Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11827


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLV. NIMBO 95.
PARA A CAPITAL LUGARES OKDE KAO SE PAGA PORTE.
Por tres mes acHantados.............*.....
Por seis ditos dem.............."......
Por um aoao idm.................. .
Oda numero avtdso............

QUARTA FEtBA 28 DE ABi?IL DE 1869.
PARA DENTRO FORA DA PROVECA.
6000
I2.J000
240000
320
Por tres mezc-s adantados.
Por Site ditos idem. .
Por no\ ditos dem .
Pormnanno.....
750
mm
20-fSO
271000
DIARIO DE PEMAMBUCO
Propriedade de Manoel Figneira de Fara & FIIlos.

HA9 A.CEOTES :
da Silva, no Natal; Antonio Joaqun
da Costa Braga,
PARTE OFFICIL.
Ciorerno da provincia.
OBSPACHOs .V VICB-PRKSIBCNCLV DO OL 24 DE AIIBil.
DK 1869.
Auna l'licroia de Sema Cousseiro.Dirija-se
.10 Sr. desembargador provedor da Santa Casi de
Misericordia em sessao da junta.
Alteres Antonio da Silva Azevedo. Seja agarre-
gado M i batalbo de reserva da guarda nacio-
nal deste municipio.
Amara 1 & Fhos.Informe o Sr. major director
.lo arsenal de guerra.
Ilaroueza de Vera-Cruz.Indeferido.
Plavto Ferreira Catao.IH-se.
Francisco Ignacio de Oveira.Passe portara.
Ciertru I s Loarenjo de Aranjo. Dirija-se ao
Sr. desembargador provedor da Santa Gasa de Mi-
sericordia era sessao da junta.
Ignez Mara de Mello Hego. Dirija-se ao Sr.
ilmuliiigulM provedor da Santa Casa de Misc-
rii'ordiK en sessao da juma.
Bacbaiel Joo Alvares Pereira de Lyra. Nao
tem lagar o que requer em vista do disposto no
art. i" de decreto n. 247 de lo de novembro de
m%
Joaq-.iuu Alves da Silva Santos.Dirija-se o sup-
(lirantc ao director do arsenal de guerra.
Capitn Joaquun Ricardo Monteiro de Pava.=
Informe Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Tenenie-coronel Joaquim Jos Silveira.Certi-
fique.
Joaquun Fernandes Vianna.Informe o Sr. co-
icnel coannandante superior interino da guarda
nacional le.-te municipio.
Manuel Caetano Pereira.Entregue-se,
Rufina Helia do Amor Divino. Informe o Sr.
desembargador provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia.
Ilepartico da polica.
1" MCCao.Secretaria da polica de Pernambuco,
27 de abril de 1869.
N. 615.Illm. e Exm Sr.Tenho a honra de
levar ao conlieciiiiento de V. Exc. que, segundo
con*ta dad partiapajoes recebidas hoje nosta re-
partijas), focara bonteiu recolhidos casa de deten-
cao os segrales individuos :
A* mifllia ordem, Mauoel Mariano dos Santos,
cora i indiciado era erime de furto.
A' orden do Dr. delegada desta capital, Manoel
Gjium il: s mza, para ser conservado era custodia.
A' ordm do nibdelegado do Recite, Joo Au-
gusto, por disturbio.
Por oficio datado de liontem, parcipou-me o
subdelega 11 dos Afogados que, na aile de 24 des-
te mez, no lugar denominado reas daquellc ds-
rricto, a patrulhaque rondava aquelle lugar, fura
aeeomraettida por um grupo de individuos, todos
armados, dentro os quaes foram conhecidos Fran-
cisc > Can Mo da Silva, Francelino Luiz de Souza o
Joo Kleulerio de Souza; sendo que de semelhan-
I .1 ;gi-m'i resultara o ferimento de urna das
i i que rondavam de nome Saturnino Jos Ce-
sar dos Aojos; que, apenas soube do facto, diri-
g h e se referido lugar, cora algumas pessoas
que poue de niomento reunir, mas, ali chegando,
ja nao encontrara os aggressores, os quaes se li-
aban! evadido, entranliando-se as maltas; que
i i vistoria no olfendido. c trata de prose-
guir as termos na iei contra os delinquentes, cuja
captura d ligeneia.
Deus g larde a V. Exc. Illm. Sr. Dr. Manoel
do Naseiraento .Machado Porte lia, vice-presiden te
da provincia 0 chele de polica, Francisco de
Paria Lemos.
DIARIO DE PERNAMBUCO
I1ECIFE, 88 DE ABRIL DE 1869.
-NOTICIAS DA EUROPA. .
Chegou hontem pela manha o vapor inglez
o, tratando jornaes de Hamburgo at o, de
Paria at 7. de Londres at 8 e de Lisboa at 13
do correal .
.KHs.CoHstituifo hcspanhola. dai-ussao na
-.//ilude. Recusa de D. Fernando deacei-
'ira nuda de lies pan ha. Tentativas carlistas.
II Kt.mea.- Frre Orban em Pars, trata de chegar
a w a, tordo, sobre a eommisso para tratar a
Ido (ranco-bel/ja. l'retenrao anloga da
Pronta.
I..V Violirao das curemelas para os opera-
I. Preparativos para as eleiedes geraes. Ag-
tardo publica. Propostas de desarmainmto na
contara combatida peto governo. Preparativos
bellicos. Incidentes franco-prussianos.
I Italia.Publicacao do livro verde, despa-
ck tabre a quettto tontuna. Agitaro na la-
Consprala republicana en aples. Al-
i /I / hanra, Austria e Italia. Intmidade
da Austria e Italia. Palacras bellicosas de Vc-
Wt Emmanuel.
Allkmanra.Vagem do imperador Francisco
Jos, l'ivpirativos bellicos da Pruesia. Relac/lo
entre a Vnutta e a Russia.
liMURHM.-O bil da ujreja na rland>i ad-
mitin) i "ni si'ijundn hitara
i-.rrATK.Ap-iiam-se as relayie* entre a Grecia
e. a Turqua. Someia-se urna commissao para
a limitara i das fronteiras da Turqua e Persia.
Reform \s na Turqua : Cdigo civil.
kDOS-U.fiDOS.Johnson est doente. O senado
dificou o tenure of office-act, o congresso re-
ni as mndi/icacves.
cal.Resultado das eleices. Dwtasno-
ias. Telegrammas ultima hora.
IIESPANHA.
dia 30 de marco fui apresentado as cortes
Uuintes de Hespanha o projecto de eonstitui-
i :t > iiK.nandiieo-representativo, rontendo 112 ar-
tigos. As principa disposicoes da constituido
liespanhola sao as segwBles : A orma do governo
sera a monarchicn wptwoirtiva ;-*Tara duas
camaras,_arabas electivas, o congresso ecanoado.
k duracao do cargo de deputado ser de tres an-
nos, e a do cargo de senador de 12 annos, dhsol-
vendo-se a cmara por qjiartas partes cada tres
anuos. Os senadores serao eleRivets entre certas
catlu'goria de funecionarios e capitalistas de cer-
ta importancia pelas deputacoes provinciaes, e em
numero de eomprpmissarios igual sexta pacte
dos vei^doesda^prwrlncte. Hw ministres re*"-
ponsaveis, orufeurn inanojonariv podar caupvirer-
i'.eui assignada pelo,m,que nao seja nfrrodidi
pelo ministro responsavel;os ministros nopdem
asistir s discussoes da cmara de que nao fize-
rem parte. O rei ou as cmaras poaero propor
inodificacoes na constltuico. Se o priocipio da
modificado ldr adniuido polos tres poderes, se-
rio convocadas conos, oonstituintes que s lerao
direito de votar as modificacScs protwstas. O pro-
jeeto de constituido reconheee anakiao catholi-
ca, como a do estado; mas autaflK -
mais relig-es, sera mais limites que a moral e o
direito. O estado subvencionar somonte os minis-
tros do culto catbolico. Na contnuaoio giran-
Uda a liberdade individual, e a invjoabuidada de
doneilios.
OMapo de JaMmsentou ume exposieEo as-
signado por MW mil peaoas, pedMo a ualdae
i-atholica.
Mo da 6 oomoeoaa discvsslo da MenflOad*
distinguindo-se os deputados republicanos Ruano
e Figaeras, que qnalfficararn o projecto do reac-
c Miliario, ultra realista e immoral.
Ruano sentio nao se ter abolido a escravatura,
e separado a igreia do estado ; deelarou que, a
repnmiea conservadora era preferivel monar-
chia, as que os republicanos estavam divididos.
Castellar tambem impugnon a constituido decla-
rando qne so a repuwica satisfara as aspiracocs
da revolncao. Rios Hbsas defendeu com fervor o
clero catbolico e a monarehia hereditaria.
A- proposta ai>resentada ao congresso pedindo
a abolido da pena de mortc foi tomada em consi-
derado por 104 votos contra 4, abstendo-se de
votar Serrano, Topete, e os deputados ecclesias-
tieo?.
Na sessao do dia .1 um deputado perguntou ao
ministro da guerra se tinha noticia quo o conse-
Iho de guerra formado a um soldado em Granada,
o havia condemnado a pena ultima, e se pensava
em indulta-Io.
O ministro da guerra iHsse que o soldado a que
se alladia havia sido condemnado morte por
um acto de indisciplina horrivel, e que nao havia
no sen crime circunstancia alguma attenuante ;
que o governo nao se jolgava autorisado a conce-
der mduHo, mas que as corles constituintes no
uso de sua soberana, podam conceder o indulto;
que a exeedo da sentenca eslava fixada para o
mesmo da s 5 horas da rarde.
O indulto fo| iramcdialamente proposto, tomado
em considerai^rio sem debate, e approvado por una-
nimidade. O ministro dti guerra participou que
prevendo os sentimentos da cmara, havia j re-
digido o despacho telegraphico dizendo que as
cortes indultavanra pena de morte ao soldado Cal-
zada.
O presidente do poder executivo apresentou as
cmaras a noticia de haver recebido do represen-
tante de Portugal em Madrid um despacho do mi-
nistro dos negocios estrangeiros de Portugal, di-
zendo que el-rei O. Fernando, nao podendo aceitar
a coroa de Hespanha, no caso de ser eleito, nao
pode to pouco recebef a commissao que, segundo
consta va, ira Lisboa.
Serrano apresentou a questao da inopportunida-
de de tal communicado e da escusada desconside
rado, a sondada commissao, com toda a delica-
deza, mas conservando a sua dignidade.
Este aclo do ministerio portuguez tem sido mal
apreciado tanto pela imprensa do paiz, como pela
d Hespanha, e de toda a Europa ; primeiro, nao
estando votada a forma de governo em Hespanha,
ninguem eslava autorisado a fazer convites a el-
rei D. Fernando, e por conseqneneift nenhum acto
ofllcial poderia partir de qualquer candidato ;
segundo, conhecendo-se porm a tendencia da
ma torta do congresso, para a forma monarchico-
representativa, e as probabilidades de ser apre-
sen tada pelo governo e admittida pelo congresso a
candidatura de el-rei D. Fernando, poda este ca-
vallieiro extra-offlcialmenle, mostrar que nao ac-
ceitaria combinado alguma, mas o seu reconhe-
cido cavalheirisro, nao Ihe permittiria de certo
recusar receber qnalquer deputacao que o procu-
rasse para qualquer fim ;em terceiro lugar o
governo portuguez nada tinha que ver com a pro-
posta, anda que fosse offlcial, da coroa de Hespa-
nha a el-rei D. Fernando ou a qualquer outro ci-
dadao portuguez; s no caso d'essa proposta en-
volver condices contrarias s lcis do reino, pode-
ria intervire protestar. A falta de tctico poltico
e de delicadeza neste aclo, deve toda recabir sobre
o ministerio portuguez, e muito principalmente
sobre o representante de Portugal em Madrid,
que poderia aprsenlar_ a substancia da recusa,
sem aggravar a situado dando copia do despa-
cho, que um dos actos mais enrgicos da diplo-
macia.
Veremos se falhando esta eombinaeao o que far
o governo e congresso hespanhol; parece porm
que nao ser adoptada nenhuma outra candida-
tura, e que se resolverao a nomear um directorio
adiando-e a eleicao de um rei.
Os partidarios de D. Carlos preparam-se a en-
trar em Hespanha e a reaccender o facho da
guerra civil, contando cora homens, dinheiro e
bastantes elementos para comecar as suas opera-
ees. O governo mandou novas instruccoes para
as provincias, recommendando a maior prevendo
contra as tentativas do partido carlista.
As ultimas noticias da Havana sao favora-
veis Hespanha; a insurreido era batida em to-
das as partes, soffrendo os insurreccionados gran-
des perdas. A 27 de mar^o houve urna grande
victoria alcanzada pelos Hespanhes contra os in-
surgentes.
Dizem de Washington que o comit dos negocios
estrangeiros da cmara dos representantes propoz
reconheCer a independencia de Cnba, reconbecen-
do primeiro aos insurgentes o direito de belige-
rantes ; mas o cnsul hespanhol em Washington
assegurou ao sen governo que o dos Estados-Uni-
dos se achava disposto muito satisfactoriamente a
favor da Hespanha, c que declarara a mais com-
pleta neutraldade a respeito de Cuba, que o pre-
sidente Grant se havia negado a receber a commis-
sao dos Cubanos que solicita va o reconhecimento
de belligerantes aos insurreccionados de Coba.
BLGICA.
O Monitenr Belge e o Jornal Offical de Pars
publicaram no dia 23 de man;o a ola commum
anunciando a instituido da commissao franco-
belga. A nota redigida nos seguintes termos :
A apresentado e votado da le de 23 de fe-
vereiro sobre as concessoes de caminhos de ferro
deram orgem em Franja a certas aprecia^oes so-
bre, as quaes o governo do re iulgou dever trans-
mitid para Paris expcacoes de leal e completa
franqueza.
Alim de darem um mutuo testemunho de suas
cordiaes disposieSes, e desejosos de conciliar os
interesses dos dous paizes, os governos francez e
belga chegaram a um accordo para instituir urna
commissao mrxta que ser encarregada de exami-
nar as diversas questoes econmicas produzidas
ou pelas actuaes reJajdes, ou por novos projectos
de tratados do cessao de explorac,o e cuj solu-
cao podPT dar desenvolvimehto s relacScs com-
merciaes e industriaos entre os dous paizes.
A Independencia Belga diz qne a tene,ao do go-
verno belga affastar do prograrama da commis-
sao mrxta qualquer projecto da unio aduaneira
com a Franja, e accrescent que o mesmo gover-
no nao est disp*to a ratificar as convencocs com
a companhia de "Leste franceza; entretanto urna
carta publicada por um jornal francez, e que se
diz escripia por pessoa que oceupa um alto lugar
na administrado belga, afflrraa que as reservas do
rei da Blgica s se referera cesso da proprie-
dade estipnlada no tratado assignado entre a com-
Eanhia de Leste e a companhia do Grande Luxem-
urgo, mas que Frre Orban e os seus collegas no
gabinete, estao resolvidos a consentir em que certa
pordo das linhas belgas soja explorada por urna
companhia franceza.
O presidente do gabinete belga Prtre Orban che-
Son a Paris no 1 de abril para regular a questao
a commissao; o diz a Independencia que s da
volta daqtreHe estadista qu serao designados os
membrosda commissao mixta, o que parece indi-
ataa ar car qne o programma mais ou menos extenso, mais
ou menos completo, depender das explicaces 9.uo
se aerero entre o pnmeiro ministro belga e o go-
vemo francez.
Frre Orban tere a 2 de abril a primeira confe-
rencia com o marquez de-Lavalette, ministro fran-
cez dos negocios estrangeiros sendo no da 3 re-
cebfdo naudfencia particular pero Imperador.
Bm BrwxeHas, antes do ministro Frre Orban
i partir para Paris, tevenma wnftWncia com os
metnbros mais influentes da opposieao, era que
Ibes e.xpoz a poltica conciliadura adoptada pelo
gabioeto para por termo a questao franco-belga,
epois deste resultado, os ditos dei litados que ba-
viam combatido na cmara a le de 23 de feve-
reiro e demonstraram o interesse qne resuilava
para a Blgica de. conservar com a maca as
mais cordiaes e intimas retacos, prometiera
Frre o seu enrgico apoto qando as cowencoes
que va i negociar em Paris lorem a presentadas
ratificado das cmaras belgas.
O ministro francez o Sr. llouker, sendo nterpel-
lado as cmaras, declaroii que se nao fazia moili-
ficado alguma as tarifas dos tratados de commer-
cio, sem um estude preliminar, e antes da appro-
vado do corpo legislativo.
Parece, porm, que Frre Orban receben ins-
truccoes que Ibe proliibem ceder seja o que for na
questao das tarifas.
A Patrie tratando da resolueao da questao
franco-belga, aecusa oSr.de Bismark de ter acon-
sejado o passo dado pela Blgica, e vaagloria-se
por esta potencia nao 1er prestado atiendo s
suggestes do chanceller da Allentanba do Norle.
. Enlrelanto varios jornaes allemes amiunciam
que em consequencia de negocia^es feitas era Ber-
lini, se*oncloio um projecto de tratado para a ex-
plorado do Grande Central belga por una com-
panhia prussiana.
A companhia do Grande Central belga explora
una rede que estende os scus ramos at o centro
do paiz, e que junta entre si por Wavres. Ottignies
e Louvain, as provincias de Brabante, Namur,
Liuiburgo e Anvers. A mais importante das li-
nhas desta rede a que vai de Anvers Aixla-
Chapelle, cidade dos estados prussianos. E' fcil
de comprehender o interesse que offerece o seu
tracado, lanto debaixo do ponto de vista da explo-
rajao, como o da poltica
A companhia do Grande Central belga receben
varias nropostas, a ultima das quaes fui feita em
nome de urna grande companhia prussiana. Eslas
propostas, depois de cuidadosamente examinadas
foram recusadas. Affirma-se aue a dita compa-
nhia trata-sc de se reorganisar sobre novas bases,
e que era seguida far novos esforcos para serem
recebidas as suas propostas: parece, porm, que a
companhia do Grande Central belga est resoivda
a persistir na sua primeira resoluco; entretanto
este pedido da Prussia Blgica faz presentir que
seeUa potencia quizar ser imparcial, ter oude
ceder tanto Franca, como Prussia, ou de re-1
cusar Franca. Picar neste caso o governo
francffz salisfe-ito como fez cora o Luxembur^o
quando a Prussia se interpoz entre a Franca e o
rei da Hollanda ?
As noticias transmUtidas para Bruxellas por
Frre Orban, sao formuladas effi sentido muito fa-
voravel, e fazem presontr uro. ajaste definitivo. O
rei Leopoldo Jelicitou o seu ministr pelo bons re
sultados das suas negociacoes. -
PKANCA.
O discurso pronunciado pelo imperador apo
institaiedes interiares. e quopodwn contribuir para
que as IhWdades nao sejaia respeitadas.
Concloioa discossn na generatidade do orea-
ment.
O senado apprevou o contingente.
Di o Gatois que o governo francez contra-
trou com os Estados-luidos o forneciraeMo de
cen mil espingardas do systema Remiugtan, que
deverio ser entregues muito brevemente.
Corre o boato de so terera estabelecido as esta-
roes principaes dos caminhos de ferro, commissdes j
militares encarregadas de dirigir e vigiar o tran-1
aporte de armamontos c muncoos do guerra.
0 mraislro da marraba den ordem de activar
por todos os motos o armamento dos navios de
guerra, e das canhoneiras que receberam canboes
aperfejcoados.
No arsenal de Toulon traballiam de da e de noi-
te mis de seis mil operarios para enmprirem as
ordens recebidas.
Uiz-*e (jue o governo francez comprou ao rei
de Hollanda o gran-ducado do Luxemburgo. que
era sua propriedade particular, por $7 milhes, e
que a Prussia nao gostou desta acquisicao.
Os jnrnaes offlciaes desmenlem, porm, a troca
te despachos entre Paris e Berln relativamente a
Luxemburgo; desmentom que a Franca tenlia pe-
dido Prussia expcacoes sobre a mobisacao do
contingente de Nassau; e desmenlem que tenhara
resfriado as relajees entre as corles de Berln e de
Paris.
O Moniteur diz que se recommendava s folhas
governamentaes que evitassem polmicas com as
folhas allemes.
A Patria Bavara diz qne recebera noticias de
Berlin, dizendo que o conde de Bismark tenciona
pr-se em relacao com todos os emigrados fran
cezes, ara qne estes, em caso de gnerra, possara
saber i occasio precisa em que o exercito est
oecupado no exterior, para fazerem urna revolujao
no interior da Franca, e que por esta razo o go-
verno i/iissiano conserva intimas relaeoes com os
prncipes de Orleans.
A (Huta da Allemanba do Norte desmente a-
quella folha chamando-lue embusteira e menti-
rosa,
Diz-se que o objecto da viagem do cavalhei-
ro Nigra Italia fora para se empenhar com o seu
governo,/era nome do imperador, para que se sup-
priraajn no supplemento do itrro verde algans des-
pachos relativos questao romana, cuja publiea-
jao poderia prejudicar o governo francez durante
as eleijoes de deputados. Este diplomata j vol-
tou ao seu posto, teudo, segundo se assegura, con-
seguido o seu fim depois de conferencias com o
general Menabrea.
Arha-se gravemente doente em Pars o Sr. de
\\lirain secretario perpetuo da academia.
HOMA E ITALIA.
Pablk'oii-se em Fiorenjn o liara verde que con-
ten a historia completa da questao romana desde
7 de dezembro de 1807 at dezembro de 1868. O
celebr nunca de Rouher o pretexto e o theina
leo no dia 23 de marco empresenea do conm^foi daa rfirrespondencias e expcacoes transmUtidas
do estado, e reproduzco pelo Diario Oficial can-
sou mediana sensaco no publico.
A imprensa ofliciosa publica os mais pomposos
elegios alta sabedora, e grande do liberalismo
chele do estado;lodaa imprensa i ndependente po-
rm poz-se de accordo para neutralisar os inmen-
sos dos diarios offlciaes.
Dizem que em 185i o imperador Napoleao havia
tomado nina medida prejudicial classe operara,
creando as caderntas, e que hoje retira a dita me-
dida com o nico fin de conseguir qne os opera-
rios votem nos candidatos offlciaes as eleijoes
geraes de 23 de mata.
O Diario Official, e os jornaes governamentaes
dizem que o intuito do imperador ao lomar aquella
medida, nao attendeu a se destruira .as preven-
(089) desarmara o odio e augmentara a sua po-
pularidado, e que s leve em vista resistir enrgi-
camente s mais paixcs.
O emperno com que os jornaes officiosos pro-
curan combater qualquer ideia de manobra elei-
oral, o bastante para provar o contrario; quize-
ram impressionar a opinio publica e particular-
mente o espirito dos operarios para Ihes cativar as
sympatbias.
Apenas porm se supprmiram as caderntas dos
operarios, tratou logo o governo de se prevenir
contra os pergos que tal medida poderia causar
seguranja publica, tratando inmediatamente de
augmentar o effectivo da gendarmera imperial.
No discurso do imperador oncontra se um perio-
do notavel pelas ameajas que parece involver;
depois de declarar que o dever do governo sa-
tisfazer com resolueao os justos desejos de mellio-
ramentos, o rebator com firmeza as theorias sub-
sersivas, e de dizer que se tem effectuado muitos
melhoramentos, mas que rondando as chagas dos
povos mais fioreseentes, se descobrem ainda de-
baixo da apparencia da propriedade muitas mise-
rias immerecidas, muitos problemas, nao resolvi-
dos, que solicitara o concurso de todas as inlelli-
gencas, e de dizer, que a suppresso das cader-
ntas completar a serie de medidas em favor dos
operarios, termina com estas palavras; Nao
pens, que, segurado esta poltica, deatrnirei
todas as prevenjoes, desarmarei todos os odios,
ou augmentarei a- minba popularidade ; mas
do que estou convencido que nella encontra-
rei nova energa para resistir s paixoes ms.
Quando se teem introduzido todos os melbora-
mentos atis, quando se tem feto tudo o que
bom e justo, conserva-se a ordem com mais au-
toridade, porque ento a forja cstrba-se na ra-
zo e na conciencia. >
A polica contina a intervr as reuoies pu-
blicas ; urna que se veriucou em Belleville, disse-
ram-se cousas amargas bastantes para o governo,
3uc dissolve os comicios, e corta a liberdade de
isensso. O commissarios de polica que assistia
na forma do costume deelarou o comicio dissul-
vido; os membros protestaran ; levanlou-se um
orador, que disse:
Cidados, um sopro revolucionario atra-
vessou a Franca. Nao queremos mais tyranmas,
e j que o actual rgimen urna lepra, neces-
sano destrul-o. Vae comecar a lucia che-
gou a hora da vinganja I A' obra, pois e ac-
co: -
Estas palavras foram cobertas de applausosae-
raes, e os espectadores repetirara : Skn, vin-
ganja acjo vinganja contra os que aos op-
priraem
Tem-se feito algnmas prisdes por deBetos com-
meltidos em reunioes publicas. Estao preso os
Srs. Budaflle, Amouraux, Garrean, Ferr, Flouvens
e Pelevin, aecusados de exctarem o povo a derri-
bar o governo.
No corpo legislativo o Sr. Garnier Pagos pedio o
desarmamento; respoodeuMhe o jnimstro da fa-
zenda refntando a. proposta, O depotado Louvet,
pedio a doaissao da guarda imperial, dos cora
mandos geraes, dos grandes sidos, o a supprcesao
(das escandatosas acouraulaodes de sidos em um
mesmo funecionario do estado; prodaraou a ne-
iceasidade da conservajao da paz, dizeud j rni| a
paz am ir Intimamente uma com a administra-
do.* yogocios pablieoj.
Uk: nam prorrencWH nm btflninte disCnfto
contra a totahdade da h?l dos orjamenios. O mi-
nistrada estado, o Sr. Rouaor, recfttadwi qw a
paz necessaria, que o govemoiproseaue com taal-
dade no decenvolvimento 4o profresen, da oinlisa-
jao e das libordades publica, que, o. gobern taz
muinamente entre os governos francez e italiano
I Os despachos que nesta collecdo mais cliamam a
atteojao publica sao do Sr. Nigra de 4 de setem-
bro, reunindo as suas conversacoes com o Sr. de
Monstier, dizendo que o governo franoez nao est
ainda decidido a considerar como chegado o mo-
mento opporlnno para retirar suas tropas de Civita
Vecchia, declarando porem qae esse moraent) se
nao deve esjierar por omito lempo, e a resposta
do Sr. Menabrea de 11 de selembro, mostrando a
dolo-osa impressao causada ao governo italiano
por essa declaraco do governo francez.
Correr que rbentra na Italia urna grande in-
surreijSo, ao grito de pira a repblica, c que das
cidades principaes a nica em socego era Floren-
ra; o que certo ter-se ds'scoberto em aples
ma grande conspirado republicana em que esta-
vam comprometidos varios regmentos de exer-
cito. Tem-se effectuado muitas prises de milita-
res e paisanos.
Teto hivido tumultos em Anconaem consequen-
cia da ele va cao da tarifa dos di rei tos de consum-
mo, mas dizem de Florenca a *> de abril que a
tranquillidade fra restabelcida em Ancona, mas
que na Toscana contina a reinar grande agitado,
receiando-se a cada momento que seja perturbada
a ordem.
A Caseta da Allemanlia do Norte lastima amar-
gamente os boatos qne circnlam de urna trplice
allianea da Austria, Franja e Italia. A Gazeta de
Milito, segundo diz a Frunce, publica as principaes
clausulas de um tratado de ajlianca entre a Aus-
tria Franja e a Italia, mas que o tal tratado sendo
hbilmente concedido pela Gazeta, e as suas base-
sendo beni escoHBdas, s tem o inconveniente de
ser totalmente imaginario.
O rei de Italia e o imperador da Austria troca-
ram mutuamente cartas autopraphas muito affec-
tuosas. Victor Emmanuel foi o primeiro que es-
crevu, mandando-llie o collar da ordem da An-
nunciada; o imperador Franciseo Jos, enviou a
resposta por um dos sens ajudantes de campo, que
para esse fim foi em commissao especial a Flo-
renca.
O imperador faz votos pela felicidade do rei e
da sua familia, e accroscenta que sejulga feliz por
ter a occasio de manifestar os seus sentimentos, e
que espera qne nada de boje para o futuro poder
alterar as relajos do sympatniae de amisade que
exislem entre 'a Austria e' a Italia.
A Nova Imprensa Livre de Vienna tratando das
relaces entrega Austria c a Italia diz que o maior
triumpho da poltica imperial, seria assogurar
Italia, por meto de urna reconciliado com a santa
s, a posse de Roma, sem que a papado ficasse em
perigo, e satisfazer deste modo as aspiraeoes da
Italia, sem lesar os direitos da igreja.
Affirma-se que o'Sr. Bonnevllle, representante
da Franca em I Roma aconselhara ao santo padre,
a que submettesse a qneslao do modvs vitendi
com a Italia sotado de um concilio de arcebis-
pos de tedas as najdes. Em Paris, porm, des-
mente-se este boato.
Diz-se que por questoes dogmticas se demorar
a celebrado do concilio.
O rei Victer Emmanuel respondendo a urna de-
pulajo, diste : Os momentos sao graves, e nun-
c ca foi maior a necessdade de estarmos unidos.
< Estao prximos, grandes aconteciraentos d'onde
c subir o c un primate dos nossos votos c dos des-
i tinos- da patria.
O Estandarte diz. que se exagera o alcance das
palavras de Victor Emmanuel, que so dirigem ex-
clusivamente ao povo italiano eque foram pronun-
ciadas para corresponder disposicao geral dos
espirites no interior, disposicao que nao permute
Sue o rei se aliaste de urna Mnguagemde corto mo-
a enrgica.
ALfcMANHA.
O imperador Franciseo Jos na sua viagem
i (o recebido enthusiastioamente m toda a Croacia
A cidade de Fiume resolveu offereeorrlhe um na-
vio para a marinba austraca, tiste avio ser
construido nos estaleiros aquella cidade e tera o
nomodella.
O Imperador d'Austria ao M>lr a Vienna diri-
gi ao vico-almirante Tegotoff urna 'carta antogra-
pha felicitando-o pelos grandes progressos feilos
na marrana anolriaca.
O impcradofr't/isitoii todos os estabeleciraentos
marilimos do Adritico, **6stio as manobras da es-
quadra couracada, vertfteott o merecnawito da
nova artilharia naval e itaitaVou na sua carta com
groada senumewo de sattatado todos os oxforcos para a cootiniudo da paz, e possue boje urna frota do gombate-^faade sua
Bque o que a poe em pertgo nao o gororoo, ma f npartaoo edesoos altos deetnoe.
ios discursos, como o do Sr. Tb'.rs qae aniaam as l Por ordem superior do mtim foram chama-
dos lodo os homens da reserva do 10 corpo do
exercito al a idadede 32annos,o que fz 2 clasjes.
Os homens da landwehr al a idade de 40 annos
receberam ordem de estar [iromptos para marchar
a primeira voz.
Diz-so que o conde de Bismark, prevendo ocaso
de guerra, eslava resolvido a annullar os tratados
militares eondoidos em 1866 com os estado da
Allemanha do Sul. altoi de nao ser obrgadoa de-
fender estes estados e obrigar assim a Austria
neutraldade.
Os jornaes mintstoriaes desmentom a noticia so-
bre o abandono de todos os beneticios dos tratados
militares da Prussia com os estados da Allemanha
do Sul.
A Prussia sustentar todos os seus direitos, o
seu interesse marcar bem oisolaraentoaa Aus-
tria do mitro lado do Rheno.
O exercito wussiann est fazendo grandes pre-
parativos militares. O rei da Prussia recolheu o
prncipe herdeiro do Wurteraberg que entrn no
servico da guarda real.
Tem havido frequentes commnnicacoes entre os
governos de Berlin e de S. Petersburg.
Desmente-se a annunciada entrevista entre o
barao de Beust e o conde de Bismark.
Produzio muito rao effeito no exercito o artigo
da nova le eleitoral que nao concede o voto aos
soldados em activo servico.
O ministro da fazenda deu ordem para que
pelo thesouro fosse satsfeto immodiaiamente o
emprestimo forjado de vinle milhes de reales que
pesava sobre o commercio de Francfort, desde que
enlrou ncsla cidade o exercito prussiano.
Desmente-se a noticia de negociacoes para o
estabelecimento de una nunciatura em Berlin.
INGLATERRA.
O bil da abolijo da igreja da Irlanda foi adop-
tado em segunda leitura por 308 votos contra 250.
Este voto foi muito applaudido. Na cantara dos
communs o Sr. Archdall annunciou que tenciona-
va pedir que o bil sobre a abolijo da igreja offi-
cal na Irlanda se tornasse extensivo a toda a In-
glaterra e Escossia.
Os partidarios da igreja estabelecda na Irlanda
continuara a agitar-se. A ultima manifestajo ef-
fectuada em Brest, para a defeza do protestantismo
de Uloter, produzio grande ruido.
O cardeal Cuiten, em urna pastoral, dirigida ao
seu clero, censura severamente aquelles que se
entregara opposijo fantica contra o governo
qualitica Gladstone e os seus collegas de estadis-
tas dotados de verdadeira sabedora > e faz entre-
ver a Irlanda urna nova era de reconcilajo de paz
e de prosperidade.
ORIENTE.
Desappareceram os ltimos vestigios do conflicto
turco-grego. Rangate, acutal ministro da Grecia
em Paris vai oceupar o mesmo cargo em Constan-
tinopla. O ministro da Porta, Photiader-bey j
chegou a Alhenas onde foi muito cordialmente
acolbido.
O sulto offereceu an rei Jorge um magnifico
sabr, cuja empunhadura guarnecida de dia-
mantes de um valor consideravel.
O rei Jorge voltou da sua viagem ao Poloponeso,
vagem qne durou 20 dias. Annunciam-se refor-
mas radicaes no pessoal dos erapregados.
Anda seconservam na (Trena muitos cretenses
esperando occasio favoravel para voltarem a
patria.
A questao entre a Turqua e a Persia vai
tambem ser submettida a urna commissao que
ter por fim a delimitajo das fronteras dos dous
paizes. Ho de entrar nesta commissao alguns
membros europeos, como succedeu na delimitado
das fronteras de Montenegro.
Diz o Marning Post, que chegou a Londres urna
deputajo dos habilautes das ibas Sporadas, alim
de solicitar o apoio moral das potencias occiden-
taes a favor da sua autonoma, ameajada pela
Porta.
As Sporadas fazem parte do territorio raussul-
inano, e pouco provavel que as potencias qtiei-
rara inlrometter-se nos negocios internos da Tur-
qua e as medidas que esta adopta para com os
territorios que Ihe estao subinettdos.
O governo ottomano depqis de ter proclama-
do o principio da reforma indiciara, decidi,
como base essencial desta medida, redigir e pro-
mulgar um cdigo civil para o impeaio.
Este trabalho aprsenla na Turqua dfflculdades
oxcepcionaes, era consequencia da intima reUjo
entre as inslituijoes religiosas c as civis do paiz:
mas apesar dessas difticuldades, possivel leva-Jo
a effeito, e deve produzir urna feliz transformacao
na sociedade raussulmana, e as relajes do go-
verno turco com as oulras potencias.
O -mlto nomeou urna commissao composta de
ulemas instruidos, encarregados de extrahir do
Koran os axiomas que possam servir de base ao
projectado cdigo civil, e de estabelecer ao mesmo
tempo que o dogma e a parte theocratica dos livros
santos podem ser separados das regras de direito
e que de modo algum sao oppostos applicaco
dessas regras.
O cdigo deve contar muitas disposicoes extrabi-
das do cdigo Napoleao.
ESTADOS-UNIDOS.
Jonhson est muito doente mas nao verda-
deira a noticia da sua morte.
O senado de Washington votou corlas modifi-
cajoes ao bil 7aur<> of fice; eslabelecendo que
o presidente poder suspender os empregados, e
nomear-lhes successores; se porm o senado se
recusar a ratificar a escolha dos, successores, sero
os antigos empregados repostes em seus luga-
res.
A cmara dos reprosentantes sujeitou e projecto
relativo modificada do bil supracitado.
No dia 11 de marjo verificou-se a apprescnta-
cSo offlcial do corpo diplomtico ao presidente
Grant. A apprcsentaeo foi feita com loda a so-
lemuidade pelo presidente Waskburue.
O plenipotenciario da Allemanha do Norte.tomou
a palavra em nome dos seus collegas, e disse:
Sr. presidente.Os representantes das naeoes
estrangeiras, acreditados junto ao govorno dos
Estados-'l'nnidos, teem a honra de renovar nesta
occasio a seguranja de seus sinceros desejos pelo
bem estar de V. Exc. e pela prosperidade da na-
do que vos conflou o poder execntivo dos Esta-
dos-Unidos. Em nome de-meus collegs, manifes-
t sinceramente a esperanja de que as relaeoes de
amisade que exislem actualmente entre os Esta-
dos-Unidos e as mais najos contmuarao debaixo
da vossa administrajlo. A ella dedicaremos, Sr.
presidente, todos *s nossos esforcos.
a O presidente Tospondeu :
Senhores do corpo diplomtico.Agradece-vos
sinceramente o bons desajos que manifestaos pelo
meu bem estar e pela prosperidade da najo que
me esrolheu para seu primeiro magistrado.
Podis estar seguros de qne meu constante
cuidado ser manter as relajos de paz e amisade
que esMtem entre os Estados-Unidos e as poten-
cias que representaos, roe felicito que este seja
tau.bem o voseo. >
tovnak
S. M. a rainh Mara Pia la fanar ama viagem
ao norte d > Europa.
Coactaitam-se asa aarfcMa paz as eieicoes
para deputado. s cortes, Bahindo eteitos:
Dial rielo de Vianna do Casteno. Circuios
n. I. Vianna do Castello: Jos Affenao Esperguei-
ras; 2, Monjo: Guarretro; 4, Valonea: Jos de
Mello Gouva; 8, reos de Vaha de Vez : Antonio
Correa de S Blandi.
Braga.-6, BMga: Penha Fortuna; 7, Vina
Verde: Antonio Alvos Naftear-, BaoMas: Dr.
Paes; 9, Villa Nova do FamaHeio: *ai*vda fre-
visqueira; 10, Lanbose: viseonde dos Olivaos:
U.Fafe : Ferreira de aWlo; 12, Gui.oaraas: An-
tonio Al vs Carneiro.
Porto.13, Barro Oriental: empatado; 14,
Bairro OcciuenUl: Pinto Itessa; 15, Amarante
Nogueira Sbares; 16, Penaiiel: Magalhaes Agoiar;
17, Felgueiras: Jienrique Cabral; 18, Farades:
Joao Baplista da Silva Perra de Carvalbo Mar-
teas; 20, Gondomar: Mooamegro; 21, Vila Nova
de Gaia : Justino FerreiraPinto; 22, Chavas: An-
tonio Guerreiro ; 23, Villa Real: barao da Bbei-
ra da Pena; 24, Peso da Regua : J. D. Mello c
raro; 25, Alij: J. A. Correa de Barros.
Ikagaara.27, Bragaara: Baneira; 28, Ma-
cedo de Gavalleiros: Matnias de Carvalbo o Vas-
concellos ; 29, Mirandella: (iisoiro AnUxiio BP
beiro; 30, Moncorvo : Franetaco Iogo de S.
* Aveiro31, Aveiro : Jos Luciano de Castro;
32, Anadia : Latino Colho; 3i, Feira: Anselmo,
Braanicamp; 33, Arouca: Carlos Bento ; 36, O-
veira d Azemeia: J. Carlos Rodrigues Sette.
Couibra.37, Penaeova : Dr. Fernando Pi-
mentel; 38, Arganl: Dtas Ferreira ; 3, i'^aa-
bra : Raymundo Venauc Rodrigues; 40, Sonre :
J. de Andrade Corvo; 41, CanUnhede: Jos Gal-
van ; 42, Figueira : Jos de Moraes, por tJKl
votos.
Vzeu.43, Sinfaos: Coste eAlmeida; 44,.
Laraego: Fausto Guedes; 45, Pesqueira: A guiara
46, Moiinenta: Lemos e aples; 47, Mangual-
de : Antonio de Castilla; 48, Carregal: Colho
do Amaral; 49, Tondella: Dr. Goncalves; *XS.
Pedro do Sul: C. de Mello; 51, Vzeu: L* de
Campos.
Guarda.52, Guarda : Mendonca Falco ; 55,
Trancoso: Belehor Jos Garcez.
Castello Branco.,)7, Castello Branco: Joao
Antonio dos Santos e Silva; 58, Certaa : Bavnia
de Bastos; 60, Fundo: Henriquesde Macedo!
Leiria.61, Caldas : Manoel Fernandes Colho;
62, Leiria: Augusto da Cunha d'Eca e Costa; 63,
Poinbal: Cu>todo Joaquim Freir; 64, Figueir :
Dr. Antonio Augusto da Costa Simes.
Lslwa.6o, Lisboa: D. L. de Carvall Daun
Lorena, com 978 votos; 66, dem: Antonio Augus-
to Pereira de Miranda, com 188; 67,idein : Ma-
noel Antonio de Seixas, com 1392; 68, dem: Au-
gusto Sarava de Carvalbo, com 890: 69, YiUa
Franca: Dr. Augusto Villaja. (Villa Franca e
Albandra, 741); 7, Mafra: Francisco Joaquim da
Costa e Silva; 71, Belin: Jos Gabriel Uolbeehe;
72, Jones Vedras: Jos Pedro Antonio Noguei-
ra; 73, Aliada: Antonio Gomes Brando; 74.
Setubal: Aragao Mascarenhas.
Santarem.77, Torres Novas; Barros Go-
mes; 76, Thomar: ronde (te Thomar (Antonio),
77, branles: Joo Antonio dos Santos e Silva;
78, Sanlarm: Antonio Cabral deS Nogueira; 79,
Chamusca: Firmo Monteiro.
Porlalegre.80, Porlalegre : Antonio Poquito
de Seixas de Andrade, ministro dajustija; 81,
Elvas: Diogo A. do Aalmeiro Pinto.
Evora.83, Evora : visconde de Guedes; 84,
Extremoz: Falco da Fonseca; 85, Redondo :
Santos.
Beja.86, Beja: Jos Mara Latino Colho,
ministro da marinba; 87, Mi,ura : Infante Pessa-
nba; 88, Merlola : Fortunato de Mello.
f Faro.89, Tavira: Joaquim Thomz Lobo
d'Avila; 90, Faro : empatado; 91, Sil ves : empa-
lado ; 92, Lagos: engenhero Valladas.
Entre elles conta a opposieao 18 partidarios
que, reunidos aos 14 do ultramar, formavam a
minora.
Foram nomeados ministros portuguezes :
para o Rio de Janeiro, o Sr. Carlos Rento; para
Londres, o Sr. visconde de Seisal ; para Roma, o
Sr. conde de Lavradio ; e para Bruxellas o Sr. Re-
bello da Silva.
Na qunzena foram agraciados pelo governo:
com o titulo de vizconde deCarrazedo, o Sr. Gomes
Rrando ; cora o de Barao de Vascoucellos, o Sr.
Jos Sraith de Vasconcellos ; com o de Bario de
Saavedra. o Sr. Adolpho Pinto de Saavodra.
A expedido de Zaiiiberia devia partir,
bordo do vapor inglez Borneo, frelado por 58:000
fortes, no dia 22 do correnle, sendo a benjo da
bandeira do batalhao na vespera, na igreja dos Je-
ronymos.
Fcava bastante doente de um antbraz, o Sr.
Antonio Feliciano de Castilho.
A associajo dos advogados de Lisboa resol-
veu mandar trasladar da erinida de Sama Rosa
liara um cemiterio, os restos do eminente juriscon-
sulto portuguez, l'aschoal Jos de Mello.
Falleceram : o hispo resignatario de Angola,
D. Sebastin ; o conselbeiro Jos Ferreira" Pinto da
Fonceca Telles, vogal do tribunal de coutas ; con-
selbeiro aposentado Antonio de Lemos Teixeira de
Aguilar.
A ultima hora recebera.n-se em Lisboa os
seguintes telegrammas:
Madrid, 12 s 5 e meia hora da tarde.Prim
deelarou hontem, jan urna reunan progressista,
que nao servir jamis uem a restaurajo carlis-
ta nem buurboniea. Serrano deelarou as cortos
nao ler coohecimonto ofllcial de um despacho de
Cuba, annunciando qne-se aggravraa situado.
t A questao da escolha do inonarcha est deli-
nitivamente adiada. Tixta-se de formar o direc-
torio, ou um consellio de regencia. Coulinuou a
di'scusso da constituijo. Tratou-se a questao
religiosa. Ha socego. Sao favoraveis as noticias
offlciaes da illia de Cuba.
Londres, 11.No dia 8 o Sr. Lowe ministro
da fazenda, apresentou seu orjmenlo para o au-
no corrente, calculando a receila em se 72,855:000
E a despeza.....................St 68,223:000
c O Sr. Lowe disse que a despeza coa a erra
daAbyssinia chegara a S 9,000:001)e anda quo
se tranam j votado 8,600:000 para fazer face a
esta despeza, ficava ainda para prover a somma
de 4,600:000, visto ter-se obtido em parte o di-
nheiro por raeio de Excheguer Bill, de modo que
o excesso da receita na importancia de 4,632:000
ficava absorvido, restando sraenle a pequea som-
ma de 32:000 disponivel.
> O Sr. Lowe apresentou em seguida um novo
systema de simplificar o servico da arreoadacaii
dos rendimeutus pblicos, e de tal forma que pa-
ra Janeiro de 1870, calcula elle poder dispor de
um excesso de receita,de 3,350:000 alm das
2t:6, saldo existente, e por consequencia pro-
punha urna reduejao em alguna impostes, o a abo-
lido de outros, a saber :
Do bicorne Taxe, propunlia abater i ponny.
< Abater o imposto de 1 schilling sobre trigo, o
que calculava em 900:000.
Abolir a taxa sobre os seguros contra fogo.
i Diminuir o imposto sobre a viajao, carroa-
gens, cabs, etc.
Em resumo :
Excesso existente, saldo........... 3*jO0O
Augmento de receita calculada pola
economa do novo systema de o- ,-_;-.
branca, de tmpostos.............* rf,jau.ww
3|3ttiM)0
Beducjes, suprapropoates........ a/JM):000
Saldo que ainda flcar a favor do es-
tado..........................* 4WJX
NOTICIAS DO NORTE DO IMPERIO.
Tamaom cnogou hoatem o vapor #<, n*-
zanaadatas : do Aantagaas at 8, do Para.al 18,
do Mamabio ate tt, de Geariat *, do Wo bran-
de at 25 e da Parahjrba at t* Wnnto.


I
=1
.e:
Diario de Pernamlmeo amazonas.
Mo dia 4 realisou-se a abertura solemne da
assembla provincial ; licando a MN administra-
tiva asm composta : presidente, Gabriel Antonio
Ribeiro fiuiraaraes ; secretarios, Jos Coelho de
Miranda Leo e padre Torquato Antonio de Suza.
PARA.
Perdera-se totalmente a barca portuguesa
Bttm, na cora socea, entre Collares e Juanes,
que ia de Pernambuco para e parto -da capital da
provincia.
Salvou-se parte da carga, mastrcacao etc.
Eni couscquencia da tallonoia da casa com-
inercial de Antonio Xavier da Suva Liste* Hlho,
3ue gosava na praca de crdito Ilimitado, haviam
csconfimcas do que outru se Uie sq|Oi8*ein, e
igso fez paralysar om pouee cemmeria
A pracadtcomnii'icioealelMou una reuniao,
no dia 14 do corrente, com o Obi de tratar dos
meios de navegacao cutre o Par. o fin/az. fcia
a aeta dos trabalhos: '
A meia hora depois do rneio da achando-se
presentes no sallo daquella assoeiacaogrande nu-
mero de negociantes, capitalistas e outras classes
da soeiedade em numero superior a 100 pessoas ;
o Sr. Augusto Eduardo da Costa, presidente da
commissao da praca, abrindo a sessao mandou
proceder a leitnra de um offlcio do Exm. Sr. Dr.
Jos Vieira Couto de Magalhaes, no qual S. Exc.
demonstra com clculos fundados e por experien-
cia propria, as grandes vanUgeua, que podo resul-
tar a faca do Pai com a creaco de urna linna
de vapores que ligue esta provincia a de Goyaz,
pelas vias Araguaya e Tocantins, deixando vanta-
gens para o paz, e beneficio aos capitaes que en-
trassem na empreza, demonstrando ao mesmo
lempo a exorbitancia dos Iretes do Rio de Janeiro
i Goyai .ue de 10-5000 a lOOO por arroba de
carga, em quanto que sendo esses gneros nave-
gados vapor a distancia que ineda entre Leo-
poldina e Santa Maria, lleve ser alienas de 4*000
a 51000 alm de que ficavam essas mercaduras
sobrecarregadas com 20 ou 30 por cento mais do
que sendo importadas deste mercado, calculo este
fornecido por negociantes de Goyaz, eaja differcu-
ca unida a do preco mais caro 30 por canto no Hio
de Janeiro, dara em resaltado 45 por cento mis
barato do que se viessem de procedencia do Rio
deJJaneiro.
Alm de outras consideracoes apuntadas no
mesmo offlcio, cortalo declarando que se pode
emprehender essa navegacao e montar urna offiei-
na em pequea oscala e dons armazens de depo
sito nos pontos exiremos das Cachoeiras, e o ma-
terial di navegacao de 3 vapores com o capital
de 400:000*000.
Outro sim consultiva no mesmo offlcio se ob-
tido um subsidio annual de 8z:00OJO6O se podera
levantar na praca do Para um capital para encor-
poracao de urna'companhia declarando que j:i es-
tavam pedidas sobveneSes ao governo geral e aos
das provincias do Para e Goyaz, etc. etc.
O Sr. presidente consultando a casa se, obti-
das cssas subvenees poderia conseguir-se no Pa-
, r a cncorporaeo d urna companhia de navega-
Sio entre esla provincia e Goyaz, a casa respon-
eu afirmativamente.
Concedendu depois a palavra aquellas pessoas
que quizessem expor suas optaioes a respeito, era-
ram largamente os Srs. Couto de Magalhaes, Pi-
menta Bueno, Dr. Ilcnriquo R. Rodrigues, Angosto
E. Costa, James Bond. Dr. Abreu e outros, dando
em resultado que a commissao da praca raquis-
tasse dos poderes competentes as subveneoes an-
nuaes de 100 a 120:0005600 do governo gerai e
60.000*000 da assemhla provincial do Para, e
12:000*000 da de Goyaz; obtidas que fossem estas
quantias poderiam sffrer alguma pequea modi-
ticacSo, se poderia levantar nesta praca um Capital
de 500 a 600:0005000 para a navegado do Uru-
guaya.
Terminaran) as discusses com urna felicita-
cao por parte do Sr. Pitnenta Bueno ao Exm. Sr.
Dr. Couto de Magalhaes pela sua constante dedi-
caco, patriotismo, zelo o sacrificios em 'favor de
sua desejada empreza e por parte do Sr. Henri-
que R. Rodrigues, o de um voto de adheso idea
manifestada, promettendo todo o apoio moral
material, o qual foi assignado por 3i cavalleiros
presentes.
Fallecer o Sr. Antonio Ricardo de Carvalho
Penna.
O cambio regulava : sobre Londres 19 1|4
d., sobre Pars 500 rs., sobre Hamburgo 950 rs., e
sobre Portugal 173 a 190 0|0-
Estavam a carga os navios : Deita e Italiun
litro, para Liverpool; Colombos, para Hamburgo ;
Saint mis e Mnragnan, para o Havre ; Kate Fos-
er, C. Thompson c C. H. Mooaij, para New-Ynrk.
A alfand(>ga rendeu de 1 a 17 do corrente
183:141*049 rs.
MAIUNHA.
Nao sendo suflicicnte para o servieo da guar-
nirn da opila!, o numero de pracas que conta o
corpo provisorio, o vice-presidenie da provincia
exigi dos commandos superiores da guarda na-
cional do interior, a remessa de guardas, sem dis-
tinecao de classe, na nido de dous por cada com-
panhia, devendo a substtuieo d'essas pracas fa
zer-se de dous em dous menea.
D;; julho do anuo prximo passado at agora
a thesouraria de fazenda enviou para a corte.....
862:862*368, sendo em ouro 172:213^868.
Polo juiz de direito da primeira vara da ca-
pital foi designado o dia Io de maio prximo tutu
ro, para audiencia geral de correieo.
O negociante Gustavo Julius' Guntlier, resi
dente em Lonlres, porseu procurador na capital
da provincia, o negociante Martinus Hoyer, deu
liberdade a 22 cscravos de ambos os sexos, que
ah possuia.
Achava-s no exereicio de commandante su-
perior da guarda-nacional da capital, o lente
coronel Antonio Jos de Souza, commandante do
Io batalho de infamara.
Durante a administracao do Sr. desembar-
gador Leito da Cunha, foram remedidas, para o
tlieatro da guerra, 398 pracas, sendo 195 reclu-
tas, 149 designados e 54 voluntarios.
A alfandega rendeu de 1 a 20 do corrente
168:863*694 rs.
Estavam carga o navios : Emilie, Secret e
Martha, para Liverpool ; Mara Carolina e Des-
pique P* para Lisboa ; Frederick e Aurelia 1.',
para Pe mam bu es.
PIAl'HV.
A cmara municipal da capital procedeu apu-
raco dos votos, e expedio diploma de deputados
"assembla geral aos Srs. Drs. Antonio Collto
Rodrigues, Anreliano Perreira de Carvalho e An-
tonio Francisco de Salles.
Tendo de seguir para a corte, afim de tomar
assento na cmara temporaria, o Exm. presidente
da provincia, Dr. Gomes de Castro, passou a ad-
ministracao ao primeiro vice presidente Dr. Sim-
plicio do Souza Mendes.
= Lomos no Piauky :
Foi feito no da 22 de marco pelo Dr. chafe
de polica o exame no livro caixa da administra-
cao de lazenda provincial da receita e despeza do
exereicio de 1866 a 1867, e no livro de tales re-
lativos feceita desse exereicio, servindo de peri-
tos os chefes de seccao da thesouraria de fazenda
Manoel Antonio Rodrigues Pinheiro, e Estanislao
Goncalves Pereira.
Verificou-se que foraln arrancadas 4 folhas
do livro caixa, e 30 tales correspondentes aos
artigos de receitas escripturados no livro caixa,
assim como que o facto se deu poucos dias antes,
o qae mosira claramente o flm criminoso do seu
autor.
O Dr. chefe de polica deu mais urna prova
da sua Mtelligencia e reconheeida pratica como
juiz, e tino na nomeacao acertada que fez dos pe-
ritos.
No dia 23, foi cont alada pela presidencia da
provincia eom o coronel Joo do Pego Monteiro, a
conclnsao das obras que anda resta a fazer no
estabelecimento dos educandos artfices desta ca-
pital.
Descobrio-se no mattoo cadver de Lulz, es-
eravo de D. Hermelinda Clara de Aguiar, que se
havia suicidado enforcando-.se no sitio Santa Isa-
bel, propriedade da mesma D. Hermelinda.
CBAR
Assomira as redeas da administracao provin-
cial, o segando vice presidente Juaquim da Cunha
Freir.
A alfandega rendeu de 1 a ti do corrente
7:8SM509 rs.
Os amigos poltico do Exm. Sr. Dr. Diogo
Velhooffereccram-lhe, a noite de H do corrente,
um 8urnptuoso bailo, que foi maito concorrido.
Eterevem do Ico, em 12 do corrente, ao Pi-
ltre- If, o seguinto :
Estamos lutando com a terrvel secca. O
egumifl alguns perdidos e outros a perderem-se,
levWo a falta de chavas.
Nos sertoes do Piauhy, Paranvba c Rio-Gran-
de do Norte o povo grita misericordia. A reali-
sar ee, como nos pareeeV'a'Wcca, est tudo perdi-
do. Cliegam aqu diariamente centenares de re-
tirante-i de Souza e outros lugares, a procura de
alimeauM: taca idea, meu bom amigo, como nao
estarna; aqu. Nao ha tegumes de qoalidade al-
guma, e quando apparece algum que nos vem do
Araca/, taz do ver o ptvo a procura.
o Peca .a* governo qm lance tae vistas para
aqu
O desmimo geral, e j invad .as casas dos
maii abastados.
Lemo no Commevcio .
Hontem <20) noite reuniranj-se em casa do
Sr. tenente-eoronel Anlonio Goncalves da Justa,
10 seahores commcrcianies d su jjraca, com o
flm de orgamsarem una, companhia anonyma, que
tivewe .por ui maMur wn banco tuau ciliado, o
(|ualr>ssaaalisfaMr6 ii.rgentes e diarias necesai
iladesdo osse commareio o agricuhara. lina vez
reuiV)s, fizeram logo-a eleicao de ana directora
Sroviria, para dirigir us trabalhos, a que se linha
e urocedar, sendo eleitu para presidente o Sr. te-
neste-eoiuael Joaquim da Cunha Freir, vice-pre
sideme o Sr. teaviiie-eoroael Antonio Goncalves da
Justa, secretarios os Srs. Luiz de Seixas Correa c
Abel a Costa l'iahoire. Assim constituida a mesa,
o ir. presdeme expoz o nwtivoa da reunlao, e
procedeu-se a leiuira dos estatutos, que foram ap-
provados. Depois tratoa-se da subscrpcao das
accoes, que foram passadas entre os eguinfe se
nhores: *%\.
Tenente-eoronel J. da C. Freir..... 500 accoes
Manoel A. da Rocha J. & Irmao... 150
Albano & Irmo..................*50 *
Luiz de Seixas Correa............ 150
Antonio Goncalves da Justa....... 175
. Dr. Goncalo L. F. Bastos.......... 75
. Dr. Francisco Paurillo P. Bastos... 50
D. Miquelina F. Vieira............ 50
Abel da Costa Pinlieiro............ 75
Jos Joaquim Carnereo............ 150
Luiz Bibeiro da Cunha & S....... 150
Antonio Coelfio da Fonseca........ 100
Antonio Fernandos de Parias...... 1*5
Ricard P. Hughes................ 100
Francisco Coelho da F.Filho 4 C 100
Tenente-eoronel S. R. da Cunha... 200
Jos Luiz de Souza............... 50
Antonio da Silva Albano.......... 50
prefazendo assim o numero de 2,500 accoes, re-
presentando um capital de 600:000*000.
Alm disto dirigiram orna peticao ao governo
imperial e assembla legislativa, pedindo-lhes a
approvacao ds seus estatntos, e auU)risacao para
fazer a emssao, que nos meamos estatutos lica de-
termina a Resoiveram os meamos senhores, que
estas peticoe e estatutos.fossem enviados a S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, alim deque elle ios-
se o intermediario entro o governo imperial e a
companhia na solicitaco da approvacao e autori-
sacao i mencionadas.
A vista do que temos exposto, podem-nos II-
seral, corresponder a espectaliva dos boos Cea-
renses, que to affanosa mente se empenham pelo
progresso e engrandecimento danossa trra.
RIO-GRANDK.
Nada occorreu, que mereca men^ao.
PARAHYBA.
Escrevem-nos da capital, e n 6 do correle:
c Contina na administracao da provincia o
Exm. Sr. Dr. Silvino Eividio, pautando seus actos
pela maior imparcialidade e rigorosa justica. To-
dos confwm em sua prudencia e dscricao, a bem
da prosneridade publica, e a propria opposicao
ainda nao teve urna palavra de censura para diri-
gii--liio.
> Embarca para a corle, neste vapor, o Exm.Sr.
senador Frederico de Almeida e Albuquerque, um
dos caracteres mais nobres e disnctos que jiosse
osta provincia. ,
S. Exc. foi acompanhado ate o porto por
grande numero de amigos dedicados, que all io-
ram dar-lhe o abraco da despedida, desejando-lhe
a mais prospera viag'em e vigorosa saiide.
t Do norte seguem tambem neste vapor, com
aquello deslino, os Exms. Srs. Dr. Diogo \elho
Cavalcanti de Albuquerque e desembargador Fran-
cisco de Assis Pereira Rocha, ambos deputados
muito dignos, por esta provincia.
Tiveram aqui a recepcao conveniente, e de que
eram credores, por sua illustracao, prestigio e ca-
pacidade.
Faco votos para qae os distinctos hospedes
cheguera em paz aquello porto, prestando ao paz
os servicos de quedob capazes.
O Cassino Parmijbano reabri seus salues aos
numerosos socios que conta em seu seio, dando
una brilhante partida no dia *4 do corrente, a
(|ual foi perfeitamente concorrida do sexo amavei,
c confortavehnente servida. _
Os gneros alimenticios ficam carissimos,
principalmente a farinha de mandioca, que j se
vende a 500 rs. a cuia.
. De invern vamos menos mal.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
ASSEMBLA PROVINCIAL. Hontem, nao
fanecionou por falta de numero.
DINHEIRO.O vapor Param trouxe s seguin-
tes quantias :
Para Peraambuco.... 1:200*000
a Baha........ 2:0243340
c o Ro de Janeiro 58:42UR05
sendo desta ultima parcela 52:729*805 em ouro
para o thesouro nacional.
O vapor inglez Douro trouxe s seguintes
quantias, para :
Bank of Rio de Janeiro...... 3,146
Mau&C.................. 3,000
E. A. Burle &C............. 2,000
Augusto F. de Oliven a 4 C.. 1,000
Ilenrique & Azevedo......... 1,000
Keller A C................ 1,000
Vaz & Leal................ 300
A. Gozar de Abreu.......... 200 i
Adriano Castro & C......... 3,000 franc.
sendo todas estas quantias em ouro :
BISPO ANGLICANO.Passou hontem, bordo
do omio, o Rvra. bispo de Honolul, em viagem
ao Brasil e Rio da Prata. Tendo vndo trra,
consagrou o templo da ra da Aurora, e o cemite-
rio era Santo Amaro, e confirmou cerca de 20
pessoas. Aps isso tomou urna refeicao em casa
do Sr. Felippe Noedham, e voltou para bordo.
DOURO.Este vapor, da linha de Southampton,
trouxe para nosso porto 32 passageiros, e levou
d'aqui 21, com cujo numero elevou-se a 204 os
que nclle seguiram para o sul.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO.Funcciona artia-
nha em sesso ordinaria esta associacao.
CONCERT. Na rexta-feira 30 do corrente
tem lugar no salo do Santa Isabel o concert mu-
sical da nossa distincta p:anista a Exma. Sra. Ca-
rolina A. Carvalho Siquoira Varejo.
Conhecido como o mrito da nossa compro-
vinciana, nao precisamos encarecer a aprasibilida-
de de que deve ser cercado esse serao ; e isto
um garante de que* ser elle concorrido asss,
quer em obsequio pessoal concertista, que em
tiomenagem arte, que a mesma professa e hon-
ra com o esplendor do seu talento.
Os cartoes de ingresso podem ser procurados
lvraria Universal, roa do Imperador n. 54.
PARA A CORTE.Seguiram hontem, no "vapor
nglez, a tomar assento na cmara temporaria, os
Srs. deputados por Pcrnambuco : Drs. Joao Ju-
vencio Ferrera do Aguiar, Augusto Frederico de
Oliveira, Tristao de Alencar Araripe, e o Rvm.
monsenhor Juaquim Pinto de Campos.
ASSALTO.No lugar denominado reas do dis-
tricto policial de Atogados, na noite de 24 do cor-
rente, foi a-saluda a patrulha que ah rondava.
por um grupo de individuos armados,' dentre os
quaes foram eonhecidos Francisco Camello da Sil-
va, Francolino Luiz de Souza e.Joau Eleuterio de
Souza, resultando o ferimento de urna das pracas
que rondavam, de nomo Saturnino Jos Cesar dos
Aaios.
Apezar das diligencias emprogadas pelo respec-
tivo subdelegado, nao poderam ser ellos descober-
tos e presos, por se terem homuiado as maltas.
FUNDOS BRASILEIROSEram assim colados
na praca de Londres, ultima data:
5 OA) de 1859......... 83 a 89
5 0/0 de 1865......... 80 a 80 i/4
4 i/2 y de 1852,58, 60 71 a 76
4 1/2 0/0 de 1863...... 69 a 71
NOTICIAS COMMEBCIAE6.A seguintes sao
as ultimas, das principaes pracas da Europa :
Londres, 12 de abril.
O algodao Oca firme .ios precos de 12 1/2 a 14
o de Pernambuco, 13 3/4 a 12 1/8 o da Parahyba,
12 a 12 3/4 o de MVeK>, 12 1/4 a 14 o doHara-
nho, e 12 3/8 o do Cear.
O awucar freuxo. Colamos branco do Brasil de
41/ a 60/, e o raascavac o de Si a 28,
O caf Arme, regulando de 41/ a 800 do Rio, se-
gundo a qualidade.
O cacao do Para qui* to, de 4i/ a /.
Havre,,'? dt abril.
Mercado calmo quanto algodao. O de Pernam-
buco ordinario veede-st a frs. 149.
Vendas avultadas de jal do Rio, de 66 a 92 frs.
bom ordinario.
O cacao do Para-vonde-se de fis. 76/ a frs. J7/50
activo.
O .couras de Pernambuco salgados .veade ven-
dem-se a Irs,. 55, e os seceos a frs. 77.
THESOURARIA PROVINCIAL.Vo praca,
no dia 16 de maio prximo, parame a junta admi-
maaraarra desta reparlieio : a taza da lurreira
da esirada da Victoria, no engenho Morenos, ava-
hada em 1:508.$, _pur 3 anuos a vencer em 30 de
junho de 197ix; o foroocimeito do sustente dos
presos pohresda casa de dteselo por 6 inezes a
vencer eiu 31 de dezembro do corrente auno ; o
forBeciinoalo d.is olijectos |reeb-,s para o expe-
diente das repartieres provinciales u,i exercieie de
1681870 ; u funii!jinento de medicamentos e
utencis precisos para a enfermara da caaa de
delenelo, por uai auno, a vencer em 30 de-janho
de 1871.; os reparos da ponte di- (iludahy, ava-
hados esa ,7:968/; o imposto de 9*500 por eabeca
de gade veceum.-eonsumido nai comarcas do Re-
cife, Garanhuns, Flores, Boa-Vista, Tacarat, Ca-
limb, e uos.municiuios do Brejo e Cimbres, Por
6 motes, a -cosiecar lio Ir dfe.jullio proxin ; e o
imposto di 26 por cento do consumo de aguarden-
te as comarcas de Pao d'Alho. Cabo, Santo An-
lao, Palmares, Rio Formoso, Nazareth, Limoeiro,
Goyanna, Itamb, e municipios de Olinda e Igua-
rass, por 3 annos, a vencer em 30 de iuuuo lie
1872.
CORREt PERXAMBUCANO.A redaeco de*:
t peridico pede-nos annunciemes que. em conse-
quencla de reformas que se procede na sua
otficina, s sahir elle no i" de maio, em seu an-
tigo formato.
GNEROS DE ESTIVA.Vieram hontem, no
vapor inglez Douro : 8 caixas com queijos para
J. Gerardo de Bastos, 35 para Von Snosten & C,
40 para Thomaz de Aqui no Fonseca & C., 15 para
J. M. da Rosa & Filho, lo pira Patn Nash & C,
2i para Viceate Perreira da Costa & C. 18 para
Carvalho Zenha 4 C, 18 para^orga Irmaos, 10
para F. Alvos Monteiro Jnior, '3 para J. M. Pal-
meira, e 15 para J. Gjncalve* Boltru.
FUNERAL.Foram hontem 4 tarde dados se-
pultura, no eemiterio publico, os restos mortacs
do Sr. Manoel Joo de Amorim, commendador da
ordem de Christo de Portugal, sendo acompanha-
do por qnasi todo o corno do commercio. Duran-
te o dia estiveram bandeiras em funeral as casas
consulares, e os navios consignados casa de que
era socio.
JEROME. Este vapor, da linha de Liverpool,
era esperado em Lisboa, em viagem para o Para,
Maranho e Cear, de 20 a 21 do corrente.
PARAN.Este vapor, que chegou hontem dos
porios do norte do imperio, tira a mala hoje s 3
horas da tarde para os do sul, no correo.
NAVIOS CHEGADOs. A Lisboa, Ligeiro, do
Para, a 2, Laia III, de Pernambuco, a 3, AUianca,
idem por Gihraltar, a 10 ; ao Porto Nova Palmei-
rti, do Para por Lisboa, a 20, Vencedora, de Per-
nambueo por Lisboa, a 31, Uuio, de Pernambu-
co, a 11.
NAVIOS SAHIDOS De Lisboa Anglica para o
Maranho a 29, Bom Suecesso idem a 30, Fwrmia
para Pernambuco a 6.
TABELLAS DE PESOS. O Sr. Bernardino
Costa, ra do Imperador n. 28, aeaba de rece-
ber grande numero de tabellas com indicador, pa-
ra se conhecer de momento a reduccao dos amigos
pesos para o novo systema, assim como adifferen-
ca dos precos.
COMPANHIA PERNAMBUCANA O vapor Co-
ruripe desta companhia sahir hoje s 6 horas da
larde para Mamangiiapc, e para maior satisfaco
dos habitantes d'afii, ainda hoje receber carga,
encommendas. passageiros, dinheiro c frete, con-
forme o annuncio da mesma companhia.
LEILAO.Hoje 28 do trrenle, eectua o agen-
te Pinto o leilao o mais objectos existentes nos pri-
meiro e segundo andares do sobrado da ra da
Cruz n. 53, devendo principiar s 10 horas.
LOTEBIA.A que se acha venda a 103", a
benelicio da groja de S. Joo de Abreu de Una,
que se oxtrahir hoje.
PASSAGEIROS.Vindos no vapor nglez Douro,
da Europa:
Charles Atufo Palterson, Alian Patterson, Ro-,
dolpho Finth, sua senhora c dous filhos, Luiza
Derws, Anna Jensen, Cari Lutjen, Henry Law,
Manoel da Silva Nogueira, sua senhora, urna lilha,
ama obrinha e urna criada, Jos Pereira da Cu-
nha, Winsol Rowell, Jos Faustino Porto, Jos G.
Garca, Bartholomen Estoves, Francisco Manoel da
Nova, Jos Pinto do Almeida, Antonio Pereira Pin-
to, Manoel Martins, Jos Aranjo, Jos Gome de
Paula, Euzebio Raphael Rabello, Joaquim Klesbao
Ribeiro, Joao Neifas, Bailhazai Fernandos e Au-
gusta Guilhermina Hallyday.
Saludos no mesmo vapor para os portes do
sul :
Dr. Joo Juveneio Ferrera do Aguiar e um
criado, Dr. Tristao de Alencar Araripe e um cria-
do, conego Joaquim Pinto de Campos e um cria-
do, James R. Dien, Fr. Antonio do Patrocinio A-
raujo e um criado, Fr. J. de Santa Julia Botelho,
J. A. Vonder Werf e sua senhora, Dr. Augusto
Frederico de Oliveira e um criado, Lange, Kerland,
Kent.
Vindos do norte no vapor brasileiro Pa-
ran :
Antonio Goncalves de Aguiar, Joaq:iim Francis-
co Monteiro, Antonio Jos Bastos de Azevedo, ma-
dama Adele Badone, James B. Dineu, Vctor Man-
tone, Francisco Cilaro, Julio Borb, Joo Carr,
Jos Antonio da Silva e um filho, Ignactode Bar-
ros Lima, Maria Francisca da C -11061550, John
William Stuiort, Joaquim Jos Barbosa Jnior, D.
Emilia da Cunha e Figueirdo, Francisco Luiz Bo-
drigues, Athanasio Jos da Costa, Vicente Ferreira
de Freitas. William BaulinsoD, Albert. B. Elceray,
Francisco Jos Rodrigues Chaves, Thomaz Car-
neiro da Cunha e um escravo, Clandino do Rogo
Lima Jnior, Anlonio Furtado da Molla, Luiz
Francisco Martins d Silva, Candido Claudia Cor-
roa Campos, Augusto Cyriaco Villas-Bdas, sena-
dor Frederico e 4 scravos entregar.
Seguem para q sul :
Manoel da Ponte MilSo, tonente Joao Valentim
do Couto Pinho, cadete Adolpho Albuquerque
Salles, Dr. Antonio Francisco Salles, Dr. Falli
Nunes Leal, Alexandre Henrique Leal o sua fami-
ia, Dr. Antonio Coelho Rodrigues, Baro de Ana-
jatuba, Plalo Carvalho Res, Licurgo Carvalho
Res, Francisco da Costa Rodrigues e sua familia.
Manoel Soares Teixeira, Dr. Heraclito de A. Perei-
ra daGraca, Dr. Luiz Antonio Vieira da Silva, te-
nente Jujao Augusto Serra Martins, Jos Pereira
de Magalhaes, senador Antonio Pinto de Mendon-
ca, Eugenio Clao Mazzae sua familia. Dr. Fran-
cisco Antonio Pimenta Bueno e sua familia, Pie-
ri Frederico, Joaquim Oiympio de Paiva, senador
Thomaz Pompeu de Souza Brasil, Ildelrando Pom-
peu de Souza Brasil, Joo de Almeida Ferreira
Jnior, desembargador Francisco de Assis Pereira
Bocha, Dr. Diogo Velbo Cavalcanti de Albuquer-
que, senador Frederico, 23 recrutas para o exer-
cito, i desertor do exercito, 4 voluntarios para o
exercito, 3 guardas-nacionacs designados, 19 a-
prendizes marinheiros, i mostr da armada, 71
scravos a entregar.
(HRONICA JIJDIARIA.
TRIBUMAL DO 4 OTIrlIlK IO
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 96 DE
ABRIL DE 1869.
PBESmENCIA DO BXM. Sn. DBSBMBARGADOS ANSEUW
FRANCISCO PBRETTI.
s 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
tados Rosa, baro de Cruangy e suptente S
Leito, faltando por incommodado o Sr. dcpinado
Miranda Leal, o Exm. Sr. presidente abri a
sessao.
Lida, foi approvada a acta da sessao de 22.
EXPEDHOTIt:
Offlcio do Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia da Parahyba, firmado de 19 do corrente, em
resposta ao que se dirigi ao presidente da referi-
da provincia em 4 do passado, pedindo esetareci-
mentos por seu intermedio, do iniz municipal e
commercio sobro haver nomeado Felippe Estrella,
agente de leHes, e sobre o quai mandando ouvir
o mesmo presidente ao dito juiz, este responder
que essa nomeacao fra effeotuada pelo seu sup-
plente quando elle se achava com assento na as-
sembla provincial, como mostrara com certido do
escrivo respectivo.
O tribunal resol ven qoe fosse com vista ao Sr.
desembargador fiscal.
Offlcio ao presidente e secretario da justa de
corretorea, firmado de boje, apreseniando o bole-
tim eommercial da semana prxima Anda.Ao ar-
ebivo.
Ao Sr. deputado Miranda Leal, foi distribuido o
livro Diario de Euzebio Raphael Rabello
Presente o livro da correspondencia, aehou-se
regularmente escripturado al a 104.
DWFACH0S.
RequorimoBto de Jos Francisco de Figueiredo,
para se Ihe dar por certido o theor do registro da
nomeacao de sen caixeiro Manoel Ferreira de
Aguiar.Como retraer.
Dito de Matuiino Barroso de Mello, socio liqui-
dante da extincta tirina fallida de Dencker & Bar-
rozo, juntando por certido a neJaao dos credo-
res de sua falleocia para ser juma aes autos de
rehabilitaeo.Junte-se aos autos d rehabihtacSo
do supplieanle e venham conclusos.
Com informacao do Sr. desembargador fiscal :
De Sabino Jos de Almeida* Jos JDomingues de
Sampayo, registro de ma wntrato social.Regis-
tre,-se. '
De Luiz Ferreira de Almeida e Joao Antonio
Paiva da Fonseca, idem.Registre-se,
De Anluie Francisco Carneiro .Monteiro Piro
e Jos Barrozo, distraio da lirma social Monteiro,
Barrozo & Selnitz.ltogistre-se eonjuittaiente com
o parecer fiscal.
Nada mais havendo a tratar-se, e dada a hora
(II 1/2 di anha), o Exm. Sr. presidente eueer-
rou a s
SESSAO JUDICIARIA EM 26 DE ABRIL DE
1869.
PRISIDEKBU SO RXM. SIL DBSHSaBARUiOOK A Ftf W\
HBTTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
Ao meio dia declarou-se aberta a sessao estan-
do reunidos os Srs. desembargadores Silva Gui-
maraes, Aceioli, e os Srs. deputados Rosa, baro
de Cruangy, c supplento S Leito, faltando com
particlpacao os Srs. Reis e Sdva e Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da sesso anterior
com a seguinto declaracao, que o Sr. Rosa foi
voto vencido em parto no julgamento do feito en-
tre partes, embargante Joo Ribeiro Pessoa de La-
cerda, embargada D. Maria Cordciro.
Foi lido o offlcio datado do hoje do Sr. deputa-
do supplente A. J. Leal Res communeando nao
poder tomar parte no julgamento do feito entre
partes, appellenle Francisco do Lago, appellados
os administradores da massa fallida de Joaquim
Jos Gomes d.; Souza, porque o seu primo o Sr.
deputadi Miranda Leal juiz de dito feito. E o
Exm. Sr, presidente ordenou que se offlciasse ao
Sr. baro de Nazareth.
O protocollo do escrivo Alvos de Brito conserva
a mesma numeraco e data indicadas na acta da
sessao de 19 do presente mez.
O escrivo Albuquerque registrn o ultimo pro-
testo de letra a 24 do crente mez sob o numero
1743.
ACCOBDAOS ASSIGSABOS.
Appellante Joo Pinto de Lemos Jnior, appel-
lado Mariano Xavier Carneiro da Cunha. Em-
bargante Joo Ribeiro Pessoa de Lcenla, embar-
gada D. Maria Cordeiro. Embargante Joo Casi-
miro da Silva Machado, embargado Iunoceneo Sa-
lustiano da Silva. ppellantes Antonio Lourenco
Teixeira Marques e outro, appellado Manoel Mon-
teiro da Cunha. Appellante Jos Rodrigues de
Araujo Porto, appellados Isidoro Bastos & C.
Nao estando presentes os Srs. Res e Silva e Mi-
randa Leal, nao foram propostos os feitos adiados
na sessao passada entre partes, appellante'Anlonio
Joaquim Salgado, appellado Antonio Goncalve-
Ferreira; appellante Joaquim Francisco Ribeiro,
appellado Osear Destibeaux; appellante Joo Pe-
reira dos Santos, appellado Jos Pereira de Ges.
O Sr. desembargador Aceioli apresentou para
se assignar dia e o Sr. desembargador Silva Gui-
maraes assignou o primeiro til para o julgamen-
to do feiio entre partes, appellante Joao Casimiro
da Silva Machado, appellado o hachare! Gaspar de
Menezes Vasconcellos Drummond.
AOCnAVO.
Do juizo especial do commercio. Aggravante D.
Bernardina de Jess Teixeira, aggravados Andri-
de & Reg.
O Exm. Sr presidente negou provmento.
Nada mais houve, e encerrou-sc a sesso 1/2
hora da tarde
TIUIU'VIL OA Ilil.A.'.O.
SESSAO DE 24 DE ABRIL DE 1869.
PRESIDENCIA Da EXM. SR. DESEMDAn6AD0R SANTIAGO.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. desem-
bargadores Gitirana, Guerra procurador da corta,
Lourenco Santiago, Almeida Albuquerque, Motta,
Domingues da Silva, Souza Leo, Ucha Cavalcan-
te e Freitas Henriques, abrio-se a sesso.
Passados os feitos deram-se os seguintes jura-
mentos :
Appellaqoes chimes.Appellante, o juizo; ap-
pellado, Joo Vieira Dantas de CastroA'novo
jury. Appellante, o promotor; appellado, Joo do
Goes Nogueira.A' novo jury. Appellante, o jui-
zo ; appclldo, Antonio Vieira dos Santos.A' novo
jury. Appellante, Manoel Antonio Alves; uppella-
da,'a justica.A' novo jury. Appellaue, o juizo;
appellados, Vicente Pereira Barbosa e outro.A'
novo jury.
Appellacoes civeis.Appellante, Dr. Manool lo
Reg Barros Souza Leo; appellado, Francisco
Baptista de Almeida.Despresados os embar-
gos. Appellante, Juaquim Gonalves Ferreira; ap
pellado, Manoel Joaquim Baptista.Despresados
os embargos. ppellantes, os herdeiros do com-
mendador Manoel Figueiroa de Paria; appellada.
a fazenda.Despresados os embargos. Appellan-
te, o baro de Una ; appellado, Manoel Vicente de
Hollanda Cavalcante. Despresados os embar-
gos. Appellante, Jos Camello do Reg Barros;
appellado, Dr Francisco Joo Carneiro da Cu-
nha.Reformada a sentenca. Appellante, a preta
Fabricia; appellado, Jos Luiz do Albuquer-
que.Confirmada a sentenca.
PASSAGF.NS.
Do Sr. desembargador Giliraa|0'Sr. desembar-
gador Lourencu Santiago.Appellacoes eximes:
appellante, o juizo; appellado, Aor Avelino Ca-
valcante. Appellante, o juizo: appellado, Antonio
Vicente Ferreira.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida AlbuquerqueAppella-
coes crimes: appellante, Salvador A. Rodrigues
Luna ; appellada, a justica. Appellante, Antonio
Jos dos Santos; appellada, a justica. Appellante,
o juizo; appellado, Jos Barbosa Rodrigues. Ap-
pellaco civil: ppellantes, o curador geral e
outros; appellados, Manoel Elias de Moura.
Do Sr. desembargador.Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta.Appellacoes crimes:
appellante, Benedicto Jos Domingues de Figueire-
do ; appellada, a justica. Appellante, o juizo;
appellado, Paulo Francisco de Araujo. Appellan-
te, o juizo; appellado, Francisco Goncalves Bar-
bosa. Appellante, Florencio Martins Chaves; ap-
pellada, a justica. Appellante, Manoel Ignacio;
appellada, a jiMica. Appellante, o juizo; appel-
lado, Antonio Ferreira da Silva.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Domingues da Sil va.Appellacoes crimes: ap-
pellante, o promotoc: appellados, Joo de Pinho
Pessoa e outros. Appellante, Manoel Joaquim Qui-
xabeira ; appellada. a iusliea. Appellante, o jui-
zo; appellado, Joo Teixeira de Lemos. Appel-
lante, Joo Anselmo da Silveira Vidal Filho; ap-
pellada, a lustica. Appellante, o juizo ; appellados,
Manoel Mendes da Silva o outro. Appellante, o
promotor: appellado, Francisco Autonio No-
gueira
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao Sr.
desembargador Souza Leo.Appellacoes crimes:
appellante, Joo Antonio das Chagas Craveiro; ap-
pellada, a justica. Appellante, Carlos Jos da
Costa; appellada, a justica. Appellante, o pro-
motor ^ appellados, Joo Vicente Ferreira e ou-
tros. Appellante, Miguel Simplicio dos Anjos;
appellada, ajustija. Appellante, Manoel Alves de
Lima; appellada,'a justica. Appellaco civcl: ap-
pellante, Jos Bodrigues Paes; appellada, Hellena
Maria do Carmo.
Do Sr. desembargador Souza Leo ao Sr. desem-
bargador Ucha Cavalcante.Appellacoes crimes:
appellante, o juizo ; appellado, Antonio Hamos da
Silva. Appellante, o juizo; appellado,Tiburtino
Ferreira Cmara. Appellanie, Manoel Correa Bar-
bosa ; appellada, a justica. Appellante, Geraldo
Correa Lima; appellados, Francisco Gomes Fer-
reira e outro. Appellante o promotor; appellado,
Benedicto, escravo.
Dia de apparecer.Appellante, a irmandade de
Nossa Senhora das Fronteiras; appellado, Jos
Jeronymo Monteiro.
Do Sr. desembai-gador Freitas Henriques ao Sr.
desembargador Gitirana.Appellacdes crimes: ap
pelhmte, Manoel Alves Alfonso; 'appellada, ajusti-
& Appellante, o juizo; appellado, Joo Pedro
Santos.
Diligencia chime.Ao Sr. desembargador pro-
motor da justica : appellante, Urcino Xavier de
Castro ; appellada, a justica. Appellante, o isizo;
appeHado, Antonio Martins Barbosa. Appellante,
o juizo : appellado, Pedro Bento de Soma.
A' 1 hora encerrou-se a seesio.
PUBLICACOES A PEDIDO.
KtagrauderiMt-alo da eldade.
Todos gustam de fazer ruido no universo, seja
como for; quem nao pode ser Cesar, quer
ser Xhto V; e quem nao Virgilio, ao menos
h qoef ser Tasso, diz o cerdea! Ganganelli (depois
Clemente XIV.) *
Entretanto ha honMt que dotados de urna hu-
mildade verdadeiramente evaniiellica vivem e
morrem n'uma profunda obscuridade. A posteri-
dade esses deve fazer iustica, celebrisando sita
memoria.
O finado Gdout manfestou um pensamento
til o proveitoso, augmentando os estreitos lmites
do panmetro da capital de Pernambuco, j reali-
sando o retalhamenlo do sitio do Coelho na parte
meridional do-Jjairro* da Boa-Vista, offerecendo
novas ras edicaco particular, j reulhando
o sitio do fallecido Hercetano Alves da Silva, na
Soledade, e j dvidindo o sitio da Capunga. onde
hoje se contempla aprasivclmento um pUtoresco
e maguiftoo arrebalde.
E se esas intolligento e til cid ado fraoeez nun-
ca foi convenientemente considerado pelo governo
do paz, neui ao menos pela eamara municipal
desta capital, sirva de consoladora animacao aos
seus descendentes a saudoza e sympathiea recor-
daran, que ternisar necf ssariamente a 'sua me-
moria em muitos peitos de brasleiros desfavore-
cidos d/w- fortuna, quem beneciou generosa-
mente facilitando visivamente a venda de suas
torras, o que por corto immortalisar o seu
nome.
Apreciando devidamento o alcance do tao ele-
vadajda desvanecome em ter cono nido para a
divso do sitio do Campo Verde, pertenconle aos
hardeiros do finado senador Manoel de Carvalho
Paes de Andrade ao lado septentrional da ra de
Corredor do Bispo, abrindo novas, ras edifica-
cao ; do sitio do finado baro de Itamarac ao la-
do occidental da ra do Hospicio ; e do sitio do fi-
nado Herculano Alves .da Silva na Soledade. E
tenho-me encarregado de dividir o sitio da extinc-
ta associacjSo de fiaco e tocido de algodao ao la-
do septentrional da estrada de Joao de Barros ; o
sitio dos herderos do Joaquim Fernandes de Aze-
vedo da parte do norte da ra, ou estrada do
Pinbal; o do Chacn pertencente aos herderos
de Antonio da Silva e Companhia, todos nesta ca-
pital do Recife. Na comarca de Olinda tenho di-
vidido os sitios de Agua Fra pertencente ao Sr.
Pedro de Souza Tenorio, da Rozeira pertencente
aos herderos do tenente-eoronel Joaquim Elias
de Moura, do Fundo do Sr. Antonio Botelho
Pinto do Mesquita e agora estou realisando a di-
vso do de Aguazinha.
Creo ter procurado ser um cidado til re-
publica, prestando algum servico ao paz, nao
obstante reconhecer e confessar que esses traba-
lhos parcaes podem muito bem perturbar seria e
sensvelmente um systema gerai sabiamente con-
cebido para o alargamento das linhas do estreito
contorno desta cidade, o qual dever ser invaria-
vel e prudentemente execulado.
Entretanto cumpre nao exagerar as dfficulda-
des, que d'ahi possa provir a realisaco do pen-
samento grandioso da adopcao de um plano ge-
ral, e de grandes proporcoes para os limites em
questao, una vez que nao provavel, nem mes-
mo muito fcil serem as ras novamente criadas
alinhadas ceta edificios importantes e de difDcil
desapropracao em um futuro prximo.
Os principaes mritos dessas divsoesconsstem
na criaco de meros ncleos de povoacao, na de-
saglomraco dos habitantes do coraco da cida-
de, consegumtemente na dminuicao do grande
foco de infeceo, no augmento das rendas publi-
cas, e sobretudo no ensino pratioo das garantas
de propriedade, com que se devem revestir as es-
crpiaras de venda, precedendo a medico, de-
marcaco e confrontaijo, segundo os preceitos da
arte, que srvam de baze valiosa para a confec-
<"o dessas escrpturas.
Principalmente se attender que anda nao temos
a planta cadastral do imperio, desse trabalho, do
qua! falla Raynal no estylo que o caracteriza, da
jsegunte forma< Um cadastro que offerecesse a
\ medicao exacta das trras, que apreciasse com
.< equidade seu valor, seria por s s capaz de
< fundar um bom systema de fnancas. Rara e
1 iinperfeitamentc se lia feito applicaco de um
principio to simples e luminoso. Cumpre
aguardar que essa bella instituico, posto que
vivamente repellda pelo crdito e corrupeo,
seja aperfeieoada nos estados, em que tenha si-
t do adoptada", e que seja inlroduzida nos impe-
l ros, onde ella anida nao exista. O monarca
Jae assigeljar o seu reinado por esse tao gran-
bonelap, ser ahomcoado duraute sua vida:
legar unoome caro posteridade, e sua feli-
cidade se estender alm dos seculos, se, como
nao se pode duvidar, existe um Deus remuue-
> radir.
E vivem em um pan em que todos em geral se
sulitraliem as despezas de urna demarcacao, de
que dizMr. Base. Um, pai do familia honesto
e inlellgente logo que entra na posse do domi-
minio deve fazer verificar e reconhecer os seus
1 limites, convidando os propretarius vizinhos, ou
fazer estabelece-los se nao existem.
Talvez se generalisando esses principios, se po-
desse d'est'arte, diminuir as innmeras questoes
de limites, em quem de ordinario se observa o
mais grutesco e ridculo espectculo : peritos in-
competentes, juizes verdadeiramente inexperientes
n'esscs assumpto, advogados sem as luzes preci-
sas, ou hbilmente espirituosas, que pretendem
circuinscrever as fun coes dos peritos com quis-
tos sem fundamento, sem significaco alguma.
A legislaco frauceza este respeito confere di-
reitos explcitos e positivos aos pirtos de discutir
largamente todos os pontos concernentes a contes-
tadlo, tendo por base a escriptura publica, o map-
pa topograptiieo, os depomentos das tcslemuiihas
e* mais esclarecmentos, de fundamentarem os
seus votos c de procederem votaco em escruti-
nio secreto, se, assim entenderein, devendo um
d'elles redigr o termo verbal respectivo.
Transformando, porm, essa digrcsso, voltarei
ao assuinplo de que tratiiva.
Ser possvel que algum desses lugares se torne
proprio enectivo coiisideravelmente imnertante
Crco que ser muito provavel.
Por ventura a magnifica e importante capital
da Bussia, Sao Petersburgo, em 1702, nao era
una laga inhspita e inaccessivel, onde o inmor-
tal autcrata, ou Cesar desse imperio, Pedro o
grande, pode apenas mandar construir algumas
choupanas!
Portante cumpre que as cmaras municipacs,
quem, a legislaco do paiz mais directamente en-
carregou desses negados, sejam ltenlas e vigi-
lantes alim de incumbir quem possua o talento
encantador de tudo saber aperfeicoar de imprimir
regularidad nos alinhamentos das ras, belleza
na confeccao das pracas publicas, e unformdade
e estylo ms edificac^ies.
Illmnar o espirito do genero humano he at-
trahr inelicdades, nao seguir machualmento os
c;uninhos geralmente trilhados accarretar contra
si odiosidade.
Que importa I Embora os esprtos superfiaes,
os crticos por excelleucia mo qnalifiquein de pe-
dante, ou charlalo, contiiiuarei tranquilamente
minha marcha, procurando ousadamente ostentar
interesse pelos neg.icios-publicos de certa ordem
de mou paiz, desejando mesmo tomar iniciativa
n'aquellas para que me do direito minhas hab
litacoes e experiencia.
Nao foram os escribas, nem os legisladores que,
no seculo passado, primeiros proclamaram os di-
rcitos da liberdade, foram os Monlesquieus, os da
humanidade tiveram por atletas os Voltaires. c os
da natureza os J. J. Brusseau-
O titulo de geometra agrimensor, que as ma-
lignidade as vezes mo confere, posto que modesto
por ser exeeutor de umaespecialidado menos pro-
funda das materias transcedentes das mathemati-
cas, que constituem o eugenheiro consammado,
cabe mui perfeitamente a qualquer homem de
bem: o immortal Licolm havia sido agrimensor
em seu paiz os Estados Unidos da America,
O homom intelligente e honrado honra sempre
o ofllcio que oceupa. .
O engenheiro
A. F. Sette.
urna ganmtia indiscative! para o suecesso do dra-
ma. Artistas como Julia de Azevedo, Thomaz Es-
piuca, Jos Victorino, ele, sao os que represen-
lam as demais partes mais importantes do Lasar.
E' de crer, e podemos afflrma-Jo, que a represen-
tacao corra excellonlemente, eomo acontece em
todas as vezes que esses artistas entram em
scena.
o Sr. Diratte-Coimbra tcneiol^ montar success-
vameute um brilhante repertorio. Ser para o
publico do Pernambuco suprema felicidade nncon-
trar una distraeco cerno o theatro, e um theatro
que api oponte constantemente variado repertorio e
provas dr esforc e trabalho artstico.
Assim, inmprr-se-bo os desejos do distinclu
emprezario e do publico que o auxilia. A gran-
deza da arte dramtica nao peder nunca decahr
do seu pedestal glorioso havendo artistas como Joa-
qnim Augusto Ribeiro de Sonsa. Maria Velluti, Ju-
lia de Azevedo, Thomaz, Jos Victorino,, e outros,
para quem a arte nao urna especulaco nem um
divertimento, mas sim um sacerdocio.
Ao emprezario Sr. Duarte Coimbra deve-se a
piesenca dos melhores artistas que tem pisado o
palco pernambucano. Louvores a elle.
S.
THEATRO
LAZAEO 0 PASTOR
A bella capital da Etruvia no seculo XIV, Po-
renca, to justamente denominada a Alhenas do
mundo moderno; tao celebre por sna gloriosa pa-
tria de horneas, que honrauuLA historia, a poli-
tica, a poesa, a pintura, a ciencia, taes como
Dante, Boccace, Villani, Macuiar?e( Americo Vcs-
pucio, Miguel Angelo, Cellini, I.ulli e Gallileu; tao
notavel pelo sou commercio e industria, que mais
e mais eresciam na voragem das horrorosas luc-
ias civis, em que se achava mergnlhada, Floren-
9a, to rica de peripecias na sua vida poltica,
opulenta de bellezas, que a mo da natureza lho
doou em grande copia, devia necessariamente des-
pertar a atteii^o dos historiadores, dar largo cur-
so a meditacao dos pnilosophos e accordar as
lyras dos mais bellos poetas os hymnos, que para
sempre o recordassem a posteridade.
Entre as homenagens voladas a historia dessa
soberha perota da Dalia, tem lugar distincto a
magnifica composico litteraria Lzaro o Pas-
toroffrenda preciosa da poesa dramtica.
Relmpago da historia de urna das pocas de Flo-
renca e mimoso bosquejo da vida de Cosme de
Mediis, a quem Repblica Florentina chamou a
tomar as redeas do governo, e a quem coube em
recompensa da sua liberalidade sem lmites e em
homenagem as suas virtudes o titulo dePai a
Patria,o grande dramaLzaro o Pastor
um trabalho litterario, onde superabundam rique-
zas de imaginacao, lances sorprendentes, siluaeoes
as mais felizes, e onde o sen autor prima pela fi-
delidade na pintura d >s costumes da poca, a que
se refere o seu drama e pelas cores reaes e des-
lumbrantes, com que nos aprsente o amor ma-
ternal e a gratido.
Ha muito que desejavamos ver no nosso Santa
Isabel, esta joia da htteratura dramtica ; vo fe-
lizmente ser cumpridos os nossos votos, gracas ao
Sr. Coimbra, que aproveitando a boa companhia
do theatro seu cargo, offerece ao publico desta
cidade um bollo e utii passatempo coma represen-
taco doLzaro o Pastor.
de esperar que o drama corra a contento dos
espectadores, attendendo a que Joaquim Augusto
tem a seu cargo o importante papel de La*aro, e
que os demais papis de responsabildade, como
os de Cosme Juliano, Judael, o da duqueza, e em
geral todas as partes estao cubadas a artistas, cujo
mrito nao soffre duvida.
J?.
Srs. redactores.Rogo-lhes o obsequio de pu-
blcarem em seu conceituado jornal o seguinto
quadro demostrativo, exacto e fiel, da eleicSo ha-
vida no 2 districtoeleitoral da provincia da Para-
hvba:
CoHegio de Campia.
Votos
Desembargador Assis. . 42
Conselheiro Henrique. 41
i
Collegio de Cabaceiras (*)
30
Conselheiro Henrique. . 30
Collegio de S. Joao.
Dr.Braz...... 47
Conselheiro Henrique. . 40
Desembargador Assis . 7
Collegio de Pombal.
Conselheiro Henrique. . 21
Desembargador Assis .. 21
Dr Braz...... 4
Collegio do Catlo.
Desembargador Assis. . 20
Conselheiro Henrique. . 18
Dr. Braz...... 6
Collegio de Patos.
Conselheiro Henrique. . 19
Desembargador Assis. . 18
Dr.Braz...... 0
Collegio de Plane.
Dr.Braz...... 40
Conselheiro Henrique. . 29
Desembargador Assis. . 13
Collegio de Souza.
Conselheiro Henrique. . 31
Desemtiargador Assis. . 34
Dr.Braz...... 2
Resultado dos collegos de que se compo-: 0 dis-
trelo :
l. Conselheiro Henrique. 232
2." Desembargador Assis. loo
3. Dr.Braz..... 129
Um Parahibanc.
Ao meu talentoso aml So Praaa-
THEATRO.
O drama de BouchardyLazqro o Pastorque
hoje sobe i scena no theatro d Santa Isabel,
urna composico brilhante e de grande effeito sce-
nico. A empreza nao tem sido avara na collec-
cao das pecas que entrega ua presente estagao
dramtica, apreiaco do publico pernambu-
cano.
recobido pela platea do Santa Isabel, depois do
Cabo Sinto, a gloria de Joaquim Augusto, sempre
virante e sempre real, o Lzaro o Pastor, vem por
sua vez fazer carreira no palco do nosso theatro.
Os artistas incumbidos das principaes partes sao
bastante eonhecidos j: nao se pode portento por
em duvida o suecesso do novo drama.
1? conveniente que nos, apreciadores dos esfor-
cos da empreza e da companhia dramtica que pre-
sentemente oceupa a attencab publica, esforcmo-
nos para coroar o xito das pecas escomidas, que
tem sido montadas no nosso theatro.
Lzaro o Pastor, de cajo enredo nao nos oceu-
paremos no intuito de nao arrefecer a curiosidade
geral, c um drama de grande alcance artstico e
de lances verdadeiramente dignos do prender e
excitar a attencao da platea.
Joaquim Augusto faz o principal papel. J
cisco Ciandencio Kafobs da
Costa, pelo mfaasto passameo-
to do sen lllustre eiinhado e
boin amigo Carlos Hearhpvif:
da Rocha.
Eu bem sc, amigo, triste
Chorar um ente querido,
Que pela morte ferido
A' sepultura baixou:
E' triste ver o destino
Rnuhar affeicoes to puras,
Sem contar as amarguras,
Que ao peito amigo deizou !
A' morte gla o sorriso;
As llusdes mais formosas
Como sombras vaporosas
Fogem da morte ao negror :
Se a mirrada mo aperta
O seio da creatura,
Adeus sonhos de ventura,
Adeus loucuras de amor I
Mas que importa se de chofre.
Ainda na flor dos annos
A tara dos de engaas
Sentimos cahir da mo ?
Deus grande: e c na trra.
Urna curta mocidade
Tem a immensa eternidade
Por divino galardao.
Portanto, amigo, desierra
De teu peito agras tristuras,
Tem o co grandes venturas, .
Para dar aos filhos seus :
Quem deixa os gosos da trra,
Quem foge ao prazer do mundo
Busca prazer mais jucundo
Alm nos bracos de Deus I
Recife, 23 de marco de 1869.
J. A. Espinen.
leo puro medleiMl de agado de
bar al han de Lansaaa dk Kem
-i Nenhum chimico tem podHto al hoje dizer-nos
A par do Qhristovao Calimbo, tao freneticamen -em qUe consiste os principaes curativos do oleo
de flgado de bacalho. Porm nio importa. Basta
que se saina que um remedio seguro o effica?;
para os puhnes debis c as gargantas enfermas,
para as glndulas escruphnlesas e os systomas ex-
tenuados. Porm aqui deve-se fazer urna reserva
distinctiva.
Deve ser pttlff e legitimo, pois, que de contrario
para nada presta. Se dejejaes ter neste particular
urna completa seguranca, conflai-vos nicamente
oque podis fazer com toda a segurancado
oleo paro medicinal de figado de bacalho, de
() 0 Jornal da Parahyba n. 647, e os corres-
ponaentes desta provincia, guiados por elle^erarn
o Sr. desembargador com quinze votos no collegio
de Cabaceiras; mas foi sem duvida um inati
equivoco ou erro typofrapbieo, que afinal nao de-
via ser necessario ao digno candidato ofucial.
JS^.


Diario de Pernaarbuco Qrrarta feira 28 de Mk de 5369.

yi
w fresca es,
clima*, -
.anmn A
prov,
0 a?. ,.t
i sai
ment conservad* da
;te.
Os d lentes macil
pela tosse e extensa
turnos, deverao para
especifico approvado,
eo as suas.sa i por. amor de vos mes-
moi, nao perdaej tempo ; tod demora fatal.
Acha-se venda as. farmacias de A.
aors, J. da Conceic<|rBravo A C, M.
A. Barbosa, P. Maura- A C, e Bartholo-
meu A C.
bromo, ort
i un
qual fr nel-
jnartyrisados
suores oc-
r mo deste
o menor apre-


t
Attenco.
Gom quanto nao seja desr.onhocido o carcter
social e particular d inajor Paulo de A. Salgado
Jnior, pedimos ao publico que suspenda seu jui-
/.o acerca dos fados referidos as misslvas de
Barreiros, publicadas nos nmeros 59 c 60 do
Liberal de 21 c 21 do corrente : pois alen de es-
tarem elles completamente deturpados, achain-se
submettidos s autoridades competentes, cuja de-
cisao inal agnara-se para -ento deinonstrar-se
a m fe com que foram narrados. .
Recife, 23 de abril de 18G9.
Protectora das fami-
lias.
Esta associaco caminha as vas do prosperi-
dade, nao sernos entra ves inherentes a emnrezas
grandiosas. f ,
Contratos Capital
%? attyS) 39365,868:67^970
trado.............)
Durante o semestre de j ___.___
30 de junho a 31 de 1406-----2,173:12o920
dezembro de 1868..)
Estado dessa associa-1 ____._, mm
cao em 31 de dezem-} 53i2-----8,012:101890
brode!868........)
O capital dessa associaco illimittado e con-
verte-se em apolices da divida publtaa nacional dfc
6%. Nao se pode dar mrlhar garanta. Se nV
hipothese de quebrar o Brasil e que essa associa-
co pode soffrer; urna especie demonte po de
grande utilidadn para as familias.
Para conseguir com toda sezuranea o maior e
mais instante desidertum da vida do homem, que
Recebe dinheiro ein conta corrente e a
prazo fim
Saca vista oo praso sobre as cidades
[iiincipaes da Europa, Km agencias na Ba-
ha, BucnoB-Avrcs, Montevideo, Now-Yurk
e New-Orleans, e imitte carias de croH
par 09 mesmos lagares.
Largo do Pelourinho n. 7
BANCO MAU & C
Roa do Trapiche n. 34.
Desconta lettras commerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
voncional, por lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as pfimetras
pracas do imperio, Rio da Prata o Euro
pa, e compra cambiaes sobre as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por commissSo, da com-
pra e venda de fundos pblicos eaccSes de
oompanhias, da oobranca d* lettras e di-
videndos ou ile seu pagamento, e de qual
ijuer outra operacao bancaria.
O expediente para o publico comecar
s 10 horas da manh5a, e terminaba s 4
horas da tarde de todos os dias uteis#
Tlieodoro Smon & 0.
Vendem
Libras sterlinas t 135700.
Ouro nacional e portuguoz a 5i o/0 de pre-
mio.
Sedulas do governo de 1 a 5,5000 1 poro/o
de premio.
Largo do Corpo Santo n. 21
ALFANDEGA.
(tendimento do dia 1 a 26. ^SD^
dem do dia 27......3o:629*ol9
to no segumte termo. Aos- 19 ile abril de
186(>na cidade do Reeife,. a publica au-
diencia* que aos feito e partes, dava o Dr.
Trislo-deAlencar Araripe-, nelt pelo soli-
citador Manoel Luiz da Veiga, procurador
do exeqjiente Joo Gomes da Cruz, jora
aecusada a ratificaco da penbora feila em
dinheiro- existente no deposito geral per-
tencente ao executado Antonio Jos Braga,
e requereu que ficissemassignados os seis
dias da lei, a ratificaco dapenhora feria,
e 10 aoscredores incertos passando-se edi-
taes; -o que convido pelo juiz houve a ra-
tificacao da penbora por feita e ratificada,
os seis dias da le por assigados, e tambera
10 aos credores incertos, e o mais por de-
ferido na forma requerida, depois demandar
apregoar pelo porteiro dos auditorios que
o fez na forma do estylo, do que fiz o pre-
sente extrahido do protocoHo das audienv
cias, e juntei a peticao, mandado, termo c
prociiraco bastante que segu : eu Secn-
dio Heliodorio da Cunha, escrevontc ju-
ramentado o escrevi: eu Manoel Maria Ro-
drigues do Nascimento, escrivo o subs-
crevi: Por forca do merr despacho, o es-
crivo fez passar o presente edital pelo
qual thamo cito e hei por intimados aos
credores incertos do dito executado para
que comparecam neste juizo deftlro do di-
to praso afim de allegarem o que fr de
justira. -E para que chegue ao conhect-
mento de todos! mandei passar o presente,
que ser publicado pela imprensa e affixa lo
m lugar do costume. Recife 20 de abril
de 1800. Eu Manoel Maria Rodrigues do
Nascimento, o subscrevi
Tristo de Menear Araripe
Perante a.cmara municipal desta sidas-
(fe estar' en praca nos tlias IS,.10'#- 2
do-corrente, para ser arrematada periptern
menor preco- ivUerccer, a obra dos-repo-
ro do aterro da estrada, que da ra Im
perial vai ter a Cabanga, oreada' -na quantia
de HWOO-quena pretender arrematar essaf
obra comparec nos indicados-dfes, no pa>
co municipal,, munido de fianca idnea.
O orcamento da dita obra achare na. se-
cretaria 'da mesma cmara, ontfe serapre-
senlado aos (ue o quteerem consultar.
Paco da cmara municipal do Recife, 12
de abril de 1869.
Ifaach Joaquim de Souza IM<>.
Pro-presideate
Francisco Canuto Da-Viagem
secretario.
O Kovernador* Jadaat. .
Gfilleoito.....
/lia no, porUbestaudMih-.
Lzaro o pastAv
IT arebeiro. ..''.
Matheus......, .
Stia.......
'A. duqueza de Medica.
..C-Bea.
-J6s* Victorino.
Inrdo.
Aneusto.
. (iiiim*racs.
t- Jerdhnc
Oftrolim.
S3;D.
Archeiros, fideos, o aigoz etc.
Em Florcnca 16 dep&.
" Designara dos acto,
oO envenenamemo. O seenario repre-
senta a taberna- de Santa Mara na eslrada
de Florenca.
! actoMi e UMio 5a palacio Bacal.
2* actoArcheiros do palacio alerta-T-ldeca.
3o actoO mndaas prisoes do-Stodo
i actoA luatiph-Ha sala do conselhoi.
O presente drama, sobe a scena com-todo o es-
mero de que 6 digno.
Comecar as- 8 Horas.
<-itamu: .\oin> \mi
AMANMAA
Quinta-feiva 29 de abtril.
Tem lugar o beneeio do
com todo o espectculo j annunciado-.
Principiar as 8 horas.
r30:50:io(i8
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volames entrados com fazendas 348
dem idem com gneros
DECLARACOES.
-oiu'a-
itdBe
-------767
466
prios llaveros) ae que pO'
riodo de cinco annos ; signalada que soja a quan-
tia ser esta dividida em duas classes de contratos,
3 um chainad.intrato de capital e otro de renda
Estol dous seguros deverao satisazer-so em cinco
nnnuidades consi'cutivas, e depois de passados os
cinco anuos o contribuinte Picara livrc doonusdos
pagamentos das annuidades subsequentos.
Estas dui classes combinadas prodnzem resul-
tados maravilhosos para o futuro.
Por cxemplo, um pai que quizer formar para o
iuturo um capital e urna renda vitalicia para ida
um de'seus lillios, conseguir este importante tim
despendendo para cada um delles a quantta de
4:155i, que se pafam da segumte forma :
Pireitos de entrada.. lo->
No primeiro anno 200-5
segundo 200
terceiro 200
quarto 20W
quinto 200
Ter despendido no lim de cinco
annos a quantia de........... 1:I55
tendo creado para cada ilho um capital para o fu-
turo, que conforme a idade dos segurados sera de
33:000* a 47:000# e urna renda vitalicia de 1003
annuaes.
Admittem-se contratos de maiores e menores
aunuidades, sendo os lucros sempre proporcionan
ao producto dos seguintes factores : o valor da
esontribuicao, o risco de morte do segurado
e a duracao do contrato (art. 38 do regutemento).
Para effectuar as formalidades dos contractos
dirigir-se-hao ra do Livramento n. 19, a tratar
com o Sr. N. F. de Vital, encarregado pelo Bunco
rural e hypotliecario do Rio de Janeiro, que pre-
sentemente acha-se em commissao nesta provincia.
Hiate americanoJohn Hosc=mercadorias.
barca francezaJian Bnplisteiem.
Escuna.tnglezaEdilh j/or Escuna americanaEdmrd Brumett farinlia d
trigo.
Brigue iuglezHenrietlabacalho.
Ilrigue inglczAVrbacalli).
larca inclezaBor/or/iuuferro e carvao.
HECEBEDOMA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimentodo dia 1 a26. 39:19652/0
dem do dia 27...... I:071**W
Da ordem do Illm. Sr. inspector a lliesou-
raria de fazeniade3ta provincia se faz publico que
tem de ser contratado perante a metala theso""
ria por quom por menos tlzer o fornecimenta
medicamentos enfermara militar desta cap
Os pretendentes deverao dirigir seas propostts em
artas fechadas ao Illm. Sr. inspector ate as 10
horas do dia 29 do maio prximo, c ser-Ihes-ha
ranquiado na thesouraria o receituario rjue con-
ten os medicamentos preparados e os sens precos,
alim de que possam regular-se as respectivas
proposta'.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco 26 de abril de 1869.
O offlrial-maior,
Manoel Mamede da Silva Cosia
AVISOS MARTIMOS.
COUPAIHIA
g DAS
Messageries imperiales.
41:2683731
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento'do dia 1 a 26.
dem do dia 27.
106:4103791
l" 5:4993489
111:9103280
O administrador da recebedoria de rendas
internas gentes faz publico que neste edrrente mez
e no de maio protimo futuro, visto estarem con-
cluidos os lancamentos, e qu os devedores do
imposto pe.isoal, relativo ao exercicio corrente de
1868 a 1CS59, residentes as freguezias do Recife,
Santo Antonio, Affogadus, Poco da Panella, Varsea,
S. Lourenco da Matta, S. Amaro de Jaboatao e
Muribeca. tecm de paga-lo, livre da multa de 6 O/O
e com ella depojs do referido prazo.
Recebedoria do Pernainbuco 3 de Abril de 185a.
Manoel Ca netro de Souza Laceria.
De ordem do Illm. Sr. inspector da
tbesooraria de fazenda desla provincia
sao convidadas as pessoas abaiio-menoio-*
nadas, para no praso de um mez contado
desta dala virem prestar contas das dille-
rentes qdantias que receberam, pelas qpaes
se acham debitados nesta thesouraria, ou
entraren para os cofres da mesma com as
inferidas quantias, a saber : tenentes Joo
Eduardo Pw-eira Rarges 1:G8->I (Juris,
JosAlves de Siqneia Rarbosa 200.-900O
reis, e alferes Antonio-4Ienrique de Miranda
230#H7 ris, e Jos Irineo da Silva San-
tos 4000000.
Secretaria de fazenda de Pernarabuco,
24 de abril de 4869.
O official-maior,
Hinoel Mamede da Silva CSta.
lastrnc^o Publica-
Faco- constar a quem convier que o Illm- j
Sr. Dr. director geral interino tem designado
o dia 45 de maio aroximo vindouro, pelas
10 horas da manhaa, para ter luyar nesta
secretaria, o concurso s cadeiras de ins-
truccao primaria, doexo feminino, que S| ageneia ra do Commercio n. 9.
acham vagas.
As senhoras habilitadas que quizerem se
oppr a dkas cadeiras, deverao ascrever-
se nesta secretaria n fana das instruc-
es de 41 de junho de 18aA a o dia
[-2 domesmo. "
As cadeiras sao as seguintes- localidades
Bom Conselho, S. Ben.to, Buicpie, Ingazeira,
?illa-Bella, Boa-Visla, Granito, Ouricury e
Salguero.
Secretaria da instnicQo publica de Pr-
nambuco, 23 de abril de 8G9.
O secretario,
Aur^iano \. P. de Qprvalho.
Segu eemabirevidade o paHiabote Sbralense,
Tnda recee-.algoma carga : a tratar com S
Boitio Irmos, ra da Madre de Dos n. 1.
" YJhZJt. O PORTO
Deve seguir com a maior brevidade possivel a
baren ptrlftguaza Noca Srjmpalhio, de 1" marcha,
por ja ter ptompt-a a..maior parto de sua carga:
para o resto qu Hie falta e paasapiro, aos quaes
offereeo ricos e excellentes comniodos, trata-se
conavBaltar Oliveira & C.A na do Vigario n. 10
Phrtt o Rio de Janeiro
prefcnde seguir pa o dito porto, o mais breve
que forposslvet, bitgue brasileiro Santo Amaro;
quem quizer carregar ou dar escravos a frete,
queira.dirigir-sfr Marques, Barros &. C, no lar-
go do Corpo Santo n. 6, 2 andar.______
C0MPANH1A PERNAMBUCANA.
DE
NikTegaco costclra por vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Cear, Acarac e Graiga.
O vapor Ipojuca, commandante
Martins, seguir para os portos cima,
no dia 30 do corrente as 0 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 29, encorn-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as
2 horas da tarde do dia da saluda no escriptorio
do Porte do Mattos n. 12.
At o dia 30 do corrente mez esperarse dos por-
tos do sul o vapor francez Navarre, commandan-
te Massenet, o qual.depjis da demorado costume
seguir para Brdeos tocando em Dakar (Gore) e
Lisboa.
Paracondi^ies, fnetes epassagens trata-se na
Lisboa
Scgnc com brevidade a barca porUigueza Perei-
ra Borget por ter parte da sua canga prompta :
para o restante c passageiros, trata se couiOlivci-
ra, Ptthoa & C, largo do Corpo Santo n. 19.
LEILOES.
DE
211 (larris rom manleiga ingleza
sabir da alfaudega,
MI
O agente Pestaa far leilaopor conta e rise
de ((( em pertencer do 2o barris com superior
manteiga ingleza, sabir da alfaudega. Sera ven-
dida, a lotes de um barril ou conforme os licitantes
Quarta-feira 28 do corrente
s 11 horas da manhaa, no brgo da alfaudega,
jauto ao armazem do Annes.
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 27 DE ABRIL
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDK.
Assucar mascavado bruto americano3400 por
arroba (hontem). .,.. t
Assucar mascavado Canal = 3lo0 por arroba
(liontem. .
Algodo da Parahyba 1- sorte18*200 por arroba
posto boi-do a frete de 5/8 d. e 50/0 (hontem).
Couros slgalos verdes 165 rs. por libra (non-
Cambios sobre Londres 90 d/v 18 5/8 d. por
1*000 (hontem).
Cambio sobre Pars 9 d/v 515 rs. por franco
(hontem). .
Cambio sobre Hamborgo 90 d/v 960 rs. por
ni. b. (hontem).
Cambio sobre Londres 90 d/v 18 3/4 d. por
UOOO(hoje),
Oesconto de letm=8, 9 e 10 0,0 ao anno.
F. J- Silveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
CASADECAMBIO
Teodoro Simn & 0.
Compram e vendem por conta propria
metaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
letras de cambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontara letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaeces, da cobranca de letras da
trra e de outros titules commerciaes.
Recebem quaesqner quantias em deposi-
to, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Corpo Santo n. 21.
ENGLISH BANK .
Of Rio de Janeiro Limited
Desconta lettras da praca taxa a con-
vencional1.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 27
Rio Grande do Sul29 dias, brigue brasi-
leiro Saliy, de 210 toneladas.capito Joa-
quim Fer'nandes Colbo, equipagem 12,
carga 42:000 arrobas de carne; aOlivei-
ra Filho d- Companhia.
Rio de Janeiro12 dias, brigue brasileiro
Izabel, de 313 toneladas, capito Joo
Marques Vianna, equipagenr 12, carga
1700 saceos com farinlia de mandioca e
outros gneros; a Antonio Luis de O.
Azevedo C.
Portos ^o Norte8 dias, vapor brasileiro
Paran, de 850 toneladas, commandante
capitao de fragata Santa Barbara, equi-
pagem 62,carga dilTercntes generosa An-
tonio Luis de 0. Azevedo & C,
Terra Nova26 dias.paticho inglez Haidee,
de 153 toneladas, capito T. Elliott,
equipagem 8, carga 2200 barricas com
bacalho ; Saunders Brothers & C.
Terra Nova29 dias, barca inglez Meteor,
de 247 toneladas, capito Jones, carga
3252 barricas com bacalho ;'a Saundera
Brothers & C.
Montevideo37 dias,barca ingleza I.R. Heos
de 545 toneladas, capito Folker, equi-
pagem 12, em lastro: a Tbeodoro Just.
Southamplon e portos intermedios18 dias,
vapor inglez Douro, de 2824 toneladas,
commandante Woolevard.equipagem 420,
carga differentes gneros; a Adamson
Howie & C.
Navio sahidt) no mesmo dia
Rio de Janeiro eBahia vapor inglez Douro,
eommandante Woolevard,
anta Casa de .Hisericordia do
liecifc
Pela secretaria da Santa Casa de Misericordia
do Recife se faz publico que a Illma. junta admi-
nistrativa cm sessao de 8 do corrente resolveu que
fossem convidados os paren'es dos orphos cm se-
guida declarados para virem requerer a presiden-
cia a sua retirada do mesmo collegio, visto que ja
tendo completado a idade de 14 annos nao podem
all continuar como dispoe o respectivo regula-
mento. ... .
Francisco Pereira de Araujo, protegido do viga-
rio Camillo de Mendonca Furtado.
Francisco Antonio do Monte.
Antonio Leocadio do Reg Barros, filho de Ignez
Maria de Mello Reg.
Lanrindo Fortunato de Menezes Lyra, fllno de
Gertrues Lourenca de Araajo. "
Secretaiia da SanU Casa de Misericordia do
Recie 9 de abril de 1869.
O esenvao, *
9 Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa da Misericordia
do Eecife.
A Illm junta administrativa da Santa
Casa da Misericordia do Recife, precisa con-
tratar com que melhores vantagens offere-
cer, na sala das suas sessoes pelar 4 horas
da tarde do dia 29 do crrante, o forneci-
mento da carne verde que houverem de
coosumir os estabelecimentos seu cargo
nos mezes de maio e junho.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia
do Recife, 26 de abril de 1869.
0 escrivo
Pedro Rodrigues de Souza.____
O inspector interino .da allandega faz
publico* que do Io de jullio prximo futu-
ro em aiante, ter vigw awtecreto n. 4343
de 22 de marco do corrente anno, man-
dando executar a nova tarifa das alfande-
gas e suas disposices preliminares. E
para que chegue ao conhecimento dos in-
teressados, se manda publicar o presente.
Alfandega de Pernambuco, 2i de abril
de 1869.
O inspector interino,
L. de C. Paes d'Andrade.
Na dia quinta-feira 29 do corrente, depois
de finda a audiencia do juiz de paz do segundo
districto da freguezia da Boa Vista s 4 horas da
tarde, teem de ser arrematados diversos movis
por execucao de Virialo de Freitas Tavares, con-
tra o sen devedor Jos Maria da Silva Machado.
No dia 30 do corrente mez de abril, depois
da audieneia do Illm. Sr.- Dr. juiz de orphaos c
ausentes, tem de ir praca por venda urna grande
casa terrea e sitio com bastantes arvorodos, situa-
da em chao foreiro, no lugar do Giqui, freguezia
dos Afogados, avahada por 4:000000, cuja caa e
sitio vai praca por execucao que move Francis-
co Goiw#vea etto em qualidade de' tutor du e-
nor Aribur, filho do fallecido Manoel Pedro de
Mello, contra a heranca do fallecido Antonio Joa-
juim de Mello.___________________________
l:ise(*vrio do arsenal de
niarliiha.
Faz-so publico que a commissao de perito,
examinando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de o de fevereiro de
1834, o casco, machina, caldeiras, apparelho,
mastreaco. veame, amarras e ancoras do va-
por Coraripe da companhia Pernambucana de na-
vegado costeira, arhuu todos esses objectos em
estado de poder xapor navegar.
Inspeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co 27 de'abril de 1869.
inspector,
H. A. Bubosa de Almeida.
(MPAIU BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 1 de maio o vapor
Tocantins, commandante J. M.
Ferreira Franco, o qual depois
da demora do costume seguir
parados do norte. -
Desde j recebemase passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder onduzr. a qual devera
ser embafcadano diaesuichepaila. Kncomnien-
das c dinheiro a frete al o dia da sua sahida as 2
horas. ,
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lemos de pequeo valor eque nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
I-andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo St C. __________^__________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco costeira por vapor.
Macei, escalas e Penedo.
_^>i-|i o vapor Giqu i a, commandante Aze-
AXL vedo, seguir para os portos cima no
-JeSHK dia 30 do corrente as 5 horas da
tarde. Hecebe carga at o dia 29 a 3 horas, en-
commendas, passagens e dinheiro a frete at as
2 horas da Urde do dia da sahid no escriptorio
do forte do Mattos n. 12.
LE1U0
de tnoveiz, louca e vidros, a saber:
1 mobiHa de Jacaranda, 1 jogo debacatela,2
candkiros a gaz, 4 casticaes e mangas (gosto mili-
to antigo)) enfeilqs para eima de mesa, tapetes
mappas e vistas importantes, 1 guard-roupa, 1
mesa de jogo, jarros, quadros, 1 cama franceza
de Jacaranda, 1 dita de amarelto, 1 berco, 1 mesa
elstica, cadeiras, louca para jantar, 1 qaarti-
nheira, 2 cabides, 2 aparadores, canas de ferro, 1
silhao. 2 pistolas e outros objectos
Quarta-feira 28 do abril de 18C9, nos pnmeiro e
sepundo andar do sobrado da rna da Cruz
n. 53.
Por intervencao do agente Pinto.
Desde j se previne aos compradores dos ob-
jectos cima mencionados, que deverao tomar
centa dos mesmos lindo o acto do leilo, visto ser
preciso entregar as chaves da dita casa no dia 28
do corrente.
Principiar s 10 horas.
LEIliO
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
EDITAES.
O Dr. Tristo de Alenear Araripe', official
da imperial ordem da Rosa, e juiz de
direito especial do commercio nesta ci-
dade do Recife de Pirnambuco, por sua
M. I. etc etc.
Faco saber aos que o presente edital
virem e delle noticia tiverem, que por este
juizo especial do comiiercio pendem uns
autos de execucao de sentenca de Jo|o
Gomes da Cruz, "contra Antonio Jos Bra-
ga: E tendo-se eito a ratificacao de pe-
nhora j4 feita em dinhejp, existente no de-
posito genrt,i^n*MeBnfca ao .executiAfe
Perante a cmara municipal desta ci-
dade, estar em pra^a nos dias 22, 26 e
29 do corrente, para ser arrematada por
quem menor preco offerecej, a obra dos
reparos de que necessita a estrada munici-
pal que conduz povoacao da Varzea, or-
eada na. quantia de 330*000: aqoelles que
pretenderem arrematar a dita obra, podem
comparecer em os mencionados dias. no
paco da mesma cmara, munidos de fiador
idneo.
0 orcamento acha-se na respectiva secre-
taria, onde pode ser consultado. -
Paco da cmara municipal do Recife, 19
de abril de 1869.
Bardo de Muriwm
Presidente
Francisco Canuto da Boaviagem.
Secretario.
No .da 58 do corrente mez, depois da au-
sencia do Illm.Sr. Dr.juiz municipal da segun-
da vara tem de ir em praga para serem arrema-
tadas as casas teri'eas. seguintes da freguezia dos
AfogadoS: a daTua do Maxixe por 160, da xa
doJAotocolomb n. 33 por 4805, a don. 59 A na
mesma juaBO, a de n.5 no porto de I
THEATRO
S. ISABEL.
EJttPREZA DRAMTICA*
DE
5}(D\3?a 8(DW2J3a&.
Quarta-feira 28 de abril de 1869.
Primeira representaclo do gi ande e apparatoso
drama de Mr. Buehardy, divido cm 1 prologo e 4
actos
0
Personagens do prologo.
Cosme, de Mediis. Sr. Thomaz..
Haphael Salviali.
Jaliano Salviati. .
Jacome, taberneiro.
Judael de Mediis. .
Bantista, esbirro.
Caleotto......
Um agnazil.....
Matheus. -
Nativa Pazzi.....
Lamdort-s, esbi^os etc.
XavegaeSo costeira por tapor;
Fernando de Notonba.
O vapor Giqui, commandante Azevedo, seguir
para o porto aeima no dia 10 de maio, ao meio da.
Recebe carga al o dia 8 s 3 horas da tarde, en-
commendas, passageiros e dinheiro a frete at as
10 horas do dia da sabida, no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12.______________________
Para o Porto
Seguir com a maior brevidade possivel a mui
conhecida e veleira barca portugueza Segvranca
por j ter a matr parte.de seu carregamento en-
fajado; para o resto e passageiros,, aos os quaes
ollerece ricos e excellentes commodos, trata-se
com Cunha Irmos & C, ra da Madre de Dos
n. 34, ou com o aapitao a bordo.__________,
Para o Porto
pretende seguir com a maior brevidade possiyal a
mui conhecida e veleira barca portugueza Um-
dina por j ter a maior parte do seu carregamen-
to engajado ; para o resto e passageiros, para os
quaes ollerece ricos e excellentes commodos, tra-
ta-se com Cunha, Irmos & C, ra da Madre de
Dos n. 34, ou com o capito a bordo. ______,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
tfavegaco costeira por vapor.
Mamanguape.
O vapor Coruripe, commandante Penna, seguir
para o porto cima *' dia 28 do corrente as 6
hars da tarde, recebe carga, encommendas, pas-
sagens e dinheiro a frete at as 3 horas da tarde
do dia da sahida no escriptorio do Forte do Matos
n. 12. j,______________
De fl:i.v* en dividas
O agente Martins far leilo por autorisacao dos
procuradores dos herdeiros do espolio do subdito
portuguez Joaquim Francisco da Silva Coelno das
dividas cima pertenecntes ao mesmo espolio.
iioji:.
No armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
horas do dia.__________________________
LEILO
U)e um relogio de prata e corrente, urna
fivela, um anel de ouro e cm bah com
roupa usada.
O agente Martins far lcilao dos objectos acuna
por ordem do Illm. Sr. Dr. cnsul de Portugal
pertencen es ao espolio do subdito portuguez An-
tonio Joaquim Pereira de S.
Sexta-feira 30 do corrente.
No armazem da rna do Imperador n. 16, as 11
horas do da. _____
LEILO
De tres terrenos devoluto e um delles alagado na
travessa do Trindade.
Um terreno n J52 na ra Imperial onde tem casa
Francisco das Chagas.
Um dito n. 142 na mesma ra onde tem casa li-
burcio Valeriano Baptista.
Sexta-feira 30 do corrente.
O agente Martins far leilo por ordem do Illm.
Sr.Dr. cnsul de Portugal dos terrenos cima
pertencentes ao espolio de Joaquim Jos dos San-
tos Andrade. IR .,
No armazem da ra do Imperador n. Ib, as u
horas do dia.
AVISOS DIVERSOS.
J. Augusto.
P. da Costa.
Brochado.
C. Rocha.
Florindo.
Jos Victorino.
. Santa Rosa,
i) Jordanl.
Sra. D. Julia.
- Precisa-se de um feitor para um pequeo
sitio a tratar com Antonio los Rodrigues de
Souza, na ra do Crespo n. 15, ou em seu sitio no
Monteiro._______________:-------
PITO
im. ."un <"* *">*) --- ----
lomba oor SOOMtodas eom abatiment ia quinta .
paite, por jitereniid*a-pra.a pela, avaliaco e A sana passa-se na estrada
,,,,oi.w r="i -i -luetitioradas aosherdeiro de Victoria Teixeira i**o.
fr* palo solicitador Manoel Luiz da Veiga, E,,e ^r ex0, vntonlo Alvos de MiraWa I o <
procurador doexequenle feitooreqarimen-1Guimares, a nfflma praja.
RA
CABUGA
esquina
de Flonmca
Sr. Thomaz.
era
Para o indicado porto pretende sahir em pou-
cos dias a veleira e bem conhecida barca Social
capito Rocha, por ter a maior parle do. seu car-
regamanto prompto, e para o resto que lne faiu
e passageiros, para es quaes tejabons commodos,
trata-se coas o consignatorio JW(oiinJose uon-
Calves Beltrao, rna do Trapiche n. 1-7.______-
IN STITLTO ARCHEOLOGICO EGEOGR VPflKO
Baha
Impreterivelmente nestes poucos das sabe o pa
Ihabote Garibaldi para a Babia : para carga tra-i
lase com o capito Custodio Jos Vianna, oo-jao
escriptorio de Tasso Irmos. ?
Haver sess3o ordinaria quinta-feira 2
do corrente mez pelas II horas da ma-
nhaa.
OnflKM DO WA
e mais trbateos de coamis-
do Instituto, 26 de abril do
Jos Soares de Azevedo,
Secretario perpetuo.
Precisa-se de urna ama para a de homem
soltciro : na ra da Praia n. 4*.
Pareceres
ses*
Secretaria
1869.
JWNEL DE OURO
BA
EO
LOJA OES JOIAS u ffl
I ^uiu* Este importante estabelecimpnto no seu genero, tem sempre um sortunento sem igual, i ^
, e vende por precos que nenhuma outra casa pode vender. ida ra larga do[U
da ra larga do to J qualidade e do preco das joias cada um pder-se-ha convencer ^-verdade.! n
Rosario. Garanten ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e pedras finas por precos mmto ele- Rosario. ffl
vados. nj
A loja est aberta at |: 9 horas da noute.


Diario de Pemambuco Qoarta eira 28 de Abril de
JL
Atfc&icfi \ Attentfio
Na roa de Hwtas.sasa de pasto n. io.foroece-se Previne-se ao publico que nao fa^am raosac-
eoniidapara qualqu>r pessoa com assoio e prom- cao alguma coni a taberna da ra das Cinco Pon-
ptjiao ; tambero recsb.e assignautes por menos do tas, perlenceutc ao Sr. Antonio Joaquim da Costa,
que em outra qualquer parte. > por exisiir urna accao e n juizo contra o mesitio
onde pode ser procurado qualuuer hflra Procisa-se de urna ama que saiba eozinhar : *fc G(
do fita ou da nuutc.
O r.aa BaptistaCasanoYa,
medico homeopatlia, aclundo-se restabe-
leciiJo da grave molestia que soffreu, conti-
na no exercicio de sua profissao, ao pateo
da matriz de Santo Antonio n. 2 sobrado,
ATTENCVO
Nos abaixo assignados, Antonio Louren-
co Collares, Jos Lourenco Collares, mora-
dores nesla culadc do Ico, e Manoel Fran-
cisco da Cunta, moradoj; na cidade do
Aracaty, fazemos sciente ao respeitavel pu-
blico e com especialidade ao corpo do com-
mwcio, qae temos dissohido a sociedade
que tinhamos com a firma Cnnha'e* Irmos,
Bcapdp toda passivo da extincta firma,
cargo do ex-socio Manoel Francisco da Cu-
nta : e fica formada entre nos urna socie-
dade commercial. sendo seu gyro por de-
baixo da" firma Collares Irmao & C. e seu
domicilio nesla cidade, na direccSo dos
socios Antonio Louiviico Collares, e Jos
Lourenco Collares, e na do Aracaty ao so-
cio Manoel Francisco da Cunha, encarre
gado de promover tolos os negocios que
entender bem dos interesses da niesma
sociedade. Declaramos mais que o socio
Manoel Francisco da Camba, Bca com seu
estabelecimento commercial na mesma ci-
dade do Aracaty, continuando ci a firma
Cunha A Irniaos, inde])endento do contrato
em 4 do corrente da firma Collares Irmao
AC. ficando esta sem rcsponsabilidade al-
guma pelas suas transai.-oVs.
Esperamos abaixos assignados a eonti-
nuaco da confiaiicii doque gosavam. Ico,
ri de Janeiro de I8(j!>.
Antonio Laureano Collares,
Josi' Lamento Collares,
Manoel Francisco da Cunha.
na ra djLivranienlo n. 18.
m
.los Antonio Ifacedo Lodos declara que nada ;
deve da extincta firma de Vasconcelos & Lopes'
desdo dezembro do anno prximo passado.
Attenco
Aluga-se
ou arrcnda-styim sitio com muitos arvoredos de
fructo, cum grande casa de vivenda, com'cocheira,
estribara, e quinos para criado e feitor, cacimba
com muito boa agua de beber e tanque, defronte
da eslacao do Caldeireir : a tratar na Boa-Vista,
ra do Mondegon. SI.
Praneiaeo Galllo tendo (jferdido um docu-
mento que o banco London A Braslan Bank Li-
mited lite passon sol o n. 1200, como recibo de
ter elle reeolbldo ehi o dito banco em 23 de abril
do corrente anno, a quautia de 600J. Previne a
qualquer pessoa que o possa ter adiado, ficar este;
documento sem valor lgum, por j se ter entwi-
dido com o mesmo lianco, de nao pagar a nenco-!
nada quanlia, i outra qualquer pessoa, seuo ao,
prqpeio annunciaule.
* Aluga-se um sitio na estrada do IJosarinho com
boa easa de vivenda, arrommodaroes para escra-
vos, cocheira, estri > cacimbas, tanque,
duas baixas para capim :quein o pretender alu-
gar dirija-se a praca da Boa-Vista botica n. 6.
m
O conselhciro Joo Silvera de Sou-
za, tem aberto o seu escriptorio de
advogado, na ra do Imperador n.
41 primeiro andar ; entrada pelo
becco.
Escrava cozinheira
Mi
Caf Santa-Isabel
Precisa-se de urna escrava boa cozinheira e de
bom comportamento, paga-se bem : na ra dos
i Pires, sobrado n. 27.___________.
Procisa-se alugar urna ou duas escrava que
sejatn boas traitandeiras, c paga-se bem : qqetti as
tiver dirija-se a ra Imperial n. 27, que ah aeha-
O dono deste estabelecimento previne ao respei- r com quem tratar.
tavel publico e principalmente aos seus numero- -----.-----------------------
sos freguozes, que mudou seu estabelecimento de Precisa--o la.lar ao 5r. Domingos Goac^lvea
dep< sito de cerveia nacional da fabrica de Henrl- Murca a negocio do sm interesse : no esdHptorio
que Leiden c C, da ra da Florontina n. :t de Joaquim Gerardo de Bastos, ra do Vigario n.
para a n esma ra, esquina da ra de Saua-Isa- 16, Io andar,
bel n. 2, onde aeharao todos os dias lunch, cale,
soneto, e recebe quilqiicr encommenda de al mo-
co, jantar. ele. O dono dcsie estabelecimento es-
pera do publico peruambocanu a sua concorren-'.
cia.
ue
AMA
OECLARAQAO
O abaixo assignado rera-se com sua senhora
para Europa, e deixa durante sua ausencia, omo
seus bastantes procuradores : em Io lugar o Sr.
Joo Fernaudos Lopes, eucarregado de todos os
seus negocios; cni 2 lugar o Sr. los Faustino de
liemos ; e em 3" lugar o Sr. Dr. lonre Dentellas
Hibeiro Pasan. Declara que at esta data nada
deve. Hecife 26 de abril de 1869.
Julio Cesar Pinto de 01 iwira.
OfJ'erece-se
um liomem com pratiea de jardim e plantacies c
tainbemde cosiflhar : rtratar defroute de Santa
Thereza n. 27.

Precisa-se de urna ama : na ra do Crespo n.
18, 2o andar.__________________________
HoJolpho Krukenberg e sua senhora pela
repentina viagem ao sul do imperio c depois a
Europa, nao tiveram tempe, de despedirle de
seus amigos do que pedem desculpa.
(OfflPAKHIA PEMAMBGAM
i'i "_^:_m
DE
Alcgrai-vns myoprs, e ptoafcytas, j po-
dis verde looge, ja podis ver de porto,
nao ha mais vistas curtas, nem caneadas.
F. J. Germann acaba de receber pelo ulti-
mo vapor um rico e variado sortimento de
oculos, lunetas, pwce-nez, face--main,
lorgoons, de ouio, prata, tartafuga, mar-
lim, ago, bfalo, ncar, unicornio c mel-
cbior ; assim.como binculos de una a tres
mudancas para theatru,' campo e marinba,
8 e 12 vid ros. "tudn don memores ralirl-
cantes da Europa.
O mesmo vapor trou-
xe urna exceilente ma-
i luna para graduar t
observar o numero dos
vidros que se necessita
conforme a vista de
qualquer pessoa.
Tem excelleutes sterioscopos, instrumen-
tos de maUomatica, barmetros, vidros de
cbrystal de rocha, e de cores para resguar-
dar a vista ; concerta todos os objectos a
presos commodos e com promptido ; tira
o mofo dos vidros e cncarrega-Se de toda a
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os excellentes relogios i
do axitigo c afamado fabricante Roben Gerth
& C, os quaes vende precos commodos
garantirido a sua superior qualidade.
cada par. c baratisso
ssnnS
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIIhi FREElilCO & C.
Acaba de cliegar a este inereajlo urna porijao
deste ptimo rapt, uuieo que pode supprir falla
do princesa de Lisboa por ser de agradavel perfu-
me. E' fabricado pelo systema do Areia Prcta,
porm tem sobre este a vantagem de ser viajado,
o que para este artigo urna especialidade. .as
pracas da Babia, do llio de Janeiro e outras do
imperio tem o la pe Popular sido "assas accolldo,
e provaveliucnte aqui tambem o sera, logo que
seja coiihccido c apreciado. Aeba-se venda
por preco conimodo, c para quem comprar de o
libras para cima, far4e-ha um descont de 5 0/0,
e de 500 libras para cima o de 8 0/0: no cscrip-
f-torio de Joaquim Jos Goncalves Bchrao, ra do
Commcrcio n. 17.
Trocam-so
ts notas do banco do Brasil e das caixas filiaes,
xim descont muito razoavel : na praca da Inde-
lendencia n. 22._______________________
Foriiiro e amassador
Precisa-sc de dous homens, uai forneiro eoutro
. i amassador, para una padaria na provincia do Rio
10 vapores, (5 inteiramcnte novos, e destes o ultimo esta (,.an(jc d0 jorte : quem estver nestecaso, pode
COrtSEIillO E IIKEt < lO
Os 'Sentares.--- Saun^ers Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonio'de Siqueira.
|<:imi:vri:
0 SE F. F. BOEGFS
Restando aii dtemittir alguma* acedes d'esta companliia, dji quantia nominal de
200(KtO cada urna, da quaes s se aceitam em virtude da Ici, 20 /0, ou 405000 por
jada accao; comida-se pelo presente ao publico em geral e especialmente aos Srs.
'apitalistas e nteressados no comfnercio, que queiram dar emprego seguro os seus
apilaos, disponiveis, a subscrever o numero de acedes que Ibes approuver.
Algumas destas acedes ja tem sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
de na presente occasiao (conhecidamente a melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr em objectos de valor real, como vapores, predios etc., que llies garan-
tan seus capitaes.
A companjiia possue boje
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
RA DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR.
Sacca' por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, e sobre os seguin-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
*Villa Real.
Villa-Nova de Famalic2o.
Lamego.
Lagos.
Covilha.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Be ja.
Barcellos.
m
UTIIIDAUE v_
As500 pares de Brincos.
- Chegou e vende-se no Coraco
d'Ouro, ra do Cabug, brincos de
mosmbas com urna franja penden-
te a um rico desenho e ouro de
lei, pelo pequeo prego de 15000
BARTHOLOMEII
PARA USO INTERNO
PREPARADOS SIMPLES
Xarope de jurubeba garrafa. l
Vinho de jurubeba garrafa. U
Pilulas de jurubeba vidro. ifit
Tintura de jurubeba vidro. 64(
Extracto bydracoolico de jurubeba. 12)5500
PREPARADOS C0.MP0ST0S.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 15600
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2^000
Oleo de jurubeba vidros. C40
Pomada de jurubeba pote 640]
Emplastro de jurubeba libra. 2#500
PARA USO EXTERNO
u M JURUBEBA*
t planta hoje recanhecida como o mais poderoso torneo, como um excei-
lente jjesobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do figado e baco, Das
hepatites propriamente ditas, ou anda complicadas com anazarchas, as infiarrimacocs
subsequentes as febres intennitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores giandulosos, na anazarcha, as budrope-
zias, erysipellas ; c associada as preparacoes ferruginosas, ainda de grande vantagem
nas anemias, chloroses^faltas de menstruafo, leucorrheias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade rganica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos afflrmam os mais distinctos mdicos
desta
cidade. entre os
, Sarment, Seve,
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca,
Pereirado Carmo, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excelencia d'esle
poderoso medicamento sobre os demais al hoje conhecidos para todos^os casos citados,
tanto que todos os das fazem d'elle applicaco.
Apresentando aos mdicos e ao publico em geral diversos preparados da juru-
beba, tivemos por fim generalisac mais o uso d'este vegetal, fazendo desappatecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, e
mais das vezes repugnantes a iragarem-se, e que tinbam ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dose convergente a applicar-se, o que torna muitas vezes improlicao um
medicamento, que poderia prodirzir ptimos exultados.
Os nossos preparados s foram aprontados depois de hatermos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bemeonhecer aspro-
priedades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, folhas, fructas ou bagas, e a
|dosc conveniente a applicaco, tendo alm d'isto procurado levar os nossos preparados
ao rnaior grao de pcrfcie5o possivel, para o que nao poupamos esforgos, nao nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.-
Por tanto os que se dignarem recorrer aos nossos preparados podem ter a
i chegar de Inglaterra, onde foi construido expressamente para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d"As-
sembla.
Seus dividendos tem sido de 10 % ao anuo, nos ultimos i atmus.
As acedes que se emittirem gozara dos mesmos direitos, e perceberSo o beneficio
ios mesmos dividendos que os antigs cm proporcao da entrada.
Recebeu-se assignaturas no escriptorio da companhia no seu edificio ao caes da
Assembla n. 12
tratar un escriptorio de Tasso Irmao?. ra do A-
i.M ioi, devendo da/ conuccimentp de sua conduc-
ta e de sua pessoa para o mister que se quer.
Trilhos Urbanos de
Olinda.
Os abaixos assignados, membros da di-
rectora da assembla ds subscripto-
res para a companhia dos trilhos urbanos
desta cidade do Recife a de Olinda com
ramal para o Bebjeribe, couvdam a todos
os Smb subscriptores, para que no prago
de 15 das (a contar-se do Io de maio pr-
ximo futuro) f^am eiVecliva a entrada de
5 por 0| sobre o numero d'accdcs que ti-
verem subscripto : aquellos que dentro
do termo de 15 das marcados nao tivereml
realsado da entrada dita prestacao, a que
eslo sugetos segundo os estatutos da
companlH4,f8putai'-se-h.a ter l'eito renuncia,
tacita dos direitos que tinham sobrft as
icedes subscriptas.
A importancia dos referidos % por |0
seta paga aa thesoureiro da directora,
tasan. 35 da na das Cruzes, 1 andar, de
quenj receberSo o competente conheci-
meato, devendo para dito fim ser o
memo theoureiro procurado das 10 horas
da aanhaas 3 da tarde. A-importancia
m recebida pelo thesoureiro ser nlf
fim de cada semana recolhida a um dos
bancos desta eidade, reeebendo o thesou-
reire o colDpeleiite titulo da recolliimwito.
tocife 27 de abnt de 48*9.
Jos Joaquim Antunes
Presidente.
Luis Lopes Castello Branco
Secretario.
Amaro L F d'Albuque.
Thesoureiro.
tagei
riadas preparacoes, aquella que melhor Ihe pode convic, j pela fcil applicaco, e j pela
complicaco das molestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
Asnotsas preparacoes ferruginosas sao feilas de forma que se teman comple-
tamente soluyeis nos suecos gstricos, porque procuramos os compostos de kiro que
como taes esto boje reeonhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicaco de nossos preparados, destribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folhelo, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dos
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Botica c drogara
34Ra larga do Rosario3.
Candido Alberto Sodiv Ja Molla, ctnmeadiur
Jos Pereira da Cunta, aa losBflreJra da
Huntia Jnior, Firmino Pereira da CunTia, Joo
lereirada Cunba, Francisco Ferreira Bailar, Da-
vid Ferroira Bailar, Antonio Cardos-i de Quetroi
'niiseca, JosO Xaria Sodr da Molta. JoaTpaiin P.
Serodk), Samuel Maltiday c barao de Ntorelli,
possuidos do mais doloro"sosc!timon'o agradecem
a todos os seus amigos o calidos i obsequio de
assislirem as exequias de sua extremosa es
filha, irma e eunhada D. Candida Cecilia da Cu-
nha Mota. e de novo.rog.un a c*sas mesmas oes-
soas o espociai-fovur de assislirem a musa do '
dia que pelo eterno repouso de sua alma ser ce
lebrado na rapella de renterio
sexta-feira 30 do-rrcnte pela
nhaa.
Tendo montado urna completa offteina para concert e afinaco he pianos *
ndo contratado para o mesmo fim o experimentado contra-mestre Sr. A. Rastouii
cnegado da Europa pelo ultimo paquete.tcm a honra de 'recommendar este seu estabele-
cimento s Exmas. familias Pernambucanas, prometiendo promptido e perfeico no
trabalho.
lina Formosa n. 14
Frederico Maia
escola
Cirurglo tlcutista pela
de mediclua
do llio de auciro.
Tem a honra de participar ao respeitavel publi-
\cC",,hiZ't ^? aT* dcsta caPital e scus suburbios, c|uo tem aberto o
-i 7 h, roo 3ea gabinete de consultas e operares dentarias a
l- ra Direita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado todos os dias das 8 horas da marih'.a as
3 da tarde. Elleacha-se competentemente habili-
tado para com perfeicio "collocar denles artificiaes
por qualquer dos syslmas, o bem assim desempe-
nhar qualquer outro trabalho concernente sua
Melquades Manoel dt-s Santos l.uia oenvida a
todos os seus parentes e amigos e aos de seu ti-
nado tio e padiinho Antonio Flix dos Santos pa-
ra assislirem a missa que manda rezar na igreia
da ordem terceira de S. Francisco :us 1 horas da
manliaa do dia 29 do corrente trigosimo dia do
seu falleeimenlo.

O
h
Perdeu-se um relogio de ouro, pequeo, de
-abnele, com corrente, da estacao do Manguinbo
at a. rna 4a Aurora: a pessoa qne o aebon joe-
reado restitui-lo, ser gratificado na rna da Au-
rora n. 84. tj andar, un roa da Cadeia n. 16, ar-
aum de lutada.
Os abaixo assignados dissolveram amigavel-
meBle a sociedade auc cyrava e m Mamanguape Ha tambem uma boa bDOtheca e perio-
suba razao comptarcial d* Goales & C, licando '
pertencendo o estabelcimen*o ao ex-socio Gomes.
Pcrsambuco ti de abril de 1869.
Joo Ferreira da Costa Soares.
Joo Jos Gomes de Soma.
UlARtlRfA
nm RBSTAJiWiT
Annexos ao Hotel Central, ra estreita d
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a amnecer a variedade inflaiu
de cbaratos de Havaju, Babia, Rio, etc. mu.
neste nvo estabelecimento pre
que.^a-
existem
* DF.O GRATIA.
Luiza Alves, de Souza agradece a todas as pes-
soas que assistiram ao enterro de seu prezado fl-
Iho Jos Custodio Peixoto Soares, e o acoinpanlia-
ram at o cemiterio, com especialidade as irnian-
dades do Senbor Bom Jess da Via-Sacra de San-
ta Cruz, e a do Divino Espirito Santo de Oollegj'o,
pele que eternameute gTata. Itogando-lues ain-
da o caridoso obsequio de assistirepi a missa do
stimo dia, que ter ingar na igreja de Santa
Cruz, no dia 28 do corrente, peias f> horas da ma-
nha, com o que muito a penhoi na
Precisa-se de um criado
Santo Amaro : a tratar em a
numero 5.
cu o collegio de
ra do Couimei-.'i >
Fundijao da Aurora.
Neste vasto estabelcciniente senipre se encontra
um completo sortimento de taixas de feTo batido
e fundido, fabricadas recentementu, e se fabrican
de qualquer molde a vontade dos coiupradures, e
recos razpoaveis._____________
Em casa de THEODORO CHWSfl-
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontiam-se
efectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, Bourgogne e dQ Rheuo,
Precisase de uma criadalivre ou escrava
que saina coser, engommar e fazer os arranjos
profissao. 0 mesmo, reconJieccndo que nem sem- i domsticos de uma familia composla de i pessoa^:
pre possivel s senhoras ou crianjas sanirera a ( dirija-se a ra do Trapiche n. 14, 2 andar, con-
Dase 1:000000 a premio, com liypethcca :
na ra da Praia, terceiro andar, n. 47. se dir
quem di.______________________
Precisa-so de uma ama para casa de pouclt
tamiiia : na rua-doCaldeireiro n. &).
>'a padaria allemaa em Santo Amaro tra-
vesa do Lima ns. 2 e 4 se nrecia de um amas-
sador e doos escravos por alnguel.
procuuroremedor ofterece-se a remover qual-
quer obstculo, declarando que na cidade se pres-
tar a qualquer chamado sem que isso influa cousa
alguma na commodidade dos precos de seus traba-
lhos,e miando para fra delta assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, garantindo elle a
segurancae perfeicao de seus ditos trabalhos. Em
seu gabinete se encontrar constantemente excei-
lente nos dentifricio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgicos : ra Direita n. 12, primeiro
andar.
SEGUROS
MABITlIflQS
COVTRFOCO.
A Companliia Indemnisadora, estabelecida
esta prapa, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
ra do Vigario n. ?, pavimento terreo.
sulado francez.
0 encarregado da fa/tura da eapella
Joo de Abren de Una, pede
de S.
aos jogadores das
loteras prestes a correr para que se leinbrem de
coadjirvar com nn peqnena paite dMBremioque
tirarem por sorte a contin^can das roras da re-
ferida capella^anto mais sendo o dispensador das
inesmas sortef Para este nm podem se dirigir
ao Sr. Luiz Epiphanio Maurica, era prega do na
thesooraria das loteras.
A. A. Maciel.
Ama
Precisa-se de uma ama forra ou escrava par
comprar e[ eozinhar para uma caa de pouca ta-
milia : na ra das Gnes n. 28, Io aadar prele-
re-se escrava e paga-se bem agradando.
Ainda restam algumas coilec.;oes de
fiiograpbifls de alguns poetas, e outsos ho-
mens Ilustres da provincia de Pernambuco,
tres tomos escriptos pelo commqpda#or A.
i. dftMeUo: ra Augusta n. M+. ^^
Quem tiver e quizer trocar uma imagem da
Senhora do Carmo ou da Conceirao, dirija-s a
ra do Queimado n. 13, Io andar. '
ESCRAVO FGIDO
Ausentou-se no dia 21 de abril do cor-
rente, o escravo Andr, de cor prota fula.
com 2 annos de idade, natural do Porto
de Pedra, com pouca barba, e do altura re-
gular, tendo nas costas do lado esquerdo
uma cicatriz, levou calca de algodo azul
e camisa, mas a camisa tem listas brancas,
chapeo preto de fe I tro copa baixa, o escra-
vo foi comprado ao senhor do engenho do
Balalha, Lino Manoel de Castro AraiuY.
quem o aprehender leve a Fra de Portas,
ra do Pilar n. i 4, que ser generosamen-
te recompensado.
Rl'A LARGA BO ROSAjtO N, 37
Este acreditado estabelecimento augmenta
de dia em dia quanto possivel para che-
gar ao cume do bem viver.
Alm dos saborosos manjares ~ ionfeecio-
naduf com o melhor asseio, teija bellos apo-
sentos de hospedaje, Unte para uaaa s cindia*o* dos aoawicic* powposos
pessoa, como para numerosa familia. ramente s* fazem, redozin^-nos apen
A agua, indisper.savel elemento para a tres letras que s5g tfo^bbb bom, bonito<
vida e hygiene,. temo-la sempre em abun- barato. A' vista do genero annundado po
dancia para-facilitar exceikote* hanitos. de-se julgar de ne*sa varacjdade. Eat^cau
Ha tambem uma boa bibliotheca e perio- gosa tamijem das oondi?6e* de mn eletant*
Sendo ociosa qualquer recoaunendacao
para t5o acreditado estabelceimento, omit-
timos mais prembulos., fazendo ver por
im, que o bom servico, ordem e raoralida-
de imperam n'esta casa, como >
61 do regulaawinto qae, possue. o qntQto t
Oomedorias a la (rte. sarvete* rmedaaederefresca. Jengommar:
Precisa-se de uma criada que saiba
cosiubar e comprar, ra das Cruz u. 9
2 andar.
Gymnasio provincial
Precisa-se de dous serventes para toda a espe-
cie de servico centro e fra do estabelecimeatt-1.
peciaidadel para lanches e at fazer uma boa colacSo
juntamente com os principaes vinhos d(
mercado, .g#fftftthia# erti, o, ijobj aun
e fervenle champagne, o mui saborosb b
mesa. Fu*e w*
Tendo desapparecido o mulato Zeferino, de
idade 30 anuos, soffrendo de anemia (frialdado),
com os signaas. seguntes : cabello estirado, altura
regular, eheio do CQrpo, tem'o dedo do p direito
atetado Ojos oniros dedos, falla mansa; e oumo
consta que est aeoutado, desde j prote3ta-se
contra qualquer peasaa que o tenb em seu po-
der : quem Oupegar leve pharmacia do Pinte,
qne gratificara, ou ra de Santa Rila n. 12.
A quem precisar, veodein-sc liichas ambur-
guezas superiores, em grandes e pequeas por-
hoes, e tambem se alugam : na ra do Imperador
n. 28.
ATTENCO
O abaixo assignado declara ao corpo do com-
mercio e ao publico, que nao oi elle quem com-
proa a taberna sita no becco das Barreiras n. 19,
e que oi annunciada em um desses ultimos dias
*om sua asstgntura, mas sim o seu ex-caixeiro
Antonio Raposo de Alvernacs. Faz o presente
para evitar amidas futuras. Recife 26 de abril
de 1869.
_____A nofij. Agaituiko Secas, ja Fanceca,
Fartaram da casa do vigario da Boa-,Vl.
nm relogio de prata donrada, coberto, patente in-
glez n. 9405 do fabricante W. Brown Liverpool, e
um par de notoes de uro cortado para punhos :
pejle-se.. aos seabore relojoeiros. t ourives, ou
qualquer pessoa qne dellcs tiver noticia, o favor
de os apprebender ou participar na praca da Boa-
Vinho degestivo de
chassaing
COM
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excedencia para cora carta
das digestoes dMceis e completas, a calmar
as dores gastralgicas, e peparar as forcas
produwftdft lunaa&si^uAHio ampiela dos,
^M-Ae ana naque i cojnaar e M^tni jsendo maifom-m^tentg tnico,
ar; JM%lWjLtt?W. H-4m IMQk DO ROSAWO-34
RIO DE JANEIRO
Zeferino d'Almeida Pinto, advgado no
Rio de Janeiro e com escriptorio de agen-
cia na ra dos Pescadores? numero 68, en-
carrega-se de todos e qoaesquer negocios
judiciaes c administrativos, mediante hono-
rarios e commissoes rasoaveis e mode-
radas.
As pesas qua b seo- servidos se qui-
zerem utilisar, podwS) dirigir-se pessoal-
mente ou por carta ao escriptorio cima ou
casa de sua residencia, Cllele n. 172,
acompanhados de todos os documentos
precisos e com indicacao da pessea com
quem se possa tratar.
Para mais informacoes dirigam-se
tica da ra larga do Rosario n. 10,
cidade.
sgHgfMIWMIf38 su fM i
Advtgad
O hachare! JooBaftalbo Ucha Ca-
valcanti, actualmente incumbido das.
causas confiadas aos Drs. Joao Alfredo
erra de Oliveira, Francisco tixeira
de S e Joaquim de Seuia-Reis, pode ser t
procurado em sen esenptorio i>raca de-
""adro II (pateo do CoJIeg d. 2, fij
ar.
Engomnmdeira
. Law-se e ugoam-f*t peffcicio, porf-
en commodo : nrna db"Sebo n. 9.
" IVecisa-se de uma prett qae eowie e i i-
gomma, para casa de pouca familia : na rr^ do
Queimaoo n. 75. _______________
X quein praciBar. rua_dfcpMCadw' "-
, habas bapbrjjnea menor wim^o
ep grandes e pequeas porcoes tanl
fim.

,if
-
. i
-
v
^



K
-
. '
<
i /*
i. *

Diario de Pemaiubuco Quarta feira 28 de Abril d 1869
=
ESMERALDA
EMPRES
^,>
- '< /
Moreira Duarte & C. tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug^n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-lo ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
prapa, e por presos o mais resumido possi-
vel. Tambem compram ouro, prata e pe-
dras preciossas.
N. 5 WK M CABlfiA RSLl-
(SEM LIMITE.)
Na Iravossa da ra
das Cruzcs n, % pri-
mciro ani(|r, da-se (pl-
quer quantia sobrMiiro,
pula c podras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condices drga-
rantir a transacco que se flzer em
sua casa, promettendo todo e zelo
e considerado s pessoas que se
dignarem de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se oiMft
brraantes.
__lll!llllli k
Reste venda um escomido sortimento de ob-
ectus de niarcineria, como sejam, mobilias de ja-
baranda, magua o ama relio, obra nacional c cstraa-
geira, de apurado go-to por prec< razoave :
na ra estreita do Rosario n. 32. Nosta mesma
asa fazera-se com pereicao todos os trabamos de
paihinha, como sejam, cmpalhamentos de lastros
para camas, flfdeirase soplis.
Precisflte de una ama de
coslumes : a fallar na ra do Quf i..
fazenda? u. :ii. on nn OIhmIo, no pateo de S. re-
dro-novo, sobrado que vira para a ladeira da Se.
i'rccisa-se de urna am, livro ou cscrava para
una casa de cinco pessoas : na ra Nova n. 5-,
1 andar.
Aos devotos do mez
Mariano.
Na ra estreita do Rosario, sobrado de
um andar n. 5, preparam-se palmijfc arcos
capeliinhas e rosas propias pata nfeitar
os altares e oratorios, para o mez de maio:
eiifeilam-se as vellas com dores de cera, pu-
ra altar e faz-se toda eneommenda de flores
para fura, por mais barato do que em outra
qualquer parle e tem muiias flores promp-
tas para vender; enfeitani-se velas boni-
tas para baptizados e faz-se bouquets para
casamientos comcravos naturaes e as lilas
bordadas a auro, bouquets para c:.Hitar
belos, ludo Jfcr proco muito commodo e
preparam-so com todo acero bandejas com
bollir.hos linos de toda a qualidade para
casamentos e bailes._______________
O bacbarel Antonio dos Passos Mi-
randa nto se podendo despedir como de-
via de seus prenles mais charos, amigos
econhecidos pela tapidez de sua viagem
para o Para, o faz por Mffio desle oierc-
cendo-llies all ou onde a sorte o conduzir
o seu pequeo presumo e Ibes ruga dcs-
culpa por esta taita involuntaria e sensivel.
Joao Francisco l'eireira Jnior, tendo
contratado com Dionizio das Cbagas Pires
cotnprar-lhe a loja decalcado da ra do
Livramento n. 37, con .ida a iptem fr cre-
i'i da nresina a entenderse com o annun-
cianU; at o dia 30 do crrente. ...
le Icjto '!' ;-s
Quciinado, loja de
Advoeacia
O bacbarel Luiz Emigdio II idrigus Vanna iiiii-
dou o sea escriptorio de advoeacia da na da
'Jueimado para a ra do Crespo n. 12, primeiro
andar. ,
fc-
Precisa-so demma
penai na ra
ilo andar.
jmn ama pira casa d.
da Senzala-vflia n. s,
tima so
segn-;
DE
Afcrga.se yin sitio na Passagcm da Magdalena
ao pe do lugar do viveiro, com boa casa e militas
arvores de fructo : a tiaur com Francisco Igna-
cio Pinto, na ra jja Cruz n. 38, Io andar.
= u|ase urna negtinba de^l a i? annos
para o servido ile easa : a ra do Imperador nu-
n.ro 50, 3" "andar.
Pre$sa-se
alugar um sitio, ou casa com grande quintal, que
tenia eounuodos par-a grande familia ; prclwin-
dcHSC na freguezia da Boa-"Vista, Soledade, Estan-
cia o Alauguinuo : quem o Uver nestas comli-
ics, pode dlngir-se ra do Crespo, loja dos .Sis.
os Sanios Noves & Jriuo, ou a ra do Pires
n Mi, que adiar com quem ttalar.__________
Furtaram da Entrada-Nova sitio junto bom-
ba grande, ao amashecer na quarta-feira 21, um
burro castanho-escuro de tamanho regular, spju,
ferro de qualidade alguma; ten no encontr das
espacias urna taita de caliellos proveniente de
0 respcrtavel publico encontrar Resta officina babeis raestres e bei conbecidos i <\aniiia, e de-um lado do espinhaco um poqmno
, affiantando-se o melhor desempenlo conforme o gosto e vontade do toguez, ^4%c^^ffnSSSKSS
assim como a nimor pontualidade na entrega das obras; recebemos de Paris, por todos punga, onde iransit&va todos os di
os vapores, os miis modernos figurinos para nao haver nada a desejar; bem como noticias d'elle no sitio cima dito,
na arte
varias eHCommendas de casimiras modernas e outros artigos proprios para bomens;
temos grande Beposito de roupas fcitas e toda a qualidade, como sejam: camisas
li aneczas, inglezas, chapeos de sol de *eda trancada, o que ha de metbor, grande
sortimento de meias, colarinbos, punhos e grande novidade em gravatas modernas, e
finalmente completo sortimenlo de fazendas finas c roupas feitas, sendo os precos os
mais baratos possiveis. _
mente recomueusado.
diaa : quem dr
ser generosa-
D0ENCA5 das CRIANCAS
XAROPE de RBANO IODADO
! OE GRINIALT E C^PHARMACEUTICOS EM PARS
Este medicamento gou em Pars e no mando inteiro de ama fama justamente merecida, por
achaT-ee nmMKnte combicado nelle o todo com o sueco das oanlas antiscorbuticas, cuja efflcacia
bem conhecidac as quaes j naturalmente existe o iodo. E' com este motivo que ella suppre
com ventagem o Oleo de grados de Bacallio, que deve, secando os bomens scientificos, a sua
efiicaeia prese?a do iodo. E' preciosa no tratamento das crancas para corabater o Lymphalismo,
as obstrucedes das glndulas do pescoco, e as diversas erupgoes do rosto, tao frequentes nu
erianfes de pouca idade. Teaico e depurativo ao mesmo tempo, elle eceita o appetite, facilita a
digestao, reslitae aos teeidos a sua firmeza e vigor naturaes. E' cada dia receitado petos medios
especialistas paraeombater as diversas afece-oes da pelle. I
Deposito em Pernambuco, em casa de
DOENCAS DO PEITO
XAROPE d'HYPOPHOSPHITO de CAL
GRIMAULT e C'f pharmaceuticos em PARS
A effieacia d'eata preparaeao est estabeleoida desde < 857, petos mais eeleires medico*. Desde
ento muitas imitaoes tem sido feitas, mas aenhuma poude sustentar a comparacio com o
producto apresentado pela nossa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com orna bella cor de rosa, nunca branca, e com a soasa assignatara roda do
frasco.
Sob a sua influencia, a tosse acalma-se, os stores nocturnos-fas to e o doente volve rpida-
mente i saide. 0 sen empregod tambem os mais brilliantes resultados nos defluxos, catar-
rbs, bronchites, irrilacoes do peito, etc.
i Deposito em Pernambuco, em casa de ibnin O*.
(M DA mniNA
Aos 4:000^
Bilhetes garantaos.
A ra do Crespo n.23 e casas do costme.
O abaixo assignado toado vendido nos scus-mui-
to felizes bilhetes garantidos 1 quarto n. 2810
com a serte de V.OoJ, i rneio n. 2037 com a-sot'
le de 700, 1 inteiro n. 2021 com a sorte de.
2025, e outras muitas sortes de iOO*. 40* au.
da lotera que so acabou de exlraliir em Itcue-
cio da igreja de S. Sebastiao do Bonito <-M*2"),
convida aos possuidores a viwm rcober seu
respectivos premios sem os descontos das *is
na casa da Fortuna ra do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da 1* parte da lotera a
beneficio da igreja de S. Joao de Abreu de tuna
(103), qne se exlrahir quarta-feira 28 do >.*-
rente nuz.
Preces. '
Bhete.....4*000
, Meio.....2*000
Quarto.....1*000
Em porcae de 100* para cima,
Bilhete.....3*600
Meio......1*750
Quarto..... 87o
Manoel Martms Fiuza.
IJ
l
Pede-se ao Sr. Manoel da Costa Peretra,
(praticanteda repartrgo dae obras publicas,
ora em Jaboato; que compareca a raa
Augusta sobrado n. 102, afim de saldar o
seu debito ou pagar o que puder, e isto
com Tirevidade.
RNCiea-M alugar quatro eseravos para serveo
debaixo de coberla, paga-se 30* e-d-se comida :
a tratar na ra do Erum, saboaria4o Recite.
0 MUSEO DE JOIAS
A
GOMES DE MATTOS IRM0S
tende feito completa mudanza em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com ofimde
dar-lhe maiores proporcoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noute na
RA DO CABUGA N. 4
onde encontrario um completo sortimento o que ha de mais elegante,
bello e precioso em brilhantes, esmeraldas, ruj>iris e tudo que em obras
de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de no vos gostos, assim como grande variedade de salvas e pal Reros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos.de prata para uso las igrfejas,

Compram e trocam qualquer joia ou pedra preciosa e garantem
a qualidade dos objectos vendidos.
os Vital de Negro o, com loja e
oiliiMiia de ouriws a nta do Impera-
dor n. 30, vende, troca, concerta,
erompratodae qualajjer obra de
I ouro ou prata, por pn^o muito
jg| inaisbrlj que era oulra quakpior
m paite, para oque taya sompti) com-
M pleto sortimento dojoias deesme-
~ rados gostos e feitios, assii* como
tem bons artistas, para desempe-
nbar todo e qualquer concerlo cu
eucommeuda, no prazo menor pos-
sivel, e a contento, como sou
coslume, o ^ue tudo se faz por
precos coiMnodos.
^SWHMH
RIVAL -8EM SEGUNDO
Ra do Quetmado n. 49, loja de miudezas de
de Azevedo Maia eiiilva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, tudo bom e baratissi-
mo, que sao para acalar.
tuia de sabonetas inuito finos a 700 rs.
Pares de sapatos de tapete para, bomem a 1#80.
Ditos de tranca para creanga ap.
Tramoia do Porto, Iwrdada, a melhor a 200 rs.
Dita do Porto liza, da tnelbor qualidade a 100, 120,
160 e 200 rs.
Resma de papel alinaco, Iizo superior a 35200.
Dita de papel almaco pautado a 4#.
Livro de niisses abreviadas a 2.
CartiHias com toda a doutrina e muitas resas a
320 rs.
Silabarios portuguezes com estampas a 320 rs.
Raralbos tranceln muito linos a 200 e 240 rs.
Sabo inglez superior qualidade a IKK) e t&.
Gravatas pretas e de cuna minio lin:is a 900 rs.
Duzia do meias para sonhora, fazenda fina a 45.
Redes pretas lisas para segurar cabello a 320 rs.
Varas de transa de seda de todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos dourados com maozinba e pe-
dras a 320 rs.
Cart5es com Corchetes de duas ordens c s5o de la-
ti a 20 rs.
Almtuadnras de vidro para coleto muito finas a
20, 240 e 400 rs.
Pares de botos dourados para punhos a 1G0 rs.
Gaixas de peonas de ac muito linas a 21-0, 320 e
500 rs.
Cartoes com dos otos jardas de linha do fabri-
cante Aloxandr a 100 rs.
Gaixas de peonas de ac, a verdadeira penna a
13200.
Carrileis de linha Alexandre ns. 70,80, 100 at
200 a 100 re.
l'.aixas com superiores obreias do massa a 40 rs.
Carriteis com duas oilavas de retroz preto a 'O rs
Duzias de agulhas para machinas a 2-5.
Libras de precos francezes de todos os laiiiauhos
a 240 rs,
1-ivrosescripturados para rol de ronp a 120 rs.
ClfcCBS com papel amisadelimito fino.a 700 rs.
Gaixas com cem cnvelopes da meilioi qualidade a
600 rs.
Talheres para meninos muito boa fazenda a
240 rs.
ASTMA E PTISICA
Um oeieobrlmeolo espantoso!
0 xarope do fedegosfl, de Pernambuco,
preparado pelo pbarmacentico J. de A. Pin-
to, cura radicalmente a pthisica e aslhma, e
4odas as molestias dos pulmes.
I'odem ver-se os attestado* de curas no
nico deposito das preparacocs defedegoso
tste autor, ra larga do Rosario n. 10
to ao quartel de polici.
Vendem-se 37 saceos com farinlia 'i trra,
com mais de um al.ucire cada sacco : ra da
Praia n. 4.
COGNAd
De superior quatidaoa da mui aecredtta-
da fabrica de Bisquil Duboocb & C, em
cognac urna das que mais tgoardente
cognac, fornecem para o consummo
do
do
Reino da Inglaterra.
Veode-se em casa
cominercio n. 32.
de Tb. Just, ra do
Cal de Lisboa
Yende-se cal de Lisboa ehegada ha poucos dias
a'tralar na ruada Giaz n. 27, 1 andar, escripto-
ri'o ila Ramos & 'l'eiiii)i^l.
0 MEZ AMARA
Acabam de saliir luz e acbam-se ven-
da na livraria fiaiiw/.aA
OS CNTICOS E IIYXXOS DEVOTOS
PARA
0 MEZ DE MARA
Um volunte nitidamepte impresso em
Pars.
Ouadeinado detouro. i)600
Kncadernaco de mar-
roquim domado.......2(5500
XAROPE PEIR0P.AL
DR
RABO QE TAW
PLANTA DO BRZIL,
E' expectorante e rccoraniindalo tas
affecSes do peito, broncbte ebronica be-
moptise, e tosse chtocica.
PKEPARAHO
POB
Joaquim He Ameitla Pinto
PIIAUSI.% ( 12t TICO
Pernambuco ra lardo ao
Rosario" n. 10.
n
No collegio da Goiiceicao precisa-se
urna criada portugueza ; paga-se bem.
de
Recoinmenda-se a captura do escravo Vir-
gilio, (|ne no dia 12 de Janeiro fugio de bordo do
vapor Guar,'no porto desta cidade, tem os sig-
naes seguales : mulato, com 30 anuos, tem una
toa dentadura, e bom ollical do sapatero :
quem o capturar pode-o entregar uesta cidade ao
Sr. Francisco iguacio Piulo ra da Cruz n. 38, e
no Cear na tidade da Fortaleza ao seu senbor o
teneute-coronel Antonio fereira de Rrto Paiva,
que pagar generosamente a quem o pegar.
AMA
Prerisa-se-tle urna ama capaz para tedo a ser-
vico de portas a deatro ein casa de um egtran-
geiro solteiro : ra Kova n. 19. t" andar.
COMPRAS.
Com muito maior vantagem
Compra o Coracao de Ouro, n. 21)
, moedas de ouro e prata e pedias prec'osaa
Vende->e urna taberna na raa do filar n.
15 : a tratar na mesm.
Na praga da Independencia n. 3'.t, loja de ou-
rives, compra-e ou, [-rata, e pedras preciosas,e
tambem se faz qualquer obra de eneommenda,
todo e qualquer concert.
,
de superiores qualidades, a precos commodos : na
ra do Vigario n. 1G, Io andar, escriptorio de
Joaquim Gerardo de Bastos. ___
VENDE-SE
junto a villa de Touros. no Rio-Grande do Norte,
unta boa propriedade do trras virgens e frescas,
coiii rio cpente, e a melbor para agricultura,
com urna legua de comprido e meia de largo, de-
baxo de quatro marcos ; tem bailas para plantar
caima, sem perigo de secca, para um bom enge-
nbo. Alnj de outras pnulas, tem tresentos pos
de coqueiros, (|uc dao bons tractos. Veode-se a
dinbeiro, ou prso, todo o negocio so faz. Quem
o pretender dirija-se ao Sr. Odilon Garda na ci-
dade do Natal.
Tabellas vermicidas .
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efficaz, e prefet iwl a todos os
conhecidos, j pela certeza de seu resula-
ilo, ej pela fcil applicago as cranlas,
quasi sempre mais atacadas de ISo termel
e muitas vezes fatal soffi monto.
NICO DEPOSITO
NA
Phai'uiacia c erogarla.
PE
Barlhomeu & 6.
34Roa Larga do Rosarte ai
Vergonteas de pinito para mastarcs, vergas
e retrancas, todas de su|ierior qualidade. Tin!as-
Verde Taris, branco de zinco e pela, co luas de
14 e 28 libras, j preparadas, oleo do linhaca em
barris : no annazem de deposito da comparhii
Pernamtocana, no largo da Assembli'a n. 10.
Meias elsticas de borracha.
As melhores e exccllentes meias elasti
cas de borracha contra vari/ese crysipellas.
Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu C
34ra larga do Bcsario3 i
PINTO PlIARMACEUTltX)
\arope Se salsaparrtitiu do Para
ot
DEPURATIVO DO SAMilE
Vende-se urna taberna na povoaco dos A-
fogados, propria para principiante por ler poucoe
fuados, bem afreuezaa, o tem commodos para
familia : a tratar na mesma povoacao, ra Direita
n. 32._________________________________
Atteu^ao
Vende-seuma armaeao completa em muito bom
estado propria para taberna : na ra da Grnz
n. 3i.
Eetroz
Tem para vender Joaquim Jos Gon^alves Bel-
jro no seu escriptorio ra do Commercio n. 17.
0 muzeo de joias
Na rea do Cabug n. 4 cempra-se ouro, prata
e pedras preciosas por precos mais vantajosos do
que em outra qualquer parle.
OURO E PRATA
Compra-se oedas. de ouro e prata e
bem como libras slerlinas, na ra do Ca-
bug n. 9, relojoaria.
Compra-se moedas de ouro e prata, bem
como libras sterlioas por jnaior preco que
emutra parte: na ruado Crespo n.
primeiro andar.__________________
CARRAFAS
Compra-se garrafas de meia champague,
vasas: na botica da ra Larga no Rozado
n. 34.
CotBpra-se urna escrava peca de 18 a 28 an-
nos de idade, sadia, de c*fBcftf allantada, que
nao seia de ra e sirva para comprar, cosinhar
e engemmar : a trataf*raa do Bru n. S3, ta-
berna, ou annunce paVa se ir ver.
Vendem Augusto F. de Oliveira & C. ra d>
Commercio, n. 42.
Usado as inoleulcas de pelle, itApigcnt do-
res heuinatkas e ulcera^ mimas.
Ra larga do Rosario n. 10.
Fazendas de gado.
Vendem-se seis fazendas tic gado na r-
beira do Seiid, denominadas Boa-Vista.
Pe de Serra, Mulung, Mundo Novo, luga c
Serrote, todas muito boas de criar c de um
ser bem conbecido iaquella ribeira : os
prutendentes podem drigir-se tua do Vi-
gario n. 31, andar, escriptorio do Baro
de BemQca.
Cimento inglez
De primeira qualidade em barris grandes,
que se vende por menos do que em qual-
quer ontra parte; na ra Larga do Rozario
n. 34 botica.
lilil
commi 310.
As menores tabellas com indicador para de
momento se conhecer a reduccao exacta dos an-
tigos pesos, para os nossos. que c o kilograiuma.
assim eomo para conbecer-.e o'preijo correspon-
dente ao mesmo sistema de pesos ; acham-se
venda na ra do Imperador n. 28, armaiem do
Campos. Recommenda-se principalmente aos do-
nos das casas tic retalbo, padariaa. refinacoes, ar-
mazens de estiva, de carne secca, lojaa de ierra*
geas, fundices, trapiches, e a todos qne compram
1 e vendem a peso.
Vende-se a grande propriedade deno-
minada sitio Novo do Cavalleiro, em Tigi-
pio, freguezia dos ATogados, com casa de
sobrado muitas casas para^ se alugar, um
grande acude, sanzalla para escravos, estri-
bara, cacimba de pedia e cal, muitas arvo-
ii'S fructferas, trras para plaulafSo de
caima etc etc. Trata-se com Sevcrino Jos
Pilgueiras de Menezes, no Ciquia unto da
Barreira.
pandes,
saa nu-
FARIMIA DE
MANDIOCA
Vende-se farinba da lena em saceos |
por preso muo commodo : na ra da mc
mero 47.________________________
= Vende-se 1 mnleca |ic<;a do idade 18 anooe,
4 bonito mulatinhn de idade 19 annos, 2 seravas
boas liguras. perfeilas engommadeiras, e fazem
todo 6er\ico de casa,- 2 ditas con habilidades, 1
eseravo moco de idade 20 annos, na travessa do
Carmo n- -
VENDAS.
*
Farcllo
Vndese farello mutofino, saccen grandes a
44600 : na trrvessa das Cruzes n. 12.______
OMl
Vende-se um cayallo ai^stutiiado.a.traba-
Ihar em maquina de iraDalhar massas, muito
manco, tambem se vende a a mesma maquina
.ropna para padaria : na roa da Seiuala. Velp
pn 84. ________________________
Wl m H4K14
Veode-se este livro, edieo. -^dioaia aft
fallecido bispo D. Manoel de Medeiros, c-
teiido alera folodas as orac8ese'xemi '
u*ia grande colleccSo e versos e
adequ'dos festivdade do '/
ao preco de 4(8000 o eiemplar;
na de encaderna?Sk) n. H-7 vento de S. Francisco'
Livros de direito.
Vendem-^e os seguimos:Ortalam 7|000, Ou-
dot por 7, Baline vi, Lag/anjc laO0 ; e os se-
gnintes para preparatorios : Charni 4*, Barbe
38, Jeruse 1 i, Historia Sagrada 14, Historia do
Brasil 16, Magnum Leskum o*, Virgilio (3 to-
mos) 2>, Cicero li, Tito Livio li, Epiteme U,
Sltaxe Dantas i i, Atlas Gjographica o*, Gaul-
tier novo 34 na ra da Impera-iz, loja n. 58^
Taberna
Vende-se o estabelecimento sito no paleo da Pe-
nha n. 12, com poucos-fandoi, e u* commodos
para familia : a 'tratar no mesmo.
Vende-se un machina de, costura, nova.
milito bonita, por preoo muito em cenia, por sea
dono se retirar para lora, e o xaroqe de curar
molestias no peito j pronunciadas, vindo do ser*
''o, e Uan prodigiosa cealq a quea dos ca-
lilos : no Corredor do Biap* n. So,
Vendem-se duas casas terreas u mo
CKOJa cidade de Olinda, tendo urna frente para
ee Qiltro Cant-: i0mv^tmmm rtoo de 8. Pedro-novo, no sobrado da esquina n.
, que, ac^ai cenyauap iMHtav
Engento a
Vende-so o l i lHuBUjIMnnli t M-UnriilH- ala
emIpojuca; na ruado Jftuinento n. 19,
venda
COMPANU1A
Jlllil
f
Fabrica de teeidos de algodao de
Feruo YeJho.
O superir panno de algodao desta fabrica, mu
vantajosauK'Utjconbecida nesta provincia e na- de
l'ernaiiibuco, Iwahyba I!o de Janeiro, pela sea
peraico de toeido, elasucidade e fuitaltva, c^n-
na a ser vendido no escriptorio da mesina c
pankia. pra5a.de Pedro 2 desta cidade, casa n-
mero 4.
Afim de que os numerles e importantes Sintie-
res de engento, bem como os seubores expiriadi
res de assucar, tanto desta provincia como das
cima mencionadas, possaui cora facilidade pro-
ver-se das manufacturas desta fabrica, a gerencia
da companliia annuncia que as n vndanos
seguintes lagares :
Nesta cidadenoseu escriptorio c as casas dos
Sr*. Domingos Jos de Farias e Jos Nunes Gui-
maraes, ra do Commercio.
Em Pernambuoo-r-na casa dos Srs. Oliveira, Fi-
IhosAC.
No Pilarem casa do Sr. Jo5o de Albuquerque
Helio.
N Castanha Granden eaee do Sr. Norberte
Cavalcanti de Albuquerque.
Em Camaragibena casa do Sr. Joao Vieira de
Lima.
Alem do panno apropriado ao ensacamento do
assucar, a fabrica possue mais urna qualidade de
panno mui forte, adup^ena.tmstMna^tie tem os
seobores de eugenho do norte da provincia de
mandarem despejar nos.uapiehes de l'ernambutt
o assucar que afi vao vende*; eom o que os sac-
eos servem para muitas safras.
Para roupa de eseravo:. campo, e para toalhaa e. ln^ies do servico diario,
ha urna superior qualidade de panno de 28 polle-
adas de largor, muito lorte e espesso, parecen-
o-se bastante com meia. lona. Os precos sao. os
mais mdicos possivefs. Macei 30 de marjQ de
m____________.....
fAST1LHAS AISHffiMttMS
DB. PATEBSON
De blMHut c atagnezU.
Bcmedio por excelencia para combaltiT
a magre3a, facilitar a difeatao, fortificar
estomago etc.
DEPOSITO ESPECIAL.
Pharmacia deBarthoioineu 4 C.
34-----Ba larga do Rosario-----3*-_
PIULAS, TINTW I aAHWT
8ICMR* ^
Empregado contra a* dore *WgfJ2JV *2^"
cSes gotosas, syphtlis secundacta. -WSSiJfS"
curio, molestias cbi^H^.h'lS*ffM;'
nico fanajln kM '?t0( ""
ida.______________
e.um
ra do Fogo n. 9.
13
ambos
a 14 annos.
pecas: na
:4



Drd de Pernambut Quarta eira 28 Je Abril de 1869.

Grande liquidado de miudezas l

Affonso Moreira Temporal, querendo Ijguidhr as miudezas existentes em sua
t'oja ra do Queimado n. 55, resolveu anntmeilUs mesmasftuuder.as, para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est vondendo, a saber:
Abotoaduras paracottetes a
La para bordar (libra> .
Caixa de linha do gaz com 50
novellos.......
Frascos com tinta a 400 e
Garrafa com tinta.....
Frascos com banha a 320, 400,
500 e ......
Frascos com agua de Colonia
(Piver) a .
Pentes de travessa para meni-
nas a.......
Ditos com chapas de metal a
Novellos de linha com 400jar-
das a i .
Caixa com papel amisade a .
Ditas com 100 envelopes a .
Pecas de tranca e caracol lisa a
Sabonetes de todo preco a 80,
160 e ...... .
Frascos com oleo babosa a
320, 400 e .....
Pinceis para barba a. .
Tubos ou chamineis para can-
dieiroagaz a ..
Pavios para ditos (duzia) a .
Globos para ditos a i,$500 e .
Frascos com agua de Colonia a
320, 400 e .
Pentes com costas de mejal para
penteiar cabellos a .
Ditos pretos para dito a ,
Ditos para tirar piolhos a .
Escovas para facto a 400, 500 e
Gravatas de seda de cor a .
Ditas pretas a 400 e
320 teneos brancos para maos
6$80( (duzia) a......
Carteira de marroquim a .
Par do suspensorios para ho-
rneas a.......
Frascos com cheiros a 400 e .
Linha de marca, caixa com 16
novellos a......
Meias croas para homens, boa
fazendaa W, 3#600, U e. .
Ditas ditas para meninos a .
pares de botQes para punhos
(Bonanra) a.....
Pecas de fita para debrum de
vestido a......
Rosetas preta para luto (o par) a
Brincos a (o par) a
Linha de cor para aliar vestido
(libra) a......
Pumada familia a 100 e .
Barallios de carias fraacezas a
000
i 60
800
1^00
1-5000
320
400
60
700
500
. 40
200
500
200
320
200
2;J000
500
320
240
200
600
280
500
Oitas poituguczas a 120 e
Botoes d'oco para calca a .
Dilos de metal (caixa) a .
Brincos de cores (par) a .
Linha para bordar (miadas
grandes) a -......
Bonets de oliado para meninos a
Linha com 200 jardas (duzia) a
Carlo com colchetes com 2
ordem a......
Coques boa fazenda a .
Ditos muito finos a .
Caixa com agulha franceza a
facas de babadinhos e entre-
metas a 500,600, 800, 000 e
Tnico de Jayroe, contra, a caspa e a calvice.
20400
400!
200
500
240
40500
320
240
500
160
240
1,5000
200
200
160
200
400
120
240
4<5000
1*300
80
1,5000
26500
16o
1^000
ALTAS NOVIDADES
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
Imperador.
PARA CASAMENTOS, BAILES, THEA-
TROS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, contendo settm,
mantas e grinaldas.
Requissimos cortes de sedarassim como
para covdos.
Gurgur3o branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naplcs brancos e de cores.
Setim branco macau.
Setim, branco, azul, verde, cor de rosa
e amarelos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurguro de seda, de cftres.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lengos de cambraia de linho bordados.
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e alpdo.
Ditas do crjMhet para cama.
Chapeos deTeda bordados, para sol,
Poil de chevre de lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Italia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espartilhos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de la
Ditas de seda fio da Escossia o- algodao.
para seuhoras e meninas.
Lenll de labyrintho.
Fronhas de labyrintho.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
15as, e outros muitos artigos de gosto e
de alta novidade, isto so
TASSOIRMAOS
Tem para vender em seus armazens, alm de ou-
tros, os seguinles artigo :
Papel para imprimir.
Perlina azul.
Greve pautado e 1L-
Vinhos em caixas k doze garrafas
Bourgogne.
Hcry.
Madeira.
Hermitage.
Chamblis.
A NOVA ESPERAN^
21= Ra do Queimado = 21
Advertencia!
A Nova Esperanca, ra do Queimado
n. 21 tendo em deposito grande quantidade"
de miudezas, e como se approxima o tem-
po em.que. tem de ser dado o balanco, por
isso desde j previne ao respeitavel publi-
co, que est resolvida a vender suas mer-
caduras pelo baratissimo preco, para assim
Licor de curasao de Holianda em caixas de vin- ^iminuir a grande quantidade dos
Na taja do Passo ra do Crespo n. 7 A, esquina da do imperador.
Do xarope Vegetal Anierlcauo, espccaaliriadele Kartlio tomen 4t C
34RA LARGADO ROSARIO34
Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei
xamos que sua applicacao e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaran acceita
Ios,4hesdeem rdito evoga; porque s3o semprc os attestados considerados gratuitos
e edellcs que lancamao o charlatanismo; mas, nao querendo offefider as pessoas qn<
espontneamente nos oflereceram os que abaixo vao transcriptos, os fazemos- publicar
manifestando-lhes nossa gratido pela attenco, esperando que venham elle* corrobora?
* concedo, e acceitaco que tem merecido nosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartholomeu A C com a mais subida satisfaced epe- declan
ser o xarope Americano de urna eflicacia extraordinaria, pois que soffrendo h* das dt
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medieameotoi
que tomava, a elle recorr e naterceira colher fui alliviado, e de todo me aebrbojo re
tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois, esse resurtede man
resto a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obligado.M
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu 4 CPenhoradissimo com o favor que me fkeran
do aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composico, quando rae acha
va bastante doente de urna constipaco, que me tornou completamente roueo e qu
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor di
empreza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com na
so vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desojare
que outros como eu recorram ao seu xarope para se verem alliviados de tsfe' terrive
incommodo, to fatal neste paiz. Com matar considerado contino a ser de- Vv. Si
attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Recife, 25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & CO xarope Vegetal Americano que Vv. Se. teen
ex posto venda de toda eficacia para o curativo d'asthma, conforme obsewei appli-
cando-o a meu fiiho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello* qne aU
ento por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grand
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expresso altamente sincera de meu roco
nliecimento ao meritorio servico que lhe prestaram com o indicado xarope, acreditan
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obrigado.Americo Netto de Mendonc
Recife, 2 de outnbro de 1868._______________________ ________l
10 MUITO BARATAS
Superiores saias brancas bordadas a 50, G& 8 e 106000 cada urna.
Ditas de cambria de escocia transparente j feitas a 6#000 cada urna.
Na taja das Columnas na ra do Crespo n, 13 de Antonia Correia de
Vasconcellos 4 C.
EFFICACIA
DO -
XAROPE DE RBANO IODADO
O Xarope de Rbano iodado de Grhnairlt e C, pharmseenticos de S. A. f. o principe
Napeleao, em Paria, 6 preparado com o Meco das planus ant-escorbutica coja efneacia
mui popular.
En cerra o iodo como combrnaclo orgnica, e considerado como o melfaor snecedaneo
do oleo de figado de baealho.
A rara perfeicSO d'este produelo anima-nos t dar a eonheeer aqni a opinia de siguas
d'entre os principaes mdicos de Pars, qne (tunamente o prescrevem.
< 0 Xarope de Rbano iodado um mediesroepto d'am effeite snare e segero para *
t medicaci dos meninos, n2o smente sappreo oleo de figado de baealho, mas anda fkx
< as soas Tezes com vantagem. >
V A. CAZENAVE, medico em che fe do hospital Saint-Letta, em Parit.
O Xarope de Rbano iodado um medicamento de prmeira ordem para o tratamteto das
afleccdes lymphaticas e escrofulosas. Muitas zes-, empregnei-o cora felis xito, era certos
t casos de tsica ao sen principie, como succedanee do olee de figado de baealho.
Dr A. CHARR1ER, aMige ckefe de clnica da Pacvidode- dt Parit.
O Xarope de Rbano iodado sempre nos deo eseellentes resultados como regenerador
do sangue, o snecedaneo do oleo de figado de baealho. >
IV A. PAVR0T, aitor so Traite ees maladiet itt femmet.
' 0 Xarope de Rbano iodado um dos mais poderosos modificadores da* eonstitui^oes
< lymphaticas. Tenho visto ulceras escrofulosas qne nada poda curar, cieatrzarem-se,
grecas a sua accao, com promplidao extraordinaria. Tambe, pelo sea OSO desappareeem
e as aiTeeedes tuberculosas dos ossoe, nos meninos.
IV GURSNARD, amligo externo do* horpilaa de Parit.
e O Xarope de Rbano iodado poesne todas as vantagens do oleo de figado de bacalhlo,
c sem ternenhnm dos inconvenientes que apresenta este uhrm medicamento.
IV GU1B0UT, medico dot hospitaet, Pretidente da Sociedad* de medicina de Parit.
O Xarope de Rbano iodado de Grimault e C* encem 4rS por cento do iodo, aa
composicao orgnica anloga que-se acha ao oleo de figado de baealho.
Dr KLETZIMSK, profeseer de chy.nica, lomado dot tribuna de Vienna.
Deposito em Perr.smbuco, en casa de
- O*.
SP*8*
lilil
orpmso
m
CANNABIS INDICA]
vG:lilnAULTtCtPHA3MAGbrrJ0SuPARl.S/*
SIPWCKjIt fc
IMWIDll
(
Todos os. meios at hoje preeonisados contra a athma nao tem. sid mais do-qae palliakvos
debaixo de todas as formas, tendo por base-a belladona, o estramonio on opio. Recentes eape-
* rencias feias em Allemanha, repetidas em Franca e na Inglaterra, tesn prvido- que o cnamo
i indio de Bengala possne as mais notaveis- propriedades para eembater essa temvel affeecio, ?
assim coma-a tosse nervosa, a insomnia, a tysiea laryngea, a roaqaido,
: e as nevreigias faciaes. E' pois cora o apoio da scteaea que offerecewos este
dos com o extracto de cnamo das Indias, qe nos importamos te Bombaim.
Deposito -em Pernamkuco, em eaaa de Mrnii O*.
\
J.4.J4.X4-4.4-H.-t4.4.^^4-4X4.4-I.J IXXX1XIXIHJIX i
te e quatro butijinhas.
GESSO,
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Grades d? ferro
para jardins, porteiras elG*^
ra armazens de Tasso Irmaos
%ARniNHOS DE FERRO
/Para servicos e grandes armazens,para remo-
ver barricas ou caixCes de um para outro, lado pelo
mdico preco de 12000 cada um.
Fariiilia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana e .grande sortimento das memores mareas de
farinhas americanas.
Saceos de farinlia de trigo do
Chile
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O mclhor para tndo que sao obras para agua, ce-
rno asseotamento decanos de posito, tanques d'agua, etc., etc.: em porcSes (fe
cincoenfo barricas se far reductor no preijo : nos
armazens de Tasso Irmaco.
Cemento Portlainl
0 veradeiro cemento Portlandem easa de Tasso
Irmaos.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differeates-quaWades par cercado de ani-
mses, chiqueiros para galinhas oa jardins: aos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris *eom breu
No armazens de Tasso-Irmaos.
CAOS DE BARRO
Na na Nova de Santa Rita, na antiga fabrica >
sabao, ha para vender por preco o mais mdico
possive, canos faanrezes Den edificafes e esgo
tos de toda a qualidade, superiores a toaos os que
aqu ten apparecKio pela sua solidez.
PRECOS;
l40O por cano grandode^e meia plegadas.
1 i 1 1 0U0 >r dito do 2 e nm quarto de dita.
500 ris por pistoleta de i poMogadas.
Colovels-can'as e canos de maior gresenra, a
vista se fai-a o preco. Compras maiores d* 200
tem 5 por cento ue- descont por prompto- paga-
reento. Pde-se ver as amoste nos araazens
de Tasso Irmaos.
Tijolo franceses
Para ladrhar casas-lerreas coCTasseioe precos
mdicos, imito convenientes e preprios para hwri-
lbos de coainhas em sobrados, pero seu asseio e
evitar apaisagem do aguas para o andar inferior
e mesmo o perigo de fogo, aos preeos de 30*060 a
iOOO o milheiro : na-ra Novado Santa Rita, na
antiga fabrira de sabo, o compras maiores de 290
se-far 5 por cento de descont por prompto paga-
monto. Podem-se ve? as amostras nos armazens
da Tasso Izmaos.
Velas de esparniaeete verdadeiras para 1 an-
teroas de carros: noarmaiem de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto fino superior: no armazam
de Tasso Irmaos.
O m.dhor cognao-Gauthier Freree: no arraa-
zem de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa.de Tasso Irmaos vende-so esteiras da
India de diversos padrCes e larguros, por pre^o
commod.
Istrsneii
h taitmi
k aeseciu
k Par
PILULAS
debtJKINduB1IISSon
Pkuaacentice
hurtad*
a
scaltnii
OLEO DE H0GG-
DD
Figados frescos de baealho
Para cura certa de phtisica, afteccoes escrofu-
losas, tosse chronica, fraqueza dos memhros e de-
bilidade geral, recommenda-se a exceilencia deste
oleo anda por sen agrada ve 1 no. paladar.
VENDE-SE
KA
Pharmacia e drogara
DE
BARTHOLOMEU &. C.
34 = Ba larga da Rosario = 34
0 tratamento das affecofies chloroticas, lymphaticas ou escrophulosas sempre lnlis-
simo, e muitas vzes essas molestias rosistem s preparares ferruginosas ordinarias.. As
Ddagacdes feitas pelos professoros Hannon de BruxeUas, Gensoul e Petrequin de Lylo e
Berzelius e Trousseau de Pars, tem provado que a causa d'essa persistencia ra a completa
ausencia do Hanganese, elemento que sempre deve-se acbar no sangue janclamente o ferro. Estas plalas snpprem, pois, na tberapetica urna falta importante, e por este
:ido a appr
dades medicas. Deposito em Pernambuco, em casa de abnrer o*.
motivo ellas tem merecido a approvacSo da Academia de Medeeina e das princ-ipaes ocie-
BBB
iiijiiiMjir
CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remed por exceilencia pa*a cura rpi-
da e completa das eoqueluches, bronchites
catarrhes, tosses convulsivas, escarros san-
guinos, e outras molestias db-peito.
NA
PHARmGIA K DROGARA
n
Bartholomeu & C.
34RA LARGA DO ROSARIO3 i
AO BAZAR DA MODA
Ba Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sortimento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUSINHOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novdad-j I) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos preeos.
LENCOS bordados e com letras, novidade neste
genero
LEQUES a emitacao de ma#flm, gosto novo e de
sndalo.
GOLIN'HAS e punhos, a emita?ao de guipare.
ENFEITES pretos e de cores para cabeca, lindos
moldes,
GUAHNICO alta novidade I a Marie Rose, nltr-
mamente usada em Pars.
CORP1NHOS de guipure brancos e pretos lindos
modelos.
BORNOS de laa e seda, cores claras, elegante
moda em Pars.
GRINALDAS de Dores finas.
ESPARTILHOS superiore.
MEIAS supe iores de fio de Escocia.
LUVAS de pelica chegadas pelo ultimo vapor.
ADERECOS de coral verdadeiro amafo, gosto
delicado.
DE PALHA
GUARNTQES para vestidos.
TRANCAS para enfeites de coques.
BOTOtfS lisos e cora pingantes para vestidos.
CINTOS alta ncuridade.
FLORES finas, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas para coques.
LAGOS, fivelas, penachos para enfeites.
Para homens.
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos de li-
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodao.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qualidades.
BOTOES para punhos e guarnieres para coletos.
COR RENTES de plaqu a emitacao do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Rotehil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de acp e tarturaga.
Para erltfheas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enfeitados.
MEIAS de seda e fio de Escocia.
CHAPEUSINHOS de palha da Italia.
TOUGAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
BUNEGAS vestidas, nraito bonitas e diversos
brraquedos.
Perfumarlas Anas.
AGUA FLORIDA verdadeira de Murray & Lan-
man New-York.
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray e superior agua e
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias- finas e de agradaveis aro-
mas para o lenc.o.
VINAGRES aromtico? para toilet.
POS DE ARROZ para amaciar a pede ; em paco-
Jes e ricas caixinhas com arminho.
POS superior para limpar os dentes.
COSMETIQUES de fina qualidade.
SABONETES, grande sortimeat deste genero e
de superior qualidade.
LEOS de phUocome, babosa e antique-s.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de lar&aVfl
CREME de sabao para baiwr
Caixas preparadas com perfumaras finas.
miudezas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo preto e de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNICOES de soda de cores para enfeites de
vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhoa e pingantes.
BOTOES de cores, brancos e pretos com vidriUi
lisos e com pingantes.
DEDAES de mitu. aperla, de marfim, de eco e
metal.
THESOURAS finas para costura e unhas.
CAIVETES finos com quatro folhas. E muitos
outros aflfgos de miudezas que se torna en-
donho menciona-los.
idrllhos
Tudo se vende por preeos bastante commodos.
GALLO Y1GIL1NTI
it na do Crespo o. 3
Os proprietarios de6ta- bem conhecido estabate-
cimeato, alm dos muitos objectos que tinham ex-
pones a apreeiacao d respeitavel publico, man-
daram vir e-acabam de receber polo ultimo vapor
da.Europa nm completo e variado sortimeiJo de
finas, e mu* delicadas especialidades, as quads es-
tn resolvidbs a vender, como de seu costme,
por preeos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
MuRo superiores tovas de ptlea, pretas, bran-
cas e do mui lindas cores.
Mui boas e bonitos gollinhas e punhos para se-
nhora, ueste genepo o que ha de mais moderno.
Superiores penies do tartaeuga para oques.
Lindos, e riquiusimos enMtes para canecas dos
Exrrus. senhoras.
Superiores trancas prefcts e de coreo com vri-
Ihos e sem ellos; sta fazenda o que pode haver
de melhor e raais bonito.
Superiores c bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos deeenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, a3 quaes sempre se venderam por 303000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortimento do
outras qualidades, entre as quaes agumas muito
finas.
Boas bengalas de superior catana da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode desojar ; alm destas temos tambem grande
Suanlidade de outras qualidades, como sejam, ma-
eira, balea, osso, borracha, ete. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos do eadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda o borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni
as de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vei tam-
bem asseg uranios sua qualidade e del cadena.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agu has para machina epara crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Bons baralhos de eartas para voltrete, assim
como os tontos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das raelhores per-
fumaras e dos* melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a dentieo das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, o continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca altem no mercado
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-sc ao fim
para que sao apphcados, se venderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pos, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por preeos muito razoaveis toja do callo
vigame, ra do Crespo n. 7. ~ .
Capsulas~de Raquim
Os bous effeitos destas capsulas para fazer ces-
:.aMs gonorrheas aeham-se coraprovadas pelas
experiencias de muitos annos.
Qb mdicos de todos o paizes as recommendam
pela sua efficacia.
WNDE-SE
NA
Pharmacia c drogara
DE
' BARTHOLOMEU & C.
Ru3i-a larga dv Rosaxvt-4
Macarthy
lf achinas de desearocaralgodts.
Hoje-que est reconhecido que as machinas do
serrote prejudieam e quebram a fibra do algodao,
preciso recorrer a maehinismo menos .spero,
S[ue produzindo o mesmo servico qtre aquellas) e
acihdade no trabalho, nao quebrem a fibra da !a.
para, que*essa possa obter-nos mercados europeos,
a difterenca qn ha entre o algodao descaronado
por aquellas mencionadas machinas, que estio fi-
cando em deauzo, pelo prejuzo que- tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao.pode competir
pela morosidade de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se toroam as mais- proprias para o
nosso algodao, porque ao par da facilidade e
promptidaoconserva a fibra da lila, que linipa por
ella, quaJificada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo assim entre l 20 por 0/0
mais do que a la limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as de serrote
foram inteiramento abandonadas, e por iss o algo-
dao daquella pror^dencia, sendo da quaKdade do
da nossa provincia, obtem hoje de W a' por
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 160^000-
nos armazens de Tasso Binaos.
Oteo de amendoas,
Em caixas de 8 latas, cada caixa tOO libras:
nos armazens de Tasso Irmaos.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos a Havana e por baratissi-
mo preco : em easa da Tasso Irmaos, roa do
Amorim n. 37.
.Relogios de ouro.
Relogios -de ouro de patente com balanco do
chronometro do famierado actor John Jtogers, fi
oscriptorio de Tasso Irmaos.
Pianos inglezes.
Pianos ingleses do bem conhecido autor Charles
Cidby, no esriptorio de Tasso.
que
tem: assim pois, venham os bons fregue-
zes, e os que nao forem venham ser fregue-
zes, em tempo t5o opportirno quando
NOVA ESPERANZA convida-os pechincha-
rem, pois que para comprar-se caro, nao
falla aonde e aquem...
PARA O MEZ DE MARA
A Nova Esperanca, ra do Queimado
n. 21, recebeu pastilhas para queimar-se
em lugar de insenco, para aromatisar no
oratotio dos devotos do mez de Maria.
Elle quere ella quer
E' sempre assim.
Elle (correspondente de Pars) quer sem-
pre primar em nos remetter objectos de
gosio e perfeicao, e ella (loja da Nova Es-
peranza) quer sempre dividir com seus fre-
gue7.es o qne de bom constantemente reee-
be, e por este lidar continuo (dfaribos)
Nova Esperanca ra do Queimado n. 21,
alem do grande sortimento que ja tinha,
acaba de receber mais o seguinte:
Bonitos broches, pulceiras e brineos de
madreperola.
Papel e envelopes bordados e nmti-
sados.
Papis proprios para enfeitar bojjos
bandeijas.
Brincos- pretos com dourados (ultima
moda).
Fitas largas para cinto.
Sodernos g3lloes, franjas e trancas de
seda e de laar para enfeifies de vestidos.
BefSes de tortas as cores-e moldes- novos
para o-nsmo fim.
Trancas pretas com vldriihos sendb' com
pengeRles e sem elles.
Botoes pretos ccn vidrilhos com pingen-
tese sem elles.
Luvas de pellicarcamurca e excossta.
. Finas- meias de swla para wnhora e me-
ninos.
Delicaios leque de madreperula, mar-
m, osso e faia.
Espartilh simples e bordados-.
Bengalas de baleia.
Finalmente, um completo sor'iraento d.
miudezas ra do Queimado ix 2J( n-
Nova Espera?a.
Collares anodinos dhetro-nagnefo
eos contra as cmmipe das
crean8*
Iflto resta a agrior devida, de qae muito
collares se vesem por ahi intitulados ov
verdadeiros d Royer, e eis porqae muitot'
pais de familia nao creem (comppando-os)*
no elleito promettido, o qtw s pdwa dar,
os verdadeiros-; a Nova Esperanca, porm
que detesta a falsilicaco- prcipalnente no-
que respeita ao bem estar da humamdade,
fez urna encomienda directa destes collares
e ganante aos pas de familias, que si o
verdadeiros de Royer, qae- a tantas crean-
cas taaa salvado- do terrivel incommedo de-
convuiefjeSj asskn pois -preciso, que ve-
nham> a Nova Esperanca a roa do Qoeimado-
n. 2t comprare o salvavida, para seut
filhinbos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quaado ento-ser di-
fficilalcancar-seo efeito esejadof embors
sejara empregados os vsrdadeiros- collarea
de Royer.
qo de milao.
m <1a Tan rmana
Nos armaa-ns de Tasso irmaos.
BARR1S DE SALITRE
Nos armarens de Tasso Irmaos.
Para familias
Grande Bazar, ra Nova ns. 3* e
* a. de Carneleo VLiana A .
Acaba de ebegar a este estabelecimento
grande porgao de maelsinas para costuras do
auior Wheeier Wilsea, approvadas na olti-
raa expsito de Paiis as quaes cozem com
dous pospontos teda a costura, e tem a
vantagem de ser tao suave o monitoento,
que qualquer crianca de oito anoos fcil-
mente tiabalha, e pode, com este entrete-
nimento, levar vaatagem ao servico diario
de trinta costureiras. A compretoensao o.
simples, pois em um quarto de hora se fi-
ca seuhor do movimente da maehina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guiates costuras: pospona*, abainhar,
fraazir, marcar e bordar, cono apresentam
os desenhosque acompanbam-nas. Os pro-
prietarios do estabelecimento se cncarre-
gam de mandar ensillar n'esta cidade, e
garanten entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nHo trabalbar com
perfeicao a' machina vendida, nlo tendo,
porm, soffh'do ella alguma avaria,. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Baker, de trabalho sim-
plesmente man, e outras coa* movimento
dos ps; e mxime todos os pertences da
mesmas machinas, para vender avulso.
PILULAS, VINHO
E
\AKOP
DE
JURUBEBA
PREPARAIHUS
PELO
PHARMACEUTICO
Joaanim d'Almelda Pinto.
As fRparacoes de Jurubeba, sao hoje
vantajosamente conhecidas e preconisadas
pelos mais habis mdicos, tanto da Euro-
pa como do paiz, pe* sua eflicacia nos
casos de anemia, chloroze, bydropesia,
obstruccao do abdomen, e tambem nos de
menstruacao difflcil, catharro na bexiga, etc.
Vendem-se em porcJo e #retalho na ci-
dade dRecife, pharmacia do seu composi
tor, ra'larga do Rosario n. 10, junto ao
quartel de polica.
TlRNAM
Vende-ie superior cera de carnauba em sac-
^_s. por prc^o. mais barato do quo em outra qual-
quer parte : na loja do Pavao, ra da ImperatmJ
[n. 60, de Fel eretra da Sdva.
Tintura japoneza
cahaUa
os
a
Instantnea para4ingir
barba, a liOOO o frasco.
E' a nica approvada e recommetadada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
* venda em casa de Gustavo Hervehn n.
SI. ra da Cadeia n. 51.
GAZ GAZ GAZ -*-
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster &
C, ra do Imperador, um carregamento de gai
de prmeira qualidade; o qual se vende em partidas
e a retalho por menos pre^o do que em outra qual-
quer parta.
FUNDICAO DOBOWMAN
Una do Bium n. 5,
Machinaste vapor.
Rodas d'lgoa.
Moendas de canna. -.
Taixos de, ferro, batido fundido.
Rodas dentadas, pata moer com agoa
vapor e animaos.
Alambiques de ferro.
Formas para purgar assucar.
E outros muitos objectos, etc. etc., pro<
prios para agricultura.______________
Luvas duqueza
A nova Esperanza ra do Queimado n. II oca
ha de receber por" este ultimo vapor luvas de Jou
vin, duqueza, brancas, pretasadecaa^rpara

K >

*..
^






Ki

v^
-

\
W
Diario de Pernanibuco Quarla feira 28 de Abril de 1869.
'7
GRANDE muuii
A DINHEIRO NA LOJA FMMEM
DE
Flix Pereira da Silva, succesnor de Gama
& Suva ;
O proprietario d'este eslabelecimento convida ao respeitavel publico dest^a-
pital a rir surtir-se no grande estabelecimento que tem de Careadas, tanto da moda de le, e as pessoas que negociara em pequea escalla, tanto ia praca c*no do matt^
nesta casa poderao fazer os seus sortimento* era pequeas e grandes porcBes, venen-
do-se-lhes petes presos que se comprara na*sas inglezas ; assim como as excellentis,
simas familias, poderao mandar buscar as amostras de todas as fazendas, ou mandare-
mos levar m suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 horas a manfeSa s 9 da no*te.
O atoalhado do Pavao AS CAJ1BRAIAS DO PAVO
Vendem-se finissimas pecas de cambraias
lizas transparentes tanto ingtezas como suis-
sas tendo ais do vara de largura, pelos
precos de 1000 at 10(5000 a peca, assim
como finssimos organdys branco liso que
serve para vestidos de bailes, por ser multo
transparente a 40009, a vara, na loja do
Pavao ra da (mperaic n. 60, de Flix Pe-
reira da Sirva.
A pacas lavradas
Ohegaram pelo uWmo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a I#000, o covado,
ditas lisas tendo tambem or de cmna a
860 rs, ditas mesdladas muito unas a 1:200,
o covado, e outras muitas faiendas'de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60. -de Flix
Pereira da Silva.
Ronpas para 4omeK ,
Vendem-se-superiores palitts-de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas ingtezas e franeezas com os peitos
de esguio, eeroulas francezaftde linho'e al-
godao, meias cruas ingtezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de laa, assim
raima gurguroes'de seda, proprios para ves- j Gomo nesteestabelecimento existeum grande
-tidos, sendo lisos elavradinhos, com mmto | sortimento de pannos pretos, e de casemiras
..lustro, garantindo-seque a fazenda maisinglezas decores, e que se manda fazer.
nda e de maispbantasia que este anno tem I qualquer obra a contento dos -Srs. fregue-
chegado a este mercado, e vende-se por s, e promette-se-lhes que serao servidos
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz com a maior promptidao e muito mais ba-
:o. 60, de Flix Pereira da Silva. rato do que em outra qualquer pirte
-CAMBRAIA "BRANCA A 3,5500. na tua da Imperatriz c. 60,de FeUx Perei-
Vende-se pecas de cambraia branca ra da Silva.
Ven4e-se superior atoalhado de algodao
eom 8 palmos de largura, adamascado a
24200 a vara; dito de linho faaenda muito
superior a 34>200 a vara ; guardanapos de
nbo aflfcraascados a 4$o00 a duzia e muito
fines a 8)5000, e ditos econmicos a 3(5300
a;*uzia.
*astdes para vestMos braaros
Vendem-se os mais modernos fustoes'bran-
cos flexiveis com padres de listas e de
aalpicos proprios para vestidos e ronpas de
menino a 640 rs. o covao, na loja e arma-
xem de Pavao ra da Imperatrizn. * FeixPareira 4a Silva.
BABADINHOS
Vendem-se fnissimos babadinhos, tiras
bordadas e entremeios, mais baratos do que
m -outra qualquer parte, assim como espar-
thos dos mais modernos, no armazem de
Felrx Pereira da Silva, ra da *peratrix
o. 60.
ALTA NOVIDIOE
A LOJA DO PAVAO
Gurgurao de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais In-
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato preco de 3^00, ditas muito finas tanto
lapadas como transparentes 4#oOO, 5)5000,
6)5500, 7)5000 e 8$000, assim como organ-
d muito fino tacto lizo, como de listas e
quadros na loja e armazem do Pavao ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPACAS LAVRADAS PARA LCTO.
Vende-se na loja do Pavao, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucto, sendo
muitolargase pelo barato preco de800rs. o
covado, so na loja e armazem do Pavao, ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
Cassas inglezas a 44 rs metro
Vende-se urna grande porco de bonitas
cassas Inglezas tanto graudas como miudi-
nhas e de cores fixas pelo batato preco de
440 rs. ometro,garentindo-se que 7 metros,
d5o nmvestido para qualquer Sra. s na
oja do Pav3o ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 50000.
Vendem-se colchas de fustao adamasca-
das para cama, pelo barato preco de 5/5,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, e Flix
Pereira da Silva.
COBERTORES INGLEZES A 4(5, 4 #500^5)5.
Vendem-ge os verdadeiros cobertores
inglezes, de pura laa, pelo barato preco
de 4#, 4)5500 e 5,-5, assim como colchas de
fusto de cores, pelo barato preco de 3,-5, na
loja e armazem do Pavao. ra da Impera-
triz n. 60. De FeUx Pereira da Silva.
Madapolao enfestado a 8$500
Vende-se superior madapolao enfestado,
sendo muito encorpado, para carnizas, e
tendo cada peca 24 jardas, pelo baratsi-
mo preco de 8o00, na loja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60. De Flix
;?ereira da Silva.
CHAPELINAS
ULTIMA MODA
Chegaram para a loja do Pavao as mais
ricas e mais modernas chapelinas rica-
mente enfeitadas, com enfeites e fitas de
sotim e de todas as crese com ricos bicos
de blond e as mais lindas e finas flores,
vendendo-se cada ama pelo barato preco de
155000, garantindo-se serem muito mais
bopitas do que outras que se vendem em
outras partes a 20(5 e 25/5, e entre ellas
ba mais de que um modello, tambem tem
muitas de pratinbo, proprias para mocas e
meninas, isto na ra da Imperatriz n. 60
loja do Pavao, de Flix Pereira da Silva.
Exploidido sortimento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVAO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Cortinados
Para camas e janellas.
Vede-be um grande sortimento dos me-
Ihores e maiores cortinados bordados pro-
prios para amas e para janellas, que se ven-
dem a 12000 rs. cada par at 25)5000 rs,
isto na raa da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva.
Cretone para ienqes com 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lences de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
ROIJPAS FEITAS
Na loja do Leao da porta larga
DE *
PAREDES PORTO.
Ra dalmpeptriz n. 52, junto aJoja deourives.
N'esle estabelecimento se encontrar ra da Imjjfcatriz n. 52, lflja do Paredes
serapNrum completo sortimento de roupas Porto.
feitaVde todas as qualidades. Como se-1 Neste estabelecimento encontrar o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortimento de
casemira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que, se vende pelos pre-
ques e sobrecasacos de brins de cores e eos seguintes:
pardos.
CAMISAS fi SIROULAS.
FAZENDAS RRANCAS,
Madapolao de diversas qualidades e pre-
Encontrar sempre o respeitavel publico ?0s commods, cambraia de 3^500 411500
e 5,5, diUs victorias de 5^500 a 125, pecas
Ocordero previdentejftlln
Ra d tueimado n. ltt. f ilL IJ.
um bonito sortimento de todos os nmeros
MEIAS CRUAS.
Sortimento de todas as qualidades, de
3)5 a 8)5, assim como tambem sortimento
de lencos de linho brancos e com barras
de cor, chmezes, bonitas gravatas pretas e
de cores. Ra da Imperatriz n. 52, por-
ta larga.
PARA ACARAR.
Urna grande porcie de calcas ordinarias
para trefbalho a 640 e 800 rs. cada um par,
peCWncha na loja 4o Leao justo a loja de
ourives.
GRANDE PECHTNGHA,
Gassas*he cores a 160 rs. o covado, na
160 RES 0 COVADO
Chita preta pelo barato preco de *60 o
covado na ra da Imperatriz n. 52 na loja
que tem um Lelo pintado.
PATINO DE 'IflNHO
Paredes Porto receben um sortimento da
de cassa liza o mais fino que ha no merca-
do a 90, 10fc 12*5. com 12 varas, e vara
de largura
SEDAS DE LISTRAS.
Recebeu-se um bonito sortimento d'esta
fazenda que se vende a 2#500 o covado.
CHITAS.
Vende-se cVitas escuras a 280, 300, e
320 rs. o cowado.
GUARHANAPOS
Vende-se esta faaenda de linho, fazenda
boa a 4#GO0 e 50000 a duzia.
MEIAS PARA HOMEM
i Sortimento de meias inglezas pan ho-
mem a i4800 5.S800 e (i800 fazenda boa.
THOALHAS
"Sortimento de toalhas de pelucia a H5
a duzia.
LENQOS RRANCOS a 20200
'Para acabar lencos de -algodo a 20200
20000
Vara de bramante de nbo superior e
pannos de liriho, com 57 varas a peca e
E70OOO e 180000, na roa da Imperatriz n.
52,junto a loja de omites de porta larga.de 'ia
Paredes Pofto.
'LENCOS !K LINHO
Vende-se lencos brancos de linho a 30, 'tan 10 palmos de largo,
a duzia para acabar no loja de Paredes Por-1 CALCAS E COLETES.
to. Ra da Imperatrk n. 52 teja da porte1 Tem sempre no mesmo sentido um ser-
arga que tem um Lelo pintado,-de Paredes timento completo a preco commodo.
Porto. I .
No armazem do LeSo, i ra da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ounve*.
T
11-EUA DO QUEINADO--11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
Reoeberam nperiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
vendem-se ;por preco* mais mdicos do que em qualquer outra parte.
SAH1DAS DE BAILEde cachemira branca ede cores o que ha de mais lindo.
BASQl'INESde renda preta, e de gorguro preto, c que ha de mats
elegante. .
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALOESbrancos e de ores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e saias de laa eom barras de cor.
GORGUROde seda branco e pret para vestidos, sedas de cores, moirean-
excellente lencol de um s paano, assim tique branco, e grosdenaple branco, de cores e preto, princezas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas c)res. e lindos crtuadftfcAordados.
CAMJZASde linho para homem de diversas qualidades, camisas bordadas
para nojvos, sobrtudos, capas de borracha brancas e pretas, brim de cores e branco,
panes finos e casemiras pretas e de cor por coramodos precos. .
TAPETESgraades e pequeos para sof e cama, tapete e alcatifaem pecas
para -sallas, e continuara sempre a vender por mdicos precos as esteibas da india para
6AIXAS.
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, resto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo baratissi-
mo preco de 20 cada metro.
MOCAMBIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pavao um elegante
sortimento dos mais bonitos mo^ambiques
proprios para vestidos cora as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
preco de 500 rs. o covado.
ALPACO DE CORDO PARA VESTIDO A U
Chegou esta nova fazenda com o nome
de alpacao, sendo de cordao e com mais
largura do que a alpaca, com as mais lindas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
roxo, cor de cama, magenta etc. e vende-
se pelo baratissimo preco de 10 o covado.
ESGUIO DE LINHO DE t2 JARDAS A !0.
Vende-se pecas de esguiao de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada peca, a
100000.
ALTA NOVIDADE

Loja do Pavao.
GURGUROE8 PARA VESTIDOS A 10000,
O COVADO.
Chegaram os inais modernos gurgures
para vestidos, ser.;do de todas as cores,como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
rxo d- & tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo preco
de 10000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, naj-ua da
Imperatriz n. 60.
Grosdenaples preto
Vende-se um grande sortimento dos me-
Ihores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos cmo estreitos, sendo de 2<5000 rs. o
covado at 40000 rs. garantindo-se que
n'este genojo ninguem tem melhor fazenda e
que se vende mais barato do que em outra
qualquer parte, na^rua da Imperatriz n. 60,
de Flix Pereira Silva.
A 20, OS BALOES DO PAVO.
Vender-se superiores bales america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
forma-Jos para outro qualquer novo modelo',
e liquidam-se pelo barato preco dt 20 cada
Acha- este grande eslabelecimento com- um> sendo fazenda que sempre se venden
pletamente sortido das melhores roupas, a 7( e 8, isto na loja e armazem do Pa-
sendo cajeas palitots e coletos de casemira, Vo, ra da Imperatriz n. 60. De Flix
de panno, de brim, de alpaca, e de todas pereira da Silva.
as mais fazendas que os compradores pos- %s ?.eo<) Tara* a &OO rs.
sam desear, assim como na mesma loja vendeni-se as verdadeiras cambraias
tem um bello sortimento de pannos casem- francezaS| con, ndos padres e cores fixas,
ras, brins, etc. etc. para se mandar lazer gendo tapaas e transparentes, peto htuto
qualquer peca de obra, com a maior promn- ^^ de ^ rg a varJj ou 3^ ^^1^.
tido vontade do freguez, e nao senao vado> gendo faz obrigados a acceita-las, quando nao estejam menog de 7 on g tustes, e liqnidam-
complemente ao sen contento, assim como ge egt n'este vasto estabelecimento encobrar o nma^avultada am^t na joja e armazem
respeiUvel publico um bello sortimento de do pavl0 ^ da ^perat^ n, go. De
cansas franeezas e inglezas, eeroulas de F ^ p6rftjra dj ^^
linho e algodao e outros muitos- artigos
proprios para bomens e senhoras promet-
tenuo-se-lhe muito mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, Joja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
PAVO.
Venderse ama grande quandade de re- que tem vindo ao mercado com fies de seda
thos de'"cuitas e cassas pretas por preco e vende-se mais barato do que em outra
moito barato, e quauto maior for a porcao qualquer parte, por haver grande sortiraen-
que o fregu comprar, mais barato se lhe to de varios precos, na loja e armazem do
ver*der na ra di imperatriz n. 60 de Fe- Pavao, ra da Imperatriz n, 6h*de Flix
* i Pereira da Sirva. Pereira da Silva.
DE
CASEMIR.VS DE CORES NA LOJA DO
PAVAO
Chegaram as mais bonitas e mais moder-
nas casemiras de cores proprias para calcas
coletes e palitt, tendo at das mais finas

60 JIMA^'^'
0 8.
NOVO EXPLENMDO SORTOIENTO
Agua-florida de Guis
lain
Tintura iudelevel para tingir os cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceituada agua-florida de Guis-
lain que entao era desixmhecida em Per-
nambuco, j boje estimada e procurada
por seu efficaz resultado, e ainda mais se-
r, quando a noticia de seu bom ffeito e a
experiencia tornar de todos conhecida.
A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetties inoffensivos, tem a
propriedade extraoi-dinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, quando estiverem bran-
cos, e lhes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, tem
ser prejudicial de modo algom
E' porm necessario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas talvez supponham, mais sira ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o lira desejado, como bem
provam testemunhos de pessoas insuspei-
las, e d'entab por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
outra qualquer cousa.
Assim pois esta agua-florida acha-se ven-
da na bem conhecida loja d'Aguia Branca
ra do Queimado n. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
co4e sua boa freguezia, tambera caprkha
em n5olb'a desmeiecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a honram, e em prova ao que fica dito, d
eomo exemplo {o explendido .sortimento
le acaba,de receber, ainda mesmoachaa-
do-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desfijar nos^^Meros que
i5o de sua competencia.
Haja vista aos necessarios livroflddmissa
9 oraco, obras do apurado gosto e perfei-
i}3o, sendo,; com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto relevo.
Dito? com ditas de marfim igualmente
bonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros imi-
tando charSo machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortimento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
cora 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de crrente de borracha.
Meias de seda para meninas e senhoras.
Ditas de fio de Escocia abertas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodSo, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torcal, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de la pambomens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gfcsto.
Entre-meios finos tapados e transparen-
tes om delicados bordados o proprios
para enfiar fita. ^
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e selim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a Troco, e Usas.
Delicadas caixinhas de vidro enfeitadas
Lgom pedras, aljofares, etc.
^ Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bonecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de florea com
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortimento de trancas de palba.
Fitas largas para cintos.
Cintos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreperola.
Ditos esmaltados^ Obras novas e bonitas.
Novo eT !%,$Smm \ %*
Alm do completo sortimento de perP I miudezas de Jos de Azevedo
maas, de que effectivamente est provida a f Maia*t Silva cnhexido, per Jo,
loja do Cordeiro'Providente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna'
notavel pela variedade de ebjectos, superiori-
dade, qpalidades e coramodidades de pre-
cos; assim, pois, o CordeiroPrevidente pede
e espera continuar a merecer a apreciaran
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afei-
tando elle de sua bem conhecida mar.sidao
e barateza. Em dita loja encontrarao o
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman. |
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica detrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Abpes, e vilete para toilet.
Elixir cdontalgico para conservacao do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, -maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparente,
eoutras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do lino c agradavel chei-
ro-de violeta.
Outras concentradas e de ebeiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto 'oleo di superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de cf-
ferentes tamanhos.
Sabonetes em ban-as, maiores e menores
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfum iras, midto proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris linas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sem composicode
cheiro, epor isso o mais proprio para crian-
Cas.
Opiata ingleza e francezapara dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dente?.
Tnico oriental de Kemp.
Anda uials coques.
Um outro sortimentos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos.
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciaco de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeiclo.
Fivellas e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS.
0 que de melhor se pode encontrarnes se
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para viagem.
Bolsas de tapete ecartekas de couro, por
precos commods.
Chapelinas de palha da Italia niui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que se-
ro presentes a quera se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a ra do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTBDOS.
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente ra do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sorti-
mento de trancas de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conbecida commodidade de precos.
ALEN DAQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
timento de gjdloes de la, babadinhos de
cambraia com bordados de#cores, cuja va.
riedade de gostos os*tornam recommenda-
dos e apreciados ; compareci pois os pre-
tendentes que ser3o servidos a contento.
TO BEM. BECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELUCA.
De todas as cores tanto para homen-
como para senhoras, constantemente acham-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
ra do Queimado n. 16.
Bigodmho.
Est queima&fo qj bbjectos abaixo declarado!
polo diminuir, precx, a saber :
Frascoso-m Jua de Colonia verdadeira ai*.
Garrafas con7ngua Florida verdadeira, nue se ga-
^UefirareSlca- cabell de T"0?8tS?/
Ibesouras muito Qnas para unbas e costuras
Tinteiros chcios de tinta muito "preta a 80, 100, t60 .
Varas de franja'-branca de nbo para toalhas a
Caixas do phosphoros de sepranca a iO, 40 *.
160 rs. _ta ,
Navalhas de cabo de marfliu e qp* se garante a
qualidade a 2.
Libra de laa para bordar a 11- .
Peras 4e fita branca ^fastica muito superior a 200
e300rs. *
Novellos de linha branca com 400 jardas a 60 rs.
Resmas de papel de-peso liso muito fino a 2J50G
Latas com superior banha a 200 e 40* rs.
sCaixasom seis frascos de cheiro moito fino
o 800r
Caixas com dozo frascos, fazenda s boa a 1#200
e 2*300. j.
Frascos com suprior oleo filocomc a 500 rs.
Catangas de sabo transparente muito bonito e fi-
no a 240 rs.
Duzia de paos de pomada do Reino, da maihor
qualidade a 240 rs.
Pecas de tiras bordadas muito finas a 500,600
800 rs.
Ditas de babadinhos com dez varas a 000 rs.
Carritcis de linha de todas as cres, para acaba
a 20 rs.
Garrafas com agua divina a 1AS00.
Frascos com superior macaca perula a 320 rs.
Caixas de vidro com doze didaes, que s a caixa
vale dinheiro a 200 rs.
Ditas de madeira com alinetes, o que ha de me-
lhor a 320 rs.
G rosas de botos de louca, lisos e bordado
160 rs.
Caixas redondas para rap emitlando tartaruga
i^oOO.
Pecas de fita para eos da melhor qualidade a
Escovas para lmpar dentes, fazenda que s a vis-
ta a 240 rs.
Ditus para lmpar unbas de superior quahdade a
oOO rs._______________________________
GEMBRAS.
Vende-se genebra de HoHanda a mais
pura, christalina o de excellente pallackir
que tem apparecido no mercado, em boti-
jas e frascos.
Genebra de laranja, superior e verdadei-
ra de Ferkee.
Genebra de lima superior, nunca vista
neste mercado, de delicioso paladar e re-
frigerante ; excellente para a estaeo cal-
mosa : no deposito da ra do L ma n. 30,
em Santo Amaro, nico lugar onde a en-
coiitranio pura c perfeitainente fabri?ada.
Os precos dcstas genebras sao incontesta-
velmente mais baratos que em qualquer
outra parle.
Scbonete de alcatro.
DE
Antonio Nunes de Castro.
. Este acreditado preparado, que to boa
acceitacao tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura certa
das impigens, sarnas, caspas c todas aa
molestias de pelle.
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu 4 C,
34ra larga do Rosario34. -'
Barato que admira.
Manteiga ingleza flora 1*400 a libra, dita fran-
ceza a i*^bmiudo 3*100, dito graudo a 3*,
caf a 220 rs., sabio a 180, alpiste a 240, arroz a
100 rs., passas a 440, idem quartos eom 6 libras
por 2*200, vinho a 400 rs. a garrafa, azeite doce
de Lisboa a 900 rs., caixinhas com ameixas, pas-
sas, figos e pe as, proprias fiara mimos a 1*600.
latas com doce a 500 rs. : s. na esquina da ru
da Penha n. 8.
BOA PINGA
do Bouro ..
Em casa de Flix Pereira da Sirva, ra da Im-
peratriz n. 60, vendem-se barris de o c 10 com
puro vinho do Douro, garanliudo-se que nao tem
confeica" alguna ; neste genero o melhor que.
em viudo a este mercado, e nmito proprio para
usar as horas de comida, e vende-se por preco
razoavel. na loja 4p Pavao.
Senhiirinlia Germana do Espirito Santo vomfe
urna casinha de laipa com coberta de telha, c cm
chaos proprios na estrada que va para Bebcribe
denominada Heberibe de baixo, assim como allo-
ga ou vende o seu sitio na mesma estrada pos
em bastante cominudos, fruteiras e cacimba. \
mesma vende torras do seu sitio no Arraial a
1*000 e l*fi00 o palmo. Vende mas ps de fruc-
teiras, pequeos, como sejam: sarotas,larangeiraa,
lim-iras, sidra, pinheiras, e nutras: quem preten-
der dirija-se a ma da Concordia a vullar para ra
de S. Jao n. 108.
Vende-?* urna escrava moga e de bas qua-
lidades : a tratar na ra do Appllo n. 55 segundo
andar.
ESCRAVOS FGS30S.
100$ de gratificado
Fugio no dia 11 de Janeiro, do cqrrente anno,
do" engenbo Balatura, freguezia
cravo preto, crenlo, de 2* innos de idade, cha-
aezia da Escada, o fil-
mado Marcelino, que fui do Sr. Joo da Cunha
Pereira, cujo escravo esteve no deposito gcral, e
tem os signa es seguintes : alto, secco do corpo'
rosto muito marcado de bexigasJalta de dentes
na frente, cor preta, sabio de chufeo do chile, pa-
letoi e calca de castor, levando um bahuzinbo de
flndres com mais roupa, e suppe-se estar na
freguezia do Cal : quem o apprehender leve-o
ao dito engenho, on roa da Senzala-nova n. 38,
escriptorio do Sr. Bernardino Pontual, que rec-
bela a gratiticacao cima.
XAROPE PEITORAL BRASILE1R0
DE
POJVTA DEEHIBAIBA
COMPOSTO E PREPARADO
Pelo pharmaceutlco
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas virtudes medicinaos
existiam deaconhecidas para a maior parte
dos nossos facultativos, devendo-se a sua
descoberta ao uso que d elle faziam os
nossos indgenas que menoscaba vam com
a sua applicaco de^pdos os soffnmentos
pulmonares, boje conhecido como o me-
dicamento mais efficaz fiara a cura de as-
tbma, broochite, coqueluche, penemonia.
e at a pbtysica, produzindoum effeito mi-
lagroso e prompto.
Para um adulto 3 4 colheres de sope
ao dia puro ou em cosimento peitoral.
Cribas, 3 4 colheres de cha.
Preco 40000 o frasco.
Pernambuco, ra Novabouca n.31.
Cera de carnauba
! Vende-se na ra do Quanaado a 13, primeir*'
aadar.
Vende-se un estrave, oOicial de ferreiro,
Tugio de bordo de palbabote nacional Ama-
ro, um mulato claro de nome Justino, estatura re-
gular, canelos carapinhados e meios ruivos, pouca
barba, tem urna pirita preta no canto do olho direi-
to e um talho as costas ao mesmo lado,; ievon
vestido camisa de chita com listas verdes, e usa .
de urna cinta com borla encarnada para apenar
as calsas, natural de Santa Auna do Matto na
provincia do Rjo Grande do Norte, para onde talve
queira ir, tambem muito desembaracado no fal-
lar. Recommenda-se aos mestres de barcaca ou
a qualquer pessoa que o agarrar, e levar a ra
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido navie que
ser generosamente gratificado.______
"^ToulOOT
Fugio do engenho Poco, freguezia de Agoa Pre-
ta, na noite de domingo, 18 do crreme, para o
amanhecer do segunda-feira 19 do mesmo, o <*-
cravo Benedicto, que foi comprado no Recit ao
Sr. Antonio Jos Vioira de Souza no dia 7 dtytfjrt
do corrente mez, cujo escravo tem os signa se-
guintes : crioulo, de 32 annos de idade, cor preta,
altura resillar, corpo regular, testa muito canta-
da, rosto um pouco descarnado, nariz afilado, pou-
ca barba, falta de dentes, ps e maos bem ferte**,
chapeo do Chile j velho ou bonet, boa camisa de
madapolao de prega larca ou de algodao branco,
levando a roupa dentro de um sacro ja velho,. o
qual deve ler a mareaPoco: qnem o pegar
leve-o ao engenho cima a un seuhor, ou sarna
da Praia a Genuino Jos da fiesa, que ret6in>
100* de gratificacao. Desconfia-se ter ido para
Porto Calvo, d'ondc era escravo de Fra*ooo
gueira Castello Branco.
FUGIO *
no no dia 26 do corrente.epagase bema quem -4>-
^ prehendw, levar ao \iveiro Mbb, o TO ^f-
vindo ltimamente do norte: no escriptorio di Jjerto, pre?o de idade SO annns, eamMU, o
Joaquim w Goncalves Beltrao, ra do TrpWlfcuenas, bocea pequea, cara bengoa, fcawo,
cbe.n. 17. J com marca de chicote as costt.
*



8
Diario de Pernambueo Quarta feira 28 de Abril de 189.
LITTEBATMi
Tranafaslo de sangur
ltimamente* no hospital d
o, urna mulher, atacada de hemorragia
ora delle nos appa.-eU.6s nter-
prestes a morrer
quando alguem resolveu-se praticar a trans-
fuso do sangue, isto injectar-lhe as veias
urna arta quantidade de sangue, fornecido
por outra pessoa. A operaco nao foi 13o
bm como se esporava : porm, se ella n5o
tem sempre boro xito, ja conta nioitos re-
sultados felizes, para que seja nao smente
legitima como neossaria naquelles casos em
que os demafcaieios sao mprotieuos.
Talvez sejam lidos comiyteresse alguma*
particularidades sobre a9 diversas phases
que tom tillo esta questo da transfuso.
A Ha surgi no seculo XVII. algum tew-
po depoi* da descoberta da circulaclo do
singue por Hnrvey.
As primeiras experiencias, feitas em ani-
maes, foram praticadas: Em Inglaterra por
Wrenn, em 1G58, edepois, em Franca, pi-
los mdicos Denys e Emmeret.
Continuadas com rauita perseveranga, es-
sos ltimos tiveram grande nomeada. O
procosso operatorio era muito simples. Um
tubo, cujas extremidades iam afinando at
terminarem em ponta, collocava-se urna del-
tas na vea on arteria do animal que devia
ornecer o sangue, e a outra na veia ou
arteria do animal que deveria receber. Fo-
ram enormes os resultados obtidos, e o
enthusiasmo foi tal, que exagerou-se um
pouco a importancia da operago.
Chegou-se a pretender que um cao velho
e surdo havia recobrado o sentido da aud-
eo, depois de operado, e que, de ento em
diante. sempre iiianifestou urna alegra ju-
venil. O sangue de quatro carneiros havia
dado forjas a um cavallo de 26 annos, e
um c3o muito doente fra curado pela trans-
fuso de sangue novo e vigoroso.
g: Animados pelo resultados obtidos, Denys
e Emmrret nao tiveram mais hesitaces, e
uassaram a operar em homens, procuran-
do, na ngeneragao do sangue, um remedio
para cartas enfermidades.
O exemplo dado por elles foi seguido
por outros mdicos, e essas tentativas tive-
ram, em comeco, resultados maravilhosos.
Um louco furioso, em qncm Denys e
Emmerct praticaram aoperago, recuperou
a razo immediatamente. Na Inglaterra um
homem de boa saude offereceu-se para fa-
zercm-lhe a experiencia, e nao s nao teve
nenhum resultado sinistro, como declarou
que a passagem do sangue novo para as
.suas veias, llie havia produzido muito agra-
davel sensaco. Em Roma, um tsico, ope-
rado pelo baiao Riva experimentou urna
g.-ande melhora, mas que infelizmente foi
passageira. Um filho do baro de-Bond,
primeiro ministro do rei da Suecia, aitaiido
com a saude muito estragada, veio a Pars,
e Denys, pela transfuso dosangue, reani-
moii-o sensivelmente.
Nao precisava mas para as cabecas fi-
rarem exaltadas; e, portanto, alimentaram-
se as mais loucas illuses.
\ transfuso, no dizer dos enthusiastas,
era quasi urna panacea universal, um meib
de prolongar a vida indefinidamente.
A raga seria regenerada; s pessoas fra-
cas, aos doentes, dar-se-hia o sangue das
pessoas vigorosas e sadas. Emfim, a sci-
encia ia realisar todos os milagres da fonte
de jjivcnr.i.
J muito compromettida por estas exage-
i i -. a caos? da transfuso do sangue
ain 11 o fkou mais pola imprudencia de cer-
tos mdicos, prdigos em fazer a operaco,
eque nao usavamdas necessarias precau-
coes.
Por isso foram elles castigados com um
grande numero de mos resultados, nume-
ro superior ao dos curas realzadas. O lou-
co que Denys havia curado, submellido a
i outra transfuso fpor haver outra vez
enloquecido), expirou durante a operaco,
depois acontecen o mesmo com o tsico de
Una. e com o filho do baro deBond.
Seguio-se urna reaccionaopinio publica;
i.ssoes de urna escandalosa vivacidade
lUabeleceram-se entre os homens da arte,
e finalmente, urna sentones, do Cbatelet.
datada de 13 de abril de 1868, prohibi
que se pr.itieasse a transfuso, emquanto a
faculdad" de medicina de Paris o nao dici-
disse. A faculdade. sempre muito pruden-
te em materia de innovares, e j descon-
fiada com tantos accidentes sinistros, nunca
deu a approvago, e, desde essa poca at
os primeiros annos do seculo XlX, a trans-
fuso do sangue ficou considerada como urna
operago perigosa, e, portanto, ninguem a
praticava.
Assim como acontece sempre, quando se
quer passar do dominio da theoria para o
da pratica factos mal elucidados, desacre-
ditou-se urna descoberta til, com a pro-
pagado della antes de tempo. Para li
bertal-a descrdito, foram precisos muito-
estudos, refeit* por emimentes physolo-
gistas, sobre os animaes, e com taes con-
diges de methodo e preciso, que nada
deixaram a desejar. As principaes foram
as dos Srs. Prevest e Dumas, em Franca ;
e Rlumdell, na Inglaterra.
Elles primeiramente pozeram toda luz,
csse facto importante, que contrariava certos
dados antigos : Que, para ser praticada-
cona bora xito, a transfuso devia sempre
*er feita com sangue dj animal da mesma
especie, por isso que o de especie diversa
poderla at obrar como um veneno, quando
fossem muito dessemelhantes, ol improfi-
cuamente quando mais approximadas.
Elles estabeleccram tambem que intil
restituir ao homem ou ao amimal urna quan-
tidade de sangue igual a que elle nlia per-
dido, sendo preferivel reanimar a vitalidade
dos orgos., para que esses, pelo jogo na-
tural das funrees, reparem as perdas
soiTridas.
Traaendo a questo para o verdadeiro
terrewe fazeudo justiga a exageraces do
passado, elles mostraram que a transfuso
pode ser til nos casos em que o organismo
escotado por urna consideravel perda de
sangae, teria de ser ferido deraorte seno
o reanimassem artificialmente; e que em
outros casos nao tinha applieago alguma.
por nfo ser rima panacea universal, nem
um meio de rejuvenecer.
Se possivel infundir sangue novoe vi-
goroso em um corpo alquebrado, nao se
conseguir- fazer que otgloi arruinados
e profundamente enfermos se utilizem dos
mitenaes desse liquido sanguneo, incom-
J#Whso prever certos
itrodoeco de ar as
un morfans; e tambem fazer
que a passagem dokngue de urna veia para
outra fosse extremamente rpida, por isso
medianos, a-lo perder umitas ou quasi
todas as propriedades regeneradoras.
Assim pois, Os mdicos operado es com
grande cuidado mandaram fazei^js appare-
llios as devidas condices..
Esses apparelhos podem divergir em pe-
quenas particularidades mas elles asso-
melhani-se pouco mais oimenosao inven-
tado por Blundell, o qual podo ser tomado
por typo.
. Neste o sangue que de ve ser transuiittdo
ao sahir da veia, cahe em urna especie de
funil do larga embocadura; um tubo alon-
gado oconduz a urna seringa-'que o aspira
e repelle immediatamente para um outro
tubo, cuja extremidade muite delgada
adaptada a veia do individuo que deve re-
ceber o sangue.
V-se, pelas pesquizas preliminares, que
a questo, havia sido elucidada, sob todas
as faces, e por isso a transfuso do sangue
foi o:cupar um lugar- entre as operaces
praticaveis no homem. Berard, no seu
Tratado de Plii/siologia^pbe reunir quinze
casos coroados de feliz successo, essa lista
provavclmente teria hoje de ser augmentada.
Todava a transfuso contina a ser
urna operago excepcional, e que apenrs.
tentada em alguns casos desesperados de
hemorragia, e isso mesmo quando a morte
esta imrainente, e os demas meios es-
gotados.
Porm essa operago perfeitamente le-
gitima, porquanto ella pode salvar umaexis-
tenca compromettida, sem or em perigo
a vida ou a saude da pessoa que oferece
o seu sangue. A quantidade de sangue,
que se tira nao passa de 200 a 300 gram-
mas (urna sangra ordinaria de 500
grammas) e um organismo vigoroso .nem
sent essa perda, que recuperada em
poucos das.
ERNEST DUPLESSIR.
celebre N*t, do muso i de Dresda, a an-.lho de rends de Inglaterra, eao pregardo+m.na d'onde se tiravnm
reola que crea o menino Jtsus- langa nohfllio uu meio da escu^BVe ureiepe .clarOes ir-Iinaii!iisiruit .TonL.i/in inaiatum e cor-
aos lados uns lagos
hinie?.
2." rmlsitfi para passe
tendo
ta que levantam a
radiantes
Bes polidas, os ro3lo3 brincos; a luz pren-
de com a sombra yor meio de rpidas co-
res de passagem. mas to bem graduada
queproduzem um relevo admiravel.* Con foulard verde ebranco; prmeira saa ten-
as cores desmatadas da pallieta, Correg doem baixotres pequeos, fomos de tat
<
os cadveres urna
um.
A ptica c as artes
(Continnaco)
O pintor nao deve dar ao seu painel um
tom predominante, nao pintar demasiado
azul, demasiado vermelho, demasiado roxo;
a impresso total deve tanto q'uanto for
possivel approxmar-se do branco ou do
cinzento. Se o vermelho predominar no
conjuncto das cores, fatig9r-se-ha a retina
inmediatamente, e o olhar ver, por assim
dizer, tudo verde, e o resultado que
tudo parecer falso ou ensombrado. Para
dar luz a um quadn, misteruma tal
ponderago das cores primitivas, que os
olhos, errando pela tela, nao se fatiguen)
com urna cor nem com outra qualquer. Es
panta ver a arte com que Veroneso resolve
esse problema em suas vastas composgoes :
ao cabo de urna longa contemplago, o
olhar conserva anda a sensago da c6r
branca ; v claro, est a gosto. Pelo con-
trario, ha tal painel que produz no orgo
visual o effeito desses vidros de cor, atra-
vz dos quaes se v urna paysagem, e que
tiram natureza todo o encanto e ver-
dade.
Pela mesma razo deve ter-se muito
cuidado em collocar os quadros em fundos
que nao sejam vivamente coloridos, prin-
cipalmente se sao de pequea dimenso.
N'um fundo violeta, orna pequea tela ama-
relleco ; n'um fundo vermelho, fica verde,
A cor que, em nossa opingo, melhor con-
vert, nao -o branco, porque os tons po-
bres e sombros da pintura soffrem muito
com essa approximaco ; o que convm
um cinzento carregado ; d mais realce s
cores, sem altera-las com a mistura das
cores complementares que nascem do con-
traste. "Os fundos verrnelhos-escuros to
communs nos museos, convm s passa-
gens ; realcam menos os retratos e, as fi-
guras, que ganharam mais em serem vis-
tas sobre um fundo esverdeado. Pde-se
perguntar tambem donde vem o uso uni-
versal de por em volta de paineis molduras
douradas. Parece-me que a razo esta :
proprio dos objectos brilhantes dtr aos
dous olhos, como se explcou no estudo
acerca da visao, imagens absolutamente dis-
similhantes ; a vista de um objecto brilhan-
te desperta pos visualmente a tensacSo do
relevo. O relego da moldura prepara aos
olhos a illuso que deve produzir a ima-
gem do painel onde as profundezas e as
distancias sao figuradas no mesmo plano.
Dissemos que o olho notavelmento in-
differente intensidade da luz, mas mui-
to sensivel aos phenomenos de contraste e
a pintura pode tirar dahi effeitos de gran-
de forga. A grande luz tem por effeito
approximar, afogar todos os tons e fazer
predominar o amarello ; a luz paluda ap-
proxima todas as sombras, torna-se mais
indistinctas e massigas, e as partes claras
deixa predominar o azul. Quando se ap-
proxima a noute, os tons vermelhos s5o
os primeiros que se apagam, una. vacca
vermelha n'um campo torna-se prompta-
mente invsivel; depois dos tons vermelhos
e amarellos desapparecem os verdes, e as
arvores nao mostram mais do que tragos
negros ; o azul do co, porm, persiste at
o meio da noute. A distancia produz os
mesmos effeitos que a diminuigo da luz ;
quanto mas um objecto luminoso foge ao
longe, tanto mais se altera a cor : os ver-
melhos araarellecem, os azues tornam-se
acinzentados, a purpura azul, o rosado vo-
consegue produzir ess" deslumb i;nnfoi
especial o,u resulta da justa posiglii
luzesedas Sombra?; es^opiHagre da cor 1
a exptessio material do mystorio divino qa;
envolve omeninoo Mara, banhados de luz,
os singelos ptstore- e os aAs. Murillo
obteve algumas vezes effeitos do mesg^a
genero. No Nasctwno da Virgem, o lef-
io da parturiente est envolvido n'uma
sombra cast, vtn-se fugir corredores ne-
gros atravessados por alguns servos dscre-
tos; mas do centro jorm urna luz celestre
que vem de cima, como por umenda, e
que Ilumina docemente os anjos fluctuan-
tcs, o bergo, as mulheres que movem as
faxas. Uns cabellos negros e luzcntes da'
mocdade, um estofo vrmelo, um corpe-
le cor de pallia, sao as nicas cores que se
destacam desta aureola di Ilusa e tenue.
Que maravilhosoproveitotirou Rembrandt
das luzes nocturnas, dastochas, dos fachos?
Lembrem-se porum instante da Honda noc-
turna, o qnadro mais vivo tilvez que exis-
te no mundo? Poucos artistas ousam hitar
com a luz do sol, essa luz qua approxima
todos os tons, e nao deixa ver seno atra-
vez urna especie de poeira trmula. No
Pndinte, de Murillo, o raio que entra pela
janella, langa em tudo a mesma luz doura-
da, nos andrajos pardacentos, as carnes
morehas, n'um vaso cor de tjolo, e at so-
bre os cabellos negros de] figura; at a
lagosta que est no chao pintou-a o artista
com um tom alaranjado. Sombras tenues
e transparentes, toas uniformemente ama-
reliados, eis os dous caracteres da luz in-
tenssima ; mas ordinariamente a pintura
desiste de reproduzir a magia deslumhran-
te c as criagoes esplendidas da natureza;
pode dar-nos apenas um prazer mais sere-
no, menos material. Quantas obras primas
em que s ha a cor negra e a cinzenta, a
Limo de anatoma, por exemplo I Como o
pensamento fulfc por toda a parte I Como o
a lista reproduzio as santas curosdade, da
sejencia, a terrivel raagestade da morte, a
forga do pensamento que triumpha da sen-
sago e dasrevoltas do iusncto! A escala
das cores do pintor bem pobre, a intensi-
dade de sua luz de extremafraqueza; mas
a arto aproveita a indifferenca do olhar pelo
vigor e o fulgor dos tons; acha os seus
meios de expressao nos matizos e nos con-
trastes.
(Conlinuar-se-hn)
verde. Grandeeasaea eamargb.rauito levan-
tada aos lados, formando um grande pottf
atroz : na frente tem largas-bandas de lafe- j
w, eern vorta toda giwrnecida com um f- que a exploso
llio de t;iajut. Cinto (lo tufet fechando
atraz em coques, qud ciem sobro o pon/.
Chapeo d crpe preto, com um laat de ta-
fet verde na frente.
3." toilette para sojre. Vestido em
seda^cr de pal lia. Saia de cauda, temi
embaixo um tlho guarnecido de selim da
mesma cor. Corpo subido atraz e aberto
na frente em quadrado, eenando com um
lago*fle setim. Cinto de setim fechando
atraz em coates. Mangas a meio braro,ter-
minando por dous flhos de renda. Ao pes-
cogo tima medalha,pendente de urna fita de
setim. Penteado bastante alto ornado com
um pouf de setim.
t 4." toilette, para jautar. Saia de
tafet azul tendo em baxo tres pequeos
flhos. Vestido de cima de gase Chambry
riscado de azul, e levantado aos lados por
lagos de tita.de tafet azul. Corpo aberto
na frente crusando ao lado, camiseta em
mouaseliua crusado na frente e.guarnecida
de renda,
Iha da estrada red de Asbton a Wijfan*.
Foi al que em WGo estiveram encerrados
durante muitos das mais de 100 mioeiros
Vestido de por causa da roptura de urna machina ; tm
tambem allfque 1806 trirrt pessoas per-
dera'ma y da por causa de urna exploaSo.
Tomavam-sf n'esta mina todas as pre-
caugoes suggeridas pala prudencia ; de rao-
o que se est demonstrado, como se^enfrj
foi urna consequencia da
ignifb da -plvora que se emprega nos
traballios, ser preciso prescindir 'qM$
IM-ocmso n'uma ven glologica onde to
perigoso.
* Um telegramma datado de terca-feira
"le annuncia que se achrala 28 cada-
s depois de se ter percorrido a mina
em todos osentidos ; cita-se urna familia
da mineiros que perdeu n'esta catastrephe
cinco de seus membros. Entre os opjaM-
rios que tinham ficado queimados, j mor-
reu um e outros quatro esto n'um estado
desesperado.
O inspector do governo desceu mina
para proceier a um mquerito.
moji-os, e negfando-:e o cnsul a entregar-
Ihes, foi o consulado invadido, pisada e es-
A m.naae H.ghbrooks esta a urna nn- carnecjda a bandera franoea,7fllzilados os
POUCO DE TUDO.
MODAS.Eis a descripeo das utfimas
de Paris, trazidas hontem pelo vapor inglez
Douro :
O costume continua a ser i grande mo-
da. Os vestidos de cauda so> reservados
para os toilettes de noite. Oscostumes em
seda preta sao muito bonitos, guarnecidos
com setim preto ou rendas. Nao sendo
pretos, devem ser todos de urna cor, isto
, a saia de baixo irma da de cima.
A saia de baixo faz-se sempre com um
flho alto, ou em fotbfabos estreitos, e a
saia do cima apandada, formando imtf.
Estes apandados da saia fazem-se de diver-
sos modos, quasi sempre dependente do
bom gosto da modista.
Tamfcm em lugar da saia apanl>ada,
se forma o pouf com uns grandes tufos,que
partem da cintura e chegam meio da saia
do cima. Um costume que achei muito
bonito era de rtecas brancas e azues. A
primeira saia tinha um flho alto ao viez, e
cima do flho tres fofos guarnecidos pelos
dous lados com urna fitinha de tafet azul.
Segunda saia levantada aos lados por tacos
de tafet azul. Os dous pannos detrazsio
franzidos formando um grande pouf; pe-
quena casaca justa, aberta atraz, e na fren-
te, franzida por um cinto de tafet azul,
que termina atraz em um grande- lago A
casaca guarnecida em volta com dous
fofos iguaes aos da saia, e levantada aos la-
dos como a segunda saia. Um outro costu-
me tambem bonito, de riscas pretas e bran-
cas. A primeira saia tem dous flhos de-
j,bruados de tafet preto, e ao pregar de uns
c de outros um fofo tambem debruado de
tafet preto. Segunda saia muito curta, c
lisa na frente, tendo os pannos de traz le-
vantados por duas paites, debruadas de ta-
fet, e tendo por cima tres lagos de tafet
preto. Casaca, formando atraz paquenas
basques, larga na frente, cundo as ponas
at meia saia, simulando um mantelete. Cin-
to passando na frente por baixo, indo aca-
bar atraz por um lago sempontas, tambem
de tafet preto. Tanto a casaca como a
saia sao guarnecidas com um flho e cima
o fofo, tudo debruado de tafet preto.
Os corpos dos vestidos usam-se muito
abortos na frente, urts em forma de cora-
go, outros em quadrado, e subidos as
costas, usando-se por dentro d'estes vesti-
dos as camizinhas brancas em fil, havendo
n'estas camizinhas urna grande variedad,
sendo algumas todas enfeitadas de rendas,
outras em preguinhas, e algumas formadas
de tufos. Os vestidos com o corpo todo
subido sao enfeitados, simulando os enfei-
tes suspensorios ou pelerinas. as mangas
fia grande diversidade. Ha a manga com-
prida e estreita. Ha a manga Mdicis, for-
mada de tres tufos divididos por tres tiras
estreitas. A manga aberta de cima abaixu,
deixando passar um grande tufo.
EM FAVOR DA UMIDADE OATIIOUCA.
Na seso de 6 de abril, apresentou o
hispo de Jan as corles constituimos hes-
panholas urna representacao promovida
pela Associac > de mtholioos, pedindo a
conservaco da unidade catholica. A re-
preseotago assignada por cerca de tres
milhes de pessoas, e procede de 8,3 i I
povoares de Hespanha.
Diz o PensTinienlo que nunca houve em
Hespanha exemplo. de urna represenlago
semelhante e com al numero de assigna-
turas. As assignaturas reunidas por pro-
vincias foram transportadas aos congressos
em cinco coches particulares.
A franqua das representacoes, com. as
suas copias, remettidas das provincias para
Madrid, sobe a mais dj 2i:000 reales, e o
seu peso de 40 arrobas approximada-
mente.
0 peso do papel sellado de mais de
ii) arrobas.
pativeis com os vasos.
Emilia ficou provado que a transfuso
urna operago, nao perigosa quando foita
conta a cor da aimosphera que temi
azular todo o que flea distante. 12m vrtu-
de da lei de Fechener, somos relativamente
um pouco menos sensiveis quando adntea-
sidade vivissiraa. Por isso, quando-os
pintores querem representar objectos {Ilu-
minados pelo sol, derramam urna cor trans-
parente amarelladaem lados os tonsiharmo-
nisarn-nos, igualam-nos Se querem pintar
am luar, as sombrs s3o opacas, e as par-
tes brilhantes sao fingidas de urna mesma
cor azulada. Vede o Christo na sepultura
de Ticiano : j noute, nio ba cores bri
Ihantes, tudo se envolve de urna Sombra
lgubre, a cabega do Christo est iatetra'
mente pendida ; mas nesse fundo tejgKO
v-se destecar pela maneira mais fithetica
os bellos rostos de S. Joio e de Magdale-
na. A expressao nSqaode. ir mais loan ;
attinge-ae all o sublime pelos meies mais
simples e naturaes.
O effeitos
raystin do jgae se chamt
Urna ou
tra manga caegando s^meio braco, tendo
uno tewr em os grandes flhos.
? Os corpetcs brancos vo ser muito
"moda, sendo enfeitadoa de muitos modos,
mas s se usaro cora vestido, tejido o cor-
po degptado, e nao s simplesmeate, como
se usaramTJs mais annos. Continuam a ser
usados os fichas Matie Antonietta, para soi-
'e.
! Os bachelicks, as pelerinas e mantele-
tes, usam-se ainda, mas nao tanto como a
Casaca, ou paletot com cinto, que sei feito
Mo mesmo estgb do vestido ou entao de
Seda preta.
' Nada denovo na forma dos chapeos,
que continuam muito pequeos, faaendo-s
quiilosem crpe preto, goanwcidos de Te-
lado oo setim. .
Os estofos mais asados sSo os tafets
furia cjps, as mousselinas de la.os estofos
de sedfB la, a popelina e o j conheeido
frutar.
Vamos' descrevar algons toilettes que
mereceram mais a nos attencio:
1." toilette pan noiva. Vestido de ta-
claro-escuro nao sia* obtidos por twtnr *.
tUpdo. Corregi mastre nesta art. 'itk tetar, saia de cauda, tendo por baixo um -
A PHRENOLOGIA APPLIGADA AOMI-
N'ISTItACVO PUBLICA. Ao senado dos
Estados-Unidos acaba de ser snbmcttida
urna das propostas mas* excntricas, de
que ha memoria nos fastos parlamentares.
E' um ensaio da applicagJo da phrenologia
administrago publica.
O sen autor, Mr. Bowe, propoe que
seja nomeado um phrenologo para lhe con-
fiar um cargo to importaste, que pe as
suas mos o futuro de numerosos funcio-
narios. Esse phrenologo- deve examinar
todos os candidatos a quem se trate de
confiar os e.npregos de recebedores de di-
nheiros pblicos ; e depois a haver estu-
dado a constituigo de seus crneos, apre-
sentar um relatorio ao governo, consignan-
do n'elle o estado das differervtes protube-
rancias, a que a phrenologia attribue algn-^
a correlato com as virtudes e vicios.
As virtudes que tornariam admissivel o
candidato, seriam a benevolencia, o senti-
mento do dever, a faculdade e acomparagao
que denota o juizo, etc.
Esta proposta foi nomettida 3 commisso
de reformas e economas, para sobre ella
dar o seu parecer.
LUTAIERRIVEL.-O Colmenle Bayon-
no diz que foi preso em Saint Pee jfFran-
caj um hespanhol que se julga ser um dos
autores de um horrivel crime commettido
em Sara, e do qual aquella follia d os se-
guntes dramticos permenores :
Na noute de sexta-feira para sabbado,
tres homens penetraram na casa do Dr. Di-
thurbida, de Sara, antigo maire d'esta com-
mua, e dirigiram-se para o quarto oceupa-
do pelo domestico fartira Derguitz homem
de 40 annos, mas ainda muito vigoroso,
que havia servido nos cagadores a p.
Os malfeitores sorprenderam-no a dor-
mir e deram-lhe uma facada no peito. Ani-
moso como um vasco, o criado de Dithur-
bida lovantou-se logo e comegou a hitar
com os seus adversarios, aos quaes nao
via ; coaeguio porm desembaragar-se
d'elles e langou mo de uma arma de dous
canos.
Entretanto um rapaz que dorma no
mesmo quarto quiz prestar soccorro ao- seu
corapanheiro, mas Jevou ama pancada que
o obrigou a refugiar-se debaixo de uma
mesa.
Os tres malfeitores voltaram-se. pois,
todos contra Martm com quem lutaram
para lhe arrancar a espingarda, a qual com
a$ numerosas sacudiduras que soff/eu ois-
parou-se e por um tria uo arremessava a
bala ao rapaz que so. havia escondido de-
baixo da mesa. Esta detonago- apavoroo
os ladrees, que redobraram de esforgos
para acabar com a sua victima.
Seguio-se uma terrvel lula brago a
brago. O criado*, agarrando pela cintura
um dos bandidos, langou-o polajanella, mas
o feyodos outros ia-o ferindo entretanto,
e recebia mais daas facadas uma na coxa,
outra no brago.
c Coraegaram-se a ouvr passos na casa;
os salteadores julgaram prudente o fugir.
O criado qu a perdendo muito sangue,
arrastou-ae como pode at porta do quar-
to de seu amo, mas ajli as forcas abando-
naram-o e cabio.
O Dr. Dithurbida tratou logo de pro-
curar os assassnos, mas estes haviam des-
apparecido. Martim explcou o .que se aca-
bava de passar, e depois de ter dado|alguns
signaes dos assassnos e ter recebido os
^occorros da refigiao, expirou. i
OS PERIDICOS E A HYGIENE. Ler
cada um o seu peridico (se o tem) quan-
do est a comer, ser prejudicial, indiffe-
rente ou til ? Ah est uma questo de
hygiene a que responde pelo seguinte mo-
do a Independencia belga :
No caso de se comer sem companhia,
a leitura uma excollente distraego, e e
sempre preferivel a uma conversago em
que se discuto. Em quanto se l, a mas-
tigago e a deglutigo dos alimentos ope
ra-se mechanica, tranquilla e methodica-
meate. Se, pelo contrario, nos mettemos
om coaversagoes de dscusso, acontece
militas vezes que, para darmos uma repli-
ca a tempo, engulimos os bocados mal
mastigados. D'este facto resulla que o
trabalho preparatorio que cabesqueixadas
no foito seno -imperfeitaniente, e que o
estomago obrigado a supprir essa imper-
feigo com um excesso de fadga, com pre-
juizo da suade particular d'esse orgo e
custa do he estar geral. De mais, eomo
o alimento engulido nao est bastante tem-
po em contacto com a saliva indispensavel
sua passagem e sua transformago or
mal, resulta que a sua assimilag nao
pode ser to completa como seria neces
sario que fosse.
EXERCrrO HESPANHOL. Os 80:000
hdroens, em que foi fixada a forga do exer-
cito permanente para o anno econmico de
180!> 1870, destrbue-se na forma se-
guinte :
intentara. Quarenta regiment* de
dous batalhies ; um fixo de Ceuta com
tres .- dous de gagadores ; um de Canarias;
quadros das mesmas ilhas-; escola de tiro
do Pardo : tropa do collegio de infantera ;
sargentos da commisses de reserva, e sec-
Cs de artfices de administrago militar.
Total VikWZ homens.
Artilbaria. Quatro regmentos de p
com dous batalhes ; cinco- montados ; dous
de montanha ; um esquadro de remonta ;
companhia de artfices ; pessoal acadmico.
To:aI,8r85r>.
Engenheiros. Dous regimentos com
dous batalhes : brigada topograpbica. To-
tal 2:532.
Cavallaria. Vinte regimentos com qua-
tro esqnadroes ; um esquadro de Galliza ;
outro de Mlborca ; dous estabelecimentos
de remonta : pessoal da academia, da escola
de ferradores e de eommissoas de reserva.
Total, 8:9!>3;
Pelotees de mar e companhias lixas, e
soltas de frica, 3ft.
ESTATISTICA COMPARADA. O Econo-
mista Francez publica uraestudo compara-
tivo entre a populago de Paris e a de
Londres. Segundo este trabalho, na capi-
tal de Franca ha 1:829,271 habitantes e na
de Inglaterra 3:150,000. A cidade de Lon-
dres oceupa 51,5(J3 hectares de terreno, c
por tanto toca a cada hectar uma dens-
dade de iOO habitantes, ao passo que Paris,
que oceupa 7,80!> hectares, tem umaden-
sidade de 233 habitantes por hectar.
Tendo em conta o numero de casas que
ha em cada uma d'estas grandes capitaes,
o referido peridico deduz qne na. capital da
Gr-Rretanlia o termo meio dos habitantes
em cada casa de 7 a 8, oceupando geral-
mente cada familia um edificio, ao passo
que em Paris de 40 a 50 habitantes.
tres que all se tinham refugiada, isto fu-
zilados porta da residencia do cnsul do
Franca e sua vista.
Houve um attentado contra o vice-
rei rtoEgypto. Collocaram uma bomba no
JUjeatro debaixo da cadeira do vice-rei um
rastilho hbilmente tHsfarcado, ia dar aos
bastidores. Se nao fosse descoberta a
conspiraco corra perigo nao s o vce-
'rei-mas todas as pessoas que nessa noite
assistiam ao espectculo.
E' esperado na Europa o principe
Hussien, filho do vice-rei do Egypto com
o fim.de convidar os soberanos da Europa
para a inaugurago do grande canal de
Suez, cujos trabalhos esto muito adianta-
dos.
Vai ser aberto ao commercio estran-
geiro o porto chinez de Chaochow-fere
contiguo ao de Swatoro. O governo japo-
nez tambem abri ao commercio das na-
ces que esto em relago com elle os
portos de Yedo e Neegata, com a condgo
de que os estrangeiros que se drigirem a
elles vo munidos do competente passa-
porte.
CATASTROPHE. O jornal inglez Atof-
nmg'Post d os segalntes pormenores
cere de uma catastrophe que teve Wgar
qos arredores de Wigan :
No da i de abril pelas 7 horas da
Upanha, os signaes do costume indicavam
due havia mcendio na mina de carvlo de
Higbbrooks, 9 pouca- distancia da villa de
SOMNO E MAIS ALGUMA COUS.V.
Conta o Jornal dos Debates, de Paris, que
est actualmente em Ricetrc um velho que
adormecen ha mais de sete semanas, sem
que nenhuma interrupgo se tenha mani-
festado*o seu estado lethargjco.
Este caso de somno prolongado nao ,
segundo aquelle diario, sera precedentes,
como se vai ver.
Em i730, na enfermara de S. Martinho
tto Hotel-Dieu, estava uma mulher de 30
annos, que havia seis meze3 que tinha
cabido n'um somno lethargeo Applca-
vara-lhe ventosas, vesicatorios sera que ella
sentisse a menor dr, nem acordasse. Este
estado durou quatro annos, depois do que
as suas fatuidades menlaes foram enfraque-
cendo at que morreu.
Em 15 de abril de 1713 um homem de
50 annos entrou no hospital da Caridade
e cahio, poucos dias depois, n'um profundo
somno. ffo tinha o menor sentimento
nem movimento, mas apresentava cor ver-
melha, respiraco lvre, pulso firmo:e igual.
Dormio assim sem interrupeo at o fim de
outubro.
Mettai'am-no n'um- banlia, mas sem re-
sultado : sabio da agua anda adormecido.
Depois d'estes seis mezes de somno, acor-
ilou^passoo bem algum tempo, mas depois
cali.o n'um estado de imbecilidade.
Era 4766 entrou no Hotel-Diea um doen-
te dos arredores do Mans, atacado de uma
febro lenta.' Adormecen ao quarto da e
teve um somno hebdomadario que era in-
terrompido em dia fixo. Durante esta in-
terrupgo, toma va caldo, vinho e dormia
depois durante oito dias.
ra rapidez, e correa logo para a mina
jrande maftidlo. No momento da catas-
trophe eitavam a trabalhar 70 mineiros ;
ajtoetade pode ser retirada da mina sem
t r soffrido o meaor mal, 45 estavam hor-
velmente queimados, e 30 encerrados na
CAPRICHOS DA MODA. Dizem de Pa-
ris uma folha de Madrid:
O penteado das senhoras abre um vas-
to campo meditago. N'este assnmpto
nao ba regra geral; todos os estylos esto
confundidos, e s o capricho preside edi-
ticago d'estes brilhantes edificios... umos
dizendo d'estes monumentos.
Nunca houve tanta riqueza as cabegas
das damas, nunca se viram nos saines to
opulentos penteados projectar os $eus re-
fiexos castanhos, louros ou pretos sob os
raios das serpentinas.
a Veem-se aqui enormes cuas, que des-
trancadas, se prolongariam como um rio;
milhares de caraces collocados sobre a tes-
ta e retorcendo-se como as serpentes de
Medus Esplendida cousa! Afflrma-se
que depois de um baile os criados encon-
trara espaWiados sobre o pavimento um
grande numero d'estes formosos anneis de
cabello louro ou castanho. O salo tam-
bem tem os seus cadveres como o campo
de batalha.
Os trajes vo-se convertendo em ver-
daderos disfarces do carnaval. As saias
de magestosa arapldo, prolongam-se por
baxo e apoucam-se por cima; todo a fa-
zenda que se economisa no corpinho, ce-
dida prdigamente ae restante do vestido,
com o que nada perdem, antes lucrara, os
coinmerciantes.
Ainda nao appareceram os vestidos sem
corpinho, porm evidente que esta appa-
rigo se verificar brevemente; ao menos
assim se espera. O que fica de corpinho
to exiguo, que nem se quer merece a
pcP de menciona-Io e a tendencia do bello
sexo imitar o primitivo traje das bellas
que povoam as abrasadas regios da Ame-
rica meridional. Este traje tem quando
menos a vantagem de tornar mais suppor-
tavel o suffocante calor dos saJae, posto
que cora elle pouco lucra a decencia.
Os liomens tambem teem o seu corpi-
nho, qjie o colete, pois d'este facto j
nao existe seno um insignificante pedago
de tela perdido entre o fracq.e preso sobre
o epigastro por um s boto. Que longe
nos acharaos da epocha em que S. A. o
duque de Bsunswich ostentava um ampio
e comprido colete com oito botoes> cada
um dos quaes representava o valor de 18
contos Reduzido a um s boto, S. A,
ter-se-liia visto obrigado a abotoar o cole-
te com um diamante como um ovo deabes-
truz.
Tal como se usa, este colete desmesu-
radamente, aberto parece-me o resultado de
uma combinago machiavelica : foi inventa-
do induBita .cimente por uin fabricante de
camisas. Com to escasso colete pre-
ciso usar uma camisa bordada, de rica tela
e adornada de botes de diamantes. E ef-
fectiramente tornam a ser moda os ricos
botes de camisas que estavam de parte :
a elegancia renasce em Paris.
RELIQUIAS HISTRICAS.Lord Relha-
ven acaba de legar por sua morte, recen-
temente occorrida, rainha de Inglaterra
varias reliquias de Maria Stuart, cuja des-
cripgo feita pelos jornaes inglezes nos
seguinles termos:
A primeira um pequeo cofre de bano
ricamente marchetado de conchas. bre-
se por meio de cUias portas colladas na
parte superior e por outras duas que tem
no centro, deixando ver o interior adorna-
do de espelhos. Esto movel acha-se per-
feitamente conservado.
Outro dos objectos uma bolsa feita
pela mesma rainha contendo differentes
emblemas bordados a ouro, taes como uma
cora, um sceptro euma espada, como
esta insaripgao : Deus. salve elrei Jac-
ques. >
A terceira reliquia um boca lo de pu
sem levedadura, do que, segundo a tradi-
go, a desdi tosa rainha comeu ao celebrar
o rito mais solemne da sua religip.
Acompanha estas recordagoes uma tran-
ca dos cabellos da mesma rainha, de cor
bastante clara.
NOTICIAS DIVERSAS.-Parece que as
repblicas de 9. Thomaz e o Haity, esto a
bragos com um conflicto com a esquadra
ranceza que cruza naquellas agoas. por
A Boticttspalhoa-se com extraordina- tausa d algumas tropelas feitas a um es-
caler da marrara de guerra "rranceza.
No Haity ha'tambem conflicto como con-
sulado francez: Ao entrar Salnave victo-
rioso, parece- que se recolheram bandelra
frahcea, em casa do cljnsal, tres dbs seus
MANIACO.O-Monte-Dranco refere nos
sogunMs termos um suocesso que ensan-
guentou a igreja de Nossa Senhora de
Liesse, em Annecy (Saboya):
* Quando o sacerdote lia o Evangelho,
um surdo-mudo que padece ha tefhpos de
uma monomana religiosa, tirou do bolso
uma navalha, e brandindo esta ama quiz
forgar um individuo a ajoelhar. Este con-
seguio livrar-se do maniaco e sahir da
igreja.
f O surdo-mudo voltou ento o seu fu-
ror contra um carpinteiro por nome Gante-
let, o mal fugio logo para o lado do coro,
onde deu uma queda. O surdo-mudo apro-
veitoo-se d'esta cirenmstancia para lhe en-
terrar a navalha desde o pescoco atia co-
lumna rlrtebral. Gantelet deu um grito
terrivel e tornou a apparecer do outroja-
do do altar, lendo saltado por cima da ma-
sa da communho. Poi enflo novamente
aleangado pelo assassino, que lhe deu um
segundo golpe. O ferro atratessou o pa-
vittio da orelfra esquerda e peaetrou no
pescogo passando por traz d maxa. O
sangue sabio com abundancia e o desgra-
cado carpinteiro poucos momentos depois
era cadver. a__
O assassino dehmu-se prender sem of*
fereeer a raener resistencia. Pertnce a
uma familia de surdes-mttdo e j ha muito
#>
?.


,1
, i
N
Bava sH^^ffi ^-__
mais funbnwlos adversarios. Salnave recta-1 TP. DO WAlioR*PlWBBBS a.
V
ti
^V


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHO0656RM_1RHAQW INGEST_TIME 2013-09-13T22:09:25Z PACKAGE AA00011611_11827
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES