Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11861


This item is only available as the following downloads:


Full Text


ANUO XLV. NUMERO 129.

'
Hto 1 taPITH, I HGIS OVDl liiO a PACA POMI.
Porlresmexesadantados...............
i>nr m d*os dem. ,
V va nao dem. .
Cada numero avulso .
-
WQOO
.
I 4 .
QUARTA FEIRA 9 DE JUNH DE 1869.
PARA DETHO E FORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados. ; .............
Por Mis ditos idem...... i ............
Por novT ditos idem...................
9mm
730
i3r^
271000




it.....

Propriedade e Manoe!
de Fara & Filhos.


.

-
_


,i
.4*
**. Qmrfio Antonto jUYff.fr FIJhoB, I>oJfoj .jfaqfrft* Pinto, m ll^wbfe; Joaqun Jos de Ofcvaira, no &*$**** de tatto Braga, rio.*fr; Joao Mara JUIo Chaves, noAito; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pedir tTAImeitr*, era Matongaa]*;)' A(io Alejandrino de Lima, na Parabvha; Antonio Jos <**#-* Villa da Peoia; Belamno dos Santos Bnlcao, em Santo Anuo; Domingos Jos da Costa Brasa JWJ05raro
em Nazarlh; fmeino Tavaresda Osla, em A/agptas; Dr. Jos Mim Alves, na Babia; e Jos Mbwro Gasparinbo, no Ri de Janeiro.
--------------;___________________-------------i---------1' '. u. .. .. -_____________.. _________
PARTE ornciAL
4Nh gectos
gelrca.
rvran
A? relie* diplomtica*, qne o Sr. general
Webb, ministro d>>s Eslados-Unidos, haviadeala-
ado suspensas, estao felizmente rostabulecidas
memnle o* bons oftleioS do sr. George Buckley
Miffcw, ministro de Sna Magestade hrttnmca.
tognam-se as nota." trocadas entre os referidos
eaaores e o ministerio dos negocios' eatrangeire*.
aflutilBiio dos negocios estrangeiros.Rio de
Ja*a%, N de abril > ftK
hahirro asaignado, do eunsemo de 8. M. o Im-
erader, anoisiro a secretario dos negocios da ma-
ana, e interinamente do negocios estrangeiros,
reve- honra de" receber a not que em .lata de 3 i
Jo'm* prwtiino passata dirigio-lhe o Sr. genera)
Janjto WatsBB Webb, enviado extraordinario e mi-
Qujfo plenipotenciario dos Estados-Unidos da Ame-
rica;
Tratando da reclamacao relativa ao navio Cana-
J; tropae o 8r. general ara ajaste, rajas condi-
:os naranera-me aceitaros, e mamfesu o desejo
de conclui-lo antes de dar por liada a misaio que
fiip doseiQMBaadu nesta corte.
O'amdko assignado u*> Se teria demorado em
responder i referida nota, se nao Ihe osse noce--
ar iatoirar-M de todos os pormenores da
[uestao.
Assim explicada a demora da presente respos-
< i, caare > tortxo assiguado dtter ao Sr. gene-
ral Webb que, as circamstaneias sw une se acha
ste negocio, nao pode x> governo imperial aceitar
O aballo assignadoaproveita esta opportuoida-
de para reiterar ao Sr. James Watson Webb as
expresses de soa alt rrmsite'raeSe. purftrt *
Cotegipe.Ao 3r.'general Mines 'Watson Web*'.
Legacao de Sua Magestade, ero 28 de flfiaio de 1869.
Sr. ministroOs honrosos sentimentos, mani-
festados por V. Exc. hontem a nute, em resposta
a algumas reflexftes e sugfeslfies por mim felfas,
coinciden! por tal forma com o que previamente
verifiquei seren nutrido pelo general Webb, que
$ou induzido a esperar que o actual offerecimento
dos meus servicos para promover a amigavel so-'
lucio das difOculdades infelizmente sobrevindas
nao ser menor aceitvel para o governo impe-
Tial do que para o ministro dos Estados-Unidos,
Como tenho o prizer de acreditar.
Nesta crenga, terel honra de procurar a V.
Ixc hoje de manhaa, e cOm prazer me aproveito
da opportunidade para renovar a V. Exc. as
seguranzas de minha alt considerarao e es-
tima.
A S. Exc. o Sr. barao de Grtegipe.George Bu-
de le y Matkew.
legacao hritannica.Em 2* de raaio de 1869.
Os bons offlcios que o Sr. (ieorge Buckley Ma-
tbew, enviado extraordinario e ministro plenipo-
tenciario de S. M. Bhtnnica, offereceu ao gover-
no imperial por sua nota de 25 do correte Uve-
rara o feliz resoltado que me*mo senhor desejava
e para o qnal empregou todos os esforcos.
Estao restbelecidas, de modo honroso para am-
bas as partes, as retaedes diplomticas que o Sr.
general Webb, ministro dos Estados-Unidos, havia'
declarado suspensas.
Aquelle general acredito como dncarregado de
cnsul Sr. James Monroe e
negocios interino ao
a proposta que agora llw' feita de ordem do go- remetteu-nie a carta do presidente dos Estados-
verno dos Estados-Unidos.
O abaixo assignado nutre a esperanza de que
Sr. general Webb nao ver ueste acto urna dispo-
ici contraria aos sentimentos amigave do go-
verno imperial, e aproveita a opportunidf de para
reilerar-lhe as segurancas de ua alta considera-
rao.-Baro de Cotegipe.
Ao Sr. general James Watson Webb, enviado
-xtraordinario c ministro plenipotenciario dos Es-
lados-Unidos da America.
Legacao dos Estados Unidos.Rio de Janeiro,
23 de wait de 1869. .
O abaixo asaignado, enviado extraordinario t
LHiuislro DleDipottncferio dos Estados-Unidos, tera
i honra de aecusar o recebimento de urna nota de
S. Exc. o Sr. Harao de Gotf gipe, do conselho de S.
M. o Imperador, ministro e secretario de estado
los negocios da marinha, encarregado interina-
mente do ministerio dos negocios estran^eiros, em
resposta i do abaixo assignado de 31 de marco,
propondo um ajuste no caso do navio Canad.
Nessa nota S. Exc, depois de considerar devi-
lamnte o ajaste que o abaixo assignado offere-
ceu de ordem do honrado William Seward, secre-
tario de estado dos Estados-Unidos, e segundo suas
insistile* do 23 de Janeiro ultimo, annuncia que
> governo imperial nao pode aceitar a proposta que
Ihe t agora feit de ordem do governo dos Es
lados-Onraos.
O abaixo assignado recebe coin pezar esta de-
eisia atas ao mesmo tempo nao duvida do espirito
amigavel que a dictou ; e aproveita se da oppor-
tanidade que se offerece para apresentar S. Exc.
i seguranca de sua distinct con-nleraro.
A S. Etc. o Sr. Barao de Cotegipe, ao conselho
de S. M. o Imperador, ininistr e secretario de es-
tado dos negocios da marinlia, e encarregado in-
terinaiueoto do ministerio dos negoci os estrangei-
ros.James Watson Webb.
Legacao dos Estados-Unidos.Rio de Janeiro,
23 de niaio de 1869.
t) abaixo assignado, enviada extraordinario e
ninistro plenipotdnciario dos Estados Unidos, tem
a honra de informar S. Exc. o Sr. Barao de Co-
tegipe, do conselho de S. M. o Imperador, ministro
i secretario de estado dos negocios da marinna e
encarregado dos negocios estrangeiros, de que elle
parte para Nova-York, s 3 horas da tarde de bo-
je, no vapor Merrimac, acompanhado de sea se-
cretario de legacao, o honrado William V. V. Lid-
L-ervod, e sent em extremo que circumstancias
fndependenies de sua vohtde tofnem-lhe impossi-
vel pedir urna audiencia S. M. Imperial para
ilespedir-se, e depor as soas maos o autographo
junto de urna carta de S. Exc. o presidate dos
Estados-Unidos a D. Pedro II, Imperador constitu-
cional e defensor perpetuo do Brasil, autorisando
o abaixo assignado a retirar-se de sua missao nes-
ta cSHc.
Piivado do prazer deexpressar Sua Magestade
emoessa a admiraco que o abaixo assignado
sent pelo seu carcter, aproveita-se desla occa-
siao para manifestar familia imperial do Brasil
o seu grande apreco pela sua piulan'ropia e pelas
suas virtudes publicas e particulares, bem como
os seus sinceros votos pela sua prosperidade e do"
povo do Brasil. Dcus Ins conceda a pai dentro e
alm dos limites de seu immenso imperio.
O abaixo assignado dirige S. Exc. o Sr. Barao
le Cotegipe a renovada expressao de sua distincta
consideracao.James Watson Webb.
A' S. Exc. o Sr. Barao de Cotegipe, do conselho
lo S. M. o Imperador, ministro e secretario de es-
tado dis neg.cios da marinha e encarregado dos
negocios estrangeiros.
LegacHo dos Estados-Unidos.Rio de Janeiro, 26
le maio de 1869.
O abaixo assignado, enviado extraordinario e
ministro plenipotenciario dos Estados-Unidos, tem
a honra de informar a S. Exc. o Sr. Bario de Co-
tegipe, do coBMlho de S. M. Imperial, ministro e
secretarlo de estado da marinha, encarregado da
repartidlo dos negocios estrangeiros que, em data
de hpje, notneou ao honrado wmes Monroe, rcm-
-ul dos Estados-Undoe neste porto, para servir dd
encarregado dos negocios' dos Etlaofll*w v
que soja exonerado em-consequencia da chegada
do successor do abaixo assigoado, ou por disposi-
cao do governo de Washington.
O abaixo assignado sent em iranio achar-se
i mpossibiliudo de apresentar m pessoa ao Sr.
Monroe, e re?peiu*amente pede que se Ihe preste
a devida conidercao, aprovellado a oppottaoi-
dade para ass^orar a S: Bxt o -Sri Bar de Co-
tegipe sua distincta cousiderapu ,
Ao Sr. Barao de Cotegipe, do conselho de S. M.
imperial, ministro e secretario de- catato dos ne-
8ocios da marinha, encarregado da repartieio
os negocios estrangeiros. Jtmw Wat** Wtbb.
Unidos que punha termo sua missao, carta que
elle, por motivos alheios sua vontade, nao pode
entregar pessoalmente 1S..M.0 Imperador.
O governo imperial nao desejava romper suas
relacoes com o dos Estados-Unidos e nao as tinha
rompido.
Sent, pois, a manir satisfacao ao ver terminado,
sem quebra de sua dgndade. um incidente desa-
gradavel, que elle era o primeiro a deplorar.
Ao Sr. Mathew, por cuja iniciativa e diligencia
chegou-se feliz resolurao daqueile incidente, of-
fere^o de ordem de S. M. o Imperador a expres-
sao sincera do agradecimento de que o governo
imperial se acha possuido.
Tenho a honra de reiterar ao Sr. Mathew a
seguranzas de minha alta consideracao.Batdi
it Cotegipe.
Ao Sr. George Buckley Mathew.
Ministerio da Mariana.
Rio de Janeiro.Ministerio dos negocios estraa
geiros, 26 de maio de 1869.
O abaixo assigaado, do conaelhode S. M. o Im-
perador, ministro e secretariadefettadodos nea*-
cios da marinha e inienmmeeSedoi oaaHcins es-
trangeiros, recebeo as notas qn*, na '
fez-1 he a. asara de dri
Watse^rWeB%',, eftvfdo.
plenipotenciorio dos
A carta revocatoria
urna de suas referidas notas
sua *** naU'eotte, ser'
Imperasr fl** o afcarxo
senteo'mlv#aw impedem ao
egaJnMMHtl>ree3ri ebrtMftt satfsfa
ci, na qualidade de encarregado de negocios in-
terino, ao contal dos BttmwtftHf&'~
Monroft
1 '.ominando em chefe da forca naval do Brasil
em operacoes contra o governo do Paraguay.
Bordo do vapor Piinceza, ena Assumpgo, 30 de
abril de 1869.
lllu- e Exm. Sr.Consta por carta particular
do commandante do vapor Taquary que este na-
vio perdeu o leme na occasiao de pastar, o- Salto
de Santa Mara, no dia 21, tendo todava podido
regressar ao ancoradouro de Tranquera do l.oie-
to, onde fundeou.
Ao coinniandante da 2" divisao ordenei que ft-
zesse esse navio descer para Cerrito, afim de
collocar-sc-me novo lem.
Aquelle incidente nao interrompeu a expedicao,
pois, sera novidade suliiram o Salto as canhonei-
ras Henrique Das e Greenhalg e a lancha a va-
por Pimentel, indo na pnmeira o capitao-tenente
Cauto, e l flearam tres navios para fazer a pas-
sagem das foreas ao mando do general Portinho.
A 24 desceu para o Cernto, anin de estacionar
as Tres Boceas, o encouratjado Mariz e Baos,
sendo rendido em Angostura pelo Cabra!, que
acha-se com os principaes concertos concluidos.
A 23 chegou de Corumb o aviso Fernandas
Vieira, tendo l deixado a correspondencia que
levara. Nao trouxe noticia alguma importante.
A 26 veio a Assumpcao o vapor Voluntario, com
o offlcio do capito d fragata Goncalves, com-
mandante da flotilha no Manduvir, que vai an-
nexo por copia, e subi nesse mesmo dia com to-
do quanto era necessario aos monitores.
De combinacao com Sua Alteza o ^ Sr. conde
d'Eu, teve comeco nesse dia a deaolicjio das for-
tificares de Assumpcao, sendo empregadas nesse
servijo as pracas do batalhio naval, destacadas
do arsenal e hospital de marinha. Para coadjuvar
esse servico offereceu S. Exc. o Sr. general orien-
tal Castro 400 pracas de seu commando, mas at
hoje anda nao se presentram.
A 28 de-cea para Assumpe.o a canhoneira Bel-
monte, afim de receber maninnentos e combusti-
vel, sendo para isso substituida na bocea do Man-
duvir pelo aviso Felippe Camnrao.
Ordenando ao commandante do eneonracado
Mariz e Barros que antes de deixar Angostura,
mandasse explorar o riacho denominado Cauab
ou Piquisiry, junto envi, per copia, a exposicao
del le apresentada pelo referido commandante.
Nao tendo distinctivo os vapores Alpha e Anto-
nio Jto e lancha a vapor Pinza, desgnci-lhes
os de nmeros 58, 39 e 69 d3 noaso regiment de
signaos.
Contino a remetterpara a corte muniQoes de
aru'fharia raiada, por haver em grande quantida-
de na esqnsdra, e bem assim pec,as de machinas 1
diversos objectos encontrados no arsenal de As
sumpeao.
E" quanto por esta occasiio se me offerece com
municar a V. Exc, a quem mais nma vez reiteTo
as homenagens de minna mais elevada considera-
cao e respeito.
Deus guarde a V. ExcA S. Exc o Sr". sena-
dor do imperio barao de Cotegipe, ministro e se-
cretario de estado dos neg -ios da marinha.Eli-
ario Antonio do Santos, cliefe da esquadra.
Bordo da corveta encouracada Mariz t Barras,
L,surta no porto de Angostura. 23 de abril de 1869.
Illm.. Sr.Tenho a honra do apresentar a V. S.
o incluso esboco que o de ordem de Exc. o Sr.
almirante o tracou o Sr. guarda-marinha Manoel
Das Carduzo, sobre a exploracao feita no denomi-
nado riacho Piquisiry.
Hoje pela manbaa fui pessoalnieutt. verificar
.essa exploracao, n'uma chalana extreiiaiawite pe-
quena, de duas ps somente, e reconheci,o^f un-
prupriamente ^e classifira de riacho esse vallado,
ou sargeta, sobre a qual apoiava o inimigo a sua
liona de lortiOcacoes da banda inferior de Angos-
tura. .
Esse mesmo vallado ou fosso notavel, aclia-se
litteralmente obstruido por cruzamivato de aryo-
res e truncos grossos, nesse intuito derrubados,
a ponto de, nao conseguir essa, diminuta chalapa
perfazer o trajecto total sem encontrar de minuto
em mlritto um custoso obstculo a vencer.
No estado, pois, em que se acha esse pequeo
regato, na circumstncia favoravel da extraordi-
cretooaai qha oiirs^fao/^alaant*
mntamrimm protaptode comnniBiea-
Man Pwvir,, ana sw aat awi diimnota
Gorenao da pra-vlncla.
DESPACHOS DA VlCK-P*BSIBtf:iV DO W\ 4 K
! DB JMIO Uii 188B-
Augusto Cesar Coasseiro de M4IU1*. VoUe aa
Sr. inspector do arsenal de marialra, para inf irtmr
quanuo e em virtodede que aulorisafio foi pr-
vido o lugar de apontdor das obras tt porto, de-
clarando se elle e nocessario ou nao.
Abaixo assgnados moradores na Ireguezia do
Limoeiro.Voite ao Sr. chefe interino d repatti-
qZo das obras publicas, para Informar circums-
tnciadaraente depois do estudo compntativo de
que trat o engenheiro.
Antonio de Barros llego. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de faxenda.
Antonio Abrahao Marinho dos Santos.Em-.iB
de maio prximo lindo thoatro de Santa Izabel a conimunicacao a que
alinde O Mippliean'e.
Antonio Maicolino dos liis.Informe o Sr. ge-
neral commandante das armas.
Antonio Estanislao de Carvalho. Dirija-se i
thesouraria provincial.
Alexandrinu Christiniano de tllivciraInfonae
o Sr inspector da thesouraria de faienda.
Augusto de S e Albuquerque.Junto o presen-
te requerimento ao anterior e mais papis,' infor-
me o Sr. inspector provincial.
Antonio Estanislao de Carvallw.Nao tem lu
gar oque requer em vista do decreto n. 2811 ,de
1* de dezembro de 1839.
Damiana Mara da Luz.Informe o Sr. com-
mandante interino do presidio de Fernando.
Damio Goncalves Pacheco.Informe o Sr. ge-
nerar commandante das armas.
Florencio Jos (lalvaoInforme o Sr. director
interino do arsenal de guerra.
Felismna Mara da Concecao.Informe o Sr.
Dr. chefe de polida.
Firmina Mara dos Santos.Informe coro ur-
gencia o Sr. coronel commandante superior da
guarda nacional deste municipio.
Irmandade de Nossa Senhora da, Boa-Viagem.
Como requer, devendo a quantia de que se tra-
ta ser empregada em obras novas, e nao para in-
demnisacao de despera ja feita.
Jos Mara Fecreira da Cunlia. Conceda-se a
permissao requerida nos termos do estylo, indo as
miudezas em caixo.
Jos Felippe de Figueredo.D-se,
Tenente Joao de Deus Siqoeira.Ao Sr. com-
mandante superior da guarda nacional de Flores,
para informar, declarando da em que o suppli-
eanle deixou de commandar o destacamento de
qe se trata.
Josepti Mana do E-pirito-Santo.Informe o
Sr. commandante interino do presidio de Fer-
nando.
Joao Donnely,Informe o Sr. chefe interino da
reparticao das obras publicas.
Joaquim Jos de Mello.Informe o Sr. Dr. di-
rector geral interino da inslruccao publica.
loaquim Jos da CostDirija-se a thesouraria
provincial.
Luiz Ignacio de Onvoka Jardim.Nao tem lu-
gar o que requer .vista da informacio.
D. Mria Clara da Assumpcao Sampayo e ou-
tros.Informe o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda.
Rita ds Cassia de Olivera Lobo, e Izidoro de
Freitas Gamboa.De julho em .dianie sero os
supplcantes altenddos, como se determina uesta
data.
^^^ .....
EXTERIOR.
taos.'
^eoao*d,>r giairtisaJ*fflcoi-
i Mavaanta^a^pgp^rodaJoiBnr esta
aHanafecer.
da Coatt i.
ds altado- i
dqKwpit
Man ob;< tstna ofioi.
.d oSa ao a ^ui,ia risos oc o>.'.
.f*4' Boenos-Atres, 22 de maio de 18*9.
Fazem-se nesta cdade grandes preparativos pa-
ra as feslas comincmoralivas da independencia da
Repblica, cujo annvcrsario a 23 do correte.
A attenco publica oceupa-se qaasi exclusivamen-
te deste assumpto.
Tem causado aqu grande abalo a Jiaixa nos
mercados da Europa, dos presos das laas, princi-
pal genero de produccao destas regiSes.
Cnegon a esta capital no da 20 o general viscon-
de do Herval, que segu para o Paraguay, afim de
tomar cont do commando do l* corpo do nosso
exercito. O governo argentino deu grandes de-
monsthicoes do apreco a esse vulto da guerra do
Paraguay, mandando postar no molhe urna guar-
da de honra, com banda de musida, que fez as
continencias militares ao nosso general ao desem-
barcar, o enviando o presidente da repblica o
seu ajudante de ordens comprimentr S. Exc. e
offerccer-lhe a sua carruagem. O Sr. conselhei-
ro Paranhos fui receber o Sr. viscotide do Herval
no molhe e acompanhou-o at a casa do Sr. barao
de Mau, onde hospedou-se o general. Alli tiveram
urna larga conferencia.
Numeroso concurso de povo assisto ao desem-
barque do nasso distincto general, e houve nm vi-
va ao bravo entre os bravos general Osario, qoe
fui correspondido com emhusiasmo. Infelizmente,
parece-me muto melindroso o estado do visconde
do Herval 0 rosto est ainda bastante inflamma-
do e a ferida contina a deitar fragmentos de osso
e de bala. A ida de S. Exc. para o exercito um
rasgo de patriotismo admravel, ejjufc, espero em
Deus, nao Ihe seja fatal.
A Rejntica de hontem publico nma corres-
pondencia de Montevideo, em que se diz que Lpez
lizera repblica Argentina proposts de paz, sob
a base do tratado da trplice allianca; que o Sr.
Sarmiento eslava decidido a tratar directa e isola-
damenle com o inimigo e que o Sr. cnselheiro
Paranhos parta brevemente para o Rio de Janeiro,
sem ter conseguido os fins da sua missao. Creio
que nada ha de exacto em taes noticias. E' mais
um dos habitaaes manejo empregados pela im-
prensa platina que nos e adversa. Isso o prova'
nm artigo editorial da mesuia folha, publicado em
seu numero de hontem, o qual, aonselhando ao
governo argentino que faja a paz com o Paraguay,
diz que o resoltado desse passo seria a deelara-
cao da repblica no Brasil, onde ha nm grande
partido republicano que s espera a concluso da
guerra para obrar. Gomo esta gente eonhece pou-
co o Brazil.
Veio-me s maos urna collecco de um periodl-
oo paraguayo, intitulado EstreUa, publicado em PK
ribebui, e que creio substituio o celebre Semana-
rio. EstSo os seas nmeros cheios de falsidnde e
insolencias sobre, o Brazil e o seu exercito. Alguns
artigos patenteam, porm os apuros em que se
acha Lopz. Entre ontras cousas achei o dtseurso
de Mac-Mahon a Lopes, poroecasiad db apresentar
as suas credencia, e a resposta oeste. O dis-
cuso do ministro norte amencano nao por eeWi
um modelo de estylo diplomtico, aen cfelf Mh
o sau goveepo approve os termos, em que ett?'^
expremio, que nao me pareceos l"
to de neutrahdade qne elle davir
ideas e estylo prefiro a resposta QS
fe a trnduc^io'desfe"
jicvrstr dtrtgido a
sidente da r<
p*sr a V. Exc a seguranca da benevofencjn c
amrsade sincera do povo e governo dos fcta-
los-1 nidos pelo governo e povo paraguayo, aw
>ar cofsegbinte tanto mais agradavel.
Os Estados-Unidos, mauteodo com fldelidade
na neutraMdade para comasnacoes com as qnues
stao em paz, nao tm o desejo de oceultar o fac-
. 9 de (pe toinam um interesse especial pelo bem
estar dos Estados deste continente, e consideram
onv profando pexar a prolongada guerra em que
stao empentados os Estados do Prala,
Espero que brevemente eumprirei o agrada-
el dever de cmigratular a V. Exc. pela restituicao
le urna paz honrosa. Seri causa de urna profun-
la satisfacao para o meu governo se os seus bons
JmVios, ojue tero sido constantemeRtc ofierecidos
s nacocs belligerants, poderem ser effieazes em
tonseguir-e mab promptamente esse feliz resul-
tado.
En concluso permitt-scme exprimir a sa-
tisfacao pessoal que sinto ao apresentr-me a Y.
Exc, cujo nomc me ha muto tempo familiar,
junlamentamenle rom a memoravel I uta que a
repblica do Paraguay tem sustentado com urna
magnanimidad? sem exemplo.
Resposta oV S. Ext. o Sr. marechal presidente.
Sr. ministro.Me grato receber o autogra-
pho com que o Exm. Sr. presidente dos Esiados-
Unidos da Amrica acredita a V. Exc como seu
ministro residente.
Vejo-mo na presenca de V. Exc neste acam-
pamenta, nao s urna prova das amigaveis relacdes
otos dous paizes, mas tambera o sympathico inters-
se que a corte de minha patria inspira ao governo
da l'no Ainerirana, cujo ministro o primeiro
das potencias amigas a quem me congratulo de
receber no meio do estrepito das armas de urna
lula j prolongada.
Se desgmeadamente essa prolangaco nao
U m sido menos enra, se os bons offlcios invoca-
dos em nome da grande repblica da America
tm sido infriietiferot, e esteris meus mais vehe-
mentes desejos por urna paz honrosa e duradoura,
a culpa pesa longe de mim.
. E folgo, Sr. ministro, de ver que urna das dis-
tinetas figuras da grande guerra por que acaba de
passar a repubhea do norte venha ser testemunha
SBsetK'ial de todo o sacrificio e verdadeiro hurois-
i com que um povo combate pela sua cxislenci.
Sou, Sr. ministro, mui sensvel expressao de
magnanimidade sem exemplo que V. Exc reco-
nhece no povo paraguayo, e hiinrosa mencao que
quiz fazer do roen nonie. >
Do Paraguay poncas sao as noticias qne tenho.
S. A. o Sr. conde d'Eu preparava o exercito para
o movimento, cuja realisa^o dejiende da chegada
de cavalliada suflkientc
Tinham chegado Assumpcao, a 13 de corren-
te, 800 cavallos. Outras remessas j eguiram rio
cima daajii, o, como j disse na minna ultima
carta, de esperar qoe por todo'este me* ou em
principios de jnnho esteja o principe habilitado a
emprehender os raovimentos que devem por termo
a esta enfadoaba companha, ou mudar o syslema
di goerra.
A expedicao do Rosario tinha arrebanhado muto
gado,.
Apezar das grandes chuvas que tem cabido l-
timamente, continuava a ser excellente o estado
sanitario do nosso exercito.
O principe pennettio que dous ofliciaes norte-
americanos fossem ao acampamento de Lpez.
Suppoe-se que levarain elles a demssao de Mac-
Mahon. At s ultimas noticias nao tinham voltdo.
Sua Alteza permittio tambera a communicao do
commandante da canhoneira ingleza Beacon com
o acampamento inimigo. Lpez nao o quiz, porm,
admillir as suas linhas, e esse olical regressou
para Assumpcao.
As tullas daqui deram a noticia, nao sei de que
parte obtda, do b:r s lo lira eneonracado bras-
eiro abordado, cima de Assumpcao, pelos para-
guayos, que forain qnasi todos morios, cahiodo
algds prisioneiros. Se o facto exacto prova-
vcl que se tvesse dado com a expedijao que lti-
mamente seguio a explorar o ro Jejut.
nfima hora.Acabo de 1er urna carta da As-
sumpcao datada de 14. Nada ha de importancia.
Voltaram os ofliciaes americanos do acampamen-
to de Lpez, sem trazerem o general Mac-Mahon.
Dizem, porm, que elle estar em Laque dentro de
peuco tempo, trazemlo rolnmosa bagagem.
MONTEVIDEO, 23 DE MAIO DE 1869.
A camarilha que por fatlidade est dominando
o timorato presidente dest repblica contina no
desenvolvimento de seu malfico plano, com o in-
tento de firmar a denominacao do partido conser-
vador, e de aniquilar as poucas fortunas que anda
resistem s crises que ltimamente tm abalado a
nossa praea.
J o disse e repito: ha em todo a queslo dos
bancos um fim poiitieo, c um fiinaMpe.culatvo. 0
flm poltico tem por paladino tenaz e perigoso o
circulo Ramrez. O ministro do governo D. Jos
Candido Bustomante, que o apoia com toda a for-
ea de sua posicao, sem percebe-lo, nao passa de
um instr ment, que ser quebrado no dia se-
grate ao do trnmpho. Entretanto, parece que o
lado florista deva cont-lo como o mais rdeme
partidario, pois (le junto do general, e gracas ao
a preco e distinecao do general logrn o Sr. Busta-
mante o elevado conceito que mereceu de seus
eoncidados para chegar ao Ingar que hoje oceu-
pa, para o*ual nao seriam sufllciente? sua mtem-
gencia e carcter digno.
Oftai especulativo agrupa em torno dos agita-
dores urna roda de estrangeiros ricos, que tem em
suas burras alguns milhares de patacoes e s es-
preitam o fatal momento da liquidacao das contas
correntos para comprarem por i a propriedade qne
vale 10, c assim se apoderarem da raaior parre dos
predios dest bella capital por um preco vil.
Ha ainda outros interesse era jogo, que desap-
parocem perante aquelk dous grandes movis de
tudo quanto tem oceorrido e vai oceorr ndo, cora
espanto dos taomens de bem, qoe vao perdondo
toda a confianca no futuro desta repblica.
Proseguindo" na narraejto que tenho fwto em
minhas cartas anteriores, dvo dizer agora que a
cmara dos representantes, nao obstante achar-se
ni. minora, com 19 merobroa presentes, nao du-
vidou atlm^BT incpnatitHeionairoente ao parecer Styi
seria fcil reafaar tendo constantemanle ne pateo
cem bayonetas dh I batalhio de caradores sob u
commando.
Julgavam, portanfo, prudente para evitar qual-
quer conflicto abstap-se de assistir as sessdes,
principalmente vendo- provada a influeacia do go-
verno contra elles na (alta de resposta aoofiicio em
caie pediam garantas.
Depois desta declaraba p general Goyo Suarez
expe que va cora senaasenlo o p^esden^? dos-
presar todos os colorados- que com elle se tinham
sacrificado na ultima campanos, e que >e ettava
anda fazendo parte do governo erisraente por
julgar sna presenca all mu bem para este paiz;
mas que, tendo acompanhado com attenco a qo es-
to actual, e achando-se convencido da verdade da
exposicao que Ihe acaba varo de faxer, elle renun-
ciara definitivamente o ministerio, se no dia se-
guate fossem destiloidos os depetds presentes,
irincipalmente com o numero insufficiente par
ormar fworaw, para tal resoloea e que elle j
sabia qoe os representantes De Mora e Dr. Vidal
nao compareceriam. Assim feito, e realisado no
da seguiotc este escandaloso acto, o general cum-
prio sua palavra.
0 presidente o tem clamado, e obeve j urna
conferencia com elle; mas o velho colorado mui
terminantemente se manfestoa neste assumpto, e
nao cessa de dizer que cora os actuaes ministros
nao continuara a fazer parte do governo
Devo prevenir que os dous representantes que
faltara na lista dos destituidos, dispostos a acom-
panha-Ios na desgraca, j le o cora esse flm pedi-
Ldo sua renuncia cmara.
Os depurados protestram com llnguagem mf de-
rada mas digna, paienteando a injusticia do acto, e
a incompetencia da cmara. O Siglo achou o pro-
testo fri, porque quera motivo para condemnar
os signatarios. Mesmo assim o governo mui re-
servadamente ordenou que os prendessem para
deport-los; porque voz geral que elles promo-
veriam a revolucao. Me parece que ser diffleil
encontra-los. 0 general Caraballo contina' em
campanha.......
O orgao dos cursistas, Libertad del Plata, falla
sem rebuco da marcha dos departamentos sobre
Pars, alludindo ao movimento da campanha sobre
a capital.
O general Batile nao v o perigo, bao observa a
torment que annuncia ha dous mezes, e que est
prestes a desabar: porque todas estas cansas
accurauladas a comprimidas tendera a fazer ex-
plosao.
Os Ramrez & C. batem palmas de satisfacao pela
ba face que Ihes apresentam os negocios, e j se
consideram serrhoros dest infeliz trra, cuja des-
fraca estao promovendo. Em um lantar que teve
ligar ha das deram vivas a Joao Carlos Gmez, e
saudaram o Sr. Muoz como prximo presidente
da repblica. E' oatra questao prenhe deperigos
que se approxmam. Estes dous personagens ara-
da se conservara em Buenos-Ayres, a ver o rumo
que toinam os negocios.
Rom dzia o general Flores, guando o chamavam
Gaticho, que quando elle fMWkAJJPCueni "' en'
tendera neste paiz, e que s btaHot, pela necessi-
dade de haver quem o govirnasse, conquistar/am o
poder sem resistencia. Nocaminho em que vamos, o
vaticinio do filustre martyr nio tardar a realsar-se,
depois de derraraamento de muto sangue de con-
servadores e floristas parsitas fataes do grande
partido colorado.
De Paraguay nao ha noticias de feitos milita-
res. S. A. o Sr. conde d'Eu segu reorganisando o
exercito, e imprimlmlo-lhe urna disciplina admra-
vel, ao mesmo tempo que nao se descuida de
nenhura ramo da administracao militar; no que
prest importantes servicos ao nosso extenuado
paiz.
Para prova de sua justa sevendade transcrevo
a seguinte ordem do da n. 8, que significativa, e
deve produzir salutares efteitos no exercito.
Sua alteza o Sr. principe marechal do exerci-
to e commandante em chere manda reprehender
ao Sr. coronel Joao Francisco Jardim, comman-
dante da 2* brigada de avallara, por consentir
que seus subordinados emprebendam exploracoes
com forjas, i em sciencia das autoridades superio-
res, e bem assim por nao haver dado parte dos
lacios occorridos em relacao a taes exploracoes,
nao chegando ao conhecimento de Sua Alteza taes
factos, senio taras, e por communicaeao extra-offl-
cial do commando da guarnicao de Assump-
cao.
Eis nestas cartas linhas a explcacao de muitos
desastres de que teem sido victimas nossos solda-
dos, por emprehenderem descuidosamente aggres-
soes mal planejadas, e peior executadas, sem
conhecimento nem consentimento dos ehefes.
Quando um exercito se acha nestas condiedes, o
principal dever de um general a inflexibilidade
na punlcao das faltas, e estimo bem ver o principe
nesta exceftente disposicio.
Satisfeito pela ordem e asseo que se not em
nosso hospital de marinha em Assumpcao, dirigido
pelo 1* cirurgiao daarmada, Dr. Joaquim da Cos-
ta Antunes, e creado pelo chefe de saiide Dr. Adrin
Chave?, S. A. determinou aos hospitaes do exerci-
to que o tomassem para modelo, e na segunda vi
sita que fez aquelle estbelecimento manifestou
sea contentamente com toda a franqueza.
Do Rosariq desceu no dia 11 o transporte Dezesseis
it Abril com eommunieacSes do coronel Bueno,
que tendo marchado sobre o Jejul, encontrouM)
completamente abandonado, pelo que a expedicao
voltou ao seu antigo posto. A esquadra concorreu
para essa expedicao, fazendo seguir dous monito-
res e duas lanehB a vapor que snbiram o rio at
cima do porto dB S. Pedro, sem que nada encon-
trassem. Apenas na volt receberatn um Para-
guayo que fez decfeiracSes igaaes s dos passados
anteriores. A exploracao do rio Jeju foi confiada
ao capitao-tenente Barbedo, commandante da
Belmonte, que para este flm passou-se para um
dos monitores. .. .
Por aqui passou o general Ozono, e ja seguio
para o Paraguay, tocando em Buenos-Ayre, onde
Fbe est preparada urna solemne ovacao pelos
Pelo paquete fraaeez Poitou, da linha de Mar-
selha, entrado honlem do Rio da Prata, recebe-
">s folhas de Buenos-Ayres at 20 e Motevi*A
2* do crrante.
, As ultimas noticias do Paraguay sao referidas
n ama carta de Loque, datada de 14, e segundo
ella tinham chegado Assumpcao 800 cavallos
para o exercito, que continuava a apromptar-se
para n.archar s cordilharas.
Dous ofliciaes norte-americanos, que tinharo
ido ao acampamento de Inopes levar despachos do
seu governo para o general ac-Mahon, nao ha-
viain voltdo anda. O commandante da caobo-
neira ingteza nao foi adroittidb as linhas para-
guayas, diz a referida carta.
Oatra carta, datada de 10, narra o seguinte in-
cidente :
Ura negociante jadea, tendo sabido que aa
fralda das serras, parto das posicoas inimigas exis-
ta ura grande deposito de sola, traten por oitenta
pncas de ouro un tropa qne fesse buscar aquel-
le genero.
< Nao sei qnanlos carros erara, mas com aHes
iam 60 muas, l'.hegando ao Ingar, estavam-se
carregando' os carros com a sola quando sobrevie-
rara oa Paraguayos, que fazendo borrivel niatanca
dos carreiros, leva rain corosigo carras e muas.
Quando o judeu soube do que soccedra, anda
teve inaudito descoco de aDreseotar- ao geaa-
ral, pedlndo algumas foreas para perseguir o ini-
migo, que Ihe levava os carros. A resposta foi,
como elte raereeta, mandar deitar-lhe nm par de
machos aos ps, para nao tornar a sacrificar a
vida de tantos nomens por correr atrs de um
roubo fraudulento.
A- lolhas fallam ainda de mais urna tentativa
de abordagem de encouracados, em (pie perece-
ram quantos Paraguayos se arnijaram a lo louca
empreza, e do espingardeamento de alguns emis-
saros de Lpez, qoe vinham encarregados de
urna missao de assassinato.
A' ultima hora escrevera-nos particularmente :
> Acabo de saber com muita certeza que pela
correspondencia enviada ltimamente por Mac-
Mahon ao minijtro americano em Buenos-Ayres,
consta que Lpez se dispoe a deixar o Paraguay,
mediante insignificantes condicOc. deixanao ao
arbitrio nico dos adiados resolverera entre si o
estipulado no tratado de allianca. Tenho f nesta
noticia, porque muto reservada, e creio que
bem poucos aqu a sabem.
Em Buenos-Ayres embarcavani-se locomotiva^
e vagSes para a Assumpcao. O Sr. visconde do
Herval seguio viagem a 19, partndo de Montevi-
deo no vapor Cuyaba, que a 20 chegou a Buenos-
Ayres, onde apenas se demorara algumas horas.
Da Repblica Argentina nada ha que noticiar.
Em Montevideo a cmara dos dputados excluio
filialmente do seu seo os 17 membros que persis-
tiam em nste comparecer s sessCes eniquanto se
Ihes nao dessem' as garantas de seguranca que-
reclaraavan, e chamou os supplentes para rem
tomar assento. Os eliminad s protestaran! pela
imprensa.
O general Goyo Sarez deu a sua demssao de
ministro da guerra e marinha, mis o presidente
nao Ih'a aceitara anda. O general deelarou pela
imprensa ^|ue os motivos de sua renuncia nenhu-
raa relacao tinham com as questSes flnanceiras
que se agitavanf.
marecAal prt-
(nUs.
Dezembro 14, de i,9W.Toefao hnra^d*
na ao de V.. Exc. a carta <'
i:..
m
oaeve
di commissan respectiva, relativa a anocao d^ re-
oresentanto Pepratr y Artiga para otittP8W-.de
17 eoltogas. Este parecer foi, Hado unantme-
me|e, e ero segpida raaws^pu^ e,a^*f
ao poder .execuUyu a.,wwaao to-aiiPlfacMa.
Bis como se procede em um.paii hvre, ero un
rpoblica, cujaonaa de goverao taato se apregoa
;preseDc/a?taomoltDto resoluc^prota-
"mtolttSttantoe Alexandre Haawiw
a, o aeral.fioyo Soarv, mrotro ds
aalveu w.i^meiro juaaasu, oro a
qoe cornmunicava quo sua renunaia ota
dp fuadamente a este pa^jo do eoeral o
iintofec. m vasforajda.aanuntaaii sesaaa
m ero ttm do sanador Gar-
iBQJTOK*Jii)0 BCsMu4a MfrTl^Wi
[aanWiJPMIPtjai>gE 0 .WHttBT.aua tiafean
- pominratni^ wiawa, ajwujrae V
Argentinos
Fallando
a respei.0 delle recorda o Nacional
aae'o'7 Seciflo D. Domingos Sarmiento, correspon-
dente da Tribuna e bravo offlciai do exercito, diaa
que Ozorio valia 100,000 homens para o Brasil
contra o Paraguay
este cttrW'jT*.
msm
E' eloquente
IRTHUOR.
^7
iti 4c Jaaeiro
t'
v .ac awo.
Bor portara doaSBOTarreol
Roi nomeado Stere*" toanrogos daSHvalh-
atopteira nata servir imarinaraante o lugar de
Mpector da alfandega do Penado, provincia das
ftSexonerado,*^sati^n*aa,iB*Brdo da Fon.
seca Pinto do Mfnr'de pratieante da alfandega do
Malanho.
Fallecen hontem, depois de curta mas dolorosa
enfermidade, o cnselheiro Dr. Claudio Luiz da
Costa, director di Imperial Instituto dos meninos
cegos, cargo que exercia ha muitos annos com
illustracio, zelo e caridade exemplar.
29
Da Assumpcao entrou hontem o transporte de
guerra Werneck com datas at 15, e folhas do Rio
da Prata at 23 do correte.
As cartas do Paraguay, que brevemente publi-
caremos, nada lizom da tentativa do abordagem de
encouracados, de que fallavam as folhas do Rio da
Prata. enhnm feito de armas alli se dera. Con-
tinuavam a chegar cavallos enviados de Bne.nos-
Avres, pelo que nao tardara o l. corpo de exer-
cito a mover-se para Piray onde deva assentar-
se no ulterior plano de opraedes. Entretanto tra-
balhava-se na reconstrueco da ponte de Yugnery.
Deu-se nova organisacao aos corpos do exercito,
e restabeleceu-se o batalho 36 de voluntarios, que
fra extincto, nao permittindo a forca a actual res-
tablecer outros.
Regressou do Rosario o engenheiro polaco, de-
clarando que nao havia vanlagom em continuar a
sustentar aquella pos cao. O gado que se achara
as immediaces tinha sido arrebanhado todo.
Na Assumpcao continuavam os trabalhos de ar-
rasamento dos fortes que domnavam o ro. servh
que estava incumbido ao coronel Joao Vist. Em
compensa^io construiam-se para o lado de trra
reductos que protegessem os nossos deposites, caso
tvesse de ser redolida a guarnicao da praea.
Voltaram de Ascurra Assumpcao em um s
dia, tendo atravessado um rio era urna chalana, os
ofliciaes norte americanos que havam ido levar
despachos ao general Mac-Mahon. Este, sobre
cuja demssao de ministro dos Estados-Unidos nao
parece resfer duvida, nao os acoinpanhou ; devja,
porm, segundo elles disseram, cgar brevementa
a Luque, seguido de volumosa bagagem.
Quanto noticia constante da caria de que hon-
tem transcrewroos um trecho, sobre estar Lpez
disposto a deixar o Paraguay, o mais que puderaos.
saber qae efectivamente o ministro dos Estados-
Unidos em Buenos-Ayres deixou cahir a,lgti mas pa-
lavras sobre a possibilidade dfc nm arranjo neste
sentido. Nao deelarou elle se estava aalorisado a
fazer taes propostas, mas podara isto nferir-se dp
racto de elle insinuar estas ideas depois de haver.
reeebto a correspondencia do seu collega Mac-Ma-
hon, que vive na intimidada de Lpez, salvo toda-
va o caso de andar aqui simplesmente ajgumar-
dil diplomtico.
Por carta imperial de 26 de maio oorrente, foi
nomeado secretario do governo daprovmma do Rk>
Grande doSul o bacharel Francisco Mana Correa
de S e Benevides.
Por decretos da mesma dat :
Foi concedida a exoneraste que pedio o bacha-
rel Manel Jos de Menezei Prado, de secretarlo
do governo da provincia do Ro Orando do Suf
foi nomeado cavalteiro da ordem de S. Bento de
Aviz, oeaplto Jallo Cesar da Fboeeea.
Foram concedidas as segrales penses, por ser-
vicos prestados aa guerra com o Paraguay, as
qule fleam pendentes de approvar.o da assembla.
Ao capito de'JS. corto1 de votoptatios da patria
Francisco de Souei ferrelra1 Rabll a de <0#eOP>
mensaes ; aos alferes do 5. corpb dRo Avalino **
vares **, oia*. dito' lose Mara Pacheco a do
48.1 dlto'losePerelM Maeel Setorito, a de 36,
mensaes a cada un.
. ]_
Por decreto de rt do oorretkeftii reAiraiaao, no?
termoS do art. 29 do regulatattb annaxo ao de-
creto n. 411 A, de 3 de janho 184, o )rinmr>
sargento do corpo do imperiaei marinneifos'Fra*-
cisco Xavier Carnero'os'Anto.

3|r
oaiaa ianaadi
(, O Si. general Webb, nntetoo dos Estdos-Uni- -,--
oW neste corto, retlroniar hbnnim no paquete Pof antro da Msro*'dan, 'nibto abWg
jaraiatot tendo d&aboVestoM. teoni oJsJjWolr inttro na confNvatoanedo^ow-
diplomacas entre o seu pato ^'M^rmilinmWm^9CSS^^
os seuk.*al- ro da toreeka' ci**e Atoni# JarfaVCoto.
i am retitor aa i ^^.nU^^m
tmanaasdian jfan&.B*mi**amM.**mr*f>*m
o de passaportes.
\i
tasiaae-



m$
.
Bd8
3Q OHtUl 30 6 M.I31 ATHA^>iario de Pemanibuco Qaarta feira 9 de Junho de 1869.. SpOfMUfl .VJX O'
.. <----------------------------------:--------------------------------------;-----------------------------------------------------------

das de 20 e 10 res, cm bronzo eunhadas tu casa
da moeda real em Bruxellas.
30
Por dteratt.de 26 do correte foi approvada a
promocae enpoto de major por actos de bravura,
contando fflfitfidade do 11 de dezembro do ahno
lindo, ao eapiute do segundo batalhao de mfanta-
ria Cario Magno da Silva, que, tendo ido promo-
vido pelo commandante em ehefe do exercito em
operacSes, por se ter dislinguidoi'ajiatalha co
Avahy. deixou por ominan de iiiipansa- de ser o
seu nomo incluido aa ordem do da do inesirm
exercito numero 272 de 14 de janf ro do-corrente
anno. ,
Por decretos da roesnia data:
Concedeu-so ao lente honorario do ejrcito,
Antonio da Silva Mello, as honras o poa> de ca-
pito do mesmo exercito, em attengo aos relevan-
tes servidos prestados na guerra actual contra o
governo do Paraguay. V
Foi concedida ao segundo cirudpto .* corpo*
sade do exercito, Dr. Jos Rufino de Noro-
de
nha, a demissio que pedio
exercito.
do servido do mesmo
Por decretos de 25 do corrente :
Foi removido o bacharel Joaquim Xavier Gar-
ca de Ahncida, do logar de Jaiz municipal e de
orphos do termo de Nitberoy, na provincia do
Rio de Janeiro, para a segunda vara municipal da
corte, por assim o haver pedido.
Foi reintegrado:
O coronel Antonio Alves Vianna, no commando
superior da guarda nacional do municipio de Goya-
na, da provincia de Pernambuco ; leando sera ef-
feito o decreto de 16 de agosto de 1867, que o re-
formou naquelle posto.
Foi aggregado ao estado- maior da mesma guar-
da o coronel Bento J'* Forreira Rabello.
Fez-se merc a Luiz Gonzaga da Costa, da ser-
venta vitalicia dos offlcios de segundo tatoelliao
do publico, judicial e notas e escrivao de or-
phos do termo de Santa Luzia, na provincia de
Sergipe-
Honlem, por volta das duas horas da madruga-
da, o commandante da estacao do districto da ra
das Violas teve aviso de que em tuna hospedara
desta ruasuic dra-se aui moco de dezoito anno
de idade.
Coniparecendo no lugar indicado, o comman-
dante veriticou que o infeliz puzera termo a seus
dias tomando urna poreao de morfina; e, proce-
dendo a indagaedes, soube que Sebastiao Ferrara
de Souza e Silva, Hlho de Joao Nepomuceno Fer-
reira, viera ha dez dias da provincia de Minas pa-
ra seguir oesta corte o curso de medicina e que
se alojara com ontros companheires na hospeda-
ra da ra das Violas. ltimamente, tendu-se
sentado a urna mesa de jugo, em casa de um
barbeiro, perdeu a quantia de 6O*O00. No au-
ge do desespero o infeliz moco pz termo a exis-
tencia.
O commandante da estacao mandou remover o
cadver para o hospital da Santa Casa da Miseri-
cordia, onde se praticou a autopsia ; a polica pro-
cede averguaedes.
i de junho.
Entrou hontem do Rio d Prata o vapor inglez
Mendona, com folhas do Baenos-Ayres at 24 e
Montevideo at 25 do passado.
Nada referem do theatro da guerra. O minis-
tro brasileiro em Montevideo communica, porm,
ao governo imperial que por noticias datadas de
Luque, 20 do passado, con-tava que una es ped-
cao oriental, comraandada pelo coronel Conrado,
chegra a antiga fundicao de Lpez em Ibicuy e a
destruir completamente, aprisionando os ruachi-
ni-las, 50 soldados paraguayos armados, 120 mu-
Iberes e creaneas, e libertando alguns prisiouei-
res alliados, entre os quaes 30 brasiieiros. O ge-
neral Joo Manoel Menua Brrelo leava em S.
Lourenco com 6,000 homens, e o extreito argenti-
tno, formando a vanguarda, acampava alm do
Yu mery.
Segundo urna correspondencia de Buenos-Ayres
para Montevideo tinham embarcado no porto de
Zarate mais trezeutos cavallos para a AssumpcSo
em dous navios rebocados por um vapor. No
mesmo porto havia ja navios para receber 2,000
cavallos esperados a todo o momento para embar-
que, e eoutava-sc anda com putros 2,000 de di-
versos lugares.
O aeronauta Baraille, que ha pouco esteve nes-
ta rrte, fez em Bueuos-Ayres urna ascenvo que
termiuou trgicamente. O balito cahio ao rio ; e
sendo recolhido por urna lancha do vapor, que
acudir em soccorro, fez explosao, incendiando-
se-lhe o gaz que evava no bnjo. A explosao fez
rebentar as caideiras do vapor, e matuu quatro
pessoas, feriudo urnas vinte e quatro, algansmo
que outra ver>ao eleva quasi ao dobro. O aero-
uauta foi um dos eridos.
A guns brasiieiros residentes em Buenos-Ayres
offereceram na noite de 23 um esplendido banque-
te ao viscoiice do Herval, qne na noite seguute re-
cebe igui.1 obsequio da parte do g.neral Mitre,
obsequio que o Sr. visconde tencionava retribuir
da mesma forma no da 25.
Sua Mageslade o Imperador acompanhado de
seus semanarios, visitou hontem a escola militar
da Praia Vermelha ; as~stio s licoes das ulas
preparatorias de malhematicas e de porluguez e
da escola de primeiras letras dos prsioneiros pa-
raguayos ; percorreu todas as dependencias do
estabelecimento, e retirou->e ao meio-dia.
Por-decreto de 14 de maio foi declarado de ne
uhuin effeito o de 30 de abril ultimo, que nouieou
o bacharel Antonio Augusto da Costa Barradas,
juiz municipal e de orphos dos termos reuui-
dos de Sanios e S. Vicente, na provincia de S.
Paulo.
Rcaniram-sc hontem em assembla geral os
accionistas da companbia de Navegar,*) e Gom-
merciodo Amazonas, representando 15,414 acedes
sob a presidencia do Sr. Joaquim da Fonceca Gui-
mares, que apresentou o relatorio das operaeoe-
da companhia no anno transacto.
__ Em seguida proe deu-se eleicao da commis-
sao de exame de emitas, obtendo maioria os Srs.
commendador Bernardo Casimiro de Freitts, che-
fe de esquadra Jesuino Lamego Costa a Dr. Anto-
nio Alves Ferreira.
A congregarlo dos lentes da escola central, por
deliberacao de 8 de abril prximo pagado, jul-
gou habilitado o Sr. tenente-coronel de enge-
nheiros Luiz Manoel Martins da Silva, para lo-
mar o grao de bacharel em malhematicas, na
conforndade do art. 305 do regulamento em vi-
gor.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIPE, 9 M JUNHO DE 1869.
NOTICIAS DO SL DO IMPERTO.
Chegou hontem pela manhaa do* portes do sul
do imperio o vapor bra*il--iro Paran, trazando da-
tas da corte at 1, da Bahia at 4 e de Macei at
7 do corrente.
Sob as rubreas=Parle Oficial, Exterior e In-
erior=eocontrarao os lei lores por extenso as no-
ticias mais importantes alm das quaes s lomos
nos jornaes as que segueta
RIO OE JANEIRO.
O senado approvou os projectos concedendo
licenca ao senador visconde de Jequitinhjnha, so-
bre antiguidade de magistrados ; ouvio aos Srs.
Zacaras, Foasera e barao das Tres-Barras, aobre
o parecer da commissao que reeoohece como se-
nador pelo Rio Grande do Niirte, o 8r. conselheiro
Salles Torres Homem, ficando a dwcHs>o anda
-adiada.
Na sessao de 27, foi nomeada na cmara do
-deputados a cemmissao especial de tres menbros,
que ten de dar parecer sobre a propostt do go-
verno acerca da guarda nacional, a qaai se com-
pite dos Srs. Assis Rocha, Pinto Mureira e Jaciotbo
Je Mendonca.
Na sessa.) de 28, foi approvado, coa tres emen-
das, o projerto que durante seis mezeso orcameo-
to vigmie de 18681869, se antes deste praso nao
ti ver sido promulgado o de 1*6*-1870.
Na sas-o de 29, foi Kdo pelo ministro da guer-
ra urna pmposta ahrindo um crdito complemen-
tar da quama de 36391:4494417. para os soguin-
tes paragraphos do ari. 6.* da lei do ercameato do
exerciciode 18671868 : seeretaaia de estado e
repartices annexas, conseJno supremo militar e
junta* do Jtnica, eorpoiJe sande eiispitaos, exer-
cito, ftbrica e repariieoas de tzenoa. O art. t
da proposu anual la as sobras do crdito na im-
portancia de 17,185: VtfifSig, que se reajisarao em
varios paragraphos do mesmo artigo.
.Na seo>io de 30, /+ eleiteuna coaamiesio de 5
memJKos para ejummar o on>jecto sobre refor-
ma do recrounwnto, e dar parecer a respeito, fi-
cando composla des Sr*.' BPdrigo Suva, Podernei-
ras, Lamego, Pereira da 8ilva> Junqueira.
rias-em favor do /npnimeato Gonealves Bias, o?etentmiMe^a# inguem se-
ja ccnduzido prisao, nos casos de flagiantode-
lcto, som ter sido inlea-ogado,- pel aitltldMdte a i p^n
cuja ordem se efectuar priso,
Ficou encerrada a 3.* discussao do projeete que
pr'oroga durahte' seis mezes' o ornamento vrgeate
de 18681860, se antes deste prazono tiver sido
promulgado o de 186J1870.
ios n"uBj jornal da corte, o
v.'jno a'ii.-rtcan > -obre a n
general'
ella nc^o.. <
icisao foi no .sentido das razos aprese
tgovorno imperial, feduiindo a W.'hhi li-
clatnacao de mais de 30Q,UW lifcr
da por aijueUe ministro.
ITaadeg da edite renden
passado 2,865:177 OSO.
L jmos no-' Jm-nrrt lio COmmer*
Reunio-se, nodia 31, a assembla geral dos
accionistas da companhia de vapores brasil
sob a presidencia do Sr. veador Jos Joaquim
Lima e Sirva Sobrinho, achando-se pW
accionistas, que representavain 8,386 accoes.
A commissao du exame de contas apresentou
o seu parecer, que terminou pelas seguintes con-
clusoes : 1." que sejam approvadas as cpntas e ba-
lanco do anno de 1868 ; 2." que so agradeca a di-
rectora o zelo, inlelligencia e dedioarao com que
tem gerido os importantes lnteresses que Ihe estile
conliailos, com um voto de animacao para qu el-
la, redobrando de esfor^osi o libertando a compa-
uhia do rgimen provisorio em que subsiste, a tor-
ne urna empreza verdaderamente nacional ; 3.
que se manifestem legalmente
aos empregados de t(>dai as categoras, pelo zelo e
dedicacao com que cumpriram os seus deveres.
Este parecer foi nicamente approvado sem
discussao.
'Em seguida fo1 lida a proposlade alteradlo di
alguns artigos dos estatutos, apresentad na ulti-
ma sessao, e depos de algumas considerajoes do
accicnisla Manoel Joat|um Alves Hachado, e do
pedido de adiamento feito por outro, foi o mesmo
adiamento combatido e rejeitado, sendo approvada
nicamente a mesma propusta.
Ficou assentado qneseconvocasse para o da
10 do corrente a assembla geral; afim de ser vo-
tada urna proposta 3presentada pelos acciouistas
Manoel Joaquim Alvo Machado, F. G. de Oliveira
Rdxo e Jos Marcelino Pereira de Moraes.
O cambio regulava sobre Londres 18 1/4 a
18 1/2 d.
As apolices do emprestimo de 30,000:000*
vendiam-se o 9i9.
Os soberanos () vendiam-se de 13*150 a
139240 cada um.
Sahiram para Pernambuco : a 26, brigue
prussiano August Fried'ick ; a 28, barca portu-
gueza Alexandre Hwcuiuno ; a 29, barca mgleza
Jane Mara; e a 30, escuna norte-allemaa Sch-
icamr.
GoTAZ.
Lemos no Coneio Oficial da capital :
No dia 2 do corrente (maio), foi encontrado
dentor de seu propno rancho contiguo a fazenda
Jacardistricto de Santa Rita desla comarca,
la qual proprietario Joao Martins da Cunha, o
cadver de Domingos Leao, tendo separado do Cor-
no acabeca cuma das pernas.
Examido o cadver, veriflcou-se que tinha na
regio das costas c do estomago varios signaos
nao pequeos de forma circular, azulados e entu
mecidos, parecendo fcitos cora pedras ou so-
quete.
a Junto a cabeca do raorto encontrou-sc, envol-
ta em sangue, urna pedra de amolar, de forma cy-
lindrica, alongada.
O cadver tinha ambas as raaos ensanguenla
das, sendo de notar-se que smenlo urna dellas es-
tava ferida, tendo um dt do esmigalliado.
Na noite de 10, foi preso nesta cidade Joao
Martins da Cunha, indiciado como autor do br-
baro assassinato de Domingos Leao, que teve lugar
no districto de Santa R ta >
MATTO-OR0SS0.
O Cwreio Paulistano de 26 do passado, re-
fcrindo.se cartas de Guiaba de 5 de marco diz o
seguinte :
Os mantimentos esto all por um preco fa-
buloso. Custa um alqueire de feiiao 355, um di-
to de arroz 24*, um dito de farinha 12*. urna ar-
roba de toucraho 32|, urna dita de assucar 24* ;
os oulros gneros sao vendidos na mesma pro-
porcao.
M1NAS-GEBAES.
Lemos no Noticiador de 22 de maio :
A 15 do correule Pedro Severiano, praca do
corpo policial, comiuin tiro de pistola, matou na
ponte do SararH-nha, contiguo a esta capital, o
gales Vicente, atravejsand-lho o peito a bala se
cravou as costas deoutro gales denome Joaquim
Alves, os quaes depois de terem procurado eva-
dir-se maltratando bastante a praca que os guar-
da va e outras que auxiliavam a deligencia, busca*
vam evadir-se.
O Dr. chefe de polica tomou Iobo as provi-
dencias que o caso requera mandando proceder
corpo de delicto e instaurar o competente pro-
cesso.
19 do corrente o cidadao Luiz Ventura For-
tuna na sua fazenda da Gratidao, sita no districto
da Cachoeira, com um tiro de espingarda pz ter-
mo sua existencia.
Smente sabe se que elle dirigir pouco antes
urna, carta ao subdelegado da Cachoeira do Cam
po, communicando-lhc a resolugo que tomara e
que estara executada antes mesmo de chegar-lhe
a caria s suas raaos.
ALAOOAS.
Foram nomeados, pela presidencia da
t. e 2." administradores do encanamento
nftt&Vi-l di riacho do Bebedouro, os Srs, .
JuarjUin Wtes Jnior e Dr. Anionio Jos1 de Al-
Hrmoa
r"
ESPIRITO-SANTO.
Regeitou en
o$ projeekw: lantori- pn
-ando o gimrno pnmmV oltfiMr 4oulote-
OJ
O Correk) da Victoria refere o seguinte :
a Em tenas devolulas, as sorras do rio Muqui,
da villa da Cachoeira de Itapemirim, communica
o Sr. Eduardo Jos da Silva Bamilton, haver des-
i-oberto urna mina de ouro, da qual tirou amos-
tras que apresentou a alguns negociantes para os
animar a aproveitar essas riquezas, precedidas as
licencas legaes. Consta que j algumas pe-soas
se querem dizer souhoros dessa trras.
BAHA.
Os alumnos da Faculdade de Medicina diri-
girn) ao Exm. Sr. conselneiro barao de Cotegipe,
ministro da marinha e interino, dos eslfangeiros,
urna felicitacao pelo modo enrgico porque resol-
veu o conflicto estabelecido pelo mini-iro ameri-
cano general Webb. TemSK a-signaturas.
A' bordo do vapor inglez Oneida seguirara para
a corte o Exm. conselbevo Jos Antonio Sarava e
o Dr. Fernandes da Cu.iha, este fleputado geral e
aquello senador.
Ficava no porto a fragata de guerra fran-
ceza Ci'rc, trazendo seu bordo o contra-almiran-
te Tisquet.
Falleceu o Rvra. \igarocollado da freguezia
de Santarm, Silvio Assis de Queiroz.
Por ter partido o traquete e o velacho, ar-
ribou ao porto o brique inglez Ada, que ia do
do Rio de Janeiro para o Para, cora um carrega-
mento de parallellepipedos.
Lemos no Jornal:
No dia 3 do correte, na freguezia da Ra
do Paco, quatro enancas qne luwiam comido
mandioca comprada a urna preta africana na
supposicao de ser aipim, acharam-se logo enve-
nenadas, imrde seis anuos e outra de tre*,suc-
cumbiram pouco depon, escapando apenas duas.
O >ubdelegado d'aquella freguezia, Dr. Jos Igna
co d'Ohveira, proceden aos devidos exames, veri-
ftcou a qualidade venenosa do alimente, interrogou
a vendedora, que fez recolher a Corregao, e pro-
segue as diligencias.
Lemos no Progresso, de Monte Alegre :
< A secca contina a devastar o serlao, trazen-
do grandes difflculdades para" a populacao. Tesu
villa e em ontros logares nao tem cnovido, por
cuja causa nada se tem plantado.
Os vveres tem cresrido e decrescdo em pre-
ces, e agora elevaram-so a um proco extraordina-
rio como se v:
^ ftrintn a 4*000 o Wtt Unljttu u OgWU, e
nao ha, milho a 44060, carne verde a 5*120, e
tudo mais vende-se por duplicado proco em rela-
cao ao do eos tu me.
As feiras tem diminuido considera!mente por
causa das (abres que ton atacado, o eoatinuam a
grassar com intensidade n'esse termo.
As febres tambem tem grassado nos termos
de Jacobina e Camisao. consta-nos porm que
ueste ultimo ollas tem lidbenignas.
Escrevem de Morar, ao Jornal da Baha:
Tem cabido algn chavas, e, anda que nao
sejam geraes, sempre vio servindo : esperamos as
neblinas, esi vieren, nao trono*nal
A alfandega rendeu ile 1 a 4 d corrente___
109:001*038 rs.
O cambio regulava sobre Londres 18 3/8 d.
SEMtML
) presidente Dr. Ferreira da Vetga fez urna
viageu a Villa Nova e Pr jpri, na aargem do Rio
S. Praneifco.
Unove od incendio na rea dn Larangeiras
n
STADIaVBIA.
-Na.sess-1
:! diteussao O ll'oj
. indajf r(-nc-r a fie.,.
icio lie Alajjii.i dos (latos; em 3" o
de n. 7ii, que manda .idmittir no Gymcasio como
ahimnos.pobres os duas orphos tlhos de Juliie
Perara llelloso : em 3.o de n. 78, que altera os
limfRs da fregnezn de -Grvala, e o do n. 77, que
altera os limites da freguezia do Bom-Conselho ;
2*,^ que aijtorisaAgoverao a conatar a ca
alifljii) do rio Goyanpa con Manoel Polycarpo
loreTra de Tnsveao, rSpen^ado o intersticio re-
querimento do Sr. Arminio Tavares ; era 2* o qne
manda pertencer o terreno do engenno Penon
freguezia de Bezerros, dispensado o intersticio
requerimenlo do Sr. Gitirana; em 1* o de a. 83,
que concede a Antonio Luiz do Reg Barreto per-
missao para vender bilhotes de loteras de outras
provincias, pagando o imposto annual de l:000,
fallando contra Re o Sr. Silva Ramos, sendo dis-
pensado o intersticio requerimenlo do Sr. Pina.
Approvou mais em 2* o que concede duas lote-
ras para factura do cemiterio da freguezia de Ga-
os nossos lvuvores melleira, dispensado o intersticio requerimeato
do Sr. Amynthas ; em 2" o que aulorisa a cmara
d'Agna-Preta a conceder um abate de 1:000* a
Joaquim Verissimo do Reg Barros; em 1* o de
n. 73, que concede um abate a Joaquim Jos da
Costa, arrematante das barreiras do Manguinho e
Capunga ; entrando>em 3- o que aulorisa o gover-
no a mandar fazer urna estrada que chegue at o
povoadp de Nazareth do Cabo, c fallando contra a
stra materia o Sr. Bacellar e favor o Sr. Reg
Barros, foi o projecto approvado.
Entrando em 3* discussao o projecto de orna-
mento provincial, foram-lhe offerecidas diversas
emendas, ficando adiada a discussao por ter-se fin-
dado a primeira parte da ordem do dia.
Continuando a 2' discussao do projecto de fixa-
cao de Torca policial para o anno de 1869 1870,
continuou o seu discurso o Sr. Gaspar Druminond,
ficando ainda adiado o projecto por ter dado a
hora.
A ordem do dia para a sessao de hoje, alm das
materias j dadas, 6 a I' discussao dos projectos
n. Cl, 2' dos de ns. 73 e 83, e 3a dos de ns. 54, 75
e 81, e olis a 2* do de n. 82 de 1862.
AUTORIDADE POLICIAL.Por deliberacao da
i residencia, de 7 do corrente. foi nomeado subde-
pgado do Peres, na freguezia do Anegado, o Sr.
Dr. Jos Maria de Albuqoerque Lima.
THEATRO.-Faz hoje beneficio no Santa Isabol
a artista a Sra. Maria Velluti, levando um espec-
tculo variado e aprasivel, que offerece ao nosso
publico, era penhor Jas provas de sympaUia que
tantas vezes lhe tem sido tributadas.
. O espectculo consta do drama de composican
da beneficiadaMulker que perde e nutllier que
salva, da mimosa scenaVinte e seis notvos
perdidos, da phantasia trgica do joven litterato
o Sr. Victoriano Pautares,Romeu e Julieta, da
comedia em um actoUm marido nos palmiukai,
e finalmente da comedia Os effeitos de um,
eclipse.
Recommeudando esse espectculo ao nosso pu-
blico, temos co vioeao de que elle se nao far ro-
gada em ir dar mais una prova de apreco acli iz-
autora. que recorre sua geoerosidade.
JURY.Deixou hontem de haver sessao, por s
terem comparecido 25 juizes de tacto. Para com-
pletar o numero indispensavel foram sorteados da
urna geral os Srs. : Dr. Antonio dos Santos Si-
queira Cavaleanti. coronel Antonio Gomes Leal,
Antonio Augusto Ferreira, Antonio francisco de
Souza Magalhacs, Bernardina de Senna da Silva
Gumares, Caelano Pinto de Veras, Domingos dos
Passos Miranda, Beliannino de Barros Correa, Dr.
Diodoro l'lpiano Coelho Catanbo, Francisco de
Paula Gonealves da Silva, Francisco Jos Vianna,
Dr. Jos Carneiro da Rocha, Jos Pires Ferreira,
Jos PereiraTeixeira, Joaquim Felippe Viegas. Jos
Guilherme Gumares, Dr. Francisco Augusto da
Costa, Jos Marques da Costa Soares, Dr. Jos Ro-
berto de Moraes e Silva, Manoel Francisco dos
Res, Dr. Miguel dos Anjos Barros, Manoel Pere-
grino da Silva, Vicente Ferreira Xavier.
MORTE.No dia 4 do corrente foi encentrado
morto, o j ein estado de pntrefacro, o menor Ma-
laquias, morador no lugar Honteziha, da freguazia
doMunbeca, gnorando-^o qual a causa da inorte.
Com relacao esse laclo, communica o respec-
tivo subdelegado quo um filho de Antonio de Tor-
res Bandeira, ahi morador, vvia intimidando i-
criancas que t'requmitavan urna escola da lorali-
dade, e que, sendo Malaquias alumno dessa escola,
passava a fazer minuciosas pesquizas para desco-
brir se essa morte se prenda aquellas intlmida-
Qoes, afim de proceder contra Torres Bandeira.
DO THEATRO DA GUERRA.VoRou hontem o
Sr tenente-coronel Alexandre Augusto de Frias
Villar, afirn de repousar das fadigas da guerra,
onde se conservoii cerca de quatro annos. sempre
se portando com bravura e denodo, que lhe vale-
ram importantes distinecoes do governo impe-
rial.
NAUFRAGIO.Informam-nos da Parahyba que
perdeu-se as costas prximas ao Cabedello a
barraca S. Joo, carregada de fazendas.
ELISA JANE.O patacho inglez deste nome,
queseachava encalhado nos baixas do Lucena, 3
milhas ao norte do porto da Parahyba, consegu
safar-se na tarde de 6 do corrente, aos e-forcos
dos Srs. Penca, commandante do vapor Corunpe,
e Felippe Francisco Pereira, pratico da companhia
brasileira de vapores, qne do nosso porto seguir
a bordo do vapor Mundah, da companhia Per-
nambucana.
A' companhia Pernambucana devem as compa-
niiii'.s de seguros o nao terem tido maiores preiui-
zos, sendo eert:) que se teem apurado por altos
preces lodos os salvados dos navios que all teem
ltimamente naufragado, ntilisando assim conside-
ravclmente todos os interessados, inclusive a fazen-
da publica.
DINHEIRO.O vapor Paran trouxe as seguin-
tes quantias para osSrs.:
Em ouro.
Augusto F. do Oliveira & C......... 26:4005000
Era notas.
Isidoro Bastos & C................. 2:000000
Jos do Rogo Pachaco.............. 1:200*000
Exm
um es
4 pracas.
uennora,
[Luiz Baptista da Silva Jnior e um escHrnyT-'. 0 Sr. vigarto Frederico-foi quem fez, com toda
- pontualidade e devocao, os exercicios do mez Ma-
riano na capella desta povoaco, e sendo lhe offe-
recidaupia gratillcacao pelo seu trabalho,- com to-
da deBeadeza e des.nteres$e pedio e instou para
que fosse applicada dita importancia s obras que
se estao fazendo na mesma capella.'
Em viriude deste louvavel procedimento e dos
numerosos e jHifMirtantoojiiirwos fWptoftgjpz-
dos tendente au aeu maaterio, os seus amigos
offerceeram-lhe no da o do corrente umjaftar,
no fim do qual o distarto pregador 'commoveu a
todos cora anas palavras aentidissimas de despe
oda. I
Eu na qualidade de juiz da irmaadade e-como
um dos mais apreciadores do- seu honroso prore
dnenlo urae est gettia de todo elogtoi o#tr/.i'
tambem o gnu, oovor de pnblicanwote ifclfc-s-
tor-lhe o nosso reciheciraonto de fntidaor fenn-
do votos a Deus pira queme d urna viagem fe-
liz e conservando-lhe a existencia por muites
annos. jgr
'iflQflW*01-- estas poucas palavras oliendo a
moiesiiruVRvm. Frederico, porm ficocerto que
anda desta vez me dispensar a bondade que ca-
ractensa o mi coracao perdoandrr-me.------- -
/. Gabriel C. da Cunha.
lando l
na Joaqui
Antoni
Jos Al
ne:v
los de
i|a de
(i l"ern;
lMr
de Castro Mi nteiro, Antonio Jos Rlbeiro
Leonardo Francisco Fernandos, Deodato
0 Monteiro e una escrava^^JPodro Borstel-
_ n, Cineinatero Josj* da Silva. Jo Alves de
1 "Carvalho, Silvestre Ribeiro de Amqnerque, Jos
Manoel de Araujo, Joanna de MeRo Rosa da Con-
cejero, Jos Antonio Rodrigues da Silva, Manoel
Luiz Coelho, Joaquim Luiz Coelho. Dr. Josa Jo^
ua sogr p urna eoerava, Felippe
Joao Manjftl Pereira, Jos Martins
"no Jos le Mello silva, Joo Tei-
Dionisio J( de Mello Castro, W.
rancisco Ferraira Bastos d'Amorim,
lal, um escra^o aniregar.
ara o norte ?
de Oliveira Lisboa e
de Jetos e ama ulna,
inunde Gomes e sua
re Nones de Mello,
Antonio Pinto de Mendonca e um escravo, alferes
^Jos Augusto da Frota Menajes, capito \ucton-
; 'Modesto Braga, r^tellre tfeAlidftil q VUT
sobrinha, Abraham e*rw-e, Saint Arroman. Jo
fPereira da Rocha Filgueiras Jnior e um criado.
Vindos de Penado e Macei no vapor Jagua-
rihe :
Dr. Jos da Costa Carvalho Guimares, padre
Jbn AlOAote Gomes de Mello, Manoel Antonio
Lopes Muritiba.
Vindos de Goyanna, no vapor Parahyba :
. Francisco Raposo Falcao o ama escrava, Dr.
Affono de Albuouerque Mello, Jos Dias da Silva
e um criado, Jos Augusto de Souza.
;; i Mf.-------------------
praticaveis por um juiz evidentemente suspeito c
parcial. o. irtH
O Capetao Lenrence Bozerra Alees da Silva,
joiz municipal sejuo supoiopte em ercicio da
villa de Ipojca comarca do Cabo, ete.
Mando aos offieles de jhsttya deSre juizo, que
em cumprimento do presente por mim assignado,
do a
e Al
Caval
iiuote retire
com lodos,
acba occopado o mesmo engenho
contrario a lei e no ca
I
I
-coronel Joo
tenente-coronel
le Ucba, para
nho Aratangil
viste que se
por meios le-
le desobediencia
CHJtyNlCA JUDIGURU.
l'IIIIUWL l>l CHMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 7 DE
JUNHO DE 1869.
PaESIOBMCU DO EXM. SR. DBSRMBARGADOR ANSELMO
FRANCISCO PERBTTI.
As 10 horas da manlia, reunidos os Srs. depu-
tados Miranda Leal, baro de Cruangy c supplen-
tes S Leito e baro de Nazareth, S. Exe. o Sr.
presidente abri a sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao de 3.
EXPEDIENTE.
Ofioio do presidente e secretario da junta dos
corretores, remetiendo as cotaees da semana On-
da.O tribunal mandou archiva-lo.
Dous nmeros do Diario offlcial.Igual des-
tino.
Foram distribuidos es 2 seguintes livros :Dia-
rio de Joo Martins de Barros.Copiador de Leal
St Irmo.
Visto o livro da correspondencia encontrou-se
regularmente escripturado.
Jos Francisco de Athayde e Mello, por inter-
medio de seu bastante procurador Jos Maria
I'estaa, preslou juramento de bem servir o ofli-
cio de agente de leudes da provincia da Parahyba
para o qual fra nomeado.
DESPACHOS.
Requerimento de Nogueira & Filhopara re-
gistro da nomeaco de seu novo caixeiro Manoel
Bezerra Cavaleanti, e dar-se baixa no da de Joo
Jos Lopes Pereira Jnior que deixou de o ser.
Como requerem.
Dito de Francisco de Oliveira Franco e Jos
Victorino de Souza, rogistri de seu distrato so-
cial.Vista ao Sr. deserabargador fiscal.
Dito de Oliveira Sena t C.idem da nomeaco
de seu caixeiro Manoel Joaquim Moreira.Seja
registrada.
Dito de Manoel Rodrigues de Mendonca, ponde-
rando a urgente necessidade que tem da certido
do registro dos contratos do Arminio & C. e Sou-
za Andrade A C.Deve ser entregue a Manoel
Rodrigues Guedes a certido que este reqnereu :
dando-so ao supnlicante a certido do contrato de
Arminio 4 C, de cuja firma fez parte, pois ain-
da_nao veio com o parecer fiscal a precedente pe-
tico do supplicante relativa aos ltimos contratos
soeiaes de Arminio & C. e Souza Andrade & C.
Dito de Gabriel Antonio de Castro Quintaos
para registro de urna escriptura de cesso e tras-
passo de um crdito de 9:300*000 que lhe fizera
Joo Pinto de Lemos Jnior.Regislre-se no livro
geral.
Dito de Jos Pires Chavesregistro do distrato
social da firma Chaves 4 Lima.Vista ao Sr. de-
sembargador fiscal.
Dito da Companhia Northern Assurance. pon-
derando ao Exm. Sr. vice presidente da provincia
que os seus estatutos estao registrados neste tri-
bunal mandando S. Exc. voftar ao tribunal a
mesma petieo com a informaco por este dada
anteriormente.Remettido secretaria afim de
examinar se os estatutos nella registrados rel'e-
rem-se s (Kaes de que trata a Companhia sup-
plicanteAdiados.
Matricula de Joaquim de Souza Ferreira.Co-
mo requer.
Papis sobro a eleicao dos membros da junta
dos corretores.O tribunal resolveu rev.igar o
art. 1." do regiment interno da sobredita junta,
mandando que vigore o decreto n. 808 com a al
teraco 4.*
Autos de rehabilitaco de Joaquim da Costa
Mala.O tribunal marca a sessao dn dia 10 lo
corrente para o juicamente, o qual ter lugar
com a asistencia do Sr. de-eoibargador fiscal.
Ditos de rehabilitado de Jos Francisco Bran-
do.O mesmo despacho.
Nada mais ha vendo a trata r-se, e dada a hora,
11 1/2 da manhaa, o Exm. Sr. presidente encer-
rou a sessao.
ELEIQAO
Dos devotos que tem de festejar o Senhor
Bom Jess da Redempcao na sachris-
tia da igreja de N. S. do Rosario do
bairro de Santo Antonio.
Provedores por eleicao.
Os Ulnas. Srs.:
Angelo Jos Tbemoteo. ,
Padre Valeriano Correa de Alleluia.
Antonio Francisco Souza e Silva.
Jos Francisco Arfro.
Provedoras por eleieio.
As Illma. Sra*.:
D. Luiza Maria de Barros.
D. Romana dos Santos Ramos de Carvalho.
D. candida Joaquina de Albuqucrque Lima.
D. Mara das Neves Miranda.
Provedores por devocao.
Os Ulms. Srs.:
Justino Jos de Oliveira.
Jos Marinlio do Naseimento.
Anacleto Manoel dos Santos.
Augusto Jo-e Teixeira.
Joo Manoel Lins.
Provedoras por devocao.
As Illmas. Sras.:
D. Porcina Baptista da Silva.
D. Luiza de Franca Martius Ribeiro.
D. Maria Baptista de Souza Gomes.
D. Mana da Conceico Gomes Porto.
Provedores protectores.
Os III ms. Srs.:
Manoel Antonio Viegas Jnior.
Francelino Landelino da Silva.
Antonio Lourenco do Espirito Santo.
Provedoras protectoras.
As Illmas. Sras. :
D. Annunciada Emilia Jorge.
D. Thereza Christina Maria de Jess.
D.- Maria Joaquina de Oliveira Campos.
Escrives por eleicao.
Os Illms. Srs.:
Henrique Jos Dias da Chagas.
Policarpo Ramos de Jesu>.
Antonio Fernandes Jorge.
Antonio Caelano da Silva.
Escrivas por eleicao.
As Illmas. Sra-*. :
D. Rita Francisca de Paula Cavalcante.
D, Joanna Alves da Silva.
D. Leandra Maria do Espirito Santo Lopes.
Escrives por devocao.
Os Illms. Sis. :
Francisco Jos de Paula Carneiro.
Flix de Figueira Fara.
Jos Tiburcio Valerian .
Dionizio Antonio do Naseimento.
Joaquim Fernandes de Oliveira.
Jos Pacheco da Silva.
Joo Pereira da Silva.
Mordomos.
Os Illms. Srs. :
Innocencio Rodrigues de Miranda.
Joaquim Caetano da Silva.
Fortunato de Souza Dias.
Manoel Antonio Cosme Martins.
Luiz de Franca Leite.
Procaradores.
Os Illms. Srs.:
Joaquim Pugta do Espirito Santo.
Landelino Teixeira Lima.
Joo Gomes do Naseimento.
Protector.
O Illm. Sr. Claudino Antonio Jos de Mello
Tendo sido por decreto imperial de 18
do mez Ando, concedido ao Illm. Sr. tenen-
te-coronel Antonio Marques d'Hollanda Ca-
valeanti, muito digno commandante do ba-
talhao d infatuara n. 24 da guarda nacio-
nal do municipio da Escada, reforma no
hmesmo posto ; faltara eu, na qualidade de
offlcial do mesmo batalbao, um dos mau
sagrados deveres do coraco do hometi
s nsivel, se nesla occasiio n3o tributaste
ao mesmo Sr. tenente-coronel, os meis
agradecimentos pelas maneiras afiaveia, e
delicadas com que o mesmo senhor se dif-
nou d tratar-me durant** o tempo que es-
Uve sob suas ordens ; e pela finura de tra-
to que lauto me penboraiam, oftereco ao
mesmo Sr. tenente-coronel meu coratlo
cheio de gratidao.
Engpnho Cachoeira Tapada, 3 de iunbo
de 1869.
Thom Joaquim d'Oliveira.
Capito.
PARTE JUOICIABIA I SBSS. EM 9 OE JUNHO DE 18G9.
A's onze horas e niela da manhaa estando reu-
nidos os Srs. desembargador Res e Silva, deputa-
dos Miranda Leal, baro de Cruangy e supplentes
S Leito e baro de Nazareth, faltando com par-
tieipago o Sr. desembargad! r Accioli e sem ella
o Sr. desembargador Silva Gumares, o Exm.
Sr. presidente dcclaroa que nao poda haver
sessao.
O escrivao Albuquerque registrou o ultimo pro-
testo de letra a do presente mez sob o n. 1757 ;
e o escrivao Alves de Brito a 1 do dito mez sob
o n. 1702.
ACGRAVO.
Juizo especial do commercio : aggravaute Fir-
miano Jo- Rodrigues Ferreira, aggravado Joa
quim da Silva Costa, como testamenteiro de An-
tonio Jos Rigueira.
O Exm. Sr presidente negou provimento.
Nada mais houve, c m-ia hora da tarde eu
Julio A., da C. Guimares secretario ese-revi esta
declaracao.
Fortunato Ribeiro Bastos........... 600*000
Jos Simplicio de S Esteves........ 5001000
Jos da C. d# Oliveira Figueircdo___ 300*000
Manoel da Silva M. Vianna.......... 400*000
Carvalho & Nogueira.............. 4004000
Luiz Jos da Silva Guimares....... M0*000
Em cobre.
Bank of Rio de Janeiro............. 2:000*000
Jos J. da Costa Maia............... 300*000
Para as provincias do norte trouxe esse va-
por : Parahyba 1 000* em cobre c 400* em no-
tas ; Cear 33:200* em not s; Maraoho 600* em
ouro, 1:000* era cobre e 13:62o* era notas; Para
3:S5C* era ouro, 400* em cobre e 24:393* em
notas.
O vapor Jaguar ib trouxe de Macei 2*6*
para os Srs. Amonio Gomes Pires A C,
O vapor iqu lovou de nossapraca para a
de Macei 85:600*000.
PRESIENTE DA PARAHYBA.Veio bontem,
bordo do vapor Paran, o Exm. Sr. Dr. Venan-
cio Jos de Oliveira Lisboa, presidente nomeado
ltimamente para esta provincia. -
CLUB RADICAL H-e ha sessao s 6horas da
tarde, no sali A Cwb Pernambucano.
INimUTO HISTRICO E PHILOSOPHICO-
Amanha, s 10 hora* do da, renne-se esta socie-
dad em sessao extraordinaria para efleetuar a
abertura de seu frinv-iro anno academice e tratar
da dtaeussao dos estatutos.
m rasa eV> negociante O* rten Freir de Andrade,
rodnao pola exploofo i vista, mas foi logo exu'acto.
LOTERA que m arJia a venda a 109- a
beneficio da matriz de Murbeca, que corre no
da 12. *
PASSAGETOOS.Do vapor Parond, vindos dos
portes do Mil :
Ulytaes do Reg Raflgel, Enpbrasia Maria das
Virgens, aWeres Chrispiniano Bearqua de Macado,
tenente-coronel Aloxandre A. de Frias Villar e
um criado, D. Gertrudes Maria do Eapirilo-Sanlo,
4 pracas, 1 ex oraea, Jos de Arroda, Jos da Sil-
va Gome*, Antonio Marques da Rocha, Joo Dor-
tiyde Macado, Gantier Frederick, jo* Arvetto Un
tas, Domingos Alvo Matbeus, sua oenhera, ont fl
Iho e un criada, Balnstiano Bezerra do Nart-
roHiito, Antonio Fraoeiseo de Sorna, D. abbade de
8. Bento tfe Ontfi, Fr. Antonio Uo Patrocinio fe
um osera vo, D. Marta AMnMa da CeMteio; fli
nwfltao 4a***oos eettasemWa, AT1
Gome da Suri, Jlo B**m de Mello G
M|f>MMMinL'wa (Hha Atte em ..
WliaiBl^#it>'Uix,airtoaDO livro, Bngeie
PUBIICACOES A PEDIDO.
MHBO fiE mu ISABEL.
O beaecio da Sra. D. Mara
VclliUl
O theatro de Santa I.-abel offerece hoje um in-
teressante e variado espectculo.
A beneficiada merece toda a conGanea pela es-
colha de bons dramas e boas comedias.
' Mulker qne perde e mulker que salva, mereceu
o* mais distiuctos elogios da imprensa, eo mais
lisongeiro acolhimento da parte do Ilustrado pu-
blico. Applausos expontaneos e repetidos, euroa-
ram os ex torcos da autora e dos artistas que lo
maram parte no drama.
A phantasia trgica do Sr. Victoriano Palbares,
dignada to brilhanta penoa. Quera nao coatie-
cer a triste verdad i succedda as familias ita-
lianas dos Coplelos e Montechios ?... A infeliz
Julietta sepultada viva, as earneiras do sua fa-
milia, e Romeu arrastado pela dor, morro junto
do tmulo da amante, no momento em que esta
recupera a vida I... E' desta verdade histrica
quo o distrete poeta pernambucano, o Sr. Pajea-
res, pbantasi-iu a sua magnifica composicao.
Um marido nos palminhas, linda e graciosa co-
media, cuja moralidade, o castigo de um marido,
aborrecido de sua vida conjugal pacifica o dite-
sa ; por sua mulher, espirittuosa o bem feia, qne
Iba faz esperiraentar lodos os tormentes que cau-
sara aa mulheres ciumontas, faceiras, gastadoras ,
e isto por ma innocente astueia.
Vmf e Hit notvos perdidos, engracadissiraa ce-
na cmica.
EflaataenleOs eljeilos de um eclipse, m dous
actos e ornada vamta, que faz terminar ale-
gremente o espectculo.
Tudo isto convida *- concurrenda do pubbeo,
___ ...
Otlm. T|srl de *aa.g--
Se, Hfni. Frederloo de i Inri*
> e AI bHqnrr^mc
Questo Aratangil.
Serio reparo deve merecer das pessoas impar-
ciaes e desprevinidas o tenaz proposito em que se
mantem o Sr. Joo de S, nao querendo deixar
que o proprietario do engenho Aratangil coraece a
fundar neste sua safra.
O lente coronel Gaspar Cavaleanti nada mais
quer por este anno seno o que lbe concede o ac-
cordo abaixo transcripto.
N'esse aeccordo, que passou em julgado, e que
de 3 de novembro de 1868, se mandou que o
Sr. Joo de S colhesse a safra daquelle anno e a
que fundou para o corrente do 1869, ordenndo-
me que dsse rancho e trras ao teuente coronel
Gaspar Cavaleanti para em maio deste anno fundar
sua safra.
Essa deeiso, que passou em julgado, lhe foi in-
timada, e por maior precauco, marcaram-se-lbe
os dez das da ord. hv. 3, til. 88, 15, que elle
deixou correr sem nada oppor.
Agora, quando os recursos legtimos esto es-
gotados: depois de quinze annos de pleito quando
nada mais tem a allegar, o Sr. Joo de S requer
mandado de despejo contra o tenente coronel Gas-
par Cavaleanti, o, o que mais, achou juiz que
ih'o concedesse, e que, o que anda mais grave,
quer empregar contra elle a torca armada.
Veja o publico como se atropella o dreito!
E ntese, que o juiz que isto faz so tem consti-
tuido ioimigo do tenente coronel Gaspar Caval-
eanti, que contra elle deu queixa perante a vice-
presidencia, e que q tornou ainda mais despei-
tado.
O tenente coronel Gaspar Cavaleanti para esse
juiz j nao a parte que procura seu direito, o
inimigo que elle pretende corabater e esmagar :
vingaudu assim a audacia do homem que nao he-
sitou em usar do meio legal contra seus des-
mandos.
O tenente coronel Gaspar Cavaleanti nao mais
nina parte decujo direito o ju'z tem de conhecer;
o homem de quem este vai tomar urna desfor-
ra : elle ter sem duvida de pagar a ousadia de
dar urna queixa contra o Sr. Lourenco Bezerra A.
da Silva.
Confiamos, porem, que o governo lhe nao mi-
nist ara um meio de satisfazer suas paixoes.
O caso da maior gravidade: o tenente coronel
Gaspar Cavaleanti nao deve ser abandonado aos
caprichos da um juiz as condieces expostas.
_ n o co
Cumprara. I
MHJoaquim
Kvi. jfvesi
*5
tente auto, qne traro a juizo.
Ib, fcul3 1869.Eu Mi-
J&pirwanto Hraes. Escrivao
eilva^l
Protectora das familias
Associaco brasileira de seguro mutuo sobre a
vida, approvada por decreto do governo imperial,
de 13 ile junho da 1864, e gerida pelo Baneo Ru-
ral e Hypotheearie do Rio de Janeiro.
Commissao fiscal.
Veador Jos Joaquim de Lima e Silva Sobrinho.
Commendador Jeronymo Jos do Mesquita.
Cominendador Boa ventura Gonealves Hoque.
Commendador Guilherme Pinto de Magalhes.
Estado dessa associaco em 30 de abril de 1869,
contratos 5,802.
Capital subscripto rs. 8,710:470*580, as pessoas
que quizo/ey fiMii Ji porJW! JMaiMC na
i ua do Llvramenlo n. 19 pmneiro tm^t: a tra-
tar com o Sr. (f. de Vidal, eneairr-gado pelo
Banco Rural e Hypothecario do Rio de Janeiro,
para promover assignauuws nafa a nwsina aaso-
ciaco.
COMMERCIO.
PRAfA DO RECIFE 8 DE JNHO DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDK.
Cambio sobra Londres 90 d/v 18 1/4 d., e do
banco 18 1|8 d. por 1*000.
Cambio sobre Paris 90 d/v 55 rs. por franco.
Cambio sobre Portugal90 d/v 188 0(0 de premio.
Descont de letraspraso curto, 100/O ao anno
F. J. Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretano.
CASADECAMBIO
Teodoro Simn & G.
Comprara e vendem por conta propria
metaes, moedas oacionaes e estrangeiras,
sbjj9| de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontara letras da trra e outros ttu-
los comraerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
rjuas transaccoes, da cohranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebera quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
ENGLISH BANK .
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencional
Recebe dinbeiro em conta corrente c a
prazo flxo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
hia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e Now-rleans, e inulto cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEGA.
Itendimentn do dia 1 a 7 .
dem do dia 8 .
283:329*087
43:38't*516
326913*603
Aceerdao em relacao etc. etc. Que decidido
que nao deve haver nova destribnieao para jura-
mento dos embargos a folhas, oppostos execu-
cao, e que eHes devem ser migados pelos juizes
certos na forma da ord liv. 3.* til. 87 S 7, 12, e
14; e tambem que no julgamento devem votar os
cinco juizes. e nao somente os vencedores, em
vista da ord. liv. 1, lit. 8, 9in fine do regulamento
da< relacees e lei de 2 de jnnho de 1834 : des-
prezamos dito-: embargos na parte em que se
oppoe a entrega do engenho controvertido pelo
modo requerido pelo embargado exeqiiente, sendo
este recebimento para effeito de maniarem, como
mandan* que a dita entrega se eTfectne depois que
o embargante colher a safra actual e a qu esliver
fundada para moer no anno seguinte Je 1869
cumprindo ao embargante dar rancho o trra* ao
embargado para em maio do dito anno fundar a
que este quizer; paga" pelo embargante as cusas.
Recife, 3 de novembro de 1868.Assts. vencido
na ukm a pr.-Gtirana, Mota, Dmningues da
SHoa, vencidos na ultima parte. Foi veto vence-
dor o desembargador Guerra.Assis.
MOVMENTO DA ALFBEGA
Voluntes entrados com fazendas 433
dem idem com gneros 669
Volumes sabidos com fazendas 169
dem idem com gneros 4IC
Descarregam hoje 9 de jnnho
Vapor inglezCArj/O/ifemereadoria*.
Barca franeezaSanto Andridem.
Brigue porluguezConstante f=idem.
Brigne inglezBelU of the Clyde idem.
Barca mglezaCo/mn=farraha de trigo.
Brigue norueguense=.4f/i'mercaduras.
Brigue portuguet=Cof#fcIdem.
Barca portugueza Constante II = idem.
KECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 7 .
dem do dia 8.....
1112
o85
GE-
18:261*163
2:100*421
20:365*284
CONSULADO PROVINCIAL
Uendimento do dia 1 a 7 3 663*4*3
Idem do dia 8....... 4:182*741
39:818*204
Alada aaawatfto ArateanfM ,.
Fbi-no* enviada a atura U, do mandado ne des-
pejo qne o juia nwnrpal soppttnte a exercicio
expemo conini o lamnte-earunei Caar Gavat-
canli, nroptlettrto 4o onfmbo Aratangil, inti-
maqdo-o para que ao retire inctnlmente I
Tranaerevemus euaeea perifrina, para qne o
MOVMENTO DO PORTO.
------------------------_---------.---------
Navios entrados no dia 8.
Rio de Janeiro e portes intermedios 7 dias. va-
por m-asiieiro Paran, de 840 tonelada*, com-
mandante o capitn de fragata Santa Barbara,
equipagem 62, carga differootes gneros; a A.
L. de O. Aosvedo & C.
Penedo par Macei2 dias, vapor brasileiro Ja-
guaribe, de 459 toneladas, commandante Honra,
eqoipagem 23, carga varios gneros; a Compa-
nhia Pernambucana.
Goyanna 8 huras, vapor brasileiro Parahuha,
de 184 toneladas, commandante MeHo, equtua-
gem 16, em lastro; a Companhia Pernambu-
cana.
JVnwot sahiios no nmm dia.
Rio da PrataPataca henpaoaoi nita, capitio
Francisco 8urt, carga a*suear.
Penedo por MaceiVapor brasileiro Jequi, oon-
mandanto Anrredo, carga vario genero*.
Segn amanha, afirn de tomar conta de sna (publico aja o como esta aqefte jan procedende,
frogueaa, o virtuoso saeerdoo Frederieo do Al-
'-' e AlbnqaWibe, deixanaV) neste L
icados ojian .popularidad m
um mnistro do altar.
por paos o per pedraa, eemo- te dia vnlaW-
a ponte de baixar um Wmdail dasaar-
para cuja execucao cenata qne requisUra
ara mandado de coate cima, da que nio ba
fio m fMMro de violencia e arbitrariedades
nS
iditie:
_ o> Aquioo F-ioseca, cavalteiro da imperial
orden da Rosa, lene .te-coronel ceonnandanto m
aoi-t^hodeartlharia dagiiai^nnnionaj
Reat, e presidente dajmtM d jwaliflra..
da paroenia, i i
t.
;>i.i
r aqnom iatereaaar poa ana domin-
go B io correota mez, ter lugar a segunda ren-
wio do eeoteue do qu*lineac5o da paroebia de


ofi injuuL %lthuh-

&
'.ouduiuWwH el,t ohatQ
s\ n^ST"W3E5 CifllcatYCS, mitii__
vcriio ser entregue, n;i firma
to n. I,1K> de f*H&W&?l
monto* ijummv 4
rns- qjj
rido paswgew pora a reserva, a qual
asNll horas da
do Cor|io-Sant'
Qnartel do q
ria da guarda
1869.

jjmiIuiw te 'rttuimu Mil, lU^gjO
ui" i > i un vi
da igreja
de artilha-
7 de junho de
de Aquino Fonsaca,
Tencnt-coroael presidente.

BECLARACOES.
Manta Casa 4a Misericordia do
Reclfp.
A filma. Junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia da Itocife manda fzer putilico qnc na
sala de suas sesscs, na da i(* fe junho, pelas
qtiatro lioras da^tol tem do seArreniatadas
quem mais va|pgs |%ri^oliltempo de um
tres ann'is. roalas Sos [retos ini seguida de-
claradas :
BSfAflKtJX.ttUS.N'IOS DE GAIUDADE.
Rua Deita.
..l,rSaddo#'ttsailarts ii. 8. 1:0(17*000
lina < radjre Florian
Casa terrea i. 4:.....
dem ld*m n. I ...**
dem u. 47. 41)......
Rua das Calcadas.
Casa terrea n. 30 '. .
dem idem n. 3i......
dam idem n. 38......
Una do Calabouco.
Caa terrea n. 18 3003000
47MOO
170*000
177JOOO
168S000
1783000
dem n. 20........ 2*25000
Rua da Cadeia.
Sobrad* de um andar n. 23 6843000
Rua da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37. 763000
Segundo andar dito...... 963000
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1....... 1000000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Larqe do Pe raizo.
Primeiro andar do sobrado n. 29. 2313000
"I.-toja da frente....... 161*000
2. toja da travessa...... 121*000
-3.* dita dita ....... 73*000
Rua das Larangeira>.
Casa terrea n. 5...... 193*000
Prara da Boa Vista.
Sobrado de dous anclares n. 13 1.200*000
Rua de S. Gonzalo.
Casa terrea n. 22...... 190*000
Idem idem n 24. f 196*000
Rua do Sebo.
Casa terrea n. 13...... 218*000
Rua dos Pires
Casa terrea n. 53....... 144*000
Bu a da Madre de Deus
1. e andares do sobrado n. 1. 300*000
Loia do mesmo....... 800*000
Sobrado de um andar n. 24 1:087*000
dem de dous andados n. 26. 800*000
Casa terrea n. 10....... 530*000
Idem idem n. 10 A...... 240*000
dem n. 4......... 1:051*000
Azeite de Peixe.
Sobrad de um andar n. 63 650*000
Casa terrea n. 2...... 452*000
Rua da Cacimba.
Casa terrea n. 8....... 150*000
Idem idem n. 12...... 146*000
dem idem n. 10. ... 86*000
Rua do Burgos.
Casa terrea n. 19...... 146*000
dem n. 21 m 146*000
Rua do Vicario.
Sobrado de tres andares n. 22. 852*000
!. andar do sobrado n. 27. 240*000
2. andar do dte....... 195*000
Rua do Encantamento.
Casa terrea n. 7....... 200*000
dem idem 9....... 200*000
Praca de Pedro II.
Segunda andar do sobrado n. 33. 501*000
Madre de Deur.
Sobrado de um andar n. 9. 360*000
Casa terrea n. 22....... 1:000*000
Becco das Beias:
Sobrado de dous andares n. 10.. 366*000
Rua do Amorim.
Casa terrea n. 24...... 84*000
Rua da Cruz.
Sobrado o 12........ S80*000
Rua do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................ 146*000
dem idoin n. 103.................. 20**000
Idem idem n. 101 ................. 203*000
dem n. 89....................... 2425000
dem n. 2......................... 76*000
dem n. 110..................... 203*000
dem n. 104...................... 181*000
Idem n. 98........................ 203*000
dem n. 96......................., 202*000
dem n. 94........................ 240*000
dem n. 100......., ,. ..........,. .. 201*000
Sitio n. 5 no Fot no da Cal........... 150*000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematacao as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cite, 20 de mato de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza,
Conselho de compras
navaes.
O conselho contrata no dia 10 do corrente mez,
sob as condicues do estylo, e vista de propostas
recebida at as 11 horas da manilla, por tempo
de um anno, a decorrer do Io de julho prximo
vindouro, o fornecimento de ambulancias aos na-
vios da armada, e de medicamentos enfermara
de marinha, assim como os servieos de barbeiro
mesma enfermara, e da respectiva lavagem de
roupa ; e contrata mais por igual forma o forne-
rimunto no trimestre prximo vindouro de julho a
setembro dos seguntes objectos de fardamento :
Para aprendizes artiflees.
Bonets do uniforme, bonets do servido, blusas
de panno azul, blusas de brim branco, blusas de
algodao azul, caigas de brim brancu, calcas de al-
godao azul, camisas de algodao? inho, cobertores
de la, cobertores de algodao, calcas de panno
azul, colches de linho cuetos do palha, fronhas
de algodaozinho, lencos de seda preta para grava-
tas, lencoes de algodaozinho, sap?t5es, saceos de
puardar roupa, e travesseiros de linho chetos de
palha.
Para imperiaes marinheiros e aprendi-
zes ditos.
Bonets de panno azul, camisas de brim branco,
calcas de. algodao azul, camisas de algodo azul,
calcas de panno azul, calcas de brim branco, ca -
misas de Saeta azul, tendo o corpa 3 palmos de
comprmeme e as mangas 2, inclusive ns punhos,
lar de tas de panno azul, lencos de seda preta para
gravatas, sapatdes, c saceos de tona para mari-
nnagem.
liwwro;
Silla u" uuuiwtli
fardetas de brim
i stre,
icos d
m* avulsos.
blusas de algodao azul,
ata o conselho, no da 10 do cor-
lento ao navios da armada^
mariiuia no trimestarpr^i
a seietBDro, de cangica ou
pilado, carne verde,:-* de milho sem ser puado
ala das sessjjes do. dliselho de compras navaes
OseJCatcl .
itoMtpm wm*j*
i de brim brfiHLlfuerra de Putfmimbuco
JosB
lias
as de panni
[de algodo
fambem
fte, o fornei
eleciinentos
ouro de ju
|^"^BW LUTijvillv
e 1869.
PBClor,
vaffJ,
lo
Santa Gasa de BKseri
cordia do Beoife*a

ailioinistimi\a (ja Santa
*fre Recite, recebe pro-
|brnecmento dos objectos prc-
secrctaria da mesma Santa
a relaco abaixo, pelas i
do
II
lflma.
Ci) rlr< Mi:
po tas para
('i: us para
Capa, confu
hoi-as da tar
sala de suas
Papel pautadoFiume, resma.
THem dem liso, dcni
dem idem linlio azul, idem.
dem linho liso, idem.
dem para olliaos, timbrado.
dem florete. I
dem linho, pablado.'
Hollanda grande, caderno
dem Jes, idem.
klem Kesin. idem.?
dem idem. dem.
Iderf Ec, idem.
Mata borro, folha.
Par de pastas para guardar pepeis.
Pennasde ac Perry.
Caetas.
P3es de obreias.
Tinteiros de latao.
Garrafas de tinta.
Taloes de conliecimentos (impressoes e
encardenacao).
Livros em branco de 16 pollegadas.
Livro sem branco estreitos.
Livros em branco 13 pollegadas.
Lapis pretos.
dem de cor.
Pedras de louza n. I para o collegio.
dem n. 2, idem.
dem n. 3, idem.
Creies duzia, idem.
Tinta preta, garrafa.
Fita de linho, duzia.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia
do Recifc, 4 de junho de 1869.
O escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa da Misericordia
do Eecife.
A Illma. junta administrativa da Santa Caa
de Misericordia do Recfe, na sala de suas sessoes,
pelas 4 horas da tarde do da 17 do corrente, re-
cebe prop'istas para o fornecimento de pao e bola-
cha, que houverem de ser consumidos em todos os
estabelecimentos pios seu cargo, tanto desta ci-
dade como da de Olinda, nos mezes de julho a
setembro vindouros.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recfe, 4 de junho de 1869.
O escrivao,
Ped'-o Rodrigues de Souza.
O administrador do consulado
no dia 10 do correte^
da mesma repartici
hasta publica 32 caixas com sa"
a Antonio Pedro de Mello e
pelo conferentejos Luiz de Souza .
a~)yr&d* difTtosfc'ijnfci
de Pe
as 11 horas i o
sei a.) levad
Bpprehend}
Le te & Card
cuja a
uc >,
O administrador.
_.',; Anlnio: vmm> Machado fi't
Adflwwrtrat de-eowew de Pwnamku* *de I
jnniio 'Te ifm.
1 dwwi^w) r,
Domitigos d*l\.*ns.Miranda: .
r/Mtil>A IVf f11 r\rrrwT i unirn t mT t
. IIWI lirfrn.l rt linA.TTCJ UtABa
0E
AVISOS MARTIMOS.
Precisa-se de um> bom
gado Rosario n. 44.
na rua lar-
*rt l
eSMPA
llEBrii
^Jrrnovamente convidac
'i-^dw^te,ffisrtr?
Srs accidl-
rem-se ei i
rente m< "
a(l mei Hia nn ociripti-iri .la iriPema ri)fl
Cabug n. 16, para em conformidade dos
seus estatutos deliberar sobre as eontas do
anno findo, approvar o orfamento vindouro
e eli'uer a nova administracao: devendo-
se prevonir <|ue njlo tendo os Srs. accio-
nistas comparecido em numero legal na
primeira reunio para hpje convocada, rea-
lisar-sc-haassembla geral com o numero
de accionistas que comparecer na nova
reunio para a qual ficam de novo convo-
cados segundo acba-s* prescripto no art.
23 dos respectivos estatutos.
Escriptorio da companhia 7 de junho
de 1860.
0 secretario
I)i. l'iaredes Gomes de So/iza Pitanga.
.Ni da II do corrente depois da audiencia
do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos, tem de r em
praca publica perante o mesmo juizo, a escrava
Mara, cabra, idade de 19 a 20 annos, com algu-
inas habilidades e do servico domestico, servindo
de base para arrematacao a offerta de 1:100*000
a qual vai a praca a requerimento do conseuhor
da dita escrava, Leonardo Jos Pe reir.
Iaspefcao do arsenal d
marinha.
Faz-sc publico que a commisso de peritos,
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854 e casco, machina, caldeira. apparelho,
niastreaco. veame, amarras e ancoras do va-
por Moleque, propriedade do liaran do Llvramento,
acbou todos eses objectos em estado de poder o
vapor navegar.
fnspecco do arsenal de marinha de Pernambu-
co 8 de junho de 1869.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
No da 9 do corrente, a casa terrea de pe-
drae cal, no Peres,fregnezia dos Afogados, defronte
do engenho do mesmo nome.com 4 quartos.cozinha
lora e estribara, 3 janellas na frente, 2 salas,
portas e janellas nos oitoes, com um pequeo sitio
com minias fructeiras, e cacimba, tendo 100 pal-
mos de frente e 300 de fundo, portao ao lado, por
1:000*000, a ultima praca ; o escriplo acha-se
em mao do porteiro.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
A Illma. junta administrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recfe, na sala de suas sessoes,
pelas 3 horas da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe proposlas para o fornecimento de gneros
que houverem de ser consumidos em todos os esta-
belecimentos pios sen cargo, tanto nesta cidade
como na de Olinda, nos mezes de julho a setembro
vindouros. <
A saber :
Assucar refinado, kilogramma.
Dito de i' sorte, idem.
Dito de torrao, idem.
Aletria, dem.
Arroz do Maralo, idem.
Azeite-doce, litro.
Agurdente, idem.
Azeite de carrapato, idem.
Bacalho, kilogramma.
Batatas, idem.
Caf em grao, dem.
Cha preto, idem.
Cha hysson, idem.
Ceblas, cento.
Carne verde, kilogramma.
Carne seeca, idem.
Farinha de mandioca, litro.
Fumo do-Rio, kilogramma.
Feijao molatinho, litro.
Farello, sacco.
Manteiga franceza, kilogramma.
Peixe fresco, idem.
Sabo, idem.
Sal, litro.
Velas de carnauba, idem.
Ditas stearinas, kilogramma.
Vinagre, litro.
Vinho tinto de Lisboa, idem.
Dito branco, idem.
Toucinho, kilogrammo.
Os concorrentes poderlo apresentar suas pro-
postas em cartas fechadas, as quaes deverao ter a
ordem estabelecida no presente annuncio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Keeife, 4 de junho de 186!).
O escrivao,
Pairo Rodrigues de souza.
Conselho de compras do arsenal
de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o segninte :
46 pares de botins.
1 camisa de mota,
58 tongos.
38 pares de luvas.
58 pares do mea.
142*raras de algodaozinho.
As pessoas que qoizerem vender ditos artigas
RelacSo das cartas registradas existentes na
administraco do correio desta cidade,
para os seguintes senhores abaixo decla-
clarados.
Alvaro Ucha V. Rrasil, Augusto Muniz Macha-
do, Antonio Gomes Pires Cunha, Antonio Jos
Maia, Antonio Morera Porto, Carlos Augusto Ri-
beiro, Cosmo Jos dos Santos Callado, Damas da
Carnauba, tenente-coronel Domingos Alves Ma-
theos, desembargador Francisco Domngues da
Silva. Francisco Antonio Pedroso de Albuquerque,
Dr. Francisco de Carvalho Soares Brando, Fran-
cisco Ignacio Pinto, Francisco Vieira Perdigo, D.
Gulhermina de Siqueira e Silva, Ismael Cesar
Duarte Ribeiro, Francisco Smoltz, Joaquim Caeta-
no da Silva, capito Jos Joaquim Pereira de Oli-
veira, Jos Mara Ferreira da Cunha, Jos Morei-
ra da Silva (2), Jos da Silva Rogo Braga, Luiz
Antonio de Siqueira, Luiz Gonyalves da Silva, Mau-
rilio Pontes Lins S., Manoel Aristdes Fernandos
Vieira, Senhorinha Maria da Conceico Costa, Dr.
Silvino Cavalcanti de Albuquerque.
Administraco do correio de Pernambuco 8 de
junho de 186*9.
O administrador,
Domneos dos Passos Miranda.
ORREIO GERAL
do sul peto
abaixo di-
CO-JEIMflII.t
D.VS
Hfessageries hiiper

At o dia 14*10 corrente mez espera-se da Eti'
ropa o apor francoz ixtrtnn idure, i qual denois
da demora do costumo-segul para Babia e Ra
de Janeiro.
Para eood!et*5s, fretes e passagensMrta-se ns
agencia na do i'.oinmeiclo n !).
COMPANHIA PERNAA1BUCANA
IiK .
ViTCsaoSo costelra por vapor.
Macei>, escalas, Pene O vap-.r Potenai-, commandante
Percira, seguir para os portes cima
_ no dia lo do corrente as 5 horas da
tarde. Recebe carga ateo dia 14, encommemlas.
passageiros e dinheire a fete at as 2 horas
da tarde do dia da sabida no escriptorio do For-
te do Mattos n. t2.
Para Lisboa
Segu com toda a,brevidadcarbanr portugueza
Constante III, por j ter parte da carga proinpta ;
para o que me falta e passageiro, trata-se com os
consignatarios Oliveira, Filhos & G, largo do Cor-
po Santo n. 19, ou com o capillo na praca do
commercio.

passagens i-ihnheiro a frei*
tarde no escrijitorio Jo Forte
Ilha deST
r1^'
lo
Par o por i o aciiiu se/rue nd
o patacho parJgaz juryeme pW
quasi toda a carga : para o resroil^
passapeiros, par es fjnaes tem bello ommeis.
trata-se com o consignatario Julo do Rjegd Ijdu,
rija do Apollo n. i.
raonn*'
- BRS e
t-f
Para o Rio-Grande do
Sul.
Deve seguir dentro em poucos das a
barca nacional Thereza Ia, e anda recebe
atguma carga frote: a tratar na rua do
Vigario i 1, escriptorio de Baltar, Oli-
veira & C.
COMPAMA BifflEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 9 de junho o vapor
Cruzeiro d Sul, commandante
Alcoforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
do su).
Desde j recebem-se passaiieiros e engaja;se a
carga que o vapor poder condwzir, a qual dver
ser embarcada no dia desuaehegada. Encommen-
das e dinheiro a frote at as daas horas do dia da
sua sabida.
Nio se recebem como encoinmendas seno ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a_ t.
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia rua da Cruz n. 57,
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C.

do terreno com sobrad d fcm andar n. 17, em
trras propnas, sita a rua do-lima, outr'ora vha-
nad sito do AraC. ttoje denominadoCasa do
Sde do Sr. Dr. Ramos, en .Santo Amaro
a 10 do corrente
O agente Oliveira competentemente autnrisado,
far lailodo excellenle predio supramencitiado :
J(ME.
ao meio-dia em ponto,, podenb os pretendenles
examina-lo com antocalnca, a escripti.iarfs-
peetiva em mo do mesmo agente, a rua da Ca-
deia n. 4 primeiro andar, onde se far o leilao.
Otolu^o a*t| *r^
tereysar, que t^^JjfflQf. (testa eWade, fica
Jos Martins'm'SiwP rasMnte procura-
cao van tratar (tos seus negocios. No eslabeleci-'
comn mevmfl esmero e pftfnVfflftr Jf-feeonheci-
dos, tcjdo sempre dos mlhores pianos edos ma
afnate.-fal*toml|i da-Erop*5.
assigoado continnac a merecer a- mesma cf
HcBrie Vogeley.
-------------------.,_^--------_
Em ua casa de familia, a rua estreha
do Rosaiion. 35 t" andar, l'ornecese coe-
dorias para fura, mandando-se levar nas
rasas qtie- nao tiverem portadbr, e garan-
liodo-se oaceio, pronaptido e eommodida-
d no preco, portanto cotlvida-Se aos Srs.
esludantes e negociantes a honrar-nos com
a-; suas assignaturw.
PORTO POR L1M
Para os portos cima segu com brevidade a
barca portagueza Ctementina, tem parto do seu
carregamento engajado, e para o resto que Ihe
falta, trata-se com os consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, rua da Cruz n. 57.
L
De om piano de jacarando, 1 mobilia eom 1'
sof, 1- mesa e 2 consolo-com pedra, 4 cadeira
de braeos e 12 di guarnilo de Jacaranda, i-can-
delabro, 4castcaes e mangas, 1 relogio, t rico
quadro, desean o de ps (doarad ,s). porta msi-
cas, mesinhas, 1 dita de charlo, 1 mesa iie.es-
crintorio, 1 jugo de gamao, 1 eama franceza, l
nuarda ronpa, 1 commod, mesas de jacaran
d, 1- lote de esteira para forro de sala, 2 cadeiras
de balaiico, 1 mesa elstica, 1 apparador, 1. ap
parelho de porcelana branca para jantar, leuca
para cha, copos, clices, garrafas, talberes, 1
quartmheira, 1 cabide, I sola. 12 cadeiras, mesas
e outros objecles de casa cto familia.
*c\ta-feira 11 de jnuh
Na 2o andar do sobt^ado da rua da Impe-
ratrian. 54.
O agente Pinto far leilao por conta cto- imi
familia que m dou de residencia, dos mi)veis e
mais objectos cima mencionados existentes no 2o
andar do sobrado da: riw da Imperatriz n. ;ti, on-
de se ei'i'eetuara o leilao.
Principiar as 10 horas.
LLAO"
A 11 rio corrate.
No de Ignacio Luiz de Rrito Tuborda. annun-
ciado para este dia por inlervenco do agente
Oliveira, estrada de Jlo Fernande* Mieira n.
58, vender-se-ha alm da mobilia um soberbo fa-
queiro completo ptura grande mesa, um. galhetei-
ro, um porta lieos e urna salva grande, tudo lin-
damente lavrado o de prata a mais Una, bem co-
mo um appareliio Je metal superlativo para cha e
caf, nao desmereeendo em lappareucia da me-
Ihor prata, e com igual utilidad.-.
sa-
C0.MP.\NH1A PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco eosteira por vapor.
Goyanna
O vapor Parakyba, com-
mandante Mello, seguir para
o porto cima no dia 16 do cor-
rente as 9 horas da noite. Itecebe
carga, eneommenda?, passageiros
e dmteiro a irete no escriptorio Forte do Mat-
toe n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegando costeira por vapor.
Porto de Gallinbas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Parakyba, oommandante
Mello, segoir para os portos cima
no dia 10 do corrente a mea noite.
Recebe carga, enoommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, n > escriptorio do Forte do Mattos
n. 12.
2L
Para o Porto
Relaclo das cartas registradas rindas
vapor Paran, para os senhores
clarados :
Azevedo & Coelbo, Arthur de Carvallw Moura,
Dr. Augusto Fredertco de Oliveira (2), Dr. Anto-
nio H. de Souza Bandera, Fr. Antonio de S. Ca-
imito de Lelles, Antonio Vicente do N. Feitosa,
conselheiro Caetaiio Jos da Silva Santiago, D.
Francisca Brgida de Mello, padre- Francisco Jos
Tavarcs Gama,ffr. Julio Adolpho Ribas, D. Joa-
quina Mana do Sacramento, Dr. Joaquim A. Br-
relo N. de Araujo, Dr. Joaquim Jos da Fonseea,
Joao Antonio Gomes Guimaraes, Jlo da Ctinlu
Soares Guimarles, Jos da Costa Hispo, Jos Car-
los Marink Pires Nabuco, Joa Victorino da Silvs
Azevedo, D. Mara Zeferua Lessa, Miguel Ferreira
Das dos Santos, Manoel de Almeida Cardoso, Ma-
noel Duarte Rodrigues, Manoel Ribeiro de Carva-
lho, Porfirio de Oliveira Machado, Prente Vianiv*
&C.
Administraco do correio de Pernambuco, 8 do
junho de 1869.
O administrador,
Dsminhos dos Pasaos Miranda.
CORREIO GERAL
Pela administraco do correio desta cidade s
faz publico que boje (9) pelas 3 horas da tard
fechar-sc-hao, nara os portas do norte as malat
que o vapor brasileiro Parani tem de conduzir.
Os jornaes serio recebidos at meio da, e *
eartas a registrar at 1 hora.
As cartas ordinarias postas-no correio, at met
hora, depois de findo o praso cima declarado rt
eeber-se-hao com o porte duplo.
A barca portugueza, de primeira marcha, Nov
Sympalhia, tendo quasi toda a sua carga a bordo,
deve seguir impreterivelinente para a porto cima
indicado at o da 10 do corrente mez, e recebe
ainda alguma carga e passageiros, onereeondo a
estes ricos e excellcntes commodos : a tratar na
rua do Vigario n. 11, Io andar, escriptorio de
Baltar, Oliveira & C.________________
LEILAO
a 11
COMPAiNHlA PEUNAMBUCANA.
DE
Xavegaeao costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarac e Granja.
O vapor Phapama, commandante
Torras, seguir para os portos cima
no di 15 do corrente as 5 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 14, enoom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete al as
} horas da tarde do dia da sabida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.

le predios rom terreno-
do correte.
Ignacio Luiz de Brito Taborda, far leilao por
interveBcao do agente Oliveira, da sua bem co-
nbecida esplendida casa de campo, assobradada,
recen teniente construida (pouco faltando dos em>
bellesamestosl com toda a solidez e primor da ar
te, tendo dos fados dous magnficos portees com
gradaras de ferro e calcamcnto de- lagedo de pe-
ara era frente da rua e juntamente o sitio em que
se acha edificada, com maisdnas easinhas na ex-
trema opposta ao oitio, sito no ameno e apetecido
lugar da estrada de Joao Fernaodes Vieira e.. 58,
prximo a igreja da Solodade.
a casa alem de sor espacosa, de apurado gosio
e pcrfec5o, rebocada teida por fra e parta por
dentro de finos azulejos,- tem nos fundos e ao lado
cozinha com fogio moderno, casa com ta*ue
para banhos, forrado tambera de azulejo, enca-
namentos para agua e gai, commodos para crea-
dos, estribara e cocheira espac.was, o mo gal-
nlieiros e curral para vaeeas e outros misteres.
Tendo o sitio, inteiramente murado 317,pannos de
frente e cerca de 900 de fundo, pode ser repar-
tido e vendido emires, totes, um do ladoem que
se acha a casa descripta, outro do opposto com
duas easinhas, e o teijeiro sendo o terreno de
permeio que pode aproveitar-se paca nova edifi.-
cacao, ou tudo conjuntamente a aprasimento dos
pretendentes.
Serlo tarabem vendidos em separado 36 mag-
nifieos vasos de relevo e doze figuras emblemti-
cas para adorno de jardim, um riquissimo carro
(coupc) de quatco rodas com arreios completo in-
teiramente novos, e outro carro americano de
quatro rodaf. eom arreios, todo tanto monta no
mesmo estado de novos, assim como a mobilia
existente na indicada expleadida casa grande, cu-
jos commodos e repartimeatos, como pinturas a
fresco, forros de papel priaorosos, ladrilbo mosai-
co de algiwaas salas revulhande luxo, nlo deixa-
rao de attrahir admirara*) pela belleza do todo.
SEXTA-FEIRA
as Ib boias da manhaa ter principio o leilao na
indicada propriedade, estrada de Jlo Fernandes
Vieira n. 38.
Irmandade do *antissto
crameato do lleeBb.
De ordem da m-sa regedora, convido a
todos os ra5rts, aoe-porentes e anirgos dos
linados commendadop Manoel Joio d'Amo-
rtm e Jos Francisco Ribeiro, a compafe-
eerem nesta matris bus das 10 e 11 do
corrente pntM-7'hoflos- da manhaa afim de
assistirenv s nissa de memento e- rquiem
que esta irmandado manda celebrar por al-
ma dos (hados, sendo no dia I (J pe lo pri-
meiro, e nodia 11 pelo segando.
t>scriv-ao,.
Jeito da Omita Magalhamt Jnior.
Irmaiidade os Passos na
mat? do Gorpo Sito.
Em nerae da mesa regedora, sao convi-
dados todos os irmos a comparecerem na
mencionatia matriz nos dias 10 e II do
presente mez as 7. horas da ma&ha para
assistiretnas missas- d wiementtte requmii
que a me-^tna irn&ndade manda celebrar,
no primeiro dos dias pelo tinado Manoel
Joao d'Amorim, o do segundo por Jos6
Francisco Ribeiro, e bem assim as fami-
lias e amigos, dos-m satos finados que qoi-
zerem, ignar-se m comparecer.
O escriv,.
/. /. Lima Unirn.
1
PARA LSI80A
JrSeguir eom a maior brevidade possivel o bri-
gue portuguez Constante I. por j ter grande par-
te da carga prompta ; para o restante e passagei-
ros, trata-se com os consignatarios Oliveira, Filhos
& C, largo do Corpo Santo n. 19, ou com o capi-
llo na praca do cemmercro.____________
AVISOS DIVERSOS.
Para o Porto
Pretende seguir no da 9 do corrente a barca
portugueza Seguranza, por j ter o seu carrega-
mento prompto : recebe passageiros, para os
quaes tem ptimos commodos : trata-se com Cu-
nha, Irmlos & C rua da Madre de Dos n. 34,
ou com o capillo a bordo.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GEOGMPHICO
PHHBU&NO.
llavera sessao ordinaria quinta-feira 10
do corrente junno, pelas i 1 boras da ma-
nhaa.
ORDEM DO DIA
Pareceres e mais trabalhos de commis-
ses.
Secretaria do Instituto, 7 de unho
1869.
Jos Soares de Azevedo,
Secret rio perpetuo.
de
Henriquo Vogeley, snbdito allemao, retira-se
para Europa a tratar de sua saude.
Soc' Martima.
Pela directora sao convidados todos os
socios para asssistirem a missa do stimo
di;;, que so tem de celebrar por atoa do
nosso irmao. Maaoel Francisco de- Jess
Ppima, na matriz do Corpo Santa no-dia 12
do corrente as 6 horas da wnha.
Secretaria,da sociedade Uni3o Banecen-
e Martima, em Pernambuco, 9 de junho
de 1869.
Io secretario,
Joao tmliiyurs Hvandao.
H8R&3J9U3 WBlMUffll HMtt HflMi
O D. MoJos Ferreira de Aguiar, ~
3 tendo de ausentar-se desta cidade por
B algn lempo, deixa incumbidos-de suas
causas e escriptorio os Srs. Des. Amero
M Manoel (te Medeiros Furtado a-Julio Ao-
W6 gusto da Cunha (.turnarais, devendo a
BMt correspwideneia ser dirigida a este ii!-
5 mo, rua do Imperador n. ?>, primeiro
fij andar.
Negrinha.
Precisa-se de um;..para andar com um menino
na.rua da Scnzalla Nova n. 3H, primeiro andar.
B-se um cento de res a premio sobre n* -
potheca em casas: na rua Direita n. 14, padaua
se dir quem d.___________________________
Contina fgido o eseravo de nonie Denc-
diclo, pertenoente ao abaixo assi^nado, cornos
sigaaes seguintes : preto fulo, altara regular,
falta do dentes da parte superior, ps grandes,
mnlto ladino, e pooea barba. Sunpde-se estar
acoutado nesta cidade, d'onde fugio com una mu-
lata perteneente D Genoveva Correa de- Araujo
Albuquerqpe, tambe eom os signaos seguintes :
esbeltos annellados, nariz chato, falta de dentes da
parle superior, pea pequeos, tendo em o direito
urna cicatriz, urna belide no olho esquerdo e altu-
ra regular. Os senhores tanto do eseravo como da
escrava protstala contra qualquer que os toaba
acoutado, pelos damnos eausados, bem como, ro-
gara s autoridades polieiaes ou qiiaesqpcr oatras
pessoas que se dignom de faze-los capturar e
mandar levar ao escriptorio de Leal & Irmao, que
reeompensario com gnerosidade.
Luiz de Albuquerque.Maranikao.
Do engenho Jacobina, freguezia do Cabo, na
noite de 6 para 7 do corrente, fngram os escravos
seguintes : Salvador, criouto, cor preta, baxo,
grosse, idade de 44 annos mais ou menos, barba
j pintada, rosto redondo e trabafha de cara pina.
Este eseravo foi comprado ao Sr. Francisco Jos
de Arcujo, morador na cidade do ReciteManoel,
preto, alto, barbado, bom corpo, pernas nnas,etem
a falla um pouco descansada, representa ter 20
annos mais ou menos. Levou calQa de algodao
americano, camisa de madapolio j velha e cha-
peo de couro : este eseravo foi comprado ao Sr.
Joas Mariano de S, morador em Moxot, para
onde desconfla-se ter seguido. Roga-se s autori-
dades polieiaes e aos capitaes de campo a anfre-
bensao dos. referidos eseravo, o enlrega-loa.ao
seu senhor Antonio Carneiro Lins e Mello, no en-
genho cima referido.
Offerece-se
urna mulher para casa de familia para coser e
andar com criancas e far alguns engommados,
afflanca-se a conducta : na Boa-Vista becco das
Barreiras n. 9.
HUA
DO
CABUGI
esquina
da rua larga do
Rosario.
2L5H5H5E5H5E5E5H5E 5HHE 5Z53SE5H5H5H5E5E55S5
AO ANNEL DE OURO
r* m
HA
EO
esquina
DE ^--------- .
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igualJ
e vende por presos que nenhuma outra casa pode vender. |a raa iarg.a
vista da qualidade e do jyepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.1
Garante-se ser ^udo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario,
vados.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
k a rvuttlim-
do]
t*k|i
n
1
ii _:

/HmrUr^ K
m itonfnii *


( MBTI1AW I
1
r


r-


i> yti i. *
Diario de Parnanabuco Quaria aira 9 de Juoho tle 1S69.
r

*******
C0MPANH1A
DOS
TMLHOS BBAHOS
DO
RECIFE A* I-IM1IA.
Por orclem da directora sin convidados
os Srs. accionistas effectuarera no prazo
de 13 dias (a contar do 1 de junho de
1869) a segunda presttcao de suas aceces
narazaoe 10 0/0. Para esse Jim sera
encontrado o tliesoureiro, desde s H llo-
ras da manhaa s 2 da tarde de todos os
dias uteis, no escriptorio da companhia
ra do Commercio n. 32, *' andar.
O art. 8.dos estatutos dispe que o ac-
cionista que n3o realisar a importancia das
prestacoes nos prazos determinados perde-
r em favor da companhia a prestarlo an-
trwi mente pdga.
Recife, fN de maio de 8b9.
Tlieo. Jusi.
Io secretario
Precisa-so"~~de um menino para criado, de
.dadede 14 anuos : a tratar ua ra da Cmlea n.
=r=r
~ >
23=
mam
Acbaado-se Valeriano Manso da Cos-
ta Reis, frfda administra^So de seus bens
blicada aa* joraaet aeiU cidade, de novo
previno a (odias as pessoas a que possa
interessar, que elle nao aat autorisado a
fazer contrato de especie alguma e que
nenhum debito por elle coatraliido ser
pago.
O curador.
Gervasio Mdri&mQmpello.
Bolle e bouquets para
Santo Antonio
Na ra estreita do Rosario sobrado de
om andar n. 35, faz-so "bollo de encommen-
da para Samo Antonio o S. Joao, sendo as
encommendas feitas 3 dias antes; bollos
enfeitados proprios para presentes, e tem
para vender bouqutets para enfeilar bollos,
par. todo preco e a qualquer ora que se
procure; prepara-se bandejas de bollos
para baile e casamento, ludo por barato
proco.
Vaha M sabir kn "> opnscnl iuiiUil.ido
Vma Hcan *ofcw as teteu eifininaes t m retar-
so-amb* La a cxposi.yw a [arma didaetiea de
tudo iii.:.: i arba esUlwlecide sr-vjitetai ma-
sera prlalegistacao em vigor; h-dialho de sum-
,11a ulilid.ule au f para as pessoas
nao
poi
Imperador, ^elo precu de t jOOO
"_ Precisa "se 'le uina'hoa coninheira para casa
de uiua familia, e nao precisa fazer compras : na
roa do Raagel n. 7-se dita aondo e.^_______
Frederico Maia
escota
O commendador Tasso,
desoja, alagar por mdico
pre;o as baixas e alaga-
dos do seo sitio ,'to Co-
cthda, s quaesVatr des-
le iponte da estrada no-
va ele Beberibe atrraasi
a esu-u- vuua ao logar de Agua Fria,
comprebendehdo orna grande ilha, qual
assim como as referidas baixas se prestam
multo plantacSo de capim-, arroz e-qnal-
quer outras plantas que preisam de trra
fresca todo o anno.
O referido ,cpro.mqndador nao duvida fa-
zer arrendamato deases terrenos e alaga-
dos por t ou mesmo 9 armos, e dar um
anno de fogo oiorto a quem der flanea
idnea e se obrigoe a rotear os mesmos.
NA L VBARJA FRANCEZA
l'All V AS FKSTAS DE SAMO ANTONIO, S. JOO E
S. PV.DR0
A CHUNA d. 4Sl
Collecrito de sortes para homens o se- al pessoa : aa ra do Rangel
nhoras contendo mais a phrenologia das > ._-------------------;------------
damas, Varios jugos para sociedade, chara-1 ^q C0111D16rC0
das enigmas etc. ele, etc., accrescenlada, .- t
imU.-om.M-antodis mocas Francisco de Olivena tranco e Jos
Vm volume ntidamente impasto 1 -HJOO ; Victorino de Souza, atem publico para sci-
Eflcontra-se tefflbm .testa livraria, .j,,,; enerado respeitavel corpo do commercio,
completo sotlimonto de litros e carties le |q solvern anugavelmente a socieda-
deres para o mesmo ivertimento das de quetmham no elabeleameato
Ama
Procisa-se de urna ama para lodo servio de
familias.
NA IjIYII.IIKI V nt \\c ir/v
Nocoes de grammattcas para o uso da
de ta-
berna cito na do ftingel n. 3, que gira-
va sobre a firma social de Oliveira A Souza,
por terem vendido o dito estabelecimento
livre e desembaracado aos Srs, Ferreira de
" r nuil
ITBWA ATIGA E U91TATA
PA1R1CA
IHCORTll 11 C0R1T1TIII1TI III CtlFLUI SIIT1IIRTI II
CHAES || itfi:
De todas as qualidades I
De todos os feitios I
De tedas os presos 1
i
RA DO CRESPO N' 4
Tracain-se
a notas do banco do Brasil fi eahas fltiae*,
om descont mnito razoavel : na praca d tafc-
tendeocia n. ti.
Ha muita necessidade de se tallar rom o Sr.
Procopio de Senna Santiago, na rna Dirata n. 53,
a negocio que naolhe de ve sprestranho. ___
Acha-se fufMa ttH iUi meze a preta es-
crava, de nacioi de one Maria,com 10 anno de
idade, baixa e cor fola, consta que d ser forra, t
anda vc-ndendo na fregaezia la Boa-Visla, con
urna bandeja pintada de encarnado, cm que
fnirio : irralica-se bem a noem a apprenender e
leva-la a ra Imperial n. 103. _____
COMPANHIA PERNAM6UGAM
infancia, extrahktas da prammatica portu- Irmj0> n0 dia 23 m gueza do Sr. F. SWero dos Res por letro; rPliran(k).se ;rmbos OSSOcios pagos e satis-
o ta.Mlwn. para BS de onl a qu e KJ^ NDes Leal.
sane uuis ou mono-; a todo? W 8 mieie>sa
ha-se vena i na livraria Universa* a a-do PreCO.
:CK rs.
pagos
[ fcitos dos fundos que tinham na predita
! sociedade, e com quanto julgam nada dover
NcMl fdico wenw)iadameito aagmen- (le saa cxtincta firma social, rogam todava
tada._________________-_____________|;-, quem se julgar credor por qualquer titu-
Victorino Antonio Martins, antigo pro- |0 a apresentar Ihes sua conta no prazo
fessor de primeiras letlras, presta-se a li-! de G dias, Recife :$ de jwtio de 1869.
ftoes para casas particulares ao sexo fe-
Clrurg dentisia pela
4c medicina
do Hio de lauciro.
Tem a honra de participar ao rcspcitavel pulil1-
co destacapitl eseus suburbios que tem aborto o
sea gabinete do consultas a np.racocs detitaria a
ra UretU a. li. primeiro andar, onde pode ser | niu|n,.r |v
procurado todos os dias das 8 horas da man as; m and;
3 datanl-.. Elle acha-se competentemente habili-
tado para rom perfeicao collocar dejitos artiriciae?
porquaimicrdnssNsiomas^bem assim oasempe-
nhar qualquer outro trabajho poncernentea sua
proflssao. O mesmo, reeonhecendo que nemsem
ao
minino : os que desse mister precisaren!
dirijam-se ra da Santa Cruz n. tQ.
ATTENCAO
O altaixo assignado Ur. sciente ao respeitavel
publico e especialmeiite ao corpo do commercio
desta pra^a, que no dia 25 de abril do eorrente
anno, MaNti com o negocio que tintia na roa, do
ltangel n. 3, tan de sua firma, como da que ulti-
cm-sc de urna ima de leu*. inelere-sc a n)i,menle exstia de Oliveira & Snuia, e que nada
C'OSEfHIO DE IIBKFXI \0
Os Senhores.Saunders Brothers & C. Tasso
Irmos. Luiz Antonio de Siqueira.
CEREKTE
O SR. F. F. BORGFS
Na antiga fabrica de fogos de artificio da viuva
Rulino. existe um completo sortimento de rodi-
nbas, craveiros pistolas, objecLw proprios para
os festejos das nites de Santo Anfomo e S. Joao,
tudo por conimodo preco, e como seja a fabrica
distante da cidade, as pessoas que quizerera fa-
zer suas encommendas, poderao leva-las no arma-
zem da bola amarella, no oitao da secretaila da
polica, onde tambem acharu as amosti
Joaquim Ferreira dos Santos, profes-
sor de cianea, cliegado ltimamente da Eu-
ropa a esta provincia, tem a lionra de par-
ticipar a seus Ilustres habitantes, e mui
principalmente aos dignos chefes de familias
que lecciona em danra debaixo de loda a
regra na casa de sua residencia.- ra do
Imperader n. 75 dc andar, nas Itiras, e
quintas-feiras, das 3 horas da tarde, at s
10 da noute, e aos domingos de maulia e
a noute. PromptiQcaudo-se tambem, a ir
as casas particulares e collegios" nos dias
que i ara isso Ihe designarem.
Hl\ li LEU
PicciM-se de unta ima de leite. prelere-s(
re e sein dllio : ua
ndar.
ra das Cruzas n.
Hcot ilevendo desta, como daquella ; porm se
| alguem se julgar sen eredar, aprsente seus docu-
! montos na ra doLivran enUt, sobrado n. 1, no
; praso do seis dias. a contar de hoje, para ser pago.
Serve-se o annnnciante- do ensejo para scienlideer
a todas as possoas que lite sao deved.iras, que ve-
| nham saldar suas cuntas para se evitar de serem
procurador.
Na typ'Warihia do LilmraJ, n. 48, ra j avisad >s iudicialmenle peto s*
do Imperador, existem fometos fnwwM l!^,lu 4'^J^'^lk'oUveira Franco
contendo o programmd do centro liberal,
re nossivel s senboras ou cnaAS aiurum a
proejar o remedio, offerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
ura a qualquer chamado semqueissoinfluacousa;........~ i---c.;-------- ^,
alguma na cbromoHade dos bHbcos de skus traba-!, ig quaes se vendem coimnodaineote.______ Losilineiro
lhos,equando para fra deila assim ntesmo ser "n,^7.i,^t7aS1,ar"ona ii"fo*a"nu"escra"" i li-eci$a-se disum cor.hAeiro que-s^a perltm,
*; va para eaMiam|re cosnbar para ama pequen;,. preere^ tocw-x pa^a-s.-.ben. ^.adaqilo
familia na povoacao do Monteiro : dirija-se ao
l.u'uo do Corpo Santo n. 19._____"____________
Criado
l'recisa-se de um criado liel a diligente, livre ou
csciavo, para una casa de familia : a tratar na
precedido de um ajuste tasoavel, gatanuudo elle a
sjgurancae perfetco Je seus ditos trabalhos. Em
-eu gabiii ;< se encontrar constantemente encl-
lente pos dentifricio, elixir c outros modicamen-
tos odonialgicos : a ra DireiU n. 12, primeiro'
andar. ____
Ainda restara atgomas colleccoes de -
Biographias de aIguns poetas, e outros ho- r_a Bell. J 7, obrajk. de dom, andaos
mens illusltvs da provincia de. Pernambuco.
tres tomos escriptos pelo commendador A.
J. de Mello: rna Augusta b. 04.
AMA
tratar erm J uge r.isso, rifi do Ainorjia n_ S7.
AK'ga-se a ioja do sobrado u. 42, sita na ira-
ca da loa-VisU. tendo eomiuotlos para pialquei
stabeleciinento : a tralar na ra do Alecri.it
n. ao.
Precisa-s de um lttUM>in para feitor de en-
genna i Mtar ni ra do (Ano n. 32. casa com
jiorto de. (h ; ^^_^______
Atteitclio
Precisa-se arrendar una broDriedaili' 1"o f*''0
terreno apropnado paja triaeao de pdo, e plan-
tces, e que eslea prmimo a^ilsuin poyoado nao
distante do Recife : na ra Dftita n. io se infor
mar.
Precisa-m Ear oeM o Sr. Joao Fdutuio
Marques, empreg-i.Jo na aliande^a : na ra Nova
o. 28, a negocio de ^"o intasesse.
Para cseriptorlo
Aluga-sc o i andar do sobrado da ra do Vi-
gario n. o : a tratar no urnuMn do mesmo.
um Siib.ado veliticarlo do novo o com connividos
para familia, em Santo Amaro n. 17, estrada de
"linda ; a trata. name*ma, ounapraca da Inde-
pMwencia 38. ____ ^^__
Da-se, s.ib qualquer quantia.ou mesmo co.n-
pra-se'ou aluga-se urna uejfrinlia que sirva para
andar com moa criatiija : na ra do Padre Flo-
riano n. 71. 2o andar.
Precisase arrendar om sitio que tenha pro-
potfBes para ler vaccas. e trra para hortalicn,
sendo perto desta cidade : a tratar na na Dfretta
n we.__________________________________
" Na ra r*. Francisco n. i2, prepara.n-se
bandejas com bolos para casamento* o bailes,
assim como para os festejos de Santo Antonio e S.
Joao, com gostoe porfeijap.
EMPRESTnWO SOBRE
Restando ainda emittir algumas 'aeces d'csta companhia, da quantia nominal de
OOijOOO cada urna, das quaes s seaceitam em virtude dalei, 20/0, ou 405000 poi-
cada acc3o; convida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e intere?sas no commercio, que quoiram dar emprego seguro aos seus
capilaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes que Ihes approuver.
Algumas desUs aeces j tem sido tomadas por pessoas que conbeotan a vantagem,
de.na presente occasilo (conhecidamente1 a melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem .dispr em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ibes garan-
tan seus capitaes.
A companhia possue hoje 10 vapores, Ginteiramente novos, edestes o ultimo est
a ebegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando'vsstos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido de 10 7o ao anno, nos ltimos 4 annos.
As accoes que se emitlirera gozam dos mosmos direitos, c perceberSo o beneficio
dos mesmos dividendos que os antigos em proporco da entrada.
Heeebem-se asignaturas no escrfptorio da companhia no seu edmeio ao caes da *Sgf&E&%^
Assemblea n. 12 cultura, das artes engenbaria e archileclura, d(
sciencias. de historia rcographia e viagen, de pe-
dagoga, de pintura e msica, de phojograpitia, de
caqa, do magnetismo, de maconaaria, de spiri-
tino, etc. As assignaturas pagamse no acto di
subscrever.
I.IVHUUA FlUXCtvZA.
Precisa-se de tima mulher que saiba engommar
para urna casa de familia : a tratar na rna da
Cadeia do Kecifo n. 18, andar.______________
llwjo SC
urna preta escrava (|ue sirva para tomar conta d<
um t. boleiro de fazendas e vender na rita : a
tratar na ra do Crespo n. 20.
Agencia de joruaes
Rna do Crespo n. 9.
Nesla casa recebem-se assignatnras para todo-
os jornaes de Europa e Brasil, polilicos, Ilitera-
rios, Ilustrados, de leitura, de modas para senbo-
ras, de figulinos para alfaiates, cabetleireiros, cha-
pellaria, de religio, de philosophia, de direilo, de
Vistas ilo Pernambuco
Eiiconlra-se na livraria franceza urna nova e
lindissi.na coiteocao de tres visus da cidade do
Iteeile, dundit o panorama, da owmmJ do porto x o
das frewoda de Santo Antnti e S. Jos.
PHECO WiUflO
9RA )0 CHESPOlt
J. O. C. Doyte,
para a Europa.
subdito britannico, retlra-se
Resta venda un
ecij e Burew'eria,
iCOlhido oHimento de ol)-'
-mo sejam, mobilias de ja- ^^
A mesa regedora da irmandade 4o Divino Es- j
pililo Santo, cm atteoc.o aos donativos que loram I
deixados a mesma irmandade, pelos finados bispo i
. Joao da Pnrif.cacao Marques Perdigan, Jos
1 Francisco Ribeiro e Manoel Joao de Amorim, e 1
cuinpriudo as disposicoes do art. 32 de seu com-
promisso, manda celebrar cm sita igrejapor cada
um dos mesmos finados e no
dos pelas 7 horas da ruanhita
rquiem e memento. A mesara mesa regedora
cqbv la a todos os prenles e amigos dos tinados a
asfstirem a este earidoso aciones seus respecti-
vos'das : assim romo igualmente eonvida aos Ve-
vareado setbores sacerdotes que quizerem cele-
bi'ar nii.-.-a resada por : lina dos mesmos finados,
cerem na me-n.a igreja nos mencionados
rauda,mognoea.uoello, obra nacionaleestri- f\'\ *'^^^T^0^I^J[f
^aXS'com ,'rf^ao aVo. iSSBS' RSESfirir thSBtSftlSllt
iSEM LIMITE.)
\a iravfssa da ra
I das Crnzes n, 2, pri-
1 meiro andar, da-se pal-
quer quantia sobre oiiro.
prata e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est nas condicoes de ga-
rantir a tranbaccjSo que se fizer em
sua casa, prometiendo iodo e zelo
e ronsideraeao s pessoas que se
dignarera de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes. Ws
mmmm mwm wmsm
LvgUbSSS i Cosinlieira eugoinmadeira
Paca-se bom aluguel por duas escravas, para
fftsinhar o eagommar para tuna pequea fami-
ia : em S. Jos do Manguind casa n. 2, aHtes de
ebegar a igreja. .________ i
' ftn'caea de THEORO CHUST
ANSEN, ra da Cruz n. 18, eneontram-se
efectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, Boorgogne e.do Rheno._______
Prccsa-se de -ma ama: na ma do
q. 31.
_ l'iedsa--e atufar urna
para oaat de p >ica n.JJa :
Rosario n. 'Mi. 2' andar.
ama de mei* idaile
na ra estroila do
Recife, 7 de juuhO de 1*09.
(i sorlvao,
_______Ju'i'iiuia Fiajirifca da Ojiva Juniov.
Fundioao da Aurora Irmandade do Divino
Espirito Santo
Xe-~te vasto estabelecimente sempre. se eocontra
um completo sortimento de taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas recentemente, e se fabrican)
de quaiquur jJde a vonuQe dos compradores, e
rec/is razpoa^gjg .
? Jos Antonio da Silva Aacliado e Luiz
Goncalvef da Costa', late ao res-
pitavel corpo do eVjmmrcio, que tem dis-
olvido amigavclniciil'.' :i sociedade que ti-
nham no cstalxbciment de.miudezas a
rea do Cabula u. 42. qne .irava -sobra A
razo social de Machado A Cosa, ficando
o mesmo estalvledrnonlo com todo "
ao e pass va, cargo do ex-sono
e o cx-socio Costa pago de seu capital,
oros c desoneraflb de ||fclqiier resp
lidade. Recife 4 de junio de 1869,
M Jos tioncalr.es do. Cosa*
Jos Antonio do silva MorhoW
Por rdem da mesa regedora convido a todos
os nossos caros irmaus a comparecerem eVn nossa
ipreja nos dias 9, 10 o H do^orrente pelas 6 c
uieia boras da maoliaa, am de assistirmos aos
sulTragios que i irmandade manda fazer por alma
dos linados. hispo LI. Joao da Puriea^o 'Marques
Perdigao, Jos Fraucisc lbeiro e lianool Joao de
.Vuiurim. A^fc
i;Recife, 7 de junbo de li6t>.
O escrWao,
Juaquim Francisco da $ilra Jnior.
spSVe
co.umerciH,
!pa a Bfr'oclo
lo seu e-tar-
''>. o seu ca-
nardo Amo-
P.ris, 36mmWTenef W*

CH^iLL! *i icitj
! EPURATIF
SANG
JLUS ot
< OPAHU
SINTBJUliAUAS DESStXUAKS, AS
IS ryrTArff.AS. F. ALTERACQESDO SANGUB.
t. herpe, mHm
'Omixoei,acrimonia,e
l'erf oe, victotai do um-
vinu. alltrmce*
*0 M*g. (Atrope vkfUal MI MrMriOtJM>
MUfu ******* BtAJlHa Nlltmiif
to^ao-i* dout por hwiii. (oiDdo o iracuatiM
wralivo : entregado nas muau boImum.
I JUU lFop Citraeto U
len CHARLE, un
iaaadiiUMalaqaalfMr
puraacao, nlaxacao,
_ i debilidad*, ifful.
o fluxoi floree branca* du BHiim,-
m&vtzr* -""* *
Pi4 ^m a cora mi tm *$,
POMADA ANTIHSP.PETICA
LULAS VEGETAE3 DEPURATIVAJl
aKittaw ntiiijpinnjm
'i ;>uaixo assignado participa ao re
puWico com .'speci*lid|de ao
que Uiido de retirar-fe |jara a
o temporariamente deixrjna g
euCo uto ra d;i Cadei
do o r. Carlos 'Fres* e o Sr
nio do h:sp(rito Santo l'-pi, e ti
toncados e b.iliilitadu- para e
portant i as seus avigts e fr
matin a diSp-nsar a me*jna coi
-fsemp se ignaram nonra-lo, corto
ordens serao executada? com a;lo e actividade.
francisco tt. XXwtt.
- Precisa-se de um lioiiiem i|ue jenha bonita
letlra e alguma pratica de escriptitraclo
iteamitc aa-
m. rtoga-ie
s que conti-
a, com que
de i|u*jiua<
Fendo perdido o abaiao aasigoado quatro quar-
to- de biihetes da lotera do Rio do Janeiro, sendo
osiimneros 341 e 4803, pertcncoiites i loeria
124 A, e os d. 2077 c 47( perteneeutes lote
ra 283 : portanto se previne a todas as pessoas
que eojtaatanrdescontar btthetC9>remi.idns, quel
nao facatn negocio algm, caso tfltiue-lbes [ion
sortealgum premio, os quaes estavate dentm de
una carteirinba de algiboira. Recife 7 de junbo
de 19.
Eduardo Luiz Cerqueira.
Attencao
Precisa-se fallar com o Sr. Antonio Vidal do^
Santos,official da guara ri.icion.il, a negocio de
muito seu interesal : na ra da (nwecutciz n.
86. toja. ________________________
Boga-se ao.Sr. Joao l/.idmo de Nojosa Vare-
jan, o favor de comparecer no largo do torpo San-
io n. 19 (pa\iaiuento lerreoj: negocio de son in
leresse.
VVISO.
I.
OMMIllItU
UWtliitl.
I I IIII II ,1. ,,,,
Xa ra Itireita n. 2, Ioja de lunileiro, ou no
povoado dos Montes,- precisa aloLo assignado
entender-se com o Sr. Manad Cafls de Souza a
pegoeio do seu inferesse ;'JJto no-praso de tres
ias. Recife tS de maio flol 809.
'edfo Dtiarte Rodrignes Franca.
15*ma da Imperatriz15
CONFEITARIA E CAF FRANCEZ
MiKETE i: (ki:hi;
TODAS AS QUINTAS-FEIRAS E DOMINGOS
Caf, cha. ehocoiate o bofas tdos os dias (lePrle 9 horas
da maulia.
O abaixoassigaado Lv.-publico, qde o
cravo .jBenedicto, cujos signaes estio patentes bolla
__--------------------,--------------------.------------------------... -----------------------------------------
So dia 7 do eorrente fugki da casa do .abai |
xo assignado a sua escrava de nome MhriaJlnto-
nia, Meao AAgola, idade 35 unos pouco mais ot.
ular.!
menos, cobb os sipnaes sogulntes : altura regn

'

JRCENSE
O abaixo assignado, capUa do petaebo pwtu-
ntagi^/tlhojtraaA^ uina aratriz nopatto co* s,mJofyen^ %cla^ 00sr. Melte. em iwp*>ta
eu m-\ (irmeipio de frwidade, levando nas. orelhas uuia* r"
mercan-
til : a tratar jia "ra da. l'raia 47 "3 andar, das
10-horas da manbaa s 4 ata tarde.
Preeisa-se aloyar um oseravo para o servico
de padaria : a tratar na ra Imperial n. 183.
No oafrtnceK re da I iw-
perairiz n. 15, precisa-se deum
criado, on escra'ro para o servido
interno.
O abaixo assignado taz sciente ao commercio
e ao publico, que nesta data nao deve nada pes-
sOa algiuna, neui inesino indirectamente, nesta pra-
c.a, neni fura 'ella ; c se algnem se jttgar sen
credor, presente sua unta ou titulo, que senda
legal, sera immediatamente pago.
Recife, 8 de junlio de 1.869.
nfonw Dmingot Pinto,
'nutr tofardto filan, mtinua a i'atar
cuito pelos dous senhores de bem. que assim di*-
rspeiaado o decoro publico, amibam, e como
que esearnecem da aotoridade Com elTeito, nin-
j^ieiu, que ito aqueles.4ousi.senhQjes c bem
U'i'ia a anintsidade, um e oandar e outro de re-
ceber e aedutar um escrpvo fgido n'um estabele
cimento publico, para oj* efflwwva|o.Bhi o ti
reram mudar de nome I
|~ abaixo assigDai), partaio ajjdajleaia vez
recorte aos moia entra poiiae, isla por diffe-
rerwa a si proprio, ao contrario teria dado urna
qr.eia formal, para atpial se aeha munido-de s
bellas provas, contra qb taes setrtiores, qae delde
o uia 22 de abril prximo passado aeoutam o es-
cravo Benedicto. Se, porm, taes meios forem im-
proficaos, forcar-me-hao a tratar a queixa perant
o Sr. Dr. chle de polWi.
Recife, 6 de junho de 1869.
^onpniM S. turna dt que-xa Cavaicmti,
veril
saia c casaco de chita rd\?, chales
rog
co:
Rosario
aoTmnni'iciO'pnhlicadu no Diario He PernavOmco
de 8 do eorrente, sob a epigraphe- Exigencia,
nao tJJjBsciencia de ter recebido caixo
n parHB*egar S. S., e nem mesmo dos li-
!Vfr i nielhantp, caixao; mas que nap obslanteaaresen-
Firuwo Ftnmi LeaT>,-? ramdo^ S-BrtnWnr ....r^qUqilgr tu-
Precisa- si de nma ama forra ou captiva pa- lo que pTdte," o Que teVi "a bondade de aftlrmar.
^afosiwiar e-coaaiuttr : ua ra de 8. (francisco suraiatisjeij*j jewjfeuria como quapdi, e da raa-
a 54. ueim 'litflo Oliveira.
e Im aznl vm Parra de venas .
s- autoridades polieiaes e a fluem anals
e a pegaren e levare a ra larga 4o
0.12.
AM A Y NO
ma mulher forra ou escrava Tpnc' l\. "' lk^/xT
Aluga-se nma nogrinha de 12 anuos, pre-
pria para aniar eota eriaTBea e que cose costa**
chaa : quem precisar, dirija-se a ra Direita a.
24, padaria.
Precisa-se de urna mUther forra ou escrava
engomme e ensaMe, para urna casa de familia : a I Vende.se-no Diario do hontem, n. 128, nr**>
tratar na ra da Cadeia do Recife n. 18, segundo Buncjo de |ei|Eo ,,, ^^ ^ Sr Tabord.f, ^hW. Al
****** .....________ raa de Joao Fernandes Vietra, avisa-se ao publico
Precisa-se alagar 7tma oscrava Tara cozi- .que as janellas, que^de urna das casas deiUm para
npar : a pessoa que tiver, pode vir tratar no pateo o qttintal da casa da mesma roa n. 6*, foram
da Terco n. 63, qoe se pagar bom alqcuel. 'W^fk^WlttySmWftiWKt mf pi*iVliaflo =**
-----:r-2:--------":--------:r cafe, s for Isso feftuff*erem tapadas.
Precisa-se de um cawe*ro que tenlia prettea
de padaria, ou me>-mo de taberna
pateo do Tercu a. 63.
a ',nrlar' no Precisa-se de orna ama
'n. 45.
na ra de Horta9
Tendo-.-e ilesenca.ninl.ado hoje urna Ida i*
quantia de seis rentos mil ris aceita pelos Sr-
AnIonio Gomes Pires & C. saecada emudemai'
prximo passado a prazo de cinco i.nczes, sern es-
lar ainda sellada e sem nome do saccador, (endo-
se j prevenido os aceitantes de nao a pagar.se-
no a Manoel Alvos Ferreira A C, proprietarios da
diUt letra : roga-se porianto do quem achon.
lazer o favor do entregar na ra da Moeda n.
segundo andar. Recile. 7 de junho de 188S.
Innaiidaile do \ossa sentara h
Rom consellio.
be ordem de nos-o iimi jui. ronwido toflo-
os menlbros da mesa admiubtniliva da irmandad'-
acadmica de Nossa Scnhora do Bom C.onselho a
comparecerem uo consjsmrio da irmandade, ni-
dia 10 do eorrente, as ID e meia horas da manha
aftm de tratar-e dos iiiteresees d'ella.
Consistorio da irmandedo acadmica do R*m
Conse'no, em 7 de |noho de l O secretario,
Jo< Furtildn de MtHdiimrn.
ogos artiiciaes, na ma Sm
n. 39. Ioja de ferragens de
Souza k (awnares.
Os proprietarios deste estabelecinieril i avisaui
ao respeilavel publico que oxistem a. amostras dos
mais hados fogos artificiaos para os f.stejos dos
dias dos gloriosos Santo Antonio, S. Joao e S. Pe
dro, das melhores fabricas desta* cidade, assim
como diversas qualidades de fogos chmezes, pro-
prios para senboras e criancas, cnmprcliendendo
tamben) urna nova qualldade rio traques amrricn
noe, os quaes admira sua bondade pHo eu pe-
queo tamanbq. o que s com a presenta dos Cotn-
pradores. poderao certitlcar-se da verdade.
O ibabeo ansignailo declara a todas as pessoa.-
queeostnmnm flescontar bilhetos premiados di
hrteria do Rio de Janeiro, que rtio descontem o
quarlo de bilhete da lotera n. 124 A n. 1888, m
o qual ludia ae*oeiaUo o i-..Juiu Manoel Mendes
da Cunlia Asevedo. e ambos tibiamos asignad-
na* costas do 4er ette se perdi-
do. Recife, 7 de junho de 1869.Eduardw Lu:
l'.erfne.ira._______________________
- O abaixo assignado declara, que pjatj"
um Brasilian llank.la i|*ujl| de 60*lfa|o
^qua j deu avis aoUrff*banco, para-iJtli")
jtagar se nao elle proprio.
Recife, 7 de junho de 1869.
Jos Antonio Fernandes
CafalloimiiSus. \
Na madrugada de 17 de abril t!o eorrente ana--
furtaram do engenho Ponderama tres cayjlll-
senio um cstauho, astrado, bem gordo, pppma
eslrflla na testa, ^psiro mito vi.-io ; i aro
mel|ado, com pouco carrtffo, urna man b
um Ierro na qucixada direita ; e outro
anda do-baixp a meio, (em urna cruz_ fo MKfto
esquiado e ma
ped-se as autol
os ahprebender, o favor de mandar entr^ayyo
dnalengenho, queerao indemnisados de MMau
ajawra>.
m
dmari"
mapiita-etaM'^lta o'petcoco .
itdWtla les pohdaes ou a pesfca
er, o favor de mandar entrigyyo
que*erao indernaisados de Maas
ayas. ___ i.M...______ ..
20^ de gratificacS
Hontem (7) de tarde perdeu-se urja ;
ta dirigida a casa de Izidorio Bastos C,
tuniuta da ma do Imperad*-p afa a raadlo
Cr-spo: qnaiqoer que entr fw-a no> a. %?.
ma do Imperador Io andar, receber
20# de gratificaco.
v.



\
i
I
Diario de Pernambuco QaarU feira 9 de Junho de 1809.
DO
DR. P. A. LOBO MaSCOSO
3Ra da Gloria sitio do Fundao3
Consultas todos os das desdeas 7 horas da manhaa at as 14.
Visitas em casa dos doentes de 41 horas em diante, em caso urgente a qualquer
hora do da ou da noite.
Nao se recebem chamados se n3o por escripto em que declare o nome dapessoa,
toda na e o numero da casa.
Especialidade era partos, operaces, molestias de muflieres e meninos.
Cara radical tas molestias venreas, e dos estreitamentos da uthera.
Curas radical das molestias do tero, como ulceras, flores brancas, amenonia,
vegetacoes e catarrho, etc etc.
Recebe-se esciawM para tratar de molestias ou praticar-lhes. qualquer operacao
cirui'gica. Diaria 20000 excepto as ooeraces.
Os melhores remedios horoeopathicos conhecidos. por precos moito com-
modos.
A ESMERALDA
M,emraa
Sao convidados os 9rs. acelontsfa dwt coropa-
uhia para vir ou mandar seus procuradores^a es-
uc das Ciaco-Pbntas reeeber o Irduidende
4 Ma aecda*, ceaeoraente ao semestre fiado en
:| (fedtZi*ri>deM*.
Vita do Cal, 3 de jnn*o de m.
G. O. Jfem,
Superintendente.
WBIBIfllWKinilUKIBUIWM M
O coneeweire Jlo Srtwira de 9ou*
1a, tem aberto o seu escriptorio de
adogada, o* ra do Imperador n.
i I primeiro andar; entrada pelo
buceo.
NOVIDADE
Moreira Buarte & C. teudo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5. (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offereeem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
pra vel. Tambem compram ouro. prata e pe-
dras preciosas
\.5na docuiu y:;
DOS MNAZES
16-RUA DA CRUZ IB
& ASTOSIO, & JOIO E g. PEDRO.
Ha diariamente sortimento de bollinlios para cha, podas, paes de l, bollo inlez
presuntos, ditos em leambre, pastis de dill'erentes qualidades. Papis para sortes,
bolles simples e enfeita.Jos, ameftoes confutadas e confeitos. Vinhos linos engarrafa-
dos, superior cha Hisson, prcto e miudinho, fructa em xaropes, ditas seocas e ehrista-
sadas, assuca- candi, xaropos refrigerantes.
Recebe-se enconimendns de bandeijas para casamento, bailes e baptizados, com
bonitas armaces de assucar, sendo estas preferiveis as de papelao: bollos etc., pes
'le l enfeitados, qualquer encommenda para fra ser bem acondicionada.
- Precisa-se para o engenbo Jardim da
comarca de Pedras def ogo.proprredade do
Ilm. Sr. JoSo Aires de Carvalho Cesar, de
urna pesra que entenda de destillacSo e
mais servido de engenh preferiado-se por-
tuguez, a tratar no mesmo engenhe ou na
ra da Cadeia do Recife n. 22, escriptorio
de Joao Pereira Moritinho.
Acham-ss expostas venda na entrada da
estacao central dos Trunos Urbanos, no
Bazar Acadmico a ra da Imperatriz n. 13
o outros pontos desta cidade as excellentes
Pergnataa e respoatas eni versos
para a vespera e nolte de Santo
Antonio. *. Jofio. NautaMuna
Sk Pedro.
As perguntas sao engranadas e espiri-
tuosas: mas g.iardam o respeto devido
decencia e conveniencias sociaes : e as res-
postas que sao igualmente chistosas e in-
teressautes, produzem um effeito maravi-
hoso, em virtude de urna combinac5o ad
miraveimente engenhosa, que, fazendo com
que sejam sempre adaptadas s perguntas,
provoca nos salos em que ellas apparecem
vii'dadeii as e frecuentes salvas de palmas e
applausos.
Para melhor se apreciar to innocente
disaceao, que lende a operar urna completa
Irausformaco nos insulsos e vetustos brin-
quedos at agora usados as festivas noites
de S. Jo3o, Santo Antonio, Sant'Anna e S.
Pedro, dever-se-ha deitar o raasso das per-
guntas, depois de bem baralhadas, em um
vaso ou cesta; e o masso das respostas,
depois de igual operario, em outro vaso
semelhantc.
Em seguida a isso os homens encami-
nhar-se-hao para o lado em qiieestiver o
vaso das perguntas, e, tirando Bina destas
ao accaso, lero a mesma em voz alta, e de
modo que possa serouvida pelasenhora
a quem for dirigida e por todas as pessoas
que se acharem presentes.
Igual processo seguirao as seahoras, que
deverao responder immediatament, e tam-
bem de modo intelligvel.
A -excellencia de um tal passatempo, a sua
superioridade sobre todos os conhecidos e
actualmente usados as uoules de S. Joao,
est em poderem taes perguntas e repostas
reproduzir-se por assim dizer ao Infinito,
sem dar-se nunca, por mais qne as bara-
Ihem. um desparate, urna impropriedade
qualquer entre a pergunta e a resposta.
i borne prandCtiiM
uta de sefarad.. coro *;*us de capim
na estraipi
capella.
-----.----
COMPRAS.
Compra-se
owo e prala e pedras preeinsas, no^arco
d<"Coni?o, na loja de oarives, no'Re-
cie.
Compra-se moedas de ouro e prata, bem
como libras sterlinas por maior preco que
em ofrtra parte: na roa do Crespo n. 16
primeiro andar.
E a casa de Tticodoro Simn & C.
compra se a bom premio moedas de prata
de euabo velbo: Reeife, largo dt> Corpo
^an'o n. 21._______________________
Na praga da Independencia n. 33, loja de ou-
riwes, compra-suro,prala, e podras preciosas, e
vambem su faz qualnuer obra do encouiinenda, e
todo e qualqaer concert.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. compra-se ottro, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do j
que em mitra qualquer parle. _____
OURO E PRATA
Compra-se moedas de ouro e prata e
bem como libras slerlinas, na ra do Ca-
bug n. 9, relojoaria.
MOEDAS
DE
OURO K PRATA.
Compram-so, offerecendo-se_ muito maior van-
Ugcm ao vendedor : no Corarao de Ouro n. 21),
ra do Cabug.
Compra-se urna negrinha do 9 10 anuos
d dado : na ra do Pires n. 5.
VENDAS.
VERDAERAS
PIULAS de BLANCARD
coa lODUBCTo do raime inaltemavel
APPROVADAS HLA ACADEMIA DE MEDICINA DI PAKIS. C.
Possuindo h propriedades do loa t 4o farro. eoBren wpoefalmenu bh Amccote
KKonJIOSAS, a Tsica no principio,a fraqutia a tempera/manto tmbennos casos As
Falta os cor, amenorrhea, em que precisa reaoh sabr o SAffeus teja are restituir
ibe a la riqueza e almmkncia normaes, ou para provocar regular o wu cuwo periodieo.
M. B. O kxarelo d* ferr impuro od alterad* un medkameDto infle!, *
trrMante. Como prora de prese de eathenridade dei *erdeire. ri-
*>e>e Bleeeenl. deTe-e exirir dohm m
_ dere-e* xigir dosm eelle
aoseo flema, eqai reprodatida, qne te eeba n
_ le eere. DeTe-s* deeeonfi&r des f*ltr|eecoi>i.
k.**,,,^*!. ***** **0*****. "ftameentHce, me BeeeeeHe, 40, ^ertt
mu DA FORTUNA
Aos 4:00011
BILhetes garanridos.
A roa do Crespo n. 23 e casas do costme
6 abaixo assignado tendo vendio nos seusmui
to fefizes bnotei garantido 1 intuito n. 94 cora
a sorte de 4:000$, 1 .meio n. 123:! com a sorte
de 760, e outras. militen sortes cte 4604, W4 e
20* da lotera que se acabou de extrahir em be-
neficio da matriz de Flores (108*), convida aos
pos-midnres a virem reeeber seus respectrvos
premios ?em M descont das leis na casa -4a
Fortana ra do Crespo n. 23.
Achara-se a venda os da i' parta da lotaria a
beneficia da matriz do Xuribcca i KW) que se
eztrakir sabbado l do crrente.
Precos.
Bilhete.....4 000
Meio.....4000
Quarto.....14600
Em porcae de 14 para rima.
Bilhete.....31S00
Meio......U750
Quarto..... 875
Manoel Martina Fiuza-
iOPFIUO
P.ir.i una casa Je fimilla, precisa-so de um
bom copeiro, qu seja.bartante diligente e que dd
conhecimento de sua conducta : a tratar na ra
da Aurora n. i2.
0 MUSEO DE JOIAS

C/2
GOMES DE MATTQS lAMUOS ^-v'-
tendo feito completa mudanza em sen antigo e
| acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente | ^/l
das 6 horas da manhaa s 9 da nonte na
RA DO CABUG N, 4
onde encoiitrarao um completo sortimento da qtie ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeralda, rubins e tudo que em obra*
de ouro, prata e platina se pode desejar. 3HTflaeleiaAM
ADEnEQQS D BRILHAfITES, ESMfRftlDJ E BuBIHS essll
de hoyos gostos, assini oomo grande variedade de salvas e pfliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejasi,
Cmprame trocam ^uaji^ei joia. ou pedra, preciosa e garantem
a quahdade dos objectos vendidos.
OMS
Taberna
Vende-se a taberna ra ra da Concordia n. 94,
a qnal est bem aireguezada e tem pouciw fundos
propria para algum principame; o motivo da
vendadir-se-ha ao jretendente em particular : a
tratar na Ponte-Velha n. ti das 6 as ) da ma-
nhaa e desta hora em dame B'esta typographia
Batatas
a iiOO o gigo : na ra da Madre de Dos n. 7.
Gos eom 3o libras, muito boas.
.ios horticultores!!!
Sementes de hortalices e de flores mnito novas
cliegadas pelo aliimo navio de Hamburgo: a ra
Nova n. 60._____________________________
Ac de millo.
Xos arniazttis de Tasso /rroaos.
BARRIS DE SALITRE
No- armazens de Tasso Irmos.
Vende-se superior cera de carnauba em cas. por prc,o inais barato do que em outra quas-
quer parte : na loja do Pavao, ra da imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
Arantes na prac,a da Indepen-
da vendeiee bto
Botinas inglezas para homem a 8 $000.
dem idem para senboras a d000.
dem de cores canno baixo para menina a 3^000.
dem inglezas de couro para menino a 3000.
dem amazonas para meninas a 31000.
Socos de couro para meninos a 4 000.
Diversos sapatos para cranla a U00.
Botina- de diiraque preta para seahora a H#X).
Faz-se sciento ao respeilavel publkw que at
o dia 13 do corrente estao expo>tos venda na
ularia do Barbato, na villa, do Cabo, ama porcao
de mil canos de diversos tamanhos e grossnra;
Sortes de S. Joao
Na roa da Conceicao n. 36 vende-se bonitas sor-
tes a 3(000 o cento, recebe-se tambem qual.quer
encommenda de bollos bem feito c por commodo
preco. _________________^_________
RIVAL Si UDO
Ra do Queimadn, 49 c 57 loja
eh miudezas de Jos de Azeve-
dc Mata e Suva conhecido por
Jos Bigodinlu).
Est queimando todo qoanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazer novo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Carrafas com |ugua florida ver-
dadeiran ......
Garrafas com agua divina da me-
lhor qualidade ....
Latas cora superior baoba fran-
ceza ......
Caixascora 12 frascos de cheiros
proprio para mimos .
Dita com|6 frascos muito finos
Oleo baboza nmilo lino que s
a vista .....
Sabonetes de caiunga muito bo-
nito ......
Giixas de p de arroz muito
superior .....
Pecas de babadinlio com 10
varas .-.....
Caixas redondas enfilando tar-
taruga ......
Pecas de fita de cs qualquer
largura .....
Buenas para tinhas muito fi-
nas ......
Kscuvas para dentes fazenda
. inuito fina .....
Pulceiras de contas de cores
para meninos .
Caixas de linha branca do gaz
com 50 novellos .
Caixas de litilia branca do gaz
com :10 novellos .
Pecas de tranca lisa de todas
as cores .....
Resmas de papel paulado muito
fino ......
Pares de boloes para puuhos
muito bonito .
Libras de laa pa a bordados de
de toda *s cores ,. .
Pentes com costas de metal
muito finos .
Novellos de linha muito grande
para croxs .
Duzia de linha froxa para bot-
dado ......
Grosas de botoes madreperola
<^muto fino ...
Sabonete muito finos 30, 120,
lO, 240 e .....
Pecas de fita de la todas as
cores ...
Espelhos dourados paca parede
1,3000 e.....
Espelbos de Jacaranda muito
fino ......
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol i .
Pares de meias cruas para me-
ninos a......
Caivete muito fino com 1 fo-
lhas ......
Cartilhas da doutrina as mais
modernas .....
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos .
1^200
15500
200
2,5500
800
500
240
600
$m
l 500
fffoe
um
>iO
200
800
G0()
040
4000
120
8000
320
320
480
$800
>;oo
1500
2000
060
320
I 500
400
Vende-se a taberna a ra da CadeiaNova
n. 7, com os gneros ou mesmo s a armago, ou
se d sociedade quem entre com algum capital
e se encarregue da gerencia : a tratar n* ra do
Bangel n. 3. __________________
Vend- -se
urna carrosa < um cavallo com arreios
da Boa-Vista, botica n. 6.
na prara
Libra* Kierllna*
Vndem-se libras storlinas : no escriptorio de
Marques, Barrjs 4 C,no largo do Corpo Santo
n. 6, i" andar. _________^^^^^
AYISO
Na ra de Santa Cecilia n. 41, vendem-se mas-
as para bolos, com umita limpeza c pereigao.
(ALCAIIO BARATO.
Brozeguinp' da bezorre^ para homens a
3000.
Ditos de dito cordavo, Nanles, para di-
to* a uosm
Ditos de dito dito, jnglezes, para ditos a
ftjOOO .... :
Diefcsuie dito para menino e enanca- a
Bottnzinhos para meninos a 1W00.
SaprtCievde.couro com. salto pitfa senho-.
raa l00.
Vende-se na praca 'da Iodepencia n. 39j
loja de Porto & Bastos.
?VISO
Voode-se urna cabra muito boa de leite, eom
duas catritiufeas : na ra dos Prea n. 50.
Mssas para bolos
Vende-se massa de manduca multo fina, pro-
liria para bolos de baeia a 600 rs. a libra : na raa
dtevftresn. so.,_____________
Salitre
Vende-se salHre reflnado a o* a. arroba : na
ra do Queimado n. 30, loja de ferrageng.
i errenos a venda
Juvino Baodeira vende a retajho os lerrenpt
ten treiewtoi e tantes palmos de fnndf>, sites na
ra da Concordia, e na nevn rua.que Sea por dei
traz desta : para informa^des, na ra do Crespo
o. 1*.

Na ra do Crespi n. 6 se. diz quem veudaua
thim em porMto estad*, des neMre* MteHW.
e ner pe^e nenio razeavel : qoeM preteMC) IMM
wke-a iwrbweba, que pencas Vew BT^rtrlN
We^ljlll. m twm e lio barato.
I 200
Para fogus de Santo Antonio,
S. Joao e 8. Pedro.
LIMALHv DE FERRO (muito nova).
DITA DACO (idem).
DITA D'AGULHAS.
Vendem-se na botica e drogara de Bar-
tholomeu de C.
34RA LARGA DO R0ZARI034
*k> no progressu do pateo o
Manteca ingiera :i 640. 300, 4 e tiOO rs. a
libra, chaSFson a perol a 13800, 2-"ioo, U
:t290 a '
\}lk$ MOLES
DE
ALCATRAO
Remedo por excellencia para cura rpi-
da ecomJHeUa das coqueluches, bronchites,
catarrhos tosses convnislvas, escarros san-
guinos, outras molestias dopeito.
vi:\iii>si:
pharaiac1a e drogara
DB
Bartholomeu & C.
343IA LARGA DO ROSARIO34
S no Bazar da Moda
RA NOVA f. 60 ESQUINA DA DE S\N-
TOAMAttO SE VENDE
Para seBkora*
Lindos leques. a mltaco de san iak> a
2 e 2,5500 rs.
Ditos, com lentijnelas fazend fina a 3
e 4d0(i0.
Ditos elsticos, a imitacSo de maifim, 5$,
W, W e 45.JOOO.
Coques da ultima moda, Irlos e com re-
des de contas a 35, 3(5500 e 4000
Ditos cora lindos enfeiies a 40, 4#506,
50 e 50500 rs.
Ditos com botes de flor de laranja para
noivas a 50.
Dilos de cachos (alta novidade em Pa-
rs l) a G3O0O
Lindas chapelinas de palha da Italia e de
fil de seda, guarnecidas com ricos e ele-
gantes enfetes ultima moda a 150, 180
e2O0.
Chapeosinhos de vclndos de lindos mo-
delos a 150, 180 e 200000.
Ditos de palha da Italia muito bem en-
feitados a 12fl, 140 e 150000..
Ditos de pennas (novidade) para senboras
a 170000.
C.orriiihos de fil preto para luto a 90.
Chapeos de palha americana enfeitados a
44500 rs.
Ditos de seda para sol fazenda boa a
50.G05OO, 100 c 110000.
Basquinas de guipur branco bem enfi-
ladas e molde ultima moda a 150, i80
e 200000.
Ditas pretas com ricos enfeites de vi-
drilhos a 180 e 200000.
Sintos ricos de setim com lacos a 50,
60, 70, 80, 100 e 120000!
Urna linda e rica guamicao cor de rosa,
a Mara Rosa, (alta novidade) por 28000.
Grinaldas de flores muito lindas 50 6,
70 e 80000.
Canellas de flores de lanrajeiras para
noivas a 40500 e 50000.
Especial sortimento de gravatinhas pa a
senhoras.
Sintos de palba muito lindos a 30000.
Luvas de pelica a dnqueta, brancas, de
cores e pretas, o par 3#000.
' Blonde de seda preto c branco com sa.-
pi ios e ramafrens, o metro a 2<>50O, 30.
40800 C60OOO.
Enfeites de palha muito lindos para co-
ques a 10500 e 20000.
Guipur preto e guipur branco, fazenda
nova, para eapiohas, corp'mhos, basquines
etc. etc. benitos padioes, o metros 30OO'.
30500, 40, 40500. 50. e 60.
Grande sortimento de bicos e rendas d*
guipur lirancos, e prcUs rom f-o de seda
fazenda superior, de diversas larguras
precos milito baratos.
Espartilbos brancos c de cores muit(
bem fcilos a 30, 40, 50. 50500, 70 e 8
Enfeites para cabera especial sortiment
70. 80 e 90000.
Meias cras, fazenda superior, o par 20.
Corpinhos enfeitados de delicados gos-
tos a W e 18,5000.
Meios corpinhos do fil preto e branco a
20500.
Lindas e ricas guarnices de crea j
promptas para vestidos a 100, 120, H41
150000.
Borns de la e seda, moda elegante
200000.
Cachins de I3a de cores a 50, fi.->, o 8,;i.
PARA HOMENS.
Chapeos de sol, fazenda superior a 80.
100 e 15-5000
Chapeos de castor branco, fazenda fin,
e forma a moda imperial a 116000.
Corrente de plaque iguaes s d'ouro urna
por 80, 100 o 10O6O.
Bengalinhas de canna com eastlo df.
marfim a 40 e 50000.
! Ditas d'aco e lenhadas ultimo gosto a !,;
Ditas fantazta muito lindas a 10500 i
2,0000.
Bengalas fortes (parandar no Lopezja
20 e26500.
Chicotes para montara, le 10 a 50Oft
Camisas com pellos c colTarinbos de Hi-
olio di'iUidos muito hcaifcitos, ns. 38 c 39
a 50000.
E mu i tos outrosjirtigos lauto pata l>e>
mens como para senboras e cri ncas
assim como um completo e especial soflfe
ment de miudezas, ludo recebido de cu*
in proprio, e se vende mais barato do que
em qualquer parteno Bazar da Moda d*
JOS' DE SOZA SOARES & C.
HEDIDAS
no
NOVO SYSTEMA
0 Cariios da ra do Imperador n. 28
tem paritfender as medidas do novo syste-
ina merieo decimal tanto para seceos como
para lioaidos.
E' inteiramente ndispensavel s casas de
negocio cujas compras e vendas s5o effec-
tuadas a peso, a novata bella com indicador,
para de omento se conhecer a exacta re-
ducg2o x>s antigos pesos para os do novo
systemaicuja base o kilogramma, aconY-
panhandtt a mesma tabella urna outra pe
qual con) a mesma facilida le se condece o
preco cofrespondente entre um e outro sys-
tema. Recommenda-se de preferencia a
outra qAlquer tabella pela sua fcil com-
prehenslD, ainda para as pessoas menos ha-
bilitada*em commercio e calculo. Achar-
se veipa na ra do Imperador n. 28.
AOSrSBS. FOtUETEIROS
Bartholomeu &C.
SALIWE refinado de Ia qualidade.
ENXir'RE em cylittdH)
LIMAHA de ferro (muito nova).
DITAfciJ'aco (idem).
DITAvd'aguIhas.
E todas os mais preparados para os lin-
dos fogfp de cores a SI dfaftr
larga d| Rosario n. 3*i________
Pechincha
Vende#-se v4n- p*r* ***-: wrt#e d
boa qualHade, c bem acondicionados,, a. ISA a(!
eaixa, en|porcao o a rotalho : na ra do vigario
n. 17.
Hada puli avairfad
Na loi do PavSo .rua.da.lmportriea-
60, ven^B-se pecas de madapolio muito
bom, cdAoque de avaria,_ d agat doce,
por precpnnito rasoajrel*
nio Fd;o
raa nimia n.
Ha para vender ura completo sor-
timento de fogos artifieiaes, tanto
para Sras., como para criancas, pis-
tollas brancas e do ('ores, com 3,
*,. 5 t Malas l'ouiaiuui<. ciavei-
re?s, rodmhBS singello* e dobradas.
' fugtteinlios, buscaps, illumiua-
i ews baloes de-soda de 2 [i.isiiios du
MHnre^tC ele.. Meo por na
melhores artistas doate geuero.
Tambem ha para vender salitre, en-
xofre, breu, fio, facas p garfos
de divorsos probos qualidades,
bjiideijas finas quadradas e ovaes ;
alm do grande sortimento de fer-
ragens, miudeza, cuteai ias e trem
para cozijjia, etc, etc.
Ra Direita u. 53,1 oja de Manoel
liento de 0, Braga C.
g At que chegaram i
SYSTEMA MNIMA-
Grande- facuwa da 1,500 series de
pesos kilogrammas em series com
ptoUs de todoeTos teawQhos, me-
ibomsde comsrrleiiKter do que os
que tem-viff&tf o- feudo assim
,cmedids de -meUus. chegaram
1 somante de encommenda propria
naca a casa A Alanoel Rento de
Okreiro Braga A 6v, roa Direita n.
9 e cor' dtHilMiiffi^'de presos,
veAbAin.Cin-teaepo.
ivro de sortes paia
Sk'Joft ef Pedro
A PjrtRonissa. de Endor, inteirameate
HUriitop ainteressantes, a 640 rls o ei-
flUjllfc rru, 4ivia do Rosario o. *,
'y^a^addejaalo devJtir. na eoca-
dernacSopaiisienee- roa do Imperador
liwaria economict~ Nogueirt MedaiMS
a ra 'iu Cja^iu.


>JuHfeaVio< do PeAiaaiLuco Quaafc* feira ntm ohlio de 186.
-;<>3flBni
f 55-M M QID0-N, 55
IiOJTA DE RHUDEXAS
]"!:
1
Est queimando
rados pelo
Frascos com agua de colonia
Piver verdadcir a.....
Peales de travessa para meni-
nas a....... .
Thesouras para costura e
unhas a ........
Frascos com tinta a 100 rs e .
Libras de linlias para borbar .
N'o\ ellos de linha com 400 jar-
das a .........
Frascos com oleo de babosa .
Sabonete de todas as qualida-
des 80, 100, 10 00 e .
Babadioboa c entre-mcios a
', 600. 700, 800 e .
Garrafa cjii agua divina .
Groza de botoes de lonca a .
l'egas de fita para cs com 10
vam a........
Caixas de agulhas francesas a
Frascos com basta 320 e .
Gaixas com papel amisadc .
ito boira domada a .
Ditas envelopes a .
Sapatinlios de la para meninos
Pecas de tranca de caracol c
Pacis para barba a .
Pares de suspensores a .
Fraseos com agua de co onia
320, 400, 500 e.....
Pentes com costas de metal a
Carteiras de marroquim a
EIRA
os objectos abaixo deca
s prepos seguintes:
Gorra fas com tinta rocha
900 L- iros brancos para mitos. .
Pues de botoes para punho a
320 Frascos com chairan 400, 800,
i*0)e.........
400 Meias cruas para homens du-
400 zia a........
C$300 Ab itoartoras para rollete a .
Linha de 200 jardas duzia a
00 Cariao com corxetes 2 ordens
320 Hunecas de cera, todo pateco.
i:-)elhos rrran'lescom mwdara
240 aonrada......
Dilos peqaenos.....
i0QO| IVeas de Uta para debitua de
l;)O)
160
500
160
400
700
15000
500
400
200
200
800
320
400
vestido
Botoes de ac para cllete
Annil para roopa(P.) a. .
Galcadeirns para sapato. .
Redes pretas para cabellos a .
Gt'oza do botoes de aro para
calas a........
Libras de liabas de cor para li-
nha var costuras a .....
Tubos ou cbamins para can-
dieiro a gas a......
Globos para os dilos l:>500e
Trocidas para os ditos duzia
Pentes pretos para tirar piolhos
Coques mudo finos a .
fiaras trncelas a .
Ditas portnguezas a 120 e. .
800
200
200
3*200
4,5000
300
15200
80
2*000
200
500
1*200
3*000
100
600
200
1*000
300
2-5000
200
300
2*500
200
200
SAO MITO BARATAS
Superiores saias brancas bordadas a 5*, O*, 8* e 10*000 cada urna.
Ditas de cambria de escocia transparente j.i feilas a 6*000 cada urna.
Na loja das Columnas na ra do Crespo n, 13. de Antonia Correia de
Vasconcellos C.
OHIIIM DE 1101IUS l'llll HEDIDA
\. 45 RIJA DA r\I8ll
DE
W.
45
mis, i mi & &
SOB A D1RECCA07D0 MUITO HBIL ARTISTA
Lauriano, alfaiatc.
Os propietarios destenovo eslabelecimento, tendo experimentado a necessidaV
urgente de ter na direcco de sua officina de roupas por medida, mi artista perito, ten
contratado o Sr. Lauriano Jos de Barros para tal mister, convictos de que satisfar
com todo o capricho a vontade do freguez.
Tem o mesmo estabelecimento um bom s rtimemto de falencias proprias para
roupas de homem.comosejam: casimira de cor, indos padrees, completo sortimento de
pannos finos, preto e de cor, casimira preta, grande sortimento de brins brancos e de
cores, merinos de diversas qualidades, bombazini, lindos cortes de gorguro para cohete,
gorguro Pekin, superior qualidade.
Os freguezes encontrado ainda um variado sortimento de roupa feta. camisas
inglezas, collarinhos, ceroulas, grvalas pretas e de phantash, meias para homens, se-
nioras, meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bramante, atoalhado,
l.aloes de diversas cores e modelos, cambraias, malas para viagem, e oufros muitns ar-
tigo! que a modicidade de seus precos incita a comprar.
A ra da Cadeia n. 45
- PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARMACBUTICO, J, RU DES LIOIS-SMIT-MVL, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Com IODIRKTO de POTA88IO
0 Iodoreto de potasaio um verdadeiro altrame, om depurador de incoo lestavel effi-
caria; combinado com o zarope de cascas de laranjas amargas, e aturado
sem nerturbacio alguma pelos temperamentos os mais Iracos, sem alterar as funccoes
do estomago. As doses mathematicas que elle conten permiilem aos mdicos de receiial-o
para todas as complicaces Das afccces escrofulosas, tuberculosas, cance-
rosas e nos accidentes intermittentes e teroeiros; alm d sso, o
agente o mais poderoso conlra as doengas rheumaticas.
XAROPE TNICO ANTI-NERVOSO
de caica* de laranjas marcas.
35 annos de successos aitesto a sua effi-
cacia para corar: os doencas nervosas,
agudas ou rkronicas, as gastritis, gastral-
gias ; e facilitar a digesto.
XAROPE FERRUGINOSO
de cascas de laranjas qnassla amarga,
E' sob a forma liquida que mais fcilmen-
te se a3simila o ferro; n'esta forma prefe-
rivel as pilulase paslilhas en todos os casos
em que sao proscriptos os ferruginosos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QUINA, PYRETHRO E GAIACO
rli.ir deatiMwo, para a alvura e con-
servacao dos denles, curando as dores
causadas pela earia ou produiida pelo
coutado do calor ou do fri
P dentrrieio, com base de magnesia'
para a alvura e conservacflo dos denles,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reproduco.
Deposito em Rio dt Janeiro, Chevstet; em PmmMu*. 9. ar B^**,
Fsles Das: em PsUtas, A.ters Leim; em BflAw. Da Kseka; em Porto Alear, i*u
I B*lT. em JTarasUa rendir*. rG-|ai Ouro Prtto, C IV Writnn, em Sania CalAo-
i rno, i. sehatel* *> Montevideo, 6.1>ert am Buenos-Ayre, Etefceparthsrds.
SOFFRIilEHTOS tV ESTOM AGO, CONSTIPAQAO-
Cura em poucos das pelo casvao DB.BELL0C cm p ou em pasldnas.
ENXAQUECAS; NEVRAL0IA8. Bssas aiTecae3 sio dis-
sipadas rpidamente pelas PEROL* OTTHEn fcD'ttkMl
ANEMIA A PALLIDEZ e os soffirimentosque necessitamdo
emprefw doe ferrug-inosos sao sempre combatidos com o mclhor resultado
pelas pilu las DZ vallet. Cada Pilula tem incravado o nome liXt
PO OE ROG. Basta disaoNer um frasco d'este p em meio
garraft d'agua para ae obter urna limonada agradavel que purga aem fa-
ler clicas.
VINHO DE QUINIUM de Labarraque. Este vinlio, nm do
poucos cuja composiejo garantida constante, t ma das melhore pre-
paracoes de ^uinino, sem acejo noUtel sobre os conalescente, dando-
Ibea torcas apressando i tolla a aande. Cura as febres antigs que re-
sisti ao sulfato de quuao.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parte d'estas moles-
tias, como as sciaticas, lombagos, catarros, e todas as dores neiroaas em
geni ato curadas peas pesla ot Esa enca de therei.htina do
Dr. CJertan. 0 sroteaaor TroasMeo em aeu Tratado de therapeurica acon-
aelba u para seren tomadas na occaailo do jantar, na dse de 4 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.-
Gtnatids furo de primeara qualidade, nm dos poucos api-ovados pela
Academia de medicina ,
AVISO. Tofos otee mtiieamentos feram aprovados pela Academia
imperial de mediana ie ParU.
to-Hudrt.
rumia.. .
* DEPOSITO
- faru, v raaaz, i, ,. ,.
Husini 4 Pernmbuco. liona et O.

.
Iiaaa et O,
CURAS IMPORTANTES
D jcctatid 'olomcoat/
34.R0A LARCA 00 ROSARIO.34.
Rol cosiomatos proennr alletados para acreditar
ossos preparados, e deixamos que soa applicaclo e os
resaltados obtido pelas psoasqua-ia digoaram acceita-
loa. Ibei deam ersdilo a tag ; pnala seo sempre os
attestiiloi coDaiderados rntoitoa, e deilet qna linca
ato o cbarlatinismo; mas nt qnereodo ofender w pea-
eoas que espontneamente notoUereceram.as quseiaiio
vto traoscriptos, os fizemns publicar manifesiando-lbes
nossa gratuito pela allenco. esptrando qoe venbam
elle* corroborar o concruo, e accaitaclo qoa im mere*
cid* nossa jarope. Jtarf AaltniM ft C,
ttistdos.
Rima. Srs. Bartaolomeo C. con a mais subida
aatisfseto qae declaro ser o xarope Americano de ama
efOcacia exlraoroinaria, pois qaa sofrendo ha dias de
intensa tost, t poni de ota poder dormir a noite a
despeito mesmo de medicameatos que tomara, a elle
recorr e na terceira colber fui alliviado, e de todo me
acha hoje rastabelecido com o aso somente de quati
meio frasco: grato pois t este resaltado manifest a
Vr, Ss. men reconhecimento. DsVv. S. amigo, ve-
nerador e obrigado. Manoel Antonio Viegas Janior.
Sua casa SO de abril de 1868.
films. Srs. Bartliolomeo k C. Renboradlssimocom
a favor qae me lizaram de aronsalbar o aso do xarope
Vegetal Americano, 4e* asa composicio, quando ma
acbeva bastaaie doente de urna constipacto, que me
tomn completamente rouco e qae troaxe urna forte
tosse, e ate impoasibilitoa de camprir os meus deveres
de canlor da empreza lyrtca, von apradecer-lhes mea
completo restsbelecimenio, qae okrive com om s vidr
do mesmo xarope, depois de haver recorrido a ronilos
tratamentos. Deaejarei qae ontros como eu recorram
ao sen xarope para ae verem aliviados de tae lerrivel
incommodo, tto fatal oeste paiz. Com malor conside-
racto contino a ser de Vv. Ss. atiento, venerador a
obrigado. Loix Cienona. Bacife 25 de lembro
de 1868.
liba* Srs Bariholomeo 4C.-0 xarope Vegetal Ame-
ricano qae Vv. Ss. lm exposto t venda de toda effl-
eacia para o enrativo d'asthma, canforme observei ap-
plicando.o a mes lilho Jorqum, menor de qaatra
annos; victima d'esse flagello, qne at eolio por espeso
excedente a don* annos bavl* resistido a outros xarope*
de grande nomeada. Qaeiram pois Vv. Ss. acceilar a
expressAo altamente sincera de men reconhecimento ao
meritorio servieo qne Iba prestaran com o indicado
xarope, acreditndome para sempre de Vv. Ss. criado,
aliento e obligado. Americo Netlo de Mendonca.
Becif* 2 do outubro de 1868.
i
tros, os egrllnles artigos
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado a liso.
21=Rua
Advertencia!
fas"-
'& de mil
INJECTION BROU

Bralratca infaurrct e PreeerraUva, abseuuieolu a nica i|" cura tm ueiiiium adanixi. v. .urs
sa* arilaaei botica te naate. (iigif a latinee** o* a**). (M aasa* d* lartaatt) Pan, a* a
T*aUrB10I).b*m>farda*t**u. m. i f. .
B
Ra do Qh'mado ns. 49 e 57
tojas dt mmdezaz de Jos de
Azevedo Main, est acabando
com as miudezas de sem estabe-
lecimenlos por isso querajn apre-
ciar o que e bom e baratis/mo.
Pares <1j salais de tranca fa-
zenia no\;i a......
Paros de cpalos de tapete
(s grandes) a......
Duzias do meias cruas para ho -
mem a........3>80O
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco mellior 100 atlos a
i.ivros de misses abreviadas a .
Duzia de baralhos fraocezes rmfo
finos a:5400e .....
Silabario portuguez com estam-
pas a........
Gravatas de cores e pretas milito
linas a........
Duzias de meias para senltora fa-
zenda boa a......
Redes pretas lizas muito finas a
Cartes com clcheles de lato
fazenda lina a......
Abottiaduras de vidro para colete
fazenda fina a. .
Caixas cofa penna d'aco muito
linas a 30, 400, 500 e .
Carines de linha Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de linha Alejandre de
70 at 00 a......
Caixas com superiores obreias
de massa a......
Duzias de agullias para machina
Libras de pregos francezes di-
verso tamanlio a.....
Livros escripturado para rol de
roupa a. ......
Talheres para meninos muito
finos a. ,......
Caixas com papel amizade muito
fino a........
Caixas com 00 envelopes muito
finos a.......
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezouras muito linas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta prela muito
2.5000
15360
200
25000
208OT
13 O
^500
45000
5320
5026
5500
45000
5100
5100
50M
25000
LOJA
DO
GALLO VIGILANTE
1Kua do Crespo n. 1
Os proprietari (teste hern cotrijetMf esajebeb'-
caaento, ilni dos tuoitos ohjfctos t|ue tinhan ex-
poto- ;i aproeiae do respeita^el ajablico, aann-
ihiniai vir e aeabain de receber pefe ultfnio \s\n ii:i Baropa um compfcto e variado sortimento dt;
linas e mni delicadas especialidades, as qnaes e-
tfo resolvidos a ventle, como de seu rostan**;
por presos tuuito bai*alH*os e comuiotios para to
Vinhos cm caixas de doze garra!
Bourgogne. r r
HpS.o s
Matielra. ***
Hermitace.
Chamblis. lili
Liror de curaco de ollanla em caixas de Tin-
te e quatro botijinhas.
GESSO,
Nos armazens do Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etr.
Nos armazens de Tasso Irmaos
( VII Et I MOS DE FERRO
Para servidos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 12J000 cada um.
Fariiika de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das memores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de farinha de trigo do
Chile
Todas novaav chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso lrmitcs.
Cemento bydraulico 121
0 melhor para todo* Que sao obras para agua, ra-
mo assentameto de ranos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanquM d'aguav etc., etc.: em poredes eaeoento barricas se far reduci^aonopreo : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
O verdadeiro cemento Ptland em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, ete., etc.
De differentes qualidades para cercados d an-
dos, coi tanto que o UaHo... nwes, chiqueiroapara galinha^ou jardins ruwar-
Mtnlo superiores luy de pellica, pretas, bran- aiuem e Tags0 frmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmao.
Velas de esparmacete verdadeiras para an-
tenias de carros: noarmazem doloso Irmaos-.
Vinho do Fftrto lino superior: no armasen
de Tasso Irmaos.
O melhor co|nae Gauthier Freres : no anaa-
zem de Tasso limites.
Macarthy
narhlnaN de desearocaralgodo*.
Hoje-que-est reaenhecido -que as -machinas (te
serrote prejudicam e quebram a fibra do algodao,
preciso recorrer machnistno menos spero,
que prodltzindo o mesmo servieo que aquellas, e
facilidade no trabalho, nao quebrem a fibra da laa,
para qne essa possa obler-nos mercados europeos,
a djfTerenca que ha entre o algodao descarotjado
por aquellas mencionadas machinas, qpe esto fi-
cando em douzo, pelo prejuizo que lem causado,
et> da amiga bolandei, que nao pld competir
pela morosidade de sea trabalho. B" assim que
estas machinas se tornam as mais proprias para o
nosso algpdo, porque ao par da feilidade e
promptidao conserva a fibra da laa, qae limpa por
ella, e qualifirada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre II 20 por 0/0
mais do que a la limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois qqe ba muito
ras e de mui lindas cores-.
Mui boas e bonitas goMtohas e punho para se-
uhora, neste genero o que Ua de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para raberas das
Exmas. senlioras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem eltes; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores c bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, senite aquelles brancos
com lindos desenteos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a dtrzia, entretanto aJm destas, temos tniuliem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
casia de marfim com lindas e. encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o qae de melhor se-
pode desejar ; alii destas temos tambem grande
3uanlidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Fino, bonitos e airosos ehicotinhos de cadeia e
de outras qnalklades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha,
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de I a 12 annos de irtadu.
Navala cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga- eg^ adoptadas no Eg>Tto, aonde a* do serrote
boa a 80/120 e
fa-
Varas de franja para loalhas
zendafina a. ...
Duzia de phosphoros de segu-
ranza da melhor qualidade a
400 e .....
Pecas de fila branca elstica
muito fina a.
Novellos de linfcacom 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fiiwa ......
Pe?as de fitas bordadas com 3
varas a .....
Ditas de ditas bordadas com 12
metros de 25000 a .
Grozas de botoes de louca muito
finos a. .....
'52SO
120
^2W
,5700
J600
r$320
4500
320
160
500
200
60
2500
500
3000
16C
Scbonete de alcatrdo.
N
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que Ufo boa
acceitacao tem merecido n'esta provincia
muito se recommeadi para a cura certa,
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Barthohomeu 4 C,
34ra larga do Rosario34.
raodas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos soa quafidade e delicadeza.
Lindas e bellas rapellas para noiva-.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labvrinlho.
Boas baralhos de cartas para voltarete, assim
como os lentos para o mesmo flm.
Grande e variado sortimento das roelnores per-
fumarias doe melhores e mais eonhecilos per-
fumistas.
COLARES BE ROER.
Electrices magnticos eontra as envulsSes, o
facilitam a dentieao da innocentes eriancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos o
vapores, aftm de que nunca falten* no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
es que delles precisaren, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrario destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao flm
para qae sao appbcados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista d: cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
PASTILHASISSI IUt\ll\S
no
DR. PATERSON
l>e biNimith e magnezia.
Remedio por oxcellencia para combate'
a magreza, facilitar a digestfo, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu cV G.
34------Roa larga do Rosario------34.
Barato que admira
Quarts de latas com bolachinhas de boas qua-
lidades a I *40f\ caixinhas com ameixas, poras e
figos a 1*400, cerveja Bass, Ihlers e bell ingeza a
rs. a*oti}a, vmho a 400 rs. a garrafa, azeite
doce de Lisboa a 880, arroz de primeira qualida-
de a 120 rs., caf a 220, sabo a 180 e 220, ha
miudo bom a 3*100, idem raildo a :ii. alpista a
240, toucinbo de Lisboa a 440, marmelada fina a
780 a libra, doce de goiaba fino em latas e caixoes
de diversos lmannos por coramodo preoo : s na
esquina da ra da Penba n. 8.
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo
dao daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem hoie de 10 a 8 por
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 180*000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Maso deaaveaadoas.
Em caixas de 8 lata, cada caixa 100 libras:
nos armazens de Tasso'Irmaos.
CURA DOS GALLOS.
PELA
Pomada galonpean.
Deposito especial
Pharmacia du Bartholoroeo 4 C.
-Ra larga do Rosario------34.
COGNAC.
PILMAS, VIRIO
E
DE
JIRUBEBA
PREPARADOS
PELO
PHARMAGEUTKO
foaqnlm de Almelda Pinto.
As preparacj5s de. jurobeba s5o hoje
vantajosamente conhecidas e prconisa-
das pelos mais habis mdicos, tanto da
Europa como do paiz, pe sua efficacia
nos casos de anemia, chloroze, hydropesia, I
obstruccao do abdomen, e tambem nos de
menslruagao difficil, catharto na bexiga, |
etc. etc.
Vendem-se em porfo e a retalho na ci-
dade do Recife, nharmacia do seu compo-
sitor, ra larga do Rosario n. 10, justo ao
quartel de pon ca.__________________
Librase ouro nacional, moedas
RAP POPULAR.
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
PEXEIRA FMDERICO & C.
Acaba de chegara este mercado umapon des-
te OAtoao rap, nico qae pode supprir a falta do
priflWfcde Lisbea por ser de agradavel perfume.
E' fabricado pelo svstema a imitaeao do Areta Pre-
ta, porda tem sobre este a vantagem de ser viaja-
-do, o que para este artigo urna especiahdade.
as nracas da Babia, do Rio de Janeiro e outras do
imperio tem o Rape Popular sido aasas aecomido,
e provavelfflente aqui tmbem o sera, logo que
seja eohecido e apreciado. Actaa-w venda
por prfleo commodo, e para quem comprar de 5
libras para cima, far-se-ha um descont de 5 0/0,
e de fWf) libras para cima o de 8 0/0 : no esenp-
Uorio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao, ra do
Commerek) n. 17.
De superior qualidade da mui accreditar
da fabrica de Risquit Dubouch 4C, em
cognac urna das qne mais agurdente de
cognac, fornecem para o- consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa
commerci n. 3.
de TI). Just, ra. do
ova^Esperanca.Arua do Queimad
ten#o em deposito'tj-ande quantidade
miudezas, e como se approxima o tem-
po em que iem de ser dado <* balado, por
isso desde j previne ao reapettay publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
caderas pelo baratissifno preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venbam os bons fregue-
zes, e os que nao forem venliam ser fregue-
zes, cm tempo to opportuDo quando
NOVA ESPERANgA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nao
falta aonde e a quem...
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeico, e ella (loja da Nova Es-
peranra) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente reefc-
be, e por este lidar continuo ((Tambos)
Nova Esperanca i ra do Queimado n. 21,
alm do grande son mente qoe j tinlia
acabi dereceber mais o egointe :
Bonitos broches, pulceras e brincos de
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfear bollos e
bandeijas.
Brincos pretos com dourades (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galles, franjas e trancas de
s*da e de laa/para enfeites de vestidos.
Botoes de todas as cores e moldes nofos
para o mesmo fim.
Trancas preas com vidrilhos sendo coa
pesgentes e sem elles.
Beloes pretos eom vidrilhos com pingea-
tes e sem elles.
tovas de pellica', cmara e excessi*
Finas meias de seda para senhora-e me-
ninos-.-
Delir fim, osso e faia.
Espnrtilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmenfe, um completo sortimeno dw
miudezae ra do Quoimado n. itr a*
Nova Esperanca.
Coliare anodino diedro-magneto
eos eontra as eonvutfes das
creancas.
Nao resta a menor duvidav de que muite
collares se vendem per ahi intitulados o
verdadeiros de Rover, e eis perqae muito
pais de familias nao eveem (coBprando-oa<
no effeito promettido.o que s podem dar!
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, porrn.
que detesta a falsificacao principalmente nc
que respeita ao bem estar da humanidade.
fez urna encoomenda directa (testes collar et
a garante aos pais de familias, qoe sao ot
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-.
Cas tem salvado do teravel ineommodo de
eonvulces, assim pois preeiso, que ve-
i ha m a Nova-Esperancaa-rua do Queimadc
n. 21 compraren) o salva vida, para soui
fillnhos, antes que estes sejam acommetti
dos do terrivel mal, quando enfao ser di-
fficil alcancar-se o effeito desejado, embOR*
sejam empregados os verdadeiros collares-
{^e Royer.
FLORES
Realmente at onde pede chegar a per-
feico darte, relativo a>flores, a Nova Es^
peranca apesar de ter constantemente re-
cebido flores> confessa que ainda n3o havia
recebido, como as que acaba de receberll!
n5o exageracao ellas confundem-se p^r-r
feitamente sow as naturaes, e sao feitas
com tanta perfeico, que prestam-se mu
bem ao mais caprichoso.enieite das Exmas.
do mais apurado gosto 11! esplendido o
ortimento, constando de modernos ramos,
rosas, dalias etc., etc., de lindas cores,
proprias para enfeitar.-se coques, vestidas-
chapeos ou outro enfiite que hbil compra-
dora quizer preparar, assim pois queiram
as Exmas. virem apreciar o jardhn da Nova
Esperanca ra do Queimado n. 21, qut
es' renlectr de flores.
ps de laranjas cravo, j plantadas em gigo para
mudar-se, da china, ps de fructapao de massa,
de parreiras de diversas qualidades, e de rosas :
em Parnameirim, sitie ianto ao portao do encana-
mento.
na loja
de 5 francos.
edoende-se no arco da Conceico
Vurives, no Recife. -. :
ot m m
Chegoo ao antigo deposito de Henry Forstor &
C., roa do Imperador, um carregamento de ni
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos pre$o do que em outra qoaj-
quer parte. *
1ASSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHEl
PraooKisodo por lodo*oa medica* contra I
DEI'LtJXOS, CATHABROS, B TOO AS A3|
IRB1TAQOES DO PE1TO.
W.B. O Xarop konra, altas tem rara entre ot Medicumemosl
novos,4oser registrado orno um dos medica*!
mrnjai rjf r'-rr do Imptrio Francts dispensa^
qtiulq\iei- elogio.
AVISO. Por cansa da repreliensivl falsi-l
ficacaoqiir tea auacitado o felli resultado do I
Xarope e mana de Berthe tomos forcados a!
lembrar que ates mcdicameutos laojusianiinte|
conceiluados ao ae
_ Tendean em atilin-
tas t fruteo* litando
a astlgoatun em
urente.
46, Ru des coles, I na Pharmacia Cenli
de Frtnra, 7, Ru de Jouy, cm Paris, e
todajasPbaitnacias prliicipaeadoBraii!.
Tabellas yermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e preferivel a todos os
conhecidos^j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as creancas,
quasi sempre mais atacadas de to terrivel
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
HA
Pharmaola e drogara.
DS
Barthomeu & C.
34Rn l>arga do Rosario34
BOM VINHO
DO
[lomo
Chegou pelo brigue Tiiumpho e consignado
Flix Pereira da Silva, nma nova remessa de bem
contiecido e excellente vinho puro do Douro em
barris de 5 e 10, garantindo-se que nao tem con-
feceo atguma j neste genero* o melhor que tem
vinclo ao mercado, e muito proprio para usar as
horas de comida, e vende por preco razoavel :
na loja do Pavao, na da Imperatrii n. 60._______
PARA AS NOITES
DE
S. Jodo, S. Antonio e S. Pedro.
Acham-se venda snrtes para homens e se-
nhpras, um tanto agradaveis para essas occasioes
dedivertiroentos e praieres : as livrarias france-
xa ra do Crespo n. 9, na Econmica ra do
Crespo n. 2, na Popular ra do Imper dor n. 67,
na do Sr. Cardo Ayre3 ra da Cadeia do Reci-
fe n. 31, na do Sr. Jos Barbosa de Mello ra da
Cruz n. Si, na do Sr. padre Lemos ra do Impe-
rador n. 15, na Encadernoao Parisiense ra do
Imperador n. 71.____________________________
^.GERtit
Attenpo.
No largo do Carmo n. 4, vendem-se fogos de
tedas as qualidades, para festejar o glorioso Santo
Amonio, S. Jeio e S. Pedro, por preco commodo.
Na -aesma casa vende-se massa secca para bolos,
ate ymto do qWwn emtra qnalfner parte.
Potassa da Russia
Nos armazens de Tasso Irmaos, ru do Amorim
ln;a,eeBdApolrn.8.
Aiegrai-vos niyopes, e presbytas, po-
dis ver de longe, j podis ver deperto,
no ha mais vistas curtas, era caneadas.
F. J. Germann acaba dereceber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortim- nto de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, peala, tartaruga, marlim,
ac, bfalo, ncar, unicornio emelcltioc;
assim como binculos de urna a tres mudan-
ras para theatro, campoe marinha, da utti-
ma iiivencao ; duquesa, vienezas de 6,8 e
i2 vidros, ludo dos memores fabricantes da
Europa.
0 mesmo vnpertron-
xe urna excellsote ma-
china para graducr e
observar nuaero dos
vidros qoe n*ymtessita
conforme a "nata de
qualquer pessoa.
Tem excellentes sterioscopos, inslrura*-
tos de mathematica, barmetros, vidros de
chrystal do rocha, e de cores para resguar-
dar a vista; eoncerta todos os objiclos
precos commodos e*com promptidSo ; tira
o mofo dos vidros e eacarrega-se $ teda a
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os ex(^leutesreK)gios
do antig e afamado fabricante moer* Vertk
4C, os quaes vendem precevoimniodoe
garantindo a sua snperior quatKiam___
' Vende-se um piano de juaraia* i?f
estado, de armarte : na ra do
71, andar________________^
pdre Florianoi.
Sapatos de fewracha
UttO : na ru Diret
para senhoras e rapaas a
n, t._____
' Vendem-se diversos escrajos pecis,
vides



V
Diario de Pernambuco Qtiatta feira' 0 de J folio de 1869.
7
Ocordeiro previdente
Una do Qitetaiado o. le.
Noto e variado sortimenlo de perfumaras
unas, e oatros objectos.
Alm do completo sortimenlo de perfu-
mara*, de me effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que *e torna
noUvel pela variedade deobjectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
cos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciaijao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa fregoezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conbecida mansidao
e baratez*. Em dita loja encontrarlo os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Goudray. .,
Dita verdadeira de Murray 4 Camman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos memores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificiafc
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete paca toitet.
Elixir odontalgico para conservacfo do
asseie da bocea.
Cosmetiques de superior quafidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e ostras qualidades.
Rnos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e e cheiros igual-
mente Anas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
E&racto d'oleo de superior qualidade,
cora escofinos che ros, em frascos de difie-
ren tes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos milito linos em caixiuha para barba.
Caixinhas com benitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madefra invernisada oontendo fi-
nas perfumaras, oiuito premias para pre-
sentes.
Ditas de papelSo igualmentebonitas, tam-
bera de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e-de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
1 liiiii "a.
Especial p re arroz sem composico-de
rheiro, e por isso o mais proprio para crian-
zas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de carcphora e outras differenles
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
.41 oda oais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com Dlets de vidwlbos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
' stao todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNlIttt BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
I'ive II a* e utas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
(.os, ficando a boa escollia jo gosto doaoui-
prador.
FLORES FINAS.
O que de melhor se pode encontrar neste
genero, sohresahindo os delicados ramos
twalhados para coques.
Para viagem.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
presos commodos.
Gbapelinas de palha da Italia mu bem
'afeitadas, e enites de llores obra d bom
josto.
E assim muitos outros objectos que se-
io presentes a quem se dirigir dita loja
lo Cordeiro Previdente a rui do Queimado
a. 16.
EfiiFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
lo n. 16 acaba de receber um bello sorti-
nento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
:udo isto est sendo vendido com a sua bem
;oncecida coramodidade de preces.
ALEM D'AQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
imento de galles de ia, babadiuhos de
jambraia com bordados de cores, cuja va
tiedade de gostos os tornam recommenda-
los e apreciados ; compareco pois os pre-
bndenles que serio servidos a contento.
TAO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
'uepure.
LL'VAS DE PELUCA.
De todas as cores tanto para horneo*
.orno para senhoras, constantemente acham-
96 a venda na loja do Cordeiro Previdente :
i ra do Queimado n. 16.
Vinho deg-estivo de
cliassaing*
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excedencia para cura certa
das digestoes difficeis e completas, acalmar
as dores gastralgicas, e reparar as forcas
produzindo urna assimulacao completa dos
alimentos; sendo mais nm excellente tonteo.
VE1DE-NE
HA
PHARMACIA E DROGARA
Dt
Barth lomen k C.
34RA LARGA DO ROSARIO34

lOltu
O

,
A DINHEIRO NA LOJA E
DO .^
PAVA
$<><\nm>m -iiisai?aiaaMa-o* &
DB "
FBIfIX. J*Eiu;iie DI SILVA
0 proprietario d*este estabeleeimento convida ao respeitavel publico deata ca-
lital a vir surtir-se do grande sortimento que tem de fazendas, tanto da moda como le
le, assim como de um grande sortimento de roupas para homens e meninos, e as
pessoas que negociam em pequea escala, tanto da praca como do mata, esta casa
pdenlo fazer os seus sortimentos em pequeas ou grandes porces, venoeu ta-se-lhes
pelos preces que se comprar as casas nglezas ; assim como as exeellentissiraas fami-
lias, pdenlo mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou se lhe as mandam
levar em suas casas pelos caixeiros d'este estabeJeejmento, que se acha aberto con-
stantemente desde s 6 horas da manha s 9 da noute.
Rceberam superiores vestidos de blond com marca e capella para noivas, que
dem-se por precos mais mdicos do que em qualqiier outra parte.
SAHJDAS DE BAILEde cachemira branca e de cores o que ha de mais lindo.
BASQUINESde renda preta, e de gorcrurao preto, o que ha de mais
elegante.
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALOESbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e saias de 13a com barras de cor.
GORGURAOde seda branco e preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, prineeias, bombatinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados.
CHAPEUNAS
DA
ULTIMA MODA
Libras esterlinas, na ra da Cadeia do
flecife. fl. 58.

Ruado Livramento n.26.
Cambraia de ellexantes jradrde*. rooeroaa,
jOO ru covado.
DE 4CO % BE
MADAPOLAO de 8/ a 5*000.
DrTO COQUEIRO de 8* a 81000.
AL6O0A0BINHO de 7# a 000.
CEROULAS de U a 300.
MBIA8 CUIJAS a StO rs.
CHALES PBETOS de f a 2*000.
Ra larga do Rosario
If. 22, loja do Viartna.
Chegaram para a loja do PavSo as mais
risas e mais modernas chapelinas rica-
mente enfeitadas, com feites e Stas de
setim e de todas as crese com ricos bicos
de blond e as mais lindas e finas flores,
vendando-se cada urna felo barato preco de
154000, gar*ntindo-.e serem multo mais
bonitas do qe outras que se vendem era
outras partea a 20(5 e 250, e entre ellas
ha mais do qne umttaodello, tambem tem
muitas de pratinho, proprias para mocas e
meninas, hito na rea da Imperatriz n. 150
loja do Pavao, de "Flix Pereira da Sifra.
Expleadido sortimento de
Alpacas lavradas de cores a*0
Alpacas a 560 Alpacas a 500
Alpacas de cores
Na loja do Pavao ra da Impera triz n.
60, vende-se uns poucos de mil cavados
das mais lindas modernas alpacas lavradas
com as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo entre ellas mL lyrio, roso, cor
de canoa, verde claro etc. e os lavrores
muito miudinaos asseutatlos em tuna s
cor; para so poder retamar esta fazenda
pelo barato preco de 560-rs. o covado, foi
preciso fazer-se urna grande compra deste
artigo, o qual grande pochincha.
.%**: dez mil eovadtfs de assas
fraurezas
Covado a 300 'Covado a 300
Covado a 300
Covado a 308 Covado a 300
Cavado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavao ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melbores casas francezas
para vestidos, tendo padrSes miados e grvi-
dos, assentados em todas as cores, estas
cassas sao propriamente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e lm dos padrees
serem muito bonitos, sao todos lixos e seria
fazenda para muito mais iinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
Uspartiths a t'.ouo na loja do
Psfevo
Veude-se urna grande porco de esparti-
lhos modernos com o competente cordao,
tendo sortimento de todos os tamanhos, e
vendem-se a 3d cada um.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3600. S
NO PAVAO
Vendem-se pecas de madapolo enfestado
com 12 jardas, sendo muito iacorpado pelo
barato prego de 3#600 ris, assim como
pecas de algodosinlu com 16 jardas
4500 e 5*K)0 ris.
ALPACAS LAVRADAS COM LISTAS A 500
RS. S 0 PAVO VENDE
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60 veade-se urna grande porco de alpacas
lavradas com os mais lindos padrees listra-
dos e com flores matisadas, sendo este ar-
tigo urna grande pechincha, por se terem
comprado urnas poucas de caixas e vende-se
pelo barato preco de 500 rs. o covado.
Chales
PELERINAS DE CROCH A 8& i0060
E 120000
Chegaram para a loja do Pavao as mais
modernas e mais bonitas romeiras ou pele-
rinas de fil e croch que se vendem a 8 e
io# e m.
GRANDE PECBI1BA
ESI
pkkcaijIjan
A pataca o covado
PERCALLAS A 320 RS.
AOS DEZ MIL COVADOS
PERCALLAS A 320 R3.
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n.
60 vende-se urna grande porco de per-
callas francezas proprias para vestidos, sen-
do de cores fixas e mais larga que as chi-
tas, tendo os pannos muito encorpados e
com os desenhos mais bonitos que tem
viudo ao mercado, tendo padrees iniudos e
grados e vende-se pelo baratissimo preco
de 320 rs. o covado, garando-se qgtar esta
fazenda em perfeito estado, e vendando-se
por este baratissimo prego para apurar di-
nheiro.
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LAUGUR \ A 15800
Chegou para a loja do Pavao, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri-
ment de um lencol, o qual se faz ora um
metro e urna quarta, o para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 1A800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outra muitas ap-
plicacoes para arranjos de familias, sendo
rande pichincha plo preco.
COBERTORES DE L PARA O INVERN
.. DE 31000a 6|000
Chegou para a loja do Pavao, nm gran-
de sortimento. .dos inelliores cobertores, de
13 de carneiro, sendo muito grandes e
muito flworpadf qfl o vendem de 3^
at e^H- ca^a am' em nbtito a diffe-
rerrtegqoa^.pecbiocha: aeUes an-
tes que se acaben. H '
Casemiras da moda
NA
I.IJ A. DO PAV.tO
Chegou pkj ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais Anas casemiras para cal-
cas, paletots e coletos, tendo lisas, com lis-
tras e*com listra ao lado, tendo para todos
os precos, e afianca-so venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-
te, assim como das mesraas se manda fa-
zer qualquer peca lie obra, a vontade do
fregus, para o que tem um bom alfaiate.
Aos quinhentos palitots
a 18$ e20&0O0.
Na toja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porcio de pa-
utte sobrecasacados, e propriamente so-
breuasacos de panno preto, sesdo obra
mullo bem acabada pelos baratos precos
de 18<9, sendo forrados de alpaca, e de
20| forrados de seda; esta fazenda a nao
se 'ter comprado urna grande compra, seria
para muito mais dinheir, porra liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
Juizinhas 41 949 rs.
Vendem-se lazinlias para vestidos e rou-
pas de meninos, sendo to encorpadas
oamo chitas, pelo barate preco de 240 rs.
oovado.
POUPfiLINAS A 500*S. O 00VADO.
Na loja do Pavao, na ra da Imperatriz
a. 60, vende-se um grande sortimento das
ais lindas poupelinas ou la/inbas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creaocas, com as mais modernas e bo-
nitas coree ; padros com listrinhas iniudi-
;alias, que se vendem pek) barato preco de
lO rs. o covado, pechincha que se acha
onicaraenle na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se linissimas pecas de caaibraias
lizas transparentes tanto ingiezas como suis-
^sas tendo.mais de vara de largura, pelos
piCos de 55000 at 105000 a peca, assim
cerno finissnos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por sermoito
transparente a 1>000, a vara, na loja do
Pavio ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
C-nrtiuado*
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande 6ortmento aos me-
Ihorea e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se veB-
em a 12i000r8. cada par at 28,1000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
roupas feitas
NA LOJA DO PAVAO RA DA ,
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabeleeimento com-
pletamente sordo das melbores rompas,
sendo calcas palitots e coletes do casemira,
de panno, de bnm, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sain desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maiorpromp-
tido vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceila-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabeleeimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e iogiezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 5^000.
Vendem-se colchas de fusto adamasca-
las para cama, pelo barato preco de 5(5,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Perejra da Silva.
O atoalhado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
/m 8 palmos de largura, adamascado a
2^200 a vara; dito de linho fazenda muito
raperior a 35200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a 45800 a duzia e muito
inos a 85000, e ditos econmicos a 35500
i duzia.
ALPACO DE CORDAO PARA VESTIDOS
' A 15000
Na loja do Pavo, vende-se superior alpa-
co ou gurgurnpara vestidos, sendo n'es-
te genero o mais moderno e mai? bonito
qne tem vindo ao mercado com djfferentes
cores, Fendomafs laigeqne alpaca e vt-
de-se pelo baratrssinW pec**1 fle 15000 o
covado.
Kovldade Movidade
GRUROES DE SEDA PARA AS FESTA?
DO MEZ Dt JUIfHO
Chegou pelo vapor de 14 do correttrt, ,..
para a loja do Pavao, ra da Imperatiiz
o. 6?, nw brilhahte,j|ortMnentp dos mait
modern sC niaisbonitogurguro>s|dawil
para vertidos, :^opadr5ea mhidinjm,^
grfidos, edm lindas .''^a*, 2**l,*til,<**v i
sentadas as mais delica^ d'a2 WW.
sejam. verde, bisraark, lyrio, azl,.\1.. perv'*;
etc. etc., assim como drtos lisos de i>da*
as coras, garanlindo-se qnu; na ac^q#,idad
nao ha urna fazenda de mais gosto nem dV
mais pbantasia do que estanque se vende por
preco muito rasoave.1, no ^beltimento
&ft pereira dllva^ ^^
11-RUA DO QimiNADO-11
131

FAWEHA DE
MANDIOCA
Superior. 'arinha de mandioca recente-
mente chegda^ Santa Catharina, vnde-
se a preco coaodd a bordo do biigae alie-
mo Lina, fondeado defronde do trapiche
do Exm. Sr. barSo do Livramento ; a tra-
tar a bordo do mesmo, ou no escriptorio
de Joaquim Jos tioncalves Bellro, i ra,
do Commercio n. 17. .
ft.
Buncmr.

...i wnite.
A
<**
4u,
/ t, -v r N*.
** t.vzm&*
&*
FUNDICAO DOBOWMAN
Itna do Him
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixas de ferro,-batido fundido.
Rodas dentadas, paia moer com ge3
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assurar.
E outros muitos objeetos, ete. etc., prw
puos para agricultura.
X.\ltOPE PE1TORAL
DE
Rllll M- TVil
PLANTA DO BRASIL
E expectorante e recommendado as
atfeccoes do peito, bionchite chronica, he-
moptise, e losse chronica.
PREPARADO POR
JOAQLTM DE ALMEJDA PINTO
PHARMACEUTJCe
Pernambuco rita larga do Rosarioiu JO.
T
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de Gnis-
lain
Tintura in dele vel para Ungir o cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceiluada -agua-florida de Guis-
lain que en to era des;onheeida em Per-
nambuco, j boje estimada e .procurada
por seu efficaz resultado, e anda mais se-
r, quando a noticia de seu bomefieito e a
experiencia tomar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta uni-
damente de vegetaes inofteosivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quawdo estiverem bran-
oos, e Ibes restituir o bril'fco perdido, e as-
sim como preservar de eutbranquecer, sen
ser prejudicial de modo akgam
E' porm necessario fazer coabecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como .militas pes-
cas tal vez supponham, ums-sh ser pre-
ciso fazer uso d'elia, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o lim desejado, como bem
provam testemunbos de pessoas iasuspei-;
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempreoom o bom
Hito, podendo a experiencia ser feita em
iBtra qaalquer coasa.
Assim pois esta agua-florida aeha-se ven-
la na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ruado Queimadon.-8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
co de sua boa fregwzia, tambem capricha
em n5o Ih'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea .favoravel com que
a honrara, e em prova ao que fica dito, d
como exemplo ,o esplendido sortimento
]ue acaba de receber, inda mesmo achan-
lo-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
4o de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
i oraco, obras de apurado gosto e perfei-
;o, sendo: com capas de madeeperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
lonitos.
Ditos com ditas de velluda, outros im
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnieo, dourada ou prateada.
Coras e tereos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortimento de leques
lodos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, (
ornas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torcal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para en fiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
.Bonitos cabases ou bolsmhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
-Lindas cestmhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas de vidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gen s.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
CADET
CU RA
CERTA eINFALLIVEL
em TRES OAS
[Pt! B? Denain 7\
pars
MOLESTIAS do PEITO
HYPPHOSPHITOS
dO DrCHURCHILL
XAROPE de H YPOPHDSPHITO de SODA
XAROPEde HYP0PH0SPHITO de CAL
PILUL AS de Hr POPHOSPHITO de QUININO
CHLOROSE ANEMIA
CORES PLIDAS
XAMPtdeHyPOPHOSPHITO de FERRO
HLIHASdeHYPOPHOSPHITOdeMAWBAHESIA
TOSS 9R0NCHT,.
nrrii'xns ASTHVA
PILUI^ES
DE VALLET
siM-Lf;
As PHolaa de Vallet. approvadas pela
Academia imperial de medicina de Pariz,
sad empregadas com o maior ^^^^
exito para curar a chlorosis,
e forlilicar a couslituicdes
Iracas. Nunca este ferrugi-_____
noso ennegrece os dentes. ^^^^
Para a garantia da sua authenticidade,
o nome <1 inventor vai gravado em cada
pilula como margem.
em RioJ.iihiio, hponchelle; Cheiolol.
m Piiwi-mico, UaKrertO4-
Vendem Augusto F. de Oliveira & C. i r?f.
Commercio, n. 42.
BAZAR UNIVERSAL
O iiiin NovaO
Cameiro Vianna
Neste BAZAB encontra-se um completo
sortimento de todos os artigos qHe se ven-
dem por preros commodos eomo sejam: Uw
completo sortimento de machinas para es-
lora de todos os systemas, mais modernas
adoptados na America e approvadas na ul-
tima exposicao serviros a electos para ahue-
co e jantar, salvas, bandejas, taboleiros, bo'-
sas e malas para viagem, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala e cima de mesa.
parede e portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas par,)
bater ovos, ditas para amassar farioha, ditas
para fazer manteiga, canias de ferro para
casados, solteiros e crianca, bercos, cadei-
ras longas para viagem, dilas de balanco,
espelhos de todos os tamanhos, molduras
paia qnadros.gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para enancas um
completo sortimento de cestinhas, oleados
para sala e n esa, tapetes para sala, quarto.
frente de soph, janella e porta, capachos da
Sparto e coco, objectos para escriptorio
muitos outros artigos que se encontrarlo i
venda no mesmo estabeleeimento e que vale
a p>n ir examinar.
Deposito
POS DE ROG
Ajiprovados pela Academia imperial
de medicina de Pariz
Um frasco do Pa de Ros, dissolvido
em urna garrafa d'agua. da urna limonada
agradnvel, que purga rpidamente e de
um modo eerto, sem causar a menor
irritacao como acontece cora a maior
parle doa outros purgantes. Oa Pe de
Bog, sao inolteraveis por isso empre-
gam-68 fcilmente em viagem.
. i "" R,-l11'11*0. Dfonckile, Ckttolat.
14 MA'IOJA A RL4 DO CRESPO M. .7,
DE
Aiiliijics (iiiiiiarrs k 6.
Esteiras da India e baloes de todas as
qualidades.
Cambraias de cores, percaas, finas bri-
Ihantmas de cores, lanziulias de todas as
qual>dades, etc. etc.
Bicos cortes de seda de cores e pro)
lavradas.
Ditos ditos de cambraia branca bordada
para casamentes.
Biquissimos cortes de vestidos debkm.
Poupelina de seda, novo gosto no mer-
cado.
Damasos de duas larguras de todas as
cores.
Saias bordadas de novo gosto.
Camisas bordadas para senbora.
Basquines pretas de seda.
Casaquinhos de casimira de cor de no\ o
gosto.
Ricas colchas de seda adamascadas.
Ditas adamascadas de eres.
Alpacas lisas de cores novas.
Ricas fronuas, lencos, rendas e bicos
bordados.
Bramantes e bretanhas finas e muitas
cutras fazendas que seria enfadonho mer.-
oionar.
Foguinhos chlnezes artille! es
para noltes de santo Antonio
e S. loo
Acaba de ehepar grande sortimento dos mais
interessantes fuguinlios chinezes e de lngalls ar-
tificiaes, proprios para meninos soltara dentro
de salas, 9em queimar ou offender por serem ft-
htieadofl especialmentu para divertimente de
enancas : no armazem do vapor francei; rrn
Nova n. 7.
AVISO
aos convalescenes e s pessoas
{rocas e debilitadas
O OUINIUM UMMMQUC ipprovado
peh Academia imperial de medicina de
Paria o tnico por excedencia.
fcpi'to
em Rio-J.iDKO, DnfontktHl; Cieoltl.
mn 1'u.iuiiico. ilturer a (,'"
I PECTOHES*.b CHURCHILL
Blifir pan Ot xaroptt fraico quadrado < im
If* o* preduttot a astignaUra do O** CHTTB.-
ktreiro cora a urea de Mrica da
l WAMU, 1 ra Cu tistomt. PARS

Encanamento de agoa
e gaz.
Canos de ferro estanhada e coro porcelana, ditos
de chumbo de toda* as grossaras
i Pesos pelo nov sistema
Temos dos novos pe os completas e a reulho :
venda, na do Queimado, >zevedo & Irnia .
Vende-se a dinheiro ou a praso a padana a
vapor sita em Una. a qoal se acha fivre e desem-
barazada : os precedentes podetti eniender-se lio
. mesmo Injrar dra ten roprietari, o cam Mocha
Lima & GuMiMi-aea, na roa di Cadeia n. M, e N-
cnnwles,M;tri;Pr.-iic. ry. cae" de Ap-llp.
A Vende-^e umf PrtP 'W* ** a,ulos
peTWiU inbeira e d* nroito ^a noqducta: na-rua
da Concordia a. 136; tamtan alnga-se.
ESCBAVOS FGIDOS.
Escravo fgido.
Fugio no dia H do c rrente mez as 8 Ii2
hora da noute o escravo Antonio, preto, de
naco, idade 48 annos, ponco mais mi me-
nos, estatura baixa, barbado com falta de
dentes nWrente,quando anda parece que-
rer cochear de orna perna, levou um.i
trouxa de roupa com calcas de algodo
azul, de listra e brm pardo, camisas de
lista azul e algodo riscado: quem o p**gar
leve-o ao seu Sr. Jos Gomes Leal, na roa
da Imperatriz, sobrado g. 15 ou na ra da
Cadeia escritorio n, 56 que ser gratificado.

i
No dia 19 do corfvnte mez fugio do en
genho ConceicSo da fnguezia da escada o
cabra Tbomaz, idade de 5 a 30 annos, al-
tura e corpo regular, barba curta, natural
de Mamanguape da provincia da Parahiha:
presmese que file tenha ido para o Be-
cife, ou villa de Mamanguape. Rnga-se a
pessoa que- o aprehenoa de o entregar no
Recifrt a Domingos Alves Matheus, na ra
do Vigrio n. "it,ou no enfcenho DnoicSo
da Escada a sea senhor o Exm. Baiao de
Ara?agi, que a r^jeempn^ar com gOWre-
sidade.
i usto i


8
Diario de Pernambuoo Quarta feira 9 de Junho de 1869.
ASSEMBLt A GERAL
CAMAU DOS SIS. DENTADOS
SESSAO EM 25 DE MAIO
MtSIDtNCIA MSB. V. DE (AMARAGBF-
Ao meio da, feiU a chamada, verica-se
aaver numero sufflcimte, brese a sesso,
seodo lida e approvada a acta da anterior.
O Sa. I4 Secretabio, dconta do seguinte
EXPEDIENTE.
Um ofQcio do ministerio do imperio,
comurnicando que se expedir aviso s
presidencias das provincias do Amazonas,
Rio-Grande do Sorte e Sergipe sobre as
decisoes de^t cmara acerca das eleiges
primarias e secundarias a que se proceden
as mesmas provincias.Inteirada.
Outra do raesmo ministerio, enviando a
autbenca da eleico primaria a que se pro-
eedeu na frcguezia de Sant'Auna do Para-
nahyba. provincia do Mallo Grosso.A' 3*
commisso de poderes.
Outro do Sr. ministro da guerra, com-
municando nao poder comparecer noj a
esta cmara, porque tem de assistir no se-
nado a discusso da le de tixagao de tor-
cas.Inteirada.
Dous dos Srs. ministros da justiga e da
guerra, pedindo dia e hora para presenta-
ren! proposta dopoder executivo.iMarca-se
para o primean o dia de hoje meia hora,
e para o segundo o dia de amanha urna
hora da tarde.
Outro do senado, devolvendo, por nao
ter o mesmo senado podido dar o seu coo-
sentimento, a proposico que autorisa o
gobern para conceder ao Dr. Lniz-de Car-
valho Paes de Andrade, ajudante do ins-
pector da alfandega de Pernambuco, um
anno do iicenca com todos Tseus venci-
mentos.Inteirada.
Um requerimento de D. Elisa Augusta
Verselense da Costa, ped .do urna peoso
em remunerago dos servicos prestados
por seu fallecido marido.A' commiss5o
de pensose ordenados.
Outro de D. Rila Mam de Oliveira Per
nandes, pedmdo que por sua morte seja
transferida para suas quatro lilhas a penso
que rec be. A' mesma commisso.
Oulro de Joaquim de Albuquerque Bar-
ros Guimares, pedindo para que, no cmo
de fazer exame dos dous preparatorios
que I he faltam, possa ser admittido a fa
zer acto do primeiro anno de sciencias ju-
rdicas na faculdade do Recife.A' com-
misso de instrucgo publica.
Oulro de Luiz Carlos Bomtempo de Vic-
toria, pedindo para ser admittido matri-
cula do Io anno do curso medico desta
corte, mostrando-se antes do acto habilita-
do em latim, nico preparatorio que Ihe
falta.A' mesma commisso.
Outro de Antonio Jos da Silva Rabello
Jnior, pedindo para se matricular no Io
anno medico da corte, depois de f ito o
exame que Ihe falta.A' mesma commis-
so.
Outro de Sebastio Antonio Rodrigues
Braga, pedindo concesso para estabelecer
urna linha frrea, que partindo de um pon-
to fronteiro ilha de Santa Catharina, v
cidade de Porto-Alegre, capital do Rio-
Grande do Sul.A' commisso de commer-
cio, industria e artes.
Outro de Jo5o Jos Fagundes de Rezende
e Silva, pediudo o prazo de 4 annos para
orgaaisar urna couipanhia para a minerago
do Cayop..V mesma commisso.
Outro do escrivao de polica de Pernam-
buco, Antonio Carlos de Almeida, pedindo
para serem equiparados os seus vencimen-
tjs com os dos da corte.A' commisso
de pens s e ordenados.
Outro de Augusto Galdino de Souza, es-
criturario servindo de secretorio da re-
partido da polica da provincia de Santa
Catharina, pedindo que seu ordenado e
gratficago seja feito a exemplo dos das
temis provincial.A1 mesma commisso.
L-se e vai a imprimir, para entrar na
ordem dos trabalhas, o seguinte parecer ;
Al* commisso doorcament.. exami-
r.ou cuidadosamente a proposta do poder
executivo de 8 de maio de 1869, pedindo
a approvaco do corno legislativo para va-
rios decretos qae trausportaram de urnas
para ootras verbas do servigo publico
quantias determinadas, abriram crditos
supplementares e extraordnarios para satis-
fago de despezas obligadas, e ordenram
operacoes de crdito que foram realisadas
no correr do auno.
Nao pode hesitar a commisso em ap-
provar esta propouta. As tabellas que Ibe
vieran annexas privaa as verbas em qae
foram feitas as modificacoes, e a eaposi-
do Sr. presidente, e ahi procede leitura
da seguiote proposta:
Augustos e dignissimos Srs. represen*
Untes da naco.Receto ordem de S. M.
o Imperador para vos propor a refirma da
guarda natmral.'
f Venho desampenhar-aie do honroso
gao constante 4oa r latoros justifica esses deaer, apreaentando vosas considerago 0
actos do pod r ex'ieutivo.
Despnaa da g u rra, $oasi todas j rea-
lisadas, muitas no anno anterior de 1867 a!
1868, e outraa qu e veriticaram no de
1868 a 1869, e qufe cumpria rigorosamen-
te pagar, aulorisaram o governo a abrir os
crditos referidos.
Tudo marcha, pois, segundo as dispo-
sigoes da lei, era alacio aoa mencionados
decretos.
Quanto, porm, ao de 5 de agosto de
1868, que autorisou a emisso de.......
40.000:0004000 de papel moeda, nenhuma
duvida ha de que elle excedeu das torgas e
competencia do poder execottvo, e o pro-
prio ministro que o referendou o confessa,
ao expr os motivos por que Ihe tomou a
responsabilidade.
t As circunstancias do thesouro publi-
co que Ihe nao proporcionaran! entilo meios
de pagamento a compromissos, tanto ante-
riores, como durante a sua administraco,
constrangeram o ministerio de que faza
parte a servir-se do papel-moeda, como de
recorso nico, para salvar o crdito pu-
blico. To parcamente usou da medida
que a appleou s ao estrictamente indis-
pensavel e urgente, na faa absoluta de
quaesquer outias providencias, e apenas
emittio por coata do crdito aberto de
40,000:000,5000 a semma de 8,750;00000
Continuava a guerra no Paraguay, era indis-
pensavel satisfazer os compromissos do the-
souro, pagar os saques, remetter o neeessa-
rio a alimenta-la, e nao baviam meios de
solugo nos recursos ordinarios do Estado;
j no anno anterior tora raister soccorrcr-S'3
o governo emissio do papel moeda, e o
seu proprio antecessor no ministerio da
fazenda reclamara do corpo legislativo era
1868 nova autorisagi para augmeatar a
qiantidade de papel-moeda em circulago,
quando a dissolucao da cmara dos deputa-
dos suspenden a deciso do poder compe-
tente.
Entre o caso de -fallar o thesouro aos
seus compromissos de honra, e o recurso
de tomar a si o ministro a responsabilidade
de emitlir papel-moeda, sem autorisaco
legislativa, preferid o Sr. presidente do
conselho o segundo alvitre, sujeitando-se
a qualquer consequeocia, comtanto qae sal-
vasse o crdito da fazenda publica.
c Parecem procedentes commisso to
explcitas declaracoes. Posto seja ella con-
traria a emisso de papel-moeda, que s
pode ser empregado, quando esgotados todos
os outros, e mesmo assim perigosissimo
sempre e dos mais funestos elfeitos, enten-
de que as circunstancias em que se achou
o Sr. ministro da fazenda, marchou elle
acertadamenje, e torna-se merecedor de um
bil de indemnidade.
Assim, convertendo em projecto de lei
toda a proposta do governo, e approvando-a
por sua parte, offerece-o consideraco da
cmara para final solugo.
Paco da cmara, em 25 de maio de
1869. Pereira da Silva.A. J. Henriqms.
A. M. Perdigo Malheiro.
Lm-se, julgam-se objecto de delbe-
rago, e vo a imprimir diversos projectos
approvando pensoes concedidas pracas in-
validas em combate.
Lm-se e vo a imprimir para entrar
na ordem dos traballios as seguintes redac-
gSes:
< A assembla gi ral resol ve:
Art. 1. O auxilio concedido ao monte
pi geral de economa dos servidores do Es-
tado, pelo decreto n. 1,220 de 2 de agosto
de 1864, subsistir at que, a juizo dogo-
yerno, os effeitos da reforma daquella ins-
tituigo e tornem indispensavel.
pensamento do govesno sobre to urgente
necessidde.
A actual Insutuigo restringiodo em de-
mazia a libtrdadedocidado, nenporoso
garante a ordem publica, com a efficacia'que
se devia esperar da somma dos sacrificio
individuaos.
< A causa dessa anomala: patente;
compre exlirpa-la. Ahi esta o ponto e a
difflculdade aa reforma.
Se a totalidade das refriegues' opera-
das na liberdade do cidadao a pretexto di
guara nacional revertesse integralmente a
bem do estado, e nao fosse em grande
parte sequestrada pelo arbitrio, o eervico
deesa milicia havia de sobrar e multo para
manutencao da seguranga publica*, sem
nenhum vexame da populago.
Accresse que o onus nao distribuido
com igualdade, recahindo quasi exclusiva-
mente sobre as classee pobres, aquellas que
mais careoem de prever aos meios de sub-
sistencia. Causas bem conhecidas inspi-
ran parte bastada da popoiago viva
repugnancia pelo servico militar.
Releva obviar aos dous graves incon-
venientes. A proposta m nspirou
justa apreciadlo da aeeessidade. A vossa
consumada experiencia cabe desenvolver a
idea capital da reforma, como tor mais
eonseotaoooao bem publico.
Aobrigaco que o art. 146 da cons-
tituigo jiresciene- a todo o cidado brasi-
lero neferc-se nicamente aos casos ex-
traordinarios em que ameacada a inde-
pendencia e intregridade do imperio. Se
nesse artigo est a base da gvarda nacional
nio pode a instituigao ter outro fim c outra*
misso que nao seja a detosa do estado
contra o* inimigos externos e internos.
* O servigo de ordem inferior, puramen-
te administrativo, com o servigo subsi-
diario da polica, pertence portanto a outra
instituigao diversa e mais modesta do que a
guarda nacional. Este onus tem a mesma
natureza daquetle que j existe na legisla-
cao a respeito dos cargos obrigatorios de
dekgado, subdelegado, inspectores de
qnartero e juzes de paz.
Nessa distineco natural se basca a
separago adoptada na proposta1 enfre a
guarda nacional e a milicia.
< A faculdade concedida ao cidadio de
remir-se do onus pessoal mediante^ orna
contribuigo pecuniaria ser orna garanta
efficaz. Aquella parte da popula?o qee
hoje escapa do servico d sombra de ama
tolerancia imposta pelos cosiumes, concer-
rer com sua quota para alliviar a classe ne-
cessitada. Por outro lado o abuzo no
ser to nocivo e perigosb quando actuar
sobre urna parte minima da fortuna, como
agora que elle recabe tambem e princl
plmente sobre a liberdade do cidado:
Espero, augustos e dignissimos Srs. re-
presentantes da nago, qae to nareis em
considerago a proposta, curo espirito en-
te-idl conveniente manifestar-vos. Est
ella concebida nestes termos:
os
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POR
Paulo Fval
Art. 2. Ficam revogadas as disposigSes
em contrario.
Sala das commisses, em 25 de maio
de 1869. C. Mendes de Almeida.Joo
Delphino Ribeiro da Luz.
Achando-se na sala immadiata o Sr. mi-
nistro da justiga, introduzido com as for-
malidades doestylo, toma assento -direita
PRI1IEIHAPARTE
Guarda nacional.
Art. 1. A guarda nacional instituida
nicamente:
t 1. Para defesa do imperio contra o
estrangeiro.
2. Para manutengo da ordem publi-
ca no caso de rebellio, sedigo ou insur-
reigo. S nestes casos a guarda poder
destacar.
Art. 2. as comarcas de provincias
fronteiras poder o governo destacar os
corpos da guarda acional e dar-lhes orga-
nisago militar, pelo tempo que julgar ne-
cessario. A organisagao militar ser de
activa e reserva, como convicr.
Art. 3. A guarda nacional ser organisa-
da por comarcas. Na das capitaes poder
haver um commando superior, quando tor
conveniente crea-lo.
Art. 4. Ser qualificado como guarda
nacional todo o cidado activo que esteja
isento do servigo militar e da milicia.
< Exceptuam-se.
, *'.?* *l*^. cooaHaaros de esta-
do, preadettes de orovincia e cWes de
poia.
< 1.a Os senadores e depsfrlos fe-
raes.
c 3." Os dejiflfts de ordens aaaras
militares e magistrados vaeiosr
4.* Os vafeUidiaaris.
Art. 5.* O commandante superior ser
naneado pe* governo geral, a os afficiaes
pala presidaute da respeciira proviada.
Sero dispensados guando chvier ao ser-
vigo publico. Os oJBciaes noaaeados antes
da reorganisago ficam com dreito aos pos-
tos apezar da dispensa.
t Art. % A guarda nadofa1.t|r um soj
uniforme em todo o impenoa esse urna
vez adoptado s par lei poder 'ser alte-
rad'.
Art. 7.* Ptoder aguarda nacional, por
deKberagSo ptopria, mas precedendo ficen
ca do governo, formar em parada nos das
de festa nacional. Nao porem, obriga-
torio o comparecimento dos guardas que
se nio quizerem prestar a esse servigo.
Art. 8." Altar do ?ervso declarado no
art. 1*, a guarda nacional so obrigada a
fazer exercicio de sua ai ma unta* vez por
mez. Os exercictos se effectuaro em daos
feriado: e sero interrompidas trinta dias
antes e depois da elairao.
Art. Haverav tofo qe seja possi-
vel, escolas de tiro e manojo onde o guar-
nessa da nacional se possa exercitar.
< Art. 10. Quando a guarda nacional des-
tacar o governo e os presidentes, no caso
de urgencia, podero desliga-la taaapora-
riaraenio do respetivo commando superior,
nomeaudo ofliciaa militares ,in da mesma
guarda, para coaama'>da-la.
t Art. 11 i No caso de ser destacado, o
guarda nacional poder isentar-sr do servi-
go, dando um substituto idneo pelo tem-
po que durar o destacamento.
Art: 12". Os offitiaes da actoal guarda
nacional, embora nao sejam confirmados,
conservaro as honras de seos postos.
t Art. 13. Nio se concederlo honras de
poetos da guarda nacional. Os officiaes
que tiverem servido viole annos, ou dez
com distineco, adquirem direito re-
forma.
c Art. II. A gnarda nacional lira sujeila
pelas infraeces de servigo segnin te pe-
nalidade: advertencia e prlsao por um a
cin -.o dias, resolvendo-se em muia razo
de 66 a 200 por dia, se o infractor prefe-
rir paga-la incontinente.
Aart. 15. As penas sero impostas pelo
commandante do corpo, ou commandante
superior otoVo hoover, com recorso para
o auditor (juiz dedireito) da comarca.
Art. 16. 0 governo dar* guarda na-
cional nma organisagao mais simples que
a actual, e com as modificacoes estabele-
cldas nesta lei. O systema de qoalilicago
adoptado pslo govorno ser sirbmettido
approvaeo'da assembla gerat.
SEGUNDA PAHTE.
Milicia.
Art. 1.' A milicia instituida para au-
xiliar os coraos de polica no servigo da
seguranza publica.
Art. 2. Sero alistados na milicia:
i l. Os nacionaes domiciliados no
Imperio que tiverem de 18 a 50 annos de
i dado.
$2. Os estrangeiros as mesmas con-
dic&es, mas nicamente para o ftervico au-
xiliar da polica.
< Sua qualificaco se far pela mesma
forma e ao mesmo tempo que a da guarda
naetoaal.
f Art. 3. Sao isentos do alistamento da
milicia nicamente :
t i.*-iQs ministros, consHaeiros de es-
tado, presidentes de provincia e autoridades
policiaes.
2.* Os senadores e deputados geraes.
3. Os clrigos de ordm sacras, os
militares e os magistrados vitalicios.
t 4. Os valetudinarios que mo tiverem
a renda para eleitor.
8* Os que pagarem a taxa an'nnal de
40A', levando-se em conta da mesma o im-
posto pessoal.
t 6-1 Os que forem eseusos por terem
completado o tempo de servigo.
Art. 4. A mdicia dividida em dnas
classes, a activa e a reserva. A' reserva
pertencem oicameate os alistados que pa-
garem a un de 201 por anno, levando-se
embola da mean o imposto pessoal.
Art. 5. 0 producto da conlribuigo
de que trata o art. 3o | 5o e o art. 4* ser
applicado ao pagamento de sold aos mi-
licianos destacados.
Art. 6." A milicia Iteri organisada por
municipios; comprehendendo cada corpo
tantas seogoei qoantas forem as parocSias.
Art -7.* 0 miliciano da actiu ot)ri-
gado a fazer por escala o servigo ordinario
e extraordjario da poeia quando requsi-
tado pela autoridade-competente.
Destacar dentro do municipio e da
provincia, qnando odia houver invaso,
rebellio, sedigo ou insurreigao.
Art. fc." o miliciano di reserva s
obrhjado a servir no taso de totas), se-
dicSo, rebellio e insorrelglo. Nio desta-
car senlo dentro do respectivo Wubicipio
e nonca pormais de tres metes.
Art. 9.* Nos municipios de fronlefra o
governo poder peto tempo que julgar ne-
cessario incorporar a milicia guarda na-
cional sujeitando-a i organisagao militar
Art. 10. No caso de invaso, rebellio,
sedigo ou insorreigSo, o governo Impe-
rial e os presidentes, havendo urgencia,
daro provloriameato a milicia urna orga-
nis-go militar, reunindo-a guarda nacional
ou confiando sea commando a oIBcles mi-
litares.
Art 11. Para regular servigo ordi-
nario, dividir-se-ha a milicia activa de cada
parochia em seis ou doze seccOes tocando
a cada seceso ummez ou doUs de servigo
durante o anno;
t Arl. '12. O miliciano depois de dez
annos de servico na activa ou na reserva
tem o direito de ober sua escusa.
Ar*. 13. O servico da milicia nao
isenta pessa que o prestar do servigo
militar que seja obrigado por lei.
ArL I i. O uniforme da milicia ser o
mesmo para cada provincia, devendo
adoptar-S8 o que parece miis commodo e
econmico.
t Art. 15. A milicia da activa obrigada
a fazer exercicio de arma dnas vezes por
mez, e da reserva urna vea. 0 exircicio
se effectuar sempre em dias feriados, ser
interrompldo trinta dias antes e depois da
eleico.
Art. 16. A penadade da milicia ser
a mesma da guarda nacional, competindo s
autoridades policiaes impr as penas.
Art. 17. O governo em regalamento
que expedir dar milicia tima organisagf o
simples e adequada, sem postos nem honras
militares.
A milicia da corte e das grandes ca-
pitaes terd nma organijaco especial de
contormidade cori esta fei.
c Em 25 de maio de 1869.Jos Mar-
tiniomo de Menear.
O Sr. Presidente declara que a cmara
tomar na devida considerago a proposta
do poder executivo.
A aequerimento do Sr. Dogo Velho, que
approvado, a proposta tem de ir a urna
commisso especial de tres membros, cuja
eleicSo ser dada para a ordem do dia de
amanha a requerimento do Sr. conde de
Baependy.
ORDEM DO DIA.
Primeira parte
OIIICA4AI. l\\lt%l0
IX
i'nw hora de amor
CContinuacao do n* 128.)
Comiam e bebiam. Tudo Ihes era de-
licioso, porque tinha por condimento divi-
nas meiguices. Oh I elles amavam-se ; j
nao fallo s de Andr, nem vale muito o
pensamento vago que atravessara o cerebro
dolorido de Julia. Os olhos delles, que
buscavam continuamente encontrar-se, fal-
lavam agora a mesma lnguagem. Ama-
vam-se de um nico e grande amor; con-
fundiam-se-lhes os coragoes, e j o aprecia-
vel cojloquio se nao limitava s raras pa-
lavras que das suas boceas cabiam.
Exalta o infortunio como a alegra exal-
ta ; a ebriedade da dor urna realidade. A
quem ensinarei que as nossas sensaces o
os nossos sentimentos ae desenvotvem
como na figura mystica do'circulo parti-
do, cujos extremos se toc|MM? Mostra-nos
a historia seitas enthusiasH,-que procuram
e encontram voluptuosidadania tortura. Em
summa, urna a febre quinos faz bater o
pulso, e sao os diversos modos porque se
manifesta que exprimem a dor ou o pra-
zer.
Ambos eram mogos, e a febre fcil de
contrahir. A vontade de Andr attrahio
Julia,, e depois, chegada a reaccjto, a pri-
meira' expanso de Julia provocou em An-
dr urna especie de religiosa embriaguen
Ha na historia de Franca um pagina,
que parece arrancada ao cobeauo da dio
aotiga; pajina gravada pel cinzel impo-
luto de Phydias n'um pedago immaculado
do mais transparente marmore de Paros.
Nao juero dar ouvidos aos que a negara,
porque cada fructo tem o seu verme, ecata
luz o seu ceg : quero crer, e vejo no san-
grento fundo do ^uadro do Terror desta-
carem-se frmente aquellas serenas figuras.
Tambem quasi todos eram mogos, e chama-
vam-se Brissot, Vergniaud, Gensonne ; mas
s por um nome sao hoje conhecidos o
de Girondinos. Affirraa-se que quando es-
tes apaixonados da liberdade eslavam para'
morrer, se reuniram, compartirara o pao,
partilharam o vinho, celebrando com doce'
enthusiasmo, no meio da bachanal que c
tora ruga e Ihes pedia as cabegas, a so-'
lemnidade das proprias exequias.
a legenda daquelles terriveis dias; e a
melanclica eloquencia do seu ultimo sor-
riso filustre.
O infortunio exalta ; do supremo pergo
evolve-se suprema poesa. Alti eslavam
ambos, assentados ao ultimo banquete,
tendo por conviva a solido. Chegava o
sonbo, nasca o xtasi ; a cmplice flores-
ta prodigalisava-lbes harmonas e perfumes ;
era Julia to formosa, que, deslumhrado,
vi-a Andr atravez de urna aureola santa.
Eslavam radiantes de amor ; os seus cora-
goes consumiam prdigos, nesta heroica
orgia, o sacro fogo de urna tonga vida de
ternura.
E nao- Ihes reste a. mnima suspeita :
aquellas duas almas ardiara bem da mes-
ma chamma. Julia tudo esquecera.ieoaio-
lando o universo intero no pensamento de
Audr. Naquelle instante occorreu-lhe
idea de morrer.
Gorria?no entretanto o tempo. Lnguida
e paluda, ajoelhoa Julia e d&scancoo a fbr-
mosa cabecn nos joemos da Andr. Os
cabellos sollos jorravam em ondulacoes,
ostentando a opulencia .-dos aunis ; agita-
va-se-lhe o seto, e aQorteeie-lhe o fulgor
das pupiltas nao sei que deleitosa, pros
tfag3o.
Quando os labios dO Andr buscam os
seus, diase-lhe- ella:
S tu pan mim existes no mundo ,
nema propria omnipotencia divina- conse-
guira dar-me oulro que nao tossoa.tu I
Soprava a aragejn i3onuad*nde4b4s os
cariciosos cabellos, a arigea oe wmfc
paUvras e as leva para tfl; aa
que a brisa balanceara
tensos murmurios, que se mistura va o
ridenle concert -dos passarinhos, qae gor-
geavam innmeras phantasias ; soltava o
regato a sua nota montona, e o sol obli-
quo proJoagava ao longe na espessara os
seus raios de.ouro.
Quer Deus que destes sonhos se des-
pert !..
Ao escurecer, a diligencia de Caen a
Pars muda va de ca vallo-em -Moult-Argen-
ces. Ghogou a estego urna bonita cacho-
na em trajes do campo e tomou um lugar
do interior, ao tempo em que om rapazote,
que apenas trazia urna trouxita por baga-
gem, trepava desastradamente para a alrao-
l'ada. A tnalher do campo levava mala.
Entendedor como todos oe- sena- iguaes, o
conductor mirou-a de soslao e dsse, *om
admirago que nada tinha de equivoca :
Bem-. boa pequcoal lito em Pari
ha de valer boa maquia I
A rapariga bonita deuum nome aldeo
qualqaer : Pelagra oo Gotoo. O viajanto
da almofada, quando Ihe chegou a vei, de-
ciaron cbamar-se Joo Bptist Schwartz, o
qne fez estremecer-
gas de camsa que'
mala da oampoaBW
Assim augmentada, a ddig^apciZSBiaa
movmento. J. B. Sebwafta- onto>roaaai
orelhas un ba-rete de algodio novoem
Iba, que levava. Passou um beijo peia
tinholada earroagea, onde aftraparq^i
aita ficra. chorando ; na-eaU-ad- t
trum adeus a&dDas mos e<
hornera em maagaa de cama.
Ficuq all immovel por raoHo
Quando ao Unge
das rodas, subi elle para um.
o espera*.de ootra MffVda-
Vaatas* Wack 1 dise^eoni*
vjgny. Gostavas tu daquelles chjios : ellos
fallam-me de ti.
Vamos, que nao sou to infeliz como sup-
poem. Tudo me faHa de Vivo comti-
go ; nao me deixa o leu pensamento um
uoio instante. Sei que te conserva minha,
eteono conianga nabondade de Dens.
O que mais me custa nao conlecer
Ptm. Nao vejo nada do qne te cerca. Nao
se me pode figurar bem o qae faxes, onde
vaos, a ra para onde a toa janelladaita, a
igreja onde costumas ir orar pelo nosso
querido ilhinho. Sou obrigado a remon-
tar ao pssado ; busco-te onde te possuia:
n&nossa casa das Acacias. Como ente
quera, Julia f E todava nada era em
comaaraeo do muito que hoje te quero I
Nao; o railagre o nico milagro digno
de(te nome: pode, pois, a affeieao augmen-
tan anda, quando j de si encho o corago I
Gresce o coaagao, para poder eonle-la.
Tenho a certeza de que-cada dta amo mais.
Sinto o* progresos deste divino mal, que
a minba vida* Amo-te como niaguem
jamis amou, o sno qae te bei de amar
Procede-se votaco do parecer da
3* commisso de poderes sobre as eleiciV s
primarias das freguezias de Sant'Anna dos
Alegres, de Nossa Senhora da Penha de
Bunty, do collegio de Paracat, bem como
as das diversas parochias do collegio de
Montes-Claros, pertencentes ao 7o districto
eleitoral da provincia de Mifias-Geraes, e
approvado.
Entra ern 2* dsCussSo o projecto de-
terminado que oseames dos estudos pre-
paratorios para os cursos superiores feitos
em qualqaer das facilidades, academias ou
escolas do Imperio sero aceitos em todas
as faeuldades, academias ou escolas para
produzirem todos os seus effeitos.
Vem mesa, sao lidas, apoiadas, e entram
conjunctamente em discusso, as seguntes
emendas :
Depois da palavraescolas aceres-
cente sede mstrucco superior. Barros
Bar reto.*
s Depois da palavraescolas accres-
um raaagao em maa- maja-atada amaaba-. Contra istonada po>
troa*ir s costAia dej. Nao sou to infeliz como pensara.
0 homem,encarregado de me vigiar, trou-
xe-*me, i u-oco de algum dinlieiro, urna
peona, tinta e papel. Nio rico ; tem
doqs fijhos ; e amigo da mulhar. Por
occ^sjJo;dqs rigorosos fros do anno pssa-
do,, mandaste tn ama* camizotnhas de lia
aosi pequeos. Lembrou-* disso, e s me
quix dous luizes para me oblar uns cader-
nos| d papel, urna boina de finia e ues
peonas.
( uaodo vi tudo isto, minha pobre Julia,
o e como na fcwwi--' Pafetti-tt^que
ti aa^ajui, e que a. Callar omiifo. %
par que vejas : o soSrimeato naoiae arran-
e triste. 7e i m^^JlflS^to nem
eHiaW de dMeH^iaa cous <**,.
mm
iiiiiiiM-'n
2 Acl inHa da JfifflT"
Promatti escrever-te mii
graadesa^iiflae,da para
Unta e aaper! BsC
de Qaeng Quaaia'afpo o rao
parapei^
dasutrv
Vi^Mr.'-
seria descobrir o retiro da minlia adorada
cmplice, km direitos ter coratigo, agar-
ravam-te, o mettiam-te na cadeia.
Tu na cadeia t to, minha Julia! tu ahon-
ra, a dignidade, a pureza t Eu tudo posso
supportar ; aqullo por que ora passo est
longe de iralm das minhae torcas e diego
at a experimentar bom e profundo conten-
tamente quando pens que car reg sobre
mima toa parte do peso. Mas sesoubesse
que eras vexada, adeus minha coragom, qne
tambem de li emana. Nao reconbeceria
mais a Providencia, se a Providencia te ful-
minasse. Era capaz de blasphemar.
um laco ; vs ? algumacousa m'o diz:
nao hei de cahir nelle. Tenho onde escon-
der esta carta qae cada-vea se ha de tor-
nar mais extensa, c na qual algn dia en-
contrars o meo corago. Como bao de
pensar no que fago do papel; escreverei ou-
iras, que enviarei para Londres, onde te
suppoem. Depois le explico isto. Essas
cartas podem le las, se quizerem ; proco-
rem nettasa toa pista. Ornea segredo t-
nho-o eu bem guardado no corago.
Sao mens inimigos, e, cousa bem singu-
lar! nao me tem im vontade. Poucosel';
ser-me-hia impossivel explicar certos pen-
samentos, qae todava sao claros c em mim
existen. Inspira-Ihes a minha pessoa urna
especie de amizade; o mea crime que de-
testara. Mis-como possivel separar o ho-
rnera dos sett* actos ? Se commetri o cri-
me que me imputara, nao sou de todo
ponto digno de odi ?
Sei. qufc bem dHBcir drzer o qri no
lugar de:outrem cada qual faria, etil deter-
minado caso. Sob dous pontos de vista
diversos, deo'mistnb objecto cambiar
de Jal artrHitfd !se torhe impossivel conhe-
ce-.! JMbras'te'd* grande froixo que
havia era^dMaVe, da" ora banda de Sarte-
no : traocSTa-oora+aio ; vindd.de Cha ve.
centem-se as seguintes : cojos lenls
mram nomeados ou approvados peto gt-
verno central e pagos irfc>s cofre* ferae-
CotlAo Rodrigms.t
Depois de breves coasideracbes dos Srs
Araujo Ges Beojamia, Cocino R drigues
e Duque-Estrada Teixeira, approvado O
ad amento.
Entra em Ia discusso, qae a requeri-
mento do Sr. Castello Branoo se considera
nica, o projecto que autorisa o governo
para conceder carta de naturalisao de ei-
dado brasileiro aos subditos portugaezes
Antonio Ferreira da Silva, Joaquim Pinto de
Magalhes, Joaquim Jos de Almeida e Ma-
noel Francisco Lagoa; ao fraacez, padre
Pedro Claudio Alegre, e ao argentino, Hen-
rique Steqner.
Vem a mesa, sao lidas, apoiadas, e en-
trara conjunctamente em discusso, as se-
guintes emendas :
igual fajjjr aos subditos portuguezes
Manoel Jos Andrade, casado cora brasi-
lea, com tresfilhas, fazeudero, residaate
no municipio da Encruzilhada, da provreia
do Hio-Grande do Sul; Miguel de Souza
Cunta, residente em Porto-Alegre, capital
da mesma provincia, de cuja navegacao in-
terior pratico, e Manoel Antonio Tavares.
residente nesta ultima cidade.Jantho de
Mendonca.Azambuja. *
Igual favor ao subdito portuguez Joo
Jos Vieira Guimares, residente em S.
Paalo.Dnarie. de Azevedo.
Igual favor a Augusto Rieke, subdito
da Confederaco Germnica do Norte.A.
S. Carneiro da Cunlia.
Igual favor ao subdito prussiano br.
Gustavo Luz Guilherme Dodt, engenheiro
civil, casado, residente na provincia do Piau-
hy; a Moyses Benedicto, natural de Marro-
eos, negociante, residente na provincia do
Maranho; e a Jos Fernandes Lima, sub-
dito portagaz, casado, residente na mesma
provincia.Gomes de Castro.Grf.
Yieir da Silvtt.
Igual favor ao Rvm. padre Nicolao
Rutter, de nago Belga, residente em Porto
Alegre, capital do Rio-Grande do Sol.'
Bittencourt.
* Ignal favor aos seguintes portugueses:
Dr. Francisco Baptista Marques Pihneiro,
Francisco Augusto Mendes Pereira de Vas-
concellos, padre Krancisco Mara P|a(e, Joa-
quim de Oliveira Netto, Abel dos Santos,
Joaquim Raymundo Montas, Joaquim dos
Res, Jos Marcos da Silva Vianna, Ignacio
Ferrerra Netto, Jos Gongalves Pedro e
Valentim Jos Augusto de Faria.J. N.
Penido.
Igual favor se conceda aos subdito.-
portuguezes Antonio Affonso da Costa, ma-
rtimo; e Domingos Fernandes Grill, ne-
gociante: ambos residentes no Ro de Ja-
neiro.Vieira da Silva.
Igual favor se conceda ao subdito por-
tuguez, residente na villa da Barra de S.
Joo, Joaquim Rodrigues Lapa. Rodrigo
da Silva.
t Igual favor.ao subdito portugaez Tho-
maz Narciso Ferreira, residente na provin-
cia de Sergipe.M. Guimares.
Igual favor a Joo Baptista Affonso
Peixoto, subdito portuguez, residente no
Para.Siqueira Mendes.
Igual favor ao cidadao portuguz Arito-
nio Jos Bento de Almeida, negociante resi-
dente em Villa Bella da Princeza, em S.
Pau|o.Joo Mendes.
Igual favor ao subdito portuguez Ma-
noel de Souza Pacheco, residente no termo
do Pomba, e ao prussiano Joo Augdsto
Rosa, residente em Barbacena, provmci-d*
Minas-Geraes.Caedo.
O Sr. Castello Branco-, justifica e man-
da mesa a seguinte emenda:
Igual favor ao subdito portuguez Jos
Nabo do Amaral Lobo.Castello Branco.
Ninguem mais pedinddb a palavra e pon-
do-se a votos o projecto, approvado com
iodas as emendas remeltdo commisso
de ledaeco.
(Continuar-sf-ha)
U I
l( 1
*S**^te,
sera !
lo-eemb- os
lliA'w

JJ;r
m
4IP
e oefcoi
se fosee t
atib'D -man
foidtt madHro ^emvida; chegando^de
Sarto,*'r^^e^a^sc-e^rvlM

mos do Sr. Roland, irmao do presidente,
homem piedoso e affavel, que os pobres co-
nhecem.
Mas ahi tens o meu infortunio, e creio,
apezar da minha ignorancia, que provm
elle justamente da deformidade da lei fran-
ceza. Um crime commettido suppe for-
gosamente nm culpado, e o Sr. Roland tem
por misso achar o culpado. Cada qual
toma a peito cumprir a misso que Ihe fo
confiada.
preciso um culpado, tal o ponto de
partida. a verdade pura ; tambem a
l'atalidade.
to preciso um culpado, que um cul-
pado bastante. Nao quer a le qne o mes-
mo faci motive duas condemnagoes, e a
sua lgica, rigorosa at puerilidade, dei-
xar descansado o verdadeiro criminoso, se
algura innocente houver pago a divida
ficticia que todo crime contrae- para com
a reprsalo.
Nao tenho s papel, penoa e tinta ; te-
nho tambem um livro, que Luiz me ven-
den sao os cioco cdigos. Diaia o nosso
cura que nem para todos boa a leitura da
Biblia, e que a palavra de Deus, despida
de explicacoes, bebida demasiado forte
para certas intelligenciaa. Inclinar-me-bia
a crer que o toeeaio so d com o cdigo,
razo mais humilde, mas de certo bem ate-
tada anda para, a miaba simplicidade, por
qae me maravilna umitas vezes.e ciega mes-
mo nao raro a 'asiornbraMno. Nao falto
de todo o.codigf* o quex ahi pfoeurei era
o qae me iBteresSava ; nio estudpi por-
ta.nlo se nao a parte penal e a nstruccSo dos
processoa arenes, Eram os qae isto. ela-
beleceraavos primeiros entre os homena:
poaeram na lei todo o seu genio *#.*expe-
rticia-- do sessenta seculoa ; inspira-me

respeito a sua o
fisgo a Deus o
qu 1 A artilb
ega, est
iso um cul
iats lori|
|*sta; or estoma, mas
do cada somma de probalidadw; nos
Do i campo dos protagK [<## P*fr o campo dos ini:
|agra-
longe da-
9pntem te
intrati. t
mi%3 na os cu'pa-
porque a lei, molei

,. -
...
a
,.-i


i
i mira i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOHHAGHDF_NPC9M8 INGEST_TIME 2013-09-14T03:52:05Z PACKAGE AA00011611_11861
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES