Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:11822


This item is only available as the following downloads:


Full Text


r >
ANNO XLV. NUMERO 90.
PA8A A CAP1TA1 E LUGAHES ONDE IAO SE PAGA PORTEr
- Por tros raezes adatados..................
Por seis ditos idem....................
Por iumnw>4(jem....................
Cada numer avulso..................
64000
12,5000
24JO00
0320
QUINTA FEIBA 22 DE ABRIL DE 1869.
PARA DEKTEO E FORA DA PROVINCIA.
"TV*
Por tros meze^adianlados.
I'or K*i ditos i'dem. .
Por nos i ditos idem .
Porumanno.....
6*75*
130500
20*250
274000
DIARIO DE PERMUTO.
Propriedade de Manoel Figmira de Faria & Filhos.

r
BAO AE!TE:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Fifcos, no Para; Gonealves Pinto, no Maranhao; Joaquim Jos de Oliveira, no Cear; Antonio de temos Braga, no Aracatj; JoSo Mara Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Natal; Antonio Joaqoi '
Guimaraes Pancada, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penba; Belarmino dos Santos Bokao, em Santo Ant3o; uomingos Jos da Costa Braga,
\ em Nazareth; Francino Tavares da Cssta, em AJagas; Dr. Jos Martin* Alves, na Baha; e Jos Bibeiro Gasparinho, no Rio de Janeiro.
t
s
PARTE OFFICIAL.
-----------------------------------------------------------------
Coveruo da provincia.
mmMTI ASSIUNADO PELO EXM. SR. C0KDK DR
BAKI'E.NUY, PRESIDENTE DA PROVINCIA, EM 6 DE
.ABRIL DE 1869.
1" seccao.
N. 191.Poriaria ao Exm. Sr. general comman-
dante das arma.Devendo ter lujar no dia 10,
1 hora da tarde, a abertura da sessao o diara do
corrente auno, daassembla legislativa provincial;
assim o eommunico a V. Exc., alim de que mande
dar a salva do costume na fortaleza do Hrum.
N. 1!>.Dita ao raptao do porto.Respondo o
a 44. declara'.db-llie que conced Antonio Joa-
quim dos Santos autorisaeao para conservar at o
nm do lempo da lieenca que obteve da cmara
municipal, o rurral para apanhar peixe, que pos-
sc entro a ilha do Nogueii a e a praia da fortaleza
das Cinco-Pontas.
N. 193.Dita ao commandante do brigue-barca
tlumuivai.De conforinidade com o aviso do mi-
uislerio da marinha de 24 de fevcrero ultimo,
nande Vmc. passar guia de desembarque, e por
dispftsiciio do consul.de S. M. Fdelissiina nesta
provine, Jos Viera Valladao, que serve na
qualidide de grumete no vapor de guerra Recife,
com o sii|>posto nome de Jos dos Santos, e re-
damado como desertor da canhonera portugueza
Zbrco, pelo mesnio cnsul, certo Vmc. de que por
aquelle consulado tem de ser ndemnisada a fazen-
da nacional da quantia de 38^900, importancia do
faldamento que a predila praca recebeu. Fca
deste modo respondido o seu ofllcio desta data, sob
u. i06.
N. l'i Dita ao cnsul portguez.Expedndo
a conveniente ordem ao commandante do brigue-
barca llamarac, alim de que em cumprimento
da ordem do Exm. Sr. ininist*) da marinba, em
;ivi>o de 24 de fevereiro ultimo, ponba disposi-
eo do Sr. Dr. Claudno de Araujo Guinaies.con-
sol de S. M. Fdebssma. o desertor da canhonera
portugueza Zureo, Jos Viera Valladao, que serve
como grumete no vapor de guerra Recife, com o
supposlo nome de Jos dos Santos; assim o eom-
munico ao mesmo Sr. cnsul, previnindo-o de que
fazenda nacional tem indemnisar a quantia de...
;i8:!!)0. importancia de fardamentos que a referida
pmea receben. Renov ao Sr. con-ul a seguran-
za e miiiha perfeita estima e consideracao.
2* seccao.
N. 197.Ofllcio ao presidente do supremo Iri-
bunal de justica.Tenho a honra de participar a
V. Exc. iue a"2 do corrente mez o desembargador
da relajo desta provincia, Caetano Jos da Silva
Santiago, prestou juramento e tomn posse do car-
go de presidente da mesiaa relacao, para o qual
foi Horneado por decreto imperial' de de marco
ultimo.
N. 198.Dito ao meemoLevo ao ronhecimen-
to de V. Exc. que, segundo ofllcio do juz de dirci-
10 da comarca do Bonito, bacharel Joao Rodrigues
Chaves, tendo a 31 de dezembro findo, terminado
a ultima rotlo da assembla legislativa da provin-
cia da Parahyba, de que era membro, a 18 de Ja-
neiro ultimo, entrou no gozo de dous metes de li-
sa, que Ihe foi concedida por esta presidencia a
13 do dito mez, e finalisando a 18 de marco prxi-
mo passado. nao pode o mesmo magistrado reassu-
mir o exercicio por se adiar doenle, fazendo-o po-
la a 29 do referido mez de marco.
\. 199.Portara ao commandante suprior in-
terino da guarda nacidnal do Recite.Mande V.
S. presentar em frente do paco da assembla le-
gislativa provincial, no ia 10 do corrente, ao meio
da. un batalhao da guarda nacional sob seu com-
inaudo superior, alim de fazer as honras do cstylo
meara assembla, por occasio da abertura de
sua sessao ordinaria no corrente anno.
. 200. Dita ao commandante do corpo prvi-
da polica.Em vista das informantes e do-
curoentes, e dos pareceres da thesourana p/ovin-
cial e procurador fiscal, nenhuma responsabilidade
cabe a Vmc. pelos desfalques e extravos havidos
lampo anterior sua entrada para o corpo sob
.mimando, constantes da relacao que acom-
panhou o seu ofllcio de 24 do corrente, sob n. 134,
' que ueste data se ordena a thesouraria pro-
vincial que promova o embolso das quantias em
que importam os alcances das pessoas que a clles
deram causa, marcando-lhes para esse flm prazo
razoavel.
3' seccao.
N. 201Portara ao inspector da thesouraria de
fazenda.Dando solucao ao que V. S. ponderou
em offico do hontem, sob n. 192, a respeito da fal-
ta de crdito para pagamento das ajudas de eusto
qut competen) aos deputados assembla geral,
eteitos por esta provlucia, conforme a portara que
li a V. S. em 3 do ci rrenle, declaro-llie que
Dos termos do art. o" do decreto n. 2.884 do Io de
fevereiro do 1862, fica abtrto, sob minia responsa-
bilidade, um rredito^e 8:0003, verba respectiva
do (.remenlo do ministerio do imperio, para rea-
lisar-sc o referido pagamento aos deputados, cujos
noines cstao escriptos na mesma pertaria, sendo
que ao conselheiro Jos Rento da Cunhi Figuei-
redo, que tem residencia oflicial na provincia do
Tara, se deve abonar a quantia de 800J, segundo
o disposto no decreto n. 1,137 de 2 de abril de
IB55T Nao procede a observacao que a contadu-
ra faz de ser provavel que este conselheiro e o
Itr. Theodoro Machado Freir Pereira da Silva, que
pre-idem as provincias do Para e Parahyba do
.Norte, por ellas recebam as respectivas ajudas de
eusto, porque, se assim oizerem, nao as virao co-
brar certamcBte nesta provincia, parecendo en-
tretanto (pie nao as perceberao naquellas, visto
como tendo de vir a esta capital na sua passagem
para a corte, preferirao recebe-la? aqu pelos mes-
mos escrpulos que eu sinto de ordenar que se
me abone pela provincia a que presido, ajuda de
custatfaraBieu transporte, tamnem como deputa-
do Ts^embla geral pela provincia do Rio de Ja-
neiro, i
S. 202.-*-f)it3 ao mesmoDeterminando o Exm.
Sr. ministro da marinha em aviso de 24 de feve-
reiro ultimo que se passe guia de desembarque do
r de guerra ecife So desertor da canhonera
|.ortugueza orco, Jos Viera Valladao, que 9erve
no mesmo vapor na qualdade de grumete, com o
supposto nome de Jos do? Santos, aflm de ser en-
tregue ao cnsul de Portugal, que o reclama, ape-
nas se iademufce a facenda nacional da quantia de
is900 importancia do fardamento iue a (fita pra*
S.para seu

Qa recebeu ; assim o eommunico a
conhecimento e |ps convenientes.
. 203.Dita ao mesmoExpela V. S. suas
ordens para qne, Cm vista do pret junto em du-
plicata, que tne remetreu "o commandante superior
deste municipio com ofllcio de hontem sob n. 53,
sajam liquidados e" pagos'os rencimentos relativo
ao mez de marco ultimo", do suarda nacional do
3- batalhao de infamara, Jos Loqrepjjo de Vas-
concellos, que se ach doente no hospital.
. 204 Dita ao mesmo.Em vista da conta do-
cumentada, junto "em dtiplfcata, .que remetteu o
director do arsenal de guerra com offlco de hon-
tem sobn. 7S, .mande \. S. jfcgaY a Manoel Fgnei-
roa de Faria 4 Fimos- a -quantia de ,9! pro-
venicnte dos aanuncios que o conselho de com-
pras fezptrjjjicar no Diari de Pernambvwno tri-
mestre de jatKjiro a marco dsteanno.
N. 2f.-^rta ao mesmo. J)e eoprormtdade,
com o que me soctlon o presidente da Parabybaj
em officio- de 4 do corrente .faca V. S. entregar aoi
commandante do prirnelro vajXlr (la compauniaj
brasiieira de paipieles que d'affoi sabir para os1
portos do norte para o que ficam expedidas as ne-
cesarias ordens o saldo existente nessa thesoura-
ria proveniente da arreeadaeao dos direilos daquel-
la provincia.
y. 206.Dita ao mesmoAutoriso V. S., no
lemos de sua nforoiacao de 3 do corrente sob n.
136, com referencia a da contadora dessa thesou-
rana, acere* da conta documentada, que incluso
devolro em duplicata, a mandar pagar ao gerente
da coinpaiihia Pernambucana, da quantia de
1:840280 em que, segundo a mencionada conta
importam o pret e passagens de ida e volta, dadas
no vapor Gequi da mesma companhia na viagem
que fez ao presidio de Fernando, no mez de marco
ultimo, somonte a de 397056 para que existe
crdito, licando o restante para ser satsfeito quan-
do o ministerio da guerra, a quem vou offlciar a
este respeito, autorsar o pagamento da mesma
despeo.
f. 207.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.A Rento Jos de Macedo Pogas mande V.
S. pagar, depos de liquidada, em vista do pret
nominal, junto em duplicata, que me remetteu o
commandante giqierior da comarca de Palmares
com ofllcio do Io do corrente os vencimentos rela-
tivos ao mez de marc/o ultimo, dos guardas nacio-
naes destacados na villa de Agua Prcta.
N. 208.Dita ao mesmo.Devolvendo a V. S.
os requerimentos a que se refereni as'suas intor-
ma^Ses de 3 do correite sob n. 172,173 o 174, e
nos guaes Jos Miguel dos Santos, Luiz Freir de
Andrade e Manoel Fernandes da Costa pedem o
pagamento das custas a que se julgaui com direi-
to por haverem obtido do tribunal da relacao son-
tenca a seu favor as execucSes que Ihes mova o
procurador fiscal dessa thesouraria, tenho a dizer
que, de conformidade com os pareceres da respec-
tiva contadora e do mesmo procurador fiscal, aos
quaes se referem as citadas informacoes, mande
pagar ao primero a quantia de U9260 ao se-
gundo a de 1015280 e ao terceiro a de i 11 $280.
N. 209.Dita ao mesmo.Recommendo a V.
S. que egi vista dos prets nominaes juntos em du-
plicata, que me reaietteu o commandante superior
do DHinieipie de Serinhaem com oflkio de 2 do
corrente sob n. 8, mande pagar os vencimentos re-
lativos ao mez de fevereiro ultimo, dos guardas na-
cidnaes^destacados naquella villa e no povoado de
Gamellcira.
4J secciio.
N. 210Ofllcio ao Exm. presidente da provin-
cia do Maranhao.Com a inclusa copia da infor-
raacao ministrada pelo inspector do arsenal de
marinha desta provincia eu o Io do corrente sob
n. 1710, respondo ao offlco que V. Exc. me diri-
gi em 9 de marco ultimo, relativamente a exis-
tencia naqueile arsenal de una caldeira que per-
tencia ao vapor Pedrinho, a qual ha muto desman-
chou-se. *
N. 211.Dito ao presidenfp da provincia da Pa-
rahyba.Nesta data, ede conformidade eom o of-
licio de V. Exe. de 4 do corrente, ticaui expedidas
as convenientes ordens afin de auc O-Ciiniman-
dante do primeiro vapor da companhia Brasiieira
de paquetes que seguir para os portos do norte v
receber na thesouraria de fazenda desta capital
para entregar na das rendas dessa, o saldo que
all existir proveniente da arreeadaeao dos drei-
tos dessa provincia.
N. 212 Dito ao Exm. bispo dioessano.De-
vendo ter lugar no dia 10 do corrente, a 1 ora
da tarde a abertura da sessao ordinaria do cor-
rente anno da assembla legislativa provincial, as-
sim o eommunico a V. Exc. Rvma. alim de quo se
digne de providenciar no sentido de ser celebrada
na igreja do Corpo Santo, a hora do costume, a
missa votiva do Divino Espirito Sant\
N. 213.Dito a cmara municipal do Recife
Com os pareceres inclaso por copia ministrados
pelo capitao do porto em 30do corrente sob n. 41
o inpector do arsenal de marinha de 2 do corren-
te, respondo o ofllcio que me dirigi a cmara mu-
nicipal do Recife relativamente a designarlo dos
lugares da costa desta provincia perlencente a es-
te municipio, onde se possa comentir a construc-
cao de curraes.
N. 214.Dito a mesma.Devendo ter lugar no
da 10 do corrente a i hora da tarde a abertura da
sessao ordinaria do corrente anno da assembla
legislativa provincial, recommendo a cmara mu-
nicipal desta cidade, que mande preparar a igreja
matriz da freguezia de S. Fre Pedro Gonealves do
Recife, na qual tem de celebrar-se a missa votiva
do Divino Espirito Santo.
N 215.Dita ao engenheiro Luiz Jos da Silva.
Para cumprimento do aviso do ministerio da
agricultura, eommereio c obras publicas, de 24 de
marco prximo lindo, que manda por em hasta
publica, por venda, as trras sitas no_ termo de
Agua Preta que pedem por compra Joo Francis-
co Reges de Andrade e Manoel Marques de Olivei-
ra, mister que Vmc. verifique e informe se ellas
pertencem ao numero das que all existem me-
didas.
N. 216.- Dita a directora da companhia de
Beberibe.Preste a directora da compaa deBe-
beribe a informacao exigida por despacho de 16
de marco prximo findo, laucado em ofllcio do ge-
neral commandante das armas sobre a falta de
agua no chafariz da fortaleza do Brum.
N. 217.Dito aos agentes da companhia Brasi-
ieira de paquetes a vapor.De conformidade com
o que me solictou o presidente da Parahyba em
oflicio de 4 do corrente, providenciem Vmcs. aflu
de que o commandante do primeiro vapor dessa
companhia que seguir para os potitos do norte v
a thesouraria de fazenda desta capital receber, pa-
ra entregar na de rendas daquella provincia, all
existente, o saldo proveniente da arreeadaeao dos
dreitos da mesma pro-vfaieia.
N. 218.Dito ao gerente da companhia Pernam-
bucanaPode Vmc. fazer seguir para os portos
de seu destino, no dia lo do corrente, a hora indi-
cada em seu ofllcio desta data, os vapores Pira-
pama e Potengi.
N. 219.Dita ao mesmo.O Sr. gerente da
companhia Pernambucana mande dar transporte
em lugar de proa destinado a passageiros de esta-
do no primeiro vapor que wguir para Fernando
de Noronha, a MarcoJiua Francisca da Encarna-
cao e aos 2 menores Joaquim e Manoel, mulher e
fimos do sentenciado Luiz Antonio Cabr!, que tem
de ir para aquelle presidio.
N. *20.Deliberacao.O presidente da provin-
cia tendo em vista o ofllcio do director geral da
iustrucco publica de -3 do corrente fob n; 83, re-
sol ve exonerar a Joao Sflverio de Menear do lugar
de profesBor interino da cadelra de instrueoSo pri-
maria, da villa do tirando.
N. 221.Dita.O prosidento daj>rovincia tendo
em vista o offlco do director geral da ustrucijao
publica de 3 do corrente sob n. 83, resnlve nomear
a Cometi Carlos Peixoto Alenear FiMio, para
reger interinamente a endeira de instruc^o pri-
mariad villa do Granito, medante a-gratificacao
annual de 600*.
N. 222.DitaO presidente da provincia resol-
ve designar o memoro do conseio dtractor da
nstrucT^to publica Dr. Braz Florentino'Henrhrue
de Souza, para exereer indinamente o lugar de
director geral da jnesn\a inslrucco. durante o eui-
pedimento do respectivo proprietario.
. 3.Dita.0 t residente da provincia em
vista do ofllcio do d rector geral da instrucc,ao
publica de S do corrente sob n. 89, resoive exone-
rar a Manoel Freir de Lavor do cargo de pro-
fessor interino da cadefra de instracao primaria
da povoaQao do Sacro
rf.-MiPt.-O presidente da provincia em
Vista ffWlfcro do director garaf da inslruesao
publica de 5 do correjite ob jr."S9, resolvo nomear
a Chlon Heraclito Peixoto da Silva, para reger
interimente a cadeira de inslruc$ao primaria da
povoacao do Sacco, mediante a gratieacao animal
de 600*.
N. 223.Dita.O presidente da provcia em
vista da informacao do director geral da instrtic-
cao publica de "o do corrente sob n. 97, resoive
conceder a diinisso que pedio o professor publico
ua cadeira de nstruecao primaria da povoacao de
Timbauha, Joaquim Gomes de Souza.
N. 226.Dita.O presidente da provnda em
vista do ofllcio do director geral da instruccao pu-
blica de 31 de marco ultimo sob n. 80, rewlve
exonerar a Dionisio Ferreira Jacobina do cargo de
delegado litterario do dislrcto do Altinho..
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR. 10AQUIM CORREA
DE ARAUJO, SECRETARIO DO OOVERiNO, EM 6 DE
ABRIL DE 1869.
1* seccao.
rf. 227.Ofllcio ao director do arsenal de guer-
ra.S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda
declarar a V. S. em resposta ao seu ofllcio de hon-
tem sob n. 73, que a thesouraria de fazenda tem
ordem para pagar a quantia de 22$950, constante
do citado ofllcio.
1* seccao.
N. 228.Ofllcio ao presidente do tribunal da
relacao.S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
manda acensar o recebimento do ofllcio de V. Exc.
de 2 do corredte, eommunicando ter naquella data
assumido o cargo de presidente desse tribunal,
para o qual foi nomeado por decreto imperial de 6
de marc\> ultimo.
N. 229.Dito ao commandante superior interino
da guarda nacional do Recife.O Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda eommunicar a V. S.,
que, por despacho de 2 do corrente, concedeu ao
fuarda nacional do 2o batalhao deste municipio,
jrnacio Francisco dos Santos, permissao para
Sosar nesta capital o resto da lieenca, que Ihe foi
ada por deliberacao de 6 de novembro prximo
passado.
N. 230. Dito ao commandante superior da
guarda nacional de Palmares.S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S. em
resposta ao seu oflicio do Io do corrente, que a
.thesouraria provincial tem ordem para pagar a
Bruto Jos de Maedo Poc,as os vencimentos, cons-
tantes do seu citado oflicio.
N. 231. Dito ao commandante superior da
guarda nacional de Serinhaem.Nesta data auto-
risou-se a thesouraria provincial a pagar os ven-
cimentos constantes do oflicio le V. S. atado de 2
do corrente sob n. 8, o qual fica assiiflPrespondido
de ordem do Exm. Sr. presidente da provincia.
N. 23J. Dito ao Dr juz de direito do Boni-
to.O Exm. S. presidente da provincia manda
aecusar o recebimento do ofllcio do V. S. de 29 dj
mez Ando, em que comniuoica ter nesfa data
reassuinido o exercic'o de seu cargo.
3"focc2o.
N. 233Ofllcio ao inspector da thesouraria de
fa/-nila---Tun.ln n Fvio a Rv.l praladi> diifQf iv
segundo consta de seu offlcio de 3 do corrente sob
n. 83, nomeado no da 19 demarco ultimo, o pa-
dre Manoel Ferreira- da Rocha para coadjutor
pro-paracho da freguezia de Nossa Senhora da
Gloria dcGoit, por se achar o respectivo parorho
impossibiltado de rege-la, e luyendo este fallecido
no da 3 deste mez, provisionou o mesmo |>adre
Rocha como vigario encommendado da mesma
freguezia, tendo igualmente no referido da 19 de
marco, demettido do cargo de coadjutor da men-
cionada freguezia, o Rvd. Pedro Gonealves da
Luz; o que eommunico a V. S. de ordem de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, para os fins
convenientes.
N. 234.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia participo a V. S. que,;
segundo consta de offlcio do Exm. Rvd. prelado |
diocesano de 3 do corrente sob b. 82, foram con-
cedidos 3 mezes de hcenca com vencimentos da
respectiva congrua para tratar de sua sade ao
Rvd. parocho da freguezia de Iguarass, Camilla!
de Mendonca Furtauo.
N. 233.Dito ao mtsmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. para os
fins convenientes, que a 29 do mez lindo, reassu-
mio o bacharel Joao Rodrigues Chaves juiz de
direito da comarca do Bonito, o exercicio do seu
cargo.
N.236Dito ao inspector da thesocraria pro-
vincial.5. Exc. o Sr. presidente da provincia
tendo por deliberacao desta. data e em vista do
offlco do director geral da instruccao publica de
data, concedido a demissiio qne pedio o professor
puutico da cadeira de instruccao primaria da po-
voacao de Timbaba Joaquim Gomes de Souza ;
assim o manda eommunicar a V. S. para seu co-
nhecimento.
N. 243DHo ao|Dr. Braz Florentino Henrique
d Souza.s. Exc. o Sr. presidente da provincia
tendo, por deliberacao desta data, resolvido desig-
nar V. S. para exercer interinamente as funeces
de director geral da inMrureao, dorante o impedi-
mento, do respectivo proprietario; assim lh'o man-
da commuaiear para seu counecimento.
DESPACHOS DA VICE-PRKS1DENC1A DO DIA 20 DE ABIUL
DE 1869.
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo. Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Fielden Brothers. Informe o Sr. inpector da
thesouraria provincial.
Francisco de Pinho Borges. Voltc ao Sr. en-
genliero chefe da reparticad das obras publicas
para informar.
Francisco Avila de Mendonca. Informe o Sr.
Dr. juiz de direito da 2." vara.
Gertrudes Lotirenca de Araujo. Informe o Sr.
desembargador provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia.
Henrique Jos de Frcitas. Concedo o praso
pedido de oito das.
Ignacio Bernardo de Aquno Lopes. Informe
o "Sr. Dr. chefe de polica.
Jos Chrispinano da Silva. Ao Sr. engenheiro
chefe da reparticao das obras publicas para infor-
mar.
Joao Hypolto de Mein Lima. Ao Sr. enge-
nheiro chefe da reparticao das obras publicas.
Jos Paulo do Reg Barreto. Informe o Sr.
Dr. juiz de direito da comarca do Cabo, ouvindo
o juiz municipal respectivo.
Joao Manoel Soares da Silva. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda, ouvindo o
parecer fiscal.
Manoel Joaquim do Reg Albuquerque. Ao
Sr. engenheiro chefe da reparticao das obras pu-
blicas para informar.
Maria Joaquina de Jess. Informe com ur-
gencia o Sr. general commandante das armas.
Soeiedade amor ao prximo. Seja nomeado
Manoel Pereira Hollanda para presidente.
Commendador Tiburtino Pinto de Almcida.
Apresente-so o supplicacte a junta medica Hornea-
da para o inspeccionar.
O virtuoso prelado foi attendido, e o ajuntamen-
to dissolveu-se.
A nos, sobre quem peza a responsabilidade de
dirigir com consefhos a popnlaeo ; a nos, im-
prensa pernambucana, eumpre dizer ao povonao
tenhaes aaeeio de que vossos dreitos sejam cons-
purcados, nao ; dirigen o paiz feomens que sa-
bem pezar n batanea da opinio puWiea as ques-
toes que dzem* respeito ou por que se interessa di-
recta ou indirectamente o povo.
O povo pernambucano essenciahnente bom e
generoso, e dorado de todas as qualidades e virtu-
des que cararterisam nm grande povo ; que elle
se nao deixe, pois, imbair pelas ideas falsas, que
os mentirosos pregadores de desordem querem
innocular-lhe ir'alina: que elle se naojeix, pois,
dominar pelo espirito malfico de algnns agitado-
res, sem lei nem eonsciencia, cujo nico filo a
desordem, cuja uniea esperanca a. obtencao de
urna gloria ephemera pelo avihamento do povo.
Sim, povo, a vos, massa de cidadaos brasilei-
ros, filhos do abencoado torrad pernambucano, que
nos, imprensa, que nos, povo como vos, nos diri-
gimos, pedindo-vos, aconselbando-vos, em nome da
lei e da patria, em prl da ordem e da liberdade,
e como dstinctvo de vossa dignidade, toda a pru-
dencia e moderacao.
Sociedade, constituida como a nossa, e cuja ci-
vilisacao devemos manter e desenvolver, cumpre-
nos resucitar, como temos feto, aos estrangeiros
que entre nos existem, e muito mais quando elles
*e revestem do sagrado carcter sacerdotal.
PERNAMBUCO.
K(>|>:iHifo da polica,
2' seccao.Secretaria da polica de Pernambuco,
21 de abril de 1869.
N. 568. film, e Exm. Sr.Tenho a honra de
levar ao conhecimento de V. Exc. que, segundo
consta das parucipacdes receidas hoje nesla re-
particao, foram recolhidos casa de deteucao os
seguintes individuos :
A-WHwti* erd*m, Mrtfcnm la* ito^riga, o,
indiciado em crime de homicidio.
ordem do tubdelcgado do Recife, Gulherme,
escravo do Jeflw Francisco Olhero 4 C,g requeri-
da Sil-
ASSEMBLA PROVINCIAL.
SESSAO ORDINARIA EM i
PRESIDENCIA D SB. AUGUSTO LEAO.
Ao meio dia, feita a clamada, acham-sc pre-
sentes os Srs. : Lopes Machado, F. Tavora, Pina,
Jos de Vasconcellos, Emigdo Marques, Arminio
Tavares, Columbano, Amynthas, Fclsbio, Goneal-
ves da Silva, Ayres Gama, Araujo Beltrao, Samuel
Pontual, Mergulhao, Miguel Amorim, Epaminondas
de Barros, Hisbello, Augusta Leao, Amaral e McIqI
lo, Reg Barros, Maxiimano DuarU", G. de Drum-
mond, Silva Ramos, Soares Braudao e Cicero.
brese a sessao, e, lillas sao approvadas as ac-
tas das anteriores.
O Sr. Io Secretario da conta do seguiute
ment deste*.
A ordem do da Boa-Vista, Joao Roberto
va Bonifacio, por crime de ferimentos.
Dcus guarde a V. Exc. Illm. Sr. Dr. Manoel
do Nasciinento Machado Portella, vico-presidente
da provincia. O ehefe de polica, Francisco Fariu Lemos
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 22 DE ABRIL DE 1699.
RETIRO ESPIRITUAL.
De caso pensado e no intuito de melhor apre-
ciar os acontecimeutos, deixamos de noticiar hon-
tem as oceurrencias ltimamente havidas nesta
cidade.
do dominio" publico nao so o convite fcito por
S. Exc. Rvma. o Sr. bispo desta diocese, como
lamMtm sua natureza : tratava-se nada mais na
circular de S. Exc Rvma., que de urna reuniao
do clero provinciano da diocese, com o fin de ora-
rem os seus membros em commum e entregarera-
se s rellexoes, sempre productivas, que sao o
3 do corrente sob n. 83, resolvido exonerar a Joaoiapanagio do recolhimento espiritual e das predi-
Silverio de Alencar do lugar de professor interino
da cadeira de- instruccao primaria da villa de Gra-
nito : assim o manda eommunicar a V. S. para
seu conhecimento.
N. 237.Dito ao mesmoTendo o Exm. e Rvd.
prelado diocesano segundo consta de seu offico de
3 do corrente, demittido no dia 19 de marco ultimo,
o coadjutor da freguezia de Nossa Senhora da Glo-
ria do Goit, padre Pedro Gonealves da Luz; assim
o eommunico a V. S. de ordem de S. Exc o Sr.
presidente da provincia, para os fins conve-
nientes.
N. 238Dito ao mesmo.S. Exe. o Sr. presi-
dente da provincia tendo por deliberacao desta
data e em vista do officio do director geral da
instruccao publica de 5 do corrente n. 89, resol-
vido exon-rar a Manoel Freir do Lavor do cargo
de professor interino da cadeira do instruccao
primaria da povoacao do Sacco ; assim o manda
eommunicar a V. S. para seu conhecimento.
N. 239.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia tendo por deliberacao desta data
concedido a demissao que pedio o professor public<
da cadeira de instruccao primaria da povoacao de
Timbaba, Joaquim G. de Souza; assim o manda
comunicar a V. S. para seu conhecimento.
4* seccao.
N. 240Ofllcio ao director geral da instruccao
publica.S. Exc. e Sr. presidente da provincia ten-
do, por deliberaeao desta data e em vista de seu
officio de 31 de maree. ultimo-sob n. 80, resolvido
exonerar a Dionisio Ferreira Jacobina, do cargo de
delegado do districto do Altinho; assim o manda
eommunicar a V. S. para seu conhecimento.
N. 241.Dito ao mesmo S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia tendo, por deliberacao desta data
e em vista de seu ofllcio de 5 do corrente sob n.
89, resolvidoexonerar a Manoel Freir de Lavor, do
cargo de professor interino da cadeira de instruc-
cao primaria da povoacao do Sacco, e nomear para
o Substituir a Chilon Heraclito Peixoto da Silva,
mediante gratificaran annual de 600*000; assim
o manda coHimanicar a V. S. para seu conheci-
mento, e aflm de n,ue o nomeado solicite por eeta
secretaria o competente titulo.
N. 242.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia tendo, jxr deliberacao desta data
e em vista de seu officio de 3' do corrente sob n.
83, resolvido exonerar a .load Sirverio de Alencar,
do lugar de professor interino da cadeira de ins-
traecao primaria da villa-do Granito, e nomeado a
CorneHo Carlos Peixoto de AleHcar Filbo, para o
substituir mediante a gratiticacao annual de.....
600*000; a*sim o manda eommunicar a V. S. para
seu conheoiniento, o aflm do-que o nomeado soli-
cite por esta seeretarie competente titulo.
N. 243.Dito ae mesmo.S. txc. o Sr. presi-
dente da prtrriilcia tendo, jior deliberacao desta data,
resolvido designar o membro do conselho director
da instruccao publica Dr. Braz Florentino llenri
su&$B8fKtt;jMsM lli"o auwda aiBuiwicAr pa/a
seu c|Mpf>to.
!T. W.~3)iU ao mesioaS. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia leudo, por deliberacao desta
cas de moral.
S. Exc. Rvsaa., dominado pelo espirito de amor,
o desejoso de beneficiar o clero desta diocese, jul-
gou necessario esse eongregamento, exemplo do
que se pratica em outras docses, alim de, pelos
conselhos e pela pratica dos exerccios espirituaes,
proporcionar todo o bem que lhc deseja.
Eis o fim da reuniao dos sacerdotes no convento
de S. Francisco.
Asreunoes eram secretas, s os padres podamj
assisti-las ; e, pois, nao havia contacto destes
com o povo. De mais nao era obrigatoria a
presenca dos*sacerdotes.
Nestas circunstancias, nao havia razao para se
propagar, como alguns espjritos o tem fcito, ideas
contrarias existencia de padres jesutas nesta
provincia.
Reunido Urde de segunda feira grande nu-
mero de sacerdotes, para continuarem os exer-
ccios espirtuaos, e estando as portas do templo
aberlas, e nao fechadas com pela manhaa, entra-
ram afumas pessoas para assisti-los; nio o po-
diam azer sem infringir a ordem de S. Exc, que,
em bons termos e com a cordura que Ihe ha-
bitual -e caracteritica, Ibes fez explicar os motivos
e fins da reuuiao.
Ante-uooteni de manhaa tiveram logar os exer-
ccios espirituaes, sem nenhuma occorrencia. A'
tarde, porm, defronte da igreja estava reunido
grande numero de pessdas, parte das quaes mos-
trava desejos de entrar, no que foram obstadas
por S. Exc. Rvma. e pelo Sr. Dr. chafe de polica
dirtgindd aquelle palmas de prudencia, mode-
racao o caridade, *
Continuava o ajuntamanto, quando, viudo o
Bvin. padi'e Sabbatini para o convento- alim de
fazar a orarlo da larde, alguem bou ve que appro-
ximaudgrse mwtrava quorar desrespeita-lo, o que
Ho realisou por ser o mesmg sacerdote cercado
por outras pessoas^que ah achavam ; e que o
conduziram ate o palacio da presidencia, cqmJ.
acompanlainMlo numeroso, do qual partimivo^^
oes e(ora iaio dtooeeaito, e que retirou-se logo que aquelle
aantrdote alli hfiuu. I
A#*na .lenaiinartae as oracoes, S. EM. Rvma.
.#|ig0"Haog)atawi*i'Breaideoci, acompanbado
/jWTJodo o ajuutameao que estava porta da
jgraia, e, aii ckjefando, fadu netmian pedindo
s diaiohigfto (tarifica, lancand-ibee a bepcio,
cacao signa! de apor.
m offlcio do secretario do governo, .remetiendo
o projeolo de posturas da cmara municipal da
villa de Buique, e urna proposta da mesma.A
commissao de negocios de cmaras.
Outro, transmittindo um oflicio do desembarga-
dor provedor da Santa Casa de Misericordia, ex-
pondo as necessidades dos estabelecimentos pos a
seu cargo. commissao de orcamento provin-
cialr
Outro, remettendo copia do aviso circular do
ministerio da justiga de 21 de julho do anno pas-
sado, recommendndo aos presidentes de provin-
cia que neguem sanecao aos actos das assemblas
que crearem comarcas. quem requisitou.
Otro, remettendo copias das portaras e offl-
cios, pelos quaes foram abertos diversos crditos
supplementares.A commissao de orcamento pro-
vincial.
Urna peticao de Manoel Antonio de Jess, pedin-
do autorisacao para pagamento do que lhc deve a
Santa Casa de Misericordia.A' commissao de or-
camento provincial.
Outra, de D. Candida de Menezes Drummond da
Cunha, professora de Tigipi, pedindo que na lei
do orcamento se marque quota para seu paga-
mento. mesma commissao.
Outra, dos proprietarios, administradores e ren-
deiros dos trapiches alfandegados, pedindo a revo-
gacao do art. 43 26 da lei n. 832 de 5 de ju-
nho de 1858. commissao de orcamento pro-
vincial.
E' lido e approvado o seguiute pacecer :
t A commissao de polica, tomando em consi-
deracao as allegacoes expendidas por Jos Janua-
rio de Carvalho Paes de Andrade, no sentido de
obter um anno de lieenca com vencimentos para
tratar de sua sade, do cargo que oceupa de ter-
ceiro esetipturario esta assembla, de parecer
que se conceda ao peticionario a solicitada iicen-
Ca com o ordenado, porque devendo seu lugar ser
substituido na vaga temporaria por pessoa que
suas vozes faca, a esta cabe a gratifiracao pro la-
bore ; e propoe, para substituir o dito peticiona-
rio, a Manoel Augusto Viera de Amorim, com a
gratiheacao de 600*000.
t Paco da assembla legislativa provincial de
Pernambuco, 17 de abril de 1869.Aiigitfo Leao.
Arminio Tavares.F. Tavora.
E' lido, julgado objecto de deliberacao e man-
dado imprimir, o seguiute projacto :
c A assembla legislativa provincial de Pernam-
buco resoive :
t Art. 1." l-'iea a junta administrativa da Santa
Casa de Misoricordia desta cidade, auterisada a
vender os predios portencentes ao 6eu patrimonio
que se acharem inhabilitados por seu estado de
ruinas, bem oomo os terrenos do mesmo patrimo-
nio, que existem desappropriados.
o Art. 3. Fica a mesma junta igualmente auto-
risada a vender aqullos predios de seu patrimo-
nio, que, acliando-se arruinados, nao possa ella
reparar.
Art. 3.* Estas vendas serao feitas em hasta
publica, e o respecjivo producto reduzido a apo-
lices da divida publica, ficando entendido que as
dispusieres dos actos antecedentes, referindo-se
nao smente ao patrimonio dos orphos, como tam-
ben) ao dos estabelecimentos propriamente ditos
de caridade.
Art. 4. Revoga^i-se as disposiedes em con-
trario.
t Paco da assemtila legislatwa provincial de
Pernambuco, 16 de marco de 868.Soares Bran-
dad. >
' lido e julgado objecto de deliberacao, e man-
dado imprimir o seguinto projecto :
* A dspnssao {le legislacao, examinando*'o
regulamento ida escola normal, organisado pelo
presidente da provincia em 21 de jumo de 1868, e
achand de conformidade com a autorisacao que
Ihe foi concedida para tal fin, pelo & do art.
53 da lei n. 832 de 5 de junho do mesmo anno ;
de parecer que seja, appjrovado : para o que fe-
rece i aeguinte reslucao.
A-t uniod. Fca approvado o regolamento
j escola normal, orgaaAsade em 21 de junho de
1868, pelo presidente da provine 19.
Revocadas as disposiedes em contrario.
cal de Pernambuco, 17 de abril de 1869.Miguel
Amorim. i>
Sao lido e approvados os segrales requer-
inentos :
Roqueiro qoe, pelos ranaes competentes, e
con urgencia se exija do inspector da thesoura-
ria as seguimos informacoes:
" 1." Porque verba sao pagos os professores
nomeados para as eadeiras creadas na osela nor-
mal, depois de comecado o corrente exercicio;
2. Se a verba do f do art. 6. da lei 882,
ou nao suficiente ; e no caso negativo qual a dif-
ferenea;
3. Se foi ou nao aberto o respectivo credito-
supplenientar, e, no caso negatvu, a razad.S. R.
Miguel Amorim. >
Requeiro que, pelos eanaes competentes, se
peca a seguiute informacao:
< Qual o capital olKido para a cieaoao do asylo
de mendicidade por occasio da visita de Sua
Magestade o Imperador a esta provincia, quan-
to monta o que se tem arrecadado por conta do
imposto de 3 %, creado para a sustentacad do
mesmo estabelecimento.Silva Ramos.
Requeiro que, por intermedio do presidente
da provincia, se remeta esta assembla, o rela-
torio da directora db tbeatro de Santa Izabel, no
corrente anno.S. R Miguel Amoim.
Requeiro que, por intermedio da presidencia
se peca ao Dr. chele de polica :Io copia do of-
flcio do delegado do termo de Barreiros, (se o
houver) pelo qual rommunica o faci do espanea-
mento de Manoel Candido de Miranda; 2." copia
do oflicio do mesmo delegado eommunicando o
conflicto de jurisdiccao entre elle e o juiz munici-
pal, na instauraco do respectivo processo; 3."
copia do ofllcio do Dr. chefe de polica, em res-
posta, solvendo o conflicto; 4." r|a do ofllcio do
mesmo chele de polica ao presidente da provin-
cia, sob n. 9745 de 17 (te dezembro do. anno pas-
sado, que se refere o presidente da provincia ao
ofllcio, portara ou ordem de 21 do mesnio mez e
anno, dirigida ao juiz municipal, para nao con-
tinuar no processo por elle iniciado.
Requeiro anda que e chefe de polica infor-
me se leve noticia dada pelo delegado, ou jui/
i municipal da maneira escandalosamente Ilegal, e
7 nv ami rF <8fi0 njuridica, por que terminou o processo de sua
L2L2L prcdileccao, instaurado pelo delegado, e que pro-
videncias tein dado a respeito.
Sala das sessocs, 17 de abril de 1869.fW/s-
bino.
O SR. MAXIMIANO DUARTE :Sr. presiden-
te, tendo de submetter consideracao da casa un
requerimento, arei sobre elle algumas observa-
C3es passageiras.
E' notavel o reprehensivel procedimento do
subdelegado do 1." districto de Tejucupapo, sobre
o qual pesa graves aecusaedes feitas pela im-
prensa. Nao tratarei j de um facto trazido ao
publico, de ter esse subdelegado inenldo no tron-
co por algumas horas ao professor jubilado de
Pbnta de Podras Jos Francisco de Souza ; trata-
ro loo comento, .pr*out&ndo o rorpi,
para saber, pelos meos competentes, o procedi-
mento que tem tido a polica, Uta a autorid?de
superior em relacao aquelle subdelegado, a quem
o mencionado professor altribue o espancamento
de que foi victima. Assim, requeiro que pelos
eanaes competentes se peca informacoes sobre o
espancamento feito na pessoa do professor jubila-
do de Ponas de Pedias Jos Francisco de Souza,
por elle attrbuido ao subdelegado do 1. districto
de Tejucupapo Antonio dos Santos Aguiar.
E' lido e apoiado o seguinto requerimiento :
Requeiro que, pelos canae* competentes, se
peca informacoes sobre o espancamento feito na
pessoa do professor jubilado Jos Francisco de
Souza, que o attrbue ao subdelegado de polica
do 1. districto de Tejucupapo, Antonio dos Santos
Aguiar.S. R.tf. Dunrte.

Paco da, assembla legislativa provincial de
rjambiico, ,1 de abril de 1869.Atwai i Mel-
dis-
Amo
lo.G. de Dnmmond.
S lido e julgado objecto de dehber
pensado da impressao a jquerimito do-
rm, o *euin|e projecto : ^. ,
t Art. nico. Ficam revogdos os arts. 1 a da
lei n. 819 de ,11 de majo do anno passado e mais
*-s em con'tranjp-
Paco da aeswWa *3glativa pnvja-
..a&KB a-'p-(?:piid
r) Sr. Gaspar Dmjuiokd faz algumas conside-
racoes em resposta do precedente orador.
E' lida a seguinte emenda .
Supprima-se desde oattrbueem diante.
S. R.G. Drummond.
O SR. LOPES MACHADO.Sr. presidente, tendo
de negar o meu voto emenda apresenlada pelo
Ilustre deputado pelo 3 districto .10 requerimento
do nobre deputado pelo 2", pedindo inforinaces
acerca das providencias tomadas relativamente ao
espancamento do professor de Tejucupapo, attr-
buido ao subdelegado do lugar, devo mostrar que
aquelle requerimento nao tem por llm censurar
desde j, e sem bases seguras, a autoridade supe-
rior, como disse o nobre autor da emenda. Have-
mos de fazel-o, mas em occasio opporluna, por
que temos obrigacao de velar na puarda das leis
lo estrondosamentc violadas nesta quadra afllict-
va que o paiz atravessa. (Apoiados.) Agora, ateta
nao... tudo tem o seu tempo e a sua opportuni-
dade.
O professor de Tejucupapo foi espaneado br-
baramente, a voz publica iudigitou o subdelegad 1
como o autor do crime, e o proprio offendido lh "o
attribuio.
Nao se fez corpo de delicio, nenhuma previden-
cia se lomou para se descobrir o autor do laelo
criminoso, emfim a polica nao se raecheu, dando
.assim a entender que o testemunho publico liuha
fundamento.
O offendido, logo que poude, como inda ha pou-
co foi dito pelo autor do rcqueriineuto, apresentou-
se ao Sr. chefe de policio, fez-I he as suas queixas,
e este Ihe assegurou que seriam dadas todas as
providencias, uv providencias foram essas que
at agora nao apparecerjim t O subdelegado, autor
indigilado do crime, contina na polica, nio ser
fez processo, nao se procurou conhecer da existen-
cia do facto, e de quem fosse o seu autor.
Isto, porm, nao quer dizer que o Sr. chefe do
polica, com os meos de que dispde, nao tenha pro-
curado chegar ao seu conhecimento por meios in-
directos, nem ainda que legou historia esse acto
de canibalismo policial.
E' exactamente o que pretende o requerimento,
como me parece da sua redaccao. Com elle nao
se busca censurar a autoridade superior, mas co-
nhecer se ha motivo para ella ser censurada, nao sc-
procura saber se esta j descobrio o criminoso, quo
o testemunho publico aponta sob o manto da auto-
ridade, mas o que tem feito para descobrir o ver-
dadero autor de tao nefando erj|ie; emllm qnaea
as providencias lomadas para dwrTronta da le a
da sociedade.
Nao ha nada mais justo, nem mais comerme com
as nossas atiribucOes. Nao sei mesmo como so
impugna um pedido desta ordem, que nos deve ha-
bilitar nos moios de saber se as leis tem sido res-
petadas e cumpridas por parte daquelles CUjn
cargo est a sua execucao. (Apoiados.)
A emenda do nobre deputado veio crear suspei-
tas em meu animo de que nio se tem procuiad(*
conhecer do crime, para nao se descoDrir o seu
autor.
On. G.dkDrimmond:QuamV a nao w-'ler
procurado, nao apoiado...
0&. Les Machado :Bem, untad venhafsso
que se fea, que o que se quer, depois saben-
no cmese procura pnnr aquellos, qne u fwt-
i* se tem tornado verdadeiros reos de. polica, j
Portante, nao envolvendo o requerimento eoi dis-
cuseao censuras ningaem, mas tendo somante
por fim habilitar esta casa para jolgar com toghV
ino fundamento do proceder daqaelles, a que aot
commeltida a trala 4t prarenad seprassao do
crime, nao ha raiao para ser amonita nmeqda>&>
nobre deputado pelo 3 districto, que nio quer que
ae, falle na autoridade superior, quando se dasej.i

I IBlKlZl


30
Diario e Pernambuco Quinta feira 22 de Abril de 1869.


saber como essa autoridade superior tem preoe- |
dido no cumprimento dos seus lleve
Tendo de votar contra a emenda, e em favor do
rquerimene, entend que nao poda deixar de dar
a razao do meu voto.
O SI\. LOPES MAGUADO.-'Sr. presidente, tendo
o governo da provincia contratado, em 11 de se-
terabro de 1838, com 03 eidadaos Bento Jos Fer-
nandes Barros, Manoel Cociho Cintra e-Franrisco
Sergio de Mattos, formando estes, eompnnhia, o
encauamento d'agua potavet para esta cidade, c
estando estabeheido na 2" ceodbn desso contrato
que, depois de entrar companuia no goso do pri-
vilegio exclusivo, seria ella o ligada a fornecer_seni
a mais pequen intemipro, com promplidao e
abundancia toda a ana que fosse precisa para o
consummo, sob pena de ser fornedda sua custa
pelo uieio que o governo julgasse laais convenien-
te ; e solTrendo como se sane, o balrro *o Recife
consBmtemenie falta d'agua, conio nctoalmente
acontece, maudando os seus habitantes procural-a
elevado, que me
Contimia a disctissr. das .yisluM" cmara
municipal de Nazareth.
Verihcando-ee nTio bu ver casa .
O Su. Presidente dcgua a ordem do. dia c le-
vanta a sessao.
m
aheu?^ WXpSffi^ lIS que ^prcgos^a
saber se^acompanbiala esta desobngada danuellc lcunilll, ,., ,J*,oom CflrK,^afin
fornecimentoa suacBsta, aos moradores do bairro
do Recife, e quando ai mi. es teja em vigor a refe-
rida eondicao doeontrato, quaes os meios que da
sua parte tem empregado o governopara boa exe-
ucao do mesmo contrato, evidentemente violado
pela oeoipanhia, no caso de anda estar em vigor.
Neste sentido offereee cousideracio desta as-
sembla o seguale requerimento;4l8\)
Sabe-se que areompanliia faz constantemente di-
videndos de lucros, que ras aceces estao aeredi-
tadae por isso mesmo que a empreza lucrativa;
mas tambera se sabe que esses interesses aufondos
cora prejuizo de urna das partes nao sao legtimos,
por que provm de un faci contrario a lei que
autotisou o contrato, o qual teve principalmente
em vista a satisfaco de urna neeessidade publica.
Keoueiro trae em vista da falta d'agua que
^stao sonrenilo os moradores do barro do Recite,
se peca ao governo da provincia com urgencia as
providencia: por elle lomadas no sentido de ser sa-
tfeita a 2* eondicao do contrato eito eom a eom-
panbia do Bcberibe em virludn da lei u. 40 de 14
de junbo de 1837. Lopes Machado.
Depois de lid e anoiado o requerimnto, e pos-
to votos e approvado.
ORDEM DO DIA.
Continua em 1" discusso e approvado sem
debate o projecto n. 30 do anno passado, que diz :
Art. Ficam creadas duas cadeiras de ins-
truccao primaria, urna para o sexo masculino e
outra para o ferainino no arrebaldo da Torre.
1- discusso do projecto n. 40 do anno passado.
a Art. I. Fica o presidente da provincia, desde
ja autorisado, a despender a quantia do 10:000i.
eom acquisico do- livros mais iinnortantoB, em
todos os ramos dos eonhecimentos tamao*, os
quaes deverao constituir o fundo do bibliotlieca 1
publica provincial.
Ari. 2. A escolha dos referidos livros sera
feita por urna commissao de nomeaeo do governo.
a qual ter em vista as propon>?s do crdito au-
torisado 9 a indisponsabiiidado das obras para a
Art. 3. Ficam creados dous lugares, sendo um
REYISTA-DIABIA.
ASBEIBLJA PllOVIMfclAkNa sessao de hon-,
tem na orli-m do diaapprovonem primeira discus-
so o projecto a ."1 deaie anuo, que prohibe seren
empaanios aos -tal eli-nt lientos da Santa Casa
individuos que ho forero brasilriros natos, com-
pivhendeiido os capel ies dos mesoios eslabeleci-
nclitos, tillando em sua iustiflcael o Sr. Amaral
M'llo, c sendo o nttersV;o dispensado a reque-
1 -imeato do Sr. Lupos Machado.
Approvoii em pi imelr* o de a. 7 deeto auno que
approva diversos crditos supplementares abertos
pela presidencia.
Continuando em primeira o de n. 6i^j^ ledo,
1 seopOtaria ua
assembla s po'ssam ser"creados potprojecto de
lei apresontado pela ceramissao de pobcia, verifl-
cou-se nao haver casa, por se baverem retirado
os Srs. Arminio Tavar, Columbano, Cicero, His-
bello e llego Barros.
A ordem do dia para hojo a mesma.
LEILO.HojaLu u agente Martina um impor-
tante loilao de mOTm,iouca e christaes: a ra
do Imperador n. 16 ;is 11 horas. O mesmo agen-
te leva tambera boje a lelo duas cscravas, isto as
10 horas em o dito armazem.
LOTERIA.==A que se aiha a venda a 103." a
beneficio da igr ja de S. Joo de Abreu de Una,
que se extralnr no da 28 do crreme.
PASSAGEIROS. Vmdos de Macei no vapor
Parahyba :
A. J. do Mattos, Joo Dama? ceno d'Araujo, An-
tonio Netto de Barros Loureiro, Joao Pereira Bas-
to, Antonio Emilio Basto, Antonio Cando Luna
Jatob e o cngenlieiro Carneiro Monteiro.
Joao F. Cavalcant% de Albu-
querQUC.................. 2 400JOOO
Commendador Antonio de ou-
za Ueio.................. 250 30:000*000
Joao Mauoel de Mesquita Bar-
iov............ 10 2:0005000
Adolnli Wanderley Lins..... 5 l.-OOftJOOO
Vicente Mondes Wanda-ley... o 1:000000
iCoronel Antoniixe. fceal.. -.. 5 l:000jij00
Francisco Maood de Sona e
oiiv.'ica................- 13
Francisco E.do 1. Danta* 25
Jos Honorio Bezflfa de
Menezet.................. Laurentino J. de Miranda, 20
Dr. Manoel dp Njscimeuto Ma- .
chario Portella............. 8 1:000,5000
Joaqaim ftlvador llissoa de Si-
S.OOOOOO
5:OOOJOOO
l:(M0O00
4: 25
5
5
T
PUBLICACOES A PEDIDO.
de po- teiro e outro do ajodante do biblothecario,
vencendo o porteiroo ordenado de 3604 e oaju-
ELEICAO dos jiizes e jizas protectoras, que
TKEM DE FAZEn O MSZ MXUIAMI .NA IGREJA DE
S. JOS DE niBA-MAU, NO PRESENTE ANNO DE 1869.
Juizes protectwes peiyetuos.
Os lllms. Srs. :
Ilvtu. Fr. Aatonii de Santa Rita.
Rvm. padre Albino de Carvalbo Lessa.
Major Joaqaim de Albuquerque Mello.
Jos Jeaqnim de Sauta Anna.
Francisco de.Paula o Silva Lins.
* Gcraldo Corroa IJuia.
Theodoro Antonio de Jess Borges.
Manoel Lourcnco de Mattos.
Juizes protectores.
Os lllms. Srs. :
Bvm. vgaro Joo Jos da Cosa Ribeiro.
Ilvm. Padre Ernesto Ferreira da Cunha.
Kvm. Haphacl Antonio Colho.
Sebastian Antonio da Silva Baixa.
Joa> Jacinllio de Mederos Rezende.
Joaquim Xavier Vicira Ligo.
liante' de 400-5, sahindo estes vencimentos do pro- j [.-rancsco ja Costa Ai ruda e Mello.
duelo do benelicio das mesmas loteras.
Art. 4. A veiba j votada para a bibliotlieca
continuar a permanecer, sendo destinada para
compra de estantes, moblia, papel e ontras des-
pezas, e para o asseo e decencia do estabelcci-
mento.
a Art. -1 Pican revogadns as disposices em
contraria,
Encerrada a diseussa', o projecto posto a vo-
tos e rejeitado
1 dscussao do projecto n. 2o do anno passado.
Alt. 1. O presidente da provincia orgainsara
quanto antes um curso de ensino agrcola e in-
f- rial, su'jmettendo ao conhecimento desta as-
swnbla para decretar os fundos precisos para sua
instkuico.
Art. 2. O presidente dar logo o respectivo
rcgulamento, que ser apresentado a esta assem-
bla para sua approvaco.
< Art. 3. Ficam revogads as dispesicoes em
contraro, a
o sn. Gaspar DniMUOND pede nformaoocs s
bre o projecto.
Encerrada a discusso e posto votos o projecto
foi approvado
Ia discusso do projecto n. 16 do anno passado.
Vai meza e apoia-se o seguinte rcqucnmcniu.
u Requeiro que o projecto seja rcmeUido a com-
rais>ao ue coastiiuieao e poaei'es. soares ara-
il Ao.
Encerrada a discusso, 6 o rcquerimcnlo appro-
vado.
Ia discusso do projecto n. 23 do anno passado.
Art. 1. Fica creada una cadeira de instruc-
co primaria para o sexo masculino no lugar do
Giqui, freguezia de Afogados.
Art. 2. Ficam revogadas as disposieoes era
contrario.
O SR. A,RMI.\IO TAVARES :Sr. presidente le-
vanto-me para pedir a qualquer dos nohres signa-
tarios do projecto que se digne demonstrar a un-
ialado do projecto, a nceessidade que ha de crear-
se urna cadeira de instrneco primara no povoado
Giqui, havendo j cadeiras no Afogado, no Bairo
e em Tigpi que ficam muito prximos desse lugar.
o sn. atoo barros justifica o projecto-.
O SR. LOPES MACHADO Sr. presidente a
popnlaco de Pernambuco, segundo a opinio do
Sr. Dr. Candido Mendes deAlmeida,de 1,250.000
habitantes.
Ha na provincia 217 cadeiras de instruccao pri
maria; deduzida daquelle numero de habiiantos a
parte escrava, tereinos talvez 1,200:000 habitantes
livres, e sobre esta base I alumno por 134 pessa<
on urna escola por i>4'0 individuos, segundo um
calculo que poucos das iiz para me servir delle
em outra occasio.
Daqui se v que, ainda quaiido o flamero de
meninos com idade escolar corresponda a um s-
timo da apopulaco como querem a'guns, nao ha
iiroporcao entre as escolas creadas e o numero dos
que necesstam de instruccao primaria, ainda es-
tamos longe do ponto que deve chegar esse im-
portante, ramo de servco publico.
Precisamos, por tanto, de maior quantdade de
cadeiras, devenios creal-as, mas onde forcm ne-
cessanas, onde o proveito corresponda aos esfor-
(os da provincia, c nao para lugares sem impor-
tancia.
O anno passado oppuz-me que se desse cadei-
ras para Rosarnho, Sant'Anna e tive occasio de
tallar de um projecto que as creava para os arre-
baldes da Torre I
As razoes que tive para negar o meu voto en-
to sao as mesmas que me fazem ainda boje nao
votar pelo projecto em discusso, creando urna ca-
deira de primeiras letras no Giqui.
Que importancia tem esse logar para se ihe dar
um professor, quando cutios era raelhores cir-
cumstancias sao esquecidos ?
Giqui nao um povoado, urna estrada como
mu tas outras que por ah ha...
Un Sn. Deputado :E" propriamente um enge-
nho.
O Sr. Lopes Machado :Nem mais engenho ah
existe, urna estrada de mos sitios, era cujo cen-
tro se aggregara urnas oito casas, a maior parte
lechadas ou abandonadas.
E' urna estrada que tem ao nascenle a povoaco
dos Afogados, e ao poente as povoacoes do Barro e
Tegipi, onde ba cadeiras publicas, que podem re-
eeber, e instruir aos que do Giqui quizerem ser
instruidos, frecuentando os moradores da linha do
nascente as escolas dos Afegades, c os da linha do
poente as do Barro.
J se v, por tanto, que se pode dispensar amito
bem a cadeira em discusso, para crearmos outras
onde ha gente qa% reclama desta assembla auxi-
lios de instruccao (apoiados). O nosso sertao pe-
de escolas, minios povoados importantes nao as
tem, atiendamos de ^preferencia esses pedidos, der-
ramemos a instruccao pelo centro (apoiados).
o Sr. Soarbs Brandao :A comarca de Cabro-
b toda talvez nao tenha seis cadeiras.
O Sn. Lopes Machado :Entretanto em urna s
estrada, da Boa-Vista ao Apipuco, na pequea dis-
tancia de 3 raimas exstem talvez seis cadeiras I...
Voto contra o projecto para poder attender a ne-
cessidades mais nrgentes, as localidades do ser-
la*, onde existen comarcas que nao tem o mesmo
numero de cadeiras que urna estrada desta capi-
tal para um arrebalde t
Tote ainda contra o projecto por que com pe-
queo sacrifleio dos poucos moradores do Giqui,
encontrara elles escolas para seus filhos nos pon-
tos cima indicados, sendo por tanto dispensavel a
que o projecto procura crear.
Destribuamos escolas por todos os logares da
provincia, mas com preferencia onde houver maior
popalacao, onde os resultados do ensino correspon-
dan! aos sacrilleios pecuniarios, que a provincia
| hoie fax, e que podem rnelbor ser aproveiudos.
(Mndos.)
Encerrada a discusso o projecto posto a vo-
tos e llcou empalado.
Manoel Martina Pire-.
Lonreneo Ribeiro da Cunha Oliveira.
los Joaquim Pereira de Oliveira.
Jos I'Vrnandes dos Sanios Bastos.
Manoel Jos de Souza.
Luiz de Franga Sonto".
Manoel Adriano de Soaza,
Serapio Borges de Menezes.
Jos Chrispiniano da Silva.
Marcelino Asberto Lo|)es.
Joao Jos do Medeiros.
Manoel de Paula Correa.
Gabriel Archanjo de Azevedo.
Ricardo Pereira de Santa Anna.
Zuiza* protectoras perpetuas
As Illmas e Exmas. Sras.:
D. Maria Paula de Abreu.
D. Isabel Euphemia do Sacrimcnto.
D. Alcxandrina Maria da Conceico.
D. Thcmotea Joscpha Maciel da Silva.
. Xismcna Maria de Sonza Mattos.
Juizas protectoras.
As Illmas. c Exmas. Sras. :
D. Josephina Juvita Belmira de Oliveira.
D. Maria das Virgens de Jess.
D. Thomuzia ITmhelinn de lima e S.
D. Mana, esposa do Sr. Ignacio Pessoa csievesTnr
Silva.
D. Josepha, esposa do Sr. Joo Francisco da Silva
Braga.
D. Felicia de Souza Pcixe.
D. Emilia, esposa do Sr. Manoel Jos de Mattos.
D. Mara Firmina do Carmo.
D. Candida, esposa do Sr. Manoel Martins.
D. Joanna Amancia da Conceico.
D. Carlota, esposado Sr. ^gtonio Pereira de oli-
veira.
D. Emilia, esposa do Sr. Jos Azevedo de Andrade.
D. Lucinda Mara de Albuquerque.
D. Maria Jos da Annunciaco c Silva.
D. Rosa, esposa do Sr. Antonio Pereira Jnior.
D. Clara Erraina da Silva Cardial.
D. Anna, esposa do Sr. Domingos Jos da Silva
Braga.
D. Leonor, esposa do Sr. Jos de Miranda Duro.
D. Ei.ilia, esposa do Sr. Joao Felippe da Costa.
O vigario, Joao Jos da Costa Ribeiro.
Trilhos Urbanos para
Jaboato.
Lista dos subscriptores de ac-
ees para a forntaeo de una
coiupauhla.
accOes
Joo da Cunha Wanderley.... 100 20:000^000
Vicente do P. Oliveira V. Boas 60 10:000*000
Ferreira A Matheus.......... 50 10:000*000
Thnmaz de Aquino Foncoea o
Filhos.................... 30
Joo Fernandes Ijopez........ 20
Henrique Gibson............. 10
Bento Magalhes............. 10
Demetrio Acacio de Araujo B. 10
Americo Nunes Corroa...... 15
Dr. Claudino de A. Guimares. S
Francisco Goncalves Netto____ 10
J. F. S. Porto................ 5
Augusto firederico dosS. Porto 3
Jos Alexandre Ribeiro....... 5
Dr. Estevo Cavakanti de A.. 10
Antonio Jos da osla e Silva.. 9
Luiz Jos da Costa e Silva 3
Jos Alvos da Silva Guimaraes 10
Jos Joaqaim Lima Bairo----- 5
Joaquim Jos da Costa e Silva. 5
Antonio Cosario Moreira Das.. 10
Jos Antonio Moreira Dias..... 10
Jos Antonio da Silva Jnior.. 10
Antonio Bapsta Nogueira____ 5
Bento do Santos Ramos...... 10
Antonio Augusto dos S. Porto.. 3
Jos Fernandes Lima......... 10
Francisco Fernandes Duarte .. 5
Antonio Jos C. Guimaraes.... 3
Joo Evangelista de S....... 10
Antonio Moreira de Mendonca. 3
Jos da Costa Bispo.......... 3
Paulo Jos Gomes............ 3
Dr. Symphrono Cesar Coutiu.no 23
Domingos Teixeira Bastos..... 8
Jos Antonio de S Leito.... 5
Bernardino Corrcia de R. Reg 3
Manoel de Abren Macedo..... 5
Manoel Joaquim Jlaptista...... 30
Tiburcio.Valeriano Baptista... 30
Modesto do Reg Baptista..... f 0
Justino J. de Souza Campos... 10
Jos Moreira Lopes.......... 20
.Antonio J. P. de Carvalho..... 5*
Dr.* Francisco do R. B. Brrelo. 80
Bario da Soledade........... 30
Francisco Ferreira Borges____ 30
Conselheiro Jos Bento da Cu-
nha Figueredo............ 10
Dr. Jos Bento da Cunha Fi-
gueiredo Jnior........... 5
Antonio Pinto de Barros...... 8
Manoel de Souza Tavaree..... 10
Parisio Belarmino de Moraes P. 8
Tenente-coronel Pranoiaoo C.
M. Ros Jnior............
Manoel de Souza Lelo........
Jernimo de Soma Leao......
Jovino Coelho da Silva.......
Joo G|a Cunha Soares.....
Joa oJoaquim da C. Leite..... 10
Dr. Ignacio J. de Souza Leao.. 38
Alfre lo Jos A. Guimar....
Manoel de Mesquita Barros W.
Thomaz Lins de Barios W... 28
Dr. Gaspar Cavalcanti de Al-
buquerqua Ucuto...,..... S
10:000*000
4:000*000
2*000*000
2:000*000
2:000*000
3:000*000
1:000*000
2:000*000
1.000*000
1:000*000
1:000*000
2:000*000
1:000*000
1:000*000
2:000*000
1:000*000
1:000*000
2.000*000
2:000*000
2:000*000
1:000*000
2:000*000
1:000*000
2:000*000
1:000*000
1:000*000
2:000*000
1:000*000
1:000*000
1:000*000
3:000*000
1:000*000
1:000*00.
1:000*000
1:000*000
10:000*000
10:000*900
2:0001000
2:000*000
4:000*000
28
8
10:000*000
10:000*000
2:000*000
1:000*000
1:000*000
2:000*000
1:000*000
1:000*000
1:000*000
1:000*000
3:000*000
ssat
5:000*000
5:000*000
10:000*000
5:000*000
quaira Cayalcanti.
Dr. Joao LPinto funior.......
Jos Francisco P. S. Jnior...
Hr. Luit Salazar Mosaoso .da
_ Veigi- Pesjoa,.............J C
Jos Cesario de Mello. ..... 5
Dr. Antonio Joaquim Buarque
.Nazareth................. 8 1:000*000
D. Mara Amelia de Gusmo
Lira.................... 10 2:000*000
Major Francisco de Gouva e Souza 40 8:0003
Dr. Antonio Vonanaio Cavalcanla
Albuquerque................. 5
Ernesto Areelino de B.-.rros Franco 10
Francisco Manoel Wanderley Lins s
Major Joo BaptislaPaes Barrete.. 10
circumstancias aproveitem o seu proficuo
remedio.
Recife, 31 de marco de I8GO.
Julio Juvencio 4a Costa.
5:000*000
1:000*000
1:000*000
!:O04fco
1:0003000
Dr. Felippe do Sonza Leo....... 23
1:000*
2:000*
1:080*
2:000
5:000*
400*
200*
2:000
Jos Joaquim de S Brrelo...... 2
Ignacio Jos da Silva............ 1
Antonio Peica da Cambra Lima 10
Francisco de Paula de Albuquer-
que Lima.................... o 1:000*
Jos Pedro Carneiro de Albuquer-
que ........................ 400*
Manoel Theodoro Mendes Lins----- 2 400*
Antonio Columbano Seraphieo de
Assis Carvalho............... 2 4O0*
Jos Francisco de Albuquerque
Maranha................... 2 400*
Dr. Miguel Felippe de Souza Leo. 23 3:000*
Tenente-coronel Joaquim Maximi-
no Pereira Vianna............ 50 10:000*
Jos Runo Barbosa da Silva..... 25 5:000*
Dr. Manoel Gentil da Costa Alvos. 23 5:000*
Albino Jos da Silva............ 23 5:000*
Jos Caeano de Albuquerque 23 5:000*
Candido Alfonso Moreira......... 25 5:000*
Adriano Augusto de Almeida Jordo 2:000^000
Manoel Jos Dantas............... 2:000*000
Joo de Castro Guimaraes......... 1:000*000
Francisco Goncalves Nelto......... 4:000*000
Albino Jos Ferreira da Cunha..... 2:0004000
Bento de Barros Feij............. 3 000*000
Antonio Augusto Ferreira Lima..... 2:000*000
Bernardino da Silva Costa Campos.. 1:000*000
Andr do Abreu Porte............. 2:000*000
Dr Manoel Tiiomaz de Bittencourt
Corte Real..................... 1:000*000
Bernardo de Siqueira Castro Monteiro 2:000*000
Thomaz Fernandes da Cunha...... 2:000*000
Jos Lucio Monteiro da Ponseca Filho 1:000*000
Dr. Manoel de FigueirOa Faria..... 1:000*000
Alexandre dos Santos Barros.......
Manoel da Cunha Wanderley Lins..
Miguel Jos da Costa..............
Bernardino Jos da Silva Maia.......
Antonio de Souza Guerra..........
Jos Antonio de Ahne'da Cunha.....
Antonio Jos da Cunha............ 1:000000
Luiz Manoel Rodrigues Valenca___ 1:000*000
Manoel Pedro Noronha.......,____ 1:000*000
Francisco do Reg Baptista........ 3:000*000
1:000*000
5:000*000
1:000*000
5:000*000
1:000*000
1:000*000
IHm. Sr. Francisco Antonio das Cliagas.
Jleberibe* 1 jle abril de 180).Com o
maior prazer levo ao seu conhecimento, que
a garrafa do xarope ethereo 'de veame e
os pos que comprei na sua botica ra
Direita n. 3, poderam extinguir a dr que
senta no peito, tosse e febre que tanto me
llagellava,.^te forma que me julgo restabe-
lecida.Desta sua criada obrigadissima
Maria Joaquina da Silva.
Vale a pena o experimentar-se a^
Se assm letor doenle, sois convidado se-
guir no trilho da grande multido que encontra-
ram melhoras e allivio, quando elles quasi que
haviam cessado de o esperar,as pilulas assuca-
radas de Briatol. A extenso da sua operaco me-
dicinal vasta. Ellas nao s produzem os'effeitos
os mais benficos em todos os casos immediatos
de molestias do estomago, do figado e dos intesti-
nos, mas tambera em grande numero de casos
fortuitos. Xos casos de espasmos e ataques con-
vulsivos, sao ella^lidas, nao s pelos mdicos os
mais experimentados, como tambera pelos nao
iniciados, como o mais completo e perfeilo de to-
dos os remedios. Ellas renovam o systema geral,
ao par que brandamente movom o ventre, o por
isso, nos casos de prostraco pnysica, nuer tenha
sido motivada pela idade, urna constituirlo fraca,
ou por qualquer um outro *)ffrimento especifico :
ellas para isso sao inapreciaveis. Einquanto que
os outros purgantes debilitara e causara clicas e
nauseas, ellas pelo contraro recuperam as (breas
e refresam o espirito. As pilulas aeham-se acon-
dicionadas dentro de vidrinhos, e por isso conser-
vam-se perfeitas e invariaves em todos os climas.
Em todos os casos de impurezas do sangue, a
salsa parrilha de Bristol, deve de ser administra-
da junctamente com as pilulas.
Acha-se venda as pharmacias de A.
Caors, J. da Conceic5o Bravo d- C, M-
A. Barbosa, P. Maurer C, e Bartholo-
meu de C.
O Illra. Sr. inspector da tbesouraria de fa-
zenda desta provincia, manda fazer publico que
tem marcado o dia 4 de ma o prximo vindouro,
para o concurso que se tem de abrir nesta mesma
tbesouraria para preenchimento das vagas de pra-
ticantes existentes nesta repartirn, na alfandega e
na recebedoria.
Os exairies versaro, sobre as materias de que
irata o Io do art. Io do decreto n. 3,114 de 27 de
junho de 18C3, a saber, letura, analysc grammati-
cal e orthograpbia, arithmetca e suas applica^Ses
ao commercio, cora especialidade a rednecao de
inoedas, pesos c medidas, calculo de descont, ju-
ros simples e compostos, theoria de cambio e suas
applicac3es.
Os concurrentes deverao previamente apresen-
lar seus requerimentos instruidos de documentos
que provem idade completa de 18 anuos, isenco
de pena e culpa e bom comportamento na forma
do art. 3 du decreto n. 2,549 de 14 de mareo de
1860.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 27 de marco de 1869.
O offlcial-maior,
Manoel Mamede da Silva Costa.
ERRATA.
No artigo Sepultura Ecclcsiastica publicado
hontcm, a lnhas 56, onde se l A veneraco e o
respeto dos vivos pelos mortosleia-seA ve-
neraco e respeto dos vivos aos mortos.
COMMERCIO.
Protectora das fami-
lias.
Esta associaco camnlia as vias de prosperi-
dade, nao sera os entraves inherentes emprezas
grandiosas.
Contratos Capital
Em 30 de junho de)
1868
trado .. ... j
linha regs-J 3936------5,868:675*970
Durante o semestre de)
1406------2,173:423*920
ata------e,OM:iot>eeo
30 de junho a 31 de
dezembro de 1868..
Estado dessa assoca-
bro de 1868........
O capital dessa associaco Inmutado e con-
verte-se om apolieos da divida publica nacional de
6 % A/io se pode dar melhor garanta. Se na
hipothese de quebrar o Brasil e que essa associa-
co pode solTrer ; urna especie demonte pi de
grande utilidade para as familias.
Para conseguir com toda seeuranea o maior c
mais instante desidertum da vida do hornera, que
crear para o futuro um capital corto e urna ren-
da infaUivel, para si, seus filhos e familias, bastar
fazer um calculo (cada qual conforme seus pro-
prios baveres) de que pode dispr durante o pe-
rindo de cinco annos ; ignalada que seja a quan-
tia ser esta dividida em duas classes de contratos,
um chamado contrato de capital e outro de renda.
Estes dous seguros deverao satisfazer-se em cinco
annuidades consecutivas, e depois de passados os
cinco annos o contribuate ficar livre do onus dos
pagamentos das annuidades subsequentcs.
Estas duas classes combinadas produzem resul-
tados raaravilhosos para o futuro.
Por exeraplo, um pa que quizer formar para o
futuro um capital e urna renda vitalicia para ida
um de seus lilhos, conseguir este importante um
despendendo para cada um delles a quantja de
1:155|, que se pagam da seguinte forma :
Direitos de entrada..
No primeiro anno....
> segundo .....
terceiro ....
quarlo
> quiuto ....
155*
200*
200*
200*
200*
200*
Ter despendido no tira de cinco
annos a quantia de........... 1:155*
tendo creado para cada filho um capital para o fu-
turo, que conforme a idade dos segurados ser de
33:000* a 47:000* e urna renda vitalicia de 100*
annuacs.
Admitiera-se contratos de maiores e menores
annuidades, sendo os lucros sempre proporcionaos
ao producto dos seguintes factores : o valor da
contribucao, o risco de morte do segurado
e a duracao do contrato (art. 38 do regolamento).
, Para effeetuar as formalidades dos contractos
dirigir-se-ho ra do Livramento n. 19, a tratar
com o Sr. N. F. de Vital, encarregado pelo Banco
rural e hypothecario do Ro de Janeiro, que pre-
sentemente acha-se em commissao nfla provincia.
3.Ra Direita3.
As legitimas pilulas de velame.o xarope al-
cohlico e o ethereo tambera de veame, re-
centemente feitos conforme a formula do fi-
nado pharmacentico Prannos, assim como
os pos refrigerantes acham-se venda na
botica de Francisco Antonio das Chagas
ra Direita n. 3, defronte do armazem de
molhados denominado Veado Branco. Estes
medicamentos, ha moito conhecidos pelos
benficos effeitos que h2o produzido em
n5o pequea parte da populacho d'esta pro-
vincia, na do Maranhao e Alagas, ncontes-
tavelmente s5o dos mais enrgicos agentes
auxiliadores da natureza no vencimento das
loencas, servindo de grande alivio a huma-
lO-OOoleoo "i(lade soffredra; e por isso se tornam
asss recommendados e preferveis para as
pessoas que soffrem de rheumatismo, gln-
dulas enfartadas, ulceras, impigens, asthma,
tosse, amenorrha ou suppressSo de mens-
truo, erysipla, amarelltdlo e menstruacSo
difficii ; sendo pqrm usados conforme a
direccSo escripta que os acompanha.
* IHm. Sr. Francisco Antonio das Cliagaf.
SolTrendo eu de rheumatismo e gota n'um
joelho e trado usado de muitos remedios
aconselhados para o referido nal, nao tirei
resultado algum no periodo de ni aneo;
neste estado recorr ao veame a venda em
sua botica ra D reita o. 3, e tracas
a Deus, com urna so garris e urna caniona
de pilulas acrnvme rmtabctoddo. Agrade-
co-lhe portanto e espero me faca puWieo
toooooo este facto, afim de quej outros as mesmas
PIUCA DO RECIFE 21 DE ABRIL
DE 1869.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Assucar americano purgado 3^600 por arroba
(hontem).
Algodo de Macei 1" sorte 18*300 pir arroba
oosto a bordo, a fretc de 5/8 d. c 5 0,0
Cambio sobre Londres 00 d/v 18 3/1 d. por
1*000
F. J. Slveira
Presidente.
Leal Seve
Secretario.
casade"cmbio
Teodoro Simn & 0.
Comprara e vendera por conta propria
raetaes, moedas nacionaes e estrangeiras,
letras de jambio, sedulas do governo e do
qanco do Brasil.
Descontara letras da trra e outros ttu-
los commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
mas transaccSes, da cobranza de letras da
trra e de outros ttulos commerciaes.
Recebem quaesquer quantias em deposi-
to, em coma corrente, e a prazu \u.
Largo do Corpo Santo n. 21.
ENGLISH BANK .
Of Rio de Janeiro Limited
Descea lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e
prazo fixo.
Saca vista ou praso sobre as cidades
principaes da Europa, tem agencias na Ba-
bia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-York
e New-Orleans, e imitte cartas de crebito,
para os mesmos lugares.
Largo do Pelourinho n. 7
BANCO MAUA & C.
Ra do Trapiche a. 34.
Desconta lettras commerciaes a taxa con-
vencional. Recebe dinheiro, a premio con-
vencional, jor lettras e em conta corrente.
Confere crditos, saca sobre as primeiras
pracas do imperio, Rio da Prata 9 Euro
I pa, e compra cambiaes sobre as mesmas
pracas.
Encarrega-se, por commissa'o, da com-
pra e venda de fundos pblicos e accSes de
aompanhias, da oobran^a de lettras e di-
videndos ou de seu pagamento, e de qual
quer outra operado bancaria.
O expediente para o publico coraecar
s 10 horas da manh5a, e terminar s 4
horas da tarde de todos os dias uteis.
CASA D CAMBIO
Theodoro Simn & C.
Vendem
Libras sterlinas 135700.
Ouro nacional e portuguaz a 5 i o/0 de pre-
mio.
Sedulas do governo de i a 5000 1 por %
de premio. m
Largo do Corpo Santo n. 21
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 1 a 20. 744:5864507
dem do dia 91..... 26:940*505
----------r-----,-,----- '----------!------1----------T
V.)7 toneladas, capiao' Wa6ef Cowtt, cquipa-
gem li, em lastro; a Wilson Hett. .
Parahyba10 boas, vapor brasileiro Pa/ani/Aa, de
104 tonelada?, commandanto Mello, eqaipagem
16, em lastro; a Companhia Pernambucana.
Montevideo30 dias, barca? ingleza Atlantic, de.
353 toneladas, capitao William (Jeaze, equipa-
geni 10, em lastro; a ordem.
A'anfo' tullidos no mesmo M.
Maranhao Hate nrasilert tocen Artkui; fltpjto
, Julio G. da Silva, carga djfirenles gneros.
Philadelphja Barca inglesa Imperador, capi<>
W. Heard, earga assui- t,
Rio-Grande do SulHiale porlriguez Evrieo, ca-
pitao Jos Fernandes Alfes, carga assucar e
aguarden.
Liverpool por MaceiVapor inglez Saphire, eom-
mandante F. Willain, carga algodo.
New-York Lugar ingles Annie, eapito Arene-
der, carga assucar. *
''
EDITAES.
Domingos Affonso Nery Ferreira, coronel e chefe
de estado-niaior do commando superior da guar-
da nacional do municipio do Recife e cominan-
dante superior interino da mesma guarda, por
sua magestade o Imperador, a quem Deus guar-
de, etc., etc.
Faco saber aos senhores officaes, tenente Joo
Francisco Maia, alferes Aman de Hollanda Caval-
eauti de Albuquerque c Antonio Carneiro Rodri-
gues Campello, e a todos aquellos que poderem e
quizerem fazer chegar ao seu conhecimento, que
pelo presente edita!, sao chamados a comparecer
no quartei da residencia do commandante superior
dentro do prazo de 30 dias contados da data deste
e nao o fazendo durante esse tempo, ser nomca-
do o conselho de investigaco para verilicar a sua
ausencia, nos termos do"~ do decreto n. 3,535
de 23 de novembro de 1865, visto terem se ausen-
tado do balalho sem licenca, desde o mez de sc-
tembrodo anno prximo passado, como me part-
ciparam por ofiSdos os senhores commandantcs de
liaialhao.
Quartei do commando superior, 19 de abril de
1809.
Domingos Affonso Nery Ferreira.
Conselho de compras
navaes.
0 conselho promove no dta'% do aorreute mez,
sob as coodicoes do estylo e avista de proposlas
recjbMas at-a^ i-horas. 4*MWhia, a conpra
dowijeclos do material da armada, seeuintes :
l'ara proriinento do almoiarifado.
1 ancora de 6 quintaos, (i pecas de arribein, 6
barris de alcalro, 2 bules do larro estanhado, 6
liarrls de breu, 50 baldes pequen ferrados para
escalcrcs, 20 cadinbos de lapis Sonidos, 6 arrobas
de cola da Babia, 20 libras de cera prea para
corrame, 500 follias de cobre de 28 oncas, 1
peca de cabo de llnho do 3 |>olegadas, 1 peca de
cabo de linho de S 1/2 polegadas, 3 pecas de cabo
de linho de 1 polegada, 10 arrobas de estopa de
algodo, 20 resmas de lixa de esmeril em panno,
34 pecas de lona larga, 8 livros de soccorros im-
pressos de 100 folhas, 8 ditos dito de 59 ditas, 6
arrobas de mialhar, 10 libras de obreias france-
zas, 13 arrobas de oleo de lnhaca, 5 duzias de
pratos de ferro estanhado, 500 libras de pregadu-
ra de cobre, 1 regiment de signaos para navios,
20 pecas de sondareza, 3 terrinas de ferro estanha-
do, 1,000 lijlos de fogo, 20 tira-liabas, 500 libras
de tinta unta, 60 grosas de torcidas para pharol,
e 8 arrobas de zarco.
Para enfermara de marinha.
200 camisolas de bnm, 100 pares de chinellas
de couro, 50 fronhas de briin, 200 lencoes de dita,
e50toalhas de dito.
Tanibem o conselho no niencianado dia 2i dj
corrente mes, de igual frnia, contrata o rorneci-
mento de naralho para os navios da armada o es-
tabelecimentos de marinha no trimestre corrente*.
Conseibo de compras avaes de Pernambuco 21
de abril de 1869.
O secretario
'________Alexandre Rodriguos dos Anjos, ^
O inspeclor interino da alfandega, em vir-
tude do autorisaco da thesouraria de fazenda, em
portara n. 49 de 13 do corrente, faz publico, que
no da 22, a 1 hora da tarde, porta da mesma
alfandega, serao levados hasta publica um bote
e duas baiieiraf, os quaes eram do serviro desta
reparticao, e se actiaiu inutilsados, Ocando a ar-
remataco dependente da approvaco da referida
tbesouraria.
Alfandega de Pernambuco 19 de abril de 1869.
U inspector interino, "^r
L. de C. Paes de Andrade.
DECLARACOES.
- O administrador da recebedoria de rendas
internas geraes faz publico qua,neste corrente mez
e no de maio prximo futuro, visto estarem con-
cluidos os lancamentos, e que os devedores do
imposto pessoal, relativo ao exercicio corrente de
1868 a 1859, residentes as freguezias do Recife,
Santo Antonio, AITogados, Poco da Panella, Var^ca,
S. Lourenco da Malta, S. Amaro de Jaboato, e
Murbeca, tecm de paga-lo, livre da malta de 6 0/0
e com ella depo's do referido prazo.
Recebedoria de Pernambuco 3 de Abril de 1859.
Manoel Carne tro de So iza Lacerda.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A IHm" junta administrativa precisa contratar
com quem maiores vantagens oflerec.er o forneci-
mento de carnes verdes que prcdsarem os esta-
belecimentos a seu cargo nos mezes de maio e ju-
nho vindouros.
Secretara da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 16 de abril de ll?69.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
771:537012
HOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volnmes entrados
dem idem
com fazendas
com gneros
Volumes saludos com fazendas
dem idem com gneros
50
300
------ 3641
17S
78a
954
Descarregam hoje 22 de abril.
Vapor inglesGladiatormercadorias.
Barca inglesaBorlockat*ferro.
Lugar inglesJuliodiversos gneros.
Barca inglesaLevantidem.
Barca-portuguesaMoca Sympatkialacedo.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 20. 32:3184222
dem do dia 21....., 1.243*390
33:56 U21
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento'do dia 1 a 20.
Idem do dia 21. ,
91:865*671
1:814*842
93:e80*513
MOVMENTO DO PMTO.
JvWaa mlratos no dta 21.
Baha 6 dia?, barca iofeza lam Wilson,
de
Santa* Casa da Misericordia do
Heeiie.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
oalcfc ti- wim 0400004*, ii dio. 9d 4e ul.-il, olas
quatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECMENTOS DE CARIDADE.
Ra da Imperalriz.
Casa terrea n. 68, por anno............320*000
ua de Hurlas.
Loja do sobrado n/41, por anno .."...... 1205000
Ra da Moeda.
Primeiro andar do sobrado n. 37, por anno 76.8000
Segundo andar, idem.................. 96000
Areal do Forte.
Casa terrea n. 1, por anno.............. 100000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 43, por anno............170*000
Ra da Conceico.
Casa terrea n. 5, por anno..............249000
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 36, por anno............178J0O0
PATRIMONIO DOS ORPHOS.
Ra da Lapa.
Casa terrea n. 41, por anno............ 155^000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 100, por anuo........201 000
Sitio n. 5 do Forno da Cal, idem ........150*000
Os pretendentcs deverao a presentar no acto da
arrematar? as suas flaneas, ou compareccrem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 17 de abril de 1869. O escrivo.
Pedro Rodrigues de Souza,
Santa Casa de Misericordia do
Recife
Pela secretara da Santa Casa de Misericordia
do Recife se faz publico que a Illma. junta admi-
nistrativa em sessao de 8 do corrente resolveu que
fossem convidados os parentes dos orpbos em se-
guida declarados para virem requerer a presiden-
cia a sua retirada do mesmo collegio, visto que j
tendo completado a idade de 14 annos nao podem
all continuar como dispoe o respectivo regula-
mento.
Francisco Pereira de Araujo, protegido do viga-
no Camillo de Mendonca Furtado.
Antonio Bezerra de Mello, sobrinlio de Francisco
Ribeiro da Silva.
Manoel Felippe de Sonsa Magaihes, lilbo de
Theroza Febronia Estoves Alves.
Francisco Antonio do Monte.
Antonio Leocadio do Reg Barros, filho de Ignez
Mara de Melle Reg.
Joaquim Candido da Silveira, filho de Maria da
da Gloria Silveira.
Laurindo Fortunato de Menezes Lyra, filho de
Gertrudes Lourenca de Araujo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 9 d 3 abril de 1869.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Perante cmara municipal desta ciclas
de estar em praca nos dias 15, 19 e 22
do corrente, para ser arrematada por quem
menor preco offerecer, a obra dos repa-
ros do aterro da estrada, que da ra Im-
perial vai ter a Cabanga, oreada na quantia
de 8144000 quem pretender arrematar essa
obra compareca nos indicados dias, no pa-
co municipal, manido de flanea idnea.
O orcamento da dita obra acha-se na se-
cretaria da mesma cmara, onde ser apre-
sentado aos que o quiaerem consultar.
Paco da cmara municipal do Recife, 12
do abril de 1869.
Ignacio Joaquim de Souza Leao.
Pro-presidente
Francisco Canuto Ba-Viagctn
,. secretario.
Conselho de compras do arsenal
de guerra.
0 conselho de compras do arsenal de guerra
precisa comprar o seguinte :
1 fole grande com 32 pollegadas, 40 arrobas de
plvora de boa qualidade.
As pessoas quoquizerem vender ditos artigos,
apreseutein suas propostas acompanhadas das res-
pectivas amostras, na sala do conseibo, as 11 horas
do dia 26 do corrente.
Conselho de compras do arsenal de guerra de
Pernambuco 20 de abril de 1869.
F. Raphael de Mello Reg,
Presidente.
Jos Baptista de Castro Silva,
______________ Secretario.
Pola subdelegacia da freguezia de S. Jos
do Recife. se faz publico que fra captura-
dos os escravos, Antonio e Ignacia, esta
com uma filha de um anno e meio de da-
de os quaes dizem ser escravos de Fran-
cisco Antonio da Gama, senhor do engenho
Agoa-Fria na comarca de Porto Calvo.
O subdelegado,
Antonio Moreira de Mendonca.
Perante a cmara municipal desta ci-
dade estar em praca nos dias 22, 26 e
21) do corrente para ser arrematada por
quem menor preco offerecer, a obra dos re-
paros do que necessita a estrada munici-
pal que conduz povoacSo da Varzea, or-
eada na quantia de 350^000 : aquellos qu;
pretenderen! arrematar a dita obra podem
comparecer em os mencionados dias no
paco da mesma cmara, munidos de fiador
idneo. O orcamento acha-se na respecti-
va secretaria, onde pode ser consultado.
Paco da cmara municipal do Recife 19
de abril de 1869.
Baio de Muiibeca,
Presidente.
Francisco Canuto da lioa-Viagein
Secretario.
ARREMATADO
Sexta-l'eira 23 do corrente, depois da
audiencia do Dr. juiz municipal da primei-
ra vara, ir praca a preta Marcella, do
naco, de idade de 60 annos por 2005000;
o preto Jacintho, crioulo, de idade de 40
annos, por 8000000, 3 eguas 20-5000 ca la
uma, e um cavado ruzilho por 600000:
ludo penhorado Joo da Cunha Pe-
reira._______________________
Perante o Sr. juiz do 2." districto tem d>" se-
ren arrematados no dia 26 do correte diversos
bens penhorados a Jos Maria da Silva Machado
por execucao de Viriato de Fre tas Tavares, as i
horas da tarde.
A assembla provincia^ de Pernambuco, re-
solve:
Por esta subdelegacia se fas publico que sa
acha em deposito uma egoa rudada cor de cnza
anda nova, appreheudida por suspeita de ser fur-
lada; quem se julgar com direito a mesma com-
pareca que provando lhe ser entregue. Subde-
legacia ao Peres 17 de abril de 1869.
O subdelegado 2. supplente em exercicio
Joaquim Thomaz de Barros Campello.
THEATRO
S. ISABEL.
EMPREZA DRAMTICA
DE
Sania Casa da Misericordia do
Recife
pela secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife se taz publico qne o IHm Sr. theeonreiro
commendador Jos Pires Ferreira, no sali da casa
dos expostos, as 9 horas da raanha do dia 20 do
corrente, far pagamento do quartei de Janeiro
marco as amas qne eomparecerem, trateado as
enancas qne Ibes forara confiadas, nao o fazend >
aquellas que oio trouserem os mesmos menores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 14 de abril de 1860.
Oescrivio,
Ptro Rodritues de Souza
Sabbado 24 de abril de 1869.
Representa-se o muito acreditado drama em 5
actos ,
ti
Parsonagens. ^Os senhores
0 general Roquebert. Eduardo.
O Sr. de Taverny.....Thomaz.
Slmo, cabo de esquadra. J. Augusto.
PIcard, cacador.....C. Rocha.
Um offlciaf de ordens. Guimaraes.
Um ajudante de campo. Santa Roca.
Pedro Frochard.....Brochado.
O tabelliao Germon. Victorino.
Potichon...... JerdaniJ
Pigoche, reernta. .... Martin].
Um criado.......Ftonndo.
Luciana.......P. > 9/,1,3
Mina de Ranuberg. Mana VeUuu.
Emelina Roquebert.....Caroliua.
Mariotta........f?1*"-.
Catharina....... Francisca.
Soldados;-camponezes etc., ele.
Oprimeiwacioem um acampamento franc:
em Alternante m i807 mni 4 em s- Lo^~
renco 16 amasdepois.
Diltai aoespeetaeuloa cansoneta cmica pe>o
Sr. Martinho.
L-
y
IIHVEI


Diario de Pemairrbuco
\

Quinta feira 22 de Abril de 1869.
______________________.___________________________j_____________
------------------------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------------------1---------------
i
O IKWIHNIIO
para-sc para a prxima remana drama
de grande espectculo n ti art
0
n
Os senhores qae qoizerem bilheres podem des-
de ja __Mft ua encommeadas.
Quarta-feira 29 de a.hrl
Beneficio do actor
MAREVEO
unin: novidade
Representar-se-ha o maito desojado drama em
5 actos de grande espectculo :
CHRISTOL
Scgue-sc em sccnaaberta a qnadrilha intitulada
Martiukoextrahida de todas as arias do
mesno.
Em seguida, o Marfinhn cantar pela primf ira
vez ueste theatro a grande aria cmica, sondo a
poesa dn immortal primeiro artista brasileiro Joo
Caetano do* Santo?, e a msica do distincto maes-
tro portuguez F. S. Noronha, intitulada
O Boleeiro apaixouado
Dar flm ao tiUtinilln a muito interessante
comedia em 3 actos, original brasileiro, denomi-
nada :
OOMPANHIA l-KHNAMb(ANA
!Vnvega$o eMtoii- por vapor.
Mans nguape.
O vapor :,ntePenna, seguir
para o porto cima1 no dia 28 do corrente as (i
hars da Urde, recebe carga, eucomnoendas, pas-
sagens e dinheiro a frete at as 3 horas da tarde
do dia da gaida no escriptorio do Forte do Matos
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
DE
navegar costeara por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara.
caty, Cear, Acarac e Granja.
m*m\w O vapor Ipajuca, commandante
yMJL Martins, seguir para os portos cima
aBH no da 30 do corrente as 5 horas
da tarde. Recebe carga at o dia 29, encom-
mondas, passageiros e dinheiro a frete at as
horas da tarde do dia da sabida no escriptorio
do Forte do Mattos n. 12.
Lisboa
Segu com brevidade a barca portuguesa Perei-
ra Borges por ter parte da sua carpa prompta :
para o restante e passageiros, trata se couiOlivei-
ra, Filhos & (',., largo do Corpo Santo n. 19.
O
O Martiaho far o interessante e dilllcil papel
do Nonvo.
l'm pequeo resto de liilhetes acha-se dispo-
Bifio do publico na mao do Martinho.
Martinho reconhecido,
Quanto ao publico dore,
Uuando m irrer por ser grato
A trra Ihe sejalcve.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
IVavegaeo costeira
Porto de Gallitihas, Rio
Tamandai.
por vapor.
Formoso e
dinheiro a frete
tos n. 12.
O vapor Mamanguape, com-
mandante Oliveira, seguir para.
os portos cima no dia 20 do cor-
rente a mcia noitc. Recebe car-
ga, encomi nenda!. passageiros e
no escriptorio do Forte do Mat-
Para o Porto
Seguir com a malar brevidade possivel a ruui
conhecida e veleira barca porlugueza Seguranca
por j ter a inainr parte de seu carregamento en-
gajado ; para o resto e passageiros., aos os qnaes
offerece ricos e excellentes commodos, trata-se
com Cunha Innos & C, ra da Madre de Dos
D. 3i, ou com o capital a bordo._______________
Para o Porto
pretende seguir com a maior brevidade possivel a
mui conhecida e veleira barca portugueza Cluu-
dina por j ter a maior parte do seu carregamen-
to engajado ; para o resto e passageiros, para os
quaes offerece ricos e excellentes commodos, tra-
ta-se com Cunha, Irmaos 4 C. i na da Madre de
Dos n. 34, ou com o capilo a bordo.
COMPANHIA BRASILEIM
DE
Paquetes
a
vapor.
Dos portos do sul 6 esperado
at o dia 22 do corrente o vapor
Ornar, commandante o primeiro
lente 1'. II. uarte, o qual de-
pois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia desuachegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as dnas horas do dia da
sua salud.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor c que nao excedam a_ 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao.
Tudo que passardestes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s se recebem na agencia roa da Cruz n. 57,
V andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
COMPAMA BRASILEIM
DE
Para o Porto
val seguir com umita brevidade a barca portuguc-
zo Saphira por estar quasi carregada : para o
resto epas;ageios, trata-se com os consignata-
rios T. de Aquino Fonseea & C, ra do Vigario n.
19, Io andar.
Baha
Impreterivelmente nestes poucos dias sahe o pa-
ihabote OaribaUU para a Babia : para carga tra-
fa-sc com o capito Custodio Jos Vianna, ou no I
escriptorio de Tsso limaos. ___________
Para o indicado porto pretende sabir em pou-
cos dias a veleira c bem conhecida barca Social'
capito Bocha, por ter a maior parte do seu car-
regamento prompto, e para o resto quo lhe falta
e passageiros, para os quaes tem bons commodos,
trata-se com o consignatorio Joaquini Jos Gon-
calves Beltrao, ra do Trapicho n. 17.
LEILOES.
Grande leilao de movis
SENDO :
Urna mobilia de Jacaranda composta do um so-
f, 2 consolos, 1 jardineira com tampos de pedra,
18 cadeiras razas, 4 ditas de bracos, 1 tocador
com tampo de pedra e seus perteees, 1 cama
franceza coraos competentes cortinados, 1 guarda
vestido, 1 guarda louea, 1 mesa elstica, 1 mar-
queza, 1 mobilia do amarello raiz composta de 12
cadeiras rasas, 1 sof, 2 consolos, 2 cadeiras de
bracos, 2 ditas de bataneo, l mesa redonda, 1
banca de p de cama. 1 'dita para jogo. 1 appara-
dor, 1 carteira, 1 eadeira para orinal, 2 mesas de
pinh, 2 balis de folln, 1 quarlinheiro, 1 berco
com colxo, 1 tapete grande, 2 ditos menores, 6
ditos peqnenos, 1 rolo de osteiras, 2 pares de
jarros de porcelana, 1 par de serpentinas, 1 can-
dieiro a gaz, ?i casticaes, 1 apparelho de porcelana
para jnni.tr. 1 dito de dito para cha, 1 dito de
jantar para uso diario com algumas faltas de pra-
tos, 1 duz a de Jacas grandes com cabo de marflm,
1 dita pequea, 2 duzias de garfos de metal do
principe, 9 colheres de dito para sopa, 9 ditas de
dito para cha, 2 compoteiras de vidro, garrafas,
copos, clices para vinho e campagne, galelijros,
palitciros e muitos outros objectos que estenio
patente aos concurrentes no dia
HOJE
O agente Martins competentemente autorisado
ior irna pessoa qae se retira da provincia, far
eilo dos objectos e movis cima relaciona os
no annazeni da ra do Imperador n, 16, as 10
horas em ponto.
KiHIfiAO
De 30 barris de 5o com vinljo verde, 25
canaslras com albos.
iio.ii:.
O agente Pestaa tara i eilo por conta e nscc
de quem pertencer de 30 barris de 5 com vinho
verde de excellente qua'idade e muito novo por
ter desembarcado esta semana e ser vendido em
ura ou mais lotes : na quinta-feira 22 do corren-
te as H horas da manhaa no trapiche do baro
do Livrameuto.
Da armaro, gneros, gaz, balaoca e mais
pertences da taberna sita na roa da Cruz
n. 34.
ftexta-felra 13 do rorrete.
O agente Pestaa legalmente autorisado far
leilao dos gneros cima mencionados e para pa-
gamento dos credures por quem seu dono se
acha auto isado, o leilao tari lugar na sexta-feira
23 do corrente as 11 horas da manhaa na mesma
taberna.
LEUAO
De djITercntes movis, 1 jogo dajfpeatclla, 2 can-
dieiros a gaz, 4 casticaes e mitigas, g isto an-
U},o) 1 guarda roupa, quadros, retratos,, 1 ca-
ma franceza, differentes mappas e outros ob-
jectos.
Sabbado 21 de abril as 10 horas em ponto.
Por intervencao do agente Pinto, no 1 andar
do sobrado da ra da Cruz n. 33.
Desde j se previne aos compradores dos re-
feridos objectos que devero tomar conla dos
mesmos findo o leilao visto ser preciso entregar
as chaves da casa no mesmo dia 24.
LEILAO
Do grande sitio da estrada d'Agua-fria n. 5, com
urna casa nova de pedra e cal do 32 pal.nos de
frente, cocheira e quartos fra, cacimba com
bomba, o sitio tem 900 palmos de frente, muito
fundo, baixas, trras para plantacoes, e criacao
de gado, mata, um riacho permanente no mes-
mo sitio, muitos coqueiros e ouyos arvoredos.
Terca-feira 27 de abril as II horas em
ponto.
O agente Pinto far leilao precedida a compe-
tente autorisaco da casa o sitio cima mencio-
nado as 11 horas do dia cima dito em seu cs-
rriphrio ra da Cruz n. 38.
AVISOS DIVERSOS.
O Dr. Joo BaptlstaCasanova,
medico homeopatha, achando-se reslabe-
lecido da grave molestia que soffreu, conti-
na no exercicio de sua profissao, ao pateo
da matriz de Santo Antonio n. 2 sobrado,
onde pode ser procurado qualquer hora
do dia ou da noute.
Protectora das Fami-
lias.
Estado desta associaeao em 19 de marco de
1869:
Contribuintes................. 8-">63
Capital subscripto ris.......... 8,427:7715890
Capital em aplleos de O %..... 2,500: lOOOO
Agencia de Pemambuco ra do Livramento
n. 19.
N. F. de Vidal.
Jos Soares de Azevedo, professor de
lingua e litterat ira nacional no gymnasio
provincial do Recife, tem aberto em sua
casa, ra Bella n. 37, um
CURSO DELINODA FHANCEZA
DE GEOGP.APHIA E HISTORIA
DE PHILOSOPIUA
DE MIETOUICAE l'OETICA.
Os estudantes qne pretenderem frequen-
tar qualquer destas discipliuas, podem diri-
gir-se indicad?, residencia, de manhaa at
as 10 horas, e de tarde a qualquer hora.
Precisa-s de urna ama para casa de pouca
familia na Soledad'): a tratar na solea do sobrado
n. 21 da ruado Li-ramento.
Caixeiro
Precisa-so de um axfro brasileiro de loa-
adnos d id id i para o armazcm de sal da ra Im-
perial n. _9, du Vaidiviuo da plvora._________
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro : na ra das Cinc
Ponas n. 33.
Gpnasio provincia!
Precisa-se de dous serventes para toda a espe-
ciedeservfijo centro e fra do estibeleeimento.
Joaquim Paes Pereira da Silva, lendo com-
prado ao Sr. Antonio Correa Pereira Cardo, a
cocheira em frente ao relogio do arsenaKe mari-
nha com o n. 3 ao lado da ra do Apollo, sendo
cssa compra livre c desembarazada de qualquer
onus, faz o presente aviso para l'ivrar de duvidas
para o futuro.
Recife, 19 de abril de 1869.
Trecisa-se do um caixeiro de taveruade 14 a
la annos : na roa do Cordoniz n. 7.
t______________j________*_______________________
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar para tres POSSOas : na ra de Agoas-Ver-
des n. 48, 3 andar.
LEIL.10
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at a dia 28 do corrente o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Antonio Joaquim de
Santa Barbara, o qual depois da
demora do costume seguir para os do sul.
Desde J recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor pode conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia dAua chegada. Encommen-
das e dinheiro. a frote at o dia da sua sahida as 2
horas.
Nao se recebem como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor eque nao excedam a dtias
arrobas de peo ou 8 palmos cbicos de medicae.
Tudo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
pens s se recebem na agencia ra /la Cruz n. 57,
Io andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
R de Janeiro
Segu com muita brevidade para o porto cima
a escuna dtuamarqueza Elise, tem a maior parte
do seu carregameno engajado : para o resto que
lhe taita trata-se com Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, ra da Cruz n. 37, andar.
??. O PORTO
Deve seguiseom a maior brevidade possivel a
barca portugueza Nova Sympathia, de 1* marcha,
por j ter prompta a maior parte de sua carga:
"para o resto que lhe falta e passageiros, aos quaes
offerece ricos e excellentes commodos, trata-se
com Baltar Okveira & C, ra do Vigario n. 10
De urna escrava de mcia idade muito boa
cosinheira e muito sadia, urna negrota
de 15 annos ptima para ser applicala
para qualquer servido, de excellente
conducta e muito morigerada.
HOJE.
Pelo agente Martins no armazem da ra do Im-
perador n. 16, as 10 horas em ponto.
LEILAO
Fretamento.
Os Srs. Keller C. farao leilao por intervencao
do agente Oliveira, e por conta e risco de quem
pertencer, da carta de fretamento da barca fran-
ceza S. Louis, capilo Andouard, lotacao de 277
toneladas francezas, e classificacao no Veritas 3/3
A. I. I. para carregar neste porto assucar ou al-
godo, sendo porm 1/2 do carregamento em as-
sucar ensacado, com destino a Marselha, Havre,
Bordcaux, ou St. Nazaire, tendo o navio de ser
carregado at 10 de maio prximo.
Sexta-feira, 23 do corrente
ao meio dia em ponto, na Associaeao Commercial
desta prac,a.
LEILAO
De um sobrado de um andar e
sotan sito na da Hoeda
n. 95, en solo proprio.
O agente Pontua! competentemente autorisado
vender o predio cima no dia
Sexta-feira 23 do Brrente.
No 1 andar do sobrado n. 62, ra da Cruz,
as 11 horas.
Os Srs. pretendentes poderao examinar o dito
predio.
Na ra de Santa Bita n. 101, offerecem-se
duas amas urna p:xa engommar outra para cc-
sinhar.
Avisa
Fugio da Estrada Nova do Caxang, da casa do
Sr. Sebastiao de Arruda Puntes, domingo 18 do
corrente, as 3 horas da tarde, o cabra Francisco,
pertencente ao abaixo assignado, com os signaes
seguintes : cor alvacenta, com idade pouco mais
ou menos de treze para quatorze aunos, cabeca
grande, cabellos de negro e cortado rente, olhos
um pouco espantados e tmidos, testa pequea, ma-
c.5a do rosto altas, bocea grande, falla mansa e
muito demorado no responder, muito mettido a en-
tusiasmado, quando olha para alguem por al-
;um tempo torce a bocea do lado direito, peseoco
ino, altura regular para a idade, cujo escravo foi
comprado em marco de 1867 ao Sr. capito Silvi-
no Guilherme de Barros, hoje baro de Nazareth.
Roga-sc, portanto, as autoridades policiaes, capi-
pites de campo e mesmo particulares, ou a quem
o conhecimento chegar, a aprehendam e entre-
guem no Recife ao capito Francisco de Albuquer-
que Mello, no caes do Apollo prensa de algodao
ou na Estrada Nova do Caxang ao Sr. Sebastiao
de Arruda Pontes, que sero generosamente re-
compesados.
Estrada Nova, 20 de abril de 1869.
Joaquim Pacifico de Arruda [ello.
Fulas assncaradas de lirislol.
NAO CONTCM NEM CALOMELANOS NEM NENHUN
Ol'TBO MINERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
thartico ou de urna medicina purgativa, ha
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
vo, como mesmo por meio da faculdade
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer que. sentimos, em podermos com
toda a colianca c segundado, recommendar
as pihuas vegetacs assncaradas de Bristol,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes essencwes, tornando-se em um
perfeito, seguro e agradavel cathartico de
familia. Este remedio nao composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composico dessas pululas, que por ah se
vendem, mas sim, sao preparadas com as
mais finas e superiores qualidades de raizes
medicinaes, hervas e plantas, depois de se
haver chimicamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
aquellas porces fibrosas inertes agres-
tes inleiramente destituidas da menor virtu
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
dophgtiin, a qual segundo a experiencia
tem demonstrado, possue um poder o mais
maravilhoso possivel sobre as regioes do
figado, assim como sobre todas as secre-
ces biliosas. Isto de combinaco com o
leptandrin, e mais alguns etractos vege-
tacs e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As pilidas vegetaes assucaradas
de Bristol, achar-se-ho sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente efll-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguintes.
DyepAfttia, nn indi- Hyrlrnppci.i >lnc mp.m-
gestSo, bros ou do corpo.
astringencia, ou.. AXfeccOes do figado,
priso do ventre Ictericia,
habitual, Hemorrodias,
Azia do estomago e Mau hlito, e irregu-
flatulencia, iaridades do sexo
Perda do apetite, femenino,
Estomago sujo,
Dores de cabeca.
Em tods as molestias que derham
sua origenj da massa do sangue: a salsa
parrilha de Bristol esse melhor de todo>
os purificadores deve ser tomado conjun
lamente com as pilulas, pois que estas
duas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
affiancar nao s um grande alivio, como
tambem urna cura prompta e radial, isto
\ est bem visto, quando 0 doente nao se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
D. Amelia Assuuipoao Tavares da Cunha, D.
Maria do Sacramento Cunha, Joaquim Jos da Cu-
nha, esposa, mai e irmo do finado Jos da Cu-
nha, convidam aos prenles e amigos do mesmo
tinado para, a musa que mandam celebra 1 por
sua alma no dia 25 do corrente, primeiro anni-
versario de seu fallecimento.
Recife, 22 de abril de 1869.
Em um engenho na distancia de cinco leguas
desta capifal e mcia de urna das estafes da es-
trada de ferro, precisa-se de um professor ou pro-
fessora com habiliacoes, a ensmar grammatica
portugueza o lingua franceza, arilhmetica e geogra-
phia, aando-se preferencia ao que souber msica
e piano : a tratar na ra larga do Rosario n. 24,
segundo andar. ____________________________
Jos Domingues Maia vai ao Rio de Janeiro,
e deixa encarrsgado do seus negocios o Sr. Joa-
quim Rodrigues Duarte.
Pars, 36,RuaVivienne, D*
CHABLE MOECIN
BASENFKRAUDADAS DESSEXUAES, AS AJTW>
COES CUTNEAS, E ALTERACOESDOSAWGU
------------------%\00O0e\xTtiuimpmg*ni
yuslulu, kerytt, tan*
; |/erco, w'ctoo* do o-
_______________ 1jm. etrui, alttrafint
3 r.<... TeKeaea BMlfOOB HnERlBI
tomso-se dous por semtn, sepiindo o traetMen
Denurativo : emprendo ni mesmu moMstiaa.
~1 EiU Itrope Citrtote i
ferr de CHABLE. eurt
iiimediaUmeBteqMkpMr
purgar ao, relaxasao,
______________________# Jebllidade, e igntl-
menie o ftuxot e flores brancas da Hl"*-T
Esta ia]ceao benign empregt-M coa o Irp M
airado de Ferro. __
iiiiIIii. Pomada que u er em tru mi*.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra i au affeccoes eutansas $ commw
PILULAS VEQETAES DEPURATIVAS
o ch.w. At frasco vai Meampaatdo 4i
folhelo.
DEPURATIT
,iu SAIMG
PLUS Dt
COPAHU
aso
O ) tu tonqmttusj
4*of BJ 'l 'ZU3UJ '!**
Oa ion
'IJIOflTIJ.
KIIIJ !tT_DlIOOa

if I
onsodsa
tuv tp rmioxpm 9p \v\jam
mupv3f tpd epttaotdv wmt} toruiwmxpim s9t t0P* ~ "0SI1T
lupipaai p Kaapwy
t|d wptAOjdt fOmed 9op nm 'ppiinb wrauud op a cjnd opijuW9
-3Hiaaa ao ovhivovs 3a oavou 3a oaio
%\ ? 13P atP u 'Jititt op omr90 bu srpEiuoi luajas urd i vj\9t
-O09 tOfiMdajUf sp ffBi un uia neasiiioaj, jossajofld o *n!*D 'Jfl
P VNUN383W3H1 30 VI3N3IS3 30 SV10U3d SBjad SpBJHO OgS \U3>
B SSS0A.I3U S3JQP SI SBpOl a 'S0_g|t3 'SOeCIIO| 'SOI1BIK SI OUIOD 'fffll
^apwi m*alP aned jopiui y 'V0IX38 VO SV1S310W
-OQiumb ap oicjjns o Ofisra
-w nb tiJiju saiqaj n un] -apnn eiioi c epuicsaadt a reJjoj s#n
-opusp 'saiu3sarBAuoo so ajqos p\cjoj oejDi tuas 'omurnb ap saoJend
-jd taiwnsni sep nm a 'ajuiisuo pnicic a ojSisoduioa tfna eoueO
op jan 'otjuiA a3 -nbojjmri ap ',u,f)iNinb 3Q OHNIA
|KM[00 jai
-q uiai i8jnd anb taAipuSe ptuonn; um j >jqo as txid cnSi.p ijioobI
o|aui n od ajsa.p oarejj ron j*iossip ijset "390a 30 Od
"iJTTtt ~on op-""! "" Ind PD _rA ao niid n|Bi
piunsaj joqraui o tuoo sopfiKpios ajdmas ors sosoutSnxisj sop oSojdu
pui)||Uoau anb soiuduhjjjs so a Z3Qnid V 'VI1M3NV
'KTlim 'f '} H3H13.0 SVIOUSd SBjod ajuaurepideJ sipidp
^potisaoSMuisissa 'SV101VUA3N SV03nVXM3
sunriid ura no od oa oonisa 3a ovAuva ojad siip soonod oa ung
OVSVdliSNOO 02VW01S3.0 S01N3WIUJJOS ,
~a~
/-vrj |l|-T?T\Tr,rvC em ,0^as as Partes do mondo, empregam, com o maior xito,
\JO Jt1E1J1vjUo> o phosphato de ferro soluvel de LBRA8, para curar a chlorosis
(cores paludas), as dores do estomago, e aexhaustacSo de sangue; com esta preparacio, do
ae corpo o vigor, e s carnes, a sua firmeza natural; facililam o desenvolvimento 13o labo-
rioso da puberdade. Com effciio, tudo, n'este medicamento, se aeha reunido para lhe
assegurar o maior crdito, pois que entram, na sua composico, os elementos dos ossos e
do sangue. O seu autor, SI. Leras, doulor em scicncias, pharmacentico, professor de
chymica, inspector da Academia, foi, recentemente, condecorado da ordem da Legio de
Honra, digna recompensa dos seus importantes trabalkos.
As seguintes apreciacoes dos mais celebres mdicos ainda vem corroborar e jutificar
todos estes ttulos confianca publica :
c Precisa classificar o phosphato de ferro soluvel entre os ferruginosos rae melhor
convem tos doentes cujos orgites digestivos supportam mal as preparacoes de trro. >
SOUBEIRAN, professor na Escola de medicina e de pharmacia.
* O phosphato de ferro soluvel em quanto a mim, a melhor das preparantes ferrugi-
nosas, e o seu emprego d os mais promptos e seguros resultados. *
ARAN, medico do hospital Sainte-Eugni.
i A forma liquida do phosphato de ferro soluvel d-lhe urna immensa vantagem sobre
as pillas; eu considero este medicamento como muiajuperior s preparacoes iodadas. >
ARNAL, medico de S. M. o Imperador.
c Entre todos os ferruginosos, nSo conheeemos om sd que obre tSo prompta e efficazmente
como o phosphato de ferro soluvel, e isso, sem cansar o estomago. *
BELLOC, BAUME, BIGOT, FOLLET e PRVOST, mdicos dos hospitaes.
Os effeitos da preparacio de phosphato de ferro solovel me parecem ser mui segaros
e promptos. *. BEBOUT, redactor em chefe do Bullelin thrapeutique.
t Entre todas as preparacBes ferroginosas, o phosphate de ferro soluvel foi a que sempre
me deo os memores e mais satisfactorios resultados. GD1B0UT, medico dos hospitaes.
O phosphato de ferro soluvel tem, sobretodo, a vantagem de evitar a constipacio e
eonvir aos temperamentos delicados. D' FAVROT.
Deposito em Pemambuco, em casa de Maurer O*.
VALOR THERAPEUTICO
DO
XAROPE DE QUINA FERRUGINOSO
DE GfftftUULT E COMP*
YharMMteoe do S. A. I. o principe _apolelo, om Varia.
A associacio do ferr e da qoina resol veo um dos mais importantes problemas da pharmacia,
e faz com que se congratulam os mdicos dos relevantes servicos que lhes presta esta pre-
paracio.
Com effeito, ninguem ignora que a quina, em mateira medica!, e melhor tnico que se
possa empregar, sondo, sobretodo, unido ao Phosphato de ferro, a mais estimada das pre-
phosphato, principio dos ossos. .
Por isso, julg&mos que, para os srs mdicos, serio interessantes as observacoes felas pelos
seos collegas, os mais dislinctos de Paris:
Este Xarope produz os mais felizes resultados nos casos de dyspepsia, chlorosis,
c amenorrhea, hemorrhagias, leucorrhcas, febres typhoidas, diabetes, e quando precisa
c resiabelecer as forcas dos doentes e restituir ao corpoas forcas alteradas 00 perdidas.
ARNAL, medico de S.M.o Imperador.
orna das raras combinacoes que, ao mesmo tempo, satisfazem o medico e o doente. Em
quanto a mim, eu a considero como a mais efficaz preparacio ferruginosa, cujo uso dos
c mais agradaveis para os doentes.
CAZENAVE, fiedico do hospital Saint-Lpuis, em Paris.
b Com esta preparaelo d'uma trma agradavel, e fasil de digerir, administra-se aos
doentes dois medicamentos importantes.
CHARR1ER, chefe de clnico da Faculdade de Parts.
b Eu emprego com aaior xito o Xardpe de Quina ferruginoso, e o coosidero como
urna das mais felizes innovaefles, na mateira medical.
CHASSA1GNAC, cirurgiio em chefe do hospital Lariboisiere.
b Este medicamento, sempre bem aceho pelos doentes, deo-me constantemente os mais
b ventajosos resaltados. ......
UERVEZ DE CHEG01N, tnembro da Academia de mediana.
e A ltapHei d'esta preparacio, o seu gosto agradavel, isento de qualquer sabor de
farro. azem d'elU um medicamento lio efficaz como agradavel.
' ^: MONOD, addido faculdade de medicina.
Depotito em Pemambuco, em casa de Maurer a O*.
INJECTION BROU
Flenle* talBlllvel e Preaervallva, bsoluUmcnio a uuiea que curi sem ueuliun additiro. V.i.
aas priner. boiiua da anuido. (&fr hulrucoM a bbo). ( de exisUneu.) Pan., em
de tBTeater HOD. koBlsvard Haienu. Ha.
t-ael
INJEGGAO VEGETAL
coni
AT
DEGRIMAULT El C^ PHARMACEUTIGCS EM PARS |
O successo d'esu injeccio, preparada com as folhas do MaUco do Per, foi o npU, "
elle te tem tomada popular em toaos o. naize. do mundo^m a "^1**? *^Si
edes de toda a natorezi. E' o nico producto neste genero coja entrada na Rusia ta_
authoriada pelo conselho medico de Sao Petereborgo.
Deposito em' r\rnembuce, em casa de
G
CABUGA
esquina
da ra larga do
Rosario.
DE OIJRO
I_0JA DE______
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm sortimento sem ignal,
e vende por prepos qne nenhuma outra casa pode vender.
vista da qnalidade e do prego das joias cada nm pder-se-ha convencer daverdade.
Garante-se ser tndo de le. Compra-se onro, prata e pedras fftias por prei?os mnito ele-
vados.
__r A loga est aberta at s 9 horas da noute.
rf i i i i
CABG
esquina
da ra larga doj
Eosario.

IIBHH.___l


Diario de Pernambuco Quinta teira 22 de Abril de 1869

COMPAMA PERRAHBDCARA

Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leile sem filho; a
tralar no Coracao de Qnro n, 3 D, ra do Cabng.
Club Pernambucano
A partida do correntc raez, tora lugar
na noute do dir 24.

C 0*SELHO DE 1HREC O
Os Senhores.Saunders Brothers & C, Tasso
Irmaos, Luiz Antonio de Siqueira.
(GERENTE
0 SE. F. F. BORGFS
Restando ainda emittir algumas aeces d'esta companliia, da quantia nomnal de
OOiSOOO cada urna, das quaes s se aceitam era virtude da le, 20/0, ou 400800 por
cada accao; convida-se pelo prsele ao publico em geral e especialmente os Srs.
capitalistas e interessados no commercio, que queiram dar emprego seguro aos seus
capitaes, disponivcis, a subscrever o numero de acces que lhes approuver.
Algumas estas aeces j tora sido tomadas por pessoas que conhecem a vantagem,
de na presente occasio (conhocidamente a 'melhor), empregarem o dinheiro de que
poderem dispr era objectos de valor real, como vapores, predios etc., qqp IheS garan-
tan! seu# capitnos.
A companhia possue hoje 10 vapores, 6 inteiramente novp, c destes o ultimo esta
a cbegar de Inglaterra, onde foi construido expressaraeute para ella.
Alm disso est edificando vastos armazens, no terreno que possue no largo d As
sembla.
Seus dividendos tom sido de 10 e/o ao anno, nos ltimos 4 annos.
As aeces que so cmittirem gozam dos mcsinos direitos, c perccberio o beneficio
dos mcsmos dividendos que os antigos om proporco da entrada.
Rocobem-se assignaturas no -escriplorio da companhia no seu edificio ao caes a
Assembla n. 12
Resta venda um escolliido sortimento do ob-
ectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
arand. mogno eamarello, obra nacional e estran-
jeira, de apurado go>to c por preco i razoaveis :
la ra estreita do Rosario n. 32. Ncsta mesma
asa fazem-se eom perfeicao todos os trabalho* de
paUnha, como sejam, enipalhamentos de lastros
bara canias, cadciras e sophs.________-
Aluga-se um armazem proprio para qual-
(|ucr negocio : a trotar na ra da Concordia nu-
mero 12
P
Pede-se ao Sr. Manoel da Costa Pereira,
praticanteda repartido das obras publicas,
ora em Jaboatao; que comparta a ra
Augusta sobrado- n. 102, alim de saldar o
seu debito ou pagar o que poder, e isto
cora brevidade.
EMPRESTIMO SOBRE
mnm\
(SEM LIMITE.)
Na (ravessa da na
das Unt n, 2, pri-
meiro andar, da-sc qnal-
qner quantia sobre onro,
prata c podras preciosas.
O dono deste estabelecimento,
competentemente autorisado pelo
governo, est as condices de ga-
rantir a transaeco que se lizer om
sua casa, prometiendo lodo c zelo,
e considerarlo s pessoas que se
dignaren! de honra-lo em seu esta-
belecimento.
Na mesma casa compra-se ouro,
prata e brilhantes.
Cosinheiro.
Precisa-se do um cosinheiro na ra da
Cadia. Loja de Alfredo C.
Joaqun Jos Gon-
calves Beltro
RA DO TRAPICHE N. 17, ANDAR.
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minho, em Braga, o sobre os segmn-
tes logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves. I I.
Viseo. ^
Villa do Cofle.
Arcos de Va de Vez.
Vianna do Castello.
"Ponte do-Lima.
Villa Real.
Villa-Nbva de Famalicao.
Lamego.
Lagos. .
Covilliaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
ITILlUADi:
Aos 500 pares de brincos. 3
Chegou e vende-se no Coracao j||
d'Ouro.'rua do Cabug, brincos de ||j
mbsmhas cora urna franja penden- JH
te a um rico desenlio e ouro de
lci, pelo pequeo preco de lufllOOO
cada par. baratissimo. f
BRTHOLOMEU & C.
Precisa-se
alagar dous escravos, agradando paga-so, tem :
na fabrica a vapor do cigarros na autiga ra do
Qnartel do Polica n. 21.____________________
Aluga-se
una prela escrava parida sera (liba para ama de
leite no arco da Conceico n. CV.
ATIIM
Jos Vital de Negroiro, eolia loja e
oflicina de ourivos ra do Impera-
dor n. 30, vende, troca concerta,
e compra toda e qualquer obra de
ouro ou prata, por preco milito
mais barato que ora oulra qualquer
parte, para oque temsempre com-
pleto sortimento de joias de esme-
rados goslos e feitios, assim como
lora boas artistas, para dosonipc-
nhar todo c qualquer concorlo cu
eiicoinineuda, no prazo menor pos-
sivel, e a contento, como seu
costume, o que ludo se faz por
procos commodos.
Vinho degestivo de
chassaing
PEPSINA E DIASTAEX.
Remedio por excelencia para cura corta
das digestes difficcis ecompletas, acalmar
js dores gastralgicas, e reparar as forcas
produzindo urna assimulacao completa dos
dimentos; sendo mais um excellente tnico.
VEMIlE-SE
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholouicu ti C.
31RA LARGA DO ROSARIO34
DO
BRASIL E PORTUGAL
PORTUGIJEZA
No collegio da Conceico precisa-se de
urna criada portugueza; paga-se hom. -.
Ama.
Precisa-se de una ama para todo o servico de
duas pessoas : na ra Formo? n. 6.________
PIULAS, TOMA E XAIOPE
OU
SICUPIRA
Einprcgado contra as dores rheninaticas, affee-
eoes gotosa", syphilis secundaria, effeitos do mer-
curio, molestias chronL-as da pelle, hydropesia etc.
l'nico deposito botica de J. de A. Pinto, rua
larga do Rosario a. 10, junio ao quartel de po-
icia.
Situado em. um dos bairros mais eentroe de Paris, sendo as immadiaees do
principaes theatros e outros muitos divertimentos, e assrm das estacoes dos 'cammhos de
ferro para todos os pontos da Europa, acabado de ser inteiramente renovado^ n5o st
lendo poupado o seu novo proprietario a despezas para seu completo embellesamento t
aceio, torna-se portante vantajosamente recoramendavel aos senhores brasileiros e por- '
tuguezes, a onde encontrarlo sempre aquella convivencia desejada em paiz estranho:
por ser constantemente frequentado por seus compatriotas. O tratamento superior a
todo o elogio, mesa redonda, ou a caita, ou servida nos apozentos; babitacoes conve-
nientemente despostas para familias, e quartos para ama s pessoa, o servico Jeito
oom a precisa regularidade: os presos mudo rasoaveis e ao alcance tambem d'aquellaf
pessoas que se queiram limitar.
Gabiiete de leitura cora os principaes jornaes dos dous paizes, sa!3o de recepcaot
le msica, etc. etc. Todas estas vantageos podem ser applicadas igualmente aos senso-
res passageiros das repblicas do Prata, porque alm da semelhanca da lingua, ali en-
ontrar5o muitos senhores hespanlioes, por quera tambem esta casa bastante fre-
quentada.
CASA DA FOKTl \A
Aos 4:00031
Bilhetes garantidos.
A na do Crespo n.23 e casas do costume.
O abaUo assijpoado tendo vendido nns ciismui-
to Celize bilhates garantidos 1 quurto n. 2810
con a aort de 4:0w, 1 inki n. 0,*7 cun a aor-
te de "O, i Hteiro n. Hiii com a sorte de
ii-, 6 outras militas sortee de IOOS, 40 c fOS
da totwria mi se aeabon de ejdahir em beaeli-
cio da greja de S. Sebastio do Bonito (IW),
convida aos possuidores a virem receber seus
respectivos premios sem os deseoutos das lea
na casa da Fortuna rua do Crespo n. 23.
Acham-se a venda os da i' piole da lotera a
beneficio da igreja de S. Joao de Abreu de Kna
(103), qne se extrahir qoarta-feira 28 d cor-
ren tei.
Preces.
Slbete. .... 4 J000
Meio.....2*000
hm i Quarto.....1*000
Emporcar de 100* para cima.
BUbete. .... 3*500 Z
Meio......1*750
Quarto..... 875
Manoel Martms Fiuza.
IALARtfMIOS.UUON.^
Este acreditado estabelecimento augmenta
le dia em dia quanto possivel para che-
ipr a enme do bem viver.
Alm dos saborosos manjares XHtfeccio-
aJos com o jaelboi" zoeia, tem bellos upo-
senlos de hospedagem, tanto para urna
I**oa, como para numerosa familia.
A afua, jndipeniavel elemento- para a
vida e hygiene, tanao-la sempre em abi-
lancia para facilitar excelleates banho.
Ha tambem ama boa bibiioteca e peno-
recreio, buhares, etc. etc.
Sendo ociosa qualquer recommendacao r
para tib acreditado esUbelceimento, omit-'Sun
timos mais prembulos,, fazendo ver por.
lim. Ate o bota servico, ordea e mnrai^>r
mVRlTERIA I P1TJT RESTAIMT
Annexos ao Hoil Central, roa estreita dt
Rosario n. 4 A, andar terreo.
Para dar a conhecer a varedade infrait
de charutos de Havana, Babia, Rio, etc. q
existem neate ngv estabelecimento pres
cmdimos dos annuncios pompopos que ge
ramente se fazem, reduzindo-nos apenas i
tres letras que sSo tres bbb bom, bonito i
barato. A' vwta do genero annunciado po
4e-e jnlgar de noasa veracidade. Esta c
gosa tambem das con4i6e6 de um eleganb
e petit restaurar* ond'3 se pode ver a es
j>eoialidade dos fiambres e salames de Lioi
para lanches e at fauer urna boa colarlo
, com os principaes vrahos di
bbresahindo erftre o bom a pun
fiel do regulamento que possue.
Comedonas a la caite.
quanto peto ama mesa. FcV4f i^mi
**rete e variedad* de refrescos.
O Sr. Jos Joaqoim Pereira miarte tem una
carta vind de Lisboa, na rna M Commercio u.
44, 2 andar.
Precisa-s de nm bom feitor,jaradando na-
tTcadcia nuuq-
a-se bem : o armazem 4a rua
81
Havendose perdido o granee ello da orden
do Mosteiro de S. Bento, na oreasao em que era
conduzido por um fmulo do mesnio Mosteiro,
gratiftea-se a aoem livor cebado e o quatra en-
tregar ou no Moteiro ou no hesite, rua dos Ta-
noeiros n. 1, era ca o Sr. Mnas Gome Fer-
nandes. Outro im, se avi9a a quem poesa inte-
ressar, aue tondo Decesaario usar do referid *U
lo, val oMoBlefro mandarcunbar outro, sendo sera
vigor qualquer acto em que estiver post o antigo
sello, desde o dia da perdh ( de abril 4a lff9),
sendo novo eom a devisa do anno1869.
PY. Antonio do Patrocinio Arauio,
D. Abbade de 8. Bento, em blinda.
* Olferecf-s* urna ama para casa de bomem
oKeiro, ooxmka e engomnw : a tratar na ruada
Boda n. 36.
Precisa-se de um caixeiro que tema pratica
de tabernae que atieste sua conducta, paga-sel
bem : a tratar no pateo da Hibeira d. i.
Precisa-se de um caixeiro portugnez de 14
16 anana,mm nratie de taberna.; n iafgedo
Carmen, ______________________
Precisa-se 4e urna ama que corinhe eom per1
feiei'. na rua do Vigarw n. 5, terceiro andar.
"O l)r..Manoel Enedino Reg Valenca bS
pode ser procurado para o ejercicio de E
sua proffeo de medico a rua da Cara- H
boa do Carme n. 21, Io andar. gj
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
TEIXEIR.i FREDERICO & C.
Acaba de chegar a este mercado una pon;ao
desto ptimo rape, nico que pode supprir i falla
do princeza do Lisboa por ser de agrdate! perfu-
me E' fabricado pelo systema do Areia I'reta,
porn tem ?obre este a vantagem de ser viajad",
o qne i>ara este artiao urna esuecialtdade. .as
pravas da Babia, do ltio de Janetro e outras do
imperio tem o Rap Popular si lo asss accolliido,
e provavelmente aqui tambem o ser, logo que
?ej coubecklo e apreciado. Acba-se venda
por preco commodo, e para (|uem comprar de iiO
libras para cima, far-se-ha um descont de 5 0/0,
e de 300 libras para cima o de 8 0/0 : no escrip-
torio de Joaquim Jos Goncalves Beltro, rua do
Commercio n. 17.
PARA USO INTERNO
PREPARADOS S4IIM. ES
Xarope de jurnbeba garrafa. iOOO
Vinho de jurubeba garrafa. IjXKX)
Pilulas de jurubeba vidro. 4W10
Tintura de jurubeba vidro. 64(
Extracto hydracoolico de jurubeba. 12^500
PHEPARADOS COMPOSTOS.
Vinho de jurubeba ferruginoso garrafa. 2:5000
Xarope de jurubeba ferruginoso garrafa. 16G00
Pilulas de jurubeba ferruginosa vidro. 2000
Oleo de jurubeba vidros. 040
Pomada de jurubeba pote G40J
Emplastro de jurubeba libra. 25500
PARA USO EXTERNO
"A JURCBEBA.
Esta planta boje reconhecida como o mais poderoso tnico, como um excel-
lente desobstruente, e como tal applicada nos engorgitamentos do ligado e bago, as
hepatites propriamente ditas, ou ainda complicadas com anazarchas, as inflammacoes
subsequentes as febres intermitentes ou durezas, nos abeessos internos, nos tumores es-
pecialmente do tero e abdomen, nos tumores giandulosos, na anazarcha, as hoikope-
zias, erj'sipellas ; e associada as preparacoes ferruginosas, ainda de grande vantagem
as anemias, chloroses, faltas de menstruaco, loucorrheias, desarranjos atnicos do
estomago, debilidade orgnica e pobreza de sangue, etc.
O que dizemos affirmam os mais distinctde mdicos dcsta cidade, entre os
quaes podemos citar os Illms. Srs. Dr. Silva Ramos, Aquino Fonseca, Sarment, Seve,
Pereira do Carrao, Firmo Xavier, Silva etc. Todos elles reconhecem a excellencia deste
poderoso medicamento sobre os demais al hoje conhecidos para tudescos casos citados,
tanto que todos os dias fazem d'elle*pplicacSo.
Apresentando aos mdicos c ao publico em geral diversos preparados da juru-'
beba, Ovemos por fim generalisar mais o uso d'este vegetal, fazond desappaiecer a
repugnancia que at hoje sentiam os doentes de usar dos preparados empricos d'elle, o
mais das ve7.es repugnantes a tragarcm-se, e que linham ainda a desvantagem de nao
ser calculada a dose conveniente a applicar-se, o que torna muilas vezes ujmroficuQ um
medicamento, que poderia produzir ptimos resultados.
Os nossos preparados s foram apresentados depois de havormos conveniente-
mente estudado a jurubeba, fazendo as experiencias precisas para bem conhecer as pro-
priedades medicamentosas d'esta planta em suas raizes, fulbas, fructas ou bagas, e a
dose conveniente a applicaco, tendo alm d'isto procur ido levar os nossos preparados
ao rnaior grao de perfeicao possivel, para o que nao poupamos esforgos, nao nos im-
portando o pouco lucro que possamos tirar.
Por tanto os que se dignarcm recorrer aos nossos preparados podem ter a
certeza de que elles offerocera a garanta, de que se pode encontrar, a prompta e infalli-
velcura de qualquer dos soffrimentos, que deixamos innumerados, se forera era lampo
applicados, tendo alm d*sso, medico eu doente a vantagem de escolhcr na; nossas va-
riadas preparares, aquella que melhor Ihe podeconvir, j pela fcil applicacSo, e j pela
complicacSodas^nolestias, idade, sexo, ou ainda natureza de cada individuo.
As nossas preparacoes ferruginosas sao feitas de forma que se tornam comple-
tamente soluveis nos suecos gstricos, porque procuramos oscorapostos de ferro que
como taes esto hoje recouhecidos.
Para aquelles que mais minuciosamente queiram conhecer as propriedades da
jurubeba, e saberem a applicaoab de nossos preparados, dcstribuimos gratuitamente
em nosso deposito um folheto, onde tratamos mais extensamente d'esta planta e dus
mesmos preparados.
Deposito geral de todos os preparados
Botica e drogara
34Rua larga do Rosario34.
AMA
Precisa-se alugar urna ama, forra ou es-
crava, de muito bons costumes, para cosi-
nhar e engommar em urna casa de familia.
Pagar-se-ha bem, se for perfeita era urna e
ou!ra cousa. Dirigir-se rua Relia n. 37,
sobrado de 2 andares.__________
Trocam-se
is notas do banco do Brasil e das caixas liaes,
m descont muito razoavel : na praca da Inde-
lendeacia n. 22.
ULL
Aluga-?e urna excellente escrava de boa con-
ducta, que faz com pereigao todo servio i de una
casa de familia : atraz da matriz da Boa-Vista n.
26, Ia andar ; aonde tambem se vender um lindo
mulatinfb com idade de 12 annos, proprio para
copeiro.
4. Ferrelra Vil lela.
Photographo da casa imperial
premiado em diversas exposi-
qoes.
Na sua photograpliia rua do Cabuga n.
18, entrada pelo pateo da matriz tira retra-
o por todos os systemas photographicos.
Em porcelana Em vidro
Em talco Em papel
GART ES DE VISITA A 90 A DUZIA.
Os retratos carte-de-visite sao collados
ra cartab de luxo bristal ou porcelana,
iouradoa ou lithographados, qtiadrilongos
>u vinhetas para o que existe urna varieda-
ie de 12 modelos a escoma de quem se re-
tratar. Para as outras especies de retratos
temos cabtmhas, passt-par-totUs, quadros
9 molduras douradas e pretas cassoltas de
raro e 3tinetes simples e com pedras pre-
ciosas, havendO/DOs alnetes urna mimosa
ariedade de feitios.
O nosso estarjelecimento photograpbico
ist sempre em dia cornos melhoramentos
i progressos qne na America do Norte, na
Europa ou no Rio de Janeiro se consegue
la arte pbotographica, para alcancarm
al fim nunca poupamoa despeja* oem sa-
Jriflcios, de sorte que os nossos numerosos
'reguezes podem ter acerte/a que $em-
?re encoittrarSo em nosso estabelecimento
ludo quanto a arte e a moda ofierecer de
*Km no novo velho mundo aos amantes
iaphoiagraphia.
Tendo montado urna completa oflicina paha &neto e afina^Ao be puos e
tendo contratado para o mesnio Din o experimentado contra-mestre Sr. A. Rastouii
chegado da Europa pelo ultimo paquete,tem a honra de recommendar este seu estabele-
cimento s famas, familias Pernambucanas, promettendo promptido e perfeicao no
trabalho.
Una Foraiosa n. 14
Frederico Maia
Clrurgio dentista pela escola
de medicina
do Rio de Janeiro.
Tem a honra de participar ao respcitavel publi-
co desta capital e seus suburbios, que tem aborto o
seu gabinete de consultas e operacoes dentarias a
rua Direita n. 12, primeiro andar, onde pode ser
procurado todos os dias das 8 horas da mantea as
3 da tarde. Elle ach-sc competentemente habili-
tado para com perfeicao enllocar denles artificiaos
por qualquer dos systemas, e bem assim desempe-
nhar qualquer mitro trabalho concernente sua
proissao. O mesnio, reconhecendo que nem sem-
pre possivel s senhoras ou crancas sahirem a
proen-.aro remedio, oflerecc-se a remover qual-
quer obstculo, declai ando que ua cidade se pres-
tar a qualquer chalnado sem que sao influa cousa
alguma nacomniodiilade dos oreos de seus traba-
mos, e quando para fra della assim mesmo ser
precedido de um ajuste rasoavel, 'garantindo elle a
segurancae perfeicao de seps ditos trabalhos. Em
seu gabinete ae encontrar constantemente excel-
lente nos dentifricio, elixir e outros medicamen-
tos odontalgieos : rua Direita n. 12, primeiro
andar._________________________________
Preci?a-;e alugar, na rja da Gru n. 33,
urna prela ou pretg cozinheiro, com preferencia
escravo, paga-se bom aluguel. ___________
ttort-se aos moradores da rua Direita, rna
da Virncao e pate de S. Pedro, isto 6, a aquelie
que apanhnu um papugaio grande, bastante fal-
lador, e com um pedaon de correntia de ferro no
pe, o favor de o mandar entregar na rua Direita
n. 3f), 2 andar, qne exigindo, Mfi bem recom-
pensada________________________________
SEGUROS
MARTIMOS
tO\TKiFOOO
A Compartida Ii:demuisadora, estabelecida
esta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: a
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Fundipo da Aurora.
Neste vasto estabelecimento sempre se enconra
um completo sortimento de taixas le ferro batido
o fundido, fabricadas recentemento, o se fabricam
de qualquer molde a vontade dos compradores, e
re?os razpoaveis.
Se for bom.
Pagar-se-ha bem um moleque alugar : na rua larga do Rosario n. 44, 1 andar.
Em casa de THEODORO CIIRIST1-
ANSEN, rua da Cruz n. 18, encontram-se
eflectivamente todas as qualidades de vinho
Bordeaux, Boorgogne e do Rlieno.
Molestias do poilo.
A farmlia de S. Bento o nico alimento capaz
de ser supportado pelos estmagos hacos, o mais
conveniente pelos seus bons resaltados s pessoas
atacadas de molestias do pcito, aos convalescen-
tes, s pessoas enfraqnecidas por toda qualidade
de excessos e s senhoras que teem perdido as
cores pelas perdas desnue : nico deposito, na
pharmacia do Pinto, rua larga do ltosaiion. 10.
Preeisa-.se de urna criada vre uu escrava
3ue saiba cocr, engommar o fazer os arranjos
omesticos de unr.a familia cranosla de i pessoas:
dirija-se a rua do Trapiche n. 14, 2 andar, con-
sulado francez.
Preci^a-se de urna ama : na rua das Cru-
zes n. 39, loja.
Para cosinha
Ama
KL
Pomada galonpean.
Deposito especial
Pharmacia de Bartbjolomeo C.
34Rna larga do losario-----34.
Ama
!*rm da Cruz, no Redfe,. 4, awSar, pfe-
cisa-be de una ama de leite aem UU.
Predtt-se de urna ama furra oo escrava par
ampiar O cozinhar para urna ca de pouca la-
milia : na rua das Cruzes n. *H, l*in4.ir preie-
re-seaaeraiva e paga-se bem agradante.
Ainda restam algumas coHeccea de
Biograp'iias de algnns poetas, outros ho-
meos jHuetres da provincia de Pernamboco,
tres tomoscscriptos pelo comaendador A.
J. de Mello: rua Augusta + &_______
~ AMA
Precisan alugar urna ama para casa de
mocos soltefros. Rua do Ja.rdim n. 7, nos
Coelliofc ,,-. ;
Aluga-se
rv
~-
uma preta escrava, baa cozmfiara, e do muito
bea conduela, a qual compra e fax os mais serv-
eos de nu casa de ainilia : na rna da Manguei-
ra n. 6.
" Preda*- comprar ama carteara em hom
uso. com palmos, pouco mais ou menos, de coi
primento na ma da Imperatriz n. la.
Precisa-se de urna ama de nons costumes,
!|ue saiba bem engommar e cozinhar: na rna do
mperador n. 65, andar.
ao largo 4a nWr k &. Jos, sobra* al
Va panrfcr a rm Dfreita a *
alugar un escravo para o er^H
Precisa-se de um escrava que cosinhe bem: na
rua do Crespn, t. _______#>
; H'ina-N a quem achou um embrulio do pa-
nel, eoutendo requerimenlw de aMorrias e um sel! >
de bntnze com as armas de S. Bento do Mosteira
de (Hinda, que se perdeu desde o aterro dos Ao-
gados at a capella dos IVazeres, indo pela estrada
do governo, de mandar entrecar ao Exm. Sr. D.
Abbade, emOlinda, ou no UecJfe, na rua Nova,
em casa c! i Sr. Dr. Sabino, que ser generosamen-
te recompensado.
Uifcreee-se nut bomem de raeia idade para
cobranzas, e oom pratiea de inolliauV. mesmo
para tomar coola do alguma taberna, danio da-
dor a sua condneta : a tratar na rna iforan. 38.
O Sr. Drfleaito'Mereira *e taslro Lima,
(|ueira apparecer casa do Sr.Grosjean, rua da
Warentaa n. 4, a neaneie $ een interesse.
-4 Quem precisar de urna pessoa para .ada-
nistnar ou contratar onras de pedreiro, carapiua,
pintor e caiador, pessoa habilitada para estes ser-
viros ; dirija-se rua da Santa Cruz n. 3 tratareni.______________-________________
Desapparecen no dia 17 do crrente, 4a. la -
kric* de cerraja, rna do Sebo n. 35, um cachor-
ro de rara do Rio Grande, com os seguintaa sig-
naos : cor de cinza e malhas pretas, frente-e-pts
brancos, levando ao pescoco urna collera dn con-
ro : quem achar leve na manciangda fabrica,
que Ber gratificado.
Precsa-sn por alaguel de urna moaca de
12 a 14 annos : na rua Direita n. T*, 2o aniar.
Wythre & Pego, commPbiantes hellecidos no poveado dea Montes, term
da tilla d'Agiia-Preta, desta provincia wn
peto presente scientificar ao respeitavel pu-
blico, especiaiawote tn carpo do com-
mercio desta praca que nesta dftta diasol-
vera amigavelmente a mesma firma, ttoado
actho e passivo a carao da ocio Pego.
Montes, 1 de abril toiMO.
Attencfto
Precisa-sc fallar eom o Sr. PaaKno Rodrl gne
Mendos 4a Siha ; na rua do Crespo n. 1, pri-
_ O Sr. im loaukn Caroan tem urna carta
a pndsa-seW eaeflplario 4e fatairim Jos Gaaealves m to
i roa do Trapicha* 17.
*
r-.


Diario de Pernambuco Quinta feira 22 de Abril de 1869.
I
i /
o
i
i *
ESMERALDA
M
/}
5 9
a J
S*|
a
a
3
n 1
a *
Moreira Duarte & C, tendo feito urna
completa reforma no seu estabelecimento
de joias da ra do Cabug n. 5, (junto a
loja de cera) acabam de reabri-Io ao res-
peitavel publico, a quem offerecem um es-
plendido sortimento de joias as mais mo-
dernas e primorosas que teem vindo a esta
praca, e por precos o mais resumido possi-
vel. Tainbem compram ouro, prata e pe-
dras preciossas.
\ 5 Rl l 90 CARICA N 5.
Atten Certo porfco liv i afQrmado diversos
amigos iinjortantes Jo Illm. Sr. Dr. Velloso,
sem duvida o bomem mais Hastiado e um
dos mais importantes e consideradas do8-
te termoi que ibalavcl pro-
posito enllocado at Firmiro para responder as
cluas correspondencias que-ella fez pali-
car noste Diario copias d urna denuncia
assignada pelo mesmo Firmino contra o
dito Sr. doutor, Imo eu o.pesado encar-
go de ck-gar. ate elle para responder-lie
simplesmente declinando os nomes dos di-
versos cidados todos independer.tes e res-
peltaveis, cujas declaracJJH juradas e toma-
das no juizo municipal deOlinda com assis-
tencia.do Dr. promotor publico, servirlo de
base a defeza que perante o Dr. cliefe de
polica apresentou o mesmo Illm. Sr. Dr.
Velloso.
Coronel commandante superior Joaquim
Cavalcanti de Albuqut-rque.
Vigario Thom Narcizo Pereira de An-
drade.
ipitaes:
Joaquim Elesbaq Cavalcanti de Aibuquer-
que.
Jos Cavalcanti de Lacerd,i Campello.
Alferes Manoel Cavalcante de Lacerda
C
Eleitores:
Joo da Chaga ferreira.
Joo Antonio Hibeii >.
Luiz de Franca uedef.
Manoel Joaquim. dos Santos Christ.
Proprietarlos:
JoaquinT Arres de Almeida.
Joo Fiaiieiseo- Bandoira de Mello.
Luciano Gabriel l'eroira d.: Lyra.
Francisco de Arruda Cmara.
Negociantes :
. Thomaz Diniz de Oliveira.
Tbcotonfe Amando de Sauza Cavalcanti.
Inspectores :
Francisco Manoel de Souza Lins.
SHvano Marcelino da Silva.
Iielarmino Pereira Di iguel.
Administrador inao Ignacio.
-Maricota 13 de abril de 1869.
Uta )g IU jurado*.
HU1U i vmI _UR
oeios servimos da m-
rVpwiavel publico dota
proparar as pilula<
i< c
E' pela
prensa par
capital que continuamos
xarope do vegetal veame. Se' bem qua,"pnr de-
ideada de meios, at o presente entre dos na i se
wiha estudado cldmieamente a coii.-tinjco inii-
oa de se vegetal, para pdennos d com
* sciencia. suas propriedade* Ihorancuiieas ; com
Uido resta-nos as pravas da axpcrienria, que in-
wubialveirtonl sao ai mais seductora!. K nin-
guera por cerro ignora os importantes resultados
ubdoi com o uso regular das prepaniccs annun-
cidas
Sabe-sc que ha pouco eram ellas esu^eiaiidadc
do pharmaccutieo Paraohos, norom boje cm am-
encia de seu rallecimento, e da necessidade de
soeeorrer a poputacao, temos o substiliiido cora
primazia, ja poique fomos os primeiros a apivs.-n-
u-las, o ja por havermos feilo uiu graude melliu-
ramento, ernpreando todas as regias prescriplas
pula; sciencias pharjnaceuticas.
Preco de cada garrafa .... 33000
Preo de cada caixa de pilul.is UOO
Na pharmacia do largo do Terco n. 135.
______ Ignaci Pos.-oa da Silva.
Boa acc|U9eio
Vciide-se um casal de burros de rara andaluz
ac abados de eliegar por vi de Lisboa, no lugar
p) rtuguez Julio: quem pretende-lo para ver est
oxpnstojna cuebeira fronteira ao rologio do arsc-
na de marinha, -e para negocio trata-se no largo
do Corpo Santo n. o, 2* andar._______________
Cemento de ortand.
Vndese no armazem de Vicente Ferreira
Costa A Filho, na ra da Madre de eos n. 22,
barris grandes.
PREPARACO ESPECIAL DO CWMICO-
PilA.tMACEL'TICO
KsattteJ
necca

_
DE
LESSA
&
C.
A
Precisa-se de urna ama para cosiidiar fi
engommarj tratar na ra Nova numero :i7
segundo andar. ____^_
A quem precisar, vendem-se bichan aml.ur-
guezas su|icrioi'es. eni grande* e peque;is pc-
ete, e tambera se alugaiu : ua ra do Imperador
u. 28.
ti v/'f
Essc xaropc tm por base o sueco de um vege-
tal ni ligena da familia das Sotanea*, e de urna
efflcacia incoutcstavel, na nevru-c conhcdda pelo
noine de asiluna.
Ingerido na ecoiKiinia pelas primeiras vas, tein
a proprieda'j! da por urna acgau physico-chimica,
excitar o eskHuag i de mod i a pro luzr (p ir aceao
rcllexa)oTomilo'; introduudo depois na eircula-
.'ai pela pr i, rnin>ren
plantas daquella familia, artuar sobre o- centros
innervadores, moJiiii'ando-^s a pont i de se oppj-
reio aos spasmos da imiervaeaj re-pir.ii n'i.i, cau-
sa sccomlaria do" mal (jiie'ora owupa a nossa
aHencao.
Eis-ahi o mme pelo qual tem rr.d i a aslbma
o 'iiioxaropo aiili-asiiualico.
Nao preloudciuus contar prodigios, ou prorar
sens effuitos com agradociiiieii'js epistoians>
comjb ali;unsde n >sos coUega ; apenan couvida-
nius ouuuiradonubUco. para aceitar 0 producto
de itossos trab.illms, e usar sello coaveui ."eineu-
tcanm de ponvencan-se com exhaboraneia do que
aciiua apuuneiauttfs. Entio rea_t>nos-lm a glo-
ria deolerecer um benelicio a Inimauilade.
Acba-sco uosso xarope na pbarnacia U> largo
de Terco n. i'-lo, aetualnieiitc uuio deposito. Cada
garrafiuna que custa t000, levara o rotulo rubri-
cado com a nossa firma, sem o que, podc-se con-
siderar Falsiflc-
Americo Snares Raposo.
Jos Murtins .Uves da Cruz, declara que co-
mo agenefador oe vendas de escravos, colira do
se*eouMMMrteslynr cento, no casona venda
s_'ffee,tuada e quamlo nao cobra as despenas de
'WO rs. diarios, isto no caso de seiks sniores re-
Wra-loi
ife, 21 de abril de W. _
Dt^sapiiareceu do sitio viveiro do Muni una
vacca de cor raposa com urna malha branca le
um lado junto dos vasios, com os ehifi es uado.i,
ella nao grande : quom a encontrar levo-a ao
dito sitio, qne ser recompensado.
ll-
ipae ter lugar na groja do corpo 8anto, as
horas da manha do dia 23 do correnU.
Carlota Amerita da Suledade, agradece cOrdial-
menu* a todas as pessoas, que se dignaram de
, aeomjmnbar. ntp o cemitt-rio, os rtstns mortacs 4o
O respeitavel publico encontrar nesta oflicina habers raestres e bem conhectdos seu prezadu marido. Auiuuia JUUe c PiuUo, e os
na arte, affiancando-se o mclhor desempenbo conformo o (?osti) e vontade d) freguez, convida para as assim como a inaior pontualidade na entrega das obras ; recebemos de Paris, por todos
os vapores, os mais modernos figurinos para nao haver nada a desejar; bem como
/arias encommendas de casimiras modernas e oulros artigos proprios para bomens;
temos grande deposito de roapas (bitas de toda a qualidade, como sejam: camisas
frauceas, inglezas, chapeos de sol de seda trancada, o que lia de melhor, grande
sortimento de meias, colarinhos, punhos e grande novidade em gravatas modernas, e
analmente completo sortimento de fazendas finas e roupas feitas, sendo os precos os
mais baratos possiveis.
C9MPRAS.
WISO
DOENCS das CRI ANCAS
XAROPE de RBANO IODADO
3E Este medicamento goza cm Paris e no mundo imeiro de ama fama justamente merecida, por
achar-se intimamente combinado nelle o iodo com o uceo das planiao tntiseorlurtkas, cuja efflcacia
bem conhecida e as quaes j taturalmente existe o iodo. E' com este motivo que elle suppre
eom vantagem o Oleo de figados de Bacalho, que deve, secundo es borneas scientificos, a sua
efficacia presenca do iodo. &' preciosa no tratamento das crfancas para combater o lymphatismo,
as obsiruccoes das glndulas do pescoco, e as diversas erupc9es do rosto, to frequentes as
criancasde pouca idade. Tnico-c depurativo ao mesmo tempo, elle excita o appeute, fciliu a
digestio, e resume aos tecidos a sua firmeza e vigor naturacs. E cada dia receitado peles medios
especialistas para combater as diversas affecedes da pelle.
Deposito em Pernambuco, em casa de Kmiw O*.
DOENCAS DO PEITO
XAROPE d'HYPOPKOSPHITO OE CAL
v||GRlrVIAULTE C,A PHARMACEUT1COS EM PARS
A efficacia d'eata preparacao esti estabelecida desde 4 8S7, pelos mais celebres mdicos. Desde
entio muitas mitacoes tem sido eitas, mas nenhuraa peude sustentar a comparaco com o
producto apresentado pela nessa caza. Por isso excitamos o publico para que exiga sempre
este xarope com ua bella cor de rusa, nunca branca, e com a nossa assignatura i roda do
fresco.
Sob a sua influeacia, a losse acalma-se, os snores nocturnos cesslo e o doente volve rpida-
mente i sade. 0 sen emprego dd tambero os mais brilhanles resultados nos deCuxos, catar-
rnos. bronchites, irritaooes do peito. etc.
Deposito em Pernambuco, em casa de Mawar e O*.
O abaixo ajeada declara ao publico o com
especialidade ao corpo do corruuercio que com
proii a taberna sita uo becco das Barreiras n. J$
ao Sr. Manoel Gomes Martins, Irvje e deeinda-
acada de qualquer debito, tanto a praca como
oarticnlar e se algacm se julgar cora direto a
biesmn, jrneira ter a bondade de apresentar-se
no pr.-i-o de tres das acontar da data destesobre
peua de nao ser atlendwhi -.'daiuacao alpunia p*s-
eaado o praso. Recife S! de abril de 1869.
Antauto Aii'jiiSliiiUo Seixus da Fonseca.
Confrkria de N. S. do
Livramento
loaqnim Fernandes da Rosa presidente da com-
missao noiueada, cumprindo o respeitavel despa-
cbo do Illm. Sr. juiz de apellas, cora data de i
do corrente mez, que manda proceder a cetelo
dos novos funecionarios no domuigo (io). Sao
portanto convidados toJos os irmaos da mesma
contraria de N. S. do Livramento a comparecercni
em nossoconsistoiio pelas 9 lloras da uianlia do
indicado dia, para reimidos pi'oceder-se a mesma
uleicaj. Consistorio, 22 de abril de 1869.
presidente da commissao.
Joaquim Feruaiides da Rosa.
""" Com milito maioj- vaaluyun
-Compra o Coracao de Ouro, n. 2 D
^trOeela* de ouro e prata e podras prewoa?.
WM-Sf
Cornnra-se moedasde ouro e piala,
como hbras slerKOas. por maior preco
em ootrV parte, rr ra do (espo n.
andar.
ti
e
10
RIVAL .SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, loja de nudezas de
Jos de Azevedo Maia e Silva, tem para vender os
artigos abaixo declarados, ludo bom e baratissi-
mo, que sao para acabar.
Duzia de sabonetes mnito finos a 700 rs.
Pares desapatos de tapete pan liomcm a 10280.
Ditos de tranca para creanca a 1$.
Tramoia do Porto, bordada, a melhor a 500 rs.
Dita do Porto liza, da melhor qualidade a 100, 120,
160 e 200 rs.
Resma de papel almaeo, lino superior a 35200.
Dita de pape! almaeo pautado a 4.
f.ivro de missoes abreviadas a 2.
Gartilhas com toda a doutrina e muitas resas a
30 rs.
Silabarios portuguozes' com estampas a 320 rs.
Baralhos franona muito linos a 200 e 240 rs.
Sabio inglez superior qualidade a 500 e 15.
Gravatas ore tas e de cores muito upas a oOO rs.
Duzia de meias pura senhora, fazenda lina a 45-
Redes pretas lisas para sopnrar cabello a 320 rs.
Varas de transa de sedTde todas as cores a 600 rs.
Pares de brincos dourados com uoziuha e po-
dras a 320 rs.
Cartoes com corchetes de duas ordens c sao de la-
ti a 20 rs.
Abotuaduras de vidro para coleto niuiio finas a
120, 240 e 400 rs.
Pares de botoes dourados para punhos a 1G0 rs.
Caixas de nennas de ac muito linas a 2i0, 320 e
600 rs.
Cartoes eom duzenlas jardas de linha do fabri-
cante Alexandre a 100 rs.
Caixas do pennas de ac, a verdadeira penna a
15200.
Carriteis de linha Alexandre ns. 70,80, iOO at
200 a 100 rs.
Caixas com superiores obreias de massa a 40 rs.
Carriteis com duas oitavas de retroz preto a 500 rs
Dnzias deagnlhas para machinas a 25-
Libras de pregos francezes de todos os tamanhos
a 210 rs,
Livrosescriturados paTa rol de roupa a 120 rs.
Caixas com papel amisado muito fino a 700 rs.
Caixas com ccin envelopes da melhoi qualidade a
600 rs.
Talheres para meninos muito boa fazenda a
2'tQ rs.______' __________________
PASTLHAS ASSttAIIABAS
DO
DR. PATERSON
De bisiuuth e magaezia.
Remedio por excellencia para combatei
a magreza, facilitar a digesto, foiticar
estomago etc.
DKFOSJTO ESPECIAL.
Pharmacja de Barlholomeu & C.
34------Ra larga do Rosario-34.
No armazem de Henrique A Azevedo
ra da Cadeia n. 34, lia para vender vi-
nlios puros, das marcas sepnintes :
KM ANCORETAS
. Collares.
Aloobata.
Bucellas.
EU CAIXAS ENGARRAFADO.
Alcobaca.
bastos.
Rranco fino (de Torres Novas).
Ducellas.
Carcaveltos.
Porto, branco e tinto.
Moscatel de Setubal.
it USTMA E PTISICA
Um M oltrluienlo rspaDioso !
0 xarope de fedegoft, de Pernamhcao,
preparado pelo pbarmaceulico J. de A. Pin-
to, cura radicalmente a piliisica c a>tbma, e
todas as molestias dos pulmes.
Podem ver-se os attesiadi s de curas no
nico deposito das prepaiacoes de fedegoso
d'estc autor, ra larga do Rosario d. 10
junto ao quartel de polica.
Vendem-sc 37 saceos cun Cariaba da rerra,
com mais de um al .ueire eada sacco : a ra da
Prala n. 4.
COGNAC.
De superior qualidade da mui acered tu-
da fabrica de Bisquil Dubouch C, em
cognac urna das que mais .-gurdente de
cognac, fornceem para o consumlo do
Reino da Inglaterra.
Vende-se em casa de Tli. Just, na de
commercie n. 3&
XAROPE PEffiORAL
DR
DE TAT'
PLANTA 1)0 RRA/4L.
E' expectorante e recooimendado as
affiroes do jeito, broncliite chronica he-
meptise, e tosse ebrocica.
PREPARADO
ron
Joaquim de Ameida Pinto
pii.&rha rui TICO
Pernambuco ra lardo ao
Rosario i). 10.
Irmandade do Divino
Espirito Santo
O procurador geral da Irmandade, abaixo as-
signado, lem a honra de convidar aos nossos mui
dignos irmaos e-juizes e bemfeilores, para no
domingo prximo i'i do corrente mez pelas 9 ho-
ras da manha se reunirem no posso consistorio, e
aii congregados dareui esecucao as que dispoem
os artigos 97 e 98 do uosso compromisso.
Consistorio da Innaudade do Divino- Espirito
Santo ii de abril de ltk>9,
/ .4. dos Su titos Coellto.
Procurador geral.
Ouro e prata
em moeda e em obras inutilizadas, compra-sc por
bom preco : na praca da Independencia n. 22.
Na praca da Independencia n. 33, loja doou-
nves, eompra-seouro,prata, o podras prociosaa,e
tambem se t&i qnaiquer obra de' encommenda, e
todo e (nialipier concert.
0 niuzeo de joias
Na rna do CafcOg n. 4 compra-se ouro,
isp,
al: I
Hga n. i compra-se ouro, prata
a ped/as preciosas por preces mais vantajosos do
que em outra qualipier parte.
01ROE PRATA
Compra-se moedas de ouro e prata e
bem como libras sterlinas, na rua do Ca-
bug n. 9, relojoaria.
Compra-se urna osera va qae saiba eozinhar,
engommar bem e quo tenba boa conducta : na
rua do Crespo n. 23.
Compra-se urna negrinba que soja bem pre-
ta, com idade de 12 annos, e outra de meia idade
que saiba cozinhar e engommar : na rua do Hos-
picio n. 47.
0 MUSEO DE JfflM
GOMES PE MATTOS H.M0S
tendo feito completa mudanpa em seu antigo e
acreditado estabelecimento de joias, com o fin de
dar-lhe maiores proporpoes e elegancia, convidam
ao publico em geral e com especialidade as Exms.
Sras. de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manha s 9 da noute na
RUA DO CABUGA N. k
onde ensjontrarao um completo sortimento do que ha de mais elegante,
bello e precioso em brHitantes, esmeraldas, rubi*s e tndo que em obras
\ de ouro, prata e platina se pode desejar.
ADEREQOS DE BRILHANTES, ESMERALDAS E RUBINS
de novos gostos, assim como grande \ariedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto aida nao visto, e eompleto sortimenta de
objectos de prata para uso das igrejas,
Compram e trocam q'aalquer joia ou pedia precioe e gsirantem
a qualidade uoso*bjecto vendidoc;.
S_.f1fAit"Tr A_t_H
Moeda de prata
Compra-se era tiaantidade na ruado Vigario
n. 2, escriptorio.
Tabellas vermiciilas
DE
Antonio Nunes de Castro.
Vermfugo efBcaz, e prefeiivel a lodos os
conhecidos, j pela certeza de sea resulta-
do, e j pela fcil applicacSo as creaucas,
quasi sempre mais atacadas de to terrivel
e muitas vezes fatal soffrimento.
NICO DEPOSITO
NA
Pharnsacia e drogara.
DE
Bartbomeu d- G.
34Rna Larga do Rosarlo34
.Vcnde-sc urna eserava boa cosinbeira,
sem vicios, na Gamboa do-Carmo nume-
ro^________________
Vende-se fumo de Garanhuns muito bom e
mnito em cunta, chegado a pouco: na rua da
Cainboa do Carino n. 10.
Scbonete de alcatruo.
DE
Antonio Nunes de Castro.
Este acreditado preparado, que to boa
acceitac5o tem merecido n'esta provincia,
muito se recommenda para a cura cerU
das impigens, sarnas, caspas e todas as
molestias de pelle.'
Deposito nico,
Pharmacia de Bartholomeu d- C,
34rua larga do Rosario34.
BOA PINGA.
do Douro
Em casa de Flix Pereira da Silva, rna da lm-
peratriz n. 60, vendem-se barris de 5 e 10'' com
puro vinbo do Douro, garanlindo-se que nao tem
confeici' alguina; neste genero o melhor que
(em vindo a este mercado,, e muito iroprio para
usar as horas de comida, e vende-se por preco
razoavel, na loja do Pavao.
GARRAFAS
Comprase garrafas de meia Champagne,
zias : na botica, da rua larga do Rosario n. L'i.
VENDAS.
1,1 VICO MOVO
PARA:
= 0MEZDEM4H14
Acababa de sahir luz e aeham-se vn*
da na livraria franceza.
OS CNTICOS riM MVOf^
PARA
0 MEZ DE MARA
CALCADOS
E__TOS
Botinas de como com bJeos de metal para me-
nino a 84060.
Sapatos de salto para senhora, sendo de lusti c a
iOOO.
Chiquitos para menino a SOO rs.
Botinas de pellica para senhora a S#.
Bolinas inglezas para homem a 104-
S se vendem a dinuuiro, e amostra com penhur
de dinheiro : na piara da Independencia ns. 13 e
15, loja do Arantes, ______ > w
Vende-se a casa da rua do Pilar n. 107 cora
nm sobradinho no fundo : a tratar da rua do Pi-
lar n. 80.
Vende-se a antiga relinacao da rua do Ara-
gao n. 19, esta reflnacao est en um dos melho-
res lugares da praca, est mullo bem afreguezada
a tem conmodidades para morar familia, dentro
do mesmo estabetecimeuto assim como tem todos
oe pertences a mesma relinacao : quem ella pre-
tender dirjase a mesma que achara com quom
tratar.
volume ntidamente impresso en
. ."1,31600
Um
Paria.
Quadernado de couro.
EncademacSo de mar-
roquim dourado. .
M
BRINCOS PARA LOTO.
Aloja de joias na rua do (_ug u. 11, de An-
tonio Seraflm da Silva, recefcet um grande sorti-
mento de jotas, o juntamente brincos pretos d
bom gosto para luto do senhoras e menlnoB, cnsv-
pas para omcial da rjpsa, e hbitos da Rosa.e ffhHs
to com as suas respectivas litas.
DE JOIAS
flASOlfc
V*nrle-se a grande propriedatW rlr>
minada sitio Novo do Cavalteiro, em Tigi-
pi, freguea dos Affiogados. com casa de
sobrado muitas casas para se alugar, um
grande acude, sanzaHa para escravoft, esfri-
baria, cacimba do pedra e cal, muitas arvo-
res fructferas, tenas para plantaco de
canoa te etc. Trata-se eom Severiao Jas
Filguetras de Menezes, no Giqui junto da
Bar reir.
Vende-se duas meiaa aguas acabadas de
novo,, cilios propiio, em i Anuo, na trawiaa
da rua do Lima por traz da fundicao, ambos por
1 5004000, rendem 154000 por mee: autm pre-
tender dlrija-se a venda de Antonio do Rege- Me-
deiros defronte do desembarque, que dir quom
o vendedor.
Vendi-sjj ou arronda-se a eugoobo Concei-
cao, sito na freguezia de Jaboatao, me com agoa
tem mutas eexcellentes mallas :- quem o pre
tender dirrJ-SD ao mesmo erigenho, .a tratar com
o seu proprieta rio.____________________
TIDI-SH
ama armario de taberna, sendo parte envidraca-
da, encanaineato de gaz, canleiros e bemfeitoras
existentes na loja do sobrado n. 1 nos Ojnatro Can-
tos da Boa-Vista : a tratar com o agente Martin?,
rua do Imperador n. 16, ou rua da Matriz da
Boa-Vista n. 44, addar.
Gal de Lisboa
Vend j-se cal de Lisboa chegad* ha poneos das
ajtratar na rua da Cnu n. 87,1 andar, escripto-
rio da Ramos & Temporal.
ATTENCAO
Vendem-se-8 escravos, sendo nm de 80 annos,
proprio para lodo servico, outro de 30 annos,, ofi-
cial de sapateiro, 8 lindos niulatinhos de 14 annos,
proprkrara pagens, 1 mulata de 30- annos, per-
feit coziuheira ; garante s1 ukIos estesscrvo8 :
na rua estreita do Rosario n. 43, 1* andar.______
Vendem-sc dona cyadcos cm, bom estado, pro-
prios para padaria, por mdico pre^o : quem os
pretender dirija-se ao paleo do Terco n. 63._____
.ATTENCAO
** -i
Jos Maria Palmcira tem para vender no seu
escriptorio largo do Corpo Santo n. 4, primeiro
andar.
Fio de algodao ) p..lrn.n
lannodoalMa!)) WdroM-
Lia barriguJa.
Colla.
Galha.
Capar roza.
Oleo de linliara.
Sag em garrafoe?.
Viuho. Bordeanx superior qualidade ganafo:
grandes caixas de duzia.
Ervilhas francezas em latas.
Vinbo da Fijneira em barris JLli o mais -r)p
rior que ven ao mercado.
Salitre.
Enxofre.
Fio devela.
Cimento Portland supprior.
DilO I 'IU;i Mi > di lo.
7 Vergonteas de pinho para mastaros, verga;-
e retrancas, todas de superior qualidade. Tinlas-
Verde Paris, branco de zinco e preta, em laias d<
14 e 88 libras, j preparadas, oleo de linbaca en.
barris : no armazem de deposito da companhia
Pemambucana, no largo da Asscmbla n. 10.
Vende-se a taberna da rna do Pilar n. 15
a tratar na mesma.
Cera de carnauba
Vende-se na rna do Queimado n. 13, primeirt
andar.
Meias elsticas de borracha.
As memores c excellentes meias elasti
cas de borracha contra varices e erysipella,.
- Vende-se na
Pharmacia e drogara de
Bartholomeu A C.
34rna larga do Rosario34
O mesmo vapor troc-
xe nma excellente ffla
china para graduar e
observar o numero dos
vidros que se necessita
conforme- a vista rk
qualquer pessoa.
Tem excellentes sterioscopos, instrtrmor'-
tos de mathematica, barmetros, vidros <-
chrystal de rocha, e de cores para resguai -
dar a vista; concerta (tos os objectos
precos commodos e cenr promptido ; tir
o mfb dos- vrdros e encarrega-se de toda
encommenda relativa a ptica.
Recebeu tambem os excellentes relogios
do antigo e-afamado fabricante Roben Gerth
A C, os quaes vende precos commodoe-
garantindo a sua superior qualidade.
A^TSO
Aos donos de cocheiras e forra-
dores de carros.
Na anga coebeira da'rua Nova n. 5S.
de Vieira & C. tem para vender (sempre;
o seguinte sortimento:
Peles de vaquetas muito grandes para
cobrir carros.
Encerado lona para guarda cu uva dos
mesmos.
DHos de cores para forro interior ios
mesmos. |
Seda azul e panno __esma cor.
Gaiao largo e estoaito.
Sof para- srrefrjfl^
DUa do lustro.
Bonitos chicotes para cabriolet.
Peles de camursa.
Latas com graxa para mpar os ancioc.
Eacovas para lavar os cavarlos.
Botoes, pregos para forro dos carros.
Sola d* Ierra.
Vendem-se alguos rolos de sicupira : ua as-
ida do Arraial, sitio de Marcelino fes loos
trada
PINTO H_R__5lrTICO
ArmapSo
- Vteode-sa woa armaeao enveraieada o envidra-
cada que serve para qualquer 'tetobetoohnonto,
= Vndese um carro americano de qua tro como do sapatos, mi udeus, ou outro qualquer ne-
asseotos e quatro rolas, ms*w toXWiBH.Jgtfc (M| f#>^"WI"; *- *> Vifar
na rua da Florentina n, u. HV-
Xarope de sslsaparrifka da Par*
DEPURATIVA W _MUE
Usado nos molestia* de pU, imftm ^
res rheumacas e ulceras venreas.
iO.
Rua larga *o Rosario n.


6
Diario de Pernambuco Quuita feira 22 de Abril de 1869.
=
Lindos cortes de cassa de cor com barra.e cora figurino indiciado o molde do vesti-
i pelo baratissimo preco de 30500 o corte
Ditos de percalia muito modernos com duas saias a 55000 ris
Na loja das Columnas da ra do Crespo n. 13 de Antonio Correa de Vascon-
llosdC.
Grande liquida$o de miudezas !
Affonso Mireira Temporal, querendo liquidar as miudezas existentes em sua
toja ra do Queimado n. 55, resolveu annunciar as mesmas miudezas. para que o pu-
blico se certifique do diminuto preco porque as est ventlendo, a saber:
ALTAS NOVIDADES
LOJA DO PASSO
Ra do Crespo n. 7 A, esquina da do
rador.
Impe]

Caixa com agulha franceza a
Caixas com 100 enveloppes a.
Pecas de babados e entre-me ios
a 500, 600, 700, 800 e. .
Pegas de fita de coz com 10 va-
ras a ........
Linha de marca, caixa com 16
novellosa......
Coques muito finos com rede, s
a rede val......
Frascos com santos muito finos
a.........
Latas com banha (familia), a
160 e........
Carto com alfinetes a .
Copo com opiata muito fino a
400 e.......
Cartas francezas a 200 e .
Ditas portuguezas a 120 e .
Caixa de linlia do gaz branca 50
novellos a......
Frasco com tinta a 100 e .
Frascos com banba a 320 e. .
Frascos com agua de Colonia
Piver a........
Pentes de travessa para cabello
de menints, s a vista faz
fe, a........
Laa para bordar, libra. : .
Novello de linha grande com
400 jardas, S a vista faz
f a........
Pares de liga de borracha para
pernas de senhora, muito
boas a .......
Franja branca para toallia vara
a......
160 Resma de papel almajo, muito
500 boa fazcnda, com 85 cader-
nos a........
10000 Caixa com papel amisade a .
Jogo de vispra a. : .
500 Sapatinhos de 18a para meninos
a.........
240 Pecas de tranca e caracol a .
Saboneles de todas as qualida-
10500 des a 80, 160 e .
Frascos com oleo babosa a
10200 400 e .......
Pinceis para barba a. .
200 Gaz a......
100 Fiascos com agua de Colonia a
| 320, 400 e......
500 Pentes com costas de metal .
240 Ca teira de marroquira a .
160 Pentes pretos para tirar piolhos
Escovas para cabello a 400,
500 c.......
Garrafa com agua divina a. .
Grvalas de seda de cor a .
| Ditas pretas a 400 e .
10000! Botoes de louca para camisas, a
Garrafa de tinta roxa a. .
Li neos blancos para maos
a.........
Par de suspensorios para ho-
mens a......;
Espelho de toucador a .
60 Frasco com cheiro muito fino
a.........
Bandeja para copos a .
60 Meias cruas para homens, boa
fazendaa 30, 30600, 40 e. .
200' Abotoaduras paracolletes a .
20800
700
400
320
40
200
600|
160!
400:
320
60800
PARA CASAMENTOS, BAILES, THEA-
TROS, etc. etc.
Lindos cortes do blond, contendo setim,
mantas e grinaldas.
Requissimos cortes d? sedas assim como
para covados.
Gurguro branco.
Moireantique branco azul e verde.
Gros-de-naples brancos e de cores.
Setim branco maau.
Setim, branco,* azul, verde, cor de rosa
e amarellos.
Fil de seda, branco e preto.
Cortes de seda com duas saias.
Chales de gurguro (\p seda de cores.
Camisas bordadas para homens.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas .
Fronhas de linho bordadas com primor.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Riquissimas colchas de damasco de seda,
assim como de seda e algodSo.
Ditas de crochet para cama.
Chapeos de seda bordados, para sol,
Poil de chevretlc lindas cores.
Alpacas de lindas cores.
Chapelinas de palha da Italia, assim
oemo de seda.
Enfeites para cabeca de senhora.
Espartilhos para senhoras.
Meias de laia para padre.
Ditas de la
Ditas de seda fio da Escossia e algodo.
para senhoras e meninas.
Lencos de labyrintho.
Fronhas de labyrintho.
Bicos, rendas e grades.
Finissimas cambraias de cores, percales,
ISas, e outros muitos artigos de gosto e
de alta novidade, isto s
Na loja do Passo ra do Crespo n.-7 A, esquina da do Imperador.
Approtesio
ia tcadmi*
Umtitcina
i* Pi.rU.
MAI
INqubU
PAtnMetuNe*
lavrtii
i* uitdmi
U mi4dM.
600
10500
320
500
160
800
240
200
20500
10000
400
40500
320
A preparactes ferrnginosas liquidas tem desde milito* annos merecido a
especial dos mdicos, porque ellas obrSo mais rapii
sfio mais fcilmente toleradas pelos doentes. Os Pds ferro-manganicos possuem
Do xarope Vegetal Americano, cspcc'aiidarie de Ilai-tholomeu A C
34RA LARGADO ROSARIO34
Nao costumamos procurar attestados para acreditar nossos preparados, e dei
xamos que sua applicacao e os resultados obtidos pelas pessoas que se dignaram acceita
los, lhes deein crdito evoga; porque sao sempre os attestados considerados gratuito
e delles que lancamao o charlatanismo; mas, nao querendo offender as pessoas qu<
espontneamente nos offereceram os que abaixo vao. transcriptos, os fazemos publicar
manifestando-Ibes nossa gratido pela attenco, esperando que venhara elles corrobora)
o conceito, e acceitaco que tem merecido nosso xarope.
Bartholomeu & C.
ATTESTADOS
Illms. Srs. Bartholomeu & C. cona a mais subida satisfago que declan
ser o xarope Americano de urna efficacia extraordinaria, pois que soffrendo ha dias d
intensa tosse, ponto de nao poder dormir a noite a despeito mesmo de medicamentoi
que tomava, a elle recorr e na terceira colher fui alliviado, e de todo me acho boje res
tabelecido com o uso somente de quasimeio frasco: grato, pois^ esse resultado mam
festo a Vv. Ss. meu reconhecimento.De Vv. Ss. amigo, venerador e obrigado.Ma
noel Antonio Viegas Jnior.
Sua casa 20 de abril de 1868.
Ulnas. Srs. Bartholomeu & C.Penlioradissimo com o favor que me fizeran
le aconselhar o uso do xarope Vegetal Americano, de sua composicSo, quando me acha
va bastante doente de urna constipacao, que me tornou completamente rouco e qu<
trouxe urna forte tosse, e me impossibilitou de cumprir os meus deveres de cantor ds
empreza lyrica, vou agradecer-lhes meu completo restabelecimento, que obtive com un
s vidro do mesmo xarope, depois de haver recorrido a muitos tratamentos. Desejare
que outros como eu recorram ao seu xarope para se verem alliviados de to terrive
incommodo, t5o fatal neste paiz. Com maior consideraco contino a ser de Vv. S.
attento, venerador e obrigado.Luiz Cremona.
Recife, 25 de setembro de 1868.
Illms. Srs. Bartholomeu & C.O xarope Vegetal Americano que Vv. Ss. teen
exposto venda de toda efficacia para o curativo d'asthma, conforme observei appli
cando-o a meu fiiho Joaquim, menor de quatro annos; victima d'esse flagello, que a<
entao por espaco excedente a dous annos havia resistido a outros xaropes de grandt
nomeada. Queiram, pois, Vv. Ss. acceitar a expressao altamente sincera de meu reco
nhecimento ao meritorio servico que lhe prestaram com o indicado xarope, acreditan
do-me para sempre de Vv. Ss. criado, attento e obligado.Americo Netto de Mendonca
Recife, 2 de outubro de 1868:
approvaco
seguramente do que as pilnlas, e
.. j-manganicos possuem a inappre-
ciavel vantagem de poder offerecer n um instante nma agua ferruginosa gazeosa, de gosto
agradavel, mais activa do que as aguas mineraes, e conteBdo de mais um elemento precioso,
o Manganese, que sempre se acha no sangue, junctamente com o ferro. Bmprego-se em
todas as molestias que tem por causa o empobrecimeato do sangue, assim como para vigorar
os temperamentos dteis e lymphaticos. A calorse, u Peritas brancas, dores d'estomago,
a trregulartdade da menstruacao e amenorrhea ou suppressSo do menstruo, cedem rpida-
mente a seu emprego. Devemos mencionar aqu um facto notavel, isto que es doentes cura-
dos pela agua preparada com estes pos esli muito menos expostos a recadas do
aquelle que foro traUdo* pelas preparacSes ferruginosas ordinaru.
Deposito em Pernambuco, im casa de Main o*.
que
TOSSES
CITARRHOS
PASTILHAS PEITORAES
Lde sueco deALFAGE
E LOURO GE REJO
IRIHTIQOES
DO PEITO
E' este o mais novo t delicioso confeiio at agora conhecido. Por isto tem adquirido r-
pidamente a popularidade de que goza. Os mdicos os mais distinctos o aconselho contra
as tosses, defluxos, caladnos. Untes convulsas, calarrhos epidmicos, irritaedes do peito. Com
grande empenho o procurSo as mies de familia, assim para ellas como para as enancas, pois
prmeiro que tudo inc ffensivo, e as suas propriedades aclocantes nao deixao nada a desejar.
, Deposito em Pernambuco*em casa de Kaarer O*.
VERDADEIRAS
PILULASdeBLANCARD

COa IODURETO DO FERRO IHALTCRAVEL
'APPROVADAS PKU ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS ETC.
' rossnindo ai propriedades do lodo el do farro, eonvem especialmente as AlRCCOts
waorutosAS, a Tsica no principio,a fraqwxa de temperamento e tambera nos cato* de
Falta de cor, AMENOR*HEA,em que precisanEAGnt sorri o sangue seja para restituir
lhe a sua riqueza e abundancia norraaes, ou para provocar regular o seu curso peridico.
N. B. O iodnrelo da ferro impare on alterado i un medicamento infiel,
Irritante. Como prora de pnrexa da aatheneidade das Tera\aa>lraa 1H-
a> lilaneard, derc-s exigir non* ella (trata raaatlva e
Doiso aqui leprodoxida, qoa a> acha na parla interior Aa i
raala Tarla. Dere-M deiconfiar dai falsificacoi.
^y-' *** r-araiaa. Pharmaeeulict, rum Btnfrti. H, FsHk
y
L TASSOIRMAOS
Tem para veuder era seus armazens, alera de ou-
tros, os seguales axtigos :
Papel para imprimir.
Perlina &m
Grevc pautado e liso.
Yinhos em eaixas de doze garrafas
Bourgogne.
Hcrv. y
Madeira.
Hcrraitage.
Chamblis.
Licor de cur&co de Hollanda em cateas de vin-
te e quatro botijinhas.
GESSO,
Kos armazens de Tasso Irmiios.
Grades de ferro
para jardins, porteiras etc.
Nos armazens de Tasso Irmaos
C AltlllNllOS I: FI2RHO
Para senicos de grandes armazens,para remo-
ver barricas ou caixSes de um para outro. lado pelo
mdico prego de 12^000 cada um.
Farinlia de trigo de Trieste
Das melhoras marcas Panonia (verdadeira) Fon-
tana c grande sortimento das melhores marcas de
farmhas americanas.
Saceos de fariiiha'de trigo do
CMle*
Todas novas, chegadas ltimamente nos arma-
zens de Tasso Irmaos.
Cemento romano
Nos armazens de Tasso Irmaos.
Cemento hydraulico 12$
O melhor para tudo que sao obras para agua, co-
'. mo assentamento de canos de esgoto, algerozes, de-
posito, tanques d'agua, etc., etc.: em porcSes de
cincoento barricas se far reduceao no preco : nos
armazens de Tasso Irmaos.
Cemento Porllantl
0 verdadeiro cemento Portland em casa de Tasso
Irmiios.
Grades de ferro, cercas, por-
teiras, etc., etc.
De differentes qnalidades para cercados de ani-
maes, chiqueiros para galinhasou jardins : nos ar-
mazens de Tasso Irmaos.
Barris com breu
Nos armazens de Tasso Irmaos.
CANOS DE SARRO
Na ra Nova de Santa Rita, na antiga fabrica de
sabao, ha para vender por preco o mais mdico
possivel, canos francezes para edificagoes e esgo-
tos detoda aqualidade,superiores a todos os que
aqui tem apparecido pela sua solidez.
PRECOS.
i 400 por cano grande'de 3 e meia pollegadas.
I200 por iliin de 2 o tres quartos de dita.
1 OOO por dito de 2 e um quario do dita.
500 ris por pistoleta de 2 pollegadas.
Cotovellos, curvas c canos de maior grossura, a
vstase fardo preco. Compras maiores de 200a
tem 5 por cento do descont por prompto paga-
mento. Pde-sc ver as amostras nos armazens
de Tasso Irmaos.
lijlos francezes
Para ladrilhar rasas terreas com asseio e precos
mdicos, muito convenientes e proprios para ladri-
Ihos de cosinlias em sobrados, pelo seu asseio c
evitar a passagem de aguas para o andar iaferior
e mesmo operigodefogo, aos precos de 30000a
45'000 o milheiro : na ra Nova de Santa Rita, na
antiga fabriea de sabao, e compras maiores de 2005
se far 5 por cento de descont por prompto paga-
mento. Podem-se ver as amostras nos armazens
do Tasso Irmaos.
Velas de esparmacete verdadeiras para lan-
ternas de carros: noarmazem de Tasso Irmaos.
Vinho do Porto fino superior: no armazem
de Tasso Irmaos.
_ O melhor cognac Gauthier Freres: no arma-
em de Tasso Irmaos.
Esteiras da India
Em casa de Tasso Irmaos vende-se esteiras da
India de diversos padr5es e larguras, por preco
commodo.
OLEO DE HOGG
DD
Figados frescos de bacallio
Para cura certa de phlisica, affeccSes escrofu-
losas, tosse chroniea, fraqueza. dos memhros e de-
bihdade geral, recommenda-* a excellencia deste
oleo ainda por ser agradavel no paladar.
VENDE-SE
KA
Pharmacia e drogara
DE
BARTHOLOMEU & C.
34 = Ra larga do Rosario = 34
Debaixo da forma d'um liquido sem sabdr.
anlogo a nma agua mineral, este medica-
mento retine os elementos que constituem
os ossos'e o sangue. E' o mais racional dos
ferruginosos; por esta razSo o adoptrSo
os mais eminentes mdicos do mundo in-
teiro. Convem muito s meninas de temperamento delicado, cujo desenvolvimento tardio,
s senhoras qne padecem d'estas dOres d'eslomago intoleraveis, cansadas pela chlorose,
anemia, menstruacao on leucorrha, s criancas d'uma compleicio paluda e delicada, e a
[rife LEBAS DOTJTOR EM SCIENCIAS^
INSPECTOR DA ACADEMIA DE PARIZEtc
todas as
cura per
pessoas que tem o sangue empobrecido pelas doencas. Efficacia, rapidez d'accSo,
feita, sem constipacSo de yentre nem acro sobre os dentes, taes slo as razSes que
imperio para que os senhores mdicos o prescrevao aos seus doentes.
Deposito e* Pernambuco, em casa de Kaurer a O*.
\. CAPSULAS MOLES
DE
ALCATRAO
Remedio por excellencia para cura rpi-
da e completa das coqueluches, bronchites,
catarrhos, tosses convtiislvas, escarros san-
guinos, e outras molestias do peito.
VEMDE-SE
PHARMAaA E DROGARA
DE
Barlholomeu d- C.
34RA LARGA DO ROSARIO34
AO BAZAR DA MODA
Ra Nova n. 50, esquina da ra de S. Amaro.
NOVIDADES

o
Para senhoras.
COQUES da ultima moda, enfeitados e lisos, gran-
de sortimento.
CHAPELINAS de palha da Italia, guarnecidas com
delicados e elegantes enfeites brancos e de cores
CHAPEUS1NHOS e gorras de velludo e de pennas
(alta novidada I) de palha da Italia, a emtiacao,
especial sortimento.
CINTOS de cores e pretos, rico sortimenio ulti-
ma moda.
CAMISAS bordadas por commodos precos.
LENCOS bordados e com Tetras, novidade neste
genero
LEQUES a emitacao de marfim, gosto novo e de
sndalo.
^M-'N'HAS e punhos, a emitacao de guipare.
enfeites pretos e de cores para cabeca. lindos
moldes,. w
GUARNICAO alta novidade I a Marie Rose, ulti-
mmente usada era Pars
modS?f de ^"brancos e pretos lindos
GRINALDAS de flores finas
ESPARTILHOS superiores
MEIAS supeiiores de lo de Escoda.
DE PALHA
CUARNICES par* vertidos.
TRANCAS para enreites de eoques.
rrE?cS 'f08 e TI. Pinentes Pa vestidos.
UNTOS alta novidade.
FLORES finas, grande sortimento.
GRINALDAS de ditas para coques.
LAGOS, fivelas, penachos para enfeites.
Para homens.
e superior agua e
deli-
CAMISAS com peitos, colarinhos e punhos
nho fino, lisos e bordados, moda,
COLARINHOS de linho e algodo.
PUNHOS de ditos.
GRAVATAS de todas as qnalidades.
BOTOES para punhos e guarnicoes para coletes.
CORRENTES de plaqu a ernitagao do ouro, lin-
do gosto.
CHAPEOS de pello de seda, forma a Ro'tchil, qua-
lidade superior.
CHAPEOS de seda, para sol.
MEIAS de superior qualidade.
BENGALINHAS finase chicotes.
LUNETAS aro de ac e tarturaga.
Para criancas.
VESTUARIOS completos para baptisados.
SAPATINHOS de merino e setim enieitadoa.
MEIAS de, seda e fio de Escocia.
CHAPEUS1NH0S de palha da Italia.
TOUCAS de fil e setim enfeitadas e de chroch.
BUNECAS vestidas, muito bonitas e rHTeraos
brinquedos.
Perfumarlas finas.
A^Se^Yck.Verdader* de MHmy U*
:
TNICO oriental, verdadeiro.
AGUA DIVINA de E. Coudray
essencia de Colonia.
ESTRATOS e essencias finas e de agradaveis aro-
sias para o lenco.
VINAGRES aromticos para toilet
POS DE ARROZ para amaciar a pelle ; em pacr--
tes e ricas caixinhas com arminho.
PUS superior para limpar os dente*.
C08MET-QUKS de flna-qvaiidade. llitt
SABONETES, grande sortimento deste gener e
de superior qualidade.
LEOS de philocome, babosa e anques.
BANHA fina para os cabellos.
AGUA de flores de laranja.
CREME de sabao para barba.
Caixas preparadas com perfumaras finas.

lliudozas finas.
SUPERIORES fitas de grosdenaples de todas as
cores e larguras de veludo preto e de cores, e
gurguro para cintos.
BABADINHOS e entremeios bordados.
GUARNigES de seda de cores para enfeites de
i vestidos.
TRANCAS pretas com vidrilhos e pingentes.
BOTOES de cores, brancos e pretos com vidrilhos
lisos e com pingantes.
DEDAES de r/radi aperla, de marfim, de co e
metal.
THESOtTBAS finas Rara costura e onhas.
CAIVETES finos com quatro folhas. E muitos
outros artigos de miudeas que se torna enfe-
nflnhfi T\Ani*i/\wa -Vw
JUMA
DO
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9
Os proprietarios deste bem conhecido estabele-
cimento, alm dos muitos objectos que tinhain ex-
postos a apreciaco do respeitavel publico, man-
daram vir e acabara de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortimento de
linas c mui delicadas especialidades, as quaes cs-
tao resolvidos a vender, como do seu costume,
por precos muito baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de irru lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha do mais moderno.
Superiores pentes de tarlaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para caberas das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madrcperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempro se venderam por 30000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 203,
al destas, temos tambera grande sortiiuento de
outras qnalidades, entre as quaes algumas muito
jias.
Boas bengalas de superior canoa da India e
castao de marfim com lindas -e encantadcas figu-
ras do mesmo. neste genero o que de melhor se
pode desojar alera/destas temos tambera grande
-unlidade de outras qualidade, como seiaiofafa-
eira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
e outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
: Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de I a l annos de Made.
Navalbas rabo de marfim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabrieante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza.
Lindas c bellas rapellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crmt.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encfcer
labvTlntno."
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os lentos para o mesmo tiui.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumaras e dos melhores e mais conhecidos per-
| fumislas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
(acilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos .dgsdajnuit recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
pore?/afim de que nanea faltem no mercado,
comoj terh acontecido, assim pois podero aquel-
es (fue deHes precisrem, vir ao deposito do gallo
gilante, aonde sempre encontrarao desls verda-
iteima cjjma c 0s quaes attendendo-se ao fim
Macarthy
machinas de descarocar algodo.
Hoje que est recorihecido que as machinas de
serrote prejudicam e quebrara a fibra do algodo,
preciso recorrer a machinismo nienos spero,
que produzindo' o mesmo servico que aquellas, e
farihdade no trabalho, nao quebrem a fibra da laa,
pora que essa possa obter-nos mercados europeos,
a dillrenra que ha entro o agodao desearoeado
por aquellas mencionadas macharas, que esto Pi-
cando era deauzo, pelo prejuizo que tem causado,
e o da antiga bolandeira, que nao pode competir
pela rporosidado de seu trabalho. E' assim que
estas machinas se tornam as mais propinas para o
nosso algodo, porque ao par da facilidad* e
proinptidao conserva a fibra da 13a, que limpa por
ella, qualificada na Europa a par da melhor bo-
landeira, valendo as-ira entre H 20 por 0/0
mais do que a laa limpa pela machina de serrote.
Estas machinas nao sao novas, pois que ha muito
estao adoptadas no Egypto, aonde as do serrote
foram inteiramente abandonadas, e por isso o algo-
do daqnella procedencia, sendo da 'qnaKdade do
da nossa provincia, obtem hoje de 10 a S por
0/0 mais do que o nosso : vendem-se a 150000
nos armazens de Tasso- Irmaos.
Oleo de amendoas
Em eaixas de 8 latas, cada caixa 100 libras :
nos armazens de Tasso^Irmaos.
Charutos da Havana.
Excellentes charutos da Havana e por baratissi-
mo preco : em casa de Tasso Irmaos, ra do
Amorim n. 37.
Relogios de ouro.
Relogios de ouro de patente eom balanco de
chronoinetro do famigerado actor John Rogers, no
eseriptorio de Tasso Irmaos.
Pianos inglezes.
Pianos in^lezcs do bem conhecido autor Charles
Cadby, no escriptterlo de Tasso.
Ac de muflo.
Nos nrma&os de Tasso Irmaos.
BARRIS DE SALITRE
Not armazens de. Tasso Irmaos.
k NOVA ESPERANQA
21= Ra do Queimado 21
L para presentes
A Nora Esperarla, raa do Queimado
n. 21 tem um variado sortimento de objec-
tos de gosto e pbantasia proprios para pre-
sentes, sobresahindo entre elles ricas caixi-
nhas de bano com finas perfumaras, co-
tureiros de chagrn, agulheiros de madrel
perola : assim, pois, cruemquizer fazer um*
linda oflerta, dirigir-se Nova Esperanca,
ra do Queimado n. i.
Collares anodinos ellectro-magneti
eos contra as convul^es das
crean cas.
N3o resta a menor duvida, de que muito
collares se vendem por ahi intitulados i
verdadeiros de Royer, e eis porqae muitoi
pais de familias nao creem (comprando-os)
no effeito promettido, o que s pdem dar,
os verdadeiros; a Nova Esperanga, porto
que detesta a falsificaco principalmente ao
que respeila ao bem estar da humanidade,
fez urna encommenda directa destes collares.
e garante aos pais de familias, que s3o of
verdadeiros de Royer, que a tantas crean-
Cas tem salvado do" terrivel incommodo de
convulces, assim pois preciso, que ve-
nham a Nova Esperanca a ma do Queimado
n. 21 comprarem o salva vida, para seu*
filhinhos, antes que estes sejam acommetti-
dos do terrivel mal, quando entao ser di-
flicil alcancar-se o effeito desejadd, embora
sejam empregados os verdadeiros coliare
de Royer.
Para extinguir as sardas e
panno
Rectbcu a Nova Esperanca, ra do
Queimado n. 21, leite de rosas, especia,
para extinguir sardas e pannos.
BONECA DE CERA
A No' a Esperanca a ra do Queimado n.
21, aca5'* de receber um completo sorti-
mento de finas bonecas de cera de diver-
sos tamanbos, sendo as maiores do com-
primento d'um covado ; estas bonecas tra-
zem bonitos coques e botinas, havendo en-
tre ellas algumas que fallam e outras que
choram de sorte que fcilmente podem er
preparadas, e fazer-se um presente de mm
acceitaco.
Finas eaixas de tartaruga para rap ven-
dem-se a ra do Queimado n. 21 na loja
da Nova Esperanca.
Modernos brincos de sndalo, s se en-
contrarao na Nova Esperanca a ra do
Queimado n. 21.
MEIAS DE LAA
A Nova Esperanca a ra do Queimado n.
21, acaba de receber um especial sortimen-
to de meias de 13a para homem e senhora.
CONTRA AS C0NGEST0ES"
mal terrivel a congesto fulminante:
de repente leva um ndivido, d'esta para
milhor vida, sem dar-lhe tempo de receber
conversa medica; deixando as mais daa
veses mullier e filhos no mais amargurado
pranto; a Nova Esperanca que deseja pres-
tar senicos recorreu a Vojer, o qual lhe
mandou anneis elctricos magnticos, como
o nico preservativo para semelhante mal i
elles antes que se acabem : na Nova Espe-
ranca-
NAVALHAS
A Nova Esperanca a ra, do Queimado
n. 21 recebcu um sortimento de navalhas,
de qualidades, e tamanhos especiaes assim
como afiadores e massas para as mesmas.
Vendem Augusto F. de Oliveira & C. ra de
Commercio, n. 42.
PILLAS, VEVHO
E
XAROPE
DE
JURUBEBA
PREPARADOS
PELO
PHARMACEUTICO
loaquim d Alineida Piafo.
As preparacoes deJurubeba, s5o hoje
. vantajosamente conhecidas e preconisadas
para que sao applicados, se vendero com um mui-j pek) mais habis mdicos, tanto da Euro-
diminto-Iucro.
Rogawc declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, na do Crespo n. 7.
Tudo se vende por prepos bastante commodos.
Capsulas de Raquim
f Os bons efteitos destas capsulas para fazer ces-
r os gonorrheas acnam-se* eomprovajfas peras
erencias de muitos annos.
s mdicos de todos os paizes as reconunendam
pela sua emeada^**>
VENDE-SE
KA 1 i
Pharnaacla e drogara /
na f A r
BARTHOUHEU & C.
laJil I "
pa como do paiz, pela sia efficacia nos
casos de anemia, cbloroze, hydropesia,
obstruccao do abdomen, e tambem nos de
menstruacao difficil, catharrona bexiga, etc.
Vendem-se em porc5o e a retamo na ci-
dade do Recife, pharmacia do seu composi
tur, ra larga do Rosario n. 10, junto ao
quartel de polica.
Saias modernas
Elegantes e mi
% & n. 31
Para familias
Grande Bazar. rna \ova ns. O
99, de Carnelro Vianna & C
Acaba de chega a este estabelecimento
grande porcSo de machinas para costuras do
autor Wheeier Wilson, approvadas na ulti-
ma exposico de Paris, as quaes cozem com
dous pospontos toda a costura, e tem a
vantagem de ser to suave o movimento,
que qualquer crianca de oito annos fcil-
mente trabalha, e pode, com este entrete-
nimento, levar vantagem ao servico diario
de trinta costureiras. A comprehensSo
simples, pois em um quarto de hora se fi-
ca senhor do movimento da machina, ten-
do a mesma a propriedade de fazer as se-
guintes costuras: pospontar, abainhar,
franzir, marcar e bordar, como apresentam
os desenhos que acompanham-nas. Os pro-
prietarios do estabeleeimento se encarre-
gam de mandar ensinar n'esta cidade, e
garantem entregar o importe dispendido ao
comprador, no caso de nao trabalbar com
perfeicao a machina vendida, nSo tendo,
porm, soffridoella alguma avaria. Ha tam-
bem no mesmo estabelecimento machinas
do autor Grower & Baker, de trabalho sim-
plesmente mao, e outras com movimento
dos ps; e mxime todos os pertences das
mesmas machinas, para vender avuteo.
Tintura japoneza
Instantnea para tingir os cabellos e a
barba, a l(?000 o frasco. m
E' a nica approvada e rccommeBdada
por ter sido reconhecida superior a todas
as tinturas d'este genero.
A venda em casa de Gustavo Hervefin n.
51. ra da Cadeia n. 51.
------
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry Forster *
C, ra do Imperador, um carregaawn e gaz
de primeira qualidade; o qual se vende em partidas
e a retalho por menos preco do que em outra qual-
quer parto.
FUNDICAO DOBOWMAN
Hua do Brum n. 59.
Machinas de vapor.
Rodas d'agoa.
Moendas de caima. __\m
Taixos de ferro, batido; fundido.
. Rodas dentadas, paia moer con agoa.
vapor e animaes.
Alambiques de ferro.
Farmas para purgar assatar
E outros muitos objectos, etc. etc., p
prios para agricultura
*
saias de laa, acaba
Rolim & C, raa db
Luvas duqueza
ama tatema I
1, com bastante freguezia para 0 mato, vin, duqueza, oranoaypri
IwiaiaiiHa niaiim mm t nah y***t
A novasteranca ra do Queimado n. 21 ac
le recebe? por este ultimo vapor luvas de Joi
pretas e de coi

*
\
* %
\ *
~aV i.


Diario de Peranibuc 'Quinta feira 22 de Abril de 1869.
*M

%
-
I

A DINHEIRO NA LOJA E ARWAZEM
DO -^,
oaaa i)& aia&aQa'auana. sa
DE
Flix Pereira da Silva, successor de Gama
& Silva
O proprietario d'este estabelecimento convida ao respeitavel publico desta ca-
pital 1 vir surtir-se no grande estabelecimento que tetado fazeadas, tanto da moda como
de lei, e as pessoas que negociam em pequea escaMa, tanto 4a praca como do matto-
nesta casa poderao fazer os seas sormentos em pequeas e grandes porcOes, vanen-
do-se-lhes pelos precos que se compram as casas inglezas ; assimcomo as excellentis,
simas familias, podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas, oo mandare-
mos levar eia suas casas pelos nossos caixeiros, para o que acha-se este estabelecimen-
to aberto constantemente desde s 6 horas da manha s 9 da oute.
O atoalhado do Pavao. AS CAMBRAIAS DO PAVAO
Vende-se superior atoalhado de algodo Vendem-se nissimas pecas de cambraias
com 8 palmos de largura, adamascado a
2500 a vara; dito de linho I'azenda niuito
superior a 3^200 a vara ; guardanapos de
linho adamascados a 43500 a duzia e muito
finos a 8(5WOO, e ditos econmicos a 35300
.'duzia.
Fustes para vestidos forneos
a4#.
Vendem-se os mais modernos fustoes bran-
cos flexiveis com padroes de listas e de
salpicOs proprios para vestidos e roupas de
menino a<340 rs. o covado, na loja e arma-
lem do Pavo ra da Imperatrizn. 60, de
Flix Pereira da Suva.
BABADINHOS
Vendem-se finissimos babadinhos, tiras
abordadas e entremeios, mais baratos do que
m outra qualquer parte, assim como espar-
-tilbos dos mais modernos, no armazem de
Flix Pereira da Silva, ra da Imperatriz
a. 60.
ALTA NOVIDADE
A LOJA DO PAVAO
Gurgurao de seda
Chegaram pelo ultimo vapor os mais bo-
nitos gurguroes de seda, proprios para ves-
tidos, sendo lisos e lavradinhos, cora muito
iustro, garantindo-se que a fazenda mais
linda e de mais phantasia que este anno tem
dragado a este mercado, e vende-se por
preco muito razoavel, na ra da Imperatriz
n. O, de Flix Pereira da Silva.
CAMBRAIA BRANCA A 35300.
Vende-se pecas de cambraia branca
transparente, com 8 e meia varas pelo ba-
rato prego de 35300,-ditas muito finas tanto
tapadas como transparentes 45300, 35000,
5500, 75000 e 5000, assim como organ-
d muito fino tanto lizo, como de listas e
quadros na loja e armazem do Pavao ra
da Imperatriz n. 60 de Flix Pereira da
Silva.
ALPAGAS LAVRADAS PARA LCTO.
Vende-se na loja do Pavao, as mais mo-
dernas alpacas lavradas para lucto, sendo
muitolargas e pelo barato preco de 800 rs. o
covado, so na loja e armazem do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60. de Flix Pereira da
Silva.
CassasJogiezas a 4 40 rs o metro
Vende-se urna grande poreao de bonitas
Dassas inglezas tanto graudascomo miudi-
nhas e de cores lisas pelo barato prego de
440 rs. ometro,garentindo-se que 7 metros,
dao um vestido para qualquer Sra. s na
ioja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de
Flix Pereira da Silva.
COLCHAS PARA CAMA A 55000.
Vendem-se colchas de fusto adamasca-
das para cama, pelo barato prego de 55,
grande pechincha, na loja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, do Flix
Pereira da Silva.
COBERTORES INGLEZES A 45. 5500 E 55-
Vendem-se os verdadeiros cobertores
inglezes, de pura la, pelo barato prego
de 45, 45500 e 55, assim como colchas de
rastao de cores, pelo barato prego de 35, na
loja e armazern do Pavo. ra da Impera-
iriz n. 60. De Flix Pereira da Silva.
Madapolao enfestado a 8$500
Vende-se superior madapolao enfestado,
sendo muito encorpado, para carnizas, e
tendo cada i>ega 24 jardas, pelo baratissi-
mo prego de 85300, na loja e armazem do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60. De Flix
Pereira da Silva.
CHAPELINAS
ULTIMA MODA
Chegaram para a loja do Pavo as mais
ricas e mais modernas chapelinas rica-
mente enfeitadas, cora enfeites e fitas de
setim e de todas as crese com ricos bicos
de hlond e as mais lindas e finas dores,
vendendose cada urna pelo barato prego de
155000, garantindo-se seren muito mais
bonitas do que outras que se vendem em
outras partes a 205 e 255, e entre ellas
ha mais do que um raodello, tambem tem
muitas de pratinho, proprias para mogas e
meninas, isto na ra da Imperatriz n. 60
fa do Pav3o, de Flix Pereira da Silva.
xplendido sortmento de
roupas feitas
NA LOJA DO PAVAO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
lizas transparentes tanto inglezas como suis-
sas tendo mais de vara de largura, pelos
precos de 5#)00 at 05000 a peca, assim
como finissimos organdys branco liso que
serve para vestidos do bailes, por ser muito
transparente a 15000, a vara, na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Flix Pe-
reira da Silva.
Alpacas lavradas
Chegaram pelo ultimo vapor as mais mo-
dernas alpacas lavradas com as mais lindas
cores, que se vendem a 15000, o covado,
ditas lisas tendo tambem cor de canna a
800 rs, ditas mescladas muito finas a 1:200,
o covado, e outras muitas fazendas de gosto
e moda que se vendem mais barato do
que em outra qualquer parte, no armazem
do Pavlo, ra da Imperatriz n. 60. de Flix
Pereira da Silva.
Roupas para homem
Vendem-se superiores palitts de panno
sobrecasacos forrados de alpaca e de seda,
camisas inglezas e fracezas com os peitos
de esguiao, ceroulas fraocezas de linho e al-
godo, meias cruas inglezas superiores, ca-
misas de flanella e de meia de la, assim
como neste estabelecimento existe um grande
sortmento de pannos pretos, e de casemiras
inglezas de cores, e que se manda fazer
qualquer obra a contento dos Srs. fregue-
zes, e promelte-se-lhes que serSo servidos
com a maior promptido e muito mais ba-
rato do que era. outra qualquer parte
na ra da Imperatriz n. 60,de Flix Perei-
ra da Silva.
Cortinados
Para camas e janellas.
Vende-se um grande sortknento dos me-
lhores e maiores cortinados bordados pro-
prios para camas e para janellas, que se ven-
dem a 125000 rs. cada par at 255000 rs,
isto na ra da Imperatriz n. 60, de Flix
Pereira da Silva. *
Cretone para lenqes com 10
palmos de largura a 2$,
Acaba de chegar esta nova e excellente
fazenda branca propria para lenges de um
s panno, garantindo-se que um metro e
urna quarta ou um metro e meio d um
excellente lengol de um s panno, assim
como esta boa fazenda tambem muito
propria para toalhas de meza, rosto etc. e
outros mysteres e vende-se pelo baratissi-
mo prego de 25 cada metro.
MOCAMRIQUE PARA VESTIDO A 500 RS.
Chegou para a loja do Pav3o um elegante
sortmento dos mais bonitos mogambiques
proprios para vestidos com as cores mais
modernas e que se vendem pelo barato
prego de 500 rs. o covado.
ALPACA0 DE CORDOPARA VESTIDO A 15
Chegou esta nova fazenda com o norae
de alpaco, sendo de cordao e com mais
largura do que a alpaca, com as mais lindas
cores, como sejam Bismark, lyrio, perolas,
roxo, cor de eanna, magenta etc. e vende-
se pelo baratissimo prego de 15 o covado.
ESGIAO DE LINHO DE 12 JARDAS A 10*.
Vende-se pegas de esguiao de linho, fa-
zenda superior, com 12 jardas cada pega, a
105000.
ALTA NOVIDADE
A
Loja do Pavao.
GRGUROES PARA VESTIDOS A 15000,
O COVADO.
Chegaram os mais modernos gurguroes
para vestidos, sendo de todas as cores, como
sejam verde, azul, rosa, bismark, perola,
rxoA 4 tendo quasi quatro palmos de lar-
gura e vende-se pelo baratissimo prego
de 15000, cada covado nicamente no ar-
mazem de Flix Pereira da Silva, na ra da
Imperatriz n. 60.
Grosdeaaples preto
Vende-se um grande sortmento dos me-
lhores grosdenaples pretos, tanto lar-
gos como estreitos, sendo de 2(000 rs. o
covado at 45000 rs. garantindo-se que
n'este genero ninguem tem melhor fazenda e
que se vende mais barato do que em outra
qualquer parte,najua da Imperatrizn. 60,
de Flix Pereira da Silva..
A 25, OS BALt>E9*D0 PAVAO.
Vendem-se superiores baldes america-
nos de trinta a quarenta arcos, tendo as fi-
tas bastante largas, sendo muito fcil trans-
formalos para outro qualquer novo modelo,
e liquidam-se pelo barato prego de 16 cada
Acha-se este grande estabelecimento com- um> sen(}0 fazeQda que sempre se vendeu
plctaraente sortido das melhores roupas, a 75 e 85, isto na loja e armazem do Pa-
sendo caigas palitts e coletes de casemira, v3o> rua da imperatriz n. 60. De Flix
de panno, de brim, de alpaca, e de todas pereira da Silva.
as mais fazendas que os compradores pos-
-sam desejar, assim como na mesma loja
As 9.000 varas a 54M> rs.
Vendem-se as verdadeiras cambraias
2? Sl'l^l^/^rnl38^ acezas, m ** padroes e cores fizas,
ras, bnns, etc. etc. para se mandar fazer ta' d tran>inarpntes nHn harat^
qualquer pega de obra, coma maior promp- SP*J^^ 0f300 rs o c
tidao vontade do freguez, e n5o sendo P'^flt f,n: a\ ^
abrigados a acceila-las, quando nao stejam ^^^SumST lul
completamente ao seu contento, assim como WJf barato DrecoS m toMto
n'este vasto estabelecimento encontrar o w Pr ^TZlS^Z l
respeitavel publico um bello sortmento de
camisas franeezas e inglezas, ceroulas de
linho e algodo o outros muitos artigos
proprios para hornees e senhoras promet-
tendo-se-lhe muito nwiB barato do qae em
outra qualquer parte. Na na da Impera-
triz n. 60, loja e armaaem de Flix Perei-
ra da Silva.
RETALHOS PARA LUTO NA LOJA DO
fPAVAO.
orna avultada compra, na loja e armazem
do Pavao, roa da Imperatriz n. 60. De
Flix Pereira da Silva.
Grande expsito
DE
CASEMIRAS DE CORES NA LOJA DO
PAVO
Chegaram as mais bonita e mais moder-
nas casemiras de cores proprias para caigas
coletes e palitts, tendo ate das mais finas
Vende-se urna grande quantidade de re- que tem vindo ao mercado com fios de seda
tainos de chitas e cassas prets por preco e vende-se mis barato do que em outra
muito barato, e qnanto maior for a poreao qualquer parte, m haver grande sortimen-
que o fregu comprar, mais barato se Ibe tode varios precos, na loja e armazem do
vender na nada imperatriz n, 50 de Fe- Pavao, roa da Imperatriz n. 6b, de Flix
lix Pereira da Silva/ Pereira da Silva.
ROUPAS FEITAS
Na lom fi Le3o da porta larga
DE
PAREDES PORTO.
Rua da Imperatriz n. 52, junto aloja deourives.
N'este estabelecimento se encontrar rua da Imperatriz n. 52, loja do Paredes
sempre um cempleto sortmento de roupas Porto.
feitas de todas as qualidades. Como se-, Neste estabelecimento encontrar o respei-
jam: paletots de alpaca, de merino, de tavel publico um completo sortmento de
casemira, bombains de panno preto, fra- fazendas e roupas que, se vende pelos pre-
ques e sobrecasacos de brins de cores e eos seguintes:
pardos.
CAMISAS &SIR0LAS.
FAZENDAS BRANCAS,
Madapolao de diversas qualidades e pre-
Encontrar sempre o respeitavel publico eos commodos, cambraia de 35500 4A500
um bonito sortmento de todos os nmeros, e 55, ditas victorias de 55500 a 125, pegas
MELVS CRUAS. de cassa liza o mais fino que ha no merca-
Sortmento de todas as qualidades, de
35 a 55, assim como tambem sortmento
de lencos de linho brancos e com barras
de cor, chinezes, bonitas gravatas jaretas e
de cores.
ta larga.
PARA ACABAR.
Urna grande poreao de calcas ordinarias
para trabalho a 040 e 800 rs. cada um par,
pechincha na loja do Leo junto a loja de
ourives.
GRANDE PECHINCHA,
Cassas he cores a 160 rs. o covado, na
460 RES 0 COVADO
Chita preta pelo barato preco de 160 o
covado na rua da Imperatriz n. 52 na loja
que tem um Le3o pintado.
PANNO DE LINHO
Paredes Poito recebeu um sortmento da
pannos de linho, com 27 varas a peca e
17,5000 e 185000, na rua da Imperatrizn.
52,junto a loja de ourives de porta larga.de
Paredes Porto.
do a 95, 105, 125. com 12 varas, e vara
de largura
SEDAS DE LISTRAS.
Recebeu-se um bonito sortmento d'esta
Rua da Imperatriz n. 52, por- fazenda que se vende a 25500 o covado.
CHITAS.
Vende-se chitas escuras a 280, 3Q0, e
320 rs. o covado.
GUARDANAPOS
Vende-se esta, fazenda de linho, fazenda
boa a 45000 e 5??000 a duzia.
MEIAS PARA HOMEM
Sortmento de meias inglezas para ho-
mem a 45800 5:>8O0 e 65800 fazenda boa.
THOALHAS
Sortmento de toalhas de peluda a 115
a duzia.
LENCOS BRANCOS a 25200
Para acabar lencos de algodo a 25200
a duzia,
25000
ENCOS DE LINHO ^ara ^e bramante de linho superior e
Vende-se lencos brancos de linho a 30, tem 10 patatos de largo,
a duzia para acabar na loja de Paredes Por- CALQAS L UJLLltb.
to. Rua da Imperatriz n. 52 loja da porta Tem sempre no mesmo sentido um sor-
larga que tem um Leo pintado.de Paredes timento completo a preco commodo.
Porto.
N No armazem do Leo, rua da Imperatriz n. e 52, junto a loja de ourives.
11--EUA DO QUEINADO-11
DE
AUGUSTO PORTO & C.
Receberam superiores vestidos de blond com manta e capella para noivas, que
vendem-se por precos mais mdicos do que era qualquer outra paite.
SAH1DAS DE BAILEde cachemira branca e de cores o que ha de mais lino.
BASQUINESde renda preta, e de gorgurao preto, o que ha de mais
elegante. ,
CHAPEOS DE SOLpara senhoras delicadamente bordados.
BALOESbrancos e de cores para senhoras e meninas, espartilhos, saias bor-
dadas, e saias de la com barras de cor.
GORGURAOde seda branco e preto para vestidos, sedas de cores, moirean-
tique branco, e grosdenaple branco, de cores e pret; princezas, bombazinas pretas,
alpacas de muitas cores, e lindos cortinados bordados. *
CAMIZASde linho para homem de diversas qualidades, camisas bordadas
para noivos, sobretudos, capas de borracha raneas e pretas, bnm de cores e branco,
panos finos easemiras pretas e de cor por commodos precos.
TAPETESgrandes e pequeos para sof e cama, tapete e alcatuas em pecas
para sallas, e-continuara sempre a vender por mdicos precos as esteiras da india para
SALLAS.
$mmm
NOVO EXPLENDIDO SORTMENTO
Agua-florida de Guis-
lain
Tintura indelevel para tingir os cabellos,
sem manchar a pelle.
A bem conceituada agua-florida de Guis-
lain que entao era dessonhecida em Per-
nambuco, j Traje estimada o procurada
por seu elficaz resultado, e ainda mais se-
r, quando a noticia de seu bom effeito e a
experiencia tornar de todos conbecida.
A agua-florida de Guislain composta ni-
camente de vegetaes inoffensivos, tem a
propriedade extraordinaria de dar a cor pri-
mitiva aos cabellos, qwndo estiverem bran-
cos, e lhes restituir o brilho perdido, e as-
sim como preservar de embranquecer, sem
ser prejudicial de modo algum
E' porm necessario fazer conhecer, que
o bom resultado produzido pela agua-flori-
da, nao instantneo, como muitas pes-
soas talvez supponham, miis sim ser pre-
ciso fazer uso d'ella, trez ou quatro vezes,
e logo se obter o fim desejado, como bem
provam testemunhos de pessoas insuspei-
tas, e d'ento por diante, basta usa-la duas
vezes por mez, contando sempre com o bom
xito, podendo a experiencia ser feita em
outra qualquer cousa.
Assim pois esta agui-florida acha-se ven-
da na bem conbecida loja d'A guia Branca
rua do Queimadon. 8,
A Aguia Branca, contando com a protec-
$0 de sua boa freguezia, tambem Qapricha
em nao lh'a desmerecer, procurando sem-
pre corresponder a idea favoravel com que
a honram, e em prova ao que Cea dito, d
como exemplo ,o esplendido sortmento
que acaba de receber, ainda mesmo achan-
do-se bellamente provida do que de bom
e melhor se pode desejar nos gneros que
sao de sua competencia.
Haja vista aos nec ssarios lisos de raissa
e oraco, obras de apurado gosto e perfei-
C3o, sendo: com capas de madreperola e
tocantes quadros em alto ratowo. v
Ditos com ditas ce marfim igualmente
bonitos.
Ditos com ditas de velludo, outros imi-
tando charao machetado.
Ditos com ditas de marroquim com cruz
e guarnico, dourada ou prateada.
Coras e tercos de cornalina.
Assim como.
Grande e bello sortmento de leques
todos de madreperola, madreperola e seda,
sndalo, sndalo e seda, osso, osso e seda,
e faia etc, etc. tendo nos de sndalo alguns
com 4 vistas, e outros japonezes enfeitados
de flores.
Bonitas voltas grandes de aljofares azues.
Voltas de cerrente de borracha.
Meias-de seda para meninas e senhoras.
Ditas de flo de Escocia abortas, tambem
para meninas e senhoras.
Ditas muito finas d'algodao, alvas, e
cruas para meninas e senhoras.
Luvas de fio d'Escocia, torral, e seda
para meninas e senhoras.
Meias de 15a para homens, mulheres e
meninos.
Gollinhas e punhos bordados obra de
muito gosto.
Entre-raeios finos tapados e transparen-
tes com delicados bordados e proprios
para enfiar fita.
E OS PRODIGIOSOS
Anneis e collares Royer para creancas.
Bonitos cabases ou bolsinhas de pelica
e setim para meninas ou senhoras.
Lindas cestinhas bordadas a hoco, e lisas.
Delicadas caixinhas devidro enfeitadas
com podras, aljofares, etc.
Ditas de tartaruga para joias.
Bonitos albuns com msica.
Pinseis ou bunecas para poz de arroz.
Novos e delicados ramos de flores coa
marrafes para enfeitar coques.
Bello sortmento de trancas de palha.
Fitas largas para cintos.
Ciatos de fitas largas com bonitas rama-
gens.
Brincos e alfinetes de madreper
Ditos esmaltados, obras novau
O cordeiro previdente
H ua do Qtsclmado u. 16.
Novo e variado "sorliment de perfunlarias
finas, e outros objectos.
Alm do completo srlimcnto do perfu-
maras, de que efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba de
receber um outro sortmento que s torna
notavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciacao
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de, sua bem oonhecida mansidao
e barateza. Em dita loja cncontraro os
apreciadores do bom:
Agua divina de Ei Coudray.
Dita vei'dadeia de Murray Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
coza, todas dos melhores e mais acreditados
fabricantes.
Dita balsmica dentrificia.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico pata conservaco do
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, com
pomada fina para cabello.
Frascos cora dita japoneza, transparente,
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes,* americanos e
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do lino e agradavel cliei-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finos e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade,
com escollados cheiros, em frascos de dif-
ferentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menores
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
nas perfumirias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas do papelo igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaris finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e de
moldes novos e elegantes, com p de arroz
e boneca.
Especial p de arroz sera composicaode
cheiro, e por sso o mais proprio para crian-
Cas.
Opiata ingleza e francezapara dentes.
Pos de camphora e outras differentes
qualidades tambem para dentes. .
Tnico oriental de Kemp.
Ainda utais coques.
Um outro sortinientos de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilhos.
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
estao todos expostos apreciacao de quem
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNIIOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfecao.
Flvellas e fitas para cintos.
Bello e variado sortmento de taes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com-
prador.
FLORES FINAS
O que de melhor se pode encontrarnes so
genero, sobresahindo os delicados ramos
orvalhados para coques.
Para ?iagem.
Bolsas de tapete e carteiras de couro, por
precos commodos.
Chapelinas de palha d Italia mui bem
enfeitadas, e enfeites de flores obra de bom
gosto.
E assim muitos outros objectos que s&
rao presentes a quem se dirigir dita loja
do Cordeiro Previdente a rua do Queimado
n. 16.
ENFEITES DE PALHA PARA VESTIDOS,
CHAPEOS E COQUES.
O Cordeiro Previdente rua do Queima-
do n. 16 acaba de receber um bello sort-
mento de trancas .de palha para enfeites de
vestidos, outras para chapeos, coques etc.
tudo isto est sendo vendido com a sua bem
conhecida commodidade de precos.
ALEM D'AQUELLES.
Recebeu outros lindos enfeites de seda
para vestidos ; assim como um variado sor-
tmento de galloes de la, babadinhos de
cambraia com bordados de cores, cuja va.
riedade de gostos os tornam recommenda-
dos e apreciados; compareco pois os pre-
tendentes que serio servidos a contento.
TO BEM RECEBEU.
Novo provimento de bicos e rendas de
guepure.
LUVAS DE PELLICA.
De todas as cores tanto para hornen-
como para senhoras, constantemente achaca-
se a venda na loja do Cordeiro Previdente :
rua do Queimado n. 16.
I
Rua do QuemtidS n, 49 loja de
miudezas de Jos de Azevcdo
Mata c Silva conhecido por Jos
Bigodinho.
Est (|ueim pelo diminuto preco, a saber :
Frascos com agua de Colonia verdadeira a 1.
Garrafas com agua Florida verdadeira, que se g.i-
rante a 1*200.
Pcntes para regacar cabello de meninas a 320 rs.
Thcsouras muito linas para unhas e costuras
500 rs.
Tintciros eheios de tinta muito preta a 80, 100, i60
c iOO rs.
Varas de franja branca to linho para toalhas a
ICO rs.
Caixas de Wiosphoros de seearanca a JO. 40*
ICO rs.
Navalhas de cabo de marm e que se garante a
qualidade a 2/.
Libra de laa fWa bordar a 7 J.
Pecas de tila branta elstica muito superior a 200
e300rs.
Novellos delinha branca com 400 jardas a 60 rs.
Resmas de papel de peso liso muito fino a 2|50
Latas com superior banha a 200 e 400 rs.
sCaixas om seis frascos de cheiro muito fino
a 800r
Caixas com-doze frascos, fazenda s boa a i200
e2#500.
Frascos com superior oleo Alocme a OO rs.
Catangas de sabao transparente muito bonito e fi-
no a 210 rs.
Duzia de paos de pomada do Reino, da melbot
qualidade a 240 rs.
Pecas de tiras bordadas muito finas a 500,600
800 rs.
Ditas de babadinhos cora dez varas a 600 rs.
Carriteis de linha de todas a cores, para acabar
a 20 rs.
Garrafas com agua divina a 1^500.
Frascos com superior macar perula a 320 rs.
Caixas de vidro com doze didaes, que s a caixa
vale dinheiro a 200 rs.
Ditas de madeira com alfinetes, o que ha de me-
lhor a 320 n.
G rosas de botoes de louca, Ios e bordado*
ICOrs.
Caixas redondas para rap emittando tartarugu
15500.
Pecas de fita para eos da melhor qualidade a
500 rs.
Eseovas para limpar dentes, fazenda que s a vis-
ta a 240 rs.
Ditus para limpar unhas de superior qualidade a
500 rs.______________________________
Fazendas de gado.
Vendem-se seis fazendas de gado na ri-
beira do Serid, denominadas Boa-Vista,
I' de Seria, Mulengo., Mundo Novo, Inga c
Serrte, todas muito boas de criar e de um
ser bem conhecido nquella ribeira : os
prctendentes podem dirigir-se rua do Vi-
gario n. 31, 1 andar, escriptorio do Baio
de Bemfica.
Barato que admira.
Manteiga ingleza flora i400 a libra, dita fran-
cesa a lt, cha mudo a 34100, dito praudo a 3J>,
caf a 220 rs., sabao a 180, alpista a 240, arroz a
100 rs., passas a 440, idem quartos cora 6 tibm
por 2200, vinho a 400 rs. a garrafa, azeite doce
de Lisboa a 900 rs., caixinhas com ameixas, pas-
sas, figose pea?, proprias para mimos a 14600,
latas cora doce a 300 rs. : s na esquina da ru
da Penua n. 8.
XAROPB PECTORAL BMSiLEIRO
DE
POMTA DEEMBAIBA
COMPOSTO E PHEPARADO
PpIo pharmaceutlco
Jos da Cruz Santos.
Esta planta cujas virtudes medicinaes
existiam desconbecidas para a maior parte
dos nossos facultativos, devendo-se a sua
descoberta ao uso que d'elle faziam os
nossos irffligenas que raenoscabavam com
a sua applicaco de todos os soffnmentos
pulmonares, boje conhecido como o me-
dicamento mais efficaz para a cura de as-
thma, bronebite, cequeluche, penemonia.
(% at a phtysica, produzindoum effeito mi-
lagroso e prompto.
Para um adulto 3 4 comeres de sope
ao dia puro ou em cosimento peitoral.
Criancas, 3 4 colheres de cha.
Preco 2000 o frasco.
Pernambuco, rua Nova botica n. o,
Pennas d ema.
Vende-se i roa do Qaeimado n. 13, primeiro
andar. ,
^1

,~~-
Vende-so um escravo, oflocial de ferreiro,
rindo ltimamente do norte : no escriptorio de
" raim Jos Goncalves Beltrao, rua do Trapi-
kn. 17.
Boas escrauas
Vendem-se 9 escravas de idade 17 a 23 anuos
com excellente; habilidades, 1 mnfetioha de Idade
15 anno?, reoolhida, muito habilidosa, 1 mulato
de idade 22 aimos. bom czinheiro e criado : Da
travessa do Carmo n. 1.
ESCRAVOS FUGiDOS.
100$ de gralifiearo
Fugio uo dia 11 de Janeiro do frrenle anco,
do engenbo Batalura, freguezia da Escada, o es-
cravo preto, crioulo, de 24 annos de idade, cha-
mado Marcelino, que foi do Sr. Joao da Cimba
Pereira, cujo escravo esteve no deposito geral, e
tem os signaes seguintes: alto, seceo do eorp
rosto muito marcado de bexigas, falta de dentes
na frente, cor preta, sahio de chapeo do chile, pa-
letut c calca de castor, levando um bahuzinho i)e
(landres com mais roupa, e suppiie-se estar na
freguezia do Cabo : quem o apprehender leve t
ao dito cngenlio, ou rua da Senzala-nova n. 38.
escriptorio do Sr. Bernardino Pontual, que rebe-
ber a graliicacao cima.
I'ugio da casa de seu senhoi,
na povoaco do Montero, a parda Anna
de 10 annos de idade, pouco mais o menos, estatura regular, ulhos castanhos,
testa estreita, cabellos corridos, que usa
enrolar pela parte de delta/, e levantar
na frente; tem aljruns signaes de be-
xiga no rosto : vestia ua occasio da fu-
ga um vestido de chita novo com listras
rouxas e brancas, e levou sapatos de mar-
roquim. Foi vista* em Apipucos e depois
no Poco e Caldereiro, desconlia-sc que es-
teja acoutada, e desde j se protesta pro-
ceder com todo o rigor da lei contra quem
a houycr horaisiado.
Ped-se s autoridades policiaes e ?.
qualquer pessoa que a aprehender ou pe-
der informar alguma cousa a seu respeit,
de participar no largo do Gorpo Santo n.
19.
Fugio do engenho Jacobina, comarca do Ca-
bo, ao amanhecer do dia 13 do correntc mez e
anno, do abaixo assignado, um escrav preto de
nome Antonio, conhecido por Canda, Idade do 26
a 30 anne s, pouco mais ou menos, alto, ps gros-
sos, tem una das juntas do mesmo um pouco
grossas, andar banzeiro, levando chapeo de feilio
j usado, camisa de algodo azul c seroula de al-
godo americano, cujo escrato veio de Buique pa-
ra Pao d'Alho, para onde se desconfia ter seguido:
roga-se a qualquer autoridade policial ou capit
de campo a captura do dito escravo, levando ao
engenho cima, ou a rua do Caldeireiro n. 42, ao
Sr. Francisco Quintino Bodrigues Esteves, que
ser generosamente gratificado.
Antonio Carneiro Lins e Mello.
Fugio de bordo d palhabote nacional .(//Ci-
ro, um mulato claro de nome Justino, estatura re-
gular, ctodos carapinhados e mcios raivns, pouea
barba, tem urna pinta preia no canto do olho direi-
to e um taino as costas ao mesmo lado,; levoa
vestido camisa de chita com listas verdes, e osa
de urna cinta com borla encarnada para aportar
as atoas, natural de Santa Anna do Matto na
provincia do Rio Grande do Norte, para onde talvez
queira ir, tambem muito desembarazado no fal-
lar. Becommenda-se aos mestres de barcaca '.a
a qualquer pessoa que o agarrar, e levar a rua
do Trapiche n. 4 ou a bordo do referido navio que
ser generosamente gratificado.
Acha-se fgido desde domingo de entrudo o
moleque de nome Tito, com 21 annos de idade,
estatura regular, olhos afumacados, com todos os
dentes, esperto e bem fallante, tem no estomago
urna cicatriz de urna queimadara pequea, tem
um dedo da mo direita aleijado em consequencia
de um pauaricio ; e o p esquerdo mais grosso
do que o direito : quem o apprehender leve o aos
Afogados, casado Dr. Jos Roberto de Moraese
Silva, quo indicar a casa de seu senhor. que r%-
compensar generosanwte.
Fugio do engenbo Guararapes um mulato de
nome Affonso, alto, olhos amortecidos, cor bastan-
te retinta, ps grandes e chatos, vestido de calca
de brim branco e camisa branca, o qual j tem
sido visto aqui no Recife : pede se aos espitaos de
campo que o peguem e levem travessa do Que-
mado n. 3, ou ao referido engenho, que se recom-
pensar generosamente.
Fugio do engenho Mussuripe, no dia 10 do
crrente, em occasio de feira, en Pao d'Alho,
um escravo, criado do Mosteiro de S. Beato, de
nome Tito, de idade de 20 annos, cor futa, esta-
tura regular, beicos, corpo e ps grosso, rosto
largo, e andar banzeiro, levou duas calcas, urna
de algoiozihho azul e outra de riscadinho, urna
camisa branca de algodaozinho e outra de chita
rxa, e um camisao de estopa a uianeira de pale-
tot, e urna espingarda quebrada ; foi visto no si-
tio de Jaguaribe do Mostolro, d'onde ha pouco ti-
nha sido mudado para o dito engenbo alie 13
do corrente : roga-se as autoridades policiae 9
capitaee de campo a captura do dito escravo, le-
vando ao Hoateiro *> 8. Beuto, que se recompen-
sar com generoaidade,


3
Diario de Pernambuco Quiuja feira 22 de Abril de 1869.
mTERATMA.
Sonho
Rstn noite en sonhei, qae urna virgem
Com rail la?os de amor me apcrtra:
Sai face mimosa, e maca
Muitas vezes tambem "eu bejra.
Ea sonhei, q i'era noite do la
Qu'era tarde e j ludo dorma;
Eu smente me acliava accordado;
Eu somonte o silencio rompa.
Eu sonhava, questava mui triste
N'uma.praia sem mdo cantar,
Eu estava deitado s areias
Comtemplando a bravura do mar!...
P.u can lava da infancia o perfume,
Esses dias alegres de outr'ora,
E depois solucando eu calei-me,
Eis que oueo dizer:porque chora?
Eu surprezo me ergo, e da praia
dornas vistas percorro a cxtencJto...
E l vejo distaote, correndo,
ma forma de densa, ou vizo*
Eu a via to bella e to meiga:
Qual a garca voando sem par,
Sua veste branca. e as brizas
Saus cabellos volviam no ar.
Eu sonhava, que ella corria,
K corra p'ra mm, que chorava.
Ella vinha sorrindo de alegre,
E cansada seus passos tarda va...
ma virgem sosinha e to tarde
Pela praia sem mdo a vagar!
Sem temer os assaltos das fras,
Nem o rouco barulho do mar ? I
Eu nao creio, que seja mulher _
Impossivel, men Deus!... vzo
Mas, o que!... l se ergue, e com graca
Ella reza ajoelhada no chao.
Eu ento me dirijo p'ra ella,
Que cansada n'areia assentra,
E eu vendo-a de perto, admiro
Urna virgem de forma to rara!
E lhe disse:mulher, quera tu es ?
Quem to tarde p'ra'qui te mandou ?
Ella apenas me olhara, e surrindo
Baixa a face mimosa, e corou...
Me prostei seus ps, e com modo
Pude custo bcijar-lhe as madeixas,
Ella fica: qual flor da roma,
E surrindo rae diz:tu me deixas ?
Anciozo eu instando outra vez
Para a virgem dizer-me, quem .
Ella dis-me, mancebo, eu s digo,
Si jurares amar-me, e com f
E eu respondoAlera vs a la
Como firme reflete no mar?...
Pois, assim eu te amo, donzella
E affoito lhe torno beijar
Inda pouco, mancebo, eu nao crio
E's affoito, nao deves beijar-me,
Jura pois, e em nome de Deus,
Que tens f, e firmeza em amar-me ?
Eu o juro.,. Accreditas agora?
Accredto(responde a beldade,)
E di'pois ella dis-me baixinho:
Eu te amo tambem, verdade...
Vs ao longe da praia urna lus,
Que reflete por entre os ramais?...
;ill, que habito a dez annos,
all, que morreram meus pais.
lu l moro sosinha, esquecida
Do barulho confuso do mundo
Sem l ter urna amiga, se quer,
Assim vivo em silencio profundo !
Eu estava inda pouco janella
Escutando urna voz de encantar,
E correndo por ella attrahida,
Encontrei-te tristouho chorar!
Entend, qne tu eras infliz,
Como a muito tambem j eusou,
E portanto, mancebo, me digas?
Tu j amaste alguem?E corou.
* FOLHETIWI
os mus DE (\m\\
roa
jfilie Berthet.
(ContinuacSo do n. 88)
XVII
Xcena incriveis.
Nao entraremos nos promenores acerca
dos soffriraentos de toda a especie que os
fugitivos supportaram durante os quatro
dias immediatos. Fazer-se-ha idea saben-
do-se o que se passou nos bosques durante
a noute do sexto da.
N'este dia Bzera-se paragera mais cedo
do que de costume, em razio de faltarem
as forcas para avanzar.
A caravana acbava-se as proximidades
do mar, a ajuizar por urna cinta verde que
se divisava no horisonte. De resto nin-
guem poda saber se se achavam longe ou
perto do termo da viagem, uem mesmo o
Rongou, que diriga a marcha, tendo por
nica bussola os movimentos do sol.
E' verdade que o sardo-mudo, que s
vezes consultava o seu mappa e bussola,
pareca ter alguns indicios a tal respeito,
mas que nao conaraunicava a ninguem e
rauito menos ao Rongou, com quem sempre
se conservara em desconfianca e odio re-
ciproco.
Fizeram alto prximo a am regato, e,
querendo fazer ama cabana, mas faltando-
Ibes forca para buscarem madeira apro-
priada, conteotaram-se cora fazerem um
abrigo miseravef de ramos achados ao
acaso.
Posto que anda fiaesse sol, accenderam
urna fogueira com o fim de affastarem os
animaos nocivos e ferozes, edecozerem
algam alimento. .
N'aquelle momeato aclwvam-se all s
Nunca,; mzella, eu.amei,
E por falta de amor en gema;
Nestas praias muito, que'eu choro
Taitas noites sem ter alegra!
Pois acceita, mancebo, um abraco
Como prova de nossa affeico
E apertando-a em meus bracos, accordo,
Eis procuro-a, nao vejo... vzo!
Recife 18 de abril de 1809.
Joaquim Manoe! Vieira de Mello.
A nmllier
(Concluso.J
III
Mas, querem a mulher heroica ? Pois bem!
Compulsem a historia de todos os povos, e
de todas as pocas. N3o vem Judith o
acampamento do terrivel Hollophernes, pe-
netrar na sua tenda, e resgatar a Bethulia,
matando' o tyranno? Que lizeram os guer-
reiros de entao? Admirarara o herosmo
da mulher, e cmmudeceram diante de to
sublime valor.
Camarina de Valois poz-se frente de
seu exercito, e affrontou com denodo a me-
tralha de Ruo. A duqueza de Montpen-
sier, cavalgando pelas ras de Pars, offere-
ce batalha s tropas de Henrique IV e de-
fende, porta de espada, a causa dos Gui-
zes. Estas muflieres serio iracas?
Joanna d Are, a pastora de dezenove an-
nos, toma o alfange de Carlos Martel, e
nunca um rei franco obrou prodigios assim.
A nacionalidade franceza estava a desfal-
lecer sob o peso das columnas inglezas.
Carlos VII, esse rei ingrato, que deshonra
a Franca, quera fugir, desamparar a patria
nesta crise suprema. Tudo estava perdido,
humilado. S o pnico fazia pulsar os co-
rajes. Mas apresenta-se Joanna d'Are,
frente do exercito, e os veteranos abatidos
senteg o choque magntico do entusias-
mo.
Levantam-se como espectros "d'aco, e a
patria agonisante salva. Joanna d'Are com
a bandeira nacional em punho, guia esses
hroes para as muralhas d'Orleans, que es-
tavam no poder do inimigo. E (Meaos foi
conquistada, os inglezes batidos e expelli-
dos de quasi toda a Franca, e Carlos VII foi
coroado era Reims por Joanna d'Arc. Nunca
guerreiro algura reuni tanto heroisrao e
tanta abnegacao.
E chamam a mulher fraca. Que irriso
e que absurdo! Querem mil exemplos mais?
Vo historia.
IV
A mulher a harpa do crente, o sc-
gredo da poesia, a miragam de Deus. S
o coraoo, se adeja em torno das paixdes,
para extrahir das flores da alma o que
all ha de puro, de subtil, de ideal, de di-
vino. Mas o homem tenta a virgem candi-
da com o canto envenenado da sereia. Juras,
promessas, requebros, sorrisos, lagrimas,
suspiros; o homem nao poupa ardis, quan-
do tenta rasgar a alva tnica da Vestal. De-
pois... chamam frgil a pomba, porque nao
presentio o milhafre!
Os grandes philosophos, e os espiritos
fortes gritam: a mulher fraca.
Fraca porque?
Appellidamde fraqueza o que apenas
innocencia; chamam forca ao que smente
crueza e vicio. Dizem bem. A mulher
fraca, porque a candura o ; o homem
forte, porque o crime o .
V
A mulher se chora desprezos, suspira
esperanza.
Se os affects a deleilam, a virtude a
seduz. Dcil na opulencia, anda dcil
no infortunio. A sua voz sempre meiga,
terna, doce e maviosa. Tudo que nobre
a attrahe, tudo que justo a subjuga. Mar-
cha sempre luz d'alma, e nos transportes
sublimes de seu sentimento generoso, a mu-
lher chega a perdoar a quem lhe roubou
os perfumes mysticos das flores de laran-
geira, a quem lhe envenenou seas caros
anhelos puros, seus caros enleios. Que
excesso de abnegacao!
O homem nao perdoa virtude quando
esta reage contra elle: a mulher chega a
perdoar ao criminoso, que lhe deu o infor-
tunio Quem mais forte ? E: a garra do
leo ou o sorriso de Deus ?
A mulher se nao fosse o homem, seria
sempre um anjo; o homem, se nao fosse a
mulher, seria sempre um demonio.
quatro dos toreados. Os restantes tres com-
panheiros haviam-se retirado para o
bosque, no intuito de buscarem algura ali-
mento : eram Miguel, o Rongou e Bouche-
eo-Coeur, aos quaos se attribuia mais vigor
por enganarem alguns dos comestiveis que
apanhavam. Os que haviam ficado, isto ,
Bertomy, Rigaut e dous toreados mais,
bastava ve-Ios para se acreditar na sua
falta de vigor.
Os falos eram completos farrapos, os ps
eusanguentados e envolvidos em trapos, os
rostos lvidos e ochados pelas continuas
picadas dos mosquitos, e os olhos injerta-
dos de sangae tinham o aspecto que im-
prime a febre faminta.
Dous dos forjados, prostrados por trra,
nao se inquieta'vam porque as terriveis for-
migas-mandiocas que os rodeavam Ihes ata-
cavam aschagas, tarnando-lh'as incaraveis.
S Rigaut e Bertomy pareciam ter ainda
algum vigor. Haviam estes feito uns appa-
relhos de pesca cura tira das carnizas e
com alflnetes encorvados, e, deitados bor-
da do regato, langavam na corrate as li-
nhas improvisadas, que tinham iscado co
iosectos. Destacadamente, os apparelhos
eram muito imperfeitos ou os pescadores
muito inhabes, porque os peixes, comendo
a isca, puaham-se ao fresco.
Reinava all profundo silencio, apenas
interrompido de longe em longe por um
grito resultante da mordedura de urna for-
miga as feridas dos dous forcados ou por
alguma blaspbemia dos dous pescadores.
De repente um grito agudo e pungente
resoou na floresta. Ao principio juUjaram4
ser algum agam chamando a sua uinhada
ao cahir do sol, mas logo o grito se repeli
despedapador e lgubre como o estretor
do agonisante cessano sbitamente, e tal
,foi a impres'so que d'esta vez causan, que
todos, estremeceritn, e, apesar do ahti-
ment em que jazian, ergueram-se para
escatar.' O ruido, rorm, ertinguira-se,
nao se ouvindo mais dj qae o piar das aves
na ampKdlo dos bosques.
Ha para ah algtera que acaba de pas-
sar bem mos momentosdiae Rigaut com
ar de indifferenca.
POUCO DE TTJDO.
BERLIOZ.0 compositoi francei Ifl*
Heitor Berlioz que, segundo annonciou um
telegramma da Agencia tf.rvs, icaba de fal-
lecer em Pars, era aatural df-Costa de Santo
Andr' no deoartamanto do Isre, onde jias-
ceu a 1 I de dezembro de 1803. Seu pa,
que era ara medico afamado, awuduu-
para Parisafim de all seguir o corso de
medicina, mas o joven Berlioz trocou bem
depressi o theatro anatmico pelo tonse^
valor* de msica, nde foi seguir os cur-
sos de Rejcha e de Lesii5ur. A sua.pri-
mera compusico foi urna missa de qu4tr
vozes com coros e orchestra, qual segui-
ram-se iSifHpJmuiaile Wao rley.aSyii^ho-
na antastica, arraiyads para panno por
Francisco Listz sobre motivos da Tempesta-]
de e das Sernas de Fauslo.
O fim que Berlioz leve em vista n'estas
composicoes era, segundo se dzia, dar
msica lodo o poder expressho da poesia
e pintar tudo por meio dos effeitos, sem se
importar com a meloda. Em 188 obte-
ve do Iustitulo o segundo premio de com-
posicio musical, e quando rebentou a re-
voluco de 1830 a sua cntala Sardanapalo
mereceu o primero premio. Fez tambem
executar, em honra dos hresdejulho urna
Si/mphenia fnebre e trwnpholquc foi bem
recebida do publico.
Parti ento para a Italia e escreveu ert
Roma a Bailada do pescador, de Goethe,
o Coro das sombras, d'Hamiet, urna sym-
phonia de Rei Lear e urna symphonia de
Rob-Roy, que foi execatada com pouco xi-
to, no conservatorio. Voltou em 1832 a
Pars, tendo em pouca conta a msica ita-
liana.
Desde esta poca comecon a escrever
criticas musicaes, prmeiro para a Gazeta
musical e depois para o Diario dos Deba-
tes, e pode ento defender na imprensa as
suas nnovaroes musicaes. A sua Sympho-
nia de Harold composta a pedido de Paga-
nini, foi coroada de to bom xito que ani-
mou o autor a continuar no seu arrojado
modo de escrever. Fez em seguida urna
opera, Benvenito Cellimi a qual foi geral-
mentc mal recebida. Beiioz nao acelou o
julgamento e sustentou contra os seus adver-
sarios urna viva polmica no fim da qual
cabio doente. Paganini, que era um dos
seus admiradores, enviou-lhe 20,000 frs. e
comparou-o a Beethoven.
Em 1836 compoz o seu celebre Rquiem
que foi executado no seguate anno, nos fu-
neracs do general Damiemont. Depois a
sua symphonia de Romea e Julieta, dedica-
da a Paganini, teve to bom acolhimento
como a de Harold. Visitou em 1843, a
Blgica e a Allemanha, deu concertos e es-
creveu a sua symphonia do Carnaval ro-
mano. No anno segninto, na abertura da
exposifo da industria foz executar o seu
Hymno Franca por urna orchestra de
1:090 msicos.
Em 18(51 produzio a Condemnacao eter-
na de Fausto, legenda em quatro partes;
em 18oi a Infancia de Christo, triloga sa-
grada, e em 1860 ou 1861 urna opera em
5 aco intitulada os Trpanas.
Berlioz era membro do Instituto, biblio-
thecario do conservatorio, cavalleiro da Le-
gio de Honra, e condecorado com mu las
ordens estrangeiras.' Fez parte do jury
das Exposiees Universa.es de Londres e
Pars, na seccio de instrumentos de msica.
Como escrptor, Blrlioz distinguia-se por
^ima critica bastaote apaixonada. Publicou
em 1831 um Tratado di instrumentaeo e
de orchestraco moderna, e a letra de omi-
tas das suas composicoes musicaes era d'el-
le. As suas obras verdaderamente lute-
ranas sao: Viagem musical Italia e
Allemanlta; Estados acerca de Beetlwven,
Glucl; e Weber 1815); Sarus de orches-
tra (1853); e os Grotescosda mws/ca(1859).
A CASA DA MOEDA DE LONDRES.-
Existiam"outr'ora muitos estabelecimentos
para o fabrico da moeda na Inglaterra, em
Londres, Ghester, Winchester, Yort. A
moeda de Borough, era Londres, t) ce-
lebre outr'ora, abandonada boje, ficou sendo
um bairro de ladroes. No seculo passado,
foram esses diversos estabelecimentos ceo-
tralsados na Torre; fioalmente em 1806,
foi construida a nova casa da moeda de
Londres. Nao parece, to modesto o seu
aspecto, que aquelle edificio custasse cerca
de seis mlhes esterlinos; coratudo dizem
que assim aconteceu.
Seja como fr, alli que se cunhara nao
s todas as moedas, desde forthing at a
. Com tanto que nao succedesse algum
mal a Miguel... disse Bertomy inquieto
Est a gente sujeita a muito mos eocon-
tros por esses malditos bosques e elle j
devia estar de volta.
Ora Ento que I lie pode acontecer?
Faz-te agora piegas com aquelle fedelho de
formas hercleas I O que se preteode
que nao venha com as mos a abanar, por
que ltimamente pouco tem feito e isto
assim nao pode continuar !
O teu amigo Rongou nao tem feito
mais, ou.se alguma con? a traz, sao cousas
de que s elle se aproveita, come, por
exemplo, amelle guizado deformigas com
que se regalou esta mauha Prometteu
arranjar-nos caca, qae al hoje nao vi f
Cont que a arranjar hoje, e bom
seria, porque tenho centos fe diabos no
estomago I
E eu sioto aqui dentro um cancro a
roer-me !disse outro forcado, pondo a
mo no peito.
Pois eu est-rae dando a vontade de
me dilacerar a mm mesmo s dentadas !
resmungou o outro com olhar esgazeado.
Houve um iostante de sileocio.
Bertomy, puxando a lioha e atiraodo-a
de oovo agua machiualmente, pareca
prestar o ouvido ao menor ruido quesefa-
do seu egosmo, nao poda deixar de esti-
mar o. filho, de quera reoebera tantas
provas de dedicaco ; a demora do surdo-
mudo causava-lhe cuidados que supplanta-
vam os soffriraentos da fome.
Pozera-se o sol e a nrate vfnha irabsti-
tuiodo o dia, quando um ruido de passos
e o rumorejar da folhagom aonanciaram o
regresso dos cacadorw.
Bertomy, abawtonaodo as linhas, tevao-
:tou-se, apesar do seu estado de debilidade,
e logo, affastando-se os arbustos, appareceu
o Rongou (j. rr (
As feicoes doejfr0 tinham ora aspecto
mais feroz do que de ordinario, posto me
um sornr sinistro me ditatasse os grossos
labios. Trauia s-cosaas mi ^r-me
pareca pesado, e debaixo de nm dos-bra-
libra esterlina, mis tambem todas as me-
rialhas commemorativas, todas as medalhas
para as trocas de trra e mar, as nieda-
(hae encommendidas pelo ministro do
commercio, as cruzes Victoria e finalmente
todas'as eoivlecoracQes coa*edidas pele
joverno. Utora para um volme a historia
de to vasto estabelecmento, com operarnos
to variadas: mas podem ar-se algumas
noticias interessantes dessa historia.
- Acredita-se geralmente que, mandando i
casa da moeda de ouro, prata ou cobre,
pode-se obter igual peso de libras esterlinas
shillings e pences. Assim aconteca outr'ora
mas actualmente s existe esse uso para o
ouro.
Mandava-se outr'ora casa da moeda
baixellas de prata, barras de cobre, joias
de ouro; hoje a casa da moeda tem um
praso de vate dias para restituir, sob
forma de moedas com effigie regia, as
barras recebidas, pode recusar inteiramente
as remessas de prata ou de cobre dos
particulares. Resulta que o publico prefere
tratar directamente com os mercadores de
metaes que pagam immediatamente; e a
estes que a casa da moeda se dirige por
meio de seus corretores sempre que precisa
de prata ou cobre.
Quanto ao ouro, est admittide que a
casa da moeda o recebo de quem Ih'o v
levar para ser convertido em soberaoos ;
coratudo, fazera-se essas operacoes geral-
mente por intermedio do banco de Ingla-
terra, que, bem entendido, leve comprar
0 ouro tal como o apresenlam : em va-
lores, em p, em moedas estrangeiras, e
que, conforme os casos, manda-o cunha-
gem, quando precisa, ou vende-o casa da
moeda. De facto, a casa da moeda obri
gada pela le que a rege, a converter em
soberanos todo o ouro que lhe entregaran
e o estado para a despeza da operaco.
A ultima remessa deste genero, proveni-
ente de um particular, c a nica durante
estes ltimos annos, foi a que fez o rico
americano, o Sr. Peabody, para que a casa
da moeda cunhasse cerca de 10,000 sobe-
ranos.
E' facto singular, e pela primeira vez
acontecido na historia desse estabeleci-
raento, que se passasse um anno sem ter
sido cunhado um s soberano ; no momento
em que escrevemos, o fabrico ainda est
parado.
Durante quinze mezes, a circulaco mo-
netaria do ouro nao foi augmentada com
urna s moeda. Suppunha-se qne depois
do pnico de 1866 a casa da moeda tivesse
um excesso de trabalho ; aconteceu exacta-
mente o contrario, e a propra casa da
moeda soffre com a depresso de que se
resentem todas as industrias. Nao lhe
pedem soberanos, pedem-lhe moedas de
1 schilling e de 6 pence ; os operarios em-
bregados nesse trabalho apenas traballftm
metade do terapo emeada dia.
E' interessante estudar o destino de cer-
tas moedas : urnas desapparecem da circu-
laco ; outras ficam populares, ou impopu-
lares durante longos annos. O guineo e a
meia cora foram sempre populares. A
moeda de 5 schillings, o florim e a moeda
de 4 pence foram sempre impopulares.
O guineo foi cunhado pela primeira vez
no reinado de Carlos II, e tirn o nome da
corapanhia de Gui, que mandava cunhar,
as vezes, na moeda de ouro a ima'gem do um
elephante, symbolo da sua origem africana.
O guineo era to popular, que o seu suc-
cessor, o suberano excitou por muito tera-
.po urna especie de repugnancia. Pode
parecer surprndente que urna moeda do
reino podesse jamis ser pouco favoravel-
mente recebida, mas a prova est nos ar-
chivos da casa da moeda. O publico to
caprichoso no seu gosto pelas moedas, como
um gioto pelos alimentos; certas moedas
inspiram tal averso que sao recusadas at
o momento em que nao ha outras. Assim
foi que se deixou de eunhar o guineo para
impr o soberano, e agora, Deus lomado,
o publico j aceita o soberano com boa
cara.
Nao acconteceu o mesmo com as moedas
de 5 schillings nem com as de 4 pence.
As primeiras eram impopulares desde
muito tempo; rauita gente a9 recusava at
as transaeces ordinarias do commercio
miado.
Houve como que urna conspiraco ge-
ral : os fabricaotes com os banqueiros, os
o outro brandia o sabr, de que jamis se
separa va.
Ao ve-lo, todos gritaram:
Achaste de comer, Rongou ?
Si, si, grande boda, bom petisco I
respondeu D'Chimbo Eu matar grande
macaco e trazer a elle para regalar a vos !
Alegres acclamacoes acolheram tal no-
vidade.
E que do macaco ? perguntou
Rigaut.
Ser muito grande, sior !respondeu
o negro, sorrndo-se Ea esfolar a elle
alli logo e faze-lo em bocados para assar.
Oh I vamos a isso I respoodeu um
dos esfaimados, preparando as brazas.
Em quanto o Roqgou abria o embrulho
de folhas, d'onde escorria sangue, Bertomy
perguntou-lhe:
Nao encontraste, men filho, D'Chim-
bo ? E' noute e elle sem voltar!
Com effeito, acabava de escarecer com-
pletamente com a rapidez habitual.
O Roogou respondeu cora a sua usual
arrogancia :
Mi nao ser feito para guardar teu
filho 1 Eu matar a elle, se sior Rigaut qui-
zesse 1 Eu ir por aqui, elle ir por alli Eu
nao querer saber de pequeoo Tomy !
Ento iria com Bouche-en-Coeur...
Viste-o ?
Mi nao ver a ee. Bouche-en-Coeurl
estar morto.
Morto repetirn! muitas vozes
Com isso, D'Chimbo ?
Tigre comer a elleresponden o ne-;
gro com volubilidade e maneira de quem
da va um recado.Elle girar no bosque e\
procurar tartarugas, quando encontrar gran-
de tigre, que saltar n'elle e upa comer a
elle!
Mas como viste rsso, 9e nao andaras
com elle ?perguntou Rigaut, encarando
flxamente o negro.
Este noz-se a'rir.
Eu orfPh* a elle gritar, ea vir logo...
Boache-en-Coeur estar morto e tigre fu-
gir.
Nos onvmo-lo gritardisse Rigaut
los alguna coas* envoHj em-folhas ; opm .e logftifee pareceu qae o grito ro era de
banqueiros cora a casa da moeda ohcgnram
a tal aMprdo em recusar as moedas de 5
schiltmgr que a casa da moeda acabou
por guarda-las todas.
Nao obstante, 2,000*libras esterlinas ; vo essas moedas
para s ilhas Falkland. E' alli o centro
do? bntceiros inglezes, llemfes, suecos e
americanos, no tempo de invern, e a ni-
ca moeda que tem curso entre elles essa
para elles que se fabricara.
Assim que, essa magnifica moeda, com
certeza a mais bella de todas as moedas
inglezas, deixou de ser emttida nos tres
reinos, e ter dentro de poaco tempo,
como o guineo, urna recordado do pas-
sado.
A moeda de 4 pence, que foi cunhada
pela primeira vez em 1836, foi sempre to
impopular que deixaram de fabrica-la, e
ha 12 annos nao appareceu urna s moeda
nova.
A meia-cora, to procurada, est tam-
bem na decadencia ; tem comtudo lutado,
iracas ao auxilio dos banqueiros e dos fa-
bricantes, que ochavan o llorim. Mas era
intil cunhar ao mesmo tempo moedas de
2 schillings e de 2 schillings e meio, dei-
xaram pois de fabricar esta, e as nicas
moedas de prata que agora se faem sao
os florins, os schillings e as moedas de 6 e
de 3 pence*
As |ue se chamavam soberanos da liga,
schilling do lelo, da rosa, do cardo, do
trevo desappareceram quasi todas da cir-
culaco, e isso por dous motivos: o pri-
mero, que vo a casa da moeda para
sahrem sob urna forma mais moderna ;
o segundo a que a superstico popular, a
vista da escassz da moeda, considera-as
como urna especie de amuletos para da-
rem fortuna, qwtodo acaso leva alguma
circula 3o, e fcil ver pelo brilho e 1impe-
za que esteve cuidadosamente guardada.
O proprio florim, moeda modernissima,
d um curioso exemplo dessa superstico.
Os primeros que se cunharam eram de
um pequeo modulo, foi prenso suppri-
mir s lettrasF Dpor falta de espaco.
Seguio-se urna especie de protesto ge-
ral : as novas moedas foram logo baptiza-
das com o nomo de florins sem graca
(graceless florins). O florim dessa primei-
ra emisso tornon-se por sua vez urna
moeda to rara, e, ainda que se emittiram
650,000, hoje mal se encontra alguma na
circulaco-
Os fabricantes de moeda falsa nao cau-
sara tamanho prejuizo como se pensa. Tem
Londres bem pOucos snashers, e como sao
obrigados a fabricar mo, isto fundir
moeda por moeda em urna forma de gesso
para as passar depois pilha galvnica, nao
podem cunhar grande copia de moeda, e
limitam-se a de prata, especialmente o flo-
rim e o schilling.
Os smashers nao emittam as moedas por
elles propros fabricadas; vendem-as a ami-
gos que se encarregam de as ir passando,
e o preco dessas moedas falsas est na
proporco do risco que ha em as emittir.
Assim que os florins de primeira quali-
dade custam at 12 schillings por duzia:
cumpre dizer que, salvo minucioso exame,
engana-se 'com essas moedas o mais descon-
fiado: fazem-se tambem schillings que nao
valem mais de 2 schillings a duzia, e flo-
rins communs que se vendem apenas por 3
schillings a duzia.
Os smashers formara .urna raca especial
de moedeiros falsos que nao tera diminui-
do nem augmentado durante estes cincoen-
ta annos. Existe entre .elles um espe-
cie de senha que elles teem cuidado era
uo revelar ; sabem que a polica da casa
da moeda tem mais a peto apanhar um
fabricante que vnte emissores.
Contra a moeda de ouro, s se fez urna
grande tentativa : foi ha tres ou quatro an-
uos. Estabeleceu-se em Hamburgo urna
companhia de allemes, com o fim assenta-
do e maduramente concebido de fabricar
soberanos inglezes. Trataram de evitar o
errocomraum aos smarshers indgenas, que
consiste em fazer mos soberanos. Con-
tentaram-se em dar ao ouro urna liga que
constitua a moeda no valor de 17 schillings
em vez de 20.
Os aventuraros fabricaram toda a ferra-
menta empregada na casa da moeda de
Londres; em urna palavra, estabeleceram
umi verdadeira casa da raoeda ingleza ern
Hamburgo.
quem estava contente ; mas, emfim, mor-
reu, j nao tem fome.
E ser-um de menos para roer o qui
nho dos outros acudi um dos forca-
dos.
Durante a conversa o Rongou ia tirando
bocados de carne ensanguentada de dentro
do pacote do folhas. Ninguem investigou
a qual especie de animal ella poderia per-
tencer e foram pondO'OS sobre as brazas,
a petar "das tentativas de Cagnard para a
clWr mesmo craa. Tremia-se de avidez
e impaciencia ao ver aquella iguaria fume-
gando sobre a crepitaco das brazas. Cada
um dos assistentes pareca recear qie os
outros impedissen o resultado da opera-
Bertomy, todava, tmha a coragera de
desviar por momento os olhos d'aquelle at-
trahente qaadropara os assestar no bosque,
onde reinava agora completa escurido.
Miguel nao voltra e esta ausencia levava-o
a crueis conjecturas. Lembrava-se de o
chamjr, mas isso era rnutH para um surdo:
procura-Io aquella hora era impossivel.
Forcoso, pois, se tornava esperar que elle
guiado pelos insec;os lazantes ou pelo re-
flexoda fogueira, se dirigisse para alli.
A anciedade de Bertomy tornra-se cada
vez mais viva, nao o impediado, todava,
de ofttar o conflicto que se levantara entre
os seus cantaradas.
Tinham elles arrebatado do lume a carne
a ferver, posto-que meia crua, e disputa-
vara a sua posseencarnicadamente.
o ver istd, Bertomy, exaltado pela fo-
me, foi acommettido de um phrenesi. at-
rand*8e ao monte para conquistar o seu
quinho. Bepoi de muitos esforcos, mui-
t >s muiros recebidas e dados,, yode a,pa-
nhar'uorbocado de carne efugio para um
caoto4..afim de a devdrar \ quando, porm,
ia a leva-la boCca, ouvio junto de si gri-
tos inarticulados, mas enrgicos e furiosos.
Ao mesmo tempo ara nmetn, sahindo de
dentro do matto, ^garrn o bocado que ia
a tocar os .beicos de Bertomy, e, faZendp
signaos de horrorisjttb; aflfcm cora elle para
longe.
Era IBguel.
Entraram na circulaco do continente
ilhares daqaelles soberanos; efectiva-
mente era absolutamente impossivel reco-
flhece-tes, nloserpelo peso. Foi por
ah que se descobriu a falsidade, e por ah
se conseguiu deitar a mo aos fabricantes o
ao estabelecmento.
Conseguiram os chefes evadir-se, mas
todos os instrumentos e urna somma consi-
derarol de ouro puro ou adulterado caho
as mos das autoridades de Hamburgo,
a ponto que a especularlo, apezar da auda-
cia e da habilidade, foi em resumo desas-
trosa. Os moedeiros nao pnderam introdu-
zir na circulaco metade dquillo que pre-
cisavam para cobrir as primeiras despe-
zas.
Ha dias urna dessas, moedas vindas do
Devonshire, foi mandada casa da moeda.
por acharem-a leve de mais; nao tinha
vestigio de uso e pareca ter o titulo le-
gal. Na casa da moeda foi reconhecida e
destruida logo.
Os que fazem pagamento ao banco de In-
glaterra sabem quanta vez Ihes acontece ti-
rar de um rolo, urna ou duas moedas que
lhe parecem demasiado leves.
O banco nao as recusa: corta-as emdous
ou tres pedacos, e guarda 4, 6 ou 8 pence.
com grande desprazer do proprietario.
Cuida-se geralmente que os soberanos
assim cortados vio casa da moeda para
serem fundidos e cunhados outra vez;
um erro. Ha urna porco de industrias
que precisara de ouro cora o titulo de
moeda e vo comprar ao banco os sobe-
ranos.
Comprehende-se isto ; ha poucas indus-
trias que precisem do urna s vez urna bar-
ra de ouro; urna barra pesa 250 a 300 on-
Cas, e se essa necessidade existe, nao pos-
suem ellas a ferramenta necessaria para
fundir tamanha peca.
Vam-se, pois, comprar onca ou libra,
os soberanos cortados; essas moedas, como
moedas, eram leves, mas o metal era puro;
quanto basta.
O dourado em geral e o dourado sobre
porcellana especialmente absorvem todos
os annos quantidades de ouro considera-
ves; s a porcellana, consomm mais de
50,000 libras esterlinas por anno, e calcu-
la-se que 40,000 oncas de moedas de ouro
vo desapparecendo assim todos os dias da
circulaco, absorvidas pela industria de
Franca e da Inglaterra.
DESCOBERTAS.as escavaces pra-
ticadas no territorio da cidade de Hildes-
heim, descobrio-se recentemente um the-
soufo de inestimavel valor, que se couape
de vasos, copos, candelabros, clices, etc.:
ao todo sao 57 objeclos de prata macissa
de um valor intrnseco de 12:000 francos^
(rs. 1.-300^1000 pouco mais ou menos.)
Nao possivel apreciar o valor artstico
d'estes objeclos; mas segurameote supe-
rior a todos os que at agora se tem encon-
trado. Os aoaixonados entendem que o
thesouro de Hildesheim fe superior ao de
Bernay (Normandia), desenterrado em 1829:
ao da Crimea, que est exposto no musen
de S. Petersbnrgo, e ao de Pompea, desco-
berto em 1835.
O qu augmenta, principalmente, o va-
lor vasos descobertos em Hildesheim, sao
as inscripces gravadas, pelas quaes se co-
nhece exactamente as datas a que perten-
cem.
Os escultores assignaram as suas obras,
e vemos que se chamam Brocea, Mursus e Au-
relius.
A cidade de Hildesheim; sede de um bis-
pado do antgo reino de Hanover, pertence
Prussia; possue um museu riqussmo em
objectos antgos; mas os seus habitantes
nao esperam poder conservar o novo adia-
do, pois recciam, e nao sem um certo fun-
damento, que o governo prussiano o man-
de transferir para o museu de Berlin.
Pareca exaltado extraordinariamente : os
olhos incitados em excesso, revolviara-se-lhe
desordenados as rbitas. Repeta os sig-
naos de horror e ao mesmo lempo estri-
dentes gritos.
Bertomy, nao obstante a satisfar.) de ver
o filho, exclaraou encolerizado :
Que diabo isto ? Arrancar-me as-
sim de bocea a carne com que. eu ia a
matar a fome!... Tens cousa melhor que
me offerecas ? Pois avia-te, qae j nao
posso comigo de fraqueza !
O surdo-mudo continuava os seus gritos
e. gestos precipitados, cojo sentido se nao
poda comprehender muito fcilmente. Por
lim. desviando-se do pai, poz-se em frente
da fogueira a fazer acionados expressivos
dirigidos aos outros forjados.
Estes, porm, nao experimentando sen-
saco alguraa agradavel com o regresso do
filho de Bertomy, continuawam comendo s
dentadas as tiras de carne a que tinham
podido deitar as unhas.
Miguel insista na sua pantomina, e, como
elles j se houvessem habituado sua lia-
guagem gesticulada, chegaram a compre-
hender o que elle Ihes queria dizer, que
era o seguinte:
Que, tendo" ido com o Rongou e Bou-
che-en-Coeur em busca de alguma cousa de
comer,,se separara d'elles d'at a,poaco,
cm razo deihe nao agradar tai companhia;
que por sua parte nada obtivera, e que,
vendo o sol a pr-se, decidir vouar alli
embora com as mos vazias ; que, atavas-
sando a floresta, chegra a um ponto onde
as hervas espezuhada* e alguns liamesar-
rancados denunciavam urna lua recent,
toado elle encontrado despojos humanos
espajhados pelo ,bo ; que ju assego*4w
de ter all sido morto um homem, nlo po-
dehdo proseguir em mais averiguare* por
ser aoule, e. que oie tfaera p* w
all ter, p que conseguir, gracas ao clarJo
da fogueira.

(Qmtimtar-s-ha)
i '


J


TYr, DO DIARIO RCA WS CSVZES I. *
\
-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHASR5SSK_NU3IUR INGEST_TIME 2013-09-13T22:16:09Z PACKAGE AA00011611_11822
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES