Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11863


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLV. NUMERO 131.
t
FU A CAPITAL E LUGABES ONDE IAO SE PAGA POETE.
?<* tres to*m aflautado.................. ^qqq
r sois ditos ideoi. ..........vH? ... 124000
Por om aano ideru.........?.......... 2M000
Cada Homero uteo.......<-.....'.... 1330

SEXTA FEIM II DE JUNHO DE 1869.
--------------------------------------------------------------------.. ------------------------------------------------_____________________________________________
.....
PARA DENTHO E FORA DA PB0VDTC1A.
Por tres mezes adiantados................
Por stfe ditos idem................."."""
Pdrami ditos idem............* ....'.'.' !
Por mu anno..........
amo
274000
ProgHedade de JTanoel Fgneira de Faria & Filhos.


Os Srs. Gerardo Antonio Alves &
SAO AtUVTEN s
Filhos, o Par; Connives & Pinto, no Maranhao; Jo*qnfm Jos de Oh'veira, do Cear; Antonio de Lemos Bnga, no Aracat? i A>So Afana Julio Chavas no ann ini^in m,. a c-i ____. .. .
em Mamangua^j^Antonio Atapdrino e t? k Parte; Antonio Joe Gomes, oa,4 da Penha;1K S*Xf*, 12,5?"D^SOT^B^",l,,to, JS,UStB
em Nazareth; Francino lavares da e8ta, em Alagare; Dr. Jos Martins Alves, na Baha ; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
PABTE OFFICIAL
"-* .....------------....----------------,,,.. -. .. -
toverno da proTlncla.
SXJNBMKfcTK ASSIGV1DO PELO EXM SH. DR. SI A NOEL
w IH WMCtMKVTO MACHADO POHTEI.LA, VICB-PBESI-
Wwi "T ROVWm, t 28 l'K ADRIL DE 1869.
1* seclo.
1mS7.Portara ao Exm. Sr general comman-
dante w armas.Pode V. Exc. fazer seguir para
* airte oje no vapor Paran os recrula3 mencio-
nado* na felaeio janta ao seu offlcio n. 249 de
inratcm datado, rom excepcao dos de nomos Jos
.Intrato IMas e Jannario Jos da Costa, os quaes
tem reituACnealo dependente decisononldesta
presidencia.
2* seccao.
N. *8.Portara ao lotieute-eoroncl Joo Va-
lentina Tllela.Convido Vme. para comparecer
noste palacio uo dia 30 do corrate ao meio dia,
para facer parte da jtinta que em ultima instancia
tem do iulfar o cabo do carpo provisorio de poli-
da P i ;iliao Magno da Silva e ao soldado do mes-
mo caryo Antonio Gomes de S Leilao.
K..9M.Dita aojuiz municipal supplente de
Jpojuca feudo sido pelo juiz municipal efectivo
designado n forma da lei o escrvao coinpanlieiro
pin substituir ao I. tahelliao e eserivo privativo
de rnanos e residuos Antonio dos Santos Pureira,
durante o seu impedimento, nao pode esta presi-
dencia designar outro para exorcer ditos odiaos,
o <)" declaro Vmc. emresposta ao seu offlcio de
20 it correle.
N. 990.Dita ao commandante do corno provi-
*j-d polica.Pode Vine, engajar no corpo
sob o seu cominando, os paisanos Manoel Joaquim
de Saot'Anna, Hanoei Ferreira da Costa, Joao Fer-
aandei Laurindo e Henrique Cardoso da Cruz de
om traUM os seus offirios ns. 176 e 178 de 23 e
it do correte, lendo elles para isso a moralidade
no censara
X 991. Deliberacao. O vice-presidente da
rovincia, de conformidadecom a proposta dochefe
de pulida em offlcio n. 619 de hoje datado, resolve
exonerar, a bem do servico publio, do cargo de
-subdetegade do districto de Patmeira do termo de
ftaranhur.s a Jos Gomos da Silva Zco.
3.* scceo.
N. 9d2.Portara ao inspector da thesouraria de
azea la.Designe V. S. trm empregado que no dia
I.* de marco as 8 horas da manhaa passe revista
da roostra a i. batalhao de artillara da guarda
nacional, que so acha acuartelado e aos conlingen-
109 ao dito batalhao addidos.
N. 993.Dita ao inspector da tliesonraria pro-
vincial. Aunuindo ao que solicitou o lenente-co-
I comuiandaute do corpq provisorio de polica
m olicjo di 26 do crrente, sol n. 181,'recom-
meado V. S. que mande adiantardous meze= de-
vpoMmentos, a contar do I de maio prximo
. m iJ'iuro, a i offlcial 'e 46 i iracas do mesmo corpo
iaoacadas as villas de Ouricury e Granito.
!f 994.Dita ao mesmo.Em visu da conta e
relai^a jonUs, mande V. S. liquidar as despezas
feitas com o sustento dos presos pobres da
aili do termo do Brrjo, durante o mez de mareo
oiino o pagar sua importancia a Jeronymo 1*0-
reir Xanas, ou a Evaristo Mondos da Cunha Aze-
vedo, eanforuie solicitou o chefe de polica em of-
Bcio do 2d do corronte, sob n. 610.
N. 995.Dita ao mosmo.Autoriso V. S.. nos
erraos de #ua informa cao do 26 do corronte, sob
n I9, a mandar pagar quantia de 1013200 em
ijue, segundo a inclusa conta, que me remetteu
camaa munipal do Limoeiro, com offlcio de 20 de
marco prximo lindo, imporiaram os reparos ur-
leates de que precisa va a ponte do Pirauhira, cuio
> sendo arrancado pela ultima enchente do
ro Cipibaribe, tornou-se intransitavel.
N. 996.Dita ao mesmo. Tendo nesta data e
?m ist de sua informaoao de 20 do crreme, sob
n. 202 c do tbesuureiao das loteras de 27, conce-
dido a autorisacao ipio pedio o administrador das
bras da eapella de S. Joao Baptista de Abreu de
Loa, Antonio Augusto Maciel, para despender com
as alosmas obras at a quantia de 8614510, para
>cr idemnisado depois de apresentadas nessa the-
aria as respectivas con tas com o producto do
benefirtt da lotera concedida a favor de taos obras
i qual tem de ser exlralmla hoje; assim o com-
raunki V. S. para seu conhecimento e lins eom
nieaJes.
4.* seeofi >.
S. 997t)fflcio ao Exm. Sr. vice-presidente do
idear,Pelo seu offlcio do 2i do corrente, sob n.
i, Gquei inteirado de haver V. Exc, na quahdade
desea t* vice-presidente, assumido nessa data a
admiuistraco dessa provincia. Aproveito" a occa-
sa p^ra apresentar V. Exc. os protestos de mi-
aha eslkna e alta consdera^ao.
K. 908. Dito ao Exm. Sr. vice presidente do
ii'iauby. Picando inteirado pelo seu offlcio de 3 do
crtente, de haver V. Exc. na qualidade de seu
I.* ic-presidente assumido naquella data a ad-
miaiUratii' dessa provincia, tenho a dizar a V.
Kxfi. que me encontrar sempre disposto a*um-
prir suas determinacoes, quer sejam. relativas ao
sorrieo publico (|uer no sen particular.
N. 999.Dito aoExra. Sr. presidente do Mara-
ahaaCom o offlcio de V. Exc. de 7 do corrento,
rocebt doua exemplares dos actos da assembla
ejiKlativa dessa provincia, publicados o anno pas-
-..Jo c igual numero das declsoes e regulamen-
tos cipdidos por essa presidencia no mesmo
:uino.
K. IODO.Dito ao Exm.- Sr. presidente do Para.
ppoi tunamente vai ser enviado ao ministro
taueiro em Paris, o offlcio uue para ter esse des-
,nn V Exc. me remetteu como seu de 17 do cor-
N 1001.Portara a cmara municipal de Fi-
res.Para se poder resolver acerca da arremata-
o dos itnpostos de que trata o offlcio que a ca-
.' ira municipal da villa de Flores dirigi a esta
iresideaeia em 16 de marceo ultimo, mister que
t -nisiia cmara remeta copia do termo da refe-
rida ai ivmatacao, alim de saber-se por que lempo
o imanas furam elles arrematados. ';
N. n>v)2.Dita aos agentes da corapanhia Brasi-
leirad: panuetes vapor.Os Srs. agentes da
ampanhia Brasileira de paquetes vapor, raan-
4ea dar transporte para a erte, por conta minis-
terio da guerra, no >apnr Paran, aos recru-
tas eoastantes da relicto junta, assignada^elo se-
elario do governo
N. 103. Deliberacao o ^ice-presidente da
provincia, auendendu ao quereqaereu Isidoro Ma-
nato Cesar,proessor publico da cadena de ins-
trr^*> primariarfe Bello-Mcnte, removido para
de Timbaba e em vista da informaoao doirec-
tor geral inteoino da instruccao publica de 21 do
corrate, sob k. 123, reeolve ooreedcr-lhe o praso
4e 30 das improrogaveis a contar do dia 8 ueste
aaa, para eatrar no eiercicio de sua nova cadeira
seca prejuizo seus vencmentos.
cunuTt agnaiiADopelow. dikiuuicorrea
JB aaAL'K), SWUTAB10 00 00VILN0, EM 28 DE
inu. de 1869.
-3.' seccao.
* N. lOOi.^-OScio ao inspector da thesouraria de
{nenia.-0 Exm. Sr. vice-presMente- da provincia
manda communicar V. S. para os devidos Dos,
\"i\ tnsjtwh p*rli'''P/'" o onoaadante auparior
da-fuarda-BMional > municipio da'Boa-vista, foi
dMxaaa epeate Jo BeaafM Lina, fuutm-
a*4>r*4i(tteraenw da Oortoury, porler tal-
leeide a 19 de marco ulmo^ftiUnotle Bomiafes
daS^aS^dWia, qto eommaA\'a. _
9, MPLPito ao mesmo.O Exm. Sr. vi* .
prnfljcnte 4a provincia manda declarar V. S.i-tymejaa-e wpiitiwihi a dMw;aje-4itft
------------------------------------:-----------#-
para seu coaheciiueoto e fins convenientes, que,
segundo offlcio do commandaote superior da guar-
da nacional da Boa-vista, do 5 do corrento, a 13 de
feveretro ultimo, foi apresentado ao delegado de
polica do termo de Ouricurjwo destacamento que
para aquella locahdade mareou a tabella de de
novembro do anuo prximo passado.
4" seccao.
N* 1006.Dito cmara municipal do Limoei-
ro.S. Exc. o Sr. vice-presideiite da provioeia
manda declarar cmara municipal da villa do
Limoeiro, em resposta ao seu offlcio de 20 de mar-
co ultimo, que a thesouraria de fatenda tem or-
dem para pagar a quantia de 101A2O0 rs., cons-
tante da conta qne veio annexa ao citado offlcio.
EXPEDIENTE ASSIONADO PELO EXM. SR. DR. HANOEI.
DO NASCIME.NTO MACHADO PORTELLA, VICE-PRESI
DE.VTB DA PROVINCIA, ESI 59 DE ABBIL DE 1869.
1* seccao.
N. 1007.Portara ao Exm. Sr. general com-
mandante das armas.Por parte do capilo do
porto llie serio mandados apresentar, aflm de se-
ren alistados no exercito, se forem julgados aptos,
os reerutas de nemes Manoel Luiz de Souza, Mi-
guel Francisco de Oliveira, Boberto Jos Goncal-
ves, Goncalo Valerio de Araujo, Agostinbo Baptista
da Silva, Joarpiim Marinho, Antonio Francisco de
Barros e Jos Joaquim de Santa Anna.
N. 1008.Dita ao director interino do arseml
de guerra.Autoriso V. S. a mandar entregar a
Manoel Simplicio Corroa Leal, tutor do menor Joao
Agostinbo de Gouva, que se acha alistado na eom
panhia de aprendizes desse arsenal, urna vez que
elle satisfar fazenda a despeza feita com o men-
cionado menor durante o tempo de sua estada
nesse estabelecimento.
N. 1009.Dita ao capitao do porto.Mande V.
S. apresentar ao brigadoiro commandante das ar-
mas, os recrutas mencionados no termq de ins-
peccao junto ao seu offlcio de 26 do crreme, sob
n. 53, de nomos Manoel Luiz de Souza, Miguel
Francisco do Oliveira, Roberto Jos Gnoaives,
floncalo Valerio de Araujo, Agostinho Baptista da
Silva, Joaquim Marinho e Antonio Francisco de
Barros, alim de serem aproveilados para o servi-
co do exercito, se forem julgados aptos, e bem
assim Jos Joaquim de Santa Anna.
2* seccao.
N. 1010.Portara ao chefe de polica.Sendo o
destacamento de Limoeiro do 15 pracas, na> pode
ser, como pede o delegado daquelle termo, com-
mandado por um otl.oial subalterno, pelo que de-
ver elle requsitar um outro sargeotoi'em subs-
titualo ao que ah se acha, se, como informa, nao
man'tm este a devida disciplina emdito destaca-
mento.
N. Wll.Dita ao mesmo.Em resposia ao offl-
cio de V. S. "do 26 do corrente, sob n. 613, tonho a
o>clarar-lhe que ordene a delegado do termo de
Garanhuns, qne remeta eom urgencia para esta
eidade os. recrutas que all tiver, acompanhados
das respectivas guias.
N. 1012.Dita ao mesmo. -Inteirado de quanlo
V. S. me participa em offlcio de 28 do corrate, sob
n. <*), tenlio a dizer-lhe fie irprotwla emtra
os criminosos a que elle se refere, na forma da
lei.
N. 1013.Dita ao coronel Rodolpho Joao Barata
de Almeida.Tendo designado V. S. para fazer
pacta da junta que em ultima instancia tem de
iulgar o cabo do corpo provisorio de polica Pau-
lino Magno d Silva e o soldado Antonio Gomes de
S Leilao ; assim Ib'o eommunco, convdando-o
para que compareca neste palacio a 30 do corren-
te, as 12 horas do da".
N. 1014.Deliberacao.O vce-presidento da
provincia, de conformidade com a proposta do
chefe de polica em offlcio n. 608, de 2i do corren-
te, resolve exonerar Domingos Gomes de Souza, do
cargo de segundo supplente do subdelegado do
districto de S. Vicente do. termo de Itamb.
N". 1015.Dita.^0 vice-presidehle da provin-
cia, de conformidade com a proposta do chefe de
polica em offlcio n. 007 do 24 do corrente, resolve
declarar sem effeito a noineacao de Manoel Car-
neiro Leao, para o cargo de primeiro supplente de
subdelegado do districto de Muribeca, visto nao
ter elle prestado o devido juramento.
N. 1016.Dita.O vice-presidente da provin-
cia, conformando-se com a proposta do chefe de
polica em offlcio n. 607, de 24 do corrente, resol-
ve nomear para o cargo de primeiro supplente do
subdelegado do districto de Muribeca, ao capitao
Jos Caetanode Albuquerque.
N. 1017.Dita. O vice-presidente da provin-
cia, de conformidade com a proposta do chefe de
polica em offlcio n. 608, de 24 do corrente, resolve
nomear para o cargo de segundo supplente do
subdelegado do districto de S. Vicente do termo
de Harne, a Luiz Gnedes Alcoforado.
N. 1018.Dita.0 vice-presidonte da provin-
cia, de conformidade com a proposta do chefe de
polica em offlcio n. 606 de 24 do corrente, resol-
ve nomear para o lagar vago de subdelegado do
Srimeiro districto do termo de Cimbres, a Antonio
e Siqueira.
N. 1019DitaO vicepresidente da provincia,
attendendo ao que Ihe requereu o tenente-coronel
coinoaandanto superior da guarda nacional do mu-
nicipio de Sernhem, Coriolano Velloso >la Silvei-
ra, resolve conceder-he tres mezes de licenca para
tratar de seus negocios particulares fra do muni-
cipio.
3"secro.
N. 1020.Portara ao inspector da thesouraria
de fazonda.Autoriso V. S., nos termos de sua
informacao de hontem, sob n. 227, a mandar en-
tregar, mediante flanea idnea, ao vigarlo da fre-
guozia de'aboalao, Manoel Esperidiio Munz, a
quantia de 8614510 rs., que se acha depositada
nessa thesouBeria, proveniente do beneficio da
quarta parte da lotera estrahida a favor das
obras da igreja matriz daquella freguezia.
N. 1021.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.De conformidade eom o parecer da con-
tadura dessa thesouraria, que se refere a sua
inf irmeeao de 26 do correte, sob n. 221, prestada
acerca do requer monta uno incluso devolvo, man-
de V. S. pagar ao empreiteiro do calcamento desla
eidado a quantia de 36:6485330 rs., que, seguodo
mencionado parecer, e Ihe est a dewr, prove-
niente do salsamento executado nos meses de fe-
vereiro e marco deste anno.
N. 4022.DiU ao mesmo.Transmiti por co-
pia V. S. para seu conhecimento e flns conve-
nientes, o offlcio de hoje, sob n. 170, em qne q
chefe 'da repartico das obro publicas participou-
me haver mandado lavrar o termo de reoebiotento
provisorio das obras da ponte do Bujary, e passar
ao respectivo arremtame, Miguel Laurintho de
Siqueira Varejo, o competente eertifleado, aflm
dequepossa receber a importancia da terceira
presiacao a que tem direito.
N. 1023.Dita ao mesmo.Pode V. S., nos ter-
mos de sua informacao de hontem, sob n. 226, a
mandar entregar a Maeool 'do Sacramento d* Sil-
va, na qualidade de i theairoiro da irmandade de
Nossa Senhora do Guadalupe, na e/dade deOlinda,
depois de prestada a necessaria flanea e mostrar-
se elle competentemente atorsadoara"es9e flm,
a quantia de 861*510 rs., que, segundo- citada
mforisagao, acha-se deposiuda nessa thesouraria,
proveniente do beneficio daquaru parte da sex-
ta e primeira da stimaloiriav ftT|rah'dns a favor
da obras bjqoella *greja.
ca do mencionado offlcio a thesouraria provin-
cial para os m convenientes.
4*seceo.
N. 1025.Portara a cmara municipal doltain-
b.Devendo ser feita as arremaiacoos das ren-
das numeipaes por lemptf'dtnill a trea anuos,
como dispde o art. 27 da lei n. 120 de 8deaaaio n
1843, informe a cmara municipal da vrHa do
Itamb^ qual o motivo que teve para fczer arre-
malar pelo praso de 5 mezes os impostes de que
trata o seu offlcio de 21 do eorrente.
N. 1026.Dito ao gerente da cftdtpMhia Per-
nambucana.') Sr. gerente da eompaohia Per-
nambucana d passagem, at o porto d Pifadeas,
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
onsta das participaces retenidas hoje nesta re-
oarncao, forara recolhidos casa de detencao os
sexuales individuos:
'j)rdera do subdelegade' de Santo Antonio,
Beowrao, 'escravo de Agnello dAraujo Pernam-
buco, por fgido.
A'^rdem do de Boa-rsta, Maria Romana do
Paraito e Anna Joaquina da Sacramento, por
brlga.
O delegado do termo de Flores, por offlcio de 27
uo mat lindo, en que aecusa o recebimento das
arg* dos mantenientes e ambulancia de medi-
;amejflos, que Ihe foram reroeltidos- para serem
a roupa do corpo ojee* caifa e
zei
eir- do re
rasen
febre's de mo caracteii que esta va m
indo nos mesillas termos, communicou-me
Hiepoucos foram os cases da epedemia que all
am. e que o julga por isso quasi extincta.
offlcio de 20 do dito mez, partieipou-me o
do, termo de Floresta, que no dia 30 de
Itbno, foi preso pelo subdelegado de districto
irid, e se acha reeelbido a cadeia de Flores,
rece maior seguranza, e crimiooso de dif-
is mortes de nome Bernardo, conhecido por
o, tendo sido os ltimos crimos de morle
polo mesmo e outros perpetrados, os de que foram
vctimas o preso Antonio Mendes de S e um sol-
dado.
BeOS guarde a V. ExcIlla e Exm. Sr. vice-
presidente da provincia r. Manoel do Nasciuien-
to Machado Portella. O chefe de polica interino
F. de Assis Oliveira Maciel.
no vapor que segu para o sul amamiaa, ao iteres I dostribuido* pelas pessoas desvalidas accomraetti-
Aotonio Henrique de Miranda e 4 praeas'do 'cor- das, l'aquelle termo, e nos de Villa-Bella e kga-
poprovi-orio de poWcia, que vaeem dedgencia, -
sendo aquel le arte estas a pro*; per ctmta do.
ministerio da jostlea.
N. 1027.Dito aoinesmo.OSr. gremeda com-
pMkfa Pernambucana mande dar transporte para
o presidio da Fernando, por conta do mimstorio da
guerra, no vapor Giqw, a D. Claudina da Costa
Galvo mulbor do capitao refrmalo do exercito
Leipoldo-Borges Galvao (Jeha em servico naquel-
le presidio.
N. 1028.Dita ao mesmo.O Sr. gerente da
companhia Pernambucana mande dar transporto
no vapor, qne para alli segu no dia 10 de maio
vmdouro, em lugares de r destinados a passagei-
ros de estado Joao Goncalves Pires Ferreira,
Maria da Costa Pires Ferreira e Bellarmina Beni-
iada Costa, irmaa e cnhado do major em ser-
vico da praca do presidio de Fernando capitao Leo-
poldo Borges Galvo Ucboa.
N. 1029.Deliberacao. O vice-presidente da
provincia, resolve nomear o Dr. Alexan 1ro de
Souza Pereira do Carmo, para exercer interina-
mente, e sem vencimentos pelos cofres pblicos, as
funeeesde inspector da sade do porto desta ci-
dade em quanto durar o impedimento do respecti-
vo proprietario.
EXPEDIENTE ASSKN.ADO PELO DR. JOAQUIM CORREA DE
ARAUJO, SECRETARIO DO UOVEIINO, ESI 29 DE ABRIL
DE 1869.
2." seccao.
N. 1030.Offlcio ao Dr. chee de policia.O
Exm. Sr. vice-presidenle da provincia manda
transmitr a V. S. o titulo jnuto da nomeacao do
capilo Jos Gaetano de Albuquerque para o cargo
de 1 supplente do subdelegado do districto de
Muribeca, de conformidade com a proposta de V.
S. em offlcio n. 607, de 24 do corrente.
N. MJ3LDito ao mesmo De-ordem do Exm."
Sr. vice-presidente da provincia transmiti a V.
S. o titulo junto de nomeacao de Luiz Guedes Al-
coforado para o lugar de 2o supplente d subdele-
gado ds districto deS. Vicente,do termo- d llamb.
N. 1032. Dito ao mesmo. Em vfe|a do que
expoo o cohector de rendas geraes de municipio
de Flores no offlcio junto por copia, a que se re-
fero o do inspector da thesouraria de (azanda da-
tad da tiontem e sob n. 260, espora Y. S. suas i
ordons para que seja garantido o mencionado cel-
tecter na irggressfio qu"se Ihe pretendo faaer.- -
N. 1033.Dito ao mesmeDe ordem do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia transmuto a V. S.
o titulojunto de nomeacao de Antonio de Siqneira I
l'essoa, para o cargo de subdelegado do Io distric- l
to do termo de Cimbres, de conformidad com a
proposta de V. S.em offlcio n. 606, de 24 do cor-
ronte.
N. !034.--Dto ao eommandante suporior inte-
rino da guarda najfonal deste municipio. 0
Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda de-
clarar V. S. qu fieam expedidas as convenientes
ordens para que no dia 1 do corrente se passe
revista de inostrf'ao 1* batalhao do artilharia e
aos contingente* a elle addidos que se acham
aquartellados, de conformidade com o seu pedido
em offlcio n. 63, de 27 do corrente.
N. 1035.Dito ae commandante do corpo pro-
visorio de policia.O Exm. Sr. vice-presidenle da
provincia manda declarar a V. S. que nesla data
se mandou dar as passagens de que trata o seu
offlcio n. 187 do 28 do corrente no vapor da
companhia Pernambucana, que deve seguir para
o sul amanlia.
3* seecao.
N. 1036.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda S. Exc. o Sr. viee-presidente da provin-
cia manda devolver a V. S. competentemente des-
pachado, o requer ment documentado deD. Ma-
ra Clara de AssumpcSo Sampao e outras a que
se refere a sua informacao de 26 do correle n.
250.
N. 1037.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia, respondendo o offlcio de
V, S. datado de hontem e sob n. 260, mande de-
clarar, que necia data recommendou-oe ao ohefe
de polica a expedicodo suas ordens no sentido
de ser o coilector de rendas geraes do municipio
de Flores, gogantido de qualqucr violencia ou ata-
que que contra ello lentem.
4* seccao.
N. 1038.Offlcio ao Dr. Arminio Coriolano Ta-
vares dos Santos, 1 secretario da assembla le1
gislativa provincial.N. 57. S. Exc. o S. vice-
presidente da provincia manda remetter a V. S.,
as informaeoes ministradas pelo director ge-
ral da nslruccao publica e pelo inspector da the-
souraria provincial sobre a peticao do professor
do latim com exercicio no gymnazio, Jos Nicacio
da Silva, que acompanhou o offlcio de V. S. n. 63
de 16 de maio do anno passado, e ora devolvo.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 11 DE Jl.NHO DE 1869.
NOTICIAS DO NORTE DO IMPERIO.
Gfcegqu hotitem o vapor Cruzeiro io Sul, tra-
zondo jamaos do Para at 1, do Maranhao at 3,
do Cear at 6, do Kio-Grande do Norte at 8 e
da Parabyba at 10 do corrente.
PARA.
O total da lista de subscripeo pira a formacao
da companhia de navegacao a vapor nos ros To-
cantins e Aragaaya, elevava-sea 191:3004.
Nos saltos do Cassino Paraease, foram dados
done bailes, pelos empregados da inesouraria de
fazenda e da alfandega, aos Srs. Jos Francisco de
Moma e Bernardiuo Jos Borges, cuetes dessas
daas repnrticoes, removidos pelo governo impe-
rial para iguaes cargos na da Babia.
Dos algansmos seguintes se v o progressi-
vo augmento da renda liquida da alfandega da ca-
pital nos dez ltimos annos:
185859......... 1,286:073*000
1859-60..........L496:163*UO0
180061......... 1,921:235,1000
186162......... 1,489:200*000
4062-63......... 1,356:164*000
Mr-- -bd-^0......... 1,958:973*000
186463......... 1,834:460*000
I860V.66......... 1,891:030*000
1866-M57.......... 2,252:150*000
186768......... 3,215:623*000
186869 (11 mezes) 3,310:101*000
O vapor Obklos, da companhia do Amazonas,
irouxe a reboque, no dia 21 do passado, o apa-
jos, que se achava impossibilitado de continuar na
viageui, por um desarraujo sobrovindo a sua ma-
china na altura da ilha das Araras.
O Sr. Jos Antonio Valeute da Cuuha alfor-
riou um seu eccravo, e offereceu-o ao governo pa-
levando de mais
camisa.
CEAA.
Para servir interinamente de director geral da
instruccao puniera, foi designado Dr. Jtw Loa-
renco de Caetro tr Silva, lente de francez do H-
ceu.
Cartas do Taab, de 19 de maio, do muta
clwvido iodo o Inhamuns.
A alfandega rendeu no mea de maio ultimo
liO.J36|il8rs.
an oaie.
Nada oceorreu que mevera meoeao.
naoavM.
Escreve-nos nosso corresiiondenl?, em 9 d cor-
rente :
Rectifico a noticia que Ihe dei sobre o naufra-
gio da escuna ingleza Eiita te Jane, encamada nos
baixos da praa de Lucena, da-cossa costa.
A oloroos dos vaporea costeiroada compa-
nhia Pernambucana foi salvo o casco do navio
W se iulgava irremediavelmente perdido, e, com
elle, todo carregamento eom pequeas avarias.
A carga linipa so-segui para esse porto nos
sobreditos vapores, para ser entregue a qoem de
direko fr, ou vendida em leo por cenia do se-
guro ;a que soffreuinsulto daguasalgada ser
aqu arrematada em presenca do vice-consul n-
glez, como de costme.
O navio foi rebocado para o ancoradouro do
Cabedello, onde existe fumkado, faaendo muila
agua; informam-me, porni, que as avarias sao
susceptivois deconcerto, eom quanto dispendiosas,
ao que parece.
L-se e vai a mmrimir o segnnte perecer :
A commissaode ordenados, lendo lido e exa-
minado con* a dovida attencio, a.petico do ba-
charel Horacio WaKrido Peregrinaba va, offl-
ciai da seecao do contencin da tbesouraria oro-
n'^'t;a,ren(leiKlo-a(*ue as razTarosnUdas
rt* !uP,lcaote saw ***, e a qna as informa-
oes dadas pela reparttcao competente, Iho sao em>
luao ravoraveis; de parecer que seja adoptado
o seguate projecte de lei ;
.. A.11 [' Pa o offlcial da seccao do conten-
cioso da Ihesouraria provincial, emu a catiiegoria
e vencmentos de 1 escripturaiio da mesma the-
souraria.
Revogadas a disposicoes em contrario.
Sala das commissoes, 24 de malo de 1869.
& Ptmtml.C. Mtmva-. .
adiao Pr Pedir a palavra o Sr.
L. Machado, o segnnte parecer :
A eommisso de ordenados, examinando com
a devida attenijo a peticao de Joao Carneiro Mon-
teiro da Silva Santos, 2* escripUiraro da 4" sec-
cao da eontadona da thosouraria provincia, em
que pede, que se Ihe mande pagar tuna gratifica-
cao da qumta parte dos vencmentos de i* escrip-
turario, durante o tempo em que tem eetadoe cs-
11 ver com licenca o 1 eseriptiiraro Moreira Tem-
poral ; attendendo a que, o que pede o snpplcan-
to, contra as dsposices do decreto n. 1,995 de
14 de outubro de 18o7 e do art. 47 do regula-
mento da thesouraria provincial, em qne se esta-
bewM que os empregados da mesma elasse mbs-
tituirao uns aos outros, sem <|iie |>or kso perce-
e=enda^ dojr. Borges $&!f%^ d6 "* ^ *
e Sala das commissoes, 24 de maio
ftW t024.-d>tto ehefe do, TepoaiOio das obras p
obe.*"tcoiateirao de-quaato Vao. partieipou
em nliio do uojoaob nr.jTO, aoeroado reoebi
monopr.ivwcrio das obr* da pnatdo Bvjarv de
*Vj darremaUmoiMigiot LaailWidw Sqo
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 8 DE JUNHO
DE 1869.
Aristo de Barros Correa.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazonda.
Antonio Jos Martins Pena.Prove o suplican-
te onde-mora.
Abaixo assignados moradores e proptietarios na
povoacao de Beberibc e estrada d'Agua-Fra.
Nesta datase mandou orear a despoza aazer-se
com a ponte a que alludem, alim de se> poder to-
mar em considoraoo o que allegam es suppli-
cantes.
Cesario de Souza Leo.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincial eom urgencia.
Carlos da Silva Ferreira.Sejam entregues os
documentos smente, mediante recibo.
Francisco Xavier Casaleante Lins.Conceda-so
aprorogacao de seis mezes requerida, e nos ter-
mos das informaeoes.
Irmandade de S. ebasuo da vllt do Bonito
Informe o Sr. inspector da thesouraria provincial'.
Joao Severino Bastos.J se expedioorden para
o supplicante ser posto em liberdude
Tenente Joaquim Fernando- de Castro e Silva.
Ao Sr. commandtnta superior interino da guarda
nacional deste" municipio com o seu offlcio a. 45 de
27 de marco ultimo, e anterior roquerimento do
supplicante para indicar o batalhao a que o mesmo
sumicante deve ser aggtegado.
Lote Antonio Cabra!.lnforoe^o Sr. Dr. jai
municipal da 1 vara.
Lucinda Casada'Llma.Satrsra?a*a exigencia da
contadura da thesouraria provincial.
MMoel JncJntbo.-^oforme o Sr. Dr. chefe de
policia.
Maria Francisca da Conceicao.Informe o Sr.
juiz municipal da 1* vara.
D.-ilKndlaMiilnes'Csvalcioiti.Informe oSr
chefe ip.terino da reparticao das obras pnMieas.
Rl>tw(lfio da polica.
S* seccao.eereuria da polica do Pernambucoj
lOdeiunhodtfWW. ]
N, 851.-4Hm. e Exm, Sr.Tenho a honra do
a servir no exercito coutra o Paraguay.
Urna ercrava do Rvm. conego Eugenio, deu
a luz tres ercauces, robustas, e com tendencias de
viverem longos oas.
as praias de Jaguaraj, districto de Posta
do Podras, foram apanhados os destroees de um
navio, constantes de um bolo, leudo na popa do
lado externo Alabuma=Licerpuol e do lado inte-
rior John G'illie, 17 taboas*em mo estado, ditas
vigas, duas bombas do madeira, cavilhas e pre-
gos. Todos estes objeclos foram rocolhidos pela
autordade policial.
O descont na praca regulava 12 a 15 por
cento ao anno.
O ouro ora assim vendido : moedas de 165
de 24* a 25*, ditas de 9* de 13*500 a 14*, libras
sterlinas de 13* a 14*.
1'icavani carga os navios : Saint Lotus e
Cora para o Havre ; Isabella e G. Banker para
New-York ; Delta para Londres.
MAUANHAO.
No dia 1 do corrente leve lugar a abertura so-
lemne da assembla provincial, cuja mesa admi-
nistrativa ficou assim composla:
Presideote, Dr. Fernandes Silva.
Vico-dito, padre Carvalho.
1 secretario, major Malla Ferreira.
2 dito, major Pereira de Mallos.
Fallecern): o teuente-coronol Frederico dos
Reis Albuquerque; e o Rvm. Joao "Joaquim Gui-
maraes, vigario collado da freguezia de S. Bene
dicto de Caxias.
O brigue brasilero de guerra Maranluio sa-
n nt para crusar, no dia 30 do passado.
r- A alfandega rendeu no mez de maio rs.....
225:758*939. v
Durante o mez de maio vieram ao mercado
da capital : 4,295 saccas eom algodao, 41 pipas
com agurdente, 356 saceos com assucar, 12,694
alqucires de arroz, 8,483 ditos de farinha de-man-
dioca e 2,500 couros de boi. '
Estavam carga os navios : Anglica e flom
Successo: para Lisboa ; Lisboa para o Porlo ; A.
Williams, Concordia e anish Primes para Liver-
pool. *
* PIAUHT.
A alfandega da Parnahvba rendeu nos mezes de
feooMjro abril ultimo 114:813*261, dos quaes
50W592 em euro.
Lemos no Piauhy :
a Na fazenda Caracol, do capitao Domingos
Das Ssares, do termo de S. Raymundo Nonnato,
deu-se um crime dos mais horrorosos, que se tem
visto.
Um escravo, chamado Potencio, mas que all
resida ha qualro annos, como forro, com o nome
mudado de Manoel Joaquim de Sant'Anua, pW al-
caoha Manoel preto, da villa do Urub da provk
cia da Balita, assassinou em ibas* de marco passa-
do, ajun pobre velho quo alli apparefeu, pele
simplew faci de o ter conhecido, botando urna
emboscada na estrada que daquella fazonda se-
gua para outra visinha chamada Tanque; e, con)
escotadas ftizendo a victima perder os sentidos,
eonchuio-a para fora do carainho, alli enfiou un
torno de pao na caneca do cadver at vara-lo, e
entrar no chao; abrio-o cem urna pequea faca,
que irazia, tirn os intestinos, e condutio-o sobre
as costas, iodo depostta-lo, msepnlto dentro da ca-
tinga na distancia de meia legua,
* O assassino ter vinte ofelntos annos, criou-
lo, muito alio e sbeco, tem urna cicatriz em urna
das orelhas, presnme-setiao ter dentes na frente,
resto ruis cemprido do que redondo, discantado,
psuea o*i nenhuina barca.
t Conseguio-se evadir para o termo do Bom-
esus da Gurguem, ende, senda perseguido pelas
oseottas, qne oegdlram para o prender, as quaes
fez- resisieneia, eieseapandose, proenrou o termo
de Jorouenha, fazendo-ae sordo e mudo para eom
aquestas pessoas, eom as quaes acontece encontrar
em.csminho, ou em algnma casa, em qupvai pe-
dir 1ePT, -poiiaue no-cotrtieto da prioio tudo
daiwwdoque'WndrBia, meaos-a fatw e*i Upo;
gereme da referida' eompanbia, e actividade e
delgencas do pratico Pelippo, deve-seeste bom
resultado, que aproveita sobretudo aos interesses
das eompanliias de seguros, que to prejadicadas
sao ordinariamente nestes sinistros.
O honrado negociante inglez dessa praca, Sr.
Felippe Needbara, que aqu esteve algnus das do
visita, auxiliou com feha xito, por suas relacoes
.commerciaes nesta capital, o Sr. gerente Borges.
em tudo quanto desejou a bem dos mesmos salva-
dos, pelo que tornou-se credor de merecidos en-
comios, que registro com prazer.
A tranquillidade publica e seguranca indivi-
dual e de propriedade, nao teem soffrido alteraeao
em toda provincia, continuando a ser favoraveis
as noticias ebegadas de varios pontos do sertao a
respeito do inverna, o que muito para agradecer
Divina Providencia.
< 0 Exm. Sr. Dr. Sil vino Elvidio, contina na
suprema administraclo da provincia, regendo-se
sempre pela norma da jastioa, tolerancia e mode-
raco, de que fez progrmala, ao empunbar as
redeas da goveruanca.
a A opposico prosegue na calmara e mutismo,
que de outras occasioes Ihe tonho referido, como
bem poder verificar de varios nmeros do Des-
pertador que Ihe remiti, onde nao se lem cen-
suras algumas marcha de sua patritica admi-
nistraeao.
* Agora Oca S. Exc. a espera de seu digno sae-
cessor o Exm. Sr. Dr. Venancio Jos de Oliveira
Lisboa, presidente numeado para esta provincia,
200 me persuado chegar amanba no vapor do
ul, segundo noticias da corte, de que foi o Cru-
zeiro portador.
Aguardamos S. Exc. com mximo internase,
desojando-llie una feliz estroa em sua carreira
administrativa.
Corre por aqui a noticia do ter sido escolhido
senador por esta provincia, o Exm. Sr. Baro do
Mamanguape, doputado pelo primeiro districto
cmara temporaria.
t Nao obstanteserem dignos dessa honra quaes-
quer dos personagens incluidos na lista trplice,
felicito a provincia por semellianto occorrenoia,
que corresponde sua expectativa, por causa do
bollo carcter e distincias qualidades, que ornam
a pessa do escollado.
r O Exm. 8r. Dr. Silvno acaba de fazer duas
nomeaQoes, que iwnram asss seu lino administra-
tivo, pondo bem era relevo o seu espirito de tole-
rancia e de juslica.
Foram ellas, do Dr. Abdoo Felioto Milanez
para o lugar de medico do collegio de educandos
artfices, e do Dr. Motta, para o cargo de cirur-
gio-mor da provincia.
Os principios politices do Dr. Abdon sao bem
notorios, com quanto exercidos sem alarde ; pelo
que, e em vista d suas habilitaeoes, mereceu de
S. Exc. essa prova de benevolencia, que tem sido
muito apreciada pelos homons imparciaes.
J-se v que grande difterenca vai da quadra
actual para o tempo em que o Dr. Felizardo foi
t nata rio desta infeliz provincia, poreffeitos da
ja progressista de nefanda reeordaoo ; quando
declarava alto e bom som no seu palacio^ea
mo cortada tvesse, se algum dia assijbasse a
nomeacao de um conservador, para qualquer car-
go publico !
E, de Caito, o Ubrrimo e tolerante dooalario,
curapria religiosameote sua palavra, em todo lem-
po de sen execrando dominio 1
t Nao Ihe sirva isso de peso nconsciencia, so
outros peccados nao tiver de que aecusar^e.
Chegou des-a provincia, no dia Io do corrente,
e bospedou-se em casa do honrado oommerciaote
Sr. Augusto Gomes o- Silva, o Dv. 'Augusto Carlos
Vazde Oliveirav natural desta, promotor nomeado
para a comarca do Mamaaguape, o qual, dous
das depois, aegnio para seu destino, afkn de tomar
conta do sea lugar.
Pareceu-me um moco sympalhco e dignle
apre?o ; felicitamos,, pois,os habitantes daquella
comarca por-semelhante acquisico.
e Tivemos no dia 6 do corrente a procissao do
mea Mariano, a qual nao esteve lio brilliante^itjTde lSr?o7eVlvi'pr^s7'"intero
mo nos-anuos precedentes, e.n que era dingida.t- 0 primaria na villa de Pao d'Alho ; a
orgaiusada pelo finado padre Eduardo Mreos ae ^ ILt- a___.:s a~ di
Araujo, que era incnsavel e nimiamente zeloso
desta devocao.
De commereo nada tenho a referir-lhe, por
continuar a paralysaco das entradas de gneros
do interior da provincia.
PERNAMBUCO.
ASSEMBLA. PROVINCIAL.
SB93AO ORDINARIA EM 28 DE MAIO.
PBEStDSClA 00 SR. AUGUSTO U5A0.
Ao meio dia, feita a chamada, acham-se pre-
sentes- os Srs. Jansen.de Castro, Goncalvesda Sil-
va, Samuel Poniual, ranjo Bettro.Andr Cava I
canti;1tmygdio Marqnes, Augu-to Leao, Tiburtino
Nogaelra, E. de Barros, Lopes Machado, Felisbino,
Amaral eHoll), M. Araorim, Arminio lavares,
Amynthss;TA}Tes Gama, Jos GJtirana, Silveira
Lobo, baro de Una, E. Coutinho, E. Pina, Cicero,
Soares Brando e Gaspar Drummond.
Abre-se a sesso e elida e appfovada a acta da
anterior.
O Sr. Seckstario d'Tnt do seguate
BXTKbUUrtB
Urna peticJo da Irmandade de Nossa Senhora do
Amparo,da cidadede Ollnda, pedindo preferencia
para a extractan de duas parte|.da lotera conce-
dida sua igreja. A eoawBlsfto de of carnelo
provioclal. M
Ontra da irmandade de iossa Senhora da Bo
Parto da igreja de rSabaaiUb de'WWajjAada
preferencia para a eraij8o de urna partida lo-
tera que ihe foi waeellida A tmta m4
missap.
- de 1869.-
aHnatual.Carvalho Moma.
Sao apprwados os seguintes pareceres :
A eommisso de ordenados, lende com a de-
vida atten^io, a potic>> dirigida a esta assembla
lelos professor* de instruetro primaria da ca-
pital, na qual pedem augmento de ordenado e de
gratiUcacao : attendendo que essa elasse de em-
pregados pblicos se acha snfflcientemente remu-
nerada em vista da pequea recaa da provincia,
comparada con) as suas grandes despezas ; at-
tendendo que o augmento pedido, nao pode dei-
xar de trazer um augmento coosideravei as gran-
des despezas com que se acham ouerados os co-
fres pblicos provineiaes; attendendo Analmente
ao desequilibrio existente entre a recena e a dfes-
nexas da provincia, o que nao pode permittir a
ereaco de novas despezas; de parecer qne seja
indeferida a peticao dos supplicantes.
Saladas commissoes, 24 de maio de 1869.
Carvalho MounuS. Ponina I.
t A eommisso de ordenados, londo com a de-
vida atteneo, a peticao de Joao Vicente Ferreira
Passos, aposentado no lugar de porteiro da repar-
tigodas obras publicas, por portara da presi-
dencia de 23 de novembro de 1863; aneadendo
que a aposentadora Ihe foi concedida na confor-
midade das leis, que regulavam a materia naquel-
la poca ; attendendo que os serviros geraes, al-
legados palo suplicante nao Ihe podan) aprovei-
tar em vista das leis ns. 82 e 276 ; a Remiendo
que a lei n. 683, que manda contar pela quinta
parte, os servcos geraes por serem levados em
conta as aposentadorias, sendo muito posterior
ao acto da aposentadoria do supplicante, nao Hie
pode aproveilar, visto como nao tem a h i effeito
retroactivo ; a eommisso de parecer que seja
indeferida a petici do supplicante.
Sala das couimissSes, 24 de maio de 1869.
Carvalho Monr.S. Pmtual. a
A eommisso de ordenados, apreuiando cm
a devida atlencao, os fundamentes" da peticao de
Joao da Cunha Moreira Alvos, porteiro 4a repar-
tico da instruego publica, o verificando que a
diaria que porcebia o supplicante nao poda ser
superior 6005, visto como nada percebia nos
domingos e das santificados : assim como a van-
tagem que jesultou pira o supplicante, da lei n.
759, que nao so deu-lhe a catiiegoria do emprega-
do publico, mas ainda marcou-lbe o ordenado de
550 e a gralificaeao de 250, o que prefaz a
quantia de 7005, superior que al entao perce-
bia o supplicante, donde se evidencia a inexacti
dc das assercoes em que basent a sua peticao ;
de parecer que seja indeferida a mesma pe-
ticao.
Sala das commissoes, 2i de maio de 1869.
Carvalho Moura.8; Pontaal.
A eommisso de ordenados, lendo lido e exa-
minado a peticao de Jos Nicacio da Silva, pro-
fessor de latim com exercicio no gymnasio pro-
vincial, com todos os documentos e informaeoes
qne a acompanliam, em que pede a esta BBMBB*.
bla o pagamento da differenea entro seu ordena-
do e o qu percebia o professor da primeira ca-
deira da mesma lingua no mesmo estabelecimen-
to, porque estevo o supplicante na regencia desta
cadeira desde 4 de fevereiro de 1867 at a publi-
cnoo da lei n. 714, qne equiparon seu ordenado
aos dos demais professores ; attendendo a que o
regulamento do gymnasio provincial estabolece,
que os professores se substituirlo nos aos outros,
isto que quaodo vaga moa cadeira, ou impedi-
do o seu respectivo protesso*, ser substituido por
aquelle, coja hora de servico nao for incompati-
vel, porcebendo por isto a gralificaeao que
aquelle competa ; attendendo mais a que as in-
Kirmacoes dadas por mais de urna vez, pelas re-
partiroes impotentes sao contrarias a sua preten-
cao ; de parecer que soja indeirida dita pe-
ticao.
Sala das commissoes, 10 de maio de 1869.
S. PotUual.Carvalho Moura.
A corami.-so de ordenados quem foi pre-
sente a peticao e mais documentos de Joaquim
de ins-
attenden-
dendb que o objecto da petigo do supplicante,
da exclusiva compotencia da eommisso de orna-
mento, visto como requor o pagamento de venc-
mentos que cahiram em cxeracios lindos, de
parecer que seja a mesma peticao remetiida a
eommisso de faaenda e orcamento, alim do defe-
rir como Hr de justica.
Sala das commissoes, 24 de maio de 1869.
Carvalho Moum.S. Poniual.
A eommisso de ordenado, lendo a peticao de
Francisco SUverio de Faras Jnior, professor ad-
junclo das aulas de instruccao primaria desta_ ca-
pital, roquerque sobre a pelicao sejam, oavidas.
a thesonraria provmotal e a reparttcao da ms-
traecao publica, aflm de poder dar o seu pa-
Sala das commissoes, 24 de maio de 1869.
Carvajo Moura.S. Ponhal.
c A eommisso de ordenados, tendo examinado,
com a devida a atlencao a pehca de Izidoro Ma-
rinho Cesar, professor publico anadeira do Bello-
Monte,oemovdo para Timbadba, em que pede
que se Ihe mande pagar os vencmentos do mea do
junbo de 1866, que deixou de receber e cahiram,
em exereicios fiados attendendo a que o suppli-
cante nao prova com algara documento valioso a
trequeneia no exercicio nc seu emprego, durante
o mesmo mez e que a deelaracao de que o attes-
tado que prova a mosma trequeneia, acha-se am
mi do seu procurador, que est na, Europa, em
nada Ihe pode aproxeitar ; de parecer qne a
mesma petizo nao pode ser altenftda,Bm qnanto
o supplicante nao juntar un prova robusta da
meatna trequeneia.
t Sala das com/niMoes, tt de maio de 1UW.
S. PtMtvol.CattolAo Moura. ^^
A commtaoae de ordenados, ^*ftr1!t5mJSaa:J
com a aecessarla atten?Jo"a:pelicao deflenneundo


11MI

2 6381 O 'DHKUl'lQ t M31 HTX32 Diario de Pernambuco Sexta fera 11 tle Junto -de 1869.
M -MaBUR JLtt MR
Luiz de Carvalho, escrivo da eaa de detenclo
desta cidade, em que pede augmenlo de sea orde-
nado. reuucr que, pe^os canaes competentes sejam
pediAftvNwrmac^es, sobre a mesma petizo, the-
souriHf|envncial, para poder, dar o seu parecer..
Sala da* coramissoes, i\ de maio de 1889
Samuel PonlU'ili'.iircnlh') Moura.
E' IMoe Julgado objecto de deliberaeSoe man
dado imprimir o seguinte projecto.
A assembla legislativa pro-nnpial de Pernam-
buco, resolve :
Art. 1. Fiea WH-clidai Jua^uim Jos da Costa
a indemnisao de 20 0 0 dejuzida da ^oantia por
quanto arrematen o peJaftodas Irarreiras do M m-
gtiinho e Capuaga durarte os anuos l 1860 a
1866. .
Art. 2.' Rovogadas as djmojicoes atontrario
Sala das coinmisaoes. Jtda maio de JB69. -- C
Peregrino f~-A ndri Vav 'tlccm te.
E' iida appfavado a redacto do projecto n. obra
27 deste anno.
Vai a mesa, kl-se e approvado o seguinte re-
querimento: I
t Requeremos que a petieao do Candido de
Soma Miranda Couto, porteiro aposentado da c-
mara municipal desta cidade seja remettida
commiaiio do orcamento municipal, como compe-
tente para interp. r parecer sobre a materia.Soa-
res Braniao.Lopes Macltido. -yres Gama.
(Continuar-se-haj.
da* A'ih disAifilw, fue alias protestara nan-
1hflsljogar. O "oin de Bernardo
mostram-se igmlinento contrictos, e se na i
restabellecerem de todo do seus incoinm
poreoss de certo ganliaram muito quanto cara
de. suas almas. 01-'
Sirvam factos dista ordem para confundirein
vieram

Deus e a seus prodigios.
KCHAYOS. O Cruzeiro do SuTleva do
para a oorte 72 escrav >s, a |ir^Bj diver.
PAI1A O i:\Kl' -teV'i ia
dolort, no Cruaein do Sul, 102 (paras.
LOTERA.A que se a cha a veSda '' a l.' a
heaeiieio da inarri le Muribeca, que corre n>
dial*.
LEILAO.II >je efr.vrta o agente pintoA-ajilo
de Ainveis annunetado para o segunU Mar do
da ru.i da Imparatriz n. 34. -
PASSAGEIHOS :--Ertrados dos portos do norte
no vapor Cruzeiro do Sul :
Manoel ereira Rodrigues, Jos Mana. Bernar-
dino Jos dos Santas, Joao Baptisla Ma#ewa, Dr.
Jos Vicente Duarte Braodo e 1 criado, Biagian-
tario Florenzano de Giovani, Odorico de Carvalho
Castello '"Branco e Silva, Jos Nunes Vieira de
Souza, Eloy C. de Souza, Dr. Amaro Carneiro Be-
zerra Cavalcanll e 1 criado, Luiz Monvillc, Juao
Baptista, J. F. Needham, Francisco FerreiraBorges
e 1 criado, D. Francisca Manoela de Carvalho, D.
do a supplicante o alinhamente da casa que
na mesmo correr.Concedeu-^e.
.Qatro'o Blasmo, informando o agnerl
SHvestfaf'rancisco Alvos, em que-irte'
fara tflear urna morada de casa em a roa
trfti|eifas, da freguezia da Varzea ; declara Da
MaTVrtqoc oppor, segnindo o strpplicanteo alinha-
os'incrdulos que, om sua vida material, negam a ment e nivelamento das casas, existentes no mes-
moco
mrito
REVISTA DIAEIA.
ASSEMBLA PROVINCIAL. Deixou hontom
de funecionar, por falta de numero legal.
ONZE DE JUNHO.B' hojeo diadoterceiro anni-
versario do niemoravel combate de Riachuelo, on-
de tanto se destinguio a armada brasileira, e no
qual se realisarau heroicos e iramorredouros fer
tos "artnas.
Porque razio se nao ha de festejar semelhante
dia, ta* gtoHoso para o Brasil ? Aquelles que sa-
ben debidamente aquilatar csse feto d'armas, de-
vem promover, ao menos noute, urna passeata
com msica pelas ras da capital, indo compri-
uiontar as primeiras autoridades da provincia, e
as- casas consulares das duas naeoes allladas, em-
penhadas na luta com o Paraguay.
DINHEIRO. 0 vapor Paran levou de nossa
PraC> >ara o Cear........ 2:400*000
oMaranhao.... 16:6894000
. o Para......... 2:070*000
0 Cruzeiro do Sal (rouxe as seguintes (plan-
tas, para os Srs.: -t- --i
Jos Rodrigues de Souza........... n^??^
Ferreira k Loureiro............... ^jSonn
L R. dos Santos.................. 25U<*K)
Para as provincias do sul trouxe mais esse
VaPrpara a Bahia......... 6:149*456
o Ro de Janeiro.. 139:129*121
Sendo de^ta ultima parcella 125:439*291 para
o thesouro nacional.
ESTRADA DE FERRO DO S. FRA.NCISCO.-7-
No obstante as interrupcoes de trafego no prxi-
mo passado mez de maio, reodeu esta va de com.
innni-ai-ln ............. 53: IVWMB
inunieagau................. m-'177(,,i
Despendeu...................... 30.237*701
Saldo.................. 23:511*069
Em virlude da inclusao no ba-
ianeo da verba de differeucas de
cambio, proveniente da remessa de
linheiro para Londres, verba que
montou a 62:500*000; subi a des-
beza .........................
92:737*761
Ha vendo um dficit etc.....
58:9=8*931
Por este resultado se v claiamonte qulo pre-
judicial foi aos ulereases do paiz a resolucao do
governo, de mandar incluir na despeza de custeio
da estrada de ferro a verbadiTerenca de cam-
No mesmo mez prximo lindo transitaram
na linha: .,,
13057 e meio passageiros, 3:008 volumes Je
bagagem com 59:831 kilogrammas, 3:749 tonela-
das e 5:335 kilogrammas de meieadonas e 303
aninaes.
as mercaderas cstao compreliendidas:
1:227 saccas de algodao com 91:564 kilogram-
mas, e 24:932 saceos de assucar com 19:004:685
kilogrammas. ...
RECEBEDOIUA. Essa repartieao vai mandar
arrecadar no domicilio dos coutribuiutes o impos-
to pessoal de 68 69.
THEATRO. Ante-hontem represenlou-se no
Santa Is ibel, por occasiao do beneficio do Sra. Ve-
lutti, a allegoria trgica do Sr. Victoriano Palpa-
resRoneo e Julieta.
E' um lindissimo pedaco de lilteratura, de es-
tyllo correcto e pensamento eloqnente.
O autor do poema applaudiria ao joven Ilitera-
to se assistisse representa^-o. A platea do San-
ta Isabel nao gosta de sceuas tristes, e a scena re-
presentava Hu cemitero.
. Acontece multas vezes que nao se gosta nem
se aprecia o que se nao coinprehende: suum ciu-
que tribuere, divisa da juslica.
CRUZEIRO DO SUL.Este vapor tira hoje a
mala, s 3 horas da tarde, no correio, para os
portos do sul do imperio.
JUNTA DE QUALIFICACAO.Domingo deve
ter lugar, no consist irio da matriz do Corpo San-
to, a segunda reuniao do conselho de qualilicacao
da parochia de S. Frei Pedro Gnncalves, alim de
tomar conheciment das diversas reclamac,oes.
MISSIONARIO CAPUCHINHO.O Rvm. frei Se-
rajhim de Catania, depois de alguma demora na
capital do Cear, seguir bordo do vapor Pira-
pama para o Aracaty. d'onde pretende vir para o
Recife por trra. Desejainos-lhe feliz viagem.
IPOJUCA.Este vap bucana, soguira, da capital do Cear, para a
Granja no da 7 do corrente.
SEDULAS A RECOLHER.No dia i." de julho
prximo comeca na thesouraria de fazenda o des-
cont de 10 por cento para as^notas de 10*000 da
4.* estampa o 8*000 da 6.* estampa. Devem pois
ser all recolhidas at o dia 30 do crreme mez.
As notas de 10*000, sart em papel branco com
Unta preta ; tem por emblema a figura de urna
mulher, cujo braco direito repousa sobre o escu
do das armas mperiaes, tendo na mao c.squerda
urna espada : na cinta do centro da nota o valor
era lettras com tinta roxo trra ; nos quatro can-
tos, e no centro na parte superior e inferior o
mesmo valor em algarismo.
As notas de 5*000 sao em papel branco com
tinta preta ; teem por emblema do lado do talao a
figura de urna mulher, e do opposto a de dous
meninos, e no centro da nota urna esphera no al-
to e em baixo o busto de S. M. o Imperador, na
cinta do centro da nota o valor em leltras com
tinta roxo claro e ,ios quatro cantos o mesmo va-
lor em algarismo.
CAI1UARU'.Escrevem-nos desta localidade em
3jdo corrente :
Deu-se aqui um facto que, por saa especiali-
dade, merece ser publicado. Bernardo de tal e.
Mergelina de Mello e Azevedo, Antonio de Molan
da Das Parede, Vctor Marcilio, Rvm. frei Al-
berto, Jos .Maria Leitao da Cunha, Nicolao Pun-
Ritre, Joo da Suva Guimaraes Ferreira, Salviano
amos, Leoncio Pereira de Azevedo o sua senho-
ra, Thoraaz Candido da S. Mello, Jeao Gomes Fer-
reira de Abreu, sua senhora e 1 eserava, barao de
Mara e 2 eneraros, Albino Bruno, 1 escravo
entregar.
Seguem para o sul no mesmo vapor :
Desembargador Ambrosio Leto da Cunha,
Bernardino Jos Borges e sua familia, Jos Fran-
cisco de Mour* su familia,' Antonio Joaqium
dos Santos, Dr. Antonio Manoel de Aragao e Mello,
Manoel Castaaheiro, tenente Jao Jos da Silva
Viveiro, D. Maria Rila de S Vianna, D. Joaquina
Roza de OliveirJ, Marta G. Maciel da Costa, Do-
mingos de S Vianna, Gustavo A. da Costa Fer-
reira, D. Joanna Francisca dos Santos Tavars e
1 (ilho, Raimundo Bemfica, eapitao Luiz Thama-
turgo da G. Machado e sua familia, Roque da
Rocha, 1 guardin e 1 imperial marinheiro, 56 cs-
cravos a entregar, 88 recrutas para o exercito, 2
ditos para a marinh.i.
Sahidos para o Porto na barca portugueza
Segtuanca :
Thereza Maria, Antonio Baptista Miranda, Fran-
cisco F. V. Cabral, Manoel de S. Miguel.
Sahidos para os portos do norte no vapor
Paran:
Tadre Frederico de Almeida Albuquerque, V.
Sovage, Dr. Joao Jos Ferreira de Aguiar e 1 cria-
do, A. C. F. de Aguiar, Dr. Braz Florentino Hen-
rque de Souza, soa senhora, 6 filhos e 6 escravos,
Joaquim R. Barroso, sua senhora e 2 llhoi meno-
res, Joo Francisco Albuquerque Maranbo, Jos
de Freitas Guimaraes, Joaquim Antonio de O'
Souza, Jos Gimes de Moli, Roque Jacintbo de
Oliveira e Souza, Justiniano dos Santos Vital, Ma-
noel da C. P. Andrade e 1 criada, Jos J. de Vas-
concellos, Francisca F. de Vasconcelos, 7 pracas
e 1 inferior do cor))o de polica. Primo Pacheco
Borges, Amelia de Andrado, Antonio Eduardo de
Oliveira, Antonio Pradclo da Paz.
Entrados de Mamanguape no vapor Curu-
ripe:
S. D. da Silva, Quintino P. de Vasconcellos, Ray
mundo Newton, Hermenegildo de Souza Lobo, Jos
Justino de Almeida, Jos Coelho Moreira, Benja-
mim P. Leao, Jos Carioso de Mello, Pranejco
Martins Pereira, Bento G. Placido, Manoel Joaqun'
j Vieira Peixoto. Ignacio Jos Pacheco, Joao da
Silva Farias, Francisco Cosme Maia,
CMARA MUNICIPAL.
TERCEIRASESSAO ORDINARIA AOS 13 DE
MARCO DE 1869.
PRESIDENCIA DO BKM. SR, BARAO DE MUR1BF.CA.
Presentes os Srs. Dr. Sooza Lelo, Dr. Seve.
Dr. Barros Barreto, Dr. Costa Jnior, Dr. Mos-
eo se a sessao, e foi lida e approvada a acta da
antecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE.
Um olleio do Exm presidento da provincia, de
11 do corrente, dizendo que para ser tomado em
considerado o augmento de crdito que pede a
cmara, em seu offleio de 11 de feverciro ultimo,
sob n. 4, neeessario que a mesma cmara apr-
sente urna demonstracao da dospeza feita, bem
como da que se tiver de effectuar at o fim do excr-
cicio presente pela verba designada no 9* da lei
ii. 853 de i de junbo do anao passado.Que se
satisfaga.
Outro do procurador, informando sobre a peti-
eao, que devolve, do Jos Ramos da Silva, actual
arrematante de diversas casinhas da ribeira da
freguezia de S. Jos, tem a dizer que por ordem
desta cmara mandn desocenpar a casa de que
trata o supplicante, no ultimo di dezembro do anno
passado, como consta do despadw ado em oulra
petifio do mesmo supplicante, tambem junto, do
referido mez de dezembro.Que o fiscal informe
quanto tempo estove a dita casa ocenpada com os
utencilios necessarios ao servico da limpeza das
ras da freguezia de S. Jos.
Outro do mesmo, informando sobre a petico de
Bellarmino Al ves de Archa, cumpre-lhc dizer que
infundada a causa que o sapplicante allega,
quanto ao saque da letra, pois que o contador, em
vista de ordem que recebe da secretaria, que
saca as letras dos contratos, quanto porm ao re-
cebiinentqdessa letra no dia do vencimento, e sem
\\
urna .
virtnde medicamentosa attnbnida ao Rym. Sr.
Ibiapina, que cada vez adquire novos foros de
santidade ; para all se dirigiram, afim de se en-
tenderem cora lio eminente vario, e de Me pedi-
rem allivio seos males physicos. Este, nao obs-
tantoos reiterados factos de curaem numero de
quarenta e tantosque p >r seu intermedio se
teem realisado miraeulosamente, esquivoa-w, re-
fugiando-se na modestia o humildade evangHiea
que Ihe sao peculiares. Bernardo, o qual est ce-
g, insta com o muito Ilustrado sacerdote que,
afinal, recenheeendo no penitente nm jogador
pouco escrupuloso, affeito s trapazas de tao per-
nicioso vicio, Ihe impde emenda do vida e resti-
tuico do alheio. Em virlude desta imposico, e
de ter o percador contricto confessado que dous
amigos ensinra taes rapaea-s com elles se a.-so-
ciando alcumas v-zes. para depennar as miseras
victimas de sua cobica ; ei-lo fazendo declaraQes
polica desta cidade, e restiluicde* a diversas
pessoas. Na (ferdade, s a palavra divina, s a
virtuds pode ter tanto ascendente sobren homem
pervertido I
a Era bello ver nontem tal individuo, at ha
poueo esqneokto de soa alma e dos deveres que
Ihe impoe a sociedade, e que boje prefere dar o
pouco que possuo e pedir esmnlas para sua ys-
tentago, na presenca do delegado de polica
3uem convocara, dirigir-se diversas pessoas, e
izer cada uma de per si: Sr. F., em tal tempo
eu furtei-lke tanto, tome e me peide pelo amor de
Deus I 7 *
Note-se tencia a que se sugeitra, e con.o expiacao de
seus grandes peccados. elle pretende ir breve
essa capital reiterar suas declaracbes e fazer uma
pubhcaco, com o fim de prevenir por este meio
os incautos que porvenlora possam cabir as ci-
assgoatura, verdade que isto se den pela raza
de liaver o mesmo contador Ihe remettido nao s
ella como'outras mais, relativas a diversos contra-
tos arrematados e que se vendara, e esta declara-
cao fea no recibo que passon ao fiador do suppli-
cante, por mi de quera sempre recebe as letras
dos contratos por elle feitos perante esta cmara ;
qnanto finalmente a questao de nao haver o mes-
mo supplicante turnado coma do talho que arrema-
tou no dia 18 de novembro do anntpa-sado, esim
no dia 30 do dito mez, nenhuma culpa tem elle
procurador, visto que estando de posse do dito ta-
lho o arrematante do exercicio passado, Manoel
Paulo de Albuquerque, o seu fiador Jos Lucio
Lins, devem estes pagar a importancia dos alugueis
decorridos, por isso illegalmente o esttvam oceu-
pando, e s pelas repetidas exigencias foi que o en-
tregaram.A*commissJo de polica.
Outro do mesmo, (ommunicando que os arrema-,
tantos dos talhos do acougue, Jos Lucio Lins e
LandeliiiO Antonio Ferreira, e bem assim o seu fia-
dor Manoel de Carvalho Moura, dexaram de as-
signar as letras na importancia de 1:543*250, cujo
vencimento teve lugar no 1 de Janeiro prximo
passado, e devendo no ultimo do corrente vence-
rera-se nutras de igual quantia, que cortamente
deixarao de ser tambem pagas, roga a cmara que
se digne providenciar como entender, afim de nao
continuar semelhante abuso.A' commisso de po-
lieia.
Outro do engenheiro cordiador, informando o
rrer,
ro
meito d
ped
zia da
oppdr^HcuUndo
no alinlmmcnt da
coiTftoJronrdBeu
O^HBo rnasm
no rflprimenlB jfeno
procurador ?erl da vene
S. Francisco desta cidade, pedindo licenca para re-
iflear a. casajL.42 daiua das Crujes, i>ertep,v
a iHesnartfem ; declara ijBtwaga leortM'
r, exectftlrtdo elle-fi* olir.is d"e cdn'fbrmididB
com as postaras, segurado o alinhamento da casa
aetual e o nivel do sobrado dos Srs. Figueiras.
Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerniento $o,
Dr. Symphronio Cesar Coir?inho, q#e pele cenea
para mudar o cano que d esguto s aguas plu-
viaes, do Mgar em que so acha pra colloca-lopor
baixo da calcada db sobrado n. 24 da roa da Santa
Cruz; diz ^ue nada tem a oppor. Conce-
deu-se.
Outro do mesmo, informando contra a pretencao
de Mariana de Farias Botelho, relativamente a li-
cenca que pedio para construir uma sota em sua
casa n. 88 da ra Velha.Indcferio-se.
Oniro do mesmo, informando contra a prelen?o
de Francisco Coelho Brandan, de construir duas
goteiras no sobrado n. 5 da ra do Rangel, por ser
contra as posturas.tndeferio-se.
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio,
eommunicando o oeenrrido sobre a exacu?ao da
obra, para que teve licenca o mesmo Francisco
Coelho.Brandan, para fazer na coberta da casa da
ra do Rangel, e construccao das goteiras, contra
as posturas e sem licenca.Inteirada, visto ja ter
sido Indeferido.
Outro do administrador do cemitero da fregue-
zia do Poco da Panella, remetiendo o mappa, que
Ihe foi exigido, dos enterramentos feitos no dito es-'
tabeleciment, desde o 1 de Janeiro at W de de-
zpmbro de 1868.Inteirada, arebive-se.
Outro do fiscal da freguezia da Varzea,' partici-
pando que a endiente do rio Capibaribe aftuinou
a estrada que conduz a povMaQlo daquella'frpgue-
zia, tornando-sc assim bem ditUcil o transito.Ao
engenheiro cerdiador para ir examinar.
Outro do fiscal da freguezia de Muribifca, re-
metiendo um termo de inlraccao commefifid por
Jos Rodriguos Paes, na Importancia de 64*.Ao
procurador.
Foram approvado* seto pareceres da commisso
de edificacao, o Io dizendo nao ter lugar a licenca
pedida por Manoel da Silva Lopes, para edificar
em nm terreno que tem na praca do Apollo, por
ser o mesmo destinado para a passagem de uma
ra; o 2 permittindo que Joaquim Barbosa de
Oliveira possa continuar com a construcijao das
duas tambas na roa de Luiz do Reg, situadas
nos fundos do quintal de outra, e que sejam des-
tinadas para serventa della obngando-se por
meio de um termo a nao dar outro destino s mes-
mas casinhas, que nao soja para serventa das pri-
meiras ; o 3o sendo de opinio, em vista do que
parlicipou o fiscal da Boa-vista, relativamente
obra dos concertos mandados executar por Luiz
Jos da Costa Amorim, em sua casa n. 68 da ra
da Soledade, sem ser de accordo cora a licenca
que obteve, seja remettido ao procurador para pro-
ceder de confermidade cora a lei ; o 4o no sentido
do, segundo commumc(u o li>ca! da freguezia de
S. Jos, se adiar em estado de ruina a casa n. 49
da ra Imperial, mandarse proceder a vistora e
mais proeesso ordenado era taes casos pelas pos-
turas ; oSno concordando com a modificacao
da planta do bairro do Recife, requerido por Jos
Alves da Silva Guimaraes, a vista das tortuosida-
des que deveria ter a ra projeclada ; o 6o decla-
rando que nma vez que se tera negado a Jos Al-
ves da Silva Guimaraes licenca para edificar no
seu terreno de marinha na estrada nova doOlinda,
n. 56, pela razao de existir na planta da cidade
projecto do ra on praca, abrangendo o referido
terreno, se ordene a desapropriaco do mesmo ; o
7 finalmente, qne tendo presenleo ofllcirt do Exm.
presidente da provincia, remetiendo o aviso do mi-
nisterio da fazenda de 30 de Janeiro ultimo, recom-
nienda a cmara que mande cobrir cio dees-
goto existente ao lado da alfandega, de opinio
que seja feita esta obra, logo que os cofres munici-
pales se achem- em estado do poder fsz-la.
O Sr. Dr. tosta Jnior fez a seguinte propos,
que foi approvada:
Proponho que se mande o engenheiro exami-
nar os estragos feitos pela ultima cheia na estrada
municipal que vai para a Varzea, o fazer o orna-
mento dos concertos que sao precisos, e igualmen-
te a estrada do matadouro. Paco da cmara mu-
nicipal, 13 de marco de 1869.Costa Jnior.
Mandou-se remetter commisso de peticoesum
requerimento era que Andr Avelino Sobreira de
Mello pede licenca para levantar um bob-quim vo-
lante em frente do theatro de Santa Isabel.
Despacharam-se a- peticoes de Antonio Domin-
gues Pinto, Evaristo Mendos da Cunha Azevedo
Jnior, Francisco Coelho Brandan, Jos Ricardo
Coelho, Jos Alvos da Silva Guimaraes (2), Jos
Ramos da Silva, Manoel da Silva Lopes, Mariana
do Farias Botelho, e levantou-se a sessao, tendo
antes prestado juramento os fiscaes nomeadospara
asfreguezias do Recife e Affogado, e o contador.
Estando ultimada a presente acta, deixou de ser
approvada por falla de numero.
Eu, Francisco Canuto da Boa-vagem, secretario
a escrevi.Barao de Muribe>:a, presidente.Dr.
Pedro de Athai/ile I Abo Moscoso.Manoel de Bar-
ros Barreto Dr. Joao Maria Seve.Ifinacto Joa-
quim de Souza Leao.
t fer o que fez em 186o o Sr. Joao di
de.xou os tribunaes e procurou a polica em
'xsm mais onfiava, e que 9 ndalosamente. 'KX*<-U i
E' indigno e torpe o mode/jMMo o Sr. Joo de
J reagcilra em baralhar esacis, dizendo que o
teneoleroncl Gaspar o quwr'Wtpellir violenta-
mente, semjbe deixar colher 0 fructo de seu tra-
Bto de S,"jfa proXiade ff<
\4uariamAte iniadijl pelo teoenta-coronel 6as-
,par CavfjAjaoti, cMa' acm.lmente eolhendo, e ha
de acabadle colher a safra aetual, sem que se Ihe
tenha opposto o mnimoiistaeulu.
L.h seu proprin coi unan nieado elle nao nega e
nao lia qiK'in acredite que podendo dalii tirar nm
^lit 4e aecusatao conWt o lente coronel
(lispa algum fadn esle hnnvesse praticad6 no
intuitiJieiiu deixar aquello ^zer a collieita, o
Sr. jnJLT/Je5 nao soTvidasf de aponta-l.coin
a mnima circunstancia, como mesmo ex more tuo
naoxagerassa I r^*JL
Esta lamuria de^nao poder colhor o-fru
iscu traTialio airniesmo tempo triste, a
vergnnnosa e velha. O Sr. Joo de S ha de tirar
a sua safra ; elle mesmo tera disto a certeza; mas
convm nega-lo...
Nao tem direito, porm, a colher mais uma
alem dessa, como calculadamente inculca em seu
eoiumunicado, dizendo que o accoruao manda que
elle tire a do corrente e a do futuro'anno.
Ora^esse accordo, que as columnas do Diario
de 9 do corrente, termina assim : ... mandara
que a dita entrega se effectue depois que colher a
---,---------- r----- ____.j:- am u" uu DiiKeniicini t'uiurauui, miui iiiuuuu u
mais dous companheiros, uvindo os prodigio d pequerimento deJos^ Ricardo Coelho, emane pede
fonte qne existe no centro do Ceara, c coja ,eenca para murar 0 S0Q ,errene 0 qaal frome
para a ra das Nymphas ; cumpre-lhe dizer que
nada tem a oppr, uma vez que Ihe seja dada cor-
diaQo.Maudou-se cordiar.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento de David William Bowinann, que pede 1-
cenija para levantar a parede de sua propriedade
roa dos Guararapes n. 60, j edificada at a altu-
ra de 20 Raleaos, o enllocar portas e janellas, a&sim
como Iu,Mm- da mesma maneira a parede que
existe A travessa da Fundlcao, e coflocar duas
portas e duas verandas de ferro; declara ame na-
da tem a'oppor.oncedeu-se.
Outro do mesmo, remettendo os orcamontos das
obras necessartas para os reparos e asseio do ma-
tadouro 9 da ponte do Luca, o prmeiro na impor-
tancia de 1:!44J000, e o outro na importancia de
880000.-Ioteirada.
Outro dovmesmo, informando sobre o^Re pede
Marg^arda da Conceco, para edificar ama casa
de taipa na estrada municipal da freguezia da Var-
zea ; diz que nada se Ihe offereco a oppor, tazendo
a supplicante a dita casa no mesmo alinhamento
dos que existem no mesmo lugar.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento no
qual Marta da Coneeico pede para reedificar nma
casa de taipa na estrada nova da freguezia da Var-
zea, cumpre-lhe dizer que nada tem que oppor,
segurado a supplicante o alinhamento da casa qne
existe no mesmo correr.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o qne pede
Candida Mara dg Cruz, para edificar uma casa de
taipa na freguezia da Varzea, na das Larangei-
ras ; diz que nada so Ihe offeroce a oppor a seme-
lhante pretencao.Concedeu-se.
Oqtep do mesmo, informando o requerimento em
que Jwepha Maria Alves pede licenca para edifi-
car uma pe mena casa no Tugar do Caxang ; tera
a dizer que nada se Ihe offerece a oppr, seguln-
PUBUCACGES A PEDIDO.
Acabo de ler com satisfaco o annuneio do es-
pectculo que deve ter lugar sabbado no theatro
de Santa Isabel, e que commemorando o grande
dia onze de junho, celebre para sempre nos glo-
riosos fastos da armada brasileira, esse espect-
culo dedicado ao muito brioso e distincto Sr.
lente coronel Fras Villar I
A idea q-ie teve o emprezario de allar o nomo
de um ofieial to respeitado, ao anniversario
um grande feilo brasileiro, por certo digno de
de elogios; e deve chamar a atlencao do publico
pernambucano, que to de perto connece o here
de Itossor, e viva o bravo tentpte coronel Villar!
Viva o d:v onze d#Idnho.
Um Pernambucano.
Questao Aratangil.
Rcsposta ao Sr. loSo de S e Al-
bnqnerqae.
O communicade do Sr. Joao de Sa, boje publi-
cado neste Diario, mais urna prova da sem ra
zo cora que est procedendo o mesrao jflpkor
procurando impedir que" o tenente-coronerfiai
par funde sua safra no engento* de sua proprie-
dade.
Instruido o publico com una exposieio caima,
reflectida e documentada,pasma o cynisoio com
que ainda se tente iilaquea-To.
Veio impreaB o Sr. Joo de S,mas para
recusar o juizo do publico, de que declina e pres-
cinde, e a quera arteirosamenta quer embar.
Nao veio defender-se, corao Ihe cumpria, veio
*o fazer alarde da resolucao, era que permanece,
de vedar o uso do direito do tenente-coronel Gas-
par Cavaleanti.
Nao veio defender-se, veio so ralhar com o seu
contendor, porque nao ouvio, mudo e quede as
I impulacoes cavillosas, injurias c improperios flue
Ihe foram atirados, e recorreu iraprensa para
mostrar seu bom direito.
Nao veio defender-se, elle que w-> it orbi se
proclama violentado, invadido, aesaitado, veio tao
somente censurar seu adversario, porque sub-
mnt!cu sua questao ao juizo do publico impareial,
iuizo qjie nao tem e que antes procura, emquanto
Ib o nao tolher o Sr. Joao de S.
E razo tem elle para recusar to insuspeito
tribunal. MelDor se presta a seus flus e Ihe
mais propicio o luiz municipal supplente de Ipo-
juca, que por elle fez o qne se sabe.
O teoente-cnronel Gaspar Cawdcanti, porm, Mi
que abandone a justica, quando chega a vez des-
ta, submette-se rateiraraente opinio publica bem
infonnada, e est contente oom o seu verdict.
Insina o Sr. Joo de S, que o Sr. Gaspar Ce-
valcantli dosconlia das autoridades e mekw judi-
'^.6 falla do uu 0^ tm razio, ecora ella
deW desconlia. Se falla da justi ja, nao o deve jnl-
gar por si: o tenente-coronel Gaspar Cavaleanti
e New-Grleans, e imitte cartas
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
Jl ALFANDEGA.
ia 1 a 9-. .
dem do dia 10.....
de crebito.
371:2334oo0
24:972*761
396:206*311
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados
dem dem
com fazendas
com gneros
Volumes sahid
dem
ws com
dem'
com
fazendas
gneros
525
391
134
41
200
-----241

Acrstico
s o suspiro dos anjos,
uz que aclara a creag3o ;
ncenso q'alma adormenta,
y. anta lyra que actenla
> dor do. n.eu corceo.
Drummond.
Prdtectom das familias
Associacao brasileira de seguro mutno sobre
vida, approvada por decTeto do governo imperial,
de 13 (Bfwiho de 1864, e gerida pelo Baneo Ru
ral e HVpntbecarlo do Rio de Janeiro.
Commisso fiscal.
Veador Jos Joaquim de Lima e Silva Sobrinbo.
Coramendador Jeronymo Jos de Mesquita.
Commendador Boaventara Goncalves Roque.
Coramendador Guilhermo Pinto de Magalbaes.
Estado dessa associacio era 30 de abril de 1869,
contratos 5,802.
Capital subscripto rs. 8,716:470*980, as pessoas
que quizerem inserevar-se podero dirigir se na
roa do Livramento n. 19, pnmeiro andar : a tra-
tar com o Sr. N. de Vidal, encarregado pelo
Banco Rural e Hypotbecarto do Rio de Janeiro,
para promover asignaturas para a mesma asso-
ciacao.
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 10 DE JUNHO DE 1809.
A8 3 1/2 HORAS DA TARDC
Accoes da companhia Fernambucana 100*000
cada uma accao (hontom).
Cambio sobre Londres 90 d/v 18 3/8 d. por 1*
ibn tem).
Dito sobre dito90 d/v 18 3/4 por U000 (hoje).
f. J. Silveira
Presidente.
Leal S v
Seeretano.
_ Descarregam hoje 11 de junho'
Vapor mgtez-ClirysolUeuiercadorias.
Bafea francezaSanto Andridem.
Brigue por i uguezConstante /=lagedo.
Brigue portuguez^Co/tedem.
Brigue norueguense=A/cdem.
Barca portugueza Constante II = idem.
Escuna portuguezaDelfmidem.
Patacho norte-allemoIfor-Hdem.
KECEBEDOIIIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBCO.
Rendimento do dia 1 a 9 23.006*971
dem do dia 10....... 1:920*446
24:927*417
PROVINCIAL
wamxm
Teodoro Simqn & C.
Compratn e vendem por conta propria
mete^ moedas nacionaes ^B estrangeiras.
sBjja) de-fiunbiu, ediji qanco.do Brasil.
Descontara letras da terr e crat^ps ttu-
los comnieniaes.
Encarregara-se por conta albeia das mes-
utas transac(;oes, da.cobranza de letras da
tena e de outros titnlos commeroiaes.
Hoc^bem quaesqfier quantias em deposi-
to, em pnta correnfia,. e a prazo fixo.
Largo $o Corpo Santo n. 21.
M" ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
i Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo. Qxo.
Saca vista ou f praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
safra actale* que ettiver fundada para moer no hi*>r Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
o*ho seguinte de 1869, cumprindo dar trras e
ranclio ao embargado (o tenente-coronel Ga-par
Cavaleanti) para em majo do dito anno fundar a
que este uulzer, pagas pelo embargante as cusas.
Recife, 3 de novembiv de 1868.
Se,pois, o accordo tao claramente diz que o
Sr. Joao de Pa eolner a safra que tinlia em 1868
e a que fundou para moer em 1869, corao que
quer este mais a de 1870? Nao querera-iambem a'
de 18/1, 72e seguintes?
Verdade que esta mesma decisao manda que
d ao lejaente-coronei Gaspar Cavaleanti rancho t
terraktQo Sr. Joao de S o-quer expellir sem mais
ceremonia.
Quem assim mseravelmeute sophisma tem di-
reito irrecusavel a nao ser crido em cousa alguma.
Vale-se ainda hoje o Sr. Joo de S da falta de
pagamento de siza, e diz qu por isso est nulla a
compra que da heranca fez dMenente -coronel Gas-
par Cavaleanti.
E' outro grosseiro sophisma. Os tribunaes re-
conheeeram a validade da compra, sem a qual o
Sr. tenente-coronel Gaspar Cavaleanti nao teria
sido julgado habilitado pira accionar o Sr. Joo de
S : deciso passada em julgado.
E' corrente, e s o Sr. Joo de S p6e em du-
vda, que pela compra de heranca, cujo valor nao
se pode determinar na occasiao do contrato, co-
bra-se a siza no acto da entrega dos bens. Decs.
n. 148 de 5 de maio de 1831. Teixeira de Fret.
Consol, das leis civis, not. ao art. 59311.
Ora, tratava-se de uma heranca que, apezar de
nella entrar um engenho bem' de raz, como se
exprime o Sr. Joao de S, era litigiosa e sujeita a
uma Iquidacao, e portento de valor incerto. Tem
muita pressa o Sr. Joo de S em que se faca a
cobranca da siza ? Entregue definitivamente esse
engenho bem de raz, c ser paga fcilmente.
Pretende o Sr. Joo de S que o Sr. tenente-co-
ronel Gaspar tenha entrado violenta e tumultua-
riamente em Aratangil. Diz que o referido teen
te-coronel o confessa, o que totalmente inexacto,
e quer prova-lo com uma vUtoria de que falla com
entono.
Convm que se conheca por quem, como e
quando ella foi feita. F-la o juii municipal sup-
plente clandestinamente, foram peritos ou melhor,
foram interrogados dous desatfectos do teneute
coronel Gaspar, e teve lugar depois quo constou
que este se queixra ou ia queixur-se do tal juiz,
e depois que do engenho se retiraran! o delegado,
o coramaudante da forca, e o juiz de direito inte-
rino.
Era preciso ter urna justificativa : o juiz muni-
cipal na> recnou, canegou a mio na vistoria.
Esta, noturto parto do despeito de re ser bem boa
prova !
Canta tambem hosanas o Sr. loo de S por sup-
por ter colindo em falta de verdade o Sr. tenente-
coronel Gaspar Cavaleanti, e sua alegria mal
destarrada nao tem explicacaut
Conta-sc do certo bebado quo morria por ver
embriagado um sugeito que o reprehenda pelo
uso das bebidas acoolicas Uma occasiao, vendo-
o mu corado, grilou triumphanteinente : Est
bebado bravo I elle est bebado o e lho dirig
man dizendo : < Toque amigo somos iguaes >
E' verdade que isto nao ven ao caso.
Mas, diz o Sr. Joo de S que o Sr. tenente-co-
ronel Gaspar Cavaicanti mentio ao publico no seu
coinmunicado de 26 de maio em que escreveu :
obtive em resposta que nada poda consentir (o -
Ibo doSr. Joo do S) sem aulortsacao de seu pae,
porque na queixa contra o juiz disse que chegan-
do a Aratangil e nao estando presente o Sr. Joo
de S, mas sm um seu lilho e administrador, fez-lne
este alguma objeceo, mas consenta no rancho.
Nao ha, porm, nisso contradiccao : porqnanto
no lira do periodo do eoiumunicado de 26 de maio
citado pelo Sr. Joo de S, diz oSr. Gaspar Caval-
eanti. .esperei pela respo6la do Sr. Joo de S.
mandando recolher os meas, escravos em vina
otaria que foi designada pelo administrador.
Ora, a olaria designada para os escravos era um
rancho que se Ihes (lava : Onde a mentira
Nao pode pois dizer o : Toque amigo, soi
guaes.
Ouca agora o publico, c veja como se falla a
verdade, o Sr. Joo de S represeutou contra o
tenente csroncl Gaspar Cavaleanti por ter este in-
vadido com gente armada o engenho Aratangil.
E jnntou um telegramma de seu lilho como
prova e fundamento della. Mas o telegramma
aponas diz que ehegra o tenente-coronel Gaspar
Cavaicanti, mas nao diz uma palavra sobre ar-
mas ou gente armada !
Eis aqui uma mentira to calva e grosseira que
fazuojo...
Occupa-se anda o communicado do Sr. Joao de
S, de outros pontos que depois laminaremos, e
o nao fazeraos j nao s porque nada adiantam ao
qui' sobre a materia se tem escripto, como para
nao fatigar a attencao do leitor. g
Voltaremos ainda.
Recife 10 de junho do 1869.
IMW A ASA"!----------------------
Perante a cmara municipal desta cidade
ostaco em prae* bm (Has 11, 14 e 16 do corrente,
para seren arrealaios por quem menor preco
Sfer'ecer as obras nao s dos reparos da estrada
qne vai ter a Capuhga, orjados na quantia de...
i794*090, <**&* das qtte ircwsira o matadouro
piibro, oreados na importancia de l:958f000 :
rrer a arremata-
na forma da lei,
secretara da mes-
mies poderSo exa-
ara municipal do Recife 9
iftfH de Souza Leao.
rio-presidente.
Fntneisc" Cauwlv da Boa- Viagem.
SatStano.
CONSLXADO
llendimento do dia 1 a 9
Idem do dia 10. ,
45881*741
2:030*486
47.912S227
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 10.
Portos do Norte9 dias, vapor brasileiro Cruzei-
ro do Sul, de 1,111 toneladas, commandante
Joaquim de P. Guedes Alcoforado, eqnipagem
62, carga differentes gneros ; a Antonio L. de
0. Azevedo & t
Ass=fl dias, hiato nacional Den te Guarde, de
69 toneladas, capila* Manoel C. da Costa, equi-
pageni 8, carga sal; a Barluoloraeu Lou-
renco.
Liverpool 49 dias, patacho inglez Cassack, de
211 toneladas, eapitao William Jelmie, equipa-
gem 9, carga carvo, a D. C 4C. C Symp-
son & C.
Mamanguape16 hojas, vapor brasileiro Contri-
pe, do #222 toneladas, commandante Pena,
equip.gem 16, em lastro; a companhia Per-
nambucana.
Navio sonido no mesmo dia.
LisboaPatacitu portuguez Mana Barbara, eapi-
tao Gervasio Luciano Telles, carga niel, assucar
e outros gneros.
Pela recebedoria de rendas internas
geraes, se faz publico que neste corrente
mez de junho, que os devddres do impos-
to de 20 por cento da decima de m3o mor-
ta e do imposto especial sobre casas de
movis, roup etc, fabricados em paiz es-
trangeiro teem de pagar, livrede multa, o
2o semestre do exercicio crreme de 1868
1869, depois do que ser cobrado com a
multa de 6 0/o.
Recebedoria de Pernambuco 2 de ionho
de 1869.
_______ O-admiuistrador
Mamei farntiro ik Souza hacer da.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Ca-a
de Misericordia do Recite, na sala de suas sessoe>\
pelas 4 horas da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe propistas para o fomecimento de pao bola-
cha, que houverm de ser consumidos em todos os
estabelccimentos pios seu cargo, tanto desta ci-
dade como da de Olinda, nos mozos de julho a
setembro vindouros.
Secretara da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de junho de 1869.
O escfTvo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
A Illma. junta administrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recife, na sala de suas sessoes.
pelas 3 horas da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe propostas para o fowecimento de gneros
que houverm de ser consumidos em todos os esta-
belecimentos pios seu cargo, tanto nesta cidade
como nade Olinda, nos raezes de julho a setembro
vindouros.
A saber :
Assucar refinado, kilogramma.
Dito de 2* sorte, idem.
Dito de torro, idem.
Alotria, idem.
t
EDITAES.
Decio de Aqnino Frasoca, cavalleiro da imperial
ordem da Rosa, tene-ite-coronel commandante
do Io batalhao de artilhara da guarda nacional
do Recite, e presidente d conselho d qualilica-
cao da parochia etc.
Faco saber a quem interessar possa que domin-
go^ 13 do corrente mez, ter lugar a segunda reu-
niao do conselho de quafteaco da parochia de
S. Frei Pedro Goncalves, sendo* qne nesse dia de-
vero ser entregues, na forma do art. 20 do decre-
to n. 1,130 de 12 de marco de 1853, os requeri-
nientos do quem quer qu tenha qua'lquer recla-
maejio fazer. No dia 16 do mesmo mez devora
ter logar a inspeccao medica dos que bao reque-
rido passag vn pan a reserva, a qual se effectuar
as 11 horas da mantona, e no consistorio da igreja
do Corpo-S into.
Qnartel do commando do 1 bataDio de artilha-
ra da guarda nacional do Recife, 7 de junho de
1869.
Dtcio de Aquino Fonscca,
Tenente-coronel presidente.
DECLARACOES.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial,se faz
publico que, no dia Io de junho lindouro,
se principian! a contar os :J0 dias uteis
para a cobranca bocea do cofre dos im-
postas: da dcima urbana, de 5 % sobre
os bens de raiz pertencentes corporacoes
de m3b mora, e de 20 % d. consnm
de agurdente relativo ao 2o semestre do
anno financeiro vigente 18681869, eqae
ficam sugeitos multa de 6 % todos os
dbitos que forem pagos depois de fiados
os referidos 30 dias.
Mesa do consulado provincial de Per-
nambuco, 25 dema de 1869.^.
Antonio Carneiro Machado Rios
COMPANHIA
DO
BEBERIBE
Sao novam-nte convidados os Srs accio-
nistas desta companhia, areunirem-se em
assemWa geral, no dia 12 do cotrente mez
ao meio dia, no escriptorio da mesma roa do
Cabug o. 16, para em conformidad dos
seus estatutos deliberar sobra as contas do
anno fiado, approvar o orcamento vindouro
e eleger a nova administrado: devendo-
se prevenir que nao tendo os Srs. accio-
nistas comparecido em numero legal na
primeira reuniao para hoje convocada, rea-
lisar-s-ha a assembla geral com qnumero
de accionistas que comparecer fia nova
reuniao para a qual ficam de novo convo-
cados segundo acha-s- prescripto no art.
23 dos respectivos estatutos.
Escriptorio da companhia 7 de junho
de 186U.
0 secretario
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitongo.
Arroz do Maranhao, idem.
Azeite-dce, litro.
Agurdenlo, idem.
Azeitc de carrapato, idem.
Racalho, kilogramma.
Batatas, idem.
Caf em grao, idem.
Chprcto, dem.
Cha nyssn, idem.
Ceblas, cento.
Carne verde, kilogramma.
Carne secca, idem.
Familia de mandioca, litro.
Fumo do Rio, kilogramma.
Feijao molatinho, litro.
Farello, sacco.
Manteiga franceza, k ilogramicx
Pexc fresco, dem.
Sabao, dem.
Sal, litro.
Velas de carnauba, idem.
Ditas stearinas, kilogramma.
Vinagre, litro.
Vraho tinto de Lisboa, dem.
Dito branco, idem.
Tiiucinho, kilogramnio.
Os concurrentes poderao apresenlar suas pro-
postas em cartas fechadas, as quaes deveri ter a
ordem cstabolecida no presente annuneio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 4 de junho do 18G9.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de souza.
Consulado provincial
i O administradnr do cousulado provincial faz
publico que no dia 10 do corrente, as 11 horas d <
dia, na porta da mesma repartieao^ lro levadas
basta publica 32 caixas com sabao, apprehendi-
das a Antonio Pedro de Mello e Leite & Cardo-
so, pelo conferente Jos Luiz de Souza ; cuja ar-
remataeao ser Iivre de Jimios ao arrematante.
Mesa do consulado provincial do Pernambuco,
4 de junho de 18C9.
0 administrador.
Antonio Carneiro Mochado Rio.
C0B11E10 GERAL
l'ela admiuistracao do correio desta cidade s*-
faz publico que hoje til) pelas 3 horas da tarde
fechar-se-hao, para os portos do sul, as malas
que o vapor brasileiro Cruzeiro do Sul tem do
conduzr.
Os jornaes serao recebidos at meio dia, e as
cartas a registrar at 1 hora.
As carias ordinarias postas no correio, at meia
hora, depios de lindo o praso cima declarado r -
cebor selio com o parte duplo.
Admiistracao do corren", de Pernambuco 11 d>>
junho de 1869.
O administrador,
Doniiugos dosPassos Miranda.
1MHE10GEHAL
Pela administracao do correio desta cidade >
faz publico, para lins convenientes, que em vir-
lude da convenci postal, celebrada pelos gover-
nos brasileiro e francez, serao expedidas malas
par Europa no dia 15 do corrente palo vapor
Oneda.
As cartas serio recebidas at 2 horas antes da
qne for marcada pata a sabida do vapor ; e os
jornaes at 3 horas antes.
Adminsiraco do correio de Pernambuco 10 do
junho de 1869.
O administrador,
domingos dos Passos Miranda.
Nt dia 11 do corrente dsoois da audiencia
do II loa. Sr. Dr. juu de orpbaos, em da ir em
praca publica perante o mesmo juizo, a eserava
Mara, cabra, idade de 19 a 30 anno, MS alga-
nas habilidades de servieo doraeMMo, serrdo
de base para arrematacao a oferta da 1:1004000
a qual vai a praca a reunerimeoto do consenbor
da dita eserava, Leonardo Jos Pereira.
THEATRO
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DB
Sabbado i* de junho de 1SS9.
Rrilbante espectculo era festejo ao dia ti de
junbo, anniversario do glorioso
combate naval de riachuelo
e dedicado e consagrado em honra ao bravo mi-
litar o Illm. Sr. tenente-coronel Fras Villar,
a A orchestra tocar como intmduccao do expte-
aculo a nova polka, coinposicao do Sr. A. Soitr
e oierecida aos bravos da armada brasileira, inti-
tulada
laiosaa'ia
Em prmeiro lugar sari representado pelo Sr.
I. Augusto (peesia do 8r. Dr. Quirino dos Sant 0
o sempre applaudido
H1MIO DB RIACHUELO
Sefroir-se-ha a representae do exeellecte
drama em 5 actos
1 PIUO DO MO
ou
0 VENDEDOR DE UM0NAD1
Tfminando o eapectacnlo a represenUcio (peln
Sr. Joaquim Augusto) da scena patritica poecia
doSr. Dr..Cont.
B A l>ASSAGBMpE HMAYT,
.. Comeari as 8 horai.
j
v
.......j-.-,.^ ...


*
I)iWid?b^!fb.Wir sf'a !& ?&
Jim lio
i -
de


anam par-
s arlis-
T
Gymnasio Campestre
.* recita da asignatura
Sabbado U deiim^.de 1869.
Terceiro espt|c|l4 q
te os disiinctofeHijo Ippl
tas francezes. -
Mr. Pof>pe e madainePoppe.
Depois de urna esctbraa oveilua, ma-
dama Poppe ejecutar a ihteross-jnte can-
sontta
TIRI-l TU TIU
Seguindo-se, pela companhia dramtica,
a tere ira representa^ da bastante ap-
plaudida comedia em i acto, urna la de
msica c dansa, intitulada: I.
OS ZUAVOS
i a qual imfrrae Pppe cantar a
linda cWoneta %
Brin
extrahkla da op.'r cmica
COMPAIXIIIA PERNAMBCANA.
Navfegac
lyriyba
r'
A'ltrcWn
da tafrde. Receb
mend s, passagei
2 non i da tarde
do Fo te do Mati
carga,
|s e dii
dia da
.12.
corrente'as 5 horas
sahida no escriptoric
Lisboa
Seg ie com toda a hrevidade a barca portugueza
Com nte
para
consiyatn CH^ira? _
po Salto n. 19, ou com f>
conimprcio. 11
M
te da
capitao
na
^rojnpta
>m os
ir-
praca do
DE
plantas, fldres raras, be
SA&bAr^TWTOfcKr^jrVii
DA MANHAA.
JJrflt. Jedie, horticultor e
com estauclecimeiito era Argel
re|jrar-se no primei
leilao por intervenc,5<
e eseqiwjihrmid
lile el
IssiHtas
11(111 AS
em Paris,
tendo do
Inropa. far
vapor para _
lo agente Pestaa, da gran
tleBtentajpr-
lina, queftul
Paira o Rio-Gran
\'m Si.
Deve seguir dentro >m poneos dias a
barca nacional Jhcroza Ia, e anda recebe
alguna carga ffrete: a tralar na ra (lo
Vicario n. 1, kscriptorio de Bailar, Ol
veira & C. ., ft a .ft *?
NAMBlcroA
i^Ualugwi .aue se dislribuirao gras^aphando tuao
em perfilo- toado, poprto pW clima deste
se annuncio, mas os amadores pa
cal
eft .
laiz. Quem tiver costo em possuir
jort* am'linofjfclim, por
concorrer ao leilo, aproveitan
que ditBcilffleuM se reprc"
limar no dia acinja, sabbad
horas da mnfila, no caf Commerc
Corpo.Santo n.,l>.
Em seguida, o Sr. Kloriano, desempe-
nhar a jocosa scena cmica denomida:
Joaquim saehristiio assislindo repre-
sentado do drama sacro
OS MIARES DE, SIXTO A\T0\I0.
Por madama Poppf, a bella cancao an-
daluza.
LA ESPAOLA.
A pedido, a Sra. D. Jesuina e o S. Dc-
Giovanni, cantaro o garacioso duetd
O meirinho e a pobre.
Terminando o espectculo com a bel-
lissima cansoneta
LE GAF CORCERT.
executada por madame Poppe.
Os bilh tes acham-se desde ja na esta-
qJo dos trilhos urbanos, no Becife e no
theatro.
.V. B. As pessoas que quizerein assis-
tir a este divertimento, terao passagem gra-
tis em qualquer trem e a qualquer hora,
antes do espectculo ; assim como, depois
do mesmo dar-se-ha conducho gratuita em
trem especial, o qual tocara em todos os
pontos do esiylu.
DOMINGO 13 DO COMIENTE
Nao haveri espectculo neste theatro.
CUMPA N
Vavegaco
a bella
n;i de
i".
LEIL V
DE
Predios
costelra por vapor.
Mamnnguape.
O vapor Cornripe, commandante Penna, segui-
r para o porto cima io i\lt do emente as 6
horas da t;u lia^sagens e dinheiro aTrert^m a? t-Mns da
tarde nt es^riptorio do Forre do Mallos n. .
Ilha de S. Miguel
P.ira o pdrio cima segu cora mnita brovidadc 2i ^ roteiro, sitas a ra de S. Joan, i
o patacho poitugaez JorgeW por j tor prompla I ca(ji unia mensalmente 25*000.
quasi toda a carga : para o resto que Ihe falta e '
passageiros, para os quaes lera bellos commodos.
trata-se com o consignatario Joao do Reg Lima, a
ra de Apollo n. 4.
O agente Pontual compi?tentemenle aumrisado
vender, em leilo, urna casa terrea em chaos pro-
p'rios, sfla a ertrada do encanareento da compa-
nhia tle Dibaribe, (soudo a entrada no lado do si-
tio dt> Sr. t. Leal em Parnameirim) n. 16. com
sala, '$ quartos, cozinha fra, um trraco n fen-
le, e sendo toda de parede dobradas, com 63
mos da fretrtc e 200 de fundo. Na ^leslfiaw
Terca-feira 15 do correnta.
LEILOES.
AVISOS MARTIMOS.
CoBipanliia americana c brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia lo do 'corrente inez esperado de
New-York por S. Thomaz e Para o vapor ameri-
cano Sof* America, o qual depois da demora do
costurae seguir para os portos do sul; para fre-
tes e passagens trata-se com os gentes Henry
Forster 4 C ra do Trapiche n. 8.
LEILAO
de salvados do hiate nacional Santa Cruz,
e 35 barris com plvora.
HOJE.
O agente Pestaa legalmente autonsado fara
leilao por conla de quem pertencer de parte dos
salvados do hidte nacional Sh/ do em vinhos Bordeaux e Collares, azeite doce,
ferragens, dobradicas, machados, pregos, panellas,
bulles de metal, copos, garraas, frascos de vidro,
iniudezas etc., e mais objectos que se acliam pa:
lentes e assim mais ;io barris com plvora, ser
tudo vendido na sexta-feira 11 do corrente pelas
11 horas da manba no armazein da ra do Viga-
rio n. 25.
Noprimeiro andar do sobrado
Cruz, s 11 horas.
n. 62, ra da
A 11 do corrente.
No de Ignacio Luiz de Brito Taborda, annun-
ciado para este dia por ntervencao do agente
Oliveira, estrada de Joao Pernandes Vicira n.
58, vender-se-ha alm da mobilia um soberbo fa-
queiro completo para grande mesa, um galhetei-
ro, um porta licor e urna salva grande, tudo lin-
damente lavrado e de prata a mais lina, bem co-
mo um apparelhode metal superlativo para cha e
caf, nao desmerecendo em lapparencia da me-
Ihor prata, e com igual utilidade.
1ILI
A 15 do corrate mez. *
O agente Oliveira, competentemente gotorisado
far leilo do caixo da casa at respaldo, com re-
partimentos de moradia e telheiro, na ra dos
Ciiararapes n. .'(8 a 41 aclualje n. 22 anligo, em
terreno de inarinha n. 90, com setenta e seis pal-
mos de fenle e trezentos e cincuenta de fundo ate
a rua do lrum, sendo que o oito em toda esta
Ktensio tonna urna rna larga do transito da dos
Guararapes para a do Brum, dando a casa futura
da esquina tres frentes como do dezenho que se
patentear.
IVrea-feira, 15 do corrento
ao roo dia em ponto ern seu escriptorio a rua da
Cadeia n. \ primeiro andar por cima do armazem
do Sr. Barroca, on le os pretendentes terao os pos-
siveis esclarecimentos, e a quem para nao fazer
demasiado extenso esto annuncio, se pedo, que ha-
jam de examinar previamente dita propriedade,
que se vende sem reserva._________ ______
O DR. JOAQIM COKRilA i ARA-
rjo e sua Carailia, confktem
orlos os ses prentes ami-
bos e aos do a?u sampre fernbra-
Ro pai o ffiMoijOAtoiftl cpRRi: v
De arajo, asstvtirem asmissas
bue por sna alma maudaiu
ezar na igreja da ordena 3." de
I. Francisca, das 7 s 9 horas
da rnanhaa de hoje 11 do cor
>-ente.
SoTiedaaeheacflcej^e^egredo
e Amor daOrdem.
Manda rosar urna missa no dia 11 da.corrente
mez, s 7 liaras da manha, na igreja matriz do
Santo Antonio, por alma da Exma. Sra. 1>. Mara
Joaquina da Cooceicn, mai de -cu consocio J. L.
Lopes da Silva, convida familia c patentes da
niesnia F.xina. senhora. boin como aos m;iis con-
socios para a ella a^Ntin]iji_^________^_
Ainda restam algumas collecoes de
Biographias de alguns poetas, e outros ho-
mens Ilustres da provincia de Pernambuco,
tres tomos escriptos pelo comraendador A.
J. de Mello: rua Augusta n. 9i.__________
No escriptorio de Domingos Alves
Matheus, rua do Vigario n. 21, lia urna
carta para ser entregue, em m3o propria, ao
lllro. Sr. Dr. Luiz Jos Corroa de S, vinda
da Bahia.
para* asa de familia, -a" Xn
Qtieimado n. ft.
Alug:a-t5e
- Migoel Augusto de Oliveira
Janeiro, e por esto meio, nio o pod
soialmente, por incomnwdo de san<"
seus amigos, o offrcfe-mes'seri fi
ieoa ije achovTurn ded_
as inieines MI, K M, e queipa' res
rua ibMtngneira, subfadi n. 6, pie ser beui re-
comiwuiyido, riijj dedal fui cabido da jauella du
uiesoip sobrado : os senuores ourives, a rjuem for
ofTererido, paga-se hm.
'Deaappareceu no dia 5 do corrente, de sua
cas, m Estrada Nova, a Sra. Mari, nerda, de 45
airaos de idado, a quaJ-sotn' de alie*aeao : quem
dulla der noticia. dirija-Be travessa das Cruzes
ii. 'i, ou annuncie por esle jornal. .
JJa se 1:0004 a premio com hypotheca em
bens db dobrado valor nesta cidade : na rua No-
va, toja de ferragotw n. 31._______^_______
Pede-se ao Sr. Antonio Domingiies
Pinto, filho natural da IVeiiezia de Bcl'oges
(Portugal), a bondade de vir a travessa do
Qoeimado n. 3, que abai.xo assignado Ihe
desoja tallar. Hec'.; !) de junho de IHllt).
---------- J._|L_1-!IH
o 1 andar do sobrado da rua do l|*r% fc 5, com
bous commodos :. a tratar na nadarla da rua Di -
reitan. 81. -
No dia 26 6*S pta&no passado, sahio do
sitie dos AfflcTOrpp^'rederit-o Chavas, um gar-
rote crioulo, tod E*>-lendo podido sater
QiKfeclle se acha,^lBHlMl9Boa po o tiver em
di sitio, que tenha a bondade de dirigir-se ao
lesmo si le tii ara abrigado, e pagar as despozas qae
iM.MTi.r.iivnguiiT CT ,
.m PresarsT
alugar urna casa na freguezia do Santo Antonio,
que lean commodos wulicionies para urna fami-
lia : a tratar na rua das C/uzes, taberna n. I.
Precisa-se de um moco de i? a II annos
liara caixeiro : na padaria da rua do Rango! nu-
mero 9;___________^________
~ Precisare de up> trabalhadjr de padana :
na rua doRaaget n. _____________________
Miranda & Sil?* fazem scienle ao respeita-
vei publico e com especialidade ao corpo do com-
mercL que no dia 5 do corrente compraran aos
Srs. Joao Goncalves & Miranda a taberna da tra-
vesea das Cruzes n. 12, livre e desembaracada e
dt'bitos e de qualquer onus. Becife 9 de junho
de 869.
I
a 11
COMPAMHIA
DAS
Messageries imperiales.
At o dia 14 do corrente mez espera-se da Ea-
ropa o > apor francez Extramadure, o qual depois
da doraora do costume seguir para Bahia e Rio
de Janeiro.
Para condiccoes, fretes e passagens trata-se na
agenci rua do Commercin n 9-_____________
COMPANHIA PEUNAMBUCANA
DE
XaTCgac costelra por vapor.
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
**y 0 vap-r Potengi, conunandaute
sMXL Pereira, seguir para os portos cima
^mtSkti no ilia 15 do corrente as 3 horas da
tarde. Recebe carga at o dia 14, encommendas,
pasaageiros e dinheiro a frete at as 2 horas
da tarde do dia da sahida no escriptorio do For-
te do Mattos n. 12.
Para os portos cima segu com brjevidade a
liarca portugueza Clementina, tem pane do seu
carregamenlo eagajado, e para o resto que Ihe
falta, trata-se ton os consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Avedo & (L, rua da Crut u. 57.
De predios coat terrenoe
do corrate.
Ignacio Luiz de Brito Tahorda, far leilao por
ntervencao do agente Oliveira, da sua bem co-
nhecida explendida casa de campo assobradada,
recenlemente construida (pouco faltando dos em-
bellesamentos) com toda a solidez e primor da ar-
le, tendo dos lados dous magnficos portoes com
radarias de ferro e calcamenlo de lagedo de pe-
Jra em frente da rua e juntamente o sitio em que
se acha edificada, com mais duas casinhas na ex-
trema opposta. ao oilo, site no ameno c apetecido
lugar da estrada de Joao Fernandes Vicira n. 58,
prximo a igreja da Solodade.
a casa alea) de sef espa^osa, de apurado gosto
e perfeicao, rebocada toda por fra e parte por
dentro de finos azulejos, tem nos fundos e ao lado
cozinha com fogo moderno, casa com tanque
para banhes, forrado tamliem de azulejo, enea-
namentos para agua e paz, commodos para crea-
dos, estribara e cocheira espacosas, ce mo gali-
nlieiros e curral para vaecas e outros misteres.
Tendo o sitio, inteirainentc murado 317 palmos de
fenle e cerca de 900 de fundo, pode ser repar-
tido e vendido em tres lotes, um do lado em que
se acha a casa descripta, outro do opposto com
duas casinhas, e o terceiro sendo o terreno de
permeio que pode aproveitar-se para nova edifi-
cac,ao, ou tudo conjuntamente a aprasimento dos
pretendentes.
Sero tambera vendidos em separado 36 mag-
nficos vasos de relevo p doze figuras emblemti-
cas para adorno de jardim, um riquissimo carro
(coup) de quatro rodas com arreios completos in-
teirmente novos, e outro carro americano de
quatro rodas com arreios, tudo tanto monta no
mesmo estado de novos, assim como a mobilia
existente na indicada explendida casa grande, cu-
jea commodos e repartimentos, como pinturas "
De um piano de Jacaranda, 1 mobilia com 1
sof, 1 mesa e 2 consolos com pedra, 4 cadeiras
de bracos e 12 d gnarnicao de Jacaranda, 1 can-
delabro, 4 casticaes e mangas, 1 relogio, 1 rico
quadro, desean o de ps (dourados), porta msi-
cas, mesinhas, i dita de cnarao, i mesa de es-
criptorio, 1 jogo de gamao, 1 cama franceza, 1
guarda roupa, 1 commoda, 2 mesas de jacaran
d, i lote de esteira para forro de sala, 2 cadeiras
de balance, 1 mesa elstica, 1 apparador, i ap
parclho (le porcelana branca para jamar, louea
para cha, copos, caeas, garrafas, fallieres, 1
quartmheira, 1 cabida, 1 sof, 12 cadeiras, mesas
e outros objectes de casa de familia.
Quarta-feira 16 do corrente.
No 2o andar do sobrado da rua da Impe-
ra triz n. 54.
O agente Pinto far leilao por conta de urna
familia que m dou de residencia, dos ^vej8 JJ
biectos
.. do sob
de se effectuara o leilao.
Principiar as 10 horas.
FUNDICftO DOBOWMAN
Una do tsriii n. 58.
PAS9AND0 O GHA.FAIUZ .
Tem sempre deposito de todo o ma shinis-
mo empregado na agricultura da provincia,
entre o qual:
Machinas de vapor, para assucar e para
algodo.
Rodas d'agoa.
Motores de diversas especies.
Moendas de canna.
Rodas dentadas, para animaes, agoa e
vapor.
Tixas de ferro, batido rundido e de
cobre.
Alambiques.
Atados e instrumentos d'agricultura.
Descalcadores d'algodo etc. etc.
Havendo em tudo variedade de timanho
desde o menor at o maior que se costu-
ma empregar.
A FLOR 10 FIMO
9
-
m
o
es
o
-a
tu
AVISO AOS APHECIADORKS
da boa raaacA
-------DA FLOR DO FIMO-------
Acabam de chegar novas
remessas de futi picado,
e cigarros especiaes do
tabaco do serto do Para
e Amazonas preparado por
Jos Julio Sampaio Pires,
(do Para), premiado na
exposicSo nacional, vnde-
se em seu nico deposito
em Pernambuco, praQa da
Independencia n. 39, loja
de Porto A Bastos.
O
7
ej
A FLOR RO FFI'
Gymnasio Campestre
E' ao Sr. Procopio de Sena Santiago,
ponto deste theatro/que s desoja fallar na
rua ireita n. 58, a negocio que nao Ihe
deve ser estranho. _______________
Na roa ireita n. 36, vcndein-se hostias e
obreas milito em conta.____________________
FATfcA, PABACIAS
As econmicas e importantes machinas para
cortar bolachas de todos os lmannos : sempre
venda na rua Direija n. 84.
3 3 3'
-j s
mais objectos cima mencionados existentes no r
andar oo sobrado da rua da Imperatriz n. 34, on-
LEILAO
COMPANHIA PEUNAMBUCANA
DE
IVavegaco costelra por vapor.
Goyanna
O vapor Paraityba, com-
mandante Mello, seguir para
o porto cima no dia 16 do cor-
rente as !) horas da noite. Ilecebe
y carga, encommendas, jiassageiros
e dinheiro a fr>'le no escriptorio do Forte do Mat-
tos n. 12.________________^^
~nRTLlJOA~
[^Seguir com a maior brevidade possivel o bri-
>!ue portuguez Constante I, por j ter grande par-
te da carga prompla; para o restante e passagei-
ros, trata-se com os consignalarios Oliveira, Filhos
& C.Jargo do Corpo Santo n. 19, ou com o capi-
to na praca do commercio.
TreagL forros de papel primorosos, ladrilho mosai-
co Walgumas salas revelhando luxo, nao deixa-
rao de attrahir admiracao pela belleza do todo.
hoji:.
as 10 horas da manhaa ter principio o leilo na
indicada propriedade, estrada de Joao Fernandes
Vieira n. 58.
Do patacho inglez Ellza e Ja-
ne. condeniiailo por iuna-
vc^avcl. ede sen lastro de car-
vo de pedra em Cabedello,
Parahyba.
Quarla-IWra 16 do corrento com autq-
risacao do Illm. Sr. Dr.juiz do commercio
e jia presenca do abaixo assignado o dos
officiaes da alfandega, baver leilao do cas-
co do patacho inglez Eliza e Jane, naufra-
gado nosbaixos de Lucena, nesta provincia,
no dia 30 do mez prximo passado e pre-
sentemente encamado na praia do porto do
Cabedello, o navio ser vendido com todo
a sua mastreaejo, vergas, vellas, cabos,
correntes. anchoras etc, que tiver a bordo,
como tambem urna lancha- vendendo-se em
separado smente o lastro de carvo dra, constante de 44 toneladas. Ter lu-
gar o leilo na povoaco do Cabedello as
11 horas da manhaa, do dia 16, e serfei-
to por conta de quem perteacer, pagando o
arrematante os direitos scaes e tres por
cento de corre tagem.
Vice-consulado Britnico. Parahyba 8
dejunho de 1869.
Roberto Shaldero
B. V.-Consul,
Replica ao Mr. ililito.
Li com mais atlencao e cuidado, do que elle pe-
dia o aranzel do Sr. capilo do patacho Georgense,
com refereaeia aminha exigencia; coasmei coma
forma porque terminou promptilicando-se a pagar
a falU do caixo mediante a apresentacan de conhc
cimento ou outro titulo que provasse o embar-
que Asneiras nao devem ter resposta; mas,
vamos avivar a chaga que mais tarde ou mais cedo
cicatrisar. ,
Acaso ignora o Sr. capitao, que encommendas
nao sao mauifestadas, nem se assigjia documento
algutn nao creio sob pena de nao poder gosar
do foro que gosa um capitao de navio, mas quando
elle s;ibe ser capitao!! ....
Alera disso accresce que o Sr. capitao so gno-
rou que tinlia dnixado de trazer o mea caixo, com
'a le tura daExigenciaporque at ahi engaa-
ra-me dizendo estar bordo, ter descarregado
para a alfandega, e at arrojando-se a dar urna
ordera para que elle fosse entregue a bordo, e isto
no escriptorio de seu correspondente, quando pelos
actos precedente que se deram devia, ter cons-
ciencia do tim ([ue tinha levado.
Das almas grandes, a nobreza o nieta...
Lcmbro-me contar ao publico o que vi, c por
este s f;ico me nao admiro da sorle que leve o
meu caixo !...
Urna bella tarde, vi um capitao Port.... jun-
tando caberas de papagaios ortos, e admiran-
do-me daquelle procedimento, decidi-me a pergun-
tar-lhe para que fin serviriam aquellas cabe-
cas I!... respondou-me rindo-se sardnicamen-
te cala-te tolo, tantas caberas possa arranjar,
quanlas ccrlidoes de bito apresentarei.... e que
Ihes parece a especulacao ? nao achei ma, e como
isto ludo o mais qu se v por esle mundo de
meu Deus. .
Amen! Amen! Amen!...
Mara Joaquina d'Olivera Campos, tendo de
mandar celebrar algumas missas pelo eterno re-
pouso d'ahna do seu sempre chorado esposo Der-
nardino Francisco d'Azevedo Campos, por occa-
) do 1." annversario do seu fallecmento, no
dia 14 do corrente ; vem por isso convidar e pe-
dir a todos os prenles e amigos do mesmo fina-
do, o caridoso obsequio de assistireni as mesinas
missas que sero celebradas no indicado dia, das
4 as 8 horas da manhaa, na veneravel ordera 3."
do Carino; por cujo favor desde j antecipa sua
gratido e reconheciiuenlo aquellas pessoas que
se dignarem comparecer a to pi acto. Recife, 10
de junho do 189._________________
tW*T*
Aluga-se

urna preta esersva para tomar conta de um ta-
boleiro de fazendas e vender na rua : a tratar na
rua do Crespo n. 20. ____________________
Precisa-se de um amassador bom, e que en"
tonda de forno : a tralar na rua das Cinco Pontas
numero 82.
Ama
No largo da matriz de Santo Antonio n. 4, !
andar, precisa-se de nmaama.
Offerece-se urna mulher para casa de ho-
rnera solteiro ou de pouca ramilla, para service
interno : no becco do Peixe Frito n. 8, 1 andar.
AMA
DE
urna machina de oestura, um pjano, urna mobilia
de Jacaranda e mais movis pertencentes a casa de
familia a (m.mM m
HOJE, li DE JUNHO
il hora* da mambla
por interwnco do agente Pinto, rua da Imperatriz
n. 34, segundo andar.
AVISOS DIVERSOS.

Precisa-se alugar um sitio perto da praca
ou enlo *endp Chunga, Soledadj, Manguinho,
estradas o> Joi Fernandes ^\0em. e Joao de Bar-
roa : quem livor dirija-se rua de Santo Amaro,
cocheira do 3r.. Thonm._________I
Precisa-se de ama ama jje qnela klade para
jasado milia de duas pessoas : na ruaVelha
numero 36,
Novidades do Campos
para S. Joao
interessante ffogo <;*ar t Ifleio para
sales. viudo da edrte pelo
Paran vende-se na rua do
Imperador n. 8.
ECONOMA DOMESTICA
Superior farinha da trra em saceos, o
40 tambem se vende por menos, senda
porcOes.
AOS ESTABELECIMENTOS
Medidas para seceos, conforme o noto
systema mtrico decimal.
Tabellas indispensaveis, facis, o mais
adoptadas at hoje nos estabelecimentos que
cmprame vendem a peso, porqne mostram
ellas com a maior exactidao, a redcelo do
peso e prego entre os dous systemas: libras
e kilogranSMS, recomendadas de prefe-
renciaaofi qualquer tabella, pea sua
fcil complWnso ainda para as pessoas
menos habilitadas em commercio e clculos,
acha-se a venda tudo a cima na rua do Im
perador n. 28,
Armazem do Campos.
Em S. Jos do Manguinho, sitio n. 2, antes da
igreja, precisa-se de duas amas, urna que seja boa
engoinmadeira e outra coznhera, para pequea
familia ; paga-se bem agradando.
No dia 21 de Janeiro do anno prximo pas-
sado fugio doengenhe Sapucaia, sito na freguezia
de Santo Amaro de Jaboatao, o escravo Manuel,
pardo acabocl.ido, de 22 nnoa de idade, pouco
mais ou m inos, altura regular, sem barba, um
pouco cheio do corpo, cabellos da cabera cresci-
dos e corridos, ps grandes, phisionomia carrancu-
da, falla arrebatada, no andar iaclina a cabera
para diante, toca viola e canta, e tem o ofilcio de
carreiro. Foi comprado na Villa Bella, comarca
de Paje, d'onde natural, em marco de 1834, a
Joanna Mara da Cruz : quem capturar ou apre-
senlar Ojdito escravo ao proprietario do dito en-
genho, o* ao Bario da Soledade, nesta cidade, ser
generosamente recompensado. _____________
0 abaixo assignado, mor na rua
Nova n. 57, 33 annos, e 6 bemeonhecido
nao s nesta cidade, como fra della, por
tanto se o Sr. Manoel Joaquim de Araujo
tem algum negocio com elle, j sabe onde
pode achar a qualquer hora que o pro-
cure.
Antonio Domingos Pinto.
= 2r-2
en T3 -i
I all
= 311.

m
= > ?
~- 2:
m
i. 30
m
Precisa-se
de um moco que tenha conhecimento de trabalho
de padaria : para informagoes, na rua da Cruz n.
18, das 10 as 4 horas da tarde.______
= Precisa-se alugar um escravo de raeia idade
e que seja sadio : a tratar na rua das Laraugeiras
numero 17.
N
i
<* o 2.



!D0 '
CABUGf
esquina
da* na larga do
Rosario.
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm sorttotato S*n igual,
CABGA
esquina
e vende por presos que nenhuma^pntra casa" pode vender. 1H f da ma lardado!
qualidade e do pre vados.
%odo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras
A loja est aberta at s 9 hoxps da noute.
Rosario.

i.\ u & jAm^p



%


*.
Diario de Pernambuco Sexta (eir 11 de Junho de 1869.
BOM NEGOCIO
COMPMNU
DOB
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A OlilWIWL.
Por ordem da directora sio convidados
os Srs. accionistas effectuarem no prato
de I dias (a contar do Io de junho de
1869) a segunda prestado de suas acetas
na razao de^ 10 0/0. Para csse lim ser
encontrado o thesoureiro, desde s 11 llo-
ras da manhaa s i da tari de todos os
dias uteis, no escriptorio da companhia
ra doCommercio n. Ii, i" andar.
O art. 8 dos estatutos dispoe que o ac-
cionista que nSo realisar a importancia das
prestaces nos prazos determinados perde-
r em favor da companhia a prestacSo an-
leriormente paga.
Recife, 31 de raaio de 1800.
Thco. hut.
Io secretario
O conmeodador Tasso,
deseja alugar por mdico

Bollos e bonquets para
Santo Antonio
Na na estTCTte'dO'WJIIrw sobraA ot
um andar n. 33, faz-so bollo de encommen-
^%7tare da Para Sant0 Anlonio e 8" JoSo' se,u,as
SSdolSsiuo dq^l^ommendas Mas 3 dias ante, ; bollos
unda as miaa* vtlo des- enfeitados propnos para prcuprn, c (em
de aun teTestradi 1 Para vender boU(>n,els Fa eTf5iU,r bolk'
va ?lublat?_ Por to,W Pre5 6 ta'l,uer ora qoe *
J procure ;.proara-se bandeja* de bollo
para baiie e casamento, todo por barato
prcco. ,_______________________
ATTENCAO
O abaixo asignado fax sciente ao respeitavel
publico e especialmeule ao corpo do commerclo
desta prac, qns no dia" 15 de abril do corremv
atino, acaban com o negocio que tinha na ra do
ngel n. 3, tanto de mamente existia de Oliveira & Souza, e que nada
floou devendo desta, como daquella ; norm se
alguem se jutgar seu credor, apresente seus docu-
mentos na ra do Livrairento, sobrado n. 1, no
praso de seis dias, a contar dehoje, para ser pago.
Servc-se o anuuncisHte do ensejo para scientiliccr
a todas as pessoas que I he sao devedoras, que ve-
nham saldar suas contas para se evitar de serem
avisados judicialmente pelo sen procurador.
Deeife 4 de junho de 1868,
Francisco de Oliveira Franco.
a estiuua vcta ao lugar de Ago Fria,
comprehendendo venta grande ilha, qaal
assim como as referidas baixas se prc>tam
muito a plantaco de capim, arroz e qnal-
qner outras plantas que percisam de trra
fresca todo o anno.
0 referido commendador nao davida fa-
zer arrendaaaento desses terrenos e alaga-
dos por 6 ou mesmo 9 annos, e dar um
anno de fogo morto a quem der flanea
idnea e se obrigue a rotear os mesmos.
NA L1VRARIA FRANCESA
I>A1U AS FUSTAS DE SANTO ANTONIO, S.
S. PEDRO
JOAO K
ruin

V CIGANA
N'ESTA ANTIGA, E CHEWTATA I'
FABRICA J
>i
(_l--_>_t(D_> 2>53 3CD2.

II ClIlTilTUIlTI IBI COlfLIII IM111IRTI II
CHIPE! IB _:
De toda* as qualidades I
De todos os feitios I
De todas os procos I
RA DO CRESPO N 4
Trocam-se
i.
a notas 4o buto do Brasil e da
m descont muito razoavei: praf da
tendencia n. ii.
Ha mnita fjecessidade de se tallar coa o Sk*.
Procopie de 9eria Santiago, na rinDiMUi. 5J*
i negocio que nao I he deve ser estrapho.______
Acba-se fgida ba otto meu a pete ts-
crava, de naci, de Dome Maria.eosn 49 oaaoraa
idade, baixa e cor fula, consta qne du ser toro,
anda wmlendo na fregueaa de Boa-Vista, com
urna bandeja pintada do encarnado, rom qo
ragio : gratiOca-se bem a quem a appreboatar
leva-la a ra Imperial i. 103. ____________
Cosinheiro
Vana do sahir luz um epaseulo Melado
criminaos e sea lociir-
Goltecrao de sortcs para homens e so- j
horas contendo mais a phrenologia das i
damas, varios jogos para sociedade, chara-:
.las enigmas ek\ ele. etc., accresccntada, i Precisa-sc de nm coaoheiro que seja perito,
^ ran canto las mocas prefl-re-so cravo, paga-se bem agradando : a
|iA0 Ur C01U i0,*e TaS0' rua Amoriinn :t7-
L'm volunte ntidamente tmpresso
Encontra-M tambein nesta livearia, um
familias. ^_^_____
luga-se a loja do sobrado n. 3?, sita ira pre-
5a da Boa-Vista, ten* commodos para qualquer
estabeleeimento '. a Halar
n. 30.
na rua tudo qaanto se acna ostabelocido ofcm do tal ma-
teria pela legislacjio em vigor; tnbsfto M sum-
ma utidade na s para as pessoas do loro, s-
nao tassbem para as do oulra qurtqoer pnmwso,
aoisniu mais ou menos a todos tivoa o in'.-iv-.-i
aclia-se vend na liviaria I ntrersai, a rua do
imperad ';. pelo pr^o de jjHW__________.___
frecisa^se de um bjjweni para l'eitur de en-
genna : a tratar na rua do Ooro n. 32, casa com
porto de forro.__________:_________,
Negrinka.
Precisase de urna para andar com um menino:
na rua da Sentalla Nova n. 38, primeiro andar.
AU DE HITE
|teeM-so do urna ama de k-ite, prefere-se a
mull'or Wvre B sm Hito : na rua das Gruzes n.
:io, i' r.r.dar.
EWIPRESTIMO SOBRES
COMPANHIA PERRAMBUGANA
F0G08
DE

D-se un cont de ris a premio obro liy-
potheca em casas : na roa Diroila a. 2*, padana
se dir quem da._________________________
Cozinheiro.
Precisa-se de um bom conhciro : na rua ta>-
ga do Ritsario n. H
1JL1 JL JUiJ.
Natypograpfii do Liberal, n. 48, roa
do Imperador, existem folhetos imjiressos
contendo o programma do centro .liberal,
os qnaes se vendem trommodaroente. I
Cria Precisi-?e de unj criado liol e diligente, livre ou |
! cscravo, para urna casa de familia : a 1
(SEM LIMITE.)
Na travessa da tu
1 das Cruzes n, 2, pri-
I meiro andar, da-se qual-
m per qiiantia sobre onro,
prata e pedras preciosas.
\wMrfTFeile!pso, do Pinte. I ma Bia^** *> ******'-------1 j
.viit>ic E' de urna cfficacta verdadeiraracnto na-1... bles )ara ca4amentos e bailes,
bandeja* com boles para
assim .-orno para os festejos de Sanio Antonio e S>.
.too i'orl'oigjto. ^^^^^^^^^^^
ravilosa como calmante dosystema nervo-
so e applicado contra a paralisi. asthma, joaj^mj
tosse convulsa ou coqueluche, losse recen- 0rsbbhH
tes ou antigs su(ocai;es, catarrlios bron
chicos etc. e a final contra todos os solSi-
mentos das vas respiratorias, e na phlisi-
ca pulmonar, sua virtude contra o telann
ou etasmos, e cenvulcn'.s incont e niitguem lia que o desconheca. A mesa rege* da irmamjade doBivmo fe*-
' l l liixrn ItrUiNTO Fm\NTOS0 I I pirito Santo, em mencao sos dimat.vos que foram
UM DLbLOHUIMi.IN 1U fcM AI\nnu i J, xa(Io, ,,.,,., rin.indnde, pelos finados hispo
>.////. 8r. 'Joaqmm wMmeula "<"'" r,. joao d* Poriflencao M.-irquos Perdido, Jos
< Brasa, -'i Be Janeiro de- ItffM. Met i Francisco RnVshm Wnw\ Joao de Amorim, e
. anico, an'ui-otiesuti com alguna melho- cumprindo as dwposicdes do art. 32 de seu com-
~~. a ,-,;'. .11 tor mmadn tris (T-irrifas promisso, manda celebrar * ra.; dopois de er lomado tres gai raras i^ (_ 1|ir<1110(,nna < do seu preparado.Wro/w'/" ^'/i'/zovo- dj< |1,|a3 7 horas da manhaa, missa solemne do
< isto pelo mar, porque logo que che-; reipuem e memento. A mesma mesa rog.dora
2liei em Lisboa, principia cam mai'f convi la a todos os parantes s amigos dos miados a
oarido-o act*t nos seos res-
como IgualimWS convi.la aw re-
_q\j)S senhures sacerdotes que quizorem cele-
de sangue : |,rar missa wsada por auna dos meamos Uados,
que eu L-oteva pela hocca, vi-que me bia cwinparecerem na musina igieia*nos mencionados
de.apparecendo com rapidez depoise JtaJfgS^SSS^S!\
cotitiouei a tomar o dito jarope, e rao i ma do li;ido bit9a (> jao da i>,ii,-;o;ao Mar
mflagr so'fot para miolia molestia que I ues Perdteao; no dia 10 por alma de finada Io%
hoie'me acbo de todo restabeleoido, e at Francisco ibeiro; e no dia 11 por alma do lina-
mesmo bastante M^^toWp^tffi^
Vmc. fazer-eiente ao pttbhco o mtlagre o esesnio.
Mi'hittim F>-ti))D O dono deste estabeleeimento,
competentemente auforisado pelo
governo, est as condices de ga-
rantir a Iranacc/o que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e consideraco s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
beleeimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
e brilhantes.
Cosinlieira engommadeira
Paga-se l.oni almtiiul por duas .sravas, para
cosinliar e engommar para orne pequea faini-
ia : "in S. lol do Manguind casa n. antes de
ebeearignia. .
i a tomar o dito sarape, por conhecer pelo jg'JiE1- ^TeeS
< mar que elle fazia grande bepeficio, pois v;,rendj);$enliores s
vista da rrande qttantidade
Em casa de THEODORO CHRIST1-
\NSEN, rua da Cruz n. 18, encontram-se
effectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaos, Bourgogne e do Itheno.
i'recis.i-so, do
n. :;i.
urna ama: na rua do Fogo
< que o seu preparado obrou na minha en-
* fermidade. Sem tempo para mais, son
De Vm.
Amigo atiento venerador e muito obligado
Maito*! fos Gonsltes Pehiru.n
Na rua Inreita n. loja do funileuro, ou no
.ovoa.io dos Montos, precisa o abaixo assignado
jni mder-se com o Sr. Manoel alisto le Souza a
logo'io do sen intoresse ; isto no piaso de tres
lias. Keci 18 de maio de 18i9.
Pedro Dnarto Ro Alnga-se urna negrinba de 12 annos, pro-
pria para andar com crianca e que cose costura
cliia : quem precisar, dirija-so a rua Direita n.
i Illm. St Jtt lia muito que ouvia proclamar asexoel-
Irmandade do Divino
Espirito Santo
lentes Dropftedadea do \arope de Fede- reia hora9 da [n'aubaa, am fc assistirmos
Por 'irdem da mesa regedora convido a todos
os no-HfS caros irmaus a coniparecerem em nossa
igreja nos dias 9, Id e ti do ftorrenlc pelas 6 e
aos
Ti, yadaria.
Precisa- st de urna ama forra ou captiva pa-
ra cosinliar e engommar : na rua de S. Francisco
n. M.
UH
Precisa-se do una nralber forra ou escraya que
engomme e ensaboe, para nma casa de familia: a
gano cbtra a tosse e asthma, sollrendo i saff1Vgh,s"qu7alrmam n 18> seSan*>
eu de una tosse pertinaz, e tendo usado dos tinados, hispo O. Jj da Pnritcacao Marques
de toda a sorte .lemedicamentos, valime I Pw-o ** *"**>" N'1*" e Manwl Joao de
pois do .VdPepe de Fedegeso e urna gai'
rafa smenle foi bastante para reslabe-
lecer-me, e me vejo Uto robusto como
d'antes; suceombiria de certo a nao ter
usado do X>ni'd4' F*deif>io.
A' vista disto nao tenho espresses
com que exprima a V. S. a gratidae de ; bi lecirento sito a rua da Oadeia n. 36, o sea ca
Aiiioi'ini.
Reme, 7 de junliode I69.
O escrivio,
Joiqtui Fiatid* da Silru Jnior.
~~ u abaixo assignado participa ao respeitavel
publico e com specialidade ao corpo commercial.
que tendo de retirar-se para a Europa a negocio
e tomporariamente deisa na gerencia do seu esta-
que he devedor 0 de V. S. atiento i nhado o Sr. Carlos Frese e o Sr. Leonardo Anto
venerador e criado
.hio da Costa Reg.
nio do Espirite Sato Porto, competentemente au-
! toreados o haMiitados para esle llm. doga-se
portante aos setw amigos e fregnezes quo conti-
:---- Inuom a dispensar a mesma cenlianca, com que
liiin. Sr. Joniiinit O-Almm* PtiHo. empre so dignaram honra-lo, certo de que suas
Tenho a ventura de commnicar a V. S. ordns serio xecutada? com zelo e aciivioado.
que gracas ao a.ravilhoso Xampe de\.
Fed")w. estott com o meu eaeravo Jor-
ge completamente restabeleoido da mo-
Precisa-se alugar urna escrava para cozi-
nhar : a pessoa que tiver, pode vir tratar no pateo
do Terco n. 63, que se pagar bom aluguel.
andar, das
Precisa-se de um homein que tenha bonita
lottra e algflma nraliea de escripturacio morcan-
- til : a trata na pa da Praia n. 47 3-j
Jestfa dos pulmoes que ha tanto tempo o io |Wra3 da manha s i da tordo,
persi'i'uia.
Aceeite V. S. esta minha- deciara^Jo
como prova do meu icconhec4mento pelo
bem qu V. S. acaba de fazerane e cu-
ja recordarlo ficar internada no cora
**> do
De V. S.
Atiento venerador e criado
lenlo JofUfmm Gomef.
No caffraucez rua la Im-
peratriz n. 15- precisarse de-atn
criatlo. ou eaeravo para o servijo
interno.
i Um, Sr. Jonqnim 4'\lm>iict Pinto.
Cmprindo um dever de in'aHdfi parti-
clpa aJULau^ poruiein do sea aben-
coado XardjsflrfBl^oxo. est* perfetta-
nientt restabetecido doi seus kiugtr sof-
irimeoMs o eu efc'i-avo.
Como sabe, este meu escravo tinha
O abaixo asignado faz scietaa-ao commercio
eao publico, que nesta data naofletr nada pes-
soa aignma, ncm mesmo indii-eotamente, nesta pra-
Ca, nem fra deila ; c se alguem se julgar sen
credor, aprsente sua conu ou titulo, que senda
legal, ser immediatamoute pago.
Recife, 8 de junho de ItWJ.
Anlonto Domingos Pinto.
ebegado ao estado mais a 111 i divo da mo-
i lesa de pulmoes: nao obstante um iw '
interrompido uso de remedios, e uafii
' demorada viageaao nosfp serto.
Pois bem; a enfermidade, que se ha*
< via tornado rebelde, a todos os meios
< empregados para combtela, ceden de
* urna maneira quisi milagrosa, a qutrof
garrafas, apenaa, do seu bdegtjso.
Boje, gracas a Dcias, leaho o'Uieu es-
* cravo iMtabelecida; e nao fcil mos-
* trar todo o reconheeimento que sinto pelo
* bem que V. S. mea.^ibLde l'aer.
seti-d*v. s.
Criada agradecida
Marta Sorbera Scltejfer*
aico deposite, rua larga do Rosario J.
tt), jauto aoquartel de polica, Pernambu-
co. jto, -
Cootinuadantenteienos apresentam no-"
vo-4estemunhog daeili.aeia do fedegoso
Pernambuco.
Em urna casa de familia, a rua estrella
Rosario n,.-35 i" andar? fortww-se cos>
_ orias-par* fra, maiulmdo-se levar-'aas
Scasas que n5o tiverem portador, c taran-'
(indo-se o aceb, promptjdo e commedida- i
dj no preco, portanto cenvida^'aos Srs.
esladantes e negociantes a honrar-nos com
a- suas assigaaturas.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de padaria, ou mesino de taberna : a tratar no
pateo-do Terco n. 63.___________________
"Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RUA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os sgoib-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do.Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de FamaMco.
Lamogo.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
BeJI.:
Baicellos.
MARTIMOS
_
(01TK1F0C;0
A Companhia luderanisadora, estabelecida
esta prata, to_h>segti^saaiptta^_^r^
Oflferece-se
ama mulber pan oaea de lamh para coser e
andar com cnaaaaee faier algaas |sn|am_a>t
alfianca-se a conducta : na Boa-Vista boceo das,
Barretras o. 9,
navios e seus carregatnemW,,e ftotftra fogo* >*>Wiy*u>
MSf S:lllLfflS
aefkiw, meroadorias e moW_*
do Vigarirn; 4, pavilnertto-enreK'
S- Francisco Henrique Garlos
ir de sous nettocios. Nao Ihe
vai Europa
,_.ar de sous negocios. Nio me sendo possivel,
por falta de tempo, despedir-so pessoalmente dos
seus amigos, prevalece-se deste meio para rogar-
Ibes hajam de Ihe dar suas ordens, e de aceitar
^^"w _______
ule niolhadfls,:ijp arma/.enula rua
- Nova tt. 60.
QLEIJOS
Na antiga fabrica de fosos de artificio da Yiero
Rufino, existe um complete soiiinieuto nbas, craveiros e pistolas, objeetos propnos para,
os festejos das nuiles de Santo Antonio e S. Joao,
tudo por commodo prece, e como seja n fabrica
distante da cidade, as pessoas qne qniK-rem _-
zer suas encommendas, podero leva-las h arats-
zem da bola amarella, no oilao da secretaria da>
polica, onde tainhem acharao as amostras.
Joaquim FerreiraFlIos Bantos. profes-
sor de darica, chegado ltimamente ta Eu-
ropa a esta provincia, tem a honra de par-
ticipar a seas Ilustres habitantes, e mu
principalmente aos dignos chefes de familiar
que lecetona em danca debaixo de toda a
regra na casa de sua residencia, rua do
Imperador n. 75 2C andar, nas tfreas, e
quintas-feiras, das 3 horas da tarde, at is
10 da noute, c aos domingos de aoanhaa a
a noute. Promptificando-se tambem, a ir
as casas particulares e collegios nc dias
que tara issoIhe desi^narem.
AMA
(oi^i:mio de wikfcc\o
Os Senhores.Saunders Brothers & C. Tasso
Irmaos. Luiz Antonio de Siqueira.
EREMTE
0 SR. F. F. BORGFS
Restando anda emittir algumas aeces d'esta companhia, da quantia nominal de
OOtfOOO cada urna, das quaes s se aceitam em virtude da lei, 20 /, ou#40kXX) por
cada aec5o; convida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que quetram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponveis, a subscrever o numero de .iceoes que Ihes approuver.
Algumas destas aeces j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
de na presente occasiSo (conhecidameilte a meior), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objeetos de valor real, como vapores, predios etc., que Ibes garan-
tan seus capitaes. l
A companhia possue boje 10 vapores, G inteiramente novos, e destes o ultimo esta
a chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d As-
^emhla f' -*
' i ,. -noo commercio linancns o economa poltica, de ocri-
Seus dividendos tem std de 10 7ao anne, nos unimos 4 annos. cultura, das ai tes eng.nharia e arrhttecmra7df
As aeces qne se emittirem gozam dos mesmos direvtos, e perceuerao o ptneuuo ^^,.30, jc historia geographia e vigcn?, de pe-
dos mesmos dividendos que os antigos em proporco Ja entrada.
Rccebem-se assignaturas no escriptorio da n mpanhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12
Precisa-se de urna mulber que saiba en^emna;
liara urna casa de familia : a tratar na ro da
Cadeia do llecifen. 18, 2 andar.______
Agencia de jornaes
Rita do Crespo n. 9.
Nesta casa recebem-se assignaturas para todW
os jornaes do Europa e Brasil, polititw, kttera.-
ros, Ilustrados, de leilura, de modas para st-nao-
Jas, de fipurino* para alfaiates, cabellervir'. efca-
pooi'ii, dt reiigiflAO, Ue pliiiiiiwflua. d iiii'ii^r l
jurisprudencia, de medicina, de pbariuacia.
15rua da Imperatriz15
CONFEITARIA E CAFE FRANCEZ
, soriete oe ?i:ui:
TODAS AS QUINTAS-FEIEAS E DOMHGOS
CWfVjch*-chocolate e boloj^ totlps os lias desde 9 hora|
da mayhaa. l;k
Frederico Maia
detadl^ta pela eacatla
de_Mdia_a_
daiilo tmelr: ?
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
JORGENSE
. No ai niaaem da rua Nova n. 60 na para vendar,
B sejtums qDaMedos :
QUEIJOS DE MINAS.
_fA.
QUEIJOS SISSO.
QUEIJOS PRATO..
QUEIJOS FLAMEfOS.
1A*PEICA- INOLEZA a m rs.
B
Precisa isa de a_ ama otra eoiinhar n coto-'
prar para casafde pouca faoiilia : na roa de Hor
usn. 1.
Vende-se manteiga ingleza muito boa a 900 rs.,
i, e 111S0 a libra, muito fina, presunto de La-
mego a 800 a libra, ame dn^ert* a _0 rs,,
linanica fino"ftHaUi a ty a 6a#4! arello, satiao
e o de Lisboa fino a 3400; no pateo
'recisaM de nm caixeiro para drogan, qe
d provas de sua conducta e habilitaclo para o
commercio 1 tratar na roa do Imperador n. tt.
.baixo assignado. capilo do patacko porta-
guoaajWftTis/!, -declara ao Sr. Mello, em respe**
ao inaauuo naUicado no Diarfe de Pcritasatni
de 8 do corrafl* jb a epigrapheExigencia,
ca-estoaitpiloJ*eussBbufaao,queteaiabertoo qua-ao tem-oepariencia de ter recebido caixao
sea gabinete de censultas oatTaSes deatarias a, 8igum para eatregar S. S., e nem mesmo dos li-
sHa il, primeiro aadar, onde pode, ser | vros de Bordaos pode suppor a existencia de se-
todos os dias das 8 horas da mantea as nielhante caixao ; mas que nao obstante, apresen-
. Elleaetia.se compalensapiena? haOili- tauo\> S S. a_ciOi_ta -ou-outro tiitt__f"""
aom peafei^oeoCtf debUs atUftiBas loque PMn,-oaaa tetot hondadalatiaiHiiar.
pwqoakaierdos eysietnapaa bem assim desempe- iCra satisfeiu a exigencia como quando, ada ma
>4naa|lk.erjaia-Q ta*&o riMraitr su* naMlftiB Iho^faaVfalfidasn'
prOTslId. *0 Aesffl,'%oSo_i(ndo qw TOBiaei*, ^HiuiSo
a libra ou tea bossmllsgeoaora* .ou -crianB sahirem a. -------------.-----^i
Mii4 oUsueoJo^larandoque" na cidade se ptes- i
* 1|eJqaar_a__Binf <(ae fesoinOaa coaa I
a commoddafle dos creeos de seus traba-'
Oos, e quando par fra deb assim mesmo ser Vondo-sc'no Diario de hontem, n. 148,
Milu Un InillA iliii nnnn^ Jn O. HT*^ L ___1
iOlitetr/l.
precedido de um ajuste rasoavel, garanindo elle a nuncio de leilao das casas do Sr. Tabord'a, .
JO|Urancae perfeicao de seus ditos tasaalios. Em rua de Joao Fernandes Vieira, avisa-se ao publico
argabiorte se encontrar coiull injjte excel- qUe as janellas, qne de urna das casas deitm para
latenos dentifricio, elixir e oriftW _sWe*nien- 0 quintal da cana da mesma roa n. 64, foram
los odootalcico : rtu OireH f, pfteovd -mitmwlTi ii piaanliilii ii illa
'**'* casa, "g pi1aar_taitlaaaiawi'ipaag.
dagogia, de pintura e msica, de nhoiographia, V
caca, de magnetismo, de macaiinaria, u*- spiri-
tinho, etc. As assignaturas pagam-se io aeto d
subscrever.
LIYRAWA FKANOEZA.
Attenpo
Precisa-se fallar com o Sr. Antonio Yielal dw.
Santos, olttriai da guarda naciooat, a Bewsb <*
muito seu interesse : na rua da Imperante n.
i(i. loja.
Ruga-so ao Sr. loao Izdoro de No>a Vare-
jo, o favor de comparecer no largo do irpo San-
io n. 10 (paviaiuento lerreo): negocio de sea in-
teresse. ___
na rua \wa n. 31, loja de frr-
rajfpns de S(nzntiMarfcs
Os proprietarios deste estabeleeimento arisaai
ao respeilavel'publico que existem a. amostras dos
mais lindas fi>os artiflftiaes para os ( sssjos do
dias dos gloriosos Santo Antonio, S. JoM S. IV
dre, das melhores fabricas de-su cidade, assnr
como diversas qualidades de fogos cbinexes, piw
prios para senhoras e enancas, comprehendendo
lanibi'in um*Rovaqualidade:de traque ameik
noe, os quaes admira sua bondad pelo sen pe-
quem tamanlio, o que s com a presenw dosestn-
pradores; poderao Certificar-se da erdade.
Oavulios fiiptndos.
Na madrugada de 17 de abril do corrensooan"
furtaram do engenho Penderama tres mJiB*..
sendo oro rsunho, rastrado, bom gordo, [
estrella na testa, passeiro e muilo nst >
mellado, com poueo carrogo, urna mao branes,
nm ferro na queixada direita ; e ontr pnaae.
anda t)e baixo a meio, tem ama erra no qaarto
esqnerdo e urna pinta preta na Tolla do poscoea
pede-so as autoridades policiaes ou a pessoa qw-
os^pprohonder. o favor de mandar entsepr _
di engenha, que serio inctenmisadoe de todas x--
despaja.
um sobrado rectificado u> novo e com commc-do>
para familia, em Santo Amaro n. 17, estrada di-
Olsda ; a tratar na mesma, on na p"K* *nV-
pendencian. ii.________'________________
Da-s*,,sokqnarqnerqiJantia,ou mesmo _i-
pra-se on aloga-se nina negrinha que sirrapam
andar com urna crianca : na ru j& Padre FT>-
riiwio n. 71, 3* andar. ____
Resta venda um ecolinda sortnenso de -
ledos de ntarctneria, como sejam, nwbtrias de ja-
larand, mogno e amarello, obra nacional e estrsri-
jeira, d apurado gosto e por prqpi raoaTns -
a roa estreito do Rosario n. 3J. Nesumestna
asa fazem-se com perreieao todos os trakaSws di
palhlnna, como sejam, empalhamentos de lastros
jara camas, cadeiras e sophs. ^^__^__
Ffmiti^ ^ An_m__
Neste vasto estabelecimente sempre se enoantra
am eoaipleto sortimento de taixa do knott/tAa
e fundido, fabricadas recentemente, e se Msva
de qualquer molde a vontade dos compra*)*, t
is sazpoaveis. _______________
te
ende-se em casa de li\r:s
Filhos & (J., largo doCofp>
Santo n. 19
fibras cterlnaa.
VitaSo moscatel ido Setabai.
Poissa >Ia ittfssi.*, m aaras o bb**
ditos.!
Catfco animal de. superioc qoalidade.
Parino de alflo .4h> faMca da Fe*>
Velho\ para saceos e roopas de escraax.
B^r^WSJIB Rs
O tatiilrt Aa tendo de ansentar-se desla cidade
nm tempo, deixa incumbidos de
sas e eseanfaaMxas irlDrs. Anti
:oel de Mttiliw-IirtaaVo Mk>
sto da Cunha Guinsaraes, doveodo
^^respondencia ser dirigida este
me, rua do Imperador o. 75, primti
andar.
Henrique Vogeley, subdito auemSo. itir-se Precisa-se de urna ama : na ru de
jara Europa tcattr de soa saude. 0.43.
"Praclsa-seoV'aaa\aa de'latas: na rato
n. 51, f andar.

9
i __m i





V
c
Diario de PeruaiubucQ Sexta ieira 11 de Jtiuho de 1069.
Cft\Sl LT08I0 MEBICO WRaco
DO
DR. P. A. LOBO MOSM
3--Ra da Gloria sitio do Fundao3
Oflltt POR .UR OS STSRMU
Consultas todos os das desde as 7 horas da manhSa at^ as 11.
Visitas em casa'dos doentes de II horas era drante, emcaso urgente a qualquer
hora do dra ou da noite.
Nao se recebem chamados se n5o por escripto era que declare o nome da pessoa,
toda roa .o o numero da casa..
Especialidade era parios, operares, molestias de mulheres e meninos.
Cura radical das molestias venreas, e dos estreitamentos da uthera.
Curas radical das molestias do tero, como ulceras, flores brancas, amenonia,
vegetacoes e catarrho, etc etc.
Recebe-se esc r.tvos para traanle molestias ou praticar-lhes qualquer operacao
' irurgea. Diaria 25000 excepto as operaces.
Os melhorcs remedios homeopticos conhecidos. c por precos muito com-
modos.
ESMERALDA
i
O consecro Joao SHteira de Son-
za, ttin aberto o seu escrip|pcio de, m
advogado, na roa d&nmpertdor ti. j
41 primeiro andar; entrada pelo
boceo.
Precisa-so para o engauho Jardira da
comarca de Pedras deFogo, propriedade do
Illm. Sr. Joao Mves de Carvalho Cesar, de
urna pessda que entenda de destillacao a
raais servico de engenho preferindo-se por-
tuguez, a tratar no mesmo engenho ou na
ra da Cadeia do Recife n. 22, escriptorio
de Joao Pereira Moutinho.
M
Compra-se moedas de ouro e prata, bem
comolibra&sterlinaspor maior preco que
eraoutra parte: na ruado Crespo n. 16
primeiro andar.
Em casa de Theodoro Simn 4 C.
compra se a bom premio moedas de prata
do cimho velho: Recife, largo do Corpo
San'o b. 21. *____________
Na praca da Independencia n. 3', Joja deou-
rives, compra-se ouro, prata, c pedras preciosas, e
timbem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
GRANDE NOVIDADE
Acham-ss expostas venda na entrada da
estacao central dos Trilhos Urbanos, no
Bazar Acadmico a ra da Imperatriz n. 13
a outros pontos desta cidade as excelentes
Pergnntas e resposta* ca versos
para a vespera e uoilc de auto
Antonio, S. fioo. anta'Auna
H. Pedro.
As perguatts sao engracadas e espiri-
tuosas ; mas guardam o respeito devido
decencia e conveniencias sociaes: e as ros-
postas, que sio igualmente chistosas oin-
teressantes, produzem um effeito maravi-
Ihoso, em virtud de urna combiaacao ad
miravelmeiUe engenhosa, que, fazeudo com
que sejam sempre adaptadas s pergunlas,
provoca nos saloes em que ellas apparecem
verdadeiras e frequentes salvas de palmas e
1 applausos.
Para memor se apreciar to innocente
distracelio, que tetiae a operar una completa
transformado nos insulsos e vetustos brin-
3sedos at agora usados as festivas noites
e S. JoSo, Santo Antonio, Sant'Anna e S.
Pedro, dever-se-ha dcPtar o masso das per-
guutas, depois de bem bar.illn.3as, era ura
vaso ou cesta-; e o masso das respostas,
depois de igual operar5o, em outro vaso
semelhante.
Em seguida a isso os lnmens cncami-
nhar-^e-lto para o lado ni que cstiver o
vaso das pergantas, e, tirando oa destas
ao accaso, leriSoa mesmaem voz alta, e de
modo que possa ser vida petasenhora
a (|uw fr dirigida e por todas as pessoas
O muzeo de joias
Na rna do Cabug n. i compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por presos mais vantajoso9 do
qae em oulr* qualquer parte.
OURO E PRATA
Compra-se moedas de ouro e prata o
bem como libras sterlinas, na ra do Ca-
bug n. 9, relojoaria.
j
DE
OURO E PWATA.
Compram-se, olTereeendo-fe inulto matar van-
lagem ao vendedor: no Coracio de Ouro n. 2 D.
ra do Cabug. ^^^^^
Compra-se urna negrinha de 9 10 minos
do idade :" na ra do Pires n. o.
VENDAS.
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabeldmento ^^^.^^
de joias da ra do Cabug n, 5. (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais ISKfiSE t?2rqJJSSt
devwao responder immediataraente, e tam-
bem de modo inteiligrvel.
A excellf acia de um tal pas?atempo, a ana
superioridnde sobre todos os cnnheddos e
actualmente usados as noutes de S. Joao,
est em poderem taes -pergantas e repostas
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca, e por precos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro. prata e pe-
dras preciosas
15 RUA DO CAWiGA15
CMFEIMIA DOS Ai\A\AZES
16-RUA D CRUZ-16
S. ATOVIO, N. JOAO JE & PEDRO.
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, podins, pa"es de lo bollo ingles,
presuntos, ditos em reamare, pastis de diferentes qualidades. Papis para sortes,
bolles simples e enfeitados, amendoas confeiudas e confeitos. Vinhos finos engarrafa-
dos, superior cha Hisson, pretoe miudinho, fruda era xaropes, ditas seccas e christa-
Irsadas, assucar candi, xaropes refrigerantes. GBRe^&
Recebe-se encommendas de bandeijas para casamento, bailes e baptizadosTcom
bonitas armacoes de assucar, sendo estas preferiveis as de papelo: bollos etc., paea
de l enfeitados, qualquer encommenda para fra ser bem acondicionada.
VERDADEIRAS
SI
PILULAS DE BLANCARD
coa IODUAETO 00 raaaa rMlftftAVEt
A.PPROVADAS PULA ACADEMIA DE MEDICINA DI PARS, ETC.
Fossn'ndo u prcpriedtdei do ledo et do frro, eonTem apecialmente bm AflUw
DOROrULO&M, Tsica bo prinripio.i frtujveta a$ tenptrmrntno tambenDM caso A*
Falta di cor, amenorrrka, em que precisa rfagir sobre o sangce seja pan resniuir
Um a ua riquera ahundeccia normaes, ou para prevoear regular o tm amo pre4teo.
JT. B. O iodreio dt ferro imporo on alterad* i medicamento infiel,
Irriunte. Como prora de pnrea o de autbeocidade dai wtmmtttmmu M-
"* Waawrt, dare-M eligir oeu* aells prata rrMira
domo Inaa,- aqei rcprsdoado, que echa a parte tofenor de wm
**> erd. Dero-se deMonfiar dai lalsifiraeeet.
4M M'UMfh
FkarmactuMc, file BmtfuU, **> fm4t
y
por mais qn
lhem, um desparale, urna mpropriedade
qoalquer entre a pergunia e a resposta.
Taberna
Vemlc-'se a taberna da roa da Concordia n. 94,
a qual c*l bem afreguozada e t?m poneos fundos
propria pava algam principiante; o nio'.ivn da
venda dir-so-ha 30 pretendeiite em partrrular : a
tratar na Ponte-Velha 11. 14 das 6 as 9 da IM-
nhaa e desla hora em dianre n'esta typograpliia.
Batatas
a 13209 o gigo : na ra da Madre de Dos n. 7.
figos mm 33 libns, ninito boas. ______
Aos hortwuitonsV.!
Sernentes de nortaees e du ilor-es muito novas
eneradas pelo -iliimo navio de Hamburgo: a raa
Nova n. G0.
casa da mam
Aos 4:00S
Bilhetes garantaos.
A ras do Crespo n. 23 e casas 4o costume.
) shaixn assignado ten4j vendido nos seusaiui-
'.o feazes bilbetes garantidos 1 inteiro n. 964 eom
a ^orte de 4:Uo\)|, 1 raeio n. 1232 com a surte
de 7 H) i, e muras umitas surtes de 100*, 404 e
204 da lotera jua se ecabou de extratiir ea be-
ne.io da matriz de Flores (108*), convida aos
possuidores a viran -receber seus respectivos
premins sem os desconos ilas leis na casa da
Fortuna ra do Crespo 11. %L
Acliaia-.-e a vendaos da Ia parte da lotera a
beneficio da matriz de Muribeca (100') qae se
Wahir satobado 12 do correte.
Precos.
fiilhete.....l|eo
Meio.....2#000
Cuarto.....14880
B poreae de 100 para cima,
-Bilhete.....3o80
Meio......l730
tuarto..... 873
Manoel Martins Pinza.
SSS1C
Aluga-se nm bom e grande sitio com excetlente
casa de sobrado, com baixas de capin, viveiros e
njsitas arvores l'ructiferas, cacimba com tanque e
bomba, e multo (erreno; na estrada de JCao de
Barros, entrada confronte a capetia.
Perdeu-se, 110 -dia !) ilo corrente, um
Mosaico, deforma oval, representando um
ramo de flores sobre pedra preta. de boto
restitui-lo far o favor de diri^r-se ra
Nova sobrado n. 39.
G0MP8AS.
Compra-se
ouro e prata -e pedras flreeiosa&,
da Con ;eicao, na loja d ourive.s,
cife.
no are
no Re-
O MUSEO DE JOIAS
GOMES DE NUTTOS IRM&OS
tendo feito completa mudanza em sen aatigo e
acreditado estabelecimento de joias, com ofimde
dar-lhe madores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manlia s 9 da noute na
RUA DO CABUG N. 4
oude encontraro um completo sortimeuto do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas^ rubius e tudo que era obras
d ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREMOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de no vos gostos, asim como grande varidade de salvas e palitei
prata contrastada e d gesto anda nao visto, e complelo sortimento le
objectos de prata para uso-da igrejas,
Gompram. e trocam qualquer joia ou pedra preoiosa e garantem
[' a qualidad dos objectos vendidos.
llw.mii......i
Atantes na pTaqa la Indepen-
cia vendnrae bto
Botinas n^ozas para homem a 85OOO.
dem ideiH para dem de cores catino baixo para menina a .1000.
dem nuezas de couro para menino a 3J5WO.
dem amazonas para menina* a .'t-3000.
Smos decounvpara meninos a I sotwj.
Diversos sapatoe para crearla a 1*000.
Botinas de duraqne preta para senbofa a ijOGO.
"Irnso
Vende-se una cabra muito boa de leite, com
duas cahritinhas : na ra dos Pires n. 50.
Mansos para bolos
Vonde-se massa de mandioca muito flna,.pro-
pria para botos de baca a oOO re. a libra : na ra
dos Vires n. 30.
li \OVAiOJ\ 81A DOCBESPO N.47,
Ra do Queimadon, 49 c 57 loja
d.e miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est quemando tudo quauto tem em seu
estabelacimento para acahar e fazernovo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Garrafas com (agua Dorida ver-
dadera ......
Garrafas com agua divina dame-
lhor qualidad .
Latas com superior banha fran-
ceza ......
Gaixascom 12 frascos de clieiros
proprio para mimos .
Dita com|6 frascos muito finos
Oleo baboza muito fino que s
a vista ......
Sabonetcs de calunga muito bo-
nito ......
Caixas de p de arroz muito
superior .....
Pecas de babadinlio com 10
varas '......
Caixas redondas emitando tar-
taruga .....".
Pecas de fila d cs qualquer
largura .
Kscovas para. unhas muito fi-
nas ......
Escovas para denlt'S uzeuda
muito fina .....
Pulceiras de contas de cores
para meninos .
Caixas de lDa branca do gaz
com 50 novellos .
Caixas de linha branca do gnz
com 30 novellos .
Pecas de tranca lisa de todas
as cores
Resmas de papel pautado muito
fino ...... .
Pares de botoes para punhos
muito bonito .
Libras de laa pa a bordados de
de todas s cores .
Pentes com costas de metal
muito finos .
Novellos de linha tnuilo grande
para croxs
Duzia de linha froxa para bor-
dado .....
Grosas de botoes madreperola
^muito fino .....
Sabonete muito finos a GO, 120,
100, 240 e .....
Pecas de fita de laa todas as
cores ......
Espelhos domados para parede
l->000 e.....
Espelhos de Jacaranda muito
tino .....
1*ecas de trancas brancas e de
cores da caracol i .
Pares de meias croas para me-
ninos A......
Caivete muito fino com 7i fo-
lhas ..... .
Cartilhas da doutrina as mais
modernas .....
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos .
m '
atados
i '^rtfcites-t'3 vi-
' flores de lamaje.ia; par
JO WOGO.
ortinwntO'de gravafcuhas pitra
DE
Abmiu's titMiarcs i .
Esteiras da India e baloes -de todas as
qcalidades.
Cambraias de cores, percalias, Asas bri-
Hiantinas de cores, lamcinhas de tda6 as
qnalidades, etc. etc..
Ricos cortes de seda de cotes e pretas
iawradas. -
Ditos dVw de cambraia branca herdada
para casamento'*.
Itiquissimos cortes de vestidos -de'Miud.
^oupelina de seda, novo, gosto ih* mer-
cado.
Damascos de -las larguras -de todas as
cores.
-Saias bordadas de novo gost.
Camisas bordadas, para senbora.
Bsquines pretas de seda.
Casaquiuhos de casimira de cor de -novo
gosto.
Ricas colchas de seda damascadas.
Ditas adamascadas de cores.
Alpacas lisas de cores novas.
Ricas fronhas,. lencos* rendas -e teos
bordados.
Bramantes. e bretanhas. finas e murtas
cu#as fazendas que seria enfadonho men-
oionar.
'/rrenos venda
J ti vi no Baudcira veadie a retalbo as terreos
eam trezeotoB o 'amos palmos do fundo, sitos na
ra da CoBeordia, e na nova ra qne flea por de-
trae desta : para informaoSes. na. ra do Crespo
n. 19..
; Vende-se a refinaco da ra iu Ara*o n.
19, eom todos os sous perteBces, se ar todo o
negocio : : tratar de fronte, taberna n. 6.
Xa rmna Malriz da boa-Vista n. Si, ven-
d'Vse farello juito superior a 4A800.
*a bo progresso do patea do
Carino ii. 9.
Manteca ingleza a 640, 300, I e 1*500 rs. a
tara, cha hysson e perola a 138OO, 2500, 3
Hi'M a libra.
Vende-se atfairna da roa dottaDgel
n. 10 : tratar na travesea do Queimado n.
I, primeiro andar.
E* um liad e ionofeostao ioqo de artifiei, peta
sua fjualidade, quasi impossivel rebentar, s se
for feito p01 (** ae souftef: garntele os que
se fabrieaiu na antiga fabrica da estrada de Joao
da Barros, da vi a va Roltob, e as encommendas
para os qae se faieai en dita fabrica; recebem.se
no arma^jm.da bola amanilla, no oito da secre-
taria de pofeia.
AVISO
aos .uuaiites do que.benj
Na bem .Mabecida casa da*k*rJa ds-Peoto.B.
37z continua-se a brnecer massas parbolos de &.
jjoao, S^PedrQ e Sant'Anna, com muita lmpeia
Atiendo.
Vende-se o elegante cstabeteclmen^) de
Wnn mudada rwnto 8tw>flitpei_
sociedade de Guimar>8.4i OeMjLfWUndo muito
bem montado e afreguexav para wra e para o
malo, ie-o inotiYo por que:md veoda pm ijun
um dos socios retirar-se da. sotidle a4ntar
np maamn catihelBrimeBlo,
f-------Mmm' .
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e oiUras molestias do peito.
VENDE-SE
PflARMACLV' E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
_34RUA LARGA DO ROSARIO34
AOS SKS. FOGUETEIROS
Bartholomeu &G.
VENDEHI
SALIERE refinado de l1 qualidad.
ENXOi-REemcylindro
LIMALHA de ierro (muito nova).
DITA d'aco ^idem).
DITA d'aguibas.
E lodos os ums preparados para os lin-
dos fogos de cores na sua drogara ra
larga do Rosario n. 34.
S no Bazar da Moda
RUA NOVAN, 50 ESUWNA DA DE SAN-
TO AMARO SE VENDE:
Para senhoraa.
Lindos leqnes. aimitacao desanlalov
U e 2.)500 rs.
Ditos, cora lentijuelas fazenda fina a 39
e 450dO.
Ditos elsticos, a imitaco de maiiim, 6,
9, m e 15,5000.
Coques da ultima moda, tizos e com rn-
des de coritas a U, 3|W0 e 40O
Ditos corh lindos enfei'.es a 45, U e 00500 rs.
Ditos com botoes de flor de laranja para
noivas a 5 Ditos de cachos (alta novidade cm P-
ris!)a C000
Lindas chapetonas de palha da Italia f de
fil de seda, guarnecidas com ricos e ale-
gantes cu fe tes ultima moda a 15#, 1W.
e20^.
Chapeosinhos de veludos de lindos mo-
delos a IH, \U e 20000.
Ditos de palha da Italia muito bem v
feitados a 124 145 e 15^000.
Ditos de pennas (novidade) para sen'
a 170100.
Gorrinhos de fil preto para 1
Chapeos de palha americana ei
M.'iU rs.
Ditos de seda para sol tu .a, iina a
5:5, (:>300, Klde 115000.
Basquines de grjpur bran- c^ ,, oem ^ (,
ladas e molde a ultima mr ^^ a ^y^ f./j
Ditas pelas com rico
drilhos a 185 e 205000
Sintos ricos de seti .^ra.lacot a *.
65,75,85, 105 e lc Jm ^
Erna linda c rica ^-0 t. ,v; e rcs).
aMartaBosa, (al am^,iei) ^ -W*>-
-GnSnd0 ^-s muUo luHla- 5| H,
75 e 85000.
Capellas d
noivas a 455'
Especial
senhoras.
Sintos ^ palha maito indo? a Jrj00fc.
Luva? t ,je ppijca^ a anqueza, brancas, d:
cores r J prctaS) 0 par 3,jooO.
.Rl jnde de seda preto e bresco com sa!-
P'.:'' s e ramagens, o meti a 25oOO.
W iO0e65O0O.
Enfeites de palha moM .dos para co
5480 'faes a 4^ e ^000-
Guipur preto e guipur braceo, fazeoda
nova, para caphdias, corpinhos, basquines
etc. etc benitos padi oes, o metro a 3 5000,
35500, 45, 5300. 55, e C5.
Grande sortimento de bicos e rendas 4t>
guipur brancos, e pretcs com fio Je scd;i
fazenda superior, de diversas laiguias 1
precos muilo baratos.
EspartHJios brancos e de cores muito
bem feitos a 35, 4?, 5->. 5,5500. 75 e 85.
Enfeites -para cabeca especial sortimento.
75. 85 c 05000.
Meias croas, fazenda superior, o par H
Corpinhos enfeitados de delicados "os-
tos a 105 e 185000.
Meios corpinhos de fil preto e bi. a ;
2-500.
Lindas e ricas guarnices de cresj
promptas para vestidos a 105, 125, 1 o f
155000.
Borns de la e seda, moda etegafit
205000.
Cachins de la de cores a 55, 05, e 85.
PARA HOMENS.
Chapeos de sol, fazenda superior a 84.
105 e 15r>000
Chapeos de castor branco, fazenda fina,
e forma a moda imperial a II50OO.
Corrente de plaque iguaes s d'ouro urna
por 85, 105 e 15000.
Bengalinhas de canna com casto de
marfim a 45 e 55000.
Ditas d'aco e lenhadas ultimo gosto a 15.
Ditas fantazia muito liadas a 15500 e
25000.
Bengalas fortes (para dar no Lpez) 9
25 e26500.
Chicotes para montara, de \-> a o0e$
Camisas com peitos o collarinhos de H-
nho deitados muito beaifeitos, ns. ">8 e 'M
a 55000.
E muitos outros artigos tanto paia ho-
mens como para senhoras e cii ncas
assim como um completo e especia] sorti-
mento de miudezas, tudo recebido de cus-
i proprio, e se vende mais barato do que
em qualquer parteno-Bazar da Moda de
JOS' DE SOZA SOARES & C.
15201
155O0
5200
25500
>800
$500
rl'iO
5600
S500
15500
j500
-)500
5240
5200
5800
5G00
5040
45000
5120
85000
im
1390
sam
-5500
15500
25000
5060
5320
15500
5400
15200
Para fogos de Santo Antonio,
S. Joao e S. Pedro.
LIMALHA DE FERRO (muito nova).
DITA D'ACO (idem).
DITA O'AGULIIAS.
Vendem-se na botica e drogara de Bar-
thoknneu & C.
34-HUA LARGA DO ROZARIO34
FOliO FOCO
na Direia n.
um
00.
Ptcbiiicha
Vendem-se vidros para vidrara, sortldos e de
boa qnalidad, e bem acondicionado*, a lis a
calxa, em porcao e a retalbo : na ra do Vigario
n. 17.
Sortes de S. Joao
Na ra AtCMertri.- 3$ vende-se bonias sor-
tes 3^000 x) cento, recebe-se tatnbem qualquer
encommeuda i$ bollas bem eito c por conimodo
preco.
FAHIM1A DE
MANDIOCA
Superior farJba de mandioca recente-
mente chegada de Santa Calhsrna, vend-
te a.preco cmodo a ordo do brigue alJe-
m5o Lina,, fundeado, defroade do trapiche
do Exra. Sr. bario do Livramento; a tra-
tar a, bordo do mesmo, ou no escriptorio
de Jarroim Jos Goncalves BeltrSo, ra
do^CommMcip n. 17._________________
Libras Acrliaas
VydWi sg *s sierlina : na earriptrio e
, Birria C, no largo do Corpo Santo
(indar.
TT------'-------.
1
I
eogeBno- Biwn-Rwjf- ftupiei de Ipoj
viwden^e nr**Mmv*** de;-roda, f
bonitos pt>l#W : > &A aitiV^ogenl,
da .Rutisia
Nos armazena de Tasso Innos, roa.;do Anorm ;
n: 39, e aa*a,4>9,AooUaiB--W.
OLQGRAMMAS
I Ifnia1
venda, raa 4*QHBiadff: >?, Awvedo
Ha para vender um completo sor-
timento de fogos artifciaes, tanto
para Sras., como para enancas, ps-
tollas brancas e de cores, com 3,
4, 5 e 0 blatas, tontainas, cravei-
ros, rodinhas singellas e dobradas,
foguetifrhos, bsseapes, illumina-
C5es balfies de seda-de 2 pasmos d*
altura etc, etc., feito por um dos
iik'lhores artistas deste genero.
Tambem lia para vendar salitre, en-
xoftre,, breu, fio, facas e garios ]
de diversos preco. e gualidades, '
bandeijas finas quadradas e ovaes ;
alera do grauds-ssrtnwsto de ter-
ragens, miudezas, cuieiarias e trem
para-coainba, etc, etc.
RuaDireita n. 53,1 oja-de Manuel
I Beato de O. Braga A G,
**************
At que chfeg^ram 1
SYSTEMA.DEfiSJMA.
Grande- (actoratde VjBOO series de
pwo8-kiteframis8i;efl|-series co
pk'tas de todos os tamanhos,, m-
Ihwes de compnetoender do que os
que tem 'vm4* ao mwcado assim
como medidas dV%wtros< chegaran i
tmmfa de enwwnienda propria
para a casa* ^ Mliwei' Berrto d-j
OWVwra-Bragi'^aC. reafreita*.
53, e conrdMMi{Se'de firecos,
rhain^M.tipa.
ovo Iivkk de mtim *ap
rJMea.Pedm
Pyteaiss aWEfkbr.tototraaMCNd
* e iiUsresaaa'S, a W reja o ea-
ftofiu. raawcitreita. da-> Rami n. i%
V|)|vaihia.4-tiralda-dMiMt na eac*.
demacao parisiesas a tPimpina nr
liviana ecooomisa. da Nsfwat JMsrW
a ra do Crespo q. 2,



i
6
Hiaffe dfr Pei^tnbuco Sexta feira 11- de-Junhoi de 186.
ftFFKMMMI US POR HD\
vbUSIfllli r vih iv sr. i*
SOB
HBIL ARTISTA
O*
auriano,", alf'iirtte.

d$ Imperatriz.-72.
i^ Alerta freguezes
que Arara va cantar.
' Para venVr suas fazemlus (baratas)
que uiuitu ha de agradar.
O propietario (leste estabelecimento, (emio sininJe porrao de fajtendas em
ser, vai proceder urna liquidara em todas as fazendas c roupas'feitas existentes lo
estibelecimento, apura qoe occasiSo de queni tcm [tonco dinheiro poderse vestir de
hu fazenda e baratissima romo se podera" ver no annunrio abaixo mencionado.
:.:\I\POi.A0 BARATO A 3->oOO. i MAMANTE PARA LENQOES A 2$.
;vle-se pecas de madapoln enastado' V.-.ide-se bramante rom 10 palmos de
de 12 jardas 3J50O, dito de i jardas ou largura para lences, a ?l a vara.
:". metV.s 5, G, G-vOO. 7.}500, 8.-HMK)"e l'U'AS l) ALGODO A If. .
!>,;(!' \ idcm-sc pecas de-algodo muito cn-
:T\S FRANCESAS A SO rs. '01 lo i i >, -'i i> c 7-S.
idem-s>> chitas francezas para .esti- Colertahos ceouo alx ;* a 38
das a 280. :',: rs. o covado, ditas escuras Iwzla.
muito finas 360rs. orovado. | Vonde-se colcrinhos-econmicos a 320
-Dhaaiai ;uo flao SOO rs. a thizia, s se vende assim barato por ter
Vende-se chaln para vestidos ie senhora grande porcao.
800 rs. o covado. 6ASEMIRAS DE-CORES
rKttCAJ.KSA'Wftiis.o ("ovado. Vende-se razemiras de cores para caJsa | "ua *aemaao ns- 49 e l
prioritarios teste novo estoteln-iimiiif. ti'udo experimentado 1 nfecesKIil
la (rec ;ri i <\" sua oflkina do roorns
tcm
urgente de~ter~natJlec;) de sua oficina doroujrVpor medid i, nm artista potito, te
contralado o Sr. Lauriauo Jos do ."Barros para tal mster, convictos 6e com todo o capricho a vortade do freguez. .
I', ni o inesmo tisl-ib der.im.mto u.nium s rtiaiemo de fazcndli's proprias para
roupasde liomeui.coinn sejam: casimira de ctr. indos padroes. completo sor tlrtieAO d*
panno:' li te cor, ci^baina pre'a, gra.i Ij sortiinento de brins brancos o de
cores, ini'.iiiis de diversas qiadades, bombazina, liudusjerkfl Jo jtir^aiSj pai
gorgura< l'ekin, superior qualidade.
Os freguezes encontrar*) anda un variado sortittenlo de roupa feito, camisas
inglezas, coHarjnlioa, ceroalas! grvalas pealas e do phantasia, ineias pira homens, so-
nboras, meninos e apeo de seda pan sol, colchas, bramante, atoalba lo,
baloes de diversas rese mdelos, cambriias, uwlas para viageu, o outjs nimios ar-
tigos que a modieidade de seus presos incita a comprar.
A ra da Cadeia ji. 45
i'il
aras
:^
oh
INJEGTION BROU
j ab&otuumeoiu nica t|i.c cura e*tn neulium aditivo. V .utl
bu "prinelpatVbolica da mundo. (Eligir a InwriieM* a**). (Mana** de ciituocu.) Parit, a m
*t Ibtwiw BIOD, k*Bkinta Matela. ?.
ival m mm
Vende-se percales .rruo finos para vts- e P-dt jdOO e 3,5 o mvado,
tidos de senhora a 440 rs. ocovado.
Brilhaniiuns \ 4 40 n.
Vende-so brilhantinas ou mursulinas de
coree para vestidos de seij.wras 4iO rs. o
covado. lazinhas muito ftrw.s para vestidos
de senhora OO rs. e 500 f5. o covado,
ditas de qnadrinhos 240 rs. O covado.
JUSCADO FRANCEZ A 960 RS. OCOVADO
Vende-se riscado francez pan? vestido
de senhora 300 rs. o covado.
MJtasinhas a 2-tO rs. o covado.
Vendem se lasinhas para vestido de se-
nhora a 240, 280. 320 rs. o covado.
Cassas francezas a 80 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas 280 rs. o
covado. chitas francezas finas a 280 e 320'
llgoribl eiifesfado l.v
Vende-se algodo onfeslado proprio para
leu oes e toalhas, l->, a vara ou 900 rs. o
metro.
IRlM PARA CALCAS A 400 RS. O
COVADO.
Vende-se brim para calcas e palitots de
homem e menino, '00 e 440 rs. o co-
vado. dito li/.o a ifmlacao de ganga a 300
o covado.
llsorio de llstra a SOO v.
o corado
Vende-se algodo de lislras para roirpa
de escravos a 200 rs. o covado.
CORTES DE BRIM CASTOR A 640 RS.
Ve.de-sc cortes de [ brim eastor para
caira de homem, O'iO e 800 r*. cada um.
CARTEIRA PARA VlAGEM A. H.
Vende-se carteiras para viagem l
catja nina, cobertorts de algodo- IjJoOO
cadif im.
C'oberas de chita l. Vende se cobertas ifc ehilas de I^HOO e -_'>. cada urna-.
-\LcoiiAo tiam;ad di eas larguras a
i 200.
Vende-se algodo transado de dua* ter-
goras. proprios para lences e toalhas paran
mesa, se vende a l,->200 o metro.
Manta* para gravata a SOO rs.
Vende-se mantas para grafat a 200 rs,
cada urna, lencos de seda de flores, a 640
i cada um.
ATOALIIADO PARDO A 2o00.
Vonde-se atoalhado pardo para toalhas-l
rs. o eovado.
Chales de uncrio ?.*.
le-se chales de merino estampados
2(|e -2\,m cada nm, para acabar.
CORTES DE LAS ABERTOS A 2-H00
Vende-se cortes de taa para yeslidos de
seataora; 5400 cada nm
ALPACAS DE CORES PARA VESTIDOS
Vende-se alpacas de cores para vestidos
de senhora, 720 e 800 re. o covado, di-
tas de lislns 700 e 760 re. o covado.
Chitas proassiauas 300.
Vende-se chitas prussianas de listras de
cores muito bonitas a 360 rs. o covado.
CHITAS PABA CUBERA A 30
Vende-se chitas ucorpadas para coberta
320 rs. o covado.
Hales de HO a SO arcos
Veode-w baloes de 20 a 30 arcos de mesa 2*300 a vara, toahws escu
1 cada um, baloes modernos brancos, 15,-cada urna. Rua da Impefalniz
ede cores A
da Ama n. 72.
loja
m^m::.-^
0 Garibaldi principia
Cortamente ha de agradar,
Que pelo pre^o que vai Tender
Niiiguem o pode igu-lar.
U oroorielario desie'estabeleciraeato denominado Garibaldi, declara ao rosp ita-
vel ,, bIco rSeus freguezes, qu-, tem recebido grande sortimento de fazendas, e esta
^SS^mS!& por todos as vapores que ^^^ZZT^ZS'
to de fazendas da moda, e que vender por preco ma barato de qne em m n jusj-
quer parte, garantindo se a qualidade e edr s, na rua da Imperatriz n. 50, de Lourenco
Percha Mendos Guimaraes. a
CHITAS LARGAS A 280 rs. i angas para calca a 3o is.
Vendem-se chitas francezas ae cores Q- i Vendem-se gangas de cores parajalca e
xu a 280, a o covado, ditas matizadas palitots de homens e meninos
estocas a 3(50 rs. ocovado. covado, brim de cores a 100
MADAPOLO ENEESTADOA3A600 covado ._..
Vendem-e pecas de madapolo enfes-i l.aasinhas de qi
lado a 3-v;o'L dito Wglez de 2* jardas a
lojas de miudczaz de Jos de
Azevtdo Mata, est acabando
com as miudc'zas de scug estabe-
lecimcnto8por t&so queram apre-
ciar o que e bom e baratsimo.
Pares de sapatos- de tranca fa-
z>;iia nova a......2#)00
Pares de sapatos de lapefe
(s grandes) a....., l#SO0
Duzias de meias craas-para ho-
mem 9........3->800
Tramoias do Porto fezenda lo
e pelo preco melbor 100 atto a #200
Um de* msses abreviadas a.. 25000
Duzia de bdTalhos franceses muito-
finos mWX> e..... 2#80C
Silabario portngoez conr estam-
pas a ......... #320
Grvalas de- core e pretal milito
finas a.......- #500
Duzias de meias- para senhora' fa-
zenda boa a-......4#000
Redes pretas Jms muo finas a #320
j Cartees com eelohetes de Ia<
fazenda lina a-....... #026
Abotuadoras de- M para cc^tef
fazenda fina ...,.. #500
Caixas com petm&v d'aco muiti
linas a 320, 400, 500 e I #000
Carites de linh Alexandre q
tem 260 jardas #100
Carretei de linha Aenandre d
70 at 200 a....... #100
Caixas cera- soperiere*-obreias
de maseaa -...... ;>WJ
uzias do a^alhas pw-machina 2#000
Libras de pregos haioeaes di-
verso taoanho a. !#240
Livros escripturado-para rol de -
roupa-a.- ..,:... #12
Taiheres para menino muito
finos a. ... .. .- #240
Caixas com papel am*aatte muito
fino a ........ #700
Caixas com 100 envelopes muito
finos a.> ......... #600
Pentes volteados parameninas e
senhorasa. ...... #320
Tltezouras nwito finas para
unhas e costuras a. #500
Tinteiros cor tinta preta muito
boa a O, 120 e #320
Yaras-de franja para toalhas fa-
zenda una a. .. #160
Duzia de phosphoros de segiw
ranea (Ja> melhor qnalidade a.^
400 e........ 500
Pocas de fita branca elstica-
muito fina a...... .. 200
Novellos de linha com.400 jardas 00
Resmas da papel de pezo aairi
muito fino a .. 2#500
Pecas dft filas bordadas com &
varas a........ 500
Ditas de ditas bordadas com. 14
metros; de 2#QflO a 3#000
Grozas de botes de louca muito
finos a....... .
JMIJA
DO i
GALLO VIGILANTE
Rna a Crespo n. 9
Os proprietano* (teste bem ronhecido eslafcele-
cimenlo. alm dos mnito90bjectos poetos a apreciacfuj do respoitavel publico, ma*-
darui vir e acaban de reeebef pelo ultimo vapor
da liuropa um compfeto e variado sertimento de
linas e mur delicadas espi.-cialidades, as (fines es-
tu resolvidos a vender, como de 9ea costum,
por pNfO muito baratinuos e commodos para to-
dos, cofi tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de nrai lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos enfeites para caberas das
Exmas. senhora.
(|n;
dei
a 320 rs- o
e '\\0 rs. o
5#i e5,"0i>0,7-aS(M).8fi. e L0# apeca.
ALGODO TRANCADO A l#20O 0
METRO.
Vendem-se alyodSo de duas larguras pro-
prio para lences efcuhas por ser mudo
largo, a l ..'200 rs. o metro.
RISCACO FRANCEZ a 360 rs.
Vende-se finissimos riscados francezes
proprio para vestido de senhora e roupa
para meninos por ser de bonitas cores a
300 rs. o covado.
BRAMANTES PARALENCOES A 2# A
VARA.
Vende-se bramante de dez palmos de
largura proprio para lences a 2# a vara.
Chitas amzouas a 360 rs.
Vendem-se rica* chitas de listras de um
de nome amaonas, para yeslidos de se-
nhora a 360 rs. o covado, 'deste pre?o e
qualidade s na loja doQaribildi.
A8 SKJIHOKES DO-WS DE UPXEIRAS.
Na loja do Garibaldi, ha urnas casemiras
de listras muito eocorpadas proprias para
torrar carros, e se vende muito barato por
ser muito largas, peco a 2#500 ,o covado.
ALGODO BNFESTA4K> A i# A VARA.
Vende-se algodo egfoftlado muito largo
proprio para lences a 1# a vara.
AMAGAS DECORES PARA VESTIDOS A
5u0rs. OCOVADO.
Vendem-se alpacas estampadas de core^
a 5Q0 rs. o covado propria para vestido de
sdnbora.
CHAPEOS DE SOL DE ALPACA A 3#5O0.
Vendem-se chapeo* de sol de alpaca pre-
ta a 3#500 cada sm.'
BRIM HAMBRGO A 8#090 A PECA.
Vendem-se pecas de brim lizo de Ham-
borgo com SO Varas a 8#, 9fh> 10# a peca.
Cortinados para jaaellas a >.
Vendem-se cortinados para janellas a 7#
o par, ditbs para cartas francezas a 14# o
cortinado.
4 rn.
Vendem-se lasinhas de quadrinhos para
vestidos de senhora a 20 rs. o eovado,
ditas estampadas a 280 e 820 rs. ocovado.
POPELINAS EM LAA A 640 RS.
Vr-ndem-se pop.-nas em ISa de listra
para \eslidos de'senhora a 6M) e800rs.
o covado.
CORTESDELAAA2#400RS.
Vendem-se cortes de laa 'de listra arpa
vestidos de senhora a 25400 rs. para aca-
bar.
LAA CHINEZA A 500 RS O COVADO
Vende-se la chine/a nara vestido de se-
nhora a BO rs. o covado.
Casemlras para ealfas.
Vendem-se casemiras cor de caf, preta
e azul escuro com listras, para calcas e pa-
litots, fazenda muito encorpada, propria
para o invern, sendo de duas larguras
que l i ovados d ujna calca para ho-
mem pMo pivgo de2^00 o covadb.
Alpacas lizas para vestldos a v
&QO rs. o eovado.
Vendem-se alpacas lizas c dobradas para
vestidos de senhora 700 e 800 rs. o covado,
BALOES DE ARCOS A 15500.
Venden-se baloes de 20 e 30 arcos a
1A500 cada um, por esteprego 80 na loja
do Garibaldi,
BRIM TRANCADO PARDO A 800
METRO. "
Vende-se brim pardo trancado a 800 rs.
^o metro, dito muito fino a 1#200 o'motroV
BALOES MODERNOS A 500Q.
1 Vendem-se' balSes modernos ? efe cores
a 5# cada um.
CASSAS FRANCEZAS A 280 RS.
Vendem-se Mh|af*$*u para vesti-
dos de senhora a 280 e 320 rs. o covado.
CHAPEOS DE SOL DE SIDA A 10. ,.
Vendem-se chapeos de sol de seda a
10# e 12#, na rua da Imperatriz, loja do
Garibaldi n. 50.
l(i
Scbvnete de al'catrdo.
DB
Antonio Nuues de Castro.jJ]
Este acreditado preparado, que tSo boi
acceitac5o tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura cer
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nnico,
Pharrr.acia de Bartholomeu d C,
34rua larpa do Rosario-34.
Superiores francas pretas e de cores com Yidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores c bonitos leques de madrepetola,
marfim, sandtto e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes pre*)S.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 205,
alm destas, temos tambem grande sortiinento de
outras qualidades, entre asquees algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior caima da India e
casto de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
uanlidade de outras qualidades, como sejam, ma-
r, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
'Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas ineias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vei tam-
bem assepiramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capillas para noiva.
Superiores agulhas para machina c para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
lahvrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os- tentos para o mesmo flm.
Grande e variado sortimeato das roclhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticas contra as convulsoes, e
facilitara a dentico das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
es que delles precisaren), vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre eaaiatrarao destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dis cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a rirem
comprar por procos muito razoa veis-aloja do gallo
vigilante, ma do Crespo n. 7._______________
PASTILBAS ASSICAKADAS
DO
DR. PATERSON
De bisiuuth e magnezla.
Remedio por excedencia para combate'
a magreza, facitar a digestao, fortificar
estomago etc.
oeposito especal.
Pharmacia de Bartholomeu <& C.
34------Rua larga do Rosario------34.
I Papel para imprimir.
Perlina azul.
M Greve pautado e liso.
Kinhos em caixas
Bourgngpe.
Herv f
Mad'eiraV
Hermitage.
Chamblis. i /' ?
Licor de curaco de Hollanda em caixas de vin-
te e quatro botijinhas.
GESSO, .
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
CARRIXIBOS ii; i -:tt l'.O
Para servicos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixoes deunrparaoutio, lado pelo
mdico preco de I2#000 cada um.
Farhiha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
lana e grande sortiinento das melhores marcas de
farinhas 3mericanas ^^.
Saceos de farinlia de trigo o
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens do Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 125
O melhor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assentamento decanosdeesgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em porcoes de
cindBesto barricas se far reduccao no preco : nos
arinsene de Tasso Irmaos. "
Cemento Porlland
O vertadtiro eemento Portland em casa de Tasso
Irpios.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differeites quaMades para cercados de ani-
maes, chiqueiros par galinhasou jardins : nos ar-
mazens de Tanso Irmaos.
Barris eom bren
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdadeiras para Jan-
ternas de canos: noarmazem de Tasso lmaos-.
Vinho do Porto fino superior: no arinazem
de Tasso Irmaos.
O melhor cognac'Gauthier Freres : soarma-
zem de Tasso Imios.
Advertencia!
A Nova Esperanca, rw do Queimad
n. 21 tendo m dijositofe-|nde quantidade
de rhiudezas, e eooo 9e*apprt)xima o tem-
po em que itm de se* dado o baJangOaJjor
isso desde j previne' ao respekavel fobli'
co, que est resolvida a vender suas mer-
cadorias pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande qoantidade das que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que na"o forem venham ser fregue-
zes, em tempo tao opportuno qnando i
NOVA ESPERANZA convida-os pechincha-
rem, pois que para compiar-se caro, n5o
falla, aonde e aquem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer sem-
pre primar em nos remetter objectotf de
gosto e perfeicao, e ella (loja da Nova Es-
peranza) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de boro constantemente rece-
be, e por est'lidar continuo (d'ambos) i
Nova Esperanca rua do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinha,
acaba-dereceber mais o segeinte :
Bonitos broches, pulceira* e brincos de
madreperola.
Papel e envelopes bortaifos e mati-
sados.
Macarthy
Machinas de desearoear algodo.
Hoje que est reconhecido que as machinas de
serrote prejudieam e quebram fibra do algodo,
preciso recorrer a marhinismo menos spero,
que produzindo o mesaio servico que queHas, e
faeilidade no trabalho, nao queferem a fibra c% la,
para que essa possa oKter-nos mercados europeos,
a differenca que ha entre o algodo descarocado
por aquellas mencionadas machinas, que esfao fl-
cando em eh>auzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeirar qae nao pode competir
pela morosidade de seu trabatbo. E' assim que
estas machinas se tornamas mais proprias para o
nosso algodo, porqne ao par da faeilidade
promptdai> conserva a fibra da- la, que limpa por
ella, e qualificada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre 11 20 por 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypo, aonde as do seirote
fi iran inteiramente abandonadas, a por isso o algo-
do daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem boje de 10 a ^ por
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150^000
nos armazens de Tasso Irmios.
Oleo de aneidoai
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens de Tasso,IrnD -.
Aqo de niilao.
Nos armazens de Tasso /rmos.
BARRIS DE SALITRE
Nc armazens de Tasso Irmaos.
piiulas, viseo
E
XABOPE
PREPARADOS
PELO
PHARMACEUTIGO
foaqnlin de Almelda Plato.
As preparacoes de jurubeba s5o boje
vanUijosamente conheajidas e prconisa-
das pelos mais batis, mdicos, tanto da
Europa como ti&'pau, pela/sua eflicacia
nos casos de anemia, xliloroze, hydropesia,
obstruccSd do abdomen, e tambem nos de
menstrnaclo difficir, catharro na bexiga',
etc. etc.
Vendem-se era porreo e a retalho n ci-
de do Recife, pharmacia do seu compo-
^tor, rua larga^oRjsario n. |0, junto ao
qtiartel de pnlieit'.- <"
libias e o uro nacional, moedas
de 5 francos.
edoende-se no arco- da ConceicSo na loja
Vnffyes, no Recife.
Barato que admira
Qnartos de latas com bolachinhas de boas qua-
lidades a 13i0<\ caixinhas com ameixas, peras e
fiaos a i400, cerveja Bass, Ihlers e bell ingleza a
800 rs. botija, vinho a 400 rs. a garrafa, azeite
doee de Lisboa a 880, arroz de primeira nualida-
de a 120 rs., caf a 220, saho a 180 e 220, cba
miado bom a 35100, dem grado a 3*, alpista a
240, toucinho de Lisboa a 440, marmelada fina a
780 a libra, doce de goiaba fino em latas e caixoes
de diversos tamanhos por commodo preco : w na
esquina da rua da Penha n. 8.
RAPE POPTJLjLR
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIRA FREDERICO & C.
Acaba de chegara este mercado umaporqaa des-
te ptimo rap, nico que pode suoprir a falta do
priuceza de Lisboa por-ser de agradavet perfume.
E' fabricado pelo aystema a imilaaao do Areia Pre-
ta, porta-ten pobre, te a v&ntagem de ser viaja-
do, o que para este artig* "ff^Dma especialidade.
JSas pracas da Baha, do Mt do Janeiro e outras do
imperio tem^aJtape Popular sido asss accolhid,
e provaTetaaa*le aqui tambera o ser, logo que
seja conheeidj e apreciado. Acha-se venda
por pre$o unoo, e para quem comprar de 50
fibras para cima, far-se-ha um descont de o 0/0,
e d| 500 libras para cima o de 8 0/0 : no escrip-
torib de Joaquim Jos Goncalves Beltrao, rua do
Commercfo n. 17.
st*
GAZ GAZ GAZ
jou ao antigo deposito de Henry Forster A
, rua do Imperador, una-carregamento de sai
de primeira qualidade; oqual se vende em partida
e a retalho pJr menos preco do que em outra qual-
quer parto.

IASSA-' c XAROPE
DECODEINADEBERTHE
Pre
i por lodc
!^CATHAI
i o aiiedicos contra i
OPElTf
tem rara entre e$ McAi<;amentos\
rodo eme %m tkm mtiic*-\
Imperio Franctz ditpemal
AVISOTPorfcausa da reprehensivel fal aboque tem oscilado o feliz resultado do I
rope e mam de Bcrih somos forefldos1 al
brar quei'sies'mcdicaDjenlos taAjuslaiuontcJ
ncciluados i te
dem em caixla-
c Irascos levando &
assignatura em
'Me.
46, fue dts coUt, e na Pharmaeia Cenlrall
de Franca. 7, Ru de Jouy, em Paria, e ein|
" liarmocias priucipaesdo Bruil.
CUBA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galonpeaa.
Deposito especial
Pharmacia de Rartholomeo 4 C.
34------Rua larga do Rosario------34.
COGNAC.
De superior qualidade da mui aceredita-
da ftibrica de liisquit Duboucb C, em
cognac una das que mais aguapdente- de
cognac, fbrnccem para o consummo do
Remo da Inglaterra.
Vende-se em casa
commercio n. p
dejfr. Just, rua do
Tabellas vermiculas
DE
Antonio Nuries de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, jpela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicac3o as creancas,
quasi sempre mais atacadas de to terrivei
e muitas vezee fatal soffriroento.
UNIGO DEPOSITO
NA
Phamacla e drogara.
DE
Rarthomeu A C.
34Rna Largado RosarloSi
BOM VINHO
DO
nomo
Chegou pelo briguc Triumpho e .consigaado
Flix Faraira da Suva, nma nova remessa de bem
ronhecido e exrellente vinho puro do Douro em
barris de 9 e 10, garantindo-se que notem con-
fectoaJguma ; neste genero o melhor que tem
vindo ao enarcado, e muito proprio para usar as
horas de-'comida, o vende por preco raaoavel :
na luja do Pav>, rua da Imperatriz n. 60.
Papis proprios para enfeitar bollos e
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galles, franjas e tranca de
seda e de la, para enfeie de vestidos.
Botoes de todas as cores e moldes novo
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilfco sendo com
pengentes e sem elles.
Botoes pretos com vidrilha com pingen-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camurca e' excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicadas leque de madrepeiniia, mar-
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordado.
Bengala de baleia.
Finalmente, um completo soi-limento de
miudezas rua do Quemado n. 21, na
Nova Esperanca.
Collares anodinos etfatro-magnett
eos contra as convulges das
creancas.
Nao resta a menor duvida.-de que muito
collares se vendem por aai intitulados o
verdadeiros de Rover, e ess porqae amito
pais de familia nao cree (comprando-oa)
no efieito promettido, o que s pdem dar.
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, por
que detesta a falsticacao principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa deste* collares
e garante aos pais de familias, que sao o*>
verdadeiros de Royer, que a tantos crean
gas tem salvado do terrivei incommodo-de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a roa do Queimado
n. 21 compraram o salva vida, para seu*
ilhinhos, antes que estes sejam acomaaetti-
dos do terrivei mal, quando ent5o ser di-
fcil alcancar-se o effeito desejado, embor
sejam empregados os veradeiros coare
de Royer.
FLORES
Realmente at onde pode chegara per-
feicao d'arte. relativo a llores, a Nova.Es-
peranca apesar de ter constantemente- re-
cebido flores, confessa que ainda nSo havia
recebido, como as que acaba de recebar!!f
nao exagerado ellas confundem-se per-
feitamente com as naturaes, e sao feitas
com tanta perfeicao, que preatam-sc mui
bem ao mais caprichoso enfeite das E.mas.
do mais apurado gosto!!! explendido o
ortimento, constando de modernos ramos,
rosas, dalias etc, etc., de lindas cores,
proprias para enfeitar-so- coques,, estittos,
chapeos ou outro enfeite que habiraompra-
dora quiaer preparar, assim pois queiram
as Exmas. virem apreciar o jardim da Nova
Esperanca a rua do ueimado n. 21, que
est replecto de flores.
t.\.GERfHty
PaRA AS NOITES
DE
S. Jodo, S. Antonio e S. Pedro.
Acliam-SB. venda sortea para homens e se
nhoras, um tanto afradavefs para essa*, occasifies
de divertimentos e prazeres : as livrarias. france-
za ru do Crespo n. 9, na Econmica roa do
Crespo n. 2, na Popular rua do Imper dor n. 67,
nadoSr. flardozo Ayres rua da Cadeia do Reci-
fe n. 31, na do Sr. Jos Barbosa de Mello rua da
Cruz n. 52, ni do Sr. padre Lomos rna do Impe-
rada- n. 15, a Eneaderna^o Parisanso rua do.
Imperador i 71.
Vendem-se libras esterlinas: na rua do Crespo
n. l> Io andar._______________,________^_
Vende-so a dinheiro ou a praso a padail a
vapor sita em Una, a qual se acha livre e doten-
baracada : os pretendentes podem eniender-se no
mesmo lugar com sea propietario, ou cam Bocha
Lima A Guimaraes, na rua da Cadera 40, e e-
comedes Maria Freir, no aes de Apollo
CARNAUBA
Vende-se superior
\J f casjapor proco mais
e catnaba em de
Do quetem oulra quas-
jquer parto :"na loja do Pavao, rua da Imperatri
" fn. 68, de"~
Flix Pereira da Silva
Algrateos niyopes, e presbyud, j po~
deis ver de longe, j podis ver de parto
n3o ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortim- nto de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
goons, de ouro, prala, tartaruga, marfim,
ac, bfalo, ncar, unicornio e mekihior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
Cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invencao ; duquezas, vienezas de 6, 8 e
42 vidros, tudo dos'melhores fabrieantea da
Europa.
O meslfio vapor trou-
xe un exceden* m>-
i-hfna para graduar e
observar numero dos
vidros de se naaaa&ita
conforme a vial de
qualquer pessoa.
mtmmM
Tem excelrentes sterioscopos, instrumen-
tos de malbematica, barmetros, vidros de
chrystal do rocha, e de cores para resguar-
dar a vista; eoncatta todos os obiectes
preces commodos e con.promptidSo; tira
o mofo dos vidros 6 enoarrega-se de toda a
encommenda relativa a ptica.,1 <
Recebeu tanibem os excellentesjejogios (
do antigo e afamado fabricante QoberrQttk
&C, os quaes vendem preces camaoodcs
garantindo a sua superior qnaliaarte.-
" ^ Vemi-se um"piano de Jacaranda em DOia
estado.de armario,: na rua do radie Flonan
7, 5* andar.
{Sapatos de borracha
pira wnhorjB e rapaos a 1*280 : na na Diris*
Vende%e^ima paite de um sobrado na
Direiu iM7 i a tratar^ na rea estrena

tf I
rio n. t.
UlBftR 1
. t


Diario de Pernambuco
Sexta feira 11 de Jifnho de 1869.
*
<

0 cordeiro previdente
Roa do Qnelmado n. i o.
Noto e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que e/lectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber nm outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de obfSetos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
Cob ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansid5o
e barateza. Em dita loja encontrarlo os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
30-aoa m mmmvmzsi* m
DE
FLIX PEREIRA IIA Mili VA.
pruprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se do grande sortimento que tem de fazendas, tanto da moda como le
ceza, todas dos melhores emaisacreditadosllei, assim como de um grande sortimento de roupas para homens e meninos e as
fabricantes. pessoas que negociam em pequea escala, tanto da praca como do mat, oestafcasa
Dita balsmica dentrificia. podero fazer os seus sortimentos em pequeas ou grandes porcoes, vcnacn.lf>-$e-lhes
pelos presos que se compram as casas inglezas ; assim como as excellenssitts fami-
lias, podero mandar buscaF as amostras de todas as.fazendas, ou se llie as mandam
levar em suas casas pelos caixeiros d'este estabelecimento, que se acha aberto con-
stantemente desde s C horas da manha s 9 da noute.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete paratoilet.
Elixir odontalgico para conservado do
asseie da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e 8bei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
fraooeies em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial Jo fino e agradavel chai-
ro de violeta.
Outras concentrlas e de dieiros igual-
mente finas e agradaves.
Oleo philocome verdadeiro.
Ertracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos che ros, em frascos de diffe-
rentes tamanhos. preciso lazer-se ima granoe com
Sabonetes em barras, maiores e menores, 9 Q qua, -rande pechincba.
para mos.
Ditos transparentos, redondos e em figu-
I Vinho
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas' perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem coniposieSa de
cheiro, e por isso o mais propro para crian-
vas.
Opiata ingleza e franceza para denlos.
Pos de camphora o outras differeates
qualidades tamhem para dentes.
Tnico oriental 6q Kemp.
Alada mais coimes.
Um outro sortimento de coques de do-
tos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de llores e fitas,
estao todos expostos a apreciado de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHS BOBDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Fivellas e fitas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficaedo a boa escolha ao .gosto do com-
prador.
FLORES FINAS.
O que de melhor se pode encontrar neste
genero, sohresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para viagem.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commoilos. .
Chapelinas de palha. da Italia mu bem
snfeitadas, e enfeites de llores obra d^ bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
(Jo Cordeiro Providente a ra do Queimado
n. 6.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
rostidos, outras para chapeos, coques etc.
-ludo isto est sendo vendido com a sua bem
:onhecida commodidade de precos.
ALEM DAQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de galloes de 15a, babadinhos de
lambraia cem bordados de cores, cuja va
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados ; compareci pois os pre-
endentes (fue ser3o servidos a contento.
TO BEM ECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
goepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homen-
como para senhoras, constantemente achar-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 1(5.
QUE SE LIQUIDAM
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
11-EUA DO QUEINADO.-1
DE
.

Explendido sortimento de
Alpacas labradlas de cores a &60
Alpacas a 860 Alpacas a 560
Arpacis de cores
Na loja do Pavio ra da Imperatriz n.
60, vende-se un3 poucos de mil ovados
das mais lindas o modernas alpacas lavradas
com as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo ntre ellas azul, lyrio, roxo, cor
de canna, verde Claro etc. e os lavrores
muito miadinhos assntados em urna s
cor; para se poder retalhar esta fazenda
pelo barato preco de 560 rs. o covado, foi
fazer-se urna grande compra deste
degestivo de
chassaing
coa
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio 'por cxcellencia para cura certa
das digestocs difiieeis e completas, a calmar
as dores gastralgicas, e reparar as torcas
produzindo urna assimulacSo completa dos
lmente?; sendo mais um excedente tnico.
PHARMACIA E DROGARA
DB
Bariholomen *fc '.
34RUA LARGA DO ROSARIO34
Libras esterlinas, na ra da Cadeia do
Jtocife, n. 56.
Ruado Livram.ento n.26.
Cambraias de ellegantes padrees, modernas, a
400 rs.o covado.
tos der. tnil covados de casSas
fruueezas
Covado a 300 palo a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
"Vende-se na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francesas
para vestidos, tendo padroes miudos e gra-
dos, assntados em todas as cores, estas
cassas sao propriamente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e alm dos padroes
seren muito bonitos, sao todos flxos e seria
fazenda paca muito mais dinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
I&partlfaos a 3-SOOO na loja do
Pavio
Vende-se urna grande porco de esparti-
Ihos modernos com o competente cordo,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 35 cada um.
MADAPOLO ENTESTADO A 3*600, S
NO PAVAO
Vendem-se pecas de madapolo enfestado
com 12 jardas, sendo muito incorpado pelo
barato pre?o de 3600 ris, assim como
I pecas de algodosinho com 16 jardas
' 4A300 e 5#000 ris.
ALPACAS LAVRADAS COM LISTAS A 500
RS. O PAVAO VENDE
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60 vende-se urna grande porco de alpacas
lavradas com os mais lindos padroes listra-
dos e eom .llore* matisadas, sendo este ar-
tigo urna grande pechincha, por se terem
comprado urnas poueas de caixas e veade-se
pet barato preco de 500 rs. o covado.
Chales
PELERINAS DE CROCH A 8, 1G3000
E I5000
Gbegaraa para a loja do Pavo as mais
modernas e mais bonitas romeiras ou pele-
rina-, de fil e croch que se vendem a 8 e
W ? 12f.
GRU HGHINCHi
EM
PERCALLAS
A pataca o covado
PERCALLAS A 320 RS.
VOS DEZ MIL COVADOS
PERCALLAS 320 RS.
Na loja*do Pavo ra da Imperatriz n.
60.. vende-se urna grande porijao de per-
callas francezas proprias para vestidos, sen-
do de cores lixas e mas larga que as chi-
tas, tendo os pannos muito cncorpados e
com os desenhos mais bonitos que tem
vindo ao mercado, tendo padres miudos e
grados e vende-se pelo baratissimo preco
de 320 rs. o covado, garantido-se estar esta
fazenda em perfeito estado, e vendendo-se
por este baratissimo preco para apurar di-
nheiro!
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A 10800
Chegou para a loja do Pavo, ra da
Imperalrix n. 60, urna grande porcao de'
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda cumpri-
mento de um lenco!, o qual se faz com um
metro e urna quarta,, para cama da casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 15860 ris cada metro,'
tendo esta larga fazenda, outras rauitas ap-
plicaces para arranjos de familias, sendo
rande pichincha pelo preco.
COBERTORES DE LA PARA O INVERN
DE3/KMX)0OOO
Chegou para a loja do Pavo, um gran-
de sortimento dos melhores cobertores, de
13 de carneiro, sendo muito grandes e
muito encornados, que se vendem de 30
at 6ot'0 cada um, em relaep s defe-
rentes qualidades, pechincha: a elles an-
tes quo se acahem.
Madapolo avariado
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vende-se pecas de madapolo muito
bom. com toque de avaria, de agua doce,
por preco muifo rasoavel-
Casemiras da moda
NA
liOJ A DO PA VtO
Chegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para cal-
cas, paletots eeoletes, tendo lisas, com lis-
tras e cora listra ao lado, tendo para todos
os preros, e afianca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-
le, assim como daa mesnaas se manda fa-
zer qualquer peca de obra, a vontade do
freguez, para o que tm um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitots
a IU e 20S000.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porco de pa-
litots sobrecasacados, e propriamente so-
brecasacos de panno pretu, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de 18)$, sendo forrados de alpaca, e de
205 forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter comprado urna grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
Laasiaaas a *40 rs.
Vendem-se lazinhas para vestidos e rou-
pas de meninos, sondo to encorpadas
como chitas, pelo barato prec<> de 240 rs.
o-covado.
POUPELINAS A SOO RS. 0 COVADO.
Na loja 4 Pavo, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se um grande sortimento das
mais lindas poupelinas ou lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
litas cws
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capclla para noivas, que
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
SAHIDAS DE BAILEde cachemira branca e de cores o que ha de mais lindo.
BASQUINESde repda preta, e de gorgro preto, o que ha de mais
elegante.
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALOeSbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilhu, saias bor-
dadas, e saias de 13a com barras de cor.
GORGROde seda branco e preto para vestirjps, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, pnncezas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados.
Encanamento de agoa
e gpz.
Can* cV r.-rro e**nhi& e hnft porcetaaa, ditos
Je dmmbo de u-xJns t.g ganaras.
Pesos polo novo sistema
tfernns iliis nnvns pesos CompteUs e a retalho :
s, vemla, ru do Quemado, Aievedo & irn>a<
, rfneau at^..
Na rtl do .:rcsp) n. 6 f* diz queai veud* um
piano m\ pcilcito plido, dos melliuics fabricani<9,
u por pree.ii muito razoave] : cjuem prefijar, apro-
veite a |ierliinrtia, quo puncas ve-s $e onmun
um oMectd tac hom e ife barato._________*___
^ X \RUPE PECTORAL
B\IM> TAW
PLANTA DO BRASIL
E expectorante e recommendado as
affeaobee do peito, bronebite ebronica, be-
moptise, e lossc chroni'a.
PREPARADO POR
JOAQtTM DE ALMEIDA PINTO
PHAItMACEUTICO
Peniambitco run tanja do lfasnrh n. 10.
-. ^/
66 JtlMA^.1*
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agaa-florida de Gais-
lain
os-cabellos,
Venini Augusto F- de Oliveira 4C. rv '
P/immftrcio, n. 42._____
BAZAR
r
iOO rs. o covado,- pechincha que se acha
r
-*
I*E IftCII DOCE
MADAPOLO de 81 a S#00(J.
DfTO COQUEIRO de 8 a 3000.
ALGOOAOZINUO de 74 a 54000.
CEROULAS de U <*oOO.
IBAS CRUAS a SiO re.
CHALES PBETOS de fif a 24000.
Rua larga do Rosario
N. 22, loja do Vianna.
i'ognluhoft ehinezes artlcl es
para noltes de Santo Antonio
e H. ioo
Acaba de chegar grande sortimento dos mais
ntoreBsanles fugninhos chiiwzes e de bengalla ar-
liflciaps, proprios para meninos soltaren) dentro
de salas, sem queimar ou ofTeoder por serem fa-
bricados especialmente para diertimento de
criancas : no
Nova n. 7.
va, na rua da Imperatriz n. 00.
AS CAMBftAS DO PAVO
Vendem-se firoseimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largara, pelos
precos de 5fjK)00 at iOfJOOO a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transpapente a 10000, a vara, na loja do
Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Cortinados
Para camas e janeas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
mores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
.em a 120000 rs. cada par at 250000 rs,
isto na rua da Imperatriz n. 60, de Felii
Pereira da Silva.
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RUA DA
IMPERATRIZ N. 00
Aeha-se este grande e6tahclecimcnto com-
pletamente sonido das melhores roupas,
sendo calcas palitots e eoletes de casemira,
de panno, de bnm, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desojar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, bros, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer.peca de obra, coma raaiorpromp-
tido vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-las, quando do stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'estc vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um helio sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho c algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na rua da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 50000.
Vendem-se colchas de fusto adamsca-
las para cama, pelo barato preco de 50,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
O atoalhado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado ue algodo
m 8 palmos de largura, adamascado a
02OO a vara; dito de linho fazenda muito
mperior a 30200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a 40500 a duzia e muito
inos a 80000, e ditos econmicos a 30500
t duzia.
ALPACO DE CORDO PARA VESTIDOS
A 10000
Na loja do Pavo, vende-se superior alpa-
co ou gurguropara vestidos, sendo n'es-
te genero o mais moderno e mais bonito
que tem vindo ao mercado com differentes
cores, sendo mais largo que alpaca e Ten-
de-se pelo baratissimo preco de 10000 o
covado.
Xovidade Xovidade
GURGURES DE SEDA PARA AS FE8TS
DO MEZ D*! JUNHO
Chegou pelo vapor de 14 %) corrente.
para a loja do Pavo, rua da Imperatriz
. Tintura indeievel para tangir
m-manchar apelle.
A bem-cosesiluada agua-florida deGuis-
(ain que ento era desjonhecda em Per-
nambuco, j boje estimada eiprocurada
por seu efficaz resultado, e aioda mais se-
r,-quando a noticia de seu bom efleito e a
experiencia tornar de "todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta uni-
damente de -vegetaes inoffensivos, tem a
proprieda extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
oes, e Ibes restituir abrilho perdido, e-as-
ska como preservar de embranquecer, sam
ser prejudicial de modo algum
E' porm oecessario fazer ooafcecer, que
padros com listrinhas miudi-1 bom resultado prodazido pela agua-flori-
nhas, que se vendem pelo barato preco de [da, nao instantneo, como muitas pes-
Ditos com ditas de velludo, outros im
tasdo charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim coro cruz
eguarnicJo, dourada ou prateada.
Coreas e tercos de cornalina.
; -oas tal vez mpponham, m lis shn ser pre-
nnicamonte na loja de Flix Pereira da Sif- [eiso fazer eso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, oomo bem
pro'vam testeiBunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
mtra qualquer cousa.
Assim poisosta agua-flwida acha-se ven-
ia na bem conhecida loja d'Aguia Branca a
rua do Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando c^m a protec-
co de sua boa freguezia, tambem caprieba
em nao Ih'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a honram, e em pro va ao que lie a dito, d
como exemplo o explendido sortimento
me acaba de receber, ainda mesmo achan-
lo-se bellamente provida do que de bom
e melbor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios li.vros de mUsa
i oraco, obras de apurado gosto e perfei-
to, sendo: xom capas de madreperola 9
locantes quadros em aito relevo.
Ditos com .ditas de marflm iguabnente
'icnitos.
Assim como.
Grande e bello sortimento >ie icqoes
lodos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azucs.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de Qo de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito tinas d'algodo, aivas, e
cruas para meuiuas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, toi .a;, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres e
meniBOS.
Goilielias e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entie-meios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collaras Rover para eroanQas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas de vidro onfeitadas
eom podras, aljfares, etc.
Ditas de tartaruga parajoias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz deanfz.
Novos e delicados ramos de llores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas d^ pajba.
Filas largas para cintos.
Cintos de lilas largas com boniias rama-
gens.
Brincas e alfiietes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas-
o ma ^ovaO
Carneiro T/lanna
Neste BAZAR enrontra-se urft compieto
sortimento do todo os artigos que se ven-
dem por precos rommodos como sejam: Um
copipleto sortimento de machinas para cos-
tura de todos os xystemas, mais mqdernas
adoptados na Amprira-e appro\-adas na in-
tima exposifo serviros a electos para almo-
CO e jantaf, salvas, bandejas, tab,oleiros, bol-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candiciros parasala e cima demesa.
parede e porta!, mabgas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater ovos, ditas para amassar farinha, dita*
para fazer martpif.n. camas dp ferro pan.'
casados, soltcinis p rrianca, berfos, cadri-
ras Iqjigas para viag.'m, ditas de balanco.
espelhos de todos os tamanhos, molduras
para quadros. gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinqnedos para criancas, um
completo sorlimento de cestinhas, oleados
para sala e nesa, tapetes para sala, miarlo,
frente desoph, janella e porta, capachos de
SpaTto e ceb, objoctos para eserlptoro c
muitos outros artigos que se entontraio
venda no mesmo estabelecimento o que vale
a pen ir examinar. *___
Jl]
o
Brozegnms d*
30OO
Ditos de do cordavo, Nantes,
los a 80000.
Ditos de dito dito, inglezes. para ditos a
IO'0O
Ditos de
20000.
Bolinzinhos p:ra ni...'iiiiios -
Sapatosde couro com sallo para senl -
ra a 10500.
Vende-se na praca da Indepencia n. 3C,
loja de Porto A Bastos.
bezerro, para bomens
para '-
1 ira menino e crianca-' ;|
Vob! preto do meia idade, proprio
para eugeoh.0 Dor ?cr carreiro, ou para a praca
para andar com carioca : n.i rua Diroa n. M.
ESCRA3S FGIDOS.
rr
TEMPORAL
\ 55-RUA BO QIMIDO-N.
AFFONSO MORERA TEMPORAL
Est queimando os objectos abaxo decla-
rados pelos precos segnintes:
n. 60, um brilhante sortimento* dos mais
modorn se mais bonitos gurgures de seda,
para vestidos, tendo padroes miudinbos e
grados, com lindas listras matisadas, as-
sentadas as mais delicadas cores, como
sejam, verde, bismark, lyrio, azul, perola.
etc etc., assim' como ditos lisos de todas
armaasm do vapor francez, rua M ^^ garantindo-se que na actnalidade
nao ba urna fazenda de mais gosto nem de
mais pbantasia do quo estaqese vende por
na preco muito rasoavel. no estabelecimeow
vde Flix Pereira da Silva.
Salitre
Vende-se salitre refinado a m a arroba
rua do Queimado n. 30, loja de ferragens.
Frascos com agua de colonia
Piver verdadeira a .
Pentes de travessa para meni
as a........
Thesouras para costura
unhas a......'
Frascos com tinta a 100 rs e
Libras de linhas para borbar
Novellos delinha com 400 jal-
das a...... .
Frascos com oleo de'babosa
Sabonete de todas as qualida-
des 80, 400, 20 200 e .
Babadinhos e entre-meios
500, 600; 700, 800 e .
Garrafa com agua divina
Groza de botes de louca a
Pe?as de fita para cs com 10
varas a .......
Caixas de agulhas francezas
Frascos com banha 320 e
Caixas com papel amisade .
Dito beira dourada a .
Ditas envelopes a .
Sapatinhos de la paja meninos
Pecas de tranca de caracol j
Pi ceis para barba a .
Pares de suspensores a
Frascos com agua de colonia
320, 400, 500 e .
Pentes com costas de metal
Carteiras de marroquim a

900
3 O
400
100
6 60
320
246
I 000
I $400
160
500
160
iOO
700
14000
500
OO
200
200
800
320
400
Garrafas com tinta rocha
Lencos brancos para mos. .
Pares de botoes para punho a
Frascos com cheiros 400, 800,
l^'OOe ^^......
.Meias crtflprpara homens du-
zia a '......
Abotoaduras para rollete a .
Linha de 200 jardas duzia a
Cartao com cometes 2 orden s
Bunecas de cera, todo preco.
Espelhos grandes com molduro
dourada ........
Ditos pequeos.....
Pecas de fita para debrum d
vestido ..?...-...
Botes de ac para cohete .
Annil para roupa (P.) a. .
Calcadeiras para zapato. .
B'edes pretas para cabellos a .
Groza de botes de ac para
caigas a........
Libras de linhas de cor para li-
nhavar costuras a.....
Tubos- ou chamins para can-
dieiro a gaz a......
Globos para os ditos 1(5(500 e
Trocidas para os ditos duzia
Pentes pretos para tirar pielhos
Coques muito finos a ..
Cartas rncezas a .
Ditas portugueras a 120 e. .
800
200
200
?20.0
i/>DOO
-300
1*200
80
/iOOO
200
00
10200
MiOOO
100
000
200
:l#000
300
24D00
200
300
2)9500
200
200
No dia 19 S crrante mez fugio do er,
genho Concv:Cao da fivguezia da aseada o
cabra Thomaz, idade de 2a a W anuos, ai-
tura e corpo regular, barba curia, natiii i
de Mamangiiapo da provincia daParahiba:
presume se qe elle toaba ido para o Ro-
cife, ou villa de Manianguape. Boga-sc a
pessoi que o aprehenua de o entregar no
Recife a Domjagos Alvos Matheus, na rua
do Vigan'o n. 21, ou no engenho Cencwicao
da Escada a seu senbor o Exm. Baiao de
Aracagi, que a recompensar com
sidade.
genero-
Contina fgido o escravo de uome Bppi -
dicto, perionrcnte ao abaixo asignado, anj>s
Signaes Mgnintel : preto fulo, altura recular,
falla de denit da parle soperor, pf rrande.
niuitu ladino, e pouca barba. Suppd-se tnr
acontado ncvla cidad.-. d'onde fugiu com urna nin-
lata pertenrenle ID.Genoveva Correado Araujo
Albuipojrcpie. tamhem cun os sipnaes seguales :
cabellos amellados, nariz cliato, folla i- (lentes ua
parte superior, pos pequenoi, tenJo ein o dire'to
una cicalriz. urna helide no o/ho esqnrnloe altu-
ra regular. Os senbores tanto do escravo cuino da
esciava protestam mira quaU|uer que o? ten!;a
acoutado, pelos damno-: careados, heio como ro-
gam s autoridades policiaes ou quaesqoer om s
pessoas que se dignem de fiie-kw raniurar e
mandar levar ao escrialono de Leal & Innao, qi^e
reoompensarfio com gederonijade.
__________;' *" Albvqm.-qnt Mitranho.
MUITO BARATAS
Superiores saias brancas bordadas %M, 60, %& e tOiJOO cada urna.
Ditas de cambria de escocia transparente j feitas a 6|000 cada urna.
Na loja das Columnas na roa do Crespo n, 13 de Antonia Correia
Vsconcellos & C.
de
Do engenho Jacobina, freguezia do Cabo,
noito de G para 7 do crrenle, l'ugiram es eserarw
seguintes : Salvador, crioulo, cor preta. hahu
grosso, Idade de 4i anno? mais ou men.*, bar!>a
ja pmtada,.rosto redondo etrabalba de earapina
bste escraia foi comprad ao Sr. Francisco Jo.^e
de Arcujo, morador nacidade do Recife.-Manuel
preto, alto, barbado, bom corpo, nemas finas, e ten
a ralla um punco descansada, regreseata ter 20
anuos mais ou menos. Levou falca de a'godao
americano, camisa do madapolo j velha fl cha-
peo de couro : este escravo fui comprado ao Sr.
Junas Mariano de S, morador em Moxot, para
onde desconfia-se ter seguido. R -ga-se s autoi i-
dades policiaes e aos capitaes de campo aappre-
hensao dos referidos escravos, e entrega-Ios ao
seu sonlior Antonio Carociro Lius e Mello, no en-
genho acuna referido.
Adta-se fgido desde 1867 o escravo Marcos,
cabra, cabellos annellados, olhos pequeos, nari
ebalft, idade 38 anno<, pouco mais ou menos, al-
tura regular, peinas compridas, tem falta de den-
tes, algumas marcas de gomma pelos peito, sen-
da a mais saliente urna no vio do pescoco ; na-
tural do Sobral, nn Cear, tendo ido para a fazen-
da Cysplatina, no Dreio de Ara. em companhia de
Jos Casado de Oltveira, de 14 desappareceu. rop-
pondo-se esur fgido : roga-sn, portanm, as au-
toridades policiaes e aos capitaes de campo, tanto
desta provincia conK> da Parahvba, ou nutra qual-
quer, que o fa;-am apprehender e ronduzi-lo a
son senhor, o major Gusmo, qne pigar todas as
despezas e gratificar generosamente. Ontro shn,
roca-se a qualquer pessoa que delle ver noticia,
o favor de fazer sciente ao major Gusmao, qn
lamben) gratificar.



8

Diario de Ptrnaanhuco Sexta feira 11 de Jqnbo de 1869.
ASSEMBLA GERAL
i
DE
SESSAO EM 26 DE MAIO
MRSIDF..NCU DO 91. VISCONDE
CAMARAGIBE. m
Jorque razo nao havemos de dar ,is
maiores distincces aos horneas que no cam-
po dabatalha tem. conaarvado o Brasil na
lista das nacoes indepaMentes elivres, por
quanto, so tivesseoo< perdido os combates
desde Riachuelo te s gloriosa^ jornadas
de Roror, Avahye Lomas Valeotiaas, co-
mo estara este paiz? Se nos vemos que a
Franca ten concedido aos seus generaos,
que nao tem talvez salvado de tanta perij
gos e vergonha, as maiores honras, porque
motivo havemos de amesquiuhar a gloria da-
fuelle que soube conduzir nossas phalanges
a lectoras to esplendidas como as que
olitivemns 1 (Muito bem).
Pois, Sr. presidente, que naco do mun-
Ji nao zelaria a honra da passagem mag-
mfica que se fez atravs do Chaco, e que
dspois em dias tempestuosos se fez de ujna
margena para oatra em que os nossos sol-
dados apenas levavara as sitas mochilas e
armas, era que o Brasil, por assim dizer,
aleve todo no seu acampamento, como se
disse do marocha! Radetzki quando se cha-
va nos campos da Lombardia, ameacado
por um grande poder militar, c quando a
revotarlo estava fe portas de Vieaoa ?
Porque razao nao havemos nos, aprecian-
do seraelhante passo militar, que sem duvi-
da tio glorioso como a passagem dos Al-
pe, e dos mais dtflieeis da arte betlica,
naqueila occasio, em que o exefcito nao
wnia retirada, tendo. por assim dizer, quei-
mado seus navios, como o conquista or do
Mxico; porqoe razao, repito, nio tribu-
tarnos as maiores onaeaageas ao feaeral
em cbefe ? Porque nio havemos considerar
como um facto cstrondoso.e nao bnmeta de
prestar aos nossos generaes que conduziram
os bravos soldados a taes commettimentos as
toaras e a gloria a que tem o maior di-
reito?* (Apoiados; milito bem.)
Eu. Sr. presidente, me indigno de ver
que por mesquinhas questes de poltica,
porque porvenlura cahimos do poder, nao
oantenhamos sempre a mesma linguagem
em (alacio aos gloriosos feitos qne interes-
sam a honra nacional. (Apoiados.) Porque
razo os nossos adversarios, que hontem no
poder endeosavam o Ilustre mflrechal du-
que de Caxias, boje Ihe procuram marear
as glorias ? Pois a dilTorenca da posico
em que se acham boje 6 que os faz ver as
cousas por modo to diverso ? I (Muito
bft.)
Hoje, Sr. presidente, que se trata de vo-
tar um crdito para a repartico da guerra,
nao posso deixar de tecer os merecidos elo-
gios a esse famoso e valente exercito bra-
sileiro, que nos ha i reservado das maiores
calamidades. (Muitos ajorados.) E igual-
mente render urna publica homenagem de
admiraco aos servidos e valor do distincto
duque de Caxias! (Apoiados geraes.)
Esse nobre ancio militar, que por dous
unos soffreu as maiores privares nos pan-
HMM do Paraguay, e que combateu de es-
pada em pnho as phalanges do tyranno
Lpez, fazondo-as recuar destrocadas, espa-
voridas e dizima las para as cordilheiras,
deixando o rio livre e a capital em nossso
poder.
Nao sou, Sr. presidente, muito inclinado
a grandes exercitos permanentes ; nao; eu
confio muito nos exercitos de voluntarios,
que mesmo na presente guerra nos tm
dado exemplo de sita bravura e denodo.
(Apoiados.) E se eu quizesse autorisar-me
GMB opinies de pessoas que tm o maior
peso nesta materia, diria mesmo que o
maior cabo de guerra deste seculo reconhe-
ceu no seu exilio que nunca elle fez os maio-
res commettimentos, nem conseguio^ maio-
res resultado-do que quando commndava
exercitos de voluntarios. Os grandes exer-
citos permanentes podem prestar muitos
services, mas podem tambem trazer outras
funestas consequencias, alera da grande e
improductiva despeza.
Mas se o nosso exercito que l existe no
sai coraposto de forcas do linha, de guar-
da? naciouaes e de voluntarios, se eu como
deputadopela Babia tenho a maior gloria
en dizer que aquella briosa provincia en-
i para o theatro da guerra milhares de
cidados, devia aproveitar esta occasio para
:n3nifestar aquellos bravos* meu reconheci-
rnento como representante da naco. (Muito
bem.)
Sr. presidente, anda accresce que nos,
por assim dizer, somos toreados at a vo-
lar este dinheiro, podido coin> crdito para
a guerra, porquanto de alguma maneira ja
cslavam grandes quantias consumidas por
ordens dadas pelo ministerio anterior ('apoia-
dos) ; porque V. Exc. sabe que o ministe-
rio de 3 de agosto nao tinha mos a medir
quando se trata va de gastar dinheiros pbli-
cos (apoiados), entendendo que este paiz i porm, prov;n de apoo desta c si, isto
era a sua feitoria a heranca que deixou toi
terrlvel, pesada, cheia de onus (Apoiados.)
Exprimmdo-me*issim, nao tenho em vista
offeader o carcter particular dos ex-minis-
tros, a qnem respeito. Fallo do syetma
de governar.
Mas o partido conservador, acceitaodo a
gesto dos negocios pblicos, n^tem re-
medio seno fazer como est pruwdendo :
preciso pagar as dividas existentes ; no-
bksse oblige-; necessario tomarconta de
todas essas irregularidades; e por miior
que sejam os encargos, nao- ha remedio s4
nao acceita-los. A nu do estado navega
presentemente em mares tempestuosos ;
nao encontramos mares bonanzosos, nem
ventos galernos: ludo que existe a des-
truirlo; como disse no principio, destro-
zos de um campo d batalha em que appa-
recem, como o genio do mal, ministerios,
dissipadores e perdularios. (Apoiados.)
Creio mesmo que os1*" ltimos aconteci-
mentos que deram lugar ascenso de urna
poltica de outra ordem foram riundos do
facto de que o ministerio de 3 de agosto
conheceu que j Ihe nao era possivel man-
ter as redeas do governo (apoiados), por-
que j tudo estava coasumido, j nao havia
de que bncar mo.
Vozes :-rMuito bem !
O Sn. Junqueira iE tanto assim, que
foi precisa urna medida extraordinaria, mas
cujo bil de indemnidade se vem pedir ago-
ra, isto a emisso da 40,000:0003000
para fazer face s despezas urgentissimas e
indeclinaves do thesouro. Isto quer dizer
que quando o ministerio de 3 de agosto se
retirou deixou o paiz no mais terrivel esta?
do de financas. (Muitos apoiados,)
O Sr. Dcoi'EEstrada Teixeira :Apoia-r
do; geria o paz com a maior incuria.
Sa. Junqueira : Observo que talvez
fosse melhor que a actual resoluoao aulori-
sasseo governo a funlar a divida fluctan
te, e igualmente a cobrir os dficits dos dous
exercicios, actual e futuro, no que Ihe fr
concernente.
A resolucao proroga o orcamento por seis
mezes. Neste ponto anda eu vejo que o
Ilustre ministro da fazenda, que sempre se
tem assignalado pela sua coherencia, de
opinio s (apoiados), coherencia que tem
grangeado a S. Exc. o respeito de que
digno pelo seu carcter elevado e de tem-
pera romana (apoiados); procurou manter a
fidelidade ao que tem sempre sustentado.
J Foi o nobre ministro coherente em pao pe-
dir urna autorisaco indefinida do orcamen-
to como os nossos adversarios costumain
fazer. (Apoiados.) Recordo-me que houve
ha tres annos urna grande questo, que foi
resolvida em fuso, a que assisti, autorisan-
do-se indefinidamente urna prorogac do
orcamento anterior, porque assim o q'iiz
o ministerio daquella poca contra Moto de
urna numerosa opposico, que es lnba a
honra de tambem pertencer. Era ella com-
posta de senadores, e deputados conser-
vadores e libcraes puros.
O Ilustre visconde, porm, muito co-
herente com suas opinies emittidas no se-
nado, e somante vem pedir a autorsaciio
por seis mezes. Entretanto os nossos ad
versarios atroam cos e trra com a patata
dictadura!
objecto para fazer rirl Em todos os paizes
vres o ipuio primara o m.s (Dticado e o
mais-i .aportante o apoio da repfesentacao
nacional do ramo taraporario (apoiados),
porque eom este poio qtre (FgOTerno pode
dizer: o paiz real nos ostenta; e o go-
verno assim, longo de se apniar em qualquer
simulacro de dictadura, pelo jntrario est
as%iidadeiras normando gowrno cousli-:
tucional representativo. iMuito b"m).
4gor,i, bem pelo contrario,- nos temos
couscenca deque por detr^destas pare-
des ha o paz que nos elegaa com peina
lberdade e conhecmento de no direito, e
ipie applaudo a siuiacao inaanrada a 16
de jullio. (Apoiados; muito han).
Depols, en vejo, Sr. presidente, que em
alguns annos anteriores n'i> se votarara or-
pamentos; os crditos eram, repetidos; o
paiz nao couheca nada, nada, se Ihe dizia;
flzeram-se tratados iinportantas, por exem-
plo, trplice allianca, tratado que nos ligou
demasiadamente quanto ao futuro da luta-
com o Paraguay; levou-se Oiipaiz a esta
guerra ; contrahiram-se emprestimos ruM
nosos; eraprestimos que eu profliguei desta
tribuna lanto^ quanto pade. (Apoiados). A
Agora, quando ao v na direcelo dos ne-
gocios pblicos estadtslajR-,que merecem o
apoio da opima) publica? pde-se chamara
isto dictadura? Quando o goaerno seapoia
no parlamento, e no paz se gozara todas as
liberdades polticas, cafnecan lo pela da tri-
buna em reunies publicas, e da imprerisa,
de que tanto usa e mesmo abusa a nobre
opposico liberal ?
Eu tambem entendo que devoraos zelar e
amar a wrda'deira ubiefiJpde; e que por
isso Avenat zelar a coaamnico que p issui-
mos, e que foi inspirada nos mais saos
principios da lberdade. Essa a musi
gloriosa do partido conservador: conser-
var na lberdade constitucional contra os
botes da anarcha,
A palavra dictadura! diante 4e lum gover-
no que vem pedir ao parlamento os raeos
de administrar o paiz torna-se va/.ia de sen-
tido.
Por eonseguinta parece-me que nos de-
vemos aceitar com pequeas modilicacoes o
projecto apresentadd-' pelas Ilustres com-
raissoos. Esse projecto, no meu humilde
entender, precisa remendado em relacab
s despezas da mariaha, em relaco a facul-
drde de fundar-se a divida fluctuante e de
cobrir-se o ilrfikit deste e dj ftrtaro exer-
ccio; n3o porque duvide que aoFcamento
possa passar nesta cmara, mas porq ie pode
haver demora na outra cmara ; e ne-
cessario que o governo Oque armado dos
meios regulares para ir fazendo faoe as dilfi-
culdades do thesouro.
Maaifestando-rae desta maneira, presto
meu pequeo auxilio ao actual gabinete,
porque julgo mesmo que Ss. Exes. os Sis.
ministros desejam que as quesl5es sejm
ventiladas, discutidas e debatidas nesta c-
mara, (Apoiados).
FOLHETIM
OS CASACAS PRET&S
ROMANCE
POR
Paulo Fval
Primeira* parte
OBR4(lL LAVRADO
X
%n 11111.1.
raliiiuaco do o. 129.)
i: ha vas de estar como u, szinha, e
nao podendo coraraunicar, nem sequer co-
migo. a le. Nesta (ata da verdade
contra as appareacias, apresentar-te-bas
aem armas, debilitada pela tortura moral.
Rumor algara exterior penetrara no t-
mulo em que serias sepultada viva, enga-
Do-rae : havia de chegar-te, nSo sei de.
onde nem por onde, um echo sinistro, e
essa voz luctuosa repetiria, no teu somno.
como as las vigiliashas de ser con
dea)nada 1 Nenhum defensor, patrono;
nenuum, o assedio do espirito, a Toma ap-
plicada alma I
Anjo da rainha alma, a tua ausencia a
mntia consolaco e a miaha forca. Ests
salla, e sola has de flear; emqaanto so
O Sr. Abaujo GKs:Querem Iludir o
povo.
O Sr. Junqueira:Se porventura o ga-
binete quizesse assumir essa dictadura a que
os nossos adversa ios se referem a todos
os momentos as suas gazetas, as suas
reunies, nos seus meetinys, nada mais
fcil do que pedir prorogacao at que o
outro orcamento se votasse; e se porven-
tura esses paladinos das liberdades publi-
cas, que tem assento no senado, e que al-
mejam por meio de novas theorias felicitar
este paiz, entenderem que devem p6r lodos
os bices passagem do orcamento ordina-
rio, e mais demorado na discusso, estara
o governo armado com urna resolucao que
Ihe prorogaria os poderes para cobraras
impostos e fazer as despezas publicas at ao
ultimo de junho de 1870.
Mas o nobre ministro da fazenda, vendo
que segundo a constituico deve-se votar
todos os annos as despezas e as receitas
publicas pedio s a prorogacao do orcamento
por alguns mezes, ernquanto se nao vota
definitivamente o orcamento de 1869 a 1870.
Se com^ararmos o proeedimento do ac
tnal gabinete cora o proeedimento que live-
ram alguns gabinetes anteriores a que per
tonceram varios dos modernos censores, eu
vejo que a dictadura, longe de estar no
actual gabinete, esteve ncarnada e completa
naquelles ministerios. (Muitos apoiados).
Se o actual gabinete tem o apoio desta-casa,
e se este apoio desvirtuad* pela opposico
actual, basta lembrar qe a situaco deca-
hida baseava-se nicamente na cmara que
funecionou em razo da celebre eleico de
1867. (Muitos apoiadosV
Se a actual pretendida e falsa dictadura,
me liverem a mim, a menos valiosa metade
do meu ser, sou como um j>rsioneiro cuja
alma privilegiada tivesse Oncondo de se
arremessar para o exterior e regosijar-se na
lberdade.
preciso um condemnado, nao isto
evidente ? E que se ha de dizer da lei ?
Os criminosos callejados escarneceran! da
misericordia. Que seria urna lei encarre-
gada de acaimar feras e que deixasse es-
capar um tigre, com medo de apertar de
mais ? Nao se tornava a lei cmplice do
t;gre e dos destrocos com que elle celebra-
ra a sua fuga ?
Nao me revolto contra a lei, nao ; slta-
me aos olhos a sua razo de ser : flzeram-
na contra os tigres. As suas armas accom-
raodam-se aquella terrivel caca. Ora, nao
succede s vezes por essas matas, quando
o da est escuro e o malo cerrado, ir
urna bala perdida deilar por teefa.uin vian-
dante em vez do javali, que pros%ue tran-
quillo no seu caminho ?
Estavam postos coatra um javali. Tudo
que as moitas se moyesse devia -ser por
forca javali. Era necessario nm javali. K
preciso um culpado.
' Que vinha o viandante fazer aquella ma-
ta ? Conheci catadores que anua se quei-
xavam do viandante, e Ihe pregavam por
cimaum bom sermo, quando era. le vado
no esquife. O que eu nio sei como en-
. Presto o meu apoio franco a conscien-
cioso : mas o apoio de quem medita e
de quem procura estudar as questes
(apoiados); este apoio que serve; nao
queremos imitar o apoio da adheso cega;
havemos prstalo consci ncioso(apoiados),
porm, prestando-o, nao estamos dispostos
a ouvir os consellios que nos querein dar
os novos apostlos da lberdade, de levan-
tararas questes impertinentes e a todo o
momento; isso que os nossos adversarios
desejam (apoiados), mas nos nao estamos
dispostos a curvar a cabeca s suas opinies
nem a reconhecer os que se querem incul-
car como nicos paladinos dos interesses
pblicos, nem a submetler-nos diante desdas
illustraces que desejam crear para si o pri-
vilegio da omnisciencia e do patriotismo.
(Apoiades). piante desses novos Cesares do
pensamento^nio podemos dizercomo aquelle
que ia morrer na arena diante do povo ro-
mano : morttnri te salutan t
Vozes : Muito bem f Muito bem!
(O orador cumprimentado por varios
Srs. deputados.)
O SR. VISCONDE DE ITABORAHY (Mi-
nistro da fazenda): Agradecocordalmente
ao -loquente orador, que me precedeu, as
palavras de benevolencia que dirigi ao ga-
binete de que tenho a honra de fazer parte;
e a este agradecimento devo accrescentar
que applaudo os seus senmentos, pelo
que diz respeito tarefa que incumbe a esta
augusta cmara, de examinar acuradamente
todas as questes que se relerem as despe-
zas e receita do Estado.
E' com effeito esta urna das principis
obrigaces dos representantes da nacM, e
urna das imponanles attribuices que mais
directamente periencem cmara dos Srs.
deputados. Desejo que ella a desempenhe
o mais minuciosamente que Um fr possi-
vel ;e pela minha parte Ihe asseguro que
concorrerei quanto em mira cabe para coad-
juva-U nessa honrosa e importante tarefa.
(Muito bem).
infelizes de Argence, marido e muiher ft
Desde entib que, eu dizia coooigo : pode
cahir-nos em casa. como se tosse um vida, os. maiores
raio. E desde entSo, que no meu pensa-
raento te abriga va contra o-rtie. I
Bradava-jne a razao : astas tonco. tai-
vez esti vase louco, porque o que nos jhic-
cedeu toca o impossivej. Digo-o, porm,
mais urna vez: Invado saja Deus, estava
preparado ;' previra o imposslvel, e ests
salva I
Era bera bonita aquella rapariga. Quan-
do te vi disfarcada- com o facto da aldeia,
na tarde era que .partiste, afigurou-se-me
que te parecas com ella. O marido tinhi
ar meigo e triste. Tudo se conspirava
contra elles, excepto o meu coraco, que
me repeta: esto innocentes.
O marido est na grilheta, a muiher pre-
sa : ambos separados um do outro para
sempre I
Eu nao vou para a grilheta, Julia. Ha
momentos em que me sinto com (oreas de
detar por tena dez homens. Ser febre ?
Nao creio que seja febre,..
.... Veio ojuz, acompaabado do escri-
vo. com esta a sexta vez. Desconfo
de Luiz, porque o Sr. Roland vio-me tinta
nos dedos e sorrio,
anda novo. O estudo tam-Jhe caaeade
a vista e desbotado aa faaes. casado haj
cinco annos, e ha qualrq^ue pai. N'mj
das vezes, ao entrar, perguntou-lhe o gjuar-t
da pela senhora, e vi pelo modo parque
respondeu que a estimava.
Era quera tioha a palavra quando foi dos;
Oranges. Naquelle lempo era apenas ad-"
vogado do ministerio publico. Vaticinavam
que iria longe, e aquelle pjiocesso fez-IBe
Nao ha attribuico mais importante dos
representantes do poto do qae ha de zelar
o bom emprego dos dinbeiros pblicos, e
nio oasentir que se-exagerem os sacrinVt
cioa pecuniarios que exigem os difierente*
ramos do servigo do Estado. E' ella tanto
mais importante, porque as sociedades mo-
dernas a riqaexa a lonto donde derivam a
forca, o poder e a felicidaflo dos povos; e
para auxiliar o augmento da riqueza muito
pode concorrer a boa admnistraco da for-
tf aa publica, assim como a m admmstra-
clo della pode produzirlo resultado con-
trario.
As circunstancias fiaauceiras do fcrasil
sao era verdades grates, mis nao creio.
como pareceu me ouvir ao honrado membro,
que sejam desesperadas; nao. As forpas
productivas de um paz novo como o nosso,
a fertilidade e a extenso de seu solo, se
forem devidamente dirigidas eaproveitadas,
podem dentro de alguns annos livrar nos
das dfffictrtdades em que nos achamos ac-
tualmente. (Apoiados.) Temos de acudir a
pesados encaros, temos de fazer sacrificios,
verdade, mas nao desespero, porque
creio, que as podemos vencer T,om resgna-
lo, com drscrico e com zeloza direceo
dos negocios pblicos.
Pareceu ao honrado membro que a quantta
pedida pelo meu honrado collega ministro
da guerra insuficiente para as despezas
da guerra nos seis me es para que foi cal-
culada. A qoautia pedida pe Sr. ministro
da guerra pouo> mais ou menos metade
da despeza extraordinaria feita uo ultimo
exercicio; nao a pedio pira um anuo, mas
par os primeirus s.'is'mezes do exercicio
seguinte, porque temos #8 c necessario
que a guerra termine dentro deste prazo.
(Apoiados. muito bem).
No projecto que se uiseute de ve sercon-
tcniplauo tambem o oreflito extraordinario
para as des pasas da <, marraba no mesmo
periodo. Creio que, por nao term lia mais
lempo chegido os documentos em que se
deve fundar a sua proposta, nao foi ella
anda apresentadafielo Sr. ministro daquella
repartico, mas dentro de poucos dias, tai-
vez amanha.o. faca elle, e neste caso es-
pero que a Ilustre commiso de fazenda
ter a bondade de incluir no crdito que
abrir ao governo mais a quantia necessaria
para as despezas extraordinarias da ma-
pnba,
Nao se trata agora de discutir o orcamen-
to : neste caso entenderia eu que a dis-
cusso devera ser muito minuciosa; trata-se
smente de dar ao governo, meios para con-
tinuar a fazer legalmenh as despez s de
julho em diante, sem que seja para isto
toreado a obrar em desaccordo com as leis
do Estado. A cmara far sem duvida um
acto patriot co concorredo para isso (apoia-
dos), acto que o governo Ihe pede muito
instantemente, porque nao deseja que haja
o menor pretexto para que o aecusem de
exercer dictadura. (Apoiado; muito bem).
E por fallar em dictadura, Sr. presidente,
quaes sao os fados por que nos aecusam
de ha v-la praticado?
Sao os de se terem feito algumas npera-
ees de crdito e principalmente o de se
autorisar o thesouro para emittir at a
quantia de 40:000*000 de papel-moeda;
recurso que sem duvida condemno, cora
contrario aos principios da sciencia, e alta-
mente prejudicial ao desenvolvimento da
riqueza e prosperidade das naces (Apoia
dos)
Mas que remedio tinha o governo as
circumstancias em que o fez ? Era forco-
so ou declarar o thesouro fallido, nao pa-
gar aos seus credores, dissolver o exercito.
ou recorrer a esse iumo extraordinario.
Creio que nao ha brasileiro nenhum, em
ujo coraco palpite o sentimento da honra
nacional, que nao condemnasse altamente o
governo se tivesse outro proeedimento.
(Apoiados; muito bem.)
F-lo sob sua responsabildade e disposto
a soffrer as consequencias della ; mas te-
nho convieco de que prestamos um serv-
Co ao paiz tomando sobre nos essa respon-
sabildade. (Apoiados; muito bem.)
Peco a cmara dos Srs. deputados que
quanto antes trate desta questo, decida
em sabedora se o governo merece ou
nao a sua approvaco quanto a este
acto
Vozes]:Merece.
O Sp.p*RKsiDF..\rEi)0 conselho:... desejo
que o bell de indemnidade que obtivermos
aqu, seja discutido no senado ; que passe
como le, e nao como simples decso de
urna das cmaras. Nao me parece regu-
lar que um acto desta natureza seja nica-
mente approvado por um dos ramos do po-
der legislativo: preciso que a naco o
sanecione, e nao pode dizer-se que a naco
o saneciona sem que todos os seus repre-
sentantes tomem parte na .discusso. (Nu-
merosos apoiados.)
O Sr. Casado : E obra diversamente
quem exerce dictadura.
O Sit. Presidente do Coxsezho : Mas
dizia eu, ao su trata de discutir o orca-
mento : se o disculissemos eu desejaria
qoe se estabelecesse m debate largo ;
trata-se apenas de dar ao governo meios
para manter-se no dominio da lei. Ora,
estaos em mais de meiado de maio, falta-
nos pouco mais de um mez, e o projecto
tem anda de ser descutido no senado; por-
tante a cmara ha de relevar-me que nao
me oceupe com questes que nao sao pro-
priamenle da occasio.
Ha, domis, outra razo. Ernquanto as
cmaras legislativas nao estavam reunidas,
julgava-so o govejno obrigado pelas cir-
cumstancias extraordinarias a fazer opera-
Ces de crdito sem lei qae as autorisas-se:
sujeitava-se lei da necessidade. Reuni-
das, porm, as jamaras, entendo que nao
devo, nem posso lancar mo de meios idn-
ticos, sem o consentimento dellas. (Muito
bem).
Uaa voz : hto que liberalis-
mo.
OSr. Presidente do Consei.ho: Sendo
assim, claro que as despezas extraordina-
rias e para fhe o thesouro nao esteja ha-
bilitado eom fundos sulTicientes, que tive-
rem lagar daqui at o fim de junho, nao
poderei eu satisfaz-la seno com novas
emisses de papel-moeda. E como nao de-
sejo, e parece-me altamente prejudicial esta
alternativa, poco cmara que me habilite
para evita-la quanto fr possivel.
Curapre, pois, ainda por este motivo, que
o pMijocto que se est discundo, seja quan-
to antes volado, visto como assim ficar o
govorno aut risado lo s para supprimir o
dficit de caixa que se reconhece existir no
exercicio corrente, mas ainda o que se ve-
rificar que ha de existir no primeiro somos
tro 1869 a 1870; e acamara sabe que,
ainda que o governo pudesse servir-se por
antecipacao dos recursos ordinarios do dito
exercicio para satisfazer s despezas ex-
traordinarias que devem ter lugar durante
%sse semestre, arada assim estara inhabili-
tado de faz-lo,-porque seria praticamente
impossivel que pudesse arrecadar os im-
postos correspondentes ao anno inteiro du-
rante os priraeiros mezes do exercicio. E'
ndispensavel, pois, obter recursos extraor-
dinarios, e para isso, torno a diz-lo, nao
me julgo autorisado. E' preciso que a lei
me habilite a faz-lo. (Muito bem.)
O SR. ALENCAR ARARIPE:Sr. presi-
dente, acabo de ouvir a expresso de pa-
triticos sentimentos, que sero por certo
agradaves a esta augusta cmara, e que
eu applaudo. O nobre ministro da fazenda
chefe do gabinete, declara que pede ao
parlamento um bil de indemnidade em
consequencia do decreto imperial, que au-
tonsou a emisso de 40,000 contos de
papel-moeda, e do qual o nobre ministro
fez limitado uso. Elle quer o bil de in-
demnidade, nao por va de simples decla-
rarlo de um dos ramos do poder legisla-
tivo, mas sim por meo de urna proposico
votada por ambas as cmaras, para que
assim mais solemnemente se manifest a
vonlade nacional. Generoso e digno de sin
cero encomio este proeedimento do mi-
nisterio, que, deseja viver sob o dominio
do rgimen constitucional.
E' a primeira vez queum gabinete, ani-
mado de sentimentos to amptamente pa-
triticos, apresenta-se com a dignidade
propria de ministros que nao receiam a
discusso e exame de seus actos, mas que
antes o exigm com a consciencia de haver
bem comprido o seu encargo. Tem succe-
dido por vezes que alguns ministros, leva-
dos por circumstancias mais ou menos mo-
mentosas, lenham arrogado a si poderes
discricionarios e venham depois a esta c-
mara denunciar o arbitrario proeedimento
consegrando apenas ou o silencio ou in-
directa approvaco.
Mas o nobre ministro da fazenda rao se
limitou a noticiar-nos o que havia feito sob
a forca de ponderosissimas circumstancias:
elle sabe ser ministro constitucional, e quer
a verdade das nossas instituiges; por isso,
no desempenho da sua alta misso vem
trazer a esta augusta cmara um grande
e fecundo exemplo de respeito s formas
constiluconaes, consagrando o principio da
inviolabilidade das leis, e as regalas da
representaco nacional.
Quando, Sr. presidente, acabamos de
passar por um periodo cheio de arbitrio,
em que se consummavara violencias com
desprezo das leis, e sem decoro sobera-
na nacional, nao certamente para admi-
rar que hoje eu applauda o modo porque
so apreseota o Ilustre chefe do gabinete de
16 de julho, com symptoma de memores
dias. Golpes repetidos as leis constitu-
cionaes do paz parecam j ha ve-las com-
balido e totalmente destruido ; a sua effi-
cacia j se nao fazia sentir, e um constante
imperio do arbitrio como que se estabelecia
pela pratica permanente e diuturno uso.
Agora, porem, nova ordem de ideas enceta
o actual governo, e novos hbitos de res-
peito s leis se vo firmar. E' justo que
nao fjquem sem o noiso benvolo aco-
raento as generosas e louvaveis disposicocs
do gabiNete, agora enunciadas.
Forcado pela indeclinavel necessidade
das circumstancias, e circumstancias creadas
pelo precedente ministerio, o ministerio
actual usou de um arbitrio que nio poda
dispensar para acautelar interesse publico
da m-.-s sabida magnitude; e longe de
deixar sob as sombras do silencio o seu
proeedimento para desafiar (apenas a tole-
rancia pela consagraco do facto em ama
simples .verba do orcamento, o nobre chefe
do gabinete vera francamente declarar que
deseja e pede analyse minuciosa do sea
acto para merecer a approvaco do parla-
mento por via de urna proposico ampia-
mente discutida e sinceramente votada em
ambas as cmaras legislativas. O nobre
ministro, seguindo a pratica de oalros
lempos, podra evitar o senado, onde os
potentes adversarios do governo se dispoem
a combater; mas o nobre ministro quer o
combate, no qual ha de ser viotorioso,
mostrando-se cada vez mais digno das
nossas bomenagens por seus novos e im-
portantes servicos ao paiz.
Nao pois, Sr. presidente, a um governo
que assim procede que pode caber a ar-
guCo de dictadora, com que o snppe aea-
brunhar essa opposico que se ergue desa-
brida na imprensa, as reunies populares
e no senado. E' satisfactorio e esperan-
coso para a naeo o novo theor de proceder
iniciado pelo ministerio, e estou conveicido
que a cmara e o paiz unsonos o applau-
diro, e que o lili de indemnidade ser
concedido a cidados que tem a consaiencia
de haver cumprido um grande e orgen-
tissimo dever.
O nobre ministro da/azenda, osando com
restricta parcimonia da emisso do papel-
moeda, autorisada pelo decreto de 5 de
agosto ultimo, realisou urna providencia
que as circumstancias nao dispensaran a
nenhum governo; e essi acto, se 'dicta-
torial, nasceu de factos dos ministerios pre-
cedentes, e proveio dos erros desses mesmos
homens, que hoje aecusam nesse dec/eto o
resultado immediato da sua propria obra.
Ess -s homens, autores da guerra do Prata
e do subsequento desequilibrio das nossas
financas, nao podem sem notoria inquidade
articular palavras de aecusaco conlra os
seus successores; elles calar-se-hiam se
quizessem proceder com aquella justica,
que deve observar urna opposico sincera e
devotada s conveniencias publicas.
Se a opposico ergue escarceos contra a
providencia da emisso do papel-moeda na
diflicil posico em que se achou o nobre mi-
nistro de fazenda ao comecar a sua ardua
tarefa de rever as nossas desconcertadas
financas, a cmara e o piz s vm nesse
acto motivos de louvor; e bem pelo con-
traro condemnariam a abstenco do esta-
dista que ante a penuria do thesouro na-
cional, recuasse tmido e fraco, vendo pre-
judicados assumptos imprescindiveis pela
cessaco de supprimento para as despezas
ordinarias do Estado c para os gastos ex-
traordidarios da guerra. Se o nobre mi-
nistro da fazenda nao hoavesse satisfeilo a
espectativa publica, abrigando-nos de ama
catas ropbe, seria comparavel ao nauta que
visse a nao de encontr aos cachopos e nao
lancasse mo do leme para a desviar e sal-
var do naufragio.
Na diflicil situaco em que nos adramos
sao animadoras as palavras que acaba de
proferir o nobre ministro da fazenda em
relaco ao estado financerro do paiz, a
quera muito promeltem as suas forcas de
produeco. A proficiencia do nobre minis-
tro, e a conlianca com que o paiz o distin-
gue do a essas polavras ahetoridade bas-
tante para desvanecer o quadro negro que
os mimigos da grandeza nacional figuram
e afeiam por mera malevolencia de antago-
nismo poltico. Satisfizeram-me as pro-
raettedoras esperances deque nao nos des-
penhamos em prximo e inevitavel pricipi-
cio: a Providencia que, sempre nos ha
guiado em passos dificultosos, mais orna
vez nos favorecer, iluminando a esses ci-
dados, que. em sua extrema dediceco
causa do Rrasil, nao duvidaram acceitar o
encargo de livrar-nos de acumulados ma-
les que outros crearam e nao souberam re-
mediar.
as palavras que acabo de proferir ex-
primo um sentimento de veneraco pelo
carcter egregio e nobltado do chefe do
gabinete, e urna aspraco do bem, que es-
pero do patritico ministerio de 16 de ju-
lho.
(Qontinuar-se-ha.)
tramos na mata. Ueaabras-te daqueltes dous honra. K todava ha om Afgeica urna fera
" que se gaba de.ter mqrto o vqjio.
.affiv|fl, a tenho-o pof bqpujoso. En-
)s maiores esforoo para* aaber. maa
para saber que sou culpado. A sua con-
vieefio est aasente ; a6 prcara*)rtalece-la
com um maior numero de pro vas.
Cumpre xeligiosaraeQte a sua missJo, e
eu ia jurar que na sua consciencia s existe
pura (Jedicaco ao seu dever. preciso
um chipado ; o culpado sou eu : e disto
nao sahimos quando vou perguntas.
As minhas negativas sao ama questo de
forma. Acceita-as como a deixa do pape
que tlevo representar forcosamente, como
forcsamente tem elle de representar o
seu.
ftasso dizer-te isto, Julia, porque to cedo
nao leras esta carta. Quando tu a leres
tudo estar j concluido. Posso dizer-te
que a tua ausencia aggrava mais a miuha
situaco. Logo as primeiras perguntas
aflirmei que obliteras passagem a bordo de
um navio costeiro, no porto de Langrune,
e que as caminho de Jersey. No pensar
deHes, levas tu os quatrocentos mil francos.
E, como pensariam de modo diverso ? Sou
culpado.
E todava o Sr. Roland tem urna esposa
quera adora.
, porm, um bomem honrado; e dever
um homem -de'bem, ao apreciar o proce-
difteflto de um criminoso, dobrar o peusa-
ment propria consciencia ? evidente
que nao. Spu culpado*; toda a minha con-
ducta a e um culpado. Urna vez isto
admitido, mudam as cousas de nome. A
I"femde om cavallo una egua. A mu-
Iber de em disgracado comoeu^ urna Cm-
plice.
Entre mim e o meu juiz nao tem aques-
tla progredid desd o primeiro da. As
wtWfi .respostas nao o tem esclarecido,
mas fira culpado, calpad sou. O nico meo
de aminorar a minha situaco fazer urna
lurafiaegeaneara. Nao Ihe restam duvdas.
Os a aforeos consistem em tomar elaro
par os outros o que para elle e manifoslp
Quando o largo, posso allirmar do fun-
do do coraco qoe nao sinto rancor nem
colera. Esto bomem, mais intelligente do
que eu, to instruido quanto eu tenho d
ignorante, de urna probidade austera, sem
outras paixes que rio sejam orna legitima
ambico, nao tem vonlade de prejudicar-me.
A idea de poder cansar-me algum damno.
tora do cumprimento do seu dever, estou
certo que o horrorisava. urna roda, gira
no sentido normal do seu moVimento.
urna hora chega o meu advogado; outra
roda que ha do airar em sentido opposto.
Perguntou-me *oje o Sr. Roland se eu
tinha razes de queixa do Luiz, ou alguma
coasa que dizer d comida. Quer que passe
bem.
Passb bem, passo: porque nenhuma das
celas da priso para ti* minha lilha ; passo
bem porque me dste nmngrande prova de
amizade, conservando a tu lberdade; passo
bem, passo, nao i me quaixo ; equem sabe
se na sala,do tribunal, ondeos heido ver
assentadd%por baixo do crucifixo, se nao
far a taz ?...
.... Jautei, trouxeram-me vinho. A tMti-
ma vez quabebi vinho, ramos dous para
o mesmo copo. Has de lembrar-te por
muito lempo daquella hora, esposa da mi-
aba alma ; de mim sai euque me hei de
lembrar della eternamente. Choras ? Te-
nho medo das las lagrimas. Gostava tanto
de te dar ao'manos a consolaco da leres
carias minhas. Bstou conlentissimo esta
noute, porque aohei maro de te fazer che-
gar nobcias do menino. Vou dormir %qi
cegado.
Queror porm, eatoa ^0 pmv doitar. anee
lar ao menos a /miaaa narrativa. Os dias
ao gwuj4es, ftaiVAeara-auKka m pUoicie
as grimpas dos chopos. At agora tenho
fallado das cooaas que sao maito superio-
res ao meu alcance. Por urna triste excep-
Co que a lei despe laca.Jdefende ella a so-
ciedade inteira. Ha egosmo as minhas
queixas.
Eu te cont. Nao poderei dizer tudo o
que o meu coracSo senta quando le dei-
xei. Rerei-me entre jbilos. Primeiro
que nada, aquelle passageiro da almofada,
quo tinha o mesmo nome que o nosso com
raissario de polica. Fquei por um mo-
mento espavord.o Lembrou-me depois
aquelle rapaz paludo e magro, que fra na
vespera loja perguntar pelo Sr. Schwartz.
De tempos a lempos ebegam da Ateacia
destas creaturas, que vo depois correr
outras trras em busca da* fortuna. Aquel-
le retirava-se como os outros.
Que excellenle cavallo nao- era o Black !
Levou-me em meia hora casa da ama
Magdalena. Disse-lhe apenas qae o menino
anda va adoentado pelo mo ar de Caen, e
que era preciso que fosse busca-lo- To-
mou o teu lugar no tilbury sem.pedir outra
explicacao. Com esta nao leus tuque re-
ceiar ; quasi 'to- mi da creanca como
tu.
Black galopoa de aovo, a a boa da mu-
iher poz-se a dar lingua. Nao estava com
cabeca para Ihe dar as explicaces que
eHa quera. Apenas ihe disse que *'e-
nino talvez tresse de ft:'ar por marta *eypo
em casa della.
Sempre, .sa elle quinerafm a reajusta
que me deu.





*


(GuntiHU*r-**kci)
T1T. IM> WIAWO-rItliA
1.
I
> i
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMB47ZELV_23VJ1J INGEST_TIME 2013-09-13T23:18:19Z PACKAGE AA00011611_11863
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES