio) de cozinhar e entorn-
illar.
:<-
ta attencao.
Pogiram em dias do niez de abril do crrante
auno, do mgeobo oiirado, ten o de ipojuea, os
escravos seguintes : Dellina, crioula, com idade
de 40 amios pouco mais ou menos, alta o^
de corpo, olhos apitombailns. beieos grossos, es
Amda nao viram, no entretanto o neirocin
de Interesse, e preeisa-se Tallar rna do Crespo
!> '" mliao Ferreira da Silva, ex-
procurador jJa.cainai-a, Dr. Francisco Pinto Pes-
soa.
i:;i .-asa de THIODORO CHRISTI-
ISEN, ra da Cruz n. 18, cncontram-se
eflecth': nte I idas as qualidades de viriho
mllas ps eompridos : Ciamo." erialo, mari aux, lioui'gogne e do Rheno.'
da referida escrava, regulando a me>ma idade, ai-
Recebe
bonitas artiiacoes de assucar, sendo estas preferiv^is asdepapelao: bolos etc.,
de ro enfeitados, qualquer eneommenda para fra ser bem acondicionada.
la les i--oidores a virem re-
respectivos premios sem os des-
rtrntos das leis, na casa da Fortuna roa de
i. 23.
niiwaj
11-Sua estreita do Rosaris-11
Este nov-o e modesto eslabefecimeato, tendo aberto ao respeitavcl publico este ele-
ga^M e oem lornecito hotel que situado ntima posicao inteiramente saudavel, e sen-
,,!,,, ?ente sonabre^10 P!os doces zepnyros da tarde, torna-se preferivel qual-
quer outro d este genero, as tres cotisas mais necessarias ao genero racionall
ment do corpo, distracSo da alma, e oeego de espirite.
nrmi P^1"^*!*?, oma casa de pasto muito profusa, da primeira ordea ; no
primen o andar, sala da frente, nmexccHente buhar de mogno, para divertimento. Sala
tL ""?.rtftar',n1t0 *> primeira ordem. Quinto ae asseio e bemfeitoria das comedo-
nL au ?e,,cafl0 mo,1 a<3 pessoal do estabelecimento, promptido e commodidade, s
aos ihustres conarrentes .lado fazei' justi^.
! comidas para fra, tanto por mez como avulsa. Todos os dias,. noite.
paes | Acliam-se a venda es da 9* parte da lotera
a beneficio do patrimonio dos prpnios (113 | pi-
se extrahi-. quarta-leira 14 docorrente mez.
Precus.
Bilhete. ". 4 000
Meio.....2000
Jnarto.....ijQOO
Em porc.ae de 100a para cima.
I'.iili. -i., / irnrt
Bilhete.
Meio.....
fQuarto. ...
______________Manoe
^ 0 Sr. Bernardino de S IM
Guimares, aueira apparecer na
3:;oo
15750
875
Martms Finza.
da Silva
ra do
Hospicio n. Si: negocio que ni5o ignora.
onecidos na povoacio ile Mnribeca, onde tm clles
iriuius e piintas, e bem assim na engenlio Barlbo-
lomeii ; at IHG foram escravos do fallcido Mi-
el dos Anjos Nogopira, c luje de Francisco Al-
Precisa-si
engnmrasr :
ailar.
Criada
3 urna criada forra ou captiva para
rna do Imperador n. 7U, segando
Mediante, nina iiJemnisacao de bemfeitorias,
cede-so urna casa torrea eoia ptimo quintal, em
muito boa ra no bairro da Boa-Vista, com ex-
traordinarios commodos para urna familia : a
tratar na ra do Hospicio n. 47.
! WtrTS^ ex,ceJttnte sorvet,. re/rss. caf, coa, bons vinhos Figueira, Porto, Bor-
d ida commodos para ffospcdagem, saao
Alnga-so o segundo andar e soto da ca*a
da ra da Senzalla Yellia n. 22 : quem pretender
falle com Jos Antonio Guimares, ou com Tho-
maz Fernandos da Cunha, ra da Cadeia n. 4i.
ws de Miranda .Varejfo.
Protesta-so desde ja, contra, qnerqoer que. dr
coito a ditos escravos: presume-se assim tonh.i
acontecido, porque um dos referidos escravos foi
direito a eerto enpenho. e do qual s passados dia*
se dirigiram ao senhor destes referidos escravos
alim de compra-Ios, nao querendo, porm, dito
senhor ve'nde-los, para alli iiiandoulogq um porta-
dor afim de o pegar, mas chegado este ao tal j
corto engenbo, foi-llie alii respondido que dito es-! S
craw ja d'ahi se linba ausciUtido! E' para estra- i @
_ para
nhar sementante proceder, no entratanto, Seaae
na espeetativa, e roga-se as autoridades pnliciaes
e capaes de campo, o favor aprebende-los e I
var a roa do Vigario n. 12, a Joan Carduzo Rebel-1
lo, oo ao engenbo Dourado a Francisco Alves de
Miranda Varejao, que ser generosamente recom-
pensado.
Aluga-se una escrava
bem,
Pi\;cisa-so de nina ama para o atruen ex-
terno de una casa de familia : na ra imperial
n. 217. '
que ciigoiniiia muito
quarto mobliado no segn
Caixeiro
Precisare de um caixeiro do 16 a 18 annos com
platica de taberna : na ra de Santa Rita n. 1 se
dir quera precisa.
1- ugio ni dia 8 do correntc o escravo de no-
me Simplicio, cabra, alto, olhos grandes, beicos
grossos e ps grandes, muito conheeido por ser
capoeira o estar senipre alegado em caa.? de pas-
to ; quera o capturar leve-o ra Nova, loja do
Arruda A Irmao.
Aiada se precisa do um eaixeir > com pratka
de taberna, dando llanca de sua conducta : no
pateo da Ribeira n. 13.
Paraguay.
^f ra Direita n 53, reeebe-se qualquer (plan-
ta de dinheiro para entregar no Paraguay sem
lucro algum, daude-sc disso garanta.
Lnii Justiniano de Souza Borba~previne"a
quem interessar possa, que nao facam negocio al
gum com Feliciano Joaquim da Aguiar Costa e ou
ti'' lierdeiros do nado Justino Justiuiaao Jorge
de Souza, por nao ter passado em julcado a sen-
tenca (pie julgou a partilha do inventario de ditos
hens pendendo de recurso que se acha no Iribu-
nal da relacao.
bem, perita cozinbeira e cn.-aboa com perfeicao:
a tratar na ra 'la Mangueira n. (i, sobrado.
=o!lrecis-se de urna ama de leite : a tratar na ]
ra dos Expostos n. K, 2o andar, ou na ra do; !*
pdo rnizn. 12 A, ou rna do Destino n 3.
Precisa se de um rapaz que tenlia platica de M
loja de calcado : na rna do Livram uto n, 37. ;^B
a premio sob hvimthoca, ou
compra-s urna casinha at essa quantia : na ra
= Da-so 1:000 6
mpra-se urna casi
Direita n. 24, padaria, se dir.
ATTEN CO.
Muito se-preei9a fallar com o Sr. Manoel Caval-
canti de Sa .Mfeiiqnerque, na prae* do Corpo Santo
n. 17, a negocio di sea Inien-sse.
ATTENCAO
A audiiLO assigoada declara pelo presente, que
nmguem pague foros e nem faca transaccio al-
guma com os raesmos, sem que s emendara com
a abaixo assignada ou eom o Sr. Antonio Fran-
cisco de Aquino Fonseca,sett bastante procurador
Recife, lo de julho de 1869. F
_____________D Candida Rasa Pae Belo.
Precisa se de urna ama forra para cozinhar
em una casa do ramilia : a tratar na travessa do
Queimado n. 18 B, loja de Maja & Landelino.
Pilulas de Bravina
Estas prodigiosas pilulas sendo applica- J
das tas pessoas acomraeltidas de febres in- '
termillentes, sao incomparaveis emaae>l|
cacia para completamente vencer as ditas
l'ebres, achando-se unicamenle venda na!
botica n. 3 ra ireijj deata cidade-.
" O abaixo assignado, testamenleiro in- i j^,
ventariantfl dos bens deixados pelo falleei-
do subdito francez Joo Vigties, convida aos
credqres do mesmo. a apresetilarem-llie as
coritas de seus crditos, para por ellas se-
rem atlendidos no inventario ;i que se est
procedenlopelo juiz municipal da 2a vara
desta cidade, e isto no mais breve termo
possivel, visto estar a concluirse dito in-
ventario. Recife 21 de jnnho de 186.
Garpar Antonio Vieiru Guimares.
Preciosa" publica-
cao jurdica.
Conmientario do cdigo rommercial
portuguez e brasileiro
Yonde-se na loja do Sr. Heraclio
de Paula Monteiro, ra da Impe-
rador n. 71, a importante e moder-
na obra sob o titulo de Annolaces
ao Cdigo do CmmercioPortii'jnc:
em 0 volumes pelo Exm. Sr. con-
selheiro Dr. Diogo Pereira Forjaz
de Simpaio Pimentel, lente catlie-
dratieo na utnversidade de Coinv-
bra. Os subidos crditos de que
goza muito merecidamente a pie lie
eximio commercialista por si s
bastaran para recommendar lo !
importante obra, quandono con- i
corresse mais para isso a grande
Historia da liberde em
Portugal
Vrnde-sc na livraria econmica ao p do-arce
de Sanio Antonio. Esta obra tere tal aceitaeSo e
popularidade em Lisboa, que em tres on quatro
dias se venden a 1 PERFUME NEXTINGUIYEL.
Para o Lenco, Toucadob, e B-,mio.
a mu afamada
aga de florida,
DE
MI ISStAY iV LAmMJV.
He o mais delicado e mimoso e ao nies-
mo tempo o mais eslavel de todos os per-
fumes, c socorra em bi, no seu maior auge
de excellencia, o proprio aroma das verda-
deiras flores, quando anda na sua flores-
cencia e fragancia natural. Como um meio
seguro e rpido allivio contra as dores de
cabeca, nervosidade, debilidade. desmaios
falos, assim como contra Indas as formas
ordinarias de accidentes hyslericos; de
summa eficacia e Dio tem nutro que o
iguale. Igualmente, guando destemperada
com agua, torna-se um dentificio o mais
agradavel e excedente, dando aos denles.
aquella alvina e aperolada apparencia tSo
altamente apreciada e deaejada pelas Se-
nhoras.
Como um remedio eenlm o mau hlito
da boca, deiwis de diluida om agua, .
summamente excedente, faz remover* neu-
tralizar todas as materias impuras que se
erian roda dos denles e das gcngiva>.
tornando-as duras, .-adas e ddma" linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqur/.i
perman enca do seu fragrant aroma, ella
por corto nao tem igual; e a sua snpe-
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na um meio mui excedente, para fazer
m vanlagau de ser um ptimo com- =
l'M mentario aocodicocnmmon-iaTbra- M 'emover de sobre a pello do rosto, toda a
: SI sileiro 'na falta absoluta que ha de Qualidade de brotoejas, ebulimes, sardas.
" qualquer outro) pela mxima he-
mogeneidade entre militas das suas
disposicoes, e as do mencionado
cdigo portuguez, que ihe servio
de lente. Correi presaurosos, dis-
tincta mocidade da Faculdade de
Direito desta cidade, e mais nota-
veis jurisconsultos, prover-vos
desse poderoso auxiliar para vossos
trabalhos da sciencia, e pelo precu
commodo de 20-5 toda a obra emG
volumes.
m
= Aluga-se una escrava que cozinha, lava e
engomma : na ra nova de Santa Rita n. 41, se-
cundo an-' ir.
LI%HAIBI% FillVICXI
Acaba cb^ar ik Pais
Um completo sortimento de papis brin-
cos e doura os, assim como guarnieres di-
versas para forro de salas de visitas, de
jantar etc. etc.
9Ra da CrespoQ
Cozinheira
Precisa-so de urna criada para cozinhar : na
ra do Imperador n. 7.3, segundo andar.
lili-
fjPreeisa-se de urna ama para andar cora urna
erianga : ua ra do Cabug n. '', 2' andar.
ATTENCAO
Ha nn.a pessoa de 30 annos de idade que sabe
ler, escrover correctamente e contar, que,-dsela
empregar-o om qualquer easa commercial, exer-
cendo o lugar de ajudante de uarda-livros. Toda
a pesoa que carecer dos sem servicos, (por um
ordenado mmto rzoawel). qwn dirif rr-se eaea
dos 3rs. Prente-Viarraa A C, na ra da Cadli
numeroC7. ^^'
Feltr :
Preeisa-se de nm feitor de boa conducta e qne-
seia casado : a Jratar na roa do Mondego & 107'
fabrica de rap.
AVISO
Fngiiam hontem, 7 de jullio, do sitio das Pal-
meiras, na Torre, os sega Hites escraros : Geraldo,
preto erionln, nm ponco fulo, id ide 38 annos, mais
ou menos, cara hpcto'gosa, barb3 serrada, mas nm
Pqco rala, com falta de dentes na frente, estatura
e corpo regulares, levou vestido camisa de algodao
branco e calca de brim pardo j usada. Antonio,
preto crioulo, idade 50 aunos, mais ou menos, eom
falta de dentes. estatura o corpo regulares, pos um
ponco apalhetados, anda um pouee corcovado para
diante, levon vestido camisa de nm riseaoho-
azul com listras da mesma cor e Caiga de- brrai
pardo com algum uso ; este oscravo veo do Rio
FornKMO e era alli do Sr. Jos Gomes Ferreira : le-
vara twtfbem uraa trousa contendo dons cober-
tores da la esouros e mais roopa, e ontras ooaiM.
quem os negar leve os ra da Concordia qao se;
tratlfleara eom generosidade.
Precisa-se te um caixeiro : na taberna da
ra do Brum n. 6o.
(SEM LIMITE.)
travessa da ra
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se qaal-
per quanlia sobre ouro,
prarcpedras preciosas.
O dono deste estabelecimento, j
competentemente autorisado pelo
governo, estaas condcSes de ga-
rantir a transaeco que se fizer em
sna eaa, promettendo todo e zelo
e consideracSo s pessoas que se
dignarem de honra-lo emseu esta-
beleciroento.
Na mma casa cotopra-se ouro,
prata e brillantes.
pannos, manchas, impigens e espnhas.
Quando se queira senir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer un
destes disfiguramentos,. e que- tanto desfei-
amaf^tndas feires do bello sextv; devera-
se usal-a n'nm estado de dilluicao, destem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; porm no
tralamento de quajquer espinha, usar-se-ha
della pura em tuda a sna Torga. Final-
mente como um admiravel meio de com-
munirar as feieQefi tngneiras e paludas,
urna pelle macia e d'uma transparente al-
vina, dando-lhe urna linda cor de rosa :
para um tal lim, ella leva a palma a todos
os perfumes que se leem inventado at ho-
je, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido ludo isio so refere tnica-
mente a Agua df. Fi uhiua de Mcrrat dfc
Lanna.n.
As iniitai'es qne se tem feito na Frama,
Allemanlia, assim como cm ou-as partes ;
sao inteiramente imitis e invaliosas i por-
lantou. recommenda-si) nuii especialmente
s senhoras, que tennant toda a precaucia
e cuidado, de quando comprarem, estejam
certas que comiram.
A (kmina
ACUA DE FLORIDA
K
MURRAY t I.ANMAN,
A qual preparada smente pelos un
Proprietarios,
I.ANMAN & KK.MP,DE NOVA YORK"
Ach-sea venda ims -'stabe.locimentoso'e
A. Caors, J. da C. Rravu, A C. P. Mau-
rer d: C. A. A. Barboza Rartholomeu, t C"
Gratificarn ~^
Tendo-se perdido nma peqnena caixa redonda
de tartaruga preta, com urna chapa de ouro soare
o tampo, contendo a Arma J. T. S. A., e a ana
caixa liga o dono a maior eslima, por ser nma me-
moria de nm seu mui prezado parjmti, roe*- >
Pf/^ , caita,
alm de se lhe Picar asss agradecido.
a ~ Tr,,cAse uma i'3?fim do Senhor f>ucifica-
do, de marfim, obra fcita na India, propria nara
capella do engenbo por ser em ponto grande, com'
a competente cruz de pao santo, cravos, resplan-
dor de prat, obra de mtttw gosto : no ra da
Guia, taberna n. 7.
-. .^^.


1


i


Diario de Pernambuco Terqa feira 13 de Julho de
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
Ioja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem un es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que eem vindo a esta
prapa, e por prepos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciosas
RL 5 RA DO CAWGs \ 5
Est fgido desde o dia 15 de Janei-
ro do correlo anno, o escravo Filippe,
com os signaes seguiutes: cabra, idade r
a 27 annos mais ou menos, corpo e altura
regular, sobrancclhas pretas e serradas,
i cabellos enroscados e aeabocolados, que-
rendo principiar a barbar, as vezes inclia-
; Ine as pernas, tcm urna marca de caustico
do lado direito sobre o figado, quando
I anda fica duro e com passos avaneados.
tern o ventre um pouco crescido, pseoco
grosso, muito rcgrista, e quando Coge diz
que forro, e tcm por costu me trocar
o Dome, e botar a camisa fura da caica.
Bslo escravo j fui preso c esteva na ca-
dea, por andar fgido, levou no corpo
'al<;:: de brim de quadrinhos preto, camisa
de madapoln, chapea de la preto redondo,
natural do lugar Canbotinbo da comarca
de S. Rento desta provincia, e foi escravo
"do Si'. Eduardo Jos Alves de Mello, mo-
rador no mesmo. lugar. Este escravo j
I foi visto era Gloria de Goit distrelo do
Pau d'Alho, e em- Liinoeiro presume-se
que se conserve uestes lagares, ou tenlia
seguido para o centro ; pede-se as autori-
dades policiaes e aos Sis, capitaes de
campo a captura do mesrao escravo, e eu-
trega-lo ao scu senfror Jos de Miranda
Cimba morador no Recife, caes de Sanio
Amaro, sobrado n. 22, do fallecido Manocl
Custodio ou na ra da Cadeia do Recife n.
.'tf, que o mesmo gratificar generosamente.
ttencfio
Afrra&C. enearregndos da qoidasao dex-
"neta Urina do QoliHciros & Agr, ven. pelo pre-
note rojear a todos os devedores di mesina, pan
me w dignem saldar seus debite* at o fin! do
'rente mez, ao contrario terao de recorrer aos
mem legaes aim de seren indemnisados, visto
tambera torera de pagar o que a extracta firma i-
cou a dever.
i ~aA *?em coMvenha vender on traspasar una
lo|a de miudezas, sondo na roa da tapenTrit nja-so a na doAragao n. 12.
Roga-sc ao Sr. Jos Joaqulm
a liondadc de apparecer a ra
a nrpoi'io.
ita A guiar tonta
Moja n. 4G, Ioja
= l'reeisa-se aliigaTTii niuloque de ti a Ti
annos : a t.atar narua na Moeda n. 17.
I'reeisa-se de una ama
n. 11 i.
na ra de llortas
l'AGA-SE BE ~
a uinaama metenha bom lette e nao tenha filho :
i &1',1Monteiro''va terrea com nonio
e Ierro ao lado, f0nfroute a campia do caz nu-
I 500
200
2090(1
^l
MEDICO
Pris, 36,RuaVivienne, D*
CHABLE MDECIN
ASENFKHMIDAUAS UESSIiXUAfeS, AS AFFRO-
V>T^ TANKAS.F. ALTERACOESnflSAKr.ir
lOOOOcurisdaatm/'injni
mttulat. heryes, ama
otnixoes,acrimonia,t al
ercoet, viciosa do san.
ru; virus, e atteracots
DEPURATIF
fti SANG
O Dr. L. J. Corrcia de S usa de sua
proflseau; para o que pode ser procura-
do a qnalquer hora do (lia em casa de .-ua c
ig?. residencia, ra das Nimpbas n. 17. D S
;3S consultas gratis aos pobres lodosos dias, ffl
" da.< 8 as 10 lunas.
ALGODAO
4 DAS MACHINAS
Club Pernarabucano
Em consecuencia de militas familias se
retirarem para o campo no mez de dezem-
bro, a directora resolveu mudar o bat
annual de Io de dezerabro para o dia (i de
setembro prximo futuro.
Criado
Prerisa-se de um criado fiel e activo, para eaaa
de pouca familia : na ra do Imperador n. 7.1 2
andar.
PtUS DE
COPA H U
ao .uuy.t. Aarupe veyetal sem mercurio!. Bep_
r.tiT.. rete. BA\IIOI HI1VKRAE*
wmao-M ious por semana, seguindo o tracumenu
"" em reyado oas mesmas molestiii.
Este Xaroua CHracio d
ferr de CHARLE, eun
immediatameniequelqnei
puraacao, rtlaxacao,
11 debilidad*, t igual-
ente o /uW flore branca* das muhiere.
su injeccao benigna emprega-se com o Xarepe da
turne i n de Ferro.
,,e",app,,,,". Pomada qne as cora en tres diu
POMADA ANTIHERPETICA
Contra i as affeccoet cutnea comixots-
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
w folhIo****' M,i* tnu* vti t0**lnl,i *
Ra do Queimadon, 49 e 57 Ioja
de miudezas de Jos de Azeve-
d Maia c Silva conhect'do por
Jos Bigodinlio.
Esl qtieimando tudo quanto tem em seu
esUibelecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso queiramvir ou mandar
vero que borne barato.
Garrafa rom .agua llorida ver-
dadeia......
Gamfas com agua divina dame-
Iborqualidade .
Latas com superior banba fran-
ceza ......
Gaixascom 12 frascos de cheiros
proprio para mimos .
Dita comJG frascos muito finos
Oleo baboza muito lino que s
a vista .. .
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ......
Gaixas de p de arroz muito
superior .....
Pecas de babadinlio com 10
varas ......
Caixas redondas emilando lar-
taruga ......
Pecas de fita de cus qualquer
largura .....
Estovas para unhas muito fi-
nas ......
ESCOW para denles fazenda
muito fina .....
Pulcciras de coritas de cores
para meninos .
Caixas de liaba branca do gaz
com 50 novellos .
Caixas de Iinlia branca do gaz
com 30 novellos .
Pecas de tranca lisa do todas
as cores
Grande
Ioja de fazendas e roiipas feitas
na da hpera.ru n. 52,
porla larga,
MACHINAS americanas de serrote de todos os tamanbos para descarocar algodo, do
muito conhecido fabricante Eagle Cllon Gin.
MACHINAS ditas, tambera de serrotes e de todos os tamanhos. para .destrocar, al-
godao do autor New York Cotton Gin.
MSf 5LtaS d? to0,8, 0S '!maDh08d carro* de ferro e mais toda a machina.
.MAUli.NA.s rtrtas. de Roller Gins, de cujo trabalbo faz obter mais 2.000 em airaba
de algodao.
MACHINAS de faco do fabricante Platt B. ,y C, bdhan PatentLiverpool.
i odas estas machinas sao de superior qualidade e as memores que ten
vmmo ao mercado ; e para a sua apreciado convi.iam-se os senbores agricultores ";
lSSiaSSf^0 S mesmas na r,ia a Cada d0 RLCfe I!- ^G A' l0Ja Bastos. ooS
encontrarlo mais o seguinte :
- Alfredo & Cnntu, com escrtptorio no caes da
allaridcga velln. sacam sobre Lisboa, a DTasO e
vista.
Muita attengdo
Clara Brminda da Silva Cardial avisa a quem
poppa interessar, que oao so eaapnaoabiliaa por
debito aliini tomado em a nome, e previne que
miiguem se Hieda (com petar o declara) com sen
lilho Antonino, vejam qne nao Antonio, 0 A.V-
illiwlrnc .la ^...,:..:.. .1 i.______t.__ lillU '"......
mens illustrcs da provincia de Pernambuco.
ivs tomos escriptos pelo commendador A.
I. de Mello: ra Augusta n. 04.
Pares de botoes para punbos
muito bonito .
Libras de laa pa a bordados de
. de todas ; s cores .
jPentes com costas de metal
muito finos .
Compra- um -semoque ^t'*'"* S''ande
Debulhadores para milbo.
Cytkidros para padarias.
Arados americanos.
Carrinhis de mao.
Machinas para cortar eapm.
Camos de chumbo,
itombas de J;i.y.
Ditas-am-Ticanas.
Telbas de ferro galvawsadas.
Foihas de zinco Boas.
Ditas de cobre e lat3o.
Ferro de todas as qualida
Arcos de ferro.
Folha de Flandres.
Machados americanos.
Facfos ditos.
Halaios e cestas de verguinlia.
V.issouras americanas.
FoHes de todos os tamanhos.
Tornos e safras para ferreiros.
Finalmente muitos oatros artig
iversidade seria enl'adonho cnnumera-los.
Folha de ferro.
Balancas americanas.
Tinai de madeira americanas.
ts de ferro ditas.
Baldas de madeira ditos.
Temos de bandejas finas.
Trens completos para cozinha.
Peneiras para padarias.
Baldes ga|v;uisados.
Correntes de ferro para ataBmjartW-,
Espingardas e rewolvers.
Guarda comidas.
Ferro a vapor para engommar.
Moinbos para relinaces.
aztte de espermacete, proprio para machi-
nas de todas as qualidades.
Senas avuisas para naclnas.
Mancaos e todos os mais pertences para as
mesmas.
Latas de gaz,
esperten :entes ;' avoura e artes, que pela
A'sociedade Bancada em comman-
dite da Theodoro Simn A C, mudou seu
escriptdi io para o largo do Pelourinho n. 7,
~ Sublim vibUra'-rri littciaria tob o Mi
| titulo dr. Memoria do Bom Jess fK
do Monte, em Draga.
I Acha-se venda na Ioja da ra *
-a do'Crespo n. 28 A, esquina da do'
I Queimado, a Primorosa Memoria
ijj do Bom Jess do Monte em Braga,
ornada de graveras tinas, segunda
I ediro, obra da penna de ouro do
jj raui Ilustrado lente da universida-
I de Coimbra, o Exm. Sr. conselbei-
5 r Dr. Diogo l'ereira Forjaz de
3 Sampaio Pimentel: quem tiver no-
li ticia da extraordinaria dflvocSo que
existe em Portogal para comaquel-
milagrosisssima imagem, afiluindn
sempre para o seu inagestoso tcm- M
(ilo em romaria, o numeroso povo ^
de todas as partes desse reino; m
quem souber avaliar as brilhantes M
dcscriiicoes, e o bello estylo da- M
quelje consumado jurisconsulto e m
eximio Iflti'rato purluguez, nao dei- S
xar de procurar quanto antes pro- *&>
ver-se de um exemplar da dita me- 89
noria, pelo dimnuio preco de 3& *M
na Ioja cima indicada, sede ha H
pequeo numero dellas. B
enerada do offico de Utaoeiro:
a tratar no escriptorio de Amo-
rim Innaos & C. na ra da Cruz
n. 3.
0 muzoo de joias
Na ra do Gabug n. 4 compra-sc ouro, prata _, cores
ipMrasprocioiasBw tocos hus vantajosos do Espelhos dourados para parede
Hit'. PITl on(r:t ii!i:ilim*>r nirt. V, i Mma _
Duzia de linlia froxa para bor-
dado i.......
Grosas de botoes madreperola
muito fino .....
Saboneta muito finos 00, 120.
IC0K iO e .....
Pecas de fila de laa todas as
ores
|Ue em nutra qnalquer parta.
ui-'i e prata em obras velhas, assim
como brilhantes sendo to primeira quali-
dsde; compram-se por maior rei;u que
em oulra parte. Na Ioja de joias tEsme-
ralda)rm do Caboga n. 5.
iXa praca da liul pendencia n. 33, Ioja deou
uves, compra-seouro, prata, e podras preciosas,e
tambem se faz qualquer obra de eucommenda, e
mdoe qnalquer eonferfo.
(BPlA-SF^
moedas de ouro e prata de todos os valo-
re?, ouro e prata en obres inotisadas. e
brilhantes e mais podras preciosas na Io-
ja de ouiives do arco da Conceico no Re-
cife.
a I.ooo e
Espelhos de Jacaranda muito
fino ......
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol i .
Pares de metas cenas para me-
ninos ......
Caivete muito fino com 4 fa-
llas ......
Carlilhas da doutrina as mais
modernas .....
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos .
5500
240
000
5500
15500
500
500
mo
200
800
Um
040
4000
mo
8000
mo
320
480
oOO
320
500
I 500
2000
060
320
i 500
400
i 200
Precisa-se
/%2Sb
CARVAO DE BELIOC
pars
cura da gastralgia e era geral de todas as doencas nervosas do c^maco e dos inesnoa
igualmente o remedio Por e.cellouia con.ra a re.encao dTvonSe firadnS em
razao de sua propried.-ides absorvenlcs, recommendado como verdaflfeiro remedio nos
cwte de d.arrhea e clin crina. "O earvfto de Rc-Hoe toma-se na occasiao das comidas
sob a forma de pos ou de pastillias.
Depo.ito cm liio^ANEiBo, DuponcheUe; Chevclot. Era rEr.s*mr.Lco, Maurer C.
MARTIMOS
CONTRA FOGO
A Cvmpanltia Indemnisadora, estabelecida
esta praca, toma seguros maritimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mcrcadorias e raobilias: a
Na do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Comprar urna esnam mo^a, prendada, o. earinho-
sa para criancaa : a tratar na roa do Rango! n.
;i, sobrado, das 8 as io boraa da mannaa, c das
f da tarde em dianto.
Compra-se
farinha de mandioca da torra
niercio n. 47.
na rea do Com-
Compra-se nina preta qne saiba eombap
e tambem compra-se nm mfro de rucia idado aa
Praca da tnVpendflMAf n. 39.
v;ndas.
Calcado para horaem
Jtendes F.ilcao A C. reeebcram un sortimenlv
de banesuins de Seie de ifliirente? qaididades,
sendo calcado fresco c b 9 a lif para vender barato, ra da Cadeia do
llecife n. 4o.
MUSEO DE
GOMES DE MATTOS IRMAOS
tendo feito completa mudamja em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores propon?oes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especiad^de as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos goatos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
c/o
Taberna
Vende-se a taberna da rna da Concordia n. 9i,
a qnal esl.bcm afrepuezada e tcm poucos fundos
propria para algum principiante ; o motivo da
venda dir-se-ha ao pretendento em particular : a
tratar na Ponte-Velha n. 44 das 6 as 9 da ma-
niiJia e desta hora em dame n'esta typo}rapl)ia
Com dinheiro vista vtnde-se o sitio Liman
na povoacao dos Mnntes, ao p da estacao de Una:
a tratar com Jos Paulo do llego Barreto. na Villa
do Caoo.
proveitar em quanto
duram.
Balocs de mureena co:n pequeo toqnc de'mofo
a 3J ea 3-5SO0, fazenda superior, ditos do arcosa
2-5000, espartilhos de 2500 o 3j. consa nunca
vi>ta, s no Triumpho! Outras muitas fazenda
que e torran; por todo o preco : aa ra do Quei-
mado n. 7, Ioja doTriumplio.
BORDEADX
Na praca do Corpo Santo n. 47, escriptorio de
Joaquim Rodrigues Tavares de McUo, vende-se o
excellcnte vinhoMdoc Vienx Extra o mellior
que vem a e9te mercado. No mesmo escriptorio
ha para vender chapeos de chile muito finos
ll I Di) LIl'IUKT 126
Economa, utilldade e moderno
mercado.
CHEGEM A' PECHINCHA.
DaliJes francezes, arcos pequeos e gran-
des, para senhora, a 23GOO
Casemiras inglat, bonitos jiadrocs, com
listras largs, eovado
Ditas Iranceat, idem idem, com listras
largas, eovado 4 $000
Ditas ditas me-cladas, eovado 32U(I
Baronezas largas cora listras de seda para
sentaras e proprias de montara, co-
vado, rs. 9(io
Paletots de alpaca pretos c de cores i e 45500
is lisas de cores muito li.ias e bons
_ goMas para scnlinra, eovado, rs. 800
Cambraias de cores, variados padrcs,
eovado, r>. 240
bitas de cores, mais finas, eovado, rs. 360
Ditas miudas, modernas, finissimas, cova-
,*i. 400
Ditas de flores grandes e listras, eo-
vado, rs. 500
Colarinhos de linho de diversos gostos, rs.. 400
Ditos do dito muito finos, chegados no ul-
tim paquete, rs. 600
Chitas cl.-pas, boas tintas, eovado, rs. 280
Ditas escuras, bellos padroes, eovado rs. 400
Ditas loridas, linas, proprio para familia
eovado, rs. 400
Dilas riscadinhos, variados padroes. eo-
vado, rs. 360
Ditas escuras econmicas, eovado, rs. 360
Utas de boa eompoMeao de lilas, eovado 320
Ditas claras econmicas, eovado 340
P.oupas e mais artigos que fica a pedido da res-
peitavel.freuezia, dando-se amostra de tudo.
Ncste estabelecimento encontrara o re?,-
puilavcl publico um bonito surtimento de
roupas e fazendas de todas as qualidades e
precos enmmodas, lem sempre um bonilfi
sirtimenlo de casnniras de corea e pe
panno fino de diversas qual dades, brim- de
bonitas cores e brancos de boa qualidade,
encarrega-sc qualquer obra por medida
preco muilocimmido.
ROUPAS FEITAS
na Ioja da ra da Impratrir n. 52, porta
larjra.de Paredes Pmio.
Tcm aeste cstal)uk\'in,eiitu um benito
sorlimcnto de roupas feas de diversa
qualidades o prefos cummodos, como sejan
palitots de alpaca prcla o de cores 1 ?j,
J 0 e S: ditos de panno preto saee
(5,5, 7> c 8|; dibs de panno superior a
12:5, i 4-> o 16$; ditos sobrecasacados de
dito dito a tU. 20& e 2M; ditos de case-
mira de cor a W, U e IOS: calcas, eolletes
e palitots de casemira muito lina de cor a
iO e _''.>; caigas de brka hrm-o todas as qualidades de 2;> a G5; ditas de
casemira preta c de cures de ifi at !-.#;
colleles de todas as qualidades; ceroulas de
!)t ..niaiite a I >:j()t). 2*000 e i&m; camisas
franrezas de linlio e de algodao de todas as
qualidades e preco mais barato do que em
oulra qualquer parle; colarinhos, gravatas;
bonito sortimento de chapeos de sol de alpa-
ca e de seda; meias toglezas a 6 a lluvia;
6 pechincba ueste estabelecimento pelo
grande sortimento : todos os fregoezes se
podeao prover dos ps at a cablea por
preco commodo.
FAZENDAS
Grande sortimento, orno sejam, rliifas
baratas a 300, 9t c 3(50 rs, Alar!apnl8o
uno a :>, 8-) e I0j$ a peca. Algodao (pe-
chincba) a 5)9500 a peca e Otilias qualida-
des. Cambraia branca de todas as finali-
dades transparente e Victoria de 3;>( a
8;? a peca. Lanzinhas de bonitas Cores, al-
pacas bonitas, selecia a peca com 28 metros
a 280000. Esguiao o mais fino possivel a
-J-vO e :j; a vara, e outras muitas fazen-
das por preco conimodo, que seria enfade-
nlio mencionar, na Ioja do
LEO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
E' por cerlo para admirar que existindo
em una ra de progressos, una Ioja com
um completo sortimenlo de miudezas linas,
e nao tenha ainda por este Diario pa-
tentcado a lodos seus fregoezes. o ses

0 MUSEO DE JOIAS
II

S barato.
Vende-se urna easa nova le pedra e cal, Iiem
construida, em chao proprio, com grande terreno,
no Encanamento, e fica junto a estaco doParna-
meirim : a tratar no mesmo lugar, na taberna do
Sr. Simiio, ou Forte do Mattos, becco da Boia nu-
mero 10.
ilhar
Vende-se um bilhar moderno com scu perten-
ees : ua roa do Hospicio n. 38.
Vende-se urna preta- cmxila de ti anoos de
Idade, bonita figura, eom algumas habilidades, com
urna cria de 7 mezas : na rna da Gnia n. 7.
VENDE-SE
urna machina de costura de alfaiate, trabalhand
eom doas pespnto : quem preteder comprar di-
nja-se a ra do Pilar n. fC.___________________
Veade-e um preto da 30 aon, raMMo, pro-
pilo para enaen'no, tambem w permuta mesmo
por onia preta : a tratar na rna do tugn b. 9
Vende-se urna boa scrava d twfcro servi-
co, robust
na ra
i
rti de feito HffUu
'' andar.
84.3
asta, andia 1
Itrtun p.
l-g'T'iy'' 1 ."-...... Un-........-....
=> Vcnde-aa ara> vaec* touria, prximaA pa
rir, cora nm famosa garrote. na raa Forraosa
umnero 9,
EXPQSPO
Nova Ioja de calcado estrangeiro
para homens, senhoras e
meninas.
NA RA NOVA N. 8
eni frente acamba do CasinoJ
Lyra & Vianna, tendo pela experiencia
adquirido a ceneza de que o publico desta
capital, era mal servido, pela falta de esia-
belecimeutos, sortidbs de bons calcados,
situaran a'sna nov Ioja. na ra Nova n. 8.
Lyra dV Vianna, conydam por isso ao
publico, c com esp^cialidade ao bello sexo,
para visitar seu novo extabelecimento de
calcados linos, manufacturados pelos mais
babeis fabricantes da Europa; ali encon-
trarao sempre, todas as qualidades de cal-
cados, solidos' pela boa manufacturaco,
frescos, por serem muito novos. e vendidos
por preco commodo, para merecerom a
confianca de seus distinctos freguezes.
Comprometer-se a mandar vir encom-
mondas de calcados especiaos, e a exhibir
as obra.? de pbanlasia e de mais aprimo-
rado gosto, afitn de que suas distinctas (re,-
guezas cal vem e mostrem sempre o chique
da bolina franceza. Isto s na ra No\a
n. 8, Ioja da exposico de calcados de
Lyra Vianna.
agrado c sinceridade, a sua vigilancia, e os
modas do seu basar.
Esta rna a prodigiosa ra do Cabug,
e esta Ioja 6 a antiga lojfdaagoia d'ouro
urna das mais soitidas ueste genero, e que
esde seus principios usa desle modesto
litulo; modesto porque nunca fui estampado
ueste jornal, e modesto porque muitos o
olvidaran, porhaver igual em urna tasa de
pasto, no entretanto como temos diieito
de antiguidade, vamos destiogotr o- bosso
com algnns annnncios, para opub'icosabir,
quo a verdadoipa agoia d'ouro
urna Ioja do miudezas a roa do Cabug n.
I A, onde se encontrar um completo sor-
timento de mude7.is linas, c por menos
i 0|o do que em outra qualquer parte, ci mo
sejam :
Guipenr com urna e duas larguras prelo e
braneo, filas largas de todas as cores e
com vistas.
Um completo sortimento de enfeiles pan/i
vestido.
Fronhas com diversas inscripcoes.
Enfeites'para cabeca.
Caixinhas de Jacaranda forradas com seda
e com cspelho na lampa, com a compe-
tente chave, proprias para guardar
joias.
ntremelos transparentes muito finos e de
todas as larguras.
Albuns finos para 50, 100 e 200 retrato?.
Binoclos dechagrem c marfinuousa muito
superior.
Espelhos dourados proprios para sala.
Um completo sortimento de lequs de todas
as qualidades.
Um completo sortimento de perfumara
da todos os autores.
Luvas de Jouvin constantemen e roillB
E outros mais objectos tendentes ao mesmo
genero que tudo se vender da fornto pmv
inittida, na ra do Cabug n. i A, guia
d'ouro, de Custodio & Bento,
S^;
Jl
Ha ra Nova n. 60, armazem da Liga, vendera-
so gementes novas de hortalices c flores.
fleta para linprlnlr
Vendo-'* em latas do 25 a 26 libras tinta forte
,_ para imprimir : na ra do Imperador n. 13 de-
I trUr: fronte de S. Francisco.
m^-w! Fotatssa 4 lUissia
?*T ?v;> raercad. a Preco ramavel : na
ra do Ummercio n. I3,armazcra de Maaoel Tei-
Para o armazem do Campos, na ra do
Imperador n. 28.
Neste muito acreditado estabelecimento
acha se constantemente um variado sorti-
mento de gneros finos para meza e
cosinha e entre estes nomea-se apenas as
especialidades seguintes:
Queijos do sertio sendo de manteiga e
enalba.
Camaroes seceos do Maranho.
O verdadeiro caf de Mojca,
O superior e bem conhecido peixe miraguaia
que se vende a 160 a libra o 48U a
arroba.
TABELLAS
de reduccao as mais facis c mais com-
prehensiva, tudo no
Armazem do Campos
LOJA das
Ra Novan. 14
Acabam de chegar pa/a esla Ioja grande quaa-
tidade de fustoes, seDdo braneo e amareliu. assin
como temos grande pechincba em MMMtti e al-
pacas de todas as qualidades, chitas, tus e ?-
tros muitos objectos por procoa comnoii.
Vende-se um molequo de 10 anBoe, urna n*
lata de K> annos, urna dita do 14, nma preU d*
2K annos, tudo vindo do malo : na ra Ao Foga
uumero 9,


/
*



Diario de Pemambuco Terra feira 13 Je Julho de 1869.

!
A IiOJA
DA
JV 45 RA DA CADEIA M 45
DE
72. Ra da Imperatriz. 72.
Alerta fregueses
que Arara vai cantar,
Para vender suas fazeuds (baratas)
que muiio ha de agradar.
0 propietario deste estabelecimento, tendo grande porcao de fazendas em
ser, vai proceder urna liqoidscSo em todas as fazendas e ronpas feitas existentes no
estabelecimento, sgra que oc^asiao de qoem tem pouco dinheiro poder se vestir de
bos fazemla e baratsima como se poder ver no auniincio abaixo mencionado.
MADAPOLO BARATO A 3;>o00. BRAMANTE PARA LENCES A 2?.
Vende-so pecas do madapolo enfestado Vende-se bramante com 10 palmos de
de 12 jardas 330O, dito de 24 jardas ou largura para lences, a 2. a vara.
S2 metros U, U 7 -"y&, 8*000 e S PECAS DE ALGODAO A 40.
mi.
CHITAS FRANCESAS A -280 rs.
V ladem-se pecas de algodSo
!>.i 'i.o, 84, Gr>800o7#.
muito en-
Vendem-se cJiitas francezas para .esli-(Colci-Sahos econmicos a S0
dos a 230, 320 rs. ocovado, ditas escuras; luia.
multo finas 3G0 rs. o covado.
challa milito flao Sf rs.
"Vende-se ehalin para vestidos ie senbora
800 rs. o covado.
PERCALES A 'i'i US. o COVADO.
Vende-se percales muito linos para ves-
tidos de senhora a 4iO rs. ocovado.
Bi'ilhnnia;!* 41 rs.
Vende-se briiliaritinas ou mursulinas de
ores para vestidos de so .horas 440 rs. o
covado, lazinhas milito linas para vestidos
de senhora a" 409 rs. e 500 rs. o covado,
ditas de qnadrinhs 240 rs. o covado.
RISCADO FR VNCEZ A 360 RS. O COVADO
Vende-se riscado francez para vestido
de_senhora 380 rs. o covado.
Lasiulias a S-IO rs. o corado.
Vendem se laasinhas para vestido de se-
nhora a 2i0, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
eovado, chitas francezas finas a 280 e 320
rs, o covado.
Chales le merino 2.
Vende-so chales de merino estampados
i :}( 2I500" cada um, para acabar.
CORTES DE LAS ABERTOS A 2.-U00
Vende-se cortes de laa para vestidos de
senhora, 25400 cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vesuVs
de senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
tas de listras 700 e 700 rs. o covado.
Chitas prussianas a :i0.
Vende-se chitas prussianas de listras de
cores muito bonitas a 3G0 rs. o covado.
CHITAS PARA CBEItTA A 30
Vende-se chitas incorpadas para coberta
320 rs. o covado.
Halos le SO a 30 arcos
1$500.
Vende-se balos de 20 a 30 arcos
i;)500 cada um, balees modernos brancos
ede cores l ";>.
Vende-se colerinhos econmicos a 320
a duzia, s se vende assim barato por ter
grande pore3 >.
CASEMIRAS DE CORES
Vende-se cazemras de cores para calsa
e p;iliti ; -J- 29O0 o 3$ o covado,
%1go;1o enestado a i.4.
Vende-se algodo enfestado proprio .para
lences e toalhas, a" \&, a vara ou 900 rs. o
metro.
BtllM PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas c palitotsde
borneo) e menino, 400 e 440 rs. o co-
w do, dito lizo aiaiilagao de ganga a 3G0
0 covado.
Algodo le listras a 900 rs.
o corado
Vende-se algodo de listras para roupa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 RS.
Vende-se cortes de [ brim castor para
caica de liomem, G10 800 rs. cada um.
CARTEIRA PARA VIAGEM A I >.
Vende-se carteiras para viagem l>
cada urna, cobertores de algodo 1-SOO
ea la um.
Cohertas le chita tSOO
Vende se cobertas de chitas de cores
1 ".SO!) o -_>".. cada urna.
ALGODAO TRANCADO DE EUAS LARGURAS A
11300.
Vende-se algodo transado de duas lar-
guras, proprios para lences e toalbas para
mesa, se vende a I #200 o metro.
Mantas para grarata 0 rs.
Vende-se mantas para grvala a 200 rs,
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
cada n m.
ATOALIIADO PARDO A 2500.
Vende-so aloalhado pardo para toalhas
de mesa 2?500 a vara, toalhas escuras
4(5, cada urna. Ra da Imperatriz loja
da Arara n. 72.

0 Garibaldi principia
Cortamente ha de agradar,
Que pelo prego que vai vender
Ninguem o pode igualar.
O propietario deste estabelecimento denominado Garibaldi, declara ao resp ita-
vel publico e seus freguezes, qm tem recebido grande sortimento de fazendas, e esta
constantemente rec-bendo por todos as vapores que chegam da Europa novo sortimen-
to de fazendas da moda, e que vender por preco mais barato de que era outra quai-
quer parte, garantindo se a qualidade e cores, na ra da Imperatriz n. 56, de Lourenco
Pereira .Vendes Guimares.
CHITAS LARGAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas de cores fl-
xas a 280, 320 o covado, ditas matizadas
escuras a 360 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 30500.
Vendem-se pecas de madapolo enfes-
tado a 34500, dito inglez de 24 jardas a
5.9, 65, 63500, 7,5500,83, c 105 a peca.
ALGODO TRANCADO A 1)5200 O
METRO.
Vendem-se algodo de duas larguras pro-
prio para lenco s e toalhas por ser muito
largo, a I #200 rs. o metro.
RISCACO FRANCEZ a 360 rs.
Vende-se finissimos riscados francezes
proprio para vestido de senhora e roupa
para meninos por ser de bonitas cores a
360 rs. o covado.
BRAMANTES PARLENLES A 2 A
VARA.
Vende-se bramante de dez palmos de
largura proprio para lences a 23 a vara.
Chitas amzonas a 360 rs.
Vendem-se ricas chitas de listras de um
de nome amzonas, para vestidos de se-
nhora a 360 rs. o covado, deste preco e
qualidade s na loja doGaribddi.
j.AOS SENHORES DOXOS DE COXEIRAS.
a loja do Garibaldi, ha urnas casemiras
de listras muito encorpadas proprias para
forrar carros, e se vende muito barato por
ser muito largas, preco a 20500 o covado.
ALGODAO ENFESTADO A 10 AVARA.
Vende-se algodo enfestado muito largo
proprio para lences a 10 a vara.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5u0 rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas estampadas de cores
500 rs. o covado propria para vestido de
enhora.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30500.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 30500 cada um.
BRIM HAMBLUGO A 80000 A PEQA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Hara-
burgo com 20 varas a 80, 95 e 400 a peca.
Cortinados para Janellas t.
Vendem-se cortinados para janellas a 70
o pac ditos para camas francezas a 140 o
cortinado.
SOB A DIRECCAO DO MUITO HBIL ARTISTA
Launano, al [cuate.
Os proprietarios deste novo estabelecimento, tendo experimentado a necessidade
urgente de ter na dircego de sua officina de roupas por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Ludano Jos de Barros para tal misler, convictos de que satisfar
com todo o capricho a vontade do freguez.
Tera o mesmo estabelecimento umbom s.rtimcmto de fazendas proprias para
roupa? de homem.como sejam: casimira de cor, indos padres, completo sortimento de
panoos finos, prelo e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins brancos e de
cores, merinos de diversas qualidades, bombazina, lindos cortes de gorgiiro para collete,
gorguro Pekn, superior qualidade.
Os freguezes encontraro anda um variado sortimento de roupa feita, camisas
inglezas, collarinhos, ceroulas, grvalas pretas e de phantasia, meias para homens, se-
nhoras, meninos c meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, aloalhado,
baloes de diversas drese modelos, cambraias, malas para viagem, e outros muitos ar-
tigos que a modicidade de seus precos incita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45
Ra do Quemado ns. 49 e 57
lojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Maia, est acabando
com as miudezas de seus eslabe-
Iccrncntos por isso queram apre-
ciar o que bom e baratissimo.
Pecas de tiras bordadas com 12
metros, fazenda superior, a
10500,25, 30 e.....
Caitas de liona com uOnovellos.
Pares de sapatos do tranca fa-
zenJa nova a......
Pares de sa patos de tapete
(s grandes) a......10500
Duzias de meias croas para ho-
rnera a .......
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco raelhor 100 attos a
vros de missoes abreviadas a .
Duzia de baralhos francezes muito
finos 23iOO e.....
Silabario portuguez com estam-
pas a ........
Grvalas de cores e pretas nsito
finas a .
Redes pret lizas musco finas a
Cartes con clchete* de lata
fazemla Una a......
Abolladuras do vidro para colete
fazenda fina a. .
Caas com penna d'aca muito
finas a 320, 400, 500 e .
Cartes de linha Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de linha Aloxandre de
70 at 200 a......
Caixas com superiores obreias
de massa a......
Duzias de agulhas para machina
Libras de pregos francoze* di-_'
verso tamanho a. .
Livros escripturado para *ol do
roupa a. ....... .
Talheres para meninos muito
finos a. ,......
Caixas com papel amizade Muito
Qnoa........ .
Caixas com 100 en-velopes muito
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta preta muito
boa a 80. 120 e ." .
Varas de franja para toalbas fa-
zenda fina a. y .
Pegas de fita branca elstica
muito fina a......
Novellos de linhacom 400jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Grozas de-botes de louca muito
finos a........
IiOJA
DO
4$000
500
2,5000
3)800
0200
20000
208OC
0320^
0500
0320
0020
0500
40000
0100
0100
K)40
20000
0240
0120
'0240
0700
0600
0320
0500
0320
0160
200
60
2500
Grande c completo ortimento de machinas para
descarocar algudode nova inveno ebegadas l-
timamente em dircilura para a loja de Manocl
Bento de Oliveira Braga & C, na roa Direhan.
53. Garante-FC que 6 a mclhor qualidade qu
o presente tem viudo ao mercado : aehan-se em
exposi(;ao aos compradores.
Systema decimal.
Grande c completo sortimento de pesos klo-
grammos do melhor comprehensao dos que tem
viudo at o presente, a:sim como marcos de lalao
at meio grammo pelo mesmo svstetna, balanzas
de lato de forca de 5 a 20 kilogrammos, metros
de madeira c de'latao para medir fazendas, alem
de grande sortimento de miudezas c ferragens de
todas as qualidades, ludo por precos que s a vista
faz crdito : na na Direita n. 53, loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C.
GALLO VIGILANTE
Una do Crespo n. 9
Os proprietarios deste bera conhecido estabcle-
cimeuto, alm dos muitos objeetw que tinham ex-
postos a apreciacao do respeitavcl publico, man-
ila vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
linas o mni deliradas especialidades, as quaes es-
tao resolvios a vender, como de sen costme,
por pregos maito baratinhos e commodos para tt>-
dos, com tanto que o Gallo...
Muito superiores luvas de pellica, preta?, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas c bonitas gollinhas e punhos para se-
nbora, neste genero o que ha do mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidn-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores c bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 300O0
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,5,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas. j,-
Boas bengalas de superior canna da india e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero 6 o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quantidade de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos ce cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas "de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade o delicadeza.
Lindas e bellas capellas para miiva.
Superiores agulhas para machina c para croxe.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
lahvrintho.
Bom baralhos de cartas para voltareto, assun
como os tontos para o mesmo lm.
Grande e vanado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos melbores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desdo muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dDsebjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a vircm
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, na do Crespo n. 7._________________
I6C
Scbonete de alcatrdo.
DI
angas para cal^a a 3*0 rs.
Vendem-se gangas de cores para calca e
palitots de homens e meninos a 320 rs. o
covado, brim de cores a 400 e 440 rs. o
covado.
Laasinhas de quadrlnhos a
StO rs.
Vendem-se laasinhas de quadrinhos para
vestidos de senhora a 240 rs. o covado,
ditas estampadas a 280 e 320 rs. ocovado.
POPELINAS EM LA A 640 RS.
Vendem-se popelinas em 13a da listra
para vestidos de senhora a 640 e 800 rs.
o covado.
CORTES DE LAA A 20460 RS.
Vendem-se cortes de laa de listra arpa
vestidos de senhora a 20400 rs. para aca-
bar.
LAA CHINEZA A 860 RS O COVADO
Vende-se la chineza para vestido de se-
nhora a 500 rs. o covado.
Casemiras para calcas.
Vendem-se casemiras cor de caf, preta
e azul escuro com listras, para calcas e pa-
litots, fazenda muito encorpada, propria
para o invern, sendo de duas larguras
que 1 3A covad s d urna calca para ho-
mem pelo pr-co de 20500 o covado.
Alpacas lizas para vestidos a
800 rs. o covado.
Vendem-se alpacas lizas c dobradas para
vestidos de senhora 700 e 800 rs. o covado,
BALES DE ARCOS A 10500.
Vendem-se baloes de 20 e 30 arcos a
10500 cada um, por este preco s na loja
do Garibaldi,
BRIM TRANCADO PARDO A 800 RS. O
METRO.
Vende-se brim pardo trancado a 800 rs.
o metro, dito muito fino a 10200 o nutro.
BALES MODERNOS A 50000.
Vendem-se baloes modernos e de cores
a 50 cada um.
CASSAS FRANCEZAS A 280RS.
Vendem-se cassas francezas para vesti-
dos de senhora a 280 e 320 rs. o covado.
CHAPEOS DE SOL DE SEDA A JO*.
Vendem-se chapeos de sol de seda a
100 e 120, na ra da Imperatriz, loja do
Garibaldi n. 56.
Antonio Nunes^ de Castro.
Este acreditado preparado, que t3o boa
acceitacSo tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura cerU
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34roa larga do Rosario34.
Libras eouro nacional, moedas
de 5 francos.
edoende-se no arco da ConceicSo na loja
Vurives, no Recife.
GAZ CAZ I.AZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, nm carregamento de gai
de primeira qualidade; o qual se vende em partida?
e a retalho por menos pre?o do que em outra qual
quer parte._______________________t_________
Na fabrica do fallecido subdito fran-
cez Joao Vignes, existe unvbom sortimento
dos muitos acreditados piaDOS, os quaes se
vendem mdicamente para liquidacao.
A' exposico
Aloja de calcado na roa Novan. 8 em frenle
camba do Carmo, tem grande sortimento de boti-
nas para homem, recebido nesto ultimo paquete
e vende barato
Nlo mais cabellos brancos
A tintura japoneza, para tingir os cabel-
los da cabeca e da barba, foi a nica admit-
tida Bxposifo Universal, por ter sido
conbecida superior todas as preparacoes
at hoje existentes, sem alterar a saude.
Vende-se a 10000 cada frasco na
151-IUIA DA (JHIHL 51
1* ANDAR.
PAST1LHAS ASSIJCARADAS
DO
DR. PATERSON
De nlsmnth e magnezia.
Remedio por excedencia para combate'
a magreza, facilitar a digesto, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34------Ra larga do Rosario------34.
RAP POPULAR
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIfA FREDERICO & C.
Acaba de chegara este mercado umaporf t des
te ptimo rape, nico que pode supprir a falta do
princeza de Lisboa por ser de agradavel peftume.
E' fabricada com superior fumo e pelo melhor
svsthema conhecido, tendo tambem a vantagera de
ser viajado, o que para este artigo urna espe-
cialidade. as pracas da Baha, do Rio de Janeiro e
outras do imperio tem o rape Popular sido asss
accolhido, e provavelmente aqui tambem o ser,
logo que sejaf conhecido e apreciado. Acha-se
venda por preco commodo, e para quem comprar
de 50 libras para cima, far-se-ha um descont de
5 0/0, e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no
escrintorio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao,
ra ao Commercio n. 17.
GMM197,
Vende-se a verdadeira graxa do bem conhecido
abricante Day & Martin n. 97 : no armazem de
J. A. Moreira Dias, ra da Cruz n. 26.
Milho
LECONTE
VENDE oleo brilhantina perfumado, baiomlla para
amanar os cabellos barba, alia onca ; na ra
da Imperatriz n. 7.
Vendem-se saceos com milho, no trapiche da
Companhia : a tratar no mesmo, e no 1 e 2o an-
dares da ra da Cadeia velha n. i.
MASSA c XAROPE
DECODEINADEBERTHEI
Preconisados por todo os mdicos contra os I
DEFLUXOS, CATHARROS, B TODAS AS|
IRRITACOES DO PE1T0.
K. B. O Xarope i* Codeina que mertco a I
honra, altai bem rara entre o Meiicamentotl
novoi, de ter regituado comp um dos medica-1
mentot oflicioei do Imperio lra*cii dijpenjaj
qualqv.tr elogio.
AVISO. Por causa da reprehensel falsi-l
fleacao que tem tuxeitado O felii resultado do I
Xarope e massa de Berluc somos toreados al
lembrar que esle medicamentos to justamente |
conceituado" td se
Vendem em caixin-
kas e frascos levando
a asignatura em
frente.
,. 46, Ru dei colet, e na Pharmacia Central I
de Franca, 7, llue de Jouy, em Parii, e em|
todas as Pbarmacias principaes do Brazil.
POS DE ROG
Approvados pela Academia imperial
de medicina de Pariz
Um frasco do VA do Bog, dissolvido
em urna garrafa d'agua, d urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo cerlo, sem causar a menor
irritac.io como acontece com a maior
parle dos outros purgantes, o p de
Bogr, sao inalteraveis por isso empre-
gam-se fcilmente em viagem.
... I cm Rio-JiSEino, DuponckcHe; Cherohl.
k. I em I'ehiuumico, Uaurer 4 C"\ A
AVISO
aos convalescentes e s pessoas
fracas e debilitadas
OOUINIUM LAMRRAOUC approTado
pela Academia imperial de medicina de
l'ariz o tnico por eicellencia.
i em Rio-J.iNuno, Duponchelle; Chcvolot-
i oin I'eihumuoco, Uaurer t C".
A NOVA ESPERANQA
21= Ra do Queimado = 2)
Advertencia!
A Nova Esper?nca, ra do Qaeimad
d. 21 tendo em deposito grande quantidade
de miudezns, e como se apprexima o lem-
po era que tem de ser dado o balando, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
caduras pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, vendam os bons fregue-
zes, e os que nao forcm venham ser fregue-
zes, cm tempo to opportuno quando i
NOVA ESPERANZA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, n5o
falla aonde e a quem...
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos rcmelter ohjectos de
gosio e perfeico, e ella (loja da Nova Es-
peranza) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanra ra do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinha.
acaba de receber mais o seguinte :
Bonitos broches, pulceiras e brincos d
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos e
ljandoijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galloes, franjas e trancas de
seda e de la, para enfeites de vestidos.
Botes de todas as cores e moldes novos
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes e sem elles.
Botes pretos com vidrilhos com pingen-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados lequc de madreperula, mar-
fim, osso efaia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas ra do Queimado n. 21, na
Nova Esperanca.
Collares anodinos cllectro-magneU
eos contra as convulges das
creancas.
Nao resta a menor duvida, de que moho
cellares se vendem por alii intitulados Of
verdadeiros de Royer, e eis porqae muisot
pais de familias nao creem (comprando-oe)
no effeito promettido, o que s pdem dar.
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porta
que detesta a falsificaco principalmente M
que respeita ao bem estar da humanidad*,
fez urna encommenda directa destes collarefl
e garante aos pais de familias, que sao o#
verdadeiros de Royer, que a tantas cre
Cas tem salvado do terrvel incommedo de
convulces, assim pois preciso, que ?
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seos
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrvel mal, quando ento ser >
fficil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Rover.
CUBA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galonpean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo A C. '
34------Ra larga do Rosario------34.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch dj'., em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se cm casa de Th. Just, ra do
commercio n. 32.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos of
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicagao as creancas.
quasi sempre mais atacadas de to terrvel
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
DE
Barthomeu C.
34Ras Larga do Hosarlo3
BAZAR UNIVERSAL
SORa MovaO
Carneiro Vianna
Neste BAZAR encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por precos commodos como sejam: Um
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposic2o servicos a electos para almo-
CO e jantar, salvas, bandejas, taboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima demesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei
ras longas para viagem, ditas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros, gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e mesa, tapetes para sala, quarto,
frente de soph, janella e porta, capachos de
Sparto e coco, ohjectos para escrptorio e
muitos outros artigos que se encontraro
venda no mesmo estabelecimento e que vale
a pena ir examinar.
Vendem Augusto F. de Oliveira 4 C. i >
Commercio, n. 42.
iP
Venck -se
a-taberna da ra de Hortas n. 43, em virtn-
de de sen dono retiraras para fra : a tratar
\.GERM% ^
/muV/uiifSi. \~/
Aleg ai-vos myopes, e presbytas, j po-
dis ver de long, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortimento de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio e melehior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
ras para theatro, campo e marinua, da alo-
ma invenco ; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12 vidros, ludo dos melhores fabricantes da
Europa.
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchtt,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
YEXIIE-SE
NA
PHARMACIA E DROGARA
N
Bartholomeu C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
Batatas baratas
Vende-se a 800 reis o gigo, roa
Madre de Dcus n. 22,
ATTENCAO
No armazem de David ftorreira Balur,
Brum n. 92, ha venda os seguales
preeos razoaveis -
Bolinctfes dcbalaaro
proprios para barcadas e h; ales, muito su(
Tluho do Porto
em caixas de dnzia de paiTafas, o em barrta **
dcimo, do Porto, muito m
Farinha de mandioca
lia em saceos, nova e de superior qnalidade.
Pedras de lonza
muito proprias para lavaiem de loaca em eo-
linhas.
COFRES DE FERRO de vario. umaiS
MACHINAS para descarocar algotlio.
MACHINASIa vapor.
MOTORES para dous eavallos.
FERRAGENS em geral : no armaiem de Sfcaw
Hawkcs & C, ra da Crnx n 4.
um cavado ruco, andador de passo al mm, *
novo e sem deleito : a tratar na corheira da nu
da Paz n. 13.

f
\
"
Libras sterliias
Ha para vender em casa de Amortan Imks 4
C, ra da Cruz n, 3.
_ .




I I
>
I
f
'i

s\

t
I i
Diario de Pemambuco Tenja feira 13 de Julho de 18G9.
C cordeiro pro vidente
Rua do Queiuiado n. ltt.
Novo e variado sortiraonto de perfumaras
finas, e outros bjectos. -
Alm do completo sortimento do perfu-
maras, de que efectivamente est prvida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sorlimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades c commodidades de pro-
cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pod
e espera continuar a merecer a apreciagao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular. nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontrado os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray. .
Dita verdadeira de Murray ti Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melliores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de iarangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservac3o do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores. e menores, com
pomada Qua para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavcl cliei-
to de violeta,
Outras concentradas e de ebeiros igual-
mente Qnas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Estrado d'oleo de superior qualidade,
com escollados che ros, em frascos de diffe-
rentes taannos.
Sabonetes em barras, maiores e Menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e om figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba,
Caixinuas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas demadeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, cos p de arroz
boneca.
Especial p de arroz sem composicao de
:b#ro, e por isso o mais proprioparacrian-
cas.
Opiata ingleza e fianceza para dentes.
Pos de camphora e ontras differentes
qualidades tambera para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Um outro sorlimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilbos
alguns d'elles ornados de flores e fitas,
ostao todos expostos apreciado de quem
os pretenda comprar.
^ GOLLINHAS E PUN'HtiS RORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Fivellas e Utas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto fio com-
prador.
FLORES FINAS.
O que de melhor se pode encontrar neste
genero, sohresaliindo os delicados ramos
orvaihados para coques.
mil MH1CHAS
QUE SE LIQUIDAM
A DINHEIRO NA LOJA ARMAZEM
UTO BARATO SE CM .!
ll-'RUA DO QTJEINADO--11
DE
AUGUSTO PORTO &C.

DE
FEMX PEREIRA DA Sil. VA.
O propnetario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico destt ca-
pital a yir surtir-se do grande sortimento que tem de fazendas, tanto da moda como le
tei, assim como de um grande sortimento de roupas para homens e meninos, e as
pessoas que negociam em pequea escala, tanto da praca como do mato, aesta casa
poderao fazer os seus sortimentos em pequeas ou grandes porcoes, venen lo-se-lhes
pelos precos que se compram as casas inglzas ; assim como as excellentissimas fami-
tas, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou se Ihe as mandam
evar em suas casas pelos caixeiros d'este estabelecimento, que se acha aberto con-
stantemente desde s 6 horas da manhSa s 9 da noute.
cc^jram superiores vestidos de blond com manta e capaila para noivas, que
^ PreCs mais mdicos do que em qulquer outra parte.
uicnlviSf2 B/ILEde cachemira branca ede cores o que ha de mais linio.
tULUShbde renda preta, e do gorgurao preto, o que ha de
mais
Explendido sortimento de
Alpacas tarradas de cores a 30
Alpacas a 360 Alpacas a 500
Alpacas de cores
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
GO, vende-se uns poneos de mil covados
das mais lindas e modernas alpacas lavradas
com as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo entre ellas azul, lyrio, roxo, cor
de canna, verde claro etc. e os lavrores
metilo miudinhos assentados cin urna s
cor; para se poder retalhar esta fazenda
pelo barato prego de 3CO rs. o covado, foi
preciso fazer-se urna grande compra deste
artigo, o qual grande pechincha.
Aos cT mil covados de cassas
francezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vemle-se na loja do Pavao ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande qoantidade de
mil covados das melliores casas francezas
para vestidos, tendo padroes-miudos e gra-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas sao propriamer.te francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corno
quasi como a chita, e alm dos padroes
serem muito bonitos, sao todos fixos e seria
farenda para muito mais dinheiro, masre-
taUia-se a 300 rs. o covado.
Espartillios a &40Q0 aa loja do
Pavo
Vende-se urna grande porco de esparti-
Inos modernos com o competente cordao,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 35 cada um.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3G00, S
NO PAVO
Vendem-se pecas de madapolo enfestado
com la jardas, senda muito irworpado polo
barato proco de 3,5000 ris, assim con;
PCas de jijgodosinho cora tG jardas
a
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
das digestes difficeis ecompletas, acalmar
as dores gastralgias, e reparar as tercas
produzindo uma assimulac3o completa dos
alimentos; sendo mais ura excellente tnico.
VEVDE-SE
NA
PHARMACIA E DROGARA
n
Bartholouien & C
34 RA LARGA DO ROSARIO34
FUNDICAO OOBOWMAN
Kiia do Bru o. 5t.
PASSANDO O CIIAFARIZ
Tem serapre deposito de todo o raa Cinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qua!:
Machinas de vapor, para asnear e para
algo*5o.
Rodas d*agoa. "^
Motores de diversas especies.
Moeodas de carina.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Taixas de ferro, batido fundido e de
cobre.
Alambiques.
Atados e instrumentos d'agricultura.
Descarojadores d'algodSo etc. etc.
Havendo era ludo variedade de timanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar.
*#000 res.
CUNDE fECMA
EM
PE.RCAIiI.Ag
A pataca o covarlo
PERCALAS A 320 RS.
AOS DKZ MIL COYADUS
PERCALLAS A 320 RS.
Ka loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60 vende-se uma grande porco de per-
callas franceas proprias para vestidos, sen-
do de cores Cxas e mais larga que as chi-
tas, tendo os pannos muito encorpados e
com os desenhos mais bonitos que tem
judo ao manado, tendo padroes miudos e
gr;idos e vende-se pelo baratissimo prego
de 329 rs. o covado, garantido-se estar esta
fazenda era perfeito estado, e vendendo-se
por este baratissimo prego para apurar di-
nheiro.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 15800
o
Vendem-so duas barbaras de 11 eaixas cada
ama : a tratar no oseriptorio do Sr. Jaao Pcreira
dosSantos Farofa, \itgo do Corpu Santo n. 27.
XAROPE PE1TORALT ~L~~
RABO TATli
PLANTA DO BRASIL
E expectorante o recommendado as
affecgoes do pito, bronchite chronica, he-
moptise, e tosse chronica.
PREPARADO POR
JOAQUIM DE ALMEIDA PINTO
PIIARMACEUTICJ
Permmbuco ra larga do Rosario n. 10.
Chegou para a loja do Pavo, ra
Imperatriz n. 60, uma grande porcao de
p cas de bramante eom 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o curnpri-
meuto de um lencol, o qual se faz com um
metro e uma quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato prego a'e 13800 ris cada "metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
pheages para arranjOs de familias, sendo
grande pechincha pelo prego.
COBERTORES DE LA PARA 0 INVERN
DE 3000 amo
Chegau para a loja do Pavao, um gran-
de sortimento dos melhorcs cobertores, de
l de carneiro, seBdo muito grandes e
muito encorpados, que se vendem de 3$
at CUt'O cada um, em relacSo s dille-
rentes qualidades, pechincha: a elies an-
tes que se aeabem.
ATTENCO
AS PECHINCHAS QUE SE LIQUIDAM
NA LOJA DO PAVO
Cortes de organdy listrados com 10 va-
ras cada um e que tainbem servem
luto a 3UO0.
Lanzinhas de cores
rs. o covado.
Cortes de cambraia com barras bordadas
e muito finas a 3# e 4#000.
Cassa toda preta para vestidos a 320 rs,
a vara.
E' pechincha para fechar contas.
Casemiras da moda
IiOJA DO ^PAViO
Chegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas emais finas casemiras para eal-
gas, paletots e coletos, tendo lisas, com lis-
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os pregos, e alianga-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qulquer par-
te, assim como das mesmas se manda fa-
zer qulquer pega de obra, a vontade do
freguez, para o que tem ura bom alfaiate.
Aos quinlientos palitots
a 18$ e 2OS00O.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, vendem-se uma grande porco de pa-
litots sobreoasacados, e propriamente so-
brecasacos de panno preto, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos pregos
de 18& sendo forrados de alpaca, e de
20$ forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter comprado uma grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos pregos cima.
POUPELLNAS A 500 RS. O COVADO.
Na loja do PavSo, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se Km grande sortimento das
mais lindas poupelinas ou lazinfeas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creangas, com as mais modernas e bo-
nitas cores ; padraos cora listrinhas miudi-
nhas, que so veadem pelo barato prego de
300 rs. o covado, pechincha que se acha
nicamente na luja de Flix Poreira da Sil-
va, na ra d3 Imperatriz n. 00.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas pegas de cambraias
lizas transparentes tanto inglzas como suis-
sas tendo mais de vara de krgura, pelos
pregos de 50000 at 10,5000 a pega, assim
como finissimos organdys braceo liso que
serve para vestidos de bailes, ,por ser muito
transparente a 1^000, a vara, na loja do
PavSo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Po-
reira da Silva.
trtiuados
Para-eamas ejneHas..
Vende-se um grande sortimento aos me-
Ihores e maiores cortinados bordados pict
[irlos para enmase para janeiias, que se"ven-
dem a 125000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira a Silva.
roupas feitas
NA LOJA DO AVO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
t Acha-seste grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhoros roupas,
sondo caigas palitots e coletos de casemira,
de panno, de bnm, de alpaca, e de todas
as mais fiuwadag que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tora um belloortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
i qulquer pega c obra, com a maior promp-
udao vontade do freguez, e n3o sendo
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
d^c o S U,E--l)raT e de, cor.cs l)ara senhoras e meniuas, esparlilhos, saias bor-
aaaas, e saias de laa com barras de c5r.
tinn. K.,G0RGUR^9_de. seda branco e Pret0 Para ^stidos, sedas de cores, moirean-
EaS ?''osdenaPle. branco, de cores e preto, princezas, bouibazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados.
iM*28fi**i
^
<*&&
ti.
NOVO EXPLENDIDO SORTBIENTO
Agua-florida de Guis-
lan
Tintura indelevel para tingir os cabeKos,
sem manchar a pelle.
A bem conceiluada agua-florida deGuis-
tain que entao era des conhecida em Per-
oambuco, j hoje estimada e procurada
por seu efficaz resultado, e ainda mais se-
ra, quando a noticia de seu bomeffeilo e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta uni-
damente de vegetaes moffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, e Ibes restituir o ferilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sera
ser prejudicial de mode algum.
E' porm necessario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muflas pes-
soas tal vez supponham, mais sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provam tstemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'entao por diante, basta asa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
outra qulquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ra do Queimado n. 8,
5o ae sua boa
completamente ao su contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglzas ceroulas de
linho e algodao e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tondo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qulquer parte. Na ra da *Impera-
tnz u. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
O atoalhado do PavSo,
Vende-se superior atoalhado de algod5o
om 8 palmos de largura, adamascado a
&200 a vara; dito de linho fazenda muito
uperior a 3/5200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a 44500 a duzia e muito
inos a 8^000, e ditos econmicos a 30500
i duzia.
regueaa, tambem c'apricha
em nao lh'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a honram, e em prova .ao que fica dito, d
como exemplo ko -explendido sortimento
jue acaba de receber, ainda mesmo achan-
do-se bellamente prvida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
*io de sua competencia.
Haja visla aos necessarios livros do missa
j_oragSo, obras de apurado gosto e perfei-
to, sendo: eom capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfira igualmente
bonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros Jm
tando charlo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com crol
e guarntgo, dourada ou prateada.
Coritos e torgos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortimento de eques
todos de madreperola, madreperoia e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia ele, etc. tendo nos^le sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azacs.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e seuhoras.
Ditas de fio de Escocia abortas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodao, alas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas do lio d'Escocia, torgal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de 13a para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios fines tapados c transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fila.
NOVAN. 50 ESQUINA DA I
TO AMA
< Os proprii laribs Jto de S. na Soare
C, alm dos barassimos pr<
lade de ntf
gos de moda o i ,, f0Su^
lano paia h mo para senhoras e
meninos, n ndem:
CHAPEOS .i moda iiii[R-r,al. de castor
branco para homens, torada lina, a l
(o prego ll^OOO .
COQUES enfeitados paranoicas, grande
novidade a Woo.
DITOS sem enfi'ile o do MbaM mr4-
des, suido de seda inHario de --tiHloi
a U 3^800.
MEIAS soperiore in|. z..> para hoanR.
a di;zia de [aros 7-9806 (o nri-ro de 5
a lo-jouo .
LEQUES de madeira tem dilTi-renga ie
ndalo a v.K)0 c 2$500,(grande
cha I)
DITOS con limiijoiilas a 3,4 c kWk
BARALHOS de cartas frauceus boa fa
zenda, a 200 rs.
PAPEL mgle sem paula, fctmta p-
queno c fazenda superior, um pacote por
LINDOS cintos de palka enli aan
senhoras fprando novidade un Par) a
24(500 e : hO 0.
DELICADOS corpmhof de cambr
lamente enfeitados a <>500 re. ^admira o
proco!)
UMA grande varedtdt de IMm nfc-
jectos para mimos, assim como muitos ai-
tigos de novidade e de apurado gesto que
se vende por procos baretJssimos
No Bazar da Koda.
Vendo-se Rim liwla esenra rrhnla >%
3unos, cini habilidades, eom nina erta de I aaao.
e ruin Iwie : na rua da l'r.ii.i, l- aiular. n 47
mantciga ieglcza a 800 r?. : na rua da Maoirc^ra
numero 2.
FUGICOS.
a ireta e
i aaaoi
Acha-se fofida lm un n i
crava, do aa^o, do nomo Marta, -orn lo
idade, baixa e cor fula, consta que \ y r torra, n
andavendendo na fypnozia da I;.;,-V>ta. rom
una bandeja pintada do enearnadi eom qn*
rusio : pralifira-so tem a quem a nrtrehender e
leva-la a na Imperial n. I(i;l.
FUGIO.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis
e collares Royer para creancas.
eabuooo A bolsmfca^do peiiea
setim para meninas ou senhoras.
Lindas ceslinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Helio sortimento de trancas de palia.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinctes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas
Acba-se fngida desde fia24 de j.
prximo nassado, a escravaAutooia, de i.
d< lOannos ciionln. cacos siffnsessejdb-
les: cor preta, cilios peqqeoos, falla de
dentes na frente o quando olna levou vest rxas chale preto .lo i: quun appre-
hender leve i roa do Cabugi o que sera
generosamente rccompeDSSw.
BellnraiiK
Evadio-se do enaenho Marrecas, na romarta 'e
l'oiio Calvo, e no dia I da inaio cki crrate a-
Do.oescravoBelUrmino.eabra efcnro, de Hada
de 28 annoa alto e ecco domrpo. s<-m barba. p%
urandea, ten estado nesta cjdade, t u bco maior
passeio ..- pelo bairro da Boa-Vista, | de ner i|un
elle so eiicaininlie para a freguezia da Esca
onde loi ello criado, p rodhcrido
gar e levar ao referido
Da rua da Cruz n. :!.i
tifieacio.
(|iiein o i. -
ongraboj ou nesia prai .
andar, rpceber ba gra
para
para vestidos a 200
00# ? OiOHOD cjed ote op saojog
......opijsa.v
ap ranaqap ejed wj op seJoj
* souenbad sopa
...... epejnop
cjnpjoia raoo sapucaS soqiodsa
o3a-d opot 'cjao op seaoung
suopjo i sajaxjoD ujod ogucy
e eiznp sepjef oo? op euur
* e ojanoa ejed sejnpBojoqV
.........c ciz
r.p suainoq ejed setua SBiapj'
' ',......*ho-m
008 00* sojiaqo oiod soosbjj
b oqund ejed sooioq op sajBj
"80501 ejed soauBjq so5urj
Bqooj biuij moo srjbjjbq
008
005
OOK
08
OSf
ooc
OOt
mn
005
005
008
091 b B5no| op sooioq op bzojo
OO'J' Bui.vip ne ujod bjbjjbo
0O0?I 0 008'OOi '009'O0S
B SOI01U-OJJU8 o soquipBqBQ
O 5 9 005 051 '00 \ '08 s sop
-L'PBnb se sepoj ep ojauoqBS
05C '? Bsoqtq op oa|o uioo soosbjj
09 .........b sep
-JBfOO' WOD Bqiiqop S0||9A0fJ
008?^ Juqjoq ejd sei|iii| sp sejqi'j
091 0 SJ 001 B BJU|J UJ03 SOOSBJj
00 ........e SBqu,
o BJtiisco BJBd SBanosaqx'
.........B SBU
-lUOUI BJBd BSS9ABJ1 ap sojugj
OOG .....B ejj9pBpJ8A JOAI^
BUO|O0 op bo8b
Fugiram
1
11VU II IJJi
Vende-se terrenos de produeco o com
arvores frnctiferas e prximo a esta-
c3o dos trilhos urbanos do Recife
Olinda n Beberibe, no becco do Espinheiro,
podendo quem quiser dirigir-se nos domin-
gos, ao sitio n. 6 na estrada de Jo5o de
Barros, e nos demais dias, rua da Impe-
ratriz n. 68,
Vende-se estopa para calafeto a 3*200 :~a
roa da Senzala Nova n. 1.
Vende-se urna raarhina de entura em per-
feito eatado : B3 trevessa do Queimado n, I, pr-
xneiro andar.
Alpacas brilhantes
a 640 rs.
Chcgarara para a loja do Pavo um ele-
gante sortimento das mais lindas alpacas
brilhantes com asmis delicadas cores, e
com os mais bonito- lavradinhos a imitaco
de seda as delicadas cores quo existem
neste bello sortimento encontra-se o bonito
Bismak, o bello Lyrio, o delicado verde
assim como, perol*, roxo, canna, azul ca'
etc. Vende-se esta bella fazenda pelo ba-
ratissimo preco de 640 rs. o covado por se
ter. receido emdireilura uma grande par-
tida superior a dez mil covados, senao
sena para muito mais dinheiro, isto na loja
e armazem do Pav5o, rua da Imperatriz
n 60 de Feliz Pereira da Silva.
Vestidos cona duas salas a SO
Chegarara pai a a loja do Pavo rua da
Imperatriz n. 60, os mais modernos cortes
de poil de Chvre cora duas saias para ves-
tidos, sendo n'este genero o que ha de
melhor e mais novo no mundo, e vendem-se
pelo barato preco de 20#000 na Joja de
Flix Pereira da Silva.
ALPACO DE CORDAO PARA VESTIDOS
A 10000
Na loja do Pavo, vjnde-se superior alpa-
co ou gurguropara vestidos, sendo n'es-
te genero o mais moderno e mais bonito
que tem vindo ao mercado com differentes
cores, sendo mais largo que alpaca e ven-
de-se pelo baratissimo preco de 1$000 o
covado.
Novidade Novidade
GL'RGUROES DE SEDA PARA AS FESTAS
DO MEZ D JUNHO
I Chegou pelo vapor de 14 do corrente,
para a loja do Pavo, rua da Imperatriz
n. 60, um brilhante sortimento dos mais
modernos e mais bonitos gurgures de seda,
para vestidos, tendo padroes miudinhos e
grados, com lindas listras matisadas, as-
sentadas as mais delicadas cores, como
sejam, verde, bisraark, lyrio, azul, perola.
etc. etc., assim como ditos lisos de todas
as coras, garantindo-se que na actualidade
nao ha uma fazenda de mais gosto nem de
mais pbantasia do que estanqese vende por
preco muito rasoavel, no estabelecimento
de Flix Pereira da Silva.
Bbadinhos baratos na loja
do Pavao.
Vende-so uma grande porco de bba-
dinhos de todas as larguras, sendo com os
babados verdadeiros, por uma terca parte
de preco que se vendem em outra qulquer
loja, s com o flm de acabar-se com este
artigo, assim como tambem se vende uma
grande parte d'entremeios, pelofmais li-
mitados precos para acabar, na loj. o r-
mazam do PavSo, rua da imperatriz n. 8u
de Flix Pereira da Silva.
9p BUSB uioo SOOSCJj
:s9juin8as sooajd sojad sopBJ
Bpap oxreqB so^oafqo so opireimatib rot
iVHOjmai vHiaaoM osMjv
aa
svzaaiiM aa vjpoi
s Maraaio oa ujhs iy
IVHOdMSX
no dia 25 do pasudo mez, *
i'M'ravos dos engenboa Conccico e Pii-
bela do termo Serinhaem, perttroceaale nm
ae nomo Jos, ao maior Maooel Germano
Bezerra Pereira de Bastos, e outro de no-
me Luiz, ci tentme ao Dr. Jo, Eagrnio
da Silva Ramos; o piimeiro tem os sinaen
seguintes ; com 30 e Untos aoooa de iSado,
crioulo, baixo, cheio do corpo, cor fula,
resto redoi.do, tem marcas de chiclo as
costas e as nadegas, levou camisa de ri-
cadihho verde j vellia, calca c jaqneta, e
chapeo de bata ; o segando crioulo, idade
0 e tantos anuos, estatura regalar, b> m
preto. rosio cheio, belfos grossos. ol
grandes e abotucados, cachaco grosso, ci m
marcas de chicote as costa, sobre aa n:s-
tellas do lado direito, levou camira de rip-
eado de algodo. com grande remend as
costas, seroata de algodo de sarco, e uma
copa de chapeo de palha sem abas.
Estes escravos foram comprados h cm
auno pouco mais ou menos, na cidade do
Hecife. Qu.m os pegar queira api esenta-
los ao Dr. Joo da Silva Ramos, na cidade
do Berife, qim scr.i fr-tn recompensado.
ESCAVA FGIDA
lio da 12 de maieu do correte anuo fucio da
em do porretor, onde estar para venar' a rs-
crata Caetana, nom o signae* scpuinies ?
i"r
preta, alta, eom taita de dentes u frente, u
eo pancada, olboc grandes e om unto afitenba-
dos, nariz qoebredo o um tanto lao, ( raoada
con. um preto do nomc Joaquim, foi agrava de D
Cosaria t. Carneiro Lcao,rnbora do erjccnbo Con-
tra-Aeude :_quein a pecar e levar a *u senher
na rua estrella uo Rosario n. 41 ser neni recom-'
pensado.
No
As eontrafac^Ars, os oleo. prdo, dVm ebdro fimo, e mais SmposIcSes fallas <-nm 1^.
communs. ucs como o eayiw'o. a arrala, o phoca, a lira, o, olt,l?a^aZ%Tad0% II
c mesmo o olev< euelaet. foram imaginados para substituir os m<* rrsjyrscaaortt. \
rrcsoa de RacaUlio de Terra Vova. Estes iroa
verdadeiro* oleoa de fiaaia
nraun* ou seo anecedaneo* S5o
ot>tid na dusutep. precos mui baos, cm quantp que os verdde^ olcw de S d^^hf0
freso up relaiivaaUDie muito caro, visto que para obtol-o. /rriroi o um wt"r mW,!",ho
prande viadanda e lor os mamres cuidados nos proprios lua.ro da, pocT, V^ comoS,^^
annode 1819. Est<* oleo, paroa de Baoalka d. -rl_--_i?0.miJ"laier
M. Ilogg desde o
ram para este
eserofuloiat e ymphai
imitaras.
d de 18,9. Esti* oleo. paro, de Bacalhao de Tt*.WV de.
precioso medicame.110 urna fama universal as molestias rio pnlo a, ,?
(cas, a magteta dos menmM.ctc.c por isso, deram lugar nodv'afefei
,Nola' Tu? ol' f* 6 mui/cil de digerir, distinguere entre o* outro ola -1-
c6Lri.,:J'.aL,!x^."0.cheiro5!'a.vo delirado, e seo gosto de sardinl.a fresca pel*
(dt
su
O KLATOR10 favoratel do chefe dos irabalioTdTyrDJ^lia'rAni'i'nar.p r>u u___
PABIS conrlue como segu > 0 oleo cor rf, pa/Aa d/iL Toa?co^^LL^ ^P^* DB
clploa c *o. mais do que os oleo, pardos e nSn n,r.T.,l.^!'J"^. r<* PP *
miara n estes, quanlo ao efteiro e sabor.
y-de-~ ea, u>mm a. ptord- m fr-^a. *. pmia^ emu.mn9elr^
nao aprsenla algum do idnvniZiZ J?%
da 15 de junho passado, fugio da
pasara allemaa (segundo avfaou o respec-
tivo dono), onde estava alugado. ura mula-
tinho escuro, de nomc Jusiino, com 13
para 14annos. baixo reforcado, gago, ore-
Ihas grandes e um pouco viradas, trajava
camisa de algodosiuho e calca. de brim
grosso crvle rap : costuma quando foge
mculcar-se como forro ou orphSo consta
que tem estado em Olinda,' a eervico de
alguem, para onde fra i vender pao de
'eite em uma cesla pertencente ;m la pa-
daria : quem o aprehender queira leva-lo
rua d'Atirora n. 20, onde ser recompensa-
do. Roga-se as autoridades
hajam de diligenciar
policiaes que.
a appreiiensao dell.-
Desappareceram. sabbaro
a noite, 3 do corr- nte, do
engenho Pererras, fog .
do Rio Formoso os escra-
vos seguintes: Luiz, ato,
preto, cheio do co*po, ps
mal feitos, u c m falta de um dedo idade
lo annos, viudo da Parabyba do Norte, e
vendido por Dami3o Pereira de Oliveira;
Francisco, idade de 18 annos, bem preto,
i as muito chato, bom corpo, cria de casa.
Izac, que foi preso bontem no Recua e
disse terem aquelles licado Da estacSo da
Escada. Pede-se a apprebcnso dos mes-
mos que faltaram ser entregu < n'aqm He
-ngenho, no de Massaoass fregHezia da
Escada e no Recife. oscriptorio e Leal '
Irmo, promettendo-se boa graticaclo.
>
1



, ;-- ':'.
8
Diario Je Pernanibuco Terca feira 13 de" Jullio de 1869.

II
ASSMBL GERAL
O Sil. ShJlTUW
tuda a parle.
Wsvsa: Isto toi em
CMARA DOS SRS. DEPTADOS
SESSAO EM 1 i DE JUNHO
rafiSIDKNCI.V DO SR. fOBWW DE CMARA-
IliL.
(Continwico.)
Lm-se e vo a imprimir para entrar
na ordem dos trabalhos as redacgSes dos
projeclos roneedendo ama diaria di Ifl as
pessoas que actualmente- sao officiaes da
armada e aos ollickes do exlincto corp de
artiltiaria de marraba, qn > durante a lula
da independencia servirain qner como offi-
ciaes, que r como simples pravas da armada
o do exercito, e approvand.) diversas pen-
Procede-se eleigo da mesa, e sao
reoleitos todos os meaibros, menos o 4.
secretario, que passa a ser, por 36 votos,
o Sr. Gamillo Figueiredo.
Entra em y discusso e approvada
sea debate e reinetiida commisso de re-
daceo a proposta do governo, convertida
em projecto de lei, autorisando o ministe-
rio da fustiga a transportar do 5 para
0 | II do art. 3o da lei n.. 1,507 de 26 de
sotembro do 1867 a quantia de 40:000$
para oceorrer no actual exercicio s despe-
zar rom o corpo militar de polica.
ORDEM DO DA
_ procede-se votaco dos artigos addi-
iivos offerecidos proposta do orcamento
do exercicio de 18 i9 a 1870 na parle rela-
tiva a receita geral do imperio*.
OSk. LENCA ARARIPE pede, ea cma-
ra approva a retirada de dous addilivos,
iim rotativo ao imposto sebre as ordens reli-
giosas, e outro relativo ao imposto sobre
relos etvpos. .
Submeltidos a votaco o > artigos auditi-
vos, sao approvados alguns, outros sao re-
citados e perjudicados outros.
O projecto passa 3* discusso, indo
com os addilivos respectiva commisso
para a redigir conforme o vencido.
Entra em 3a discusso e appovado
sem debate, o remettido a commisso de
redaeco, o projecto que approva a propos-
ta do ministerio da tafeada pedindo appro-
vago de diversos decretos sobre transpor-
te de verbas e abertura de crditos. .
Entra em 2* discusso o art. Io da
proposta do governo que fixa as torcas
de trra para o anno financeiro de 1870
1871.
ft SR. ARAUJO GES :Sr. presidente,
n3o iarei dissertacoes a respeito da torca
publica, ncm tambem profisso de f poli ti-
ca : o Vnnrado ministro da guerra sabe
pra!icam\nte que Ihe presto franco c leal
ap lio, beft> como a todo o gabinete, e a mi-
uha fe poltica asss conhecida. Nao
abasare!, portento, da paciencia da cama
ra em divajaees esteris de tlieses e
principios j desenvolvidos com mais pro-
ftciencia por outros mais idneos e compe-
tentes di) que eu.
Animci-me a tomar a palavra. por ver o
silencio da cmara, e porque desojo diri-
gir algumas nturpaHaeles ao nobre mi-
nistro e hornada commisso, aim de re-
mover certis dadas; fui compellido a
isto principalmente porque tenho a honra
de representar aura provincia que concorreu
com um grande e poderoso contingente
para a guerra que infelizmente tem durado
at boje (apoiados), e vai devastando as
i vivas do pata.
Ku desejava saber do honrado Sr. mi-
nistro ou da nobre commisso da casa, se
subsisten) em seu inteiro vigor os privile-
gios e favores concedidos pelo decreto que
creou os corpos de voluntarios da patria ;
estes lavares estilo reproducidos e consig-
nados no art. V da lei de 1867. Entre-
lazo vejo qno o projecto actual nao faz
referenri;, ao art. 2 da lei citada. Este
silencio d > prejecl < em discuss3(fpde dar
a entender que sao esqoecidos taes privi-
legio-; e favores, visto que a nobre com-
misso oi'ixou de inserir urna disposicao
idntica, afaatando-se aesim do que atase o
honrad i Sr. ministro da guerra, no sen re-
iatono. que muilo explcito a respeito
dos'voluntarios.
S. Exc. disse, a p gina9 do seu rea-
torio, ojoe achava equitativo e conveniente
que fossem admitlidos no quadro do ex-
ercito, no primeiro pisto, os voluntarios
que tivessem prestado relevantes servidos
na actual campanil a. Eatretarrto a hon-
rada commisso nao adoptou esta idea do
Si: ministro da gue ra, nada disse a tal
respeito; acredito que de indcclinavel
essidade garantir a sirte daquelles que
corrern) porfta em defezn da honra na
ional. (Apoiados).
. Qual o futuro dessas bravos que ele-
varam to alto onome brazileiro.
K si> di Babia e das outrasprovincias do
Imperio n3o concorrea um maior numero
de voluntarios, foi porque um ministro da
cori, talvez um tanto fcil, conteve a im-
petooaa corrate dos voluntarios que
vinham d ) a Wte, acud.ido aos reclamos do
paiz. (Ap ciados). Esse ministro, suppon-
do que a guerra tinba terminado depois da
rendico de Uruguayaaa, communicou e
ordenou para o norte que j nao eram pre-
cisas remessas de volntanos!
i a Sn. Djspotado : Foi om erro de
apreciago.
U Sn. A'ticjo 'c) s: O exercito actual-
mente no Paraguay, creio eu que se nao
tem um toreo de voluntarios, talvez pouco
mnos tenlia. Estes homens, acabada a
guerra, devem ter um destino : ha muflos
que quercm ser incorporados* ao servieo
de linha ; e S. Exc. o Sr. ministro da guer-
ra est i io diO, que disse aquillo
que acabei de referir cingindo-me htteral-
mente ao seu relatorio. A honrada com-
misso. porem, nao iniciou urna medida
no sentido indicado, e ou desejava saber
se ella aceita ou n*o a idea do Sr. mi-
nistro.
O 2 arn"> da lei de 1807, a que se re-
fere o projecto om'discusso, determina a
continuar.) to que dava
logar ao preencbtaaento do exercito com o
da guarda nacional; contina
O Sr. Araljo Ges:...houve um dis- mcu digno antecessor.. .
tricto onde a autoridade publica nao pene-
trava, gozava de completa immunidade:
os mandes da localidado assim o queriam
e se Ibes obedeca, e houve quem auferb>se
grandes provetos da proteceo que libera-
lisava.
E fallando da guarda nacional, cu rogo
ao Sr. ministro o seguiute: S. Exc, deve
saber que durante a situaco passada de-
ram-se injusticas as mais flagrantes c as
mais clamorosas, destituindo-sc, suspen-
dendo-se homens que afis tintiam prestado
valiosos serviros. (Apoiados).
Um Sr. Deptado :Ainda estSo sus-
pensos.
O Sn.
aceitar a disposico de qo* trato, e qne se
acha consignada no [irujjcto, proposla pelo
Arai-jo Ges:Eu conhego na
mitiha provincia muitos que at o presente
ainda n3o receberam as dividas reparcoes
a que tem direilo incontestavel. (Apoiados.)
Por consequencia peco a S. Exc. que at-
ienda a estri ponto, para que essos homens
que naquellas pocas de calamidades sou-
beram acudir de prompto aas reclamos da
honra nacional, tenham f e conyencam se
pra ticamente de 'que o governo ouve os
seus clamores e repara as injustifas que
solreram. Em ciroumstancias idnticas era
que nos possamos achar, ellos sero sur los
aos gritos da aatoridade e aos reclamos do
paiz, se negar-se-lhes aquillo a que tem
indisputavel dir.ito.
O Sr. Mendes e Souza : Nao creio nisso,
tal o nosso patriotismo.
O Sr. Araljo Ces:Por mais vivo, por
mais ardente que seja o fogo sagrado do
patriotismo, o despreso do merecimento
o injusticas fazem-o amortecer.
O meu proposito principal, Sr. presi-
dente, foi nicamente dizer estas poucas
palavras para ouvir alguina cousa do Sr.
ministro da guerra, ou da hmrada com-
misso, am de tranquillisar a minha coos-
ciencia sobre a sorte futura dos voluntarios;
foi este o motivo porque encetei o debate,
chamando tambem a attenco da Ilustre
commisso para outra medida de que falla
o nobre ministro.
S. Exc, no seu relatorio, orcupou-se da
transferencia dos officiaes do exercito, de
urna para outra arma, nos postos cm que
se acharem. E' urna medida que tambem
parece conveniente, porque de feito um
homem pode errar a vocaco, assentar
praca em artdharia, porexemplo, e depois
ahi reconhece-se inhabilitado, tendo entre-
tanto vocaco*para arma difirante. Creio,
pois, que o governo deve. ser nu'orisado
para fazer estas transferencias, sempre que
dellas nao resultarem inconvenientes ao ser-
vico publico, er precedendo o competente
pedido.
Feitas estas consideraces, peco perdo
cmara por ter-lhc roubado algum lempo,
e pelo desalinho das observacoes que acabo
de fazer, declarando que voto pelo pro-
jecto.
O SR. BARO DE MURITIBA (ministro
da guerra):Sr. presidente, cumpre-me
respon 'er s observaces que o nobre de-
ptado que acanou le fallar se digooo di-
rigir-me acerca da proposta em discusso.
Peusa S. Exc. que a proposta fui omissa a
respeito dos voluntarios da patria, cuja sorte
no anno desla lei nao podar cor. espondor
aos importantes servaos i|ue esta digna
calsse deeidadlosest prestando na guerra
que actualmente sustentamos.
K <4%no ttt> i^o o togio o tfljuu,
nobre deptado, mas parece-me que nao
pode ter muito cabimento desde (pie se ob-
serva e atiende a que esta lei que discuti-
mos dever ser i xecutada em tempo em que
esses cidados nao sero mais voluntarios
da patria. Esta proposta se refere ao anuo
financeiro de 1870-1871; triste de nos se
a guerra qne sustentamos nao se acabar
dentro de 4, 6, 8 ou O mezes (apoiados).
de maneira qne fosse preciso providenciar
a respeito da sorte dos voluntarios que se
acham actualmente na campanha I
A providencia de que o nobre deptado
talln acha-se consignada no projecto que
foi approvado no senado, oreando as tor
aas de torra para o anno linanceiro de
18691870. Nao houve, pois, ncnlium
descuido da parte do governo, nao houve
nenlium descuido da parle da nobre com-
misso, que nao foi omissa deixando de
referir-se aos voluntarios da patria em orna
poca futura em que ellos podem nao ter
mais existencia como taes, tendo sido d -
vidainente remunerados os seus serviros
DO anno da lei que ha de ser executada em
18 01870. Creio que nesta parte tenho
satisfeilo ao nobre deptado.
Vou agpra tambem responder outra
pergonta de S. Exc, que foi antes um re-
paro com referencia s injusticas que se fi-
zerain a muitos guardas nacionaes por meio
da designaco que se poz em execuco, do
que urna vei iladeii a pergonta em termos a
respeito da continaco deste meio, no caso
O Sr. Arh-jo Gks : -Com oquj estou
de accordo.
O Sr. Ministro i>\ (ii>:n v:.... mas eu
nao deixo de recoijjiecer que esse arbitrio
alli concedido s pela necessidad pode ser
tolerado; nao deve figurar ^em urna lei
como a de que se trata; urna lei jue faria
com que essa aotorisacSo do governo, em
vez de ser frailad i a uin s auno, se es
tendease a mais de um.
Tenho, Sr. presidente, satisfeilo coma
-me -possivel :\< obsorvajoes feitas pelo
honrado depotado pela provincia da Babia
pelo respeito que devo a caara dos Srs.
denotados talvez tenha obrigaco de dizer
cm tempos extraordinarios, senao aquellas
que aaaboi de datura*'; nem creio mesmo
que se possa deridamente apreciar o jue
no futuro -seca oecessario para levantar um
exercito que defeada o paiz de qualquer in-
vasSo.
Como n3o pretendo tomar mais tempo
casa, peco ainda licenca para rogar Ilus-
trada comnaisso que se digne formular
qualquer proposico no sentido de urna
idea que thre a honra de emitir no relatorio
que apresentei a esta augusta cmara, afim
de serem afastados do quadro activo do
exercito os officiaes que tiverem a idade
que alli designei.
Essa idade de 60 a 85 anuos os offi-
ciaes generaos. Principalmente no nosso
paiz por via de regia nessa idade nao ha o
algumas palavras em justificaco da pro-! oecessario vigor para o servieo de guerra.
posta que tive a honra de apresentar, ex-
plicando a necessidade da torca pedida,
tanto em circumstancias ordinarias, como
extraordinarias ; temo, porm, enfastiar a
cmara em hora to adiantada. (Muitos
nao apoiados.)
Dirci, pirln!,), simiente duas palavraa
em relacao a esta materia, que se prestava
a largos desenvolvimentos: dirci qu a
foi\a ordinaria, pedida nesta proposta,
igual aquella que j feoncedida em tempos
anteriores; igual aquella qaese acha pro-
posta no projecto que tem de passar como
lei para o anno financeiro de 1869 a 1870.
Aci ivscentarei ainda que a forra de
20,000 [iracas, aqtii decretada ou pedida,
nao supponha a cmara que se achara toda
preparada e prompta para o servieo, ou
ser nelle empregnda, porque destas pra-
cas de que se trata, parte ou cerca do
,000 pertencem a corpos que nao pres-
tara, nem podem prestar para nenhum ser-
vico, e sao, pelo contrario, organisadas para
sua n-drueco, para ou'ros mistures e para
trabalho dos arsenaes, como sao os opera-
rios, es aprendizes artilii-iros o os peiten-
centes a outros depsitos J instrueco.
Fica, portanlo, a torca activa propria-
mente reduzida a 18,000 pacas de pret,
que sao apenas sullioientes para as guarni-
ces d,is dilTerentes provincias do imperio,
e principalmente para as nossas provincias
front;iras, que necessitam de urna torca
permanente respeitavel a todo o momento
oceorrer a qualquer eventualidade. (Apoia-
dos.)
Os nossos mais dislinclos generaos con-
cordara todos que a provincia do Rio-Gran-
de do Su! uo pode estar devidaraente
tranquilla se nao tiver em si um corpo de
tropas de todas as armas, que :io seja in-
ferior a 8,000 borneas.
Al'firmam elles tambem que a provincia do
Mallo-Grosso nao |n3de dispensar urna torga
Sn& menor de 4,000 pragas.
A expe-iencia dolorosa que ti vemos na-
quella provincia parece justilicar plenainen-
! te a opinio a que estou adherindo : se
honvaasa, com eaito, urna torca bem or-
gaataadi uaejoalta provincia, qne ebegasse
ao algiismo a que me tenho referido, se-
ria mais dillicil. pelo menos, a invaso pa-
raguaya naqueila provincia.
Temos tambera que as provincias do
Amazonas e Para necessitam de guarnico
cousideravel, a qual nao pode ser menor
d :i,00Q borneas. Ficam, portanlo, 4,000
pracas para as restantes provincias.
Ora, todos sabem que para as 17 provin-
cias os 4,000 homens nao che.ariam mes-
mo para as guarnicoes ordinarias: por-
r strico feito o pedido das 20,000 pracas
que se acha na proposta que tive a honra
de apresentar.
Esta torca om circumstancias ordinarias
tambera inleiramente compativel com as
fatuidades da nossa populaco; e como
seria fcil demonstrar, porque nao xigJ-
mos das pessoas cm circumstancias de lo-
mar armas no imperio da idade de 18 at
36 anuos, nem mesmo 1 %
K\ portanto, muito compativel com as fa-
cilidades da populaco, e nao pode ser con-
traria aos interesaos da industria, porque
poneos sao os bracos que a ella se tiram
com a composico da torca deque se trata.
Eu, Sr. presidente, podia atitorisar-me
cora i templos de paizes, le pnpulacie maior
que a nossa, que sustentara exercilos mui-
to. mais numerosos, quadruplicados da-
quelle que nos pedimos para o tempo or-
dinario.
Assim, porexemplo, v-so que um paiz
i a Blgica, que nao conta mais de
5,000,000 da babitontos, tem um exercito
permanente de mais de 86,000 homens.
A Uaviera, com 4,700,000 habitantes,
tem um exercito cm p de paz de 73,'82
homens.
A Hollanda, apenas com 3,500,000 hab
tantos, tem um exercito de 61,318 ho-
mens; e afinat Wurtemberg, 1,800,000
habitantes, tem um exercito de 29,238 ho-
mens.
Entretanto qae aquelles officiaes mais mo-
dernos, menos graduados, que poderiam
em postos superiores preslar-se com cffi-
ciencia para o servieo de guerra, emeonse
queoeia de se acharem prvidos os postos
superiores, nao podem a* elles ascender, e
nao prestan) por isso os servicos que delles
rse podia esperar.
E' portanto, necessario quo nos soccor-
ramos do mesmo principio a quo so tem
soccorrido a Franca, c que ltimamente pre-
valeceu em um projecto apresentado (elo
ministerio italiano no parlamento respectivo.
O Sn. Arajo Ges : Fazer generaes
novo.
O Su. MiNisr o da Guerra : Esse pro-
jecto psoviudencia sobre officiaes que che-
gando a certa idade sao immediatamente
postos em um quadro de reserva, o poste-
riormente atlingindo a outra idade mais
ayancada sao necessariamente reformados.
Esla idea rae parece qne deve ser adop-
tada no nosso paiz com alguiuamidificaco.
A inodilicacoque eu julgo neeessaria
que em lugar de ser imperativa a disposu'o
(le mandar afastar do quadro activo do exer-
cito os officiaes de certa idade, seja smen-
te facultativa para que se possa aproveitar
um ou outro officjal desta idade a quem ainda
nao faltar a neeessaria torca para o servir i
da guerra. Entendo, pois, que os ofieiaes-
generaes, os marcenaos de campo e briga-
deros devem ser posto na 2.1 classes do
exercito desde que attingirem idade de
63 annos.
A experiencia mostra ser esta a idade era
que o homem vai perdendo inteiramente o vi-
gor para a vid diificil e|para as arduas pro-
vacoiM a quo lera de sejeitar-se o militar em
eampanha.
Depois delles vem os coronis, os quaes
tambera em urna idade pouco menos avan-
zada do que a dos primeiros devem ceder o
lugar a oiliciacs mais mocos, mais robustos
que posean empregar-se utilmente. Julgo
eu, que a idade de 60 annos aquella em
que esses officiaes devem passar para a se-
gunda classe do exercito am de que pos-
sam esperar ahi o tempo necessario para
com vantagem olterem a sua reforma.
Quinto aos officiaes deoutros postos,una
idade ainda menor se deve marcar, essa a
idade de 58 annos.
A lei da Italia ainda mais restricta, como
acamara permittir que eu llie exponha.
.Na lei da Italia os tenentes-generaes sao
postos no servieo da reserva eos 62 annos
de idade.
Os majores-generaes, que correspondem
aqu aos nossos marechaes de campo e bri-
gaderos, na idade de 58 annos. Os coro-
. na de. 55 annos; isto na Italia, cujo
Ynrna'e dilTeicnle do nosso, onde a vida
O Brazil, com 5,000,000 de habitantes
de ni i poder a torca ser preencliida. por livres pelo menos, ter apenas um exeivi-
portanlo, o -ystem das designacoes. Eu
espero que subsistindo esta l'a-uldade to
ampia, lo imitada de designar guardas
nacionaes. couo, Sr. presidente, que nao
teremos de deplorar,os abu pon doran. (Apoiados); Na
situaco passada, pelo menos na provincia
que eu tenho a honra de representar, de-
sjfrn i proporcoes revoltantes e
: houve lugar em que aqnel-
ue estavam as condicSes de prestar
vaho ira protegidos pelos
a)an(toes da terr
outro modo seno pela designado da guarda
nacional, ou pela chamada dola a servieo
de guerra.
Pela minha parte, senhores, a uingji m
aecuso, nem a qualquer dos.meus anteces-
sores por actos que tenham praticado, e
tambem nao m arge a consciencia de ter
empregado a menor violencia, nem m -ios
extra-legaes para chamar ao servieo guar-
nacionaes desde 16 de julrio at boje.
(\hvto bem.) Pretendo, se as circumstancias
ainda o exigirem, continuar* com este meio
enrgico de poder preencher a torca decre-
tada, mas tambem posso assegurar c-
mara dos Srs. deputados que hei de mar-
char dentro do circulo da legalidade e pro-
curar evitar lodos os excessos e violencias
que possam dar-se na designaco.
Urna terceira consideracSo apresentou o
honrado deptado acerca do projecto; vqr-
sou ella sobre a necessidade de consignar-se
nelle alguma disposicao sobre a transferen-
cia de officiaes de amas para nutras armas.
Esta disposicao ou esta idea de que se
trata no relatorio, e que S. Exc. teve a
bondade de ler, est consignada tambem
no projecto que se acha no senado para o
anno financeiro de 18rt91870.
Esta disposicao, por seus perigos e por
outros motivos, no^ptte ser permanente;
dava ser 'transitoria^ fugitiva, smente para
o caso que se tra de haverem no exercito
muitos offleja^s manifestado vocaco para
as armatf'mfferentes daquellas a que actual-
m.-nterpertencem.
Pree chida essa necessidade, acabouse
tambem a de ter o governo na sua mo
esla arma que pode ferir os direitos de
muitos olficiaes.
A necessidade de organisar o exercito de
urna naaneira conveniente rae obrigon n
lo le 20,000 homens!
Nao quero j soccorrer-me ao exemplo
de Portugal, cuja populaco muito mais
mtaguada que a nossa todava supporta um
exercito p'jrmanente de 30,000 homens,
ijiie se pode elevar a 60,000 em tempos
extraordinarios.
Foram estas as razoes, Sr. presidente,
quo ma moveram a pedir torca de20,000
homens para as circumstancias ordinarias ;
e j xpliquei que destes 20,000 nem to-
dos, se empregaro efectivamente no servi-
eo, porque alguns sao destinados aos depsi-
tos de instrueco e aos misleres de ope-
rarios nos dilTerentes arsenaes e outros es-
tabelecimentos [do ministerio da guerra.
Em circumstancias extraordinarias nao se
pode dizer qual ser aextenso do sacrificio
que tenha o paiz de fazer (apoiados); pu-
de mnito bem o inimigo mais forte, atacan-
do, invadindo o nosso territorio por dilTe-
rentes lugares, exigir que um exercito
maior de 60,000 homens seja posto em p
de guerra. Mas, nao podemos deixar de con-
fessar que um exercito de 60,000 homens
no Brasil, como tem estado na actual guer-
ra, parece que infunde algum respeito;
pude ter a neeessaria efficiencia em casos
de qualquer invaso.
Como os 60,000 homens foram precisos
para os 4 annos de guerra que temos sus-
tentado ; como esta torca nunca fosse ex-
cedida, ou t-lo-ha sido talvez em to pe-
quena escala que apenas se presente, eu
indi quo, em quaesquer outras circums-
tancias exlraordinarias que apparecessem
no anno desta lei. nao feriamos necessida-
de de um exercito maior do que o que te-
mos tido at agora.
Nao tenho outras razSes ou previses
para apiar a proposta dos 60,000 homons
parece ser mais tonga, ao menos a robus-
tez dos individuos maior.
Os teueotos-coroneis e majores, aos 52
annos: Os capiles aos 48, e os teuentes e
alteres aos 45 annos.
Nao peco tanto, Sr. presidente; peco ni-
camente que se tonta era attoneo o melbor
servieo do exercito era relac'o aosolficia-es
que tm a idade de 58 annos, conforme a sua
[latente, al 63 annos de idade.
Estes officiaes, que passain para alista da
reserva n> exercito.da Italia, sao abrigados
a reformarem-se ou a retirarem-se, como
elles dizem, da carreira militar na idade
de 70 annos.
Os teneatoa-generaes, os marechaes, os
marechaes de campo, os majores-generaes,
aos 68 annos; os coronis aos 66, os topea-
tes-coroneis e majores aos 60, os capiles
aos 55, os tenentes e alferes aos 50.
Nao sigo isto, nao desejo que sejam obli-
gados a deixar a milicia seno quando as
vantagens que obtiverem poesam convie-
Ihes, isto que elles na segunda classe espe-
remfi tempo necessario parase reformaren)
comas maiores vantagens que mes ofierece
a legislaco do paiz.
" Estou autorisado para declarar que esta
medida reclamada pelo coramandante em
chele do nosso exercito em operacoes. A
experiencia d) guerra o tem convencido de
ipie preciso chamar officiaes mocos, olfi-
ciaes mais robustos e vigorosos para se
empregarem nos corpos e nos commandos
de divisos, brigadas, etc.
Acredito, portanlo, que a cmara dar o
seu assenlimento proposico qne a nobre
commisso formular no sentido em que te-
nho fallado.
Sr. presidente, linha algumas observaces
mais a fazer; porm julgo que a tua'mente
devo prescindir dellas.
Se os nobres deputados me fizerem a
honra de interpellar sobre outros pontos,
terei muito prazer em satisfaze-los; mis
parece-me conveniente, para abreviar a dis-
cusso noentreter-me com outras materias.
Tenho dado as e*p!eaeS ss que me pare-
cen) mais necesarias. (Muito bem.)
OSR. BITTENCOURT : S-. presiden-
te, a promptido, a preciso com que o
honrado Sr. ministro da guerra rospondeu
s interpellaces feitas pelo no|ire deptado
pela Babia, anima-me a dirigir-lhe tambem
algumas ligeiras observaces pedindo que
baja de ter igualmente a bondade de decla-
rar, se,pretende continuar a u!ilisar-se da
aulorisaco que Ihe d o projecto, man-
dando que continu a vigorar o Io do
art. 4o da lei n. 1471 do 25 de setembro
de 1867, quo a segrate : t A torca de*
cretada para as circumstancias extraordi-
narias poder ser preenchida, na falta de
voluntarios'e engajados ou recrutados, por
corpos destacados da guarda nacional.
Desejava tambem que houvesse de escla-
recer-me sobre a maneira 'porqop pretende
continuar a man lar fazer distribuyo dos
recrutas pelas provincias, se na mesma
propongo em que tem sido, feito ou com al-
gumas modificacSes. isto modificando as
qota9qne em annos anteriores tem sido
marcad*.
N8o sem razo que eu dirijo estas per-
guntas a S. Exc. NSo as formulo p jrque
tenha a menor npprehenso sobre o proco-]
diraeuto.de S. Exc, nem porque deixo de
ter a mais decidida a inteira confianca no
carcter jsticeiroe imparcial com que sem-
pre costuma proceder em todos seus actos.
Mas, Sr, presidente, a provincia do Rio
Grande do Sul, de que sou representante,
que tem largamente contribuido com dcs-
soal para guerra que se debate nos campos
do Paraguay, est quasi exhausta, e muito
difficilmentepoderia ainda concorrer, quando
tosse preciso usar da autorisaco da lei,
com recrutas para o exercito. (Apoiados)
A provincia do Rio Grande do Sul, Sr.
presidente, que tem sido sempre prompta
era marchar frente daquelles que mais pa-
triotismo deseravolvem; a pro vinca do Rio
Grande do Sul, que tem .sido de todas a
que mais tem concorrido para a defesa da
causa nacional, est em cirnumstancias
taes, pela> perdas que tem soffrido, que
quasi a impossibilitam de prestar-se com
novos bracos para desaggrevar a honra na-
cional no Paraguay.
Na situaco passada foi a minha provin-
cia 'victima de vexacoes extraordinarias,
quer as designacoes da guarda nacional,
quer no que diz respeito ao recrutamento.
Todos os homens validos, e at os que o
nao eram marcharan para i'ncorporar-se ao
exercito. As isencoes da lei foram postas
de lado.
Ainda sob as ultimas administraces, nao
fallo da que acaba de ser dirigida pelo hon-
rado Sr. Dr. Costa Pinto, que na provincia
d-ixou um nome que ha de sempre ser lem-
brado com saudades e reconbecimento por
todos os homens honestos (muilos apoiados),
o recrutamento e a designaco da guarda
nacional foram as armas de gu rra de que
s>) prevaleceram para preparar o terreno
qne Ihes devia trazer a victoria as eleicoes
a quo devia proceder-se.
Alguns Srs. Deputados :Como em todo
a parte. (Apoiados.)
O Sr. Bittencort : A minha provincia
nao linha negado antes, nem se negou de-
pois dessas violencias a prestar o contin-
| gente do seu sangue para a luta empe-
!nhada.
Diante dessas vexacoes era que o direito
era postergado, a populaco inteira no campo
sobresaltada abandonava a lvoura, o pas-
toreio, e todas as oceupaces de que tirava
os raeios de vida, para interuar-sc no mato
e escapar por esta forma a essa tremenda
cacada de homens qu nao se hesita va em
fazer at a plvora e bala.
Nao creio que o actual governo, cuja pasta
da guerra oceupada pelo honrado Sr.
baro de Muriliba, possa consentir nem te-
nha consentido nesses excessos a que es-
teve sujeita a minha provincia, o seu hon-
roso passado garante-rae o seu futuro. Mas
eu preciso de urna declaraco positiva "de
S. Exc. para tranquillisar nimos na pro-
vincia, aim de que eslejainos certos de
que, depois de termos vertido generosa;
mente o nosso sangue nos campos do Pa
raguay. gozaremos de algum tempo de rc-
pouso sera o temor do recrutamento a
pretexto da guerra.
Um Sr. Deptado :Deus nos livre que
nao tenhamos urna lei de recrutamento
pora tranquillisar a todas as provincias!
O SR. I3ARA0 DE MURITIBA (ministro
da guerra):0 nobre deptado que acaba
de sentar-se perguntou o govorno tem
j a inteacio de preencher a torca decretada
por meio de corpos destacados da guaeda
nacional da provincia do Rio-Grande do Sul,
quando nao houvessem voluntarios ou en-
gajado* qnfi posssm r.nmplflfar a mosmn
torca.
Respondo ao nobre deptado que o ar-
tigo em discusso nao trata de circums-
tancias ordinarias para preeneher-se a torca
mediante corpos destacados. Smente em
circumstancias extraordinarias tora- isso
lugar.
Nao espero, como j tive a honra da
dizer, que no anno desta Wi as circumfan-
cias do paiz sejam extraordinarias de modo
que exjara de Aovo os grandes sacrificios
que a briosa guarda nacional do Rio-Grande
do Sul tem leito na campeona do Paraguay.
Reconhcco com o nobre depntrdo por aquella
heroica provincia que sao dignos do reco-
nuecimento nacional os esTorcos que os seus
bripsos filhos tem feito para figurar glo-
riosamente na eampanha que temos sus-
tentado. (Apoiados.) Estou certo de que
aquella heroica provincia envidara ainda
novosesforcos par. sustentar a honra na-
cional, se o governo fizcsse*para ella novo
appello (apoiados), se aidda recorresso ao
seu nunca desmentido patriotismo. (Apoia-
dos.)
Mis, como j disse, nao tenha o nobre
deptado o menor receio de que sejam cha-
mados os corpos destacados da guarda na-
cional desea provincia para preencher a torca
decretada, porque, repilo, nutro a esperan
ca, confio em Deus, anima-me o valor do
nosso exercito, para acreditar firmemente
que a paz coroar em breve os estorcos
que temos feito para alcaacarmos urna paz
era todo o seu sentido honrosa. (Apoiados.)
O Sr. Candido Mendes : Deus o traga
O Sr. Mjmstro da Guerra : Nem rucio
que possamos ter o receio de que outro
qualquer motivo traga cricurastancias que
se tornera extraordinarias, para que tenha
lugar e que se vai decretar no art. Io desta
proposta com relacao ao | Io da lei actual.
Creio que o nobre deptado ficar satis-
feilo com esta explicacSo.
0 nobre deptado tambem fez-me o ob-
sequio de referir-se ao recrutamento.
Tenho espernca de que tambem no anno
desta lei o systema de recrutamento que
est em vigor nao preval cera, sendo decre-
tado pelo poder legislativo o modo da subs-
titui-lo.
O Sr. Gama Cehqueira :Deus o queira !
O Sr. Ministro da Guerra :Se, porm.
nao se poder obler esse meio, o governo
attender muito particularmente as provin-
cias que at agora tem mostrado a maior
dcdicacao pelo triumpho de nossas armas e
lancado mo da mor parto de seus filhos
para conseguimos o fim desejado.
A discusso fica adiada pela hora.
Dada a ordem do* dia. levanta-se a sesso
s quarto horas da tarde.
SESSO EM 12 DE JUNHO
presidencia do sr. visconde de
camaragibe.
Ao 1/2 dia, feita a chamada, verii-
ca-se haver numero sufficiente, abre-se a
sesso.
L-se, e approva-se a aeta da antece-
dente.
0 Sr. Io Secretario d conta do se-
guinte
expedibnte."'*-
Imofficio do ministerio do imperio, en-
viando o da presidencia da provincia do
Para, prestan o inforinaces acerca da re-
presentaco da n | da capital,
na qual se a legara f., riolencia, e
coaco pralicados pela mesma presidencia
por occasiJo da eleiro a que se procedeu
um 31 de Janeiro ultimo.A' 3a commisso
de poderes.
Outro do mesmo ministerio, enviando as
autbenlicas da eleicao primaria a que se
procedeu na parochia de Itamby do muni-
cipio de Itaborahy, da provincia do Rio de
Janeiro.A' 2a commisso de poderes.
Outro do mesmo ministerio, enviando o
officio em que a presidencia da provincia
da Babia presta informacies sobre as elei-
C es a que se procedeu no dia 31 de Ja-
neiro ultimo na parochia de Nossa Senhora
das Dores de Monte-Alegre, do 2* districto
eleitoral da mesma provincia.A* 2* com-
misso de poderes*.
Um requerimento de Pedro Orlandini,
mestre de esgrima as escolas de marraba
e militar, pedindo ser aposentado em am-
bos os empregos.A' commisso de pen-
soes e ordenados.
Outro de Manoel Goncalves Ribeiro Ro-
cha, porteiro do thesooro, pedindo que o
seu ordenado seja igualado aos que perce-
bem os porleiros da secretaria de estado.
A' mesma commisso.
Outro de Ambrosio Vireira Braga, alom-
no do Io anno medico da c6rle, pedindo
para prestar exame da materia que Ihe fal-
ta do dito anno, c fazer acto do 2o, cujas
aulas assiste como ouvinle.A' commisso
de insti uceo publica.
Outra do ministerio da justica, remetien-
do os decretos n. 4,159 do 22 de abril de
1868, que retormou a respectiva secretaria
e n. 4,360 de 8 de maio ultimo, que dero-
glo art. 52 daquelle decreto.A' com-
misso de constituico o poderes.
Outro de Constante da Silva Jardim,
alumno do Io anno do curso pharmaceutico
da cort-, pedindo para malricular-se no Io
anno medico da mesma faculdade depois de
mostrar-se habilitado em historia.A' mes-
ma commisso.
Outro de Luiz Telles Barrete de Mene-
zes, pedindo para matricnlar-se no Io anuo
da faculdade de medicina da corte, fazendo
antes o exame de historia e de latira. A'
mesraa commisso.
Lm-se, julgam-se objectos de delibe-
raco e vo a imprimir para entrar na or-
dem dos trabalhos so s projeclos, appro-
vando pensoes, autorisando raatrieelas de
estudantes e concedend loteras, e conce-
dendo naluralisaco.
Entram em discusso, e sao approva-
das sem debate, as redacoes dos p^rojectos
concedend urna diaria de 1$ aos officiaes da
armada e do exlincto corpo de artiltiaria de
marraba que servirn) durante a luta da
independencia, e concedend varias penses.
O SR. PERDIGO MALHEIRO justifica e
manda meza um projecto sobre melhora-
mento do servieo do juizo dos feitos da fa-
zenda, que j publicamos.
O SR. PEMDO justifica tambem um pro-
jecto mandando restituir,* ao presidente e
membros da junta de qualificaco da paro-
chia de Santo Antonio do Monte, a multa
que Ihe toi imposta pelo presidente da pro-
vincia de Minas.
ORDEM DO DIA
Contina a 2a discusso do art. Io da
proposla do govtrno que lixa as torgas de
trra para o anno financeiro de 1870 a 1871.
O su. noDiuuo da SILVA:3r. presi-
dente, merabro da commisso de marinha
e guerra, eu faltara a todos os deveres de
cortesa, se nao viesse tribuna manifestar
com toda a franqueza a minha opinio a
respeito do pedido que o nobre ministro
da guerra fez mesma commisso.
Antes, porem, Sr. presidente, de tomar
na dolida consideraeo as ideas do nobre
ministro da guerra ennunciadas nesta casa
e censtantes do seu luminoso relatorio,
ideas-que, na opinio do S. Exc. devem
ser convertidas em projecto de lei, pego
permisso para dizer algumas palavras
sobre a proposta do governo que offerece-
mos corad projecto de le da fixaco das
loicas de Ierra para o anno de 1870 a
1871.
A proposta do governo, Sr. presidente,
pedia 20,001) homens para o exereilo em
tempos ordinarios a 60,000 em tempos ex-
traordinarios.
Quanto ao numero da torga pedida julgo
desnecessaiio dizer que aceito a proposta
do governo, porque tendo subscripto o
projecto que se acha em discusso, claro
que dei-lhe o meu assenlimento.
Entendo que o paiz nao pode dispensar
um exercito permanente era tempos ordi-
narios, inferiora 20.000 pracas; porque
as nossas fronteiras devem ser resguarda-
das e.o servieo militar das diversas pro-
vincias exige tambem alguma torca.
Se em rigor attendesseraos ao estado fi-
nanceiro no paiz e falta de bracos com
que lutam todas as industrias do paiz,
il -.vidas a circumstancias extraordinarias,
eu certamente nao apoiariaum pedido desta
erdem, porque sou o primeiro a roconbe-
cer que um exercito permanente de 20,000
homens em circumstancias ordinarias so-
brecarregar o nosso thesouro com aval-
ladas despezas.
Mas, Sr. presidente, presentemente nao
podemos attender a estas consideraces.
A guerra actual' veio demonstrar que o
paiz deve preparar-se, em tempo de paz.
Accresce que o estado financeiro do paiz,
terminada a guerra no corrente exercicio,
poder, baranda a mais severa economa
por parte da administraco, supportar essa
despeza de indeclinavel necessidade.
Demais necessario ter em vista outras
razoes verdad iramente locaes, que acon-
selham a permanencia de um exercito de
0,000 homens no tempo ordinario. Por
exemplo ? a posigo topographica do paiz,
vias de communicago, as diffi.mldades
ma ores ou menores, quo a administrago
cncontra na destacagao de urna torga de
um ponto fixo para ouiro emque ne;es-
saria a defesa. (Apoiados,).
Assim, pois, julgo que ninguem dir que
um exercito de 20,01)0 homens, attentas as
circusmtancias que tenho apresentado, seja
excessivo para o servieo das fronteiras e
das diversas provincia?.do Imperio.
(Cotrtmuar-sC'ha).
TP. m DIARIO Ht A MS < RVZKS N.

I
/
J
A


.V
w



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUELVGMP1_ZI92NW INGEST_TIME 2013-09-14T03:40:47Z PACKAGE AA00011611_11888
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES