Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11830


This item is only available as the following downloads:


Full Text

mmm1mmm

ANNO XLV. NUMERO
r
PAHA A CAPITAL E LGA1ES ONDE IA6 SE PAGA PORTE.
or tres mezes adiaiitados........ ...... 6J000
Por seis ditos idem....... [ [ [ [ ] 2 Por um anuo idem. ...,..*' .......... 24<8000
Cada numero avulso......'.'. '.i '.'..'. '. '. '. .' '. 320"
DIARIO DE
PARA DTM ;J0RA |A PROVWCIA.
Por tres mezes adiantados......... p^wq
Por stis ditos idem........... iXano
PoCa0oOSdem : : '
<
#
27<9toOO
PERMMBUCO.
Propriedade. de Manoel Kgueira de Faria & Filhos.
A AGENTE
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para; Connives Pinto, no Maranhao; Joaquira Jos de Oliveira, no Cear; Antonio d Lemos Braga, no Aracaty; JoSo Maria Jubo Chaves no Ass 4ntnnin Marm,M a, ,v, m .
Guiarles Pancada, em Mamanguape; Antonio Alexndrino de Lima, na Parahyba; Antenio Jos Gomes, na ViJJa da Peana; Belarmrno dos Sanis BuS, i^ ivJSto SfflSi^; Anfn' Jo9^m
_____________________. em Nazareth; Francmo Tavares da Casta, em AJagas; Dr. Jos Martins Alves, na Bahia; e Jos Ribefro Gasparinho, no Rio Janeiro. UOmHlgOS J0Se a t0i,ta *"
PARTE OFTICIAL
overa do blapado
Sendo necessario previnir qualquer desa-
gradavel occorrencia que por ventara se
possa dar as igrejas por occasio da devo-
?io do raez Marianno, S. Exc. Rvm. o Sr.
hispo diocesano prohibe qoe tanto as ma-
trizes como nos conventos ou igrejas se ce-
lebre tarde ou notite qualquer acto relati-
vamente a este festejo.
O que se communica aos Rvds. parochos,
sacerdotes e religiosos para sua intelligencia
c .'overno. ^
Secretaria episcopal, 28 de abril de
!K(i9.
Dr. Lttiz Ferreira Xobre Pelinca.
Secretario do Bispado,
Itcparii?5o da polica.
V secglo.Secretaria da polica do Pernambuco,
Vi de abril de 1869.
N. 634. nim. e Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao conheciraento de V. Exc. que, segundo
onsta das partlcipacoes recebidas hoje nesta re-
paruglo, foram hontem recolhidos casa de deten-
gao o? segurles individuos :
A' minha ordem, Emiliano Pereira de Lyra, e
Luiz, escravo de Reinaldo Gomes da Cunta Pe-
drosa, vimlosde Nazareth, como sentenciados ; L-
zaro Jos Cabral, Joao Francisco de Oliveira e Pe-
dro Monteiro de Azevedo, como recrutas.
A' ordem do subdelegado do Recife, o subdito
franeez Coste, requsicao do respectivo cnsul;
Flix Jos Dornellas, a requnigao do capitao do
porto ; Francisco Flix da Cunha, para ser con-
servado mi custodia, e Luiz, escravo de Alfredo &
C. requerimento desles.
A' orden do de Santo Antonio, Felizarda, es-
clava de D. Jeronyma Maria da Conceiclo Figuei-
redo, requerimento desta.
A' orde n do de S. Jos, Manoel Cardoso, por
suspelas de ser escravo e andar fgido, e Jos,
escravo de Jos Carlos Cavaleanti de Albuquerque,
por andar fgido.
Eqi officio dtado de hontem participou-me o
subdelegado do Recife, que tendo Francisco Flix
quella (regneae, saludo no dia anterior em urna
jangada, pescar no alto mar, voltra hontem o
primeiro, 'razendo niorto sobre a jangada a seu
coinpanheiro, que, apenas soube do facto, dirigi-
le ao lugar aonde se achara Francisco Flix e o
cadver de Vieira para proceder a competente
vistoria. a interrogando a Cunha sobro a causa da
morte daquelle, tivra em resposta que estando
atnbos a dormir fura Vieira morro neja pancada
Je tun navio que passra entao junto da jangada,
sendo que nessa occasio elle interrogado accor-
dra com o rumor, e vendo seu companheiro mor-
to e banhado em sangue, voltra para trra. Em
vista do que fez recolher o interrogado casa de
detengao, e procede minuciosas indagagoes para
i-i'nheeimento da verdade.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. vice-
ce-pre mento Machado Portella. O chefe de polica,
Fraiii'.iai de Faria Lemos.
EXTERIOR.
\i VMI'AMKNTO DAS F0HCAS BRASILEIRAS EM ASSLMP-
QAO, 6 DE AB1IIL DE 1869.
nra ue raarchon o exercito, e que presumo
:invi>s sui'i't'ssoa se teoin de encadear, venlio reto-
ar na iii.iireasa o lugar que me devido, do
qoal havia-ine apartado pelo armisticio de tres
nirzcs. que parecen ter feito o exercito alliado, de-
pois de sua gloriosa entrada em Assompco.
AbsUve'-me muilo de proposito de esciever,por-
entendi que pouco importava aos oossos lei-
tres a refsrencia de noticias de nenhuma impor-
tancia, lfls como informacoes inexactas de passa-
dos ou pr-ioneiros, as quaes nunca enconlrei ca-
bedal de v rdade, ou noineagoes interinas de che-
Eea de cornos, de brigadas e dvisoes, as quaes
pouco pod-m interessar ao paiz, que, cansado^des-
ta I uta des istrada, espera vido sua terminacao.
Dora en i diante procurarei satsfazer a curiosi-
dade de nowoa leitores com as noticias de maior
iin|irtancia que forera occorrendo ; entretanto
julgo de meu dever pedir-lhes desculpa de urna
falla que tem sua justifleacao no que deixei cima
dito. Principiare! apreciando a chegada do Sr.
"ii.-ellieiro Paranhos.
A nomeacao de S. Exc. o Sr. conselheiro Para-
olios |iara Mviado extraordinario e ministro ple-
nipotenciario foi geralmente acceita no exercito.
S. Exc. era desde o ministerio passado o indigitado
peja opinio publica para o exercico deste impor-
tante cargo, e o ministerio actual nomeandqjo nao
fez mais que corresponder aos votos da nacio.
A profunda consideracao do que goza S. Exc.
nos estados do Prata, a bem merecida reputaran
de primeiro diplomata brasileiro nestas repblicas,
a amizade (lestes povos, de que fez-se credor pelo
convenio de 20 de fevereiro, e por outros servicos
de eonsummada illustragao e prudencia, seu talen-
to fecundo e luminoso, seu carcter grave, cortez
reservado, sua pala vra eloquente e sonora, sua
recudi e justica, seu trato ameno e delicado, tor-
naran! o nome do Sr. conselheiro Paranhos o mais
sympathieu e amigo as repubh'cas do Prata. Ou-
tra qualquer nomeacao que nao fosse a deste dis-
tincto cavalheiro, seria contraria aos interesses na-
eionaes.
Em situacSes internacionaes difllceis, quando ee
trata do resolver questo de intrincada diplomacia.
os governos uao devetu impr nomes de ministros,
mas consultar, escolher e nomear aquelle que,
tendo t ser acreditado em ura paiz estrangeiro,
all goza de consideracao c estima, inspirando con-
lianca pela recudi de seus principios de justica,
invariavei.
stas cundieses eslava o Sr. conselheiro Para-
nhos. S. Exc. chegou em lempo de prestar impor-
tantes servicos causa nacional, ja esclarcceno
diflerentes questoes, que rcclamavam decisoes, j
trabalhando noite e dia em seu gabinete, inter-
rompendb teua trabalhos para-receber e commu-
nicar oflicialiditde do exercito e. armada, que
concordara, com satisfago, para comprimenta-Io.
s Exc. recebeu e fallou a todos com as maneiras
cavalhelro^as que Ihe sao proprias, retirndose to-
dos penhorados por S. Exc.
Tendo S. Exc. de occupar-e de negocios impor-
tantes em Buenos-Ayres, aguardou a marcha do
exercito, a qual, sendo, por ordem do cumman-
dante em chafe, determinada para a madrugada do
da 3 do corrente, embarcou S. Exe. no dia 2,
auompanhado dos Srs. Drs. Adolpho Lisboa e Jos
Maria Ja Silva Paranhos Jnior, com o flu de se-
guir viagem no dia 3, depois da marcha do exer-
ito.
Infelizmiinte, cahinilo copiosas chuvas, e achan-
da-so alag;.da a estrada e os terrenos em que ti-
nUam a* Torgas de acampar, S. Exc. o 5r. mare-
cual Guillu rme adiou a marcha do exercito para
quandoo tMDpo permittisse, conservando-se este
prompto pruneira voz. Este imprevisto aconte-
cimento deu lugar a que partiss S. Exc. o Sr.
conselueiro Paranhos com a sua comitiva sem que
$e uvesae aobUiaado o exercito.
Seguio, pois, com 8>. Exc. at Buenos-Ayres, e
consta-nos que d'ahi partir para o Brasil o Sr.
Dr. Jos Maria da Silva Prannos Jnior, que por
alguns das permanecen entre nos.
Fallecen no dia i do corrente, de urna hepatite
ehromea que terminon por urna peritonite, segun-
do tenho ouvido dizer, o eommaDdante do 2* corpo
do exercito, o brigadeiro Jacintho Machado de
Bittencourt, urna das nuis brilhantes glorias da
presente campanha.
Nos combates successivos de Lomba Valentina,
elle, posto que estivejse com um caustico aberto,
em consequuncia da enferraidade que to cruel-
mente no-lo roubou d'entrens, todava, eorao sol-
dado brioso, permaneceu noites e das debaixo de
copiosas chuvas, ao lado do Sr. marquez de Ca-
xias, em frente ao immigo, recebendo de S. Exc.
as ordens e transinittindo-ss as torcas de seu com-
mando com tal presteza e acert que mereceu de
S. Exc. o Sr. marquez o a?slgnalado elogio que se
M na ordem do dia do conmandante em chefe, sob
n. 272, de 14 de jneiro do corrente.
NIo foi nesta jornada fomente qu* o bravo bri-
gadeiro Jacintho Machado Bittencourt proeedeu
assim : em todas as accoes em que as torcas de
seu coiiimandn tomaram* parte, o nobre general
proeedeu com galharclia.
Na memoravel batalha de 24 de maio, depois dos
ferimentos do general Sampaio, foi elle qnem as-
suraio como coronel o enramando da 3* divslo de
infantara, e collocando-se frente della logrn re-
chacar as columnas paraguayas, que, rompendo
nosso flanco esquerdo, iientraram em nossos
acampamentos.
Depois da luta, o campo ?m que tinha brigado a
3" divisao estava juncado de cadveres, e eram
tantos que nao se podendo enterrar lodos, eneine-
raram-se muitos. Eu o vi grande na jornada, e
to calmo como em dia de festa.
Nestes ltimos tempes o brigadeiro Jacintho Ma-
chado de Bittencourt sentia urna contrariedade em
seu espirito, e queixava-se a seus amigos. Eu, que
mereci a honra de sua amizade, ouvio-o algmas
vezes. Sua morte foi sentida por todos quantos
apreciam o verdadeiro merecimento ; o seu en-
terramento foi feito com a pompa digna da alta
hyerarchia que oceupou no exercito. A' sua fa-
milia acompanho era seus justos sentimentos.
' No dia 4 o lempo parecen melhorar, e o exerci-
to aguardou a todo momento a ordem de avanzar.
Como quer que seji, o Sr. marechal Guilherme
desenvolveu tanta actividade na expedicao de suas
ordens e as providencias que teve de tomar para
mobilisar o exercito, que nao posso deixar de ren-
Jer a S. Exc. homenagem por esses servidos ;
principalmente tendo em consideraclo seu estado
de saide, sempre alterado pelas variacocs deste
clima inhspito.
Nestes servicos resalta incontestavelmcnte seu
fervoroso patriotismo, abnegacao de si e ardor de
conquistar para sua patria novo's louros as lulas
que vamos empreheuder por amor da civilisa^ao
mdrra/i
Neste pesado encargo auxiliaran! inuuo a s.
Exc. tanto o coronel chefe do estado maior o Sr.
Dr. Rutino Eneas Gustavo Galvao, como o tenen-
te-coronel ajudante-general o Sr. Dr. Jos Maria
de Alencastro. Ambos foram secundados pelos ac-
tivos e habis assistentes, o primeiro pelo Sr. ca-
pillo Jos Joaquini da Costa Guimaraes, e o se-
gundo pelo Sr. major Luiz Eduardo de Carvalbo.
Vamos ouvir de novo troar os canhoes adiados
as florestas virgens do Par.guay ; e, posto que
tenhamos com o sangue derramado em tantos
combates e batalbas, desde o Itapir at Assump-
cao, demasiadamente lavado as injurias e aflrontas
que Francisco Solano Lpez atirou face de urna
nara i ciosa de seus brios e pundonor; posto que
o pavilhlo auri-verde tenha gloriosamente tremu-
lado sobre todos os baslioes iniraigos; todava o
governo nao quer considerar a nossa obra comple-
ta, vencedores, dominando a capital da repbli-
ca e franqueando a naveg.-.cao do rio Paraguay a
todas as bandeiras, tratassemos a paz com Lpez e
nos retirassemos.
A distribuirlo da medalha de Mrito com tanta
restriccao, concorreu, como tenho ouvido para ag-
gravar os coracoes queixosos.
Se isso era bem ou mal entendido, nlo quero
nem devo apreciar.
Sei, porm, que os deveres contrahidos com a
patria collocam o militar cima de resentimentos,
de queixas e de injusticas, mesrao quando as hou-
vesse.
Com effeito, o segundo corpo de exeretto no da
5 pelas cinco da manira levantou acampamento,
e com passo firme, abrazado de enthusiasmo mili-
tar, metteu-se estrada de Luque, o primeiro pas-
so de avanco para as cordilheiras
Eram quatro horas da manhla quando soou no
quartel general1 em chofe o toque de alvorda, e
em seguida o corneta-inor tocouBara qurtn qut-
zer, para quem quizer Sahi, e, ao approximar-
me do exercito, j todos os corpos estavam em
forma ; pouco depois deu-se o signal de avancar,
e os corpos que faziara a vanguarda comecaram a
mobilisarem-se, desfilando ao som das cornetas e
das bandas de msicas, que tocavam pecas mar-
ciaes.
No momento da marcha o contentamente e o
enthusiasmo militar dominou a todos, deixando
os descontentes suas queixas nos acampamentos
de onde haviatn sahido. O amor da patria hava
nobremente reanimado a todos, recordando a ca-
da um o seu dever, e todos esquecidos de si, mas
lembrados da patria, marchavam orgulhosos para
comprar a victoria lina! com sacrificio de s^u san-
gue.
Como grande e magnifico este espectculo t
Gomo altamente sublimado e imponente ver o
militar com passo seguro e firme caminhar para
os perigos, e brigar, affrontando a morte, com o
mesmo sorriso, com o mesmo gosto, com o mes-
mo ardor com que o litterato caminha para o
seu gabinete e toma a penna para os seus traba-
lhos 1
Misslo grandissima sublime, que nao tem ri-
val t
Foi nomeado e acha se commandando a praga
da Assumpglo o coronel Hermes Ernesto da Fon-
ceca. A torga de seu commando compoe-se dos
seguintes corpos : 5i de volntanos e Io de arti-
Iharia armados a infantaria ligeira, 40 de volunta-
rios infantaria pesada, 4o de artilharia, 18 e 2o
regimentos de eavallara, isto 3 de infantaria, 1
de artilharia e 2 de cavallaria. Achando-se todos
os nossos depsitos de materiaes de guerra con-
centrados nesta praca, que deva ser hoje conside-
rada o ponto objectivo do inimigo, e sendo de
mais a mais bstanle grande, de modo que oflfere-
ce muitos pontos vulneraveis, julgo insufflciente a
forca deixada para defend-la, no caso de ser ata-
cada, mormenie quando o servico da guarnicao,
de piquetes e de faxinas ao hospital e aos depo-
positos, de carneaclo, o de polica e limpeza da
cidade, e outros muitos que reclamara soldados
absorvendo grande numero, dio lagar a que so-
mente tenhamos um coipo de infantaria de promp-
tidao.
Ninguem dir que urna paaga to extensa, com
tantos alementes contrarios aos attiados poasa ser
defendida por urna torga insignificante. Emendo,
pois, que uao pude ser guardada.por menos de
cinco ou seis corpos de nlantaria. Estas consi-
dera^des que me suggerei sao aconselhadas pela
prudencia e nunca pelo espirito de pusillaiHaH-
dade.
Foi nomeado conaul do Brasil, acreditado junte
aos generaes alliadoe, o Sr. Miguul loaquim de
Souza Machado, que i^ial :argo exerceu na cida-
d de Gorriettee. Mcx^o dj Wcnto esclarecido e
vigoroso, carcter crcumspecto e justo no cum-
plimento de seus aeveres, a nomearlo do Sr. Mi-
guel Machado nao poda deixar de merecer ap-
plausos de todos aquees que aprecam as virtu-
des civis do nomeado.
Havendo necessidade de decidreni-se algumas
quesloes sobre propriedades immoviiis, urbanas e
ruraes, o Sr. marechal Guilherme noineou aos
Srs. cnsul Miguel Joaquim de Souza e major Dio-
go Antonio de Barros para com o nomeade, por
parte do Sr. general Mitre, constituirem o tribunal
que deve decidir de semelhanles questoes.
Segundo consta-me, esta commissao est autori-
sada a alugar por prazo de um auno, mediante
(langa idnea as casas dos particulares que estive-
rem ao servigo de Lpez, e que nao estiverem oc-
enpadas pelos alliados, recolhendo-sf( em deposito
os alugueres, que terao destnela juizo dos gene-
raes alliados, sendo, entretantos-entregues aos
seus proprietaros ai|uellasque elles por ttulos le-
gaes provarem seu dominio e posse.
Os generaes alliados nomearam tambem onlra
commissao, e esta foi assim organisada : por par-
te do exercRo oriental foi nomeado e Sr. tenente-
coronel Vasques; por parte do exercito brasileiro
foi nomeado o Sr. major Amphnsio Ralbo; p r
parte do exercito argentino o Sr. Dr. Lnizaga (pa-
raguayo.)* Esta commissao tem por fin mediante
pregues as pragas de Buenos-Ayres e Montevioo
vender, ou mandar proceder a arreinatagao de to-
dos os art'gos nacionaes encontrados em deposito,
cujos donos nlo se apresentarem no prazo marca-
do para comprovar sua posse.
A leitura da carta imperial de 13 de margo
passado, que nomeou o Sr. Dr. Francisco Bonifa-
cio de Abreu grande dignitario da ordem da Rosa,
encheu de contentamente a todos aquelles que fo-
ram testemunhas dos esforgos e dedicacao do re-
ferido douter em prol da humanidate. Sentimos
que esta bem merecida remunerae5o se fizesse
tanto esperar, porque entendemos que as glorias
que vera tarde j vm frias. Soubemos que o co-
ronel o Dr. Francisco Pinheiro Guimaraes foi
agraciado com a dignitaria da ordem da Rosa.
Testemunha ocular, por quatro annos, dos impor-
tantes serviros prestados .por este coronel na pre-
sente campanha, nlo posso deixar do erer que o
Sr. ministro da guerra aguarda a proraoco do
exercito para conceder-lhe as honras de brigadei-
ro honorario, como outros conseguiram.
Extinguio-se o hospital do Cerrito vindo todo o
pessoal medico servir na Assumpcao. Tendo di-
minuido consideraveltnente o numero dos enfer-
mos nos hospitaes de Humait, vieram d'alli sete
facultativos, que se acham empregados no hospi-
tal destacidade. Presentemente o numero de m-
dicos to grande, que uns esto sendo eoadju-
vantes de outros. Como no numero destes al-
guns ha que nenhnm servico tm prestado ao
paiz, ao contrario slo verdadeiros pensionistas do
estado, parece-me que o governo imperial fazia
um grande servigo huiiianidade e urna econo-
A torca, eommamada toda pelo coronel Bueno,
compoe-se do segrate pessoal:
6.* brigada de cavallaria formada pelo 4." corpo
de cacadores a carello, 18. corpo provisorio de
cavallaria, 5." brigada de infantaria formada pelo
H. batalhlo de nlantaria e corpos 33. e 53. de
voluntarios.
Urna batera de ajrllhara com 6 pegas de cam-
panha. Com o estane-maior e engenheiros as doas
brigadas formam 1,960 borneas, inclusive 153 olft-
ciaes.
Toda esta Coran foi embarcada sem accidente
nos encouragados Bahia e Barroso, transporte Leo-
poldina, vapores fretados Paysand e Dezeseis de
Abril, tendo tambem prestado para esse servigo o
forneeedor Laiia seusjapores Sitzan Bem e Rio
Para/juay. I.e\ a xpedigao 502 cavallos exce-
dentes e 167 mujas.
Rosario dista da Assumpcao urnas 23 leguas,
e cabeca do rico departamento do mesmo nouie,
um dos niais |hipulbss e fiorescentes do Para-
guay. ISesse terftorio tem o inimigo vastos re-
cursos natuiaesdequeiios eonvm muilo prva-lo.
Na mesma occasio subi o aviso Fernandes
Vieira, com destipo a Corurab, levando as malas
do crrete do Rio de Janeiro para Cuyab, e che-
gou do 1-eixo dos Morros a canbonera Ivahy.
Assumpcao ficou era verdadeiro deserto depois,
da sabida do exeriito ; a nova capital hoje Lu-
que, base principal para as prximas operagoes de
guerra. Para ail passa*ani-se todos os mercado-
res que vivera fpsst casta.
uado neste dia lovautou os
s ii descrentcs da termna-
ranca reappareceu. Aguar-
e algm feito importante da
to, Para a esquadra anda tal-
cousa digna della.
sumpcao, joatamente no momento critico, ispos-
sivel dizer o que teria sido nlo smente do exer-
cito, como da trplice alliaoga.
Estes assigrealados servicos provam os gran-
des talentos d^ste hbil estadista, os quaes slo a
todos os respeitos iguaes a sua alta reputagao.
* opinjlo publica e a imprensa neste paiz j se
O movi ment
nimos dos pe:,
cao da guerra,' e
da-se com anc
marinha e do ex
vez appareca
Ficou commandajido a praca de Assurapgao o
mia .rAirnlap '"^ ...".f^-. FUki:.. j;.f-~.-
servigo do exercito, porque esses individuos em
nenhuma das situacoes difficeis por que tem pas-
sndo o exercito tilo prestad* eervagos huraaui-
dade.
Esta a verdade reconhecida por todos.
O estado sanitario do exercito o mais lisongei-
ro que se pode desejar. O hospital militar do
exercito nesta cidade, do (pial director o Sr.
major Luiz Carlos Mariano da Silva, funeciona
regularmente. O Sr. Mariano solicito no cuui-
primento dos seus deveres. A scelo medica
acba-se confiada ao Sr. Dr. Jos Joaquim Gongal-
ves de Carvalbo, e a eirurgica ao Sr. Dr. Ayres
de Oliveira Ramos : ambos sao mdicos e cirur-
goes distnctos. A administraglo do corpo de
sade do exercito, commettda ao Sr. cirurgilo-
mr de divslo Dr. Jos Moniz Cordero Gtahy,
marcha por sua parte dignamente. Por minha
parte muito e muito espero de sua adminislragao.
Foi tambem nomuada pelo Sr. general era chefe
urna commissao de estatstica e poloa, encarre-
sada do arrolamento de casas e planta da cidade.
Os membros jesta commissao slo os seguintes
senhores; major Eudoro Emiliano 'le Carvalbo,
capules Joao Francisco Alves e Joaquim Rodri-
gues do Valle.
Embarca amanhla, com destino villa da Con-
ceiglo, urna expedicao eomposta das seguintes
torgas : una brigada de infantaria, comraandada
pelo Sr coronel Bueno, urna batera de artilharia
e urna brigada de cavallaria, ao mando do Sr.
tenente-coronel Justinano Sabino da Rocha, fican-
do toda a forga ao mando do Sr. coronel Bueno.
Cltima hora.
Neste momento um Paraguayo foi denunciar ao
Sr. coronel Hermes que os Paraguayos, sombra
de um baile, para o qual tinham tirado licanga,
pretendiam, armados de revolver, atacar as tor-
gas que guardam a cidade. 0 Sr. coronel Her-
mes temu enrgicas providencias no sentido de
fazer abortar este plano.
Assumpglo, 8 de abril de 1869.
Partindo o transporte Bonifacio para esse porto,
por ter concluido a commissao do ministerio da
guerra, que aqu o trouxe, apr iveito-o para dar-
lhe noticias dos ltimos successos da guerra do
Paraguay.
Por ati j se estar duvidando de que o exerci-
to marche para o interior, vista dos adiamentos
que tem havido. Pois por este vapor nlo me li-
mitarei a dizer que o facto se realizar dentro em
breve, mas sim que se realizou, com bastante sa-
tisfaglo de nossos soldados, que j estavam vexa-
dos com a ncelo em que os deixaram.
No dia 5 pz-se elle em marcha em procura do
inimigo. O general Guilherme fez nesta occasio
urna proclamacao enthusasta aos seus compa-
nheiros de fadigas, aos quaes, mesmo doente,
conduz ao campo da honra.
No dia antecedente ao da partida do exercito
deixou Assumpglo o Sr. conselheiro Paranhos,
que retirou-se para Buenos-Avres, no vapor
Galgo.
Tambem nesse dia subi o chefe Elisiario at o
Rosario, na canhoneira Henrique Das, afim de
examinar o ponto em que tinha de desembarcar
a xpedigao confiada ao mando do coronel Bueno,
de que adiante fallarei.
No diaT haviaafc perdido o conrnandante do
I. corpo, brigadeiro Jarimbo Machado de Bitten-
court, que foi acommettido de urna febre typhica,
qual suecumbio. Seu cadver foi sepultado
da
coronel Herme
Na altura da
Ivalii/ ura parag
taz la estancia
lias das povoa.
da sabia do rxercj
O pequea v,
Cerrito Assu
duas pequeas b
Tebijuarv, na
commandante
dimento, e os m
entregar ao bospi
nliaui cortado.
E' preciso una
policial' to exte
da vai desenipi
inesina dedicacao.
niuiigo.
Nada mais dig
c.
te do K'*arw apresentou-se a
que ijestorou ter sido capa-
' Barrios, e que as farai-
im-se om S. Estanislao. Na-
ira'iuigo, era de Lpez *
Linioya, em sua viagem do
como correio, aprisonou
que se achavam cima do
em iaimiga, sem licenga. 0
a foi louvaio por esse proce-
das barcas condemiiados a
de marinha a lenha que j t-
ergamsagao de ura
ay, e provavel que
Usarlo desta idea,
ayos que se acham
tagens trar aos
vai manifestando era
governo provisorio no _
o Sr. Paranhos aceelere
to ambicionada petos
ero Assumpcao, e qae
alliados.
Temos aqui noticias daqnella cidade. Os exer-
citos alliados, que deviam partir para o interior no
da 3, s o fizeram no dia o por causa da grande
cbtrva que houve naqoella data. natural que a
marcha seia lenta, por falta da cavalhada. Talvez
o Sr. conde d'Eu v encontrar o nosso exercito
anda em Luque ou pouco adianto.
Sua Alteza ha de sem duvida dar actividade
nossa gente e se Lpez nos esperar em Ascurra,
onde consta upe se acba com o que Ihe resta do
seu povo masculino, de esperar que, rom um
plano bem concebido e executado.possa o principe
dentro em pouco lempo felicitar-nos com a con-
cluslo desta maldita guerra.
Appareceu nos jornaes daqui um annuneo da
venda m hasta publica, em Assumpcao, dos ra-
ros encontrados all. Sao os croe restaram depois
que o tribunal entregon grande parte dos mes-
mos aos redamantes, cujos direltos reconbeceu. O
producto do leilao, que dever ter lugar no dia 20,
ser dividido pelos tres alliados em partes iguaes.
Parece-me que houve mui ponca antecedencia na
publicaglo desse annuncio, o que far cora que
pequea seja a concurrencia na praca.
Foi nomeado cnsul interino do Brasil em As-
sumpcao o Sr. Miguel Joairnim de Souza Macha-
do, ffce exercer, como natnral, as suas func-
coeswe accordo com o rgimen militar a que esta
suiefa aquella cidade.
Hoje teve aqui lugar a primeira reum'Io do se-
nado para verificar as eleigoes ultimas. Soube que
apenas se notnearam as commissoes. Fallava-se
hontem em grande barulho que teria lugar, mas
nada occorreu de notavel
rigilancia extraordinaria para
rporrao de rio, e nossa esqua-
o este arduo servigo cora a
une at agora combata o
menguo tem occorrido por
IHTERIOR.
com as honras devdas no ceraiterio da capital.
Aquelle corpo do exercito passou a ser comman-
dado pelo brigadeiro Jos Auto da Silva Guima-
raes.
Antes de partirlo Sr. conselheiro Prannos apre-
senlou como consol do Brasil no Paraguay ao Sr.
Miguel Joaquim d Souaa Machado, queja exerceu
o lugar de viue-cooaal no Salto, e ltimamente na
cidade de Corrientes, mostrando nestas commissoes
tai criterio e intelligencia que Ihe mereceram a
promoclo justa que acaba de tur.
S. Exc. declarou s autoridades braseiras que
a commissao 40 Sr. Machado ser doaempenhada
sema menor quebra do rgimen militar em que
se acha esta cidade, e limita-se aos deveres pro-
prioe de Hra cnsul, relativamente/ao comraereio e
navegagao do Brasil, e aos interesses dos subditos
braseiros nao perteuceate m exert ito em ope-
ragoes.
A exuedigio para o Rosario parti hoje. Tuda
tinha sido de aute-m*o preparado para o seu em-
barque com aonarttiide tMetgeneiii mkk ***
do estado-maiord?, esquadra e Draurc-rodraR'
barne.
IILE.NOS-AHKS. DE Mli'.ll. Dfi 1869.
v^. a:~ o t^.afSJSm-'in ncaic pono o transiirtr.
te Galgo, Irazenda'seu liordoo'Sr. conselheiro
Paranhos, que, tendo prestado excellentes e gei ai-
mente reconhecidos servicos em Assumpglo, du-
rante quasi dous mezes, vm agora oceupar-se dos
negocios da sua misslo aqui. onde, como se deve
saber, acha-se j o Sr. D. Adolpho Rodrguez, por
parte da Repblica Oriental do Uruguay.
No dia 7, s 8 horas d manilla, ebegou a esta
cidade S. A. R. o Sr. marechal do exercito conde
d'Eu, a bordo do transporte Alie*.
O governo argentino, que de Montevideo tivera
aviso desta visita, tinha-se preparado para fazer
todas as honras devidas ao nosso principe.
Urna guarda de honra, com banda de msica,
foi jiostada no mollie, e apenas fundeon o Mice
se^uiram para bordo dous escaleres alvorando na
proa a bandeira braseira e levando um delles
dous ajudantes de ordens do presidente da repu-.
bltca, (ue em nome deste foram eonipi mentar a
Sua Alteza.
Logo aps seguio para o mesmo destino e fim,
o Sr. Borges, uosso ministro residente aqui.
As 9 horas desembamm o principe acompa-
nliado dos referidos senhores e dos generaes Po-
ydoro e Fonseca Costa e coronis Pinheiro Gui-
marles e Tiburcio, sendo recebdo as oseadas do
raollie pelos Srs. conselheiro Paranhos e ministros
de relacoes exteriores e da guerra da rep-
blica.
Iramensa mullidlo, enlre a qual crescido nume-
ro de braseiros, cobra o molhe e lugares adja-
centes, saudando com respeito o principe, que a
atravessou com o bonet na mo, e metteu-se com
o ministro da guerra e o de relages exteriores, e
o Sr. conselheiro Paranhos, era urna carruagem
do governo, puxada a quatro cavallos. Em outros
carros entraram os generaes mencionados, todos
os offlciaes que vieram com Sua Alteza e outras
pessas gradas. Todo o prestito seguio para a casa
do Sr. ministro Borges, onde o Sr. conde d'Eu se
hospedou.
A 1 hora da tarde foi Sua Alteza com os Srs.
Paranhos, Borges, os generaes c ofllciaes j men-
cionados e outras pessoas, casa do governo, on-
de foi recebdo pelo presidente Sarmiento e todo o
ministerio.
entrada da casa do governo estiva postada
urna guarda de honra, que fez as continencias do
estylo, e todos os corredores, escadas e salas con-
tiguas da recepclo achavam-se atopetadas de
gente de tedas as elasses.
A visita durou mais de urna hora, durante a
qual conversn o principe largamente com o pre-
sidente da repblica em hespanbol muito puro,
fallando depois com cada um dos ministros.
A sala de recepclo estava mobiliada com os
trastes riqnissimos que vieram da Europa para
Lpez e foram em 1865 aqui embargados, e que
sendo confiscados e postes era hasta publica, fo-
ram pelo governo argentino comprados. Dtsse-
ram-me que entre elles encontrou-se um modelo
de corda imperial. Teria o Napoleao caricato a
idea de se coroar imperador, depois da conquista
das repblicas do Prata e das provincias de Masi-
to-Grosso e Rio Grande ? !
Toda a imprensa de Buenos-Ayres, cora urna
uuic exeepcao, recebeu o principe com expres-
soes de sympathi e respeito. A excepglo foi o jor-
nal aparaguayadp La Repblica, que sahio-se com
os seus disparates do costume, que foram, porm,
mui bem contestados pelo Nacional, que s veees
escreve, seguodoise diz, sob as inspiracoes do go-
verno.
O Standard no seu numero de 8 do corrente,
depois de fazer nina minuciosa descripgao da re
cepgao de Sua Atieaa, diz que o Sr. conde d'Eu,
com quanto na manhla da vida j tem experien-
cia da guerra e goza de alto conceito entre al-
guns dos primeiros militares da poca. Julga que
a chegada d principe ao quartel-general sera o
signal de maior actividade e que a nica objeegao
que ae poderia oppr sua poaca idade, mas
que j passarain oe das em que ora exime ser
mogo.
Sua Alteza part pJra Assiunpgio no dm 8 s
10 horas da manliia.
O mesmo jornal, noticiando a chegada do Sr.
Prannos, dirgio-lhe as augrales palams :
t Saudafnos este dutineto diplomata no seu re-
gresso a esta cidade, depois de to hmga estada
em Assumpcao, onde, por rneiodos mais infatiga-
veis esforgoa, elle au somente orpaoisau a aeeie-
dade, mas collocou em pe conveniente os negocios
mis e militares. Com e fsiemanho de tantea ca-
Valheiros iuglezes que reoentemen descjram de
Asampefte podemos ea segurasen assewrar que
s oaarttra a preseaa de um boatept, de cepaei-
dade tao osiincta como o Sr. Pal a A.s-
Klo de fanriro
CMARA DOS SRS. DEPUTADOS
PRIMEIRA SESSO PREPARATORIA EM 15 DE
ABRIL
Ao meio-dia acham-se presentes doze Srs. de-
putados eleitos.
O Su. Neb as, como o mais velho dos deputados
presentes, oceupa a cadeira da presidencia, e cha-
ma nnra ^rvirem de secretarios os Srs.: Io Anto-
nio da Suva Prado; 2* uuz joaquuu Dmjnt.-Bj
trada Teixeira ; 3 Candido Jos Rodrigues Torres
Filbo; 4* Jos Calmon Nogueira Valle da Gama.
Os membros assim designados oceupam na mesa
os respectivos lugares, e abre-se a sessao.
O Sr. Presiornte convida os Srs. deputados pre-
sentes a mandarem mesa os seus diplomas. Es-
tes sao entregues e relacionados pelo Sr. 4 secre-
tario.
Em seguida o mesmo Sr. secretario d conta da
seguinte relagao dos diplomas recebidos :
Rio de Janeiro.
Io districto.Antonio Ferreira Vianna, Izdro
Uorges Monteiro e Luiz Joaquim Duque-Estrada
Teixeira.
2o districto.Candido Jos Rodrigues Torres Fl-
Iho.
3o districto.Paulino Jos Soares de Souza.
Minas-Geraes.
Io districto.Joaquim Antao Fernandes Lelo.
3 districto.Jos Calmon Nogueira Valle da
Gama e Mariano Procopio Ferreira Iige.
4 districto.Jos Xavier da Silva Capanema.
S. Paulo.
1* districto.Rodrigo Augusto da Silva.
3o districto.Antonio da Silva Prado e Joaquim
Octavio Nebias.
Santa Calharina.
Jesuino Lamego Costa e Manoel do Nascraento
da Fonseca Galvao*
Procede-se eleicao da mesa, e sahem eleitos
os Srs.:
Presidente (12 cdulas.)
Joaqun Octavio Nebias, H votos.
Vice-presidente (12 cdulas.)
Jesuino Lamego Costa, 11 votos; Izdro Borges
Monteiro, lite Antonio Ferreira Vianna, 9.
Havendo empate entre os dous primeiros senho-
res, a sorte decide a favor do Sr. Latnego.
1 secretario (12 cdulas.)
Antenio da Silva Prado, 8 votos.
2o secretario (11 cdulas)
Luiz Joaquim Duque-Estrada Teixeira, 10 vo-
tos.
3o secretario (12 cdulas.)
Jos Calmon Nogueira Valle da Gama, 9 votos.
4o secretario (12 cdulas.)
Candido Jqs Rodrigues Torres Filho, 9 votos.
Snpplentes.
Rodrigo Augusto da Silva e Jos Xavier da Silva
Capanema.
Em seguida o Sr. presidente nomea urna com-
missao de cinco membros, composta dos Srs. Iz-
dro Borges Monteiro, Rodrigo Augusto da Silva,
Antonio Ferreira Vianna, Jesuino I.aniego Costa e
Jos Xavier da Silva Capanema, a qual, a vista das
actas eleitoraes, diplomas, etc., organisar duas
listas por districto*, urna de deputados cuja elei-
cao nao fr coatestada, e outra dos que se achare
no caso contrario. .
Nada mais havendo a tratar levanta-se a sessao
urna hora da tarde.
SEGUNDA SESSO PREPATORIA EM 16
POESIDKKCIA DO SR. NEBIAS
Ao meio-dia, fetta a chamada, e achando-se pre-
sentes os Srs. Nebias, Duque-Estrada Teixeira,
Jos Calmon, Fontes, Rodrigo da Silva, Lamego,
Antlo, Capanema, Ferreira Vianna e Silva Nunes,
abre-se a sessao.
L-se e approva-se a acta da antecedente.
Acham-se sobro a mesa, e sao remettidos res-
pectiva eommssao, os diplomas dos Srs. Luiz An-
tenio da Suva Nunes e Custodio Cardoso Fontes,
deputados eleitos pela provincia d Espirito Santo.
O Su. 2o secreta*, servindo de i", d conta do
seguinte
BXPEMENXE
Oito ofneos do ministerio do imperio, enviando
actas relativas s eleigoes primarias e secundarias
fetas as prennrias do Amazonas, Para, Mara-
nhao, Cear, (MHlrandc do Norte, Parahyba, Per-
nambuco e Pianhy.A' respectiva commissao.
Outro da cmara municipal da cidade da Cara-
pina Grande, provincia da Parahyba do Norte, re-
meiteudo as copias authenticas das actas das elei-
eSea que tveram logar no da 3!*te Janeiro do
corrente anno.A' respectiva commisslo.
?!ada mais havendo a tratar, levanta-se a sessao
raeia hora depois do roeio dia.
TERCEIRA SESSAO PRBPARATOBIA EM 17
fMBKNCIA B0 SR. NEMAS.
Ao meio-dia, Rita a chamada, e achando-se pre-
sentes os Sra. Nebias, Duque-Estrada Teixeira, Jos
Calmon, Capanema, Rodrigo da Silva, Perdiglo
Malheiro, Fontes, Guimaries, visconde de Cmara-
gibe, SinueiraMeades, Portella, Carrea de Otiveira,
Lamego, Silva Nones, conde de Baependy, Sou?a-
rteis, Ferreira Vianna e Caedo, abre-se a sessao.
Le-se e approva-se a acta da antecedente.
^Acham-se sobre a mesa e se- remettidos com-
missao respectiva os diplomas dos Srs. Fausto Au-
gusto de Aguiar, Minoel Jos de Siqueira Mendes,
Domingos Jos Pinto Braga Jnior, visconde do
Camaragibe, Joaipiira de Souza Reis, Prancisco do
Reg Barros Barrete, Mhnoel Pereira Guiraaraes,
Agos'uibo Marques Perdlgao Malheiro, Antonio
Augusto da Silva tfenedo e Joaquim Pires Macha-
do Portella.
0 Sb. 2o secretario, servhido de !, d conta do
seguinte
* EXPEDIENTE
Quioze officios do niiuistorio do imperio, envian-
do aetas relativas s eleigoes primarias e secun-
darias fetas as provincia de S! Paulo, Espirito
Santo, Rio de Janeiro, Baha. Sergipe, Alagas, Mi-
nas-Geraes, Santa Calharina, Rio. Grande do Sul,
Paran e Goyaz.A's respectivas commissoes.
Outro da cmara municipal da cidade de Nithe-
rohy, remetiendo copia authentiea da acta da a-
puragao geral dos votes para tres deputados pelo
3 districto da provincia do Rio de JaneiroA"
commisslo respectiva.
Dous das mesas parochlaes da villa da- Victoria
e da freguezia de S. Thiago de Iguap, enviando
copias das acias das eleigoes ah feilas.A' respec-
tiva commisslo.
Tres copias authenticas das actas da eleigao para
eteitores das freguezias de S. Roque, S. Joao da
Gloria e cidade de Piumhy, do 7o districto da pro-
vincia de Minas-Geraes.A' respectiva commis-
slo.
Nada mais havendo a tratar, levanta-se a sessan
a raeia hora depois do raeio da.
QUARTA SESSO PREPARATORIA EM 19.
PRESIDENCIA do sr. nebias.
Ao mco dia, feta a chamada, o acliando-se pre-
sentes os Srs. Nebias. Duque-Estrada Teixeira,
Jos Calmon, Candido Ton o Filbo, Gama Cequei-
ra, Fontes, Ifodrgo da Silva; Srouvmo Penido.
Capanema, Dias da Rocha, Melle Mor'aes, Caedo,
Carneiro da Cuuba, Domiugues, Jansen do Paco,
Guimaraes, Correa de Oliveira. viseonde de Cama-
ragibe, Perd gao Malheiros, Silva Nunes, Barros
Brrelo, Souza Res, Ferreira Vianna, Portella,
Antlo e Casado, abre-se a sessao.
Acham-so sobre a mesa, e sao remettidos res-
pectiva comiissao, os diplomas dos Srs. Jeronymo
Mximo Nogueira Penido, Francisco Januario da
Gama Cerqueira, Jlo de Almeida Pereira F1!mv
Joaquim Dias da Rocha, Anizio Salalhel Carneiro
da Cunha, Jos Jansen do Pago, Evaristo Ferreira
da Veiga, Alexandre Jos de Mello Moraes, Justino-
Domingues da Silva, Fausto Augusto de Aguiar.
conde de Baependy, Joaquim de Souza Reis, Ma-
theus Casado de ratijo Lima Arnaud, Franciscu
Relsaro Soares de Souza, Francisco de Paula Ne-
greiros Saylo Lobato, Jos Joaquim de Lima e
noel Francisco Cortea, Manoel do Nasciinento da
Fonceca Galvlo e Mariano Procopio Ferreira Lage.
O Su. 2. Secretario, servindo de primeiro, d
conta de dous offleos da cmara municipal da villa
de Nossa Senhora da Ajuda de Jaguaripe, provin-
cia da Baha, enviando copias das actas do colle-
gio parochial e cleitoral da raesma villa.A' res-
pectiva commisslo.
L-se e approvado sem debate o seguinte pa-
recer :
A commisslo incumbida de organisar, em
conformdade do art. 5 ,45 1." e 2." do regiment,
a lista de_ deputados por districtos eleitoraes, cuja
eleigao nao olTerega duvida era soffra contestacio,
vem apresentar consideragao da casa o resulta-
do do seu trabalho, e declarar que os diplomas
vistos nao conlm protesto ou denuncia contra sua
legabdade.
Pago da cmara dos senhores deputados, i9
de abril de 1869.Aion/'o Ferreira Vianna.J.
Capanema.Rodrigo da SilvaLamego 4a Cos-
ta.
Par.
Fausto Augusto de Aguiar e Manoel Jos de Si-
queira Mendes. -1
Maranhao.
1." districto.Jos Jansen do Pago.
Cear.
2. districto.Domingos Jos Pinte Braga Jnior
e Justino Domingues da Silva.
Parahvba.
1. districto.Anizio Salatbiel Carneiro da Cu-
nha.
Pernambuco.
1." districto.Visconde de Camaragibe, Fran-
cisco do Reg Barros Barretee Joaquim de Souza
Res.
2.' districto.Joar Alfredo Cona de Oliveira.
3." districto.Joaquim Pires Machado Portella.
Alagas.
1.a districto.Matheus Casado de Araujo Lira
Arnaud.
2." districto.Alexandre Jos de Mello Moraes.
Sergipe.
2." districto.Manoel Pereira Guimaraes.
Espirito-Santo.
Custodio Cardoso Fontes e Luiz Antonio da Sil-
va Nunes.
Rio de Janeiro.
1." districto.Antonio Ferreira Vianna, Izdro
Borges Monteiro o Luiz Joaquim Duque-Estrada
Teixeira.
2. districto.Candido Jos Rodrigues Torres,
Filho, Joao de Almeida Pereira Filho e Francisco.
Belisario Soares de Souza.
3. districto. Francisco de paula Negreiros
Saylo Lobato, Joao Manoel Pereira da Silva e Pau-
lino Jos Soares de Souza.
4.a districto.
Cmde de Baependy e Jos Joaquim de Lima a
Silva Sobrinho.
Minas-Geraes.
1. districto.Joaquim Aullo Fernandes Lelo.
2. districto.Antonio AuaBato da Silva Caedo
e Agoslinho Marques Perdig^fclheiroa?
3. districto.Jos Calmon Nogueira Valle da
Gama e Mariano Procopio Ferreira Lage.
4." districto.Jos Xavier da Silva Capanema,
Jeronymo Mximo Nogueira Penido e Francisco
Januario da Gama Ccfqueira.
5." districto.Evaristo Ferreira da Veiga
S. Paulo.
1. districto.Rodrigo Auf asto da Silva.
3. dislricto.Antonio da Silvul'rado e Joaquim
Octavio Nebias.
Paran.
Joaquim Dias da Rocha e Manoel Francisco
Carros. #
Santa Cathariaa. ,_
Jesnino Lamego Costa e Manoel dorfascuento
da Fonseca Galvao.
Procede-se em seguida ao sorteio das tres com-"
misses, composlas de nove membros cada urna,
Sara o exatue das eleigoes, e sahem eleitos para a
* os Srs. Silva Nunes, Correa de Oliveira, Ferreira
da Veiga, Domingues, Fraacisco Correa, Jos Cal-
mon, Prado, Sayao Lobato e Duque-Estrada Tei-
xoira: para a 2" os Srs. Ferreira Lage, Fontes,
Caado, Galvao, eonde de Baependy, Fausto de
Aguiar,' Perdigo Malheiros, Casado e Candido
Torres Filho ; e para a 3* os Srs. Belisario, Soaza
Reis, Almeida Pereira, Lamego, Ferreira Vianna,
Siqueira* Mendes, Lima e Silva, Pereira da Silva e
visconde de Camaragibe.
Na forma do regiment, os membros das referi-
das ooniraisaies que te acham presentes rigem-se
| mesa e prestara juramente.
"1 .m&tl^M
CHH-Wl
*v,
't


Nadn mais havendo a tratar, levantou-sc asessolirao o Dr. Taylcr pangue o somma total dos vo-
a 1 hora da tai
QUINTA SESSAO PREPARATORIA EM 10.
PKSIDENCIA BO SR. NEBIA8.
Ao meio-dia, feita a chan ada e achando-se pre-
sentes oa Sr. N'ebias, Duque-Estrada Teixeira,
Jos Calmen, Raposo da Cmara, Lamego, Guuna-
raes, Fontes, Barros Barreto, Das da Rocha, Ro-
drigo da Silva, Capanema, Caedo, Souza Res,
Silva Nunes, visconde de Camaragibe, Corra de
Oliveira, Fausto de Aguiar, Pinto Braga,-Domin-
gues, Mello Moraes, Siqneira Mendes, Portella. Ga-
ma Cerqueira, Carneiro da Cuaba e Perdigao
Malheiros, abre-se a sessao.
L-se e approva-se a acta da antecedente.
O Sr. 2* Secretario, servindo de Io, da conta
ie 5 offlcios do ministerio do imperio, enviando
actas das eleicoes primarias e secundarias leita*
as provincias do Para, Pernambuco, S. Paulo e
Espirito-Santo.A's respectivas commissoes.
Acbam-se sobre a mesa, e sao remettidos as
respectivas commissoes, os diplomas dos i>rs. Jero-
nymo Martiniano Figucira de Mello e Octaviano
Cabr.il Raposo da Camaru
A convite do Sr. presidente, os Srs. Lamego e
Fausto de Agotar prestam juramento, este como
membro da 2' commissao de poderes, e aquelle
como membroda 3" ,
Nada mais havendo a tratar levantou-se a sessao
1/2 hora depois do meio-dia.
SEXTA SESSAO PREPARATORIA EM 21
,, PRESIDENCIA DO SR. NEBIAS.
Ao meio-dia, feita a chamada e achando-se
Siresentcs os Srs. Nebias, Duque-Estrada Teixeira,
os Calmon, conde de Baependy, Souza Reis, Si-
raeira Mendes, Figueira de Mello, Caedo, Rodri-
go da Silva, Raposo da Cmara, Carneiro da Cu
liba, Dias da Rocha, Fontes, Barros Barreto, Gui-
niaraes, Perdigao Malheiros, Portclla, Casado,
Fausto de Aguiar, Mello Moraes e Correa de Oli-
veira, abre-se a sessao.
L-se e approva-se a acia da antecedente.
O Sr. 2o Secretaiuo, servindo de Io, da conta de
dez offlcios do ministerio do imperio, enviando
actas das eleicoes primarias e segundarias fui tas
as provincias do Maranhao, Cear, Parahyba,
Alagoas, Bania e Minas-Gerac*.-A's rcspecvas
commissoes.
L-se, apoia-se e approva-* seni debate o
seguinte requerimento:
A 1* commissao de poderes requer para os
seus trabalhos que lhe sejam remettdas asauhen-
ticas das actas das eleicoes primarias das provin-
cias do Alto-Amazonas, Maranhao, Piauhy, Ceara,
Rio-Grande do Norte e Parahyba. _
Sala das conferencias da 1* commissao de po-
deres, 20 de abril de 1869.L. J. Duque-Estrada
Teixeira.J. A. Correa de Oliveira.L. A. da bilva
y unes.Jos Calman N. V. da Gama.
Achara-se sobre a mesa, e sao remettidos as
respectivas commissoes, os diplomas dos Srs. Joa-
quim Delno Ribeiro da Luz e Antonio Luiz Alfon-
so de Carvalbo. n
A convito do Sr. presidente, o Sr. conde de Bae-
pendy dirige-se a mesa, e presta juramento como
membro da 2* commissao de poderes.
Nada mais havendo a tratar-se, levanta-sc a
BOHO a meia hora depois do meio-dia.
STIMA SESSAO PRERARATORIA EM 22.
PRESIDENCIA DO SR. NEBIAS.
Ao meio-dia, feila a chamada e achando-se pre-
sentes os Srs. Nenias, Duque-Estrada Teixeira,
Candido Torres Filho, Joao Mendes, Perdigao Ma-
lheiros, Fontes, Barros Birreto, Correa de Oliveira,
Rodrigo da Silva, Silva Nunes, Guimaraes, Das da
Rocha, Caedo, Capanema, Cainillo de Figueiredo,
Domingucs, Mello Moraes, Casado, Benjamn, Car-
neiro da Cunha e visconde de Camaragibe, abre-se
a sessao.
L-se e approva-se a acta da antecedente.
O Sr. 2o Secrf.cario, servindo de 1, d conta de
cinco offlcios do ministerio do imperio, enviando
actas das cleiedes feitas as provincias do Amazo-
nas, Para, Alagoas, Stergipe e Goyaz.A's respecti-
vas commissoes.
Acham-se sobre a mesa, c sao remettidos as
respectivas commissoes os diplomas dos Srs. Ma
noel Jos de Menezes Prado, Antonio Joaquim da
Rosa, Joao Mendes de Almeida, Cimillo da Cunha,
Figueiredo e Benjamn Rodrigues Pereira.
Nada mais havendo a tratar, levanfa-se a sessao
a meia hora depois do meio-dia.
OITAVA SESSAO PREPARATORIA EM 23.
PRESIDENCIA DO SR. NEBIAS.
Ao meio-dia, feita a chamada e achando-se pre-
sentes os Srs. Nbias. nnaiu^F-''.? .T0*^'
Jos Calman, Lamego, Carneiro da Cunha, Souza
Reis, Joao Mendes, Caedo, Domingues, Rodrigo
.la Suva, Raposo da Cmara, Dias di Rocha, Perdi-
gao Malheiros, Silva Nunes, Capanema, Guimaraes.
Ferreira Vianna, Barros Barreto, Casado, tontos,
Canda de Oliveira, visconde de Can.aragibe, Por-
tella, conde de Baependy, Jansen do Paco, Cimillo
de Figueiredo, Belisario c Fausto d'Aguiar, Lbre-se
a sessao.
L-se e approva-se a acta da antecedente.
O Sn. 2 Secretario, servindo de Io, d conta do
seguinte
EXPEDIENTE !
Tres officios do ministerio do imperio, enviando
actas das eleicoes feitas as provincias do Rio
Grande do Norte, Parahyba e Goyaz.A s respec-
tivas commissoes.
Acham-se sobre a mesa, c sao remettidos as
commissoes, os diplomas dos Sr. Jos Martiniano
de Alencar, Manoel Joaquim Baha, Manoel Anto-
nio Duarte de Azevedo, Joo Jos de Oliveira Jun-
qneira Jnior e Candido Freir de Figueiredo
Murta.
L-se, e approvado sem debate, o seguinte
requerimento:
A 2ommssao de poderes precisa:
t 1. Das authenticas das actas das eleicoes se-
cundarias dos collegos de Araruama, Nitheroy e
Vassouras.
2." Das da restallarn dos collegos eleitoraes
de Campos, S. Fideiis, Rio-Bonito, Nova-Friburgo,
Cantagallo, Itaborahy, Mag. Estrella Marac, Va-
lenca, Pirahy, Barra-Mansa, Rezende, Itaguahy, e
Angra dos Res; bem como da installacao de S.
Joao de Principe (onde se deu duplcala) presidido
pelo conego Bento Jos de Souza e Silva.
3. Das da elecao primara de todas as pa-
rochias do 2, 3" c 4o dsirictos da provincia do
Rio de Janeiro, a excepc,ao do de Vassouras. E
qnanto da freguezia de Passa-Tres (em que
consta ter havdo duplicata), as actas da eleicao a
que procederam na matriz.
4. De quaesqner ontros papis, ordens por-
taras ou decisoes do governo geral e provincial
relativos eleijoes primarias da freguezia de
Passa-Tres, e secundaria do collegio de S. Joao
do Principe,
Sala da commissao, em 23 de abril de
1869.Perdigao Malheiros. Conde de Baepen-
dy. Caedo. Casado. Fontes. Fatuto de
Aguiar.
L-se, e vai imprimir para ser submettido a vo-
tacao, cinco dias depois, na forma do regiment,
o seguinte parecer:
i A 2" commissao de poderes, a quem foram
presentes as copias authenticas das actas das elei-
coes primaria e secundaria para deputados assem-
bla geral, que tiveram lugar no municipio da
corte a 31 de Janeiro, 2 e 3 de marco ultimo, vem
aprescnlar cmara dos Srs. deputados o resul-
tado do exame a que proceden as ditas actas, nao
lhe tendo sido offerecidos outros documentos sobre
que devesse emittir parecer nos termos do regi-
ment da mesma careara.
Deanove-aoa parochas que formam o !
districto eleiteral da provincia do Rio Janeiro, a
saber: de Sant'Anna, Santa Rita, Santssimo Sa-
cramento, Nos3a Senhorada Candelaria, Santo An-
tonio, S. Jos, Nossa Senhora da Gloria, S. Joao
Baptista da Lagoa de Rodrigo de Freitas, Espirito
Santo, S. Francisco Xavier do Engenho Veltao, S.
Christovao, S. Thiago de Inhama, Nossa Senhora
da Apresentaco de Iraj, Noesa Senhora do Des-
terro do Campo Anude, Nossa Senhora do Loreto
de Jacarpagu, S. Salvador da Guaratiba, Santa
Cruz, Nossa Senhora da Ajuda da Ilha do Governa-
lor e Senhor Bom Jess do Monte da Ilha de Pa-
quete, ando todas 359 eleitores e formando am
so eollegio-*letoral.
O processo da elecao primaria corren com
regularidade, nao se deduzndo das respectivas
actas falta de formalidade essencial que possa tra-
zer nnllidade a dita elecao
A commissao deve todava informar cma-
ra do seguinte:
Na copia da acta da formacao da mesa paro-
chal ila Gloria se diz que, recebendo-se nove
eeduli.s da turma dos eleitores, e sendo estas apu-
radas, deram aos Drs. Antonio Paulino de Souza
oito votos, Candido Gomes de Vaseoneellos Gua-
nabas oito, Carlos Frederico Taylor nove e Joao
Gama foram declarados membros da mesa os dous pri-
roeiros por terem a maioria de votos. E', pois,
evidente ha ver engao na copia extrahda na se-
cretaria da illustrig? ma c mar municipal da cor
e, tomando-se por loto, um voto,que deve ter ob-
<,r w xji 1BJ1V1 [lili II \|ii!. >-
tos seja de dezoito, con espor dente ao numero uas
cdulas dos nove Jleilores que concorreram para
a eleicao da mesa. .<
Delxaram de assiznar a auto da formacao da
mesa parocliial da Lagoa es tres membros eleitos
paradla, quo nao era m eleitores ou supplenlcs.
Acreditando a c mrcisaae que esta falta proveio
de nao se ter prestade a devida attcuco ao que
dispSe o art. 16 do decreto 1.8J
taram-se as clausula com que foram promovidos
os 2" tenentes Rodrigo Jos da Rocha, Francisco
Augusto de Paiva Bueno Brandao, Joaquim Igna-
cio Coutinho e Alfredo Pereira de Araujo Nevos,
visto lerem sido approvados as materias designa-
das as iastruccoos que baixaram coin o decreto
u. 884 d 10 de dezembro de.1831.
Por Uro de 13 foi o 1 prpente do corpo de
mporiae marinheiros Jos Mximo de Aquino
peidoado do resto da pena que eslava cumprindo
agosto do 1836, visto que as actas do recebimealo, por sentenca do conselho supremo militar de jus-
contagem e^pnragao das cdulas para eleitores
esli assgmBas por t)dos os membros da mesa
parochial, entende nao ter aquella falta motivo
sufllcientc para annuliar-se a eleijo dessa paro-
chio, que em tudu o mais fez-se regularmente.
t No processo da eleicao secundaria nada en-
controu a commissao que possa por em duvida a
sua legalidade.
Comparecern! 3.53 eleitores, cuja votacao deu
em resultado a eleicib dos seguintes Sis.
Votos.
Desembargado!- Isidro Borges Mon-
teiro............................. )**
k Dr. Antonio Ferreira Vianna........ Jfj
Dr. Luiz Joaquim Duque Estrada
Teixeira.......................... 293 .
Os inmediatos foram os Srs. tenente-general
Polydoro da Fonceca Quintanlha Jordao com 47
votos, almirante visconde do Inhaina 28 e r.
Luiz Francisco da Veiga 27.
A' visto do exposto a commissV) propoe :
1." Que sejam julgadas vaHdas as eleicoes
primarias das dezanovo parochias que formare o
piimeiro districto eleitorai da provincia do Rio de
Janeiro. .
t 2. Que sejam reconhecidos deputados pelo
mesmo districto os Srs. desembargador Isidro
Borges Monteiro, e Drs. Antn o Ferreira Vianna
e Luiz Joaquim Duque Estrada Teixeira.
t Sala da commissao, 23 de abril de 1869.
Conde de Baependy.Custodio C. Fontes.Cae-
,lo.Casado.Perdigao MalheirosCandido Tor-
res Filho.Fausto Augusto de Aguiar.
Nada mais havendo tratar, levanta-se a sessao
a urna hora da tarde.
Foi aceita a domissao que ped o Dr. Frederico
Augusto Xavier de Britoio lugar de chefe de po-
ca da orte, ^st interinamente servindo este
cargo o Dr. Joao Serrarlo, juz de dircito da 1"
vara crimo.
74,000
39,000
16 DE ABRIL DE1869.
Pelo vapor inglez Cepernicus, entrado hontem a
noite do Rio da Prata recebemos folhas de Buenos-
Ayres al 8 e Montevideo 10 do corrente.
As noticias do Paraguay referem que ainda no
da 3 o exercito nao hava podido mover-se por
causa da chuva.
A partida da expedicao para o interior, dizem
as ultimas noticias, ficaria pravavelmen^e adiada
at a chegada do novo general. Ni^ dia 5 devia
embarcar-se a torga qtie trena de seguir na es-
quadra.
Continuava a dizer-se que Lpez se achava com
seis a seto mil homens e urnas trinta pegas
de campanha no destladeiro de Ascurra, que lica
entre Serr Len e Paraguary. Alguns transfugas
haviara declarado que Lpez tinha comsigo os ge-
neraes Resquin e Caballero ; que Mme. Lynch es-
ta va no acampamento, onde eram retidos presos o.
irmo de Lpez D. Benigno e a irmaa D. Raphaela,
ao passo que a mi do mesmo Lpez se achava
perito d'alli em S. Roque. O vce-presdente San-
ches estiva em Pirabebuy, sede provisoria do go-
verno, com os ministros Faleon e Gonzlez, e no
dizer dos mesraos transfugas tambere alli es'.ava o
general Mac-Mahon, presentante dos Estados-
Unidos. Accrescentavain quo Lpez tinha uns
5,000 bomens feridos em tratamento as villas
de Caacup, Pirabuy e S. Jos, que nao lhe fal-
lava gado, mas que tinha a cavallaria inuito mal
montada.
No dia 7 S. A. o Sr. conde d'Eu ebegou a Bue-
nos-Ayres, onde era esperado no caes pelos minis-
tros de estrangeiros e da guerra, pelo Sr. conse-
Iheiro Prannos, qie na vespera chegra da As-
sumpcao, pelos membms da legacao brasileira e
grande numero de pessoas gradas. O presidente
da repblica poz o seu ajudante de campo coronel
1'enha, as ordens de Sua Alteza, que tendo-se di-
rigido directamente ca-a da lgacao brasileira,
foi depois visitar o chefe do estado na casa do go-
verno, onde se acharara presentes todos os minis-
tros. A sala da recepto tinha sido decorada com
as alfaias destinadas ao palacio de Lpez e lti-
mamente apprehendidas na alfandega de Buenos-
Ayres, como sabem os letores.
Na inanha de 8 Sua Alteza parti pola estrada
de ferro para o Tigre, onde embarcou para As-
sumpcao com o seu estado-maior.
O governo argentino celebrou com Eduardo
Hnplrina uro ooi.irr.i- paia esianoio-Mmcn'o il't ll -
uhas telegraphicas quo partindo de Buenos-Ayres
cruzem, tocando as cidades principaes, as pro-
vincias de Santa F, Corrientes e Entre-Rios at o
rio Uruguay.
O correio da provincia de S. Juan trouxe a no-
ticia de liavt r a legislatura deposto o governador
Zaballa, que retirando-se para S. Luiz reelamava
a intervencao do governo nacional.
O governo de Montevideo publicou os ieus pro-
jectos para a cracao de novos bancos de deposito
c emissao conversivel em ouro. As folhas que te-
mos vista nada referem de importancia.
Paquete francez Aunis, entrando hontem do Rio
da Prata, com folhas at 15 do corrente, apenas
adianta um dia as datos do Bou'faci. ,
Do Paraguay a nica noticia quo temos e a de
haver a expedicao que seguir rio cima, como
dissemos tomado o Porto do Rosario, urnas JO le-
guas cima da Assumpcao, sorprehendendo a guar-
da e fazendo alguns prisioneiros. A expedicao para
a cordlheira continuava a sua marcha.
O corresp'onBente de l. .ia olba do Rio da Prata,
asseverando ter tirado os dados dos papis do gene-
nal Resquin, faz alguinio resenha das toreas que
Lpez tem posto e armas desde o principio da
campanha:
1865
Princpiou a guerra cora......
Augmento em todo o anno. .. .
Estes soldados divdiam-se assim:
EmHuraait.............. 20,000
Na Assumpcao............ ;J,ou
Na Encarnacao............ !u!a
Em Serr Leao............ '-^
Eraltapir.............. I.W
Perdidos em Yatay.......... v*2\
dem na Uruguayana......... 7.000
Enviados a MattoGrosso. '......ac'lwv!
Retirados da divisao Robles...... 'mi
Tripolagao de 14 navios........ 3,000
Enviados ao acampamento de Lpez em
solembro........*......W.000
Em ontnbro.......,...... annn
Em novembro............. 8,000
Em dezembro......-...... 6,000
1866
Chegaram a Lpez para a batalla de 24
de maio........... '>000
Depois deste desastre......... >w"
Reforco para a batalha de 18 de julho. o,000
!867 ,w
Leva de............... 3>000
1868 ^^
Leva do.......j....... 0,000
Reforgo para Tebiquary........ 'aSa
dem para Villeto........... 7,000
Viva o imperador!
Viva a allianca I
Guitkttmc Xavier de Souza, marechal
decampo.
RIO DE JANEIRO.
Come?aram effectivamente no dia 1-'
as sessoes preparatorias da assembla ge-
ral ; e verlo os leiton n'outro lugar os
trabalhos das 8 primeiras.
Fallecer, aps 4 mezefcde soffrimen-
to, oBr. Antonio Jos deAral^o, lente ju-
bilado da escola central.
Eis as noticias commerciaes da ulti-
ma data :
Incluindo transacoes, menos que regu-
lares em cambio sobre Londres a 18 '/* d
Lpara o papel bancario e a 18 3/s e 18 l/t d.
para o particular, e pequeas sobre Franca
a 520 rs. por francos effectaadas hoje, som-
mam as operaces em Cambio realizadas
nesta quinzena :
Sobre Londres cerca de
18 V* d. papel bancario e 18 3/
530,000 a
e 18 J/i d.
papel particular.
Sobre Tranca cerca de fr. 1,750,000
aos extremos de 515 a 524 rs. por franco.
Sobre Hambnrgo B 158,000 a 052,
955 e 965 rs. por B.
Sobre Lisboa e Porto vigorou a tabella
seguinte:
196
195
194
193
190
189
18S
187
a
a
a
PERNAMBUCO.
Pelo decreto n. 4,349 de 5 do corrente, foi anor-
to ao ministerio da marinha um crdito supple-
mentar de 6,311:860^809 rs. para as despezas das
rubricas baialhao naval, arsonaes, torca naval,
navios desarmados, hospitaes, reformados e des-
pezas extraordinarias e eventuaes.
17
S. M. o Imperador, acompanhado de seus se-
manarios embarcou hontem no arsenal de mari-
nha, na galeota imperial, e foi visitar o asylo de
invlidos da patria, na ilha do Bom Jess, e de-
pois foi fortaleza de Villegaignon, onde percor-
reu todas as dependencias daquella fortaleza ; e
s 2 hora3 da tarde desembarcou naquello ar-
senal.
Smente hontem recebemos urea carta particu-
lar escripta de Montevideo na tarde de 10 do cor-
rente, e vinda pelo Copemicus, entrado ante-hon-
tem noite. Nesta carta se nos communica haver
chegaflo de Buenos-Ayres ao fechar d'ella o se-
guinte telegramraa :
Chegou o vapor Cisne do Paraguay. Os exer-
citos alnados fizeram-se era marcha no dia 5, li-
cando na Assumpcao o oriental, por achar-se em
grande miseria e sera dinheiro. Segundo alguns
transfugas, preparava-se Lpez para atacar a van-
guarda dos alliados, fazendo transportar pela es-
trada de ferro a infamara e arlilharia. o
18 -
Por titulo de ir do corrente, foi nomeado Au-
gusto Alberto Fernandei, para o lugar de prati-
cante da recebedoria do Rio de Janeiro.
19-
Entrou hontem, s 8 e meia horas da noite, o
transporte Bonifacio, quo sabio da Assumpcao a
9 e de Montevideo a 14 do corrente.
No dia 10 foi encontrado abaixo de Corrientes,
no lugar denominado E-quina, o transporte Atice,
em qne la S. A. o Sr. conde d'Eu.
C .nfirma-se a noticia de haver marchado para
o interior, no dia 5 a primeira divisao do exercito.
No dia 8 marchou a segnnda divisao sob o enra-
mando do general em chefe Guilherme Xavier de
Souza.
Falleceu no dia 7 e sepultou-se no dia 8 o gene-
ral Jacntbo Machado.
ao
S. M. o Imperador, acompanhado de seus sema-
narios, visitn hontem as offlereas de machinas do
arsenal de marinha ; e em seguida, embarcando
na galeota imperial, foi ao hospital da Armaao,
voltando a desembarcar s i horas no arsenal de
guerra, cujas officinas tambere percorreu.
Por decretos de 17 do corrente mez :
Foi nomeado eavalheiro da ordem de S. Bento
de Aviz o primeiro tenente da armada Jos Severo
Moreira Rico.
Foi confirmada a renuncia qie o padre Fernan-
do Augusto de Mello fez do canonicato que oecnpa
na S da dioese de Marianna.
150.000
Destes 190)000 homens culcula o mesmo corres-
pondente que existirao em armas 4,500, alm dos
5,000 feridos, dos quaes 1,500 j podero achar-
se em estado de voltar s flleras.
Sem afiangar nem contestar estes algarismos,
transcrevemo-los mais como curiosidade de que
como cousa segura.
Por via de Montevideo tornos obsequiados pelo
commandante do vapor Gerente cora folhas da ci-
dade do Rio-Grande at 13 do corrente.
As noticias sao destituidas de.jnteresse.
22 I
Por titulo de 20 do corrente foi nomeado Anto-
nio Severo de Oliveira para o lugar de administra-
dor da mesa de rendas geraes de Santa Victoria
do Palmar, na provincia do Rio-firande do Sul.
Por decreto n. 4,351 de 17 do corrente foi aber-
to ao ministerio da fazenda um-crdito extraordi-
nario de 150:000*000 para occorrer s despezas da
rubrica obras no exercico de 18681869.
Por decreto n. 4,352 da mesma data foi fixada a
laxa de 5 /> para a amortizacao das notas do ban-
co no anno bancario de 18681869.
Por portara de 17 de abril de 1669 foi exone-
rado, a seu pedido, do lugar de amanuense do nos-
pitar militar provisorio do Andarahy Joo Carlos
Carneiro de Albuquerque Gondim.
Por portara de 20 do dito mez foi nomeado para
o referido lugar Francisco Jos de Freitas.
Por portara datada de 16 do corrente foram
ooo<:vdiju> (louTmezes ce ntcmja cuiu t.,a
seus vencmentos, para tratar de sua sade, ao
adjunto da reparticao geraf dos telegraphos Manoel
Mara Lopes de Araujo.
24
Recebemos folhas de Cuyab at 17 de Janeiro e
de Goyaz at 11 de marco.
Em Goyaz havia noticias de Matto-Grosso at 2
de fevereiro, as quaes nada adiantam.
O Rvm. bispo diocesano de Goyaz, que partir
da capital cora destino ao Para, embarcara no Rio
Vermelho perto de Juropensen a 14 leguas de
Gayaz, e j chegara ao Araguaya, tendo navegado
todo o Rio Vermelho, de 37 leguas, em 2 dias.
O Monitor Goyanno de 11 de marco noticia o
seguinte:
Somos informados de que chegou Leopoldi-
na, de onde seguio para Itacai e Rio-Grande, na
provincia de Matto-Grosso, uin grande bote com
2,000 arrobas de carga, proveniente do Para. O
carregamento era variado e compunha-se princi-
palmente, de sal, louca, ferro em obras, cera, fari-
nha do trigo, vinhos, etc. O proprietario veio dis-
pondo do carregamento em Santa Mara e S. Jos
de Jammb: entre Leopoldina, Itacai e Rio-
Grande dispoz do resto, e regressou passando Leo-
poldina a 20 do corrente. At pouco tempo as
embarcacoe^ de 600 arrobas eram reputadas por
dentis grandes para irem ao Para. Agora passam
de 2,000 arrobas pelas pretendidas cachoeiras, e
isso em ontnbro que tempo da maior secca como
aconteceu com esta de que fallamos.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Por
(Jos :
decretos de 17 do corrente foram nomea-
Thomai Jos de Siqueira, para o lugar Se almo-
xanre da terceira dasse do arsenal de guerra da
corte.
O padre Francisco Bueno de Sampao, capello
alferes da reparticao ecclesiastica.
Por portara da mesma data concodeu-se ao ca-
pitoo reformado Jos Mara Gavio Peixoto, um
anno de lieoaca para ir Europa tratar de ua
saude.
Por decretos da mesma dato :
Concederam-se ao eapito de corpo de onae-
nheiros Miguel Antonio da Silva, a demis-o qne
pedio do servipo do errito, e ao major do 23-
corp de voluntarios d; patria Antonio dos Santos
Lontra as honras do (tost de major do exercito
em atlenoao aos irelevantes servicos prestados n
guerra actual contra o governo do Paraguay.
Ptr decretos de t o 18 do corrente mez levan- i
REC1FE, Io DE MAIO DE 1869.
NOTICIAS DO SUL DO IMPERIO.
Chegou hontem pela manhSa dos portos
do sul, o vapor francez' Navarre, trazendo
datas da corte at 24 e da Baha at 28 do
pasudo.
Sb as rubricas Exterior e Interior v2o
por extenso as noticias mais importantes,
alem das quaes apenas encontramos mais
nos jornaes as seguintes.
RIO DA PRATA.
O commandante em chefe do exerci-
to do Brasil no Paraguay, dirigi a seguin-
te proclamado aos soldados brasileiros, ao
partirem a 3 do corrente para as cordi-
Iheiras:
Camaradas 10 fugitivo de Lombas
Valentinas tantas vezes vencido por vos,
acba-se com o resto de seu desmoralisado
exercito as cordilheiras.
Para l marchamos, e mais um esfor-
co bastar para anniquilar completamente
esse feroz inimigo da humanidade, que ain-
da n3o se fartou do derramar sangue e de
cometter atrocidades como nao ha exemplo
na historia I
Bravos voluntarios da patria, da guar-
da nacional e da tropa de linha, vos que com
tanta abnegaclo e dedicacao supportastes
as privacoes e fadigas, das campanhas pas-
sadas e vos expozestes a tantos perigos, ides
fazer mais esta campanha 15o rpida quSo
gloriosa, que pora termo a famosa tarefa
de que encarregou-nos nossa querida pa-
tria.
< Em breve, pois, mostrareis como os
soldados de um povo livre e magnnimo
sabem vencer completamente os escravos,
das hostes do tyranno desta desventurada
ierra.
Ao vosso lado continuam a combater
os soldados dos dous povos tao livres como
o nosso; os valen tes e fiis companheiros
.argentinos e orientaos, quo em mais de
cem combates tem misturado o sea sangue
com O DOMO.
< Rtaos do imperio da Siinta Cruz mar-
chemos, e laudemos a victoria>o3jjritos de
Viva o Brasil]
vista.
30 d/v.
60 d/v.
90 d/v.
Em apolices geraes de 6% fizeram-se
boje pequeas vendas a 8 % e as do im
presttmo nacional de 1868 tambem peque-
as vendas a 47$ de premio.
Negociaram-se 80 aeces do banco Ru-
ral e Hipotecario a 190& e 500 da com-
panhia IlluminacSo a gaz a preco que orea
por 325)9, sendo o dividendo para o com-
prador.
A taxa de descont no banco do Brasil
contina sera alteraco a 9%
As vendas do caf hoje foram insignifi-
cantes.
r-Sahiram para Pernambuco: a lo a
barca ingleza floer Boak;-& 20, barca por-
tugueza Flix; a 22, brisrue brasileiro Clau-
dio; e 23. brigue brasileiro Medina.
S. PAULO
A 14 chegra capital o chefe de po-
lica da provincia, vindo de Lorena, onde
fra syndicar sobre o assassinato do Icoro-
nel Jos Vicente de Azevedo. Tinham sido
presos e recolhidos cada de Guaratin-
guet, como implicados neste assassinato,
o padre Manoel Theotono de Castro, o com-
mendador Castro Lima, coronel Godoy Bue-
no, Dr, Freitas, Dr. Machado e Vicente Jos
Lima.
A presidencia da provincia mandara
pagar no dia 13 do corrente uma lettra de
30:0000 por conta da divida da provincia,
que ficava reduzida a 73:000,?.
Dous gales, ao sahirera de faxna
para o quartel da guamicao, tinham conse-
guido desprender-se das correntes e fugir
encaminhando-se para as bandas de Santo
Amaro. Foram-lhes no encalco 10 pracas
expedidas pelo delegado de polica, mas at
ultima hora nao tinham os fugitivos sido
apanhados.
Sob o titulo Grande secca extracta o
Correio Paulistano o seguinte de uma car-
ta recebida de Mogyrim:
* Ha mais de um mez que as chuvas lm
cai'asacdvj mullu, Ulds uiido a oooa eo tom
tornado mais sensivel entre Mogymrim e
o Pinhal, em cujo territorio nao tem cho-
vido desde o principio de marco. O sol
tem sido to ardente, como se estivesse-
mos em pleno Janeiro, o que ha causado
enormes prejuizos nos arrozaes, no caf
plantado este anno, as rocas de feijao, e
at no proprio algodo, apezar de ser uma
planta que tanto resiste ao sol.
Ao passar-se na estrada em frente
fazenda Nova Lousa dava gosto ver a linda
encosta entre as casas e o cafezal, coberta,
talvez do mais lindo algodoal do municipio
e boje causa d ver-se essa soberba plan-
taco*seccando antes de tempo pea aeco
do sol e falta de chuva.
Apparecrana capital, a 12 do cor-
rente, i primeiro numero de um peridico
poltico intitulado Radical Paulistano.
BAHA
O Gabinete Portuguez de Leitura pro-
ceder eleicao de sua directora, que ficou
assim composta: presidente cnsul Augusto
Peixotos; secretarios Augusto Lopes da Silva
Lima, e Manoel Joaquim Rodrigues.
Evadira-se do porto, sem a visita res-
pectiva das autoridades, o fcrigue bremense
Dorotfia, era viagem para Hamburgo, ape->
zar de lhe haverem dado tiros de bala a
fortaleza do mar e a cuneta Bahiana.
Fallecer, naivilladaCachoeira.oRvra.
vigario da Carnhanha, padre Normanha.
A assembli provincial continuava a
funecionar.
0 cambio regulava sobre Londres
18 5/8 a 18 3/4 d., e sobre Pars 507 a
508 rs.
A alfandega rendeu de la 27 dopas-
sado 753:179^663 rs.
Leraos no Jornal :
No domingo 25 do corrente s 7 horas
da noute, ebegou ao nosso porto um bote
com uma senhora e oito homens pertencen-
tes barca franceza Bretagne, que no dia
31 demarco sahira de Buenos-Ayres com
carregamento de lia para Bordeaux, e que
no dia 21 do corrente fra abalroada pela
galera ingleza Explorer, capillo Truinble,
na lat. 13,00, long. 29. 55'e sossobrou
dez minutos depois, tendo a tripolac3o
apenas podido entrar em um bote sem mais
auxilio algum.
Os nufragos lizeram no respectivo
consulado um protesto, equeixam-se amar-j
gamente do procedimento que tov$ o cap-
to da galera Explorer, resistindo nao s
aos pedidos de soccorro que elles incessan-
temente lhe dirigiam, como as reclamacoes
de toda a tripolaco epas>ageiros do seu
navio, deixando expostos no alto mar os
pobres nufragos, que com a maior cora-
gem lutaram tres horas, durante as quaes
o bote virou-se seis vezes, e elles tiveram
de hitar com as ondas, perecendo n'essa lu-
ta o capitao, o piloto, o despenseiro, o crea-
do, e um passageiro Mr. de Mntravers,
ex-consul de Franca em Porto Alegre.
Depois de todos esses terriveis aconte-
cimentos, voltou a galera a recebor os infe-
lzes nufragos que restavam, e os largou
perto da barr deste porto.
Merecem louvoreso proprietario do
hotel das Naces, que ofiereceu gratis, a
hospedagem aos nufragos, e o capitao da
baaijfraeeza Nicols I'mum e o Sr. con-
suWlTranca,
soccorre-los.
que se tem esmerado em
REVISTA DIABLA.
ASSEMBLAPROVINCIA^ sessao de pon-
tem o Sr. Felisbino apresentou hma queixa contra
o l)r. ahefe de polica da provincia, a qual foi re-
mettiia s ooutmissoes de justicji civil e criminal
e de contitUoao e poderes.
Seguo-se na tribuna 0 Sr. Gaspar Drummond
fazendo considerarles ero>opposcao s que foram
feitas na sessao anterior pelo Sr. Amaral e Mello,
quando apresentou 9 seu requerimento pedndo
informacoes ao governo sobre a reunio poltica
que leve lugar na tarde de 25 do corrente no pa-
teo das Princezas.0 requerimento cju adiado
por ter-se esgotado a hora do expediente.
_Na ordem do dia approvou ere terceira discus-
sao o projecto n. i deste anno que approva o re-
giment da escola normal ; em segunda o de
n. 9 que manda admittir Jos Libanio do Reg
Barros no Gyninasio Provincial como pensionista
da provincia ; era terceira o de n. 7 que approva
diversos crditos supplementares abertos pelo go-
verno.
Entrando em segunda discussao projecto n. 5
deste anno que s perraitte serein empreados nos
estabelecimentos cargo da Santo Casa braslei-
ras e brasileiros natos, oceupou a tribuna contra
a materia do projecto o Sr. Gaspar Drummond,
flcando o projecto adiado por 8 dias a requeri-
mento do Sr. Lopes Machado.
Entrando em primeira discussao o de n. 15
deste anno que restaura a cadeira de primeiras
lettras para o sexo feminino na freguezia de S.
Pedro Martyr e crea outra para v mesmo sexo na
extremidade da ra Imperial da freguezia de S.
Jos, ficou adiada por falta de numero.
A ordem do dia para a sessao de hoje a pri-
meira discussao dos- projectos ns. 1 e 18 c 3" do
de n. 11, todos deste anno, e continuacao da an-
terior.
COLLECTA.Comeca hoje nesta freguezia de
Santo Antonio e nadeS. 1-re Pedro Goncalveso
laneamento dos mpostos pessoal e de industrias c
profissoes para o futuro anno de 1869-1870.
Com relacao este ultimo imposto, doverao os
proprietarios de fabricas e officinas dar uma rela-
cao do pessoal das mesmas, como determinado
no respectivo regulamento, sob pena de multa.
INSTRUCCO PRIMARIA.O concurso s ca-
deiras vagas de instruccao elementar do sexo fe-
minino est marcado para o dia 13 do corrente.
CONFEITARIA E CAF FRANCEZ.Abre-se
hoje concurrencia publica um estabelecimento
desta especie, ra da Imperatrz n. 15.
Como confeitana, prepara-se ah toda a qual-
dade de bolos, confeitos e pastis com asseio e
perfeico, servindo-se tambem xaropes de fructas
do paiz c estrangeiras, chocolate, etc., e fabrican-
do-se pastilhas de gomma, e d'outras qualidades
diversas e variadas.
Com caf, acharo ahi os consumidores excel-
lente caf, delicados srveles e bebidas espirituo-
sas perfeitamente geladas, bem como limonadas
d'agua de Seltz, preparadas repentinamente em
uma machind de systeina americano.
Alm disto, quato ao arranjo material, est a
casa com todas as condicoes de asseo e de com-
moddade para o publico.
ARSENAL DE GUERRA.Acha-se no exercico
interino deste lugar o Exra. brigadeiro Jos da
Silva Guimaraes.
SAUDE DO PORTO.O Sr. r. Alexandre de
Souza Pereira do Carino acha-se intei inamente
exercendo as funecoes de provedor da sade do
porto.
MISSA FNEBRE.A do stimo da, por alma
do Dr. Jeronymo Villela de Castro Tavares, ser
dita no cemiterio publico, s 7 horas da manha
de segunda-feira 3 do corrente.
DINHEIROO vapor francez Navarre trouxe pa-
ra nossa praca as seguintes quantias para os
Srs.:
Amormlrmaos......1,131 patacoes.
D. C. &C. C. Simpson. 20:000000
Bailar & Oliveira..... 16:7005000
Marques, Barros & C 14:008J000
Carneiro & Nogueira .... 4:1725000
De nossa praca levou elle para a Europa 19,000
frs. em ouroe prata.
Os vapores Giqui e Ipojuca le varara as se-
guintes quantias '.
Para Macci.......151:700*000
5 StearW. i 24:4005000
PARA A EUROPA.Com dez recebidos em nos-
so porto, levou o vapor francez Navarre 2 8 pas-
sageiros.
THEATRO DE SANTA ISABEL. Sobe hoje
scenade novo o drama Lzaro o Pastor, que tan-
tos applausos mereceu a primeira vez que foi
scena.
ASSOCIACO PATRITICA,Sob a presiden-
cia do Sr. Jos Marcelino de Souza, funecionar a
sociedade patriticaDous de Julho, domingo
2 do corrente, na ra do Arago n. 21.
Tratar-so-ha da eleicao para primeiro e segundo
secretarios e primeiro director.
LOTERA.A que se acha venda a 104", a
beneficio da matriz da Escada que corre do da
5 do corrente.
PASSAGEIROS Saludos para o sul no vapor
nacional Paran:
Germano Pinto de Magaliiaes, capitao Joaquim
Antonio de Moraes, visconde de Suassnna o 3 cria-
dos, Francisco P de Alcntara, Antonio Luiz Telles
Gon^alves, Mara Alves de Brto, L. Antonio Mei-
relles, Dr. Manoel C. C. da Cunha e 1 oscravo, de-
sembargador Alvaro Barbalho Uchoa Cavalcante c
1 criado, Dr. Francisco R. de Mello Reg, sua se-
nhora, 1 criado e 1 escrava, Dr. Theotl.no Macha-
do Freir Pereira da Silva, sua senhora, 4 filhos,
1 criada e 2 escravo, Dr. Luiz Antonio Ferreira
Santos, Joo Damasceno de Araujo, Antonio Col-
manicn, Giorgio Martinck, Dr. Francisco Gomes da
Silva, Luiz Einigdio Piohero da Cmara, Antonio
da Cunha M. Bistos, Jos Domingues Maia, Juye-
nano Avelino Pereira Duarte, 1 escrava de Joao
Carlos Bezerra Cavalcante, Martnho Guedes Ico,
9. Virginia Fernandina Cafezeiro e 1 filha, 1 es-
crava de D. Juvina de Farias Tavares Guimaraes,
Dr. Gustavo Adolplto de Castro Jesteira, Domenico
Antonio de Giusepe, Birardinetto Felice, 1 e-cravo
do Dr. Nibor C. Bezerra Cavalcante, Joo, africa-
no, liberto, Carlos Rodolphd Prick, sua senhora, 2
nios o 1 criada, Jos Conlero, Francisco Conrado
Rodovalho c sua senhora, Jos G.N., Francisco Joa-
quim Alves Rodrigues, Reinaldo Gomes de Olivei-
ra, Pedro, africano, liberto, Carlos Agostinho La-
penere, Marcelino Gomes Coutinho, baro de Ma
manguape, 1 eseravo do Dr. Sebastio Antonio da
Silva Res, Paulo Jos da Costo Araujo, Antonio
Casado Lima Jatnb, Pedro Antonio da Silva, 1
oscravo do desembargador Assis Rocha, Jos
B. .Garrido, Antonio da Costo e S, Joo Baptista
Alves, Manoel Severino Duarte, Antonio Netto de
Barros Louro, Flix Pereira de Souza, Cantillo F-
lix da Fonsoca, Maria Umbelna de Oliveira Li-
ma e 2 escravos, Domingos Jos S. Peixoto, oi-
cial de fazenda, Augusto Jos Goncalves Lessa, 15
recrulas do exercito e 1 desertor, Guissppe Bartho-
lomeu, Joo Teixeira Machado, Casimiro Jos da
Silva, D. Maria Pereira P. de B. Ribeiro, D. Maria
Adelaide Vieira de Carvalho, D. Maria da Graca
Vieira de Carvalho, e sua criada, 1 criada de D.
Maria Umbelina de Oliveira Lima.
Vindos do Rio de Janeiro no vapor francez
Navarre :
Jos Quintno de Carvalho, irmaa Clotilde, Dron
Salm.
Sabidos para a Europa no paquete francez
Navarre :
Heinrich Gowlor Simn Cahen, Antonio Correa
Pereira Cardoso, Joaquim T. de Lima, Guelfe de
Lailhacar, Julio Birb, Henry Leger, Augusto Ber-
net, Dr. Joo Ferreira da Silva, Paulo Cohn.
Do vapor Potengi vindo de Aracai :
D. Eugema Pereira, Dr. Miguel F. de Menezes
Doria, sua senhora e 1 criado, Joaquim Leite da
Costo Belm, Porfirio Borges Paganino, Eduardo
Alkaine, Theodosio C. dos Santos, Jos Barboza de
Moraes, Manoel Ze erno Goncalves Torres, Romeo
da Rocha Bastos, Domingos Jos dos Reis Lima,
Manoel Cabral Borges, Manoel Jos Alves e cinco
escravos a entregar.
Do vapor Jaguaribe vindo de Macei:
Jos Joaquim de Oliveira, Francisco Goncalves
Torres, Joaquim da Fonsoca e Si va, Justino da
Silva Torres, Antonio E-tonislo de Carvalho, An-
tonio da Silva Campos, Joao Agrepino de Figuei-
redo.
E de feto
posico do gen
um fundo h
de imagina^,
enredo,to
Conservando
drama Lzaro o Pastor. J era tempo I Vimo-lo
na noite de 28 ; agradou-nos sununamente j
quanto ao enredo, i quanto execueao ; e tive-
mos o prazer de conncer que o sentimento que
em nos dominava, dominara tambem nos especta-
dora em geral.
m deixar de go-tor de uma com-
do Lzaro o Pastor, que tendo
' ostenta os mais fogosos rasgos
0 abrilhanlam as phases do seu
Vado, quanto attrahente ?
_ verdade dos costumes do sceulo
XIV ; de?envoJvendo com amadorecida experien-
cia quanto podera a cubica e ambicio no coraco
humano ; apresentando os seus personagens de
um modo que nao deixa ficar em duvida o seu
respectivo carcter, e primandojtelo bello quadro
que nos faz do amor e dedicacao maternal, Bon-
chardit, o feliz autor deste drama, tem direito
exigir a mais sera attencao e mesmo admiraco
daquelles a quem coube a sorte de ver o seu pri-
moroso trabalho.
Repete-se hoje a representacao do Lzaro o
Pastor. E' de esperar que a sua execueao seja
igual a da noite de 28; complet, bella e admi-
ravcl.
Joaquim Augustoo Lzaropor mais de uma
vez arrancou ao publico frenticas palmas de en-
thusiasmo, a que tem direito o seu brilhante ta-
lento. Chamamos a aitencao dos espectadores
para uma scena do 3 acto, jogada entre elle e
Thomazo Cosme de Mediis. A anciedade em
que se acha Lzaro pela luz, que o signa! da sal-
vaco de Juliano, est por tal modo impressa no
rosto, na voz e nos gestos do artista, que nao po-
deremos dizer se haver alguem qne o faca to
bem. Assim como se diz que Camdes por si s
urna lltteratura, pode-se tambem dizer que Joa-
quim Augusto constitue por si s urna escola.
Thomaz, o Cosme de Mediis, brilhou; sobresa-
bindo todava, na scena, era que elle recebe o cho-
que causado pela mputaco Teita a sua esposa.
Julia Azevedoa duquzanada deixou de-
sojar. Intelligente e versada nos segredos da arte
exhibi um trabalho recoinmendavel pela natura-
lidade e pelo mimo com que feto. Quanto
energa e ao mesmo tempo quanto orgulho nobre
derrama a syrapathica artista na declararlo que
faz ao duque, de que Juliano nao seu amante,
mas sim seu filho?
Eduardoo Julianoagradou, e muito. E* um
artista de mrito ; mas soltra que lhe observemos
que bom fallar mais alto alguma cousa; nao
tanto como faz o Sr. Cont Rocha, que seria mais
apreciado, se nao dsse tonto expanso aos pul-
moes.
Era geral os artistas foram-se bem. Parabens,
pois, a elles e ao seu emprezario, que parece ter
posto todo o cuidado em nada faltar com o appa-
rato que requer o drama.
3.Ra Direita-
As legtimas piiulas de veame,o xarope al-
cohlico e o ethereo tambem de veame, re-
centemente feitos conforme a formula do fi-
nado pharmaceutco Prannos, assim como
os pos refrigerantes, acham-se venda na
botica de Francisco Antonio das Chagas
ra Direita n. 3, defronte do armazem de
molhados denominado Veado Branco. Estes
medicamentos, ha muito conhecidos pelos
benficos effeitos que bao produzido em
nao pequea parte da populacho d'esta pro-
vincia, na do Maranhao e Alagoas, incontes-
tavelmente sao dos mais enrgicos agentes
auxiliadores da natureza no vencimento das
doencas, servindo de grande alivio a huma-
nidade soffredra; e por isso se tornam
asss recomraendados e preferiveis para as
pessoas que soffrem de rheumatismo, gln-
dulas enfartadas, ulceras, impigens, asthma,
tosse, amenorrha o suppresso de mens-
truo, erysipla, amarelldo e menstruaco
difficil ; sendo porm usados conforme a
direccao escripta que os acompanha.
Illm. Sr. Francisco Antonio das Chagas.
SofiYendo eu de rheumatismo e gota n'um
joeino e tendo usaao ae muUu icuicdo3
aconselhados para o referido mal, nao tirei
resultado algum no periodo de um anno;
neste estado recorr ao veame a venda em
sua botica ra Direita n. 3, e grabas
a Deus, com uma s garrafa e uma caixinha
de piiulas acho-me restablecido. Agrade-
co-lhe portanto e espero que faca publico
este facto, afim de que outros as mesmas
circumstancias aproveitem o seu proficuo
remedio.
Recife, 31 de marco de 1869.
Julio Juvencio da Costa.
Illm. Sr. Francisco Antonio das Chagas.
Beberibe, 1 de abril de 1869.Com o
maior prazer levo ao seu conhecimento, que
a garrafa do xarope ethereo de veame e
os pos que comprei na sua botica ra
Direita n. 3, poderam extinguir ador que
senta no peito, tosse e febre que tanto me
llagellavao, de forma que me julgo restabe-
lecida.Desta sua criada obrigadssima
Maria Joaquina da Silva.
Protectora das fami-
lias.
Esta associacao caminha as vias de prosperi-
dade, nao sem os entraves inherentes empresas
grandiosas.
Contratos Capital
Em 30 de juh.no de}
3936-----5,868:6751970
1406-----2,173:42bi920
5342-----8,042:101*890
PBIICACOES A PEPIPO.
THEaTRO
LZARO O PASTOR.
Post tantos tantosque veio finalmente soena
no Santa Isabel o ha muito annunciado e desojado
1868 tinha regis->
Irado.............)
Du i-ante o semestre de 1
30 de junho a 31 de >
dezembro de 1868..)
Estado dessa associa-
cao em 31 de dezem-
bro de 1868......
O capital dessa associacao iluminado e con-
verte-se em apolices da divida publica nacional de
6 %. Nao se pode dar melhor garanta. Se na
hipothese de quebrar o Brasil e que essa associa-
cao pode soffrer; nma especie demonte pi de
grande utilidade para as familias.
Para conseguir com toda sesruranca o maior e
mais instante desidertum da vida do hornera, que
crear para o luturo um capital certo e uma ren-
da infallivel, para si, seus filhos e familias, bastar
fazer um calculo (cada anal conforme seus pro-
prios haveres) de que pode dispor durante o pe-
rodo de cinco annos ; signalada que seja a quan-
tia ser esta dividida em duas classes de contratos,
no um chamadontrato de capital e outro de renda
E*tes dous seguros devero satisfazer-se em cinco
annuidades consecutivas, e depois de passados os
cinco amos o contribninte ftcar livre do onus tlo-
pagamentos das annuidades subsequentes.
Estos duas classes combinadas produzem resul-
tados maravilhosos para o futuro.
, Por exemplo, um pai que quizer formar para o
futnro am capital e uma renda vitalicia para #ada
um de seus filhos, conseguir este importante hm
despendendo para cada un delles a quantia de
I: l, qne se pagam da seguinte forma :
Direttos de entrada.. 155|
No primeiro anno 200JI
> segando > 9004
tereeiro .... SOW
quarto ..... S00#
quinto 200#
Ter despendido no fim de cinco
annos a quantia de........... 1:155*
tendo creado para cada filho um capital para o fu-
turo, qne conforme a idade dos segurados ser de
33:0001 a 47:000* e ama renda vitalicia de 100*
annnaes.
Admittem-se contratos de maiores e menores
annuidades, sendo os lucros sempre proporciona;
ao producto dos seguintes factores : c valor da
contrbuleio, o risco de morte do segurado
e a doracSo do contrato (art 38 do regulamento).
Para effectoar as formalidades dos contractos
diriglr-so-hao roa do Livramento n. 19, a tratar
com o Sr. N. P. de Vital, encarregado polo Banco
roral e taypotbeeario do Rio de Janeiro, qne pre-
sentemente acba-se em commissao nesta provincia.
'
UH


Mi

^^^^^
Diario ate Prnamlwr> Bbbbado 1 tte Maio le- HMffl.


.*

*
t
-

bbt
COMMERCIO.
PUAQA DO RECIPE 30 DE ABRIL
DE 180"..
AS 3 1/2 HORAS DA TARDK.
Assucar brnto anericaao bom3*580 por arroba
(hontem
Algodao dacct sorte 181500 por arro-
ba posto a bordo, a frete de 5/8 e 5 0/0 (hon-
tem).
Cambios sobre Londres 90 d/v 18 3/4 d. por
13000 (hontem).
Besconto de letras=9 0/0 ao anno (hontem o hoje)
f. J. Silveira
Presdeme.
Leal Seve
Secretario.
ENGLISH BANK .
O Rio de Janeiro Limited
Desmonta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro era conta corrente e a
{trazo xo.
Saca a vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebitfc
para os mesraos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
BANCO MUA & C.
Una do Trapiche ai. 341.
DesconU lettras commerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio, Rio da Prata 9Euro
pa, e compra cambiaes solire as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por commisso, da com-
pra e venda de fundos pblicos e aeces de
oompanhias, da oobranga de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operario bancaria.
O expediente para o publico comear
s 10 horas da manha, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
CASA DE CAMBIO
Teodoro Simn & 0.
Compram e vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
letras de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
escontam letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccoes, da cobranca de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 29. .
dem do dia 30.....
1.013:509*968
18:527*292
1,034:037*260
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volamos entrados com fazendas 218
dem idem com gneros 485
Volaraes sahidos com fazendas 172
dem idem com gneros 256
703
428
Guyanna e Rio Formse,a apresentarem ao mesmo
Exnfc. Sr. no*dia 13 de malo prjimo vindouro ao
meio dia suas proposta; em cartas fechadas sol*
6 conJteeea mencionadas na mesma lei.
LE N. 833.
O bario de Villa-Relia, presidente da provincia
de Pernambueo:l.'act saber todos os seus ha-
bitantes, que assemblra legislativa provincial de-
cretou e eu sanecionoi i resolucao seguinte:
Artigo !. Fica o presidente da provincia auto-
risado a contratar com Joaquim Pires Carneiro
Monteiro, ou com quem maiores yantagens offere-
cer, a lluminacao a gaz das cidades de Olinda,
Govanna e Rio Formse., sob as seguintes bases:
g 1. Todas as obras precisas para se levar a ef-
fcito a referida lluminacao correrao por conta do
contratante.
2. Cada combustor dever dar luz equivalen-
te a dozo velas de esperncete.
3. A cidade de Olinda dever ter at cento e
cincoenta coinhustores, a os de Govannae Rio For-
nioso at sessenla cada orna.
4. As despezas com cada combustor nao po-
derao exceder em Olinda a 8S000 mensaes, e as
oniras cidades a 9*000.
5 ,'.u A desneza do eosteio c conservacao dos
apparelhos necessarios para a mesnia lluminacao
correrao por conta do contratante.
6." O contratante dar liadores idneos.
Art. 2." Fieain revocadas as dispoSieSes em con-
trario.
Mando, porlanto, todas as autoridades, a quem
o conlieeimento e execncao da presente resoluto
pertenec' que a cninpram e faeam enmprir tao iu-
leianienle como nella se contin..
O secretario do governo desta provincia a faca
imprimir, publicar e correr.
Palacio do governo de Pcrnasibuco, 22 de maio
de 1868.47 da indepenjencia e do imperioL.
8.Burilo de Yilln-UeUv.
Sellada e publicada a presento resolucao nesta
secretaria do governo e Pernambuco, aos 22 de
maio de 1868.O secretario, Dr. Francisco de Pau-
la Sales.
Registrada a folha do livro de leis provinciaes.
Secretaria do governo de Pernambuco, aos .22
de maio der1868.O cscriptnrario, Theodoi-o Jos
Tarares.O "secretario, Dr. Joaquim Coira de
Araujo.
Conselht
doarw
DECLARACOES.
iiiizomiiei|ial da 31 vara.
Na quarta-feira 5 do orrente, finda a audiencia
do jnizo municipal da 2a vara, se vender em
praca publica, para cumprimeto de testamento,
a casa terrea sita ra do Jardim n. 18, com 20
palmos de largura e 48 de comprimento, com 2
salas, 2 quartos, cozinha fra, pequeo quintal
mnrado, com cacimba meieira, com um solo com
2 quartos. avahada por l:500, pertenentc he-
ranea da finada* Joanna Mara da Soledade.
Rbcife 30 de abril de 1899.
O escrvao,
Galdino T. C Vasconcello?.
O abaixo assignado, laceador da recebedoria
de rendas internas geraes, tendo de proceder ao
lancamenlo dos impostes pessoal e de industrias e
protissoes para o exereicio de 1869-70, no da Io
de maio prximo futuro, o qual ter comeco pelas
ras do Imperador, caes 22 de Novembro, etc.,
avisa aos moradores da freguezia de Santo Anto-
nio, que tenham promptos os seus recibos c pa-
pis de arrendamento das casas que oceupam pa-
ra Ihes aeran apresentados no acto do mesmo
lancamento : ontro sim faz sciente aos donos de
tabrieas e offleinas, que deverao dar urna relacao
do numero de seus operarios, como determina a
primeira parte do artigo 12 do regulamento de 23
de marco ultimo, ftcando sujeitos multa do art
18 do mesmo regulamento os que o nao fizerem.
Rccecedoria de Pernambuco 29 de abril de 1869
Jos Theodoro de Sena.
Descarregam hoje Io de maio
lliate americanoJohn Ros=mercadorias.
Barca francezaJean Baplisteidem.
Lugar inglezAnne Wheaion=\em.
Rrigue inglezRetinaidem
Brigue inglezAtoabacalho.
Barca inglezaMeteorbacalho.
Barca nglezaBorlochauferro e carvao.
Escuna portuguezaO/iiciValagedo.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 29. 44:016*010
dem do dia 30...... 3:147*797
47:163*807
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento'do dia 1 a 29. 119:637*481
dem do dia 30...... "06*958
120:564*439
MOVIMENTO 00 PORTO.
Navios entrados no da 30.
Aracaj c portes intermedios6 dias, vapor bra-
sileiro Potengi, de 281 toneladas, commandante
Joaquim Jos Pereira, em lastro ; companhia
Penumbucana.
Penedo por Mace48 horas, vapor brasileiro
Jaguaribe, de 459 toneladas, commandante Mou-
ra, equipagem 30, em lastro : companhia
Pernambucana.
Ro de Janeiro e Baha6 das, vapor francez
Nnvirre, de 1,279 toneladas, commandante Mas-
senet Louis, equipagem 114, carga dTerentes
gneros ; a Tisset Frere.
Navios sahidos no mesmo dia.
Penedo e portos intermediosVapor brasileiro
Giqui, eommandante Azevedo, carga differen-
te3 gneros.
Granja e portos intermediosVapor brasileiro
Ipojuca, commandante Martins, carga varios
gneros.
Bordeaux e portos intermediosVapor francez
Navarre, commandante Massenet.
O Ulan. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda desta provincia, manda fazer publico que
tem marcado o dia 4 de ma o prximo vindouro,
para o concurso que se tem de abrir nesta mesma
thesouraria para preenchimento das vagas de pra-
ticantes existentes nesta reparticao, na alfandega e
na recebedoria.
Os exaines versarlo, sobre as materias de que
trata o Io do art. 1 do decreto n. 3,114 de 27 de
junho de 1863, a saber, leilura, analyse grammati-
cal e orthographia, arithmetica e suas applicagoes
ao commercio, com especialidade a reduccao de
moedas, pesos e medidas, calculo de descont, ju-
ros simples e compostos, theoria de cambio e suas
applica^oes.
Os concurrentes deverao previamente a presen-
tar seus requerimentos instruidos de documentos
3ue provem idade completa de 18 annos, isencao
e pena e culpa e bom comprtamento na forma
do art. 3 do decreto n. 2,549 de 14 de marco de
1860.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 27 de marco de 1869.
O oilicial-maior,
Manoel Mamede da Silva Costa.

prorisa coi'
42 davinas a Minio.
50 pistolas dita.
2 thesouras para mi
4 sellins.
1 svringa de metal
1 fule grande com 39 pollegada?.
46 arrobas de plvora para salvas.
As pessoas que quizerem vender ditos artigos,
apresentem suas propostas em carta fechada*
acompanhadas das respectivas amostras, na sal,
do conselho, as 11 horas do dia 7 do maio vindouro
Sala do conselho- ie compras do arsenal de
guerra de Pernambuco 29 de abril de 1869.
Jos da Silva Guimaraes,
Director interino.
Jos Baptista de Castro Silva,
Secretario.
O administrador da recebedoria de rendes
internas geraes faz publico que neste corrente inez
e no de maio prximo futuro, visto estarem con-
cluidos os Linimentos, e que os devedores_oo
imposto pessoal, relativo ao exercicio corrente de
1868 a 1839, residentes as freguozias do Reclfe,
Santo Antonio, Arrogados, Poco da Panella, Varsea,
S. Lourenco da Malta, S. Amaro de Jaboatao, e
Muribeca, "teem de paga-lo, lvre da multa de 6 0/0
o com ella depo's do referido prazo.
Recebedoria do Pernambuco 3 de Abril de 18a9.
________Manoel Cmaro de Soitza Lacerda.
O inspector interino da alfandega faz
publico, que do Io de julho prximo futu-
ro em diante, ter vigor o decreto n. 4343
de 2 de margo do corrente anno, man-
dando executar a nova tarifa das alfande-
gas e suas disposices preliminares. E
para que chegue ao conhecimenlo dos in-
teressados, se manda publicar o present.
Alfandega dn Pernambuco. ii de abril
de 189.
O inspector interino,
L. (le C. Pues d'Andrade.
Primeira representacSo, da alta comedia.em.t
iduzida livremente do Francez pelo tliiini-
^^A. P. dosSfttos L-al, intitulada
O papel de baroneza de Villedeul, ser desem-
r-nlUdo pela Sra. D. Virginia de Barros.
Segue-ge a exlnbico da nova comedia em
acto, ornada de nuisica^original brasileiro do dis-
tincto tcadeniico o Sr. Jos de Carvalho Csnr, de-
nominada :
Oscstudanles na quebradeira
PERSOXAGENS. ACTORES.
Flavio, 5 annista............... Sr. Silva..
Siqueira, 4 dito................ P. Augusto.
Eduardo, calouro................Flavrano.
Mendonfa, cascabulho........... Emiliano.
Dnarte, msico................. Serian.
Silva, negociante................Braga.
Jos, criado............___:... De Giovani.
Manoel, gallego................. > Henriqne.
D. Rosinha.............:......... D. Rernardina.
A msica composcao do Sr. Colas Filho.
Depois, representar-se-ha, pedido, a espiri-
tuosa comedia em 1 acto, ornada de msica de di-
versas operas, original portuguez, denominada :
BOLSA E CACHIMBO
Tomam pai te a Sra. D. Jesuna e os Srs. Florn-
do e De Giovanni.
Terminar o espectculo com o omito chistoso
duelo, original brasileiro do sempre lembrado poe-
ta o Sr. Laurindo, intitulado :
0 ESTinWTE E A LAV\MR\
de Barros c o Sr.
Inspecco do arsenal de
niarinha.
Faz-se publico que a commisso de peritos,
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 do fevereiro de
1854,- o casco, machina, caldeiras, apparelho,
mastreacao, veame, amarras e ancoras do va-
por Ipojuca da companhia Pernambucana de na-
vegacao costeira, achou todos esses objectos em
estado de poder o vapor navegar.
Inspec^ao do arsenal de marinha de Pernambu-
co 28 de abril de 1869.
O inspector,
II. A. Barbosa do Almeida.
THE.4TR0
S. ISABEL.
EIHPREZA DRAMTICA
WAM.I MSIL
m
Paquetes a vaper.
Dos partos do norte sperado
ateo dia tt do correntn vapor
Guar, rouunandante o primeiro
tonente P. H. Dnarte, o qual de-
pois da- itemora do cosame se-
guir para os portos do sal.
Desde j recebem-se paeeageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder eonluzir, a qual dever
ser embarcada nojdia desuaehegada. Fneommen-
das e dinheiro a freto al as duas horas do dia da
sua sabida. _
Nao se receben como encommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e me nao exceiam a 2
arrobas de peso ou 8palos cbicos de medicao.
Tudo que passardestes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-senos Srs. passageiros que saas passa-
gens s se recebem-nn agencia ra da Qruz n. 57,
1" andar, esetiptorio de Antonio Luiz de Oliveir
Azevedo 4 C.
ESTLDWTE E A
fttntado pela Sra. D. Virginia
Flaviano. "
Os billiRtcs acham-se, desde ji, na estaeo dos
trilhos urbanos, no Recife e no theatro.
Aviso especial.
A direccao deste theatro, que nao se de-cuida,
um s instante, em cogitar nos iueios de nao des
merecer do grandioso e benvolo conceito que o
respeitavkl nJBLice PKitNAMBDCAKO, a seu respeilo
ha formado, resolveu, de accordo com o digno ge-
rente da-companhia dos trilhos urbanos, o Sr. W.
Rawlinson, do qual tem recebido ine(|uivocas pro-
vas de affectuosa coadjuvacao, que, nao s os Srs.
assignantes, mas tambom todas as pessoas que de
hoje avante dignarem-se honrar as nossas repre-
sentacoes, tenham*passagem gratis em qualruer
trem e a gnalquer hora, antes dos espectculos ;
ha vendo, por consequencia, na estaeo do Recite,
pessoa enearregada da venda dos bilhctes de ca-
marotes, cadelras e geraes, as vesperal c dias dos
referidos espectculos, at s 6 horas da tarde.
Outrosm, previne, que torio igualmente con-
durQ gratuita, depois dos mesmos.
A direccao, vista dos reconhecjdos esforcos
que tem einpregado para a sustentacao do Gymna-
so Campestre, espera que o illstbado rovo desta
capital continu a favorece-la com a sua Ilustrada
protecc/m, ubico incentivo, para nao faie-la Iremer
ante as" tempestades que tiver de alrontar.
O espectculo
ponto.
principiar s 7 Vt horas em
COMPAW1TA PERNAMBUCANA
de
\avcs;i;iio eostelra por vapor.
Macei em direitura e Penedo.
O vapor JnQuaribe, commandante Moura, segui-
r para os portos cima no da 8 do corrente
as 5 horas da tarde. Recebe carga- at o dia 7
as 3 horas, encommendas, papsageitos e dinheiro
a frete at as 2 horas da tarde do dia da sahida
no escriptorio do Forte do Matos n 12.
ppa para deposito de vinho, um relogio de pa-
rede, 3 espelhos,. urna urna para raK. um tan-
n> para cobrir o bilhar e outros objectos
no*:.
O agente Martins far leilao por autorlsacao de
Motta Iunfio do bilhar e objectos cima perten-
cestes-ao hotel Lisbonense ra do Rosario n.
11, onde ter lugar o leilao as 11 horas do dia
acimi______________
TElLAO
DE
U sitio na Torre em solo pro-
prio.
O agente Pontual competentemente autorsado
por diversos, vender em lilo o-sitio da Torre,
uem casa de lijlo c cal o qual est'i situado de-
fronte da ponte de Sant'Anna e-ofleroee todas as
commodidades a urna familia^ talar, 'tendo o
sitio de frente 208 palmus e 3flMQc fundo mais
ou menos e umitas arvores fructferas.
Terca-feira 4 deinaio.
Xo Io andar do sobrado n. C, ra da Cruz,
as 11 horas.
Os Sis. pretendentespoderao. examinar o sitio
notando-se que no lugar do. sitio at agora nao-
chegou chei alguma.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DK
IVave^ieo costeira por vapor.
Camaragibe em direitura e Macei.
O vapor Parahyba, commandan-
te Mello, seguir para os portos ci-
ma no da 30 do corrente a meia
nolte. Recebe carga, encommendas, passagei-
ros e dinheiro a frote no escriptorio do Forte do
Mattos n. 12. V
Lisboa
Segu com brevdade a barca portugueza Perei-
ra Borges por ter parle da sua carga prompta :
para o restante e passageiros, trata se com Olivei-
r, Filhos & C, largo do Corpo Santo n. 19.
LEILAO
De una sobrado de 8 andares- e
soto sito na da Senzala
\o\.\ n. I. en* solo loreiro.
O agente Pontual competentemente autorsado
vender em leil > o sobrado cima.
Terca-feira 4 de maio.
No 1" andar do"sobrado n. 62, rua da Cruzas
II horas, onde tambem haver leilao de predios.
Os Sr. pretendentes poderao examinar o dito
predio
IEIIAO
ulenci-
DK
Sabbado V de maio de 1869.
Segunda representarlo do frenticamente ap-
P la u di i lo drama em I prologo .e 4 actos
0
Inspecco do arsenal de
niarinha.
De ordem do Illm. Sr. inspector faco publico que
acha-se marcado o praso de sessenta dias, a contar
da data do presente, para o concurso a que se vai
proceder nesta inspecejio, Unto para provmento
dos lugares de escrvao do almoxarilado e seu
ajudaute, como de dous amanuenses da secretaria.
Os pretendentes deverao inscrever-Fe no men-
cionado praso, e exige-se-lhes que tenham boa
letra, bom comportameuto, e a idade de 21 annos
completos, assim como saberem grammatica da
lingna nacional, principio de escnpturaco por
partidas dobradas, arythmctica e suas appllcacoes.
Inspecco do arsenal de marinha de Pernambu-
co 2 de mai O secretario,
____________Alexandre Rodrigues dos Anjos
Arremataco
A praea das casas nos Afogados, annunciada
para o da 28 ficou transferida para o dia 1 de
maio, depois da audiencia do Sr. Dr juiz munici-
pal da 2a vara, escrvao Baptista.
EDITAES.
4.* sec^o.Secretaria do governo de Pernam-
buco, 28 de abril de 1869.
EDITAL.
Pela secretaria do governo se faz publico que,
tendo, o Exm. Sr. Dr. vice-presdente da provincia,
de dar execuclo a le n. 833, de 22 de maio do
anno pausado, abaixo transcripta, se convida no-
vamente todas as pessoas que quizerem contra-
tar a illuminaeo a gaz das cidades de Olinda,
A cmara municipal desta cidade,
tendo de proceder no dia 4 de maio pr-
ximo vindouro, a apuraco geral de votos
para dous stfhdores por esta provincia,
que teem de prehencher as vagas pelo falle-
cimento dos Exms. conselheiros Antonio
Colho de S e Albuquerque, e Francisco
de Paula Almeida e Albuquerque, convida
de conformidade com a ultima parte do
art. 35 da lei n. 337 de 19 de agosto de
1846, aos cidad >s que quizerem assistir
a mesma apuraco.
Paco da cmara municipal do Recife 29
de abril de 1869.
Barao de Muribeca
Presidente.
Francisco C. daBa-Viagem
Secretario.
Personagens do prologo.
Cosme de Mediis. Sr. Tliomaz.
Itaphael Salviati. .
Juliano Salviati. .
Jacome, taberneiro. >
Judael de Mediis. .
Baptista, esbirro. .
Galeotto......
Um aguazil.....
Matheus. .
Nativa Pazzi.....
Lavradores, esbirros etc.
A scena passa-se na estrada de Floren^a em
1440.
No drama.
O duque de Mediis. .
O gn ve mador Judael. .
Galleotto.......
Juliano, porta-estandarte.
Lzaro o pastor.....
Um archeiro......
Matheus.......
Silvia.......o Carolina.
A duqueza de Mediis. Sra. D. Julia.
Archeiros, fldalgos, o algoz etc.
Em Floren?a 16 depois.
Designacao dos actos.
PrologoO envenenamento. O scenarip repre-
senta a taberna de Santa Maria na estrada
de Florenca.
Io actoMi c filhoNo palacio Ducal.
2" actoArcheiros do palacio alertadem.
3o actoO mudoas prisoes do estado
4o actoAjustieaNa sala do conselho. \
Dar tltn ao espectculo a ehistosa aria pelo Sr.
Martinho
O Boleeiro apaixonado
Comecar as 8 horas.
J. Augusto.
P. da Costa.
Brochado.
C. Rocha.
Florindo.
Jos Victorino.
Santa Ko*-"*
Jordn!.
Sra. D. Julia.
Sr. Thomaz.
C. Rocha.
Jos Victorino.
Eduardo.
J. Augusto.
Guimaraes.
Jordani.
Domingo 2 de maio,
Haver um lindo e variado espectculo^ cujo
programma estar allixado dentro da estacao dos
trilhos urbanos no Recife.
As pessoas que quizerem assistir ao divert-
ment terao passagem gratis em qualquer trem
eaqualquer hora, antes do espectculo^ assim
como depois do mesmo, dar-se-ha condueco gra-
tuita do Caldeireiro a Apipucos e vce-versa at
a cidade, tocando o trem especial em todos os
pontos do costo me.
Os bilhetes acham-se na estacao do Recife.
A representadlo principiar as 7 1|4 aflm de
terminar pouco depois das 10 horas.
OALCACAR
Ra nova de Santa Eita nu-
mero 1.
ftk^dflliliistl'ilur tfcatu catultclccluicutu
pa ao respeitavel publico, que sab-
bado i de maio ter lugar um brilbante
baile rjarticular em beneficio, para o que
desde j antecipa-se em prevenir que, nao
harer bilhete neste dia, no qual s tero
entrada os convidados para tal flm por
meio de ingresso passado pelo beneficiado,
que espera obtef toda benevolencia de seus
amigos.
No domingo 2 de maio ter lugar no ca-
f Cantante Commercial, os divertimentos
do costume, e roga-se aos senhores accio-
nistas que leve os recibos para poder ter
entrada, admiltido-se ainda algum socio
para este recreio aos domingos tarde pela
insignificante mensalidade de l^OOO paga
adiantada, os avulsos pagarao de entrada
500 rs.
No mesmo estabelecimento se alugam
cortinados, espelhos, resposteiros, iancas e
bandeijas tudo novo.
O recreio aos domingos principiar s
3 horas da tarde, e flndar-se-ha as 6 e
meia.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE *
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o da 7 de maio o vapor
Turantins, commandante J. M.
Ferreira Franco, o qual depois
da demora do costumo seguir
para os do norte.
Desdo j recebem-se passaseiros e ongaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de suachegada. Encommen-
das e dinheiro a frote at o dia da sua sahida as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor eque nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas pansa
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57.
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveir
Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
\;vc;oo costeira por vapor.
Fernando de Noronha.
O vapor Giqui, commandante Azevedo, seguir
para o porto cima no dia 10 de maio, ao meio dia.
Recebe carga at o dia 8 s 3 horas da tarde, en-
commendas, passageiros e dinheiro a frete at s
10 horas do dia da sahida, no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12.
PARA LISBOA
O paiaeno poi iugue -v<"' "' Dattmi a, .Mmr.
Francisco dos Santos Cunta, pretende seguir para
o inoicado porto com a maior brevdade possivel;
recebe carga e passageiros : a tratar com os con-
signatarios Marques, Barros & C, no largo do
Corpo Santo n. 6, 2o andar, ou com o capitao no
pavimento terreo.
Para o Porto
Seguir com a maior brevdade possivel a mu
conhecida e veleira barca portugueza Seguranca
por j ter a maior parte de seu carregamento en-
gajado ; para o resto e passageiros., aos os quaes
offerece ricos e excellentes commodos, trata-se
com Cunha Irmaos 4 C, ra da Madre de Dos
n. 34, ou com o capitao a bordo.
Para o Porto
pretende seguir com a maior brevdade possivel a
mu conhecida e veleira barca portugueza Clau-
dina por j ter a maior parte do seu carregamen-
to engajado ; para o resto e passageiros, para os
quaes offerece ricos e excellentes commodos, tra-
ta-se com Cunha. Irmaos & C, ra da Madre de
Dos n. 34, ou com o capitao a bordo.
arma los e dividas, da taberna da
ra do Rosario da Boa-vista
n. 43.
O agente Martins far leilao por autorsaco
dos eredores de Manoel Jos Pinto Martins, e para
pagamento dos mesmos da armaejio, gneros, uten-
cilii>s e dividas da taberna cima, muito afregue^
zada o bem localisada, garantindo-se a casa i
quem comprar o estabelecimento.
Terga-feira 4 de maio
s 11 horas do dia, na mesma taberna. O balanco
da casa pode ser examinado em mo do agente,
ra do Imperador n. 16.
LEILAO
Urna casa terrea
DE
rua Imperial n. 295, em
chaos proprios, com 2 salas, 4 quartos, cosinha
fra e quintal murado.
Urna dita na mesma rua n. 148. tambem em
chaos proprios, com os mesmos commodos da d-
cima, tendo o quintal maior.
Urna dita na rua da Gloria n. 48, em chaos
proprios, com 2 salas e 3 quartos,'cosinha fora e
quintal murado, travejada para sota.
Cordel ro Simoes
far leilao das casas cima descriptas as quaes
podem ser examinadas por quem pretender, tendo
lugar o leilao no dia
Terca-feira 4 de maio
as M horas em ponto porta do predio que foi a
Associacao Commercial largo do Corpo Santo.
I
EBcllo espectculo para rir.
Domingo 2 de maio.
Segunda representaco da muito chistosa e ap-
plaudda comedia em 2 actos
COSIIO
. ou
O papel de Cosimo desempehhado pelo Sr.
Martinho.
Segu a segunda 'representaco da frentica-
mente applaudida comedia em 3 actos
0 NOVICO
0
O papel de Novc,o representado pelo Sr. Mar-
tinho.
Principiar as 8 horas.
THEATRO
Gymnasio Campestre
ASSOCIACAO ARTSTICA
Sabbado 1 de maio de 1SGD.
2* recita de assignatura.
ESTRA DA ACTRIZ BRASILEIRA VIRGINIA DE BARROS.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir para o dito porto, o mais breve
que for possivel, o brigue brasileiro Santo Amaro;
quem quizer carregar ou dar escravos a frete,
queira dirigir-se Marques. Barros & C, no lar-
go do Corpo Santo n. 6, 2 andar.
DE
Xavegaco costeira por yapor.
Parcthyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Acarac e Granja,
^ffiy O vapor Pirapama* commandante
JXjL Torres, seguir para os portos cima
sHOai n (li; '"' ll() corrento as 5 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 14, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
horas da Urde do da da sahida no escriptorio
dq Forte do Mattos n. 12.______.^__________
AUC4TV
Segu comjbrevdade o palhabote Sobralense,
anda recebe alguma carga : a tratar com S
Leito Irmaos, rua da Madre de Dos n. 1.
Para o indicado porto pretende sabir em pou-
cos dias a veleira e bem conhecida barca Social'
capitao Rocha, por ter a maior parte do seu car-
regamento prompto, e para o resto que llie falta
e passageiros, para es quaes tem bons commodos,
trata-se com o consignatorio Joaquim Jos Gon-
calves BeltraQ, rua do Trapiche n. 17.
de mobilias, lougas e crystaes,
a 4 de maio.
Por ordem do Sr. F. B. Bloxhan, o agente Oli-
veir far leilao dos apreciaveis e muito superio-
res artigos da casa de sua residencia no campo,
consistindo as mais perfeitas, bellas e uteis mo-
bilias de salas, saletas e de quartos, assim como
de crystaes, e outros objectos fra do commnm
pela superioridade e bom gosto como difflcilmente
sao encontrados em casas de familias de decente
tratamento, e que nao sao indicados por brevda-
de, sendo-o smente tapetes magnficos e esleirs,
quadros e gravuras hndissimos, enfeitcs, cande-
ros e castices, um magnifico como lindo e sonoro
piano de Jacaranda do afamado fabricante Broad-
wood, um bilhar tambem novo e perfeito com os
pertences, machina para engommar, cama de ferro
para casal com colxo de molas e cortinados, ou-
tra para solteiro coiri pertences, toilletes superio-
res, lavatorios, commodas, guarda-vestidos e gnar-
da-roupas, estantes para livros, magnifica mesa
elstica para jantar, aparadores, apparelhos de
lou^as e porccllanas para mesa, sobre-mesa, cha
e caf, um ptimo cabriolet com belk cavallo e
arreios novos, vacca de leite, utencilios de cozinha
e mais artigos indispensaveis :
Terga-ferra 4 de maio
as 0 para 10 horas da manha, na casa e sitio do
Sr. Amorim, rua de Joao Fernandes Veira n.
34, prximo igreja da Soledade.
AVISOS DIVERSOS.
para um pequeo
Jos Rodrigues de
Precsa-se de um feitor
sitio : a tratar com Antonio
Souza, na rua do Crespo n. 15, ou em seu sitio no
Monteiro.
Rio de Janeiro
Segu com brevidado para o porto cima o bri-
gue nacional Isabel, por ter parto do seu carrega-
mento engajado para o resto que. llie falta, tra-
ta-se com os consignatarios Antonio Luiz de Ol
veira Azevedo & C, rua da Cruz n. 57, primeiro
andar.
PARA O PORTO
Dev seguir com a maior brevdade possivel a
barca portugueza Nova Sympathia, de 1* maretaa,!
por j ter prompta a maior parto de sua carga:
para o resto que llie falta c passageiros, aos quaes
offerece ricos e excellentes commodos, trata-se
com Baltar Oliveir & C, rua do Vgario n. 10
LEILOES.
LEILAO
De um bilhar, cadeiras, mesas, bancos, qnadros,
lavatorios, copos para sorvete, sorveteiras, 1
Osabaxo assigiiados, espoia, tilda e genro do
Dr. Jeronymo Vilella de Castro Tavares, fallecido
em 25 "do corrente, agradecem de coraco aquella?
pessoas amigas que Ihes prodigalisaram seus va-
liosos servicos durante a rpida e fatal, mas tra-
bajosa molestia que o arrebatou a vida; assim
como confessam-se eternamente penhorados para
com o Ilustre corpo acadmico e mais cavalheiros
3ue se dignaran de acompanhar o cadver at a
erradeira morada do homem.
Sendo opportuna occasio, aprovcitainna os
abaixo assignados para convidar a todos esses
amigos e affeicoados, que j urna vez provaram a
alta estima e consideracao que votavam ao morto,
para a visito sua sepultura, que terjugar no
cemiterio publico as 7 horas da manha de se-
gunda-feira prxima vindoura, 3 de maio.
Anua Accioly Lins Vilella.
Maria Egypcca Vilella do Regu
Joaquim Francisco do Reg.__
Ama
Preoisa-se de urna ama para coznhar para casa
de homem solteiro : na rua do Crespo n. 20.
ANNEL DE OURO
RUA
3
CAMIG 13
E
esquina
MB]
mportante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimento sem igual,!
presos que nenhuma outra casa pode vender. !a raa j M1
da qualidade e do pre ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
r*.


!1^


I
COMPAKHIA PERHAMBCA1U
Diario de Pcniambuo -4- Sabbado 1 de Maio de 1869-
DE
COtSEEillO DE JDIREC^lO
Os Senhores.Saunders Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonia de Siqueira.
0 SE. F. F. BORGFS

Restando ainda emittir algumas acces d'esta companhia, da quantia nominal de
200^000 cada ama, das quaeS s se aceitam em virtade da li, 20 /0, ou 405IOOO por
cada acco; convida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que queirara dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponiveis, a subscrever o numero de acces que Ihes approuver.
Algumas destas acces j tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
de na presente occasiao (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem dispar em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que Ihes garan-
tam seus capitaes.
A companhia possue hoje 10 vapores, 6 inteiramente novos, e destes o ultimo esta
a chegar de Inglaterra, onda foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d'As-
sembla.
Seus dividendos tem sido de 10 '/o ao ann0> nos ltimos 4 annos.
As acces que se emittirem goza m dos mesmos direitos, e perceberao o beneficio
dos mesmos dividendos que os .uticos em proporcao da entrada.
Rceebem-se assignaturas no eseriptono da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12
mk H FftfftllU
Aos 4:0001 (
Bilhetes garantidos.
A. ra do Crespo n.23 e casas do costme.
O abaixo assignado tendo vendido >as imin-
io felizes billietes garantidos 1 meio >. 18W com
a sorte de 4:00j, linloiro n 3"!) com a serte
de 203, e outras muitas sortea de 100|, 40# e
2Q4 da lotera que se arabou de oxtrauir em be-
neficio da groja de S. Jo i de Abreu de Dna
(103"), convida aos possiiidois virem receber
seus respectivos premios seni os descontos das
leis na casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Arbam-se a venda os da i' parte da lotera a
beneficio da matriz da Estada (101), que se ex-
trahir quarta-feira o de maio do orrente anno.
Prccos.
Bilhete.....4*000
Heip.....2/000
Quarto.....1*000
Emporeae de 100* para cima,
Bilhete.....3*500
Meio......1*750
Quarta .... 875
^___________Manocl Martin* Fiuu.
Aluga-se a casa terrea n. 63 da ra do
Mondego : a tratar na ra da lamina do Carmo
n. 36.
BARTHOLOMEU 8: C.
OtTerece-se una ama para engommar e
cosinnar, para casa de hornea sokeirn : quem
precisar dirija-se i becco do Pocinno'n. 21.
rmandade do Divino sjplrito
Manto ereta no couvento de
santo Antonio do Heeifc.
Convida a todos os nossos charos ir-
maos para no domingo 2 de maio pelas 9
horas do dia compareeerem no consistorio,
afim de hovirem a missa do Divino Espirito
Santo e depois reunircm-sc em mesa geral
para elegerem a nova mesa que tem de
fUDCcionar o auno 1869 a 1870. Consisto-
rio da irmaudade, 27 de abril de 1809.
Albino Jos dos Santos,
SeeAtario.
Trocam-se
s notas do banco do Brasil e das eaixas filiaos,
:om descont muito razoavei : na praca da Inde-
Mjndencia n. 22. ____________^^_
Forneiro e amassador
Precisa-se de dous horneo*, um forneiro e outro
amassador, para urna padaria na provincia do Kio
Grande do Norte : quem estiver neste caso, pode
tratar no esniptorio de Tasso Irmaos, ra do A-
morim, devendo dar conbeciinento de sua conduc-
ta e de sua pessoa paraomister que se quer.
= Precisa-sede nina ama que cozinbc : na ra
das Laraoceiras n 18. 2 andar,
Ania de leite.
Precisa-se de urna ama de leite: a tratar na ra
do Queimado n. 6!). ______________
Tendo o agento Puntual jinnnnciado leilao do
sobrado de dous andares e solio ra do Pilar n.
83, sobrado que pertence ao casal do finado Agos-
liulio da Silva Meves, dedara-se que tndo sido a
pariilha deste casal embargada per nullidade, por
ora nao podo tal sobrado ser vendido.
Precisa-se de urna criada que saina
cosinhar e comprar, roa das Cruz u. 9
2 andar.
Precisa-so d una .una qne sama cazuare
engommar: na ra da Roda n. 48, I" andar.
RIJA LARGA DO ROSARIO l 37
Este acreditado estabeleeimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do bem vivar.
Alm dos saborosos manjares i'onfeccio-
oados com o melhor asseio, tem bellos apo-
sentos de hospedagem, tanlo para urna s
pessoa, como para numerosa familia.
A agua, indispensavel elemento para a
vida e hygiene, temo-la sempre em abun-
dancia para facilitar excellentes banbos.
Ha tambero urna boa bibliotheca e peri-
dicos nacionaes e estrangeiros, piano para
recreio, buhares, etc. etc.
Sendo ociosa qualquer recommendar.ao
para to acreditado estabelceimento, omit-
timos mais prembulos, fazendo ver por
fim, que o bom servico, ordem e moralida-
de troperam n'esta casa, como observancia
-riel do regulamento que possue.
Oomedorias a la carte.
CHARtTERIA B PEHT RESTAURAD
Annexos ao Hotel Central, ra estreita d<
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a variedade infiniu
de charutos de Havana, Baha, Rio, etc. qu<.
existem neste novo eslabelecimento pres
cindimos dos aun uncios pomposos que ge
ramente se fazem, reduzindo-nos apenas i
tres letras que sao tres bbb bom, bonito i
barato. A' vista do ger.ero annunciado po
de-se julgar de nossa veracidade. Esta cas
gosa tambera das condices de um eleganb
e petit restaurant onde se pode ver a es
pecialidade dos fiambre:? e salames de Lia
para lanches e at faar urna boa colacad
juntamente com os principaes vinhos d<
mercado, sobresahindo entre o bom a puri
e fervente champagne, o mui saboroso' Rhe
no, a primorosa cerveja, o licor espirituoso
o quanto pede urna mesa. Faz-se nonti
sorvete e variedade de refrescos.
TOP8 SSSIhI
lEMPRESTIfflO SOBRE!
S
(SEU UHRrE.)
\a Imessa da ra
das Crazos n, i, pri-
meiro andar, ila-se qual-
quer quana sobre miro,
prala c podras preciosas.
O dono deste eslabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, esta as condicoes de ga-
rantir a transaccao que se ftter em
sua casa, prometiendo todo e zelo
e consideraco s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
beecimento.
Na mesraa casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
Manocl .loso na Fonseca retirase para fra
do imperio e julga nada dever nem ncsU pra;a
e era fra delta, porm se alguem se jutgar seu
| credor, pode apresentar-se no largo da alandega
n. i, que sendo justo ser promptamentc pago.
A abaixo assiguada, viuva de Jos Bernar-
des de Souia, pede a todas as pessoas que se ul-
garcm credoras de seu finado marido, que apre-
sentem seus ttulos ou contas dentro do praso de
tres das, a contar da data do prsenle annuncio,
na rasa n. 8do largo do Pila/. Rjcife 48 de
abril de 1869.
________. Rosa Telles de Meneze? Souza.
Precisase de uina ama de k-ite que nao te-
nha filho : quem estiver nesUis condiees. appa-
reca na na da Praia n. ->i, 3 andar.
PARA USO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES
Xarope de jurubeba garrafa. 1#000
Vinho de jurubeba garrafa. 10600
Pilulas de jurubeba vidro. 10600
Tintura de jurubeba vidro. 61(
Extracto hydracoolico de jurubeba. 120500
PREPARADOS COMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 20000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 10600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 20000
Oleo de jurubeba vidros. 640
Pomada de jurubeba pote 640J
Emplastro de jurubeba libra. 20500
PARA USO EXTERNO
v, l PA JlrRl P5B 16 t.
Esta planta hoje reconhecida como o mais poderoso tnico, como um excel-
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do figado e baco, as
hepatites propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inflammacoes
subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
peciilmente do tero e abdomen, nos tnmores giandulosos, na anazarcha, as hodrope-
zias, erysipellas; e associada as preparares ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de raenslruaco, leucorrheias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos affirmam os mais distinctos mdicos desta cidade, entre os
quaes podemos citar os lllms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excellencia d'este
poderoso medicamento sobre os demais at hoje conhecidos para todos.os casos citados,
tanto que todos os dias fazem d'clle applicacSo.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazendo desapparecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais das vezes repugnantes a tragarem-se, e que tinham ainda a desvantagem de n5o
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muitas vezes improficuo um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de havermos conveniente-
mente estudado ajumbeba, fazendo as experiencias-precisas para bem conhecer aspro-
priedades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, folhas, fructas ou bagas, e a
dose conveniente a applicacao, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao maior grao de perfeico possivel, para o que nao poupamos esforcos, nao nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerecem a garanta, de que se pode encontrar, a prorapta e infalli-
velcura de qualquer dos soffrimentos,que deixamos intimerados, se forem em tempo
applicados, tendo alm d'sso, medico eu doentc a vantagem de escolher as nossas va-
riadas preparaces, aquella que melhor Ihe pode convir, j pela fcil applicac3o, e j pela
complicaco das molestias, idade. sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparaces ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procurarnos os compostos de ferro que
como taes est5o hoje reeonhecidos.
Para aquellos que mais minuciosamente qaeiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicacao & nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
34Ra larga do Rosario34.
OFFICLNA PARA CONCERT E AFINAC40
DE
*
Deposito de
pianos e de msicas
DE
jf. 14 RA POROTOSAtf. 14
BOA-VISTA
Frederico Maia
Cirurgio dentista pela escola
de medie!ua
do Rio de *aneiro.
Tem a honra de participar ao repcitavel pultli-
co desla capital eseus suburbios, que tem abertoo
seu gabinete de consultas e operacoes dentarias a
ra Direita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurada todos os dias das 8 horas da mantea as
3 da tarde. Elle aeha-se competentemente habili-
tado para com perfeico collocar dentes artificiacs
por qualquer dos systemas, e bem ssim desempe-
ohar qualquer outro trabalho concernente sua
prossia O mesmo, reeonhecendo que nem sem- j
pre possivel s senhoras ou criancas sahirem a
procr aro remedio, otTerece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualquer chamado sem que sso nflua cousa
alguina na eommodidade dos prc^ .s de seus traba-
Ihos, e quando para fra de lia a precedido de um ajuste rasoavel, crarantindo elle a
seguranca e perfeico de seus ditos trabalhos. Em
seu gabinete se encontrar'constantemente encl-
lente nos dentifricio, elixir e outros mtxlicamen-
tos odontalgicos
andar.
ra Direita n. 12. primeiro
SEGURO,
AJSEA
Prec?a-se de urna ama para enzinhar para casa
de homem wlteiro : na rna do Crespo n. 20.
MARTIMOS
Quem ifuizer ser feitor de um sitio, dirija-se
ao largo da nbeira de S. Jos\ cobrado n. 5.
GMIE HOTEL
DO
BRASIL E PORTUGAL
Precisa-se de urna ama de le te e de bou*
cosuunes : a fallar na ra do Queimado, laja de
fazendas n. 34, on em Olinda, no patea de S. Pe-
dro-novo, sobrado qne \nra para a ladeira da S.
Attencao
Aluga-so utn sitio na estradi do Hosariniw com
boa casa de vivtnda. accommodace6 para esera-
v..s, coejieira, estribara, duas ea'cimbas, tanque,
duas naixas para capim : q.uem o pretender au-
gar dirija-se a praca da Boa-Vista botica n. C
COMTRAFOGO
A Companhia Indemnisadora, esabelecida
esta praca. toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobias: a
ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Fundico da Aurora.
Neste vasto estabelecimente sempre se enconlra
um completo sorli ment de taixas de ferro batido
e fundido, fabricadas recentemente, e se fabricam
de qualquer molde a rontade dos compradores, e
recos razpoaveis.
Em casa de THEODI10 CHRISTI-
1NSEN, ra da Cruz n. i8, encontram-se
efectivamente todas as qualidades de rnho
Bordeaux, Bourgogne e do Rheno.
RIO DE JANEIRO
Zeferino d'Almoida Pinto, advgado no
Rio de Janeiro e com escriptorio de ageti-
cia na ra dos Pescadores numero 68, en-
carrega-se de todos e quaesquer negocios
judiciaes e administrativos, mediante hono-
rarios e commissoes rasosrveis e mode-
radas.
As pessoas que de seus ser*eos se qu-
zerem utilisar, podero dirig,r-se pessoal-
mente ou por carta ao escriptorio cima ou
a casa de sua residencia, Cllete n. 172.
acompanhados de todos os documentos
precisos e com indicacao da pessoa com
quem se possa tratar.
Para mais informacoes jjjrigam-se a bo-
tica da ra larga do Rosario' n. 10, nesta
cidade.
Photographo da casa imperial
premiado em diversas exposi-
<}6e8.
Na sua photographia ra do Cabuga u.
18, entrada pelo pateo da matriz tira retra-
tos por todos os systemas photographicos.
Em porcelana Em vidro
Em talco Em papel
CART ES DE VISITA A9 ADUZfA.
Os retratos ca te-de-visite so collados
3ia cartJo de luxo bristal ou porcelana,
iourados ou lithographados, quaclrilongos
ou vinhetas para oque existe urna varieda-
ie de 12 modelos a escolha de quem se re-
tratar. Para as outras especies de retratos
temos caixinhas, passe-par-touis, juadros
3 molduras douradas e pretas cassoltas de
juro e alflnetes simples e com podras pre-
ciosas, havendo nos alfinetes urna mimosa
%iedade de feitios.
0 nosso estaDelecimcnto photograpbico
ist sempre em dia com os melfioramentos
3progressos que na America do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro se consegu'
aa arte photographtca, e para alcanrarmos
tal fim nunca poupamos despezas nem sa-
rificios, de sorte que os nossos numeroso*
freguezes podem ter a certeza de que sem-
pre encontrarlo em nosso estabelecimento
ludo quanto a arte e a moda olTerecer aV
bom no novo e velho mundo aos am:i te-
la photographia.
Vinho degestivo de
ehassaing
COM -
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excellencia paia cura certa
das digestes difOceis ecompleas, a raimar
as dores gastralgias, e reparar as torcas
produzindo urna assmulaco completa dos
alimentos; sendo mais um excellentu tnico
PHARMACIA E DROGARA
DR
Uarlholttmcii A C.
34RA LARGA 1)0 ROSARIO34
ATTENCAO
Jos Maria Palmeira, tem para vender ih,
seu escriptorio.largo doCorpo Santo n.
Io andar.
Fio de algodo.
Panno de algodo. j
La barriguda.
Colla.
Galha.
. Capa rosa.
Oleo de linhaca.
Sag em garrafes.
Vinho Rordeaux, superior ijualidatte.
garrafas grandes, eaixas de duzia.
Ervilhas francezas em latas.
Vinho do Figueira em barris TLC
mais superior que vem ao mercado.
Salitre.
Enxofre.
Fio de vella.
Cimento porlland superior.
Dito romano dito.
>Pedroso.
Preeisa-se de urna ama que saia bem cazinhar,
e isto s para duas pessoas ; narui olo Livramen-
to n. 26, 2 andar.
Ama
Precisa-se d oma ama forra ou escrava par
-oruprar e cziobar para urna ca mina : na rna das -Cruzes n. 28, i* andar prele-
re-se escrava e paga-se bem agradando.
O coselheiro Joao Silveira de Sou-
za, tem aberto o seu escriptorio de
advogado, na ra do Imperador n.
41 primeiro andar ; entrada pelo
becco.
Situado emum, dos bairiDS mais centraes de Pars, sendo na?; immediaces do*
principaes theatros e outros muitos divertisientos, e assim das e;tacoes dos caminbos de
ferro para todos os pontos da Europa, acabado de ser nteiramer te renovado, nao se
tendo poupado o sea novo proprietario a despezas para seu completo embellesamento e
aceto, trna-e prtanlo vantajosamente r^ommendavel aos senhores brasiieiros e por-
tuguezes, a onde encontrarao sempre aquella convivencia desejada 3m paiz estranho,
por ser constantemente frequentado por seus compatriotas. 0 tratamento superior a
^do o elogio, mesa redonda, ou a carta, ou servida nos aposentos; habitacoes conve-
ientemente despostas para familias, e quartos para urna s pessoa, o servico feito
zom a precisa rigularidade : os presos muito rasoaveis eao alcance tambem d aquella?
pessoas que se queiram limitar.
Gabinete de leitura com os principaes jornaesdos doas paizes, salao de recepcaoe
de msica, etc. etc. Todas estas -vantagens podem ser applicadtis igialmente aos senho-
res passa^^iros das repblicas do Prata, porque aletada seme-hau!* da liogua, ali en*
3ontrar3o muitos senhores hespanhoes, por quem tambem esta cusa bastante fre-
cuentada.
i
VMA
Precisa-se de urna ama para servico de
familia na ra das Larangeiras n. 2.
penca
Precisa-se alugar qnatro escravos.para servie
dbtto de eoberta, paganse W e-.d- oon :
a tratar na ra db Bkniit, saboaria do Recita
TORTGliZA
No coilegio da Conceicae^ precisa-se. de.
urna criada porugueza; p.iga-se bem.
PrwiM-se faltar ao Sr. ltominywii
Mar^i a nafocio de seu .mrwe : no
de Joaqun Gerardo de Bastn, nm 49
16,1* andur
Ainda restam algumas colleccoes de
Riographias de alguns poetaj| e outros ho-
mens lustres da provincia de Pernamhuco,
tres tomos escriptos pelo coiausendador A.
J. de Mello : ra Augusta n. Sr4.
A quem precisar, vendem-se bichas arnbur-
guoxas superiores, em grandes e pequeas por-
;oes, e tambem se alugam : na ra do Imperador
Precisa-sa de urna ama livre ou escrava para
umtcasa de cinco pessoas : na ra Nova n. 52,
fardar.
Ama
Precisa-se de urna ama para
da CadtU de Recite n. 22.
cozinhar : na ra
Aluga-se
uu *madi-*e um sitio oen muitos arvoredos de
fruelo, cora grande casa de vivenda, com eochera,
estribaria, o q,uartes para criado e feitor, cacimba
Moa muito boa agua de beber e tanque, detronte
da esttcio do Caldeireiro a tratar na Boa-Vista,
ruadojiweagon.54.
Trand8codiOwhu..eardeeo, scienfica
quem intersesar jde deixou de ser cai
xeiro dos Srs. Jes e^ejAwxa Soares C.
4i
1 ra-*W'llJl xeto> dos Srs. Jesd ej^Auxa Soai
Joaquim Jos Gon-
qalves Beltrao
RA DO TRAWCHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ran-
eo do Minho, em Braga, e sobre os .seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valonea.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.-
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Viaona do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
VU>-Nova de FamalicJo.
Lamcgo.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandeila.
Reja.
Rarcellos.
Jos Soares de Azevedo, |>rofessor de
lingua e litteratura nacional no gvmnasw
provincial do Recife, tem aberto em sas
casa, ra Relia n. 37, um
CURSO DELINGUA FHANCEZA
DE GE0GUAPHIA E HISTORIA
DE PIIILOSOPII1A
DE RHETORICA R POTICA.
Os estudantes qne pretenderem ccpw
tar qualqver destas disciplinas, podem dir-
gir-se indicada residencia, de ntanbaa ai
as 10 horas, c de tarde a qualquer hora.
AMA
Trilhos Urbanos de
Olinda.
Os abaixos assignados, membros da t-
rectora da assembla dos subscripto
res para a companhia dos trilitos urbanos
desta cidade do Recife a de Olinda com
ramal para o Beberibe, convidara a todos
os Srs subscriptores, para quo no praso
de ludias (a contar-se do de maropror
ximo futuro) facam effeetiva a entrada de
o por "|0 sobre o numero d'acces qae ti-
verem subscripto : aquellos que dentro
do termo dos 15 dias marcados nao tiverem
realisado a mitrada de dita prestar*), qatt
esto sugeitos segundo os estatutos da
companhia, reputar-se-ha ter feito renuncia
tacita dos direitos que tinham sobre as
acces subscriptas.
A importancia dos referidos 5 per V
ser paga ao thesonreiro da directora,
casan. 35 da ra das Cruzes, 1* andar, de
quem recbenlo o competente eonheci-
mento, devendo para dito mu ser o
mesmo thesoureiro procurado das 10 boiras
da manha as 3 da tarde. A irapartaaeia
assim recebida pe thesoureiro ser no
fim de cada semana recolfida ao bancoED-
glish Rank of Rio de Janeiro, ttmited, rece-
bendo o thesoureiro o competente titulo n
recolhimento.
Recife 27 de abril de 8G9.
Jos Joaquini Amunes
Presidente.
Luis Lopes Castello Brane
Secretario
Amaro J. F d'Albuque.
Thesoureiro.
Ofterece-se urna ama portugueza para o ni'
interno de urna casa de pouca familia : na iH da
Iinperatriz n. 46.
:ava.i
Precisa-se de urna eserava
bom comporumonto, paga-se bem ; na ra dos
Pirw, sobrado n. 7.
va boa eajMMira de
Irmandde d^ Divine Espirito
Santo.
Km conformidade do que dnpoe o i ISotrt.
W) de nosso compromisso, sao convidado too*
irmaos maiores de 18 annos, para no domrtfo, %
de maio, pelas 9 horas da manhaa, coinp(
cm nosso consistorio, afim de reunaos e p
tadoade capas, assislirem a rassa vxiv.i, #'
qualter lugar aeleicao da mesa nvedC* W
tem de dirigir os negocios da inaandauV^n t*11*
de 1869 a 1870. Recife 89 de M*1,%9!
Manoel r*** *m,
L
qara o servico da efc"-
no mesmo caf, laijo fc
f


i
H

>
kIo 1 (le Mio de 1869.
5
ESMERALDA
RAP PCFTJLAE.
DA
SSTABELECIMENTO EM 1832
M*
FABRICA NACIOKAL DA BAHA
DE
TEIXBltU FMDERlJl'O C- .
Acaba de chegar a este mrcalo urna popao
deste ptimo rape, nico qao poda suppnr a lana
do princea do Lisboa por ser de agradavel pcriu-
me. E' fabricado pelo svstema do Area I reta,
porm tem sobre esto a vantagem de .^r:viaJ\?u'
o que para este rtico urna especiandade. ms
praras da Babia, dollio de Janeiro e outras do
imperio tem o Nape Popular sido asss accolhido,
e provavelmente aqu tambero o ser, logo que
seja coubecido e apreciado. A:ha-se a venda
por preco commodo, e para quem comprar de oO
libras para cima, far-so-ha un descomo de 5 O/O,
e de 500 libras para cima o de 8 0/8 : no escnn-
torio de Joaquim Jos Goncalves Beltrao, ra do
Commercio n. 17.
Moreira Duarte & C. tendo feio urna
completa reforma no seu estabelecmento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca, e por presos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata. e pe-
dras preciossas.
H 5 H!i DO (kMJGi N s.
Precisa-se de urna ama para casa de homem
solteiro : na ra da Praia n. 42. .________
Methodo Castilho
Maiioel Jos Je Far a Simes, profcssor
particular de instriKcao elementar pelo
methodo castillto, scicntifica aos pas de
seus alumnos e ao respeitavel publico, que
mudou a sita aula da freguczi de S. An-
tonio paraa de S Frei Pedro Goncalves, ra
da Guia n. 31 2o andar, cuja aula estar
aberta no dia segunda-feira ) do corrente.
Em dita aula rccebe-se meninos externos e
internos por preco razoavel.__________
Precisa-ee He ttni caixeiro para taberna que
tenha pratica calianee sua conducta : na ra do
Nangel n. 73.
ISalsajitrillw de Biislol.
LEGITIMA E ORIGINAL
EM FIUSCOS CHANDES
Resta venda um escotbido sortimento de ob-
ectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
.-arand, mogno e amarello, obra nacional e estran-
,'eira, d apurado gosto e por nrc^o > rnzoaveis:
a ra estreila do Rosario n. 32." fiesta niesma
:asa faiem-se com perfeicSo todos os trabalhos de
jalninha, como sejam, empalharaentos de lastro?-
jara camas, cadeiras e sophs. ________________
Fugio da casa de Jos Podro do llego, no dia
28 do crrente abril, um preto com os signaes se-
guintes : cor tula, cabeca grande, fronte alta,
com poucos cabellos, signaes de bexiga lo relo,
corpo regalar o um poueo alto, representa ter
quarenta e tantos anno3 e chama-se Isaias. Esle
preto imitula-se forro, e tem* por costume fallar
com os olhos baixos, parece solfrcr do cerebro nn
consequencia da embreaguez, lilho do Maranhao,
para onde dia pretender seguir, sendo j preso
urna vez adianto de Cachang, declarando ontao
que procnrm o caminho de sua trra, levou ves-
tido calca de brim do algodao com lislras, camisa
de riseado atol e chapeo de couro : quem o ap-
prehender leve rua da Penba n. I. andar, ou
a rua da Cruz, escriptorio por cima do deposito de
rap Meuron.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinliar .
Jos Joo d'Amorim e sua familia agra-
decen aos seus amigos, s corporages re-
liosas a todas as mais pessoas que assis-
tiram as exequias e aconipatiliaram ao ce-
miterio os restos raortaes de seu muito
presado irmo e prente Manoel Joo d'A-
morim ; e, de novo os convidam para a
missa de Rquiem com momelo que pela
sna alma se lia le celebrar na igreja do
Corpo Santo no dia 1 de maio prximo s
S horas da manhaa.
Por motivos justos foi transferido para
, o dia 4 de maio prximo, a missa de re-
i quiem com memento, que se tem de celebrar
por alma de .Manoel Joo de Amorim.
HKl!l W\ l
& C.
14
O respeitavel publico encontrar nesta offirina habis mjstres c bem conhecidos
na arte, aflian?ando-se o rrelhor desempcnlio conformo o gosto e vontade do freguez,
assim como a maior pantualidade na entrega das obras; recebemos de Paris, por todos
os vapores, -os mais modernos figulinos para nao haver nada a desejar; bem como
/arias encommendas de casimiras modernas e outros artigos proprios para homens;
temos grande deposito de roupas mitas de toda a qualidade, como sejam: camisas
francezas, inglezas, chapeos de sol de seda trancada, o que lia de melhor, grande
sortimento de ffeias, colinabos* punhos e grande novidade em gravatas modernas, e
tinalmente completo sortimento de fazendas finas e roupas feitas, sendo os presos os
mais baratos possiveis.
OGRANDE PURIFICADOR DO SANGUE!
Esta excellente e admiravel medicina, e
preparada d'uma manara a mais seientiii-
ca por Chimicos e Droguistas mu doutos e
d'unw instrueco profunda, tendo tido mui-
tos anuos de experiencia ao par d'uma ton-
ga e laboriosa pratica.
A sua composigo nao consiste d'um-sim-
ple extracto d'um so artigo; mas sim,
composta d'ex tractos d'um numero de rai-n ideia n. Si.
zes, hervas, cascas, e folhas, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
ou essent, uo sangue ou nos humores i
e estes differentes extractos vegetaes, aduna-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservarea em toda a sua forea, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, a que
nos usamos tiesta p^paraco, sendo a rj'ia-
lidade que todos os mediros mais pn'zam
e. esliinum. Na composicao da Kalsa-
parrilha de Brfstol entra mais de ;0
por cont deste concentrado extracto. Ella ros30> p(,ni.,s ,.,.,.,, r1(1.ir miucl,- e apressado ;
nao encerra em si cousa aiguiiv.Nque pos- f0 eseravo de Amonio RBppe de Souza, morador
sa por leve ser iprigosa -X.i injuriosa | no sitioPoro da Yaccacomarca do Limoeiro ;
sade; e tanto n'este, como em
dos os mais respeitos, ella inteiraniente
Pede-se ao Sr. alfe.res Antonio Muniz, pie
declare por esta folha a quem eomprou, ou por-
Juefrina possuio o quarto de bilhete da lotera
o Rio n. 3330, em o qual sabio o maior premio
ltimamente, o se sua scnlioria j;i orfecebett, na
certeza de qne, se nao satisliei, ser obligado a
declarar perante os tribunaes. _______________
-Desapparoceu a i'.) do crrante, da botica do
abaixo assignado, o bilhete da lotera i'j, n. lo7;
portanto previniste ao tbesooreiro que nao pague
premio algum que sabir por sorte na extrac^io,
genio ao abaixo assignado, seu verdadeire dono.
Francisco Antonio das Cbagasl
Fugio do engenbo Tapera, freguczi de J-
boatao, a 2. de dezembro do anno passado, o es-
eravo Miguel, preto, criotilo, de 48 anuos de idade,
estatura inuito Jiaixa, feicoes regulares, corpo
t0. Uuppoe-se estar ueste lugar ou na freguezia do
Gloria : quem o trouxcr a este engenbo receber
Dafesta de 8. Jos da ^go-
nia erecta do convento do
Carao.
Hojer 1 de maio, ao meio dia, urna girndola
de l'oguetes oin aeompanbamento dus sons bar-
moniosos da msica marcial do corpo de policia,
sob a uirecfAO do insigne maestro Hermogenes,
anuunciaro que, no domingo (i) odia designado
para a celebracao da testa do Gtirioso Palnarclia.
Domingo, pelas 4 horas da maugada, urna sal-
va real annunciar o principio da L-stividade, ten-
do lugar is 6 horas o hasteammt.j da bandeira,
em cuja occasio a msica nuucial execular pe-
gas variadas c escolhidas.
FABRICA DE PIANOS
DE
J. VIGNES
55Eua do Imperador55
UEOR
JOSIFH MANE RAIGAS
aaligos
Avisa ao respeitavel publico em geral, e com espeeialidade aos
freguezes -o sen estabelecmento, que ah se acha prompto a satisfazer qualquer tra-
talho de concert e a alinaco de pianos ; e que brevemente ter disposico do pu-
Wico lande variedade de msicas e pianos.
diversa de todas essas mais preparados
as tpues debaixo do nome de Salsaparri-
Iha, sao accondicionadas ou jiostas em gar-
rafas pequeas, sendo receitada eui doses
mui diminutas d'uma colber de fcha poi-
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
.SALSAPABBUU DE BRISTOL
ein frascos grandes, e assim por este mod.i,
dividimos com os constatfdores, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelles
que acondicionam sua prepararo em gar-
rafas pequeas. Gada um dos frascos da
nossa Nalsaiiarrilha de Brlstol
oonteem a messa quantidade igual poitSo
contida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue anda muito mais l'orga e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa adiar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamaito. Por-
tanto mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas produeces, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes : proclamando, que a nossa al-
.s;i|Krtilh.i de Bristol nao possue a
menor \irtude; porm quo effectivamen-
le sao elles postvn em sileneio, quando indi-
camos, ou simplesmente referimo-nos para
cora ssas centenares de certidoes e tes-
temumios authenticos, por nos recebidos
a gratificacao de t00000.
Precisa-se de urna ama para cumpnjjpp co-
zinliar para duas pessoas : a tratar na rua Impe-
rial n. 9.
Antonio Joaquim da Cosa Ciuimares Pan-
cada, sua mnlber e tres lilbos menores, retiram-
se para Portugal.
Precisa-se de urna ama para cozinliar em casa
de pouca familia : na praca da Independencia ns.
37 e 39.____________________________________
No dia 28 do coirente cabio de urna carraca
em viagem da rua da Cadete do Recite para o
Monteiro, um saceo de viagem de tapete ebeio de
roupa c diversos objectos : quem o acbou, que-
rendo reslitui-lo, pode dirigir-se rua da Cruz n.
49, que ser gratificado.
COMPRAS.
RIVAL SEM SEGUNDO
Rua do Quennado n. 49, loja de miudezas de
Jos do Azevedo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom c barati-si-
mo, i[ue sao para avahar.
Duzia de sabonetes muito linos a 700 rs.
Pares desapatos de tapete para homem a t280.
Ditos de tranca para ereanca a t|.
Iramoia do Porto, bordada, a melboMi 200 rs.
Dita do Porto liza, da melbor qualidade a 100, 120,
160 e 200 rs.
Resma de papel almaco, lizo superior a 3*200.
Dita de papel almaco pautado a 4jl.
Livro di' missoos abreviadas a 24-
Cartilhas com toda a doiilriua e umitas resis a
329 rs.
Silabarios portuguezes com estampas a 320 rs.
Baralhos francezes muito liims a 200 e 240 rs.
Sabao ing'ez superior qualidade a 500 e $-
Gravatas pretas e de cores muito linas a 00 rs.
Duzia de metes para senhora, fazeuda lina a 4#.
Redes pretas lisas para segurar caWfo a :"0 rs.
Varas de transa de seda de todas awes a 600 rs.
Pares de brincos dourados com miozii.lia e pe-
dras a 320 rs.
Cartees com corchetes de duas ordens e sao de la-
ti a 20 rs.
Abotuaduras de vidro para coletc muito finas a
120, 240 c O rs.
Pares de botdea doufados para punfaos a 160 rs.
i;.ii\as de penaas de ac muito linas a 10, 320 e
500 rs.
QartSes com duzentas jardas de liuba do fabri-
cante Alexandre a 100 rs.
Cnixas de pennas de a^o, a verdadeira penna a
15200.
Carrit.'is de linha Alexandre ns. 70.60, 100 atv
200 a 100 rs.
Catea com superiores brelas de massa a 40 r>.
Carriteis com duas oavu d>' retroi preW a OOr-
i);i/ias deagnlhas para inacbinasa 2-5.
bnis ii" pregOi l'rancezes de todos os tanianbos
aUIrs.
Livrosescripturadoa pan rol tfc roupa a 120 r.-.
Caixas com panel amisade muito lino a 700 rs.
Cateas com cemenvelopes da melhoi qualidade a
600 rs.
taJhercs para meninos muito Loa fazenda a-
210 rs.________. .________________
Tabellas vermicidas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugoellicaz, c prefeiivci a todos M
conhecidos, j pela certeza de sen resolta-
do, ej pela fcil applicacao as creangas,..
quasi sempre mais atacadas de lo terrivel
emuitas rezes fatal soffi imeiito.
IIGO DEPOSITO
KA
Pharmaela e drogara.
DI
llarthornen A- C.
*4Rua Larga Veudepi-so das ea*a< terreas na rua do
Coxo, na cidade de Uiala, leudo moa frente para
os Qualro Canlos : quem as pretende] dirija-se ao
pateo de S. Pedro-novo, uo sobnaAj da esquina n.
I, que achara com quem tratar.
Vende-se ou arren-
da-se
Vendivfe-urna taberna ua
l'i : a tratar na niesma.
rua do Pilar n.
Na praca da Independencia n. 33, loja de ou-
rives, conipr-sc ouro, prata, e pedras preciosas,e
tambem se faz qualquer obra de encommenda, e
todo e qualquer concert.
missa
noel.
gara: ser orador ua testa o pregador da capella
imperial padre Lino do Monte Carmello, c no Te-
Deam o erudito orador padre Augusto Maria Fer-
reira Botelho, que, mais de urna vez, empregar a
sua eioqueneia oratorix
As 7 horas entrar o Te-Demm, cuja fmabsa?ao
ser annanciada por girndolas e por novas pecas
de msica pelo banda marcial.
Desta forma tuin a mesa regedora ciunprido o
seu dever, festejando o seu Padroeir > simplesmen-
te, mas com a devida decencia, pow nao dispondo
a irmanade de muios, resolvea a mesa regedor
fazer a (esta o mais siaaples e decente possivel,
sendo expensas suas.
O secretario,
Maf'tlkae* Juaior.
Debaixo da forma d'um liquido sein sabor,
anlogo a urna agua mineral, este medica-
mento rene os elementos que consumera
os ossos e o sangue. E' o mais racional des
ferruginosos; por esta razo o adopiaro
os mais eminentes mdicos do mundo in-
leiro. Cenvem muito s meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimento tardo,
s senhoras que padecem d'estas dores d'estomago iotoleraveis, causadas pela chlorose,
.uenna, mensiruaco ou leucorrha, is criancas d'uma compleicio paluda e delicada, e *
todas as pessoas que teo sangue empobrecido pelas doencas. Eficacia, rapidez d'accSo,
cura perfeita, sem conslipaco de ventre nem accSo sobre os derites, taes sao as razdes que
| imperio para que os senhores mdicos o prescrevo aos seus doentes.
Deposito em Pernambuco, em casa de Xanc O.
HIII
Sao convidados todos os socios para comparece-
rem no deiningc 2 de maio de 1869, na casa da
rua do Trapiriw-novo n. 20, 1" andar, as 10 horas
do dia,' para deliberarmos a maneira de tomar
cantas ao ex-conselho administrativo e mais for-
malidades dos estatutos.
Recite 20 de abril de 189.
Andr de Abren Porto.
Manoel Jos d; Malheiro Braga.
Joao Rodrigues Bandeira.
0 miizeo de joias
e pedras preciosas por pre?os mais vantajosos do
que em outra quabpaer parte.
Vende-se o excellente eugenhg Montevidt
em Ipojura : na rua de Livramentu n. 19.
?
i
COGNAC.
De superior qualidade da imii a redita-
da fabrica de Bisquit Dubouch A.C.,
cognac urna das que mais agu rdente
cognac, fornecini pana o coi un mn do
1 !T?;s131raHn Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de.Tb. losl.
commercio n. 32.
As 11 horas, entrara a fasta, sendo executada a,
issa Peruambucana. composicio do maestro Ma- TIr1WS"7rS TOSSes fl&OCiedade, UOb <{UM>
>el Pereirada Silva, de cjjadirecflio se encarre- plenamente attestam 0 poder curativo e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRILIIA DE BRISTOL.
A -vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
differentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compoem as nossas medicinas,
sao produzidas, que nos habilita a exer-
cer aquelle constante cuidado e diswllo na
minuciosa escollia; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por ootro lado, nos nao
nos poupamos nem dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcancarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ihgridiente que entra na sua composi-
c5oi pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva coniianta; que po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as nacoes, e de todos os- paires, (pie na
Salsaparrflha de Bristol. possuem
um remedio mais efcaz e seguro; do que
nenhumoutro, que. vos tenha sido offere-
cido at hoje, e o qual por corto nao hade
maHograr vossas expectativas, na prompta
e e'ectiva cura da* seguintes enonnidades:
LEITE PURO
Do dia 3 de maio e:n diante haver iodos os das,
as 7 horas da manha, leite puro a 320 rs. a gar-
rafa : no hran do Livramenlo.
Eseravo.
Precisa-se alugar um eserav das 8 horas da
manla as 3 da tarde : na rua da Cruz n. 46,
1 andar.
OURO E PRAT4
Compra-se moedas de ouro e prata e
bem como libras sterlinas, na rua do Ca-
bug n. 9, relojoaria.
0 MUS
DE JOIAS
GOMES DE MATTOS IRMlOS I
tendo feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecmento de joias, com ofimde
dar-lhe maiores propor^oes e elegancia, conaridam
ao publico em geral e com espeeialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RUA DO CABUGA N. 4
onde encoiitraro um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e preeioso em brilhantes, esmeraldas, rubina e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RBINS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
H objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam qualquer joia- ou pedra preciosa e garitem
a qualidade dos objectos vendidos.
C/2
Tinha,
Syphilis,ouMal Ve-
nej-eo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
Feniiniuo,
Nenosidade,
DebHidade ('-ral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezes
Biliosas,
Compra-se moedas de ouro e prata, bem
como libras sterlinas por maior preco que
em outra parte: na ruado Crespo n. 16
primeiro andar.________
Compra-se uuia ou duas casas pequeas ou
niei-aguas, em chaos proprios, dentro desta pra-
ca. preferindo-se na freguezia de S. Jos : a tra-
tar no pateo do. Terco n. 19.
Com muito maior vantagem
Compra o Coracao de Ouro, n. 2 D rua do Cabu-
g, moedas de ouro e prata e pedrae preciosas.
VENDAS.
Taberna
Vende-se o estabelecmento sito no ;.'. da [ i -
nba n. 12, com [toncos fundos, e leu rviiuuodo
pan lamilla : a tratar no BWWX
Cimento inglez
De primeira qualidade em barris grandes,
que se vende por menos do que em qual-
quer outra parte: na rua Larga do Rozario
11.34 botica.______________________(
Vende-se urna machina de costura, nova.
muito bonita, por preco muito cm cunta, por seu
dono se retirar para lora, e o xaroqe de cusar
molestias no peito j pronunciadas, vindo da ser-
tao, e banha prodigiosa contra a i|'.h da dos ca-
bellos : no Corredor do Bispo n. 35. .
TMTIM
do Douro
Em casa de Flix Percha da Silva, rua lialm-
neratriz n. GO, vendem-se Sarris de .'.' e 10' cor.
puro vinho do Douro, paraniindo-se que nao ttm
confeiga" alguma; nes'tc genere o im-lhor qm-
icni viudo a e.-te ii,ere a do, e mui: o pruprio para
usar as horas de comida, e vende-se por preco
razoavel, na loja do Pava.
MUSEO DE JOIAS
Escrfulas,
Cliagas antigs,
Ulceras,
Feridas ulcerosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupfoes,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remittentes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado perfeito curativo da toda aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cura, grandeHwnta promovi-
do e apressurado; usando so ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa plalas
vegetaes assuearadas de Bristol.
tomadas em doses moderadas em connec-
co ou eonjunctamente com a Salsaparrilha;
ellas fazem remover e expellir grandes
quanuddes de materias mosbifica& e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; o
por esta forma facilita a voltee-o ejercicio
normal das operaces funecionaes.
Acha-se a venda no& estabele A- ^ors, t. da C. Bravo A C, P. Maurer
C, M& ..A. Barbosa, Bartholomeu & C.
Attencao
Vende-se urna armaeao completa em muito bom
estado pi opria para taberna
u. 34.
na rua da Crnz
ie Mili
i
1
de superiores qualidades, a preces coiniuodot : na
rua do Vigario n. 16, Io andar, cscryrtorp d-*
Joaquim Gerardo de Pastos.

CTII.TIIADE Z
Aos 500 pares de brincos.
Chegon e vende-so no Corac5o
d'Ouro, roa do Cabug, brincos de
raaos ranas com urna franja penden-
te a um re deseara e ouro de
lei, pelo pequeo prepo de 15#D60
cada par. aratissimo.
Preeie-e 4 urna ama lii> oo'eeeravsqae
leja de boa conducta, para eocinbar para Ka
casa 4o familia ; na rtta do Vigario n. ti, terceto
andar.__________ j____
- Nos-iwnmjj 0 arejado aminzeidi eon
, no cites de AsewnbM, t
wk 9tffi9fK(t a pre^e oonwieoe wwep-
uer volumes com fazendas. A MMtrw poVqe
ao construidos estes armazens faz cror que im-
isivel penetrar all o eupim : trtHe^ee- oe e-r\
da Companbia,iM e etMoie n. W.
ts
ptono
Elle umjireventivo seguro c certo contra
a calvice,
Elle da e restaura"orca e sanidade a pelle
da cabeca,
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e posic-ao que se deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele fazerescer os cabellos bastos e com-
prjdos,.
Elle consena a pelle e o casco da cabera
limpo e livre de toda a especie de caspa,
Elle previne os cabellos de se tornarem
brancos,
Elle conserva a cabeca n'um estado de fsaa-
cura refrigerante e agradavel,
Elle nao demaziadamente oleoso, gordu-
rento ou pegadico,
Elle n5o deixa o menor cneiro desagra-
davel,
Elle o melhor e o mais aprastvel artigo
paraa boa conservado e arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pos-
teado doe cabellos e barbas dos senno-,
res,
Nenlium toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
Tauteo rleuial
o aualpresena, limpa,fortifica e aformosea
r H O CABELLO.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
Caers, I. da C. Bravo A & P. Maurer
C, M. Barbosa, Bartholomeu A C, e em
jodas,. as principaes lojas de perfumaras
n-wtcasj
Libras sterliuas
Vende Joaquim Jos Ramos, na rua da Cru* i
, 1 andar.
Vendem-se 37 saceos com faiiuba da tern
com mais de um al ueire cada sacco : 4 rua ta
Praia n. 4.
Vende-se a eserava QOiteria, com os
predicados de urna cosinha. engomma, la\,.
cose, faz doce e finalmente refina perfei-
taaenle assucar, lem idade de O aonos,
e o motivo de sua venda ninguem deixai
de comprar. D-se o contento se conven-
ciooar tDO.pceco asseverane a boa conducta
e perfei'co de seu trabalho: na rua
Matriz n. 21.
Gaz e arello
Vende-se gaz de primeira qualidade por com-
modo preco, em porcSe?, a vontade dos compr.-
ores, farelio muito novo, saceos grandqs^.nelp
jireco de 4300 o sacco : no annazeiu de Matheh
Austin A C, rua da Si-uzala-velha n. 10o.
, Na rua da Cadia n. r9. vendoin-se
cias de linho para marquezas. .__________
Retroz
Tem para vender oaimim Ke Gn.i dves fifi
rao no seu_.escriptorio rua, (jo Coimnercio n. IT.
Paris, 36,Roa Vivienne, V
CMBLt MEDLCIN
AStB5MUr>ADAS DKSSXUAES, AS AIIfr
COES COTAITKAS.B ALTRACOESDO SANGO.
----------tiOQOOcuriaditimpmgwM
stuliu, herpe*, lonw
t,avrimohi*,*ii-
mado tan-
gui; vinu, $ alleragoM
DEPUP.A'MF
(te Moee. |i*rp MgUL mercurio).
rativan reee BAlTOO
rativan ir|rWM
tomao-se dou por semina.
Depurativo : amiirg>doMi.
PLUS
COPAHU
UniF.BAR*
o q mtitrnw*
mu molMliu.
IlNN Gtraaia d
diCHAlLK. u
immMiUaatequalqMr
MotlMed*, igMl-
snu o ftuxo$ flortikr*m*M das mutoera.
Bsta i njeceao bcaigni wiprega-4 vm o XartM. Si
Citroeto i* r*m.
Mirriilll, fa|->MIMeM>M>tt>iSlM.
POMADA ANT1HBRPCTICA
Contra i mi fceoM cutan** twmitnm-


II
G
Diario de Pertiambuco -4 Sabbado 1 le Mao de 18G9.
Grande liquidado do miudezas !
Affonso Moreira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
foja ru blico se certifique do diminuto preco porque as est vendendo, a saber:
Abolladuras para colletes a .
Laa para bordar (libra) .
Caixa de linha do paz com 50
novellos.......
Frascos com tinta a 100 e
Garrafa com tinta.....
Frascos com banba a 320, 400,
500 e ......
Frascos com agua de Colonia
(Piver) a......
Penies do travessa para meni-
nas a........
Ditos com cliapas de metal a
Novellos de linha com 400jar-
das a
Caixa com papel amisade a .
Ditas com 100 envelopes a .
Pecas de tranca e caracol lisa a
Sabonetes de todo preco a 80,
160 e i
Frascos com oleo babosa a
320, 400 e .....
Pinceis para barba a. .
Tubos ou chamineis para can-
dieiro a gaz a .
Pavios para ditos (duzia) a .
Globos para ditos a 1 500 e .
Frascos com agua de Colonia a
30, 400 e .
Pentes com costas de metal para
penteiar cabellos a .
Ditos pretos para dito a ,
Ditos para tirar piolhos a .
Escovas para tacto a 400, 500 e
Gravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e
320
G#800
000
160
800
10200
10000
320
400
60
700
500
40
200
500
200
320
200
20000
500
320
240
200
600
280
500
Lencos brancos para maos
('lu/.ia) a......
Garteira de marroquim a .
Par de suspensorios para ho-
rneas a .......
Frascos com ebeiros 400 e .
Linha do marca, caixa com 16
novellos a......
Meias cruas para homens, boa
fazendaa 3, 3#600, 40 e. .
Ditas ditas para meninos a .
Pares de botos para punhos
(Bonanca) a .....
Pecas de fita para debrum de
vestido a......
Rosetas preta para luto (o par) a
Brincos (o par) a
Linha de cor para aliar vestido
(libra) a......
Pintada familia a 160 e .
Baralhos de cartas francezas a
Ditas portuguezas a 120 e
Boles d'oco para calca a .
Ditos de metal (caixa) a .
Brincos de cores (par) a .
Linha para bordar (miadas
grandes) a ..... .
Boiu'ts de oliado para meninos a
Linha com 200 jardas (duzia)a
Carlo com colchetes com 2
ordem a......
Coques boa fazenda a .
Ditos muito tinos a .
Oaixa com agulha franceza a
Vecas de babadinhos e entre-
meta 500, O, 800, 000 e
2#400
400:
200
500
ALTAS klVEUDES "
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7A, esquina da do
Imperador.
PARA CASAMENTOS, BAILES, TIIEA-
TROS, etc. etc.
| Lindos cortes do blond, contendo setim,
240 mantas e grinaldas.
I Requissimos cortes de sedas assim como
40500 paracovados.
7 c 5uu metra 500, oo, 800, '.;oo e
Inico de Jayme, contra a caspa e a calvice.
320
240
500
100
240
10000
200
200
160
200
400
120
240
10000
10300
80
10000
2->500
16o
10000
Gurguro branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
e amarellos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurguro de seda de cres.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodao.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Italia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espartilhos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de 13a
Ditas de seda fio da Escossia e algodao.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyrintho.
Fronhas de labyrintho.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
13as, e outros muitos artigos de1 gosto e
de alta novidade, isto so
Na loja do Passo roa do Crespo n. 7 A, esquina da do Imperador.
COMPANHIA
L
gotlaode
Fabrica de lecidos de a
Ferno Velhov
O superar panno rfc algodo dcsto Athrien, mni
T
'I
Do xarope Vegetal Americano, especlalidade de Bartholomev dk
34RA LARGADO ROSARIO34
Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei
xamos que sua applicac3o e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaran acceita
los, hes deem crdito e voga; porque s5o sempre os attestados considerados gratuito
e delles que lancamo o charlatanismo; mas, nao querendo offender as pessoas qu
espontneamente nos offereceram os que abaixo v3o transcriptos, os fazemos publicar
manifestando-lhes nossa gratido pela attenco, esperando que venham elles corrobora!
o conceito, e acceitaco que tem merecido nosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartholomeu & C. com a mais subida satisfaco que dedart
ser o xarope Americano de urna efficacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias di
intensa tosse, ponto de nSo poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamento
que tomava, a elle recorr e na terceira colher fui alliviado, e de todo me acho hoje res
tabelecido cora o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois^ esse resultado mani
festo a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CPenhoradissimo com o favor que me fizeran
de aconsclhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composicSo, quando me ada
va bastante doente de urna constipaclo, que me tornou completamente rouco e qai
trouxe una forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor d
empreza iyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com un
so vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejare
que outros como eu recorran ao seu xarope para se verem alliviados de tao terrive
incommodo, tao fatal neste paiz. Com maior considerafo contino a ser de Vv. Ss
attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Recife, 25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu CO xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teeu
exposto venda de toda efficacia para o curativo d'asthma, conforme observei appli
cando-o a meu fiiho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que ati
cnt3o por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grandt
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu reno
nhecimento ao meritorio servico que lhe prestaram com o indicado xarope, acreditan
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Americo Netto de Mendonc
Recife, 2 de outubro de 1868.
rantajosammta ronherida nesta provincia e as do
Purnamliueo, Parahjba Rio de Janeiro, pela sna
perfeico de tenido, elaMieidade e fortneza, conli-
na a per vradido no e?rriplorio da mesma com-
panhia pra?a de Pedro a* desta cidade-, casa nu-
mero 4.
Aim de que os numerosos c importantes senho-
res de engenho. beni come ns srahores exoerfado
res de acucar, tanlo defa provincia cmo das
cima mencionadas, possani' cm lacilidade pro-
ver-se das manraeturas desa fabrica, a gsroaeia
Ai companliia rnnuncia qiwas ha venda nos
H'gnintes lugares :
nesta cidade-nosen escripn e as casantes
Sfs. Domingos Jos de Farias o- si Nunes Sa-
marles, ra do Cmmercio.
Em Pcrnambueu"-iia casa bsSre.Oliveira, Fi-
lhos & C.
ufo Pilarem ca?a do Sr. Jeb d* Albuquermre
Metto.
Na Coslanha Grandeem cana- do ir. Norbertfr
Cavalcanli de Allm^nei-quc.
Em Camaragiben easa do Sr; tono Vieira- d
Lima.
Atem do panno apropn'ado ae-ens*ament do
assnear, a fabrica pefsne mais orna ^aalidade de
panno mni forte, adoptado ao sistema que tem os
senhores de engen! &> norte da provincia de
mandaren! despejar nos trapiches de Pwnambufo
o assnear que nIIi vas vender, com- o qoe os sar-
cos servem para muitas safras.
Para roupa de e-cravos ou de trabafeadoref do
campo, e para toalha? e lences serriro diariu
lia una su|>erior quatidade de pomo e'28 poli
Sadas de largura, muito forte e espesso, parecen
o-se bastante com meta lona, s prefw sao os-
mais mdicos possiveis. Macei 3d de" marco de
18C9.
Superiores saias brancas bordadas a 5$, 6$, 85 e 10#000 cada urna.
Ditas de cambria de escocia transparente j feitas a 65000 cada urna.
Na loja das Columnas na ra do Crespo n, 13 de Antonia Correia
Vasconcellos A C.
de

Ipprorifi
aeadtai
i metau
ktva
PJLULAS
.,10II1TOxFEb!obS)JANGA\F1S
DEBUfilNDuBlSSON
Pbarmactutico
laureado
k
icadeMii
0 tretamento dasaffeccdeschloroticat, lymphaticas ou escrophnlosas sempre lentis-
simo, e mnitas vies essas molestias resistem s preparacSes ferruginosas ordinarias. As
indagacoes feitas pelos professores Hannon de BruxeUas, Gensoul e Petreqwn de LySo e
Berzelius e Trousseau de Pars, tem provado qae a causa d'essa persistencia era a completa
ausencia do Manganese, elemento que sempre deve-se achar no sangue jnnclamente con)
o ferro. Estas pilulas snpprem, pois, na n
motivo ellas tem merecido a approvacSo da .
dades medicas. Deposito em Pernambuco, em casa de
erapetica urna falta importante, e por este
rovacSo da Academia de Hedecina e das principaes socie-
o*.
motivo ellas tem merecido a ap
10 em Pernambuco, et
........
CAPSUUS MOLES
DE
ALCATRAG
Remedio por excellencia para cora rpi-
da e eompleta das coqueluches, bronchitesy
catarrhos, tosses convulsivas,, escarros san-
guinos, eoutras molestias eta peito.
NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
Ra do Queimado n, 49 loja d(
miudezas de Jos de Azevedu
Mata e Silva conhecido por Jos
Bigodmko.
Eat quemando os objeete abaixo eclaradof
pel&diiBinutoprsco, a saber:
Frasoos com aguo de Colonia venladeir* a U.
Garrafas com g-aa Florida veKladeha, q;ie se ga-
rante a l,5Of>.
Pentes pan reg^jr cabello de meninas 3320 rs.
Tbcsonras muito finas para solas e costaras
SOOrsv
Tintcire cheios fetinta muito preta a 80, 199, 16(>
e 40f>rs.
Varas d franja bFanea de linho para toalfeas a
160 rs.
Caixas de pliosplwros de segnraa a 20. 40 *
160 rs.
Navalbas Je cabo 6$. ruaran e qne se garaadea
qualidade a 2.
Libra de laa para bordar a 75.
Pecas de .lia branca elstica muito saperior a 280
e300rsv-
Kovcllos denoha branca eom 400' jaias a60'rs
itesmas de papel de paso liso mut Uto a 2,'#%
Latas com superior Innba a 200 e 5Q& rs.
sCaixas orA-seis fra.-.w de cheiro invito lino
800r
Caixas conkdee fraseo, lazenda 2 e2500.
Frascos, com superior oleo filocome a. 500 rs.
Galungas b sabio transparente moito bonito e -
no a 240 rs.
Dnzia de paos de nonada do Reine, da mellK
qualidade a 240 rs.
P.'t-as de t:i bordadas- muito fnu-a 300,600
800 rs.
Dkas de babadinhos ctm-dez varas xfM rs.
Carrteis de-linha de tedias as cures,-. pa>ra acaba;--
a20rs.
Carrafa> coa agua divina a lo0&
Frascos coi superior macaca peula.a 320 rs.
Caixas de vidro com d: . _vale dinheiro a 200 re*
^-""TMtas de maeira cor aJfinetes, o- que ka de me-
Ihor a 33 rs.
Orosas do bWoes de teoea, liss-o. bordados
160 rs.
Caixas redondas para rap emittando tartaruga
1*600.
Pecas de fita para aos da meikor. oaalidade a.
500 rs.
Escovas para limpar lentes, fajeada que s a vb-
ta a 240- rs.
Ditus para limpar ULkas do superior- ualidade
500 rs.
Scbmete de alcatodo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to boa
acceitaco tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas e todas a*
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu 4 C,
34ra larga do Rosario34.
TASSOIRMOS !
Tem para vender em seos arniazens, alm de ou-
tros, os seguintes artigos :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e liso.
Vinlios em caixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hcry.
Madeira.
Hermitage.
Chamblis.
Licor de curaco de Hollanda cm caixas de vin-
te e quatro botijinhas. .
GESSO,
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso limaos
C AII Et MO* DE FERRO
Para servicos de grandes armazens, para remo-
ver barricas ou caixoes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 12000 cada um.
Farinha de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e grande sortimento das meluores marcas de
farinhas americanas.
Saceos de foriiiha de trigo do
(Me
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydrattlico 12$
0 mellior para tudo que sao obras para agua, co-
mo aseentameara de cnos de esgoto, aigerozes, de-
posito, tanques tfagua, etc., etc.: em porcoes de
cincoeato barrica se far reduccaonopre$b : nos
armazeasde Tasso Irmaos.
Cemento Portland
0 vertadelro cemento Portlanc>em casa- de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differcjtes qualidades para careados de- ani-
roaes, chiquearos para gatinhas ou jardins: uerar-
mazens de Tanso Irmaos.
Barris cem bren
los armazens de Tasso Irmaos.
canos de babeo
Narua Nova e Santa Rita, na antigfabrica Se
sabao,- ha para vender por preco o mais mdico
possivei, canos ffancezes pra ediflcacSes e esgo*
tos deloda a qualMade, snpeiHwes a tote os qu
acjui twn apparetr.de pela sua solidez.
roscos
1 4C0 por cano grande de 3 e meia pSegadas.
120 por dito *3e tresqaartosde dita.
1 OO por dito de 2 e um qcarto de dita.
500 rra por pistoleta de 2 polegadas.
CotovoHos, curvas-e canos de maior gressura, a
vista se tora o preco. Compras maiores de- 200
tem 5 por cento 08 descont por prompt paga-
mento. P6de-se ver- as amcetras nos araazens
de Tassoirmaos.
Tijolosraneezes
Para bdrilhar casa terreas eomasseioe pwcos
mdicos, moito convenientes e puoprios para ladri-
Ihos de oosinhas em' sobrados, peto scu asaeio e
evitar apaosagem de aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo de fogo, aos precos de 30/800 a
45 (HX) omitheiro : na-ra Novado Santa Rila, na
antiga fabviea de sabao, e compras maiores de 200
se far 5 por cento de-descont por prompto paga-
mento. P*dem-se ver-as amostra nos armaens
de Tasso lmaos.
Velas de esparmaeete verduderas para lan-
ternas de carros: noarmazem de Taaso Irmo.
Vinte) do Portomao superior: no aimaaem
de Tasso Irmaos.
O methor cognac Gauthier Jrwes: no arma-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa, de Tasso Irmaos vere-se esteim da
India de diversos padroes e larguras, por preco
commodo.
iiOJA
Ao cmmercio.
As melhores tabellas com indicador para de
momento se conhecer a reducQo exacta dos an-
tigos pesos, para os nossos, que o kilogramma,
assim como para connecer-se o preco correspon
dente ao mesmo sistema de pesos ; acham-se
venda na ra do Imperador n. 28, armazem do
Campos. Recommenda-se principalmente aos de-
nos das casas de retamo, pactaras, refinacSes, ar-
mazens de estiva, de carne secca, lejas de ferra-
gens, fundieres, trapiches, e a todos que comprara
e vendem a peso.
AO BAZAR DA MODA
Ba Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDDES
novo e de
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-'
de sortimento.
CHAPEL1.\AS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPESINHOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novidada I) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos precos.
LENCOS bordados e com letras, novidade i
genero
LEQUES a emitacio de marflm, gosto
sndalo.
GOLINHAS e punbos, a emitacao de guipure.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes,
GUARNICO alta novidade I a Mario Rose, lti-
mamente usada em Pars.
CORPINHOS de guipure brancos e pretos lindos
modelos.
DORNOUS de laa e seda, cores claras, elegante
moda em Paris.
GRINALDaS de floree finas
ESPARTILHOS superiores.
MEIAS su|>ei ores de lio de Escocia.
LUVAS de pelica chegadas pelo ultimo vapor.
ADERECOS de coral verdadeiro e camafeo, gosto
delicado.
DE PALHA
GUARNICOES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTOES linos e eom pingentes para vesitSoa.
CINTOS alta novidade.
FLORES Anas, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas para coques.
LAGOS, Qvelas, penachos para enfeites.
horneas.
rinhos e punhos
s, moda,
Igodao.
de li-
CAMISAS com _
nho fino, lisos
COLARINHOSde
PUNHOS de ditos.
GKAVATAS de toch as qualidades.
BOTES para punhos e guarnieres
CORRENTES de plaqu a emitacao
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de aoo e tarturaga.
para coletos,
do ouro, lin-
Para crlancas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPESINHOS de palha da Italia.
TOUCAS de l e setim enfeitadas e de chroch.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e diversos
brinquedos.
Perfnmarlas Anas.
de Murray & Lan-
AGUA FLORIDA venladei::a
man New-York.
TOXICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agua e
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis aro-
mas para o lenco.
VINAGRES aromticos para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a pelle ; em pace-
tes e ricas caxinhas com arminho.
POS superior para limpar os denles.
COSMETIQUES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimento deste genero e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e antiques.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barca.
Caixas preparadas com perfumaras finas.
Miudezas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de velado preto e de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNICOES de seda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
BOTES de cores, brancos e pretos :om vidrilhos
lisos e com pingentes.
DEDAES de maa> aperla, de marfi n, de 6co e
metal. .
THESOURAS finas para costura e turnas.
CAIVETES finos com quatro folha. E muitos
outros artigos de miudezas que se torna enfo-
donbo menciona-los.
Tudo se vende por presos bastante commodos.
DO
GALLO VIGILANTE
Roa do Crespo o. 9
Os proprietarios deste bam conhecido estabele-
cimento, alm dos muitos objectos qne tinhamex-
postos a apreciaclo do respeitave publico, man-
daran* vir e acabam de recebar peto ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
finas e mu delieadas especialidades, as quaes es-
tao.resolvidos a vender, como de seu cosrame,
pos precos muito baratinhos e commodos para to-
das, com tanto que o Gallo....
Muito superiores (uvas de petliea, pretas, bran-
as e de mui lindas cores.
Mu boas a bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superior** pentes de tartauuga para coques.
Lindos e-riquissicaos enfeites para cabcas das
Exmas. seahoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e se ai elles; osta fazenda o que-pode hav*r
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de madreperola,
marflm, sndalo e ossa sendo aqpelles braacos
com liados desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as qaaes sempre se venderam por 30000
a dazia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortiineato de
ostras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marflm com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero 6 o que de melhor se
pode desejar ; alm destas temos tambem grande
3uanlidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, borracha, etc. ete. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marim e tartaruga para fezer
barba ; sao muito boas, o de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vea tam-
bem asegurarnos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para maenina e para crox.
Linha' muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para vollarete, assim
como os tontos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumaras e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitara a dentieao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
es que delles precisaran, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre eicontraro destes verda-
deros collares, e os quaes atlendendo-se ao fim
para que sao applicados, se venderlo com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dosebjectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
PASTILIIAS ASSICARADAS
DO
DR. PATERSON
Be blsmuth e magnezta.
Remedio por excellencia para combate*
a magreza, facilitar a digesUio, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia de Bartholomeu A C.
34------Ra larga do Rosario-34.
Macarthy
Machinas de fcescaro^ar algod&o.
Hoje que est recoanecido que as machinas de
serrote prejudicam quebram a fibra do algodao,
preciao recorrer a machinismo menos spero,
que produaindo o rresmo servico que aquellas, e
facilidade no trbala, nao quebrem a fibra da la,
para que essa possa,obter-nos mercados europeos,
a differenca que ha entre o algodao descarocado
por aqtiellas mencionadas machinas, que estao fi-
cande em deuzo, pelo prejuizo- que tem cansado,
e o da antiga bolaadeira, que nao pode competir
peta iporosidade de seutrabatiio. E' assim que
estas-machinas se tornam asmis proprias pira o
nosso algodo, porque ao par da facklade e
promptidao conserva a fibra, da la, que limpa por
ella, qualificada na Europa a par da melbor bo-
landeira, valemlo assim entre 11 20 por 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas-nao sao navas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, bnde as de serrote
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
do daquella proeedencia, sendo da r^aalidade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 a por.
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150^000
nos armazens de Tasso Irmaos.
Oleo de amendoas
Em caixas de 8 latas, cada caixa 100 liLr-as:
nos armazens de Tassojlrmaos.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana e por haratissi-
mo pre^o : em casa de Tasso binaos, ra do
Amorim n. 37.
Belogios de ouro.
Relogios de ouro de patente com bataneo de
chronometro do famigerado actor John Rogers, no
eseriptorio de Tasso Irmaos.
Pianos inglezes.
Pianos inglezes do bem conheoi^p autor Charles
Cadby, no eseriptorio de Tasso.
Aqo de milao.
Nos armazfns de Tasso Irmaos.
BARRIS DE SALITRE
Noi armazens do Tasso Irmaos.
CARNAUBA
Vende-se superior cera de carnauba em de
cas, por preco mais barato do que em outra quas-
quer parte : na loja do Pavo, ra da Imperatriz
o. 60, de Flix Pereira da Silva.
GENEBRAS.
Vende-se genebra de Hollanda a mais
pura, christalina e de excellente paUadar
que tem apparecido no mercado, em boti-
jas e frascos.
Genebra de laranja, superior e verdadei-
ra de Feckee.
Genebra de lima superior, nunca vista
neste mercado, de delicioso paladar e re-
frigerante ; excellente para a estaco cal-
mosa : no deposito da ra do Lima n. 30,
em Santo Amaro, nico lugar onde a en-
contrarlo pura perfeitamente fabricada.
Os precos destas genebras sao incontesta-
velmente mais baratos que em qualquer
outra parte.
CUBA DOS CALLOS.
PELA
Pomada galoapean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartholomeo A G.
34------Ra larga do Rosario------34.
A NOVA ESPERANQA
21= Ra do Queimado = 21
Advertencia!
A Nova Esperanza, ra do Queimado
n. 21 tendo em deposito grande quantidade
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em que tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitave publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
cadorias pelo baratissimo prero, para assim
diminuir a grande quantidade dos que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo lo opportuno quando
NOVAESPERANCA convida-os pechincha-
rem, pois que p'ara comprar-se caro, no
falla aonde e a quem...
PARA O MEZ DE MARA
A Nova Esperanra, ra do Queimado-
n. 21, recebeu pastilhas para queimar-se
em lugar de insenco, para aromatisar no
oratorio dos devotos do mez de Maria.
Elle quer e ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Paris) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosto e perfeico, e ella (loja da Nova Es-
peranca) quer sempre dividir com seus fre-
guezes o que de bom constantemente rece-
be, e por este* lidar continuo (d'ambos)
Nova Esperanca ra do Queimado n. 21,
alm o grande sortimento que j tinha,
acaba de receber mais o seguinte :
Bonitos broches, pulceiras e brincos d
I madreperola.
Papel e envelepes bordados e mat-
sados.
Papis proprios- para eofeitar bollos c
Sandeijas,
Brincos pretos esm dou*adOs (ultima
moda).
Pitas larg.-s para cinto.
Afodernos galles, franjas e trancas de
seda-e de lar para enfeites de vestidos.
Betes de tedas as ceres e moldes- novo
para o mesmo 8m.
Trancas pretas com vklrilhos sendo com
pengentes esenj^ elles.
Botes pretos com vidrilhos cora-pingen-
tes e sem ellos.
Luvas de pellica, camurca e excossta.
Fina meias de seda para seiihont* me-
ninos.
Delicados lequ de maireperula, mar-
iim. osso e faia.
Espartano simples e berdMas.
Bengalas de balen.
Finalmente, um completo awtimentt' d
miudezas ra do-^ueimadj" n. 21rna
Nova Esperanca."
Collares anodino* ellecfr^-magnett
eos cytttra as eonvult;4es das
creemeas.
N5o restaba menor dnvida, dftque mrto
cteres se vendem por ahi intitulados- oa
verdadeiros de Royerv e eis por-qae muitoi
pa de familias nao ereem (comprndoos)
no-effeito ptoraettidoro que s podem dar,
os verdadeiros; a N3va Esperanca, porm
que- detesta a- falsificaba principalmente no
que- respeita ao bem estar da hnmanidade,
fez una encomaienda directa destes collares
e garante aos pais de- familias, qoe sao oa
verdadeiros de Roye?; que a taalas crean-
Cas tem salvado do trrivel incoaimodo de
corwulces, assim pois > preciso, que ve-
nham a Nova-Esperanca a ra do> Queimado
n. 2i comprapem o salva vida, para seui
filhinbos, antes que estes sejam acommotti-
dos doterriwl' mal, quando entae ser ei-
ffiril aJcancar^se o effito desejado, embera
sejam empregaos os-verdadeiras collarea
de Royer.
Para familias
trande Bazar, ma Novaos. 30 e
'2. de Carnciro Vlanna & c.
Acabado chegar a.este estabelecimento
grande porcao de mavbinas pava costuras do
autor Wheeier Witeon, approvadas na ulti-
ma exposifo de Paris, as quaes coaem com
dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser tao suave o movimento,
que qualquer crianca de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entrete-
nimento, levar vantagem a servico diario
de trinta costureiras. A comprebensao h
simples, pois em um quaEto de hora se fi-
ca senhor do movimento da naachina, ten-
do a mesma a propriedade de fiwer as ss-
guintes costeras: pospontar, abainhar.
l'ranzir, marcar e bordar, cono apresentam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se encarre-
gam de mandar ensinar n'esta cidade, e
garactem entregar o importe dispendido ao
conprador, no caso de nao trabalhar com
perfeico a machina vendida, nSo. tendo,
porm, soffrido ella alguma avaria.. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Baker, de trabalho sim-
plesmente mo, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences daa
mesmas machinas, para vender avulso.
Tintura japoneza
Instantnea para Ungir os cabellos e a
barba, a 15000 o frasco.
E' a nica approvada e recommendada
porter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
A venda em casa de Gustavo Hervelin n.
51. roa da Cadeia n. SI.
" GAZ AZ GAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, um caxregamento de eax
de primeira qualidade; o qual se vende em partidas
e a retalho por menos preoo do que em outra qual-
quer parte.
FUNDICAO DOBOWMAN
lina do Bru u. 5*.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixos de ferro, batido/ fundido.
Rodas dentadas, para moer com agoa.
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro<
pi ios para agricultura._____
4
T(
>


*
v
Vendem Angosto F. de Oliveira & C roa da
Cmmercio, n. 42.


Diario de Pernanibuco Sabbadb 1 de Maio de 1869'.
I
GRANDE LIQUIAC10
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
'f
.**+
DE
Flix Pereira da Silva, suecessor de Gama
& Silva
O proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital a vir surtir-se no grande estabelecimento que tem defazendas, Unto da moda como
de lei, e as pessoas que negociara em pequea escalla, tanto da praca como do matto-
nesta casa podero fazer os seus sortimentos era pequeas e grandes porcSes, venoen-
do-se-lhes pelos precos que se comprara as casas iuglezas ; assim como as excellentis,
simas familia, poderlo mandar buscar as amostras do todas as fazendas, ou mandare-
mos levar em suas casas pelos nossos caixeiros, para o quo acba-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s-6 horas a nianlia s 9 da noute.
O atoalhado do Pava AS CAMBRAIAS DO PAVO
Vende-se superior atoalhado de algodao Vendem-se finissimas pecas de cambraias
com 8 palmos de largura, adamascado a lizas transparentes lauto inglezas como suis-
ROUPAS FE^TAS
Na loja do Leo da porta larga
DE /
PAREDES PORTO.
'
>

i


?


'
20200 a vara; dito de" linho fazenda muito
superior i 30200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a 1#500 a duzia e muito
finos a 8f000, e ditos econmicos a 3#500
duzia.
Fas toe* para vestidos brancos
_ a 40.
Vendem-se os mais modernos fustes bran-
cos flexiveis com padioes de listas e de
salpicos proprios para vestidos e roupas de
menino a 640 rs. o covado, na loja e arma-
zem do Pavo ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Silva.
BABADINHOS
Vendem-se finissimos babadinhos, tiras
bordadas e ntremelos, mais baratos do que
em outra qualquer parte, assim como espar-
tilhos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
Q. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
Gurguro de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurgures de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos elavradinhos, com muito
iustro, garantindo-se que a fazenda mais
Irada e de mais phantasia que este anuo tem
chegado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
\ d. 60, de Flix Pereira da Silva.
V CAMBRAIA BRANCA A 3*800.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
- rato prego de 3#o00, ditas muito finas tanto
tapadas como transparentes 4#oO0, 55000,
6^500, 7000 e 8*000, assim como organ-
d muito lino tanto lizo, como de listas e
fuadros na loja e armazem do Pavo ra
a Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS PARA LCTO.
Vende-se na loja do Pavo, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para ludo, sendo
muitolargas e pelo barato preco de800rs. o
ovado, s na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
Cassas inglezas a 14O rs o metro
Vende-sa urna grande porco de bonitas
assas inglezas tanto graudascomo miudi-
ahas e de cores fixas pelo barato preco de
440 rs. ornetro,garBntindo-se que 7 metros,
jo ura vestido para qualquer Sra. s na
ojado Pavo ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 5*000.
Vendem-se colchas de fusto adamasca-
das para cama, pelo barato preco de 5*,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de, Flix
Pereira da Silva.
COBERTORES INGLEZES A 4*. 4*500 E 5*.
Vendem-se os verdadeiros cobertores
nglezes, do pura la, pelo barato preco
de 4(5, 4*-00 e 5*, assim como colchas de
fusto de cores, pelo barato preco de 3*. na
oja e armazem do Pavo. ra da Impera-
triz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
Madapolao enfestado a 8$500
Vende-so superior madapolao enfeudo,
;endo muito encorpado, para carnizas, e
tendo cada peca 24 jardas, pelo baratissi-
mo preco de 8*500, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60. De Flix
Pereira da Silva.
CHAPELINAS
DA
ULTIMA MODA
Chegaram para a loja do Pavao as mais
ricas e mais modernas chapelinas rica-
mente enfeitadas, com enfeites e fitas de
setim e de todas as crese com ricos bicos
de blond e as mais lindas e finas flores,
vendendo se cada urna pelo barato preco de
15*000, garantindo-se serem muito mais
bonitas do qae outras que se vendem em
outras partes a 20* e 25*, e entre ellas
ha mais do que ura modello, tambem tem
muitas de pratinho, propinas para mocas e
meninas,'isto na ruada Imperatriz n. 60
loja do Pavo, de Flix Pereira da Silva.
Explendido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Ra da Imperatriz n. 52,
N'este estabelecimento se encontrar
sempre um cempleto sortmento de roup -
feitas de todas as qualidades. Como -
jam: paletots de alpaca, de merino,
casemira, bombains de panno preto, I
ques e sobrecasacos de brins de con. o e
pardos.
CAMISAS E SIROULAS.
1 > a loja de ourives.
a Imperatriz n. 52, loja do Paredes
' >.
Neste estabelecimento encontrar o respei-
i -el publico um completo sortimento de
lazendas e roupas que, se vende pelos pre-
Cos seguintes:
FAZENDAS BRANCAS,
Madapolao de diversas qualidades e pre-
Encontrar sempre o respeitavel publico eos commodos, cambraia de 3*500 411500
II
/
sas tendo nais de vara de largura, pelos
precos de 5*000 at 10*000 a peca, assinrj
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser muito
transparente a 1*000, a vara, na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Alpacaslavradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 1*000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
Roupas para homem
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e francezas com os peitos
de esguio, ceroulas francezas de linho e al-
godo, meias cruas inglezas superiores,.ca-
misas de flanella e de meia de la, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortimento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promette-se-lhes que sero servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que em outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.'
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortimento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 12*000 rs. cada par at 25*000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Cretone para lenqoes com 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lences de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
excellente lencol de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, rosto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo baratsi-
mo preco de 2* cada metro.
MOCAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento dos mais bonitos mocambiques
proprios para vestidos cora as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
preco de 500 rs. o covado.
ALPACAO DE COBDO PARA VESTIDO A 15
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpaco, sendo de cordo e com mais
largura do que a alpaca, com as mais lindas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
roxo, cor de canna, magenta etc. e vnde-
se pelo baratissimo preco de I* o covado.
ESGUIO DE LINHO DE 12 JARDAS A 10.
Vende-se pecas de esguio de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
10*000.
NQVIDA-DE
A
Loja do Pavao.
GURGURES PARA VESTIDOS A 1*000,
-O COVADO.
Chegaram os mais modernos gurgures
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
rxo de tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
de 1*000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na ra da
Imperatriz n. 60.
Grosdeotaples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
Ihores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreit#p, sendo de 2*000 rs. o
covado at 4*000 rs. garantindo-se que
n'este genero ninguem tem melhor fazenda e
que se vende mais barato do que em outra
qualquer parte,navrua da Imperatrizn. 60,
de Flix Pereira a Silva.
A 2*. OS BALDES DO PAVO.
Vendem-se superiores balSes america-
nos de trinta a qu;renta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, se ido muito fcil trans-
forma-Ios parajuti o qualquer novo modelo,
e liquidam-se pelo barato preco de 2* cada
Acha-se este grande estabelecimento cora- um> seD(}0 fazenda quo sempre so venden
pletamenle sonido das melhorcs roupas, a 7 e 8*. isto na loja e armazem do Pa-
sendo calcas palitts e coletes de casemira, vg0> rua do panno, de bnra, de alpaca, e de todas pereira da Silva,
as mais fazendas que os compradores pos-1 vw 1 OOO varas a 600 rs
sam desojar, assim como na mesma loja vendem'_se verdadeiras cambraias
tem um bello sortimento de pannos casem- francezas mm lindos padr5es e cores fixas,
ras, bros, etc. etc. para se mandar tazer 89ndo ^ das e transparentes, pelo barato
um bonito sortimento de todos os nmeros.
MEIAS CRUAS.
Sortimento de todas as qualidades, de
3* a 5*, assim como tambem sortimento
de lencos de linho brancos e com barras
de cor, chinezes, bonitas grvalas pretas e
de cores. Rua da Imperatriz n. 52, por-
ta larga.
PARA ACABAR.
Urna grande porco de calcas ordinarias
para trabalho a 640 e 800 rs. cada um par,
pechincha na loja do Leo junto a loja de
ourives.
GRANDE PECHINCHA,
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na
160 RES 0 COVADO
Chita preta pelo barato preco de 160 o
covado na rua da Imperatriz n. 52 na loja
que tem um Leo pintado.
PANNO DE LINHO
Paredes Porto recebeu um sortimento da
pannos de linho, com 27 varas a- peca e
17*000 e 18*000, na rua da Imperatrizn.
52,junto a loja de ourives de porta larga.de
Paredes Porto.
LENCOS DE LINHO
Vende-se lencos brancos de linho a 3*,
a duzia para acabar na loja de Paredes Por-
to. Rua da Imperatriz n. 52 loja da porta
larga que tem um Leo pintado, de Paredes tmente completo a preco comraodo.
Porto. I .
No armazem do Leo, rua da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
e 5*, ditas victorias de 5*500 a 12*, pecas
de cassa liza o mais Qno que ha no merca-
do a 9*, 10*, 12*. com 12 varas, e vara
de largura
SEDAS DE LISTRAS.
Recebeu-se um bonito sortimento d'esta
fazenda que se vende a 2*500 o covado.
CHITAS.
Vende-se chitas escuras a 280, 300, e
320 rs. o covado.
GUARDANAPOS
Vende-se esta fazenda de linho, fazenda
boa a 4*000 e 5*000 a duzia.
MEIAS PARA HOMEM
Sortimento de meias inglezas para ho-
mem a 4*800 5*800 e 6*800 fazenda boa.
THOALHAS
Sortimento de toalhas de pelucia a 11*
a duzia.
LENCOS BRANCOS a 2*200
Para acabar lencos de algodo a 2*200
a duzia, x
2*000
Vara de bramante de linho superior e
tem 10 palmos de largo.
CALCAS E COLETES.
Tem sempre no mesmo sentido um sor-
ALTA
ll-RUA DO QUEINAD0--11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
vendem-se por precos mais mdicos do que em qualquer outra parte.
S MUDAS DE BAILEde cachemira branca ede cores o que ha de mais lindo.
BASQUINESde renda preta, e dfi gorguro preto, o que ha de mais
elegante. ....
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALESbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e saias de la com barras de cor.
GORGUROde seda branco e preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados. _
CAMIZASde linho para homem de diversas qualidades, camisas bordadas
para noivos, sobretodos, capas de borracha brancas e pretas, brim de cores e branco,
panos finos e casemiras pretas e de cor por commodos precos.
TAPETESgrandes e pequeos para sof e cama, tapete e alcatifas em pecas
para sallas, e continuara sempre a vender por mdicos precos as esteiras da india para
SALLAS.
&0 $UttAB*
NOVO EXPLENDIDO SORTIMENTO
I
etc. etc. para se mandar
qualquer peca de obra, coma maior promp-
tido vontade do freguez, o nao sendo
obrigados a acceita-las, quando nao stejam
completamente a o seu contento, assim como
n'este vaste estabelecimento encontrar o
respeitavcl publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglezas, ceroulas de
linho e a'igodao o outros muitos artigos
proprios para bomens e senhoras promet-
tendo-se-lhe muito mais barato do que em
outra qualquer parte. Na rua da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Flix Perei-
ra da Silva.
RETAIHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
preco de 500 rs. a vara, ou 300 rs. o co-
vado, sendo fazenda que ningnem vende
por menos de 7 ou 8 tustes, e liquidam-
se por este barate preco, por se ter feito
urna avultada compra, na loja e armazenH
do Pavo, rua da Imperatriz n. 60. De
Flix Pereira da Silva.
Grande expoi$io
DE
CASEfflRAS DE CO!*ES NA LOJA DO
PAVAO
Chegaram as mais bonitas emais moder-
nas casemiras de eCires proprias para calcas
coletes e palitts, tendo at das mais finas
Vende-se urna grande quantidade de re- que tem vindo ao mercado com flos de seda
talhos de chitas e cassas pretas por Dreco e vende-se mais barato do que em outra
muito baiato.e quanto maior for a florco qualquer parte, per haver grande sormen-
qoe o fregu eomprar, mais barato se lhe te de varios prego., ni loja e armazem do
vender na ruada imperatriz n. 60 de Fe- Pavo, rua da Impertirte n. 6h, de Flix
" iva. Pereira da Sirva.
Agua-florida de Guis-
lain
Tintura indelevel paratingir os cabellos,
sem manchar a pello.
A bem conceiluada agua-florida de Guis-
lain que ento era des:onhecida em Per-
nambuco, j hoje estimada e procurada
por seu efficaz resultado, e anda mais se-
r, quando a noticia de seu bom effeito e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria do dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, e lhes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algom
E' porm necessario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como moitas pes-
soas talvez supponham, miis sira ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provam testemunbos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
nitra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conhecida loja d'Aguia Branca
rua do Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando com a proteo-
Ditos com ditas d velludo, outros imi-
tando charo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.

Assim como.
Grande e bello sortimento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 -vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha. .
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas* de fio d'Escocia, torf-al, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la para homens, raulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-meios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
cao de sua boa freguezia, tambem capricha e setim para meninas ou senhoras.
emnolb'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravei com que
i honrara, e em prova ao que lica dito, d
como exemplo o explendido sortimento
le acaba de receber, anda mesmo achan-
lo-se bellamente provida do que de bom
e melbor se pode desejar nos eneros que
?2o de sua competencia.
Haja vista aos necessaros livros de missa
a oraco, obras de apurado gosto e perfei-
co, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Ditos com ditas de marfim igualmente
bonitos.
Lindas cestinhas bordadas a froco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com pedras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns cora msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores com
marrafes para enfetar coques.
Bello sortimento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
ges.
Brincos e alflnetes de madreperola.
Ditos esmaltados, obras novas e bonitas.
O cordeiro previdente
Una do Qneiniado a. 16.
Novo e variado sortimento de perfumaras
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que elfectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
cos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciaco
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se abas-
tando elle de sua bem conhecida mansido
e barateza. Em dita loja encontraiao os
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologneingleza, americana, fran-
ceza, todas dos raeihores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e violeto para toilet.
Elixir odontalgia para conservacao do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior quadade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
e outras qualidades.
Finos extractos nglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do lino e agradavel chei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de dif-
ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos eem figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumirias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composirode
cheiro, e por isso o mais proprio para crian-
Cas.
Opiata ingleza e francezapara denles.
Pos de campliora e outras diflerentes
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kcmp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
Flvellas e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
O que de melhor se pode encontrarnes so
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para vlagcm.
Bolsas de tapete e darteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha da Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
ro presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a rua do Queimado
u. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS.
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente rua do Queima-
do n. 16 acaba'de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM DAQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de galles de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va
riedade de gostos os tornara recommenda-
dos e apreciados; compareco pois os pre-
tendentes que sero servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para hornen
como para senhoras, constantemente acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
rua do Queimado n. 16.
XAROPE PEITOML BRASI1EIR0
DE
POITA DE EMBAA
COMPOSTO B PREPARADO
Pelo pharmaceHtico
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas virtudes medicinaes
existiam desconhecidas para a maior parte
dos nossos facultativos, devendo-se a sua
descoberta ao uso qu d'elle faziam os
nossos indgenas que menoscabavam com
a sua applicaco de todos os soffnmentos
pulmonares, hoje conhecido como o me-
dicamento mais efficaz para a cura de as-
thma, bronchite, coqueluche, penemonia.
e at a phtysica, produzidoum effeito mi-
lagroso e prompto.
Para um adulto 3 4 colheres de spr
ao dia puro ou em cosimento peitoral.
Criancas, 3 4 colheres de cha.
Preco 25000 o frasco.
Pernambuco, rua Nova botica n. 51,
Cera de carnauba
Vende-se Da rua do Queimado n. 13, primein
andar.
Vende-se um esrravo, offiei&l de ferreiro,
vindo ltimamente do norte : no escriplorro de
Joaquini Jos Goncalves Beltrao, rua do Trapi-
Che n. 17.______________________________
FARINHA DE
MANDIOCA
Vende-se farinha da trra em saceos grandes,
por preco muito commodo: na rua da Moeda nu-
mero 47.________________
Vende-se por commodo prego um carro novo
de iinalro rodas com um boi : na roa do Jasmira
D. J7.

... i

Ak'grai-vos myopes, e presbytas, j pe-
deis ver de longe, j podis ver de perto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Gerinann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortimento de
oculos, lunetas, p nce-r.ez, face--main,
lorgnons, de ouro, prata, tartaruga, mar-
(iiu, ac, bfalo, ncar, unicornio e mei-
chipr ; assim como binculos de urna a Ires
mudancas para theatro, campo e marinha,
da ultima invenco; duuuezas, vienezas de G
8 e 12 vidros, tudo dos melhores fabri-
cantes da Europa.
O mesmo vapor trou-
xc urna excellente ma-
china para graduar e
observar o numero dos
vidros que &e necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excellentes sterioscopos, instrumen-
tos de mathematica, barmetros, vidros de
chrystal de rocha, e de cores para resguar-
dar a vista; concerta todos os objectos a
precos commodos e com promptido ; tira
o mofo dos vidros e encarrega-se de toda a
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os excellentes relogios
do antigo e afamado fabricante Roben Gerth
& C, os quaes vende precos commodos
garantindo a sua superior qualidade.
IJIKO MOTO
PARA
O MEZ DE MARA
Acabara de sabir luz e acham-se ven-
da na livraria franceza.
OS CNTICOS EII1NN0S DEVOTOS
PARA
O MEZ DE MARA
Ura volume ntidamente impresso em
Paris.
Quadornado de couro. .15600
Eiicadernaco de mar-
roquim domado.......25500
Libras sterlinas
Vende-se cin casa de Thcodoro Simn & ('.., i -
liras sterlinas, ouro e prata nocional e estran-
ge;ro. _________________
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha da trra em saceos prandes,
por preeo muito commodo : na rua da Hocda nu-
mero^________________________________
O doce nao amarga!!!!
O bom doce depoiaba
O mais barato pnssivel
Venhaui frepue.es ver
Quem deixari de comprar
Para depois de jantar
Boa tnlliada .-omcr ?
Na tmeSM do Queimado n. i exi.-te um com-
pleto sortimento de doce de guiaba e pelea, e ven-
de se mais barato do que em outra parte ; a elle,
antes que se acabe.
Fazendas de gado.
Vendem-se seis fazendas de gado na r-
beira do Serkl, denominadas Boa-Vista,
P de Serra, Mulung, Mundo Novo, Inga e
Serrote, todas muito boas de criar e de urn
ser bem conhecido naquella ribeira : os
pi demientes podem dirigir-so rua do Vi-
gario D. 34, 1 andar, escriplorio do Baro
ile Bemlica.
Pechincha
Vende-se alpodao encorpado com toque de ave-
ria a i | e i#800 com 20 jardas : na rua do Que.-
mado i). 29.
PIULAS, TI.\TIM E XAROPE
SICPIRA
Empregado contra as dores rheumaticas, affec-
coes golosas, syphilis secundaria, effeitos do mer-
curio, molestias chronicas da pelle, hydropc&ia etc.
nico deposito botica de J. de A. Pinto, ru.i
larga do Rosario n. 10, junto ao quarel o*$T-
licia.
ESCRAVOS FGIDOS.
irpo
r ta
100$ de gratificado
Fugio uo dia 11 de Janeiro do corrente anno,
do enpenbo Balalura, freguezia da Escada, o et-
cravo preto, crioulo, de 24 annos de idade, cha-
mado Marcelino, que foi do Sr. Joao da Cuuha
Pereira, cujo escravo estove no deposito geral, e
tem os signaes seguinies : alto, secco do eorpo'
rosto muito marcado de bexigas, falta de deni
na frente, cor Jreta, sabio do chapeo do chile,
letot e calca de castor, levando um bahurinho""
(landres com mais roupa, e suppoe-?e estar fca
freguezia do Cabo : quem o apprebender leve-e
ao dito enpenho, ou rua da Senzala-nova n. 38,
escriptorio do Sr. Bernardino Pontual, que rece-
ber a gratitlcacao cima.__________________
Fpgio de bordo d* palhalnite nacional Afue-
ro, um mulato claro de nome Justino, estatura re-
gular, cabcloscarapinhaos e motas ruivos, pouea
barba, tem nina pinta preta no canto do olho direi-
to e nm talho as costas ao misino lado,; levou
vestido camiea de chita com listas verdes, e usa
de urna cinta com borla encarnada para apertan
as cateas, natural de Santa Anna do Matto na
provincia do Hio firande do Norte, para onde talvez
queira ir, tambem mnilo desembarazado no fal-
lar. Recommenda-se aos mestres de barcaca ou
a qualquer pessoa que o agarrar, e levar a rua
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido navio que
ser generosamente gratificado.
100j8000. "
Fugio do rtigenho Poco, freguezia de Agoa Pre-
ta, na noile de domingo,' 18 do corrente, para a
amanheoer de segunda-feira 19 do mesmo, o es-
cravo Benedicto, que foi comprado no Recife ^o
Sr. Antonio Jos Vieira de Souza no dia 7 de abrtl
do corrente mez, cujo escravo K m os signaes ?<
guintes : crioulo, de 3 aiinos de idade, cor pretr,
altura regular, corpo regular, testa mnito cantu-
da, rosto um pouco descarnado, nariz afilado, pou-
ea barba, falta de dentes, ps e roaos hem feito.
chapeo do Chile j velho ou bonet, boa camisa de
madapolao de pre>a tena ou de alfndao-branco,
levando a roupa dentro de nm sarco ja velho, o
qual deve ter a marcaPoco: quem o pegar
leve-oao engenho cima a su senhor, oa na rtw
da Praia a Cennino Jo da Rosa, que receber
t(X)5 de gratiflcacJo. Desconfia-sc ter ido par
Porto Calvo, d'onde era escravo de Francisco Nn-
gueira Castello Branco.
lo AjiiKPnho Foro d Cal o escravo
Jo2o das LMJMtaulatoacal'Ociailo, de altura re-
gular rbeio do )l"''
Htf o M nfcrid engenho
ma, ouinSd.i Cadea n. S4, #uo r ge
smente gratificado.



K

unmATM.
<> bispo de Pernamtmco
E
OS NOVOS REFORMADORES
III
Depois de ter procurado demonstrar que
o general Abreu e Lima em seus escriptos
nunca atacou a nenham dos dogmas da Re-
lgio Catholica Apostlica Romana, antes
<>s |unheceu e respeitou ; possao Sr. Dr.
H.ir
Barro* a demonstrar que, ainda
qtiando seu amigo fosse um alheo, e-que
nenhum sii/nal de arrependimento tivesse
manifestado nos seus nUjiaos momentos, nao
podia o Exm. Sr. Bispo ter o procedimen-
to que teve.
Esta 9cgunda demonstracSo, em que con-
siste o segundo artigo, de que nos oceupa-
mos, nJto nos parece mais fcil que a pri-
meira.
Pura tomar mais fcil c clara a sua ar-
gumentacw, principia o nosso adversario
transcrevemo alguns trechos de um artigo
excediente, publicado no Diario d 15 do
mez passado. Vejamos como os contes-
tou.
Decididamente os defensores do Exm.
Si. bispo alm de se agarraren em lili-
gianas, para nao dizer em teas de ara-
nhas. astao en eontradico uns com os
outros, como fcilmente ver-se-ha con-
frontando-se os trechos citados com o que
disse o W.
Eis ahi as teas de arauJtas do artigo do
Diario :
t O i." do n. 8o7 do tit. 57 dascons-
tituicoes do arcehispado da Baha, com-
muns a esta diocese, expressa-se da se-
guinte forma : nao se dar sepultura
ecclesiastica aos judeos, hereges, scisma-
ticos e apostatas da nossa santa fe, que a
ig.-eja tem julgado por taes, ou por ou-
tea via for notorio que o sao ; nem aos
que os favorecen! ou defendem.
0 n. 808 do liv. i. tit. 48 da mesma
coostituicao ainda mais expresso sobre
o caso em questo, quando trata da Ex-
trema Unco: e a pessoa que por des-
pieso oo contumacia, sendo requerida,
deixar de receber este Sacramento, pecca
mortalmente, c llie ser negada sepultura
ecclesiastica.
* E nate-se que a doutrina deste nume-
ro expressa no cap, 3 da sess. 14 do
sagrado e ecumnico concilio de Trento,
que o cdigo da disciplina geral da
Igreja.
Repugnar os Sacramentos paternalmen-
t te olferecidos importa a recusa da sepul-
tura ecclesiastica.
Nao era preciso que o general Abreu e
Lima tivesse sido herege (que a pessoa
que adopta ou segu heresias; que de sci-
encia certa defende doutrina contraria aos
dogmas, com adheso e pertinacia ;Mo-
raes, dice) Bastava que elle tivesse favo-
recido a hereges. E nao o teria feito, re-
petindo as heresias de Marcio; segundo o
qual a lei antiga c o Evangelho esto em
opposeo ?
Alm disso o general Abreu e Lima de-
fendeu os fundamentos do protestantismo
(se ?e pode admittir que o canos tenha fun-
damentos). Ilavemos de demonstrar a ver-
dad', desta asseveracao.
J examinamos as teas de aranhas, exa-
minemos as contradieces:
t Um diz que o procedimento do Exm.
Sr. bispo foi oceasionado porque o gene-
ral Abren e Lima nao se quiz retractar das
suas ideas religiosa ;
O outro porm, mais prudente, diz
que a causa foi porque o general nao
acceiteu a confessSo que Ihe fora offere-
cida por S. Exc.
Todo isto inexacto. O W. nao disse
que o procedimento do Sr. Bispo foi occa-
'i.itdo porque o general Abreu e Lima
nao se quiz rctractai ; o que disse foi ose-
guinte :
Sabendo o nosso virtuoso prelado, que
i esta, sua ovelha, to doente do espirito,
sofTria gravemente do corpo. correu a
' visital a tres diasantes do seu passamen-
to: e com a solicitude de um pai estre-
moso procurou chamal-a ao bom cam-
nho. '-
NAO DESEJANPO TRBZER-LHE A
MEMORIA OS SEUS ESCRIPTOS NA
MALFADADA LUTA. QUE HA POUCO
a TEMPO TRAVARA NA IMPRENSA, P\RA
QUE A SUA MEMORIA NAO FOSSE
FOLHETIM
os imiis m churu
POR
51ie Berthet.
XIX
O Heclfe de DUbo.
(Continuado do n. 97)
Grandval voltou-se para o lado de trra.
Nao vejo cousa nenhumarespondeu
elle, depois de olhar attenlamente.
Ora repare bem, para o seu lado d-
reito, alm d'aquella* ramagem... Veja,
veja : urna nI3o a agitar-se ainda I
Pedro, posto que dotado de urna vista
perspicaz, s confusamente distingui o
3oer que fosse a mover-se na direcelo in-
icada, duvidando ainda que tal movimen-
to proviesse de urna creatura humana, mas
esta incerteza nodurou muito.
A pessoa que pareca querer attrahir a
attencSo do navio em breve se desembara-
Cou la ramajem e saltou na praia. Ent5o
pode reconhecer-se que era um homem,
coberto de farrapos, sem chapeo e de as-
pecto o mais deploravel.
Avancou alguns passos, agitou anda por
duas ou tres vezes um farrapo branco, que
tinha na m3o, e depois, como que fatigado
por tal acionado, deixou-se cahir sobre a
area e ficou immovel.
Josephina continuava a observa-lo pelo
oculo, porm trema to violentamente, que
nao poda fazer a menor observaco.
Ora !disse Grandval E' sem du-
vid algum miseravel indio que nos vem
propor a troca da algum peixe por urna
pinga de agurdenle.
E' meu irmo t exdamou ella im-
petuosamente E' Miguel : tenho a certeza
d'is so I... Mas em que estado, meu Deas!..
Est moribundo, nio se move !.. E elle
vem s, nao vejo meu pai... Onde estar
mea pai ? .
PERTURBADA PELA LEMBRANCA DAS
PAIXOES MUND\NAS, levou cora dedi
cadesa a sua con"ersac3o amena para al-
guns pontos ta doutrina christa. Mas,
oh I dor I o enfermo contestou-os vigo-
rosamente. Entre outros pontos n3o se
mostrou disposto a acreditar no dogma
da Santissima Trindade, EREPELLIOA
t IDEA DA CONFISSO EM HORA TAO
SOLEMNE COMO AQUELLA EM QUE
SE ACHAVA.
Entrestecido ( pesaroso se retirou o
i virtuoso prelado; eao despedir-se doen-
fermo declarou-lhe, que EM BREVE VOL-
TARLV A VEL-O, tete em resposta, que
* SE S. EXC. TIMIA EM MENTE conse-
guir delle urna retractaco do que Ihe
t havia dito, (rae perdera o seu tempo.
Isto foi dito com brandura, e acompanha-
do de muito delicadesa e attencSo pes-
i sido Ilustre diocesano.
Consta-nos que S. Exc. ainda empreg-
ra outros meios indirectos, para provocar
t QUALQUER SIC.NAL DE ARREPENDEN-
DIMENTO daquelle moribundo, mas que
< em balde* o tentara.
Na vespera do da em que faHeceu o
* general, um amigo delle procurou ao
Exm. bispo, para cousultar sobre o lu-
gar em que devena sepultar-se o sea
cadver, A VISTA DO QUE SE TINHA
PASSADO.-
S. Exc, com as lagrimas nos olhos.
declarou ent5o, que Dutro remedio nao
tinha seno dar execucao as leis da Igre-
* ja, as quaes Hw nao dado dispen-
sar.
Nestas cirotimstancias perguntare-
raos...
Queris saber, amigo leitor, queris sa
ber como foram transcriptos estes trechos?
Lancai mo do Jornal do Commercio de 23
do mez passado, abri bem os olhos
ldel
Indo tres dias antes do seu passamen
to visita-lo o nosso virtuoso prelado, le-
vt>u com delicadesa a sua conversaco
amena para alguns pontis da doutrina
christa. Mas, oh I dor I o enfermo con
testou-os vigorosamente. Entre outros
pontos n3o se mostrou disposto a acre-
ditar no dogma da Santissima Trindade,
e repeli a idea da confissio em hora
t3o solemne, como aquella em que se
achava.
Nestas circumstancias perguntare-
mos...
E passou adianto!
A' vista destes trechos se concine:
Io que durante a enfermidade do gene-
ral Abreu e Lima, o Ilustre Diocesano,
apesar de desejar ardentemente que elle
voltasse a Igreja, n3o Ihe exigi que se re-
tractasse dos seus escriptos, n3o Ihe fallo
em retractado; abi nem Ihe fallounos mes-
mos escriptos! Bastava que elle acredi-
tarse as verdades principaes do Catholicis-
rao, e recebesse o Sacramento da Peniten
cia; bastara isso j que a exigencia de
urna retratarlo era inconveniente ; como o
Sr. Bispo comprehendeu perfeitamente.
2o que depois daquelle fatal desengao,
quando vio o enfermo n3o s insistir nos
mesmos erros, mas tambem ir mais alm;
dizendo ao Sr. Bispo qae, se pretenda ir
vl-o outravez para obter urna retractado
do que acabave de ouvir, perdera o seu
tempo; depois disto o Sr. Bispo j se con-
tentava com qualquer signal de arrependi-
menlo, e empregou alguns meios para
provoca-lo.
3 que a interdcc3o nao resultou direc-
tamente dos escriptos do general Abreu e
Lima, mas de ter elle se opposto ltima-
mente verdades de f, e de ter recusado
o Sacramento da Penitencia.
Portanto bem deploravel a assevera-
cao de que os jesutas, d semelhanca de
corvos famintos, cercaran o leito do mo-
ribundo, e quizeram entrar com elle em dis-
cusso de todo o genero; que o general
Abreu e Lima, em seus ltimos momentos,
se vio cercado de jesutas de sotaina e de
casaca, que pretendiam arrancar-lhe urna
retractacao.,.11
O Sr. Dr. H. do Rega Barros entra emfim
na demonstrado promettida. e promette
servir-se dos Elementos do conde de
Iraj.
Em primeiro lujar reproduz algumas di-
fini'coes, depois contina :
Mas as penas n3o podem ser impos-
t tas arbitratiam'Hite, preciso que os
factos sejam allegados e provados, do
contrario a cvnmra nulla, visto como
Grandval lancou mo do oculo e assegu-
rou-se de que Josephina fallava a verdade.
Em seguida gritou tripolaco :
Deitem urna lancha ao mar / De-
pressa, depressa ; desembaracem urna lan-
cha I
Os homens de quarto apressaram-se a
dar cumplimenta ordera.
Em quanto se desembaraza a barca, o
capit3o disse a Josephina :
Coragem I E' com effeito, o nosso
bravo Miguel!
Parece-me estar de todo exhausto de
forjas !redarguio ella agitadamente E
depois, meu pai n5o est com elle ; toda-
va Miguel 6 em extremo amigo d'el para
o ter abandonado r
Ao mesmo lempo debrucou-se sobre o
resbordo do navic e gritou com todas as
suas forcas, nao se lembrando de que,
apesar da calmara profunda que reinava
en trio no mar e na ierra, o. sardo-mudo
a nao poderia ouvir e muito menos res-
ponder Ihe.
Socegae, querida Josephina disse
Grandval.A ausencia de seu pai de corto
se explicar da maneira mais favoravel.
Espere ; j a lancha est a nado. Eu vou
embarcar.
Eu tamberr. vou. Nao posso dei*ar
de ir abracar meu irmao e saber noticias
de meu pai... Partamos.
Tal vez fosse raelhor esperar aqu.
Nao, ao 1 A anciedade em que es-
tou seria capaz de me fazer enlouquecer I.
Por piedade, po 'mitla-rae que e aeenpa-
nhe I
O martimo n3o ousou oppr-se mais, e
minutos depois, asseniados ambos aa lan-
cha, remada por quatro vigorosos mari-
nheiros, transpunham velozmente o eapaco
que separav o navio da costa.
Affaslando-se, Grandval lancava um olhar
para o cdo, que se assombreava cada vez
mais, e frauda o sobr'olho. Os remado-
res notaram bem este movimento e o velho
Grondin disse :
E' o mesmo, capit3o. Talvez fowe
melhor nao avancarmos tanto para trra,
porque se est3o formando acol para wd
a sentenfa iniqna do pastor/n3o liga di
de Deus. /
t Na applicacao 4as sentaras devemser
. observados certos requfeilos, ojie s3o
essenciaes taes s3o : que}.i reo ssja ad-
im testado, que se ja ouvido ou se d seu-
tenca; e tambem assidentaes; que se di-
signe o reo pelo seu nonte, se declare d
t censura em que mco\
della; que a sentenea s%
dada por es-
i cripto, intimada ao reo t? imblkada. Ai-
bos estes requesitoe sir'pvtes indispm-
-i saceis do processo das censuras, e somet-
te depois delles qw pode ter lugar n
pronuncia ou sentenc* do ju'z.
Pai a haver processo ecclesiastco
preciso que baja aecusa^o, denuncia t
t inquisico.
Assim, quantos aos requisitos essenciaes j
Lde o Scholio I* ao citado % 1159, e
ahi veris que o Bispo nao precisa de fazer
processo para negara sepultura :
O parodio nio deve negar a sepultura
a ntnhum morto, comprehendido nos ca-
sos referidos {%% II58 e 1150), antes de
t informar sobre a especie oceurrente ao
* bispo, ou aos seus vigaros, ou ao viga*
a causa rio da vara, conforme o lugar ; e ento
e preciso : que o reo seja aelmoestado, que
seja ouvido msedv sevtenm. Logo quan-
do se d sentenca n3o preciso ouvir o
reo? Talvez haja engao typographico na
disjunctiva. Quanto aos accklentaes: que
a sentenra seja dada por escripto, intimada
ao reo e publicada.
Muito bem. Voltemos s teas de aranha.
Segundo adisposio j dtaila daConstitui-
cio do Arcehispado: na se dar sepultu-
ra ecclesiastica aos jndens, herejes, scis-
maticos e ,iposla*as da nossa santa f, que
a Igreja tem julgado por taes oti toboitra j
va for notorio qi k o sao ; nem aos que os
favorecen oa defendem,
Logo nao indispensavel o julgamento
da igaeja para que se deva negar a sepultu-
ra ecclesiastica. A lei n3o comprehende s
os que forem comdemnados como hereges
e scismaticos, mas tambem os que notoria-
mente s3o tidos por laes. Quanto aos que
fav..recem ou defendem, com maioria do
razSo n3o deve ser precisa urna condemna-
cao.
Ainda em virtude da mesma Constituirn
do Arcehispado deve ser negada a sepultu-
ra ecclesiastica ao que recusar-se a receber I
FARA.0 QliF, ECTF.S DKTKIIMINAREM.
Eis-ahi o que diz o conde de Iraj, que
nao pode ser suspeito nestas materias, como
disse o Sr. Dr. II. do Reg Barros.
Arerca dos ltimos escriptos do gene-
ral Abren e Lima no houve a mais leve
i censura da parte da igreja. O que dn-
ria lugar a Ihe ser negada a sepultura
ecclesiastica? Seriam as flagrantes sm-
peitas de heterodoxia ? E ter o general
recusado confessar-se ao Exm. Sr.
bispo ?
E' sabido que os indicios por mais ve-
hementes que sejam nao do lugar con-
demnaco, e assim indaguemos o fado da
confisso.
Os nossos adversarios procuram tirar
partido de um certo adorami'nto com que os
teem refutado algumas pessoas, apavora-
das com o parce sepulth. E alem de se
aproveitarem sobejamente desta louvavel
escrpulo, querem mettVo a ridiculo,
Urna dellas, qnerendo dizer que o gene-
ral Abreu e Lima, cahio em erro claro e
manifest contra a doidriim pnsinadn pela
santa Igreja. esforc/m-se por adocar esta
simples e innocentissima asseveracSo, c
nao quiz fazel-a sem o segninte prembulo:
O general Abren e Lima ha era um
ente previlegiado peto Creador; partici-
pe pava da fruqueza inhereniV ao genero
' Immano. Era peccador.
Nascido e creado no seio da rel^io
catholica apostlica, e dispondo de intcl-
ligoncin rohnsta, cahio cm erro claro,
etc.
O Liberal n. 52 perguntou quantas lan-
o Sacramento da Penitencia. Ora, se esta I cas metteu nAfrica o sen antagonista, com
recusa for feita pouco antes do fallecimento,
como ser possivel que o n'o seja admoes-
tado, onvhh ou se di! sentenca por escrip-
to, sendo esta intimada ao reo epublicada;
tendo havido aecusacao, denuncia e inquizi-
co t
E a suspengo ex-infornuita consciencia
n3o tambem urna censura ecclesiastica!
E ueste caso, que do processo ? que da in-
quisico ? que da publicacio da causa da
censura ?
Aquelles que receberam de eus o po-
der de ligar e de desligar as consciencias
n3o est3o sempre adstrictos s formalidades
de um processo, sobre pena de ntUlidade.
.Mas os liberaos j quizeram fazer urna
lei para que da suspong3'> ex-informata
consciencia se dsse o recurso a Cora! Mo-
je querem cousa peior, como depois ve-
remos.
O nobre arciculista cnsultou a obra do
conde de Iraj, fagamos o mosmo. Nos Ele-
mentos de Direlo Ecclesiastco %% 1158 e
1159 se diz que, em particular, segudo o
direto commum, o. especial das Constitui-
e tratou de demonstrar,
encerrara urna banali-
aquella novidade;
que a proposito
dade.
Outro. para n3o dizer que o finado gene-
ral tinha adoptado ou seguido heresias,
quiz adorar a expresso, dizendo: que
elle havia incorridp as mais flagrantes
suspeitas de heterodoxia.
Mas o seu adversario, a quem respon-
demos, aproveitando-se desta moditicaco,
observou que os indicios mas vehementes
nio dSo lugar a condemna^ao, e concluio
que a interdicc3o de seu amigo n3o resul-
tou de ter elle incurrido em heterodoxia ;
da qual, quando muito, s havia suspeitas.
A confisso compnanto seja acceita e
recommendada pela igreja, n3o com-
tudo obrigatoria, e sendo um acto de
confianga, n3o pode ser imposto ao peni-
lente ou ao moribundo o confessar, por
que ento seria urna confisso coacta, e
nao prehenchoria os seus fins.
A CONFISSO NAO E' OBRir.ATORIA !l A-
vinde-vos com o 4. Concilio de LatrSo, com
o Concilio de Trento, com todos os santos
oes do Arcehispado e das prescripcesWo padres e doutores di Igreja, com qualquer
Ritual Rom, nao tem sepultura em
sagrado(entre outrosqneenuumera): os que
morrem em duello ou da ferida ah recebi-
da, embora deem signaes de penitencia e
de arrependimento (Tridenl, sess. 25 de
reform. cap. 19 e coust. detestabilem do S.
S. P. Benedicto 14.); os padrinhos do du-
ello, raortos no conflicto (Trid. loe. dt.) ;
os suicidas; os que mauifoUra,eate nao
cumprirao os preceitos nimos da confisso
e comunho, e fallec-irem sem signaes de
arrependimento ; octros pf.ccadores mani-
FESTOS E PBLICOS, QUE SEM NENHUMA PENI-
TENCIA, E MUITAS VEZES NO MESMO PECCADO
M0RRER0.
Mas em todos estes casos indispensa-
vel que o reo seja adinoestado, gue se.a ou-
vido, que se d sentenca; que esja seja es-
Cripta, INTIMADA AO MESMO REO E PUBLICA-
DA i !.......
Um, porque morreo por suas proprias
mos ; outro, porque morreo em duello;
outro, porque moheo sem signaes de arre-
pendimento (n3o tendo cumprido o pre-
ceitos annuos da confisso ecommunhao);
outro, porque morreo no mesmo peccado
publico e manifest, em que viveo, nSo
teem sepultura ecclesiastica ; mas preciso
que todos estes que ja morroum sejam ad-
mmtados, ouvidos, condennados, intima-
dos, e s dopois de tudo is:o se dar a sen-
tenca execucao1!......
cartitha da doutrina christa, e at (o que
mais haveis de sentir) com o proprio Vol-
taire!
A confiisso, diz este, 6 urna instittticao
diversa, que nao teve principio seno na
misericordia infinita de seu autor... A
obrigaedo que o homem tem de se arrepet-
der (continua Voltaire) comeca do dia em
que se tomn culpado; o arrependimento
dos peccados fat as vezes da innocencia ;
mas para nos mostrar mos arrependidos dos
peccados e' mister comecar por confessa-
los. Voltaire reconhece que a confiss3o
era usada entre os Judeos: Ado foi o
primeiro penitente, pois se confessou quan-
do disse do fructo prohibido: Eu comi
delle. A cada pagina dos lirros santos
ochamos a confisso seja particular, seja
publica. (M. Drack, IUssertuco sobre a
confisso entre os Judrtis, padre J. Gaume,
Cathecismo de Perseveranca, vol. 5, li-
cSo 39.*)
A necessidade do Sacramehto da Peniten-
cia de direito divino. Elle t3o necessa-
rio para os que peccaram mortalmente de-
pois do baptismo, como este necessario
para a remisso do peccado original.
No penitente que recebe este Sacramen-
to devera concorrer tres cousas: a contric-
c3o, a confisso e a satisfago.
A confiss3o indispensavel porque sem
ella nao teria lugar o psrfeito conhecimento
dos peccados e das disposices do peniten-
te, e sem este duplo conhecimento nSo
poderia o sacerdote saber quando devesse
perdoar ou reter os peccados. Logo a con-
fiss3o, sendo parte integrante do Sacramed-
to da Penitencia, tambem de instiluic3o
divina.
Ha no excellente Cathecismo do padre
Gaume urna demonstracao tao bonita e con-
vincente do que acabamos de dizer, que
nao nos esquivaremos a transcrever urna
parte del la:
Em virtudo das palavras de Nosso Se-
nlior, consignadas no Evangelho, e cuja
aulhenticdado provaremos igualmente;
Recebei o Espirito Santo, aquelles a quem
perdoardes os peccados, ser-lhes-ho
perdoados; e aquelles a quem os retiver-
des, ser-lhes-ho retidos; dous pode-
. res foram conferidos aos Apostlos, o
poder de perdoar os peccados, e o poder
t de os reter. Este tremendo poder deve
* ser exercido com grande discernhnento,
e com um perfeitoconhecimento.ee cau-
sa. E' preciso que os Apostles e seus
successores at o fim dos seculos (por-
que "0 poder de perdoar e reter os pec-
cads ser sempre necessario Igreja),
conhecam o numero e a gravidade das
culpas, e as disposice? dos penitentes,
afim de saberem se de"cm perdoar ou
reter, ligar os desligar. Mas, para che-
* gar a este conhecimento indispensavel,
* n3o ha seno dous meios. E' preciso
ou qne os Apostlos e seus successores
no ministerio da reconciliado, leiam no
fundo das consciencias, ou que os peni-
lentes Ih'as descubram e patenteem. Ora,
evidente que osjuizes das consciencias,
bem como os magistrados ci vis,- nio teem
o privilegio de penetrar ne fundo dos
eeratoes; pois necessario que os mes-
mos penitentes se aecusem de seus pec-
i cados: esta aceusaQo chama-se confiss3o.
Dest'arte, sendo de instituicao divina o
Sacramento da Penitencia, a confiss3o
logo tambem de insttuicSo divina; pois
ser um puro idiota quem nao concordar
que ella foi e sera sempre urna parte
essencial do Sacramento da Penitencia;
e por consequencia o nico meio de ob-
ter a remisso dos peccados commetti-
dos depois do baptismo: mesmo ab-
sordo suppor que haja algum outro meio
de remettir os peccados. (Cathecisma
de Perseveranca, licao 39.a)
Mas assim como aquelle qu deseja arden-
temente baptisar-se e morre sem poder
fazel-o, j fazia parte da Igreja; porque o
seu mesmo desejo um baptismo (chama-
do de fogo, em contraposiclo ao baptismo
tVivjna, e ao de sangne. que o martyrio, as-
sim tambem o peccador contricto que se
quer confessar, c morre sem confiss3o, sem
culpa sua, nao se considera impenitente.
Fazemos esta observaco para que al-
gum dos novos reformadores nao nos per-
gunte, com a zombaria do costume, que nao
devora caber em urna discuss3o de assump-
tos religiosos) se morrer sem confiss3o
sempre uincrimedeceiniterio inglez.
A excellente demonstracao do padre Gau-
me n3o c s aquillo que extractamos, con-
tina ainda por muitas paginas.
Depois do 4o Concilio Lateranense (que
obrigou a todo o christo, que chegasse a
idade do discernimento, confessar-se, ao
menos urna vez cada anno); o Concilio Tri-
denlno oceupou-se largamente do Sacra-
mento da Penitencia, sess3o XIV celebra-
da em 25 de novembro de 1551, sob Ju-
lio ni; decretando a final os seguintes a-
nones, entre outros:
Se alguem disser, que a penitencia na
Igreja catholica nao verdadeiro, e proprio
Sacramento, instituido por Christo Senhor
nosso para reconciliar os fiis com o mes-
mo Deus, todas as vezes que dopois do bap-
tismo cahirem em peccado: seja excommu-
gado. (Canon f)
Se alguem negar que para inteira e
perfeita remisso dos peccados, se reque-
ren no penitente tres actos, como materia
do Sacramento da penitencia : a saber, con-
trc3o, confisso, e satisfago, que se cha-
mam tres partes da penitencia; ou disser
que, sao s duas as partes da penitencia:
a saber, os terrores que padece a conscien-
cia conhecendo o peccado, e a f concebi-
da do Evangelho, ou da absolvic3o, com
que ere he sao perdoados por Christo os
peccados: seja excommungado. (Canon
IV.)
uns dentes de aneora que nos h3o de dar
que fazer I
Qual historia !... Quando a borrasca
chegar, j nos estaremos a bordo redar-
guio o capito. affectando coragem. Tra-
ta-se agora de salvar o pobre Miguel Ber-
tomy, que acola se v, e vale a pena arris.-
car alguma cousa por um camarada. Rema,
pois, firme, e Deus sobre ludo !
Os marujos, que sinceramente estimavam
o surdo-mudo, nao tiveram urna s pala-
vra com que lastimar-se a respeito do pe-
rigo imminente e imprimiram tal impetuo-
sidade aos remos, que chegaram a trra
como se fossem pelo ar.
Josephina e Grandval n3o haviam troca-
do urna s palavra, como se receiassem
manifestar reciprocamente a sua inquieta-
Cao. Nao alTastavam a vista do ponto onde
se aphava Miguel, e, quanlo a lancha en-
calhou na areia, a joven, sem esperar que
a ajudassem, saltou lestamente em trra e
correu direita ao irmao. O capitao foi aps
ella, seguido de dous marujos, ficando os
outros dous na lancha.
O joven Bertomy, nao obstante a sua ap-
parente immobilidade, estava sem duvida
atiento para o -que se passava, porquanto,
ao approximar-se sua irma, fez um esfor-
eo para se erguer, soltando ao mesmo tem-
po gritos inarticulados; tornou, porm, a
cahir por trra. Josephina, ajoelhando jun-
to d'elle, tomou-o nos bracos e cobno-o de
beijos, exclamando :
Miguel, meu querido irmao, eis-te em
fim de volta!
O pobre rapaz quereria corresponder s
suas caricias, porm apenas tinha forca
]para mover-se. O seu estado era de certo
mais lamentavl do que parecer ao longe.
[Tinha o corpo coberto de chagas, o rosto
linchado, fendo e irreconhecivel, os olbos
encovados, espantados e injertados de san-
gue. Aquella organisaco, d antes vigorosa,
pareria agora anniquillada e prestes a ex-
tinguir-se.
Grondin, que olhava compassivamente,
por cima do hombro do ;apflo, para Mi-
guel, disse a meia vei:
Com um milbeiro de caudas de dia-
b)s t E ha qwern se divirta a dar cabo
Se alguem negar, que a confisso sa-
assim de um pobre rapaz I Aqui teem
voces o mndosito t3o prximo de engolir o
anzol como aquelle pandego que encontra-
mos no mar junto a Cayenna, o qual esta-
va disposto a jogar o soco com os tuba-
roes I... J vejo que a navegaco p:r tr-
ra n3o mais segara do que a do m.ir;
mas, em todo o caso, tenho mais pena d'este
do que do outro I
E' verdade, tio Grondin disse o
grumete Fil--voiio. E' um fino gageiro o
nosso amigo Miguel, que se dava mni bem
comigo, e ficaria embatucado, se o visse
assim arrombar o cachimbo, to novo co-
mo I
Os dous marujos, porm, interromperam
a convorsa, porque Josephina, depois de
haver prodigalisado todas as caricias a seu
irmo, exciamou em tom de desvaira-
mento:
Diz-me, Miguel, onde ficou o pai ?...
Tu de certo tomaste a dianleira e elle vem
a'ii com o iadio Gallibi... Poderemos ir
sahir-lhe ao encontr ?
Miguel percebera de certo o sentido d'es-
tas palavras cobrio o rosto cora ambas as
ms. Ella, por sua vez, nao podendo
deixar de desconfiar d'aquella raanifestaeo
quiz ainda animar-se e perguntou de aovo:
Tem compaixo de mim I Respon-
de : onde est meu pai ?
E, traduzindo estas palavras em gesticu-
lacoes, a nica resposta que obteve do sur-
do-mudo foi apontar-lhe elle com o dedo
para o co, continuando a solucar.
da sobre a realidade da desgraca, que pre-
vira logo que vio Miguel s
A joven, depois de alguns momentos de
espasmo, proseguio com voz alterada:
Explica-te. Queres dizer que vos se-
parastes um do outro, que elle vem por
outro caminbo com o indio ou talvez; que
foi agarrado e conduzido penitenciaria...
De certo me nio queres fazer acreditar que
nosso pai. .
EntSo Miguel, tomando um aspecto de
ndescriptivel desesperaco, dirigio-lhe rpi-
damente alguns signaes para Ihe significar
que seu pai morrera de cansaco e ficra en-
terrado no sertao.
cramcntal foi instituida, ou necessara
Ainda que Josephina deveria estar pre-
parada ha muito para este golpe, nem por
isso o recebeu menos dolorosamento.
Morto !.. Meu pai, meu pobre pai!
balbuciou ellaOh I Santa Virgjm, foi
isso o que me havieis promettido ?
E cahio sem sentidos junto de Miguel,
que, vencido por estas commoces, pareca
igualmente inniquillado.
Grandval contemplava com profunda m-
goa aquelles dous pobres jovens assim
prostrados e perguntava as mesmo o que
havia de fazer, quando urna circunstancia
nbva veio precipitar a sua decis3o.
Um relmpago deslumbrante rasgou a
nuvera sombra queestacionra sobre suas
cabecas, rbombando ao mesmo tempo um
trovo : nao um tr%k'o surdo e regular
como os da' nossa zona temperada, mas
um trovo dos trpicos, atroador, immenso,
semelhante a urna salva de mil tiros juntos
de artllharia de grosso cajj|re. Os miri
nheiros, assustados, abaixram mstincliva-
mente acabeca, e os dous jovens, inanima-
dos, pareceram experimentar um sobre-
Salto.
Grandval gritou de repente :
A' lancha I Depressa, laicHa I E'
forcoso que antes de dez minutos esteja-
mos a bordo I... Grondin, Fil--voile, to-
men conta do mudo; eu me encarrego da
irma !... Vamos, amigos, depressa ; vai
n'isso a nossa salvacSo e a do navio I
Os marmheiros, comprehendendo o pe-
rigo da demora, tratanm de dar prorapto
para a salvacSo por direito divino: ou dis-
ser, que o modo de confessar en segred
s ao sacerdote, que a Igreja desde o prin-
dpio observou sempre, e observa, diver-
so da instituic3o de Christo, e invento hu-
mano: seja excommungado. (Canon VI,)
Entre estas condemnacoes e o.principio
de que ninguem obrigado a confessar-se,
fica bem dislincta a separaco dos chistos
velhos e dos christaos novos (o que n3o com-
prehendemos como sejamos nos os chris-
taos notos.)
Christo noro (se fallis de idade) qual-
quer menino, a quem a paixo partidaria e
os interesses mundanos ainda rilo flzeram
esquecer quaes sao os mandamentos da
lei de Deus, e os da Santa Madre Igreja ;
perguntaiIhe se nao um deste:
Confessar-se ao menos urna vez cada
anno.
Mas este mandamento n3o foi recebido e
sanecionado pelo cdigo criminal, e por isso
dizes que a confiss3o n3oqbrigatorianem
pode ser imposta Ah t nao calumniis
vos mesmo 1 Bem sabemos que nao s
o cdigo criminal a vossa norma de pro-
ceder.
Diz o autor do artigo, de que especial-
mente nos oceupamos, que a confisso, nao
pode ser imposta, porque ento seria coac-
ta, e n3o preencheria os seus fins. Isto
confundir duas ideas muito distinctaSa
obrigaejioe oconstrangimento oucoacclo.
Temos obrigaco de orar, mas de que
serve urna oraco feita constrangidamente
ou de m vontade ? Todos teem obrigac5o
de baptisar-se, mas se forcarem um homem
por meio de ameagas a baptisar-se contra
sua vontade, de que Ihe serve o baptismo
recebido assim ?
Devera-se cumprir santamente os pre-
ceitos divinos, ainda quando n3o fra a es-
perance da recompensa nem o temor do
Jastigo; porque eu$ deve ser amado e
obedecido por ser quem infinitamente
bom, e senhor de todas as cousas. Esta
sublimdade espantosa, a que a inlellgencia
humana mal pode attingir, e a que jamis
attingiria se nao fosse o chrisanismo, nao
exclue o merecmento do amor dos benefi-
cios de Deus, e do temor dos seus castigos.
Cumprir o preceito, independentemente da
obrigaco e por amor do acto em si urna
grande virlude; como a dos Judeos que
publicamente confessavam os seus peccados,
antes que a penitencia tivesse sido elevada
Sacramento. Mas concluir d'ahi que
coacto e sem merecmento aquillo que se faz
em obediencia da obrigaco, em desencar-
go da consciencia; dizer que se a confis-
so fosse imposta n3o preencheria os seus
fins, o que nao podemos comprehen-
der. Alm de basbante methaphysico, isto
cheira muito a absurdo. E' til a confis-
so que a Igreja recommenda, mas se ella
nos fr imposta como obrigaco deixar de
preencher seus fins!
E' preciso que cada um se confesse sem
Obrigaco de confessar-se I
Depois do trecho que acabamos de ana-
lysar segue-se o seguinte:
A historia fetrl em abusos e arbitra-
riedades praticadas pelo clero, nao men-
dona de certo fado algum de que bispo.
cardeal, etc., fosse ex-oficio cabeceira
de um moribundo desconhecido, argu-
mentar com elle principios religiosos, e
offerecer-lhe de confisso I!
c Nao mostrou S. Exc. neste procedi-
ment, que houve urna sombra que Ihe
* soprou ao ouvido e, portanto, que seu
fim nao foi s religioso, mas tambem sa-
tisfuzer desejos domsticos e prelatidos?
Aconselhar um enfermo, e pedir-lhe que
se confesse seta um escndalo inaudito, um
abuso sem exemplo nahistoria ?! Entretanto
outros, citando as Gonstituces do Arcehis-
pado, n. 157 (que alias relativo aos pa-
rochos) censqram o Sr. Bispo, porque nao
foi mais vezes casa do general Abreu e
Lima!
Este estava enfermo e ainda n3o se tinha
retractado, o Exm. Diocesano devia consi-
derado (irme em seus erros.
Hoje, que a calma deve ter substituido as
impressoes do momento, e que deve estar
amortecido o odio partidario de suppr
que o nosso antagonista j se tenha arre-
pendido de ter oll'endido to estranhamente
a pessas que Ihe merecam respeito e con-
serac3o, As malvolas informaces a que
cedeo o nosso comprovinciano (e que par-
tiram de inimigos desleaes) j se achant
completamente destruidas.
(Continuar-se-h)
Grandval nao Ihe restava a menor duvi- cumprimento orden. Tomaram Miguel
nos bracos e Grandval, agarrando delicada
mente Josephina nos :$eas, todos se diri-
girn, correndo, para a lancha. Tiveram
a felicidade d*alli chegar antes de rebentar
a tempestado, e, depois de deitados os dous
jovens, remaram vigorosamente para o bri-
gue.
Achavam-se, porm, i meio caminho do
navio, quando a tempestado rebentou, des-
encadeando-se simultansmente em trra e
no mar, com differentes effeitos, mas igual-
mente terrivel. Sobre a costa', um vento
irresistivel, fazendo reienftfnhar mootSes
da folhas, tevava adianto de si cascalho,
ramos seceos e juntamente bandos de for-
Y
A
4
!1
mosos passaros surprendidos pelo tufo.
Eram araras, amazonas, tcanos c tropia-
las, cuja radiante plumagem, vermelha, azul,
amarella e purpurina, brilhava como flores
celestes ao reflexo dos relmpagos, e cujo
piar de assustadas se ia confundir no es-
trepitoso rugido da borrasca. Sobre o mar
era o turbilho que com urna impetuosi-
dade vertiginosa converta repentinamente
o pelago immovel e cor de chumbo em va-
galhes regurgitantes de espuma da urna
brancura sorprendente. Aps isto segui-
ram se catadupas de chuva de urna altura
incommensuravel e um trovo immenso
veio completar com o seu horrivel estrondo
o magestoso rugido dos elementos desen-
cadeados.
Quando esta horrivei tormenta parou
sobre a lancha, por duas ou tres vezes deu
a borda meia de agua, estando por um
pouco a submargir-se. Os remeiros, des-
norteados e cegos com a agua, perderam o
lino. Os seus esforcos para remar des-
truiam-se mutuamente. Ento Grandval,
que nao deixra o leme com m3o firme,
gritou-ihes e deu-lhes as ordens com tanta
energa como sangue fri. Logo proseguio
o barco atravez de monstruosas ondas, que
rebenUvam em todas as dlrecc5es, e minu-
tos depois atracavam ao brigue.
Foi de grande diniculdflde a operaco de
Car a lancha, que o raarlurioso ameacava
despedazar contra o costado do brigue, mas
conseguio-se isso ainda, gracas pericia do
capito, e em breve todos,' saos e salvos,
se acharara reunidos sobre o con vez. Ainda
assim, nem o brigue era asylo seguro na
taes circumstancias. Vagas enormes o as-
saltavam por iodos os lados. Por vezes a
amarra se entesava a ponto que pareca
querer despedacar-se. Era urgente faxa-
rem-se ao largo quanto antes, e, nio obs-
tante a difBculdade d'essa manobra, era
ella o nico meio de obstar a que o brigua
fosse arrojado costa.
(fiontimar-st-ha.)
fFrTDO IAR-IHf A RAS CKDXK8 .i
/
'
-
*
;V

-
---.
.1 *.-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJYIOZF60_6X15BK INGEST_TIME 2013-09-14T00:18:49Z PACKAGE AA00011611_11830
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES