Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11846


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLV. NUMERO 114.
i i
X
/
V
PARA A CAPITAL LUGARES ONDE AG SE PAGA PORTE.
Porirw mm Balitados.................. 6ooo
Por ieis ditos dem..................SKt. l000
Por om auno idem..........]......... 240000
Cada numero avulso................... 320
DIARIO DE P
SEXTA FEIRA 21 DE MAIO DE 1869.

PARA tlCTlO E FORA DA PROTIHCIA. .
Por tres iilezes adantados.....<........... 6/1750
Por .c ditos ideta.................... 13 Por no>T ditos dtn................... 204250
Porumanno.......***............... 27*000
Propriedade de Manoel Fignelra de Faria & Filhos.
-
SAO AGESTO*:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves A PHhos, no Para; Gon^alresA Pinto, no Maranhlo; Joaquim tes de Oiveira, no Ciar ,* Antonio fle temos Braga, no Araeay; JoSo Mara Julio Chaves, noAss; Antonio Marques da Siha, no Natal; Antonio Joaqun
Gnimaraes Pancada em Mamanguape; Antonio Alexandriho de Lima, na Parthybe; Antonio Josd Gomes, na.ViR da Penha; Belarmino dos Santos Btelo, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazaretb; Francno lavares da Casta, em Alagdas; Dr. Jos Martins Alves, na Baha; e Jos Ribeirc Gasparinho, no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Ciovcrno da protinla.
MbMfcNTE lumnirADo pelo bxji. sn. on. sTasoel
m>[Asi IMBSTO HACHADO PORTKLI.A, *ICW8l-
gK IU PROVINCIA. EM 80 DE ABRIL DE 1869.
l'sereao.
N. 751.Deliberarlo vice- presidente da pro-
vincia resolve. a bein do seHPico, suspender Her-
menegildo Severiano Goncalves do exereiew das
nceoe* (!< contra-mestre' da Olena de ferreiro
do arsenal de guerra.
2a erran.
N. 75i.OfBeio so presidente do supremo tribu-
nal de jwstieaO juiz d>> d irrito da comarca do
Cabo, baeha'rel Manoel/ Clementino Carneiro da
Cunha, em offldo de fd do correrte, me participou
ter passado o exercielo das funepoes do seu cargo
ao juiz municipal do termo de Ip'ojnea, por estar
ilTrendo em sua satde,' o qne tenho a honra de
levar ao conliefimento de V. Exc.
S. 738.Portara ao Dr. chele de polica.Pa-
reeendo-me conveniente, como verbalmenlc fiz ver
a V. S., lomar alguma providencia para melhor
regularisar o servieo a qife destinado o cnepo
provisorio do polica e que seria adoptavcl a idea
ao fazer cessar os pequeos destacamentos, em
que est elle subdrvidido,com qudbra da disciplina
c divid-lo en fortes destacamentos localisados em
pontos centraes de circunscrincao territorial e amo-
vivis "antes da circunscrincao respectiva, chamo
para issb a attencao de V. S. parque de accordo
coro o pensamento expendido ieproponha a dr-
cisao territorial mais conveniente, o numero de
praens que deve constituir' o detacamento de cada
urna das decsdes ou rireiMiseripcoes, ponto da lo-
cali-ap.au. .e Semas eirrnmstaneias que forem a
hem do servieo ssim regulado. Creio que a rea-
I sacio da idea qae sujeito -a apwciacan de V. S.,
trara a dupla vantagem de garantir melhor a dis-
ciplina do carpo, e de ser o servieo feito cora mais
promptidlo e proficuidade, especialmente quanto
repressao do crime. Espero do reeonliecdo zelo
dfl V. S. pelo servieo prjhhco que se pressar em
-slisfmer aos desejos que venho de manifes-
tar-1 he.
\. 750.-Dita ao mesmo.Faca V. S. constar ao
delegado do termo de S. Rento, qne em vista do
pequeo numero de pracas de cavallarla existen-
tes nesta cidade, nao pssivcl sa lista zer o pedido
por elle frito em oflicio de 5 do corrente, quanto a
urna praea r?ara ffcar sua disposirao.
N. 7."'. Dita ao mesmo. Devedo *'o alngiiel
da casa que no termo de S. Bento serve de cada
e ao rnestno tempo de quartel ao destacamento de
guardas nacionaes all existente, ser pago melado
pela thosoiiraria provincial e melado pela de fa-
zemJa, devolvo a V. S. os recio* qne vieram an-
nexos- seos oflleios de 46 e 19 do corrente, sob
na. 5M e oi0, relativos a esse alnguel vencido nos
mezes de setembro do anno prximo pasado
mar^o ultimo, afim de que os mande reformar,
descriminando-sc as despeas, e passando-se rept-
iles ao* tliesoureiros daquellas repartices, devan-
do o da despeza do quartel que tem de ser satis-
feita pelo cofre geral vir em dnplicata.
N. 738.Dita ao mesmo.Convndo regularisar
os p.-.gamentos de aluguel das casas particulares
aue servem de prisao, assim como das que servem
c quartel destacamentos nos diversos termos da
provincia, reeommendo a V. S. a expedicao de or-
dens para que as respectivas autoridades nfor-
metn dcscriminadamente quaes as caas que ser-
vem para um coutro miste/, por quanto estao alu-
gadas, desde quando, a quem, e porque ordem,
providenciando logo e de modo terminante, para
que se nao alugucm-novasA ou nao sejam substi-
tuidas or ontras as que existeni sem expressaau-
aorisacao desta presidencia ; remettendo V. S. com
urgencia um qnadro das niormaooes que a res-
P'eto obtiver para ser tomadom cnsiileiQao.
N. 739.Dita ao mesmo.Dovolvo a V. S. os
papis que acompanbaram o seu oftlcio n. 540 de
H do corrente, relativos ao recruta vindo do ter-
mo da l'.scada, Gonealo Varella de Araujo, e aguar-
do as informadnos que lhe foram exigidas pro-
posito do oflicio do juiz de dircito da comarca de
Sanie Aniao. a cse respeito. .
H. 700.Dita ao delegado de polica de Sen-
nhem.Seguindo para esse termo, como lhecom-
muniquei era la do corrente, o commissario vac-
cina 1er, Dr. Ernesto Feliciano da Silva Tavares,
enearre?ado de innocular a vaccina e applieai'
medicamentos aos desvalidos accommettdos da
varila, reeommendo a Vine, que preste ao mes-
mo doufor os auxilios que estiverem a seu alcance
para o uom desempenho de sua incumbencia.
N. 701.Defiberacio. O vice-presdente da
provincia, de conformidade com o que pondera o
chele de polica em oflicio n. 566 de 19 do corren-
te, quanto ao engao havido na preposta e nomea-
cao de Joao liarbosa do Reg Monteiro para o car-
5o de 6" supplente do subdelegedo do 2o districto
l fiegiiizia Jo Bom-Jardm do termo doLimoeiro,
cuando o seu verdadeiro nome 6 Joao Barbosa do
Reg e Silva, resolve, rectificando o engao, man-
dar que se passe novo ttulo, em que seja elle no-
meado.
N. 701DitaO vce-presdente da provincia,
attendendo ao que expoe o diefe de polica em
io n. 566 de 19 do corrente, quanto ao engao
havido as protestas e notneococt dos B'e 6 sup-
plentes do snb telecado do 1 ds'.ricto da freguezia
do Rom-Jardm, relativamente aos nomes dos no-
meados que foram Antonio Bernardo Monteiro Ca-
lanho e Jos Joaquim Pereira de Qtieiroz, quando
o verdadeiro nome do priueiro Antonio Bernar-
do "de Moura, e o do segundo Jos Januario Perei-
ra de Quciroz, resolve, rectificando dito engao,
mandar que lhe sejam passados novos ttulos.
' 3" seccao.
N. 703.Portara ao inspector da tbesouraria
de fazenda.Por contado crdito ararto pelojyiso
do ministerio do imperio de 31 de margo ultimo,
mande V. S. pagar a Manoel Luiz Salgado, como
Vdc no incluso reouer miento documentado, a gra-
titlcacao de 4(l00 diarios, por elle vencida, a con-
tar d 15 de feveretro prximo Ando i 15 do cor-
rente mez,.na quaJidade de enfermeiro dos desva-
lidos atacados das varilas na villa de*Seri-
nhaem.
N. 76i.Dita ao mesmo.Vendo- por delibera-
cao desta data snspendhlo do exeretcU das func-
ces de contra-mestre da offleina de ferreiro do
arsenal de guerra, Hermenegildo Severiano Gen-
calves assim o commuiieo a V. & para eu eo-
nheciinento e direccao.
N. 76>.Dita ao mesmo.Interado de quanto
V. S. expoz em sua informacao de 17 do eorrente,
sob n. 232, com referencia a da contadoria dessa
thesouraria, o autoriso a mandar adiantar ao ca-
pello da colonia militar de Pimenteras, no im-
pedimento do respectivo director e vice-director, a
quantia de 9003000, para occorror as d**pezas
cora aquede esiabelecimento, no trimestre de abril
junho deste anno.
N. 766.Dita ao mesmo.Attendendo ao qn,l
somaten o engenheiro encarrepdo das obras mi-
litares em offlcioa de boje, reeemaendo a V. S.,
que em vista do iactosos dtcTttie*os, mande pa-
gar a Manoel Antonio Terxelra, a fianta de.....
331*560. sendo 241*560 proveniente dos coneer-
te e coiloeacao de quatro trvm wpatoi da for-
taleza > Bmm, 110* dos reparar do ^oarte con-
*!* je da raesmatortatota.
n. 767.Dit ao inspector m Utosouraria pro-
vincal.-Estm V a miif wsto da. inctoM coou seia pa ao, oapito Anto-
nio Augusto KaeM, wntorae oeitoao ohefo
de polica em ofBcio d hontem, sob n. 565, a qnan-
tia de 50$, ou a que se dever do aluguel vencido
no trmc tre dejanerc a marco deste anno, da
casa que serve de cadea no termo de Barreiros.
N. /68.Dita ao mesmo.Declaro a V. S. para
seu conhecimento e dtreeco, qne o chefe da re-
particiio das obras publicas, participou-me em ofli-
cio de hentem, sob n. 156, que por achar-se em
bom estado de conservacao a obra do pequeo
lango eutre e 18 e W lanco da estrada de Naza-
relh e no caso de ser dofrnitivmenle recebida,
mandou lavrar o respectivo termo e passar o
competente cerlticado ao arrematante Antonio
Luiz Ferreira da Cnnha.
. 769.Dita ao mesmo. Reeommendo a V.
S.. que em vista da relacjio nominal e conta jun-
tas, i|ue me remetteu o ciiefc dej)olica com oQi-
eiu de hontem, sob n. 562, mande liquidar e pa-
gar a Francisco Ludgero Xunes Vianna, a inpor-
taneia da despeza feita com o sustento dos presos
pobres da cadea da cidade de Olinda, a contar de*
novembro do anno prximo passado a marco ul-
timo.
N. 770.Dita ao mesmo. Pode V. S. de con-
formidade com a sua informacao de hoje, sob n
201, acerca do requerimeuto que inclusoo devol-
vo, mandar pagar ao gerente da companhia Per-
nambucana a quanlia de 5:000* proveniente da
prestacao mensal, relativo ao mez de marco nlti-
ino, com que a provincia auxilia aquella com-
panhia.- -
N. 771.dta ao ehefe da repartico das obras
publicasFreo mjeirado de quanto Vmc. me par-
ticipou em oflicio deh.ontem, sob n. !56, acerca
do recebimento definitivn-da obra do pequeo lan-
co entre o 18 e 19 lanco da estrada de Nazareth,
do qual arrematante Antonio Luiz Ferreira da
Cunta.
N. 772.Dita ao mesmo.Examine Vine, e iu-
torme com urgencia qual a causa da Taita d'agua
de que se ressentem os chafarzes do barro do
Iteoifc, indicando o melhor meiode remedia-la.
4' seccao.
N. 773.Portara a cmara municipal de^a el*
dade.Remello a cmara municipal desta cidade
como solietou em data de 12 d corrente, a co-
pra do contrato celebrado por Andr de Xbreu
Porto para factura de urna va frrea de trilhos
urbanos para Olinda, envi igualmente para co-
nhecimento da mesma cmara cnja do aviso da
agricultura de 6 de mareo ulinm'Mkraodo ter
sido concedido a necessaria antonsaC~Se respec-
tiva companhia para funecionar e approvados os
respectivos estatutos.
N. 774.Dita a companhia de RebofibeMinis-
tre a dSrcctoria da companhia do Seberibe com
eretaria Jos Jannarb deCarvalho Paes de Andra-
de e nomeado interinamente para substituir aquel-
le funcionario Manoel Augusto Vieira doAmorira,
percebendo a gralicacao de 600*.
4* seccao.
N. 790.Oflicio ao Dr. Arminio Ccriolano Tava-
res dos Santos 1. secretario da assembla legis-
lativa provincial.4l. Vi De ordem de S. Exo. b
Sr. vire-presidente da provincia, pSsso por copia
as n% de -V. 8.. pata ser presente a assembla
legishitiva-provincial, o nctuso offlcio do engenhei-
ro cheje ida* repartico das obras publicas de 19 do
correte, sob n. 153, acompanhado da planta c or-
camerito para a edllicacio da" casa dii fera da villa
do Eabo, a x\ae sd referi oEsm.'Sr. presidente
na pacte do seu relaiorio relativa as municipali-
dades. ,
N. 791.^Dto ao mesmo.N. 44.S. Exc. o Sr.
vicc-presidentedapreftinca manda remetter a V.
S. afim de ser submettida a consideracao da as-
sembla legislativa provincial a inclusa copia do
inspector da thesouraria provincial de boje datado,
sob n. 200 ?> as demonstracoes a que elle se refe-
re pedindo diferentes crditos supplemcntares na
importancia de 19:199,-5001 para occorrer as ds-
pezas de que tratam os sefumtes artigos da lei do
ormento vigente 3. f 2., i.* 2., 5. K 2. 3.. e
6., 88 2.", e 3."; 20, 33, 3. e 4.'. "K l", 37,
38, 40 e 42,-visto seren insufllcimes as consigna-
coes votadas para tacs despezas os quaes deixaram
de ser coneedidos^ttento o Tlispesto no art. 4 da
lei n. 573 de 5 fle abril de 1864. '
N. 792.Dito ao ftiesmo.N, 45.De ordem de
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia, parti-
cipo a V. S. em resposta ao seu oflicio de 17 do
corrente, sob n: 18 que nesta data se communicou
a thesouraria provincial a deliberacao que tomou
a assembla-legislativa provincial de conceder um
anno de licenca com ordenado somente ao 3. offl-
cial fla secretarla da jesn assembla Jbse Janua-
rio de Carvalho Bao*J|e Andrade e de nomcar a
Manoel Augusto Vieira d Afnorim para o substi-
tuir percebendo a gratiflcacao de 600*.
N. 793.Dito ao mesmo.N. 46.S. Exc. o Sr.
vice-presidente da provincia a quem foi prcente o.
offlcio deV. S. de 17 do corrente, sob n. 17, manda
declarar-lhc para que se "sirva de levar ao conhe-
cimento a assembla legislativa provincial que em
16 do corrente se mandou ouvir a directora da
companhia de Beberibe sobre a falta d'agua pota-
vi'l que estao soffrend oj-moradores do bairro do
Reci/e e nesta data se exigi novmmte informa-
cao que se aguarda para tomar-se as providencias,
que rorem neressarias^efazer-se-eueeiiva asegun-
da condieo do respectivo contrato stmdo nrre para
remover-sc convenientimente somonte Taita ao
urgencia a informacao exigida por despacho des- K-hefe da repartico das obras pblica"? se cter-
ta presidencia de 16 do corrente, "aneado em offl- minou que exam'uiassc e informas} qual a sua
era da cmara municipal -desta cidade sobre falta, causa indicando o melhor meio de remodia-la.
d'agoa potavcl na fregjiezia de S. Fr. Pedro Gon-
5a Ivs.
?. 775. -*Deliberacao. O vice-presidente da
provincia, em vista do'oflicio do director geral da
instruccao publica de o do corrente, son n. 91
resolve crear urna delegara iliteraria no districto
de Varas da villa de ingazeira.
N. 776.Dita.O vice-presidente em vista da
proposta do director geral da tnstruccao publica
de 5 do corrente, sob n. 91, resolve nomear o ci-
dadao Manoel Jos Nunes, delegado Ktterario do
districto de Varas da villa de Ingazeira.
. 777.Dita.O vice-presidente da provincia
em vista do oflicio do director geral da instrucco
publica de 5 do corrente, sob n. 92, resolve crear
urna delegaca litteraria no districto de Hazarelh
da comarca do Cabo.
N. 778.Dita.O vice-presdente da provincia
em visla da proposta do director geral da instruc-
c5o publica de 5 do corrente, sob n. 92. resolve
nomear o padre Juvencio Virssimo dos Anjos, de-
legado ltterario do districto de Nazareth na co-
marca do Cabo, '.l
EXFKDIEKTK ASSIGNADO PELO DB. JOA0U1M COnEA DE
ARAUJO, SECUETARIO DO GOVKRNO, EM 20 DE ABRIL
DE 1869.
|. seceo.
N. 779 Offlcio ao engenheiro militar. O
Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda de-
clarar a V. S. em resposta os seus offlcios d hoje,
que a thesouraria de fazenda tem ordem para pa-
gar a Manoel Antonio Teixeira, a quantia de.....
3ol*360, constante de seus citados offlcios.
N. 780.Dito ao director interino da colonia
militar.S. Exc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia manda declarar a V. S. em resposta ao seu
offlcio de 13 do corrente, que a thesouraria de fa-
zenda tem ordem para entrcgar-lhe a quanlia de
90 *, para occorrerem as despezas desse esiabe-
lecimento.
2" scelo.
N. 78i.Offlcio ao Dr. chefe de polica. = DS
ordem do Exm. Sr. vice-presidente transmiti a
V. S. o titulo junto de notneaco do 6o supplente
de subdelegado do 2o districto da freguezia de Rom
Jardim do termo de Limoeiro, de conformidade
com a sua proposta em offlcio n. 566 de 19 do
corrente.
N. 782.Dito ao mesmo.De ordem do Exm.
Sr. vice-presdente da provincia, transmuto aV.
S. os ttulos juntos do 5 e 6o supplentes do sub-
delegado do 1 di-trcto da freguezia do Rom Jar-
dim do termo de Limoeiro, de que trata o offlcio
de V. S. do 19 deste mez sob n. 566.
N. 783.Dito ao mesmoO Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S. em
resposta o seu offlcio de hontem, sob n. 565, que
a thesouraria provincial tem ordem para pagar
ao capit&o Antonio Augusto Maeiel, a quantia de
50*, constante de en cttdo oflicio.
N. 784.Dito ao mesme.S. Exe. o Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S.
em resposta o seu offlcio de hontem, sob n. 561,
que a thesouraria provincial tem ordem pa a pa-
gar a Francisco Ludgero lunes Vianna, a quan-
tia de 68*400, constante do citado offlcio.
N. 785.Dito ao commandante superior de Pal-
mares.De ordem de S. Exc. o Sr. viee-presiden-
te da provincia devolvo a V. S. o offlcio junio de
10 do corrente, para que venha devidaraente as-
signado.
N. 786.Dito ao bacharel Manoel Clementino
Carneiro da Cunha.O Exm. Sr. vice-presidente
da provincia manda Uccusar o' recebimento do
offlcio de V. 6. de 40 do correte, em que parti-
cipa ter passado por motivo de nlblestte o ejerci-
cio des fuBC^oes do cai*go do jniz de direite da
comarca do tird ao juiz municipal do termo de
Ipoiuca.
3* seccao.
N. 787.=Offieio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. viee-presidente da provin-
cia manda declarar a V. S. para os flus conve-
nientes, que a 16 do crtente reassumio o ejer-
cicio do seu cargo o juiz de direito da i )marca do
Hio Formeso bacharel Ludfero Gonalvos da
Silva
N. '788.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provineia manda declarar a V. S. para
o sen conheciasento fia* convenientes, quejo-
cundo partrdpoa o jnit de reito da eonurelne
Cabo, narbarel Manoel Clementino Carneiro da
Cunha, por motivo de molestia passon o exercieio
do respectivo cargo ao juiz municipal do termo d>
fpojue mmtoma. Hbebtuto: %
N. 7#.Bit a1naeeetor dMbKowaria pro-
vincial.De ordem de. Exc.ottr. vice-presidea-
te, eommwnieo a V. 8. q ae oofao Consta de ofi-
cie de 1.* secretario da jssombla legislativa pro-
viaciai de 17 da corrente, seb m. 18, foi oeneedido
pola Mama asaembla um asno de HeMoa eora
ordenado smente ae 3* oficiai da respiva se-
N. 794.Dito ao director, geral interino dains-
truccao publica9. Exc'o Sr. vice-presidente da
provincia tendo por. deliberacao de boje e Cm vista
de oflicio desta directora de 5 do cerrerrte, sob n.
91, resoivido crear urna dcloaacia litteraria no dis-
tricto de Varas da villa de fngazeira^e nomeado
para exerce-la ao cidadao Madoel Jos Nuncs; a-
sim 0 manda eommnniear a v. S. para en conhe-
cimento. enviando-lbe o titulo- do nomeado para
ter o destino conveniente.
N.795.Dito ao mesmoS. Exc o Sr. vice-
presidente da provincia por deliberacao desta data
tendo em vistado offlcio dessa dre.-toria de 5 do
corrente, sob n. 92, resoivido crear ama delegada
litteraria no districto de Nazarelh da comarca do
Cabo e nomeado para exerce-la o padre Juvencio
Virissimo drls Anjns; assim o manda communicar
a V. S. para seu conhecimento enviando-lhe o ti-
tulo do nomeado para ter o conveniente des-
tino.
DESPACHO DA VICR-pnSSroKfCTA DO DA 17 DE
MAIO DE 1869.
Antonio Abrahao Marinho Pcreira dos Santos-
Pagando previamente o que fr devdo, e enten-
dendo-se com o actual empresario, como requer.
Candido Tago da Costa Mello. Prove que tem
capacidade e recursos para receber a educanda
de que trata.
Carlos Jos Dias daJsilva. Sejam abonadas as
faltas que o snpplcnnfe deu de 16 a 3i de Janeiro
do corrente anno.
Claudna Maria do Reg.Dirija-sc ao Sr. dcs-
embargador provedor di Santa Casa, em sessao
da junta. t
Ernesto Adolpha Rolim Saldanh:-.. Pagando
previamente o que fdr devdo, e i?ntendendo-se
com o actual empresario, como requer.
Francisco Correia de Lima.Ao Sr. general
commandante das armas pora mandar inspeccio-
nar o filho do supplican'e.
Hermenegildo Agatonio Nunes Vianna.Pagos
previamente o que fr devido, e entendendo-se
com o actual empresario, como requer.
Joaquim Manoel da Costa.Informe o Sr. enge-
nheiro chefe da repartico das obra* publicas.
Joao de Souza liangel Filho.Imleferido vista
das informacoes.
Joao Fulgencio de MelloInforme o Sr. general
commandante das armas..
Luiz Francisco de Paula Cavakanti de Alhu-
querque Laeerdi.Informe o Sr. inspector da the-
souraria provincial.
Maria Ignacia da Conceicao.Informe o Sr. ca-
pitao do porto.
Manoel Joaquim da Conceicao.Ditrja-se ao Sr.
inspector da thesourarf" provincial
Repartico da polica.
2* seccao.Secretaria da polica tf 3 Pemambuco,
20 de maio de 1869.
N. 745.nim. e Exm. Sr.Teiiho a honra de
levar ao eonhecimento de V. Exc. que, segundo
consta das participaeoes recebidas boje nesta re-
partico, foram hontera reeoHiidos casa de deten-
cao, a ordem do subdelegado do Rcife, Epifana
Mara da Conceicao, Josephma Lms do Nascimen-
to, e Manoela Lins do Nascimento, iodos por dis-
turbios.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. vice-
presidente da provincia Dr. Manoel do Nascimen-
to Machado Portera. O elefe de polica interino
F. de Assis Oiveira Maeiel.

PERNAMBBCO.
ASSEMBLA PROVIHCIAL.
SESSAO ORDINARIA EM 4 D MAIO.
PRESIDENCIA DO m. A*0*fiUYo LBAO.
(Ksnelusio)
E' ldo e jUlgado obtotta e deliberacao e dis-
pensado da impressao a requeriraento do Sr. Ta-
vora, e seguiste parecer :
A eommissao do obras puMcns leu com a de-
vida attencao o reqnerimento de rranoisce ibvPi-
nho Rorges, arrematante des reparos da ponte de
Jaboatio, pediadb qne estt assembla considere
rescindido seu cntrate, sem a obrigaeao de seren
executadas as obras por son conKi, e fbe mande
restituir a importawia da multa que Hfe foi im-
posta.
i Para ob ter cante que nIodp|rinciptoaofttratMmeo
po designado n* tralo, ptr cafca do invern
quesobreveit; e qne, requerendo e tenguinio
ama prorogac de quatro rneze*, dentro desee
Kuo nio pode anda coaracar os meemos trab-
is, porque fte dWenraram os ttastUt de offlcio
que d"elles se-iam encarrgar, qne a ponte preci-
sava do dobro dos reparos oreados e arrematados ;
pelo qne requereu a rescisao do contra, tndo
por despacho a imposicao de-urna multa e ftxacao
do praco de don mezes, para fazer as obras que
arremata*.
Agegfc mais que, replicando desse despacho,
leve fin respesta mandar-se-Ihe rescindir o con-
trato, rordenar-se que fossem as obras executa-
das por administraciio e por sua conta ; o que
nma injustica, visto qpe semelhante pena so ser*
imposta no caso definido pelo art. 76 do regula-
mcntode31 de julrio-de 1866, isfo quando o
arrematante, tendo comecado as obras, dejxa de
conclu-las o que se nao verificara com ouppli-
cante, que nenhum- principio dra aos.frabalhos
porque, versando sobre- reparos de nina ponte,
elle cm nada altern o estado d'ella. Entende a
eommissao que, com justica ou, pelo menos com
equidade, nao poda ser imposta ao peticonario a
multa de que trata o art. 75 do citado rgula-
mento, por nao ter dado em tempo conecO aos
trabalhos, porquanto, denfFo do prazo marcado no
contrato, pedio e obteve o Beticionario urna pro-
rogacao, sendo que, quando depois desta tratou
de dito eomeeo, foi que reeonheceu a nipratica-
bilidad das obras qhe-contratra ; pelo que pedio
que fuese verificado por exame de peritos a exac-
tidao diste, e lhe foste dad a rescisao do contra-
to, avista do que cumpria-lhe esperar a d;csoda
presidencia a esse requeriraento artes de dar eo-
meeo as obras, c assim fez ; mas a resposta a este
requerimento nao foram o exame a rescisao pedi-
dos ; mas multa, por nao tei-comecado as obras
em tempo.
Ninguem dir que. neste caso, es la multa
nao foi injusta, sendo que. anda esesmr, i|uandjp
a presidencra nao quizesse proceder ao exame o
dar a rescisao pedida, o que lhe cumpr a era in-
deferiro requerimento da contratante, e ordenar-
llie que .elTectivamente comeeasse as obras, e nao
infringir logo na multa, (piando o contratante nao
eomncra os trabamos por estar espera de deci-
sSc da mesma presidencia. Dpois de ludo isto
ainda compre ponderar que o contratante tinha
motivo para exigir a rescisao de seu contrato ;
porque, a thesouraria provincial nao lhe pagou a
prestacUo qne lhe devia dar antes do comeco dos
rejiaros, sendo assim a provincia a primeira ejne
faftou ao cumprmento das clausulas do ;ontrato.
. Considerando tambem a eommissao que o
Exm. presidente da provincia, rescindindo o con-
trafiL^e ortenando, na conformidade do art. 76 do
regulamento respectivo, que as obras fos'em eje-
cutadas por administracao, mas cnsta do arre-
ma'ante, commetteu um grave injusticji, porque
a- libras nao tiveram principio, e este artigo refe-
re- ao caso de o arrematante ter comecado, mas
nao ter concluido as obras no prazo do contrato,
inju^tiga comprovada pelo relaiorio de S. Exc, na
parle que se refere a ponte de Jaboatao, pois S.
Exc. considera comeco de obras as circunstancias
de ha ver o arrematante juntado materaes, pedido
prorogaeao de prazo e de haver obtido certificado
para pagamento da primeira prestacao, quando
este* tactos jamis prevarSe me os reparos da
ponte do Jaboatao foram cone^ados ; e que o es-
lado da ponte foi alterado para melhor le peior;
por estas consideracoos a eommissao- d; parecer
qu a assembla deve deferir o requerimento de
Francisco de Pinho Rorges, adoptando o 'Segrate
projeeto de lei.
Art. nico. Fica rescindido o contrato que
Francisco de Pinho Rorges fez com a provincia,
para os reparos-da ponte de Jaboatao, rao sendo
elle obrgado pelas obras executadas naqtiella pon-
te,c restitnindo-se-lhe a multa que lo foi im-
pfftta.
Revogadas as disposicoes em contrario. Sala
das comniissoes, 4 de mam de 1869/r-Go; cnff da
Silvrt.Epaminondas de Bu>m.-^Suardo Pina.'
O SR. ERMIRO COUTI.XHO :Sr. presidente,
constando-me que recentemnte chegra da Rahia
un vapor de guerra italiano e que a sua tripola-
cao se acha affeetada de molestia suspeta ou
contagiosa; e constando-me tambem que alguns
dos-tripolantes desso vapor j suecumbram e ou-
6os se acham recolhidos ao hospital Portuguez de
Renefirencia ; nao sabendo se se teeffl 'ornado as
providencias aconselhadas pela hygiene afim de
eviiar-se a propagaca) do contagio, eu aprsenlo
casa o requerimento que passo a lr (le) :
Vai mesa e apoia-se o segrate requeri-
mento :
Requeiro que, pelos canaes
peca as seguimos informaees :
t !. Qual a molestia de que tem sc.o affeeta-
da a tripolacao do vapor italiano, surto no porto.
2.* Qnntos sao os docntes em tiatamento,
qnantos tem suecumbido, emque estado se acham
os qae existem, e onde estao sendo tratfidos.
3. Se o navio foi submett.do aos processos de
desinfeccao, aconselhados pela hygiene.Erniro
Coutinho.
Encerrada a dlsijussao, o requerimento ap-
provado.
0 SR. F. TAVORA :Tende de apresentar um
requerimento, venho justca-lo.
E'oseauinte (l>".
Em 1867 foram postas em arremataran as obras
da estrada da Escada; arrematadas e contrata-
das, deu-se prinripio essas obras, c posterior-
mente o actual director das obras pulMicas, nao
sei sob que fundamento mandou que essas obras
fossem interromdas. Dissc que nao sabi i o funda-
mento, e com effeto, um fundamento nio existe ;
mas nm mero pretexto, qual o de que essa estrada
nao levava a direccao que convinha aos teresses
pblicos.
Em virtude disto determinon o mesmo director
das obras publicas que se procedesse a alguns cs-
tudos com relacao ao caso. Foi nomeado para fa-
zer essese:todos o engenheiro Galeno, o qual disse
em sea parecer que as obras levavam a direccao
conveniente, e que era sua opiniao que ellas con-
tmuassem.
Decorrendo algum tempo, o contratan, em vir-
tude da protelacao que bonve, requereu rescisao
do contrato, aesiin como o pagamento das obras
feitas correspetadento aos lances 9, 10, 11*
administraejo ooaformou-se com esso modo de
entender, mas ate noje essa rescisao, ritas auto-
tisada pelo eolio presidente da provincia, nao se
effectuoo.
Desej% pois, que venha a esta casa o parecer do
lengeoheiro Galeno, aflm de qae em vlsti dis ra-
feos por elte apresentadas, possamos conhecer
qual a razio que tem tido e actual administrador
Idas obras publicas para demorar a ontinuacio
das obras, assim como, qual a razio porque o ac-
tual vice-presidente da provincia, nao fi4 efrectivo
, rescisao do contrato.
i *Vai mesa e apoia-se o seguintc requeri-
mento :
a Requeiro que, pelos canaes comjietentes se
seMeite daropartico dfl obras pnblica?, que in-
forme qual o resultado dos estuuos q ie mandou
broceder o engenbeirO director das obras pbli-
cas, quanto direccao que dvia dar-so estrada
la Escada, isto no caso de terem sido faltos estes
estudos.
E mais, que se remetta copia, com tfrgencia,
parecer do engenheiro Galeno sobre o
E mais, Analmente, que informe ti
a o motivo porque nao se acfia arnda
cortrtto para eonstrueeio dos laecni na.
1 e n da reteridi estrada (H Escana-i
PWfo a vWyb 'fetUteMlieme apprd f rtfiti.
' OSR PRiBlDiNre decrif a que d, V
a nrdera do da, vialb ter-se esgotado hora reser-
vada ao expediente.
O SR. AMYXTHAS manda tima o seguirte
requerimento :
Tenbo materia nrgente.AiihjmHuii.
Poslo a vptos o requerimento apprcrvado.
O SR. AMYNTHAS:Cre que sobre a mesa ha
im parecer das duas commissoes reunidas de jus-
Ica civil e criminal e dte coiistituicao e poderes
sobre a queix'a apresenlada nesta assemWea, con-
tra o ebefe de polica da provincia ; se effeetiva-
meiHe existe sobre mesa esse parecer, peco ur-
gencia para a leitura do mesmo, requerendo pura
isso a prorogaeao da hora do expediente.
O SR. ARMINIO TAVARESd alguraas tplica-
coes sobre o motivo porque deixou de ser kdo o
papecer.
Fazem ainda ligeiras consideracoes pela ordem
os Srs. Gaspar Drummond, Amynthas, Lopes Ma-
chado e Ayres Gama.
Encerrada a discussao regetado o requeri-
mento verbal do Sr. Amynthas, para ser lido opa-
recen.
O SR. MEUGULHAO :-Peco a V. Exc. se digne
nomear um membro para completar a eommissao
d justica civil e criminal, que se acha incom-
pleta.
O SR. PRESIDENTE Designa o Sr. Cicero
para completar a eommissao de justica civil e cri-
minal.
ORDEM DO DA.
O Sr. AMTNTir.vs :Neste caso requeiro urgen-
cia para a discussaV (Jo parecer.
Vai mesa e apoia-se o segointe requerimento:
Requeiro urgvneia a dieusso e volacao do
parecer.Amynthns.
O SU. FELISMNO :-Sr.presidente, ped apala-
vra para agitar urna questao dte ordem.
Cobjeclo do |recer nao pede ser discutido en
sessao publica, parece, por tanto que urgen-
cia para ser votado o parecer, e a discussao ser
guardada para quando a casa estiver constituida
em sessao escrea.
O SR. G. DRUMMOND faz atgmnas considera-
coes ni resposta ao precedente upador.
Verifieando-se nao haver numero, por so tereo
retirado alguns Sr. deputndo, Ikra a discussao
adiado.
O Sr. Presidente designa a ordem do da e le-
vanta a sessao.
Nos dias o 10 nao kouve sessao-
competentes, se
Segunda discusslo do projeeto n. 15 deste an-
no, qne restaura a cadeira de instruccao primaria
de S. Pedro martyr de Olinda, e crea urna outra
na freguezia de S. Jos desta cidade, que ser na
extremidade da ra Imperial.
O SR. GONCALVES DA SILVA : Trata-se da
creacao de algumas cadeiras de primeiras lettras.
E' sabino que eu pugno muito pela creaclo de ca-
deiras, que por mu tas vezes leu lio aleado a minha
fraca voz nesta casa.era favor da creacao de ca-
deiras. Anda no anno passado, por occaiao de
querer-se extinguir as cadeiras de latim e francez
creadas para o alursrtao, eu dissc, e disse con-
vencidissimo, que lio deviam desapparecer essas
duas cadeiras, poripe eritendo que mesmo no alto
serto nos deveinosderramar a instruccao publi-
ca. J'ropugno sempre pelo derramamento da ins-
truceao publica, desojo que efla seja levada a cada
canto, se assim fr possivel;' mas a creacao de
ama cadeira na ra Imperial, fregjiezia de S. Jos,
de que trata o projeeto, de algum modo me ini-
pawsiunou, ponpie-me parece que elle au J- tao
necessaria ahi como cm uutins lugares. Nao me
oppondo restaiuacao da cadeba-de S. Pedro mar-
tyr de Olinda, una vez que sejBconhec hoje que
essa (Ta'dera tndispensavel, t&h esta outra para
a freguezia de S. Jos, de cert modo me mpres-
sionou, porque a freguezia de. Jos desta cidde
menor do que a da Boa-Vista, e creio mesmo
que a de Santo Antonio; entHetanto, eu noto, que
as freguezias de Santo Antonio e Boa-Vista ha
um numero inferior de cadeiras de primeiras let-
tras para o sexo femnino
O Sn. Lopes Machado :Est engaado.
O Sn. Go*gjavES da Silva :Aonde est o meu
engao ? Eu tenho o ahnanack- desta cidade como
cousa certa, e ahi vejo qnle a freguezia da Roa-
Vista cinta tres cadeiras para o sexo feminino.
O Sr. Lopes Machado:Existem quatro.
O Sr. Go.ncalves da Silva :Entao mente o al-
manak.
O Sr. Lopes Machado :Mente o almanak.
O Sr. Gonqalvks da Silva :Eu (lado em que
o almanak era fonte pura, vendo que elle dizia que
na freguezia da Roa-Vista existiam tres cadeiras
para o sexo feminino, entend que havia despro-
porclo, sendo a freguezia de S. Jos menos popu-
losa.'"
O Sn. Lopes Machado :Existem quatro.
O Sr. Gonqalves da Silva : Ainda assim,
existindo "quatro cadeiras na Roa-Vista e quatro
em S. Jos, me parece que a creacao de mais urna
cadeiraihesta freguezia urna superfludade.
O Sn. "Lopes Machado : Em S. Jos nao ba
quatro cadeiras, ha tres.
O Sr. GosgALVES da Silva : Entao mente o
almanak do Sr. Amaral. Eu refiro-me ao que el-
le diz, que em S. Jos existem prendas quatro ca-
deiras para o sexo feminjno e na Roa-Vista tres, e
a creacao de mais urna cadeira em S. Jos, enten-
da ser urna superfludade.
Sabe me dizer o nobre deputado quantas cadei-
ras existem na freguezia de S. frei Pedro Goncal-
ves?
Um Sn. Deputado :Creo que ba duas.
O Sk. GoNg.ALVts da Silva : Eis ah, anda
por esse lado ha grande desproporcao, ainda mes-
mo existindo s tres cadeiras em S. Jos, que D-
car com quatro, creada a de qne trata o pro-
jeeto.
Fundado na supposicao que tirei do almanak,
de que existiam quatro cadeiras j creadas na fre-
guezia de S. Jos, entend dever oppr-me a crea-
co de mais una para a ra Imperial; mas se o
nobre deputado me afflanca que nao assim, e
que existe necessidade de inas essa cadeira, eu
nao duvidarei dar o meu voto pelo projeeto.
Vio mesa e apoiamse as seguintes emen-
das: .
Dga-se: e mais urna cadeira de instruccao
primaria para o sexo feminino, no lugarArrum-
bados, term) de Olinda.F. Tacora.
* Pica creada urna cadeira de nstrueclo pri-
maria para o sexo- femiftino, na freguezia da Boa-
Visla desta cidade, no lugar Caminho Novo Soa-
res Brando.
Supprima-e o art. t'.Soares Brandao.
Encerrada a discussae, approvado o projeeto,
bem como as emendas.
O SR. AMARAL E MELLO (pela ordem):Sr.
presidente, constando-me qHe o nobre deputado,
que foi nomeado pouco para completar a eom-
missao de justica dvil e eriminal, assignou o pa-
recer das commis>5es reunidas sobre a queixa da-
da contra o chefe de polica da provincia, em peco
urgencia para serem lidos o parecer e voto em se-
parado do nobre deputado que discordou da mate-
ria da eommissao.
Vai mesa e apoia-se o segointe requerimento:
c Requeiro urgenda para ser lido o parecer das
commissoes reunidas de justica civil e criminal e
constituhjao e poderes.Anarai e Mefo.
Posto a votos o requerimento, approvado.
85o lidos o uM^ecer e voto em separado sobre
a queixa dada Wntra o chefe de potteia, que pu-
blicamos no n. 106 deste Diario, de 12 do corrente
mez.
O SR. PRESIDENTE:Na ferina do regiment
fica o parecer adiado.
OSR. PINA (pela ordem};Sr. presidente, a
eommissao norteada por V. Exc. para apresentar
ao Sr. vice-presidedle da provincia atlos desta as-
lembla, acaba de %empenbor a soa missao pe-
Sinte o mesmo Sr. vtee-presidente o qnrt respen-
eu que flzOs-rts sentir a este assembla, aue
ternaria na devida considereao es mencionados
clos. .
OSR. AMYNTHAS (pela ordem):-Sr. presj-
?ente, ereio que em vista da decisao da casa, nao
bode ter lugir o deotino que V. Exc acaba de
lar ao parecer eobsiderando-o adiado, por quanto
easa deliberou (pie, ae preferencia a qualquer
tra materia nds oceupasseraos do parecer. Por
nio me patoceque V. Exc. deve submettero pa-
Ota.VutMiJ-^k-nrlfiM be^Wpara
Idr aaaweer, o regtaaenM m*o peumo
naotWque os pareceres contendo voto em se-
d se eonslIeVam adiados.
SESSAO ORDINARIA EM 11 DE MAX) DE 869.
PHKSinKNCIA >0 SR. A. LEIH.
Ao meic-dia, feita a cluimada, acham-se presen-
tes os Srs. deputados: Augusto Lelo, Columban',
Jansen de Castro, Arminio Tavares^Cicero, Ama-
ral e Mello, Samuel Puntual, Maranhao, Amyuthas,
Reg Barios, Felisbino, Lopes Machado, Ayres
Gama, Baceilar, Ermiro Coutinho, Aranju Beltrao.
E. Pina, Andr Cavalcante, Silveira Lobo, Soarer.
Brandao, G. Drummond e Jos de Vasconcellos.
Abre-se a sessao.
O Sr. Io secretario d corta do seguirte
EXPEDrertTE
Um oflicio do secretario do governo. de erdem
do presidente da provincia, pedindo abertura di;
crdito na importancia de 99H&, pa o Gymnasio
Provincial.A' commi>so de oreamento provin-
cial.
Urna petico da irmandade de Sant'Anna, di
greja da Madre de Deus, pedindo pceicrencia para
a extraceao de duas partes da luteria que foi cqii
cedida pira as obrae do sua igrejsuA' coromissaii
de oreamento provincial.
Outra de Bibiano Franeiseo Pereira de Mcsqoi-
la, iK'dinda a creacao do lugar de porteiro. d
auditorios da cidade da Victoria.A' eommissao
de legislarlo
Outra le Joao Solvi
Alexandre
A' eommissao de
de Souza Peixe, pedindo
urna subvencao pan continuar os seus estados, na
escola norinaLA' eommissao de peticoes.
Outra de Francisco Joaquim Padllia, pedmdo
um auxilio pecuniario, para conclusa.) das obras
da igreja de S. Sebasliao, da villa do Buique A"
eommissao de oreamento provincial.
Outra de lieriiarJ Carneiro Monteiro da Silva
Santos, 2o escriptunRo da thesouraria provincia1!,
pedindo urna gratficaclo por haver substituido
por algum tempo ao i" escriturario
Amerco de Caldas Brandao.
peticoes.
Ontra de Jos Augusto d'Araujo, pedindo que se
mande vigorar a le n. 435 jJe 4 de abril de
1859.A' eommissao de legislarlo.
Outra de Prxedes da Silva Gusmao, arrema-
tante do imposto do consumo do gado das cortar-
cas de Taearat, Cabrub e Boa-Vista, pedindo
que se lhe faca extensiva a disposicao do art. 4ii
S 12 da lei n. 596.A' eommissao de peticoes.
Outra de Joaquim Jos Pereira, servente da re-
partico da nstrucrao publica, pedindo para serem
equiparados os seus'venrimentos aos dos servente*
da secretaria do governo.A' eommissao de peti-
coes.
Outra do padre Antonio Generoso Bandeira-,
administrador da capella de Santo Antonio de Pe-
dras de Fdgo, pedindo a consignaeao da qnou di;
1:5003 para as obras da mesma capella.A' cora-
mi outra dos proprietaros de armazens e prensas
de algodao nesta cidade, pedindo a revogacao do
art. 6:' da lei n. 703, de 5 de junho de 1866.*-^'
eommissao de legislacao.
Outra da irmandade de Nossa Senhoat da Pe-
nha da freguezia de Gamellera, pedindo a appro-
vacao do seu compromisso, na parte civel.A'
eommissao de negocios ecclcsiasticos.
Outra de Luiz de Franca Mello Jnior, eapitao
do corpo provisorio de polica pedindo a esta
assembla a conrcsslo de 6 mezes^e aeus venci-
mentos, por adiantamento.A' cdtmniesao de pe-
ticoes. ,
Outra de Jos Xavier Faflstno Ramo?, official
aposentado da secretara do governo, pedindo que
se lhe mande restituir o que se lhe tem desconta-
do em seus veneimentos, desde que se aposento*
at esta data.A' commislo de peticoes.
Outra de Jos de Queiroz Lima, pedindo que se
marque quota para pagamento do que despendeu
com as obras do acude da villa de Flores.A
eommissao de oreamento provincial.
Outra dos moradores dj districto da Lagoa dos
Gatos, pedindo quota para as obras da capella do
mesmo districto.A*|commissao de orcamentotpr j-
vincial. ,
Outra d irmandade do Senhor Bom Jess dos
Passos da igreja do Corpo Santo, pedindo preferen-
cia para a extraecao das loteras que lhe foram
concedidasA' eommissao de oreamento provin-
cial.
Sao lidos e approvados os seguintes pareceres:
, t A eommissao de obras publicas examinarTlo
'com a mais seria attenelo a petclo de Manoel
Peres Campello de Aliueida, exigindo que esta
assemWea lhe mande pagar a quantia de dez can-
tos de ris correspondentes a dez mezes, resto do
lempo que lhe falta va para se completar o espaco
de tres annos de seu contrato, feto cora a thesou-
raria provincial, no anno de 1838, para a conser-
vacao da estrada de Pao d'Alho, dando como fun-
damento de seu pedido, nao s ter elle soffriflo
prejuizo no recebimento das prestacSs correspon-
dentes ab segundo anno, por terem sido ellas em
apolices da divida publica; eomo tambem tr sido
p seu fiador desonerado do pagamento da multa
por sentenca passada em iulgado, qu julgou im-
procedente a accSo, que lhe propoz a respectiva
theaouiaria por falta de fundamento, auxilindose
aaffa no acto desta assembla, qu mandou se lhe
restituissem as purcentagens descontadas para
garanta do contrato, na importancia de 2:333*333:
attendendo que o peticionario nio provou que sef-
freu os prejuzos que allega, com o recebimento
das aplleos da divida provincial, no segundo anm
de seu contrato, nao tendo feito reclamacao alar-
ma perante a thesouraria, antes mostrando-se
satisfeite e completamente pago, tanto que aluda
continnou na execuclo do mesmo contracto, nos
ous primeiros mezes do tereeiro anno, nao me
podendo aproveitar a sentenca, que em seu favor
slpancou o sen fiador, nao so porque dna senten-
ca lora appellada pelo rtesf ectivo juiz para a rela-
ao do districto, ignorando a eommissao se f8ra,
Ou nao cortTrrtada por aqnlle fribnal, snao
tambem norque os fundamentos da meewa sertib
cade modo aUjum distroem a obrigaeao em qao
esteva o r^tickmno de cumprir o seu contrate;
attendendo ainda que o actd' desla assomblea, man-
dando em o anno prximo passado, aue foese
restituida ao peticionario a quartia de 2:33333v'*3,
que se acharia depoftda na thfisouaria corno
aucao para o cumprmento do contrato, nio ini-
orta o recenheeimetto de que tbase ero cumpli-
do, porone tal enmprirtento se na dea, como
araesbhetaeaeate seeonaeee, alojas ia-
rmaeoe anterterea, dad aeta NpQ
dbra pobtieaa, annexas aeaaf* M2*Jn,
qem da que aeaba de dar ajWbm n*
.



J6.
Diario de Pernambuco Seria feiri 21 de Maio de 1/889.
concluir a censervago
atado,, o .fue equivale a
i o meemn contrato,
aico que repelle a pre-
se parecer que seja in-
Visto que a thesouraria
nario fra descuidado
da estrada que havia
dizer, que nao fura
ponto principal, seao
tencao do peticionario;
deferida a sua peticao,
nada lhe dev\
Sato das eomraissoes, tO de maio de 1869.G.
da Silva.E. Pina.
A commissao de obns publicas para dar seu
parecer sobre o que a esta assemkla requereu o
negociante matriculado Vieeute Ferreira da Costa,
necessita que, pelos canjes competentes seja ou-
vido o director -das obras publicas sobro os se-
guintes pontos :!. em que teinpo foi feito pela
adminislraco das obras publicas o caes que deve
sustentar r ra de Riachuelo, do lado do suida
cambia ali existente.1 se o referido caes traz
vamagens de aformoseamento e regularidade da
mesma ra, e no caso afflrmativo. qual a razao
de nao ter sin> concluido.3. finalmente, quanto]
custou cada braca do mesmo caes, e que exten-
sao resta fazer-se.
Sala das cemprissoes, 8 de maio de 1869.
Goncalves da Silva.E. Pina.
E julgado objecto de deliberado e dispensado
da impressao requerimento do Sr. Samuel o se-
guirte projJGto :
t A commissao de peticoes, tendo em consde-
racao a que a esta assembla dirigi Joaquim de
Almeida Pinto, o qual solicita desta casa urna sub-
Tensad para faeilitarihe a publicacao de urna im-
purjante obra, como seja o Diccionario do botni-
ca Brasileira, de parecer que se adopte o se-
guinte projecto de Ici :
ArL !. Fica o presidente da provincia auto-
risado a mandar dar a Joaquim de Almeida Pinto,
dous cont de res, como auxilio a publicacao de
sua obra o Diccionario DoaBco Itrasileiro.
Art. 2.* O presidente da provincia peder
mandar examinar a obra por pessoas habilitadas,
se assim julgar conveniente.
Sala das commissoes, 11 de maio de 1869
Amito CavalcanteC. Peregrino.
(Continuar-se-ha.)
REVISTA DIARIA.
ASSEMBLA PROVINCIAL.Deixou hontem de
fuuccionar, por falta de numero legal de seus
membros.
ENCHENTE Di) CAPIBARIBE. Segundo com-
municou o subdelegado da freguezia da Varzea,
hontem a uma hora da tarde, as agoas estavam ao
nivel da estrada, e coni a chuva, que nao tem
cessado, contiuuavaui a augmnetar. S. Exc. o Sr.
vice-presidente da provincia deu todas as provi-
dencias ao seu alcance, afini de seren prestados
os devidos soccorros.
PROCISSAO DO CORPO DE DEUS.A irman-
dade do Sacramento da freguezia de S. Antonio faz
no dia proprio, 27 do corrente, a proeisso de
Corpus-thristi.
LARGO DO PARAIZO.Nenhuma providencia
se deu hontem para o escoamento das aguas
deste largo, com grave incommodo dos moradores
dos lados do poente c do norte, que se acham im
possibilitadosde sahir de casa sem nolhar-se at
Tiiti i das iorna-. Anda persistimos na valla ahor-
na ra da Roda, communieando com a abertura
do eneanamento do esgoto da cidade.
CHUVAS.Durante todo o dia de hontem cahi-
rain abundantes e copiosas chuvas sobre esta ci-
dade, quasi que sem cessar.
THEATRO DE SANTA ISABEL.Foi transferi-
do para hoje, seo tempo permittir, o espectculo
annunciado para hontem, em conseuqencia da
ehuva.
Amanhaa faz beneficio a sympathica artista
I). Apolonia, com o drama brasileiro Mae, do
"Kxm. Sr. conselheircJosde Alencar, e no qual
tanto se patenta o bello typn do amor de m>.
Alm do drama, a beneficiada cantar a linda
eanconeta cmica Ri-qui-qui. e far o mimoso pa-
pel na coinedia Dous tambores.
Chamamos ?. ateneao do publico para me meio,
que se ljie offerece, de premiar a artista estudiosa,
LEILAO.O do armazem de molhados Liga,
ra Nova n. 60, pelo agente Oliveira, fui trans-
ferido para hoje, em eonsequencia da chuva.
Effecta-se hoje o dos movis e mais objec-
tos da casa n. 38, da ilha dAatos, em que resi-
di o Sr. Jos Alves da Silva Guimaraes, e d6
conformidade com o annuncio no lugar compe-
tente.
BILHETES OFFERECIDOS. Numeracao dos
hilhetesda 107J olferecidos pelo thesoureir das lo-
teras para auxilio das despezas da guerra :
Bilhetes ns. 2246 a US&
LOTERA A que se acha a venda a 107', a
beneficio da matriz de Buique que corre no da 29.
dos ouireeeitas, os pr?f rietarios do. mesmo esta-
heleeii6nto,-aafc) de r'ceberom as facturas que
esperam de Pars, Lisboa, Inglaterra, Hanjburgo,
etc., resolveren! socti-lo., comprando medicamen-
tos as imprtanles pharmacias dos Srs. P. Mau
rr A C.', Bartholonieu A C, Joaquim Martinho da
Cruz-Correa, Manoel Alws Barbosa, Joo da Con-
oeicao Bravo & C. e droguistasJJoio da Silva Fa-
ria A lrmao.
Sondo, portanto, evidentes os esforc^i emprega
das pelos propietarios do referido belecimen-
t para satisfactoriamente fesnecbatlm os pedidos
e reeditas quo Ibes forero enderecados, esperam
que orespeitavel pttbliio lhes prestem sua valio-
sa coadjuvaco. pelo qu; astario promptos a qual-
quer hora do diae nouie a prestaron! os seus ser-
vicos.
Boa Vista, 3 de maio de 18C9
C. Cato & 6.
Trilhos Urbanos para
Jaboato.
Lista dos subscriptores de ac-
ees para a formaco de una
eompauhla.
sccScs
Joao da Cunha Wanderloy.... 100 20:000000
Viceme de P. Oliveira V. Boas 50 10:000*000
Ferreira A Matheus.......... 30 10:000000
Thomaz de Aquino Fonceca e
Filhos.................... SO
Joao Ferna ndes Lpez........ 20
Henrique Gbson............. 10
Bento Magalhes............. 10
Demetrio Acacio de Araujo B. 10
America Nunes Crrela.../i. 15
Dr. Claudino do A. Guimaraes. 5
Francisco Goncalvcs Netlo___ 10
J. F. S. Porto..".............. o
Augusto Frederico dosS. Porto 5
Jos Alexaudre Ribeiro....... 5
Dr. Estevao Cavalcanti de A.. 10
Antonio Jos da Costa e Silva.. 5
Luiz Jos da Costa e Silva 5
Jos Alvos da Silva Guimaraes 10
Jos Joaquim Lima Bairaft___ 5
Joaquim Jos da Costa e Silva. o
Antonio Cesarlo Moreira Dias.. 10
Jos Antonio Moreira Dias..... 10
Jos Antonio da Silva Jnior.. 10
Antonio Baptisla Nogueira.... 5
oorr
cont
Bento dos Santos Ramos...... 10
Antonio Augusto dos S. Porto.. 5
Jos Fernandes Lima......... 10
Francisco Fernandos Duarte... 5
Antonio Jos C. Guimaraes.... :i
Joao Evangelista de S....... 10
Antonio Moreira de Mendonca. 5
Jos da Costa Rispo.......... *5
Paulo Jos Gomes............ 5
Dr. Symphronio Cesar Coutinno 25
Domingos Teixcira Bastos..... 3
Jos Antonio de S Leitao.... o
Bernardino Correia de R. Bego 5
Manoel de Abreu Macado..... o
Manoel Joaquim Baptista...... 50
Tibureio Valeriano Baptista... 50
Modesto do Reg Baptista..... 10
Justino J. de Souza Campos... 10
Jos Moreira Lopes.......... 20
Antonio J. P. de Camino..... 5
Dr. Francisco do R.B. Brrelo. 50
Barao da SoleJade........... 50
Francisco Ferreira Borgcs___ 50
Conselheiro Jos Beuto da Cu-
nha Figuei redo............
Dr. Jos Bento da Cunha Fi-
gueiredo Jnior........... 5
Autonio Pinto de Barros...... 5
Manoel de Souza Tavares..... 10
Parisio Bclnrnno de Moracs P. 5
Tonente-coronel Francisco C.
M. Ros Jnior............ 5
Manoel de Souza Leao........ 3
Jernimo do Souza Leilo...... 5
Jovino Coelho da Silva.....'.. 2o
Joao G. da Cunha Soarcs..... 5
10:000*000
4:0000(X>
2:000000
2:000 000
2:0000()0
3:0003000
1:0005000
2:0003000
1:0003000
1:0003000
1:0003000
2:0004000
1:0003000
1:0003000
2:0003000
1:0003000
'1:0003000
2:0003000
2:0003000
2:0003000
1:0003000
2:0003000
1:0003000
2:0003000
1:0003000
1:0003000
2:0004000
1:0003000
1:0003000
1:0003000
5:0003000
1:0003000
1:000300.
1:0005000
1:0003000
10:0003000
10:0003000
2:0003000
2:0; 03000
4:0003000
4:0003000
10:0003000
10:0005000
10:0003000
10 2:000*000
paes pra-
Becebe dinheiro a.jnemio por lacas.!
roste.
Confore oredites-c-saca sobre as s
_ s p imperio. Rio da Prata-o Eun
caafbiaee sobre s mesmas pradal.
Eacarfega-se por commissao de com
da de /undes pblicos e acedes uV eomnanhias, da
couranca de letras e dividendos, oh flo seu paga-
inento, do quaiquer outr.i operario-bancaria.
CASADE CAMBIO
Teodoro Simn &%.
Compram e vendem por oontafpt'opria
melaes, noedas nacionaes < strangeiras.
se.1181 de cambio, sedulas da governoe do
qaoo4e Brasil. i
Doscentam letras da trra e oulros uto-
los^commerciaes.
ficariegam-se por conla allieia a3 mes-
mas Vansaccoes, da cobranca de letras da
terca c de outros ttulos cominerciaes.
Recebem quaesquer quaotus em deposi-
to, em cont corrente, e a prszo fixo.
Largo do Oorpo Santo n.21.
Cnselhode compras do arsenal
de guerra
4* BiM
EHGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descorita lettras da pra?a taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo (ixo.
Saca vista ou praso sob.-e as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orlcans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
ALFANDEGA.
Rendmento do dia I a 19. .")28:2864369
(deni do dia 20.....- 15:0765862
513:963*231
MOVIMEN'TO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com fazendas
dem idem com gneros =
Volumes sahidos com fazendas 18
dem idem com gneros 7
25
Jo oJoaquim da C. Lcite..... 10
23
SO
25
2.-J0
CHR0NIC.1 JUDIfiMRM.
iHtm vi i% eti:i u io.
SESSAO DO 13 DE MAIO DE 1869.
I'HESIDENCIA DO EXM. sn. DESKMBABGADOR CAETANO
SANTIAGO.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. desem-
bargadores Gitirana, Lourengo Santiago, Molla,
Domingues da Silva, Souza Leao e Freitas Henri-
ques faltando os Srs. desembargadores Guerra
procurador da cora e Almeida Albuqueroue,
abrio-sc a sessao.
Passados os feitos deram-se os seguintes jura-
mentos :
Abgravos de peticao. Aggravante, Tibureio
Valeriano Baptista; aggravadu, o juizo.Relator
o Sr. dtsembargador Domingues da Silva, sortea-
dos os Srs.desembargadores Gitirana e Motta.Ne
garara provimento. Aggravante, Jos Alves da Sil
va Guimaraes; aggravado, o juizo.Relator o Sr.
desemhargador Souza Leao, sorteados os Srs. des-
embargadores Lourenco Santiago e Domingues da
Silva.N%o (nmaram conlieciinento por vir fra
do tempo.
Appellacao cntME.appellante, e promotor; ap-
pellados, Joo Vicente Pereira e oulros.A' novo
jury.
Habeas corps.Negaram ordem, pedida por
Manoel Domingues do Sani'Anua.
PASSVGE.NS.
Do Sr. desembargado!- Gitirana ao Sr.desembar-
gador Guerra. Appella?ao civel: appellante,
D. Joanna Mara das Dores; appellado, Agostinho
Joao da Cunha.
Do Sr. desembargador Loureneo Santiago ao Sr.
iesembargador Almeida Albuqerque.Appella-
coes civeis : appellante, Jos Maria de Souza; ap-
pellado. Joaquim de Souza Oliveira. Appellante,
ftlexandre Francisco de Oliveira; appellada, Boni-
facia Maria da Rocha.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Domingues da SilvaAppeHacoes civeis: ap-
pellante, Jeronymo Jos dos Santos; appellado,
Francisco Xavier de Andrade. Appellante, Fran-
ciaeo Alves da Veiga; appellada, a fazenda. Ap-
pellante, Jos Antonio da Cunha Guimaraes; ap-
pellada, a fazenda.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao Sr.
desembargador Souza Leao.Appellacao crime:
appellante, o juizo; appellados, Luiz Francisco de
Mello e outro.
Do Sr. desembargador Freitas Henriques ao Sr.
desembargador Guerra.Appellacao civel: appel-
lante Joao Alves de Camino Cesar: appellado
Bartnolomeu Pereira Vasconcellos.
AoSr. desembargador Gitirana.Appellacao cri-
me : appellante, Urcino Xavier de CastroTaDoel-
lada, a justica. FH^
Deligenc crime.Ao Sr. desembargador oro-
motor daju Rocha; appellada, a iusca. Appellante, o juizo;
appellado, Antonio Alexandre de Freitas Amflk
lante, Jos Antonio da Silva; appellada, a juT
ca. Appellante, ojuizo; appellado, Jesuino Fer-
nandes de Souza Barros. Appellante, o juizo; ap-
pellado, Florencio de Paiva Cavalcante. Appellan
te, o juizo; appellada, Josepha Maria do Espirito
Santo. ^
Assignou-se dia para julgameuto dos seguintes
feitos:
Appellacao crime.Appellante, o juizo: appel-
lado, Graciano, escravo.
Appeuacoes civeis.Appellante, Antonio Nor-
berto de SouzaLealdaie; appellada, acamara
municipal. Appellante, Manoel Ignacio Pereira;
*. Antonio Norberto de Souza Lealdade.
a i hora da tarde encerrou-se a seesao.
Dr. Ignacio J. de Souza Leao..
Alfie'lo Jos A. Guimaraes___
Manoel de Mosquita Barros W.
Thomaz Lins de Barros W...
Dr. Gaspar Cavalcanti do Al-
buquorque Ucha.........
Joao F. Cavalcanto de Albu-
qerque..................
Commendador Antonio de Sou-
za Leao..................
Joao Manoel do Mesquita Bar-
ros Wanderley............ 10
Adolpho Wanderley Lins..... 5
Vicento Mondes Wanderley.,. 5
Coronel Antonio G. Leal..... 5
Francisco Manoel de Souza e
Oliveira..................
Dr. Francisco E. do R. Dantas
Dr. Jos Honorio Bczerra de
Meneze3..................
Laurentino J. de Miranda.....
Dr. Manoel do Nascimcato Ma-
chado Portella.............
Joaquim Salvador Pessoa de Si-
queira Cavalcanti..........
Dr. Joao J. Pinto Jnior......
Jos'Francisco P. S. Jnior.
Dr. Luiz Salazar Moscoso da
Veiga Pessoa..............
Jos Cesario de Mello........
Dr. Antonio Joaquim Buarque
Nazareth.................
D. Mana Amelia de Gusmo
Lira....................
Major Francisco de Gouva e Souza
Dr. Antonio Venanoio Cavalcante
Albuqerque.................
Ernesto Arcelino de Barros Franco
Francisco Manoel Wanderley Lins
Major Joo BaptistaPaes Barreto..
Dr. Felippe de Souza Leao....... 23
1:000 OOO
1:000 000
2:0003000
1:0003 WX)
1:0003000
1:0003000
1:000*000
5:000*000
1:0003000
2:0003000
5:0003000
5:0003000
10:0003000
3:0003000
1:0003000
400.3000
50:0003000
2:0003000
1 .-0005000
1:0003000
1:0003000
Descarregara hoje 21 de maio
Vapor nglez=S Barca inglezaSero/iAinamercaderas.
Escuna hespanhola/tos/la=vinhos.
Sumaca hespanhola=PortoWnsvinho. -
Escuna- hespanholaAiun'o=idcm.
IIECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendiraento do dia 1 a 19. 30:318*232
dem do dia 20...... 1:346*138
de guerra.
0 onsellio de compras do arsenal
procesa comprar-o segninte :
4 eellins.
46pares-de1otins.
1 camisa de meia.
58 lencos. .
38 pares de luvas.
58 pares io meias.
142 varaa.de algodozinho.
' 5 duztas de tahuas de picho de 3|4 ele grossura.
5 fexes de arcos de ferie de 1 pollejada.
?I ditos dito dito 1 i|2 dita,
6 espadas.
6 psteos de espoleta.
1 tesoura para torar cavallos.
. 1 cerioga de metal.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentem suas propostas com as competentes
amostras, na sala do eonselho, as 11 he ras do dia
23 do corrente.
Sala do eonselho de compras do arsenal de
guerra de Pernambuco 15 de maio de 1869.
Jos da Silva Guiroares,
Presidente interino.
Jos Baptista de Castro Silva,
Secretario.
O resto dos bilhete6 acham-sea venda m casa
da benefieada ra Bella n. 12 e no dia do es-
Ptaculo,no escriptorio do theatro.
THEATRO
Gjrmnasio Campestre
O beneficio do 1 flauta que devia ter lugar
hontem, flea transferido para (mando fr annuu-
ciado. .
Lisboa
AVISOS MARTIMOS.
*autu Casa da Hiericoi dia
llecife.
A Illm.% junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recite manda fazer publico quena
sala de suas sesses, no dia 20 de maio, pelas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
11 a ( m mais vantagens offerecer, pelo teiapo de um
a. tres annos, as rendas dos predios em saguida de-
clarados :
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra Direita.
dem de dous andares n. 8. 1:067000
Ra do Cordoniz
Casa terrea n. 3.......300*000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 47
'1703000
31:8943690
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimenio do da 1 a 19.
Idem do d.\ 20. .
.16:394*736
2:933*173
39:349*909
15
25
20
25
o
3:000*000
5:000*000
1:0003000
4:000*000
1:000*000
3:0003000
1:0003000
1:000*000
1:0003000
1:900*000
PVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados' no da 20.
Mamanguape4 dias, hiato brasileiri, Flor ib Rio
Grande, de 11 toneladas, capito Vioente Fer-
reira da Costa, equipagem 4, carga milho, algo,
dao e couros; ao mesmo capito.
Montevideo27 dias, patacho dinamarquez uro,
de 170 toneladas, capito D. A. Carlsen, equi-
pagem 8, carga 2,50n qnintaes hespanhoes de
carne; a Bailar & Oliveira.
Navio saludo no mesmo dia.
PortoBarca portugueza Claudina, capito Jos
de Souza Amellas, carga assucar e outros g-
neros.
Observaoio.
Fundearam na lamaro ni patacho portuguez,
urna barca ingleza, nina barca noruiga, mas nao
tiveram coinmunieacao com a tena em eonse-
quencla do mao tempo.
dem idem n. 7.......' 176*000
Travessa de S. Jos.
Casa terrea n. 5....... 172*000
dem idem........ 159*000
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 30......177*000
dem idem n. 34.....\ 168*000
Idam idem n. 36. ... 1783000
Ra de Hortas,
Primero andar e soto do sobrado
n. 41.........300*000
Ra de Santa Thereza.
Casa terrea n. 4....... 1453000
dem idem n. 5....... 1713000
Ra larga do Rosario.
Primeiro andar e loja do sobrado n. 24 760*000
Terceiro dito do dito..... 241*000
Terceiro dito do dito..... 241*000
Ra do Calabouco.
Casa terrean. 18......300*000
dem n. 20........242*000
Ra Nova.
Casa terrean. 4r......800*000
Ra da Cadeia.
Sobrado de um andar n. 23 684*000
Ra da Moeda.
Sobrado de um andar n. 41 3003000
Primeiro andar do sobrado n. 37. -76*000
Segundo andar dito...... 96*000
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1. ..;.*.. 1003000
PATRIMONIO DOS ORPHOS.
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 94, por anno............240*000
Casa terrea n. 100...... 201*000
Sitio n. 5 do Forno da Cal. 130*000
Os pretendentes devero apresentar no acto da
arremataco as suas flaneas, ou compareccrem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericorda do Re-
cite, 8 de maio de 1869.
O escrivo,
Pedi-aPRodrigues de Souza,
COMPANHIA PERNAUBUCANA.
DE
Xavegacao costclra por vapor.
Parahyba, Natal,gjuaco, Mossor, Ara-
eaty,CearTAcarac e Granja.
O vapor Ipojuca, commandante
Martins, seguir para os portes cima
_ no dia 31 do corrente as 5 horas
da tarde. Recebe carga at o dia f9, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
COMPANHLV PERNAMBUCANA ...
DE .-'
."avegaro eostelra por vapor.
Mamanguape.
O vapor Coruripe, commandante Pcnna, seguir
para o porto cima no dia 28 do corrente as 6
hars da tarde. Recebe carga, encommendas, pa-
sagens e dinheiro a frete at as 2 horas da tarde
do dia da sahida, no escriptorio do Porte do Mattos
n. 12.
EDITAES.
5 1:000*000
10 2:000*000
40 8:000*
o
10
5
10
Jos Joaquim de S Barreto
Ignacio Jos da Silva.
i
l
10
1:000*
2:0003
1:000*
2:000*
5:0003
4003
200*
2:000*
8
i
2
25
30
25
23
23
23
23
400*
400*
400*
400*
5:000*
10.000*
5:000*
3:000*
5:000*
5:000*
3:000*
WIBUCACO^^
Aos nims. Srs. mdicos e ao
publico em o-eraL
Acaba de prover-se a botica d r.,. t
triz n. 77, de um completo sortija t IJ22fra"
memos productos cnimieos, phSnfaJf.i^'.f"
tas e todos os artigos eonwiS2^23w"
mentoa dessa ordem. &*abeleci-
Jto intuito de seren satisfeitos ipaaesquer ped-
Antonio Pereira da Cmara Lima
Francisco de Paula de Albuqer-
que Lima.................... j; i 000*
Jos Pedro Carneiro de Albuqer-
que ........................
Manoel Theodoro Mendes Lins....
Antonio Columbano Seraphicodc
Assis Carvalho...............
Jos Francisco de Albuqerque
Maranhd....................
Dr. Miguel Felippe do Souza Leao.
TenentecoronelJoaquim Maximi-
no Pereira Vianna............
Jos Rufino Barbosa da Silva.....
Dr. Manoel Gentil da Costa Alves.
Albino Jos da Silva............
Jos Caetano de Albuqerque....
Candido Affonso Moreira.........
Adriano Augusto de Almeida Jordo 2:000*000
Manoel Jos Dantas............... 2:000*000
Joo de Castro Guimaraes......... 1:0004000
t rancisco Goncalves Netto......... 4:000*000
Albino Jos Ferreira da Cunha..... 2:0004000
Bento de Barros Feij............. 5000*000
Antonio Augusto Ferreira Lima..... 2000*000
Bernardino da Silva Costo Campos.. 1:000*000
Andr da Abreu Porte............. 2:000*000
Dr. Manoel Thomaz de Bittenoourt
Corte Real..................... 1:000*000
Bernardo de Siqueira Castro Monteiro 2-000*000
Thomaz Fernandes da Cunha...... 2 000*000
Jos Lucio Monteiro da Fonseca Filho 1:000*000
Dr. Manoel de Figueira Faria..... 1 0004000
Alexandre dos Santos Barros.....,. 1000*000
Manoel da Cunha Wanderley y ns.. 5:000*000
Miguel Jos da Costa........... 1000*000
Bernardino Jos daSilva Maia....' 5-000*000
Antonio de Souza Guerra........f. i :0004000
Jos Antonio de Almeida Cunha..... 1 000*000
Antonio Jos da Cunha.......... j ^ooolooo
"TS1 ^"K' Malenca.... 1:000*000
Manoel Pedro Noronha.......... ^ JOlOOO
Fjancisci do Reg Baptista........ 000*000
2a sec^o.Secretaria do governo de Pernam-
buco 13 de maio de 1869.
Edital. Pela secretaria do gorer.no se faz pu-
blico para conheciraento de quera rateressar possa
o edital abaixo transcripto do jniz municipal e-de
orpnaos supplente- do termo do Bom-Conselho
pondo a conciurso a serventa vitalicia dos officios
de 2o tabelliao-e escrivo de execucoes civeis e
crimes d'aquelle termo creadas por forra do de-
creto de 30 de Janeiro de 1834. Os pretendentes
devem apresentar seus requerimeutos no praso de
60 das instruidos na forma o decreto n. 817 de
30 de agosto de 1831.
Edital.Luiz Paulino de Hollanda Valenca cllicial
da imperial ordem da Rosa, tenente-coronel da
guarda nacional e juiz municipal supplente em
exercicio no termo de S. Bento por S. M. Impe-
rial, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem, que
achando-se vago os officios de 2o tabellio e escri-
vo das eMcuces crimes e civeis deste termo,
por nao teT tirado o respectivo titulo o servenlua-
no nomeado Fideralino Antonio da Silva Lentos,
no praso marcado, ponho em concurso os respec-
tivo officios como foi ordenado pelo Ebcm. Sr. pre-
sidente da provincia em officio de 22 do marco do
corrente anno por isso pelo presento convido as
pessoas que o pretenderem a se mostraran habi-
litadas no praso de 60 dias contados da data
deste.
S. Benlo 3 de maio de 1869.Luiz Paulino de
Hollanda Valenga. O sccrotario Dr. Joaquim
Correa de Aran jo.
Coselho de compras
navaes.
De ordem do Illm. Sr. presidente do
eonselho faco publico que. por ser impedi-
do o dia de amanh5a para a compra annun-
ciada ie diversos objectos do material d'ar-
mada, em consequencia de continuar na
inspeceo do arsenal de marinha v concur-
so para preenchimento dos lugares vagos,
acha-se, pois, transferida para 21 do cor-
rente mez.
Sala das sessoes do eonselho de compras
navaes 18 de maio de 1809.
O secretario,
Alexandre Rodrigues domAjijos.
BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul sperado
at o dia 21 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
Alcoforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a dua.'
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicas
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
Segu com brevldade a barca portugueza Purei-
r* Borges por ter parte de sua carga prompto :
para o restante e passageiros trato-se com Olivei-
ra, Filhos C, largo do Corpo Santo n. 19.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
.\arra?5o eostelra por vapor.
Goianoa
O vapor Parahyba, eom-
mandanli! Mello, seguir para
o porto cima no dia 26 do cor-
rente as !) horas da noite. Recebe
carga, encommendas. passageiros
no escriptorio do Forte do Mat-
o dinheiro
tos o. 12.
LEILOES.
Eio de Janeiro
Segu com brevidadp- para o porto cima o bri-
gue nacional Isabel, por ter parte do seu earrega-
mento engajado para o resto que lhe falta, ira-
ta-se com os consignatarios Antonio Luiz lie Oli
yeira Azevedo & C, ra da Cruz n. 57, primeiro
andar.
Para a Ilha de S. Miguel
Segu em poucos dias a escuna p~ortugueza
Oliweira, para o resto da carga e passageiros tra-
ta-se com Candido
A polio n. 22.
Affonso Moreira na ra do
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 25 de maio o vapor
Tocantins, commandante J. M.
Ferreira Franco, o qual depois
da demora do costume seguir
para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros o engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas hotos do dia da
sua sabida.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes lmites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
I" andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
LEILAO
De movis, louea, vldros e es-
cravos.
IMMK
Jos Aires da Silva Guimaraes tendo seguido
para Europa, far jeilo por intervenco do agen-
te Pinto, dos movis e mais objectos abaixo des-
criptos existentes em casa de sua residencia a
ra do Se ve n. 38 (Ilha dos Ratos.)
A SABER:
Um piano, 1 mobilia de Jacaranda cora 1 sola.
2 consolos com peoras, 4 cadeiras de bragos e 18
de guarnicao, 2 ricos espelhos .dourados (gran-
des), tapetes, escarradeiras, rastieaes e mangas,
candieiros a gaz. jarros,. 1 rico relogio, 1 espin-
garda, I cama de casados, 1 dita de ferro, 1 com-
moda, 2 guarda vestidos, 1 toillet, 1 earteira de
mogno, l guarda rpupa, 1 dito com espelho, 1
marqueza e 12 cadeiras de amarello, 1 cosmora-
ma, 1 lavatorio, 1 eama de mola, 1 mesa elstica,
1 guarda louca, 2 apparadores, 8 quadros tinos, 1
apparelho de porcelana para jantar, i dito para
cha, compoteiras, garra ras, copos, clices, porta-
queijo, 1 porta licor, 1 sof e 18 cadeiras, bandei-
jas, 1 quartinheira, 1 relogio de marmore, 1 cos-
tureira, 1 taboleiro de damas (gamo), i mesa
com 2 gavetas, garrafas ^ com vinho do Porto e
muitos oulros objectos de asa de familia.
Duas escravas com habilidades.
O lcilo principiar as 10 horas do dia sexta-
feira-feira 21 do corrente na referida casa da Ilha
dos Ratos n. 38.
LEILAO
De barricas e saceos com farf-
ulla de trigo eom avarla.
Sexta-feira 21 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 68 barricas com farinha de trigo
e 27 saceos coardia, salvada do hiat nacional
Santa Cruz', naufragado em Maracaja, sero
vendidos no dia cima as 11 horas da manhaa
no armazem do Sr. Loyo no Forte do Mattos.
LEILAO
Dos salvados do hale nacional
Santa Cruz.
HO*E.
O'agente Pestaa far leilo por conta c
risco de quem pertencer dos salvados do
hiate nacional Santa Cruz, naufragado em
Maracaja, consistindo em pipas e barris
com vinhos branco e tinto, barris com
manteiga, gigos com louca, barris com ce-
bo, bataneas com cerveja, genebras em
frasqueiras, barricas com enxadas e ferra-
gen's, caixas com velas de cera, barris com
vinagre e azeite doce, e muitos outros g-
neros que se acharao patentes, e serlo ven-
didos na sexta-feira 21 do corrente pelas
H lioras da manhaa, no armazem alfande-
gado do Sr. Loyo, no Forte do Mattos.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DE
mem a (Ntoaim
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaeo eostelra por vapor.
Macei em direituia e Penedo.
O vapor Gigui, commandante Aze-
vedo, seguir para os portos cima no
dia 22 do corrente as 5 horas da
tarde. Recebe carga at o dia 21 as 3 horas, en-
commendas, passagens e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da sahida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
DECLARACOES.
COMMERCIO.
O administrador da recebedoria de-rendas
internas geraes faz publico que neste jrrente mez
e no de maio prximo futuro, visto estorem con-
cluidos os lancamcntos, e que os devederes do
imP3to pessoal, relativo ao exercicio corrente de
1868 a 1859, residentes as freguezias do Recite
Santo Antonio, Affogados, Poco da Patella, Van=ea!
s>. Lourenco da Matta, S. Amaro de Jaboato e
Muribeca, teem de paga-Io, vre da malta de 6 0,0
e com ella depojs do referido prazo.
Recebedoria de Pernambuco 3 de Abril de 1859.
______ Manoel Cameirode Souza Lacerda.
Os senhores.
Thomaz
J. Augcsto.
Brochado.
De ordem do Illm. Sr. conselheiro, inspector
da thesouraria de razenda desta provincia se de-
clara para conhecimento de quem interessar, que
o praso para a substiluco das notas de 10*000
da quarta e 5*000 da sexta estampas nnda-se no
ultimo de junho prximo vndouro, comecando do
1* de julho seguinte em dianto o deslomo de dez
por cento para as referidas notas.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-1
nambueo 19 de maio de 1869.
O official-maior,
. ________Manoel Mamede da Silva Costa.
seja de
PRACA DO HEC1FK 10 DE MAIO.
DE 1869.
3 1/1 MORAS DA TASDR.
Londres 90 d/v 18 3/4
AS
Cambio sobre
1*000.
d.
por
F. J. Sveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
Banco Man & G.
Kna do toanraerclo n 34.
Descont letras commercuies a tajea convencio-
nal.
A alfandega desta cidade precisa 0om&rar
para o seu expedient os seguintes objectos :
. }<\ -,n?a deciraal 'P mximo dso sel
l,o00 kilogr, '
16 peses de 30 kilogr. cada um.
9 ditos de 15 ,
9 ditos de 10 b
9 ditos de o -. >
9 ditos de 2 ,
9 ditos de 1 > o >
9 ditos de 0,5 kilogr. ou 808 grammas cada uro.
9 ditos de 200 grammas cada-um.
9 ditos de 100 b ,
9 ditos de 50
9 ditos de 20 ,
9 ditos de 10 .
1 medida de litro.
1 dita de meio dito.
1 dita de decilitro.
1 dita de centilitro.
Quem quizer fornecer taes objectos eorapareca
eom suas propostas em carta fechada ;.te o dia 31
do corrente.
Alfandafa de Pernambuco 1S de dua de 1869
Assignaao-0 inspector interino,
L. de C. P. de Andrade,
3 m
%
5
(Se o tempo permetti)
Achando-se restabeleeido dos seus incommo-
dos o artista Thomaz, sobe a scena pela primeira
vez o novo drama em 1 acto, original brasileiro
composto por uma actriz do theatro de Santa Isa-
bel e pela mesma ofterecida as Exmas. Sras. de
Pernambuco
I I.IIEII OVE PERDE
MLHER QUE SALVA.
Personagens.
O brigadeiro Galvo. .
Alvaro. .....
Custodio, criado velho. .
Gabriel, moleque.....Jordani.
D. Leopoldina, cega, mulher de
, Alvaro......... Maria \ellutl
Brasilia, sua filha. .... Zulmlra.
Mme. Delannay, viuva Julia Aevedo.
Visinhos, visinhas etc., etc.
A scena passa-se em uma cata as margens do
Capibaribe.
poca actualidade.
Segu se a representaco da muito applaudida
comedia era 3 acto
0 PASSARO AZUL.
Na qual a Sra. D. Julia Azevedo representa
tres differentes papis.
Dar flm ao espectculo a aria-burlesc:, do Sr
Martinho .
O boleeiro apaixonadc.
Comecar as 8 horas.
Sabbado 22 de maio de 1869.
BENEriCK) 0A ACTRIZ
APOliOIVIA 4RDANIl.
Subir a cena a primeira representaco por
esta comnanhia do drama em 4 actos do Exm.
Sr. conselheiro Jos de Alencar
Para o Rio Grande
do Sul
Deve seguir em poucos dias a barca nacional
Thereza I, recebo carga a frete : a tratar com
Baltar, Oliveira & C, ra do Vigario n. L pri-
meiro andar,
Para o Rio Grande
do Sul
Dove seguir dentro em poucos dias o patacho
nacional Bemfi;a, recebe carga a frete : a tratar
eom Baltar, Oliveira A C., rua do Vigario n. 1,
1' andar.
Transferido por causa da>copo tem, quinta-feira, 20 do corrente, para
Do grande estabelecimento de molhados c o'
tras mercaduras denominado a
LIGA
sito rua \ova a, O
Servindo de base o prego da offerta no ultim*
leilo.
LEILAO
NA
Pretende seguir eom muita brevidade para este
porto o palhabote portuguez Elephante por ter a
maior parte da carga engajada ; e para o resto
que lhe falta tratase com o consignatario Joa-
quim Jos Goncalves Beltro, rua do Commerio
"^ABA LISBOA-
A barca portugueza Pereira Borges segu para
Lisboa no dia 23 do corrente mez, e s recebe pas-
sageiros, para oque tem bons commodos : a tra-
tar com Oliveira, Filhos A C, n% praca do Corno
Santo n. 19, ou com o capito na praca do com-
mercio.
De uma excellente'machina de costura perfeila,
um piano forte, 1 mobilia de Jacaranda, dita du
faia, ricos espelhos grandes, 2 serpentinas, 1 se-
cretaria de Jacaranda (obra do Porto), 1 guarda
louca de mogno, 2 apparadores, 1 estante, 1 ca-
ma franceza de mogno com colxo de mola, 2
commodas, 1 rico relogio, 1 adereco de ouro de
le com coral e outros objectos.
Hoje 21 de maio as 10 horas.
Por intervenco do agente Piulo, no sobrado da
Ilha dos Ratos n. 30.
PORTO
MAI
Para o indicado porto pretende sahir em pon-
eos dias a veleira e bem condecida barca Social"
capito Rocha, por ter a maior parte do seu car-
regamento prorapto, e para o resto que lhe falta
e passageiros, para os quaes tem bons commodos,
trata-so com o consignatoro Joaquim Jos Gon-
gatvea Beltro, roa da Trapiche n. 17.
ILHA DES.MIGUEL
O muito conhecido patacho portuguez Jorgense,
a chegar por estes poucos dias do Kio de Janeiro,
sahir para o porta cima com muita brevidade,
visto ter o seu carregamento quasi prompto, e
para o resto que lhe falta e passageiros, para os
quaes tem bellos cemmodos, trata-se cora o con-
signatario Joo do Reg Lima, r.ua de Apollo nu-
mero 4.
LEILAO
De dividas na importancia de
O agente Martins far leilo a requerimento do
Dr. curador geral e por mandado do Illm. Sr.
Dr. juiz de orphos, das dividas activas parten-
rentes ao casal do fallecido Jos B. da Fonseca
Jnior, na importancia de 61:691*214.
Sabbado 22 do corrente.
No armazem da rua do Imperador n. 16, as II
horas do dia.
LEILAO
de
DIVIDAS NA IMPORTANCIA DE RS. 3:663*182.
O agente Martins far leilo a requerimento dos
curadores fiscaes da inassa fallida de Silvestre Pe-
reira da Cunha e por mandado do Illm. Sr. juiz
especial do commercio, das dividas activas de dita
massa na importancia de rs. 3-6C.13482.
Sabbado do correte
Nattrmazem da rua do Imperador n. 16 as 11
horas do dia
do
em
No fim do drama a orchestra tocar a polka
compeeu por nm professor pernambucano e of-
ferecida a beneficiada
APOLONIA
Segu pelo Sr. Joaquim Augusto a scena dra-
mtica do IHm. Sr. Dr. Cordeiro
Passagem de Humaytd
Segu pela beneficiada em carcter de vivan-
deira a eanconeta cmica
' III 4|I l-QI I
Termina o espectculo com a comedia m um
acto
Os dous tambores.
Comecar as 8 horas.
Para o Porto
seguir muito breve a barca portugueza Seguran-
reeme-ainda alguma carga e tambem passageiros-
a tratar com Cunha, Irmos A C, rua daMadre
de Dos n. 34.
PAJU. O PORTO
Deve seguir dentro em poucos dias a barca por-
tugueza Nova Sympatkia, de primeira marcha, por
ja ter prompu quasi toda a carga : para o resto
que lhe fatta e passageiros, aos quaes oflerece ri-
cos e excelentes commodos, trata-se com Baltar,
OtijwaG, ruadV|*f n. 1, primeiro
LEILAO
DE
Loja de fazenda
22 do corrente.
O agente Oliveira far leilo, por mandado
nim. Sr. Dr. juiz do commercio desta cidade,
exercicio, requerimento e sendo ouvidos-oe cura-
dores (caes da massa fallida de Guimaraes A Silva,
da linda armacao e fazendas da loja sita rua da
Imperatriz n. 36, servindo de base a offerta cm
leilo de 11 do corrente
Sabbado
ao meio-dia em ponto, no lugar da indicada loja,
podendo os pretendentes examinar previamente o
balance com suas avaliaces, em mao do referido
agente.
LEILAO
uma lancha, um bote, remos, dous mastros, duas
velas, 4ous compaasos e dous lampedes
Negnnda-felra 94 do corrate
s II horas em ponto
NO TRAPICHE D ALFANDEGA.
Henry Hnowies, capito da galera americana
B*U CroU, snbmergida o alto-mar, na sua ultima
viagem de Chincha Jetaads Cowes, far leilo,
ir i
4
i '4
.'I
N
*
i
I
,1
/
\
^

i
.1
"\
\


i
*
Diar ate- Feroftmbaeo Sexta /feira 21
18V9L

om lirn
ca de um eiuupiifad
lim boiup
ulaio >1 > Kj|rfw-l
e risco lUqMmlfettMi- fcff#r/>es*do peto,
ma to, salvados da
referida galera, o existente* em frente do trapiclw.
il'alfandcga, aonde se effectuar o leilao, no da e
hora supraditos. .
1ABQEE PE1TQBAL :)E ABO DEIATC
PLANTA DO DRASIL
H'itO. bwWtU
raoptise, e losse el i ron
PRErARA1
_-------
i
e 6 aeradas fle ftetlra de Lisboav3 portadas novas
para sobrado moderna, 1 portan e porta de cos-
tadioho, 2'i vaos de caixiliios, 8 ditas de alcova?, 1
columna, ripas eCaibro?, taboas,bandeirasc outros
objecto 4. -
Terca-Mra 25 do correlite.
s 4 horas da tarde
por intermedio do agente Pinto
na rtia da AtaMio (Boa-Vi5t) ulliino portao no
fundo d;i Caixa d'Ayua.
AVISOS DIVERSOS.
Club Pernambucano.
A partida de corrente mez tera lugar na
noute do din .
Precisa-se de oCGeiaes
Direita o. 67.
N
de
u
marcineiro : na ra
Ama
JOAQUIM DE ALMEIDA PINTO
P H A A C E U T I C d
Pernambiico nui larga do Rosario n. 10.
Irmandade do 88. Sacramen-
to do Recifei
De ordem da mesa regedora convido a todos os
nossos frotaos a reunirem-sc no respectivo con-
sistorio, as 11 horas do dia, domingo, 23 do cor-
ente, para, na forma do nosso eompromisso, ele-
ger-se a nova mesa regedora que ter de funecio-
nar no anno do 1809 a 4870.
Recife 20 de maio de 1869.
0 escriva> interino,
Joao da Cunta Mag al liaos Jnior.
Qaem precisar de urna ama, principalmente
para casa dehomem solteiro, a qnal tntolKt, cn-
gomma, etc., dirija-se a o pateo do Terco u. 28, que
adiar com quem tratar.
!R\ DO LIlMIffiHI!
Economa, utllidade e moderno
mercado.
Cambraias do cores, varieda-
des wn padres, covado .
Ditas de cores finas moder-
nas, covado......
Ditas de cores finissimas,
mindas, covado.....
Ditas de liaros grandes e listras
modernas, covado ....
Colterinhos de linho diversos
gosto, um.......
Ditos de dito muito fino chega-
dos no ultimo paquete um .
Alpacas lizas do cores muito
finas, bons gostos, covado .
Chitas escuras muito largas,
bellos padrees, covado.
Ditas coloridas miudas proprias
para familias, covado.
Ditas escuras econmicas, co-
vad *......
Ditas de riscadinhos, varieda-
de em padres, covado. .
Ditas escuras boa cnmposico,
covado .'....-
Ditas claras econmicas, co^
vado.. ....'
Ditas escuras e claras, covado.
Twllio
240
360
_400
500
400
600
800
400
400
300
3G0
320
340
280
i-se e urna ama para o sen-ico interno e
;io de urna isa1 de familia, rontendo aftaW
tres pessoas : njaer pretender diriji-so a ru>da
Matriz da Boa-Vista n. 12.
A abaixo assignada, viuva de .los Bernardo
deSouza, autorisada-pelos eredores do sea finado
marido,tem justo e contratado a vendada taberna
sita no largo do Pilar n. fl, eom o Sr. Constantino
Rodrigues Mendes. Recife 19 de rr.aiode 1869.
Rosa lolles Menetes e Sotiza.
Precisa-sede urna aro que conpre, eozinhe
e engomme para urna pesso : na ra da Cruz n
59. 2o andar.
ttenco
Precisa-se alugar, para casa de familia
urna escrava que saiba coser bem : quem
ti ver dirija-se ao largo do Corpo Santo
19, ou annuncie para se procurar.
n.
MI
Vira o c.'ilr,u:iont>>
Viva o
Viva o atfleirn
: fkt piaca do Hospital!
Os moradores da PBtf* do-bospital do
Parafto,.primados de entrare liirdosuaB
casas a p enchuto como outr'om-, visto que
a praca wroulaga, por se achareobstrui-
dos os lugares qiedav'am saliidasH aguas,
cesolveja n-se a contratar algumasr j tugadas
para esse (Im. Os pretendentes dirijam-se
ao chafariz e que alli acharo com quera
tratar.
O Paraelopkuron.
Aos ourives.
Desapparec.ou da padaria allerc";*'ns. 2
e 4 da ra do Lim* em S. Amaro, urna
corrente com urna moedinlta o uut pexi-
nho, tudo de ouro, para menino; quem
estes objectos levar na casa cima ser
recompensado.
Na ra do Imperador n. 63,2a andar, precisa-
se de urna ama que saiba coser e engommar bem.
Precisa-se de um prefo escravo para todo o
servico de urna casa ; assim como de um bom co-
/.iiilicno : na na da Cruz n. l'm hot.il nacional.
DO
BRASIL E PORTUGAL
RESIDENCIA
O Dr. Cosmo de S Pereira mudon sua residen
ciapara a rna do Imperador n. 2, Io e 2 anda-
res, onde contina no exercicio do sna proflssao
medica, para o que pode ser procurado a qual-
quer hora do dia ou da noite, nos casos graves.
Todos os dias das 6 as 9 horas da manhaa, menos
aos domingos, dar consultas ir qualquer pessoa, sobre qualquer ponto de sua pro-
lissao, ecom especial cuidado solre molestias de
olhos, do peito, e dos orgaos genito urinarios ; e
quando o caso for cirurgico, p'raticar as opera-
coes que julgar conveniente para o restabeleci-
mente do seu cliente.
Lava-se c .
a 160 rs., camisas a 120 r>.
tecco do Sarapatel n. 11.
engomma-se com perfeicao calcas
coletes a 120 rs.
DO
Aluga se a casa terrea da ra da S:>ledade
n. 32, a qual tem ditas salas, qnatro alcovas, co-
zinha fra, alm desla mais tres quartos, cacimba
propria, ludo murado, e com mnitos arvoredos de
nudo : quem a pretender, dirija-se a ra do
Queim.id, loja n. 1, do Sr. Gaspar.
4-ttenQao
a-se a premio a quanlia de 20:0093000 me-
diante firmas a contento : quem pretender, an-
uuncie.
Escravo
Precisa-se alugar um escravo
manhaa s 5 da tarde : na ra
! andar.
das 8 horas da
da Cruz n. iii.
00.
AO PUBLICO
A sociedade de dan?a da ra do Commcrcio tem
aberto um emprestimo em MQOet de 205000 para
comprar mobilias, leitos etc., etc. Alerta, isto leva
agoa no bico, previnam-se com a rapazeada,
O Hercules__________
Precisase alugar urna ama para cozinhar,
lavar e comprar : a tratar na Roa-Vista, ra dos
Pires n. 70, casa terrea. _______________________
Fugio do engenho Penedo de Raixo, fregue-
lia de S Lourenco da Malta, no dia 8 de abril, o
escravo Daniel, i-rioulo, idade lo annos, pouco
mais ou menos, barbado, altura regular, cheio do
corpo, p ;s grandes; roga-se as autoridades poli
eiaes, capitaes de campo, ou qualquer pessoa do
povo, a captura do dito escravo e mesmo engenho, que serao bem recompensados.
ra Direita n.
Ha para vender um completo sor-
timento de fogos artificiaes, tanto
paraSras.,coaao para criancas, pis-
tollas brancas e de cores, com 3,
4, 5 e G blatas, Tontainas, cravei-
ros, rodinhas ingellas e dobradas,
foguetinhos, buscaps, Ilumina- \
goes etc, etc., feito por um dos j
melhores artistas deste genero.
Tambem ha para vender salitre, en- \
xofro, brifino, facas e garfos ;
de diversos preces e qualidades,
bandeijas finas quadradas e ovaes ;
alm do grande sorUmento de fer-
ragens, miuiezas, cutelarias e trem |
para cozinha, etc, etc.
Ra Direita n. 53,1 oja de Manoel
Bento de 0. Braga & C.
At que chegaram
SYSTEM\ DESSIMV;
Grande factura de pesos kilogram-
mas em serie completa de todos
os tamanhos, melhores de com
prehender do que os que at boje
tem vindo ao mercado, chegaram
smente para a loja de Manoel
Bento de Oliveira Braga & C, ra
Direita n. 53, e com diminuido
preces, venham em tempo.
TIWUMPH MEDICA DA SClENt'J
(i
Situado em om dos bairros mais centraes de- Pars, sendo as immediacoes dos
principaes theatros e oulrosmuitos diverliraentos, e assim das estacSesdos caminhosd*
ferro para todos os pontos da Eurepa, acabado de ser inteiramente renovado, nao s
tendo poupado o seu novo proprietario a despezas para seo completo embellesamento a
aceio, torna-se portanto vatitajosamente recommendavel aos senbores brasileiros e por-
tnguezes, a onde encontrar3o sempre aquella convivencia desejada em paiz estranho,
por ser constantemente frequentado por seos compatriotas. 0 tratamento superior a
todo o elogio, mesa redonda, ou a carta, ou servida nos apozentos; babitagoes conve-
nientemente despostas para familias, e quartos para urna so pessoa, o servigo feilo
com a precisa regularidade: os pregos muito rasoaveis eao.alcance tambem aVaqueUas
pessoas que se queiram limitar.
Gabinete de leitura com os principaes jornaesdos dous paizes, salo de recepgSoe
le msica, etc. etc. Todas estas vantagens podem ser appcadas igualmente aos sentao-
res passageirts das repblicas do Prata, porque alm da semelhanga dalingua, ali en-
;ontraro muitos senhores hespanhoes, por quem tambem esta casa bastante fre-
cuentada.
CURAS IMPORTANTES
Do xarope Vegetal Americano especialidade de Barthoiomco&C'
34.RA LARGA DO ROSARIO.34.
Precisa-se
alugar um muleque de H a 18 annos, que seja
fiel, para trabalhar em urna fabrica de velas : na
ra do Vigario n. 26.
(SSA DA FORTUNA
Aos 4:000^
Bilhetes garantidos.
A ra do Crespo n. 23 e casas do costume.
O abaixo assignado tendo vendido nos seusmui-
to felizes bilhetes garantidos 1 meio n. 8090 com a
sorte de 700|,1 meio n. 3581 com a sorte de 2025
e outras muitas sortes do 400J, 40* e 203 da
lotera que se acabou do extrahir em beneficio
da matriz de Vilia Bella (106'), convida aos pos-
suidores a virem receber seus respectivos pre-
mios sem os descontos das leis na casa da For-
tuna ra do Crespo n. 23.
Achara-se a venda os da 2" parte da lotera a
beneficio da matriz de Buique (107), que se ex-
irahir.
Precos.
Bilhete.....4*000
Meio.....2*000
Quarto.....1*000
Em porcae de 100* para cima,
Bilhete.....3*500
Meio......1*750
Quarto. .... -875
_______Manoel Martins Finza.
Na ra do (Jueimado n. 1, precisa-se fallar
c*m os Srs. abaixo moncionados, a negocio de seus
interesses:
Frederico Antonio de Mello.
Joao Antonio de Mello.
Marcelino Antonio Pereira.
Jos Flix d'Oliveira.
Elias Pereira Goncalves da Cunta.
Dr. Candido J. Casado Lima.
Antonio Bernardo dos Santos Jnior.
Jos Pedro Velloso da Silveira Jnior.
Antonio Mximo de Barros Leitc.
llieardo Pereira do Nasci ment.
Jos Leandro Martins Filgueira.
Jos Mara de Vasconcellos Bourbon.
Praneelifto Domingos de Moura.
Methodo Oastilko
Secundino Jos de Fara Simoes, professor par-
ticular de instrucrao elemenar pelo methodo Cas-
tilho, avisa ao respeitavel publico c com especia-
lidade aos pais de familia, que est aberta sua
aula desde o dia 7 de Janeiro, na ra da Penha n.
25, Io andar, aonde recebe pensionista por preco
commodo. O mesmo professor promette muito se
esmerar no adiantamento de seus alumnos. Adia-
se aberto desde o mesmo dia um curso de pri-
meiras letras a noite para aquellas pessoas que
nao poderem frequentar durante o dia,
Ama
Precisa-se de urna ama para todo servico : na
roa do Lvramento n. 38.________
Precisa-se alugar um 1 ou 2" andar no Re-
cife ou Santo Antonio ; quem tiver dirija-so a ra
do Trapiche n. 3, andar,
= Precisa-se contratar com algnem o suppn-
mento da roupa lavada e engommada de um col-
legio de meninos : trata-se na ra Nova n. 46.
ir ni andarte lo **. Sacramen-
to de 91. Antonio do Reeife.
Tendo esta irmandade de proceder a elei-
go da nova mesa que dever servir no
anno de 1869 a 1870, s5o pelo presente
convidados todos os irmos comparece-
rem no dia 23 do corrente mez, s 9 horas
da manhla no consistorio da mesma ir-
mandade para o referido Gm.
O escrivSo.
Miguel A. Miudelh.
ttenco
Olio Scheider, tintureiro, tendo-se despedido
da tinturara franceza da ra da Imperatriz n. 55,
participa ao respeitavel publico que se acha esta-
Trecisa-se arrendar um sitio que tenha terreno
sufciento para plantacao e pasto para animaes :
na ra Direita n. 45, foja.
Sr. Jes Pereira de Miranda Cunha
tem urna carta nesta typographia.
olecid'o na na" do Rosario da Boa-Vista n. 44,
prompto a Ungir, lnvar e limpar qualquer obra de
laa, soda e algodao, tambem tinge chapeos de fel-
tro, pajha ejnanilha, tudo por precos razoaveis.
T'eitor.
Precisa-se de um fcitor quo seja bom hortelao,
para um pequeo sitio dentro da praca : a tratar
na ra da Praia, armazens ns. 13 e 15.
Em tempos modernos nenbum descubrt-
mento operou maior revolucao no modo de
curar anteriormente em voga do que o
PEITOIIYL DE AMCAHII1TA
TANTO NO TRATAMENTO DA
TOSSE, CR0P0,
ASTHMA, THISICA,
R0UQUID0, nESKIUAMEMOS.
BRONCI1ITES,
losm. co>hulsa,-
DORES DE PEITO,
EXPECTURACO DE S\NGE.
Como em toda a grande serie de enfermi-
dades da garanta, do peito e dos orgaos
da respiraco, que tanto atormentam e fa-
zemsoffrer'a humanidade. A maneira an-
tiga de curar consista geralmente na appli-
caco de vesicatorios, sangrias,sarjar ou ap-
plicar exteriormentc ungentos fortissjmos
compostos d substancias vesicantes, alm
deproduzirempolhas; cujos differentes mo-
dos de curar, n5o faziam senao enfraque-
cer e diminuir as forgas do pobre doente,
contribuindo por esta forma d'uraa maneira
mais fcil e certa para a enl'ermidade a dcs-
truico ievitavel de sua victima Quem dif-
erente pois o effeito adrairavel do
P#T0RAL DE ANACVHUITA !
em vez de irritar, mortificar e cauzar
inauditos soffrimentos ao doente,
calma, modifica e suaviza a dob.
allivia a irrita cao
desemvolve 0 entendiment0,
fortifica o corpo
^ e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa (os
Lentes dos CoUegios de Medicina de Berlim)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relacoes analgicas, ou alm disso'a experi-
encia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com|
este maravilhoso remedio, sao mais que
suficientes para sustentarem a opinio do
PEITORAL DE ANACAHUITA I
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, em quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, formam a base da
maior parte dos Xaropes, com os f quaes tao
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composico de Anacahuita Peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafada
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma colher pequea: basta ge-
ralmente a applicacao d'ura ou dous frascos
para a effectua^o de qualquer cura.
Acha-se a venda nos eslabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo C, P. Maurer
& C, M. A, Barbosa. Bartholomeu & C, e
emtodasas principaes boticas e lojas de
MOLESTIAS do PEITO
HYPPHOSPHITOS
dODrCHURCH LL
XAROPE de HYPOPHOSPHITQ de SODA
XAROPEdeHYPOPHOSPHITO c e CAL
PILULASdeHYPOPHOSPHITDde^iUfNINO
CHLOROSE ANEMIA
CORES PLIDAS
XAROPEdeHYPOPHOSPHITO du FERRO
PILULASdeHYPuPHQSPHiTOdefflArlGAnESIA
TOSSE BRONCHITL
DEFLUXOS lASTHMA
PASTUES PECTORAES^b-CHIRCHILL
Eligir para os xaropes o frasco quadrado e em
todos os producios a assignatura do D'" CHR-
tuiLL, e o letreiro com a marca de fabrica da
Pharmacia SWANN, 12, runCastiglxone. PARS
DEVALLET
As piiaiiiM de VoOet. approvadas pela
Academia imperial de medicina de Pariz,
sad empregadas com o maior
xito para curar a clilorosis,
e fortilicar as constituicoe
iracas. Nunca este ferrugi-
nosn ennegrece os denles.
Para a garanta da sua autlicnlicidade,
o nonic do inventor vai gravado ta cada
pihda domo margem.
. _.. ) em Um Iiiimi Duponcbrtle; Checolol.
! i m rnuwn, >tar Noa coslomamoi procorir Itestados pra icredilar
nos-os preparsdos^e deijamos que f n;i applicaco e os
resultass oblidos pelas pessoas que se dignaram acivla-
los, Ihcs deem crodilo e voga ; porque cao sempre os
altesladoi considerados gratuitos, e dellrs que tonga
mao o charlatanismo; mas n qnerendo oflender as pes-
soas que espontneamente nosolTereceram.os que abano
To transcriptos, os fuemos publicar roinirestaudo-lhes
nossa gratulao 'pela ttenco. esperando qne Tcnbam
elles corroborar o coDceilo, e acceilaco que (em mere-
cido nosso xarope. JtartAoIomco k C.
ITT ESTADOS.
Illms. Srs. Bartholomeo & (',. com a mais sabida
salisfafo que declaro ser o xarope Americano de ama
etflcacia extraordinaria, pois que soUrendo ba dias de
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a
despeito mesmo de medicamentos que lomara, a elle
recorr e na terceira colher fui alliviado, e de todo me
acho boje reslabelecido com o il*o someute de qtiasi
meio frasco; grato pois a esse resultado matiifesto a
V, Ss. mea reconhecimento. Ue Vr. Ss. amigo, ve-
nerador e obrigado. Manoel Antonio Viegas Jnior.
Sna casa '0 de abril de l(Ui8.
Illms. Srs. Bartholomeo S C. Tenhoradissimocom
o favor que me Uzeram de aconseluar o uso do xarope
Vegetal Americano, de sua compoeicao, quando ni
ai heva bstanle doente de urna tenstipacto, qne ce
tornou completamente ronco e que trouxe ama forte
tossei e me impossibilitnn de cumprir os meus deveres
de cantor da empreza lyrica, vou agradecer-Ibes mea>
completo resttbelecimenlo, que oblive com um s vidrst
do mesmo xarope, depois de havtr recrrido a mohos
tratamentos. Descjarei qne oulros como eu recorrnna
ao seu xarope para se vercm aliviados de tas lerri'et
incommodn, to fatal neste paii. Com maior consicle-
recAo contino a ser de Vv. Ss. aliento, venerador
obligado. Luz Ciemona. Hecife 25 de selembr
de 1868.
Illms Srs Bartholomeo ftC 0 xarope Vegetal Ame-
ricano que Vv. Ss. lm expnsto i venda de toda eltt-
cacia para o curativo d'asihma, cauforme observei ip-
plicando-o a meo lilho loaqnim, menor de qaalro
annos; victima d'esse flagello. qne at enlsopor espafo
excedente a dous annos hava resistido a onlros xaro)ies
de grande nomeada. Queiram pois Vv. Ss. acceitar a
expresso altamente sincera de men reconhecimento ao
meritorio servico que Ihe prestaram com o india d
xarope, acreditndome para sempre de Vv. Ss. criado,
aliento e obligado. Amrrico Netlo de Mendonca.
Recife 2 de outubro de 868.

POS DE ROG
Appiovados pela Academia imperial
de medicina de Variz
l'm frasco do 96* ie Rog, dissohrido
em urna garrafa d'agua, da urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar i menor
irritacao como acontece com a maior
parte dos outros purganle;. Os Pst de
Rog, s3o inalteraveis por sso empre-
gam-se fcilmente em viagem.
. i emllio-JisEiiio, DnponcheUr; CkepoM.
''P'51" cm taumeo, Haurer 7*. A
AVISO
aos convalescentes e s pessoas
fracas e debilitadas
SOFFRIMENTOS D'ESTOMAGO, CONSTIPA$AO.
Cura em poucos dias polo CARVAO DE BELLOC cm p ou em pastillas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Bmaffec6eSsaodi-
sipadas rapulamente pelas PEROLAS D'ETHER i D' UERTiS.
ANEMIA, A PALLIDEZ e os suffiiinentos que necessitam do
empreo dos ferruginosos sao sempre combatidos com o mclhor resultado
pelas PIHUAS DE VALLET. Cada Pilula tem incravado o nomeViUET.
i frase*
O QUINIUM LABARRAQUE approvado
pela Academia imperial de mecicina de
Pariz o tnico por excellenci;u
Dtp I lo
em Rio-Itano, Dn/onckelle; Checolol.
m Saamuico, Uarer i C".
PO DE ROG. Basta dissolver un irasco d'estc p em meio
garrafa *'agua para se obti-r una limonada agradavel que purga sem fa-
ker clicas. ,
VINHO DE QUINIUM de Abarraque. Este vinho, um dos
poucos cuja composico garantida constante, urna das melhores pre-
iiarac&rs de quinino, sem accio notavel sobre os convalescentes, dando-
Ibes foi^M pressanilo i volta a saude. Curo o fobi*o antie que re-
sisti ao sufato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A maior parte d'estas moles-
tias, como as sciaticas, lombagos, catarros, e todas as dores nervosas em
geral So curadas pelas PEROLAS DE ESSEMCIA DE THEREBINTINA do
Dr. ClerUn. 0 professor Trousseau em seu Tratado de teraputico acon-
selha as para serem tomadas na occasio do jantar, na dse de 4 12.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH.
GaiHiitio puro c de primara qualidade, um dos poucos aprovados pela
Academia de medicina.
AVISO. Todos estes medicamentos foram aprovados pela Academia
imperial de medicina de Paiis.
Rio-Janeiro.
uliia.. .
Em Paria,
Doposciif.li-e ;
Tesdori'h.
Hassi et C".
DEPOSITO
L FRERB, 19, me Jacob
jhwiim i Peruambuco. Macrek et C'1.
Ceara.....Mache* et O.
K*sm
INJECTION BRO
Hulale InUlllvel e Preservallta, boluUmcnlu tnica que cura ni neuhum donno. V.Lde*
tu priaeipies boticas da mundo. (Exigir a intime** 4* *). (M annM oe exisuncia.) Par, ( n
4* bmastf BIOTJ. kMltvtH wenl*. 141.
dragas*
PILULESSHCAUVIN
____ |Jt boulatird S4bMopol. Piril.
Est precioso' B-oroallvo Ml.fM ^1^
cono aradavel o remedio mais inlallnel para des-
trair as eonstlpaco*.. s e*ral|la, "
keld*s, assim como a billa u "S*?*?"^.
Elle e erBciz as aMnila, obl ^*"'"^
cea*. aathoa*. *re#^eurrlia, emptgeia,
^" fre^nTd.'SSIlM Cainrlai pode resa-
mir-se nest. palavras i BUaiakcleMr **>
BlasMnloe'pedem nm resguardo na comida nea
bebida-, m do laaante ecparaiaWa, ante tomar
ellas nis refeccoes : em dose purgativa de noite ao
deit*r-te.
Ptntambw MM Maairer I.
VERDADEIRAS
P1LULAS DE BLrNCrRD
CO. IODURETO DO FERRO INALTRAVEU
. APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
r FofsnJndo s propriedades do ledo et do Um. eonran tpecilmente as ;*>*2
McaonrtosAS, Tsica no principio, a fraqwsade totnp#re^ttjni>Mniio easo d#
^Tmoor, LSowiireA, em que preciMREAGiE SOBRE o sarcto se,, para resi.tidr
.lh a hu ritnjera e abundancia nomaes, ou para provocar regular o u carao penodiw.
If. O lodnrata d* ferro impuro on alterado 4 m medicamento iaflal.
Irritante. Como prora de pnrea de anthenddad* dai er**1ir*i *
le le-r, deve-n exigir notio aelU >** '*m*Tw*2i
nosso Srmak, aqni reprodnxida, qn* ta atba na parta innnor a aa
*! er<1e. Dr-M desconfiar das falsificacot.
** itt a* phwnrn, PhmrmatMtU. wto *mmpHl, 40, Pm+j
ir. a
II lrritan
ILV Maa
^k DOS
m:
p, CABUGA
JJj esquina
111 da roa larga do
Rosario.
_____DE JOIAS mfk
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um softimento sem igual, esquina
e vende por pre^oi que nenhuma outra casa pode vender. \^ raa largado]
vista da qufidade e do pre Garante-se sentado de lei. Compra-se ouro, prata e peclras finas por presos muito ele- Rosario.
vados.
Aj loja est aberta at fis 9 horas da noute.


^



'-*

Diario de Pernambuco Sexta eira 21 de Maio de 1869.
No pateo do Trro n. 31j
tre de msica.
a um raes-
WBTHOLOBEQ & C
COlMPAHfflA PEMAMBCAM
DE
Vi
PARA UZO INTERNO
PUHIUOOS SIHFLE3
Xarapa Je jarubeba, Vinho de urabeti. Plala* Oe
jrliebs. Tiulura de jurubeba. Extracto hjJralcoolice
oe jurubeba.
PUTURJBOS COrOSTOS
Vinho ilc jurubeba ferruginoso, Xarnpe de jurubeba
ferruginoso, flales de jurubeba ferrupinoso.
r* uzo EXTCTSO
leon luiubcba, Pomada de Jarabeo*, Emplastro de
taaaaaW.
A Jld'DEBA.
Esta (lauta t buje rrcoiibecida como o 10.113poderoso
Marco, cuino um excelente desob.ilrnente, e como tal
(pilcada nos cn^urgilamenlos do ligado e baco, na-
Irejuwos propriami-ntc ditas, ou anda complicadas
coa bur17.ii lin. as ioflaulinaco^s' subsecuentes as
febres iilcitiiitmtcs ou duieu;, no abo ssos internos,
ns (amores especialmente do tero e abdomen, nos
10mores glandulosos, na auazorclia, as brdiopezias,
ertfipcllas; c asfociada as proparaces ferruginosas,
VI do grande ranlagem as anemias, cliloroses,
'.alias de iiii'ii-tiuai'ilo, kucorrbeias,desarraigos atoni-
ras 1I0 estomago, debilidade orgnicas, e pobreza de
tsnguc, etc.
O que diremos afilrma os mais distinctos mdicos
desta tila Je, enlre os qnaes poJem os citar os lilla.
Sra. Urs. Silva llamos, Aquino Fonseca, Sarmenlo,
Se*e, I'ureira ile Csrmo. Firmo Xavier, Silva, etc. Todos
lie* rvconherea a exeellencia dVste poderoso medica-
aieato sobre os dentis ate hoje conbecidos para lodos
os casos citados, tanto que lodos os das fazem d'elle
ajipiicaclo.
Apresenlcndo aos mdicos e ao publico em geral di-
versos preparados da jurubeba, litemos por Um gene-
ralisar oais o aso d'este vcgclsl, fazenJo desapparecer
repugnancia que ate hoje senliam os doentes de asar
dos preparados empricos d'elle. o mais das vezea repu-
gnantes a iragarcm-se, e qae luiham anda a desventa-
gem de uo ser calculada a dose conveniente a appli-
car-se. o que lorna multas vezes improlicuo um medi-
camento, que podera produzir ptimos resultados.
')* uof sos prepados so foram spresentados depois de
- baveimos canvciiientemente esludado'a jurubeba, fa-
lcado as experiencias precisas para bem coubecer as
propriedades medicamentosas d'esla planta em suas
railes, tullas Trueles ou bagas, e a dose convenieulea
applicaclo, lendo alcni d'isto procurado levar os nossos
preparados ao maior grao de perfeicio possivel, para o
qae n.io poupamos esforcos, uo nos importando o
pooco lacro que possames tirar.
Por tanto o* que se dignarem recorrer aos nossos
preparados podem ter a cer eza de que elles offeiecem
a (aramia, de que se pode encontrar a prompla e infal-
lirel cara de qualque dos soffi imenlos, que dexamos
innnmerados, se forem em lempo applicado* tendo
alen d'isso, medico on doente a vaniagem de escolher
as nossas variadas preparaces, aquella que melbor
llie pode couvir, j pela fcil applicacob. e jpela com-
Slicscio das molestias, idade, sexo, ou anda nalureza
ecada individuo.
Asnossasprcparacoes ferruginosas saofeilas deforma
que se loruam complelamente soluveis nos suecos
gstricos, porque procuramos os composlos de ferro
que come toes esli boje rcconbrc Jos.
Para aquellos que mais minuciosamente qoeiram
coabecer as piopriedaJes da jurubeba^ saberem a ap-
plicaco de nossos preparados, destribuimos gratuila-
aaente em nosso deposito um folbrto, onde tratamos
mus extensamente d'esla planta e dos meemos prepa-
rados.
Deposito geral te lodos os preparados Botica e Drogart*
54, ru tarja do Hozatio, 34.
1 groja deNossa Senhora dy rWariu da ire-
gOMsfl fia BeaaVialS.
Os abaixo atigrados nomeados pelo lllm. Si\
Dr. provador de capailas para administrarern a
reeriila greja, e tendo ate dar principio as odrera
da tucsina iivj.i, e eoflau de si s nm possam la-
zar recorrem a prnieeefi.j das almas piedosas c
bem formadas, alim de lites ajudaran na ruedifi-
eacao da casa sagrada.
A commissib ennta que ao fazer este appello a
pncroaidade tos liis nao rao estes intimantes
atiento o lim a que dedicado tal pedido.
A greja estar afierta do da 10 por diarite'das
6 horas da manliaa s ti da larde. Atraerlas pos-
as suas esmolaVp mesina igreja 011 na tvpogra-
ohia deste DiaraWo lllm. Sr. Dr. Miguel' de F-
gkviroa Faria noti% digno protector.
A commissao declara que a pronorcan que flr
recebendo qualquer -esmola ir logo pradeceodo
por este Otario e a nossa excelsa padraeira nao
ra a reodilii-aco de na groja.
Consistorio da igreja de Nossa senhora do ltosa-
rio, 5 de maio de 1869.
Osario Aureliano Ventura.
Jna Pedio de SaM'Auna.
Autfr Avelino da Cosa.
i m 1
CIM8EIiHO DE ;)Iltl(V\O
Os Senhorefc.---Saund^rs Brotiifi & C-, Tasso
Irmos, Lu; Antcaio de Siqueim.
CJERIVTE
O SR. F. F. BORGFS
llestainio amda, emittir algumas acides d'esta cornpanhia, da quarita nominal de
iO^^OOO cada urna, das quaes s se aceitam em virtutle da le, 20 /0, ou 40^000 por
*ada accSo; coiivida-se pelo presente ao publico em geral c especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que queiram dar emprego seguro aos seus
apitaes, disponiveis, a subscrever o numero de accoes que Ibes approuver.
Algumas destas aeges j tera sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
Je na presente occasi5o (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, tomo vapores, predios etc., que Ibes garan-
tam seus capitaes.
A cornpanhia possue hoje 10 vapores, 6 inteiramente novos, e destes. o ultimo est
\ chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso esti edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
amblea.
Seus dividendos tem sido de 10 e/0 ao anno, nos ltimos 4 annos.,
As acces que se emittrem gozam dos mesmos direitos, e perceberio o beneficio
los mesmos dividendos que os antigos em propongo da entroda.
Uocehem-se assignaturas no-escriptorio da cornpanhia no seu edificio ao caes da
Vssembla n. 12
B 5?
3 i -i
ge S
M 30q "O c- (v
3 S g.
i, ST o. es
Igcl"
F'Sff S
2 -O 2 r>
'ha
5 3 oo t

o o s.
'/i
_
9 L&S
3i"
5* a. S e

-
V
00
Di
S
2 9
. d o
=3
5 3
y P '&
CO ~ /.
.U S >
= a3^
a o t.
s a o o
_ 3 3 qg_ M
Trooam-se
flotas do banco do Brasil e das e; ixas fUiaes,
50 descont multo raioavei: na praca da Inde-
pendencia n. ii.
1EMPRESTIM0 SOBA
(SEM LIMITE.)
Na Iravossa da ra
Cruzcs n, % p\>
raeiro andar, da-se qual-
quer quantia sobre ouro,
prala e pedras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condigoes Je ga-
rantir a transaccSo que se izer em
sua casa, promettendo todo e zelo
e considerado s pessoas ([ue se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
rrriun
N^ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
:
DI
EJC01TM 81 COSSTASIMEME llil COMPLETO SOBTllE.MO
CHAPEOS DE SOL
De todas as qualidades I
De todos os feitios 1
De todas os procos I
RA DO CRESPO
o
v.
-i
-' a O
O
-- 2

= 3
a. o a>
^ sr ^ P- &5
" o o

o
-3
a
z-
-5

O
: o
s
"O
g3
1
aO
-i
i
es
o.

Joaquim Ferfeita.dos Santos, profe-
sor de daoca, diejfado ltimamente da Eu-
ropa a esta provincia, tem a Iwnrn de par-
ticipar a cus Ilustres bdKfetftee, e tnui
principalmente aiK Aipnos cliees de familias
regra- na casa de ^ua residoia, ra do
Imperador n. 7o 2C andar, as 1er-ns, e
ifuintas-feiras, das 3 horas da tarde, at s
10 da noute, o aos domingos de maalia e
a uoute. rVompliliccado-se taiaV>m, a ir
as casas particulares e collegb nos das
que para sso lhe destgnarem.
Na ra iteia n. i, loja de funttera, pvoado dos Monte.*, prneis o abaja asonado
eatender-se enm o Sr. Manol Calisto de -Ronza a
negocio de *eu interesse ; itti no pra^o de tres
das. Recito 184e maio de ltltt.
Pedro Dtiarte Rodripues Franea.
Caxeiro
Prec*a-se de um pe<|ueni de 12 a Si anao>.
brasileiro ou porttif ucz, trae ana lor o serever,
cqoa dconliccinaaitto de sua eonducta : na ra
)rrata n. 5, loja.
rriLiuiUE ~
Aos500 pares de brincos.
Chegou e vende-se no Coraco
d'Quro, ra do Cabng, brincos de
maosmhas com urna franja penden-
te a um rico de&enho e ouro de
lei, pelo pequeo preco de ISjJOOO
cada -par. baraltssimo.
naffrwi natmam-aa taaaiaaaftaat atQaalfaaaaraati saac
SkIISii WBBm WSBSm mm
Manoel Luiz dos Santos 4 <3. estabe-
lecidos c-iMn armazem de cabos fu do Vi-
gario n. 5, julgam nada dever u esta praca,
c se alguem se considerar credor da mes-
bm firma, rjueira no praso de qtiinze dias
apiosetitar-sua conta, visto fer de retirar*
se da sociedade o socio gerente Manoel Luiz
rfes Santos.
Pcrnambaco, 10 de maio de 1869.
ManoelLuizdos Santos.
o n m
DA
Fabrica de Vieira Guimaraes
AMA
WSruada Peana n. 2K, 2 andar, precisa-se de
uiMt ania para vodo o service de urna casa de pou-
cafaraiita.
Em casa de THEODORO GBRISTt
ANSEN, ra "da Cruz n. 48, encontram-se
efiectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
ACTI1R
Ha rrtuita aecessidade de se fallar com o Sr.
(YoeoBM do Souza Santtauo, na ra iroita n 93
a negocio que rfo lhe dajre ser cstranho.
Fugio do enenlao Forno daal, o es-
cravo Elias, no dia 11 do corrente mer,
idade 30 annos pouco Kiais ou menos, tem
os signaes eguiates : na frente da cab&fa
'jm slgnal de cabellos braiacos, altura regu-
'ar, pouco grosso do cor^o, malwsto de
cara, tem ae mai^a*: do roso bastante le-
vantadas, t3 bigoaie epouca barba, le-
voa comsigo camisa branca, calca prata,
chapeo do Che, rimi onbecaJo na povoa-
';*o do Beberike, foi ?cravo do capillo
Amaro de Barros Correa: rratifiea-se gene-
rosaBenle a riuem o levar ao referido en-
fl-ho acjma.Jhecf^9_dejrjai.) de 1869.
.Z Prftcia'ff de urna ama para cozinbar para
e-asa de pouca familia : na ra d Cruz n. 20.
Antonio Perpetra da Sil-va Maia julga nada
dever .pessoa alguma, no entretanto se alguem se
juljjar seu credor queira apraseritar a sua eonta
ou titulo no prazo4e oito dias para ser pago.
CRIADO
Do Rio de ste acrediladisfimo rap tem encontrado a me-
lhor aeeitaeo posivel. O seu fabricante foi por
muito tempo gerente o mestre da fabrica de Joao
Paulo Cordeiro, e tendo-se estalieleeido, envidou
todos os esforcs, e conseguio fabr car rap, que
nada doixa a desojar, anies se lhe avantaja, pos-
to em parallelo com o da fabrica do dito Cordeiro.
O artma extremamente agradavel e tem sido
muito apreciado pelos amantes ta boa pitada.
Aclia-se i venda por groeso e a retitlho, na na do
'Vigario n. 16, 1- andar, escriptorio do Joaqnim
ieiardo de Bastos.
O conselheiro oao Silveira de Sou-
za, tem aberto a seu escriptorio de
advogado, na ra do Imperador n.
41 primeiro andar; entrada pele
becco.
I
O abaixo assignado testamenteiro do finado
subdito traner-z Joao Vignes, roga aos devedores
do mesmo, teiiham a bondade de satisfazer no ter-
mo de 15 dins seus dbitos, afim de evitar, que
seus nomes romo devedores sejatn discriptos no
inventario procedendo-se na forma da lei.
Reeife 7 de mato de 1869.
Gaspar Antonio Vieira Guit:taraos.
Joaquim Jos G en-
calves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, i. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
teslogares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova do Famalico.
Lamcgo.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
atat
QUINISJ LA3A
APPROVADO PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARB
febrfugo
deve ser
O Oulnium Labarraqne, eminentemente tnico
preferido todas as outras preparar;3es de quina.
Os" vinhos de quina ordinariamente empregados na medicina preparam-se
com cascas de quina cuja riqueza em principios activos extremamente
variavel; parte disso, em razSo de seu modo de preparado, estes vjnhos con-
tem apenas vestigios de principios activos, e em proporcoes sempre variaveis
O Qulniurn I abarraque, approvado pela Academia de medicina, con.
stitue pela.contrario um medicamento de composicSo determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os doentes podem sempre contar.
O Quinium Labarraqne prescripto com grande xito s pessoas fraras,
delibitadas seja por diversas causas d'esgotamento, seja por antigs moles
tias; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, s meninas qui tem difL
culdade em-se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aos \cilios
enfraqueeidos pela edade ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cores plidas, este vinlio um poderoso
auxiliar dos ferroginosos. Tomado junto, por exemplo, com as pilulas e-e
Vallet, produz effeitos maravilhosos, pela sua rpida acco.
Deposito em Paria, L. FRERE, 19, ra Jacob
Rio-Janeiro, DUPONCUELLE; COEVOLOT. Pernambuco, MAL'RER et C"
OFFICINA PARA CONCERT E AFINACA0
DE
jL
Deposito de pianos e de msicas
m.
Urna mulher que acaba de ser ama de leito se
olTorece para ser ama que se oceupe em engom-
mare em tratar de mt nios em casa de familia,
sua conducta garantida : na ra da Ponte-Ve-
Iha n. 6 se dini.
M. 14 RA FORMOSA K. 14
BOA-VISTA
Frederico Maia
Cirnrglio dentista pela escola
de medicina
do Rio de f aneiro.
Precisa-se d<- um homum i/ue entenda de
todo.servieo de campo para trabalhar em rim si-
tio : a tratar no largo da ribeira da fregnezia de
S. Jos, sobrado n. 5'..
No Corredor do Hispo n. %t precisase de
urna ama para o servico interno c me saiba en-
Tem a honra de participar ao respeitavel publt- gomniar. e"
co desta capital c seus suburbios, que tem aberto o -------j;-----------------------------________
fcm urna caza de familia na i ua estreita
Precisa-sC alagar um preto pata o servico
de relinarao : na ra da Imperatriz n. ^
Preeisa-se.de urna ama que saibiiosinhar
bem : na ra Nova n. 32 terceiro andar.
Nutrimento
MEDICINA!
Engomma-se com perfeicao e eommodo pre-
co : na travessa do Gaz n. 1, coulionte aos co-
queiros.
Fundico da Aurora.
Neste vasto estabelecimente sempre se eneontra
um completo sortimento de taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas recentemente, e se fabricara
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
reos razpoavei.
Attenco
Pede-se ae Sr. Sowino Emane qneira appare
ojfc-. ra do Commercio, artnazem n. fS.
Precta-se de alugar um*nfgrinhansr an-
dar com urna crianja de um anuo : na ra do
Padre Floriano n. 71, 2a andar.
tina sentara solleira competeiitenieofe Habi-
litada-par o enino se-offt rjoe para teceionar em
um en le-.-.i likgua nacaooale rancez: a pessa qM de
seu prestimo se quizer utilisar, annuneie por esta
folha para ser procurado.
lVeei*a-se de nra criado para o servido de casa:
na ra das larangeiras a te, hotel eommereial.
--------,*---------------. ______ ____
-* Precisa de um .casa pequera no hai-
ro da Boa^Vista, pr*^pria para ma homem
6oltetro: cjttem tiver tanha a bondade de
dirigir-se a fu do Commercio n. 32, 2o
andar, que adiar com quem Motar.
km tfeMe.
Precisa-sede urna ama deleite sem filho : *
tratar na pra?a do -Corno Santo n. 17, 3 andar ; a
no mesmo tem urna eterna para alugar para o
servico de casa.
l56?Sgklo
ttesapparecen da caa de morada de Jos Alves
da Sthra tui maraes o seu eseravo mulato de notne
frajano, que representa ter trinta e lantos a qua-
rente aano, tendo levado vestido calca e eamisa
aUTaaMi aSJM*IL,m-uit0 salientes de ser
m f,,anrirS!B?S0Sre ^ iat8:MBw eslwfeTmerrto.
que o mesmo anda pela ra da Iniao, ou por
Pora de Portas : qnem o apprehender o levar
casa de sen senhor, na II ha dos .Ratos, ou na ra
Aova, loja de zendas o. 47, que se gratificar*.
Hospital Portugiiefc e Benefi-
cencia em Prnambuco.
O provedor do hospital Portuguez de
Benelicencra em Perraiabtieo, vera rogar
aos Srs. socios do mesmo hospital, para
que tenham a bondade d* comparecer en
reumlo extraordinaria, qbe ter hlgar as*
11 horas da manhaa do dia domingo 23 do
corrente mez, na sala das suas sessoes a
fim d'alli se deliberar sobre asomptos
que maito importam e dizem respeito ao
Constantino Rodrignes .Hendes, terldo
justo econtratado com a Sra, D. Rosa Telles
de MeneEes Souza viuva de Jo; Bernardo
de Souza, a compra da.toberna cita no lar
?jo do Pilar n. 2i livre e desembaracada de
todo e qualquer debito.&z scieirte ao publi-
co e com ospecialidade ao corpo do com-
mercio, e se alguem julgar-se cxm direito
a mesma, apresente-se no praso de tre
das, Ondooqual n5o seattender reclama."
cao alguma. fiecife, 19 de ma* de 1869-
Precisa-se de duas amas urna para co-
sinbare outra para engommar, fiara casa de
familia, paga-se bem, na ra do Hospicio
n. 62,
^^_
Aluga-se
a easa e sitio na Cruz das Almas das Mocas n. I:
a Untar defrorrte do itrio do Sr. Taso.
--------------*.. .i-------------
PKEPA'.IADO Pal
Lanman & Kemp
l'ARA
Tsica e toda a
qualidade de do-
enens cuer seja
na garganta, pei-
to ou bofes.
E x r r e s s a-
mente escolhido
dos melhores fi-
gados.dos quaes
se ex i; r alie o
Oleo, no banco
da Terra Nova
purificado chi-
micalmente, e
suas valuaveis
propriedades
conservadas
rom todo o cui-
dado, em todo o
frasco, segaran-
te perleitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido su'jmettido
a um exame
muito severo, pelo chimico de mais talen-
to, do governo hespanhol em Cuba, e foi
por elle a coriter,
MAIOR PORgO D'IODINA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODINO E' M PODER SALVADOR
Em todo o oleo de ligado de bacalho,
e naquelle no qual contera a mair porgao
d'esta invaluavel propriedade o umeo
meio para curar todas as doenfas de
GARGANTA, PUTO, BOFES, FIGADO,
Tsica, bronchites, asma, catarrho, tosse,
resfriamentos, etc.
Las poucos frascos d carnes ao muito
magro que seja, clarea a vista, e d vigor a
todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nbecido na medicina ou seiencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodando
ifuasi nada o estomago.
A pessoas cuja ofganisacSo tem sido
esrurda pelas alrecoes das
ESCRFULAS OC RHECMATBMO
e todas (piWa's cuja digftsflrryse aflracon>
piemente desafranjada, deven tomar
O OLEO WE \HmbO DE BCALfAO
n. 3o sobrado, prepara-se al-
tratar.
seu gabinete de consultas e operaroes dentarias a ; l'-m
ra Direita n. 12,' primeiro andar, onde pode ser do Rosar
procurado todos ot dias das 8 horas da manr..'ia as moro c i-inLtr enr ^a-
i da tarde. Elle ach-se competentemente habili-1,, JaSL-. i. Q- P C' 3t
lado para com perfeico collocar denles aftif.ciaes "V***8 a mesma 1^ 'Chara com quem
por qualquer dos systmas, c bem assim desempe-
nhar qualquer outro trabalho concernente sua
profissao. O mesmo, reconhecendo que nem sem-
pre 6 possivel s senhoras ou crianzas sahirem a
proctu ar o remedio, offerpce-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualqu'ir chamado sem que isso influa cousa
alguma na conimodidade dos preces de sena traba-
mos, e tjuando para fra dola assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
seguranoa e perfeieo de seus ditos trabamos. Em
seu gabinete se encontrar constantemente excel-
lentens denlifricio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos
andar.
Da-se 200 a 4004 nomo penhur de urna ne-
gnnlia ou mesmo negra : a tratar na ra do Pa-
dre Fleriano n. 71,2a andar.
Precisa-se alugar um preto velho: na botica
do pateo do Carmo n. 3.
ra Direita n. 12, primeiro
MARTIMOS
CONTRA FOGO.
A Cornpanhia Indemnisadora, estabelecida
aesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus cartegamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
ra do Vigario n. i, pavimento terreo.
IT1
COMPRAS.
Comprarse
um relogio patente inglez de ouro, sendo
novo, e do melhor fabricante, na travessa
da ra do Queimado n. 1, Io andar.
Na praca da Independencia n. 33, loja det-
rives, compra-se ouro, prata, e pedras preciosa,e-
tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
Compra-se 8 acedes da coropanha do
encanamento d'agua do Beberibe: quem as
qaizer vender, por estes 8 dias, se dirija
esta typographia, onde se d r quem as
compra.
Compra-se
urna batanea decimal em segunda mo ; na ra
dojl.ivramenlo n. 31. _
Resta venda um escolltido sortimento de.ob-
ectos de marcitieria, como sejam, mobilias de ja-
jara nd. mogno cantarello, obra nacional e estran-
zeira, de apurado gosto e porpn)ao! razoaveis :
ja ra estreita do Rosario n. ;lv2. Nesta mesma
sa fazem-se com perfeieo todos os trabalhos de
Mlhinha, como sejam, empalhamentos de lastros
jara camas, cadeira? e sopbs.
Compra-se
ouro e prata e pedras preciosas,
da Con ;ei<;ao, na loja de ourives,
cife.
no arco
no Re-
Imagens
No escriptorio n. 40 do ra da Cadeia, 1* andjr,
ha diversa--, imagen!' para trocar_____________
Taberna
Traspaasa-*c a da ra das Bolas n. 8, no Becife,
em boas proponrOes para prfnelpiantc laborioso
tirar vantagem._______________^j______
Anda restain algumas collectoes. de
Biograpbias de alguns poetas, e outros ho-
mens illosti'es da provincia de Pernambuco,
tres tomos escriptos pelo commendador A.
J. de Mello : ra Augusta Ji- 94.
III110 E PRATA
Compra-se moedas de ouro e prata e
bem como libras stcrlinas, na ma do Ca-
bug n. 9, relojoaria. __
O muzeo de joias .
AMA
Na ra do Cabug n. 4 com
e pedras preciosas por precos tn
que em outra qualquer parte.
ira-se ouro, (traa-
ais vantajosoa do
Precisa-se uo urna mulher que saiba engommar
para urna casa de familia : a tratar n roa da
adei do Hoetf-ja. 18, 2 andar._____________
Recife, 9 de maio do 1889.
O provedor,
Frantitco Joto Precisa-se, para o errico de casa. Je uma-pes-
soa : no Recife', ra da Cruz n. 37, 2< andar.
0B
Se que desejam ver-se livres e isentas
de enfermidades.
Acharse vend* nos estibeieeimento6
b A. Caor, l. (fe Cohceirjo- Invo & C.
1L A. Barbosa, P. Maurer iCe Bajiolo-,
mtmitC.
O abaixo assicnado previge que ningucm
pode fazer demnrcneiojfcom- os sitios de nuuias,
Carimba eB*rtlso", no lugW da Ibflra, fregue-
zia dos Afofidpsjeri'iiceiiies viuva de Antonio
Atrs Ferretf, tm\ qat a meyma senhorii seja
ouvida ou o%bailto assignado, e para evitar duvi-
das seftz'tweenie-dec.laracio ; cujas tertas se
acharli'liypowelraag'Xr abaixo assipiaflo por nma
rescriptura BpWtc. nassada em 26 de agosto de
,1807, a qual o rabiato Nrixo assignado tez ver
por este Diario em outrw occagioes. Recife 6 de
maio de 1869.
Amonio Pereira de Oliveira Ma**.
Precisase de um caixeiro de idade de 12 a
16 annos :* tratar na ma da Cruz a \7.
f. Mudanza de residencia
O baenarel Laurino de oraen Knh Jiro mndou!
Compra-se mdeTJas de ouro e prata, &en*
como libras stcrlinas por maior preco "que-
em outra parte: fia ruado Crespo n.
primeiro andar.
Com muito maior vanfogem
Compra o Cora?ao de OuTo, n. I ru do Ctbn
g,moedas de ouro e prata epeirasprtcir
iosa
procurado pira os misteres de su proiiaslo.
manas e boticas.
Coznheiro.
Precisa-se alagar um cozinheiro, que d
^aato de sua eonducta; a tratar no
Cora*
mercio d. 8.
Em casa de Theodoro Simn
compra se a boav premio moedas de i
do cnho veltror RecifeS Itrgo doClrpo
gan'O n. 21.____________________
duas casas terreas em boas ras, que sejatn dti
o 6m construidas, e Icnham napacidade |ata>
grande familia, ou u sobrado as mesma'-
(ices, preferindo-se eir chaos'proprios : queto a
tiver para vender, annuneie.
VENDAS.
Vende-se um mihllS
ende
roa estreita
n.18.
do Rosario,
i


Diario d Pernambuco Sexta feira 21 de Maio de 186*.
i
0 cordeiro providente
Roa do Queimado n. 1.
Novo e variado sortimento de perfumaras <
linas, e outros.objectos.
Alm dT completo sortimento de perfu-
maras, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
roceber um o'utro sortimento que se torna
notavcl pela variedade de objectos, supcriori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
tos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a aprcciacSo
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se apas-
tando elle de sua bera conhecida mansidao
e barateza. Em dita loja encontrado os
apreciadores doJjom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Moray & Laminan.
Dita de Cologne ingteza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservado do
asseio da bocea.
Cosmetiquos de superior qualidade e ehei-
ros agradaveis.
Copos e latas, matares e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos n^lezes, americanos e
francezes em frascos, simples e enfeitados.
Essencia imperial do lino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas c agradaveis.
Oleo plftlocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
coa escoltados che ros, em frascos de d i It-
renles tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos milito linos em caixinlia para barba.
(', lixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada corteado fi-
nas perfumaras, muito propria* para pre-
sentes.
Ditas de papeln igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composico de
cheiro, e por teso o mais proprio para crian-
zas.
Opiata ingteza e fraoceza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Una outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e algens d'elles ornados de llores e fitas,
esto todos expostos apreciacSo de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNIIOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Flvellas e fitas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS.
O que de melhor se pode encontrar neste
genero, sohresahindo os delicados ramos
orvalhados para eoo;ues.
Paca vlassem.
Bolsas de tapete e earteiras de Muro, por
preces' commodos.
Chapelinas de palba da Italia mui bemj
enfeitadas, e enfeites de llores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
rlo presentes a quem se dirigir dita loja
mam mmotts
QUE SE LIQUIDAM
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DE
FLIX PEREIRA DA SUifJU;
O proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
ntal a vir surtir-se do grande sortimento que tem de fazendas, tanto da moda como le
lei, assim como de um grande sortimento de roupas para homens e merinos, e as
pessoas que negociam em pequea escala, tanto da prac'a como do mat*. aesta casa
poderlo fazer os seus sortimentos em pequeas ou grandes porces, venoen lo-se-lnes
pelos presos que se compram as casas inglezas ; assim como as excellentissimas fami-
lias, poderlo mandar buscar, as amostras de todas as fazendas, ou se lhe as mandam
levar em suas casas pelos caixeiros d'este estabelecimento, que se acha aberto con-
stantemente desde s 6 horas da manhla s 9 da noute.
Casemiras da moda
NA
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
Gurgurlo de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
litos gurguroes de seda, proprios para ves-
idos, sendo lisos e lavradinhos, com muito
ustro, garantindo-se que a fazenda mais
inda e de mais phantasia que este anno tem
ihcgado a este mercado, e vende-se por
rece muito razoavcl, na ra da Imperatriz
i. 60, de Flix Pereira da Silva.
CHAPELINAS
ULTIMA MODA
Chegaram para a loja do Pavo as mata i Na loja do Pavo a ^M^SffuJt
rteaTS mais modernas chapelinas rica-. |0, vendem-se urna grande porco le pa-
mente enfeitadas, com enfeites e fitas de tote sobrecasacados, e propnamente
setim e de todas as crese com ricos bicos brecasacos de panno preto,
de blond e as mais lindas e finas llores, i |u'|o bem acabada pelos barato,
vedendose cada urna pelo barato preco de <
ldOOO, garantindo-se serem muito mais
MM A DO PAVlO
Chcgou pelo ultimo vapor francez, um
grande o verdadeiro sortimento das mais
modernas e mais finas casemiras para cal-
cas, paletots ecoletes, tendo lisas, com lis-
iras e com listra ao lado, tendo tara todos
os presos, e alianca-se venderem-sc muito
mais barato do que em outra qualquer par-
te, assim como das mesmas se manda fa-
zer qualquer peca de obra, a yontade do
freguez, para o que tem um bom alfaiate.
A os quin lientos palitots
a 18*3 e 20*000.
20$ forrados de seda
so-
sendo obra
precos
de alpaca, e de
esta fazenda a nao
11--BUA DO QUEINAD0--11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para uui\as, que
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
SABIDAS DE BAILEde cachemira branca cdecores o que ha do mais lindo.
BASQINESde renda preta, e de gorguro preto, o que ha de mais
elegante.
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALESbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e saias de 15a com barras de tOr.
GORGUROde seda branco e preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princesas, bombazinas pFetas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados. ^^______
FARINftA DE
MANDIOCA
Superior fanwha de mandioca rcenle-
mente chegada de Santa ath-aria, vende-
so a preco cmodo a bordo dobrigue alle-
mae Lina, fundeado defromie do ti;, piche
do Exm. Ssk baro do Livramento ; a ira-
tar a bordo do mesmo, ou no escriptorio
de Joaquina Jos Goncalves Bellro, 'rna
do Commercio n. 17.
Vende-se urna preta de nieia riada ({e *-
liana bem e engomma sojrivel, nao tem virkw
nem achaques : na ra Direita n. 4:1. 2* andar.
Attenco.
Vendom-se os ferros Jeonriveso cede-fe a ra.a
ao comprador : a tratar at as 7 1)2 horas da ma-
nhaa ou das 4 da larde em diante, no raleo do
Carmo, esquina da ra de Hwta* n. 2.
Dcvofes
Acha-se ;'t venda na na do Imperador n. 1S,
defronte do convento de S. Francisco, a bem ru-
nhecWa trezena do plorioso Santo Antonio, eo
rosario e ddicio dos defunios ipie >; i esa as se-
;uiiil;is-feiias do auno no hospicio de N. S. da
l'enh.i.
tu
.-
A *6 tytttMA**
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
Agua-florida de'Guis-
lain
se ler comprado urna grande compra, seria
para mullo mais dinheiro, pormdiquida-se
bonitas do que eutras que se vendem em
outras partes a 30$ e T, c entre ellas .
ha mais do que ummodello, tambem tem esta pechmcha pedos precos aatoa
[muitas.de pratinbo, pPOprias para mocas e f.aazionas a **
meninas, isto na ru! da Imperatm n. GO \endcm-se laaz.nhas p ryes ^cron-
loja do Pavao, de Flix Pereira da Silva.; \ t,mmT\ t LX^
ri i J'J^ ~i-!n4-n j'como chitas, pelo barato preco de 2i0 rs.
Expleiidido sortimento deiocovarlo. ,l
lliacas lavradas de edres a 50 i P0UPEL1NAS A 500 RS. O COVADO.
Alpacas a 5(10 Alpacas a 560 Na loja do Pavao, na ra da Imperatriz
Alpacas decores 'n. 00, vende-se um grande sortimento das
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n
GO, vciide-se uns poucos de mil covados
das mais lindas e modernas alpacas lavradas
com as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos o roupas para meni-
nos, tendo entre ellas azul, lyro, roxo, cor
de canoa, verde claro etc. e os lavrores
muito miudinhos assentados em urna so
cor; para se poder retallar esta fazenda
pelo barato preco de GO rs. o covado, foi
preciso fazer-se urna grande compra deste
artigo, o qual grande pechincha.
.tos dez mil corados de eassas
fraacezas
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300
Covado a 300 Covado a 300
Covado a 300 rs.
Vende-se na loja do Pavao ra da Im-
peratriz n. 60 urna grande quantidade de
mil covados das melhores casas francezas
para vestidos, tendo padrees miudos o grfi-
dos, assentados em todas as cores, estas
eassas sao propiamente francezas, tendo
os cabellos,
outros im
mais lindas poupelinas ou lazinhas trans-
parentes, proprias para vestidos e roupas
de creancas, com as mais modernas e bo-
nitas cores; padraos com listrinhas miudi-
nhas, que se vendem pelo barato preco de
500 rs. o covado, e pechincha que se acha
nicamente na loja de Flix Pereira da Sil-
va, na ra da Imperatriz n. 60.
AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vendem-se flnissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5,5000 at 10,5000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 10000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Cortinados
Para camas e janeHas.
Vende-se um grande sortimento aos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
194000 n: cada par at 255000 rs,
Flix
Tintura ndelevel para tingir
sem manchar a pclle.
A bem conceiluada agua-florida de Guis-
laia que ento era desconhecida em Per-
nambuco, j hoje estimada e procurada
por seu eliicaz resultado, c anda mais se-
r, quando a noticia de seu bom eficito e a
experiencia tornar de todos conhe-ida.
A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quap.do estiverem bran-
cos, e Ibes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sera
ser prejudicial de modo algura
E' porm necessario fazer eonheccr, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas talvez supponham, mais sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o flm desejado, corno bem
provam testemunhos de pessoas insuspei-
las, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
outra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-floridajicha-se ven-
da na bemconhecida loja dAguia Branca
roa do Queimado n. 8,
Grande deposito de palhas para empa-
liar cadeiras, a qual so vende nKffto em
conta: na ra dns Cruzrs h. 23.
Attencto
Yi'we-se por precisan e barato una casa ova
de pt ilra e cal bem construida, em ehjto prepri,
sita DO Kncaiianiento, prxima a etaciodo Parra-
ineirim : a Iratar no mesmn lu?ar, na la! erna,
on no Epria do Mallos n. becco da Ikia, das 9
as 2 horas da larde.
1VAL
a
Ditos com ditas de velludo,
tando charao machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assirn como.
Grande e bello sortimento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, c outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para- meninas c senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e seuhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torga!, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas c punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-mcios finos -tapados e transparen-
tes com' delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
em a
transparentes e tapadas, com tanto eorpo isto na ru da Imperatriz n. 60, de
quasi como a chrta, e alm dos padroes Pereira da Silva,
serem muito bonitos, sao todos fixos e seria
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado fazenda para muito mais dinheiro, mas re-
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo iste est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM DAQELLES.
Receben outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timenta de gallees de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cures, cuja va
riedde de gostos os tomam recommenda-
dos e apreciados'; compareco pois os pre-
tendentes que sero servidos a contento.
TAO &EM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para homen-
como para senhoras, constantemente acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 16.
talha-se a 300 rs. o covado.
Espartilhos a na loja do
l*avo
com
10
Gretone para lenqes
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova e excedente
fazenda branca propria para lences de um
A Aguia Branca, contando com a protec-
flo de sua boa freguezia, tambem capricha
em nao lh'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a honram, e em prova ao que fica dito, d com pedras, aljofares, etc.
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
Vende-se urna grande porco de esparti-i* panno, garantindo-se que um metro e
Ihos modernos com o competente cordo, urna quarta ou um metro e meio d* um
tendo sortimento de todos os tamanhos, encllente lenco.de um s panno, ass.m
vendem-se a U cada um. Uomo esta boa fazenda tambem e muito
PUNIIOS COM GOLINHAS A 640 E 15- propria para toalhas de meza, rosto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo barattssi-
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia para cura certa
das digestoes difficeis e completas, a calmar
as dores gastralgieas, e reparar as forcas
produziado urna aseimulacSo completa dos
alimentos; sendo mais um excedente tnico.
VFVITE-SF
PHARM.\CIA E DROGARA
SE
Rarthofouieu k .
34RA LARGA DO ROSARIO34
LWA KrtZDIII\S E RMiPA FHT.I
DE
Francisco Antonio de Car val no
A Conapannl*
(SCCESS08ES DE REG & MOURA )
Rm Naca n. 24.
Os preprietarios dcste estabelecimento fazem
cente as publico que acabam He receber um per-
eito e vanado sort ment de paanog finos, case-
mirM, brins e outras fazendas de gostos modernos,
as qoaes vendem por precos raaoaveis. Os mee-
mos scientilieam, yue tendo admittido para sua
offlciaa de alfaiate um artista hbil no desemp1-
nbo de suas funeces, recebem quatqer enrom-
menda de roupa por medidas, pTomettendo satis-
fazerom com puntualidad e presteza dido neste sentido.
Vende-se urna porco de punhos com
golinhas ricamente bordados, de esguio de
linho, sendo brancos a 1000 cada temo, e
bordados de cr a 640 rs. para acabar.
Assim como ricos pares de manguitos mo-
dernos com gollinhas e punhos bordados a
lOOO rs. cada um.
\LPVCAS LAVRADAS COM LISTAS A oOO
RS. S O PAVAO VENDE
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 300 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60 vende-se urna grande porco de alpacas
lavradas com os mais lindos padroes listea-
dos e com- flores matisadas, sendo este ar-
tigo urna grande pechincha, por se terem
comprado urnas poucas de caixas e vende-se
pelo barato preco de 500 rs. o covado.
Chales
CHALES
CHALES
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n.
60, vende-se um bonito sortimento dbs me-
lhores chales, sendo de fil preto com mui-
to ricas palmas bordadas de cores, ditos de
merino Uso de todas as cores, ditos estam-
pados e ditos de crepon com os desenhos
mais hondos que tem vindo ao mercado.
PELERINAS DE CROCH A 8j, I0J0QO
E 12KKK)
Chegaram para a loja do Pavo as mais
modernas e mais bonitas romeiras ou pele-
rinas de fil e croch que se vendem a 8 e
m e 124.
6I.MM mamn
I'JERCAIIjA*
A pataca o covado
PEBCAXLAS A 320 RS.
AOS DEZ ML COVADOS
como exemplo jo explendido sortimento
que acaba de receber, ainda mesmo achan-
do-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
e oraco, obras de apurado gosto e perfei-
Co, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
bonitos.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfmetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
NOVIDADE
NA
Libres esterlinas, na ra da Cadeia
Recie, n. 58.
do
mo preco de 25 cada metro
ALPACO DE CORDAOPARA VESTIDO AI*
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpaco, sendo de cordo e com mais
largura do que a alpaca, com as mais lindas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
roxo, cor de canna, magenta etc. e vende-
se pelo baratissimo preco de lf o covado.
Grosdenaple preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 2#000 rs. o
covado at 4)5000 rs. garantindo-se que
n'este genero ninguem tem melhor fazenda e
que se vende mais barato do que em outra
qualquer parte, na^rua da Imperatriz n. 60,
de Flix Pereira d Suva.
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sonido das menores roupas,
sendo calcas paKtots e coletos de^casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas que os compradores pos-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
tido vontade do freguez, e nao shdb
obrigados a acceita-las, guando nao stejam
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel pblico um' beTIo sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo e (Rirs muitos artigos
proprios para homen s e SenhotaS promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que era
outra qualquer parle. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem- de Flix Perei-
ra da Sita.
BOA-VISTA
n.
Recebeu novo sortimento de fazandas
para seu estabelecimento na ra da Impe-
I ratriz n. 56, de Lourenco Pereira Mendes
1 Guimares.
Declara os seus freguezes queaeceheUj A4-roTin5n
diversas qualidades de fazendas que esto J%W>\3U.\av
expostas a venda pelo baratissimo preco,, vendem-se Cortes de la transparentes
como vero dcste annuncio. Ra da Im- ^.^ vestido'de senhora a 20SOO-e -3*000.
peratriz n. 72.
O proprietario, LoureiKO Pereira Gui-
mares.
CAITAS FRANCEZAS a 280 rs.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320,
360 e 400 rs. o covado. Ra da Impera-
triz loja da Arara n. 72.
MADAPOLO A 5,3000.
Vendem-se pecas de madapotlo de 24
jardas a U, U, 7(9, U, W e 105, pecas
de algodo 40, U e 3^000.
CORTES DECALCAS AMOr.
Vendem-se cortes de calca do castor e
brim para calca de homem a 64 brins de cores para roupas de meninos e
homens a 400 e 500 rs. ocoyade.
RISCACO FRANCEZ FINOl 350 rs.
Vende-se riscado francez pari vestido
de sendera a 360 rs. o covado.
Cassa franceza a 320 e 360 rs. o covado,
ALPACAS DE CORES a8wftr. O COVADO
Vendem-se alpacas de cor? para vesti-
do de senhora a 800 e 900' rs. o covado.
laslnhas a rs. o corado.
Vendem-se lasinhas para vestido de'se^
nhora a 240, 280, 320 e 380 r<. o coran-
do.
lioiipa felta de tda aw> qwall
des.
COLCHAS PARA CAMA A 546O0.
Vendem-se colchas de fostito adamasca-
das para cima, pelo barato prec^ de Sjjf,
grande pechincha, na loja e armazem do
60de Flix
Ra da Imperatriz, loja do Garibaldi n
MADAPOLO BARATO A 5*000.
Vendem-se pecas de madapoln barato,
55, *, 75, 85, 95 e 105, s na loja do
Garibaldi roa da Imperatriz- n. 56.
RISCADOS MODERNOS PARA VESTIDOS
A 360 rs.
Vendem-se finissimos riscados para ves-
tidos de senhora a 360 rs. o covado, chi-
tas finas escuras e claras, 360, 400, 440
rs, o-covado. Ra da Imperatriz n. 56.
LASINHAS PARA VESTIDOS, 240 rs.
Vendem-se lasinhas para vestido a 240,
280, 320 e 400 rs. o covado.
PECAS DE BRIM PARA LENCOES a 85-
Vendem-se p*cas de brim hamburgo a
85, 95 e 105 ; pecas de bramantes de li-
nho a 25 a vara, dita de algodo a 15600
PECAS DE ALGODO A 45-
Vendem-se pecas' de algodo de 20 jar-
das a 45, ditas de carne de vaca a 55 dito
superior qualidade U e 75 a peca.
CHITAS FRANCESAS A 280 rs.
Vendem-se chitos francezas para vesti-
dos a 280, 320 e 360 rs. o covado, ganga
para calea a 320 rs. o covado, brim de cor
para calcas e paletots e roupa de menino
a 400 rs. o covado, baloes de arcos a
Ruado Queimado ns. 49 e 57--
lojas de miudezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezes de seus estebe-
lecimcntospor tsso queram apre-
ciar o que e bom c baratissimo.
Pares de sapatos de tranca fa-
zenda nova a......25000
Pares de sapatos de tapete
(s grandes) a......l500
Duzias de meias enm para ho
mem a.....T .
Tramoias do Porto fazenda boa
epelo preco melhor 100 altos a
fjvros de missoes abreviadas a .
Duzia de baralhos francezes mui i o
linos a25400 e.....
Silabario portuguez com estam-
pas a........
Gravatas de cores e pretas muito
finas a .....
Duzias de meias para senhora fa-
zenda boa a......
Redes pretas lizas muito finas a
Carines com colchetes de lato
fazenda Una a*.....
Abotu.aduras de vidro para colete
fazenda fina a. .
Caixas com penna d'aco muito
unas a 320, 400, 300 e .
Carlees de linha Alexandre que
tem 200 jardas a -
Carreteis de linha Alexandre de
70 at 200 a......
Caixas com superiores obreias
de massa a .
Duzias de agulhas para machina
Libras de pregos Irancezes di-
verso tamanho a. .
Livros escripturado para rol de
roupa a. ......
Talheres para meninos muito
finos a. ,......
Caltas con papel amizade muito
fino a........
Caixas com lOOenvelopes muito
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Thezouras muito finas para
unhas e costuras a.
Tinteiroscom tinta preta muito
boa a 80: 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a......
Duzia de phosphoros de segu-
raba da melhor qualidade a
400 e........
Pecas de fita branca clstica
muito fina a......
Novellos de linha com 400 jardas
Resmas de papel de pezo azul
muito fino a......
Pecas de fitas bordadas com 3
varas a .......
Ditas de ditas bordadas com 12
metros de 25000 a .
G rozas de botoes de lomea muilo
finos a........
56
3,5800
520o
20
25800
530
5500
15000
Jgfl
(02
5500
15000
5ioo
510
504
25000
5240
5i
524*
5700
5600
5320
5500
&'
516
50
m
2550O
5W>
3*060
fltt
Vcnde-se at 30"v*ceiis- d-teto, aoviftai--
garrotas, todos crioulos e feitos ao pasto awte*
arrabaldes, sendo as vaccas paridas e por parir,
delatados.ou. por juinas: aBAcribe, alM*
Sapireia,averailitodo&08 das d*s 5pata as r.
troras da tarde. -________,
BURRA
VeBde-w urna bonita burra e a melhor posslve
lara cabriole! e sella, mansa no todo : na ra da
mperatriz n. 29, coebeira.
Ps de coqueirs
a CO rs. ; o gpthor lempo para-pUniar, c c
orando mais de cem tem o descont de dez
cento : na roa ireita a. 45, luja.
com-
poa
Movis, loucas, livros, etc.
Vendem-se por preeos mdicos todos os movci*.
;loncas, livros o ontros arranjos indispensaveis -jm
urna casa le familia : a tratar-** no largo do Pi-
lar n. 13.
Vende-se roupa feita, calcas di casemira 15500, bales modernos decores ebran-
PEBUliLA? 1120 RS.
Na lofa do- Pavo i rm da mperalriz
60 veade^euraagrme por&ojt Per" Pa^ ra" dV Impratri7.
callas francezas proprias para vestidos, sen- p."?' a- i-, f
do de cr flxas *&*?&# que ii efii- iPere,ra da/iSl];
,tas, tendo 03 panaog mnto encorpfldos" e
col"(J8" desenhos mais bonitas que tem
vindo ao mercad; toado padroes miados e
gradoe e vende-se {lo baratissimo pre?(f, *'20'? a
O atoalhado do PavJo.
Vede-se superior atoalhado de algodSo
com 8 palmos de largor^
Ru do Livramento n. 26.
Caabnias de'etUgaatos padcdeR. modernas, a
Wwr.0 covado.
de largura, adamascado a
dito, de linho fazenda-MMo-
e 320 rs. coviMlo^rantMo'M estar ea inpsrfor a '200 a 4vara g^ahapo8 ^e
^enda em perfcito* esa'do, e vendSdo-se .n0 adamascados a 45500 a duzia e jamo
por Mtftbwatisso 7>ro para apurar di- 5io>s *W> e ms ^alw a 3#8O0
nheiro.
"duz''r'
paletos e colletes de todas as guahdades,
tudo por multo Barato preco.
rtes de barejes de 15a a
Vendem-se cortes de barejes ,d \fa para
vestido de senhora a 2#5vO e 3#Wfr. Ba-
loes de 30 arcos a 15900; *&< moder-
nos de cores e brancos, 55; chales de to-
das as qualidades; casemiras cores por barato preco; brins pardos e
rateos e de c6>es de Imho bo Wtito
por presos mui .0 baratos, so com o mu de
vender para aparar dinclfo df-se amos-
tra das fazendaa.
___________________________________________________________________________!----------------------------!----------
Batatas ^_ _
a 11200 o giBO : na ru*.i Tftrfrt fij Jfwn- T
Gigos eom 3o libras, muito toa.
eos a 55, chapeos de sol de alpaca, 3$00,
ditos de seda 105, e f25- Roupa feita de
todas as qualidades por muito barato preco
alpacas de cor para vestido de senhoras,
chales de todas as qualidades e outras mui-
tas fazeada.
.
COGNAC. m
De superior qualidade da rain accrediU-
da fabrica de Bisquit Dubouch d- G., em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, forneem para o coISMttmo do
.Reino da Inglaterra.
f nd-se m casa de Th. Jst, roa iro
commercio n. 32._____________
Tdttie-seumse'tai em meto so: na ruta
icio fla Ba-tlsla a. ti.
O feitor do sitio da Capella^oa
Dcha, lem ps de palmeiras, pinheiras,
ras e outras maitas arvores pra teiwor.
Pooe de
larangei-
Vende-se em casa (fe OHveira
Filhos &C., largo do Corjo
Saato u. 19
Libras esterlinas.
Vw*o moscatel de Setoaak
Potassa da Russia, em barris e netos
ditos.
Carvao animal de superior qualidaaa-
Panno de algodo da Maea de Feruo
Velho, para saceos e poop de eaera^os.
^
Pap iaimprwao jmwafo *&*> L
druploJesu, para livros tai l.oa ""
carr, raisin e Jesn, o me hor V^J2t
Me, veuda: aa roa do Imperador n. 15, defron
tt o ertwmo tranciseo.


6.
Diario de Peniftmbuco Sexta feira 21 Je Maio de 1869.

PRODUCTOS de J.-P. LAROZS
PBARMACEUTICO, RU DES LIONS-SAINT PAUL, PARI3.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Cm IOBVRETO de POTASSI0
0 Iodureto de potasio nm verdarhiiro alterante, um depurador de uconlestavel effl-
cacia; combinado com o xarope, do cascas de laiaujae amargas, n aturado
6em perturbacio alguma pelos temperamento-- os mais lracos, sem alterar as funecoes
ao estomago. Asdoses maiheni.iiiem que elle roniem pnnnitlemaos medico* dereceital-o
para todas as complicacoes Dasa!lecf6 rosas e nos accidentes intermitientes e ferctfircs; alm d'isso, o
genio o mais poderoso.contra as doenc-as rheumaticas.
XAROPE TNICO AHTI-NEfiVOSO XAROPE FERRUGINOSO
desaseas do lantejas 0 qoaaala amarga.
E' sob a forma liquida que mais fcilmen-
te se aasimila o ferro; n'esta forma 6 prefe-
rir! as punase pastilliasen todos os casos
eni que sao proscriptos os ferruginosos.
de cascas de laranjaa amargas.
' 35 annos de successos aileslao a toa efti-
cacia para curar: as doenpas nervosas,
agudas ou rhro7iicas, as gnslrites, gastral-
gias ; e facilitar a digesto.
ALTAS NOVIDADES
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
DENTIFRICIOS LAROZE
COM QUINA, PYRETHItO E 0/
FACO
lixr denlifriwo, para a alvura e con-
ervacao dos lentes, curando as dores
causadas pela caria ou proJuzidus pelo
coulado do calor ou do fri
6 dentifrido, com base de magnesia
para a alvura e coiiservacSo dos denles,
provenindu a descarnadura, provocando O
trtaro de que empede a reproduc.
Deposito em Rio de Janeiro, e. che.olo, em Pemambuco, r. Haurere C"; em Maeeio,
Falca Din.; em Pelotas, Anfrro Letra*; em Baha. Da llerhn; em Porto Alegre, Mm
Helio; em Maranhao Ferrclra c-j em Ouro Preto, C. J. v. Weleraaai em Sania Cfka-
nna, 8. Sckiitel em Montevideo, G. luiberli em Buenos-Ayres, Elrbeaarelmrda.
tasa
7!c/A
CARVO DE BELLOC
PARS
Apnroyado e recommendado pela Academia imperial de medicina de PM para a
cura ua gastralgia e em gem de todas as doencas nervosas do estomago e dos micstinos.
r^'Z rCm^', Pr e*cell":ia lira a reteneo de ventre Finalmente em
cTl T SraS propr^ades absorventes, recommendado comi> venladeiit. remedio nos
)> de oivrliea e chotero, o de Belloo tomare n eecaaao das cernidas
sob a forma de pus ou de pastijhos.
Deporit, em RkhIaneibo, DupmeheUe; Chcvolot. Em Pr.R PARA CASAMENTOS, BAILES, THEA-
TROS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, cont ido setim,
mantas e grinaldas.
Rcquissiraos cortes de sedas assim como
para covados.
Gurgurao branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de c6res.
Setira branco macal.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
o amarelos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurgurao de seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas cem primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodao.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil do chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapenas de palba da Italia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabera de senhora.
Espartilhos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de la
Ditas de seda Oo da Escossia e algodao.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyrintho.
Fronhas de labyrintho.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
laas, e outros muitos artigos de gosto e
de alta novidade, isto s
Na loja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da do Imperador.
COMPANHIA
Superiores saias brancas bordadas a o#, ft*. 8-> a 10108cada urna,
a de escocia transparente j.i feitas a 6(#0 Vasconcellos c '^ d'1s Coluinijas narua d Cn&V u *? Antonia Correr
Os veitladekros COIXAEJS HOTEB., es anicep()revados pala
a Academia de Medicina, irm-assim como os racos outros producto*
attrauklo a cupidci dos f;ilsi:icatlort'S, que para facilitar sao criminan
industria naasepjadi, ero receia6 Mancar vender iakosCoMJUUM
com *n ifOMB. En previno as familiasipaiinieress de seus filaos
que, para evitar bk>> Gcaces, devera exigir, que mea Cwmu Mies
sejao vendidos esa caixas de tambas de encane e corredias coladas
por & etliquetas com a misfaa marca de fabrica e encerrando -nm
prospecto circuastanciodo, e-selladas por urna nedalha como lettreiao.
C0LAR ROYER. Rae Sl-Hartin, 225. Pars.
Fabrica de tecidos de a goilao de
Fernao Velho.
0 superior panno de algodao desta fabrica, mui
vaiitajo.-aniente conhecfda nesta provincia e as de
Penijiinbuco, Parahyba e Rio de Janeiro, pefa sua
perfeieao de tecido, elasticidade e forttleza, contt-
tilia a ser vendido do cscriptorio da inesma com-
panliia pra^a de Pedro 2U desta cidaie, casa nu-
mero 4.
Alitu do que os numerosos e tniportinles senhe-
res de engenho, betn como os scnliore> exporlado
res de assucar, .tanto desta provincia como das
cima mencionadas, possam com facilidade pro-
ver-se das manufacturas desta fabrica, a gerencia
da companliia annuucia que as ha venda nos
segnintes lugares :
nesta cidade-noscu escriptono e as casas dos
_^e Srs. Domingos Jos de Farias e Jos Aunes Gui-
. maraes, ra do Cotnmercio.
Em Pemambucona casa dos Srs. Oliveira, Fi-
Ihos & C.
No Pilarem casa do Sr. Joo de Albuquerque
Mello.
Na Castanha Grandeem casa do Sr. Norberto
Cavalcanli de Albuquerque.
Em Camaragibena c;isa do Sr. Joao Vieira de
Lima.
Alem do panno apropriado ao ensacamento do
assucar, a fabrica possue mais urna cualidade de
panno mui forte, adoptado ao systema que tem os
sonliores de engenho do norte da provincia de
niandarem despojar nos trapiches de Pemambuco
o assucar que all vao vender, com o que os sac-
eos servem para muilas safras.
Para roupa de esenvos ou de trabalhadores do
campo, e para toallias e lences do seivico diaria
ha una superior qualidade de panno de 28 polle
radas de largura, muito forte e espesso, parecen
jo-sc bastante com meia lona. Os procos sao os
mais mdicos possiveis. Macei 30 d3 mareo de
1869. ^
OPE
ti i I
T
T
BA R T ITO L Q H E 0& C
farat cora certa dis loucs aii e recentes, tatarrbo-t pulmunar, asi tina; toise cwrnia, catarrint.
broticlii >, o em coral contra talos os solfriniontos fa% vas respiratorias.
DEPOStTO 1 16 M.
BOTICA BJ DRCGA.RIA.
34, RA LARGA DO R0ZAR10, 34
PERNAMBUCO
A therapeutica das diversas molestias do peilo, desde
a pliaryngile on mal da garganta at a tubcrcuUc.o
pulmonar, passando pelas diversas bronchites catarrliaes
e o cmphvsemi taba de ser eni-cquccida com mais
este medicamento, que tomar a primeira ordem entre
lodos at hoje conhecidos. 0 jarope Vegetal Americano,
;aranlindo paramente vegetal, nSo rontm em sua
coaipo-ico nm s alomo de opio, e sim somcnie sue-
cos de plantas indgenas, cujas propriedades bcnclicas-
aa enra da molestias que pcrlcncem aos orgos de res-
plrago foram por nos obseivadas por longo lempo,
com ptimos resaltados cada ver mais cresceotes; pelo
que nos julgamos autorisados i compor o jaropo que
agora apn-sentamos, e a olTercce lo aos mdicos e ao
publico, Pronmos com os atteslados abane o qne le-
vamos dito, e contamos que o conceito de que j* gosa
o xarope Vegetal Americaa crcscerl de da a dia,
deixando meito aps de si todos os peitoraes em voga.
Illa. Sr. Barthilomeo i CO xarope Vegetal Ame-
ricano, preparado em sua conceilnadissima pharmacia,
e um til remedio para combaler h lerrivel aslhma.
Sofra en aquella molestia ba qoilro mezes, sem aindi
tei combatido os ataques mensaes que tinbi; este ultimo
que tive foi tertissimo que me proston por 8 dias, usei,
Sorm o sea milagroso xarope, tomando apenas tres
oses, e at o prtaeale Dio fui de novo atacado. Prisa
Utos, que a Oqae reUabelecido por ama ves. Rendo-
Ihe, pois os nitn- agrdecimeaMs por me ter aliviado ilo
tan liorriveV mal. Com a mais signUicaliva graiidio,
subscraw-mc de > mes. nffecluoso e reconhecido criado.
icmiiio buaiic Sua Casa H defevereifo de 18G8.
lms Srs ti-irtholomeo |C. Depois da qaasiseis
meies de soll'rimenlo coca urna tossu incessante, faslio
extraordinario, expecto(a(o de um cilavslm amarell.i-
do, e perda tolal das fon-as^ que o menor passcio
me fatigava comptetaiuenle, cansado de tomir mus ou-
tros remedio? sem resultad liveafe icidadcdesabcrqua
Vmcs. preparavara o xarope Vegetal Americano, e com
elle, grabas a Ueus. me aclio restahelecido ba mais de
dois metes, c robusto como se nada livesse soffndo. A,
gralido me torca a esta declaraco, qqe podero Vmcs.
lazer o uso quo quizerem. Soo com estima de Vmcs.
muitos respeitador e criado. Antonio loaqmm de
Castro t Sida. Recite 8 de feveve-iro de 1868.
Atiesto qae usei do xarope Vegetal Americano, de
composieo dos Srs Rartholome* le C para cura de um
forte dcOuxo que me tronxe nma ro iquidio, qae me neo
filia edtender, inDammacao e dor na garganta, tosse,
grande falla de respirarlo, e liqnei completamente res-
tibclecido com um s vidro do mesmo jarope; pelo
qae Ibes protesto eterm gnlidAo. Recite 10 de Ja-
neiro de 1868. Jonguim f'ereirn AraalM Jnior. .
Esto reconbecidos.
CAPSULAS MOLES
/ DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convuislvas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
34RA LARGA DO ROSAR]54
Scbonete de alcatrdo.
m
Antonio Nunes de Castro.
Est6 acreditado preparado, que t3o boa
acceita?5o tem merecido n'esta ])rovmcia.
muito se recommenda para a cara certa
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pcHe.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34ra larga do Rosario34.
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo eficaz, e preferivel a todos os
conhecidos, j pela certeza de sen resulta-
do, ej pela fcil applicaco as cranlas,
quasi sempre mais atacadas de to terrivel
e muilas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
HA
Pharniada e drogara.
DK
Barth ornen & C.
34Risa I^arga do Rosarlo-3 1
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
Para senhoras,
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sorti ment.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUSINH0S e gorras de velludo e de pennas
(alta novidada I) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos precos.
LENCOS bordados e com letras, novidade neste
genero
LEQUES a emitagio de marfim, gosto novo e de
sndalo.
GOLINHAS e punhos, a emitacao de guipure.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes,
GUARNIQO alta novidade I a Marie Rose, lti-
mamente usada em Paris.
CORPlijHOS de guipare brancos e pretos lindos
modelos.
BORNOUS do laa e seda, cores claras, elegante
moda em Paris
GRINALDAS de Qeres finas
ESPARTILHOS superiores
MEIAS superiores de fio de Escocia.
LUYAS de pelica chegadas pelo nltmo vanor
^dSo ^ *" nMTloalo
DE PALHA
GARNICOES para Tenidos. I
TRANCAS para enfeites de eodjoes.
BOTOES lisos e com pingentes para vestidoa.
CINTOS alt novkiadeV ^^
NOVIDADES
FLORES finas, grande sortimerrto.
GlUNALDAS de ditas para coques.
LAGOS, Uveras, penachos para enfeites.
Para homens.
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos de li-
nho tino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodao.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as quaiidades.
BOTOES para punhos e guarnicoes para coletes.
CORRENTES de plaqu a emitacao do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de ac e tarturaga.
Para orlancas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha dfi Italia.
TOUCAS de fil e setim afeitadas e de ehroch.
BUNECAS vestidas, muito b-uitas e diversos
brinquedos.
Perfumarlas finas.
AGUA FLORIDA verdadeira de Murray 4 Lan-
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e snperor agua, e
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromtico? para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a pelle; em paav-
tes e ricas caixinhas com arminho.
POS superior para limpar os denles.
COSMETIQUES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento desU genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antiques.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
Hludczas Unas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples ce'todas as
cores e larguras de veludo preto e de cores, e
gurgurao* para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNICOES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS putas com vidrilhos e pingantes.
BOTOES de cores, brancos e pretos con vidrilhos
lisos e com pingantes.
DEDAES de madi aperla, de marfim, de feo e
metal.
THESOURAS finas para costara e unhas.
CAIVETES finos com qnatro folhas. Emnitos
outros artigos de miudezas que se t )ma ena~
donho menciona-los.
Tudo se vende por presos bastante commodos.
IOJ A
DO
GALLO VIGILANTE
lina do Crcsuo n. 9
Os propietarios deste beni conhecido cstabele-
cimento, alm dos muitos ohjcctos que tinham ex-
postos a apreciaran do respeitavel publico, man-
daran! vir e acabara de receber pelo ulttino vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, s quaes es-
to resolvidos a vender, como de seu custnmc,
por precos muito baratinhos e commodos ptra to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos pira se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes do tartaruga para coq tes.
L Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e. sem elles; esta fazenda o que podo haver
de melhor e mais bonito.
Superiores c bonitos leques de madrcpcrola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia pira se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duzia, entretanto que ni- as vendemos pjr 205,
alm destas, temos tambem grande sortiminto de
outras quaiidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna .da India e
castao de marfim com lindas e encantador;,s figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Suanlidade de outras quaiidades, como sejam, asa-
etea, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cideia e
de outras quaiidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de carias para vollarete, assim
como os lentos para o mesmo fim.
Grande o vanado sortimento das memores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos centra as convulsoes, e
facilitam a den tirio das innocentes manea;. So-
mos desde moito recebedores desles prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nanea faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aqucl-
les que delles precisarem, vir ao deViosito do galla
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deiroe collares, e es quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista djs cbjectos que deixamos
declarados, aos nossos fregnezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja d) gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
"TASTILAS ASSCA1UDAS
DO
DR. PATERSON
De bismuth e niagnezla.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digesto, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu & C.
34------Ra larga do Rosario------34.
Barato que admira
Quartos de latas eom bolachihas de bo.s qua-
iidades a 1 lof, caixinhas com ameixas, iberas e
figos a 1^400, eervejaBass, Ihlers e bell ineza a
800 rs. a botija, vinho a 400 rs. a garrafa, azeite
doce de Lisboa a 880, arroz de primeira qualida-
de a 120 rs., caf a 220, sabao a 180 e 32), cha
ni indo bom a 3!00, idem grado a :i, alpista a
210, toucinho de Lisboa a 449, marmelada fina a
780 a libra, doce degoiaba fino em latas e clxoes
de diversos taannos por commodo prego s na
esquina da ra da Penha n. 8.
RAP POPULAR
DA
FABRICA NACIONAL DA BA'IA
DE
TEIXEIRA FREDERICO & C.
Acaba de chegara este mercado umaporci* des-
te ptimo rap, nico que pode supprir a falta do
princeza de Lisboa por ser de agradavel perfume.
E' fabricado pelo systema a imitacao do Areia Pre-
ta, porm tem sobre este a vantigem de sei viaja-
do, o qae para este artigo urna especialidade.
as pracas da Baha, do Rio de Janeiro e oulras do
imperio tem o Rap Popular sido asss accolhido,
e provavelmente aqu tambem o ser, logo qae
seja conhecido e apreciado. Acha-se venda
por preco commodo, e panrljuem comprar de 50
libras para cima, far>-se-hft um descont de S 0/0,
e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no torio de Joaquim Jos Gonealves Beltro, ra do
Commercio n. 17.
TASSOffiMOS
Tem para vender em seus ara >- m de ou-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Grcve pautado e liso.
\inhos em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira.
Hcnnitage.
Chamblig.
Licor de curaco de Hollanda em caixas do vin-
te e quatro botijinhas.
GESSO,
Nosarmazens de Tassolrmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irm Sos
CARRINIIOtt ni: FERRO
Para servicos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico proco de 12J5000 cada um.
Farinlia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das melhores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de arinha de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso irmaos.
Cemento romano
Nosarmazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O melhor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em pbreoes de
cincoento barricas se far reduccao no preco : nos
armazens de Tassolrmaos.
Cemento Portland
O verdadeiro cemento Pcrtlnd em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes quaiidades para cercados de ani-
maos, chiqueirospara galinhasoajardins : nosar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na arrtiga fabrica de
sabao, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para edificares c esgo-
tos de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
PREQOS.
1*400 por cano grande de 3 e meia pollegadas.
1*200 por dito de 2 e tres quartos de dita.
1000 por dito de 2 e um quarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotovellos, curvas c canos de maior grossura,a
vstase far o preco. Compras maiores de 2005
tem 5 por cento de deseonto por prompto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
lijlos francezes
Para ladrilhar casas terreas eomasseioe precos
mdicos, muito coavenientes c proprios para lad'ri-
Ihos de cosinhas em sobrados, pelo seu asseio c
evitar apassagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo He fogo, aos preeos de 30*000 a
45*000 o milheiro : na ra Nova de Santa Rita, na
antiga fabrica de sabao, e compras maiores de 200*
se far 5 por cento de deseonto por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmaeete verdadeira para lan-
ternas de carros: no armazem de Taseo Irmios.
Vinho do Porto fino superior: no armazem
de Tassolrmaos.
O melhor cognac Gauthier Freres : no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padroes e larguras, por psaco
commodo.
Macarthy
Bfaehinas de descaroear algodao.
Hoje que est reconhecjdo que as machinas de
serrote prejudicam e- quebrara a fibra da algodao,
preciso recorrer a machinismo menos spero,
|ue produzindo o mesmo serviro que qucHas, e
acilidade no trabaHio, nao quefirem a fibra da laa,
para que essa possa obter-nos mercados europeos,
a dilferenca que ha entro o algodao descarocado
por aquellas mencionadas machinas, que estao fi-
cando em deauzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolaadeira, qae nao pode competir
pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas s tornara as mais propriae para o
nosso algodao, porque ao par da facilidade e
promptidao conserva a fibra da laa, qae limpa por
ella, qualificada na Europa a par da melhor ho-
landesa, valeado assim entre 11 20 por 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois qae ha muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e pr isso o algo-
dao daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, obem hoje de 10 a g por
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150^000
nos armazeis de Tasso Irmaos.
Oleo de amendoas
Em eaixas de 8 lataa, cada eaixa 100 libras :
nos armazens de Tassolrmaos.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana e por baratissi-
mo preco : em casa de Tasso Irmaos, ra do
Amorim n. 37.
Relogios de ouro.
Relogios de ouro de patente com balanco do
chronometro do faniigerado actor John Rogors, no
escriptorio de Tasso Irmaos.
Pianos inglezes.
Pianos inglezes do bem conhecido autor Charles
Cadby, no escriptorio de Tasso.
Ac de milfio.
Nos armaz*ns de Tasso Irmaos.
BARRIS DE SALITRE
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CARNAUBA
Vende-se superior cera de carnauba em de
cas, por preeo mais barato do que em outra quas-
quer parte: na loja do Pavao, ra da Imperatriz
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
A NOVA ESPERANQA
21== Ra do Queimado = 2I
Advertencia!
. A Nova Esper?nca, ra do Queimad
n. 21 tendo em deposito grande quantidade
do miudezas, c como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balango, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
endonas pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade das que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo lo opportuno quando
NOVA ESPERANZA convida-os pechincha-
rcm, pois que para comprarle caro, nao
falta aonde e a quem...
PARA O MEZ DE MARA
A Nova Esperanza, ra do Queimado
n. 21, recebeu pastilhas para queimar-se
em lugar de insence, para aromatisar os
oratorio das devotas do mez de iaria.
Elle quer e ella quer
# E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetter objeetos de
gosto e perfeifo,' e ella (loja da Nova Es-
peranza) quer sempre dividir com seos fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este lidar continuo (d'ambos-)
Nova Esperanca ra do Queimado n. 21,
alm do grande sortimento que j tinta-,
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brincos dff
madreperola.
Papel e envelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos e
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (Mima
moda).
Fitas largas para cinto.
Modernos galloes, franjas e trancas do
seda e de la, para enfeites de vestidos.
Bot5es de todas as cores e moldes novos
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo com*
pengentes e sem elles. *
Bolees pretos com vidrilhos com pingen-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, camorra e eicossia.
Finas meias de seda para senhora e me-
ninos.
Delicados leque de madreperola, mar-
lira, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas ra do Queimado n. 21, na
Nova Esperanza.
Collares anodinos ellectro-mc^nett
eos contra as convtrices das
creangas.
N5o resta a menor duvida, de quemaito
collares se vendem por ah intitulados os
verdaderos de Reyer, e eia-porqae muito
pais de familias nao creem (comprandr>oa)
noefleito promettido.o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
qiie detesta a falsificacao principalmente no
que respeita ao bem estar da liumanidade.
fez umaencommenda directa destes collares
e garante aos pa de familias, que sao o
verdadeiros de Royer, que a tanta creao-
Cas tem salvado do terrivfll incommodo de
convulcoes, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ra do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seo
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando ente ser, i-
fficil aJcancar-se o eUeito desejado, emberi
sejam empregados os verdadeiros collares
de Rover.
^.VGEBJfcUty
HASS.4 XAROPE
DECODEINADEBERTH
Prcconisarlos por todos os mdicos contra os
DEKLL'XOS, CATHARROS, E TODAS-AS
IBR1TACOES DO PEITO.
K. B. O Xarope de Codena que mereci a
honra, altas bem rara entre di Medicamento!
notos, de ter registrado como um dos medica-
mentos ojficiacs do Imperio Francs dispensa
qvatquer elogio.
AVISO. Por causa da reprehentivcl falsi-
ficacao que tem suscitado o feliz resultado do
Xarope c massa de Bcrlh somos foreados a
lembrar jiicesicsmedicanieutos taojustaentc
conceiluailo (A se
tiidem cm caixin-
kasi frasee, levando
I Higiiatura em
Atnte.
46, Ru des Ecoles, e na Pharmacia Central
de Franca, 7, fue de Jouy, em Parte, e em
todas as Pliarmscia* principis ilo Bi
CUBA DOS GALLOS.
PBLA
Pomada galonpean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo & C.
34Ra. larga do Rosario------34.
VHUGF-
de superiores quaiidades, a precos commodos : na
roa do Vigario n. 16, 1 andar, escriptorio de
Joaquim Gerardo de Bastos.
VENDE-SE
azeite de dend a 800 rs. a garra^
fa: na ra Novan. 3.
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, nm carregamento de tu
de primeira qualidade; o qual se veude em part*,,
e a retalho per menos proco do que em or* __.
quer parte. -q
Alegrai-vos myopes, e presbytas, j po-
dis ver de longe, ja podis ver deperto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de recber pelo ulti-
mo vapor um rico e cariado sortim* nto de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de [ouro, prala, tartaruga, marfim,.
ac, bfalo, ncar, unicornio e melbior;
assim como binculos de urna a tres mudan-
Cas para theatro, campo e marinha, da ulti-
ma invencao ; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
O mesmo vapor trou-
xe urna excellente ma-
china para graduar e
observar numero dos
vidros qoe se necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excellentes sterioscopos, instrumen-
tos de mathematica, barmetros, vidjos de
chrystal do rocha, e de cores para resguar-
dar a vista; eoncerta todos os objeetos a
precos commodos e com promptidao ; tira
o mofo dos vidros e encarrega-se de toda a
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os excellentes relogios
do anligo e afamado fabricante Robert Gerth
&C, os quaes vendem preces commodos
garantindo a sua superior qualioade.
FUNDICAO DO BOWMAN
lina do Ilrum n. 52.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro; batidoj fundido.
' Rodas dentadas, paia moer com agoa.
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objeetos, etc. etc., pro!
piios para agricultura. _____
Livros de direito e prepara
torios
Vendem-se os sguintes livros ; ?ftCi
Oudot, 74, Relime, &. Ugranee, U*,. Charma
4*, Barte, 31. Historia Sagrada, U, H stona de
Brasa. ..Maiimni Lexicum 5#, W P -.
> \$, Cicero, U. Litc-Livlo, i*, Epitome, U .
Td ra da Imperatri n. 8
vonriA-M> urna earroca e um silhio emper-
fe.m firi Sr naVstrads de Joao de fo-
ros, S. de meio dia at J horas da tardes

X


I
Ir
I
I

lr>
t
Diario de Pemanibuco Sexta feira 21 de Maio de

CONSULTORIO MEDICO CMDKKO
DO
DR. R A. LOBO
3Ra da Glora sitio do Fundi3
][ POR MUIOS
Consultas todos os das desde as 7 horas da manha at as I 1.
Visitas em casa dos doentes de 11 horas em diante, em calo urgente a qualquer
hora do dia ou da noite.
Nao se recebem chamados se nao por escripto em que declare o nome dapessoa,
toda roa e o numero da casa.
Especialidade em partos, operares, molestias de mulheres e meninos.
Cura radical das molestias venreas, e dos estreitamentos da othera.
Curas radical das molestias do tero, como nlceras, flores brancas, amenonia,
vegetacoes e catarrho, etc etc.
Recebe-se escravQg para tratar de molestias ou praticar-lhes qualquer operaco
cirurgica. Diaria 2^000 excepto as operares.
Os melhores remedios homeopathicos conhecidos. e 'por presos muito cora-
modos.
A ESMERALDA
s*%
0 MUSEO DE JOIAS
C/2
GOMES DE MBTTOS IRMOS
tendo ito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o m de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exius.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RA DO CABUGA 1. 4
onde encoEitrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, rubina e tudo que em obras
de ouro, pirata e platina se pode desejar.
ADERECOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto ainda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compran e trocam qualquer joi ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
Varinha de mandioca
Main A Liad Un i, n roa wtrcita do Rosario,
vendaros kc<.s cmi larinha da (erra mv prcco
ommodo.
0 MUSEO DE JOIAS
ESCRAVCS FU6ID0S.
Fugio de bordo do palhabole nacional mit-
ro, um mulato claro de nomo Justino, estatura re-
cular, cabellos carapmhos e mcios ruivos, penca
iiarba, tcm nina pin!.: pretal canto do olho d-
reito d iii lalho as cosas ao BU bobo lado ; lavou
v, .-tillo remisa do chita cuui listas verdes, e usa
de una cinta com borla encarnada para apertar
as caiga, < natural de Santa Anua do Matto na
provincia do llio Grande do Norte, para onde tai-
voz queira r, < lambcrn muito desembarcado no
fallar. Rccnmmciida-sc aos mostrea de barcada
ou a qualquer pessoa que o agarrarle levar a ra
do Trapicho n. 4 ou a bordo do referido navio que
ser. pencro*amontft rratilirndo. ___
- O eseravo Benedicto Sapucaia se ;.cna fgido
desde o dia 24 ite marco prximo pasando, enao
desdoro dia 3U como por engao disse no aunun-
i-io de hontem lem elle os si^naes seguintca : .li-
tara fegnlirr, um ponfo magro, cara comprida,
muito pouca bnrhn, tcm as penas alguma cousa
cambetas e os pos meio apalheiados, tem falta de
dous ou tros denles na frente, muito fila e (josta
de andar engofnmado: quem o pegar leve-o ao
escriptorio da ra do Imperador n. 21, a Joaquim .
S. P. do Siquoira Cavaleanli.
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no sen estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem viudo a esta
praca, e por precos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe
dras preciosas
\ 5 RA DO CABUGA N. 5
AFEITARA dos aunaos
16 RA DA CRUZ 16
Ha diariamente sortimento.de bollinhos para cha, podins, pes de lo, bollo inglez,
prestuilos, ditos em feambre, pastis de differentes qualidades. Ameqdoas confeitadas,
:ofcitos, papis para sortes. Vinhos unos engarrafados, superior cli Hisson, preto e
mOPJbo, fruta em xaropes, ditas seccas e ebristalisadas, assucar candi, xaropes refri-
gerares.
Beebe-se encommendas de bandeijas para casamento, bailes e baptizados, com
bonitas armaces de assucar, sendo estas preferiveis as de papel5o: figuras anlogas,
ooHos etc., $>5eg- de lo etifeitados, qualquer einiomtnenda para fra ser bem acondi-
.>onada.
IIVAL SEU HIM
Ra do Queimadon, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Suva conhectdo por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem em seu
estabelecimento para acabar e fazernovo
sortimento, por isso queiram vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Garrafas com (agua florida ver-
dadeira......
Garrafas com agua divina dame-
ltaor qualidade .
Latas com superior banha fran-
ceza ... .
Caixascom 12 frascos decbeiros
proprio para mimos .
Dita com 6 frascos muito finos
Oleo baboza muito fino que s
a vista .......
Sabonetes de catanga muito bo-
nito .. .
Caixas de p de arroz muito
superior .....
Pecas de babadinho com 10
varas ......
Caixas redondas emitando tar-
taruga. ......
Pecas de fita dedeos qualqmr
largura .
Escovas para unhas muito fi-
nas ...... 9500
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... #240
Pulceiras do contas de cores
para meninos #200
Caixas de linlia branca do gaz
com 50 novellos #800
Caixas de linha branca do gaz
com 30 novellos #600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores .- .
Resmas de papel pautado muito
fino ..... .
Pares de botoes para punhos
muito bonito .
Libras de 13a pa>a bordados de
de todas f s cores .
Pentes com costas de metal
muito finos .
Novellos de linha muito grande
para croxs .
Duzia de linha froxa para bor-
dado ......
Grosas de botes madreperola
muito fino ,. .
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e.....
Peras de fita de 15a todas as
cores ......
Espetaos dourados para parede
1#000 e .
Espetaos de Jacaranda muito
fino ......
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol .
Pares de meias cruas para me-
ninos ......
Caivete muito fino coin 4 fo-
lhas ..... .
Cartilhas da doutrina as mais
modernas ...
jagQQTrascos de sndalo e patecholy
muito linn
#500
1#20G
I.$500
#200
#500
#800
#500
#240
i
#600
#500
#040
4#000
#120
8#000
#320
#320
#480
#500
#320
#500
1#500
2#000
#060
#320
d#500
#400
13200
SYSTEMA METPJCO
Tabellas de composicao de precos ntre o aatigo
e novo systema, a contar de 400 rs. a 6,i, i arroba
e um, dez e eem kilogrammas, a 200 rs. cad3 nma,
nos lejas de Hvros, dos Srs. Jos Nogneira de Sou-
za, De LailhareAr &. C, Parisiense, GlmaraesA
Ovtira, ra do Livramento n. 3, Mortira & Bra-
ga e na ra Direita n. 4. Nesta ultima casa ha
tambem 4 temos de medidas de metal branco para
lquidos, chegados ltimamente de Franea, para
uem tirer bom gosto e quizer mexlidas l s de
uracao eomo de limpeza.
OOS
0001^9
OOOVi
000B
000^6
OOSrS
00S95
000S
00t#
008
00
009
00
n
B
9
9
P
0
Si
7,1
9 H0I
ev6'6
I '8 *V L 'O '
? 39
?'ao'V9 *'i 't
V S 'C
? 'a s'v? ?
o \ so.ieui
O'JHUd
qq^uopDiuidnfy op una
du opdisvdxo op njtyo op sjjuoq
Fugio do engonha I'ooo, freguezia de Agoa-Prc-
la, na noite de domingo, 18 po crreme, para o
aiuanheeer fle segunda-fera, 19 do mesmo, o es-
cravo Benediot. que rol comprado no Rceife ao
Si\ Antonio Jos Vieira de Souza, no dia 7 de abril
do corrento moz. rujo eseravo lem os signaes se-
guilos : efioiilo, do 32 anuos de idade, cor preta,
altura regular, cprpo regular^ testa muito cantuda.
i-to um pouoo descarnado, nariz afilado, pone*
barba, falta do dente?, pos o nyios bem feilos, cha-
peo do r.liilf ja veiho, < u bonet, boa camisa de
inadapolao do prega larga, ou de algodao branoo,
levando a roupa dentro do un sacco j velho, o
qual dovo ter a marcaPCco quem o pegar
leve-o ao engento cima a son senhor, ou ra
da Praia, a Genuino Jos da liosa, que receber
100 de gralilioaorio. Desconlia-se ter ido para
Porto Calvo, onde" era eseravo do Francisco No-
nteira Castell Branco, engenho Utinga ou S. Jos
da (>roa Grande.
m
lVSOdH
Eseravo fgido.
Fugio no dia 11 do & rrente mez as 8 1|2
hora (la nnuto o eseravo Antonio, preto, de
naro, idade 48 anuos, pouco mais ou me-
nos, estatura bffxa, barbado com falta le
dentos na frente.aunndo anda parece que-
rer cochear de una perna, levou urna
trouxa de roupa com calcas de algodao
azul, de listra e britn pardo, camisas lista ariil c algodao riscado: quem o pegar
.leve-o ao seu Sr. Jos-Gomes. Leal, ama
da Imperatriz, sobrad n. 15 ou na roa da
Cadeia escritorio n, 56 que ser gratificado.
Vendem Augusto F. de Oliveira & C. ra
ommercio, n. 42.
Grande exposico de
bonecas de cera
DE
Todas as qualidades na ruado
(taeiroado n. 55.
LOJA DO TEMPORAL
Acaba de ebegar pelo ultimo paquete um
completo sortimento de jjpnccas de itera de
todas as qualidades para Joj.a do Tempo-
ral.
^0 e
Librase ouro nacional, moedas
de 5 francos.
Vende-se no arw 4o Conceico ua aoja
do ourives, no Recife.
i-'iitiiam do ngenlvo Morenos,
abril prximo passado.os esceavos scouintes :
Mailinho. cabra, eom idad de 40 armo?, alto,
secco, rosto magro, com muito pouca barba, ar
alegre, o, falla grasa ; este eseravo toi do Sr. Se- .
bastiio Jos tundea l.uis, ouiradoi em Afijados, e
depois foi do Sr. coronel I.ial.
Lonrenco, crioulo. com idade de 22 annos, ;-i-
twa regular, sem barba, nariz grosso, falla bwr
e um pouco descanrado, peenas um pouco aiq;
das. candas linas, pos magros qus se v bem os
tendOes dos ojesmos esto eseravo foi da senaoTa
D. Mma dos Anfo8.deJS Brrelo, irmaa do Pr.
coronel Antonio Pedi>) de S narrlo, cosfnma oc-
iillarseom Sanio Amaro, m> Kecife. ao ,p da
fundicao e oros iu-aies, mas desta yca i\mv
paj-n o lado da Escada ou Santo Antaa
Clemente, p.irdo .i.Mboelado, .idade 32 ancos
barbado, nlhns grandes e amortecidos, estatura'
inedia, sceco. pernos o pos regulares, carreiro
trabalha mal de machado em lavracem de madei-
ra ; e^ste eseravo mj do Sr. majoc Manoel de Sou-
za Lean, senhor do engenho Grujaii de Cima, e so-
guio em enmpanhia de I.ourenco tambem para a
freguezia da Ksoarbi ou Santo ntao. Os tres es-
eravo* de que trata este annuncio, todos tem mar- .
casde castigos : quem os apprehender levo-os ao *
engenho Moreno?, que receben iOOi de gratifi'a-
$ao por cada um.
LISTA GERAL
106
e
2.
DOS PREMIOS DA PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 402, A BENEFiaO DA MATRIZ DA "VILLA BELLA, EXTRAIUDA EM 0 DE MAIO DE 1869.

NS. -PBEMS. VS. PRRMS. N'S. PREMS. RS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS.' PREMS. NS. PREMS RS. PREMS..NS. PREM.
11 i 236 4# 465 l| 743 4 969 44 1175 i* 1413 M 1639 44 1851 i 2088 44 2286 44 2505 44 2811 44 3039 44 3322 44 3583 44 3798 44 4013 H 4234 4S1116 44
t 37 67 45 70 _ 82 16 40 , 57 90 7004 88 6 26 41 24 83 3801 _ 14 35 ___ 17
M 42 74 48 80 _ 84 19 50 __ 71 92 44 99 22 41 53 B 86 11 _ 16 37 __ 21 __
37 44 8* 79 59 83 _____ 85 25 54 - 73 95 2300 28 44 59 32 -"- 92 * _ 17 19 44 8 23 __
41 48 U 84 60 86 ,. 86 3o 55 __ 79 97 8 __ 56 204 47 62 37 95 84 18 20 52 44 I 32 _
54 49 91 61 90 8/ 96 m_ 48 56 __ 80 - 2103 _ 9 __ 68 44 49 64 41 97 44 20 25 53 m __
S7 65 m 503 63 96 41 1200 50 57 _ 81 84 9 14 __ j - 65 65 42 3600 28 __ 26 54 ___ 37 ,
8 66 0 64 003 4 51 61 __ 82 44 13 22 __ 66 69 43 1 32 _ 27 65 45 __.
61 79 9 6*5 8 . . 7 __ 53 63 __ 86 15 32 __ 86 69 - 82 52 8 39 _ 32 68 __ 48
63 93 16 6? 10 _ 10 58 67 88 16 35 __ 89 84 71 86 53 10 43 _ 34 __ fi9 __ ii:
64 96 17 7 i 12 ___. 14 __ fio 77 -__ 92 36 40 __ 90 44 78 84 97 55 11 46 _ 36 70 68
7 300 - 18 82 23 ____, 19 __ 67 - W 79 --- 1902 37 _ 43 94 82 44 98 58 12 47 _ 50 ... 72 71 64
78 1 - 19 94 24 _ 20 69 M 80 -_ 4 41 __ 45 __ 2605 87 1104 66 404 26 48 51 77 80 44
81 i 23 803 8, 25 __ 21 71 86 _ 7 42 47 __ 8 89 8 71 .44 29 50 52 82 82
8 di 6 26 11 4/ 27 __ 23 72 95 --- 21 84 41 _ 48 11 95 9 77 36 57 60 88 83 __
8 27 15 31 _ 32 74 97 __ 23 44 50 57 __ 28 96 ** 10 85 40 63 62 _ 87 4504 __,
93 13 34 19 32 '41 82 1701 _ 34 .... 51 61 __ 29 97 14 3104 41 63 65 _ 95 6 _
106 16 40 - 20 M _ 44 83 10 _ 40 61 60 __ 34 2900 18 8 43 66 66 o; 15 __
8 18 59 23 40 50 90 12 --- 42 68 78 36 4 23 1 9 47 67 68 4302 1 20 __
19 19 60 24 43 53 __* 93 13 --- 4. 69 84 51 8 ' 31 10 54 " 71 70 4 21
46 21 63 25 71 71 _ 97 16 84 45 74 86 59 12 _ 40 16 ^ 58 87 71 6 31 _H
47 23 _- 77 - 33 72 74 76 _ 98 - 17 ' 44 51 77 92 _ 60 16 41 26 204 60 88 84 74 9 33 _n
49 25 __ 87 33 80 _ 1501 21 57 31 93 62 20 61 45 44 63 90 M 77 '? 45 ---
0 26 92 - 37 81 88 _ 1 31 _____ 59 87 96 69 21 65 49 -* 71 3902. 82 11 49
tu 8* 38 __ 94 - 38 8i 89 1 14 32 _____ 68 89 2403 12 _ 81 23 = 78 55 73 * ! 94 ~ lli 51 ---
52 > 46 __ 601 44 92 93 _ 16 84 31 __ 74 93 _ 90 25 80 84 62 63 64 204 44 86 12 97 ' 20 - 55 ---
55 49 _ 8 46 __ 93 94 23 44 35 L^ 80 __ 96 13 _ ^-93 41 87 84 ' 7 16 99 23 - 7 ---
62 54 16 50 _ 94 95 "21 37 _ 85 2201 _ 20 _ 95 43 92 44 3702 17 ~- 1103 _. 32 58 ---
13 56 20 .- 58 95 # 1301 _ 29 41 _ 88 6 __ 24 _ 2702" __ 47 93 --- 67 83 86 98 8 25 15 33 36 ~- 60 __
66 58 _ 22 66 1101 4J 12 32 47 __ 95 9 __ 25 __ 3 54 99 """* 15 31 . 17 68 +
68 60 M 24 82 2 16 36 49 97 13 _ 2!) 6 55 3200 t 38 24 39 74
71 66 ^m 26 86 w^^ 9 17 __ 37 __ 57 __ 2009 19 __ 33 84 9 56 204 12 43 30 41 83 __
72 74 34 - 87 ^_ 15 28 39 65 14 21 __ 36 44 10 60 44 13 404 3502 ^-- 25 44 32 48 83 204
73 76 48 _ 91 _ t 17 _ 38 __ 40 69 17 22 _ 37 84 12 67 16 44 6 ^~ 32 52 36 54 96, U
g 98 53 - 94 __^ 20 _ 39 43 72. 19 28 204 44 44 22 71 84 30 18 34 53 51 56 84 1602
76 401 72 95 22 __ 45 __ 33 73 22 34' 44 45 25 75 44 34 25 39 w 56 61 44 7 __
79 6 73 900 i | 24 __ JO _ 60 84 m 25 3S 16 29 83 39 84 35 45 62 70 64 9
l) 8 90 - 9 , 25 , 57 1004 63 44 #7 31 41 49 32 90 41 204 38 47 61 71 65 10 __
93 14 92 11 ^M 35 , 58 4 C9 89 11 42 84 37 34 92 43 44 41 51 74 85 67 . 12
94 f- 21 40J 95 19 36 __ 62 72 97 . 44 46 44 63 36 3002 84 59 43 84 52 75 88 71 25 __
98 23 41 99 30 --- 37 64 _, 73 _ 1806 45 59 84 60 ' 38 l 10 44 61 47 44 54 79 92 73 26 __
9 28 702 - 42 40 65 _ 7. 8 56 63 , 44 74 - 44 11 * 71 r 50 57 tfc-* 86 99 84 86 35 __
m _ 32 8 oO 8* 51 69 84. __ 10 _ GO 404 68 t 53 14 -' 74 52 61 87 4204 44 90 37
ii 39 19 53 U 52 83 __ 92 __ 12 61 44 70 86 73 16 - 78 55 r~. 62 . 94 12 91 40
ii _ 41 __ 29 60 53 89 ._ 1618 204 32 _ 64 73 __ 87 77 18 -, 79 84 59 63 97 14 '.'8 45
16 __ 49 __ 32 61 56 90 __ 24 44 37 _ 65 79 __, i 22 3301 44 63 '84 67 4002 17 4403 56
53 __ 56 35 62 61 96 ? "" 25 46 ^_ 66 80 ___- 92 18 4 71 44 69 4 20 10 82
32 _ 57 Mi 39 64 64 1402 27 _ 47 _k 78 81 . di - 95 29 16 78 71 6 25 11 97 -^r
38 64 42 - 67 71 4 3 48 80 I 84 3 '2806 33 13 4:0004 81 2024 77 10 33 12 9


8
Diario de Pernambu.so Sexta fera %\ de Maio de 1860.

..'
UTTERATBRl
Tm illnstre avareato.
(Continuaco.)
Ktte envergonha a nossa sagrada cor-
porajo, jRssfl o parir, fez-se monge, e
nunca vai igreja, seu coraco t3o duro
cono o cofre em que cncerra o guarda o
sen ouro: pode um pobre morrer de fo-
me 4 sua porta, que lhe negar urna Ca-
mota.
Ha dez aanos que anda com a mcsma
casaca, accressenio.u olidalgo.
Senti-se no chao para nao estragar
as cadeiras, disse o padre. .
Um Joven estudaute, que em silencio es-
culava sses ditos, nio podendo por mais
lempo reprimir o impeto de seu coiacfo,
voltun-sc para o padre e disse-lhe :
Deveriers fallar com mais respeito de
un homem-que se distingue por sua gote-
ros dade. Que nos importa que elle ande
mal Irajado, que passe mal, se faz bom
uso da sua fortuna?
. Mas o que tem elle jfeito ? perguntou
o padre.
A academia das sciencias careca de
um logar proprio para a sua bibliotheca.
Ella nao tiulia fundos sallicientes para alu-
gar sequer um local. Quem lhe offereceu
um magnifico palacio ? Nao foi Staszic ?
Sin foi elle, porque to vido de
lotivores como de ouro A vaidade vencen
a avareza, porque sabia que os jornalistas
o elevara m ao stimo cu.
A Polonia corta como sua primeira
gloria o sabio que descobriu a lei do movi-
mento sideral. Quem foi que lhe erigiu
UU monumento digno de sua fama ? Quem
f< o rico que chamou o borit de Canova,
para honrar a memoria de Coperrico ?
' Foi Staszic ; sim, foi elle, replicou o
padre: mas tambera toda a Europa admira
o generoso senador... Meu joven amigo,
nao a claridade do sol que de ve brilbar
a raridade christa. Queris conhecer o
homem ? Penetrai no seu interior, sondai
sua vida privada. Eu conheco esse ava-
renlo orgulhoso, que em seus vastos domi-
nios cinprcga quinientos servos desgrana-
dos, nmaldic o (uto e os prazeres e secre-
tamente vai aos divertimentos.
Ide ao tlieatro, e escolhei o lugar de me-
nos cusi, e ahi o encontrareis. Ao rom-
per do dia ide sua casa ; all encontrareis
urna inulher que pede, e um rico que a re-
pelle. O rico Staszic e a mulber des-
dcnhada sua irma. Este homem que of-
ferece palacios, que manda fazer estatuas,
opprime seus servos e deixa sua irma
morrer a mingua.
O mancebo quiz responder, mas todos
lhe voltaram as costas.
Triste e offendido aflfastou-se.
Mas querendo ccrtiear-se se os fados
que imputavam a Staszic erara verdadeiros,
foi de noute ao theatro; representava-se o
Avarenlo.
Zolkov.ski, actor predilecto do povo de
Varsovia devia reproduzir na scena po-
laca urna das mais bellas concepres de
Moliere.
O theatro eslava cheio, o que impossi-
bilitava a entrada para as torrinhas; mas
o nosso joven esludante animou-se a rom-
per por entre a multido at chegar
all.
Debalde seus olhos procuraran o ho-
mem que a opinio publica aecusava; nao
o encontrava. Seu corado alegra-se ; mas
a sua alegra foi de curta duraco.
Levanta-se o panno, urna trovoada de
applausos sada o actor que em scena
reproduz o porte, os gestos e o andar 'de
Staszic.
O joven esludante soffre, e a sua dr
augmenta-sc quando o publico, que em sua
manira era composto de garotos, volta-se
para um de seus visinhos e o cobre de apu-
pada/e de vaias.
Esse homem, to vil c publicamente ul-
trajado, era Staszic, que oppoz urna se-
renidade passiva aos movimentos con-
vulsivos do publico, e conservou-se indiffe-
rente al o tim do espectculo.
N ) dia segrate o estudante vai a casa
de Staszic. que era seu bemfeitor ; e all
euronlra urna mulher chorando e prague-
jando seu deshumano irmo.
1-Ntc fado o faz pasmar, despedaca-lhe
a alma e inspira-lhe urna resoluco inaba-
lavel.
Foi Staszic que o metteu na escola das
minas, era elle que lhe fornecia os meios
de continuar seus estudos.
Ao avistar o seu protegido, o sabio mi-
nistro lhe diz:
E's tu, Adolpho, o que queres? pre-
cisas de livros? Esco-ic-os na minha
bibliotheca. Faltara te alguns instrumen-
tos? Compra-os por minha conta. E in-
sufliciente a pensil 3 quo te dou ? Aug-
mental-a-he. Fall, como se eu fosse ten
pae.
Pelo contrare, venbo aqu agradecer*
vossos beneficies, e dizer-vos que renun-
cio a todo elles.
Enriqueceste de repente ?
Nao, sou pobre como dantes era.
E a escola da* minas ?
Abandono-a.
Impossivel! exclamos Staszic levan-
tando-so, % procurando penetrar o pen-
samentos do mancebo. Tu, o mais adian-
tado dos nosso* alumnos, a esperaa-
ca dos nossos engenheiros 1 Neo, 180 o
fars.
Debalde quiz o joven estudante occul-
tar a verdade. A' forca de insistencias, o
sabio ministro conheceu os motivos que
obriga'vam seu protegido a proceder desse
modo.
Vos me queris beneficiar, disse-lhe
elle, a cusa dos servos que para vos traba-
Iham e de vossa familia que soffre.
Staszic nao pode encobric sua emo-
Cio, inclinou a raboca eduas lagrimas bri-
Iharam-lhe nos olhos. Depois apertou a
mo do mancebo, e lhe disse commo
vido :
Meu amigo, abstem-te de julgar os
horaens e suas aeces antes do fim de sua
vida. Nao ha virtude que nao possa ser
manchada pelo vicio, assim como nao ha
calumnias que o tempo nao disspe. O meu
procedimento um enigma para ti, e eu
nao t'o posso explicar, porque o segredo
da mirilla vida.
Vendo o mancebo conservar-se inabala-
vel, accressentou ;
Conta o dinheiro que te adianto, con-
sidera-o como um eraprestimo, c quando,
for?a de estudos e de trabalho, tiveres en-
riquecido, restitue-o a um mancebo capaz
e pobre... Quanio a mim, espera a mi-
nha morte para me julgares.
Durante cincuenta anhos, Stanislo Stas-
zic foi alvo das mais torpes calumnias; mas
elle sabia que chegiria o dia em que a Po-
lonia inteira lhe faria justiga, e em que seria
collocado frente dos horaens mais gene-
rosos e mais dedicados sua patria.
Em 20 de Janeiro de 1820, triuta mil
habitantes corrern) para junio do seu leto
e disputavarn entre si os andrajos que o
cobriam.
O exercito russo nlo pode comprimir a
homenagem que o povo de Varsovia rendeu
a este homem Ilustre. Seu testamento ex-
plicou o seu proceder e fez conhecer o mo-
vel de sua avareza e de sua fortuna.
Sim, dizia elle, eu me impuz rudes
privaces, porque, pobre, era smente por
este meo que podia chegar fortuna, for-
tuna que destinava ao meu paiz.
As vastas trras que possuia, repartio-as
entre quinhentos camponezes e seus servos
ficaram livres e proprietarios.
Depois de ter assegurado a sorte de seus
camponezes, Stazic offereceu seiscentos
mil florins para se fundar um hospital, e
deixou sommas consideraveis para auxilio
da mocidade estudiosa.
Quanto sua irma, gosa da mesraa
renda que possuia durante a vida de seu
irmo, porque essa mulher nao conhecia o
valor do dinheiro e nem discerna tudo
quanto obtnha de sua beneficencia.
Stasnslo Staszic foi victima e raartyr da
ca urania; mas depois da sua morte qui-
nhentas familias elevam cada dia sua voz
para honrar a memoriaNdo Ilustre avarenlo.
i mnculoem fmntimm argemi mi flpirt tra ^mktf, Rredita-se fhesmo que suas ope-
fase os mensari, ignora vara todas ope-
rar-Oes dos bancos modernos.
Essa opiniao pode parecer exagjemn, e
Plauto d-lhc Um desment"), $H)lo nos
Captivos faz Ilegion dizer :
i lbointro *t pezUam siet,
N5o4duvidosa a existencia, na Italia an-
liga, de estabeledmentos pblicos Riendo
operacoes de banco: todawo serfr'dHficil
precisar a poca em Jone funeciooavara os
mais antigs delles.
Veneza pretende liayer possuido um
banco municipal, durante a primeira melado
do sesulo XIV: e Bercellona^nos seus ar-
cedeu-sc ao Sr. Bernnrd um prcTegio, em
virtude do qual elle poderla estabelecer
urna Caixa de descontos, com o capital de
15 milhes de libras.
Ellaquasi que nJo?ivcu,j>aralysadapelas
exigencia? do gvfl*no e pela desconflaca
chivos, encostra vestigios le-tm laico ios- jwi rf/*te*, que emitta bilhetes^
tallado em 3 i9, pela corpoic3o dos mer-
cadores de panno: mas, se inermes de
buscar1 apoio em documentos aulhenticos,
entao devenios reconheeer que o prineiro
banco regukr estabelecido
o ile Genova, organisado eu
nome de Casa di San-Giorgio.
Embora Luis XPf, de|tdo desastroso
anuo de FHI6,tni?ms9 o psprt-nwea, e que
depois de sua morte anda circulassem 492
milhes desses valores duv dbsos, o nosso
primeiro banco fot o de Jiaw, o famoso
banco do Mississipi, qpt tanto den que
fallar, e que apezar das muitas maldiges
que mereceu^no nos deveittOs olWdar de
quo a elle quedevemos a Lnr/ianin,
O banco do Mississipi, emeedida Law
por vinte annos, por ordenaticas de 2 e 20
di maio de 17*6 ; com o capital Jnttado
de seis mdhes, divididos em 1:200 aeces
de 5.000 libras cada urna, elle, em junho,
cemecou as tas operaees, as quaes, se
nao fossem to desnaturadas, ter-lhe-hia
dado, com certeza.uma extraordinaria pros-
peudade, Essas^openK'es eram, pouco
mais ou menos, as mesmas que deram ao
banco de Franra um fundo to solido :
descosto sobre proilucto3 cornmerciaei,
guarda de valores em deposito, pagamento*
e cobranca pelo terco- A sua aeco eslava
muito prudentemente limtala pela inter-
dieco absoluta de negociar, e emprestar a
juros. O principio foi magnifico ; o lucro
foi de dous e meio por cents1 o mez, e o
descont renda de 4, 5e6 por anno.
Nunca taes facilidades apparecenm as
negociages, e por isso todos se appressa-
ram em aproveitar o ensejo.
Desgraradamente o bom resultado em-
briagou a Law; elle englo'oou o banco na
companhia do Occidente, e quiz pnr em
pratica o famoso systema, devaneio socia-
lista que fazia do banco o nico despensa-
dor de todo crdito, riqueza e trabalho.
Para satisfazer as necessidades ficticias,
que se crearam, para acudir s procuras
da especulaco sobrexcitada, emitto-se urna
louca quantidade de aeces, aeces-mis,
acces-tflhas e aeces-netas.
Semelhante furor de agiiitagem nunca
leve igual; os nobres puzeram-se testa
desse exercito vido e cheio da mais torpe
e vil cubica; o onde Horn, um prente
do regente, assassinava luz dd dia e no
meio da ra; em fins de fevereinfde 1720
o duquedeCorlti fez desapparecer 14mi-
lhes de ouro do banco, e a 2 de marco o
duque de Iturbon tirn 25. Para conjurar
urna catastrophe inminente, chegou-se n5o
s a impr o Curso forjado' desse papel
que, de instante a (instante, perda o valor
mas tambera a prohibir a circulacSo das
racbes mo eram muito lucrativns. porque,
em 1784, as senhoras usavam uns chapos
Sem fundo, chamados chapeos d caixa de
escontos. Entretanto a aixa durou, em-
bora copeada de difficuldades, at 4 de agosto
de 1733, poca em que a Convenc) a
supprinido.
Durante o Directorio, alguns particulares,
negociantes e banqueiros crearam um i Cu'-
dinhero : quam? ralm dedlro ijUe nHo
quero o papel MMdt
A lembranca desse trarn^ abarajo
Uve alguna influencia as rtfflHmWfc Na-
poleo ? Tinha elle dJfliculdade em su
portar um estabelecmenlo que servia
-------------^------_----------------------------.
elle tambem incendiava os seus bilhstes.
por impulso urenectklo tte Jsorniesitallite.
Um flo prowndo abalo 8o podi durar
proprio de homens qne
tantas difficuldades o
1
regulador ao crdito publico," com a facuk estremecer; por isso tomaram resoluta-
dade de mover se fra da aeco immedisft wnte a djreco dV>iiivio que levava Pa-
e fazia diversas operages valajosas para
o comraercio, mas ella lesappareceu logo
que Bonaparte subi ao consuhw.0, e que,
apreciando o sfvco9 que um estabelecl-
ira Europa,"fw ment de codita, hbilmente dirigido pode-
u 14107 sb o ria fater popnlafio, ftndou o banco de
Franca, limitado por urna lei constitutiva,
e fixado muito severamente.
I
Em 1800, a 24 de pluvioso, anno VIH,
muitos banqueiros, testa-dos quaes esta-
vanrPortegwx, Conteulx-Contelen, Mallet,
Recaroier e Hobilard, eombinaram-se para
organisar os estatutos de un bac.co, com o
capital de 30 milhes, repartidos em trinta
mil aerees nomimes. As operaeoes dt;ve-
riam ser: descontos, depsitos v con-igna-
fes, contas correles, o RnalmQtite a emis-
ste de bhetes ao portador, pagos vista.
Era prohil)ida toda transaego (pie nao
fosse em ouro ou prata. Nos estatutos pri-
mitivos, encontra se, de urna maneira em-
brjoiiaria mas j muito ebra, o systema de
govertio. que deveri assegurarao banco urna
eslaltilidado. tal, que nada at hoje
pode abalar.
Em 2 danivose (l I de Janeiro de 1800).
urna dtciso consular ordena va que lodos
i.s fundos recebidos na caixa de amortisa*-
go fosseru deposilados no banco de Franca1:
era essa urna consagradlo importante, c
que desde logo fez com que se entrevisse o
bom xito da empreza.
Ella esteve tres annos sem iima^consti-
tuifo orgnica, e sonriente a lei de 24 ger-
minal, anno XI (14 de abril de 1803 foi
qqe lh'a deu.
Por essa lei, o capital ficou elevado a 45
milhes e o valor dos bilhetes forana lixa-
dos em 500 e 1000 francos. O privilegio
deveria durar cinco annos. e a rnaioria dos
accionistas representada por 200 dos mais
fortes.
Convocada a assembla geral, urna vez
por anuo, os accionistrs nomeavam por es-
crutinho 15 directores para administrar o
banco, e tres fiscaes para examinar as con-
tas ; os directores c fiscaes reunidos forma-
riam o conslho geral.
Um dos directores nomeado presidente
por dous annos pelo conselho, durante o
oxercicio de suas funeces exerceria urna
especie de poder exacutivo. E' fcil de yr,
por urna tal constituidlo orgnica, que nos
adiamos no- dominio republrcano, por 1sso
que nessas disposices libertes, nao se des-
cobre a ingerencia do Estado; >2lle nao re-
vela a sua influencia por signaes.exteriores,
e toda quanto exerec de urna maneira
amigavel, sera nenhum direito reconhecido
nos estatutos.
Os accionistas do banco, representados
ficando wlGrd
o elpng
eiro, e a
FOL+IETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
Paulo Fval
_____
Primeira parte
OBR.H'IL LlVll.tDO
CConlinuaco do n. 113.)
escrpulos de aoio uaatista
Schwarts
O calhambeque atravessou a galope ras-
gado a aldeia de Allemaoha, onde tudo
dorma ainda ; depois Lecoq tomou es-
querda e entro n'uma azinhaga. Corre-
ram em silencio durante tres ou quatro
minutos.
Jogo, mulberes e vinho, Joo Bap-
tsu i Hein'? soltou de repente Lecoq.
Tenho um dedo que me diz tudo. Desem-
penhaste-te bem da tua incumbencia, meu
rapaz. O commissario nao vio boia !
Atirou urna valeole chrcotada ao cavallo
que deu um sacio diablico.
Nao te aflijas, flor I continuou, que
. uonle has de ter trinta e xmeo leguas
no buxo t
Para onde vanos, Sr. Lecoq, per-
guntou Schwartz.
T, n3o vaes para muito longe. Ago-
ra eu ca, estu neste momento de cama
em Alencon, cozendo urna formidavel cons-
tiparlo ; mas amanhla pela manha levan-
to-me bom. Que te parece 1
O haueo le Franca.
Em quasi todas as linguas, as palavras
banco e banqueiro, derivam de um voca-
bulo que significa mesa ou baico de es-
critorio ; trapezites no grego, mensarios
segundo os romanos, e banchiero no italiano
da media idade.
0 banqueiro primitivamente nao era mais
do que um cambista; elle installava-s na
praca publica com irra banco sobre o qual
expunha as differentes raoedas, que fossem
necessaras ao troco; aos poucos foi elle
recebendo quantias em deposito, fazendo
adiantamentos sobre caucho, mercaduras,
penhores, hypothecas de propriedades e
papis e familia, e passou a ser isso que
nos hoje chamamos um banqueiro. Quando
elle -faltava aos seus compromissos, inuti-
lisavamlhe o ba)c3o, e dizia-se que elle era
um homem de banco quebrado, banco rotto
donde originou-se a palavra bancarrota.
Segundo muitos escriptores, os trapezi-
. _______*
Jinto tem o senhor muito medo do
marido ?
De quai marido ? Onde foste tu
buscar esse marido ? Hei de levantar-me
restabelecido para dar as mnhas voltas,
vender os meus cofres, e fallar da minha
eonstipaco. born t^r amigos at no in-
ferno, meu tolo I 0 amigo para casa de
quem vou dormir, o mesmo que ha de
deitar esta manha no correio a carta em
que reclamo a minha bengalla.... J ou-
viste fallar dos pedreiros livres, meu
amor ?
Era-o meu pai, replicou Schwartz.
Tambem o pap ? disse rindo Lecoq.
Isso pode convir. T s militar, emen-
des ? Vaes para a guerra ; achas-te de-
fronte da bocea d urna peca ; fazes o sig-
nal; e o artilbeiro inimigo, s para te obse-
quiar, corta ao meio o teu camarada mais
prximo. Sabias ^sta ?
Contava-a meu pai, Sr. Lecoq.
Tambem o pap l'a erntava ?... Pois
bonita. Ouve, Joo Baptista ; nos somos
ahi uns cem maganes, tal vez mesmo du-
zentos; urna especie de amigos do colle-
gio, entsndes ? Uns acham-se aqu, outros
acola, e prestamos mutuamente alguns ser-
vicos... para sustentado da amisade que
nos liga... Dze l : entao eu tinha te fal-
lado de algum mmjdo ? Serio ?
O senhor disfe-me...
Jogo, mulberes e vinho I meu rapaz I
Vamos l :.concedo-te o marido, se isso
pode de algum modo concorrer para a tua
felicidade. Qual preferes ? A de cabellos
pretos, ou a loura ? Eu tenho um cora-
co to fraco, que hesita entre ambas...
Acreditas no Ente "Superno ? Acreditas!
Nio t'o posso levar a mal. Eocontra-se
essa crenca em todos os povos do universo.
0 proprio Voltaire nao se lhe oppe: era
muito boa pessoa. Arreceia-te, porm, do
fanatismo que nao recua parante oS exces-
sos do dia de S. E'.artliolomeu. Que peca
de fazenda, que era aquelle Carlos IX ;
especies metallicas
messa de fundos para
compra de diamantes e baixollas.
Quando urna instituidlo ebega a esse
ponto, ella est morta e nenhum poder
capaz de resuscital-a. O desastre foi m-
rnenso, mas nem por isso o publico parisi-
ense deisou de rir na > perdendo o espirito
em meio de to grande cataelysma. Como
por cima da casa da companhia se havia
gravado dous L L maiuscolos, iniciaes do
nome de Luiz XIV, um gaiato escreveu na
parede: m citim aufugiat; e, de facto,
Law fugo, mais com grande trabalho e
risco, escapando de ser estrangulado, e
sendo, por duas ou tres vezes, obrigado a
procurar refugio nos aposentos privados do
duque de Orleans. A 13 de ontubro de
17:20 publicou-se urna senten;a, supprimindo
os brlhei.es do banco, desde I de noverabro;
e, pela recaptulaco desse libello, v-se
que os bilhetes emittdos importaran em
2 mil milhes 6)6 milhes e 4000 mil
libras. fi5
O fracasso foi to enorme que por muito
tempo ficou-se sem accordo.
Fallar em banco era espantar a to,dos,
foi preciso esperar cincoenta e seis annos
para reapparecer urna' instituico, que tinha
alguns traaos da tentativa de Law.
O decreto de 24 de margo de 177G con-
que achas ? Tu ris-le f Que farei eu ?
Queres saber ? Em todo este negocio anda
tanto um marido comor na palma da minha
mo.
Lecoq soltava estas phrases zombeteiras
dando-lhej -as inllexes adequadas, e man-
iendo apparente gravidade. O da Alsacia
era um espirito serio como poneos, que
toma va as palavras pelo que valem, e nun-
ca se podera acostumar exquisitissima
phraseologa usada nos tlieatroe ordinarios,
as oflicinas rels e no commercio miudo,
especie de giria que parece destinada a
substituir decididamente a lrgua de Bos
suel, para uso da arraia miuda parisiense.
Esoutava boqui-aberto aquellas incoheren-
cias. E todava nem sequer lile veio
idea que o companheiro tivesse perdido o
juizo. No meio da sua simpliciaade, nao
careca de perspicacia. Teve medo e lem-
brou-se de que aquella azinhaga deserta era
sobremaneira api opriada para esconder um
assassmato.
Teve medo deveras. 'Principalmente as
ultimas palavras de Lecoq tinuam-lhe feito
ericar os cabellos.
Havia nelle urna vaga' consciencia de que
entrara demasiadamente n'um segredo pe-
rigoso.
Estavam n'uma baixa, onde apenas che-
gavam, rompendo por cima de duas enor-
mes sebes, alguns reflexos pardacentos da
alva. Schwartz olhava de soslaio para o
companheiro. Em caso de luta, ninguem
apostara por Joo Baptista, cujo corpo del-
gado fazia destacar as formidaveis espa
duas de Lecoq. Mas contemplando-lhe
bem as feiees, a vivacidade dos olhos in-
quietos e penetrantes o nosso alsaciano
to pouco era dqueiles que se deixam
estrangular como uns franganitos. fli di-
de coragem,
e^dida are- 4>elos administradores eleitos, eram verda-
deiros senhosss.indeperntentes de qualquer
censura directa, e, por tanto, podiam muitas
vezes, terem por gnia o interesse particu-
lar.
Em 1805, durante a campanha da Alle-
mtnha, que teve to glorioso e rpido de-
senlace na batalha de Austerlitz, o banco
passou por urna crise dilficil.
Nesse tempo elle estava estabelecido no
predio que oceupa o n. 48, na ra Pagnin.
Todos os dias a praca das \ictorias en-
chia-se de pessoas inquietas, que-vinham
trocaros seus bilhetes, pormooda metalli-
ca. as transaccoes o bilhete de 1000 fi an-
cos perda 20 francos. Jos, que, com o
titulo de gr-condestavel, presidia o conse-
lho de ministros, na ausencia do irmao, ficou
muito inquieto e quiz que a tropa desemba-
racasse as avenidas do banco, que ficavam
obstruidas antes de amanbecer.
O banco, vendo o seu deposito raetallico
diminuir a olhos vistos, pedio soccorro, e
sollicitou do tribunal do commercio, que
os portadores aceitassem os' seus bilhetes
como moeda.
Nestas circumstancias, Napoleo foi muito
franeo, em 20 de Outubro de 1805, elle
escrivia Begnier : -E' preciso que o ban-
ee troque os seus bilhetes em metal, ou
que feche os seus escriptrios se falta-lhe
consomera-nos totalmente, e o nstincto da
conservado substitue nelles o valor. Neui
todos sao hroes em Guebwiller; mas
tratem de torcer o pescogo a um Schwartz
e vero como a tarefa mais spera do que
suppunham.
Lecoq voltou-sc para elle repentina-
mente e mirou-o de alto a baixo. Estava
de bom humor. A cara do da Alsacia fe-lo
perder de riso.
Oh homem I Exclamou, voc d-mo
ares de um lypo que est dizendo l coin-
sigo : Via-me muito atrapalhado se me
metiessem urna bala nos milos t Has de
ter I ido por ahi historias destas, nao ? Os
jornaes contam-nas miudo. Vamos l,
que assim mesmo sempre te defenderas
un poucocbjnho Interrompeu contem-
plando-o com mais attencoEm que urda-
mos nos ficado ? No marido" Nao ; no
Ente Supremo. Ora eis ahi onde bate a
qoBsto. O Ente Supremo, como se dis-
setsemos o director d* loliria. Gostavas
de quinar, Joo Baptista ? j
Schwartz tranquillisra-se com o modo
do caixeiro. Ficou serio e responden com
serenidde:
Conforme, Sr. Lecoq.
Olha l, continuou este ; Valerias t a
pena de te fallarem em bom francez, Jpo
Baptista ?
Nao, responden Schwartz resoltta-
mante. Se o senhor corumetieu alguma
aceo m, nao quero sabe-jo. *
Bem bom, resmoneou o caixeiro* S3o
todos o mesmo. Pois entao, meu rapaz,
est dito o negocio comum marido. Es
ta contente ?
Estou, responden Schwartz. O se-
nhor prometteu-me cem francos, prestn-
dome en a servi-lo, para que o marido o
do estado ?
Ninguem o sabe, porm, desden* de
abril de 1806 constituic do bheo de
Franra modificou-sc de urna maneira defi-
nitiva, e coraotypo de amgoverno monar-
chico constitucionsl. Pela nova lei o pri-
vilegio foi prorogado por mais 25 annos
alen do termo fixado, o capital elevou-se
a 90 milhes, e, embora ficasse a assem-
bla, dos accionistas com a attribuigo de
eleger os directores e fiscaes, o presidente
deixou de ser eleit por ella. A direceo
dos negocios, que o banco, em virtude da
lei germinal, delegava sua coramisso cen-
tral, de ento em diante passava a ser ex-
ercida por um director e dous sub-directo-
res, horneados pelo imperador, com jura-
mento prestado ante elle.
Essa lei, que atiioje ainda nao foi mo-
dificada, em seus principies orgnicos, foi
atacada porollieu, um dos espirites mais
s:idos e sajgazes daquelle tempo. E' ad-
miravel que NapoleSo, que portantes vezes
manisfestou o seo desagrado pero systema
parlamentar, esfatfccesse no sanco precisa-
mente o mode!lo-|>erfeito dessa forma de
averno.
O director prkfce os conselhos, aiprova
ou rejeta aS posices adoptad!, no-
neia, revoga, e destitue os agenttrs, assig-
na s, come m soberano, todos os ajustes,
faz executtr as leis e estatutos qne regen
i banco, tem o dlres do veto, pode impe-
ainda dir^a realisaco c, tima medida deliberada
pelo coselho, embnra nao possa obrigsrl-o'
a adopta* rma resohiSo (]ualquer, e lenha'
de [M-estar-He contas de todos os nego-
cios.
Estas dous poderes, um legislativo, e
mrtro executi^se tocam sem deslocSrem-
se, as diver*a*attribuicoes,que to stbia-
mente Ibes foram assignaladas. Ero easo
de conflicto, ha sempre forca da parte do
conselho, que vota o orcamento, e pode,
recusando-o ou modificando-o, deixar o di-
rector no embarace de gerir o seu estado.
Felizmente nunca tal oceurrencia sehaapre-
sentado : o conselho o director mareham
de arcorde, e se entendem preliminarmente'
acerca de qualquer questo. Tudo se ta
amigatdmente entre pessoas que s tem
um fim, e qnerera atlingil o, e esse fim
vem a ser : por o interese do estado em
reladio com o interesse dos particulares.
Com semelhante lei chegou-se a um resul-
tado excellente : o banco administra, o esta-
do governa.
E', portanto, o banco de Franca urna re-
partiro publica confiada a urna sociedade
privada, e vigiado pelo estado. Deste mo-
do, se por acaso o espirito mercantil dos
inleressados accionista*, representados pelo
oonselhtr, chegar a prevalecer, o director
interven para garantir os direitos do com-
mercio e recordar ao banco o espirito de
sua instituico. Esta vigilancia do estado
parecer indispensavel a todo aquelle que
entender que o crdito publico nao se deye
arriscar em aventuras, paf a sempre ser serio
e estavel. Os estatutos redigidos por Gau-
din, com data de 16 de Janeiro de 1808,
e que nada mais sao do que a applicaco
desenvolvida da le de 1806, preceita
muito bem no seu artigo 8, a seguinte ds-
posiclo : O banco nao pode, era caso al-
gum e por qualquer pretexto, fazer ouem-
prehender outras operaces alm das que
lhe sao permildas pelas leis.
Nao ha nada mais justo do que esta me
dida restrictiva : um estabelecimento encar-
refado de manter o crdito, nao pode
versas especies de coragem, e,eu conhecijnlo inqaietasse.
alguns medrosos que mordiaef admiravebliLf Justamente... e eu don-te mil.
mente. Traba urna nota daquella importaocia
Esto em guarda, e essa a sua forca. [entre o dedo pollegar e o indicador.
0 medo apodera-se delles de astemao M As palpebras de Joo Baptista estrene-
alguma
facultativa-
nem deve fazer cousa
mente.
Gracas s disposices to precisas quan-
to reservadas, que presidirn essa funda-
Cao ; grabas prudencia experimentada dos
seus instituidores; gracas a esse governo
constitucional, que nao esmoreceu nunca, o
banco tem podido atravessar crises singu-
larmente dolorosas. Elle vio thronos de-
sabarem; assistio ao aniquilamento do cr-
dito publico ; a desapparifo da moeda me-
tallica, elle foi englobado nos desastres fi
nanceiros que pertubam os estados e arrui-
nara os particulares, e nada disso pode pa-
ralysar a sua aeco e nem enfraquecer-lhe
o mechanismo. Smente um da, tatvez, o
mais triste da nossa historia, elle desespe-
rou, julgando tudo perdido. Em 1814, na
vespera da entrada dos alliados.o banco to-
mou-se de um pnico, e, emquanto na pra-
ca Vendme tocavam fogo aas banderas,
ceram. Estava pallldo como um defunto.
Perguntou baixinho :
Porque me d o senhor mil francos ?
Lecoq chegou brincando urna diicotada
ao cavalito e respondeu :
s muito curioso, rapaz Queres
embirrar comigo por isso ?
. Qaero sabe? J Pronunciou lentamen-
te J. B. Schwartz, qae abaixra os olhos.
Lecoq examinou-o com a maior atten-
Qo..
curiosa esta especie de animaes I
Pensou elle.
E accrescentou en voz alta :
Mentes, Joo Baptista. Tu nao tens
seno um desejo ; de nao saber.
Que fez o senhor esta noue, Sr.
Lecoq ? balbuciou o da Alsacia, em cuja
testa rompiam gotas de suor.
Jogo, mulheres e vinho !... comecou
Lecoq, encolhendo os hombros.
Interrompeu-se, psrm, de sbito para
dizer de modo frisaste e resoluto :
Qssce, meu lorpa. Temos conversado :
o nosso caminho differente.
Parou de repente o calhambeque, e J.
B. Schwartz apeiou-se com manifest sa-
tisfacaos
Joo Baptista, disse Lecoq um tanto cor-
tezmente, estou cootente com voc. Tai-
vez nos tornemos a ver. om homem.
meu rapaz... l a seo, modo verdade, mas
um homem I Prqstou-me vm .servico de
mil francos; nao estsu no caso de lhe ficar
a dever; ahi tem o leo dinheiro ; estamos
quites.
Gomo Schwartz, de p e immovel junto
do carro, nlo es tenda a mo, Lecoq largor
a nota, que foi volteando, eahir no chao.
Bm I prosegoio reassomindo a iro-
na, ; ella ser apanlada qdaodo eu me fr.
Est n'uma posicio delicada, amigo... hon-
rado sim, isso nao soffre dovida... Mas
mentio ao fiommissario, e se as cousas to-
marera mo cammnok recebera um convite
levado pela polica.
murtojro era
encararam de frente"
Hs c soa fortuna, ttgahdo com franqueza
e pontualida! un sewelharrte alvitre
poderosamente ecmtrHimrn para que se
restabelecesse a conflanca at dos mais ti-
moratos.
Trinta e qnatro annos depois, urna nova
e agudissima crise tornou a poi* o banco
em perigo.
Nao ha quem se nlo record da incon-
cebivel atonia, que seguio-se a revolucao
de fevereiro de 1848.
A industria, o commercio, e as finanzas
tinham cahdo era um estado somnolente
muito semelhante morte.
Os mais prespicazes dbalde pregavam a
confianca; vivia-se en urna especie de in-
quietacSo, da qual era" mpossive sahir.
0 capital oceultava-se sterrado ; o es-
criptorio da casi da moerfl regorgitava de
pessoas em procara de dinbeiro ; o banco
era invadido por urna chusma de pessoas
reclamando ooto em troca de bilhetes. O
banco pagou sefli rebate,"n grado o agio
sobre o ouro, qne subia a 70 francos, mas
a reserva metallica esgoetW.
A lei de 10 de junHo d 1847, adtor-
sandd O banco a errtittrr bilhetes de 200
franeds, medida ha multo redamada ^felo
commercio, havia miiltiptcdo a moeda fi-
dudaria.
O perigo era grande e pedera levar o
lnco a urna catastrophe. Os directores
delle, e o governo provTsofo discotiram a
questo, e um decreto datado de 45 de
manco de 1848, embora nao trataste'do
ttrso (oreado, decidi que" os bilhetes do
banco de Franca serian recebidos eoio
rnoeda legal as caixas (publicas e particu-
lares. O art. 4* do m*|mo decreto disia
entre outras cousas quji por facilar a
crculaco, o banco de lyanca ficava olo-
rsado a emittir vales, que nunca, seriam in-
feriores a 100 francos.
Horrve moita gente que assostou-se, re-
clamando contra esses novos a*sig8clo's,
e predizendo a bancarotta; esses proptetas
mal avisados nada conseguram con os seus
sinistros damores. Nio somerrte o banco
nao estremecen, como mesmo em iSW os
seus bilhetes subirn de cotacSo e elle em-
prestava com a generosidade de um Cy-
bele de inexgotavel fecundidade.
Em i> de jolho de 1848 elle rtepositava
nothesouro 130 milhes; em 24 do mes-
mo mez entregava 10 milhes mnnicipa-
lidade de Pariz; em 2!) de dezembro :i
milhes Marselha e em 3 de Janeiro de
849, 3 milhes ao departamento de Sena.
A medida extrema do curso forcado teve
urna conseqrenea, qae se nlo baria pre-
visto : longe de depreciar o papeF fez re-
conhecer-se-lhe o valor, popularisando o
seu uso de sorte que hoje nlo ha aldea a
mais insignificante que o nao acceitc- como
moeda corrente.
Nao somente todas as notas e vales do
banco correm hoje em Franca, cono equi-
valen a ouro na Allemanha e na Italia.
Depois que tem sido uso os bancos emt-
tirem ttulos ao portador, nunca bilhete al-
gum obteve e mereceu semelhante confian-
ca. O curio legal nao foi moito demora-
do ; elle cessou absolutamente a 6 de agos-
to de 18"0, pela promulgaco de uuMnei
cuja iniciativa pertenceu ao.proprio l^hco.
O governo provisorio tomou, entr ou-
tras, urna excellente medida, expedindoos
decretos de 27 de abril e 2 de maio, que
tratam da reunio dos bancos do Rulo,
Lyo, Havre, Lifle, Tolosa, Orlans, Mar-
selha, Nantes e Bordeaux, ao banco de
Franca.
(Contimtar-se-ta)
POUCO DE TUDO.
PHENOMENO.Escrevem de Igulala e
de Villanucva ao Universal de Madrid, que
n'uma das noites do fim de abril pouco de-
pois das 8 horas, appareceu para o lado do
Noroeste urna brilhante columna de fogo
que tinha por base urna nuvem purpurina,
phenomeno que, como natural, deu lu-
gar mil commentariospqr parte do vulgo.
Incenderam-se de clera os olhos de
Schwartz ; Lecoq continuou, sorrimio :
Nao sou nenhum malvado; trala-se
de um marido, trata-se, Joo Baptista. Ahi
vata ordem e o itenerario, meu rapaz ; siga
muito direito o seu caminho, sem sequer
olhar para traz. d meio de nlo ver o
que se passa as nossas costas. Gonbece
o proverbio, nao ? O peior surdo o que
nao quer ouvir. Pois tape os ouvidos, para
ter o espirito socegado. Se voc ti ver juzo,
diz l consigo : foi um sonlio domado que
live ; e trata de por em gyro o seu dinheiro,
muito caladinho. Se no tiver juieo, apa-
nha de um lado os tribunaes, e do outro
ha de topar comigo e cora os meusttpazes,
qne, desde j o previno, andaraar"' eomigo
n'um collegio bem extravagante Ficas
com duas cordas na garganta, JoSo Bap-
tista ; toma sentido I... At a vista.
Tocou o cavallo, que escoceou: arrepen-
deu-se, porm, e sofreou-o, para accres-
centar:
verdade Nao seria das cousas
mais salulares, trocar urna nota por estes
sitios. Ahi tem dinheiro para a jornada.
para que veja como pens em tudo. Sau-
de IVaraos, Janota I
A faquita puxou desta vez o calhambe-
que, que desappareceu em menos do un
minuto por baixo da abobada que ararnaria
das sebes formava.
Acompanhando con o gesto al ultimas
palavras, Lecoq atirra aes psde Joio
Baptista duas noedas dagauro alguna
prata. Nio havia coosa oJfe naanella ma-
ha cuatasse ao esplendido caueiro da
asa Bertbier t C. Dava s mlorlrgas t
ia litteralmente semeaado mil bensteius no
caminho que segua.
/ftwfattwar fcg
7YT, M dlillO-MA HS


n
:
/
m

-4
:
>
L
^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2610NQJP_E6R1ZE INGEST_TIME 2013-09-14T01:27:31Z PACKAGE AA00011611_11846
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES