Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11860


This item is only available as the following downloads:


Full Text



ANNO XLV. NUMERO 128.

PAJU A CAPITAL E LWAHES 6HBI; HAO SE PAGA PORTE.
Por tmme Viudos...............
Por ais ditos idea, r ...................
Por um auno dem. .................
Cta numen ateilso...................
000
,{(000
34I0OO
320
I

TERCA FEIRA 8 DE JUNHO DE 1869. S
l
PA1A BERBO E PORA DA PBOVTBCIA.
Por tres-mezas adiantados..................
Por scw ditos wtem....................
Por dom ditos dem.............*....
Poruayumo............
*
Propredade de Manoel Fignelra de Faria & Filhos.
---------------------------------1i--------------------------------------------------------------------f,--------------------------------1------------------------------------------

NA* AElY*Ba:
no MaranhJo; Joaguim Jos de Oiiveira, no Cear; Antojo de Lemos Braga, no Aracaty; Joo Mara Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Suva, no Natal; Jos Ju: lino
Os Srs. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para; Gonfarves d- Pinto,
Pereira d'Almeida, em Mamangua];< Antonio Alexandrino de Lm/jmParahyba; Antonio Jos Gomes, najTiJb da Penha;Belarmino dos Santos"uc5o, em Santo"nVtoJbi^Jos"Sli ^sta'7ig3,
em Nazareth; Francino Tmres da Csta, em Alagas; Dr. Jos Martins AJvea, DaBahia; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Rk) de Janeiro.
parte arnciAL
Gvcr d prorlacU.
l>F>rACHOS DA VICE-PRKSID8NCIA DQ DU 3 DE
JCVHO DE 1B69.
Bernardno da SVa Calta Campos.Junta ao
requerimento e informar/les anteriores, valle ao
Sr. Inspector da thcsouraria de fazenda para in-
formar.
Companhia Nolhcrn Assuranrc Junto ao re-
querimento e inlormacao anterior, volto ao Sr.
desembargador presidente do merelissimo tribunal
.i commercio.
CvJos Jos do Sena.8cja entregue o menor ao
suppiicaote iBdomuisaido este a fazenda dasdespc-
as Mita*.
Joaqaim Tranqniflno de hemos Duarte. In-
forme o Sr. inspector da thesonrarin provincial.
Justino Eugenio ha venere. Informe o Sr. ins-
pector da tbesouraria de fazenda.
John Donnelv. A vista das informacoes nao
tem Ingar o que reqtier.
Jeronymo Tlieotonio da SHva Loureirc vista
da-, informacoes laVre-se detiberaeo declarando
m'ii offetto a ultima benc-i concedida ao suppll-
cante e contra este se proceda nos ferinos do tit.
3 capitalo nico da lei n. 369 de 14 de maio de
1853.
Bacharel Joo Henrque Mafia. Indeferido
vista da informacao.
Vigario Jeronymo Jos Paclieco do AHbuqucr-
rpio Mnranho.Entregue-se mediante recibo.
Jacintba Francisca de Barros Mello.Satisfaga a
supplicante o que exige o decreto n. 87 de 31 de
albo de 1841. e como determina a circular de 13
Je Hovambro de 1868
loifct Mara da Boa Hora. Informe o Sr. Dr.
enefe do polica.
Mara Magdalena da AssuTmprao.Informe o Sr.
cnife de polica.
Sebastin Marques do Nascimento. Dcpois de
junto aos papis anteriores informe or. inspec-
tor dathesooraria de tetendn,
TherW-a de Jess Pedtesa.Remettam-se os do-
'lmenlos ao Sr. Inspector do arsenal de mari-
nha.
Victorino Jos Ferrelra.Informe o Sr. Dr. di-
rector geral interino da instruceao publica.
lepar tica 4a polica.
2 seccaaSecretara da pulicia de Peraambuco,
7 de junho de 186.
N. 88.Urm. e Exm. Sr.Tenho a honra de
Ao | 4* do art. 14aecreseente-se, sendo
i.OOOl para as obras da igreja tnatriz de Naza-
reth.Amarle tollo K. Pino,
A quota de 1:0004 volada no orcamento do
anno passado para as obras da capella do Rosario
de Camar, se applicur para as obras da capel-
la de Nossa Senlmra da Concelelo da mesma co-
marca. M. Amorim.
Para as obras da igreja de S. Sebastian -da
villa do Bonito i:QOO$Kpaminondas de Burro.
-rJft Amorim.
Ao art. 14 4accrescente-so 2:000.3 para as
obras da matriz dd Caruar.M. Amorim.
Ao art. 14 4aecreseente-se 2:000a para
amatriz de S. Bento. M. Amorim.
Para execuco da lei n. 8136:0005000.
Ti'wtino fhgueira. MergulkCto. Felisbino.
Arnujo Betro.Samnel1 Pontual.AndrCar>*l-
canilBarao de Una.E. Pina.Reg) Barros.
-"Jote GUirana.M. Amorim.Epmninondu de
BarrteJamen d Castro-Ermiro Continho.
* Ao art. 14 % 41:0004 para as obras da ma-
triz da freguezia de Nossa Senhora do O' da co-
marca de Goyanna.Arminio Tarares.
Ao art. 142:0003 para as obras da capella
erecta na povoacao Nova Cruz, outr'ora denomina-
da Mara Farinha, frepuezia de Iguarass.Armi-
nio Tacares.
Ao art. 14 ? 6oaecreseente-se 10:0003 para
a ponte sobre o rio Una, entre as freguezias de
Una e Barreiros.Fetisbino.Mergnlhao.TU<>-
tino Nogueira. a
Ao i 6o do art. 14accrescente-se 2:0003
Sara as obras da igreja de Nossa Senhora das
ecessidadegg da Casa Forte ; 2:000000 para as
obras do recolhimento de Iguarass ; l:000 para
as obras da capella de Nossa Senhora do Rosario,
de Iguarassii ; 1:0005 para as obras da igreja do
Senhor Bom Jess dos Pobres Afflteto?, de Naza-
reth ; 1:000 para as obras da igreja de S. Sebas-
tio, de Nazareth ; 1:0005 para a igreja do Livra-
montode Pao d'Alho u 1:0003 para a igreja do
Amparo.de Goyanna.Amara! e Mello.-Arminio
Tarares.
Ao art. 14 6aecrescentosff S:0003 par
construccao do aeode de Nazareth.Ermino Con-
tinho.Soares frandao.
t Ao 4* do art. 14diga-se 2:0003 para as
obras da matriz do Cabo e 1:0O5 para a igreja de
Nossa Senhora do Livnimenjo da mesma fregue-
zia. Reg Barros.
O SR. REtiO BARROS :Sr. presidente, com
algum consirangimente que vou entrar na discus-
sao, e a rato que me leva a isto porque tendo
connexao as differentcs disposic^oes deste orca-
levar ao tonhecimento de Y. Exc. que, segundo1 "11enl- eu,pretendia de urna s vez emittir a mi-
consta dasiartidoam.M mn>hid.is hnie nesta re- nll:l "lniaoibre o trabalho apresentado peh no-
hoje nesta^ re
do deten rao os
constadas^jarticipacoes reecbidas
partigao, foram rMlhidos casa
seguintes individuos:
No dia 5 do corrente, orden) do subdelegado
Hocife, Mara Bernardina da Onceicao, por dis-
turbios ; eos.inglezes Jobn Shir, John Theomy,
por briga.
A' nrdem do de Santo Antonio, Francisco, es-
eravo de Francisco Lou'renco de Hattos, por sus-
peito de andar fngido e 1-andelino, escravo de
Manoel Joaquim Baptista. a requerimento deste.
A' ordem do de S. Josi', Francisco Antonio Gui-
llarme, eoiun indiciado em crtne de furto.
A' ordem do da Boa-Vista, Dionizio Ferreira
Honiem, por briga.
No da 6, minha ordenv Joaquim Salvador Go-
nir s vind de Pao d'Alho, por estar pronun-
ciado no art. 205 do cdigo criminal.
A'ordem do subdelegado do'Recife, o subdito
dos Estados-Unidos John Aleina e Estevao Ale-
xandrino de Souza, por briga.
A' ordem do de S. Jos, o africano livre Simao,
por desordem : Jos Antonio de Meudonca, Cosme
de Souza Bandeira aMffocl Jos dos Santos, por
disturbios.
Em offlcio datado de 5 desto mez, communicou-
me o subdelegado do districto da Varzea, que as
cinco horas da tarde do dia 3, no lugar denomina-
do Tolo dquella freguezia, Joao Manoel da As-
snmpcao, tendo disparado um tiro de pistola em
sen sogro Miguel Agostinho Pereira, recebera
deste por sua vez um outro de clavinotc, sem que
todava sofressem a menor olTensa physca, mas
que vendo aquelle malogrado o seu intento, ac-
commetfera de novo a este com um faca de pon-
a, e darido-lhe qiiatr golpes, puzera-se inme-
diatamente em fuga, mesmo subdelegado proce-
deu eo'rpo de delicio e trata de capturar o cri-
minoso.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. vice-
presidente da pravine Dr. Manoel do Nascimen-
to Machado Portella. O chefe de polica interino
F. de Assis Oliteira Maciel.
PERNAMBUCO.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA EM 25 DE MAIO
TOSlbENCIA DO Sil. AlGTO DK SOl'ZA LRO.
* (Concluo.)
OS SRS. TIRANA E G. DRUMMON'D fazem al-
gumas cdnsi'dercoes era sustentagao do projecto.
E' lido e apoido'o segrate requerimento :
' Reqoeiro qiie j)or'iutermedo da presidencia
e peca infortnaees a thesouraria provincial so-
bre o projecto em discu sao.G. Drummond.
O SR. MIGUK1, AMORIM faz abyuus conside-
races em justicacan do projecto.
Encerrada a dscusso o projecto approvado e
0 requerimento regctdo, diApensado o intersticio
\ equcrimertto *do Sr. Amorim
I" dscusso do projeeto n. 40 deste anno, que
autorisa o governo a conceder 2:0004 a Joaquim
le Almeida Pint [iar auxiliar a. publicacao do
Itecionarto das plauts medicinaes do Brasil.
Depois de algunts consideracoes em favor do
projcto, feitas pelo gr. Silva Ramos, elle ap-
provado e o seu intersticio dispensado requeri-
mento do'mesm snh*. .
3' di-cussao dd projecto n. 12- deste anno que
npprova d contrato fet com Andr de AbreuPor-
o para a'collocac^o q> tcilbos urbanos desta a ci-
Jadede Olinda. E' approvada
3" diseiissab do projecto n. IP deste anno que
concede urna lotera em beneficio das obras da
earrfla de Nova Cruz.
Y5o a mesa e saVapoladas as eguinles eman-
is :
Urna lotera de 120:0003 n favor das obras
da igreja do'Carmor eih Olin"aa. Andr Caval-
igualconcessao deurra lotera de 120:0003
ac, a igreja do Uivramento da cidade da Victo-
a.Andre Cavalqanti.ArauioltettrSo
! dscusso do projecto n... que autorisa o
govrno a*dispenderate a quanna de 10:000* pa
ra hhertar annualmente o maior numero possivel
de creancas do sexo reminhm.E' approvado, dis-
pensado o intersticio i requnrimento do Sr. Gon-
^alves da Silva,
1' do de n.-tt, qtie autorisa o governo a man-
dar ollecoionare publicaras obrfirtterarias o
finado Fr. Joaquim do Anwr Divino Caneca.E' 1
apprvado. -^._.^..
Conirada a i*' duai doart- *4 do projecto de
orcamento provincial cora as emendas j offere-
Vao a mesa sle apotadas as segujntes eman-
das :
Ao art. 14 g 6acoreseento-se 4*00# pana,
o encanapento Mgua-pottwt toara o poyoa4o,do
bre comujissao. Entretanto a attenqao que me me-
rece o Ilustre membro que huntum impuguou as
emendas offerecidas ao art. 14 e seus paragra-
pho, entre as quacs figuram algumas como meu
nome, obriga-mea rirhoje a tribuna dar ^s ra-
zoes que me levaram a presentar algumas emen-
das a este artigo.
Entendo que esta casa bastante competente e
tem igual direito, senao mais do que a nobr eom-
missao, para apresent&r aquellas medidas que jul
gar mais convenientes.
O Sr. Soares Brandao : Igual sim, mas nao
se porque.
O Sn. Reg Barro : A commssao tem os da-
dos que llie ofTerece a repartieao competente, mas
nos temos, nao s esses dados como os quaes sao
fornecidos pela Ilustre commssao, que sempre
me mereceu tod>t a considerariio e alm disto te
mos os esclarecimentos que colhemos as proprias
localidades, onde cada um de nos tem feito es-
tudo especial e sabe cem mais precisao qual a
necessidiide porqne teve de pugnar nesta casa.
Estas razoes, como eu j disse, foi que me obr-i
garam a antecipar-me em entrar na apreciacao
do projecto, por isso que a nobre commssao cen-
snrou-nos por termos asskn como que desordena-
do ou desllgurado o seu trabalho...
O Sr. Soares Brandao :Nao apoiado.
O Sr. Reg Barros: Desejaria dar todo o apoo
a nobre commisso, desejaria memo votar pelo seu
projecto tal qual se acha conffeccionado, masantes
de tudo tenho deveres como representante da pro-
vincia e do districlp quo rao elogeu, de apresentar
as medidas que julgo de maior urgencia.
O nobre deputado as suas consideracoes disse
quo hava um dficit. Mas, Srs., qual e-se delicit
que o nobre deputado apresenta 1 Fallara do d-
ficit do exerccio passado ? Creio que nao, por-
que nao ha dficit. Fallar do dficit do ejerci-
cio corrente ? Tambem nao. Portanto creio que
a nobre commisso apenas tem em vista um dficit
hypothetico no exercic.o futuro, que ser ou ufo
realisado.
O nobre deputado sabe que as verbas designa-
das para taes e taes lins sao sempre calculadas
pelo termo mximo : salvo algum extraordinario.
Um Sn. Deputado Medio.
O Sr. Reg Barros:O mximo da despeza
quesempro se fixa, entretanto que a receita cal-
culada pelo termo medio; pelo que dever espe-
rarse que crescer a ivcota. e fado constante
certos annos desta parteo augmento progressvo
da receita publica. Este anno mesmo o assucar e
algodao devejn ter um augmento consideravel por
condicdes inesperadas.
Por oon*9puinte qite fundamento ha para ligu-
rar-se um dficit ceno e infallivel i
Depois, muitas verbas de despezas nao sao gas^
las. Km um dos orcmcnlos passados, ( ou quasi
na maior parte dclles,) foi consignada a qnantia
de 80.0003000 para coocerus de matrizes, mas
nao se despenden nem mesmo a quarta parte s
nobres depulados sabem as difflculdades que tem
as pesseas encarregadas dessas matrizes de reco-
lliereinas quotas votadas, um trabalho immenso, o
que muitas vezes faz com que se renuncie ao re-
cebimento de modo que essls consignacoes pouco
teem apresentado.
Ha outras muitas"dopezas tiestas condicSes, de
que poderia fallar, dentando de o fazer porque nao
tem relaco com o art que se discute.
Para a forca policial nos votamos 200 e tantos
contos, mas nunca se. despende e?sa quantia nem
tal vez mais de dous tercos, e assim outras muitas
despezas.
O Su. E. Pina :Com a assembla mesmo estei
anno.
O Siu'Bbgo Barbas :Justamente s unnceio-
namos dous mezas.
O Snt Aires Gama :J est calculado isso.
O Sa. Be.;o Hamo* ;Sr. presidenta, entre as
emendas ue aprentei tem urna que- marea.....
2:0003000 para a matriz do Cabo, e 1:0001000
para a igrej* dl' Nossa Senhora do Livramento da
mesma treguazia. Aquella matriz cum 4 ou......
60003000 mais Hadar a suas obras, e eu enten-
do que nao por urna diminuta quantia que so de-
ve perder trabalho o*' so nao for acudido de
prompto se perder- Pas mesmas ondices esta
a igreja de Nossa Senlwra doLtvramento.queeom
mais 1:000*000, pode dar grande augmento a seu
andamento,.podendo-fe concluir at a coberta,
aproveitanao se assim o que est prompto que ee-
tao poder esperar lat.is algum tompo, por isso que
j tica em bom anawianto.
Espero qne estas p>uqas oonaideraodes qua aca-
bo do apresentar pesarlo no animo da commisso
para que seja mais bonenevola.
. OS*- SoABEsBRANto :Peammuito. Acora-
rasslo apenas disse que as emendas deviam ser
o"Sr8 e nao ao 4o.
. 0.JMV. ATRBS GAW A :Sr. presidente, se bem
que o meu distincto collega de* commisso houves-
se expendido convenientemente de um modo bem
claro as difDcuIdades em que se achou a commis-
so para regular a despeza pela receita ; com ludo
eiytcabo de ver, que a casa nao se quer conven-
cer da iiipossibilidade de alargarem-se as despaa
do ornamenta Q uobre deputado que me prece-
deudisse que, bem que a corainissoo fosse compe-
tente para orear a despoza da proviaciaf com tudo
a casa era mais competente, porque aJem dos da-
dos offlpaes fornecidos pelas repartijoes, cada um
dos noore deputados tinlia conhecimeat especiaes
das neeessitrades dos distrietos que representara.
Isto urna verdade, a casa est a par das ne-
cesidades publicas, mas para seren bem regula-
das as despezas da provincia nao Uista conheew-
se perfetamente as necessidades de cada uata das
diversas localidades, por que ests sao dez vezas
superiores aos recursos de qu pode dispor a
mesma provincia, o que preciso e o trabalho da
commisso de orcamento consiste em nao decre-
tar senao as despezas indispensaveis e quo cou-
berem as forcas da receita, on por outra, quaes
as que devem ser pretendas, Visto nao se poder
satisfazer a todas.
O Sn. Amarax e Mello : Qualquer de nos
tem criterio para escolher as que devotn ser pre-
feridas.
O Sr. Aires (Jama : Apoiado, e tonto a com-
mssao o reconheceu que, fazendo a dstribuicao
da soirnna que poda dispor a provincia para as
despezas do futuro exerccio, lmitou-se a mesma
commisso declarar at que quantia poda ele-
var-se cada urna das diversas verbas da despeas,
fleando ao arbitrio da casa prcenche-Ias do modo
mais conveniente, mas nunca devendo exceder s
quantias marcadas para cada urna dessas wfbas,
sob pena de quebrar o equilibrio entre a dspe/a
e a receita oreadas pela commisso com todo o es-
crpulo, e segundo s regras malhematieas forne-
cidas pelos oresrmentose bataneles anteriores. Pode
a commisso estar engaada, mas antes de augmen-
tar a quantia designada para cada umadessas verbas
deve a casa primeiramentc mostrar o erro da oom-
missaoe apresentar as razoes porque entende que
proriiriadisrrde na ijresrendasdo que a quantia
oreada pera ftiesnra commssao. Antes*"3'isto me
parece qne nao dev nem podo augmentar a des-
liera.
Ri'cnnhecendo a commssao, a necessidade por
cxemplo de decretar no artigo que ora se discute,
algumas applirarocs mais urgentes para obras,
mas nao podendo conceder a qnantia de 469:0003
que deve. (toar esta verb-, recorren ao relatrio
do director das obras publicas; porem vendo que
o referido director propunha as des]iezas de.....
810:0003 para essa verba, e que o orcamento nao
comportava toda essa despeza, limitdn-se a consig-
nar fondos para aquellas obras que* de mais ur-
gencia entr as lembradas pela repartieao, nao
prefaziaui enntudo a qoanria designaoa no" 6. do
artigo i|ue se discute. Deixou prtanlo a com-
misso ao criterio e llostracao da casa a Irberda-
do de preeucher do modo mais conveniente para
a provincia, a quantia. que caba a essa verba.
Nao pois para oontestor wse dtrelto soberano
dessa 'Casa qn< se levanta a commssao de orna-
mento que nao tem outro de para que nao se quebr o equilibrio entre a re-
ceita e despeza, e nunca contestar assembla o
direito mconcusso de applicar as rendas da pro-
vincia como Ibe convier.
Creio, pois, queo nobre dentado pelo 3." districto,
e que acaba de sentar-se, nao teve razio no que
disse, porque, s verdade que algumas das ver-
bas da despeza nao se esgolaro durante- exer-
ccio, c nao terao a applicacao que o orcamento
Ibes destina, esse um caso todo fortuito com o
qual nao devenios decretar despezas certas sobre
receita h\ pothetica, seria autorisar despezas reaes
o inevtav'eis sem contudo saber-mos se existro
fundos sufDcientes para satisfaze-las.
Se a commssao no
Ha,
I |R. Bmiutim :
e por conseguinte
Ni Matea sabemos por
mentfc
pdate.
un
"'ismmmos.
O n. Arases Gama : Sabemos as neoeasidades
de ch urna dns> raatriee* dos disoictos que aqu
nos *riaram, aus o tfBe loo sabemos, ou. antes o
que o poaos saber 4 fazer wa scolha im-
pareft e perfeita, entre.af iteiite|uWiij. Para
jMigar dessas necaniija ssia eomo de qual-
qnerj onfra couaa,. preciso ujqq o. julgador
nao jeja B*rte interessada^ eeaio sS os T|obres
col lugas (|ue se setum identificatlee con 03 inte-
ies<4dia um dess trutrUes
i frocaiu-Se mu tos apartes.) < >
O H. Jaita Gama :^-4 ibsse e repito, a casa
decidfc con aieNwr eritendor em soaiiabedqria,
e .u amo faro mais dj mmexpor cS'fnm|Meza
as raws qe levaram a nwn e aos imM* cofl-
gas r eomaissao a estabelecer essa dispwfeo
pie lento est incominodamlo a casa.
Ames, noim, de applicar a verte esta u
aquella nutfric, deviam os uobrw ealegas ajresen-
tar urna eunwida supprtalndo a iwlriefaa^Mabe-
lecida nesse %r, mosnoposw wtar prrtMmdo
declarar cp3c ningneaa poderia esbottier Melhbrao
que o dioeesano. O qne suceeder > queam veY
de escomerse aS matrizes que mais prec*ia|n,'t
cednaaiaaB a verba de qne podemos dispor, e lloa-
ra nstim.qnebrado o eifuilibrio de ercaineoto, que
o mioa denejo da eomhiteo.
A teanBsaono tem desejo de eppor-se essas
despezas, ella.tambera representa distrietos Cober-
tos de neeessdadc? ; mas, a par dessas necesi-
dades b dos seas bon< desejos, y que a receita
nao pode ehegar para mnt).
Nenhum dos nobres depulados ha de confessar
qne a son emenda meaos til do que a de ou-
tro, nporeoRseguinte serlo outra igualmente ap-
proraaas, tendo em resultado o augmento extra-
ordinario da iverba, alm das forcas do orcamento.
1"m Sr. dri'iitabo O hispo tari as nribrrna-
ces de cada um dos vparios tai- interessados
pelas ras matrizes, como nos podemos ser pelos
nossos distrietos ; portanto, nao lera de dar prefe-
rencia prevalecenao'se de outro? moios que nos
nao liemos.
O i. Avrws Gama :Elle tem e poder e dever
de visitar ou mandar visitar as dlrrsas matrizes,
e nos nao o temoss alm de muitas outras coudi-
edes qwe o habilitem a conbecer das differentes
scessidades.
Emfim, a commssao apresentou a medida e a
razio em qn s fundn para annuncia-la casa,
em sua sabedoria decidir o contrario, se o Juigar
conveniente ; cH soberana, exige, fana-se ; fa-
zemos ver apenas o que ha, nao vamos mais
longe.
Mas o que peco apenas em quanto nao
fr apreseutada una emenda supprimindo as pa-
lavras finaos do 4", as-fmetrtam deoencertos
de matrizes sejam mandadas para 0 *.
OSIt MIGUEL- AMORIM :'-*8n pWMileBte, estou
em urna perfrtta dHflciHdade, imwprc aa-lempo era
que re^nheeoo aceito as eonsideraooes da nobre
coniinissao de orcamento, quan lo diz que niio se
pMe attender todas as emendas, porquanlo a
receita muilo inferior despeza, de onirn lado
tambem noto que os auditivo* effereridos envol
vem em s muita utilidade, |>orqne nao exprimem
mais do que o reconhecimento de despezas urgen-
tes, despezas muito necessat as ; e enfio nestas
difflculdades eu vejoum remedio nico, e sup-
prnoir a segunda parto do 4, qne d ao Exm.
hispo a faculdade de distribuir esses vinte contos
decretados para coneortosde matrizes
Senhores, eu pens" que tambem attribuico
nossa estabelccer as preferencias...
O Sn. Soares Bimnd* :Nem
contestn.
O Se. M. Amorim :Cada um fazo seu ped*,
val ter a villa da Escada, Santo Antao e a nma
grande porcao de engaabos, situados alm daquel-
fefio.
Os habitantes dquella loca idade lorian} sobeja
razo de queixa da actual ssembla provincial, se
por ventura esquacesso esse melboramento a tan-
to lempo reclamado, e que nao sei qual a razao
porque at o presente atada nao fi levado a ffcl-
t, bao obstante em annos anteriores ter sido reco-
oheoida sua necessidade.
J ti v ccsio da tornar bem patent a ullida-
de que resulta de "riatlnpntr medida, s o nica-
mente de conveniencia publica, e. para ser cohe-
rente, venho "boje de novo Temnrar a easa, espe-
rando que ella tomar na devda considereoSo as
minhas justas reffc*es, coptrilHundo desta forma !
para que a comarca do Capo ose de un benefi-
cio a qu tem iuoootesUve) direito.
Todos 'os engoohos que ficara alm do Pirapama,
lieem de irremissivelmente de mandar seus assuca-
'res para eslc da villa do Cabo, e a passagem
daquclle ro. nevfavel ; portanto. convm que
se raca, .quaijito antes, urna ponte solida sobre elle
e assim possam, os que por all transiiaui constan-
teneete, ter niisseguranea de nao perderem soas
_aArga"s e cvlfs, como actualmente esto snjeito?,
'pols queji poni existente medonha, seu rstiva-
rdejOjpeiorpceivel, meaca^pongo ciuuente.
Im Sr". Dkpijtdo :f at um risco de vida.
OSr. ANpaB^jA^cAiTB Justamente; nao
supponh xgr^o de minea parte, o que ex-
ponfiQ casa "urna pura verdade.
.ombra me, Pr. presidente, quequando se dis-
cuts est'casa "proj:ect, que-mais tarde foi le,
mandando construir ponte de que se trata, quiz-
se como que enxergar em mjm o protector de al
guem que por all mora ; mas, eu sou incapaz
dessas cousas,-(apoiados) s veqho advogar nesta
assembla os interessos da provi' cia em geral, e
particularmente do ciroulo que represento, sentin-
do nao poder enriquece-lo dos raelhorameBtos de
qu^necossila.
Nao podem ser conteHadas as minhas asserqoes,
e tenho em meu favor todos os habitantes da co-
marca do Cabo, que sao solidarios comigo nesta
medida, assim como os de Ipnjuca, que tambem.
de tonga dala, reclamam por urna ponte sobre o
rio daquelle nouie, no lugar denominado Oitaby.
Tenho notado que, eom relaco ao 3.a districo,
as leis passam aijui perfeitaniente bem, merecem a
saneco da presidencia, mas nao se executam, ti-
ca tudo era palavras.
O Se. G. Dhl-mmom) :Ha razo de queixa.
ftSB. A. Cavalc.anti : Sim senlmr.jo nobre
deputado representa tambera, e sabe que noavan-
co propesicoes inexactas; sendo urna zoua assu
carera, e que contrihue para o augmento das ren-
das provinciaes, nao teem aquetes qtle contri-
buein para esse augmento, obtido urna concesso
to simples, e j recenhecida sua utilidade por
O Sa. G. Drummosd .E urna verdade
O Sa. pe Barros : Nao vo ter o telheiro
do Cabo?
O Sn. A. Cavalcanti :Quo nao cusa dmhei-
ro dos cofres pblicos, como a sumptuosa casa de
mercado do Bonito, que para poler ser feita, o no
bre deputado e seus companheiros, pediram um
emprestiraoa provincia, se me nao engao de 20
cornos de rts; assio pois, o direito que Ihe assis-
te para pedir a realisaco de certos beneficios pa-
ra loe; lidade que representa, tambem assis :e aos
seus cellegas.
Nao nos devemos conformar com a falta de cx-
eeuco das leis, que por nos sao decretadas : ou
a commisso o
fi" diiarliim em dscusso aB- AMOiini :l>aua um id', u sou pcui
-a cwud da\ n 6iS' aprsenla o sep additivo, o todos aquellos que f-
SSricsS vert l?2RVJK onecidos maiscessarios. serao attendi-
titas.
Supprimase o s t.-Baraoie Una.Amyn-
Eoc^rrada a discussao, o artigo approvado, (
regeitada a emenda.
Art. 16. Forca policial:
i i." Auxilio ao corpo policial
em campanlia pago umeamente
vista de attestados trimensaes do
quartl-gen^-al doexercito em ope
raC'5es.......50:0003000
S." Corpo provisorio. 296:9853000
5 3." Edacaco dos filhos dos
voluntarios da patria fallecidos ou
mutilisados na guerra. 3;780300i>
Verfleando-se nao haver numero, o Sr. presi-
dente
sao.
designa a ordem do dia e levanta a ses-

rem reconhecido mais jpeessarios
dos nessa verba de \1nte contos.
M Se. Duputado :E' muito difflcil.
O Sn. M. Amorim :E" fcil, porque todos us
temos docilidade, e pens que nenhum hesitar em
conceder de um seu pedido, qnando se apresentar
um mitro mais urgente. Eu, pela minlia parte,
cedo.
O Sn. Gitirana :Aqu que est a questao,
saber qual o mais urgente.
O Sn. M. Amorim :Eu offereci este art. 14
tres additivos, apenas o primeiro pedndo dous
contos de ris para as obras da matriz de S.
Bento, o segundo dous coptos de ris para allnras
da matriz de Caruar, e terceiro pedndo que a
quota de um cont de ris votada no orcamento
passado para as obras da capella de Nossa Senbo-
ra do Rosario de Caruar, se applique s obras da |
capella de Nossa Senhora da Conceico da mesma j
comarca.
Senhores, quanto este additivo, pens que nao
ha alleracao nenhuma no orcamento, porquanto
nao se faz mais do qne transferir a verba votada
no orcamento passado, o qne nao teve applicarao,
para a capella de Nossa Senhora do Rosario, essa
s'! verba subsiste, apenas com urna mudanca de ap-
plicarao.
Um'Sr. Deputado : Ento houve engao no pe-
dido, ou existe capella do Rosario ?
'Sn. M. Amorim :Existe.
Um Sr. Deputado : -R a da Conceico ?
Sn. M. Amorim :Tambem exist*.
OSn. Lopes Machado:Entilo sao duas ca-
petlas ? J-"-; 1
O Sr. M. Amoim :-Sim, mas nao teve appMca-
co essa quota votada.
* Um Sr Dkputado :Entao a capella do Bosario
nao precisa mais? .
0 S. M. Amorim :Precisa, mas a razao o que
com um cont de ris nao sufneiente para ter-
minar a obra, entretanto que essa mesma quantia
jpplieada. capella da Concelrio da esse resul-
tado. >
O Sr. Iopes Machado : Isso oofcrir um santo
para descobrir outro.
O Sr; M. Amorim :Ha mais necessidade.
O Sr. Soares BrasdIo :Mas a verba do exer-
ccio passado que nao leve appucaco, 6 como se
nao existsse.
O Sr. U. ahowm :Qiunto as outras emendas
que offereci, eu tenho a observar ..que. a matriz de
Caruari (invoco o testemunho do nobre deputado
que mora naque Ha cidade) est qasi concluida,
taltauJo-lbe apenas a obra do. enlallia da capella
mor ; esttVc' la ha pnucA e ti tjuB'com dous ton-
tos de ris, com o produelo de alguma lotera ja
conedia, e com mais algnm anxilio particular,
os eef* nea mais despenderoom essa ob' de
tama MWdade.
O meewe se d eom relaro a matriz de S. Ben-
to, qne est em obras. ..,
SanMre, eu reeontefo a nrgmieia, a aetewte-
de da eenelusae deptae obra, todava ***** bs
meus-peidee desde ove reeoteeeec qa#teiras
mai nenessarias se apreaentam, mas eripre eom
a exclusas d segunda parte 0o>f 4> do art. 14,
p rque atlribuicao nossa, essa quo o orcamento
flot* delefsr, e^qae r coiloca 0 SR. AOR CAVALCA1WB :3r. presMen-
cutada a lei dentro do exerccio ser applicada n'al-
guuis obras, foi porque existindo em seu vigor
ssa le e era consequeucia d'ella urna obrigacao
provincia de conceder urna subvenco para os 1ra-
moays cnteudem^que devia ser marcada una
quota paft execuco d'essa le.
Sabendo porem, que esse contrato ia ser res-
cindido, e nao querendo que neste caso ficase
sem urna applicaco immediata a importante sem-
ina consignada para a subvenco tratou de appli-
car as obras mais urgentes e por isso especiflcou
quatro dessas obras deixando ao criterio da casa
especificar as deniais obras que, urgentes e in-
dispensaveis, prefirissera a quantia votada para
essa verba.
Nao poda a commssao considerar como j res-
cindido ,tal contrato emquanto nao o constar offi-
caluient, logo a despeza decretada nesse artigo
nai se pode dizer propriamente hypotlietca.
0 Sr. Amarai. e Mello : Eu desojo ser con-
vencido da supremaca em que est o ordinario
sobre nos para conbecer a preferencia que devem
ter taes e taes matrizes.
Nos temos conheciinento das necessidades dos
diversos distrietos, lentos aqui deputados do 5.
districto, o nosso bis|io neni no Brasil eslava, che-
gou a pouco.
0 Su. Ayres Gama :Eu a tocar n'csso ponto
qne o 4.", qnando concluase o que eslava d-
zendo sobre o 6." J hontem explicou porfeta-
ineule o meu cullega de commisso a razo em
u.Utn s rundamos para ueixar ao prelado a facnl-
ilade de destribuir a verba pelas matrizes que
mais precisaren!, estou vendo que a casa repugna
essa idea, e at j quer tirar dah a idea da esta-
belecer una supremaca sobre a assembla, mas
a commisso nao deve nem pode resistir a vonta-
de da casa, expr os motivos que actuaram no
seu espirite.para eslabelecer aquella disposicao, a
casa tomar isso na consideraco que entender
em sua sabedoria.
Todas as matrizes da provincia, com raui pe-
queas exceptes, precisara de reparos, e todos
nos conhecemos necessidades urgentissiraas para
os distrietos que aqui representamos; todos dizem
que as matrizes das diversas freguezias dos res-
pectivos distrietos precisara de reparos urgentes,
mas se formo? a somraar as despezas com as diffe-
rentes necessidades apuntada, sem duvdaimpor-
taram ,no quadrupla ou decuplo da quantia de
que podemos dlspr.
Ore, nao podendo sermos julzes de nos mesuras,
porque somos parte, qnem poder escolher ou
ames determinar que os reparos desta ou d'adueHa
matriz mais urgente do que aquella outra 7
N somos sem duvida_ os menos competentes
para fazermor essa relajo.
0 Sr. Ama ral s Mello;Esto argumento ento
prevalece para tudo aquillo em que uvermes de
despender dinheiro.
0 Sr. Avrrs Gama : Desculpe-ma o nobre de-
putado. As despezas necessarias para concertar
as matrizes da provincia devem subir grandes
sommas, e o diabeiro que ha para isto e muito
pouco; qual ser a melhor maneira de fazer-aes
amii dinnbuico acerud?
Um Sr. Dbputad : E" nos esoamsemo.
(Apoiados.) r i ~^.....
OSit Atres Gama :Mas, como eonbeeemcs [a te, nao tenho proposito de dirigir a niais ""
importaneia relalva dessas necessidades ? rea eiwm*ii8o<'de otaiiiu> pro*lhciai,
(Trocani-se apartes.) tmmmm^m -pnwrtwliupawMar WM^eta-
OSR.Aiee6.MA:-0 ordmae, contacto cW ^e temyk *********;'_
mais lmm4iak com w parocheevoquaes Itet le do ovtama 4a* aM maa^ lasle formar o sen jtteo, mouM de um orcaramim; *m~<^*1** ^^TS?*^
(ellas sao boas ou ms, neste caso nao devem ser
sanecionadas por falta de utilidade, por infrragi-
rem a nossa constituicao etc.; naqnlle iMnn vez,
sanecionadas a execuco deve ser urna realidade
e nao lettra morta, como umitas vezes snecede.
Um Sr. Deputado :De quem a culpa?
O Sr. Goncalves da Silva :Todos querem o
que qner o nobre deputado.
O Sn. Reco Barros : Entretanto o que
se v I
O Sr. A. Cavalcanti :Eu nao faro censura a
nenhum dos nobres deputados, c das minhas pa-
lavras, dirigidas a commisso de orcamento, o que
se conclue que eu desejo ardentemente que nao
fique em olvido a verba votada, em annos passa-
dos, para a construccao da ponte sobre o Pira-
pama. .
Um Sr. Dctitado :V aos executor da le.
O Sr. A. Cavai.c.vsti :Bem, eu estou fazendo
sentir isto para que aquelle que pode mandar cx-
ecutar essas obras de que tenho fallado e outras
de que a provincia necessita, nao se esqueca prin-
cipalmente do terceiro circulo, que tem sido sem-
pre codilhado.
Um Sr. D3>utado :Tem a estrada de ferro.
(Trocam-se muitos apartes.)
6 Sn. A. Ckuilii :Cada um laca por sua
vez o que entender justo, que eu farcj outro tanto,
aflin de serera satifeitos, lanto quanto fr possi-
vel necessidades daqueiles que para aqu me
enviaram.
Portanto, Sr. presidente, tratando-se agorado
art 14, em que se achara decretadas diversas des-
pezas, e vendo eu, que deixou de nello ser inclui-
da a verba que se votou para execuco da lei ti.
740, vera em lempo remediar esta falta, contiado
na benevolencia eom que ha de ser recetado o
meo pedido pela commisso e a casa.
Um 8r. Di*u*ao da um aparte.
OS. A. Gavalcakts :Eu tratoi do Pirapama,
e o nobre deputado leudo eonhecmento dos rios
de nossa provincia, nao devia fazer a confusao que
fez, s me quer parecer que isto lilbo do pouco
caso qne liga as disrussoe desta casa.
Assagaro ao collega que qnando trato de qual-
quer questao neste redlo, com a maior sene-
dade possivel, porque entendo ser dever nosto re-
vestirmemes de tuda a eiroumspecco para tratar
de negocios serios.
UmiSil Diputado :Todos faaem o mesmo.
0 Sr. A. Cavaicanti :Nao duvido, entretan-
to alguna eousa houve, fe que deu lagtr a estas
minhas observacoes; outros despresam os grace-
jos, e eu tambem os tenho despresado, mas ha oc-
p-asifl* a mormenta eata-em aue estamos tratando
casies, e monnenle eataem que es
do orcamento provinoial, que toda at/eocao e pou
ca, aao devemos brincar.
Concluo por mandar m% emenda a mesa, e es
pero que a casa.caiolvera era sua sabedoria o que
fr de justiea.
Vai a mesa e apoia-se a. segrate emenda:
Ao art. 14, accrescente se mais; 2:0005000
para a realfsaco da li n. 740. Andre Cavol-
cemte. >
O SRi1 A8PAR DROimiQND abunda as consi-
deracMWOlTerecldas pelo procedente orador e jus-
tifica emenda segnlnte qW 6 apoiada :
. SttppvWm-sd'o 1-4* %m^, em l*gnr de;...
200:000,000, diga-se 2:0f3.Gatp'tr Drvm-
Enoerrada a tetes*, o go approvado
eom todas as emendas, exeeffS* da do Sr. Mi-
guel Amorten, qm Manda transferir a verba de
um cont de rite, voltea f> ^w.vl?5uae
para ae oirs te eppete #ujlbesa tenote.A) Ro-
sario deCni*u,'ter a eJrpert*de NossSedho-
ra da Cemxte* damesma comftitn.
. AiS^dmMIterafliteteBWte-
tre de sam ls*M":
f i. OWW) *) adnrimHre
a companhia
^..^pfljrWate'ldtel^yWca^ '
t:lO|O0O
10:006*000
REVISTA DIARIA.
ASSEMBLA PROVINCIALNa sesso de hon-
tem, a^ssembla approvon em 3." discussao o
projecto n. 28 deste anno, que crea mais um lu-
gar do escrivao na Belaco desta provincia ; eui
2." o de n. 69, que manila admittir no Gyuraasio
como alumnos pobres dous orphos filhos do fi-
nado Joao Pereira Mattoso, dispensado o intersti-
cio requerimento do Sr. Bacellar ; em 3.v o d"
n. 39, que autorisa o goverao a contratar com
Adriano Xavier Pereira de Brto a edilba o de
urna casa para banhos salgados nesta cidade ; em
1." o de n. 78, quo altera os limites da freguezia
de Grvala, dispensado o intersticio a requeri-
mento do Sr. Pontttal; em 2. o de numero, que
autorisa a lactura de una estrada que passe pelos
povoados da Piedade e Venda-Grande.
Entrando cm 2.* discussao as emendas apresen-
tadas em 3." ao projecto n. 68, que eolfrc le licen-
c;i professora de Santo Amaro das Salinas e
Victoriano Palhares para tratarem de sua sade,
sobre esta falln o Sr. G. Drummond, e foi a mes-
ma regeitada, sendo a outra approvada.
ApprovoueapJ.'o projecto n. 81 deste auno, que
autorisa o governo a contratar com Mauoel Poly-
carpoMoreia de Azevedo a caualsago do rk
Goyanna, dispensado o instertirio requerimento
do Sr. Arminio Tarares ; em 3.a o de n. 8, que au-
toriza o governo a mandar Vtr, de pafz em que mais
adiantado se adiar o fabrico do assucar. 16 mes-
tres para serem empregados nos diversos engenhos
da provincia; em 2.a o de n. 77, que altera os li-
mites da freguezia do BomConsefho, dispensado o
intersticio requerimento do Sr. Hachado ; em
2." a emenda apresentada em 3.* ao projecto n. 11
de 1808, creando Urna cadera deprimciras lettras
para o sexo femininona povoacao de Duarle Das, e
mandando continuar ao lugar do Encanamcnlo a
cadera que dali fra removida para a Cruz das
Almas.
Approvpu mais em i.'.discussao o projecto n.
que altera os limites do districto de paz. de Cabel-
leira ; em 1." o de n. i, que manda pertencer
freguezia de Bezerros o terreno do engenlio Penen,
boje perlencenle freguezia de Grvala, dispensa-
do o intersticio requenmento do Sr. Giliraua.
Approvou em 2.a dscusso as emendas offere-
cidas em 3." ao projecto do orcamento municipal.
Approvou em 1.a discussao o projecto n. 79. que
approva o compremisso da irmaodade de Sant'An-
na da freguezia de Grvala ; em 2. o de n. 41
deste anno, que autorisa a factura de nma estrada
al o povoado de Nazareth do Cabo, dispensado o
intersticio requerimento do Sr. Reg Barros.
Entrando em dscusso o parecer da coiiunisso
de constituicao e poderes conformando-se eom as
razoes da presidencia que negou saneco ao projec-
to acerca do augmento de venciinents te diversos
empregados, foi approvado, bem como outro da
mesma eomimsso sobre igual materia, e outro so-
bre o projecto que conceda prorogaea do con-
trato feto com Heraclio C. de Paula Monteiro para
fornecimento de objectos reparneSet provin-
ciaes.
Approvou em 3." o de n 49, que extingue os lu-
gares de advogados o cirurgies das cmaras da
provincia, excepejio das ta capital ede Olinda.
Continuando em '2.-' discussao o projecto defixaco
de forija policial no e.xerricio de 18691870, oceu-
[loii a tribuna o Sr. G. Drummom), brando anda
com a palavra para na sesso seguinte concluir o
seu discurso, por se adiar ineoimuodado.
A ordem do dia para a BfteJO de hoje : alm
das materias j dadas,al.*discu-so dos projectos
ns. 80 e 83 : 2." dos de ns. 54, 58, 75 o 81, i^.-
dos de ns. 17, 41, 70, 7o e 77 todos do corrente
anno.
ARSENAL DE GUERRA. Por ddibenv-o da
presidencia, de 5 do corrente, foi apaleado o Sr.
coronel do corpo do estado maior de 2." ctese
Hygino Jos Como, para servir interinamente o
logar de director do arsenal de guerra.
TENTATIVA DE MORTENo dia3do corten
te, na freguezia da Varzea, no logar Tuto, Manoel
da Assmnpeao e seu sogro Miguel Agostinho Pe-
reira, troca'ram entre si um tiro de pistola e outro
de clavinot, sera se offenderetii. Aquelle, porem,
vendo malogrado o seu intento, lane iu-s au nutro
e deu-lhe quatro fai'adas pondo-se logo em fuga.
TRIBr.XAL DO JURYDeixou tetan de rea-
lisar-se a priraeira reunio deste tribunal, por nao
ter comparec Jo o Sr. Dr. promotor publico.
AFOGADO. Foi hontem ao meio dia tirado
do rio Capibaribe, prximo rampa do theatro de
Santa Isabel, o cadver do prisioiidro paraguayo
los Trtelade. A morte, segundo declaraco dos
peritos, foi produzida por aSphixia por subiner-
so.
PONTE DEUCHOA. Informam-nos que existe
na estrada de Apipucos, prximo ao sitio do Sr
Dr. Pernambnco, urna grande excavacio, chela de
lama.comgrave perigo para aquelles que passam a
cavallo ou carro. Convm que a repartieao das
obras panucas mande .entulha-fa o a ais breve
possivel, para evitar algum desastre.
RA D SANTO AMARO. Pedem-nos quo
lembremos a conveniencia de ser calcada esta ra,
logo.aps as da Roda, S. Francisco e Bella, nao s
paf fazer desapparecer o lamaral que ahi se for-
ma no tempo de chuva, como uiesiuo por ser ella
una das que cuaduzem'* estas*) ds trilla de
Apipucos.
SQCLBDADE DOUS DE JULHO. Domingo 6 do
corrente, eomo foi aonunriao, reOBio-se, no pa-
lacete do pateo de S. Pedro, a sociedade palrio-
uea Dous de Jumo, e proceden aeleico dos fuac-
cionaros do anna de 1870.
O resultado da eleco foi o scfuiite'
Presidente, corone? Domingos Aivcs_ Matteus.
Secretario, Francisco Moncorvo lmae Silva.. Se-
gunifidito, Manoel Dadrn de Beaendf. 3*esawci-
r, Jos Augusto de Araujo. iivctoret: Dr.
bjnacio Atoibiado Velloso, Dr. Pedro ACkaydc
Lobo Mostoso, Dr. Amando Goncalves dos Sanios,
Hearique de Almeida Costa, Joaquim Jos dos
Seis Jnior, Fumino Lopes do Castfo. Pi-ocmm-
tem: Manoel Joaquim.Cfcrd.eg) Btete, laude
Almeida de Arapjo/jivaleanti Bdurdo tires Ra-
ni*1, Felippe Pereni Salmeo te Araiyo, Aristides
PHWlvete Faria, Fatchce teroandes Mereira,
EmiHo JeNByroo Ferreira, Joe isidro da Slva
Galrio.
G6MPAlvHIA DO BMraim-^^xob jtoMftm
de realisar-sa a reunio da assembla geral WBta
comptemtk por 6M'e MiteWteP* te -
^iosMas
Atmareanlle fot mrcate para o da do
tMMM'
i
BftaZ^i


2 .8381 30 OHKUt ^Q 8 MI31 A3H3T Diario de Pemambw* -^k-Terqa feira 8 de Jwiho de 1869.
.85! Q33MUW .VJX
OH
LEILO. Huje <8) eTeetuajJ^lfiatfttoilI|
10 e mei.i horas o loilao de ove na casa ua
do Sr. F.I. Garjs i na da Cadcia
AS,
Form lides najuarz da fregu-
Autonio no lia 3 dWerrenfe mee os
Manoel Elias
Gomes de Mell.
Joao Ferrei
Mendonca.
los Sabina
BaMM
i. denunesacao.
am Marimba fitrm
coa Mal Jnaqtfftr.
eiros, oooi Lctna
ria da Soledade.
Antonio PWejsa

As 2 hora
Ha
feo
Jrfct.
fcuqil
eeaT Ricarda 1! i- *PP" mualda de r*e ii T
O Dr. Antonio \ ieente to >ase^Bo Fi
im Maeja Bibiana da Oburara i de Ara-ajo Sa'a
nha. IL Hr V .
PedroW Alcafllen Vellosa, coaaTheodora os
Sanios Lima.
:2.* denimacao.
Jos dos Anjos Duarte, co.n Isabel Carolina de
Oliveira.
Antonio Izidrode Souza, eem Marianna Umbelina
d'Araujo Lima.
Jos Soares do Amaral, cata Francisca Brasilina
do Reg Lima.
Antonio Faustino de AIbaqueiY|ue, cnm Joaquina
Bezerrados Santos.
Lucas Cardoso de Mesquita, com BMterra j&ira
da Conceicao.
3." denuneiacM.
Prudencio- Sirvero da Rocha, com Alexaadrina
Mara da ConceCao.
Sebastian Caraeiro de Barros Campello, -soui
Josepha Mara Gandir CampHlo.
Vicente Ribeiro Pontes, com Mara JuvelinaFer-
reir da Costa.
Joao Andr Coctinho, com Anna Marn Pires.
Ivo Antonio de Araujo Larangerra Lcte, con)
Mara do Monte Galli.o dos Santos Alm.
Antonio da tiil-va Martiiis Jnior, cem Mana
Leopoldina Pires.
ilflimT i QffTjatf jnlVffr4^'- dos-eegumles acontecido sempre, e o anno
rcites: m entrando para a cynpanlua
AppKu.*ofta6civais. AppelktW, JerdnyraJasw mtfl e dons adores; e com os
antes .e soa miilher; appeJIataiffcMti^i flM>su%> despenda a quantia
Vieira de Andrade. Appellantes, Manayttejuri> .880* dr ordenados,-e 20* de am
ne Pntente! suil niflher; aprtellaTIb-rTffottrai &n(a4 a actriz. Atindase a-que calculamos as
o Aqmno* Camello esua mnllier. ^BDemnef I MjWoao 'Manoel pelo mximo, e rer-se-ha que os lucros da-empreza
lean
iA \
Sr. C
Jos aitonie Goncalvee^ appellads

LOTERA. A qu se acha ** venda a 109.
a beneficio da ni a trie de Muribeca, que corrugo
da 13.
CEMITERIO PUBLICO.Obitaario do dia 3 de
junho de 1869.
Thereza, Peraambueo, 8 mees, Santo Antonio;
^bexigas.
Manoel, Pornambaco, 1 mez, Boa-Vista ; as-
triie.
Donato, Francisco Antonio Fernandes Pinto, .13
annos, Santo Antonio ; bexigas.
Genoveva, Peraaaibuco, 14 toezes, Boa-Vista j
intente.
Manoel, Pernambufo, 10 annns^. Boa-Vista ;
anemia.
Elida, Pernambuco, .14 das, Reeifo ; es>asmo.
Faustina, Pernambuco, 3 mezes, -S. Jos ; tosse
.'onvulga.
-A
Mara, Pernambuco, i mezes, Boa-Vista; in-
tente.
Laurnda Rosa Marques, Pernambuco, 44 an-
nos, casada, Allegados; bernia estrangulada.
Clemente, Pernambuco, 3 das, Boa-Vista : he-
morrhogia.
Domingas, Pernambuco, 6 mezes, Boa^Vista ;
irritacao.
Leopoldina Chaves Alvares de Azevedo, Per-
nambuco, 33 annos, casada, Boa-Vista; tubrcu-
los pulmonares.
5
Antonio Jos de Lentos, Peraambuco, 64 anuas,
viuvo, Boa Vista'; apoplexia-
Apolonia, Pernambuco, 13 mezes, Santo Anto-
nio: denticoo.
Mara, Pernambuco, 1 orez, Santo Antonio;
-tidntnpsia.
Isabel, Pernambuco, 1 anno, Santo Antonio ;
inflammacao.
Idalina, Pernambuco, 18 mezes, S. Jos; den-
Ifejgo.
Francisco, Pernambuco, S. Jos; raquesa con-
geni ta.
Rosa, frica, SO annos, Recite; apoplexia ful
minante,
-6-
Izidro, frica, 80 annos, Recife, velbice.
t'HROMCA JUDWURM.
i uLei \ i. a\ iti:i. \i %<.
BB8SAO EM U BE Jl'NH DE 1869.
'RISIBENUA DO E\*. SR. CONSELlfaRO f.XETANO
AinuMto.
As 10 horas da inanliaa, presentes os Srs. desem
bargadores Gitii-ana, Guerra procurador da rora
Ijouren^o Santiago, Alm?ida Albuqnerque, Mot a-
Domingues da Silva, Souza' Leao e Freitas Henri-
jnes, abrio-se a Dmio,
Passados os fallos deram-se os pegtftttes julga-
mentos: *
Aggrayos df. i'eticao.Ai:-'i;uante, Jos Caeta-
node Albuquerquc : agflfavado, o ju/.o.Relator
oSr. deseriibargnJor Lourcnco Santiago, sorteados
os Srs. desembarca do res Guerra e Mntta.N'o se
fez aggravo. A^gravante, Joo Baptista de Siquei-
ra Cavalcante; agaravado, o juizo.Relator o Sr.
JtMmbMpadar Alio ida Alboquerque, sorteados
os Srs. de3emliargad renco Santiago.Nao se fez aggravo. Aggravanle,
istevo Jos Paz Brrelo; aggravado, o juizo.Re-
lator o Sr. deseiebargadur Motta, sorteados os Sis.
desembargadores Domingues da Silva e Guer-
ra.Derain provisienU). Aggravanle, Agostinho
Bellarmino Corte; aggravado, o juizo.Relator o
Sr. desembargador Dominnues da.Silva, sorteados
os Srs. desembargadores Louren^o Santiago e Sou-
za Leao.Nao se foz ;iggravo.
Recursos Recrreme, o jnizo ; reccorrido,
Joao Rodrigues da Costa.Relator o Sr. desTnnar-
gador Loureooa Santiago, sorteados os Srs. desem-
ISSjNS Aliiiei la Aliiuquorqne, Bomingues da
-iKa e Molla.Improcedente. Reccorrente, o.
juizo; reccorrido, Rlenterio, oscravo. Relaior o
Sr. desenibargador Lourenco Santiago, sorteados
os_ Srs. desembargadores Gitirana, Mntta Souza
Leao.-Improcedente. Reeearrcntps, Carnoiro Ir-
mio & C rcccorriiio, o juizo.Relator o Sr. des-
-imbargador Lourenoo Santiago, sorteados os Srs.
desembargadores Freitas Henriques, Aimeida Albu-
qut e Molla.Fo adiado. Reccorrente, o juizo;
reccorriilo, Manoel Januario Bezerra Montene-
gro.Relator o Sr. descrobarg idor Aimeida Albu-
querque, sorteados os Sis. desembargadores Giti-
rana, Motta e Lourenco Santiago.Improceden-
te. Reccorrente, o juizo; reccorrido, Jacintho Pe-
i.'ira da Cosa.Relator o Srs. de^embargador Ai-
meida Albnqnerque, sorteados os Srs. desembarga-
lores Souza Leao, Domingues da Silva e Freitas
Henriques.Improcedente. Reccorrente, o jnizo;
reccorrido, Si rio Jos do Nascimento.Relator o
Sr. desembargado!- Huta, sorteados os Srs. desem-
i>aradores Domingues la Silva, Freitas Henriques
e Lourenco Santiago. Improcedente. Receorrerr-
le, o juizo; reccorrido, Manoel de Souza Ta va-
res.Relator o Sr. desembargador Motta, sorteados
os Srs. desembargadores Souza Leao, Gitirana e
Lourenco Santiago,Improcedente. Reccorrente,
o juizo; reccorrido, Joao Bernardo da Silva.Re-
lator o Sr. desembargador Gitirana, sorteados os
Srs. desembargadores Aimeida Albuquerque, Sou-
za LeaoeLoareoco Santiago.Improcedente. Roc-
oorrcntfi. o juizo; reccorrido, Antonio Costa Da-
min.Relator o Sr. desembargador Domingues
da Silva, sorteadososSrs.de-embargadores Ghira-
ia, Aimeida Albaqirerqiie e Motta.Improcedente.
Habeas cohpus.Be Francisco lexandrno Du-
ira, adiado para o dia 12 do eorrente.
PASSAGRW.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr.desembar-
gador Lourenco Santiago.Appellacdes criraes :
appellante, Manoel Lerte de Mello; appellado, o
juizo. Appellanle. o4romotor; appellado, Anto-
nio Ferreira d> Oliveira. Appellante, Enzcbio Ma-
thia< Aimeida de Oliveira; appellado, o juizo.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Aimeida Albuquerque.Appella-
:io ciime: appellante, o juizo; appeUad. Marco-
Jino Ferreira da Moura. Appellacao nivel: appel-
lantes, Manoel Alves P Mara Cordeiro.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
lor Domingues da Silva.Appellacdes crimes: ap-
pellante, o juizo; appellaJo, Jirrge, earravo. Ap-
fS."?' PPl,mot,,r; appellado, Daniel, escravo.
Oo Sr. desembargador Domingues da Silva ao Sr.
'are*"- Sonza Leio.Aapellacdes crlmes:
"p=^nte> W'armlno J.o dos Santos; appellado,
'S'dlPPei!i^'ojuiZ0' aPPe|lad0. W*>
ba^rte^
appellante, o juizo; ap^,la,0) ^H:
pelante, ojnrzo; appell^ Fran'eisco Antonto
Do Sr. oeaaBbargador Frefc HenriaM ao &
RmharoaHnr lflip-im Afinolus. ? "u *"
f UftlOHOlES A PEDW. -
DE MMSm
I Ilima jrcAposta ao r. XItirio.
(Lonclusoj.
Passemos a apreciar o calculo, que fez o Sr.
Mario, da receita e desaezas do tbeatro.
Vejamo-lo :
Receita. ., ,j
jo rwtos ordinarias :
> eikeueutes a LOOft.i............. itOOOflOOO
30 recitasi/jcasa toraflindiqaOQOa 3(W<00OiJ0
i bailes masques, saJmado, domingo,
segunda e terca de carnaval, por
cada uro, livres ,MK)i........... 2;000000
"i meros beneficios m qne aempreza
toma parte com attsbs, bmpr'ega-
dos, etc., suieilos .despezas 4004
i recitas extraordinaria- em das de
'gala, quandotjualqucrdrama cha-
ma a corteurrencki publica, como
o Colomoo, Aojo da Mcia ?fite,
Santo Antonio, etc, etc., a 6003..
:000i000
2riO0j5O0P
11:400/060
Total....................
Despezas.
Orchestra : 55 recitas ordinarias :
5 meios beneficios cada recita a
873............. ..........(I)
llluminacaoaSni..'...............
ilheteir e benraleiro cada recita a
7............................
8 porteres a 13 cada recita....... .1)2 3000
1 bandeira para designar dias de es-
pectculo......................
Aceite, torcidas e cortas para o
pbarol.........................
Folha mensa! da eonmanhia : 5 me-
zes e meio a 4:0*, segundo os
Srs. B. e Coimera...........(2) 23:3754000
Passagens dos artistas............ 1:182*000
Pintura, preparo de dramas, seena-
ro, etc., etc................:___
Comparsas.......................
Papel, peonas, tinta?, obreias...____
Despezas mudas eventaaes........
_____!_____
Somma.:................ 36:1765'i00
Deduzldos de.................... 41:4005000
__________
3:368000
1:280000
448*000
8*000
15*000
3:0005000
500*000
100*000
188*000
Saldo a favor....."............... 5:224*000
Kis o calculo feito pelo Sr. Mario.
Muito bem, Sr. Mario, S. 8. para aJcancar o seu
desidertum, qne mostrar a desnecessidade da
subvencao, 011 melhor, que ella empregada em
wii'o proveito da inividnalidade doSrj^oimbra,
estabelece o calculo .da receita sobre 64specta-
los, sendo 59 recitas 5 meio-beneflcios, e 4 bailes
mnsqnt. R aprecia a receMa pelo mnimo 1
muito tiiin!
S. S, Sr. Mario, qie se mostra extremamente
conhecedor do raovimenlo do theatro de Santa
Isabel, deve saber qae o Sr. mprezario tem dado
at hje f29 de maio) 38 recitas; que, se no mez
de abril elle deu 14 recitas, no*te nao dar mais
de 8; e que, finalmente, desta lata ao fim da sos-
sao dramtica decorrerao apenas 32 dias. E ser
irossivel que, nesse limitadsimo tempe, oempre-
zario possa dar tantas recitas, qnantas siloprecisas
para complxtar o numero de 64 ? Certamente que
nao. Ainda qHando pil trabalhe mtiitonao pone-
r conseguir de dias de gala, e os meio-ben. flcios.
O Sr. Mario considera os meki-bencficios, dis-
linctos das recitas da casa; nao sabemos com
que fundamento, m meio-benellco urna recita
da casa, da qual o dinlieiro apnrado, pagas as des-
pezas respectivas, divlde-se em diias partes, desti-
na ndo-se urna emereza, e outra psson benell-
ciada.
As recitas em dias de gala esli eomprebeodidas
as ordinarias.
Todas estas disUncodes sao capciosas, e nenhum
outro fundamento teein que o de augmentar a re-'
ceita. Felizmente todas estas ardilezas estao no
dominio do publico imparcial.
O calculo ilas despezas foi feito pelo mnimo, e
nao pek mximo, como disse o Sr. Mario.
Oucrem a prova? Vejam-na.
O Sr. Mario calcaba a despeza de illuminacao
em 20* por noite; nao exacto
O Sr. emprezario pagou pelo consumo de 58,600
ps de gaz, durante o mez de abril, como se pde-
la verificar nos livros da ompreza do faz, e do re-
cibo existente no thea.ire, a quantia de 3i7*400.
Ora, divida-se essa importancia por 14, que %
numero das recitas dadas naquetie mez ; c tam-
bem 75*, por cssemesmonumero 14, importancia
esta que pagou-se ao marhinista, tambem aquelle
mez; renase os qnrcientes resultantes, e vT-se-
ha que a despeza d illuminacao eleva-se 30*170
pouco mais ou menos.
A differeaca diminuta 10*170 ; mas era 64
espwiaculos, conformo calculou o Sr. Mario, ella
de 650*880.
AiHda maisa desp.va feita, om cada noite de
espectculo, com billietero, bengaleiro e porb'iros
do 18*. e nao de 13*. E'ta dinerenca tambem
diminuta ; multioltcida, porm, por 64, monta a
192*.
Reunidas ossas duas nmharicu, offerta o Sr.
Mario ao Sr. emprezario, arrancando das despe-
zas, a insignificante quantia de 842*880. E' mui-
to generoso este Sr. Mario. Deus o conserve.
E apreciou a despeza pelo mximo I
Quando ti vemos occasio de fazer menco da
despeza do theatro, nmi Mimos a da receita ; c o II-
zenws porque delta ro nos oceupavamos. Isto
merecen a censura do Sr. Mano, e levou-o per-
guntar : Se o theatro de Santa Isabel, tivesse
outros rendimentos. alm da subvencao, nao apre-
sentaria o Sr. B. nutro mappa demonstranvo para
que o publico podesse etabeleeer um parallelo
en-e a receita e a despeza ?
Se se tratasse, Sr. Mario, de conhecer os lucros
ou as perd.is do Sr. emprezario, a necessidade ou
ilpsnece fazer urna confrontacao da receita com a desneza ;
mas de tal nao se trata va, e sim te mostrar o onus
que sobrecarregava ao emprezario. E pois outra
cousa nao nos competa, seno mencionar a des-
peza.
Hoje, porm, que 8. S. conduz-nos para esse ter-
reno, apresentaremos, |ior nossa vez, um calculo ;
cuja ba,-e encontra-se na escrpturacao do tbeatro.
El-lo :
Disaeraos que, na ses-o dramatiea actual, o
Sr. emprezario nao poden dar mais qne 52 recita?,
inclusive os meio-beneficios e as recitas de das de
gala. E se desejam urna prova aguardsm-se para
o terminwn da sessao c rainaca.
Pois bem, sobra a< 5i> recitas, o sobre os 4 bai-
les masques eslabeleceramos o nosso calculo rela-
tivo a receita.
Reoeita.
47 recitas, apreciadas a meio termo,
a 600*........................ 28:200*000
5 recitas de complet endiente, a
1:026*.:...................(3; 5:13**000
4 bailes masques, a 500*, livres da
despeza........................ 2:000*000
ra
n
un
heatro.
Sem a subiitoco, nrio hver urna jtessa se
ouvir mais tarde as apupadas do povo. SmTpor-
que sera obrigado a cerrar as portas do theatro.
Pode S. S., Sn Mario, Tzer e redizer que a ub-
vencao concedida ao Sr. emprezario erupregado
etnseu tnico proveito. *!lT/TT
A escripturaeo do theatro esta a disposco de
quen -ineira xainiaa-Ja. Ob^erveantOy aS-erao
se possivjj manler se o tlvwtro, 'uiua aMtude
digna a;4ta provincia, sera urna subvencao.
Diz o Sr. Mftro que a provincia nSfe pode sub-
vencionar o tbeatro. porque as suas finaucat tstao
em estado pouco tsougeiro.
Se o provincia nao pode subvencionar o tbeatro,
feche as suas portas, e diga aos mundo* ivilisa-
dos >^a aos9a raqueza^ao permitte-ne auxiar
aos nossos, para que possam acompanhar a vossa
marcha.
, izminda o Sr. Mario : nao o deve fazer por-
que a sabveiie38 dada ao emprezario do Santa
Isabel, produz b offette contrario daqnelle que se
.levia lar ora vista, porque a subvencao prejudiea
a provincia e ao publico. >
Que prejuisos tem causado a subvencao a pro-
vincia e ao publico?
ucamos: l
Se o theatro nao Josse subvencionado, esrae-
rar-se-hia o emprezario em contratar mais do que
duui ou quatro artistasnotaveis ; organisara com-
paohias regulares; baoira de Santa Isabel esses
pawaihoes dramticos, que pertencem historia
untifu dos tkeatros modernos; organisara o guar-
da roupa; montara algimias pecas com o laxo e
decencia que ellas requeran ; finalmente faria por
satisfer o publico cabalmente e continuara tra-
zeinlo a Pernambuco corapaahia* como aquella de
Total.................... 35:330*000
Observamos que esta apreciacao, 011 este calculo
cinge-se mais aoqne fazo Sr. Mario,que a escrip-
turaeo do tlieatro. Se tivessemos, como devera
mus. seguido essa escripturaeo, as pareeUas se-
riara menos considera veis, como se peder veri i*
car em qualquer tempe.
Queremos porm apreciar a receita pelo mxi-
mo, nao como fez o Sr. Mario, augmentando, ou
antes, creando tu numero da espectculos, que
jamis poder dar a entereza ; e sim elevando os
lucros das recitas possiyw. ,
A despeas g, ral Ao tbeatro de 40:957*, segan-
do observa-se na escripturaeo da casa.
Confrontada a reaeita esta excede aquella, na que fez parte. Fnrtado Coelldi a nica boa, e que
a concorrida tornou o theatro. >
Que melbor companla que a actual quer o Sr.
Mario que contrate o Sr. emprezario. Querer
que elle rena no theatro todos os actores, eujos
ranomes mais oceupam a atteaco do povo brasi-
leiro r Isto s seria possivel de consegnir-se se o
nico theatro havido no Brasil fosse o de Santa
Isabel; ou se este fosse o nico que melfanres van-
tagens olTerecesse aos artilistas. E quantos artistas
eucuntra-se as condicoes exigidas pelo Sr. Mario
no nesso imperio ? nao mais da oito: devida-se
este nunrero pelos prineipaes theatros, e ver-se-ha
que qualquer d'ellus nao poder ter mais do que
dous artistas notaseis, na extenso da pafevra.
A coinpanhia actual compoe-se, como j disse-
mos, de artistas destintos; os quacs sao dirigidos,
segundo a phra.se do Sr. Fnrtado Colho, pelo pri-
meiro artista brasileiro, o Sr. J. Augusto.
Nao sabemos que mellior companhia possa de-
sejar o Sr. Mano.
Klo coraprchendemos o que quiz exprimir o Sr.
Mario, com esta phrase : b iniria de Santa Isa-
bel esses paspalhoes dramticos, que pertencem
11 hiftoriajtntiga dos lite tros modernas. Nunca
ouvimos fallar sobre esta onlem de artistas.
Histosia anijn dos tieatros modernos! Este
Densamente idntico a e>to outro :historia an-
iiga dos povos modernos! Como temos visto
muito boi voar ]...
O tbeatro de Santa Isabel tem um guarda rou-
pa, nao como seria para desejar ; mas como pode
ter nm tlieatro subvencionado de um modo pouco
generoso.
O Sr. empreiario sempre que monta alguraa
peca nova oom o luxo e deseencia que ella re-
qiutn
Ha pouco dias fw a scena um drama do Dr. Ta-
vora, ae tres .lagrimas,com o qual a einpreaa
gadtan algara ^inbeiro ; s em trabamos de pin-
tura scenii^raphia dispendeu o emprezario 500*.
como podero informar-se do scenographo Cha-
pcllll.
Continua o Sr. Mario: Anda mais; teamos
visto 110 Santa Isabel, a primoira actriz da lingua
nuiiOHui, a celebre Emilia das Noves, a digna ri-
val da Ristori, que de passagem nesta provincia
proemou entenderse com o Sr. Coimbra, nao pu-
dendo chegar a um accordo com S. S., quand' o
bavia conseguido do emprezario do pequeo thea-
tro providencia, do Para, onile nos a applaudimos
om doze recitas consecutiva'.
Sabe S. S., Sr. Mario, porque o publico pernam
boeano, nao viu no Santa Isabrel a primeira actriz
da Ungua nacional f porque exigi do Sr. unmbra
unt ordenado exorbitante. Quoria que elle Ibe
des*e por cada urna representaco 500* IAinda
assm o Sr. Coimbra offereceu-lue 400*, porm
ella rej'itou-os.
Ora, seria prudente admittir-se n'um tbeatro
snbvencionado com nuKX) (tal era n'esse lampo a
subvencao) urna actriz percebondo, por eada urna
aulle de espectculo, 500* ?
Aquelle emprezario que assm procedesse nao
nao cavara a sua ruina?
Admiramos a coragom do Sr. empre ario, offe-
cendo-lhe 400*.
O erapiezario do tbeatro do Para contraten,
verdade, a Sra. D. Emilia ; mas sabe S. S., Sr. Ma-
rio, o que aconteeeu elle 1 Ficou completamen-
te reduzido a indigencia; vendando, segundo con-
lain alguns paraenses, que presentemente aqui
tesidera, fructas E-ge Ul acontecsse ao Sr. Co-
imbra, o que dira S."B. ? quem nao pode com a
carga nao a loma.
Sao e-t.-s, Sr. Mario, os prejuizos que a subven-
cao tem dado a provincia e ao publico ?
Eis respondida a parta seria e decente do es-
cripto do Sr. Mario. Os insultos, com que nos mi-
rnoseou, ah perman.icerir intactos; para elles
s temos urna resposta: urna gargalhada.
Pode, Sr. Mario, insultar-nos pela maneira que
melhor Ibe convier, certo de que nao Ibe retri-
btiircnii s. Cada qual d o que tem, diz o antigo
rifao.
Agora urna consideraco final, e um convite, e
terminaremos.
De tedos os argumentos e aecusacoes do Sr.
Mario, um nico facto se pode induzir, e que
elle deseja ardentemente que a assembla negu
a subvencao ao axtual emprezario. ^
Creio, porem, que o seu desejo uao ser raallsa-
do; salvo se a assembla est disposta ser inco-
herente, deliberando de dous modos nteiramente
oppostos sobre um inesmo faci.
Com autarisaeo do Sr. omprezerio, convidamos
ao Sr. Mario, em particular, e ao publico, em ge-
ral ; para examinaran toda escripturaeo do tbea-
tro de Santa Isabel.
Temos fornecido dados suficientes,^ para que o
publico sensato possa juigar da queslao theatral;
e pois nerq mais urna palavra escrevenios sobre
tal as>umpto.
Est cumplida a nossa missao.
B.
---------------xnm-i
feve lagar nesse mesmo da, a Illma. cmara deli-
ro mandar euvir o engaBtoflir|(Cordeadqr, apre-.
mando este na sessao aeguialt o sea parecer,
corroborando o allegado |VHgnataro< do ja
referido abanto assignadoy^'wJnando entaf) c
Illma. cmara ao respcctivitfideal, que lizessaef-
fectiva as disposigSes de sua posturas.
im annnncios publicados nos jornaes^arios
ade o MJJnMKo PG#T9Haias.
do dia W do abril prtixao lindo, para
propreurios d"aqnelles4''iio os mu-
e aterrjela, incorrendo na~ penas esta-
o art. 2'ila postura adJicioaal e 10
mbro de 1851, os que isto nao flzeesem.
sados .18 dias e amida aera um dos pro-
dos tearenos altad i dos, e i|uesa>o<
atnain Pessa, Manoel Finiimo i 1 -
reir Rancisco |fau>h'l da Co-ta e.i.utros, euj -
noaM^aoramos,Vtaa a rtapectvaTic^nra
darern cumprimento s ordens desta Illma. ca-
m>ra. m
Jba.aa^,s + *. a>tte^4^A ^
Ora, sendo os terrenos de marinha concedidos
sob condicoes de serem beneficiados, como que
nao procuram os seus donos ou proprietarios
dar-lhes esse pequeo benelicio, e sobre ludo veo-
A/ajte esses terrenos, pelo modo porque se
achara, prejudicam a saubridade publica ?! !...
Se por ventura n3 fosse isso geralmente reco-
nbecido, nao teriam os moradores daquella cir-
curiivlnhaca solicitado providencias da Illma. c-
mara para o desapparecimento de seraellianle foco
de imasmas, e esta nao acudira lao de promplo
aos reclamos do seus municipes.
Do nossa parte teremos por divisa Clama ne
cesses.
A.
f-1 S rV" I1W gglIAilWil A JA1HAJ f hti
Tribnto ao mrito.
O abaixo assignado significa cordialmente os
jen* sentimentos de entranhada gratidiw ao seu
patricioo Dr. Adriao Luiz Pereira da Silva pela
promptidao, zelo e delicadeza com qlie dignou-se
de trata-lo emsua grave molestia.
O Dr. Adriao, sahido o anno pretrito da fa-
euldade medica do Rio, onde destinguio-se, como
hbil aliunno, j se ostenta com tanta pericia e
habilidade na sublime carreira, que profesaa, que
poder correr parlha com seus traaos de vetera-
na pratica. Honra, pois, ao Ilustro e jovem me-
dico Cearense, que um dia exalcar a scienoia,
de que to digno filho e cingir sua fronte com
a aureola dos louros immarcessrveis que s a
sceucia conquista.
Recife em 7 de junho.
Jos Patricio de Cas ro.
Em resposta ao comraunicado publicado hoje
neste jornal, assignado por Souza Andrade & C,
s tenho a dizer, que, o que eu disse pelo Correio
Pernambucano de 4 do eorrente, que a pura
verdkde. Emquanto ao Sr. Manoel Jos de Sou-
za, com o nome de Souza Andrade & C. dzer que
j nada me deve Arminio & C.; isso sao comas
que eu prestarei quando me aprouver. Emquan-
to a ser verdade o que eu digo ou o Sr. Manoel
de Souza, quem nos conhecer desde nossos prin-
cipios e para quem nao olha para a riqueza de
cida um para apreciar o seu raerecimento, que
aecida pelos nossos precedentes, do que cada um
Je nos'ser capaz. O Sr. Manoel de Souza pode
e-crever o que quzer que cu jamis me oceupa-
re com a sua senhoria.
Recife, 7 de junho de 1869.
Manoel Rodrigues de Mendonca,
Questo Aratangil.
Mu legtimamente acaba de entrar no engenho
Aratangilolenenle-coronelGasparC.de Albuquer-
Uchoa.
Tendo-o feito em maio passado, foi entao forra-
do a retrar-se, porque conlre elle levantaram
-cortos horneas to grande alarma, to aterradores
boatos, adrede_ se l'izeram espalhar, que, embora
com a couvcco de que usava de um direito, em
altencao ao publico, cujo juizo so >re a queslao
por lodos os meros se prucucurou embair, e, para
que, com sua pertinacia, nao parecesse, de certo
modo, antorsar as noticias que a esta cidade che-
garain prenhes de violencia, attentado, van/Mismo
etc., julgou elle de prudente aviso mostrar que
proceda com toda a moderaco, c confiado na jus-
lica de sua causa, e no seu bom direito dilTerio
para outra occasio sua entrada no referido en-
genho.
Dilleril-a porm, nao importava renunciar a ella,
e pois, realisou-a a 3 do eorrente mez,
Em virtuJe da ultima decisivo dos tribunaes,
linha o lonente-corono! Gaspar Cavalcanti de tomar
conta dos campos do dito engenho para roteal-os,
e criar a safra que tem de colhor 110 annno vin-
douro.
Foi somente com ste fim que levon elle para
all seus escravos, sera se oppr de modo algum a
que o Sr. Joo de S acabe de colner a sua ultima
safra.
Esta simullaneidade no trabalho em um mes-
mo engenho o costume entre nos em casos sorne-
Ihantes.
O rendeiro que tem de deixar o engenho em
que safreja, tira sua ultima safra ao ine-tno tein-
po que seu suecessor funda a sua primeira :
este o estylo, outra cousa nao se faz entre nos.
Por este modo, rr proprietario ou o novo rendeiro
nao perde todo um auno agrcola, que, do contra-
ro, sena toreado a ver se e-coar coin prejuiso
seu, e muita vez, da propriedade, e o actual ren-
deiro, que tem findo o prazo do seu arreadamente-,
e que, por isso nao pode criar nova safra, apenas
se aecupa em colher a ultima que flndou, ao mes-
mo te.mpo que vae trabalhar no enganho quo tiver
arrendado e para onde tem de 'mndar-se.
Nes mesmo engenho, costume de idade i inmemorial
dar aquelle que neste se aeha ao que para elle tem
de vir todos os commodos para escravatuja, ani-
raaes etc., na linguagem propra deve dar. rancho
a seu suecessor.
E' esta ama praxe que se tem tornado le entre
os agricultores, e tal modo impera que nao carece
estar expressa no contracto, e sobre ella ningnem
levanta queslao.
Esl no caso do rendeiro que acaba o arreada-
mente- o Sr. Joao de S, e no do proprietario que
vem tomar conta da propriedade cujo arrenda
ment ttndou o tenente-roronel Gaspar Cavalcanti,
pois o arrendamento daqnelle foi declarado millo
por 9ntei.ea passada em julgado, que maodou
que este tomasse couia do seu engenho para nelte-
plantar etc.
Por aqui se v a sem razio com que se tem pro-
curado maliciosamente confundir os fados, cha-
raando-se de ineasao propriedade alheia, aquillo
que entre os agricultores nvariavelmcnte obser-
vado e seguido.
A fallada posse do Sr. Joo de S outra cousa
O mandado de despejo neste caso urna mons
trjjsjdade : anda -quando o <]uo> cima-var dito
quanto pos^e legitima que, tem o tenent-tforonel
Gaspar dixasse de ser exacto, o que entretanto se.
nao il, nao pod o Juz'corceder mandado ao Sr.
Joo de S contra aquelle, porque, se* se entetide*|
que a accao pessoal reipersecutoria, o recurso
,0
a
lo,
S.
lera fazer, porque, para
ii citado, intimado da sen-
MOVIMENTO DO PORTO
i~_
**>*' tktrados no'dia 6.
"HlaWi *^''fW'lHrtngu rabe,
de 219 toneladas, capitn Antonio Pereira Mar-
ics, equipagem 9l_carijL.4,900 quintaes hespa-
Jos Goncalves Bel-
nb
trao,
falla-
, 186
1 Pagel
Baha
lonelij
lastr
v>w Lisboa
tonel
Huilcii
sido citad
1 de forea
_ da le. Per
s, i-to mesmo
'-"'itara ciucana.
1'oca, a iiiariram-se-llic os der. dias. que decor
reraorse n que elle alguma cousa (ippovsse.
" mandado de I spejo urna verjatielra
eia. tu i'.-.bui '. onjaiienlado. E av..iic'a^B
Mi.' 1 o prjBfdimcitiVdo jaiz que o concede, jui/
1" armfrj intJffln R S?. Joo de S, por cujo
advogado asessoriado, pelo que tudo contra elle
deiuk tenente-coronel Gaspar Cavalcanti urna quei-
ice-presidencia.
retanto, tendo to bom direito, o tenente-co-
ronel Gaspar Cavalcanti nao quiz proceder leviana Gerardo Mareslanv, carga algodio/
lazein prolissao de propalar queelle ludo faz tumul
hi'iri'ifii.iitl l i\ ni i I____* _T____I, _
tuanamente, e com violencia, nao quiz entrar no
engenho por acto, alias legitimo, de sua prupriaau-
tondade, o us >u do expediente da. Ord. v. 4 tit.
58 I i." tomando conta das turras do engenho com
a prsenca de m tabelliao que disso lavron o res-
pectivo auto.
Conheca. pois, o publico rllustrado e imparcial a
legitimidade do procedimento do Sr. tenente-coro-
nel Gaspar Cavalcanti aonlra juera so tera vil c
torpemente procurado lancar nimosidade pu-
blica, cobrindo-o de baldes, ao mesmo lempo que
se sopbisuia seus actos e se deturpa averdade dos
fados. ;
0 direito que lbo assiste nao em boa f con-
testavel, o s nao ser reconhecido pelos interessa-
dos em v-o violentado.
Manter-se, pois, na poscao em que esl, com
seguranca e firmeza, pde-o, sem duvlda alguraa,
o dito tenente-coronel : qui jurt tuo utilw; uemini
fcil injurium.
Protesta, pois, elle firme c resolutamente c nira
o emprego -ou simples ameaca do uso de for?a ar-
mada contra elle.
Um procedimento violente contra elle, legitimo
proprielaro, e legitimo possuidor, d Ihe o direito
de desforco por si mesmo, e at de resistencia,
nos termos da lei : direito to incontestavel como
o que elle procura manter, e de qae se ver for-
jado a usar em ultimo extremo se de sua legitima
posse, continuar a ser desconlrecida e vibpen-
diada.
O tenente-coronel Gaspar Cavalcanti crodor de
garantas : est-se coramettendo contra elle um
attentado inaudito.
Cumpre que o governo, cncarregado de promo-
ver a boa execuco das leis, e de manter a ordem,
proteja-o e faca-o cessar o escndalo e a violencia,
Pense-o bem o governo.
Considere-o bem o publico.
Recife, 5 de junho de 1869.
nbola Ventrela, d
riel Mareslony, equi-
dem.
a Glencatrar, de 350
capili TaMB*. equipagem 12, em
>rdeim SeHBpara West Indies.
ia%#igugpuguez Cotet, de 244,
capMBJoflBiiiario da Costa, equi-
rganHfcr^Rs1 gneros; a Eazebo
R. Rabello.
Navios sahids no mesmo dia.
Wast Indies Barca franceza Sphere, capitao
Fouesnel, em lastro.
BercelonaSumaca hespanhola Portolla, capitao
Baha4 dias, galera portugueza Marianna V, de
663 toneladas, capitao Antonio Vicente Ferrei-
reira, equipagem 13, em lastro ; a Thomaz de
Aquino Ponseca & C.
Navios saludos no mesmo dia.
Rio de JaneiroBrigue brasileiro Santo Amaro,
capitao Antonio Francisco Pestaa, carga difTe-
renles gneros.
uiul Barca ingleza Leouar Gma, capitao n.
Dowea, carga assocar. K %S
" Observacao.
Suspendeu do lamaro para Mace o brigue
sueco BuUbir, capitao Gailund, com o mesmo
astro meirorK* do'Bm de Janeiro.
ECITAES.
A' ARMIA.%
Neste mundo onde a vida tem flores
Perfumadas e espinos tambem,
Quem n5o sent d'amor o encanto
Que nos fere no peito^ ninguera.
Quem nao sent urna fon-a divina
Nos ligaT a mulher, que nos diz:
Eu te amo, son taa, nao fujas,
Nao procures fazer-me infeliz ?
A mulher a estrella brilhante,
Que fulgura noco do futuro;
E' a loz que nos guia na trra
elo trilito mais lindo e seguro.
E' a flor eotre-aberta no lago
Pela briza na haste pendida,
O amor, seu perfume exhalado-
Na manha orvalhada da vida.
E' a ave innocente pousada
No retiro do prado llorido,
Quando solta seu canto sentido
Express3o de pungente gemido.
A mulher nossa vida alimenta
De encantos, d'amor, e prazer,
Se a mulher nos fugiss um momento
Eu sem ti n5o podia viver.
Recife 25 de maio 3e 1869.
V. A.
0 inspector interino da alfandega faz
publico, que ahando-se as mercadori s,
contidas nos volumes baixo mencionadas,
no caso de serem arrematadas para con-
sumo nos termos do cap. 6o tit. 3o do re-
glamento de 19 de setembro de 1860,
os seus donos, ou consignatarios deverao
despacha las no praso de 10 dias, sob pena
do lindo elle, serem vendidas por sua
conta, sem que Ihes fique competindo alle-
gar contra os effeitos desta venda.
Armazem n. 11.
7 caixas marca I. A. G. C. n. 42 e V.
com queixos, vindasde Berdeax, no vapor
francez Guiene entrado neste porto em 3
de fevereiro do eorrente anno consignadas
Gosta Carvalho.
Armazem n. 6.
799 ditas marca diamante se,m numero,
com sabo, vindasde Liverpool no brigue
inglez Margaret, entrado em 5 de novem-
bro de 1868, ignora-se a consigo a rao.
2 marca L. D. n. 25 e 30 com ferro em
obra, vindas do Havre na barca franceza
S. Andr, entrada em 10 de novembro de
dito anno, consignadas a Len Desprey.
2 barricas marca? K. C. ns. 805 e 803
comNpjoij.is, vindfft do Havre na barca fran-
ceza Veridiam entrada em 1 de fevereiro
do eorrente anir>, coi signadas a Keller AC-
AJfandega de Pernambuco, Io de junho de
1869.
O inspector interino
Luiz de CarvaUo Paes di Andrade.
DECLARACOES.
COMMERCIO.

P. S. Este artigo a conelu-'o do qne foi publi-
cado n'este Diario,,sexta feira 4do correte, oqual
deixou de ser acompanbado -do, sempre usado,
continuar-s-ka, em virtude de um descuido da
typegrapbia.'
de que muito se tem abusado para Iludir o pu-
blico.
Que especie de posse a de quem detem por um
iitulo-nulo a cousa allhela ? E nullo foi pelos tri-
burtaes, declarado o arrendamento feito ao Sr. Joo
de 8: que posse pois a sua f
E, dentis, o ajrendamento por si s n2o d a
PRA^A DO RECIFE 7 DE JUNHO DE 1869.
AS 3 i/2 HORAS DA TAKOU
Algodao de Macei Ia sorte 174330 por arroba
posto a bordo, a fretc de 1/2 d. e S 0|0
f. J. Silvetra
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
CASADE~CAMBIO
Teodoro Simn & 0.
Compram e vendem por conta propfa
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras.
sbj]9| de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontam letras da tena e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccoes, da cobranca de letras da
ierra e de outros ttulos commerciaes.
Recebetn quaesquer quantias em deposi-
to, em conta crrente, e a prazo ftxo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz
publico que, no dia 1 de junho viudouro,
se principian! a contar os 30 dias uteis
para a cobranca bocea do cofre dos m-
postos: da decima urbana, de 5 % sobre
os bens de raiz pertencentes corporagoes
de mo mora, e de 20 % d- consumm
de agurdente relativo ao 2o semestre do
anno ttnanceiro vigente 18681869, eque
ficam sugeitos multa de 6 /0 todos os
dbitos que forem pagos depois de (indos
os referidos 30 dias.
Mesa do consulado provincial de Per-
nambuco, 2o de maii de 186!)..
Antonio Carneiro -Machado Ros
!
e Ncw-Orleans, e imitte cartas de crebito
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEGA.
endimento do dia 1 a 5 .
dem do dia 7......
255:8781000
27:6501487
sembarpdor Gtirana-Afoellaces SeTap.
veira e Gervasio, escravo
emprezario necessitande de recorrer a subvencao;
subtraia-se desta, isto de 10:000* adiferenca
sunra, e ver-se-ha que c lucro da emprezM de
i: 3731.
Aoemvaz do Sr. Mario, arnmntaqaa :rnm-
4' Illma. cmara municipal do
Recife.
Em 15 de abril do eorrente anno dirieiram a
esta Illma. amara, os moradores da rua da Con-
cordia e adjacentes, um abaixo ag-igoado pedmdo
providencias contra o inveterado abaso de fazer
se deposito de lixo e materias feeaes era os terre-
nos dvoiutoa que lieam mire as ras da Concor-
dia e Alacrm, e onde existe porcao d'agtra eslag-
nada, com uwrafesio prejuizo da sahibridade pu-
blica eapacialmeate das pe Lido o rtfarido abaixo assignado na essio que
283:5291087
tro depois de nrganlsada a companhia, nomo tem | Sr. Mario,
(I) 8r. Mario S. S. enganuu-se. 60 uiolupnca
dos por 871000, tem como producto 5:2201. S. S
snppoz ter multiplicado 6V por 87*000, nao foi Sr.
Mario?
(i) Quando calculamos a despeza geraldottisa
tro, erramos, ama muliiplicaco. o qae fec oosa^u.
augmentasaqmw na despea i27t. am err-
mus. O qae isapnrteti, pefna, esse erra? decid-
a queslo 1rajudicoB-a ? ni >. Muetron apenas
que n|t >mos frtH em anthmttm,
4M Q'lwWown|ilnmaiali*Miianie-.- e bm 4:1001 pnmeo mais o* mmoi, oo dwe o n
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados oom fzendas
dem idem com
Volumes sabidos com fzendas
dem idem com gneros
568
384
"9
1140
962
1349
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descorita lettras da praca taxa a con-
vencional
Recebe dinheiro em conta eorrente e a
,prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
posse em falta de outro titulo, 'segundo esta deca- pricipaes da Europa, tem agencias na Ba-
ilo pelo alv.de 26 de novembro do !77 (Iteper. das m"a Rnflnos-Avres Mnntpvirita Nfiw-Ynrl.
lew ex.ravag.-1815,-tom. pag. ITOl ^^^^J^'^i^^'T 11^
Mas, a posse sem a menor duvida, do Sr. te-
nente-coronel Gaspar Ha varlanti porquauto. de lei
que a heranca passa aos berdeiros e portante aos
successores Uestes ) eran todos os effeitos da posse
nao s civil, mas natural. Alv de 9 de novem-
bro de 1754.
Ora, o tenente-coronel Gaspar, Cavalcabti que
comprou a heranja ao* herdeiros lejiltiino sacce-
sordelles.ecoiiijtal.habilitou-sejiidifialinenteJ.'go
tem a posse1, e nao se Ihe pode temer usar della
plantando no engenho, como Ihe permitte o julgado.
Alera disso, urna vez declarado nullo o trtulo d>
br. Joao <- Sa, este reconhecido detentor iniusio,
equiparado ao espoliador desde que se quer man-'
terP referido engenho : porquanto se ul se torna
o rendeiro qae recusa entregar a cousa fiodo o
lempo do arrendamento, e eommettc forca com a
sua recusa, como eorrente cm direito, com du-
plicada razio forca eommettc e espoliador o rea-
rendeiro qne. sendo-o por um titulo nullo retem a
cousa rren'ada.
E-tando assm pois, esbulbado, o tenente-coro-
nel Gaspar Cavalcanti nao tera que requerer posse
4 algumnpornnea posse do Apollado, o qual an-
m ae ludo deve ser restitoido, na phrase da le;
spotiata!, anle omnia restrturendum.
; A-Mleiica,pur(ft m, sa urna verdadeira senienca de forca, a qual se
exMUera mandado do juiz, dispen a ciiacao 8o Vencido, Pereira e Sduza pro. civ. o-
la 786.
De onde se concille a legitimidade do flroeedi-
meoto do tenenle-coronel Gaspar Orvafeanti, toman-
do cont,, por si mesms dos campos do referido
despacho do juiz, o qrtl pro-
i, so concede contra airelle am
dpjo*tjne importa ua veVileWf
aboso de autoridade, um crime. ] 38;665l4fl0
Descarregara hoje 8 de junbo
Vapor iatfez-Ckrysolitemercadoria?.
Barca franeezaSanro Andridem.
Brigue portngaezConstante /=idem.
Brigue inglezBetleofttu Clydeidem.
Barca mgle*a=Co/'ni=farinha de trigo.
Brigue noniegitense=.4/imercadorus.
Patacho iiwlez Ospray = bacalhao.
Brigue portaguez=Corvanos gneros.
Barca porturodza Constante TI = dem.
KBEBEDOfilA DE HENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUCO.
Ilendimento do dia 1 a 5 15:16U664
Idem do dia 1...... 8:lfJ4|909
aula Casa da Misericordia
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa ra
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessdes, no dia 3 de junho, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Larqe do Pcraizo.
Primeiro andar do sobrado n. 29.
1.* teja da frente......
2.a teja da travessa.....
3.a dita dita.......
Rua das Larangeiras.
Casa terrean. 5.....
Praca da Boa Vista.
Sobrado de dous andares rr. 11 .
Rua de S. Goncalo.
Casa terrean. 22.....
dem idem n 24. 0 .
Rua do.Sebo.
Casa terrea n. 13......
Roa dos Pires
Casa terrea n. 53.......
Rua da Madre de Dcns
1. e 2. andares do sobrado a, 1. .
Loia do mesmo.......
Sobrado de um aBar n. 24 .
dem de dous andades n. 26. .
Casa terrea n. 10.......
dem idgm n. 10 A......
dem n. 8. ....... .
dem n. 4......... 1:051*000
Azeite de Peixe.
Sobrado de um andar o. 63 .
Casa terreafe. 2. .
Rua da Cacimba.
Casa terrea n. 5......
dem idem n. 12 .
dem idem n. 10. -. .
Rua do Burgos.
Casa terrea n. 19.....
Idem n. 21 o .
Rua do Vicaria
Sobrado de tres andares n. 22. ,
l." andar do sobrado n. 27. .
2. andar do dito.......
Rua do Encantamento.
Casa terrea '. 7. ..... .
Wem idem 9. ......
Roa Dlreita.
obrSado de dous andares n. 8. .
Rua do Padre Floriano.
Casa terrea n. 47
Idem dem a. 63
Idem n. *7. 49 .
Rua das Calcadas.
Casa terrea n. 30......
Idem idem n. 34.......
Idam idem n. 36.......
" Rua de.Santa Thereza.
Casa terrea n. 5. ..' .
Rua.do Calabouco.
Casa terrean, f
ldern.20 .

281*003
16U000
12110(10
730O0
193J000
. 1:200*000
196*000
r;4t*00Q
218*000
144*000
3001000
8001000
1:057*000
8001000
550*0(0
602*000
360*000
650*003
452*000
1501000
146*000
86*000
116*000
146*000
852*000
240*000
195*000
200*000
200*000
1:067*000
170*000
176*000
170*000
177*000
168*000
178*0o0
1711000
300*000
242*000
GE-

CONSULAJDO
tendimento do dia 1 5 ,
dem, dodn .
PROVWOAX
Rua da Cadera.
Sobrado de om andar n 23 684*000
Rua da Moeda.
Primeiro andar do aobeada n. W- 76*000
Segundoandar dito...... 9*00O
Areaijuo Forte. .
Casa terrea n. 1. ...... MOfeOOQ
PATRIM0.>10 DOS ORPUAOS.
. !u Pr*ia,oPedro fl.
Segundo andar do sobrado n. 33.
Sobrado r\m andar n. 9. .
CaslW^B.I|,... .
Hueco das B*?as:
Sobrado de done aedare n. Id..
Roa do Amorim.
Casa terrea a 24.....
501*000
360*000
1:000*000
3fi6*O00
84*000

| IlGlVH |
WkWKKst


?
Diario de Fernambaco Terqa eira de Junho- de
.gftftl qi> "i,: {, .f ?! i.7|-.j t,;Vi'l'_
< /D.l.lii.
-___^
1869.
(T
__u
1J0 n. 12.
Rua da Cruz.
Ra-W'ttfecKhT
BMfOOO
I *Kta rwla, garrafa.

'>*
t
- -......
7t)(MKl
181 000
201)3000
20000
2105000
201*000
Fita da lialu, .mi..
ierre a,
dem dem ii. I1
IcL'm acm n. 1:
dem-n. 89.. ..
dem n. 2.....
dem i>. 110 ..
dem n. 104 ..
dem n. 98.> ..
dem a. 96.. _
dem n. 94.. .,
dem n. 100.. ..
Sitio n. 5 noForno d Ca.......'.. .. 150(5000
Os pretendalos deverao a presentar no acto da
arrematacao as suas flaneas, ou comparecerem
acorapanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Rc-
cife, 20 do maio de 1889.
O escrivo.
___________________Pedro Rodrigues de Souza,
Pela recebudoria de rendas internas
geraes, se faz publico que neste corrente
mez.do junlto, que os elevadores do impos-
to de _0 por cento da dcima denio mor-
ta e do imposto .pecial ifiobro casas de
movis, roup? etc, fabiifads em paiz es-
trangeiro teem de pagar, fivre de "multa, o
J semestre do exercicio correnle de 1868
1869, depois do que ser cobra iu com a
multa de .
RecHiedoria de Pernambaco 1 de jup.Uo
de 1869. O administrador
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Conselho de compras
navaes.
O conselho contrata no dia 10 do corrente mez,
sob as condimos do estylo, e vista de propostas
recebidas at'as 11 horas da manha, por lempo
de um anno, a decorrer do Io de julho prximo
vindouro, o fornecimento de ambulancias aos na
vtos da armada, e de medicamentos enfermara
de raarinha, assim como os servieos de barbeiro
mcsina cnftrmaria, e da respectiva lavagem de
roupa ; e contrata mais por igual forma o forne-
cimento no trimestre prximo vindonro de julho a
setembro dos seguimos objeclos de fardameoto :
Para aprendizes arlilices.
Bonete do uniforme, bonets do servico, blusas
de panno azul, blusas de brim branco, blusas de
algodio azul, calcas de brim branco, calcas de al-
godlo azul, camisas de algodoinho, cobertores
de la, cobertores de algodo, calcas de panno
azul, clcheles de linho cieios de palha, fronhas
de algodaozinho, lencos de seda preta para grava-
las, leaooes do algodaozinho, eapatoes, saceos de
guardar roupa, c tiavesseiro* de linho chelos de
palha.
Para imponaos marinhoiros e aprendi-
zes ditos.
Bonets de panno azul, camisas de brim branco,
calcas de algodao azul, camisas de algodo azul,
caifas do panno azul, calcas de brim branco, e.a -
misas de bacila azul, tendo o corpo 3 palmos de
cumprimento e as mangas 2, inclusive os punhos,
frdelas de panno azul, lencos de seda preta para
'.ravatas, sapates, e saceos de loua para mari-
nhagem.
Para fiuileiros navaes.
Bonets de chapa e palla, camisas de brim bran-
co, caigas de algodao azul, calcas de brim branco,
caigas de panno azul, fardetas de brim branco,
grvalas de couro de lustre, polainas de panno
preto, sapates, sobrtcasacos do panno azul, e ca-
misas de algodao azul.
Para artfices avolsos.
Blusas de panno azul, blusas de algodao azul,
airas de panno azul, caigas de brim branco, cal-
cas de algodao azul, e camisas de algodaozinho.
Tumbeen contrata o conselho, no dia 10 do cor-
rente, o fornecimento aos navios da armada e ee-
tabelecimentos de marinha, no trimestre prximo
vindouro de julho a setembro, de cangica ou mi-
lito pilado, carne verde, e de milho sem ser pilado.
Sala das sesseles do conselho de compras navaes
5 de junho de 1869.
O secretario
Alexandre Rodrigue dosAnjos.
O inspector interino da alfandega faz publico
que o leilio das madeiras velhas extrahidas da
ponle da mesma em reconslruecao, annunciado
para hoje, e que por falta de licitantes deixou de
ser etfectuado, fica transferido para terca-feira, 8
do corrente.
Alfandega de Pernambuco 5 de junho de 1869.
O inspector interino,
Luiz de C. P. de Andrade.
Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife
A Illma. junta administrativa da Santa
Casa de Mirericordia do Recife, recebe pro-
postas para o fornecimento dos objectos pre-
cisos para a secretaria da mesma Santa
Casa, conforme a relaco abaixo, pelas 4
lioras da tarde do dia 25 do corrente na
sala de suas sesses:
Papel pautadoFiume, resma.
dem dem liso, idem
dem idem linbo azul, idem.
dem linbo uso, idem.
dem para officios, timbrado.
dem florte,
dem lir.ho, pautado.
Hollaba grande, caderno
dem Jes, idem.
dem Resin, idem.
dem idem. idem.
dem Ec, idem.
Mata borro, folha.
Par de pastas para guardar pepeis.
Pennas de ac Perry.
Caetas.
Paes de obreias.
Tinteiros de lati.
Garrafas de tinta.
Taloes de conhecimentos (impresses
encardenaco). .
Livrosem branco de 16 pollegadas.
Utm sem branco e6treiu>8.
Livros em branco 13 plegadas.
Lapis pretos.
dem de cor.
Pedras de louza n. 1 para o collegio.
dem n. 2, idem.
dem n. 3, idem.
Creies duzia, idem.
retalia da
do Re

Sania Casi
d
A Illma. junta
de Misericordia do
nta Oa da Misericordia
de 18691
^0 escrrWow W
ig de Souza.
sericordia
.TIU-I,.
pelas I] horas da ta
ministraliva da Santa.
Clfe, na sala de suas
_ .? do dia 17 do corrente, re-
cebe" p^op-atas para o fornecimento de pao e bola-
cha, que houvcrera de sacxpnsumidfla cjn to__g os
establteimfctos/ afcs lu larjtcitnto deata ci-
dade eoi^a.-c4indl_*os meies- dejuHi > a
setembro Witflum'ir ^-r M*r ^-Be
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recit'ei de junho de'lfSe.
O escrivo,
-**~^ tedio Rodrigues b+Sttuza.
cente dos Sa_tosr estando a chave da casa em niao
do porteiro.
Terca-feira 8do corrente mez, defins ;le liu-
iz de orpfla&fcM a praca
r.dira^PpB ere-O an-
1000, uttlenceiit" ao me-
~Jot_4tooira-A_-l
----- I KTI Q_ ItM T t*U W'l
dfi __ldi__f dojfrfcjii:
Sr a Mera va ^Ba
nW, a liada*por l:0^ratl
nor_g fllhos dos finados Man
T3f,'9leple Pereira.
i !I
Santa Casa de Misericordia
-4o Recite
A Illma. jimia administrativa da Santa Casa
de Misericordia do Recife, na sala de suas sessdes,
pelas 3 horas da tafiie do dia 17 do corrente, re-
cebe propostas patti o fornecimento de gneros
que honverem de sir consundski loaM 52
belecimontos pios iteu cargo, lant i nrsla cldado
como na c OliuJa, nosinezes de julho a setuinbro
vindouros.
A saber :
Assuear refinado, kllogramma.
Dito de 2a sorte, dem.
Dito do tonao, idem. .
Aletria, idem.
Arroz do Maranhao, idem.
Axeite-ddee, litro.
Agurdente, idem.
Azeite do carra pato, idem.
Bacalno, kilugramma.
Batatas, idem.
Caf em grao, dem.
Cha preto, idem.
Cha hysson, idem.
Ceblas, cont.
Carne verde, kilogramma.
Cacnfl secca, idem.
Farmha de mandioca, litro.
Fumo do Rio, kilogramma.
Feijao molatinho, litro.
Farello, sacco.
Manteiga franceza, kilogramma.
Peixe fresco, idem. N
Sabao, idem.
Sal, litro.
Velas de carnauba, idem.
Ditas stearinas, kilogramma.
Vinagre, litro.
Vinlio tinto do Lisboa, idem.
Dito branco, idem.
Toucinho, kilogrammo.
Osconcorrentes poderao apresentar suas pro-
postas em cartas fechadas, as quacs deverao ter a
ordem eslabelocida no presento annuncio.
Secretaria da Sania Cusa de Misericordia do
Recife, 4 de junho de 1869.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de souza.
.ISABJ*
EfflPREZA DRAMTICA
DE
Conselho de compras do arsenaJ
de guerra..
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o segninte :
46 pares de botins.
1 camisa de meta.
58 lencos.
38 pares de luvas.
58 pares de meia.
142 varas de algodaozinho.
As pessoas que quizerera vender
apresentem suas Dropostas na sala
as U horas do dia 9 do correnle.
Sala do conselho de compras do arsenal
guerra de Pernambuco 3 de junho de 1869.
No impedimento do director,
Tiburcio Hilario da Silva Tavares,
Capilao ajudante interino.
Jos Baptista de Castro Silva,
Screetario.
ditos artigos
do conselho
de
4iiiartw'ei^, 9 de junho de
1869/
BENEFICIO DE MARA VEUTI
GRANDE lvVARIADO ESPlCTAOJLO
Stegunda' representacao 9cworeeTposic;ao da"beneficiada, ffpfa mesma
offerecida as ciilioras de IVrnainbii.M
-nrXiffifi Qrs'PHnE e i%ikr qiis salva
IVisonageos, ._ Qasenhorcs.,,
O brigadeiro Galvao.......... Thomaz.
O Dr. Cunha................ J. Augusto.
D. Leopoldina (sua mulher,
ceg..................... D. Velluti. -
Basilia (sua lilha)............ A menina Zulmira.
Madama Dolaunay (viuva moca) D. Julia.
Custodio (velho criado)......: Brochado.
Gabriel (molequ.)............ Jordani.
Pessoas da visinhanca.
A -cia pusa-se em urna casa s margen do
Capibanbe. poca, a actual.
Segue-se pela actriz a Sra. Apolonia Jordani a
galante ICMa
Vinlc e seis noivos perdidos!!
Primeira representa^o da phantasia trgica
composifao do distincto poeta pemambucano, o Sr
Victoriauo Palhares
Eomeu e Julieta
Personagcns Os senhores
Elisa.........D. Julia
Alvaro........ J. Augusto.
Io liomem..... Couto Rocha.
2a homein..... Eduardo.
scena passa-se em um cemilerio, em noite
tempestuosa, seijuindo-se o luar e aps o romper
do dia.
Primeira representado da linda comedia em um
acto, traduzida do fraicez pela beneficiada
Um marido as palminhas
Na qnal o papel de Cesanta desempenliado
pela beneficiada, e o papel de Hyppolito fek> Sr.
Marlinho.
Termina o espectculo com a ongracada come-
dia em dous actos, toda ornada de msica, oom-
posi^ao do maestro portuguez S Noronha
Oseffeitos de um eclipse -
Personagens Os senhores
Duval (proprictario).. Couto Rocha.
Duchanel (idem).....Jordani.
Innocencio........... Martinho.
(iirioU (sua irma)... D. Clelia.
Hermina.............D. Apolonia.
Em Paris em 1840.
A beneficiada esmerou-se em escolher um. es-
pectculo digno do Ilustrado publiso, epeando
delle urna generosa coadjuvacao.
Comecar as 8 horas.
Mffii BMSftEtM
DK
Paquetes a vapor.
JM portos'do noata esperado
Uj odia 9 da junho -o. v|>ot
ro il SuJ, conomaidanle
Alcofnrado, o' qual oVpeis'ia de-
mora do costumo seguir pura o?
m' un i indi liliii fimlii yii il. Mu tclltcit de ja-
canandcom nedra e espellio, minino lisnws II
fhrqtotMa K do oorrwiU1, no
dir.do soilifado'd ra ti
n. 36 *a 10 bqrasT
Fraueiseo Ilenriqns Caris, tendo
pa, far'leilo por irtervencao do age'
Desdeja. recebem-se passageiros e -engaja-so a movis e mals objertos aciina mc-
tcntes an casa de so nesideacia,
dardo sobrado da ni datCadcia
effertuar o eilao.
ijarga qae o vapor poder condozir, a qual "devera
*r embarcada no a dosuaehegada. Encommen-
das e dinheiro aofreteat as duas hora do dia da
juasahida.
Nao se meebem ooipo encommonJas cccno b-
lenos de pequeito valor e que nao exnjdam a 2
arribas de peso ou A palmos runeos- de- medicao.
Jado fue passar destes limitas devera ser emb'ar-
ido como carga.
Prevlne-se ao Srs. passageiros que-Miaa passa-
gens s se receben na agencia ra ca Cruz n. 57,
Jf andar, escriptorio de Antonio Luiz de Olivcira
zevedo & C.
dirige-se que o Sr. capito MilitS-' o patache
pnrtuguez Gorgene, Hita que fin dea ao caixito
qtwtrouM-pap^jil'. Mello, ust aegoeio serio
e nlo ha coiisf mais natural como seja dar o qu<-
son a seu ctnb". dspois au so jueiie da sor-
te. ,.
_______\p>i.-oHIUa.
m*
PORTO NI LISBOA
Para os porlo* cima segu eom brevidade a
barca portuguez Ctementina, tem parte do seu
crregamento engajado, e para o resto que lhe
falta, trata-se com os consignatarios Anlnnio Luiz
$> Oliveira Azevedo & C, rua ila Cruz n. 57.
COMPAXH1A PEHNAMBCVNA
DR
\:v;^ eosteira por vapor.
Goyanna
O vapor Pamlii/oa, com-
mandaute Meh>, seguir para
o porto cima no dia 16 do cor-
rente as 9 lioras da noite. Recebe
carga, cncommenda, passageiros
e dinheiro a frote no escriptorio ilo Forte do Mat-
tos n. 12.
Consulado provincial
O administrador do consulado provincial faz
publico que no dia 10 do corrente, as 11 horas do
dia, na porta da mesma repartico, serao levadas
hasta publica :I2 caixas com sabao, apprehendi-
das a Antonio Pedro de Mello e Leito & Cardo-
so, pelo conferente Jos Luiz de Souza ; cuja ar-
rematacao ser livre de direit09 ao arrematante.
Mesa do consolado provincial de Pernambuco,
4 de junho de 1869.
O administrador.
Antonio Carneiro Machado Rio.
AVISOS MARTIMOS.
C0MPANH1A PERNAMBUiUU
DE
Xavega^o costeira por vapor.
Mamangape,
O vapor Coruripe, commaadante Peana, segui-
r para o porto cima no dia U do corrente as 6
horas da tarde. Recebe 'carga, encommendas,
passagens e dinheiro a frote at M 2 horas da.
tande no esoripi'.irio do Forta-lo Mallos n. 12.
GOMPANHIA PERNWbUCANA
DK
Navegacdo costea por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso o
Tamiwdfir.
0 vapor Harahifba, commandante
Mello, segur!A para os poitos aaipu
no dia 10 do corrente a meia aoite.
Recebe carga, encommendas, passageiros- e di-
nheiro a frete, u > escriptorio do Forte do-Mallos
n.12.
\Mli(\
do terrena- com sot>rado de um andar nv. 1-J, iiBi
torran ipoprias, )U a. rua do Limo, outr'ora ciui-
mado sito do Arar, e hoje denominadoRasa- tte
Sade-T-do Sr. Dr. Ramos, em Sanie Amaro
a 10 do corrente
O aftnte Oliveira enmpeitontemente autnrisadto,
far 'iiiai" cli excellonte predio suaFaraencioBAti ;
(J^inta-f'ia
ao nioio-tlia em ikoiv pudendo os pretendCntea
examiHurlo com anieeedeaeia, e a cscriplui a m 3-
pectiva em mo dr,me*io agente, rua da Ca-
deia n. i primeiro .vmtr, onde se-Cir o leilao.
lmMMJi
De uo piano de Jacaranda, 1 mohilia eom 1
sof, 1 mesa e 2 consol* com pera, 4 cailcira
de bracos i; 18 de juarnicae do Jacaranda, Iran-
delabro, 4 eastltjatw t mansas, 1 relogio, i rico
quadro, desean o de1 ps (clouca .s), portoimasi-
casj mesinhas, 1 chin de cliarao^ 1 mesa de- es-
criptorio, 1 jogo'dfr ganan, 1 oonia frar.eeza, 1
guarda roupa, 1 commnda, 2 masas do jaearan
d 1 lote de esleir-para forro de sala, 2 codearas
de lialaiHo, 1 mesx elstica, 1 apparadon, 1 ap
parelho de porcehna branca pora jantar, teara
para en, copos, callees, gasrafas, tahers, 1
quartonheira, I caWde, 1 sof, 12 cadeiras, taesas
e ontros objec.tBS ae rasa de I Emilia.
Sexta-ieira l 1 le jnalto
N 2o andar dfi. sobrado din rua da. laope-
ralriz n. '4.
O agente Pinto- a leilao- por. cont, d urna
famiba que m dott de resideaoia, d moweis e
mais objectos aona mencionados exponte*- uo 2"
andar do sobrado-da rua da Imperatriir m J4, on-
de se effecluara- o teilo.
Principiar as Itt horas. _______
a 11
A :a regedora da irmandido d> Divino Jw-
liiriio Santo, em ateocao aos donativos que foram
deixadns a mesma irnvandade, pelos toados bispi-
D. Joo da Ptirillcarr.* Marques Perdigao, Josc
Francisco Ribeiro e M-inuel Jofie de Amorim, e
cumeriado as disposiroes do.au.. Di de seu com-
promisso, manda celehrar em na igraja por cada
um dos-mesmos finadas e nos .iras abaixo Indica-
dos pelas 7 horas da-manliaa, misa solemne de
reqniom e memento. A mesma mesa regedora
ronvi la a todos os prenles e amigos dos finados a
assistireu a este cariioso acto nos seus respecti-
vos das; assim como igualmente convida aos re-
verendoit'senhores sacerdotes que qnizerem cele-
brar missa rosada po alma dosniesuios tinados,
coin|ftrec;erem na ine-ma igrej nos mencionados
dia e hora indicada. Os actos tercio lugar nos das
9, M '' 11 do corren mez, sendo no-dia 9 por al-
ma do tinado bispo D. Joo da Purieaco Mar-
ques Perdigao ; no dia Itepor alma do fina Jo Josi-.
Francisco Ribeiro ; e no da 11 por alma do fina-
do Manoel Joo d'Amorim.
Recife, 7 de junho de 1869.
O escrivo,
Joaqu'nn Francisco Irmandade do Divino
Espirito Santo
or ordem da mesa regedora convido a.todo.-
os nnsso* caros i meaos a conipcrorerein em-.nossa
igreja nos dias !i 10 e 11 Id corrente pelas 6-e
moi horas da raanliaa. afim da as-istirmos aos
.
Para o Porto
A barca portugueza, de primeira marola, iX
SytHpitlua, tendo qfijsi toda a sua carga a bordo,
deve seguir impreteriveluwntc para o pwrlo cima
indicado at o dia 10 do corrento mez,. e recebe
ainda alguma carga e passageiros, oilereceado a
estes ricos e excedientes eommodos : a tratar na
rua do Vigario n. U, 1 andar, oscriptwlo de
Bailar, Oliveira &. G. ^_^________.
COMPANillA PERNAMBUCAR\.
DE
Xavesaco eoateira jK>r Tapor
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
cal^i, Cear, Acaract e Granja.
De predi* coro, terreno*
dio corrente.
Ignacio Uniz. de Brito Taborda,. far leiliio por
intervenco da agente Oaiveira, a sea bem co-
nhecida .^ileadida casa de campo sobradada* genpre se ckgnaram nonrarto, certo de uuo suas
recenteixanle construida (punco altaado dos en\: q^^ se;-Q execuadas eom ailo e aetividade.
bellesamantos;) com toda a solidez-e primor da ar-
te, tendidos lados don- magnitieos- porles com.
gradara de ferro e calamento, de lagedo de pe-
dra ere /rente da rua e juntamente o sitio em que
se acta- edificada, com niaisdnas easinhas na ox-
trem opposta ao oilt>,,sito no ameno e apeeoido
lugarda estrada de Joao Fernandes Vieira n. 58,
prximo a igreja da. Solodado.
a casa alm de sef .espac*sa, de apurado ^osto
e per/eieao, reboerda toda por fra e parte por
dentro de finos azulejos, tem. nos fundos e ao lado
cozinha com fogo moderno, casa com.tanojue
paja uanhos, forrado tambem de azulejo,, entra-
namentos para agua e gaz, eommodos para orea
dos, estribara e cocheina espaeosas, no gal i
Perdigao,.
Amonta.
^Recife 7 de jlnho de 189.
O esrrivov
Joafm Francisco dlt Silva Junior.
- O abaixo assignao* participa ao respeitavel
H'iiiico e com especialidade accorpo ccmmercial.
que- tendo de retirarse para a Europa a negocie-
e'temporariamente deixa na gerencia do, sen esta-
bckeimenlo so a rua da C3dcia n. 3C. o w;u cu-
nlttdo o Sr. Garlos Frese c o Sr. Leonardo Anto
nio do Espirito Santo Porto,, eumpetentemente au-
touisados c habilitados paca, este fi doga-si-
portaulo as seus amigos e fregiiezc*- que conti-
miem a dispensar a mesma confiaran,, com que
Francisco H. JiMls.
Q
n~Ai-"p;r"mn rwrainadant* nlieiros e curral pan vaoeas e "oulroe misteres.
*%)!_ t..? Jf^'J: riErTnS^ o o sitio, iuteirameai
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costetra por vapor.
Macei em direitura e Penedo.
O vapor G*}t, commandante Aze-
vedo, seguti para os portes cima no
dia 8 do corrente as 5 horas da
tarde. Recebe carga affi o dia 7, encommendas,
p*ssagen3 e dinheiro a frete at *as 2 horas da
torde do dia da sajiida ; no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12.
Torres, seguir para os portes cima
no dia 15 do correle as S horas
da tarde. Recebe carga at o dia 14, encorn
mendas, passageiros o dinheiro a frete at a*
2 horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA
DO
BEBERIBE
Sao novamente convidados os Srs. accio-
nistas desta companhia, a reunirem-se em
assembla geral, no dia 12 do corrente mez
ao raeio dia, no escriptorio da mesma rua do
Cabug n. 46, para em conformidade dos
seus estatutos deliberar sobre as contas do
anno findo, approvar o orcamento vindouro
e eleger a nova administrado : devendo-
se prevenir que nao tendo os Srs. accio-
nistas comparecido em numero legal na
primeira reunio para hoje convocada, rea-
lisar-s--ha a assembla geral com o numero
de accionistas que. comparecer na nova
reunio para a qual ficam de novo convo-
cados segundo acha-sa proscripto no art.
23 dos respectivos estatutos.
Escriptorio da companhia 7 de junho
de 186.
0 secretario
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitonga.
No dia 9 do corrente, a casa terrea de pe-
drae eal, no Peres.freguezia dos Afogados, defronte
do engenho do mesmo nomejeom 4 quartos.coznha
lora e cstribaria, 3 ianellas na frente, 2 salas,
portas e janellas nos oitoes, com um pequono sitio
com muilas fructeiras, e cacimba, tendo 100 pal-
mos de frente c 300 de fundo, portao ao lado, por
1:000*000, a ultima praca ; o escriplo acha-se
em mo do porteiro.____________________
Terca-feira do cotTente, Anda a audiencia
do juizo de orphaos, vai a praca de venda a parte
do sobrado do becco do Abreu, no Recife, avahada
em -.632*200, sendo todo predio avahado em
8 0005, cuja parte pertence ao auzento Luiz Vi-
do
C3IPAM BRASILERA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sal esperado
at o dia 8 de junho o vapor
Paran, commandante o capitao
de fragata Antonio Joaouim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir para os portos
norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
carga eme o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 2
horas.
Nao se reeebem como encommendas senao ob-
|ectos de pequeo valor e que nao excedam a duas
arrobas de-peso ou 8 palmos cbicos de medica
Tudo que pasar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se reeebem na agencia rua da Cruz n. 57,
l- andar, escriptorio de Antonio '
Azevedo & C.
PARA LSIBOA
^Seguir oom a maior brevidade possivel.obri-
guc portuguez Constante I, por ja ter grande par-
te da earga prompta ; para o restante o passagei-
ros, trata-se com os consignalarios Oliveira, Filhos
t C, largo do Corpo Santo n. 19, ou com o eapi-
to na praca do commercio.
Para o Porto
Pretende seguir no dia 9 do corrente a barca
portugueza Sfcjuranca, por j ter o seo csrrega-
ment prompto : recebe passageiros, para os
quaes tem ptimos eommodos : trata-se com Cu-
nha, Irmoa & C, roa da Madre de Dos n.3i,
ou com o capillo a bordo. _______^___^_____
frente e cerca de 900 de fundo, pode ser repar-
tido e vendido em tres lotes, um do lado em que
se acha a casa desorilla, outro do opposlo cora
duas casinaas, e o terceiro sendo o terreno de
permeio que pode aproveitar-se para nova edifi-
cado, ou tudo conjuntamente a aprasuaento dos
pretendentes.
Serao tambem vendidos em setarade 36 mag-
nficos vasos do wlevo doze figuras emblemaU-
cas para adorno de jardim, um riquissimo carro
(coupe) de quaro rodas com asreios eompleloo. in-
leiramentc novos, e ontro arro americano de
quatro rodas com arreios, tudo tanto monta no
mesmo estado de novos, assim como a mobilia
existente na indicada explendida eaea grande, eu-
jos eommodos e repartimentos, eomo pintaras a
fresco, forros de papel primorosos, ladriiho mosai-
co de aJgumas salas revelhandc luxo, nao deixa-
rao de attrahir admiraQo pela belleza da todo.
SEXTA-FE1RA
as-10 horas da manha ter principio o. leilao na
indicada propriedade, estrada de Joaa Fernandos
Vieira n. 58.
Frrlerico Chaves, D. Joaquii a,Gavalc?iki-Ua-
ves, tt. Idalina Cavateanti Chaves, Frodei^ct (*ar
ves Jnior, I>. Mariana Bacellar Chaves, pai,- mw
manes e cunhado di tinada D. heopoldiav, Chaites
Alvares de Atevedo, confes:.am-?e surs^amente
grois todas os pessoas qua sedignaj-aiivaeoin-
panhar ao jazigo-os restos matees de soa muito
eslimada liiUa, o convidara a* mesmas pessoas e a
todos os seus amigos e parantes -para assistirem
a missa do solano dia, que ter lugar na matriz
da Boa-vista c^uarta-feira do corrente, pelas T
horas damanbaa.

Una de S. Miguel
Para o porto cima segu com muda brevidade
o patacho porti'saez Jorgense por j ter prompta
quasi toda a carga : para o resto que lhe ralla e
passageiros, para os qoaes tem bellos eommodos,
trata-se cora o consignatario Joao do Rogo Lima, a
rua Be Apollo n. 4.
vanos turtaaos.
Na madrngada de 17 de abril do corrente anno.
furtaram do engenho Peoderam* tres cavallos.
sendo um cstanho, castrado, bem gordo, peqnenn
estrella na testa, passeiro e muito visto; outro
mellado, eom pouco carago, urna mao branca, e
um ferro na queixada direita;.e onre pednz
anda d baixo a meio, tem urna crua no qna:to
esquerdo e urna pista preta na volla do uescocj
pede-se as autoridades policiees oa a pessoa qu<:
os apprehender, o favor de mandar entregar-m
dito engenho, que serao inderanisados de todas as
despejas.________________________________

Luiz de Oliveira
LEILOES.
LEILAO
AVISOS DIVERSOS.
INSTITUTO APE01MC01 E0CJL\PlC0
imVMBIGANO.
Haver sessao ordinaria quinta-feira 10
do corrente junho, pelas 11 horas da ma-
nha.
ORDEM DO DIA
e mais trabalhos de commis-
com *a-
Para o Porto
seue at o dia 10 de junho a barca portugueza
Fe/u-, de Ia classe. Tem grande parte da carga
prompta, e para o resto e passageiros, trata-se com
os consignatarios Thomaz de Aquino Fonseca &
C., rua do Vigario n. 19, 1 andar.
Para Lisboa
Segu com toda a brevidade a barca portugueza
Constante III, por j ter parte da carga prompta ;
para o que lhe falta e passageiro, trata-se eom os
consignatarios Oliveira, Filhos & C, largo do Cor-
po Santo n. 19, ou com o capito na pra?a do
commercio.
Para o Rio-Grande d
Sul.
Deve seguir dentro em poac3 dias a
barca nacional Thereza P, e ainda recebe
alguma carga cete: a tratar na rua do
Vigario n. I, escriptorio de Bailar, Oli-
veira ci C.
De 39 meias barrleas
litre.
HOJE
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem pertencer de 33 meias barricas com s-
litre em um ou mais lotes, na tercia-feira 8 do
corrente pelas 11 horas da manha no largo da
alfandega na porta do armazem do Annes.______
"LEILAO
De O barrls coni presuntas.
HOJE.
O agente Pesua far leilao por conta e risco
de quera pertencer de 10 barris cora presuntos
desembarcados ltimamente em um ou mais lotes
hojeas 11 horas da manha no armazem do An-
nes dofronte da alfandega.
LEILAO
de um piano forte (ernasi novo), urna cadeira para
o mesmo, nma mobilia de Jacaranda cora nm so-
f, urna mesa redonda, dous eonsolos com espe-
Ihos, duas cadeiras de bracos, duas ditos de balan-
Pareceres
soes.
Secretaria
1869.
do Instituto, 7 de junho de
Jos Soares de Azevedo,
Secret'rio perpetuo.
O Sr. Jos Pereira de Miranda Cu-
nha qtieira vir esta typographia, para re-
ceber urna carta.
AO PUBLICO
O abaixo assignado faz scente a quem possa in-
teressar, que na sua ausencia desta cidade, fica
em Io lugar o Sr. Joao Vaz de Souza, e em 2o o
Sr. Jos Mariano da Silva, com bastante procura-
cao para tratar dos seus negocios. No estabeleci-
mento do mesmo abaixo assignado, continua-sc
alugar pianos e fazer os concert do mesmos
com o mesmo esmero e promptidao j reconheci-
dos, tendo sempre dos melhores pianos e dos mais
afamados fabricantes da Europa. Espera o abaixo
assicnado continuar a merecer a mesma confian?a.
Henrique Vogeley.
204 de gratificaco,
Hbntem (?) de tarde perdeu-se urna c__r-
ta dirigida a casa de Izidorio Bastos C.Rno
caminho da rua do.Imperador para a ruar di.
Cr spo: qualquer que eatr-.gne-a do n. (i::
rua do Imperador 1 andar, receber os
20$ de gratificaco.
Jos Antonio da Silva Machado e Lui/.
Goncalves da Costa, ______ soiente ao res-
peitavel corpo do commercio, que tem dis-
solvido amigavelmeote a sociedad^ que li-
nham no estabelecimento ds nv.udezas n;
rua do Cabug n. 1_, que girava soiu-e
razo social de Machada dt Costa, tisaadt
o mesmo estabcMecimento com todo o acti-
vo e pass vo cargo do. ex-socio Machadn
e o ex-socio Costa paga de seu capital e lu-
cros e desonerado do- qualquer responsabi-
lidad.. Recife 4 de-junho de 1869.
Lmz Jos Goncalves da Costa,
Jos Antonio da Silva Machado.
AO ISUVt PEXDEXTE
MOTTE
Se o Perft est com gdgo
Foi farello que comeu
J. do Recife 5 de junho.
GLOSA
Precisa-se de um bom
ga do Botarlo n. 44.
Cozinhiro.
cozinheiro
na rua lar-
Se voc tem, meu Pendente
Para apagar algum fogo,
Venba ver, porm decente
Se o Per est com gdgo.
Depressanao lhe dou bolo
Pelos mottes que escreveu;
Se o Pereira deu p'ra tolo,
Fot farello qttecoineu.
U Per.

01
'IDO
CABUG!
esquina
da na larga do
Rosario.
AO
DE OURO
HITA
i
EO
I
CABUG
esquina
Este, importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm sortimento sem igual,
e vende por prepos que nenhuma outra casa pode vender. da rua larga do I
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.l
Garante-se ser tudo de leL Compra-se ouro, prata e pedras finas por prepos muito ele- Rosario.
vados.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
^r?


r
Diario de Pernambuco Terqa eira 8 de Junho de 1869.
CI
=
3zr
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
KEdli: A OMNOA.
Por 01 (lem da directora s5o convidados
*' os Srs. accionistas effectuarem no prazo
de 15 dias (a contar do Io de junho de
1869) a segunda prestado de suas aoces
na raaao de 10 0/0. Para csse flm ser
encontrado o thesoureiro, desde s 11 ho-
ras da manliia s da tarde de todos os
dias uteis, no escriptorio da'companhia
ra do Coiuniercio n. 32, 2* andar.
O art. 8 dos estatutos dispoe que o ac-
cionista que nao realisar a importancia das
prestagoes nos prazos determinados perde-
r em favor da companhia a prestado an-
teriormente paga.
Itecifo, :il de maio d^8G9.
Titeo. Just.
1" secretario
ION ItiOCIO
O commendador Tasso,
Achando-se Valeriano Manso da Cos-
ta Reis, fura da administraco de seus-bens
desde 1860, em virtude de sentenca pu-
blicada nos jornaes desta cidade, de novo
previno a todas as pessoas a que possa
rin*ua aluc-ar or mndirn ". ,. f*"* 'lu t'
nncoasbaiLreTr '"^essar, que elle nao est autorisado
fazer contrato de especie alguna e que
nenhum debito por elle conlraliido ser
pago.
O curador.
Gervazio hodriyites Campeo.
e
dos do seu sitio do Ct-
cunda, s quaes vo des-
de aponte da estrada ao-
va de Beberibe at qua9
a usiiaua vuiua ao lugar de Agua Fra,
comprehendendo rana grande ilba, qual
assim como as referidas baixas se prestam
muito a planlacSo de capim, arroz e qual-
quer outras plantas que percisam de torra
fresca todo o anno.
O referido commendador nao duvida fa-
zer arrendamento desses terrenos e alaga-
dos por 6 ou mesmo !) annos, e dar uro
auno de fogo morto a quem der flanea
idnea c se obligue a rotear os mesmos.
Attenpo
captiva
i de ra
Precisa-se d
idade de 14 annos :
38, loj de chapen
un menino para criado, de
a tratar ua ra da Cadeia n.
Precisa-se de urna ama turra
Baiba cosinhar e engommar, parac.ua de familia,
ptga-se bom: a tratar na pra^a do Corpo Sauto
ii. (>. segando andar.
Bollos e boupets para
Santo Antonio
Na ra estreita do Rosario sobrado de
tim andar n. 33, faz-se bollo de encomiBtui-
da para Santo Antonio e S. Joao, sendo as
encommendas feitas 3 dias antes ; bollos
eofeitados proprios para presentes, e tem
para vender bouqutets para enfeitar bollos,
por todo preco e a qualquer ora que se
procure; prepara-se bandejas de b'Mos
para baile e casamento, tudo por barato
prego.
Ama
Da-se por mu poueo dinlieiro um grande livro
rom 9->'i uasinasliibliotheqne Oriemalc, ou Dic-
tionaire l'niverselPar Munsiour DHerbclotAu-
toridade da Sania Se ua America Meridional, com
Acalia de a
i'na tica 1
socont
tudo quanto
lerii pal 1'
na utilid.....
nao (untan para as de outra qu'dquer pronssao,
poisqu" mais ou menos i todos loca e interesa* :
acha-se venda na livraria tniversal, a ruado
Imperador, pelo pivc^de_2i(W0______________
Precisa de nata boa eonnheira para casa
lo urna lamilla, e nao precisa fazer oompfaa
ra do Rangel n. 7
se dir aonde .
abaixo assignado declara pelo presente
que nada eve nesta praea neni lora delta a pas-
-oa alguma, mais *. alguein se julgar sen credor,
aprsenle suas cantas no uvas., de lo (tras,
praca, em casa fe los Carnei.ro da Silva,
Pontean. S. Recite idejutoho de l*<-.
j.> Francisco Coalho da Silva \yifa.
wsta
Cinco
Frederico
tirar,
Maia
encola
i
;o dcolsta pela
e niodlcliia
do Rio le Jauciro.
Tema lionra de participar ao respeitavel publi-
co desta capital e seus suburbios, que tem aborto o
cu gabinete de consultas e operacoes dentarias a
ra Direita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado I i os dias das 8 horas da mantea a?
3 da tarde. Elle acha-se competentemente habili-
tado pava com perlVieaocoilocar denles artilieiaes
porquaitpierdossysiemas, e Lem assim desemp.-
i.liar lualiiiier entro trabalho concernenre a sua
protissao. O mesmo, reoonheceado que neta 9W-
pre pesyel as senlioras ou enancas sahirem a .
procurar o remedio, oBerecetSe a remover qual-
quer obstculo, deetorando que na cidade se pres-
lara tmalquer chamado sen) que isso intua cousa
algunianacommudidadedns procos de seus traba-
dios, equando para fra dola assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garanlmdu ello a,
seguranrae perfeico Se sers dftosirabalbos. Kmn
>eu g !*ntra onstant.'Oiente excel-
lenteps dentifricio, elixir o vu\vos medicamen-
tos odouUlgieos : ra UireiU n. 12, primeiro
andar._______________________
Pi ,<; do urna ama : na ra do Horta*
n. 18. '________
H
Precisa-se de una ama para '.udo servieo ue
una casa de urna so pessoa : na ra do Rangel
n. 33, ____________^_____^_
Ao commercio
Francisco de Oliveira Franco e Jos
Victorino de Souza, fazem publico para sci-
encia do respeitavel corpo do commercio,
que dissolveram atnigavelmente a socieda-
de que tinham no eslabelecimento de ta-
berna cito ra do Ratifrel n. 3, que gira-
va sobre a firma social de Oliveira A- Souza,
por-trwn vendido o dito estabolocimento
livre c deserabaragado aos Srs, Ferreira 4
IrmSo, no dia 23 de abril prximo passad,
p'tirando-se ambos os socios pagos.e satis-
feitos dos fundos que tinham na predita
sociedade. e com quanto julgam nada dever
desua extincta firma socia1, rffiajn todava
quem se julgar credor por qualquer titu-
lo a apresentar Ibes sua conta no prazo
de 6 dias, Hecifc 3 ilejiiulio de I8C.9.

T PALOBE
I H'ESTA ANTIGA E CRED1TATA
J FABRICA
IHGtHTIA g| GeiilTAHTEHKliri lili
CliPEtl I
5j>3 Q(D2
COMPLETO SOITlIIHTt ll
E SOI,:
De todas as qualidades
De todos os feitios I
De todas os procos 1
RA DO CRESPO

appendix e illustrae;
tire o poder d.is' Bispos, 3 grossos voluntes, por
Antonio Pereira de Figueiredo. Diclienaro de
theiHogie par Bergier, 8 v^lumes. Documentos
relativos la vida publica le libertado' de Co-
lombia v del Per Simn Bolvar, lo volumes.
HiJtoire Niturelle da Genre llumain, par J. J.
Vircy, 3 volumes : na ra de Borlas n. 90, das 7
as '.Mioras da manhaa, ou as 3 s 7 horas da
larde._______________ __ _____________
~A LIVIIAKIA FRANCEZA
PARA VSFESTAS^K SAT0 ANTONIO, S. 30.1C1-:
PEDIIO
Colie'vriu de sortes para bomens e se-
nliuras eontendo mais a plirenologia das a
damas, vanos jogos para socie.lade, iiara-1 inentos na rua do Lvran m^ sobrado n. no
' piaso de seis dias, a contar dehoje. para ser pago.
lif
;
ATTENCAO
O abaixo assigo;ido faz sciente ao respeitavel
publico e especiaimente ao corpo do commercio
iiesta praca, que uo dia 2'i anno, acaoou com o negocio que tinba na rua do
Rangel n. 3, tanl-. de saa firma, como da que lti-
mamente exista de tMrwira t Souza, e que nada
flcou devendo desl, como daquella; porm se
das enigmas etc. etc. etc., accrescentada,
mais com o canto das mocas.
I m volme nitidamento impresso I .000
Eflcona-se tambem nesla livraria. mu
completo sortiuiciito de Ihros e cartoes de
de sortes para o mesmo divertimeno das
familias.
XA 1.1 VIVIRA fiuivcbza
Noces de v'rammaticas para o uo .da
SiTve-se o anrrunciante do ensejo para sri<-nlifcer
a todas as pessoas que lite sao devi-doras, que ve-
nliaip saldar suas contas para se evitar de seren
los uciatmente pelo en procurad'*.
Becife 1 de juuho de 180(1,
' FrapBico de Oliveira Franeo
. Precisa-se arrendar urna boa casa grande,
sobrado vn <'rre> loda forrada, com c^mmodu*
para urna familia regular, e temi sitio eoui arvor
ledos di' frutos, ou l.'aixa de capim, as immedi.1-
Prero.......->00 i
Nova edicao mellioradamente autrmeii-
lada._____________________
Avi>Q s autoridades poli-
ciaes e a quem competir
No dia _) de maio do crtente auno,
ftjgto o escravo Fzequiel, crioulo de SO %_
e da forma que melhor I he convenha,
quet que 3 casa soja boa e !enha bom sitio, pois
quanto a> pre.o ser satisfeito o pmprietario se o
predio agradar. _______' '.
Cosinliciro
Precisa-v" de uriftozirrheiro qne eja perito,
prefere-se eseravo, pagase ben agradondo : a
tratar com Jorge Tasso, rua do Amonm n 37.
- Ab'ga _e a loja do soinado n. 32, bitanapra-
i qualquer
rua do Alecrim
iv isa.-! di ubi l C M-
genaa : a tratar na rua do Uijron. 3_. eas com
porto de ferro.
EMPRESTIMO SOBRE
Aiuda restam algumas colleccoes de.jarpba de d'ade, estatura regular, reforcad^, n da Boa-Vista, tendo couuuodos
lographias de alguns poetas, e outros bo-paWben preta, cabera redunda, traiava ca- J estabeiec-iniento : a tratar na i
mens illuslr-s da pro\ni> ia de PernainLtuco, I miza a_u'. e calca casseinira cinzeuta ; du-
Ires tomos escriplos pelo commendador A.faite o dia costuma andar ganhando as;
J. de Mello: rua Augusta n. O'i. [ras, ou om armazes de aasucar1 ou oasj
tabernas a conversar e a b"ber dtirahra a'
noite reoollie-se a lelliirofl abortos oupe- ,|
uelraveis, a casas em conslruccoe a outros;v
quaesquer lugares onde se possa abri-
gar: quem o- appieueiulor Iculiu a buadajje
i de o conduzir a rua da Autora a. i> onde
vsi\ "ratificado.
COfflPAKHU PERMMBGAM
DE
CO SEIiHO OS! HIKEIO
Os Senhores.Saunders Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonio de Siqueira.
GERENTE
O m. F. F. BORGFS
Restando ainda omittir algumas ac?es d'esta companhia, da quantia nominal de
OjJOO cada urna, das quaes s se aciUm em virtude da lei, O /0, ou iOfiWOO por
cada aeco; couvida-se pulo presente ao publico em geral o especialmente aos Srs.
capitalistas e interossados no comn.erco_ que queiram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes que Ibes approuver.
Alguiuas destas ac^es j lem sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
de na presente occasio (couhecidamenle a melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objeclos de valor real, como vapores, predios etc., que Ibes garan-
tam seus capitaes.
A companhia possue l'je Ifi vapores, G inteiramente novos, e destes o ultimo est
a chegar ele Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm dis-o est ediikaudo vastos armazes, no terreno que possue no largo a'Aa-
sembla.
Seus dividendos lem sido de 10 */ ab anno, nos ltimos 4 annos.
dos mesmos direilos, e perceber5o o benecio
que os amigos em proporcSo da entrada.
Rccebem-se assignaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Vssembla n. 12
^.-,(..j mi muviiuw.' V'.lii OIUU' \A\> -IV '|
As aix'oes que se emitlirem gozam
dos mesmos dividendos que os antigos (
Precisa-.-e de unta inulborforra ou eicraya que
ngomme para moa casa de familia : a
tratar na rua da Cadeia do RecHe n. 18, segundo
indar.
iis abaixo I participara ao corpo do
ommenio derta praea, que dissolveram amiga-
irabnenle sob a razan de S|qeir.i
i Chagas. linhaiii na [iovi..arao do S. Benedicto,
termo ,\- ];.: i. Im c I larafn nada
tefera i.i.i. tato naqneHe lugar ooAm
nesta (Atada, o que fazen ptiMieo loriw de t.
Becife :.:i de maio ,|,- 1809.
J i3u de Siqueira Pas
Joao Priinenio das Ciincas.vinn.
Precisa-se de um feitur : a tratar no Mon-
toiro taberna do Sr. Nic.lo ou na rna do Crespo
n. 23.
AtteiH'fio
i r iiie.i o oiio,) ido que teuha
terreno api priado paca criaoju 4 plan-
taro. |.| i' un povoado nao
distante do R< clfc : na rua bii. ta n. i" se inl'or
mar.
P.i
Madama l'oecb fai publico, (ue tendo ven-
dido seu eslaueloeimento denominadoHotel de
Kuiope.o retirando-se do o;z, julga nada d-
\d nesla praea, porVm se alguni se julgar ere-
iI.t |. !' apresentar sua coala at o dia 12 do
Brrente. Igualmente pL-de aos seus devedores se
sirvam vir soldar suas contas. a nao o fazendo,
Ins repetir este pedido nominunente pelos jor-
naes._____________
Victorino Antonio Martins, antigo pro-
le--or Je primeiras lettras, presta-se a li-
para casas particulares ao sexo fe-
ntinino : os que desse mister precisarem
dirijarn-se ,i rua da Santa Cr__ n. (0.
Preeisa-se fallar cm o S:
llarques, empregado na tltindeg i
o. 28, a negocio de sen interesse.
r. loa i
na
vulino
rua Nova
<0*l\llttlltO
No caes do A[nllon. 71,pr_eisa-se dcalugar um
O.-illlll-ilo.
Para escriptorio
Aluga-se 0 1" andar do gAwido da rua do Vi-
cario n. o : a tratar uo annazein di inesino.
1! La-se ao Sr. Joao Icfdoro de iojesa Vare-
ao, o f i npareeer no largo do Corpo San-
o n. 1'.* (pavamento terreo^: negocio de sea in-
eresse.
t
t
l
Preeisa-se alugai' *ua e,ierava para cozi-
har : a pi ssoa que vir Halar no pateo
do Terco n. 6:1, que te pagara bom alugnel.
i i de hm eaixeiro que tblta pratica
le padaria, ou mesmo do taberna : a tratar no
pateo o i Tfo n. 63.
ira sobrado feelificado de novo e eom eornnjijdos
para familia, em Saotb Amard n. 17, estrada de
pendencia n. ...
Da-se, sob qualqrier qnaatia.ou mesmo coot-
ura-se ou aluga-se urna .'grinlia que sirva para
indar < un urna criauea : na rua do Padre Flo-
riano n. 71, andar.'
m\ 9. JMD1LW i
rua da Cadeia n. 33
AMA DE HITE
Pree^a-se de urna ama de loite^prefere-sc a
mulher vre i sWN lho : na rua das Cruzes n.
33; 21 anlar.
Na typographia do tiberal, n. 48, w*
do Imperador, esisiem fdlhctos mprossns
cogiendo o pi'ograiuiia do ihu'o liberaL
us qu;> se ve i dem com moda-tiente.
Preeiea-se alugar unta ama forra ca ascra
va para engomnnre opsinhar para urna pequea
familia na povoa^ao do Mon*. 'iro : dii ija-se ao
largo do i. upo Santn. 191
SEM I.IMiTBT
5a travessa da rua
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se qual-
quer quanlia sobre onro,
prata e pedras preciosas.
O dono deste estabeltcimento,
competentenjente autorisado pelo
governo, eso as coadk'oes de ga-
rantir a -trai-sacro que se fizer em
sua casa, promettendo todo e zelo
e considerarlo s pessoas que se
Trocain-8e
is notas do banco do Brasil edas canas Jiaas,
xim descont muito razoavel: na praca da Inde-
lendencia n. 2_.
Ha moKa necessidade de se fallar com o Sr.
Procopio de Sen na Santiago, na rua Direita n. 53,
a negocio que nao Ihe deve ser estranho.
Acha-se fgida ha oito mezes a preta es-
crava, de naco, do nome Maria.com 10 annos de
idade, baixa e cor fula, consta que diz ser forra, e
anda vendendo na freguezia da Boa-Vista, com
uuia bandeja pintada do encarnado, com que
fugio :'gratifica-sc bern a quem a apprebendcr e
leva-la a rua Imperial n. 103.
Ama de leite.
Na rua do lnmerador n. 61, 2* andar, precisa-
se de urna ama de leite, agradando paga-se bem.
FOGOS
Na antiga fabrica de fogos de artificio da viuva
llulino, existe um completo sortiuicnto de rodi-
nhas, craveiros e jiislolas. okectos propios para
os festejos das noitcs de Santo Antonio c S. Joo,
tudo por commodo preep, e como seja a fabrica
distante da cidade, as 'pessoa que quizerem fa-
zer suas encommendas, poderan va-las no arma-
zem da bola amarella, no oilao da secretaria da
polica, onde tamhem acharao as amostras.
Joaquini Ferreira dos Santos, profes-
sor de danca, chegado ltimamente da Eu-
ro[ia a esla provincia, tem a lionra de par-
licipar a seus Ilustres habitantes, e mui
principalmente aos dignos cheles de familias
que lecciona cm danca debaixo de toda a
regra na casa de sua residencia, rua do
Imperadsr n. 75 2f andar, as tercas, e
quintas-feiras, das 3 horas da tarde, at s
10 da noule, e aos domingos de manha e
a noute. Prompiilicando-se tambem, a ir
as casas particulares e collegios nos dias
que tiara isso Ihe designaren..
AMA
dignarem de honra-lo em seu esla-
belecimento.
Na mesma casa compra-se.ouro,
prata e brilhantes.
Ama
Precisa-se de urna ama forra tro serava, quej
sa* enzinhar e engommar : a praea da Infle*-'
pendencia n. 39 se dir para, onde .
Cosin-ieii'a engommadeii'a
Paga-se bom alugnel por duas eseravai, para
cosinnar engommar jiara ama peqneda-1-mi-
ia : en) S. Jos do Manguinho casa n. 2, antes de
chegar a igreja.
\u
A!Wi
ik
Preci.a-.se de una ama : na rua do Agoas-Ver-
des ii. 8, 1 andar, a tratar uo mesmo lugar.
Vendern-se duas casas terreas'nma sita nos
\fjgados na rna d con|3saia, 3 quartai. o'cismlia, e uJtr* cm
Oliadam ruado Ajnptgo l' : a tratar nesta
typograplria.
Em casa* de THfiODOHO CHR1ST1-
ANSEN, rua da ilruz n. 48,. eieoiiUam-se
eflectivamente todas as qualidades de vfnho
flordeaux, Bourgogne e do Rfieno.
Aluga^se
Precisa-se de urna mulher que saiba engommar
para urna casa de familia : a tratar na rua da
Cadeia do llei-ifen. 18, 2" andar.__________
/Huya se
una preta escrava que sirva para tomar costa de
um t; holeiro de I'azeudas e vender na rua : a
tratar na rna do Crespo n. .0.________._______
Agencia de jornaes
i?ta do Crespo n. 9.
Nesta casa recrbem-se assignaturas para todas
os joma s do Europa e Brasil, politi-'os, liltera-
rios, Ilustrados, de leitura, de modas para enho-
ras, de ligurinos para alfaiateu, cahelleireiros, cha
pelaria, de relgiao, de pliilosoptiia, de direito. de
jurisprudencia, de medie'iia, de (iharmacia, e
Commercio Qmmeas e eMmomla poltica, de agri-
eultura, das arle- engenharia e arclicclun, de
seienHa?, d'e historia geograpbia e viagens. d<^ pe-
dagoga, de pintura e msica, de nhoiograplir, de
iMiM, de magnetismo, de maeonaaria, tde spiri-
tinpo, etc As assignaturas pagam-se no acto de
subscrever.
LIVRARIA FRANCBA;
Atten^ao
Precisa-se fallar com o Sr. Antonio Yictai dos
Santos,ollieial da guarda nacional, a negocio do
muito seu interesse : ua rua da Imperalri. n.
2i.,l<.ja. y/ ,_____. ___L______,______
Na rua Direita n. 2, loja de funileirn, ou ne
povoado dos Monte?, precisa o abaixo assignado
entender-si} eom o Sr. Manoel Caliste de Souza a
negocio ile sen interesse ; isto no praso de tres
dia-. Recife 18 de maio- uV 1869.
Pedro litiapie IWiigues l'ianija.
Attencao
Fugio da casa de sea sermar ni estrada de j ia ,
de Barros, uo dia 5 do corrente, a escrava Luiza,
core iiiuia anuos de idade, tendo os signacs se-
gBintes : cor fula, desdentada, barriga um poufo
grande porque se acha grvida, c tem o eostame
de naoolhar para a pes vestido escuro e corpiaho brnneu_coni llores rd-
xas ; deseoiriia-se qpe esteja mesmo nesta nidada
ou em Muribeca, lugar em que morou o seu anti-
go senhor, Andr Mara de Jess Figncrredo a
pessoa que a pegar; pode leva-la mesma estra-
da, no silio da Exma. Viscind'ssa de Goyaima,
ou na rua larga do ilosariu a.._0 prinuiro andar,
gue ser generosamente recompensado.
AVISO.
a 1 indar do -obrado da rua de Agoas-Verdes n.
48, com bastantes fcomniodos e mpjto. fresco : os
raendentes dirija-O-so ra dos Ma-Iyiio; n. 4,
andar.
Precisa-so
a. si.
de
nma ama : na rna do Fogp
ascolliido sortimento de Qb
jeetoi de mareineria, coaio sejaM, mobilias di> ja-
jaraad. mogaa eainrello, obra nacional e estran-
gecra, de apurado go.-to e por prdo.i razoaveis:
aa rua estreita do Rusario n. 32. Nesl mesma
palninha, como sejam, eiupallianientos de lastros
oara camas, cadeiras e sophs.
Criado
Precisa-se de um criado fiel e diligente, livre ou
eseravo, para urna casa de familia : a tratar na
i'-w llalla u. i, _obr_4'> do dou aaiacos.
Prewsa-se arrendar um sitio que teuha pra-
porcoes para ter vaccas, e tena para hortalica,
sendo parto desta cidade : a tratar na rua Direita
n. 106.
AVISO
r----------------;e--------------------ttt---------------------sbtm! aiguru fjrqMiiy, os quaes esi;ivaiA ueinio ae
Nanu de 8..FratnlMft e. 4, preparam-ae p^ carteiriaha da algibUrt.. Reefe 7 de1unjo
bandejas com boles para casamentos a bailes, ae isgo.
#_T -^^assinuamD napxs eatdos lie SaaUo Astonlp e fiduardo LnajOf,
Fundieo da Aurora. R?!rrr..i.:- Confeitaria 7 caf
leudo perdido o abaixo assignado qnatro uuar-
tos de bifnetes da -foteria do lit de Janeiro. *ndo
os nmeros 354 le 4805!pertepcentes i lotera
IM A,;Vos na. 2077 e 4763 partencenWB bte-
ria 283 : poPtanto se previne a (odas as pessoas
que costunum deseqtac bili_et nao facam negocio algum, caso toque.lias, par
serte algum premio, os quaes estavam,dentro (Te
BRASIL E PORTUGAL
Tendo-se desencaminhado boje urna letra da.
quantia de seis centos mil ris aceita pelos Srs
Antonio Gomes Pires & C. saccada em 20 de maii
prximo passado a prazo de cinco meze.-. sem es
tar ainda sellada e sem nome do saecador, tendo-
se j prevenido os aceitantes de nao a pagar, se-
nao a Manoel Alvos Ferreira & C, proprietariosda
dita letra : roga-se poruuto de quem a achou,
fazer o ravor de entregar na rua da Moeda n. 5,
segundo andar. Recite. 7 de junho de 1869.
li'iiiaiidade de \ossa senhera do
Bom conselbo.
Da Kleni Je Soaso irmin i"12- convido todos'
os membros da mesa administrativa da imandadi;
acadmica de Nossa Senlipra do-Bom Crmsino a.
comparecerem bo consistorio da irmandaV, no
dia 10 do corrente, s 10 e meia horas da manhaa
atiin de traiar-se doaaateresses delta.
Consistorio da irinndcle acadmica do Bom
Conselho, em 7 de junho do I8t.
O seerettrio,
Jsi Furttldo de Venionga-
Fogos arlilciacs, ua na !\'ova
\l,.~A loja ;de ferragfnsdc
y*m k (uimares.
Os proprietarios de-te eslabelecimento av*,a
iio respeitavel publico que existem a;- amostra |
aiais Imdos fogos artificiaes para os f'stejosi
Neste vasto estabeloelmento sempre se enenntra
un completo sortimento de taixas de ferro batido
fnndido, faliricadas recenteraente, e se fabricam
le qualquer molde a vontade dos compradores, e
i ecos ra-poaveia. ___________
Fax-se todo negocio com um terreno sitna-
lo no logar ioahiba perto da Gloria do flolt e
'la cidade da Victoria : quem pretender pode di-
rigirse a casa a. 54 da rua Nova de SaataRjta,
Vistas de Pernambuco
En contra-se na livraria franceza nma nova e
lindissima colleccao de tres vistas da eidade do
Recife, dando o panorama da entrada do porto e o
daa.freguias. ^.|^-lrliS-nv S'
-SttJAW) C.ESPO-9
J. 0. C. Doyle, subdito britannjeo, relira-se
pan a Europa,
SOMETE DE CIEHE
Todas.as. qqiWa-^ira e (^qcos t)a
caf, cb, chocolate e bolos ; todos os dias
de gjf boffiJk gHb-|r. ________
de inei idada
raa estreita da
para casa de pouca jamilia :
Rosario o. 36, r
n
Situado em uca dos l_aimi& miia cauiraes de Cajis, segdo as in__ned^coe,dos
'priacipaes tbeatros e outros BHiitos divertimentos, e asst__ das esUgoodos cammhps da
fe Jifa todas os pontos, da ^ropa, acabado de ser inleiramente renoVado, nao se
n poupndo-o se novo proprieUrio a 'despaajspaia w ctflleMajtoheilasaiaoDto-
jobo, torei^e QQfJwQ vant_yisamQDte roeom^eiidavel aos senpbres brasileiros e por
toguwes, onde ene&blro sampre aipjelk, oonvivneia desejida em p$z estranho
por Sjr constai|_e_DDte freflieotado por se^s coBjpatrio/as. 0 tratamento superior ,
tt*do o elogio, mesa redonda, ou a carta, "en servoa Eos apozentos;; feabjta$6^ conye-
aientemente despostas para familias, e quartos para urna s pesoa, o servieo feito
com a precisa regularidade : os precos muito rasoaveis e ao alcance tambem d aqjrtMj
.pts^oas trae $e queiram limitar.
Gabinete de leitura com es pwncipaes jornaes dos dous paizes, sallo de recepc5o e
Je msica, etc. etc. Todas tjslas vantagens podem ser applicadas igualmente aos senho-
re* passageiro. 4a repblica, o Prata, porque alm da semelbao* *> Ungwi, a en-
jontrarao muitos aeabtrtt hespanhoos, por que5 tambem esta asa bastante re-
qoentada.
. ias dps gloriosos Santo Antonio, S. Joao e
*o, das melliores fabricas desta cidade, asttn
camo diversas qualidades de lagos chinezes, pro-
prios para senhoras e enancas, comprehendendo
tambem una nova qualdado de traques amepna-
uoe, op quaes admira sua bondade pelo sea pe-
queo* tamanho, o que so com a presenca dos oom-
praHofes, poderao certiticar-se da verdade.
11,1
PRE
0 a^ixo ,issigiiadQ,declara a todas as
que cqstumam doontar bllheiee premiad
lotera do Rio de Janeiro, qnc nao desconj
qua*4 de bilhete da lotera n. 134 A n. <""
o qaa| tinjia associado o Sr. Joao Manoel
da Cunfi Azeyflo. a aiebo^^^enwaB
as castas do d.to bilnete, vis ter-el1
do. fecife, 7 de junno de 1869.Eduardo
Qrqufira.
0 abaixo aielgnado deolaaa, queperdeu
invrtcibo n. 3018 passado pelo_ Lopdfitj
gfasilian Bank.Jda quantia de
que jfl deu aviso aO dito banco, para nao
pagan se n3o elle proprio.
Jos Antonio terwndes
y. 13 RA DA LtaWTUZ H. 15
I lElVIl "1


l


Diarip de Peruwubtco Terina feira 8 de Junho de 1$69.

CONSULTORIO MEDICO CIRI RC.IC0
DO
M. P. A. LOBO M0SC0S0
3Ra da Gloria sitio do Fundo3
S
Consaltas lodos os das desdeas 7 horas da manha at as II.
Visitas em casa dos doentes de i 1 horas em diante, em caso urgente a qnalquer
hora do dia ou da noite.
Nao se recebem chamados se nSo por escripto era que declare o non da pesuoa,
toda ra e o numero da casa.
Especialidade em partos, operaeoes, molestias de mulheres e meninos.
Cura radical das molestias venreas, e dos estreitamentos da uthera.
Curas radical das molestias do tero, como ulceras, floresi brancas, amenonia,
vegetacoes e catarrho, c-tc etc.
Hecebe-seesciMvos para tratar de molestias ou praticar-lhes qualquer operado
eirurgica. Diaria 0)0 excepto as oaeracoes.
Os wHiores remedios horoeopatbicos conhecidos. e por precos muito eom-
modos.
A ESMERALDA
RAE
Recife ao S. Francisco.
AVISO.
Sao coavidados os Sre. accionistas de*ta compa-
nhia para vir oo mandar *eus procuradores e*-
tacjio das Cinco-Ponas reeebwr o lf dividendo
de suas ae 31 de dezemtjro da 18G8.
Villa dQ Cabo, o de juutio da 18G8.
6. O.Mann,
Superintendente.

Comprare
ouro e prata e pedras preciosas,
da Con aico, na roja de ourives,
cife.
no arco
no Re-
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug a. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quera offerecein um es-
plendido sortimento ds joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
prapa, e por prepos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciosas
3 KIA DO UBICA \ 5
C0\FEimA DOS MHjUB
16 RA DA CRUZ 16
*- JA M
i. AVKhlO, S. J\0 B S. PEUKO.
. Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, podins, pTfes de 1(1 bol! > inglez.
presuntos, ditos em feambre, pastis de diferentes qualidades. Papis para sortes'
bollos simples e enleitados, araendoas confeitadas e confeitos. Vinhos finos engarrfa-
los, superior cha Hisson, pretoe miudinho, luct em jaropes, dilas seccas e ehrista-
isadas, assucar candi, xaropes refrigerantes.
Recebe-s_e cncomniendas-de bandeijas para casamento, bailes o baptizados, cora
Domtas armacoes de assucar, sendo estas preferiris as de papelao : bollos etc pes
le i, enfeitados, qualquer encommenda para lora sera" bem acondicionada "
W\
VERDADEIRAS
^
PILULAS DE BUNCARD
CON IODURETO DO FERRO IRALTCRAVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DB MEDICINA DI PARS, ETC.
Possuindo as propriadadeado lodo el do forro, eonvem espeeialmanle as Amccois
IscitnFULOSAS, a Tsica no principio.a fraqxuaad* temperamento tambem nos casos da
PALTA DK COR, AMENORRHEA, tn qilft precisa RRAGIR SOBRR O SAUGUE S9JS para restituir
me a sua riqueza e ahundencia norraaes, ou para provocare regular o seu curso peridico.
S. B. O odnrelo imttnte. Como pro? de pares de anthencidade da> vermrir ri- Vlr
^luisa de Blaaecrd, deTe-s erigir nossa II* 4e prata rr..ti>. t^^COTft
k nexao Iraa, "m reprodniida, |^ >*' ere. Deye-ia rtejconfiar du falsifiracos.
^Atfcaaw. < toda mmphmwmrttm. PharmaeeuHe^, n BtnmpmHi, il), rft

O conselbeiit Joao Silveira deSou-
[ -aa, tem aberto o seu wmpt^rio de
: advogado, na ra do Imperador n.
41 primer andar ; entrada pelo |
becco.
Precisa-se para" o engeuho Jardim da
comarca de Podras deFogo, propriedade do
Iilm. Sr. Joo Alves de Carvalho Cesar, de
uma pessa que entenda de destillaco e
mais servieo de engeuho preferindo-se por-
tuguez, a tratar no inesmo engenho ou na
ra da Cadeia do Recife n. i', cscriptorio
de Joo Pereira Moritmno.
^RWDlTi10VlMDEr
Acham-ss expostas venda na entrada da
estacjto central dos Trunos- Urbanos, no
bazar Acadmico a ra dtl Imperatriz n. 13
9 outros pontos desta cidade as excedentes
Pergnntas c resposas em versos
para a vespera c noite de Manto
Antonio. *. Joo. Wauta'Anua
H. Pedro.
As perguntss sao engracadas e espiri-
tuosas: mas guardan) o respeito devido
decencia e conveniencias sociaes : e as res-
postas, que sao igualmente clrislosas e in-
teresantes, prqduzem um effeito maravi-
Ihoso, em virtude de urna combinaco ad
miravelmente engenhosa, que, fazendo com
que sejam sempre adaptadas s perguntas,
provoca nos saloes em que ellas appareccm
verdadeiras e frequentes salvas de palmas e
applausos.
Para melhor se apreciar lio innorente
distraivo, que leude a operarumacompli't;i
transformaco nos insulsos e vetustos biin-
quedos at agora usados as-festivas noiles
de S. Jo3o, Santo Antonio, S-int'Anna e S.
Pedro, dever-se-ha deitar o masso das per-
guntas, depois ile bem baralhadas, em um
vaso ou cesta ; e o masso das respostas,
depois de igual operado, em oulro vaso
semelhante.
Em seguida a isso os bomens encami-
nhar-se-ho para o lado em que esliver o
vaso das perguntas, e, tirando uma destas
ao accaso, lero a mesma em voz alta, e de
modo que possa serouvida pelasenbora
a qtiem fr dirigida e por todas as pessoas
que se acharem presentes.
Igual processo seguir3o as senhoras, que
devoro responder immediatamente, e tam-
bero de modo iutelligivel.
A excellencia de um tal passatempo, a sua
superioridade sobre todos os conhecidos e
actualmente usados as noutes de S. Joao,
est em poderem taes perguntas e repostas
reproduzir-se por assim dizer ao infin^o,
semdar-se nunca, por mais qnj. as bara-
Ihem, um desparate, uma impropriedade
qualquer entre a perguma e a resposta.
Compra-sc moedas de ouro e prata, bem
como libras sterioas por maior preco que
em outra parte: na ra do Crespo n. 10
pripeiro andar. _______________,^_
Ea casa de Theodoro Simn 4 C.
compra se a bom premio moedas de prata
do cunho velho: Recife, largo do Corp
Sano o. 21.
Na praea da Independencia n. 33, loja de ou-
rives, compra-se ouro, prata, e pedras preciosas, e
tanibem se faz qualquer obra.de encommenda, e
todoequaJijuer concert.
0 muzeo 4e joias
Na ra do Cahug n. 4 compra-sc ouro, prata
e pedras preciosas por pre?os mais vantajoss do
que em nutra qnalquer parte. ____
OURO E PRATA
Compra-se moedas de ouro e prata e
bem como libras slet linas, na ra do Ca-
bug n. 0. relojoaria.
i
MJL
DE
OUItO K PRATA.
Compram-sc, offerecendo-s* muo maior v.nn-
tarem ao vendedor : no Coracao do Ouro n. 1>,
ra doCnbuc.
VENDAS.
As taboas da redcelo dos pesos o medida?
antigs ao imvu s\siwna ielrico e vice-versa, ja
bem conhecidas do publico, eoniinuam venda
as mesmas casas, a saber : liviana- frraceza
ra do Crespo n. 9 ; encadernacSo parisiense
ra do Imperador n. 71 ; loja de papel e objectod
de escriplorio ra da Cadeia n. 31.
\\
utatas
a I 100 ogi^o : na ra da Madre de Dos n. 7.
Gigos oom 33 libras, muito linas.
Vende-se um sitio que tem de fun-lo 650i
palmos, a casa edilicada de novo, c tem baubo
atraz e fructeiras, na freguezia dos logados : a
tratar na ra do I Vire Floriaim n. 71, 2" andar.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo eflicaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as creancas.
quasi sempre mais atacadas de to terrivel
e omitas vezes fatal solfrimentoP
NICO DEPOSITO
NA
Pharoiacia c drogara.
DE
Barthomeu A- C.
34Rna Largado Rosario34
BOMVINHO
DO
MM SE.1I SICH
Muado Qucimadon, 49 col loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata c Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
|]sl queirnando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso queiramvir ou mandar
ver o que bom e barato.
Garrafas com agua florida ver-
dadera ...... kWH5h
Garrafas com agua divina da me-
lhor qualidade .... I sriiio
Latas com superior banha fran-
ceza ...... >O0
Caixascom l frascos de cheiros
proprio para mimos #500
Dita com|6 frascos muito finos sh
Oleo baboza muito fino que s
a vista o..... -5.500
Sabonetes de calunga muito bo-
nito ...... iG
Caixas de p de arroa muito
superior .' ,;.G00
Pegas de babadinho cora iO
varas ...... ->ri00
Caixas redondas emitando tar-
- taruga f {.y.jQu
Pecas de fita de eos qualquer
largura ... ->OO
Kscovas para urinas muito fi-
nas ...... $300
Escovas, ara dntea fazenda
muito lina -. jfl
Pulceiras de contas de cores
para nvnmos ->0U
Caixas de liuha branca do gaz
com 50 novi'llus f>800
Caixas de liuha branca do gaz
com :10 ijvd!us .' GOC
Peras de tranca lisa de todas
as cores 1040
Resmas de papel paulado muito
fino ...... 4,->000
Pares de botes para puntaos
muito bonito Mi
Libras de 13a pa a bordados de
de toilas > s cores 8#000
Pontos com costas de metal
muito finos 320
Noveltos de linba muito grande
para croxs -'VIO
Dnzia de linba froxa pai'a bor-
dado ...... ,H80
Grosas de botos madreperola
*muito lino ..... $500
Jabonete muito finos 00, 120,
iOO, 240 o,..... 0320
Peras de fita de la todas as
cores ...... >500
Espelhos Inorados para parede
If000 e..... MU
Esperaos de Jacaranda muito
lino ...... -1 -jOCO
Pecas de trancas brancas c de
cores de caracol i $060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 3320
Caivete muito fino com 4 fa-
llas ...... 1^500
Cartilhas da doutrina as mais
modernas ..... 0400
Frascos de sndalo e patecholy
muito tinos 16200
nomo
USA DA FORTUNA
Aos 4:000$
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo nssignado tundo vendido nos seus mui-
to felizes bilhetes garantidos 1 in'.eiro n. 964 com
a sorte de 4:0004, 1 -meio n. ti'Xl cora a sorte
de 7003, e ootras militas ortes de lOOji, 40 e
20* da lotera que se atabou de extrahir em be-
neficio da matriz do Flftres (108*), convida aos
possuidores a virem reteber seus respectivos
inemios sem os, desconttw das le na casa da
Fortuna ra do Crespo n. 23.
Aeham-so a venda.os la i' parte da lotera d
beneficio da matriz de Maribcci '109') que se
extrahir sabbado 12 do crrente.
Precas.
Bilhete. .... 4*000
M*o.....um
Quarto.....1*000
Em poroio de 100* para cima.
Rilhcto.....33S0O
Meio......1*7S0
Quarto. .... 87o
Maooel Martins Fiaza.
COPEIIIO
Para- uma casa de familia, precisa-se de nm
boin eopero. qa.' ;.>ja bstanle fliligante eqne d
Vdnhecimento de sua conducta : a tratar na ra
da Aurora n. 42.
0 MUSEO DE JOIAS
GOMES DE MATTOS IRNlAOS ^
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o firn de
dar-lhe maiores proporpoes e eleguncia, convidam
ao publico em geral e eom especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUG N. 4
onde encontrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubina e t injo que em obras
de ouro, prata e platina se pode peserark
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de no vos gpstos, assim como grande variedad*; de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nio visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
0 MUSEO
^=
Clit'gou pelo bngue Triumpho e consignado
Flix Feretra da SiNa, nma nova remessa de bem
conhefcidoj) excellente vinlui puro do Donro em
barra Oe S e 10, garantindo-se que nao t^m con-
fecQo alguma ; neste genero o melhor que tem
vindo ao mercado, e muito proprio para usar as
horas de comida, e vende" por preco razoavel :
na bija do Pavao, na da Imperatriz n. 60.
Aos horticultores !!
Sementes de bortalices e de flores muito novas
chogadas pelo ultimo navio de Ilamburgo: a roa
Nova n. 60._____________________________
PARA ASOITESr
DE
S. Joao, S. Antonio c S. Pedro.
Acbam se venda sortes para homens e se-
nhoras, um tanto agrada veis para essas ocoastS
de divertmentos e praieres : as livraras france-
za rna do Crespo n. 9, na Econmica ra do
Crespo n. 2, na Popular ra do Imper dor u. 67,
nadoSr. Cardozo Ayres ra da Cadeia do Reci-
Te n. 31, na do Sr. Jos Barbosa de Mello ra da
Cruz n. 52,-na do Sr.-padre Lemos ra do Impe-
rador n. 15, na Encadernaco Parisiense ra do
Imperador n. 71.
Para tbgos de Santo Antonio,
S. Joao e S. Pedro.
LIMALHA DE FERRO (muito nova).
DITA u'ACQ (d.;m).
DITA D'AGULIIAS.
Vendem-se na botica e drogara de Bar-
tholomeu & C.
34-RUA LARGA DO ROZARIO34
H no progresso do pateo to
Carmo n. 9.
Manteiga inglczj a 640, 500. i i c 1*300 ra. a
libra, ch;. hysson e-perola a H800, 25o00, 3J
3 5290 a libra. r*
Arantes na pniqa da Indcpen-
cia vendeaeebto
Bolinas inglezas para hnmem a 8-3000.
dem ideui para senhoras a C000.
dem de cores caiuio baixo para meuiua a OOO.
dem inglezas'de couro para menino a 3>00.
dem amazonas para meninas a 3,3000.
Socos de couro para meninos a 1*000)
Diversos sauatos para rreanca a 13000.
Botinas de duracpie preta para senhora a iiOOO.
Faz-se sciente ao respeAavel publico qne at
o dia 13 do eorrente estao expostos venda na
olaria do Barbalbo, na Tilla do Cabo, uma porgao
de mil eanos d diversos tamaitos e grossura.
Taberna
Veudc-se a taberna da roa da Concordia n. 91,
a qual est fcem areguezada e tem poueos fondos
propria para algum principiante; o motivo da
venda dir-se-ha ao preteidente orn particular : a
tratar na Ponte-Vellta n. 14 das fi as 9 da ma-
nhaa e desta hora em diante n'esta tvp igrapltia.
Sortibl^tl fflKo
Na roa da Concei^ao n. 36 ende-se bonitas sor-
tes a yOufrocopto urabe-^e jtuujMsa qai
encommensa dje bonos bett feito e por eomjBoi
pre(;fl. .______________
Vende-so a taberna ra da Cadeia Nova
n. 7, com mjjjyMieUs ou .ue-uiu k a arutaciio, ou
se d sociedao quent entre rom algnm eapital
e se cncarregue da gerencia : a tratar na ra do
Bangel n. 3.
Potaba da Russia
Nos armaiens de Taso Irmaos, ra do Anurim
H. 39, e caes de Apollo n. 39,
Attenpao.
i No largo do Carmo n. 4, vendem-se ogos de
lodas as qualidades, para festejar o glorioso Santo
Antonio, 8, Joao e S. Pedro, por prjo commodo.
Na mesma casa vende- maesa necea para bolos,
pas barato do que em outra qualquer parle.
' Vmvlem-s 'diversos'escravos peci, vindos
jdo Goar no ultimo vapor, proprios para engetihos
je armazens : na ra da Cruz n. 55, 3 andar.
1,
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRA
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa? pas coqueluclies, bronchites,
catarrhos, tosss comnislva, escarros san-
guino?, -3 outras molpstras do peito.
PHAItmCA E DROGARA
DB
Bat-lliolunieu & C.
34RA LARfiA DO ROSARIO34
DO Vi
NOVO SISTEMA
0 Campos' da ra do Imperador n. 28
tem para venjter as medidas do novo syste-
ma mtrico decimal tanto para seceos como
para liquido,
Indispensavel...
E' inteiramente indispensavel s casas de
negocio cujas compras c vendas sao eTec-
tuadas a peso, a novata bella com indicador,
para de momento se conhecer a exacta re-
dueco dos antigos pesos pjra o do novo
systcma, cu^ base o kilogramma, acotn
panhando a toesma tabella uma outra pela
qual com a uesma fac lidade se conheoe o
preco correspondente entre um e outro sys-
tema. Remmcnda-se de preferencia a
outta qualqier tabella pela sua fcil com-
prehensao, inda para as pessoas menos ha-
bilitadas entjeommercio e calculo. Acham-
se venda na ra do Imperador n. 28.
S no Bazar da Moda
RA NOVAN. 30 ESQUA DA DE SAN-
TO AMAKO SE VENDE 5
Para senhora.
Lindos laques, a imhacjk) de san Jalo a
U e 2500 rs.
Ditos, com lentijuelas fazenda fina a 35
e 4,50(10.
Ditos elsticos, a imitaco de marfim, 3,>,
n, lije 15A0OO.
Coques da ultima moda, lizos e eos ve-
des de contas a 35, 3$500 e 4(8000
Ditos com lindos enfeites a 45, 45500,
55 e :,->;oo rs.
Ditos com botoes de flor de laranja para
noivas" a 55.
Ditos de cachos Taita novidade m Pa-
rs!) a 65000
Lindas chapelinas de palha da OmR* c le
fil de seda, guarnecidas com ricos e ele-
gantes enfetes ultima moda a 156, 185
e 205.
Cliapoosinhos de vellidos de lindos r-
delos a 155, 185 e 205000.
Ditos de palha da Italia muito bem
feitados a 121!, 145 e 155000.
Ditos do peonas (novidade) para senhoras
a 175000.
(ioirinhos de fil preto para luto a
Chapeos do palha americana enditados a
45800 rs.
Ditos de seda para sol fazenda boa s
55,05500, 105 e 115000.
Bastjuines de j/uipur branco bem enlej-
iadas e Bielde ultima moda a 155, 1S5
e 2O5OO0J
Dilas pidas com ricos tnfeites de vi-
drHhtw a 185 &20jJ000:
Sintos reos de selim com lacos a tt|s
U, M, M, m e u-sooo.
L'ma'Koda e rica guamiiTio edr de rosa,
a .Maria liosa, (alta novidade) por 2850<
GrinMls de llores muito lindas 55. '
75 e 85000.
Capellas de flores de lanrajeiras pare
noivas a 4->.'iOO o 54000.
Especial sortimento de gravatinhas para
senhoras.
Sintos de palha muito lindos a 35000.
Luvas de pelica a ioqueza, brancas, 'ic
crese pretas, o par 35000.
Blondo de seda preto e braceo cora sa'-
piios e ranagens, o metro a 25500,
15800 e 65000.
Enfeites de plfaa muito lindos para o
ques a 15u00 e 25000.
Guipur preto e guipur branco, fazendi
nova, para capiohas, corpnhos, basquines
etc.. etc. benitos padies, o metro a 3500C'.
35*00, 45-, 4 4:oo, 5-s. c 65.
Grainlt sortimento de bces e rondas dt
guipur brancos, c pretos com. fio de .sedi
fazenda superior, de diversas larguras c
precos muito baratos.
Espartimos branr.os o de core- n,,;
bem f< tos a 35. W. ;' U 55500, "b e s,
En&'ites pata cabera especial sortimento,
75, 80 a !)>000.
Meias croas, fazenda supeiior, u pai -',;
Corpnhos enfeitados de delicados %
tos a 165 e 185060.
Meis corpnhos de fil pido o bi
25500.
Lindas e ricas guarnieres de coi es jt
promptas para vestidos a 104, 125, i i*^
155000.
Hornfis de la e seda, moda elegaiifc ;
20dep.
Cachins de 15a de cores a 55>, 65, c 85-
PARA HOMENS.
Chapeos de sol, fazenda- supci oj; a
105 e 155000
Chapeos de castor branco. faaeda G
e forma a moda imperial a 11000.
Corrente de plaque guaes s d'ouro uma
por 85, 105 e 120000.
bengaliobas de caima com castao df
marfim a 45 c 55000.
Ditasd ato e leonadas ultimo gosto n 1
Ditas tantazia muito -nudas a 1*0C t
25000.
Bonillas fortes Toara dar no Lpez; .
5 BSAUaOj
Chicotes para montana, de 15 a 5;>000,
Camisas com peitos e colJaihns de b.-
alto deitados muilo bojafeitos, i.-.'3y e 31
a 54QOO,
E muitos outros artgos tinto pata ho-
pieus como 'para seolioras e cri ncas-
assim como um completo e especial sor'.'
ment de miudezas, tudo recebido de cui
to proprio, e se vende mais barato do .jut
em qualquer parte- no Bazar da Moda dt
JOS' DE SOUZA SOARES v.1 C.
Na ra de Santa Cecilia n. 41, vendem-se mas-
ss para bolos, 00^,01011 iiinpe^a e'perfeio.
AOS BRS. FOGUETEIROS
Bartholomeu &C.
SALILRBrefinado de T*qualidade.
ENXOFHEemcylndro
LIMALHi de ferro (muito nova).
DITA d'4o (dem).
DITA d'gulhas.
E todos <$ mais preparados para os lin-
jdos fogos J cores na sua drogara ra1
larga do fjsario n. 34. ^
I
Vt?nd
^-se
n. 4*" andar.
caixa, cm ponao o a retalho':
Pechincha
e de
? .*.
na-ra do Vigario
Vendem-isvidrns para vidraca, sonidos
boa qnalidadt, e bem acoiidicianados, a
uma carroca e um cavallo com arrelos : na praea
*----------- itUil 1^^.^,L,------------- Na loja Id Pav5o ra da Icapecatriz n.
Vend-TI rfSv- W Hnm^. fe 4 vendc# W* de i<^P0lO HMitO
^^hSJ^^^o%X^JL !om. comf que de avaria, de agua doce,
lAdapoUa avarlado
FIMO FOlil)
m Uireila il 53.
Ha para vender um complito sor-
timento defogos Mtficiaes, tanto
para Sras.,como para cnitapiii pis-
tollas brancas e de cores, com 3,
4, 'c6 Dalas, Tontainas, cravef-
pfos, lodioJi^ singellas e dobradas,
fojyoetinho.s, buscaps, iiuiuina-
5as bales de seda de 2 pasmos de
altura de, etc., feito. por um dos
melhares artista* agaje genero.
Tambem ha para vender salitre, en-
xofre, breu, fi, faCas e garfos
de diversos prefos e qualidades.
baudeijii* lit^*,quadiada4,eovaes ;
alm do grande sortimenb) de fer-
[ rajjens, miudezas, cuteiarias e trem
'para coxinha, etc. etc.
Ba Direita o. 53,1 oja do Manoel
Rento de i). Braga & C
At qu chegaram S
SYSTEM DCIMA .
Grande factura de 1,500 series de
[ pesoitologrammas cm series com
' pletas de totros os tfeanhos. ine-
' mores de comprehender do que os
que tem vado ao mercado assim
como medidas- de met os. hegaram
sui' 'uoominenda propria
I para a casa de Manoel Btnto de
' OJiyeijp Braga"d C, ra Direitan.
53, e com diminuicao de precos,
veohim em lempo.
HvtO



y

gor preco ifluio rasoavtf.'
(te sortes para
S. Joo eS. Pedro.
A Pythonissa de Endor, inteiramente
inditas e Ihterssantes, a 640 res o ex-
eroplar,,rua estrella do Rosario o. 12,
t.vpogr^o^adaJMl^de Mira, na enea-
4eracsp parsicije a ra do Imperador
livraijia econmica de Nogueira Medeiros
'* ra do Crespa p. i.-


6
DiarilciM Fteirtbbfeco- Ter^i eira 8 Je *diiK> 'de l*69>ju>ia
abol

\. 55-BA 0 QI!M0--\ 55
MM A D3 MIIJDEXJ-
I>E
11
i ___
Est queimando os obj setos abaixo deca
rados pelos preces seguintes:
Frascos com agua de colonia
Piver veruadeira a.....
Puntes de travessa para meni-
nas a.......
Thesouras para costura e
unhas a ........
Frascos com Unta a lot) rs e.
Libras de liabas pira bortw .
Novellos delinha com 400 jar-
a.........
Frascos com oleo de babosa i.
Sabonele de toas as qualida-
80, i00, 130 OOfl .
Nabadinhos e cnlre-meios a
r."H). 600, 700, 800 e .
Garrafa com agua divina .
Groza de botoes de louga a .
Pecas de lita para cus com 10
varis a...... .
Caixas de agulhas francezas
Frascos com banha 120 e .
Caixas com papel amisade .
I tito beiradourada a .
Ditas eovelopes a .
Sapatinbos de laa para meninos
Pecas de tranca de caracol e
Pi.ceis para barba a .
I'ares de suspensores a .
Frascos com agua de co onia
320, 400, 800 o.....
Pentes com costas de mlal a
Carteiras de marroquim a
900
30
400
ICO
04800
(O
3(>
244)
15000
1,5*00
100
500
160
400
700
i0ooo
500
400
200
200
800
320
400
P na!'; s com tinta rcbfl 800
Longos braneoa para mos. 200.
Pares de b ira punho a 200
Frascos cm clieiros VOO, 800,
l-^OJo ...... 3-S200
Mtias croas para liomens du-
zia a.......... 4->000
Ahutoadurns para collote a 300
Lioba de 200 judas duzia a 1)5200
(iartao com corxtttfr. 2"r>nlens 80
Ranetas de cora,- torio proco.
E-pelos grandesedm moldura
domada...... 2*000
Ditos iqtienos..... 200
Pecas de fita para debrum do
vestido........ 506
lotoes de aro para cllete 1620o
Anni! para roupa(P.) a. 3000
(lalcadeiras para sapatQ. .. -100
H ^des.pretas para cabellos a 600
Groza de be loes de aro para
calcas a........ 200
Libras de linlias de cor para li- 1-5000
nbavar costuras a.....
Tubos ou chamanes para can-
dieiro a raz a...... 300
Globos para os ditos ; 16300e 26000
Trucidas para os dilos duzia 200
Pentes pretos para tirar piolhos 300
Coques minio finos a 2#o00
Cartas francezas a 200
Ditas portuguesas a 120 e. 200
CURAS IMPORTANTES
Do xarope Vegetal Amor.cano especialidade do Barthoic
34,RUA LARGA DO BOSAR.0.34.
NnS coslumamoi proenrar llesUJos para acreditar
nos-os preparados, e dnamos qae sua pplicace e os
resaltados obtidos pela* pcsioa*qna le dignaras aceita-
los. Ibes deem crdito e vofa ; porque lio srrjipre os
altesiadoa considerados" intuitos1; e uV'Ips qoe lanca
mo o charlatanismo; mas ni qnerendo c(Tender as pea.
so'que espontneamente nosoff.recerarj-,os que abaiio
vao transcriptos, os fszemos publicar maiiifesiau>lo-lhes
nnssa gratnllo pela alinelo, esparando qae Tenhaa
lies corroborar o conceito, e acceia; ao que tem mere-
cida nosso xarope. Carino/orneo k C,
imSTADOI,
Hitos. Srs. Barlbolomeo k C. com a mais subida
satisfazlo qoe declaro ser o xarope Americano de orna
efftcaoia extraordinaria, pois qna ofrendo ha das de
intensa tosse, 1 ponto de ulo poder dormir a noite a
despeito mesmo de medicamentoa que tomava, a elle
recorr e na terceira colber fui alliiiado, e de todo me
acbo boje restabelecido com o nao somonte de quaai
meio frasco; grato pois 1 esse resultado manifest a
Vy, Ss. roen reconhecimento. De Vv. S. amigo, te.
aerador e obrigado. Manoel Antonio Viegas Jnior
Sua casa irt) do abril de lti8.
films. Srs. Barlbolomeo k C. Penhoradissimooom
o favor que me liieram de aronsalbar o oso do xarope
Vegetal Americano, de soa cMrposieto, qoando me
ai bea Bastante doente de urna eonslipaelo. qne ma
tornou coaipleterjienie ronco a que trouxa urna forto
tosse. e ate impnssibilitoo de cumprir os meas deteres
de cantor da empreza lyrica, tou auradecer-lhes mea
completo reslabeleclmenio, que oblite com um s vidro
do mesmo xarope, depoia de. hater recorrido a muioa
Iratamentos. Desejarei qae ontros como eu recorram
ao seo xarope para se terem aliviados de to territel
incnmmodn, io fatal oeste paiz. Com malor conside-
radlo cootino a ser do Vt, Se. aliento, venerador
obrigad*. Laii Ctemona. fiecife SS de setembro
de 1868.
Illma Srs Barlbolomeo 4C 0 xarope Vegetal Ame-
ricano qoe Vt. Ss. til) eiposto 1 tenda de toda efi-
cacia para o enralito d'asihiua, canforme obsertti ap-
plicando-o a meo lilho Joaquim. menor de qnatro
aonoa; ticlima d'esse flagello. qoe at entio por espaco
excedente a dous anuos bavia resistido a ontrnxaropca
de grande nomeada. Queiram pois Vt. Ss. acceitar
exprcsslo altamente sincera de meo reconhecimento ao
meritorio semen qne Ibe prestaram com o indicado
xarope, acreditndome para sempre de Vt. Ss. criado,
atiento e obligado. Amt-rieo Helio de Mesdeoca.
Recife 2 de ouubro do 1868.
Tem p
tros, os Beguintcs artigos
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Grevq paulado e liso.
______ ^OVA-ESPERANCA
Ir!. 21 -Ra do Queimado-=21
Advertencia!
INJECTION BRO
Higinica lulallltel e Prescrvallta, absotutamentu a ituiea que cura aou ueabun aduiuvo. V,. u|
aas princlpaes boticas da mundo. {Exigir a instraecas da osa). ( antas ae exiitaneia.) Pan, > ca
aa latealer I10D. aaalatard Marean, Mi.
Superiores saias brancas bordadas a b$, C>$, 85 c 10,-OOO cada urna.
Ditas de carabria de escocia transparent j foitas a 03000 cada urna.
Na loja das Columnas na ra do Crespo n, 13 de Antonia Corroa de
Vasconcelos & C.
fflCIVl DE
POR MEDIDA
RUI |I V A1MI1 lf 45
n
0
'-IMiili!
.!>.!'/JCA07DO MUITO HBIL ARTISTA
, ,J k 1],
SOB A u."v.V* P M,T0 "
hauriano, alfhiale.
a* nronrietarios deste novo eslabelecimento, tendo experimentado a ncessidade
nt^nte de ter nadireceo de sua ollicina de roupis por medida, um artista per.to tem
S^do. o S Lauriano Jos de Barros para tal mister, convictos de que satisfar
ronnasSomemtomos.iam: casimira de cor, indos padroes, completo sort.mento de
roupas de hom m,**> rHiin;,a Drtui, arande sort monto de bros brancos e de
^SStmJmSJSSS. ibazina, lindos cortes de gorgurao para co.lete,
^N^SrKi um variado sorlimenlo do roupa feita, camisas
inglezas^colSos, ceroulas, grvalas pretas e de P'-J^i^
nhnrns meninos e meninas, chapeos de seda para sol, colchas, bi amante, awamano,
tiffos que a modicidad.) de seus presos incita a comprar.
A ra da Cadea n. 45
^
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARUACBUTICO, J, RUI OES UOIIS-SAIHT-MUI, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Com IODI'IIKTO de POTAS8I
0 Iodorelo de poUssio um verdadeiro alterante, um depurador de Dcontestavel effi-
cacia; combinado com o xarop* de cascas de laranjas arnargaa e aturado
sem perturbado alguma pelos temperamentos os ma.s traeos, sem alterar as hinecSts
do esiomago. Asdos^s mail.em.ticas que ellecontem, permiltemnos.mdicos de receitaNo
parmiodiSMComplicacaes as fTcccons escrofulosas, tuberculosas canee
rosas e nos accidentes intermittentes e terceiros; alem d isso, o
agente o mais poderoso contra as doencas rheumaticas.
XlrVOfE TNICO aNTI-NERVOSO XAROPE FERRUGINOSO
de cajean de laranjas e quassla amarga.
E" sob a furma liquida que mais fcilmen-
te se assimila o ferro; n'esia forma prefe-
rivel as pilulasepastilhasentodososcasos
em que s5o prescriplos os ferruginosos.
Ra do Queimado na. 49 c 57-
lojas de miudezaz de Jos de
Azcvedo Maia, esl acabando
com as mt'udezas de sem cslahe-
lecimenlos por isso qtieram apre-
ciar o que c bom e barahssimo.
Pares de sapatos do tranca fa-
zenda nova a......2.0OOO
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a......1^500
Dueias do meias cruas para lio -
mem a......... 3^800
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco melhor 100 attos a (5200
Ib'ros de missoes abreviadas a 20000
Duzia de baralhos francezes muito
finos anOO c.....2#80C
Silabario portuguez com estam-
pas a ........ d320
Gravatas de cores e pretas mirito
finas a........ #300
Ouzias de meias para senhora fa-
zenda boa a......40000
Redes pretas lizas milito finas a #320
CartOes com colchetes de latao
fazenda fina a...... 0026
Abotuaduras de vidro para colete
fazenda fina a. 0500
Caixas com penna d'aco muito
unas a 320, 400, 500 e 10000
CartOes de linha \lexandre que
tem 200 jardas a 0100
Carreteis de linha Alexandre de
70 at 200 a...... 0100
Caixas com superiores obreias
de massa a...... W*Q
Duzias de agulhas para machina 20000
Libras de pregos francezes di-
verso tamanho a, [0240
Livros escripturado para rol de
.roupa a. ...... 012
Talheres para meninos muito
tinosa. ,...... r024O
Caixas com papel amizade muito
6no a...... ^00
Caixas com iOOenvelopes muito
finos a........ #600
Pentes volteados para meninas c
senhoras a....... #320
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. 0tOO
Tinteiros com tinta preta muito
boa a 80, 120 e 0320
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a..... #160
Duzia de phosphoros de segu-
ranca da melhor qualidade a
400 e........ 30
Pegas de fita branca elstica
muito fina a
IOJA
DO ^^^
GALLO VIGILANTE
de caacas de laranjas amargas.
35 annos de successos atteslo a sua effi-
cacia para curar: as doenpat nervosas,
agudas ourhronicat, as gaslrites, gastral-
gias ; e facilitar a digesto.
DENTIFRIC10S LAROZE
COM QUINA, PYRETHRO E CAUCO
p dentifriaio, com base de magnesia
para a alvura e conservacSo dos denles,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reproducao.
IDcDOsito em Rio ie Janeiro. B. Ch*i*U4; em Ptrnanbuco, *Jtmar%'U*Pja"':
Flco DI- em Pelotas, Antera LelT-a; em Bakia, D. K.cli; em Poro Alegre, J.
lllZ VmMarlhio Fc^rlr. C', em Ouro Preto, C J. V WeU-r, em S.mla Catha-
"m, 8. *I em Montevideo. G. imhert, em Buenos-Ayret, Btebep>rebrda>.
lixir deniiMoio, para a alvura e coo-
servaSo dos denles, curando as dores
causadas pela caria ou produiidas pelo
couiado do calor ou do fri
Novellos de linha com 400 jardas
pezo
azul
Resmas de .papel de
muito fino a.....
Pecas de fitas bordadas com 3
varas a .......
Ditas de ditas bordadas com 12
metros de 20000 a. ...
G rozas de botes de louca muito
finos a........
200
60
20500
500
30000
46(
Sliia do Crespo sr. 7
Os proprrrtrrris iteste bom conheciflo estabete-
ciraento,-aWm dos iniHlos-ol>jectos (ao linliam es-
poslos a aprucianto da nspeitavel ^nl>let>, nn-
daram vir caaLam de receber pefcrultimu va-per
da Europa um oompfeto e variado sortl i nenio- 0>
linas e iCful ficadas e^Di-fialidade, as fjtiaes f-
tai) resetrlds- a vender, como drseti costmit*,
por preros tiwilo baratinlos e coiHtnodos para- So-
dos, coi'n tanto qiie o Gallo
Muilo superiores luyas de peluca, pretan, bn-
cas e de mur lindas cores.
Mu boas e bonitas gvHiiihaa e purdio para se-
nhora, neste jenero o qu* ha de- vaf- raoderoo
Superiores pentes do tartaruga para eoqties.
Lindos e rK|uisshnos enfeiles pan caberas *s
Exmas. senhora?.
Superiores trancas pretas e de cunes com valri-
Ihos e sem elies; esta faaeua o ffje pode h&ver
de melhor e oais bonito.
Superiores e bonitos loques de madreneroto,
marlim, sarehth) e osso, sendo- at)iwiies braMM
com lindos dfeseBbos, e estes pelos.
Muito superiores raeiaa lde Eseossia para.se-
nhoras, as quac sempre se vendetam por 3CS00
a duzia, entretanto que nos a* vendemos por 205,
alm deslas, temos tambem grand* sortiineato do
outras quadados, entre as quaes algumas aauto-
finas. ,. ...
Boas bengalas de superior caima da mdia e
caslao de marlim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o qwe de melhor se
pode desejar ; alm desras temos tamben grande
quanlidade de outras natalidades, como seiatn, ma-
deira, baleia, osso, borracha, ete. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotiuhos dc-cadea a
de outras qualidades.
Lindas e snperiores ligas de seda
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marlim e tartaruga para aier
barba ; sao muito boas,e do mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vea tam-
bem asseguramos sua quahdade e dfclicadea.
Lindas e bellas capellas para Jioia.
Superiores agulhas ria*a machina e pata crox.
Linha muito boa do peso, frouxa, paEaenenw
labyrintho.
Bons baralhos de eartas para voltaretev assim
como os tentos para o mesmo 8m.
Grande e variado sortimento das memores per-
fumaras e dos Eaemores a mais coahc'JDs per-
fumistas. ______
COLARES I1K ROER.
Elctricos magnticos eontra as convulsoes, e
facilitara a dwitcio das mnocentes enancas. So-
mos desde muito receoedores destes prodigiosos
collares, e conttnuamoB a recebe-los por lodosos
vapores, afim de que nunca faltetn no mereado,
como j tem acontecido, assiai pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre eneontrarao destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se vender com um mui
diminuto lucra
Rogamos, pois, avista das cb/ectos que deixawos
declarados, aos nossos fregueies e amigos a virem
comprar por procos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
rSTLIUS ASSl i:\R\D\S
DO
DR. PATERSON
De itlMunth e ntagneila.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digesto, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Rartholomeu A C.
34------Ra larga do Rosario------34.
Vinlos eiu eaixas de doze garrafas
Bourgogne. 0
llery. Madeira.
Hcroiitage.
Cliamblis.
Licor ile enraco de Hollanda em caixas de viB
le e quatro botijinhas.
GESSO,
Nc armazens de Tasso Irmos.
Grades de ferro
lara jardlns, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmos
< lltaCIMI* DE FERRO
Para servieps de grandes armazens, para remo-
ver Jbarrieas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico preodeljOOOcadaiim.
Fariia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das mclhorcs marcas de
farinhas americanas.
Saceos de larinka de trigo do
CMe
Todas novas, ehegadas nJlimamenB nos arma-
zens de Tasso Irmos.
Cementa romano
Nos artaazens de Tasso firmaos.
Cemento hydraulico 125
O melhor para tHdo que sao obras para agua, co-
mo assentamento de caaos de e.sgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agut, etc., elo.: em porcoes de
eincoeitto Barricas se tara reduccao no preco : nos
armazens de Tasso Irmos.
Cemento Portland
O verdadeiro cemento Portlaadem casa-de Tasso
Irmo9.
Grades de ferro, eercas,. por-
teiras, etc.,. etc.
De difl^rentes (jualidades para cercados de ani-
maes, ctrrqKeiros para italinlms ou jardia: nos ar-
mazens de Tasso Irmos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso rmeos.
CANOS DE BABEO
Na na Nova- de Santa Rita-, na antiga fabrica de
sabo, ha para vender por preco o mais mdico
possivslj canos fiancezes para edificaooes e esgo-
tos de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqui teD>apparecida> pela sua solidez.
PREGN
1 490 por cano- grande de i e me*-1,.'llegadas.
4 200 por dito >' 2 e tres-qoarlos de dita.
i 890 por dito de 2 e un quarto de dita.
SOOrispor pistoleta de 2 pollegada*.
otovellos, crrue cano de maier g-rnssura. a
vista-s faro preco. Compras maiores do 200
tsm 5 por eento de descanto por proaapto paga-
mento. Pde-s& ver as amostras nos armaze
tde-Tasso Irmos.
Tijolos francezes
Para ladrillar casas-Urreas comasseioe precos
mdicos, muito convenientes e proprios para hosi-
lhos do cosiiahas em sobrados, polo su asseia e
evitar apassagem do aguas paca o andar :afeor
e mesmo o perigo de fogo, aos procos de 30000 a
4.1.J0OO o inilheiro : na ra Nova de Santa Rita, na
atiga fabrtea de sabio, e compras maiores de 2004
so l'ar 3 por cento ttv descono> por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmos.
Velas de esparmaceto verdadeiras paca lan-
ternas de carros: noarmazsm de Tasso Irmos.
Vinho do Porto fino superior: no armazen
de Tasso Irmos.
0 melhor cognac Gauiler Freres: no area-
zem. de Tasso. lrmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmo vende-se esteiras da
india de diversos padroes e larguras, par preco
commodo.
Maearthy
SOFFRIMENTOS D'ESTOWAGO. CONSTIPAQAO-
Cura em poucos dias pelo CABvio DC BELLOC em p6 ou em pastilnas.
ENXAQUECAS; NEVRAL6IAS. Essm affeccees ao ais-
sipadas rpidamente pelas PENLAS CETHER di i' CLSITil.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os soffrimentos que necessitamdD
emprego dos ferruginosos sao sempre combatidos com o melhor resultad
pelas pilulAS de vallet. Cada Pilula tem incrarado o nome I1U.IT.
PO DE ROG. Basta dissolrer um frasco d'esle p em meio
garrafa d'agua para se obter urna limonada agradavel qae purga sem i-
zer clicas.
VINHO DE QUINIUM de ubvraque. Este vinho, nm dts
poucos cuja composisSo garanUda constante, urna das mclhores pr-
paracoes de quinino, sem ac$o notarel sobre os convalescentea, dandti-
lhes forca* e apressando tolu a tuda. Cura as febres antigs qua re-
slstao ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parte d'eslas moles-
tias, como as citicas, lombagos, catarros, e todas as dores nervosas en
geral to curadas pelas perolas de usencia de therer:rtiia do
Dr. Clertan. O proieasor Irgaatssuaai sen Tratado de tuerapetuU acoa-
selha as para sarem tomada na oocasio do jantar, na dse de'4 12.
Scbonete de alcatrdo.
M
Antonio Nunes ele Castro.
Este acreditado preparado, que t3o Dos.
acceitaco tem merecido n'esta provincia
muito se recommenda para, a cura certi
das impigens, sarnas, caspas e todas ai
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de artholomeu A C,
34ra larga do Rosario34.
OLEO DE FIOADO OE BACALHAO DE BERTH.
Garaatido puro e de prjmeira qualidade, om dos poucos aprovados pela
Academia de medicina,
AVISO. Todas estes medicamentos foram aprovados fel A:admia
imperial de medicina de Pars.
MSPOSIf
la Parla, U rMM, It, roa Jacaa
Mt-Jtmein. fr m'c"^u ; Heasun 1 Ptrnnmbtxo. Micant et f>
Trssnra. '
PULLAS, VINHO
XAROPE
DE
JURVBEBA
PREPARADOS
PELO
PHARMACEUTICO
lonqiiim le Almelda Plato.
' As prepara?r>es de jorabeba s5o hoje
vantajosamente conhecidas e preconiza-
das pelos mais habis mdicos, tanto da
Europa como do pair. pelnsua eflicacia
nos casos de anemia, chloroze, hydropesia,
obstrucc3o do abdomen, e tambem nos de
menstruacao difficil, calharro na bexiga,
etc. etc.
Vendem-se em porco e a retalho na ci-
dade do Recife. pharmacia do seu compo-
sitor, ra larga do Rosario n. 10, junto ao
f4uartel de polica.
Libras eour nacional, moedas
de 5 francos.
edoende-sc no arco da CoAeeic3o na loja
Vurives, no Recife.
Baha..
K*%&<
Ciara.....' Iaiaia et C
Barato que admira
Quartos de latas com bolachinhas de boas qua-
lidade? a 1340f\ caixinhas com ameixas, peras e
fleos a 1\00, cerveja Bass, Ihlers e bell ingleza a
800 rs. a botija, vinho a 400 rs. a garrafa, azeite
doce de Lisboa a 880, arroz de primeira qualida-
de a 120 rs., caf a 220, sabo a 180 e 220, cha
miudo bom a 3$ 100, idem grade a 3|, alpista a
240, toucinho de Lisboa a 440, rmrmelada flna a
780 a libra, doce degoiaba fino em latas e caixes
de diversos tamanhos por commodo prego : so na
esquina da ra da Penba n. 8.
RAP POPULAR
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TETXEIRA FREDERICO & C.
Acaba de chegara este mercado umaporc.o des-
te ptimo rap, nico que pode supprir a falta do
princeza do Lisboa por ser de agradavel perfume.
E' fabricado pelo systema a imitarao do Areia Pre-
ta, porm'tem sobre este a vanUgem de ser viaja-
do, o qne para este artigo urna especialtdade.
as pracas da Bahia, do Rio de Janeiro e outras do
imperio tem o Rap Popular sido assas aceolhido,
e provavelmente aqui tambera o sera, logo que
seja conhecido e apreciado. Acha-se a vena
por preco commodo, e para quem comprar de 50
libras para ema, far-se-ha um descont de 5 0/0,
e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no escri-
torio de-Jspirn Jos Gonealvea Beltrao, ra do
Commercio n. 17.
Tla<*hiuas t|e dcmeartjcar algocISo.
Hoje que est recouhecido qpe as machinas de
serrote prejudicam e quebrara a fibra do algodao,
preciso reeorrer a macbinismo menos spero,
que produzindo o mesmo servido que aquellas, e
faciliilade no crabalho, nao quebrara a libra da laa,
para qu essa possa obter-nos mercados europeos,
a dilfereuea que ha entro o algodao descarot;ado
por aquellas mencionadas machinas, que estao fl-
cantki em decuzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga botandeira, que nao podo competir
pela morosidade de seu trabalho. E* assim que
estas machinas se tornam as mais propras para o
nosso algodao, porque ao par da facilidade e
promntidao conser'a a fibra da ISa, que limpa por
ella, e qualifleada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre 11 SOpcfrO/O
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, aondo as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por ss o algo-
dao daquella procedencia, sendo da qualidr.de, do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 afipor
0/0 mais do que o nosso : vendem*so a ISO^OOO
nos armazens de Tasso lrmaos.
Oleo de arneudoas
Em eaixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens de TassoJIrmos.
A Nova Esperanza, ra do Queimad
t. 21 tendo em deposito grande quanlidade
de miudeMs, c como se approXima o lem-
po em que tem de ser dado o balaneo, por
isso desde j previne ao respeitovel publi-
co, que est resolvida a vender nas mer-
cadorias pelobaratissirno preco, para assim
diminuir a grande qtramidude das que
tem: assim pois, vennam os bons fregue-
y>s. e os que-nao forera vcaham ser fregue-
zcs, em tempo t5o opportimo quando
NOVA ESFEMNCA convida-os pecbiaeba-
rem, pois que para omprar-se caror nlo
falta aondo e a quem...
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente efe Paris) quer sem-
pre primar em nos remeiter objectos de>
gosto e perfeicSo-, e ella (loja do Nova Es-
peranza) quer sempre dividir com seus fre-
guezes a que de bom coii&tantemeitte rece-
be, e por este lid&r continuo (d'aBbos) i
Nova Esperanfa roa do Queimad n. 21,
alm do*grande sortimento que j* tinba,
acab de receber mais o segointe :
BoTiilos broches, pulceira* e brincos do
madreperla.
Papel u envelcpe3 bordados e mati-
sados.
l,apeis proprios- para enfeitar bollos e
bandeijas.
Brinco pretos eom dourados (uhima
moda).
Fitas langas para cinto.
Moderno galloes-, franjas o-trancas de
seda e de lia, para- enfeites d* vestidos.
Botoes de todas aa cores e moldes novos
para o mesmo fim.
Trancas pretas enfiavidrilhosfsendo com
Irengentes e sem eHes.
Botoes pretos com vidrilbo* com pingen-
tese sen lies.
Luvas. de pellica, eamurca o excossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
amos.
Delicados lequo-de madreperula> mar-
tim, osso- e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengaibs de bale.
Finaliaente, um completo sortimento de-
miudezasrua do Queimado n. 21, n^
Nova Esperanza.
Collares anotSmos elleefro-mogneU
co* contra as convulces das
cranlas.
Nao resta a Menor davida, de qne muiu>
collares se veodem por abi intitulados o
verdadeiros de Royer, e- eis poiqae muilo.
pais de familias nao craem (comprandc-os>
no efeito proaiettido,o qne s pdem dar
os verdadeiros ; a Nova Esperanca, pora
que detesta a falsificacao principalmente no>
quo respeita ao bem estar da bumanidade,.
fea urna ensommenda directa estes collarea
e garante, aos pais de familias, que sao ob
verdadeiras de Boyer, que a tantas crean-
cas tem salvado do trrive) incoamodo da
convulgoes, assim pois preciso, que ve-
nbam a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 compraran o salva vida, para seu
lhinhus, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando enlaa ser l*
llicil alcancar-se o efeito desojado, embora
sejam empregados os verdadeiros collasea
de Royer.
FiOtES
Realmente al onde pode chegar a per-
feigao darte, relativo a flores, a Nova Es-
penaba apesar de ter constantemente ro-
cebido flores, confessa que ainda o bavia
recebido, como as que acaba de receber!'.
nao exagerarlo ellas confundem-se per-
feitamente com as naturaes, e sao feitas
com tanta perfeie3o, que preslam-se mu
bem ao mais capiichoso enfeite das Exmas.
do mais apurado gosto!! I esplendido i>
-ortimento, constando de modernos ramos,
rosas, dalias etc., etc., de lindas cores,
proprias para enfeitar-se coques, vestidos,
e chapeos oo oulro enteit que hbil compra-
r dora quizer preparar, assim pois queiram
as Exmas. virem apreciar o jardim da Nova
Esperanca ra do Queimado n. 21, que
es' rpplecfn de florea.
W GAZ GAZ
Chegou ao .antigo deposito de H'eary Forsler *
C, ra do Imperador, um carregamaHo de a
de primeira qualiade; o qual se vende em partida?
e a retalho por menos prego do que em outra qual-
quer parte.
MASSA e XAROPE
DEOQEINAOEBERTHl
PrconisadoJ por todo os medkos <*ntra os I
DEKLUXOS, CATHARBOS, E TOOAS AS|
IRRIfACOESDOPElTO.
N.aV O Xarope de Codtvia que mereci al
honrt^tm iem, rra entre o asaiaauitnnl
novos, e ser registrado como um dos medica-1
memos ofjklnei do ImfetM Francs dispensa (
Tttlqusr elogio.
AVISO- Por cao ,aW iswfehensivcl fal.-J
iacao qije tem ascltarl* a>*Wx resultado do I
tropee massa do Bcrih sernos forcados al
tanibrar que esiesfnedicamenios la juslanuntej
fcnceiluodos so:e_
ndeni ero caixin-
c frascos levando
atsiguatu/a em
fcnle.
6. fue dei Ecoles, t na Pharmacia Ccnlral|
fe Franca, 7, llue de Jouy, tw Paris, e
rodas a*i

Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana e por baratsi-
mo preco -. em casa de Tasso lrmaos, ra do
Amorta n. 37.
Relogios de ouro.
Relogios de onro de patente com bataneo de
chrooometro do famicerado actor John Rogers, no
escriptorio de Tasso lrmaos.
Pianos inglezes.
Pianos inglei.es do bem conhecido autor Charle
Cadby, no eseriptorio de Tasso.
Ago de milao.
Nos armazf ns do Tasso /rmos.
BARRIS DE SALITRE
No* armazens de Tasso lrmaos
CARNAUBA
Vende-se superior cera de carnadba em de -
cas, por preco mais barato do que em outra quas-
quer parte: na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, do Flix Pereira da Silva._____________
CURA DOS CALLOS.
PILA
Pomada galoapean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo 4 C.
34------Ra larga do Rosario-34.
t.\.0ERAi^
fcmvHkfuEJc. ^^
F
COGNAC.
DO sBperior qmlidade>da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubouch AC, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em'casa deTh. Just, na do
commercio n. 32.
,
ps de laranjas eravo,' j plantadas em
muar-se, debi!iapt9 de fructa-pao
de parreiras do diversas qualidades, e d
em Pamameirlm, sitio junto a ment.
para
maesa,
Aiegrai-vos myopes, e presbytas, j po-
dis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
1". J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortim nto de
oculos, lunetas, pijce-nez, face ymain, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marflm.
ago, bfalo, ncar, unicornio emelchior:
assim como binculos de urna a tres mudan-
cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invenco ; duquesas, vtenezas de 6, 8 e
la vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
0 mesmo vapor trou-
pe urna excedente ma-
china para graduar e
observar numero dos
vidros qoe se uecessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excedentes sterioscopos, instrumen-
tos de mathematica, barmetros, vidros de
chrystal do rocha, e de cores para resguar-
dar a vista; eoncerta todos os objertes
precos commodos e com promptido ; tira
o mofo dos vidros e encarrega-se (J toda a
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os excelientes relogios
do antigo e afamado fabricante.Robertfi***
&C, os quaes vendem preges comwos
garantindo. a sua superior quahaade.
estado, de armario
71,2 andar.
amado Prin
^jSG"-Tia*
una machina
na raa dos Payadores n.
Sapatos de borracha
parf^WMmeMpazi a.iao : na roa Diraiai
t
\
\
n.
*JH


^. i ''& t n 1 I ''I "
Diario de Peniambuco Terqa fera 8 de JunUo
m
\
i
Ocordeiro previdente
Una lo tysciuiado a. 10.
NoTO e variado sortirnento de pcrfmnwias
finas, c outros ohjcci
Alm do completo sortirnento de perfo*
maas, de que errectivamente esU provida a
loj do Coroeiro Previdente, ella acaba de
receber um ddtro sortirnento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
sos ; assim, pois, d Cordeiro Providente pede
e espera continuar a merecer a apreciagao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem. conhecida mansiuao
e baratera. Em dita loja encontrarlo os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melbores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, c vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacio do
assei da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e m-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, cora
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes era frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino eagradavel ehei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo phocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolbtdos che ros, em frascos de dille-
rentes taraaihos.
Jabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de menino*.
Ditos muito finos em caixioha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
ructas.
Ditas de nudeira invernisada contendo fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bera de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sera composic-ao de
:heiro, e por isso o mais proprio para crian-
zas.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de camphora e outras diflereutes
jualidades tarabem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Ainila mais coques.
Um outro sortimjnto de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
i algens d'elles ornados de flores e fitas,
est3o todos expostos apreciagao de quem
os pretenda comprar.
GOLUNHAS E PNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeic5o.
LFIvef las e Otas para ciatos.
Bello e variado sortirnento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS.
O que de methor se pode encontrar neste
genero, sohresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para vlagciu.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
^nfeitadas, e enfeites de flores obra du bom
^osto.
E assim muitos outros objectos que se-
3o presentes a quem se dirigir dita loja
lo Cordeiro Previdente a roa do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
rnento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidado de presos.
ALEM DAQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
:imento de gallees de 13a, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va
riedade degoslos os tornam recommenda-
dos e apreciados; compareci pois os pre-
tendentes que scr3o servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
gttepnre.
LITAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homen-
orno para senhoras, constantemente achara-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente;
i ra do Queimado n. IR.
-----
--T
QUE SE LIQUIDAM
A DINHEIRO NA LOJA E



m
saaa

DA
ULTIMA MODA
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E D1ASTAEX.
Remedio por excedencia para cura certa
das djtttoes difflceis ecompletas, acalmar
as doreft gaslralgtcas, e reparar as forcas
produzinde urna assimulac5o completa doy
dimentos; sendo mais um excellente tnico.
NA
PHARMACIA E DROGARA
DB
Uarlholouicu A C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
FLIX PEREIIM 1)1 SILVA.
O proprkiano d'este.estabelecimento convida ao respeitavel puMfco desta ca-
pital a vir surtirle do grande sorlimwrtoque tem de fazendas, tanto da moda como le
le, assim como do una grande soi'tunento de jupas para homens e meninos, e as
pessoa que negociara em pequea escala, tanto da praca como do malt>, ueste casa
poder ao fazer os st us sortimentos em pequeas o u grandes porc&es, veno lo-se-lbes
pelos precos que so comprara aas casas inglesas ; assim como s excellentissimas fami-
lias, poderlo mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou se Ihe as mandam
levar, em suas casas pelos caixeiros d'este estabelecimento, que se acka aberto con-
stantemente desde is 6 horas da manhaa s 9 da noute.
CHAPELINAS Casimiras da moda
-' NA -
LOJA DO P i vio
Cliegou pdo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimqnto das mais
modernas e mais finas casemiras para eal-
cas, paletots e coletea, tendo lisas, cora lis-
tras e com lislra ao. lado, tendo para todos
os precos, e afianca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qoalquer par-
te, assim como das raesmas se manda fa-
zer qualquer pera de obra, a vontade do
freguez, para o que tem um bom Ifaiate.
Aos qtiinhentos palitots
a 18j,e20#000.
Na loja do Pavlo ra da Impera trie n.
60, vendem-ee urna grande pore9o de pa-
utte sobrecasacados, e propriamente sc-
brecasacos de panno preto, sendo obra
murrio bem acabada pelos baratos precos
de 18$, sendo forrados de alpaca, e de
205 forrados de seda; esta fazenda a nao
e ter comprado urna grande compra, seria
para muito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
aLazhihas a 584 rs.
Vendem-se laazinbas para vestidos e rou-
pas de meninos, sendo tao encornadas
como chitas, pelo barate preco de240rs.
o covado. <
POUPEUNAS A 500 RS. O COVADO.
Na loja do Pav5o, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se um grande sortirnento das
mais lindas poupelinas ou laazinbas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
nitas cores ; padros com listrinbas miudi-
nlias, que se vendem pelo barato preco de
500 rs. o covado, pechincba que se acha
nicamente "na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatria n. (0.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se inissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 51000 at 105000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 15000, a vara, na loja do
l'avao ra da Imperatriz n. 00, de Febx Pe-
reira da Silva.
Cortinados
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande sortirnento eos me-
Ihores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
em a 12000rs. cada par at 255000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. CO, de Flix
Pereira da Silva.
roupas feitas
NA LOJA DO PAVAO RA DA
IMPERATRIZ N. GO
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melbores roupas,
sendo, calcas palitots e coletes de casemira,
de panno, de bnm, de alpaca, e de todas
as mais fazendas qu os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimeuto de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, coma maiorpromp-
tido vontade do freguez, e nao sendo
ohrigados a acceita-Ias, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
ueste vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortirnento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
ontra qualquer parte. Na na da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.


Libras esterlinas, ta ra da Cadeia do
Recife, n. 58.
Ra do Livramento n. 26.
Carribrai.v de elle?antes padr5s, modernas,
iflO re.o wiwdo. i
fti: A CO A DOCE
AftAPOUO do 8 a K#OW.
DITO OQQBWO (te 8* a *O0O. t
ALGiDAOjUNUO de H afi^OOO.
CRROULAS de U a t#300.
MElAS CRAS a 40 re.
CHAU PBET03 de 8f a 24000.
Ra larga do Rosario
N. 2,loja SPftani
Chegaram para a loja do Pavao as mais
rkafl e mais modernas chapelinas rica-
mente oafeitadas, com enfeites e fitas de
setrra e de todas as crese com ricos bicos
4e blond e as mais lindas e finas flores,
vendendose cada urna pelo barato preco de
I5000, garantifldo-ic sertim muito mais
bonitas do que outras que ee vendem em
outras partes a 2C o 54, e entre ellas
ha mais do que um modefio, tambem tem
muias de pratinho, prepi-ias para mocas e
meninas, isto na ra da Imperatriz n. 60
loja do Pavo, de Flix Pereira da Silva.
Explendido sortirnento de
* [pacas tarradas de cores 5GO
Alpacas a 560 Alpacas a 360
Alpacas de cores
Na loja do Pavao ra da Imperatriz n;
60, vende-se uns poucos de mil covados'
das mais lindas e modernas aipacaaiavradas
com as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos o roupas para meni-
nos, tendo entre ellas azul, iyrio, rbio, cor
de cauna, \erde claro etc. o os lavrores
muito miudinhos absentados em urna so
cor; para se poder retalbar esta fazenda
pelo barato preco de 560 rs. o covado, foi
preciso fazer-se urna gi-ande compra deste
artigo, o qual grande pechincha.
Aos dez mil covados de eassas
fraitcrzas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Ovado a 300 -Cottdo a 300
Covado a 300 rs.
Veude-se na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
rail covados das melbores casas francezas
para vestidos, tendo padres miudos e grfi-
dos, assentados em todas as cores, estas
eassas sao piopriamente francezas, tendo
transparentes e tapadas, com tanto corpo
quasi como a chita, e alm dos padrees
seren muito bonitos, sao todos ixos e seria
fazehda para muito mais dinheiro, mas re-
talba-se a HOO rs. o covado.
Uspartiihos a 3*000 na loja do
Pavo
Vende-se urna grande porco de esparti-
Ihos modernos com o competente cordo,
tendo sortirnento de todos os tamanbos, e
vendem-se a 3$ cada um.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3,5600, S
NO PAVAO
Vendem-se pecas de madapolao enfestado
com l jardas, sendo muito ncorpado pelo
barato preco de 3#600 ris, assim como
pecas de algodaosinho com 16 jardas a
4,->>00 e oli)00 ris.
ALPACAS LAVRADAS COM LISTAS A 500
RS. S O PAVO VENDE '
Covado a 500 rs.
Covado a 800 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Na loja doPa'.o ra da Imperatriz n.
60 vende-se urna grande porco de alpacas
lavradas com os mais lindos padres listra-
dos e com flores matisadas, sendo este ar-
tigo urna grande pechincba, por se terem
comprado urnas poucas de caixas e vende-se
pelo barato preco de 500 rs. o covado.
Chales
PELERINAS DE CROCH A 8& lOoOOO
E 1U00
Chegaram para a loja do Pavao as mais
modernas e-mais bonitas romeiras ou pele-
rinas de fil e croch que se vendem a 8 e
io* e m.
GRANDE- HGMNCU
EM
I*KRCALL4H
A pataca o covado
PERCALLAS A 320 RS.
AOS DEZ MIL COVADOS
PERCALLAS A 320 RS.
Na loja do Pavjo ra da Imperatriz n.
60, vende-se urna grande porco de per-
callas francezas proprias para vestidos, sen-
do de cores (xas e mais larga que as cin-
tas, tendo os pannos muito encorpados e
com os desenhos mais bonitos que tem
viudo ao mercado, tendo padres miudos e
grfidos e vende-se pelo baratissirao preco
de 320 rs. o covado, garantido-se estar esta
fazenda em perfetto estado, e vendendo-se
por ste baratissimo preco para apurar di-
nheiro. .
BRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURV A 1,5800
Cliegou para a loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
p cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri
ment de um le.ncol. a qual se faz com un
metro e urna quarta, e para cama-de casal.
com um metro e mojo,; e vende-se pelo
barato preco do 15800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
pllcaces para airamos de familias, sendo
grande pichincha pelo preco.
COBERTORES DE Lu PARA O INVEMQ
DE 35000 64000
LlLJLi

rCBATIHM


U-RA DO aEINADO-ll
DE
PORTO & C.

Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
SABIDAS DE BAILEde cacliemira branca ede cores o. que ha de mais lindo.
BASQUlNESde renda preta, e de gorguro preto, o, que ha. ae mais
elegante.
CHAPEOS DE SOL|)ara senhoras delicadamente bordados-. ,
BALDESbrancos e de cores pora senhoras e meninas, esparfilhos, saias bor-
dadas, e saias de la cora barras -de cor. mil
GORGUROde seda branco e preto para vestidos, sedas de corea, moirean-
fique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados.
--------------------------------------------------- i n n i i.-----------------------------------------------------
|

oca reconte-
'a ipam' ilrTna, vend -
se api i' o a burdo dobrigue alle-
mo Lina, Tundeado de fronde do trapicho
doExin. Si-, biirao do-Livramento; a tra-
do mesm, Ha no escriptorio
-le Joa,uiui Jos Goncalves Beltro, rua
do Commercio n. 17.
FUNDICAO DOBOWMAN
HuadoBruu o.*.
Machinas de vapor.
L.I.,Rodas d'agoa.
Moendasde canna.
Taixas de ferro, balidoi fundido.
Rodas dentadas, paia moer com agoa.
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assuear.
E outros muitos objectos, etc. etc., pru
pi/os para agricultura.
XAROPE PECTORAL' ,

DE

A 60 CJIMA156
NOVO EXPLENDIDO S0RTB1ENT0
Agua-florida de Guis-
lain

Cliegou para adoja .de Pavao, um gran-;
de sortirnento dos molhores cobertores, de,
COLCHAS PARA CAMA A 5^000.
Vendem-se colchas de fustao adamsca-
las para cama, pelo barato preco de 5,
?rande pechincha, na loja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, do Flix
Pereira da Silva.
O atoalhado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
.om 8 palmos de largura, adamascado a
3200 a vara; dito de linho fazenda muito
luperior a 3200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a 4500 a duzia e muio
1nos a 8)JO0O, e ditos econmicos 3*500
i duzia.
i i i
ALPACAO DE CORDO PARA VESTIDOS]
A 1,5000
Na loja do Pavao, vende-se superior ^Ipa-
cSo ou gurgurSopara validos, sendo n'es-
te genero o mais moderno e maii- bonito
qie tem vindo ao mercado com dirTerentes
cores, sendo mais largo que alpaca e ven-
d-8epelo baratissimo pre;o de l^OOo o
covado.
Novidade %ovida GURGUROES DE SEDA PARA AS-PESTAS
DO MEZ D1? NRO "
Chegou pelo vapor 'dgt>t4...4o crtente,
para;a loja do Pavao, ra da Iniperatriz
o. 60, um brilliante sortimen.to dos mai>
modera js e mais bonito gurgillies do seda.:
para vestidos> tenjMydrBS miudinhos u,
gradofl, conujjaj Pptras raalisadas, as-
sentadas aaS'tfJ pdeficadas cores, como
sejam, verdflvWwrk, Iyrio, atrt, perola.
e^ etc.. asaira eomo ditos lisos de todas
l de .car^p, ,^rto ,-amito grandes q;|as ^as%.gara|iDd%e, que na aetiwMad.
muito encorpados, que se vendan de 3 nao ha urna fazenda de mais gosto fia ;d<
at 6l0t 0 cadaii, em relac3-ift oiffe- ais pbanttsia lo rwtes qualidade*, pechipclia: a elles .aw.na|ftop*ilft-.soHd( ijftj mbatommS^
tes que se acabem. I de Flix Pereira da Silva.
Tintura indelevel para fingir os cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceiluada agua-florida de Guis-
tain que ento era desonhecida em Per-
aambuco, j boje estimada e procurada
por seu efficaz resultado, e ainda mais se-
r, quando a noticia de seu bom eileito e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida dr Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, e lhes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algum-
E' porm necessario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
cas tal vez supponham, mfissim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provam testemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por dianle, basla usa-la duas
vezes por mez, contando sempre cqm o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
ratra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conhecida loja d'.Nguia Branca
ra do Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
;aO de sua boa freguezia, tambem capricha
em nao lli'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
i honram, e em prova ao que fica dito, d
como exemplo ,o explendido sortirnento
jue acaba de receber, inda mesrao achan-
lo-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
) oraco, obras de apurado gosto e perfei-
;o, sendo: com capas de madreperola e
locantes quadros em alto relovo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
lonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros im
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateda.
Coras e tercos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortirnento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas volt as grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de lio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras..
Ditas muito finas d'algodSo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, tor<;al, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mnlhores e
meninos.
tes
para enfiar fita.
RARO DE MI
'
PLANTA DO BRASIL
E expectorante e reconmiendado as
affecces do peitc, fironebite chronica, he-
moptise, e Usse chronica.
PREPARADO POR
JOAQUN DE ALMEIDA PINTO
PU^RMACKUTICO
Pernamliticn rita larga Vendem Augusto F
Gommnrrio. n. 42.
C. ri"
BAZAR INIVEUSAL
'O lliin Xiivj ttt
Garneiro Vianna
Neste BAZAR encoiitra-se um completo
sortirnento de todos os^artigos que*se ven-
dem por precos commodos como sejnm: Um
completo sortirnento de niaihinas para cos-
tura de todos os syslemas, mais modernas
adoptados iia America e approvadas na ui-
tima eixposic3o servicos a electos para alrao-
CO e afijar, salvas, bandejas, taboleiros, Iwi-.
sas e malas para yiageui, indispensaveis para
senhoras, candieiros para sala ecimademesa.
paredee portal, mangas, tubos e globos de
vidro, machinas para fazer caf, ditas para
bater.Qvos, ditas para amassar faiinha, ditas
para fazer manteiga, camas de ferro para
casados, solteiros c c'rianca, bcrcos, cade-
ras fbngas para viagein, ditas de balai
espelhos de todos os tamanhos, moldut
para quadros gaz, baldes americanos, gu r-
da comidas, brinquedos para enancas, um
completo sortirnento de cestinhas, oleados
para sala en esa. tapetes para sala, quarto,
E OS PRODIGIOSOS
Anneis c collares Royer para creancas.
Bonitos cebases, ou bolsintias de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas de vidro onfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga parajoias.
Bonitos alhuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortirnento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
CADET
CU RA
CERTA eINFALLIVEL
em TRES DAS
Ph^BDenain?
P A R I S
MOLESTIAS do PEITO
HYPPHOSPWTOS
aoDrCHURCHILL
XAAOPE de H YPOPHOSPHITO de SODA
XAROPEdeHYPOPHOSPHITO de CAL
PILULASdeHYPOPHOSPWTOdeQUININO
CHLOROSE ANEMIA
CORES PLIDAS
XAflePEdeHYPOPHOSPHITO de FERRO
PULUUSdeHYPOPHOSPHfTOdeMANBANESIA
DNCHFIS
HMA
PASTaHAPECTOHAE^.CHRCHIU
Kiifir ftn m WVF* o frm luUraJotem
iMhM MpnMwi gi>tar do U" oatra-
CHU, e o letrewo can a urca de fibrica da
PbVJMda IWAI, 1?, ruaCuiiglione. PARS
JLESSSK^CAUVIN
ffciliff. M. entin MMlopol P*
IM* preciow poraallvo vrfMal to conuBOdo
Mn rrfti' el t n n-meJio tai* InlalHtel par (te*-
11 rwitfitu, ai MMnsMais !> mais re-
( avia a a MU e a *toeMUa4t
p eflHn a*tola. 'HiraJCnfa raxa-
m..aa.MMN PII4ULES
DE VALLET
siKiU/
As Plalas de Talle*, approvadas pela
Academia imperial de medicina de Pari,
sa5 empregadas com o maior ^^^^
xito para curar a clilorosis,
e forliticar as conslituiedes
iracas. Nunca este ferrugi-
noso ennegrece os dentes. ^^^^
Para a garanta da sua autlienticidade,
o nom do inventor vai gravado em cada
pilula como margem.
em Rio-Jankiiio, DnponcheUe; CKccol.it.
e<" l'inumico, KjirffiCf.
DffJsil
POS DE ROG
Approvados pela Academia irperal
de medicina de Pariz
Um frasco do Pa de Ros, dissolvido
era urna garrafa d'agua. d urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar a menor
irrilacao como acontece com a maior
parte dos outros purgantes. <* Pos de
Boge, sao inalteraveis por isso empre-
gam-se fcilmente em viagem.
om Puxmuco. Iturer l C.
1

'
AVISO
aos convalescentes e s pessoas
rucas e debilitadas
O QUINIUM LAMRRAQUE SpprOVaJo
pela Academia imperial ae medicina de
Pariz o tnico por excellencia.
BtM'K
cm RioJiAhho. Duporttilt; Ch..
Cm PcasAaauco. Maarcr a C
paUtru : Maukelecer ou eoaaer-
^jmH/mm-** daaa.iwppMIfiUiotta
fmuimtomi atN. Wcnr st V,
Encanamento de agoa
e gaz.
Cano1 d ferro estanhado e mm porcelana, Hilo*
do chumbo de toda* ;is grossuras.
1 Pesos pelo nov sistema
Teraos dos novos pems comi>ll venda, na do Queimado, xze.ved'i & Irmao.
Vende se a dinneir ou a praso a pailana a
vapor sita om Una. a qual so acha IWn>. o desem-
baracftih i bs pretetodi'ntes pndem enieOder-?e no
mesmo lugar com seu pniprietark, 00 am Hacha
Lima & Guimares, na ra da Cadeia n. 40, e Ne-
comelas M.iria Fr^re. no caej dp Ap;ijto. j,
Vi'iiile--e urna negra de id.ide de 30 anoo-.
perfetta coinheira e de muito boa conducta: na ra
da Concordia n. 136; tambem aluga-se.
SI NOVA LOJA \ m DO CRESPO H, 17,
M
Aiiiiiiii'sliniiiiiwsli.
| Btelrs da-India e bales de todas is
qualidades.
Cimibrafas de cures, percalias, finas br-
illantinas de cores, lanzinlids de todas as
qualidades. etc. etc.
Ricos corles de seda de cores e pretas
lavradas.
Ditos ditos de carnbraia branca bordada
para casamentos.
Riqulssimos corles de vestidos de blond.
Foupelina de seda, novo gosto no mer-
cado.
Damascos de duas larguras de todas as
cores.
Saias bordadas de novo gosto.
Camisas bordadas para senliora.
Basquines pretas de seda.
Casaquinhos de casimira de cor de novo
gosto.
Ricas colchas de seda adamascadas.
Ditas adamascadas de cores.
Alpacas lisas de cores novas.
Ricas fronhas, lencos, rendas e bicos
bordados.
Bramantes c bretanhas finas e muitas
cutras fazendas que seria enfadonho men-
oionar.
Fugiiinhos ekinezes artiflol es
para no les de Sanio Antonio
e *. Poe
Acaba de cnegar grande sortirnento dos nuis
interesantes fuguinlios chlUfies c de .engalla ar-
tiflciaes, proprios par meninos soltaren] dentro
de salas, sem queimar ou offondfcr por serem fa-
bricados espccialmenti! para diverlimenlo de
crianzas : no armazem do vapor franceav ra
Nova n. 7.
IscbavosTBgeos,
Escravo fgido.
Fgio no dia 11 do c rrente mez as 8 1]2
hora da noute o escravo Antonio, preto, de
nacao, idade 48 annos, pouco mais ou me-
nos, estatura baixa, barbado com falta de
dentes na frente,quando anda parece que-
rer cochear de urna perna. levon orna
trouxa de roopa com cateas de algodSo
azul, de listra e brim pardo, camisas de.
lista azul e atgodSo riscado: qupm o pegar
leve-oao seu Sr. Jos Gomes Leal, naijia
da Imperatriz, sobrado n. 13 ou na ra da
Cadeia escritorio rt. ^6 que ser gratificado.
No dia 19 do crrante mez fugio* do en
eeTffo ConcK:ao da freguezia da escoda o
cabr" Thomaz, idado de 25 a 30 annos, al-
tura e corpo regular, barba curta, natural
de Mamanguape da provincia da 1 rafriba:
presume se auef'Jtc tenba id
cife, ou villa de Mapaanggap
pessoa que o aprehenda de
RecKe i Bort"
do Vigario n. 21
da Estrada a sei: m- Bai-So de
Aracagl, que *"fWSflw* tm ^er
sidade.
p Re-
a-se a
ra
Ccna:ic1o


8
9:799*998
40:O0Qi000
'
30:OOOj>000
20:ooo#ooo
ASSEMBLnA GERAL
CAMAKA DOS Sil DEPTADOS
SESSO EM 24 DE MAIO
MUSSIWCNCiA O M. YISCO.NDE DE
CAMARAGIBE.
(Conliiitiaro)
3. Empregados em dis-
ponibilidade, moeda do
paiz................
\. Ajudas do custo ao
cambio de 27 d. sts.
por I.).........-----
::. Extraor linarias neex-
ttrior dem..........
6. Ditos no interior mo-
eda do paiz.........
7. Commisses de limi-
tes e de liquidaran de
reclamacoes......... 40:000,5000
Art. 5. O ministro e secretario de es-
tado dos negocios da marmita autorisa-
do para despmder com os objectos de-
signados nosseguinte9 paragraphos a quantia
de................... 7.715:ioO716
A saber :
1. Secretaria de estado.
2. Conselho naval.....
i. Quartel-general da
marinha............
I. Cooselho supremo mi-
litar......../.......
5. Contadoria.........
6. Intendencia, aecesso-
rios e conselhos de
compras............ 123:881 &800
3:420*000
572:404,5000
104: 370680
888:02416
10:14G7G6
101:210*000
37:300*000
14:012*199
10:932*000
59:200*000
7. Auditoria e excutoria.
8. Corpo ta armada e
classes annexas.......
9. Batalbo naval-----k-
10. Corpo de impelaos
marinheiros'.........
11. Companhia de invli-
dos ................
12. Aranaes........... a,OGfcl7i*9IO
13. Capitanias de portos. 229:005*270
14. Porra naval......... 2,393:997*950
15. Navios desarmados.. 38:708,5800
16. Itospitaes....*..... 182:267*000
17. Pbares..... ..... 102:063*625
18. Escola de narinha e
outros estabelecimentos
scienficos.......... 153:055*448
19. Reformados........ 118:543,5852
20. Obras............. 255:000,5000
21. Eventuaes......... 150:000*000
Art. 6.a O ministro e secretario de esta-
do dos negocios da guerra autorisado para
despender com os objectos designados nos
seguintes paragraphos a quantia de.......
.................... 13,855:872,5691
A saber:
1. Secretaria de estado.
2. Conselho supremo mi-
litar ................
3. Pagadoria das tropas
da corte............
4. Archivo militar e offi-
cina lithographca.....
5. Instruceo militar...
6. Arsenaes de guerra e
armazens de artigos bel-
licos etc............ 1,800:865*280
7. Corpo de saudo e
hospitaes............ 727:840*100
8. Exercito........... 7,823:419*300
9. Commisses militares 80:000*000
10. Classes inacvas------- 1,382:844*011
11. Ajudas do custo.....
12. Fabricas...........
13. Presidios e colonias
militares............
11. Obras militares.....
15. Despezas eventuaes.
Art. 7." O ministro e secretario de esta-
do dos negocios da fazenda autorisado
para despender com os objectos designados
nos seguintes paragraphos a quantia de...
.................... 28,431:742*771
A sabor:
1. Juros, amortizado e
mais despezas da divi-
da externa rumiada, ao
cambio par de 27----- 8,277:005*445
2. Ditos da dita interna
idem............... 7,505:OOK*000
3. Ditos da dita inscrip-
ta antes da emissao das
respectivas apolices e
pagamento em dinheiro
das quantias da mesoia
divida menores de 400*
na forma do art. 93 da
210:681*000
42:178*000
33:060*000
25:976*000
318:000*008
I ti de 24 de Outubrodc
4832..............
4. Caixa da amortizarlo,
filial da Babia, e em-
pregados da substituido
a rsgate do papel-
moeda..............
5. Pensionistas e aposen-
tados............... 1,508:159*430
6. Empregados de repar-
ticoes extinctas.......
7. Tbesouro nacional e
thsebraras de fasenda.
8. Juizo dos feitos da fa-
zenda..............
9. Estaces de ar recada-
cao................ 8,305:270*614
0. Casa da moedJi e offl-
cina de estampara c
impressao do thesouro
nacional............. 150:280*000
H. Addflnistracao de pro-
prios nacionaes e de
terrenos diamantinos.. 57:313*000
12. Tipographia Nacional ^ ^
e Diario OfRlial...... 170:000*000
35:000*000
100:000*000
58:900-5000
15^98*357
1,M)8:9J4*000
78:320*000
28:000*000
50:000^000
3,133:818*592
60:000*000
201:000*000
250:000,5000
500:000,5000
400:000*000
13. Ajudas de cusi.
14. Gratificaces por ser-
vicos temporario* e ex-
traordinarios .........
15. Ditas por trabalhos
fra das horas do expe-
diente ..............
10. Despezas eventuaes,
sendo 3,03:88#592
. para differeacM de cam-
bio, calculadas as re-
messas ao cambio medio
de 20%............
17. Premios de letras,
descontos de bilnetes
da alfandega, commis-
ses, corretagens, se-
guros, juros recpro-
cos, agio de moedas e
metaes.............
18. Juros do emprestimo
do cofre dosorphaos..
19. Obras............
20. Exercicios lindos...
21. A liantamento da ga-
ranta de 2 % provin-
caes estrada de ferro
de Pernarabuco......
22. Dito da Baha-----
23. Dito de S. Paulo ..
24. Reposicoes e restitu
ces............... *
25. Pagamento do empres-
timo do cofre dos or-
phaos.............. *
26. Dito de bens de defun-
tos e ausentes........ ->
27. Dito de depsitos de
qualquer origem...... *
Art. 8." O minstra e secretario de estado
dos negocios da agricultura, commercio e
obras publicas autorisado para despender
com os objectos designados nos seguintes
paragraphos a quantia de 11,819:699*710
A saber :
1. Secretaria de estado.
2. Sociedade auxiliadora
da industri nacional...
3. Acquisicao de plantas,
sementes, etc
19. Crrelo geral....... 770:740*440
20. Instituto commarcial. 14: "
21. Mas na<**ai.. 8:900]
CAPITUTO
Rectit a geral
Art. 9. A rec/ite geni da imperio
e^da na quantia de .... 73,000:000*000
Art. 10. Esta reedita ser eflectuada com
o producto, da renda geral arrecadada den-
tro do exercicio da presente lei, sob os
ttulos abaixo designad'
Ordinaria
1. Direos deimportcSe
para consumo........38,500:000*000
2. Ditos de baldearlo e
reesportaeao......... 18:000*000
3. Ditos idem para a Ges-
t 'frica..........
4. Expediente dos gene-
ros estraHgeiros, nave-
gados por cabotagem.
-livresdedireitos de con-
sumo, etc...........
5. Dito dos ditos do paiz
.6. Dito dos ditos livres,
elevado ao dobro..... 19O:O0Q*8OOj
7. Armazenagem....... 260:098)8000
8. Premios de assignados 40:080*000
9. Anceragem......... 240:080,5000
10. -Imposto da doca.... 130:000*000
i 4 i
300*000
720:000*000
130^88*008
H Ditos de 15 % di
400:000-5000
300:000*000
950:000*000
200:000*000
213:333*333
320:000,5000
471:117*000.
2:080r508
40:000,5000
700*000
36:0001000
190:000*000
90:400*000
32
115:000*000
5:000*000
110:000*800
7:600*800
104:000*080
1:300*000
4:000*000
150:000-5000
6:000*000
20:000*000
4. Auxilio ao Dr. Mar-
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
ron
Paulo Fval
Primeira parte
O IHt \< \l. LAVRADO
Continuar ao do n. 126.)
IX
ina hora ele anor.
Ha trumphos tu completos, que i'azem
mal. Nem todas as sorpresas sao alegres.
Coniaram-me uin acto bem singular. Ga-
bava-se Dawsky, o famoso domador de
serpentes, de laucar a mao, primeira vista
e sera preparativos, a qualquer reptil. Un
americano brincalho. porque nao temaFran-
ca o privilegio exclusivo das farpadas, poz
urna manbaa no utervallo da cama do seu
amigo Dawsky urna serpete preta, terri-
velmente salpicada de amarello, e assentou-
se de charuto na bocea, espreita das sen-
saces que o despertar do domador devia
trahr. Este aconto : vio a pequea ser-
pete e sorrio. IJp realmente um homem
intrpido, porque^fflo raanfestou outro>
cuidados que um ffesem o receto de es-
pantar o animal. Avuicotj precatadamente
a mac d apanhau a serpte pelo t mico.
Stldos"1' W*a'** *> W *
A serpento era de paseao
Tipba o contacto de urna,, materia inerte.
a sorpresa, fulminado o mesi uiS
que acaba va de sorrir. friamente ao oansa-
mento de urna luta mortal. *
-Vuma ordem de ideas multo menos ex-
ceutricas, interrogela o seu medico, eper-
tins.etc............. 10:000*000
5. Eventuaes......... 20:000*000
6. Jardim botnico da la-
ga de Rodrigo de Frei-
tas ................ 12:OO0-5OO0
7. Dito idem do passeio
publico............. 10:000*000
8. Corpo de bombeiros 64:413*000
9. Illuminacao publica .. 570:159*^80
10. Garanta de juros s
estradas de ferro..... 2,311:125*800
11. Estrada de ferro de D.
Pedro II............ 1,100:000*000
12. Obras publicas geraes
e auxilio s provinciaes 400:000*000
13. Inspecco geral das
obras publicas do mu-
nicipio.............. 848:041*190
14. Esgoto da cidade.... 876:120*000
15. Telegraphos.....? 300:000*000
16. Tenas publicase colo-
nisaco............. 1,161:600*000
17. Calecheseecivilisacao
de Indios........... 80:000*000
18. Subvencao s compa-
nhias de navegado a va-
por ................ 2,786:000*000
guntem-lhe o que sticcederia se, sob a in-
fluencia, por exemplo, de um ciume, de
urna colera violenta, dssem aos msculos
da perna o impulso necessario para metter
urna porta dentro, o quee suppoaho que
jsto se passe s escurasa porta se achasse
totalmente aborta.
E falla bem o proverbio que zoraba dos
arrumbadores de portas escaucaradas. .
O medico ha de com effeito responder-
Ins, que, em de vezes, nove quebrariam
a perna.
Cumpre-nos confessar que nao sem
custo, que deduzimos estas enfadonbas pa-
rbolas proposito de Julia Maynotte, a
suave e nobre creatara ; convm, porm,
confessar que o moro lavrante eslava, seu
tanto na posicao do americano Dawsky ou,
do homem que dss' no vacuo um ponta-;
p homrico.
Era vez de resistir, Julia dissera :
Como bel de ir para Paris ? Como me hei j
de l esconderbmc
- E devem notar, que muilos minutos ha-
viamj decorrido, sera que ella conoedisse
4 sir.gela eloquencia de ndr mais que
distrahida atlencSo.
. E todava o nosso Andr nao desmaou
como Dawsky, nem leve i curaro cousa
alguma deslocada.
. Nao. Era urna alma joven e vg*rcsa,
e tambem urna alma sugela, e anda ha
piuco nos occorrera o termo. Amavaj^ra-
nienie, amplamele, santamente accriscen-
taremos sem que dos importe a bartalidade
da emphase. Partecioa.va do.gig^nlee da
crean. S6 vio a safvafao do seu idolo,
e considerou-st ft\\r..
Nao le desdigas exclamou, quando
Julia procurava oottier anda no ar spala-
vras que Ihe haviam escapado; seria indigno
de ti.
Hayiam de aovo desmaiado as coces de
Julia ; ella, porm, nSo levantou os Olhos.
Andr contmuou quasi em seguida :
Vaes direitinha para Paris na diligen-
cia, e tranquilamente ; fla-te era mira. Vi-
veras l como i te parecer ; o dubeiro Sea
as toas naos.
E leceberei o mmino?
Nao. respondeu Andc;isso oJo-pde
er; Seria um indicio. preuso qua" eu
exportafio, do po-bra-
sil
12. Dito de 5 % elevados
a 9................ 13,520:000*000
13. Ditos de 2 *ft" o da
plvora e dos metaes
preciosos em p......
14. Ditos de 1 \'t% <1"
onro em barra.......
15. Ditos de 1 dos dia-
mantes .............
11 Expediente de capata-
zias................
17. Joros das acroes das
estradas de ferro da Ba-
bia e de Pernambuc
18. Randa do crrelo ge-
ral.................
i9. Dita da estrada de ferro
de D. Pedro II.......
20. Dita da casa da moe-
da .................
21. Dita da senhoriagem
da prata............
22. Dita da lilhographia
militar..............
23. Dita da typographia
nacional.............
24. Dita do DiulioOficial
25. Dita da casa de cor-
receo ..............
26. Dita do instituto dos
meninos cegns........
27. Dita da fabrea da pl-
vora ...............
28. Dita da de ferro do
Ypanema............ 100,5000
29. Dita dos telegraphos
elctricos........... 20:000*000
30. Dita dos arsenaes .. 90:000*000
31. Dita de proprios nacio-
naes ................. 58:300*000
12. Dila de terrenos dia-
mantinos............ 40:000*000
33. Renda do imperial col-
legio de Pedro II..... 72:000*000
34. Foros de terrenos e
de marinha, excepto as
do municipio da corte,
e producto da venda de
posses ou dominios uteis
daquelles terrenos de
marinha, cojo aforamen-
to fr pretendido por
mais de um individuo
a quem a lei n3o man-
dar dar preferencia, on
n3o sendo esta requeri-
da em tempo, os quaes
sero postos em hasta
publica para serem ce-
didos a quem mais der. 10:600*000
35. Laudemios, n3o com-
prehendidos os prove-
nientes fas rendas de
terrenos de mariiihas da
corte............... 25:000*000
36. Decima urbana..... 1,580:000*000
37. Dita idem de urna le-
gua alm da demarca-
cao................ 33:000*000
38. Dita addicional das
288:0001000
98:000*008
75:0(10*000
28:000*008
1*0:000*000
360:000*000
40:SOO*00
corporasoes
m^ria.... ..
W. Dir tos no vos e. ve-
os e d* chanceltria..
40. Ortos das patentes dos
offfciaes ila gaartfa na-
cional ..............
41. Dirima de Chancella-
ra. >'...j... -i.....
42. Joias das ordens ho-
h erilcts.............
43. Matriculas das ('acui-
dades de direrto e de
medicina............
44. Sello do papel fi\o e
proporclWM......... 2,950:000*000
45. Premios de depsitos /
pnmicos. ........... "froOO-oOo
i6. Emolumento (inclu- _,
dos da polica)..... 3:t4:OO0*O80
7 imposto d? transmis-
sfo de-propriedade.... 2,750:000*880
48. imposto pessoal..... 280:000*000
40. Dito sobro racimen-
tos .................
50. Dito dos despachan-
tes, corredores e agen-
tes deleitos.........
51. Dito sobre iojas, ca-
sas de descont, etc... 1,250:000*000
52. Dito; sobre casas de
movis, roupa, etc., fa-
krkades emamr est/an- ;.
geiro............... 34:000,5008
53. Dito sobre casas de
modas.............. 3:600*000
5 i. Dito n consumo de
agurdente.......... 168:000*000
55. Dito do gado de con-
sumo......r........ 170 000*000
56. Dito de 20 % das lo-
, tenas............... i,245tf74*080
yft. Dito de 5 Vo dos
premios das" mesmas ..
58. Dito sobre datas mine-
raes................
59. Taxa dos escravos...
60. Venda de trras pu-
blicas.............
61. Concesso de pennas
2,500:000*000 d'agua..............
62. Dizimos...........
12:636(5000j63. Armazenagem de
agurdente...........
64. Cobranca da divida
activa............
Extraordinaria.
65. ContribBMes para o
raonte-pio...........
66. Indemnisarao.......
67. Juros de capitaes na-
cionaes .............
68. Producto de loteras
para fazer face s des-
pezas da casa de cor-
reeco e do meltiora-
ment sanitario do im-
perio............... 77:700*000
Pereira d.v Silva feqner urgen-
liatOOO#OO ca pra apresoaMMtm projecto de lei ela-
borado pelas comibses reunidas, f* do
|do otcamenlo e da fazenda, aflm de vigorar
per mate f eis mezes o actual orcamanto do
^868aT889.
Approvada a urgencia pela cmara, e
'comedida de novo palavra ao Sr. Pereira
di Sjlva, fazellei^te exposicao dos moti-
vos do projecto que apresenta.
lR0R0r.A<;0 o Oftf KMF.MTO.
Vem mesa; lido, evai a imprimir
pata entrar na ordem dos 'trabamos o se-'
guinte projecto da lei:
c As eoaraissoes reunidas, 1* do orna-
mento e da faenda, tem a honra de pro
por i consideracao da cmara o s'egumte
projecto d Tei:
assembia geral decreta:
Art. 1. eerwmonto> vifente de 1868
a 1888 ser prorogado durante seis mezes,
se antes deste prazo nSo tiver sido pro-
mulgado O de 1869 a 1870.
Art. !. Autorisa-se o governo a fazer
qaaesqoer opersces de crdito, quer para
preencher o dficit do 1868 a 1869, na im-
portancia de 18,814:058*143, quer para
as despezas propostas pelo ministerio da
guerra em pedido de crdito de 17 de
maio- cocrente de 20,395:63*852, quan-
tia wecessaria pira o primeiro semestre do
exercicio de 1869 a 1870, em consequencia
ite contintaro da guerra.
Pafo-dacenwra dos depilados, em 24
(te maio de 1869.Pereira da Silva.A.
J. HenriyHe.Perdigo MaVieiro.J. C.
e Menezes e Souza.D. A. F-gueira.
Estando esgotada a ordem do da, o Sr.
presidente d a ordem do dia, e levanta a
sesso.
350:318*000
120*000
5MS:000*000
20:000*000
60:000,5000
12^)00*000
45:000*000
490:000*000
550*000
490:000*000
150:000*000
69. Dito de 1 / das lo-
teras, na forma do de-
creto n. 2,936 de 16 de
junho de 1862........
70. Venda de gneros e
proprio9 nacionaes ....
71. Recelta eventual.....
LITTERATM.
43:200*000
10:000*000
920:000*000
73,800:000*000
Depsitos.
1. Emprestimo do cofre
dos orphaos.......... 1,714:000*000
2. Bens de defuntos o
ausentes............
3. Ditos do evento.....
4. Premios de loteras..
5. Depsitos de diversas
origens.............
210:000*000
8:200*000
40:750*000
2,650:000*000
4,631:950*000
esteja descancado tea respeito. Em Pa-
ris sers urna senhora solteira. Hao de
procurar urna mulher casada, orna mai. A
tua seguranca reside nisto.
Mas o nosso filho ?
Tens conflanca em Magdalena, que o
amamentou ?
Levantou Julia os olhos, afinal. Estavam
arrasados de lagrimas.
Era demasiado eliz J... mnrmurou.
Ah 1 isso se eu I exclamou angustia-
do e lavrante. Faca o que flzer, sempre
tu has de ser quem ssffrer mais.
Julia prorompeo em sotaros. Te ve
) a expmso que devera ter vindo mais
celo. _
Por Deus te peco, suppthM ella :
por Deus te peco, 6 mea Andr," que me
nao mande para Paris !
Andr trou da algiberra a cartejra que
conheceinos, eque centmha as qaittrze no-
tas de 500 francos.
Ah le^as os leus ipeis, disse elle ;
sao os unipos que te dtwemisortir at |ao
ittomenlo em que Deus
Jer qual cu Citev^piM *Lm% Ueni. dos
les Bozzo. N3o Cueste nao casamento.
un tratados, de mseosat res que quizessem estabele* m com-
mm entro ti e o pobre. A uynotle,
pji npm sequer eafl-^^'Li&ios do
dea ser admiltiJ ^mn_ r'W,
> infortunios dgj |; mas
J)re. porqj:
tens
^aaaa. xlteomett em 8arwalMad8i, paran
CAPnn.0 ni
Disposicue.s geraes.
Art. H. O governo fica autorisado para
emittir bilhetes do thesouro at somma de
8,000:000*000 como antecipaco de rec- ita |Realmente
no exercicio desta lei.
Art. 12. Ficam em vigor todas as ds-
posices da lei do orcamento antecedente
que n3o versarem particularmente sobre a
ixac3o da receita e despeza, e nao tiverem
sido expressamente revogadas.
Art. 13. Ficam revogadas as disposices
em contrario.
Rio de Janeiro, 8 de maio de 1869.
Estou prompla, meu marido, balbu-
ciou Julia por entre lagrimas.
Depois, pendurando-se-lhe ao pescoco, e,
podemos asaeverar que do fundo d'alma,
accrescentou:
O! tu es grande s bom I Amo-te
muito, mea Andr 1
Ficaram por um instante abracados.
Tenho urna fome diaboKca disse-
Andr alegremente. Julia nao, se moveu,
e tornou-se cada vez mais triste.
Com as maos- apoiadas nos hombros de
Julia e os olhos oravados nos delta, prose-
guio Andr :
Voltemos ao comeco da nossa conver-
saco, minha Qlha ; fallavattios do banquete
solado, com que, na solido da mata, cele-
bramos os nossos esponsaes. Rodeia-nos
outra vezo perigo, e outra veznoaadiarais
a sos, sob w vistas da Provideuuia, Hoj
como eulao, o nosso pobre futuro toldado
per urna nuvem qqe s Deus pode dissipar.
Oqye te dizia oos vastos bosques de murta
da uossa trra, vou agora repetir-ta. V3.
Ajoelhou.Hoje como entao, estou a tets
"qVoltasa fi^S. Julia, nuntia esperanca, minha adorada
ventura. De ferrada i minha supplica, cta1*
torgaste-me daquella vez um dia, e
Carta do! ou anlgo 11 ?
CHARO 1 ? ?
Por mais que desse tractos memoria
ver s me lembrava de alguma linda mo-
reamlia, nossa Mohecida, a quem ptidesses
ter dedicado os bonitos versos, que publi-
caste no Diarin de 22 de maio, foi em balde,
nao consegu; mas, disse comjga: isso nao
pede flear assim, heide por forca descobrir
quem essa rainba da aorora, qne est
perdiendo seu tempo com o gelado ? ? ?
Tive urna idea feliz : lombrei-me, que
dentro da minha estante, t3o estragada,
como a bibliotheca de Alexandria depois
de incendiada por Ornar, tinhaeu guardado
em um cantinho o kalmdario dos melhores
ecmmentosda provincia.
Peguei o precioso livrinho, e depois de
ter tirado cuidadosamente o involucro de
poeira em que elle eslava mettido, o abr,
e lendo- pela terceira vez, vi a pagina se-
gunda o nomo de urna bella moreninha,
que me tinba escapado s duas primeiras
leiTuras, e entao fez-se a luz em meu es-
pirito.
Eureka I disse com os meus botes, e
acredita, que tivevontade de imitar o cele-
bre Arcnimedes, e, ufano de minha deseo-
berta, sahi pelas principaes ras da ci-
dade, mettido em trajos menores, e gri-
tando como um louco ; mas, meu amigo,
lembrei-me, que os lempos de agora n3o
sao como os j passados, e que se eu por
acaso assim flzesse, n5o daria dz passos,
sem ser agarrado pelos fortes pulsos de
dous policiaes, e condnzido, apezar de
toda resistencia, para a bem conhecida
casa de drates.
Feita a descoberta fui outra vez ao Diario,
e pui-me a combinar os diversos attributos,
qde dste tua moreninha, com o? que eu
sabia que tilma a por mim encontrado.
Depois de um ex ame minucioso a duvida
deixou de pairar em meu espirito. Vi que
os attributos deuma e de outra s* casavam
perft-itamene, e entao flrmei a certeza de
que a virgem a quem dirigiste teas versos
era-justamente a que eu conhccia, e cujo
nome eslava nomeu incomparavel livrinho.
cabellos ner/rm, olhos helios e
matar, IWos purpurinos, semelhando
concha perfumosa, que ao abrirse mostar
per olas l asentes nos engastes coralinos,
rosto mimoso, face avelludada, maos
divinas, talhe geniil, ps de fada,... torios
esse encantos, toda essa belleza sem par
tem a linda' moreninha. Cauzou-me porera
admirac5o a inmensidade de exigencias,
que fazes da decima quadra em diante
para poder ficar goito ten .corac.Ho.
Bm sei que elle mate fri, que a lagedo
d'um jasigo, e que snntm mais glo,
que toda Siberia famosa. Ms qual -
o coracao, por mais fri e gedo que
seja, que nao se rende ehawma do olhar
sublime daquella deosa ? l...
O proprio peto de um morto batera
cheio de vida ao toque galvnico de suas
divinas mosinhas....
Dgo-te cora franqueza : quahjuer um de
seus encanto's teria por si so forca bastante
para apaxonar-me loucamente I... e todos
reunidos me dariara napbraze de Bocage :
Mort morte de amor meluor que a viaa.
E' precizo, na verdade, ser-se soberana-
mente insensivel, para n3o morrer de amo-
res por esse ser indermivel qae rene em
si tao sublimes encautos !!! I Oh! eu te
acojusca, meu,cbaro'?t?; quem escreve
com tanto sentmento, como tu, nao pos-
sivel que tenlia o coragao g- lado....
A ultima quadra de tens mimosos versos
bem mostra quanto amor anda existe em
ten coraco de moco.... Foste inspirado
ao escrevel-a, ella digna da penna divina
do amante da Leonor.... Seeu fosse poeta
quereria que meus versos revellassem tanto
sentmento quanto estes :
Esse raio, bella nympba,
Ser minh'alraa, que Deus
Erguendo do nada, prende
Nos negros cabellos tens.
Nao podem palavras mais bellas exprimir
mais bello sentimento MI A toa poesa me-
reca bem ser fechada com aquella ehave de
ouro
Tinha vontade de copiar todas a demais
quadras, e analysaodo-as mostrar as belle-
sas, que cada ama deltas eocerra: mais
isso seria, por certo. muito arrojo da parte
de um rasteiro prosador; e nao foi esse
o meu intento ao iserever-le estas linlias.
A minha caria tem somante' por fim di-
zer-te (jue a mysterioa moreninha a quem
dirigiste tao bonitos versos, atoito minha
conhecida, eque, do raesmomodoque ella,
muitas outras teemonome escripto no meu
kalendario, livrinho muito apreciavel por
ser o onico n'esse genero, e que o alvo
de rainhas aspiraftes futuras.... Podera
nao ser assim.... elle o fiel indicador dos
melhores casamentas da provincia!!..
Eu estou bem certo de que, para con
sulta-lo, muita gente seria capaz de andar
dez legoas p, muito embora soffresse
de callos............................
Adeus. Tal vez .e cause alguma especie
o modo porque cu vou assigwr-me;
porem deves lembrar-te, quealguem j disse
ser o homem urna interjeicdo de bigdes ;
nao por tanto para admirar que, quem
anda nao os tem. comoeu, se assigne se-
ment
f
w
dia I aiegre, enamorado, descuidse e q e cofn'irrtdligenCfa e com sciencia, e nada te-
v.a^u.por umaj loaga. vida. U tempo urge,
e abi est o sol. que, nos adverte. Nao: te
peco ura da todo ; apenas le imploro urna
nora de satisfaftao e de amor, para qua o
meu duplo tbesouro s componha de duas
adoradas memorias.
Julia" telabwiwe ; retw>e-allle, e sac-
tPntre' "lateaw^ \wfwtet?
teo-j*rfeeteii"d{o sus *<^
la a>an ? 4Jonaeoe >o- tiaw-, i dedicada, e>sse WI',
i carfa-para' a isHiflK,jW
Bf novas de mmv Mthinbo. Eatasj
to reguladas e decididas. A901
i rae d>KM,coBO boa,esposa |
prompte, ne Hwuide.
rSo conseguido, porqae h5o de ver a milsi-
ma rir-se-lhes as.bochechas, manifestando
no'yicio thesouros de virtude, ou na virtude
algrfh'a gangrena ocetlta, mysteriosa mor-
dedura do vicio. 'NSo'hatbm achado aas
ostras loVas nenminia rgiwl,nemcWteaque
feeFVIrdbes plodesse para a defluica' deata.
Trabalbeni, pois; destiera! um da este
labor, e volteta ao seu peeulio ile eonteci4
raeniea tldqulridos, para Ih jantaren est 1
nova conqaista, para Ihe darem o competen-
te lugar nasua Hecco, e paraeo menos
|W)fflpirarent, suprema 'ventura dos que se
Tomofflg-cabaz e abrio-o. Tiro vtotjo, 'otanra coltgir.
frucu e atgum ooaMptrosseiro, qoe poa p i Achou o homem das Mil e urna Notttes,
cbSorelvoao. AaldBfljpaBpanhavs-'loeo'n^ ifabea seccas, em vez de seqnlns. O veaio
vistas cotnmovfdaHM JMlwMn awrimdn- entrou no nWseu e baralbou-lhe os rolu
oa: Jareca-lb:s ailMiado no mago &> Ws. 1 Pode isto amito 'bem dar-se I- E ah
oaraclo de Jutte, e< aMMu-lhe om fer- eanir-oao a gallinba que poeeram a cho
aro aorrtea oam qafe diaterva as, mam de pata, astoumdta para-Ibes
lagrimas. eff*oWar loda a cteisiflMv*) n'qfW-dasa
8 que podemos dfer ? Nao oranKin-- Maiairl> *orrivt. bem ptr* os sew
1 ctnrai aoia lagrima T De 09 Btre de (rntm, am Ote le tapados eMavam: as
ta ri- caodo-me cora dois beijos os oluos mareja-
' "do, acepeficentou ;
Nao quero que se chore mais.
Respoftdea-4ha Julia i
Muja come enaao, son e toa, meo
querido Attfre, e farei o qve me pedes.
oAKn
o sappormos. Andr era o. hornera da sua
escoma, o sea primeiro, o seu nico amor.
Lancra-se-lhe ella um dia nos bracos cheia
de enthusiasmo e sem reserva.
Mas ha penco estava distrabida Os
que compoem tratados que intitulam A
mulher, ou sao cegos ou presuncosov
fPor mais penetrantes que sejam as suas
vistas, affirmo-lhes qae em presenca tientes
mysterios e destes caprichos, destas trans-
formages e desaamtragons, sao uns cegos;
por maior qae seja seu talento de obser-
vacao, por mais prximos que sejulguom
de'altalgir a preciosa faculdade de adevi-
nhar, nao passam de urnas creancas pre-
suntas. Estava Julia h piuca distrahi-
d 1 : um pensamento Ihe occorrera mesm no meiodaquella agitaco, um pensamento
que nada tinha com o marido nem com o
(libo. Pensamento peccaminoso ? Isso nao!
Pensamento egosta ? talvez. Existem pro-
fundos vincos, recantos obscuros nestas al-
mas," qae variam nao s de omaspara ou-
tras. senSo anda e incessantemente com
r,e#o si proprlas : riqueza prodigiosa da
obra do Creador I Arralysem no s^a ca-
'dinno,' se nm cadhho possuem, noyecentas
noventa e nove destas almas ; estudem-nas
lloras amarga
AO SR. ? ? ?
Nesta vida de espinhos e flores.
Se rsente o prazer de amargor,
Dus queixumes dura peto abatido
Brotara risos descreles de amor.
Quem nao sent amarguras e prantos
Quando julga esta vida feliz ?
Fatal sna, que nos nos curvamos,
Gratos sonlios de amor-contradz.
E assim nos vivemos sonhando.
E caliiinos cansados no tho:
Nos illudm rsonlias mragens,
Nos alejita engaosa vso.
Sao Rgeiros os das serenos,
Que contamos de amor e prazer,
Destacados minutos d'nmseculo
Que se eleva e nos faz abater.
Negra nuvem nos tolda a existencia
Na vrente o azulada estacSo,
Peregrinos da trra, que somos,
Nao percamos da crenca o clarfio.
Nao varillo, nem tremo de susto,
Que a descrenga part Iha d'atheus:
O futuro me atenta e me anima
as ardntes proraessas de Deus.
Recife 28 de maio de 1860.
C. Y.
rolhas saltaran fra ; s o ar substitue o
precioso nctar ; e nao fa tou zurrapa que
se transformaste em vioho generoso, nem
nobre licor que se tornasse vinagre.
Apezar da emphase cora que os profes-
sores fallara, a mulher nao existe : o que
por ah vemos sao mulheres.
Milagrosas dadivas do co, flores adora
das, que em si contem, com os simplices
que a medicina emprega', ogora a vida e
logo a morte.
E reatojenle j importante o conhecer
alguns destes siiapteels; ospie este ponto
chegam, esforcam-se &' duvidam. S os
principianles velhos ou mocos, tem a sn-
geleza de entoar hymnos de triumpho, e
de, com o seu orgull digno de lastima,
pensaram que conhecem a flora completa
d'aquelles temiveis canteiros.
Julia dispoaera tndo n'oma pedra co-
l>erta de musgo, em torno da qual a herva
da mata, alta, delgada e Sempre verde,
mesmo qje o catejra Mu* formava macia
alfombra. Passira o ardor do dia ; pro-
longva-se a sombra' dbs r- ble?, emquanto
o sol desoja lentamente no lmpido firma-
mento'. A- arsgem tupida agitava as trancas
do arvoredo'. Era tempo de amar.
Estava(ba^ouco distrabida : por duas
vezes o Atesemos, e nibjfem amargura.
Nen sombra, hiw^'tlqitif Porque have-
raos dfi_.ser se\orus 1 vio buscar Andr
pela mo e'conJdiio-o para junto da impro-
visada mesa. Assentaram-se ao lado um
dft^uro.^e conefarani a> comer.. Quiz
Andr, n'ura toart- silencioso, qoa a pri-
meira libacao fosse compctela, a ama la-
grima-daquette triste vmbo de -atdeirlhes
humedece |i>i sblidos n'um beijo.
Nos primeiras -momentes -oi urna fesla es-
toica e cqnciuma tavajtlrada por aquello
nobre radio is, agoslife fai^eparacao. Veio
di6'Lp" *^^JPiravll-slren*
pfqtura nos m&* o ?fclte. ^^S8
verdadeirofttaito; *****fmtW3en'
tados ao4tetiq\tedomrtyrW.
imtmum^M^aJ

U
Hf.l>lf-tWP.
*- "'J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES7MISBKG_SWS58M INGEST_TIME 2013-09-14T02:10:35Z PACKAGE AA00011611_11860
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES