Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11840


This item is only available as the following downloads:


Full Text
:
ANNO XLV. 'UMERO 108.

PAIA A CAPITAL E 1UGABB 0H3E HA0 SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados...................
Por seis ditos idem.............4......
Por un anno idem.............'......
Cada numero avulso...................
64000
12*>00
24O00
320

SEXTA FEIRA 14 DE MAIO OE 1869.
--------------------------------------------------.-------------------,--------------------
PARA DEJTRO E FURA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados. t i........
Por sv ditos idem...................
PoijjjioN' ditos idem...........>...*
Por um anno.................;
r
60750
13^(500
200250
270000
DIARIO DE
Fropredade de Manoel Fij?ufa de Earia & Filhos.
--
SAO AElrt|S:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Par$; Gongalvea & Pinto, no Maranhao; Joaqnim Jos de Oiveira, no Cear; Antonio di Lemos Braga, no Aracatj; Jlo Mara Julio Chaves, no Ass^ Antonio Masques da Silva, no Natal; Antonio Joaqnia
Wla da Penlw; Beiarmino dos Sanios Bnlco, em Santo AnJio; Domingos Jps da Costa Braga,
Guimaraes Pancada, em Mafoanguapu; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na
em Nazareth; Francino Tavares da Casta, em AJagas; Dr. Jos Martina Al#s, na Babia; e Jos Kibeiro Gasparmho, no Rio de Janeiro.
zzz.
paute ornciAi
Cioreruo da pro lacla.
KXCKDIRNTK A8SHJNADO PBLO KX. SR. DB. MANOEL DO
NASiJMKMTO MACHADO POllTELLA, VIC.P.-IUIESIDEMTK
Di provincia, em 17 dk abbil ds 1869.
1." secgo.
N. 671.Portara aoExm. Sr. general comman-
rlaute das armas.Tendo por despacho desta dala
onredido 15 das de praso para provar isenco
legal ao recrata Jos Gongalves Pereira, que se
lona na casa do detengo ; assim o communico a
V I'c para seu conhecimento.
N. 671.Uila ao inspector do arsenal de mari-
uha.Providencie V. S. de modo que as lanchas,
uu eslieres que ronduzircm presos para bordo
dos vapores da compxnha Pernambucana u Bra-
sleira, nao voltem sem trazcr para trra as pragas
ou escoltas, que tiveverein de regressar depois de
.postos a bordo os meamos presos.
N. 073.Dita ao engenheiro militar.Mande
Vote, proceder os concertos urgentes de que care-
ce o qunrtel do Hospicio, e os reparos da illumi-
naco a gaz do mesmo quartel de que tratara os 2
remenlos, juntos por copia na importancia de
162*620.
2.* seegao.
N t>7rt Dito ao presidente do suprenjrbunal
v!^x
de justica.Levo ao conhecimento de YT^xc. que
o juiz di diroilo da comarca da Boa-Vista hacha-
re! Luu de Albuquerque Marns Pereira, tendo
terminad) a 10 do corrcntc a lcenga de que gosa-
vi, deixou por molestia de seguir para a dita co-
marea reasumir o exercicio de seu cargo confor-
uic me participou em data de 14.
. N. 677.Portara ao chafe de polica.RemoKo
a V. S. copia do oflicio que em 15 do corrente diri-
gio-me o bispo desta diocese, participando que no
cha 11 devemcomecar no convento de S. Francisco
os exereicios espirituaes que elle julgou conve-
niente proporcionar o clero e pede providencias
para ffae nenhnm incidente desagradavel se d'V
N. 678 Dita aocom nandaate superior interuo
da guarda nacional desie municipio.Em rcsposta
ao sen (Utia de lo do eorrente sob n. 60, tenho a
dizer-lhe que nesta data dei as precisas providen-
cias para que as lanchas, ou escaleres do arsenal
de marinh.-i.qno levarem escoltas abordo dos vapo-
res, se nao reurem sem de novo conduzirem para
Ierra aquellas que tiverem de vollar.
.\. 67;'. DeJiberaeo. O vice-presidente da
provincia attendendo "ao que lhe requereu o bacha-
rel Angelo Caeftno de Souza Cousseiro juz muni-
cipal e de orpbao do termo de Villa-Bella, resolve
cowe.-ler-llie tres mezes de lcenga coiu vencunen-
tos para tratar de sua sade nesta cidade, sendo
estes na forma da lei.
3." scelo.
N. i)-0.Portara ao inspector da thesouraria de
fazenda.Mande V. S. pagar depois de liquidada,
em vista dos recibos untos em duplieala, a despe-
za feita com o forneeimento de Sur. para o qiiariel
do termo da Garuar durante os mezes de janeiro
a marco, sua importancia a Antonio Jos de Aran-
les & ('... conforme solicitou o chefe de polica ent
officio de hontem sob n. !Si9.
tf. 681. Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Anntiindo ao ^jue solicitou o chefe de
polica em officio de lo do corrente sob n. 315, re-
i nendo a V. S. que mande pagar ao Dr. Fran-
eised Elias do Reg Dantas, a quantia de 28 pro-
venen'e do aluguel de sete mezes da casa, que
serve de quartel ao destacamento do termo de San-
to Anta) vencidos no ultimo de marco prximo
Ando, na razio de M mensaes.
N. 682.Dita ao mesmo.Mande V. S. por no-
vameote em praca os reparos da ponte do Ginda-
hy, servindo de base a essa arreraatagao o orga-
niento junto por copia, na importancia de 7:9681
]iie se refere o officio do chefe da repartcao
das obras publicas de 6 de fevereiro ultimo sob
n. 49. Assim respondo o officio de V. S. n. 681 de
39 de oulobro do anno prximo passado.
N. 083.OtU ao mesmo.Declaro a V. S. para
conhecimento e fins convenientes que o chefe
di repartcao das obras pubkcas participou-me em
affido de liontcm, que por acharem-seos contra-
tantes i!.i estada do norte entre a cuaa di Man-
ir e o engenho Bujary, com direjto ao rece-
liiiM.-ritn de urna prestacao do 10-:0005, inandou
borrar o competente certificado.
N.CM. Dita ao mesmo. Mediante fianga
idnea mande V. S. entregar a Jos Domiogues
Codeceira, na qualidade de um dos administrado-
res d obras da capclla de Nossa Senhora das
Ner sasidados na Casa-Forte, como se v do reque-
riiiionto, a quo se refere a sua informado de 30
de outuliro ultimo sob n. 683, a quantia de
Oi v itada pelo 2o do art. 89 da lei do orja-
nuMilo vigente para aquellas obras.
I. 68o. Dita ao mesmo.ExiHjga V. S. suas
ordena para que, em vista do Incluso recibo, seja
lebgado do termo do Buique ou ao seu
procurador, conformo solicitou o chefe de polica
em officio de 14 do corrente sob n. 334, a quantia
de 704 ou a quo justamente se dever do aluguel
ulo desde agosto do anno prximo passado,
at fevcrcii'o deste anno, da casa que serve de
quartel ao de le termo.
N. GKIi. Mil ao chefe da repartiejio das obras
publicas.Nesta data recommendo ro inspector da
thesouraria provincial que maude por novaraente
em praea os reparos da ponte do Gindahy, servin-
do de base a essa arrematacao o ornamento que
na importancia de 7:968* "veio annexn ao officio
ile Viue. datado de 6 de fevereiro ultimo sob n. 49,
o qual tica assim respondido.
N. 687.Dito ao mesmo.Fco inteirado pelo
oflicio qne Vmc. me dirigi hontem, sob n. 148, de
h a ver mandado passar o competente certificado
Sara pagamento da quantia de 10.000# a que tem
ireito os contcalantes da estrada do norte entre a
Cha di iMangabeira c o engenho Bujary.
N. 688.Duliberacao.O vice-presideute da pro-
vincia etoWe nonwtjr a Jos Lncie de Albuquer-
que Mello para exered mteruiamente o lugar va-
le pralicante da renartieaodas obra,publicas.
N. 689.Dita.Q vfce presidente da provincia
resolve nomcar o praticante da repartcao das
obras publicas, Jos Barbado UehAa ('ATafcanti,
para exercer interinamente o lugar vago de con-
dued r da aesma repartcao.
4" geegao.
N. 691.Bita ao desembargador provBdor da
Santa Casa de Misericordia.Concedo a antorisa-
fia que V. Exc. pede em aue ofMcios de 46 do
corrente, sob na. 1860, 1861 a 1863, para mandar
entregar os educandos do collegio dos orphaoe
Manoel Felippe de Souza Magalhes, Joaquim Can-
dido da Silveira e Antonio Bezerra de Mello, filhos
o primeiro de Thcreza Febronia Esteres Alves, o
segundo de Mara da Gloria Silva e o ultimo sobri-
nho de Francisco Ribeiro da Silva, visto terem
completado a idade de 14 annos. e assim o have-
rem requerido as mus dos dous primeiros o o to
do tereciro.
X. 692.Dita ao mesmo.Appro* a delibera-
cao que, segundo oflicio de V. Exc de f do cor-
reate, sob n. 1831, loasoa a junta amiaistrativa
deesa Santa Casa de -entregar ao toetarel Mino
de Moracs-Pinheiro a exeoeta Valeriana, mator de
22 annos, para empregar-se no servie iMerao de
sua casa, sob as eadedes HWekWRtdM em sea
citado eScio.
N. 693.Dito cmara municipal do Re*.
Respondendo ae ofteJb fttt rm dMfie a enmara,
municipal do Recife, em 12 do amen, sob n.
20, tenho a dizer que ppro** o oreaeMMe fcito a
desobstrnecao das valla? de um e ontro lado da
estrada municipal que omduz povoacao da Var-
zea, e autorisa a inesina cmara a despender a
quantia de 360000 em que foi oreada aquella
obra. -
N. 694.Dita a Antonio Valenm da Silva Bar-
roca.Tenhc presente o officio que em 12 de Ja-
neiro do eerrehte anno V. S. dirigi esta presi-
denria, communicamlo haver chegado da Europa
a machina egypsiaca do systemaLeck Jaw
Couper's Patentque prtende introduzir no im-
perio como a mais aperfelcoada para descarocar
algodo, e pede que a presidencia, designando dia
para a exposicio e experiencia da mesma, para
cujo acto nomei urna commissao de cngeuhei-
ros que emiita parecer sobre o mereciment* da
mesma, machina, e seja este alinal levado ao co-
nhecimento do governo imperial, afim de que
possa este recommendar as provincias producto-
ras do algodo o emprego de to aperfeicoado
agente da prodcelo. E em resposta cabe-rae di-
zer V. S que accedendo com satisktgao ao seu
pedido, tenho nesta data noraeado urna commissao
composta dos engenieiros Manoel Buarque de Ma-
rea >. Maaoel de Barros Barreto e Pedro Barbalho
cha Cavalcanti, quera V. S. communicar o
dia que houver de designar para a exposicao e ex-
porieaca que deseja fazer, afim de que a mesma
commissao compareca e fique habilitada a dar pa-
recer, abstendo-me eu de designar dia para tal
(Ira, como'V. S. pede, mas- asseverando-lhe que
nao deixarei de comparecer, para que aguardo
participacao de V. S. Cumpre-me accrescentar
que facp votos, para que a experiencia, que vai
sugeitar a machina egypsiaca, confirme o juizo
que V. S. faz e sejam assan realisados os bons de-
sejos e fundadas esperarlas que nutre de propor-
cionar aos productores do algodo um aperfeicoa-
do agente de prpduccao, tanto mais quanto V. S.
tao desinteressadamente procede, que declara nao
pretender privilegio e ceqer em favor dos orphaos
e vinvas dos brasileiros mortos na guerra do Pa-
raguay, o interesse |ecnuiario que possa resultar-
Ihe da venda das maelnas que houver de im-
portar.
N. 695.Dita ao engenheiro Manoel Buarque de
MacedoTendo nesta data noraeado urna com-
missao composta de V. S. c os engenheiros Pedro
Barbalho Uehoa Cavalcanti, e Maaoel de Barros
Barreto, par assistir a exiiosigio e experieucia
de urna machina de desiarocar algodo pelo sys-
tema Lock Jaw-Comper's Patentqne o nego-
ciante desta praca Antorio Valentino da Silva Bar-
roca propoe-se a iatrotluzir no imperio e dar pa-
recer sobre o merecimento da mesma machina ;
assim lh'o communico para sua intelligencia, e'
afim de que compareca no lugar c hora que pelo
mesmo Barroca forem indicados.
N. 696.Igual aos engenheiros Pedro Barbalho
Uch i Cavalcanti e Manoel de Barros Brrelo.
X. 697.Dita" ao director geral da in puhliea.Attendendo ao que me requereu Victo-
rino Jos Ferreira. mande V. S. adniltir no gym-
nasio provincial, logo quo houver vaga, como
lumuo interno grituiU), o tilho do supphcante
aaquira Domico da Silva Ferrera, de que tratara
o inclusos documentos.
EXI'F.DIENIISASSIGNADO PEI.O SR. DR. JOAOUIM COR-
REA DI ARAUJO, SKC.RUTARIO DO GOVERNO EM 17
DE ABRIL DE 1869.
2" secgao.
N. 698.Officio ao Dr. chefe de polica.Nesta
data autorisou-se a thesouraria provincial a pagar
ao delegado do termo do Buique, ou ao seu pro-
curador,- quantia de 703000, constante do oflicio
de V. S., datado de 14 lo correte, e sob n. 534;
o qual fica assim respondido de ordem do Exm.
Sr. Tice-presidente da provincia.
N. 699.Dito ao juiz de direito Luiz d'Albu-
querque Manas PereiraO Exm. Sr. vce-prosi-
dente da provincia manda aecusar o recebimento
do officio de V. S. em qne participa que por moti-
vo de molestia deixa de seguir para a sua comarca
e reassumir o exercicio do seu cargo, do que fica
inteirado.
3" seccao.
N. 700.Officio ao inspector da ihesoufaria de
fazenda.O Exm. Sr. je-presidente da provincia
manda declarar a V. W'que segundo participou o
o juiz de direito da Boa-vista, bacharel Luiz d'AI-
buquerque Mrns Pereira em officio de 14 do
corrente tendo mtallisado a 10 deste mez a licenca
que lhe fra concSSda deixa elle de seguir para
sua comarca a reas-uir o exercicio de seu cargo
por se achar doente.
N. 701.Dito ao chef da ropartigao das obras
publicas.S. Exc. o Sr. vice-presidente da provin-
cia, manda declarar a V. S. pwa seu conhecimen-
to, e-Uns convenientes, que nesta data resolveu no-
mear o praticante dessa reparticao Jos Barbalho
tha Cavalcanti para exercer interinamente o lu-
gar vago de conductor.
N 702. Dito ao imsmo. S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provinca manda declarar a V. S.
para sen conhecimento e fins convenientes, que
nesta data resolveu notaear a Jos Lucio d'AIbu-
querqne Mello para exercer interinamente o lugar
vago de praticante dessa repartigao.
4" i-eogao.
N. 703.Officio Dr. ao Arminio Cariolano Tava-
res dos Sanios Io secretario da assembla legislati-
va provincial.N. 39.De ordem de S. Exc. o Sr.
vice-prwidente da provincia passo por copia as
raaos de V. S. para ser 'psente atserabla le-
gislaiv provincial a ii.cusa iriiormacan e planta
que ministrou o director eral das obras publi-
ca ern 8 do corrente acerca da construr.gao ao ce-
inKerio para a inhum'jaodaspssftMque nao de-
vem ter sepultura eoclesiasticaa que se referi o
Exm. Sr. presidente no seu relatorio na parte
relativa ao cemiterio publico.
N. 704.Dito ao mesmoN. 40 De ordem de
S. Exc. o Sr. vice-pres dente da provincia remetto
a V. S. para ter o conveniente destino 40 exem-
piares do relatorio da reparticap das obras publi-
cas de 26 de Janeiro uliimo.
Engenheiro Manoel de Barros B irrdto.Conce-
ceda-se a prorogacio requerida.
Padre Miguel Vieira do Barros Marreea.En-
caminhe-se.
Martiniana Francisca de Paul.Informe o Sr.
commandante do presidio de Femando.
Bacharel Paulino Rodrigues Fernandos Chaves.
Conceda-se com vencimentos na lorraa da lei.
Sebastiao Jos Peixoto. \ Nao ba vaga.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIPE, 14 DE MAIO DE 1869.
NOTICIAS DA EURO)>A.
Hontem depois de meo dia ciiegou o vapor-
francez Guienae, trazendo datas de, Haraburgo at
20, de Londres at 23, do PWis at 24 e de Lisboa
at 29 do passado.
m:si'.\NHA.=ConfHa discusso da conslitui^ao.
Discurso noivet de Emilio Castellar. Empres-
timo de 250 milhoes emittido. "oficias de Cu-
ba. Fuzilamentos.
KiiANCA.=Cttrta do imperador para se conceder
urna penso aos velhos soldados da repblica e
do imperio. Discurso de Lavahite, manifest-
cao de paz, Approvacao do contrato de tnjrtt
timo da cidade de Parts. Discurso de Eugeue
Peiletan sobre a lei de seguranca publica, regei-
cao da emenda,
blgica..1 b>ajira nao aceita as propostas de
Frre Orban para a resotnedo da queslo dos ca-
minlios de ferro. Frre O'rban regressa a Bru-
jcelias, para conferenciar com os seas colle-
gas. Grevs de differentes classcs de operarios
e desordens.
Inglaterra.=Formuda de cinte oito pares em
projecto, para a approvacao na cmara alta
do bil sobre a igreja da lrlanii, Regeico de
urna emenda ao bil proposta m Disraeh na
cmara dos communs.
roma e iT\u\.Fcticitac~es e brindes ao santo pu-
dre por occasio do SO* anniversirio di sua or-
demnacao. Desmente-se a noticin da ocr.upaco
de Roma pelas tropas italianas, austracas e
francezas, durante o concilio. Protesto do go-
verno pontificio, apoiado pelo gverti ftancez
contra a contribuicao de 8,8 por cento, sobre os
certificados da divida conesponiente aos antt-
gos estados da igreja. Relatorio pnanceiro do
ministro da fazenda da Italia. Retoes inti-
mas entre os soberanos da lcita e' da Aus-
tria.
allemaxiia =Proxima abertura ila dieta nga-
ra. Projecto de reorganisuedo da cantara alta
austraca. Proposta de creacao de ministerios
federaes na Allemanha io norte. Forttficdcoes
das costas da AUesnanha do norU.
or ente.=Mvmorundum da Rttssin sobre os ind-
genas turcos. Cessou o desacruo entre as illuis
Sporades e a Porta Ottomuna. Sao postos em
liberdadeos amdemnados a pena ultima por cau-
sa da insurretcao de Creta.
b8tados-uido9.=0 senado reverto* 9 tratado re-
'ltiro ao Alai/asna. NomeacS, dos plenipoten-
ciorios americanos, e entre ella ie um preto.
vomiQA..=Abertura do parlameti'o. Emprestimo.
Diversas.
HESPANIIA. *
A Jiversidade de opmies em lltspanha sobre a
srilueao poltica, que. ter de se dar ntimidade
governativa, torna inuilo difficil determinar qual
seja a que rena maior numero de adeptos.
Uns querem um tiiumvirato ; oatros preferem
que se declare primeiro a forma do governo mo-
narchico, assim que se acabe a discussao da cons-
tituicao, e que se nomeie urna regencia, como se
fez na primeira poca constitucional.
Alguns considerara mais til uiifonselho go-
vematvo, composto de cinco ou de sete indivi-
duos, representantes de todas as frarcoes liberaes
da cmara; apontam-se para fazer parte deste
conselho governativoos generae Prim, Serrano,
Sofate no caso de seren tres; o Srs. Rivtra e
Olozafa no caso de serem cinco ; os Srs. Figue-
ras e Ros Rosas, no caso de se compor de sete.
Outros mostram-se indinados n declarar chefe
do estado o general Espartero, anda que alguns
indicara o conde do Reus e nao roucos o duquo
de Torres.
O resultado disto que nao se pode assegarar,
qual ser a oplniao que vencer, e s se mostra
conformdade no proposito de provocar urna reso-
lucao prompta.
A Cotrespondencia diz que parece que se trata
de formular urna proposta de lei para que como
governo interino se organise um triumvirato, de
que poderao fazer parte os generaos Prim e Ser
sentada nma proposta de le, estatundo
de ineodcidade,. e a ereacao de casas
as provincias; stabeecendo junto a
de asylo, nma granja modello para o
onsino Uttorico e pratico da agricultura, urna es-
cola para meninos e outra para adultos, e toda a
classe de olft-uas para o enano e exercicio das
diversas industrias. "
O costamento das casas de asylosen. Mto pelo
producto do trabalho dfl recolhidos, con o pro -
duelo dos donativos e esmolas que se facam ; e
com os recursos que faotfctam as depulacoes pro-
vinciaes, consignando-os em urna parte do seu or-
camento.
Os. trataos Sulzbach, de Pranfort,ir)ppnheiA
& Alberto, de Pars, e outras casas bancarias im-
portantes, toma rain o emprestimo hespanhol de
230 milioes de francos, em divida exterior de 3
por cent* volado pelas cortes. A emisso feita
pelo baso de Pars; esta opera cao foi rauito
bein receida.
Entre as negociacoes effectuadas pelo governo
provisorio figura a venda do crdito que tmha a
nacao hespanhola sobre Manroeos, por indemnisa-
cao de guerra, na importancia de 44,991:376
reales; a compra foi feita pela casa Eranger & C.
de Paris pela somma de 6.4057:833 reales.
Assegura se que D. Isabel II, e D. Carlos se
propoem protestar contra o emprestimo, cuja subs-
cripgo se aclia aberla.
Em diversos crculos polticos dscute-se a
opportunkTade da proposta apresentada por varios
deputados republicanos e alguns monarehieos, com
o tim de que se fixe no antigo tfuemadeio de Ma-
drid urna lapida oui que se iuacrevain todos os
autos de que nelle se verifluaram e o numero
de vctimas que morreram cada anno.
Falla-se na demisso do Sr. Mercier de um
cargo de embaixador era Madrid.
As ultimas noticias de New-York dio a in-
surreicao havaaeza a ponto de se pacificar. A
France diz porem ter recebido noticias que lhe
que a questao franco-belga nao etiegar a ser
objecto de uro ajuste definitivo e satisfactorio.
Tem havido grande agitagao na Blgica en-
tre as classes operaras.A gieve dos minelros em
Quaregnon, Jemmapes-Cusmes, Agrape c Cra-
chet-Plqueryden causa graves tumultos a que
foi necessano oppfr-se a tropa gue teve de fazer
>go contra os J
e
de
carias era BViges.
Diz-se que est mmincnte urna arete em Ingla-
terra nos districtos manufacturaros : outra as
minas de zinc na Prussia ; continuando a de Ble;
e a de Genebra. Um peridico, orgao da Liga in'
ter nacional, 'promotora destas grves, confirma
todas estas noticias cora verdadeira satsfacao
A Liga-internaeional tem organisado meetings, e
enviado emissarios Bruxellas para pregar aos
operarios. As tabernas regorgitam de operario's.
Foi preso um subdito francez, membro da Liga-
mernacinul, e que redige um perodleo em Bru-
xellas.
Estas violentas perturbacoes das relagoes nor-
raaes do capital e do trabalho ^ao sempre preju-
diciaes, particularmente para os operarios, qur
augmeutando a sua miseria, obrigando-os un-
mensas privagoes, para sustentar a lula, qur
transformando um desaccordo em um motim ; e
s operarios em violadores da paz publica.
INGLATERRA.
Disraeli teve do dia 12 una conferencia com os
principaes membros do partido tory, para tomar
uiua resolugao sobre as emendas que deveiu pro-
por ao bil relativo igreja da Irlanda. Deduz-se
deste passo que o partido tory perdeu de todo as
esperangas de fazer rejeitar o bil e por isso pro-
poe-se a modiica-Io.
Disraeli prd|oz no dia 16 urna emenda pediodo
a nao aceitago da segunda clausula do projecto
do aboiicao da. igreja de Irlanda. A emenda foi
selho fedp-al bem como a chancellarla federal,
que, nesta oceasio, desempenham perfeHament^
o cargo -do ministerios federaes; que a proposta
de qne se trata enflaquecera o organismo da
confederafao; orna proposta que assim deminuia
as attribuK'ocs do Retchslag provocara tempesta-
Sk-Accrescentou que aquella proposta knpliea-
permitteni confirmar a gravidade da iosrreicao rejeitada" por 334 votos contra 221.
de Cuba, onde, segundo se montos tem tomado tal carcter, que se receia por
momentos ver abolida em toda a Iba a autoridade
na mttropole.
Foram fusilados em Cuba dois cabecelhos, sendo
a execucao presenciada por innmera multido.
Um delles antes de morfer gritou : Vita Cuba I
De urnas asinhagas dispararan) dous tiros sobre
os voluntarios, mas estes mantiveram-s? impassi-
veis, deixando que a polica procurasso os crimi-
nosos.
Taes sao os fructos conquistados pela revolucaois
hespanhola Nao conseguo anda riscar do seu T
cdigo, a aboligao da pena de morte por erimes
polticos!
FRAKCA.
Os jornacs frncezes publicatn urna carta que
o Imperador Napoleao dirigiu ao ministro de esta-
do, manifestanJo a intencao de conceder aos ve-
lhos soldados da repblica e do imperio, por oc-
casio d^centenario de Napujeao i, uraa penso
naidesta, mas suffieioute para os pdr ao abrigo da
miseria.
-O jornaes officiosos nao se cancam de enthoar
hvmnos a tal acto de generesdade; os jornaes da
opposicao porm dzera que por esta forma quer o
Imperador Napoleao captar as sympathias dos ve-
lhos soldados, que serviram com a mesnfa fideli-
dade no teiiipo do imperio e da repblica.
Calculam-se em quarenta mil, os antigos milita-
res da repblica e do imperio, que ainda exstem.
O mais novo destes nao pode ter menos de 73
annos, e sendo a penso concedida so aos que pro-
varem que fizeram pelo menos dous annos de sc-
vica, que foram feridos, c que nao tenham recur-
sos, pueos sero os que se podem approvcitar dos
230 Uncos annuaes que tu genricamente se
lhe eoncede. Estes mesmos nao poderao por
muito tempo gravar os cofres do governo francez.
Parece que o partido nacional prufciano tencio-
na apresentar ao Ueichsta um projecto de lei em
favor dos voluntarios de 1813, fundando-se nos
mesmos motivos em qde se fundn o Imperador
Napoleao.
Diz-se porem que o projecto de lei francez Aca-
ra adiado; parece que nao passa d'hinobra elei-
toral como lhe chama a iniprensa opjiosicionsta.
O ministro dos negoejus cstrangetros o Sr. de
Lavalette, pronunciou no ewpo legislativo francez
um discurso muito conciliador, que no dizer da
Gazeta da Allemanha do Norte, veio consolidar a
confianca entre as potencias, e que se pode espe-
rar qu* a paz ser duradoura tanto quanto o po-
dem permiltir as previsoes humanas.
Effectivamente a linguagem violenta que usa-
vam os peridicos frncezes o prussianos as suas
rano, e o Sr. Rvero, como representagao dos tres discussoes, desappareccu como por encanto, desde
11 DE
ie-
o Sr.
- DESPACHO DA VICK-l'RR8IDEtClA DO DIA
MAIO DE 1869. fc
Andr de Abreu fferto.Informe o Sr.Wg'
nheiro chefe da repart jao das, obras publicas.
Agostinho Joaquim Marques.interine o
general commandante das armas.
Amonio Gomes eferaeda Lea|itr-Eoicmiabe-9e,
Bernardioo da Silva Costa CampafT-lBforine
Sr. inspector da thesouiaria de fazenda.
Domingos Panlino Ayres.Entregne^sC.
Teneat-oeronel Francisco Manoel de Skjueira.
Conceda-se.
Major Francisco Manoel de Siqueira avaAcant
^-Conceda-se.
Francisco de Pfnho Borgfs.Tepdo o suppli-
eante recebido mlade flo prego estip'nkjdo por ter
comogado as oh*afc do tea contrato, nao esta com-
prehendido na hyjiotbese do art. 73 dq regulameo-
lo de 31 de julho de 1866, como pretende e sim
no art. 66, como j foi decidido por esta presiden-
cia ; e por isso nao ple ter lugar o que reqoen.
francisco Xavier toares.Informe o Sr. in-
p*tor da asomara frowlnciit.
Francuco Jos Goncalves d*SiWa,-^asse-se
pftrtaria.
Sencalo Das Co*IIk Concedo o prato de oito
das.
Uearique Antm gfTTirmT ftwrniHl Inrtn
fedo-
partidos que fizeram a revolugo; e acrescenta
que lhe parece que toda a proposa que tenda a
normalisar.c prolongar a interinidade, ser muito
combatida na cmara, e tambem que nao ha de
encontrar bom acolhimento eralguns membros
do poder executivo.
O deputado Figueras disse m. cmara que a
inaiona quer a monarehia, mas q.ie lhe falta um
soberano, mas que a nica solugao a restaura-
gao, ou a repblica. Zorrilla lesrondeu que a re-
pblica seria urna calamidade, e que a restaura-
gao era imposslveL DeaUrou qu maioria ha-
de vir a um aecrdo a respeito ao futuro n.onar-
cha.
O deputado Lpez retirou, por oatriotismo a in-
terpellacao a respeito da recusa de D. Fernando
ao ihrono hespanhol, em conscqucncia do ministe-
rio ter declarado que o governo portuguez e o
prprio re D. Fernando terem dado explicac5es
saisfactorias.
Nega-se o Jioato do abdicagao de D. Isabel II em
seu lho.
Reunio-se na noite de 20 urna grande reuuiao
da maioria da cmara para tratar da proposta
apresentada pelo Sr. Borguella, em que se decla-
ra incapaz para o throno qualqucr membro da fa-
milia Bourbon.
Esta proposta foi combatida p^o Sr. Rios Ro-
sas, com um eloquente discurso, fallando tambem
Zanilla e outros deputados, Borguella retirou a
proposta.
Diz a poca que Mfe ouvido o que se diz sobre
trabalhos dos republicanos em Hespanha e Portu-
gal, e d discussdes para formar urna confedera-
gao republicana, composta de tres grandes rep-
blicas ; Portugal com a Extremadura e a Andaln-
zia; as provincias cntrate do interior da H^spa-
uha;e finalmente as de Aragao e Catalunha.
Continua a discussao na especialidade do
projecto da consfituicio; ftn j ai)protado o arti-
go 17.
Causou grande impressao o btifhante (fiseorio
do deputado Emilio Castellar ett resposta ao do
Sr. Monterola, sobre a questao religiosa; ten si-
do recebido cora grande elogio per toda a imprensa
da Europa.
Foi apresentada nma proposta de lei sobre subs-
tituieoes para e exerclto, fazeno Tom qne todos
os maneeoos sem dtstmceio de 'ihtsees ou de for-
tunas, fosseui obligados a pagar o tributo de san-
gue.
0 presidente do poder exeeutho declarou.q,ue,e,
governo desejava tjue esse projcto fosse tomado
em consideragao, para que nma eomnrissd pasr'
sasse a estuda-k e dsse o seu parecer.
rido.
Jala Lun flMuaga.tedforid.
Joaguaa Thanin.- da Concejal. Inaeferido
griU* das inloxnvicd*.
o discurso'do Sr.de f.avllete. Hoje a imprensa
dos dois paizes vvacs, unnime em exaltar as
intengoes pacificas da Franca.
Depois de um discurso no senado do Sr.
Hausseman, esta assembla adoptou o emprestimo
da cidade de Paris feito com o crdito liypothecario
da Franga, por.116 votos, contra 1.
N'uma das sessoes do corpo legislativo o
bem conhecido progressista Eugene Peiletan ata-
cou com grande energa o governo, por motivo da
lei de seguranca geral que contina a ser cum-
prida com todo" o rigor pelos agentes da autorida-
de. O ministro do estado o Sr. Rouher respondeu
3ue o governo tem muitas vezes a noissao penosa
e lutar contra a anarchia c as paixoes, que sao
nma ameaca constante contra a liberdade que de-
bilitara e breve faro desapparecer completamente,
A emenda proposta foi regeitada por 180 votos
contra 46. ...
Na discussao.do orgameato do ministerio do
commercio tomaran) parte os Srs. Jelftt, Bulffet,
Kolb e Beraard, Brante, Grenier, Thiers, e Quer-
tier. i ,
A Patrie desment a noticia publicada por
varios diarios de que o Sr. Baroche ministro da
justigae dos cultos, representara Franca du-
rante a eetebracao do prximo coacito ecumnico.
O jornal Le Public confirma a noticia du tea-
cionaro priucipa Napoleao fazex proximameate
urna visita ao Adritico.
BLGICA.
A questao franco-belga est mu longo de ter a
prompta solugao que ao principio se juigpu.
Os tratados primitivos permiiUam a uouipanhia
dos camiohos de ferro de leste franceza adquirir
a propriedade dos canrinhos de ferro belgas, ou
de arrendar o direito de exprepriaoao.
O projacto o governo belga **dtioa completa-
mente a situaco e reduz as convengoes entre as
tres companhfase urna simples convencBo e ser
vico destmada a resolvar os interessoe ornamos,
taes, como as questes de tarifas, 4e material, de
transito, e outras do mesmo genero. As duas com-
paahlas belgas deverSo conservar, s^imnao o prt
jeeto de Prere da Orban, a sna autonomia, reser-
vando o governo belga para si, de um modo abso-
luto, a polica e a superintendencia.
l) governo francez recusa-se a aceitar as pro-
poslas de Frere de Orban, e este tere de regresar
BiDxeaat, para confereuciar eoov os seus colle-
gas a respeito dos difflculdades oppoitas ppl p->
veroo francez ao ajuste do caminho.v de torro.
Os jornaes minjsteriaes Jrancezes ])ulilicam ar-
tigos hoetis Blgica. A Patrie peigpta' o que
um projecto autorisando a ranba a nomear at
28 individuos para a cmara alta ; esta proposta,
quo j foi tomada em consideragao, ser enrgi-
camente combatida na sua segunda leitura, mas,
segundo se julga, sed finalmente approvada.
O governo inglez com esta forma pode contar
com a appruvago do bil sobre a igreja de Irlanda.
ROMA E ITALIA.
Por occasio do quinquagesimo annversario de
ordenagao do Santo Padre, foi este felicitado nao
pelos soberanos representados em Roma, mas
ambem pela rainha de Inglaterra, pelo imperador
da Russia, pela familia real de Hespanha, pelb re
de Hannover e pela iraperatrz do Mxico, o pelos
gro-duqes da Toscana e de Meklomburgo-Stre-
litz. O presidente da associacao da mocidade ca-
tholica italiana entregou 250 mil francos, o prin-
cipe Torlona oftertoii igual quantia. Urna deputa-
co allema offoreceu um milho de francos, e urna
depuiagao hngara algumas centenas de mil fran-
cos. Sao innmeros os presentes, alm dos pecu-
niarios, algura de extremado gesto. Parece que
o Santo Padre vai fazer no vaticano urna exposigo
de'todos os brindes offerecidos, vendendo depois
para ser o producto repartido pelos pobres.
0 Constituttonnel desmente a noticia publicada
pela agencia Havas de que as tropas francezas,
austracas e italianas oceupanam Ruma durante o
prximo concilio ecumnico.
Afflrma-se que o Sr. Baroche representar o im-
perador Napoleao perante o prximo concilio, e as-
segura-se que a maior parte dos governos euro-
peus ficar all sem representagao algnma.
O embaixador de Franca na Italia recebeu
nstruegoes para apoiar o protesto da corte roma-
na contra a medida adoptada pelo ministro da fa-
zenda da Italia, quo estbelcccu urna contribuicao
de 8|5 por cento sobre os certificados da divida
correspondente aos aatigos estados da igreja.
Os deputades italianos Miccli e Laporta annun-
caram na cmara interpellagoes acerca das neg-
cgoes relativas questao romana, c a poltica
estrangeira do geverno, Menabra. porm, addiou
esta interpellaco at o momento da discussao do
orcamento dos'negocios estrangeiros ; eaecreseen-
tou que no seu entender esta discussao nao daria
nova luz, depois da publicaco dos documentos
polticos no Livro-verde.
Effectivamente tal interpellaco desnecessaria,
porque, ou se publicaram todos os despachos tro-
cados entre os dons governos, e, neste caso a in-
terpellaco nada adiantar : ou despachos cou-
dos no Livro-verde foram escolhidos de accordo
entre os dous gabinetes, e pouco provavel que
Menabra ven ha agora desdar toda a meada dian-
te dos deputados italianos.
Dizem de Forenca que Batazz e Crisp se po-
zeram do accordo para atacaren) cnergicamonte o
ministerio de Menabra, e quo dentro em poneos
dias, se travaro debates animadsimos.
O ministro de fazenda no seu relatorio indica as
As ediles tomaran) em consideragao esta pro-,,4o V* desaam de vifMM no d
Ignacio Bernareo ele Agreprao Lopes.Indef*- posia Que ** enviada a urna lommisso espe-
cial.
Q bMerno apresentou tim pn^Uta fle M etn>
tmtm crditos sapptementareii-pin os dtversap
ministerios.
medidas que ponsa tomar em 1873, depois do re-
embolso de 378 milhoes de francos devidos ao
banco.
Para obter a somma necessaria a esto reembol-
so, e cebrir o detieit, o ministro propoe conceder
o assumpto dos bens eeclesiastico sociedade dos
bens donmicaes que subministrar 300 milhdes.
Ksia j assgnada una coovengo relativa a este
assumpto, assim como outra eonvengo confiando
ao baaco o servgo da thesouraria.
O ministro propoe finalmente um emprestimo
forgado de 320 milhoes, preduzindo 6 por cento de
juro, reembolsavel em 1891.
A respeito do tratado austro-franco italiano,
urna folha estrangeira dcscobre urna poma do
vu, que por ora tinha encoberto este negocio.
Diz, que por urna das clausulas, se por effeito da
guerra a Austria adquirir compensa co es territo-
riaes na parte do Danubio, em compensago ce-^
dora o Tvrol ao rei da Italia.
Este soberano cuja. amisade eom o imperador
Franoiseo Jos cresce de dia para dia, esereveu a
este urna carta em que lhe tnamesta o dasejo de
ir a Vienna aBnuucjaodQ-lhe urna visita na prxi-
ma primavera. 0 imperador Francisco Jes, pa-
gara a visita, indo a Florea no prximo vero.
O imperador d'Austria mandn ao rei de Italia
a gr-cruz da ordem de Santo Esteva->.
O rei Vietor Manool eaegou a aples no dia
20 ao raeio da sendo recebido pelo principe Uni-
berte, e pelas autoridad 'aquella cidade.
Foi votada, na cmara, urna lei abobado
previlegio do clero, de seren os seminaristas beni-
tos do servico militar. Foi approvada.por 221 vo-
tos contra 37 O presidate do coaaelho oe minis-
tros declarou que, sob o ponto e vista poli tico
este projecto nada eontinha de hoatil a Roma, ner
igreja, e que era simplosmente a applicaco dos
principia* de liberdade e de iguaJdadc. _
Deecopro^e em Mllao urna conspiragao ma-
zzinista, fizeram-se algumas prisdes.
AiUatANJJA,
ser da Mgiea se a Pranfa aaa nene var oe trato.
avel
Pl
A Etoile be,lge diz qi
ciagoes franeo-befBas mo tenham r
neaes, aeeta caoaMa Mas regWe* ao
arussianas q ,^h rcwlH uaftUfr,
4) imperador d"Austria sabio de Vienna diri-
ciwto-e a Peslh, par* presidir abertura da dat
o'narao de Beust pnepara um projecto de reor^
ganisacao da eamara all austraca.
O SrTiraafne foi noraeado praridente da coase-
lo 4e ministroi.
b rtidutas da ABeraanha do oorto d>cute na
u ptpaaiao prmaiU.de Taastoa e ansien para
se iostituirea) amstenos federaes.
'Bismark decUrou aue esta propotta eauivale a
urt voto de desconfianca. Disae m em preseoca
da situaeo actual da confederagao, asta proposta
de, Bsmark concloio neses termos: t Aceite! as
funegoes de chancdler federal no estado em que
estao. um collegio de ministros. Nao so poderia obter a
renlrafisacab allema, sera produzir urna ruptura
prejudicial a todos os interesses. Deixem eons-
lituico federal o tempo de se desinvolver. Bcs-
eentralisemos em legar de proeurar centralisar.
Onosso flm o mesmo,a grandeza da Allema-
nha ; os modos- que sao differentes. Nao nos
difliculteis a nossa tarefa pedinUo o impossivel.
Lasker, desenol vendo urna mogo por elle
apresenlada, disse que nao quera dar couegas ao
chancelicr federal que o qne desej;>va era que o
chanceller nomeasse ministt'os especiaes, e aue,
velasse porque neobum delles eontrariasse os uns
do ministerio.
Bumark respondeu que o satisfazla esta propos-
ta, poisfue se haVJnonisava com a^ actuaes atlri-
buigoes da chaucellara federal. Se s se tratara
de designar alguns ministerios, o que nao era dif-
ficil.
^Em conequencia destas oxplicacoes foi a mo-
co de Lasker approvada por cento e onze votos
contra eem.
O plano de fortifieae>>es d.is costas da Alle-
manha do Norte km definitivamente ajprovado. Os.
pontos contraes sero os dous postos de guerra do
Kiel, o do Jbade, e as posigoes de Duppel e de
Alseu, que domina rao a entrada do canal projec-
tado no mar do norte. Os portes tle Kiel e Jbade
sero protegidos por novas e formidaveis obras de
defeza, assim como a enibeccadura do Elba c do
Wesser.
Celebrou-se em Berlim a primeira seiso da.
conferencia internacional para soccorro dos feri-
dos de guerra ; assistio a rainha. O priaeipe Car-
los da Prussia acha-se em Paria com sua es-
poza.
OllIKNTE.
Tin despacho de S. Petersburgo annuncia que
o governo russo dirigir s potencias europeas un
memorando acerca dos indgenas turcos, e diz (jue
o seu fin provocar mais una aova conferencia.
A France diz que a expdigo do memorndum
certa ; mas nao julga que tenha por fim provo-
car uraa nova conferencia ; este memorndum ao-
ve-so limitar a urna simples troca de notas.
Dizem de Sniyrna que dosapparecera o desac-
cordo entre as ilhas Sporades e Porta Ottomaua,
restabelecendo-se a tranqulidado naquellas ilhas.
O governo ottomano den ordem ao governador
geral da ilha de Creta, para serem inmediatamen-
te postos em liberdade todos os presos da ultima
insurrego, que em tempo tinham sido condemna-
dos a pena ultima.
Aehani-.se em Alhenas o principe e a prince-
za de Galles.
ESTADOS-UNIDOS.
O senado rejeitou por 54 votos eontra 1 o tra-
tado que diz respeito ao Alabama.
Foram nomeados ministros : em Madrid Mr.
Sandfort, em Lisboa Mr. Shcllaburger e no Haity
Mr. Basset(negro.)
O congresso.votou urna resolugao autorisan-
do o presidente a ruconlv cer como governo de
faeto todo o governo que se estabelecesse em Cuba
fundado sobre o principio republicano. Esta reso-
lugao porm nao passou no senado. O eougresso
adiou-se at dezembro.
P011TIGAL.
Teve lugar, no dia 26 do passado, a abertura
solemne do parlamento, pronunciado el-rei o se-
grate discurso :
< Dignos pares do reino e Srs. deputados da.
naco portugueza.Um incidente parlamentar que
se leu em Janeiro ultimo, petlurbaudo a harmona
entre os poderes do estado, deu lugar a ser nova-
mente consultada a vontade nacional.
Agora, pois, que torno a ver em voltajto meu
throno reunidos os representantes da naco, coai-
praso-me em testeuuiuliar-lhes o prazer que srato,
e a confianga que me inspira a sua ellicaz coope-
raeo para que possain resolver-se as graves
qustoes intimamente ligadas com os iuteresses do
estado.
Continuara nalteraveis as nossas relacoes de
aniisade com as potencias estrangeiras, pudendo
assim, de dedicar os nossos estbrgos aos mclhorainentos do
paiz nos diversos ramos* do servgo publico, e for-
talecer a nagao na sua indepeudeucia e prosneri-
dade.
t A ordem e tranquillidade publicas teem sido
geralmente inantidas, occorreaao todava mn acto
de iusubordinago fra da capilai, na forga desti-
nada expdigo da Zambezia. As providencias
que o governo tomou prompiamente restituirn,
sem contlicto alguui. os amotinados obediencia.
Alm das medidas decretadas pelos diversos
ministerios, em virtude da autorisagao concedida
pela carta de lei de 9 de seiembro de 1868, que
vos sero presentes, o meu guverno julgou indis-
pensavel decretar algumas providencias de natu-
reza legislativa, exigidas ha muito pela opuao
publica, tendo por fim reduzir as despezas do es-
tado e occorrer operagoas financeiras de impe-
riosa necessidade.
Sero sunmeUidos ao vosso exame e approva-
cao os respectivos decretos com a proposta de lei
para ser o governo relevado da oxecaso de poder
[aue assumio.
W t O estado da fazenda publica requer a voasa
mais seria e escrupulosa attengo.
Apesar das importantes reduegoes decretadas
pelo governo, o desequilibrio cn'.re a roceita, c a
despeza inspira ainda os mais serio* cuidados.
t O racu governo vos apreseutor as competen-
tes propostas para o pagamento jjadmda fluotun-
te exlerna e interna, o para oeeanrcr ao ikficd do
actual anno ceouoiu*:o e do seguinie:
Da nwsuia forma espero que dadicareii a \wssa.
atteacao s praposUs" para o auginsuto das-rpsei-
tas pblicas, procurando quauto poesivt ditrtbur
o imposto com igualdade por todos oscidadao*.
Alm destas graves questoosL quo sao as. que
mais carecam de prompta resolucao, o mea gor-
bo vos aproseotara propostas teodntes mepor
organisuco dos servicos pblicos, sobre a qual a
escacez do tempo nao permittio adaptar provi-
dencias.
Dignos pares do reino e Srs, deputados da
nagao portugueza.O orcamenVo jeral do estado
que foi apresentado na poca determinada no ^c'"
addicional carta, precisa de kaporutHes rectiaaa-
ooes resoltantes das medidas j adoptadas e da
aova forma que devero lomar oe eacargos do
tbesauro.
Ser-vos-ho presentes esaas alleracoee, e em
vista dallas e da mesmo opeaieBtoavaiiareis quaes
sao es sacrifick que tem de podir-se ao paiz- '
, Nao duvido que alie se samMo a fzo-los,
quando o goverao lhe tem mawtww P*. *"5
actos que tem per syatema iavafiawl a rn^is se-
vera economia aa distribatgito os inbeiroa p-
blicos. '-.
Do vosso patriotismo^ l"u*go f
serU por effeito suparimir as commissdes do, con- problemas qae eumpra res^ver, tenaa urna so-
tj..-.

as difflculdadaa gnwsaiaaas cora 0***"^


*** mm
Diario de Pemambiico Sexta feira 14 de Maio de 1869.
_^_

Incio satisfatoria, mostrando-se mais urna vc
quao proflgaos resultados se podem obtcr da har-
mona e nmtui coadjuvaco entre o governo e a
representaco nacional. V
E A9 cmaras funccionavam em sesees pre-
S. M-. a rainha e o principe real vao, por or-
dem medica, usar dos banhos de Ems.
O governo realisou um empreslimo para sol-
vef s seus apuros flnanceiros. En o que diz-nos
nosso correspondente csse respetto : ,
. A crise flnanceira produx.da pelo prximo
vencimento de letras importantes, a par flagrando
difflculdade que os capitalistas estrangeiros nos
Dunham realisaeio de qualquer emprestimo em
condicoes accoitaveis, parece tor lindado eom a
assicnatura do emprestimo de 18 mil contos con-
tratado com a asa Goshe. Sao precipitadas as
analyses que so tem feito sobre o emprestimo as
olhas da opposir^ao, porque *e nao Tundam em do-
cumentos ollctaes. Sobre simples boatos e iufor-
macdes vagas nao se pode julgar de urna opera-
cao flnanceira. A9 folhas a que me retiro drzem
que muito onoroso, e um pessimo nepocio. Ou-
tras, muito ministeriaes, entrelem-se a contar que
applicac.au o governo vai dar aos 18 mil contos.
Tudo islo aotecipado. Depois de screm do do-
minio publico as condicoes do contrato se poderao
avallar- Diz-se que o encargo annaal que desde
jlraz ao (besouro, de 1,890:000* por um prazo
de W annos! ... .
Houvo urna insubordinado do batalhao ae
cacadores do Zambezia, aquartebdo em Malra,
contra o seu commandante. Dizem osjornaeso
-segrate : ..
O batalhao de caladores destinado a exped-
cao da Zambezia, acuartelado em Mafra, insubor-
dinou-so contra o seu commandante. Este leve
de fugir, assim como a niaior parte dos ouiciaes.
Os outros oniciacs conseguiram fazer entrar o cor-
no na obediencia e traze-lo para Lisboa, ooede-
cendo a um tclegramma do Sr. ministro da guerra.
"Para apaziguar os amotinados contribuio muito a
-decisao do majnr Salgado, que so achaem narra,
-como director do asvlodos lilhos dos soldados. O
Sr Salgado pondo-se frente dos alumnos daquelle
asylo, e dispondo de algumas armas e do tres pe-
*as de artimaa, conseguio impedir que os amoti-
adus se apoderassem do deposito da plvora. O
corpo insubordinado foi mandado para bordo da
nao Vasco da-Gama, e os indigitados como cabecas
demolim foram separados e presos. Procede-se
ao respectivo processo. Parece que o comman-
-dante nao era bem visto pelos soldados, e o major,
a quem ellos mais fcilmente obcdeciam, acliava-
se em Lisboa. O commandante pedio a demissao,
o major Francisco Guedes da Silva ficou interi-
namente com o commando. Ignora-se se a msu-
bordinaco foi provocada por manejos polticos ou
por quaesqu-r desordeiros estranhos ao corpo. O
processo ha de esclarecer islo.
Acerca do inquerito sobre os acontecimentos de
Mafra, diz a correspondencia do Lisboa ao Diario
Mercantil do Porto : __
Asegura-se que do resuMMo do inquerito a
que se est procedendo, se v que houve tambera
tentativa de suborno as pracas do regiment de
infaniam n. II, mas que ahi foram ellas repelli-
das ; accrescentando-se que nos tumultos de Ma-
in se achaui comprometidos dous offlciaes. Mais
boatos se referem sobre o fim destas revoltas e so-
bre a proveniencia do dinheiro que se espalhou,
mas acho o assumpto tao grave, parece-me lio
TOonstruosamente impossvel o rae se diz, que nao
me atrevo a registrar essea boatos.
Modilicando a primitiva organisarao do ba-
talhiio de caladores da Zambezia, decretou-se ha
das o seguinte :
0 batalhao de cacadores da Zambezia passa a
ser composto do um estado maior e menor, e de
l.uatro companhias; a composcao do estado-maior
e menor do batalhao continua a ser a actual.com
a difTerenej de haver um so offlcial superior ; a
recomposicao do cada companhia a que estava
decretada,*com a djfferenca de que ser de cem o
numero de soldados de cada urna ; os offlciaes su-
balternos das companhias supprimidas podem 11-
oar supranumeranos no actual batalhao ; a pri-
meira companhia conserva a misma numeracao,
a terceira passa a segunda, a quinta a terceira, e
a sexta a quarta ; as pravas que das antigs com-
panhias segunda e quarta devem ser conservadas
oo batalhao, serao destribuidas pelas quatro com-
panhias.
Corra ter recusado o lugar do ministro por-
tuguez no Rio de Janeiro, o Sr. Carlos Bcnto.
No Diario do Governo, de 24, foi publicado
o decreto reformando a secretaria de estado dos
negocios estrangeiros. A secretaria divide-se em
quatro repartirles : dos negocios polticos, dos
negocios consulares o commerciaes, central e do
archivo, e da chancellara e de contabildade.
Tambem foi publicado o decreto n. DI de 24
do passado, modificando o de 13 de abril de 18f 8,
sobre a organisacao dos consulados de Portugal no
Brasil, havendo tim jornal da opposicao, o Diario
\Ur:'uil do Porto, comparando a reforma actual
com a do Sr. Casal Ribeiro, aprsenla os seguintes
dados:
Baha.Ordenado 3005- gratificado 2:300.3,
despezas diversas 3:fjn0.* ; total 6:0t'0j.
t O actual governo augmeutou 1:000.5 na gra-
tificacao.
Pernambuco. Ordenado 300*. graflcacao
2:5005, despezas 3:000* ; total 6:0u0*.
i Os vencmentos agora sao os meemos.
Maranhao.Os mesmos vencimentos.
Para.O mesmo ordenado, mas a gratfiocao
era menor 500* c a verba para despezas s de
3t 05, ao passo que agora 6 de 1:500*.
Por decreto de 22, foram revogadas a9 dis-
ponicOes do art. 5o n. 2 da caria de le de 16 de
maio" de 1864 que concedeu ao banco nacional ul-
tramarino urna subvencao de 30:000* annuaes.
Diiia-se ter sido nomeado governador civil
de LUboa, o conselheiro Roque Fernandes Tho-
maz.
Falleecram no Porto, o deputado Justino
Perrera Pinto Basto, e o director do Banco Mer-
cantil Joao Guhkis de Oliveira e Silva.
A nova direccao da Associacao Commercal
Je Lisboa, compoe-se dos senhores :
Presidente, o Sr. conselheiro Carlos Ferreira dos
Santos Silva.
Vice presidente, o Sr. coramendador Joao Hen-
rique Ulrich.
Secretarios, os Srs. Jos Dlonysio de Mello e
Faro, e Antonio Augusto Pereira de Miranda.
Thesoureiro. o Sr. coramendador JosMaria Ca-
millo de Mendonca. ,
Directores, o Srs. Thomaz Creswell,Daniel Cor-
deiro Feyo, Lduardo Tinto Basto, Carlos Duarte
Luz, Joaquim Pires Jnior, Antonio Jos Pereira
Serzedello Jnior, Flamiano Jos Lopes Ferrefra
dos Anios, Archibald Turner, Guilherme Roberts,
Manuel Iglezias, Germano Serrao Arnaud.
Em Braga houve urna especie de pronuncia-
ment feito por sapateiros. O Bracarense conta o
segrate :
Alguns artistas de sapatero, desta cdade,
talvez movidos pela falta de trabalho, talvez insti-
?ados pelo mo exemplo, dirigiram-sena terca-
eira passada desde a ra da Ponte at ao largo
da S, couvidando e instando com seus collegas a
deixarem o trabalho e a segui-los, para pedirem
melhor remuneracao e acolhmento de seus mes-
tres. No largo da S chegariam a reunir-se 120.
D'aqui dispersaram por conselho e pedido da au.-
toridade e foram de novo reunir-se na Ponte trc
S. Joao, d'onde tambem dispersaram sem desor-
dem on tumulto. A porta do Sr. Fonseca, no lar-
go da S, hoove porm arruaca e symptomas de
maior desordem que felizmente nio occorreu.
onl liaram para Ibes tirar a racao que era de
ostume dar-lhes e diminuir 90 res ao jornal.
Nao sabemos at que ponto isto seja verdade ;
mas informam-nos que a racao Ihes fura tirada
em razao de terem feito chacota delta n'uma offi-
cina da ra da Ponte, cbegaudo alguns offlciaes a
insultar os mestres.
Urna mulher da povoacao de Teixoso, diz o
Bcho do Lima, deu luz urna creanca com duas
**becas ; una collocada sobre os hombros e on-
tra sobre o peito esquerdo. A primeira perfeita
o a segunda um pouco mais pequea, mas am
oas bem conformadas. A creanca, que nasceu
viva, ctiorava e abra os olhos de ambas as cabo-
cas c em ambas tinha as fei^oes bem pronuncia-
T ,iT.l0vd0 corP era regular. Viven, ape-
llas algumas horas.
.,mh?,?be.Aam,"sS am LiMa' necias de Mo
^ambique at 17 de feverero. Anda nao tinha
ah.chegado o governador Leal nem o corpo e
pedicconanodalndw p Bonga estva comple-
amentesocegado e deixara livre o commercio^de
Tete pelo Zambeze. Nem delte se fellava k Pre-
orava-se o conselho de guerra para julir os of.
iaes da nMtaK expedicao contra rte.
Em Tiraor estava suspensa a guerra cora o
Pirulo de Cov* por causa das chavas. Declarou-
eom violencia o chotera na colonia e fazia es
gos.
Em Kaco nao havia noviJade.
Nar nos tofresponeate to LisMa o se-
gtm:
.....- -r '^
Ha lempos en a hou-se na Cova da Picdade
(naoutra banda do Tejo) a galera Michigan y,ne
se encontrara perdidx fra da barra, o qu
trazida a rcboqua pela fragata ingleza Pallas. Os
4cereaes que traza apodreceram,- e como llontem
se tratasso de alijar aquella massa informe de
graos em putrefaccac, cahuam sem sentidos seis
operarios succe sivauenle. Parou-so cora ojra-
balho e vai-se tentar a descarga por exploso a
bordo. Os pobn^tvnns, sentiam vmitos, do-
res de cahoca e ^p'sris, cjflando tornaram a l*.
0 promptas providencias contra aquello foco de
einanacoes delctcriae.
B1LHETES OFFERECIBDS. Numeracao Jos
bilbcles da 106' otferocldoa pelo thesoureiro drj lo-
teras para auxilio das despezas da'guerra i.
Bilhfetes ns. 1756 1765.
PERIAMBUCO.
informa-
nas villas
REVISITA DIAEIA.
ASSEMBLEAPROVINCIAL.-Hontei
bla o Sr. Miguel Amorim jusuflcou dowM
mentos que foram approvados nedmdo
celes sobre diversos :actos acontecidos
de S. Bento e Garanhuns. ___^._
Entrando na ordem do da continuou a apreciar
em V dicussao o projectp n. 5 deste anno, que
s permitte serem enmregados nos es.abelecimen-
tos careo da Suito Casa, .bras'Kelros ebrasilei-
ras natos, oceupoa. tribuua era opposicao as. ma-
terias do projecto o Sr. Silva Ramos, ficando a
(IDfiiK'c~nt llijtr np!a nora.
discussao'adiada peladora.
A ordem do dia pira boje a mesma.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GEOGRAPHI-
CO.Reunio-se hontem esta sociedade, sob a pre-
sidencia do Exm. conselheiro monsenhor Muniz
Tavares, e com assistencia dos Srs. Dr. Gervasio
Campello, coronel Leal, major Salvador e padre
Lino.
lida e approvada a acta da antecedente.
Nao se achando presente o Sr. secretario perpe-
tuo, o Sr. 2 secretario d conta do seguinte ex-
pediente :
-Um offlcio de Sr. Dr. Joao Joaquim Fonseca
de Albuquerque, acceiundo e agradecendo a sua
oleicao de socio correspondente.Inteirado.
O mesmo Sr. 2o secretario menciona as seguin-
tes offerlas:
Varios nmeros do Diario de Pernambuco, pe-
lo consocio Dr. Figueira ; alguns nmeros da
Opiniao Nacional, piniCw Liberal e Oriente, pe-
las respectivas redace/ies; urna memoria histrica
e ehronologica dos goveruadores de Pernambuco,
t o capitao general Caetano Pinto, pelo Sr. Jos
de Vasconcellos.Todas estas offertas sao recebi-
das com agrado e mandam-se archivar.
Vem a mesa a seguinte proposta :
Constando do relatorio da presidencia, lido na
abertura da assembla provincial, que, a cmara
municipal desta cidade representara ao governo
da provincia, sobre a oceupacao do terreno ein
frente da fortaleza das Cinco Pontas pela empreza
do esgoto e asseio da cidade, cujas obras all s
acham em andamento ; declarando ao mesmo go-
verno baver destinado parte daquelle terreno para
levantar nelle a estatua de Andr Vidal de Ne-
greros; e, senducerto que este Instituto se acha
na posso de trinta palmos em quadro para aquelle
fim, como consta ao reepectivo termo assignado
pela sua commissao no archivo da mesma cma-
ra ; parece-me nao dever o Instituto crusar os
bragas em face desle lastimavel acontecimento ;
pelo^ue proponho que se represante ao governo-
da provincia, ponderando quo seraelhante conce-
cao, baseada nos mais nobres e patriticos senti-
nientos, tenha por fim nao s perpetuar memo-
ria do nosso hroe, como no mesmo lugar, com-
memorar o fado mais transcedente daquella guer-
ra, o assalto c tomada da fonaleza das Cinco Pon-
tas por Vidal de egreiros, no dia 23 de Janeiro
de 1654 ; facto que tecasionou a capitulacjio dos
hollandezes e a morte do seu dominio em Per-
nambuco e em todas as imN pracas conquistadas
no Brasil.
- Sala das sessOes do Instituto Archeologico e
Pernambucano, 29 de abril de 1869. Salvador
Henrique de Albuquerque.
adiada a votacao para a prxima sessao._
igualmente lido um parecer da commissao de
admissao de socios, cuja votacao c adiada para a
seguinte sessao.
VAPOR GUIENNE.Este vapor, chegado hon-
tem da Europa, tira a mala hoje ao meio dia, no
correio, para o Rio de Janeiro e Baha.
CIIEFE DE POLICA. Seguio hontem para a
corte, bordo do Guar, o nosso amigo o Sr. Dr.
Francisco de Faria Lemos, com sua cxeellentissHia
familia ; sendo acompanhado at a bordo por S.
Esc. o Sr. presidente da provincia e crescido nu-
mero de seus amigos. Dcsejamos-lhes prospera
viagem.
BENCAO.Amanhaa, s 9 e meia horas da ma-
nhaa, ter lugar, na matriz de S. Jos, a bencao
da cruz que deve ser collocada no alto do arco
da capella mor da igreja do Terco, sendo ella le-
vada processioualmente depois a referida igreja,
cora acompanhamento de urna banda de msica
militar. Logo que ahi chegar a procissao, serao
collocadas nos seus lugares a cruz referida e a
travo mestra da coberta.
INSTITUTO HISTRICO E PHILOSOPHICO.
Com assistencia dos Srs. Elisio da Silveira, Parido
Valladares, Albuquerque Barros, Hollanda Caval-
canti, B. Chaves e Cirneiro Leao, funecionou hon-
tem esta sociedade, em sessao preparatoria, sob
a presidencia interina do Sr.' Silveira, e servindo
de secretarios os Srs. Parizio Valladares e Albu-
querque Barros.
Depois de lido o expediente, o Sr. presidente le-
vanta a sessao, dando para ordem do dia da pr-
xima reuniao discussao dos estatutos.
THEATRO DE SANTA ISABEL.Subi ante-
hontem scena a interessante comedia Passuro
Azttl, na (pial faz tres papis principaes avSra. D.
Julia Azevedo, mostrando nelles de quanto capaz
seu genio artstico. O impagavel Martinho brilha
como sempre, sobreludo as sconas que joga com
o passaro azul, seu perseguidor.
Foi urna bella acquisicao que fez a empreza des-
sa comedia para o repertorio da companhia, c que
Ibo promette boas ooites.
Era vista dos applausos que do publico mere-
ceu, sobe ella de novo scena amanhaa, com a
linda comedia da Sra. D. Mara VellutiMulher
que perde e mulher que salva, acerca da qual pu-
blicamos hoje um juizo do Sr. V. Palhares, em
nossa 8* pagina
J ERME E CRYSOLITE.Estes dous vapores
da linha de Liverpool, deviam partir de Lisboa :
este a 14 do torrente para Pernambuco, e aquelle
a 21 para o Para, Maranhao e dar.
ONE1DA.Ser este vapor o portador da mala
de Sonthampton, no corrente mez.
NAVIOS A CARGA.Ficavam em Lisboa Laia
II e Relmpago para Pernambuco, Ligeiro para o
Para; no Porto Uniao para Pernambuco, Josephi-
na e Nova Palmeira para o Para.
NAVIOS CHEGADOS A' Lisboa Relmpago de
Pernambuco a 13, Laia III idem e Josephina do
Aracaj a 15, Linda do Para a 27; Porto Europa
do Maranhao a 14..
NAVIOS SABIDOS.De Lisboa Constante I
para Pernambuco a 27; do Porto Triumpho idem
a 16
NOTICIAS COMMERCIAES.Eis as das ultimas
datas das principaes pracas da Europa :
Lmresl 27 de abril.
O mercado do algedao tica calmo, aos precos de
l} a 13X o de Pernambuco, de 11 4/8 a 11 7/8
o da Parahyda, de II % a 121/4 o de Mace, de
12 a 13 2/8 o do Maranhao, e a 18 X o do Cear.
O assucar est fronxo de 26/ a 27/6 o braaco e
de 20 a 24/6 o mascavado.
O caf est frouxh simo.
O cacao do Para (tea de 47/ a 55/.
Havre, 37 de abril.
O algodao fica calmo a 149 frs. o bom ordinario
de Pernambuco.
O cacao do Para vendeu-se de frs. 76 a frs. 77.
A borracha idem a frs. 7.
FUNDOS PRASILE1ROS.Eram assim cotados
na praca de Londres :
5 % de 185983 a 89 nom.
5 /. do 1865-80 a 80 Vi-
4 V / de 1838-58-59-71 a 76.
4 V, % de 1863-68 a 69.
FESTAS E PROCISSAO DO ESPIRITO SANTO.
Amanhaa a irmandade desta invocacao. erecta
no convento de S. Francisco, celebrar a festa de
seu padroeiro com a pompa do costume, orando
ao vangelbo o Rvm. fre Joaquim do Bapirito
Santo, e ao Te-Deum o Rvm. Augasto Ferreira
Botelbo. Logo que torminar a festa, a irmandade
distribuir esmolas aos pobres.
A irmandade d'assa invocaclo, erecta em
sua igreja propria, expor tarde, vista dos
fiis, em solemne procissao, o sen divino padroei-
ro, a qual percorrer as roas do Imperador, S.
Francisco, Qneiiriado, Livramento, S.Pedro, Car.
mo, camba do mesmo, Flores, So!, Nova, Cabng,
praca da Indeaeiidencia, mas do Crespo e Impe-
radw
h*n.fl K*~A ^V* aCh Ven0Sk *W *J
Ua W *" VH,*"B*lla' 00 "
PUBLIGACOES A PEillDO.
A mentira ni) poda tardar : negocio
que diz respeito acw Srs. Sas,aieute-se
smpre, e isto j nao: nc^dade.
<.iuem tiver lido aaJg.irvia publilada'no
Libsral de, honfcrn,' uo bjndo intormacOes
sobre os factos ha de penar que aquelle6
seuhorea por pouco escaparam dt ser vic-
timas de uro plano monstruoso, digno dos
lempos i-availieirccos 111
' que ^ola vez. que su trata 'de-ftier
cessar um esbulo grandemente patrocina-
do,teda vez que se trata de fazer resti-
tuir-se o alheio, o alheio conservado a todo
transe, e sem escolha de neios ^ -tti-
pe uta diluvio de aleives e calumnias as
mtts negras.
O que se escreveu no Liberal em deeza
do protector do infeliz tarda, diame-
tralmentc o contrario da vjrdade geralmen-
te sabida.
Os officios do delegade de I|juca ahi
esto para p.-ovar que nao houve a menor
violencia, o mais insignificante desacato I
O destacamento enviado a pedido do
juii supplente que entre u em exercicio
para negar a posse a meu respeitavel pai, o
coronel Gaspar Cavalcanti, nao teve em
que se empregar e affoi est de volla, ten-
do o mesmo juiz ojficiado ao respectivo
commandante dizendo nc lhe ser mais ne-
cessarjo.
0 proprio Sr. Lourenco de S, se se
dispir desse predicado qu^; caracterisa sua
familia, a abundancia de imaginac5o, po-
der testificar a maneira d.gna e attenciosa
porque foi tratado, e se houve algnm at-
tentado.
para notar que o Accordam, que con-
demncu o Sr. Joo de S a entregar o eu-
genho em maio corrente, lhe foi em tempo
intimado.
Quanto ao mais que esetevinha o Liberal
a baba que ;despede de cavernoa boxa
o cao, que nao dexa arraacar-Ihe o ultimo
pedago da gorda presa que tem entre
dentes.
Mas, nao queremos discutir com anony-
mos... Se quem encheu de mentiras duas
columnas do Liberal quizer sustentar sob
sua palavra de honra (se que jamis a
teve) e sob sua assignatura, como dever
de quem arge factos da ordem dos all
enumerados, as asserces malignas e ca-
lumniosas com que se couiprouve de adu-
bar sua catilinari, que surja das trevas,
despindo o manto que lhe permitte ferir
sem ser visto; se sentimentos de bro e
pundonor nao lhe parecem urna fbula, e
se a mentira e o despejo nao sao suas, nor-
mas de proceder,venha mostra-lo.
A mascara e as trevas sao a prbteccjio
de miseraveis bandidos, ladros e assassi-
nos, o homem de bem Ihes tem asco 9
Ihes vota despreso.
Recife, 13 de maio de 1869.
Jos Cavalcanti dtAlbiujuenjue Ucha.
imprensa para expr as circunstancias que
paracomigo se teem dado, ellas sao igual-
mente patentes aos habitantes deste povoa-
do, j por que tenho soffrido publicamente
estas ameacas, j por que onl ros commer-
ciantes igualmente teem soffrido.
A-dea enes que scena iguar a de hoje,
bram os abitantes deste povoado testemu-
nhas, ex o caso :
As 7 horas da tarde de certo lia, enva-
de o Sr. Albuquerque e Silva a casa do
commerciante Joaquim Ribeiro da Cruz, e
com elle mais dous de cacetes, Ribeiro
s em sua casa soffre diversas cootusoes,
acabada a acea retira-se o Sr. Silva com
os seus sicarios, na santa paz do Senhorl
, E pqr que tanta-ferocidade derramada
pelo Sr. Joaqoim GbncalvesdeAlbuqoerque
e Silva ?
Porque Cruz venda em seu ""estabeleci-
mento bolacha a 180 rs, qaando o Sr. Sil-
va vflodia em sua padaria a 200 rs?....
Onde vio o Sr. Silv* ser vedada a com-
petencia entre os commerciantes?
Entopor lhe nao ser possvel vedar a
que o outro commerciante vendesse seu ge-
nero pelo preco que lhe aprovesse, langa
o Sr. Silva mSo de meos que a sociedade
reprovae condemnal escudando-se emdizer
que tem rauito dinheiro I...
Ficando assim impune crimes que por
sua gravidade n3o admiltem fianza?? O
que ser de mim e de mens considados, a
nao ter estes factos a de vida pinna?
Amanhaa seremos levados a ti rol 1
Confio, que as autoridades de um paiz
moralisado como o Brasil, nao deixaro
impunes criminosos que affrontam a socie-
dade em seu pudor e a le em sua especial
disposicao, garanta de vida; conho anda,
que todo o homem sensato reprovar e re-
provar com todo o dessabor procedimen-
to desta ordem, que nem s ataca a mo-
raldade publica, como a propria reputado
de quem assim procede.
Portanto, vou recorrer as autoridades
competente, nem s para proceder contra
os sicarios que tentaram contra a minha
vida, como pedir garanta de minha vida
ameacada, por cujo acto responsavel o Sr.
Joaquim Goncalves de Albuquerque e Silva,
como mandatario, com a sua assistencia.
Trombetas, 12 de maio de 1869.
[Antonio Leite de Magaihaes Bastos.
Aos Illms. Srs. mdicos e ao
publico em geraL
Perversidade.
Para o publico e especialmente para as
autoridades do paiz apreciarem devidamente
o crime e perversidade, comeUid# em
pleno dia para- com a pessoa do abaixo as-
signado. *
As 12 horas da manh3a de hoje me achava
em meu estabelecimento, quando sbito
sou atacado pelo Sr. Joaquim Goncalves da
Albuquerque e Silva, e com elle mais dous
sicarios seus empregados, quando a minha
frente vejo de faca em punho o assassino
(empregado do Sr. Albuquerque e Silva)
Urbano Sabino Pessa'de Mello, o qual ati-
rando-me o primeiro golpe de faca de
ponta, fui felizmente protegido pqjo Sr.
capitSo Irino Januario de Oliveira,. que,
ouvindo o alarma, veio em meu soccorro
e pode amda evitar que a faca de tal
sicario me nao podesse ferir, ficando
porta de meu estabelecimento tomada pelas
pessoas do Sr. Albuquerque e Silva e
maisumseuempregado de nome Raymundo,
aos quaes pode ainda o Sr. capitao Irino
embaracar que estes viessem ajudar a
Urbano em sua erilpreza.
Ao denunciar eu este facto ao publico e
as autoridades, necessaramente devem
estas e aquelle, se enteressarem em saber
o que deu razo ao Sr. Albuquerque e
Silva, a praticar to brbaro crime. Eu
o explico. Eis o facto :
A tres annos que neste povoado tenho es-
fabelecido minha residencia, e como assim,
tenho estabelecido urna casa de commercio,
onde faro as compras de gneros do paiz,
e porque tenho-me dedicado a compra de
algodao, entrando portanto em competencia
do mercado igualmente com os demais ne-
gociantes, por este facto tem entendido o
Sr. Albuquerque e Silva, que a minha pessoa
nao pode, ou elle nao quer que eu entre em
compras deste genero; desde o dia pri-
meiro da minha primeira compra, ficou
desde logo o Sr. Silva habilitado a me pro-
vocar no acto de minhas compras, servindo-
se para este fim de seus sicario-, os qnaes
teem o titulo de correctores, e sao os j
mencionados ; nao obstante as reiteradas
vezes que tenho soffrido insultos deste Sr
Silva, sempre providencien nunca usando eu
do mesmo procedimento, por me conven-
cer que este meu proced ment seria bas-
tante para que elle se reprimisse, porque
assim procede quem teve alguma educacSo:
era o que nao succedia, tacto que, os factos
de dia em dia, eram reproduzidos, nao s
para comigo, como para com todos ou quasi
todos aquelles que compram algodao,
N3o ha outro motivo se nlo o que fica
cima mencionado ; appello para a consci-
encia do mesmo Sr. Silva, que a ter cons-
jienciencia, por certo nao dir o contrario.
Naturalmente o meu procedimento pru-
dente, fez callar no arrojado animo do Sr.
Silva, que eu nada lhe poda fazer por ser
estrangeiro. De facto nao se enganou, pois
nao quiz e nem estou disixtsto a ser mo
hospede, fui sempre guardando as con vi-
dencias que o caso por si exiga, por com-
prehender que, o fim da pretendo do Sr-
Joaquim Goncalves de Albuquerque eSilva,
era :
Que eu acceitando a luvc, por elle atira-
da, deifarte via elle reahsado o perverto
tosejo de sua atin ambico. ambico deseo-
wtntm, ficando en privado di minha vida, ou
m altadeste crime, de minialiberdade, sen-
do eMttaes casos eu criinin>uo 1
Felizmente para mim, nunca tive destes
momentos de brutal erocidade,
A vertjatfe e lealdade com que venho a
Acaba de prover-se a botica da ra da Impera-
triz n. 77, de um completo sortimento do medica-
mentos, productos chimicos, pharmaceuticos, tin-
tas e todos,os artigos concernentes a estabelcci-
mentos dessa ordem.
No intuito de serem satisfetos qaaesquer pedi-
dos ou receitas, os propretarios dj mesmo esta-
belecimento, ante de receberem as facturas que
esperam de Pars, Lisboa, Inglaterra, Hamburgo,
etc., resolvern) sorli-lo, comprando medicamen-
tos as importantes pharmacias do* Srs. P. Mau
rer & C, Bartholomeu & C, Joaquim Martinho da
Cruz Correa, Manoel AI ves Barboss, Joo da Con-
ceicao Bravo & C. e droguistas Joo da Silva Fa-
ria & Irmo.
Sendo, portanto, evidentes os esforcos emprega-
dos pelos proprietarios do referido estabelecimen-
to para satisfactoriamente despacha rem os pedidos
e receitas que Ihes forcm endere' ados, esperam
que o respeitavel publico Ihes presteni sua valio-
sa coadjuvaco, pelo que estaro promptos a qual-
quer hora.do da e noute a prestarem os seus ser-
vicos.
Boa Vista, 3 de maio de 1869.
C. Cato & C.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 3.
Terra Nova31 dia, barca ingleza Miranda,
de 314 toneladas, capitao V. Wakehan,
equipagern,43' carSa ^04) barricas com
bacalho ; a D. C. 4 C. C. Serpson C.
Bordeaux e portes intermedios 19 das,
vapor francez Guienne, de 1167 toneladas,
commandante A. de S No, eqoipagem
1H, carga diuerentesgneros ; a Tisset
Frere.
Baha9 das, brigue norueguense New
Ed, de 223 toneladas, capitao C. F. Han-
son, equipagem 9, em lastro ; a Johnston
Pater &C.
Rio de'taneiro17 dias, brigue portuguez
FelijoMalfada, de 245 toneladas, capitao
Ignacio Braz Pereira, equipagem 11, car-
ga 5270 saccas cm farinha de mandioca
e outros gneros; a Thomaz de A. Fon-
seca & C.
Baha11 dias, natacuo sueco La Plat,
de 146 toneladas, capitao Alunan, equi-
pagem 7, carga 7000 arrobas de carne ;
a Amorim Irm3o.
Navios saltillos no mesmo dia.
Portos do SulVapor napional Guar, com-
maudante o l lente P. H. Duarte, car-
ga differente gneros.
Observa^So.
Suspendeu do lamaro para Londres o
brigue sueco Sedon, capitao M/mck, com a
mesma carga que trouxe de Sauncestou.
EDITAES.
Dado e passada nesta cidade do Recife
de Pernambuco, aos 24 de marco do 1869.
Eu, Manoel Silviuo de Barros Falc5Q,
escrivao interino, o subscrevi.
Declaro que o presente val ser assignado
pelo doutor juiz de direito da segunda vara
criminal Manoel Jos da Silva Neiva.
Eu, Manoel Silvino de Barros Falcao, es-
crivao interino, a declarei.
Manoel Jos da Silva Neiva.
COMMERCIO.
CASA DE CAMBIO
Teodoro Simn & C.
Compram e vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
letras de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descoatam letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccoes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prizo fixo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
ENGLISH BANK .
O Rio de Janeiro Limited
Descont lettras da praca \ taxa a coB-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
ha, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
Banco Mau Se C.
Una do Commercio n. 31.
Descoma letras commerciaes a taxa convencio-
nal.
Recebe dinheiro a premio por letras e~em conta
corrente.
Confere crditos e saca sobro as principaes pra-
cas do imperio, Rio da Prata e Europa, e compra
cambiaes sobre as mesmas pracas.
Enearrega-se por commissao de compA e ven-
da de fundos pblicos e acyoes de companhias, da
cobranca de letras c dividendos, ot desflffpaga-
mento, e de qualquer onrra operacj o banearfa.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 12. .
Idem do dia 13.....
373:2O0|378
36:973*188
410:173*766
MOVIMENTO DAgkLFANDEGA
Volumes entrados com fazendas 263
dem ideni com gneros 184
Volumes sabidos com fazendas 101
dem idem com gneros 315
447
616
Descarregam boje 14 de maio
Vapor ingli=Sa/a< Barca inglezaSeraphmamercadorfes.
Brigue portugueziTomdamercadorus.
Patacho norte-allemoAvancefarinha de trigo.
Brigue inglezMarybacallao.
Brigue inglez Glaucutidem.
Escuna hespanholaRosa =vrahos.
Sumaca hespanhola=Poroavioho.
Lugar inglezAune Wheaton=iemi e carvao.
Barca portugnezaC/#menidiver90s gneros.
Barca portnguezaFlaviaidem.
RECEBEDOR1A DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 12. 20:345*297
dem do dia 13...... 3:894*248
24:239*545
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia la 12. 43:379*137
Idem do dU 13....... 3:911*897
47:297*034
Francisco Antonio Pereira da Silva, comraendador
da ordem de Christo e cavalheiro da ordem da
Rosa, tenente-coronel commandante do 8o bata-
lhao da guarda nacional do municipio do Re-
cri.
Paco saber que no dia 16 do corrente se reu-
nir no consistorio da igreja matriz de Jaboato o
conselho de qualiticacao de reviso da guarda na-
cional da mesmo parochia, em virtude do disposto
no art. 9 do decreto 1130 de 12 de marco de 1853
E para que chegue ao conhecimento 'dos inte-
ressados, mandei passar o presento edital, que
ser publicado pela injprensa e afuxado nos luga-
res do costume.
Quartcl do commando do 8 batalhao de infanta-
ra da guarda nacional do municipio do Recife 7
de maio de 1869.
_________Francisco Antonio Pereira da Silva.
O Dr. Tristo de'Alencar Araripe, offlcial
da imperial ordem da Rosa, e juiz de di-
reito especial do commercio d'esta cidade
do Recife de Pernambuco e seu termo,
por Sua Magestade Imperial e constitu-
cional o Sr. D. Pedro II, a quem Deus
guarde, etc.
Faco saber pelo presente que Antonio
Domingos Pinto, por seu advogado me fez
a seguinte petico:Illm. Sr. Dr. juiz do
commercio.Antonio Domingos Pinto, quer
protestar para interromper a prescripcao
dos seus devedores, Joo Fernandes Be-
zerra, urna letra vencida a 17 de Janeiro de
1866 de 584*640.Miguel Perusco, sua
letra vencida a 4 de julho de 1865, de
539(5000.Bastos & Oliveira, seis letras
vencidas, do Io de julho de 1860 ao Io de
dezembro de 1866, sendo as primeiras cin-
co letras de 1:0i>0->000 cada urna e a ulti-
ma de527l40, total 5:5z70140. Antonio
Corsino Xavier de Macedo, sua letra vencida
a 10 de outubro de 1865, de 4710320.
Ernesto Botelho de Andrade, sua letra
vencida a 6 de novembro de 1864, de
50)5000.Alexandre Jos Barbosa, sua le-
tra vencida a 1 de fevereiro de 1864, tle
925000.Jos Alvares Pinto de Almeida,
saldo de sua letra vencida a 24 de Janeiro
de 1863, 1:2854700. Mathias da Veige
Ornellos, sua letra vencida a 18 de abril le
1866, de 1:165)5720.Jos Alves da Silva
Pereira, sua letra vencida a 2 de maio de
1866, de 88060.Antonio Joaquim de
Mello, duas letras vencidas a 4 de Janeiro
de 1864, e a 15 de fevereiro de 1865, a
primeira de 456^900, a segunda de......
823|930.Epiphnnio Verrez Domngues
da Silva, sua letra vencida a 14 de dezem-
bro d 1864, 88)5000.Jos Baptista Ca-
bral, sua letra vencida a 17 de marco de
1866, de 1:200*000.Joaquim Manoel de
Vasconcellos, sua letra vencida a 19 de
marco de 1866, de 400,5000.Francisco
Flix da Silva, suas l^ras vencidas a 17 de
marco de 1856 e outra na mesma data, sen-
do urna de 120<5 e a outra de 615,5000, e
a terceira a 17 de julho do mesmo anno,
de 1:276*830.Padre Bento Pereira do
Bego, sua letra vencida em 28 de Janeiro
1865, de 48*000.Requer, pois, a V. S:
se digne mandar tomar por termo, o seu
protesto, e mamar dia e hQra, para justificar
a ausencia dos protestados.Nestes termos
pede a V. S. deferimento.E R. M.Ad-
vogauo A. Pinto.
E nesta petico dei o seguinte despacho
Sim, justificando a ausencia no da 19
do corrente mez s onze horas do dia.
Recife 17 de marco de 1869.Alencar Ara-
ripe.
Em virtude d'este meu despacho foi feita
a destribuico ao escrivao d'este juizo Ma-
noel de Carvalho Paes de Andrade, pelo
que o respectivo escrivao interino lavrou o
termo de protexto seguinte:
Protesto.Aos 17 de marco de 1869,
nesta cidade do Recife, em meu cartorio,
perante mim e as testemunhas infra assig-
nadas compareceu o supplicante por seu
procurador Hermenegildo Eduardo do Reg
Monteiro, e por este foi dito que reduzia a
termo o con te d o de sua petico retro, que
offereca como parte do presente, que de-
pois de lido se assignou com as indicadas
testemunhas. Eu Manoel Silvino de Barros
Falcio, escrivao interino, o escrevi Her-
menegildo Eduardo do Reg Monteiro.
Jolo Henriques de Albuquerque Meira.
Jos Gomes de Sant'Anna e Silva. Depois
do que produzo o supplicante suas teste-
munhas que sob juramento depuzeram con-
venientemente acerca da ausencia dos sup-
plicados, e o escrivao interino fazendo tudo
autoar, sellar e preparar, nos fez os autos
conclusos e nelles dei a sentenca do theor
seguinte:
Hei por justificada a ausencia dos suppli-
cados, que mando sejam citados por editos
de 30 dias, para o fim requerido a fls. 2,
pagas as costas ex-causa.Recife 22 de
marco de 1869.Tristo de Alencar Ara-
ripe.
Em cumprimento d'e?t sentenca o res-
pectivo escrivao fez passar o presente di-
tal, pelo theor do qual chamo, cito e ei
por citados aos ditos supplicados para no
termo de 30 dias comparecerem neste juizo
|r si i por seus procuradores, allegando
e provando 0 que fr alem de seu direito e
justica sob pena de revela.
E para que chegue ao conhecimento dej
todoe mandei fazer o presente edital que
ser afixado aos lugares do costume e pu-
blicado peto ifflprensa.
O Dr. Manoel Jos da Silva Neiva, juiz de
direito da 2* vara do crime, e substitu-
vto da do commercio desta cidade do Re-
cife de Pernambuco e seu termo por S.
M. I. que Deus guarde etc.
Faco saber pelo presente, que em au-
diencia publica, que eu aos feilos e par-
tes fazia no dia 10 de maio do corrente
anno, pelo solicitador Ignacio Barroso do
Mello, procurador de Henrique Jos Alves
Ferreira, me fora feito o requerimento se-
guinte :
Aos 10 de maio de 1809, nesta cdade
do Recife, em audiencia do Dr. juiz de di-
reito da 2a vara do crime, e substituto da
do commercio Manoel Jos da Sva Neiva,
pelo solicitador Ignacio Barroso de Mello,
procurador tf6 exequente Henriqae Jos
Alve*^ Ferreira, fdra acensada a penhora
feita em dinheiro na quantia de 989*300
rs., existente no deposito publico, e per-
tencentes aos executados, os herdeiros de
Joo Neponuceno Velloso de Azevedo, rc-
qaerendo que nao s ficassem assignados
os seis dias a penhora, como os 10 dias
aos credores incertos, para o que se lhe
desse os respectivos editaos, tudo sob pena
de lancamento, o que assim foi deferido
procedido o prego do cstylo, extrahi o
presente do protocolo de audiencias e jun-
to a carta precatoria e termo de penhora.
Eu Manoel Silvino de Barros Falco, es-
crivao interino o escrevi.
E por forca deste meu deferimento o
respectivo escrivao interino fez passar o
presente edital, pelo theor do qual chamo,
cito e hei por citados todos os credores in-
certos, para que dentro do prazo de 10 dias
comparecam ante este juizo por si ou seus
procuradores, alegando e provando o que
fr a bem de seu direito e justica sob pe-
na de*ftvelia.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei fazer o presente edital que
ser affixado nos lugares do costume e pu-
blicad' pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco, aos 12 de maio de 1869.
Eu, Manoel Silvino de Barros Falco, escri-
vao interino o subscrevi.
Manoel Jos da Silva Neiva,
DECLARACOES.
O inspector interino da alfandega faz
publico, que do Io de julho prximo futu-
ro em diante, ter vigor o decreto n. 4343
de 22 de marco do corrente anno, man-
dando executar a nova tarifa das alfande-
ga s c suas dsposices preliminares. E
para que chegue ao conhecimento dos r-
teressados, se manda publicar o presente.
Alfandega do Pernambuco, 24 de abril
de 1869.
O inspector interino,
_________L.de C. Paes d'Andrade.
Vai praca sabbado 15 do corrente
urna casa terrea de pedra e cal, no lugar
do Peres, freguezia dos Afogados, defronte
do engenho do mesmo nome, com i quar-
tos, cosnha e estribara, 3 janellas de fren-
te e 2 salas, portas e janellas dos lados,
com um pequeo sitio eom bastantes fru-
teiras, tendo 100 palmos de frente c 300
de fundo, avahada em 1:000*; quem na
mesma quizer lancar compareca s 11 ho-
ras do referido dia. escrpto e edital
acham-se em poder doportero.
O abaixo assignado lanzador da re-
cebedoria de rendas internas geraes tendo
de continuar a proceder ao lancamento dos
impostos pessoal e de industrias e pro-
fissoes no bairro de Santo Antonio para o
exercicio de 1869-70, avisa aos morado-
res da ra do Crespo, Praca de Pedro II,
da Independencia, ra do Cabug e Nova,
que tenham promptos os seus recibos e pa-
pis de arrendamento das casas que oceu-
pam para Ihes serem apresentados no acto
do mesmo lancamento outro sim faz sciente
aos donos de fabricas e ofiicinas, que de-
vero dar urna relaco do numero de seus
operarios, como determina a primeira parte
do art, 19 do regulamento de 23 de marco
ultimo, ficando sujeitos multa do art. 18
do mesmo regulamento os que o nao fi-
zerem.
Recebedoria de Pernambuco 11 de Maio
de 1869.
Jos Theodoro de Sena.
CONSELHO DE COMPRAS X.WAES
O conselho promove no dia 19 do cor-
rente mez, sob as condicoes do estylo e a
vista de propostas recebidas at as 11
horas da manh, a compra dos seguintes
objectos do material da armada.
Para provimento do almoxarifado, 6 pecas
de arribem, 2 bulles de ferro estanhado,
110 pelles de couro de lixa, 20 ca linhos de
lapis sortidos, 3 pecas de cabo de liuho de
1 1[4 a 1 1[2 polegadas, 100 pares dedo-
bradicas de metal quadradas sortidas, 70
enhams de 25 a 30 palmos, 10 arrobas de
estopa de algodao, 20 resmas de lixa de
esmeril em panno, 6 arrobas de linha al-
catroada, 6 arrobas d- linha de barca grossa,
6 arrobas de linha de barca fina, 6 arrobas
de mialhar, 10 libras de obreias francezas,
1 regiment de signaes para navios, 2
pecas de sonda reza, 25 travs de 30 pal-
mos de comprimento e de 7 a 8 polegadas
de largura, 2 terrinas de ferro estanhado,
1:000 tijollos de fgoe 20 tiralinhas.
Para a enfermara de marinha 100 pares
de chinellas de couro.
Sa a das sessoes do conselho de compras
navaes, II de maio de 1869.
0 Secretario
_______Alexandre Bod igues dos Anjos,
Conselho de compras do arsenal
de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
6 espadas.
6 pistolas. ai
2 bande-as pequeas do te. .
1 dita branca de dito co 2 varas e 3/4 de com-
primento 3/4 de u*v***-
1 dita azul dito dito *to.
ldiuHrwd.*to*ioojto.
1 galbardete de dito cora 2 lr2 varas de ownpn-
moato.
uto nudo dito.
42 davinas aJ6rt.
% amuras para torar cavallos.
*
<


Diario'de Pemambuc -= Sexta eira 14 de Maio de 1869.

1 ceringa de metal.
As pessoas ttiUM|uzerem vender dito arl
.ipresentem suas nropostas ein caria foehada, na
do cunselho, as 11 horas du da \\ do cor-
Sala do consdlio de compra? do arsenal de
guerra de Pe-Bambuco 8 de maio de is'.i.
Jos da Silva Guimaraes,
Presidente.
Jos Daptista de Castro Silva,
Secretario.
Ultima pratja
No dia 14 do corrente, depois da audiencia do
Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos, vao de novo praca
os alugueis das casas da ra do Pillar n. 116, 114
112, e da ra dos tuararapes n. (i!.
O administrador da recebedoria de rendas
internas geraes faz publico que ueste corrente mez
o no de nv.iio prximo futuro, visto estarom con-
cluidos os lancamentos, c que os devedores do
imposto pessoal, relativo ao exercicio corrente de
1868 a 1859, residentes as fresuezias do llecife,
Santo Antonio, Affogados, Poco da Panella, Vanea,
S. L-mrenco da Matta, S. Amaro de Jaboatao, e
.Murilieca. teem do paga-lo, livre da multa de 0 0/0
"c rom ella depojs do referido prazo.
Mecebydoria de Pernambuco 3 de Abril de 1859.
Slanoel Ciu neirode So-iza Lacerda.
Pela recebedoria de rendas internas
geraes, se faz publico que desde o da 10
di) corrente estilo em execucao os regla-
mentos 4354 e 4355 de 17 de abril ultimo,
o primeiro relativo ao sello e o segundo ao
imposto da transmisso da propriedade.
Recebedoria de Pernambuco 8 de maio de
1860. i
0 administrador
Manuel Carneiro de Soaza Lacerda.
Baspe^co do arsenal de
uariuha.
Faz-se publico que a commissao de peritos.
examinando na loraia determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de ,*> de feverciro de
185i, os cascos, machinas, ealdeiras, apparelhos,
mastreacoes, velames, amarras e anearas dos va-
pores Wchi/i, Pirapama (. Moleque, os dous pri-
maros da eompanhia Pernambucana de navegacao
costeira, e o ultimo propriedade do Itarao do Li-
vramento, achou todos esses objectos em estado de
poderem os vapores navegar.
Inspeceo do arsenal de marinha de Pernambu-
eo 12 de maio de 1809.
O inspector,
____________H. A. Birbosa de Almeida.
Inspecco do arsenal de
marluha.
De ordem do Illm. Sr. inspector faro publico
que amanhaa, i i do corrente mez, ter lugar nes-
ta iospeccio o concurso ja annunciado para pro-
vimenlo dos lugares, tanto de escrivao do almoxa-
rifado de marinha e de seu ajudante, como de
flous amanuenses da secretaria.
Inspec^ao do arsenal do marinha de Pernambu-
co 13 de maio de 1863.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos
(I
Rolarlo das ranas registradas existentes na
administrarlo do correio desta cidade,.
para os seguintes senhores abaixo decla-
clarados.
Antonio Moreira Porto, Cosmo Jos dos Santos
Callado, Dr. Cassemiro B. Godinho de Assis, Da-
mas da Carnauba, D. Francisca Jacintha Cesar
Loureiro, Emeterio Jos Velloso da Silveira, juiz
municipal da 1* vara, juiz de orphaos, Dr. Joa-
quim Jos de Campos C. Medeiros Albuquerque,
Dr. Joaquim Pires Carneiro Monteiro, Joo Fran-
cisco Borges Ferreira, Jos Leandro Martins Sua-
res, Marinho Ponles Lins S., Manuel Antonio Gon-
ealves, Manoel Duarte Vieira, Manoel Gomes Men-
des, Manoel Jarmal Rodrigues da Silva, Prente
Vianna A C, Dr. Tiburtino B. Nogueira, Narciso
Francisco Vidal.
Administraeao do correio de Pernambuco, 13 de
mato de 1869'.
O administrador,
Domiiujos dos Pimos Miranda.
"CORREIO CtERAL
Relacao das cartas registradas vindas do no te e
suf pelos vapores costeiro e Guar entrados em
11 de maio de 1868 para os senhores abaixo de-
clarados :
Alfredo Garca & Irmio, Dr. Anrigio Justiniano
da Siln Guimaraes, Dr. rcenlo de Queiroz, An-
tonio Jos Conrado, Antonio de S>uza *S, Domin-
f;os Teixeira Bastos, Francisco Ferreira Borges,
oaquun Francisco das- Chagas o Silva, Joaquira
Geraldo Bastos. Joao Antonio Alves Jnior, Jos da
Conceieao Oliveira Figueireilo, Jos da Silva Uryo
Sobrinfio, Pedro Antonio Barroso do Sacramento,
Sentiurinha Maria da-Conceicao, Vicente Antonio
do Espirito Santo.
Administracao do correio do Pernambuco 13 de
miio de 1869'.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
mhores..
iiioma/..
J. Augusto.
Brochado.
Jordani.
Maria Velluti
Zulmira.
Julia Azevedo.
margens do
Mulher que perde muther
que jaiva,
PerMagnt.
O hrigadeiro. Galvao.
Alvaro. ......
Custodio, criado vclho. .
Gabriel, moleque.....
D. Leopoldina, cega, mulher de
Alvaro........
Brasilia, sua fllha. ....
Mme. Delannay, viuva.
Visinhos, visinhas eto., etc.
A scena passa-se em urna casa as
Capibaribe.
poca actualidade.
Darflmao espsctaculo a muito applaudida
aria burlesca doSr. Martinbo _
O boleeiro apaixonado.
Combar as 8 horas.
OALCACAR
Ra nova de Santa Rita nu-
mero 1.
Sabbado o domingo, vespera e dia do Divino
Espirito Santo, lera lugar dous grandes bailes com
mascaras c sera ellas ; entradas para cnvalheiro.s
23000, sonhoras pelos seus lindos olbos.
Domingo das 3 horas s i l|, ter lugar o re-
creio Caf Conserlo Comme -cial, recebe-se ainda
assignantes de lOOO por mez para cate di vert -
mento da mocidade para os domingos de tarde.
Serumprido fielmente o regulamento policial,
'participare aos senhores assignantes (jue subs-
crevam a sua assignatura no dia 5 de abril que se
finalisou a 5 de maio, e feudo de contimiarem
mandem renovar os competentes recibos, de que
ninguem poder entrar ?em elles.
O administrador,
Luiz Alves Corroa Lopes.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaeo costeira por vapor.
Goianna .
O vapor Paraltyba, com-
mandante Mello, seguir para
o porto cima no dia 10 do cor-
rente as horas da noite. Recebe
carga, eucommenda:, passageiros
e amlieiro a frete no escriptorio do Forte do Mat-
tos n. 12.
C0MPAMH1A BRVS1LEIKA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 2a de maio. o vapor
Tocantins, commandante J. M.
Ferreira Franco, o qual depois
da demora do costume seguir
para os portos do su I. -
Desde j recebem-se passageiros c engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia desuachegada. Encommcn-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam a__ 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passardestes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
Io andar, escriptorio do Antonio Luiz de-fiiiveira
Azevedo & C.
PORTO
Rio de Janeiro
Segu com brevidado para o porto cima o bri-
gue nacional IsaM, por ter parte do scu carroga-
ment engajado .para o resto que llie falta, tra-
ta-se com os consignatarios Antonio Luiz de Oli
veira Azevedo & C, ra da Cruz n. 57, primeiro
andar.
Para a Ilha de S. Miguel
Segu em pouco3 dias a escuna portugueza
Olivfira, para o resto da carga e passageiros tra-
ta-se com Candido Affonso Moreira na ra do
Apolio n. 22.
COMPANHIA PERNAMbUCANA.
DE '
Xavcgaco costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Hossor, Ara-
caty, Cear, Acarac e 4fanja.
0 vapor Pirapama, commandante
Pereira, seguir para os portos cima
no dia 15 do correntt as 5 horas
Ja tarde. Recebe carga at o dia 14, encom-
mendas, passageiros e" dinheiro a frete at as
horas da tarde do dia da sahida r.o escriptorio
do Forte do Mattosn. 12.

Para Lisboa
Sabe impreterivelmente at o dia 16 do corren-
te mez de maio b lugre portuguez Julio, para al-
guma carga o passageiros tratare com os con-
signatarios Thomazde Aquino Fonseca & C, ru3
do Vigario n. 19. Io andar.
COMPANHIA BRASILERA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sal esperado
at o dia 21 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, CDmmandante
Alcoforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-sc a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sua sahida as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor e que nao exetdam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicas
Tudo que passar destes limites deveri, ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 37,
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA '
DE
tfavegaeo costeira por vapor.
Macei, escalas, Pcnedo e.Aracaj.
O Vapsr Potengi, commandante
Pereira, seguir para os lortos cima
no dia 13 de maio as 5 lloras da tar-
de. Recebe carga at o dia 14, encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas
da tarde do dia da sahida no escripwio do For-
te do Mattos n. 12.
NA
Pretendo seguir com muita brevid.de para este
porto o paluabote portuguez Elcphanti por ter a
maior parte da carga engajada ; e para o resto
que llie falta trata-so com o consignatario Joa-
quim Jos Gonealves Beltro, ra do Commercio
n. 17.
AVIS* DIVERSOS.
-Precisa-se te um >i.. 'r I ".Pineno
*: -tratar com tetonio ;'^ ** S
Souza. na ra do Crespo n. 13, ou ?m tm Slll ri
MontW __
. Preclsa-se de urna ama para cuTnp, !"' ? e~
zinhar para duas pessoal : a tratar na riu.
Hortas n. Hi. r
i
VMA
Na ruados Pires n. 42, taberna, precisa-sede
duas amas para engommar e cozinhar.
Precisa-se de urna ama para cbziahar e en-
gommar : na na de S. Francisco n. 54.
Attenpo
Francisco de Faria Lemos, t-
tirando-se para a ciie com ii-
cenra, afim de tratar de sin sai-
do, (lospede-se -pefo presente de
seus amigos, e das pessoas que o
honraram com suas visitas; e, re-
dindo-lhes desculpa de o nao fa-
zer, como devia e desejava. p3s-
soalmente, por ter sido sua parti-
da resolvida no dia 8 do crtente,
e mal chegar-llie o pouco tempo
decorrido at passagem do vapor
do norte para seos arranjos de via-
gem com familia; olferecc-ll^es
all, ou onde quer que se ade seus
racos servidos.
Recite, 13 de maio de 1869.
Programara da festa
do Divino Espirito
Santo,erecto no con-
vento de S. Antonio
do Recife.
Sabbado ao meio dia annunciar as ves-
peras da festa do Divino Parclito com di-
versas girndolas de fogo do ar, e utoa sal-
va de 21 tiro, tocando a msica do Io ba-
talliao da hfantaria. A noite haver mali-
nas como de costume, no domingo de
madrugada ter lugar urna missa resada
tocando antes e depois "a referida msica, e
em seguida ter urna salva de 21 tirse
diversas girndolas de fogo.
As 9 horas principiar a festa sendo a
orchesta dirigida pelo hbil professo: o Sr.
Jos Miguel Pereira, sendo os solos canta-
dos pelos mellioies professores d'sta cida-
de. No Evangelio subir a tribuna Sagrada o
Rvm. pregadorda capella imperial l'r. Joa-
quim do spirito-Santo, e depois da festa
dar-se-ha esmollas aos pobres come de
costume, lindo aquella subir diversas gi-
rndolas de fogo e urna salva.
. A noite haver. le-Ueum, sendo pregador
o Rvm. Sr. Augusto Maria Ferreira B*t-
Iho lindo que se tirar a bandeira na forma
do costume.
Consitorio da irmandade 13 de raaiade
18(>9.
Secretario,
Albino Jos dos Sanios.
Para o indicado porto pretende sahir em pou-
eos dias a veleira e bem conhecida barca Social"
capitao Rocha, por ter a maior parte do seu car-
regamento prompto, e para o resto que le falta
o passageiros, para os quaes tem bons commodos,
trata-se com o consignatorio Joaquim Jos Gon-
calves Beltrao, ra do Trapiche n. 17._______
ILHA DES.MIGUEL
O muito conhecido patacho portuguez Jorgense,
a chegar por estes poucos dias do Hio de Janeiro,
sahir para o porto cima com muita brevidade,
visto ter o seu carregamento quasi prompto, e
para o resto que lhe falta e passageiros, para os
quaes tem bellos commodos, trata-se com o con-
signatario Joo do Reg Lima, ra de Apollo nu-
mero 4.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DE
Sabbado 15 de maio de 1869.
Segunda representacao da muito applaudida
comedia em 3 actos
0 PASSARO AZUL
Personagens. Actores.
Arthur, baro de Walprag D. Julia.
Jobson........J. Victorino.
Thorncleff, canteiro .... Martinho.
Grotesbury.......Jordani.
Rebeca, filha de Jobem 1). Gleba.
Lucia, sua prima.....D. Carolina.
Uabie Torneliff......I). Apolonia.
Routolf, camponez.....Guimaraes.
Erie .....Santa Rosa.
Camponezes. A secna passa-se em um castello
oa Escocia em 1810.
O espectculo comeca pela primeira represen-
tacao do drama em um acto, original brasiieiro,
composta por urna actriz do theatro de Santa Isa-
bel e pela mesma offerec ida as Exaias. Sras. de
Pernambuco
PARA LISBOA
O patacho portuguez Mara Barbara, capitao
Francisco dos Santos Cunha, pretend seguir para
o inuicado porto com a maior brevidade possivel;
recebe carga e passageiros : a tratar com os con-
signatarios Marques, Barros & C, no largo do
Corpo Santo n. 6, 2o andar, ou com o capitao no
pavimento terreo._________________________
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir para o dito porto, o mais breve
que for possivel, o brigue brasiieiro i'anto Amaro i
quem quizer carregar ou dar escr.ivos a frete.
queira dirigir-so Marques, Barros '4 C,
go do Corpo Santo n. 6, 2 andar. ____
English Bank of Ifyo de Janeiro,
limited
Tendo annunciado a recebedoria de
rendas interal^8 geraes d'esta provincia que
desde o,da 10 ^ corrente mez -eififcUem
rxiiiQTo o regtitertK^to que se refere o
decreto n. 435i de, l7 de abril de 1809,
relativo ao novo imposto do sello, o En-
glish Bank of hio de Janeiro i& publico
que o sello fixo de 200 ris paga ve!-sobre os
cheques passados para serem pagos neste
banco, correr at nova intimaco por con-
ta do saccador do cheque quando este for
passado por quantiamenor de 2:000(501)0.
Pernambuco, 13 di maio de 18ti9.
M
Precisa-se de urna muUier qu saiba engommar
para urna casa de familia" : a ti atar na ra da
Cadfia do Recife n. 18, 2* andar.
Escravo fgido.
Fugio no dia 11 do corrente mez as 8 1|2
hora da nouto o escravo Antonio, preto, de
naco, idade 48 annos, pouco mais ou me-
nos, estatura baka, barbado com falta de
dentes na frente,quando* anda parece que-
rer cochear de urna peroa, levou -urna
trouxa de roupa com calcas de algodo
azul, de listra e brim pardb, camisas de
lista azul e algodo riscado: quem o pegar
leve-o ao seu Sr. Jos Gomes Leal, na ra
da Imperatriz, sobrado n. 15 ou na ra da
Cadeia escritorio n, 56 que ser gratificado.
Na ra ireita n. 119 da-se comida para
fura com todo asseio e por preco commodo.
D. Senhorinha Germana do Espirito Santo,
pelo presente convida a todos os compradores de
terrenos do sitio de Agoa-Fria, que aannunciante
subdividio, e que ainda nao tem escriptura publi-
ca, a comparecerem casa do sua residencia, na
ra da Concordia n. 118, munidos de seus respec-
tivos recibos aflm de serem reduzidos a escriptura
publica, ou receber novo titulo, passado pela an-
nunciante. Pede-se aos que estao com as suas
compras ain la nao realisadas.o favor do, no prso
de 15 dias, comparecerem na casa da annunciante,
afim de serem verificados quaesquer recibos ou
documentos que tenham a respeito de taes tran-
laecOes.
O abaixo assiffnado, por parte de seus consti-
tuimos os Srs. Gaspar Antonio Vieira Guimarae*
e Guimaraes & Lima (estes ltimos em liqnidacao).
declara a quem o conhecimento deste possa inte-
ressar, que o Sr. Manoel Jos de Oliveira, da cida-
de do Rio-Formoso, nao pode vender, hypothecar,
e nem fazer nenhuma. outra transaccao de qual-
quer natureza que seja, com a parte qae tem no
engenho Kaonu da comarca do Hio-Formoso, o
nem com nenhum do? outros seas bens, por esta-
rom todos elles ha muito sujeitos qnestdes jud-
eles por quantia superior 8:000.$, cuja execu-
cao o accao correm pelo juizo especial do commer-
cio desla" cidade, escrives os Srs. Manoel Mara e
Faleao ; e para evitarse naifdM futuras faz a
prsenle declaraeao, protestando o mesmo abaixo
assignado por parle dos referidos seus conetirbin-
tes fazer valer seus direitos em jnizo aos ditos beas
em occasiao opportnna. )
Recife, LI de maio de 186!).
_______Honorato Josepb de 01 i veira Figneirdo.
Precisa-se de um criado jue saiba bolear :
na roa do Imperador n. 8;t, primeiro andar.
Thereza Marta, subdita portugueza, vai Eu-
ropa.
Grande deposito de palha para emp
deira, a qual se vende inuitom conta : na
Crnzes n. 23.
ca-
das
Cabelleireiro
Precisa-se de um bom offlcial de barbeiro : na
ra do Crespo n. 7, Io andar.
Precisa-se alugar urna preta de meia idade
para vender taholeiro na ra, quer-se que seja
fiel : na ra da Itoda n. 22.
Fugio no dia ) do corrente do engenho Ara-
guary, freguezia de Barreiros, o escravo de nome
Amaro, com os signaos seguimos : cor parda,
ollios pretos e pequeos, alto, secco, nariz chato ;
levou vestido chapeo de maesa, japona preta, caifa
c camisa de algodo. Pede-se, portanlo, as auto-
ridades policiaes e capitaes de campo apprehen-
de-lo e leva-lo ao mesmo engenho, ao sen senhos
Joaquim Lins de Hollanda, que ser recompensado '
generosamente.
Desappareceu no dia 11 de Janeiro do cor-
rente anno, do poder de seu pai, o menor de nome
Joaquim, de idade de um anno e dez mezes, com
os signaes seguintes : bonito, cor de canella, ca-
bellos louros, gordo, olhos peipienos, tem em um
dos ps urna unlia arrancada : pede-se a quem o
vir, traze-lo ao Recife, ra Direita. na fabrica de
vellas da viuva Brito, ou em Panellas de Miranda,
no engenho Joo de Deus.________________
Por deliberaco da mesa regedora da irmau-
dado do Divino Espirito-Santo de S. Francisco, em
sessao do 12 do corrente, eonvido todos os eha-
rissimos irmos, atim de comparecerem nossa
festa e depois acompanharmos a procissao do Di-
vino Espirito-Santo, que tem de sabir da igreja do
Collegio no referido dia. Consistorio da irmanda-
de, de maio de 1869.
O secretario,
Albino Jos dos Santos.
no lar-
LEILOES.
LE1L40
Companhia americana c kasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 15 do corrente esperado de New-
York o vapor americano Merrimach; commandante
Weir, o qual depois da demora do costume se-
guir p3ra Baha e Rio de Janeiro.
Para passagens, fretes etc., trata-se na agencia
ra do Commercio n. 8.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Viv'safu costeira por vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e Ta-
mandar.
O vapor Parahyba, commandan-
te Mello, seguir para os portos ci-
ma no dia 20 do corrente a meia
noite. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros e dinheiro a frete, no escriptorio do Forte do
Mattos n. 12.
2L
FR O PORTO
andar.
Lisboa
do grande estabelecimento de
molhados e outras merca-
dorias, denominado a
LIGA
A 141 do cor rente.
O agente Oliveira far leilao por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz de direilo da primeira vara do
crime e substituto da do commercio desta cidade
e a* requerimento dos curadores flseaes da massa
fallida de Antonio Pedro de Mello, t a bem cons-
truida armaeao conjunctamente com os gneros e
mercadorias que constituem to completo como
preconisado estabelecimento e cujas qualidades e
nomenclatura excederiam os limites de um an-
nuncio, maj que podem ser conheciJas mediante
exame previo no minuciosamente descripto inven-
tario em poder do agente prompto dar explica-
coes.
HOJE.
ao meio dia em ponto, no lugar do mesmo esta-
belecimento sito ra Nova n. 60, onde a veriti-
cacao final pode ser mais ampia como satisfacto-
ria aospretendenles._____________^^
Irmandade do Divino
Espirito Santo.
A mesa regedora faz ver aos seus irmos,
que no domingo, s 4 '/* horas da manba
haver a missa resada como manda o nosse
compromisso, e s 10 horas entrara a fes-
ta. A msica do Sr. Collas Filho, qua
tocar um solo, e em sua falta o Si.
Candido Filho. O sermao do Sr. pa-
dre mestre Augusto Botelho, finda a festa
sahir pelas 3 '/ hras da larile a Procis'
sao, cjue percorrer as ras seguintes:
ao sahir ra do imperador, travessa de S.
Francisco, a voltar na ra das Cruzes,
Queimado, Livramento, travessa de S. Pe-
dro, pateo do mesmo, do Carmo e Cam-
ba, ras das Flores, a voltar para a Nova,
Cabug, praca da Independencia, ra do
Crespo, Imperador a recolher-se. Avisa-
se aos irutos que tem offerecido seus
meninos, que no sabbado ao meio dia de-
vem comparecer na igreja, aflm di se no-
tar os nomes, depois do que nao pode a
commissao acceitar reclamac3o; assim
como, os pobres que tem de servir de
apostlos, devem se adiar na igreja no do-
mingo as 8 V* Horas, atim de se vestirem.
Depois de rcolhida a procissao era can-
tada urna ladainha, com o que findar a
festividade.
Manoel Luiz da Yeiga,
Escrivao.
IMHTAIIA DOS .\\l\ MES
16RA DI CRUZ -16
Ha diariamente sortimento de bollinhos para cha, podins, paes de l, bollo inglez.
presuntos, ditos em feambre, pastis de differentes qualidades. Amendoas confeitadas.
confeitos, papis para sortes. Vinhos finos engarrafados, superior cha Hisson, preto e
miudinho, fruta em xaropes, .ditas seccas e christalisadas, assucar candi, xaropes refri-
Recebe-se encommendas de bandeijas para casamento, bailes e baptizados, com
bonitas armaces de assucar, sendo estas preferiveis as de papelo: figuras anlogas,
bollos etc., pes de l enfeitados, qualquer encommenda para fura ser bem acondi-
cionada.
Deve seguir dentro em pouco dias a barca por-
tugueza Nova Sympathia, de primeira marcha, por
j ter prompta quasi toda a carga : para o resjrf
que lhe falta e passageiros, aos quaes offerece rft
rXiraTcT! SW&ffT H ^onat'Se^, TETZ ^3S
uiiNeiraat u, a rna ao vigario n. i, primuro trem rte ensinha. avalar os. b de s e
LEILAO
De urna irobilia de Jacaranda com tampo de
pedra e com muito pouco uso, 1 dita de amarel-
lo, 1 mesa elstica, 1 importante guarda vestido
de amarello, 4 importantes quadr a oleo, 1
commoda, 1 cama franceza de amarello, 1 dita
americana para menino, i lavatorio, com louca,
1 par de aparadores, 12 moxos, 1 secretaria de
amarello, 3 marquezoes, diversas cadeiras usa-
das quartinheiros, marquezas, censlos, mesas
Segu com brevidade a barca portugueza Perei-
ra Borges por ter parte de sua carga prompta :
para o restante e passageiros trata-se com Olivei-
ra, Filhos & C.,dargo do Corpo Santo n. 19.
lustre a gaz, trem de cosinha, lavatarios, bideis e
urna vacca parida boa leiteira e d iversos relogios
de ouro e prata, urna salva de prata e um espe-
Iho'tVhirado
HOJE.
O agente Martins far leilao dos movis cima
no armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
horas do dia.
OPPRESSO SOFFOCAQO
A Prroins d'rther do dobtob Clfrtah approvadas pela Academia imperial
de medicina de Pariz acalmara quasi Sempre instantneamente os ataques d'asma,
oppressao, soffocacao, assim como as dores de cabeca c enxaqueeas. suffi-
ciente na occasiao em que appareccr o mal, o engolir-se urna ou duas perolas
com urna pouca d'agoa. com certeza o medicamento mais fcil de tomar para
este genero de docncas.
a rerota* de terebenthln do *>ctok Ci.ehtan sao impregadas diariamente
com grande xito para a cura das nevralgia*, rheumatismo. sciatico e catarrhos
da bexiga, Estas perolas foram sempre recommendadas por um grande numero
de mdicos e especialmente pelo Doutor Trousseau, que indica este medica-
mento como o mais elicaz. conveniente tomar de 4 at 8 na occasio das
comidas.
A apprvacao da Academia imperial de medicina sem duvida a melbor
garanta da boa preparado d'estes medicamentos e de sua efficacia.
Depoiito em Rio-Janeiro, Duponchelle; Clievolot. Em Pernambuco, Maurer k &.
(aniclleipa 12 dniai de I8
Lendo o Liberal de sabbado 8 do cor-
rente, deparei com urna publicado na qual
tratava de cavallos furtados neste districto
e como pertenca as fileiras conservadoras,
peco ao cscriptor daquella publicaco,
mais minuciosidade em referir seus fados,
quer sabei-se qual o subdelegado. Ser
algum transfuga ? Os cumplices ou indi-
ciados foram parte de sua familia Snppo-
nho que n3o, mas emfim resporda o au
tor da publicaco. Estas sucintas palavras
sao para suster alguns juizos temerarios
contra os meus correligionarios e dignos
empregados pblicos, visto que j hoje nao
existir transfugas e nem ganhadorus na ad-
ministraclo deste districto.
O SacristtK_____
Aloga-se um moleque de 11 annos, muito
bom para servico de casa :- na ra do Imperador
n.50. _________ ______
Uuem quizer alugar urna pagara com todos
os seus ntencilios para poder trabalnar, annuncie
por osfa folba.
9g
MENCO DE HONRA
\cndc-M em frasco
DE FIGADOS FRESCOS DE BACALHAO >pio fra8tos trin8-
|>R i lares, nharmacia lloco,
2, ra de Casliglione,
era Pars.
As contrahecto-a, os leos pardo*, d'um clieiro forie, e mai> eoniposic#es fritas com leos
de DMS roinmun, taes como o esi/italo, a anala. o plwca, a lisa, os leos dos irmailaret pescadores,
o mesmo W leos vegeiacs, foram imaginados para substituir os vrrdi.l frescos de Oncllio de Terrn Xova. Estei oleo commiin ou seos_ ucerajicoa sao
o tidos na indu-U-ia nnr prems niui baivjs, em quanto <|uc os verdaderos leos de ligado de bacaluao
_.^.------- .- Ak.Ai_A0 *./.< n **m -p pxercer
fazer
granpparam para
precio
'o^^ip^lcas: 'a m^i^^ mH,o.,e.c.,c por im, dorara .ugar a nocim e KS
,mmT- O oleo de nogg mu fcil de digerir, distingue-so entre os outro. leos pela saa
fl cor de palha, oseo cbSiro suave e delicado, c seo gosto de sardiiih^rresca. Mpmrl_. ,,
O IlliL-VIOIUO favoravel do cliefe dos iraballios cl.ymicos da rACLLI).\DF. Dfc MEDICWA Bfc
PUUS con'lue como sZe: O Meo ir de palha de il. Ilogn eonlem urna terca par e de rl-
o li "o_que o, leos pul, e nao aprsenla algum do, xnconvemente* % se
repara Sin, **oj **..__ ^ ^^^ % dof paUw| mutrma9tb^
2
RUAI
",DO
CABUGI
esquina
da ra larga do
Bosario.
iiNim DE OIJRO
KUA
EO
esquina
Este importante estabelecimento no seu genero, tem sempre um sortimento sem igual,
e vende por prepos qtie nenhuma outra casa pode vender. ja raa largado
vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer da verdade.l \n
Garante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Bosario. |U
vados.
Ky loja esta ibesta at s 9 horas da noue.
o
rm


Diario de Pernambuco g^ fe^ 14 de Maio de 1869.

1
... ___i__
:^
AMA
Precisa-se alugar urna ama forra ou escrava, de
muito bonj costumes, que saiba cozmhar e cngom-
mar com iwrfeieao, so agradar paga-se bem : di-
rija-se a ra Bella n. 37, obrado de dous an-
dares.
DE
Francisco Antonio de Carvalho
t& Com panilla
(SUCCESSORES DE REG 4 MOURA)
Ra Naca n. 24.
Os proprietarios deste estabelccimento fazem
RCiente a<> publica que acabam de receber um per-
feito e variado sortimento do pannos finos, case-
miras, brins e outras fazendas de gostos modernos,
as quaes venden por precos razoaveis. Os mis-
mos scicntilican, que lendo admittido para sua
(lHciua do aliaial um artista hbil no desempe-
nlio de suas funceoes, reccbem quak|iier encora-
menda da roupa por medida?, prometiendo satis-
fazerem c>m ponlualidade e presteza qualquer pe-
dido nesto sentido.________________________
Cosinheira
Prerisa-s.' de urna cosinheira e tambero de um
eogommadeira : na ra do Imperador n. 73, 2o
aandar.
Imagens.
Precisa-so trocar doai imagans da Senhora da
Conceieio, enjo vulto regale primos, boucu mais
ni menos, e sendo perfeitas, paga-se bem : na rus
de Hurlas n. '.1(5.
Ama
l'rorisa-se de urna ama para o servir.) njerno O
externo de urna casa de una
do Rangel n. 33.
so pes.vja : nar ra
Aula particular
O professor ensina primeira letras no pateo do
Terco n. 18 ; e as horas vagas ensina pelas casas
particulares alumnos de um e oulro sexo.
Interesse
Na pateo do Terco u. 31 precisa se de um mes-
tre de msica.
GOIiPAMIA PERNAMBC^A
DE
(O^KMI^ DE DIRECTO *
Os Senhores.Saunders Brothers & C, Tasso
Irmao?,, Luiz Antonio de Siqueira.
gerente
O SR. F. F. BQEGFS
Restando ainda emittir algumas accoes d'esta companhia, da quantia nominal de
000O cada urna, das quaes s se aceitam era vii-tnde da le, 20 /0, ou 40#000 por
cada acco; convida- pelo presente ao publico em geral e especialmer te aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que queirara dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de aegocs que llics approuyer.
Algumas destas accoes ja temsido tomadas por pessoas que couhecem a vantagem,
Je na presente occasio (conhecidaraente a melhor), erapregarem o dinheiro de'flp
poderera dispr em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ibes garan-
lam seus capitaes.
A companhia possue boje 10 vapores, G inteirainente novos, c destes o ultimo est
a ebegar de Inglaterra, onde foi construido expressainenle para ella.
Alm' disso esta edificando vastos aimazens, no terreno que possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido de 10 0ao anuo, nos ltimos 4 anuos.
As accoes quo se emittirem gozam dos mesmos direitos, e percebero o beneficio
dos mesmos dividendos que os antigos em proporco da entrada.
Rccebcm-se as'signaturas no escriptorio da eompanhia no seu edificio ao caes da
As sembl a n. 12
Trocam-se"
\t notas do banco do Brasil
jom descont muito razoavel
jendencia a. 8S.
c das calas filiaos,
na praca da Inde-
Precisa-se de nma criada que saiba
csinhar e comprar, ra das Cruz n. 9
2o andar.
IEMPRESTIMO SOBRE
r.
na
pri-
Lopes A Paiva, Ikraidatarios das transa- i |
toes commerciaes da ext neta firma de Ai-
res & Lopes jjulgam terem satisfeito todo o
passivo desta liqudacjio com os pagamen-
tos eflectuados em 11 do convine mez
(pudendo apenas dar-so alguma cousa so-
bra oque lia justas reclama(;es); mas se
ainda algucm ulgar-se com direito sobre
aquella ex-lirma aprsente a conla no prazo
de 8 das (e legitimada) para ser atendido.
Ser\em-se dos annunciantes do ensejo
para scientifieaivm a tudas as pessoas que
s.K i devedors a referida firma liquidando,
para que venbam saklar as suas cotilas den- -^
tro do preciso praso de 30 dias d'este an- j:
nuncio, lindos os quaes os annunciaules
promovero arrecadaijao /jdicialmente.
Recil'e, lg de maio de 1860.___________I
Arrendase a proprieJade denominada Barra
de Serinhaem, no littoral da freguezia do mesmo
noni\ com grande renda da trra a rceeher o mui-
to-; eocpMiroB a disfrctar : tendo, aln disto, a
exctente o rara pvsiro de buira-mar e heira-
rio, inleiramente apropriada para manter-se ahi
qnlquer estabelecimen'o eommereial de seceos e
molhados : a tratar na ra da Aurora n. 0.
Irmandade do Santissimo Sa-
cramento da Boa-Vista.
Tendo de proceder-se no dia 10 do cr-
lente mez, confoi me dispe o ai t. 39 do
comproffiisso, a eleieao dos novos funecio-
narios que tm de reger a irmandade no
auno compivmiissal de 18091870, sao
pelo presente convidados todos os* irmaos
comparecerem no consistorio, pelas JO
horas da manliaa do icferido dia.
Consistorio, l de maio de 1869.
Manad Antonio Cardse
escrivo interino.
Tt eucr.-tvel ordetu toreciru de
S. do Carino do Itecife
Coinili'.
Em nomo da mesa regedora convido a todos os
nossos charissimos irmaos a comparecerem para-
mentados eom seus hbitos om no*#o consistorio,
domingo |6 do correte, as 2 1|2 horas da tarde, i
para eneorporados. aeenyMhVMM a procissao do j
Divino Espirito Santo; correspondendo assiiu ao
obsequios"^ .-invite que nos foi dirigido pela respec-
tiva imttadade.
Secretaria 12 de maio de 1869.
O secretario,
Joajuim Xavier Vi eir Ufa
Vaeravcl ordem tereeira de At.
Frauesro do lieefife.
Deordein da mesa regedoro, conrido a todes os
nossos irmaos para dmparoccrein na nossa veno-
Kvel ordem pelas i l\i horas da tarde do dia 16
do correte, paramentados com sous hbitos, para
Moraondos, acompanbarnios a procissao do Di-
vino Espirito Sanio, que tem de sabir da ceja do
Colegio, visto ler sido aceito e convite quinos foi
dirigido pela mesa regedora da dila irmandade.
O secretario,
Joio da l^unha Soares Guimaraes
(SEM LIMITE.)
Na travessa da
das Cruzes n, 2,
meiro andar, da-se qiii !
quer quantia sobre oio,
prala c pedras preciosas.
O dono deste eslabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condicoes di ga-
rantir a transaccao que se fizer em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e consideracao s pessoas qu so
dignarem de honra-lo em seu esta-
beecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
e brilhantes.
Tro
BMTHOLOMEU a C.
p
Xarope
O consellieiro JoaoSilveira deSou-
za, tem aberto o seu escriptorio de
avogado, na ra do Imperador n. |
41 primeiro andar ; entrada pelo g
becco. m
COMPANHIA
DOS
TRILHOS ORBAPOS
Urna pessoa competentemente habilitada, otfere-
ce-se a dar licoes por casas particulares, do se-
guinte : primeiras letras, grammatica portugueza
e franceza : a tratar ua encadernacau da travessa
da Congregacao.
O senhor que recebeu urna ordem do Rio de
Janeiro a favor de Jos Joaquina Tabayanna de
Oliveira, queira facer o favor declarar por esia
folha.
UTIIilDADJE
Aos 500 pares de brincos.
Chegou e vende-se no Coraco
d'Ouro, ra do Cabug, brincos de
mosmhas com urna franja penden-
te a um rico desenho e ouro de
lei, pelo pequeo pre^o de lo^OOO
cada par. baratissimo.
mi rHIWIl
DA
Fabrica de Vieira Guimaraes
&Couto
Do Rio le Janeiro.
ste acreuitadlssimo rap temlBoontrado a me-
lhor acoita^ao possivel. O seu fabricante foi por
muito tempo gerenle e mestre da i'abrica de Joao
Paulo Cordeiro, e tendo-se estabeh^ido, envidou
S l'jdo* os osforcos, e conseguio fabricar rap, que
* nada dei*;a a aesejar, c antes se lhe avantaja, pos-
D0
REC1FE A'
Os abaixo assignados
sellio de direccjio dos inscriplores de tri-
litos urbanos do Recife Olinda, convidara
aos Srs. accionistas da mesma companhia
para rcunir-se em assembla geral no dia
18 do corrente s i 1 horas da manha, no
salao do Club Pernambucano, afira de pro-
ceder-se a eleicao dos 5 raembro< que
tem de compr a directoiia nos termos do
art. 19 dos respectivos estatutos; segnin-
do-se na votado a disposicao segointe dos
mesmos eslatudos:
Art. 10.A ordem da vohifo a se-
ffuinte: De 25 acedes tem voto por cada
acedo. Aos accionistas porm de mnior
numero de aceites contar-se-ha um voto
mais por cada 25 acedes at 10 votos que
ser o mximo.
Recife, 10 de maio de 1869.
# Jos Joaquim Antnm.-.
Presidente.
Luiz Lopes (jastcUo Hranco,
Societario.
Amaro Joaquim Fonseca Aibuquerque.
Thesoureiro.
= JuliosFuersterabero;, vai
PARA USO INTERNO
REPARADOS SIMPLES u
de jurubeba garrafa. liSOOO
Vinho de jurubeba garrafa. 10600
Pilulas de jurubeba vidro. 4f&600
Tintura de jurubeba vidro. 64(
ExU-acto hydracoolico de jurubeba. 12^500
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2<$00O
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. idieOO'
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2&OQO
Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote, 640,
Emplastro de jurubeba libra. 2500
PARA USO EXTERNO !
RA JURUBEBA^
Esta planta hoje reconhecida como o mais r;od?0S0 tonteo, como nm excal-
lente desobstiuente, e como tal applicada nos cngor'gitamentos do figado e bago, as
hepates propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inflammaces
subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores giandulosos, na anazarcha, as hochope-
zias, erysipellas ; e associada as preparares ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de rnenstruaco, leucorrheias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos affirmam o,s mais distinctos mdicos desta cidade, e.-lre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos.Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excedencia d'este
| poderoso medicamento sobre os dentis at hoje conhecidos para todos.os casos citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle applicacSo.
i Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim generalisar mais o uso d*este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empiricos d'elle, e
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham ainda a desvantagem de n5
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improicuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de havermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conliecer aspro-
! priedades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, folhas, fructas ou bagas, ca
| dose conveniente a applicaco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
,ao maio^gro de perfeicao possivel, para o que nao poupamos esforgos, nao nos im-
portando o pouco lucro que possaraos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
velcura de qualquer dos soffriments, que deixamos innumerados, se forem em tempo
applicados, tendo alm d'sse, medico eu doente a vantagem de escolher as nossas va-
ria complicac5o das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
. As nossas preparaces ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscompostos do ferro que
i como taes est3o hoje reconhecidos.
IIWDA I Para aquellos que mis minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
meinbros do con- jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
34Ra larga do Rosario34.
I
Europa.
OFFICINA PARA CONCERT E AFINACAO
DE
1
Deposito de pianos e de msicas
M. 14 RIJA FORMOSA H. 14
BOA-VISTA
Frederico Maia
escola
CirnrgSo. dentista pela
je mediciua
doHio delaneiro.
Tem a honra de participar ao respcitavel publi-
' co desta capital e seus suburbios, que tem aberto o
' seu gabinete de consultas o operaces dentarias a
Prori^-sA o .un imi tivtv mi psrnra nue '? eni P^raJIelo com o da fabrica do dito Cordeiro.
- .; ,i.T! ^, "J nl* r?w i!l ,q^ Oaroma extremamente agradavel c temsido
sejade boa conducta, para cambar para urna llinitrt apreciado j,elos amant* da boa pitada.
casa do familia
andar.
para cozinbar para
na ra do Vigario n. 5, terceiro
Atten$to, attengo.
liuhermina Rodrigues do Monte Lima faz sci-
ente aos officiaes de todos os corpos, que acaba de
receber um completo sortiment .de espadas, ban-
das, talins, talabartes e eharlateiras, e mais per-
tences. Assim como recebeu tambem chapeos (ft
oleado para criados, de copa alta e baixa, com
cordao de ouro on prata, e vende mais barato do
nue em outra jualquer parte : na praga da In-
dependencia n. 17, junto a loja do Sr. Arantes
Irordeu-se da mo do abaixg aesigua-
Ao urna letra de 300000 aceeita peto Sr.
Miguel Agostinho Ramos Machado, e em
segundo tugar pelo Sr. Jos Pint da Curiha,
a qual fica sera neobum effeito por ter re-
( bido outra de igual quantia a %i dias a
contar da data deste. Recife 4 de maio
e I8fi.
Jos Joaqutm Gomes Telreira.
Taberna.
Tnispasia-so urja taberna no Recife as me-
lores porporcSes para principiante tirar vanta-
gem, por si u dono se acnar doente e nao poder
administra-la : informa-se no pateo da Piheira
.13.
EcraYo.
Precisa-se alugar um fiscravo
inaobiia ,s 5 da tarde : na ra
Io andar
das 8 horas da
da Cruz n. 46,
Baltar, Oliveira & C.
Mudaram o seu escriptorio da ra do Vigario
n. 10, para a mesma ra n. 1, 1 andar.
. Affift dC ICHr\
Pecisa-se na ra da Imperatriz i. 34, 2o an-
dar, paga-se bem.
muito apreciado pelos amantas da boa
Acha-se a venda por grosso e a retalLo, na ra do
Vigario n. !?}, Io andar, escriptorio de Joaquim
Orardo de Bastos.________
Ao commercio
Pifficuldade removida
A' vista das novas tabellas com indicador, qual-
quer pessoa, ainda a menos hjbilitala, eonheeer
de momento a exacta reducQao dos antigos pesos
para os modernos,.euja base o kitofiramma, as-
sim como de momento se conheoira tambem os
pregos correspondentes ao n.esrao systema. As
tabellas cima descriptas sao as mais adoptadas
pela sua jaeil comprehenso ; recommenda-se aos
fonos de estabelecimentosxujas compras e vendas
sao eflec uadas peso : acha-se venda na ra do
Imperador n. 28
O abaixo assjymado teslamenteiro do tinado
subdito francs Jutiovlgncsi roga aos devedores
do mesmo, tenbarn a bondade do satisfazer no ter-
mo de 15 dias seus dbitos, afim de evitar, que I u bireta n-Tarprimeiro" and^"fnde"pde ser
seus nonies como dovedores sejam discnptos no | procurado todos os dias das 8 horas da manla as
inventario procedendo-se na forma da le. 3 da tarde. Ello acha-se competentemente hahili-
Recife 7 do maio de 18G9. : tado para com perfeicao collocar denles artificiaos
________Gaspar Antonio Vieira Guinurae. I por qualquer dos systenias, e bem assim desenipe-
Os abaixo assignados scientiiieain ao publico uliar qualquer out'ro trabalho eoBOernente sua
que a casa eommereial desta praca sob a Orina | profis-ao. O mesmo, reconhecendo que nemsem-
Araujo Martins A ;.passara desta dada em pre possivel s senboras ou crians sabirem a
diantca girar soba deJoaquim Antonio d'Araujo j procti'..wQ remedio, oflcrec-se a remover qual-
& C. em virtade de se haver desligado o socio quor obstculo, declarando que na cidade se pres-
Domingos Manoel Martins; fleando cargo do 1 tara a qualquer chamado sem que issoinflua cousa
socio Joaquim Antonio d'Araujo o activo e passivo i alguma na commodidade dos urogos de seus traba-
da mesma casa. Recife 5 de maio de 1869. I lhos, e quando para fra della assim mesmo ser
Adriano Augusto d'Almeida Jordao. precedido de um ajuste rasoavel, garanndo elle a
Joao de Caslro Guimaraes. seguraega e perfeicao de seus ditos trahalhos. Em
Joaquim Antonio de Arnjo. sen gabinete se encontrar constantemente excel-
----------------__________________________j lente pos dentifrieio, oxir e outros medicamen-
tos odontalgicos : a ra DireiU n. 12, primeiro
luga-se
urna preta para todo servico de casa : quem
pretende-la dirija-se a ra do Sol n. 3'J, primeiro
andar.
Lu, dos ***, a c. ** Darse diiUteiro sobre ouro,
arma/m de cabos ra do Vi- prata 6 DrijUiantvig, COH1 pre-
mio mdico; na travessa das
O abai 10 assignado previne a Sr.
Joa-
Manoel
lecidos cojn
ario a. 5, julgam nada dever a esta praca,'
e se algueja s considerar cre4w da .lev n
ma firma, queira no graso de-guio apresentar sita corda, visto ler (le retirar-
se da sociedado o socio gerenle Manoel Luiz
dos Santos.
Pernambuco, 10 de maio de 1869.
Manoel.Luiz dos Santos.
esta typographia.
'Cobi autorisago dos credores do ti-
nado Jos Bernardes de Souza, vende-se a
taberna cita no largo do Pilar n. 24* muito
afreguezada e no melhor ponto d'aquella
localidade : os preteadentes dirijam-se ao
quina Mara da Qmeico, moradora em -
Mamanguape^jfe, j u^- de geu acceke ***<> && H Iuo ^^ ^m ^u^
e a meu favor, vencida em 23 de Janeiro tralar-
do conste anno de 391 #250 rs. fica com
outros j.apeis do aljaiio asignado perd-
o, assim pois previo-a .m tempo para
qne nao \ pague a outro sem .jue por mim
seja autorisado.
Igual aviso fe?o ao Sr. Manoel Luiz de
.Franca morador na Sorra da Raz, districto
ta Parahvba, sob; trade U60, ven-
cida em 25 de ; lo corrente anno
que tambem ;
Recife, H d le 1369.
Al. J, d'Alm.
km.
Na ra do Torres n. 46, 2. andar,preei-
#a-se de urna ama quecosinbj ^..engommA
para una pessoa.
Na pharraacia da I)ua do Imperador n. ."18,
precisa-se de um ofiicial que tenba bastinte pra-
tica.
Irmandade dos Passos
na matriz do Corpo
Santo.
De ordem da meza regedora, co
a todos os irmaos, para que no dia l
presente mez as 3 horas da tarde, co
recam em nosso consistorio para enco
rados dirigir-nos a igreja do Ctllegio. e
dahi ocompanbarmos a procissao dot)i\i-
no Espirito Santo, e desta forma corres-
pondermns ao tavit%to por essadistin-
ta irmandade.
Consistorio da irmandade dos Passos 12
de maio de 1869.
O escrivSo, m
J. J: Lima kiro,
andar.
SEGUROS
MARTIMOS
COWTRAFOftO.
A Companhia Indeimiisadora, estabelecida
esa praca, toma seguros martimos sobre
,vios e seus carregamentos e contra fogo
edificios, mercaduras e mobilias: a
do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Ama
Precisa-se de urna mulher ainda moca,
nacional ou estrangeira que engomme com
perfeicao para encarregar-se deste servico
cm urna casa de familia : a tratar na ra
da Aurora n. 12.
m
Preci'a-se fallar ao Sr. Daniel dos Anjos
ioimaraeg; na roa Je Crespo n. 8, esquina.
Roga-se ao Sr. coronel Thomaz de
Aqu no Ca vafeante, o favor de dirigir-se ao
escritorio dor. bati ##??&, i W do
Imperador n. 77.____'
4 dtruiuer
Resta a venda um escolhido sortimento de ob-
yectos "de mareineria, como sejammobilias do ja-
:arr.nd. magno cainareo, obra nbcional e estran-
lia, de apurado gusto eporpimoi razoaveis:
aa ra eoreita ;!o Rosario n. 3if Nesta mesma
usa fazem-sc com perfeicao todos os trahalhos de
palhinha, como sejam, empalhamentos de lastres
para camas, cadeiras e sophs.
A1IA
Tendo o IHm. Sr. Dr. provedor de ca-
pellas designado o dia 16 do crente mez
Leopoldo Lojpes, sua mulher, seu
amo e manas, sea cimbado o netos da
finada e sempre horada Maria Joaquina da-I
pne^Q, p^Mios agrale^.coraealmenle "* to amigos qu se digna/am acompanha/ o ca-
dver de sua m3. sogra iv, ao camiU!-
rio pyblj$9 j-bem como, de iovo convi-
dan aos taesmoe seos amigos e parentes
No caes de Apollo
um boliein. para, ca
- Justinia.i
rticuii r.
1 quem protisa.
da finada, a asistirem a missa do stimo
^da.na igreja da Santa Cruz,' s-igunda-feirl
para se proceder a
confraria de-N. S. do Llvramento, a com-
misso da mesma convida a todos jrmaps a
reuniram-se no consistorio da mesma ir-
mandade, as jOboras da manli5a deste dia,
afina de comprise o que "cima ica dito.
Procisa-se alugar urna, escrava ou forra que
saiba engomBiar o cosinhar,e faca as compras, para
da pequea familia : na ra do caes do Capi-
barftjC casa terrea, com grade de ferro na fiante e
o ao lado, tambem na mesma casa precisas.
alagar urna negrinha c um motequ.__________
Preciaa-se de urna ama qne saiba cosinhar
:el
Fundipo da Aurora.
Jeste vasto ptabeleclmente sempre se encontra
complet sortimento de taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas reecntcmente, e se fabrican)
de qualquer molde a vootade dos compradores, e
regos razpoaveis._____Jt, _______
Em casa de THEODOUO CHR1STI-
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se
effectivamente todas as dualidades de vinho
Bordeaux, Rourgogne e do Rheno.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 1T, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minio, cm Rraga, e sobre os segus
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valonea.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Caslello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famaliclo. .
Lamcgo.
Lagos.
CovHha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Reja.
Rarcellos.
*------------------------------------------------------------1

De novo se previne que ninguem faga negocio
algum com qualquer hurdaira do cwonel 'rwcw-
co Santiago Ramos, senhor do engeuho Tibiri,
acerca da preto criwilo de nome Rulino, au
outro qualquer escravo do mesmo casal, par j
que tanto esse como to'los os mais e-tao l:\-jBot___
cados Manoel Alves Ferreira e pennorados or
execofao do mesmo.
da nbva mesa da bem na roa Ijpva n. 33 terceiro andar. .
^
Procisa-se
j 17 do andante, as 7noras da manha.
xeiro dos Srs.
nada dever
se
zentar a
3 Alves Soare?, ca-
Froster 4 C. julga
t alguma, no entretanto
seu credor queira anrer
ouUolo para ser pago.
familia;
urai ama para easa de
Gai n. U.
pouca
Asia
Precisa-se de urna ama paracozmhar: na ra
p.>.
Be com perfeicao e cimmodo pre-
JoGaz n. 1, eonmrito os co^'
.ecife, 12 de^raaio de 1869,
0 Scrlaxo.
Joao Manoel m da Rocha..
1 --------i-i-rtmm <* *, > i. \------------------1--------
Predsa-se
co : na
queiros.
vessa
de um homem sem familia, que saiba alguma cou-
sa jer.jscrevei e contar; para jntorm ?oes, na
Piecis-y dftMM&v-
todos os das de manhy
meia, 46 garrafas de leite pt'rp: na padaria
allemSa de Santo Amaro.
cocprru' um BWqe do a 16 ajnos completa-
mente boca, prefere-sedo matto : na ra da Sen-
?.alla-velha n. 18.
rr
taftgegs
Nt eacriptorio n. 10 da na da Cadeia, [s andir,
iia dersas imagens para trocar.
Jgnaci9 J.-l lie T^ro, nroprjaftrio do arm.
zera sob a firma de Widers Raymond & C. tenda^
se do retirar para Europa a tratar de ua uf.
deixa por seus bastantes procuradores esa pS?l
ao Sr. Joaa Carro'.l c encarregado do meemj esta-
belecimepto; em t lugar o Sr. H. H. Sovirh, e em
ro. Desde ja agr
- --
eotiHnacSo
lloara grato.
Ainda restam algumas collecc5eB de
Rographias de a%uns poetas, e outros
mens Ilustres da provincia de Pernamtaco,
tres tomos escriptos pelo commendador A.
J. de Mello-; ra Augusta n. 94.
- Antonio Ferreira da Silva Hala julgaYfoS
i-----
Preo^fto
Precisa-se de um cajxeM portuguee *
14 a 16 annos, com pratica do taera: j
tratar ly ra Larga <1s Ro^MJ0 '
Preisa-se de duas aMAma ne
sinbar e outra para o servico de cas
- ra Estrcita dojtoario,n,j9v^0>ni
Z."*

Gaxeir.
'.sa-sc de um caixeiro de 12 a l.'i anana ?>
idade.para servico de botequim : na ra apiWt-
perader n. 32._______________
w*
Jgnnrando-se a morara (teste senhor pede-*
qne appareca a ra Nova n. W, a negocio.
*&
s


I
Diarlo de Pernambucc* Sefrta feira 14 de Maio de 1869.

CASA DA MITO
Aos 4:000$
Bilfeete garantidos.
A roa do Crespo n.23 e casas do costume.
O abaixo asignado leudo veflJWo nos sra< mili-
to lelizes biluetes garantidos i mcio n. 45:11 C' mi
a sorle de 4:0004, 1 quarto n. 3874 com a sor-
1.' de 700, 1 iteiro n. 3441 com a sorto de 202
e outras [fatutas a H tes do 1003, 403 e '203 da
lotera que se aealxni de extrahir ein beneficio
da matriz de Pao d'Alho (105"), convida aos pos-
suidores a virem roceber sens respectivo! &TO*
mios sem 03 descontos das lela na casa da For-
tuna ra do Cuspo n. 23.
Acham-se a venda os da parte da lotoria a
beneficio da matriz da Villa Bella (106), que se
extrahir quinta-feira 20 do corrente incz.
Precos.
Dilhete.....43000
Meio.....23000
Quart>...... 13000
t.a nreie de l'J03 para cima.
Bilhete.....33500
eio......S750
Quarto..... 875
Manoel Marims Fi.un.
AMA
Precisase desmama quecosinhe, com-
pre e engoinrae, na ra S Hortas u. ''i,
(>(i|tlM(lo). _
a de un rarxelro com pratica de
lalienia para tomar tonta de urna casa de molda-
dos : a tratar na ra de S. Francisco n. 70.
COMPRAS.
Na prara da Independencia n. 33, loja deou-
rives, eompra-seonro, prata, c pedras preciosas.e
tanibom ?e faz cpialquer obra de encommenda, e
todoequalquer concert.
uuro
i
prata e
do Ca-
Compra-se moeda
bem como libras slcrlinas, na na
bug n. 0. relojoaria.
0 iinizeo de joias
Na ra di Cahup n. '1 comprarse ouro, prata
c pedra preciosas por precos mate' vantajoso do
redondos e em igu-
Compra-so moedas de onro e prata, hem
como libras sterlinas por maior preco que
em outra paito: na ruado Crespo n. Id
primeiro andar. _____________________
Com muito maior vantaycm
Compra o Coracao de Ouro, n. 2 ra do Calin-
ga, moedas de 0111*0 e trata c pedras prcc'Qns
Ouro e prata.
Em moeda e em obras inublisadas, compra-sc
por bom preco : ni praca da Independencia nu-
mero 22.
VENDAS.
V'-nde-se
una annariio de amaiello com porta para divisao
de cscriptono, obra boa, qualro raudas, ou enoa-
namentos de am.relio para construce.10 de canoas,
loas grades S ferro com 8 l| palmos de altara
8i l|-2 da largura para janellas: a tratar na ra
do Mondego. olria n. 13. ___
Libras starlinas
Vcnd*, Joaquini Jos Hamos, ua ra da Cruz n.
8, r* andar.
Vende-se 011 permuta-se a casa 11.
59 na ra de S. Miguel nos Afogados por
um escravinho sadio e de bons costume*
qaem quizor diriga-se ao Giqui casa ? > p
dosapateiro Jos Pedio de Farias.
Vendem-se na casa de Tlieodoro Simn
AC.
Largo o orpo Santo n. 21
Vende-s( nina taberna a ra do Pilar n-
15 : a tratar na oesma.
Ba do Livrainento
ii.26.
Cambraia de cor, de bom rosto, eovado, a W r<.
Ditas de dita, padrees modernos e elegantes, me-
tro, a 700 rs.
Collarinhos de diversos gestos a OO rs.
Ditos muito fin> de linho a 610 rs.___________
Vende-se > dominio de mu terreno com 130
palmos de frente c 300 de funiio, na estrada vellia
de Santo Amaro : a tratar meemo em Santo Ama-
ro com' JosGoin.aIvs Ferreirn Costa.
Vende-se por commodo preco um carro rovo
de qualro rodas com um bui : hu ra do Jasmim
e qu;
n. 27.
Vende-se um ptimo iitio com grande
casa de vivoma, muito bem construida e
grande cacimba de beber, com 500 palmos
de terreno d frente e 500 tantos de fun-
do no principio da estrada dos Aliitosn.-H,
muito perto da via ferra quem o pretender
entenda-se com Jos Antonio Marques, mo-
rador no Chora Menino, o qual communi
cara a vendedova o nonio e o preco ulere-
cido pelos prelendentes.______ _______
Ocordeiro previdente
Una do Qtuelmado n. 1G.
Novo e variado sortiinento de perfumaras
finas, eou os objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, deque efl'eofr amrate est provida a
loja do Crjrdeiro Prndente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualdades e commodidades de pre-
cos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente' pede
e espera continuar a merecer a apreciado
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conhecida mansidSo
e barateza. Em dita loja cncontrarao os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeita de Murtay &Latnman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ecza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes'.
. Dita balsmica destruida.
Dita de flor de larr.ngeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete paratoilet.
Elixir odontalgico para conservacSo do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, matares e menores, com
pomada fina para cabello. -
Frascos com dita aponeza, transparente
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
fraocezes em frascos simples eenfeitados.
Esscncia imperial do lino eagradavel chei-
ro de violeta.
Outras coneenlradas e de ebeiros igual-
mente finas c agradareis.
Oleo pliilocome vtrdadeiro.
Extracto dol o de superior qualidade,
com eacolbidos che ros, em frascos de dife-
rentes tamaitos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para pos.
Ditos transparentes
ras de meninos.
Ditos muito ios em caixmba para barba.
Caixinnas com bonitos sabonetes imitando
fructas..
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumarias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de pape'ao igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, o de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p o arroz sem composico de
cheiro, e porisso omaisproprioparacria-
Cs.
Opiata ingle/, i e franoeza para dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Alada uia? coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes aem lilets de vidrilhos
e algnns d'elles ornadas de lores e fitas,
testo todos expostos aprciacJo de quem
os pretenda comprar.
COLUNIAS E 1'INIIOS BORBADOS.
Obras de muito goflto e perfeico.
B"ve!as e (ii~< ; ara ciatos.
Bello e variado siimento de laes objec-
tos, fietodo a boa esculla ao gasto do com-
prador.
FLORES FINAS.
O que de melbor se rjVfe encontrar neste
genero, sobresahindo os deliciaos, ramos
orvalhados para coques.
Par Tiagem.
Bolsas de tapete e carteiras de coufo, por
precos commodos.
Chapelinas de palba da Italia mui bem
enfeitadas, e enWtei de llores obra de bom
gosto. /^
E assim muitos-outros objectos que -se-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Providente a ra do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COOUfiS-
O Cordeiro Providente ra do QueiiBa-
do n. 16 acaba de roceber um bello sorti-
iuento de trancas de palba para enfeites de
veetidos, outras para chapos, coques te.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
coufeecida coramodidade de precos.
ALW DAQUELLES.
Reoebeu outros lindos eofetes de seda
para vestidos ; asim como um variado sor-
timento de galles de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va
riedate de goAos os tornam recommena-
dos e apreciados ; compareci peis os pre-
tendentes que sero servidos a contento.
TQ BEM RECEBEC.
Novo pvovjment de bicos e rendas-de
guepure.
LUYAS DE PELUCA.
De todas ; tres tanto para horneo-
como para sephoras, constaotemonte acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Quemado n. 16.
GRANDE LIQUIDACAO
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
1
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
0 r.ronretario d'oste estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
jital a vir surlir-se no grande estabelecimento que tem defazendas, tanto da moda como
le lei, e as pessoas que negociara em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
aesta casa poderao fazer os seus soiiimentos em pequeas e grandes porcoes, venoen-
io-se-lhes pelos precos que se comprara as casas mglczas ; assim como as cxcellentts,
fimas familias, poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pero:i r.ossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecmen-
;o aberto constantemente desde s G horas & manhaa s 9 da noute
0atoalhado do Pavo
Vende-se superior amainado de algodo
;om 8 palmos de largura, adamascado a
JOO a vara; dito de linho fazenda muito
mperior a 3200 a vara ; guardanapos de
inho adamascados a fc0OO a duzia e muito
inos a 85000, e ditos econoioicos a 35500
duzia.
Fnscs para Tcsfdas liraacos
a049.
Vendem-sc osmaismodcrnrsfustes bran-
osflexiveis com padioesde listas e de
talpicos proprios pfltestidoi e roupas de
menino a 610 rs. o eovado, na loja e ai ma-
sera do Pavo ra da Irapcntrizn. O, de
Celix Pereira da Silva.
BABADINHOS
Vendem-se fitssimos babidinhos, tiras
aordadas e entremeios, mais baratos do que
)m outra qtialquer parte, assim como espar-
lhos dos mais modernos, no armarcm de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
a. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
Gurguro de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
aitos gurguroes de seda, proprios para ves-
idos, sendo lisos e lavradiuhos, com muito
AS CAMBRAIAS DO PAVAO
Vendem-se finissimas pecas de cambraia-
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 55O0O at 10(5000 a peca, assim
como finissimos orgndys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a i^OOO, a vara, na loja u
Pavita ra da Imperatriz n. 60, de Fex Pe-
reira da Silva.
Roupas para horneen
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca c de seda,
camisas inglezas c francezas com os peitos
de i'sguio, ceroulas francezas de linho c al-
godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de lanella e de mcia de la, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obraba contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhcs que sero servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento qos me-
ntores e maiores cortinados bordados pro-
11--RUA DO QUEDTADO--11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
SAIHDASDE BAILJS-de cachemira branca e de cores o que ha de mais lindo.
BASQINESde renda preta, e de gorguro preto, o que ha de mais
elegante. ,'
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALDESbrancos e'de cores para senhoras e meninas, espartdhus, saias bor-
dadas, e saias de la com barras de cor.
GOBGUR0de seda branco e preto para vestidos, sedas de core*, moirean-
tique branco, e g'rosdenaple branco, de cores e preto, princesas, bombazmas pretas,
alpacas de muitas cores, o lindos cortinados bordados.________________
NOY EXPLENDIDO
Agua-florida de Guis-
1
Wl
outros itn
lain
os cabellos,
ustro, garaotindo-se que a fazenda mais prios para camas e para janellas, (pie se ven-
inda e de mais phantasia que esteanno tem dem a i2>000 rs. cada par at 20,500o rs,
legado a este mercado, e vende-se por isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz Pereira da Silva.
Ditos com ditas de velludo,
lando charo machetado.
Ditos cora ditas de mairoqr.im com cru
c guarnigo, dourada ou praieada.
Coras c tercos de cornalina.
Assim como.
60, de Flix Pereira da Silva.
CHAPELINAS
DA
ULTIMA MODA
Chegaram
para a loja do Pavo as mais
ricas e mais modernas caapelinas. Rea-
mente enfeitadas, com enfeites e fitas de
setim e de todas as crese com ricos bicos
de blond e as mais lindas finas Sores,
vendendo se cada urna peto :aarato preco de
ISflOOO, gar-antindo-se sew-m muito mais
bonitas do que eutras que se vendem em
outras partes a 20# o 25c, e entre ellas
ha mais do que um modello, tambem tem
muitas de pratinho, proprias para mocas e
meninas, isto na ra da I nperatriz n. 60
loja do Ptrvio, de Fel Pereira da Silva.
Expleadido sertimento de
com
10
Cretone para lences
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta novn excellente
fazenda branca propria para lences de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna qaarta ou ubi metro e meio d um
excellente lencol -de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambera muito
propria para toaflias de meza, rosto etc. o-
outfos mysteres e vende-se pelo baratissi-
mo preco de 21 cada metra.
XLPAGAO DE GORDO PARA VESTIDO A U
Cbegou esta nova fazenda com o nome
de alpacSo, sendo de cordo o com mais
largura do que a alpaca, com as mais lindas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
roxo, cor de canna, mlgenla etc. e vnde-
se pelo baretissirao preco de 4 o eovado.
ESGTO E LINHO DG 12 JARDAS A 100.
Vende-se pecas de esguiao de linho, fa-
Tintura indelcvel para Ungir
sem manchar a pclle.
A bem conceiluada agua-dortda de Guts-
lainqueento era des:onhecida era Per-1
nambuco, i boje eslimada e procurada Grande e bello sortimento de leqoes
por seu elicaz resultado, e anda mais se- todos de madreperola, madreperola e sena.
r quaodo a noticia de seu bom effeito e a sndalo, sndalo e seda, osso, oso e seda,
experiencia tornar de todos conhecida. e faia ele, etc. tendo nos de sndalo a guns
A agua-florida de Guislain composta un- com i vistas, e outros japonozes enfcitados
camente de vegelaes inoffensivos, tem a, de flores. ,. ,_......A
propriedade extraordinaiia de dar a cor pti-
Bonitas voltas grandes de aljofares azus.
Voltas de cnente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de lio de Escocia abeilas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas miiilo finas "algodo,
alvas, e
Alpacas lavradas de cores aSO zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
10,5000.
ALTA MMMDE
mtiva aos cabellos, quando cstiverem bran-
cos, e Ibes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embrauquecer, sem
ser prejudicial de modo algum
E' porm necessario fazer conhecer, que 1
o bom resultado produzido pela agua-flori- cruas para meninas esenhoias.
da, nao instantneo, como muitas pos- Lu-.as de lio dEscoc.a, to:^., e seu,
" senhoras.
horneas, malheres e
eoge"se obter'ofi'm desejad, como bem'meninos.
Gollinhas c punhos bordados obra de
soas talvez supponham, mais sim ser pre-, para meninas e senn
ciso fazer uso d'ella, Irez ou qcatro vezes, | Meias de laa para
e loga se obter o Ora desejad, como bem ^
proYam testemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento pordiante, basta usa-la duas muito gosto.
vezes por mez, contando sempre com o bom | Entre-meos finos tapados e transparen-
exito.podendo a experiencia ser feila erales com delicados bordados e proprios
outra qualquer cousa. Paia enfiar fita.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven- prodigiosos
da na bem conhecida loja d'Aguia Branca E os P0>),,'IOSU-
2,50013,20011$,
Colchas, de fus proprias para 'ama ou para
nesa : na ra da Bdaa do Hec'e n 4o, esquina
da da Madre de Des._______
IBMIWB-^JB
A taberna da ra do ftaogel n. 10: a tra-
tar na travesea do queimado n. 1, Io an-
dar.
Vinko degestivo
(hassaing
loa do Livfameiio n U
tambrais de cores muito fina*, nudas, Qwao
a 360 rs.
Chitas eeeuras, eovado a 280 rs.
Ditas claras, bonita?, eovado a 320 rs.
Ditas esenra, bonitos padroes, eovado a 30.
PCPSIN.V E BiASTAEX.
Remedio, por excellencia paril cura certa
das digest&es difficeis e completas, acalmar
s dores gatrajgicas, e reparar as Jorcas
produzindo tma assin;ujac3o completa dos
alimentos; sendo mais ura excellente tocico.
phabma,<:l4. e drogara
DB
Raitholoincu A i
3iRA LARGA DO ROSARIO"
Hap Paulo Cordeiro.
Vende-se rap raulo Cordtito fino, \iajado,
meio rrosso e vinagrinho, no deposito a cargo de
Joao Francisco 4 Silva" Nova:?, ra do Vtgario
o.ll. Faz-se-vantapens a quem compiar porciio
troca-se o rap que nao aliir ao agrado dos con-'
sumidures.
^W)V0Slp05t0'i
Vfn folhet de 100 paginas 1000 : vende-sen*
Ivraria eccndnica o f do aivo de Santo Aato-
______
~- Vride-se um braco novo de bajanea do au-
tor IHttmm, en M pepe(entes eonehas e pesos,
proprio para armaBam'de asucar o outros estabe-
lecireentos : ao trapiche Guerra.
Cera de carnauba
13, primeiro
Vende-se na ra do Queimado n.
andar.
1] pechinoha
a taberna da iravessa de Ap>llo a. 1
conj puuc ... a por um ne muito propria para algum rapaz que iiuoira 4r
prinejplo a *ifr, tendo um pequeo hotel con
a rw, o fja? vende multa
HKSffla.
^ : a tratar jio
De supeiijr qualidade da mui acredita-
da fabrica de Risquit PuboucW C, em
cognac uma das que mais agurdente de
cognac, foraeccm para o consumao do
Reino da Inglaterra.
Vende-so em oapa de Tin lu*t, roa do
commercio n. 3J.
Alpacas a 560 Alpacas a 560
Al pacas de cores
Na loja do Pavlo ra da Imperatriz n.
60, vende-se uns pencos de mil covados
das mais lindas e modernas alpacas lavradas.
com as mais modernas e bonitas cores,
proprias para vestidos e rqupas para meni-
nos, tendo entre ellas azul, lyrio, roxo, coi-
de canna, verde claro etc. e os lavrores
muito nudinhos absentados era uma s
cor; para se poder retalhar esta fazenda
pelo barato preco de 560 rs.-o eovado, foi
preciso fazer-se urna grarde-compra doste
artigo, o qiial grande pechincha.
Aos e mil ovado-* de cassas
raueexas
Covado a 300 Covado a 300
Oovado a 300
C vado .a 300 --Covado a 500
Covado a 30C' i.
Vende-se na loja do Pavo ra da.lm-
peralriz n. 60 uma grande (juautidade de
mil cavados das melberes casas' franelas
para vestidos, teudo padroes mi,u,dos e gra-
dos, assentados em todas 3S c5res, estas,
cassas -sao proiwiahaento francezas, tendo'
transparentes e tapadas, coca tanto corpo
quasi como a chita, e nlm dos padroes
serem muito boailos, sao todos fixos e seria
fazenda para muito awis diaheiro, mas re-
talha-se a 300 rs. o covado.
ispanUIos a3fcOHO m* loja do
'S. Pavo
Vende-se uma grande porc3o de esparti-
raodei-nos cOm o ccimpetente oordo,
o sortimento d todo> os tamanhos, e
dem-se a H ca_da na.
nHSMOjOHHiASA>40.E #
,rfe-se uma"porcS da> puahos com
gonhas ricamente Hdrdados, de efiguio dej
liqho, sendo braucos a 1^)00 odateroo, e
bordados de cor a 49 rs. para acabar.
Assim como ricos pares de manguitos mo-
dernu com gollinha^ e piiahos' bordados
l600 rs. cada um.
ALPACAS LAVRADAS COM USTtS A 500
RS. S O PAVAO VENDE
Covado a 500 rs.
Covado a 5Q0 rs.
Colado a 500 rs.
Covado aSOOrs.
Cqvado a 500 rs.
Covado a 500 rs.
Na loja do Pavlo ra da Imperatriz n-
60 vende-se uma grande poroso de alpacas i respeitavel publico um bello sortimento de
lavradas cqm os mais linios padroes.'l'strt-eamisas francezas e inglezas, ceroulas d
dos e com flores raatisadjs, sendo este ar-flinho e.algodio e outros inultos artigos
tigo waa grande pschincha, por se terem' proprids para horaens e senhoras pronret-
conaprado uma pouci cautas e vendase, tendo-se-lne vender mais barato do que em
pelo barato preco de 500 i*, o covado. outra qualquer parte. Na ra da Impera-
Cftalee tna-a. 60, loja e armazem de Flix Perei-
Tabcvna
Vende-se o estaleleciraento sito no pateo da Pe-
nha n. 14, com poucos fundos, e tem commodos
para familia : a tratar av rsmo.
tos e farrito
| Vende-je tn le pWBrin qBaiiade por com-
modo preco, en per-_.>s a vontade dos comppieVj-
e farello muio novo, saceos granos, pelo
preM'dc *HWI) o -acco : no armazem delatheus
Auetin C, ru da Seuala-vellia a. 1W.
Loja do Pavao.
GURGftES PARA VESTIDOS A 1*000,
O COVADO.
Chegaram os mais modernos gurguroes
para vestidos, sendo de todas as cores,como
sejara verde, azul, rosa, bismark, perola,
rxo tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
de 1S000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na ra da
Imperatriz n. 60.
CSrosdenaples preto
Veede-se um grande sortimento dos me-,
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-,
gos como estreitos, sendo de 2S000 rs. o
covado at 4$060 rs. garantindo-se que
n'estegenero niagnem tem melhor fazenda e
que se vende mais barato do qne em outra
qualquer parte, na^rua da Imperatriz n. 60,
de Fex Pereira da Silva.
Grande expsito
DE
CASEMIRAS DE CORES NA LOJA DO
-PAVAO
Chegaram as mais bonitas e mais moder-
nas casemiras de cores proprias para caifas
colotes o palitts, tendo ate das mais linas
que-tem vindo ao mercado com nos do seda
e vende-se mais barato do que em outra
qualquer parte, por haver grande sortimen-
to de varios precos, na lojae armazwn dej
Pavao, ra da Imperatriz n. 6h, de Fe
Pereira da Silva.
roupqs feitaa
NA LOJA DO "PAVO A RA DA
LMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melhores roupas,
sendo calcas palitts e.-cpletes de"ea*eraija,
de panno, de brim, de, alpaca, e do todas
as mais fazendas que os compradores po's-
sam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casimi-
ras, twips, etc, etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
tidlo vontade do freguez, e nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente ao seu conteato^ assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
ra do Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
cSo de sua boa freguezia, tambera capricha
em nao Ih'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a honram, e era prova ao que fica dito, d
como exemplo o explendido sortimento
que acaba de receber, ginda mesmo achan-
do-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livros de missa
e oracao, obras de apurado gosto e perfei-
jo, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
bonitos.
"Anneis e collares Royer par:: creang.
Bonitos cabases ou botuafaas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a troco, c lisas.
Delicadas caainhas devidro enfeitadas
cora pedras, aljofores, etc.
Ditas de tartaruga paia joias.
Bonitos alhuns com msica.
Pinseis ou buneeas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
CHALIS
CHALES
Na loja do PavSo ra da Imperatriz n.
ra da Sirva.
COLCHAS PARA CAMA A 5000.
Vepdem-se colchas de fusto adamasca-
60, vende-se um bonito sortimento dos e- dag para ^mi, pelo barato preco de 3#,
lhores chales, seado de fil preto cora mu- ^^ n^y^^ ^ i^a ti armazem do
to ricas palmas bordadas de cores, ditos de p^fa ^^ ^ imperatriz n. 60, de Flix
merino liso de todas as cores, ditos estn- pcrera da Silva.
^iti^gSt^iS*"] Madapolo entestado a 8SM0
PELERINAS DE CROCH A U, IOjJORO' Vende-se Superior madapolao entestado,
E 1250)0 -sendo muito encorpado, p.ra carnizas, e
Okewram para a toja do PavSo as mais tendo cada peca 24 jardas, pelo bawtasi-
modernas e mais Iwnitas romeiras ou pele- mo preco de 85500, na loja e armazem do
rias de fil e croch que se vendem a 8 e Pav5o, ra da Imperatru: n. 60. De Pel
mzm, Pereira da Silva.
NOVIDADE
BOA-VISTA
ARARA
Becebeu novo sortimento de fazandas
para seu estabelecimento na ra da tape-
rattiz n. 50, de Lourenco Pereira Mondes
Ouimamjs.
Attencao.
Declara os seus fregotee* que aecebeu
diversas qualidades de fazendas que estao
expostas a venda pelo baratissimo preco, I vendem-se Cortes de
como vero deste annuncio. Ra da Im- para vestido de senhora
Lourenco Pereira Gui-
I
poratriz n. 72.
O proprielario
maraes.
CAITAS FRANCEZAS a 280 rs.
Vendem-se chitas francezas a 280, 320,
360 e A00 rs. o covado. Ra da Impera-
tpi loja da Arara n. 72.
MADAPOLAO A 5^000.
Vendam-se pecas de ffiadapolo de 2 i
jardas a 4 U, '^ U, 9 deateod?oW,',W 6 7^600.
COR-TES BE CALCAS A 640 re.
Vendem-se cortes de calca dexastor e
brim para,cajea de hornera a64uf 800 rs.
bros de cures para roupas de meninos e
liomens a 4*00 e 500 rs. o covado.
RISCACO FRANCEZ FINO, 360 rs.
Vende-se riscado francez para vestido
senbora a 860 rs. o-covado.
Cassa franceza a 320'e 360 rs. o covado.
ALPACAS DE CORES a 8uO rs. O COVADO
Yondem-se alpacas de cares para vesti-
do de senhora a 800 e 900 rs. o covado.
-Laslubas a rs. o eovado.
Vendem-se ljlasinhas para vestido de se-
nhora a 240, 280, 320 e 360 rs. o cova-
do.
Itoupa feita de todas as quall-
des.
Vende-se roupa feita, calcas de casemira
paletos e cohete* de todas as qoatdades*
tudo por muito barato preco.
Cortes de barejes de lia a
Vendem-se cortes de barajes de la para
vestido doaermora a 25 O e 34066. B>
loes de 30 arcos a 14500 ; ditos moder-
nos de cores e braacos, 5/5; chales de to-
das as qualidades; easwairas pretas e de
cores por barato praco; brins pardos e
brancos e de cores de linho linos tudo isto
o fim de
se amos-
la transpareates
a 24500 e 30000.
Ra da Imperatriz, loja do Garibaldi n. 5*5
MADAPOLAO BARATO A 5^000.
Vendem-se pecas de madapolao barato.
!5 8^, U elO, s na loja do
Garibaldi ra da Imperatriz n. 50.
RISCADOS MODERNOS PAM VESTIDOS
A 360 rs.
Vendom-sc finissimos riscados para ves-
tidos de senhora a 360 rs. o covado, chi-
tas finas escuras e claras, 360, 400, 440
rs. o covado. Ra da imperatriz n. 56.
LASINHAS PARA VERTIDOS, 240 rs.
Vendem-se laasinhas para vestido a 240,
280, 320 e 400 rs. o covado.
PECAS DE BRIM PARA LENCOES a 84.
Vendem-se p cas de brim hamburgo a
84 94 e 104 .picas de bramantes de li-
nho a 24 a vara, dita de algodo a 1#600
a vara.
PECA DE ALGODO \ i.
Vendem-se pecas de algudo de 20 ar-
das a 44, ditas de carne de vaca a 5|dito
superior qualidade 64 e 74 a peca.
CHITAS, FRANCESAS A 280 rs.
Vendem-se chitas francezas para viu-
dos a 380, 320 e 360 rs. o covado, ganga
para calca a 320 rs. o covado, brim do cor
para eakas c pafctQis e roupa de mooino
a 400 rs. o covado, bales de ateos a
14500, batoes edemas decores tran-
cos a 54, chapeos de sol de alpaca, 3|B0O.
ditos do seda.. W& -o 1#. Roupa feita da
todas as qualidades. por amito barato preco
alpacas de cor para- vesaM de senhoras.
Chales de todas a.5 quajigages outras umi-
tas fazendas.
Vende-se um se'fin erffeeio uso: MtW A
Conceicao na Qoa-yjj^a u, J7._______
por precos mu .0
vender para apurar
tea das fazendas.
Vendfi-se ura escravo,
vindo ttltiroamiinte do norte
;uim Jos* Gotuplves Bel
I che n. 17.
do ferriro,
ptor de
JaTr
EM a^SA BE n.
Vinho >k Bofdtauim
SUA DA PIB-HU-
caixa de 12 garrafc d

r
marca de G. Gouei


m
Diario de Pemambu *
; ROYER
VRITABLES
." Phaj
'f fl '..PRSERVATVV ^'
-' 5
Os verdadeiros COIAARCS ROTXB, ds nicos approvados pela
a Academia de Medicina, Icm assira como j>; unios oiilros productos
atlrahido a cupidei dos falsificadores, que para ticililor sua criminoia
iudusiria nao sepjao, ncra receino annunciai vender falsos Collares
com mdv rohi. En previno as familias pira liilerrsse de seus fillios
que, para evitar falsificacfs, devem extfeir, <|ue meus Colla! I Ihes
sejao Tendidos cm caixas de tambas de encaixe e cerredlas cobertas
pora ettiquelas com a minha marca de fabrica e-encerraiulo nm
prospecto circunstanciado, e selladas por urna incdalha com olettreiro.
COLLAR ROYER, Roe St-Iartin. 225. Pars.
/&S&.
CARVAO DE BELILOC
pars
Approvado e recommendado pela Academia imperial de medicina de Pariz para a
cura da gastralgia e cm geral de todas as docncas nervosas do estomago e dos i n I es tinos. '
cgualmente o remedio por excellencia contra a retencao de ventre Finalmente em
razao de suas propriedades absonentes, recommendado corro verdadeiro remedio nos
cazos de diarrlica e cholerina. rarvao de h.II.k- toma-se na occaslao das comidas
sob a ferina de pos ou de pastilhas.
Deposito etn Rio-Jareiro, Duponcheffe; Cltevolot. Em Peunanrcco, ilaurer k C'\
lo tarop Vcgcal Americano, especiadadetic Bartholomeu dfi
34UUA LARGA O K0S.VKI0-3 i
Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei
xamos que sua applicacSo e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram acceita
los, Ihes deein crdito e voga-; porque sao sempre os attestados considerados gratuito
e dellos que lauca mao o charlatanismo; mas, nao querendo oflender as pessoas qu<
espontneamente nos oflereceram os que abaixo vo transcriptos, os fazemos publicar
manifestando-lhes nossa gratidao pela attencjk), esperando que venham clles corrobora)
o conceito, o acceita?ao que tem merecido nosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartholomeu d- C com a mais subida satisfecho que declan
ALTAS NOVIDADES
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo fiu 7 A, esquina da do
Imperador.
PARA CASAMENTOS, BAILES, TIIEA-
TROS, etc. etc
Lindos cortes do blond, contendo setim,
mantas e grinaldas.
Requissims cortes de sedas assim como
para covados.
Gurgurao branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e ce cores.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
e amarelos.
Fil de seda, branco c prelo.
Cortes de seda com duas siias.
Chales de gurgurao de seda de cores.
Camisas bordadas para honiens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraia. de linho bordados.
Na loja do Passe rua do Crespo n.
Riquissimas colchas de'damasco de seda,
assim como de seda e algodo.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, parasol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Ralia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espartillios para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de la > >
Ditas de seda fio da Escossia e algodo.
para senhoras e meninas. *
Lencos de labyrintho.
Fronhas de labyrintho.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
las, e outros muitos artigos de gosto e
de alta novidade, isto s
7 A, esquina da do Imperador.
v. hoii
tabelecido com o uso someate de quasimeio frasco: grato, poisv esse resultado mani
resto a Vv. Ss. meu recoahecimento. De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu A C Penhoradissimo com o favor que me fizeran
do aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua comp.-isigo, quando me acha
va bastante doente de urna constipado, que me tornou completamente rouco e qut
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor d;
empreza lyriea, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com un
so viaro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Deseiare
que outros como en recorram ao seu xarope para se verem alliviados de t3o terrive
incommodo, tao fatal neste paiz. Com maior considerado contino a ser de Vv. St
aliento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Becife, 25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CO xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teen
exposto venda de toda efficacia para o curativo d'asthma, conforme observei appli-
cano-o a meu fiho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que ati
entao por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grandt
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reco
niiecimento ao meritorio servico que lhe prestaran, com o indicado xarope, acreditan
ao-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Americo Netto de Mendonca
Recife, 2 deoutubro de 1808.
COMPANIHA
Fabrica de tecidos de agodo de
Fernao Velho.
O superior panno de algodo delta fabrica, mui
vantajoainenle conliecida nesta provincia e as de
Pernaniimco, Parabyba Rio de Janeiro, pela sua
perfeir;n de tecido, elasticidade e fortaleza, conti-
niia a ser vendido no escriptorio da mesma com-
panliia praea de Pedro 2 Uesla cidade, casa nu-
mero 4.
Afitn de que os numerosos e irhporiantes senhe
res de engenho, bem como ns senhores exportado
res de assucar, tanto desta provincia como das
cima mencionadas, possam com facilidade pro-
ver-se das manufacturas desta fabrica, a gerencia
da companhia annuncia que as ha venda nos
seguintes lugares :
Nesta cidade-no sen esniptono a as casas dos
Srs. Domingos Jos de Furias e Jo; Nunes Gui-
maraes, rua do Commercio.
Em Pi'rnanibucona casa dos Srs. Oliveira Fi-
Ihos & C.
No Pilarem casa do Sr. Joo d; Albuquerque
Mello.
Na Castanba Grandeem casa do Sr. Norberto
Cavalcanti de Albuquerque.
Em Camaragibena casa do Sr. Joao Vieira de
Lima.
Alem do panno apropriado ao ensacamento'do
assucar, a fabrica possuc mais urna qualidade de
panno mui forte, adoptado ao systema que tem os
senhores de engenho do norte di. provincia de
mandarcm despejar nos trapiches de Pernambuco
o assucar que alli vao vender, com o que os sac-
eos servom para muitas safras.
Para roupa de escravos ou de trabajadores do
campo, e para toninas e lences do servido diario,
ha urna superior qualidade de panno de 28 polle
gadas de largura, muito forte e espesso, parecen
do-se bastante com meia lona. Os precos sao os
mais mdicos possiveis. Macci 30 de marco de
1869. *
IOJA
Superiores saias brancas bordadas a 5$, G#, 8# e i0#000 cada urna.
Ditas de cimbria de escocia transparente j feitas a C$000 cada urna.
Na loja das Columnas na rua do Crespo n, 13 de Antonia Correia
Vasconcellos C.
de
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
YEIDE-S
NA
PHARMACIA E DROGARA
DS
Bartholomeu A C.
34RUA LARGA DO ROSARIO34
Este admiravd
Depurativo nao
contemeuisimer- I
|rtirio, iodo ou
arsnico; un
Iviaoioso nioilifi-
sue eenra radicalmentea moleitws dcpelle, tacs como a lepra, asimi.igens, a herpes, as ,
.P w TmTT' E"P"* A NJECfiAO CADFT Cura Sm J ,,laf .f t,orrimeu'o '"Eos oa recentes i
Fabis, 7, BJ Denain,
os uiais rebeldes.
TOSSES
CATARRHOS
PASTILHAS PEITORES
deSUCCOdeALFACE,
E LOURO GEREJO
IRFlTCOES
DO PEITO
E' este o mais novo e delicioso confeito at agora conhecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais disnctos o ainseln3o contra
as tosse, defluxot, calarrhoi, touet convulsas, catarrhos epidmicos, irritafSet do peito. Com
grande empenho o procnrlo as mies de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
primeiro que tudo inoffensivo, e as suas propriedades adocantes nio deixio nada a desejar.
Deposito em Pernambuco*em casa de Mamar O*.
Scbonete de alcatrdo.
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to boj
acceitacio tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura cert
das impigens, sarnas, caspas e todas a*
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu A C,
34rua larga do Bosario34.
DO
GALLO VIGILANTE
Rua do Crespo n. 9
Os proprietarios deste bem conheeid eslabele-
cimento, alm dos muitos objectos que linham ex-
postos a Apreciacao do respcitavcl publico, maa-
daram vir e acabam de receber pelo uh.inio vapor
da Europa um completo e variado sorlimcnto de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tao resolvidos a vender, como de seu co^tume,
Sor precos muito baratinhos e commodcs para to-
os, com tanto que o (jallo....
Muito superiores luvas de pellica, protas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punbos para se-
nhora, neste genero o que ha do mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqnissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem ellos; esta fazenda o que pode haver
do_melhor e mais bonito.
" Superiores e bonitos leques de mareperoa,
marftm, sndalo e osso, sendo aquelies brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias Do de Escossi para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 305000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sort ment do
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e.
castao de ma'rlim com lindas e encantadjras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de inelhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
Juantidade de outras qualidades, como st jam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de l a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas eapellas para noiva.
Superiores agu has para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os lentos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das roelhires per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convitlsoes, e
facilitam a denticao das innocentes eriancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afira de que nunca.faltem no mercado,
como ja tem acontecido, assim pois poderao aquel-
es que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes verda-
deros eollares, e os quaes attendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avist d objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis aloja do gallo
vigilante, rua do Crespo n. 7.
TASSOIRMOS
Tem para vender em seus armazens, alm do ou-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Vinhos cm caixas de deze garrafas
Bourgogne.
Hery.
Madeira.
Hermitage.
Cliamblis.
Licor de curajo de Hollanda em caixas ^e vin-
te e quatro botijinhas.
GESSO,
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
CARRIXIIO* I>E FERRO
Para servicos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico prego de 12000 cada um.
Fariuha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das memores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de irinha de trigo do
CMle
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O melhor para tudo que sao obras para agua, co-
mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, He, e^.: em porc5es de
cincoento barricas se far redurcao no precb : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes qualidades para cercados de ani-
maes, chiqueirospara galinbasou jardins : nos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE BARBO
Na rua Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabao, ha para vender por prego o mais mdico
possivel, canos francezes para ediflcacSes e esgo-
tos de toda a qualidade, superiores a todos os que
aqui tem apparecido pelasu**olidez.
PREgOS.
j*400 por cano grande de 3 e meia pollegadas.
1*200 por dito de 2 e tres quartos de dita.
1 000 por dito de 2 e um quarto de dita.
500 ris por pistoleta de 2 polcadas.
Cotovellos, curvas e canos de maior grossura, a
vista se far o preco. Compras waiores de 200
tem 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Pde-se ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
A NOVA ESPEBANQA
21 Ka do Queimado = 2]
Advertencia!
A Nova Esperanca, i rua do Queimado
n. 21 tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
caduras pelo baratissimo preco, para assim
diminuir a grande quantidade dos que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes ,ve os que n3o forem venham ser fregue-
zes, em tempo to opportuno quando
NOVA ESPERANCA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nao
falta atridc e aquem...
PARA 0 mz DE MARA
A Nova Esperanca, rua do Queimado
n. 21, receben pastilhas para queimar-se
em lugar de insenro, para aromatisar no
oratorio dos devotos do mez de Mara.
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente deParis) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeicao, e ella (loja da Nova Es-
peranza) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de hom constantemente rece-
', e por este lidar continuo (d'ambos)
com
Assia.
i a me-
Tijolos francezes
Para ladrilhar casas terreas com asseio e precos
mdicos, muito convenientes e proprios para ladri-
Ihos de cosinhas em sobrados, pelo seu asseio e
evitar apassagem de aguas para o andar 'nferior
e mesmo o perigo de fogo, aos precos de 30000a
co000 o milheiro : na rua Nova de Santa Rita, na
antiga fabrica de sabao, e compras maiores de 200
se far 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazCSs
de Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdadeiras para Jan-
ternas de carros: noarmazem de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto fino superior: do armazem
de Tasso Irmaos.
O melhor cognacauthierFreres : noarma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padrSes e larguras, por preco
commodo. > r v
Macarthy
Ao commercio.
As melhores tabellas com indicador para dte
momento se conhecer a reduegao exacta dos an-
tigos pesos, para os nossos, que o kilogramma,
assim como para conhecer->e o prego correspon-
dente ao mesmo sistema de pesos; acham-se
venda na roa do ImperadoF n. 28, armazem do
Campos. Recomraenda-se principalmente aos do-
nos das casas de retalho, padarias, reinagSes, ar-
mazens de estiva, de carne secca, ojas de ferra-
gens, fundigoes, trapiches, e a tedos que comprara
e vetidem a peso.
PASTILHAS ASSIJCARADAS
DO
DR. PATERSON
De blsmuth e magnezfa.
Remedio por excellencia para combate'
a magreza, facilitar a digesto, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Phannacia de Bartholomeu & C.
34------Ba larga do Rosario------34.
AO BAZAR DA MODA
Rua Nova n. 50, esquina da rua de S. Amaro.
NOVIDADES
Para elaboras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sortimento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUSINHOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novidadd !) de palha da. Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimonio ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas porcommodos precos.
LENCOS bordados e com letras, novidade neste
pnero
LhQUES a emitacjto de marfim, gosto novo e de
sndalo.
GOLINHAS e pannos, a emjtaco de guipure.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes,.
GOARNICAO alta noridade I a Marie Rose, lti-
mamente usad ea Pars
CORPINHOS de fuipare braneos e pretos lindos
modelos.
BORNOS de lia e seda, cores claras, elegante
moda em Paris.
GRINALDAS de floret finas.
ESPARTILHOS superiores.
MEIAS supet ores de fio de Escocia.
LUVAS de alica chegadas pelo ultim vapor.
ADEREgoS de coral verdadeipo e camafeo, gosto
"delicado.
DE PALHA
GUARNICES para vertidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
HTES lisos e com pingantes para vestidos.
ONTOS alu noridade.
FI.ORES finas, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas pata coques.
LAGOS, fl velas, penachos para enfeites.
Para horneas.

deli-
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodo.
PUNHOS de ditos.
GHAVATAS de todas as qualidades.
BOTES para punhos e guarnigdes para colotes.
COR RENTES de plaqu i emitagao do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de ago e tarturaga.
Para crianzas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e *tim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
BUNECAS vestidas, muito L-.Jtas e diversos
brinquedos.
Perfanarlas finas.
de Murray & Lan-
AGUAFOORIDA verdadeira
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agua e
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis aro-
mas para o lengo.
VINAGRES aromticos para toilet.
POS DE ARROZ para amanar a i>elle em paec-
.tes e ricas caixinhas com arminho. '
POS superior para limpar os dentes.
COSMETIQUES de fina qualidade.
SARONETES, grande sortimento deste genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antique?.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
Miudezas finas.
P1LLAS, TINTUA E XAROPE
DB
SICPIRA
Empregado contra as dores rheumaticas, affec-
goes gotosas, syphilis secundaria, effeitos to mer-
curio, njolestias ohronicas dapelle, hidropesa etc.
Umco deposito botica de I de A. Pin, rua
larga do Rosario n. 10, junto ao qoartel efe
ficia.
Vendem-se 37 saceos com farmha d* tem
eom mais de um alqueire cada sacco : na rua da
Praia n.'4.
RAP POPtIU.Es
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIRA FREDEBieO & C,
Acaba de" ebegasg*, este mercado urna porfa des-
te ptimo rap, nico que pode sapjJMr a falta do
princeza de Lisboa por ser de agradavel perfume.
E fabricado pelo systema a imitacao do Areia Pre-
ta, porm tem sobre este a vantagem de ser viaja-
do, o que para este artigo urna espectslidade.
as pragas da Bahia, do Rio de Janeiro e ou:ras do
imperio tem o Rap Popular sido asss accolnido,
e provavelmente aqui tambem o ser, logo que
seja conlieeido e apreciado. Acha-se veuda
por prego commodo, e para quem comprar de 50
libras para cima, far-se-ha um descont de 5 0/0,
e de 500 libras para cima o de 8 0/0 : no oscrip-
torio de Joaquim Jos Gongalves Beltrao, rua do
Commercio n. 17.
Machinas de descarocar agodo.
Hoje que est recOnbecido que as machinas de
serrote prejudicam e quebrara a fibra do algodo
e preciso recorrer a machinismo menos spero,
que produzindo o mesmo servigo que aquellas, e
facilidade no trabalho, nao quebrem a fibra da la
para que essa possa obter-nos mercados europeos'
a dilfcrenca que ha entre o algodo desearogado
por aquellas mencionadas machinas, que esto fi-
eando em deuzo, pelo prejuizo- que tem causado
eo da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela morosidade de seu trabalho. E' assira que
estas machinas se tornam as mais proprias para o
nosso algodo, porque ao par da facilidade e
promptidao conserva a fibra da la, que limpa por
ella, e qualificada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valeodo assim entre 11 20 por 0/0
mais do que a la limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
do daquella procedencia, sendo da qualidade do
da nossa provincia, -obtem hoje de 10 a por
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 130000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de ameadoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens de Tasso^Irmos.
Charutos da Havana.
Exoellentes charutos da Havana e por baratissi-
mo prego : em casa de Tasso Irmaos, rua do
Amortm n. 37.
Kelogios de ouro.
Relogios de ouro de patente com balanco de
chronometro do famigerado actor John Rogers, no
escriptorio de Tasso Irmaos.
Pianos inglezes.
Pianos ingleses do bem conhecido autor Charles
Cadby, no escriptorio de Tasso.
Ac de milao.
Nos armatpns de Tasso /maos.
BARRIS DE SALITRE
Noi armazens de Tasso Irmaos.
Nova Esperanca rua do Queimado n. 21,
alem do grande sortimento que j tinha,
acaba de receber mais o seguinte :
Bonitos broches, pulceiras e brincos de
madreperola.
Papel e cnvelopes bordados e mati-
sados.
Papis proprios para enfeitar bollos e
bandeijas.
Brincos pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.'
Modernos gallees, franjas e trancas de
seda e de laa, para enfeites de vestidos.
Botos de todas as cores e moldes novos
para o mesmo fim.
Trancas pretas com vidrilhos sendo
pengentes e sem elles.
Boloes pretos com vidrilhos com pintan-
tes e sem elles.
Luvas de pellica, cami -rr f ^
Finas meias de seda pa 149 I.
nios.
Delicados leque de n...... perula, mar-
fim, osso e faia.
Espartilho simples e bordados.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sortimento de
miudezas rua do Queimado n. 21, na
Nova Esperanca.
Collares anodinos ellectro-magnel*
eos contra as convulces das
creancas.
Nao resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ahi intitulados o
verdadeiros de Royer, e eis porqae muito*
pais de familias nao creem (comprando-os)
no effeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsificacao principalmente no
que respeita ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares
e garante aos pais de familias, que s5o ot
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
cas tem salvado do terrivel incommodo de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a rua do Queimado
n.^i comprarem o salva vida, para seui
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando entao ser di-
flicil alcan?ar-se o effeito desejado, embora
sejam empregados os verdadeiro* collares
de Royer.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo preto e de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e ntremelos bordados.
GUARNICOES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingtmtes.
BOTOES de cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos e com pinpentes.
DEDAES de mau. aperla, de marfim, de Oco e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhiis.
CAIVETES finos com quatro folhas. E muitos
outros artigos de miudezas que se terna enfe-
donho menciona-los.
Tudo se vende por prepos bastante commodos.
CARNAUBA
Para familias
Grande Bazar, rna Nova ns. tO t
**, de Carnelro 1 lanna fc .
Acaba de chegar a este estabelecimento
grande porc5o de machinas para costuras do
autor Wheeter Wilson, approvadas na ulti-
ma exposico de Paris, as quaes cozem com
dous pospontos toda a costura, e tem *
vantagem de ser to suave o movimento,
que qualquer crianca de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entrete-
nimento, levar vantagem ao servi'co diario
de trinta costureiras. A comprebensao
simples, pois em um quarto de hora, se fi-
ca senbor do movimesto da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, abainhar,
franzir, marcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarre
gam de mandar ensinar n'esta cidade, e
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalhar com
perfeiQo a machina vendida, n5o tendo,
porm, soffrido ella alguma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Baker, de trabalho sim-
plesmente mo, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avulso.
Vende-se superior cera dn carnauba em de
cas, por prego mais barato do que em outra quas- 1uer Parte-
quer parte : na loja do Pavo, rua da Imperatriz "
n. 60, de Flix Pereira da Silva.
MI GAZfiAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Porster &
C., rua do Imperador, um carreganiento de gas
de primeira qualidade; o qual se vende em partidas
e a retalho per meaos prego do que em outra qual-
MASSA e XAROPE
DECODEINADEBERTHI
Pirconisados por todos os mdicos contra os
DErLUXOS, CATHARROS, TODAS AS
1RR1TACOES DO PE1T0.
" O Xarope it Codna que mereeo a
honra, alia bem rara entre o Medicamento
novo, dt ur registrado como um dot medica-
mentos officioes do Imperio Franca dispensa
qualquer elogie.
AVISO. Por cama da rcprdiensitel laUi-
ficac&oquc tem suscitado o reliz resultado do
Xarope e massa de Bcrlh somos Coreados a
lembrar nueesies medicamentos tai) justamente
conceptuados s se
vendem em caiiin-
ussefrosc" levando
assigualura em
frente.
46, fue des cotcs, e na Pliarmacia Central
de Franca, 7, Hite de Jouy, em Paris, e ea
- l'luimaclas piineipaca doBratil.

CURA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galoupcaii.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo & C.
34-------Rna larpa do Rosario-------34.
Cimento inglez
De primeira qualidade em barris grandes,
que se vende por menos do que em qual-
quer outra parte: na rua Larga do Bozario
n. 34 botica.
de superiores qualidades, a precos commodos : na
rua do Vigano n. 16, f andar,, escriptorio de
Joaquim Gerardo de Bastos
FARINHA DE
_ MANDIOCA
ende-se farinha da trra em saceos
por preco muito commodo: na rua da M
mero 47, %
FUNDICAO DO BOWMAN
Rna do Ri-mu n. &t.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batida fundido.
Bodas dentadas, pata moer com asoa
vapor e animaes. "
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro<
pt ios para agricultura.
. Vendem Augusto F. de Oliveira &Ci roa
Commercio, n. 4t.
Vende-se urna
MO rs. o covado
de A. M. Rolim A C
Alcatifa
alcatifa de variados padroes a
na roa do Queimado n. 31, loja
erHH
oedaw.Jjjfr,
Bandeiras
nificas bandeiras deseda nacioaal e estran
vendem-se a 4 : na rua doCQuoimado ,
oja de A. M. Rolim C. ^H '
1
/


f!
Ii
11
".

*

Diario de Pernambuco Sexta fira 14 de Maio de 1869.
CONSULTORIO IEDH CHUNGO
DQ
DR. P. A. LOBO M0SC0S0
3~-Ra da Gloria sitio do Fundao3
(MA POR .UMS OS SYSTEMAS
Consultas todos os dias desdeas 7 horas da manh5a at as H.
Visitas era casa dos doentes de 1 i horas em diante, em caso urgente a qualquer
hora do dia ou da noile.
Nao se recebem chamados se nao por escripto era que declare o nome da pessoa,
toda ra o o numero da casa.
Especialidade em partos, operaces, molestias de mulheres e meninos.
Cura radical das molestias venreas, e dos estreitmentos da uthera.
Curas radical das molestias do tero, como ulceras, flores brancas, amenonia,
vegetaces e catarrho, etc etc.
Recebe-se escravos para tratar do molestias ou ^raticar-lhes qualquer operaco
cirargica. Diaria jJfJtK) excepto as operaces.
Os melhores remedios horoeopathicos conbecidos. e por presos muito com-
modos.
A ESMERALDA
9r Avfw
mi.\l mmi no ~
Ra do Queimadn ns. 49 e 57
lojas de mmdezaz de Jos de
Azevedo Mata, est acabando
com as miudezas de &eus estabe-
lecimentos por tsso quzram apre-
ciar o que e bom e birattsstmo.
Parerfde sapatos de tranca fa-
zenda nova a......25000
Pares de sapatos de tapete
(so grandes) a....... i #500
Duzias de meias cruas para io -
itiem a........3;>800
Tramoias do Porto fazenda boa
epelo precomelhor i 00 attos a
f.ivros de missoes abreviadas a_,
Duzia de baralhos francezes muito
finos a2400 e.....280C
Silabariorportuguez com estam-
pas a ........
Gravatas de cores e prtas muito
finas a
.5200
20000
,51320
#500
43000
5320
Duzias de meis para seniora fa-
zenda boa jk. ...
Redes pretas lizas muo fina a
Cartees cora colchetes de iat5o ^^
fazenda fina a*..... )020
Abotuaduras'de vidro para colete
fazenda Ana a. .
Caixas^om penaa d'aco mcio
finas a 320, 400, 500 e
0500
10000
10100
*
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabeleeimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sbrtimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca, e por precos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro. prata e po-
dras preciosas
il 5 RLA DO Cllltl .Y :
imn
4
orriiHio
CIGARROS INDIANOS
Idocannabis indicaBI
.GRIMAUlT&C'.-PKASMAC: IT1C0S emPARISz
1SVF0C1X0
lOUflDIDll"
I
?
Todos os meics at hoje preconisados contra a aslbma nao tem sido mais do que paliativos
debaixo de todas as formas, tendo por base a belladona, o estramonio 01 opio. Recentes expe-
* rieocias fritas era Allemanba, repetidas em Franca e na -Inglaterra, tem provado que o.cnamo
7 findio de Bengala possue as mais notareis propriedades para combater essa temivel affeccJo,
* assim como a tosse nervosa, a insomnia, % tysica laryngea, a roaqnidao, extincc2o da voz,
! e as nevralgias faciaes. E' pois com o apoio da sciencia que offerecemos es es cigarros, prepara-
dos com o extracto de cnamo das Indias, que nos importamos de Bombaim.
Deposito em Pernambuco, em casa de ataorer O*.
J iJ.X.l.ilXi.4.i.4.i.Z4.4-li^4-4-lXil.J lllll-lXtlXXX
Cartes de linba Alexandre que
tem 200 jardas a .
Carreteis de Hnha Alexandre de
70 a 200 a...... *00
Caixas* cojjj superiores obreias
de massa a......
Duzias de agWhas para machina
Libras de pregos Irancezes di-
verso tamanho a.*
Livros escripturado para rol de.
roupa a. ...... .
Talheres para meninos muito
finos a. :
Caixas com papel amizade muito
fino a........
Caixas com 100 envelopes muito
finos a........
Pentes volteados para meninas e
senhoras a.......
Tlwzouras muito finas para
unhas e costuras a. .
Tinteiros com tinta preta mu to
boa a 80 120 e .
Varas de franja para toalhas fa-
zenda fina a. .
Duzia de phosphoros de se;u-
ranca da melhor qualidade a
400 e .......
Pecas de fita branca elastca
muito fina a......
NoveHos de linhacom 400 jardas
Resmas de papel de pezo ai'.ul
muito fino a......
Pecas de fitas bordadas com 3
varas a .......
Ditas de ditas bordadas com 12
metros de 2S000 a .
Grozas de botes de louca muito
finos a........
.04Q
2#000
,91240
121

240
700
3600
320
3500
320
3160
500
200
60
23500
500
33000
160
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Niutes de Castro.
"Vermfugo effifiaz, e prefer vel a todos os
conhecidos, j pela certeza &3 seu resulta-
do, ej pela facH applicacao as creancas,
quasi sempre mas atacadas de tao terrivel
emultas vezes fatal soffrimen:o.
NICO DEPOSITO
NA
Pharmacia drogara.
DE
Barlhomeu < C.
34Kua Largado Rosario34
Milita e farello
Milho a 44309 e 55300 o sacco, larellode Lisboa
a i 5300 : no armazera da estrella, largo do Pa-
nizo 41. 14.
RIVAL SI IDO
Ruado Queimadon, 49 e 57 loja
de miudezas de Jos de Azeve-
do Mata e Silva conhecido por
Jos Bigodinho.
Est queimando tudo quanto tem em seu
estabeleeimento para acabar e fjzeinovo
sortimento, por isso queiran^vir ou mandar
ver o que bom e barato.
Garrafas com agua florida ver-
dadera "..... 13200
Garrafas com agua divina da me-
lhor qualidade 13500
Latas com superior banhafrn-
ceza ?...... 3200
Caixas com 12 frascos do cheiros
proprio para mimos 23500
Dita com 6 frascos muito finos 3800
Oleo baboza muito fino que s
a vista ...... 3500
Sabonetes de- calunga muito bo-
nito ......* 3240
Caixas de p de arroz muito
superior ... 3600
Pecas de babadinho com I(T
varas ...... 3500
Caixas redondas emitando tar-
taruga ...... 13500
Pecas de fita de cus qualquer
largura ..... 350Q
Escova para unhas muito fi-
nas ...... .3500
Escovas para dentes fazenda
muito fina ..... 3240
Pulceiras de contas de cores
para meninos 3200
Caixas de linba branca do gaz
com 50 novellos 3800
Caixas de linba branca do gaz
com 30 novellos 3600
Pecas de tranca lisa de todas
as cores ..... 3046
Resmas de papel pautado muito
fina % 43000
Pares de botes para punhos
muito bonito 3120
Libras de la para bordados de
de todaws cores 83000
Pentes com costas de metal
muito finos 3320
Novellos dfe linba muito grande
para croxs 3320
Duzia de Hnha froxa para bor-
dado ...... 3480
Grosas de botes madreperola
muito fino ..... 3500
Sabonete muito finos 60, 120,
160, 240 e f 3320
Pecas de fita de la todas as
cores ..... 3500
Espelhos dourados para parede
13000 e i ...< 13500
Espelhos de Jacaranda muito
fino ...... 23000
Pecas de trancas brancas e de
cores de caracol 3060
Pares de meias cruas para me-
ninos ...... 3320
Caivete muito fino com 4 fo-
lhas ...... 13500
Cartilhas da doutrina as mais
modernas #4'
Frascos de sndalo e patecholy
muUo finos 13200
0(1!,'
000<-9
OOOV!'
OOOVV
000<;C
oom
OO'JVS
oootfs
000*1
008
00
009
oos

: ? O
P SI
ti a \;\
f.8
? II o o
?V6'0
?'V8f8
'8 L '\ L 'o L 'L
?39
? '8 9 'V 9 '9 'S
? V E 't:
' ? 'a 45'V %
? o soaaunpj
OtaHd
59 -u opmuidnty op vnd
vu op5i$odv9 op vuoo op SVDdUOQ
IViffll
/uinu'jii S(
MACHIMAS EGIPCIAS
RARA DESCAROCA^ ALGODAO
Lok-jawCow pers'patent
Acham-se expostas estas importantes ma-
chinas no trapirhe do Sr. major Bellarminu
do Reg Bareps, no Forte do Mallos.
Estas machinas funecionam d'uraa m;i-
fieira inteiramente nova, e ainda nao vista
no Brasil; descarocaudo o algodao com
muita prstese, e deixando a fibra inteira-
mente limpa cem todo seu comprimento,
Como o mais superior bolandeira: valendo
por consequencia mais 20''lo sobre o preeo
do producto das machiuas de serrote.
Convencido cPesta veidade o seu intro-
ductor se obriga desde j a pagar o algodao
produsido pelas sobreditas machinas; por
mais 1:000 em arroba sobre a cotaco da
praca para o producto das de serrote: ou
1:500 em quantidade .de 100 saccas para
cima.
Preco de cada machina com um cylindro
de sobrecellente 2403000 a dinheiro sem
descont.
Silva Barroca, ra da Cadein.
n. 4.
Alegrai-vos myope^, e presbytas, j po-
dis ver de longe, ja podis ver de perto,
n|o ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germano acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e varia*) sortim nto de
oculos, lunetas, pince-nez, face -main, lor-
gnons, de ouro, prata, tartaruga, marfim;
ac, bfalo, ncar, unicornio c melchior ;
assim como binculos de urna a tres mudan-
Cas para theatro, campo e marrana, da ulti-
ma invencao; duquezas, vienezas de 6, 8 e
12 vidros, tudo dos melhores fabricantes da
Europa.
O mesmo vapor trou-
xe urna excellente ma-
china para graduar e
observar nume*o dos
vidros qoe se necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excellentes sterioscopos, instrumen-
tos de mathematica, barmetros, vidros de
chryslal do rocha, e de cores para resguar-
dar a visia; eoncerta todos os objectos a
precos commodos e com proruptido ; tira
o mofo dos piros e encarrega-se de toda a
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os excel'entes relogios
do antigo e femado fabricante Robert Gertli
VENDE-SE
EM CASA DE H. LEGER, Hl'A DA CRUZ NU-
MERO 68 :
Vaqretas para carros
Couros onvemisados para guarda-lama.
Solas envernisadas.
Frisos lio metal branco e amarello para carr
Galfles de soda e laa para carros.
Grande exposipao de
bonecas de cera
DE
Todas asqualidades na ruado
Queiroado n. 55. ,
LOJA DO TEMPORAL
Acaba de ebegar pelo ultimo paquete um
completo sortimento de bonecas de cera de
todas as qualidades para loja do Tempo-
ral.
ESCBAVOS FGIDOS.
Fugio do bordo do palhaboie nacional Ama-
ro, um mulato claro de untne Justino, estatura re-
gular, cabellos earapinltos e meios ruivos, pouca
barba, tem una pinta preta no canto do olho di-
reito e um tallio as costas ao mesmo lado ; levou
vestido camisa de chita com listas verdes, e usa
de urna chita com borla encarnada para apertar
as calcas, e natural de Santa Anna do Malto na
provincia do Rio Grande do Norte, para onde tai-
vez queira ir, tambem muito desembarazado no'
fallar. Recommenda-se aos nutres de bareara
ou a qualquer pessoa que 6 agarrar, e levar a ra
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido navio que
ser generosamente gratificado.
Fugio do engenho Conleiro no dia 4 do cor"
rente mez, o escravo Celfno, de idade de 22 asnos,
estatura regular, preto, cabellos carapinho?, rosto
redondo, sem barba, e com espinhas, nariz direito,
falla grossa, maos calejadas, gosta de tomar
agurdente. Protestase proceder com todo o ri-
gor da lei contra quem o tiver acoutado. Roga-
se as autoridades policiaes ou a qualquer pessoa
que o faca capturar e coudtizi-lo ao engenho ci-
ma, que ser recompensado. _____
Fugio
v '* ~ *
garantiudo a sua superior qualiuade.
do engenho Morenos, no dia 3, do mez proxT:io
. pasudo, o escravo Mauricio com os signaes se-
lc., os (iua''s veudem preces commodos 'i guioia: idade ; a 30 anuos, alto, seceo, cor fula,
7LLaJ& a mu, snmnr rmalirtadft. iwn alguns cabellos brancos na barba, falla grossa
e arrogante, olhar carrancudo, peinas tinas, senno
una curva por ter um dos joelbos inchado pr ru-
nente de molestia antiga, e ps seceos. Este ne-
gro ha del annos fui do Sr. F. de Pinho Borgos ;
csteve fgido dous annos na fivpuozia da Varzea,
andava na povoaco da mesma freguezia, nos en-
genbos S. Joo, Cordeiro, Remedio e Afogados;
morn no engenho Comportas e andava fgido em
Mtiribeca, S. Barlholoin c outros. engenhos da
visinhanca. As pessoas que o apprehenderera le-
vem-n ao*engenho Morenos, seu proprietario.que
recebeio lflO de gralilicacao.
Barato que admira
Quartos de latas com bolachinhas de boas qua-
lidades a I540', caixinhas com aineixas, peras e
figos a 1,8400, cerveja Bass, Ihlers e bell ingleza a
800 rs. a botija, vinho a iOO rs. a garrafa, azeite
doce de Lisboa a 880, arroz de prhneira qualida-
de a 120 rs., caf a 220, sabo a 180 c 220, cha
miudo bom a 3100, idem grado a 3, alpista a
240, toucinho de Lisboa a 440, marmelada lina a
780 a libra, doce degoiaba lino em latas e caixoes
de diversos tamanhos por commodo pre^o : s na
esquina da ra da Penha n. 7.
Vende-se ou anenda-se o engenho
Conceic5o distante de Santo Amaro de Ja-
boatfto 3 quartos de legua, tendo muita
matta, e moe com agua, tendo muito boa
estrada at a porta, c demarca com o
engenho Camacari: quem o Dretender di-
riga-se ao mesmo engenho a fallar com o
propietario. '________
= Vend#-se ou arrenda-se o engenho S. Gaspar,
sito na freguezia de Serinhem, comarca do Rio
Formoso, prximo do embarque, com grandes par-
tidos de pal emassap roda da moenda, mattos assucar, levou vestido calca parda
e mangues para maileira necessaj, bom pasto,' 'mhn .-ah n
ele.
maueira necessa
a tratar na ra da Aurora i
26.
- O escravo Benedicto Sapucaia se acba fgido
desdo o dia 24 de marco prximo passado, e nao
desde o, dia 30 como por engao disse no annun-
cio de hontem ; tem elle os signaes seguintes : al-
tura regular, um pouco magro, car. comprida,
muito pouca barba, tem as pernas alguma cousa
cambetas e os ps meio apalhetados, tem falta de
dous ou tres dentes na frente, muito fiota e gos!a
de andar engommado : quem o pegar leve-o ao
esciiptorio da ra do Imperador n. 24, a Joaquina
S. P. de Siqoeira Cavalcanti.
- Fugio do engenho Murioi da Escada, desd
o principio de fevereiro o preto Luiz, crioulo, de
idade crescida, alto, seceo, j pintando na cabera
e barba, quebrado das veninas, expressa se bom
no fallar, purgador e inculca-se de mestre de
e paletot de
linho com urna trouxa aos" hombros : quem o pe-
gar leve-o ao dito engeuho.
-*
\
LISTA GERAL
y
f .

Y
t
DOS PREMIOS DA Mmm PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LEI PROVWCIAL N. 70, A 1 mu :ficio DA i IATRIZ DU PAO I i'ALl , ISA IU:U IDA ] 141 13 DEA A10 1 >L 18 i.
m. PREMS. VS. PRKMS.H 18. PREMS. 1 W. PREMS. \S. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
3 U 202 U 446 44 639 i* 877 i* 1078 U 1357 44 1390 44 1821 44 2072 44 2309 44 2584 44 2819 Vi 3078 44 3334 44 3581 44 3801 84 4033 4f 4303 , 44 4479 44
4 5 51 63 _ '87 80 58 __ 1601 28 ^_ 76 84 13 90 45 80 33 86 30 44 54 7 81 204
9 ^M 6 66 84 91 93 61 3 36 _ 77 44 -14 92 46 95 59 88 40 60 8 84 84
M M- 8 67 87 92 1100 _ 64 5 50 __ 92 15 2610 __ 52 3100 . 63 89 44 6*- 10 96 44
3 __ 9 - 68 95 95 1 _ 63 13 53 404 95 27 11 _ O 4 64 90 49 71 18 84 98
31 __ 14 75 97 900 9 _ 70 18 58 44 99 _ 35 12 _ 58 40 63 92 86 203 71 22 44 99
39 --- 24 - 82 98 7 15 , n 19 59 2104 36 22 _ 64 45 67 93 60 44 73 24 4505
40 --- 26 - 90 99 9 17 _ 74 27 79 _ 11 _ 49 23 __ 68 36 70 94 61 81 30 7
i7 --- 1 32 98 702 -r- 11 _ 21 _ 80 29 93 -! 16 __ 54 32 ... 75 72 74 3600 65 * 84 32 11
50 --- 33 503 9 12 8* 4* - 23 _ 83 41 96 mm 18 _ 55 38 ^ 80 73 75 3 74 7004 90 38 17 _
89 --- 36 4 10 19 27 _ 96 42 99 20 57 46 ... 82 79 82 8 94 44 93 41 19
63 --- 37 8 **-"\ --- 21 31 1402 ... 50 1913 4 84 61 49 _ 98 84 87 12 95 99 ... 44 31 4:0004
71 45 | 11 18 25 33 _ 3 __ 53 _ 17 25 84 72 50 ap 97 ... 87 96 23 97 4112 34 36 44
74 --- 34 13 20 20 31 34 _ 5 60 19 __ 35 44 79 x 57 __ 2903 89 3400 32 __ 99 36 57 42
76 8* 60 - 28 __. 22 4# 32 _ 37 6 75 ,,, 26 46 86 58 84 5 . 96 12 34 3900 38 38 84 43
78 41 63 31 __ 26 34 _ 38 __ 7 77 _ 27 47 _ 89 68 44 6 ._ 3209 19 36 3 42 66 44 53
82 72 3 ^ 37 40 __ 48 9 79 __ 34 50 2402 76 7 10 84 n 45 12 46 69 54
87 91 __ 40 4-'i __ 56 10 81 _ 45 56 4 79 b i! 14 44 33 46 13 48 70 . 58
88 93 _ 45 ^_ 46 49 _ 71 __ 13 82 _ 49 59 6 83 _ 12 15 37 51 14 53 74 84 60
50 _ 99 * 30 i^ 51 50 ^_ 1204 8| 24 83 * 53 __ 72 7 85 __ 18 16 41 2024 87 17 60 404 75 44 61
93 303 ta __ 53 56 9 4f 23 89 60 73 m 11 99 19 4 21 42 44 67 24 70 44 77 66 404
101 * * 0 53 57 H 58 29 27 - 99 MM 69 204 74 __ 12 2704 . _ 31 44 24 1G . - 68 29 79 78 71 44
M _ 7 - 00 58 67 30 . . 35 1703 ^_ 44 75 JL 16 . 6 ^m 33 28 52 75 31 88 82 72
16 _ 13 Go _ 65 69 33 i. 36 < 6 _ 76 19 12 _ 34 ._ 32 54 " 78 94 93 88 73
94 _ 30 __ 68 __ 66 72 39 __ 54 12 _ 79 85 21 16 _ 38 :a 36 61 92 53 98 87 90
. 26 _ 35 . 73" 73 77 40 r 36 13 __ 87 86 i 23 22 _ 40 ... 42 07 98 55 92 91 A
32 37 _ 75 77 79 51 65 23 88 a. 89 _- 30 84 24 _ 42 .... *5! 82 3702 59 4204 93 97 44
34 47 __ 77 mm 81 80 57 74 24 __ 89 . 2203 pjp 38 44 27 ... 45 ... 90 4 62 6 94 4603
3S 50 _ 82 ^ 82 83 60 ^^ 77 25 mm 92 _ 48 29 ... 52 _ 62 91 6 _ 70 10 84 96 6 __
41 53 _^ 83 88* ^_ 84 71 ^^ 80 84 26 _ 2008 5 i 64 33 _ 54 _ 72 98 10 .^ 72 12 44 98 8
44 61 _ 89 93 _ 88 72 ^_ 87 8* 28 - 9 10 H, 64 35 __ 55 --- 73 96 84 11 __' 78 19 4494 16
49 63 93 84 800 _ 91 75 _ 1501 44 33 10 15 71 40 59 82 3501 44 13 79 21 84 8 20
53 67 96 4* 15 lOOtl 77 9 53 84 12 18 83 45 70 84 ~- 4 *> 15 83 24 44 1 23
56 78 99 16 ^., 8 ... 80 __ 15 _ 57 44 44 21 92 72 71 --- 97 17 18 84 23 19 33
57 79 600 25 mm 20 _ 81 8* 29 58 18 27 --- 94 73 74 --- 3300 22 19 96 33 20 40
60 85 1 26 o* 28 __ 89 41 31 67 16 28 --- 96 74 204 81 --- 1 .._ 24 30 98 39 21 41
62 86 3 27 41 32 __ 1302 .v, 48 ... 70 20 29 98 78 104 86 4 84 25 37 4005 49 25 43 __
64 90 5 31 34 m 27 51 78 21 . 37 . 2818 84 80 44 91 --- 6 44 26 50 8 53 26 45 ...
69 --- 93 11 32 . 36 _ 30 ^_ 58 78 22 39 mm 19 44 87 3002 --- 8 29 51 14 61 30 . 46 _
71 _ 407 16 33 37 _ 31 _ 62 _ 83 17 42 SM 29 97 3 17 44 88 17 62 32 204 34 _
n _ 11 33 34 39 . 32 68 __ 87 28 46 m\ 31 2800 5 25 48 8 22 66 36 44 61 _
77 13 27 35 41 34 67 1800 29 67 mi 32 2 9 --- 26 51 70 _ 23 71 37 65
80 17 98 44 42 37 _ 77 1 41 8l 79 80* 4 16 --- 28 52 72 25 73 38 67
K Kmm 29 31 a 48 55 38 81 ;; 42 8jl 88 __ 8* 7 31 --- 29 63 78 36 82 - 54 68
87 _ 29 8* 33 *i 53 K 39 100J 83 m* 12 87 Id 3 63 9 43 --- 32 64 80 39 86 - 59 76
88 41 41 41 57 60 43 41 " 85 13 _ 88 95 _ 76 13 59 33 60 86 43 90 63 77
89 43 8* 48 m 64 47 88 14 _ 89 . 98 mwm 77 14 60 --- 40 69 87 47 91 66 84 79
92 44 4# 52 63 75 51 89 ^_ 18 60 99 80 17 68 --- 44 76 98 49 92 74 44 90
SOI U 55 65 77 53 90 18 __ 62 - 2304 w 18 74 62 77 V 3800 62 98 76 94


JL
Diario de Pernambuoc. Sexta ..feira 14 de Maio de 1869.
ilo noit? frenfil
A luarelleete seos paludo? raios,
t doces menetos a virgera palpito
l)o beijo das nuvens MW quedos dt-sinaios.
Nos campo*, nos bosques, na relva, nos prados,
Mil llerai rejcmdem do mor o perfumes
R as cndalas Virgen que ditrinem nos ares
No espac inliuit" derratnaui sens luines.
A.noit''( ura sonlto dourado a Deus,
I.' a sania reliquia do r liaos primitivo,
E" a nota dorida da lyra do lempo
Que vibra na Ierra seu echo attlictivo.
<)uem sent no peito qneiinar-lbe um vuteao
Knr.oMra da noit<> nos tristes negrores
O paludo espectro de eterna afflicco.

irmaa predilecta da negra saudade,
A noito tjm Ihesoum de pranto e de dr;
Mamila das trovas, no seio lea lumes
Que ued;iraBWysterios, que Callan) de amor.
Os arijos *e aeeorlam n'um cntico ameno
Sjrrindo enlevados aos pf do Senbor;
r.omeca o crepsculo, principio da noite,
E a Ierra so envolve n'um manto sem er.
A garra indolente, baixandoeeu vo, .,
l'ra o'ninlio rochoso se apressa em deser;
K a lucida Vesper, brilhando no occaso,
Convida quem solTre seu pranto verter.
O 30I j vai longe seu brilho levando;
A nnio seu manto lancou sobre nos;
DooielU, seismemos do co nos fulgores,
Cliorando coin Vesper, choremos sos.
1809.
f f f
C'aVa dirigida Kxm. %r\ D.
Mara Veliiiti Rlbelro.de Son-
za anthora do drama em nm
actoUrna mulher que perde
c urna mulher qne salva.
Minlia senhora.Li o drama era ura ac-
to ,fiScripto por V. Exc o qual to acertada-
mente intitulou de Urna mulher que per-
de cuma mulher que salva. Li-o, reli-o,e
anda o estara lermo si m'o nao arrancasse
tas mos a necessidade urgente de p-lo
j aos ensaios de scena.
Que V. Exc. dotada de urna intelligen-
cia rara, e o que mais raro e, principal-
mente no sexo a que V. Exc. pertence,
que e:-se talento foi sempre cuidadosa e
escrupulosamente cultivado, o que ha
muito j me havia dito o justo e sincero
prestigio (pie a circumda aureolando o nome
de V. Exc; que, porra, sabia, isto que
possuia tambera o dora miraculoso de 13o
profundamente eomprehender o sentimento
do conco humano, sob todas as pitases
importantes da vida, o quepasmo*- aca-
bo de reconhecer lendo o seu peregrino es-
cripto.
Permitta-me V. Exc. que com toda a
franqueza, ou ousadia, como queiram, que
me caracteriza exponha-lhe rainusciosamen-
te, mas muito cm particular, o que prenso
da prodcelo lilteraria de V. Exc.
Para mha, por eme s por mim que
costuran fallar, parerc-me que V. Exc. de-
via c poda, porque lhe sobram recursos
para tanto, deslribuir em tres actos, e nao
resumir em um smente, o pensamento
soberbo que constitu a composicao drama-
tica de V. Exc. Pense um pouco e tenha
a bondade de dizer-me a que maguitude
assumiria esse drama, si, com o talento
gosto e conhecimento d'arte, que a distin-
gela, tivesse-o, por exemplo, dividido em
tres actos, foseado passar o primeiro em
casa do Alvaro da Cunha, no fausto da for-
tuna, o segundo em casa de Mad. Delau-
nay, e o ultimo n'aqaella, porm j pobre e
arruinada?
Mis .liz V. Exc. que dispoz de muito
pouco lempo, que esse traballio urna ten-
tativa, tima estra, que tremeu por elle e
quiz termina-lo antes de desfallecer de de-
sanimo; acredito-a religiosamente; assegu-
ro-lhc porm que desconfiou demasiadamen-
te de si: Deus, que agraciou-a cora to vas-
to engenho, ter-se-ha resentido de to in-
funiado susto.
Entretanto, o que por ahi cima dei.xci
dito serve apenas de fazer sentir a V. Exc.
o como quizera ve-la eu surgir trasendo-nos
logo urna obra de vulto, mais digna do no-
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMANCE
POR

Paulo Fval
Primeira parte
OBR14/AL LAVItll)
II
O Mr. Lecoq.
(Continuaclo do n. 107.)
Attengao, rapaz, que isto o mais im-
portante : Has de dizer-Ilie : Senhor e res-
peitavel patricio meu, parece que o azar
me persegue nesta capital da baixa Nor-
mandia. Acho-me, pelo maior dos acasos,
desprovido de fundos. Contara nasta ex-
tremidade com a protecelo de um meu
amigo superior na hierarchia commercial
parisiense o Sr. Lecoq, alto empregado
da casa Berlhier & C. que forneceu o cofre
de segredo ao venerando Sr. Bancelle...
Tomas sentido ? Olba que nlos palavras
6ca. Ganhas cem francos ; pegar ou
largar... Mas, continas, o Ilustre re-
presentante commercial sabio esta mesroa
noute do hotel do Gallo sem paoor, onde
estava, e parti no seu trem para Alencon.
ludo mais para enejares a pronunciar as
ultimas palavras.iV-pele l.
J. B. Schwartz repello, e depois per-
guntou :
E onde vou dormir ?
Onde dorma voc se me alo tivesse
. encontrado ? Nao nos peguemos com cou-
sas pequeas. Quando o digno magistrado
me de V. Exc. por que isso mesmo em
nada descora o notavel merecimento de
seu escripto. Quisera ve-la conquistando
maior trumpho, por (pie o merece; qniss-
ra ve-la cingindo o diadema, que lhe d>
vido, s.
Outra coasa. Teima V. Exc. em chamar
a sua producto decomedia dramasom
o que nao posso concordar, por epre nlo
vejo, isto por que nella nlo existe com-
pleta unilo das duas espacies authorisando
tal classficaco.
As scenas, prnariamente cmicas, qne
apparecem sao episodios, -interessantei sim
pelo fino espirito quo as anima, mas que em
nada quebram ou alteram siquer a unidade
da accao dramtica, to naturalmmp. ,cor-
rem elles, tal a connexlo que teem com
o pensameoto capital. Eu portanto peco
licenca aV. Exc. para classificar a sua com-
posicao dedrama, segandoa moderna ac-
cepclo da palabra, ou de tragedia urbanp,
segundo outros.
Observou V. Exc. e rigorosamente o qae
ha de um pouco di fficil eesseocialem con>
posir5es dessa ordom, a unidade de aec3oj
de luga/ e de tempe, sobre tudo a primis'
ra, a unidade de accSo,j|ae V. Exc. ma-
gistralmente sustentou* -
J disse em outro lugar que soberbo
o assumpto que constue o drama de V.
Exc. disse-o e snstonto jaesse drama apre-_,
senta-nos em alto refevo a mais tremenda
das latas de que pode ser theatro a vida
humana; a lula do vicio com a virtude,
combate de anjocom demonio. De-um lado
Leopoldina da Cunfla, a virtude, o anjo ;
do outro Mad. Delaunay, o vicio, o de-
monio.
Alvaro da Qunha, o Brigadeiro, Leopol-
dina e Delaunay, sao quatro typos correc-
tos.
Alvaro o filho prodigo do amor no des-
variamento das paixes o coraco puro,
sao, mas a cabera allucinada, o espirito
arradio labutando impotente sub as illa-
queacoes do genio do mal. ,0 Brigadeiro
a honradez, aquella honradez ara, audaz
at ao herosmo, resignada at ao sacrifi-
cio, que nada teme affrontar pafa fazer rei-
vendicar-se um direitD despresado, para
fazer^riumphara verdade onde qner que
o erro ameace-a suffocar. Leopoldina o
amor, a ternur a castidade que s tem
para tudo que a martyrisa a lagrima do an-
jo, que perda, a supplica da martyr, que
implora. Delaunay, Mal. Delaunay, a Da-
lila de todos os tempos e de todos os Sam-
ses inexperientes: a serpente do Edn;
nos labios o mel de toda* as flores, no seio
a profundeza, o negror, e os* vermes do
abysmo. Eis o qae pens dos principaes
personagens de seu delicado Nao posso deixar de dizer a V. Exc. que,
scena qnarta, quando faz leopoldina da
Cunha contar ao tio, o Brigadeiro, a histo-
ria dolorosa da enfermidade que a cegara,
achava-so V. Exc. verdadeira, santamente
inspirada. Aquella palavranoitetantas
vezes repetida ao correr da narraco sa
trmula e lgubre como gemido d'ama que
se parte ; urna eptstrophe sublime.
En todo o drama o espirito mais prove-
nido, o genio mais rigorista hade encontrar
sempre o estylo lluente e correcto ; nao
tem um s ponto inspido ou montono; o
interesse sempre cresecnte em urna gra-
daco segura; o monologo sempre natural,
sempre expressivo e animado o dialogo.
Os conceitos agudos, as methaphoras, as
catachreses, as metalepses, as hyperboles e
as periphrases, ahi estam porm todas con-
tidas dentro de seus verdadeiros limites.
Leopoldina surprendendo o segredo do
marido, mais tarde aquelle caminhar resig-
nado della para o suicidio; a explicacao que
se d entre Alvaro e o Brigadeiro e final-
mente o desfecho, sao verdadeiros lances
dramticos, que nao podero deixar de af-
fectar o espirito de qualquer platea,
Creia minha senhora, que Y. Exc. ajaba
de enriqueaar o theatro brasileiro com urna
coraposicSo xle nota ; o drama de V. Exc\
urna joia.
Em nome d'arte, pois, em nome do Bra-
sil, minha patria, e que a V. Exc. tambem
se apraz de considerar e amar como a urna
filha, peco-lhe que escreva e escreva sem-
pre.
jpaNo beija ao caminho que com tanta fe-
licidade principiou a pisar; si porventura
nelle algum espinho encontrar nao trema
nem se assuste, calquao; este esjphihos
nao vio alm da epiderme do \ que os es-
maga. V.'Exc, jtem na fronte sobejas
palmas, como- artista, preoigo conqusta-
las, como escriptora; trbame. E. quandn
um da houver alcanzado todo o galardo a
que tem inContestavel direito, peco-lhe que
nao esqueca aqueHe que, pririeiro, leve a
honra de sauda-la, .
Nao urna critica lilteraria o que' por
aqu deixo escripto; conversei um pouco
conf V. I'.\c sem lembrar-me le Aristte-
les ; mcsnitjoporque, coma V. Kxc. muito
bem conboDww, a grande ulIHdade da criti-
ca vai-se tornando entre mis co npletamente
desconhecida, visto qae o; poneos criticas
r, anda apjfirtece, sem l c sem verda-
. profanando fcy;iicaraente a virtude do
apostolado n passam de louvadores ba-
naes,-quandb nloslj zoilos jnardazes.
Si ou n5o verdade, porm. o qne lhe
digo aqu sobre o seu drama, meltror o sa-
ber V. Exc. quando, sobw o palco, ouvir
o juizo irrefragavel d opin!9o publica.
18G9.
Victoriano t*i 1'
Alberto
3. Se o co friste. n'um naufragio. Trazta o retrato
as folhas < esprendidas nee ia depr o ultimo beijo. M
to? do invernadas, re- ,do o naufragio era ioevitavel, eis qi:
lhe pediam. O quo o inquietava era a im-
portancia da recompensa promettida por
to pouco trabalho.
Lecoq levantou-se e atirou para cima da
mesa o guardanapo. Davam oto horas.
Disse declatnou. Agora amon me
chama.
Se eu soubesse, murmurou J. B.
Schwartz que neste negocio s anlava
amor I...
* Supponho, disse com sveridade o
qpixeiro, que o senhor n5o suspeita nem da
minha honra, nem das minhas opinies po-
lticas ?
J. B. Schwartz nao pensara as opinies
polticas do Sr. Lecoq: A' nou:o boa
conselheira, sobretudo quando passada ao
relento : muito dara elle para a ter anda
por sua.
Lecoq porem fechava a mala, depois de
ter pago. Tudo estava prompto. Nada
ahi ficava, senlo a bengalinha de casto de
prata, de proposito esqueoida a um canto.
Lecoq desceu, assobiando. Jo5o Baptis-
ta Schwarte acompanhou-o. O trem do
commissario da casa Bertbier & C. privi-
legiada para a fabricarlo de-cofres de de-
feza e de segredo, caixas fortes, fechadores
de combinaco, etc. era un carro ordina-
rsimo ; mas o cavalhnho breto que o ti-
rava pareca fogoso e efeeiq de vigor.
Nao deixa sigoal ? pferguntou tibio
mente o abaciano, no momento em que o
companheiro punha o peo no estribo.
Nem-omceitil, respoi^Su Lecoq. Do-
mis, uo lhe oceulto cjue as suas hestta-
Ces me desagradara. Respondo: sim ou
n5o?
E se accetasse, ioter-ogou Schwartz,
onde nos encontraramos ?
Diz que sim ?
Nao...
EntSo va para o dia >o I...
Mas nao digo que ni >.
'Lecoq tomou das re4eisJ Schwartz met
ta d. Pilo mesmo ppeg > vendera elle i
carne do braco direito, os lentes que eram
compridos e bons, a fcirta rrenhae a sllva-
o tiver despedido, est a rnisslo cumprida, cao da alma. Mas tinta i edo, modo^ de
e o amigo lera ganho os cem francos e a sem o perceber, jwmnwtte' alguma acclo
minna eterna gratido. das g tem a trste haara de 8er iosflrip-
OdaAlsacia meditava. No seu bestunto taBno cdigo penal
nada absolutamente via que o Ievasse a .Guarda lavisouLeWiazendOtalar
mos leles no insignificante passo que o chicote. *
(SCKNAS DK l"M ROMN :e)
Carta ao Atithor.
Joao Candido.
(Cencluso)
Dlivia a creanca que vai desabrochando
em mulher. Natreza frgil, caadida e
amojpsa, como' a Julieta de-Shakspearo e
como a Titela de Shiller, vive d'amor e
de sonhos. A' menor sensaeo dolotosa
retrahe-sa, como o heliotropo s sombms
da noute. Quando a tarde parieja, quando
o pomar verde, as aves trinam; as vagas
ao luar adamantam-se franjadas de arden-
tas, sonha, embevece-se de scismas e con-
funde a harmona de sua ajma cora o cauto
da creaco em extases,
se a trra se alastra das
das arvores por ventos
colhe-se ao altar das aeices, estremece
d'amor e tlvez lagrima furtivi marejedhe
aos ilio. Olivia dossas creaces que
s vivera bem no sonho do pouta/ro febre
do artista. Transplantadas paf a vida so-
cial e positiva murcltam, como as flores
desabotoada ao arlivre na ata^ospltera ca-
lida de urna estufa.
Eulalia a mulher das affeicoes viris,
quasi selvagens*.
O amor em Eulalia j nao oais o sen-
timento doce e suave de Olivia, o deses-
pero da posse. O amor para esses entes
a tnica que roxalhe as carnes, sem elle
morrena, por elle uesfazem os lacos mais
santos, da familia, do casamento. No leito
sagrado, estendem o labioiremulo caricia
do amante, sem que a nuvem do remoWo
ensombre-lftes a fronte e o tremor do crime
agite-lhes o seto. A vida para elles reso-
me-se em urna palavraamam. Que impor-
ta que os ventos que sopram, se pejem,
dos germens da desgraca ? Seu seio ferve
em delicias, como os vinhos de Falermo
que arrebentavara as amphoras, de seus la-
bios transvasa-se o nctar e a feltcidade
palpita nos "contornos voluptuosos de suas
formas. Amameisladb.
Na antigoidatie e/am impellids pelo Deus
destino, chamarm-se Clytemnestre. Hoje
vivera e se idealisam na marqueza de Cam-
pvallon, esse typo enrgico e cDrrecto do
ultimo romance de Octave Fenilht. Que im-
porta Dulce, que hscoom-se airaos depois
da dansa da maia nos laranjaes perfumados
de Palos, do beijo ardente de despedida s
margens do Tinto, das notas frouxas da se-
guidilla, que cortavam os ares impregna-
dos de aromas ao ultimo adeus ? Vira
nessa ultima scena verdaderamente shaks-
peareana o delirio do amor s varandas do
tmulo, o leito perfumado da norva antes
do chao destinado ao cadver, morrendo,
seus labios inda beberam a primeira e ul-
tima lbaclo.
Olivia o idylio. Eulalia o drama.
Alberto e Claudio sao dous caracteres de
imaginago doentia em cujas veas gira o
sangue dessa litteratura mrbida do seculo,
ambos morrem de dor, um pelo saicidio
como Werther.
Eis os typos principaes do ten romance.
Urdume, porcert, de ptimo romance,
seria este sabio e convenientemente desen-
volvido. Mas o leilTc a critica teem de
acceitar o tea livro como o escreveste e
nao como o deverias ter escripto. Como
delineaste os caraflbiresdo teu romance, al-
gumas das situaces em que elles se acham,
sao falsas, anti naturaes e algumss vezes
at Hlogicas. Permitte, que as stindacoes
bem sustentado de l deseavolviraento dapau5o o natural, pare-
ce que o leitor o vai pressi{indo, como
o fracto no pistillo. da flor. A(fS9^ 'dyo
ao balco da janella lindo ; suave s'^men
te como o amor aos quinze annos. Ti?s
scenas mais d'aquefiae compensariam al-
banaes, .jue para nada 6ervem, cedam ter- guns dos defeitos" do romance. Urna se-
reno opinio franca e consciencio sa-,-posto nhora de gosto dizia por occasio da pil-
que tal vez severa. A aceto' do romance
citase em pouco a'aer encarada pck>9 fac-
tos quotidiamks da vida social materialista e
mercantil, como ella ; mas prenbe de re-
sultados serios e graves, em vista da esphera
excepecional em que o tens enllocado.
A critica.tem obrigacao de acceitar isses ca-
.^acteres excepcionaes, elles existem m so-
ctedade e por consequencta eihera sob o
otninio da arte.
Alberto ama Olivia, fio do ouro 8 de se-
da prendtMhas as existencias, vivera Umi-
daraenti" de toda as delicias do presentc.de
todas as esperances do futuro.
No lago puro dessas affeices casias, mi-
ra-se a ligara Delta, provocadora e sinistra
de Eulalia, e vem agitar-lhe a quietafo das
aguas.
Eulalia^amiAlberto, deseja-o, jura pos-
euil-o, e seu amor oalf ojs o devaoeiode
urna estaco, a realisaco de todo um
Moro. At appariclo de Claudio, a aeco
desenvolve-s segundo'as condices naturaes
e humanas.
Claudio o homem do ocano, ive sob
o infinito do cu o sobre o infinito das va-
gas. Era fta das viagens a tempestada
rebcjpta, os furaces uivaai naf rota en-
xarcas. Chegava ao limite da vida nesse
abysmo que tinha dous fundos i um em
cima e outro em baixo! nfgros imbos e
ambos insondaveis I como tofbem o dis-
seste", e a dtscripcao da UKmets iimu
las mais. bellas do teu livro. ,No pen'go
BticMlo dos mysterioe do Pars nos deba-
tes^'^ne o Sr. E. Sue-quando se exceda
em mais de um sentido as scenas do tapit
frauc, depressa-----Jleprefsa elle fazia
I cantar os passaros da Rgoletta. E porque
nao fizeste tu cantar mais vezes os passaros
da tua. Rigoleta ? Assim mesmo manejas-
te melhor o pincel de Walkic do que o de
Hogarth. As cores, suaves e frescas har-
monsaram-se melhor com o fundo do
quadro, do que as tintas escuras e carre-
gadas. O enlouqueeiraenUf d'ellas junto
do cadver de Alberto, talve que o leitor
severo estrantie pela homogenedade de
resultatlos."
E eis o ten romance. Aprecie-lhe os
traeos geraes, deixando de parte os parti-
culares, onde par de defeitos, bellezas se
enfexam. Os outros typos nao tem vida
propria, confundem-se, como te disse, na
sombra.. Sem ser perfto promettedor.
Nao faltari; a verdade, quem reconhecesse
em ti um romancista era estado latente.
Para o futuro, tenho certeza de que nlo
publicars mais romances, que rflktam
a tua aptidS, mjts que a possam confir-
mar.
* Permitte que li falle do estylo do Al-
berto
se n'a-
permanenle.
. IX, no quinquagesHBo
pto que por aquLseteni publicado, transpj-: annivere lla sua raeJco, que foi
ra a influencia (To estylo das obras de V. muit0 festejada em Rom ^^ as feti_
Hugo. Este genio COloSSO, eschlleaoo, ritarsflaiainha dP InohtPrri di iranpra-
seu marido e do principe das Asturias, di
a de sua mi, que havia munido tambera
della e
Mas quan-
que Surge
um vaso de guerra a tripolaco salva..:A*des, como.atem ser as catadupa
se casa qase nosso modo de sentir o pea- J dos grri.duqaes de To'scaQa. ^c MtCk|et-
ygar^rrojado san peas, como o condn tos|,wg0.sterljtiz> alem dosaoberanos repre-
Pois sim I... balbuciou Schwartz, no
maior abatimento.
Lecoq pendurou-se para elle e acariciou-
Ihe a face com as costas dos dedos.
At que afina!, toleiro !... Pois en-
to fallas ao homem, e depois, s duas
horas da madrugada, sahes de Caen pela
porta de Vancellos, e vais de passeio cousa
de urna legua pela estrada de Alencon. A's
tres horas em ponto, hei de estar para
(liante draldeia de Allemanha, no caslanhal
que fica direita... E adeus, at logo ;
d o ten recado tal qual t'o ensinei, sem
mais nem menos... Toca, Janrta I
Janota ferio lome das quatre patas e lar-
gou como urna setta. No entfmto, moca,-
rapazes, a lia Bral, o tio Brulee os Bru-
lesinios, grupados a porta da estalagem,
dcseiavam n'um coro desgarrado boa via-
gemao-que partia.
da era dia quando J,ecoq e a vatente faca
breli largaram do pateo do Galio sem pa-
var, deisando oponte J. B. Schjnrartz a sos
com -as suas ^Qexoes. O Sr. Lecoq ia de
palito na bocea, e fazia esler o chicote
ornar triumphante, descendo as estreitas
ras que conduzera ao rio. Ia-chibante!
Com que catitismo ostentava q chapeo viato-
rio posto banda, e como ni pontas da
fulgi|inte gravata doudejavariL gracioaa-
mente merco da brisa! Sorrfe s peqae-
nas, atirava beijos s logistaa qqevia pelas
portas, jjrovocava o rapazio ; e gritava
arreda aos cidados pacatos, que se afasia-
vara abrindo-lbe caminho.
E notem que iodos o conheefem. O co-
fre que vender ao Sr. Banc$l!e|,-rico bao-
queiro, era clebre na cidMej de Caen :
umicofre feiticeiro, que desaaava os ladros,
o fila va o braco do que se atravesse a
Parts nlo sabe o que ha de inventar. O
cofre cuslra caro ; as negociares haviam
levado lempo. Outros ricais pensavaai
j em adquirir tao til alfaia. Em Caen
igncM-avam o nome de Bertbier & C: di-
ziau apenas o cofre-Lecoq. O Sr. Leeoq
era por si s urna Alustradlo.
Nlo imjigiQem que o caixeiro, arvorando
o apparatoso xadrea das calcas, o arco iris
do colete e os sidreos esplendores da gra-
vata, dava puramente prova de mo gosto.
Nl. Tinha um fiar. Era msi publicidade
Narrando a catastrople urna vez, a figura
de sua me encarna-se em Olivia ; ama-a,
A que nota o leitor, permitte que te diga,
o inesperado da peripecia, a instantaneida-
de da erupeo. Quando o cu era azul, as
brisas mansas e nem um ruido da flores-
la annunciava os prenuncios da tormenta,
de repente os raios partera os cirvalhos
^adustos e a trra se alaga pelas cataractas
imtnensas. E' a semelhancada pa.xSo de
Claudio. .Se Claudio j condeca Olivia,
custa a comprehender-sc, como per occa-
sio de tuna simples narraco essa paixo
indmita apodera-se delle, assim como so-
mente nessa occasio que reconhece em
Olivia a imagem de sua me. Falso senti-
mento dominante, por certo; em Claudio
reconhecer o leitor. D'ahi a morte de
Claudio nlo seno ura resultado da pai-
xo quasi impossivel em causa e descobri-
raentos, ejue d'elle se. apodera. Se esses
sentimen,tos fossem verdadeiros, a renun-
cia desse amor e abnegaco suprema, por
causa de Alberto, seria um desfecho bello e
sublime. Lembraria o Jacques da George
Sand. O suicidio de Alberto nao mais
justificavel. Ama Olivia, amado por Eu-
lalia e por isso morre. Por esse desfe-
cho custa comprehonder-se o amor do
Alberto. Morrer antes- de lutar, tanto
mais quanto nao havia possiblidade de
cahir na lula diflkil de ser visto, anda
raesmo na esphera excepcional, oivle lhe
deste o ser. Morrer quando se ama e -se
amado, porque somente a paixo de urna
mulher bella e provocadora interpe-se en-
tre urna caricia e um beijo, nao bem da
natureza humana, salvo se engano-me eu.
O carcter de- Eulalia esboca-se melhor
no envenenameato. Reeeohece-se o em-
prego dos tneios para onsecuco do lrn.
Que importa o veneno, se depois da mor-
te deOiva yira" o amor de Alberto, e
demais tem-se visto que da paixo enr-
gica e concentrada poele muitas vezes re-
sultar o crime. Ha urna scena soberba e
esplndidamente bella, e quando Eulalia
ligada pelos pulsos Alberto, exclama:
toh como eu te amo ssim I como eu
te amo assim t Isto bello e alm de
bello verdadejro. Q( typo de Eulalia mais
natural que de Claudio e mais ogico que
o de Alberto. Olivia o carcter mais
como qualquer outra. No fato, o jogo vio-
lento de cores attrahe a vista, e aeaCreta
forcaa gloria Vejara l quanto > denles
nao arranca n'uma praca publica o que tem
a coragem de enfiar a cabera n'om capa-
cete ou n'um chapeo de general.
Ao ver passar o carro, diziara pelas roas:
o Lecoq que retira para ir vender
mais cofres a outras trras. Aquelte nao
se afadiga, nlo S trata com quwm teto !
Ca-os pobresinhos, esses, caitados I nlo po-
dera comprar cousa com que defendam dos
ladpoes as suas economas I
Quando Lecoq sabio da cidadi, entre
lusco e fusco, pela ponte o*e Vaucttlles, ha-
via centenares de testemunhas para jurar
que o tiriham visto partir.
Nao queremos dizer que fosse grande
prova, porque afinal de cootas pod a voltar;
entretanto sao as circurastancias insignifi-
magestade Abdul-Azis deu o braco pr/n-
ceza. O sulto assislio ao baile ;da embai-
xada iBgleza at s duas horas do oaoha.
Diz-se que offerecera um collar de perofas
e um diadema princeza.
O rei Vctor Manuel chegou no dia
191 aples, aondo recebido pelo principe
Humberto c pelas autoridades. A princeza
Marganda, esposa do principe real, est fa-
zendo as delkias dos napolifeo, .folo seu
carcter affavel e sympathicd e pelos seus
actos de beneficencia.
O oreamento italiano para 1870 apr-
senla os segnintes algarismos: receitas or-
dinarias e extraordinarias 013 mflhes...'
840:000 francos; despezas ordinarias e
extraordinarias 1:024 milhoes 787.'000 fran-
cos ; dficit cerca de 110 milhoes. Porm
os bens ecclesiasticos, dedazklas as despe-
zas, dio um rendimento de 33 milhoes. ;..
700:000 francos, que reduzem o dficit
mencionado.
Djz-se qne depois das eleicoes para o
corpo legislativo f apcez, que nao pedem
tardar, haver logo urna curta seesao do
novo corpo legislativo para a verificarlo dos
poderes.
O governo dos Estados-Unidos maa-
dou oto vasos com 77 canhes a reforcar
a esquadra das Indias Occidentaes.
O Sr. MMey foi nomeado ministro
dos Estados-Unidos em Londres, o Sr. John
Yag em Vienna e o Sr. Curtin ex-governa-
dor daPensylvaniaemS. Petersburgo.
I As ultimas noticias_A) Hait dizem
que o presidente Salnave ttoba partido para
ir bombardear as cidades octupadas pelos
berto; nao ooptare pirases e penados, nsorgoutes. Agucrra civi, ^m.
Wt?rL ASS Pnnc,Pa.esi qoelle paiz esUdo permanente.
No Alberto, fiomo em mais ele um esen- 0F p0 ,x n0
colosso, eschileano,
Nlo ha des-
conhecer as Iffluidades" que elle nos li-
gara.* Imagina cao hespanhola, como que
imperatriz do Mxico, do-fei Wurtemberg,
hBaulo Alfonso. Muito poeta nelle
ftjspirado, desde o vulto soberbo e
"ente de Losano muito moco ftalaroso
da nossa moderna geraco. Por isso, bem
dfese um distincto francez, que seria livro
interessante o que fizesse revelar toda a in-
fluencia exercida por V. Hugo na litteratu-
ra da Amcyrica do sul.
Mas apesar dessas athoidades reconheci-
das, devemoa nos resguardar de imitar-lhe
es voos audazes. Vctor Hugo como o
Dante, admira-se, nlo so imita. Quem po-
llera raed i r-1 he os tragos, para copiar-lhe o CONGRESSOS.- Um congresss reunir
perfil! Desejo semelhaote reJembrarta o este ann0j em Ber]inii os deregados dos g0.
mytho d\Prometheo... Poj> mais que se vern08 signalari08 da COHvencio concluida
amasasseaaigtlla, della so. fondassem fi-em Ganebraa 22 q$ agosto de 1864. para
sentados em Roma.
*r- Umjoroal francez, dando noticia-tfe
teram sabido deputados-taas ultimas eiei-
Coes portuguezas os Snt Andrade Cow,
Das Ferreira, Santos Silva e Lobo d'Alfil,
fez d'estes quatro nomes oito pessoas, di-
rendo que sahiram deputados os seguintes
bomens importantes da opposiclo : Andra-
de, Corvo, Dias, Ferreira, Santos, Silva.
LoboeAvila. E que tpara fura quasi
todas as pessoas importantes sao conhe-
ci guras humanas, bellas c deslumbrantes,
nunca s* Ibes poderia transmittir a vida ;
pois que a vida foi o segredo de Titao. Se
todos quizessem ser Pygrnaleio, se na fe-
bre do talento mais ou menos vasto, todos
quizessem animar Galatheas, mnito cinzel
se quebrara de encontr ao cepo do mar-
more. A litteratura de ve ser coa o mun-
do, cada um deve ter a sua phisionomia
distincta. Nem todos podem ser grandes
e bellos; mas par de Hellena Phorkias
tem o direito de viver. Apesar dessa in-
fluencia, que ten ejercido sobre o teu es-
tylo todas as pompas do de V. Hugo, limi-
ta cousa de individual se nota nelle, como
que procura lirmar-se em estadio mais se-
guro. Quando lhe tiveres desenvolvido o
brilhahte germen, fica certo de que desce-
ras do fortissimo de V. Hugo ao pianissi-
simo de Musset. La plume est ttm orgmw.
Eis o qae pens sobre o Alberto. Se
fui severo, acredita, obedec sempre
dictantes da consciencia.
Se nao comprehendi bem o teu romance,
expuz omou juizo francamente, sem pro-
curar oceultar defeitos como bellezas.
Teu.
Reeife, 29 de abril de 1868.
Ulysses Wianna.
assegurar soccorros aos militares feridoe e
doentes.
Este congresso far as suas reunios no
palacio da cmara dos representantes, Lei-
paigerstrasse, as quaes durarlo de 2i a
27 do corrento mez.
O cougisso catholico convocado pelo
Sr. Eotvos, mtatstro dos coitos da Ffungria
devei reunir-se depois das testas do Pente-
costs.
*k assemba, comosla de 103 seculares
e SI ecclesiasticos, dever estabelecer re-
gras geraes para a administracio das igre-
jas, a direceo da c,aridade publica e o en-
sino.
O principe primaz da Hungra ser encar-
regaeto da presidencia:
POUCO DE TUDO.
NOTICIAS DIVERSAS.O prncipe e a
princesa de Galles foram recebidos com
grande pompa c festeos pelo sulto. Quan-
do os principes
chegarao ao palacio,
ORDENADOS DO GENERAI FLEURY*-
0 general Fleury, eslribeiro mor do impe-
osjradorNapoleo, ganha os seguintes orde
1 nados :
De estrbeiro mor, 40:000 francos; de
general de diviso, 18:000; de ajudantode
campo do imperador, 15:000 ; de senador,
30:000; de oflical maior da Legio de
Honra, 1:000; de director genal das co-
delarias, 20:000. Total, 124:000 francos.
Ajunte-se a isto a residencia no Louvre, mo-
bilada, aquerida e Iluminada, no valor de
143:000 francos, e ter-se-ha um total de
267:000 francos, (48 contos de ris). E
alera d'isso, no oreamento de 1867 deram-
se 110:000 francos para despezas de ins-
tallaco, de accommodacjjb e mobilaclo dos
aposentos do eslribeiro mor.
sua
=
Sao compridas as noutes de jtmho. Ata- Cantes como os pequeos regalos, que, jun-
tos, compem ros caudalosos.
Em quanto durou o crepsculo, manteve
Lecoq o cavalhnho a trote (jfcgado, e fallou
a.iodos os carroceiros que^Tncontrou, De-
pois de anoutecer, a uns -tres qeartos- de
legua da.eidade, apeone porta de urna
pstalagera,- na appareod, para accen^r as
(anternas.
Bonita faqunha I d|sse o estalajadei-
ro, afagando a garupa de Janota.
; Onde o v, deita-a ^lencon no njesrao
frote, retorquio Lecoq!.. Val...
A quinhentos passos da estalagem,azia
estrada, urna volta, e direita prulongava-
se um castanhal. Assim que elobrou a
volta, Lecoq parou o cavallo. Mtirou em
frente e eecuton para traz. A estrada es-
lava deserta. _
Saltou a baixo do carro, tomou-o cavallo
jLredea e levou-o pan: o interior, dolcasta-
abri-lo, como se fra um olttcial de policial. ^a'' Vot mo carril estreito pr onde o
icarro custou a caber. Este mesmo-catanho
tfoj abandonado assim que chegou I primei-
|ra clareira. Janota, puxado com violencia,
rompeu .por entre a "ramaria, e o carro
achou-se ra do caminho.
Em pleno dia, seria- fcilmente visto, no
js[tio em.que estava ; mas de noute; n'um
osque, tudo que se.al encontiaep ca-
ninho aberto, desappareoe comploaniente
vista.
Lecoq desatrellou o cavallo, deoj comj
e duznts a trez'entds passos, para o
interior do castanhal, e prendeu-o afinal no
mais cerrado da matta.
Feito isto, voltou ao carro. N'um relance
foi a gloriosa calQa de xarez substituida
por outra ordioaria, de ganga azul cossaela
nos joethos; em voz da elegante jaqueta
de viagem, envergpu urna blusa, e tocou-
se com um grosseiro barrete de laa, que
carregou para os oluos.
Singularissimo traje para um namorado !
Descalcou as botas, ultimo vestigio do
luzido vestuario : calcou uns chinellos de
oarcla, e por cima uns b ns sapatos fer-
rados.
Alarmamos que a propria amante poda
passar ao p delle sem o conhecer. Poz-
se a caminho. Era completamente um ser-
rano do Calvados meio camponeo, meio
cidadlo, como os que, abandonando o tra-
balho dos campos, emigrara aos ceios
para cidades.
Ganhou de novo a estrada, e largou para
Caen com passo pesado. Eram -nove horas
e meia.
As dez horas menos alguns minutos, sahio
ura homem precipitadamente de urna loja
de curiosidades, situada na raesma praca
das Acacias, do bairro de S. Martmho,
onde resida o eommisslrio de polica
Sehwartz, Levava blusa de camponez e
barreleFbe lla. Nlo se lhe ouviam. os
passos,. porque calcava sapatos-de ourelo.
Atijavessou rpidamente a praca, 6
apanr.ou debaixo (Je um banco um par do
sapatos ferrados. .
Davam d^z horfts quando o mesmo ho-
mem, calcado eonao os aldeies, e fazeado
soar na calcad* ai grossas taxas dos ga-j
patos, diegou flraca da prefeitura, adq
a msica dos franconis soltava a* ultimas
fifias. Acabava 9 espctaeulo. O aldelo
que tinha calcas db ganga azul cossadas nos
joelhos; blusa.parda e barrete de 13a, assen-<
tou-se n'uma padra a ura recanto da igreja.
O commissario derpolicia foi dos primeiros
aeair do circo, e^irigio-satmmediatamenti
para o bairro da S. Martinho. O aldea*
seguio-o a distanijia.
A meio caminho de casa, na ra de
Gailhjyme o conquistador, acerci>u-se tim
(lamente do commissario um pebre rapaapi
com ar implorativb. O aldelo apres
passo. O commissario regpondeu ao 1%
paria, com impaciencia e aspereza:
Ninguem vem para urna cidade d'estas
sem saber como, nem como nao !... Co-
migo nao eonte.
Immedatamente J. B. Schwartz, com
mais resolucao de que era licito esperar
em vista das recentes perplexidades, deu
a lico que aprender. FaHou do Sr. Lecoq,
seu protector, do cofre de Bancelle e do
desastrado acaso que fuera com que, justa-
mente n'essa mesma noite, o Sr. Lecoq
estivesse a caminho para Alencon.
O commissario de polica ouvio-o de m
sombra e replicou-lhc:
Nlo sei quem o tal Lecoq, 'nem
tenho nada com isso; o que quera era
que voc me.nlo quebrasse a paciencia!,..
Deixe-me, senhor!
Foi o que sem custo fez Joao Baptista,
que acabava de ganhar os seus cem
francos.
O aHelo, cosido cora a hombreira de urna
porta, esputara atiento a cooversaclo.
Quando o commissario de policiae o nosso
J. Baptista Schwartz e separaram, nao se-
guio a netthHp d'elles, e entranhou-se no
ddalo de roas tortuosas que se estende
direita da praca Fonlette. Caminbava
agora apressadamente e barecia moii preoecu-
pado. Havia ainda alerta urna teberna
o fim do becco de S.1 Claudio. O cam-
ponio espreitou pelos vidros entraados e
cobertos de corlioas. de panno de colchos.
Entrou. A espelcncji estava deserta.
Apenas l se va um hmem, que contava
lgum cobre da paite de dentro, do
baldo.
- Estamos promptos. tio Lamberte ?
perguntou 'Lecoq, que lodos de-eerto terlo
conhecido, apesar do disiarce.
Em vez de respeader, o tabecoeiro per-
guntou |
Traz aqullo, TolOnw ?
Lecoq bateo n'um objecto qie avultava
j-debaix da blusa ; ourio-se umsom me-
tallico. Oltaberneir afwgou a taz e sairam
ambos.
(flMWt'nttafw^-Ao;
rTRI


S



TYF. M DIIRIO-RUA DAS (
R.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZQZQNWXM_7NSVOU INGEST_TIME 2013-09-14T01:02:26Z PACKAGE AA00011611_11840
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES