Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11851


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 119.
PAEA A CAPITAL E LUGARES ONDE NA0 SE PAGA PORTE.
Por tres mezas adUatados.................. 6(5000
Por seis Utos idera..........."..*.<..... t240OO
Per uul auno idean..................... 244000
Cada numero avulso................... $320
SEXTA FEIRA 28 DE MAIO DE 1869.
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados.................... 6,3750
Por s< ditos idem........... ,......... 13*800
Por no\i ditos idem.................. 20*250
Por uin anno...................... 270000

A
Propriedade de Manoel Fig-ueira de Fara & Filhos.
*
HiO AGESTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves A Filhos, no Para; Gor^alves & Pinto, no MaranhSo; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty; Joo Mara- Julio Chaves, no Ass*; Antonio Marques da Silva, no Rata!; Antonio Joaqun
Guimaraes Pancada, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Beiarmino dos Santos Bofcao, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
ir da Casta, em Aiagas; Dr. Jos Martias Alves, na Bahia; e Jos Ribeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
era Nazareth; Francino Tavares
\
\

:
PARTE GFFICIAL
toverut da provincia.
FXPEDIENTK ASSfCKAIM VHIjO BIM. SR. DR. MASOKI,
Di) NASCIMBHTO MACHADO POllTiXLA, ViCE-PRJSl-
DEffTE DA PROVINCIA, KM 23 1>E ABRIL DE 1869.
1" seceo. m
N. 875. Portara ao director do arsenal de
guerra. Faco apresentar a V, S. aQm do ser
ili-tado na companhia de aprendizes, d'esse ar*c-
nal, se fr julgado apto e estiver as condi^oos w-
gaes, o menor de nome Jos do Egypto, que me fui
remeltido pelo juiz municipal e de orpbo do termo
do Linr.wiro rom offlejo de 8 do correute.
N. 876Dita ao director do arsenal de guerra.
De conforraidade eom o que solicitou o presi-
dente do Itio Grande do Jurte em oflteio de 19 do
torrente mande V. S. fomeeer alim de seren re-
mettidos eom a expeemrrra bflnta, para aquella pro-
vincia seis espadas e igual numero de pistolas para
oraras ,te (avahara.
X- 877.~Dit* ao inspector do arsenal de man-
tilla. A" vista da iufornucao de V. S. de 21 do
cnenla sob n. 1721, sobre o requerimento de
Auna Joaquina do Espirito Santo o do que dispoe
i ivi-i d i ministerio da marinha de 6 de feverci-
ro de 1863, autoriso V. S, a eleniinar da compa-
nliia de aprandises marinheiros, e entregar a sup-
plicaate indep^ndente de indemnisacfio o "menor
seu prente de nome Epil'anio. sjuc li julgado in-
X. 878Dita ao capitao do porto.-Transmiti
i V. S. para sen coitheciim'nto, e afini de que faca
i- instar o seu objecto a junta de sade incumbida
do exaine dos recrutas Je marinha para sua exe-
cuc.v), rupia do aviso circular do 7 do crrante
recoiniuendando que se proceda com o maior rigor
em laes exames para que nao sejam remettidos
para a cort individuaos improprios da vida do
mar.
N. 871.Dita ao cnsul de Hespanha. Tenbo a
vista o ollicio de 16 do corrente, em que o Sr. cn-
sul de Hespanha pede que eu lhe reinelta copia
do documento com que um individuo se aereditou
eidadao hespanhol e obteve desta presidencia una
portara no dia 9 deste miz o qua segundo o arl.
do decido n. 4176 de 6 de maio de 1868 doria li-
car archivado. Em resposta cbeme dizer ao
Sr. cnsul que niio mandando o art. do decreto
citado archivar tal documento, e devendo por Bar-
ca dos arK 1, 4* e 5o ser os passapnrtes fran-
ueados aoa estrangeiros, (pieos requererem, ni-
camente para facilidade de sua viagem, pois sao
facultativos e nao obrigatorios, com excupcao das
mui-teres, menores ou lilbos familias, apresenlando
Miguel Senna Marlins amarado publicado^ nos
Diarios ti? Pern mbucano n. 76, 77 e 78, de 6, 7 e
8 do corrente, era que fazia publicar a sua retirada
para a Europa alim de tratar de sua sade, o qual
i p ir f.rma alguuia contraditado obteve em
> a partira a que alMde o mosmo Sr. cnsul da
lanha. Renov ao mesmo Sr. cnsul a seguran-
la de siman estima e distincla eonsideraco.
2* seccao.
N. 832.Ollicio ao presidente do supremo tri-
ra. Com a informacao im lusa por copia minis-
trada pelo chele da repartu}ao das obras publicas
de 22 do corrente sob n. IGi, respondo ao oflicio
de V. Exc. de 22 de marco ultimo, solicitando o
ajuste nesta capital de um ineslre pedreiro quo-v
prestar seus serviros nesta provincia, aguardando
s ordens de V. Exc. para celebrar o contrata se
llie parecer conveniente.
N. 894.Dito ao vice-presidente da provincia
da Parahyba.Ficando inteirado pelo seu officio
de 17 do crranle sob n. 1607, de haver V. Exc,
prestado juramento e tomado posse na qualidade
de seu priraeiro vice presidente da admiuistraeao
dessa provincia. Cbeme assegurar a V. Exc.
que me achara sempre disposto a citmprir suas
ordeurqner sejam ellas relativas ao servicp publi-
co, quer ao particular' de V. Exc.
S. 86.Dito ao mesmo.--Ne8t* data e de con-
foTinldaUe com o que V. Exc. solicileu em seu of-
licio de 20 do corrente sob n. 1677, expeca s con-
venientes urdens ao gerente da companhia per-
nambucana para fazer embarcar cui um dos va-
pores da mesma com)anhia que d'aqui segu nos
primeiros dias do niez prximo vindouro, e entre-
gar no porto de Mossor, ao agente Uscal, os g-
neros alimenticios de que traa o seu citado olli-
cio.
N. 896. Dito ao presidente da provincia do
o-Grande do Norte.Acensando a recepoao do
ollicio de 12 do correnU?, em que V. Exc. me par-
ticipa haver prestado juramento e tomado posse
do cargo de presidente dessa provincia, lenho a
dizer a V. Exc. que serei solcito no cumprimento
de suas ordens, quer tendam ellas ao servido puT
buco, quer ao seu particular.
X. 897. Portara ao gerfcte da companhia
Pernambucana.De- confoimidade com o que so-
licou o presidente da provincia da Parahyba, em
ollicio do 20 do correnle, ex|ca Vmc. suas or-
dens afim de serem embarcados no vapor dessa
par'.icao, foram hootem recolhidos casa de deten-
cao os seguinle8 individuos :
A ordom do subdelegado de Santo Antonio, Ber-
nardi no, escravo de Isabel Carolina, Manoel Se-
bastian Pinto e Jos Bernardino Torquato, por des?
ordem.
ordem do daBoa-Vista, Paschoal Alves de A-
guiar, por insultos; e Angelo, eserav de Anto-
nio Jos" Gongalves de Souza, por ser encontrado
depois das nove horas da noite semTnlhete do seu
senhor.
A ordem do da Magdalena, Leonel Albino dos
Santos, por embriaguez.
Honlem, s 10 horas da manhaa, o menor Ma-
noel Joaquim do Sant'Anna, drscpulo do mestre
de pedreiro Antonio Pcreira do Monlo, morador
na easa n. 21 da ra do Gaz, em S. Jc desta ci-
dade, estando a fabricar plvora na salada refe-
rida casa sem a conveniente cautella, succedeu
incendiar-se uma porco della e seus respectivos
preparas, c resultar tcarem gravemente queima-
ds Florinda Mara da Conceicjio c o mesmo me-
nor.
O subdelegado comparecendo no lugar do acn-
tecimento, verillcou que, alm das otfensaspes-
soaes, deu-se o dam.no de alguns objecos de pou-
co valor.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. vice-
presidente da provincia Dr. Manoel do Nasc men-
t Machado Portella. O chefe de polica interino
F. de Assis Oliveira Maciel.
p asjassiiw Simio Onea de Oliveira, conhecido
por Simao Tito.
o Com a prisao desse raalfeitor registra a polica
do digno e honrado Dr. Caetane EstelKta a de 51
criminosos, entre os quaes figurara 14 de morte!
Acausadajustica nunca obleve taoassiguala-
dos triumphos.
Digam os opposicionistas 0 que qiiizerem
A provincia mi pode ser inaifferente tao
relevantes servidos; reconheeida e grata, rende
justa homenagei ao infatigavel trabalho, a tanta
solieitude e zelo, que ha desenvolvido o Sr. Dr.
Caetano EstelKta na sua administrado policial que
nao excede a 10 mezes.
PARAHYBA.
Nada occorreu digno de mencao.
NOTICIAS DA EUROPA.
Tamben) chegou bontein o vapor inglez neidt,
trazendo datas : de Hamburgo 5, de Paris 7, de
Londres 8 e de Lisboa 14.
HttspAxiiA.Contina < discitssi'w e cippiovacao
da consliiuico. Vais entrar no artigo que tra-
ta da forma do governo. K aprisionado o Ar-
kansas, navio americano que trazia contrabando
de guerra em Cuba : C^mpUracoes.
Italia e roma. Reparativos ao concilio. .InnS-
DIARIO DE PERNAMBUCO
roiopanhia, que d'aqui sabir nos primeiros dias d
UECIFE, 28 DB MAIO DK 1869
NOTICIAS DO NORTE DO IMPERIO.
Chegou hontem pela manhaa o vano:- Tocan tins,
trazendo datas do Para"al 18, do Maranuao at
mezproxim vindouro, com destino ao norte, os l, do Cear at 23, do Rio-Grande at 23 e da
gneros alimenticios que se achar a disposico da Parahyba at 26 do corrente.
thesonraria de fazenda d'aquella provincia, em amazonas.
poder do negociante desta praga, Francisco Gon-: Durante o mez marco a thesourana da pro-
calves Torres, os quaes devem ser eulragues no ; vincia arrec^dou 50:1238138 rs. que,-Munidos ao
porto de Mossor ao agente fiscal Francisco Ter- saldo do mez anterior, elevar
tuliano de Albuquerque.
N. 898.Dita aos agentes da companhia brasi-
rs. o tolal das quantia
marco.
No dia 30deabri
a 12fi::i57.s:li
ahi recolhidas al 31 de
da Cuaba, em ofcio de 21 do corrente deixava
elle de reassutnir as funcfoesdo seu cargo por'ter
de seguir para a corle a lomar assento na cmara
temp .rana como deputado pelo 5. dislrcto desta
provincia.
N. 8S3.Portara ao Dr. ciiefe de polica.De-
vulvendo a V. S. o pret c recibo, que viero anne-
xos ao ofiicio dessa repartigao n. 6467, de 14 de
de setemhro do anno prximo passado, o Io tiran-
ilo vencimentos, a contar do 6 a 13 do referido
mez de setembro, para uma forca do Io balalho
de infantaria da guarda nacional desta capital, que
para a cidade de Goyanna, sob o com-
mando do r^iilio Augusto Cesar Pereira de Men-
donp, e o 2." relativo a despeza feita com alugnes
e sustento de cavallos fornecidos a mesma forga,
tenho adizerem resposta ao citado oflicio que para
-e poder eilectuar o pagamento de taes despezas,
1 prcci ' iria da thesonraria de fazenda, constante
. junio por copia, a que se refere a in-
formacao do respeclivo inspector, datada de 21 do
ente, s..b n. 226. Assim lambem respondo o
:o de V. S. n. 505 de 8 deste mez.
N. 881Dita ao commandante do corpo provi-
sorio d polica. Pode Vmc. desligar do corpo
sob o sin pommando-dandA-lhe a competente bai-
xa ?o soldado Manoel Sebastio Alves Marinao, de
i me traa o seu oflicio n. 171 de 21 do corrente,
vistoter completado o tempo do seu engajamento e
nao querer continuar no servico.
V 8:;.Dita aj inesin.A presente portara
faca Vmc. juntar es dous docuaientos origioaes de
que trata o seo ofOcio n." 127, de O de marro ro-
copia, assim como iinrrcsa
leira de paquetes a vapor. Os Srs. agentes da No dia 30 de abri licou nos cofres dessa re-
eompanliiu brasilcira de paquetes a vapor, man- particao o saldo de 8l:091032 rs. em dinneiD,
dem dar transporte para a curie por conta do mi- I apolices c lottras a vencer,
nisterio da guerra, no vapor Paran, que se es-1 pab. .
pera do norte, ao capitao do sundo balalho de Assumira as rdeas da administracao provincial
infantaria do exercito, Joaqui^iAtouio de Mo- o 2" vice-presidente, coronel Miguel Antonio Pin-
to Guimaraes. .
Ao Exm. Sr. conselheiro Cunha e Figueiredo
foi offerecido um baile, no dia 16 do corrente
Acerca de sa festa, diz o Diario de Belem :
Ante-trontem a noite teve lugar nis saldes do
Cassino um explendido baile, que a Sw Exc. o Sr.
conselheiro Jos Be aro a V. Exc. em resposta ao offererido, por alguns dos numerosos amigos que
ob n. 242, que lica expeat-,sua sabia administracjk) lhe atlrahio e anganou.
S. Exc, no immenso concurso de;se baile, te-
ve mais urna prava incquiwsca do quunto se tem
tornado merecedor para com a popuiacao da pro-
vincia, a qual rec mhecida pelos grandes servaos
que a ella tem prestado, nao perde oecasio de
mnifestar-lhe esse reconhecimento.
t Nao sabiam ao certo os amigos do Sr. conse-
lhoiro se elle tnha resolv o segoir to cedo para
a corte. Com qaanto tivesse S. Exc. sido eeito
deputado pela provincia do seu nascimento, e essa
eleicao o obrgass. a ir lomar assento na cmara
temporaria, com tudo S. Exc. hvia lito que nao
partira sem aquieseiencia do goverm, como era
da pratica e dos estylos.
A poucos dias e que os amigos c"
raes.
EXPEDIENTE ASSIiNADO l'EI.O S|U-lM^AQLIM cor-
REA DE ARAI JO, SECKTAUJO DO QOVJEBW, EM 23
DE ABRIL DE 1869.
! secgao.
N. 899.Ofcio ao Exm. general eomnwnlante
das armas.De ojsueo de S. Exc. o Sr. vlce-presi
dente da provine]
seu oflicio desta'
da a co.ivenientqj fc. nao so aos agentes.
companhia brasiWnVw paquetes, para
transporte para a corte no vapor Paran ao ca>
pitao do segunuo balalho de infantaria do exerc*
to, Joaquim Antonio de Moraes, como tambera a
thesouraria de fazenda, para ajustar-lhe contas e
passar guia de soccornmenlo.
2* seceo.
N. 900.Oflicio ao bacharel Manoel Cleraentino
Carneiro da Cunha, juiz de direito da comarca do
Cabo.0 Exm. Sr. vice-presidenle da provincia
manda acensar o recebiraento do oflicio de \. >-
de 18 do correnle, em que communica deixar do
reassumir o exercicio do seu cargo de juiz de di-
reito da comarca do Cabo, por ter de seguir para
Estados-Unidos; e que logo era seguida as colonias
das AntiUias esto ameacadas da seren absorvi-
das pelo colosso americano. A Guadalupe e a
Martinica tero a mesma sorte da perola das An-
tilhas; donde resulta para a Franca, segundo o
Moming-Pbtt, a necessidade de formar com a Ir*-
glalerra, Dinamarca, Suecia e Hespanl uma ai-
lianca defensiva e offensiv contra os Eslados-
I nidos. D'aqui procede a importancia me se d
nomea^o de Elihu Vashbura para niintro em
Franca.
A Patrie diz me necessario que o g*verno
francezno tomeao p da letra o alarma acn-
selhado pela imprensa britannica>que Vasliburn
podera assegurar Franca da pnWlica conciliado-
ra dos Estados-Unido, com tanta mais autoridade
por quanto amigo-pessoal e inlim do preside3te
da Unio.
O congresso americano amnistiou os homens
Sjliticos que adherirn ao governo do imperador
laximiliano.
Italm e Roma.
Approxma-sc a epoea para o Ccncilo Ecu-
mnico, e diz-se que o Papa, assusUdo por uma
paz armada que dura ha tanto tempo, dirigir a
todos os soberanos um manifest, pedindo o desar-
mainento geral e por consequencia a iz uni-
vifrsal.
Dizem de Munich que o principal fim do con-
cilio definir e proclamar o dogma dainfal'.ibilida-
de do papa, e que o governo biivaro anda em ne-
lia dada pelo papa a todos os implicados em de- goejagocs om 0 qoveruo hespanhol para comba-
Helos polticos. Conspirado maitimsta vaslissi- Ipr <

a corte, a turnar assento na cmara temporaria,! souberm da resoluci que tomara de partir no
como deputado pelo quinto distnclo desta provin-: prximo paquete, e com quanto nao podesso ser
cia. sufliciente o tempo que lhes restava [.ara fazerem
nina manifestaco solemne, nao quizeram com tu-
do deixar de dar um sgnal dos senlimentos que,
com toda a "provincia, alimenlavam para com S.
Exc.eem s tres das improvisaran! o baile de
domingo a noite. "
To pouco tempo em nada influio que o baile
nao fosse explendido, e grandemente concurrido.
Elevava-se a 163 300* a subscripo para
a navegaeao do rio Araguaya.
Lemos no Colombo :
ximo lindo, junio por
deberaciio noroeando o conselno de invertigacao
a que vae su- sulmieitido o ex-tenente Francisco
.Mavier Rodrigues de Miranda e providencie para
que o mesmo conselno d comeco seus trabalhos.
N. 880.Deliberar*).Para conselho jlos in
vestiai;a i \ quo. cm vrtude de delibera(;o desta
delicia de 22 de margo prximo lindo vae ser
de pncia Francisco Xavier Rodrigues da Miranda
pelo exlravio da quantia de 1:8474)00 'jue con-
duzia para pagamento dos vencimentos do desta-
camento de Floresta, conforme consta de oflicio
d i U nente coronel commandante do mesmo corpo
n. 127rde 20 d'aqnelle nioz, nomeio :
Presidente, major Antonio Feitosa de Mello.
Vogap-, captaes Miguel da Fonseea Soares e
Suva e Luiz de Franca Mello Jnior.
3* secijao.
y g87 Portara ao inspector da thesourana
de fazenda.Expc V. S. suas ordens, afim de
que por essa thesouraria- se ajuste conta- e passe
guia de soccorrimento ao capitao do segundo bata-
ihao de infantaria do exercito, Joaquim Antonio de
Manas, que segu para a corte no vapor Paran*,
que se espera do norte. ,
N. 888.Diu ao mesmo. Segundo consta de
aviso do ministerio da marinha de 9 do correnle,
concedeu-se ao segundo tenenie da armada Frc-
darieo Gnimerme de Souza Serrano, dou* mezes
de lieenca, nos termos da -priineirajiypotheso do
aviso de 31 de outnbro de 1867, para tratar de sua
ssAM nesla provincia; o que declaro a V. S. lia-
ra sen conlierimento e ni convenientes.
N. 889.Dita ao mesmo Constando de aviso
do ministerio da marinha de 9 do crrante, ter-se
concedido ao segundo tenente da armada Joao
Egydio Castro de Jess, tros mezes da lieenca pa-
ra tratar de sua sade nesta provinciaonde deve
ser mensalmente pago de seus vencimentos na
conformidade da segunda hypothese. do aviso de
31 do outubro de 1867 ; assim o coromunico a V.
S para sea conhecimento e fins convenientes.
' $ 890.Dita ao meamo.Informe V. S. acer
ca do que pedtim nos inclusos requerimentos Jos
Jaeqnes da Cwta Guimaraes, Pedro Francisco de
Mell, Manoel Jos da Costa Guimaraes, Anna Eu-
phrosma Candida Ferrara e Chrystovo Rodrigue*
Teixeira. m
4" seCdlo. S
S. 892.Offlcio ao uresident da provincia do
Cear.Acenso reeaMOo o offlcios que para se-
rem remettidos ao Rito. mratsWO do imperio e
aos Drs. Trislo de Alentar Araripe, e Raymundo
Ferreira de Araripe Lima, V. EK. m'os entjon
com o sen de 1S do corrente sob n. 11.
N. 893Dito ao presidente da provincia do Pa-
N. 901.Dito ao bacharel Jos Julio Regueira
Pinto de Souza, jufe municipal do Rio-Formoso.
O Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda
acensar o recebimento do oflicio de V. S. do 18
do corrento, em que communica nao poder por
motivos de molestia, reassumir o exercicio das
funeces de seu cargo de juiz municipal do termo
do Rio-Formoso, lando no da anterior deixado o
da vara de direito da comarca.
3a seceso.
N. 902.Oflicio ao iusjictor da thesourana do
fazenda.O Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia manda declarar a V. S. para os fins conve:
nientes, que segundo parlioipou o bacharel Jos
Julin Regueira Piulo de Souza, juiz municipal do
termo do Rio-Formoso, em oflicio de 18 do corren-<
te, tendo deixado o exercicio da vara de direito
da comarca daquelle nome, por molivo da molestia
nao podia reassumir o do seu dito cargo.
N. 903.Dito ao mesmo. O Exm. Sr. vice-
presidente manda declarar a V. S. para o seu co-
ulieoimeiito a lias convenientes, que segundo lhe
participou o juiz de direito da comarca do Cabo,
bacharel Manoel Clemeniiuo Carneiro da Cunha,
em ottteio de 21 do corrente, deixava de reassu-
mir o exercicio do seu cargo, por ter de seguir
para a corte a tomar assento na cmara tetnpura-
ria como deputado pelo quinto dislriclo desta pro-
vincia. *
N. 904.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-i
presidente da provincia manda trausmillir a V. S.
as 16 inclusas ordens, sendo 10 do thesouro na-
cional sob ns. 21, 36 a 38e>40 a 45, 3 do ministe-
rio da guerra datadas da 3, 9 a 12 do corrente
mez, e 3 expedidas pala rapan cao do ajudanle ge-
neral ns. 665 a 667, bam oomo um Quicio da di-
rectora geral das rendas publicas, com data de 7
deste mez.
DESPACHOS DA VICE-PRESIDUNCIA DO DIA 24 DE
MAIO DE 1869.
Padre Augusto Franklin Moreira da Silva.
Volle ao Sr. inspector da thesouraria provincial
para declarar quanto j se tem despendido da ver-
ba consignada no art. 15 paragrapho 3" da lei n.
852.
Donazia Mara da Conceicao. Sellado o docu-
mento volte qnerendo.
Joo da Cruz Lima.Eotregue-se os documen-
tos, ficando o requerimento, e passando o suppli-
cante recibo.
Alferes Joao Francisco Paos Brrelo Satisfaca
a exigencia da thesouraria.
Jeronymo Theolonio da Silva Loureiro.infor-
me o Sr. Dr. director geral da inslruecao pu-
Leonel Raphael de Moraes e Silva. Informe o
Sr. inspector do arsenal de marinha.
Mara Ignacia da Conceicao.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha. ... ,
Manoel Francisco de Barros Reg.Nao sendo
os repetidores substitutos do censor, e nao tendo
o snpplicancaute sido nomaado para exercer as
tuncedes que o capitulo segundo do regiment in-
terno de 25 de julho de 1835, conferc ao mesmo
censor, nao tem lugar o que requer.
losa Maria da Conceicao. Indeferido.
Silvestre Nmnimndo Lopes Fraiao.Seja rel- j
vado da multa a vista do que allega, e das infor-
maedes.
Inora* Joaquim do Reg Barros. Gonceda-9e
na forma requerida.
Repart^ da polica.
2* seceo.Secretaria da polim de Pernambuco,
26 de maio de 1869.
If. 769. film, e Eim. Sr.Tenho a honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
consta das partcipaodes recoMdas aoje nesta re-
vi.____.. -------,_-,
hontem ao porto d'esta capital, sem mitra novida-
de alera de ter encalhado defronte da cidade de
Camet, por ter-se afastado do canal.
O Para, pouco depois de largar de Arroyos,
encontrn o Ckristovo Colombo qiw navegav.i
desembarazadamente, tendo j transporto os mon-
tes de rocha de Tapayuna-qura, ora submersos
pela enchenle do rio.
i O Sr. Dr. Cont de Magalhes, com quem o
Sr. commandante do Para fallou, eslava muito sa-
tisfeito com a marcha e qualidade do vapor em
que suba o rio.
MARANHO.
A presidencia da provincia, attendendo a
nao se ter reunido numero legal de deputados at
o dia 9 do corrente, resolven adiar a abertura
da aseembla provincial para o Io de junlio pr-
ximo. .....
Foi nomeado fiscal da companhia de iliumi-
naco caz, o Dr. Candido Bmygdio Pereira Lobo.
ComeQaram a ser pnmieadoB, nt capital, dous
novos periodieot, Napio e a Acta idade.
Na madrugada de 15 do corrente, calno uro
raio sobre uma casa do Caminoo Grande, causando
alguns estragos, no edlfieio'e deixanco em pengo
de vida um homem que ahi morava.
O Tribunal da -Relacao confirnMU a sentenca
de absolvicao proferida pelo juiz de direito da 2*
vara a favor do negociante Luiz da Rocha Santos,
cuja quebra tnha sido julgada rpelo mesmo juiz
sem culpa, e filha de transtornos aao previstos.
A alfandega rendeu do a 50 do corrente
.108:0851934.
No aia 2 de junho prximo deve ser arrema-
tado, em praea publica, o hiale Aurelia i.' con-
demnado porinavegavele avahado ?m 3:000*000.
PIAUHT.
No dia 28 do passado tave lugar, na capital,
um baile offe. ecido pela officialidada da guarda |
nacional ao vice-presidento em exercicio Dr.
Simplicio de Souza Mendes.
Lemos no Piauity:
Em alguns ponto desta provincia consta-nos
que a seeea tem causado estragos|f onsideraveis
em Oeiras, por exemplo, o caso vai tocando a um
ponto assustador; os gneros aMmenlicios desappa-
receram da tal sorte quo, anda por alto preco, nao
se obtem um punbado de farna.
i Por isto pode-se bem avahar d resto.
Fazemos votos Tervoroses para- que Deus faca
cessar semetoantes clamores, e derramando co-
piosas chuvas em todos os lagares, que deba eare-
ce.
CMBX
Per ter entrado no goeo doma lieenca, o
polticos. Conspirando maftinista vaslisst-
wiu m Italia, econslrntrao ministerial. O go-
verno i reforrado pela opposirao. ilenabrea en-
carregado da formadlo do novo gabinete.
Blgica.Termina o conflicto franco-belga, a con-
tento das duas potencia i.
Franca.Encerrumentodo corpo legislativo. Gran-
de uffan eleiloral. EleirZes geraes a 23 V maio.
Inglaterra.Apfrovar.Uo do bil sobre a igreja da
Irlanda na cmara dos continuas. Desordens na
Irlanda.
Allemamia. Affastcnnento entre a Prussia e a
Austria. Abertura ta dieta dePesth; discurso.
ltimos trabalhos do reichisath aitstriao ui'jia
sessdo. Piojeras de visitas de soberanos ede all-
anis preventivas.
ItrssiA.l'rojecto de mudanra da capital para Kief
na i'krama. Conspirar.ao republicana.
Turqua. Discurso do 'sultdo na inauguniro do
primeiro do anno mussulmano. Iklatorio poltico
do gro-visir.
HESPANHA.
As corles continuam a discusso e votaco do
projecto da constituido hospanhola. Foram j
votados e approVados os primeiros 31 artigos. Fo-
ram regeitadas ditas emendas ao art. 32, faltando
ainda 12 para discutir. Approx.ima-se a discusso
do arl. 33, que estabelece a forma de governo. Ha
grande agitaco, e espcra-se uma luta cncarnicada
entre os oradores representantes dos principaes
partidos polticos.
A minora republicana esl disposta a enipregar
todos os meios ao seu alcance para adiar a vota-
do daquelle artigo at depois do dia 23 de maio,
era que ho de verificar-se as eleicTies geraes em
Franca ; desejam conheeer o espinto publico na-
quell paiz, manifestado pelo suffragio que sao
chamados.
Assim que for votado o art. 33, o gabinete aprc-
sentar a sua demisso s cortes; julga-se que
estas encarregarao o duque da Torre ou o gene-
ral Prim para organisar o novo ministerio, que to-
dos concordara dever compr-se de homens de
grande significagao e alcance poltico.
Contina a fallar-se da regencia como de as-
sumpto mais importante da poltica.
Os homens mais valiosos dizem que tal resolu-
cao nao podera ser levada cabo, porque a idea
de agencia prende-se com a de monarchia, que
s podera ter validado depois de discutido e appro-
vado o art. 33 da ronsfituieo. .
Alm dsso, estando as atlribuieies deis regentes
establecidas nos arts. o, 77 o 86 do projecto ca
constiinieao, nada se podera estaRlecer. at qa
eslejam discutidos, alm de uma regencia ephe-
mera o lo periiiosa com o actual estado de cousas.
No caso de se nomear uma regenda, paree que
tendo-se o general Serrano negado constantemente
a aeceitar tal cargo.'seria nomeado regente o ac-
tual presidente da cmara, o Sr. Rivero, sendo o
> presidencia .
rio o general Dulce,
ter esse projecto.
Em Smyrna os bispos armenios e outros vao
celebrar uma reunio, com o lira de concordaren!
sobre a queslo de saberem se devem ou no-as-
sistir ao concilio, que deve edebrar-sc no dia 8
de dezembro prximo.
Dk-se que o gr-duque Waldemr, antes de
partir de Roma para aples, allirmou que ein-
pregaria toda a sua influencia em S. Petersburgo
liara que o governo russo acceda aos desejos do
papa, sobre a igreja calholiea da Polonia.
Pi IX deu ordem para por immediatamente
tu lberdade todos os presos por deudos polticos;
concedeu-lhes uma amnista dupla.
A ordem do dia na Italia a descoberta de
uma grande conspirado em Milo, com vastas ra-
inlicaces : o plano parece que era mazzinista ;
tem sido presas algumas pessoas, e prosegue eom
grande actividade o sumnjario do processo.
Sendo a conspirado de Milo poderossima, e
ora presenca desse perigo, os homens mais consi-
deraveis aianente, offereceram o seu pleno apoio ao gabi-
nete em todas as questoes, para que unidos todos,
se podesse debellar c conjurar o perigo.
Pela sua parte o gabinete italiano, para conso-
lidar e fortalecer a nova unio, resolven reconsli-
tuir-se, e assim pedir sua demisso, que oi acei-
ta, sendo novamente encarrgado Menabrea da for-
marlo de um novo ministerio.
Ainda no da 11 nao eslava formado o novo ga-
binete ; mas parece que ser formado pelos Srs.
Menabrea, Cambray-Digncy, Berldle e Ribotli, que
conservar*) as suas pastos, sendo confiada a do
interior a Ferrarla, a da justica. a Mirabelli e a da
agricultura a Mordini. Diz-se que os membros
do partido piemontez Permanente poe por condi-
rao absoluta da sua entrada no gabinete, econo-
mas de cerca de 400 milhoes nos ornamentos de
guerra e marinha.
Diz-se que tem havido muilas desercoes entre
a< tropas que guarneciam o norte da Italia ; e que
por este molivo as autoridades daquella parte do
paiz vigiam activamente a fronleira. suissa, c es-
pecialmente o canta do Tessino, onde se suppoe
que os partidarios deTuazzini se rcunem em gran-
de numero.
0 conselno federal da Suissa receben uma nota
do governo italiano, pedindo Suissa que expulse
os mazzinislas. O conselho federal de.-retou, de
pois de uma animada discusso, que MaUU nao
podera estabelecer a sua resioencia em nenhun
dos canldes da fronteira.
Foram approvados j 38- captulos do orca-
mento da receila, sendo um delles o capitulo so-
bre o imposto da moagera, que avahado em
milhoes. Os ttulos pontificios pagaro
O vapor Para, mandado pelo governo da pro- general Pnmnearregado da presidencia Je. gab
inda a Arroyos, no rio Tocantins, regressou neto, entrando para o ministerio o general Dulce,
com a pasta da guerra, Topete com a da marinha,
a taxa
etraaol Joo Antonio Machado pasin exerdeio
do cargo de commandante superior da guarda
naerooat da capital ao enente-corunel Severiano
Ribeiro da Cunha.
A alfandega renden de 1 a 21 do corrente
8180W261 rs.
RIO GRAITDR.
Jase scharacta eapiut, Ae velta da s
viagem a o* marear* Mtprt o prastente da pro-
vincia
Lemos no Conttmiar
Acaba de ser capturado n#dKm490y
Cantero com a da fazenda, lloa com a dos estran-
geiros, Roiz Zonilla com a do remo, Olozaga cora
a das obras publicas, Marios cora a da justica, e
chegaray com a do ultramar.
Corre agora o rumor de que o novo candidato
ao throno ser o principe Leopoldo Estevao Car-
los, principe hereditario de Hohenzollcrn bigma-
ringue, casado desdo 1861 com a pnnceza de Por-
tugal D. Antonia, irma de el-re D. Luiz. O prin-
cipe Leopoldo tem actualmente 34 annos.
As cortes regeilaram a proposla de Orense, pe-
dindo que fosse intercalado o artigo que trata da
abolicao da escravidao. Topete disse que a aboli-
qo se realisar, mas garantindo-se os direito ad-
quiridos. .
Foi igualmente regeitada a emenda pedindo, a
eonservaco da uniiade religiosa. .
Na constituirn hespanhola, as bases do'matri-
monio civil, como consequencia da bberdaae ae
cultos, teem bastante analoga eom os nrecettos uo
cdigo Napoleao. la separacao completa do con-
trato e do sacramento ; o primeiro celebrado pe-
nante a antoridade administrativa, e o segundo
pelo parocho vontade e livre arbitrio dos con-
O Sr. Zorrilla apresentou as cortes um projecto
de lei autorisando uma casa inglcza a estabelecer
um cabo submarino, tocando em Portugal, Ferrol
e Inglaterra.
Veriflcou-se o sortcamento militar era toaa a
parte na melhor ordem, excepcao de Avilla.onde
se manifeslou rebellio, tondo os interessados
suspendido a operaco.
O minis ro da ju-tica,respondendo na cmara
uma ratorpellacao,declarou que ia mandar pren-
der um padre que n'uma igreja de Madrid, no nm
do sermao, gritara : Morle aos protestantes,
morte aos horcos que volaram a liberdade reli-
giosa. > .
Celebrou-se em Madrid o anniversario de 2
de maio na melhor ordem.
Dizem de Barcelona que ha all grande agi-
taco. Varias familias teem abandonado a cidade.
Tfem-se feito algumas prises.
Na cmara dos communs, em Londres, o >r.
Otivay, respondendo uma iaterpellacao, disse que
era verdade quo havia sido apresado pelos Hespa-
nhes ura navio que levava pavlho americano, e
que havia sido conduzido Ha vana ; mas quo o
governo hespanhol nega que tivesse sido capturado
em aguas inglezas ; a que continuavam as nego-
ciacoes. O Internacional diz que se confirma a
noticia de haver um navio anglo-americano des-
embarcado armas e municoes de guerra em Cuba;
que o navio pertence ao Sr. Bruce, de New-\ork,
e tem por nome Aricajuat; que a prokingacao da
resistencia da ilna de CHba se explica fcilmente,
pois que os inimigos do actual governo de He9Pa"
Fnhmoestao todos em Coba; que os Estados-
Unidos esqneeera. em interesse sen. o; principios
que teem invoctdo e iwroaario ainda relativamen-
te ao Alabama.
| Diz o Mm-ning-Post que a questao oti Cuba po-
ide nmito bemeomprometter as amigavois relacoes
mobiliaria, como, todos os dentis tilulos da divida
publica. O governo propoz a suppresso das the-
suirias do reino, encarregando deste servico os
bancos Nacional e de aples, medante um adi-
antamento de cem milhoes de francos, que aquel-
les estabelecimentos faro ao governo.
O dficit total do orcamento de 1860 e avahado
em 614 milhoes de trancos.
QucDrou-se a negociaco de Cambray-igney
com a sociedade dos banqueiros italianos, con-
cessionarios dos tabacos em Italia, a respeito da
venda dos bens ecclesiasticos. Trata-sedo conver-
ter estes bens em dominio, e fazer depois um em-
presumo com hyplheca sobre setas novas pro-
priedades domiuiaes.
BLGICA.
Est terminado o conflicto franco-belga ; o pro-
toeollo do accordo foi assignado por Frre Orban
e marquez de La Valettc no dia 27 de abril e pu-
blicado pelo Jornal Official do Imperio no da i'
do corrente. O ministro belga levou para Jim-
xellas o protocoUo assignado, e sendo na ses>ao o
dia 30 interpcllado na cmara dos representantes
sobre esto assumpto, respondeu que as negocia-
coes haviam entrado em ura terreno muito satis-
factorio para ambos os paizes,e que se a cmara o
julgasse opportuno poderla abrir-se a discusso
sobre o protocollo.
Um jornal francez da oppesigao, diz que alguns
prefeitos e candidatos imperiaes, mostraran) ao
imperador a necessidade de aliviar o honsonte
poltico das nuvens que o toldam, e quo o impera-
dor, approvando o conselho, conceder uma nova
reeepco particular a Frre Orban: quo o minis-
tro belga ficafttaorprendido de ouvir o impera-
dor seguir caaninho differente do que seguiam
anteriormente La Valette, Rouher e Gressier; que
Frre Orban nao se quizera mostrar menos gene-
roso, e offererera as maiores concessees, e desta
maneira o incid Hila que havia mais de um mez
que eslava en petalo, lora quasi resolvido em al-
guns momentos. Frre Orban, depois de agrade-
cer ao imperador o nao ler exigido nem a compra
das linhas pela companhia de leste franceza, nem
mesmo o arrendamento dessas buhas pela.raesuu
companhia, se daclaxa autorisado a conceder
trens internacionaes directos entre Strasiiuus e
Rotterdam, t erapregadua desles Ires ferao
franceaes, a para falioitar o andamento destos pre-
liminares, o miniairo belga prometteu uma dimi-
nuido as tarifas, para as nivellar com as rran-
ceas. A eommissao mixto deve ser nomeada
brevemente, para tratar dos pormenores deste as-
sumpto. V ,
O Sr. Frre Orban declarou no parlamento bel-
ga quo as relacdes entre a Franca e a Blgica se
tem reanudo cordeaes e sympathicas, e que conse-
guir que o exarae da questao dos cammnosae
ferro, nao sahfese *> terreno puramente econo-
T' esperado em Bruxellas o conde Leopoldo
Lebon, exHleputado de corpo legislativo franeoz,e
intimo amigo do imperador Napoleao, e do re
Leopoldo II da Belgiea. Afflrma-se qne esta en-
carregado de uma mrssao secreta do mperador e
a-se qne esta misslo lhe fdra confiada estando
Frre Orban em Parto. Tem dado motivo a varias
cenjeelnraa esta viagea.
auca.
Teve lugar no dia Wo encerramento do corpo
extraordinario, e o projecto de lei relativo s pen-
soes militares.
O presidente o Sr. Sehneider pronunciou uma
allocucao wm que se felicita pelo concurso s\m-
patbico da mtelhgencia edo patriotismo da cmara,
que aisegnron a iniciativa liberal do imperado, e
realisoo progresos verdadeiros para a prosperida-
de moral e material da Franca.
Exprime a esperanza manifestar* os mesmos senlimentos. O presiden-
te terminon, Icndo o decreto do encerramento do
corpo legislativo.
A materia acolheu o discurso com gritos de
tvlva o imperador! Julio Favre, cora o grito
deviva a litxrdade!e Eugsnio Pelletan, com
o grito deviva a naca.) !Sehneider accres-
centoif algumas palavras, para dlzer que a naci
nao separa a liberdade, da pessoa do imperador.
O Jornal'Officiuf puWicou um dsereto, encarre-
gando o Sr. Baroehc interinamente do ministerio
da fazenda.
Publicoii tambem um decreto, convocando os
eleitores para o dia 23 do corrente. A nova legis-
latura deve-se compr de 92 deputados.
Tem bvido om Pars varias reunios eleitcraes,
comecando a grande luta entre gover.iamentaes e.
opposicionislas.
O ministro de interior enviou uma-fircnlar
bulos os prefcitos do imperio. O ministros tcn-
cionam fazer uma visita aos seus respectivos de-
partamentos, para inlluirem a favor das candida-
Unas offtciaes. H>minislro da justica dirigi urna
circular aos procuradores geraes' do imperio
(liscaes), para que lembrem aos seui subordinados
que toda a tentativa contra as urnas oliitoraes, CO-
mecadas as derlaraeoes, ser castigada com I pena
de prisao. N'outnv-circular diz aos mesmos lunc-
cionarios que teem o dever de manifestar em oeca-
sio lao solemne o sen acto c adheso dynastia
imperial, contribuindo para o bom xito dos can-
didatos ofliciaes.
O governo esl disposto a combater a candidatu-
ra de Tiiiurs, com toda a sua influencia, epara
dar a este funecionario instruccoes esperiaes:
apezar dteso, diz-se, (*ue a eleicao deste estadista
esl j segura em tres oircumspripcoes eletoraes:
em Paffe, Vienna c Marselha. Todos os agente
do governo naquelles pontos reci-beram ordem de
combater por todos os meos esla candidatura.
O Constitucional apeia os candidatos do tercei-
ro partido, e combater a maior parte das candida-
turas ofliciaes. 0 seu redactor em ciiefe Roberl
Mitchell dedarou tcrniimuitemenle qne o dito pe-
ridico dcixou de ser orgo oficioso do governo
rmierial.
O Temps confirman noticia de que fra appro-
vadb em principio o projecto de urna curta sessao?*
para a verifica^ao dos poderes. A data da aber-
tura desta sessao est fix.ada para 12 de junho.
Os ministros"annunciaram-na aos deputados da
materia, quo na maior parto se mostraran) pouco
satisfeitos com a noticia; prefeririam que a sessao
se abrisse no mez de novembro, pan se oceupa-
rem de todos os projee'os de lei que devera ser
apresentados na sessao de 1870.
Nesta sessao preparatoria oceupar-se-ho, de-
pois da raenfieeeao das operaed>s*eleitorae, do
orcamento extraordinario da cidade de Paris e dos
projeclos de lei que Acarara s en rotatorio. Di-
zem que a sessao durar al 10 de agosto.
Falla-so em que esla pequea sessao s tornar
notavel por uma proclamadlo do imperador ao
representantes do paiz, que servir de prembulo
modilicaeoes consliliu-ionaes, que produzirao
grandes mdancas no pessoal goveniamental.
Foram nomeado< seis novos senadores.
Diz o jornal Gaulois que o governo francez pro-
jecia o desaimmenlo antes do IIm de maio ; mas a
noticia nao tem fundamento, porque j esto dadas
as ordens para que as iropas que se vo reunir
cm maior numero que nos anno* anteriores no
campo de Chalons.e se exercitem em grandes ma-
nobras em toJa a extenso da lnba do camiidx
de ferro de Strasbourg at a-fronteira.
Assegura-se que o imperador nao occnltou ao
principe Carlos Frederieo, da Prussia, que a ques-
tao relativa ao engraudecimento da Fian? at o
Rheuo, de um interesse vital para o imperio.
Diz-se que a companhia de leste observara ao
ministro da guerra de Franca, que uma snspensao
de dous ou* tres dias no servico dos trens de mer-
caduras e de pasageiros, seria um grande pre-'
juizo para a companhia, sera contar cora que
daria lugar grandes commenlarios.
Assegura-se que em vista disto se renunciara as
grandes manobras n'.ojectadas.
i.NOLATKRRA..
A cmara dos- communs tem continuado a dis-
cusso da bilf para a abolicao da igreja da Irlan-
da, terminando no dia 7 a voWtpo dos ltimos ar-
tigos do projecto, que foram approv:id*s por gran-
de maioria, sendo regeitadas varias emendas.
IKmve em Londonderry -(Irlauda) senos tu-
multo*. Ignora-se a causa da desorden!, mas a
lula foi entre catholicos e protcsiantes rlandezes;
fo neciso intervir -a polica militar e houve um
morto e alguns feridos.
Eslas'pmrturbacoes nao existiriam, se nao hou-
vesse tanta Ignorancia as riasses pobres, e lana
obstinaras.as clsses privilegiadas. ^- -.
Repeem-se todos'?.dias as aggressoes^ontra
as autoridades. O aldei'twn Thomas L>a, de Cork,




k^&ttiJ^SA &^***>m^ooreamat.0
recebeu no dia 3 uma carta; #*T que era avisado,
que seria assassinado, se continuasse a faze^op-
posico ao raaire. O autores dessa missiva lem-
brar-lhe a sorte de Bradshaw, que nao fez eso
de ura aviso idntico, o foi recentemente assassi-
nado.
Foi apresentado a cmara um projecto para im-
pedir que o maire de Cork continu no exercicio
da justica.
Em Inglaterra continuara os wetings, cantra o
bil da igreja da Irlanda, mas essas manifesiaeoes
mais ou menos tumultuosas pouco influem no ani-
mo do governo e da cmara, que continuam a sua
obra legislativa com uma presenca de espirito)
magestosa.
Os fenianos reappareceram; os armazens oc-
arinas e as escunas amarradas aos postos foram
saqueadas. O proprio maire de Cork declarou em
um comicio publico, queOFarrell, que atirara era
Sydney um tiro de rewolver contra o principe de-
Edimburgo, e que ferra o*nlho da ramba, poda
muito bem ter tido boas intencoes.
. Acham-se em Paris de regresso da Italia os,
principes de Galles. ^-.i
E diplomtico da Graa-Bretanha, por causa da suas-
tuico de um embaixador em "vV ashington.
ALLKMANHA.
O discurso ltimamente pronunciado pelo condo
de Bismark no parlamento federal do norte, pro-
duzio boa impressao as regioes poficas. O chan-
celler federal pareceu applicar-se a acalmar o zlo
annexionsta dos deputados pruasianos. Os seus
protestos "anti-annexionistas devem ser recebidos
com cautella porquo o rei da Prmuia fez os mes-
mos protestos na propria oceasio em que englo-
ba va parte da Allemanha.
Um despacho publicado em urna obra austraca,
d algnma luz sobre a poltica pessoal do re da
Irrussia e do seu ministro. Este despadroesenp
to em cifra, datado de 15 de jumo de 1866, "-
rtgWo por Bismark ao eonde de Goltt; neste des-
pacho l-se o seguinte trecho; ^_____
. Ordtmwosimpor^^"*^;
tHuicio de uma oiinfeoorteao *?** "gl
se prinelpatawnle "JJ^JJSj w B
lambem eu eonsMero- nma


Diario de Peraamfciic Sexta eir* 28 -de Maio de 1869.
da reforma que vamos levando a cabo, v9to
que o Saxe c o Hanover flcariam mato grandes
e podiam estabelocer relacoes intimas.
A divulgado desta nota foi muito desagradavel
Unto ap rei da Prussia como a conde de Bismark
esteve para produzir a quebra das reJaees diplo-
mticas eoin a Austria.
A Gazeta da AllemanhadoNorte publicou um
artigo violento contra a poltica de Beust, que ac-
ensa de provocadora, e de procurar tornar a Prus-
sia suspeiu dos seus confederados.
Aflinna que a Prussia nao leo intencao alguma
hostil Austria, ao passo que o conde de Beust
procura romper as relacoes com a Prossla, con-
fiando para esse fim no auxilio dos povos hnga-
ros e slavos.
QReichstaij daAllemanha do Norte ndoptou o or-
namento federal dos negocios estrangeiros e regei-
tou a mocao twesten, tendente a riscar do orea-
ment o remanesecnte das despezas de embaixa-
da que incumben! aos estados particulares da ce-n-
federaco. Twesten pedia tainbem um Litro azul,
isto urna exposiro itiipressa da poltica eslran-
Seira da confedera^o. O conde de Bismark eom-
ateu estas duas mocos.
Apresentou se um projecto de laxa sobre as
agurdenles, petruleo, gaz, letras de cambio, ope-
rares de bolsa e cerveja. Este projecto produ-
zio m impresso no reicbstag o conde de Bis-
mark vio^se obrigado a declarao este projecto co-
mo questao ministerial.
Dizem de Koil que urna commisso enviada
de Berln se decidir sobre tracado das obras
destinadas a defender a cidade pelo lado de trra.
Os trabalhos^evem comecar logo depois da visita
do rei da Prussia.
A approximaco entre a Prussia o a Baviera
torna-se cada vez mais difcil.
A Prussia conlina a oceupar-se da uniao
miliiwr de loda a Allemanha.
A conferencia sanitaria que tem por fim
prestar soccorros aos feridos em lempo de guerra,
deve reunir-se para a sua segunda sessao em
Vienna no anno de 1870.
Os jomaes ministeriaes de Berln desmentem
terminantemente que o embaixador da Franca na-
Judia corte, recebc'sse do rei Guillienne a missao
b dizer ao imperador Napoleo que a Prussia nao
ar oppo:icao alguma aos projectos de uniao
aduaneira e militar entre a Franca, Blgica e Hol-
landa, e declaram tambera que as relances entre a
Prussia e a Russia sao boje mais cordeaes do que
nunca.
Effectuou-se no da 24 de abril a abertura so-
lemne da diela em Pcsth. O discurso real diz quo
ainda falla muito para realisar uin-futuro mais
feliz, e que a maior parte deste trabalho incum-
be actual a;semblea legislativa, e que a garanta
decisiva do fuluro das naedes est no desenvolv-
ment interior que resulta das reformas interio-
res.
Accrescenta que a tarefa da dieta concentrar
todas as torcas da nacao na grande obra de trans-
formacao interior, reparar as omissoes, desen-
volver o prestigio moral e material da nacao, para
que ella oceupe dignamente a sua poscao entre
os estados curopeus
Os projectos de lei que vao seren apresentados
diela, versam sobre a organisacao da justira,
novo cdigo penal, reforma municipal e reforma
da lei clciturai.
A cmara dos magnates ter de deliberar sobre
a actual lei da imprensa, regulamento dos direitos
de reuniao, abolicao dos vestigios das condcoes
feudaes, iustrucciij superior, e reforma dos "im-
postes.
O bom senso e prudencia da nacao, d o dis-
curso, far-lhe-hao encontrar, no meio das difflcul-
dades de um periodo de transicio, o caminho justo
que a deve conduzr um feliz futuro.
As amigaveis relacoes com as potencias estran-
geiras, apresentam perspectiva nao fallaz, de que
nao ser perturbada a paz o a tranquilidade, to
neressarias para a tcrmraaeo das reformas.
O reieh-ralli austraco deve-se encerrar no
da 15 do crreme. Espera-so que o imperador
pronuncie o seu discurso de encerramento.
Comecou discussao sobre a reforma da le-
gislacao matrimonial. O relatorio da commisso
sobre este assumnto, formulado pelo deputado
Sturne, recommenda o casamento civil como obli-
gatorio e diz que o principio da greja lvre no
estado livre, reclama a separaco c independencia
completa das autoridades secujares c clericacs na
sua esphera do actvidade.
Est terminada a organsarao da esquadra
austraca. Se sobreverem acontecimentos graves,
a Austria poder em poucos dias ter sua dispo-
sicao ama forca de dez barcos couracados, bem
armados e comm;indailos.
O projecto de lei apresontaJo pelo governo
austraco, acerca do levantamento do contingente
do auno correte, lixa em i,60i bomens o numero
doslc contingente lauto para o exercilo de trra
como para o do mar, e em o,ij0i homens o nume-
ro para a reserva.
Falla-se em Paris n'uma visita do imperador
da Russia Francisco Jos, no prximo vero.
Diz-se que estes soberanos nao sera os nicos
que tencionam encontrar-sc em Vienna, e que o
imperador Napolcao e o rei Vctor Einmanuel tam-
bera visitaran o imperador Francisco Jos.
A viagem do imperador Francisco Jos Dal-
macia e Constantinopla parece decidida, mas que
fura adiada para o outono. Diz-se que o imperador
far tambern urna excurso ao Egypto, para assis-
tir abertura do canal de Suez, ceremonia para
que j foi tambern convidado o imperador Napo-
lcao.
O principe Napoleo era actualmente esperado
em Vienna, drigindo-se depois para Belgrado e
Pesth. Assegura-se que esta vagem tem urna alia
importancia poltica.
RUSSIA.
As noticias deste imperio negam a noticia da
projeclada viagem do imperador da Russia, o da
exitrevista entre o czar e o imperador da Austria.
Afflrmam que esle auno o czar nao dexar
0 territorio moscovita, e que a imperatrz se
dirigir a Flnska, perto de Moscow. O czar ir
mais tarde juntarse imperatrz em Flnska, e
dalli se dirigirn ambos Crimea onde passa-
rao o resto do ver o.
Falla-se na mudanca da capital da Russia para
Kieff, capital da Ukrania. Se esta noticia se eon-
lirmar, deve dar que entender s grandes poten-
cias europea*, pois que a poltica ruasa poderia
d esle modo aproximar mais a sua aerad da Tur-
qua e da Auatria. V
Fajla-so muito n'nma conspraeo republi-
cana, cujo c miro era em Moscawcom rafica-
$oes era Kiew e Wilna, na Hespanha e na Julia.
ORIENTE. .
O sultao da Turqua, ao. inaugurar o afino
novo niussulmano, proferio um discurso em. que
alludio ao regulamento do conflicto grego, aos
acontecimentos de Creta, s relceos /t'm as po-
tencias estrangeiras, o promctteu> novas reformas
sociaeve econmicas. /
O relatoT.0 apresentado pdfc, gro-vizir ao sulto,
enumera os reVi/f/loytei onfereneia de Paris ;
mosisa que os direitos da Turqua foram reconhe-
cidos, devido moderacao do seu governo, e ao
respeito que inostrou, com relaeo aos direitos
dos outros; e manifesta a esperanca de ver me-
Ihorar ainda as relacoes da Turqua eom as po-
tencias.
As desorden3 de Creta, accrescenta o relatorio,
cstao apasiguadas. O governo ha de vigiar pela
execuj dos novos rqgulamcnios, que garantem a
proprH*JMe e a seguranza da ilha.
Diz o gran-vizir quo o crdito tem ma,lhorado,
ao passo rendimentos, e com dcsenvolvimento do commer-
cio e da agricultura. O orcamento que est ela-
borado na actuajidade ha de ser dentro em pouco
publicado; te ve de recorrer a novos crditos em
consequencia da necessidade creada pela invencao
de novas armas, acrescentando que esta medida
era indispensavel, para um estado que quer con-
servar a sua Bosirao e habilitar-se para proteger a
agricultura, facilitar as transaeeoes, desenvolver
os caramhos de ferro e as estradas, e organisar a
justo.
A jiuportancia da dospeza o resultado da civi-
lisacao, por isso qne os encargos do governo
augmentara na razao da prosperidade publica.
O relatorio recommenua a publicaeo de um
onjunctj de leis e de regulamcntos, adaptados s
circumsuncias prsenles, aliin do se garantir o
^t*r e a prosperidade j alcancaas. O
tdas C0Ilclue appdlando para o concurso de
om^fimnl? ^""r SadikiTendicontratou um
emprestimo para a amortisacao de 1600000 a
reuresenundo a amortisa^2 *%^Z
O governo ottoraano est resolv do a conceder
Ficou indefinidamente adiado o caaamenm
t ESES"" *"* SSS
Escrevem da Cattaro que no da so da ahril
3 nopnm facan nn|n^;j.n w *uiii
Montenegro, representou como padrinho o impe-
rador da Rtissia, e fez presentes avalados em mais
de loO mil rnbblos. Os cnsules da Prussia e da
Russia em Baguza assistiram s fastas. Os re-
presentantes da3 nutras potencias absliveram-se de
tomar fiarte nos fstejos. "
. 0.principeDolgorouk, depeis de visitar todos
os djstrictos.do Montenegro, parti para Athenas,
p>is que eM cncarregado de urna missao junio
do governo hellenco.
Urna correspondencia do Alhenas diz que os
malfeitores approveitam o periodo eleitoral para
ora tiraran das suas costumadas facanhas. O
espirito publico est muito agitado, de sorto quo
se teme alguai conflicto.
PORTUGAL.
Foi escolliido pelo rei, na lista quintupla or-
ganlsada pela cmara dos deputados, para presi-
dente desta corporacao o Sr. consellieiro Diogo
Antonio Palmeiro Pinto, governador civil do Porto,
3ue pedio e ebteve em continente -Ba domissao
este cargo. *
Para vico-presidente e secretarios foram eletos
os Srs. Costa SimSes, Ilolbech e Barros (Jomes.
J se achava votada em ambas -as eamaras
a resposta falla do threno, sem discussao, de-
clarando a opposcao reservar-se para apreciar a
poltica do governo em outra ocGasio,
Na cmara popular foi apresentada a se-
guinte nroposta:
o Artigo Io. E' o governo autorisado a le-
vantar um empreslimo at somma de 18 mil
contos, ou 4 milhoes de effectivas, cmanlo
que o encargo annual do juro e amorlisaco, nao
exceda a 10 '/* por cento, devendo este* capital
ser extincto no praso de 30 annos.
nico. Na autorisacao concedida por este
artigo, comprehendida a do pagamento pelo pro-
ducto do emprestimo, da commisso, e despezas
necessaras para a sua rcalisacao.
Art. 2. Para garanta do juro e amortisacifo
d'ste emprestimo, poder o governo destinar es-"
peeialmente os direitos do tabaco, que houverem
de ser cobrados as alfandegas do continente do
reino.
Art. 3. E' o governo autorisado a crear e
emitiir a somma necessaria em bonds ou obriga-
coes, com juro de 6 0/0, para a realisacao do mes
mo emprestimo.
nico. Estes ttulos serao isentos de decimas e
outras contribuicoes.
Art. 4." E' o governo autorisado a pagar, pelo
producto d'este emprestimo, companhia do ca-
minho de ferro de ueste a somma de........
2,376:63375l, a que se refere o decreto do Io de
marco de 1869, podendo dar preferencia neste
pagamento aos portadores das obrigacoes da com-
panhia como seus credores.
Art. o. O producto do emprestimo autori-
sado pela presente lei, liquido do encargo que
se refere o art. precedente, destinado extinc-
ao da divida fluctuante externa, c o re3to ser
applicado amortisacao da divida fluctuante in-
terna e ao pagamento* das despezas legaes ordina-
rias dos annos econmicos de 1868 a 1869, de 1869
r 1870, segundo as conveniencias e necessidades
do thesouro.
_ Art. 6." Os ttulos da divida fundada, quo es-
tao servindo de caneo dos omprestimos, que
constituem a divida fluctuanteinterna e externa,
e (|iie se forem resgatando em virtudc das dispo-
sicoes do artigo antecedente, serao logo remetti-
dos junta do crdito publico, para serem amor-
lisados. O mesiiio se pratiear com iguaes ttulos
pertcncentes fazenda-nacional, que existam em
cofre, havendo sido creados para eaucao dos em-
prestimos.
' Art 7." 0 "overno dar conta s cortes, na
prxima sessao legislativa, do uso que fizar das au-
torisacoes concedidas por esta lei.
Art. 8." Fica revogada toda a legislac,o em
contrario.
Seguir, no dia 10, no vapor Bomio, a expedi-
cao para o Zairbezia; devendo o transporte Marti-
nho de Mello conduzr os petrechos bellicos.
Dizia-se que o Sr. Carlos Bento se resolver
a acceitar o cargo de ministro portuguez no Rio de
Janeiro, para onde deve partir dentro em pouco.
Corra que brevemente chegara Lisboa, o
Sr. duque de Saldanha, chamado par el-rei para
assumir a presidencia do consclho de ministros,
segundo uns, para tomar assento na cmara dos
pares, segundo outros.
O Sr. duque de Loul acompanhar S. M.
a rainha, na vagem que vai fazer Allemanha.
Foram agraciadus : com o titulo de baro
de S. Jos, o Sr. Jos Victorino do Rescnde, capi-
talista residente no Rio Grande'do Sul; e com a
commenda de Chrsto, o Sr. Isidro Borges Montei-
ro, capitalista do Ro de Janeiro.
Tendo sido, demittdo de secretario da India
o Sr. Itivara, foi norneado para o substituir o Sr.
Jeronymo Osorio da C. Cabral.
Produziti em Lisboa sensacao um pampheto
do Sr. Testa, official de marinha e lente da es-
cola naval, contra os actos do Sr. Latino Coelho,
ministro da marinha c ultram.r. Dizia-se que ia
apparecer outro do Sr. Barreiras Arrobas contra
o referido ministro.
Escreve-nos nosso correspondente de Lis-
boa :
i Dcu-se ltimamente um caso tenebroso, que
faz lembrar os salteadores italianos, cuja fama
chega aos conlins do mundo. O Sr. Diogo Fer-
nandas, negociante de agurdente no Porto. Lis-
boa prncipaes cidades de He-panha, recebeu ha
das a noticia de que perto de Ciudad Real, onde
tem um estabelecimento d'aquelle genero, os sal-
teadores conseguiram apoderar-se de um filho seu
menor que alli se achava em companhia de um
caixeiro. Pelo resgate do filho pediram os saltea-
dores 20:000 duros. O Sr. Fernandos parti logo
para a Ciudad Real em companhia do sua esposa,
e consta que pelas autoridades hespanhblas se po-
zeram em accao as mais enrgicas diligencias pa-
ra descobrimento dos criminosos e lugar onde se
acha o menor que ha esperanzas de ser salvo.
A galera ingleza Atice, procedente d Car-
diff e com destino para Bengold, naufn<*ou no dia
10 a cinco milhas norte de Vianna. Eram 12 os
tripolantes, dos quaes se salvaram somente qua-
tro; o capitao escapou tambera. A embarcacao
vinha com carris e licou toda em pedacos.
barca Aditaide, chegada ha dias do Para,
leste anno, guo approva o eonxacto feito eom a
; companhia PernambueaBa do navegaco a vapor,
dispensado o intersticio ruquorimenlo da Sr. G.
Orummonfi-4 em i.- o de n. 3:!, que suonrime o
iislncto de paz de Cabelleira, dicomarca do Boni-
to, dispensado o instersiiciorejueiimente do Sr..
Amonm; em 1." o de n. 48, que marca a porcen-
tagem que 4evom percebr os empregado dojuizo
dos eitos di fazonda provkw.ial, dispensado o in-
terstido requerimento do Sr. Auurai;. m L*
de a. 47, que autorisa o governo a mandar admit-
tir no Gymnasio provincial como pensionista do
governo a Arthur de Ahreu e Lima, dispensado o
intersticio w]uerraento do Sr. Pina ; em 3." o
de n. 34, que manda pertencer ao 4. distrito de
paz da Escada o engeoao Rainha dos Anjos" per-
tencente hoje ao 2." distrkt) de lamelleira
Entrando em i." diseussao o projecto n. >
deste anno que restabeleee o lugar de escrivae de
orphao do termo do Ro Formoso, pronunciou-se
contra a materia do projecto o Sr. Gaspar Drum-
mond c a favor o Sr. Amaral, ser,do por fim o pro-
jecto approvado, dispensado o insierslicioT* reuue-
nmento do Sr. Amaral. ,
Approyou em- 2.' o de n.ti darte anno que crea
duas collectonas proviucaes, aas comarcas do
Bonito e Caruar, "dispensado o intersticio i re-
querimento doSr. Gitirana.; revoga o art. 6. da lei n. 738 de o de iunlig de
1866, dispensado o intersticio requerimento do
Sr. Armiuio; eni 2." o de n. 40 que autorisa o go-
verno a conceder a Joaquira de Almeida Pinto a
quantia dei-0003000 para a publca?aodo diccio-
nario das plantas medicinaos do Brasil com urna
emenda do Sr. Andr Cavalcanti elevando a.....
4:0003000 a quota.
Continuando em 2.* discussao o art. 16 do pro-
jecto de orcaniento provincial, foram approvados
os arts. 16, flcando adiado o S 2." do mesmo art.,
17 a 24, flcando o art. 23 adiado.
A ordem do dia para a sessao de hoje alera da
j dada a 1.' discussao dos projeetos ns. 67, 68,
71, 2. dos ns. 62, 21, 47, 43, 6?, 32, 31, 40, 3.'
dos ns. 24 e 39.
^rLdSlb^r^^ -r* ***"to -weMnte o Sr. Dsa nao foram
entre partes,
zer;aslinhas 4* e 3' devem ser supprimidas,-m.Ts passando a 6- para 4* e assim por iaifte.
Sempre que-se encontrar a nalavra Japi, deve
ler-se Jupi.
Na 4* columna 8- onde se l crime de ho-
micidio, lease tentativa de homicidio.
EM TRANSITO.Com destino i corte, veio no
Tocanttns o Exm. e Rvm. Sr. bisan do Goyaz. S.
Exc. bospedou-se no hospicio da Penlia.
CJIEGO.Tambern veio no Tocautins o Exm.
Sr. conselheiro Jos Bento da Cunha e Figu#iredo,
com sua Exm familia, devendo seguir para a corie
no Cruzehv do Sul.
PIRAPAMA. Seguio da cidade da Fortaleza
para a Granja, no dia 22 do corrente.
NAVIOS CHEGADOS. Lisboa fratida e
Bella Ftgueirense, a 6, de Pernainbuco, Feliz Ven-
tura do Para, e Constante 3. de Pernambuw.a
7, AdeUtide do Para, e Marta Luiza do Maranijao,
a 9, ao PortoNoca Fama <' Harmoiae Pernam-
buco a 30, Amelia e Flor de S. Sumo a 1.
NAVIOS SAHIDOS.-De Lisboa Catete para
Pernarabuco a 4. e Ligeiro para o Para a 12 ; do
appellantes os administradores da
de Antonio Jos de Figueirdo, ap-
peHado Francisco Jos de Ollveira Jnior ; appeN
lanto Francisco Ferrera Novaes, appellado Joa-
qumi JpsPereira da Cimba.; appellante o bario
de Bemlca. annellada trar r.-imnirn Loan
estove quasi perdida na altura das Ibas, em con-
sequencia de nm grande tufo que Ihe despedacou
o panno e a fez adornar. Deve-se a salvacao do
navio a intrepidez do bravo capitao Clemente Jos
Rodrigues, que mandando cortar os raastaros, fez
com que o navio retomasse a sua poscao natu-
ral.
Por um barco de pesca da villa do Topo, da
ilha de S. Jorge, foi encontrada urna garrafa no
alto mar, e dentro della um fragmento de papel,
no qual Elias Asplet, capitao da barca Jessie Scott,
declarava achar-se a 18 de Janeiro na latitud N.
41 20' e na longitude S. 30 19' 30", com 23 dias
de vagem, procedente da Parnahyba e com desti-
no a Londres, e que o navio estava soffrendo
naquelle dia um grande temporal, esperando-se
comtudo urna boa brisa.
No dia 20 do passado, em Ponta Delgada, sen
tio-se um 3balo de trra, que produzo algum
susto.
' Na noute de 13, os Michaelenses presencaram
o espectculo de urna aurora boreal. -
O Echo Liberal, de Ponta Delgada, fallando de
Iady Franklin, diz o segrate:
Segu para as Ibas, depois de visitar as seto
cidades, a esposa de celebre explorador do po-
lo. Esta senhora que comprou e*qaipou sua
custa um vapor para ir em demanda, do marido,
gastando 800 contos de ris em tres annos, veio
agora aos Acores em viagem de estudo para com-
pletar as suas memorias e descrpcees de viagens,
que comprebenderao 30 volumes.
E urna das mulheres mais celebres deste se-
cuto. Acompanha-a miss Sophia Crcrofe e lady
Marga re Chevaler, esposa do hbil romancista
Chevalier. i
PERNAMBCO.
REVISTA DIARIA.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GEOGRPHICO.
Reunio-se quinta-feira esta sociidade, sob a pre-
sidencia do Exm. conselheiro monsenhor Muniz
Tavares, e com assistenci i dos Srs. Drs. Aprigio
Guimares, Gervasio Campello, e Alfonso de Albu-
querque e os Srs. padre Lino e major Salvador.
E' ida e approvada acta da antecedente.
Nao achando-so presente o Sr. secretario per-
petuo, o Sr. 2o secretario d co.ita do segrate
expediente:
Um oflicio do Sr. secretario perpetuo, com-
municando nao poder comparecer a presente ses-
sao.Inteirado.
< Outro do Sr. coronel Antonio Gomes Leal, fa-
zendo idntica coramunicacao.Inteirado.
Outro da Sra. D. Joanna da Palma de Miranda
Franco, solicitando que o Imtitut) promova urna
subscripcao em favor de seu marido, o ex tenento
do corpo provisorio de polica, Francisco Xavier
Rodrigues de Miranda.Adiado.
O mesmo Sr. 2o secretario menciona as segra-
les offertas:
Varios ns. do Diario de Perambuco,pe\o conso-
cio Dr. Fgueiyia; algjins ns da Opinio Nacional
Todas estas offertas sao recebidas com agrado, e
mandam-se archivar.
Entra em discussao, e approvada a proposta
do Sr. major Salvador, adiada da sessao passada,
para que se represente ao governo da provincia
sobre o terreno ao lado da fortaleza das Cinco
Ponas, concedido ao Instituto pela cmara muni-
cipal para a ereccao da estatua de Andr Vidal
de Negreiros.
Corre em seguida o escrutinio e elilo socio
honorario o Sr. bario de Villa-Bella.
E' dcstribuido pelos socios preseites o n. 11 da
Reiista Trimeiualdo Instituto.
Levania-se a sessao.
ESTRADA DE FERRO DES.FRANCISCO.-Ter-
ca-feira licou restabelecido o transito dessa va de
coramunicacao at o Cabo, subincio anle-hontem,
porm, o irem ordinario at Una. Desse modo
est completamente reacldo o fio das communica-
coes pela estrada de S. Francisco, do Recife a
una.
as proximidades daeslarao deOlinda, no lugar
chamado Pavao, ainda boatera foi myster transfe-
rir os pa outros trens, visto ter-se precipitado do alto de
urna montanba sobre o leito da va. urna enorme
podra, que se traa activameute de remover, arre-
bentando-a por meio da plvora.
No lugar desse accidente a via permanente passa
entre dous morros altos, e por tal forma que
impossvel desviar a estrada par a direita ou
esquerda do obstculo.
Hontem, porm, deve ter ficado concuida a re-
mocao desse obstculo, subindo o trera livremente,
e sem haver necessidade de baldear de um para
outro trem os passageiros e suas ba:;agens.
Os estragos causados pela enchente do Prapa
ma ao leito da estrada, entre a Ilha e o Cabo, fo-
ram extraordinarios. A linha licou quasi total-
mente destruida entre essas duas estacoes.
Felizmente j se acha reconstruida; e a ponle
sobre aquelle rio, apesar da enorms forca que ali
Tez o rio, nao ameaea a seguranca dos trens.
TOCANT1NS.Este vapor lira a nala hoje, no
corrcio, s 3 horas da tarde, para o sul do im-
perio.
SINISTRO NO PORTO Qnanco voltava, na
quarta-feira as 3 horas da tarde, para bordo do
patacho inglez Zeal, que, procedente de Swansea-
com um carregamento de rarvo do pedra, fun,
dera pela Hianhaj no lamaro, ura bote com o ca-
pitao John Seuman, tripolado por 4 pessoas, bate i
sobre a tartaruga e sossobrou, perecendo o capi-
tao e tres marinheiros.
Attribuc-se o sinistro a querer o capitao pr-se
fora da baa, antes de cahir um aguaceiro que
se formava do norte, e nao procurar a sabida da
barra.
Apenas o bote sossobrou, para o bisar foi o
jangadeiro Antonio Francisco de Lacarda, e outras
muilas pessoas, que conseguiram apenas salvar
um dos tripolantes.
At hontem s 2 horas da tardo nao tinham si-
do encontrados os cadveres.
ESCRAVOS. O vapor Tocantins trouxe do nor-
te, com de-tino a corte, 42 escravos.
PARA O EXERCITO.Ainda esse vapor trou-
xe, com este destino, 34 pracas.
DINHEIRO.O vapor inglez Onetda trouxe para
Bank of Rio de Janeiro.............. 5000
Augusto Frederico de Oliveira A C.... 1000
Mondes & Coelho................... 600
Jos Luiz G. Ferrera & C........... 500
O vapor Tocantins trouxe para os Srs: *
Tasso Irmo.................. 6:646^690
Jos Rodrigues de Souza...... 2:400|000
Domingos Ferrera Maia........ 960000
Miguel Jo Alvea............. 2003000
Para as provincias do sul tfouxe esse vapor :
Bahia........"................ 2:355*973
Rio de Janeiro................ 59:269*080
sendo desta ultima parcella 50:907 J840 para o
thesouro nacional.
Porto Nova Palmeira e Josephina para o Par
NAVIOS CARGAEm Lisboa Relmpago
para Pernambuco, Lima e Feliz Ventura para o
Para ; no PortoUnido para Pernambuco.
L.HRYSOLITE E AMBROSEEstes vapores, da
linha de Liverpool, deviam partir de Lisboa :
aquelle de 14 a 13 para nosso porto, e este de 21
a 22 para o Para, Maranho e Cear.
FUNDOS BRASILEIROS. Eram assim cota-
dos na praca de Londres, ultima data:
5% de 1&39.........82a89nom.
5% de 1865.........78 a 78 "A.
4 >/i% de 1852-58-60. 70 a 75
4'/i % de 1863......63 a 68
NOTICIAS COMMERCIAES.Eis as das ultimas
datas das prjhcipaes pracas da Europa :
Londres, 13 de maio.
O algodo baixou. Fica calmo aos presos : de
11 a 12 V o de Pernambuco, II a 11 '/ o da
Parahyba, 11 Ve o de Mace, 11 J/, a 12 '/ o do
Maranho, e 11 Vi o do Cear.
O assucar fica cora alguma firmeza aos precos
de 26/ a 28/ o branco, e de 20/ a 24/6 o masca-
vado.
O caf do Ro vendeu-se de 42/ a 82/, segundo a
qualidade.
O cacao do Para est frouxo de 45/ a 53/.
Os couros seceos e salgados flcam frios. Cola-
mos de 6/ a 9 Vi d.
Havre, 13 de mato.
0 algodo fica fraco. 0 bom ordinario de Per-
narabuco cotado a frs. 145.
O caf est frouxo.
NAVIO ENCONTRADO. A barca franceza
Sphre fallou, no dia 24 do mez passado, prximo
di 1 Havre, com a barca franceza Saint Andr, em
viagem de Pernambuco para aquelle porto.
BAZAR DA MODA. Este estabelecimento aca-
ba de receber pelo qltimo paquete da Europa, um
grande, o especial srtimento de artigos de moda,
tanto para senhoras como para h>mens ecriancas,
os quaes vende por precos commodos ; como ve-
rao em um annunco publicado n'outra parte deste
Diaria.,
lenifica, appellado Braz Carneiro Leao.
Nao tendo comparecido o Sr. barao de Nazaroth
nao pode ser proposto o feito entre parles, appel-
lante Francisco do Lago, appellados os- adminis-
tradores, da masa fallida de Joaquira Jos Gomes
de Souza.
O Sr. Miranda Leal apresentou o feito adiado a
seu podWo na sessao de 10 do presente mez e nao
foi__ proposto porque o Sr. desembargador Souza
Leao iuiz revisor, entre partes, embargantes a
viua e nerdeiros de Jos Higino do Miranda, ap-
pellado JoHo Busson.
eSlGNACO b* da.
Appellante3 os administradores da massa fallida
de Antonio Jos de Figueirdo, appellada D. Pau-
liua Areias de Godoy ; appellante Joaqum Arce-
nk Cintra da Silva, appellados os administrado-
res da massa fallida de Amorim, Fragoso, Santos
& C.; appellante Joaquira de Azevedo Maia, ap-
pellado Jos Antonio de Almeida Guimares.
Por nao se achar presente o Sr. Rosa assignou-
se o primeiro dia til para os julgaraentos uestes
feitos.
DEI.ICENCIA.
Appellante Francisco Leito de Carvalbo, ap-
pellado Joo Lopes-Braga.O Sr. desembargador
Silva Guimares proferio o segrate despacho :
Voltem os autos para o cartorio aflm de ser pago
o imposto da dizima em relacao ao pedido na for-
ma da lei; o que feito tornem concluso.
PASSAGEM.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. de-
sembargador Accioli: appellante Manoel Thomaz
de Albuquerque Maranho, appellado o Dr. Sym-
phronio Cezar Coutmbo.
ACGRAVO.
Juizo especial do coinmercio : aggravante Ma-
noel Pires Ferreira, aggravada D. Cezaria Candi-
da Nobre de Gusmo.O Sr. desembargador Sil-
va Guimares jurou suspeicao o foi o feito apre-
sentado ao Sr. desembargador Reis e Silva.
Nada mais houve, e encerrou-se a sessao urna
hora da tarde.
rio reinos, principados, ducados e as cidades han
fcS,-i?2L5Mt,& a verdade,h8torica desses
folio), 6 se desa licao da historia passar-se pela
memoria o naselraento da instituirndo jury, isto
, do direilo de termos ralgado* por nossos pares,
ponto esseocial do direito publico univers-almenle
acceito, seu desenvul vi ment produzido pelo espi-
rito elevado e profundo juizo da nacao maleza c
|>eiasciencia eHusIra^O da nacao franceza- 'se
date confessar, que, mbaj ellas,- sao conquistas
importantes da intelligencia, devida ao espirito
de liberdado.
Conseguintrnente, consultando exclusivamente
os principios polticos, de que ellas sao verdadeira
mcarnacao, diria o paco monicipal deve -i-
tuar-so no centro da fiegaecia de S. Jos, onde o
espirito liberal, parece, se ter pronunciado com
mais forra e energa nestos ltimos lempos.
. As cmaras ainda possuero umita popularidado
a manler-se na altura da lei da sua creacsto, e nao
enchergo inconveniente em funecionarem em sen-
tan contrario algumas das outras pecas domecha-
msmo poltico da nae.
mJSXf*& ?ra um exemP'o hrado das
propnas Icis da physica.
rnAnne^rem fU ",ovimento ^ rolaco, jornalei-
'S mno- "e*"10 ? afastar-se de seu centro, pela
aejao da forca centrifuga, porm, a forra centr-
peta a contera mmutavelmente pelo principio da
gravidade em a rbita, que Ihe consignada, pelo
nosso systema planetario, descoberla, sustentada
por antigos philosophos e explicada luminosamente
por Eopernico, La Lande e outros astrnomos mo-
dernos.
O engenheiro,
A. F. R. Selle.
PARA O SUL DO IMPERIO O vapor Oneida
trouxe com esse deslino 146 passagfiros.
LOTERA A que se acha a venda a 107% a
beneficio da matriz de Buique, que corre amanlia.
PASSAGEIROS.O vapor Tocantins vindo dos
portos do norte trouxe os seguntes:
Conselh#ro Jos Bento da Cunha Figueirdo e
2 Ulnas, 6 criados e3 escravas, 4 presos de justira
e 8 pracas que os escoltam, Manoel Gomes, Fran-
cisco de Figueirdo, Jos de Figueirdo, coronel
Hyginio Jos Coelho, Ignacio Quadro e 1 escra-
vo, Jos Antonio de Souza, Jos Soares Barbosa,
Belarmino Gomes de Moura, Joaqum Geminiano
d'Andrade, Manoel Cornelio Barbosa Cordero,
Joaqum Ignacio Pereira e 1 escravo, I outro a
Maia & Espirito Santo, Henrique Grange, Primo
Pacheco Borges e 1 filho, Pedro Tavares da Costa,
Ant.mi 1 Polary, Joaqum Maximiano Pestaa, alie-
res Joo Francisco d'Alhuquerque Maranho, An-
tonio Teixeira Barbosa, Jos Marques Guimares,
Bernardino Machado Coelho, Jos Dias de Barros,
Mauricio Raubach, Lourenc,o Antonio d'Azevedo,
Alfol o Druinmond, Ricardo -Liz da Rocha, 1 fi-
lho e 1 escravo.
Seguom para o sal no mesmo vapor:
Gaudencio Soares Rioeiro, Exm. Rvm Sr. hispo
de Goyaz e 1 criado, Remandes da Cosa LODO,
Francisco Jo< Lopes Al ves, Paulo Jos Gonralves,
Joaqum Jos de Freitas e sua familia, Joo Tra-
vssoda Costa Guim e 1 Dlha, Vallredo Padilha,
61 recrutos para exercito, 33 escravos a entregar.
Viudos da Europa, no vapor inglez Oneida :
George Jarvis, Manoel Luiz da Costa, Antonio
Joaquira da Costa, Luiz Augusto Botelh o Pereira
Coelho, Joaquina Alfredo Guerreiro Oliva, Jos
Barbosa Lima.
CEM1TERIO PUBLICO.-Obituaro do dia 24 de
correntc.
Rita, Pernambuco, 48annos,Recife; hermorrha-
gia cerebral.
Mara, Pernambuco,8mezes, Recite; convulsoes.
Anna Maria da Conceico, Pernambuco, 76 an-
nos, viuva, Santo Antonio; interite chronico.
Alexandre Anderson, Irlanda, 35 annos, Recife;
anemia.
Anna Joaquina, Pernambuco, 23 annos, solteira,
Santo Antonio; febre gstrica.
Emilia, Pernambuco, 13mezes, Recite; dentrao.
Sbasiio, Pernambuco, 4 mezes, Santo Anto-
nio ; inflamaco nos intestinos.
Manoel, Pernambuco, 20 mezes, Santo Antonio;
gastro interte chronico.
Leopoldo, rernambueo, 9 annos, Santo Antonio;
ploumonte.
Candida Maria do Nascimento, Paralrjlia, 29 an-
nos, solteira, Boa-Vista; hepatitc.
-24 -
Felinto, Pernambuco, 45 annos, Recife ; phtvsi-
ca pulmonar.
Adelaide, Pernambuco, 6 dias, Sanio Antonio;
espasmo.
Joo, Pernarabuco, 4 dias, S. Jos; defeito or-
gnico.
Maria, Pernambuco, 12 annos, Santo Antonio;
cmaras de sangue.
Eieuterio, Pernambuco, 6 annos, Santo Antonio;
bexigas.
PUBLICACOES A PEDIDO.
I;um> municipal.
Advoguei constantemente a preferencia da lo-
calidade indicada por mim para o sitio, em que
mais vantajosamente se levantara o edificio da
municipalidade d'esta capital; nao sanecionando
com meu silencio eterno o parecer da commisso
nomeada premitivamente pela cmara passada
para esse effeito, preheneno um dever, procurando
frisar sufiicientemente as futilidades do fundamento
de3sa munumental peca municipal, cujas saliencias
caractersticas, me pareceu serem a parcialidade e a
injustica; allnal envidareimeusexforcos para fazer
algumas refflexoes geraes anlogas ao assumpto.
Mas tenho urna missao mais ampia, desejo de-
senvolvimento em maiores proporcj3es essa ta-
refa.
Pretendo sustentar nimba indicaco, refutando
em Io lugar o parecer da commisso, apreciando em
2o os inconvenientes apresentados pela localidade
ltimamente determinada pela cmara no campo
as Princczas, ngulo oriental da ra da Florenti-
na ; disipando em 3o as difflculdades suselada3
pela eventualidade, resultante da apparieao ulte-
rior a mraha indicaca do trabalho das obras pu-
blicas intituladoRevisao da planta da cidade;
o fazendo sobresahir em 4o as vantagens do local
gor mm indicado.
Deploro profundamente ver-me forcosamente
obrigado a declarar que serapre considerei esse
parecer de commisso incompetente, irregular, ca-
recendo de base solida finalmente, pois que sin-
ceramente consagro estima, consideracao e res-
peito te dos os raembros, de que ella se compoz.
Crcio quo foi incompetente porque nenhum de
seos membros era professional, c posto que nella
se centeraplasse dous distractos mdicos, cuja pa-
lavra autorisada devia-se pronunciar acerca da
salubridadede localidade, e da dos planos apresen-
tados para o edificio em questao, obsesvarara si-
lencio esse respeito, causando sensacao esse es-
quecimento notavel.
Pens que foi irregular porque nao se ouvio pre-
viamente a opinio do professional da repartico
competente, segundo me constou, sendo apenas
convidado para examinar e medir os terrenos, de
dne pretendiam fllanos raembros da commisso.
7 a este respeito poderia relatar um acontec-
TUO DI SAMA ISIiL
Questoesinhas
Constando ao abaixo assignado, que, alguem Ihe
quer a paternidade de artigos publicados nos jor-
uaes desta capitel, reUtivos a questoesinhas, que
nada Ihe nleressam, e assgnados por LanUrnas.
OIlios de vidro, Caipiras e quejandos; declara po-
sitivamente a qnem isto possa interessar, que vive
completamente alheio a taesquestes; que era di-
recta ou indirectamente toma parte nisso, e nem
mesmo sabe quem sao os autores de taes arleos .v
Recife 26 de maio de 1869. *
Jos Victorino da Silva Azeve).
Eectificaco.
E' inexacto que a empreza dos trilhos urbanos
do Recife a Aphpucos tenha recebido snbvencao do
governo, como se disse n'asserabla provincial e
se tem repetido na imprensa.
A verdade que tendo-se de abrir a ra nro-
jectada ha muitos annos entro a do Hospicio e a
da Solidade para completar-se a da Esperanca
ja comecada, propz o governo e a empreza aeeei-
tOUif^fs^alesa?proPria?iLo' ("IW "i avallada
em 22:WXj>000 mediante a quantia de 18:080|000
paga em quatro presuc"-" anouaes, que anda o
nao tem sido, a excepr la primera.
A empresa nao preci
de abrir urna ra, que
de publica, concorrenii
de 4:000000.
As ras e estradas ev.
trilhos Ihe foram conced
21 de Junbo de 1861, n
B
CHRONICA JUDIIARIA.
se fizeram festas explendidas em Cotugno^ir
oecasiao dobaplisrao da (ilha do principe Nicolao
O principe Dolgoroaki, enviado era. missao ao
ASSEMBLEA PROVINCIAL.Na sessao de quinta
fera, a asserablaouviu ao Sr. Amorim na justifi-
caejio do um requerimento que apresentou, pedin-
do diversas informacoes sobre as q 11 amias despen-
didas com a factura de certas obras, e fazendo
reclamagdes sobro diversos erros typographicos
3ue se notou no seu discurso publicado no jornal
c 26.O requerimento foi approvado.
Em seguida o Sr. Amaral e Mello requeren que
fosse remedido commisso de constituico e po-
deres o aviso do ministerio da justira, que "recom-
menda aos presidentes de provincias que nao
sanecionem actos das assemblasprovinciaes crean-
do novas comarcas, para sobre elle dar sea pare-
cer. Fallou tambem obre esto requerimento o
Sr. G. Drummond, o qual foi approvado.
Approvou na ordem do dia em 2.a discussao as
emendas apresenladas em 3.* ao projecto n. 19
deste anno, concedendo loteras.
Approvou em l.1 discnjto o projecto n.
GNEROS DE ESTIVA-0 vapor inglez Onei-
da trouxe 236 eaixas com queijos, sendo : 33 a F.
A. Monteiro Jnior, 40 a Thomaz de Aquino Fon
cera & C, 15 a J. J. GonralvosJBeltro, 15 a Pa-
tn Nash & C, 15 a J. M. da Rosa & Filbo, 15 a
Silva & Joaqum Felippe, 15 a Barlow & C, 18 a
Carvalbo Zenha & C, 13 a Joo F. da Cosa, 13 a
Corga & Irmo, U a Jos Ferreira a Costa, 8 a
J. Gerardo de Bastos, e 3 a J. M. Palmeira.
CLUB PERNAMBUCANO.-Deve ter lugar ama-
nha, sabbado, a partida dansante do torrente mez
nos saldes de Clnb Pernamburano.
EXHORBITANCIA.Moradores do povoado da
Torre pedem-nos que em seu nome reclamemos
de quem competir, alguma providencia que tenha
por fim melhorar-lhes a sorle. A ujgpa enchen-
te do Capibaribe deitou por ierra o jHssadico au'*
hgava aquelle lugar Ponte de Uebda, offercen-
do commodo transporte pela via-fem a de Apipu-
cos. .< essa conjuactura para alli foi um catra-
eiro com o sen escalr, transportar de urna para
outra raargem do rio os moradores da Torre mas
o preco da passagem por elle exigido exhorbi-
tiote (320 por passagem) I
Parece que, procurados para pagarem os im-
postes geraes e provinciaes, habilames d'aquel.
le lugar sobra o direito de reclamarem algum
beneficio, o a estada all de um bote ou escalr,
mandado pela repartico das obras publicas seria
um beneficio actualmente.
nuHi,\iL do re ti ti 1:1 te 10
SESSAO JUDICIARIA EM 24 DE MAIO DE
1869.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOS A. P. FE-
RETTI.
Secretario, Julio Guimares.
Ao meio dia declarou-se abena a sessao estan-
do presentes os Srs. desembargadores Silva Gui-
mares, Reis e Silva, Accioli, deputados Miranda
Leal e baro de Cruangy, e supplente Si Leito,
faltando com participaeao o Sr. deputado Rosa.
Lida, -foi approvada a acta na precedente ses-
sao.
Mandou-se recolher ao cartorio competente o
feito viudo do supremo tribunal de jusiica entre
partes, recrranles os administradores da massa
fallida de Seve, Filbos & C-, recorrido William G.
Fennelly.
O escrivo Albuquerque rcgislrou o ultimo pro-
testo de letra a 21 do presente mez sob o n. 4751;
e o escrivo Alves de Brito a 18 do dito mez sob
o n. 1696.
ACORDAOS ASSGNADOS.
Appellante Jos Antonio Moreira Dias, ppalla-
de Jos Lopes de Oliveira; embargantes os admi-
nistradores da- massa fallida de Antonio Jos de
Figueirdo, embargado Francisco Jos de Oliveira.
JU.GAME.NTOS.
Jmzo especial do commercio : appellantes auto-
res o Dr. Manoel de Figueira Fana e outros, ap-
pellado reo o Dr. Gabriel Soares Rapzo da Cma-
ra ; juizes os Srs. Silva Guimares, Res e Silva,
Miranda Leal e baro de Cruangy.Confirmou-se
a sentenca appellada.
Juizo especial do commercio : sppellante autor
Manoel Carvalho de Moura, appdlado reo Manoel
Ribeiro Bastos, cessionario da massa falhda de
Antonio_Pereira de Carvalho ; juizes os Srs. Silva
.. v...,,v...|l( oi/nioiiiicuir. 1 --------- "* w un *au f jiticua \ja kt* .^. una
DnExm. Sr. vice-presidentedaprovinciaesperam pularSes. Rds e Silva, S Leito e Miranda
os habitantes da Torre a satisfacio d'esae desejado' ~<'onfirmou"se a Sl>nteni*a annnllada nndo
bem, que sem duiida far declinar o preco da
passagem, pelo estabelecimento da ccncorrencia.
MISSADO SETIMODIA.-Ficau transferida para
quinla-fera 3 de junho, a missa qne a irmandade
acadmica do Bom Consdho manda (lebrar, no
convento de S. Francisco, pelo descanso do irmo,
fallecido no dia 20 do crrente, Minarte Pereira
Borges, estudante do 4 anno da Faculilade de Di-
reito.
a sentenca appellada, sendo
voto vencido o Sr. desembargador Silva Guima-
res.
Appellante Javiniano Fernandes da Silva Manta
tutor de um orphao. appellada D. Joanna Ignacia
de Jess : juizes oa Srs. Accioli, Silva Guimares,
Miranda Leal e S LeitoMandou-so ouvir o
Dr. curador geral.
Appellante appellado Jos Fernandes fioraes,
appellantes appellados Joo Evangelista de S e
outro.Appellantes Silva Lelo & C, appellado
GORRBCtES INDlSf ENSAYIS.- Vo diwurso Antonio Domines Ribel,o Lima.
6I do Sr. Dr. Migad Amorim, publicado em noeao na-1 dido dos Srs. epatados? -
ment mni serio e grave, que teve lugar entre o
senador Souza Ramos, quando presidente desta
provincia, e a cmara de ento sob a presidencia
do fallecido baro de Beberibe, jnas tornur-me-
hia longo, e basta clal-a.
Estou realmente persuadido que houve au-
sencia de base solida no edificio do parecer orga-
nisado pela commisso.
Eil-o a centralisaijo dos edificios pblicos,
a diminuiacao da rea precisa para a colloraco
dos parques de artilharia, a perturbacao do golpe
de vista do bairro da Boa Vista e Recife, em detri
mentoda belleza da localidade, a privaco da deno-
minaco propria ao sitio, aonde se lovahtasse o edi-
ficio, os inconvenientes de longitudes do bairro de
S. Jos. E o silencio sobre o local indicado por
mim, tudo, me pareceu involver, embaraces serios
na solurao de urna questao simples, manifestando
esqueciinento dos principios triviaes de delicada
cortezania.
Para que degradar a simplcidade de um pro-
blema serio com rauteis futilidades? Para que
affogar um pequeo numero de verdades puras
em um ocano de questoes frivolas ?
Simplificando a expresso equivalente serie de
reflexoes ex postas pela illustre commisso, parece-
rae que se a traduz perfehamente no asphyxiamen-
to. na morte prematura e violenta de meu projecto,
perante o magnifico e soberao trabalho do Sr. en-
genheiro Feilosa.
Era ni'ii na'rral, atienta a influencia incontesta-
ld dos amigos polticos desse Sr. engenheiro nessa
corporaco por aquelle tempo.
Portanto motivada a defelibilidade do parecer
da commisso, ser-me-ha permettido furtar-rae
s furcas gaudinas, que. pretenderam submet-
ter-me.
O terreno escolhido ltimamente pela cmara
linda, no campo das Princezas, ngulo oriental da
ra da Florentina, na extremidade ceptentrional,
exigindo o alargamento da sopracitada ra no-
sentido de recuar todo o lado do oriente, e recla-
mando a abertura de urna nova ra, cuja extre-
midade meridional termina no pateo do Paraizo,
ou na confrontafao da ra das Cruzes, crea ne-
cessariamente defflculdades, seno equivalentes
sua impraticabilidade, ao menos vagarosa e ditll-
cil solugo, nao trazendo prompto aperfeicoamen-
to symetiico da localidade em questao, alm de
que as dsapropriaedes montarlo incontestavel-
menle em somma considera ve!.
O terreno por mim indicado, resistindo a op-
posico da existencia darevisao da planta da
cidade, satisfaz a expectarao do professional
mais exigente, por quguo sendo essa revisao seno
urna simples e incompleto recomposicao da planta
da cidade, eivada de.infidelidades frisantes, parece-
me, susceptivel de modilicacao mais ou menos
geral e profunda, que traga a creacao do terreno
preciso, na extremidade occidental da ra de San-
ta Isabel, sem prejuizo do golpe de vista septen-
trional da ra de Santo Amaro, cuja extremidade
meridional termina presentemente na ra Nova,
o que propozir o completo embellezamento d'essa
parte do referido campo das Prin&szas, apresen-
tando ahi a construccao do edificio, desposicao
symtrica, harmona aeehitetonica.com o ellegante
e magestoso edificio do Dr. Sarment, na extremi-
dade oriental.
Accrescentarei mais que a insignificante impor-
tancia dos predios existentes em snas adjacencias
sua fcil desapropriacao, a predosissima vanta-
cem da proxiraidade do rio Capibaribe, cujo caes
tirar em frente de urna das faces do edificio,
donde se poder lancar urna elegante e ligeira ponte
sobre as aguas prateadas desse rio, em ordem a
por o dificio em eommunicaco com a farinosa e
aristocrtica ra d'Aurera, sao elementos favoara-
vds urna perfeila e feliz eleicao do localidade.
Agora, se estudando seriamente a origera da
instituicao monicipal, desse elemento poltico e
social, que tao sensivel e profundamente servio de
equilibrar, no seu comepo, a competencia entro a
prepotencia e poderlo dos senhores feudaes e o
enfraquecimenio e desprestigio da autoridade do
re; a sua marcha lento devida a opposico svste-
matica do corno sacerdotal; seu incremento produ-
zido pelo effeito salutar da mana das cruza-
das ; seu governo prudente e ulil, dirigido pdo
mame por; seus echeoinot; sua" importancia e
numero devida a poltica dos imperadores franco-
nios, que multiplicaran! infinitamente alista das
edades livres (na autoaomia actual da copfedera-
1 e nem tinha obrigaco
oi sement por utilida
.ara isto com a quantia
: e foram collocados os
pela lei provincial de-
j.: 1 anterior ao contraelc-
celebrado aos 30 de dezembao de 1863, e at ento
nnguem se hava proposto de effectua-lo : as des-
appropria<;oes que o governo entendesse necessario
para o alargamento da estrada deviam ser feitas
a expensas dos cofres pblicos na conformidade
do mesmo contracto.
Nao houve portanto snbvencao e nem esta foi
por qualqner modo estipulado rio contracto.
Recife, 26 de maio de 1869.
Os Etnpreiteiros.
Os abaixo assgnados, passageiros do brigue
portuguez Triumpho, vindo do Perto, cheios do
maior reconheciment para com o Illm. Sr. Ma-
noel Francisco Jnior, capitao do mesmo, pelas
maneus attenciosas com que os tratou, na falta
de outro meio, veem pela imprensa dar-lhe um
voto do agradecimento pelos muitos obsequios e
finezas que com el I es praticon, tornando assim
bem patente a gratido de que se acham possui-
dos, c pela qual Ihe offerecem seus prestimos nes-
la cidade, onde desembarcaran).
Pernambuco, 23 de raal de 1869.Joaquim
Jos Leite. Alberto Ferreira da Silva. Jo**
Ferreira.Jos Joaquim Marques.Antonio Josa
Dias da Silva.Jos da Silva Lopes.Jos Rodri-
gues dos Santos.Jos Francisco. Pinto.Henrique
da Costa Dios.Manoel Rodrigues.Jos dos San-
tos Novaes.Jos Cardk so de Oliveira.Albino da
Assumprao Ferreira.Joaquim de Oliveira Maia.
Jos Francisco Dias.Manoel da Silva Pesquei-
ra.Jos Joaquim Pereira.Manoel Martins J-
nior.Jos da Silva Braga.Jos Martins Ses-
tellos.Francisco Maria Soares.Joo Baptista
Pe eir de Souza.Alexandre Fernandes.An-
tonio Francisco Pinheiro.Antonio Pereira.Joa-
quim Tavares da Silva.Joaquim de Ohreiru
Franca.Jos dos Santos.
r COMMERCIO.
por
Deacarregam hoje 28 de maio
Barca inglezaS*rapAmamerca dorias.
Barca francezaSp**r#=dem.
Brigue inglezBtlteofthe Clydeiem.
r Brign portoguezIrnmjrto=idom.
rao uermanica, pareee; ainda se observar os ves- Lugar dinamarquezL*ra=idem.
ogros do governo feudal, eomprebendendo Impe- Patacho dinamarquezJ"nwi=farinha do trigo.
PRACA DO RECIFE 26 DE MAIO.
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Algodo sera inspeceo 16|tOOpor arroba.
Cambio sobre Londres 90 d/v 18 3/4 d.
11000.
F. J. Silveira
Presidente.
^Leal Seve
Secretario.
Banco Mau & C.
Ra do Commercio u. 34.
Desconta letras commerciaes a taxa convencio-
nal.
GASA DE CAMBIO
Teodoro Simn & C.
Compram o vendem por conta propria
melaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
sBJiaj de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontam letras da trra e outros tito-
Ios commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaeces, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta Iettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e
prazo fixo.
Saca vista ou i praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-faoa-k
e N^-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelounnho n. 7
_ AUANDEGA.
Hendimento 4o dia 1 a 25. .
dem do dia 26 i
608:304*561
35.0538t>9
643:3384540
MOVMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com faxendas 1500
dem idem cora gneros 600
Volumes sahidos com faxendas 108
dem idem com gneros 420
00
m
*
<:


I
i,

%
i
il


:""--^"



I
Diario- fe Pernanbuco Sexf* fe* 28 fe- Maio fe
s-
l'atacho in
Escuna Iie3panl|la---liii('/'f=vi
baKd r r;/r'/H -farinl
Patacho uart-all miau-" T'uyri
l'atai-: 'too/b varios gcnei
Inportacu
1= Barco frafaza Sphhre, oid/i ida a Tisse&frresjmmifettofi | a *% '[
1 caixa calcad ; a wrto 1 ditas miullefas ; a Guimares Je PreiUs.
1 dita marroSins ; a Tli. Eddlef-on
2 ditas sardinfcs ; a C. A. Sodr da Motn.
I dita iuiudezlT; a Joao da Rocha e Silva.
i ditas ditas ; a Isidoro Bustos & C.
1 dita tecidos do I a ; aFerrqjn (t Matheus.
2 ditas calcad e jlerfumarias ; a L. A.
ijueira. L B V^
6 dita- oTj (! -pin escriptorio; ;i Lailhac
k C.
i dita caixinhas-; a A. J. da C. e Silva.
;) di a> marroquins e chapeos ; a JL fi. Fer-
ivir & (',.
7 ditas calgado, ferragens, bombas e miudezas ;
i Parete Vianna j ('..
I'i ditas, 1 Jardo e 8 barricas drogas; a Mattrer
& i
t ditas tintas ; a J. di C. Bravo & G.
1 dita e -4 cateas drogas ; a J. M. da Cruz Cor-
rea & C.
."i ditas e iOi barricas ditas ; a M. A. Bar-
\ ditas e 8 caUas porcelana; a Dfiarte; Pereira
v r
,' ditas papel do cr e vidros ; a Estevao da.C
Medeiros. ., ,
I ditas pipos o papi'l para cigarro?; ai. u. (ios
Res. .
21 ditas miudezas, calcado, papel, couro de lus-
tre e perfumaras; a Ed. do C Moraes & C.
20 ditas queijos, *"> barris e 40 incios manteiga ;
a Tasad Irniaos.
31 eaixas ferragens; a Sha*, Haukes & C.
t dita modas ; a madama Adour.
1 dita obreias ; a Silva k Cardoso.
12 ditas drogas e vidros; a A. Caors.
3 ditas tecidos do algodao;. a Augusto F. de Ol-
voira 4 C.
2 ditas chapos ; a Miranda, Sove & C.
7 ditas dilos, marroquins e arenes; a Manoel
Aleofondo. .
2 ditas fumo o pregas; a Bourgard & Fana.
8ditas e 2 barricas barbante, prega*, porfuma-
rias, ferragens, sodas, mascaras o modas ; a D. A.
T. de ieira llollanda (na Parahyba).
145 barris e223 meros manteiga, 50 cestos cer-
veja ; I Tisset-i'rivs.
7 eaixas tecidos de algodao ; a Cramer, I'rey
* C ,
13 ditas c H barricas pregos, miudezas, ralea-
do, couro de lustre, marroquins e perfumaras; a
Vaz & Leal. .
50 barris e 75 meios manteiga ; a Joao Pereira
Mounbo.
10 barris vinho ; a Tli. Chrisliansen.
1 dito dito, 1 caixa piano ; a A. Hyvernat
4 C.
I dita oleado ; a Cliristiani Irmao.
50 ditas spermacete ; a J. Gerarlo de Bastos.
6 ditas miudezas, marroquins e tecidos de al-
godao ; a Mello Lobo & C.
(i ditas ditos de dito e de linho; a Linden W eyd-
m
-iOdlUCrea iufleta Tnlisma*. de 36i
i meladas, eapitS > li *<
I ..carga farinba de trigo' a PWpps rotrters
* C- a,- A.
Liverpool-r4Q das, brigui noFueguense Altee, do
231 lanciadas, apllio C. Jorjeistm, equipagem
10, carga carvao c outros genero ; a saunders
Brotkers* Cr L
. 1 /. fiavio salilo no mesmo *q. __
LisboaLugre portuguez Julio, eSpitao Joao de
Barros, carga assucar e outros gneros.
Obserraruo.
Saspttidoram do lamern para Maceio a.barca
lian-
noraegnense Hakow AiMstee, capillo A. E. liar
.,.' sen com o mesmo hwm qnetroux da Baha.
dem idem para West Indios barca ingleza Anme,
eapitio F. Rumards, con) o Bio^no lastro que
trouxo do Ri" de Janeiro.
Navios entrados do da 27.
Para e porto* intermedios8 das c 12 horas, va-
por brasiloiro Tocantins, de 750 toneladas,com-
mandante Jos Mara Ferrcira tranco, equipa-
Eem 52, caria dilTere.ies gneros; a Antonio
. de 0. Azevedo 4 C.
Southampton e partos intermedios-Jl6 das, va-
por inglex Onelda, de 1372 toneladas, eoninian-
dante J. Hoeks. equipagem 122, carga fazendas
o litros geuwo-i; a Adamaon Howie & C.
Alivio aullido u mssmo da.
Rio de Janeiro ealiiaVapor inglez Oneida, com-
mandante Beeks.
Observ/trao.
Fundiou no lamarn um trihue brasiloiro, mas
nao tevo coinmuuica(;ao com a ierra at meio dia.
1715000
SiliOOO
2i14000
JMtfOOO
tusaoo
aooooo
76O00
9C000
100000
DEOLARACOES.
G administrador da recebedoria de rendas
internas geraes faz publico que neste corronte mez
e no de inaio prximo futuro, visto estarom con-
cluidos os laneamentr.s, o que os devedores do
imposto pessoa'l, relaUvo ao exercicio corrente de
188 a 1859, residentes, as freguozas do Recile,
Saito Antonio, AITogados, Poe.o da Panella, Vanea,
S. Louren^o da Malla, S. Amaro de Jaboatao, e
Muribeca, U;em de paga-lo, livre da multa de 6 0/0
e com ella dopo's do referido prazo.
Recebedoria de Pernambuco 3 de Abril de 18o9.
Manoel Cm neiro de Souza Lacerda.
mann 4 C.
10 dilas ditos de dito, de algodao e de laa, mar-
roquios, aapoletas, calcado, chapos de sol; a
Monhar-', Melller4C.
13 diias chapos, tecidos do laa e de algodao ; a
Manrique 4 Azevedo.
6 dilas modas, brinquedos c vidros; a Carneiro
Vianna 4 C.
6 dilas marmore e modas ; a J. Ramos,
3 ditas modas o miudezas; a Cmara 4 Guima-
raes.
7 ditas ditas e papel ; a J. de Almeida.
10 ditas spermacete ; a Jos Ferreira da Costa.
1 dita chapos ; a J. I. da Cosa Maia.
4 ditas miudezas; a Souza Soaree 4 C.
;t dilas ditas ; a Guimaracs 4 Luz.
1 dita ditas ; a B. Norat (Parahyba).
1 dita livros ;.ao padre C. Caccia.
1 dita movis ; a Paulo Cohn
i dita ferragens; a Saunders Brothers 4 C.
1 dila marroquins e arcoes ; a Domingos J. Fer-
reira. .
5 ditas dilos e inslrumentos do msica ; a A.
Roberto 4 Filho.
1 dita mindezas ; a Machado 4 Costa.
1 dita ditas ; a J. A. Maia e Silva.
3 dilas ditas ; a Vianna 4 Gnimaraes.
1 dita malas ; a Adriano, Castro 4 C.
35 dilas arcoes, calcado, porcelana, miudezas,
perfumaras, vidros, drogas ; a Bernel.
23 ditas marroquins, calcado, espadas, roupa e
tecidos do laa, 35 barris e 55 meios manteiga ; a
orden). ,, r>-
1 dita cartas para jogar ; a J. A. Moreira Das.
14 ditas marroquins, miudezas e couro de lus-
tre ; D. Teixeira Bastos.
21 ditas armamento ; a Von Shosten 4 C.
2 ditas chapeos; a Manoel Moreira de Souza.
1 dita preparos para pianos ; a J. Vignes.
1 dita tecidos de laa ; a H. Leger.
1 dita retrato ; ao Dr. Ludgero G. da Silva.
I dita realejo ; a Satyro S. da Silva.
8 ditas ferragens ; a F. Dubarry.
4 ditas couro de lustre e perfumanrs ; a Arau-
io, Martins 4 C.
23 ditas e 2 barricas dinheiro de prata, marro-
quins, miudezas, perfumarlas ; a Olto Bohres.
3 fardos e 14 eaixas drogas; a Bartholomeu
4 C.
3 ditas calcado; a Pereira Vianna.
11 ditas chpeos de sol e tecidos de algodao ; a
Joao Fernandes Loaos.
12 ditas ditos delito, relogios, porcelana e crys-
taes ; a Carneiro 4 Nogueira.
II ditas morroquins, tecidos de algodao, de 11-
nho c de laa : a D. P. Wild.
29 ditas e 4 fardos ditos de dita e de linho, 10
barris c 10 meios manteiga ; a Keller. 4_ C
4 eaixas miudezas ; aMonteiro 4 Irmao.
4 ditas ditas e modas; a Silva 4 Neves.
46 dilas miudezas, modas, balancas, pesos, couro
de lustro, chapeos, porcelana, vidros ; a Costa Ir-
maos 4 C. ,
3 ditas sedas, 20 fardos papel para impressao ;
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
RendimentododialaSo. 38:007U6
dem do dia 26...... 1:407*495
A allanega dpsla eidade precisa comprar
para o seu expediente os soguintes objectos :
I batanea decimal cujo mximo peso seja do
1,500 kilogr,
16 pesas de 30 kilogr. cada um.
9 ditos de 15
9 ditos du 10
II ditos de S
8 ditos de 2
9 ditos de 1
9 ditos de 0,5 kilogr. ou 500 grammas cada um.
9 ditos de 200 grammas cada um.
9 ditos de 100
9 ditos de 50
9 ditos do 20
9 ditos de -10
1 medida de litro.
1 dita do meio dito.
1 dita de decilitro.
1 dita de centilitro.
Qucm quizer fornecor laes objectos compaieea
comsuas proposlas en) carta fechada at o dia 31
do cmate. ,
Alfandega de Pernambiro 15 de maio de 1869
Assignado0 inspector interino,
L. de C. P. de Andrade.
No dia 2 de junho, ein praca do Dr. juiz
municiparda 2' vara, vio praca quatro casiuhas
e um caixao, ludo de podra e cal, na estrada dos
Remedios, por execucao de Francisco Jos de Tai-
va contra Francisco vil) de Mendonca._________
Santa Casa da Misericordia
doecife.
A Illm" junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recil'e tcm de mandar edificar no
lugar em que existe o sobrado arruinado n. 33 da
ra Direita, um armazom com duas frentos, urna
para a mesma ra Direita e outra para a da As-
umpcao, com tres portas em cada urna dessas
frontes, sendo as portadas de pedras lavradas, po-
dendo para esse lim aproveitarem-se as pedras
que all existem ; devendo serem as frentes cons-
truidas desde os alicerces. Contrata, pois, com
qucm por menor preco fizer scmelhanle obra, e
por isso convida as pessoas que se propozerera a
effectua-la que aprsentelo suas propostas em
cartas fechadas ,t as 2 'toras da tarde do da 3
de junho prximo futuro, podendo os pretenden-
tes, para o lim de examinarom as obras a fazer-se,
procurar as chaves daquellc sobrado nesta secre-
taria. .
Secretaria da Santa Casa da Misericordia
do Recife, T de maio de 1869.
O escrivo
Pedro Rodrigues de Souza.
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 47..... "0*000
dem dem 11. 63...... ZSSn*
dem n. 47". 10......, !70*0UO
Travessa de S. J
Casa tersen n. 5. jifxXX
dem idem T........ Io9*000
Ra.das Calcadas.
Casa terrea n. 30 ..... \ll
dem idem n. 34....... SSS
Idam idem n. 36...... 1780(o
Ra de Hortas,
Primelro andar e sotao do sobrada nn.mnni
n 41 ......30OOUU
Ru de Santa Thereza.
Casa terrea n. 5......
Ra larga do Rosario.
Tereeiro andar do sobrado n.;26 .
Terceiro dito dosdbrado n. 2 4 .
Ra do Calabouca
Casa terrean. 18..... 30y3!?J?
dem n. 20.....
Ra da Cadoia.
Sobrado de um andar n. 23 .
Ra da Moeda.
Sobrado de um andar n. 41 .
Primelro andar do sobrado n. 37.
Segundo andar dito.
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1. -,
. PATRIMONIO DOS ORPIiAOS.
Praca do Pedro II.
Segundo andar do sobrado n. 3'!.
Madre do Deus.
Sobrado de um andar n. 9. M *K
Casa torrea n. 22.......,:S?S2!
dem idem n. 20....... MMWO
dem idem n. 14. ..... ^j**)
dem idem 3.8 O 360*000
Becco das Bnias:
Sobrado de dous andares n. 10. .
Ra da Moeda.
Casa terrea p. 21......
dem n. 47.......
dem n. 49........
Ra do Amorim.
Casa terrea n. 56....... 42|000
dem n. 34........g$E
dem n. 52......... fjMOOO
dem n. 47........ 4"3->"X
Idem n. 45..... J^
dem idem n. 43....... *??SS
dem idem n. 24...... Siouu
Azeite de Boixe.
Casa terrea n. 23.....
Ra do Vigario.
Loja da casa n. 27.....
Encantamento.
Casa terrean. 11.....
Ra da Cruz.
Sobrado de dous n. 29. .
dem n. 12........
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 105 ................ iJSficK
dem idem n. 103.................. 2S*S
dem iuem n. 101 ................. 20^
dem n. 89......'r................ ^
Idem n. 2....... ................. 76000
Idemn. 110..................... 03*000
Idam n. 106....................... 20U00O
Wem n. 104...................... UW
dem n. 98........................ aWaOOO
dem n. 96......................., WOOO
dem n. 94........................ !',,,>i
dem n. 100......., ,. .. ,......., fOIOOO
Sitio n. 5 no Forno da Cal........... loujuw
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematacao as suas flanco, ou comparecerem
acompanlados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife. 20 de maio de 1869.
O escrivo.
Pedro Rodrigues de Souza,
THETRO
S. ISABEL.
EKPREZA DRAMTICA
ttabbado 2 de malo.
Segunda representacao do drama original bra-
silero eseripto pelo muilo distincto dramaturgo
nacional o Sr. Dr. Joo Frankn da S. Tavora,
dividido em 7 actos e 3 partes, intitulado
I;
366$000
3805000
353*000
2525000
itll
1" parleA lagrima d* deshonra.
2' dila A laiimado desengao.
3* dita A lagrima da redempeao.
KBSOlUGBItS. SEMIOnS.
Coutinho........ J. Augusto.
Luiz......... Eduardo.
Arthur........ P. da Costa.
Fonseca. ....... Brochado.
Baro de Sant'Anna. C Rocha.
Baro de Serinhaem. Thomaz
(jonselheiro....... Jos Victorino.
Azevedo........ Jordani.
Tavare?........ Marlinho.
Io actor. ..... Sant Rosa.
2jfactor. '...... Guimares.
3* actor........ Lessa.
Criado........ Guimares.
D. Julia.
3725000
3035000
9315000
8025000
S8O30OO
COMPANHIA PERNAMBUCAM
M
XarcsiirSo costeira por Tapor.
Macei cm direitura e Penedo;
O5 vapor Jaguar be t aouman ante Moura, seeui-
r para os porios ackri'no' dia 31 do correnie
as 5 horas da tarde. Recebe carga al o dia 29
as 3 horas, encommendus, passageiroS e dinheiro
a frete at as *2 h .ras da tarda do dia da sabida :
no escriptorio do Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PEKNaMBUOANA
DE
NavegqgdQ costt'a por vapor..
Porto de Gallinlias, Rio Formoso e
Tarnaadar.
O tipoi Parahyba, commandante
Mello, seguir para os poitos acims
no dia 31 do correntia meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, nj escriptorio do Forte do Mattos
11. 12.
D. Carolina.
D. Apolonia.
D. Francisca.
D. Clelia.
homens do povo
Rio de
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz
publico que, no dia 1" de junho vindouro,
se principiara a contar os 30 (lias uteis
para a cobranza a bocea do cofre dos im-
postas: da decima urbana, de 5 % sobre
os bens de raiz pertencentes corporaces
de mao morta, e de 20 % d. cbnsummo
de agurdente relativo ao 2o semestre do
anno financeiro vigente 18081869, eque
ficam sugeitos 5 multa de 6 % todos os
dbitos que forem pagos depois de frados
os referidos 30 das.
Mesa do consulado provincial de Per-
nambuco, 2 de maii de 1860.
Aitonio Carneiro Machado Ros
Adelante, filha de'Fonseca. .
Oljmpia, Qlba do baro do Se-
rinhaem.......
Virginia, lilha do conselheiro. .
Carcelina, viuva pobre. .
Gcorgina, actriz hesp.inhola
Actores, convidados, soldados
e criados.
A accao daactualidade c passa-se no
Janeiro.
J.SCENARIO.
O scenario do 2o acto representa um jardim ao
luar e inteiramente novo, bem como o scenario do
4o acto representando um jardim a D. o o inte-
rior de urna casa a E. Ambos os scenarios sao
devidos ao hbil pincel do scenographo Chape-
laim.
N. B. O drama est posto om scena corn todo o
esmero c cuidado de que credor.
Comecaras 8 horas.
THETRO
Gymnasio Campestre
ASSOCIAGO ARTSTICA
.' recita da nsslgnatnra
SABBADO 2!) DE MAIO DE 189.
BENEFICIO DO PHOFESSOK
1 FLAUTA
Candido Quintino Rodrigues de
Lima
Primeira representagao da interessante
e muito graciosa comedia em um acto, or-
nada de msica, intitulada:
POR CAUSA DE IM AIGAWSMO
Tomam parte as Sras. D. Olimpia* Ber-
nardina, e os Srs. Jorge, Silva, Florindo e
Braga.
Seguir-se-ha pelo beneficiado apbantasia
sobre os motivos da opera.
Os diamantea- da cora por
Toulou.
Depois representar-se-ha pela primeira
vez a exee lente comedia em um acto de-
nominadada
Companbia americana c brasile-
ra de paquetes a vapor.
At 0 ia 1 de junho 6 esmerad > dos portos do
sul o vapor americana Merrn:iack, o qual depois
da demora do costume seguir para New-York
tocando no Para c S. Thomaz. par 1 (rotes e passa-
gens trata-so com os agentes Henry Forster &C,
ra do Trapiche n. 8.____________________
COMPANHIA PEKNAMUUCANA.
DE
.\avea;a^So costeira por Tapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ar'a-
caty, Cear, Acarac e Granja.
*r?\y O vapor Ipojuca, commandante
l,X\ Marlins, seguir para os portos cima
' f' Itiftl* no dia 31 do corrente a< 8 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 29, encom-
mendas, passageiros o dinheiro a frete at as
i horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
O agen!* Pinto fa leilae por conta e risco de
qucm poctenecr da armario, baleo e mais ob-
- existentes na loja da ra da Cadeia n. H.
onde se e/Teeiuari o Jeilo as 10 horas do dia ci-
ma dilo
DE DIVIDAS NA IMPORTANCIA DE 3:663*482.
O agente Martins levar n vamente a leilo por
manda o do-Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio as dividas activas da musa fallida de Sil-
vestre Perera da Cunha na importaucia de ....
3:6G3jUB.
Sabbado 29 do corrente.
Nvarmazemda ra do Imperanrf ir. lo, as li
horas do dia.__________________;_______________
LEILO
de urna mobilia de jacwand, composta de 12 ca-
doiras ra^as, duas dius de bracos, duas ditas de
balando, um sof, dous consolos e una mesa re-
donda com lampo de podra,dous guardas vestidos.
ama eommoda c urna mesa elstica, um par de
aparadores, um marquezao, urna cama franceza
de amarello, um par de cadeirss de bataneo de
Timas, urna secretaria de mogno, urna mobilia de
amarello, diversas marquezas usadas, quartinhei-
ns, consolos, mesas redondas, duas cadeiras de
abrir, quatro qnadros a oleo, um candelabro de
vidro, duas serpentinas, una porcao de louca pa-
ra j;.ntar, candieiros a gaz, cadeiras de amarello
usadas para sala de jantar, e muitos outros ob-
jectos que se vender sem reserva de precos.
Sabbado, 29 do corrate
pelo agente Martins no armazem da ra do Im-
perador n. 16, s 11 horas em ponto.__________
COMPAHHIA
DAS
Messageries imperiales.
LEILaO
De salvados do luatc nacional San-
ta Cruz na alfandega armazem
n. 11.
Segunda-feira 31 do corrente.
O agente Pestaa far leilao por conta e risc-
dequem pcrl-ncer dos salvados do biale nacio-
nal Sania Cruz a saber : eaixas com vidros de
botica, cai.s rom chapeo' e mi deza-, ditas
.com miudezas, ditas tintas, ditas com rap "ditas
com vinhos, ditas.com ferragens, barrica com
pregos, ditas com dob:a ie-se ferrageis, caas
com hules do motil : n> dia seguniafeka as
II horasda mioh.Vi na alfand.jga armazem n.ll-
LEILAO
Arrematando
Tem de ser arrematada no dia 28 do corrente,
depois de linda a audiencia d Sr. Dr. juiz dos or
phaos, a cscrava Eugenia, parda, com idade de 2s
annos, pouco mais ou menos, e com habilidad e
para todo o servico de una casa de familia, cuja
escrava pertence i orpbaa Maria, filha do tinado
major Mignel Ferreira Cabral, servindo de base a
quantia de 1:0001000.
39:4141641
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 25.
dem do dia 26. .
67:2761729
3:563*272
70:840*001
COMPANHIA
DO
BEBERIBE
0 caixa desta companhia commendador
Thomaz de Aquino Fonceca, acha-se autho-
risado a pagar no seu escriptorio ra do
Vigario n. 19, das 10 horas as 3 da tarde,
o l dividendo desta companhia, na pro-
porc3o de 35000 por cada accSo.
Escriptorio da companhia 21 de maio
de 1869.
O secretario
Dr. Prxedes Gomes de Souza Panr/a.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia, se faz publico para
conhecimento de quem inleressar, que no da 16
de junho prximo vindouro, peranlc a mesma the-
souraria serao, arrematados por quem mais der
os arrendamentos annuaes que deven) ter princi-
pio no Io de julho deste anno, dos proprios naci-
naes abaixos mencionados. Os pretendentes de-
verao dirigir suas propostas em cartas fechadas
ao Illm. Sr. inspector at as 10 horas do referido
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 26 de maio de 1869.
O ofllcial-mjior,
Manoel Mamede da Stlra Cosa.
Relacao dos proprios nacionaes a que se refere o
annuncio cima.
Casa terrea n. 21 sita na ra de Santa Thereza.
dem n. 19 idem idem.
dem n. 10 na ra das Aguas-Verdes
Sobrado de dous andares n. II na ra Direita.
Armazem n. 1 sito no Forte do Mallo,
dem n. 5 idem idem.
dem n. 22 idem idem.
OS ZUAVOS
Executada pelas Sras. D. Jcsiuna. Ber-
nardina ; e os Srs. De-Geovani, Pedro Au-
gusto, Florindo e Emiliano.
Finda a qual seguir-se-ha a brilhanle
phantasia
I DUE FOSCARI
Composta e executada pelo beneficiado.
Em seguida a pedido do beneficiado a
Sra. D. Jesuina e o Sr. De-Geovani, canta-
rao o engracado e muito appladido dueto
A panella do feiti^o
Terminar o espectculo com o carna-
val de veneza, composto por Julio Briccial-
di e executdo pelo
BENEFICIADO.
Comecar s 7 */ horas-
0 restodosbilhetesacliam-sc a venda na
ra Augusta n. 29, e no dia do espect-
culo na estaco dos trifilos urbanos do Re-
cife. As pessoas que quizerem assistir a
esse divertimento, tero passagem gratis
de ida e volta.
At o dia 30 do corrente mez espera-se dos por-
tos do sul o vapor francez Gmenne, commandante
A. Jorct, o qual depois da demora do costume se-
guir para Brdeos, tocando em Dakar (Gore) e
Lisboa.
Para condieoes, fretes te passagens trala-se na
agencia ra do Commercio n. 9.________________
CMPAIIA BRAS1IMA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 8 de junho o vapor
Paran, commandante o capitao
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir para os portos do
norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devora
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 2
horas. _-
iNo se recebem como encommendas senao ob
]ectos de pequeo valor c que nao excedan) a dua
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de niedicao
Tudo que passar testes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
1 andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
DE 200 CAIMAS COM VIDROS SORTIDOS..
Torea-feira Io de junho.
0 gente Pestaa far leilio por conta e risco
de qu i pertencer de 200 eaixas com vidros sor-
tidos as quaes serao vendidas no dia terca-fiira
de junho as 11 horas da manhaa na ra do
1
Vigario armazem n. 19.
LEILAO
Lisboa
Segu com brevidade a barca portugueza Perei-
ra Borges por ter parte de sua carga prompta :
para o restante e passageiros trata-seom Olivei-
ra, Filhos & C, largo do Corpo Santo n. 19.
PORTO POR LISBOA
Para os portos cima segu com brevidade a
barca portugueza ClemeiUina, lem parte do seu
carrogamento engajado, e para o resto que Re
falta, trata-se com os consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz n. 57.
Ilha de S. Miguel
Para o porto cima segu com muita brevidade
o patacho portug.iez Jorgense por j ter prompta
quasi toda a carga : para o resto que lhe falla e
passageiros. para os quaes tem bellos commodos,
trata-se com o consignatario Joo do Reg Lima,
ra do Apollo n. 4.__________^.^_
de
movis, vidros, louca e crys-
taes, a saber:
1 piano forte, novo e de mogno (o melhor aue
se pode encontrar), 1 mobilia com 1 sof, 4 cadei-
ras de bracos, 18 de giiaanioao, 2 consolos, 1 mesa
oval com lampos de pedra, 1 rico espelho oval
com moldura dourada, 5 quadros com lindas vis-
tas, 3 candieiros a gaz, 4 jarros para flores, 6 bo-
las. 4 escarradeiras, 1 tapete grande e 4 pequeos.
1 secretaria, 1 mesinha redonda, 1 costureira, I
machina de costura e 2 venezeanas.
1 piano de Jacaranda c forte, 1 sof e 6 cadeiras
do Jacaranda, 1 toilele de Jacaranda, 2 jarros de
marmore e 2 venezeanas.
1 excellente guarda-vestido, 1 lavatorio de mog-
no e pedra, 1 dito, de louca, 1 cabido. 1 meia eom-
moda, 1 marqueza, 2 commodas, 2 consolos, 8 ca-
deiras, 1 estante.
1 mesa elstica, 1 guardalouca, 2 aparadores,
12 cadeiras de amarello, 1 apparolho de porcele-
na para cha, 1 dito para jantar, compoteiras, gar-
rafas copos e clices de chrystal, 3 eaixas C5m
vinho do Porto, 1 guarda-comida, 1 armario, I m
china para limpar facas, trem de cozinh e'inultos
outros objectos.
Quarta-feira de Junho de
I86O. na do Trapiche,
sobrado n. 18.
Jayme Romaguera de Aguiar, tefidp ie reliar-
se para o Rio de Janeiro com sna familia, tara lei-
lo por intervencao do agente Pinto, dos movis
e mais objectos mencionados, existentes no se-
gundo, terceiro e quarto andares do sobrado da
ra do Trapiche n. 18.
Os pretendentes poderao examinar na vespera
do leiao os referidos objectos, os quaes tornam-sc
recommendados pelo seu bom estado e pouco uso.
Principiar s 10 horas.
Santa Casa
CORREOGEML
Pela administradlo do correio desta cidade so
faz publico a quem interessar possa, que nao se
demorando os vapores da companhia Messageries
Imperiales neste porto em seu regresso do Ro de
Janeiro, o tempo preciso para se fazer a expediQao
das malas para Europa, tem resolvido que as
malas se fechen) as 6 horas da tarde do dia ante-
rior ao da chegada dos mesmos vapores.
Correio de Pernambuco 25 de maio de Ibb.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
_AVlSOiMARITIM?^
Para o Porto
seeuir muito breve a barca portugueza Seguran-
ca por j ter a rnamr parte da carga prompta ;
recebe ainda algurna carga e tambera passageiros:
a tratar com Cimha, Irmios & a, a ra da Madre
de Dos n. 34.
LEILOES.
PAR
MOVIMIENTO BO PORTO.
Navios entrados no dia 26.
Swansea45 dias, patacho inglez Zeal, de 107 to-
neladas, capitao John Soumen, equipagem 7, car-
ca carvao de pedra ; a ordem.
da JMisericordia do
Recife.
A Rima, junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sessoes,, no dia 28 de maio, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offereeer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados-:
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra Direita.
Sobrado de dous andare n. 8. 1:067#000
Pretende seguir com muita brevidade para este
porto o palhabote portuguez Elephante por ter a
niaior parte da carga engajada ; e para o resto
nue lhe falta tratase com o consignatario Joa-
do correio desta cidade quim Jos Goncalres Beltrao, ra do Commercio
(28) pelas tres horas da | n. 17.
Pela administraco
se faz publico que hoje ,
tarde fechar-se-ho as malas para os portos do
ul, que o vapor brasileiro Tocantins tem de con-
duzir : os jornaes serao recebidos ate ao meio da
e as cartas registrar at a urna hora. As cartas
ordinarias postas no correio meia hora ao dopois
de lindo o prazo aoiroa declarado, segmrao a seu
destino com o porte duplo.
Administraco do correio de Pernambuco, 24 d
maio de 1869. *
^ O administrador,
Domingos dos Passos Miranda
LEILAO
De na sobrado de 2 andares,
movis e charutos.
O agente Pontual competentemente autorisado
vender em leilo um sobrado de 2 andares sito
a ra da Senzala Hova n. 16, m chaos forciros
( pechincha), 400 eaixas com charutos da Rabi
iregalia imperial), 1 mobilia de Jacaranda com
lampos de marmore, 12 cadeiras americanas, 2
mesinhas, 1 marqneza, 2 cadeiras de balando (es-
tufad s), 1 piano, 1 santuario, 1 meia eommoda
de amarello e 1 mesa ledonda de Jacaranda.
1IOJI2.
No 1 andar do sobrado n. 62, ra da Cruz
1- andar, as 11 horas._________________________
COMPANHIA PERNAMBCANA
DB
Xavcgaco costeira por vapor.
Mamanguape.
O vanor Contripe, commandante Penna, seguir
para o porto cima no dia 28 do corrente as 6
hars da tarde. Recebe carga, encommendas, pas-
sagens e dinheiro a frete ate as 2 horas da tarde
do dia da sahida, no escriptorio do Forte do Mattos
n. 12.
LEILAO
De eaixas cora charutos, latas com fumo, cigar-
ros finos, brinquedos para meninos, eachim-
bos, ponteiras, 1 onets, calungas, papel para ci-
garros.
Urna arrotcSo envidracada, balcao, e mais
iectofada loja da ra da Cadeia n. U.
HO.li:
ob-
LEILAO
DE
Movis, louca e crystaes
Qninta-feira, 3 de junho
Urna mobilia de Jacaranda a Luiz XV, coraposta
do 12 cadeiras de guarnicao, 4 ditas de bracos, 2
ditas do balanco, um so, 2 consolos e urna jar-
dineira com tainpo de pedra marmore, dous guar-
da vestidos de amarello, um toillette de Jacaranda,
dous quadros riquissimos com finas gravuras, um
espelho grande com moldura dourada, dous pares
de jarros de porcelana, un candieiro a gaz, um
par de lanternas com pingentes, urna banca de
mogno para costura, um porta-vaso de Jacaranda
com lampo de pedra, urna secretaria de Jacaranda,
urna eommoda de amarello a Luiz XV, urna cama
de raiz de amarello com dous colchoes de molla e
estes novos, 2 sofs de amarello, diversas cadeiras
para sala de jantar, um guarda leuca de amarel-
lo moderno e em perfeito estado, urna mesa els-
tica un aparador de amarello, urna carteira, um
lavatorio, um par de figuras de porcelana, urna
cadeira privada, dous cabides, um marqueao.
duas marquezas, um par de cadeiras de balanco,
um lustre a gaz, um meio apparelho de jantar, lou-
ca a mitacSe-de louca chinea, um dito de porce-
lana para jlmo^. garrafas, coeM;-MipQ!Sir?v
galheteiros e muitor-antrosjnjjectos de casa de
familia. Na mesma ocete) se vender urna es-
crava de 30 annos. Jos Gomes Villar, tendo de
retirar-se desta provincia, temporariamente far
leilo dos objectos cima descriptos por interven-
cao do agente Martins, no segundo andar do so-
brado da ra do Imperador n. 14, s 10 taotas da
manhaa.
rita!.
DO
CABUGAI
ANNEL DE OURO
a
RIJA
EO
CABUG
esquina
Ida roa larga do
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimento sem igual, esquina
Rosario. iG^te^^lXdlti CoPmPra-se oL, prata e pedras finas por precos muxto ele- Rosario. KJ
vados. 4t
' AJ loja est aberta at s 9 horas da noute. U



Diario de Pernambuco Sexta fera 28 de Maio d
fe 1869.
AVISOS DIVERSOS.
Club Pernambucano.
A partida docorrenle mez tera lugar na
noute do dia 29.
Engomma-se cora pcrfeir3n -___ -----
-'ve?Sa do Gaz \TLV:ommodo P' I
ro -. na h i I, confronte aos
queiro*.
COMPARHA PEMAMBCAM
PE
co-
Hnhd.ro a premio
*kr& at a quantia de :QGus a juros modi-
fe, cora bjipotheiA em aigum predio nesta eida-
de, ou firma?.seguras: quem precisar dirjale i
ima dos Ratos ere "frente a ponte de Sauta babel,
ultima casa junto aos coqueires.
nma
leude
Aluga-se
preta para todo o servlrode casa : qoem pre-
i-la dirijas* a ra do hol n. M, | andar.
A pesaos que annunciou no Diario de 23 do
corrento precisar de um >itio do lavrador eom
casa e cercado, e onde possa safrejar 'iOO pues de-
assuoar. dirija-sc ao engenho Novo, na freguezia
de Manteca.
Quera precisar de un caixeiro com pratica
de botica; para lora d. eidade ou da proviucia,
anaaneie por esto Diario para se tratar.
Precisa-se d.> umi ana para casa de pouca
familia : na rua do Gaz n. 12.
Na ra 3a Aurora n. 28 lia una alugar u:n
molequo erioulo do 13 anuos, assas riilig
Nooollegio da Coqcelcaj precisa-so de urna
pessoa para eozinhar.
Na ra da Florentina a 2 gomma-se com ansio e Dtomptida i.
Precisa-so de una, ama que safia engommar
e eozinliar, para nina pasaos : na ra ilas Craies.
I" andar, n. 21.
- /(tcnt/on.
Mrs. Julo- CharlasPoppe o! Joan Challes Nourj
sonl pris de paraitre a la ru du Vicario o. 16,
1- ctage.___________
Fttgio um papngaio da mss n. I3:t junto ao
arsenal de marrana, em Fra de Porta, tallador,
e fugindo para una das aores etn frente do mes-
rao arsenal, signen ahi o pegn, sendo niais otl
meaos* contiendo : roga-se, portanto, a quem isso
fez, ou tenha o panagaio por .qualquer motivo
posterior era sou poder, entrega* na sobraits
casa, no i" andar, que reeeber mismo urna ara- i
tifieaeo
----------------- -
Xarope de Fedegoso, do Pinto.
E' d^e urna elicacia verdadeianienle nia-
ravihosa como ealmante do ffystema nervo-
so e aplicado contra a paralisia, .ltlinia,
tosse convulsa oa coqueluche, toast; recen-
tal ou antipas, taflbcftceg, oatarrhos bran
lucos ele. e a lin.il contra todos os solri-
mentos das vas respiratorias, o na phtsi-
ca pulmonar, sua virtude contra o totano
ou espasmos, e convulcdes inconlestavd
e ninguein ha que o desconhoea.
UM DESCOBRIMtiNTO ESPANTOSO !
-/Um. Sr. Joaquim d'Atmeido Pinto.
Braga, .j de Janeiro do I8GS. Mea
amigo, aqu cheguci com alguma ine-liio-
i ra; depois de ler tomado tres garrafas;
do sen preparadoXarope de Fedegoso
hit pelo mar, porque logo que clie-
gttei em Lisboa, principiei com mais f
i a tomar o dito xarope, por conhecer pelo
" mar que elle fazia grande Iienelicio, pois
vista da grande quanlidade de sangue
que ett botava pela bocea, vi que me liia
desnppirtcendo com rapidez, depoisque
>< continuci a tomar o dito jarope, c to
milagroso foi para minha molestia que
hojeme acho de todo restabelecido, e at
mesmo bastante nutrido, e por isso pode
Vine, fazer scicnte ao publico o milagre
que o seu preparado obrou na minba en-
fermidade. Sem lempo para mais, sou
De Vm.
Amigo ltenlo venerador e multo abrigado
.Manoel Jos Gonsalces Pereira.
Illm. Sr. Joaquim d'Mmeida Pinto.
Ha muito que ouvia proclamar as escel-
lentes propiedades do Xara>e de Fede-
goso contra a tosse e asthma, solrendo
eu de urna tosse pertinaz, e tendo usado
de toda a sorte de medicamentos, valime
pois \lo Xanfc de v rafa smente foi bastante para restabe-
tecer-me, eme vejo, tao robusto como
d'antes; suecumbiria de ceno a nao ter
usado do Xartfpe de Fedegma.
< A' vista disto nao tenho espresses
com que exprima a V. S. a gratidao de
que lho devedor o de V. S. attento
venerador e criado
Joo da Casta Rgo.
- Ilhn. Si. foaqmm dXlmeida Pinto.
Tenho a ventura de eommunicar a V. S.
que grabas ao maravilhoso Xarope de
Fedegoxn, estot cona o meu oscravo Jor-
ge completamente restabelecido da mo-
lestia dos putmttes que ha tanto tempo o
persegua.
Acceite V. S. esta minha dedaraco
como prova do meu reconhecimento pelo
bem que V. S. acaba de fazer-me c cu-
ja recordafio fiar internada no cora
cao do
De^. S.
' Attento venerador e criado
liento Joaquim Gomes.
i4i wii m v jtm
< o vm i no d; 3mm$XG
sSenlioes.Saunders Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonio de Siqueira.
O SR. F. F. BORGFS
Restando ainda emittir algumas accoes d'esta companbia, da quautia nominal de
OOoiOOO cada urna, das quaes s se aceitam em virtude dalei, 20 /0, ou 40O0O por
cada acc5o; convida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que queiram dar emprego seguro aos seus
^pitaes, disponiveis, a subscrever o numero de acc5es que Ibes approuver.
Algumas destas accoes j tem sido tomadas por pessoas que conhectim a vantagem,
de na presente occasiao (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ibes garan-
tam seus capitaes.
A companhia possue hoje 10 vapores, 6 inteiramente novos, e destes o"ultimo est
a ebegar ue Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
semMa.
Seus dividendos tem sido de 10 e0 ao anno, nos ltimos 4 annos.
As accoes que se emittirem gozam dos mesmos drettos, e percebei-5o o beneficio
dos mesmos dividendos que os ntigos em proporclo da entrada.
Recebem-se assignaturas no escriptorio da companbia no seu edificio ao caes da
Assembla n. ii
Trocam-se
s notas do banco do Brasil e das caixas tffiaes.
jom desconto.muito razoavel: aa praca da Iade-
>eodencia n. 2S.
AMA
Urna mulher que acaba de sr ama de leite se
offerece para per ama croe se oceupe em engom-
mar e em tratar de mt nios em casa de familia,
sua conducta garantida : na ra da Ponte Ve-
Iha n. 6 se dir.
Precisase alugar um preto para o ser vico
de refinacao : na ra da Imperatrit n. 4. |
-Vrecisa-se de urna ama para co;:inha ; infbr-
ma-se na ra das Cruzes, taberna a ^f A.
" f FLQOE
Offerece-se um cosinheiro para casa de fa-
milia ou hotel; quem precisar dirjase a*ua de
S. Goncallo n. 4.________________
= Precisa-se de urna ama, para audar com
urna ereanca de um anno; a tratar na ra do
Padre Floriano n. 7! 2o andar,
Precisa-se de um eaixeiro com pratica de
taberna, dando flanea de sua conducta ; no pateo
da Ribeira n. 13.
Caixeiro
Precisa-se de um caixoiro no hotel
que tenha pratica do servico de hotel
treita do Rosario n. 11,
Lisbonense,
na ra es-
Asenhoraque se offereceu pira leecionar
em um engnho primeiras letras e francez, an-
nuncie a sua morada, ou apparcca. ra da Con-
cordia n. 37.
- Precisa-se de una ama par* eozinhar c
mais servico interno do una casa ; a tratar na
ra Direita n. 45.
nter esse
No pateo do Terco n. 31 precisa-se de um mes-
tre de msica.
Na na do Livoimento
urna ama par?, mzinhar.
D. 8, i.-recisa-se de
ACTOR
Ha muita secessidade de se fallar com o Sr.
Procopio de Senna Santiago, na ra Direita n. 33,
a negocio que nao Ibe deve ser estranho.
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
DI
ISC9ITI1 81 CMSTlIlTHlnTI 1DI C91PLII0 S0RTII1SI8 II
CHAPEOS DE SOL:
De todas as qualidades f
De todos os feitios I
De todas os precos I
RA DO CRESPO

ij
DE
UTILIDADE
Aos 500 pares de brincos.
Chegou e vende-se no Coraco
d'Ouro, ra do Gabug, brincos de
mosinhas com urna franja penden-
te a um rico desenho e ouro de
le, pelo pequeo preco de 13)5000
cada par. baratissimo.
AMA
lUm, Sr. Jmguim d'.kkneida Pmw.
ijumprindo um dever degratfdao, parti-
- Cad< Xaro)cdt-Feflegoso, est perfeita-
oente restabelecido dos seus longos sof-
frimentos o meu escravo.
Como sabe, este meu escravo Unlia
cbagado a j estado mais afflietivo da mo-
" lestia de pulmoes ; nao obstante um nao
interrompido uso de iinedit:s, e urna
demorada viagem ao aosso sertio.
Pois bem; a-enfermidade, que seba-
via tornado rebelde a todos os meios
empregados para combate-la, cedeu de
orna maneira quasi milagrosa, a garrafas, apenas, do seu fedegoso.
Hoje, gracas a Dens/ tenho o meu es-
cravo restabelecido ; e n5o fcil mos-
trar todo o reconliecimento que sinto pelo
> bem que V. S. me acaba de fa :er.
bou de V. S.
Criada agradecida
.Varia Norberta Scheffer.
Na ra da Penha n. 23, 2o andar,
uraaama para todo o servico de urna
ca familia._______
~^^Em casa de THEODORO CHRIST1-
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se
effectivamente touas as qmfhdades de vinho
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
Antonio Ferreira da "Silva Maia julga nada
dever pessoa alguma, no entretanto se alguem se
julgar sea rredor queira apresentar a sua conta
ou titulo to prazo de oito das para ser psgo.
BBmmMms
Fabrica de Vieirq, Guiniarrts
& Couto
o Rio de lauelro.
ste acreditadissimo rap tenf encontrado a me-
lhor aceitacao possivel. O seu fabricante foi por
muito tempo gerente e mestre da fabrica de Joao
Paulo Cordeiro, e tendo-se estabelecdo, envidou
todos os esforcos, e conseguio fabri.-ar rap, que
nada deixaa desejar. e antes se lhe avantaja, pos-
to em parallelo com o da fabrica do dito Cordeiro.
O aroma extremamente agradavel e tem-sido
muito apreciado pelos amantes da boa pitada,
precisa-se de A?ba-se venda por grosso e a retalho, na ra do
easadepou- }_'gario n. 16, 1 andar, escriptorio de Joaquim
Gerardo de Bastos.__________
Fundi^ao da Aurora.
Neste vasto estabeleclmente sempre se encontra
um completo sortmento de taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas rerentemente, e se fabricara
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
recos razpoaveis.
RKNIIIE\1A
O Dr. Cosme de S Pereira mudou ,-ua residen-
cia para a ra do Imperador n. 22, Io o 2o anda-
res, onde contina no exercicio de sua urofissao
medica, para o que pode ser procurado a qti.il-
qner hora do dia ou da noite, nos ca os gravas.
Todos os das das G as 9 boras da nianhaa, menos
aos domingos,'dar consultas indest'mmente a
qualquer pessoa, sobre qualquer ponto de sua pro-
lissao, e com especial cuidado sobre molestias de
olhos, do peito, e dos orgaos genito urinarios ; e
quando o caso for cirurgico, praticar.i as opera-
roes que juhjar conveniente para o restabeleci-
mente do seu cliente.
NULAS, V10
ViHOPI
DE
QUIN1UM LABARRAQUE
APPROVADO PELA ACADEMIA UE MEDICINA DE PARI2
O Qulnium .abarraque, eminentemente tnico e febrfugo deve ser
preferido todas as outras preparacoes de quina.
Os vinhos de quina ordinariamente empregados na medicina preparam-se
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; parte disso, em razo de seu modo de preparado, estes vinbos con-
ten apenas vestigios de principios activos, e em proporeoes sempre variaveis.
O Quinfum abarraqu, approvado pela Academia de medicina, con.
stitue pela contrario um medicamento de composicao determinada^ rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes*podcm sempre contar.
O Quinium abarraque preseripto com grande xito as pessoas fraras,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgolamento, seja por antigs moles
tias; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem diffi"
euldade em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aos vcllios
enfraquecidos pela edade ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cores plidas, este vinbo um poderoso
auxiliar dos ferruginosos. Tomado junto, por exemplo, com as pilulas de
Yallet, produz efeitos maravilhosos, pela sua rpida accao.
Deposito em Pars, L. FRERE, 19, ru Jacob
Rio-Janeiro, DUP0NCI1ELLE; COEVOLOT. Pernambuco, MAUREtt et C"

mm
OFFICINA PAR A CONCERT E AFINACAO
_________ DE
- PIAMOS
Deposito de pianos e de msicas
n-
JIRUBE
PELO
PllARMACETCO
foa<|uini de Alneida l'ino
As preparares de jurubeba nao hoje
vantajosamente conliecidas e preconisa-
das pelos mais habis mdicos, tanto da
Europa como do pair, pela sua eficacia
nos casos de anemia, chloroze. hydropcsia,
obstrucc5o do abdomen, tanbem nos de
menstruacao difflcil, catharro na bexitra,
etc. etc.
Vendem-se em porco e a retalho na ei-
dade do Recife, pharmacia do seu compo-
mm
X. 14 RA FORMO^l TS. 14
BOA-VISTA
Ull
Precisa-re de urna ama para eozinhar
do Imperador n. Iff, andar.
na ra
Ama de leite.
Precisa-se do um homem que oiKenda dt
todo servico de campo para Iraballiar em um si-
tic : a tratar no largo da ribeira da freguesa de
S. Jo, sobrado n. .">.
No Corredor do Bispo n. f pneisBfM le
urna ama para o ser-vico interno e tpie saiba en-
gommar.
Preeisa-se do urna auriHe
Oliada, ladeira da S, sHra
para a igreja do Bomtim.
Ama.
Precisa-se de urna ama para
na da '>uz n. 57, 2o andar.
lene sem rtlho : em Em uma caza de lamilia m ia eslreita
da quo faz e-quina d Rosario n. 35 sobrado, prepara-so al-
______moco e jantar com aceio: quem precisar
(lriga-se a mesma que achara com quem
tratar.
engommar : na
Escravo
sitor, ra larga do Rosario n. 10, junto ao ~ Joa(l,'im Perrfeira dos Santos, profes- ^^ IngaF mn ecravo llas 8 noras da
quartel de polica. sor de danca, chegado ltimamente da Eu- manhaa s 3 da tarde : na ra da Cruz n. 46.
ropa a esta provincia, tem a honra de par- 1 andar.
ticipar a seus Ilustres habitan!
CRItlIO
Precisa-S'1 Je um criado para o-servico de casa:
na ra das Larangeiras a 29, hotel commercial.
Precia de um casa pequea noliai-
ro da Boa-Vista, proprla para um homem
solteiro: quem tiver tenha a bondade de
dirigir-se a ra do Commercio n. 32, 2o
andar, que achara com quem tratar i
Frederico SaiaT-
escola
O abaixo assignado declara s pessoas que
teem contas antigs em seu estabeleeime Jto, o =em
que as tenham liquidado, por mais que tenha sido
as diligencias empregadas
praso de 15 aJW "
depois do referU"
curar os meios
Recife 6 de maio de 1869.
Miguel Gome- da Silva.
a seus nlustres habitantes, e mu
principalmente aos dignos chefes de familias
a
lo
e
quintas-feiras, das 3 horas da larde, at s
10 da noute, e aos domingos de manhaa e
a nonio. Promptificando-se lambem, a ir
as casas particulares e collegios nos das
que para isso lhe designarefti.
Um moco solteiro, de boa conducta, mirando em
um excetlent^ sobrado de priineiro andar com
bastantes commodos, no bairro de Sant, Antonio,
e em boa ra, de.-eja encontrar para coupanhei-
ros de sua morada, dous moeos-nas mesmas eor-
dicoes. anda mesmo estudantes : a trau.r na ra
da Concordia n. 9.
Attenco
Pede-se ao Sr. Severino Duarte queipa appare-
cerarua do Commercio, armazem n. 18.
Precisa-se de um
pequeo para caixoiro de
urna taberna, qne tenha alguma pratica e d lia-
dor de sua conducta : a tratar na ra Imperial
n. 13t.
Unico
leposito, ra larga do Rosario n.
!0, jnnto ao quartel de polica, Pernambu-
Continuadimente se nos apresentam no-
vos testemunho daefficacia do fedegoso
de Pernamljoco.
Precisa-se de
um menino de lia "16 annos,
j*reto veJho "
yi{ode um silo : quem qateer
"'Sslm clino de umj
i -anam piTa Palien ser-
e a loj.i de cwftVtfuSgZ .
r i nropor-se, dirija-
Precisa-se alugar
lavar e comprar: a tra
Pires n. 70, asa terrei.
uma
aaB^-V^TuSs
Procisa-SB te
o 31.
ama ama : na roa
________
Precisa-so alug^Hta preto velho : a botica
Clrnrglo dentista pela
de niediclna
le RJo de .lauelro.
Tem a honra de participar ao rospeitavel publi-
co desta capital e seas suburbios, que tem aberto o
sou gabinete de consultas o operaeiies dentarias a
ra Bireita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado todos os das das 8 horas da manha as
3 da tarde. Elle aela-se competentemente habili-
tado para eom perfekjao collocar dentes artifleiaes
por qualquer dos systenas, e bem assim desenipe-
nhar mialquer outro trabaJho concernente sua
profisso. O mesmo, recoaliecen*) que nem sem-
pre possirel s senhoras ou enancas sahirem a
procui aro remedio, offerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na eidade se pres-
tar a qualquer chamado sem que issoinflua eoua
alguma na eommodidade dos precos de seus traba-
mos, e quando para fura della a'seim menno' ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantlndo elle a
seguranca e perfeieao de seus ditos trabalhos. Em
seu gabinete se encontrar constantemente excel-
lento-os dentirieio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : ra Direita n. 12, primeiro
andar.
Constantino Rodrigues -Mermes, tendo
justo econtratado com a Sra, D. Rosa Telles
de Menezes Souza viuva de Jos Bjsraardo
de Souza, a compra da taberna cita no lar
go do Pilar n. 21 livre e desembarazada de
todo e qualquer debito, faz sciente ao" publi-
co e com espeoialidade ao corpo do com-
mercio, e se alguem julgar-se com direito
a mesma, apresente-se no praso de tres
das, ndooqual nao aaattendei reclama.
Cao -aigoma. Recife, W de mah de 1869-
Ana de leite.
Precisa-sede urna ama deleite smb filho
tratar na praca do Corpo Santo n. 17, S" andar e
no mesmo tem uma escrava para alafar para o
servico de casa.
frecisa-se alugar urna escrava que suim en-
gommar e eozinhar, e fazer o mais servicj de urna
casa de familia : na ra do Qaoioiado n.-69-
Precisa-se de uma ama para engommar e faiet
os mais servicos de uma caia de pequea familia:
na ra Nova a. 21, loja.
Ama
Precisa-se de uma ama escrava ou furra para
comprar e cotinbir para aas pessoas mi' rna da
Cadeia n, 29,2 andar.
Irmandade acadmica de Nossa Seniiora do
Bom Coosellte.
A n>esa administrativa da irmandide r.eadflmi-
ca de Nossa Senhora do Bom Oonselho convida a
mesma irmandade para assistir a missa, aje, por
alma do irmao fallecido na provincia do Ceari,
Antonio Francisco Leal, esludante do quinto auno
da FaeoMade de Direno desta eidade, manda ce-
lebrar no da 31 do corrente, pelas 8 Imras da
^ntea,,grej* d0 "J^tode S. Francisco, de
eonfarmldade com o seu compromisso
i ^^?r' ,?* irmandat'e acadmica de
do Bom Conselho em 26 de maio de 18C9.
O secretario da mesa
Jos Fortado de Mendonc*..
N.S.
Na ra Direita n. 2, luja d,> funileiro, on no-
povoaJo dos Montes, precisa o abawo assignado
entender-se com o Sr. Manool Calisto de Souz.i a
negoejo de seu interesse ; isto no praso de tres
lias. Itecife l&de maio de 18fi9.
Pedro Duarte Rodrigues Franca.
Na rita do Queimado n. 1, precisa-se falla1"
con os Srs. abaixo mencionados,a negocio deseas
IdteresstH:
Manoel Pereira de Andrade.
FrcJcrico Antonio de Mello. <
Joao Antonio de Mello.
Marcelino Antonio Pereira.
Jos Flix (fOliveira.
Elias Pereira Gonealves da Cunta.
Dr. Candido J. Casado Lima.
Antonio Bernardo dos Santos jnior.
Vntonio Mximo de Barros Leite.
Hieardo Pewlra do Nascimento.
Jos Leandro Martins Frtgueira.
Jo; Mara de Vasconcelos Bourbon.
Fr.mceliHO Domingos de Moura.
Hospital Portugoez de Benefi-
cencia em Oeniambuco.
O provedor do hospital Portuguez de
Beneficencia em Pernambuco, previne aos
Srs. socios que nao tem lugar a renniSo
marcada, para hoje, domingoJ3 do corrente,
em eonsequencia das chdfk que tem in-
nundado o transito e a entrada do respec-
tivo eslabelecimento. Opportunamente so
indicar o dia da minino.
Recife, 23 de maio de 1869.
O provedor,
Francisco Joao de Barros.
O abaixo a^signailo, socio da lirma commer-
cial de Andrade & Mello, estabelecidos na ra do
Crespo n. 18, declara qne nao se entende com elle
i chamado por este jornal roa do Qneimado n.
1, e sim com ouiro de igual nome.
Joao Antonio do Mello.
AMA
Precisa-se fle uma mulher que saiba engommar
para urna casa de familia : a trata*.na ra da
Cadeia dp-Secife n. 18, 2o andar. j|
Acha-a fgida ha oito-mezes a-pretaes^
?*a' w nif' de nome *H*i,com 40 amos de Vrma Diarltr
idade, baixa cor fula, consta one diz ser forra rn3l 186!>-
anda vendando na fregueiia da Rte-Vi "." Antonio Pereira de Oliveii-a Maia.
urna bandeja
O abaixo assignado previne qbe ninguAn
Ei>de faser demarcacofcom os sitios df matlas,
acimas e Descanso, no lugar da Ibnra, fregue-
ia dos Afegados, perlencentes viuva de Antonio
Alves Ferreira, sem que a mesma senhora seja
ouvida ou o abaixo assignado, e para evitar duvi-
das se faz a presente declaracao ; cujas ierras se
ichan hypothecadas ao abaixo assignado p >r uma
escriptna pnMfra, passada em 26 de ag^to -f
1837, a qual o meamo abaixo assignado vez ver
~ outras occasioes. Becife 16 de
Aos 4:000|
Bilhetes garantidos.
k ra do Crespo n. 23 e casas do costnme.
O abaixo assignado tendo vendido nos seus mui-
to felaes bbetes garantidos 1 meio n. 2090 com a
-orte de 700, 1 meio n. 3381 com a sorte de 202,5
e outras muitas sortes de 100, 10 e 20* da
lotera que se teabon de extrahir em benefici>
da matriz de Vilia Bella (lOfr1), convida aos pee-
siiidores a virem receber seus respectivos pre-
rmos sem os descontos das leis na casa da For-
tuna rna do Crespo n. 23.
Aebam-se a venda os da 2* parte da lotera a
beneQeio da matriz de Buique (107), aue se ex-
trabir.
Precos.
BBh*te.....4JW0
Meio.....2*000
Quarto.....Ifif&O
Em porcae de 100* para cima.
fOThete.....Um
Meio......JjWO
Onarto..... 875
Manoel Martas Fnia.
Caixeiro
Predisa-se de um pequeo de 12 a 14 afinos,
brasiloiro ou portuguez, que saiba ler e esci%v*r,
B que d conhecimento de sua conducta : na roa
Direita n. iS, loja.
Precisa-se de uma ama para casa de ptruca
familia dando preferencia a escrava; na ra'das
Cruzekn. 38 3. andar.
Oozinheiro.
MARTIMOS
E
Bia-Vsti, eom
- pintada te encarnado, cwn uo
Ka rsts^sr "*-*'*
em boas proporeoes para peinerpiante Knoriosa ^
Urar vanlagara.
Fnrtaram do engenho Cachoeirinha, da co-
marca de Santo Anuo, na noite de 17 paraJM
crreme dous cavallo*, sendo un ermos signes
segumles: msso pedrea, afande, j ve, caRra-
ao, olbos grandes, freate alierta it a wnta. n-
dooneico inferior tambem branco, com asti-
ciaes I C A entrelacadas em cada quarto, e com
mais tres ferros differeaies :. o outro cantio
escuro, andador baiao, com omanstrella na |ista,
Precisa-se alugar um cozinheiro, fia d cas[rao, sarnelha grossa, -e eom uma bexilito
tfmlwrJmedto da sia con'duota: a tra- no vL,p2Llm esle i'erro B Da Qeixada diris, a
dojtteo.do Cvmon. I
lHXll
Besta venda um escolhko sortmento de ob-
jsclos de marcinera, como sejam, mobilias de ja- *^fyTj j *^ ^Z ,
au-and, mofno eamarello, obra nacional e estran- A CompajBDa nomnisaaora, es'taoeleclda
fera, de apurado fosto e por pNfo.< raaoMwis: aeatapaafa, *sa6egkwo*aaBUmos sobre
2f/^2re,to d0 52*^ D. 31 fe^..I?e*^* navios fe sea onrensestos e centra foco
sa,faMm-se eom perfeicao tollos os trabalhos de Mtfftrfns merrldnrias e ihrthiliaa* a
palhmha, eomo sejam, empalbimentos de lastros em f05108 mercaaoVas e momitas, a
para camas, cadeiras e sopns. H do Vigano n. 4, pavimento tent.

-$ Quem precisar de uma ama, principalmente
para casa de homem solteiro, a qual cozinha, en-
gomma, etc., dirija-se ao paleo do Terco n. '.!8, que
separa fomquem tratar.
i com i
^nda
a resta algumas. colleecfos de
Biograpbias de aH8,rrla, e-outojs.ikh
mairowms ferrosnue se tao sabe. Estes ansnVs
supp5*iatrem st*) furtidoi>r dous indivilUos
um delnome Joaqnltn de Siqueira, e outro cima
M -T-1 de &f Pereira, sendo este eaboclo, baixo, gi*,
[R SfL ?^!."^'!??*.*- w Pat esbeltos corridos e- sem barba,-* aquello sK
tiratrco, baixo, sesto, seftrtirta,.quaes ha rea
-sews-te trMi*d Pede-se a iiessoa, que annunciou om-o ftum fae estiverarrremigradss no referido ejge-
quantia de 20;000 a premio, queira indicaftw idio, ese diziam moradores no lugar denomi
morada para ser procurada.
Offerece-se
uma senhora portugueza para
enjwmmareeostura para casa de familia; na ra
nwns illnstres da^provmcia de pVrn,ailjwco'l^-----^ -.J
?LmZr? Pe; dader 1^ 5^ftTJST :
j.-ae Meno: ra Aumista n o t
ra Augusu n. 94.
in.
23*.
i ou na ra do Crespo
Gravad, perto da se.- Araripe, enmarca Mlf-
brob pedese, pois, as autoridad daquelhrat
marea,1 que se sirvara de pnced^contra os efc-
ridoi individua e appmussiir.^^^ cu-
jas despeas serio saksfafts p*& .**M.aang-
nadb.
Engenho Cachoeirinha, 19 de maio de 186fl.=a
Mintoel Cavaicanti ie AUmquerquc Jnior.
i


Diario de Pernambuco Sexta feira 28 d Maio de 18169.
}
CONSULTORIO MEDICO CMfiKO
DO
DR. P. A. LOBO MOSTOSO
3Ba da Gloria sitio do Fundao3
\ MI AMBOS i SISTEMAS
Consultas todos os dias desde as 7 horas da manlia at as II.
Visitas era casa dos doentes de 11 horas era diante, em caso urgente a qualquer
hora do dia ou da noite.
Nao se recebem chamados se na"o por escripto em que declare o nome da pessoa,
toda ra e o numero da casa.
Especialidude em partos, operaees, molestias de mulheres e meninos.
Cura radical das molestias venreas, e dos estreitamentos da uthera.
Cutes radical das molestias do ulero, como ulceras, flores brancas, amenonia,
vegetaeoes e catarrho, etc etc.
Recebe-se esclavos para tratar de molestias ou pratcar-lhes qualquer operado
cirurgica. Diaria 23000 excepto as operaees.
Os melhoivs remedios horoeopathieos conhecidos. e por presos muito com-
modos.
ESMERALDA
ser
1
Ama
Precisa-se du una ama Ihrrp ou esenva par* o
rico de cozinha : na ra d, (Jueuu.'ido n. 12,
XAR0PE PE1TORAL
WE
D. Mara Q. Rodrigues Ferreira, seus
filhos, liados, e seo genro Francisco
Joo de Barros Jnior, tendo de mandar
suffragar a alma de sed presado irmao e
prente, Antonio Francisco Leal, fallecido
na cidade do Sobral no dia 23 de-^bril pr-
ximo passado, fazendo celebrar missas e
memento na igreja do Corpo Santo na dia
28 as 7 horas da mauhaa, rog a todas os
amigos d'aquelle finado, Seus coHegas d'a-
cademia e mais pessoas de re.acao desua
familia o caridoso obsequio de assstirem a
este acto de piedade e religio pelos que
ihes sero eternamente reconheoidos.
s>
B

Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
Convida-se pelo presente o corpo acadaiin'o
para assi>tir a missa e memento qne se tem de
celebrar pelo descanco eterno do acadmico do
i" anno Minarte Pereira Borges, no convento de
S. Francisco, no dia 28 as 7 t|i horas da manhaa.
O mesmo convite se faz a todos os prenles c
migo* do dito academizo.____________^^^^
FOGOS
Xa amiga fabrica de fogos do artificio da viuva
llulino, existe un completo sortintento de rodi-
nlias, eraveiros e pistolas, objectos propnos para
os feitejos das nortes de Santo Antonio e S. Joao,
tudo por commodo preco, c como soja a fabrica
distante da cidade. as "pessoas que quizerem h-
zer suas encommendas, podero leva-las no arma-
zem da bola amaivlia, no oitao da secretaria da
polica,mide tainbem senario as amostra?.
wj4
Igreja de Nossa Senhora do Rosario da Ire-
guezia da Boa-Vista.
Os abaixo assignados Horneados peto Illm. Sr.
Dr. provedor do capellas para administraren) a
referida igreja, c tendo de dar principio as obras
da mesma igreja, e como de i s nao possam fa-
Kt recorren) a prnteceZo das almas piedlas c
bem formadas, alim de Ibes ajudarem na reedifi-
I Sacio da casa sagrada.
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a J^^&^Ze%tiB!S
ment o Jim a que dedicado tal pedido.
A igreja estar aberta do dia 10 por diante.'das
i horas da manhaa s 6 da tarde. Aquellas pes-
sas que quizerem coadjuva-los poderao remetter
as suas esmolas a mesma Igreja ou na typogra-
;ihia deste Diario ao Illm. Sr. Dr. Miguel de Fi-
gii'ira Faria nossa digno protactor.
A commissao declara que a pronorcao que fr
reeebendo qualquer esmola ir logo agradeceado
por este Diario e a nossa excelsa padroeira nao
sera indilTerente para aquelles que concorrem pa-
ra a rcedifieaeao de sua igreja.
Consistorio da igreja de Nossa senhora do Rosa-
rlo, o de nuio de 1869.
Cesa rio Aureliano Ventura.
Jos Pedro de Sant'Alina.
Andr Avelino da Costa.
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a q.uem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mate mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
pra vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciosas
N. 5 RIJA DO tm\
16RA DA CRUZ ^6
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, podin?, pcs de l, bollo inglez,
presuntos, ditos em l'eambre, pastis de differentes qualidades. Amendoas confeitadas,
confeitos, papis para sortes. Vinhos linos engarrafados, superior cha Hisson, preto e
miudinho, fruta em xaropos, ditas seccas e christalisadas, assucar candi, xaropes refri-
gerantes.
Receb-se encommendas de bandeijas para casamento, bailes e baptizados, com
bonitas armaeoes de assucar, sendo estas preferiveis as de papelao: figuras anlogas,
bollos etc., p5es de l enfeitados, qualquer encommenda para fra sera bein acondi-
onada.
COMPRAS.
Compra-se
um relogio patente ingiez de curo, sendo
novo, e do meJhor fabricante, na travessa
da ra doQaeimado n. I, 1' apdar.
-Na praca da Independencia n.33, leja de ou-
nves, couipra^seouro.prata, e pedias preciosas, e
lambem se faz qualquer obra de encommenda, c
toeo c qualquer concert.
Comprarse
unu balanra decimal em segunda uiao :
dOjLivramento n. 31.
na ca
Compra-se
ouro'fl prata e pedras preciosas, no arco
da Con eico, na loja de ourives, no Re-
WAfA"
Compra-se moedas de ouro e prata e
bem como libras sterlinas, na ra do Ca-
bug n. 9, relojoaria.
0 irnizeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
e pedras preciosas por precos mais van! ijosos do
que em outra qualquer paite.
Compra-se moedas de ouro e prata, bem
como libras sterlinas por maior preco que
em outra parte: na ruado Crespo n. 16
primeiro andar.
Corr muito maior vaiifaf/vm
Compra o Ctra$io de Ouro, n. 2 roa lo Cabu-
g, moedas de ouro e prata.e pedras preciosas
E u casa, de Theodoro Simn & C.
compra se a bom premio moedas Je prata
do cunho velho: Recife, largo do Corpo
San'o n. 2!.
RABO BE T.H
PLANTA DO BRASIL ,
expectorante e recommendado as
affecees do peito, bronchite chronica, he-
moptise, eilossechronica.
PREPAHAOO TOR
JOAQUOI DE ALME1BA PINTO
PHARMACECTlC0
Pi-rnambuco rtia kurga do Rosario n. 10.
Raanlas
horisontacs do 5, 10, i3 e 20 kilogrammas, posos
de ferro e latiio para as tnesmas : vende Rocha e
Silva, ra da Cadeia do Reeife n. 38, armazem.
oos ? 0
dom ? Gf
OOOffS 9 C|
OOOt b ?f
0O09C f ; II 9 01
tXKR b'vc'G
OOCVS......? 'V 8 'S
OOOyS P '8 L 'V L 'O
oeoffi no
008 P'HO'V) '9'2 't
00 V 8 'C
OO) F 'a 5'VR '?
(M B o f sojouinM
C9 opuiuidnfo op on.i
ou op5isodxo jp vu.jd op soojuqg
Bizerro.
C'impra-sc um bezerro ^leijucno
Gtriquiti, travessa dos Pires n. 20.
no ito do
Compra-se nina commoda de Jacaranda em
bom estado : na sachristia do Corpo Santo._____
Compra-se tima e?crava de meia idade, que
nao tenha vicios mm achaques, e que saiha *osi-
ihar : na ra de S. Francisco n. 70rtabui'M.
VENDAS.
Sapatos de borradla
para senhoras e rapazes a 180
n. 45.
na ra Diruiat
I
VERDADEIRAS
N
PILULAS DE BLANCARD
COM IOOURETO 00 FCRUO INALTEBUVEL
APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DI PARS, ETC.
' Possnindo as propiedades do lod et do forra, conrem pecialmente bis Amccots
sc.Ronil.OSAS, a Tsica no principio,a fraqwiad* temperamento t Umbem no casos d
Palta dk c5r, amf.norruea, em que precisa reagir sobre o sauguk se)a para resiiuiir
lhe a sua riqueza e abundencia normaes, ou para provocar e regular o ieu curso peridico.
N. B. O iorfmreio dt (erra impmro on alterado m mediramenle infiel,
irritan le. Como prora de pnrea de Mthencidadt da* veraladeiraa P-
late* Blaneard, dere-M exigir nosso aelte prate rraela *
no=fo Orna, aqoi repradotida, qne m acha na parta interior da Mi
fatal* verde. Dava-M daaeonlar tu laltificacos.
hanaateuWea, mi Bomyrt*, 40,
LIQUIDACAO
NA NOVA LOJA RIA DO CRESPO N. ,7,
DE
Anliines tiumares & G.
Esleirs da India e balos de todas as
qualidades.
Cambraias de cores, percalias, finas bri-
llantinas de cores, lanzinhas de todas as
qualidades, etc. etc.
Ricos cortes de seda de cores e pretas
lavradas.
Ditos ditos de cambiaia branca bordada
para casamentos.
Riiptissimos cortes de vestidos de blond.
Poupelina de seda, novo gosto no mer-
cado.
Damascos de duas larguras de todas as
cores.
Saias bordadas de novo gosto.
Camisas bordadas para senhora.
Basquines pretas de seda.
Casaquinhos de casimira de cor de novo
gosto.
Ricas colchas de seda adamascadas.
Ditas adamascadas de efees.
Alpacas lisas de cores novas.
Ricas fronhas, lencos, rendas e bicos
bordados.
Bramantes e bretanhas finas e muitas
outras fazendas que seria enfadonho men-
cionar.
Na ra de Apollo n. 13, i' andar, vend'-ii.
se saceos com farinlia da trra a 5$, bous saceos.
CAPSULOSLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches,.br,)nchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
Vi:\IH>SE
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu A C.
3 iRA LARGA DO ROSARIO34
M
O MUSEO DE JOIAS
GOMES DE MmOS IRMAOS
tendo feito completa mndan acreditado estabelecimento de joias, com o fim de
dar-lhe maiores propor ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUG N. 4
ende encontrar&o um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto minda nio visto, e completo, sortimento de
objectos de prata para uso das grojas,
Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa. e garantem j
aqualidade dos objectos vendidos.
!HM DO LIVRAMESTO-20
l^coaouiia. uiilidade c ut>dei*no
mercado.
Cambraias de core?, vare la-
des em padroes, covado 40
Ditas de cores finas moder-
nas, covado. .. 360
Ditas de cores finissimas,
miudas, covadfc. ....... 400
Ditas de flores grandes e listras
modernas, covado ..... 500
Collerinhos de buho diversos
gosto, um....... 400
Ditos de dito muito lino chega-
dos no ultimo paquete um 600
Alpacas lizas de cores muito
finas, bons gostos, covado HOO
Chitas escuras muito largas,
bellos padroes, covado. 400
Ditas coloridas miudas proprias
para familias, covado.....*00
Ditas escuras econmicas,, co-
vad*....... M
Ditas de riscadinhos, varieda-
de em padroes, covado. 360
Ditas escuras boa composicao,
covado....... 320
Ditas claras econmicas, co-
vado......... 340
Ditas escuras e claras, covado 280
Libras sterlinas -
Vende Joaquim Jos Ramos, na ruada Craz nu-
niero 8.______"_______.__________________
t- Vende-se urna porcao .de. tolh.". nsada a
i-'i o milheiro, com condicio de Uxnar conta
della o comprador immediatamnte : para tratar
na esta?ao pra?a do Capim.
Ps de coqueirs
a 500 rs.; o melhor tempo para plantar, c com-
prando mais de cem tem o aesconto de dez poa l
eento : na na Kreita n. 45, loja.
mm
Veode-se um cavallo, novo, and;.dar uaixo
por commodo preco : na ra' do' Rangei n. 39 se
dir quem vende, ou na ra Imperial n. 173.
Retroz
Tem para vender loaquim
trao, no seu escriptorio, ra
mero 17.
Jos .Gon>;a1 ves Bel-
d. Cominercio nn-
'-

0 MUSEO DE JMAS
Vndese farinh'a da torra mao boa, era
saceos de 100 libras, e 33 uls cada um, por
preco commodo : uo caesdoftaons, armaaemo
Sr. Victorino a tratar com o mesmo, ou cora
Jos Antonio Marques, no Chora-menino.
-Boees, fructas e Hores. "
Xa ra da Cruz n. 13 -vende-ee amendoas con-
feitadas francezas. .
Sortn-dnit bem feins.
Bollinhos, pao-de-J e bollos. '
Ramese papis para etfcitor.
Sosqeet de cmvos para nova.
Pitos para jarree flores alarte. ______:
-Vtaie*eo al 30 vaoeas*! lvta,*iaiitoos 8
garrotas, todos creoulos, e feito ao pasto ueste*
arrebaldes; sendo as vaocas HarftJas e por parir,
detalhadas, ou par jmio : efti Bnerifec, sitio da
Sapucaia, a ver al i todos os t? *tr-ttyat' ho
ras da tarde.
Vendem Augusto F. do Oliveira & C. ra
Commercio, n. 42.
S no Bazar da Moda
RA NOVA N. SO ESQUINA DA DE SAN-
TO AMAKO Sli VENDE
ara senhoras.
Lindos leqnes. a imitafSo desanlaloa
2^ e 2^)500 rs.
Ditos, com leutijuelas fazenda fina a 3#
e .M)00.
Ditos elsticos, a imitaro de marfim, 3$,
9#, i 15 c 150000.
Coques da ultima moda, lizos e com re-
lies de cuntas a M, 33500 c 45000
Ditos com lindos enfeiles a 4$, 1^'iOO,
^ e 54300 rs.
Ditos com botoes de flor de laranja para
noivas a 50.
Ditos de cachos (alta novidade em Pa-
rs!) a (5^000
Lindas chapelinas de palha da Italia e de
flt de seda, guarnecidas com ricos e ele-
gantes enfetes ;i ultima moda a 15|, 183
e 2():>.
Chapeosinhos de veludos de lindos mo-
delos a IH, 183 e 203000.
Ditos de palha da Italia muito bem en-
feitados a 1211, 143 e 153000.
Ditos de pennas (novidade) para senhoras
a 173000.
Gorrinhos de fil preto para luto a 93.
Chapeos do palha americana enfeitados a
43500 rs.
Ditos de seda para sol fazenda boa a
50,63500, 103 e 113000.
Basquines de guipur branco bem endi-
tadas c molde ultima moda a 153, 183
e 203000.
Ditas pretas com ricos enfeites de vi-
drilhos a 183 e 203O0O.
Sintos-ricos de setim com la^os a 33,
63, 73, 83, 105 e 120000.
Urna linda e rica guarnico cor de rosa,
a Maris Rosa, (alta novidade) por 28#)0.
Grialdas de flores muito lindas 33, 63,
73 e 83000.
Caoellas de llores de lanrajeiras para
noivas a 43500 e 53000.
Especial sortimento de gravatinhas para
senhoras.
Sintos de palha muito lindos a 33000.
Luvas de pelica a duqueza, brancas, de
cores e pretas, o par 3?>00.
Blondo de seda prto e branco com sal-
pi os e ramagens, o metro a 23500, 33,
4,3800 e 63000.
Enfeites do palha muito lindos para co-
ques a 13500 e 23000.
Guipur preto e guipur branco, fazenda
nova, para capinbas, corpinhos, basquines
etc. etc. benitos padrees, o metro a 33000,
33500,-4* 4*500, 53, e 60.
Grande sortimento de bicos (e rendas de
guipur brancos, e pretos com fio de seda
fazenda superior, de diversas larguras e
precos muito baratos.
Espartilhos brancos c e cores muito
bem feitos a U, 43, 53, 53500, 73 e 80.
Enfeites para cabera especial sortimento,
70, 89 e 90000.
Mejas cruas, fazenda superior, o par 23.
. Corpinlws enfeitados de delicados gos-
tos a 16-Se 83GG8-.-- ^ ___
Mos corpinhos de fil prcloTJllfaBfaa.
23500.
Lindas e ricas, gaarnifes de cores ja
promptas para vestidos a 100^420, 140 e
160000.
Borns de 15a e seda, moda elegante a 1.
203000.
Gachins de laa de cores a 50, 60, e 80.
PARA HOMENS.
Chapeos de sol, fazenda superior a 80,
iOfl e 150000
Chapeos de castor branco, fazenda fina,
e forma a moda imperial a 110000.
Correte'de plaqu iguaes s d*ouro urna
por 80, 100 e 123000.
Bengalinbas de canna com casto de
marfim a 14 e 50000.
Ditas d'aco e lenhadas ultimo gosto a 10.
Ditas fanlazia muito lindas a 10500 e
20000.
Bengalas fortes (para dar no Lpez) a
20 e 2*500.
Chicotes para montara, de 10 3^50000.
Samisas com peitos e collarinhos de li-
iho deitades muito bem feitos, ns. 38 e 39
a 50000.
E muitos outros artigos tanto para ho-
tiens como para senhoras e ensacas
assim como um completo e especial sorti-
tiento de miudezas, tudo receido de cus-
to proprio.e se vende mais barato do que
4m qualqimr parteno Bazar da Moda de
JOS''DE SOUZA SOARE&C.
-Ruado Queimadan, 49 c blloja
de miudezas de JosdeAzevt-
do Mata eStlva conhecido por
Jase Bigodinli.
Est queimando tudo quanto tem emseu
estabelecimento para acabar e fajernovu
sortimento, por isso queirara vir ou mandar
vero que borne barato.
Garrafas com jagua florida ver-
dadera ......
Garrafas com agua divina dann-
lhorqualidade .
Latas com superior banha ft an-
coza ......
Calmeen 12 fiascos do dichos
proprio para mimos .
Dita Mmf9 Irascos muito lnofl i
Oleo baboza muito fino que s
a vista o.....
Sabonetes de calunga mnito bo-
nito ......
Caixas de p de arroz muito
superior .....
Pecas de babadiiiho rom 10
varas ;i......
Caixas redondas emilando lar-
teraga ......
Pecas de lila ble cs qualquer
largura a.....
Escovas para tinhas muito li-
nas ......
ascetas para denlos fazenda
muito fina .....
t'uiccii.is de coiitas de en b
. para meninos .
Caixas de litilia branca
com 50 nove I los
Caixas de
com 10 novellos .
Pecas do tranca lisa de todas
as cores .....
i. smas do papel pautado muito
litio ......
Pares de botos para puntos
muito bonito .
Libras de la paa bordados de
de lorias ?s coros .
Pehtes com costas de metal
muito finos .
do gaz
liiiha branca do gaz
102CO
10500
0200
20300
0800
500
0240
1600
3500
13500
1800
0240
0200
0800
Novellos de linba muilo grande
para croxs .
Duzia de linha froxa para bor-
dado ......
Grosas de bulos madreperola
muito fino *. .
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e.....
Pocas de fita de laa todas as
cores ......
Espellios dottrados para paredo
13000 e .....
Espelhos do Jacaranda muito
lino ......
Pecas do trancas brancas e do
cores de caracol .
Pares de meias cruas para me-
ninos ......
Caivete muito fino com 4 fo-
Ihas .......
Cartilhas da doutrina as mais
modernas .....
Frascos de sndalo e patecholy
muito finos -
00 AO
41080
i
m
81000
,j|380
>M
3480
10800
me
3500
10500
20000
3060
.0329
10600
3400
10200
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo eflicaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resulta-
do, ej pela fcil applicaco as creancas.
quasi sempre mais atacadas de to terrivel
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia c drogara.
DE
Barthomeu A C.
34Ra Larga do Rosarlo84
Librase ouro nacional, moedas
de 5 francos.
edoende-sc no arco da Conceico na leja
Vurives, no Recife.
foio m%
na Direita n. S3.
Ha para vender um completo sor-
timento de fogos artiliciaes, tanto
paraSras.,como para enancas, pis-
tollas brancas e de cores, com 3,
4, 5 e 6 Dalas, fontainas, cravei- i
ros, rodinhas singellas e dobradas,
foguetinhos, buscaps, illumina-
Ces bales de seda de 2 pasmos de
aliara etc, etc., feito por um dos:
melhores artistas deste genero.
Tambem ha para vender salitre, en-;
xotfre, breu, fio, facas e garlos
e.^diversos preeps e qualidade?,
bwdejaS alm do grande^olinwmo te-fef
ragens, miudezas, clelarTas e trem-'
para cozinha, etc, etc.
e Ra Direita n. 53,1 oja de Manoel '
i Bento de O. Braga dr C.
pm mm mmm mmwm
At que chegaram |
SYSTEMA DE>SIMA,
B Grande factura de pesos kogram-
I mas em serie completa de todos
os tamanhos, melhores de com
prehender do que os que at hoje
tem viudo ao mercado, chegaram
somonte para a loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C, ra
Direita n. 53, e com dtminui'cao
recos, venbam em tempo.
Novo livro de sortes para
ft Joflo e"S. Pedro
A Pythonissa de Endor, inteiramente
inditas e iuteressantes, a 640 res o ex-
emplar, ra estreita do Rosario o. 12,
typographia de Geraldo de Mira, na enca-
dernaco parisiense roa do Imperador e a
livraria econmica de Nogueira Medeiros
a ra do Crespo q. 2.
Encananrento de agoa
e gaz.
Canos de fciro estanhada e cora porcelana, ditos
de chumbo d todas as grossOras.
Pesos ,pelo novo sistema
Temos dos novos pesos completas e a retalho :
;; venda, ra do Queimado, Aievedo & Irmao.
COWFEITARIA
CFFRANCEZ
15-rRa da Imperatrre15
Ikmiwy
NOUVETAl
Leite de venus e crom"!




o
Diario de Pe namlmco Sexta feira 28 Je Maio de 1869.
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARJUCEUT1CO, 2, ROE OES UORS-SAINT-PML, pars.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE tARANJAS"AMARGAS
Con IODIRHTO de I* O T A H S I O
0 lodureto de potassio um vcrdadeiro altrame, um depurador de inconlestavel effi-
cacia; combinado cOm o xarope de cascas de laranjas amargas, e aturado
sem perturbaco alguma pelos temperamentos os mais Iracos, sem alterar as funcc8e8
do estomago. As dotes malhcmtitieas que elle ronlem permillem aos mdicos de receital-o
para todas as complicares as alfcccts escrofulosas, tuberculosas, cance-
rosas e nos accidentes intermitientes e terceiros; alCm d'isso, o
agente o mais poderoso contra as doencas rheumaticas.
XAROPE TNICO ANTI-NERVOSO XAROPE FERRUGINOSO
de cascas de laranjas e quassla amarga.
E' sob a furma liquida que mais fcilmen-
te se assixnila o ferro; n'esta forma 6 prefe-
rivel as pilulase paslilhas en todos os casos
em que (So proscriptos os ferruginosos.
de cascas de laranjas amargas.
35 annos de successos aitestSo a sua efli-
cacia para curar: as doenfas nervosas,
agudas ou chronicas, as gaslrites, gastral-
gias; e facililur a digeslao.
DENTIFMCIOS LAROZE
COM QUINA, PYRETHRO E CAUCO
Elixir.deBiifrieio, para a alvura e con-
servacSo dos denles, curando as dores
causadas pela caria ou produzidas pelo
coutado do calor ou do fri
Pb dentifrieio, com base de magnesia
para a alvura e conservaco dos denles,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reprodcelo.
Deposito em Rio de Janeiro, E. CIictoUi; em Pernambuco, P. Manrer e C; em Maeeio,
Falro Da; em Pellas, Antera Lelcan; em Bahia, Da iorba; em Porto Alegre, jnu
Bella; em Marunhio Ferrclro C"| em Ouro Preto, C. J. V. U'eltnn i em Santa Catha-
rtna, S. Sebulel) em Montevideo, G. liubtri; em Buenos-Ai/re, Eirhepareborda.
CURAST IMPORTANTES
Do xarope Vegetal Americano especialidade de Bartholomco&C"
34. RA LARCA DO ROSARIO.34.
m -.M..,J..W.-. -M, ..m^..j*..l- tHHOBlHf>| I I
CARVAO DE BELLOe
PARS
Approvado e recomniemlado pela Academia imperial de medicina de Parfa para a
aira di gastralgia e ca gsral do todas as doencas nervosas do estomago e dos intestinos.
Mimante o remedio por exccllciicia contra a relencto de venlre Finalmente em
razao de nas propiedades alisorventes, recommendado como verdadetra remedio nos
cazos de diarrhea e cliolerina. O cando de Bclloc lomaje na OccasiO das comidas
sob a forma de pos ou de paslilhas.
Deposito em P>!o-J.\KEir.o. Duponchelle; Chevolot. Fm PdiHbbpco. Manrer k '.

Superiores satas breas bardadas a 5-5, 6& 8-> c lOOOO cada urna.
Ditas de cambria de escocia transparente j;i feilas a 6<5O0O cada uma.
Na loja das Columnas na ra do Crespo n, 13 de Antonia Gorrera
Vaseoncellos & C.
Os verdadeiros COLLARES ROTEE, os nicos apprevados pela
a Academia de Medicina, lem assiro como os meos oulros productos
tiiahiilo a cupidei dos falsificadores, que para facilitar sua criminla
industria nao se peja, n com meu nona. En pi cvino as familias pata interesse de seos fillios
que, para evitar falsificacoes, ilevem exigir, que mcus Collke Hies
sejao vendidos em caixas de-tambas de encaixe e corredias cobertas
por elliquetas com a minha marca de fabrica e encerrando nm
prospecto circunstanciado, e selladas por urna medalha com o lettreiro.
COLLAR ROTER, Roe St-Martin. 225. Pars.
Noi eoslomamot procurar tltestados para icredilar
nos-os preparados, e deixamo que saa applicaco e os
resultados oblidos pelas penSoasque ae dignaramacceila-
los, Ibes deem crdito e voga ; porque sao sempre os
alienado* considerados gratailoa, e e delles que anca
mo o charlatanismo; mas ni qiierendo oflender as pes-
soas que espontneamente nosofTerecerain.os que abaixe
To transcriptos, os fazemos publicar manifestando-Ibes
uossa grahJAo pela allencao. esperando (|ue venham
elle corroborar o conceilo, e acceilacio qs iem mere-
cido nosse xarope. Bartholomto & C.
1TTESTAD0S.
Illms. Srs. Barlbolomeo i C. con a mais subida
latisfigJo que declaro ser o xarope Americano de ama
etlcacia extraordinaria, pois que solfrcndo ba dias de
intensa tosse, i nonio de na9 poder dormir a noile a
despeito mesmo de medicamentos qne lomava a elle
recorr e na terceira colber fui alliviado, e de todo me
acbo boje reslabelecido com o nao soinente de quasi
meio frasco; grato pois i case resultado manifest a
Vr, Ss. mea rcconhecimenlo. De Vv. S. amigo, ve-
nerador e obrigado. Manoel Antonio Viegas Jnior
Sua casa 20 de abril de 1X68.
Illms. Srs. Barlliolnnico & C. Penliorndissimocom
o favor quo ma lizcram de aronselbart uso do xarope
Vegetal Americano, de saa omposicio, quaodo me
arheva bastante doente de uma constipado, qne me
lornou completamente ronco e qno trouxe uma forte
tosse, e me iispnssibililou de cumpriros meus deveres
de canior da empresa Ivrice, von ncradccer-lhes meo
completo reslabelecimcnio, qne oblive com nm s6 vidro
do mesmo xarope, denois de haver recorrido a muitos
tratame.ntos. Desejarti que outros como cu recoiram
ao seu sarope para ae verem aliviados de Uo terrivet
ncommodn, to fatal ntsie paii. Com nialor conside-
racio continuo a ser de Vv. Se. ltenlo, venerador e
dbrigado. Luir Ciemona. Recite 25 de setembro
de 1868.
Illms Srs arlbolomeo tC.-O xarope Vegetal Ame-
ricano que Vv. Ss. Icm expnslo a venda i de leda eid-
cacia para o curativo d'asihma, canforme observei ap-
plicando-o a mea lllho Joaquina, menor de quatro
annos; viclima d'esse flagello. qne at entiopor espaco
excedente a dons annos havia resistido a outro*tarops
de grande nomeada. Queiram pois Vv. Ss. acceitar a
expressAo altamente sincera de meo reconhecintcnm ao
meritorio servico que Ibe prestaram com o ii.dic.ido
xarope, acreditndome para senvpre de Vv. Ss. criado,
atiento e obligado. Amrrico ISelto de Meudonca.
Hecife 2 de oulubro de 1868.
INJECTION BROU
UyclenU-a hitallivcl e Preaertallva, abaoluiaiueniu a uinc* aaa priocipaes boticas do mundo. (Exigir a iutrueca* l asa). (Waaaa* de tTktinnta ) Paria em ca
U inventar HOll. bMatVard Magenta, lia.
C.MPAMIIA
Fabrica de tecidos de alo-odao de
Ferno Velho.
O superi'.r panno de algodio desLi fabrica, mu
vani;ijo:amenie eohecida nesui proviocia e as de
Pernambueo, Paraliyba Itio de Jnneii-o, pea sua
poifeieai) de lerido, elasticidade e fortaleza, conti-
na a ser rendido no cscriplorio da mesilla com-
panliia a praQa de Podro desta cidale, casa nu-
mero 4.
Aflni de que os numerosos e importantes senbe-
res de engeulto, Lem como os senltores exiwrtado
res de assuear, tanlo desta provifteii como das
cima mencionadas, possam com facilidade pi-o-
ver-se das manufacturas desta fabrica, a gerencia
da comp.inhia annuncia que as ba venda nos
segttintes lugares :
Resta cidado -no seu escriptono e as casas dos
Sn>. Domingos Jos de Parias o Jos N'unes Gui-
tnaraes, ra do Cotnmercio.
Em Pernambucona casa dos Srs. Oliveira, Fi-
nios & C.
No Pilarem casa do Sr. Joao de Albuqucraue
Mello.
Ka Castanba Grandeem casa do Sr. Norberto
Cavalcanti de AILmquerque.
Em Camaragibena casa do Sr. Jo;;o Vieira de
Lima.
Alen do panno apropriado ao ensacamento do
assucar, a fabrica possue mais uma qualidade de
panno mui forte, adoptado ao systema que tem os
senbores de engenlio do norte da provincia de
mandarem despejar nos trapiches de Pernambuco
o assucar que all vao vender, com o que os sac-
eos servem para militas safras.
Para roupa de escravos ou de trabalhadore do
campo, e para toninas e lenres do servico diario,
lia una superior qualidade de panno ile'28 polla
gadas de largura, muito forte e espcssi, parecen
00-46 bastante rom meia lona. Os precos sao os
mais mdicos iwssiveis. Macei 30 do marco de
!89. ^
LOJA
XA R O P E
VEGETAL AMERICANO
t SALID ADE
DE
BA RTHOLOMEO &C
Para a cara certa iu lotses amigas e recentes, calarrbos pulmonar, asihma; lose convulsa, caUrrfiM
bronchiis, o em j,ora! contra lodos os solfrlmcnlos das vias respiratorias.
DEPOSITO GER1L
uotxc/v e: n r*. o g a. r. i a.
34, RDA LARGA DO ROZAIIIO, 34
PERNAMBUCO
A t(teraputica das diversas molestias do neiio,desde
a pbaryngite ou mal da garganta at a tubcrcula^So
pulmonar, pascando pelas diversas bronchilcs calarrbaes
e o emphysema acaba de ser enrequecida com mais
este medicamento, qie lomar) a primeira ordem entre
lodos at boje eonheridos. O xarope Vegetal Americano,
garanlindo puramente vegetal, nao conlem em sua
composicio nm s tomo de opio, e sim somonte snc-
cos de plantas indgenas, cujas proprtedades benficas
na cara da molestias que periencem aos orgaos de res-
pirafo foram por nos obscivadas por longo lempo,
com ptimos resultados cada vez mais crescentes; pelo
que nos julgamos aulorisados a compor o xarope que
agora apresentaroos, e a oflerece lo aos mdicos e ao
publico, Provamos com os ailestados abano o qne le-
vamos dito, e contamos que o conceito de que j gosa
o xarope Vegetal Americano crescera de dia a dia,
donando muilo apos de si lodos os peitoraes em voga.
Illm. Sr. Bartbalomeo AC.- xarope Vegetal Ame-
ricano, preparado em saa conceiluadissima pharmacia,
nm til remedio para eombater i lerrivel aslbma.
Sofra en aquella molestia ba qualro metes, sem anda
ter combatido os ataques mensaes que tinba; este ultimo
que tire foi forlissimo qne me pro?lon por 8 dias^ge^
Sorm o sea milagroso xarope, tomajujo, -jpenaa tres
6ses, ejto n/yate^aojai^ -fan aUcado. Prasa
aVeua, quo ea fique resubelecido por uma ves. Rendo-
Ibe, pois os mcus agrdecimenlos por me ler aliviado de
Uo borrivel mal. Com a mais significativa gratidao,
subserevo-mc deVmcs. aflectuoso e recnbecido criado.
Seterino Uuarlc Sua Casa 14 defevereiro de 1868.
Illms Srs Barlbolomeo k C. Ilepois de qoasi seis
mezes de soffrimento com uma tosse incessante, faslio
extraordinario, expectoracao de um catarrbo amarella-
do, e perda total das forcas. que o menor passeio
me fatigava completamente, cansado de tomar mus ou-
lros remedios sem resultado tive a felicidade de saberque
Vmcs. preparavatn o xarope Vegetal Americano, e com
elle, grabas a Ki-us. mearlio reslabelecido ba mais de
dois mezes, e robusto como se nada tivesse soffrido. A
gralido me torca a esta declaraco, que podero Vmcs.
fazer o uso que quizerem. Sou com eslima de Vmcs.
muitos respeilador e criado. Antonio Joaquim i
Catiro e Silva. Hecife 8 de feveveiro de 1868.
Atiesto qne nsei do xarope Vegetal Americano, de
composicio dos Srs Barlbolomeo & C. para cora de nm
forte defini que me trouve arna^^uiaaujao.-queTDc nao
faxia ed^dej^njjgtoffi,,,,-,, \ dor n, g,rganla. tosse,
tflM'. fTTa derespirai;o. e liquei completamente res-
labelecido com um s vidro do mesmo xarope; pelo
qne Ibes protesto eterna gralido. Hecife 10 de Ja-
neiro de 1868. Joaoiitm J'ereira arante 'Jnior,
Eslo recouuecidos.
SOFFRIMENTOS D'ESTOM AGO, CONSTIPACAO
Cura em poucos dias pelo CARvto DE BEL loo cm p ou em pastilas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Essasattt-ccdesso dia-
-ipadas rpidamente pelas PEROLAS cether de D' CL'J!T\>.
ANEMIA, A PALLIDEZ c os SMfiVinicntosque necessitamdo
emprego dos ferruginosos sao sempre combatidos com o tncllior resultado
pelas piL'JlAS DE VALLET.Cada Pilula lem incravado o notne \AUET.
PO DE ROG. Basta dissolver um frasco d'cste p em meio
i^irrafa d'agua para se obtfir uma limonada agrudavel que purga sem fa-
zer clicas.
VINHO DE QUINIUM it abarraque. Este vinlio, um dos
poneos cuja coniposicao garantida conslantc, uma das memores pre-
puraedes de quinino, sem aeco notavel sobre os convalcscentcs, dando-
Ibes forca* e apressando volta a saude. Cura as febles antigs que re-
sistSo ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parte d'estas moles-
tias, como as scialicas, loiubagos, catarros, e todas as dores nervosas em
gcral sin curadas pelas PEROLAS de ESSENCiA de THEREBcNTINA do
Dr. Cleitan. O proffssor Trousseau em sea Tratado de Uierapeiuica acon-
selha as para seren tomadas na occasio do jantar, na dse de 4 A II.
OLEO OE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.-
Garantido puro c de primeira qualidade, um dos poucos aprovados pela
Academia de medicina.
AVISO. Todos
ettex medicametitos foram aprovados pela Academia
imperial de medicina de Parit.
Rle-Jaiuiro.
Bahia..
DEPOSITO
Eaa Paria, L. rttEAE, 1, r-a* Jaeok
Doroiatn*; Hta^a ~ Iptmambwo. aUuasa, et Ch.
Ceara.....aUcBXft et f>.
TSliOI.I'U
ftCh.
U1VAL SEM
Ra do Quemado ns. 49 e 57-
lojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Maia, est acabando
com as miudezas de seus estabe-
lecimentospor tsso queram apre-
ciar o que bom e baratissimo.
Pares de sapatos de tranca fa-
zenia nova a......2!000
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a......, #500
Duzias de meias ciuas para lio -
mem a........3.58OO
Tramoias do Porto fazenda boa
e pelo preco melhor 100 attos a 1200
Lvfos de missoes abreviadas a 2^000
Duzia de barallios francezes muito
finos aiOOe.....2?980C
Silabario portuguez com estam-
pas a ........
Gravatas de cores e pretas muito
finas a......)
Duzias de meias para senhora fa-
zenda boa a......
Redes pretas lizas muito finas a
Gartoes com colchetes de lato
fazenda fina a......
Abotuaduras de vidro para colete
fazenda fina a. .
Caixas com penna d'aco muito
finas a 320, 400, 500 e .
Cartoes de linha Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de linha Alexandre de
70 at 200 a .
Caixas com superiores obreias
de massa a......
Duzias de agalhas par machina
Libras de prego* francezes di-
verso tamanho a. .....
Livros escripturado para rol de
roupa a........
Talheres para meninos muito
finos a. ,......
Caixas com papel amizade muito
fino a........
Caixas com 100 envelopes muit
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhorasa. ... .
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a. *. .
Tinteiros com tinta preta muito
boa a 80, 120 e .
Yaras de franja para toalhas fa-
zenda fina a. .
Duzia de phosphoros de segu-
ranza da melhor qualidade a
400 e-........
Pecas de fita branca elstica
. muito fina a. ... .
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Pecas de fitas bordadas com 3
varas a .
Ditas de ditas bordadas com 12
metros de 2000 a .
Grozas de botoes de louca muito
finos a.....
,5320
,5500
45000
5820
020
500
1000
100
100
040
2000
240
120
240.
700
600
320
500
320
160
500
200
60
25O0
500
3006
DO
GALLO VIGILANTE
Una do Crespo n. 9
Oproprielarios deste liein conhecido eslabele-
cimento, alm dos mijitos ofojectos ifuo tinliam ex-
postos ix apreciarlo do rcspeilavcl publico, man-
(laram vir e acabam Jo reeeber pelo ultimo vapor
da Europa um completo o variado sortimento de
linas e mui delicadas especialidades, as i/ttaes es-
lao resol vidos a vender, como de seu costme,
por precos muito baratinhos c cominoilos para to-
dos, com lauto quo o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentos de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos cnfeits para caberas das
Ex mas. Mofaeras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode liaver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leqnes de madreperola,
marfim, sndalo e. osso, sendo aquellos trancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias lio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se vendepam por 303000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,3,
alm desta*. temos tambem grande sortimonto de
mitras qualidade, entre as quacs algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior caima da India e
castao de inarfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, nesle genero o que de melhor se
pode desojar ; alm destas temos tambem grande
nuanlidadc de outras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borradla, etc. etc. ele.
Finos, bonitos e airosos chicotiohos de cadeia c
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para notva.
Superiores agulhas para machiaa epara crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
lahyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltaretc, assim
como os lentos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das memores per-
fumarias e dos melhores e mais conocidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes enancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois podero aquel-
los que deles precisaren!, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista djs ebjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
"PASflHAS ASSMARADAS
DO
DR. PATERSON .
De blsmnth e magnezla.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digestao, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu C.
34'------Ra larga do Rosario------34.
Barato que admira
Guarios de latas com bolachinhas de boas qua-
lidades a li0<\ caixinhas com ameixas, peras e
figos a liOO, cerveja Bass, Ihlers e bell ingleza a
800 rs. a botija, vinho a 400 rs. a garrafa, azeile
doce de Lisboa a 880, arroz de primeira qualida-
de a 120 rs., caf a 220, sabao a 180 e 220, cha
miado bom a 3a 100, dem grado a 3|, alpista a
240, toucinho de Lisboa a 440, marmelada fina a
780 a libra, doce de goiaba fino em latas e caixdes
de diversos tamaitos por commodo prego : s na
esquina da ra da Penha n. 8.
16C
Scbonete de atcatrdo.
na
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que t5o b^oa
acceitaco tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu 4 C,
34ra larga do Rosario34.
RF POPULA?.
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIRA FREDERICO & C.
Acaba de chegaraeste mercado amapola des-
te ptimo rap, nico que pode supprir'a falta do
princeza de Lisboa por ser de agradavel perfume.
E' fabricado pelo systema a imitacao do Areia Pre-
ta, porm tem sobre este a vaotagem de ser viaja-
do, o que para este artigo tuna especialrdade.
as pracas da Bahia, do Rio de Janeiro e outras do
imperio tem o Rap Popular sido asss accolhido,
e nrovavelmente aqni tambem o ser, logo que
seja conhecido e apreciado. Acha-se venda
ior preco commodo, e para quem comprar de 50
ibras para cioia, far-se-ha um descont de 5 0/0,
e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no oscrip-
torio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao, ra do
Commercio n. 17.
TASSOIRMAOS
Tem para vender em sois armazens, alm de ou-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir, v '
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Yinlios cm caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira. ,
Hermitage.
Cliantblis.
Licor de enraco de Hollanda em caixas de vin-
te e quatro botijinhas.
GESSO,
Nosarmazens do Tassolrmos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
CAIIRIA'IIOS DE FERRO
Para servieps de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 12*000 cada um.
Farinlia de trigo de .Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das memores marcas de
fariulias americanas.
Saceos de farinha de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nosarmazens de Tasso Irmaos.
Cemento hidrulico 12$
O melhor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em porces de
cincoento barricas se far reduccao no preeo : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De di ITerentes qualidades para cercados de ani-
maos, chiqueiros para galinhas ou jardins : nos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE SARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabio, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para edificacoes e esgo-
tos de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
PRECOS.
1 400 por cano grande de 3 o meia poMegadas.
1*200 por dito tle- 2 e tres quartos de dita.
1 000 por dito de 2 c um quarto de dita. .
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotovellos, curvas c canos de maior grossura, a
vstase far o preco. Compras maiores de 200sS
tem 5 por centj de descont por prompto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tassolrmos.
Tijolos francezes
Para ladrilhar casas terreas comasseioe precos
mdicos, mnito convenientes e pronrios para ladri-
Ihos de cosinhas cm sobrados, pelo seu asseio c
evitar a passagem de aguas para o andar :nferior
c mesmo o perigo de fogo, aos precos -de 30*000 a
45*000 o milheiro : na ra Nova de Santa Rita, na
antiga fabrica de sabao, e compras maiores de 200*
se far 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Podem-se ver a amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmaeete verdadeiras para lan-
ternas de carros: noarmazem de Tassolrmos.
Vinho do Porto fino superior: no armazem
de Tassolrmos.
O melhor cognac Gauthier Freres: no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa do Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padroe e larguras, por preco
commodo.
A NOVA ESPERABA
21=Kua do Queimado 21
Advertencia!
Macarthy
Machinas de descarocar algodo.
Hoje que est reconhecido que as machinas de
serrote prejudicam e quebram a fibra do algodao,
preciso recorrer a machinismo menos spero,
que produzindo o mesmo servico qne aquellas, e
facilidade no trabalho, nao quebrem a fibra da la,
para que essa possa obter-nos mercados europeos,
a differenea que ha entre o algodao descarocado
por aquellas mencionadas machinas, que estb II-
cando em deuzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode conjpetir
pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se tornam as mais proprias para o
nosso algodao, porque ao par da facilidade e
promptidao conserva a libra da la, que limpa por
ella, e qualieada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre H 20 por 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
esto adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
dao daqueila pror-edencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 ag por
.0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150*000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de amendoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens de TassoJIrmos.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana e por baratissi-
mo preco : em casa de Tasso Irmaos, ra do
Amorim n. 37.
Eelogios de ouro.
Relogios de ouro de patente com balanco de
chronometro do famigerado actor John Rogers, no
escriptorio de Tasso Irmaos.
Pianos inglezes.
Pianos inglezes do bem conhecido autor Charles
Cadby, no escriptorio de Tasso.
Ac de milito.
Nos armazfns de Tasso Timaos.
BARRIS DE SALITRE
Noa armazens de Tasso Irmaos.
A Nova Esperanza, ra do Queimad
n. 21 tendo em deposito grande quantidade
de" miudezas, e como se approxrma o tem-
po em qne tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvid a vender suas mer-
cadorias pelo baratissimo prero, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo lao opportuno quaodo
IxOVA ESPERANQA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nao
falta aonde e a quem...
Elle quere ella qjier
E' sempre assim.
Elle (correspondente deParis) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeicao, e ella (loja da Nova Es-
peranca) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos)
Nova Esperanca ra do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinba,
acaba de reeeber mais o seguinte :
Bonitos broches, pulceiras e brincos de
madreperola.
Papel e envelopes bordados c mati-
sados.
Papis proprios para eufeitar bollos e
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galles, franjas e trancas de
seda e de la, para enfeites de vestidos.
Botoes de tod;is as cores e moldes no\09
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com
pengentes e sem elles.
Botoes pretos com vidrilhos eom pingen-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, eamurca e escossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados leque de madreperula*, mar-
fim, osso e faia.
EspartHho simples e bordados.
Bengalas de balei.
Finalmente, nm completo sortimento d
miudezas ra do Queimado n. 21, na-
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magneU
eos contra as convulces das
creangas.
Nao resta a menor davida, de que muito
collares se vendem por abi intitulados o>
verdadeiros de Royer, e eis porqae muito
pais de familias nao creem (comprando-oa)
noeffeitopromettido.o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificaco principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez uma encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que sSo o*
verdadeiros de Royer, qne a tantas crean-
Cas tem salvado do terrivel incommodo do
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 compraren!, o salva vida, para seu
filhinhos, antes que estes sejam acommitti-
dos do terrivel mal, quando entao ser di*
fficil akancar-se o effeito desejado, embor
sejam empregados os verdadeiros collares,
de Royer.
FLORES
Realmente at onde pode chegar a per-
feicao darte e relativo a flores, a Nova Es-
peranca apesar de ter constantemente re-
cebido flores, confessa que ainda nao havia
recebido, como as que acabale reeeber!!!
nao exageracao ellas confundem-se per-
feitamente com as nturaes, e sao feitas
com tanta perfeicao, que prestani-se mui
bem ao mais caprichoso eufeite das Exmas.
do mais apurado gosto!!! explendido o
ortimento, constando de modernos ramos,
rosas, dalias etc., etc., de lindas cores,
proprias para enfeitar-se coques, vestidos,
chapeos ou outro enfeite que hbil compra-
dora quizer preparar, assim pois queiram.
asExraas. virem apreciar o jfcnttm da Nova
Esperanca ra do Queimaro n. 21, que
es' replecto de flores.
^VGERMdAty
IASSA e XAROPE
DE CODEINA DE BERTHEI
Preconisados por todo os mdicos contra os I
DErLUXOS, CATHARROS, E TODAS AS|
IRRITACOBS DO PE1TO.
N. B. O Xarope de Codcina que mertco a I
konra, alia bem rara entre o$ MctUcamentot]
novos, i ter regittiado como um dos medica-
mentot oflidaet do Imporio Francet ditpenm\
qualquer elogio.
AVISO. Por causa da reprilicnsinl falsi-l
cacoquc km tuscilado o felii resultado do I
Xarope e massa do Berilio somos Coreados al
Icmbrpr quccsicamcdicamciilos laojuslamcnlej
conceituaos s se
venden) em calxin-
Lase frascos levanilo
a astigualura em
trente. 9
U, Ru dei Eeolcs, e na Pltarmacia Central |
de Frailea, /u de Jouy, em Parit, e
todas as PImi macias |)i incipies do lii
CARNAUBA
Vende-se superior cera'de carnauba em.de
cas. por preco mais barato do que em outra qnas-
quer parte: na loja do Pavo, ra da Impera! riz
n. 60, de Flix Pereira da Silva. ?
CUBA DOS CALLOS.
PBLA
Ponada galoupeaa.
Deposito especial
Pharmacia de Bariolomeo & C.
34-------Ra larga do Rosario------.34.
VERMES
de superiores qualidades, a precos commodos : na
ra do Vigario n. 16, Io andar, escriptorio -de
Joaquim Gerardo de Bastos.
VENDE-SE
azeite de donde a 800 rs. a garra;
fa: na ra Novan. 3.
GAZ GAZ CAZ
Chegou ao amigo deposito de Henry Forstar &
C, ra do Imperador, um carregamento de bu
de primeira qualidade; o qual se vende em partida.-
e a retalho per menos preco do que em outra qual
quer parte.
Alegrai-vos myopes, e presbytas, j po-
dis ver de longe, j podis ver deperto,
nao ba mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de reeeber pelo ulti-
mo vapor umrico e variado sortimento de.
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de 'ouro, prata, tartaruga, marfim.
ac, bfalo, ncar, unicornio e melchior;
assim como binculos de uma a tres mudan-
cas para theatro, campo e mannha, da ulti-
ma mvenca-o ; duquezas, ve.rieas de 6, 8 e
12 vidros, tudo dos raehVyres fabricantes da
Europa.
O mesmo vapor trou-
> xe uma encllente ma-
china para graduar e
observar nuqmfo "dos
Vidros qpe senecesite"
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excellentes sterioscopos, instrumen-
tos de mathematica, barmetros, vidros de
chrystal do rocha, e de cores parwesguar-
dar a vista; eoncerta todos os objectos
precos commodos e com promptidao ; tira
o mofo dos vidros e encarrega-se de toda a
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem "os excedentes-retornos
do antigo e afamado fabricante obert Gerih
dcC, os quaes vendem preces commodos
garantindo a sua superior qualiaade.
PAPEL ^
Papel de impressao Ibrmato do Diario e qua-
druplo Jesu, para livros tanto liso como nscado,
carr, raisin o Jesu, o melhor possivel em quali-
dade, -venda: na ra do aom
te do eonvattto de S. Francisco
da ra d
Vende-se a taberna
n. 7 ; a tratar |fe~
da Cadeia Nova
a.


Diario de Periiambiuso Sexta feira 28 de 'Maio de 1869.
_



A
i
i '
i
I
/
_K
0 cordeiro providente
Roa <1o Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, c outros objectos,
Alm do completosortimento, de perfu-
maras, de que eiTectivamente esa provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela vajiedade de objectos, superiori-
dade, quatidades ecommodidades de pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro ^evidente pede
e espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n3o se afas-
tando ene de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dia de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhor es e maisacrediados
fabricantes. ^
Dita balsmica dentrificia.
Dia de fior de larangeiraa.
Dia dos Alpes, e-violeto para toilet.
Elixir odontalgico para conservaco do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradavejs. *
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, menanos e
francezes em frascas simples e enfeiados.
Essencia imperial do fino e agradavel cUei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiios igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo' philocome verdadeire.
EAracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cteeTos, em frases dedile-
rentesamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para m3os.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito fiaos em cainnha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructes.
Ditos de madeira invernisada contoado fi-
nas perfumarias, muito proprias para pre-
sentes.
< Ditos de papeo igualmeate bonitas, arri-
bea de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composir3o de
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
Cas.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Ps de camphora e outras difforentes
qualidades ambem para deotes.
Tnico oriental tle Kemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciaco de quem
*>s pretenda comprar.
GOLLINIAS E PUNIIOS BORDADOS.
Obras/de muito gosto e perfeicao.
Fivellas e fitas para calos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escoma ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS.
O genero, sohresauindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para viagem.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapclinas de palha da Italia mu bem
e_feitadas, e enfeites de flores obra d. bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. i6.
NFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. *6 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto esa sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM DAQELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de gallees de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados; compareci pois os pre-
tendentes que sero servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
goepure.
LUYAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para hornen-
como para senhoras, consantemente achara-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 16.
QUE SE LIQUIDAM
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
Q9=aa a waiaa'Bia-Ha. m
DE
FJEL1V PEREIRA DA SIL VA.
O proprietario d'este esabelecimento convida ao respeiavel publico desa ca-
jftai a yir surtir-se do grande sortimento que tem de fasendas, anto da moda como le
lei, assim como de um grande sortimento de roupas para homens e meninos, e as
pessoas que negociam em pequea escala, anto da praca como do mate, oesa casa
podero fazer os seus sortimentos em pequeas ou grandes porcoes, venen lo-se-lhes
pelos precos que se compram as casas inglezas ; asim como as excellentissimas fami-
ias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou se I he as mandam
levar em suas casas pelos caixeiros d'este esabelecimento, que se acha aberto con-
stantemente desde s 6 horas da manhSa s 9 da noute.
Casemiras df moda
NA
JLOJA DO PAVA
Chegou pelo ultimo vapor francez, um
grande e verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para cal-
cas, paletots e coletos, tendo lisas, com lis-
11-RUA DO QUEINADO--11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
des, assentade
cassas 6o proj
transparentes e:
quasi como a c
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
das digestSes ditficeis ecompletas, acalmar
as dores gastralgicas, e reparar as forjas
produzindo urna assi'mulacao completo dos
alimentos; sendo mais um excellente tnico.
>W_ NA
PHARMACIA ENDROGARA
DI
Bartholomen *fc C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
DE
Francisco intonlo de Car val ho
_fc Companhla
(SCCESSOnES DE REG & MOURA )
Rita Nava n. 24.
Os proprietarios deste eslabeleciraento fazem
sciente ae publico rme acabam de receber um per-
feito e vanado sortimento de pannos Anos, case-
miras, brins e outras fazendas de gostos modernos,
as quaes vendem por precos razoaveis. Os mea-
mos scicntificam, que tendo admittido para soa
iflicina de alfaiate um artista hbil no desempe-
nho de suas funcc.oes, recebem qualquer encom-
menda de roupa por medidas, prometiendo satis-
azerem com pontaalidade e presteza qualquer pe-
dido neste sentido.
Libras esterlinas, na ra da Cadeia do
Recife, n. 58. .*
Ra do Livramento n. 26.
Cambraias d ellegaaee* Mdr3eff. modernas,
CHAPELINAS
DA
ULTIMA MODA
Chegaram para a loja do Pavao as mais
rieas e mais modernas chapelias rica-
mente enfeitadas, com enfeites e fitas de
setim e de todas as crese com ricos bicos
de blond e as mais h'ndas e linas flores,
vendendose cada urna pelo barato preco de
lolOOO, garantindo-se serem myito mais
bonias do que outras que se vendem em
outras partes a 20$ e 25$," e entre ellas
ha mais do que um modello, ambem tem
muias de pratinho, proprias para mocas e
meninas, isto na rqa da Imperatriz n. 60
loja do Pav5o, de Flix Pereira da Silva.
Explendido sortimento de
Alpaca* lavradas de cores a 5O
Alpacas a 560 Alpacas a 560
Alpacas de cores
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vende-so uns poucos de mil covados
das mais lindas e modernas alpacas lavradas
com as mais modernas e bonias cores,
proprias para vestidos e roupas para meni-
nos, tendo entre ellas azul, ryrio, roxe, cor
de canna, verde claro etc. e os lavrores
muito miudinhos assenados em urna so
car; para se poder retalhar esta fazenda
pelo barato prego de 560 rs. o covado, foi
preciso faser-se urna grande compra deste
artigo, o qual grande pechificba.
\os dez mil cavados de caesas
franeczas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-s na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 6 ma grande quantidade de
mil cavados da| melhores casas francezis
para vestidos, tepio padrees raiudos e gra-
em todas as cores, estas
ament francezas, tendo
apatas, com amo corpo
ita, e alm dos padres
serem muito boiiftos, sao todos fixos e seria
fazenda para muilo mais dinheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
Espartllhes a 3OO n loja do
Pavo
Vende-se urna grande poreo de esparti- j
Ihos modernos com o competente cordao,
tendo sortimento de todos os tomanhos, e
vendem-se a 3$ cada irm.
MADAPOLAO ENFESTADO A 3:J60O, S
NO PAVO
Vendem-se pecas de madapolo enfestado
com 12 jardas, sendo muito incorpado pelo
barato preco de 3$600 ris, assim como
pecas do algodaosinho com 16 jardas
4$300 e 5$000 ris.
ALPACAS LAVRADAS COM LISTAS A 500
RS. S 0 PAVO VENDE
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60 vende-se urna grande porcao de alpacas
lavradas com os mais lindos padres listra-
dos e com llores matisadas, sendo este ar-
tigo urna grande pechincba, por se terem
comprado urnas poucas de caixas e vende-se
pelo barato preco de 500 rs. o covado.
Chales
PELERINAS DE CROCH A 8$, I0$000
E 12$000
Chegaram para a loja do Pavo as mais
modernas e mais bonitas romeiras ou pele-
rinas de fil e croch que se vendem a 8 e
10$ e 12$.
GRAME PECHINCHA
EM
PERCALIilS
A pataca o covado
PERCALLAS A 320 RS.
VOS DEZ MIL COVADOS
PERCALLAS A 320 RS.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60. vende-se urna grande porco de per-
callas francezas proprias para vestidos, sen-
do de cores fixas e mais larga que as chi-
tas, tendo os pannos muito encorpados e
com os desenhos mais bonitos que tem
vindo ao mercado, tendo padres miudos e
grados e vende:se pelo baratissimo preco
de 320 rs. o covado, garantido-se estar esta
fazenda em perfeito esado, e vendendo-se
por este baratissimo preco para apurar di-
nheiro.
RRAMANTE PARA LENCOES COM 10
PALMOS DE LARGURA A i $800
Chegou para a loja do Pav5o, ra da
Imperatriz n. 60, urna grande porco de
p-Cas de bramante com 10 palmos de lar-
gura, sendo a largura da fazenda o cumpri
ment de um lenco!, o qual se faz com um
metro e urna quarta, e para cama de casal,
com um metro e meio; e vende-se pelo
barato preco de 1$800 ris cada metro,
tendo esta larga fazenda, outras muitas ap-
plicacesparaarranjoffde famias, sendo
grande pechincha pelo preco.
COBERTORES DE L PARA O INVERN
DE 30000 6$000
Chegou para a loja do Pavo, um gran-
de sortimento dos melhoros cobertores, de
13 de carneiro, sendo muito grandes e
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capdla para aunas, qur
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
SAHIDAS DE BAILEde cachemira branca ede cores o que ha de mais lindo.
BASQUINESde renda preta, e de gorguro pretox o que ha de mais
elegante.
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALOESbrancos e de cores para senhoras e meninas, esparlilhos, satas bor-
dadas, e saias de la com barras de cor.
GORGUROde seda branco e preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas pretas,
alpacas de muitos cores, e lindos cortinados bordados.
-_____________-------__--------------------__
tras e com listra ao lado, tendo para todos
os precos, e alianca-se venderem-se muito
mais barato do que em outra qualquer par-
te, assim como das mesmas se manda fa-
zer qualquer peca de obra, a vontade do
fregu., para o que tem ura bom alfaiate.
Aos quinhentos palitots
a 18$ e 20,8000.
Na toja do Pavao ra da Imperatriz n.
60, vendem-se urna grande porco de pa-
litots sobrecasacados, e propriamente so-
brecasacos de panno pelo, sendo obra
muito bem acabada pelos baratos precos
de f8$, sendo forrados de alpaca, e de
20$ forrados de seda; esta fazenda a nao
se ter comprado urna grande compra, seria
para omito mais dinheiro, porm liquida-se
esta pechincha pelos precos cima.
Iazi-tias a S JO rs.
Vondem-se lazinhas para vestidos e rou-
pas de meninos, sendo o encorpadas
como chitas, pelo barato preco de 240 rs.
o covado.
IMMJPELINAS A 500 RS. O COVADO.
Na-toja do Pavo, na ra da Imperatriz
n. 60, vende-se um grande sortimento das
mais lindas poupelinas ou lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
nias cores ; padros com listrinhas miudi-
nlias, que.se venden pelobarato preco de
500 rs. o covado, pechincha que se ada
nicamente na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz h. 60-
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tent inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5$000 at i$000 a peca, assim
como iinissuuos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 1$000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vwde-se um grande sortimento aos me-
Ihores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
em a I2$000rs. cada par at 25$000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
lA t>0 ^_iMAO-
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de Guis
TAItlNIIA DE
MANDIOCA
Superior fnriuba de mandioca recenle-
mento- ehegad Je Sania Catbarina, vnde-
se a proco ctrao lo a bordo do brigue alle-
rno Una, fondeado defronde do trapiche
do Exm. Sr. baro do Livrameiito ; a tra-
lar a h iido memo, ou no escriptono
de Joaqun Jos Goncalves Bellio, rua
do Commercio n. 17.
Grande exposicao de
bonecas de cera
DE
Todas asqualidiules na ruado
fiueimado n. 55.
LOJA DO TEMPORAL
Acaba de cliegar pelo ultimo paquete um
completo sortimento de bonecas de cera de
todas as qualidados para loja do Tempo-
ral.
FDICftO DOBOWWAN
lina Mactinas de vapor..
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Tai.xos de ferro, batido/ fundido.
Rodas dentadas, para moer com agoay
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas paca purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro*
piros para agricultura.
Attenco.
lain
Pereira da Silva.
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitots e coletos de casemira,
de panno, de bnm, da alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
tido a vontade do freguez, c nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodao e outros muitos artigos
proprios para homens c senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e acmazem de Flix Perei-
ra da Silva/
Tintura indelevel paratingir os cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceiluada agua-florida deGuis-
lain que ento era des;onhecida em Per-
nambuco, j boje estimada e procurada
por seu eflrcaz resultado, e ainda mais se-
r, quando a noticia de seu bom effeito e a
experiencia tornar de to*dos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estive em bran-
cos, e lhes restituir o brilbo perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algum
E' porm necessario fazer conhecer, que
0 bom resultado produzido pgla agua-flori-
da, nao .instantneo, como muitas pes-
ioas talvez supponham, mu's sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obtor o rm desejado, como bem
provam tostemunhos de pessoas insuspei-
las, e d'entae por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
outra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
ia na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ra do Queimado n. 8,
Ditos com ditas de velludo, outros im
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, do'urada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
A Aguia Branca, contando com a protec-
;o de sua boa freguezia, tambem capricha
em nao Ih'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
i honram, e em prova ao que Mea dito, d
como exemplo ^o explendido sortimento
me acaba de receber, ainda mesmo achan-
io-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
o de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
8 oracJo, obras de apurado gosto e perfei-
co, sendo: com capas de madrep erla e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas -de marfim igualmente
bonitos.
Assim como.
Grande e bello sortimento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cnente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de flo de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d Escocia, torgal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulhercs e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas de vidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica. *
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de Cores com
marrafes para enfeltar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Vendem-sR os ferros de oorives o rede-se a casa
ao comprador : a Irattr al u 7 i|2 horas da ma-
nbaa ou das 4 da larde em diante, no paleo do
Larmo, esquina da ra de Horras n. 2.
Attenco.
Vondc-se urna escrava perita
deira e engoraoiadcini: na ra
Hai\a-Verdc n. 51.
cozinlieira, lava-
do principio (t.i
VenHa le una taberna
Vende-se a taherna da na da matriz da Boa-
V isla n .>*, a prnso ou a dinheiro ; a tratar rem o
aconte Martins, on na mesma taberna, onde se
danio todas as informa roes.
mmms fuggqs.
- Oescravo Ilcnedicio Sapucaia se acha fgido
desde o dia 2i de man prximo passado, o niio
desde o dia :i como por engao disse no annuo-
cio de honlem ; tem elle os jgnuos scpuiute3 : al-
tura regular, um pouco magro, car.i aonprida,
muito pouca barba, tem as pemas alguma cousa
cambetas o os ps meio apalhetados, tem falta dn
j dous ou tros denles na freote, muito finta e gosta
de andar engommado.: quenco pegar leve-o ao
escriptorio da ra do Imperador n. 21, a Juaquim
S. P. de Siqueira Cavalcanti.
Escravo futido.
Fugio no dia 11 do c rrente mez as 8 |2
bota da noute o escravo Antonio, preto, de
nacao, dado 48 annos, pouco mais du me-
nos, estatura baixa, baibado com falta de
dentes n frente,uuando anda parece que-
rer cochear de urna parta, levou urna
liouxa de roupa com caifas de algodo
azul, de listra e bnm pardo, cambas de
lista azul e algodo riscade: quem o pegar
leve-oao.seu Sr. Joyo Gomes Leal, narria
da Imperatriz, sobrado n. 15 ou na ra da
Cadeia escritorio n. ,*>6 que ser gratificado.
rave
Fugio no dia II do corrate mez o escravo An-
tonio, preto, de nacao Angola, idade 48 anno-,
pouco mais ou meaos, estatura baixa, barbado,
com fallas de dentes na frente, levon urna troxa
de lonpa com calcas de algodao azul de hstras o
de hrim pardo, camisas de bala azul, de algodo
de tsicas o v.ma redi", dito escravo pertenceo a D.
Auna Hita dos Santos, moradora no
gens.
NOVIDADE
s
MA
BOA-VISTA
ARARA
l'ilar de Ita-
Cintos de fitas largas com bonitas rama- m\Mil al" p do nnyembro de 1^60, pas ou a
pertewera Antonio Ximenes Maciel Arago. mo-
rador nltimamcnte na i.rovincia do Hio Grando
do Norte, oeeopava-se dnate o tempo que esto-
ve ein Itamarac em ser canoeiro, boje perteoea o
referido escravo a Jos Gomes Leal: pede-so a
quem apprehender de leva-lo casa do seu senil t
na ra da Imperatriz n. l-'i, ob no seu eserptorio,
roa da Cadeia n. .'id, que ser g-atificado.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
COLCHAS PARA CAMA A 50000.
Vendem-se colchas de fusto adamasca-
das para cama, pelo barato preco de 50,
grande pechincha, na loja e arraazem do
Pavo, ra da Imperatriz n.' 60, de Flix
Pereira da Silva.
O atoalhado do Pavo.
Vende-se superior atoalhado de algodo
;om 8 palmos de largura, adamascado a
02OO a vara; dito de linho fazenda muito
mperior a 30200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a 40500 a duzia e muito
inos a 80000, e ditos econmicos a'30500
i duzia.
ALPACAO DE CORDO PARA VESTIDOS
A 10000
Na loja do Pavo, vende-se superior alpa-
Qo ou gurguropara vestidos, sendo n'es-
te genero o mais moderno e mais bonito
que tem vindo ao mercado com differentes
cores, sendo mais largo que alpaca e ven-
de-se pelo baratissimo preco do 10000 o
covado.
Vovidade Novldade
GURGURES DE SEDA PARA AS FESTAS
DO MEZ D'C JNHO
Chegou pelo vapor de 1 i do corrente,
para a loja do Pavo, ra da Imperatriz
n. 60, m brilhante sortimento dos mais
modero s e mais bonitos gurguroes de seda,
para vestidos, tendo padrSes miudinhos e
grados, com lindas listras matizadas, as-
sentadas as mais delicadas cores, como"
sejam, verde, bismark, lyrio, azul, perola.
etc. etc., assim como ditos lisos de todas
as coras, garantindo-se que na actualidade
muito encorpados, que se vendem de 30 nao ha urna fazenda de mais gosto nem de
at 60000 cada nm,- em relaco s diffe"- mais pbantasia do que estanqese vende por
rentes qualidades, pechincha: a eHes an- preco muito rasoavel, no estabelecimento
les que so acabem. i de Flix Pereira da Silva.
Declara os seus freguezes que aecebeu
diversas qualidades de fazendas que esto
expostas a venda pelo baratissimo preco,
como verlo deste annuncio. Ra da Im-
peratriz n. 72.
0 proprietario, Lourenco Pereira Gui-
maies.
CUTAS FRANCEZAS a 280 re.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320,
360 e 400 rs. o covado. Ra da Impera-
triz loja da Arara n. 72.
MADAPOLO A 50000.
Vendem-se pecas de madapolo de 24
jardas a 40, 60, 70, 80, 90 e 100, pecas
de algodo 40, 50 e .70000.
CORTES DE CALCAS A 640 rs. .
Vendem-se cortes de calca de castor e
brim para calca de homem a 64o e 800 rs.
brins de cores para roupas de meninos
homens a 400 e 500 rs. o covado.
RISCACO FRANCEZ FINO, 360 rs.
Vende-se riscado francez para vestido
de senhora a 360 rs. o covado.
Cassa franceza a 320 e 360 rs. o covado.
ALPACAS DE CORES a8o0 rs. O COVADO
Vendem-se alpacas de cores para vesti-
do de senhora a 800 e 900 rs. o covado.
Lasiuhas a 340 rs. o covado.
Vendem se lasinhas para vestido de se-
nhora a 240, 280, 320 e 300 rs. o cova-
do.
itoupa feita de tedas as quali-
des.
Vende-se roupa feita, calcas de casemira
paletos e cohetes de todas as qualidades,
tudo por muito barato preco.
Cortes de harejes de la a
Vendenvse cortes de barejes de la para
vestido de senhora a 205 0 e 30000. Ba-
ldes de 30 arcos a 10500 ; ditos moder-
nos de cores e brancos, 50; chales de to-
das as qualidades; casemiras pretas e de
cores por barato preco; brins pardos e
brancos e de cores de linho finos tudo isto
por precos mui o baratos, s com o fim de
vender para apurar dinheiro e d-se amos-
tra das fazendas.
Batatas
a yaOO o gieo : na ra da Madre de Deoj n. 7.
Gigos epm 3o libras, muito boas.
Recebc x.novo sortimento de fazandas
para seu esta^lecimenio na ra da Jmpe-
[ratriza. 56, de Lmrenco Pereira .Alendes
Guimares.
Attenpo,
Vendem-se Cortes de la transparentes
para vestido de senhora a 20500 e"SS|000.
Ra da Imperatriz, loja do Garibaldi lN^
MADAPOLAO BARATO A 50000.
Vendem-se pecas de madapolo barato,
50, U, 70, 80, 90 e JO,?, s na loja do
Garibaldi ra da Imperatriz n. 56.
RISCADOS MODERNOS PARA VESTIDOS
A 360 rs.
" Vendem-se finissimos meados para ves-
tidos de senhora a 360 rs. o Covado, chi-
tas finas escuras o claras, 360, 400, 440
rs. o covado. Ra da Imperatriz n. 56.
LASINHAS PARA 'VESTIDOS, 240 rs.
Vendem-se lasinhas para vestido a 240,
280, 320 e 400 rs. o covado.
PECAS DE BRIM PARA LENCOES a 80.
Vendem-se p cas de brim liamburgo a
80, 90 e 100 ; pecas de bramantes de li-
nho a 20 a vara, dita de algodo a 10600
a vara.
PECAS DE ALGODO A 40.
Vendem-se pecas de algodo de 20 jar-
das a 40, ditas de carne de vaca a 50 dito
superior qualidade 60 e 70 a pega.
CHITAS FRANCESAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas para vesti-
dos a 280, 320 e 360 rs. o covado, gang
para calca a 320 rs. o covado, brim de cor
para calcas e paletots e roupa de menino
a 400 rs. o covado, balos de reos a
10500, bales modernos decores e bran-
cos a 50, chapeos de sol de alpaca, 30500,
ditos de seda 100, e 120. Roupa feita de
todas as qualidades por muito barato preco
alpacas de cor para vestidos de senhoras,
chales de todas as qualidades e outras mui-
tas fazendas.
Fuhio da casa do ahaixo a-signado o escravo
criouio, de nome Bernardo, com os signaes se-
gnintes : n.iixo, eorpo regular, dentes alvos,
oficial de eharnteiro, intitula-se de forro e herr
fallante. supp6e-se andar na fregnesi de t>. Jos :
quem o apprehender c leva-lo roa Direita n. 3t,
audar, ser generosamente recompensado.
________Agnello H. de Araujo Pernambueo.
ugUJ'i cngcnhoPoc.li, freguezia d'Agoa Preta,
na noiteNi' domingo 18 do corrente para ama-
nheeer a dSWB--< '"''ira l!> do mesmo, o escravo
Benedicto qu^lft,MHffir_lfaBg f_* :'M en-
lomo Jos Vieira do Souza, no dia""7*d abril do
corrento mez. cujo escravo ten os signaos seguin-
tes : crioulo.de 32 annos do idade.cor preta,a I tura
e corpo regulares, testa muito cantuda, rosto um
DOOCO desearn.i(to,narizafilado,poucabarba,faliad
demos, pes e maos bem feitas, levon chapeo do
chili ja velli) ou bonef, boa camisa de madapnli,.
de pregas largas ou de algodao branco, e roupa
dentro de um sacro ja velho a qual deve ter a
mareaPoco: quem o pegar levo-e ao emzpnho
cima a sen senhor ou na ra da Praia a Ge-
nuino Jo> da llosa, que receber 100*000 de
gratilieacao ; descoufia-se ter ido para Porto Calv,
d'onde era escravo de Francisco Nogueira Ca-tol-
lo Branco, ongenho tinga ou S. Jos da Corea
Grande.
COGNAC.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Bisquit Dubooche & C, em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se era casa do Th. Just, roa do
commercio it. 32.
Venddle um se ira em meio uso : na ruaa d
Conceicao na Boa-vista n. 17.
No dia 19 do corrente mez fugio do en-
genho Conceicao da freguezia da estada o
abra Thomaz, idade de 25 a 30 annos, al-
tura e corpo regular, barba curta, natural
de Mamanguape da provincia daParahiba:
presume se que elle tenlia ido para o Re-
cife, ou villa de Mamanguape. Roga-se a
pessoa que o aprehenda de o entregar- no
Recife a Domingos Alves Matheus, na rna
do Vigario n. 21, ou no engenho ConceiQo
da Escada a seu senhor o Exm. Baio de
Aracagi, que a recompensar com genero-
sdade.
Escravo fgido
Fugio no dia 18 do corrente n.rz, as 7 hora
manhaa, o escravo de naeao Angola, Manoel, ida-
de 50 annos, pouco mais ou menos, estatura r<
lar, barbado, falta de um dente na trente, andar
preguicoso, perna fina, levou caifa
de cor, paletot do casemira de cor. camisa de ai li-
lao e tom no.rosto mar bexim;
foi comprado ha pouco lempo a Justino Car-
neiro do Almeida : roga-se a quem o pogai
ve-o a ra Direita n. 16, que sergenorosamentc
gratificado.

K


_
\


/
Diario de Pemambuco Sexta feira 28 de Maio de 1869.
I


iTTERATM.
\vo sei, \i *:
A....
Nao me perpuntes se te amo
Que responder-te nao sei;
Si amor o que em mim sinto
Sao sou eu que l'o diret.
guando me fitas, sorrindo,
Os lirlliautes olhos leus,
F,u m^julgo transportado
Ao seiuyomienso tle Deus.
SaHrisso amor, ser?
Nao m'o perguntes, nao sei:
O que eu sinto c no peito
Sa.i sou eu qr.e t'o direi.
Quando m postas alegre
Os dourados sonhos teus,
Nossas almas enlatadas
Yam p'ra o seio de Deus.
ser isso amor, ser ?
Nunca ouvi dizer, nao sei:
O que eu Sinto c no peito
Nb sou eu que t'o direi.
Quando meus labios ardenta
Se collam nos dedos teus,
E meus olhos lacrimosos *
Se volvem de ti pra Deas;
Vai-me n'alma um doce alTecto
Que d'amor pode ser lei;
Se-lo-ha? pargunta aos anjos
Que responder-le nao sei'.
? ?
26 de maio de 1809.
co
O banco de Franca.
(Concluso)
Sao estes em suman os trbateos do ban-
nenliuma de suas operacoes, por me-
nor que s<'ja, o registro de um titulo de um
franco, nao p lo ser feito por um nico
empregado. Todas as escripturas exigem
o concurso de muitos agentes. Este sys-
tema de formalidades moticiilosas pode pa-
recer exagerada, mas elle constitue urna
BScaUsaci) permanente, e garante urna re-
gularidade infallivel. por isso que obriga
muitas responsabilidades interessadas a mu-
tuas vigilancias.
O resultado de seraelhante organisaco
ti!, que um erro cousa rara no banco,
e, no escriplorfo dos descontos, onde annu-
almeute passam muitos mikies de ttulos,
examinados um a irn. ha vinte anuos que
nao extraviaste um s bilhete, de vinte
francos que seja. A contabilidade cxcel-
lente, porque cadacaixeiro guar a livros,
mas, apezar disso, faz-se urna veriiicaco
todas as noutes, quando a escripturaco do
dia transmiltida seceso do balanro, mais
commummente chamada seccSo dos livros.
Ah, os empreados especiaes, denominados
balanceadores, apoderam-se dessa enorm;
papelada, escripia ao correr da penna, reu-
nem ludo, tornam a sommar os algarismos,
refazem os clculos, examinando os docu-
mentos em que se apoiam, e corrigen os
erros, quando elles exstem.
Hasta s vezas urna virgula malcollocada
para transiornar urna columna da duzentas
parcellas. Com effeito se, em vez de 16
francos e 55, escrever-se i,655 francos,
seria preciso reformar tudo, com muita pa-
ciencia e prespicacia, aim de descobrir a
razao porque os totaes nao se acliam em
exacta concordancia.
Pde-se dizer, que o banco nunca dorme
sem ter posto as suas contas em dia, e que,
cmquanto um erro nao est rectificado,
vela-se e trabilha-se, ainda que a luz do
dia venha substituir luz do gaz. Gracas a
esta (orea de proceder, elle sabe sempre a
allantas amia, por quanto todas as noutes o
sen passivo est em balando com o scu
activo.
A qualquer hora queseja, elle est promp-
to para lquilar e prestar contas da sua
gesto ; porque, em qualquer instante, elle
pode dizer quantos 'bilhetes tera em circu-
ladlo, quantos em caixa, qual o valor em
carteira, qual a reserva metallica, e quanto
possoe em Pars, quanto as caixas liliaes.
Pensando-se nos muitos milhoes que
rolSo no banco, e as operacoes numerosas
e diarias que ne!le se fazem, fica-se confun-
dido com a certeza de que, noute, todas
as contas esto apuradas. E' o triumpho
da ordem, da actividadee da prudencia.
Cada i intes da abertura ofllcial
do biiico, M caixeiros reunem-se na caixa
principal, onde recebem as sommas de quaj
devem precisar para as necessidades quo-
lidianas; elles coatam os" bilhetes,
trbeos em moeda, o fechara tudo em urna
solida carteira, que 6 levada seceo cor-
respondente por um continuo.
As caixas estilo boje dspostas por tal
forma, que pde-se chegar a ellas sem ser
preciso atravessar os pateos.
Ajiles nao era assim, e os caixeiros io
sos, levando em baixo do braco os fundos
neressarios s despezas do dia. Urna ten-
tativa violenta contra elles, foi que obrigou
a tomar-se precauces mais serias.
No mez de dezembro de 4837, o cai-
xeiro Bouron, tendo em m3o urna caixa
contendo i.100.000 francos em bilhetes do
banco, ao sahir do grande pateo, que era
obrigado a atravessar, foiabalroado em um
corredor estreito por dous individuos que
se precipitaran! sobre elle, e procuraram
arrancarem-lhe a carteira. EHe defendeu-
se, pedio soccorro, e sendo derribado
obrigou os seus aggre-sores a cahircm
tambem; usando da plirase que a esse
respeito vinha no relatorio da polica, elles
patinhavam por cima do bilhetes do banco.
Um dos malfeitores consegio escapar, o
outro foi preso e conduzido casa do com--
missario de pollcia, ondequeimou os milos.
Esta aventura foi urna advertencia severa,
e agora os caixeiros vo sempre escoltados
por um empregado forte, e dirigem-se aos
respectivos escriptorios pelas salas interio-
res do edificio. O mximum das smmas
que um caixeiro podo dar, se acha limitado
tt aquellas que excedem a 20.000 francos
devem ser sattsfeitas pela caixa prinipal.
Todos os dias, logo que os escriptorios s5o
fechados, os caixeiros secundarios levam
caixa principal as sobras do dia, de sorte
que cada noite todo o dinheiro e bilhetes
do banco fieam centralisados no mesmo
lugar, sob a mesma guarda e responsabili-
dade. E' muito curioso visitar essa caixa
principal; ah o movimento ipcessante e
consideravel, tornando-se mesmo excessivo
as oceasies das grandes liquidares
No dia 5 de dezembro de 1868, por
exemplo, o movimento de fundos foi de
550.559.509 francos e 18 centesimas. E'
um vai-e-vem continuo, e, sob a lrma de
bilhete, o Pactle corre pelas janellas, adi-
ante das quaes o publico se apiulia.
Eu cheguei a ver, sobre urna meza oade
fazia-se a contagem de mais de 105 milhoes
espalhados. Talvez o leitor fique admirado
se eu disser-lhe qu semelhante espectculo
nao me produzio a menor impresso.
Tanto se fica deslumhrado em presenca
de algumas centenas de mil francos em
pecas de ouro, quanto se fica calmo perante
essas pequeas tiras de papel. Um milho
em bilhetes do banco, bem dobrados e
atados, nao causa nenhum incommodo
trazer na mo, porquanto muito leve, e
quando muito far o volume de um grosso
i octavo.
Ha juatro ou cinco annos, um curtidor
de Dijo, tendo affirmado que o orcamento
do estado, em bilhetes do banco, formara
urna torre da altura de S. Benigno, foi
levado polica correccional, como culpado
de arenga sediciosa. Comparecendo perante
o tribunal, elle sustentou a sua opinio
com vigor, e foi absoivido, mostrando os
juizes muita sagacidade em tal occasio, re-
conhecendo inplicitamentc que a alfirmativa
era verdadeira. Mil bilhetes de 1.000
francos collocados, um sobre o outro,
formam precisamente 10 centmetros de
altura; dando ao orcamento dous milhares
de milhoes, conta redonda, os bilhetes do
banco, que formam esta somma, super-
postos uns aos outros, attingirao a altura
de 200 metros.
Ora, segundo o Annuario de longitudes,
a torre de S. Benigno nao tem mais de 92
metros e 9 centmetros, por consegunte o
curtidor de Dijon ficou muito abaixo da
verdade.
Com quanto a caixa principal esteja
sempre amplamente farta de modo a fazer
face s urgencias de cada da, acontece
muitas vezes que ella inopinadamente fique
desprovida, tornando-se preciso tocar na
grande reserva, que se acha depositada
n'um subterrneo. y
Os subterrneos do banco Estas pjria-
vras como que rasgara, horisontes diy paz
das mil e urna noutes! Suppoe-se a'e neste
subterrneo, guardado por gen.;,os como os
thesouros das Niehelungem,/as moedas de
ouro e prata esto empicas como o tri-
go em eclleiro. y
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAL
ROMANCE /
..." 2*
Paulo Fval
Primeira parte
O BRAZAL LAVRADO
(Contiauaco do n. 118.)
Vil
A casa cercada.
O predio onde Maynotte e o commissario
de polica habitavam, tinha apenas dous an-
dares. No fim do pateo de entrada havia
um vasto barraco, dividido em estribara e
cocbera, o qual andava arrendado a um
alugador de carruagens, que occupjva com
a familia.o segundo andar. Das tejas per-
tencia a Andr toda a parte que do lado da
praca ficava direita do porto ; na outra
parte, que andara por mtade do espaco
oceupado pelo espingardeiro, estabelecera
o alugador o seu escriptorio.
Nao faltam industrias em Caen ; mas o
principal trafico da cidade agrcola. A
extrema riqueza do slo normando attrahe-
Ihe especuladores; e bem o sabe Pars,
que todos os annos adora, na procisso de
domingo gordo, alpim deus da especie bo-
vina proveniente daquelle paraizo do Cal-
vados. As transaccas campesinas sao all
activissimas ; a cidade em peso concorre s
feiras, e s vezes bem longe. Para isso sao
necessarias carruagens e cavallos, que erara
sobretudo indispensaveis em 1825, em que
os meios de communicaco se podiam dizer
em estado inTantil. Ora nem todos os ho-
mens de trato tem vehculos seus, 0 ne-
E' preciso modificar um tal juizo, visto
como a cousa nao e assktt:
NSo ha lugar n^ais triste, mais sombro
o menos proprio {wra tentocSes. As du-
plicadas portas que protegen* a entrada s5o
furmidaveis c nenhnma fortafeza guarne-
cida por to espessas rauralhas de ferro,
por to grossas trancas e fechaduras.
Desce-sepor urna escada em espiral, fei-
ta de granito com cimento romano, e to
estreita que duas passoas eonarelhadas nao
podem passar; essa escada desafia os fu-
rores da r careta e do alviao.
Qualro portas de ferro, com tres fecha-
doras cada urna, apresentarn-se aps, C.
para abril-as, necessario o concurso do
principal caixeiro, e do inspector-geral.
Quando todos os obstculos esto venci-
dos, penetra se cmfim no misterioso sub-
terrneo, e aquello que espera acha-se no
pa z dos deslumbramentos, onde s se en-
xergam montes de ouro e prat que des-
pe iem faisca3, esbarra com grandes ca'ix5es
de zinco, que hermticamente gnardam
aquillo que n lies se comtem ; apenas sus-
peta-se o contedo pela inscrpcao lavrada
na tampaem letra de .mo.
E' ahique est o dinheiro, amoedado e
encerrado em graades saceos, contendo ca-
da um 10.000 francos inwriavelmentc.
Algum dos nossos leitores que, visitando
um navio de guerra, baja descdo aos tan-
ques de agua, poder fazer dea exac-
ta do aspecto geial (leste subterrneo,
com a nica differenca de serem os caxoes
de zinco c nao de ferro batido e cavir
lhado.
Os saceos de ouro esto. apinhados um
sobre es outros, como acbls em um esta-
leiro, em largos montes pardacentos, sem
fecao caractristica e nem originaldade.
Stimente quando se revolve, que tem-
sc urna idea do metal e da riqueza, pelo
som que elles despedem.
As barras de prata, perlencentes aos ban-
qaeros e cambistas que depositaram-qas
no banco, esto symetrcamente enfileira-
radas e semelham ladriHios de um banco
esverdinhado. Somente as barras de ouro,
hincando brilhos ful vos, quando illumnam o
lugar, parecem quadrados de fogo immobi-
lisados, e bem representam materia precio-
sa. Em summa, o aspecto insidioso, e
a menos notavel vitrina da galera de Apol-
lo, no Louvre, cheia de vasos de crystal
de rocha, e de estatuetas de pedra, prc-
duz urna impresso muito mais profunda e
duradoura. Quando eu vistei o subterr-
neo, elle continha 726.276.666 francos c
68 centesimos, por isso convem urna certa
reflexo para compFehender que esses cai-
loes de zinco, e esse monte de saceos,
pelo meio dos quaes se anda, conslituem
urna fortuna sem igual.
Quaes sao os meios de que o banco dis-
poepara impedir que penetre-se esse sub-
terrneo, ou para neutralisar as iiitencoes
ms dos que consegulrem. introduzirem-se
l? E' dimcil dizel-o, porquanta o banco nao
tagarella muito sob um tal assumpto, mas
cre-se que muito fcil asphixiar ou afogar o
imprudente que penetrar nesse lugar com
intences culposas. Os tubos de gaz e os
conductores de agua nesse caso servem de
excellenles auxiliares. Demais, pde-se em
um lapso muito curto de tempo entulhar de
rea completamente a escada, e, como nao
ha outra entrada para o subterrneo, o ac-
cesso fica absolutamente impossivel.
O banco faz bem em precaver-se por se-
melhante modo, alim de proteger a sua
reserva metallica, que a fortuna alheia
mais do que sua, eque tmbeme a garan-
ta dos bilhetes era circulaco. as cir
cumstancias ordinarias, elle est sufficien-
temente defendido por urna companhia de
soldados e por um posto permanente de
bombe ros.
Cada noute, os caixe'ros designados ve-
lam perto do vestbulo da caixa principal,
que nunca desamparada, por homens dj&
conflanca. De liora cm hora fazem^ama
ronda pelos pateos^ corredores, eji'.fbarias
e jardim. A fim d provarem/a regulari-
dade que de ve presidr ...a-inri' tal servico,
esses cmpregadoi'rondantes sao obrigados-
a dar cord^- aos quadrantes collocados cm
varios e'afastados lugares. No fim de cada
' vda elles tocam urna campainha, que
corresponde ao posto dos bombeiros e
que parece dizer a elles, estejam alerta 1
Alm disso por urna janellnha, serae-
lhante a urna fresta de mala do correo,
elles atiram urna placa quadrada de zinco,
a qual vai ter ao aposento do official de
guarda, no posto dos soldados.
E' curioso fazer urna tal ronda e rever,
gocio dosaVOgadores de carruagens, que
anda hoj menos mo, florescia ento
mellicir anda, e entre elles conservava-se
a?i' voga, pela superioridade dos seus ca-
vados, o visinho de Lecoq.
Granger possuia normandos de quinhen-
tos escudos, c para quera, quzesse despejar
camnho tinha un inglez de cento e cin-
coenla luizes, que era um magnifico tro-
tador.
Urna hora de avanco, n'uma feira, van-
tagem que pode s vezes render boa mn-
chela de pistolas.
Nao sabia Julia porque o marido se que-
dara assim ajoelhado ao p do leito; de
nada desconfiava, e nem sequer Ihe occorria
inforinar-se.
Sonhei toda a noute com Paris, disse.
E a palavra Paris tinha na bocea de
Julia nao sei que delicioso sabor.
A isto que poderia Andr responder ?
Ficou por todo um minuto mudo e como
anniquillado. No momento em que o susto
se eslampava no forraoso semblante de Ju-
lia, que dava afinal pela prostraco do ma-
rido, levantou elle lentamente -a cabeca, e
disse com voz sumida:
Levanta-te.
Nao se pode affirmar que o seu plano
fosse desde logo interamente concebido,
porque mal se le iam esclarecendo asi
ideas ; mas certo que existia nelle impe-
riosa e profunda preciso de ficar sos em
face do perigo. Neste momento em que a
sua intelligencia despertava, via-sej per-
dido sem remisso ; tinha o seu espirito
claro, fixo e activissimo, feito em alguns
segundos o interrogatorio que o juiz devia
levar semanas a effectuar. Va as appa-
rencias e as provas ; contava-as, pesava-as,
coordenava-as, como o condemnado^ n'um
conselho de guerra deve formar, no'derra
deiro sonrio, os doze soldados que lbe ho
.de apontar o coraclo. Ha pouco, antes
de em cima fallaren do bracal e do limpa-
caodeeiros, ia a sua turbacao prematara.
es sus presentiraarrtos, se-preerem, bus-
car motivos para tremer na terrivet fragi-
lidade que propria dos juizos bgpanos ;
no silencio da noute, esses lugares visita-
dos durante o dia, quando esto aoMuados
pelo trabalho, pela actividade e por urna
ruidosa mu Jo.
as galeras, corredores e vaalas saias
desertas sente-se o cheiro do p; o passo
retine nos soalhos de madeira acordam
echossonoroi; o gaz estremece^ ante as ja
nellas abortas, o por vezes v-fe urna som-
bra a passear regularmente: 6 urna senti-
nella que durante a noute intera vigia um
tarrago, pelo qual alguein se poderia in-
troduzir no edificio.
Gatos assustados corremmal sa abre
urna ou outra porta, por Irs das quaes
tambem se cscondem as araonas, que ur-
dem a sua lea nos recantos dotecto.
Percorrendo esse grande e silencioso de-
serto, por onde, passa o, fro vento da nou-
te, que se pode apreciar as precauces
lomadas pelo banco para garantir-se de um
jncendio.
Em cada sala as bombas esto appare-
Ihadas ; por toda parte esto suspensosaos
muros machados e oiflros instrumento!;
longos conductos de agua eno#tam-sc como
serpentes ao c raprdodos pilares- de pe-
dra, todos esses conductos vo ter a urna
torneira marcada com ura numero de or-
dem. Vinte quatro reseryatorios conten-
do 72 000 litros de agua esto sempre
cheos e preparados para qualquer eventua-
Bdade ; o, como se rsso nao fosse bastante,
em cada ngulo do quadrilatero do banco
existe urna presa, communioando com o en-
cmenlo da cidade, na qual, por meio de
urna presso, pode atirar-se um jorro de
agua parte mais elevada das construc-
pes.
Tudo isso muito bom e pone, em um
momento dado, ser de grande utilidade,
porm aquillo que anda vale mais, a vi-
gilancia diaria, sao os cuidados assiduos e
a prudercia Hdefectivel, que chega a ser
lana, que nnguem tem lembranca- de em
lempo algum ter havido o comeco de um
incendio no banco.
(); empregados %o profundamente de-
dicadosi- instituco que elles servem, o
que muito justo, porquanto ella fera
|para com elles todas as previdencias ma-
ternaes.
O banco nao adimitte a medida egoisla
dos supranumeraros, medida adoptada por
lanas administracoes. de outros estabele-
cimentos, que aceitam um trabalho sem
dar eempensaco. O banco exige um ser-
vico regular, fatigante, e excessivo as oc-
cases de urgencia ; mas o banco sabe re
conhecer isso, e os seus empregados nao
percebem nunca menos de 2.000 francos.
Urna caixa para os aposentadas, T*rfeila-
mente organisada permute que seja razoa-
velmente remunerado o empregado velho
e raro, ou antes nao ha exemplo, de nao
ser, pelo conselho garal, addicionada urna
quantia fixa, a penso annual, conforme a
duraco ou importancia dos servicos pres-
tados.
O acceso -normal e os altos emprea-
dos, aqoelles que excrcem funeces mais
importantes (o secretario geral, o caixa e
alguns cxeiros principaes) comecaram a
'carreira como pequeos escreventes. Ti-
zeram urna carreira brilhante e muito inve-
jada, passando por todos os graos e tocan-
do em todas as hierarchias.
Por urna combiuaco engenliosa, qual-
quer funecinnario, desde o director at o
ultimo caixeiro de cobranca, est sujeito a
urna caueo, que, conforme a situaco ad-
ministrativa dos individuos, representa-
da por um ou maior numero de aeces do
banco. Os empregados, sendo propieta-
rios no estabelecmento onde efvem, pos-
suindo urna parte do fundo social, tem um
interesse directo permanente, e nao se
dcscuidam do servico que pode ter urna
certa influencia sobre a fortuna delles. Ac-
tualmente o Dessoal do hinco possue9.175
acodes, represpntando, pela colaco do dia,
o valor de 27,973,750 francos..
O banco nao se dedigna de entrar as
menores particularidades, por isso elle es-
tabeleceu, as sobrelojas, urna casa de pas-
to, de preco fixado de antemo onde os
empregados acham comida sadia e boa,
por um preco muito inferior do que em
qualquer outra parte.
Se por ventura eu consegu expr o me-
canismo do banco e as operacoes de que
elle o centro, o leitor ter reconhecioo
quanta largueza de vista alliou-se a urna
prudencia a toda prova.
Muitos financeiros da escola moderna,
escola que s vezes mostra urna audacia
perigosa, acham que o Velho (nome que
do ao banco) deveria sahir do seu circulo
de Mfo habitual, sem hesilacoes no movi-
mento dos negocios. *
Instigando-se, felizmente em vio, para
emprehender operacoes de interesse geral,
cncernentes a agricultura e ao- comraercio,
elles obedecem antiga idea latina, catho-
lica e essencialmente franceza, em virtude
da qual recorre-se a inferencia do goyerno,
que sempre mala a iniciativa individual.
O banco lem resistido e faz bem; jiwle sua
stat.
Elle quer simplesmenter, porm, com urna
inabalavel (irmesa, que os seus bilhetes de
facto sejam bjnesmo que o ouro, para todo
o mundo, e quem poder negar que elle
tem conseguid^ esse resultado ?
Se algum dia esse velho monumento se
deixar invadir pelas plantas parsitas, elle
nao tardar a cahir era ruinas; foi por ha-
ver querido generalisar as suas operacoes,
que Law levou a Franca urna formidavel
bancarrota.
O dinheiro do banco nSo llie pertence:
elle mero depositario; conaram-no e
esse dinheiro. a garanta da moeda fidu-
ciaria. No dia em que elle descordar des-
se principio, entrar em urna existencia
aventureira, que, se algumas vezes vai ter
a bom porto, quasi sempre oonduz ao nau-
fragio.
Sem contar esses conselheiros, que, por
muito interessados, nao podem ser attendi-
dos, e que querem forcar o banco a rom-
per bruscamente com as suas tradices, o
estabelecmento tem inimigos, que de bom
grado enc&ram a ruina d'elle como um no-
vo elemento de prosperidade publica. Des-
les preciso-sorrir visto como elles nao
sao perigosos.
Una,celebre agitador, mostrando com o
dedo o edificio da ra La Vrilire, dizia:
aUi que se deve fazer a prxima revolu-
Co !
Inepcia de uia nivelador excntrico, de
um sopliista embriagado com o seu proprio
paradoxo. O banco o coraco da vitali-
dade comraercial e industrial da Franca";
a bolsa sempre franca aos que nella se vo
prover. Que um golpe violento o destra
e tudo suecumbira com elle, sendo que os
autoresvde semelhante crirae sern os pri-
meiros a morrer de fome, em baixo .das
ruinas que tiverem cavado.
Nao ha que temer por esse lado, e,
mesmo *admittndo-se a possibilidade de
urna revoluco, ella tanto atacara o banco
quanto elle foi atacado em 1830 ou era
1848. *
O banco e permanecer como o exem-
plo de nm estabeleimento, que pode sem
perigo atravessar crises, consideradas mor-
taes; que o curso forcado de seus/bilhetes
tornou popular; e que, por sua rabralidade
e excedente mecanismo do governo consti
tucional que os seus destinos, tornou-se
para o crdito publico o orgo de urna po-
tencia nica do mundo.
Mxime du Cami\
turbacao e presentimientos implicavam nelle
a censura do que vira e levavam-nocon-
duso de que em tal caso teria pralicado
melhor que os juizes. Agora nao ; as im-
presses vagas cediam o logar ao rigor,
por que assim digamos fulminante, de um
raciocinio instantneo. A palavra prova
DdnCa pode cheuar no tribunalja urna signi-
ficaco mathemalica, se bem que era Ingla-
terra chamem lestemunha ma evidencia.
A evidencia nao pode existir, quando pro-
ducida pelo testemunho de outrem ; mal
existira se-o jury podesso ouvir cornos
proprios ouvidos e ver com os proprios
olhos. S ha no tribunal urna certa som-
ma de probabilidades, um certo grao de
verosimilhanca, e isto toma o nome de cer-
teza por approxmaco. No seo trabalho
mental nao exprima Andr Maynotte estas
leves dfferencas; senta-as, porm; o ins-
tinclo adevinhava-lhe subtilezas para as
quaes nunca yoltra o pensamento. Dizia
comsigo : Se fosse juiz, condemnava.
O conjuncto de circumstancias que pare-
ciam accuXa-lo tinha desde logo para elle
algo de fatal; saltavam-lhe aos olhos, cada
umr le per si, e todas a um tempo, com
tal vehemencia que nem sequer tentaremos
traduzi-lo. A defeza era j impossivel ;
na sua mente eslava a sentenca lavrada.
Como Julia ficasse ornando para elle bo-
qui-aberta, accrescentou na mesma voz su-
mida e fra : .
Yeste-te.
E apurou o ouvido.
Pela janella do quarto, ouvia-se no pateo
o rodar de nmacarruagem. "
O tilbury, soltaram de casa do alu-
gador, com o inglez para o Sr. Hamon, que
vai a feira de Sept-Vents, para l de Cau-
ro ont!
Est prorapto I responderam do pateo
onde se ouviam soar os tamaa de am
moco. O Black j comea a racio.
Asprimeiras palavras estremecer An-
dr ; agora reflectia. "
Julia, que nunca assim o vira, ia para
enriar o vestido, qae estav* pendurado ao 1 satJ o dmTmel cabello:
fado da cama.
Oraco religiosa
Recordare, Domine, qmd acciderit nobis:
inttiere, etrspice opprobrium nostrum...
Midieres in Sion liumilhaverunt, et virgi-
nes in ci vita te Jada : principes mana
siisp'ensi siint: facies senum non erubiie-
runt : proptered mcestum factum est cor
nostrum, ideo contenebrati sunt oculi
nostri. i
Lembra-te, Senhor, no que nos acon-
teceu... Hnmttnaramas mulberes em So.e
as virgens na cidade de Jud ; foram pen-
durados pelas mos os principaes ; nao res-
peitaram os rostos dos velhos... por isso o
vosso coraco se entristeceu ; por isso se
escureceram nossos olhos.
jEnuM. v. 1. 11. 12. 18.
Assim lamentava Jeremas as miserias do
seu povo; assim dos crueis inimigos m-
petrava vinganca ao Senhor. Iguaes mise-
rias nos fizeram triste o coraco: iguaes m
obumbraram os olhos, quando do nosso
Jud, do imperio da Santa Cruz, em suas
extremas, nos chegaram os brados das vic-
timas de outro Nab-chodonosor, orgulhoso
e feroz como o de Babylonia e Ninive ;
como elle precondemnado a ver sua insana
soberba confundida.
Grande o teu braco, oh Senhor! Inju-
rias, violencias, attentados, sao maculas j
lavadas em sangue ; o crep que envolva
a esphera armilar ah jaz rasgado, e ahi
flucta, mais alto, mais que nunca honrado,
o sacro pavilho.
E* para render fervorosas gracas ao Deus
dos exercitos, que nos aqui nos congrega-
Nao vistas esse ordenou And re cora
aspereza.
De ordinario, entre dous amantes e
dous amantes eram em toda a extenso da
palavratudo serve de pretexto para ds-
correrera. Entre elles, tanto as menores
determmaces como as mais importantes,
tomavam-se em commum, depois de reuni-
rem-se em conselho, o que forma um dos
maores encantos domsticos. De ordina-
rio, tambem, pde-se dizer que Andr s
discuta para conhecer mais a fundo os
desejos de Julia, e para melhor se confor-
mar com elles.
Que tinha elle ento hoje ? Julia deixou
cahir das- mos o vestido de cassa, e per-
guntou-lhe interdicta, mas quasi enfadada :
Ento qual ?
O dos domingos, respondeu Andr.
E ao mesmo tempo enfava rpidamente
as calcas e a sobrecasaca.
Parece que enlonqueceste murmorou
ella com as lagrimas nos olhos.
Andr nao respondeu. Procurou sorrir
ao passar as mangas da sobrecasaca, e isto
fez-lhe destacar mais a medonha palidez
das feices ; qoiz tambem cantar, mas a
voz rouca, ficou-lhe suffocada na garganta.
Ves mandar-mo erabora, Andr ?
balbuciou Julia, porque tudo era licito re-
ceiar daquelle demente lvido, oujoS olhos
esgazeados, deliravam. .;
Nao, respondeu Andr, encolhendo
os hombros.
Longe de tranquillisar a pobre senhora,
aquelle monosyllabo de gelo quabrou-a
mais ainda. Calou-se, e foi buscar o ves-
tido de sahir. Do-se s vezes sem motivo
desgracas destas. V-se om cerebro aba-
lado, e Deus sabe porque portas entra o
ciume t
Andr foi janella, e olhou para o pateo,
onde o moco da cocheira eslava, laucando
baldes s a|da as rodas do tilbury. No
irtar sopefior haviam-se calado, sem uu:
Wda por cansa da presenca do palafreneiro.
Andr volteo e disse mulher, que li-
mos, seahores. E' para repoobecennos oa
ininterruptos beneficios, do Omnipotente r
este seu torro querido, que vimos ergues
nossas vozes na sacrosanta casa do Seahor.
J poMs, de vosso sidreo assento, ver
nos emutos os olhps, e o coraco nadando
erajubiflo, porque os nossos aggravos esto
vingados !
Esto-n'o, sim; mas custa da qnantas
calamidades I Quanto de horrores nao fun-
de a palavra negra, a que devenios desag-
gravo : a guerra Situaco tremenda, em
que o horalrn se converte em fra ; em que
a fraternidado imposta pelo Cbxisto se
trausforma em impelo cerval ; em que os
corages e as mentes se petrificam ; em que
ao exterminio se chama heroicidade; em
que sao melodas suavesrufar dos tambo-
resclangor das trqmbe.jassiblo das ba-
las troar dos canh#-r-galpear dos gine-
tesrolar das rarretasr^ret'uilim das espa-
dase os ais dos feriosc o slertor dos
moribundos!
E depois, o bravdtp incendiario ; e de-
pois a espoliaco tr'umpbaruc : e a yelhico
abrndo y, cova juvtntodo ; e a mi cha-
mando pelo filho, qadjno a pode ouvir;
e a esposa impetrando proteceo do con-
sorte, ao cadver : e a creanga, estupefacto
no mundo, crescendo na orphandade; e a
virgem tremendo pela sua corOa de pureza:
e miseria e prauto; e desoluco e morte.
E ainda, males individuaes sao esses.
Vede: ofa por sob^e elles, os desastres que
assoberbam os povos. A obra de Deus,
que a creaco, desfcita pela destruico,
que obra de Satn ;as leis da natureza
e do homem abafadas pelos estrpitos das
armas;os povoados convertidos edi er-
mos; e as correras dos soldados, e o
assolar das Ierras ; e os homicidios em
massa; e o desmantelar das cidades; e ge-
neroso sangue a jorros derramado :^ejs a
guerra <**m todo o scu pavoroso, hediondo
cortejo 1
Quantas vezes nao vera ella, com nm so-
pro, demolir a obra de seculos de trabalho,
de paciencia o de paz I Maldito o que in-
justamente a provoca! 'Misrrimo o que
conslrangido a aceilal-a !
Pois, nao somos irmos quantos Deus
sua imagem formou 1 Nao de nossos de-
veres piimeiro, a caridade para com os
prximos ? O que o cklado para a fa-
milia para a naco, compre sel-o cada
naco para o genero humano, sem olhar a
posices, influencias, forcas ou grandezas.
Ap as Deus -baejou o homem, no coraco
Ihe in culou o amor a sea semelhante:
lei natural social, gravada nos dictames do
Eterno, m voz da tradico, no peito de
cada individuo, k guerra, que pelo con-
trario consiste na destruico dos homens,
na devastarlo das propriedades, portante
um estado contrario lei natural-social: e,
quem injustamente a provoca torpe reo
de lesa-humanidade.
Nem, raro, por decreto providencial esse
crime punido na trra. Tam-iminoso nao
raro se assemelha ao imprudento que se
compraz em por fogo selva espessa e an-
nosa, e que, ateadas vastas labaredas, Ihe
intenta impedir a conquista; mas ento
tarde : o elemento devorador zomba-lhe do
arbitrio, se-podia, pouco ha, ser dominado
pelo temerario, agora o domina a elle ;
amplia-se, eufurece-se; enraivecidas pelos
ventos, vo as chammas ambendo. quanto
as circunda, arvoredos ou edificios : tarde.
Assim na mor parle das contendas kiquas,
a guerra devora o guerreiro, o brando
consom o braco que o acendeu.
Nem ha mais instaves repblicas do que
as que frequenlemente movem armas.
Alhenas, que pareceu destinada a dar leis
ao murado, deveu quedas e anniquillamen-
tos ao seu constante proposito de batalhar:
vde-a um dia incendiada pelos persas, ou-
tro opprimida e espoliada pelos lacedemo-
nios, ora perturbada poc um Felippe, ora
esmagada por outro, hon*BTdestruida por
Mithridates, hoje arrazada porSylla.
Vede a propria altiva e guerreira liorna,
tomada por Tacio, investida por Porsenna,
incendiada pelos Gallos aterradas por Pyr-
rho, abalada por Annibal e como remate
dilacerada por suas proprias armas.
Abomnavel cousa a guerra, senhores:
e ao sacerdote nem outro brado licito se
nao et in trra pax hominibus: mas infeliz-
mente o numero dos mos grande; e
estes podem suscitar-nol-a, forcar-nos; e
desde ento, o mal irremediavel.
urna sorpreza que me queres fa-
zer ? interrogou Julia, procurando rir !
Como aquella voz meiga sabia bem o
caminho do coraco! Andr crou leve-
mente e responden :
Talvez.
um passeio ? exclamou logo a mu-
lher apegando-se esta esperanca. Visto o
menino ?
A creancinha era de todas as festas. Ju-
lia estendia j os. bracos para o berco.
Sustiveram-na a estas palavras, ditas com
severidade :
Nao, prohibe-lho I
Julia metteu a cabeca entre as mos, e
os solucos Qseram-lhe arquejar o peito.
Andr desviou-se para oceultar duas lagri-
mas, que Ihe escaldavam as faces.
Entrou loja e apertou o peito com
as mos convulsas.
Reflectia ao mesmo tempo e dizia com-
sigo :
Nao faro cousa alguma em quanto
nao abrir a porta da loja.
Nao estava a casa cercada ? Os que
estavam espreita delle podiam muito bem
esperar.
Tinha a loja tres portas : a do roado ou
da alcova, a principal, que dava para a
praca das Acacias, e urna pequea entrada
lateral, que abra para debaixo do arco do
porto. Andr quz ver como a tinham
cercado. Tirou muito devagar um dos pa-
rifusos de ferro dos taipaes e espreitou
pelo orificio. stavam assentados n'um
bnco defron:e da porta cinco individuos
vestidos paizana ; debaixo das arvores
estavam dous gendariBs de p, e quatro
municipaes giravam no passeio marginal.
Tornou a raetter o parafuso e tirou a
chave da porta lateral. S~pde ver atra-
vz da fechadura urnas cosas largas ; mas
ouvio o que se dizia.
Debaixo do arco havia, pelo menos, quatro
guardas de atalaia.
Nao tinha, entretanto, transpirado cousa
algum no publico, parque a alameda esta-
Dflspache-se, tSo ha tempo a perder, va tranquilla, e a presenca da Torea armada
(CoAtinum-se-hn)
as immedlacOes do commissario nao era
cousa to rara que soscitasse a attenco.
Andr escolheu duas pistolas no mostra-
dor e carregou as.
Defeque se vira a sos, expnmirz-se-Ihe
semblante notavel serenidade e sombra
firmeza.
Voitou para junto da mnlher, que ata-
cava o vestido. Acercou-se della ebei-
jou-a na face.
Ento, nao ests mal comigo ? excla-
mou ella, apertando-o ao coraco.
preciso arranjar a mala, disse elle.
Julia deixou cahir os bracos e encarou-o
estupefacta.
A mila I repetio ella ; partimos ja ?
Ocxorreu-lhe vagamente a idea de que
Andr queria fazer urna viagem preliminar
a Paris, para l arranjar estabelecmento,
antes de deixar de todo Caen. 4
Andr, porm, respondeu com o *
breve e frid, que ella nao conhecia.
Eu c nao parto;
Ao mesmo tempo tomou a mala e
abrio-a.
Em nome de Deus t supphcou Julia,
explique-se Andr, rneu marido 1
Vou acompanha-la, retorquio Andr.
Nio se assusie ; pelo caminho Ihe contarei
tudo.
Julia assuston-se, porqne se sentia des-
fallecer.
Apresse-se, disse Andr, reassumindo
O tom imperioso.
Foi s gavetas da comraoda e abrio-as
todas.
Julia perguntou a chorar :
Que devo melter na mala ?
- O mais que poder, respondeu Andr.
EntSo hei de estar mmro tmpo se-
parada de ti ?
Sabe-o Deas I
Pronunciou Andr li
com voz trmula.
Jnliacorreu para elle
ao pesclo. ^
E orneo 6W ?
hradou eMa ttRislilM.

Thmas palavras
e pendorou-se-ihe
Ei mtu flIA 9
mmlmMn Wht.)
*

M
i
II
ffTWiAii**-4 9ki WrtsST

wnium i



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EW7QBHRVH_6WU4DT INGEST_TIME 2013-09-14T03:58:54Z PACKAGE AA00011611_11851
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES