Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11865


This item is only available as the following downloads:


Full Text

) r
<
1
y

ANNO XLV. NUMERO 133.
PABA A CAPITAL E LCABES ONDE lAO'SE PAGA POBTE.
Por tres mazos aduntados....... joa
Por seis ditos dem....... ...... 4En
Por um anno dem. .... ............... %$
da numero valso................... #20
SIGUNOA FEIRA 14 DE JUNHO DE 1869.
TT*
DIARIO DE

PARA DDTOO E FORA DA P150VHCIA.
Por tres mezes adiantados................... 6#7S0
Por seis ditos idem.................... 4350O
Por no\ 1 ditos dem ....... -........... 200250
Por um anno.....................-. 27|J000
MAMBIM
Propriedade de Manoel Figiiefra de Faria & Filhos.
SAO Aiil
Os Srs. Gerardo Antonio Alves d- Filhos, no Para; Gonfalvesd Pinto, no MaranbSo; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear; AnU,
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ;i Antonio Alejandrino de Lima, na Parahvba; Antonio Jos Gomes, na
em Nazaretn; Francino Tarares da Casta, em Alagoas; Dr. Jos Martins .*'
[de Lemos Braga, no Aracaty; Joo Mana Julio Chaves, no Asso; Antonio Marques da Silva, no Natal; JosJsgtine
a da Penha; Belarmino dos Santos Bnlcao, em Sanio AntSo; Domingos Jos da Costa Braga,
es, na Baha; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
PAITE OmCIAL
llrpnrtifi* da p*li>ia.
t' seceo.Seoretai a da polica de Pernambueo,
J2dejunho de 1860.
.V. 86$. lllm. e Exm. 8r.Tenho a honra de
1I0 do V. Exc
cousta das prtieiparoes receidas hoje nesta fe-
parlicao, foram hontem recolhidos casa de de-
tenro os seguintes individuos :
A' ordem do subtMefado do Recife, Antonio,,
escravo de Manoel Custodio Peixoto, por fgido.
A' ordeni do di' Santo Antonio, Antonio, escravo
: Jos Mara, tambem por fgido.
' A' ordem o* de 8. Jos, Joao "
ooneellos, por disturbios.
A' ordem do da Itea-vsta.Praneisco Cosme Mon-
teiro de Qucm?, |ior briga ; e Manoel, escravo de
Jos Buar(|no Lisboa, por ser encontrady depois
das 9 Horas da noile sera bilhete de sen scohor.
nkalivre D. Carlos promette fazer uma revo-
luco econmica ; tornar utna realidade o sulfra-
gio uuiversal, para que os poyos crem sem coac-
coes, un constituicao altura das necessidades
sociaes, para o que" liuraro as cortes todas as
ejasses do estado. Offereco extinguir a contribu-
cao de sangue e a pena do morte : diz que a ma-
gistratura ser retribuida decorosamente, e que
ao conlieciraento de V. Exc. que, seguafl^os procadimentos judiciaes soffrerao modificacoes,
aim de evitaren! tantas ruinas e tantas injusli-
cas; promette abolir a psu preventiva, prote-
ger a industria, desenvolver a agricultura e o
oommercio, e proteger as sciencias e as artes.
Diz-se que dous mil isabalistas se acliam reu-
nidos em Perpignan, commandados por Gasset Pe-
niela, e que se preparam para entrar em Hes-
Daptsta de Vjs-r panba.
Os isabelistas, em urna reuniao que assisti-
ram Gonzlez Brabo, Cheste, Callonge e Marfori,
illscutiram o projocto de abdicaefw de D. Isabel
em sen filho D. Alfonso ; foram de aecrdo quo a
abdieaeao s se poda verificar em Madrid, no pa-
Em oflieio dc!a data, commnnicon-me osubd- lacio real, e ante todos os altos dignitarios do es-
legado do distrieto dos AITogados, deste termo,que
urna parda, re supuoe-so ser escrava de um en-
grano daqueth locaiidade, e ter fugdo, tendo-se
hospedado no da H) do corrento etn um rancho
do lugar das Aras,.no mosnio districto, as i ho-
ras da tarde, pouro mai- ou menos, suieidou-se,
entercndose coni urna corda quo foi eucontr,ada
e se achay.i presa cubera do mesmo rancho.
O niesm i subdelegado, romparecendo no lugar
do acontecimeuto. procedeu vistoria no ca-
dver.
dicional entre a Franca c a Austria, sobre a ex-
indican reciproca dos criminosos.
Corra o boato de ter o re da Prussia pedido dura
devia
dos i
mu entrevista ao imperador Napoleo, o de urna
eursao que deve fazer Hungra o prnci|>e Na-
poleo, e o seu provavel encontr cum o impera-
dor d'Autria.
lido pela terceira vez o bil
Os debates, segundo se assegura, nao
a cmara alta niais de tuna sessao.
(fcwi'rip o Cork resu'vcu resignar assuas funii-
>;oes. hm conse juenca disso, nao teve segunda
leitura na camar.i dos communs, o bil que pedia
a demissio do mqire Snllidan. O bil nao foi ro-
a cmara que emwun, das tabellas juatas ao reglamento de 1 Aayi)t|l^ ff J Unf 0 m9fm Sr ^^
O Fignvo faz-se echo do um boato ainda mais j tirado, nas, para- faier face ao pergo de urna ree-
isurodilavel; o de mu tratad de allianea entre; teioSo foi adiada a segunda leitura para nm niez
Franca
e a
lado.
Muitos centros republicanos das provincias de
Hespanha teem declarado que respeitarao as de-
cisnes da assembla constituirite, e que, sem aban-
donarem a defeza das suas doutrmas, procedero
exclusivamente dentro dos limites legae?.
Os republicanos da Andalzia, Estremadura e
Alicante tencionavam reunir-se no dia 4 do cor-
rente emCordora, para assignarem o pacto funda-
mental.
A Gnzeta de Madrid, em vista das participa
F. de As-i't Oliti'iru Maciel.
Deus guarde a \. Exe.Illm. e Exuu Sr. vico- gSes offlciaes de Cuba, dizime no da 18 de abril
presi lente da provincia Dr. Mauoel do Nascunen- baviam all chegado os voluntarios catales e
t Machad. Portella. O chefe de jjolii'ia interino ; os guias de Madrid, sendo aquelles destinados
j a Porto-Principe, e estes a Gil>arn e Holguiui. En-
i tre varias encontros de pouca importancia, apon-
ase um em que o tenente-coronel Bonilla com a
forca do sen commando causn a morte de 23 ini-
mig'wem Potrero de Sagna.
0> insurgentes estavam tao abatidos, que mal se
apresentavam, olTectuaudo as columnas assua-
descobertas o mais servi^ai, sem serem hostilisn-
daa. A nsurreicao pode considerar-se nulla, e
moral o materialmente mora em toda a ilha.
Os trabalhos de recomposico da via-ferrea eb-
iro Nuevitas c Porto Principe' aeham-se o adian-
tados, que em breve estara i em inovimento as lo-
comotiva, tirando igualmente nestabelecido o le-
l-^rapbo.
KIUXCA.
A grande luta eleitoral na Franca foi desta vez
aeompanhada de graves dos^irdens eagitacao. Co-
mec^uu na reuniao ele-it ral que se rolebroup.ua
ouvir as explicar/tes de Emilio Olivier, candidato
goveraamental ; os agentes munieipaes e grande
numero de populares foram mais ou menos grave-
inenle feridos. A sabida do thealro nao foi menos
tumultuosa, no mofo dos gritos de Viva- Ban-
cel, e abaixo Olver. Fonnaram-sc bandi>s, um
ds mais de tres mil pessoas, que foi disperso sem
resistencia, e oulro mais numeroso de perto de
e cantan-
DIARIO DE PERNAIHBCO
SiCn'T, 1^ dr amo DE iBC>.
T TICIAS DA ELROPA.
Chigou hdBtejii o vapnr francez Estiem'i'l'tre,
traamm dalas do Haniburgo O, Londres 3, Pa-
rs 2'i c HsSiliiflt do passado.
Hmemnk.~AppruLudm a forma do ij-verm) manar-
rlii.: rep<( tmtatifO. Approvada lodn n comti-
tniqio. fltgmtia im0ttn < Strrano. Ministe-
rio prniiide pelo general Prim. Adtad-i para
oulubro ou notembj-o a etcolka-io sobtruii-i. Es-
foivos i:*i;i'^i*.-rr/* republicanos para se apoierturm a ajenio.
franqa.Agitac'to e tumultos por ocdUfo das
eleicoet yerae*. Conspiraeo militar contra o
imperador. Ekirocs (jemes; i/ronde muOi i-.i
de depuludos da teireiro partid; contina a
miafao median repressivas. Tratados com a
Blgica.
m.i.kmanha Manifestaron anli-piuisiaias no
llinover. O :c da Prussia desate de visitar
o Hanover c outros estada annexos -Prussia.
Dficit do orfiyncnto da Conftimnpit *a trie.
Tributos. CntSo das ilhas Bandas pela IMlan-
da Confederar, So do Norte. Encenamento do
reirhsrth nustriucQ. Discurso do imperador.
Italia e nivv Proxam retirada ts tropas fraa-
ci'zis. Ministerio italiana reconstruido. Pro-
framma. DUcnssoe* parlamentares.
i.n-i;i..vtkh!U.MI sobre a iyreju da Irlanda. No-
vas desorden:- nu Irlanda. Qaestao do Tornado
com a llespinha. Na questao anglo-americana,
a Inglaterra aecsita arbitragem.
BSTAO0S-SKIB4S.Votacao sobre a conslituiedo do
estado dt Virginia. eulralidude em Cuba. Ques-
tao do Alaliama.
roRTifiAi. P'oxima partida da raiiui Di-
versas.
IIKSPANHA.
Approvada linalmenle a forma de governo mo-
narchico repre.-enlativo. tem sido approvados quasi
wm disenssM o-' restantes artigos da cooslituioio
bespanliola. Na Mario do dia 2t termmou a vo-
tacao; no dia 28 devia ser promulgada solemne-
mente as cortes a constitui^ao, tem uando nesse
acto o chefcs das diversas f iccoes polticas pro-
nunciar discursos apr- priados solemnidade.
Foi adi^cLi a qni stao da escolha do soberana
hespanlr.il; cocrendo o boato de que se proceder
no im'Z de eittubro ou novi-mbro i um plebiscito,
para se effsetuar a escolha.
Entngaulo inaiwarar-sc-ba urna regencia, cujas
miribicoei iffna Osadas pelas cortes constitua-
les, sendo judigilado para esse alto cargo o gene-
ral Serrano.
O recente, Mgundo se affirma, encarregar o
general Prim da cunstituicao do novo gabinete.
Diz-se que o novo gabinete ser composto dos
seguiutes estadistas : presidente e minislio da
guerra, general Prim ; ministro da azenda, Arda-
maz, da luarinha, Topete ; do estado, Ulloa ; da
grac e da jul^a, Marios ; do fomento, Sagasta
do ultramar, Balaguer; da governacao, Zurda.
Kalla-se tambem para o ministerio da azenda nos
Sr. Cantero e Madiz.
Neste minislerio cstao representdos os tres ele-
mentos progresista, unionista e demcrata.
O oreaieot vae ser discutido e rpidamente,
para os depilados irem descanear al outubro, em
que novamente se reunirij para a cleicao do
novo monareba.
Na disenssao do art. 3., que traa va da Jornia do
i'Yorno, o mnitro Avala provocou um incidente
des.tgilallval negand i a particpacao dos republi-
canos na rcvolucao; este incidente, seno eslra-
nhado por toda a cmara, o ministro pedio a sna
demis Tpete encarregado interinamente da sna pasta. O
general Serrano, quando apresentou os decretos,
exprimi o sea pez-T pela demisso de Ayalvrjuc
era um bom liberal, e que desejava que o iwnis
terio chcgasB ao fim da constituicao. Avala, agra-
decendo a sipresBes de Serrano, declarou que
apoiaria o governo.
O general Serrano decbrou que o governo seria
inexoravM no etnpcnho de abolir a escravatura,
mas que cs'a medida se deveria realisar pruen-
temenle,^ dp maneira que lse o menos possivel
os interesses creados.
O ministro do ultramar fixou para o dia 30 do
passado as edeicfies em Porto Rico. As eieicoes de
Cuba llcarSo para mais tarde.
Orttt apreneatoB um projeeto para o estabeie-
cimenio do casamento civil, t rivadando os j
celebrados
Lram Be tambem projectos de le relativos s
fbreas naraes e s obras puWicas; esie nltimo
Consigna urna completa descentr lisa^ao. Ilata-
guer propoi a abolicao do ministerio do ultramar
osla propota toi tomada em consideracao. Villa-
Vicencia pisdio que se pozesse em eqaiiibrio a re-
cata com a despeza no orcamento para 1869
im- ^> -
As cortes toflssrarn em consideracao satabele-
cimento do tirrnacional. .
D; o fmpwc'ml que em seis mil povoacoes de
Hespanha acaBa de ser reqnerido o restabeteci-
mente do mpwtodo consummo.
Orzaga, respondeodo certas iiam, declarou
Su* nao dra pasro algum favor da candidatura
e D. Fernando; mas qne deseja a unio ibrica,
respeitando a tsdependencia das aas a?8es.
O peridicos soontpenoteristao eontimaia a
adviigar a andldatura do duque de Mntpeasier.
Espalhou-t par Hespanha nm novo program-
la dos parttaHos e D. Carlos de Bourbon, eonr
o titulo de*-< W-a os estrttngetrw. Ww a Hespa-
DizeiiidcKew-Yoik em 21 do passado que a elei-
i;ao do iirineir" alcaide >coa*unou agtanoes o
oesordeus. O Sr. 4iegiM>rty-, candidato liberal mo-
derado, foi sleitM per f7 votos eontra 8, dados ao
Sr. Magic, candidato popular.
< g( veudos Estados Unidosorlenou aos func-
eionarios das alf.tndegas que appn'qiwm rigorosa-
mente as luis de-neulFadado para impedirs
expedicoes que saeta da costa-americana.
seis mil pessoas, gritandoi Bastillea
do umarselheza.
No comicio do circulo Najsio&o. toi
victoriado, com grande entusiasmo, impedlnao a (
turba talvez de 25 mil pessos, que fallas* ngel-
mann.
Os sergents de tille nao poderam dispersar o pn-
vo, c recorreram guarda de Paris. que teve de
dar muitas cargas de oavallaria. leuve moilos
morios e feridos.
No dia seguinte repetiram-se os tumultos e o-
mesmos gritos ; a forca piblica foi apedrejada,
havendo alguns ferimentos graves. Em Marselha
lambem tem havido tumolios e gritos sediciosos.
Descobrio-se, segundo se diz, urna grave cont-
piraciio anti-dymnaslica, em que estavam envolvi-
das alguns gen'eraes. O governo fez algumas pri-
soes.
O prefeito de polica puhlicou um bando prohi-
bind, debaixo das mais rigorosas penas, agrupa
mentos de gente as casas situadas nos arredores
dos sitios onde se celebram reunioes eleitoraes ou
outras reunioes publicas ; o prefeito prohibi a
entrada nos canos de esgeto, que sao eaminhos
subterrneos estratgicos.
Entretanto as eleicSSs elfectuaram-se com a
maior regularidade e socego. Sobre 880 resal-
lados qne j sao conhecidos, diz o ministro do in-
terior aos prefeitos, que 196 depulados foram elei-
los com o apoio ou neutral.dado do governo, 16
sao da opposicao e em 58 circuios bou ve empate.
Thiers e Julio Favro ainda nao foram eleitos
por circulo algum ; Bisooi nao foi reeieito por
Pothiers ; Arago foi derrotado em Toulon e Per-
pignan ; Percier derrotado no Atibe ; em Marse-
lha ha empate entre Gambeta, Thiers e Lesseps;
Pelletan foi eleito por Paris; Uancel venceu Oli-
vier em Paris, e foi eleito lambem por Lyon .
Raspad eleito por Lyon ; Simn, eleito por Li-
moges.
Depois das cleiQoes, porm, tem revivido a gi-
taro em alguns pontos ; em Ameus, na tarde de
25, perto de dous mil operarios praticaram graves
tumultos e feriram o depuia io reeieito. Em Anger
em Lille houveram ajuutanieotos rom gritos sedi-
ciosos, eanlando-so a marselheza. Em Dijon foram
quebradas as vidracas da imprensa do Bien-Pn-
blic. Em S. Etienne, na noite de 24, um grande
ajuntamento dava vivas a Daran, e cantava a mar-
selheza ; dirigio-se ao convento dos jesutas, pra-
tieando ahi graves desatinos, arrancando as gra-
des das janellas dos pavimentos inferiores, e dei-
tando fogo casa do porleiro.
O principe Napoleo foi repentinamente chama-
do a Paris, onde j se acha. O imperador tem esta-
do doente desde o Pentecosts, e nao reeebe visitas
algumas.
Entretanto o governo tem tomado tolas as pre-
Dizem de Berln que a Prussia, fundando-se
no augmento progressivu do cominercio martimo jirapbVs'qi"s'b i'id'tei' os
da Alleinanha, reclamou do governo dos Paizesi osao juriiienlo.
Baixos a ccsso Confederacao do Norte, que ella '
representa, das ilhas Bandas, que a Hollanda po
snc na Oeeanja, e que fazem parte do arolipelago
das Molucas. A capital das ilhas Bandas Nassau.
Sea negociarlo for levada .i cabii, pedir-se-ha ao
parlamento fceleral-um crdito para fundar n*a-
quellas ilbas um importanto cslbele-imenio ma
rilimo. ^
O V/idjjjorna) semi-offlria, diz que a Europa
desconfa das" declarae5(?s relativas par. fehs
pelo governo francez; e considera as ditas dada-
raQdjB pomo mjnobras eleitoraes. Sabe que, veri-
ficaflns as eleiroes, podo o imperador, dizend jue
soapoia sobre a op'mioj procurar um pretexto
para canecar uraa Campanha diplomtica que, se
concluir por urna militar. A Prussia vigia de
-perto os actos e as tendencias do gpverno francez.
Dizem de .Muniek que Ua Baviera o esua-
do das eleiedes snti-prusi.mo ; dos deputados
eleitos 73 sao progressJas e 72 ultramontanos,
nao se conhecemlo o -MsnltaQo de cinco coHegios^ r part-pi^pari^ cncafr^ado ds urna missao
PTasSIjnado 80a 15do passado um trau-To
Prussia.
Allejianha.
O rei da Prussia tencionava sabir de Berln
no da 23, para-je dirigir ao Hanover e outro*
pontos ltimamente annexados Prussia ; mas
esta viagem foi adiada, segundo dizem de Berln,
por incommodo de saude do rei Guilhermj. Um
jornal francez, porm.diz que o adlaimnto fura moti
vado coin razoes polticas ; que o povo hanove-
riano opposto Prussia, e que estava resolvido a
fa/.er demonstra^oes hostis na passagem do rei
da Prussia, o que se receira do escndalo que tal
acopteciuiento tana no resto da Europa.
A nobreza hanoveriana publicou urna declara-
co, em que diz que, achando-se em hostilidade as
duas casas reaes ( Prussia e Hanover ), nao pe-
d? fazer em favor do rei da Prussia nova demon-
traco, que estara em contradico com a que ella
havia feito no anno passado em favor do rei do
Hanover.
O rei Guilherme, segundo se diz, est multo des
gustoso cora a posc,o que tomou a uobreza ha-
noveriana.
* A memoria da fazenda, apresentada ao rei-
Histag, faz constar um dficit de nove millioes de
thaleis ou de perto de trinta mil conlos. O go-
verno jiropoe ancar novosimpostos.
Na discussao o'conde de Bi-mai k declarou qne,
se o reichst.ig persistir em negar os recursos ne-
cessaros, se encontrar na impossibilidade de
sustentar a posicio que "a Prussia hoje oceupa na
sociedade.
depois.
Hnuve desordens serias em Trab, no condado
de Kerry, na Irlanda. A polica, atacada, teve
primeiiode se retirar, mas lomando a nffoaeiva,
atacou os revoltosos, tiros do espingarda. Houve
um mortft e bastantes feridos, de um e onlro
lado.
Na samara dos communs o Sr. Otway, res-
pondendo a lord Bentinck, disse que o governo
hespanbol recusoj submejter um tribunal espe-
cial a qu*lao do.Tomado.
O Obsemador diz que a Inglaterra, a|iezar da
Hespanha! recusar delinitivamente a revisan do
pleito, ruJivo captura lo Tomado, dalnglalerra
vur-se-hajabritraibi a pedir a reslituitjo desie na-
vii>, e a injdemnisacao dos proprietarios o da tri-
polar i >. i a
T'" g'yerno iitglez participaa offkalmente ao
j gabinete di Washingto.i quo o | submettern urna arbitragem todas as roclama-
! coes rea pilcas dos naoionaes inglezes e dos ame-
ricanos, en
da Amer
plmalas
a questo]
terminada.!
Um ham
6 de jiillu
estado da
Votar-seJ
constituiel
dos que
4 de setembro de 1867, para os effeitos do imposto
do sello, com relaco aos einpregados pblicos de
outros estabelecimentos subordinados ao governo.
14." Declarando obrigatorias as licencas men-
cionadas na classe 4' da tabella n. 3 annexa ao
regulamento approvado por decr ,'to de selembro
de 18*7.
15." Sugeitando ao imposoo de 400 rs. por cada
hectolitro de arroz com casca, aiem da eontribui-
cao predial, o cultivadores de arrozaes.
16." Autorisando o governo para regular os
emolumentos das secretarias dos governos civis,
administracoes, cmaras munieipaes e repartiles
de fazenda dosdistrictos, comarcas o conselhos.
17." Autorisando o governo a regular o pro-
cesso administrativo e executivo para'contribu-
coes e impostes.
18." Autorisando o governo a estabelecer, se o
ti ver por conveniente, o numero do i restaedes em
que devem ser pagas as contribuicoes de repart-
cao e lancamento em todos os districtos adminis-
trativos do continente e ilhas, ou em parte delles,
conforme o exigir a eommodidade dos contribuin-
tes o o inten-sse da fazenda publica.
19." Admittindo a satisfazer os satis dbitos em
t prestacoes trniestraes, com o juro de 6 % ao
anno, al integral pagamento, os devedores de
cofltribuicoes directas venciuas at 1867.
20/ l'rurogando at ao biu de junbo de 1870 -
eonse^uencia da ultima guerra civil j disposicoes do decreto ds 26 de janeiro do corren-
te anno, que estabeteceu as deduccoes nos sub-
sidios c vencimentos dos empregados do estado,
dos de corporacoes e estabeleciinentos pios e das
classes inactivas de consideraflio.
21." Igualando o imposto chamado real d'agua
: em todas as povoacoes do reino e ilhas, cob.-an-
vot'n;5) sobre a hova eonsltuiro do do se pelo actual sistema de arrecadaco as quao-
rginia. 4 tas marcadas na fspectiva. tabella para cada um
ao em separado os naragEapRM d-*sta dos gneros.
22.' Suostituindo a pauta da alfandega
Lord Glar-undon ao receber os di
iricaiHis, i\|)i'imio a convieco de que
anjilo-amcricana *er amigavelmente
ESTADlS-l-".NII)OS
do jiresidente Grant flx.i para o dia
que exoluem de- inffragio os indivi-
naram- parte na reb.-llio, e os para-
aiicciouarios publi-
muni-
cipal de l.islnVi por outra junta proposta.
23." Obrigando ao pagamento do imposto de 50
ris em decalitro, qualqner dencia ou destino, o vinbo ou geropiga, agurden-
le e vinagre que entrar pela Fox do Douro o pe-
las harreiras seceas ou molhadas da cidade do
Porto e Villa Nova de Gaya.
24." Onrigando as alfandegas do continente e
ilhas o pagamento de i { por cada cabeca de gado
vaceum, e de 20 ris por cada decalitro do vinho,
agurdente e mais bebidas alcoolicas.
23. Eslabeleceudo que os direitos de importa
0 novo embaixador- dos E cm In- cao, (ixados na pa^gageral das alfandegas para os
15,000
1,000
250
glaterra devia partir do Washington, no dia ti
do passado 'As suas iastrucroes nao involvem a
missao de encelar luna neg'MMac* sobre o Alaba-
ma. A iniciativa sobFe oslo assumpto ser deixa-
da Inglaterra. No caso en que a Inglaterra
abra a negociar!, o governo anfertatno insistir
para qne a questao- da responsabilidad* moral da
Inglaterra seja subraettida deeiso do um arbi-
tro. .....
O ministra dos Etados-Unidos em Vienna deve-
de comnicreio entro-a Pruss i e a Suissa.
Fechou-se a sesso biennal do rcichsialb
de Vienna e do parlamento da Suecia o discurso
do rei da Suecia milito breve, e nao trata de po-
lica estrangeira ; o discurso do imperador d'Aus-
tria excitou grande enthusiasmo, sendo muito ap-
plaudido nos treclios que se referi conservacao
da paz, voLacao da lei sobre as escolas prioia-
rias, e unio e solidariedade que existe entre to-
dos os povos d'Austria. O discurso terminou ap-
KIHWGAI.
para
n Alle-
pellando para a harmona sstre todos, sobre o toi- Fmh-hal em l9:3l!i-i7SO,-na-inssnU moeda.
S. M. arainha dwia- partir
inanha de 7 a 9 do-crreme.
A attenco pitbliea oceupava-sc cora as pro-
postas tributarias kppesentad:! pelo governo s
cmaras, em numero de 27 :
1." Augmentando-a eontribnicao predial-no con-
tinente e illns IxtraordMiarianiente- no anno de
1869 do seguinte modo-: 1' o* distriotes do con-
tinento 824:0!)$0:)9; nos districtos doa Acores
87:860*720 om moeda insulana o nodlstricio d-i
caucoes para restablecer a ordem, tem mandado Q0 jla|ja,i0
reno da constitui.'ao.
A Nova Imprenta Livre de Vienna annuueia
quo o chancellar do imperio dirigir aos represen-
lantes da Austria no estrangeiro, urna circular
convidando-os a declarar aos governos iunto dos
ipues eslao acredilados, que o ministro dos nego-
cios cslrangeiros nao concurren para a peroncaco
do despacho, quejo chanceller da ConfederacSo da
Aflemanha do Norts dirigi a Gollz em 1866.
Este passo era indispensavel, parque de ou-
tro modo nenhuma conlianca podiam ter* os go-
vernos na inviolabilidaile dos seus despachos, e,
ao mesmo lempo, urna especie de satisfarn dada
Prussia, que Jcoa pouco contente de ver di-
vulgados os seus segredos diplomticos.
O raesmo jornal, sem dar iuteiro crdito aos boa-
tos qne corrom, do governo prnssiano ter auxilia-
do algumas das emprezas do partido revoluciona-
rio contra o governo de Vctor Emmanuel, leinbra
comtudo, que por occasio da viagem do ministro
de guerra prussiano, o general Roona Lugano,se
afllrmou que o goneral s tiuha por flm entender-
se com Mazzini, e offerecer-the da parte de
Bismark um milho de tbalrs.
O governo austraco, segundo se affirma, nao
tomara deeiso algnma acerca do prximo conci-
lio ecumnico, em quanto a corto pontificia nao ft-
ter eonhecer as questdes que nelle devem ser
tratadas ; e diz-se quo s intervir nelle, no caso
que essas.ijueslOes impliqucm com o dominio dos
direitos do estado.
ITAMAEBOHA.
Escrevem do Hoqia que o s;into padre con-
tina em perfeito estado de saude, e que sua sauti-
dade foi passar o dia 20 de raio em Castel-Gan-
dolfo.
Dizem mais qne soesperava all um enviado
offlcloso dd governo francez, encarregado de an-
nuncar sua sanlidade a retirada di guarnico
franceza dentro do breve pfaso.
O ministro de Franci, em*Floren(;a, recebeu
ordem de apoiar as reclamarse: dos portadores
dos utoios da renda pootiucia, protestando contra
a redaeco de 8 y2 por eento, imposta pelo gove--
faze'r visitas domiciliarias casa de varios redac-
tores dos jornaes o Rappel o o Henil.
A Independence Belge foi recolhida por ordem
do governo no dia 22, tendo-se feilo mais de 200
prisdes.
Em mnitos departamentos os candidatos offl-
ciaes e os do terre'iro partido tiveram de empe-
nhar a sua palavra, de favorec r em todas as cir-
cunstancias o poder temporal do Papa.
O Diario Official do Imperio publicou a 14 um
supplemento de 15 paginas, relatando a aolnal
situacaoda Franca, e manifestando os pragssssos
qne na opinio do governo se tem feito desde 1862
Corra a noticia de urna reduccao no 0101x110,
liceneiando-se o contitfgente de 1864, e urna parte
do de 1865.
O governo belga j noraeou os individuos da
commisso que tora o encargo, de accordo coa os
nomeados pelo governo francez. de resolver a
questao dos eaminhos de ferro. A commissno de-
via chegar Paris no fim do mez passsdo.
Os jornaes francezes do noticia de urna aova
convenco de exlradicao entre a Franca e a Bl-
gica, a (Armando at que o tratado j se aoaa s-
signado. O antigo tratado era de 183J, epoa m
que as exlradicoes eram pouco uaadas aas reii-
cOes internacionaes ; era muKo incompWto e ialsi-
rai nenie insufflciente. Dizem os jornaes Bkia
que a actual convenco, C(cebida obre u*a ao-
vo plano, vai dar grande impulso medida d* a-
tradi^ao; que a amiga s eomprebsadia s ri-
mes, e que a nova admittc os dehetos qw apre-
sentarera urna certa gravidade, q# ser p pri-
meiro annel de urna cadeia de tratados,<|u a .e-
vom conclnir com as potencias iinatrapnes. Me-
l que se deprehende, este tratado abranga*ri-
mes polticos.
A Gazeta de Vienna publica uos convens* ad-
Terminou a crise ministerial em Florenca. O
nov ministerio flcou cmplete do seguinte modo:
Menabra, presideate; Ferrjris, interior
Digny, finanzas;FcHppo, Justina; Betroli Via-
de, guerra; Ribolti, marinha .Mioghetti, agri-
cuknra ;Marbim, obras publicas; Bargoni,
inslruccp publica.
O presidente do conselho expHcou o program-
ma poltico do ministerio, programma baseado na
ordem, liberdade progresso. 0 programma dis-
cutir-se-ha na cmara dos deputados, conjunta-
mente com as leis de fazenda e administrativas.
0 conde de Menabra resolveu enviar urna cir-
cular aos ministros italianos junto s potencias
europeas, aflm de explicar os motivos e o alcance
da ultima crise ministerial, e da composjeao do
gabinete.
Na cmara dos deputados terminou j o exame
do orcamento da justica, e foram approvados sem
discussao todos os captulos do orcamento das fl-
nancas. o senado foi approvado o projeeto de
lei, abolindo a isenco do servico -militar para os
mancebos que se destinara vida ecclesiastica.
0 governo sujsso nao se limiten a prohibir
que Mazzini residisse nos cant5es proxlmosda Ita-
lia, Genebra,. Berne, Bade e Solenre; decretou
t.mbem a expulsao do canto doTessino, de todos
os italianas refugiados, cdmpromeltidos na ultima
onspiraco de Mtlo.
1 Chegou Florenca o viee-rei do Egypto, sen-
do recebrdo no eaminho de ferro, pelos altos dig-
aitarias do palacio, s varios ministros. O viee-
rni teaeiooa dirigir-se i Vienna, Berln e Parts.
WGLATEB1U.
A cmara d,os communs devia continuar no dia
27 do passado ssessde*. para procedor ultima le-
tora de bil sobre a igreja da rtanda. No dia W
3." Flxan lo a eooti>ibnie> predial relativa ao
anno de lSt'J no eontioeule, na-imporlaopia de
ljRfl:2UjOOO; as ilhispara- os districtos dos
Ach-cs n;i-do 179:'.i213l'i4 em-moeda insulana, e
|i:-a o Punebal em J3;63t500 na mesma-moeda.
3 Abolindo, desdo o 1" de janeo de 1870, o
imposto le "i n ir eento addicional Jecima de juras,
recado pota lei de ii de dezambra do 1844, eefc
vando a w por i-nU o-imposto, daviafo sobre a
mesma docina, tanta para o continente como para
as ilhas. .....
4.' Creando urna contribuicao, denominada Con-
tributivo de i-enda., narazao de lOporcento, sobre
os dividendos ou juros de ttulos de companhias,
bancos on sociedades anonymas portuguozas ou
esirangeiras, nao sngeitas contribaieaa indas*-
triar; sobre os. vencimentos (lis directores tbe-
soureiros, agentes, mandatarios, representantes e
quaesquer outros empregados. dos incsmos esja-
belocimeiitos, e sobre os juros de capities nao
sugeitos contribuicao industrial, e na taxao de
8 por cento sotaBOS estabeleciinenlos exclusiva-
mente fabri-sj^Exceptiu .desta disposieo os
titulas de divida fundada, .e .addicioun estas
verbas 40 por- cento do .im{osto de vi lacio.
5." Abolindo todos os privilegios concedidos a
estabelecimentos bancacios e. compaubias anony-
mas, estabelecidos no reino e illias para isenco de
impostes, excepto quando. estes resuliaai de con-
tratos onerosos entre estes esjabclecimeutos
estado. ....
6." Reduziudo, com relaco industria da venda 1
do tabaco, a 4 as 6 prden de trras estabelocidas
pota, lei de 3(1 de julbo do i860,.pe|a soguinte for-
ma : & ordem Lisboa e Rom.; X' as capitaes dos
distriolDs do reino e ilhas, Coyilbo, Evora, Fi-
cuelra, Guimaraes, JamegoI.eliibal, Tavira, Villa
Nova de Gayja Lumiar, Beato, Beinftca, Ajuda,
Belem, parle rural das freguezias de extramuros
de tjsboa, Barreiros^ Almada, Barcellos, Chaves,
Lagos/Regoa, Thomaz, Vdla do Conde, Villa Fran-
ca do -Jtira, (jaiiipanhan. Fox e Paraabos; as
Ibas: Ribeira Graite, Villa Franca do Campo e
Villa dai Praia ; 4." .todas.que nao licam raencio-
nadas.
?.* Augmentando 50 por cento para 1869 as
iraportapcias ou laxas da contribuicao industrial,
em que nao reaift o imposto- de 46 por cento para
viacao.
8." Augmentando- a contribuicao predial para
1869 pela forma seguinte : 1." no continente 90
cenes; 2." Acores 4:813*000 e no Funchal. .
2:l50ve00.
9." Alterando desde 1870 em diante, com rea-
cao eontribuirio pessoal, as disposicoes da lei de
30 de iolho de 186, 7 de julho de 1862 e 20 de
iulho de 1863, segundo a tabella junta mesma
c o
jui
lei.
10." Fixando a eontribucao pessoal, relativa ao
anno de 1869, em 9:629399 res nos Acores, e em
4:316*720 no Funchal.
11." Comprebendendo na disposieo do 1." do
art. 16 da lei de 30 de junho de 1860 ao arrenda-
mento a longo praso, quando exceda a 10 annos, a
transmissao de bemfeitorias em predios rsticos
ou urbanos, engeitando a eontrilHii^o de registro
actos que importaram transmissao titulo gra-
tuito da jiropriedade movel, e bem assiin contri-
baiclo d am por cento os actos de transmissao
titulo gratuito, entre conjuges, ascendentes o des-
cendentes. ....
12." Revogando o 30 do art. 30 da lei de 30
de jaaho de 1860, na parte relativa subrogacao
dos bens peftwoeotes a estabeiceiinentos pblicos,
cerpor*cue.s religiosas, irmandaaVs, seminarios, cel-
logiadase cabidos, cmaras uunicp#s o quaes-
quer outros bens de loau jnorU, sgeitaudo ao
imposta de um por amia de sefo tui*i da re-
missao earremataco dos bens eompr(*endidos
as leis de 4 de abril de liM p Bl: de imM de
1866.
gneros c mercafloTras mencionadas na tabella
junta, sejara substituidos pote* que vem marcados
na mesma tabella.
26." Extinguinilo o imposte especial das licencas
para a venda de tabaco, astabelecido no art. 5o da
lei do 13 de maio de 1864, licando os depsitos e
as casas em que se vende tabaco, por grosso e
miado, obligados a ter licencas aonuaes, expedi-
das pelas repartieres de fazenda, pagando-se dol-
as o sello respectivo e^fl.cando sugettas contri-
buieo industrial.
27." Prarogaadiat-3ft.daunl4aJ87 o.pra.-
zo estabelecido no artigo 8" e seus JJ da lei d 29
de jalho de 1834, para o gyro e troca das moedas
de ouro e prata.
Calcqlava-se em 4,500 contos annuae? o produc-
to dos novos impostes.
Foi approvailo peta cmara dos deputados o
bil de indemnidade para as mcdidasjtemadas ex-
traordinariamente pelo govorno. Esperava-se que
passasse tambem na cmara dos pares, sem gran-
as debate.
Fallava-sc no prximo enlace do infante D.
Augusto com uma da fillias do duque de Mont-
pensier.
Foram presos era Bulm alguns individuos,
que passavam moedas de nw rs. falsas.
Tendo fallecido, d'uma apopleja fulminante,
o conde da Tfj|jL (D. Mauoel), camarilla de el-rei
D. I.uiz. foi conciWido o mesmo titulo ao irmo
do llleeid., JjTjus Flix da Cmara.
Esteve bastante enfermo, d'um antlirax, o
primeiro poeta portuguez A. F. de Castilho. Fica-
va inelbor, depois que se Ihe fez a operaco, mas
sera se julgar salvo.
Adircccao da Associacao Commercial do Por-
to, ficou assira composta: presidente, Joaquim Ri-
beiro de Faria Guimaraes; 1" secretario, Augusto
Coelho Messeder; 2" secretario, Hcnriquc Carlos de
Meirelles Kendall; directores, Agostinho Francisco
Velho, Jos Pereira Barbosa, Eduardo Luiz Fcr-
reira Carino, EduardoKatzeistcn, Alexandre Milter,
Antonio Jos da Silva c Cunba, Antonio Ribeiro
Moreira. Augusto Piuto Ribeiro, Custodio Jos de
Souza, Flix Las Casas dos Santos, Fulgencio Jos
Pereira, Joaquim Jos Ferreira de Oliveira, los
Luiz Gomes de S, Jos de Vasconcellos Monteiro,
Miguel Augusto da Silva Pereira. Pedro Mara da
Fonseca.
Nosso correspondente de Lisboa diz-nos o
soguinte: -
. Terminou a 20. no castello de S. Jorge, o jul-
gamento dos sargentos e cabos implicados no cri-
me de rubelliau. Um dos sargentos foi condemnado
em 5 annos de degredo para frica ; outro em 3
annos da mesma pena. Um di s cabos em 1 anno
de priso correccional, o oulro em 3 mtzes da
mesma prao.
No paquete de 19 parti para o Rio de Janeiro
o Sr. Almeida Campos, cnsul geral de Portugal
n'esse imperio. .
Tratase da beatilicaco de Fr. Joao Neiva,
cujos restos mortaes jazem n'uina sepultura da
igreja do Carmo, em Braga, O Sr. D. Mjguel da
Cunta, doutor em iheologia e n'outra faculdAdes,
c director do hospicio portuguez do oollogio de
Santo Antonio em Boma, chegou Braga,expressa-
mente para colher apontameutos que o habiliten a
tratar (ja dita, beatilicaco.
j Falleceu em Colmbra o Sr. Dr. Jos Amonio
dos Santos Nevos Doria. Era um hbil medico
dotado de extrema cartdade. A sua morte deixou
bom tristes os pebres cnio amparo ella era.
Falleceu o reverendo Marcellini Martins de
Freitas, natural da Cuvide, do conselho de Bouro.
Este digno ministro do altar bavia nascido
em 26 de abril do 1780 e sido collado no beneficio
de S. Thiago de Caldellas, o conselho de Amares,
arcebispado de Braga, em 13 de junho de 1807,
tendo, pois, 89 annos de idado
collado! >
em
frs.

no
parecer approvado.
. CoHtiiuiandn a apreciar am 2." di majili) o pro-
jeeto, que ka a forra potieiai. hcciuou) a trinan 1
o Sr. AmiM-ai e Mellv, nc-ando .idiada por falla de
numero.
.. A ^dMltBldia pata a sessao de- hoja a 3."
discussao do projeeto n. 84, e 1." dos de ns. 38 e
85, todos desie anno, alen das materias j dadas.
Devem boje encerrar-se os trabalbe', se aao
houver nova prorogaco.
VAPOR M18SISS1PE.-A casa commcr Sr. Henry Fdrster & C, do missa praca, recebeu
honteui da casa dos Srs. H. H. S-wift, ni Now-Ybrk,
por va de Londres, o seguinte teteramma :
New-Tork, 26 de maio.O Mitsissipe petden-
se, sal varara-se os passageiros.
Esto vapor locou em nosso porto, vindo do- Rio
de Janeiro, eomuin carregameato de 14,000 sac-
eos com caf o outros gneros, u principios do
mez passado. O'primeiro vapor &a Europa nos
deve trazer os pormenores desse sioislro.
RISPADO. Depois de ter exercido por espaco
de dez mezes, com honra e di.mnla.te, zelo e iatei
gencia, olugar de secretario do Iniciado, pedio e
obteve exoneraco deste c;u-go, o Rvn>. Sr. Dr. Luiz
Ferreira Nobre Pelinca; motivos mu poderosos e
nobres levaram-no a dar scundliante passo.
Nao foi sem grande pezar, quo S^ Exc. Rvma.
coneedeu-lhe essa despensa, lieamlo privado dos
senicos de um auxiliar inlelligente curapridor
dos seus deveres, como se expressou em um attes-
tado muito honroso pora o deniissionaaio.
No dia 23 do correte' segu o Sr. Dr. Pelinca
descancar no seio de sua Kxins. familia, das fadi-
gas dos publicas negocios: em breve, porin, esti-
ra entre nos, onde bastante conhecido o estimado,
quer por suas maneiras lhanas e altiveis, quer
como orador profundo, quer finalmente eomo sa-
cerdote Ilustrado e virtuoso, do que deu uma
grande prova, cedeudo todos os venciacHtos do
lugar que oceupava era beneficio das vkivas des-
validas n'esta occao.
DINHEIRO.O vapor Cruzeiro do Sur levou de
nosta praoa:
Para Macei........ 60:O00iO0O
o Rio de Janeiro. 14:690*000
O vapor francez Estramnlure trouxe
juro para os Srs :
E. A Rnrle fe C.................
Augusto Frederico de Oliveira & C.
Joo Raptista de Oliveira........
COMPANHIA DO BBBEHIHE.Reunise,
sabbado, como eslava Sounciado, ,1 assembla
geral dos accionistas d.-sta companbia, afim do
ouvr a leitura do relator e cuntas do anno pas-
sado, e proceder cleico da nova directoria, que
ficou organisada com os Srs. :
Director, Dr. Sympbronio Cezar Coutinho.
Vice-dito, Jos Jeronyrao Monteiro.
Secretario, Dr. Prxedes Gomos de Souza Pi-
tanga.
Caixa, Thomaz de Aquino Fonseca.
^jMjnnciafi Dr Manoel do Nascimonto Machado
'rorfKlIa/*"*^' Fnceca de Medeiros, Dr. Jos
Honorio Bezerra de Menezes, Joaquim Olynlbo
Bastos, Dr. Jos Eustaquio Feraeira Jacobina.
Commisso de cuntasJoao Ignacio de Me-
deiros Reg, Jos Joo do Amorim, e Luiz Anteuo
Viera.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.Hoje o ul-
timo dia em que os vapores Pirupama e Potengy.
com destino aos portes do norte esul.recebem car-
ga para os referidos |Krtes, conforme o anonncio
da mesma companhia.
GICNEROS DE ESTIVA.Vieram da Europa
para nossa praca os seguinies volumes com gene-
ros de estiva : queijos13 caixas a Joao Igaci..
da Costa, 53 a F. A. M>mteiro Jiiuior, 15 a J. J. Gon-
aalves Beltrao, 18 a CarvaJbo Zenha 4 C, 13 a
Corga Irmos, 15 a J. M. da liosa c Filhos, 8 a
J. Gerardo de Bastos, 11 a Jos Ferreira da Costa.
e 25 a ordem ; manteiga50 barris e56 metes
a E. A. Burle & C, 75 barris e 75 meios a Tissel
frres ; cognacO-caix.i< aos ditos, 50 a Wilsou
& Hett, SOaTasso Iruifios, 30 a F. Souvage;
vilio5 barris ao dito, U a F. Dubarry, 2 a J.
Mendiboure, 100 caixas a Rabe SchmeUiu feC.;
azeild100 caixas aos ditos; sardinbas67 cai-
xas a J. da Silva Faria & Irmo. 2 a J. Mendiboure;
licor1 caixa ao dito, 12 a Deloucha & Saapi-
quet.
PARA O SL DO IMPERIO.Com 2 reeebidos
no nosso porto, o vapor francez Eslremadure con-
duz para o sal 25 passageiros. entre os quaes a
Sr.* marqueza del Grillo (Adelaida Ristori), cele-
bre trgica, que vae trte dar algumas repre-
senticoes lyrico dramticas, com a companhia
que leva, composta de .'Mi pessoas.
OLINDA E PARAENSE Fstes vapores d;is li-
nhas de Liverpool deviam tocar em Lisboa, aquel-
lo de 3 a 4 do crreme com destino nosso porto,
e este de 10 a 11 com destina ao Para, Maranho
e Ci'ar.
O Parnense vm inaugurar Tlie red cross Une
ofsleamers, nova linha de vapores entre Liver-
pool e a. 1 iclles pollos. E' 11 m bello navio de 1348
ion. ladas, do commando do bem conhecido'nanti-
co Multen.
NAVIOS A' CARGAEm LisboaBoa F para
Pernambueo, Linda e FeKz Ventura para o Para;
po PortoUniao para Pernambueo, Adelaide c
Vniao para o Para-
NAVIOS CHEGADOS.A" LiMa Amazona a
15, vapor Augustme a 27, ambos do Para.
NAVIOS SAHIDOSDe Lisboa Relmpago a
19 para Pernambueo, vapor Am'rou a 21 para o
Par, Maranho e Cear.
F17NDOS BRASILE1ROS.Eram assim colados
na praca de Londres, ultima data :
5 'L de 1859 86 a 90 non.
5 / de 1865 7 V a 80 '/-
4 1/2 / de 1862-58-60 71 a 76. *v
4 Vj % *e 1863 a 69. "
NOTICIAS COMMERCIAES. As ultimas das
prineipaes praoas, vindas da Europa, sao as se-
guiutes :
Londres, 38 de maio.
O algodo est com tendencia baixa. Cola-
mos : Pcrnambnco 11 '/i a 12 %_Vntyb

PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
ASSEMBL6A PROVINCIAL.Na sessao de sab-
Dado approvou em 2." dispusso as emenda* apre-
senudas em 3." ao projeeto de orcamento provin-
cial ; em 2.* o projeeto n. 84 deste anno, que cor-
rige uma falu que se deu na lei n. 847 deete anno,
dispensado o intersticio reuaiorimento do Sr.
Gaspar Drumwond; era 3.a o de u. 84 de 1867,
que auterisa a cmara d'Agua Preta a conceder
um abate a Joaquim Verissimo do Reg Barros ;
em 2.' a emenda apresentada em 3.' ao projeeto
n. 20 deste anno.
Entrando em discussao o parecer da commisso
de constituicao o poderes sobre o producto nao
sancoionado, que concede uma jrratifiracao ao em-
pregado do consulado provincial Rodrigo Jaco-
(h apresentada uaw
raelar'ns Penara, tai spnssentada uaw era
13." Araplianae e sUeaA a, >pi*a* skette,| da pelo 9r. P. Tavora, eontra a qual f;
o Sr.

e"62 de parocbo I/, a Uassi 11 a 11 >/?, MaraiASo 11 "/2 a ti,
Cear 11 >/. ; Venderam-se crea de 500,000 san-
cas em Londres e Liverpool.
O assuear tem alguma procura. Cotamoe o
braneo de 26/ a 28, e o maseavado de 20/ a 14/.
O caf fica frouxo aos piejos de 41/ a 78/, se-
gundo a qualidade.
O caeu est frouxo. O do Para vende-se de
45/ a 33/.
Os couros do Brasil sao procurados aos precos
de 4 a 9 3/4, segundo a qualidade.
Havre, 2 dewaio.
O algodo de Pernambueo ordinario- fica firme a
frs. 146.
O caf ftca firme.
O cacao do Para esjj ealno, de fr?. 75 a frs. 7&
MO EN CONTROS. TV}u*rxara-se varias pes-
soas que passara pela esteada de Joao de Barros
de uma maotilha de CMS qne, qualquer bors da
noite, accoramelle o cansa sustos, sem contar
as dealadas em qualjasr infeisi tue Ibes ese sab
o faro.
Chamamos a attoaco do Sr. nscal para ssses
nocturnos guardas de Oradas, que compre que
sejam removido*.
> PROIKSTOS 08 LKTTRA.--* sSMiaio dos
I


I
2 .fi8l 30 GHHUl 30 t MtlYl AflHUClG*1 d* Pemambuco Segunda ferra 14 de Juirfio .(fer 1869. Ofll.KIUH .VJ
irotcstos Jos Marianno, sl de seajana,j;uade
Sinto Amaro 20.
BlLttEMS,.8FFERECn>S. Numeracae dos
b,lhetesJHtlferi'i ttO.* ffereeSdos pulo thesourei-
ro dasMerkh, para auxilio- -dw despezae da
guerra .
Dilh^-oe. .4456 a iiS.
LOTERA\ que se ac'ha.-* venda a U0.\a
beoellcio da matriz de ^.Loorenco da Matta^ooe
corre no da 19. > ^k
PASSAGBIltOS. -**aliii%para o Ul M v%M>r
Cruzeiro o Sul :
Dr. Antonio IVdro F<-rreir*Lina, Dr. Francisco
Machado Pedrosae 1 niaV&r. Fraucc* Elias
do Reg Dantas, e 1 -navo, Br. Ludiere G. da
Silva e un: r.-eravo. J.jsc Marta de Araaje eatm
i! I lio, Manuel Joaqun) Duneta Guimarae scnhora, R W. Lendlicrg,ieor|c Goaolvei J.
HenriqueL^*, Dr. J Aoto, Joa Virgiao F.We
Arauio, sua Mntiora e 1 serava, Tose htouio oV
Araujo, Miguel Augusto de Oliveira, baroneza
d<3 Beberibe e i e*crava, Pinta d'Almcida Garrete,
Jos Estanilo Dias, Augusto de Faria Louretro,
Jos relos, Jhomaz JetTerson Gladstoue, Joaquim
Jos de Oliveira Tavares, Dr. Joaquira G. de OJi-
vtira l'ilho, Pedro Gomes Peisoto, Joanna Baptista
R. da Silva,;W. W. Robiliard, Jos Rufino C. 4
Silva, l|inacio Quadros e 1 escravo. conselbeiro
Jcis Bcntoda Cunta Figueired, 2 fllhas, 1 criado
__> MtNMid.fceal e tea de Cruaagy,
leffe-tii Litioe h trio de-Iw6*Jlli, altanda
a Sr. desembargad, r Silva Guinarfu
Lida, fui approvada a acta da sesa anterior.
ACCOROOS ASSIGNADSo.
EmbMyan(e D, Paulina Areias do Godoy, eukbar
gados os Administradlo;da masa fallida de Anlo?!
nto Jos- lie Figueiredo ; ap'pellanle's Silva' Leao 4
C, appettado Antonio Uumingue* Ribciro Lima.
E!H>al9 ptwhmBr.'i.) de Arcia<,prt-
"^hyl^BealjMktelKlllante au-
i r Ftmeisco remira Novaes, abai-gado *p>
p'liado. r,\) Joapiim Josc l osral is e Silva, Aw ol, Miranda Leal : llarao
ue Ccuangy.F"i-;un re eludes, os ai!os sen-
il voto vencido o Sr. BarodeCrtUBfy.
JBizo municipal e do oouuie*rio de MacekJ :
i'iujkecgaiitt appellante reo Jofriiilm' da Azartjo
MatsfRiiiba>iKuo appellada autor Josa Amonio
(te Aimcida Guimaraes ; lteos os Sis. liis e Sil-
va, Accioli, Miranda Leal Ra o de (luan
Despresaramse os embargos, sendo
o Sr. llarao de Cruangy.
Juizo municipal e de commereio do Pilar pro-
vinaia das Alagas : embargante appellado reo
Francisco Jos de Oliveira "Jnior, embargados
appellados autores os administradores da massa
falliiLt de Antonio Jos de Figueiredo, juizes os
e S Lei-
ENGLISH BANK
()( Rio de Janeiro Lnk4
' Beeonta lettras da praca & tut&-9f^
veaoionar.
1 Ifefefee dinheiro em coata correte e a
prazo flxo.____ _______
S8T .1 vifU ou pnso sobi
priactpaeg ur| u^m
hia, Bui'os-Ayivs, Montevideo,
^iew-Oileans, e fmitte cartas
mas lu
Pul o u
do dia 1
a 12 .
le cruangy.
v-lu V#*idC,
I pipa
Coimos.O seceos o salgados flfliaram-se de
Mtt a 200 rs. por libra.
aotvO pilado da ludia veudeo-se de 3300
n 35400, e o do Maranbo a [ISWb'mor arroba.
AzBrrs-eacE.Vendeu-se o 9lSetHJa a 35400
/alao eodo Estreito a 33300.
" ,-Veo
ui'bcte.Vendeu-se de 90O08 a.ftaW^2^seestre' do esi'rdcio rorrente de 4868
1809, Jepois do que ser cobrado com a
multa do 0 %.
Recebedoria do Pernambuco 2 de iunho
de 1869.
0 administrador
.MunoeLCarnein
m.mm't
Srs. Acetoli, liis c Silva, Miranda Leal
e,"! eS5SlJ08 de 0I,.VCI1* e su:snhara PKeo i im^ttespMsados os eBibaios, com o vol do
d.ito Alite* onte.ro e 1 eserava Pedro Pacfico Esa) Sf. presidentq,
de Barn Bezerra, Antonio Gerol, Antonio Fer-
aindes Porto, Eduardo Augusto, Paulo dos Santos,
Joao Al ves Carvalho, Felippe da Silva Costa,
Maaoel ('. de Andrado Lima, Jos Antonio de Al-
meida Guiauraoa, Tiiomaz de Medeiros Puntes,
ttartholonieu IVdesui, Jos Antonio Lopes da Silva
-3 pracas do prel do 4 batalhio de artilharia, 5
iijcrulas pra o exercito, 1 praca reformada e sua
uiulber, Jos Bastos, 19 eseravos a entregar.
Entrados do Rio Fonnto no vapor Parn-
Francisco Antonio Pcreira din Sanios e t cs-
crava, Dr. Galdmo Augusto da Katividade Silva e
i criado, Joao Antonio AI ves da Silva e I criado,
Masoel Jos do.Lima. Ignacio Jua de Mello Ros,
Antonio Jos da Cunta, Luiz Jos de Oliveira, Jos
Maaoel de Barros Wanderiey e 1 ci iado, Presciano
B. A. C. e 1 criado Joaqun) Francisco Maia.
Entrados de Borduaux no vapor francez Es-
remadure:
Octave Opigcz, Emilc Bcsdel, Joao Jos da Silva,
Bara-i de Vasconccllos e sna scnhora. Henrique F.
de Maraes, Augusto Ferreira B. Vieira, Autonio
Pinhero, Caldas Guimaraes.
Segu para o sul:
Joao B. i'. Labouriau e sua senhora.
CflRONICAJUDirURLL
TRIIII \ %l DO COIIHERCIO.
ACTA DA 8ESSAO ADMINISTRATIVA DE 10 DE
Jl NHO DE 1869.
FRE8IDEKCIA DO BUL SR. DESEMARGADOR ANSELMO
FRA.NCISTO PERETTI.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
tados Miranda Leal, barao de Cruangy c supplen-
tes S Leilo, bem como o supplente pela oidcm
da vutncao o Sr. baro de Nazareth, S. Exc. o Sr.
presidente abri a fessao.
Lida, fui approvada a acta da sessao de 7 coa.
a modificacao de se entender ficar revogado o ca-
pitulo 1. do regiment interno da junta dos cor-
relores rnente no tocante a competencia da elei-
cao dos raeinaros da mesma, c de que numero de
menibros se compile; continuando em vigor a
malta estatuida no art. 0."
EXPEDIENTE. j
Informacao do Sr. Dr. official-maior com rea-
cao ao registro dos estatu- da Companhia Nor-
thern Assurance.Resolveu o tribunal que se of-
Ikisase ao Exm. Sr. viee-presidente da provincia
enviando-se-lne a informacao da secretaria, e di-
zeado-se-lho que nao se olereee ao mesmo tribu-
nal eousa alguma em opposicao pretencao da
Companhia supplicante.
O Sr, secretario interino assignou un oflieio
commoaicando conservatoria da Parahyba ha-
ver sido torneado, e ter prestado juramento, Jos
Francisco de Atliayde e Mello agente de leilos
d'aqunlla pracn. igualmente assignou nm nu-
tro otlieio junta dos corretores communicando a
rcsoluro (no revogou o capitulo I. do rejiimen-
nterno com rostriccao a eleiao da dita junta.
presidente, sido votos vencidos os Sis.
Aecio e Miranda Leal.
Juizo municipal o do comiDercfo do Pilar, pro-
viucia das Alagas : embargantes appt liantes reos
os administradores da massa fallida de Antonio Jos
de Figueircdo, embargado appellado autor Antonio
Pereirade Carvalho ; juizes os Srs. Accioli.Reis e
Silva, Miranda Leal e Baro de Cruangy.Despre-
sados os embargos, sendo voto -vencido o Sr. des-
embarcador Accioli.
Por nao estar prese ite o Sr. desemuargador
Silva Guimaraes, nao foram propostos os feitos
adiados as sessdes anteriores, enlrc partes, em-
bargante Joaquina Amonio Cintra da Silva, em-
bargados os administradores da massa fallida de
Ani irim, Fragoso, Santo; & C..; appellante o Baro
de Beinca, anpellado B.mz Carneiro Leao.
O Sr. dosembargador Accioli apresentou o Jeito
em que o Sr. desembargado!- Silva Guimaraes
juiz certQ,oqua o Sr. di sembargador Heise Silva
passou-lbe por ngam, onlre partes, appellante
Joaquim da Cunha Meirelles, appellados os orphos
lilhos de Joao Cavalcanli Accioli.
uksk;n Ag \o DO da.
Appellante Joaquim Ci valcanli de Albuquerque,
appellado o lente coronel Manoel Joaquim do
llego e Albuquerque, tutor di'orpho lillio do
Manoel Gouva de Souza.Primeiro dia ulil.
PASSAGEM.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. des-
embargador Aecioli : appellante o coronel Jos
Carlos Tcixeira ; appellados Oliveira, Filbos & C.
Nada mais houve. e encerrou-se a sessao a
urna hora e meia da larde.
PUBLICACOES A PEDIDO.
H
Voiumes sahidos com fazendas
dem idem com gneros
A MM3[DjebrAtter4f>'
Viilumes entrados com fazendas
dem dem com gneros 61
Dscarregam hoje lide junho
Barca francezaSanio Auhrmercadorjas.
Patacho norte-aHemao-^foaR Caridem'.
Paueho norte-llemaoVariidem.
Patacho inglezCossach idem.
Brigue porttiguezConstante /=lagedo.
Eseuua porlugueza Oelfmidem.
Barca ingieza IFc of tke Teigermercaduras.
TABELLA dos precos dos cbnbros sojettos a di-
BEITO DE EXPORTAQO.EM.KS.V DE 14 A<8 DO
MEZ DE JIMIO DE 1869.
Mercaduras: Unidades. Valores.
Abanos.........cento 5J5O0
AIimoI ou espirita de aguarden-
te ..........carnida 900
Agurdente cachaca..... 440
dem de caima .*.....- 1*000
dem genebra....... 880
(den ivstilada ou do reino 800
Algodo om caroco.....arroba 31950
Idem em rama oii em laa. 15*800
Angico (toros )......duzia 60|000
Arroz com casca......arroba i 000
dem descascado ou pilado- 2J600
Assucar brauco...... 4|700
dem mascavado......* 35200
63400
m a;
a
I
por julio.
si
m-s .i
lera
I.EOilE LIXHAIjA.
Assias ,'
' Oueios.Os
cada um.
I Sabao.Yendeu-se o inglez de 170 a 190 rs. a
libra.
Tougurnaidemode Lisboa a 113 a arroba.
* VfMnCO do Portugal vendeu-sc a 12i>
a pipa.
ViNHos.Venderam-se 03 de Poatugal tintos de
220 a 230 a pipa, e branco de 240i a 200 ;
os de oiitros paizes tinto a iOSS, e braaco de
215* a 230,1.
Velas.As de composco regularam de 660
a 670 rs. o iiacote de 6 velas.
Descont.O rebato de letras regulou de 8 a
10 por ceuto ao anuo.
Fretes Para Liverpool, em navio do vela, car-
regando em nosso porto 1/ d. por libra nominal,
sem primagem, pelo algodo, e cm vapor I/i d.
por libra 5 %; polo lastro de assucar 7/6, 5 /
nominal; para o Canal, e 30/ sem primagem.
dem relinado
Azoite de amendoim ou amen-
dobim.........
dem de coco.......
Idem de mamona......
Batatas alimenticias......
Baunillia -.....
Bolacha ordinaria, propria para
embarque........
"dem lina."
Caf I
caada

arroba
libra,
arroba
yi'n o Jorgense.
Lj a replica do Sr. Mello Amen, e em prraeiro
lugar cumpre-me agradecer-lhe os termos lison-
geiros de que se servio para comigo, mas lembro-
Ihc que a n mra 6 de quc:n a faz. Nao permitti-
do a um pobre meslro do barco explicar mellior o
seu pensamento, tanto jnais nao dispoado como
Smc. de grande profusa*, de recursos inlellec-
luaes; todava vou-me arranjando com a prata
de casa ; e como nao [ara Smc. que eu escrovo
bom.........
dem oscolba ou restolho ... :
dem torrado....... libra
Caibros ........ mil
Cal preta........ arroba
Cal branca........
Garu secca ( xarque). .
Carnoos........ um
c sim para o publico illu.-Irado desta cidado, espe-1 Charutos
Canto vegetal.
Cavernas de sicupira .
Cera aniarlla. ......
Idem de carnauba em bruto.
Idem idem em vellas .
Corado ( porco ).....
Cha
to
Francisco Ferreira" Borges, assignou termo de
rc^ponsabilidade dos gneros que forcm deposita-
dos nos rmateos da Companhia Pernambucana,
de que gerente, sitos no.Forte do Mattos, o no
do ra do Bario do Pendo' cm Alagdas.
DESPACHOS.
Requerimento de Generoza Maria dos Santos
Chaga*registro da esenptura lie atorisaco qno
Iha dera seu marido Eustaquio Jos das Chagas
para eommerciar no seu proprio nome.Junte
procurar) da sttppluaute o quo assigna a peti-
cli como procurador.
Dito de D. J'is Maria Ramnndaregistro tam-
bera de una cscriptura de contrato celebrado
cora Antonio Pereira da Cunha.Vista ao Sr. de-
sembargador fiscal.
Dito de Joo Walfrido de Medeirosregistro da
uomeaco de seu caixoiro Salustiano Lopes do
Reg Barros.Seja registrada.
Dito do mnsraocertido de se ichar matricu-
lado nesle tribunal.D-se-lhe.
Dito do mesmo, para se averbar no competente
registro ter deixado de ser seu caixeiro CandiJo
Jas de Figueirdo.Como requer.
Dito de Francisco Antonio das Chagascerti-
o do theor do registro da nomeacao de seu cai-
xeiro Adalberto Francisco das Chagas.Como
pede.
Dito de Maia & Cidem da de sen caixeiro
Joaquim Ferreira Ramos Snbrinho.Sim.
Dito de Francisco Xavier de Athaydeidem fla
de seu caixeiro Olindino Joaquim Duarte.Na
iorma requerida.
Dito de Simo Thomaz de Aquinopara regis-
tro da nomeacao de sen caixeiro Manoel Paulippe
da Circumcisao.Registre-se.
Dito de Francisco Lopes da Silvaavorbacao
no registro respectivo, era sentido do ter deixado
de ser seu caixeiro Joaquim Levino Leal de Bar-
ros, o registro da nomeacao de seu novo caixeiro
Amlncio Valeriano de Carvalho.Deferido.
Dito de Raymundo Pereira de Siqueiracerti-
do do tueor do registro da nomeacao de sen cai-
xeiro Antonio Joaquim do Almeida.Passe-se a
certido requerida.
Dito de Jos da Cruz Santoscortido tambem
lo theor lo registro da nomeacao de sea caixeiro
Joao Francisco da Cruz Santos.O mesmo des-
pacho.
Dito d<3 Ariuink) A Cpara registro de um re-
cibo qii! Bies passara Manoel Rodrigues de Men-
dooea da quanlia de 7:021 711 importancia do
capital e lucros que tinha na toja e fabrica de
chapeos da ra Nova n. 36 com a firma Arminio
A C. de que era socio commanditario.Seja re-
gistrado o recibo junto.
a di amento.
Autos de reltabilitacao de Joaquim da Costa
Maia.Adiado para a prxima se sao.
cok informacao do sr. desembargador fiscal.
Requeiimento de Jos Joao de Amorim, Manoel
Marques de Amorim, Jos Joao de Amorim J-
nior e Manoel Joao do Amorim Snbrinho, para
iverbacojs no registro da seu contrato social.
Na forma do parecer fiscal.
Dito de Jos Pires Chavesregistro do distrato
codal da (IrmaChaves A Lima.Declaro o aup-
plicante a quaotia que tocou cada um dos so-
cios.
Dito de Salgado A Neves registro de seu con-
trato social.Deferido.
Dito de Manuel Luiz dos Santos e Joaquim Fran-
cisco do Espirito Santo, idem de sea distrato so-
cial.Como requeren).
Dito de Francisco Ribeiro Guiraare e Francis-
co Torres da Costaregistro de seu contrato so-
cial.Como pedem.
Dito de Jos Maria Pedroso Lima e sea irmlo
Joo Pereira Pedroso Limaidem de sea distrato
social.Seja registrado.
Dito de Pedro Lopes de Mendoncatransferen-
cia de livros.Adiado a pedido de um dos Srs.
desatados.
Dito de Manoel Rodrigues de Mendonca, om
Jue pede certido dos ltimos contratos registra-
os do Arminio A C. e Souza, Andrade A C
l^omo pede.
ilito d.i mesmo, cm que pnnderou a urgente
necessKlade que tinha da sobredita certido.J
fo* (telendo, mandando se-lhe passar as certidocs
quo requereu em peticao anterior.
Nada mais ha vendo a tratar-se, o dada a hora,
11 1/t da manhaa, o Exm. Sr. presidento encer-
r, a sessao.
ro que este ter mais indulgencia e caridade, dea-
culpando a Iinguagem rudo, mas sincera de um
pobre marinheiro.
Todos saben) que eu lomei conta do barco, na
vespera da sabida da mesmo para esta cfdade, e
j carregado ; por consecuencia, nao tc.iho cons-
ciencia do to fallado caixo, e do qual nem os
empregados de bordo e nem osproprios livros do
noticia, e quando ordenei para elle ser entregue,
fui na bypothcsc de o adiar, estando como agora
de boa "f.
Pergunia Smc. se acaso ignoro que encommen-
das nao sao manifestadas, e nem dellas.se acceila
conhecimeuto; e eu deelaro-lhe que Smc. nao te-
ve conscicncia do que jifflrmou, c que o publico
julgar qual de nos e o Dais ignorante. Todava
bom ser que so nao metti a brincar com a3 cou-
sas dos mestres dos barcos j relevando lembrar-
Ihe que anda a mnha viagem nao foi embargada
por dividas, em nenhum ios portos por onde tenlio
andado. Tem Smc. nina imaginaco bem frtil; o
que acaba de provar com a historia das cabecas
de papagaios, que apezar de apocripha, nao me-
nos interessanto. Aonde Smc. vio nm capito de
navios apanhando cabecas de papagaios? Creio
nao liaver quem crea em seraelhante cansa digna
somonte de um Cam. Nao ha mesmo realidade
que se assemelhe a to diablica ftecao... M j que Smc tanto blazoca de foros o de outras
muitas colisas, dcsaflo-o a que declare o~ nome
desse capito, enador de cabecas de papagaios,
sob pena de ficar a opinio publica encarregada de
classificar o seu procedimento.
Nao mais voltarei a incommodar Smc. com os
meus aranzeis, seja qual for o insulto que m(
leja ainda reservado.
Militao de Oliveira.
Pela ultima vez.
O abaixo a cisco Gomes Velloso de Albuquerque Lin3, qu^
arrancar a subdelegada das unhas de um preva-
ricador, que em menos de tres annos que neste
lugar habita, eliafurdou-se nos mais asquerosos
enraes, foi o seu umeo flin : conseguido elle, co-
mo o foi, jamis continuar a entreten polmicas
com to vil e abjecto mascarado.
Esse eperguraeno na forja do seu hydrophobico
desespero, tem lancado-me'golphadas da mais as-
arroba
urna
arroba
libra
i
um
libra
cento
libra
um
querosa billes; o verdade, porm, ura s facto
ainda nao encontrnu que nem de leve marear pos-
sa a minha reputaco : nao, ha raaior gloria nem
mais completa victoria para o lioniem que faz dn
sua honra urna relgio.
Maranguape, 26 de maode 1869.
Fimino Tfteotonio ia Cmara Santiago.
Cocos seceos......
Colla.........
Couros de boi, salgados .
dem idem seceos espichados,
dem idem verde ....
dem de cabras cortidos .
dem de onca.....
Doces seceos .
dem era gela ou massa.
dem em calda......
Enxams.......,
Espanadores grades.....
Idem pequeos......
Esleirs para forro, ou estiva de
navio.........
Idem de carnauba.....
Estopa nacional ..*.... airoba
Fariuha de mandioca ....
Idem de araruta......
Feijo de qualquer qualidade .
Freeliaes .......
Fumo om folha bom. ....
dem em folha, ordinario ou ros-
tolho ,........
dem em rolo, bom.
Fumo em rolo, ordinario ou res-
tolho.........t '.
Galinhas........
Gomina de mandioca. ....
Ipecacuanha ( raz).....
Jacaranda ( eoucoairas) .
Lenhaem achas......cento
dem de mangue em toros.
Linhas 0 estelos......um
es- Mcl ou nrelaeo......caada
Milbo..........arroba
Ossos. ......... >
Palha de carnauba.....molho
Papagaios.......um
Pao Brasil........quintal
dem do jangada......um
Pechury.........arroba
Podras de amolar. tuna
dem de filtrar.......
dem do rebollo.
Ponnas de cma. ...*.. libra
d^ssava.........molho
Ponas ou chifres de vaccas e
novilhos.....
PrancUSes de amarello de dous
costados.....
dem de iouro. ,
.,. libra
un)

canto
urna
a.queue
aiToba
j
nm
arroba

urna
arroba
i
duza
Protectora das familias
Assodacao brasileira do seguro mutuo sobre a
vida, approvada por decreto do governo-impenal,
de l3 de junho do 1864, e gerida polo Baneo Ru-
ral e Hypothecario do Rio de Janeiro.
Commissiio fiscal.
Veador Jos Joaquim de Lima e Silva Sobrinho.
Commendador Jeronymo Jos do Mosquita.
Commendador Boa ventura Goncalves Roque.
Commendador Guilherme Pinto de Magalhes.
Estado dessa associaco em 30 de abril de 1809,
contratos 5,802.
Capital subscripto rs. 8,716:470*380, as pessas
que quizerem inscrever-se podero dirigirse na
roa do Livramento n. 19, pnmeiro andar: a tra-
tar com o Sr. N. de Vidal, cncarregado pelo
Banco Rural e Hypothecario do Rio de Janeiro,
para promover assiguaturas para a mesma asso-
ciaco.
COMMERCIO.
SESSAO JDfCIAWA EM 10 DE JUNHO DE
1869.
raBKIDENC!A DO EXM. SR. DESEMBARGADO A. P. PE-
RETTI.
I ario, Julio Guimaraes.
Ao meio dia daclarou-se aberta a sessao Mtaaa >
nmtoa os Srs. desembargador Res e Silva, Ac-
PRACA DO RECIPE 12 DE JUNHO DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Cambio sobre Londres, 90 d/v 18 lil6 e 18
1/4 d. por imo.
Cambio sobre Paris 90 d/v 848 rs. por franco.
f. J. Silveira
Presidente.
Leal Ser
Secretario.
CASADE~CAMBIO
Teodoro Simn & C.
Comprara e vendem por conta. propria
metaes, moedas nadonaes e estrangeiras.
cjiai de cambio, sed tilas do goveroo e do
jarico do Brasil.
De?contara letras da trra e ontros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por irona alheia das mes-
illas transaccoes, da cohranga de letras da
ierra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesqner qaantias em deposi-
to, em conta correte, e a prazo flxo.
Largo do Oorpo Santo n, 21.
. cento
21500
1-5800
1*400
1500
2*500
34000
7000
7,1000
6*500
440
300
400
580
3 800
I 000
1600
33500
tiioOO
200
350
OOO
2000
3*000
44000
660
250
390
170
350
104000
15008
360
520
14500
14000
24000
124000
160
24000
34000
104000
. 44000
53000
164000
94000
104000
84000
14000
24500
U 4000
yo-xx)
34000
124000
04000
200
15000
240
15000
54000
64000
54000
124000
900
800
14000
24200
160
25800
fifA^B- Vender;
|)i.\i:htkhas. dem
vfk. Id|m do 54800 a
de 23200 a JA
del9LAJ2Air
44500
Louc
por centi
Manti
14300 a1
Massas.-
a arroba.
arrlqnjulia,
avala.
a libra,
duzia de garrafas vondeu-se de
(i :\ lias-e ;i 84.
ingieza ordinaria vafclcu-se cora 330
remio sobr a l'aetar.
Vendeu-j^a tafeca le 1 ylOO a
a francwPfc^Wa" 8i50 rs.
dem a 10J500 a caixa.
A II
Miseric
precisa
tos abai'S
DW
Protoiodurcto de mercurio, onca.
Purgante de Le Boy rancer, carrafa do 6/.-
Quacia, librL
Quina era rasca, idem.
rata pmpo.id(H7
Raiz.de alrass; Mem.
Dita de allheia, idem.

ayld
M
ta Mb"'^flLVA
mi Recifc, manda i
leclflbnto
d t'laradA> para os
MOVIMIENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 12.
CardilT33 das, escuna ingieza Milln, de 9 to-
neladas, capito Honnan, eqniuagem 8, carga
carvo de pedra; a Antonio L. do Oliveira Aze-
vedo &. C.
Rio Formoso e portos intermedios6 horas, vapor
nacional Parahyba, de 104 toneladas, comman-
dame Mello, equipagem 16, em lastro; a Com-
panhia Pernambucana.
Parahyba12 horas, vnpor brasileiro Muudah,
de 222 toneladas, cominandante lose Henrique-
da Silva, equipagem 14, em lastro ; a Compa-
nhia Pernambucana,
Buenos Ayres24 dias, sumaca hespanhola Mar-
celina, de 205 toneladas, capito Marcelino Su-
nol, equipagem 12, carga 6,650 .quintaos hes-
nanhoes de carne; a Tasso Irmos. Seguio para
I lavaua.
Navios sahidos no mesmo dia.
BarcelonaSumaca hespanhola Annita, capito
Juo Culbell, carga algodo.
Obscrvarao.
Suspendeu do lamaro para o Rio de Janeiro o
falucho hespanhol Pastora, capito Rasmira, com
mesma carga que trouxe de Valencia.
Navio entrado do dia 13.
Bordeaux eportos intermedios18 dias, vapor fran-
cez Estramedure, de 1279 toneladas, comman-
dante L. Giort, equipagem 114, carga differen-
tes gneros; a Trissct Frres.
ObsercaQao*
At meio dia nao houve sabidas.
DECLARACOES.
JUIZO DOS FEITOS DA FAZENDA
Quinta-feira 17 do correte dep *is da au-
diencia respectiva, as H horas do dia, ir a
praca o seguale:
A casa terrea na ra do Amparo, o^ 7,
rlrt,
um
>
libra
1
alqeuire
arroba
par
204000
10.5000
14000
160
400
304000
800
55000
74000
34500
1924000
964000
34*00
24000
64000
380
104000
84OOO
04400
800
Sabao........,
Sal. ........ ,
Salsaparrlia......
Sapatos de couro branco .
Sebo em rama...... arroba
dem em vellas. ......
Sola cm vaqueta..... um
Tabeas de amarello .... duzia
dem diversas.......
Tapiocas......... arroba
Tatajuba........ quintal
Travs......... urna
Unhas de boi. ..... cent*
Vassouras de niassava.....
dem de timbo.......
dem de carnauba ......
Vinagre......... caada
ADITAMBiTO.
Cigarros.........cont. 320
Costadinho de vinhatico de mais
de urna pollegada. um 16*000
Dito de nutra qualquer madeira
de urna pollegada. .... 1 124000
Ccrveja em botija ou garrafa caada 14600
Me) de abelhas...... > 1428O
Taboaa do vinhatico at urna
pollegada. ....... urna 12000
Dito do outra qualquer madeira
at urna pollegada. .... 84OOO
Era ud supra.
Alfandega de Pernambuco, 12 do junho de 1869,
0 1. conferente, Manoel Caldas Brrelo.
O 2.* dito.Cicero Brasileiro de Mello.
Approvo.Alfandega de Pernambuco, 12 dej u-
nho de 1869 Paes de Andrade.
Conforme.Joaquim Tertuliano de Medeiros.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimentododi.il a 11. 26:4931513
dem do dia 12 ..... 1.4514781
com t palmos de frente, 63 de fundo, 2
salas, 3 quartos, cozinha ioterna e quintal em
aberto, avallado em 300|J000 ris, para pa-
gamento do que deveJos Ferreira Marinho.
dem na ra dos Quarteis, (em Olinda)
n. 9, em mu estado, com 22 palmos de
frente, io de fundo, 2 salas, 2 quartos, co-
zinha fora, quintal em aberto, avallada em
130:5000 rc.
Urna outra na mesma roa, n. 10, uo mes-
mo estado e com as mesmas proporces,
avallada em 130^000 ris, para pagameoto
do que devem os berdeiros de Manoel Ac-
tulo (Id robra.
dem na ra do Amparo, n. 33, com
40 palmos de frente, 60 de fundo, 2 salas,
2 quartos, cozinha dentro, em mu estado,
avalad-t em 300)3000, pira pagamento do
que devem os herdeiros de Emerenciana
Maria Joa juina do Amparo.
A aetagua na ra Jogo da Bolla, o.
12, com 28 palmos de largura, porta e ja-
nella, em mu estado, avallada em 30(JOOO
ris, para pagamento do que devem os her-
deiros de Jos Manoel de Faria.
A casa terrea oa ra do Cabral, o 26,
em mu estado, com i6 palmos do frente,
62 de f ndo, 2 salas. 2 quartos, cozinha
dentro, e sotao, avahada em 60#000 ris,
para pagaiaeoto do que deve Jos da dista
Doundo pelos berdeiros de Simplicio Fer-
reira Coelho.
Reclfe, 11 de junho de 1869.
0 sol'ciador da fazenda provincial.
/. Frmino Correa de Aranj).
27:945297
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1
Idem do dia 12.
a 11.
53:069396
5:7904768
58-8694164
PRAGA DO RECIFE
cm 13 ds junho ns 1869, s 3 horas da tarde:
REVISTA 8BHA1AL.
Cambios.Saccoo-se sobre Londres de 18 1/46
a 18 3/4 d. por 14; sendo o valor dos saques effec-
tuadoa mla fwmana de 80,000.
AL009OVendeu-se o de Pernambuco, de .
16*200 a 164*10 a arroba; o do Macei, posto a
bordo, de 17*200 a 17*400.
Assiwas.Vendeu-*e o mascavado porgado de
3460 3#750 a arroba, e o bruto de 3*000 a
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz
publico que, uo dia Io de jucho vindouro,
se principiam a coatar os 30 das uteis
para a cobranca bocea do cofre dos im-
postos: da decima urbana, de 5 % sobre
os bens de raiz pertenceotes i corporacBes
de mao raorta, e de 20 % d consumm
de agurdente relativo ao 2o semestre do
anno financeiro vigente 18681869, e que
ficam sugeitos 3 multa de 6 % todos os
dbitos queforem pagos depois de lindos
os referidos 30 dias.
Mf sa do coosulado provincial de Per-
aambuco, 23 de mai< de 1869.
Antonio Carneiro Machado Rios
Do ordem do Illm. Sr. Dr. chele de pulira
interino da provincia, fago publico, paraconheci-
mento de quem interesar possa, que, segundo
participa, em oflieio desta dat, o subdelgalo do
primeiro disfruto da cidade do Olinda, foi all cap-
turada, como fgida e se acna recolhida respec-
tiva cadeia, a preta de nome Cecilia, que declrou
ser escrava de Leopoldo de ta).
Secretaria de polica de Pernambuco, 12 de ju-
nho de 1869.
O secretario,
Eduardo de Barros Falcao de Licerda.
Peranto a cmara municipal de?aa cidade
estarao em praca nos dias 11,14 e 16 do crreme,
para serem arrematados por quem menor preeo
offerecer as obras nao s dos reparos da estrada
que vai ter a Capunga, oreados na qnantia de...
2:794*000, como das que necessita o matadouro
publico, oreados na importancia de l:988ff000 :
aquellos que pretenderen) concorrer a arremata-
cao de taes obra.", habilitem-sc na forma da lei,
sem o que nao poderlo licitar.
Os orcaraentos arham-se na secretaria da mes-
ma cmara, onde os concurrentes poderao exa-
mina-los. Paco da cmara mnnicipal do Recife 9
de junho de 1809.
Ignacio Joaquim de Souza Leao.
Proprosidente.
Francisco Canuto da Boa- Viagem.
Secretarlo.
Pela recebedoria de rendas internas
geraes, se faz publico que oeste correte
mez de junho, que os devudores do impos-
to de 20 por cento da decima de mao mor-
a e do imposto especial sobre casas de
movis, roup etc, fabricados em paiz es-
trangeiro teem de pagar, livre de .multa, o
sotuniro-do rorreare anno, a
Ah>intho,lilna.
Acido aeeliiM. idein.
dem citr!cVjp6ro,'idemr
dem marinbo, idem.
Idenutrico puro, dem.
Slico, idem.
Il'urico, idem.
dem lartarico, idem.
Ac preparado, ooea.
Acnito, libra.
Agua de Colonia, duzia.
Dita de flor de larangeiras, idem.
Dita do rosas, idem. *
Dita de Sedilitz, garrafa.
Dita de Vicliy, idem.
Dita ingieza de Lisboa, idem.
Alcool de 36, caada.
Alecrim, libra.
Alfauma, idem.
Algalias inglezas de ns. 1 12, duzia.
Aloes, onca.
Alvaiado, libra.
Ameixas passadas, idem.
Ammonaco liquido, idem.
Arsnico, onca.
AssafetJa, dem.
Assucar candi, libra.
Dito de leite em p, idem.
Avenes, idem.
Dagas de zimbro, idem.
Dalsamo de copahiba, onca.
Dito de Fioravanti, idem.
Dito de Tuhi, idem.
Dito Peruviano, idem.
Dito tranquillo, libra.
Banlia de porco, idem.
liarbaute fino, idem.
llejum de I.i-boa, idem.
Belladona, idom.
Renzina, om; 1.
Bicarbonato* de soda, libra.
Borrachas sortidas com pipos, idem.
Butes de rosas rubras, idem.
Bromureto de potassa, onca.
Cabeca de papoulas, libra.
Cainca, iilcni.
Caixas para pilulas, gro.-a.
Cal virgem, fibra.
Calonielano inglez, onca.
Calices de vidro graduados, n. i.
Camphora, libra.
Cantridas em no, idem.
Capsida de cupabiba, caixa.
Carbonato de magoezu, libra.
Dito de potassa, idem.
Dito de soda idem.
Caroba, idem.
Centaura menor, idem.
Cera amare!la, idem.
Dita branca cm grummo, idem.
Cevada, idem.
Cevadinlia, idem.
Chicoria, idem.
Clorato de pjiassa idem.
Clorofonnio, idem.
Colla de Flan tres, idem.
Confeitos lacLato de ferro, duzia de vidros.
Crmor trtaro em p, libra.
Cubebas em p^, 'dem.
Dgitalis, idem.
Dulcamara, dem.
Emplastro de cicuta, idem.
Dito de aquillo gommado, idein.
Dito commum, idem.
Esptulas de ac sortidas, urna.
Esscneja de aniz, onca.
Dita do canda, ideui.
Dita do cidra, idem.
Dita de ilor de laranja, idem.
Dita de hortela pimeuta, idem.
Dita de rosas, dem.
Dita de salsaparrilha de Sands, vdro.
Dita de terrebeutina, garrafa.
Dita de vergamota, onca.
Ergotina, idem>
Etber clorydrico, idem.
Dito sulfrico, libra.
Dito ntrico, onca.
Extrato de acorneo idem.
Dito de alcassi'is, idem.
Dito de belladona, idem.
Dito de camomilla. dem.
Dito de cicuta, idem.
Dito do lavas do calabar, idem.
Dito de fumara, idem.
Dito de genciana, idem.
Dito de jurubeba, idem.
Dito de noz-vomica. ^
Dito de opio gommoso, idem.
Dito de salsaparrilha, idem.
Dito de tridaceo, idem.
Dito de valeriana, idem.
relea de ouro, libra.
Flor de rnica, idem.
Dita de borragens, idem.
Dita de enmure, dem.
Dita do malvas, idem.
Dita de sabugueiro, idem.
Dita de tilia, idem.
Figado de enxofre, idem.
Fumaria, idem.
Funiz de vidro n. 2, um.
Genciana, libra.
Glycerina branca, idem.
Gomma de batata, idem.
Dita de dita purgativa, idem.
Dita arbica escullnda, idem.
Dita dita em p, idem.
Graes de porcelana n.!, ura.
Dito de vidro n. 1, um.
Hcrva terrestre, libra.
Hydrochloratade marflm, onca.
Hysopo, libra.
Incens pupo, idem.
lude puro, onca.
Iodureto potaasio, libra.
Ipecacuanha preta, idem.
Jalapa em p, idem.
Kermes mineral, onca.
Licor do Jabarraque, garrafa.
Linhaca em p, libra.
Dita inteira, idem.
Macella gallega, idem.
Magnezia calcinada, idem.
Dita de Ilenry, vidro.
Mann commum, libra.
Dito de lagrimas, idem.
Mauteiga de cacao, onca.
Massa caustica, libra.
Mel de abelbas, garrafa.
Mercurio doce, libra.
Mezerio, dem.
Moslarda, idem.
Mnlisan egodico, idem.
Nitrato de prata em lapis brauco, onca.
Nitro puro, libra.
Noz moscada, onca.
Oleo branco de Chevrier, vidros de 8/*.
Dito de alfazema, onca.
Dito de amendoa inglez, libra.
Dito de batiput, idem.
Dito da cravo, onca.
Dito de ngados de bacalho, garrafa.
Dito de dito de bacalho ferruginoso, idem de 8/.
Dito de linhaca, libra.
Dita de ricino, idem. '
Dito vermfugo, frascos.
Parietaria, hora.
Pape) de embrulho azul, resma.
Dito de dito branco, dem.
Pasta de jnjoba, libra.
Pastilhas de Belloc, caixa.
Ditas de Kemp, vidro.
Ditas do Nati, caixa.
Pedra ume, libra.
Peneira de cabello, nma.
Dita de seda nma.
Perchloruret de ferro, onca.
>Ps de borgonba, libra.
Ptiosphalo de ferro de Leras, vidro.
Pilulas de Allisson's (verdadeiras), caixa.
Ditas de Vallet, vidro de 30 pilulas.
Poligula senega, libra.
Pulpa de tamarindos, idem.
Pomada mercurial, idem.
Ponta de viadn calcinadas, idem.
Pos de Rogg, vidro.
Potassa caustica, onca.
Potes de 1 a 8 oncas, duzia.
Precipitado rubro de mercurio; libra.
plintjdei:'.
en- ?'" I':";1 il'-lflkidcm!
Sahonetcs de alcaM (Antonio :'evcs daCosta*.
duzia. ^
'^al amarji
Salsa luir
S;i
Saccliarureto de oleo de bacalho, caixa.
Sassafras, libra.
Scilla, idem.
Senne, idem.
Semenles de angelira, onja.
Serpentaria, libra.
Spermacete em rama, idem.
Solucao dd prot:iodureto de ferro, onca.
Stramonio, libra.
Subnitrato de ^lismuth, idem. n
Sueco de grozelles francez, garrafa.
Sulfato de ferro, libra.
Dito de soda, idem.
Dito neutro datropioa, onca.
Suspensorios eserolaes, duzia.
^fe-sdelMu^.
DHos para ofMMietdok. Idem.
Vomitorio de Le Roy franctz, vdro.
VinliM de jurubeba^'aairaf.
Dito de Cervisart, idom- *
Xarope de Bourgois, vidro.
Dito de espargo, idem.
Dito de Quy, idem.
Dito de hyodurelo de Giberl, idem.
Dito de jurubeba, idem.
Dito de Labelloiiy, ideui.
Dito do Lamoureaux, idem.
Dito do Naff, doro.
Dito de peitoral inglez, idem.
Dito de quina ferruginosa de Grimaut, idem.
As pessoas que quizerem fazer dito forneriineli-
to, devem aprsenla r suas propostas em cartas fe-
chadas, al o dia i do presente mez; e dar fia-
dores, que se responsabilisem pelo fiel cumpli-
mento do contrato.
Secretaria da Santa Casa do Miserioordia do Re-
O escrivao.
____________ Pedro Rodrigues e Souza.
ISauta Casa da Miserioordia
do Recife.
A lllma. junta administrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recife, na sala de toas sesses,
pelas 4 horas da tarde do dia 17 do frrente, re-
cebe prop'latas para o fornecimento de pao e bola-
cha, que huuvemn de ser consumidos em todos os
estabeledmentos pios sen cargo, Unto desta ci-
dade como da de Olinda, nos mezes de julho a
sotembro vindouros.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de janue-de 1860.' ,
O ecrivio,
Pedro Rodrigue de Sou;*.
1____________________________________ _________.
Santa Casa de Misericordia
do Recite
A Filma, junta administrativa da Santa Casa
de Mi-ercordia do Recife, na sala de as sesgues,
pela* 3 horas da tarde do dia 17 do frrente, re-
cebe propostas para o fornecimento de gneros
que houverem de ser consumidos em todos os esta-
betecimentos pios seu cargo, tanto nesta eidade
como na de Olinda, nos mezes de julho a setembr.
vindouros.
A saber :
Assucar relinado, kilogramma.
Dito de t' sorte, idem.
Dito de torrao, idem.
Alotria, idem.
Arroz do llaranhao, idem.
Azeite-doee, litro.
Agurdente, idem.
Azeite do carrapato, idem.
Bacalho, kilogramma.
Batatas, idem.
Caf em grao, dem.
Cha preto. idem. 4 y
Chnysson, idem.
Ceblas, cinto.
Carne verqe, kilogramma.
Carne sccea, idem.
Farinha de mandioca, litro.
Fumo do Rio, kilogramma.
Feijao inolatinho, litro.
Farello, sapeo. .
Manteiga f)-anceza, kilogramma.
Pcixo fresco, dem.
Sabao, idem.
Sal, litro.
Velas de carnauba, idem.
Ditas stear as, kilogramma.
Vinagre, li ro.
Vinho tint de Lisboa, idem.
Ditobrancd, idem.
Toucinho, ulogrammo.
Osconcorrintes podero apresentar suas pro-
postas em ca tas fechadas, as quaes doverao ter a
ordem estabe crida no presente annnncio.
Secretaria da Santa Casa do Misericordia do
Recife, 4 de jpnho de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de souza.
ej )osito dos recrutas.
O cons; Iho econmico do mesmo deposito con-
tratado dia 1 l,do crreme mez,os gneros alimen-
ticios, abaixo mencionados, para fornecimento das
pracas arrancbadas e doentes na enfermara mili-
tar, para o qi e receber na secretaria do quaitel
da Soledade, las 10 horas da manhaa, as devida
propostas, ciijo fornecimento principiar do Io de
junho e Andar a 31 de dezembro do corrente an-
o>, sendo os eneros os seguintes : aletria, arroz,
assucar branco o mascavo relinado, azeite doce,
bolachas, bacalho. bolachinhas de araruta, cha,
caf em carneo e moido, carne verde, dita secca,
farinha de mandioca, dita de araruta, dita do Ma-
ranbo, feijo nmlatinho, lenha, manteiga inglez;)
e franceza, mar melada, ovos, pies de 6 e 4 oncas,
I toucinho, vinho e vinagre.
Qnartel da Soledado cm Pemambuco 11 de ju-
nho de 1869.
Francisco Antonio de S Brrelo Juni'i
Tenente-secretario.
Deposito de inslruefio
O respectivo Sr. capito conimandame recebe no
dia 21 do corrente mez, as 10 horas da manhaa,
n secretaria do mesmo deposito, propostas para o
fornecimento de capim do planta, mel, mllho o
farello, pava o 2* semestre desle anno
Adverte-se, que, as propostas dvero ser ro-
rietiidas em cartas fechadas, dirigida* ao mesmo
Sr. eommandante, o devendo os senhores propo-
nentes guiarem-se pelo novo systen de pesos c
medidas.
Quartel no Campo das Princezas 12 de junho de
Luiz Jos de Souza,
Alferes, 2 eommandante.
De ordem do IQm. Sr. iospector da
thesouraria da fazenda desta provincia, se
previo- aos Srs. teneotes Jo3o Eduardo
Pereira Borges, Jos Alves du Siqueira
Barbosa e o alferes Jos Irino da Silva
Santos, que segundo resolucio tomada eia
sessao da junta licam obligados do dia 24
de maio ultimo posterior a aquelle em que
se flodou o prazo qu Ibes bavia sido mar-
cado para recoihereo a esta tbesouraria o
Io, a quantia de 4:688-5160 re., o 8, a de
2000000, e o 3o, a de lOt-JOOO ppr que se
acham responsavels para com o fazenda;
assim como que se Ibes far aflictiva a iat-
positfo da molla do art. 36, da le n. 627
de 17 de setembro de 1851, se ateofim
de julho prximo vindouro 0J0 houverem
effoctuado dito recolhimento.
Secretaria da tbesouraria da fazeoda de
F'eroambucoll de junho de 1899,
Servindo da cfficial-maior.
Manoel Jos Pmto.
"
fi
s
I
I



I

\
*
< i
i
x



-.
Ji
Diario de Pernambuco SeguiwJfc feira
14
de
'iu.
Junho d

THATI
No targ do trapiche do algoiao a II toras,
onde nodorao os preferentes examinar a
mi
DE
diTRi Predios
O agente Pontual computentem
EMPEEZA-CODffl
1 BOJE 14 DE JUHO .
BENEFICIO D^ ^
Representar-se-ha o drama do Sr. Dr. Tatora ^
TRES LAGRIMAS
rk sn-leilao, urna casa ierre
1
I
O Sr. Mai linho cantar pela ultma vez

A
s
BOLEEIRII 4P4IM4D0 |
O beneficiado espera toda a proteccao do respeitavel publico.
Comecar as 8 horas.
3
^remataron
Terca-feira, 15 do corrente, depois da audiencia
i> Dr. juiz municipal da I" vara, tora lugar a
praca da prcta Manoella, de idade do 30 aunes,
avaliada por 200* ; do preto Jaciullio. crioulo, de
idade dC40anno?. por 500 ; de tres egoas ru-
eas por 20|, e de uin cavado rozlho, de sella, por
ttO,; tud: penhorado a Ji>ao da Cimba Peroira.
Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife
A Illma. junta administrativa da Santa
Casa do Mirericordia do ReciTe, recebe pro-
postas para o fornecimento dos objectos pre-
cisos para a secretaria da mesnia Santa
Casa, conforme a relacfio al)aixo, pelas i
horas da tarde do dia 25 do corrente na
sala de suas sesses:
Papel pautado Fiume, resma.
dem dem liso, idem
dem idem lindo azul, idem.
dem linho liso, idem.
dem para officios, timbrado.
dem florete.
dem linho, paulado.
HoHanda grande, caderno
dem Jes, idem. '
IderaResin, idem.
dem idem, idem.
dem Ec, idem.
Mata borrao,1folba.
Par de pastas para guardar pepeis.
Peonas de aro Perry.
Canelas.
Paes de obrajes.
Tinteiros de lato.
Garrafas de tinta.
Talos de conhecimentos (impressoes e
cncardenaco).
Livrosem branco de 16 pollegadas.
Livro sein branco estreitos.
Livros em branco 13 pollegadas.
Lapis pretos.
dem de eftr.
Pedras de louza n. 1 para o collcgio.
dem d. 2, idem.
dem n. 3. idem.
CreiSes duzia, idem.
Tinta preta, garrafa.
Fita de linho, du/.ia.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia
do Recife, 4 de junho de 1869.
O escrivao
Pedro Rodrigues de Soasa.
autorisadi
m chaos pro
estrada' do eneanamAlo da compa
hha de Beberibe, (sendo a entrada* lado do si
6 do Sr. Dr. Leal om T*ari)ameirim) n. 16. cora
sala. 3 liiinrtus, coziolia Cora, un tcnayo najronl
e sdo ^a:d| partitejdobrtoa coi* \m
renie 24mo Mida. la v mesfwof ra*
21 solo foreiro, sitas a ra do S. Julio, rendendi}
cada ama nietwalraenie 2||000.
Terca-feira 15 do corrente. i
ra da
iciya-iviiu iv uw *,v -*-
.N p4MM Jdar do sobrado^, t, i
Cruz, s 11 horas. -,
-----------r j___-----"_J s
,%o
Do terruo err sobrado de um andar n. 17, er
lenas proprias, silo a ra do lima outr'ora
chamado sitio do Arar o hoja denominada
C;r:rTle Saudo do Sr. Dr. Kamfc, era Santd
do dia;
O n rente Oli reir competentemente anlawtaiw
far leilo do excellento predio supramencionado.
Terca-feira la
ao meio dia em ponto, no seu escriptorlo a ra
a Cadeia n. i, primeiro andar, onde os preten-
deates podem examinar com antecipacao a -
.peetiva escripUira. _______^______
ea!rte Sauete uo sr. ur. namw, em
Amaro. trauseridoi)or pausa dapiuva
1* parC i, h
15 do corrate.
res-
LEILA
eOMPAMHIA
DAS
lessageries imperiales.
At o dia li do correte mez espera-se da Eu-
ropa o -apor francez Rxtiamnduie, o qual depois
da demora do costume seguir para Baha e me
de Janeiro.
Para condceoes, fretes e passagens Irata-se na
agencia ra do Commercio n 9._____________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navcgaeo costelra por vapor.
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
wfjy O vapjr Potcngi, commandante
JtXL Pereira, seguir para os portos cima
jtaSai no dia 13 do corrente as o horas da
tarde. Recebe carga at o dia 14, encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas
da tarde do dia da saluda no escriptorio doFr-
te do Mallos n. 12. .___
Para o portos cima seguo com brevidade a
barca porlugueza Cleme/itina, tem 'parle do seu
carregamento engajado, e para o resto que lhe
falta, trata-se com os consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C. ra da Cruz 57.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xaregaco costelra por vapor.
Goyanna
O vapor Parahyba, com-
mandante Mello, seguir para
o porte cima no dia 16 do cor-
rente as 9 horas da noite. Itecebe
carga, encommendas, passageiros
eiro a frete no escriptorio do Forte do Mal-
12.
A 15 do eorreut mea.
O agente Oliveira, competentemente autorizado
far leiliu do caixo da casa al respaldo, com re-
partimentos de onoradia e telheiro, a ra dos
Guararapes n. 38 a 44 actual|e n. 22 antigo, em
lerreao do uiarinha n. 90, com setenta o seis pal-
mos de frente e irezentos e cincoent de fundo at
a ra do Bru, swdo que o oitao ocn toda esta
extensfii) forma moa na larga de transito da dos
Guararapes para a do Brom, dando a casa futura
da esqnjna tres frentes como do dezenho que se
patentea'r.
. Terca-feira, l.'i do corrente
ao meio da em ponto em seu escriptorio a ra da
Cadeia n. 4 primeiro andar por cima do armazem
do Sr. Barroca, on le os pretendentes terao os pos-
siveis esclarecimentos, e a qneiti para nao fazer
demasiado extenso este annuncio, se pedo, que ha-
jam de examiuar previamente dita propriedade,
que se vende seih reserva.___________________
LI
i!
to por conta do qtiem perteaeer, |>aaAd o [
Vice-conslado Britnico. Pacalijto8-
dejuiiu de 1809.
Huberto j. Sluilkro
B. V. cnsul,

m

JWJSOS DIVERSOS^
ARTE, DIVHATOMA
di:
Mad^me Limck.
Colleccao de nowssinias sortes para a
noites de S. Joo e S. Pedro, 1 volume ni.
tidamerue impresso, -1(5000, a venda na
bazar acadmico ra da lmperatriz n, 13
e na mesma ru no Caf Imperatriz. W.
nm dos melliores livtos de sorUs osco'lii
dos para divertimentos da presente epocha;
contendo, aJem das ihteresSantes sortesj
diversos miginas em liaguas eslrangeira*.
Criado.
Precisa-?e dn um criado proprio para servir om
um sitio : informa-se na ra cstreita do Rosario
n. 18.
Faz-se todo negocio com um terreno situado
no lugar Guapeba, perto da Gloria do Goit, ou
cidde da Victoria : <|uem pretender pode dirigir-
se casa n. 54 da ra nova de Santa Bita.
Ama de leile.
Precisa-se de urna ama de leile
la n. 84.
na ra Direi-
Aluga-se
a padaria sita no largo da Santa Cruz n. 1, e tam-
ben aluga-se para outro qualquer negocio : quem
a pretender dirija-sC ra do Sebo n. 8._______
CLUB PERNAMBUCAN0.
Apartida do corrente m% t r lugar na
noite do dia 19.
Na antiga fabrica de fogos de
Rulino. existe um .completo so
abas, craveiros e pistolas, obje
os festejos das nnfes de Santo Antn
ludo por commode-preco, e eom seja- a fabrica
distaoto da cSdade, as pessoas que quieerew fa-
zer suas cncoinnicdas, poderao lea-las no arma-
zem da bola amarella, no oitao da secretoria da
policia. onde tambwn acharao as araostrasi
O \)f. A4riao LuizBE*ra da Sil-
va, mn&eMMk facoldacte do Rio
de Janeiro. oYwde acaba, de ebe-
pas tem s4|epn|B||iioi'mia do
l.i\ratnedlq.p. zf/pnmrtfttSndar,
onde pode ser procurado- das i)
toras da inanliaa ;u 4 da.tarde, e I
fV* i m qaalque trtra ocesia^, em la]
SS "" ivsl.-nria fanto a estaco *9 Casa j
Dnca xma f I i
[-rorte
, Um moco chegad ha
ianeiro, deseja saber onde
Soura Jorge. _______
(res dias do Rio de
mora- o> Sr. Jos de

a-i
?-=
e
tos n
CORREIOGERAL
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico, para fins convenientes, que em vir-
tude da convencao postal, celebrada pelos gover-
nos brasileiro e francez, serao expedidas malas
para Fu ropa no dia 15 do corrente pelo vapor
Oneida.
As carias serao recebidas at 2 horas antes da
que for marcada para a sahida do vapor ; e*
jornaes al 3 horas antes.
Administrado do correio de Pernambuco 10 de
junho de 1869.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
AVISOS MARTIMOS.
(iompanhia americana e brasilei-
ra e paquetes a vapor.
At o dia 1." do "corrente mez esperado de
New-York por S. Thomaz e Para o vapor ameri-
cano South America, o qual depols da demora do
costume seguir para os portos do sul; para fre-
tes e passagens trata-se com os agentes Henry
Forster & C. ra do Trapiche n. 8.
Para l.ifcboa
Segu com toda a brevidade a barca portugueza
JojiJonls III, por j ter parte da carga prompta ;
para o que lhe falta e passageiro, trala-se com os
consignatarios Oliveira, Filhos & (1, largo do Cor-
po Sanio n. 19, ou com o capitao na praca do
commercio.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
M
avegaej oostpira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarac e Granja.
O vapor Phrapama, commandante
Torres, seguir para os portos cima
no dia 15 do corrente as 5 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 14, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
TUL.
De um piano de Jacaranda, 1 mobilia com 1
sof, 1 mesa e 2 consolos com pedra, 4 cadeiras
de bracos e 12 d; guarnicao de Jacaranda, 1 can-
delabro, 4 castigaos e mangas, 1 relogio, 1 rico
quadro, desean" o de ps (dourados), porta msi-
cas, mesinhas, 1 dita de charao, 1 mesa de es-
criptorio, 1 jogo de gamao, 1 cama franceza, 1
Suarda roupa, 1 commoda, 2 mesas de jacaran-
, 1 lote de esleir para forro de sala, 2 cadeiras
de balance, 1 mesa elstica, 1 apparador, 1 ap
parelho de porcelana branca para jantar, louca
para cha, copos, clices, garrafas, talheres, 1
quartmheira, 1 cabide, 1 sof, 12 cadeiras, mesas
e outros objectos ae casa de familia.
Qnarta-feira 16 do corrente,
No 2o andar do sobrado da ra da Impe-
ratriz n. 54.
O agente Pinto (ara leilao por conta de urna
familia que m dou de residencia, dos movis e
mais objectos cima mencionados existentes no 2o
andar do sobrado da roa da Imperatriz n. 34, on-
de se effectuara o leilao.
Principiar as 10 horas. ________
CASA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Billietes garantidos.
.4. ra do Crespo n.8 e casas do costume.
O abaixo assignado tendo vendido nos seusmui
to felizes bilhetes garanfidos 2 quarlosn. 1989 com
a sorte de 70 iOii, e outras militas sortes de *00i, 40 e
20 da lotera que se aeabou de extrahir eru be-
nelicio da malnz deMuribeea (109'), convida aos
possuidores a virem receber seus respectivos
premios sem os deseontos das leis, na casa da
Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 7J parle da lotera a
beneficio da matriz de S. Lourenco da Malta (110a)
que se extrahir sabbado 19 da corrente mez.
Precps.
Bilhele.....4 000
Meio.....2*000
Quarto.....1*000
Em porgao de 100 para cima.
Bilhete.....3|S00
Meio......I#7o0
Quarto..... 875
Manoel Martins Fiuza.
*i
- c-
" e>
B .2
2 a
S3
Precisa-se lugar um siiio parta da praga,
oit-enlao sendo Capunga, Solcdad, Manguinho,
estradas de Joao Fernanfles Vielra e. Joao de Bar-
rt'S-- qnem tiver dirija-se ra ta- Santo Amaro,
leheira do Sr. Thomaz.
a
'.< z,
Para o Rio-Grande do
Sol.
Deve seguir dentro em poucos dias a
barca nacional Thereza 1*, e anda recebe
alguma carga frete: a tratar na roa do
Vigario n. 1, escriptorio de Bailar, Oli-
veira & C.
Ilha de S. Miguel
Para o porto cima segu com muita brevidade
o patacho portug.iez Jorgmue por j ter prompta
quasi toda a carga : prra o resto que lhe falta e
passageiros, para os quacs tem bellos commodos,
trata-se com o consigosario Joao do Reg Lima, a
ra de Apollo n. 4.
~PARF LISBOA
(^Seguir com a maioi brevidade possivel o bri-
gue portuguez Constante I, pQr.j ter grande par-
te da carga prompta ; para o restante e passagei-
ros, trata-se com os consignatarios Oliveira, Filhos
& C., largo do Corpo Santo n. 19, ou com o capi-
tao na praga do commrcio.
LEILAO
De dividas na importancia de rs.
3:663#482.
O agente Mariins levar novamente, por despa-
cho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio,
as dividas cima pertencentes massa fallida de
Silvestre Pereira da Cunha, servindo de base a
offerta do ultimo leilao.
Quarta-feira 16 do corrente
No armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
horas do da._________________________
LEILAO
E MVIDAS NA IMPORTANCIA DE RS.
42:619,5078.
(i agente Martins. far leilo por aujorisago do
IHrn. Sr. Dr. Glaudiuo de Araujo Guimaraes cn-
sul de Portugal, das.dividas activas pertencentes
ao espolio do Matoel Tarares Cordeiro, na impor-
tancia de 42.-6LM078.
Quarta-feira 16 do corrente.
No armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
horas do dia.
AMA
LEILOES.
LEILAO
DE 9IADEIRAS
O agente Pontual vender em^ leilo diversas
madeiras proprias para construcao de predios e
inarcineiria como sejam taboas de amarello
com 3 palmos de comprimento c pnllegada e
meia de grossura, diti. dita e de louro com urna
pollegada de grossura, esleios Jpara estacada 8e
:>*> a ."io palmus, buha:, de 2o a SO palmos. No-
tando-saque as madeiras slo cseolbidas por se-
ma de qualidade superior. O leilo ser feito em
lote a votade dos licitantes.
HOJE. 'Al
Precisa-se de urna mulher que saiba engommar
para urna casa de familia : a tratar na ra da
Cadeia do Kecife n. 18, 2o andar.
Agencia de jornaesg
Rita do Crespo n. 9.
Nesta casa recebem-se assignaturas para todos
os jornaes de Europa e Brasil, politi^os, littera-
rios, Ilustrados, de leitura, de modas para senho-
ras, de ligurinos para alfaiates, cabelleireiros, cha-
liellaria, de religiao, de philosophia, de direito, de
jurisprudencia, de medicina, de pharmacia, de
commercio finangas e economa poltica, de agri-1
cultura, das artes engenharia' e architectura, de
sciencias, de historia geographia e vUgens, de pe-
dagoga, de pintura e msica, de itliojograplria, de
caga, de magnetismo, de magonnaria, de spir-
tnno, etc. As assignaturas pagam-se no acto de
subscrever.
LIVRARIA FRANCEZA.
C/D
LU
l-JZ i
-S
Hol]
~<*5.2,
IJl
I x E I
jUJ g
I n u c
I o a. -
Yai para quem podo ser insopado.
uigap) ao camaro grande qno descunra-se da
Mincha, nao esteja dando saltos para traz no dese-
jo-aiuda de entrar no exercioio pnliciaute, lein-
bec-se que de tanto saltar, de ponqueiro virou
lonco, e contenba-se neste goslo. de estar saltando
como denunciante ou qualilleante da guarda na-
cional, lembre-se qoc por mitagre de um Jos,
certo juiz de paz maniaco, que nao 6 Pit, entrn
na barriga denm.boi, e agora se e-ta vendo em
lii las para sabir/: bom ser quo fi puo saltando na
poltica do alcaeair, onde pelo manto da noite tam-
bem Silla sem mostrar o diploma de supplentede
poiiciante, c ludo- isto faz pena melbor coucei-
tar-se.
O boi de carroga.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Bao-
co do Minho, em Braga, e sobre os seguio-
tes logares em Portugal:
Lisbqa.
Porto.
Valenca.
Guimai-aes.
Coimbra.
Chaves.,
Vise*.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova deTamalico.
Lamcgo.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
LEIAM.
cr
S
> a I
S-9C
al
etsl (
" <. S
LEILAO
Do patacho laglez Ellza e a-
ne. condemnailo per inia-
vegavel. ede sen lastro de car-
vo de pedra em Cafeedello,
Parahyba.
Quarta-feira 16 do corrente com auto-
risaco do Illm. Sr. Dr.juiz do commercio
e na presenta do abaixo assignado o dos
oQciaes da alfandega, haver leilao do cas-
co do patacho inglez Eliza e Jane, naufra-
gado nosbaixose Lucena, nesta provincia,
no dia 30 do mez prximo passado e pre-
sentemente encalhado na praia do porto do
Cabedello, o navio ser vendido com todo
a sua mastreacao, vergas, vellas, cabos,
oorrentes. ancboras etc, qu tiver a bordo,
como tambem urna ranc1*P-vendendo-se em
aparado^mentt piastra de caryao de pe-
dra, constante de 41 toneladas. Ter lu-
gar o leilo na povoacSo do Cabedello as
11 horas da manhia, do dia 16, e serfei-
na ra ^ova n. 39, loja de fer-
ragens de Souza lU.iiimaries.
Os proprietarios deste oslabelecimento avisam
ao respeitavel publico que existem a; amostras dos
mais lindos fogos artillciaes para es festejos dos
dias dos gloriosos Santo Antonio, S. Joao e S. Pe-
dro, das melhores fabricas desta e idade, assim
como diversas qualidades de fogos chinezes, pro-
prios para senhoras o criangas, comprehendendo
tambem urna Rova qualidade de traques america-
noe, os quaes admira sna bondade pelo seu pe-
queo tamanho, o que s com a presenga dos com-
pradores, poderao certiticar-se da verdade.
ora sobrad reetifirado de novo e com commodos
Sara familia, em Santo Amaro n. 17, estrada de
linda ; a tratar na mesnia, ou na praca da Inda-
pendencia n. 22.__________________________
Da-se, sob qualquer quantia.oumesmo com-
pra-se ou alnga-se urna negrinha que sirva para
andar com urna criinga : na ra do Padre Fio-
fiano n. 71, *> andar.
Arrenda-so um engenho perto desta cioade,
ou de alguma das estacoes da estrafla de ferro de
$. Francisco, que seja d'agoa e com boas trras,
paga-se l>em : a tratar a ra do Hospicio p. 48.
Coztnheiro
Precisa-se de um bom cozinheiro : na raa
Crespo n. 7, 1" andar.
*
Em urna casa de familia, a ra estreita
do Rosario n. 35 Io andar, fornecese come-
dorias para fra, mandando-se levar as
casas que nao tiverem portador, e garan-
tindo-se o aceio, promptidao o commodida-
d no prego, portanto convida-se aos Srs.
estudantes e negociantes a honrar-nos com
as suas assignaturas.
w.
S a 2
/ teresse,
No pateo ao Tergo n. 31, loja, precisa-se de 500
a 600#, dando-se por garanta urna parto do um
engenho : quem qmzer podo tratar na mesma loja
com o Sr. Paes Brrelo.
Na padaria allemaa, ra, do Lima ns. 2 c 4'
em Santo Amaro, preoisa-se alugar um negro e
urna negra
Elle um preventivo seguro e certo contra
a calvice,
Elle d e restaura forra e sanidade a pelle
da cabera,
Elle de prompto fazcessara queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e posico que se deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele fazerescer os cabellos bastse com-
pridos,
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa,
Elle previne os cabellos de se tomarem
brancos,
Elle consena a cabeca n'um estado de fso.i
cura refrigerante e agradavel,
Elle nao demaziadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro desagra-
davel,
Elle o melhor e o mais aprasiyel artigo
para a boa conservaco e arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
iSenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
O C\BELLO.
Tonteo Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, I. da C. Bravo C. P. Maurer
& C, M. Barbosa, Rartholomeu de C, e em
todas as princlpaes lojas de pe-fumarias
e boticas,
1!
RIJA
IDO
esquina
Ida raa larga do
i
Rosario.
KCA
AO ANNEL DE 0UR0 CMW
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm sortiment sem ignal, esquina
e vende por prepos que nenhnma ontra casa pode vender. Lft rua j^m a
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.l
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele- Rosario. ^
vados. *
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
I



Dkfi de Peruanibuco Segunda eira 14 de Junho de 1869.
*+.

xc
commhm;(;
DO \
I 4 II I A' OIjIXDA.
Por ordein da di rectora sao convidados
os Srs. accionistas effctuarem no praz"
de V dias (a contar do i" de junlio de
1869) a segunda prestaco de suas accoes
na razSo de 10 0/0. Para esse fim ser
encontrado o thesoureiro, desde s II ho-
ras da manhSa s 2 da tarde de todos os
dias uteis, no escriptorio da companhia
ra doComraercio n. 3, i" andar.
O art. 8 dos estatutos dispoe que o ac-
cionista que nao realisar a importancia das
prestaoSes nos prazos determinados perde-
r em favor da companhia a prcstaeao an-
teriormente paga.
- Recife, 31 de maio de 1869.
Jlieo. Just.
1 secretario
a esUuua \eiliu
Precisa-se de tun tornera para feiluc de en-
genha : a tratar na roa do Ouro n. 32, ca~a com
porto de forro.__________________
Ba-se uui conu de i vis i premio sobre by-
pothea m isas : na ra Din '
se dir quem da.
roitt n> 24, paitara
Cozinliiro.
Precisa-se de um born
ga do Rosario n. 44.___
cozinheiro : na ra lar-
|:0 rommondador Tasso.
llagar por mdico
i;o as bax;is e alaga-
; do seu sitio do Gu-
au .da, s quaes vo des-
vi Jo lieberibe at quasi
ao lugar de Agua Fra,
eomprebendendo umi grande ilha, qual
assim como as referidas barcas se pre*tam
muito a plaulacao e capim, arroz e qnal-
quer outras p tantas que percisam de trra
fresca todo o anno.
0 referido commendador nao duvida fa-
zer arrendamaato am+toMM* baga-
dos por 6 ou mesmo 9 annos, e dar um
auno de fogo morti a quem der flanea
idnea e se obrigue n rotear os mesmos..
NA UVKARIA FRANCEZA
.PARA AS reSTASDR SANTO ANTONIO, S. JOO K
S. PEDRO
A (SANA
Cotleevo de sorte; para homens e ie-
nlioras contendo mais a phrcnologia das
damas, varios jogos para sociedade, chara-.
das enigmas etc'. etc. etc., accrescentada,
mais i om o canto das mocas.
(:m volume ntidamente impreso IS000
Etcontra-s tambem. tiesta livrarJa, tm
completo sortimento do livros ft cajHoes di-
lle sollos para o mesmo diverrneuto das
familias. ___ _____________
UU DE HITE
Gymaasio Campestre
E' ao Sr. Procopio d S.oa Santiag-,
ponto deste theatro, que s deseja fallar n.
ra Direita n. 53, a negocio que nao lhe
tleve ser estranho.
^tnga e toja flo MBrMBII. 32, lita na pra-
ca da Boa wtabeleoiinealo : a tratar na ra do Alecrn.
11.30.
lllMttSMS
EMPRESTIMO
(SEM LIMITE.)
Na Iravessa da m
das (Iruzes n, % pri*
moiro andar, da-so qual-
quer quantia sobre ouro,
prala e pedras preciosas.
O dono deste estabelacimento,
competentemente autorisado peto
governo, est as condicSes de ga-
rantir a transaeco que se iizer em
sua casa, prometiendo todo o zelo
o considerado s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhanles.
rrrntii
N'ESTA ANTIGA E CREP1TATA
FABRICA
HCftlTU SI CMITilTllIRTI 161 CfllPLlIO SI1TI1ISTI ll
CI1P1M BE SOL:
De todas as qualidades I
De todo os feitios I
De todas os presos I
RA DO CRESPO N 4
Vil
Xarope de Fedegoso, do Pinto.;
E' de urna eficacia verdaderamente ma-! precira-se
ravi'hosa como calmante dosysteafl ierio- mulfeHivreeeem Bino
80 e applioado contra a paralisia, asthma, -
tosse convulsa ou coqueluche, tosse recen-
tes ou antigs sufocaWies, catarrhos broa
cincos etc. e a final contra todos os solfri-
racntos das vas respiratorias, na pbtisi-
ci pulmonar, sua virtude* contra o ttano
ou espasmos, e convulces incontestavel
e ninguem ha que o desconheca.
M DESCOBR1MKNTO ESPANTOSO!
t Itlm. Sr. Joaqmm d'.lmenla Piuto. Criado
Braga, i' le jaueiro de 1868. Meu
de una ama Je leitc. prefcre-se a
Ba ra das Gruzeau.
| Em casa de THEODORO CHRIST1-
N'SEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se
efectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, Bountogne e do Rheno.
Prcdsa-sc 6e
n. 31.
i
uina aiaa: na roa to Fogo
Na typographia do Uberol, n. 18, ra j
do Imperador, existem folhetos impressos
contemlo o programmado ceutro-liberal,
os qua.s se vendem commodamente.
ruatetla n. :>7, sobrado de dous andares.
Precisa-M de ura criailo fiel c diligente, livra ou
amigo, aqui cheguei com alguma motilo- ese^pvurpara urna casa de familia : a tratar na
ra; depois de ter tomado tres garrafas
do seu preparadoXoroaK de Fedegoso -
isto pelo mar, porque logo que ebe-
guei em Lisboa, princpiei com mais f
a tomar o dito iarope, por conhecer pelo
mar que elle fa/.ia grande beneficio, pois
avista da grande quanlniade desando.'
que eu botava pela bocea, vi queme hia
desapparicendo com rapidez, depois que
contintiei a milagroso fiii para uiiuha molestia que
hojeme acho de todo reslabelecido, e at
mesmo bastante, nutrido, e por issopiide
Vmc. fazer sciele ao publico o milagro
Na ra Drreila n. 5, luja de t'unileiro, ou no
povoado dos SfonK's, precisa o nbaixo assi^nado
entenderle com o Sr. Maniul Cajisto de Sonza a
negocio de a teresse ; w ikj pi-aso de tres
Recif I8de maio de 169.
Pudro -DiKirfe Rodrigues F.ranra.
Hiecisa',-6 deuiua ama forra nu c;i|>tiva pa-
ra cosiBhar e n. o.
NOVIDADE
U abaixo assijwu purtioifia ao respeilyel
publico e com es|v,'cialiflaJe ao-coi^o comniereial,
i|iio teudo !; n :i';.i-se para a Furopa a aegocio
.: t.flnpwarismeiifc deixa na gerencia do seu asta-
beldeiineato sito a ra da Cadeia n. 'i^, o seu cu-
uhado o >''. 'i;'!"-; Frese 3 o Si'. Leonardo Anto-
nio do'F.spiriU) Santo Furto, c iiapetenteinenWau-
toriyados e habilitaos gara e*io fim. do ji-se
IM.irtanto a's seos autijo- j ir^ioz^ -: conti-
uuetn a dispen-ar a iii;-nv coufian-M, .jm-*.|ur
seinpic se dignaran Imurn-lo. cario de (iit> suas
ordans serlo exe^-utadas eoui ...o e actyiUado.
*-an:cj H. Caris.
Trocam-se
4 totas do banco do Brasil e das oaixas filiae,
jta descont muito razoavel : na iraca da Inde-
pendencia n. 22.
COMPANHIA PERNAMBCAM
Ha multa necessidade de se fallar com o Sr.
froeopio de .Sonta Santiago, na ra Direita n. 5.1,
a negocio que Nao lhe deve ser estranho.
Auba-ae fgida ha oitu mejas a preta aa-
erava, de^acao, de nomo Maria.com 40 annos de
idde, l.aixa e cor fufa, artista que diz ser forra, e
anda vendendo na fregueza da Boa-Vista, com
una bandeja pintada de encarnado, com que
fog : gratjflca-M hem a quem a apprehcnder e
leva-la a ra Imperial n. 103.
Joaquim Ferreira dos Santos, profe-
sor de danca, chegado ltimamente da Eu-
ropa a esta provincia, tcm a lionra de par-
ticipar a seus Ilustres habitantes, e mu
principalmente nos dignos chefes de familias
que h-cciona em dama debaixo de toda a
regia na casa de sua residencia, ra do
Imperador n. 75 2C andar, as tercas, e
quiiUs-feiras, das 3 horas da tarde, at s
10 da noute, e aos domingos do manhaa %,
a nouie. l'romptilicando-se lambem, a ir
as casas particulares e collegios nos dias
que f.ara isso lhe designaren!.
11 \\n\\
viu... m*ci soiouu; "iMiiui ^^ PBl.lica-seduas taes pprmcz
que o seu preparado obrou na miima en- j ivr-ios acadmica e.\ nomica, e nosta tvpagra-
llasii'ado aeadoiuica,
e asignasq as
, iiosta typigia-
a, a razio de 1 $ mensaej, entrega do prjpiei- i
innero.
MARTIMOS
. I'ermidade. Sem lempo para mais, sou I phi
De Vm. ">
Amigo atiento venerador e muito obrigadn
Manoel Jos Gontakuto iV/iiVa.
i Ilhn. Sr.Joayuim tTAlmeta Pinto.- -
' Ha muito que ouvia proclamar aseitCftl-
i icoles pwpriedades do Xaraf* d" Fede-
f/osc contra a to*e e asthma, sonrendo
( eu do urna toiOO, pertiuaz, e tendo usado
.( detodaasorte lemcilicamontos, valime
- pois Jo Xaro,,: de [*^J^&* i lt*a prafa t.
rala smente fot bastante para restabe- _
lecer-me, e me vejo to robusto como
d'aates; suecumbiria de certo a nao ter
usado do Xaro/te de Fedegoso.
A' vista disto nao lenho expressoes
com que exprim a V. S. a gratide de
* que lhe devedor o de V. S. atiento
venerador e criado
.ho da Cosa Reg.
Illm. Sr. joaquim d'Mmeida Piulo.
Tenho a ventura de communicar a V. S.
que gracas ao niaravilhoso Xarope de
Fedegos'i, eston com o mcu escravo Jor-
ge completamente restabelecido da mo-
COMTRlFOdiO.
Companhia Indemnisadora, estabelecida
navios e seus cartegsmentos e contra fogo
em edificios, mercaorias e mobilias: a
ra do Vigario n. 4, pavimento terreo. .
Para bulles e partidas.
Ricos cortesde tarlatana com florprateada.
Ditos ditus com listas assetinadas de
todas as cores.
Ditos bordados a seda fazenda iuteira-
mente o o mclhur ijue se possa doMjar, s
na loja do Papo iua do Crespo n. 7 es-
quina da ra do Imperador.
LUYAS. DE PELUCA
Reccbe-se por todos os paquetes lavas
de pellica do afamado Jouvin, brancas e de
cores para euhoras e homens, na loja do
Paco a ra do Crespo n. 7 esquina da rna
do Imperador.
RICOS CORTES DE SEDA
O que lem vindo d*mi4lhor ao mercado
assim como ricos cf tes-de blond de seda
!|i:ua casamento, l'ara o mesmo lini temos
gorguro blanco, moicanlique, capellas e
; maula de blond, ludo do inelhor que os
I concurrentes possa dezejar. No mesmo
eslaljclei-imeiito, se oucouli'a un completo
sortimento de outras muitas faiendas de
pliatilasia para grandes toilels e uso onlina-
' rio. Digne-se o resp itavel puutico, fazer
algumas visitas a este, cstabelecimento e se
coini'ser que em vista do agrado, da boa
qualidade das fazendas e da mocidade dos
precos, n5o possivel deixar de comprar,
assim se espres.uido esperara ser attendidos
os (Joos desle importante estabelecimento,
ra do Crespo n. 7 esquina da ra do
Imperador.
i ovsi ano de iiiki:c ^ \o
Os Senhores.---Saunders Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonio de Siqueira.
r.KRE\TE
0 SR. F. P. B0ROF8
Restando ainda emittir algumas aeces d'esta companhia, da quantia nomraal de
*O0*O00_cada urna, das quaes s se aceitam em virtode da le, 20 /0, ou iOfjOOO por
cada aeco; convida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos'Srs.
capitalistas c inleressados no commercio, que queiram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a snbsorever o numero de acetos que Ibes approuvcr.
Algumas destas accoes j tcm sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
de na presente occasiSo (conhecidamente a melhor), ompiogarem o dinheiro de que
poderem dispr era objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ibes garan-
tam seus capitaes.
A companhia possue boje 10 vapores, 0 inteiramente novos, e destes o ultimo est
t chegar ae Inglaterra, onde foi construido expressamento para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno quo possue no largo d'As-
sembla. r
Seus dividendos tcm sido de 10 % ao auno, nos uliinos % annos.
As ac<8es que se emittirem gozam dos mesmos dipeitos, c perceberao o beneficio
dos mesmos dividendos que os antigos em proposito da entrada.
Rccebem-se assignaturas no escriptorio da coaivanhia no seu edificio ao eaes da
Asembfa n. 12
COMPRAS.
Compra-se
ouro o prata e pedras preciosas, no arco
da Con:eico, na loja de ourives, no Re-
cife.
Vendomse dous bonilos escravo, om mo-
lwpie de annos, bom cozinheiro, e um cabri-
nha do 10 annos no terceiro andar do sobrado
n. 36 da ra das Cruzes.
Compra-se moedas de ouro e prata, bem
como libras sterlinas por raaior prego que
emoutra parte: na ruado Crespo n. 16
primeiro andar.
En casa de Tbeodoro Simn .4 C.
compra se a; bom premio moedas de prata
do runho velho: Recife, largo do Corpo
San o n. 2tJ
Ama
i-a i
-Xa praca! da Independencia n. 33, loja de ou-
rives, compra-^oonro, prata, e pedras preciosas, e
tambem se faziqualquer obra de encommenda, e
iodo e qualquen concert.
bem que V. S. acaba de fazer-me e >.u-
ja recordaco Mear internada no cora
t rao do
De V. S.
Attento venerador e criado
Betto Joaquim Gomes.
i lllm, Sr. Jxt/Uin d'Almeida vinto.
Cump indo um dever de gratido, parti-
c'po a V. S. que pormeio do seu aben-
road' Xarope de Fedegoso, est perfeita-
ttente restabelecido dos seus longos scf-
1 rimen tos o raeu escravo.
a Como sabe, este meu escravo nha
chegado ao estado mais afflictivo da mo-
lestia de pulmes: nao obstante um nao
interrompido uso de remedios, e urna
demorada viagemau uosso serto.
Pois bem; aenforraidade, que seha-
via tornado rebelde a todos os nveios
empregados pan combate-la, cedeu de
urna maneira quasi milagrosa, a qualro
garrafas, apenas, lo seu fedegoso.
Hoje, gracas a Deus, tenho o meu es-
cravo restabel.'.cit'io ; e nao fcil mos-
trar todo o 'coiiliecnclito que sinto pelo
bem que V. S. me iciba de fa:er.
Sou de V. S.
Criada agradecida
Mara Norberta Scheffer. J
Precisarse de urna ama para cozmhar : na raa
j do Crespo 20. ___________|
Sociedade beuelcene esrodo
e Amor da Onlem.
Manda resar ama missa no da il do corrente
niez, s 7 horas da manliaa, Ba igreja matriz de
Santo Antonio,'por alma da Exma. Sra. D. Maria
toaqina da Conceico, rali de seu consocio J. L.
Lopes da Silva, e convida familia e parentes da
mesma Exma. senhora, bem como aos mais con-
socios para a ella assistirem.___________^__
Ainda restara algumas collecces de
Biograptiias de alguns poetas, e outros ho-
mens Ilustres da provincia de Pernambuco,
tres tornos escriptos pelo commendador A.
J. de Mello : ra Augusta n. 94.__________
No escriptorio de Domingos A lves
EmS. JosedoMansuinho, sitien.:, ../.es da Matheus, -roa do Vigario n. 21, ha urna
greja, precfcarfe de duas amas, urna u: sej^boa \ carta para ser entregue, em mfc propria, ao
Maria Joaquina d"01i*'er3 Campo?, tendo de
mandar celebrar algunu.s missas pelo eterno re-
pouso d'altna do seu semprc chorado os>oso Bcr-
nardino Francisco d'Azevedo Cnnipos,, per occa-
siao do l." anniversai'iu do s;u faUecimcnto, no
da ti do corrente ; vem por isso convidar o pe-
festia dos pulmes que ha tanto tempo ol'ir il 5 prenlos e amigos do mesmo Bna-
r do, o caridoso obsequio 'Jo a.->s:stirem' as mesmas
pers<,uid. | mJsas qUe jg,.^ celebradas no indicado dia, das
Acceite V. b. esta inmha declaraeao, 4 as 8 horas da manhaa, ua venertvel .irdem 3.a
como prova donieu reconhecimento pelo i do Cacm; por enjo faver desde jaaiecipa sua
gratido e reoonuecinieuto 4 aquellas pessoas que
si' dignares comparecer a lao po acto.
de jiinlio de 18o'.).
Recife, 10
V
.ngoiiin.adeira
familia ; paga-
e uutra eczinheira, pira
bem agradando.
Uaico deposito, ra larga do Rosario n.
10, junto ao quartel do polica, Pernambu-
co.
Continuadamente se nos apresentam no-j
vos tcsteraunhos da eflicacia do fedegoso j
Pernambuco.
,'3qtena
____i
No dia Sf de jaueiro do aano prximaas-
sado fogie do engenlw Sapucaii, sito na fregfezia
de Sauto Amaro de J.ibeatao, o escravo Maaoel,
pardo aeaboirlado, de 22 irnos de idade, peuco
mais ou monos, altura regular, sem barba, un
pouco elwio do corpo, cabellos da cabeca Crasci-
dos c corridos, ps grandes, j1i.s momia carralcu-
da, falta arrebatada, no iinr *n*fhM" 3 cabeca
para diantc. toca viola o canta, e tem o otBcio de
carreiro. Foi comprado n.i Villa Delta, '.omarca
de Paje, donde naiur3i, :m marco de 1851, a
Jo^irna Maria da Cruz : quem capturar ou apre-
sentar o dito escravo ao propietario do dito on-
genho, ou ao Barao da Soletada, nesta oidade, ser
generosamente recompensado.
Illm. Sr. Br. Luiz Jos Con-af>lo S, viuda
da Baha.
a flok no runo
Da-se l:000 a prendo com hypotheca em
bens de dohrado vaier nesla cidade ;' na ra No-
va, loja de ferragens n. 31.
Precisase de nm eaeim do 14 a H waosfH
de idade, com praticii de tal>erna, e me d fiador
a sua conducta : na na Imperial n. W7.
l'recisa-se de um iri>ai!iaUtf
na ra do Bangel n. 9.
de padarta"
e
i
-
o
I
'm
4.
AVISO AOS APRECIADORES
DA BOA Fl'MACA
------DA FLOR DO FL'MO------
Acabara de chegar novas
remessas de fum picado,
e cigarros especiaes do
tabqco do serto do Para
c Amazonas preparado por
Jos Julio Sampaio Pires,
(do Para), premiado na
exposicao nacional; vnde-
se em seu nico deposito
em Pernambuco, praca da
Independencia n. 39, kija
de Porto de Bastos.
5
O
BB
9
e
Jt& ruaDireila nTjE
obrcias muito em coota. '
vontom-se ho^as e
Preeisa-ae de um amassador bom, e que en-
tenda de forno : a tratar na roa Jas Cinco Tontas
huuj ro 81
O abaixo assignado, mora na jua
Nova n. 57, i 33 anuos, e bemeonhecido
nao s nesta cidade, omo fura della, por
tanto se o Sr. Manye! Joaquim de Aratijo
tcm algum negocio com otte, j sabe ond.p
pode achar a qualquer hora que o pro-
cure.
Antonio Bomugos Pinto.
O conselheiro Joao Silveira de Sou-
za, tem aborto o seu escriptorio de
advogado, na ra do imperador %
il primeiro andar ; entrada pelo
boceo.
f iinaaHKtfjHMgaaga^^a^ m
Purtaram no sabbado, 12 do corrente, por
volta de 1 1|2 lura da tarde, da ra da Praia, um
cavallo castanbo amarcllo, com os ignaes seguin
tea : castrado, de tamsnho grande, tem os qua-
tro ps calcados do branco, obra do 4 dedos, lem
o 9 a 10 aanos, tem a cauda cuita e rapada de
taca, nafego do quarto esquerdo, tcm urna meta
Cinta de burro na anea, umbigudo ; quem o
pegar leve-o rea da Praia n. 43, taberna de Ge-
uno Jos da Roa, que ser recompensado.
Resta venda um e-colhido sortimento ale ob-
ec.K do marcinejia, como sojam, mobilias de ia-
ran4,iogao8aniaeijn, "bi MaeioWeWtraii.
getn, de apurado gosto e iwr pr ta iua ostreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
a.sa faxem-sacom perfeicao todos os trabaflios 4
lalhinha, como sejam, ompilhaiwiiitos de lastros
jara camas, cadeiras e sophas.
Jk FU DO FUMO
Precisa-so de urna ama
para a casa de familia, a
Queimado n. 69.
forra ou escrava,
tratar na ruado
l'recisa-se de urna pessoa escrava para ven-
der doce, pagando-oe inensalmente ou por von-
4agera : a tratar na roa da Santa Croa n. 12.
0 muzeo do joias
Na ra do Ckbog n. 4 rompra-se ouro, prala
e pedras preciokaa por precos mais vantajosos do
|U'* em outra qualquer parte._______'
obro e m
Compra-se moedas de ouro c prata e
bem como lipras sterlinas, na ra do Ca-
bug n. 9, rtjlojoaria.
Jl
I>E
OirifO E PRATA.
Compram-se,! offerecendo-se muito maior van-
tagem ao vendedor: no Goracao de Ooro n. 21,
ra du Cabug.
VENDAS.
15-ra da Imperatriz15
CONFEITARIA E CAFE FRANCEZ
NORfETE DE C/REJUE
TODAS AS QUINTAS-FEIRAS DOMINGOS
Caf, eb, chocolate e boloe to^s os dias dcs da Bianhaa.
As econmicas e importantes machinas para
cortar Machas de todos os tamanhos : sempre
venda na ra Direita n. 84.
Uoh
Aluga-se
..a greta escore para tomar cona de 0,111 ta-
leiro d fEendas e vender na roa : a tratar na
5
ra do Crespo n. 2a
Precisa-se
Fundpao da Aurora.
Neste vasto cstabelociaaeate sempre se enjjoar
um completo sortimento do bijsao de tero batido
e fundido, fabricadas receitamento, e se &kricaa
do qualquer molde a vontac'ie dos compradoreiT
reos raipoaveis. ^
de um moco que tenfca conhecimeato do jrabamo
de MdarU ; para iBoxnacSes, m ra da "Cruz >v
18, das 10 a 4 tioras da tarde.
Perdeu-se, no dia 9 do corrente, um
mosaico, deforma oval, representando um
ramo de flores obro pedea, prota, de boto
de punhb: juem o tiver aaiadii o qufzer
raataUii lufctf a favor do dirigir-so roa
n......hw n *"_________^_^____
Preen Re de urna boa ama d leit sem fl-
lbo: inloniia-se sa ra Avgusu 9.99.
Frederico Maia
Cirargle dentina pela escola
de Medicina
da Rio de Jaueiro.
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
co desta capital e seus s uburbios, quo tem aberto o
seu gabinete de consultas o opera^oee dentarias a,
ra Direita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
rocurado todos 03 dis das 8 horas da manla as
da tarde. Ene acka-se competestfemento habili-
tado para com prfeicocoUocr deatee artificia*
por quaiouerdos systemas, e bem assim desempe-
abar qoalquor outro ttabalho eoneernente 4 ana
prossao. 0 mesmo, reconhecendo que nem sem-
preepoestvetseokora m criancas sahirem a
proeni aro remed, offereeo-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade sw prec-
iar a qualquer chamado sem que isso mica mm*
ilguma na comraodidade dos precos de seus traba-
mos, e miando para fora della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantino olle a
Jgurancae pertejcao de seus dito trabamos. Em
sea gabiaeteso eacitrar constaotemento exce-
lente pos dentifrieio, eliiir e outros medicainen-
iob ooMtalgieoa: raa 9m*n a U, 1
andar.
Vende-se em casa de Oliveira
Filhos & C, largo do Corpo
Santo n. 19
Libras esterlinas.
Yinlio moscatel de Setubal.
Potassa da Russia, em barris e meios
ditos.
Carvo animal de superior qualidade.
Panno de aigodao da fabrica de Fernao
Velho, para saceos e roupas de escravo*.
JoaoJoJF* FerrirdeAguiar, Si
MB^e aosenlar-se desta cidade por
algum jampo, deixa incumbidos de suas
cus^ oescnptoTlo os Srs. Drs. ^Vntero
Manoel do Medeiros Furtado e Juo Au-
gusto da Gunha Guimaraes, devendo a
correspondencia ser dirigida este ulti-
mo, na do Imperador n. 75, primeiro
andar.
Taberna
Vendc.-se a liberna da ruada Concordia n. '.'.
a qual esla bou alreguczada eteai poneos fundos
propria para aluiu principiante ; e motivo da
venda dir-se-ha ao iwetendent em particular : a
tratar na Ponte-Velha n. 14 das 6 as 9 da ma-
niiiia o desta hora em dianto n'ecta typopraphia
JaUUis
liapOomgo :ia ruada Madre do Deosn. 7.
Gigos eouiJiS libras, muito boas.
Arantes na praca da Indepen-
da vende.icebto
Botinas inglezas para homem a 8000.
dem ideni para >enlinras a (000.
dem de cores canto baixo para menina a 3"i
dem inglezas de conro para ineuino a 3f0.
dem aiuaattnas >ara meninas a 3^000.
Socos de romo para meninos a I000.
Diversos sapatos para creanca a I000.
Itotinas de duraque pela para senhora a X j'*"'
'terrenos vemia
Juvine R'wdeira vende a rttafho os lelrenos
com trezentos e lautos prUmos de fundo, ritos na
ra da Concordia, c na nova ra que fica por de-
traz desta : para informacoes, na ra do Crespo
n^lK_________________________________
d
E' um lindo o inaofensivo fogo de artificio, pe.
sua qualidade, quasi iuipo>sivel rebenlar, s se
for feito per quem nao souber: garanMmos os que
se fabricara na artiga fabrica da estrada de Joao
de Barros, da viuva Itulino, e as encommend.'is
para os que se fazem em dita fabrica, recebem-se
no armazem da bola amarella, no oitao da secre-
tara de polica.
AVISO
aos amantes do quec hoin
Na bem conhecida casa da abobada da Penha n.
37. continua-se a fornecr inassas para bolos de S.
Joao, ^ Pedro e Sant'Anna, com rauita limpeza
perfelcao.
Precit a-se de urna ama
B.M.
na roa de Hortas
Ama delwl
Precisa-se de urna ama de leite: na raa Nova
a. o^Jr'aoar,
Vende-se um piano de Jacaranda em bom
estado, de armario : na ra do Padre Floriano d
71, 2" andar.____________________________
lasst batida.
Vajdvino da plvora vende boa massa para fog
a 720 rs. a libra, assim como boas pistolas : no
seu armazem de safc na ru oo alem da fabrica de sabia.
Vende se urna casa em mo estado, na cida-
de de Olinda, ra de S. Joao ; a tratar na roa
Augusta n. 79. ^_________
Batatas barates.
Vendem-se a 800 rs. o gis/o : na iravessa da
Madre de fteos a. 16. _
Veude-se urna taberna com poucos fa
na ra do Pilar n. 56 : a tratar na mesma.___
Vendem-se dpa ^Wwtts vaecas de hit
com crias, e chegadas ha tres (Has do matav bm-
prias para sitio perto da cidade : quem pretntder
dirij-se ra Formosa p. 9. que as encontrad-
FogaJah* ehlaeBM mrUefTm
para nelies de Saai .4aia#
S. Joio
Acaba de chegar grande sortimento dos mais
interassantes fuguinhos chinozes e de bengajf*ar-
nficim's, propros para meninos soltarem dentro
9b salas, sem queimar ou offendar p-ir seraafa-
bricaios especialmente para divertimenia de
no armazem do vapor france^ raa
crianeas k
Nova n. 7.
Vende-se salitre refinado a $4 a arroba
roa do Queimado a. 90, loja da farrafens.
J
1.
i

i
* i
&
na



i
\
Diario de Pernmbuco Segunda feira 14 de Junho de 1869.
/
/
3 cordeiro providente
Rna do Uncinado n. i.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alia djo completo sortiraento de perfu-
maras, deque efectivamente e*t prvidas
loja do Cordeiro Pi-evidente, ella acaba de
receber una outro sortimento que se torna
tnotavel pela variedade de objectos, superiori-
ade, quafidades e oammodidades de pre-
s; assim, pois, o Cordeiro Providente pede
e (espera continuar a merecer a apreciacao
do resptavel publico em geral e de sua
boa freguezia om particular, nao se afas-
talndo ello de sua bem conliecida mansidao
e Wateza. Em dita, loja encontrarlo os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadaira de Murraydc Laminan,
i. Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
aeza, todas dos melheres e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentriicia.
Dita de flor de larangeiraa.
,Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odoatalgico para conservacSo do
aseeio da bocea.
/Cosmetiques de superior qualidade e ehei-
roe agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, cm
pomada (iua para cabello
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos ingieres, americanos .e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino cagradavel chei-
rojde violeta.
Dutras concentradas c de ebeiros igual-
mente unas e agradareis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escomidos che ros, em frascos de diffe-
rentestamauhos!
Sabonetes e:n barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos em figu-
ras de meninos.
Ditos muito unos era caixinba para barba.
ICaixinhas coin bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
QUE SE LIQUIDAM
A 0INHE1R0 NA LOJA E ARMAZEM
DO ^

3aoa m aiai?aiaaTiaiiaa. a
DE
FLIX. PEREIRi DA SILVA.
proprietario d'este estabeiecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se do grande sortimento que tem de fazendas, tanto da moda como ie
lei, assim como de um grande sortimento de roupas para homens o meninos, e as
pessoas que negociam em pequea escala, tanto da praca como do mat*, esta casa
podero fazer os sens sortimentos em pequeas ou grandes porcoes, venden io-se-lhes
pelos precos que se compram as casas inglezas ; assim como as excellentissimas fami-
ias, poderao mandar bascar as amostras de todas as fazendas, ou se Ihe as mandam
evar em suas casas pelos caixeiros d^este estabeiecimento, que se arha aberto con-
9 da noute. .--
Casemiras da moda
ak ,
liOJ 4 DO I'A% lO
Chegou pelo ultimo vapor francez, um
grande o verdadeiro snrttmenl") das mais
modernas e mais linas casemiras para cal-
cas, paletols e coletos, tendo*lisas, com lis-
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os presos, e alianra-se vcnderein-se muito
stantemente desde s 0 horas da manhaa s
Explendido sortimento de
Alpacas tarradas de cores a 50
Alpacas a 560 Alpacas a 560
Alpacas de cores
Na loja do PavJo a ra da Imperatriz n.
60, vende-so une poucos de mil covad is
das mais lindas e modernas alpacas lavrada.-
i'miu as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo ,nie ellas ; ul, ivrio, roxo, cor' mais barato do que m oqtra qualquer par-
de caima, verde clara etc. e os lavrores
muito miudinbos aesentadoS' em ama so
ote; para so poder ntalbar esta fazenda
pelo barate preeo de -'i30 rs. o covado, foi
preciso i'.izer-se una grande compra desle
artigo, o qoal grande pechincha.
los dez mil corados de cassas
franeczas
Covado a 300 Covado a 300
Ojv.klo.i300
Covado a 3O0 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-so na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. CO urna grande quantidade de
mil covados das memores casas franeexas
Ditas da papcHto igualmente bonitas, tam- liara vestidos, tendo pidroes miudos c gra-
Lqm de peiuuiaiias linas. .dos, asseutados em todas as cores, estas
'Bonitos vasos de metal coloridos, c de
moldes novas e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composic5o de
ceiro, e por isso o mais proprio para crton-
ts.
Opiata inglnza e franceza para dentes.
Pos de campliora e outras diicrcntes
qualidades tamben) para dentes.
Tnico oriental de Iveuip.
Ainda mais coques.
Um onlro sjitifi.'nto de caques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vklrilhos
e alguns d'ees ornados de flores e fitas,
estao todos expostos a apreciacao de quem
os pretenda comprar.
GQLLINliAS E PUNUOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Flvellas c fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de tacs objec-
tos, fieando a boa esculla ao gosto do com-
prador.
FLOUES FINAS.-
O que de mellior se pede encontrar neste
genero, sohresaliindo es delicados ramos
orvalhados para coques.
cassas sao prpraoac'e frncelas, tendo
IrausMijeatcs C tapadas, com lano corpo
qusl como n chita, o alm dos padroes
seren muito bonitos, so todos fios e seria
ia/enda para muito mais diabeiro, mas re-
taHia-s a SOO rs. o co'.ado.
le, assim como das mesmas se manda fa-
zer qualquer peca de obra, a vontade do
freguez, para o que tem um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitots
a me 205000.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porejo de pa-
litots sobrtcasacados, e propriamente so-
brecasacos de panno preln, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de I8)5, sendo forrados de alpaca, e de
20t> forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter comprado urna grande compra, seria
para muito mais dinh-eiro, partan li esta peehiochu pelos precos cima.
Laziuhas a 34> r>.
Vendem-se lazinbas para vestidos e rou-
pas de meninos, sendo lo cncorpadas
comoebitas, pelo barato prc?o de 2i0 rs.
o covado.
POPEL1NAS A OO RS. O COVADO.
Na loja do Pav'io, na ra da Imperatriz
Espartkos a SjMHM oa loja do ^- 00, vende-se um grande sortimento das
>.-tv.:tA mais lindas poupelias ou lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos
Vinho degestivo de
chassaing
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por cxccllencia para cura certa
-Jas digestes dificeis e completas, acalmar
as dores gastralgias, e reparar asforcas
produzird urna assimulaco completa des
imentas; sendo mais nm excerlent tnico.
PHARM.VCIA' E DROG.\RLV
DE
Barhelomeii fc c.
34RA LARGA DO ROSARIO34
Libras esterlinas,
Hecife, n. 58.
na ra da Cadeia do
n. 26.
Ruado Livi'aniento
Cambraias de elleftaates padroes, modernas, a
'tOO rs.o cavada__________________________
FUNDICAO DO BOWMAN
l&ua do Ilriiau ai. ftt.
PASSANDO O CHAFARIZ
Tem sempre deposito de todo o macbinis-
Paviio
Vende-se urna grand; porco do esparti-
lhos modernos com o competente cord2o,
tendo sortimento de todos es taannos, -e
vendem-se a 3 cada um.
MADAPOLO ENFESTADO A 3$600, S
NO PAVO
Vendem-se pecas de madapolo enfestado
coa l jardas, seiulo muito iucorpado pelo
barato pceo de 3(O> ris, assim cerno
pecas de algodlosinlio-com 10 jardas
45300 c ojOOO ret.
ALPACAS LAVRADAS COM LISTAS A .*00
RS. S O PAVAO VENDE
Covado a 300 rs.
Covado a 300 rs.
Covado 1500 rs.
Covado a 509 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Na loja do Pavo -ua da Imperatriz n.
00 vendo-so urna granile porcao de alpacas
lavradas con os mais 'idos pa*eS listra-
dos o com flores mateadas, sendo este ar-
tigo urna grande pechincba, per se terem
comprado amas pouca de cauas e vende-se
pelo barato preeo do.500 rs. o covado.
PELERINAS DE CROrj A 8& 10*000
E 12O0O
i iegaram para a Io,;a do Pavo as mais
modernas e mais bonitas romoiras ou pele-
rinas de lil e ciocb que se vendeiu a 8 e
m 0 *;>.
PKKC.IJjEjA*
A pataca o covulo
PERCALLAS A 320 RS.
A06DEZM1L COVADOS
PERCALLAS A 320 RS.
Na loja do Pavo rna da Imperatriz n.
1GO. vente-se urna grarde porcSo de per-
| calas francozas proprias para vestido?, sen-
do de cores Rxas e mais larga que as chi-
tas, tendo os pannos muito encorpados e
com os desenlies ma s bonitos que tem
viudo aq mercado, tcr. do padroes miados e

----------
lili
11-RA DO QEINADO-11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com mnnta e eapella para novas, qu
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outfa parte.
SAHIDAS DE BAILEde cachemira branca c de cores o que ha de mais lindo.
BASQUINESde ronda preta, e de gorguro preto, o que ha de mais
elegante. +
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALESbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e saias de 19a com barras de cor.
GORGUROde seda braaco e preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
ranco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas pretas,
alpacas de umitas cores, e lindos cortinados bordados.
^ 60 QEiMAO^'
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de Guis-
Encanamento de agoa
e gz.
Vaos le ferro eslanhado e com porcolana, dilos
de chumbo Pesos pelo ov sistema
Ternas do novns peOf etmiplelas o a relaHw .
venda, ra do Queftnado, Azovedo & Irni5o.
XAHOPE PEITOHAL
RABA TAT
PLANTA DO BRASIL
E expectorante e recommendado as
affecges do peito, bronchite ebronica, he-
moptise, e losse ebronica.
PREPARADO POR
JOAOTTM DE ALME1DA PINTO
PIIVRMACEl'TICO
Pernambuco rita lar ya do Rosario1.. O.
I
AQfpti
,n. 4?.
Ul J
F. do Oliveira 4 C-r'
lain
no uiaprecado a agricultura da provincia, grados e vende-se pelo baratissimo pre?o
cutre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
algodo.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de canna.
Rodas dentadas, para animes, agoa e
iap>r.
Tixas de ferro, batido fundido e de
*re.
Alambiques.
Atados e instrumentos d'agrieultura.
Descarocadores d'algodo etc. etc.
Havendo em ludo variedade de tamanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empiegar.
de 30 rs. o cavado, garantid(vse estar esta
fazenda ew iierfeito estado, e vendendj-se
por este baratissimo pre$q para apurar di-
nheiro.
BRAMANTE PARA LLIfOOES 09M 10
PALMOS BE LARGURA A Ii$800
Chegou para a laja ,1a Pavlo, raa da
Imperatriz n. 60, ama grande porcao de
p*cas de bramante cora 10 palmos de lar-
gura, sendo a largara da fazenda o curapri-
mento de um lencol, o qual se faz com um
metro e urna quarta, -t para cama do casal,
eom um metro e meio; o vende-se pelo
barato preeo de 1&800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, oulras umitas ap-
ile molhatlos, uo armazem da roa
Novan. 60.
QUEOS
No armazem di ra Nova n. 60 ha para vender,
as Mgaintes qualidade* :
QHJOS DE MINAS.
1BEUOS DE COAI.HA.
JEUOS DO SERTAO.
lPUOS SUISSO.
JOBIJOS ATO. -
ittMS PLAMESGOS.
ANTEiGA INGLEZA a 800 rs. a bbra. ou
ISm o to.
Mina NA M
Vetia-M manteiga in^ta* muito boa a 900 rs.,
!A.e U120 a libra, muito fina, presumo de La-
Mfo a 800 rs. a libra, carne do sertao a 360 rs.,
Ufuie* fina em latas a II a libra,- fareQo, saceo
Aeitm od Lisboa fino a 5^400: ao pateo
of Parazo a. 10.
e roupas
de crearic/is, com as mais modernas e bo-
nitas cores; padraos com listrinhas miudi-
nhas, que, se venden pelo barate preeo de
500 rs. o covado, pechincha 450c se acha
unicamento na loja de Flix Peveira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 00.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se fimssimas pecas do cambraias
lizas transparentes tanto ingletas como sais-
sas.tendo mais do vara de largura, pelos
precos de 5$000 at 4Oi!lO09 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser raaito
transparente a 10000, a \ara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz b. 60, de Fel Pe-
reira da Silva.
Cortinados
Para camas e jaacHas.
Vende-se um grande sortimento os me-
Ihorcs e maiores coronados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que-se ven-
dem a 123000 rs. cada par at ΄ rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
roupas feitas
ti\ LOJA DO PAVO A RA f>\
EMPERATRIZ N. <>0
Acla-se este gramle estabeiecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitots c colotes de' casemira,
de patino, de biiin, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compraSorcs pos-
sam desejar, assim como na nsesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer pega de obra, coma naiorpromp-
tido a vontade do freguez, o n3o sendo
obligados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu cohtento, assim como
n'esle vasto estabeiecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas i'rancezas e inglezas, ocroulas de
linho e algodao e outros nroitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe \-ender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e amazem de Flix Perei-
ra da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 5080.
Vendem-se colchas de fustae adamasca-
das para cama, pelo barato proco de H,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Fth
Perira da Sirva.
0 atoalhado do Pav5o.
Vende-se superior atoalhado de algodJo
jom 8 palmos de largura, adamascado a
02OO a vara; dito de nho fazenda muito
iuperior a 34200 a vaca ; guardanapos de
inho adamascados a 4300 a duzia e muito
inos a 8)^000, e ditos economicos.a 3if800
i duzia.
Tintura indelevel para tingir os cabellos,
sem manchar a polle.
A bem conceiluada agua-floiida Ce Guis-
lain que cntao era desjonhecida tm Per-
nambuco, j boje estimada c procurada
por seu elficaz resonado, e ainda mais se-
r, quando a noticia de seu bom cffeito e a
experiencia a tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain comporta ni-
camente do vegetaes inolTensivos, tem a
propriedade exlraordinaiia de dar zar pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem lwan-
cos, e Ibes restituir o brilfco perdido, c as-
sim como preservar de enfranquecer, sem
ser prejudicial de modo algum.
E' porcm necessario fazer conhe>;erT que
o bom resultado produrido pela agja-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas talvez supponham, miis sim ser pre-
ciso fazer 'oso d'ella, b'ez ou quatro vezes,
e logo se obter o fiw desojado, como bein
provam testemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
axito.podendo a experiencia ser feita em
iutra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ruado Queimadon.8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
Ciio de sua boa freguezia, tambem caprieba
em n5o Ih'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel oom que
ahonram, e m prova ao que tica dito, d
como exemplo o esplendido sortimento
que acaba de receber, ainda mesmo achan-
do-se bellamente provida do <[ue de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Ilaja vista aos necesserios ivros de miss
e oraco, obras de apurado gosto e perfei-
fo, sendo: com capas de uiadrc>eroa e
tocantes qadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marm igualmente
bonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros im
tando charao macbelado.
#itos com ditas de mai roquim cora cruz
e guarnido, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
finmmereio
BAZ\R UNIVERSAL
SC na XovatO
Carneiro Vianna
Neste BAZAR eMratra-se nm completo
sortimento de lodos os ai ligos ijue se \en-
dein por precos comniodos como sejam: Um
completo sortimento do machinas para cos-
tura de todos.os ystemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposc5o serviros a electos para almo-
c/> e jadiar, salvas, bandejas, laboliros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis pan
senhoras, candieiros para sala ocimadeeesa,
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
batervos, ditas para amassar farinha, ditas
Assim como.
Grande e bello sortimento de leques
todos de madceperola, madreperola c seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia ote, etc. tendo nos de sndalo alguns
com i vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Ronitas voltas grandes de aljofares azucs.
Voltas de .vrente de borracha.
Metas de .soda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, afras e
cruas para meninas e senhoras.
Lavas de fio d'Escocia, torgal, c seda
para men*M e aenhoras.
Meias d ISa para homens, mulheres e
meninos*
Gollinhas e punbos bordados obra de
muito gosto.
Entre-moios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
R OS PRODIGIOSOS
para fazer mauteiga, canm de ferro para
casados, solteiros e crianca, beivos, cadei-
ras fongaS para viagem, ditas de balauco,
espelhos de todos os tamanbos, molduras
pa:a quadros gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para criancas, um
completo sortimento de ceslinhas, oleados
para sala e n esa, tapetes para sala, quarto,
frente desopila, janella e porta, capachos do
Sparto e coco, objectos para esrriptorio e
mullos outros arligos que se eiicontraio
venda no mesmo estabeiecimento oque val o
a pen- ir examinar.
'
n
m
i\
fi
Brozeguins d- bezerro, para homens a
fi->000.
Ditos de dito cordav'.o. Aantc?, para di-
tos a 8#)00.
Ditos de dito dito, nglozes, para ditos a
lO&'OO
Ditos de dito para menino o criancas a
2000.
Botinzinhos para meninos a IcOOO.
Sapatos de couro com sallo para senho-
raa l^JOtf.
Vende-se na praca da Independa n. 39,
loja de Poilo A Bastos. ___________
Anneis o collares Royer para cranlas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas ceslinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas de vidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
Na ra da Matriz da Boa-Vi-ta n. 54, vku-
dvsefarello muiln superior a 4S8O0-
Attenco.
Vend-se o elegante estabeleciinenio de taberna
113 eMjuina da rna de Sania Rita n. I, perttnceie
sociedade de Guimaraes A Cobta, estando muo
bem montado e afreguezado para a trra e p.ira o
mato, e o motivo por que te vende por querer
um dus socios rctirar-se da sociodad! : a tratar
no mesmo eslabelecimen'o'.
TEMPORAL
\ i-BlA
IOJA K UIUIIEX V
DE
Est queimando os objectos abaixo deca
rados pelos precos seguintes:
tSS!^^^^' "" ALPACAODECORDA^PARA VESTIDOS
COBERTORES DE LA PARA 0 INVERN Na loja do Pav3o, vende-se superior alpa-
DE 3500C' G|>000 j oo ou gurguropara vestidos, sendo n'es-
Chegou para a loja do Pavo, um gran- te genero o mais moderno e mais boaito
de sortimento dos melhores cobertores, de que tem vjndo ao mercado com differentes
II de carneiro, sendo muito grandes e cores, sendo mais largo que alpaca e ven-
muito encorpados, que se vendem de 3a de-se pelo "baratissimo preeo do 1.5000 o
at ().>000 cada um, em rclacio s dille- covado.
rentes qualidades, p tes que se acabom.
ATTE1JA0 GURGROES D SEDA PARA AS FBSTAS
DO MEZ D JBNtO
MvlUde K4Tlda4e
S PECHINCHA (m SE LIQUIDAM
NA LOJA DO PAVO
Chegou pelo vapor de 14 do correte,
Fraseo* com agua de colonia
Piwr wrdadeira a.....
Pentes de travessa para meni-
nas a .........
Thesouras para costura e
unhas a .........
Frascos com tinta a 100 rs e .
Libras de linhas para borbar .
Novellos delinha com iOO jar-
das a amii jr
Frascos com oleo' de bsbtsa .-
Sabonete de todas as qualida-
des so, ao, i o ue .
Babadinhos e enlre-meios a
500, 600, 700, 800 e .
Garrafa com agua divina .
Croza! dkloe de fcwja a .
900;
:)20'
400
too
0tf800
I
60
320'
I
mo
i400o
15400
160
Garrafas com tinta r'cha 800
Lencos brancos para mitos. 200
Pares de botoes jiara punho a 200
Frascos com cheiros 400, 800,
t#00e........ 3-5200
Meias cruas para homens du-
zia a ......... 44000
Abotoaduras para collete a 300
Linha- de 200 jardas duzia a 1^200
Cartao com cometes 2 ordens 80
Bunecas de cera, todo preeo.
Espelhos grandes com moldura
dourada-........ 2000
IMlbs pequeos..... 200
Pecas de fita para debrum de
vestido......... 500
BotDes de ac para collete 1*200
AOS SRS. FOtiUETEROS
Bartholomeu &G
YR\I>EtI
SAL1LRE refinado de l1 qualidade.
ENXO"REemcylindfO
LIMALHA de fero (muito utva).
DITA daco (idem).
DITA d'agulhas.
E todos os mais preparados pau os lin-
dos fo^os de cores na Bta drogara ma
larga to Rosario n. 3t.
Potassa da Kussia
Nos armazem de Tasso Irmaos, ra do Amorim
n. 39, o cae de Apollo n. 30.
"VENDEW
a taberna da ma de Hurtas n 43, em virtud* d
seu dono retirar-De |>ara (ora : a miar na meswa
Ifrlp
Veade-sc 1 eneran reeolbid*, boaita ngnra, dn
10 annos de i'lade, eugomuna, cose e cozmha eom
perfei^ao, 2 ditas que engommam bem e cozuiham,
i dita propria para engenho, e com habilidade, U
es eraiw, sendo um ptimo copeiro : na travev-d
do Carmo n. i.
^
MEKCAO DE HONRA
Vende-Mwi fraicoi
ESCOS I U|.meiofrMeo,tri|*
Urea, phirmci RM,
3, rut do Casliglone,
m Parii.
Cortes de organdy listrados com 10 va- para a loja do Pavo, rea da Imperatrii
ras cada um e que lambem servem para n. 60, um brilbant sortimento dos mais
luto a 3^000. modernas e mais bonitos gurgui oes de seda,
Lanzinhas de cores para vestidos a 200 para vestidos, toado padr&s miudinbo e
rs. o covado. gratdos, oom lindas listras macadas, as-
Cortes de cambraia com barras bordadas sentadas as mais deticadas cores, como
e muito finas a 34 e /WOO. sejam, verde, bfemark, lyrio, azul, perola.
Csea toda preta, pora vellidos, a 349 rs, etc. etc., assim como ditos lisos de todas
a vart. as coras, garanlindo-se que na actualidade
Chita pceta estreita com salpicos pan ves- n3o ba urna faaenda de maU osto aem V
lido a 240 o covado. j mai pbanUsia do que estoque se vende por
Ditas ditas feas a V) o covado. preeo muito rasoavol, no estabeledmento
E' pechincha pan i jetar I'MHI
As cMrtraAeftn, os tttmm parJo, d'um (htbo **rm, 9 nuk
de ptkecocimiuoB, laca cowfto escualo, a atroja, o /hora, a Uta, 01 ofM
e mesmo oji leos vegetal*, Hmn ituagmulas-pra substituir o *erd>lro lea* de
Ib Ttw-Iiwi Brtes d^Ses fritss ewn leos
'ot andadores pescadores.
Crcmc*a de
aluidos us induauia per
fresco s*> wstittB*ne
slo
. mu baiie,eia fusnto cpMss verdadeinotaos de gsdo ao bsalas*
9 car, vhrotfce para ohtelnM frwot tem mitltira. eampr ewrccr
grande vigilancia ler os msjores cuidadas naa proprios- Hapnra rfn pesca, asta como msnda.ft.
H. Hogg desde o- anno de-Mas. Entes ala a. ajawsaa) aTBfcf na ate Tcnaa-Watva ate ajaj
grangarain pan cale precioso malkamerXO urna fama universal as molestias do peilb, ai affe-coe*
\tka*.am
eicrofufo?aicl'jmphtt(ca,am*or-.*dM menino*, ticfi por is*o,deram losar a nocivas e
imitacocs.
Xote. O ate ate aTaajf e iflui faer de dipjia, ateUnguonM entra as outras olaas pela, mm
cor de palo*. 9* )ieiuac e delirado, e leo gosto de sardlnha fresca.
O RELATOniO favoranl do cl^fe das iralialae orrtuJoot da r*ACLir DE MUNON* BB
Pleaclaa caaao sepia t 0 ttf *te d* pitia d A *tye eonlem ma fcrea xtU ma* 4 om o tkm pmiu e ad nMnl* tltmm da mtn>eeni*ntm ajas n
WM fstewa im aasr*j $*to*.
A
Antones Gftiinr^ A ii.
E3teiras> da Uidkii bailes de toda% s
qualidades.
Cambraias do cunes rocallas, finas bi.
Ibantinas de, cores, lanzinbas de todas, a
qualidades, etc. etc.
(icos cortes de seda, de coces e pretor
lavradas.
Ditos dito de cambraia branca bordada,
para casmenlos.
Riquissimvs cortea de veadee de blond.
PopeliHa- de seda,, era gesto no mer-
cado.
Damascos de duM largaraf de ledas ae
core'.
Saias bordadas de uowa guste.
Camisas bordadas panatnbora.
Basquine* preta d* sai.
Gasaquinhes da cUiera de aer de mn
gosto.
Mea cotona deaed* adaiaaecadfs.
Ditas adamaecatfa de eres.
Alpacas lisas de cores novas.
ntas fres**, leneoe vendas Mee
uesdasTos.
Bramantes o bretanhas finas e aVailM
entras fcta&at pje seria, iiabiaha aHn-
onar.
No eagcab Baav
nindeo-M eifeUenies
borjiess poeHVf
dito engenho,
s3SaHS
W VaWfWaT^ W tT^a^a^BaW,rW
1 tSD



$$ro de Pernambuco Segunda pira 14 de Juf de 186^
2UA I.OJA,...
da
72.'Ra da Imperatriz.
u
Si
72.
U
Alerta refitieaes

QCfe Arara vai cantar,
Para vender suas fazemlUs (baratas)
0 propietario deste astabelerinieuto, toado grande -niio do fczendas em
Rftr, vaMypwder urna liquidwau em todas as Rumiase roupas, feitas existentes no
estabeteotmento, agora que occasio de quem tem pouco dinliciro-poder se vestir de
boi fazoada o barassima como se podan* ver no annimrio abaixo mencionado.
ADAPOI.AO BARATO A 3o500. BRAMANTE PARA LENCES A 2*.
. Veoe-se pecas de madapolo entestado Vcnde-w bramante com 10 palmos de
ae 12 jardas 34300, dito de i jardas ou largura para lences; \2* a vara.
'-" meWo t$, G>, 0*300, 76509, 8>90J e, PECAS UE AL(Ol>Ai) A 4*.
'H-OOOi Wiulem- ile 'odao muo en-
r GHlTAa FRANCESAS A 280 rs. Cfirparlo ;'i ; i p 7.
Vendem-se chitas francezas para esli- C'oicrlahos im -siihiIcos a a
dos a 80, i!O rs. o covado, (lipis escaras duzia.
muito finas 300 rs. o cavado. j Vende-so -colerinho econmicos a 320
Cifcalin uiuito flno 81IO rs. a duzia, s se vende assm barato por ter
Vende-se clialin para vestidos ie senhoraI grande porcSo.
CASIMIRAS DE CORES
IPti
A CARI
PE
son
MITO HBIL ARTISTA
lo, alftmatc.
A D1RECCAQ/D
i ?VA liHK
8s proprietarios desiMv tttafefeeimenlDi tendo ekpriiiidhbn'o a iwc*MMi
urgente de ter nadireccao de sna oflieina de roupas por medida, um artista perito, tem
contratado o Sr. Ludano Jos de-Barros para tal mister, convilos de que satisfar
com lodo o capricho a vontade do freguz.
Tem o mesmo cstabelecimoirto umboms.'rtimemto de fjzemlas prounas para
roupas de homem, como sejam: .oasimira de cor, indos paoYSes, Mnpletu sorfimenlo de
pannos finos, preto e de 4or, casimira preta, grande sortimeiib de brins brancos e de
cores, merinos de diversas quaHdades, bombazina, lindoictfes oV'gorgurao pai
gorguro Pekn, superior qualidade.
Os freguezes encontrarlo ainda um variado sorlimentu de roupa Jeila, camisas
inglczas, collarinlios, ceroulas, gravaia%prelas e de phantasia, meias para homens, se-
nhoras, meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
balos de diversas cores o modelos, cambraias, malas para viageuj, e outros muitos ar-
tigos que a modicidade de seus presos incita a comprar.
A ra da Cadea n. 45
INJECTION BROU
lemle luUlllvel e lreratlv, absoluUmcDi a nica que cura mu uolium adouo. > .,,|
. 800 rs. o covado.
hW.Al.KS A MI US.O COVADO.
Yei.'.te-sc percales muito linos para ves-
tidos de senhora a 440 rs. o covado.
Briihaniiaas 440 rs.
Vende-se bridiantlnas ou mursulinas de
cores para vestidos'de se horas 410 rs. o
covado, liazinhas muito tinas para vestidos
de senhora ;i 'ii)l> rs. e 300 rs. o covado,
ditas de quadrinhos ;i 240 rs. o covado.
l'SCADO FRANCEZ A 360 RS. O COVADO
Venderse riscado fraucez para vestido
de seahora 300 rs. o covado.
Daslnhas a 940 rs. o covado.
Vendem se laasinhas para vestido de 'se-
nhora a 240, 280, 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 280 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado, chitas francezas Qnas a 280 e 320
rs. o covado.
Chales de merino **.
(Vcnde-se chales de merino estampados
a (j(i) 250 cada um, para acabar.
CORTES DE LAASAItl-UTOS A 21490
Vende-se cortes de laa para vestidos de
.wnhora, ; 2400 cada um.
ALPACAS DE CORES PABA VESTIDOS
Vend'.'.-se alpacas de coros para vestidos
de senhora, 720 e 800 rs. o covado, di-
las 00 Ostras 700 e 760 rs. o covado.
Chitas prussianas :*.
Vende-se chitas prnssianas de listras de
cores muito bonitas a 360 rs. o covado.
CHITAS PARA COBEIITA A 320
Vende-se chitas incorpadas para coberta
320 rs. o covado.
atoes de O a SO arcos a
Vend*-se cazeanrus >) cores para calsa
e palilt a 2.-s Afii) e ::> o covado,
Algodo enfestado a 1.
Vende-se algodSo enfastado proprio para
lences e toalhas. ;'i 1 % a vara ou 900 rs. o
metro.
BRIM PARA (ALCAS .*" 400 RS. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas e palitotsde
homem e menino, 409 e 440 rs. o co-
vado, dito zo a imitado de ganga a 360
o covado. *
Algodo de listras a rs.
o corado
Vende-se algodo de listras para" roupa
de escravos a 200 rs. c covado.
CORTES'DERRU CASTOR A 64 RS.
Vde-se cortes de [ brim castor para
calca de homem. CiO i; 800 rs. cada um.
CARTEIRA PARA VIAGEM A 15.
Vende-se carleiras para viagem i%
cada urna, cobertores de algodo 130
cada um.
Coberias de chilla 1$4K>
Vende se cobertas de chitas de cores
lr^HOOe 2->. cada urna.
ALGODO TRANCADO IE EUAS LARGURAS J
l,200.
Vende-se algodSo transado de duas lar-
Hli.lL SU
Ra do Quemado ns. 49 e 57
lujas ele miudezaz de Jos de
Azevtdo Mida, csld acabando
com as mivdezas de seus esiabe-
lecimcntos por issoqucram apre-
ciar o que c bom- c baratsimo.
Pares de sapatos de traqea fa-
zenda nova a ..... 2,*Q0O
Pares fie sapatos' de tapet
(s grandes) a......1*300
Duzias de meias croas para ho-
mem a........3>800
Tramoias do Porto fatfsnda boa
epelo prenrmelhor 100 attos a
Uvrss de nissoes abreviadas a .
Duzrade baralosfrancezes-muito
finos a25400 er.....
Silaba?O'portugeez com estam-
pas a....... .
Gravito de crese pretas nuito
finas a........
Duzias de meias para senhora-6-
zenda- boa1 a......
Redes pretas- lizas nwn'to finas-a>
CartSes com colchetes de late
fazenda'fina a.......
Abotuaduras de \dre>para coletf
fazenda fina
xc$ artigos
4rir.
Periina azui.
' GrcvopAtadQ e lisdP
lera al ou
' MES, MA MJ I IllllfOTfflfcitapmh
Rourg*figtio.
Hery
Madefra.
Herioitege. II
ChamMi.
Licor de cur.iro de Hollanda era caitas de vin-
lecqualrolwtijiilias.
GESSU,
NosarmazeoB deTaesoIrmaos.
Grades de ferro
para jard*, porteiras etc.
Nos armazens .de Tasso Irmaos
< All |{ a\IIO Para sernas de grandes armazens, para remo-
Ter barricas oti caixoes de um para ontro, lado pelo
mdico preso de 12*000 cada um.
Frinlia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (rerdadeira) Fon-
tana e-grande sortimeato das methores marcas de
fariiilias americanas.
Saceos de farinha de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso IrmSos.
Cemento hydraulico 12$
O mellior para Indo que sao obras para agna, co-
mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agna, etc., etc.: em porcoes de
erneoento barricas se far reducoao no preso : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 Vcrdadeiro cemento Portland em casa te Tasso
Irmaos.
#200
2000
2d80C
320
500
4.-N0O0
320
IiOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Raa do Crespo n. 9
Os proprietariof deste bem conhecido (stabelc-
cimealo, atm dus muitos objfTlos que tianaoi cx-
lioslos a apreciac> do rcspeitavel pnWico, man-
daram vir e acabain dn recctier neto ultimo' vapor ^ -.
da Europa nn>oon>iteto e variado suiinento delbrKleS Q teiTO. CerCaS. POf-
litas e mu delicadas especialidades, as qoaes es-
teiras, etc., etc.
De iffereme* qualidades para cercados de ani-
maes, chiqueirot para galinhaswjardins : bos ar-
mazens de Tsso wraaos.
Barrs com breu
.. Nos armazens de Tasso Irmaos.
Velas de esparaacete verdaderas para Ion-
ternas de carros: noarmazcm de Tasso Irmao*
Vinho do Porto fino superior: no armaiem
de Tasso Irmaos.
O metoor cognac Gauthier Freres: no arraa-
zem de Tasso Irmaos.
guras, propwos para lences o toalhas para nj!!!""!^: tL
mesa, se veade a 15200 .o metro. h*LIV Sf!. '
Maulas para gravaita a OO rs.
Vende-se mantas para gravata a 200 rs.
cada una, lencos de soda de flores, a 640
cada um.
ATOALHADO PARDO A 2#0O.
Vende-se atoaltado pardo para toa?,has
de 20 a0 arcos de mesa 20590 a vara, toalhas escoras
f\ U. cada urna. Ra da .mpepatriz loja
I306 cada um, bales modernos brincos
ede cores i
'-da Arara n. Ti.
KJbu
0 GarSaldi principia
Certaraente lia de agradar,
Que pelo preco que vai vender
Ninguem o pode igunlar.
0 proprietario deste esabelecimento denominado Garibaldi, deetora ao respet-
ve! publico e seas freguezes, qu tem recebido grande sortimeato do fazendas, e est
constantemente rec beodo por todos as vapores que chegam da Europa novo sortimen-
to de fazendas da moda, e que veBder por proco mais barato de qm cm outra qual-
qaer parte, garantindo se a qualidade e crcS, na ra da Iinperatriz n. 50, de Lqurenco
Perea i'endes Guimaraes.
CHITAS LARGAS A 280 rs. angas para cal?a a 38 rs.
Ver.dcm-se chitas francezas de cores Vendem-se gangas de ^res para calca e
xas a 280. 320 o covado, ditas matizadas palitots de homens e meninos a 320 rs. o
escuras a 300 r?. o covado. covado, brim de cores o 400 e 440 rs. o
MADAPOLO ENFESTADO A 350O. covado.
w Vendem-se peca* de madapolo enfes-i Lasinha de quailrinhos a
tado a 3fr>00, 'dito inglez de 24 jardas a
$, U, '*00, 7)5500.8, e 105 a peca.
ALGODO TRANCADO A 10200 0
METRO.
Vendem-se algodo de duas larguras pro-
prio para lences o toalhas por ser muito
largo, a I#200 rs'. o metro.
RISCACO FRANCEZ a 360 rs.
Vende-se finissimos riscados francezes
proprio par vestido de senhora e roupa
para meninos por ser de bonitas cores a
360 rs. o covado.
BRAMANTES PARA LENQOES A 2 A
VARA.
- Vende-se bramante de dez palmos de
largura proprio pVa lences a 2$ a vara.
Chitas amzonas a 360 rs.
Vendem-se ricas chitas de listras de m
de nome amzonas, para vestidos de se-
nnora a 360 rs. o covado, deste preco e
qualidade s na Iota do Garibddi.
AOS SENHORES DONOS DE COXEIRAS.
Na loja do Garibaldi, ha urnas casemifas
de listras muito encorpadas proprias para
ferrar carroe, e se vend# muito barato por
ser muito largas, preco a 20500 o covado.
ALGODO ENFESTADO A U A VARA.
Vende-su algodo enfestado muito largo
proprio para lences a ifi a vara.
ALPAGAS DE CORES PARA VESTIDOS A
5.'0 rs. 0 COVADO.
Vendem-se alpacas estampadas de cores
a 500 rs. o covado propria para vestido de
senhora.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 30500.
Vendem-se chapeos de sol de alpaca pre-
ta a 3#>00 cada um.
BRIM HAMBURGO A 80000 A PECA.
\endem-se pecas de brim tizo de Ham-
burg^com 20 varas a 80, 00 e 100 a peca.
Cortinados para Janellas a 7.
Vendem-se cortinados para janellas a 70
o. par, ditos para camas francezas a 140 o
cortinado.
4 4 i-S.
Vendem-se laasinlias :1c quadrinhos para
vestidos de senhora a 240 rs. o cavado,
ditas estampadas a 280 e 320 rs. o covado.
POPELINAS EM LA A 640 RS.
Vendem-se popelinas era 13a de listra
para vestidos de senhora a 640 e 800 rs.
o covado.
CORTES DE LAA A 20400 RS.
Vendem-se cortes do la de listra arpa
vestidos de senhora a 2 HOO rs. para aca-
bar.
LA CHINEZA A 500 RS O COVADO
* Vende-se la chineza para vestido d^se-
nhora a 500 rs. o covado.
Casemlras para raleas.
Vendem-se casemiras cor de caf, preta
eszul escuro com listras, para calcase pa-
litots, fazeuda muito ijncorpada, propria
para o invern, sendo de duas larguras
qie 1 V'. covad s d cima caica para ho-
mem pelo 'pr.co de 2&I00 o covado.
Alpacas lizas para vestidos a
S rs. oeovado.
f Vendem-se alpacas lizas o ddbradas para
vestidos de senhora 700 e 800 rs. o covado,
- BALDES DE AROS A #500.
Venden-se baloes di 20 e 30 arcos a
10500 cada um, por est preco s nj loja
do Garibaldi,
BRIM TRANCADO PAIiDO A 800 RS. 0
METRO.
Vende-se brim pardo trancado a 800 rs.
o metro, dito muito fino a 10200 o metro.
BALOES MODERNOS A 50000.
Vendern-se balSes modernos e de cores-
a 50 cada um.
CASSAS FRANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se cassas fiancezas para vesti-
dos de senhora a 280 <; 320 rs. o covado.
CHAPEOS DE SOL DE SEDA A 10*.
' Vendem-se chapeos de sol de seda
I0>> e 124, na ra da Imperatriz, loja do
0020
00
muio=-
finas a 320; 400, 500 e 10000
Cartoes de lmha Afesandre quo-
tem 200 jardas a..... 0100
Carreteis de Hnha Atesasdre de
70at208a...... 0100
Cixas com> superiores' obreias
de massaa...... >04Q
Duzias de agalhas para Machina :2$000
Libras de pregos- franseaes di-
verso tamanto ai 0240
Livros escripturado para rol de
roupa a. ....... .. 1-0
Talheres para meninos- muito
finos a. ,....... 024O
Caixas com papel amizade muito
fino a ......... 0700
Caixas com iOOenvelopes muito
finos a......... 0600
Pontes volteados para meninas e
senhoras a.. ^ .. -320
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a ... 5500
Tlnteiros com tinta preta muito
boa a 80, 120 e ,51380
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. 0160
Duzia de ptosphoros de segu-
ranca da melhor qualidade a
400 e ....... 500
Pecas de fita branca elstica,
muito fina a. ..... .. 800
Nttvellos de Hnha com 400 jardas 60
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a :..... 20500
Pe;as de fitas boniadas com 3
varas a ijl^jf-i ^0
Ditas de-dita bordadas com 12
metro*de 20000 a. .. 30000
Grozas de botoes de louca. muito.
finos a....... > ____16
Scbonete de eUcatnfo.
DE
Antonio Nunca de Castro.
Este acreditado,, preparado, que to boa
acceitaco teta merecido tfesta provincia,
muito se recommeada para a cura certe
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle. -
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34ra larga do Rosario34.
tiSo resolvidos a vuitder, como de seu TOsfome,
jttrpiv'os miiko baranlios e commodus [ra to-
dos, com tanto que o (Jallo....
Hoito superiores luvaj de pellica, pretas, bran-
cas e c mu lindas cores.
Mor boas e bonitas goMahas e ptabos para se-
nhora, ueste genero o que ha de inas niodern.
Superioros penles de tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos enfeites para caberas dvs
Exmas. senhonis.
Superiores tranca* pretas e de cures com vid-
lhos e sern elles; esfa fazenda o que pode ha ve
de melhor e mais bonito.
Superiores bonitos lefpies de nwdreperol,
marftm, sndalo e osso, sendo aqueles branct
com lindos desenhos, e estes- pretos.
Muito superiores recias fio de Escossia para se-
nhoras, as qnaes sempre se venderam por 305900
a duzia, entretanto- que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambera grande sonhiiento de
outras qualidades, entre as qoaes algumas muito
finas.
Boas bwigabs de superior canna da India c
castao de marflra com tndas e encantadoras figu-
ras do raesmo, nesle genero o- que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
quanlidade de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. ete. etc.
Fino?, bonitos e ahxisos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.'
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marlim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas.'ara noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labvrintho.
Bons baralhos de cartas para voltaretu, assim
como os tontos para o mesmo lim.
Grande e variado sortimeno das raelhores per-
fumarias e dos melhores e mais conheciios per-
fumistas.
COLABES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
facilitara a denticio das innocentes crian -as. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
eollares, e continuamos a recebc-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderiio aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarlo destes verda
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
Sara que sao applicados, se vendero cora um nmi
minuto lucro.
Bogamos, pois, arista discbjectos que dcixaraos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
PASTILUAS APICARADAS
DO
DR. PATERSON
De DiMiiitth e magnezlla.
Remedio por excellencia para combate*
a magreza, facilitar a digestSo, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu A C.
34-------Ra larga do Rosario-------34.
PULLAS, VINHO
3
E
VE
JURUBEBA
i
PREPARADOS
PELO
jjBtmfACEimofj ^^
Joaqnim de Alineida Pialo.
As prepara$8es de juiabeba sao hoje
varitajosamentjj., conhecidi. e prcnisa-
das pelos mais habis mdicos, tanto da
Europa como do paiz, pela sua eficacia
nos casos de anemia, cbJiroze, hydropesia,
obstroccao do abdomen, e lambem los de
raenstruaeSo diflicil, charro na hfexiga,
etc. etc.
Vendem-se-m porcSo e a retalho jjwc-
dade doRecife. pliarmacia do seu Ampo-
sitor, ra larga do Rosario n. 10, jOhto ao
quartel de polica.
Barato que admira
Quarlos de latas com bolachinhas de b >as qua
lidades a 1M0P, caixinhas com ameixas, peras e
ligos a l400, cerveja Bass, Ihlers e bell ingleza a
800 rs. a botija, vinhd a 400 rs. a garrafa, azeite
doce de Lisboa a 880, arroz de primeira qualida-
de a 120 rs., caf a 220, sabao a 180 e 220, cha
miudo bom a y-i 100, idem grado a 32, alpista a
240, toucwho do Li&W>a a 440, marmelada fina a
780 a libra, doce de goiaba flno em latas e caixoes
de diversos tamnhos por commodo preco : s na
esquina da ra da l'enba n. 8.
Libras e o uro nacional, m de 5 francos.
das
edoende-se no arco da Conceiclo
Vurives, no Recife.
na loja
GAZ GAZ AZ ,
Chegon ao antigo deposito de Henry Fofster A
0., rn* do Imperador, nm* carregamentoule ga>
de primeira qualidade; p qual se vencle em fertiaa?
e a retalho por monos preco do que e:aj quI" qual-
RAP POPULA
DA
FABRICA NACIONAL I>A BAHA
DE
TEIXEIBA FREDERICO & C.
Acaba de chegara este mercado urna po.-gia des-
te ptimo rape, nico que pode supprir a falta do
prinoeza de Lisboa por ser de agndavel perTume.
E" fabricado enm superior fumo o pelo melhor
systhema coDhecido, tendo tambem a vantagem de
ser viajado, o que para este artiga urna espe-
cialidade. as pravas da Babia, do Bio de Janeiro e
outras do imperio tem o rap Popular sido asss
accolbido, e provavelmeate aqoi lambem o ser,
logo que sejarconhecido e apreciado. Acha-se
venda por pre^o commodo, e para qnem comprar
de 50 libras para cima, far-se-oa um descont de
5 0/0, e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no
escriptorio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao,
ra do Commercio n. 17.
HASSA e XAROPE
DE CODEINA DE BERTHE.I
Preconizados por todos o% mdicos contra o DEKLUXOS, CATHARROS, E TODAS AS|
1RRITACOES DO PEITO.
V. B. O Xaropt.de Codcina que mereci honra, altas bem rara entre o MeiieamtnloiX
nomos, t ser registrado como m dos medica-1
memos officinu do Imperio Francs dispensa^
quulquer elogio.
AVISO. Por cama da reprelicnsivrl ilsi-l
ficacioque tem lonoitido o felii resultado en I
Xaropc e massa de Benh somos forcados al
lembrar que csua medicamentos tad justamente I
conceilundos (o se
vendem em caxta-
hascfrjscos levando
assigulur cm f5r^=st^g-l.
frente.
46, Itue des cokl
I de Frene?, 7, Httaf%
[-(odaswl
e na Pharmaeie Central I
Joan, em l'aris, c em I
ipaesuol
lil.
Maearthy
Mahlaa de descarocar atgodo.
Hoje que est reconhecido que as machinas de
serrote prejodicam e quebram a fibra do algodo,
preciso recorrer a machinismo menos spero,
qie produzindo o mesmo servir o que aquellas, e
facilidade no trabalho, nao quebrem a fibra da laa,
para que essa possa obter-nos mercados europeos,
a differenca que ha entre o algodo descarocado
por aquellas mencionadas machinas, que estao fi-
cando em de^azo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da amiga bolandeira, que nao pode competir
pera morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se tomam as mais proprias para o
nosso algodo, porque ao par da faciidade e
promptidao conserva a fibra da la, que limpa por
ella, qualificada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre 11 20 por 0/0
mais do que a la limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
roram inteiramente abandonadas, e por issoo algo-
do daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, oblem hoje de 10 agpo'
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150^000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de aiuendoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens d Tasso^Irmos.
A^o de milao.
Nos armazens de Tasso /rmaos.
BARRIS DE SALITRE
No- armazens de Tasso Irmaos.
CUBA DOS CALLOS.
FULA
Pomada galotipeau.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo A C.
34------Ra larga do Rosario-34.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch A C, era
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consnmmo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just, ra do
commercio n. 32.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos o
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as creancas,
quasi sempre mais atacadas de t5o terrive
e multas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia e drogara.
D8
Barthomeu A C.
S4Raa Larga do Rosarlo34
BOM VINHO
DO
DOURO
Qiogou pelo brignc Triumpka e consignado
Flix Pereira da Silva, nma nova remessa de bem
conhecido e exeellcnte vinho puro do Douro em
barrts de 5o e 10, garantindo-se que nao tem eon-
feccio alguma ; neste genero o melhor que tem
viudo ao mercado, e muito proprio parahusar as
horas do comida, e vepde por preijo razoavel :
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.

PARA AS NOITES
DE
S. Jodo, S. Antonio e S. Pedro.
Acham-se venda sortes para homens e e-
nhoras, um tanto agradaveis para essas occasioes
de divertimentas e prazeres : as livrarias france-
z ra do Crespo n. 9, na Econmica ra do
Crespo n. 2, na Popular ra do Imper-dor n. 67,
na do Sr. Cardozo Avres ra da Cadeia do Reci-
fe n. 31, na do Sr. Jos Barbosa de Mello ra da
Cruz n. 5S, pa do Sr. padre Lemos ra do Impe-
rador n. 15, na Encadernaoo Parisiense ra do
Imperador n. 71. ____________
NeincAtes
Sementes novas de hortalica : na ra da Cadeia
do Recife n. 50.
Vende-se a dinheiro ou a praso a padaria a
vapor sita em Una, a qual se acha livre e desem-
baraza : os pretendentes podem entender-se no
mesmo lugar com sen proprietario, ou cam Rocha
Lima & Goimaraes, na ra da Cadeia n. 40, e Ne-
comedes Maria Freir, no caes de Apollo
CARNAUBA
Vende-se superior cera de carnauba em rfc
cas. por preco mais barato do que em outra quas-
quer parte : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
2: -=*5ua o Queimado^-2J
Advertencia!
A Nova Esperanca, roa do Queiaittf
C. 21 tendo em deposito grande quantidada
de miadezas, c como se approxima o lem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi- j
co, que esl resolvida a vender suas mer- /
cadorias pelo baralissimo preco, para assim/ '
diminuir a grande* quantidade das qu^
tem: assim pois, venham os bons fregu*
zjs, e os que nao forera vcnliara ser fregu*
zes, em tempo tao opportuno quando 4
NOVA ESPERANCA convida-os pecbincba
rom, pois que para comprar-se caro, n(o
falla aonde e a quem...
Elle quere ella quer
E' sempre assim. /'
Elle (correspondente de-Paris) qner sem
pre primar em nos remetter objectos da
gusto e perfeicao, e ella (loja da Nova Ef
peranca) quer sempre dividir com seus fru
guezes o qur* de bom constantemente rece*
b3, e por este lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca rna do Queimado n. 1\
alm do grande sortimento que j tmb,
acab* de receber mais o seguinte:
Bonitos broche, pulceiras e brinco dfe
madreperola.
Papel e envelopes bordados e matft-
sados. f
Papis proprios para enfeitar bollos fe-
bandeijas. >
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galles, franjas e tran?as
seda e de la, para enfeites de vestidos.
BotSes de todas as cores e molde n<
para o mesmo fim.
Trancas pretas comvrdrilhos sendo co|
pengentes e em t\\a.
Botes pretos com vidrilhos com pino
tes e sem elle.
Lnvas de pellica, cama??a e excossia.
Finas meias de seda para senhora e
nios.
Delicados leque de madreperola, mar
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um complete sortimento n-
miudezae ra do Queimado d. 24, a
Nova Esperanca. 1
Collares anodines ellcctro-magneti
co contra as convuleties das l
creancas. \
Nao resta a menor duvida, de que muito \
collares se vendem por abi intitulados o \
verdadeiros de Royer, e eis porqae muito \
pais de familias nao creem (comprando-os) \
noeffeitopromettido,o que so pdem dar, \
os verdadeiros', a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificado principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sao o
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
gas tem salvado do terriy,;l incommodo da
convui'eBes, assim pois preciso, que ve-
nltam a Nova Esperanca a raa do Queimado
n. 21 comprarem o safra vida, para seu
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrive mal, quando ent5o ser di-
flicil alcancar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiros collare
de Rover.
t\.0ER^
.Alegrai-vos myopes, e presbytas, j po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
no-ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de reaeber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortim' nto de
oculos, lunetas, pince-nez, face i-main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio e melchior ;
assim como binculos de urna a tres mudan-
Cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invencio ; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
0 mesmo vapor trou-
xe orna excellente ma-
china para graduar e
observar numero dos
vidros qoe se necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excellentes slerioscopos, instrumen-
tos de mathematica, barmetros, vidros de
chrystal do rocha, e de cores para resguar-
dar a vista; eoncerta todos os objectos
precos commodos e com promptid5o; tira
o mofo dos vidros e encarrega-se de toda a.
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os excellentes relogjos
do 'antigo e afamado fabricante Roben Gtrth
&C, os quaes vendem preces commodos
garantindo a sua superior qualidade.
Novidades do Campos
para S. Joo
luteressane fogo -.'artllelo para
salp^. viudo da erte pelo
Paran vende-se ua rus do
imperador n. 88.
economa domestica
Superior farinha da trra em saceos, o
4 tambem se venda por menos, sendo
porcoes.
AOS ESTABELECIMENTOS
Medidas para soceos, conformo o- novo
systema mtrico decimal.
Tabellas indispensaveis, facis, e mais
adoptadas at hoje nos estabelecimentos que
cmprame vendem a peso, porque mostram
ellas com a maior exactidao, a redttflo do
peso e preco entre os doussystemas: libras
e kilogrammas, recomendadas de prfie-
rencia a outra qualquer tabella, peta sua
fcil comprehenso linda para as pessoas
menos habilitadas em commercio e clculos,
acha-se a venda tudo a cima na roa do Im
porador n. 28,
Armazem do Campos.
\1



i"
Diario de Pernambco Segunda feira 14 de Juiho de 1869.
r
I
DO
DR. P. A. LOBO MOSCOSO
3Ra da Glora! siti do Fiandao3
CL11\ POR AUNK OS SHHtt
Consultas todos os dias desde as 7 horas da manliJa at is 11.
Visitas em casa dos doentes de 11 horas em diante, em ciso urgeule a qualquer
bando da oodanoite.
NSo se recebem chamados se nflo par escripto era que declare o uome dapessoa,
toda ra e o numero da casa.
Especialidade em partos, opernroes, molestias de raulheres e meninos.
Cura radical das moestias venreas, e dos estrejtaraento:, da ulhera.
Curas radical das molestias do tero, como ulceras, flores brancas, amenonia,
vegetarles e catarrho, etc etc. ,
Recebe-se ejfcravos para tratafftfe molestias ou pracar-ws qualquer operario
oirurgiea. Diaria i Os melhores remedios horoeopatbicos conhecidoj. e por precos muito com-
modos.
.


,
ESMERALDA
fluado Queimpilon, 49 c 5? tojo
de miudezas de Jos de Aztve-
do Mata e Stlva cohecido por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem em seu
eslabelecimento para acabar e faiernovo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
vero que borne barato.
Garrafas com ,agua florida \ar-
dadeira ...... I*20G
Garrafas com agua divina dame-
, lhor qualidade .... I,>800
tatas com superior banha fran-
ceza ...... >206
Caixas cm 12 frascos de cheiros
proprio lian mimos ioOO
800
m
Ditarnm|(i rajtos mutlo finos
Oleo babQEa muito fino que s
a vista ...... 500
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... #240
Cajxas de p de arroz muito a
superior ..... f>600
Pegas de babadinho com 10
varas ...... jjSOO
Caixas redondas emitando tar-
S* no Bazar da Moda
IA WJVA N. 30 ESQUINA DA DE SH-
TO AMASO SE VENDE!
Para enhorna
Lindos leques. a imilacao de san, lirio a
H e 24500 rs.
Ditos, com lentijuelas fazenda fina a 3|
e 4^000.
Ditos elsticos, aimitarao do raarflm, 50,
W, H0cr-"xx).
Coquea
des ti? .
D- ,-
5
na moda, lizos e comre-
,i Ut W500 e 4^000
lindos enfeites 'a 40, 4050b,
r's.
.i botoes* d flor de l.iranja para
no..- #.
1 is de cachos (alta novidade fem Pa-
rfe.0 a 60000
Lindas chapenas de pama da Italia e de
81o de seda, guarnecidas com ricos e ele-
gantes enfetes ultima moda a 15-5, 180
0 200.
Cliapeosinhos de veludos de lindos mo-
delos a 150, 180 e 200000.
Ditos de palha da Italia mafto bem efi-
feitados a 12fl, 140 e 150000.
Ditos de pennas (novidade) para senhoras
a 170000.
Gorrinhos de fil preto para luto a 90.
i----------------------1-----------:------------------T---------------------------------------
Bengalas i L^pezi i
20 tftfSOO.
Cliicotes para montara, de 10 a 5^000
Camisas oom peito e. coliariaUos de li-
nho>deitados muito beafeitot ns. 38 e 39
a 0000. .
E omito;; outros artigos tanto paia ho-
taens como para sealioras e cri ncas
assim como um completo e especial sorti-
mento de miudezas, tudo reoebido de cus-
i proprio, e se vende mais barato to que
em qualquer parteno Bazar da Moda de
JOS' DE SOUZA SOABES A C.
--
-----
taruga ....." ,^0 Chapeos de palha americana enfeitpdos a
Pecas de fila de cus qualquer r&>
*H
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca, e por presos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciosas
_\ 5 RUA DO CABIGA \ 5_
COIVFEITARIA DOS AMMZES
16RUA DA CRUZ16
S. AXTO\IO, S. JO AO K S. PUDRO.
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, podins, pes de l, bollo inclez
ri-esuntos, ditos em feambre, pastis de differentes qualidades. Papis para sortes
bollos simples e entenados, amendoas confeitadas e confeitos. Vinbos finos engarrafa-
bsadas, assucar candi, xaropes refrigerantes.
Recfibt-se encommendas de bandeijas para casamento, bailes e baptizados, com
bonitas armares de assucar, sendo estas preferiveis asdepapelao: bollos etc., p5es
ww entortados, qualquer encommeada para tora ser bem acondicionada.
',
)240
largura .. 300
Escovas para unhas muito fi-
as ,.", 0500
Escovas para deates fazenda
muito fina .... .
Pulceiras de cenias de cores
para meninos 0200
Caixas de liaba branca do gaz
com 50 novellos 0800
Caixas de "linha branca do gaz.
com 30 novellos 600
Pegas de tranca lisa de todas
as cores 0040
Besmas de papel pautado muito %
fino ...... 0OOO
Pares de botiJes para punhos
muito bonito 120
Libras de iaa pa^a bordados do
de todas s cores $0000
Pentes com costas de metal
muito finos 320
Novellos do linha muito grande
para croxs 0320
Duzia do linha froxa para bor-
dado ...... 0480
Grosas de botoes madreperola
tgmuitolio..... 0500
Sabonete muito finos a 60, 120,
160, 240 e..... 0320
Pecas de fita de la todas as
cores ...... 0500
Espelhos dourados para parede
10000 e..... 10500
Espelhos de Jacaranda muito
fino 20000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol i 060
Pares de raeias cruas para me-
ninos ...... 0320
Caivete muito fino com 4 fo-
lhas ...... 10500
Cartilhas da doutrina as mais
modernas ..... 0400
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos Io200
Parafogosde Santo Antonio,
S. Mo e 8. Pedro.
UMALHA DE FERRO (muito nova).
DITA DACO (idem).
DITA D'AULHAS.
Vendem-se na botica e drogara de Bar-
tholomeu C.
34BA LABGA DO ROZABIO34
H mo pragress* da pateo do
Carao u. .
Manteiga ingleza a 640, SOO, IJ e tioOO ts. a
libra, cli hvsscih e perola a 12800, 2JS0O, U
3 290 a libra.
Ditos de seda para sol fazenda boa a
50,60500, 100 c 110000.
Basqufnes de giipur branco Tem enfei-
tadas e molde ultima moda a 130, 180
e 20&K30.
Ditas pretas com ricos enfeites de vi-
drilhos a 180 e 200000.
Sintos ricos de setim com lagos a 30,
60, 70, 80, 100 e 120000.
Urna linda e rica guarniclo cor de rosa,
a Mara Bosa, (alta novidade) por 28000.
Grnaldas de flores muito lindas 50, 60,
70 e 80000.
Capellas de flores de lanrajetras para
noivas a 40500 e 50000.
Especial sortimento de gravatinhas para
senhoras.
Sintos de pama muito lindos a 30000.
Luvas de penca a daqweza, brancas, de
cores e pretas, o par 30000.
Blonde de seda preto e branco com sal-
pix>s e ramagens, o-metro a 20500, 30,
40800 660000.
Enfeites de palha muito lindos para co-
ques a 10500 20000.
Guipar preto e guipar branco, fazenda
nova, para capinhas, corpiuhos, basquins
fie. etc. benitos padroes, o metro a 30000,
30500, W, 40500, 50, e 60.
Grande sortimento de bicos e rendas de
guipur brancos, e pretos com fio de seda
fazenda superior, de diversas larguras e
precos muito baratos.
Esparlilhos brancos e de cores muito
bem fetos a 30, 40, 50. 50500, 70 e 80.
Enfeites para cabeca especial sortimento,
70. 80 e 90000.
Meias croas, fazenda soperior, o par 20.
Corpinhos enfeitados de delicados gos-
tos a 160 e 180000.
Meos corpinhos de fil preto e branco a
20500.
Lindas c ricas guarneces de cores j
promptas para vestidos a 100, 120, 140 e
150000..
Borns de la e seda, moda elegante a
200000.
Cachis de 13a de cores a 50, 60, e 80.
PARA HOMENS.
Chapeos de sol, fazenda superior a 80.
100 e 150000
Chapeos de castor branco, fazenda fina,
e forma a moda imperial a 110000.
Correte de plaqu iguaes as d'ouro urna
por 80, 100 6 120000.
Bengalinhas de canna com casto de
marfima 40 e 50000.
Ditas d'aco e Jenbadas ultimo gosto a 10.
Ditas fantazia muito lindas a 10500 e
20000.
CAPSILAS MOLES
ALCATRA
taco-
Remedio por excelencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchitob,
catarrhos, tosses convulsivas, eses*ros san-
guinos,** mitras molestias do peito.
VENDE-SE
FOliO FOlil)
na Dimia n. lo.
Ha para vender um completo sor-
timento de fogos artiiiciaes, tanto
para Sras., como para enancas, pis-
tollas brancas e de cores, com 3, j
4, 5 e 6 blatas, fontainas, cravei-
ros, rodinhas singellas e dobradas,
foguetinhos, buscaps, iuraina-
C^es bales de seda de 2 pasmos de
altura etc, etc., feito por um dos
melhores artistas deste genero.
Tambem ha para vender salitre, cn-
\ofre,_ breu, lio, facas o garios
de diversos, precos e qualidades,
bandeijas "finas quadradas e ovaes ;
alm do grande sortimento de fer-
ragens, miudezas, cuidarlas e trem
para cozinha, etc, etc.
BuaJh'reita n. 33,1 o ja de tymoel
KA
1,1
PHARMACIA E DROG-^UA
DE
Bariolomeu C.
34-RUA LARGA DQ ROSABIQ-t
Sortes de S. JoSo
Na roa da CuMi^oo n. 36 veudo-e ttoaiia froi -
te? a SfOOOo outo,' roa'bo-st' Uinbtci juaquer
imcommenJa de bollos boiu foiio c por commoito
prc^.
ESCRAVOS UGIIOS
Bento de 0. Braga d- 0.
Htt
m
WMMWMi
Atquechegaram
SYSTEMA DK>SIMAu
Grande factura de 1,500 ^ries de
pesos kilogrammas em series com
pletas de todos os tnjannos, me-
lhores de comprehender do que os
que tem vindo ao mercado a6sim
como medidas de metros, chegaram
smente de encommenda ,propria
para a casa de Manuel Bento de
Oliveira Braga & C, ruq Direitan.
53, e com diminuicSo de precos,
venham em tempo.
jmm wmmmkm
ovo livro de sortes para
8. MoeS. Pedro
A Pythonissa de Endor, inteiramente
inditas e interessantes, a 640 res o ej-
emplar, ra estreita do Bosario n. 12.
typographia de Geraldo de Mira, na enca-
dernacao parisiense ra do Imperador
livraria econmica de Nogueira Medeiros
a na do Crespo n. 2.
FABLMIA DE
MANDIOCA
Superior farinha de-mandioca recente-
mente ebegada de Santa Catharina, vnde-
se a preco como lo a bordo do brigue allf-
mo Lina, Tundeado defronde do trapiche
do Esra. Sr. barao do Livramento; a ira-
tar a bordo do mesmo, ou no escriptorio
de Joaquim Jos Goncalvcs Beltro, ra
do Commercio n. 17.
No da 19 do connote me* ogiodi f-.-
genho Conceif.ao da fivgue/Ja da estada o
cabra Tbomaz, idade de 25 a 30 aunes, al-
tura e corpo regular, barba* curta, natural
de MamaDguape .da provincia da Parahirn:
presmese que file lenha do wra o Me-
c fe, ou villa de Mamanguape. Boga-se a
pessoa que o aprehenua de o onlrcgar r(o
Recife a Domingos Alvos Maitus, lia ra
do Yigario n. 21, ou no eugenho CinceicSo
da Escaria a sen senlior o Exm. Bare de
Aracagi, que a recompnsala com genero-
sidade.
Contina fgido o escravo da ncuw tiene-
dicto, perionrente ao abaixo i.-ignado, com i-s
signaos seguintes: prclo fulo, altura* regular,
falla do denles da parte superior, p.'s grandt-j,
mullo ladino, o pont-a barba. Supp4e-se et.ir
acontado nota eidade. tt'oudc fupio connaia nn-
lata pertenecnto a D. Genoveva GorrOa do Araujo
Albuqiiorque. taiubem com os signaes segnintes :
cabrilla annelladus, nariz chato, falta de dentes da
parte superior, es pequeo?, lendo *m o *re*o
urna cieatrir, urna rmlide no oJho osqufrdo altu-
ra regular, i )s scnborcs tanto do escrav como da
escrava prote>tam contra qualquer que os tenha
acontado, pelos dainos causados, bem como ro-
gara ;is autoridades policiae* ot'qoaesqucr outr i
pessoas que se dignem do fuzc-los raplurar a
i nandar levar ao escriptorio de Leal & Jrmio, qje
recompensaran com geceroeidade.
__________Lutz de Albwjuerqve ilaranho.
Do engenho Jacobina, frepuezia do Cabo, i
noite de 6 para 7 do corrente. fugiram os sera-, -i
seguintes : Salvador, criuulo, cor preta, bai: prosso, idade de ii anuos mais ou menos, bf ^a
j pintada, rosto redondo e trabalba da earapinj.
tiste escravo foi comprado ao Sr. Francisco Jo ''.
de Arcnjo, morador na eidade do Fecife.- Manoi J,
preto, alto, barbado, bom corpo. nemas finas, e f"-i
a falla um pouco descansada, i-eprefenta ter ?()
anuos mais ou menos. Levou calca de aigou americano, camisa de madapolao ja velba e c^\-
l>eo de como : este eseravo foi comprado ao Sr.
Joas Mariano do S, morador em Moxo, par*
onde desconlia-se ter seguido, lirga-o as autori-
dades policiaca e aos capitaes de campo a appr^-
bensao dos referidos escravo?, o entrega-ios ao
seu senhnr Antonio Carneiro Lins c Mt-lto, no en-
genho cima referido.
Libras sterUnas
Vendem-se libras sterlinas ; no escriptorio de
Marques, Barrjs &C,uo largo do Corpo Santo
n. 6, 2o andar.
KYLOGRAMMAS
A' venda, ra do Queimado n. 32, Azevedo &
Irniao.
Pechincha
Vendem-se vidros para vidrafa, sonidos e de
boa qualidade, e bem acondicionados, a 12-5 a
eaisa, em porcao c a rtalho : na ra do Vigario
n. 17.
Aeha-so fgido d.;sde 18C7 o escravo tfar< ,
cabra, cabellos annellados, olbos pequeos, ns:,z
chato, idade .18 anno, pouco mais on menos, al-
tara regular, pomas coapridas. tem falla do den-
les, algumas marcas de gomma pelos pellos, Ban-
do a mais saliente una no vao do pescoco ; sa-
tilfal do Sobral, no Ceara, tendo ido oara a (azeu-
da '.yjplaiina, no Brejo de Arte, em compnnhin do
j Jos Casado de Oliveira, do l desappareceu. ?np-
poodo-se estar fgido : roga-se, portant, as a i-
toridades policiacs c aos capitaes de campo, tan'o
desta provincia como da Parafrvba, ou nutra qua^
qner, que o laram apprehender e conduzl-lo a
sen senhor, o major Gusmo, que pagar todas t
despezas c gratificar generosamente. Outr ci,
roga-sn a qualquer pa o favor de fazer scionte ao major GusmSo, am
tambem gratificar.
LISTA GERAL
109.
I.
-:~~i
.DOS PREMIOS DA I. PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 688, BENEFICIO DA MATRIZ DE MURIBECA, E1TRAHIDA EM 12 DE JUNIIO DE 1869.
<

i

ti
10
11
18
30
47
49
83
55
62
65
68
69
72
79
83
84
85
93
97
400
2
3
9
10
21
li
32
35
38
40
73
75
76
77
79
93
97
98
205
9
II
13
15
16
31
33
46
49
1S. NS. PI BIS. NS. PREMS. NS. PREMS.
U MI Si 4o8 M 756 44
66 4i 63 __ 63
68 *> 66 68 .^
70 4| 72 72 __
71 82 77
73 801 81 __
78 6 ^ 86
78 - 9 __ 97
83 11 __ 98
85 14 _ 815
88 23 16 '.04
84 97 24 21 %i
41 302 40 22
** 6 46 * 23 M
8 47 m^ 27 _
~ 11 62 __ 28 __
"~~~ 16 64 ^_ 29 _^
** 18 8o __ 44 __
22 - 87 _ 45
24 92 51
28 94 84
29 602 56
37 3 63 84
38 8 65 44
41 6 66
42 11 67
47 - 14 59
49 19 72
8* 50 20 73
1* 52 31 89
53 33 98 _
M* 54 53 902 _
4J 56 65 _ 5 ,,
87 75 _ 8 ___
58 76 14 ^
76 82 14 _
82 84 28 _
84 88 28
92 8 97 29 _
406 44 701 30
10 - 19 37 _
i i 20 38 _
18 21 _. 41 84
24 23 . 49 4
37 25 88
32 38 - 62 4
- 33 43 _ 40 41 V 64 66 44
-1 49 43 67
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS..NS. PREMS. NS. PREMS.INS. PREMS.INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. iNS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. INS. PREMS. NS. PRLMS.
973
79
80
88
89
95
97
1001
7
13
14
19
21
24
30
3
40
43
47
64
68
70
72
74
79
84
88
89
91
93
1106
9
19
23
44
45
46
60
64
70
7S
80
88
92
94
95
99
1213
44
84
44
264
<4
1216
23
24
26
40
41
47
30
52
88
89
63
66
67
68
70
73
88
90
93
98
1301
6
11
12
13
14
16
28
31
33
40
45
57
59
60
66
71
74
75
86
90
91
98
1402
4
8
11
13
44
1425
35
48
53
54
88
.88
73
77
81
88
89
90
1509
13
25
39
40
43
48
49
58
64
73
88
94
98
1623
27
33
37
46
54
56
65
68
71
89
1704
14
19
22
26
42
47
48
80
69
76
4
m
44
M
Mi
M
1777
79
80
81
88
1801
6
11
18
20
22
23
24
39
30
36
38
40
55
56
57
59
60
61
63
71
72
81
83
86
89
93
1905
10
16
17
23
31
41
54
88
59
69
91
93
94
95
44
84
44
84
7004
44
1997
98
2018
36
37
38'-
46
83
84
61
67
66
69
78
81
82
97
2100
f
8
9
14
19
21
33
37
46
53
86
60
80
86
91
93
2201
2
3
7
8
9
12
13
14
16
17
36
27
29
30
44
84
M
1004
&4
2211
40
41
43
48
34
53
71
77
N
93
95
97
2310
17
18
20
27
30
34
37
41
42
60
62
63
66
69
83.
87
93
94
96
98
2400
8
17
19
30
27
31
36
38
39
43
45
46
50
60
84
44
84 2462
44 78
83
%
2500
2
5
7
28
38
52
54

63
66
80
81
83
90
91
95
97
2006
9
16
19
26
32
33
37
40
41
48
19
51
52
57
63
74
78
83
44
84
44
84
44
87
92
93
2701
2
9
2723
23
27
30
34
38
40
44
48
49
87
58
61
68
69
88
89
90
95
97
2800
1
3
4
5
22
25
32
33
37
38
42
44
47
50
55
57
67
1
83
89
95
2900
7
10
11
12
i!
44
84
44
84
44
~
2920
25
27
30
37
39
44
52
59
60
64
67
71
72
75
79
84
85
87
97
98
3008
9
14
15
23
26
27
33
40
46
51
57
59
62
66
70
76
78
81
83
89
90
95
97
99
3100
S
44
401
4
8,1
4,1
3105
8
9
10
11
18
29
30
31
33
35
38
42
53
57
58
60
62
63
66
75
81
83
88
95
99
3204
9
11
13
18
21
29
32
42
44
43
50
.82
63
64
70
71
73
74
78
,78
83
83
44
84
44
204
44
84
44
84
44
3284
87
93-
98
3302
8
18
19
20
30
31
33
35
36
41"
42
53
54
58
60
64
74
85
3404
6
7
10
11
12
15
16
20
23
27
29
37
41
31
59
62
68
85
86
83
90
94
96
97
3508
44
2024
44
204
44
Si
3515
26
37
30
33
42
43
44
45
63
72
79
82
93
3603
10
18
30
39
41
42
48
69
73
78
76
83
85
90
96
3703
4
6
11
12
14
18
19
23
41
47
49
81
57
63
66
70
7
70
44
votas
44
3780
84
91
3806
8
11
1S
19
31
23
34
37
39
40
41
46
80
61
64
68
70
79
80
82
91
92-
96
99
3908
10
13
22
29
38
41
44
48
54
61
64
66
68
69
75
80
81
84
90
96
44
44 3998
4003
i
8
9
10
12
16
25
30
33
46
52
68
72
78
90
93
95
96
4100
3
9
10
17
21
23
24
25
26
38
40
43
48
60
68
73
77
8
85
88
92
1 95
97
4311
23
27
28
2
84
84
44
84
44
84
44
4f 4131
m
33
43
43
52
58
37
60
61
67
70
83
85
86
87
88
91
95
96
4300
2
8
15
16
34,
28
31
52
5
86
59
62
63
65
6a
69
70
83
90
91
99
4404
5
8
10
11
17
18
14
204
44
84
44
84
44
84
44
404
44
'0
38
42
44
82
56
88
66
67
71
79
83
84
90
94
97
4800
II
35
31
40
54
55
59
61
68
74
79
83
85
86
9/
98
4601
2
7
8
12
20
21
13
18
46
52
83
88
87
90
96
44
U
404
44
/


8
Diario de Pernambuco Segn la feira 14 de Juuho de 1$69.

ASSEMBLA BAL
CMARA DOS SRS. DEPTADOS
SESSAO BM 28 DE MAIO.
msfliH'iaA do sr. vsconi* se camaa-
OIBK.
(QmtintHtf
8e, perm, por urna parle o exercito di-
Minu no. Paraguay, por outra os- soldados,
os oflicaes.. as pravas, emlim. que volvem
do exercito e regressam para o Brazil, tm
tambera vene meatos, so nao to crescidos
como os qu9 estoem campanha, ao menos
milito considera veis. (Apoiados.)
ma Yoz:Nao devom ser abandonados.
& Sil ViMs-no a Guerra : O decres-
cimeato nao envolve urna redee3e consi-
Aeravet de despeza. (Apocaos.)
Por aqu v" o nobre deportado que, ainda
que a despeza possa ser um pouco mais li-
mitada, ow ser ua escala ciu que elle a
considero u.
Aiada ha outra razo pela qual a despeza
ao pode diminuir tanto como parece ao
hoarado membro, e vem a ser que, se o
numero das [iracas do exercito tornou-se
menor, o trahalho de levar-Ibes os soccor-
ros que sao necessarios tornou-se muito
maior, e a despeza com esses soccorros 6
tambem mais eresckla. (ipoiados.) O que
creso has despezas augmenta no pessoal,
a etapas sao mais elevadas: as forragens
que sao por mullo alto preco no exercito.se
elevara tambera proporcio que o exerci-
to caminha, afastando-se do seu centro.
O Su. I.AciMfHO r. Mendonca :E' urna
COndicSo da guerra actual.
O Sh. Ministro pa GtiCHRA: Portanto,
ca rlao tenho esperarla que a despeza de-
creaba ais do que fui previsto quando se
spreswftou o crdito. As oes do nobre
depuUdu, peco liceuca para dizer-lhe, pare-
ce que neste caso, nio tem toda a proce-
dencia.
Sr. presidente, eu nao devia tomar o tem-
pe precioso cmara dos senhores deputa-
dos para fazer outras consideraces que por-
ventura fossem necessaras; mas peco li-
cenca ao nobre deputado por Minas-Ge-
raes, cujo estado e proticieacia reconheco
e cojos talentos invejo, para dizer-lhe que,
quanlo ao crdito, o defeito que achou no
projecto da (Ilustre commissao me parece
poder ser fcilmente remediado. Crero que
a arguico do nobre deputado limitou-se
somentc redaeco do artigo,
Nao ha duvida, senhores, que a cmara
tem inlenco, e a Ilustre commbso tam-
Irem a leve, de conceder ao governo o ere-
dito pedido de 20 mil e tantos contos de
ris. (Apoiados) Desde que consigna im-
mediatamente na lei os meios de se fazer
c(Tactivo o crdito, claro que este fica im-
plcitamente approvado. (Apoiados). Com-
prehendendo, porm, a forja e peso das
refloxSes do nobre deputado, eu pedira
Ilustre commissao que mundas.se urna emen-
da que dosenglobasse esta materia, para
que a concessao do crediio ao ministerio da
guerra fosse muito explcitamente designada
no projecto que se discute.
Mesmo em 3a discussao pode isso fazer-
se sem inconveniente algum, e entretanto
ficarJo assim solvidas as duvidas trazidas
casa pulo nobr-j deputado.
Peco desculpa cmara por ter-lhe to-
mado estes poucos minutos.
O SR. HENRIQUES faz algumas consi-
deraces.
O SR. PEREIKA J)A SILVA (Atteneao):
Serei conciso as observaces que devo
fazer a respeito da questo vertente, porque
vejo que a cmara mostra-se cansada. Com-
prehendo que urna questo financeira nao
agrade, e peque mesmo por rida e fasti-
diosa. Mas sempre grave e proveitosa.
(Apoiados,.. Nao me esquivo assim dis-
cussao, rogando cmara um pouco de pa-
ciencia e de atteneao.
A resoluco apresentada e sujeita ao de-
bate tem um fim, que cumprir um pre-
oeito constitucional. O orcamenlo vigente
linda a 30 de juuho de 188a. Occupa-nos
a discussao do que deve applicar-se ao annn
inancoiro de 180!) a 1870. Pederemos
-la ao senado c approvar despezas extraordinarias do ministerio daherio da
esta asa do parlamento a proposta de rno- guerra, e seis mil e tantos s despezas igual- ~
do que se converta em lei e reja o |>az an- mente extraordinarias do ministerio dama
tea do i' de julho de 1869? Nao* de cer- rialia, para o 1 semestre e.mD a 1870
to. ^Apoiados). Devenios deixar o gover- porque as deve reclamar a ooPlnuaco da
no ou suspender a cobranca dos impostos
c as despezas publicas, ou fazer os serviros
disnicionaria e arbitrariamente, para que
os inlresses do pa z nao padeijam ?
de-arto. (Apoiados) O que cumpre,
providencial' ?
Nao ha recurso (pie nao seja o do pro-
jecto da commissao, recurso provisorio-que
s tem de aproveilar no intervallo de um
orcarnento que findi,para outro que tena de i
subslilui-lo. Assim se tem sempre pral J'v
do entre nos e mu regularmente, para que
se compra o preceto constitucional, que
n3o permtte ao executivo nutra (arela que,
nao seja a de execatar as leis. Apoi
No art. 1. do projecto determina
portanto, que vigore por mais seis meses o
orcarnento de 1868 a 1800, quaado dentro
deste prazo se nao tenha promulgado o de
1869 a 1870. N.Io pode haver e nem
houve opposico a esta providencia (apoia-
dos), nem o nobre deputado a suscitou.. .,
0 Sr. Ribeiro dv Lhz:Tena razo.
O Sr. Pereira ha Silva : Quanto ao
Ilustre representante pelo Paran, lcrabrou
apenas urna emenda de redarn, que minu-
cia o numero c a data da lei do orcarnento,
que nlo apontara a commissao, e, troca a
expressao de seis mezes^pela de I" trimes-
tre do anno de 1800 a 1870.
O Sn. Corra :Apoiado.
0 Sr. Pereira dv Silva:Nao vale, por-
tanto, a pena discuttir-se, a comraissao acei-
ta a emenda de redaeco do digno depu-
tado.
Aonde o Ilustre representante de Minas
Geraes suscitou verdadeiro d^baie, fui no
exame do art. 2 a que, quasi cEelwiva-
meote dedicou as nag*0bsrvar>
Determina este artigo urna auiorisa$5ojio
govemo para realizar qnaesquer opera
de crdito afina de saldar o at/Ftit de cerca
.le 13,000:0000000 relativo ao exerciein
de 1868 a 1869, e as quantias pedidas de
cerca de 26,000:000|5000 para as despezas
extraordinarias da gnerra no 1" seraastre
de 1869 a 1870.
Imputoo-lhe o nobre denotada o defeito
j de se autorisar a despeza antes de se ierem
aberto os mcncionfidos crditos, o que na
sua op'nio transtorna a ordem regular dos
negocios, e comeca por onde devia acabar.
Quando tal defeito purera resaltar da
redaeco do artigo, cumpre dizer que a
idea da abertura dos crditos se aclia im-
plcitamente incluida, logo que se determi-
nam recursos para saldar-llics a impor-
tancia (apoiados). Prometto-le pie na re-
dacco para entrar em debate em terceira
discussao, empregirei as pauvras sacra-
m ntaes, a que o ilustre representante da
l-.ta qiie sustentamus. no Esado do Paa-
A prmeira verba, posto n3o estoja liqui-
dada, porqpe a cstircicio do aano flnan-
i deve lindar a 30 de juuho futuro, or-
ca-se na quantia fc^eze miLp tanto con-
tos, segundo o d|o&fornecinos pelas des-
pegas anterieres: urna somma estimada
calculada mais
nte, c une so
rerlflcada e
A soguada
menos approsimada-
considerar despeza
pre saldar,
estimada tambora
approximadamente para as despezas do i
de julho a 31 de duzerabro ^a 1869, se
gando os calciitos mais seganw dos minis-
terios a qe se reforem, e cooforme o* ser-
vicos a que c destinada.
Eui orraraeutos, e orcaraentos futuros,
nao se [KJde mathematicameale, e nem com
certeza fixar somraas; cateulara-se ellas
approximadamente. (Apoia taucias mudam, apparecem acentecimenlos
merra em 1869
para nm igual
periodo, subia a cerca de O rail coatos,
crdito que ro chegou a cmara a appro-
var, por ter sido disaolvida antes do de-
cidido.
Quanto objeccao de que nao era preci-
sa a witorisaclo, n30 prevalece igualmente.
A aatorisacaa para omittir oilo mil coritos
de bilhetes do thesouro coma antecipacao
de renda vigoren sempre, e nos tempos
ordinarios necessaria ao thewwro, por
que recebe com prazos os saldos das va-
rias iheseurarias das provincias e das col-
leetorias do Rio de Janeiro, e precisa pagar
despezas a que s3o lles- applicados. Na
actualidade, poca toda excepoiOBll por
causa da guerra, que exige grandes e ex
trabrdinarios sacrilic^s, nao sao smente
oito mil contos de bilhetes que tem o the-
souro em cii cularao; sao mais de sessen-
ta mil que receben a premio, e que formio
a divida fluctuante, que tt deve preferir
que se converta em consdBdath. N!lo se
acha pois, recorso na disposicllo do orca-
rnento para emittir bilhetes at oito mil
contos como aflteefpaffe da receita,
Relativamente aos 40.000^KK.ir de papel-
impreTistos; tud depende da occasiaV. moeda, a qne recorreo o governo em IS8,
Costuma-se, portanto, orear as despeza* se- e em angustias dolorosos para nSo fallar
guado dados anteriores comparados. E' o
que izeram os ministaos que reclamaran
estes crditos. (Apoiados).
Deseja o nobre deputado que se nio five
a somma, e prt fere que- quando se julguc
necessario concetler ao governo os crditos
pedido*, se Ihe de a autorisaco
{?ara o que fr preciso gastar.
Nao adopto a opinio do honrado repre-
sentante pola pw incia de Minas-Geraes.
A constituicao poltica do imperio impe
aos legisladores que ixem a despeza com
os ser lieos pabiieos.
aos compromissos de honra do thesouro,
por nao ter na occasiao meios de pagar o
que devia, prefcrindo o Sr. ministro da fa-
zenda assn;-nir a*rcsponsabilidade pessoal
de promulgan um decreto que exceda da
oa cfmpHencia, e sujetando-se ao jolga-
arbitrari 'menlo da cmara dos depntados, e de que
felizmente at agora so emitlio a somma
de 8,750:00^1, esse decreto, posto mereea
o Sr. ministro um bil de indemnidad*,
attentas as con-deracoes e fados que o
constrangeiram a referenda-lo, publica lo e
executa-lo eni parte, oxal nao steja mais
Sn. Ribkiro ha 1*7.: E .porque V. praticad (npoiados). Curapre-ivis dar ao
Ec. se cjqueceu de fixar a; somma de governo outaos meios para se nao adiar em
alguus artigo da receita segundo o parecer'emba aros laoperigosos (apoiados'1. Tra-
que aqu ltimamente apreseutou.'
O Sw. Vaaeia.i ba Su.v \: Admiro que o
nobre deputado to Hilo e exprtente dos
negocios fraanceiros, a tanto que j foi
inspector da tbesouraria de sua provincia,
nao faca distihcoo entre despesa e receita.
A despeza cumpre Oxar-S sempre, e o or-
carnento a disonar em cada urna das verbas.
porque deve ser certa, a unvlimite im-
posto So governo polo corpo legislativo, no
cumprimentodo seudever constitucional.
A receita ta/, tixaco de quantia nos seus
respectivos ramos, mas esta s para es-
clarecer s cmaras e cakularem a sua m-
iwriancia.afini de apreeiaresi se prestam ao
poder ejecutivo os meios de satisfazer as
despezas votadas; quando os orcamenlos
sobem sancrao imperial Iev3m designadas
as soinmas de todas as verbas da despeza,
nao raiiiuciam nem urna das que gao relati-
vas receita, e apenas especilkam os oli-
do sen acto concedida por um s dos ramos
do poder legislativo.
Toda a cmara applaudio a sincera e
leal declarado deS. Exc. o Sr. ministro da
fazenda.
At este momento ainda nao foi inciado
nesta cmara o bul de indemnidad?, pedido
pelo Ilustre Sr. ministro da fazenda. E no
entantoa cmara vai votar em 2* dcussto
urna lei de alta conGanea no *ystenia repre-
sentativo, qual o da prorogarlu de um or-
carnento.
Temos, pois, una questo, questo de
ordem elevada, que prejudioa a passagem
do projecto, essa qoesto a eoncessa do
bil dfindemnidde.
Se votarmos o projecto, est prejudica-
do o bil de mdemmdade, porque a confi*
nuaco da confianca depositada, no honra-
do Sr. ministro da fazenda ama apprwta-
cao manifesta de todos os actos de sua ad-
mmstrac;to.
Como sem ter a eamara instituido deba-
te sobre as razies que determinaran! o il-
lustrado Sr. ministro da fazenda a de-
cretar urna emisso de 40,000:000^, nao
autorisada por lei, ha de regularmente con-
ceder-Iho urna lei de tanta magnitude ?
Peco, pois, a nobre commissao de fazen-
da para apresentar ama emenda no senti-
do de se cMceder o bil de mdemmdade.
porque s assim poder a cmara votar es-
crupulosamente este projecto.
0 SR. DQlf^STRADA TEXEIRA :-
Sr. presidente, ar cmara nao pode doxar
de estar esclaracida depois do luminoso de-
bate que te ve lugar nesta sessaat debate
sustentado por oradores to provectos na
materia sufeila.
Estou convencido de que a confianca que
o govern nos merece, e a procedencia dos
argumentos qae foram deduzidos levarama
votar a resotecio que se discute.
Mas entaado que a questo inventada
peio 11 lustrad deputado por Mina-Genes
temos de fazer tndo para que se nao emit- ,u3o pode deixar de algum esclarecimento,
tanto peso. Devo todava advertir-lhe qne jectos tributados. (Apoiados).
FOLHETIM
dS CASACAS PRETAS
ROMANCE
a redaegao actual se nao presta a duas in-
terpretaces divergs, e, portanto, clara
a idea, ({ue pretendeu imprimr-lhe. Dando
recursos para estas despezas, approva a
cmara a abertura dos crditos pedidos.
Nao parou ainda ahi a opposicao do dig-
no deputado pela provincia de Minas-Ge-
raes. Entendeu: Io, que as quantias alo
deviam ser filadas, por nao serera certas e
as circumstancias as poderem elevar ou di-
minuir ; e 2, que nem mesmo era necessa-
ria a autorisaco para se offectuareni opc-
racoes de crditos applicadas a salda-las,
porque nao s existia no ornamento vigente,
que pelo art. 1 se determina continuar, por
mais seis mezes, o direito de emittir o go-
verno at a somma de 8,000:000^000, como
aatidipacio da receita, seno tambem porque
o governo tinha j recursos no crdito de
i0.000:000#)00, de p'apel-moeda que abrir
ltimamente.
Nem urna c nem outra das objeccoes do
Ilustre deputado procedem, como passo a
demonstrar.
Em relaco s quantias, sao ellas de di-
versa especie: os 13,000:000,5000 cons-
tituem um dficit previsto no exercicio de
1808a 1869, conforme o relatorio di Sr.
ministro da fazenda e os balancos do the-
souro; 20,000:000*1)00, se applicam s
Ha, portanto, muta differenca entre a
receita e despeza. (Apoiados). Alm, por-
tanto, de infringirmos a disposico consti-
tucional deixaado de fixar a somma das
despezas resoividas, accresce que seria um
pessimo precedente conceder a qualquer
governo um arbitrio to grande, como o de
despender os dinheiros pblicos em qual-
quer servico administrativo sem sa Ihe
marcar um limite atm do qual possa ir.
(Apoiados).
E' mellior que, (piando a despeza exceda,
se conceda novo crdito do que abandona-la
discripeo do poder executivo. (Apoia-
dos).
O Ilustre deputado aecason de excessiva
a somma pedida pelos ministerios da guerra
e marinha para as despezas extraordinarias
di primeiro semestre de 1869 a 1870.
Para destruir a opinio do honrado membro
basta considerar que o dficit do exercicio
de 1867 a 1868 subi a 107 mil contos;
que o de 1868 a f809 estiuia-se em 79
mil contos. Ora, calculando o primeiro
semestre de 1869 a 1870 em 26 mil con-
tos, de certo esta somma muito inferior
dos annos anteriores, porque equivaleria
a 52 mil contos para todo* o anno. (Apoia-
dos). Permita Deus que s se gastem 2rt
mil contos f O crdito pedidopelo minis-
pon
Paulo Fval
Primeira parte
O BRAZAL LVIIADO
IX
Asulrc Ialia.
Continuaco do n. 131.)
Coegmos a Caen depsis de noute fe-
chada. as ras da cidade baixa oinguem
f reparo no tilbury, mas as immedia-
ces da perfeitura cnheceram-no, e come-
cou o povo a segui-b. Eu iadeba'id
e bem assim a turba-multa ; quand i des-
emboquei na praca das Acacias, j o povo-
lo gritava bom gritar.
Que querem estes vadios ? pergun-
tava Magdalena. Estamos por c no en-
trudo ?
Minhamulher est em Inglaterra,
respond ; eu, vou ser preso ; men filho
j nao tem seno a Vmc.
Ficou boqu-aberta e tomoa-me do bra-
co ; depois disse :
Que fizeram, Sr. Andr f? em que
se metteram ?
Repliquei-lbe:
Eslamos innocentes, minha boa Mag-
dalena.
Black parou ao porto, qu eslava fecha-
do. Fallara eu assim machinalmente, bem
persuadido de que ia retentar a accusacSo.
Magdalena da Normandia ; exclamou, por
tanto: r
Desgracados! todo elles dizem o
mesmo l
Atapropria Magdalena, minha filha I
al a nossa boa Magdalena I Confesso que
desacorpcoei. A Magdalena nada sabia
desta serie de acasos que nos fazera parecer
culpados, e eslava disposu a admittir des-
de logo urna aecusaco centra nos, fosse
ella qual fosse I
Verdade que accrescentoa :
A pobrezinha da creanca alo tem
olpa.
la-se chegando a turba. Quando m"
apeava, atiraram-se a mira o alugador e o
moco da cocheira. O Granger exclamou t
Ah I malvado queras eolio safar-te
com o cavallo e o carro I
Nao de certo meio de fartar urna car-
ruagem e um cavallo traze-lo um pasando
a outra al porta do dono. Magdalena
conheceu tstdi e agarrn o ahjgdor pela
galla, alcunhando-o de tolo e estnpido ;
como o moco aeudisse ao patro, sacou dos
pul nojs com grande forca : .
Acudam, acuda m (
E .snbsidiarimente, como ella disse com
todas as letras, que de Dascenga traz a
gente da Normandia o condo da chicana.
ameacou os nossoa v.sinhos com una que-
rela por injurias, vas de fados e mios
tratos; determinou o valor das pardas e
damnos, e atirou-lhe cora os no;nus do ad-
vogado e do procurador.
Nao eslava longe o auxilio que chamara ;
nao precisava sfalfar-se para atli ohegar.
Era em primeira lugar a multido q*t nos
segua, engrossbndo sempre, desdo que
passramos a prfcfeitura ; depois os uossos
Visitnos, que sahiam de casa em tumulto ;
o afinal a geedrmara, augmentada; pela
polica, que sah|ado passeio, porque desde
pela manhaa nb cessra a casa de estn,
cercada.
Nao conheco as niirhas. forca. Baque-
ceste-le daqaellaj larde era que os criados
do conde Bozzol Corona, o teu primo de
Basta, me quizeram obrigar a retjrar-rae
do camnho por onde a carruagem devia
passar ? Nao- tipha eu entio dezoito annos.
Tres lacaios ficaram por trra, e a carrua-
gem foi parar tumbada borda da riban-
jeeira. Nem eu broprio era capaz de dizer
como tudo aquello succedeu. insulto
flzera-me subir o sangue a cbeca, e eu ha-
tera instintivamente, sem consciencia do
que fazia, como quem anda ou como se
respira. 0 que ento aqui se deu teve
alguma semelhanca co n isso, com a dife-
renca, porm, que dos desoilo annos para
c se me tem de$envolvido ai forc-as. Po-
vo, vislnhos e geodarraes carregaram a um
tempo sobre mim. Estava ala' para m9 en-
tregar priso, o adevinhrarporni. s-
melhante assalto ; sorprendeu-me, o ftpel-
Depois accrescentava, soberba e contente"
um'moecto como urna torre f Corn
elle nao se brinca, nao I
Eutrei pelo portal, que aeabavam. de
abrir, e sahi n'um pul i a escada do cm-
missario. Empurrei a porta. O Schwartz
ta mais papcl-moeda, "que sempre funes-
to recurse!
Para que nao seja o governo (breado a
cump i-lo na somma total de 40,000:000-5,
e que a commissao redigio o segundo arti-
go do projecto, autorisando-o a effeetnar
quaesquer operac3es de crdito, visto como
se haviam esgotado os recursos concedi-
dos no or amento "vigente.
Esta foi mesmo a razo principal por
que apresento a commissao este segundo
artigo, que alias desagradou injustamente
ao Ilustro representante de Minas-Geraes.
Necessaria mente se ha de pagar os.......
13,000:000;5dd exercicio de 186811809 Ne-
cessariametite se ha de gastar com o nosso
exordio e marinha que se acham no Para-
guay do 1" de julho de 1869 em diante.
Como nao dai meios ao governo para essas
despezas inevitaveis?
Louvo o zelo do Ilustre deputado por
ter suscitado a dscusso a respeito do pro-
jecto. Comprio seu de ver de Ivim repre-
sentante do paiz. Resulta do debate por
olle iniciado maior esclarecimonfo, luz mais
clara para todos. E da discussao que teve
lugar pens que otra" coequencia se nao
pode tirar seno a da necessidade absoluta
de approvar-se o projecto das commisses
reunidas do orcarnento e da fazenda. (Muito
bem, muito bem.)
O SR. BENJAMIM:Sr. presidente, a
hora vai adiantada e a cmara se mostra
cansada. (Nao apoiados), Nao venho,
pois, instituir urna discussao minuciosa, a
respeito do projecto que se discute.
Venho apenas pedir nobre commissao
de fazeula, que desfaca um escrpulo de
minha consciencia.
O mu nobre e probo Sr. ministro da fa-
zenda era seu relatorio e no discurso que
proferto nesta cmara na sesso de 6 do
corrente, declarou que havia decretado
urna emisso de iO.OOfrOOO-1, sem autorisa-
co do corpo legislativo.
Com aquella linguagem franca e leal que
S. Exc. costuma fallar ao paiz, expoe os
molivos elevados que determinaram o seu
acto, e declarou mui terminantemente, que
nao se satisfaca com a simples approvaco
ora
ao
neo pdedeixtr de ter apreciacao. erefe
breve, e que aopde ser prejudicial1
voto que esta casa est disposta a dar.
0 nobre deputado pareceu esqnecHndo
quanto se tem dito sobre a natureza da re-
soluco em discussao; o nobre deputado
que. conforme declarou, presta dhesao
ao procedimento do governo, c no est em
desaccordocora oda Ia commissao de orca-
rnento, nlo s descoheceu os argumentos
que nesta casa foram expendidos, explican-
do e fundamentando a natureza da resolu-
co em questo, mas esqaeceu tambem um
importante acta da commissao, a qual j
em projecto distincto deste propz ao par-
lamento a approvaco dessa operaeoGnan-
ceira, a respeito da qual o digno deputado
reconhece que S. Exc. o Sr. ministro da
fazenda, to nobre quo fundadamente pe-
dio o bil de indemnidade que nenhura de
nos Ihe negar. (Apoiados.)
Sr. presidente, como bem se mostrou
nesta casa, trata-se de obviar ao inconveni-
ente da possivel demora na discussao e vo-
lacab do orcamenlo geral: com razo nos
empenhamos era que o governo esteja sem-
pre conslilucionalmete habilitado para a
receita e para a despeza, e nao trilhe um
s instante na senda da iliegalidade.
Se com to justo intento foi proposta a
prorogaco por seis mezes do orcamenlo
de 1868 a 1869 e a auterisaco de crdi-
tos extraordinarios que as circumstancias do
paiz exigem, para que, em materia to ur-
gente e de natureza summaria, por assim
dizer, addcionar essa questo da approva-
co de urna operaco financeira, que o pro-
prio nobre deputado njk> legitima e impugna
e que j foi implcita e ha de ser bem ex-
pressante approvada por nos ? (Apoiados.)
Assim pois nao vejo razo para confun
dir a discussao de cousas to distinctas e
para desvirtuamos a natureza da rcsolucSo
em questo, annexando-lhe outra questo
que j tem sua base em um projecto da Ia
commissao de orcarnento.
Nao desvirtuemos portanto o debate que
se agita, e Ilustrados pelas luzes ~de urna
discussao to completa como a que tivemos
o prazer de ouvir, procedamos votaco
da resoluc'i. (Muito bem).
Era a ti, minha filha, que ella amarrava
e atormentava. Eras mui formosa. Casti-
gava-me da tua belleza.
Nao pronunciara eu urna uoica palavras.
Alicaram-rao como um fardo para o cscrip-
t'rto de liacin, onde me deixamn esten-
estava ausente," mas liacin, cojo foto me dtdo no chao. Aalgazarra chegra ao son
pareceu um tanto desabonado, empunhava augec cada qual se gabava no maior ber-
um florete com boto, a criada trazia um reiro da parle que tomara na victoria, e a
aspecto, e a Sra. Schawartz um par de pis- criada repeta trumphanle I
tolas enormes. Porum triz que o nao atravesso, como.
Venho fallar col o Sr. commissano
de polica, disse eu.
Foge! exclamou a Sra. Schwartz es-
pavorida. Quer matar-me. Ordeno-lhos
que facam fogo.
" Por, felieidade que o seu batalhlo s tr-
nha armas brancas, e que ella propria se
nao lembrava de disparar as duas pistolas;
se nlo fosse isso, teria- soado a minha ul
tima hora. Cruzei os bracos, depois de
ter desviado o espeto com que a criada de*
quem espla am quarto de vtella !
A chegada do coinotissario poz fim
bachanal. Vinha do circo Franconi hora
doeostume. O-hymnd dos vencedores as-
sustou-o como se fra urna sedicaw Man-
do sahir a turba-inulta, reprehendeu a
mulher, e ordenou quo me desatassem tres
quartas partes das pris5es. Com as res-
tantes poderiam ainda amarrar-se tres fa-
cioeras.
Foi liacin enc3rregado de redigir
nodadamente me atirava cara um treTJ parte, em que aflirmavam que eu fra preso
armado at ads dentes. O Sr. Schwartz
dirigio-me perguntas, o coaheci o.desgosto
qde senta por nao poder ser confundido
com nenhura here. A parle que maadou
para o juiz tinha a coocisjo cmphatca de
um boletim do Moniteur em lompo de
guerra. Veni, vidi, vixi, escrevia Cesar,
primeiro inventor dos holetins : a parte do
mendo bote. Abri a bocea para declarar
que renunciava toda a resistencia, quando
o nosso aaaigo palafrenero, apanhando-me
de sorpresa, passou os bracos em volta
dos meus, por detraz, Atiraram-se logo a
mim uos dez individuis, e fui laucado por
trra, suffocado qsi.
Ouvia-Ds dizer uns aps outros :
Ah I tratante !
O maldito eslava furioso I
Era capaz de dar cabo de algum !
Tem as algibeiras cheias de pistolas !
E dinheiro nenhum I
mil
Onde parara os quatrocenlos
francos ?
O-outro ladro do Jancelleha deapro-
[veitar-se da occasii para quebrar!
E com isso fica arruinado todo o
commercio retalho da cidade.
Ah I patife tratante I adro I Li-
guera-no bem, amarrem-no, deitem-llie fer-
ros preciso consorva-lo vivo, para ver
a vista que faz no alto da guillotina t
A voz aguda da Sra. Schwartz. furava
como urna verruma por esta confusa alga-
zarra. Era ella quera dizia : Liguem-no
bem, amarrem-no, deilem-lhe ferros. Fra
impossivel dizer quantas corda ma lance-
ram em volta do corpa Quando eu j es-
li-o raeu turno. Houve feridos ; de in- tava atado e reatado, chegou ella anda com
cera todos; abrise cm largo circulo em
volta do tilbury.
A Magdalena gritav?, :
Nos gendarmes nio I Nlo toque no* todos Uto cuidava se nlo
gendarmes, senhor Mayootte, olbe qu sai
sagrados | i
Sr. Schwartt traduzia hbilmente esses tres
pretritos, e deixava sentir a legitima espe-
raaca de breve aditamento. Era a par-
tir desse da, credor da sooiedadc.
Afinal, n3o iue/ez passar por mos tratos
e itnpoz rauitas vezes silencio mulher,
que nao podia levar paciencia que a des-
carada fugsse. A descarada eras tu.
Magdalena perder a arrogancia. Passa-
do o primeiro momento de colera, mettera-
se a um canto N.o seu lugar, di dez mu-
Iheres do campa nove ter-se-hiam sumido;
ama exceHentfe creatura. Apezar do me-
do Com que eslava e da pouea confianca
qu4 deposita najnossa innocencia, conser-
vod-se fiel ao seb mandato.
Meu coramissaro, disse ella, com
respeitosa firmeza, a pobrezinha da creanca
nq tem culpa. Levo-a corago.
Tomarara conselho entre si. Era a Sra.
Schwartz de opinio que s# carregasse de
firiti'at que revelasse o patadeiro la des-
a correte do poco, e raadou que me'aper- car48a. 0 Sr. Schwartz, porm, fez obser-
tassem as pernas, resraoneando : var que a m havia de procurar qualquer
E arreganhava aqulllo os dentes para d acercar-se de filho, e que ento...
liembra-te floique me promeiteste,
as guedelhas ;r, uemora-te Hoiaue me promeiteste, mi*
e attrafe qaantos papatvos havia na ci- pajaHa. Confie-le a ti mesma, s
dade l Conifigo posso contar. 0 menino est em
seguro, respondo por elle. Nao o pro-
cures f
E nao sao ms almas 1 Adevinha aonde
o nosso filhinho passou o da. Em casa
do c-raintesrio com a Sra. Sehwartz, qne
o encheu de festas e de bolos. Vi-o no
regajo. Quando a Magdalena estava para
se retirar, Schwartz abracou o nosso que-
rido filho, e pareceram-me menos desguaes
os olhos dalla, porqui Ihes vi luzir duas
lagrimas. .
Ah-f se fosse nesso 1 dizia ella.
E tem-um filho I
Creio, porm, que se diriga quelle russo
do liacin.
A despedida de Magdalena foi assim:
Ainda que Vaics. sejara Criminosos,
a pobrezinha da creanca nao lem culpa !
Fiquei naquella noute na rdpartieode
polica com tres gendarmes vista. Tu,
rodavas para Pars. Cada vez que o relo-
gio batia, porque ouvi todas as horas, pen-
sava ea :
Andou duas leguas.
A carruagem era que ias era ainda Caen.
Esperava-cora ancia o momento em que po-
desse dizer :
Est fra da diligencia, e sumida no
sitio mais recndito de Pars, qae urna
cidade vasta como o mar.
Por maior, poim, que seja, assim que
me vir sollo, hei de saber muito bem dar
comtigo. Est-rae parecendo que vou ter
direito aonde ests, ainda que de noute
seja, coma os Magos foram ter a Bethlem.
Tem o nosso amor a sua estrella.
-No d:a seguidle, pela madrugada, fui de-
baixo de escolta para a cadeia. A cidade
estava aiada deserta; poucas pessoas appa-
recerain para nu insultar. Sabes em que
eu pensasa ? noe Bancelles, que 8e felzas f
erara A.' todas as invectivas cota que ra-^
atiravam, misturavam sempre injurias con-
tra o pobre Bancelle.
Est arruinado, diziam, e a sua ruina
refleete-se em cena fan>w'as t- I -
Era homem de bem ; a raalher era um
tanto altiva, mas mostrava-se caridosa ; e
lembras-te dosjfilhos, to bonitos ?
Passei pe.o primeiro interrogatorio legal
nessadia. O juiz encarregado do processo
preparatorio, que Sr. Roland, pergun
tou-me em que tinha eu empregaio o tem-
po na noute da vespera. Respond que
tinha dormido na minha cama. escrivo
abanava a cabeca e sarria disereta*en:e.
la omAtrado o introito : dei o meu ver^
dadero dome de AndW MaynoHe,1 a minhs
idadee a nataralidade. No qae a U se re-
0 SR. BENJAMIM :-As observacoe fei-
las pelo nobre deputado pelo municipio
neutro nio desfoeram os meus astro-
palos.
O nobre deputado nao comprenendeu
talvez o meu penvamento. Vou externa-lo
por outra forma.
O Imnrado Sr. njinisird da fazenda prati-
cou um acto irregular, por motivos de alta
aecessidade puidica.
N3o s a cmara, como lambem' o paiz
que ella representa applaudio-o. Mas esse
acto, por mais imperiosas que sejam as cir-
cumstancias que o occasionaram, depende
da saneco do parlamento e da cora.
O nobre Sr. ministro da fazenda acatando
devidamente as leis do paiz. pedio a sua
approvaco.
Hei de dar o meu voto a favor do bil
de indemnidade., porque estou profunda-
mente convencido de que todo e qualquer
bom brasileiro que se acbasse as eir;ums-
taocias melindrosas era que se vio S. Exc.
nao teria procedido de outro modo.
Os Ilustres merabros desta cmara tam-
bem dao o seu voto a favor do biU.
Mas esse voto neo foi arad dado. O
acto do probo Sr. ministt#da fazenda ainda
nio est legitimado.
A cmara nio proceda circumspecta-
raente.....
0 Sr. Duote-Bstrada TEixkira :Nio
apoiado.
0 Sr. Bknjamim :-----se vtassi a
prorogaco do orcamenlo, que uratdas
mais importantes medidas de confianca no
nosso systema de governo.
O nosso typo constuciooal a fixacioda
despeza e receita pelo parlamento e a ofrta.
Ora, ninguem dir qae a prorogace do
orfamento de um ano para o outro preen-
che asvistasdo legisladra- conttuHte. Se
a prorogaco do orcarnento urna lei de
confianca, uma vez votada por esta cmara,
a inmil, des necessario- totar-se o bHde
indemnidade,
O Sr. Dcque-Estradai Teixfjra : Nao
apoiado.
V Sn. Bemamim:Qwndo se discut um
bi9 de indemnidade a cpiara tem o diwto
de ncga-lo ou de roncedr-lo. Se a cmara
o nega, o ministro perdu a sua confianca ;
lem de largar o poder. Come, sem resol-
ver a questo, continuar a confianca ?
Prorogando o orcamenlo est iprrjudicada
a discussao, s ha urna discussao pro for-
mato. ...
O Sr. Diqi:e-Estrada Teixeim :Nao
apoiado.
O Sn. Benjamn :.....impropria do
parlamento. Sem que o *sv *> honrado
Sr. ministro da fazenda seja tegitimdo, nao
deve ser votada a prorogaco.
O tempo urge. necessario que este
projecto seja quanto antes votada?. Pois
be n ; a nobre commissao offereca emenda
a queja alludi quando fallei prineira vez.
O Sr. Duoce-EsTRABA Teixeiri : Nao*
apoiado, complcacao.
O Sr. Bemaaiim : Nao vejo complicaco
em discutr-sa e votar-sc o bilt deinenni-
dade neste p/ojecto. E a nobre commis-
sao de fazenda tanto entendeu assim, que
j o tinha a presentado como emenda ao pro-
jecto de orcarnento.
Sr. presidente, nao meu. fim^crear em-
barace prorogaco do orcameato.
Julgo esta questo importante. Nao tra-
to de salvar formulas. Ha aqui uma ques-
to de principios para o systema represen-
tativo e de dignidade para a cmara.
De principios, porque a prioridade na
votaco de urna lei de confianca resta o pes-
irao systema de conceder-se o bil de in-
demnidade, por uma votaco sem signilica-
Co, e que aqui na cmara foi condemoada
pelo proprio Sr. ministro da fazenda. De
dignidade para a cmara, porque continua a
mesm.? confianca, antes de legitimar o acto
cuja desapprovaco constituira a mais tre-
menda contradieco.
Se a nobre commissao apresentar a emen-
da validando o decreto do honrado Sr. mi-
nistro da frzenda, que mandou emittir
40,000;000#, voto pela prorogaco do orca-
rnento e bem assim pela ^menda.
(Continar-se-haJ.
feria, encobri completamente a verdade6
porque o nome corso de que em Pars nsa
te faria descobrir immediatamente. Disse"
Ihes, aproveitando do nome daquella infeliz
mocinha, que na Provenca morreu ao nosso
servico :
Minha mulher chama-se Julia Thibe,
e natural das ilhas Hycres.
Ahi vo as perguntas :
Onde casiram ?
Era Sassari de Sardenha.
Pode mostrar-me a certido do casa-
mento ?
Minha mulher tem em seu poder to-
dos os papis.
Onde est sua mulher ?
Caminho de Londres.
Porque fugio ella ?
Porque eu quiz.
E porque quiz ?
Porque vira uma vez n'uma audiencia
a mulher de Orange assentada ao lado do
marido.
A' esta resposta, carregou o Sr. Rolando
sobr'olho. 0 escrivo registrava o que se
diia. As perguntas continuaran!.
Esteve pela meia noute, assentado
com sua mulher n'um canto da praca das
Acacias ?
Estive, sim senhor.
Contava dinheiro e fallava do cofre
de Bancelie l
Estava contando notas do banco e re-
fera uma conversa que houvera de tarde
entre mim e o Sr. Bancelle.
Exprime-se com clareza ; recebeu al-
guma instrueco''
Tenbo tido muitas vezes desejo de
aprender.
Onde est o dinheiro qae contava ?
Entreguei-o minha mOlher.
Porque estava contando dinheiro
quelle hora e naquell lodal?
Porque dizia minha mulher que
eetavamos em cricumstancas de deixar
Caen, para noe irmos estabelecer em Paris.
Donde Ihe viera o dinheiro?
Do meu negocio.
Era somma consderavel ?
Eram qaatorze notas de qurohentos
francos.
9eguio-se urna pausa que durou muito
tempo, durante o qual o Sr. Roland mandou
ao escrivo que fizesse leitotii do auto.
(Oentmuar-se-ka)

*


3
>
y
i

^

T1P. DO 1MARIO-RIA DAS tECZKS R. .


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E73WEPDG7_C072V3 INGEST_TIME 2013-09-14T02:43:59Z PACKAGE AA00011611_11865
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES