Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11867


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
-

ANNO XLY. NUMERO 135.
;
"
PARA A CAPITAL Z LCAMS OWZ ]fA SE PAGA PORTE.
KS?!,e,-f,iaiu,Hte................. f000
ror seis ditos dem. ijKv
Pr um aano jdam.................... 2Weoo
-CawU numero wlso T i i i i i #5)
CUARTA FEIRA 16 DE JUNHO DE 1869.

----:------
PARA MITRO E FOU DA PBOVIHCIA.
Por tres mozes adiantados.
Por seis ditos idem. .
Por non ditos idem .
Bortimanno. .
ATUJA
kjooo
Propriedade de Stanol Figneira de Faria & Filhos.
-*-
Os Srs. Gerardo Antonio Alves
itonio Alves & Filhos, no Para; GoncJves & Pinto, no*Marenh3o; Joaquim Jos de Ofivefrario Cear; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty; Joao Mara Julio Chaves, no Asso; Antonio Marones da Silva no Natal Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape;' Antonio Alexandrino de Lima, naParahyhi; Antonio los Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa-Braca '
era Nazareth; Francino Tavares da Costariflm AJagas; Dri Jos Martins Alve.s, na Bahia; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro. '
PARTE QUICIAL
tvorno provincia.
KSJUfHOS BA MMBIDE.NCIA DOS DAS 11 e 12 DE
IUKHO DK 1869.
ttw.harel Antonio Buarque de Uma.Cuuoeda-
se'com ve nrimentos na forma da mT
Aatouiu Alexandre Lopes Baplista. Requeira
ao governo imperial.
Aristo de Burros Correa.Requeira ao Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Candido Tiago da Cosa Mello.Junio o presen-
le requerimento ao anterior, informe o Sr. desem-
bargador provedor da Santa Gasa de Misericordia.
Cypriano Cosme de Souza.Informe o Sr. capi-
tn do Porto.
francisco do Carmo Das.Requeira ao Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Joao de Assis Pereira Hacha. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Jos Francisco Ribeiro. Seja posto em liber-
dade.
Joo Paulo de Souza. Informe o Sr. inspector
da thesourai a de fazenda.
Joto Donneley. Indefurido vista da infor-
madnr.
Junta Administrativa da Santa Casa de Miseri-
cordia. Informe o Sr. inspector do arsenai^ie
manaba.
Baeharel Jorge Dornellas Ribeiro Pessa. In-
forme o Sr. inspeelor dn thesouraria de pro-
vincial.
Joaquim Francisco de Barros BrreloInforme
o Sr. cliefe interina da repartiro das obras pu-
blicas.
Luna Maria da Ba-Hora.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
Dr. Luiz de Albuqucrque Martins Pereira.
Eacaminhc-se.
Lulz Jos da Silva Cavalcanli.Tendo sido adia;
da para o da 17 do correte a arrematado
3uc a!lml deve o suppUeante liabilitar-sc at o
u ti.
Lucinda Casado Lima.Sim, passaudo recibo.
Manocl d>' Carvalho Paes de Andrade.Certifi-
que-se o que constar.
Manee1 Jaciutho de Mello.Seja posto em liber-
na de
Maria Magdalena da linniBpn Informe o
Sr. inspector do arsenal de marinha.
Major Raymundo de S Araujo.Ioforme o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Rodrigo Elvira Goncalves de Mello.Dirija-se
thesouraria de fazenda.
Padre Trajano de Figueircdo LimaInforme O
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Uiisses Justiniano de livcira. Indeferido
vista da informacao.
Hepai-ll^o da polica.
t* seceo.Secretaria da polica de Pernambuco,
ISdejunho de 1869.
N. 875.Ulm. e Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao conlieeimento de V. Exc. que, segundo
consta das participacoes recebidas nesta repar-
tieo, foram h*ntem recolhidos casa de de-
tencao os seguintes individuos:
A' ordem do subdelegadoTle Santo Antonio, Joa-
quina Francisca de Almeida, Mara Apolinari da
Conceirao e Rosa Maria da Conceicao, por insultos.
A' ordem do de S. Jos, Manoel da Cosa, lambem
por insultos.
Deus guarde a V. ExcIllm. c Exm. Sr. vice-
presidente da provincia Dr. Maimel do Nascimen-
to Machado l'ortella. O chele de polica interino
F. de Assis 01 reir Maciel.
DIARIO DE PERNAMBUCO
sob a presso de processos crimes, o advogado
Dr. Emilio de Moraes Dia;., que all se acha para
responder aos que lhe foram instaurados. Nao
entro na apreciacao de tmelhante contenda en-
tre homens formados e da mesma profisso ; tai-
sea e advogado deviam dir-se as mos perante o
publico, e sacrificar algn- recentimentos, que por
ventura bouvesse enlre si, em honra e dignidade
da classe a que perteacem.
O chefe de pobcia, porianto, aca'a de regres-
sar desta capital e de certo nem em Qbidos |>odia
continuar, quando fosse Rugida a sua presenca ;
porque acaba de receber a sua exonoraeao, es-
tando desde honrara pceupado interinamente o
scu lugar pelo Dr. Consti ntiuo Braga, juiz de di-
reito da comarca de Mar.o.
t O actual vice-presidentc coronel Miguel An-
tonio Pinto Guiraaracs vai com prudencia manten-
do o stalu quo da administracao; nada por em-
quanto tem alterado do quo deixou o Exm. con-
selheiro Jos Bento da Cimba Figueiredo ; r.lm
disto bastante Ihano e accessivel, interessando-
se pelo progresso e bem estar de sua provincia
natal.
O commercio contina animado, apesar das
quebras que tem havido ltimamente, segunda) me
consta, chamara rredores, a casa aviadeira para
o serto Passos A Burle. O chefe da casa Antonio
Xavier da Silva Leile, vendo os negocios mal pa-
rados da sua fallencia, acaba tambem de retirar-
se oceultamente da provincia.
A principio disseiam ]ue fura para Portugal,
agora presume-sc que partir em maio; da villa
para os Estados-Unidos, ou para alguin ponto da
Europa.
t hsperam-se neste mez dous vapores de Li-
verpool, sendo um extraordinario e oulro da nova
linha que vai comecar entre aqnelle wrto, Para,
Maranhao e Cear. Falta-nos apenas uma linha
de paquetes francezes, para que este porto, espe-
cialmente esteja a par, ou; frequencia de commu-
nieaejio com a Europa, como o dessa provincia.
Pan o centro e valle de Amazonas, Tocantins e
Araguaya, as emprezas no-se estabelecendo, nao
s auxiliadas pelo commercio desta praca como
pelos cofres da provincia.
Ainda esta madrugada sahio para o rio Pu-
ns, pouco explorado, o vapor.imeira di nova
companhia do Alto Amazonas, abarrotado com um
importantsimo carreganento, alm de varios
passageiros par* differenies -pontos de sua es-
calla.
A companhia fluvial Paraense tem tambem
prugiudido inuiloe leito grandes interesses, lano
que suas aeces tem *som|)re subido de premio ;
e pelo que respeita a companhia de Navegaro e
Commercio do Amazonas, esta eaniinha desassom-
brada c bem dirigida, aulerindo como de princi-
pio importantes lacros.
Nao se pode negar que o Para, ou antes toda
a regiao do ralle do Amazonas, vai caminhando
a passos largos na senda progressiva e auspiciosa
do commercio e da naveacao ; o que lhe falta
essencialmcnte sao capitaes," a um certo corte em
alguns troperos de les e regulamentos mal enten-
didos e peior executados I
Nao quero nem possj ser mais extenso ; o
paquete americano vai partir e cumpre que ter-
mine esta, para nao ficar fra da mala e nao po-
der seguir como j tem saccedido.
O novo Banco do Para vai abrir as suas ope-
racoes ara 1" de julho, segundo acaba de annun-
ciar, tendo j nomeado os respectivos empre-
gados. >
PEMAMBCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
SESSAO ORDINARIA EM 31 DE MAIO
=r
Gas-
pro-
r.ECIIT, 16 DE JU.MIO DE 186.
NOTICIAS DOS ESTADOS-UNIDOS E DO PARA'
Honiem chegou de New-York, por S. Thomaz e
Para, o vapor americano So//i ^aiarifii, trazendo
datas do Pai at 8 do corronte.
ESTADOS-INIDOS.
Mida ailanlam as noticias, por seren de 22
as ultimas datas de New-York.
Mi.xiai.
Por via daquella repblica recebemos as
seguinles noticias do Mxico :
O chefi- insurgente Palacio, vio-sc completa-
mente frustrado na sua tentativa do fazer a revo-
Iucao no oslado de Sinaloa. Depois de haver
fgido dcMazatlan, dirigi-* inmediatamente por
Colima, e conseguio reduzira guarniejio.
Quando enlrou na cidade, e vio que nao tinha
fundos na casa da moeda, impoz ao commercio
BU eonitibaicio forjada de 20:000 duros, mas
nicamente conseguio alcancar 1:600. Nao po-
dendo, pois, sustentar-se alli, de ga-so que foi para Pepie, aonde conta com o auxi-
lio de Losada. Antes de Palacio sar da Colima,
oxpedio uma proclamaco em favor do general
Placido Vaga para governador de Sinala; mas
este documento nao produzio effeito algum.
(i A cidadi* de Huanchinango foi completamente
destruida por um incendio. O governo suspendeu
a le das garantas indvduaes no que respeita aos
salteadores das estradas e aos revolucionarios.
Est immente a rcvoluQio de Jalisco. O con-
reso restituio cominisso respectiva a memoria
ja ministro da fazenda, sem tomar era considera-
Cio, c tamb 'ni nao quz fazer-se cargo da lei rela-
tiva aos jurados. O general Cepeda tornou-se a
encarregar do governo de Yuetau. Nao honvo
m ilanr.t no ministerio, Yurio, e o Sr. Romero
suinwtleu ao congresso alguns projectos para es-
tablecer um novo systenw econmico. O general
Palacio apoderou-sc do Calliacan. O plagiario
Gutirrez foi apresentado perante o congresso para
ser julgado.
*Na costa de Sinal va esperava-se de Martinez.que
j saliio da California, Escoledo, Alatorre, Corona
e Parda achavam-se ainda na capital, celebrando
conferencias. Gutirrez, governador do Yucatn,
acciuou poranie o congresso o ex-governador Ce-
hallos, por haver assassiBado o inno daquelle.
AMAZONAS.
A assembla provincial votou uma nova sub-
vencao de 36:000a, para a companhia Fluvial do
Alto Amazonas, para eetabeleeer uma linha de na-
vegado entre Manos e Belm.
FaHeeera o negociante iniriez Roberto Me.
QAo.
PABA'.
Falleccu o antigo advogado Dr. Joao Baptista
Passos.
Achava-se no exercico de juiz de direito
interino da 1" vara crime da capital, o Dr. Abel
Greca, jniz municipal.
Cmecra a ser publicado um novo jornal,
sob o nome de Despertador, da redaccao do Sr.
Dr. Heraclio Vespasiano Fkick Romano.
'Nomo correspondente escreve-nos o ae-
g tinte:
flrftira em geral pouco ou nada tem occor-
ridOilaJaBortaate, aps a sabida do vapor Cru-
zeiri-41*9*1; continuaodo, porm, em estado
excepcional a comarca de Obidos, pelo que diz
raspnMo aos negocios judidarios.
Para alli tinha ido de ordem da presidencia, o
b.fa de-policia, aflio de aastatir aaessao do ju-
ry ; cBectivamente a presenca da Dr. Gervasio
Gampeflo Pires FerTeira, produzio bom resultado,
ftrqoe as sessCes tiveram lugar sn qne os seus
traWho? fjsem partubados. Ontima, porm,
PRESIDENCIA DO Sn. AUllUSTO DE SOUZA LEAO.
Ao nieio dia, feita a chamada, acham-se pre-
sentes os Srs. : Jansen de Castro, Silveira Lobo,
E. de Barros, Hisbello, Golumbano, F. Tavora,
Filisbino, Arminio Tavarts, Lopes Machado, Au-
gusto Leao, Goncalves da Silva, baro de Una, G.
Urummond, A. e Mello, Emigdio Marques, E. Pina,
Bacellar, Andr Cavalcante, Ermiro Coutinho,
Tiburliuo Nogueira, Amynthas, S. Pontual, M.
Amorim, Silva Ramos, Cicero, Soares Brando,
Ayres Gama e Araujo Beltro.
Arc-se a sesso e sao lidas e approvadas as ac-
tas das anteriores.
O Sr. 1. secretario d conta do seguinte. :
EXPEDIiNTE.
Um oficio do secretara) do governo, remetiendo
a iuformac,ao, dada pelo presidente da relacao so-
bre o projecto n. 28, deste anno.A" quem fez a
requesigao.
Uma peticao de Antonii Silveira Lins, pedindo
que se lhe conceda o afoiamento perpetuo do ter-
reno que aforou cmara municipal de Olinda.
A' commissao de negecio de cmaras.
Outra dos moradores da freguezia do Poco da
Panella, pedindo que a illuminacao gaz se es-
tlida at a povoacao de Apipucos.A'commissao
de obras publicas.
Sao lidos e approvados os seguintes pareceres :
A commissao de contituicao e poderes, apre-
ciando devidamente os motivos allegados pelo
Exm. presidente da provincia, para deixar de
sanecionar a resolucao d - 1 iian 1 de 1858, pela qual se manda prorogar por 3
annos o contrato feito pela thesouraria, com Hera-
clio Constantino de Paula Montoiro, e julgando
procedentes os mesmo* motivos; de parecer que
seja novamente submettido discussao o referido
projecto, na conformidid3 do art. la do acto addi-
cional.
Sala das commissoes, 29 de maio de 1869.
Carvalho Moma.Correa de Mello.
A commissao de eonstituicao e poderes, exa-
minando alternamente O* motivos de nao sanecao,
ofTerecidos pelo Exm. prssidente da provincia, con-
tra o projeclo de lei, que manda igualar os venci-
mentos do professor publico de instrueco prima-
ria da freguezia da Poco, aos dos professores da
capital; conformando-so com os mesmos motivos
por achai os voliosos e procedentes; de parecer
que seia o mesmo projecto, approvado por esla
assembl.. em 19 de maio de 1868, submettido a
discussao aflm de que, sobre elle se manifest no-
vamente a opinio desta assembla.
c Sala das commissoos, 29 de maio de 1869.
Carvalho Maura.Correa de Mello.
c A commissao de constituigao e poderes, exa-
minando com a de vida atenco os motivos a pre-
sentados pelo Exm. presidente da provincia, para
negar saneco ao pr'jecto de fci de 11 de maio de
1868, approvado por esta asaembla, pelo qual sao
aogmentados os vencimsntos de diversos empre-
e julgando inteiramenW atten-
pele ao Ia escripturario fazer na ausencia de 1.*;
de- parecer que a peticio do siipollcaate seja
deferida, autorisando-se o pagamento da graOO- |
cacao- pedida as disposicoes geaaee da lei do or-
cawento
* Sala das commissoes, 29 de maio d 1869.
Detmstkents Lobo. >
E' lido o julgado objecto de dehtieracaib e man-
dado imprimir o seguinte projecto:
A assembla legislativa provincial de Pernam-
buco, resalvo :
Artigo un co. As educandas quer do collegio das
orphas quer da casa dos ex pos tas habilitados ao
eosino primario podero ger adinitadaa no con-
curso para o magesterio independentes da apre-
sentacao de folha corrida c attestapies de seus p-
renles, como exigcm os artigos 15 e 17 da lei n.
379 de 1 'i de maio de i8o5, sendo taes d*f unan-
los substituidos por attesUcoes da jnnta^dmini<-
tratora da Santa Casa da Misericorilia: njpogadas
as disposicSes em contrario.
Sala das commissoes, 31 de maio do 1
par Drummond.Andr Cavalcanli.
Sao lidos e approvados as redaeces des
jectos ns. 19 e 3i deste anuo.
Lse, apoiade e approvado o segrate reque-
rimento.
t Bequeiro que se pega, com urgencia, pelos
canaes competentes, as seguintes mformae 1." Quaes os regulamentos boje em rigor na
thesouraria provincial, e na respectiva seerao do
contencioso, com declaraco da data em auc co-
mecaram ter neanaio.
t 2." Se esses regulamentos j foram approva-
dos por esla assembla; e uo caso negativo quo
sejam com toda a urgencia remetlidos, declaran-
do-se a razao porque ainda nao vieram at esta
data.Ayres Gama.
ORDEM DO DIA.
Contina a 3.* discussao do projecto n. 5 deste
anno, determinando quo nos estabelccimentos
cargo da Santa Casa s possam ser adisHidos
como empregados brasiteiros e brasileiras.
Encerrada a discussao, o Sr. Amaral e Mello re-
quer que a votacao seja nomidal, e assira se
vence.
Volam .1 favor do projecto os Srs.: Arminio
Tavares, Columbano, Epaminondas de Barro, ba-
rao do Una, Cicero, Felisbino, F. Tavora, Pina,
Amaral o Mello, Gonoalves da Silva, Miguel Amo-
nio. Lopes Machado olansen de C.stro; contra,
os Srs.: Andr Cavalcanti, Silveira Lobo, Emigdio
Marques, Ermiro Coutinbo, Amynthas, Soares
Brando, G. Drummund, Hisbello, Silva Ramos,
Bacellar e Samuel Pontual.
2* discussao do projtclo n. 61 deste anna, .ue
approva o conjrato celebrado pelo presidente da
provincia com a companhia Pornambucana.E'
approvado, e dispensado o intersticio a requeri-
mento il Sr. Amaral e Mello.
1* discussao do projecto n..6i, qne autoriaa o
governo a centraur a cooatroccao to oaei-ijoe
aero formar o canal da ru de Riachuelo.E' ap-
provado, e dispensado o iutersticio a requerimento
do Sr. Arminio Tavares.
Ia discussao do projecto n. 67 deste anno, ap-
provando diversos crditos supplementares ao or-
namento vigente.=E' approvado, e dispensado o
intersticio a requerimento do Sr. Arminio Ta-
vares.
1* discussao do'projeelo n. 72 deste anno, ele-
vando cathegoria de primeiro oscripturario o
official da seccao do contencioso da^lhesouraria
provincial.E approvado, o dispensado o intersti-
cio a requnrimento do Sr. F. Tavora.
3'discussao do projecto n. 40 deste auno; auto-
risando a governo a mandar auxiliar com a quan-
tia de 4:000 a Joaquim de Almeida Pinto, pira
publicar um diccionario botnico brasilciro.E'
approvado.
2" discussao do projecto n. 42 deste anno, man-
dando admittir no gymnasio provincial a Arthur
de Abreu e Lima, conio alumno gratuito.
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda :
c E bem assim a Cyrino de Araujo Cesar.
Bacellar.
E' approvado o projecto com a emenda, e dis-
pensado o intersticio a requerimento do Sr. Ba-
cellar :
3' discussao do projecto n. 31 deste anno, crean-
do collectorias provinciaes no Bonito cCaruar
E' approvado.
3' discussao do proiecto n. 52, ruvogando o art.
5o da resolucao n. 705 de 5 de junho de 1866.
O SR. AMYNTHAS justifica c manda mesa o
seguinte artigo additivo .
Accresccnte*se ao art. 2*que absorver a
repeito destes- a mesma escripturacao que tem
tido para os armazens e trapiches alfaodegados.
Carvalho Moura.
Encerrada a discussao, approvado o projecto
e bem assim o additivo.
1* discussao do projeclo n. 13 deste anno, au-
torisando o governo a contratar com Joaquim Lo-
pes Machado e Jovino B radeira a construccSo de
pocos instantneos.E' approvado, e dispensado o
intersticio a requerunenlo do Sr. Amaral e Mello.
1* discussao do projeclo n. 59. approvando o re-
gulamento dado para o llieatro de Santa Isabel.
E' approvado, e dispensado o intersticio a reque-
rimenlo do Sr. Arminio Tavares.
2" discussao do projecto n. 65 deste anno, resta-
belecendo o lugar de primeiro tabellio de notas
da eidade do Rio Formoso.
O SR. G. DRUMMOND faz algumas considera-
ijdes em opposi^ao ao projeclo, comprometindo-
se a apresentar em 3* discussao documentos que
provem a nao conveniencia do projecto.
Encorrada a discussao, o projecto approvado,
e dispensado o intersticio a requerimento do Sr.
Amaral o Mello.
O SR. G. DRUMMOND pede se declare na acta
qiw vota contra o projecto.
3' discussao do projeclo n. 29 deste aano, man-
dando rescindir o contrato feito por Francisco de
Pinho Borges para a reconstrurcao da ponte de
Jaboalao.E' approvado.
! discussao do projecl? n. 59 deste anno, auto-
risando o privilegio a Adriano Xavier Pereira de
Bi'ito, para o estabelecimento de uma casa de ba-
ldos salfados nesta cidade.E' approvado, e dis-
pensado o intersticio a requerimento dmr. Ermi-
ro Coutinho.
1* discussao do projecto n. 58 deste anno, con-
cedendo um aano de brenca com vencimenios, ao
Dr. Luciano Xavier de Moraes Sarment Filho, ci-
rurgiao do hospital Pedro II.E' approvado, e dis-
Gensado o intersticio a requerimento da Sr. Silva
amos.
1* discussao do projecto n. 56 deste anno, ute-
nsando o goveruo a mandar adiantar ao eapitao
do corpo de polica Luir, de Franca Mello Jnior,1
seis mezes de seus vencimentos, para serem des-
contados pola 5* parte.
O 8B. G. DRUMMOND pede explicaoSes sobre'a
4:000l0
4:00OO0O
1:000*000
6:*M000
1:1 Mi.11 1
l:000fi000
1:000*000
33:000*000
844*000
53:0004000
7:000000
5:174*000
1:836*080
E' approvado.
Art. .88. Recolhinientos :
- 5 I.* De Otada..............
i 2. Do iKsarass...........
I 3. De (juyamta..........
Vai mesa o apoiavse a seguinte emciada :
Ao arL 28 $ 3", accrescente;se-maii 1:000*,
sendo 5003 para as obras da igreja de Moa Se-
nhora da Soledade em Goyanna, e 500* para as
alfaias de que neeessita a mesma igreja.Goncal-
ves da Silva.
Encerrada a discussao, approvado artigo
com a emenda.
Art. 29. Collegio de Papacaca..
E' approvado.
Art. 30. Hospital da Misericor-
dia de Goyanna..................
E' aoprovado.
Art. 3-1. Casas de beneficencia :
% l.'De Grvala.............
2." Do Bezerros............
E' approvado.
Art. 32. Coadjutores..........
E' approvado.
< Art. 33. Religiosos cpuclnhos
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda :
Ao art. 33. Em lugar de 866*. diga-se<.....
1 200*000G. Drummond.
Encerrada a discussao, approvado o artigo
com a emenda.
Art. 34. Thesouraria provincial :
|-l> Empregados, inclusive as
gratiticaeoes ao 3oescripturario aihli-
10, o ao continuo pelo servico cs-
tranhos suas funceoes.....*.____
2.' Seis por ceuto da co-
branea judicial...................
3." Baapesas judiciaes, in-
clusive as gratideaedes ao desem-
bargador procurador da cora c
ao solicitador da fazenda..........
% 4." Expediento e a-scio da
casa.......'.....................
a $ 5." Gratiticaee.s do servente
e do carteiro.....'............... 1:500*000
Vai mesa e apoia-se a scuoete emenda :
Ao s 2 do art. 14. Em vez de 6 diga-so10
por cento.Ayres Gama. Soares Brando.Lopes
Hachado. >
Encerrada -a discussao, approvado o artigo
com a emenda.
Art 35. Consulado provincial :
1." Empregados, sendo a por-
ecnUigem de 3 e 3/5, c sondo os ven-
cimentos do continuo iguaes ao da
tnesouraria...................... S8:it00*000
8 2 Expediente easseio da casa 1:676000
I 3. ttratifleacao dos serventes 1:200*000
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda :
t Ao art. 35 % 1.Km lez Je 3 3/5 diga-se
4 "/-Silva Hamos.
-' Depois de algumas eonridr*jDes dos Sr*. Silva
Ramoso Ayres Gama, approvado o arl. com a
emenda.
Arta a*-Collectoras e agencias :
t S 1 Promotores fiscaes........ 6:732*000
2o Collectores, com as memas
poreentagens do exerccio anterior..
3" Escrivaes dos ditos na jnes-
nia conlormidade.................
4o Agente do fumo, tabaco.
ole. dem........................
t $ o" Dito de lquidos espirituosos
e vinagre, idem..................
.6g Agentes desta provincia uas
cidades de.Macei, Paralivha, Penedo
e Maiiianguape,nos termo's do S 6" do
arl. 35 da lei n. 852...............
E' approvado.
f Art. 37. Aiuguei de barreina...
E approvado.
t Art. 38. Aposentados..........
E* approvado.
Art. 39. Jubilados............ 20:349*988
E' approvado.
Art. 40. Exercicios findos segun-
do o quadro annexo.............. ?
Vo a mesa e apoiam-se as segralos emendas
que o seu autor justifica:
Ao art. 40. Na tabella de exercicios findos aceres-
cente-se 201*300, que se deven) praca do corpo
de polica destacada no sul do Imperio Sebastiao
de S ion Ribeiro.Souza Runos. *
Ao art. 40 Exercicios lindos 146:346*831.
Ayres Gama.Soares Brandio.Lopes Machado.
Encerrada a discussao, o art. ppnvado com
as emendas.
c Art. 41. Publicacao e mprejsao
dos trabalhos das reparlicoes pro
ciaes.inclusive 2:0003MH) a ftaaeis-
co Pacifico do Amaral para cdBfec
ci e publicacao do almanak da pro-
vincia, devendo fornecer os exenta-
res precisos todas as reparlicoes
publicas provinciaes; assim como o
pagamento das prestacoes semestraes
pela conlecco da estatistica da pro-
vincia.... VVT.................... 16:929j(X)0
Vo mesa e sao apoiados os seguintes emen-
das :
1:!:852*000
8:798*000
3:494*000
0:283*000
4:000 000
216*000
30:475*707
cado pblicos,
diveis e procedentes taes motivos; de parecer | conveniencia do projeetix
que esla assembla os icceite, sendo novamente
submettido a discussao o referido projecto nao
anecionado.
t Sala das comraiss8es, 8*de maio de 1869.
Carvalho Moura.Confa de Mello.
L-se e flea adiado, |r pedir a palavra o flr.
Lopes Machado, o seguinte parecer :
A commissao de [etices, tendo em vista as,
mformaedes que psr esta casa feram pedidas
-tleaovaria provincial, e sendo lia avoraveis ao-
peemiario Bernardo Caraetro Montoiro da Silva
Santoa, t escripturario da 3 seceao da mesma
reparliQo, o qual, segundo diz o ottador e pro
arador fiscal e inspector, tem deeempanhado com
zelo, iutelgwtcia easeiluidadeo servico que cera-, preaos pobres..
Depois de algumas consideracoes do Sr. Silva
Ramos e SHveira Lobo, o projecto approvado e
dispensado o intersticio a requerimento do Sri>Ba-
eellar
Cooiina a 2' discussao do orea ment pro-
vincial.
Arl. 25. Auxilio Santa Casa da
Mieericasdia do Recife, sendo 3fl00
para o-eeltogio dos orpbaos....... feO.OOMOiO
E'Approvado.
a Art. 26. Asylo de Mendicidade,
nestermoflale n. 832........... 48.007*000
E' i#B|t*ao-
. Art. 27. SaMenlo t< curativo dos
Ao art. 41.Para compra e comeco das impres-
ses das obras do coramendador Antonio Joaquim
de Mello.-de que trata a lei n. 831 do 22 de maio
de 1868, 0:000*000.Amaral e Mello. Felitbmo.
- F. Tavora. Cicero.Carvalho Moura.Eduar-
do Pina.Mergulho.Pontual.Lopes Machado.
Jansen de Castro.
t Ao artigo 41 augmeBte-secom os contraclus
celebrados com 03 Drs Francisco dn Paula Sales
e Joaquim Pires Machado Porlella 8:0005000
Amaral e Mello.
1 Ao art. 41 accresceute-se-4:000^000 para a
publicacao do diccionario botnico brasileiro de
Joaquim de Almeida Pinto.Silva Ramos.
Accressente-se ao art. 41e mais 5:000.5000
para a publicacao das obras d3 Fr. Joaquim do
Amor Divino Caneca, inclusive o pagamento de
quem colleccionat taes obras e se encarregar
da biograpbia.G. Drummond.
Encerrada a discussao, o art. art. approvado
com as emendas : ___
. Art. 42. Restituicoes.......... 3:264*000
E' approvado.
Art 43. Eventuaes........... 10:000*000
E' approvado.
Art. 44. Para effectuar a despeza fixada no
titulo Io desta lei determinan! o presidente da
provincia ? arrecadaco da renda, de conformida-
de com os paragraphos seguintes :
1 !. 90 rs. por arroba de assucar expor-
tado.
J*
idem,
3.
a 8 4:
5.
resiituiodo-se o imposto se o genero for reexpor-
tad
% 12. 20 rs. por caada de vinagre nao fabri-
cado M provincia*.
S 13. 20 / da agurdente consumida na
provincia, cobrados por adininirtraeao na cidade
do Recite.
14. 2*500 por caneca de gado vaceum con-
sumid o na provincia, com exeepeao dos criadores
as comarcas do Bonito, Canuard, Garanhuns,
Brejo, Flores, Tacaral, Cabrob- e Boa-Vista ;
sendo posm de 1*900 esse imposto na villa de
Pedras de Fogo.
15. Dizimo de gado vacentn as referidas
comarcas.
16. Dcima dos predios urbanos no termo
do S 18 do art. 13 da lei n. 852.
17. 20*000 por venda de escravo, excep-
tnando-se os menores de 5 anno que forem ven-
didos com as proprias maes, devedo porm pa-
g3r-se dous por cento do respectivo valor quando
a venda for do parte de um escravo.
$ 18. 10 o/ do sello de heranra, legados e
doacoes de qualuuer especie, na forma do art. 42
13 da lei n. 544.
19. 5 % dos premios da lotera n*iores de
400000.
I 20. 10 % de novos e velhos direitos pela no-
mea cao, a posentador! a ou jnbilacao dos emprega-
dos provinciaes.
$ 21. 4 /ft sobre a renda das cusas em que
se acliarem estabelecimentos commerciaes lora da
capital, assim como as typograpbias, cocheiras e
caraUaricaa de aluguel, boiequin, rasa de pasto,
holeis e' fabricas era toda a provincia; exceptua-
das porm qs ruraes.
22. 8% sobre a ronda das casas em que se
acliarem consultorios, escriplorios e car torios, in-
clusive os dos soUitadores de causas,sendo a impo-
sico lancada sobre a quarta parte da renda
da casa quando fizer parte da residencia do con-
tribuinte.
23. 20 % obre a renda das casas em qne
se acharem estabelecimentos de commercio em
grosso e a retaluo, armazem de rocolher, de de-
psitos, de algodao e preusas, e trapiches, e fican-
do isentos os que nao tiverom caixeiros estrangei-
ros.
24. 25*000 por casa de modas de qualquer
especie.
25. 30*000 por casa que tiver um s bilhar,
e 20*000 por cada bilhar mais.
t 26. 100*000 por casa de joia que vender
roupa, sellins ou obras de marcenara, feilas em
paz i'strangeiro.
27. 400*000 por casa deoperacoes bancadas,
companhia anonvma e agencias.
28. 200*000 por casa de cambio e de pe-
nhoro. ....
% 29. 100*000 sobre cada tgftctor commer-
Cial, agente de lelao e casa de tcnit^H, venda ou
qualquer transaccao sobre escravos.
i :10. 503000 por cada corrector ou inculca-
dor de escravo.
31. 1 % de cada leilo, pago pelo compra-
dor ; exceptuando os-judiciaes.
$ 32. 30*000 por cada escravo empregado no
servico das alvarengas e canoas abertas.
33. 1*000 por tonelada das alvarengas e
caunas abertas empreadas so trafego da carga e
descarga.
34. BJ por cada escravo na cidade do Re-
cife, exceptuados os empregados no servico domes-
tico e fabricas.
t 35. 16* por carro particular de 4 rodas e
10a por dito de 2 rodas.
i 36. 40* por carro de aluguel nos termos
do art. 45 35 da lei n. 751.
37. 254000 por cada mnibus e carro f-
nebre.
38. GiOOO por carrogas e vehculos nao
comprehendidos no g 36 ; exceptuados os que fo-
rem empregados no campo em 11 abalhos de cul-
tura.
8 39. IOS por cavallo de aluguel.
40. 5 % sobre a venda do capim na cidade
do Recife.
8 41. 10 / sobre a venda de clcheles nao
fabricados na provincia.
42. 2:000* por cada joslheiro ou caixeiro
do mesmo que mascatear na+rovincia ; exceptua-
dos porm os que se acharem estab lecidos mais
de 6 annos na provincia, os quaes pagarao 200
por cada caixeiro ou pessoas quo empregarem era
mascatear.
t 43. Matricula da Escola Normal.
I 44. Pedagio das pontos e estradas.
g 45. Rens do evento.
I 46. Emolumentos e apprehensoes da po-
lica. ,
47. Ditos da thesouraria provincial.
t i 48. Multas por infracces.
c f 49. Restituicoes e reposicoes.
50. Producto da venda e renda de gneros,
utencilios, e proprios provinciaes.
8 51. Divida activa-.
t 8 52. Metade da divida anterior s de julho de
1836. J .
t 53. Producto dos impostes creados pelas leis
ns. 350 e 596 do art. 57.
54. Saldo do exercicio anterior.
55. 5 % sobre a renda dos bens de raz
pertencentes s eorpora?des de mo niorta, com
exeepeao dos que mantera estabelecimentos pos.
56. Producto das loteras do Gymnasio o
theatro de Santa Isabel.
8 57. Saldo dos premios de loteras proscriptos
nos termos do art. 39 da lei n. 473. _
. 58. distas arrecadadas pelo juizo dos teitos
da fazenda. .-
t 59. Juros do 9 % pela radevida retencao
das rendas. ....". j
8 60. Producto do imposto addicional creado
pela le n. 777 para o asylo de mendicidade.,
Vao mesa e sao apoiadas as seguintes emen-
das :
20 rs. por caada de agnardenlSValcool
4OiO0O*O8O
5 % do algodao idem.
7 %-do me! de furo idem.
700 rs. por cada couro ve/rde; 750 rs.
oreada couro salgado, e 800 rs. por cada eouro
seceo ou espichado idem.
I 6." 5 % dos demais gneros exportados, ex-
ceptuados os gneros para o gasto do navio o ali-
mento dos passageiros a trpolacao.
1 7. 25*000 por cada escravo exportado,
guardada a dtopesicar, do art 41 da hi n. 431.
B.'-lOft ra-pot.'libra de tabaco fabricado, e
600 rs. por libra d* nao fabricado.
I 9.*-a*D0Q por milbeiro de charutos e 500
rs. por dito d% cigarros.
t 8 rO. 100 rs. por arroba de sano.
< 11. 8f* u. por canadaHc genebi-a e licores, e
50.18. por aada de oulras bebidas ospiriluosas,
Ao 42 accrescente-se :por cada joalheiro
estrangero.Amaral e Mello.Bacellar.
Ao 30 supprimam-se as palavrasou incul-
cador.Atnaral e Mello. .
Ao I9suppriroa-se 500 rs. por roilheiro
de eigarros.Amaral e Mello.
Ao 26 diga-se400* por casa ou toja que
vender roupa feita, sellins, obras de marceneria
feilas em jwiz estrangeiraAmaral e Mello.
i addiUvo ao art. 44.I*fi00 por oilava de
ouro exportodo em obras velhas ; 100 rs. por dita
de prata Idem, idem ; 120 rs. por libra da cobre,
idem, idem ; 100 rs. por dita de bronze e latao,
idem, idem ; 80 rs. por dita de chumbo, dem,
,}em.Agres Gama. Soares Brando. Lopes
Machado.
Ao art. 44 accrescenw-se :- WOOO por cada
bote, saveiro, calraia ou bsleeira, empregados no
porte desta cidade.Soares Brando.Ayres oa-
ma.Ltpes Machado. ., .
t Ao g 23.Fabricas deape nesto cidade.L.
Machado. lOA.nnn
t Ao art. 44 eeeus accrcscente-se10O*uuo
por cada estrangeiro ^ue mascatear na provincia
com fazenda*, miudezas, qoinnuilbanas e outros
gneros seraelliaotes.Miguel Amorm.
., Ao 24 dia*se^3Q* por casa de modas de
qualquer especia.^Amoral e Mtllo.
Ao 8 30 accrescente-se-60*000 de mulu aos
labelliaoa ou.escrivae que pasjMtem eseripluras
de compra ou venda de escravo sem bhete m
corrector, salvo se a vendapor Jeito peto propne.
tarip.L Hachado. .
Encerrada a-disciusao, sao regeitadas as emen-
das de ns. 1 a 4, e approvado o arg eom as de-
mais. ?
Verificando-se nao haver numero, 8r. presi-
dente designa a ordem do dia, e levanta a sessao.
SESSO ORDINARIA EM i DEJfNHO.
PBKSIMWIA DO S *UCl'ST0 LE.O.
Ao meio dia, feita a chamada, reham-se pw-
swles os Srs. Mergulho, Amaral e MeH, Samuel
Pontual, Jansen de Castro, Lopes Machado, Armi-
o Tavares, Ferisbino, Goncalves da-Sifva\ E. de
Barros, Augusto Leo, Araujo Beltro, Gaspar
Draromon.J, HisbeUo, M. Amorim, Titartino {to-
gueira, llego Barros, E. Pina, F. Tavora, Ayres
(.ama, E. Oqulraho, Amyuas, Emvgdk) Marques,
Mlveira Lobo, Andr Cavalcanti, Cicero.
Abae-se a seasao e I ida e asprovada a acta da
anteior.
O Sr. 1 Sscbetaw) d conu do seguinte
HED KM'R
Lm peticao de Manoel Pohcarpo Mbreira de
Azevedo,propondo-se abrir e cantusar o rm
OoyamiaiA" coramksao do obras publica-.
Outra de Amaro Jos do Amara!,, pedindo qui-
se mande admittir no Gymna-io Pernambucane a
seu filno monnr Cbrispim Xavier do Amaral.-^A'
commissao de pet$6es>
Outra de Leoncia de Luna Freir, professora pu-
blica dn povoacao de Nossa Scnhora do O? de
Ipojuca, pedindo que se auUnse a sua remocao
para uma das cadenas que so ten de crear nesto;
cidade.A' commissao de instrueco publica.
L-se e apiiiado o seguinte parecer :
A commissrt de fazenda orcamento, para
dar seu parecer cerca da petigo do coronel Joa-
quim Cavalcanti de Albuqucrque, como procura-
dor de seu filho Dr. Joao Cavalcanti de Albuqucr-
que, na qual pede que esta assembla lhe man-
de pagar o ijue lhe deve a thesouraria provincial,
das prestacoes que lhe deixou de pagar, relativas -
obras da construccao da estrada do norte, de qne
foi aqnelle bacharel contratante ; e mais os jaro-
provenientes da mora, em que-a mesma thesoura-
ria se acha para com o mesmo contratante, requer
que, petos canaes competentes, seja onvfdo, com
urgencia, o inspector da thesouraria provincial.
Sala das commissoes, 31 de maio de 1869.-'
Soares Bmndao.Loj>es Atochado.Aym Gama.
Julga-se objeclo de deliberara e mandad.
imprimir o seguinte projecto :
A commissao de petiojSes, attendendo qne a
esta assembla dirigi a mandado de Nossa Se-
nhora da Penha da freguezia de Gamelleira, aqual
quer que esta casa lhe conceda duas loteras ara-
bas de 60:000, para factura de um ceinitcrio ;
attendendo ser o pedido justo em relacao ao Orn
que tem em vista a mesma irmandade ; de pare-
cer que se adopte o seguinte projecto de lei :
Art. nico. Fieam concedidas duas loteras de
60:000* cada uma, para com o resultado das mes-
mas ser feito o ceinitcrio de Gamelleira.
Sala das commissoes, 31 de maio de 1869.
Andr Cavalcanti.Cicero Peregrino.
ORDEM DO DI.l.
Terceira discussao do projecto n. 62 deste anno,
que approva o contrato feito com o governo com a
companhia Pernambucana.E' approvado.
2* discussao do projecto n. 64 deste anno, au-
torisando o governo a contratar com Vicente
Ferreirada Costa, ou outro que memore condic-
eoes ofbrecer, a construccao do caes "do canal da
ra de Riachuelo. approvndo.e dispensado da
mpresso requerimento do Sr. Arminio Ta-
vares.
3* discussao do projecto n. 34 de.-te anno, au-
torsando a despeza de tres con tos de ris com a
publicacao da biograpbia e obras do tinado Fr.
Joaquim do Amor Divino Caneca.
O SB. G. DRUMMOND justifica e manda a me-
sa a seguinte emenda :
Era lugar detres contos de risdiga-so
cinco contos de ris.6. Diummond.
Encerrada a discussao approvado o projecto
com a emenda.
3" discussao do projeclo n. 21 deste anno, au-
torisando o governo a contratar com Justino Jos
de Souza Campos, ou com quem medrares vauta-
gens offereccr o forneciineiilo d'agua potavel ci-
dade de Olinda.E' approvado.
3" discussao do projecto n. 13 deste anno, au-
lorisando o governo a contratar com Joaquim Lo-
pes Machado c Jovino Bandcira, ou outros que
medrares condccoas offerecam o estabelecimen-
to de pQos instantneos.E' approvado.
Ia dise^sao do projecto n. 20 deste anno, au-
torsando a contratar com Andr de Abreu Porto
c outro, oestabelecimentude trilhosurbanosno pe-
riraelro desta cidade.E' approvado e dispensado
o intersticio a requerimento dn Sr. Ayres Gama.
1* discussao do projecto n. 42 deste anno, auto-
rsando o governo a conceder a Antonio Marques
da Silva, o abate da quinta parte do preco |H>rque
arrematou o imposto de 100 ris por carga dema-
rraba.E' approvado e dispensado o intersticio a
requerimento-do Sr. Lopes Machado.
2a discussao do proiecto deste anno, abrindo
diversos crditos supplementares ao orcamento
vigente.E' approvado e dispensado o interstii*io
a requerimento do Sr. Arminio Tavares.
3* discussao do projecto n. 47 deste anno, man-
dando admiltir no gymnasio provincial, como
alumno gratuito a Artqur de Abreu e Lima, c
Cyrineu de Araujo Cesar.
Vai mesa e apoiada a seguinte emenda :
E tambera o menor Antonia Francisco Cor-
deiro Netto, filho de Ludgero Lucio da Silva.
Mergulho.Felisbino.
Igual favor ao menor Chryspra Xavier do
Amaral.F. Tavora.
O SR. G. DRUMMOND pede explicacoes sobre o
projecto e emendas.
O SB. FELISBINO:Sr. presidente, como antes
de uma das emendas apresentadas boje, tenho de
jusliflca-la, segundo o pedid do nobre depu-
tado.
Parece-se que nao serei ohrigado a satisfazer o
nobre deputado, quanto a segunda parte de sua
exigencia, isto quanto a propr que o pretun-
dente de talento transcedonle e como tal aceres-
ce este favor,
Um Sr. Dkputado : De talentos transcodentes
sao poucos.
O Su. Felisbino :Uma creanea, na idade que
o regulamento exige para ser admittida no gymna-
sio, nao est no caso de mostrar esse talento
Vanscedente, apenas se lhe pode conhecer apti-
do para o eslude.
O menor a que rae reiro na emenda, filho do
cidadao Rogerio Mergulho, do Brejo da Madre
de Deus ; este hornera um cidadao probo e moi-
lo eonhecido, tem prestado relevantes servicos a
localidado em que resido, por consequencia pro-
vincia, e esto em cotydicoes de nao poder educar
esse menino, qu esta boje nesta cidade a expen-
sas de um amigo, que tambera nao est em con-
dicees de continuar cora essa despea, est fre-
quentande, creiu, que a escolla pratica annexa a
normal o tem mostrado aptdo para o estado.
Entendo, pois, que esto no caso de gosar do mes-
mo favor.
Um Sb. Deputado :Tem a idade ?
O Sn. FeuseiNo : E' menor de doae aniMB,
talvez.
Creio que assim terei saliseito ao nobre aepu-
tado. ,
Encerrada a Ajcussao approvado o projicto,
bem como os additvos.
1* discussao aonretocton. 71, deste anno, que
transiere a abertura da assembla paja o 1 aa
^


2 838! 30 QHH 3 31 H\J\ UTRAUf^"10 Pernambuco Quarta fcira 6 de Junho de 1869.
V 1Y nMMll
-
A'f $W?**U"
setembro.E' approvarlo e dispensado do iutei'sU-
cioa requiirimento do Sr. AmyniMP'"**'
2* disc.>.-! j da projecto n. 71 deste anno, ele-
vando a mthob'oria do Ia escriturario o ofllcial
da scele 4o contencioso da thesourari provin-
cial.fe' apucevado.
1* di,MU*Mbdo projecto n. 41 deste anno, auto-
rizando a etmstruccao de urna estrada quo par-
lindo da do sil se dirija ao povoado de Nazarelh
do Cabo.E' approvado,
1* discussao do proj.-cto n 'i9 este uno, snp-
primindo os lugares- de eirurgiles o advocados
de todas f>-J^^0> mmieipa^s da provincia,
com expewia^BirapUl..' approvado.
3" dwwc rojecto n. 36 deste anno, pie
concede licene reversos profcssore e empre-
gados.
Vai a mesa e apoiada o segante aditivo :
. Seis mezes de .i^a cm vcneimentuB a
Jos MuniW- .iuinraesf prot'qssor puWi-
co da povoteao do Capto, no Brejo da Madre de
Oeus, para tratar de sua sade ndqjhe convier-.
Fehsbine. ,
Encerrada a discussao o projecto approvado
oin o addilivo. ...
2* discussao do projecto n. 48, que cstabelece
-a poreentngom qte dcvem perceber os omprega-;
dos do juizo dos feils da ntcnda provincial.E
approvado.
2* discussao do projecti w. 57, que ap pro va o
regnlamento dldo pelo govonio para o tUeatro de
Santa Isabel.E' approvado.
2' discussao do projecto n. 36, que mana
adiantar seis ineres de veacimentos ao capitn Jo
-corpe- de wdieia provisorio Luiz de Franca Lima
Tumor.E' approvado. *
2'discussao do projecto n. 28, que rea mais
uin lugar do cscmao no tribuual da relacao desta
provincia. i c r
Depois do algumas eonsideracues dos sr*. u.
Druinmond e L Machado, contra o projecto e li-
burlino Nogueira eiu saa susteuiacao, e o mesan
posto a votos e approvado, seudo dispensado o
intersticio a requcriniento do mcsmo t>r. liiiuru-
no, tendo sido rogeitado o requerimento en que o
Sr Druinmond pedia que fo-se n_ projecto re-
nwttido as eomoifssSes do legislarlo e eonsti-
"contina a 2' discussao do ornamento provin-
cial ; .. r
. Art. 45. Continuara era vigor as disppsicues
do art. 43 da le n. 514, 48 c 66 da de n o9f, 49
4a de a. 635, 8 8, 9 e 25 e art. 49 da de n.
734 e dos arts. 46, 48 c 31 da de n. 832. E
approvodo. .
Art. 46. O presidente mandara pagar o que
a Santa Casa ainda dever Manoel Antoiuj de
Jess. .
Vai mesa e apoii-se a segrate emcn la .
Ao art. 46. Depois das palavrasmandara pa-
garaccresccnte-so : desde ji a quantia de.....
13-363J27'/ pelos corres da thesourana provincial,
Jue a Santa Casa deve de pao Manoel Antonio
e Jess.Lopes Machado.
O S. amaral b Mello :-Sr. presidente, de-
scio votar .-clarado sobre a disposicao do art.
46, que diz :-o presidente da provincia mandara
pagar o que a Santa Casa ainda dever a Manoel
Antonio de Jess.
Quero ouvir al gaos dos distmctos memoras da
commissao acerca da seguirte duvida : o presi-
dente deve mandar pagar edn quantia que nao
seja a que j est consignada no auxilio concedi-
do a Santa Casa no art. 25 f
O Sn. Lopes Machado : A emenda o djz.
O Sr. Amaral e Mello :Esclarecido por a -
gura dos membros da commissao a respeito, vol-
tarei a dar o motivo porque neg o meu voto ao
" SR. LOPESMACHADO:Sr.presidente,ajuii-
tada Santa Casa no seu rclatorio ao presidente da
provincia e este no que leu a esta assemblea pe-
den que continuo a subven?*) aos estabeleei-
mentos a cargo da Sania Casa para, que elles
possam subsistir. Esta subvencao foi aceita poja
caminissao, porque, se nao fosse votada, cntao
seria preciso diminuir o numero dos enfermos,
segundo declara a Santa Casa era seu relalorio,
o nao seria muito carldoso que fechassemos as
portas do hospital aos enfermos por falta de meios
para sua subsistencia. Por isto a coininissao en-
tenleu dever conservar a subvencao do quarenla
contos j votada ; mas a commissao vendo que
esta casa liavia approvado din parecer l'avoravel
mandando pagar o que deve a Santa Casa a Ma-
noel \ntonio de Jess por foruecimeuto de pao, e
vendo ao mesan tempo que o pagamento dessa
divida pela verba volada para auxilio dos estabe- i
leeiraentoa la esfaicar essa varta destinada para |a(.3o e passageiros,
o sostente dos pobres, vendo ainda que aquella
divida lem de ser augmentada com o pagamento
dos oros que vai vencendo, ontendeu dever
manda-la pagar pelos cofres da thesooraria |Wi)-
vinci ti. A Santa Casa roconheceu a divida, nem
pedia dcixar de a reconhecer, declarou ao pre-i-
dente da provincia i|ue nao podia pagar, preci-
so pagar essa divida contrahida para alimeotaeao
dos pobres ; c assim, para qu>< estes mb soflram,
que a commissao entendeu dever mandar pagar
pelos cofres prvinciaes.
O Sn. Am.vkal e Mello :Emquanto monta a
divida? ,,
O Sr. Lopes Machado :A divida sommava 19
cornos, desses tera a Santa Casa pago seis, de
forma que a divida no tira do anno passado era
de 13 contos e tantos.
O Sn. Amaral e Mello :Vera a sor 63 contos
que damos I
O Sn. Lopes Machado :Se limitarmos o auxi-
lio que se d para sustentado d'aquella gente
que precisa da caridade publica, ontao essa can-
dado nao pode deixar do ser diminuida o o que
nao deveraos querer. Eu quando tive de hilar
contra as despezas que se faziara com as iradas
de caridade e outras que nao tein utilidade publi-
ca, dase que achava extraordinario que a Santa
Casa, recebando subvencoes, nao podesse pagar
aquillo quo comprou para consummo dos estabe-
leciraentos, mas depois que esta casa entendeu
cm sua sabedoria cortar por cssas despezas su-
perHiias com irmaas de caridade e padres Laz-
rtelas, preciso liquidamos o hospital para que
volte a aquillo que era. E como liquidar ? Man-
dando pagar aquillo que se deve, e nao podemos
mandar pagar pela subvencao votada, porque es-
ta lem uin lira especial. K preciso que a Santa
Casa pague o que deve, e essa divida sagrada
que e de pao fnnecido, aiui de que depois cha-
memos estes estabelec'unentos ordem antiga.
Eis a raso que Uve para apresontar a emenda.
Vai a mesa e apoia-se a segninte emenda:
. Accrescente-sc pela verba do art. 25. fUtt-
bino. ~ ,
Encerrada a discussao approvada a emenda
substitutiva do Sr. Lopes Machado e regeitada a
do Sr. Feiisbino. .
Art. 47. O presidente da provincia mandara
desde j pagar os voncimentos que tiverem di-
roito as prol'essoras publicas do Tigipi e encruzi-
lhada do Rosarinho dosde as datas do respectivo
ejercicio ou posse.
Httnar-ieha).
I un
guagem babitualmenie moderada e discreta (\ tfartins, da Costa. Appaanl),
lite oonbecida. | rYeitas UezArra; ajjpellaila, a justica.
AntonST-Ufl
REVKJTA DIAKIA.
ASSEMBLfiA PROVINCIAL.Na sessao dehpn-
tera ouviu ao Sr. Afraral e'Meflo na jusiificaclWP
um requerimento pa *a (|ue se incerre na acta nm
voto de censura ao (jaeiiic & 1&4 Jalho, p '"
violencias e apuso* par .'lie praii.-ados na que
.ios negocios
FaUou contra o requarinaonto o Sr. Cuspar
Drammond, que ped'o pafa que a votteo pete
nooanl, rallando tambemHoiltra o requer innM o
Sr. va Ramos, pa dfenecessidade de ^eme-
llmnte requerimento
t'otarain favor a reinieriniento lados is Srs.
ilejuitailos presentes, a exeepcSo dos Sr-*. (iaspar,
Hbello e Rai
- Approvou mais era requerimonto do Sr. Ermiro
Contrallo para que ( noino nina commissao de
cidadaos residentes na corte aflnide ujauif5*?ere/
( ecntro liberal pelo programma por elle apresen-
lado ao paiz.
A' requerimento do Sr. Amaral foi a votacao
nominal, votarte a faror todos os senhores pre-
sentes a excepcio do Sr. Gaspar Drumuiond.
Para conipr" esta commissao forain nouieados
os Srs. conselhciros Saraiva, Silveira Lobo, sona-
dor Pompiio, e rs. Saldaiiha Mariuho c Luiz Fe-
lippe. .
Foi tambem approvado outro requerimento do
Sr. Gaspar Brummond, para que se metta a pre-
sidencia copia da acia em que se aca a declara-
do feita petos Srs. Araujo Bltrao e Lopes Ma-
chi.do, en que eonce.lem a liburdade do ventre as
suas escravas, alira de que se d scienciado tal
facto aos juizes de orpbiios das respectivas locali-
dades. O requerimento ficou%diado pela hora do
expediente.
Approvou em 2 discussao o projecto n. 83
deste anno que autorsa o govemo a conceder um
anuo de hcenga co.n vencimentos ao professor de
historia natural do Gyronasio Felrppe Mena Calla-
do da Foneeea, co:n urna emenda para que se
conceda 8 metes de lieenca a Victoriano Palhares
erapregado na secretaria da instiucco publica.
Fallou contra a emenda o Sr. G. Druninnrade a
favor o Sr. Silva Ramos, sendo o projecto appro-
vado e regeitada a emenda, dispensado o intersti-
cio requerimento to Sr. Puntual.
Entrando em 3.1 (UseostSo o projecto de fixacao
da brea polieial, firam-llie olerecidas algumas
emendas.
0ccuparam-se da materia do projecto os Srs.
Reg Baww, Soares Brando, Arainthas, Gaspar
Drumraond, e foi o projecto approvado com urna
I-emenda conservando a aetual organisacao ele-
vando o numero de oracas 500.
A ordera do dia para a sessao de boje a 3.a
discuso do projecto n. 85 deste auno.
Achando-se votadas todas as leis annuas,
encerrar se bao hrjo, definitivamente, os traba-
A iiscussao correu pir veles anim
sempr. -a de partea parte.
ESMDLA^-O Exm. Sr. barao de L'tinga acaba
fie eopeurrer com a quantia de 504030, para *s
*ras da tgwja wRosario, da freguezia da Boa
vista.
CLUB RAdNCAL.-H^e
vera sessa#W salJBdo ]b Y
Para essa rema s;l i convidaooe t
por ter da sef tratada qoesto iMjportanle.
MAClilO' Chegon lioniem desse porto o vapor
Jf>/'(i *#BpMw nsjoraaes, que mereea menco.
LOTEIA. V flue se >cha a ven a 110.", a
beneoie>ta niataiz de fi. Loureato da Matia, que
c*ure aod;;i 19.
PROCLAMAS.Foram lidos na matriz da fregue-
zia de Santo Aitouio no dia 13 do corrente mez os
segmntes nreclamasir ^ r
4." Ilenuneiarao.
Fimono Mariano da Silva, com Mara Magdalena
do Espirito-Santo.
Antonio Jos Gomes Jnior, -com Theodolina de
Barros e Silva.
Manoel Barbosa Alvares Ferreira, eom Ameba
Augusta Pereira Pinto.
Joaqun) Xavier dos Santos, cora Mara Joaqui
na do Espirito-Santo
ojI
Appellante,
Reinaldo
t
deserabargador Sorna LfijijavSr. desetn-
bargaiior Froitas Henriques. Ap|icIlaeao cridie:
pellante, o juiza; appellado',- Lourenco, es
avo.
bargai
Gilirai
julio; appellad'if^Fe'dro Gomes
ao Ohvora; appollada, a jus-
'i'dai'^i'i'i u aa ir.
\ apellad i erirae: ap
Val a mesa e apoiam-se as seguimos emendas :
Substitutivo ao art 47.O presidente da pro-
vincia mandar pagar desde j os vencimentos a
que tiverem direito as professoras publicas do Ti-
gini, Ponte dos Carvalhos, Tamandar, c cncru-
zilhada do Rosarinho; o professor publico da
Prai?. dos Carmine desde as datas dos respectivos
exercicio, assim como o auamentodos vencimen-
tos do director da escola normal desde o principio
do exercicio da lei n. 832 em cujoart. 6o foi auto-
risado este augmento.Ayres Gama.Lopes Ma-
chado.Soares Brandao.
Accrescente se a qnantia de 6005000 como
gratificaeSo ao escrivo da polica Antonio Hen-
rimie de Miranda M. Amorim,
Depois de algumas ohservacSes do Sr. Miguel
Amorim e G. Drammond manda aquelle senbor a
seguinte emenda:
o Em lugar de acerescentc-sediga-se, ica o
Sresidente antorisado a mandar pagar etc. etc.
I Amorim.
Encerrada a discussao o artigo do substitutivo
approvado, sendo regeitadas as emendas do Sr.
Amorim.
Art. 48. As sobras de quaesquer verbas do
oreacranlo deste ou do passado exercicio, serio
applicadas s despezas marcadas no art 40 da
presente lei.
O SR. AYRES GAMA justifica a seguinte emen-
da:
S;;pprima-se o art. 48. Ayres Gama.
Encerrada a discussao approvada a emenda.
Art. 4SC Das quotas votadas no exercicio de
1866 a 1867 para obras do dive sas matrizes, e
que nao forain applicadas ao fim para que foram
destinarlas, assim como dos saldos de loteras pro-
veniente dos premios que no prazo legal n fo-
ram cobrado- do respectivo thesoureiro, e dos be-
neficios de differentcs partes de loteras que nao
'.'oraui entregues, o que tudo existe em deposito
na tbesonraria provincial, despender o presiden-
te da provincia a quantia que Mr necessaria para
a despeza decretada no 4. do art. IV da presen-
te le, guardada em lodo 0 caso a disposicao do
rt 4, da lei n. 754.
Ihos legislativos.
ANIVERSARIO.Complotam-se boje 23 airaos
que S. Santidade Pi IX fui elevado cadeira pon-
tificia, na qual tem-se conservado at hoje, apezar
dos esforcoi daquellos que tudo envidara para sua
queda. Que Dens o conserve por muitos annos.
PERDA DO MI3SISSIPE.D'uma carta escripia
de S. Thomaz p >r um empregado da casa com-
mercial dos Srs. Henry Forster &C.,de nossapra-
Si, o qual se achava bordo do vapor americano
lississipe, traduzimes os seguintes pormenores do
naufragio desse navio:
Pisamos muito toa viagem al as ilhas Barba-
das, prximo das qunes passamos na Doftc de 11
de abril, e esperavamos chegar S. Thomaz no
dia 14.
' As 3Vi '">ras di manliaa, estando de quarto,
o 2' piloto do vapor descubri urna luz a ste-
bordo; e, nao podendo conhecer onde estavara,
fez chamar o eommaiidante, que, ao chegar co-
berla disse que deviara achar-se prximos da ilha
de Santa Lucia. Apreciando, porm, melhor a
grandeza da luz, que Ihe pareca d'um pharol, fez
dar o signal de alarma para a tripolacao.
Mal traba soado o signal, seotio-se o navio
encamar com rapidez extraordinaria, por vir dei-
tando elle 12 mlhas wr hora, o que f-lo enter-
rar muito.
i Havendo grande alarma entre os passageiros,
o commandante ob-ervou Ibes que estavam muito
prximos de trra, onde os mandara por, apenas
clareasen o dia.
' Logo que raiou o dia, ocmnmandante fez des-
embarcar as senhora:i o mangas, e, com a tripo-
jlijou urna parto da carga,
nada consegindo porjafazer ello agua.
i O lugar do sinistrofoi osbaixos de Pcnemelle,
ao S. E. da ilha Martinica.
Nao havendo no lugar vapores que ajudassem
a safar, mandou-se vir do mais prximo ponto, s
chegando elle* no dia seguinte, para salvarera,
como lizoram, 3,000 ecos com caf, 100 caixas
com borracha, 300 volumes com cobre velho, e
600 couros.
i Toda a eana estiva segura, mas nao o navio.
Os passageiros foram levados da Martinica
para S. Th nnaz polo vapor francez Caravelte, que
faz o servico postal entre esses dous portos.
MISSIONARIOS CAPUCHIN'HOS. Acerca dos
traba Ihos religiosos feitos no Rio do Janeiro, pelo
Rvm. Fr. Caelano de Messina, transcrevemos o se-
guinte do Apostlo :
Conforme trabamos annunciado, nn dia 30 do
passado houve communho geral na igreja de S.
Sebastio do Castello para pedir a Deus quo o con-
cilio ecumnico tenha um feliz xito o redunde em
inaior gloria de Deus o salvacao das almas.
Foram mais de 500 as pessoas de ambos os
sexos quo nesse dia S3 aproximaram da mesa eu-
charistica, recebendo o pao dos anjos das vene-
randas raaos do Exm. bispo de Marianna, conde
da Omceicao.
i A' tarde S. Exc' Rvm. subi ao pulpito e n'u-
ma linguagem familiar c tocante fez urna instrnc-
gao religiosa ao immenso auditorio que enchia a
igreja dos Capuchinhos. S. Exc. Rvm. fui serapre
ouvido com o mais profundo e respoitoso silencio.
i 0 Rvd. padre m?stre Fr. Caetano convida os
fiis desta cidada pira na terecira dorainga de
cada mez, at o de dezembro, vieram sua
igreja coinmungar ofierecendo esta obra de
piedade para o boni xito do concilio, e desta
orle nnirem as suas oracos s dos catholicos de
outros paizes que rceberam com tanto jubilo
a noticia da convocaejio de um concilio ecumni-
co que sem duviJa o meio escolhi -o por Deus
para reorganisar a desmantellada sociedde do
seculo XIX.
Na mesma igrejf., encerraramso no dia 31
do passado os santos e devotos exercicio* que a
igreja catholica, dura ate um mez inteiro, consaara
Santissima Virgcm tara desaggrava-la das inju-
rias e invectivas que Ihe atirain os protestantes,
negando-lhe o culto devido sua alta dignidade
de Mae de Deus.
O acto do encerramento esteve solemnsimo.
A's 10 horas da man la houve missa cantada e
sermao, dignndose pontificar S. Exc. Rvm. o
Sr. internuncio apoMolico. Concluida a missa.
seguio-se a tocante <;eremona do ntterecimento
das virgens a Mara Santissima, dirigindo-lhes
o Rvm. padre mostr Fr. Caetano nina linda alio
cacao.
A' tarde
pellado,
o prora
tas.
Antonio
As2b
dia para julgamento dos seguintes
es cni.viKs.appellaiile, o juizo; ap-
"no Jos do Nasciment). Appellante,
apiellada, JaaqilB d; Ollveira Frei
nte, o juizo ; aepeila lo, Francisco
as da tarde encrroa-se a sessio.
houve procissao de Nossa Senhnra
do Bom Conselho, sen lo o andor levado pelas me-
ninas, no meio de ura.i inmensa affluencia do po-
vo. A' procissao se{;uio-so ermai e Tc-Deum
que foi en toado pelo Exm. internuncio.
Era todos estes actos renou da parto do po-
vo o mais profundo reculamiento, demonstrando
elle desta surte o quanto fiel ao culto de M iria.
Foi sobretodo notavel o imito cnlhusiasmo co n
que o povo se precipitava para obter resistes e
raedalhas do Mara Santissima, depois que o Sr.
internuncio acabou di destrbui-las pelas meni-
nas que haviam acompanbado a procissao.
Nao concluiremo? esta noticia, sem louvar os
Rvms. capuchinhos pelo seu zelo e dedicacao na
instruccao religiosa do nosso bom povo, assegu-
rando lhes quo os seiis osforcos tem produzido
abundantes fructoe.
JURY DO RSCIFE.Proseguio hontem perante
o tribunal do jury e cncerrou-so noite o julga-
mento comecado na vespera, do processo instau-
rado contra Salvador Baptista ones Barbosa pela
firma social do Abren 4 Veras.
Sendo impratcavel dar hoje noticia dos varia-
dos incidentes da causa, que 09 tuve em larga co-
pia, dando cada um It gar prolongados debates,
podemos somonte anntmciar que, acceita e rece-
bida urna excepcio hngamente ostentada pelo
orgrw da defeza, o S\ Dr. Gusmao Lobo, e vi-
gorosamente combato a pelo promotor publico, o
Sr. Dr. Joao Thom da Silva, jalgon-se pereinpta a
accao por incompetem-ia, decretada era vista da
deciso do jury, da aceosacao por parte da justica
e seu orgao.
A salla do tribunal esteve lilteralmento tomada
pelos espectadores.
Um incidente levantado depois da leitnra da de-
eisao do jury, dea motivo urna manifestacao que
JoDrJntz de direito ;oude reprimir eem afn-
Cicero Brasileiro de Melle, em Dulce Augusta
Ferreira.
JoaqiiiOL pardo, escravo de D. Getrudes Mara
Machado da Silva, wm Sitvina, crknila, escrava
de D.osephina Renvindti da Cunba aflato Maior.
Francisco .Martins Rodrigues da Cuiejjcao, com
Anna Joaquina da Rocha Oliveira.
O Ir. Hennogenes Scrates Tavares de Vascon-
cello, com Arcenia Mathilde Lins de Albuquer
que.
Manoel da Costa Azcvedo Napoleao, com Emilia
Aiitunes da Silva.
Augusto Xavier de Souza Fonseca, ora Maria
Joaquina Pesaos de Sabuya.
Traiano Vieira da Cuaha, cora Maria da Paz
Aramias.
Izidro Marmho Cesar, com Maria Francelina
Brandao.
2.' dennneiacao.
Pedro de Alcntara Velloso, coin Theodora dos
Santos Lima.
Antonio Pereira dos Santos, com Ricarda Ro-
mualda de Fontes Braga.
Jos Sabino Lopes de Medeifos, com Ledina Ma-
ria da Soledale.
Joo Ferreira da Silva, eora Mara Joaquina de
Mendonca.
3.* denuncia^ao.
Manoel Elias da Rocha, com Marimba Firmina
Gomes de Mello.
- O JJr. Antonio Vicente do Nascimento Feilosa,
cora Maria Bibiana da ConceicS) de Araujo Sal-
danha.
Prudencio Silverio da Rocha, com Alexandrina
Maria da Conceicao.
Lucas Cardoso de Mesquila, com Helena Maria
da Omceicao.
Antonio Faustino de Albnqucrque, com Joaquina
Bezerrados Santos.
Jos Soares do Amaral, com Francisca Brasilina
do Reg Lima.
Antonio Izidro de Souia, cora Marianna l'rabel na
d'Araujo Lima.
Jos dos Anjos DuarW, cora Isabel Carolina de
Oliveira.
PASSAGEIROS.Sahidos para o Penedo c por-
tos intermedios 110 vapor Polengi:
Marcolino Ferreira do Espirito Santo, Manoel de
Almeida Nogueira e sua senhora, Pedro Jos de
Maraes e Silva, Ernesto da Silva Reg, Manoel
Candido C, J. Manoel' Bezerra. Ghristuvo G. Pe-
reira, Marcolino R. Lopes, Dr. J. Mendmea R.
Barros, sua senhora e um criado, Luiz Thomaz R.
Machado, Epiphanio A. Wanderley, Jos Francisco
Ferreira, J. J. de O. Barros, Lniza Maria da Con-
ccigao, Joao Nunes Vieira, Antonio do Hollanda
Cavalcanti, Jos J. do Reg, Manoel J do Reg,
lenente-coronel Dionisio R. M. Castro, Manoel Luiz
C, Joaqmm Luiz C, Francisco do Vasconcellos.
Sahdos para Granja e portos intermedios no
vapor Pirapnmn :
Eloy de Souza, Manoel Ciernen ino de Caraiba e
ura criado, Carlos Augusto C. de Vasconcellos,
Eugenio J. Prea, sua senhora, tres fillios e uin
criado, Armand Ma*sy, Nicolao Pungetura, J Car-
los, Bernardo M. Coeho, Joaquim A. G trein, *raa
senhora, dous filhos o dous criados, Luiz da Silva
Baptsta Jnior, Miguel A. Falcad, S. de Assis Pe-
reira Rocha, Fr. Alberto, barao do Mara e dous
criados, Cincinato de O. da Silva, Claudino Ramos,
Raymundo Newton, barao de Vasconcellos e sua
se diora. Braz Antonio Flamenco, Joaquim S. da
Silva, Francisco X. C. da Cuaba, sua senhora, tres
escravos e um menor, Silvestre F. Caminha, Ubal-
do Umbelno Ramos, Salustiano S. Ramos.
Chegados de Macei o Penedo no vapor
Jequi :
Joa |uim Jos dos Santos Patury, Joaquim Fer-
nandes de Azev-do, Manoel B. de Araujo, Fran-
cisco Antonio Xavier Braganca, Candido dos San-
tos L. Bocha e sua senhora, tres pracas e um
preso.
Saludos para os portos do sul no vapor ame-
ricano SoxUh America :
Jayme Romasuera de Aguiar e sua senhora,
Joaquim Jacobina, Antonio Fayo, Piges Octave
Charles.
CEMITERIO PUBLICO.Obtuario do dia 14 de
junho do 1869.
Maria, Pernambu:), 4 meze3, S; Antonio; tosse
convul?;i.
Adallento, Pernambuco, 43 dias, S. Jos; pul-
mona.
Miguel, frica, 43 aunos, S. Antonio; congestao
cerebral.
Juao, Pernambuco, 6 mezes, S. Jos; convul-
gVe.
Fabiano, rescemnascido, Pernambuco, Boa Vista.
Tertuliana Laura do lencastro, Pernambuco,
23 anuos, solteira, S. Jos, phtysiea pulmonar.
Candido Ferreira Nunes, Cear, 20 annos, sol-
tero, Ba Vista; escrfulas.
Pedro Cleto do A!buqerquc Magalhacs, Per-
nambuco, 8 annos, Boa Vista; tubrculos pulmo-
nares.
Felismina, Pernambuco, 18 mezes, S. Jos; co-
queluche.
Calicina, Pernambuco, 3 mezes, S. Jos, espasmo.
Joan Ouiessias do Nascimento, Assii, 28 annos,
Recfe; desenteria.
Julio Arminio da Silva, Para, 39 annos, solteiro,
Boa Vista; tubrculos pulmonares.
CHR0MC.1 JUDIflURIA.
SESSAO EM 12 DE JUNHO DE 1669.
PHF.SIOENCIA DO T.XM. SR. COXSELHEIRO CAETAXO
SANTIAGO.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. desem-
oargadore3 Gitirana, Guerra procurador da corda,
Luurenco Santiago, Almeida Abuquerque, Motta,
Doraingues da Silvaj Souza Leao e Freitas Henri-
ques, aorio-se a sessao.
Passados os feitos deram-se c^ seguintes julga-
raentos:
Habrs corpus.De Francisco Alexandrino Du-
tra, concederam a ordem de habeas corpus por
ser nullo o processo. -
Appellacao civel. Appellantes, Jos Antonio
da Cunba Guiraaraes; appellada, a justica.Re-
formada asentenca.
Appeu.ac5es crimes.Appellante, Joao Baptista
EvangelisU; appellado, o juizo.Improceden-
te. Appellante, o promotor; appellado, Antonio
Teixeira de Oliveira. Novo jury. Appellante,
Manuel LeLc de Mello; appellada, a justicaNullo
o processo. Appellante, o juizo; appell ido, Izido-
r> Gomes de S.Novo jury. Appellante, Geraldo
Gorra Lima; appellados", Francisco Gomes Fer-
reira eoutros Novo jury.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Loarenco Santiago.Appellacoes crimes:
appellante, Ifi* Manoel Frasao; appellado, o jui
zo. ApfWJunla, Antonio Pereira de Souza; appel-
lado, o juizo, Appellante, Antonio Cypriano dos
Santos; appellado, o juizo.
Di Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta. Appellacoes crimes:
appsllante, o juizo; .ippellado, Pedro Bento de
Souza. Appellante, o raizo; appellado, Joao de
Souza Perera! Appe'.lanto, o jnizo; appellado,
Jos Regio da Silva. Appellante, o juizo; appella-
do, Joao Alvos Pereira. AppellEntn, o juizo; ap-
oellado, Frcderieo Jas d* Sant'-Anna.
Do Sr. desembargador M'atta ao Sr. desembarga-
.lor Domingues da Silva..*ppellasao crime: ap
pedante, o juizo, appellado, Geraldo Jos Pe-
reira.
Do Sr. desembargador Dommguftn da Silva ao Sr.
desembargador Souza Leao.AppdMacdes crimes :
appellale. Flix Jos do Sooza ; ap/wllad, a jus-
tiga. Appellaote, o juizo; appelladVAntonio Izi-
dero dos Santos. Appellante, o juizo; appellado,
utifti v \i. mi coHiis:iino
V D SESSlO 'tDMItfint ATI VA DE 14 DE
JUNHO DE 1869.
PRESIDENCIA do exm. SR. DESESIBAROADOR ANSELMO
FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depo-
{adoeMimtda Leal e supplentcs S Leito e barao
de .\azarelh, rio de Cruanjry, Exm. Sr. presiieate declarou
aberla a sessa >.
Lida, foi approvada a acta da sessao de 10,
cora a inflilificacao de nao ter sido adiado reque-
rimento algaui de Pedro Lopes de Mendonca pe-
dindo transwrencia de lvros mas sim matricula.
EXPEDIENTE.
Oflicio do conservador do commercio de Ala-
goas, remettenl-i com a competeate inforraagao
ura requeriiMMo do corretor geral da praca de
Maceio pedrado uceara para tratar de sua sade
odo mellior ihe conver sem renuncia de seu of-
fieio.Vista ao Sr desembargador fiscal.
oficio do presidente o secretario da junta dos
corretores, remetiendo as cotacoes da semana fin-
da.O tribunal inandou archiva-lo, e bera assim
quatro nmeros do Diario oficial do Imperio que
foram presentes.
O Exia Sr. presidente por ofllrio por ello fir-
mado, euviou informados S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia os papis da Companhia Northern
Assurance quo para semelhahte (ira tinham volta-
do da presidencia.
Foru distribuidos aos Srs. deputa dos os dous
livros piario e Copiador apresentaJos rubrica
por itunes Guimaraes & C
DESPACHOS.
ReArimento de Anlonio Pereira di Cunba e
Jovniano Fernandes da Silva Manta, pedindo o
registro de seu contrato social.Vista ao Sr. de-
sembargador fiscal.
Dito de Antonio Alberto de Souza Aguiar, apre-
sentando para ser registrada urna sua procuracao
bastante.Registre-se.
Dito de J Pires Chaves, com a deelaracao
que se.Ihe exigir por despacho de 10 do corren-
te.Volie a petcao depois de pago o sello corres-
pondente a quantia com que retirou-sc cada socio.
Replica de Jos Joao de Amorim, Manoel Mar-
ques de Amorim, Jos Juao de Amorim Jnior e
Manoel Joao de Amorim Sobrinho, ponderando
nao ser preciso nova instrumento de contrato, vis-
to como o tallecimenlo do um dos socios livera
lugar aules de ter tido execucao dito contrato.
Volte cora vista ao Sr. desembargador fiscal.
ADIADOS.
so de rehabilitacao commercial de Joa-
quim da Custa MaaAdiada a deciso por nao
se aehar completu o tribunal.
dem de Joa Francisco Brandao.Adiado pelo
inesmo motive!
Nada mais havendo atratar-se, o dada a hora,
11 1/i da manhaa, o Exm. Sr. presidente encer-
rou a sessao.
fifi.
14 DE JUNHO DE
SESSAO JUDICIARIA
1
PRESIDENCLV DO EXM. SR. DESEMBARGADOR A. F. PE-
RETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
Ao meio dia, declara-se aberla a sessao, estan-
do presentes os Srs. desembargadores Silva Gui-
maraes, Res e Silva, Accioli, deputado Miranda
Leal e supplentes S Leito e Barao de Nazareth,
faltando cora participacao o Sr. Barao de Cruangy.
Lida, foi approvada a acia da sessao anterior.
O escrivao Albuq icrque registrou o ultimo pro-
testo de letra sub o u. !7(5La 8 do presente mez ;
e o escrivao Al ves de Brito a 11 do dito mez, sob o
n. 1703.
ACCORDA08 ASSIGNADOS.
Embargante embargado Jos Fenandes Gomes,
embargantes embargados Juan Evangelista de S
e outros; embargante Francisco Ferreira Novaos,
embargado Joaquim Jos Pereira da Cunba; em-
ba gante Joaquim de Azevedo Maia, embargado
los Antonio de Almeida Guimaraes ; embargan-
te Franci>co Jos de Oliveira Jnior, embargados
os adminisadores da ma>sa fallida de Anlonio
Jos de Figueiredo ; embargantes os ditos admi-
nistradores, embargados Anlonio Pereira de Car-
valho.
JULfiAMEXTOS.
Appellante o Barao de Bemfica, appellado Braz
Carneiro Leao.O Sr. S Leito jurou suspeicao,
e nao estando presente o Sr. Barao de Cruangy,
nao se pode proceder novo sorleio.
Appellante Manoel Thomaz de Albuquerque Ma-
ranho, appellado o Dr. Syraphrono Cesar Couti-
nho.Adiado, a pedido de um dos Srs. deputados.
Por nao estar presente o Sr. Bario de Cruangy,
nao foram propostos os feitos em que saoembar-
gante Joaquim Arcenio Cintra da Silva, embarga-
dos os administradores da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & C. ; appellante Joaquim de
S Cavalcanti de Albuquerque; apaellado o tutor
da orpha filha de Manoel Gouva de Souza.
PASSAGEM.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Reis e Silva ; appellante Joo Pin-
to de Lemos Jnior, appellado Mariano Xavier
Carneiro da Cunba ; appellante Francisco Leito
de Carvalho, appellado Joo Lopes Braga.
Do Sr. desembargador Accioli ao. Sr. desembar-
gador Silva Guimaraes : appellante Joaquim da
Cunha Meiredes, appellados os orplids filhos de
Joao Cavalcanti Accioli; appellados Ferreira &
Lomos, appellado Jos Alvcs Pedroso; appellante
Joviniano Fernandes Manta, appellada D. Joanna
Iguaria de Jess.
D1STRIRUICA0.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes : appel-
lante D. Josephina Benvinda da Cunha Souto
Maioriappellados MilN Lathara & C. ; appellante
Antn Joaquim Fernandes, appellada D. Alexan-
drina Mara dos Santos.
Ao Sr. desembargador Reis o Silva ; appellantes
Rabe Schamet era A C, appellado o bacharel An-
gelo Henriquos da -ilva ; appellantes Jos Fran-
cisco Ribeiro Machado e outros, appellado Amaro
Jos,dos Prazeres.
A Sr. desembargador Accioli : appellante An-
dr de Abreu Porto, appellados Joaquim Ferreira
Valente e outros ; appellante Manoel Antonio de
Albuquerque Machado, appellado Amaro Jos dos
Prazeres.
1 Nada mas houve, e encerrou-se a sessao meia
hora da tarde.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Os abaixo assignados, ofliciaes do bata-
lliao o. 24 da guarda nacional da Eseada,
penborados pelas raaoeiras delicadas e cava-
Iheirosas do seu commandante o Illm. Sr.
tenentenloronel Antonio Marques de Hollan-
da Cavalcante, no momento em que cir-
cumstancias o levaram a solicitar a reforma
que pelo gover i0 imperial acaba de Ihe ser
concedida, jior decreto de IBdemaio pr-
ximo findo, nao podem urtarem-so de Ihe
testeinonharem sua gratido, seu reconheci-
mento e sua saudade, consolando-os a con-
viego de que, recolhido a vida agrcola o
Sr. tenente-coronel Hollanda Cavalcante,
vivir sempre por seu fino tracto, por seu
carcter, probo e sincero, unido a seus ver-
daderos e numerosos amigos, o que seu
uobee patriotismo e sua plena devotaco
peto bem de seu paiz, serao um dia aqui-
latados, comoj o s3o por todos aquelles
que reconhecem suas destioctas qualidades.
esculpe o Illm. Sr. tenente-coronel Anto-
nio Marques de Hollanda Cavalcante, qu^
por modo to simples raanifestmos a real
apreciacao que Ihe tributamos. Villa da Es-
cada, 10 de juoho de 1869. Cipito Jos
Sancho Bizerra Cavalcante. CapiSo Jos Al-
ves de Oliveira.Capillo Jos Dias da Silva
mor.Gapto Caelano Correa de Queroz
Montiro.Capito Jp3o Homarico de Aze-
vedo Campos.Tenente cirurgiao Dr, Ma-
noel Duarte de Faria. Ten nte Joaquim
Theodoro de Barros Costa Tennte Mano-
el de Azevedo Campos. TeneuteJitrmo-
gens Rodrigues Pereira.Tenante Joo Bap-
tista da Silva Maia. -Tenante FabHto Jos
de Figueiredo.Tenenle Manuel Feliciano
la Silva. Alteres Manuel Joaquim Torres
Callindo. .alteres Jos Aloino de Aievedo
Campos. Alteres Joaquim Francisco de
Souza Chaves.Al teres Pedro Ferreira Li-(.
raa.Alteres Henriqoe Gomes, de Barros e
Silva.Alteres Luiz Leocadio Paes Brre-
to.Alteres Manoel Olimpio de Barros Cos-
ta.rAlferes Francisco das Chagas Olivei-
ra.Alteres Luiz de Franca da Vera-Cruz.
\lferes Tiburcio Valeriano da Costa.
Alteres Manoel Francisco da Silva.Alteres
Juvencio Silvino de-Freitas,
Julk&f^-'O.ipitSr Manoef Anranw^SuTrfes Ju HM w
Penedo o portoa. iutermediusVapor brasileiro-
Poteng, commandante Joaiiuira Josa Pereira,
earga differtHites gneros.
Granja e portos Inlermedos Vapor brasili iro Pi-
rapnm'i, commandante Antonio Goncalvcs Tor-
res, carga varios gneros.
Rio de Janeiro e BahiaVapor americano South-
~-al QUerrofio.
Snspendeu do lamarao |rt West Indios, a bar-
ca laglcza Alonso, capito Daocan. cun o mesmo
laolro que trouxe da Baha.
EDITAES.
Monte Pi Portuguez.
Dai a Cesar o que de Cesar
e a Deus o que de Deus. >
Senhores redactores.Prostado em cima doleilo
da dor, para aonde a terrivel molestia do ar de
vento mecollocou na occasio da mais 'extrema
miseria, o ababo assignado faltara ao mais sa-
grado dever se por ventura deixasse de vir render
pela imprensa, um voto de gratido a cada um dos
Ilustres membros da directora provisoria da be-
ncllcente associacao Monte Po Porluguez, sem os
soccorros da qual eu leria talvcz seeumbido pur
deficiencia de meios para meu Iralamcnto, do qual
ainda padeco bastante; enfermo e inutilizado como
estou, cumpre-me em minhas oragoes, rogar a
Deus pelo engrandecimeuto da mesma associacao,
que velando pelos seus associados na indigencia
como o tem feto oomigo, prestando-mc idneos soc-
corros desde minha enferraidade a mais de lous an-
nos; a tao mil associacao, como j definitivamente
est comprovado por innmeros factos, a benefi-
cencia. Nao podor ter outra qualilicago do que
a instituieao padro de gloria para os seus asso-
ciados. Queira a directora disculpar se neste voto
de gratido oliendo era sua niodestii, porque todos
osados de suaadrainistracao estopatenteados pela
justica e cima de todo c qualqucr elogio
Qeiram seuhores redactores, insirir em seu
conceituado Diario estas linhas, pelo que Ihe fica-
rei summamente obrigado.
Justino Gomes Villar.
Protectora das familias
Associacao brasileira de seguro mutuo snbre a
vida, approvada por decreto do governo imperial,
de 13 de junho de 1861, e gerida pelo Banco Ru-
ral e Hypothecario do Rio de Janeiro.
Commissao fiscal.
Veador Jos Joaquim de Lima e Silva Sobrinho.
Commendador Jeronymo Jos de Mesquila.
Commendador Boa ventura Goncalves Roque.
Commendador Guilherme Pinto de Magalues.
Estado dessa associaoioem 30 de abril de 1869,
contratos 3,802.
Capial subscripto rs. 8,716:4705580, as pessas
que quizerem inscrever-so poilero dirigirse na
ma do Livramcnto n. 19, pnmeiro andar: a tra-
tar cora o Sr. N. do Vidal, encarregado pelo
Banco Rural e Hypothecario do Rio do Janeiro,
para promover assignaturas para a mesma asso-
iaco.
COMMERCIO.
PIUCA DO KECIFE 15 l)E JUNHO DE 18(59.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Algodao de Pernambuco 1* sorte = 1570O por
arroba.
Algodao do Maceio sorte 174300 por arroba
posto a bordo a frete de 1|2 d. o 5 0/0
Dito de dito Ia sorte 174?i.O por arroba posto a
bordo afrete de l| d. sem capa.
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
CASADECAMBIO
Teodoro Simn & C.
Comprara e vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras.
scjjai de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontam letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
nas transaccoes, da cobranza de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebera quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo lixo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
ENGLISH BANK .
O Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da pra?a taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro cm conta corrente e a
prazo lixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
hia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito.
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 14. 5Ui:7864G.>
dem do dia 15......5*:41U359
Joaquim Jos Silveira, lenente-coronel com-
manante do Io bataliiao de infant.m da
guarda nacional do- Recife, e presidente
do conselho de qualificaco da freguezia
de Santo Antonio, etc.
Faco saber a quem interessar possa- que
no dia 15 do corrente ter lugar na forma
da lei, a 2a reunio de conselho de qualii-
ca?5o desta freguezia, no consistorio da
respectiva matriz.
Recife 12 de junho de 1809.
Joaquim Jos Almeida.'
Joaquim da Silva Reg, cavalheiro da ordem de
Christo e oserivio lo juizes de (taz e ila shbdr-
legaca da freguezia do Saniissioaa Secramento
d bairr^de Santo Antonio da cklade do Recife
de Pernambuco, em virtude da le. etc.
Certifico que a caria de edites entro partes au-
tor, Manoel Jos Luiz Ribeiro, o reo Francisco Jos
Luiz Ribeiro, o iheor seguinte :
O cidado Antonio Augusto da Fonceca. ofilcial da
imperial ordem da Rosa e juiz de paz.mjiis vota-
do da freguezia do Santissimo Sacramento do
bairro de Santo Antonio dacidade do Recfe, pro-
vincia de Pernambuco, em virtude da lei, etc.
Faca saber as que a presente carta de edites vi-
rom que or parto de Manoel Jos Luiz Ribeiro,
me foi enderecada a policio do theor seguinte :
Illm. Sr. juiz de paz da freguezia de Santo Anto-
nio.Diz Manoel Jos Luiz Ribeiro, que quer cha-
mar perante este juizo seu devedor Francisco Jo-
s Luiz Ribeiro, para Ihe pagar quaolia ele duus
contos e cera mil reis, de que devedor po: letras
que acceitou. Por isto o suppticante, requer a V.
S. se digne de o mandar citar para a prinieira au-
diencia d'estc juizo, que segnir-se a sua citadlo sob
pena de reveha e cusas.
E por que o supplicado se acha ausente em lu-
gar incerto e nao sabido quer o supplicante isto
provar no dia o hora por V. S. designado, aflm de
mandar cita-Io por rartas de edites com o prazo da
lei : n'estes termos peoe a V. S. deferiraento e re-
cebera merc.O procurador, Antonio Carlos Pe-
reira de Rurgos Ponce de Len.
Numero irczentos e vinle e oilo, duzentos.Pa-
gou 200 rs.Recebedoria do Pernambuco 4 de ju-
nho de 1869.Chaves.Franca.
Na qual peticito dei o de>paclio seguinte :
Como requer.Freguezia de Sanio Antonio 4 de
junho de 1869.Augusto da Foneeea.
Em vista do qual despacho se proceden inqui-
ricao das tcstemunhas, que de|K>zcram sob o jura-
mento dos santos Evangelhos, respeito da ausen-
cia e incerteza do lugar da residencia do justilica-
Franciseo Jos Luiz Ribeiro, e sendo tudu aothoa-
do e preparado, me vieram os autos conclusos e
nelles profer a sentcnca do theor seguinte :
Viste provar-se pelo depoimento das tcstemu-
nhas do folhasque o justificado Francisco Jos
Luiz Ribeiro, acna-se aumente em parte ineerta,
hei por justificada sua ausencia, o escrivao passo
os editaos na forma do estylo com o prazo do oO
dias, e pague o justificante as custas.
Freguezia de Santo Antonio da cidade do Recife
12 de junho de 1869.Augusto da Foneeea.
Nada mais se continua era dita sentenca, dada
nos autos, por bera da qual se passou ao justifi-
cante o presente edilal com o prazo de 30 das, pelo
qual se chama e cila o referido Francisco Jos Luiz
Ribeiro, para que dentro de 30 dias, compaa
por si ou por seu bastante procurador, para se pro-
ceder aos leroios de conciliacao na forma da peti-
cao, e a qualquer outra pessoa, para que Iho faca
saber, d'esta raes...a citacao afim de que elle nao
fique indefezo.
O porteiro d"este jaizo Francisco Manoel de Al-
meida publicar este nos lugares mais publicos
d'esta freguezia c os affixar passando certidao era
forma.
Dado c passado n'esta freguezia do Sanlissmo
Sacramente do bairro de Santo Antonio da cidade
do Recife, provincia de Pernambuco, aos 12 dias
do mez do junho de 1869.
Eu Joaquim da Silva Reg, escrivao que o es-
crev.Autonio Augusto da Foneeea.
Ao sello .100 rs.Vaina sem sello ex-causa.
Augusto da Foneeea.
Nada mais se contralla em dito original que mo
reporto e dou fe.
Freguezia do Santissimo Sacramento do bairro
Santo Antonio da cidade do Recife, provincia de
Pernambuco aos 12 de junho do anno do nasci-
mento de Nosso Senhor Jess Christo de 1869,
quadragesmo oitavo da independencia e do impe-
rio do Rrasil. Subscrcvo e asigno em f de ver-
dade o escrivao Joaquim da Silva Reg.
557:197*984
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados
dem dem
com fazendas
com gneros
Volumes sahidos com fazendas
dem dem com gneros
321
267
203
300
DECLARACOES.
588
50o
Descarregara hoje 16 de junho
Barca ingleza Wict ofthe Teigerraercadorias.
Patacho norte-allemaoMnriedem.
Patacho norte-allemaoJohn Caridem.
Barca inglezaJane Mariafarinha de trigo.
Brigue nacionalAlmeidacharque'
Brigue portuguezConstante /=lagedo.
Escuna portuguezaDelfimdem.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 14. 31:40089
dem do dia 13...... 1:072*130
32:612*219
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 14.
dem do dia lt\ .
67:3104379
6:4854854
73:9964233
JUIZO DOS FEITOS DA FAZENDA
Quinta-feira i7do corrente depois da au-
diencia respectiva, as 11 horas do dia, ir a
praca o seguinte:
A casa terrea na ra do Amparo, n. 7,
com i palmos de frente, G5 de fundo, 2
salas. 3 quartos, cozinha interna e quintal em
aborto, avahado em 300#000 ris, para pa-
gamento do que deve Jos Ferreira nfarinho.
dem na ra dos Quarteis. (em Olinda)
n. 9, em mu estado, com 22 palmos de
frente, 45 de fundo, 2 salas, 2 quartos, co-
zinha fora, quintal em aborto, avahada em
I5O50OO ri-.
Urna outra na mesma ra, n. 10, no mes-
mo estado e com as raesmas proporcSes,
avahada em 150#000 ris, para pagamento
do que devem os herdeiros de Manoel An-
tonio Coimbra.
dem na ra do Amparo, n. 33, com
40 palmos de frent<\ 6o de fundo, 2 salas,
2 quartos, cozinha dentro, em mu estado,
avahada em 300^000, pira pagamento do
que devem os herdeiros de Emerenciana
Maria Joa juina do Amparo.
A moiagua na ra Jogo da Bolla, n.
12, com 28 palmos de largura, porta e ja-
nella, em mu estado, avahada em 3000
ris, para pagamento do que devem os her-
deiros do Jos Manoel de Faria.
A casa torrea na ra do Cabral, n 26,
em mu estado, com 16 palmos de frente,
62 de. fundo, 2 salas, 2 quartos, cozinha
dentro, e sotao, avahada em 60r$000 ris.
para pagamento do quo deve Jos da Costa
Dourado pelos herdeiros de Simplicio Fer-
reira Coelho.
Recife, II de junho de 1869.
0 solicitador da fazenda provincial.
_______J- Firmino Correa de Arauj).
MOVIMENTO DO PORTO.
JVaou entrados no dia 16
New-York por S. Thomaz e Para22 dias, sendo
do ultimo porto 6, vapor americano SouiA Ame-
rica, de 2,000 toneladas, commandante Fenkle-
pangh, equipapea 70, carga varios gneros; a
Henry Forster & C. '
Montevideo28 dias, patacho norte-allemao Dia-
mante, de 160 toneladas, commandante Mayer,
oquipagem8, earga 4,500 quinues- he-panhes
de carne : a Bailar & Oliveira.
Penedo por Maceio18 horas, vapor brasileiro Gi-
quid, de 223 toneladas, commandante Awved,
equipagem 23, carga varios gneros; compa-
nhia Pernambucana.
Montevideo22 dias, barca ingleza Charlrtte Ged-
die, de 399 toneladas, capito K Me. Kinzi,
, oquipagem 12, em lastro ; a ordem.
Perante a cmara municipal (testa eidtde
estarao em praca nos dias 11,14 e 16 do crreme
para serem arrematados por quem menor preco
offerecer as obras nao s dos reparos da estrada
que vai ter a Capunga, oreados na quantia de...
2:7944000, como das quo necessita o matadouro
publico, oreados na importancia de l:958f0O0 :
aquelles que pretendi-rem concorrer a arremata-
cao de taes obras, habilitem-se na forma da lei,
sem o que nao poderao licitar.
Os orcamentos arham-se na secretaria da mes-
ma cmara, onde os concurrentes poderao exa-
mina-los. Paco da cmara municipal de Rec
de junho de 1869.
Ignacio Joaquim de Soumt Leao.
Propresidente
Francisco Canuto da Ba- Viagem.
__________________Secretario.
Vai a praca, hoje, quarta-feira l7'a
casa terrea e sitio do feres, j umitas ve-
zes annunciados, quem quizer .. mesmo
arrematar compareca na audiencia da 2*
vara as II horas da manhaa.
*
'i
-
i



k
* i
\



1
Diaria de Pernambuco Qnarta eiro 16 de J trato de
_____y________.------;____i_____
IMft
anta (Wt de misericordia do i
HecilV.
Awi *PliW4>- 1-1
, manda azer publico, que
c intratar o fornecimento dos medica raen-
is abaiui declarados para os mezes do jullio
terabro do cerrente anno, a saber :
Absintlio, libra.
Acido actico, idem.
dem ctrico paro, idem.
dem marinho, idem.
dem ntrico puro, idem.
dem oxlico, idem.
4dem sulfrico, idem.
dem tartrico, idem.
A 50 preparado, onca.
Acnito, libra.
Agua de Coloma, duzia.
Dila de flor de larangeiras, idem.
Dita de roas, idem.
Dita de Sedilitz, garrafa.
file Vicby, idwn.
Inglezade Lisboa, idem.
ol de 36yc aada,
rim, libra.
Alfaz"ma, idem.
Algalias ioglezas do ns. 1 12, duzia.
. (AJots. onca.
Alvaiadf, libra.
A'oei>:a.< passadas, idem.
Ammoniaco liquido, idem.
.-.cuco, onca.
afetida, idem.
A-surar candi, libra.
Dito de leile ei p, dem.
Menea, idem.
.Diigasdezimbro, idem.
i(|>;:iiio de copahiba. onca.
Hito de Fioravanti, ideui.
Dito de Tol, idem.
Dito Peruviano, idem.
Dito tranquillo, libra,
lianlia de porco, idem.
Barbante tino, idem.
Dejuiut de Lisboa, idem.
Helia lona. idem.
Uenzina, uiiea.
JJicarbonato de soda, libra.
Borrachas surtidas coa pipos, idem.
Holoes de rosas rubras, idem.
Hr.iiimicto de potassa, onca.
Gabera de papoulas, libra.
Cainca, idem.
Gaixas para pilulas, grosa.
Cal virsetn, libra.
Calomelaito inglez, onca.
Clices de vidro graduados, n. i.
Camphora, libra.
Cantridas era p. idem.
'Capswta de'cupahiba, caixa.
Carbonato de magnezia, libra.
-Dito (le potassa, idem.
Dito de soda idem.
Caroba, idem.
Centaura menor, idem.
Cera amarella, idem.
.Dita branca em groara, idem.
Cevada. idem.
Cevadinha, idem.
Chicoria, idem.
Clorato de potassa idem.
Clorotormio, idem.
Olla deFlanires, idem.
Confeilos lclalo de ferro, duzia de vidros.
Crmor trtaro cm po, libra.
Cubcbas em p, dem.
Dgitas, idem.
Dulcamara, dem.
Emplastro de cicuta, idem.
Dito de aquillao gommado, idem.
Dito commum, idem.
Esptulas de ac surtidas, urna.
Essencia de anlz, onca.
Dita de candn, idem.
Dita de cidra, idem.
Dita de flor de laranja, idem.
)>ita de hortcla pimenta, idem.
Dita de rosas, idem.
Dita de salsaparrilha de Sands, vidro.
Dita de terrebentina, garrafa.
Dita de vergamola, onca.
Ergotina, idem.
Ether clorydrico, idem.
Dito sulfrico, libra.
Dito ntrico, onra.
Extrato de aconico idem.
Dito deltlcasss, idem.
Dito de belladona, idem.
Dito de camomilla. idem.
Dito de cicuta, idem.
Dito de favas de calaba r, idem.
Dito de fumaria, idem.
Dito de genciana, idem.
Dito de jurubeba, idem.
Dito de noz-vomica.
Dito de opio gommoso, idem.
Dito de salsaparrilha, idem.
Dito de tridaceo, idem.
Dito de valeriana, idem.
Fezes de ouro, libra.
Flor de rnica, idem.
Dita de borragens, idem.
Dita de enxofre, idem.
Dita de malvas, idem.
Dita de sabugueiro, idem.
Dita de tilia, idem.
Figado de enxofre, idem.
Fumaria, idem.
Fuir de vidro n. 2, um.
Genciana, libra.
Glycerina branca, idem.
Gomma de batata, idem.
Dita de dita purgativa, idem.
( ita arbica escoljida, idem.
Dita dita em p, idem.
Graes de porcelana n. 1, un.
Dito de vidro n. 1, um.
Herva terrestre, libra.
Hydrochlorato de marim, onca
Hysopo, libra.
Incens puro, idem.
Iodo puro, onca.
lodureto potassio, libra.
Ipecacuanha preta, idem.
Jalapa em p, idem.
'crmes mineral, onca.
Licor de labarranue, garrafa.
Linhaea em p, libra.
Dita inteira, idem.
Macella gallega, idem.
Magnezia calcinada, idem.
Dita de Henry, vidro.
Mann commnm, libra.
Dito de lacrimas, idem.
Manteiga de cacao, onca
Massa caustica, libra.
Mel de abellias, garrafa.
Mercurio doce, libra.
Mezeriao, idem.
Mostarda, idem.
Mnlisan sgodico, idem.
Nitrato de prala em lapis branco, onca.
Nitro puro, libra.
Noz moscada, onca. "
Oleo braneo de Chevrier, vidros de "'.
Dito de alfazema, onca.
Dito de amendoa inglez, libra.
Dito de batiput, idem.
Dito da cravo, onca.
Dito tic ligados de bacallio. garrafa.
Dito' )acallic ferruginoso, idem de 8/.
qfcffc-
Panojara, libra. ,
Papel de embrnlho azul, res
Dito de dito branco, idi tn.
Pasta de jtvjuba, libra.
Pastillias de Beloc, caixa.
Ditas de Kemp, vidro.
Ditas do Naife, caixa.
Pedia ume, libra.
Peneira de cabello, urna.
Dita de seda. nma.
Perchlorureio Je ferro, onca.
Bis ile borgonha, libra.
Pliosphalo de forro de Leras, vidro.
Pilulas de Allisson's (vi rdadeiras), caixa.
Ditas de Vallct, vidro de 30 pilulas.
Polgala senega, libra.
Polpa do tamarindos, icem.
Pomada mercurial, idem.
Ponas do viado calcnalas, idem.
Pus do Rogg, vidro.
Putaa caustica, onca.
Potes de I a 8 pacas, d .zla.
Piecipiado rubro do mTcurio, libra.
Protoiodurelo de mercurio, onca.
Prgame do Le Hoy francez, garrafa de 6/.
Quaeiu, libra.
(jama em casca, idem.
Dita em no, Idem.
Raiz de alcasss, idem.
Dita de altlicia, idem.
Dita de espargo. idem.
Rezina de ahgyjo, idem.
Dita do batata, onca.
Dita de guaiaco, idem.
Ituilwrbntai n, libra.
Sabao branco aniygdalino, dem.
Dito |)ara opodldok, idem!
Sabonetes de ak-alrio (Antonio Xeves daCoita),
duzia.
Sal amargo, Huta.
Salsa hortence, idem.
Salsaparrilha, arroba.
Saccharureto de oleo de bacallio, caixa.
Sassafras, libra.
Scilla, idem.
Senne, idem.
Sementcs di angelim, onca.
Serpentaria, libra.
Spermacele cm rama, idem.
Solucao de proUodureto de ferro, onca.
Slramonii, libra.
Subnitralo de bismutli, idem.
Sueco de grozclles francez, garrafa.
Sulfato de ferro, libra.
Dito de soda, idem.
Dito neutro d atropina, onca.
Suspensorios escrotacs, duzia.
Tansagem, libra.
Vidros eom rolhas de I 4, duzia.
Dilos para opodeldok, dem.
Vomitorio de Le Hoy francez, vidro.
Vinho de jurubeba, garrafa.
Dito de Cervisart, dem.
Xarope de Rmrgois, vidro.
Dito de espargo, dem.
Dito de Qny, idem.
Dito de hyodureto de Giberl, idem.
Dito de jurubeba, idem.
Dito de Labellony, idem.
Dito de Lamoureaux, iiem.
Dito de afi, idem.
Dito de peiioral inglez, idem.
Dito de quina ferruginosa de Grimant, idem.
As possoas que quizert ni fazefdito fornecimen-
to, devem apresentar suas propostas em cartas fe-
chadas, at o dia 23 do presente mez; e dar fia-
dores, que se responsabiliscm pelo fiel cumpri-
mento do cenjrato.
Secretaria da Santa C.sa de Misericordia do Re-
cife, II de junhode 186?.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Livros em branco 13 pollegadas.
LapiS {M'AlOS.
dem de cor
Podras Ir ouxa u. I par
Idom>dV2, idi-m.
I
fornetimetilo de eangfea ow railhrr pillado,
' \ero>. p de "mimo- -?em ser potaditi
tinta preta
Fita de
Secretaria
do Recite, 4
dem.
lilil
[garraG..
duz'ra.
Santa Casa da Mise
junho de 1869.
O escrivSo
Pedro Rodrigues de Souza.
0ii8idadb^profSt\ai.
Pela mesa to cownlado pnrirSial *e fazf^to- km fmfr^p^r
de janlio vindouro,
publico que, no dia Io
se principiam a contar os 3() dia6 uteis
para a cobtanca bocea do cofre ^os^Wi
postos: da dcimo urbana, de 5'"/0 srrore
os bena de raiz pertencentes coiporagues
de mo mora, 6"df0 *0 d. consumm
de agurdente- relativo ao 2o semestre do
anno tinaneciro vigente 18981860, e que
fi-am sugeitos 5 multa de 6 % todos os
dbitos que fdrem pagos depnis de findos
os referidos fi dias>- t> (
Mesa do consulado proviocial de Rjr-
nambuco, 25 de mait de 1867.
Antonio Carneiro Machado Iiios
Pela recebedorja de apdas internas
geraes", se faz publico que ageste corrente
mez de junho, que os devedors do impos-
to de 20 por cento da decima de mo mor-
a e do imposto especia! sobre casas de
movis, roup etc, fabricados em paiz es-
trangeiro teem de pagar, livre de multa, o
! semestre do exercicio corrente de 1868
!860, depois do que ser cobrado com a
multa de %.
Rficebedoria de Pernambuco 2 do junbo
de 1869.
O administrador
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
imada e est
Kifcwimen-
lorraVv
liara os nav
i I ambA o cdBSPlho,
jnencionado dia 19 do^.
" mve a compra dos objectos
da .armala, segpiutt-
estatihado, 0 aWb3 d&Hinl
rossa, 6 arrobas de linha de b,
Jle^reias francezas, 1 n
signa 8 para navio, 2 pecas d
lerrinas de (erro estanhado, 20 tira Iinhas
1.000 tijoilos de, fe, .40 gtmtoy\f tor-
cida iyraMatc2>9/bjr|cl fecrtartte
00
covados de damasco verde de laa eseda,
HO resmas *fc papeU liaaco Wnco, 20 ar-
robas do. estupa de a lu ida.). 8 "arrobas de
miallinrb'rnnco. ^00 covad^i de fileli ama-, Hermeiicr/itro AgaUmtO Clines
relo, 260 ditos de dilo encarnad". 260 di-
tos de dito branco, 'iOO'dios da*dito azul,
e 20 cadinhbs d lapis aorlidos.''
Sala das sessoes do conselho de compras]
navaes, 11 de junho de 1860. I
O Secretario I
QeQiidre/flty fjtcs dfa.injos,
ntreriael
de ferro
de barca
rea lina, 10
tmenlo de
mdaresa,
a linha
%&
;laW<
Ixioana- d aavegacao cosleifar achou lodos ojsc
objectos em fritado de poderuui os vapore ua-
ns|;rccaixlo arsenal de m?fi*ia de Pernamfeu-
co % do- juirlw de ai.
O inspector,
II. A. Barbosa de Almeida.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EHPHEZA DBAfflATICA
DK

UiUUkfiila Ll int-'ti*ni'i*;lA
I/Clltymftf fJ^ IMntTilvyWW
O rospeclivo Sr. capilao commandame recebe no
dia 21 dj corrente mez, a 10 horas da manhaa,
n secretaria do mesmo deposito, propostas para o
fornecimento de capim de plaa, mel, mllho e
farell, para o semestre oeste anuo.
Adverte-se, que, as propostas deverao s.er re-
met idas m cartas fechada?, dirigidas ,'io masmo
Sr. commandante. o devena os sffhoft ptopo-
utes guiarem-se pelo novo svslema de pesos e
medulas.' <
Quarlel no Campo das Princezas 12 do junho de
Luiz Jos de Souzi,
Alfores, 2" commandante.
Santa Casa da Misericordia
do Eecife.
De ordem dolllm. Sr. inspector da
thesouraria da fazenda desta provincia, se
previne aos Sis. teaentes Joo Eduardo
Pereira Borges, Jos Alves de Siqueira
Barbosa e o alferes Jos Irino da Silva
Santos, que segundo resoluc3o tomada em
sess3o da junta ficam obrigados ao juro de
9 por cento ao anno, contado do dia 24
de maio ultimo posterior a aquelle em que
s findou o prazo qu i lhes baria sido mar-
cado para recolherem a esta thesouraria o
Io, a quantia de 1:6^.8,5160 rs., o 2o, a de
200i$000, e o 3o, a de 1000000 porque se
acham responsaveis para com o fazenda;
assim como que se lhes far effectiva a im-
posigo da multa do art. 36, da le n. 627
de 17 de setembro de 1851, se atofim
de julho prximo vindouro nao houverem
effectuado dito recolhimento.
Secretaria da thesouraria da fazenda de
Pernambuco H de junho de 1869,
Servindo de. official-maior.
Manoel Jos Pinto.
Santa Casa de Miseri-
cordia do Eecife
A Illma. junta administrativa da Santa
Casa de .Mirericordia do Recife, recebe pro-
postas para o fornecimento dos objectos pre-
cisos para a secretaria da mesma Santa
Casa, conforme a relac3o abaixo, pelas 4
horas da tarde do dia 25 do corrente na
saja de suas sessbes:
tapel pautado Fime, resma.
dem idem liso, idem
dem idem linho azul, idem.
dem linho liso, idem.
dem para officios, timbrado.
dem florete.
dem linho, pautado.
Hollanda grande, caderno
dem Jes, idem.
dem Resin, idem.
dem idem. idem.
dem Ec, idem.
Mata borro, folhi.
Par de pastas para guardar pepeis.
Pennas de ac Perry.
Caetas.
Pes de obreias.
Tinteiros de lato.
Garrafas de tinta.
TalSes de conhecimentos (impressoes (
encardenaco).
Livros em branco de 16 pollegadas.
Livro sem branco streitos.
Santa Casa la Misericordia do
liedle.
A Illma. junta administrativa da Sapta Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes, no dia 17 de junho, pelas
quatro horas da tarde, Usm de sor arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
tres anuos, as rendas dos predios cm seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra Direita.
obrSado de dous andares n. 8. 1:0675000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 47...... 170,5000
dem idem n. 63...... 176*000
dem n. 47. 49....... 1705000
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 30....... 1775000
dem idem n. 34....... 1685000
Idam idem n. 36....... 1785000
Ra do Calabouco.
Casa terrea n. 18...... 3005000
dem n. 20........ 2425000
Ra da Cadeia.
Sobrado de um andar n. 23 6845000
Ra da Mocda.
Primeiro andar do sobrado n. 37. 7C>5000
Segundo andar dito...... 965000
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1....... 1005000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Senzalla Velha.
Sobrado de dous*ndares n. 136 6005000
dem idem n. 134...... 6005000
dem dem n. 132 0 6005000
Casa terrea n. 18 : 2065000
Casa terrea n. 16....... 2065000
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27...... 144*000
Roa do Trapiche
Sobrado de tres tandar n. 30. 652500
Ra da Lingueta.
Sobrado de dous andares n. 14. 5765000
Larqe do Pcraizo.
1.* loja da frente do sobrado n. 29 1615000
2.' loja da travessa...... 1215000
3. dita dita* ....... 73*000
Ra de S. Goncalo.
Casa terrean. 22...... 1965000
dem idem n 24. 0 1965000
Ra da Madre de Deus
1. e 2. andares do sobrado n. 1. 3005000
Loja do mesmo....... 8005000
Idem n. 4......... 1:0515000
Azeite de Peixe.
Sobrado de um andar n. 14 6505000
Casa terrea n. 2...... 4525000
Ra da Cacimba.
Casa terrea n. 5....... 1505000
dem dem n. 12...... 1405000
dem idem n. 10....... 865OOO
Ra do Burgos.
dem n. 21........ 1465000
Ra do Vigario.
Sobrado de tres andares n. 22. 8525000
1." andar do sobrado n. 27. 2405000
Ra do Encantamento.
Casa terrea n. 7....... 2005000
dem idem 9........ 2005000
Madre de Deus.
Sobrado de nm andar n. 9. ... 360*000
Casa terrea n. 22....... 1:0005000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................ 1465000
Idem idem n. 103.................. 2025000
dem n. 110..................... 2035000
dem n. 98........................ 2035000
dem n. 96......................., 2025000
A Illma. junta administrativa da Santa Ca=a
de Misericordia do Iteeife, na sala de suas sessoes,
pelas 4 horas da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe prop islas para o fornecimento de pao e bola-
cha, que houverem de ser consumidos cm todos os
estabelec intentos pios sen cargo, lauto desta ci-
dade como da de blinda, nos mezes de julho a
setembro vindouros.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de junho de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
&ECOTA CONCEDIDA A FAVOU DE
Vianna.
QUARTA-FEIRA 10 DE JUNHO DE 1869.
Representar-se-ha pela ultima vez a muilo ap-
plaudula comedia em 3 actos
0 PASSARO fflL
Segne-se a> representado da scena dramtica
lelo Sr. Joaquim Augusto
CERRACO NO MAR
Dar fim ao espectculo a segunda representa-
cao da chistosa comedia em 1 acto
Um marido as palminhas
Comecar as 8 horas.
O beneficiado um Pernambucano que tudo
espera dos seus comprovincianos.
THATRO
Gymnasio Campestre
O espectculo que devia reahsar-se hoje,
ter lugar sabbado 19 do corrente, em be-
neficio de madame Poppe. O programma
ser previamente annunciado.
AVISOS MARTIMOS.
Santa Casa de Misericordia
do Recite
A Ulma. junta administrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recife, na sala de suas sessoes,
pelas 3 horas da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe propostas para 0 fornecimento de gneros
que houverem de ser consumidos cm todos os esta-
belecimentos pios sen cargo, tanto nesta cidade
como na de Olinda, nos mezes de julho a setembro
vindouros.
A saber :
Assucar retinado, kilogramma.
Dito de 2" sorte, idem.
Dito de tonrao, idem.
Aletria, idem.
Arroz do Maranhao, idem.
Azeite-dee, litro.
Agurdente, idem.
Azeite de carrapato, idem.
Racalho, kilogramma.
Batatas, idem.
Caf em grao, idem.
Cha preto, idem.
Cha nysson, idem.
Ceblas, cento.
Carne verde, kilogramma.
Carne secca, idem.
Farinlia de mandioca, litro.
Fumo do Rio, kilogramma.
Feijao molatinbo, lilro.
Farello, sacco.
Manteiga franreza, kilogramma.
Peixe fresco, idem.
Sabao, idem.
Sal, litro.
Velas de carnauba, idem.
Ditas stearinas, kilogramma. ,
Vinagre, litro.
Vinho tinto de Lisboa, idem.
Dito branco, idem.
Toucinho, kilogrammo.
Os concurrentes poderao apresentar suas pro-
postas em cartas fechadas, as quaes deverao ter a
ordem estabelocida no presente aununcio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de junho de 1869.
0 escrivo,
Pedro Rodrigues de souza.
COMPAA MMM
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 22 do corrente o vapor
Guar, commandante o primeiro
tenente P. H.Duarte, o qual de-
pois da demora do costume se-
Para Lisboa
Segu com toda a brevidade a barca portugneza.
Jante /7/por j ter parle da carga prompta ;
para o que llie falta e i>nssageiro, tiaia-se eom oh
consifnatarios Oliveira, Filhos & C, largo do Cor-
po Santo n. 19, ou com o capilao na praca do
oommercio.________________
Para o Rio-Grande do
Sul.
Deve seguir cintro etDOUcos dias a
tarea nacional tifreza 1', c ainda recebe
alguma carga frete: a'tblar na ra do
Vjgatu n. 1, escriptorio de Bailar, Oli-
veira fr t.
PARA LISBOA
*-Seguifa cun a maior brevidado possivel 9 bri -
gne portuguez Constante J, por j ter grande par-
to da carga prompta; para o restante e passagei-
ros, trata-se com os consignaiari is Oliveira, rabos
& C., largo do Corpo Sanio 11. 19, ou com o capi-
|3o na praca do coininercio.
RIO DE JANEIRO
Segnecom brevidade para o porto cima, o br-
gue nacional Damao ; tem parte do srn carrega-
monto encajado, para o resto i|uelhe falta trala-se
tim os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C. ra da Cruz n. '7.
~ha de STMguel
Para o porto cima segu com nimia brevidadi
o patacho portugaez Jorgense por j ter prompta
quasi toda a carga : para o resto que Ihe falta c
passageiros, para os qnas tem bellos commodos.
trata-sc com o consignatario Joo do Reg Lima,
ra do ApoUo n. 4. .
MaranMo
Segu com a maior brevidade o palhabo
te Emilia, ainda recebe rlguma carga
frete: tratar com S Leitio Irmos, ra
da Madre de Deus h. 1.
LEILOES.
guir para os portos do norte.
recebem-st
carga que o vapor pod
ser embarcada no dia desuachegada. Encommen-
das e dinheiro a freto at as duas horas do dia da
saa sabida.
Nao se recebem como encommendas sena 00-
iectos de pequeo valor e que nao exeedam a_
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passardestes limites dever ser embar-
cado como cai^a.
Previne-seaos Srs. passageiros que suas passa-
5ens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C.__________
\l
Do um piano de Jacaranda, 1 mobilia com 1
sof, 1 mesa e 2 consolos com pedia, 4 cadeiras
de bracos e 12 df guaroicao de Jacaranda, 1 can-
delabro", 4 casticaes c manas, 1 relogio, 1 rico
quadro, descanso de ps (dourad ,s), porta musi-
rs, mesinhas, 1 dita de charo, 1 mesa de es-
criptorio, 1 jugo de gamip, 1 cama franceza, 1
guarda roupa, 1 commoda, 2 mesas de
acaran
da, 1 lote de Cira para forro de sala 2 cadeiras
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a de balan?, 1 mesa clstica, 1 apparador, 1 ap-
rga que o vapor poderr comluzir, a qual dever parelho de porcelana branca para jantar, louca
COMPANHIA BARSILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 28 de junho o vapor
Paran, commandante o capilao
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir para os portos do
sul.
Desde j recebem-se passageiros c engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 2
horas. -
Nao se recebem como encommendas senao ob-
|ectos de pequeo valor eque nao exeedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
1 andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo c C.
dem n. 94....................... 2405000
dem n. 100......., ,. .. ,.......,- 201*000
Sitio n. 5 no Forno-da Cal........... 1505000
Sitio grande do Parnameirim n. n. 4005000
dem da Mirueira u 4.....* 106*000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematacao as suas ancas, ou comparecerera
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 12 de junho de 1869.
O escrivo.
Pedro Rodrigues de Souza,
CONSELHO E COMPRAS NWAES
O conselho contrata no dia 19 do cor-
rente mez, avista de propostas recebidas
at as 11 horas da manhaa e sob as condi-
ces do estylo, os serviros de barbeiro
enfermada de marinha, e da lavagem de
roupa da mesma, durante o exercicio pr-
ximamente vindouro ; assim como por tres
mezes at setembro do corrente anno, o
Santa Casa de Misericordia do Re-
cife Mdejnnho de 1869.
A illustrissima junta administrativa da Santa Ca-
sa de Misericordia do Recife, manda fazer publico
que tendo-lhe sido requerido o arrendamento por
nove anno? do sobrado n. 23, sito ra da Cadeia
do Recife pertencente ao patrimonio dos estabele-
cimentos de earidade, pagando o arrematante a
renda annual de 1:0005000 e concorrendo com o
donativo de 2:000.$000 para auxilio do cofre res-
pectivo, c fazendo a sua custa, tanto a frente do
predio que deita para a ra da Cadeia, como a da
ra do Encantamento, segundo o svslema moderno
conforme as posturas da cmara, com portadas de
pedra, canos para esgoto, toda a coberta, traveja-
mento e soalhos aovos, com repartimentos ou em
saoes, empregando na obra materiaes de primeira
qualidade, aproveitando o que esliver em bom es-
tado, obrigando-se a comecar a obra dentro do
prazo de tres mezes e acaba-la no de doze mezes
fazendo-a sob a nspeccao dos mordomos de pre-
dios ; e podendo acontecer que existam outros pre-
tendentes que mais vantagens possam offerecer,
recebe proposlas n'este sentido, na sala de suas ses-
soes at as 3 horas da tarde do dia 28 do cor-
rente.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife 14 de junho de 1869.
O escrivo
Pedro Rodrigues de Souza.
I nspeccao do arsenal de
marinha.
Faz-se publico que a commissao de peritos,
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854 os cascos, machinas, caldeiras, apparelhos,
mastreacoes, vclames, amarras e ancoras dos va-
pores Poteng e Parahyba da compauhia Pernam-
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco eostelra por vapor
Macei emdireitura e Penedo.
O vapor Jaguaribe, comman ante Moura, segui-
r para os portos cima no dia 22 do corrente
as 5 horas da Urde. Recebe carga at o dia 21
as 3 horas, encommendas, passageiros e dinheiro
a frete at as 2 h 'ras da tardo do dia da sabida :
no escriptorio do Forte do Mattos n. 12.________
COMPANHIA. PERNAMBUCANA
DE
Navegacuo costea por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
<**! y O vapor Parahyba, commandante
/V\a Mello, seguir para os poitos cima
fnfr no dia 21 do corrente a meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, n i escriptorio do Forte do Mattos
n. 12. _________
Para os portos cima segu com brevidade a
barca portugueza Clementina, tem parte do seu
carregamento engajado, e para o resto que lhe
falta, trata-se com os consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo 4 C, ra da Cruz n. 57.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Havegaco eostelra por vapor.
Goyanna
O vapor ParaJiyba, cora-
mandante Mello, seguir para
o porto cima no dia 16 do cor-
rente as 9 horas da noite. Recebe
carga, encommendas .jiassageiros
e "dinheiro a frete no escriptorio do Forte do Mat-
tos n. 12.
para cha, copos, clices, garrafas, talheres, 1
quartmheira, I cabide, 1 sof, 12 cadeiras, mesas
e outros objoctes ae casa de familia.
HOJE.
No 2o andar do sobrado da ra da Impe-
ratriz n. 34.
O agente Pinto lar leilio por cona de nina
familia que m dou de residencia, dos movis e
mais objectos cima mencionados existentes no S*
andar do sobrado da ra da Imperatriz ,n. 34, on-
de se pffeetuara o leilo.
Principiar as 10 horas.__________________
LEILAO
De dividas na importancia de rs.
3:663#482.
O agente Martins levar notamente, por despa-
cho do lllm. Sr. Dr. juiz especial do commercio,
as dividas cima pertencentes massa fallida de
Silvestre Pereira da Cuntu, servindo de base a
offerta do ultimo leilao.
HOJE.
No armazem da ra do Imperador n. 16, as II
horas do dia.
LEILAO
DE DIVIDAS NA IMPORTANCIA DE RS.
42:019^078.
O agente Martins far leilao por autorisacao do
lllm. Sr. Dr. Clandino de Araujo Guimares con-
sol de Portugal, das dividas activas pertencentes
ao espolio de Manoel Tavares Cordeiro, na impor-
tancia de 42:619078.
HOJE.
No armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
horas do dia.
IEIIAO
De urna mobilia de Jacaranda, 1 piano forte, me-
sas, cadeiras, 1 aparador, mesa elstica, 1 cos-
tureira e outros movis.
Urna alcatifa (forro de tapete avelludado para
urna grande sala), louca, vidros, relogios e ou-
tros objectos.
HOJE.
no 2o andar do sobrado da ra da Imperatriz nu-
mcro 34._______________________________
LEILAO
Do patacho Inglez Eliza e Ja-
ne, condemnado por Inna
vegavel, e de seu lastro de car-
vo de pedra em Cafoedello.
Parahyba.
Jos Erancisco de Athayde e Mello, agen-
te de leiles- desta praca, autorisado pelo
Sr. John Mitchinson, capilao do patacho
inglez Eliza e Jane, naufragado nos bat-
xos de Lucena, nesta provincia, no da
30 do mez prximo passado e presente-
mente fondeado no porto de Cabedello,
far leilao do dito navio com toda a sua
mastreaco, vergas, vellas, cabos, cor-
rentes, ancoras etc, que tiver a bordo,
como tambera urna lancha- vendendo-se em
separado smente o lastro de carvo de pe-
dra, constante de 42 toneladas. Ter lu-
gar o leilao abordo do mesmo navio en
AOMNEL
RA
EO
______________________ CABUG
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre nm sortimento sem ignalJ esquina
e vende por precos que nenhuma outra casa pode vender. j j-jJda ra largado]
vista da qualidade e do preco das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.l 6 ,
Garante-se er tudo de lei. Compra-se ouro, prata e peoras finas por precos mmto ele- Rwano. i
va 0S" A loja esta aberta at as 9 horas da noute. ~
5f
_______________


Diario de Pernambuco Quart^ feifa 16 fe jnnho d(J 1869>
CabedcHo no dia 19, do correte as 11
horas da manpaa, na pre^enca do lllm. Sr.
vice cnsul de S. M. Britnica e ser feto
por conla de quena pertencer, pagando o
arremtameos direitos iiscaes e cinco por
cento de corretgem.
Parabyba 14 de junho de 1869.
O agente,
fos Francisco de Alhayde e Mello.
Ama
LEUAO
i ro-
c fer-
ilr lote de ferro fundido,
da com dente, i calxa
raiaeutas. .
Sexta-feira 18 de junho
a< 11 horas em ponto, por cania e risco de quem
pertencer, no armazem da rna do Brmn n. /i,
por inlervenao do agente Pinto.
Jos Gomes Villar retirando-se temnorana-
mente para fura da provincia dNxa cotilo scus
procuradoro> nesta cidade para traiarem de todos
Bs scus negocios comnierciacs aos Srs. Adriano
Augusto de Alraeida Jordao c Dr. Laurino de
Moraes Pinheiro. Os Sr*. Antnnes Guimaraes &
O, i na do Crespo u. 17, lc*fc encarregados de
reoehei-em ldas as cenias de tivro, quer amiga-
vel ou judicialmente daquotles que nao souberem
cumpnr com os seus deveres. Ao Sr. Adriano
Augasto de Almeida Jordao podero se dirigir
todos os mcus devedores por letras c paga-las.
Precisa-se de tima ama par.i cosinhar : na na
Nova de Santa Rita n. 53, secundo andar._______
Na na do Hangel n. O, precis-se m*
ama para o nrrtap interno d<: rtf Sa'. quero
estivor neslas couJicjqs offereca-so.___________
Wde o dia 9 do trrenlo esta fgido um ca-
bra de nomc loaquim, balxo, jtosso, olhos espan-
ta los c enm falla de um dente la frente, levou ves-
tido camisa e calca de algodo da Baha, cosame
app; rocer aqui no Rccifc na ra da Concordia :
quem o pegar poder leva-lo ao Arraial, site do
"rapitao Vianna, que gratifican!. _______ i
" r ruin
JVISTA ANTIGA E CRED1TATA
FABRICA
>
AVISOS DIVERSOS.
\ mi DO SEOIBG
ou
ARTE DIVINATORA
DE
Madame LincA.
Colleccao de aowssimas sortes para as
nortes d S. Jola e S. Podro, I volme ni-
lidaiueiile impresso, LAMO, a venda nu
bazar acadmico ra da huperatriz n. 13,
e m mesma ra no Caf Iinperatriz. '
um dos memores livros de sortes esco In-
dos para divertimentos da presente epocha:
conlendo, alem das interessantes sortes,
diversos inigmns em tinguas strangeiras.
_ Faz-sc todo negocio "com um terreno toado
no lugar ttu;ipba, icrto da Gloria do Grita, on
cida le da Victoria : quem pretender podo dirigir-
se casa n J1V da na nova de Sania Bita.
Jos omiogues dos San os, participa ao res- \
peitavel publico que mudon seu estabefeeimento. o>
mnlhadns da rna da Boa Ora para a ra do Alju-
be n. 21, em frente & ladeira da bica de 3. Pedro
e aproveita a occasiao para agradecer a todos os
moradores daquella rna as delicadas maneiras coro
que sempre o irataram duran!; todo o lempo, qne
alli morou, com especialidade os lllm. Sr?. Pr.
Doming s Soriano, lente Jos Eustaquio Maciel
Monteiro, capitao Antonio Goedes Alcoforado e
Caudido Eustaquio, digna subdelegado em ejerci-
cio da fregueria de S. Pedro Jltrtyr da cidade de
Olinda.________^_______________________
Pedido a polica,
Tendo o abaixo assignado entregado honlem don
bahs c urna troUla de roupa suja a um matute
upe disse ehsmar-se Antonio Francisco para oon-
dntir dfsla cidade para Jaboatae.acontcce qne ni'i
s nao deu coniadestcs ohjcctoa, como m\m mesmo
pparecou no dito raga1', por isto pede o abaixo as-
signado as autoridades polirines a apprehensiio de
ditos lhns, que sao de couro, com quatrn e mel
palmos cada um, spndo mu aovo e. outro usado,
nulo rheios de roupa de houicm e Senhora ; den-
tro de ain dos balui* ia um pequeo bahsinho de
llandi-es, conlendo um relogio de ouro patente
-ii-m), um altlncte de peta, um tranceln), brincos,
roretas o nutros ubceles.
O manilo de oet ijtarda oscura, moro, com
pnuea barba, magro c altura emular ; disse conhe-
eoc em Jaboalao diversas pessoas conhecidos e
amigos do abalto Signado. Honlem mesmoqftsn-
de as i lunas da larde o abafo O assignado com sua
familia se dirigi in um carro para Jahoaio, pas-
sou pelo mesuio matulo no aterre dos Al'ogadr.s o
que leva o abaixoassipnaJo a crer nos suburbios os Afiliados ou Varzea.
Apprebendidos os objeclos poilem ser entrecues
ao ahaixo assignado.cm Jabitao ou ao Sr. Joan
I.iii7, Vianna na ruados QuartJis n. 22, uesta ci-
dade.
Reeife 13 de junho de 1869.
Joaiptim ljmivnp) de Barros. _
CLUB PLINAMBUUAiNO.
A partida do crrante m-z, ter lugar na
noite do dia I!)._____________
' r.i'seja-se .sabor onde mora a Sra. 1). Mana
Seraphina Alves Terxeira, Riba do cap'nao do 8"
bataUfu) de l'liulia, a negocio de sen interesso .
nesf typ f rapbia se dir quem lite tstj* fallar,
"~^Os abaixo a nados participam ao iwblico
e esiieeialmente ao espeilavel cxirpo do commer-
cio, que temi (indo o contrato de soeiedade que
liuhain soh a firma Francisco Gaido &. Hermano*
no liol-l Central, e deposito de charetos, no andar,
terreo do inesmo, se acba desde maio prximo
passado dissolvidr. dita sociedad, ficando porten-
eendo os nwnetenndos cstabeleclmeirtoa exclosiva-
menie ao socio Francisco Gaido, a cargo de
qu. ni lambem Boa lodo o activo e.passivo da nies-
hk' socii-dade. O primeiro abaixo assignado con-
vida a Indos qne livereni cantas com a exlincia
Orina i iircsentarein seus lulos no mais curto
praso alim de serem pagos. Reffe 11 de junlio
de 1809.
Francieco Garrido.
Manoel Garrido.
pEiKQrrro.
Da-se *.-3000 de pf.'.tilu-oeao pessoa que apa-
,ilioii um pereqrito, fgido da rea Bella, com urna
eorrciile de prta n pe, e qnizer rcstitui-lo, alm
do que liear-se-ba extremama*) agradeddo, po-
ieado entregado na inesma na Bella n. 20.
Ftirtarain do ngenfi Brar, freguezia do
Cabo, 'im cavalio afarao easito, eom os signaes
ules: cauda eomprida, poueo bello e di-
nas, frente aba la o um n (iranio, tam doosra-
uiii sobre, a sarnclhn c outro sobre a peque-
lurosloila jante ao espinbaep, urna ligeira pela-
dura gobrea anca, castrado e anda bemdo bai-
xo al meio largo : qo )01 dalle 6Vr noticia no re-
ferido engenho, ou ra do Caldeirdrd desta
cidade do Reeife n. i, ser beni gratilioado.____
"fifi DA F0HTOA
Aos 4:000i
Bilhetes garautidos.
\ ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
O abaixo assijsiado tendo vendido nos seusmui
lo felizes bilhetes garantidos 2 qusrtosn. 1989 com
a orte de 700J, I meio n. 3330ce-m a sorie de
3021, e nutras :iitas sortes de lOOS, WS e
20 da lotera que se acabou de extrahir em be-
tu'tirio da matriz deMuribeca (10*), convida aos
possuidores a virem receber seus respectivos
premios sem os descont das leir, na casa da
Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 7' parte da lotera
beneicio da matriz de S Loorenco a Malla (410*)
qne ce extrahir .-tobado 19 do carente mez.
Precos.
Bilhete.....iiOOO
.Meio.....2/O0O
Quano.....lOOO
Em purea de I00 para cima.
BHhete.....3f500
Meio......1*730
Quarto..... 873
Manoel Martn? Finia.
COmPAMHIA
DOS
TRILHQS URBANOS
PO
K1XIfrF X9 OIIWOA.
Precisa-so comprar para as obras dos
'trilhos urbanos para Olinda e Boberibe 7
<.u 8 mil sulipas Quem pretender esse
fomecimento pode apresimtar, at o dia Ib*
de julho, sua proposta em carta fechada
ra do Commercio n. 3 V andar, es-
critorio da ^ompanliin, declarando os pre-
cos As snlipas devem ser de 2 m..
."i de eomprimenlo, 5 a -"10 centmetros e
largura e t2 a I* de prossiira,_ das seni-
ntes madeiras: sicupira, embiriba, mara-
preta, barab, arueira ou pinho ebreos olba-
do, dirigidas ao
Superintendente,
Amir Pono.___
No l'-* do corren w desappareceu do
sitio Salgado, frgoezia do Pilar, provincia
da Pajabyba. o escravo Jos, com os sig-
naes seguintes: negro acabrallnulo, 19
annos, cara grande, beicos finos, olhos
n3 j pequeos e compridns, cabello carap;-
ttta, qucixo largo, boa dentadura, d-
dos do p direito en.urvados para a es-
querda, joelho sqoerdo envergado para
dentro, fazendo remar o p para fra, mar-
cas'de chicote as costas, de um mez pou-
eo mais ou menos.Suspeita-se ter sido
sedozido por alguem para vir vende-lo
nesta cidade. Quem o descubrir dirija-se
ao seu senhor, Candido Augusto de Brito,
lugar cima indicado, ou ao Bvm. Dr. Joa-
qnim Graciano de Araujo, Poutc-Velha n.
20. que ser generosamente recompensado.
r
f!
Precisa-se de urna mulher qne saiba epgommr.t
para urna casa de familia : a tratar na ra da
l'adeia do Reeifen. 18, 2-1 andar.
Agencia de jornaes
Rna do Crespo n. 9.
Ncsta casa reeebem-se asignaturas para todos
os jorn.es de Europa e Brasil, politivi?, llera
rio?, Ilustrados, de leitura, de modas para senho-
ras, de gurinos para al/aiate?, eabeilcireiros, cba-
Itellaria, de rellgiao, de p'iilosophia, de direito, de
jnrisprodeneia, de medieina, de pharmacia, de
coinmercto linancai e ee.onomia politira, de agri-
cultura, das artes engeuharia e arebiteetura, de
sciencias, de historia geographia e vi^genn, de pe-
dagoga, de pintura e msica, de phvwgraphia, de
cafa, de magnetismo, de maeonnaria, de spr-
tinno, etc. As assignaturas pajsam-se no aeto de
ubscrtver.
LIVRARIA FRANCF.ZA.
O bacharel Francisco ddilon Tavares Una
abri escriptorio de advocarii ra do Imperador
n. 39 (entrada pelo becro n. VI), encarregase com
zelo e aetivdade de qualquei trabalho inherente a
sua priilissao, com especialiiKdc as questfies cri-
mes e comniTciaes. ________________
O abaixo assignado faz seiente aos seus de-
vedores que nao iiaguem a p&soa alguma que se
aprsente em seu nonic para receberem, e smen-
te poiem pagar ao mesmo abaixo assignado.
Domingos Francisco Rainalho.
Frecisa-se de uuia ama para servicu de ca-a
de pouca familia : no becro da Cacimba n. 2, cm
frente a ra do Vignrio, 2" andar. ____^_____
Precisa-se alagar um primeiro ou segundo
andar que esleja linipo e que seja na l'rcguezia de
Santo Antonio : a tratar na i na da Cruz, armazem
n. 38, das 9 as 3 horas da la-de ; ou na ra dos
Ossos n>. 22 e 24, a qtiahiii'T hora.
ANA
FOGOS
Na amiga fabrica de fogos de artificio da viuva
Rufino, existe um completo soriimento de rodi-
nhas, craveiros e pistolas, objeetns propnos para
os festejos das nortes de Santo Antonio e S. iao.
tado p<'r commodo preco, o como seja a fabrica
distante da cidade, as pessoas que qnizerem fa-
ler sua; encomroendas, poderao leva-las no arma-
zem da bola amarella, no oitao da secretaria da
policia. onde lambem acharao as amostras.
Prei'isa-se de urna ama para todo o servico de
casa de urna familia composta de tres pessoas : na
ra Helia n. 3.____________
Da-se soeiedado em un eslabeieciment de
molhailos na melhor localidade desta cidade, a
urna pessoa que entro com algum fondo para o
mesmo, e que tenha conhecinento do negocio : a
tratar na travessa da Madre de Deosn. 1.
O pro essor de latim da freguezia de S. Jos
desta cidade, abano assignado, declara ao publico
que continua a estar aberla a matrcula de sua
aula : quem se quizer matricular na mesma, di-
rija-se ao sobrado n. 3, no largo da ri eir da re-
ferida fregnezia.
Manoel Frauciseo Coelho.
iv mi i mi
na na toa n. S9, loja defer-
ragende SobiuV Giinarflos.
Os proprietarios dest elmenfo avisara
ao respeitavpl publico que existert a amostras dos
'inalslmdns fogos artffleiaes para osf stejoios
dias dos gloriosos Santo Antonio, S. Jlo e S. Pe-
dro, das melhores fabricas desta cidade, assim
como diversas quaiidades de fogoe/'hinezes, pro-
priiH para senhoras e criancas, comprehendendo
laubeii) urna nova qaalida> je traqoe.s amerca-
noe, M qnaes admira sna bondade peJw-ecu m-
queno lamnnho, o que so eom a presenea dbs com-
pradores, poderao cerllear-se da verdade.
m Um moco ebegatk h# tres dias do Ro de
Janeiro, deseja sabor onlo mora o Sr. Jos de
Soaza Jorge.
Ama de leite.
Prvcisa-se de urna ama de leite: na ra Nova
Cozinhiro.
fteeisa-se de um bora cozmbeiro : na ra lar-
flioiUfarioaH.
IICMT11 II CMSTilTIIIITI I CIIPLITO II1I1IIT It
CHAPEAS BE SOfc:
De todas aa qualidades I
De todo* os feios I
De todas os preces I
RA DO CRESPO N* 4

ROM 11
O otMnmendador Tasso,
toseja alugar por mdico
pre?0 as baixas e alaga-
dos, do SDu sitio do Go-
onda, s quaes vjo des-
le aponte da estrada no-
va de Beberibe at_quasi
a sUdtid venia ao lagar de Agua Fria,
:omprehende,ndo urna grande ilha, qual
assim toma as referidas baixas se pre-tam
muito a planlaQo de capim, arroz o qual-
quer nutras plantas que percisam de trra
Iresca lodo o anuo.
O referido commendador nao duvida fa-
ter arreudamnto tlesses terrenos' e laga-
des por fi ou mesmo 9 annos, e dar um
aono do fogo nimio a quem der fianga
idnea e se obrigue a rotear os mesmos.
Gyranasio Campestre
E' ao Sr. Procopio de Sena Santiago,
ponto deste Uteatro, que s eseja fallar na
ra Direita n. 'i, a negocio que nao lbe
deve ser estranho.
LIQUIDACO
Liquidapao!!! Liquidapo !!!
de prepos
reduzidos. na ra do Crespo n. 17
mi ir mu:
i'reeua-u de tuna ama de leite, pre.ferese a
mulher livre e sem lilho : na ra das Cruzes n.
3i, 2a andar.________________________
ASTIlffi Gil
ac
Camisas- francezas e ingiezas de todas as qualidades.
Ditas bordadas para senboras.
Saias bordadas para senboras e baloes de todas as cores (novos).
Ricos cintos de setim com enfeitc da mesma cor para cabeca (novo goslo).
Muito sortimei to de lencos bordados, fronhas, bicos e rendas, tudo da trra,
bnra gosto, e ricos cortes de vestidos de taiiatana bordados, fazenda de gosto, proprios
para casameotos, e vestuarios le baptisado de muito gosto.
Alpacas lisas de todas as cores, fazenda nova.
Ricos corles de vestidos de blonde para casamento?.
Pompolinas de linbo e seda, gosto nteiramente novo.
Damascos linos de todas as cores eom duas larguras.
Riqusimas colchas de seda adamascadas de todas as cores.
Cortes de seda de cores e de sarja lavrada de muito bom gosto.
Sedas de todas as cores e de lindos padrees.
Seiim macu braceo e gorgorito preto, grosdenapoles de todos os precos e
qualidades.
Poil dt- ehevies de indos gostos e novos.
Riqusimos liclis pelos com mangas (ultima moda).
Colchas adamascadas de algodo de todas as cores.
Casaquinhos de cores para senhoras, ditos de gorgorito e grosdenapoles preto,
muito bom gosto.
Casinetes de cores finas e pretos, e pannos irnos de todas as qualidades.
Chitas, brilliontinas de .ores, percalas, cambraias de cores c brancas, tudo por
presos muito baratos,
Os novos proprietarios Testo estabele-imento esperam das exceli.entissimas
senhoras para que mandem ver a realidade de tuib) aeitr.a anotado, mandam amostras,
assim como esperam de seos amigos a edncorrenot, e alliancam vender por menos do
que em outra qnalqner parte, srnntc pora apurar dinbeiro e:acreditar a distincta 6
nova firma de
ANTUNES GUMARiES ft- C.
O abaixo assignado participa ao respeitavel
publico c com especialidade ao corpo commercial.
cpie tendo de retirarse para a Europa a negocio
e temporariamente deixa na gerencia do seu esta-
belecimento silo a ra da Cadeia n. 36, o seu cu-
nhado o Sr. Carlos Frese c o Sr. Leonardo Anto-
nio do Espirito Santo Porto, competentemente au
torisados e habilitados para este fim. itoga-se
porlanlo, aos seus amigos e freguezes qno conti-
nen) a dispensar a me-ma confianza, com qua
sempre se dignaran) hnra-lo, certo de que suas
ordens serao executadas com zelo e aetivdade.
Francisco H. Caris.
ATTENCAO
Na typograpbia do Liberal, n. 48, ra
do Imperador, existem folhetos impressos
conlendo o programma do centro liberal,
os quaes se vendem commodamente.
Alagase a loja do sobrado n. 32, sita na pra-
ca da Boa-Vista, tendo eommedos para msiquier
estabelecimento : a tratar na rna do Alecrn
n. 3(1.
Precisa-se de
0.31.
urna ama: na ra do Pge
Na ra Direita n. 2, loja de ranileiro, ou m
povoado dos Montes, precisa o abaixo assigaad
entender-se com Sr. Manoel Calisto de Sonta a
negocio de sen interesse ; isto no praso de tres
dias. Recifc 18 de mao de 1999.
Pedro Duarte Rodrigues Franca.
Criado
Precisa-se de um criado fiel e diligente, livre ou
escravo, para urna casa de familia : a tratar na
ra Bella n. 37, sobrado de dous andares.
a flor do reno
e
9
a
as
e
'm
4
AVISO AOS APBECIADORES
DA BOA FUMACA
------BA FLOR DO FL'MO------
Acabam de chegar novas
remessas de fumo picado,
e cigarros espcciaes do
tabaco do sertao do Para
e Amazonas preparado por
Jos Julio Sampaio Pires,
(do Para), premiado na
exposiro nacional, vnde-
se em seu nico deposito
em Pernambuco, praca da
Independencia n. .'19, loja
de Porto & Rastos.
.Ilustradlo acadmica,
Publica-sc duas vezes por mez o assgna-se as
uaras acadmica e econmica, o nesta typogra-
phia, a razao de 14 mensaes, enlrega do primei-
m numero.
AMA
Em S. Jos do Manguinho, sitio n. 2, antes da
igreja, preiisa-se de duas anas, urna que seja boa
cnrommadeira e^mtra cnzinheira, para pequea
familia ; paga-se bem agradando._________
Da se 1:0003 apremio com hypothecaem
bens de ibrado valor nesta cidade : na ra No-
va, luja de ferrapens n. 31. _______^____
ESCRAVO

m- i
I 3
25 M
i -.
i "?
mmmm
o- 8
(o cr-
.2
immmi
2 a
o
' sr
2 "
3 2. s*
ifis
3 2..-5'
'S
o
o
m
W r^
= a
Cu
n S >"
2 M 3.
(i
3
S
e
r ;;. i !o engenho Pitimb, no dia 10 dn
iveravo Silverio, pn-to, crionlo, de
ida 16 anuos, altura regular, corpolento, rosto
redondo, olhos grandes, falla mansa, e lem o cos-
tume de qunndo falta volver" os olhos para o alt,
este escravo ten principo de pedreiro c caiador,
flliio do Goia'nna, c fot alli escravo do Sr. Jos
Antonio i l Viuquerqne, consta que foi visto nes-
ta cidade : re Minmenda-sc a prisao do dito escra-
vo, e sua entrega a seu senhor Domingos Marlins
PereiraM'ifitcii"', no referido engenho, ou aos Srs
Manoel Alves Kerreira & C, nesta cidade. Gratifi-
ca-se a qnem o apresentar. _________
oz.
-> o
fi.H
^ r* r P r^
? tu "
gkg-SS
e 3 ~
SO-o C Cw
U T (6 O
^ O 8
c

o,
8
-i
o
f, ^*-
-9 3
-55 o 3
3 w 3 S
S- -. 5? u
cp ft ce /:
33 a-.
i a 32
-9 SD o
O v
g"S"|i e
c s^s
|f|fl
35 O- *
3 p,=5' &
5* 2.
O O O "1
a a M

?
O
o
a
W
S
es
-i

Si
um sobrado rectificado de novo e com commodos
para familia, cm Santo Amar) n. 17, estrada de
Olinda ; a tratar na mesma, cunapraea da Inde-
pendencia n. 22. ____________^^^
Preeisa-80 alugar pin sil uurtoda.MMh
ou entao sendo Capunga, Soledade, Manguinb..
estradas de Jnao Pernandes Vkira e Jlo de Bar-1
ros quem tiver dirija-se a mi de Santo Amaro, I
coeheir^do Sr. Thomaz. {
CONSULTORIO MEDICO CIRI RlilCO
DO
M. P. A. LOBO MOSC0S0
3Boa da Gloria sitio do Fundao3
- OHJl m ffl*!fflB
Consulta toflos os dias ddeii 1 hdws da manhaa at as II.
Visitas era casa dos doentes de il horas em*aote, em caso argento a qualquer
Hora do di orj Ai noite.
Nao se recbem chamados senJo por escrpto era que declare o nome da pessoa,
toda ra- eondrfrrb atuta
Especialidade em partos, operacSes, molestiag de molheres o meninos.
Cura radical das molestias venreas, e dos esttamentos da uthera.
Curas radical das molestias do tero, como ulceras, flores brancas, amenonia,
egtacBes? ctarr!!**, ek^fetc.
fiece^tvMes^og.para tratar de molestias ou pratfrar-lhes qualqner opei*aco '
cirargica. Diaria 2*00mcepto ;is opeTaeoes.
tf alemiWft twWWos botaijqp modos.
Pcde-se ao Sr. auflnislradbr do correio, que
lance suas vistas sobre o carlero da via-ferroa,
aflm de iue nao deixe de receber meia hora an-
tes de partir o 'am a correspondencia, que se di-
rige para o Interior.
O prejudicado.
" 0;00
de eratineaeSo a quem pegar e levar ra do
Qui'imado a. 1.1, a escrava parda, Josepha, com-
prad ao Sr. cnmiiiendador Jos Joaquim de Lima
Baiao, c ragida do sitio n. 7, na estrada de Joilo
Fernandes Vicira, em iins do mez prximo passa-
do, com os igiuics seguintes : cabello bom e cos-
tiiraa traze-! amarrado, algumas ccatrizes de
chicote as castas, cor escura, magra, ar alegre e
m tito risonho, levou no dedo um arme!, e condu-
zo urna trouxa com por^ao de roupa, cutama an-
dar de borzegnim e a trajar bem. Protestase
contra quem a tiver occulia. s ^
U abano as-ignado avisa ao publico e espe-
cialmente ao respeitavel corpo do commercio, que
desde o ultimo de dezembro de 18t2 deixou .de
fazer parte Ja sociedade que gyrava e ainda gyra,
sob a razao de Antonio Luiz de Oliveira Azeved"
i C Com qnanto nunca [ivesse existido escrip-
tnra nu contrato do sociedade entre o ahaixo as-
signado e sen irmo Antonio Luir de Oliveira A'..'-
vedo, todava julga con--eniente fazer a present'
declar.ijao para remover ou prevenir qualquer
duvida que possa por ventura de futuro appare-
eer. Reeife 14 de junho de 1869.
frranrlsro h. O. Azevedo.
SOCIEDADE D1SS0LVIDA
Os abaixo assiguados fazerh seiente que
as sociedades mercantis, que gyravam nesta
prafa e na de Pernambuco, sob a firma de
Simpson, Bmad A C. forem amigavelmente
dissolvidas desde 3f de maio prximo pas-
sado. retirando-sede ambas o socio Willi-
am White Broad, e ficando exclusivamente
cargo do soco Peter Simpson. sob a nova
firma Simpson A C. na Babia, eem Pernam-
buco, as liqujdaces de amVias as socieda-
des. Babia, 8djtHio de 18li9.Pol- pro-
curacSo de Peter bmpson, Thomaz Whar-
rie. William While Broad. .
Peter Simpson faz seiente que. tendo
dissolvido amigavelmi'nte em 31 de maio
prximo passado, a sociedade mercantil que
gyravj- nesta praca sob a firma Simpson.
Brnad,. A C retirandr>se o socio William
WliiteBroad : sua casa commercial conti-
nuar a gyrar sob a nova firma de Simpson
eC.
Pernambuco I i de junho de 1869.
Precisa-se de urna ama que t'-nha"
leite aindi mesmo tendo filtio, forra
esi-rava,paga-se bem c trala-se a (
tent de qoein se prestar : no Mangui-
nho n. 4 sitio ern frente a estaco de
Jos. ajrtrtmiP Aro.de Aniuncos.
A FliOR ISO FI n
Precisa- se de urna ama fon a ou escrava,
para a casa de familia, a tratar na roa da
Queimado n. 69.____________________
~Wm "mu m
As econmicas e importantes machinas para
Cortar bolachas de todos os lmannos : sempre
venda na rna Direita n. 84.
Aluga-se
urna preta escrava para tomar conla de nm ta-
boleiro de fazendas e vender na ra : a tratar na
ra dn Crespo n. 20.
Perdeu-se, no dia 9 do corrente, um
mosaico, de forma oval, representando um
ramo de flores sobre pedra preta de bofo
de panno: piern o tiver adiado e quizer
restitui-lo far o favor de dirigir-se rna
Nova sobrado n. 39. ________________
Precisa-se de nina boa ama de leite som fi-
Iho : informase na-rna Augusta n. 6t>._________
Acbase fgida ha oilo niezes a preta es-
crava, de nacao, de nomc Maria.com 40 annos de
idade, haixa e cor fula, consta que diz ser forra, e
andavendendo na fregnezia da Boa-Vista, eom
una bandeja pintada de encarnado, com qne
fngio : gralifira-sc bem a quem a apprehender e
leva-la a ra Imperial n. 103. _____^^
Deseju-se fallar a negocio de in-
teresse a ra do Crespo 17
Aos Srs.
Paulino Ferreira da Silva.
Dr. Francisco Pinto Pessoa.
Francisco 'creir de Amida Cmara. (Sr.
de engenho.)
Manoel Jos Fernandes Barros. E ao meu
especial amigo o Sr. lele Pedro Segun-
dinoBarbosa da Silva. (Sr. de engenho.)
No armazem alfandegado da ra do
Apollo n. 6 de James Ryder A C. armaze-
nas-se fazendas as seguintes condiccoes.
Fardos 800 rs.........)
Caixas 040 rs.........) por tres mezes
Fardos de estopa a 1 tiOO.) __
GRANDE HOTEL
11RITA ESTRE1TA DO ROSARIO-----ir
Este novo e modesto estabelecimento,
temi aberto ao respeitavel publico este ele-
gante e bem foraecido hotel que situado
n'uma posicSo inicuamente saudave.l, e sen-
do constantemente sombreado pelos doces
zephyros da tarde, torna-se preferivel qual-
quer outro d'este genero, as tres cousas
mais necessarias ao genero racionalali-
mento do corpo, distraco da alma, e soce-
go de espirito.
No pavimento terreo urna casa de pasto
muilo pr< fusa, da primeira ordem ; no pri-
meiro andar, sala da frente, um excellcnte
bilhar de mogno, para divertiminlo. Sala
de traz um restaurante da primeira ordem.
Quanto ao asseio c beraleitoria das comedo-
rias, o delicado modo do pessoal do estabe-
lecimento, promplidao e commodidade. s
aos Ilustres concorrenlos dado fazer jus-
tiga.
Forneec comidas para fra. tanto por
mez como avuls. Todos os dias, noite,
encontrar-se excel lente sorvete, refrescos, ca-
f, cha, bons vinlios Figoeira, Porto, Bflr-
deaux, tendo bons commodos para hospe-
dagom, bales e quarlos mobiliados no
segundo andar.
Precisa-se de urna ama livre ou escrava,
de. bons costuraes, que saiba bem cosinhar.
liara urna casa de familia. Dirij Bell n. 37, sobrado ib; dous andares.
Precisa je de um irabalhador de padaria :
na ra do Hangel n, 9._____________________
Na rna Direila n. .16, veodem-so boss"*
obreas mnito em conla.
ti
"Precisa-se de urna ama para
arar para casa de piuca familia
do Lvramento n. 2i, loja.
coznhar e conr
a tratar na nw
S.
F^ta de Santo Auto-
no na matriz do Cor-
po llluito;
O thesourciro da dita fesla julga nada dever a
pessoa alguma* tendentes a mesma festa, a se al-
guem se julga r credor aprsente suas comas ao
porteiro do arse.nsl de marinha, que ser satisfeito,
das 6 horas da ^Manbaa as 6 da tarde.
l' thesoureira,
Antohtb Jeznino Marq^ea....
Araga-s urna J~*crava para todo serrtco**Vf
casa t na roa do Impe, *ador n. 80.
Aatunio Alberto da Souza Aguiar. val a Por-
tugal, onde prelende demorar-se apenas dous me-
zes, o duranto sua ausencia fleam encarregados
do todos is seus negocios, em logar o Sr. Joa-
quim Filippe da Costa, em 2 sua mulher ffcit
negilda Leopoldina Aguiar, e em 3* seus eaNNs
s. Francisco Jos da Silva e Jos Fausto la
rlnho.
Carfoceiro
-i-
Prcisa-se d um carroceiro, e paga-se fcem :
no sio do viveiro do Muniz.
""Pulcefa perdida
Tndo-se perdido na noute de ti dt>
prosete mez.nasimmediacoes S. Isabel, umafjulceira de ouro, conheoida
piw pulceir bailo, sendo de dea4tofct>
lbs, inclusive uns bos outros; pede-so aos senhor
rIVs de nao a comprarem, e a qt
pessba que deila tiver noticia do par
no fcargo da Assembla n. 9 que ser*
arrsawtas!
<
\
-
I


Diario de Pehiambuco Quarta feira 16 de Juiho de 1869.
5
ESMERALDA
I temssc,
No pateo uo Tertjo n. 31, loja, pfoeiaa-e da JSOO
a 800J, ddto-se por gai-antia ama
en genho : queni rjaizer
com o Sr. Paes Brrelo.
parte de um
de tratar na insania loja
COMPRAS.
Gmpra-se
no arco
no Re-
ouro e prata e pedras preciosas,
da Cn:eic3o, na loja de ourives,
cife._____________ ........
Vendem-se dous bonitos esclavos, un rno*
loque de 16 amos, bom (ozinheiro, e un cauri-
nha ile 10 annos : no terceiro andar de sobrado
n. 36 da ra das Oruzes.
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
eta reforma no
Compra-se moedas de ouro e, prata, bem
como libras sterlinas por maior prero qoe
em outra parte: na ruado Crespo n. 16
primeiro andar.__________
eompl
de joias da ra do Cabug
n. 5,
(junto a
a de cera) acabam de reabrHo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca, e por prepos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciosas
\ 5 RIJA DO CMi X 5
En casa de ThOdoro Simn Aii ocf QKoiofwittTifA'comPra s a b0 premio moedas de piala
S laC eie Jimen W) d0 cunho Velho: ReoTe, largo do Corpo
Santn. 21.
Na praca da Indtonendeiicia n. 33, loja de ou-
rives, compra-secura,prata, e pedias precisas,e
tambem se fe qnaJqrwr obra de enconHnenda, e
iodo e qualquer colicorto.
i i i ..- ..
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. & compra-se ouro, prata
e pedras preciosas -por presos mati vantajosos do
j que etw outra miabiupr parte.
16RA DA CRUZ -16
S. AUTOPIO, oIOAO K PEIUH.
Ha diariamente sortimento de Mttyihos para cha, podlns, paes de lo, bollo ngiez,
presuntos, ditos em feambro, pasteis -de diferentes qualidades. Papis para sortes,
bollos simples e enfunados, araendoss eonfeiladas e confeitfiS; Vinhog unos engarrafa-
dos, superior cha Hisson, pretoe miudinho, fraota em xaropes, ditas ceas e christa-
bsadas, assucar candi, xaropes refrigerantes.
Recebe-se encommeadasde feandeijas para casamento, bailes o baptizada, com
bonitas arm.icoes de assucar, sendo estas prefer veis as de paplio: bollos etc., paes
de t enfeitados, qualquer encoBmenda para fura ser bem acondicionada.
o m e n.m
Compra-se moedas do oaro e prata e
bem como libras sterlinas, na ra do Ca-
bug n. O, relojoaria.
rival m MIDO
M 50YA IM -HiA DO CRESPO l\h
DE
Aniones Gniniares t.
Esleirs da India e bales de tedas as
qualidades.
Catnbraias de cores, percalias, linas bri-
lhantinas de cores, lauzinhas de todas as
qualidades, etc. etc.
Ricos cortes de seda de cores e pretas
lavradas.
Ditos ditos de cambraia branca bordada
para casamentes.
Riquissitnos cortes de vestidos de blond.
Poupelina de seda, novo gosto no mer-
cado.
Damascos de duas larguras de todas as
cores.
Saias. bordadas de novo gesto.
Camisas bordadas para senhora.
Basquines pretas de seda.
Casaquinhos de casimira de cor de novo
gosto.
Ricas colchas de seda adamascadas.
Ditas adamascadas de cores.
Alpacas lisas de cAres novas.
Ricas fronhas, lericos, rendas e bicos
neniados.
Rua do-O^rnudon, 49 c 57 loja
d*. miudezas de Jos de Azeve-
tfo Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est qncitnando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso qneiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Garrafas com .agua florida ver-
dadera ......
Garrafas com agua divina dame-
lbor qualidade .
Latas com superior banhafran-
ceza ..... .
Caixascom 12 frascos de cheiros
proprio para mimos .
Dita-com|0 frascos moito finos
Oleo babosa muito fino que s
a vista a......
Sabonetas de calunga muito bo-
nito ......
Caixas de p de arroz muito
superior .
Pecas de babadinho com 10
varas .....,
Caixas redondas emitando tar-
taruga .....
Pecas de fita de cs qualquer
largura
S no Bazar da Moda
I $201
13500
,5200
23500
$800
^
15ra da Emperatriz-15
CONFEITARtt E CAF FRANCEZ
OR YETE RE CBE1IE
TODAS AS QUINTAS-FEIRAS E DOMOTOOB
chocolate -e bolos todos os (lias les ,1a
Caf, oh,
manha.
Qmmkm
Procisa-se de um bom -cadnheiro : a ft Jo
Oeppe n. 7, 1 andar.
Precisa-**; alus
Furtaram ao satinado, 12 Jo corrente, por
vaha de i l| twra da tarde, avallo castanho amarello, com os -ignaes seguin-
tes : .i rastrado, de lamanho grande, io.ia os qua-
tro.ps calcados de branei, obra de 4 dedo?, tem
de y a 10 annos, tem a cauda curta c rapada de
gar urna escravapa o servio. faea, uafego do^uarto esqoerdo, tem ama meia
i pouca famdia : no viveiro do -.rala <|e burra oa anca, unAigudo : .quem o
Mmiiz.
Arrenda-e
ou de algnma las estacoes da estrada de ferro de
S. Francisco, que seja d'agna-e con l-oas trras,
pnga-se bem : a iratnr na rna do Hocete ? tf
IR
IWrWr leve-o rua da fniia n. 43, tatema de Gc-
in eagenao uertoAMa cidade, u,il'" ''s'i da licsa, que serarecompt-Htiado.
aixeiro
ME!
Preota-se tic um menino de 12 a \\ annos de
iaie, tara caixeiro de pvlaria, com praca ou
sem eJ.'a : uo ateo Jo Tijrco n. 38.
Frecisa-so de una ama
d. 45.
na na de Hortas
O Dr. Adrio Luiz Peieira dasi-
va; medico peta facMSIe do Rio
de Janeiro, d"ond-i acaba de ebe-
g^ tem seu consultorio rua do
Livramenlo a. 24, primeiro andar,
onde podo ser pronirado das 9
horas da manha as da tarde, e
em qualquer outra occasio, em sua
_ residencia junto a estacSo da Casa
I Forte.
mwmmmmmmm
Em :asa de liHEODOH CHRIS:
AfSEN, rua da Ciue: n. 18, ennontram-sc
ffectivamente todas as qualidades de v&Uw
Sordeaux, Bourgogne e do Rbeno.
mefea-M le um nomn para fcitJr de en-
gtma : a tratar na na Jo Ouro n. 3r?, casa com
porto de ferrs.
DE
OIRO T. PRATA.
Compram-se, o1fepecendo-se maito maior yan-
ta gem ao vendedor : no Coracao de Onro n. S D,
rua daCabup.
Compra-s uma npgrinha de 9 10 atnos
de ffiade : na rua flo Piro* n. 5. ________
Papeleara embrolho
Oimp'a-se ppl para erobrulho, na loja
Jo'Pavao, rua da Impetatrizn. tfO.de TVlix
Pereira da SU va.
Compra-SB ama casa terrea nesta -cidade,
a,i>n como nm e-*ravoe urnascrava at aida-lo!
"de 10 annos : a fallar na na do (Jueimado, luja
n. 6, de Bastos Irmans.___________
Cornpram-e dous xt.itos de mera idade,
acostumados ao wrvieo de campo : na corJheira do
Thumaz, na rua de Santo Amaro.
VENDAS.
Taberna
Vende-5e a taberna da na da Concordia n. 94,
B qual est -bew afregwzada e tem poneos fundos
prnpria para adgtun principiante; o ^nottvo la
venda dir-se-ha ao preteudente em particular : a
:tratar na Por.te-Vellia n. U das 6 as 9 da ma-
Tihaa e dwta hora em dianfe u'esta typographia
Vende-st'2 na estrada do Joa ^!h Barros
urna casa acabada de prximo, muito 'bem rons
truida, de paredes dobradas, e com os seguints
eominodes : 2 -salas, i guarios, coiinha fura, des-
pensa, e mais 2 fiuartos tarobem fra : a pessna
que quitar compra-la, pode dirigir-se mosma
asa, ou no^Uio da Bomba, na mesma estrada, que
chara tm qoem tratar,
Comdinbeiro vita vejidc-se o Mtio Liman
na pnvoa^o dos Montes, ao pe da estieas de Una:
a tratar com Je** Paulo do Bego Brrelo, na villa
d Cabo.
Ffta de Fhnilfvs
o.innazem de Silva Barroca, rua da Cadoia nu-
m-jroi.
rmautes e brelaahas filas e -murtas | Esoovas para imhs
cutas l'azendas que seria citfadonlio men-
oionar.
~~ATHCA0
Vende-se i esrrava rccolhida, be*it;i ugrira, Je
16 aimos de dado, cngomina, cose, e cftinba amn
perfcicjto, 2 ditos que engommam laem o cozinliam,
1 ditaiiropria para engenhe, e c.im habilidade, 2
esoravos, sendo om ptimo coik'iti : :ia travessa
do Carmo n. i.
muito t
dentes fazenda
de cores
do gaz
FARINII.V BE
MANDIOCA
Superior fariaba demanlioca recente-
mente togada de Santa Calba'rina, vende- i Lnras'
as .
Escoras para
nuiiioliiia .
Pulceiras de contas
para mer-.nos .
Caixas ile lha branca
cotn 5U novellos .
C3ixas de linha branca do gaz
com :i$ novellos .
Pecas de tranca lisa d todas
as cores .
Resma* de papel pautado rauito-
flrio ......
Pares de boles para punhos
maito bonito ;i .
s de laa pa a bordados de
se a proco comrnto a bordo do brigue alie-. {Jp ... ., ^ ,
mo hma, fun*eado defrowle do trapiche p'f.," ^ afln
doEua. Sr. barao do Livramento; a tra- ^^LTnos0!
lar a fcordo -lonnesmo, oa no escriptorio
de Jeaquim Jos Goncaht-s Bell rao, rua
do Gonunyrcio n. 17.
metal
linha muito grande
Libras HteHInas
Vendem-se libras sterlinas nn ccriptorio
Marques, B;irr *s -ti C, no laigo do Corno Parti j
a. ii, 2o andar.
Massjt batida.
Taldvinodaplvora vendo boa massa para fogo
a 720 rs. a libra, assim como bo.is pistolas : no
seu armazeai d6 sal. na rua Imperial n. 2i9, pon-
fo alem Ja fetnlia de sania.
Batatas baratas.
Vendem-se a 800 rs. o gigo : na traveasa
'TBadre de Dei n. 16.
Vende-seiim pretode (8 annos de idade :
trata-se aarn da Imppr; FoguiiboM chiucreV' arVffirl\~es
para uoi tes de auto %nftonlo
e fi. s<
Acaba de chegar grande sortimento dos mais
mtcressaiites faguinbos clMMzes e de bengnlla ar>
tficiaegx pmprii.s para meninos solUrem dentro
de salas, sem ijueimar ou oflender por seren fa-
bricados especialmente para divertknento de
enancas : do armazem do vapor n*anoez, rua
Kova n. 7.
Novellos de
para croxs .
Duzia de linha froxa para bor-
dado ......
e | Grosas de botoes madreperola.
gmuito fno .....
Sabonete muito finos 60, 120,
160, Me.....
Pecas de fita de 13a todas as
cores .......
Espelhos dourados para paredo
I000 e .....
Espelhos de Jacaranda muito
fino ......
Pecas d trancas brancas e de
cores de caracol i .
Pares de meias cruas para me-
ninos ......
Caivete mu;lo fino com i fo-
thas ......
Cartilhas da doutrina as mais
modernas f .
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos .
Ja
Salitre
Vende-se salitre refinado a ai a arroba
frrua do Quejwado n. 30. Inja de ferraens.
na
r
ir
Vende-se a vertideira graxa do bem conhecido
fabricante Day & Marlin n. 97 : no armazem do
A. Moreira Dias, rua da Cruz n. 2o.
Na padaiia .ill iiiaa, do Lima ns. 2 e 4
em Santo Amaro, preeisa-sa, alagar um nagro
urna negra.
Em urna casa de lamina, a rua estreita
do Rosario a. 35 I" andar, l'orneee se come-
doras para fra, mandando-se levar n -asas que b9o tiverem portador^ e garan-
tmdo-se oaceio, promptido e commodid-
(l no preeo, portanto fsonvida-se aos Srs.
esludantes negociantes a honrar-nos com
a? guas assignauras.
Fugo, fogo, e mais ogo
No largo do Carmo n.', \*ndan-se fogos de to-
das as qualidades para festejar o glorioso 8. Joa
e S. Podro, por proco cuminodo : na mosma ca-a
vende-se massa secea* para botos : 6 no largo do
Carmo n. 4.
Fulinha Vendem-se 800 saceos per pre^o razoavel : a
tratar na travessa do Quehnado n. 18 B, loja de
MaiaALandelini.
Vende-e ramo de Oararmnns muito wpc
rior para caco, em arroba e a retalho ; e tarrmem
se vende um carneiro nmito gordo e manso para
andar em cairoca de menino : na rua do Baugel
n, 41.
E JOIAS
E' um lindo e inofensivo fogo de artificio, pela
su qualidade, qua.d im|>o-sivcl rebentar, s se
lor feito por quem nao souber : garantimos os que
sefobricam na amiga fabrica da estrada de Jnao
de Barros, da viuva Rufino, e as ensommendas
pas-a os que se fawm em dita fabrica, rerebem-se
:io armazem da bola amarella, no oio da secre-
taria de polica.
AVISO
aos amantes do que bom
Na bem conhecida casa da abobada da Penha a.
37, coatiiiiKi se a fornecar massas para boles de S.
loan, S. Pedro e Sant'Anna, com iiuu'a limpeza e
perfelea.
cy^
GOMES DE MOTOS IRMAOS
tendo feito completa mindanga em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o flm de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RUA DO CABUGA N. 4
perfelii
Batatas
a lOogqro : na rua da Madre de Deosn. 7.
Gigos eom 3o libras, milito boas.
Accoes dos trlhos> para
Olinda
Yeude-se quem quizer com-
prar cinco aeqoes desaa via-fer-
rea, queira dirigir-se a estaty-
pographia, que se dir quem as
vende, hoje.
Para fogos de Santo Antonio,
8. Joo e S. Pedro.
LIMALII \ DE FERRO (muito nova).
DITA DACO (idem).
DITA D'AGLHAS.
Vendem-se na botica e drogara de Bar-
lliolomeu C.
3 iRUA LARGA DO ROZARFO31
So no progress do pateo do
Carmo ii. 9.
Manleua ingleza a 640, 500, I c U300 rs. a
libia, elihysson e perola a 1^800, 23500, 3
WMOalIbra, .
onde encontrarfio um completo sortimento do que
bello e precioso em brilhantes, esraeraldasT rubins
ha de mais elegante,
e tudo que em obras]
de ouro, prata e platina se pod desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de no vos gostos, assim como grande vtriedade de salvas e paliteiros de
Balas de cores
Pistolas para noute de S. JrrSo com lin-
das balas d cores, fabricadas pelo melhor
artista deste genero : acha-s* sort ment
completo no armazem do vapor francez na
rua Nova n. 7.
Baldes aerostticos
InteressMtntes bales aerosUKicos decores
e tamaitos propros para m%Wone:m(^a
poderem soltar as devertldas reuniSes
campestres noute deS. Jo5o: aindaacha-se
lortimeno no armazem tro vapor francez
I na rua Nova n. 7.
Para enfeitar bolos
Papel fino arrendado proprio onfeiles de
bolos: no armazem do vapor Fran'ee na rua
."."ova n. 7.
C2
prata contrastada e de gosto* anda nao visto,
objectos de prata para uso das ignejaa,
Compram
a
e completo sortimento de
Compram etn>cam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
qualidade dos objectos vendido! 6
0
d'
M
DEMS
MI
Ouro
E. A. Borle C. tem pira vefktor libras
sterlinas e moedas de vinte francs.
Vinho
Vinho BoruVaux superior qolidlidei mar-
cas j conhecldas ; e o verdarJetr Qoqxm,
no mesmo estabelecimento.
- Vende- um preto de i$ anm ie Made :
trata-se na rna da Imperatrjz q. (3^
i T*Vende"^ do^ b\Jnln*^scraW, un mtame
de. lo armo- borii cosinhefro o umitabrntaC*- ib
annbs: a tratar no terceiro andardo sobrad n. 36
da rua da< Cruzes.
NOVIDADE
Para bailes e partidas.
Ricos cortes de larlalana com florprateada.
Ditos ditos com listas assetinadas de
todas as cores.
Ditos bordados a seda fazenda inleira-
mente e o melhor que so possa dezejar, s
na loja do Paco rua do Crespo n. 7 es-
quina da roa do Imperador.
LUYAS DE PELLICA
Recebe-so por todos os pa metes lana
de pellica do afamado Jouvin, brancas e de
cores para senhoras e homens, na loja do
Paco a rua do Crespo n. 7 esquina da rna
do Imperador.
RICOS CORTES DE SEDA
O que tem vindo de melhor ao mercado
assim como ricos cortes de blond de seda
para casamento. Para o mesmo fim temos
gorgurao branco, moreantique, capellas e
manta de blond, tudo do melhor que os
concorrentes possa dezejar. No mesmo
eslabelecimento, se encentra um completo
-sortimento de oulras muitas fazendas de
phantasia para grandes toilets e uso ordina-
rio. Digne-se o resp itavel publico, fazer
a'gumas visitas a este estabelecimento e se
convenser que em vista do agrado, da boa
qualidade das fazendas e da mocidade dos
precos, jiSo possivel deisar de comprar,
assim se espres.mdo esperam serattendidos
Os donos deste importante estabelecimento.
roa do Crespn. 7 esquina da ma do
Imperador.
CAPSMOOLES
DE
ALCATRAD
Remedio por excellenria para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, toases convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peto.
VENDE-SE
NA
PHARMACIA E DROGARA
DR
Bartholomen d C
34RUA LARGA DO ROSARIO34
RUA NOVA N. 50 ESQUINA A DE SAN-
TO AMARO SK VENDE!
Para senhoras
Lindos leqoes. a imilac2o de sanJalo
U e 2,J50 rs.
Ditos, com leotijoelas fazenda fina a 3#
o 460HU.
Ditos elsticos, a irntaco de mai im, fi,
9*, lid e 15^000.
Coques da ultima moda. Gaos e com re-
des de contas a U, 3500 e WOOO
Ditos com lindos enfeiies a U, 4^500,
:> e :.>;.00 rs.
Ditos com botes de flor de laranja para
noivas a 5#.
Ditos de cachos (alta novidade em Pa-
rs!) a woe
Lindas ehapelinas de pallia da Italia e de
fil de seda, guarnecidas com ricos e ele-
gantes enfetcs ultima moda a lili?, 185
e 30,*.
Chapeosinhos de veludos do lindos mo-
delos a I5o\ t83 e iOjMXJO.
Ditos de palha da Italia murto bem en-
feiUdos a lifl, 45 e 130000.
Ditos de pennas (novidade) para senhoras
a 17*000.
Con inhos de Ri \,w\o para luto a 0-
Cliapoiis de palha americana enfeitados a
4.%0 rs^
Dittis, de seda para t\ lateada boa a
5&#H)G, lOe.UjOOO;
Casquines de -gipur WSftco bem cnfti-
tmlas e moldo a ultim*. 'moda a io>5, *8*
e OtSOOO.
Ditas pretas com ricos enfeiies de v
drilhos a 18,5 o 205000.
Sintos ricos de setira com ta09 a ?j
6^, 73, S,% 10,5 e 12^000.
Urna linda e rica gnaraicio rr de rosa,
a Mart Rosa, (alta novidad>'i por 2800.
Grinaldas de llores muito /indas 5,J 0,
.74 e 8d000.
Capellas de flores de lanrajeiras para
noivas a 44500 e -j000.
Especial sortimento de giavatinhas para
senhoras.
Sintos de palha muito lindos a 3)5000.
Luvas d pelica a duqueza, brancas, de
cores e pretas, o par 3-MkjO.
Blondo de seda preto e branco com sa!-
pxis e ramagens, o metro a 2^500, ZS,
,5800.-Cju00.
Enfeites de palha muito lindos para eo-
ques a 13300 e CJ,^000.
Guipur preto e guipur branco, fofenda
nova, para capinhas, corpiobos, basqaines
te. etc. benitos padies, o metro a 3O00,
3;>"00, 43, 43500. 50. e (i,A.
Grande sortimento de bicos o rendas de
guipur bram-os-, e pretofi cotn fio de seda
fazenda superior, de diversas largona e
13500] Pre5 milit0 baratos.
Espaitilhs brancos e de cores muito
bem fcitos a 33, 43, 53. 53300, 73 e 83.
Enfeites para cabera especial sortimento,
73. 83 e 93000.
Meias cras, fazenda superior, o par H.
Coi pinhos enfeitados de delicados eos-
tos a Ifi3 e 183000.
Meios corpinhos de fil preto e braceo 2
tmxr.
Lindas e ricas guarnieres de cre:< ja
nromptas para vestidos a 103, ii, lUe
153000.
Borns de 15a c seda, moda elegante a
203000.
Cachms de lia de cores a 53, 64, e 83
PARA HOMENS.
Chapeos de sol, fazenda superior a 83,
160 6 134000 <
Cliapeos de castor branco, fazenda fina,
e forma a moda imperial a 116000.'
Corrente de plaqu iguaes s d'ouro urna
por 83, 103 e I 3000.
Bengalinhas de eanna com casia di;
marfim a 43 e 53000.
Ditas d'aco e leudadas ultimo gosto a 13.
Ditas antazia muito lindas a 13500 e
3000.
Bengalas fortes (para dar no Lpez) a
23 e 23500.
Chicles para montara, de 13 a 53000.
Camisas com peit03 e collarinhos de li
nho deitados muito ben feitos, ns. 38 e 39
a 53000.
E muitos 011 tros aitigos tanto para ho-
mens como para senhoras e cri ocas
assim como um completo o especial sorti-
mento de miudezas, tudo recetado de cus-
to proprio, e se vertfe mais barato do qne
em qualquer pa-teno Bazar da Moda de
JOS' DE SOUZA SOARES d C.
3500
3240
3600
3500
43500
3300
3500
mu
3200
3800
3G00
>00
43000
3120
83000
3320
3320
3480
vOO
3320
3500
23000
3060
3320
13500
3400
13200
Sortes d S. Joao
Jta to* da Cbncelct) n. 3fl vende-n> bonitas ?nr-
tes a '3f00 O crito, recebe-se tambem qufqrjer
ncommenda de bollos bem feito e por cotnmodo
breco.
FOO F0T.0
rna Direila n. 3.
Ha para vender um completo sor-
timento de fugos artificiaos, tant
para Sras.,como para criancas, pis-
tollas brancas e de cores, com :i,
4, 5 e 6 blatas, fontainas, cravei-
ros, rodinhas singeltas e dobladas. j
foguetinhos, busiaps, illnmina-
Ces bales de seda de 2 pasmos de fjj
altura ele, etc., feito por um dos fl
melbores artistas deste gehero.
Tambem ha para vender salitre, en-
xofi-e, breu, fio, facas e garfos
de diversos precos e "qualidades,
bandeijas finas quadradas e ovae.s ;
alm do grande sortimento de frr-
ragens, miudezas, ciitelarias e trem
para cozinha, etc, etc.
Rua Direita n. 53,loja de Manoel
Bento de O. Braga 6 C.
At que chegaram
SYSTEMA DCIMA.
Grande faclrjra-de 1,500 series de
pesos kllograrhma'S em series com
pletas de tod'os os tapiahhos. mt-
lioresde comprenender do qdr os
tjl tem vind., a nircdo assim
comomedidas de metros,chegaiala
'som'ere de encbmm'nda prpria
para a casa d Rlahel Renti. d
Ontbfra Braga & C, rna Diiritfln.
53, e com diminuia de precos,
verihm em tempo.
Vende-wnW?a.paT'n*Jo
m^rgaj
nos
Sp^JMtarpeme tres
HB?
ni. a hora:
prJHjuarjjoantetros: uei
Tfi-
MMAS
k> n. IHr, Aaevedo A
MMin- nde-se urna inalrva d 8 annoii, pr
pretender erfljn-'se a h em d familia e an^r J
do rua do Imperador n. 77, prii

a vi ,ea.xJ^rlB^
Hrfhll
itVteff nutria, snriMrit c da
beS wmfoimty**.*- t* a
e a retalho ; na rna do'Viftoi
\|


r>
t
o
Diario de Peinambuco Quarta, > feira 16 Je Juiho de 1860.
um wmm. wmmmimwmM
M. 45 nilA
DA lADlIl
E
W. 45
72.-Ra da Imperatriz. 72.
Alerta freguezes
que Arara vai cantar,
Para ^ ender suas fazendas (baratas)
que multo ha de agradar.
0-proprietario deste.cstabelecimento, tendo grande porcao de fazenda? em
ser, vti proceder una liquidarse' Wft todas as fazendas e ropas feitaa existente^ no
estabeleciniealo, agora que occasio de quera tem pouco dinlieiro poder se vestir de
boa fazenda e baratsima como se poder ver no annunuo abaixo mencionado.
MAAPOLO BARATO A 3>00. j BRAMANTE PARA LSNQOES A 2;i
Vende-se pecas de madapoln enfestado Vende-se bramante rom 10 palmos de
de 18 jardas 35500, dito de ijardas ou largura para lenones,
ti metros 5, ->, 09300, 7*J300, 8-500D e
a >. a vara.
PECAS DE U.GOOA 40.
KW.
CUITAS FRANCESAS A 80 rs.
Veiidem-.e chitas francezas para vesti
do? a 230, iO rs. o covado, ditas escaras
multo linas 300 M. o covado.
Thali-Ji >aulo ui ;; Sf0 rs.
VerJde-se elialin para vestidos ie seuhora (grande
900 rs. o covado.
PERGALES A bM BS. COVADO.
Vende-se percales omito linos para ves-
tidos de senhora a 4i0 rs. o covado.
Itrsl llantinas a 44 rs.
Vende-se briibantinas on mursulinas de
"ores para vestidos de se horas 440 rs. o
covado, liaxinbas incito linas para vestidos
di- senoora A 100 rs. e 300 rs. o covado,
ditas de quadrinlios 210 rs. o covado.
RISCADO FRANCEZ A 3G0 RS. 0 COVADO
Vende-se riscado Irancez para vestido
de senbora 300 rs. o covado.
liatsinias a '49 rs. o covado.
Vendem se lasinlias para vestido de se-
nhora a 2i0, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas linas a 280 e"320
rs. o covado.
Chales de aicrhi *$.
Vende-se chales de merino estampados
2$e 24500 cada ;un. para acabar.
CORTES DE LAS ABRTOS A 2-H00
Vende-se cortes de laa para vestidos de
senhora. 25100 cada um.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vendu-se alpacas de cores para vestidos
de senhora, 720 c 800 rs. o covado, di-
tas de batirs 700 e 7(30 rs. o covado.
Cliias prussiaaasa :i*.
Vende-se chitas prussianas de listras de
cores muito bonitas a 300 rs. o covado.
CHITAS PARA COBEIITA A id
Vende-se chitas incorpadas
30 rs. o covado.
llales de O a SO arcos
lINt.
Vende-se balites de 20 a 30 arcos
t 1500 cada um, baloes modernos brancos
ede coros i&.
Vendem-se pe$a de
Igodao
e7*.
SOB
A
!Cf/A0 W MUITO HA
Launano, alfa/ate.
Os propneteos deste novo estabejecimento, tendo experimentado
b de ter na dtaieSfSo de sila ofTicina de roupas por medida, um artista perito
de
a necesi'idade
tem
que satisfar
urgente _
contratado o Sr. Lauriano Jos de Barros para tal mister, convictos
com todo o capricho a vontaJo do freguez.
Tem o mesmo cstabeleciiTiento um bom s'rtimemto de fazendas proprias para
roupas de homem.comosejam: casimira de cor, indos'padres, completo sortimento de
pannos finos, prelo e de cor, casimira preta, grande,sortimento de Urina brancos e de
cores, merinos de diversas dualidades, bembazina, lindos cortes de gorguro para collete,
gorgorito Pekn, superior qualidade.
Os freguezes encontrar3o anda um variado sortimento de roupa feKa, camisas
ing.'ezas, collarinhos, cerclas, grvalas prelas fi de pliuntasfa, meas pura homers, se-
nhoras. meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
baloes de diversas crese modelos, cambraias, mals para viagem, e outros muitos r-
ticos que a modicidade de seus precos incita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45
muito en-
corpad ;'i 15, ">>. #800
Coleriahos ceon2a5cos a 38
duzia.
Vende-se colerinhos econmicos a 320
a duzia, s.se vende assim barato por ter
porcao.
CASEMIRAS DE CORES
Vende-se cazemiras de cores para calsa
e palito! 2$ 2#500 e3J o covado,
.4lgoliu> cafestado a 1.
Vende-se algodao enfestado proprio para
lences e toalbas, 1?, a vara cu 900 rs. o
metro.
B1UM PARA CALCAS A 400 RS. 0
COVADO.
Vende-se brim para calcas e palitotsde
homem e menino, 403 c 450 rs. o co-
vado, dito lizo aimitacio de ganga a 360
o covado.
Al'iodo de Usfas a 309 rs.
o COTildo
Vende-so algodao de listras para roupa
de escravos a 200 rs. d covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 RS.
Voude-se cortes de [ brim castor para
calca de hoinem. 040 800 rs. cada um.
' CARTEIRA PARA VIAGEM A 1$.
Vende-se carairas para viagem 1$
cada iiiu.-i. cobertores de algodao I^OO
cada um.
Caberlas de chita 1$SOO
Vende so cohertas de chitas de cores
1/1800 e -">. cada urna.
ALGODAO TRANCADO DE EUAS LARGURAS A
1*100.
Vende-se algodao transado de duas lar-
guras, proprios para lences e toalbas para
mesa, se vende a 1 #200 o metro.
Manas para grarata 309 rs.
Vende-se mantas para grvala a 200 rs,
para cobertajeada nina, lencos de seda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 2j$50O.
Vende-se atoalhado pardo para toalbas
de mesa 2JSO0 a vara, toallns escuras
i&, cada urna. Rna da Imperalriz loja
da Arara n. ~
1
INJECTION BROU
TClCBlca lnralllirI e l*reer*llf tbstiluUmtBiu uuica !"ur wui nuiihuiu aUii". *.l
ui priDcipait bolicu 4. mani. (Eligir a bMrMfM i* *). Iliuw *s Mittnd..) Pu., em a
4 itttnl.r IBOD. bralvflfd Hnenu. Hl.
0 Garibaldi principia
Certamente ha de agradar,
Que pelo pre^o que vai vender
Ninguem o pode igunlar.
0 propietario deste estabelecimento denominado Garibaldi, declara ao resp ita-
vel publico e seus freguezes, qm tem recebido grande sortimento de fazendas, e esta
constantemente rec-bendo por todos as vapores que ebegam da Earopa novo sortimen-
to de fazendas da moda, e que vender por preco mais barato de que em outra quat-
nuer parte, garantindo se a qualidade e cores, na ra da Imperatriz n. 50, de Lourenco
Pereia Mendes Guimares. ____
CHITAS LARGAS A 280 rs. Caagas para calca a 38 rs.
Vendem-se chitas francezas de cores fi- Vendem-se gangas de cores para calca e
a 280, 30 o covado, ditas matizadas palitots de homens e meninos a 320 rs. o
rival m wm.
Ra do Quemado ns. 49 c 57
lojas de miudezaz de Jos de
Azcvedo Mia, est acabando
com as miudezas de seus estabe-
lecimentos por isso quertim apre-
ciar o que e bom e baratissimo.
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a......25000
Pares de sapalos de tapete
(s grandes) a......1,5500
Duzias de meias croas para h#-
mem a. .
Tramlas do Porto fazeuda bo
e pelo preco melbor 10O attos *
Uvros de misses abreviadas a .
Duzia de baralhos franeezes muito
finos a2l00 e .
Silabario portuguez com estam-
pas a ........
Grvalas d crese prstas muito
finas a ........
Duzias de meias para senbora fa-
zenda boa a...... .
Redes pretas lizas muro finas a
Cartes com colchetes de latao
fazenda fina a......
Abotuadons de vidro para colete
fazenda fina a. .
Caixas com penna d"aco muito
tinas 320, 400, 500 e .
Cartoes de linha Alejandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de Linha Aloxandre de
70 at-200 a......
Caixas ora superiores obreias
de massa a......
Duzias de agulhas para machina
Libras de pregos franeezes di-'
verso tainaiibo a. .
Livros escripturado-para rol de
roupa a. ..
Talheres para meninos muito
finos a. ,.....
Caixas com papel amizade muito
fino a........
Caixas com 100 envelopes muito
finos a......
Pentes volteados para meninas e
senhoras a. .....
Thezouras muito finas para
unhas e costaras a. .
Tinteiros com tinta preta muito
boa a 80, 120 e .
Varas de franja para toalbas fa-
zenda fina a.
Duzia de phoiphoros de segu-
ranza da melhor quadade a
400 e........
Pecas de fita branca elstica
muito fina a. ....
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Pecas de fitas bordadas com 3
varas a .......
Ditas de ditas bordadas com 12
metros de 2#000 a
Grozas de botes de louca muito
finos a.........
IOJA
GALLO
DO
w.
xas
escuras a 360 rs. o covado.
MADAPOLO ENFESTADO A 30500.
Vendem-se pecas de madapolo enfes-
tado a 3)300, dito inglez de 24 jardas a
3/, 6, 0">50>, 7$5O0,8j, e 105 a peca.
ALGODAO TRANCADO A 10200 O
METRO.
Vendem-se algodao de duas larguras pro-
prio para lences e toalhas por ser muito
largo, a I200 rs. o metro.
RISCACO FRANCEZ a 360 rs.
Vende-se inissimos riscados franeezes
proprio para vestido de senbora e roupa
para meninos por ser de bonitas cores a
360 rs. o covado.
BRAMANTES PARALENQOES A 20 A
VARA.
Vende-se bramante de dez palmos de
largura proprio para lences a 20 a vara.
Chitas aiazoaas a 360 rs.
Vendem-se ricas chitas de listras de um
de nome ainzonas, para vestidos de se-
nhora a 360 rs. o covado, deste preco e
qualidade s.na loja doGaribddi.
AOS SENHORES DONOS DE COXEIRAS.
Na loja do Garibaldi, ha urnas casemiras
de listras muito encorpadas proprias para
forrar carros, e se vende muito barato por
ser muito largas, preco a 20500 o covado.
ALGODAO ENFESTADO A 10 A VARA.
Vende-s-* algodao enfestado muito largo
proprio para lences a 10 a vara.
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5jO rs. O COVADO.
Vendem-se alpacas estampadas de cores
a 500 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30500.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 30500 cada um.
BRIM HAMBURGO A 80000 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
burgo com 20 varas a 80, 90 e 100 a peca.
Certlaados para Janellas a V.
Vendem-se cortinados para janellas a 70
o par, ditos para camas francezas a 140 o
cortinado.-
a 400 e 440 rs. o
3;)800
0200
2;K>00
208OC
0320
0500
40000
0320
0020
0500
10OOO
0100
140
0O4fl
20000
0240
01241
0240
0700
0600
0320
0500
0320
0160
500
200
60
20500
500
30000
Rna do Crespo n. 9
Os propietarios dosle hem eonhecido eftabete-
cimento, alm dos muitos objectos postos a apreeiaco do respeita*el publico, man-
daran vlr e aeabam de reteber pelo ultimo Tajmr
da Europa w completo o variado soitimenl de
linas e mu delicadas especialidades, as quacs es-
lao resolvios a Tender, como de seu costurac,
por precos nwrito fcaialinhos e commodos para to-
dos, com tanto (pte o Gallo....
Muito superiores tovas de pdlka, pretas, bran-
cas c de mu lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e puahos para se-
nhora, nest genero o que ba de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riuissimos enfeites para canecas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores con vidn-
lhos e sem ellos; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores c bonitos leques de madreperola,
marfim, san'lato e osso, sendo aqueUes bi-ancos
con lindos desenhes, e estes pretos.
Mnito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 300(>0
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortHm-.nto de
outras qualidades, entre as quaes alfanas muito
finas. _,.
Boas bengalas de supenor canna da India e
castao de marlim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, nesle genero o que de melbor se
pode desejar ; alm destas temos taiiibem grande
quantklade de outras qualidades, como sejarn, ma-
deira, bateia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a i2 annos de idade.
Navalhas cabo de marlim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulbas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para eacher
iabvrintho.
Bons baralhos de cartas para voHarete, assim
como os tentos para o mesmo Ora.
Grande e variado sortimento das raeltiores per-
fumarias e dos methores e mais conhecldos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitara a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aflra de que nunca fallem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderlo aquel-
es que delles precisaren), vir ao deposita do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo- se ao fim
para que sao applicados, se venderlo cora um mui
diminuto lucro. .
Rogamos, pois, avista diseb/ectos que deaamos
declarados, aos nossos fregnejes e amigos a vircm
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7._______________
TASSOIBMAflS
Tem para venda" em seus aruiazens^Bta (fc ou-
tros, os seguiutes artgos :
Papel para imprimir.
Perlina azul. ~
fireve pautado c liso.
Vnilios cm eaiw de dozc garrafas
Bourgogne.
Heiy.
Madeira. /'
Hennitago.
Chamblis. '
Licor de curajo de Hollanda em caixas as Tin-
te e uualro bi>tijinhas.
GESSO,
Nos armazens d Tassolrmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmos
C.%Hl!VIION DE FERRO
Para servicjsf de grandes armazens, para remo-
ver Barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 12^000 cada um.
Fariiitia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das memores marcas de
farialias americanas.
Saceos de farinka de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Iranios.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso lrmaos. -
Cemento hydraulico 12$
0 melhor para tudo que sao obras para agua, c-
mo assentamento de sanos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agna, etc., etc.: em porcoes de
cincoento barricas se far reduccac no preco : nos
armazens de Tasso Irmos.
Cemento Portland
O verdadeiro cemento Pbrtand em casa de Tasso
Irmios.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De deferentes qaalidados para cercados de ani-
21
maes, chiqueiros paca galinbas en jardins : mwar-
mazens de Tasso lrmaos.
Barris com breu
Nos arazens de Tasso lrmaos.
Vela de esparmacete verdaderas para lan-
ternas de carros: noarmazem de Tasso lrmaos.
Vinho do Porto fino superior: no armazen
de Tassolrmaos.
O melhor cognac Gantliier Frerss: no arma-
zem de Tasso lrmaos.
Maearthy
covado, brim de cores
covado.
Laslahas de qiiadriahos a
4C rs.
Veudem-se laasinlns de quadrinhos para
vestidos de senhora a 240 rs. o covado,
dilas estampadas a 230 e 320 rs. o covado.
POPELINAS EM LA A G40 RS.
Vendem-se popelinas em la da listea
para vestidos de senhora a 640 e800rs.
o covado.
CORTES DE LA A 2-^480 RS.
Vendem-se corles de la de listra arpa
vestidos de senhora a 20400 rs. para aca-
bar.
LA CHINEZA A 500 RS 0 COv\DO
Vende-se la chinela para vest i., de se-
nhora a 500 rs.' o covado.
C'ascaiirn.s para calcas.
Vendem-se casemiras cor de caf, preta
azul escuro com listras, para cagase pa-
litots, fazenda imito encorpada, propria
para o invern, sendo de duas larguras
que 1 3/t covad s duma calca para ho-
rnera pdo pr^co de 2<5500 o covado.
Alpacas lizas para vestidos a
800 rs. o covado.
Vendem-se alpacas lizas e dobradas para
vestidos de senhora 700 e 800 rs. o covado,
BALOES DE ARCOS A 1<500.
Vendem-se baloes de 20 e 30 arcos a
1)5500 cada om, per este preco s na loja
do Garibaldi,
BRIM TRANCADO PARDO A 800 RS. O
METRO.
Vende-se brim p.irdo trancado a 800 rs.
o metro, dito muito fino a 1)5200 o mstro.
BALOES MODERNOS A 5#000.
Vendem-se baloes modernos t de cores
a 5(5 cada um.
CASSAS FRANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se cassis francezas para vesti-
dos de senhora a 2:i0 e 320 rs. o covado.
CHAPEOS DE SOL DE SEDA A 10*.
, Vendem-se chapeos de sol de seda a
10)9 e 120, na ru, da Imperatriz, loja do
Garibaldi a. 56.
Scbonete de atcatrdo.
M
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t3o boa
acceitaco tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cora cert
das impigens, sarnas, caspas e todas af
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu & C,
34ra larga do Rosario34.
Machina de dcscarocar sdgodo.
Hbje que est reconhecido que as machinas de
serrote prejudicam e quebram a fibra do algodao,
preciso recorrer a maclimismo menos spero,
que produzindo o mesmo servieo que aquellas, e
facilidade no trabalho, nao qnebrem a fibra da laa,
para que essa possa obter-nes mercados europeos,
a differenca que ha entre o algodao des*arogado
por aquellas mencionadas machinas, que esto ti-
rando em deuzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de seu trahaHio. E' assim que
estas machinas se tornam as mais proprias para o
nosso algodao, porque ao par da facitldade e
promptidao conserva a fibra da lia, qne limpa por
ella, e qualilicada na Europa a-par da melhor bo-
landeira, valendo assim entra 11 20 por0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que- ha muito
estao adoptadas no Egypto, aoade as do serrote
foram inteiramento abandonada, e por isso o-algo-
dao daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 agpor
0/0 mais- do que o nosso : vendem-se a 15900
nos armazens de Tasso lrmaos.
Oleo de amendoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras:
nos armazens de Tasso Irmos.
Ac de milito.
Nos armazfns de Tasso rmaos-.
BARRJS DE SALITRE
No armazens de Tasso Irmos.____________
CUBA DOS CALLOS.
PELA
Pomada saloapcan.
Deposito especial
Pbarmacia de Bartholomeo & .
34------Ra larga do Rosario
rASTILIIAS ASSI(AllllllS
M
DR. PATERSON
De bisainth e uiagaezla.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digesto, OLiificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu C.
34------Ra larga do Rosario------34.
A NOVA ESPEMNCA
Ru do Queimado-2J
Advertencia!
A Nova Esperpnca, ra $o Queimad
n. 21 tendo em deposito grande quantidas
do miudezas, e como se aprtfoxima o tem-
po em que tem de ser dado o balance por
isso desde j previne ao rcspeitavel publi-
co, que est resolvida a venacr suas mer-
cadorias pelo baratissimd prego, para assim
diminuir a grande qaantidade das qne
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo 13o opportuno quando A
NOVA ESPERANCA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nio
falta aonde e aquem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetler objectos de
gosto e perftco, e ella (loja da Nova Es-
peranca) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'arnbos) i
Nova Esperanca ra do Queimado 21,
alm do grande sortimento que j tinba,
acaba de receber mais o segrate:
Bonitos broches, pulceiras e brincos de
mndreperola.
Papel o envelopes bordados e mati-*
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos e
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Filas largas para cinto.
Modernos galloes, franjas e tranca9 de
seda e de 13a, para enfeites de vestido.
BotSes de todas as cores e moldes novo
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilbos sendo com
pengentes e sem elles.
Botes pretos com vidrrlhos- com pingen-
tese-sem elles.
Luvas de pellica, camurca e excossia.
Fines meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados lequc de madreperute, mar-
lim, osso e faia.
Espartilho simple* e bordado-.
Bengalas de baleia.
Finalnante, um completo sortimento da
miudezas roa do Qoeimado n. 21, n3
Nova Esparanca.
Collares anodinos diedro-magneto
eos contra as convulce das
creancas.
Nao resta a menor duvida, de qiw muito
cellares se vendem por abi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muito
pais de familias nao cree (comprando-os)
no effeito promettido, o qae s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova isperanca, perm
que detesta a falsificado principalmente eo
quo respeita ao bem estar da humaaidade,
fez urna encommenda direoia destes cellares
e garante aos pais de familias, que sao o
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
cas tem salvado do trrivei incommodo de
convulces, assim pois o preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seu
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ent3o ser di-
filcil alcangar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collares
de Rover.
S, VLNH0
E
DE
JURUBEBA
PREPARADOS
PELO
PHARMACEUTICO
foaqiiim de Almeida Plato.
As preparaces de jurubeba s3o hoje
vnnfcijosamentg conhecidas e prconisa-
das pelos mais habis mdicos, tanto da
Europa como do paiz, pela sua efficacia
nos casos de anemia, chloroze, hydropesia,
obstruccao do abdomen, e tambem nos de
meiistruacao difficil, catharro na bexiga,
etc. etc.
Vendem-se em porcao e a retalho na c-
dade do Recife, pharmacia do seu compo-
sitor, ra larga do Rosario n. 10, junto ao
quartel de polica.
Libras eouro nacional, moedas
de 5 francos.
edoende-se no arco da ConceicSo na loja
Vurives, no Recite^________________
Tgaz m
Chegoc ao antigo deposito de Hery Forster 6
C, ra n Imperador, um carrejramento de gw
de primeira qualidade; o qtul se vende em partida?
e a retalho por menos prego do que em outra qaal-
quer parte.
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIRA FREDEMCO & C.
Acaba de chegara este mereado umaporgo des-
te ptimo rap, nico que pode supprr a falta do
princeza de Lisboa por ser de agradavel perhime.
E' fabricado com superior fumo e pelo melbor
systhema coDhecido, tendo tambem a vantagem de
ser viajado, o que para este artigo urna espe-
ciahdade. as pracas da Baha, do Rio de Janeiro c
outras do imperio "tem o rap Popular sido asss
accolhido, e nrovavelmente aqui tambero o ser,
logo que sejafeonbecido e apreciado. Acha-se
venda por preco coramodo, e para quem comprar
de 30 libras para cima, far-se-ha um descont de
5 0/0, e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no
escritorio de Joaquim Jos Goncalvis Beltrao,
ra ao Cnmmercio n. 17^___________________
Vende-se um piano de Jacaranda em bom
estado.de'armario : na ra do Padre Florianon.
71,2 andar._____________________________
Potassa d Kussia
Nos armazens de.Tasso lrmaos, ra do Amorim
n. 39, e caes de Apollo n. 39^_____ _________
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch -C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se cm casa de Tb. Just. ma do
commercio n. 32. ___________%
Tabellas vermicidas
nE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
cOnhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicacio as cranlas,
quasi sempre mais atacadas de tao terrivel
e muilas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
Bartbomeu A C.
34-Kna Larca do Rosario34

^KUtrn/mme,
VENDE-SE
a taberna da ra de Hortas n. 43, em virtode de
seu dono retirar-se para fura : a tratar na mesma.
MASSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHEI
Preconisados por todo os medico* eoiitra o I
DEKL0XO8, CATHARROS, E TODAS AS|
IRRlTACXiSS DO PE1TO. .
N.B. O Xarope de Codeina que mereci al
honra, alia bem Tara entre o MeAicn\nentot\
oro, de ter registrado como um doi rredica-l
meatos o/pcinei do Imperio Pranett dispensa^
quulquer elogio.
AVISO. Por causa da reprehensivi 1 fuls-j
Gcacaoquo lem tuscitado o felii resultado do|
Xarope e massa de Berlh (oraos Torcido,
temblar queesiemedicamentos iadjusumente|
conceiluados s te
tendera cm caixin-
hase frasco > levando
astignatura em
frente.'
46, fue des colti, e na Pliarmacia Central |
c Kianea, 7, Kne de Jony, em Pai, e
toda as Pbnrnuicias piiiicipaes do 1!^
BOM VINHO
DO
DOURO
Ctaegou pelo brigue Triumpho e consignado
Flix Pereira da Silva, nma nova remessa de bem
eonhecido e excellente vinho puro do Donro em
barris de 3 e 10, garantindo-se que nao tem con-
feccao alguma : neste genero o melhor que tem
vindo ao mercado, e muito proprio para usar as
horas de comida, e vende por preco razoavel :
na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
PARA AS NOITES
DE
S. Jodo, S. Antonio e S. Pedro.
Acham-se venda sortes para homens e se-
nhoras, um tanto agradaveis para cssas occasioes
de divertimentos e prareres : as livrarias france-
za ra do Crespo n. 9, na Econmica ra do
Crespo n. 2, --Popular ma do Imper do.rnDp^;.'
nado Sr. Cardozo Ayres rna da <^tod0 "^a
fe n. 31, na do Sr. Jos Barbosa de Mello rna da
fniz n 52 na do Sr. padre Lemos ra do impe
Sdor n.l5,na Encadenlo Parisiense ra do
Imperador n. 71._____________------------------
Semeates
Seraentes novas de hortaliCa : na ra da Cade.a
do Recife n. 50.
T>'*
-----v^n^soTdihciro ou a praso a padana a
vanorsiemUna,aqual se acha livre e desem-
S *: os pretendentes podem entender-se no
mS lugar com seu proprietaro, ou cam Rocha
L ma Guimares, na ra da Cadeta n. 40,.e Ne-
comedes Maria Freir, no caes de Apollo
CARNAUBA
de carnauba em de
YBde>s superior cera
cas or preco mais barato do que em outra quas.
quer parteTna loja do Pavao, ra da Imperatriz
60, de Flix Pereira da Silv,
Alegrai-vos myopes, e presbytas, j >o-
deis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortim nto de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfimv
ac, bfalo, ncar, unicornio emelchior:
assim como binculos de urna a tres mudan
cas para theatro, campo e marinha, daulth
ma invenco ; duquezas, vienezas de 6, 8- e
12vidros, tudo dos melhores fabricantes, da
Europa.
O mesmo vapor fcrou-
xe urna excellente ma-
china para graduar e
observar numero dos
vidros qoe se necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excellentes sterioscopos, instrumen-
tos de mathematica, barmetros, vidros de
chrystal do rocha, e de cores para respar~
dar a vista; eoncerta todos os objectos
presos commodos e com promptidia; tira
o mofo dos vidros c encarrega-se de toda a
encommenda relativa a ptica.
Becebeu tambem os excelentes relogios
do antigo e afamado fabricante Rotert Gerth
?4C, os quaes vendem preces commodos
garantindo a sua superior qualioade.
Novidades do Campos
para S. Joo
laterfessaate fogo rt'arllflclo para
saldes, viudo da corte pelo
Paran vende-se na rna do
imperador a. 98.
ECONOMA DOMESTICA
Superior arinha da trra em saceos, o
4(9 tambem se vende por menos, sendo
porcoes.
AOS ESTABELECIMENTOS
Medidas para seceos, conforme o novo
systema mtrico decimal.
Tabellas iodispensaveis, facis, e mais
|"adoptadas at hoje nos estabelecimcntos que
cmprame vendem a peso, porque mostram
ellas com a maior exactidSo, a reduccao do
peso e preco entre os doussystemas: libras
e kilogrammas, recomendadas de prefe-
rencia a outra qualquer tabella, pea sua
fcil comprehensao anda para as pessoas
menos habilitadas em commercio e clculos,
acha-se a venda tudo cima na ruado Im-
perador r. 28,
Armazem do Qampos.
*


u
-
I
\
?
Diario de Pernmbico Quarta feira 16 de JAnho de f$69.
3 cqrdairo providente
Itua do <|uclu;u! a. te.
Novo e variado sortimeuto do perfumaras
finas, e outi ios.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que eQectivamente est provida a
loja doCordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se toma
notavel pelavariedade deobjectos, superiori-
dade, qualldades e commodidades de pre-
sos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particalar, nao se afas-
tando eUe de sua bera conliecidamansidao
e barateza. Em dita loja encontrado os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray <& Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceia, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conscrvac3o do
asseio da bocea.
Cosraetiqnes de superior qualdade e chei-
res agradareis.
Copos -e latas, maiores e menores, rom
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japwieza, transparente
e outras quadades.
Finos extractos inglezcs, americanos (
francezes om frascos simples e enfeitados.
fsencia imperial do fino e agrada vel chei
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente unas e agradaveis.
Oleo philocome vardadeire.
EAracto d'oleo de superior qualdade
com escomidos cheiros, em frascos de dille
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para maos.
Ditos transparentes, -redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
ructas.
Ditas de madeira iuvernisada centendo
aas perfumaras, muito proprias para prc
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e-de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial po de arroz sem composicf de
:heiro, e por isso o mais proprio para enan-
cas.
Opiata inglezae franceza par dentes.
Pea de camphora e outras ditferestes
cualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kcmp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com (ilets de vidrilhos
9 alguns d'elles ornados de flores e litas,
esto todos expestos apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLL1NHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Flvellase :is para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, cando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS.
O que de melhor se pode encontrar oeste
genero, sohresahindo os delicados ramos
orvalhadns para coques._______
Vinho degestivo de
chassaing '
O M
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excedencia para cura certa
las digestes difliceis ecompletas, acalma*
.as dores gastralgias, e reparar as torcas
produzindo urna assimulacSo completa dos
.-alimentos; sendo mais um excellente tnico.
VE\OE-SE
FHARMACIA E DROGARA
H
llariholciucci & C
34RA LARGA DO ROSARIO34
Libras esterlinas, na ra da Cadeia do
Recite, n. 58.
Ra do Livramento n. 26.
(!ambraia3 de allegantes padrSes, modernas, a
MtOrs.o -ovado.
FUNDICAO DOBOWIMN
Rna do IIruin o. :>'.
PA8SAND0 O CHAFARIZ
Tem ssmpre deposito de todo o marinis-
mo empreado naagrcultura da provincia,
entre o qual:
Madrinas de vapor, para assucar 3 para
algodo.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
jloendas de canna.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
Tixas de ferro, batido- fundido e d
cobre.
Alambiques.
Arados e instrumentos d'agncultura.
Descalcadores d'algodao etc. etc.
Havendo em tudo variedade de tamanho
desde o menor at o maior que so coslu-
ma empregar.
de molhados, no armazem da ra
Novan. 60.
QUEUOS
No armazem da ra Nova n. 60 ha para vender,
la* seeuintes qualidades :
QUEUOS DE MINAS.
QUEUOS DE COALHA.
QUEUOS DO SERTO.
QUEDOS SUIS80.
QUEUOS PRATO.
QUEUOS FLAMENGOS.
MANTEIGA INGLEZA
t*740 o kilo.
a 800 rs. a libra ou
i
Vende-se manteiga ingkza multo boa a 900 rs..
1J, e 14tiO a libra, muito fioo. presunto de La-
mego a 800 rs a libra, orne do serfio a 360 rs.j
fmguica fin em Utas alia libra, farello, sarco
ele 4*400, o de Lisboa uno a 5*400: no pateo
cp Paraizo n. 20.

QUE SE LIQUIMM
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
qq>atoa (Da waw?aiafi\,iaiiabi DE
FEI.IX PEREIRA DA &KLVA.
O proprietario d'este eslabelecimento convida ao respeitavel publico uesta ca-,
Vital a vir surtir-so do grande sortimento que tem de fazendas: tanto da moda como le
le, assim como de um grande sortimento de roupas para 1 omens e meninos, e as
pessoas que negociam era pequea escala, tanto da praga como do niats, oesta casa
poderlo fazer os seus sortimentos em pequeas ou grandes porgues, veooon lo-se-lhes
pelos precos que se compram as casas inglezas ; assim como as excellentissimas fami-
ias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou se llie as mandam
evar em suas casas pelos caixeiros d'este estabelecimento, que se acha aberto con-
stantemente desdt; s 6 horas da manhSa s 9 da noute.
Casemiras da moda
11--RUA DO QUEINDO--11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
ver ,.
el
.ob.ram superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
c M *r precos mais mdicos do qne em qualquer outra parte.
11DAS DE BAILEde cachemira branca de cores o que ha de mais lindo.
aSQUINESde renda preta, e de gorgur5o preto, o que ha de mais
EuoaEamento de agoa
e gaz.
aliado e a
sstn
Pesos polo nov sistema
Tornos dos novos poa completas e .i ivtnlho
A venda, rea do Qoeimado, Aievcdo & Irmaa.
Canos.de fvrro csiauliado e com porcelana, ditos
de chumbo df iodos s grossr;
XAItl'l^ l'KITORAL
DE
Expleudido sortimento de
Alpaca lavradas de crea a ASO
Alpacas a 500 Alpacas a 560
Alpacas decores
Na loja do Pavlo roa da Imperatriz n.
GO, vende-se un 5 pesos de mil covados
das mais lindas o -nodernas alpacas lavradas
com as mais moiemas e bonitas odres,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo entre ellas azul, lyrio, roxo, cor
de canna, verde claro etc. e os lavrores
muito miudinhos agentados era urna s
cor; para se poder retalhar esta fazenda
pelo barato preco de ."iiO rs. o aovado, foi
preciso fazer-se ama gjande eempra des*c
artigo, o qual grande pecliincha.
Aos des mil covadaa de cassas
fraaeeza
Co\-ado a 300 Covado a 300
Cc\-ado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavao ra-da Im-
peratriz n. 60 una grande quantidade de
mil covados das melhores casas rancozas
para vestidos, tendo padroes miudos e grfi-
dos, assentados im todas as oAws, estas
cassas sao propriamertto francezas, tendo-
transparentes e tapadas, com tent corpo
quasi como a chita, o alera dos padroes
serem muito bonitos, *5o todos flxos e sea
fazenda para uito mais dinheiro, mas rc-
talha-se a 300 rs. o covado.
Hipartilh** ai saooo ma loja do
Paro
^"ende-se ama grande porcia de esp*rt-
Ihos modernos com o competente conao,
tendo sortimeuto do todos os tamanhos, e
vendem-se a 3$ cada um.
MADAPOLO EKFESTADO A 33600, S
mpavAo
Vendem-se pecc s de madapol3o enfeatado
ceta li jardas, sido muito incorpado pelo
barato preco do -35609 ris, assim orno
pecas de algodao^inlio com 16 jardas
4,>iOO e SrJOOO ras.
AJUPACAS LAVRADAS COM LISTAS A 300
RS. S O PAVAO VENDE
Covado a 300 rs.
Covado a OO rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 300 rs.
.Carado a 300 rs.
Covado a 500 rs.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60 vende-se urna- grande porc3o de alpacas
lavradas com os mais lindos padroes lastra-
dos e com flores matisadas, sendo este ar-
tigo urna grande pechinclia, por se terem
comp-ado urnas sancas de caixas e vende-se
pelo barato prec de 500 rs. o covado.
Chalet
PELERINAS DE CHOCH A & 105000
E 124000
Chegaram para a loja do Pavao as mais
modernas o mais uonitas romeiras ou pele-
rinas de fil e croch .que se vendera a 8 e
10:> e m.
CHAPEOS DE SOLpara seuhoras delicadamente bordados.
BALESbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilho?. >aias bor-
dadas, e saias de 13a com barras d cor.
GORGUROde seda brancoe preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores c preto, prineczas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados.
EM
PERCALLAS
A pataca o covado
PERILLAS A 320 RS.
VOS DEZ MIL COVADOS
PCRCALLAS A 320 RS.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, vende-ec urna grande porco de per-
callas francezas proprias para vestidos, sen-
do de cores fixas e mais larga que as chi-
tas, tendo os panios muito encorpados e
com os desenhos mais bonitos que tem
vindo ao mercado, tendo padroes miudos e
grados e vende-se pelo baratissmo preco
de 320 rs. o covado, garantido-se estar esta
fazenda em perfeito estado, e vendendo-se
por este baratissin, o proco para apurar di-
nheiro.
BRAMANTE PA1.U LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A I^WOO
Cbegoa para a loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porc5o de
pe^asde bramante com 10 palmos do lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpli-
mento de um lenco!, o qual so faz com um
metro e urna quarta, o para cama de casal,
com um metro e meio; o vende-so pelo
barato preco de 15800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicaces para arranjos de familias, sendo
grande pechincha pelo preco.
COBERTORES DE L PARA O INVERN
DE 30000 6000
Cbegou para a loja do Pavao, um gran-
de sortimento dos melhores cobertores, do
NA
LOJA MO PAVlO
Cliegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e vardadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para cal-
gas, paletots eco'etes, tendo lisas, com lis-
tras e com tistna ao lado, tendo para todos
os pregos, e aanca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-
te, assim como das mesmas se manda fa-
aer qualquer peca de obra, a vontade do
freguez, para o que tem um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitots
a 18$e20^000.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porcSo de pa-
litots sobrecasacados, e propriamente so-J
breoasacos de panno pretu, sendo obra
muRo bera acabada pelos baratos preces
de 18r$, sendo forrados de alpaca, e de
203 forrados de seda; esta azenda a n5o
se ter comprado urna grande compra, aeria
para muito mais dinheiro, perm liqudase
esta peclvneha pelos grecos cima.
Laazliihas a 840 rs.
Vendem-se lazinhas para vestiose rou-
pas de aieninos, sendo t3o encorpadas
como chitas, pelo barato preco de 240 rs.
o covado.
POUFELINAS A 50ORS. O COVADO.
Na laja do Paveo, na ra da Imperatriz
n. 60, wnde-se um grande sortimento das
mais lindas poupelinas ou lazinhas trans-
parentes, proarias para vestidos e roupas
decreancas, com as mais modernas e bo-
nitas odres ; padnios C4m lstrinhas miudi-
nlias, que se vendom pe^j barato preco de
500 rs. o covado, pechincha que se acha
nicamente navaja de Feii\ Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60.
AS CAMBRAIAS-eO PAVO
Vendem-se icissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largara, pelos
preces de 56000 at iOgCOO a peca, assim
como finissimos organdys branco uso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 4,51000, a vara, na -loja do
Pavo ra da Impera Iz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Crtiaade
Para -camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
lhores e maiores cortinados bordarioc pro-
priospara camas e para janellas, que se ven-
dem a I2$XX) rs. cada par at 25Q89 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
roupas feitas
NA LOJA DO PAVAO A OVA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitots e coletes de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para so mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maior promp-
tido vontade do freguez, c nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao sea contento, assim como
n'ese vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linlio e algodo e ontros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-ihc vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 34000.
Vendem-se colchaste fusto adamasca-
las para cama, po barato preco de $&,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
O atoalhado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
>ora 8 palrflos de largura, adamascado a
5200 a vara; dito de linho fazenda muito
raperior a 33200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a 4#500 a duzia e muito
3nos a 83000, e ditos econmicos a 30300
i duzia.
ALPACO DE CORDO PARA VESTIDOS
A I(i()0
Na loja do Pavio, vende-se superior alpa-
co ou gurguropara vestidos, sendo n'es-
te genero o mais moderno c mate bonito
que tem vindo ao mercado com differentes
cores, sendo mais largo quo alpaca e ven-
15000 o
.t'_p-aoi^B"
UU W TATli*
PLANTA DO BRASIL
E expectorante o recommendado BB9
affeccoes do peito, bronchite chronica, he-
moptise, e uk&fs clironica.
" PKEPARAH0P9B
J0AQU1M DE ALMKIDA WNTO
I'II VRMACEU TICO
Ptnvwtmt rna /)'-/< do Rosario n. 10.
BAZAR 11
V
-,^0 -^
mi
d8
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Atnil-flnriliJl iP GuiS-i Ditos com ditas de velludo, outros im
AgUa-UOriUd U U-Ul ]landochara0inachetado.
Tintura indelevel para tingii os cabelles,
sem manchar a plle.
A bem conceitnada agua-II&rida de Guis-
lain que ento era desconocida emVer-
aambuco, j boje estimada e procurada
por seu efficaz resultado, e anda mais se-
r, quando a noticia de sea bom effeto e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-Qoriaa de Guislain f^omposta uni-
amente de vegetaes inoffensivos, tem a
piX)priedade extraordinaria de dar a-cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, e lhes restituir o hrilho perdido, e as-
sim como preservar de embrawjaecer, sem
ser prejudicial de modo algara.
E' porm necessario fazer conhacer, que
i bom resultado prodozido peta agua-flor-j
la, nao instantneo, como umitas pes-
soas talwez supponbam, m lis sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provam testemunho8>de pessoas insuspei-
tas, e d*ento pordiante, basta usa-la duas
?ezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
*utra jaalqner coasa.
Assvd pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ra do <3uehaado n.'8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
vo de sua boa freguezia, tambem capricha
em nao lb'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a honrara, e em prova ao quo fica dito, d
como exemalo (o esplendido sortimento
qoo acaba de receber, ainda mesmo achan-
lo-6e bellamente provida do que de bom
e melhor se pede desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios iivrosdemissa
e oracao, obras de apurado gosto e perfei-
;o, sendo: com capas da madreperola c
tocante quadros em alto relevo.
Ditoc com ditas de marfim igualmente
bonitos.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assim como.
Gmade e bello sortimento de loques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso c seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abortas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
croas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torcal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres e
Dieninos.
Gollinhas o punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios finos tapados o transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anncis e collares Royer para enancas.
Bonitos catases ou bolsiuhss do pelica
e fietim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Nomos e delicados ramos de flores com
mwraes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cinto* de fitas largas com bonitas raraa-
gei.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas
\3lXU
O -Ra XoYaO
Carneiro Vianna
NSte BAZAR citooHtra-C um completo
sortimento de todos os artigos que se ven-
dem por procos commodos como sejam: m
completo sortimento de machinas para cos-
tura de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposico serviros a electos para almo-
t;o e jantar, salvas, bandejas, taUoltrns, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candinos para sala ecimadernesa.
paredee portal, mangas, tubos c globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
batervos, ditas para amassar farinha, altas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, sottejros e criaoca, berros, cadei-
ras longas para viagem, ditas de bataneo,
espelhos de todos os tamanhos, moldmas
paraqoadros gaz, baldes americanos, gu i-
da comidas, brnquedos para criapcas, um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, quarto.
frente de sopha.janellao porta, capachos de
Sparto e coco, objectos para escriptorio e
muitos outros artigos que'se encontrarlo
venda nomesnio estabefecinBeiito oque vate
a pen ir examinar.
Brozeguins de bezorro, para homen a
iimiOO.
Ditos de dito conlavo. Nante?, para di-
tos a 8-S<00.
Ditos de dilo dito, inglezes, para dito1; a
I01000
Ditos de dito para menino e enancas a
20000.
BoQzmhos para meninos a 10000.
Spidos de couro com salto para seho-
raa I?).">00.
Vende-se na praQa da Indepencia n. 39,
loja do-Porlo A- Bastos.
Na mu la Mairiz la Uoa-Vi.-la n. i>4, ve-
d-sfifaicll" limito sabedor a 13800._____
oos* \
oos
005
O00>'5
OS-
00?'/ \
008
ooot
obanfe
005
005
008
091
OOlPl
OOQSrf,
OS
058
09
B 9J9JIO0 BJBd Oftt Op SDOJOg
opijse.v
op urajqap cjed cig op scd
.....souinbgd soia
cpejnop
rjnpiom mo3sapuei8soq|odsa
ooo.:d opoj 'Bjao ep seooung
SU9p-'0 5 SOJOXJOO 0100 OR1.III3
3 Biznp sepjBf 005 op equn
b 910HO0 B.iBd SBjnpeojoqv
.........e biz 09t
-np suaraot] Bjed mus sbioj oo
' *......3otfi
'008 *0OT sojioip troD soosbjj o?e
b oqond EJed sooioq gp sojbj
'sogra BJBd soouBjq soJu^t 006';
eqooj bjuij raoo sbjbjjbo
M .SKS. FOliETEIROS
Bartholomeu &C.
SALILRE retinado de I* qualdade.
ENXO REemeylindro
LIMALHA de ferro ('muito no\?\
DITA d'aro (dem).
DITA d-agnlhas.
E lodosos mais preparados para os in-
dos fogos deiporos na sua drogara a ra
larga do Uttrio n. 34.
ESCLAVOS FUGiOS.
ev
b B3no[ op saojoq op bzojq
Buuip bii8b moo cjcjjcq
' 9 008 '00 '009 '00S
B S0I3UI-3JJUa o soi|uipjqBa
' 9 005 051 '001 '08 ? sop
-cpi|Biib se sepoi op oiauoqeg
B esoq q op oa|o moo sooscj.j
.........b sep
-jef oo'; moa eqai| op sonoAnjyi
jnq.iuq bji d SL'i|iii| op siuqi'i
' 3 SJ 001 C BIJ UIOJ SOOSBJj
........B SRI)(in
o BJ01S03 BJud SBUnosoqx
......B SBU
-mora Bjed bssovbjj op somoj
B BJptpgpjOA JOAjJ
biuojoo op BnB moa soosbjj
-Bpap oxreqB iso;oafqo so opu^uiianb ^sj
No lia I9do crrente mez fugio do
genho Conccioao da fn guezia da oseada o
cabra Thomaz, idade de 25 a :50 anuos, al
tura e corpo regular, barba curta, uatmal
de Mamanguape da provincia da Par.diiba:
presmese que elle tenha ido para o Rc-
cife, ou villa do Mamanguape. Roga-sc a
pessoa que o aprebenna de o entregar no
Rocife a Domingos Alves Mathous. na mu
do Vg3rio n. 21, ou no engenho C( nceicSo
la Esrada a seu senhor o Exm. Baiao do
Aracagi, que a recompnsala com genero-
sidade.
30
S IhMVMHlM Ofl llll- X
mmmi
13 de carneiro, sendo muito grandes e
mnito encorpados, que se vendem de 30-de-se'plo baratissimo preco do
at 6#0C0 cada um, em relaco s diffe-, covado.
rentes quadades, apochincha: aelles an-
tes qu8 se acabem.
ATTENgAO
AS PECHINCHAI5 QUE SE LIQUIDAM
NA LOJA DO PAVAO
Cortes de organdy listrados com 10 va-
ras cada um e que tambem serven para
luto a 30000.
Lanzinhas de cures para vestidos a 200
rs. o covado.
Cortes de cambraia coni barras bordadas
c muito finas a 35 e 4(9000.
Cassa toda preta para vestidos a 320 rs,
a vara.
Chita preta estrei :a com salpicos J?ara ves-
tido a 240 o covado.
Ditas ditas lisas n 160 o covado.
E' pechincha para fechar contas.
XoTidade Xovldadc
GRGURES DE SEDA PARA AS FESTAS
DO MEZ D<5 JNHO
Chegou pelo vapor de H do corredle,
para a loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, um brilhante sortimento dos mais
modernos e mais bonitos gnigurOes de seda,
para vestidos, tendo padroes miudinhos e
grados, com lindas listras matisadas, as-
sentadas as mais delicadas cores, como
sejanJ, verde, bismark, lyrio, azul, perola.
etc. etc., assim como ditos lisos de todas
as coras, garantindo-se que na actaalidade
nao ha urna fazenda de mais gosto nem dn
mais pbantasia do que estanque se vende por
preco muito rasoavel, n de Fclix Pereira da Silva.
rrurm
MENCO DE HONRA
Vende-se em IVujm
DE riGADOS FRESCOS DE BACAUlAO ^ r* tnnga.
lares, pharraaci Hoae,
2, na do CastigHono,
em Paris.
Cuntina fgido o osciavu di ndme Bene-
dicto, prrleni'cntc ao ibaixii as.Hpnadc, am os
s.gojies pyaintea : preto fulo, altura regular.
ralla de denles da parle superior, ps prandet,
mudo laJinn, o pouca barda. Sup|.oe-ye evtar
acontado ne-la cidade. d'onde fugin cocuuma nin-
l.il;i pertrncente i I). Genoveva niTade Araujo
Alliuquerque, lambeo com os sijjuaes sepuintes :
cabeHus annollados, nariz abato, falta de denle? da
parle superior, ps pequeos, tendo mn o direitn
urna cicatriz, nina belido no olbo esquerdoe alta-
ra regular. Os genitores lano do eseraVi. ennio oV\
escrava protestan) contra qualquer que os tenhn
aeoutado, pelos damnos causados. Im-iii pumo ro-
pam as autoridades polieiaes on qnaesquer aotKla
|ta>oas que se dignen) de haVloa capiurar a
mandar levar ao e.-criptono de Leal A Imao, qno
recompensaran com generosidade.
___________Luiz de Albuqverqve lUnrnvIwo.
num
Do engenho Jacobina, rreguezia do Cali., i
noite di- 6 para 7 do em rente, fugiiam os p>erares
cgumtes : Salvador^ crioulo, cor pivta, baix;)
grosso, idade do 44 anuos mais ou menos, barirri
ja pintada, rosto redondo c trabalha di^ cai-;.pia
Este escravo foi comprado ao Sr. Franeisen JmS
ile Ar.-jjo, morador na cidado do Reeile- Mantel
reto, alto, barbado, bom corpo, nemas linas, et.r
a falla um punco descansada, reprsenla ter 20
annns mais ou menos. Levou calca d.' a gndao
imericano, camisa d madapido ja <""> cha
oeo de couro : este escravo fui comprada aar.
lonas Mariano de S, morador em abant para
ndo desconfia-sc ter seguido. R gas* santori-
'.oles poliriaes e aos capitaes de campo a appre-
n-nsao dos refendos escravos, e entrega-lus ao
cu senhor Antonio Carneiro Litis e-Mello, no en-
.enho arima referido.
As fmutit*ct;>t*, os oleo pardos, d un ebeiro fof >c, e uiis composi(;6es feitas cem leos
de penes communs, taes como o etquaio, a arrala, o phoca, a lita, ot olem dot a'-ailorrs ptfrailorn
e mcamo o otto* vegttaes, forim imaginados para substituir os verdadclroa otros le Kgados
rrcaeoo de Bacalhao de lorru \*o. Estes oleo* communs ou soo aneeedo s|0
o itidns na industria por precoz, mui baixos, em quanto que os verdadeiros leos de nado de bacallio
fresco sao relativamente multo caro, visto que para ohtel-os freinit e nm pillara cumpre exercer
grande Titulania e ter os maun-s cuidados nos proprios lutarps dt* peca, aasim,cnmo manda Ciier
M. Hogg desde o anno de 184!>. Estes oleo* puroa de laai wllioo d Terra-\o*a de oaa
grangearam para este precioso medir amento urna fama universal as mulrttias rio filo, a* afir ",
urrnfuiotuelymphalieat, a ttiagieta dos menino,etc.,e por issj.deram lugar a nocivas desleae
I imitacfi.
ola. O oleo de Hoga mui fcil de digerir. dlstingue-M entre os outros ateos pela sua
eflr de palha, o *eo ebeiro la' e e delicado, e seo gosto de sardinha fresca.
O KELATORIO favtravel do chefe dos trabadlos enymicoe da FACULD4DE DE MRDtCINA DE
I PAFIS conclue como segu : 0 olro c6r dt palha de 1. Hoga conten urna Irrf* parte de rlB-
{eJadoa ave oa mah 4o ate cu oleo* pari* nio aprsenla algum dot tnooventate* ove m
i r'if'i -tei, quanto ao catiro e labor.
^JTapale ae ea todaa ata fhariaaeiaa da. Fraaoa do* Mstsea eotroagaaraa. J
Acha-se fgido desde 1867 o escravo Mareos,
abra, cabellos annellados, olhos nequinns, naria
hato, idade 38 annos, pouco mais u mern*. al-
una regalar, pernas compridas, t.-m faltad* deiv-
es, algumas marca- do gomma pelos iteitus. sen-
t a mais saliente urna no vao do pracooa ; na-
ural do Sobral, im Cear, tendo ido para a fjen-
la Cysplalina, no Brejo d ArAa. em o-nqonhia do
los Cacado de Oliveira, de l oVsapiiareceo. spp-
iondo-se eslar fgido : (T>ga-se, perianto, as aa-
Mridades poliriaes e aos capMaVs de campo, ranfti
lesia provincia cuuio da Parahytia, ou nutra i|aar-
iuer, que o fa am aiareneoder e ean.iu-lo a
eu senhor, o major i pie pifara paanas
lespezas e gratificar genern-.i K/tru abo
mga-se a qualquer pessoa q'ie dHle livcr rnileSi,
i favor d tambem gratificar.



8
Diario de PernJiibacO Quarta fer 16 de Junho de 1869.


s
ASSEM& GERAL
CMARA DOS SRS. DEPTADOS
SjS&O EM 29 DE MAIO.
WWHIDF.NCIA DO SU. VISCONDK DE CAMARA-
(ilBK.
(ContintiacSo)
Senhores. esta pena, que rito presla-se a
atanns dos fins da penalidadc ; esta pena
que. em vez do moralisar a sociedade, de-
grada a quem a solfee e rito corrige ; esla
ppoa de certo nao seria adoptada era c-
digo algum. que hoja se houvesse de esta-
nsccr conforme s luzes do seculo e
til anta raen tos do direilo criminal. Em vez
dulla en acredito que seria preferida a pena
de priso com irabalho, cora a qual pne-
se b ftulpado. e ao mesmo lempo consegue-
so a su a moralisaclo.
En poderia tambera alludir pena, por
exeraplo, de desterro para os casos de of-
fensa ao pudor e honra das familias.
pena Ilusoria, e que al habilita o criminoso
a reincidir na mesma especie de crime. Mas
n3o nos detenhames com consideraces ge-
raes, c entremos em assumplo.
O projecto, Sr.. presidente, prope a
tboltySo da pena de gales e sua substituto
Sel de priso rom trabalho para a punico
os escravos que commettam crime*. Eu
considero que a medida 6 til e mpresein-
divel.
Reflicta a rasa sobre cortos factos qne
ni) podem deixar de te-la impressionado.
Attenda. por cxemplo, a que ainda ha pou-
co alguris escravos commetteram um crime
grave na provincia de S. Paulo c vieram
. entregar-se justica, dcclarandodhe que
acabavam de commetler um crime. c corto,,
mas que haviam adquirido a sualiberdade, j
porque seriara conderaoados a gales, e as i
gales dar-lhes-hiam a isenco do captiveiro. I
Reflicta a cmara sobre scmelhante facto, e
eu acredito que convenccr-se-ha de que a
pena de gales para os escravos, em vez de
servir para pnni-los, nao aproveita, nao os
corrige, nao os emenda, e at pode servir
de incentivo como no caso que citei, para
que homens de m edncaco, de poaca
sensibilldade, c sem os estmulos do brio,
se entreguen pralica de crimes. Para
escravos, repito, a galo nao castigo.
Ha ainda outros factos que tem o mesmo
alcance, porque provam que tal pena tor-
na-se Ilusoria, por tenue, para certos entes.
Disse-me em outro .lempo o administrador
da casa de correccao da corte, era conse-
quencia de relacoes officiaes que alli Uve,
que e faci constantemente observado no
estabelccimonto, que quando os gales, al-
tingiado a idade de 60 anuos, passam para
a priso cora trabalho, pela convergi da
pena, em rauito pooco lempo suecumbem.
por tal furnia o espirito se Ibes deprime com
aisolaco e o trabalho bem regulado, c nao
porque este seja exaggerado emortilicante.
Isto se comprehende : em vez da solta cora
municabilidade era que viviam, passaram
para um certa isolaco ;em vez de trabalho
bruto o material, o trabalho da besta de
carga, por assim dizer, icaram sujeitos ao
trabalho methodico, regular e como que in-
telligonte
Ha ainda outro facto, que aquello que
acabo de ler no relatorio do actual adminis-
trador da casa de correccao. Um hornera
naqucllas condic.5es, tendo completado 60
annos, passou para a prisao com trabalho :
suicidou-se com todas as circunstancias da
meditaco a mais calma, a mais fria !
Estes factos, portanto, provam aquillo que
para mim nao pode ser objecto de duvida,
e que a pena de gales, em vez de casti-
gar, de punir...
' O Sn. Candido Tomirs : A experien-
cia tcm demonstrado isto perfeitamente.
O Su. Thkodobo da Silva : .... para
alguns serve de incentivo, alim de que com-
raettam eriales, e para outros torna-se il-
lusoria, lano (pie, quando tem de suppor-
tar a isolaco combinad i com o trabalho
em cominum, pena alias menos grave que
ella, conforme o nosso systema penal, sue-
cumbem oh suicidam-se mesmo.
Se. pois, a pena de gales considerada
na escala da uosaa penalidadc como a se-
gunda das penas, porgue sabem todos qse
em primeiro lugar figura a de-morte, em
segundo a de gales, aps a de priso com
trabalho. em seguida a d; prisa) simples el
as domis : supprimi-la, subslitui-la por
aquella que pune, porqus priva de toda a'
liberdade a quem soffre, e corrige pelos |
effeitos combinados da isolaco e do tra-
balho, precisamente o que devemiTs fa-
zcr.
Dir-me-nSo: Nos nao temos casa de
ccrrccco, r.o temos penitenciarias, a ulti-
ma palavra anda nao foi dada acerca do
menor systema penitenciario a adoptarse,
e por consequencia em taes circumstanciaa
a substituido da pena de gales pela de
priso cora trabalho vira a ser inopportuna.
Mas, senhores, tambem quando se adoptou
o cdigo penal nao existiam no Imperio
casas de correccao, nem o systema peniten-
ciario era to conhecido como hoje. Elle
ainda eslava em embryo, por assim dizer...
nao me exprimo bem: elle j era anterior
a 1791, mas constitua objecto de estudos
pouco desenvolvidos, e que hoje tem mu i lo
mais adiantiinenlo e maiores observaco >s.
Nao obstante, o atraso cm que se eslava
nao foi razo, dizia eu, para que naquella
occasio nao se adoptasse a pena do priso
com trabalho, posto que a falla do peniten-
ciarias fosso causa de que o legislador acau-
telado determinase que nos lugares em
que Dio lioavesM ca as de priso com tra-
balho a pena fosse convertida na de pri-
so simples, com o accrescimo da sexta
parlo do tempo da sua duraco. Adpte-
se o mesmo systema, porque assim nos
eslabelecemos as cousas de modo que, ain-
da quando as casas de correccao nao sejain
establecidas to cedo em todas as provin-
cias, isto nao-servir de embaraco pira a
applicaco da pena.
Poder-se-ha enxergar, e eu descubro, al-
guma incoherencia no projecto, porque
tratando da abolico e substituido da pena
de gales pela de priso com trabalho s-
mente com relaco aos escravos, nao am-
pliou esta providencia a respeito dos ho-
mens livres. Parece que o autor do pro-
jecto so atienden consideraco que eu j
expuz, isto que a pena de gales era para
o escravo urna carta de liburdade, que elle
podia procurar obter commettendo crime.
Consequentemente pode-so deixar de fa-
zer-lhe grande increpacao por ter esiabe-
cido urai linha divisoria entre o escravo e
o hornera livre quanto abolico e substi-
tuto di pena de gales. Purera eu, que
peoso como j disse, de modo mais abso-
luto, porque contesto a vanlagem de man-
ter-se em caso algum a pena de gales, pro-
ceder! comcoherenca manifestando o meu
juizo de que aquella linha divisoria entre
escravos e homejis livres deve ser extracta.
Livres ou escravos, quojn quer que seja,
commette algum crime punido cora gales,
seja a pena substituida pela priso com
trabalho. Esta a pena que corrige, esta
a pena que moralisa, e nao aquella que,
embora seja acopaobada de trabalho, com
ludo o trabalho que nao eleva o homem, c
antes o degrada, como se fosse urna besta
de carga ; o trabalho que conjunctenle
com a calceta o expon ao despiezo publico;
o trabalho que irnz-llie coila liberdade
de commumeaco com a mais inma classe
da sociedade, porque a gente s rrita toda a
approximaco com o infeliz ; e ludo islo por
conseguinle o deprava cada vez mais, Se
a to nocivos effeitos fica sujeito o gal es-
cravo, cora maioria de razo elles mais se
faro sentir no hornera livre.
(O Sr. Soum Res diz algumas palavras
em voz baixa ao orador.)
O Sr. Theodoro da Silva : Os gales
devem trabalhar era servcos publico ; nos
arsenaes e outros estabelecimentos scrae-
Ihantes. Esta a regra do cdigo : a pena
do gal deve ser curaprida com trabamos
pblicos.
O nobre deputado sabe que em mudas
capitaes, e sobre, ludo no interior do paiz,
os gales oceupam-se txcusvamente em ser-
vcos de faclrina das pristes, lmpeza de
ras, de estabelecimentos pblicos e outros
semelhantes ; transitara por toda a parte,
vo s feiras e mercados, penetrara as
tavernas, mbragam-se, communicam-se
cora quera Ibes apraz, negociara, etc.
O Sn. Solza Res : Isso f;dta de exe-
cuco da lei ; nada mais.
O Sk. Theodoro da Silva : Sao os
resultados inevitaveis da applicaco da pena
e das circumstancias do paiz.
Em vista, pois, do que tonbo Stc, rae
parece que repellir o projecto o lranine,
como se procedeu, procedimento pouco-
acertado.
O Sn. Figuf.ii.a de Mello : Na i est
o adiamento em discusso ?
O Sr. Theodoro da Silva :Pordo-me*;
l vou.
O nobre deputado >jue hontora fallou, e
ijuem respondo, e que sinto nao esteja1
presente, formulou o seu discurso de modo
que a concluso que deile se devora tirar
era a seguinte: desp:"ezemos peremptoria-
mente este projeclo; de sorte que, quando
me resolv a pedir i palavra, poique va
que elle o proflgava sem reservas nem
restriegues, nem desoobria a menor consi-
deraco que o justificasse, fui para attrahir
a attenco da casa sobre a utilidade, para
mim incontestavel, do mesrao projecto, a
qual era formal e categricamente contes-
tada pelo honrado diputado a quem me
retiro.
Mas sbitamente, e com sorpresa minea,
o Ilustre merabro, cm vez de concluir, c
seria lgico se o lizesse, pela rejeico in
limine do projecto, ao contrario concluio
pela sua remessa a duas das commisses da
casa.
O Sit. Gama Ceiiquura:Nao- quiz jul-
gar seni appellaco,
O Sr. Theodoro oa Silva:Suppunha
que o Ilustre deputado nao eslava na casa ;
j hava oHiado para a bancada em que se
senla e nao o vi.
l)eseulpar-me-ha se nao repito o que
tenho exposto casa.
Em summa, creio que consegu o fim que
visava, e era prender a attenco da casa
sobre a utilidade o projecto, para que nao
passasse desapercibido, ou nao fosse sa-
criQcado, Elle decididamente nao daquelles
que de vara ser remettidos s commisses
para que este modo oortez de rejeico nao
offenda a susceptibilidade de seus autores.
O projecto til; precisa, certo, de
algumas reformas; e j indiquei a que me
parece mais radispensavel, a da extens^o
da linha divisoria enlre homens lirres e
escravos. Todos, na mJnha humilde op-
nio, devem icar sujeitos. substituido da
pena do gales pela de priso com trabalho.
Tem o projecto outros defeitos menores,
mas doBes nos oceuparemos na T discus-
so, que a opportuaa, eno a em que
estamos agora, porquj nesta s se deve
tratar da sua utilidade. Na 2a far-se-ho
as reformas, caso os nobres depotados en-
tendam que elle est na caso de ser adop-
ta lo sem ir s Ilustres commisses inci-
c ida por S. Exc.
Si!, porm, a cmara deliberar mandar o
pp >jecto a essas duas il rastradas commisses,
nao seroi eu quem a isso me opponha,
porque em to melindroso assumpto todo
esclarecimento pouco; mas nesse caso
peco-lhes que se dignem esiudar o projecto
e emitlir logo juizo sobre elle, como or-
gentc.
Ninguem mais pedindo a palavra, cpn-
do-se a votos o requerimento, appro-
vado.
L0TE1U.VS.
Entra em Ia discusso o projecto que
autorisao governo a mandar extrahirduas
loteras em favor do monumento que se
pretende erigir na capital da provincia do
Maranho mem >ria do poeta brasileiro
Antonio Goncalves Dias.
Depois de algum is consideraces dos
Srs. Perdigjo Malheiros e Viera da Silva,
(ka a discusso enerrada, deixando de
vota-rse por falta de ;iumero legal.
Entra*era discusso o projecto de-
terminando que ninguem ser conduzido
priso, nos casos de flagrante delicio, sem
ter sido interrogado pela autoridade a cuja
ordem a priso se houver effecluado.
Ntngiem pedindo a palavra, fica a dis-
cusso da mesraa sonto encerrada.
F&U a chamada, viiificando-se nao haver
mais casa, o Sr. presidente d a ordem do
diae tevanta a sesso.
SESSO EM 31 DE MAIO
, PRESIDENCIA DO SR. TISCONDE DE
CAMARAGIBE.
Ao 1/2 da, feta a chamada, verifica-se
haver numero sufciente, abre-se a sesso.
L-se, e approva-se a acta da antece-
dente
O Sr. 1 Secretario d conta do seguinte.
expeeiente
Um officio do mints torio do imperio, cora-
municando que se espedir aviso presi-
dencia da provincia de Minas-Geraes, sobre
as decisSes desta cmara acerca de virios
eleves parochiaes do T diatricto da refe-
rida provincia.Inteirada.
Oatro do mesmo ministerio, coramuni-
cando que a Divina Providencia acaba de
felicitar e sW'ffflptrici com oTBJCnfl&nttf
de urajttilicipe que S. ASjrenissiim a Sra
prince; b. Leopoldiua deu luz no dfia
->\ do tente mez, ks 6 horas e 50 minu-
tos dVBBmli,* ao mesmo tempo enviando
copia aulhentica do auto qo se lavrou para
constar to fausto acoiitecimento.Inteirada
e a archivr-se.
Outro do ministerio h guerra, decla-
rando em resposta que o capitao Jos
drigues Duarte Jnior, que era do 17*c
de voluntarios da patria, falleceu em l
outubro de 1806, c que, n) constando la
respectiva secretoria de oslado o falle-
meiito deste oltcial quando se tratou de
remunerar os servcos prestados polas (br-
eas cm operarnos ao sul da provincia de
Matto-Grosso, tora elle condecorado com o
habito da Rosa; nada pudendo dizer a rea-
peito do pai do referido capitn visto ojie
era paisana. -A quem fez a requisico. i
Doos do Io secretario do senado, devdf-
vendo, por nao ter o mesmo senado podido
dar o seu consentiraento, as proposir
que aotorisam o governo para melhorar a
apofcntadoria conc-edida ao Io conerente
da alfandega da corle Joo Nascentes Pinto,
e para conceder ao (" official di secretaria
de estado dos negocios do imperio, bad*-
rel Antonio Rodrigues da Motta Cunta, dis
annos do lcehc com seos vencimentos.
Inteirada.
Tres requerirnenos de Candido Alves
Machado de Froas, Antonio Bley e Joo
Cerqueira Mendes, fjedindo pora serem ma-
triculados, o primeiro,- no [f anno pbat-
nneeutico da Babia, conjuntamente com o
medico, no corrente anuo lectivo; o o>. dos
ohimo, no 1" anno da facoldatUrde direito
(aterio (talvez com receio do q.l,J n |'ves
sem esquecido) e exaltar a su >Johdario-
dade.
A cmara ha de convir que realmente
nao pode haver naior solidariedade do qu8i
a de um ministro nullo, impellido por urna Club Radical i
Q Sn. Ministro da Ji'stica: E' mal?
ou menos o que eu ia dizer. Creio que o
nobre senador fea ama completa inverso
nos seus costumes; perdeu a casca, civi-
lisou-se (risadas); omlim, j frequentava o
de S. Paulo,
logo
quesfe'mostrein liabilife-
dos um em rhetorica, e o outro ora historia
o g.iogiiqibia.A' commwso de instrucejo
publica-.
Outro de Benjamn Cpto*y pedindo para
ser approvado o privilegio que Ibe foi con-
cedido para fabricar o veaujor'a| Ruperto
os lijlos gotdiecidos nos Estados-Unidos
com o nome de Awicau butitiitg bltfdc.
A' comraissSo d) commercio, in'lustri,ie
artos.
Outro da c"ufraria de Nossa Senhora da
Boa Morte e .%*umptao, da cidodda U
meira, provincia- da S. Paulo, pedrada dis-
pensa das leis-deamortizaco para poder
possuir bens de raz.A' commissb de fh~
zonda.
Outro do Manoel Pinto de Araqo, pe-
dindo para ser nomeado continuo desta c-
mara.A' commiseio de polica.
O SR. MINISTRO DA JUSTICA, pede dr-
gcncia para apresentar casa urna indica-
cao a respeito de atei ai;o no regimntO; a
qual approvada.
O SU.. J. DE ALEXCVR. (ministro' da
justica:Sr. pijpsidonte, a indcaco qae
eu desejo apresentar i casa ser fuinbUTien-
tadn com algumas raaos at certo ponto
pessoaes. Isto inc aeanha; rogo, porm,-
cmara que aguarde a leilura da int!i*a-
Co^ para conhocer a connexo que e-ist
entro essas razies c o objecto da mesma
indcaco.
Nao desejava oceupar a attenco (icsla
augusta cmara com minha possoa, espe-
cialmente em circunslaneias em que assarap*
tos de tanta importancia reclamam todo-o
/.rio e moderaco dos legisladores do pato
Nao smente estou desde muilo acostuma-
do injustica de mau advrsanos e at
aUumas vezes de rama, con-elgionario,
cumo, e esta a principal razo, entend
que nenhum individuo tem o direito d
antopor sua individuabdade s grandes ques-
toes de interesses nackmaes. Urna hora
qae se despenda noste recinto com increpa-
C5es individuaes, com desabafos de paixss,
um desperdicio do tempo destinado s
importantes funci.ocs parlamentares, 6 mn
cabedal legislativo muito valioso quofici
perdido para a naco.
Mas, senhores, ha personalidades oup.s-
soalktitde na>hrase culta da moderna de-
mocracia, que involvom ucrepacocs polticas
c tendera mais a desmoralisar o governo
do que a ferir individuos. O cidado in-
vestido do poder tem ento obrigaco de se
defender at mesmo para preservar a dig-
uidade do poder. A defesa nesse caso, nao
defesa do homem molestado, defesa de
autoridade atacada.
Acho-me, senhoros, em urna circumtan-
eia anloga, devo satislacao de mim ao paiz,
espero, pois, da benevolencia desta respei-
tavel asscmbla ipie pormittir abrir um
parethensis aos assumptos importantes que
a prcocupam, pi-omettendo encerra lo o
mais breve que me seja possivel.
Senhores, um nobre senador pela pro-
vincia da Babia, que desde mudo me distin-
gue com sua animosidade, na sesso do
sabbado avancon algumas palavras que fo-
ram reproduidas no orgo democrtico, na
Reform, jornal sm duvida mwtoautorisa-
do para o nobre ex-presidante do conselho,
hoje recrula da democracia.
Disse o nobre senador ao concluir um
periodo: folgando que no sen ministerio
nao se ttsse facto como este de. absorver-se
um ministro no trabalho de urna depura-
cao. Isto era om o mou collega o Ilus-
trada Sr. ministro da marinha, que lhe dar
em tempo a resposta conveniente. Coube-
rae a ultima parte : Emquanto outro, sem
accordo de seus cottegas, as comp.ro-
mette com propostas de reformas extrava-
gantes. *
Sem duvida, sonhores, o obre senador
[tela provincia da Baha referia-se ao actual
ministro da justica, o nico do gabinete de
16 de julho quo ja apresentou nesta casa
urna proposta de reforma.
As palavras do nobre senador, involvom
ama censura to aero e to injusta que eu
de-vatipplicar-lhes immodiaamente o cor-
remfo que ellas merecem.
Sinto, Sr. presidente^uie nao ime seja
^ermetdo desde j, coape faroi opportuna-
mente, dar ao nobre Miadur, em sua pre-
senta, a resposta devida injuria que me ir-
rogle sinto nao porqu* presuma de mima
ponto de hombrear, de competir em talentos
como nobre senador ou de lear-He a palma
na discusso. (Mu'rtos nao apoiados). Mas,
senhores, eu desejo mostrar ao nobre se-
n idor que tenho um escudo impenetravel
contra as suas invectivas; a convieco
profunda de que as suas palavras nao soi
dictadas pela consciencia, mas sim peloi
despeito, pelo rancor. (Muitos apoiados).
Esla convieco* senhores, rae preserva
das iras do nobre senador, e me colloca
certaraente em urna posico de snperiorida-
de a respeito de S. Sx.c, a superioridade da
razo calma, da raao fria sobre a paixo.
(Muito bem).
0 nobro senador, que oSo perde occa-
sio de fazer o sen tf^io (risadas), apro-
Veitou o jnsejo para'ancarocer o $eu m-
vaidade cega. (Muitos apoiados). Neste
ponto estou d) accordo com o nobre se-
nador, que 0 seu ministerio foi soli-
dario.
O Sn. Bexjamim : -Elle coniuzia as
pastas !
O Sh. Ministro da Justica : -
dada, era o nico minis.tro^
ziam.
Tambera quiz o nobre senador defender
seu ministerio da pecha do estril, laucan-
do um remoque sobre a fertilidade do a tuaf
ou tal vez nicamente sobro a fertilidade do
ministro da justica, u^
Neste ponto dlsftmto mte-irafiinte do
nobre senador; seUV'hiintsTefi foi em ver-
dade frtil sem faltar Jos proje^tos que
esta cmiara j conbe'ce, pr^'tos remetti-
dos te Alustradas commi5s5e!, que dilTicil-
mente apuraro umi idea aproveitave
Capoiado*); a 'fertilidade do gabinete do
nobre senador attestada pela copia Jde
calamidades- epe despejou sobro o paiz
(muitos apoiados), e do que a paiz por
moito tempo so Iki de resentir.
O nobre senador, pois, foi de mn exces
siva modetra. Dtesgracados de nos seo
seo roiaisteiio ivesse sido mais- fcrtil.
(.?poiados). ?
.Mas ou vou aprscior as palavras iwy no-
bre senador.
(r facto de apresentar um ministro, sem
accorto de seus col^gasv em nomo a gt>-
verno imperial, urna proposta do poder eje-
cutivo,- mn facto t^grare, denuncia tai.tn
.lesleakB'leipu tanta inrotmlera^cC: que
permanencia' desse ministro no gabinete
seria umimpssivel, (apoiados.) No mes-
mo d;a d< lei tura de* proposta o decre-
to da exonera o desse ministro devia rjs-
ponder ao* parlamento o a*>para ptsla solida-
riedade m'tr.isterial.
Seo nobre ex-presidentc do conselho
era capaz de,- alim de permanecer mais al-
guns dias no-poder, como enttHi fezer em
1884, proceder de urna manen* diversa,
eu assegnror senhores, que o venerando
cliefe do gabinete de 16 de jaiho eque os
cidadSos conspicuos que me-brmrim com
o titulo de ODliega, e de quemme reconhe-
co apenas nm-amigo dedicadb o-dscipnlo,
nao-o fmtariaro. (Apoiados.) A. araizade
e benevolencia- com que me- distinguem
esses cidados n3te seria motiro s'pfBciente
para toleraren^ uro semelhante cttsvio, que
podia ter consefwnsias bem funestas para
o paiz.
Quando, pois-,-senhores, o acto! mmis-
4ro da justica sotfr sse um tai c-.Wio, um
tai eclipse na loaWodc do seu carcter e na
sensatez do seu> espirito, quanoV o actual
miuistro da justica-, despertado deste des-
lambramento, r3 sentisse, como "imi tantas
ostras occasioes- tem dado proiss. a ener-
ga de sou dever para se fazer jantiea a si
mesmo e dar a sua demisso ; an estava a
circumspecco te-gabinete para> cohibir se-
memante acto, somfrometledor da> solida-
ritdade ministeriol.
A proposta a que naturalmente -se refera
0'nobre senador foi apresentada nesta casa
terca-feira i do corrente ; desde- ento
nenhuma alteraco.se deu no peiwosrf do
gabinete, nenhuma aberaco as retecoes
individoaes enteo os membros desse- gabi-
nete, a quem serapre ligou, antes e depois
do ministerio, urna-profunda estima.
Como pois, cir.an-diaspassados- ousoaono-
bre senador asseverar tin pleno parlamento
(fue o minstroda justica apresentocurna pro-
posta sem accowk)' do seus collegas ? Donde
tirou S. Exc. apcova on ao menos a pre-
surapcao deste facto ?
O Sr. Silva Nsims d um aparte.
O Sn. Pinto, pe Campos : O que elle
quer materia para discutir.
O Sr. Benjamn : o homem das con-
tradicees; dia que a cmara nao tugia
nem muga, pouco depois .disse que nao
approvariamo* a reforma jndiciaria.
O Sa. Ministro da Justicaj?- Em todo
o caso ho de concordar commigo que era
necessario que eu nao deixasse passar em
silencio esta proposico..
Senhores, uso em todos os gabinetes
floar reservado aquillo que se trata cm
conferencia, ou em conselbo. Para que o
resultado das deliberadles, transpire seria
preciso que fosse referido por algum mi -
nistro, o que neste caso considero mora!--
mente impossivcl.
Ouvio acaso o nobre senador algum mi-
nistro declarar que. a proposta baa sido
apresoniada sem o sou accordo ? Ouvio
alguma pessoa sisudae verdadeira ase-
verar que recebera semelhante declaraco
de algum ministro? Se o nobre senador
fallou com estes dados, deve exhibi-los
para que o facto se esclareca e cada um
cumpra o seu dever.
Se, porem, como eu estou profunda-
mente convencido* o nobre senador fallou
induzido pelos boatos da ra, ento foroa
confessar que commetteu urna grande,
uraa indesculpavel leviandade. Nisto en
creo que presto homenagem boa f do
nobre senador, porque, se fosse possivel
suppr que ello houvesse avaoxado seme-
lhante proposico com scieocia da sua fal-
sidade, a palavra propria nao seria de certo
leviandude, mas outra quo eu no devo
proferir.
Sr. presidente, se o nobre senador fosse,
eomo eu, novico as lides parlamentares,
estes descuidos, estes cochilos seriara des-
culpaveis, nem eu me oceuparia com elles;
mas o nobre senador comoj tuve occa-
sio de se gabar aqui, um veterano da
tribuna parlamentar. S. Exc, portanto,
devia ter no meio dos debates mais ar-
dentes a calma, a destreza necessara para
p6r um freio a sua palavra inconsiderada.
Eu disse ha pouco que o nobre senador
tinha-se deixado levar por dichos ou boatos
da ra. Talvez cause isto sorpresa a
quem se recordar da exposico que ha
lempos fez o nobre senador a respeito dos
seus costumes sociaes. Declarou ento o
nobre senador que elle nao parava as- ras
para conversar com os amigos, que nao
entrava em lujas, nem frequentava pontos
de reuniSo, que nao recebia visitas...
O Sr. Candido Torres Filho:Nem vi-
sita va ninguem. (Risadas)
O Sr. Ministro da Justica: ... nem
visitava a ninguem; e s no parlamento
falla va sobre poltica: era cm8m o nobre
senador umenle superior qua nao se dignava
balxar trra emisturar-se com os miseros-
mortytes.
O Sn. Benjamn : J|ora nao stae das
ras. (Risadas.)
O 8a. Benjamn : Est armando laco,
O 8r. Ficuejra de M8m>:Quam muta-
tas ob illo I
O Sh. Ministro da Justica: Senhores,
nao foi s nessa occasio que o pobre se-
nador me fez a honra de distinguir-me;
em dia anterior, creio que na sesso de 25,
segundo di- S. Exc, impaciente de attrahir sobre si as
attencoes, proferto a meu respeito algumas
palavras que li transcriptas na Reforma.
Disse S. Exc. mais ou menos o seguinte :
t Estimo que o nobre ministro da guerra
rejeite toda a solidariedade com a eerebrina
r-sposta ao manifest e os inventos do ju-
risconsulto pretor, assim como confio do
bom senso da cmara quo far justica s
irrisorias reformas martiniams.t
Eu nao s"ei realmente se derto felicitar a
cmara'pelo elogio que [fndirertaraente em
odto-ao ministro lhe foi feito peto nobre
senador. Por um lado eu estime* que um
adversario to obstinado prestasse homena-
gem > illustraco c ao eriterio des res-
peitave assembla; mas-quando corredero
nos eserptos era que ltimamente anda
assignado- o nome do nobre senador on-
fesso que nao acho invejavel o elogio.
Se o bom senso quo o nobre sonador
attrfbue a esta augusta cmara da mesma
natureza do bom senso que presidio ao seu*
gabinete de de agosto, se esse bom
senso igual ao qne o laoeou1 t5o de im-
proviso da sua isencSo aristocrtica aos
bancos do Ctifr Radical, onde'consta que
S. Exc. anduu solicitando por muito tempo
e em vo a trfcmta- popular (haridade),
eu devo repellir om nome deita augusta
cmara o elogio?
Senhores, pareeeiMiie conveniente dis-
tribuir na occasio di abertura das cmaras
um esbozo de algumas reformas de- navio tratado no mcmretatorio, alm de dar
kgar s censuras db adversa rios-e s
cbservac^s dos amigos. Entendo que
urna lei urna queste muto grave; eno
por-certo, urna questo do vaidade e* de
nsar proprio, como sSoos improviso; do
nofere- sewador. EntendO' que critica dos-
amigos, qm as invectivas mesmo da oppo-
sico, sao aproveitaveis-quando se trata de
uma-reforma, porque ellas indicara nao s'
a necessidade real, com os prejnizos rpu
o legislador at certo ponto tem de res*
pear<.
Quando, senhores, um cidado a quew
nao se mego alguma, cmhera mediana ie
A respeito da censal ssa oecasio
tambem pai*ecn dirigir o *obre semwlor
linguagem da resposta dada ao manifest
liberal, eu appull- juizo da cma-
ra ; ella que so o estro
severo, verade, porm commedido
desse escripto involveu urna injuria priva-
da, urna onei pessoal de
quera quer qn k^
Discutio-si a quetlio poltica com seve-
ridade, talv^e, mas com sizatez repellio-ae
urna aggressao vehemente, violenta o inde-
corosa, onde o governo, seos delegados e
amigos eram quulificados como Cossacos e
tratados a par de assassinos e salteadores.
(Apoiados.) -
O Sr. Benmmh E urna serie de felsi-
dados o tal mtmiesto.
O Sr. FigubMv m Meuj) :Sea bom
reimprimi-lo con um commentariov
O Sr. Benjamn :' E' um extracto do
que ellas fizeram.
O Sk. Ministro d* Jcstica :Senhores.
esquecia-me de menatonar urna circams-
iancia at certo ponto importante. O n-
bit senador p la provincia da Babia me
diriga esse molejos quondo discuta a ler
de fVxaco de forjas; qaoodo procurava,
portanto; desvanecer a rapntacao d- um
cidado benemrito como o1 duque de Ca-
xias, a quemo paiz deve no'smente servi-
Cos relavantes-, como lustre o gloria (apoia-
do); o gpbre s ador repisaw o que lavia
escripto artterionnenle em estirados arti-
gas, que O' Ilustre general abandonara o
seu posto.
Quando este facto, senhores', fosse exac-
to, nao era de certo o mais praprie para
increpa-lo aquello qae ha cerca de dous
annos dirigiose casa do Ilustre- duqjie
de Caxias para invocar o seu nunca des-
mentido patriotismo (muitos apoiados)'
reclamar os seus servaos urgentes em-no-
me dbpaiz-----
O S. Benj.vmjn-: Entregaudo-se*Bve i
discri*5o. '
O S.%. Ministro da Jcstica : Justa-
mente.-
O Si'.J Gama Ceu^kira :E at dedarou'
que hava de morper abfacado com elle.
(Risadas).
O Sr. Ministro i-a-Ji-swca: Nao era
de certo o mais proprio aquelle que devia
ser o primeiro a tesimuahar a.nobreza
dessa abne-gaco a q^ o nobr8 senador ex-
presidente do consellw deveu a sua perma-
nencia no poder. (Apoiados; muito bem).
Senhores. o cidado que, esquecendo as
injurias dos seus adversarios, que, deixan- .
do o rcpoii) glorioso de urna existencia
setepre dedi -ada ao sevvico da patria, mar-
diou para a campanlia- do Paraguay, nao
tolligenoia, se dedica sinceramente a ama*- abaadonou, nem poda abandonar, o pos-
liar aqaellas pie devem prover as necesst-
dades-drt pai*, 08 esforcefe, .ainda que im-
proh\-.ios, auida que infebzes desse -
dadu', acredito que mereceroa sympathia
das pessoas sensatas (apoiados), e s exci-
t-ra o* motejo daquelles qne eslo sempre
promptos-a- rvr. Estes, senhores, nao sao
de certo os que mais so distingnem pelo
hora sooso
Eu nao me eccuparia eom semelhantes
to que to nebremente aceitara. (Apoia-
dos).
L'ma Voz :Que to bem desempenhou.
O Sr. Minij-tbo da Jbswca :Esgote o
nobre senador a sua argue'ra------
Uma Voz:1 inveja.
O Sr. MiNis-reo da JisncA :-----. .na
imprensa e na tribuna ; o paiz, que vio o
seu velho e heroico soldado partir para a^
caropauha no (!h*.dasvanca*, "
no dia da'
motejos-ee na mesraa occasio o nobre se- afBcco e desaaimo, sabe qpe dle nao po-
nador pola provincia da Babia nao tivesae. i,a. voltar seni no dia da victoria, e de
assevorado queo nobre ministro da justica (uma maneira giualmente Kobre e desinte-
havi&pagO'Coi o dinheiro do thesouro nao ^ssa(ia>
s resposta ao manifest- como a defesa Senhores, no meu proposito defender
das descahidas-do seu relaterio. ^gora o Ilustre duque de Caxias das "m-
Um-Sr.. DnjTjTADO:O- bom. julgador...
O Sr. MInb-cro da Jusrajx -Senhores,
sabido que o rrnal do Ounmercio tem
uma rubrica reservada para artigos que
lhe sao remettidos por pessoas da confianca cional. (Apoiados).
crepac'oes de seus auversarios: nesta casa
no senado j vozes eloquentes comecaram.
o sem duvida hio de continuar a pagar ao
Ilustre general esse preko-da gratido na-
do gabinete, ou da confianca de um niembro
do gabinete. Quando em abril appare-
ceramalguns communicados-, em resposta
ao manifest liberal, a opposico clamon
imniediatameftte qne taes artigos eram pa
gos peto thesouro, quo o ministro da fa-
zenda os pagara com a renda do Estado.
Appareceu immediatamente- em contrario
uma declaraco muito positiva, declaraco
que eu repito nesta casa sem receio de
ser contestado.
O governo, peio seu orgo mais compe-
tente, ha de opportunamonle explicar todos
os factos occorridos depois das memoraveis
jornadas do dezembro, depois da ocenpaco
da capital inimiga.
Meu fim, senhores, foi nicamente- apro-
veiiar a occasio para protestar contra essa
poltica da ingratido nacional, ltimamente
inaugurada no paiz (muito bem); foi tam-
bem mostrar que honroso para o actual
ministro da justica ver-se involvido as mes-
Mas, Sr. presidente, tantas vezes se tem- mas injurias que attingirara ao ilustre ge-
abusado* das conveniencias como do um rieral.
veo para oceultar a verdade, tanto os cen-
sores oe hoje acostumaram em um tempo
o paiz a duvdar da palavra ofticia!, que eu
sinto a necessidade de apoiar meu dito em
uma prova. Enviarei oportunamente
mesa (peco permisso a V. Exc.) a demens-
traco de todas as despezas, incluida a
verba secreta do ministerio da justica des-
de o dia 16* de julho. Igual procedimento
prej-ado ter quando tiver a honra de com-
parecer no senado para discutir o on-a-
mento da repartico a meu cargo.
Por esta deinonstaco reconheccr a c-
mara dos Sr. deputados, a quera eu devo
conta severa da applicaco dos cr ditos
votados, como foi feito o servio desses ere-
ditos. A opposico do senado conta va-
rios senadores quo j forana ministros da
justica, e conhocem as despezas usuaes da
verba secreta; elles que esmerthem essa
deraonstraco o veriliqum so por ventu-
ra hpuve algum escoamenti) misterioso.
Senhores, o nobre senador pela provin-
cia da Babia, que o anno passado, na sesso
creio que de 27 de maio, como presidente
do cons' rao, declarou muito solemnemente
neste recinto quo mandava pagar pela ver-
ba secreta os artigos encomiastas de seu
ministerio (apoiados), nao podia decente-
mente lancar como impntacao aos seus ad-
versarios um facto de que elle fez garbo.
O Sn. Benjamn :J nao se lembra dos
escndalos do ministerio do 3 de agosto.
O Sr. Ministro da Justica :Saina o
nobre senador que, se ha ministr is que
consideram o poder como uma diverso
agradavel sua advocada, e se dentificam
com o governo a ponto de supporem que
os elogios sua pessoa, a lisonja sua vai-
dade um servico publico, tambem ha mi-
nistros que acceitam o governo como um
sacrificio, eentendem que a defeza de sua
pessoa, a defeza de seus actos e todos os
encargos de sua posico sao parte inhe-
rente desse sacrificio (Muto bem).
Sr. presidente, quando eu nlo fr mi-
nistro, hei de vir desta tribuna sustentar a
necessidade de habilitar os membros do
governo a fazer face a estes encargos; hei
de'pugnar vivamente pela idea de consti-
tuir o gabinete de modo que os tlenlos
baldos demeios de fortuna possam com
decencia, com dignidade e maior proveito
publico oceupar to ardua posico. .(Muito
bem.)
Mas, emquanto eu fr ministro, meu de-
ver cumprir rigorosamente o orcamento :
tenho-0"4KO hei de faze-lo mediante os
sacrificios individuaes que forem compati-
veis com-as minhas forjas.
-Nem um nem
i Quando
procuram
legitimas.
O Sr. Pinta de Campos :-
outro ficam attingidos.
O Sr. Ministro da. Justica
se nota o acodamento com que
marear glorias to brilhantes e
como admirar-se que os modestos esforcos
de um cidado dedicado causa publica
sejam escarnecidos ? Ha solidariedades que
honrara como esta. Tambem ha solidarie-
dades que desdouram (apoiados), como
aquella que taitas vozes as cstabelece entre
certos polticos e os follicularios acostuma-
dos injuria e ao insulto.
Um Sr. Deim tado Atacare o individuo
no moral um dia, e abraca-se no outro.
O Sr. Ministro da Just;a : Aquellos
que tem sua disposico sentimentos. desta
ordem podera, de certo, affectar uma gran-
de calma.
ORDEM DO DA.
L-se, entra em discusso, appro-
vada sem debate, a redaeco do projecto
que foi a imprimir na sesso do 2 do
coi rente, autorisando o governo para con-
ceder carta do naturalsaco varios es-
trangeros. .
Procede-se eleco especial de cinco
membros, que tem -de examinar o projecto
sobro a reforma do recrutameoto, e dar
seu parecer a respeio e em 70 cdulas re-
colhidas sahera eleitos os Srs. Rodrigo da
Silva com 68 votos, Perdeneras 63, La-
mego 60, Pereira da Silva 56 e Junqueira
53.*
Procede-so votaco do projecto em
Ia discusso, que autorisa o governo a
mandar extrahir duas toterias em Javor (j0
monumento que se pretende erigir na ca-
pital da provincia do Maranho memoria
do poeta brasileiro Antonio Goncalves Dias,
e regeiUdo.
Procede-se igualmente votaco do
projecto em 2a discusso, diterminando que
ninguem ser conduzido priso, nos caaos
de flagrante delicto, sem ter sido interro-
gado pela autoridade a cuja ordem a priso
se houver etfetuado, e tambem regeitado.
Entra em 3a discusso o projectovproro-
gando durante seis mexes o orcamento vi-
gente de 18681869, se antes deste prazp
nao tiver sido promulgado, o de i
1870.
^^Ktmuar-u-ha.)

V
I
1


* 1
typ. po Mario-!* 8 CMfU
*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E202LNETD_IXIHWJ INGEST_TIME 2013-09-13T23:25:40Z PACKAGE AA00011611_11867
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES